Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19161


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A V
r* l
ESO
QLtA;TA-FEIRA 17 DE JULHO DE 1889

1
I
I I

.*
l*
PARA A CAPITAL E LICAREN OSDE XA SE PACA P8HTE
Por treaxpezes adiantados................ 6(5000
Por seis ditos dora................. 120000
Por um anuo dem ..... .......... 23000
Cada numero vulao, do mesuro dia., .... ...
JO-
PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis meses adiantados.............. 13050
Por nove ditos idem................ 3K5
Por um anuo idem... .........."... eivv!
Cada numero avulso, de dias anteriores.......... 0100
NAMBUCO
Tropredade de^ Manoel dyfuewa de Jaria # 3%tyc$
i
i
Os Srs. Aniede Prin-
ee & 0., de Pars, sao
os nossos agentes ex-
clusivos de annuncio
o publicares aaPran-
$a e Icglaterra
TELEGRAMAS
sssti;: ?asticlas :s bis:o
RIO DE JANEIRO, 1G de Jnlho, s 12
horas da tarde.
Foram norneados para a Tlicsouraria de
Faztnda ile Pernambuco:
)."-escriptnrario, Francisco Marrlos;
l'raticantes, Floriano Ribeiro c Antonio
P>rederodes. i
Foram declarados sem effeito os de-
i etos que reformaram oe tenentes-coro-
neis da guarda nacional de Pernambuco,
l Manoel Correia do Barros e Cleophas
Yasconcellos; da de AlagOas, Manoel Ca-
I. eiros; e da do Rio Grande do Norte, Ma-
; el lleras.
Hontem noitc, quando a Familia
Imperial se retira va do tbeatro, depois do
ipectaculo lyrico, foi desacatada aos bra-
de viva a repblica e o partido repu-
i "no.
Lrm pequeo grupo approxiinou-se de S.
X. o Imperador, que parou.
S. MM. foram rodeadas por diversas
j.:iiilias e cavalheiros, sendo saudadas es-
* indosamente quando parti o coche que
a.- recebeu.
X'cssa occasiao, ouvio-sc un tiro de re-
volver as proximidades do thcatro D. Pe-
dro II.
Foi gerai a indignai;So caucada por esses
ir. TOS.
Na madrugada de boje foi preso Adria-
""t..' Vallo, aecusado de ter sido o autor do
iro.
v
BAHIA, 1G de Julho, s '< horas e 40
r...utos da tarde.
ODr. Innocencio Gcs, cx-deputado ge-
rai por esta provincia e ex-presidente de
l'crnambnco, declarou pela imprensa que se
n irava da politica e que recolhia-se vida
; vada.
NATAL, 16 de Julho, s 3 horas e 20
minutos da tarde.
Aqui xhegou o vapor Una da Compa-
niiia Pernanibucasa, o qiuil segae para o
sssvijo : agsucia svas
RIO, 16 de Julho.
Hontem, saluda do espectculo, urna
tentativa de assassinato foi commettida
contra t. M. o Imperador D. Pedro II.
O assassino disparou um tiro de revol-
ver sobre a victima, que felizmente nao foi
attingida pelo projectil.
O assassino fugio e at agora nSo pode
ser encontrado.
PARS, 15 de Julho.
A festa nacional de 14 de Julho foi ce-
lebrada com o enthusiasmo do costume,
mas as festas populares foram contraria-
das pelo mo tempo.
PARS, 15 de Julho, tarde.
O Senado adoptou o projecto de lei con-
tra as candidaturas mltiplas concernentes
deputaclo.
MADRID, 15 de Julho, tarde.
O Supremo Tribunal de Madrid condem-
uou o Conde de Benomir, antigo embaixa-
dor da Hespanba em Berlim.
PARS, 16 de Julho, pela manha.
.O orcamento para o prximo exercicie
foi votado pelas duas cmaras.
PARS, 16 de Julho, Urde.
I'or decreto de Mr. Sadi-Carnot, presi-
dente da repblica, a sessSo ordinaria do
parlamento foi encerrada.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
16 de Julho de 1889. .
JNSTRCgiOPOPULAR
AS GRANDES liTOCOES
i^TIGAS E IflODKHNAS
Se-'
M22
XAS
industrias e artes
POK
stituindo o seu capital, ou parle dclle, era i
da raelaliiea, poder o governo autorisarrf
sao de lulhnles ao portador e vista, otm
veis na mesma moeda.
Art. 2." O fundo social das cormianhMM
se propuzerem s operacues indicada U
l.". nao poder ser inferior.
ai Na capital do ijupcrio, a 10 OOQ-.QtM
b> >"ascapitaes daeprovinri.-is, u 6'.000:00
n Xas domis fe-cliddes, a.OOO""
^H3C A emiasy _de que '.rata o art.
miuI que. <^ai
,:i em
ripio da
lUiba. as com
^
illu-
\1>
O diflvrcnle* mediado
minnro
(CfontinuasSo)
Qflando euvollo uestes diversos productos, o
gaz proveniente da distillaco da hulha alumia
pouco : tem urna aeco deleteiia sobre o nosso
organismo : altera a cor dos eslofos, ataca os mo-
taes v as pinturas, cujas cores sao cranoslas de
chumbo.
Estes efteitos nocivos sao devidos & ammonia-
ca, aos leos era pyreumaticos e sobretudo ao hy-
drogeuio sulfurao, cuja combustio produz gaz
acido sulfuroso : 6 pois essencial rejeitar todos
esses productos nocivos e s conservar o hyJro-
genio bicarbonado nico gaz til para a illnrai-
naeio.
Para conseguir tal resultado ntroduzem-se
todos os productos da decomposicllo da hulha
em tubos que mergulham era urna caixa de folba
de ferro e sob urna carnada (agua de alguns
centmetros. Os saes aramoniacaes dissolvem-
e," e o alcatro condensase Beata agua. Dirge-
se depois o ga para um apparelho chamado de-
purador, em que passa por peneiras carregadas-
de cal pulverulenta e humedecida com agua.
Esta substancia rouba ao gaz o acide carbnico
o hydrogenio sulfurado, de que to essencial
era purifcalo. Comtudo a purifleacao nunca
completa e o gaz bea sempre com um chelro
desagradavel.
Purilicado pelos ineios indicados, o gaz le-
vado para um reservatorio destinado a contel-o
e chamado gazometro. ;Este consta de duas par-
tes : a baciu' destinada a conter agua, e a cam-
pana onde se recolhe o gaz. As bacias sao aber-
tas no solo e revistas d'um cimento impenetravel
agua. A campana, toberta de urna espessa
capa de breu, formada de chapas de ferrro
muito resistentes, l'ma correte presa ao cimo
da campana resvala sobre duas roldanas o tem
suspensos na extremidade pesos que equilibram
aproximadamente o gazometro. Em virtude
d esta ultima disposicao pode a campana subir
e descer fcilmente dentro da bacia. D'esta for-
ma o gaz nao sujeito a nma press&o violenta,
que provocara rupturas e molestara a decom-
posicao da hulha at s retortas.
Ao sabir do gazometro, um grande cano leva
o gaz aos tubos de distrbuicao, que sao de ferro
fundido Os canos das ramilicares e os que
levarn o gaz ao interior das casas sao de chum-
bo. ,
Por um pequeo tubo conductor adaptado ao
cano principal, o gaz passa para um duplo cy-
liudro co, terminado em urna pequea cora
metallica, que tem ordinariamente vinte orifi-
cios, que do sabida a 120 ou 150 litros de gaz
por hora Esta c geralmcnte a formados bicos
no interior dos edificios. Os que servem para
aluraiar as ras constara de um tubo delgado,
terminado por urna fenda estreila. O gaz que
sahe por esta fenda abre-se c produz um chau-
ma delgada c larga, parecida com urna aza de
borbuleta.
Cumprc agora dar urna explicaro do grande
poder resplandescentc do gaz de ilummaco.
l'ra gar nunca alumia por si proprio, mas pela
formaco dura corpo solido, que se produ/.;deo-
tro da chamma.
0 hydrogeneo puro, quando arde, d urna
chamma muito pallida e quasi invisivel, aporque
a sua combusta ao produz deposito algum de
materia slita ; o vapor d"agua o nico pro-
ducto da sua combusto.
Ao contrario, a chamma do hydrogeneo bicar
bonado mu viva, porque este gaz quando arde,
deixa um pequeo residuo de carvo, o qoal
como fique algum lempo no interior da chamma
antes de arder, toraar-se luminoso pela alta tem-
peratura a que est elevado.
(Contina)
PARTE OFFICIAL
Actos do poder exeeutivo
Senhor.O decreto n 10,14i de 3 de Janeiro
do correnle anno, que regulou a execucQo da le
n. 3,403 de 24 de Novembro do anno passado,
nao inlerpretou lielmente o pensameoto do le-
gislador, no tocante aos bancos de emissio sobre
fundo metallico, aplicando Ihes restrieges s
cogitada? para os estabelecimentos que garan-
tissem ojrcsgate dos bilhetes em circulaco com
ttulos da lvida publica interna fundada.
A semclhante intelligencia oppunham-se, h&o
s os bons principios geralmente aceitos sobre
o assumpto, seno o elemento histrico da ela-
borado da lei, criterio seguro para correcta
comprebenso das disposices nella contids.
Posso affirmal-o, com tanto maior convieco
quanto coube-me parte directa, embora insigni-
licante, na iniciativa do respectivo projecto, e
commigo peosa um dos dous Ilustres represen-
tantes da nago seus co-autores.
Taes limitaefies, sem razio de ser na theoria,
como na pratica das nacoes mais adiantadas, de-
ram em resultado o completo ma'logro das espe-
rangas depositadas na mencionada le.
At hoje nao foi possivel fuodar-se entre nos
um nico banco de emisso, sem embargo do
concurso de circumstancias favoraveis que pro-
mettiam a realisacao dessa idea, da qual irame-
diaUmente depende o desenvolvimento das for
cas productoras do paiz c a elevacao da fortuna
publica.
No intuito de altender a urna grande e inde-
clinavel ;iecessidade, cumprindo o qne julgo ri
goroso dever do meu cargo, satisfazeudo a jus-
tos reclamos da opinio, e como base ind'spen-
savel a outras providencias, tendentes a melhorar
as nossas condicOes tinanceiras, teoho a honra
de re8peitosamente solicitar a approvacSo d
Vossa Magestade Imperial para o decreto junto
que submetto sabedoria de Vossa Magestade
Imperial.
Sou, Seohor, de Vossa Magestade Imperial
subdito reverente. Rio de Janeiro, 6 de Julho
de 1889 Visconde de Ouro Preto.
DECRETO N. 10.262de 6 de julho
de 1889
Regula a execuc.So do decreto n. 3,403 de
" 24 de Novembro de 1888, na parte rea*-
tita a bancos de emissao com capital me-
tallico.
Hei por bem ordenar que. na execucao do de-
creto legislativo n. 3,403 de 24 de Novembro do
anno prximo passado, se observe o seguinte :
R<- K u lame nto
CAPITULO 4
DAS ZOHA8 K LIMITES DA BMlSSAO Di B1LHBTES AO
POBIADOB VISTA, COSVEllTlVKiS EMMOEO*
MBTALUCi.
Art i. A's companbias anonymas que se a
stituirem oh se reorganisarem para realisar ope-
racoes bacarias de deposites e.descoatos, con-
da AtrmHPirawA
Art. 'i. As companhias anonymas que se pro
puzercm a obter a faculdade (fe emisso de bi-
lhetes ao portador e vista, convertiveis em
moeda metallica, devero solicitar do governo,
prrante d ministro e secretario de estado do o, rngate
negocios da fazenda, a approvacao de seus es-
tatutos e a competente autorisac.
0 requeriraento ser acompanhado :
1." Da cerlido do deposito da decima parte
do capital subscripto;
2." Do instrumento da consttuigo da compa-
QBa, OL 'la reforma de seus estatutos, mencio-
nando :
a) norne, naturalidade, proQssao e domicilio
dos tomadores de acres ;
b) A sede da companbia, sua dcnomin&nio e
prazo :
e) O capital -social, o numero das accOes em
que for distribuido, seu respectivo valor c as
epochas era que deva ser realisado :
d) O nuraero e attribuices dos administrado-
res, e do conseltio fiscal ;
e) Os poderes reservados assembla geral
dos accionistas e a data da sua convocaco, que
dever ter lugar pelo menos urna vez cada anno;
fi A formaco do fundo de reserva :
gi Resalva para a companhia, na hypothese.
de corrida dos depositantes em conta corr.-nte,
para retiradas imracmatas, do direito de pagar-
Ibes por meio de letras que vencam o mesmo
juro, e sejam divididas em seis series, corres
pondentes a data da exigencia, e resgataveis de
quinze era quinze dias, de modo que ao cabo de
noventa esteja restabelecido o pagamento vista;
h) Autorisarao para contractos de penhor agr-
cola, por prazo de um a tres annos, e ainda por
escripto particular, nssignado pelo deveder e
duas testemunbas, com as firmas reconbecidas,
e devidamente registrado, flxando-se o mximo
da quota de capital que nelles possa ser erapre-
gado.
Art. o. Approvados os estatutos e concedida
a autorisaco, a companhia fal-os-ha archivar na
Junta Commercial do districto, conjuntamente
com os demais documentos exigidos no art. 32
do decreto n 8821 de 30 de ezembro de 1882,
que sero lodos publicados na forma do art. 33
do mesmo decreto.
Art. 6. Dentro de trez mezes, a contar da au-
torisadao, a compipiia ser obrigada, sob pena
de caducidade da pesraa autorisacSo, a exhibir
perante o thesoflro nacional a prova de estar
realisada, em moeda metallica; a parte do capi-
tal, que, nos termos desle regulamento, deve ga-
rantir a sua emissb.
Esta prova consistir cm auto de vistorM
exame deivros, processados perante o juttr>
commwrciarda s(>de da companhia, de cooformi-
dade com as disposices do regulamento n. 737
de i'\ de Novembro de 1850.
CAPITULO III
DA RETINA DOS BiLntTES DOS REQUISITOS (LE DE-
VESI TEB E SEUS PRIVILEGIOS
Art. 7. Satisfeitas as formalidades dos artigos
antecedentes, a Caixa da Amortizaro entregar
s companhias, em bilhetes, a smma corres-
pondente ao triplo da parte do capital sobre a
qual pretenda eraittir. pagas pelas mesmas com-
panb' 'odas as despezas.
o. Sempre que as companhias queiram
alar, emissao respectiva, devero requerel-o
Ca ;a Amorlisago, que,, em vista da prova
exig. .. no art. 6o, cntregar-lhes-ha o triplo da
semina destinada a esse augmento.
Art. 8." Os bilhetes sero dos valores de 10,
20., 305, ."JO*. 100*, 200* c 5005, guardada en-
tre elles a propor^o que as companhias recla-
maren]. Cada valor ter estampa ou desenho dif-
irante : mas a mesma estampa ou desenho ser-
vir para todas as companhias. As agencias ou
caixas tiliaes tcr&o os raesmos bilhetes das ai-
xas raatrizes.
Art. 9. Alm da nunierajo e designarn da
serie e estampa, os bilhetes devem contera
a) A inscripcao do valor que representan), pa-
gavel ao portador e vista em moeda metal-
lica :
b) 0 nome da companhia emissora c a sua
sede ;
c) A assignatura de chancella do tbesouro da
Caixa da Amortizaco;
d) A assignatura do proprio punho do direc-
tor, administrador ou gerente da companhia, a
quem pelos estatutos compita firmar as respon-
sabilidades do estabelecimento.
Art. O. Os bilhetes de que trata o artigo an-
tecedente sero recebidos as estucos publicas
geracs, provinciaes e raunicipaes.
Art. 11. No mesmos bilhetes podem ser rea-
lizados os pagamentos a cargo das estaces pu-
blicas, querendo as partes recebel-os.
art. 12. 0 curso legal dcstes bilhetes cessa lo
go que por editW ou aviso aonunciar-se a sub-
stituido da estampa, assim como que entrouem
liquidaco a companhia emissora.
Art. 13. Os porfcdores destes bilhetes terSo
privilegio para teu pagamento, com eicluso de
quaesquer outros credores, sobre o capital e o
activo das companhia "bancarias.
CAPITULO IV
DAS OBRIGACOBS DAS COMPADHIAS EM1SS0RAS
Art. 14 Alin dos deveres que Ibes incumbem
como sociedades anunyaias, as companhias emis-
soras sao obligadas, sob pena de liquidacao tor-
eada :
1." A ter sempre em caixa em moeda metalli-
ca, pelo menos um terco da somma dos bilhe-
tes que tiverem em circulado ;
2. A pagar, vista e em moeda metallica, os
bilhetes da respectiva emisso.
Art. 15. As companhias nao sao obrigadas a
receber e a pagar os bilhetes que se formaren!
de pedacos, e os que nao tenhain bem intelhgi-
veis o numero, a serie, a estampa e o nome do
banco.
CAPITULO V
se jbi ,
\r ti dia que se indicar, se repularo
"q os bllhe'cs que nao forem apresenta-
DOS SERVICOS A CARGO DA CAIXA DA AMORTlSAgAO
Art. 16. Aporovados e registrados 03 estatu-
tos da companbia, a junta administrativa da Cai-
xa da Amortizago lixar, vista do auto de que
trata o art. 6, a somma que poder a mesma
companhia lancar era circulacao; isto o tri
po da parte do capital para ^sse lira destinad*
e mandar entregar os bilhetes.
Da mesma forma proceder ajuntanabypo
tbese do art. 7o, paragrapho nico.
Art. 17. Peita a entrega, o inspector da caixa
