Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19163


This item is only available as the following downloads:


Full Text


.. il i" i m IIW

AMO LXV NUJKBRO 160
;


}
PARA A CAPITAL E LUGARES OXDE XAO SE PAGA PORTE
Por tres mezes adiantados............... 6(>000
Por seis ditos dem................ 125000
Por um anno idcm ........... 23<>000
Cada numero avuso, do mesmo da..... ... % 100
DIARIO DE
SEXTA-FEIRA 19 DE JIJLH0 DE 1889
PARA DL\TRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis ineies adiantados.............. l$&)fA
Por nove ditos idem................ 20000
Por um anno idem................. 260000
Cada numero avulso, do das anteriores........ 100
Os Srs. Amede Brin-
ee & C, de Pars, sao
os ncssos agentes ex-
clusivos de annuncios
e publicares na Fran-
ca e Inglaterra.
Tropriedade de fttanod ffixjueiroa de 3wia # 3%tycs
TELEGRAHHS
SSB7I;: PASTIC7LAS SO BliSIO
RIO DE JANEIRO, 1S de Julho, s s\
horas da tarde.
Foram declarados sem cffeito os decre-
oa que nomearam tenentes-coroneis eom-
mandantes da guarda nacional :
Do batalhao do Rio Formoso, Ferreira
A.buquerque ;
Do batalhao de Itambc (?) Cliristovo
Mello.
Foram nomeados :
Contador da Thesouraria de Fazenda de
Matto- Grosso, Joao Antonio da Silva Pe-
: ra;
Secretario interino da Capitana do Por-
to- lo Reeife, Mario Chaves.
Fot nomeado ajudantc de ordens da
presidencia das Alag&as, Antonio Affonso
tif. Carvalho.
O inquerito sobre os acontecimentos
;; aoito de 15 do crrante est sendo feito
en -segredo de Justina.
Consta todava que Adriano Valle tem
feito importantes revelaeoes.
Continuara a chegar telegrammas de pe-
zar pelo desacato que soffreu S. M- o Im-
perador e de felicftaoSes por ter B. M. sa-
bido inclume do attentado.
A Assembla Provincial do Rio Grande
do -Sul adoptou por unanimidade de votos
nina moejJo de congratuladlo por ter S. M.
'.^apdo illeso do attentado.
ROMA, 18 de Julho.
Acredita-sc que o general Cialdini seja
nomeado embaucador da Italia em Madrid.
ASi8, ix de Julho.
O SWsellio municipal de PariV o'crece-
r brevemente, um banquete aos maires de
todas a* cornraunas de Franca. Mr. Sadi
i raot presidir o mosmo banquete.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
18 de Jnlho de 1889.
IHSTRCCiOJ^PLAR
" as mam ivexccb
AMTIGAS E MODERNAS
NAS
Scisncias. industnas e arfes
POR
XIX
Os. diTerute metbodo* de illu-
mlnarao
(Continuacao)
HXCMHUSAO PELOS llYDROCAr.Dl RETOS 1-Kjl IDOS
0 cobo, os leos vegetaes ou o gaz podem ser
ubstiluidos, como uieio ae illumraagSo, por di-
" Tersos lquidos, que se acham ua nalureza com
la abundancia, e que, formados de carbono e
hvdrogeneo, como gaz de illuminago podem
piodziruma luz muito econmica, em razo de
sea pouco CHSto. O oleo essenciai, proveniente
.ia aistillaco do betume natural, contiendo pelo
orne de schisto ou asphalto. isto o oleo de
-to. a essencia de terehentina, que se produz
;:ilar,do a resina que sahe des pinrieiros os
)s essenciaes de naphir ou petrleo, etc. po-
crapregar-se para illuminago.
ate, como estes diUerontes lquidos, ex
mtericos em carbono e hydrogeneo, pre-
am, para arder sem fumo nem cheiro, de
3 co:rente dar muito activa, foi iieccssario
inar lampadas d'uma disposigo particular
i tes. por urna tiragem conveniente, se faz
cande quantidade de ar para o ponto em
se faz a combustao do liquido Iluminador.
los os liydrocarboretos lquidos, o oleo
-to hojeo composto inais empregado, por
ama luz muito brilhante e econmica.
muito nas fabricas eoflicinas. Ochei-
10 diJicil de evitar, que resulta da com-
!o impede todava de o adoptar na illumioa-
' ;> '^mestica.
Nao se deve dei.var de observar aqui que o
emprego do olele sebisto na illuminago nao
isento de perigos. em razo da inflammabihda-
de deste producto. Os leos vegetaes nao sao
inflammavcis por si mesmos ; nao podem arder
senao com torcida ; o que d urna seguranca
absoluta para o emprego e munuseamento deste
liquido aiuniiador dentro de casa.
Ao contrario, o oleo de sebisto, a essencia de
terebentina misturada com alcool e conbecida
pelo nome de gazogeneo, etc.. inflummam-se di-
rectamente pela approximago de um corpoem
combustao, como, por exeraplo, um pbosphoro.
Esta propriedade iucommoda. pede muita cautel-
la no manuseamento destes lquidos. Xas fa-
bricas Iluminadas com oleo de schisto, eostunia
ter-se o cuidado de fixar invariavelmentc as lam-
padas'na parede ou suspendel-as no tecto, de
sorlcjque.o apparelbo de illuminago nao se pos-
sa minea mudar de lugar, porque podiam acon-
tecer accidentes durante o transporte.
A apDlicaco do oleo de sebisto illuminaco
devida a um trabricante l'rancez chamado Sel-
ligues, que f indou a prmeira fabrica para a des-
tihaco dos scbislos, e imaginou a lampada boje
usada para a combustao dos hydrocarburetos l-
quidos.
Desde o anno do 1863 urna verdadeira rcvolu-
eao eceuomica comerou para a illuminaco par-
ticular, por causa da introduccao na Europa dos
leos mineraes da America. Por debaixo do
solo de diversas regies da America do Norte e
sobretudo no Canad, existem verdadeiros lags
de ura liquido muito combustivei, a que se deu
o nome de petrleo ; basta abrir na trra um bu-
raco de sonda para jorrar urna columna continua
deste liquido.
Foi ao anno de 1838, pouco mais ou menos,
que os jazigos de petrleo se descobriram em
grande abundaucia na America. Como este li-
quido se presta maravillosamente a illuminaco,
nao se tardou coi usal-o na America. Em se-
guida chegou Europa, onde o seu pouco preco
o fez promptamente adoptar. 0 petrleo j des
thronou o oleo de sebisto e os outros lquidos
combustiveis para Iluminar as fabricas, e appli-
ca-se tambem a illuminaco domestica e de laxo.
(Contina)
PARTE 0FFIC1AL
Ciorerao da Provincia
EM ADDITAMBSTO AOS DESPACHOS DE 12 DE
JULHO DE 1889.
Ciementina Elisia Monteiro. Nomeie-se pro-
fessora publica effecliva da cadeira mixta de Ca-
mutani'a. em Itambe.
Mara Adelaide de Carvalho Olivcira.Preju-
dicado.
Olvmpia Francisca de Paula.Prejudicado.
M -
Dr. Albino Goncalves Meira de Vas.concellos.
Concedo.
O mesmo.Concedo.
i"
Capito Henrique Prxedes de Barros.Sim,
ticando aggregado ao 2" batalhao do servico da
reserva.
Bacharel Antonio Joaquim de Albuquerque
Mello.-Informe o Sr. inspector da Thesouraria
de Fazenda.
Manoel Francisco Botelho. -Concedo.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco 18 de Julho de 1889.
O porteiro,
F. Chacn.
Repartleao da Polica
2.* ecsao.N. 852Secretaria de Po
licia de Pernambuco, 18 de Julho do 1889-
Illm. e Exm. Sr.Participo a V. Exc.
que foram hontcm recolhidoa i Casa de
Detencao, oa seguintes individuos :
A miaba ordem, Theodoro Agostinho da
Silva, loucovinda do termo de Cimbres, at que
tcnba o conveniente destino.
A' ordem do subdelegado da reguezia do
Recite, Joao Francisco da Cunha, Ancsio Mattos
Porto. Francisco Manoel da Silva c Joio Araaral,
por disturbios ; Rosa Maria das Flores, por uf-
fensas a moral publica.
V ordem do da freguezia M Santu Antonio,
Joseplia Francisca Wanderley, por embriaguez e
Pedro Maximiano dos Santos, por disturbios.
A' ordem do do l' districto da freguezia de
S. Jos, Adolpho Antonio de Paula e Vctor Lan-
delino Modeste, por disturbios.
A- ordem do do f districto da freguezia da
Ba Vista, Antonia Mana da Conceisao. Zeren-
na Maria da Conceicao, Paulina Mana da ton-
ceicao Maria Benedicta da Conceicao, Manoel
dos Santos Francelino da Rocha, Jos Rodrigues
da Silva, or offenaas o moral publica; Manoel
Rodolpho a f.ruze Manoel Francisco de Arau-
io, por disturbios.
No dia 5 do corante, prestou juramento e
assumio o e?erciciO'*> carpo de subdeleglo d(J
1^ districto da fregueiia de Nossa Senhora do O
de Govanna. o cidadao Ernesto l'ereira Rabel|0.
Deas guarde a V. ExcIllm. e Exm.
Sr. Consclheiro Magoel Alves de Araujo,
muito digno presidente da provincia.O
chefe de polica interino, Joao Augusto de
Albuquerque Maranhao.
Recebedoria Provincial
DESPACHOS DO DIA 17 DE JULHO DE 1889
Joo da Silva Ferreira, Antonio Lopes da Sil-
va e Joao Jos de Souza Rangel. Informe a l
SCCCQ- 18 *
Candido Paulino le Mendoncs, Joo Baptista
de Moraes e Alexandrna Joaquina dos Pasaos.
Informe 1" seai> ?
Carolina Maria de Almenla' Nguer.-A i
sergao para cumprir u despacho do-Sr, Dr. in-
spector. .* -
Henriquo I.asserre.Informe Ti ^aeccao sobre
a inclusa petigao de Henrique Lasseiy.
CORRES PON DENCIAS
Oo,H)iarlo de Pernambuco
GLORIA DE GOYTA', 16 de Julho de
I9tf9
Depois que. jxir urna caiHpirnco palaciana,
foi mudada a siiuaeo poltica do pal aceaden-
do ao poder o partido liberal, deu se nestt vil a
e seu termo um completo revirameuto nos ut-
sumptos concernentes a ordem e seguianga pu-
blicas, que. de pertinazmente garantidos como
estavam na situaro conservadsra, passaiam a
estar a merc dos dscolos, capitaneados pelo
actual subdeleado do 1" districto, o celebre
Francisco Tenorio, de doentia nomeaJa.
Nao poda ser mais infeliz a nemeaco de urna
autoridade para urna loculidade como esta em
que o novo era geral pacilico e ordeiro; nem
era possivel que fosse aqui inaugurado sob to
ruins auspicios a situacSo liberal.
a i- um tresl-
c desatinos cotn
ole tn e exerca
i* poSeos.
boinem que, em
Ma> o que fazer, se os hornens da actualidaile
se desconcertara, sem se lhe lembrarem de que
quando Deus os quer perder prmetro Ihex tira o
juizo I!
O actual subdelegado do Io districto deste ter-
mo, districto da villa nue conta muitos hornens
bous nas (illeiras do lib
cado que pratica toda 1
tanto que d paito & sua
vingancas contra seus adv n
Esse subdelegado o me:
das de 1887, provocou urna desfldem no recin-
to do paro municipal quando Funccionava a C-
mara, sendo preso porque, sacando de-urna ar-
ma, e brandindo-a, ame&cava cos e trras em
desenfreiada correra pelas ras da povoacao.
, Guindado agora, contra todas as convenien-
cias publicas, posieo de autoridade policial,
imagine-se do que elle ser capaz! E o facto
que se tem exhibido tristemente em toda es-
pecie de desatino e exercendo toda sorte de per-
seguigoes.
Vamos dar aos seus leitores um transumpto
do que tem elle p ral icario de 28 de Junho para
c, e por essa resumida historia julgarSo as
primeiras autoridades da provincia e o publico
da saoidade de suas facultades e do quanto po-
de elle fazer em desprestigio da situaro actual.
A 29 de Junho, sem qu nenhuma causa ti
vesse havido que auturisasse tao inslito proce-
dimenio, Francisco Tenorio apoderou-se da cha-
ve do pago da Cmara Municipal, para evitar
disse elle -que na sala livre da cadeia, que no
mesmo edificio, permanecessem dous detentos
um .delle- official da Guarda Nacionalambos
alias liberaes, e all recolhidos pela autoridade
competente da situacSo decabida.
Ao pas?o que isso fazia, Francisco Tenorio
convidava os dous referidos detentos para jan
tarera em sua casa t elles, mais ajuizados de
que o inconsciente subdelegado, recusaram no
bremente o convite, compreheodendo que na
sua qualidade de presos maaneados notoodiam
trasitar pelo povoado sem enorme escndalo I
Kis abi o bomem a que foi confiada a subde-
legada do 1 districto da Gloria !
Logo depois o desalmado subdelegado, como
se tivesse o rei na barriga, disteodeu a sua au-
toridade, que se devia limitar ao iu districto,
interviudo em negocios do 2 districto, e para
este nomeiando inspectores de quarteirSo e pra
ticando verdadeiras invasoes, all, ou prises.
cercos de casas e outros actos violentos.
Mesmo no districto, o de sua mrisdiccSo,
taes actos sao frequentemente praticados com
menospreso da respeitabilidade dos cidadaos e
com violacio da lei.
E' assim que, no dia 10 do corrente, noite,
Francisco Tenorio poz cerco casa de residen-
cia de diversas pessoas qualificadas, sob o ftil
pretexto de procurar criminosos mas na reali-
dade para desacatar essas pessoas, que todas
gosam do melhor cooceito.
No numero dessas casas conta-s* do vigario
da parochia commeodador Joo da Costa Bezer-
ra de Carvalho, hornera pacilico, geralmente es
timado por suas maoeiras Ihaoas e affavcis, ca-
rcter respeitafel, e que por ndole e por edu-
caco 6 um elemento de ordem neste termo.
Sao escapou. entretanto, a sanha do desalma-
do subdelegado, que na noite do referido .dia
10, cercoulhe a casa, sem nenhuma razo justi-
ficativa, sera causa ptansivel, tanto assim que,
ao clarear do dia eeguinte, levaotou o cerco e
n&o deu varejo na casa.
Se algum motivo procedente tivesse Francis-
co Tenorio para acto to vexatorio para quem
dille passivel: se razo houvesse para o em-
prego da medida violadora do domicilio privado
do respeitavel sacerdote, certamente a arbitra-
ria autoridade devia ter dado sequencia ao cer-
co, procedendo busca. Desde que o nao fez,
e assim praticou porque tinha certeza da hon-
rabilidade do RevuV vigario Costa Carvalho,
coofessou o proprio subdelegado o perverso
moral que o domina, poz s claras o seu lira de
offender aquelle sacerdote, de quem desaf-
fecto.
J di:se que, como a casa do vigario, foram
outras igualmente cercadas ; e releva dizer que
deu-se o mesmo facto, em relaco a estas, de
nao serem vareiadas, sendo o cerco levantado
ao romper do dia, como se o ouzado e esbrave-
jador subdelegado tivesse medo da luz do sol.
Corre agora que elle pretende fazer o mesmo
em outras casas de residencia de pessoas qua-
lilicadas, abrangendo-se no acervo a do esenvao
Luiz Felppe Cavalcante de Albuquerque e a do
juiz municipal do termo, Dr. Jos Conidio Lei-
to Rangel, dous dignos funecionarios, dffeificos,
inoffensivos, credo res a todos os respeitos da
estima c considerarlo publicas.
Nao licam ah, porm, os desatinos de Fran-
cisco Tenorio. Ha poucos (lias, vindo de viagem
para a villa ura bora hornera de nome Joo Go-
mes da Cruz, morador cm Cha de Aldeia, succe-
deu-lhe encontrar era caminho um piquete que,
por ordem do subdelegado, andava de ronda com
terminantes instruegoes de espancar e prende? a
quem encontrasse.
Jo3o Gomes, sabedor dos antecedentes do sub-
delegado, e do quanto sao capazes elle e sua
gente, apenas vio o piquete deitou a fugir. Tanto
bastou para que um dos da troca, lhe disparasse
um tiro, que, acertando, prostrou-o ferido.
Nesse estado foi elle preso e recolhido cadeia,
onde se acba em tratamento, todo crivad de ba-
gos de chumbo.
Ao Dr. juiz municipal foij* requerido um exa-
me na pessoa de Joo Gomes, e vai-se proceder
a essa diligencia, inicio de actos posteriores, que
terio por tim punir o crime que contra esse ci-
dadao foi praticado por ordem de Francisco Te-
norio I
Por ultimo convem narrar oime se tem nassa-
do em re'acjo ex-praya de polica, Joo Oli-
vcira, coutra quera esto assanliados todos os
odios do subdelegado.
Ha mezes, dous individuos, um dos quaes cha-
mado Manoel. Gomes, travarara luta e se feriram
mutuamente no 2." districto deste termo. Avi-
sadas, Corrcraui algumas pracas ao lugar da lula,
por ordem do ento delegado do termo, mas j
ahi nSo encontraram os criiniuosos, que se li-
nham posto cm fuga.
Ai referidas pragas foram em sua pcrsegu'oip.
e, muito alm da povoacao, encontraram banM-
do em sangue Manoel Gomes, que, sendo trazidty
para a villa, horas depois suecumbo em conse-
quencia dos fenment03" recebidos na referida
lula.
Francisco Tenorio e sua gente attribuiram a
morte de Manoel Gomes p'raca Joo Oliveira,
urna das que foram em perseguico dos al ludidos
lutadores; mas o inquerito aberto a respeilo tf>
subsequente processo ja era estado de formaffij-
da culpa, deixou evidenciado, como se v peloj
documento abaixo pub'icado, que foi o au
desre assassinato Jos Gomes, o individuo
lutou com Manoel Gome-.
Todava, a praga Joo Oliveira lcou sob o odio
de Francisco Tenorio, quo protestou rlagar-se
della, pelo facto de tel-o desarmado quan
praticou o desatino cima narrado; e, porque
disso sabia, Joo Oliveira,apenas foi mulada a
situaeao, deixou o corpode policia e retirou-se
desta villa, onde alias tem familia.
Ha das, viudo, porm, ver -ua velha mi, foi
coagido a homisiar-se porque Francisco Tenorio
pretenda prndelo, oumais do que
ofrndelo pliysicamcnte. e mesmo a
dizer que o subdelegado mandara ein'dii
um trogo de pracas para prenderern Joo Oltvei
ra, e que essa gente, leva va ordens secretas pato
o trazer morto ou vivo.
:cto parece real, porque a verdade que,
embota sem mandado de autoridade competente,
acompanhou o troco de soldados um official de
jMfe por ordem terminante do subdelegado,
lina de lavrar termo de resistencia e mais
causa cm rdaco a JoSo Oliveira.
.0 havia o pensamento de offender, quic
$Oiar da vida Joo de Oliveira, para que
/eile'apparato? para que essa previsode
pea ? para que ura official de justica
ando a diligencia e sem mandudo do
icj competente para dalo ?
depois, qual o crime pelo qual perse-
Joo Oliveira ?
Die se que pelo assassinato de Manoel Go-
mes. Mas isto nao tem o senso coramum.
-'f_ processo instaurado por esse assassinato.
proAsso que est a concluir se, figura, e com
bons elementos de prova, como autor do crime,
Jos Gomes, o individuo que com aquelle travou
luta e o ferio ; e esse processo acha se, como'
lica Ato, em termos de ser concluida a formaco
da 4na.
tanto, Francisco Tenorio, sem mais tirte
nem'ptarle, abri novo inquerito, quando o feito
logo depois do crime subsiste iiteiro e a base
do processo alludido, e, dando pasto ao seu
odio, persegue Joo Oliveira, como se fosse um
reo confesso, e isto saltando por cima da lei. da
jusUja i; da moralidade.
lilis anda : o facto delictuoso deu-se no 2
districto deste termo ; Tenorio subdelegado do
1 districto ; e no emtanlo a arbitraria autoridade
abre inquerito sera competencia, persegue Joo
Oliveira no 2o districto, que invade, e despreza
tudo para cevar o seu odio!
E' possivel mais violenta autoridade ? Pode-se
dar maior anarchia ?
Eis o documento alludido. 0 publico que jul-
gue do raso :
Juizo municipal do termo da Gloria do Goyt,
em 16 de Julho de 1889.Ordeno ao escrivo An-
to Borges que informe, com urgencia, o que
constar, no seu cartorio, acerca dos seguintes
itens :
1.a Si ha alguma queixa ou denuncia dada
pela promotoria publica contra alguem pe(o
assassinato de Manoel Gomes;
2.* Si o assassinato teve lugar no 1' ou no 2*
districto deste termo:
3.a Si est ou nao se concitando a formaco
da colpa;
." No caso affirruativo quanto ao primeiro
itent, copia da queixa ou denuncia.
''pra se.
0 jub municipal, Jos Cornelia Lcitao Rangel.
'. Km. Sr. Dr. juiz municipal. Em curapri-
menfe respeitavel portara de V. S ten lio a
infamar sobre os seus itens o segumte :
Ao jl.0 que existe em meu cartorio urna de-
nuncia dada pela promotona publica contra Jos
Gomas, pelo assassinato do "infeliz Manoel Go-
mes :
Ao Io que o assassinato teve logar em Acude
liraodedo 2* districto;
A o 5. que se est concluindo a formaco da
cuipv,
Ao \.a finalmente que a denuncia do theor
seguate : Illm. Sr. Dr. juiz municipal do ter-
mo da Gloria.O promotor publico da comarca,
em cumpriraento da lei, vem perante V. Spe-
nunciar de Jos Gomes, como incurso nas penas
do art. 193 do cdigo criminal pelo facto que
adiante vai expender. Em o dia 13 do corrente,
pelas 4 horas da tarde, mais ou menos, quando
voltava para casa Manoel Gomes, recebeu ou lhe
deram diversas tacadas que lhe produziram a
morte. Ao princio havia duvidas sobre quera
tinha sido o autor do crime, mas depois que a
policia teve sciencia do facto, entrn em indaga-
cOes e, so nao ficou demonstrado que foi o de-
nunciado o autor da morte do mesmo Manoel
Gomes, pelo menos s a elle que se pode attri-
buir semelbaote crime, porque tendo tido elle
pouco antes razes com Manoel Gomes, accom
mlaram seguindo pelo mesmo caminho, c antes
de chegarcm aos seus destinos, eis que desap
parece elle sendo encontrado o infeliz Manoel
Gomes, no caminho que vai para Cruz de Almas,
desse termo, morlalmente ferido, e j em estado
de nada mais poder dizer. Para que soffra Jos
Gomes a saneco penal em que incorreu, a pro-
motoria aprsenla contra elle esta denuncia, em
que podem figurar como testemunhas as pessoas
que j depozeram no inqueftto e mais as que
sao apre3enladas na recapitularlo. Assiiu :
Pede a V. S. procedamos termos da lei.
Pao d'Alho, 2t de Outubro de 1888.-0 pro-
mo)r publico, Joaquim l'edro Camlrfnte de Al
buquerque.
E mais su nao continha em dita denuncia.
E' o que tenho a informar.
Cidade da Gloria de Goit. 16 de Jumo de
1889.O escrivo. Arduo Borges Alces.
Por honra das primeiras autoridades da pro-
vincia, nao devem ellas consentir que continu
como subdelegedo do Io districro deste termo o
violento Francisco Tenorio, hornera cheio de
odios, capaz de tudo, e que pode provocar crucis
represalias da parte dos perseguidos, que nao
tiverem a precisa resignadlo para supportar os
males que aquelle flagello publico pratica.
Nao laltam horaens de bem nesta villa entre
os liberaes. Nomeierr. aquellas autoridades a
ura destes para subdelegado, e assim voltaro os
dias de paz de que gozamos aqui na situaco
conservadora.
Termino esta dizendo que. fora dos dominios
da baixa poltica de perseuuieoes e violencias
do subdelegado Tenorio, tudo mais vai sem uo-
vidade. A salubridade publica boa. Teas
eaovido alguna cousa, e o tempo tem astado
oropino. A"s reirs tem vindo rauitos genero.;
e os procos sao regulares, salvo quanto fari-
nha de mandioca, que tem sido algo escassa e
cara.
Em fira tudo vai bem. S nos faltara segu-
ranca de vida e propriedade, e |uoo espirito
publico, que se ada alarmado'pelos desatinos
da odienta autoridade policial.
Coagccsso jnridico
Realisou-se boje, como estava annunciado, a
: a iBlemne do erngresso jurdico, para o
qual liavfcm swlo convocados todos os juriscon-
sultos liC3Jvalioes e portugueses, muilos dos
sipais distinctos vieram de faci to-
maPpurte na i;i.;ni;i;.nle e doula assembla.
Bravos e de subido mteresse. por certo, lio
ai ihe* ittidas analyse do cong
de erer que uiuitas dellas que j team ser
vilo de thema a reunidas controversias doutij-
narias, sejara agora resolvidas de modo a lica-
rcm esclarecidas todas as vidas.
Era vista das summidaJes seientilicas que ra-
no] parle da assembla estamos convencidos de
is de seus trabalhos serio de
grande alcance e proveilo, poderao servir de
base a futuras m idicajioes das leis e deixaro
um rasto brilhantissimo nos annaes da jurispru-
dencia moderoa.
A ttnnmlo olesane
Eram e meia da tarde quando cntra-
ram na grr.ndc sala da bioljotheca da Ac i
Real das Scielicias Suas (agestados, o principe
real e o Sr. infante D. Affon-o, acotnpaohadus
par todfl o minis'crio
O vasto sali estava pomposamente ornamen-
tado cora riquissimas colchas adamascadas pen-
dentes da aleria, e ao fundo erguia-se o throno
real, guarnecido de velludo carmezim. Dolado
esquerdo eslava a mesa da presidencia.
Nas galeras grande numero de seoboras e
cavalheiros, e r.'um estrejto recanto, apertado e
improprio, d'onde mal se'podia ouvir o que se
dizia na sala, os reporten dos jornaes.
Desde as 3 horas e meia que tinham comorado
a chegar os congressistas, quasi todos de casa-
ca, empresentando se apenas alguns com as suas
togas. Estava tambera o Sr. ministro de Hes-
pantaa.
El-rei leu um longo discurso inaugural, que
lhe fora apresentado pelo Sr. ministro da jus-
tica e no qnal se fazem grandes elogios aos ju-
risconsultos hespanhoes e se felicita a Associa-
co dos Advogados pela sua utilissima idea, de-
clarando, finalmente, aberto o congresso ju-
rdico.
A este discurso respondeu o Sr. ministro de
Hespanha, que agradeceu pelos congressistas do
seu paiz as palavras amaveis do monareba por-
tuguez ; disse que em Portugal havia grandes
tlenlos jurdicos, e que o convite feito aos juris-
consultos despalilles s poda representar um
acto de extrema modestia ; e terminou fazendo
o elogio do povo porluguez.
Tomou em seguida a palavra o Sr. Dr. Jos
Dias Ferreira para agradecer em nome da As
sodado dos Advogados as palavras de el-rei e
as do Sr. ministro de Hespanha : e por* ultimo
fallou o Sr. presidente, fazendo urna larga expo-
sico dos fias do congresso, e apontando as
vantagens que pode advir da resolucSo dos gra-
ves problemas submetlidos ao seu juizo.
*
# #
Kentituo preparatoria
A sesso preparatoria realisou-se boje, ao
meio dia, na sala do tribunal do commercio.as-
sistindo a ella cerca de cincoenta congressistas.
Funccionou a mesa provisoria, composl dos
Srs. Drs. Finio Coelbo, presidente,e lavaresMe-
deiros e Penha e Costa, secretarios
Tendo exposto o Sr. presidente os fin3 do con-
gresso e pedido aos Srs. congressistas que com-
pozerem as cinco secces, a raaior assiduidade
rapidez nos trabalhos, propoz o Sr. D. Diogo
de La i.ruz Casada que a mesa provisoria Ocas-
s sendo definitiva, proposta que foi approvada
por aedamago.
O mesmo congressita propoz que fosse consi-
derado presidente honorario do congresso o.Sr
ministro da justica de Portugal ; e o Sr. Dr.
Pinto Coelho accrescentou que lhe pareca estar
no animo de todos o considerar tambem -como
presidente honorario o r. ministro de anisa e
justica do paiz visinlio.
Estas propostas foram igualmente approvadas
por acclamaro.
Em seguida o Sr. presidente leu os nomes dos
congressistas que a comraisso executivaindica-
ra para presidentes das cinco secces, e que sao
os seguintes :
Direito publico-D. Manoel Torres Campos.
Direito civil-Sr. Serpa Pimental.
Direito couimercialSr. Jos Joaquira r'ernan-
des Yaz.
Direito penalSr. Antonio do CoutoMon
Questoes mixtas-D. Angelo Alvarez Talad
Depois o Sr. presidente convidou os congres-
sistas a inscreverem-se nas secces a que dese-
jam pertencer.
Amanda baver sesso plenaria urna bora
da tarde, devendo discutir-se as duas theses se-
guintes, sobre as quaes as respectivas secces
devero aposentar o seu parecer :
Direito publico >rhese n. 2)Devora ser gra-
tuita a administraban da justica, principalmente
no orpnauologico e criminal ?
Direito civil (These n. 10) Devero perlilhar-
se os lillios adulterinos concebidos depois da se
paraco judicial, admittindo-se tambera em fa-
vor delles a investigaco da paternidade ?
Depois de dada esta ordem de trabalhos o Sr.
presidente encerrou a ses3o.


Foram hontem, pelas 8 hars da noite, recebi-
dos na Associaco dos advogados de Lisboa va-
rios jurisconsultos hespanhoes. Achavam-se
presentes os Srs. ministros da justica e conse-
Ibeiro Silveira da Motta, secretario geral do ml-
nisleno da justica.
*
* *
FDrara mandados franquear os palacios e quin-
tas roaes. bera como os museus e monumentos
de Lisboa aos membros do congresso jurdico.
Prmeira seimao
A' 1 bora e 35 minutos o Dr. Carlos /.epher-
no Pinto Coelho, presidente do congresso, decla-
rou abena a sesso.
Servem de secretarios os Drs. Tavares de Me
deiros, direita, e Peona'Costa, esquerda.
Na sala esli rauitos congressistas, e tres ou
quatro que o nao sao, mas que tomam notas e
lern as diversas theses com ares de sabios re-
conhecidos.
Ni s galeras, direita, dozc pessoas, contan-
do-so neste numero seis senhoras. A' esquerda.
quatro convidados.
A' imprensa foi destinada agora urna mesa
direita da presidencia. *
Ao abrir da sesso esto representados os se-
gimos jornaes:
Reprter, Dia, Novedades, Globo, Democracia.
Deba'es e Jornal do Commercio.-
Principia-se pela leitura da corresponden-
cia, lendo se na mesa um olcio do Sr. Passos
Campos.
Eui Seapjda, o..presidente participou que a
commissaTde direito martimo da Socedade de
Geographia de Lisboa, que elaborou a 14a the-
se, pede nara ser ad:nittido um alditamento que
versa sobre abalroamentos. A adm38uo un-
nimemente approvada.
l'or parte daquells sociedade pede a palavra
e agradece o Sr. Vicente de Moura Coutir.lio de
Almcida de Eca, e em seguida entra em discus-
so a 2" these, que a seguinte :
Dever ser gratuita a administraco da jus-.
liga, principalmente np orphanologico e crimi-
nal!"
A concluso do rotatorio a seguinte :
Dever ser gratuita a administradlo da jus-
tica como urna 'as ob iaces do Estado.
Pede a palaviao Sr. Dr Avelino Calfxo, que,
din desejar um principio mais rasgado, mais am-
pio porque-o dogma verdadeiramente liberal
a'administra!,lo gratuita da justica
Nao ontende que se exclua o orphano!
porque a jusLca dos pequeuos deve ser respei
lada. Com .-esperto ao criminal, enlende que a
condemnaco dos reos nas custas urna neces-
sidade, porque um elemento de-puuigao. Nao
entrale, por isso, que a aduiinis'.raco gratuita
da justica se >stenda aos ros, mas sim estes,
qu r sejam. lie Crimea pblicos ou particulares,
devem ticur sempre responsaveis petas custas e
craoluineatos Jo processo.
E' preciso cue a justica seja gratuitapara to-
dos que promovem dCcOes de justica, mas esta
nao deve prejudicar a sociedade pelas custas c
despezas do p-ocesso.
0 Sr. presidenta explicou que t congresso
internacional e que as eonsideraces cas thes"cs
foram slaoora>las ueste sentido.
Segue-se no uso upivra o Sr. Dr. Joo
Freir Tbemudo djajjdMK
Concorda quo (U ^Bico da justica deve
ser gratuita parflBkw|^ue o cdigo penal faz
distincco entre crnies pblicos e criuics part
euiares, e et'.enJe qle nos priineiros devem.
comprehender-se os de offensa na honra e n
consideraco de qualquer.
Nao se conforma com as ideas xpostas pelo
orador procedente, no que diz respeito ao paca-
mente e condemnacilo nas custas e nas mullas.
Ao meio do seu discurso o Sr. congressiste,
julgando-se no tribunal a defender um reo. ex-
clama : Sr. juiz, o Sr. presidente diz que as
ideas do Sr. Oliveira constituem um additameG-
to these em discusso, e que assim nao pode
ser resolvida de um momento para outro.
Trava se entro. S. Exc. e o Sr. congressista
discusso, que termina por o Congresso rejeiter
unnimemente que fosse admittida discusso i
proposta do Sr. Oliveira. *
Teve a palavra em seguida o Sr. Dr. SebastiiU
Centeno que diz ser a gratuidade da aecoda
justica urna cousa de que ha muito se falla.
Resta saber se ella possivel, realisavel, o
urna phantasmagoria. Os funecionanosjudidaes,
nao recebendo como boje os seus honorarios das
differentes pessoas que sao partes nos difieren-
tes processos, teem que receber algnma retri-
buigo.
Nao sendo as partes quera ha de pagar ao
empreados e magistrados judiciaes seno o Es-
tado, e este, nao tendo dinheiro de sobra, tea
que tancar um imposto sobre lodosos cidadao?,
e d'aqui um aggravamento na situaeao de to-
dos. Acha por isso que a gratuidade da aecc
da justica irrcalisavel e nao passa de uma-
luso de ptica. Acha efectivamente triste que
qualquer pleiteante, quando entregue um fe
querimento com urna mo, abra a bolsa com t.
outra.
Que os emolumentos judiciaes devem consti-
tuir reccila publica, e depois serem distribuido*
igualmente por lodos os magistrados.
Que s as causas civeis e judiciaes devem E -
car sujeitas a custas-e a emolumentos, barateaa-
do-se assim quanto possivel a justica.
Falla na sua lingua. Diz que em Hespanha i
justira gratuita, e que s os esenves e rela-
tores recebem emolumentos. Refere-le'a um
institnico que all ha : A ossistencia dos pobres(t),
que satisfaz as despezas dos processos, quande
os litigantes sao pobres, chegaado a fornecer-
lhes advogados.
Nao havendo mais nenbum congressista in-
scripto, o Sr. presidente manda 1er as seguinte i
propstas:
A da commisso a seguinte :
Dever ser gratuita a administracSo da jus-
tica como urna das funeces do Estado .
Foi approvada por maioria, sem prejuizo da*
emendas feitas. 4
O Sr. Dr. Calixto propoz que as propestas do
differentes congressistas liqafera consignadas
para se raencionarem n'um relatorio, o que fot
approvado.
As propostas sao as seguintes :
* Deve ser gratuita a administradlo da justi-
ca. sem prejuizo da responsabilidade da parte,
condemnada por custa3. nagas sociedade, es-
pecialmente no caso de litigar de m f.
Avelino Calixto .
Voto por que a adrainistraso da justica oe-
ja gratuita no crime e remunerada em todas ac
Mitras ordens de processo, sob as seguintes coa>
dices :
1." Os emolumentos bnstituiro receita do
Estado ;
2.* Serio graduados conforme o valor dos plei-
tos a contar de um certo mnimo.
Barbosa- Centeno.
Souza Carmo.
Xavier Cordeiro.
Eduardo Teixcira Sampaio.
Carlos de Almeida Braga.
Vicente Luiz Gomes
e Proponho que a codcIuso do parecer rela-
tivo 2 these do projramma seja approva-
da coma modificada constante da segumte re-
daceo:
A administraco da justiga deve ser gratuita ;
mas a parte convencida a final, em processo ci-
vel e criminal, ser condemnada igualmente ao
pagamento da quantia arbitrada pelo julgador
(dentro de limites legaes) para indemnisaces
o Estado e outra parte das despezas relativas
do pncesso.
Hennque Ferreira.
Cario Jos de Oliveira .
A justica deve ser gratuita para os juizes
delegados do ministerio publico.
Miguel Osorin .
O Sr. presidente pergunta em seguida se de-
sejara que os trabalhos conlinuera, on se deve
suspender a sesso ?
Os Srs. congressistas sao pela intcrrupcSo, e
a sesso levantase por dez minutos, retirndo-
se todos para o bufete, que est montado n'umz
sala direita da entrada do edificio
Neste intervallo dirigise mesa da impre-
sa um cavalheiro pedindo para so. declarar qu?
o digno juiz Dr. Firmino Joo Lopes nao etm-
pareceu sesso por estar doentc, e o Sr. i*.
Carlos Jos de Oliveira pedindo algumas infer-
maoes.
*'*
Reabre a sesso s 4 horas e ura quarto. Al-
guns congressistas e joraalistas desertaram.
O Sr.' presidente declara que o Sr. conselhcira
Jos Dias Ferreira o encarregara de o desculpar
de nao poder continuar a assistir discusso,
porque tinha de ir tomar o seu lugar na cmara
dos Srs. diputados.
Entra em seguida em disousssilo a these deci-
ma, diz que :
Devero perlllhar-se os lilhos adulterinos
concebidos depois da separadlo judicial, admit-
tindo-se tambi'm em favor delles a iovesligaga
da paternidade?
E' relator o Sr. Dr. Tavares de Medeiros, qu
deixa o seu lugar da presidencia e toma assanta
na sala.
As concluses que aprsenla sao as segua-
les :
1. Que os lilhos adulterinos, concebidos (c-
pdis da separago judicial, devin ser perlilhados
para gozarem dos mesmos direitos dos lilhos le-
gtimos.
" 2.* Que elles podero usar da investigaga
da paternidade c maternidade nas raesraas coa-
dires em que actualmente o?iazera os lilhos per-
lilfiaveis.
Pede a palavra o Sr. Dr. Avelino Calixto, que
principia por aflirmar ser esta urna das lli
que mais o impressionara, porque-a familia a
base da sociedade. In'.crrompida a ligago con-
jugal entende a familia continua.
Refere-se seguidamente a adulterio, que con-
sidera um crime. Julga que a perfilliaco do;
lilhos adulterinos vae trazer ura bice rec
stituigo da sociedade conjuga!. Todos sabeut
que esses iilhos estro u'uin situaeao precaria,
mas nao ha espirito neulium que se nao revoite
quando se pe era evidencia a paternidade pofij
ineio da investigago.
. Termina mandando para a mesa umapropcJi
do substituigo.
Tora em seguida a palavra o Sr. Dr. Man
de Arriaga, qtte pronuncia um discurso coi
encioso c enthusiastico, fallando duru
. o de toda a assembla. que con-
tinua ~:r. presidente o nao
que j da multo havia passado o le
para poder fallar cada congressista.
N
-







6d
Df. i
nenio
these.
te.
laram sobre o assumplo o
Oliveira e Pinto Coelho, de-
luar amanh a discussD da mesma
e*o da noite
hscutia-se a these seguin-
pelo Sr. Dr. Jos Joaquim de Ol-.
m ou nao sor admittidas as aijadas nos
trib:
s do parecer do Sr. relator sao
:es :
[ne a rcjeicio das aleadas constitue um
recurso contra o Ira a ignorancia, e
coaira a frau
gacao das aleadas levanta urna
ba" '.-jo arbitrio.
io das aleadas representa urna
tengo que os julgadores dar'o s
suas
4.a Que a rejeigo das aleadas da urna satisfa-
ga n i i natureza humana, que w
veze- as sentengas proferidas cora a
melhor i: .
(i;, ~ o da? aleadas 6 o triumpho
da lbenla i-: e da igualdade, e as nossas lea
tendem para este desidertum.
i Qj: ia acondemna-
gfto d i,:i L' clcli-a. e adop-
ide pcla'qua! pugnamos,
jamos verwfcverlida om lei.
Eiu resumo, conclualos que nao devem ser
admittiil. las nos Inbunaes.
Segu se-lliu Sr. Dr. Cliristiano, perguntan-
do s ^ando cusas, pode o juiz dar
peno eonclue por der que entende que
ajustiga, principalmente :o criminal deve ser
uta.
lera a palavra o Sr. Dr. Cassiano Sepulveda
1'eix aeha a tabella do orpii
carissima. Quer a jnstica gratuita, mas que 60
os jujzes e delegados nao recebara.
Mowa e.:i segui la que os prcessos sao hoje
earissimos, por causa dos sellos c do papel sel-
lado. ,
Segu se-lhe o Sr. Dr. Moura, que entende que
a gratuidade da justiga 'nao passa de uma-chi-
mera, oque todos os empreados da justiga de
vem ser betn pagos para faierem bom sorvigo.
Acta indecoroso que os juizes e os delegados an-
den fasendo ar.ie ao ministro du jnstica para
alcancarora as melhores comarcas, e termina por
considerar muito justas as considerares fetas
pelo Sr. Dr. Calixto.
Segu se Ibe o Sr. Armelim Jnior, nosso col-
lega e amigo da Gazeta de Portugal, que diz ser
pela gratardade da justiga, entendendo que o ver-
dadeifo [andamento de ama gratuidade e urna
Sbcgo orgnica do Estad".
Ternilla por dizer que desoja que a justiga so-
ja gratuiacomo um dircilo, e nunca como um
favor. 4 .'..,
Falla-era seguida o Sr. Dr. Carlos Jos de 01;-
veira, qne entende que se nao deve privar ao li-
tigante o recurso aos tribunaes por absoluta fal-
ta de meios, adiando justo que a-i partes sejam
condemnadas no pagamento das cusas.
Segue-se o Sr. Miguel Ozono, que declara
ros. 3H.1
.idue-s de outras provincias e 97,942 do na-
turaes da mesraa provincia.
Apr;priedade rural e possuida por 17,726
propnetai [uaes sao estrangeiros 8,773
e propriamente argentinos 8,W!.
E' de 9.943,800 hi-ctaru* a extensao territorial
da provincia, exclusive o districto deCalchaquin
que inhabitado., tendo a de M8.014 as ti
cullivaveis. das qnaes s a extensao de 595,890-
le trabalhada.
ata a provincia 1.808,828 cstabelecimentos
industrtaes coa ujn capital de 18,890 piar-'
ando por anno 171,694 piastras de contribul-
e impostos de toda natureza, 8 empre-
nta e i um pes3oal de 13,256 individuos,
dos quao- argentiujs e 8,911 eslrau-
;. Igualmente conta 3.023 o.-tabelecimeo-
commerciaes com o capital de 31 milhes de
piastras, pagando de iurpostos 411,739 piastras
por anno.
Existem na provincia 5 cora panillas de cam-
abos de ferro em explorago com um capital de
W milhes de piastras, eslaudo ja em euectiva
rago I;313 kilumetros, em constru
932 eem projecto 1,146.
As 5 corajianhias de transway tem urna rede
a explorar
Sobre 1498 kilmetros do inba lc!ca,raphica/
pertencem provincia .'i).', a nagSo 1,248 e
emprezas particulares 558.
I^DLSTRIAS E ARTES
Diario de PernambucoSexta-feira 19 de Julho de
- .......-,--.--------7- -~: sA-^rr .l- j-:~.J~- '--1-. ^ -
computada e que seja de 600/0, obt:
Saccharose
Agua
4X26.4
34
P
Soinma
restando 17.6 de bagago com
de
Saccharose
Agua
i >~o
Somma
Neste caso, o resultado das
caldo com :
rose
Agua
23.3
2
^omp
0.90
6.70
10.00
17.60
presses um
' 1886 oom urna emenda (ponte d inspector do Arsenal de Marinha da
i vertente Calafate da Esc'ada) em corte, passando-o ao respectivo vico-inspector.
12
o'
3.10
13.3
Somma
13.10
79.30
94.40
aceitar a theso na generalidale, desejando que
acabe de vez o imposto dos emolumentos pagos
aoijuiz. Faya devida justigat. classe da alta ma-
gistratura.
Pede a palavra o congressista hespanlio. I).
Manuel Torres de Campos, um cavalheiro muito
sympatluco e Ilustrado. \
MUGS E COHHERO
Acaba o Sr. Eduardo Claudio de publicar sob
o tulo de liifmiVi oh Repm
tbre o proeosso ite repressaocom emprego
de moeu-las byilraulicas e injeceio do vapor h-
mido.
estudos por sua relevancia e carac.'er
de actualidade, damoi-os em seguida ao cona'-
cimeato publico e priociplmente da classe agri
cola, a qoal interessam majirecuinente jiela
noticia pro'e-sional que elles contm e podem
ser de utilidade a nesraa classe.
A industeia assucareira aclia se era BOndi
tio preca t imperatiro
para i dos aquellos, que como nos. nosseii'i-
moi eoffl iniij de pro)oralgum melhoraoi "i-
to, nao hesitar, ainda que va de encontr a ideas
em via de aceitago.
Comquanto sejamqs adeptos do processo i
diilusuo. processo este que mais terreno ganha
na actualidade, todava nao podemos deixar de
reconhecer que as moendas ainda nc disseram
a sna ultima palavra
Nao basta propor que se adopte o-pro'
da diluso por que encerr estas e aquellas van-
tageoa ; o* processo em si, ainla nao so acha em
terreno tal que devamos do-presar u:n avallado
capital empatado em maqumismos alias pode-
rossimos e que se adiara completamente per-
dido se nos resolvossemos a scinelnanle :.
caca.
Vordade ls que a diGuso. da nos mais assu-
car, iwreiu era compeasagao tereraos augmento
nao pequeo de capital e despezas de custeio ;
convm antes de ludo considerar e pesar bem
na balanga quaes as vantagens e quaes os in-
convenientes.
Levar nos-hia bem longe um estudo compara
tivo dessas vajitagens <: das i:r'onveuiencias que
trariam ; julgara-.s porom mais acertado neste
estudo entrar em outra' ordem de ideas, qual a
da extra:cao por reprcsso comparada da dif-
fuso.
AquelIesqiesJo levados a fazor propoganda
da dilTusao s tem urna circumstancia p
legar em seu favor, qual a da superioridado na
contractos celebrados efb-j-extraegao do assucar da materia prima : quanto
ao resto, ou juL'am materia secuudaii'.. na ape-
nas apontam os inconvenientes sora indicar o
remedio.
Quanto ao processo de represso que aqui
vamos expor. s temos a dizer, que era nada
altera o trabalho actual, para o qual j temos
pessoal habiiitadissimo, aqut mcsiuo formado, e
que. com ura pequeo accrescimo do capital c
uespezas, obter-se-ha vantagens taes que nao
doixa-nos duvidar sobre a esculla que faro os
interessados, deste processo oo do de dlffilsio,
alteutas as condiges actuaos do fabrico de as-
sucar.
A reprasso nao tem dado os resultados que
era do esperar deste processso, simplesraente
p nao tar sido applicada de um modo racio-
nW. O bagago da canna exprimida, como 6 sa-
bido, sujeito urna injeceo de vapor ou agua
ou raesmo d'agaa e vaprate que ique imbebi-
do para a segunda pressao ; ora, o factor Dais
imp irtante para que essa dilfusao lenha lugar
coneenientemente o tempo. esse mesrao que
nao tem merecido o concedo das pessoas ojde
tem estudado este procefeo.
A caima esmagada pela primeira pesso con-
t-m ainda muilas.cellulas intactas, alem de que,
por capilaridide, lica algura liquido preso as
liOras; para que a agua penetre ni- cequias in-
latas tornase necessaria a acgo osmtica co-
nhocida pelo norae de diffuso : de facto, tem
se de proceder a urna verdadeira di/fusao para
que o bagago restitua o assucar comido as col
lulas iatacta's e aquello adiierindo as libras por
capillaridade; portanlo, o tempo; o factor mais
Imprtante e ao qual devoraos dar completa li-
berdade de acgo para o Bu desojado.
As mocadas Urissonneau, que sio tidas como
a ultima palavra do processo de represi
justamente as que menos condiges offoreceai
de bom xito; lia aellas quatro presses suc-
cossivas, sendo fetas Jas injeeges d'agua, va-
por e caldo durante siguas segundos entre cada
i; ora, sondo o tempo de .dijfilso um
Jj dissemos que nao recoiavamos conten
quanto porcentagem das pivs.-es, deve
poro ucoentual-o anda mais, para que nao i-
que a menor duvida a esse respeitc.
As porcentagens cima podem ser obtilas, f-
cilmente, com as mocadas Cojos cylindros
jam 8 pressao hydraulica, visto nao
raro obter-se com estas moendas, irabalb
nieutemeute, um bagago normal cuutgudo
30 0,0 ('agua.
Assim pois ja demonstramos, que cora una
represso bem dirigida peder-seba obter 96 AO
ou um iccrc io de
28 0 0 d.' se com um augmento de i
poracao do i i Q :>.
Antes, porm, do indicarmo3 quaes os meios
ao alcance das fabricas, para evaporar o-laes-
cesso d'agna, dovemos comparar os resunaaos
obttdus pela diil'asao, com os que apresi-nlamos
Do rclatorio da comraissao nomcad..
tudar o processo da diffqso, extrahimos os da-
dos que reproducimos ua tabella seguate :
DILUigO DO CALDO \a ex-TBAIIDO
lir.i'-uliydiuso.. DarceHus Java rara Represso racional. dem............. 71 / 116 % 20 7% 5'o 93 '. 91 % %7. 91 % 96^/. 94 /.
Na fis^alisagao do
tre o goverao e diver^>s bancos para prestarem
auxilios a lavoura serio observadas as seguintes
I lNSTBUCrCtES
Art. 1. Aos flscajes dos bancos signatarios
de coutractos com o governo imperial, para o
tim de auxiliar a lavoura, compele :
5 1. Superintender a Hel execacao dos refe-
ridos condados, de modo que elles se eftec-
tuera de accordo cora as clausulas estipuladas.
nao s quaulo especie das transaeges auto
risadas, seu objecto e valor, ^enao tamben]
quanto ao prazo, laxa de juros e forma u modo
de amoriisagao, tendo cuidado emque :
1. As eperagOes se estendam a toda a zonaU
designada a cada banco ; ^
2." Se realizem serapre em moeda correte :
3. Com mutuarios lavradores.
| 2." Examinar i validade dos documentos
acceitos pelos bancos para os mencionados con-
tractos, e bom assim a dos instrumentos, em
que f'oreni celebrados.
; Verificar si as sommas adiantadas pelo
thesuro sao apphcadas dentro dos prazos esta-
belecidos, participando-o ao ministerio da fa-
lenda, para que mando cobrar os juro3 das que
parmaueeerfm em |io.er dos bncos.
4. Providenciar do modo que, esgotados os
adiantameutos do thesuro, apniiqucm os bancos
somma igual, em moeda corrale, a contractos
da mesuia natureza com clausulas ajustadas, e
na zona respectiva.
o. Prever que as mencionadas opera.es
conslituam objecto de carteira e escripturaco
especiaes, de modo a nao se confundirera com
as demais transaeges dos banco.
6. Exigir dos bancos que a isso obriga-
ram-se, que e.oitiam as acedes neqessarias para
corapleui' uto do capital ajustado.
'..' Besolver as duvidas queso suscitarera
entre os mutuarios e os bancus, quanto inttl-
ligencia dos contractos.
aes promovero que os bneos
cafa, nos prazos que Ibes forera deier-
us agencias ou suecursaes nooessarias
aon /viraenlo das operagos coa-
vencionadas
Art. 3." Nao consen'.iro que os bancos emit-
tamlettras hypothecarias sobtt contractos rea-
lisados com as O'Lriis a liauSpis pelo governo
imperial.
Art. *. Faro publicar, eonta dos bancos,
nos jomaos de raaior circulacd, na zona qu i a
cada um fr designada, esdarecimento ou '
formages, que liabilitera os pretendeotea a
prestimos a preniunirera .se dos documentos
ocssarjgs para obtel-os com a raaior facilidad
Ar. 5-- Comparecerao com frequoncia nos es--
Hm dos bancos para lo.nar conlieci-
menio de qnaesquer occurrcncias, providencian-
do nos casos i i:ouber era sua aU
cada, on recorrendo ao ministerio da fazenda.
^rt. 6.* luformarao requi.-iges dos
bancos, relativas aos contractos cora o governo
imperial. co o que julgarera acertado
a Lora de i execaco. ^
Art. "." A- uado o enteadereai no-
ces- ioria, om que se
hou'> 'ver corea du concessao de em-
pres.uos aos agricultores, saxii que influam as
delibera gOes.
Art. 8 Pa ados nos artigos
anteriores, examinar o o lisca/s, sempre que
fr > ipturacfio do banco, na parte
relai.. leira especial, assim como os do-
cumentos a ella referentes.
Art. 9. 0: lis apn 'alario ao minislerio
da bzenda um relatono trnnensal das operacCes
realisadas e das occurrcncias mais notaveis, a
ellas refereaies.
. ADio MonetariaJitina de 1865, que com-
pOfMte da Franca oryrolonias, Blgica, Italia,
SuiSjfce Grecia, cona a populaco de ill mi-
u I-.
Outros sote paiies da Europa, um da frica
(Gongoj, ura da Asia (Per'sia e nove da Ameri-
ca (Repblica ajj)entiua. Bolina, {Chile, Colom-
Jjia, Haity. Niarn%na, Per, Uruguay e Vene-
zuela) eunham moedas do systema francez ou
com elle concordantes, fazedo ao todo a popu-
lago de 2u0 milhes.
Assim eieva-se a 311 milhes (ou 311,255,493)
a populago dos paizes que actualmente eu-
nham moedas do systema francez ou concordan-
tes, admittidasou nao no curso legal de Franca.
Em 1877 os paizes em taes condiges pos-
suiara 162 milhes de habitantes.
Os 311 milhes, cima mencionados, repre-
sentan! 23 7 '. da populago total do mundo ci-
vilisado (ou 1.311 milhes.)
cima indicados teodem para a uui-
formida le das moedas. e, portanto, para a cir-
culago amuelara internacional.
Outros persislem nos seu: systemes diversas
e particulares ; e taes sao a Inglaterra, Caaad.
India Brilanuica, Allemanha, Paizes Baixos,
nio Scandinava, Portugal, Turqua, Morrocos,
China, Sio, Japao, Estados-Unidos, Mxico e
Brasil
A populago da provincia de Santa F, na Re-
DttbltCa Argentina ft^UaimfOtf liq M021?1l hff-
fadur de tanta importancia para que a represso
d<3 bom resultado, nao admira obter-se apenas
urna extraegio de 71 a71*|*de callo normal
(esta uo mximo) quando [)elos dados que va-
mos aprosenlar, poder-se ha extrahir pelo pro-
ppsso da represso de 91 a 9o [, do saccharos"
contido na canna.
*'*
ra que se possa obu r o melhor resultado
vel convera que o bagago, autos da seguo-
ossa-i, esteja sujeito por espago de tempo
minutos, acgo de vapor hmido.
Hados que aqui aponamos sao tirados
oa, quanto ao quccieute de expfessao o
certeza que nao sero contestados.
Para simplificar os clculos deixaremos de
parte as substancias conhecidas como nonsucre,
que nao tem influencia algumanelles.
Urna canna normal cuja coraposigo seja a se-
guale :
Agua 74.00
Sacciiarose 16 00
LentiOeO 1000
Scrama 100 00
dar na prirae-.ra exprosso de 63 O.Oum cal-
do com a seguintc compoSigo !
Saccharose 03 X 16
...
Agua
*w
00
60 00
68.00 -
coraposigo de :
4-00
18 00
to.iw
______
Somma 32.00
con. a addkgo de 12 d'agua, esse bagago ii
Somma
32 O de bagago cuja
Saccharose
Agua
Lenboso
^ con.
tora tendo a coraposigo seguate :
Y Saccharose
V*
Agua
enhoso
4.00
30 00
10.00
Somma 4400
Sujeitando-se esse bagago assim modificado'
una segunda cxpresso de 63 0/0 bter-se-ba
um caldo cora a composi;o seguinte :
Saccharose
Agua
4 X 28 6
34
3.36
2o 24
Somma 28.60
restando 13-4 de baga; 0 cora a coraposigo
seguinte :
Saccharose 0.64
Agua 4.76
Lenhoso 10.00
Somma 13.40
O resultado da pressao c lepresso combina-
das, dar um caldo cora a emposgo seguinte :
Saccharose lt 0BB> 13.36
Agua 56 e 25.24 81.24
Somma
Sopponbamos