ofbciar ao fiscal do governo dando-lbe noticia.
da quantidade, valores, series e nmeros dos
bilhetes.
Art. 18. Os bilhetes dilacerados sero substi-
tuidos pelas companhias qne os inutilisarao com
um carimbo e os trocaro na Caixa da Amorti-
zaefio, pagas as despezas.
Art. 19, Apparecendo na cj^H^^plhiHes
falsos, a junta ordenar a es-
tampa, que Aera ^Hihias noaj
termos do artk o de sei
mezes.
9 Deliberada ou decretada a liquidacao,
imphian:regr,i imfnpdiatamente Caixa
^^^Pi nfio s a importancia em ouro
^^^^^Hfe cofees, my tambera, devida-
ib|dOS- os bflie.-s de sua emissao
tcm caixa.
i fr insufficlente para o res-
inbia, os liquidantes ou syndicos
ais em*oeUa metallica, dentro do
zes,- a comalida data da delibe-
(arts. 28, SCf, 31 e 32) quantia
comnle'.^i o pagamento dos bilhe-
.arde serc..ip::a. dentro do
, MHRo.-a iiISnMr^RvfiO artigo an-
I tejwdenlejLjurita providenciar para que se alie-
I nc > active da companliia.
Art. 22.Com a quantia recolhida pela com-
panhia ou no caso contrario, com as sommas
apuradas f venda do activo. cfTectuar a caixa
>s bilhetes.
Se a con|>anhia liver a sede em algumas prc-
vineia, a cixa fornreer ao tbesouro os preci-
dpjlpara que o resgate se faga tambem
_WEi tbesourana de fazenda.
t."23.j' resgate ser annuneiatlo por edi-
I publtidos pela imprensa e afiixndos s
s dasigrcjas raatrizes e das repartices pu-
licatgerfs, provinciaes e municipaes, decla-
se bi qne. lindo o prazo de seis mezes,
a pa
pre
dos.
No resite guardar-se-ho a disposices dos
aris. 13 reiro depfo c as rpgras estabelecidas no art.
4i do priente regulamento.
Art 2I( Terminado o prazo do resgate, o li-
quidada! conta com a thesouraria de fazenda,
sero cqjferidos os trocos e remessas, e prepa-
rar-se-luo expediente para a queima.
Art. 2 Kar-sc-ha o thesouro sciente da im-
nprtanti'dos bilhetes nao apresentados, ao qual
tora a aplicaco indicada no art. 45.
Art. A incincracao dos bilhetes substitui
dos e regatados ser realisada na presenra da
junta dacaixa e de um representante da compa-
nbia, latando-se os necessarios termos.
Art. 31 A escripturago das operar.es supra-
mencioandas far-se-ha:
a) aiaisa da Araortizaco, em um livro de
entrada* sahidas, de notas novas, em um livro
de entraas e sahidas de notas substituidas, em
um indio dos bilhetes emittidos, era que se de-
clare o vior, a estampa, a sene, os nmeros e
o nome, a companhia que osjdcve emitlir, e em
um Jivrole termos de queima ;
b) Na bmpnliia, nos registros que julgar nc-
cessariosoara a sua contabilidade e em um n-
dice dTilhetcs era que se mencione o valor, a
estampaj serie, o numero, a data da emisso e
da entreR-l caixa..
CAPITULO VI
DA DISSO.IVAO E LIQUIDACAO DAS CO^A-
i NUIAS EM1SSOBA8
Art 28. \ dissoluco c a liquidacao das com-
panhias empsoras t'ro lugar voluntaria ou for-
cadamente. Sero voluataria, verificando se
qualquer s hvpothescs dos arts. 77 a 82 do
decreto n. 1821 de 30 de Outubro de 1882; e tor-
eadas quaido : -.
iliair>mtr>liaom3g companhias ce pwar
os sTts,rflliete3 a vista e em moeda metallica
prvida 'a frita coto o instrumento de protesto
fe to pelo portador, t>erante o official competente
para o Ve lettras. (Cod. Comm.-art. 40O1 ;
2 E;cederem os limites da respectiva emis-
3 Nio tiverem cm caixa em moeda metallica
pelo ramos um terco da importancia dos blle-
les em sirculaco aiim de occorrer o seu promp-
to paganento: _
4* VffiHcar-se qualquer das hypothcses tigu-
radas ro art. 97 o citado regulamento n. ,821.
Art. 29. Sao competentes para requerer a dis-
solucc e quidaco das compannias emisso
1 Os respectivos directores nos casos dos
arts. 7: a 82 e 17 do decreto n. 8,821 ;
*> O accionistas nos dos arts. 82, So e Ji
acuna 'iudos, e no do n. 3" do artigo antece-
dente 4Mtte regulamento ;
S O] credores no caso do art.
n,4"' portadores de bilhetes no do n. 1
" 5o Oliscal.do goveroo em qualquer di
thesesacima mencionadas.
\ri 30 a dissoluco e a liquidacao das com-
panhia emissoras sero requeridas perante juizo
commircial da sede da companhia.
\rt 11 Dando-se, porm, algum dos casos de
que tratara os ns. t" a 4- do art. 20, qualquer
accionas ou portador de bilhete, assim ce-rao
o scal poder tambem leval oao conheciraenlo
do aoverno imperial, por intermedio do minis
iroestcrelario de Estado dos negocios da la-
fazenda que, depois das diligencias que julgai
necessarias, poder cassar a autorisacae, em vir-
tude da qual funceione a companhia.
Art J2 O decreto que cassar a autorisacao
ser remettido por copia ao fiscal respectivo
para que promova perante o juizo commercial
M devidos effeitos. Tanto o decreto, como a
sentenca de dissolugo, sero inmediatamente
Dublicados por iditaes na imprensa. A senten-
ca ser communicada, quer peto telegrapho, quer
neto correio, ao ministro da &enda, sob pena
de responsabilrtade do juiz da sede da liquida-
Art 33- Igual communicago far-se-ha, sob
pena de responsabilidade dos directores e ge-
rentes, quando a dissoluco e a liquidacao tive-
rem sido resolvidas voluntariamente.
CAPITULO VII
DO FISCAL DAS COMPANHIAS EMISSORAS
Art. 34. As companhias emissoras. alin do
consclho exigido pelo art. 14 da le n.,,3,lo0
Se 4 de Novembro de 1882, fteam sujeitas a
liscalisaco do governo, especialmente no que
referir-se 4 emisso, substituico e resgate dos
'Art. 35. Essa liscalisaco seriacedida por
funecionario no:ueado pelo mmislfo e secretario
de estado dos negocios da faieod, que desig-
nar-lhe-ha venciraentos nunca exdedentes a....
6-000* na capital do imperio, a 4?000 as das
provincias e a 3:000* nos municipios.
Paragrapho nico. As companhias entrarao
oan o thesouro nacional ou thesouranas de ia-
zenda com a importancia dos venciraentos dos
respectivos Hscats, sob pena de Ibes ser cass?.-
da a autonsacao. .
Art. 36. 0 fiscal nJo pode ter transaccao de
nenhuma especie cora a companhia sujeita a
sua iaspeccao.
Art. 37. Incumbe lhe verificar :
!. Se o capital social se conserva nos limites
tragados pela lei ; ,
." Se a companhia tem sempre era caixa, era
moeda metallica, um terco da Importancia dos
bilhetes em circulacao;
3 Se conserva o fundo de reserva ;
em tempo de cnse monetaria cura pre o
98 do decreto
das hypo-
Art. 39. No deseraponho de seus deveres, tem
o fiscal direito :
a) De examinar os livros e papis da compa-
nhia ;
bi De verificar o estado das caixas e cofres ;
c) De exigir nformaces da directoria e em-
preados;
rt) De requisitar do thesouro, das thesourarias
de fazenda e da caixa da amortizaco esclareci-
mentos e pareceres.
Art. 40. De qualquer irregularidadc de que
tenha conhecimento informar o ministro da fa-
zenda, a quem dirigir, em Janeiro o Julho de
cada anno, um relatorio das oper..ee3 da com
panhia sujeita sua tiscasae
Art. 41. Tambeai levar ao conhecimento dd
governo e do ub competente qualquer oceur-
rencia que, na forma do presente regulamento,
deva determinar a cessaejio do decreto de auto-
risaco, a decretacao da dissolugo e liquidacao
das "companhias, ou imposijo das penas em
que incorr..ra, tanto em virtude da lei n. 3,403
ae 24 efe. Novembro de 1888, como da de n.
3,l.'i0 de 4 de Novembro de 1882.
CAPITULO VIII
DISPOSICES PENABS
Art. 42. A falsilicago de bilhetes ao portador
e vista, onvertiveis era moeda metallica, e a
introduego dos falsificados serlo punidas com
as penas" comminadas pelo direito vigente ao
crirae de moeda falsa.
Art. 43. O exceso da emisso de bilhetes,
alm dos limites determinados na lei, impor-
tar :
1." Para a companhia. a revogaco do decreto
de autorisarao e sua liquidacao toreada e im-
mediata ;
2." Para os directores e gerentes, as penas do
art. 173 do cdigo criminal, alm daindemniza-
co das perdas damnos causados aos accio-
nistas;
3." Para os Oscaes conniventes em taes faltas,
porque, tendo d'ellas conhecimento, nao as de-
nunejaram em tempo, as mesmas penas mencio-
nadas no n. 2. deste artigo.
CAPILLO IX
DISPOSICES GEBAES
Art. 44. O troco dos bilhetes dilacerados, a
substituico dos de estampas que tiverem sido
falsificadas, e o resgate dos que pertencerem a
companhias em liquidacao. serao feitos de con-
formidade.com os arts.^8 a 23, tendo-se muito
em vista que nao devero ser aceit03 os que se
tormarcm ue pedacos, e os que nao tenham bem
intelligiveis o numero, a sene, a estampa e o
nome da companhia emissora.
Art. 45. Os bilhetes que nao apparecerera
substituico ou resgate. no prazo marcado, re-
putar-se-ho proscriptos, e a sua importaucia
,ser applicada amortizaco do papelmoeda
cu, se este j ejtiver amortizado, depositada
para que a levante quem tiver direito.
Art. 46. A moeda metallica de que se trata
oeste regulamento ;- de ouro, cumiada no im-
perio, a franceza de 10 e 10 francos em ouro, e
os soberanos e meios soberanos, conforme o
padrao lixo da lei de 11 de Setembro de 1846.
Arl. 47. 0 governo poder contractar com al-
guraa ou algumas das companhias emissoras o
resgate do papelmoeda.
Art. 48. Revogara-se as disposices em con-
traria.
O Visconde de Ouro Preto, consilheiro de es-
tado, senador do imperio, presidente do conse-
ibo de ministros, ministro e secretario de estado
dos negocios da fazenda e presidente do tribu-
nal do.thesouro nacional, assim o tenha enten-
dido e faca execular.
Palacio do Rio de Janeiro, aos li de Julho de
1889, 69. da independencia e do imperio.
Com a rubrica de Sua Magestade o Imperador.
Visconde de duro Preto.
Ciorerno la Provincia
OKSPACHOS DA PRE8LDENCIA DO DIA 15 DE
JCLHO DE 1889
Antonio Ferreira de Souza Pitanga.Deferido,
com officio de hoje Thesouraria de Fazenda.
Franco MartinsNogueira dos Santos.Conce-
do com ordenado somente.
Igncz Barbalho Ccha Cavalcante.Passc por-
tara coucedendo a gratilicaco requerida.
Joaquim da Costa Pinto.Ao Dr. juiz de di:
reito da comarca de Bezerros para altender, de-
volvendo este requerimento.
Lina Mara da Conceico.Remettido ao Sr.
director da Colonia Isabel para attender sup-
plicante, havendo vaga.
Conego Manoel Jcs Martins Alves de Carva-
Iho.Sim.
Marcal Correia.Informe o Dr. juiz de direito
do 2- districto criminal da comarca do Recite
Capito Silvino Joo Nepomuceno Bastos.
Sim, ficando aggregado ao 1" batalho do ser-
vico da reserva.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco 16 de Julho de 1889.
O porteiro,
F. Chacn.
seus
bilhetes em
clausula gdo
presente mola
5.- : -<*> '!
Art^^^Hbe-lhe anda tomar conhe|
ment doi^rolestos por falta de pag
.ietflHsta, providenciando c
octivo dar-lhe-ha aviso do pro
testo-no mesmo dia em que lhe for apresentado
tob pena'de responsabilidad?.
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 11 DE JULHO DE 1889
Emilia OJgmpia F. Bezerra e Mara da Nati-
dude Ferreira.Registrr-se e facam-se as dev
das noias..
Oflicio do Dr. procurador dos feitos, sob
Adolpho Banks.Volle a seceo do contenciosa
para informar: 1 onde c situada a casa de Josa
Nicolao Ferreira, e qual a sua numeracao, a (p*
se allude com designaejo de exercicio finac-
ceiro.
Frederico Ramos.informo o Dr. contador.
Fielden BroUiers.- ao I;r. contador para maa-
dter juntar Mfia das nformaces.
Oflicio dVlrepector da Instruccao Publica, s-
bre o pagamento de Jcum Louvet e Manoel Joe
F. d Costa- Ilaja vista o Dr. procurador fiscal.
Fieldem Brothers, sobre o pagamento do bck
de Junho no consumo dessa cidade e Casa d*
Detencao.A o Dr. contador para informar.
Collector de Tirababa.Ao Dr. contador par
mandar fornecer.
Ajudante do procurador dos feitos de Pao
d'Alho.Ao Dr. contador para o seu coneri-
mento c devidos lins.
Officio do Dr. chefe de polica, sobre o peda*
do administrador da Casa de Detencao.Inform*
o Dr. contador.
Jos Ferreira da Silva e Joaquim Jos Feria-
ra.Informe o administrador da Recebedori
Provincial, indicando o nome do empregado inotivou o executivo.
Antonio Leonel de Alencar.Ao Dr. contador
para mandar escripturar.
Antonio J. de Souza e Silva.Ao Dr. contaiar
para os devidos ths.
Martinha Margarida de F. Lima.Ao collecar
de Jaboato para cumpnr o despacho da junta-
II. J. Perman.A' secretaria para satisfazera
exigencia da Contadoria.
Antonio- Lopes da Silva Campos.Ao ada -
nistrador da Recebedoria Provincial para scio-
dicar a quem pertence o estabelecimento case-
mercial existente a estrada de Luiz do Rego,a-
12. no exercicio de 188S-1886.
Luiza Francisca de Jess.Certifique-se.
Francisco da Conceico Neves.Ao Dr. conta-
dor para os devidos fins.
Recebedoria Provincial
DESPACHOS DO DIA 15 DE JLHO DE 18SS
Joo Eriquio de Jess e J. E. Nurcell Defe-
rido, em vista das nformaces.
- 16 -
D. J. Se ve e Manoel Joaquim Alves da Cosa.
Intorme a 1' seceo.
Souza Borges &. C. Requeira ao Thesow
Provincial.
Irmandade do Santissimo Sacramento da aa-
triz de Santo Antonio.-Cerlilique-se.
Manoel Francisco Chacn.A' i seceo -pan*
os fins convenientes.
Manoel Romo Correia de Araujo.-Deferi*
cm vista das nformaces.
Miranda & Sarmento.-.V 1* seceo para o
devidos fins.
Repartlco da Polica
2.a seccao.N. 839Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 16 de Julho de 1889-
Ulm. e Exm. Sr. participo a V. Exc.
que forana hontem reeolhidos Casa de
Detencao, os seguintes individuos :
A' minba ordem, Martins de tal, como alie-
nado, at que tenha o conveniente destino.
A" ordem do Dr. delegado do 1" districto da
capital, Manoel Ferreira .Lins por offensas mo-
ral publica, Marcelino Manoel da Silva, Antonio
Lourenco de Lima, Balbina Maria da Silva, Ber-
nardina Mara da Silva, por disturbios.
A' ordem do do 2 districto, Jos Vieira de
Mello, por offensas moral publica.
A' ordem do subdelegado do 1" districto da
freguezia de S. Jos, Manoel da Luz Amaro e
Joo Alves dos Santos, por embriaguez e dis-
turbios. ... .
A' ordem do do 2 districto, Cand>do Ferreira
dos Santos, or disturbios.
A' ordem do do districto da Ba-Viapem, Aq-
tonio Gaspar Drummond, por crime de furto.
A' ordem do do 1" distrie.lo da freguezia da
Boa Vista, Joo Pedro da Silva, Francisco Jos
de Saot'Anna, por disturbios, Quiteria Maria da
Conceiso, por embriaguez, Procopio Amaro da
Sotedade, por offensas moral publica.
A' ordem do da Torre, Manoel Antonio Sil-
veira, por embriaguez e disturbios.
O Dr. delegado do Io districto da capital
trouxe ao meu cenbocimento o seguinte :
No dia 13 do correte, assumio o exercicio do
cargo de subdelegado da freguezia do Recite o
capito Nuno Alves da Fonseca, na qualidade de
3- suppleote. .
Pelo subdelegado do- t districto da fre-
guezia de S, Jos foi remettido ao Dr. juiz de
direito do 3" districto criminal o inquerito poli
ciai procedido contra Damio Jos Pedro de Al-
cantara, pelo crime de ferimentos.
O mesmo Dr. delegado remetteu esla re-
i sete facas de jK?nta,um compasso e uraa
tomados a desordei
instrucrSo Publica
DESPACHOS DO DLV. 11 UE JCLHO DE lSS
Lourenco de Albuquerque Cavalcante e Amo-
nio Dias Prente.Cumpra-se e registre-se.
- 13
Joo Januario Pinto Azevedo, Joaquim Lncao
de Barros, capito J. da Rocha Siqueira'Caval-
cante, Manoel Conrado, Francisco das Chaga
Cavalcante Pessoa, majorIHermetieglldo F.duastJ
do Reso "Monteiro, capito Faustino de Barca*
Lima e Manoel Rodrigues de Carvalho Brito.
Cumpra-sa e regstrese.
Manoel J. dos i'antos.Encaminhe-se.
13
Lourenco Guedcs Alcoforado. -Encaminhe-t.
Justina Anna da Silva Santos.Como reqaer-
Tenente-coronel Jos Joaquim de AzevesS
Agr. Sebastio Lins W- Chaves, Luiza A. o
Drummond Candida de DrummondCan-
pra-se e registre-sc.