96.60
urna represso infer 3
Acabamos de deraonstar que pela represso
cora um accrescimo do 44 '. na evaporaco, ob-
tiohmos ura augmento de 28 % n;1 produego
de assucar, emquatuo que para obter esse mes-
Dio augmento de prodcelo as raclhores con-
- de trabalho pela diffuso como a de Java,
ter-se- de evaporar 103 /, mais agua.
Os inconvenientes que traz o processo da dif
fuso sao : augmento enorme de consumo d'agua,
que deve-ser do qualidade excepcional; dobra
dacapacidade de evaporisaco; inuiilisago do
bagago como corabuslivel e pessoal adeqado
nova combi ago do trabalho.
Os adeptos da diffasaq a iodo o transe prole-
rem que soja o bagaco e.npregado como adubo
para fertilizar as lenas plantadas cora canna :
esquecem-se, porm, de que o elemento mais
necessario a cinza que o engenho podor for-
necer e,n coudigos raais vaniajosas, do que o
barago convefiieniemcnte preparado. .
Para o preparo d'este, Rcaria o engeaho one
rado cora o seu transporte para uur local nao
pequeo, aoade estara sujeito a umidccanpo
s:go leuta, empestando a atmosphora em redor
da fabrica e que, exposlo ao tempo, perdera
rande parte dos saos soluveis, justamente aquei-
i lis nocossarios para as tenas cultivadas
com canna. As substancias azotadas adiani-sc
quasi todas nos residuos da defecigao, nao ve-
mos, portanto, essas grandes vantagens, alias
bem onerosas para a fabrica, na conservacto
do bagago para estrumar as trras ; si apouiam
iste al'vitre porque coobecem as difficuldades
da secca do bagago para ada|itaI-o queima nos
frnos. V-se. portanto, que neste ponto ainda
a lepresso leva ; palma, visto que o ha.
depois da 2' pressao acha se uas melhjres eoa-
diges passiveis para servir de combustivel nos
gcadores. j
Sabemos, por experiencias feitas em Dorr.-"
rara, que 1 kilog. de bagago pode fornecer 2
kilog. jjfi vapor sendo queimado coaveniente-
meiitejortantu, cada tonelada de cumia, as
condiCjjjPs estipuladas, da represso dando 154
kilog. d| residuo, servir este para a produego
de 308 kilog. do vapor. ^
Para a dfecacao do caldo de urna tonelada de
canoas sedara necessarios cerca de 12 kilog. de
vapor.
Para a concent rago no trplice effeito gastar-
se-la cerca de 215 kilog. de vapor.
Para a couccntracao do quadrup'o effeito gas-
tar-se-ia apenas 165 kilog. de vapor.
Finalmente gastar se-ia no cozmento cerca de
110 kilog. de vapor.
Sommando estas parcellasc8egaremos ao re-
sultado seguinte : que para o trabalho de redu-
zir 1 tonelada de canna a assucar de 1 jactogl niissa 80iemne foi extraordinaria a
necessitanamos de 33/ kilog. de vapor sendo
feita a concentrago em apparelho de trplice
effeito e 287 kilog. nocaso de quererse empre-
nto.
N. 131 de 1888 (reforma com o sold por in-
teiro a qualquer soldado d guarda cvica e de
'polica que hver 33 '.nuos de servigus nos mes-
mos corpos) em 2. discus.-ao.
Veio m :uinte declaragao de voto i
* Declaro que nao fui presente a votacao da
mogo a Sua lo o Imperador e ao minis-
terio 7 de Junlio.C Lopes.
.ada a ordem do da, o Sr rite le-
uinte para a
ije : 1." i dos projectoa os 57 e
I88S. 7, 12 : -,. 80, 31. 68. 81 e 82 de
1889 ; 2.' dos de ns. 29, 58 e 73 de 1889 ; 3.'
pWoFb. 42 de l-8:i ; disras?" -oceres
ns. 33, 43 e 43 e das leis a que se referem os de
ds. 34 e 36, todos lambeta de 1839
Kaa Hagenai:!' o Imaeraaor e a
colunia DortMsueasa-Aluns membros da
colonia portuguo/.;ulesia pi onidos bon-
tem, interpretando os leotimeutos d stus com
Catriotas, ros.Ivoram enviar a Sua Magestade
DJterial o Sr. D. Pedro II, o seguinte telegram-
ma que pi ssKiiado pelo respeitavel Sr. Vis
conde d Silva !. iv i :
pougueza de Pernambuco, mc-
i.nulo mais uraa vea aelevadissima estima
e profundo reapeito que sempre. leve pela au-
gusta pessoa de Vossa Magestade felicita-o e ^o
Brasil pola frustrugo da tentativa, de que os
jornues acabara de dar noticia.
Nao ora de esperar outro prcedmento da dis-
tincta colouia porlugueza, cujo amor ranar-
chia e casa le Bitanga, deque 6 ciiefo Sua
-tade c Imperador, nunca forara postoi
duvida.
E'cora a raaior satisfar)qne publicamos osla
alta manilestago deaprego ao nosso Augusto
Imperaate.
Funenda ProvincialFoi exonerado do
lugar de solicitador da Paaenda Pro\ kicial o ca-
pitc Uotilio Toieotina de Pigueiredo Lima,
sendo nomeado para o referido lugar o Sr. 1-.
cardo Heuriques da S
Mais dina para o registro.
Expsitos A folia de pagaoeb'O das men-
salidades (te J:::iiro a Junho lindo das amas que
e.-io encarregadas da croaco d is expostos a
cargo ila Sania i'asa iuiporlou na' quanlia do
3:217*200.-
Casa ae Oetonco Forara nomeados
guardas da Casa de Deengo os Srs. Dem'rito
Carlos de Miranda Peixoto, Joo de Seaaa Bar-
bosa, Tliomaz de Asnino Undeiros, Marcolino
Perreira da Luz. Caetano Ignacio de Meleros
T.ogo. Amonio l.uiz MarliiM l'esson, Joo Cancio
da Silva Cordovtlle, i tac Joaqaim de Figueiredo,
Manoel Al vea Cardoso, los Henriques Gomes
Vieira, Antonio rereira Bastos, Candido Guedes
Alcol'orado. Arthur N'a/.ia/.imo b'orreira dos San-
ios, Uanoel do Nascimeoto da Silva Castro e An-
tonio Justino Pereira da !.uz, sendo demiitidos
os que exon-iam essos logares.
Forauj igualmente passados da 1." para a 2.a
classe os guardas Candido Alesaodrino B
choa, Clau I b Eusl irgio de Souza, Jos- Cap-'
tuno da Cunta Cavali;aule, Antonio do liego
Borros, Rodnlph i Vulpiaoo da Cmara Piraentrl,
loio Alves lie/.erra e Manuel Marques de Abreu
Porto.
Dclesaciax litcrariasForara nomea-
dos delegados litlcrarios ue Cimbres, Triumpho,
S. Jos do Egysto Flores os Srs. padre Jos
Beraardioe de '.uva, Jorauuoa Tli^otonio da
Suva Loun-iro, Francisco de Jorja Gongalves de
Mello e Braziano Gimes Patriota.
Itiffuno ou repre.io 2 P,oce'oemos
uraa mouographia sobre o processo de roprassie
som o emprego de moendas hydraulicas e rojee-
cao d vapor hmido polo Sr. Eduardo Clau-
dio.
Estudosde real importan a, cujo conhecimen-
to muito interessa indutna assuoaieira, inseri-
raol-o oa sua integra na seceo KousraM e ar-
tes, convidando a attencao dos oosss agnoulto-
res para eS30 notavel escrioto, que se irape
leitura principalmente d'essu classe.
BetatanrloAgradecemos o que nos foi oiTe-
recido pela directora do Dorby Club de Pernam-
buco, e por ella fra aprosentdoaatescmbla ge-
ral dos uceioitstas em 30 de Margo prximo pas-
sado.
Fpsi vidatie r-liionaHoje noite ser
basteada a banueru festiva da Sen>ra Sant'An-
na, da igreja ila Madre de Deus; e tero comego
as respectivas uoveaas com beugo do Santissi-
rao Sacramento.
A orchestrd regida pelo professor Manoel
Bandeira Filho, tocando igualmente em todos os
actos a banda marcial dos menores do Arsenal
de Marinha.
Posta lo Carato -Remettem-nos a seguin-
te noticia:
O espirito religioso nesta opulenta capital
nao tem arrefecido, e anda que alguns visitera
os templos sem o devido respeito, sendo frequen-
tes as irreverencias, grande parte felizmente da
populago concorre s festividades com fervorosa
devogo; o que ainda presenciamos neste anuo
ua festa tradicional de Nossa Snhora do Carolo,
que terminou no dia 16 do correte, com 'brilbao-
lismo em nada inferior aos annos anteriores.
Com effeito desde as novenas at o dia da
publicou i seguinte ordem do dia :
Para conheciraento do pessoal subordinado
inspeceo fago publico o seguinte aviso
:bo de recebcr,'e que me auto::;, a en-
corn ora fago, a direcco deste arsenal
ao Sr. inspector :
Minislerio dos Negocios da Murinha, 10 de
Junho.
Aceusaodo recebido o officio de V. Exc,
i. i7">. de 8 do brrente, e pelo qual raea-m
que solicite de S tade O i operador a
.onerayo do cargo de
inspector dess urscaal, cabe-me a ^'. Exc.
scientificar de que o gal,,;iote de que fago parte
pronorar na primeira oiiportunidade essa exo-
uerago, e est segur i de a obter.
Nestes hamos, si a Y..Exc. parecr a pro-
posito, podjfcssar a administradlo do ;
ao vice-jNHprf iguardundo o decreto que
desoja.BaWo do Laetrio.
Despedmno-me de meus auxiliares tanto
militares como i. lec-lnes cordialmen-
te a coadjuvaco que me ni
Dos uiestres e operarios que tinto me aa-
xiliaram no desempeuho do carg^ue ora dei-
xo, despeco-me sandoso, assegurnido-liios que;
de cada um conservarei as mais gratas recorda-
CS >.]! tr.o d^ IviiiUeim'i.
Esta phrasoolo^'ia spera, diz o Jornal de
Noticias, da corle, que o Ilustre Sr. ministro da
marinha nsou para com b seu superior hierar-
' urna pequea amostra do que pretende
fazer 11 o Sr. Barao.do Ldano.
0 aviso do Sr. ministro da marinha rio
comprometi somonte o Sr. BrS.0 do Lad
mas taiubom o gabinete du qual faz parte, por-
que empnlia a sua acqi
licado i[ue pralicou com o Sr. BarSo delvicbei-
ma.
Proiou-famecio da eMnll r-
ro Uo Stecfe a S. FraaciNco o cstcatl
lo ferro tto tieeifo a Caruar -Por
portaras da directora, datadas de hoatem. Ca-
rato nomeados : o raajor Guilhermino Paos I
reto, enc.irregado dos depsitos da eslrad
ferro de Caruar ; e para o proiongamento de
s. Franc .- ate de estacad de .71 ct:
Fernando Barbosa de Carvalno; dito de 2
classe, Clem-mlino Jos de Oliveira Valenca;
dito de 3* classe, tenente Antonio Jos de Son
conductor'de trem de 1." classe. ex-nomerario,
Francisco Gomes de Araujo e Silva; dilo de 2.
classe, Caetano Paes de Souza: lelegrapfiista de
estagao de 2," clssse, Olvmpio Florentino dos
Santos; mesire geral de "linha. Prudeoc
Oliveira Pimente): apontador das oficinas da
Caruar'., J redo de Honra Goodra e
desjacbanle da estagto de CiniM Ponas, Dario
Paes Barrlo.
0 pbarmaceu-rico entrou 3 8 1; ba.e
sahio s 4 da tarde.
Oajudunte do pharmaceuiico entrou s 71{i
sabio s 2 horas da I
IiOterla do Crani-ParA 3- parte da
29' le' a provincia;cujo pre ade
iiXlOOO, ser exirabiaa araanh 20 de Jalho
(sabbado).
ftirande lotera do SaranhuorA 3*
serie da Ia lotera, dossa provinaia, cujo
grande 300:o00000 s.-ra extrahidam
do Julho.
cana to Oetvssco1.
'asz de Detenco do dia 17 de
1889..
137 ; cmtraram 19; sanaran: i i jjxs-
tem ;'..;.
A saber:
rangeiroj
Total i4o.
Arracoadbs393.
r374 v
Boonl !l" l
.
, ?."ao iiouve alteraco na enferma
* Comilerlo Psblieo-ObUuario da da 17
recorda- de Je' 89:
Cosnra Malina da -j-. i, ii(i
annos, casada, S. !o ''; i:
- Rosa Marera dos anps, J >, 3 an-
solteira, Boa-Visla ;
Jolo.Pernam dias, ^anto Ante::
edam] :.
ibaco,' 9mcze?,Pcdfo; febre
:ioso.
n feto Psrnambuco, 1 hora, Recife; fraque-
igenita.
noel Vicente dn Iva,uprnambuco, pan-
B eas !). Boa-Vistd ; congesto cerevraL
Ignacia Mara da C o, Pernambuco, 29
sanos, viuva. Boa-Vista; tubrculos pulmona-
res.
Luiza Mara da Conccicr.o, frica, Graga ; ery-
sipela.
. Lui/.'Jos Cavalcante. Pernambuco, 90 annos,
solteiro, Boa-Vista, Benilidade.
Vicente, Pernambuco, 8 dias, Boa-Vista; sy-
pliilis cougenia.
8Iopiaal Pedro II-O ni:ivJ;neito pera
dos enfermaras do llosmial Pedro II no anno, de
1888 fui o seguinte :
Existiam 319
Eatraram 'iQl
Sahiram curados it>84
Falleceram Wb
Ficaram existindo 4o8
Prufianiiiu do a-a-*ajcnoForam
idos na matriz do Afogados no dia 14 do cor-
rente, os seguintes:
Joo Prxedes da Cruz com Angola Leopoldi-
na de Barros.
Francisca Jos de S.;uza cora Ignacia Mara
da ConcercSo.
Secundiuo J is do Carvalho cora Emilia Hita
da Conceica.
Oirecorla dan obran do conten?.-
c:~io do PorloN te Pernambucoleci-
fe, 17deJu!ho de 189#
Bolotim meteorolgico
H-8 a ^ 5 o
Horas Rarometro a 0 Tenso do vapo: 3 2 a
H*>
G m. M- 7G3-20" 17,73 89
0 83*-8 764-01 18 89 83
12 23 '2 743-88 18 89 89
3 l. 24-8 76-1S 20 13 83
23-9 7a3e 19.83 87
gar os evaporadores de quadruplo effeito.
Seria, mais razoave! augmentar de 20o a
lorca dos geradores para que nao viesse a fallar
va,i.r, pais que os clculos cima, sao tirados
de urna fabrica montada as melntircs condiges
de aproveitaimrato do> calrico.
AwMembla Provincial Punociuiiou
bontefB sofe a presidencia do Exm. Sr. Bario de
Itapissuma, ledo comparecido 27 Srs.
tados.
Foi lida e approvada sem debata a acta da
sesso ante dente.
Foram a imprimir os seguintes projectos :
N. S8. Supprimitdo o distnclo de na/, de Ma*
rolos, que lijar fa^udaiii-barle do do Alais
Secoa. ,
N. 83. Creando urna cadeira para o sexo m
riilino no povoado Urabuzeiro, comarca de Boi
Jardim.
N. 90. Concedendo a gratiicago de bons ser
vigos por mais de. 23 anuos, ao professor jubila-
do, Francisco da Silva /.irauda.
^91 Autorisaudo a compra de urna casa
para servir de cadeia, e pago da cmara muni-
cipal na villa do Aliiolio.
O Sr. Ulyses Vianna justilicou a seguinte
indicaco que foi remettida commissS6 do po-
:ai deu parecer, que foi approvad.,
uuaniunpde do votos :
.Indico que a Aisemblea Provincial de
nambuco por4elegramma 'e a Sua _^
gostade o Imperador a iudignago de que se p
suio, bem como a populaco desta provincia, pelo I
vil atienta* contra a sua augusta pessoa, na
a*> contra a sua augusta pessoa, na
noite de 13 do^fcrenlo, e to ministerio 7 de Ju-
nio a sua adUJb s acertadas provideacias Silva, Pedro de Alcntara E. Muaiz e Manoel de
seguintes
rgumealo
rsticiu a
para a descoberH do criminoso e sua punicao.
Utysses Vianna -
Passou-se ordem do dia.
Forara approvados sem do
projectos :
'.Y 75 de 1889t em 1." disc
provincial) sendo dispensado
requerimento doSr. Juvcncio Maris,
.V 37 de 1889 (posturas de Bonito) em
discusso, indo comraissao de redactan*
.N. 21 de 1889 (posturas de Bom Conselbo) em
1." discusso
X. 22 de 1889 (posturas de Pedra) om 1.
cussSo.
X. 38 de 1889 (regulamento do ce*iterio .
Goysnna) em 1.a discussao, sendo dispensado
do interstido a requerimento do Sr. Irraeu Ma
cedo-
Approvaram'Se os pareceres ns. 54 e 30 de
1889, da commisso de leis nao sanecionadas.
Foram approvados mais os seguintes pro-
jectos :
N. 7d de 1886 (estrada de rodagem do S. Joo
dos Pombos) a Cha-Grande em !.' discusso.
N. til de 1889 (cadeira mixta em Cruz das Al-
mas da Victoria) em 1.* discusso.
N. 65 de 1889 (abale a Antonio Uo do Reg
Barros de arrematadlo de impostos municipacs
da Escada) em 1. discusso.
N. 73 de 1889 (cadeira mixta em Primavera
da Escada) em 1.* discusso.
N. 78 de 1889 (abale a Jos Francisco de Lima
Amorim de arrematagao de impostos municipaes
de Bezerros) em i.* discusso.
e nesse dia noite csteve esplendida a illumina-
go da igreja, e de bellissimo effeito a illumina-
go de lodo pateo, dando assim os devotos mais
uraa vez pro va de devogo Santissiraa Virgem
do Carmeilo.
A msica da orchestra exhibio-se excelente-
mente em todos os actos, parecendo mesrao que
os cantores mais se esmerara nessa festa espe-
cial da cidade do Recife.
Tambera muito realce deram nos dias festi-
vos as msicas niarciacs do 2. e 14." balalhes
de lmlia, #o se sabendo distinguir qual tove'a
precedencia.
O Revm. Fre Alberto, zeloso vigario provin-
cial deve estar muito satisfeito, vendo que seus
e.-furgos e dedicago em prol da igreja que lhc
foi dignamente confiada, tem sido coroado3 com
feliz xito: os horneras sinceros e imparciaes fa-
zejjttie a deuda justiga.
AbensaDessa localidade communicam-_
D^^HNuinlo em data de 17 do correute :
^^^Kce que aqui nao lia fiscaes, por nao ser
dWrvada a lei que manda fechar os estabeleci
mritos commerciaes nos doraiugos e dias santi
li -a los.
Grande quanidade de ce3 invadem as ras,
accommettendo os transentes e durante as ho-
ras mortas da noite ladrara de modo tal que nao
se pode dormir, sendo para admirar muito que
o'respectivo liscul seja tao surdo. que esses lati-
dos nao o incommodtm.
Itgo, pois, a V. que reclame as necessarias
providencias, am de termos tranquillidade, ao
menos noite.De V. constante leitor A.
I. C. .
Sociedade PailosinticaReune-se es-
sa socidade amajthu pelas 4 e 1/2 horas, da tar-
horas ordinarios.
Congreso Instructivo Pcrnainbu-
canoFunccionou hontem essa assojjiago em
sesso ordinar.a.
Foram consiierados socios os Srs. Estevo de
Leliis de Souza Pontes, Joo Gualberlo Maia e
Temperatura mxima26,00.
Dita mnima 21,73.
Evacorago em 24 horasco sol: 31".!; som
ora: 16.
Chuva-8.9.
Direcgo do vento: SE de meia noite at 9
horas minutes da manh ; S, SSE e SE al-
ternados at 1 hora e 28 minutos da tarde ; S at
3 horas e 30 minutos; SSW at 3 horas e 38 mi-
nutos ; SE ar meia noite.
Caimana durante 4 horas pela manh e 2 horas
tarde.
Velccidade media do vento: 1",17 por se-
cundo.
Nebulosidade media: 0,89.
Boletim do porto
Pa
Da
17 de Julho
18 de Julho
Horas
752 da manh
2-11 di tarde
8-21 #*
232 da manh
Altura
UM POCO DE TUDO
Barros Lina.
Est convocada outra sesso para quinta-
foira prxima, s 10 horas, no Lyceu de Artes e
Oliajjps.
vico militar Esto designados hoje
superiar do dia o S:\ major Alves, e para
ronda menor um subalterno de cavallaria.
A guarnidlo da cidade 6 dada hoje pelo 2o
atalho de inantaria, cora o respectivo official
ara a guarda da Thesouraria.
Existera era tratamento na enfermara mi-
litar 34 pragas.
Hoje vai ser inspeccionado de sade, s 11
Horas da manh, o Sr. alferes do 14 batalho de
nfantaria, Vicente Magno Nunes.
- Sob a presidencia do Sr. major Jos Joa-
. os reune-se no dia 20 do correte, no
quartel do enramando das armas, o conselho de
guerra a que esto sujeitos o soldado com foros
a cadete, Antonio Florentino Leite, e corneteiro
Antonio Pereira Lima, ambos do 14 batalho de
i nfantaria.
Jardim do palacioNora o feitor desse
jardim escapou onda; foi posto fora, e na fei
loria encartado o Sr. Antonio Dias da Silva Car-
nea! por noraoagao do engenheiro director das
Obras Publicas. '
SubdelegadasForam nomeados subde-
legados do 1" districto de Bom Conselho, do de
Catende e do.de S. Pedro Martyr de Obrada os
Srs. Jos Ferreira Dutra, Felippe Nery Paes Bar-
reto e Miguel Francisco de Souza Reg.
Daraodc Ivinheima O Sr. almirante
Barao de Ivinheima ao deixar o exercicio do
Ietl5eaEffectuar-se bao 03 segumies :
Hoje :
Polo agente Pinto, s 11 horas, ra Baro
da Victoria n. 30, de fazendas, roanas, moy^is
etc.
Pelo agente Martins, s 11 horas, ra do
Imperador n. 23, de movis e louga.
Amanhi:
Pelo agente Pinto, s 10 1/2 horas, ra das
Flores, de movis, crystaes, vros e jarros.
mmimm runebre*Sero celebradas:
Hoje :
A's 7 horas, na igreja do Tergo, pela alma de
Feliciano Marques Viabna.
Amanh:
A's 8 horas, na matriz djk jfceada. s 0 1/2 na
matriz de S. Pedro MartyrSHHinda, na matriz
de Afogados e na matris.dB:|!fla de Garaelleira,
pela alma do Baro de Serinfiaem ; s 7 horas,
no Corpo Santo, pela alma de D. Anna Rodri-
gues da Costa.
Pasagoiro-Sahido3 para o norte no va-
por nacional Maranhdo :
_ Hermenegildo Ferreira ftias, Joo da Silva
Porto. Dr. Albino Meira, sua senhora e 1 cu-
nhada, Francfcco de Souza Pitanga, Jacintho Po-
dro de Mello, Harding, jtveliuo Freitas, Antonio
Corroa. Jos Mana, F^hando Roguseni, Joa-
quim Gomes, Manoel A. Carneiro da Cunda, Ma-
noel, Dr. Jos Ignacio de Albuquerque Xavier e
1 criado, Jos B. Dias da Silva, sua senhora, 5 fi-
Ihos e 1 criada, Joo Roque e sua senhora.
Saludos para o sul no vapor francez Ville
de Cear :
Irmas Germane Dubois c Luize Bernoth, Fran-
cisco Castro, Joaquina Jorge, padre Auanias
Corroa do Amaral; Jos Bernardo, Revd. J. R.
Smitli, sua senhora, 3 lilbos e criada, Ephigenia
Jess de Souza e 6 lhos menores.
Chegados do norte no vapor nacional Una :
Arthur "B. Dallas, I. E. K"en c sua senhora,
pudre Estevaff Jos Dantas, Ismael do Nascimen-
to Barros, ldalina Alves do Oliveira, Joo Leite
de Araujo, Ismael Lunas da Matta, Antonio Ski-
mer. Joo Alyes de Oliveira. S. Souza Rego,J.
das Virgens, Dr. Francisco de-. Paula Salles, Sna,
senhora, 1 filho e i criado, caAao-tenente Jos
da Rocha e sua senhora, Umbpno Alves, Joa-
quim Pedro de Albuquerque, Jos Galvo de
Souza, Poriina Maria da Conceigo, Ceril Bot-
cheter, Joo Baplista e 1 tilha, Joo Flix de Oli-
veira, Arthur Machado Freir Pereira dajBilva e
t irm, Joo Augusto A., Robert Maider.
Howpital Pedro u-O movimento deste
estabelecimento de caridade, no dia 17 de Julho
foi o seguinte :
Entraram
Sahiram
Falleceram
- Existem
Foram visitadas as respectivas
pelos Drs.: _
Moscoso s 8 1|4 Gysneiro as 9. Barros Sobn-
nho s 7,Malaquias s 9 1[4, Estevo Cavalcante
s 8 l|, Simoes Barbosa s 9 1|2 oras.
Nao compareceram os Drs.:
Pontual.
Berardo.
O cirurgio dentista Numa Pompilio s 8 3[4
horas. i
10
7
3
680
enfermarlas
* Em alguns in I a garganta a parte mais
vulneravel Uo corpo: e digo garganta e nao pba-
ryiige e nera larynge, porque o vu'g confond
com aquella palavra todos o s que esto
no uuiio.da bocea e das duas aulicamaraal da
respirac.to e da digis'.o.
A coufaso daliiiguas{em se Taz principalmente
.o, na doeuca do orgo, ainflammaco, que
ataca por exemplo as amygdalas, passa depois
jaij'nge.
Facto que alguns basta banhar o< ps, ou
cautar,.fumar ura charuto ou bel
.; pai i i r !e>,- ii i outro dia urna iragina
ou urna dor deigai mtr ou outra icusa seme-
Ibante.
A hydrolherapia em geral e os gargarpjos
quotidianos cora agua fra jou com urna scluc2o
saturada de chlorato de potassa, forticarn a'g.ir-
e a tornara meaos vulneravel inHen-
cias steripres.
uando as inflammacOes, porem, se repefirem
apezar dcstas precau Oes comjexcessiva f equeu-
cia, de bom conselho ir casa de ura medico
especialista das doencas da garganta e fazer
visloriar pdo lryogascopo a antecmara dos
puimes, e se a arte poder reparar e delTender,
-ocorio de que udo lar para corar,
A forma de angina, que prodozida quasi un-
camenlc pela indamoiaco das amfgdls, tem
una amaldicoada tendencia a repelir-sa muitas
-. Aconselhado nao deixar que sajara am-
putadas as amygdalas.
Talvez n'um caso era mil, seja q eessaria a
ampulagodas amygdalas, todas a-outras vc-
zes era casos de escarifleagoes, cora gargarejos
adstringentcs, e com outros meios innocentes
se ebega a fazer perder quelles dous orgosi-
o icio habito de adoecerem ; e ando elles
importantes funccOes a exercer, convm dei-
xal-os onde a natureza os collocou. Sao conhe-
cidas muitas pessoas, que depois da operaco
tem perdido a morbidez da voz e soffrem de urna
incommoda secura as fauces.
Os cirurgies, j se sabe, manejara o ctelo
com tanta sympathia e muitas vezes com tan-
ta mania, que cortara frequentemente e de boa
vontade e tambera quando o golpe nao se faz
preciso. Diga-0 a campanha da Crimea, na
qua! os mdicos italianos, mais conservadores e
menos cortadores do que os francezes, conser-
varan! aos seus feridos tantos membros. que es-
tariam enterrados a engordar hoje os campos
dos cemiterios, se a conservagao nao tivesse
vencido a araputaco.
Os cirurgies sto entre os mauRieneme-
ritos cultores dallygea: mas se livessem um
>ouco mais de fe as forgas reparadoras da na-
mreza e um pouco mais de dcscripro no ma-
nejo de seus luzidissimos, beilissinios e formi-
dabilissimos instrumentos, tanto melhor seria,
porque pedia-se de um dia para ouiro ter ne-
cessidade da sua babilidade !
**#
Succedeu era Ferrara, um facto que pelas cir.
cunstaucias de que foi cercado quasi.que pode
na sor clussilicado de sobrenatural.
Ao passaro Dr. Dngalleri por urna das ras
mais concorridas da cidade, foi acco : -etiidode
urna syncope; immediatamente. o soccorreram
alguusUransountes, ma?, ao licar de p dobrou-
se dajBro Jsobre si inesmo e cabio de novo.
DoudflPicos que passavam na occasio attes-
tararaseu fallecimento.
Depois de expom o cadver o tempo regular,
foram feitas pomposas honras fnebre-::;; igreja
dos Cartujos, comparecendo as mais conhecidas
e distinctas personalidades deiFerrara.
Concluida a ceremonia, os prenles leuniram-
sc junto ao *>rpo para as ultimas des] i'didas e
notarara que a expresso da physioaonomia ,do
Dr. Ungarulli nao era a de um (uniera morto.
Urna rapariga que estava no Jugar, comegou
por sua vez a repetir:
Este hornera nao est morto.
E to insislemente o disse, que sorprehendeu
as pessoas presentes, embora acabassem por nao
lhc prestar attengo.
Nao se deu, porem, por vencida a rapariga,
nem mesrao depois de enterrado o corpo. Con-
tinuou a aflirmar que oDr. Ungarelli nao fra
enterrado raerlo; foi casa da lam,:;: e insis-
ti pela exhumago do corpo. e taes voltas .deu
que alinal Ih lizeram a vontade. Abrio-se o
sepulcbro, tirou-.se do atade o corpo quecollo-
caram era ura quarto com a temperatura de 36.
A rapariga linha razo; o Dr. ngarelli tinha
cabido em estado de catalepsia.
E" i:;uU dcscrever (a commogo que cau30u
em Forrara o maravilhoso acontecimento e a an-
ciedade com que foi esperada a resurreigo do
Dr. ngarelli.
#**
Em Dezembro de 18S7, varias pos.- )as que so
dedicavam pesca no Tamisa, desee Lriram um
lobo mariuho.
Trataram de agarral-o e com pouco esforgo 0^
conseguiram. Puxado elle para a margem, se
Ihe abri 0 ventre, observndose ento que no
estomago continha um relogio de prata com a
respectiva cadeia, vanos galfies de ouro e um
annel. Estes objectos lizeram presumir que -
nbam pertencido a algum official que leve- a
desgraga de cahir no mar e foi devorado pelo
monstro.
O relogio leva va a inscripgo seguinte: Hen-
rique Waston, Londres, n. 1369. Procurou-se
o relojoeiro, este consulton seus livros de com-
roercio, vendo que dous anuos antes tinha ven-
dido o relogio que lhe apresentavara um Mr.
Thompson, do lugar d'Esast-End. Este Mr.
Tiompson reconheceu o objecto, accre.scentando
que o tinha dado de presente a um seu filho ao
emprehender a primeira viagem martima.
Com estes dados como ponto de partida, im-
mediatamente se soube que o joven official tinha
feito urna escapatoria de seu navio para ir
trra, e ento foi devorado pelo lobo raanoho.
E cousa rara, este tinha digerido admiravel-
mente ao homem e nao pode transformar nem
expulsar o relogio, a cadeia e os distinctivos de
ouro.
***
Se tu quizeres, que um dia, a mulher te ame,
volta-lhe a cara e l'aze que ella te chame.
*
O amor aos 50 annos a como o rheumatismo :
nao tem cura.