('

i:

B. fl^H
DIARIO DE PERNAMBUCO
1SCIFE, 17 DE JULHO DE 1889>
Acontccimentos 'da corte
O telegramma que hontem publicamos, <*
e o que hoje inserimos na respectiva see-
yao, ambos precedentes do Rio de Jan-
ro, e ambos do nosso correspondente, -
dicam, pela gravidade das noticias tvu-
mittidas, urna situagao alarmante, quea-
bre modo deve trazer inquietos os em-
ritos.
Diz o primeiro desses telegrammas que,
por occasiao de urna passeiata de mo$
acadmicos, no pensamento de comme*-
rar o centenario da revolucao francesa,
deram-se conflictos em que houve troca de
tiros e diversos ferimentos.
Essa noticia j do si grave, pois besa
pode 6er encarado o facto que ella nnw
ciona como um inicio de luta civil, com a
qual s a na3o tem que perder, entre-
tanto sobrepujada em gravidado peta de
telegramma hoje publicado, do qual ace t
que S. M. o Imperador, velho e alquebra-
do servidor do paiz, que pela sua poaiffie,
idade e afanosos labores em pro do Brasil
merece todos os respeitos, foi desacatad,
chegando-se ouvir um tiro quando S. M- *
parta no seu carro, depois de teraaw-
tido um espectculo, na noite de aaSe-
hontem, no theatro de Pedrp II.
E'triste, ben^ triste e doloroso que se
dem taes e tSo estupendos factej denwa-
ciadores das crueis lides do espirito- pn-
blico, 'xa ingentes esfofefis para sahird
chaos em quo os aconteciinentos dos se-
rnos tempes o mergulbaram, corcando-a de
den-
Sobra-nos, entretanto, energa para ewa-
ie violencias. S. M. 2*-
errado e de

l '__

t


Di ano de Feruam
arta-feira 17 de Julho de 1*89


servicos ao paiz; incrue;tionvel que
tem actoa nobilissimos na sua extensa vida
de imperante ; nm homem honesto, um
espirito culto, um coracao clementes; e,
quaWo outros ttulos nao^Jivesso, s por
esses devia, inspirar o maior rcsp*ito, a
mais sincera sympatuia, que nunca deixa
de cercar os homcns encanecidos no ser-
vico da patria.
No duvidamos de que o amor as ins-
tituic3es raonarchicas esteja eimorecido no
coracao de grande numero di) brazileiros ;
damos de barato que seja asp raciio nacio-
nal mudar a forma de govrno, que
apenas accidental na vida dos povos; mas
pretender fazel-o iniciando actos de sal-
vageria, que inportam em desacatos & um
velho de ti-i annos, rnesmo humanamen-
te fallando, um acto brutal que todos
deve inspirar repulsa.
INTERIOR
ftolicias do norte do Imperio
O paquete nacional Alag is, entrado hontem
o norte, trouxe-nos as segundes notici.s:
Amazona
Datas at i de JulliG :
Assumio a administraco da^aavineia, no (lia
Io, o Dr. alaooel Frauofeco MaqBuo.
Lomos no Commercio do Amazonas de 2 : *
O Exin. Sr: Dr. Oliveira Machado receben
hontem urna prova de estima de um cavatheiro
de Dossa sociedade, que llie offerteu um rico
tinteiro co;n urna caeta e penira de onro para
S. Exc. assiguar o ultimo acto de sua adminis-
traco. S. Exc. agrsdeccu tao gentil brinde e
assignou o relatono com que nassou as redeas
o governo ao Exm. sr Dr. Manoel F. Macha-
do, sendo este o seu ultimo acto administra-
tivo. ,
Se-'itio hontem para a fox do rio negro a
canhoneira Mandos levando a seu bordo o cap-
tao de mar e guerra, Salusliano Caetano dos
tantos, Ctiefe da flotilha desta provincia, alim de
azer as continencias do estylo a S. A. o Sr.
Conde d'Eu, esperado a todo momento nesra ca-
pital.
Diversos amigos eadmiradores do Exm. Sr.
Dr. Oliveira Mach ido, offerecerara-fhe lionlera e
a sua Exma. familia urna soire eia casa do Sr.
Antonio Fe-mandes Jorge.
a' hora em quescrevemos -nos inipossi
vel fjennos urna completa descripgo desaa
justa manifestacao, o que faremos no numero
d'anianli.
Por acto de 30 do mez ultimo foi sanecio-
aada a le do orratnento que tem de vigorar no
eorrente semestre.
A Citada folha, no seu numero de i, noti-
ciou nos seguintes termos a ebegada doSr. Con-
de d'Eu:
Hu tem chegou a esta cidade o digno espo-
so de Dossa gentil princeza imperial a Sorenis-
sima Sra. D. Isabel.
O p )vo amaz onenso, ao em vez do que te-
mos noticia de se ter Misado em outras provin
as, rerebeu S A o Sr. Conde d'Eu com fidal
uia e exp .nses de conlcutamculo, correspoc-
entes a grandeza da regiuo eiu que habita e
aos seus hbitos de respi-ito e coasideracao
quelles qus estao ligados pelos locos de paren-
tesco ao primeiro magisira lo da naco, o Mag-
nnimo Senbor D. Pedro II, cojo governo, longo
eomo mais tttil teria sido naco se o patrio
tierno fose o | redicado eommum da maior par-
t dos coiisettieiros que a-cor i tem tido.
San lanas respetoBamente a S. Alteza o
Sr. BABd d'Eu.
E' candidato a deputaco geral pelo tJ dil
tricto (ksta provincia o Sr. conselheiro Jos du
Costa Azeved),actual ministro da niarmlia.
Datas at 7 .le Julho :
Continuiva infrene a reaco poltica, oreando
j em 38'J as dem.sses fettas do funecionarios
de origen) conservadora.
O Diario do Grao-'ara denuncia actos vio-
lentos e arbitrarios .platicado no interior por
autoridades policiaes.
i roseguia o ioqoerito acerca doroubo des-
cob-rlo na thesouraria das loteras.
Fallecern): na capital Antonio Firmo
ias Cantoso ; e na BJa-Vista o cupito Francis-
co Rodrigues de Monfredo.
Ilaranho
Dalas al 10 de Julho :
A derrabada de bnceioaan s pblicos coati-
auava.
Lemos na Vicotilha de 9 :
i \ nj amantas e perado do aei
gue para o Recife o Exm. Sr. Dr. Jos "'oreir..
Alvos da SUva i'X-presidente da provincia.
Quando S. Exc. pa*l m a admioi-liacao DO
Exm. Sr. Jara) de (rajaba, Uve i de
manii -: i; nos sobre o seu .governo e por essa
occasiio disseiuos que emquanto perdurara
lena brama da oarrhia do Grljuli, ,.
que pron ctiia I r-e outras incale i
se ni de leq brar cora reas ihecimi'oi o i
do I idor epie lave oauitno bastante
beato (tependor partidario pira tranqnW
iran pi |Hila{ e rcivind ut os reitos da moral
effendidi.
A oatoreaa c m. artancia i s wrvico nos
aecntaamos n'i'si is palavras: j ,
joanto gran era o na-iyrio do- babitaotes
persogu dos o'aqoeilo eut5o conflagrada comar-
ea. >
Aprecia) idmiais
S. Esc, ;:.igo qoe
mais tarde, quaiidp Ja bouser o tempe apaj
os n que ainda
tUI:
O g.

dep ..
-
.
i .. ru, re-
cor..
SOL:
fo de fi'.or.-s i ., ;
re;
t .
uiin
i '
tal vi
dav I repetir p q
ka,: 6 sn.
riamhy
-2i d( J:.
ooiio O
I.
H a nenio.e tomn po-
de i
..n i-
i
do t.
:'.. o ex- oelle
! tao termina;!
....
. quaiquer di
sedico, ajgutn
'.SO 8UlIo-
car i lo c, segando a
con
'i
-0 Sr oiinis'
mente de prestar un
>ta imperio, que precisa quanto antes de
mostrarle grande e poderoso aos povs desta
provincia.
Prestar-se-ha o Sr. Dr: Valente a gervir-lhe
de ponto de apoio ?
t Responden] pela negativa os povos de Ama
ranle e S. Francisco, pelo que nos desde j apre-
venamos le as nossas fclicitacOes, desojando
que. importante cargo que-ora oo-upa
sirva Ihe de ensejo para prestar seus serviros a
causa publica com applausos de todos os seas
conterrneos.
Car
Datas at 43 de Julho:
No dia 10 assumira h administraco da -pro-
vincia o conselheiro Henrique d'Arilla.
A' proposito escreveu a Conjtituifw de 13 :
Anos o acto ofeial do juramento e posse dn
governo, o honrado Sr. conselheiro Henrique
d'.-willa expoz, em brilhante allocucao, o plano
que pretende seguir na administraeo da pro-
vincia.
Nao veio ao Cear fazer politica, veio, no
deseaipeoUt) de eomproojisao que voluniaria-
mente omou, tratar de salvar a provincia da
grande culamidade que a acoita.
' ctualmente, accrescentou S. Exc, nao pode
haver outra politica. Essa a nica que pode
ser feita e a nica que digna, nevera dese-
jal a todos os cearenses, e todos deve tu coadyu-
var ad.ninistraco Deesa obra de salvacao com-
mum.
Escusado dizer que o discorso presiden-
cial foi ouvido no meio de applausos, avtgo
rando-se em lodae es espiritoa a crenca de esiar
honrando a cadira da administraco'publica o
grande brazileiro que orestara a provincia os
molhofs servteos i:a tribuua do Senado.
. Poi- In'n.'O Sr. conselheiro Rodrigues Ju
nior^ue M|iplafdio era jialucio essa polili a de
sal*f|to publicfe, una que pode nobiliiar o
illslre delegado do.go\erip.imperial e esl de
accedo cora o seu brilhante passad i, logo no
dia seguirite. pela mauh, qru artigo de saudaco
ao novo administra lor, lembrou se de chamar a
altenco de S. Exc, so e exclusivamente, pira
a iwhlica de odios e interesses de familias, que
sempre fez c desoja aatoter.
" Fez mais. Dividi o sen trabaltio em capi-
lulos e em cada um desUs aecntuou os traeos
da sua individualidade, pe lindo que voltemos
aos lempos de sombra que passarara, porque
S. Ex.'., como o? seus amigos, tem fome e sede...
de vingaoca
E' digno de reparo, mas nao novo este
proredirnenlo do Sr. Rodrigues foator. S. Exc.
desde que appareceu no samario da vida poli-
tica, por um desses caprichos do destino, traiou
de viver para si e para os seu-. deia ido Sera 0
seu apoio, ou guerreando abertamente, loda< as
ideas novas e generosas, que a provincia buscou
reah-ar.
^ Lemos no Libertador de 6 :
Entrou boje em no-so pono a barca norue
gueu-i' arar capito A. J. Aroeeen que !a cotn
171 das de viagem <\,t Sania para a Repblica
do Prata, e um temporal causuu-lhe diversas
avarias. rjue roryou-a arribar.
Tem a bordo o carregamen'o do madeira de
pinho.
- Lemos na mesma folh i de 8 :
Hontem de t<> para IP horas da noile no u
teiro d Prainha, ra da joledade, em um sam-
ba a toque de viola quo se fazia em casa d um
invalido Jos Francisco do Nascimentjuccedeu
que por essa occalso apparecea alli Francisco
lienediclo da .osla, vulgo Uulaio, em companhia
de JoSo Francisco do# Santos, c seni motivo plau-
sivel II.ilaio armado de faca de ponta arremessa-
se furioso contra Haooel Voreira e correado Ihe
;; faca empregou por cima do pei'.o es juerdo,
causando-llie a norte insianlanea.
O delinquiente poode-M logo em fuga o de-
legado expe-ito urna pa'rull.a da guarda ctVica,
que conseguio pren lel-o na Aldtola era um ou-
tro samba. .
O cadver foi transportado para a Sanli
Casa ond-' o delegado proceden o exatne e e-i
trataato dasdeligencias no inqocril i policial na
forma da le.
lio Craiide U fiarte
Dalas al 14 de Julho.
Constara as noticias da 'arta do 00580 corres-
pondente pi.lili.ida ra rubrica propria.
Para Ii y Un
Datas al 15 de Julho.
Assumira a sdinuiatratd da pro\iucia, o Dr.
Luiz Francisco da Gama Rosa.
Lemo- no fautor de 7 :
No dia t, ao obegar Alfamli-ga para con-
tinuar no cargo de inspector que ex ice com a
maior p obi I id, o ross je 'randa amigo Bxm.
Sr. Hi.;io de Aiiiaiiv. f.d reCettlflo M 1 uua feta
pelos empreeados d'aaapUt repartcao.
Discorsas, llores, fognetes era profusao, mos-
Irarau a estima de que Oa tao emrito cava
llieiro.
Nos, cheios de alegria nos unimos a essa
mauifeslaco, privativa dos h mi.-ns que sabcni
batalliar pelo progresso e pelo bem. e damos os
aossos paralvus flo benemrito Baro de
Abiabj.
- r.'mosno Jorntl di !'a.-i-'/',; de 0:
Pesadas B-fedignas dos infoniuut que o Sr.
Jos Carlos BabeliO paga i ir do pessoa] Bmpre-
ga lo por conla la i iblcos.
e o encarregado de son lar o animo (los ipoota-
dores, ajndanies dVstes e*ntnM iftra de salter,
c un iiueai prei n ie i. rol ir.'obrigao lo es a Uthb
. i, o Sr. Dr. Cam.j | '
S lo.
.Sabe o Exm. Sr. Dr, G una Rosa qn o nn-
b ^aramio a mJis plena hberd : ; i I
- I. 1, pi :-. da boura I I ;> .|;iv.-i I
Vise 'ii le d Q tro I ro
aislrador providencia.s n eletto-
ral, que se esta I c di ..
. Da a-diaej
lo ;i ,.
>!'j!n Rio ito muRie .
-
, i de
Ta! ii Imiqisti ...;.> o
ICx'ii Sr. Bao de Abiabj recbenlo paf
i ia existenc4a de m
le xaphaVa, aflna do serc
e sin prega l< o <_. \ ;>
.
i.- ;: .
i aos ii.ilb
i

L '! -
C mi
ipel para
I
' I
Em
I a na di bu
mirra la a cari
u
Omix. DB i. \
'-io pr L
rara urna viag:>m d
I
Coud
ajuila dr costo, ou
o a
;
i durante umns ip
-
e o out ro i
e man.
ment
do coi
na mesma fola
Na povoaco da Branquinhj
d Menez > t'.n pros
qoasi ao'trooco, sendo n
m ado e preso em -
gado do lugar, |i i qu
ou ieuha que o tal subd
rem cortados ou tirados em
hontem flcava guar I
rtgpraas pessoas nao
o paciente ao tronco.
.. Para alli parti hontem i
Sr. major Epominendas, que. fj rj
fosse a bem do direilo do ollendid
Falleceu na 1 nperatriz^^J
00 Sarmenlo.
wmmmmmmmmmmmmt
CORRESPONDE


| Afi i de aIgumas peripecias tateressan
iitra-marthai. da parte de
veriticou-se hontem numero
lugar a abertura da assembla
pr ivincial, li'sijfhando o president.,' da me
o-dia 16 para ler lugar a missa votiva do Espiri-
to-Santo, convidando-se presidente da provin-
cia para fazer a lei|uaj,fie sua f "
dia.
t O Sr. ministro da agricultura realizan-
do quanto antes a publicaySo do relaorio
do Sr. Dr. Castilho, far servijo real ao
paiz. *
m o que
(MASCAS E COM
Do Diario de Pcraaiakuco
UKJ GRANDE DO NOTE-^tat., 14
de Jai o de I8d9
vapor
*
A rroducyo do assucar na provincia
de TniHrnan calculada superior a 3"
ao rendimento de 1888.
#
Ni dia Iz do crrente, aqjB
l'uapami o Exm. Dr. E^B_
presideot Luomealo
uiesnio dia presin jurain
peranle i llamara Muniojpa ar que.
S. lixc, que lera urna rep
imprimir outra djter,
lio descura.los desde 18 de J.
vce presi.lente uoujeado por tgjag'
te-coro:i.'i Antonio Basilio D.WRH
infeliz deixa triste t d .
eor.l.ir
Ni.) lia exemplo d jue tenha hlfi lo em par-
te algum'i um reuceo tao infrene des ommu
nal e era que nem siquer so guardo un certa
seriedade nos actos impensados e em a uiinima
rellexo, defazeodo-se boje, o quqsa bavia pra-
tic ido llantera, azendo se contrptos lesivos 5
provincia, protegendo-se es..-andalcaraente o cri
me e desbaratando se os diuheiroMjWit^Bura
servir prenles e amigos! ftfMtrAtaaa
provincia servicos qu;: haviain lo inTenBos
critenosa e convenientemente, pellex-presiden-
, E o. Dr. Jos Marcelliiio da l*a e Silva,
p na soceorros pblicos, at ah Cfgoua sanha
iria do viee-presi leu'e. Itio qua
si todas as comrniss'S uomea.Us do aora 1
ex-administrador, razendo lovas, ;tqua*andou
e ilri'gar sem forma!i lados legues, josMfrqilbn
lias .pesar de" judiciosas o'i- lo i ispe-
rtor da Thesouraria Mainel Coelh) lanle
Mello, que tafVez por n'io preeuclutos !:
se eiu era vista, a.raba de ser reaovinif para
outra provincia. L
No tocante a esle servico de socrroa pbli-
cos o escndalo e cy-iism cliegouO ponto de
querendo se festejar a cliegada depovo presi
denle n outros p-rsonagens viudos n\Ptrap>ma,
euibaii leiraraiu se as ras e se eofjlaram com
arcos de folhagens, sendo este servip ost
e publicamente feito rusta da vepa, e
gando-i ru is publicas Irabalhan lo e serempag.is pela
eominis-o de soceorros.
Este facto d bem idea do que solera feito e
do que, naturalmente, so pretende, ahdi fazer!
O brbaro atteniado contra o hontdp juiz de
direito de Cangoaretama. tteoa impute e os cri-
minosos passeiara publicaraenle osentando c
fi'Zendo alarde do acto que pralicaam, e qOe
den lugar a reuoro para outra comiroa do hon-
rado j i] i /.!
> i menino dia em que o Sr. vlq-prej
Antdnio Basilio, assumio a adtni-iisl igo, re
bia lelegramma do aulor do :rimeli
ronol Maiuel Joaquim .le Carvillio ^tg'> Cami-
sa hranc.a) pedia,lo a retirada d i
policio Dr. Tito L'vio, que eutfio ifitaava-a for-
iiiaco .la culpa 1 f
Nmneado por tele^ra roa o DrManoel Giti-
raa.i, sneatc muitos das depoi/ seguio S. S.
para squettc luga'-, o ide tralou ii in l'iQfir no-
vas testeraunhajt faze
tos que nao ein litios o sem at ader aos pro-
testos das rae*ns testemoobas.
Pouco depoil dota farca vergoosa, de que
ira protogoaist.i n novo ebefe deplicia. reqoe
ria o proiirn >r publico adrede no*'ado, exame
ie sanidade na peas >a dujUL jU*;,de, uomeando-se dous peritos prwiamete oanvida-
dos para reprsenla:- esta comedia eifeaiada na
sei retara da polica.
0 honrado juiz de direilo, cerlo de.Uiio isso,
nao ^ prestan [atea que se quera Jepr 'sen-
tar, mis a despeito d'isso existe assijnado um
i de sani laJe!! *
E" realinate at onde po le chegs* obcaada-
lc e proteccao do cride I E -le tud
ao contrajo (tienta-se