fe
i -


io de PernambucoSexta-feira 19 de Julho de 1889

i
v
>

\
I
[
;ma vi
fim, procur
iWW"
mi Joaquira d Hios
H
~am ditas quando na porta ba-,
a mulher; vocfi qui
larras
un.
Q acode
oq cafe .'
*
0 auditorio vastsimo, enorme, cranoslo
de horneas de todos os valores sodae
carroceir o at o senador.
: 10. Aaresentaai-se cinco persona-
ro personagemEu sou a Gloria, con-
genio! Todos os horneas de ta-
coracao rae acclamam c me venrea).
issos suffragios.
la platea sauda a Gloria com accla-
i) .a quarta parte se conserva silen-
I a outra quarta parte cnsaia urna assuada
Burmurios e tacoes.
eguiulo personagemEu sou o Poder. Per-
-me as honra* e a3 grandezas. Com o
carrejado fago estremecer paizes o
. Beis e imperadores seguera os
Bes. Solicito os vossos suffragios.
raetaSe do auditorio saudouoentbusiastica-
mentc, urna quarta parle i^anlou o a fava e outra
. quarta parte atirou Ihe pedras e batatas podres.
Terceiru persomig.-niEii sou a Virtude mo-
desta e a Pobreza honrada. Solico*os vossos
suffragios.
A platea intuir deu lima enorme gargalhada,
acompanhada de assobios e guinchos.
fugio precipitadamente, cobrifido o
rosto com o seu manto osburacado.
Qitartu persohtfgumEa sou a Belleza. Do
mino os coraees pelo amor e encanto os ollios
pela plstica.
Solicito os vossos sutfragios.
Tres quai tas uar%s do auditorio derreteram-se
cm nomices e sornsos bregeiros.
Os restantes poz-ram-se a fazer a critica dos
defeitos da Belleza e a cochicharem os seus des-
peitos.
Quinto personagemEn sou o Dinheiro I Com
os raeus moutOes de ouro posso comprar os ca-
racteres e alagar as cousrier.rias. Solicito os
vossos suffraaios.
O personagem metallico retiron-sc, cami
nhando sobre o dorso da multido, a qual se
curvou reverentemente, desde que n3c alcou a
perna.
transcripto mostrai fal-
le e infamia a que avangou o Sr. Batinga a
quera convido para declarar qual o motivo da
intriga que comigo tem.
Por agora nada sais direi esperando que se
nao repita scena igual, reformante o Sr. Batinga
sua couducta.
Recire, 17 de Julho de 1889.
Xicomedes Manoel do Nasamento.
DOCUMENTO
Illms. Srs. Antonio Jos de Lemos e Jos Joaquim
de Lemos.-Rogo a Vv. Ss. o favor de responde-
rem ao pe a'esta : 1." se tive ha tem pos transac-
com o finado Jos Faustino Lemos, pae de
Ss. e de quem erara Vv. Ss. eaixeiros ; 2. se
houve de miaba parle dolo era quatoer das mes-
mas traosaeces. Outro* sim, pej tb- Ss. per-
missio para facer de sua resposn| Mo que me
aprouver. Sou com estima de r^Ks. atiento
venerador e eriadt>Nicoraedes Hafloel do Nas-
ciraento. Recife, 12 de Jalho de 1889.
Illm. Sr. Nicoraedes Manoel do Nascimento.
Em euraprauto ao cometido de sua carta aci
ma tenho a revender o eeguinte: Quanto ao I.
quesito. sim, V. S. tere transaccOes commerciaes
com meu pai, de quem nos eramos eaixeiros; ao
2. nSo, durante o lempo que V. S. leve tr.insac-
ces commerciaes com meu pae Jos Faustino de
Lemos, boje fallecido, sempre as cumprio fiel-
mente, nada ficando devendo das me3mas tran-
saeces. Pode usar d'esta como entender. Re-
cite, 13 de Julho de 1889.Antonio Jos de. Le-
mos, Jos Joaqoim de Lemos.
(Esta devidaraente sellado c reconhecidas as
respectivas firmas).
NDICACES UTEIS
Hticos
Dr. Catite Jess medico e operador.
Pratica a lava ge in do tero quando e co-
mo acn sel hada. Consultas das 11 as
3 da tarde em Sua risidencia ra do
Bom Jess (aotiga da Cruz) n. 23, 1.a
2ndar. Telephone n. 3S9
Dr. Bcrretto Sanipaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1.a andar da casa
roa do Barao da Victoria, n. 51. Res:
dencia ra Scte de Sctembro n. 54, en-
trada pela rita da Saudade n. 25.
/ p. B&w'ro de Briiio d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no poden-
dar a ra Duque de Casias n. 46, 1." an-
do ser procurado para chamados r.a sur.
reside-,..'-. ra do Hospicio n. 31. Te-
lephone n. i
Dr Aleares Guimc.racs, cuegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com esijecialidade s molestias do cora-
gao, pulmoes, -ligado, estomago e intesti-
nos e tambera s dfecgSes das criancas.
Reside praca do Conde d'Eu, O. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. 45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas. Telc-phone
n. 381.
O Dr. Matlicus Yaz, medico,' tem o ser. |
escriptrio a ra do Barao da Victoria
n. 32, 1." andar, onde d consultas d
meio-dia s 2 horas da tarde. Reside
ra de Gervasio Pires n. 27. Enearrega-
se do tratamento das molestias de olhis.
Telephone n. 427.
O Dr. Simplicio Maeignier.-! Clnica me-
dico cirurgica. Especialidades : molestias
pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (Pogo da Pa-
nella) dm O s 9 horas da manha e
tarde. Teleshone n. 392
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-.-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14, q
1. andar de.12 3 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Oce;* lista
Dr. Ferreira.: com pr*tica nos princi-
paes hospitaes e clnica de Paris e Lon-
dres, consultas todos os das das 9
horasdao meio-dia. Consultorio a resi-
dencia nu Larga do Rosario p. 20-.
Advogados
O bacharel Witruvh Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imgacador
n. 71, 1.- andar.
J. A. de Magalhaes Bastos. Duque de
Caxias n. 66, 1. andar..
O Dr- II. Milet continua com seu es-
criptrio de advocada, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambem poder ser pro
curado sobre negocios concernentes 1.a
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro Portella contina a advo-
gar. Escriptrio ra do Imperador
n. 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'ora ra da
Matriz da Ba-Vista). Telephone n. 362.
Drogara
Faria Sobri.nho & C, droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41a
Franciico Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceutica8, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
errara a vapor
Serrara a vapor e officina de carapina
de Francisco dos Santos Macedo, cae3 do
Cpibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende madeiras de todas
A5 qualidades, serra madeiras de conta
iheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por pregos sem dom-
petenciaPernambuco.
UMA MANHA NOENGEXHO ORA
AOS PAODALHESSES
Alegre vinha o dia renascente.
Que encantos, que perfumes'delirantes
Se esparzindo dos cumes verdejantes
Por montes e campinas florescente;!
Qae suave harmona As atesinhas
Dos ninhos j fugindo reunidas
Soltavam notas doces e sentidas
Saudando Apollo que surgindo vipua.
O rio murmurava. As sua3 margeos
!' reivas decoradas se mostravam,
Onde lindas manadas repastavam
Pululando gilmente pelas vargens !
E o vento bafeiando os arvoredos
Derramava mil gottas de crystal
Que davam doce encanto divinal
Aoquadro deslumbrante dos rochedos.
Se uniam docemente pelos ares
C'o trinar de sonoros pa.-annhos
Os balidos saudosos. commoventes
Dos tenros innocentes cordeirinhOs.
As vozes dos campinos que la iam
Cantando alegremente nos caminhos
111 Crea reculiier os louros fructos
Sgaidos das esposas e tUbJohOS 1
i> p-ji iel fascinante que gravado
Foi por Deus dcS^ODtaaao a creafSo,
Que a noute cora seu manto annuviado
nvolveu na uiais negra cerra<;ao ;
O fluadro de peiTumes e de flores,
Airea ebra d'alvorada pura.
Cercada d'innoceii P'r'os raortaes ummomento de dorura-
Em trovas jazeria eternamente
Se l'hbo-ardentp ardite lado co
N5o subisse em seu carro enchndtscente.
Rasgando desta noute o escuro veo.
Sim, elle chamoiejante e magestoso
Vinha Jar ao painel cor e belleza,
Emquanto despertando do repouo
Sorridente acordava a natureza !
Recife, Julho de 1889.
Jos A. Cesar de Vasconcellos.
Concluso
O acto phflantroflleo que acaba de praticar o
Exm. Sr coronel commandar.te das armas maa-
dando'que fos%e chamado para o se.rvico interno o
1 sargento da 3'"comp:inhia do 2o batalho de
iolantana, que com o suposto emprego de in-
tiudor, trazia somente o prejuiso de nos conpa-
Obeiros, digno de um chele, eavalheiro e dis-
ocio que sabe pugnar pelos direitos daquclte3
ue sendoprejudicados a si recorren).
Oxal que o Exm. Sr. Dr. Cerqueira Lima,
permanecesse por longos annos nesta provincia
e no cargo que presentemente oceupa, porque
ento nao mais sotlreriaraos injusticas.
Conclumdo hoje a tarefa que suppuz mais longa,
declaro a Y. Exc. que o distir.clo tenente-coro-
nei AnMiFraocisco da Costa, commandante
do menrtiWado batalho. no concoiTeu de forma
alguma para semelhante abuso, urna vez que ao
assutuir o commando do citado batalho de quem
hoje nelleseu immediato, jenconlrouo abuso
que por V. Exc. foi sanado.
Emquanto ao bilontra e apparente instructor,
fijar em meu cudaido vigial-o.
O ex-prejudicado.
Barreiros
PIBLIGACOES A PEDIDO
[Ao publico
Em um dos das da semana atrasada, entrel no
mercado publico, quando inexperadameote, um
hornera que all se emprega com negocio de car-
nes, contiendo por Manbel Batinga, tomou-me^
frente e prorompeu,em palavras injuriosas contra
minba pessa, sendo o menor nome que me di-
rigi o de ladrao!
Gonheci que esse homem muito perdido na
opiniao dos homens de bem, esperavu que eu
respoodesse aos insultos, para ofTender-me phisi-
camente, o que nao iiz, avaliaude a consequeo-
cia que poderia resultar, e mesmo por que nao
quiz misturar o meu nome posto qae obscuro,
com o desse famigerado.
Entreguei por tanto ao aespreso as suas olea-
sas das quaes uao me insulta o meoor descr-
dito ; por quaoto o facto que disse elle ter eu
praticado, com dolo, foi com o oegociante Jos
Faustino Lemos, boje XaJlecidc e de coja casa
D'esta localidade uos traosmittiram o seguinte
dialogo, preseuciado por um testemunho que nos
merece todo conceito, e que na quadra actual,
toda anormal tem um quer que de melodramma
c anda mais nos olferecc para relleclir e
avajiar como correm alli s deas liberaos do ex-
rhefe preterido Iq&JM inauguraco de seu par-
tido e que suspinHflfi collocar o seu extremoso
delphim. ~ -
E-0:
Homem I Ouvis3es o Tudo Usina Cae-ass sy-
bilar, dar partida falsas c o ruge ruge d'uma
meia duzia de pessoas ? *
Taiernetro. Ouvi e vi. t
Homem E oque vis
Tacerneiro. Im grupo formado peo presideute
da repblica de BarreirM, thesouriro, ajudante
de ordens (Jos Lins) coala bandeira tricolar em
punho e o barrete phry5o cabera c mais al-
guns canoeiros e carrascos I
Homem. Para onde se dirigan) ?
Taverneiro. Dizem que forara comprimentar o
ebefe do partido liberal de Barreiros I
Homem. O Fehsbiao ?
Taverneiro. Qual! Ellessodondos! Essenem
ao menos os mandara entrar ; supponho que foi
a um pobre velho de 80 annos, j caneado e qne
so pede 4 Deus repouso, todava vive incommo-
dado com semelhantes asneiras.
Homem. E o que ir diztr o presidente.
Taverneiro. O que disse n'assembia, que be
beu leite de calandro e mais c mais que a decen-
cia maida calar, talvez, porm. qoe. o ajudante
nao o iucommodar tanto, porque, elabora tarde
da noite nao deixar de comprar um do ou urna
vaeca manninha que elle possa no-cercado.
Humem. Porm Rpublicano felicitando libe-
ral -' *
Taverneiro. Ora esta A poite tudo facilita
estes nigromnticos polticos.
Homem. E o Canulinbo que proclama que
poeira de Barreiros o acelama como s$u chefe nao
quiz aflOmpanhar tao alustrada comitiva.
Taverneiro. Elle republicano c di que so
vota em seu chtfe Pinhriro, afim de fazer de Bar-
reiros urna republique, no entretanto elle festejou
ascenco dos liberaes mandando o moradores
dar vivas.
Homem. Deixamos d'isto, Estevo deudo pode
apparecer por ora d'estes beccos e ter lembran-
ca de nos mandar collocar era typos miudos.
Taverneiro. Qual!
Emquanto o tenente nos favorecer com um ar
de sua graca, elle nao passar d'um manicoca.
Disse : disseram es dous e retiraado-se,
Adeus Bumba.
Adeas Gameoha.
Barreiros, 13 de Juibo de 1889.
Marca.registrada
V. 35#
Carlos de Arroda A C, domiciliados e estabe-
lecidos com fabrica de cigarros ra MarciHo
Dias a. 17, tend;> o em 23 de Marco do
anno passado n'esta meretissima junta a marca
denominada cigarros DIANA, querem agora
registrar a marca junta, que ha-de distinguir a
qualidade de cigarros mais grossos do que os
communa produzidoa pela sua fabrica, no qu
peram ser ut'.endidos. N'estes termos peden) def-
ferimento.
A marca consiste em um quadrilongo formado
por cordes azucs sobre fundo branco com listas
vermelhas ; no centro em um circulo formado
por tres filetes azues, sendo centro mais largo.
a ligura DIANA tendo na mao direita urna espra-
tarda assente sobre o solo e a rao esquerda
acunada para quatro ciies qu" d'esse lado se
acham ; no segundo plano a direita da ligura urna
plaa com flores c no terceiro montes cobertos
de verudura e seuijella e dua3 arvores frondosas
3ue Ucam esquerda da ligura, sendo todo esle
esenho de cor azul sobrefundo branco; no alto
era urna figura azul as palavras CIGARROS
SIRIUSem fundo branco ; de cada lado e a meio
do circulo central o monograrnma C. A.& C. em
lettras capitaes azues ; era baixo do db^fnrculos
raais pequeos, um de cada lado do circulo cen-
tral, formado por tres filetes aaues, sendo o do
meio raais longo, o centro do circulo oceupado
por urna estrella formada por litbas azues sobre
fundo branco e atravessada com a palavra
TRADE em urna estrella e a palavra MAitK em
outnr, era lettras capitaes azues, o fundo dos
dous circuios, formado por lislras azues sobre
fondo branco ; & direita era lettras capitaes azues
com sombra branca as palavras FABRICA
DIANA; era lettras azues com sombra azoljas
palavras arlo t* Ai-rad* A C por
baixo u:n arabesco; em lettras azues com som-
bra branca as palavras-RA MARCIHO DAS N
17por baixo um arabesco.; em lettras azues as
palavras -ANTIGA DIREITA, telephone n 341
em letras azues com sombra branca a palavra
PERNAMBUCO.
Pedem detTer.raento.
Recife, 27 de Junho de 1889.
Carlos de Arroda & C.
Professora
^^Bca>.is particulares, na cidade ou nos arra-
offerece se ama senhora para leccionaro
seguinte*:
Portuguez, francez, italiano, geographia, piano,
trabalho de agulba, bordados e Dores.
Garanta.As discipulas electivas que teme
diversos attestados de pessoas Ilustradas.
A tratar na relojoaria do Regulador da Mari
nha, ra Larga do Rosario n. 9.
{}
Leonor Porto
( i Una Larga do Rosario nu-
) ( mero SO
. SEGUNDO ANDAR
| | Contina a executar os raais djfceis [ )
< Migurinos recebidos de Londres, Pariz,< >
(jLisloa e Rio de Janeiro.
i Prima em perfeicio de costuras, em
brevidade, modicidae em precos e
} fino gasto.
Eslava com o sello de 200 ris.
Certifico que foi apresentada na secretaria da
Junta Commercial do Recife. as 11 horas da ma-
nila do dia 28 de Junho de 1889.Escren e as-
signo em le de verdade.O secretario, Julio Au-
gusto da Canoa Guimaree.
Certilico que loi registrada sub n. 230. em vir-
tude do despacho da -Meretissima Junta Commer-
cial, em sessao de 11 do correte mes.
Pacou 1^000 d'um parecer fiscal.
Escrevi e assigno n'esta secretaria da Junta
Commercial do Recife aos 12 de Julho de 1889.
Em f de verdade.0 secretario Julio Augusto
da Cunha Guimaraes,
Estava com sellos no valor de 6S300, e ao lado
o grande sello da Junta Commercial era alto re-
levo.
Despedida
Sou forcado a partir'hoje para a corte acom-
panhando minha mulher, que sejicha enferma
de heriberi.
A presteza dessa viagem inesperada e resolvi-
da ultima hora a conselho medico, nao me deu
sequer o tempo necessario para me despedir, ao
menos por escriplo dos meas amigos e correli-
gionarios, quer desta capital, quer do interior.
Pcdiudo-lhcs desculpa dessa falta involunta-
ria, a todos olTereco os meus servicos em qual-
quer parte oade me ache.
Prevaleco-mc do onsejo para avisar aos meus
amigos e correligionarios de que licam encarre-
gados de todos os meus negocios polticos os
meus amigos Exms. Srs. Baro de Caiar, Dr.
rianno Carnciro da Cunha, Dr. Luir. De-
metrio Dias Simcs e meu irmo Dr. Manoel
Caetano de Albuquerque Mello.
A estes podem os meus amigos dar as suas
ordens.
Outro sim : deixo incumbido de meus nego-
cios particulares o mesmo meu irraao e o Sr.
Jos Cysneiro de Albuquerque e Mello.
Recife, 16 de Julho de 1889.
Jos Hara de Albuquerq'ie e Mello.
Pr, $ Mis. R. P. R.WL1NSON A
AT IIO?!E T
22"'1 & 23rJ inst \
: Casa-Forte. f>
1*. Oleo paro medicinal de Fizado de
Baealno. de batimn t Itemp ,
A opiniao unnime dos mdicos de todos os
paizes que'o Oleo de Figado de BacalhSo o
remedio mais poderoso que at agora se descu-
bri para as enermidaues dos nulraes e da gar-
ganta.
O fallecido sir Benjamn nrodie, dizia :
Quando tudo o- mais intil, este salva a
miudo a vida do doente; porm deve ser puro.
Entre os typos mais tinos deste genero, sobre-
sahe por sua vez o Oleo de Figado de Bacalho,
de. Lanman & Kemp, elaborado com os ligados
saos dos peixes apaHbados de fresco, c cuja con-
servaqo em todos os paizes se garage. Na
America do-Sul, as Anulhas, Mxico e Austra-
lia, elle tido como artigo de primeira classe. e
na Inglaterra, onde recentemeute foi introduzido,
se o considera superior a todos os leos de Fi-
gadb de Bacalho queexistem no mercado.
Para a tosse, pneumona, pleuresa, I
broichiles, trachites. affecgo do ligado 1f
dade geral. cr-se que realmente o
ment mais til, de que a materia medj
pode mostrar ufana.
Acha-se a venda era todas as principaes boti
cas e lojas de drogas.
H&posico Uuivcrsal de 1889
Segundo a carta que nos escrevem nos-
60s correspondentes, os Srs. Amde
Prince & C, o Pavilhao de Guatemala
onde elles acabara de organisar urna sala
de lcitura de todos os principaes jornaes
das mericas d& Centro, do Sul, das An-
tilhas e do Extremo-Oriente urna cons-
truccSo ^e madeira muito bonita.
Este pavilhao acha-se situado direita
da Torre Eiffel, pelo lado direito e de-
fronte da parte cental do Palacio das Ar-
ies Liberaes. Est perto de todas as sec-
^oes das Repblicas Americanas "e do Im-
perio do Brasil cujos riquissimos palacios
bao de constituir, por sem duvida, |ma
das maiores attracgoes da Exposigao.
Aos nossos patricios recommendamos
encarecidamente que visitera no Pavilhao
de Guatemala a installacao dos nosso,
correspondentes, Srs. Amde Prince &'
C, devida ao obsequio do illustre com-
missario geral do Guatemala.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meie dia a 3 horas da tarde, .no
Io andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela roa da
Saudade n. 25.
AOS SURDOS
O Aurophone es-
pecialmente adaptado s
molestias dos ouvidos E'
infallivel o de immediato
effeito na produccSo do
aom. Este valioso instru-
mento nunca falhou em al-
liviar aos que padecem de
llAWSflnsurdcz. A qualidade mais
importante de instrumento a facilidade
com que pode ser posto e tirado, e que
nao pode ser visto quando dentro do ou-
vido. Inbrmac3es gratis pelo correio s
possoas que as desejarem.
Queiram dirigir-se pessoalmente, ou por
carta, a A. E. llawson, ra Sete de
Setembro, n. 64, Rio de Janeiro.
Havendo grande numero de pessoas na
provincia de Pernambuco e suas circumvi-
sinhanjas, soffrendo de surdez c querendo
aproveitar-se do celebre instrumento Ati-
rophonc, o Sr. A. E. Hawson decidi
apoutar como seus nicos agentes para todo
o norte do imperio, 03 Srs. Bandeira &
Oliveira n. 65, roa do Imperador, onde po-
derao ser procurados os ditos instrumentos.
BANDEIRA N. 65 Ra do Imperador N. 65.
U--------------- ----......------------T -
Urri habitante do Rio de Ja-
neiro

O que se vai 1er, e que recommendamos
attencao do publico, traz a assignatura
de um dos associados da firma Manoel Joa-
quim Moreira & f '.,estabelecidos com urna
importante fundicao, no Rio de Janeiro, a
ra S. Pe4ro ns. 302 a 312.
t Illm. Sr. Jos Alvares de Souza Soa-
res, Pelotas. Communico-lhe, com a ma-
ir satisfacao, que. o seu xarope Peitoral
do Cambar remedio efficaz contra a
coqueluche, pois tive occasiSo de empre-
gal-o em fmulos de minha casa, que se
achavam atacados daquella terrivel moles-
tia e da qual ficaram, em poucos dias, cu-
rados.
16 le V. S. fazer o uso que lhe convier
desta minha communicacEo, para gloria e
renome do seu Peitoral de Cambar.
Americo Salvatori. t
Advgado
O bacharel Joaquim Manoel Vieira de
Mello, residente na cidade de Bezrros,
encarrega-se de caucas cnminaes,
commerciaes n'aquella comarca e
Bonito, Victoria e Caruar.
civis e
as de
Dr. Fij-mo Xavier
Medico c operador
D consullas das U as 2 horas em seu con
sultorio ra da Iraperalrizn. 38 1" andar e
tem sua residencia na cidade do iabo. onde po
d*.aer procurado das 6 da tarde s 9 da manhfi
Frederico Chaves Jnior
Homoepaiha
39 RA BARO DA VICTORIA 39
Primeiro andar
Cirurgio Dentis
DR. ROBERT P. RAWLINSO
mado pela Universidade de MaryL
Estados-Unidoa, tem aberto o seu consul-
torio, na ra Barao do Victoria 18, Io an-
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
Bacharel Antonio Wilra-
vio Pinto Bandeira
Pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, Io anclar.
Surdos
Urna pe3soa que foi curada da surdez c zui-
do de ouvidos, de que padeca ha 23 annos,
usando de um reme4p) muito simples, enviar
gratis a sua descripgo a quem a desejar. Diri-
ja-se ao Sr. nicholson, 1260, Santiago del Esie-
o, Buenos-Ayres.
*>
Aviso mundano
As senhoras elegantes que visitarem
a E::posicao do Paris nao encontrarlo a
"asa Leoty entre os Expositores. Ao
egarem terao portanto* de ir a casa de
ic. LEOTY, 8, praca da Madaiene,
ra encommendarem um d'aquees mara-
ilhosos esp.ortilhos. conhecidos no Uni-
verso inteiro, e ndispensaveis para o aceio
dos vestidos.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoraa e creancas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n, 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TELEPHONE-N. 226
m
Vas urinarias
molestias das se-
nhoras, operasoes elctricas
caslos arascsuai
ESPECIALISTA
com pratica de pabis b losdris
Ertreitamento da urethra curados ra-
dicahneate pela electrolyse, sem dr ;
hydroceles sem injeegao (cura radical);
feridas e ulceras chronicas, com garan-
ta de cura rpida ; pedras da bxiga,
fstulas e hemorrhoidas; syphilis, go-
norrhas, pelo methodo das rastillacOes ;
molestias da garganta e do peito pelas
atnmospheras medicamentosas. Con-
sultas e operapfies das 12 as 3 horas da
tarde.
RA DO MRQUEZ DE OLINDA N. 34,
*> ANDAR
Ileaideneia na Torre
Mar vil hosos effeitos!
Tendes tosse ou soffreis do peito?...
Nao percais tempo : tomai o Peitoral
de Cambar, que o nico remedio efficaz
para as molestias do larynge, bronchios e
pulmoes.
Com o uso desto poderoso medicamento
debellam-se as tosses as mais impertinentes
e rebeldes e tambem desapparecem as op-
pressSes, dores do peito e alterajoes da
voz ;cessam as espectoracoea songinolentas
e os escarros de sangue; em pouco tem-
pe, desenyolve-se o appetite, as forjas
perdidas reapparecem, e em urna palavra,
os enfermos sentem urna mudanja muito
notavel, por assim dizer, reanimam-se e
escapam de urna morte certa !
O governo imperial, depois daAPPROVA-
cao do Peitoral de Cambar pela Exma.
junta central de hygiene publica aoctokisou
o seu consumo em todo o Brazil por de-
creto imperial de 30 de Junho de 1884.
A academia nacional de Pariz e o jury
da cxposicSo brazileira-allemS, de 1881,
esnferiram ao auctor de tao grande e pre-
ciosa descoberta as suas ilEDALHAS DE Ia
CLASSE (de ouro).
Examinai que a marca da fabrica e a
firma do auctorJ. Alvares de S. Soa-
res se acliein nos rtulos que circulan) a
rolha e gargalo de cada frasco, como ga-
ranta contra as muias falsificacoes e imi-
tac3es que por toda parte apparecem.
Este precioso medicamentovende-se em
casados agentes Francisco Manoel da Sil-
va & C, a ra Marauez de Olinda n. 23
MEDICO HOMEPATA
(Dr. Balthazar da Siheira
Especialidadetabres, molestias \
das criancas, do3 orgaos respirato- ()
rios e das senhoras. I\
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do Bario da Victoria n.>43,
onde se indicar su residencia.
Advocacia crime
RIBEIRO DA SILVA, defende perante o
I jury de Palmares, Agua-Preta. 6amelleira,
| Esc.ida, Jaboatao, Nazareth, Victoria, Tira-
fbauba e oas comarcas visiuhas as vas
iferreu?.
Pode ser procurado ra 1' de Margo-
y
|n. 7 A.Livraria Parisiense.
EXPOSITION UNIVERSAL DE 1889
Segn nos escriben nuestros correspon-
sales, los Srs Amde Prince y V.
el Pabelln de Guatemala, en donde han
organizado un gabinete de lectura de los
principales pridices de las mericas del
Centro, del Sud, de las Antillas y del Ex-
tremo-Oriente es una construccin de ma-
dera, de las mas lindas.
Est situado dicho pabelln a mano
derecha de la Torre de Eiffel, del lado
derecho y en frente de la parte central
del Palacio de los Artes liberales. Se en agrisado a
cuentra a proximidad de todas las seccio
nes de las Repblicas de las mericas y
truido palacios que rivalizan de riqueza!
que sern una de las mayores atraccin
de la Exposicin.
Encomendamos particularmente a nues-
tros compatriotas que visiten, en el Pa-
belln de Guatemala, la instalacin que han
hecho nuestros corresponsales, Srs. Am-
de Prince y C gracias a la amabili-
dad del seor comisario general de Gua-
temala.
mandado exectitivo que do theor seguin-
te : executivo pa*sado a favor de Pereira
Carvalho & C. contra Jovino Sergio, de
Albuquerque Mello e sua mulher D. Lu-
crecia Campos de Albuquerque Mello. O
Dr. Thomaz Oarcez .Prannos Montene-
gro, commndador da Imperial Ordem da
Rosa, juiz de direito especial do commer-
cio desta cidade. do Recife capital da pro- .
vincia de Pernambuco por Sua Magesta-
de o Imperador a quem Deus guarde etc.
Mando aos oficiaes de fustiga que ante
este meu juizo servem, que a requeri-
mento de Pereira Carvalho & C. inti-
meta a Jovino Sergio de Albuquerque
Mello e sua mulher D. Lucrecia Campos
de Albuquerqve Mello, para incontinente
pagarem aos ditos Pereira Carvalho & C.
a quantia de quinhentos oitenta e seis
mil tresentos e trinta, proveniente de for-
necimento de gneros c garantida por hy-
fiotheca do3 predios ns. 10 e 12 no becco
argo dos Remedios e n. 12 na travessa
de S. Miguel c bem assim para pagarem
osjuros e custas e nao o fazendo proce-
dan) penhora nos allndidos predios e os
depositen) na forma da leiy fazendo-seas
intimacoes necessarias. Cumpram. Re-
nife 17 de Outubro de 1888. Subscrevo
eassigno. Ernesto Machado Freir Pe-
reira da Silva. Recife 21 de Junho de
1839.Monteuegro.Sellado legalmente.
Em virtude da dita petieuo de Pereira
Carvalho dt C. o respectivo escrvao fez .
pausar o presente edital pelo theor do qual
chamo c to e hei por intimados os suppli-
cados Jovino Sergio de Albuquerque Mel-
lo Jara que depois de findo o praso de 30
dias contados da publicacao deste paguem
incontinente a Pereira Carvalho & C. a
quantia constante do mandado neste co-
piado.
E para qne chegue ao conhecimento de
tsdo- mandei passar o presente edital que
ser publicado pela imprensa e affixado
no lugar do costume. Recife 22 de Ju-
nho de 1889. Subscrevo e assigno Jos
Francklin de Alencar Lima. Thomaz Gaz
car Varanlios Montenegro.
O Dr. Joaquim da Costa Eibeiro, juiz de
direito do civel denla cidade d#- Recife
de Pernambuco, por Sua Magestde Im*
perial quem Deus guarde, etc.
Fago saner aos qu'.' o presente edital viren) ou
delle houvcrem noticia, que tendo fallecido- O
bacharel Fulgencio Infante ce Albuquerque
Mello, por qnm eram exercidos nesta comarca
o lugar de official do registro civil e de Bypo-
Ihecas, creado pela le geral n. 1,237 de 24 de
de Setembro de 1874, e conjunctamente> como
annexo. por torca do art 3" da lei prbvincial n.
1,660 de 10 de Junho de 1882, um dos officios
de tabelao de notas, establecidos pelo art. 2
da lei tambem provincial n. 333 de 28 de Abril
de 1835, icba-se aberto o concurso para o pro-
viraento da serventa vitalicia de um e outro of-
ficio pelo prazo de 30 dias dsla data ; pelo que
to convidados os pretendentes a apresenlarem
dentro do dito prazo, ueste juizo, os requerimen-
t3 que houvcrem de dirigir para esse lira
presidencia da provincia, devendo iustruil-os
com certido de idade, attestado medico de ca-
pacidade phy?ica, folha comida, auto d; exame
de sulliciencia, certidao de approvacSo em exa-
me de lingua portugueza e de anthmelica, e
mais documentos que Ihes convierm juntar.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
raandei passar o presente, que sera affixado no
lugar do costume, do que dar cerlido opor-
teiro do audilorio. e se publicar pela imprensa,
Dado e passado nesta cidade do Recite de
Pernambuco, aos 16 de Julho de 1889.
Eu, Antonio de Burgos Ponce de Len, escr-
vao o escrevi.
Joaquim da Costa Ribeiro.
5a Secjao.- Palacio da Presidencia de
Pernambuco, em 16 de Julho de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. vicc-presidente da
provincia, que, tendo Caetano da Costa
Moreira requerido a concurrencia publi-
ca para o estabelecimento de urna fabrica
de cimento preparado com materia do
paiz, nos termos da lei n. 1987, de 6 de
Maio deste anno, ir.fra transcripta, fica
marcado o p aso de trinta dias,' contados
de hoje, para o recebimento de propostas,
em carta fechada, referentes a fuadagao
da dita fabrica. (Assignado) o secretario, .
Francisco L. Marinho de Souza.
Lei n. 1987
Ignacio Joaquim de Souza Leao, ba-
charel em sciencias jurdicas e sociaes, fi-
dalgo eavalheiro "da casa imperial, eava-
lheiro da Ordem da Rosa e vice-presiden-
te da provincia de Pernambuco:
Fago saber a todos os seus habitantes
que a Assembla Legislativa Provincial
decretou e eu sanecionei a resolo$o se-
guinte :
Art. 1.- Fica ,o presidente da provincia
c*Bccder, por praso impro-
rogavel de debannos, privilegio a quem
mais vantagens offerecer para montar, nes-


i
del imperio'del Brazil, quienes han com- ta provincia, a primeira fabrica de cimen-
to preparado com materia do paiz.
Art. 2." O cemento produzido pela {&-
ED1TAES
O Jh. Thomaz Garcez Paranhos Monte-
negro, commndador da Imperial Ordem
da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recife, ca-
pital da provincia de Pernambuco, por
Sua Magestade o Imperador a quem
Deus guarde etc.
Fago saber aos que o presente edital
virem, ou delle noticia tiverem, que por
parte de Pereira Carval'o & C. me foi di-
rigida urna peticao documentada na qual
requeri3o-me mandado executivo afim/de
8erem intimados Jovino Sergio de Albu-
querque Mello e sua mulher D. Lucrecia
Campos de Albuquerque Mello, para in-
continente pagarem-lhes a quantia de qui-
nhentos oitenta e seis mil tresentos e trin-
ta, juros e custas provenientes de gneros,
garantida por hypotheca nos predios ns.
10 e 12 no becco largo dos Remedios e
n. 12 na travessa de S. Miguel, freguezia
de Afogados desta comarca do Recife, e
c,so nao o fizessem seguirse penhora nos
mesmos predios e proseguir-se nos ulte-
riores termos.
Allegavam arada em dita peticao e pro
vavam com documento, que visto estarem
ausentes os supplicados em lugar incerto
e nao sabido, fosse a intimagSo do dito
mandado feita por editaes, e sendo por
mim deferida a dita petigao passou-se o
lrica de que se trata nao gosar de-isen-
cSo de imposto algura ncm de quaesquer fa-
vores directos ou indirectos que tenham
por fim prohibir a entrada ou venda na
provincia de producto similar, nacicnal ou
estrangeiro.
Art. 3.9--Se no fim de dous annos, a
contar da data da presente le, nSo esti-
ver a mesma fabrica funecionando regu-.
larmente, a actual concessao de privilegio,
ser ipso facto considerada caduca.
Art. 4. Fi^am revogadas as disposi-
coes em contrario. Mando, portanto, a
todas as autoridades a quem o conheci-
mento e eecucSo da presente Resolucao
pertencer, que a cumpram o faeam cum-
prir tao inteiramente como n'ella se con-
ten, i
0/ Secretario Interino da Presidencia
d'esta Provincia a faca"imprimir, publi-
car e correr. Palacio da Presidencia de
Pernambuco, 0 de Ma&de 1889, 68.? da
Independencia e do Imperio. (Assigna-
do).Ignacio Joaquim de Souza Leao.
Sellada e publicada a presente Resolu-
cao, n'esta Secretaria da presidencia de
Pernambuco, aos 0 de Malo de 1889.
O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveira.
Sjcretaria da presidencia de Per-
nambuco, 22 de Junho de 1889.Fores-
ta secretaria se faz publico, de ordem do
Exm. Sr. vicepresidente da provincia,
que fica prorogado por 30 dias, a contar
de hoje, o prazo para a apresentacSo de
propostas' de concurrentes fundacSo de
onze engenhos centraos nesta provincia,
nos termos da lea n. 1972, de 22 de
Margo do corrate anno, observadas as
disposigoes constantes des editaes de 25
de Maio ultimo e 3 do corrente.
Servindo de secretario,
Emiliano Ernesto de M. Tamborim.


mjMmmttlBm
Diario de Pernambuco-Sexta-feira 19 de Julho de 1889

i
X
:

f alzo das feito da Fazenda
rivo Torra Bmdeira
No dia 19 (Teste mez, depois da audiencia, iro
a praca, por venda, os predios abaixo declarados,
penhorados por exccuco da Fazenda Provin-
Recifc
Casa terrea, no Becco do Paschoal n, i, cot 9
tetros e 20 centmetros de comprimento, 6 me-
tros e 20 centmetros de frente, 2 portas de fren-
te, 2 portas e 2 janellas ao oito, soto, sendo
a pavimento terreo um armazem, e no soto 1
(piarlo e 1 sala, avaliada em 6403, pertencente a
Jos Celestino das Neves Fonseca.
Casa ra do Areial n. 4, com 6 metros e 10
centmetros de largura, 6 metros e 5 centme-
tros de fundo, 1 porta e 2 janellas de frente, i
sala, l quarto. quintal, por 3205, pertencente a
Jjao de Souza Pereira.
Casa a ra dos Guararapes n 29, com 2 portas,
2 salas, i quarto, soto interno, cosinha e qui -
lal com cacimba, 4 metros e 30 centmetros de
frente e 8 metros de fundo, avaliada em 300J,
erteucente aos herdeiros de Flix da Cunha
eixeira.
Casa ra Imperial h. 302, com i porta de
frente, sem repartimento, com 3 metros de frente
e 10 metros, e 70 centmetros de fundo, avaliada
em 1005, pertencente a Amaro Antonio de Fu-
rias.
Recife, 8 de Julho de 1889.
5. secco.Secretaria da Presidencia de Per-
aainbuco em 10 de Julho de 1889 :
Por esta secretaria se faz publico para conhe-
amento de quem iutercssar, que, a requerimen-
to de Jos Bernardino de Bourbom Arantes, ti-
ca aberta a concurrencia, com o praso de trinta
das, contados desla data, para o recebimentc
de propostas referentes fundaco de um enge-
nbo central de typo maior, de que trata o art.
18 da lei n. 1865"de H de Agosto de 1885, me-
diante as condicoes do art. 16 da mesma lei e
da de n. 1972 de 22 de Marco ultimo.
(Assignado).O secretario, Francisco L. Ha-
einho de Souza.
5.! secco.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
rdem do Exm. Sr. Dr. vice-preaidente
da provincia e nos termos do 2 do art.
1* da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
Jue, tendo-se concluido por meio de laudo
e arbitro desempatador, a qaestao de ava-
iacao do material da empreza de illumi-
saelo gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
ses, contados da data do presente edital,
para contracto da dita illuminacao, me-
diaste as seguintes clausula da citada le s
% 3." Nenhuma proposta ser recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:000$
em dinheiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a ?.cetacik> do contracto,
ao caso de ser preferida a sua proposta.
4. O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, nJo ser retirado
pelo con trac tan te senSo rinde o contracto e
ervir de caucSo para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
5. O contracto s poder ser feito
eom quem melhores vantagens offerecer
na concurrencia.
6.* A n2o ser no caso do paragrapho
antecedente, a actual empresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponente.
1 7. O novo contraetante sera obrga-
do indemnisacao, a que a provincia
snjeita por forca da clausula dcima ter-
eeira do contracto em vigor, devendo dita
iademnisacao ter lugar de accordo com
esea mesma clausula, o ficando o material
e obras da empreza bypotbecados pro-
vincia at que esteja realisada a indeinni-
sac3o ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
8." O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
| 9." Opreco da illuminacao, quer publi-
ca, quer particular, nSo poder exceder de
360 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
e urna reduccSo de mais de 30 [, para
estabelecimentos de caridade e benefi-
encia, e reparticBes publicas.
| 10.* O systema mtrico, si for mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
dlo do gaz.
11. A luz ser clara, brilhante e isenta
de substancias estranbas, que possam pre-
tudicar a illuminacao e a hygiene publica.
12. A intensidade media da luz ser
equivalente a dedez velas de espermaceti,
das que que i mam se te grammas por hora,
correspondentes a 120 graos inglezes.
13." As horas de illuminacao publica
serao' fixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, nein maior
de dez, devendo note cas haver urna
reduccao no pre90 do gaz. correspondente
ao acrescimode horas.
14. O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e illimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questoes que
se suscitarem, quer com o governo,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leis e regulamen-
tos e jurisdiccao dos tribun&es judicia-
rios ou administrativos do paiz.
| 15. O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometros, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os mclho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em atguma ca-
pital da Europa.
16. O pagamento da illuminacao pu-
blica, e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attencSo oscillacao do cambio.
| 17. O contractante poder organisar
companhia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos o qbrigacSes do contracta.
% 18." Para as despezas com a fiscali-
saco do servico de illuminacao o contrac-
tante concorrer annualmente com a quan-
tia de 3:000(5000, que serao recolhidos ao
Thesouro Provincial.
19. O presidente da provincia esta-
belecer as multas e mais condicoes, no
intuito de garantir a boa execucao do con-
tracto, quer com relacao a illuminejio pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual em
preza, conforme o 7 cima citado, a
quantia de 994:917)5528, de accordo con
a avaliacSo feita pelo arbitro desempata-
dor em 18 de Mareo ultimo, visto deduzir-
se da de 998:777?$528, total da avaliaco,
a importancia da 3:860000 paga em-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
peoes, collocados fra do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Mano-l ioaquim Sveira.
COMMERCIO
Revista do Mercado
Recifz, 18 DE JULHO DE 1889.
Foi pequeo o oi\ ment, constando apenas
Je transaeces no mercado de cambios.
Cambio
A taxa ollicial manteve-se a 26 6, saccando
>j Internacional a 27.
Houve pequeas transad oes am papel part-
vular a 27 3/16.
Empreza do Gaz
AVISO
A empreza de illuminacSo a destagaz
cidade por seu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
cSo do edital em que a presidencia da pro-
vincia 'chama concurrentes para o novo
contracto da illuminacao mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
quanto foram avahadas pelo arbitro desem
patador as obras da mesma empreza,
base para a indemnisacao da empreza
actual a quantia de 998:777^528, por
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliacSo nao pode servir
de base para tal indemnisaeao, por ter
sido illegal e irregularm como que contra ella j protesou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, qner perante o juizo dos feitos da
fazenda, tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr. procarador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da provincia.
E como quer que deva em tempo op-
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, dcliberon fazer a
presente publicacao para scieneia dos in-
teressados.
Reeife, 1 de Maiode 1889.
George Windsor,
Gerente.
0 coro:: milano da Costa Albuquerquo,
ver: da Cmara,
servindo drjuiz municipal e do eommercio do
termo de Ipujuca da comarca do Cabo, em
virtudc da lei, etc.
Faco saber aos que o presente edital de praca
vircm que o porteiro interino dos auditorios
deste juizo ha de Irazer publico prego de
venda e arremata!'"io a quem mais der e maior
lance sfferecer, em o dia 22 do correnle mez, s
II horas do dia, a porta da casa das audiencias
deste juizo, a parte do engenho S. Joao de. e
termo, d'agua, moente e corrale, com todas as
suas obras, matas e lograilouros, avaliada.por
10:536*000 sobre o valor total de 4?:(1OO5 dado
ao mesmo engenho, e penhorada a Luiz Goncal-
ves da .-ilva & Pinto, por execucBo que ibes
motera Le\us Eherman e outros.
E para que chegue a noticia IooVjs, Be pas-
Ou o presente que ser allixado no lugar do
costume.
Dado e passado nesta villa de Ipojuca, aos 12
de Julho de 1889.
Eu, Jos G nuino Ferreira, e?crivao,o escrevi.
Joo Emiliano da Costa Alburp-rque.
O Dr. Joaquim oa Cosa Ribeiro, juiz de
direito do civel desta cidade do Recife
por Sua Magestade o Imperador a quem
Deus guarde, etc.
Fa90 saber aos que o presente edital
virem ou delle noticia tiverem que findos
os pregftes e pra9as d.* estylo, ser arre-
matado, depois de audiencia deste juizo,
por quem mais den e maior lance offere-
cer o bem segunte : Urna casa de pedra
e cal sita na travesea de Motocolomb,
freguezia de Afogados, desta cidade, com
dezenove metros e setenta centmetros de
largura e seis metros e setenta centme-
tros de comprimento tendo na frente seis
janellas e duas portas, sendo que as porras
dio entrada para a sala de visita e de
jantar e as janellas ficam nos quatro quar-
tus que sao collocados entre urna sala c
otra e um outro quarto contiguo sala
de jantar, no fundo do qual a cosinha
interna, achando-se tudo em rao estado :
no terreno comprehendido cm setecentos
palmos de frente, o qual tem cerca nati-
va e um portao de madeira, existem duas
cacimbas e junto a urna deltas um tanque
e outro tanque na parte posterior da casa ;
oitenta ps de coqueiros, diversos ps de
cajueiros c mangueiras, sapotiseiro e ou-
tros arvoredos, tudo bastante maltratado,
e no terreno de niarinha, que mede vintc
e oito bra9as e quatro palmos de frente,
est situado um viveiro que se acha ar
rombado e em pessimo estado ; avahado
tudo por um cont de res.
Penhorado para pagamento da exe9u-
9o promovida pelo cnsul de Portugal
como administrador do espolio de Manoel
de Carvalho Moura contra os herdeiros do
finado major Manoel Ferreira Escobar.
E para que chegue ao conhecimento de
todos mandei passar o presente que ser
publicado pla imprensa e affixado no lu-
gar do costume.
Dado e passado ncst# cidade do Reci-
fe aos 5 de Julho de 1S9. Eu Pedro Ter-
tuliano da Cunha, escrivSo subscrevi. Joa-
quim da Costa Ribeiro.
Companhia t/mto Carril de
Pernainbuco
DIVIDENDO
Do dia 25 do corren te em diante paga-se no
escriptorio central desta companhia, no Rio de
Janeiro, o 14. dividendo, sorrespondente ao se-
mestre de Janeiro a Junho, a razio de 4*000 por
aeco. Recife, 18 de Julho de 1889.
l'ov delib:raco da directora do Hippodro-
mo de Campo Grande foi vedado o ingresso na
secretaria desta aociedada a no ensilhamento do
mesmo Hippodrorco, e he ni assirn imposta a
prohjbicao de inscrever. animaes al que o con-
tri rio se resolvs ao S -. Djahna Moreira da Silva,
sendo lambcm BHSpcnso us cavallos Coupon por
seis me^ps e Apollo at ulterior deliberacao.
THEATEO
SANTO
DECLARARES
Prolonga ment ila entradn de ferro
do Becife ao s. franclxeo e catra-
ilud ferro do Recife a CaruarCi.
De'ordem do Illm. Sr. director fago publico e
para conhecimento dos Srs. interessados, que
ttca transferida para quando for annunciada a
concurrencia ltimamente aberta para o forne-
cimento de 20,000 dormentcs quinta diviso
do prolonpamento.
Secatona do prolonpamento da estrada de
ferro^b Recife ao S. Fraucisdb e estrada le
Ierro do Recife a Caruar, era 18 de Julho de
1889. '
O secretario,
A (. de tiusmao Lobo.
Secretaria da contraria de S.
Jos d'Agonia, 17 de Ju-
lho de 1889
Por deliberago da mesa conjuncta de 14 de
Julho, convido todos osirmQos acoraparecerem
no consistorio da confraria domingo 21 do cor-
rente, pelas 10 horas da manha, para reunio de
mesa geral.
Manoel Francisco dos Santos e Silva
___________________Secretario. ^_____
Thesouraria de Fazenda
D; ordem do lllm. Sr. inspector, e chamado o
Sr. I-incu de Araujo Cesar, ex-thesoureiro da
repartalo dos correios desta provincia ou os
herdeiros do seu respectivo fiador, alim de vir
vcollier aos cofres pblicos, no prazo de 13
(liaj que fica marcado, a quantia de 270600,
que (gura em responsafilidade do mesmo se-
nhor ex-lhesoureiro para cora a fazenda publica.
Em 13 de Junho de 1889.
O secretario,
Dr. Antonio'Jos de Sant'Anna.
Pfopriedade e empresa dos artistas
EDUARDO RODRIGUES X HELENA BALSE11 AO RODRIGUES
=##*=
DlRKCViO DO ACTOR
SABBADO!!!
RECITA EXTRAORDINARIA
Dedicaba a mocidade acadmica

Confraria do Senhor Bom
Jess da Viasacra da igre-
ja da Santa Cruz
Mesa geral de eleicao
De ordem do noso irraito provedor, convido a
todos os nossos irmos para comparecerein em
noso consistorio sexta feira li) ao correnle, pe-
las 6 horas da tarde, afim de reunidos em du-
mero legal de mesa geral, proceder-se a eleico
para os cargos de provedor c escrivao, por te-
rem pedido escusa os irmos eleitos para os
ditos cargos, de conformidade com o art. 36 do
nosso compromisso.
Consistorio da confraria do Senhor Bora Jess
da Viasacra na igreii da Santa C:uz, 16 dt Juibo
de 1889.
0 escrivo
M D. da Silva.
Club Concordia
Ordentliche Hauptversammlung
Freitag, den 19 Juli 1889
ADends : blir.
In anbetracht wichtiger Verhandlungen wer-
den die Miglieder um zahbreiehes& punktlicbes
Erscheinen ersucht I
Das Direcotrium.
saeo immcm:
DO
C3 Jrc\.>o a* JO

N'o Rio, o mercado esteve sem alleraco, isto
, 27 1/16 o Internacional sobre a filial de Lon-
lres e os demais bancos a 27 d.
TABELLAS AFFIXADA8
-
4
i
>
o
o
3

a. -i
a
s

I s
8 I
S
-3 O
o
2. a
N O.
1 :

s
ib

8



ex


z
3 8
=i-
s
ai
C4 SJ CJ-
-J -^ oc
00 -
O
g oB
i
I
3D
J.

ex
Bolsa
COll-
COIAC^ES OFTICIAES DA JDNTA DOS
RETOBES
Rtcife. 18 de Julhe de 1889
\polices geraesde 5 0,0, valor de 1:000*000 a
960 cada urna.
Cambio sobre o Rio de Janeiro, 15 d/v. com 3 8
O.'O de descont., hentem.
Camnio sobre Pelotas, 0 Aj\. com 1 1/2 0,0 de
descont, hontem.
Cambio sobre Para, 60 d v. com 112 0/0 de des-
cont, hontem.
Cambio sobre Londres, 90 d v. 37 d. por 1*000,
do banco, hontem.
Descont de letras, 9 0.0 ao anno, bontem^
Na Bolsa Vendeu-se
7 aoolices seraes de 1:000*000 a 960.000
cada urna.
O presidente,
Candido C. G. Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux
Colonia |OrphanoIogica Isa-
bel
De ordem da directora desta colonia previno
aos SrS. tutores ou protectores de menores des-
pachados para quando houver vagas, de nao os
apresentar sem serem chamados (por este Dia-
rio, por nao haver vagas presentemente.
Secretaria da Colonia Orphanologica Isabel,
M de Julho de 188:'.
.0 secretario,
Francisco Goncalves de Siqueira.
Algodo
Cota-se a 7*000 o de 1* sorte do sertao.
A exportacao feita pelaalfandega nesle mez at
odia Itfattfngio a984.793kilos, sendo 698.691
para o exterior e 286.104 para o interior.
As entradas verificadas at a data de hoje so-
bem a 4.525 saccas, sendo por:
847 Saccas
1.209 *
141 >
251
_T987 *,
4 525 Saccas
Barcacas.
Vapores .
Aramaes.....
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea deLimoeiro
Sorama.
Assnear
Os precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
gundo a Associacio Commercial Agricola, foram
os seguintes:
Branco..... 3*800 a
Somenos..... 34000 a
vado purgado 2*600 a
bruto. (firme) 2*000 a
Retfcne..... 1*700 a
4*400
3*400
2*800
2*100
1*900
A eXportagao feita pela alfandega neste mez at
odiis, subi a2.266.291 kilos,sendo855.175
para o exterior e 1.411.116 para o interior.
As entradas verificadas at a data de hoje, so-
beo) a 4.121 saceos, sendo por:
Barcacas X 2 081 Saceos
Vapores ^ .
Animaes..'..
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco. 1
Via-ferrea do Limoeiro
56
24
125
587
248
Somma. 4.121 Saceos
Agurdente
Cota-se a 100*000, por pipa de 480 litros.
Alcool
. Cota-se a 200*000 por pipa de 480 litros.
el
Cota-se a 70*000 por pipa de 480 litros.
Couros
Couros salgados, 360 a 365 ris, nominal, na
base do 12 kilos.
Pauta da alfandega
SBMANA !> 13 20 DBR'UO 1>B 18S9
Vide o Diario de 14 de Jidho
navios descarga
Barca nacional Miriannmha, xarque.
Barca norueguense Suez, carvao.
Barca norueguense Gefim, xarque.
Brigue allem Insel, varios gneros.
Escuna allema Fritz, xarque.
Lugar nacional Tigre, xarque.
Lugar inulez Florcna; bacalbo.
Patacho nacional Rival, xarque.
Patacho sueco Amor, xaraf'-
Patacho inglez Hafren, xarque.
Patacho alleraao Mark von Uldeudorp, xarque.
Patacho hollandez Broedertrow, xarque.
Capital.....20,000:0005000
dem realisado 15,000:0005000
A caixa filial deste Banco funeciona i.
ra do Commercio n. 42, sacca, vista ou
a prazo, contra os seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LondresBanco Internacional do Brazil.
ParsBanque de Paris et des Pays Bas.
LondresLondon & County Banking Oom-
pny Limited.
AttcmanhaDeutsche Bank.
BlgicaBanque d'Anvers.
ItaliaBanca Genrale e suas agencias.
HespanliaBanco Hypotkecario de Espa-
a e suas agencias.
PortugalBanco de Portugal e suas agen-
cias.
Rio da PrataTho London & River Pa-
te Bank Limited.
Nova YorkG. Amsink & C.
Compra saques sobtt qualquer praca do
imperio e do estrangem).
Recebe dinheiro em conta corrente de
movimento com juros na razao de 2 /0 ao
anno e por letras a prazo a juros conven-
cionados.
O gerente,'
T illiam M Webster.
Metade da receita liquida 'Veste espectculo cedida pela empreza para aug-
mento do patrimonio da Exma. familia do fallecido Dr. Tobas Barreto.
PROGRAMMA:
mXTSXG.A. GDC^SSXGJk.
> o
ARIA DO GUARAXW
3.
ir ai s ir a
Poesa de Thomaz Ribeiro
Aaiis ,
recitada peta actriz L>. BALSEMAO
4.
Apenlem-se noBalanco


o.u
.
NAO TEM TITULO
=**=
DOMINGO, 21 DE JULHO DE 1889
Ultima representaco
t\m
AH
Irmandade da Gloriosa San-
# t'Annada igreja da Madre
de Deus
Eleico
Dj conformidade cora o art 7" di nosso com-
promisso, sao convidados todos os nossos ir-
mos a compareceran domingo 21 do corrente,
pelas 10 horas do dia, no consistorio da igreja
da Madre de Deus, para proceder-se a cetelo da
futura mesa regedor,i que tem de funecionar no
anno compromissal de 1889 a 1890.
Conristorio da irmandade da loriosa Senbora
Sant'Anna da igreja da Madre de Deus, J8 Qe
Julho de 1889.
O escrivo
Joao Alves Pimente!.
Companhia Indemni-
sabora
A directora da {Companhia de Seguros In-
demmsadora, de conformidade com o arl. 26
1 dos estatutos, convoca urna assembia geral
extraordinaria para o dia 23 do corrente ao meio
dia na sua sede. O lim da reunio tratar de
assumptos relativos interesses da mesma com-
panhia.
Recife, 3 deJJulho de 1889.
Os directores.
Antonio da Cunha F. Bailar.
Jos Ferreira Marques.
Gurgel & Irmos, 1 aos herdeiros de A. ('.. de
Vasconcellos, 2 a Manoel Collaco & C, la D.
A. dos Beis. Machinas de imprimir typos e pa-
pel 17 caixas a Goncalves Cunta 4 C."
Orgo e pertences 2 caixas a Julio fi lrmo
Objectos para chapeos de sol 1 caixa a J. Perei-
ra Amares, 1 a Francisco Xavier Ferreira.
^pel 6 caixas a G. Laporte, 1 a Rouquayrol
Freres, 1 Arthur & Deziderio. Perfumara 2 "ca-
Fon
niportacSo
Vapor francez Vitle de Cean, entrado Jo Ha-
vre eTisboa, em 17 do andante e consignado a
iJreir Carnciro & C. manifestou :
Carg do Havre
Amostras 3 volurnes a diversos. Agua deslU
lada 10 caixas aFrancisco Manoel da Silva A G.
Ammoiaco 1 caixa a H. Fouqueaux-
Brim para puntura 1 caixa a Ramiro M. da
Costa 4 C.
Chapeos 1 caixo a Adolpho 4 Fcrro, 1 a A.
Fernandcs 4 C, 1 a Antonio Jos Maia4C. Cal-
cados 2 caixOes a N'unes Fonseca 4 C. Choco-
late 1 caixa a ordem. Cartas para jogos 1 caixa
a Antonio Duarte Carneim Vianna. Cachimbos
1 caix3o a Prente Vianna 4 i.'., 1 a Manoel Joa-
quim Ribeiro fe C, 1 a Nunes Fonseca C.
Drogas 1 caixa a G. Martins C, 28 a Paria
Sobrina 4 C, 11 a Fraaeiscfl Manoel da Silva
4 C.
Emilias 8 caixas a Guedes de Araujo 4 Fi-
Iho. Essencia 2 caixas a Francisco Manoel da
Mlva 4 C.
Ferragens 1 caixa a Braga 4 S, 2 a Albino
Silva 4 C, 3 a Ferreira Guiinaraes 4 C. .
Instrumerito de msica 1 caixa a Ramiro M.
di Costa & C.
Joias 2 caixas a Arthur 4 Desiderio.
Latas vasias 2 caixas a Francisco Mauoel d
Silva 4 C, Livros 1 caixo a J. Antonio Rodrii
gues Vianna. Lustros 2 caixas a Pontual Re
zendo|* C.
Manteiga 20 barris e 20 meios ditos a Souza
Basto, Amorim 4 C. 20 e 40 ordem, 30 e 40 a
Paiva Valente 4 C, 20 e 30 ao consignatario, 20
caixas a S. Basto, Amorim A C, 23 a Ferreira
Rodrigues C, 16 a Joao Fernandes de Almeida,
13 a Paiva Valente A C, 10 a Figueiredo Costa
4 a, 9 a Fraga Rocha 4 C, 13 ordem, 20 a P.
J. Alves & C. 7 a Carvalho fe C. Mercaduras
diversas 3 caixas a Nunca Fonseca C, 2 a Ma-
noel Joaquim Ribeiro 4 C, la Ribeiro 4 Al-
meida, 9 a G.Laporte, 2 a R. de Drusina 4 C, 3
aos herdeiros de Manoel Cardoso Ayres, 1 a Cam-
pos A Ferreira, 1 a Guiinaraes Irmos G., i
ordem, 2 a Maia e Silva 4 C. 1 a Bailar Oliveira
* C, 1 a H. Fouqueaux, 1 a Manoel Joaquim Al-
ves Ribeirp, l a If. de S Leitao, 1 a Fransisco
xas a Guimaraes Cardoso 4 C, 1 a Nunes
seca 4 C.
Pianos 2 caixes'a II. Vogelcy. ,
Jueijos 22 caixas a Goncalves Ro3a & Fer-
nandcs, 10 a Guedes de Araujo A Flho, 10 a
Souza Basto, Amorim A C. 56 el fardo or-
dem, 2 tinas a Paulino de Oliveira Maia.
Roupa branca 1 caixa a Olinto Jardim & C.
Pecidos diversos l caixa a Nunes Fonseca 4
Ca Francisco de Azevedo C, 2 ordem,
1 a R. de Carvalho 4 C, 1 a A. de Brito 4 C, 2
a Bernet 4 C, 1 a Machado 4 Pereira, 1 a Con-
galves Cunha 4 C, 1 a Joaquim Goncalves
4 C.
Velas 3 caixas a Soares 4 Fernandes, 7 a Gon-
calves Rosa 4 Fernandes, 4 a P. J. Alves, 10 a
Canalho A C. Vinco 1 barril a Paul Julien, 10
caixas a C. Pluyo A C, 6 a Joao Fernandes de
Almeida. 6 a Paulino de Oliveira Maia, 6 a Joa-
Snira Chrstovao 4 C, 6 a Albino Pernandes 4
>, 6 a branles 4 C, 6 a Guedes de Araujo fe
Filho. Vidros e porcelana 5 caixas a Alves Ir
fcoiSos 4 C.
Carga de Lisboa
Azeite 70 caixas a Paiva Valente & C*. Albos
40 canastros a Paiva Valente fe C, 40 a Guedes
de Araujo 4 Filho. Alpiste 20 saceos a Fran-
cisco Ribeiro Pinto Guimaraes C.
Bagas 3 barricas a Antonio Francisco da
Costa. Batatas 25 caixas a Araujo Castro 4 C,
200 a Silva Guimaraes 4 C.
Ceblas 10 caixas a Lopes de Magilhaes A C,
10 a Raulino de Oliveira Maia, lo a Araujo Gas-
tro A C, 15 a Soares 4 Fernandes, 100 a Fran-
cisco Ribeiro Pinto Guimaraes A C, 50 a Silva
Guimaraes A C.
, Feijao 80 saceos a Francisco Ribeiro Pinto
Guimaraes 4 C. Ferragens 2 caixas a Antonio
Duarte Carneiro Vianna.
Palitos 8 caixOes a Guedes de Araujo Filho -
Frcgos 10 barricas a Antonio Duarlc Carneiro
nna. Phosphoros 1 caixo a Amoricn Irmos
iciTi'lurlada liulriicio publica. 18
de rfuliio de" 1689
De ordem do Sr. Dr. inspector geral da ins-
trueco publica, fago saber s alumnas mestras
Mana Julia da Ressurreico Cruz. Mara Amalia
da Silva e Mello, A nna de Hollanda Cavalcante
rchoa e Antonia Hasiha Baudoux. nomeadns
por portara da presidencia da provincia de 12
do corrente para regerem as cadeiras de ensino
mixto de Flores, Caiueiro, Calende e S. Jos da
Coroa Grande, que Ihes fica marcado o prao de
30 das, a contar da data da mencionada porta-
ra para assnmirem o exercicio de suas respec-
tivas cadeiras.
O secretario,
Pergentino Saraiva de Araujo Galcao
Para Manos. P. Pinto 4 C. 60 barris com
5,760 litros de agurdente.
Para Cear, P. Carneiro 4 C. 10 caixas com
300 kilos de oleo de mocot
No vapor (inglez Cearense, carregaram :
Para Part, J. S. da Costa o Silva 10 caixas
com 400 kilos de cabeca de negro e 4 ditas cott
xarope medicinal ; P. Alves 4 C. 125 volurnes
cora 5 510 kilos de assnear refinado
No vapor francex Vitle de Ceuru, oarrega-
ram :
Para Santos, P. Alves C 300 saceos :n
18,000 kilos de assucar branco; Amorin: Irmos
* C. 15 pipas e 50 barris com 12,000 litros da
agurdente.
Para Rio de Janeiro, Amorim Irmos A C. 50
pipas com 24 000 litros de agurdente ; P. Va-
lente 4 C. 25 pipas com 12,000. litros de agur-
dente B. Oliveira fe C. 50 barris cora 24,000
litros de agurdente ; C. M. da "Silva 500 saces
com 30,000 kilos de assucar brando.
Na barrara /). Swh, carregaram :
Para Natal, E. C. Beltro 4 lrmo 10 saceos
cora 600 kilos de assucar retinado e 6 ditos com
4 dito* de dito branco.
Na barcaca Loquinha, carreja ram:
Para Parabyba, A. R. da Costa ^00 saceos com
tarinha de mandioca ; F. Costa A C. 25 sacco
com 1,500 kilos de milho.
Associaeo dos Empreados no
Commercio de Pernambuco
ASSEMBI.KA GERAL
De ordem du lllm. Sr. presidente convido a
lodos os Srs. consocios para a sesso ordinark.
que ter lugar no prximo domineo, 21 dest
mez, s 5 horas da tarde. ^
De conformidade com o disposto no art. '','> ,
1 dos estatutos, ser essa sesso para as ele-
coes da mesa desta assemblca, directora ecoQV-
misso de exame de contas, podendo tratar-3?
de quaesquer outros assumptos.
R<:solver-se ha a respeito da reforma dos c-
taintos.
Espero que os. Srs. socios se. compenetrar; o
da grande necessidade de que assumptos t&i
importantes tenham solucao prompla.
Secretaria da assemblca gera] da SBOCiaea
dos Erapregados no Commercio de Pernambu-
co, 18 de Julho de 1889.
Augusto da Sdca.
Secretario ad-hoc.
SANTA CASA
CASAS PARA IMtAIl
Ra do Vigario Tenorio n. 27. loja 1060000
dem dem n. 22, 2. andar 1800CK'
dem idem idem, 3. andar 180*90-
dem do Bispo Sardinba (Encanta-
mento) n. 11. 2." andar 240O.'
dem do Mrquez de Olinda, n. 44, so-
brado de dous andares 2:1310fM
dem idem n. 33, idem idem l:20000"i
Idem do Bom Jess n. 29, loja 216OOi'
dem do Bom Jess n. 29, 1." andar 2404000
Hem idem 2 andar 240*001
dem deThom de Souza (Lingocta)
n. 14, Io andar 1800ir
dem da Senzala velha n 10
ca;a terrea 223Om
Ceceo das Bcias n. 14, 2* andar laOfOO.'1
Idem idem 2" andar 26W0tV>
dem do Padre Fioriano n. 63, caza
terrea 1684009
dem S. Bora Jess das Crioulas n.
8, dem 2I60G
dem Imperial n. 151. caza terrea .'toO^cOJ
Becco da Detengjo imeiaguai 96j&i
S. Lourenco daMatta COSO;:
Ambole (Varzia )idem 7230<>i
Mercado Municipal de ai. tloa
O movimento deste mercado no dia 17 de Ju-
lho foi o seguinte:
Entrarara :
411/2 bois pesando 5.810 kilos.
773 kilos de .peixe a 20 ris
77 cargas com farinha a 200 ris
4 ditas com milho a 200 ris
14 ditas cora feijao a 200 ris
15 ditas defructas diversusa 300ris
13 taboleiros a 200 ris
12 su i aos a 200 ris
30 matulos com legumes a 200 ris
Foram oceupados:
27 columnas a 600 ris
1 escriptorio a 300 ris
24 compartimentos de farinha a 500
ris
24 ditos de comidas a 500 ris
76 ditos de legumes e fazendasa400
ris
16 ditos de suinos a 700 ris *
8 ditos de fressuras a 600 ris
43 tainos a 2*
15M0
IjMO*
800
2*80-.'
4350*
2*600
2J40U
6*00*
16*200*
300
12*00\>
12*00
30*400
11*204:
4*80f
86JUJQ
Rendimento do da 1 e 16 do cor-
rete
222*80V
3:498*120
'- m
patos 1 caixo ordem.
Lugre inglez Indiana,-entrado do Rio Grande
do Sul era 16 do crrete e consignado a Pereira
Carneiro A C, manifestou :
Graxa 274 volurnes ordem.
Sebo 1539 barricas ordem.
Mxporlaco
RECIFB. i 7 DB JTLHO OB 1889
Para o exterior
No vapor inglez Dalton, carregaram :
Para Liverpool, P. Carneiro & C. 370 saceos
com 25,020 kilos de carocos de algodo ; J. H.
Boxwell 29 fardos com 5,23 kilo3 de algodo ;
N. J. Lidstone 80 toneladas de ierro velho.
Para o interior
No vapor nacional ItoranhOo, carregaram:
Rendlmentos pblicos
MSZ DI JC5U0
Alfandega
Renda geral:
Do dia 1 a 17 113:388*798
dem de 18 24:215*552
Renda provincial :
Do dial a 17 49 300*045
dem de 18 2:070*990
447:604*350
51:37M035
Somma total 'i,98:97o*38&
Segunda seccSo da Alaadega, 18 de Juiho df
1889. .
8thcsourciroFlerencio Domingi.es.
chefe d-i secco -Cicero B. de Mello.
Recebedorla Geral
Do dia la 17 21.8482150
dem de 18 233*861
22:082*011
Recebedorla provincial
Do dia 1 a 17 126:326*485
dem de 18 839*300
127.165*735
Reeife Dralnage
Do dia 1 a 17 4:425*212
dem] de 18 389*832
4:815*044
Foi arrecadado liquido at hoje 3:720*980
Precos do dia:
Carne verde de 240 a 480 res o kilo.
Carneiro de 720 a 1 -5 reis idem.
Suinos de 560 a 640 reis idem.
farinha de 640 a 800 reis a cuia.
Milho de 480 a 560 reis idem.
Feijao de 1*200 a 1*600 idem.
Hatadonro publico
Neste estaneleciraento foram abatidas para i
consumo de hoje 72 reze3 pertoncentes a diver-
sos marchantes. -
Vapores a entrar
MEZ DE JCLHO
Europa....... Neva............. 19
fcul........... Tamar............ 21
Sal........... Sergqte........... 22
Vapores a sabir
MEZ DE JULHO
Santos e.esc.. Ville de Cnir..... 18 as 4 b.
Buenos Ayres. Nna............. 19 a 11,.
Cear e esc... S. Francisco....... 20 as 5 h.
* Movimento do porto
Navios entrados no coa 18
Cardiff46 das, barca norueguense Speranzi..
de 445 teneladas, capito 0. Andersen, equi-
pagem 10, carga carvao de pedra : aJohns-
ton Pater 4 C.
Island (S. F. da California) 87 dias, barca dina-
marqueza Corana*, d 820 toneladas, capitao
II. Jessen, equipagem lli, carga guano ; or-
dem. |
Cear e escala5 dias, tanor nacional Una, de
268 toneladas, commandante Serafim da Sil-
va, tquipagem 28, carga varios gneros : -
Companhia l'ernambucaa.
Nao houve sahidas.
X
v?


t-.





Diario de PernambucoSexla-feira 19 de Julho dV 1889
&
PERNAMBUCO

fi

CRANDE PREMIO
KODIA. 15 DE DEZEMBRO DE 1889
1. Amiiversiii'io da inauguracao
DO
PRADO DA ESTANCIA
Animaes de qualquer palzDISTANCIA9.5o metros, pesos : 3
annoe 48 kilos, 4 annos 53 kilos, 5 annos ou mais 55 kilos. As
eguas carregarao menos 2 kilos. Os animaes nacionaes carregarSo me-
nos 5 kilos do que o que lhes competir pela idade e victorias obtidas
no Prado da Estancia. A dade para o peso ser contada pela data da
inscripclo.
PREMIOS:
4:000*000 e ama medalha conmemorativa ao primeiro.
1:3004000 ao segundo, SOO&OOO ao terceiro e ao quarto salva a envrada.
Entrada 3200000, sendo 1605000 no acto da inscripcao em de X-
* rubro de 1HS9. c 1606000 em S de Dezembro do mesmo anno.
As declararles de FORFAIT. 1600000 serio recebidas at o dia 7 de De-
?. mbro de 1889.
Recife. 18 de Julho de 1889.
O GERENTE,
Henrique Schutel.
mu
PROJECTO DE INSCRIPCAO
I
>
Para a 29." corrida a realisar-se em 28 de
Julho de 1889
1 .J PAREJO C'onsolaco 800 metros. Animaes da provincia que ainda nao
tenbam ganho nos prados do Recife. Premios : 200(5000 ao primeiro,
40)5000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
2." PAREOi. de falli 1.300 metros. Animaes pelludos do paiz. Pre
mios : 3000000 ao primeiro, 60)5000 ao segundo e 30)5000 ao terceiro.
-i." PAREO Veloeidade 900 'metros. Animaes da provincia que nao tenham
gan^o em maior distancia. Premios: 200)5000 ao primeiro, 405000 ao
segundo e 20)5000 ao terceiro.
4. PAREO Prado Peraambaeano 1.500 metros. Animaes de qual-
quer paiz. Premios: 5000000 ao primeiro, 100)5000 ao segundo e
505000 ao terceiro.
">. PAREOFerro Carril 1.200 metros. Animaes nacionaes at meio sangue.
Premios-: 300)5000 ao primeiro, 60)5000 ao segundo e 300000 ao terceiro.
.u PAREO Derby Club de Pernambuco 1.609 metros. Animaes da
provincia. Premios: 2000000 ao primeiro, 100)5000 segundo e 300000
ao terceiro.
7.* PAREO Imprenta Pernainbueana1.200 metros. Animaes da pro-
vincia que ainda nao tenbam ganbo em maior distancia nos prado do
Recife em 1889. Premio: 200)5000 ao primeiro, 40(5000 ao segundo e
2O0OOOao terceiro.
Observacoes
S serio aceitas para cada pareo quinae propostas. Cada enveloppe dever
onter urna s proposta, e caso appareca mais de urna, s ser acceita a primeira
me for lida, sendo recusada a proposta que nao vier acompanhada da importancia
Ib nHcripcSo. '
Nenhum parco se realisar sem que se inscrevam animaes de tres proprieta-
differentes.
A inscripcao encerrar-se-ha lerea-felra. 23 do corrente as 6 horas da
lile na secretaria do Prado Peruam tucano, ra do Imperador n. 83, 1." andar.
Recife, 18 de Julho de 1889.
Francisco de Souza Res,
GERENTE.
\
INDEMNISADOR1
Cempanhia de Sepros
martimos e terrestres
Kntabelerida em 1855
CAPITAL 1,000:000^000
SINISTROS PAGOS
At 31 de Dezembro de i 88 A
\Iaritimos.. 1,110:000^000
Terrestres. 316:000#000
44Ra do Commercio44
I
SEGUROS
CONTRA FOGO
The Liverpool & London & Globe
n^TSURAITCS CDMFANY
Ra do Commercio n. 3
Compaa te Seguras
CGSTBA F!S:
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
rosifdo Onanceira (Dezembro de 1835J
Capital subscripto 3.000,OCO
Fundos aecumuiados 3.134,348
tteceita anaaal :
De premios contra fogo 577,30
De premios sobre vida 191,000
De juros 32,000 .
O AGESTE,
/A H. BoxiruU.
Companhia de Sepros
AGENTE
Miguel Jos Aires
Jt. fRa do Bom SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestcs ltimos seguios a nica companhia
aesta praca que concede aos Srs. segurados semp-
cSo de pagamento de premio em cada stimo
anno, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 15 por cento em favor dos segurados

Compalria
Imperial
DE
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e mercadoria8
Taxas babeas
Prompto pagamento de prejuizos.
CAPITAL
n. ie,ooo:ooo*ooo
AGENTE
BRO \V*M di C.
N. 6RA DO COMMERCION. 5
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vaporea sobre as cai-
xas do mesmo banco em Portugal sendo
em Lisbfla roa dos Capellistas n. 75. No
Porto, ra dos Inglezes.
ft

iiillIlM M II*
A'REALES AE-SE NO
Da 21 de Julho de 1889
A's 11 horas em ponto
Some
3
S
=
Pello*
>urn
lid.
Cor da veall-
menla
Froprietarios
i' Pareo Connoiaro 800 metrosAnimaes da provincia que nao tenham ganho nos
prados do Recife em maior distancia. Premios: 20M ao 1, 40* ao 2* e 205 ao 3.
Rostock.....
Phebo ......
Calle......
Muscadim ...
Leo........
Marat.......
Ubirajara ...
Bonjour.....
Zambo.-----
lOjPalermo.....
11 Rosa deOuro
12|Patory......
13 Ouro Preto -
Novidade ...
Pisquerrim..
Hhadamaato.
4
5
.-;
4
5
t
5
5
4
3.
I
4
4
I
5
Castanho Pera.
Russo......
Baio........
Pedrez......
Rodado .....
Russo.......
Zaino.......
Castanho ..
Alazao......
Castanho___
Rodado.....
Caxito ......
Castanho
Alazao......
Baio........
53
53
55
53
85
55
55
55
53
55
50
53
53
53
53
55
Grenat eouro.
Azul e branco.
Enearuadoc branco..
Amarello e azul.....
Azul e rosa..........
Encarnado e branco..
Preto escossez e ouro.
Azule branco........
Encarnado e branco..
Azul e branco........
Branco preto e ene...
Dias Pessoa.
Coudelaria 1 de Juii
Joaquim Oliveira
Archel.
C. Ronback.
R. Pessoa.
i. H. Paes Barrete
Cario* A. Barbosa.
F. R. Ramos.
Rodolpio Jayme.
Rodolpho A. d'Araujo
Jos Teixeira Costa.
Jos Cavalcante.
Jos Valente.
Coudelaria Imperial.
Alfredo Marques,
2. PareoPrado da Estancia 1.200 metros -Animaes nacionaes at meio sangue.
Premios : 300* ao Io, 60* 10 *- e 30* ao 3o.
Aymor.....
Mimosa.....
Corcovado...
Recife-.....
Maestro.....
Mandarim...
Minerva.....
Risette.
9lRuy-Blas-
Castanho ... S. Paulo...
Alaz.......
Castanho
Tordilho....
Rosilho.....
Douradilha..
Zaina.......
Alazao......
Rio de Jan.