acio da
Basili
se faz mys'.ciio algsffl e
pablicameni -.
Os ac'os odiciai'S c las.-ai) uas t:eas
-.do |.uiilicadu a I
A rom* oficial (Gormo do Satalj quejem sido
distriboida, n i S nolkia -e um s
oinmiBOsa adinioistraco do Sr. Jos
Jes-te ra de lunho de eorrente.
(1 proi'-sorato da provincia lem
mais desbragada reafefifl i, s ardo
b'-m do '. ii'" publico, -' i ouv
'arTiS i
i...!i.'.i i pi
. r.'Ullt
.os poj e
ode piev. r.
Acti i-
O ivgulameuto novamente ex,
bancos de emiss i altera em pon ti
disposces do anterior, que imp ._
agora a formicao d'estes eslajielej
crdito.
Sabe-se que o regubunento anterior etabele-
cia dous processos para base da emiss'io: o
fundo de apolices da divida pnbca e o fundo
metalizo ; mas o actual nao autorisando o fundo
de apolices. e tao somente o fundo metallico,
ficq assim revogado o anterior na parte relativa
se processo. Alera d'isso, o regulameulo an-
terior, lim.tava a emissao, tanto a que fosse feita
sobre'fu n. i o de apolices, como a que se QzessB
sobre fundo meiallico; o actual regulamento
(jo lixa limite de emissao, e faz, em relaco ao
or, alteracoes no limite do fundo social
Hmo dos estabelecimentos bau a.-ios que pre-
^Bi'r. emitiir liilhetes.
rasse fundo soC'aitde cada compinhia no ser
pBpor : na capilal do imperio, a 1().()()0:000 ;
uas eapitaes de provinok, a ?> 000:0u0 ; e na-
demais loco.! -KO:tXM>5, sendo a com-
HW' i^ triplo da parle do capital qu", em
- compaohias reunirem
i.
otter a {acalda !e ic
.VutoacajUp carro o servico da
entre. loctfisnW!nis;ao ; c,
qu<: s o as exignocias lgaos; e. qo-m-
. u uu-c n-o: i, po ierao
fazel-o pu:- utenedio da inesiia caixa. qnndo
provera o augmento- do fondo'metattico, e sem-
pre na razaO do triplo d'esle.
o- bi
:io*t)Oi)
cerao
provin
quaesquer dir-itos
Ixtinct a limitago feita no regnlamento ante-
rior, que nao permiltia o pagamento de impontos
de.imp orlaco u'.-.ia especie ; e as es! igoes pu
i pelen realizar con estes bilhetcson pi-
gameatOS que Uverem de fazer, querco lo as
parles r.-.o iet-OS.
Da portadores d'ejtsa bilhotes tero privl --:''
para seu pagamento com mchiso de qua ; \\inr
O'itros '!.. torea, .-- ore 0 capital e o a tivo das
janhias I) mearas; estas, alu d is deve-
res que i-s iaeuaibera o no sociedades a
mas, sao obriga ias, sob pena d liquid ica i for-
cada, a bw sempre em caixa, e;u mQeda m 'oi-
lica, pelo menos u n le reo dos biihetes q:e tive-
rm em circulacio. e a pagar, vista e em moe-
da meiallica, os nillie'. is da resoertiva eraissa >.
D'estas disp.isices se cuten le qna tambera
est revogada a responsabilidale ccilectrva ilo-
b incas sobre os billieles de cada um d'elies,
como se consgsava r.o regula nenio anterior
can-loacada banco a responsabilidade das suas
emssfi s.
0 governo poder conlractar com tjQlfuer
d'estea bancos o resgate .lo papel-m i
Urna empresa belga pede garanta so-
bre dez nihocs de francos para estabe-
leccr no Uruguay a plantacio e um enge-
nho ce.itral para assucar da beterraba.
-1 io commandante do cruzador Afmira
Barroso.
Se nao fosse de notoriedad
vonlade ea inimleade do Ilustre Sr. miuistio da
marinha para com .-sse seu-camaradap
vos dellc i' uo seos
opiuio publica o acto do Sr. niinis
Nos entendemos que os altos cargos do e
do e a propria supenorilade do posto impOem '
aos superiores para com os-infenores o dever
de evitar a propria apparencia de urna vingan-
{a e urna attitude invariavelmente correrla para
n.'io poder ser de nenhura modo saspeitada de
malevolencia.
.#
X.i Iv'epublica Argentina acaba de cons-
tibjV-se a Fabrico Santafecina de Tabacos
nova sociedad* anooyau, que tem por fim
a cultera, manipulaciio e fabricace do
fumo, na provincia de Santa-F.
Seu capital de 300.000 pesot, divi-
dido sm accSes de 100 pesos.
A directora presidida pelo Sr Eduar-
do CarF'jranna, cominerciante muito con-
eeituado na praca de Santa-F.
TRAASCWPCES
ll^ieso Almirante Barroso
(Do Paiz da corte de 10 dejulhoj
O h i ir: 11 Sr. Ministro da Marinha, franquean-
do v la. -ai r:a,-i,i ilustrada, re-
.litou a publicacio
rara oto.- i se
rem (Suti ant- < m lemoaioiios para o com-
BBBfl 14!- J i
I' .r i ::i aubtic.agSij. do- doct<
nelhor ele-
mento !c Iel'eza aara o commandante MW), ia-
jHstmmte fensa&focomn ninia a conflrm
O Baoce de Crdito Real de S. Paulo nlia re-
cebi Jo at o dia $ do crreme proposas no va-
lor de-j8-fl00:0 'O^OnIO para emprestiaios lavou-
ra d'uqnefla provincia.
Fundou-se "n La Plata a Socitltd Etcporta-
dura Argn/ina com o capital de .030,000 de
piastra*.
') objccio principal da socie.lade a compra,
venda e exporracao de productor d i ;; :/..
coma o adi.antainento de fundos aos cultiva-
dores.
9 do argentino ivjesfcu e.n :' discusso
REVISTA DIARIA

documento, aqui o transcrevemos:
N. 65Co,nai;:i 1 o dopnjza I ir .'.',."'//;'.' Btir-
ro*oValparjzo, lo de Pevereir do I38I -A S.
lixe. o Sr. edefede esquadr.i bario de Coromb,
ajudatile-g'-neral da in i la.
l.'n -lia depois de haver clieira lo a
Barroso, a sei i. n i!
Val le.ie;j e s I
de \: Uteza !>. Augos'c a -. mi a e lizei
q te por orden do Es n. Sr I 'pu-
. llcaria a- i' i \'.{ ); \
temo.) queesiv-.-s.-e em V.ilparaz Respond lite
/pie Su i Alteza waca come 8> teaente da arm 11 /.
e./ c, portani., naqj poda \cei r.: aquella h taru,
que Ule quena fazer s.. Ex :. u 'Sr. presidente da
iiepublica, pji.iif.n i i insiste* ia por parte do
ref relo general em cumprir a ordera que i
bera, i'i?. i/l/yit ced. Ruando elle des le cutio in-
t -i a.u.'Mte a dispOSIC&U de Sua A! .-.;; : fido esse
que levo ao connecimento de V Exc. par i r
diga da Cinsideracao da iv ;-11 imperial. Deus
Kuar.m a V. Esc. O capila i le arma n guerra
Custolio Jos da Mult, com ia.nl I
Y. realmente curiosa a illaco tirata pelos de-
feas ir.-s Jo dobre ministra e a que elle propno
urou da cj.iniii.;:.; 11, feita ao governo impe-
rial pelo commaud.in'e Mello, sobre o faci da
ewpriona! gentilezad i presidente da Repblica
do Chile: que alie .vpu'ou :\ j i-iica ser dignj
da coiisTdorayo do governo iraperiat
Essa c n-iJ'racao mninfestoa-a, ora ium" do
governo, o honrado ministro da mariulia, cens-
en lo ao com nindunte Mello.p lo ficto que elle
nao po le ev.ir, vista da insistencia do gene-
ral c!uleno emenmprir aorim que recebera,
De .-jan.linos qo o noiire ministro nos dissesso
de que modo, estand i S. Exc. no lugar do con;
maii.l iii'.o '.ello, evitara a nfrucco disciplinar,
atrnbuida ao rnesmo commandante.
Se'0 general chileno era iii-irarcliicimubt su
i rior ao 2- teen te D. Augusto, era-o igualmente
a clausula do iroierto d Arad de ferro, entre ao proprio commaBdantc Melloe, nao fallando no
a Repblica* Argentina e o Brazil,
p ira o Eslado no lira de 90 annos.
#**
0 Senado uruguayo votoa um pcajecto de lei
autorisando a emissfiq de SO mdlifs de piastras,
de cdulas do Banco Nacional.
Hssfl rnrnrestimo ter do governo a garanta
de juros:
HDSTHAS E 4RTBS
revartealo disprete de oppor-seo mesmo i pin n tndante, em
territorio chileno, s ordeus emanadas do chele
la l'.epjblici para serem cumplidas por um ge
nerai lo exercilo clvleno. accresce que indita
plinahjwicrn, e de caVace mais grave, na atli-
:!-!: pro
lio :
,,. ., i
\t>n
p*ai i
; ,:d i.
.ju que i-esid.
. ...; o u i can I uora dp Br. He
.,:;;. qH6 i'io
candi lat sen
.
I ius no,r. s. dizia
;
liraglo .
. a muito.
i tro pos-
s:ge s '.e.n lugar
:!
' i ... que
,.,u. lliiO
pnWi
lie,
id

. i ni,.
D

Monafei BHhdo) |elo,Sr.
c.o:ii.JBRt a estrada do Dr.
.
inheiro,

. nu futuro.
' < n descorda no*
i r que lia rolllplUlf..
m d .to Dr-
. i:' I
possi-
ruo temos, I
.
utos.
Da v-oita das Aatilba* ond f>i de
do Govem Ibparfal i >' as jxoerien
cias di diJ>u3o ap^lioadi e fl-; as-
sucar, acha-se no'paia o Sr. De. -. Cas-
tilho; distincto engenlioiro, que e e a
^emer :ra ost'',ddu nao s o fabrico -*ra seus
engouhos contraes, mas anda, a cultura
rfeicoada em suas pianta9des.
O distincto engeuheiro a ">J as
experiencias da difaso ni usn.-t le Da
irry (Guadeonpej ate o son
liifi, que toi o mus concludeno c-n fa-
vor d'osse processo, o. com o qoal o n : .-
ib r >, firmado em urna cons-ic-
proPiod i, aaaogura que a industria as-
suareira est hoje armada ptra cafretar
todas as crises possiveis, princi]
ei ni>s8o paiz, onde, c>m a cu!tii:-a a rula
pteperteita, as caimas pnssuem 18 '/ de
asuc ir, a i passo que e;n Damerara,
a san costura perfeicoala, -
car.
Em DiineraiT., ond t'. lgSo
da d o-a ., os res ilt.-id >s uratA-taes, ijue
o pr iprij-tarlo d.i febrioa ininl:)'
di&tamente depois da 1.* stira tr
:n w otPS fibrica que
i va-
rios ... -' centraes
i; nao pard s ias
processo da d
Este processo, ajtoljc lamento
as Ai ti I i ii,s e He m erara,
cao na i
i, ti-
rmio 10 '/ de assacr ora que
i i 2 "/0 do principie sacehr.:-
ato dispensa a e ajwtv.
em apparelhos-eapecaes, ip..
da; oi.-'.ls r
aenip.
As clarificares e a iltr.i;". i
Sm diffasores.
O caldo da canoa sae dafiuso ; nao est
s.ij.iito la grandes alt
das mdendafl de nossos engenhos
pela melo do ar.
A importante quostao do : istive,
que era um eapantalho na dift'u:?.n, asse
gura o' Ilustrado engenbero quo vio re-
soJVida u'aquellas fabrica
'ii uas experiencias, a que assistio,
foi de 'O ''/. do peso da oanna traba-
puna nouvera, e de carac.er mais grave, na atti-
tude reJBfcitraate e descortez, a niial entendeo
Sr. ministro da marinha que dVora ter permane-
cido o com.nandaute M-ilo.
E' impos.-iv:l que n,: cartilba di civilidade of-
licial esse proce lmenlo (ossa julgado correcto;
mas no' le.nos por ouira eartilha.e continuomos
a pensar que a censura infligida ao commandante
Mello foi teviama e virtualmeate encerra urna des-
corteziu para com o governo do Chile.
Esta retrtbuifo oBcial s innmeras Bnezas
feias pelo governo e pelo pwu do Chile dij-
lincta olliciali lade do AlatiranU Barroso e parti-
cularmente ao principe i) Augusto,simples 2o
He, pateta me,nbro da fimilia imperial do
Brasil, 6 que nao eeta le abordo c hb os seoli-
,<- )\ : cavaiheirosos do povo brazitheiro.
A extrema delicadeza do governo chileno, que
o Sr. ministro da marinha declara, no seu aviso,
dever ler tido evitada, nao se exerceu sortele
eoin iviacao ao p i-icipe L). Augusto ; ella abran-
d tod i a ollicialidale -iMminaUe larroso
ou antes ella foi especialmente dirigida na-
conali lade brasileira repre itada^ lo seu pa-
v::i;io.
liosp:dag'in gratuita; treas especii-s as cs-
irailas de 'erro ; bailes, fabrico oneroso do cru
zador no dique de Valparaso: ln.nquelcs, car-
po.>tas s ordens dos offiriaes, mil ou-
tras v na fas finezas, de ludo Toi prodigo o go-
I:'. .c e, com : se anda depois de se
li;... i, ;- 'otado das aguas da hosplaleira
i ,, :oi:ca de.es..e acompanhir a offictadade
do Alnurort Barroso a ia da gea'Bea
chilena, ;oda a Australia, na occasifi
'
. ; :ili asi!, franqueando aogver-
i; i rnp -ra! u ,i importante s.j.ura. que de ou-
Iquirida.
Fui, pido que ha pouco
O relatorio que deve ap: o dis-
tincto profissional, que"dosinteie
te acaba do descmpenltar 15o
ao, una
calia para a nossa I
e onde_ urna pt.rie dedicada
e outra ; cultura; e
lavrador d,:
se acha a lav
os para illust.
lemos na
Uca i p lo Jornal do done
mal traoacrvemos o segu'
. :
oms refusaaa-se quaai i i losad
,-o. poi ii" o- resp >!...'-
e ; lie, ;;:
;
es e i'u ; de ro i
ro.