S. Paulo..
54
46
51
54
54
54
49
56
54
Azul e amarello...
Azul e grenat......
Encarnado e ouro.
Verde e amarello..
Rosa e preto......
Azul branco eenc.
Azul e ouro........
Rosa e preto......
Xemo.
C. A. Fernandes.
Coudelaria Paysand.
anton.
Sydronio I. de Mello.
Coudelaria Cruseiro.

Oliveira* C.
A. Silva.
3." PareoProbldade1.000 metrosAnimaes da provincia que nao tenham ganho este
anno em maior distancia nos prados do Recife. Premios 2008 ao Io, 40* ao 2 e 20* ao 3*.
Elo........
Topy.......
Almirante...
Cyclone.....
Pirraca......
0 Esquirao...
Castanho
Baio.......
Castanho....
Rodado......
Castanho
Rodado ....
Pcrn.
55
55
55
53
55
55
J. Dutra.
Francisco C. Resende.
Rulino Cardse
Simes Barbosa.
F. Floro Leal.
Encarnado e branco.. [Augusto de Miranda.
Encarnado e branco.
Grenat.............
Azul c branco.
4. PareoInternacioaal 1400 metros Animaes da qualquer paiz. Premios: 500*
ao 1. 100*000 ao 2- e 30*000 ao 3*.
Estephanic..
Yanaa.......
Aspasia ...
Fagotin......
Diana----b.
i Castanho
Zaina
Alaz ....
Inglaterra.
R. da Prata
Inglaterra.
Franca ...
52
53
51
57
49
Azul e ouro....
Azul e amarello.
Ouro e branco .
Azule ouro.. ..
F. C. Rezondc.
Nautilus.
Guimaraes & C.
Coud. Internacional.
i." Pareo imprema Pernamttnrana 1.300 metros Animaes da provincia que"
niio tenbam ganho em maior distancia. Premios : 230* ao 1, 50* ao 2 e 25* ao 3*.
General......
Florete ......
Amaury ....
Good -mor
ning.......
Cndor.....
Village......
Tupa.......
Rosilho -.
Castanho-
Alazao...
Rodado.
Baio....
Melado.
Pedrez
Peni.
54
54
51
54
54
54
54
Branco e preto.....
Encarnado c branco.
Azule rosa..........
Preto, ouro e escossez
Grenat..............
Encarnado e branco..
Joaquim D. C. Braga.
Francisco Freir.
Olivio M. P. tarreto.
Rulino Cardoso.
H. Antonio Duarte.
Jos Joaquim Dias.
Jos Mello.
6.8 Pareo -Compeaarao 1 100 metros. Animae? de qualquer paiz que nao tenham
ganho no Derby em maior distancia. Premios : 400* ao p, 80* ao 2* e 40* ao 3.
Josephus. .
Estepbanie-
Vanda......
Brazil.....
Fagotin-----
Gallia......
Minerva. ..
7. Pareo- Ei
Castanho-
Zaina
Alazao...
Douradilha -
Franca. ..
Inglaterra.
R. da Prata
Franca .-.

Inglaterra.
S. Paulo...
60
53
58
54
60
58
47
Ouro u branco.....
Asul eouro........
Verde e amarello- .
Azule amarello
ouro........
Ouro e branco......
Azul, branco e ene.
M. Guimaraes.
F. C. Rezende.
Nautilus.
Coud. Independencia.
Coud. Internacional.
Coudelaria Emulaco.
Coudelaria Cruzeiro.
ilarfto 1.200 metrosEguas da provincia. Premios: 130*000 Ia
30*000 2" e 15*000 a 3'.
Simiramis.
Stella
Coruja
Fada......
Fantina.. -
Castanha.
Zaina----
Rodada...
Castanha
Pera.
34
51
51
48
51
Preto, ouro e escossez
Azul, branco e ene.
Violeta e ouro.......
Jos Cavalcante.
R. Cardoso.
M. J. de Miranda.
Joaquim Pedro.
M. P. de Albuquerque.
Os animaes inscriptos para o 1* pareo devem achar-se no ensilhamento as
9 1|2 horas da manbS.
Os animaes inscriptos para os outros pareos, deverao estjfc no ensilhamento
oelo menos urna hora antes da determinada para o pareo em que tiverem de correr.
Pede-se attencSo dos Srs. proprietarios parados additamentos feitos ao regi-
ment interno do Derby Club de Pernambuco e para os artigos 9, 10, 25 e 95 do
mesmo regiment interno.
O expediente desta corrida encerrar-se-ha sabbado, 20 de Julho de 1889
s 3 horas da tarde.
A venda de paules encerrar-se-ha 20 minutos antes de cada corrida.
HORARIO
l.o pareo.
2." pareo
3.
4.
5. pareo.
6. pareo.
7. pareo.
.
Jareo,
pareo.
11 horas e m
11 e 50
12 e 40
1 e 30 >
2 > e 20
3 e 10 >
4 e >
Recife, 18 de Julho de 1889.
SEGURO CONTRA FOGO
Royal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL 9.000:000
AGENTES
R.DEDRUSrNA&C.
13Ra Mrquez de Olinda13
O GERENTE,
Henrique Schutel- '
S. R. C.
SEGUROS
martimos t m foco
" C onpanhla fheali Per-
aMbucadn
RA DO COMMERCIO N. 38
dade Recreativa Commercial
Suro trimestral em 17 de Agesto
Scientilico aos senhors socios e convidados,
que depois da grande reforma porque passaram
os sales desta sociedade, ticou designado o dia
17 de Agosto prximo para o sarao trimestral.
Pa -ticipo aos senhores socios e convidados
qu a sociedade mandou preparar um terraco
para melhor accommodas&o dos mesmos se-
nhores.
Os convites desde j podem ser. procurados
nesta secretaria.
Secretaria da Sociedade Recreativa Commer-
cial, 18 defam de 1889.
0 1 secretario 1
Aaolpho Mendes Torres
I mmm
SJ
Jo-
Jo-
An-
musmo
51<>747
4{>991
2253(8
180717
180717
memmr----- i. ------
O procurador dos feitos interino
da fazenda provincial, tendo recebido do
thesouro a relacSo abaixo transcripta dos
devedores do imposto da decima das fre-
guezias do Poco da Panella, Vareea e Sao
Lourengo do exercicio de 1886 1887
inclusive o semestr que deixaram de
pagar no ttinpo competente, declara aos
mesmos devedores que lhes tica marcado o
praso do 30 dias a contar da publicajo
do presente editul, para dentro delle pa-
garem a importancia de seus dbitos com
guia da seccllo do contencioso, certoa de
que lindo aquelle praso ser feitaacobran-
ya judicialmente.
Recife, 4 de Junho de 1889.
Pedro Jos de Oliveira Pernambuco.
Relacuo dos devedqres da decima da fre-
guezia do Poco da Panella do exercicio
de 86 a 87 inclusive o 3." semestre que
deixaram de pagar no tempo compe-
tente. .
Estrada do Monteiro n. 79.
Herdeiros di Manocl Fer-
reira A. V'iliaca
Estrada de Agua-fria n. 8.
Herdeiros de Mathias Mu-
niz Telles
Dita n. 10. O mesmo
Dita n. 12. O mesmo
Harmona n. 4, Hermenegil-
do Joaquim de Oliveira Ba-
duem
Sint'Anna n. 17. Hypolito
Martina Gomes Pinho
Rio n. 1. Ignacia Francisca
Pereira
Estrada do Brejo n. 20. Igna-
cio Martins
Estrada do Monteiro n. 51.
Jacintho Pereira do Reg
Travessa do Marques n. 12.
Jesuina Maria da Paz
Estrada para o engenho n. 48.
Joanna B. Alve- Monteiro
Rio n. 21. JoSo da Cmara,
Res
Estrada do Monteiro n. 57.
Jo2o Francisco Antunes ou-
tros
Travessa da Mangueira n. 6.
JoSo Francisco Carneiro
Monteiro
E' do Ayude n. 5. Joao Fran.
cisco do Reg Maia
Travessa do Ayude n. 5. O
mesmo
Estrada de Apipacos n. 11 O
mesmo
Dita n. 13. O mesmo
Estrada do Ayuden. 8. O mes
mo
Dita n. 10. O mesmo
Estrada do Monteiro n. 24.
JoSo Gonyalves da Silva
Montarroy
Estrada do Encanamento*.. 6.
Joao Jos Soares
Dita n. 8. O mesmo
Travessa do Ayude n. 10. Joao
Mximo Brandao
Dita n. 12. 0mesmo
Dita n. 14. O mesmo
Roa-Vista n. 2. JoSo Machado
Soares
Estrada do Arraial n. 26. O
mesmo
Dita n. 26 A. O mesmo
Dita n. 28. O mesmo
Estrada do Monteiro n. 28.
Jlo Manoel da Veiga Lu-
cas
Estrada do Arraial n.6 4. Joao
Mendcboux
Sant'Anna de Dentro n. 2.
JoSo Venancio Machado da
Paz
Dita n. 16. O mesmo
Dita n. 5. O mesmo
Rio n. 17. Joaquim Candido
Ferreira
Poeira n. 2. O mesmo
Estrada do Encanamento n. 20
Joaquim Custodio de Olivei-
ra
Ayude n. 37. Joaquim Ferrei-
ra Al ves
Dita n. 39. O mesmo
Dita n. 41. O mesmo
Pedra Molle n. 6. Joaquim
Francisco de Souza Res
Sant'Ama de Dentro n. 14.
Joaquim Gonyalves da Cos-
ta Lima
Esperanza n. 2. Joaquim Jos
Ribeiro
Estrada do Brejo n. 10. Joa-
quim jdanoel Pereira
Dita n. 4. Joaquim Maximia-
no Pestaa
Dita n. 6. O mesmo
Dita n. 14. O mesmo
Estrada do Cemiterio n. 4 A.
Joaquim Pereira dos Santos
Travessa do Mrquez n. 3 A.
Joaquim da Rocha
Estrada ila Via-Ferrea do Li-
moeirc n 2. Joaquim Tei-
xeira
Sant'Anna n. 8. Joaquim Ro-
za de Sant'Anna
Sant'Anna de Dentro n. 6.
Jorge Jacome Tasso
Largo do Apipucos n. 28. Jo-
s Affonso Ferreira
General A. Lima n. 2 B.
s Antonio ,-'
Estrada do Arraial n. 33.
s Antonio de Souza
Ilha dos Ratos n. 6. Jos
tunes
Becco do Arraial n. n. 1. Jo-
s Caetano de Medeiros
Estrada do Encanamento n.
25. Jos Felppe de Hollan-
da Cavalcantj
Estrada do Apipucos n. 8 C.
Jos do Carmo Paz
Travessa Largo da Casa For-
te n. 1. O mesmo
DitajD. 3. O mesmo
Dita n. 13. O mesmo
Dita n. 15. O mesmo
Dita n. 17. O mesmo
Casa Forte n. 24. O mesmo
Dita n. 26. O mesmo
Estrada da Via-Ferre de Li-
moeiro n. 6. Jos Fernan-
des & C.
Estrada de Apipucos n. 30.
Jos Francisca do Reg
Dita n. 32. O mesmo
Pateo do Monteiro n. 1. O
mesmo
Dita n. 3. O
Dita n. 5. O mesm#
Dita n. 7. O mesmo
Dita n. 9. O mesmo
Dita n. 11. O mesmo
Estrada do Ayude n. 9. Jos
Francisco do Reg Maia
)ita n. 11. O mesmo
O mesmo
O mesmo
O mesmo <
O mesmo
O mesmo
O mesmo
n.
n.
n.
13.
17.
19.
21.
23.
25.
Dita n.
Dir n.
Dita n.
Dita
Dita
Dita
Dita n. 27. O mesmo
Dita n. 29. O mesmo
Travessa do Ayude n. 18. O
mesmo
Rio n. 3. Jos Jacome Tasso
Dita n. 5. O mesmo
Poyo n. 9. Jos Lopes Roza
Dita n. 2. O mesmo
Dita n. 11. O mesmo
(Continua)*
1458'
90299
70-!
902
90-r
95299
902
299
90299
9029'.!
9*2
11015'.
22031s
370191
1101
18059!
2203?
MARTIMOS
207o
610999*^
90299
290318
60239
465499
300999
140879
110169
410398
4-1*499
90299
90299
310048
220318
140879
110159
110159
110159
310618
290759
270899
770499
920998
270899
180599
90299
90299
I
130018
180599
160739
70749
70749
70749
180599
920998
90299
220318
90358
90358
150597
30743
110159
COMPAXIIIA PEB*;ahbi < \ 1
DE
Vavcgao costelra por vapor
PORIOS DO SUL
Maceirt, Penedo e Aracaju'
O vapor Mandahu
Commandante Alcides
Segu no dia do 22 Julho Se
5 horas da tarde. Recebe car-
at o dia 21.
, passagens e
'tarde do dia
140879
610999
460499
180599
90299
300999
140879
0947
180599
220318
370199
180599
180599
180599
180599
220318
220318
140879
300999
300999
dinheiros fret.>,
da partida.
tSCRHTORIO
Companhia
n. 12
Pernambucc%'A
nhia Brasileira de
egacao a Vapor
PORTOSDOSUL
O vapor Para
Commandante Antonio Ferreira da Suva
E' esperado dos portos do norte at-;
o dia ili de Jlho le depois da d< -
mora indispensavel seguir para o
portos do sul.
As encemmendas serao recebidas no trapiche
Barbosa at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
res trata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
Vapor Espirito-Santo
Commandante (.arlos Antonio Gomes
E' esperado dos portos do sui at o
dia 27 de Julho e seguindo depois
da. demora indispensavel para os
portos do norte al Manos.
As encommendas s serao recebidas na agen-
cia at 1 horada tarde do dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
1 andar
co
III A>\
l'ER.VAHRIXAM.4
DE
Kaves;ao5o costelra por
PORTOS DO NORTE
vapor
Parhyba, Natal, Maco, Mossor, Araca-
ty e Cear
O vapor S.Francisco
Commandante Esteves
Segu no dia 20 de Julho s &
horas da tarde. Recebe can at o
,013 19.
Encommendas, passagens e dinheiro frete'
at s 3 horas da tarde do dia 20.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucanu
n.12
Pacific Steam Navigation
Company.
STRAITSOFMAGELLAN UNE
O paquete Aconcagua
Espera -se da Europa at o dia
28 de Julao e seguir depois
da demora do costume para Val-
Jaraso por
e Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di-
nheiro a frete: trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sois k ., Limited
14RA DO COMMERCIO14
Royul Mail Steam Packet
ComDanhy
O yapo* Neva
Commandante G. M. Hicks
Espera-se da Europa at o dia 19 de
Julho, seguindo depois da demo-
ra do costme para
ele, Bahia. Rio de Janeiro
antos. Monte video e Iluenos-
tyrcx.
Para passagens, fretes e encommendas trata-
se com os AGENTES.
O vapor Tamar
E' esperado do sul no dia 21 de
Julho, seguindo depois da demora
necessaria para
Lisboa, Viso, Nouthampton e
Antuerpia
Reducco de passagens
Ida Idaevola
A' Lisboa i classe 20 t 30
A" Southampton classe 28 t 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
com os
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
140879
140879
Barca allema Fritz Schmidt
0 capit&o Andr Schmidt, da barca allemS
Fritz Schmidt, entrada n'este porto por arribada
forcada, em sua viagem de Montevideo para
Hamburgo, precisando descarregar seu carrega-
mento, consistindo de 556 toneladas de (Unza de
OS80S, sabugos e chifres, recebe .propostas para
este fim em cartas fechadas no Consulado Ger-
mnico, at meio dia do dia 20 de Julho do cor-
rente.
Os proponentes devem declarar as suas pro-
postas o prego por tonelada tirada de bordo
sua custa, armaienando em trra e reembarcan-
do para bordo do mesmo navio.
i V-
I t"
i

I

r^
T^
I-
I

- _





oambucoSexta-feira 19 de Julho de
ihiaBahi
* Vapor
Macei, Villa-No^, Pnelo, Araca-
j, Estancia e Baliia
O vapor Sergipe
Ceunmandante Rebollo
E' esperado do:i porto cima
at o dia 22 do corrate, e de-
rpois da demora ncccssaria re-
fcgressar para os mesmos
... a c; i. passagens, encommsndas e dinhei
ro a frele trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Crqueira
17Ra do Vi gario 17
AYISOSlVE
Rio de Janeiro, Rio Cirande do
Sal, Pelotas c Rorto-Alegre
O vapor inglez Cometa
^ i E* esperado dos portos do sul
at o ilia 21 do corrente, seguir
Sara os portos aiima indicados,
epeis de pequena demora.
Para carga, eneommendas e p;.s ageiros, tra-
ta-se comios
CONSIGNATARIOS
Pereira Carneiro &.C.
6RA DO COMMEKCIO6
! andar
Alu-
Belm n3. 28, 22 e 16, a 10*000 mensaes, estao
limpas, tera quintal e cacimba ; a tratar na ra
da fmper. _______
Aluga-se o sobrado n. 4t> a iu,. da Roda
com bon&eommedos milito fresco, bem como
os dous pavimentos terreos ; quem os pretender
dirija-si ra do Cabuga n. 16, loja da Veutu
rosa.
Alugu-se o 2 andar e sota da ra de S
Jorge n. 120, com agua e gaz ; a casa terrea n.
122, com agua e gaz : na mesma ra n. 131,
taverna.______________
Sj- Aluga-se a loja com dous quartos e por-
tao, ruatstreita do Rosario de Santo Antonio
n. 38, e a casa terrea n. 9 a travessa de S. Jos :
a tratar ein Fora de Portas, ra do Pilar 0- 56.
Pergunta-se ao Sr. Francisco Raposo Fal-
tlo, 3- oflicial do Correio, se mora narrada
Gloria u. 142, conforme iisse, parece que nao.
C3 Viuvado portuguez Bernardo Jos da Silva
Guimaraes, que foi negociante a vinte anuos
passados, na ra Bario da Victoria, antifa ra
Nova, precisa se fallar com essa senhora na ra
Duque de Caxis n. 50, sobre negocio de seu
proprio interesse.
Xa ra velha de Santa Rita n. 89, precisa-
se de urna ama para comprar, cosinhar e mais
serricos domsticos de casa de pequena fami
lia.
wsmsfssssm
Este
LEILOES
Sexta-feira, 19 o da loja de Allaiate da ra
Nova n. 59, espolio do subdito portuguez Emilio
Soares.____________________
Sabbado 20, o" dos movis, quadros, es
louca, cristaes c mais objectos de .
to da casa em que residi o mesmo
res-
RIADO
Leilo
Precisa-se de um criado,
nerjor de 14 annos. no 3o an-
do predio n. 42 da ra
uque de Caxias, por cima
typographia do Diario-
Criado e copeiro
*De bons movis e
Sendo:
Urna mobilia de junco, 1 di!i
pares de jarros, 2 ditos de etage
francezas, sendo urna envemisada _
morquezes, 1 cabido de columna 1 l
rede. 1 meia-commoda de amarillo; l'A.
louca, 1 espelho oval, 2 aparadores, 2 lavaf&V.,,,
de amarello, 1 mesa de jantar, cadeiras para
sala de jantar, copos, clices, garrafas, compo-
teiras e outros muitos movis.
Sexta-feira 19 do corrente
A's 11 horas
No sobrado n. 25 a ra do Imperador
O agente Martins far leilo K>r ordem de
urna familia que se retirou para o sul dos mo-
vis c mais objectos existentes em dito sobrado
Ao correr do martelJio
No sitio n. 5 da estrada de Joo Fernandes
ieira precisa-se de ura menino de 12 a 14 au-
tos, para o servigo de criado c copeiro.________
Vende-se
urna casa t^rra em boa localidade, no bairro da
Boa Vista, e urna parte no engenho Desterro,
freiruezia de l^uarass; a tratar com o Sr. te-
nente Evaristo de Souza, ra do Socego.
Caixeiro,
Precisa-se de um caixeiro com alguma pratica
de taverna, de 14 a 16 annos de idade ; na ra
de Paysand n. 33 C.
Leilo
De fazendas, roupa feila, botes. armaces, co-
fre, espellios, candieiros gaz e movis.
Como sejam :
Urna armaco envidracada e envemisada, 2
balces, 2 lustres, registro e eneanaraento a gaz.
Duas armacOes inglezas, 2 espbos grandes,
8 quadros, 1 mesa redonda com pedra, 1 secre-
taria, 1 burra prova de fogo, 4 rcbides grandes
para roupa, 2 mesas grandes, 2 estrados, machi-
nas de costura, 1 vitrine, 1 lustre com 3 bicos, 1
espelho de columna com 3 faces, 1 reposteiro, 1
repartimento de escriptorio, 2 braros gaz, mo-
chos, cadeiras, outros movis e 1 rolo de ence-
rado para forro de sala (novo).
L'm variado sortimento de casemiras, roupa
feita, cortes de casemira, botOes e linhas, e ou-
tros artigos.
Sexta-feira, 19 do corrate
Em um ou mais lotes vontade dos compradores
Na loja de alfaite da ra Barao da
Victoria n. 59
O agente Pinto levar a leilo por mandado e
em presentado Exm. Sr. r. juiz de direito de
orphos e ausentes, em virtude do requerimeuto
do cnsul de Portugal, a armaco. fazendas, mo-
vis e mais objectos da loja de alfaite da rua Ba-
ro da Victoria n. 59. pertencente ao espolio do
subdito portuguez Emilio Soases.
Garante-se a chave da casa ao arrematante da
armaco.
O leilo principiar s 11 horas em ponto.
Em continuaco
Ler
ao
.
De bons movis, crystaes, ricos quadros, objectos
de Biscuit, livros e joias.
Um divn e 2 cadeiras estufadas, 2 mesas de
bano, 2 etageres, 4 cadeiras de balanco, 12 de
guarnico, 2 consolos, 4 lindos vazos japoneres,
1 dunkerque com um espelho grande, 3 cande-
labros de bronze.
Urna estante envidracada ile madeira fusca,
com floroes, 1 commoda de Jacaranda, 1 toilet, 2
guarda-roupas.3 pedras-para consolos, jarros com
paisagens, 6 estatuas, cortinas de damasco, 4sa-
nefas. 2 reposteiros, tapetes e jarros.
Diversos diccionarios, livros, atlas e globos
geographicos.
Um relogio remonloir, 1 cadeia de ouro, alfine-
tea, broches, botes e outros objectos de ouro.
Lindos quadros a oleo 1 mesa clstica, 1 guar-
da louca envidracado, 2 apparadores, 1 quart-
nheira, 4 etageres. quadros finos ;i oleo, appare-
lhos cbinezes para cha, capos, clices, fructeiras,
1 lustre, 2 candelabros, 4 etageres, quadros oleo,
2 candelabros artsticos, 1 piano, 1 apparelho
chinez, 2 reposteiros, 1 porta licor, 1 fpupo^h.
salteadores, flexas indgenas, e 1 lustr, e mui-
tos outros objectos d\apurado gosto.
Sabbadpy 2^,do corrente
No Io andar do sabrado ak\ix das Flores, no fon-
do da loja da rua Barao da Victoria n. 59
O agente Pinto levar leilo em continuaco
os bons movis. rico3 quadros, objectos artsti-
cos, livros, joias e mais objectos pertencentes ao
espolio do subdito portuguez Emilio Soares,
existentes na casa em que residi no Io andar
3ue d para a rua das Flores, no fando da loja
a rua Nova n. 59.
Os referidos objectos tornam-se recommenda-
veis por serem de apurado gosto, e se acharem
em ptimo estado de conservaco.
O leilo principiar as 10 1/2 heras em ponto,
por serem muitos e differentes os lotes.
Leilo
Para liquidar
Na loja de miudezas da rua di Impcratriz
n. 82A VENCEDORA-
CONSTANDO :
de urna importante armaco de amarello toda en-
vidracada. V mostradores para portas, balco,
carteira, armaco ingleza, 1 bonito lustre de cris-
tal para gaz, arandellas, registro, encanamento
de chumbo, um variado sortimento -de miude-
zas, plico, re:das e bicos de cores, bicos de vi-
drilhos, l para bordar, espelhos, abotuaduras de
ouro romano, bengalas,' colarinbos de linho,
gravatas, punhos, calgado, escovas para cabello,
pentes de bfalo para alisar, uro grande sorti-
mento de perfumadas e outros muitos artigos
que se veudoro em lotes para chegar para
todos.
ftegunda-felra 99 do corrate
A's 11 horas
O agente, Martius, autorisado pelo proprietario
da 1' ideas da rua da Impcratriz n. 82,
que se a^ra definitivamente do negocio, far
o dSKnzagao e mercadonas da referida
loja.
e retira lote algum, pois a liquidacao
definitiva.
Garante-se a casa ao comprador da armaco.
Os amigos dobom e barato aprovei-
tem o qneima
. 4ttenco
O grande e imporlantc estabeleamento de
Po<;as Mendes A C, sito rua estreita do Rosa-
rio D. 9, o i.i^uo a igreja, acaba de receber
urna grande reraessa do acreditado e epecial
Vinho Maduro
O nico que, sema mnima coafeccilo, l,-
poi tado neste mercado, e s se vende no referi-
do estabelecimento. Este precioso nctar se
torna cada Vez mais procurado aqu. Querera
saber porque ? Vejam : o vinno Maduro, sendo
como c, feito nicamente da uva madura, tem
as seguintes vantagens que as ou/ras qualidades
de vinho nao tem ; facilita sem a menor pertnr-
,.s digestes dd estomago, anda me.mo
o mais eiifraquecido, dando-lhe vigor, pois nutre
aolhos vistos as pessoas debilitadas, e d forcas
s que as tiver arruinadas pelo uso de bebidas
viciadas.
Recebemos tarabem
Requeijao
em latas, de procedencia de engenhos, cujos
propri^larios ca'pricham em bem trab: Ihar neste
artigo, afun de terem a primazia sobre tantos
outros similares, cuja composico duvidosa.
Em outros artigos como smentes de hortalica
e flores, lingaas seceos do Rio Grande, objectos de
time e timonees do Porto para homens e senio-
ras, para isto to pooco temos competidor. A
aossa casa especialista, e as pessoas que disto
se queiram certilicar podem comparecer, com
o que muito nos honraro. Aps urna infini-
dade de artigos de primeira ordem, que acham-
se em exposico, acresce a amenidade do trato
com que" timbramos tratar todos os que nos
houram com a sua preseoca, junto a modicidade
de preces sem rival.
Ba CNtreita do Rosario n. 9, junto
a igreja
Po^as Mendes & C.
Roda (Tagua
Compra-s urna roda d'agua em bom estado,
de 24 a 30 palmos ; a tratar na ruaJDireita nu
mero 106._____________________________________
Ama deleite
Precisa-se o^e urna ama de leite; na rua Au-
gusta n. 179.
gipio
Constantino de S Brrelo
Convida-se este senbor a comparecer rua
do Bom Jesu^ n 23, para prestar contas das co
brancas que fez no termo de'Agua Preta em
Marco prximo passado.
Atten^o
Pede-se ao Sr. subdelegado da freguezia da
Boa-Vista que lance suas vistas pira urna sucia
de vadios que se rene nos quatro cantos da
rua Velha, de manna a noite, com palavradas e
disturbios, iacommodando os visinhos e os com-
merciantes, c at os transitantes que por alli
passam.
Urna familia.
Ahiga-se
na rua Direita n. 45, as casas ns. 40 rua de
Aguas Verdes, e 5 travessa da Pyndoba, am
bas limpas, pintadas e caiadas.
^osinlieiro
Precisa-se d*^m ; a trtetar rua do Com-
mercio n. 44, cscrtptofio'.',
Vende-se
urna das melhores tavernas rua Mrquez do
Herval. tem pouco capital ; a tratar na mesma
rua n. 143. padaria F.z se qualquer negocio.
P E I T O!
ACffi!nltrando OUrlamenU um lnjecco
soboutanga com o ccmteudo d nma eeriga
de Prv4z (modelo Xa Braaf beta de
BGlLYPTIHAtEBRll
CUBA.-SK
a Tsica, aa Rvnchlte*
Caiarrhmm pulmmmare
A amJj*tla to contm morptiiD*
LE BRUN, Phirmaceut!^-Qilmjea|
rama, so oa t-nbooro hommi
47.1 LmayfM.l>AW^
Vsntim*. UE-Liaflsr.
r IQIDAC10
das Estrellas
. e de xis-58
Tclephone n. 9lo
bem conhecido estabelecimento acaba
de passar por urna grande reforma,
sende ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
de serem despachados todos os seus
freguezes com mxima brevidade
possivel, resolveu fazer grande II-
qnldaeSo de todos os saldos que
ficaram de balango, por menos
50 [. do seu valor, cujos artigos
passamos a demonstrar :
Artigo de Ici
Esguiao, peca, a 3$500.
Madapol&o com um metro de largura de
143 por 70000. J
dem idem americano de 8$ poro^OOO.
AlgodSo marca T, especial, muito largo,
de 70 por 50000.
Bramantes, pegas, por 70000.
Atoalhados, lindos desenhos, duas largu-
ras, a 10 e 10200 o metro.
Guardanapos de 40 por 20000 a duziu.
Estopa de linho para bordar a 500 o me-
tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 10500 o dito.
Lencos brancos e com barras de cQr a 10,
e 10200 a duzia.
Toalhas de fustSo, qualidade superior,a
30 e 40000 a duzia.
Cretones para coberta a 240 rs.
Colchas acolchoadas, brancas e de cores a
20000.
Lengcs de bramantes a 20000.
Chales escocezes a 10000.
E outros muitos artigos que deixam de
ser mencionados e que se vendem com
igual abatimento
Tecidos de alta uovldade
PARA VESTIDOS DE SENHORAS
Linhos pardos para tvestidos a 300 e 320
Sedas com quadros e listras de 10800 ppr
800 rs.
Sctins de seda, todas as cores, de....
10200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores,} de 500 por
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e. 80 rs.
Nonsuks, desenhos novos de 240 por
120 rs.
Cretones claros c escuros com lindissiraos
desenhos de 440 por 240 rs. 1.800
PE^AS!
Merinos de quadros, grande variedade de
padrSes, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
peclir.cia !
FustSes de cor, de quadros e outros dse
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs
Sedas Felippinas, de 500 por 200 rs.
E muitos outros tecidos para vestido,
em algodSo, linho, la e sedas quo se ven-
dem como o mesmo abatimento de 50 t.
Confccco
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de 800 por 250 e 300.
Ditos para armar de 60, 80 e 100.
Ditos brancos bordados cm cartao, alia no-
> vidade a 80 e 100.
Guarnigoes de colariuhos e punhos para
senhora por 10 o 10200.
Capotas (preparadas na corte) de 200 por
n e 100
Gollinhas e punhos para menino de 3 a
8 annes.
Vestuarios e roupinhas para criancas, per
50, 60, 80 e 100, e Jersey, casemira e
de briin.
Saias bordadas a 20 e 30.
Enxovaes para baptisado com collares ele-
trieos por 50. *
Luvas de seda meio brajo e qualquer ta-
manho a 10500 o par.
dem idem de Escocia a 10 e 10500.
Sobretudos impermeaveis de borracha d
700 e .800, por 300 e 400.
Capas e pellerinas de cachemiras ottoma-
na ricamente enfeitadas de vidnlhos a
250 e 300.
dem idem de renda, seda, damasco e
gurgurSo, tanto para phantasia como
para commodidade a 3S0 3 400.
Velludos de seda e algodSo de muitas co-
res.
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de seda, algo-
dao e linho, com um metro de largura.
Setins Maco de todas as cores a 750 e
800 rs.
E muitos outros artigos de confecco"es
como sejam mantilletss de blonds, sahidas
de bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muitos mais, que se ven-
dem com o mesmo abatimento de 50 \.
Para homens
Casimiras inglezas com duas larguras, de
30500 por 102O(^
Ditas cor de caf& azul, de 20500 por
800 rs.
Cortes de seda para collete, de 120000 por
30000 e 30500. *
Ditos de velludo e fustao a 10 e 10200.
Meias inglezas com fo de seda, de 120
por 60000 a duzia.
Paietots,. de 70 por 40000.
Camisas com um pequeo toque de mofo
a 10600 urna.
Collarinhos, modelo moderno, a 50000 a
duzia.
Camisas inglezas com collarinhos .e pu-
nhos, sem collarinhos e sem punhos a
360000 a duzia.
Brins pardos de linho a 240, 280. 320,
360 e 400 rs.
Dito branco de linho n. 6 a 10200 a vara.
Lindos cortes de casimira ingleza, de 60
80, 100 e 120 a 40, 60, 80 e 100000.
Sobretudos impermeaveis de borracha, para
homens, de 700 e 800 por 300 e 400.
Ceroulas frajicezas, de 380 por 240OO
a duzia.
Paietots de seda, completos de feitos d
casemira, malas para viagem, e boleas e
tapete e um completo e varadissimo sor-
timento de cheviots, casimiras franceaaik
inglezas, pretas e de cores de padrSes in-
teirameate novos e que se vendem com o
mesmo abatimento de 50 r0 de seu valor.
Re tainos
Aproveitem a grande quantidade e
pelos grecos, em sedas pretas e de cSres,
gorgorSes, setins, las, merinos, ephyroaJ
Gnhos, chitas, madapolSes e algod&osi-
nhos.
E muitas outras pechinchas que s se
encontram na
Loja das Estrellad
56, 58Hua do Duque de Casias56, 58
nmmt
REDUCCO DE PRECOS
21-RUA 1)0 CRESPO-21
OLVEIBA CAMPOS & ft tendo d receber bre-
vemente um sortimento e artig-os novos de alta no vidade, resolveram
fazer urna g-f ande reducto nos presos dos artigos abaixo menciona-
dos, para os quaes chamam a attenc,o das suas Exmas. fregnezas.
a "bref ravestido padroes modernos a 160 rs. o covado.
Cretones francezes, cores claras, a 260 rs. o dito.
Merinos de efires, duas larguras, a 500 rs. o dito.
Ditos de cores, lavrados, de 20000 a 10000 o dito.
Las de cores, desenhos de cachemira, de 900 a 600 rs. o dito.
Merino de quadros de 320 rs. o dito.
FustSo branco de 400 e 500 rs. o dito.
Mursolina branca para cas&cos & 500 rs. o dito
Zephir de c6r, listas e quadros a 500 rs. o dito.
Ditos arrendados, lindos gostos, a 600 rs. o dito.
Ditos de listas arrendados, alta novidade, a 800 rs. o dito.
Etamines arrendados, de cores, de 800 a 500 rs. o dito.
P16r de Italia em quadrinhos, a 500 rs. de 900 rs.
Mursolinas de.cor, de, listas, a 400 rs. o dito.
Cortes de cambraia bordados transparente e tapado, de 150000
e 200000 por 90000 e 120000 cada um.
LmSo, padrees em quadros, a 440 rs. o covado.
Nanzukes padrSes mimosas, de 280 rs. o dito.
Percales miudinha se pannos finos, a 200 rs. o dito.
Merino preto tino, de 20000 a 10000 o eovado.
3etim Maco de todas cSres, a 900 rs. o dito.
Brim fino pardo para vestido, a 400 rs. o covado.
Cambraia Victoria transparente, fina, a 30000 a pesa.
Mantas hespanholas, de seda preta 30000 urna.
Espartilhos, o que ha de melhor,. de 40000, 5000, 60000
70000 um.
FIchs de cor arrendados, de 10000 um.
Capin hs hespanholas de cor a 20000 urna.
Fichs de seda, muito lindos, a 30000 um.
Sargeli m diagonal, todas as c6res? a 240 rs. o covado. j|
Casacos de cambraia branca bordados, a 30000 e 4000 o par,
Luvas de seda, todos os tamanhos, de 20000 a 30000 um.
Lenges de linho do Porto, a 40000 um.
Ditos grandes para cama franceza, a 60000 um.
Colchas de cor, de 20000 a 50000 urna.
Fichs, sortimento completo, de 20000 a 60000 um.
Lencos de linho com barrinha a 20000 urna duzia.
Camis.-is francezas, de 210000 e 360000 a duzia.
Meias cras para homen, de 40009, 50000 e 60000 a duzia.
Ditas brancas cras e de cores para senhoras.
Ditas brancas cras e""de cores para crianzas.
Chambres de cretone, de 50000 e 6-5000 ura.
Cortes de casemira de cor, de 60000 a 80000 um.
Cortes de fustao para collete, de 15000, 10500 e 20000 um.
Camisas inglesas de franella, la pura, a 50000 urna.
Alm de outros artigGs que deixamos de mencionar.
21-Rua

M. T. A. S.
, Pede se a este senhor que appareca para cum-
prir com a sua promessa. ja hoje pode fazel-o,
e se nao o fizer.....
Experimentae
A bronchite e a coqueluche curam-se
maravilhosamente por meio do Peitoral de
Cambar, que se vende em casa dos agen-
tes Franeisco Manoel da Silva & C. e em
todas as boas pharmacias e drogaras des-
ta capital.
Experimentae !
Engommadeira
Precisa-se de urna engommadeira; na rua
Mrquez do Herval n. 63. Paga-se bom salario.
Barao d* Kerinbem
A Baroneza de Serinhem ainda sob a pres-
so da acerba dor pelo pnssamento de sen sem-
pre iembrado esposo o Baro de Ssrinhaem,
agradece a tedas as pessoas que acompanbaram
os seus restos mortues ultima morada, e de
novo convida aos seus parentes e amigos para
assistirem algumas missas que pelo repouso
eterno de sua alma manda celebrar no dia 20
di corrente, pelas 8 horas da manh, ras igre-
jas de S.Pedro dos Clrigos e matriz desfoga-
dos, stimo ,dia de seu fallecimento ; nnteci-
pando desde ja seu sincero* agradecimento c
eterna gratid&o por este acto de rcligio.
Baro de Sertnbem
0 Barao de Utuiga, sua mulher e lilbos man-
dam celebrar urna missa na matriz da Escada,
no dia 20 do corrente, s 8 horas da manh,
stimo' do fallecimento de seu prezado prente,
Barao de Serinhem, e convidam a todos os seus
parentes c amigos para assistirem a ese acto
de religio e caridade, e desde j se corrfessam
eternamente agraderidos.
t
Anua Rodrigue da Cosa
Trigsimo dia
Abilio Rodrigues de Almeida e sua mulher
Virginia Clotilde de. Almeida, tendo recebido do
reino de Portugal a dolorosa noticia do falleci-
mento de sua prezada mfti e sogra, Anna Rodri-
gues da Costa, convidam a todos os parentes e
amigos para assistirem a missa que mandam re-
zar pelo seu eterno repouso, a qual ter lugar
no da 19 do corrente, na igreja do Corpo -an-
to, pelas 7 horas da manhS. Desde j anteci-
pam os seus a Tadecimentos.
GRANDE NOVIDADE
lsjacia s mmn
ES-C2IT3
48RUA BARAO DA VICTORIA48
Veaham ver para crer
Para criado
No sitio n. S da estrada de Jo5o Fernandes
Vieira se precisa de nm menino de 12 a 14 an-
uos, e que entenda o'e(servico de copeiro.
Sil va
Grande valsa para piano, composta por Caro-
lina da Silva e recentemenre publicada ; acha se
venda na casa edictora. L1VRARIA FRANCE-
ZA, rua 1. de Margo n. 9.
mis so sssmnsico
DORES E DeDENTES
PREPARADO NICAMENTE
POR CALASANS & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheuma-
tismos. inchacoes, dores aciaticas, nevral-
gias, dormencia, "etc., empregando-se em
fomentasoes sobre os lugares affectados
Cura o beri-beri, as paralysias e as dores
de dentes.
Todos os frascos levam direccoes para
uso d'este medicamento admiravel.
Preco 1^200. Descont de urna duzia
em diante..
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C. rua
Mrquez de Olinda n.23
Mudanza
t
Feliciano Marque* Vianiin
Leonilla Rosa de Gusmo Vianna, sua m5i, ir-
mos, cunhados e sobrinhos agradecer a todas
as pessoas que se dignaram acompanhar os res-
tos mortaes sua ultima monda de seu serapre
Iembrado esposo, genro, cunhado e tio, Felicia-
no Marques Vianna, e de novo convidam aos]
parentes e amigos para assistirem as missas q~
mandam celebrar na sexta-feira 19 do corren
stimo do seu passamento, as 1 horas da raanha,
na igreja de N. S. do Terco, e desde ja agrte
cem por este acto de religio e caridade.
t
Barao de Se*iniei
Sabbado 20 do corrente, missa a/6 1/2 horas
da manlia, ni. igreja de S. PedroiMartyr. em
Otinda, porihn qo ijtustre finado. Rogamos
s pessoas carido adre Nokso e Ave Ma-
a pelo descauso eterno do BarSo ile Sennhiem.
Coronel ARO(inb/Be*erra da
SHia CavaM-anle
C. R. G. J. manda n***;-,2 do Mrente, s 8
horas da manha, na V Ide N. S. da Concei-
go dos Militares, celefci^#uma missa no stimo
annivereario do falleWmelto do coronel Agosti-
nbo B,rra A> Slll"^iiMnatfti
BEDU.-FRERES
CoiislFcores a Hasii, Fraa^i
Representado por EmfHo Bil-
lioffi, eBgcnheiro mechante
(PERNAMBIJC<
Assentamento completo plkra genhos cen-
traes e l.'zinas pelos processos os mais aperfei-
goados.
Moendas e represso mnltipla.
Corte-cannas vertical, saema Redu.
Diffujo, circular e rectflmha, dito Bedu
Diffaao continua do bagaco dito Perret.
Fornos para queimar obagco da diffusao.
dito ed.
Filtros mechanicos a liltrago mltipla.
Turbinas centrifugas (economa, limpeza e
trabalho rpido). *
Em geral todos os apparelhos os mais moder-
nos e os mais aperfeicoado para o fabrico de
assucar.
N.B.OSr. Emilio BiUon fazendo urna via-
gem de 3 mezes naEuropa, durante a sua au-
sencia dirigi as cartas e pedidos a casa Bedu
Frres aflam, que foraecer plantas, orcamen-
tos etc., e por qualquer negocio urgente infor-
mar-se ao Sr. Eugene Chalne; 24 rua do Com-
mercio, Recife.
REMEDIG)S>
Llffit
Popular Fr,WQA, ni tERICA,
M.noJSAZ/I,
onda s3o autorizados p;.i Junta dd Hy3tie I
.^^-,>'\j,.->->j\^-fc-,
aielcafo 2Jevu;-a:iva e E-
coostitobite ndadel
I > Dacalo, c 1
w t arar cm pouco tu:n,)0.,
cao ;,> usa rpidamente
oies vise >Sos vi-
un is:
[cao tuipede!
as re
_
ii a8BiflS,ci>sad
BfvPm lmoale nas -isci
t Carnica.!.
:le. coc-
c-jc-siias
53rr*raato oonceotmo dos Retns-
, libelaos ^Odoni; -
r&| pan as ]ii>.=s6as que ttverem repu-
" di:. iiuidOS. i
,^-i*n^fnTn
S5-> infaUlv is contra : Asihtnct,
Cataiflw, Guia, liheuinatir.mo,
TnuiorcH, VleentNt Ferda tio
h appetit*,Fcbre*, CengasiSe*, yio-
*\letaK ilo Plgaito. Zmi>jen,
W ypr:nflliiilea. Xtonofi'i"a, etc.
qualquer protnctoaa ato t'v.-r n.;.T-i;oda
Phc,a C0TT1N, gente do St. Le Roy
ffl Rua do Seine, 51, PARS S
t
cnposrro eii todis as fii.emacia3
Jos Gomes de Amorim faz publico, e com
especial idade aos seus ajnigos e freguezes, que
desde o dia 26 do mez prximo passado, mudou <.
a sua fabrica de leos vegetaes, do predio n I6irl
da rua da Aurora para o de n. 163 da raesmal I
rua, aonde o respeitavel publico o encontrarail
sempre prorapto a satisfazer todo e qualquer '
pedido com toda sua fidelidade e prestesa; po-
dendo a qualquer hora serem as encofnmendas
dirigidas para alli; sendo o n. 33 o do appare-
lho telephoaieo de seu estabelecimento. Recife,
l de Julho de 1889. __________
Atten^ao
Urna fmula se encarrega de fornecer comida
para lora por mdico prejo, e garante-se a bon-
dade da refeicao, pois tem os melhores acepipes
para .satisfazer o mais exigente paladar, e bem
cqmo encarrega-se de lavar e engommar cora
Mirfeiio ; a tratar na rua Direita n. 99^
G. LAPORTE
C ommissao-importaQao
REPRESE5TAC AO DE FARRICAS
Rua dan Flores n. So
rmazem
(Enlrada pela ruaBarSo da Victoria n. 4i)
Faiancas de H10. Boulenger & C.
Papis de Lanche Joubert & C.
Pianos de Pleyel.
Porcelanas de Hache Jullien & C.
Bicos, readas e cortinados de Edw. Steeg-
mann & C.
Drogas da Pharmacte cntrale de France.
Azulejos de. Fourmaintraux Courquin.
Conservas de Lomt Frres & C.
Vinlios de Bordeanx da Association Vi-
nwoie.
Cachimbos de Irge Pre. Fils & David,
Cognac de tleorges Seguin & C.
vi:iros de C. le Blanc.
Crystaes da Q-istallerie deseles (Landier
& Hondaille).
Capsulas para frascos. e garrafas, de A.
Betts <- C.
Frascos, vasilhame para pharmacias e per-
fumistas de Berln Tissier & C.
Armaces para sellins. esporas e materiaes
para selleiros e fabricas de carros, de
Fichet Frres, etc., etc., etc.
As ujercadorias veem directamente das fabri-
cas para os clientes, sem commisso, e pelos
precos da fabrica.
Concedem-se os prazos nsuaes sem augmento
de juros ou nutra qualquer despesa.
COMMISSO : Recebem-se eneommendas de
qualquer outro artigo, em commisso.
20Rua das Flores20

Queris curar-vos ?
Se queris curar-vos da vossa tosse ou
da vossa rouquidao, tomae o Peitoral de
Cambar, que ficareis logo curado.
Os agentes,
Francisco Manoel da Silva & C.
O MICROBIO
DA
Blennorrhtgia
6 radicalmente aniquilado pelo emprsgo a
DJECOOCDET
DEPOSITO GERAL:
AX7S, noolermra Seala, 7, aASU3
Wf a No.:a que strrt do ombrulho a esdz
ridn dt JnJep eniltoi ca itits u frtaniM ftamida n Brufl.




I

s
I
Diario de PernambucoSeita-feira 19

ERLAIN DE PA
_____*** PERFUMARA DE LUXO, Bug ie la Paz, 15 *
PHOSPHATINA FAL
JUNTO AQ LOUVRG
E'ON. 20
Tedies para leslidos
Cuabraia Victoria a 25800 a peca
Batiste finas a 240 rs. o covado.
Fustio Lranco lavrado a 360 rs. o corado.
Setim do Japo a 240 rs. o covado.
Cachemira d a 15200 o dito.
Las A;: a 4u0 rs. o dito.
Merinos fis< s dv.;s largaras a 440 rs.
Gazes arrendada a 500 rs. o covado.
Chitas percales a 2D0 rs. o.Jfto
Metins de qnadro a 300 rs. \ lo.
Crotones claros a 240 rs. o dj^V
Rendas hespanholas a ^OOiJTOKtO.
Setim M&co a 800 rs. o dito.
Popelina branc a 8G0 e 1)00 rs. o dit>>
Setlncta blanca lisa e lavrada.
Merinos pretos (baratissimos).
Toile pardo a 360 o 400 rs. o covado.
Cachemiras lisas a 1?J200 o covade.
Cortes de vestidos em cari
Cachemiras de quadro a 280 rs. o covado.
Velbutina preta a 640 rs. o diio.
Crep preto (ingles) *a 2-$000 o dito.
10*.
mm
Premios da locrla fnieira
1 premio de.....00:0003
1 i ....... 50:0000
t .....12:500*
Artigos para bome&s
Cortes de casemiras, a 6*J 7$, 85 e
Camisas allemcs a 366o0 a duzia.
Paletots de alpaca preta a 4^500.
Regatas de'ercs a 1* e 1*500 e 2*000.
Paletots de seda palha a 75500 um.
Ceroulas de bramante a 155000 a lazia.
de cores 455C.
Camisas de flanean a 45500 urna.
Giiardap para homem a 6500.'.
Sobretudo de panno piloto.
Ueias inglezas a 55000 a duaia.
Mcias finas da Escocia a 15500-O par.
Lencos de Hnho a 5*000 e 6000 a duzia.
Csemira em certc para temos.
Chevioth preto e azul a 4*000 o covado.
Casemia diagonal a 25000 o dito. ,
Brim branco, todos os nmeros.
Brira de linho, de cores, a 15800 a vara.
Duble-capas de panno. I T?~
Casemiras pretas e de cores. 12052 premios no valor de
Bolsas para viagens. \ ^
Approvado pelo Exm. Sr. presid
2 a
6 < c .
10 < . .
2 approximacoes de
2 <
2 I f
-9 Dcz. do 1. prem.
9 c c 2. a
9 3." <
99 2 fin 1." t
99 2. C
900 Una. 1. <
900 c 2. c
5:000*
2:5005
1:5005
2:5005
1:5005
7505
7505
5000
2505
2505
2505
10:0005
15:0005
15:0005
5;0005
3:0005
1:5005
6:7505
4:5005
2:2505
24:7505
24:7505
125* 112:5005
1255 112:5005
Capellas para noivas a 75000 ama.
Baleias forradas a 440 rs. a duzia.
Luvas de seda a 25000 c 25500.
Bicos preto de seda.
Toalhas para baoho a 15500 urna.
Cobertores de la a 15800 um.
Bicos de cores a 25000 e 25500 a peca.
Guardanapos de linho a 2*200 a duzia.
Baleias pretas a 240 rs. a duzia.
Arcos cobertos a 140 rs. o metro.
Colchas de cores a 15800 urna.
Guarnicao de crochet a 75000
Panno da Costa a 15000 e
vado.
-Toalhas felpudas a 450'0 a duzia.
Costmes para banhos salgados.
ARTG0S DIVERSOS
Colchas de fustao a 35500 um.
Algodao branco a 35200 e 45000 a pea,
Colchas de crochet a 65500 ura.
Coletos de flanella a 25500 um.
Tapetes grandes a 133000 um.
Madapo'ao americano a 65000.
Fichs de retroz a 15000 um.
Lenccs de bramante a 25000 um.
Cobertas de ganga a 35000 urna.
Lencos brancos a 15200 e 15500 a duzia.
Sargelins de cores a 200 rs. o covado.
Brim pardo a 280 rs. o dito.
15200 o co- Espartilhos curaca a 5*000 um.
Fusto de cor para roupa de crianca a
800 o covado.
Seda palha a 15000 o dito.
HE
S
ARTIGOS i MODA ESPECIALMENTE REC0MMENDAD05
Colonia Imperial branoa. Alambraada, Ahnlsoarada, para lenco. Bapooetl, Sabo de toilette de espermaceti;
Crema saponcea [Ambrosial creme) para a barba. Creme de Morangos e Crome de Pepinos para dar a frescura e o aveludad
* c,u"?- ~' Stboida crlstalilsada e fluida para dar lustro aos cabellos e barba- Agua Atosnsnse e Agua Lostral, para os
cuidados da caboca. Agua do Chypre e Agua de Cedrato para o toucador. Alcool de cochioaria e de Agriao para os cuidados
da bocea. Perfumee para o lenco : Heilotroplo branoo. Imperial Russo, Primavera da Hespanna, Po-Bosa, Perfuma da Franca,
Stores Capricha, Balsamo afsencial de Violsttas, Imperial do Brasil. P do Cypris para dar alvura 4 cutis. Aaua da
IS|irinFni
HUSSA. para o tiillaim.
0 meltLor Alimento
Pc.ra mm CRIANCAS
X.A^*XS, O, AVEXUU VIOTORIA,e,IAR13
Dtfajitss em tedas as pritijass tiatatsi.
2052 premios no valor de.
12:0005
2:0005
5005
4003
6005
. 6005
2005
1205
605
2705
1805
905
9905
9905
4:5005
4:5005
28:0005
DON$AS
DO-
ESTOMAGO
DO
. 700:0005
Todos os premios sao pagos integralmente
Esta lotera composta de 10.000 bilhetes a 1005000, dividida em 2?
custando o inteiro da serie 45000, subdividido esto em quintos da serie (1
bilhete inteiro da lotera) de 800 rs. cada um. \
O agente desta loteria chama a attencSo do Jmblico para este impo
plano mais vantajoso pela sua boa organisacao. I
Com 45000 (5 quintos de que se coinpSe a serie) recebe-se 12:0005000 e co
800 rs. (1 quinto) 2:4005000.
O menor premio da um resultado de 25
recebe 15000 as terminacies dos 1. e 2. prem
Sao premiadas as dezenas dos 1.. 2. e 3.
As duas letras fines dos 1. e 2., termin
x5es dos I., 2. e 3.: tendo alm disso premios
1005000 e 605000.
pois custando o quinto 800 r3.,
remios.
oes dos 1." e 2., e as approxi-
2:0005000, 5005000, 2005000,
Leques transparente a 25500 um.
Extratos, tnicos, entremeios, bordados e pos de arroz.
iioupas por medidas
20Ra Primeiro de MarcoA
casa iis coxfiax;a
A
...''

MEDALBA DE HONRA
0 OLEO CH5VHIER
desinfectado pelo Alcatrao,
tnico e ttiumico, o qu muito
tugmtnii as prcpntdtdet do
0 OLEO de FI5AD0
0E BACALAO FERRUGINOSO
vnics prtiaracXo r ue permits
tdmm'ttra' o Ferro *em pro-
dvztr Pr:ao de Veatrs, n*m
Inccmraodo.
dipToma~de~hoWra\
DITCSiW pril em PIRES
21 ,rsi do Faui-octmarlre. 21
* "K> Orde.
UCF.NCIADOS PBI.A. INSPKCTORIa'dE
&
BECKITAlO l'OK TODAS A6
Celstolda&es Mcilcts |
D\ FRANCA E DAELR0PA
BU
MOLESTIAS
FFECQOES (
CHLOROSiS,
' ANEMIA, DEB1LIDDE,
TSICA PiiLKONAR,
BflONCHITES, RACHITISMO
iS 00 PEITO,
ESCROFULOSAS I
Vinho de Coca
GIF.NB DO IMPERIO DO BRAZIL.
../
/
VCTO
TINTA INALTE1AYEL
sta iunta recommenda-se pelas qualidades
secantes
inglcza.
1E' igual a melhor tinta Bluc Block
2E' de urna fluidez extraordinaria, e torna-se preta como
carv3o.
3 E' de duracao Ilimitada, portanto para os Iivros do com-
mercio e para documentos, que carecam de longa durado, nao
se pode desejar tint melhor.
4Nao estraga as pennas de 350.
PEIT0RAL de CEREJA
Do Dr. Ayer.
A rnfernildadi.-K mals dolorosas da gar^nat
c dos pulrae*, ordiuiri:imeiir irsenTolvcm-se
teudo por principio ba.-us i"'.|i:,n:is,cuiog resulta-
dos nao sao difficei.- ds curar ><> promptannii.i' m
tralao com o remedio conveniente. O* Resfri-
ado* e asToaaea dio feciprocaiiientc o resultado
de Laringitis, Axlhuia, Kronchitis, Airee-
cao Pulmonar e a Tsica.
Todas as familias que ton crianca? devenf ter o
Peitoral de Cereja do Dr. Ayer
em caaa para o usar em caso de "nccessiilade.
A perda de um s dia, pode em muitos casos
accarretar serias consequencias. I'or tanto no
re perder tempo precioso, experimentando
remedios de eflicacia dovidosa, emquanto que
a enfermiitde se apodera do systemu e se arraea
);rofimdainente, entSo que te necenslta tomar
nesse instante, o remedio mais certo e activo em
eu pft"eito, < este remedio geni duvida alnima
OPKITOBAI. DE CKBE.IA IK) Un. ATEB.
rREI'AKADO TELO
DR. J. C. AYER & CA.,
JLowelI, Mass., Est.-Unidos.
DEPOSITO GE1UI.
; / \J


fi
;m

\ YEGETAES
- '.*: ^antc c o Remedit
; cites male
a D^estfio
PUtIFICAM A BILIS
c curam radicalmepte
A
DISPEPSIA.
Alug"a-se
O secundo andar do predio a ra do EarSA* -'
Victoria n. 60 cora a^ua e pintado de d- /
tratar com Paulo Jos A Ivs & C. y
Ha no mesmo crande quantidde de canarios
belgas para vender.
Alug'a-s
Amas
a casa terrea da ra do Lima o. 26, em Santo
Amaro ; a tratar na ^ilhographia ra Marques
de Olin-ia n. S.
Aluga-se
lo grande armazem com grande quintal, quarfbs
))ara dependencias e cacimba, a ra de Marcilw
Dias n. 71 ; a m*ia-afua travessa do Peixoto
numero 17 ; a .ratar na ra de Marco numo-
ro <6. .*_____________________________
Alaga-se
a casa sita & Cruz das Almas ou Parnameirim n.
10-fl, com commodos para urna pequea fami-
lia/ lendo um com sitio, e acha-ge limpa ; a
tipiar na ra da Aurora n. 119. ou ra do Apollo
nJ30, 1- andar.
1 ra da Palma n. 40. precisa-se de duas
. -urna para andar com enancas e outra
panTtosinhar e comprar.
Precis
ra Bar
mo\eis
Ama de leite
se de urna ama de leite ; a tratar na
da Victoria n. 54, nova agencia de
Aluga-se
eta Parnameirim ou Cruz das Almas n. 10-A,
ana grande e exceliente cusa com agua e gaz, <
tendo um bom sitio, aqual confronta com i/
jasa do Dr. Leal ; a tratar na ra do Apollo/t.'
30, i andar, ou ra da Aurora n. 119. s
a de cosinha
Tilia
Joao
No sitio n. infla estrada de Joao Fernandes
Vieira se precis;Nde urna cosinheira, prefere-se
a urna mulher qi e\durma em sua casa.

FU.NMCO DB SINO
DE
Preros;
garrafa
L
800 rs. |2 garrafa 500 rs.
L3VRARIA COHTEflPORA.\EA
mias.v. COSTA s s. .
RA l.'DE MARg O-P ERN^MBCO
ALBINO SUVA & a
48 Ra arquez de" Oliada-
LU1Z Di CRUZ
66ra do Baro d
Tem para vender o se
machinas de cobre para fazer e
Alambiques de cobre do antigo e
Serpentinas de cobre e de esta
C'arapucas de cobre.
Taisas, taixos e caldeiras de cobre.
Bambas de todas as qualidades d rep
Tornelras de bronze e madeira de todos
Canos de cobre, de ebumbo e de ferro.
Repartidelras, passadeiras e escumadeiras
Cobre em lenco! e arruelas.
Sola inglesa e do Rio.
Cadinbos patente e"de lapis.
Sinos de 1 libra at 110 arrobas.
E mnitos outros objectos
ENCARREGAM-SE de qualquer concert e o
ndo presteza, perfeiyao e precos mdicos, para o que
* ^^'DE / praso ou dinheiro com descont.
1TA
pho66
destillar e restillar.
stema cojn esquenta garapa.
Ama e\ costureir
Na ra da Imperatr^ n. 37, 1- andar, preci-
sa-se de ama e costurelra-
Caoteas do Monte de Seeeem
Compra-se cantellas do Monte de Soccorro d^
qualquer joia, brilhantes relogios; paga-sr
bom na Praca da Independencia n. 22, loja dt
relojoeiro
Paulina Doederleiii e Hed-
. .^ig^tej^jei .. ^
.uJtDiKentc chegads da AllemSf4 c011 diplo-
mas do conservatorio de mui^ de. Munich,
offerecem as Exmas. familias dB^. cidade os
seas serviros como professoras df[P'anc e canto
InformagOes podem ser tomada ?m casa do Dr.
Jo5o Paulo, medico, riJa Nova59"
ol
Aluga-se ,
andar do importante predio,a rua do Bom
Jess n. 26, e o 2-' andar traversa da Madre de
Deus n. 7 ; a tratar com Joap Jf ernaudes de Al-
meida na mesma travess*1
a casa da ru~
Nova n. 42, f,
a tratar na rua

barato
oja.
60.
*,L 43-, srmazem.
Al*
Rua de S. Amar!
Becco da Born
Rua da Roda il .
Rua Visconde de It3p1,
Largo de S. Jos n. 74."
Largo do Mercado n. 1
A tratar rua do Co
scripto.-io.de Suva Gui
gipio
ConxtantiDO le Sa Brrelo
Convida-se a este sejihor a comparecer rua
do Bom Jess n. 23, p/ra prestar contas das eo-
brancas que fez no frmo de Agua Preta em
Margo prximo passafio.
loja.
[mercio n. S, 1
ires & C.
andar.
meressarMssim
'RISA SOLIDIFICADOS
JTADOS DEBAIXO DA FORMA DE LAPIS (12 ClJSK S)
- levemente os objectos para perfuma!-os
Ijara Cartas, etc.)
JftD, ForaS^if dk&tfl- de Sussia
RUA. SAIKT-^HONOR, ARIS
paes Perfun^riss. Pharmaclis, 3 Drogaras do mundo.
> l!l. JSTRADO njLNCO Da POETE
es e continuas,
ios.
e de ferro estanhado.

as
de encommenda,
m pessoalflwbilitado.
garan
Molestias Nsbvosas
Capsulas do Dbutor Clin
Laureado da Faculdade de Uodicina da Pirii^-xPramio Uont/m
As Capsulas do Doutor CLIN ao Bromnrto de Camphora empregao-se
as Molestias, as de Cerebro e contra as affeccoes eguintes:
Asthma, Insomnia, Palpitagoes do Coracao, ^pilepBta, HalluclnacSo
Tonteiras, Hemicrania, AHecgoes das viao urinaila et para calmar toda
especie de excitaco.
Urna BxpfcacSo detalhada asompanht cada fruoo.
Exigir as Verdadeiras Capsulas ao Bromnreto
da PARS, que se encontrao em casa dos Droguistas et Pharmactutico.
CONSTTPAgdr-S e MOLESTIAS do PEITO
[XAfiOPE ptico BRIAN'
PARS, Pharmaci* BfilANT, W. rua (n mli, PAHI8.
Aa c&t*f*imn*scaa tus r*iu rtcmDweoako mal de *o
IXABOrz miAHT como o mninr~i|n Daitoal
j, nma mm* ugrtt
CMtam* ate.
_."^?^,*,*r roed am nova 1
|com Mynitnr Dea Ualnl o Mmr .-
M TODAS 48 HUNCIPABS PHASMACIAS
^
ferragens
e Ca;w~86
ar%05 al **btx:
SONSC.
c muitos
SSfet em
Ferfo sortido.
ento Portlant
_
outros marcas.
Bombas de er bronze
Ganos de fert e chumbo para
encanamentos de alta presso
Machinas! vapores
para algP?0*0-
CandieVros e^ectr*cs.
PogFs econmicos.
Este estabelecimento fundad* em 1851?tem na soa
onga existencia a garanta mais s*Sura ^ara os qe pro-
curar em honral-o com a sua confian^
PKEflOS 8EM COMP^TENCM
Descontos do cof*111116
i"
daage batidas.
s batidas sem crava^ao
Arados.
PILLAS >* D" BLAUO
Emp
roa Francoi
ASI
Teriflcado
m
BOTA.-4.
fcela jjior pve dos Fi_
MMO8B (crea patHOt
i-se com opUmo xito h mals de so ai
e Estrangul ros para a cura da A\UIA, CJUL
du menina*. 1
hoto coaaa Prunas sutroslm o facto d havar M i?l? ^f*'!??,
avistas ntatak. utortsando-Uie TeadC WUM

*>W*
bM tgtr (M a nh iaratar mU|i artai w nf ^ mm t,a-
OONFXEM-SE DM WMITT^^011*
aojMi Mtotai a k> BtatMf i*a m mUtm muomiV ia *****
H tt 100 fHlu, mas nmea mtr mita.
SaBraBU
3 ido.
W-&O
)
EXEMPUB ENCONTRADO
PAU8, BOA PATXmcx ^ DEPOSITO* BM TQPBB AS J
. BWMO I
MMM-------------
lnujuu.c2As


8
de 1 anilmco-*! -fera l>Me Julho.de 1889
VENDAS
\ ende-se um boro cabriole! de duas rodas
'.uin quatro asseatftorrado pintado de novo ;
y

A Reyolucao de
A' roa Duque de Caxla
Em vista das muitas pecbfcicbas
mos recebido, viemos por nieto d'este c
mar a attengao dos nossos freguezes, pro-
vando ao mesmo terapo como rendemos
por menos 30 0l do que era ontra qual-
quer casa.'
Folardina. tecidos moderno, a 320 rs. o
ortiio de msicas para cova0,
fiaros muitos ps de flores > lsm ie j i t \ acv\
fritar salas, arvote&j fcandm (fazenda de phantasia) a 400 rs.
uiua easa clferaBB o covado.
Ncnsuks muito finas de 120 e 240 rs. o
evado.
Ihias de Albuqaerque
Brm&co de amarello,
ir negocio, na ra do Rao
r na raesnia ra u. 29. Curan-
: e tratar
fantiga das Fio
-iroprJfcara
us cbajaL
orlara t.unlfl|_
r em casas particulares
Beiras Itiras e alguns trabalhos de dores
ir no Calumbo Novo n. 128 com uisdama
Hela.