p0 ai .--.. li-,' isau 7 1,300 ubras esleil
;js que governo do Brasil
,;. Ho o ii ir, aciiim
leira.
Alai dM a d.n i i ; ires no
i al ia de apparecer aos olh
.. sado como Ana
'
sl.is-, ciivu n-
l iu m squinA nri i
'lo dos i:yt) de
-. par., o ..
bair i
.Ihan-
s extraor.i liareis .
as toma contas a repartico
ao porto ;
lien opporlaoa para apreciar-
rala ejtva da- ado ellas
a|K): e,forme p.u-eca ao boa
. i de enverna.
Por gr. no eeu.proeedvr 6 que
a Mello antacipou o
da depi;za p BTdeuala, justilican lo-a
iiitecipamio tambera (poi
I*reisleui du provinciaDesemlwr-
cou hontem o Exm. Sr. conselheiro ManoelAI-
ves de Araujo, presiden!: nomeado pura esta
provincia, no Arsenal de Marinha;' p sendo ahi
recebido por amigos polticos, e:n seguida en-
camiuhou se a carro para o palacio da pr
deticia seguido dos raosmos amigos.
Hoje, depois de prestado o devdo juramento
1 hora da tarde, peranle a Assembla 1'roviBfrS
cial, tomar S. Exc poss.- da admin'siraco da
provincia.
As ras do Bom Jess e Mnqu /. de noda.
na freguezia do Recife, e a rua do Imperador
ie---ta de Santo Antonip, por onde leve logar o
trajelo de S. Exc, achavam- i leicadas
de arcos C' '
e esforros dos adbe- as-
sim dr-maoslraraffi o seu regosijo.
Comiaaudanic ilanariaa CiiegOO
hontem et.Sr. cortmel d i :-os
Jote de flqiv-irajguiai- ;. ni
commandar niertnament asumas desta pro<"
vncia. S. Exc. hontem mesmienlrou em exer-
cicio.
Ex-ttepuiada jt*raeNo puqovte }fa-
ranhas cuegarain Ito uea do sul: o cons. dieiro
Francisco de Assis Ro-a e S Iva. o Vis.onde de
Rio Forillos.) e o Dr. A'iVe lo Correia do O.neira,
ex-depulados por esta provincia; o D.\ Tarquiuio
Braulio de Soui' A ex-depula lo p
Rio Grande do Norte : o ir. Jo-: Sortauo d-'
Souza i-x-d-ppU'.io p la Parahyba.
So niesino paquete segu para o Para o Dr.
J is Ferreira Cao lo, cx-deputaoo por essa pro-
vine! i.
S u lamos tu : is ",-; iingigos ''-dalmente.
iir. Joaqaini PortcSijPN i ni brida pa-
.: o ., .:! lo sal, C >:;i i honi :0 .lis-
ii iconleceria, o Sr. Dr. Joaquim Pires Ma-
;ii. iigno dircctpr do Aichivo Pbifbo
q sua digna consorte, vnto ce-uum-
i i a intuito de satisfazer presiripcfia aje*
li a
... uj, : ii mos ao digno com :iaao,
(.-;. -',; o li ispe la lo em casa d: s:.m cuiihalo,
o Sr. 15 Pin de i etrolina.
Conselbelvo Hawc silva-Muitqsami-
gos p dilicos do conselheiro Francisco de Assis.-
Rosa e Silta, ux-l"pulalo pelo 101 ^tricto
desta provincia, derum-lbe lion|em prova deQoOr
sideracSo indo rec-bel-o bordo do paquete
Jurnnnao, em que velo S. Exc. da -o.-.e, e o
acor.ipaohando de Carro at sen pal cele, na
Ma''aleua. I
All Ibes foi servido um opparo alrrioco, e
tardinha um (auto janlar, troca id i-se muHoa
briml -- i ;.'ns as refei 5 -. > -a! o iraneipai-
sau lo 11 o iluslre gabitie'te d? 10 .ie Marco
e o seu digno ministro da ju-iica.
Uetosaras %jCi-i-aria Forara n lea-
dos delegados liltenirios de Muribeca, Se'rt-
nhein, Pe.lra Tapada, Leopoldina, Exft-e S.Jof
de bNelraoutu os Srs. Uermenegildo Eduardo do
i! j j Monieiro, Sebasao Lins V. an-!e !( y Cba-
..s Faustino de Ranos Lima, Jo c .1 quim
Armaudo :.:. llaiioei Rongues de CarvaJj-!
Brilo e Joaquim Lucas de Barros.
Sx-presidrnte do Azuuzuna Em
transito sesne .d'aque'la provincia para a ci>rte
no vapor Alagons Exm. Sr. Dr. Joaq i;n de-
ve.ira Maihado. ultimo presidente da siluafiao
conservadora na mesma provincia, qual iigou,
di/, o CoiWiierc-iofo .'maznos, o seu honrado
noine por ter sabid >. p.la elevac.o de espirito
el regidez de carcter que o disti :ue,
. itar-lbe a moralidade a-iminislraiiva, que
,- \'a to rebaixada.,
Foi um trabalbo tremendo e heroico !
' E pois, Exm. Sr. : n provincia do Amazonas,
st, jiistic-ii-a. e moralisada o ama e venera.
Que V. Ex seja s,.t]ii)r(. inspirado pelo bem
e pela verdarie, w que ella m.ii-- ardeuleoiedte
de.-eja i um dos seus mais notaveis administra-
.1, res. dizer. o ihe o seu saudoso e leal'adeus.
0 Camine ci do Amazonas agradece S. Exc.
a visita com que foi honrado hontem.
irol:sniaeuto da e*tr:da ;5e fer-
ro to ierife o S. FranciMco e es-
trada ;!'.- Ceri'o (lo Itecife Ca :;ar
Asssumio hontem interinamente as ^meces
do cargo de din-cl ir e engenheiro ckt fe tJ'-stas
estradas de ferro, durante a estada na corle do
respectivo din clor, que para alii segnio nb^dia-
9 a servico das mesmas, o Sr Io engenlieiro l-
limmente -lomeado para elias, Dr. Caelaiio Al-
berto de Castro Nascimeno, em subslitok^oao'
>r. I)'-. ex-l eng uh -ir i Jo.- Antonio l'i iiigucs
Viaona, que servio de ilirsclar durante, o impe-
dimento do '.-llec'.ivo fora exonerado daqiKdle
cargo por portara do ministerio d: a'gri :.:;-..,
e obras publicas, datada dii i do
eorrente.
Tambera honlem a "umip provis na o
cargo de 1 engenh ir dst a i
I secce da de aruar, '):. La
Amara 1, que oi substituido na s oi-
pel i Sr. engeuheiro Dr. \ h-
.:.o.
Tamtx .
de mj-.
\ .. ... U neid i. :i lineado .
; portara do da
i re-
jo o Sr. :ara-
... ro;
.
Prior cic ejisila-i que, *
B 13
lo do mw*
o Dr. b rn trflino de
. o) o
.o poj-
ado
noto-
co-
-
'I
ural-
. i aprir os
dan i.j u melhor
;ti-
Y .
Or.5lorclra.aive- N
Exqr. Sr.
Silva, nos
S. Ex:
Dan .i Jrwfc
oaador buin PeUpte N
Mitran!'
sclheiro Lui ndor
ovinciu c ebefe do ,
-
PrcMidcitlC do Si*s-Ii;>
do paqi
S. '
*D
\fr-




o de PernambucoQuarta-feit Julho de 1889
p"ippp
Joo foi assassinado.
S.
irama um amigo d
I inda Lea!.
calcular a cnsternacfto que
i i i nos pareates Ju lr. Joo de
lies que nerihum jor-
-ramma algutu a i
tanto, tratava-se ile pe
Boa I ie o Dr Joao de Freitas Hen-
proviocial de Pernambuco
o da 26 tic passado o cargo
i iblico da capital. Comecaram ea
to i angas, e repararam que a as? i
irania era Amonio Leal, e nao Mi
la Leal corno liabitualinente assigna nosdes-
iphieos aquelle senlior.
gb cabo submarino passou a familia do Sr.
ariques diversos tclcgrara-
io tiveram resposta at as 7 13 ho-
ito, e Jepois de estar ora nos-
j,o Sr. Dr. Jos i de Freitas llenriqu.'s
^^pe repartirlo geral dos telegraplios do
^Bq de cuja graciosida le obteve, eoi 9 mi
utos, a transmisso, de um telegrarama inler-
F

ir.Christw
andeias. H
Golaerme Raveech.'Guilherme Wellmer.
jando sobre a occurrencia, e a resposta com
^^Bavras E' inexacto. Goza boasade.
eui qualillcacao possivel o procedimemo
de <|u';n pas-ou o telegramma mentiroso, e se-
naj^^Hae urna rigorosa investigaeo.
FHllecirat-uto-Falleceu o Sr. I. L Vol-
ta tirina coniraercial desta pra-
e.a BernelA C. '
Club republicano dan E*fud:tnteN
fi? Prepara torios1 direrco desse club
'Jo segrate: presi-
do ; I* e 2" secretarios, EnrlCo Wi-
anoel Poggi; r e 2o oradores, Paxo
1) !mo?thenes a'Olinda ; thesoureiro, Er
nos ; commisso ile estatutos, Manoel
rg; relator, Manoel do Sacramento e Eurico
Vitrurio, com nissarios.
linta-feira lera lugar a posse da nova di-
rectora.
Carlos Come* V bordo do vapor italiano
Brat chegou a corte o grande maestro brasilei-
ro Carlos Gomes no dia 8 do corrente. em com-
paa de sua tillia tala, joven de 10 anuos de
cu, se .do alli recebido com grandes e publi-,
cas ma:. i'-: (.fs de a prego, que soera desper-
verdadero talento,
aaatria para fazer cantar a sua nova
part/tura o Se/naco no Rio de Janeiro, priiei-
tro que em outro qualquer theatro, apesar das
protestas que na Italia Ihe lizeram para deixal-
a calcar antes no Scula de Milo.
A partitura, dedicada a Sua Alteza a Prince
za Imperial, parajuem trouxe o maestro um lin-
do ejemplar impresso, em cuja primeira pagina
adiase inscripta esta dedicatoria:
QMutra Digne-se V. A. acolher este drama
no QUal u:n brasileiro lentou representar o no-
bre carcter de ura indgena cscravisado,
Ni memoravel data de 13 Je Maio, era prol de
muifos seiaelliantes ao protogonista deste dra-
ma, V. A. cora animo gentil e patritico, leve a
gloria de transmudar o captiveiro em eterna ale-
gra da LiberJade.
Assim a palavra escruto no Brasil pertence
siliplesmente legenda do passa.lo.
E, pois, em sigral de profunda gratido e ho-
renagera que, como artista brasileiro, tenho a
subida honra de dedicar este meu trabalho a
priaceza era quem o Brasil reverencia o
taesuio alto espirito, a mesma grandeza de ani-
mo de D. Pedro II e en a mesma generosa pro-
tecr!,o que me dorio de haver recebido do An-
gosto "ai d" \\. -a Alteza Imperial.
Hoje. 29 de Julho, dia em que o 3rasil sada
o : > da Augusta Regente, levo aos pea
V rro tal vez to pobre como os
miihares Je ootros que abencoara a V. A. na
me.-m;i effuso do reconflerirnento com que sou
e V. A*. Imperial-subdito fiel e reverente
A. Carlos Gomes.
Milo, 29 de Julho de 1883.
A aceo do Schiavo passa-se no Brasil no anuo
d*lj*J7. nos terapos eoloniaes. O libreto, se-
gulMo declara o raesmo maestro, superior e
rcai; completo que o do Guarany, no que respei-
ta a a cao da peca e aos caracteres dos persona-
gens. tendo a opera i actos, de ensceoocoes bi i-
lbantissimas e.opuicntadas pela natureza brasi-
leira. '
O argumento resuire-se no seguinte apa-
chado :
Americo, brasileiro. official da armada porta-
gueza '.tenor), apaixona se Je liara (soprano),
india brasileira, mucama do Conde todrifo,
(baix), abastado agricultor, do rio Parahyba, o
3ual oppoe-se paixo do filho, que era adora-
o pela Condessa De toissi (soprano), Sra. fran
ceza, adoracao que o Conde sanecionava plena-
mente. ncitanJo o lilho a aceital-a.
Couliecedor da louea paixo que Americo con-
sagrav.i a liara, o Conde forjou o Casamento
desta, forca, com Iber (barytono), indio bra-
sileiro. escravo do Conde.
Nao obstante o casamento, a adoravel india
- coa-erva-se pura para Americo e recusa o amor
de Iber. que est preso aquello, por urna inde-
le\el graiido, nasci la por urna defeza que o
- joven brasileiro fez ao inJio, quando queriam
infamar a este per ordetn do Conde, cu se-
nhor.
D-se depoisarevolta Jos indios Tamoyos, ca-
njes e goytacazes (1567), auxiliados pelos tran-
c'ezes, Iber acclamado cabeca-directora ios
revol! sos, era poder dos quaes cahe prisioneiro
Americo, que salvo por Iber, que assim trahe
os corupanheiros. inspirado pela gratido de que
estafa ptasoi
//,;, e Americo fogem, jnrando-sc amor eter-
no, e Iber, perJoando. mata se diante dos seus
commandados, que o chamara traidor!
Antes lessas scenas ha era casa da Condessa
de Boisii a declarago. da liberdade a indios bra-
sileiros escravisados e ento canta se o hymno.
cuja lettra publicamos em nossa edigao de'quar-
ta-feira.
O hymno precedido das seguintes palavras
da gentil Condessa :
Assim pndesse libertar a todos,
Dizendo que no mundo escravos mais nao ha.
Carlos Gomes e.sua Pilhinha foram alvo em
Italia de una prova de estima e considerago
que uiuto honra aquelle que a deu, o Sr. Giac-
como Cresta, proprietario do vapor Brazil, que
i inda de Carlos Gomes a este impe-
' rio poz sua disposicito ) seu vapor, nada ihe
levando, nem sua iiliiinha; pelas passagens.
E' este inegavelmente um acto de grande ph-
lantropi e que.ndi-a per;' io de
estima era que Udo o nosso dislin-tu compa-
tricio na potica patria de Dante.
A i pi w trras da patria irromperam dos la-
., (I i alma do velho caboclo, phrases re|
nthusiasii de inexc
mor Hila naloreza, que o prodiga foi para
es'e abegoado paiz.
Morrer aqu, morrer nos bracos dos meus
caros patricios.. volUr para a trra que me deu
| luz todo o meu pensamento, f toda a amoi-
gas da minha alma dizia elle constai
nanifestages enthnsiastcas dos pal.
que o reebiaiu e victoria. una realeza do ta-
lento.
Br. enrique HonroKo-O nosso amigo
i de A. Loh i Hoscoso recebeu o segua-
iocumento, referente ao trespasse de seu
digno filho :
Vd u de Cicho: na Leopoldina, !ide
'Junho df\188V. lilm. Sr. Dr. Lobo Moscoso.
E'com o mais profundo pezarque us. abaixn
as*i.- sentar a V. S. os nossos
v pelo infausto passamento do
roteo tilo dignoll i Sr. Dr. Henriqne
de Alhayde ,
Bem avallamos a profud :;lpe que
abo de ferir o
iiB os par-
rque o vess sein; re lembrado lilho,
prcsiJentej'lesta pi .ordo
poemtne. vio-se
npre hofirou, para
i oeraeuur os seo* adversarios poli.:
. ^o ni o o
loi.
:gao de. profundo pestr parte
Santa f.V'
anto e ao da vi
F.-ed*ico Kile.-Jos Ribeirodo Espirito San-
to Justiniano Jos Vieira. -Theodoro Schlnfer.
Adolpho Paysan.Jase Peixoto das \eves
Subtil. -Monoel Jardelino Passo. Mathias-Maix.
Sueedato Vieira FlcSo. Manoel Pinto de A.
Rosa. Antonio Vicente Machado. Frederico
Lenke.FranciscoFerreiraCaira!. Jos da Sil-
va Cabral Jnior. ,
Soctcdade Lltteraria ti de Halo -
Em as-emhla geral funecionou essa assoofayao
no dia 14 do corrente, sob a presidencia do Sr.
Salvador Riheiro.
Proc.erlendo a eleigo da nova directora do
periodo social de Jiillu deste anno a Janeiro do
futuro, foram eleitos os 'rs.:
Presiden!:S ilvadcr Riheiro de Albuquerque,
(reeleit-i).
1 e 2- vice-presidentes -Antonio Correia de
Oliveira e Manoel Gomes Pereira de Araoio.
Io e i" secretarios -Benjamim Josdc M. Ser-
pa (reeleito), e Jos Alipio de Moraes Serpa
(reeleito).
Fiscal- Joo de Barros Correia de Araojo'(re-
eleitol.
Thesooreiro -Jos M. da Foaseca Manguinho
Filho.
Orador e vice-orador-Joao Clementifio Mon-
tarroyos e Joc Hartins Leite.
Bibliotecario Prxedes Bastos F. Caval-
cante.
ProcuradorAntonio Getulio Rol i ai,
Comraisso de syndicncia Joo de Barros
(relator). Benjamim Jos M. Serpa e Manoel Go^
Commisso de contasAntonio CorwStrwfc-
tor), Joo Leite e Jos Alipio Serpa.
ExpoMiro de Paria Escreveram ao
Jornal do Commercio, da corto :
Ao Dr. Nicolao Moreira, vice-presidentc da
commisso Central Brasileira para a Universal
de Paris, communicou ao Sr.Viconde de Ca-
valcmti, comraissario geral-dcrasil naquella
eiLposigo, haver sido no dia 14 de Junho inau-
gurada solemne e brilhanteraente a secgOo
brasileira cora a assistencia do presidente da
repblica, dos ministros do commercio presi-
dente do conselho, do de estrangeiros, pleni-
potenciario do Brasil, grande numero de pes-
soas de distincgo e quasi toda a colonia brasi
(eir.
I) Sr. Tisconde de Cavalcanti assegura ser
a opinio publica e d ira prensa favoravel
nossa exp -sigo e ligando-lhe a maior impor-
tancia, juizo t-rabera, emittido pelo presidente
da repunlica, enviou o oflicio que lhe foi dirig
do pel noss i plenipotenciario o Sr. BarQo de
Penedo, e que j pablicraos.
O Sr. Visconde de Cavalcanti julfia que de-
vemos regozijarmo-nos pelos resultados dos
nossos esforgos e perscteringa, e stisfeilo
aperta as mos de todos os nossos dignos cora-
panheiros de trabalho, inclusive os Srs. exposi-
tores que acudirem ao nosso convite .
Theatro Santo Antonio Amaiih lla-
vera espectculo, no theatro Santo Antonio,
com a opereta mgica a Filha do Ar.
AnnlterMario* Amanh fazem 48 annos
que S. M. o Imperador do Brasil foi coroado.
Por esse motivo haver salvas 1 hora da
tarde.
Depois de nmanh, 19 do correte, com-
pleta 65 anuo de idade S. A. R. o Sr. Conde
d'Aquilla.
Endino de pianoO livro ha pouco tem
po publicado nesta cidade, intitulado : Conse-
lhos de um professor sobre o ensino technico e
esthetico do piano preciosa obra de Marmon--]
le, traduzida em portuguez pelo Sr. acadmico
Alfonso de Oliveira, lera recebido, como e.a de
esperar, .o mais benvolo acolhimcnto, de todos
quantos se dedicara deveras ao estudo de plano.
Basta como opportunamente dissemos, o nome
de Martiiontel, distinelo, excellenle e provecto
professor de piano do Conservatorio de Pariz,
para r-commendar esse livro.
Ainda existen alguns exemplares dessa ebra,
expostos agora renda no estabeleciraento de m-
sicas dos Srs. Prealle & C, Successores, ra do
Imperador.
as estantes nao so dos professores como dos
amadores e alumnos nao deve faltar essa obra
digna de todo aprego. .
Km r*flMni4o -No pafruete Maranha
chegou hontera do sul o Sr. Miguel Fernandos
Barros, 2o escripturario daAlandeza da corte,
que val era commisso ao Rio Grande do Norte
liscalisar a; despeza alli feitas para attenuar
os effeitcs da seeca.
Comprimentamol o.
ANNoeiaro do Funccionarion Pro-
incineMdc PernanibacoAmanh de-
ve rfeunir-se a asseralda gerel dessa associago
em sesso ordinaria do corrente raes, sendo pa-
ra issoconvidados os respectivos associades pe-
la direccao.
Secretaria de Polieia Acha-se em
exercicio de secretario da secretaria da cfiefa-
tura da polieia o Sr. Dr Antonio Jos da Costa
Ribeiro Jnior, que ltimamente fra nomeado
em substi'uigo do Sr. Dr Joaquim Franc seo
de Anuda, que na constancia de suas funeces
se houve seiupre com zelo e dedicago ao scr-
vigo.
Exonerado simplesmentn. falta de confian-
ga poltica, em nada loe deve pesar o acloque
o Ustitoio daquclle cargo.
>omcaoao Foi nomeado amanuense di
Secretaria de Polica o Sr. Octaviano de Siquei-
ra Cavalcante.
Theatro Manto Antonio Amanh ir
scena em 4* e ultima reprenentagSo a expen
dida pega mgica.4 filha do ar, que to gran-
de xito tem obtido as ultimas representa!
tUnbincte de I.citara Recreativa e
Instructiva (iamelleirenne -Esta socie-
dad e procedeu, po dia 14 do corrente, a eleigo
da directora que tem de regel-a durante o anno
de 1889 a 1890, dando o resultado seguinte;:
PresidenteCapito Bellarmino Dorotheo Ro-
drigues e Silva.
Vice presidenteLourcngo do O' Pereira.
! secretario--Professor Sebasliao Brandio.
2* secretarioManoel Francisco de Mello.
ThesoureiroManoel Al vea de Araujo.
ProcuradorAustricliano Pergentino de Al-
meida Andrade.
Orador -ArgemiroL. de Senna Santo;.
AdjuntoDr. Jos Eugenio da Silva Ramos.
Cnmmisssao de roitas Manoel Francisco Car-
neiro e Firmino Gomes da Costa.
i>r.rertorta da obra* de coneri-
eiio dom Porto* de Pernaniburn -H'c -
'. 15 teJullio de 1883
Boletim meteorolgico
l. *0, II*' lil*''ll -
t-'elo agente Rrilo, as 10 c 1/2 dars, ra
do Hospicio n. 5 de um piano e movis,'
AmanhS :
Pelo agente Gusrao, s 11 mmmf, M ra Mr-
quez de Olio la n. -i, de a
Pelo age
Jess
ea lel
Amad
A'8, 8
Ovidio Sa"
toras, na
Joi Non
da IWi-V
Vi -.oi-
to,
s 11 horas, ra do Bom
as de papel, enveloppes,
Sero Celebradas:
,
3:5
Horas g3g
2 p te
H **
6 m. 2i"-0
9 24--0
12 W-6
3 t. 26'-- 6
6 24"-8
Barmetro a
762^94
763*74
762-43
762-40
762-40
Tenso
-3
1843
19 35
1919
19,0o
18'73a
83
87
81
73
80
Temperatura maxiina27,O0
Ditaminima 21.o0.
Evanoragao em 24 horasao sol: 3".7 ; som
Ura: VA.
Cliuva-6,-2.
Direcgao do vento : SW de meia noite at 3
horas e 20 minutos da manh ; SE e ESE alter-
nados al 6 horas e 3o minutos ; S com nter
rupges de SSE e SSW at 10 horas e 20 minu
SE com interrupg-es de.SE e ESE al'
meia noite.
Velocidad media do vento: 2",98 por se,
gordo.
Nebnlosidade media: 0,77.
Boletim do porto
11
M
Dia
15 de Julho
Horas I Altura
irle 0-.13
Bpinto -Santo, pela alma de
CarvallH) Neiva; s. 7 12
Terco, peda alma de Manoel
. as 7 I i llora-, ra
aa de Francisco Rullno
ira: s S horas na Conceigo dos
ifilitares, pe' alma' de D. Rosa Vterbo Gama
f^nna.
PaNKaselron Chegados
nacional Maraado :
('. insetheiro Dr. Manoel Alves de Araujo. sua
senhora, 2 fllhos e 3 criados, senador Luiz Fe-
lippe de Souza Leo, Miguel Fernandes Barro3,
sua senhora, 1 lbo e seriado Henrique Jos
do Rosario, Edmundo Venancio Maciel, Fran
cisco Vctor de Carvalho, Julia, Jovita e Ange-
lina, conselheiro Francisco de Assis Rosa e
Silva, sua -senhora e 1 criada, Dr. Pedro da Cu-
nta Heltro, Manoel Francisco de Almeida, L.
Pacheco, Dr. Tarquinio de Souza, sua senhora e
3 fllhos, alferes vntoliano B. Lias, Dr. Jos An-
touio Saraiva Jnior, Gratuliano Patricio Moura,
Dr. Jos Soriano de Souza. sua senhora e 4 li-
Kos Dr. Jos Gimes Coltabra, Visconde do Rio
irmoso, 1 lilho e !) criados, Dr. Alfredo I
senhora e 3 (lhos, Jos Candido de Barros, Dr.
Artlmr de, Barros Pimentel, Dr. Joaquim Pires
lado Portella, sua senhora 1 cnadtXjbeon-
eio e gnea, Arthur Mu tjtano Le-
raos, Eva o Soverino, Hilario GWWflIcTO Mas
Joaquim Pinto de Castro, Manoel da Silva
Oliveira, 1 imperial raarinheiro, sargento Silvino
M. de Souza, coronel Jos Cerqueira de Aauiar,
sua senhora c 4 criado, Estevao Nunes, Maxi-
miano M. da Cunha, 1 aprendiz raarinheiro, te-
neiile J. P. Machado Portella, Galdino Santiago,
Alexandre Winde, Dr. Affonso Gama, hmlino da
Silva Jnior, Joseph Stark, Dr. Bonifacio Arago
Faria. Rodrigo L. Bibeiro, Thoraaz Montenegro
A. Das da Rocha, Augusto *. Portella Filho e
sua senhora, Joo G. e sua senhora, George!
Stanwich e sua senhora, Petre Gulobovich, sua
senhora e 2 lilhos, Esteves Gulobovich e sua se- f
nhora, Maximiano Felice e sua senjiora, Dr. Ao
tonio Carlos deArruda Beltro, 'Pedro Caval-
cante de Albuquerque Pessoa, Antonio Augusto
Cavalcante Pessoa, Antonio C. da Silva, tenente
Leoncio Luiz Pinto Riheiro. Maria Ribeiro, Luisa
Ribeiro, Carolina Ribeiro, Francisco Ribeiro,
Kliza Ribeiro, Luiz Leo, Hermogenes Neves,
Wenceslao Jos Baptista, Arthur p. da Cunha e
Joo Ribeiro da Silva.
Chegados do norte no vapor acional Ala-
g-js :
Francisco Marques da Fonseca, Jacintho Pedro
de Mello, H. Ferreira D^as, A. F. de Souza, sua
senhora, sua sogra, 1 filho e 1 criado, Pedro Xa-
vier de Maria, Heuriqueta Maria da Conceigo,
Luiz C. de Curinho, Dr. Floripes Rosa, Eduardo
Bezerra, Jos Nunes Ferreira Ccimbra, Antonio
Jorge, Dr. Jacobina Vieira e sua senhora, Ave
lino de A. Bezerra, Joaquim Jos H. de Souza,
LHoracio da Silva. Dr. Pereira da Costa, capito
Germano A. Machado, Staraley H. Happer. N.
Belly, Dr. Manoel Flix Gitiran, Jos da Gomes
Silva, Julio Netler, Marcos Jos da Costa, Dr. Ovi-
dio Cavalcante, Heraclito II. Neiva, Alcebiades
de Moura Ribeiro e sua senhora, Dr. Jos Moreira
Alves, sua senhora, 4 fllhos e 1 criada, Placido
de Lacerda, Merenciana de Lacerda, F. \Van
derley. H. A. de Vasconcellos, Carlos Borda,
Leondio Lacerda. Antonio Henrique de Almeida,
Benedicto F. Gomes, Luiz Coelho Filho, Davina
Firraina, Angelina da Conceigo, Pedro Domin-
gues Correia, Alipio de Souza Guerra c Pedro
delfonso de Faria Castro.
cana d* De tencaMovimento aos pre-
sos da Cusa de Detengo do dia 15 de Julho de
1889.
Existiam 422 ; entraram 16; sahiram 6; exis-
tem 132.
A saber:
Nacionae8 337; mulherea 21 ; estrangeiros 24.
-Total 4.12.
Arracoados 388.
Bons"363.
Doentes 20.
Loucos 3.-388.
Moviinento da enfermara
Tiveram baixa:
Joo Pereira de Souza.
Francisco Jos da Silva:
Manoel Colino da Silva.
Tiveram alta :
Joao Vicente Pereira.
Ignacio Ferreira dos Santos.
Candido Maria do Espirito Santo.
lio ..)iu! Pedro O movimento
estabeleciraento de caridade, no dia 15 de
foi o 'uinte:
itraram
hiram
r'aileceram
Existem
Forarc visitadas as respectivas
>clos Drs.:
Moscoso s 8 l|i, Barros Sobrinho s 7, Berar-
dos 10 1(2, Malaquiasis 10, Pontua! s 10 l|4,
aj/alcante s 8 1|2, Siraes Harbosa s
de idade
de soflrii
o trataram,
bastou para
Je 30
ram inm-
do estl
facak
cadver dS
raorte
que CJ.TP
de urna semana
do3 mdicos qi e
_aeixa justiga, <> foi quaii >
rificasse que havia ^trea
tieas circumstancia#r I- i-
liendidos os viwes
rSbmetlidos analy
fieina foi aotopsiado o
victima, provaudo que a
por gastro enterite, sem
a, Dr. Castiaux,
loar a qualidade do vene.no.
As visceras foramenviadas ao Dr. Lescour, pro-
fessor de chimlcj(Orga:iie,i
Est publicado/em primeiro fascculo do Dic-
cionario de Morajs. A publicago vai ser feita
do sul no vapor I pela acreditad* Impreza Litturaria Fluminense
'do Sr. A
Diz a ro^^^BsiDlicag:1o. o prospecto :
Empreliend^nji-a, nao nos limitamos a urna
e; vil. ^proveitando o progresso e o de-
senvolrimeuto (la lingistica, revimos
ruidadosamcnti o trabalho. fazendo com re-
llectido edeBscrtidocstudo numerosas alteragOes,
corrigindo-of q ampliando o de maneira a nao
lhe poder ser disputado o primeiro lugar em
crdito luterano e autoridade scientilica.
Um novo mllhorame.ito oter. ce esta edigo,-
e que no'leii nennum .los diccionario portugue
ze?. E' um dtcioHano contendo as phrases lati
as usadas luhilualuieatu na linguagem .do lo-
ro, do parlarjento e do jnrnalismo, e as pala-
vras estrieras mais commumeote eraprega-
das na vida isual da moderna sociedade.
,
Disputam-dois vadlos:
Tu igo : s ura verdadeiro par-
sita I
Tu |ue o s. Eu como o pao com o suor
do meu rosto!
E en com rtanteiga, ouviset
Appellag.oes crims
r. desembangador Monteiro de Andrade :
De Garanhuns- AppelTante o promotor pu-
blico, appellados Francisco Dulra e Pedro Dutra.
Ao Sr. de8embargador Tavares de Vascon-
cellos :
De IngazeiraAppellante o juizo, appellado
Martiniano Jos de Ges.
Appellago civel
Ao Sr. desembargador Dclfino Cavalcante :
De Olinda -Appellan'e Antonio da Costa Mo
reir, appellado Fernando Esperidio de Aguiar
Montarroyos.
Encerrou-se^a sesso ao meio dia.
y
deste
Julho
17
10
3
679
eni'ernatea:
9 1|2 iioras.
O Dr. Cysneiro nao compareceu.
O cirurgio dentisui Nuraa Porapilio s 8 l|t
horas.
O pliannaceutico entrou s8 l|2da manh e
-ah.io s 4 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrn s 8
la manh e :ahio s 4 horas da tarde.
lioieria do rana-ParaA 3>.par(ed||
Um typo passi pelo degusto de ver morrer
na flor da idadt ura burro de grande estima-
gao.
Coiado dlzia elle, si cu pudesse... nao
o deixa*a ahi no campo-..
fipusole-se; meu amigo, dis3e-llie outro,
cada no enterra/seu pai conforme pode.
*
Cora gagis, vesgo. beocios.
Nao quedas nunca negocios.'
#
Na etbograihia feminiua das mais curiosas
a expo;igo oe ragas disseminadas pela Expla-
nada, Campo de 'Marte c Trocalero. Offerece
quasi todos 0*1 typos feraininos, e to clara era
suas eradaguts, que salta aos olhos de todo o
mundo.
A raga japAetica tem representadas, alm das
formas comiiuns, assubdivisOes de rabes, egy-
pcias e tartajas exhibe a negra seus exemplares
de Sudan e da Nubia ; a amarella offerece mul-
tidAo de variedades, chinas, annamitas sia-
mesas. |
As que roiis chamara a attengo, entre tantas
mulheres exticas, sao indubitavelmente as fi-
nias de Jaia.
Agrapadus era urna especie de harem oriental
roai seus iiieninos, e cingidas por casquetes as
pequeas cabegas, attraliem com o seu-extra-
nho as pec e sua grata amabilidade maioria
dos cui iosts. Do flores s senhoras, golosei-
mas aos tieninos e a todos que cercam as
para vel as, alTectuosos sorrisos.
29* lotera, dessa provincia, cujo pn cno-gfandi
120:000000, -era extrahida no dia 20 de Jud
(sahbado/.
Wrandc lotera do aranho A 3'
serie da 1' lotera, dessa provincia, cujo premio
grande 300:i.00000 s. r extrahida no dia 24
do Julho.
Cenalterio PubMcoObituario do dia 16
de Julo ) de 1889 :
Joaquim, Pernambuco, 2 mezes, Boa-Vista;
convulses
Pedro Ratis do3 Santos, 14 annos, soUeiro,
S. Jos ; tubrculos pulmonares,
Manoel Muthias de Souza, Pernambuco, 60
anuos, solleiro, Boa-Vista; hepatite.
Marcolina Maria da Conceigo, Parahyba, 26
anuos, so'teira. Boa-Vista ; tubrculos pulmona-
res. ^
Maria Joaquina da Conceigo, Paraambuco,
32 anuos, solleira, Boa-Vista ; febre typhica.
Maria, Pernambuco, 2 mezes. Boa-Vista; cli-
ca heptica.
Jos Pacheco de Aguiar, Portugal, 45 annos,
casado, Graga ; entero colite.
Evaristo, Pernambueo, 4 annos. S. Jos
bcrculos pulmonares.
rsula Maria da C
tu
onceico, Pernambuco,
annos, solteira, Boa Vista ; clica intestinal.
59
M POUCO DE TUDO
As noticias que os peridicos americanos do
acerca de Oklahoma, territorio aberto a' colo-
nisago de 30 dias de Miio passado, sao assom-
brosas.
O director geral do3 correios de Washington
recebeu despachos do encarregado da repart-
gao dos correios em Guthinne, capital da col
nia, requisilando sellos para cartas, pois faz
urna veuda diaria de' 1,400 reales.
Na cidade, que apenas conta dez dias de exis
lencia, exi.t.iu cinco estabelecimentos de cr-
dito e publicam-se seis jon
Posio que ainda nao se tenha feilo o senso da
popul :alcula j que ella ebega a 19,000
habitantes
Um anko philanthropo e generoso, Mi
Lins, iegou por sua morte um avultado
para um h.spital monstro na cidade
re ; e lia pouco inaugurou se o n
cujo custo se eleva 2,030.000 d
0 hospital consta di
lea de 500 pea do ex'
1,200

Tribuna] da Itclaco
SE^d" ORDINARIA EM 16 DE JULHO
DE 1889
PEESIDESGTA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
QUnmXO DK MIRASDA
Secretario, Dr. Virgilio Coelho.
A's horas do costume pifaontes os Srs. des-
embargaores era numero legal foi %perta a
sesso dfpois de rida c approvada a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
os seguintes
JULGAMENTOS
Recursos eleitoraes
Da Caruar Recorrente Juvencio Taciano
Mariz, recorrido o juizo Relator o Sr. desem-
bargador Tavares de Vasconcellos. Negou-se
provimento, unnimemente.
De Souza Recorrente Amancio Ferreira Dan
tas. recorrido o juizo. Relator o Sr. desembar-
gador Silva Reg Negou-se provimento, un-
nimemente.
AppcUages crimes
Oo LimoeiroAppellante o jutzo, appellado
Beraldo Jos Maruns e outro.. Relator o Sr.
desembargador Tavares de Vasconcellos. Man-
dm se a novo jury, unnimemente.
J>e GoyannaAppellante o juizo, appellado
Firmino Ignacio Ferreira da Silva. Relator o Sr.
desembarga lor lavares de Vasconcellos.Man-
e a njvojury, unnimemente.
PA3SAGENS
Do Sr. dcsjbaisador Pires Ferreira ao -'r.
desembargador Dfflnno Cavalcante :
Appellago crime
De Bzeroir- ppellante o promotor publico
appclaaNMoel Qtirino Santiago.
Do Sr. desembargador Pires Goagalves ao Sr.
Alves Ribeiro :
. Appellago comraercial
^W Appellante D. Eugenia Carpinlei-
ro t Estevft, appellado Amonio Jos Ferreira
Monteiro.
0"Sr. desembargador Pires Gongalves como
promotor da justiga deu parecer na
Appellago crime
De Bananeiras -Appellante o juizo, appella-
do Jeronymo Jos Francisco.
Do Sr. desembargador Alves Ribeiro ao Sr.
desembargador Tavares de Vasconcellos :
Appellago crime
Do Recife Appellantes Manoel de Oliveira
Mello e outro, appcllada a justiga.
im.rfiEMCiAS.
Com vista ao .^r. deembargador promotor
da justiga :
Appellaces crimes
De Pianc Appellante o juizo, appellado
Alexandrino Jos dos Santos.
De Alaga GrandeAppcllanle Jos Marques
Ferreira, appcllada a justiga.
De GanielleiraAppellante Jos Alves ,do Ly-
ra, appellada a justiga.
Cora vista s partes :
Appellago civel
Do Recife-Aopellantcs Marcelino Gongalves
de Azevedo. M.-uioel Luiz dos Santos e outru,
appellados os mesraos.
Appellago eommercial
Do RecifeAppelfante Antonio Gongalves de
Azevedo, appellado Antonio Augusto Pereira d%
Silva.
Em diligencia no juizo a qu
Appellago crimf
Do RecifeAppellante JoaoHiendes dos San
tos. ;.ppellada a justiga.
DI8TRD3Uig>ES
Recursos crimes
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
De CamaragibeRecorrente o promotor pu
blico, recorrido o juizo.
Ao Sr. desembargador Monteiro de Andrade :
. De JaboalSoRecorrente Domingos Felippe
de Souza Leo, recorrido o juizo.
Ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
De Campia Grande-Recorrente o juizo, re-
ifredo Deodato Esninoja. ,
desMbargador Tavares de Va-
do Antonio
j juizo, recorri-
Santo.


Ao Sr. de
Do ReoI''
,j aggravdo o juizo.
[)a Victoria ^
;to Santo.
unta Commercial da cidade do
Reeife
ACTA DA SESSO DE 11 DE JULHO
DE 1889
PRBSIDEXCIA DO IIXM. SB. COIIMB-WADOR ANTONIO
COMES DR MIRANDA LEAL
Secretario Dr Julio Quimaraes
A's 10 horas da manh deelarou-se aberta a
sesso, estando presentes os Srs. deputados Olin-
to Bastos, commendador Lopes Machado, Beltro
Jnior e llermino de Figueirdo.
Lida, |oi approvada a acta da precedeRte sesso
e fes-se a leitura do' Beguiutc :
RXPkDIENTE
Ofiicios :
De o do correnle, do Illm. Sr. Luiz Cesario do
Reg, communicando que nessa data assumio o
cargo de administrador Ua Recebe loria Provin-
cial, para o qual fra nomeado pelo Exm. Sr.
presidente da provincia.Accuse se a recepgo
e archive-se.
Ue 6 do corrente, da junta dos corretores
desta praga, remetiendo o boletim das cota-
gOes ofliciaes de 1 a 6 do prsenle mez. Seja ar-
chivado.
Da Associago Commercial Benclicenle, de 10
do corrente, respondendo ao que se lhe dirigi
a 21 de Junho prximo p^issado.Archive-se.
Diarios Oficiaes de ns. 167 a 177.Para o ar-
chivo. *
Foram distribuidos (obrica os seguirnos
livros:
Iliarios de Paiva.Valente & C, Christovo Du-
gliose, Caixa Filial do Banco Internacional do
Brazil copiadore de Christovo i'ugliose, de
Oliveira Basto C. e de Gomes de Mallos Ir-
mos.
Mappas dos armazens alfandegads ns. 18,
20 e 22, da Companhia l'ernambucana e do Ira-
piche Barbosa. Cada ura leve o despacho:
Archive-se.
DESPACHOS
PetigOes :
Do. presideule do Hippodromo do Campo Gran-
de, para que sejam archivados o bataneo, pare-
cer l'Lseal e rlago des accionistas de dita socie-
dade anonyma.Archivem-se.
De Manoel Ferreira da Cruz C, para que
se archive o contracto de sociedade em com-
mandita que, sob dita tirina, celebraran] Manoel
Joaquim Ferreira da Cruz e urna coramndita-
ria, com o capital e fundo era comraandita de
10:0004, para o commercio de fazendas e manu-
facturas de roupas, ra Mrquez de Olinda
n. 60, desta cidade, sob a gerencia do socio
Cruz. -Archive-se, na forma da lei.
De Anastacio da Silva Lorega* representante
da firma Lorega C, domiciliado e estabeleci
do ra Larga do Rosario n. 8, para que se re-
gistre a marca de seu commercio de cigarros
sob a denominagoRealidadc.Satisfaga o pa-
recer fiscal.
De i arlos de Azevedo 4 C, domiciliados e
estabelecidos ra Marcilio l ias n. 17, idem
quanto