\
J

Telegramuia familiar*
Vcnham ver ao 33
RA DUQUE DE CAXIAS
Tendo resolvido vender os seguintes
objectos por menos f>0 0[ de seu valor
real, convidamos, nessos reguezes a ver
a realidada!
Cachemira* corabinac o com listas de seda
ultimo gosto a I2l0 o covado.
Gjjjbraia cum salpicos a 45000 apega.
Cortinados, novidade a 5(5500.
Sargelina de qualquer cor 200 rs. o covado.
Linn bordado padroes novidade a 800
rs. o covado.
Setins de todas as cores a 800 rs.
Mantillas pretas.
nisas francezas com collarinho i
>mVa 24000.
Cretonas para coberta a 500 rs.
Amor d China grande sortimento em de-
zenhos #200 rs. o covado.
Pannos de Iprochet.
Cortes de vestidos coisa nova a 85000
125000 e165QPO. I
Guardanapos a 15600X
MadapolSo com muita largura a 55000
65000 e 75000. \,
Merinos pretos de todos V>s preces.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Babados e entremeios.
Vestuarios para baptisados coi.'a nova a
105000 e125000.
Luvas de seda a 25000.
Zefiros de cores a 160 e 200
sortimento.
Grande sortimento de plastrons c regatas a
15000 urna.
Tecidos arrendados, novidade a 400 e 500
rs. o covado.
Grande sortimento de casemiras para rou-
Xpas de homem.
lebas brancas e de cores um sortimento
Completo.
cP-hos e punbos para homem.
Oollar^casemira do cor a 45000.
Cortes dfctfom 2 larguras a 15000 o co-
Cassinetas v
vado. \ ^a,240, 280, 320 e
Cretones para ve'
400 rs. o cova^
Meias e lencos '
senhoras.
Merinos de cores
vado.
Brim de linho* de
grande variedad..
Tapetes grandes e pP;5000
xo-lsgo-trd^s jjuito bonitas a 2i
Jamisas de creto^
e 3:5000 urna, com salpico^ de ejrcs
Cambraias stiissaa
75000 a peen. VSc*2*
iienda da China a 200 e 3U *r 6 covado.
Da-so amostras sem penhor.
*3 Ra JHique de Callas 53
Feraandes Azevedo &.C.
rs. grande
^a homem e
lOO rs. o co-
ia e moleaquins
;s, algodSo bran-
de de quadros 200, 240 e
do.
ion e cretones, todos os avia
6500, 85000, 95000 e105000
Merinos 1.
w280 rs.
Cortes de
mentos,
um.
Ricos cortes bordados em cartao a 145000
Atoalhado para mesa, moito largo 15200,
e 15500 o/netro..
Pannos de crochet para cadeira [a 500,
600, 700 e 800 rs. um.
Colchas de crochet com pahuas para noi-
vas a 55000, 65O0O, 75000 83000 e
95000 urna.
Cortinados bordados, muito finos a 65000
o par.
Bramante liso e trancado de 4 larguras a
lOOO o metro.
Bramante trancado de 2 larguras a 400 rs.
o metro.
MA|| BARATO
das Listras zoes
SB5fl3lTQUE DE CASIAS/f.'ei
Vende-se fazeudas finas mav'/barato e
d-se descont a quem comprafrde 205000
para cima, troca-se as fazendg vendidas,
se por qualquer motivo nao fr e muto
agrado para quem for comprada e vende
pelos seguintes procos:
Cachemiras lisas e con ihtas de
seda de lindas cores, a 15400
MeriuS de duas larguras, a 440 e
800 rs., quafidade superior
Tecidos arrendados cJ de creme com
matiz com duas larguras, jf 600 rs.
Fazendas de phantaa/a e iinda cores
a 400 e 500 rs. ,
Tecidos de linho
grados, a 200 e 240 re
Zefiros lisos e de
100 rs.
Setins do Maco br
todas as cores a 750 e 800 rs.'
Setins de quadrinhos, a 9
Sedas lavradas brancas c d
ras, a 15400.
I* zcs de seda com fios
15000.
Cortinados de crochet,
900 rs.
Cambraias bordadas
r
X
lindos padroes
uadro, a 80 e
preto e de
rs.
cores cla-
irateados a
cores, a 4(JOO, a pega.
Cortes de vestido
para noivas, a 165000.
Toalhas de cores para mesa elstica a
55000 urna.
Saias bordadas, muito finas fa 35000 urna.
Luvasde seda, lisas e arrendadas a 15000,
15500 e 25000 o par.
Seda alsacianas. novidade a 240 rs. o
covado.
Cretones claros e escuros [de 500 rs. por
320 rs. o covado.
Zefiros de quadres a 120, 160, e 200 rs.
o covado.
Pechmcha em camisas de meia a 15000 "e
15200 urna.
Leques de penna, o^pie ha de moderno a
45000 e 55000 urna.
Capellas com veos para noivas a 8$00^|/ Crinolina
urna. o metro.
FustSo de cores para palitot e caira a
500 rs. o covado. /
Brins |de linho, cores fixas e garantidas,
a 500 c 600 rs. o covado. /
Cortes de velludo bordado a seda/ para
collete a 25000 o covado. /
Cambraia de salpico* com 10 jardas a
45000 a peca. J
Bicos de cores e branco a l$S0fl) e 25000
a pec.. /
Cambraia snissa de 145000 jpor 75000 a
pe9a. ,
Collarinhos e punbos borra'xha a 15800.
Cobertas de ganga para o'ama de casal
25800 urna.
Lencos de cores, imitadlo de seda a 15800
a duzia.
Fichs de retroz
15000 um.
MadapolSo americano com
gura a 65000 jU dueia.
Algodosinho mmito largo a 45000, 5f>000
e 65000 a p/-.a.
Redes francerfos a 45000, 550t)0 e 65000
pega,
raneas e
de
rdados, brancos,
85000 e 205000.
branco e de
/urna,
a PalitoU
j ?ibj'T
i com palmas a
1 metro de lar-
Vos para chap
qualquer cor, a 1
Crep inglez/para enfeitos de vestidos
a 15200 e25~~
TECDDOS MAIS b.|RAT0S
Percales e chitas claras, finas, a
180, 200 240 rs. #
Cassas de cores fina3 e seguras, a
120 e,240 rs. >
Horim de listras aztbeg muito lar-
gos 'com 20 varas, a 65000, fe pega.
argelina finos, a A60, 180 e
2.'00 re. f
qualquer c\.) a 400 rs.,
4; u arda apos superiores/ a 15800 c
25000, a duzia.
Atoalhado lavrado, lindos/ dzenhos,
a 15000.
Bramante de 4 larguras 4 640, 800
e 15000, o metro
Toalhas acolchoadas e felpiidaB com
listas de cores, a 45000 e 650001 a dusia
Ilicos brancos franeezfes, a 60C
c 800 rs., a peca.
BCOS finos, brancos, cren-aC3 e ma-
tisados, a 25000, a peca.
Baieias a 240 rs. a duzia,
400 rs.
Lavas de seda, bordada;
pretas e de cores, a 25000.
Leques de papel, a
parentes, finos, a 25000. J
Leones de pennas o q/e ha
lhor, a 55000 e 65000. ^
abnete grande ^f/
A FRIDA
Gal8e8, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda de algodSo com sen
. vidrilho
Mantilhas de seda e de algodilo.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com c sem vidrilho.
Randa heepanhola.
Collarinhos para homem a 35000 c 45000
a duzia.
Bordados de camb aia tapada a 400 500'
600 e 800rs,Tapeca.
dem com 3 o 1|2 metros, de qualquc
argura a 15200.
Lencos de linho em caisinhas a 35000
dita.
Meias para homem, duzia a 45000.
dem para senhora, duzia a 45000.
Lindos leques transparentes de gaze >
35000 um.
Grande sortimento de porta-retractos d
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 45, 65
85000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, d<
25500 a 35000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama
125000, 175000 e 195000 o par, algn
de cores.
Ditos para janellas a 75000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 *
15000.
Ditos para sof a 25000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de compriment<
a 45000.
Capellas com veo para noiva a 65000
- 85000.
Lindos enxovaes baptisados a 85 105
125000.
Toucas de setim para baptisado a 35, 4
85000 c cor de
i
Muita attenqao
Na ra de S,. los n. 56 tem para vender os
lamados vinncs e licores de todos os tractos do
ojz, fabricados pelo finado Jeo do Amaral Ra-
yoso, como8ejam : vinho de caj !. e 2.' qua-
'vdade, vinho do abacaxt, viuho de ianipapo,
xwiposto e simples, hesperedina brasieira, la-
ranginha cordial, excencias de irmo c cidra, e
tres prensas para espreraer os fructos, e tudo
*e rende por baratissirao preco para liquida-
v5o. Assira como se vende um botn terreno na
povoacao JeN.S. da Boa Viagera por ^uafcuer
preco. x v
Muei
rca^emirae
b
Cortes dV
OoUtes de\ -U3t*[o P"* collete a 15000 c
- 12 com pequeo defeito a
bertas a
brancas,
davel, a 500 rs.
s 'ranceze
perfame agra-
ancezes e inglezes
americanos, a 7(5.
com ar
o cov
ado.
Cobertores di'
25000, um.Na 2,5000
T v^ida, earante-ec a pertei-
Koupa por met
S na Rp ucio de 48
Vinho particular
No armazera da rna do Aaiorim n. 60, vende-
e o que pode, haver de melhor, pelo mdico
preco de 7<5 o garrafo de tres caadas (voltan-
>.'m casco".
Vende-se um;
ravenna ,
Itaverna bem-S^f tida e afregue-
;,o bom ponto, ruvJ-*ncordia
n 1: a tra r Inella ou no ^aes da'Companhia
Pernambucans__''.______________.-----------
ibras sterliaas
o escriptorio de Pereira Carneiro 6
bmmercio a. 6.
Yende-se
A

t taverna sita ra da Uniio n. 3, bem afregne
roda; tratase na mesma c garante se a chave.
15000 e 25000.
Despertadore
1!OSq??&r08i9>roer.ca,
macao a lj^UU e iy-'^oo
' ano8 e mglezes,
_ 45000, 55000 '
Capas de vidrilnoK, las, a 255000
e 305000. >
Toalhas de labyrf ao para bap-
tisado a 305000,405000 e VjOOO.
E muitas fazendas qne se vi por todo o
preco na. J
Loja das Listras Azues
5
F^pUo-de carolo
J conhecido como o
alimento para animaes
Jess h. 38, i- andar.
4e algo-
55000.
Gnnaldas e ramo3 de seda^ o que ha d
melhor.
Renda heepanhola de diversas c6res.
Bicos brancos c de cores a 25000 a peca
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 45000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baieias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricantes
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car
ritel. ,
Pastas a 15000 e 25000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 25000.
Arquetes para chapeos e chapelinas
15500. i
Lindas fitas n. 12 para chapos.
Luvas de seda, cano comprido a 25000 <
par
Ditas de seda para crean
Dita para
Grande alimento de jarr
l*rio e consollos.
neos de seda, gosto moderno,
pos dourads para segurar cabello
Ditos ditos para enfeitar cabeca e segurar
chapeo.
Espartilhos para creanca a 45 e 45500.
Ditos para senhora a 45, 45500, 55000 >
65000.
Grande sortimento de sabonetes de 200 *
15500 um
Estojo com faca, garfo e colher, propri
para creanca.
Bengallas com flauta a 15500.
Meias de 1S para homens e senhoras.
Linas* dourada par Gsaer roebst.
Lindas fitas para facha a 25, 35 e 450W
o metro.
Lindos leques de setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim e
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 25000.
Lindos desenhos para talagarca,
Finas carteiras para algibeira de 15, 5fc*
3 e 35500 urna.
Ra Duque de Caxias o. 103
Q
Liquidando os artigos se-
guintes !
Raa Duque de Caxias
Merinos de todas as cores a 200 rs. o co-
vado.
Lindo sortimento de alpacas modernas a
400 re. o ditgfc"
Zefiros de quadros a 80, 100 e 160 rs.
o dito,
Cretones francezas com 1 metro de largu-
ra a 280 o dito.
Nansuks, cores firmes a 100 e 160.
FustSes brancos bordados a 360 e 440 o
dito.
Bramantes de algodao a 700, 800 e 15000
metro,
dem de linho, superior a 15600 o dito.
Atoalhado bordado a 15200 o dito.
Superior' madapolSo americano com 24
jardas por 65000 a peca.
Algodoes da c6rte, o melhor a 35500
45000 e 55000 a dita.
Cambraias bordadas finissimas a 45000 a
dita.
dem Victoria com 10 jardas a 25800. de
EsguiSo de algodSo a 45000 a dita.
Bicas guarnicoes de crochets a 75000 e
85000.
Cortinados bordados, novos desenhos a
65000 e'85000 o par.
Toalhas superiores, muito grandes a 45000
a duzia.
Meias inglezas a 35000, 45000 e 65000 a
di,ta.
Seroulas bordadas de bramante a 145000
a dita.
Camisas francezas e inglezas a 365000 a
dita.
Guardanapossuperiores a 25000 e 55000 a
dita,
Cobertas de ganga, 2 pannos a 25800
urna.
Lences de bramante a 15800.
Colxas francezas, de cores a 25000.
Mantilhas e fichs a 15000, 15200 e 15500
Chales de la a 25000, cachemira, grandes a
35000.
Redes de cores a 35000 urna.
Cobertores de la brancos a 25400 um.
Cassinetas para roupas de meninos a 200
rs. o covado.
Casimiras diagonal, 2 larguras a 15100
e 15800 idem.
Flanella azul ingleza a 15200 e 25000
idem.
Cheviots superiores a 35200 e 35500 o
dito.
Damascos de 1S para capas de pianos a
25000 o dito,
rara
,5800.
EspartilnoTNl"', gualdas para noi-
baratissimos e muito
js por precos sem com-
A L04A MMS BAK
iima4^
lhor e mu (nutritivo
vende-se rua\do Bom
Vinho puro dte Sarita-
F0LFET1H
7
'
i
DEOAPrSflSb'
POR

oa compra
mbal n. 11 (taverna* vende-se
do-se a chave ; a tratar com
te Souza.
e de Helena conserva-
eis.
um movimento Jdesde
seu rosto encantador
urna indifferenea resig-
ihc- na/i olhavam para
ivam para alm do
nversa nao devia
ue se fallava em
F. U BOISGOBEY
(Continuajao do
VI
Nao est na minha companhia
ilepois da morte de sua mai, e sua
Lia tanto como ella. Meu irmao ti
wado^or amor, em urna viagem
io Oriente, ha de haver cerca de
aos, e em breve se arrependeu.
rtos depois j nito vivia com a
ilHIrT"1" fi morto no oerco de Pl^.
tinha oito ou nove annos. *
-, ,, a usou con-
r-ine della. ba mai rea
i'a e se nSo tiVesse morriV^
i- rr i i la suacom-
ndio. Helena estara anda q
to t' O O \'l -
pmal.ia, em Bournabat, e contir
^^Kcomo urna camponeza
*PO Sr. Francastel tinha esc'
i ,.fcac.o sem a
.imente aqueda ion?a esplil "
. Jsparccer no
'.iterromper e sem deixar trai .
-igto o que pc.isava a tal respt ,
O lancear de olhos que t?nha .trocada
a %baii!o pieria fazerl PPV 1ufl
Ktava pouco na hist?'' ^.asesse
k olhos escapou Borcduio.
j ha, tinha pas-
U um enectando a convef ,r
*amMbcioV">, yM".;,l?eccr
o ao, Pilois dava
aquel: avencion
-s peno com os de
se servir d|Ua para
le simnlacr.-
rem
Da qnintn de
Clicgou a segunda remessa deste
nho para o armazem centra' de gener
icios roa do Cabug n. 11. o qua
recommendado por ser puro da uva. ]
Joaquim ChristovSo &j
Telepttone\4n
jecialjvi
'aliaren-
se toma
apenas urna convc
em
no
tori
lugar
papel
mundo
E' verdad^
interessal-a muito,
francez.
Deeididamebte, continnou o
minha idea nSo 7ale nada je vejo que me
preciso interrogar a menina. a ver-
dade estou infeliz ; rauaKe anaphabeta !
E' de maif I
t Os mdicos que a tratm, esperam cu-
ral-a ?
Esperam... coin o tempo, ou ainda
pelo effeito de urna commo$o violenta, de
um susto repentino
Ah! sim? murmnrou o Sr. Fran-
castel abanando a cabeca, como homem
que comeca a reflectir no partido que po-
da tira" daquella inormagSo inesperada.
t Elles assim o dizem, mas eu du-
vido.
E' urna experiencia para tentar,
quando o acaso ornecer occasiSo. Agora,
senhor, visto que devo resignar-me a nSo
entrar em communicacSo directa com a
Sra. sua sobrinha. vou mandar vir, urna
atrs da outra, as testemunhas', que ten-
ciono coufronter com ella e cora o se-
nhor.
Supponho que niio se trata 8o Sr.
Vitrac. Esse j nos vio.demais.
Por iio nHo o interrogo sena mais
tarde. .Por ora vou liquidar aj}stao da
compra do chapeo. A modista da ra da
Paz est presente. Vamos ver se ella re-
conhece sua sobrinha. .
Estou bem certdjdo contrario, e o
seu testomunho nao esflarece a questo.
Ainda assim pfaciso que a ouca.^
A um signal do juiz, Gfisaiile sahio e
voltou qiuisi logo, trazendo urna mulher
'gorda, vestida com pretencao e trazendo
<&,.. .j iaoi* de amanba,
e que podia servir de .t/aboleta ao seu ar-
mazem.
Tinha passado os quarenta annos e o ros-
to dizia-lhe bem com a dade; mas devia
ter sido bonita, e se a sua frescura tinha
desapparecido com os annos, restava-lhe
bonitos olhos e feicBes regulares.
NSo era tmida, porque ^ depois de ter
comprimentado para todos los lados, sen-
tou-sc em urna cadeira sem qufe o Sr. Fran-
castel a convidasse e esperou\que a inter-
rosas8em.

Olhe para este senhor, disse-lhe elle
designando Borodino, depois fie haver mo-
ao_S"9enna no tinteiro pana advertir o
escrivSo que comecasse a ^gistrar o in-
Roya! Blend marca YIADO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retablo nos melhorcs arma-
zens de molhados.
Pede Boyal Blend marca Viaclo,
cujo nome e emblema sao registrados pars
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
terrogatono. \
>m o conde e
A Sra. Courltjs encarou.
;disse : '- \m-
E' a primeira vez qflLp vejo.
Muito bem. Agora olNl para esta
senhora. N
Helena dexou-se examinar, sem 8* mos-
trartadmirada, nem impaciente com aql^Ua
inspecao.
A modista levou inais tempo para re
ponder.
E' extraordinario, disse ella por fi
como e3sa senhora se parece com a co
dessa Irene.
Mas nao ella ?
Certamente que n3o.
E nao conhece esta senhora ?
Nao, senhor. Podem-na tor
pela outra, mas juro que se enga
Isto claro o preciso, disse
voz o Sr. Borodino.
Agora, minha* senhora, cori,tinuou o
juiz, diga tudp quanto sabe a repeito da
condessa.
Xilo sei l grande cousa. Foi ao
meu armazem apenas duas vezes,.. sem-
pre no mesmo" carro... um huit^ressorts,
or dous cavallos grandes.
Fallava francez ? 1
-^To bem como eu... com ptequeno
sotaque. ^ 1
Quo sotaque ?
Nao posso dizer ao certo ; nBo era
nem sotaque allemao, nem sotaque i^-
glez... arrastava o tim das phrascs.V Pen-
mesas, novo gosto a 15100
vas.
artigos que vende
petencia.
Roa Do4ue ds^axias n. 59
LOJA V^
PEREIRA & MfigALHm
Pao centeP
Mello & Bisel, avisara ao respeitaV ^2i
qne todas as tercas e sextas-feiras, tc^ esie M
boroso pao; ra larf'a do Rosario n. tzl______
PARIZ N'AMERIOA
AZEVEDO, IRMaO & O.
16Ra do B. da Victoria16
200 Telepkone200
Tendo recebido directamente da Europa
grande sortimento de fazendas e modr.
que ha de mais novo e precos ser ce:
petencia.
A saber ;
Capas de surah, sonda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
EtamineS) pretos, de 12 e la seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 15000 fl2-:
Crinoline preta e branca a 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 15500, com -Q
palmos.
Toalhas para banho a 1000 e 1550G.
Cbachemiras com 2 larguras a 800 rs.
Ditas de l e seda 2 larguras a 1500O.
Madapolao trancado a 95000 a pcc3.
Dito globo a 75000 a dita
Dito camiseiro a 75000.
~ Dito Boa-Vista, verdardeiro, s 65000.
Fichs de 13 e seda 15000.
Brins de linho cCies fixes a 600.
EspaBlhos; couraca a 45000 e 55000.
ColcJ/ de' fustao a 25000 e 35000.
Capel. ara noiva com veo bordado a
65000. % "
Toalhas de corea para rosto.
Rendas, comprimento de saa a 15500.
Renda de la, preta, para qtaresma.
Pao verde para buhar.
Tapetes para sof a 135000.
A verdadeira esteira para forro de eai*
a 15000.
Camisas de flanella a 55000.
Cortinados de crochet para cama
105000.
Chitas de cores a 200 rs.
Crotones com 2 larguras a 400.
Baieias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 15000.
Extracto Rita Sangal a 25000.
Velbutina de quadro a 800 e 15900.
Guarnioes, pretas, de vidiilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 45000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 25000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite"
Grande sortimento de chapeos de sol.
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustSo de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200

Movis
Na casa n. 183 ra Imperial, vende-si? ~?"
rato dous guarda-vestidos e urna cama paisr"
sal, tudo novo em folha, de superior qualidrae
e estylo moderno. ___
Leite puro
Na estrada de JoSo Fernandes Vieira, sitio lo
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite puro de vacca3 tooriuas e di
trra, garante-se a qoalidade do leite.
Boa acquisic.au -
Vende-se ou arrenda-se um bom sitio na es-
trada nova de Agua Fra Beberine, perto da
estaco da Encruzilhada, contendo casa com
bons commodns para familia, mais urna casa
para negocio, um parreiral, coqueiros, sapotisei-
ros, laranjeiras, fructa-pao e outras fructeiras,
boa cacimba com a^ua potavel e terreno para
plantace8 de hortalices: a tratar na ra Duque
de Caxias n. 30, padaria de Bcirao & Altneida,
Muita attenc,o
Na ra da Imperatriz n. 80, vende-se 3apa-
tos de felpos para fro a 6u0 rs. o par, e de
criancas a oOO rs.
meia
sei que ella era ru3sa. Preciso dizer-lhe
que nao sei se era verdadeira dondessa.
Tinha ar duvidoso.
Quer dizer de mulher galante ?
Completamente nao... nem tarabem
do urna grande fidalga... era entre urna e
outra cousa. Mas talvez que me tenha
engaado... Na Russia as mulheres da
grande sociedade sao t3o excntricas! O
que certo e que ella deve ser muito ri-
ca... aquillo mulher que nSo olha a des-
pezaa. Eu tinha-lbe augmentado metade
do preso do chapeo, porque julgava que
ella regateasse... mas, nao, senhot, dis.-e
que nao era caro...
Falle-me agora da sua costureira que
desappareceu.
Agostinha? Ah .' dessa naa tcnboeu
pena.
Entio uSo.juIga que Ihe tenha acon-
tecido alguraa desgrana?
Desgraca?... Ora adeu3...Y
ceu que se fez raptar por um senhor que
lhe deu urna boa mobilia, respondtua scep-
tica modista.
Sabe alguma cousa a tal respeito ?
ergunton com sveridade o Sr. Fran-
stel.
Ah! 'ellf^Vmc mandou carta de
icipacSo; mas nao difficil adiv-
eia urna moca de juizo,
no seu prineiro depoi-
m
i5t_yisto_Jj^ Jojlaa co- ^
ura afe""o dia .cm qu"
enedntram urna Jboa occasiSo. Diacho !
isso comprehende-se; nao divertido cor-
rer pelas ras de Pariz cora urna chape-
^^^^Hfto c carreair vestidos de la,
quando tSo fcilmente se podia usar ves-
tidos de seda.
Dispense-nos a testemunha dessas
apreciacoes, disse o juiz incommodado pelo
tora que tomava no seu gabinete de magis-
trado aquella modista p. demais pari-
ziene ; sao improprias e tdo qua to- sei
do ptocedin^pb de sua costureira as con-
traluz. Aconselho-a a" que nSo repita isto*
i.
senhora
meato.
De juiz<
meeam por isto
ceremo- directo,
nias: aquelle excellente raarinheiro e um
bom homem, mas tambem por demais pro-
vinciano. Quando se tom urna neta boni-
ta, como os amores, e que se quer impe-
dir que so perca, nao se a raette em um
armazem para fazer recados. Foi-me fa-
zer lamurias e eujrespondi-lhe que a culpa
era sua.
Entilo suppoe que o tal pinty...
O rapaz ?... Ah! esse nao. Aqulle
esfarrapado nao tem um sold e a peque-
a nao tao tola que se deixasse cahir
com um typo daquella especie. Eu disse
a verdade. Acompannou-a atPassy ren-
dendo-lhe finezas e emquanto elle lhe fa-
zia sentinella na ra Uerton, a pequea sa-
fou-se por outro lado.
Rorodino nSo perda urna palavra do
phantastico depoiraento da Sra. Courtois,
e, como se diz vulgarmente, nadava era
delicias.
Era a sua justificacao que pleiteara a
modista e nao se podia suspeitar de se ha-
ver combinado cun ella, visto que eviden-
temente via-a pela primeira ve3i>
O Sr. Francastel comprehendeu que da-
quella mulher liada mais tirara e que era
tempo de passar a oijtraa provas.
Tinha prepralo urna, com jlLeftei'to da
qual contuva muito, mas era fWfciso pri-
meiro achar urna transicao, c conduzil-a
naturalmente, Sera que era o tio, nem,a
sobrinfia podessem prevel-a e procurav
pretexto para chegar ai eu m.
Borodino forneceu-o. K
-V Sr. juiz, oYjm Borodino, supponho
que'^e-ve Nd%i- sciente do valor das aqcu-
: que levantrara contra mira. Urna
dolas nao se mantm de p ; eraquanto^a
outra...
Resta-me ouvir varias tcstemunhas.
E deseja ouvil-as Ea minha presen-
ca ? E' muito natural e estou absoluta-
mente e suas ordens. nicamente pejo-
he que tenha d de Helena.
Como ?^B tenha d ?
Sim., senior ; minha pobre sobrinhj
soffre, sa. N5o est no estado da supportar por
longo fcempo um interrogatorio mesmo in-


Atiendo
Vende-se a taverna sita a ra do Bom Jesc.;.,
antiga da Cruz n. 53, com pouco capital, propria
para principiante, bera afreguezada ; a tratar na
mesma.


Chegaram!
Superiores camisas portuguezas peito de li-
nho, duzia 42*000
Ricos cortes de cambraia bordados I0uO.
Bonito cortes de cretone com figurinos 9$.
Superiores toalhas acolxoadas, duzia 4.5300.
Guardanapos, de franjas bons, duzia 4 600.
Casemiras inglezas de cores com duas largu
covado 24000.
cutras muitas fazendas que se vendem pm
t0do^rcoParaacabar- .i
,ia^uque de Caxias n. 49
0 TBIIIPHO
f
f
L0J1
BASr
!.

*v
Atte^i^o
*****
Vende-se bons predios.em boas ras, que se
recommendam pelas boa^ localidades c rendn
certa, so os caixes sitos ra Mrquez do
Herval ns. 35 e 37, oceupados com negocio, e,as
importantes casas de morada: urna sita ra da
Palma n. 25, e outra ra da Conceigao d. 12 :
a tratar na ra da Conceico n. 38, das 3 as 8
h>ras da tarde.
ceio que tenha urna crise. Minha sobri-
nbb lhe diria o que sent se podesse fal-
lar... Vejo-lbc no rosto signaes de can-
saco. .. ella tem febre.
Ainda nao tinha reparado, mas es-
toa perfeitemente disposto a fazer o que
for necessario para obviar o perigo que
me indica. Nao posso ainda levantar a
sessao, mas pofso suspndela.
-- Oh bastar qne Helena possa des-
cansar, emquanto o senhor contina a in-
terrogar as pessoas que vai mandar cha-
mar. A sua presenca inteirmente in-
til, visto que nao comprehende urna pas
vra do que se diz aqu. Emquanto b
confrontacoes...
Ha apenns urna que faco 'empenho.
Desejava que o Sr. Dangalas, discpulo
do Sr. Vitrac, visse de perto sua sobri-
nia, e tenho outrasl testemunhas qne ou-
vir antes >.'" "/a pode, pois, ta ic-
conveniente-^.^se para o gabinete ajp-
tiguo. il i ^ ..ira canap onle me ac
tece alguma^vczes doraitarifentre dous
interrogatorfos. Ella descansar alli mv
vontade visto como nao fica sepaYaift
nssenao por urna cortina, basta que o se
nhor levante a voz para que ella volto
aqui, quando a testemunha Dangalas com
parecer.
Agradecido, senhor, disse o conde.
E dirigi em grego agumas palavras
sobrinha, que se levantou como se foss-j
movida por urna mofa.
Aind% nao tinha sabido da sua sereni-
dade, mas lia-se-lhe nos olhos que estava
impaciente por mudar.de lugar.
O Sr^Erancastel levantou-se tambera e
disse sorrindo;
Vou'
luzir esta menina, prq
nao est milito (Jaro o tal boudoir do n:
gis^rado, a^janeilas de pao estao.fechs.'


V
sessao so prolongar, re-
e o preciso que a^Bbra para dar el;
dade.
Posso prfeparar-lbe este traball
terrompeu o Sr. Borodino que
mente lazia empenho em visitar o
para onde o Sr. Francastel ia raa;
ena.
" :'>nuar-vi-h


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOIA75NXT_3ATUTP INGEST_TIME 2014-05-19T20:52:10Z PACKAGE AA00011611_19163
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES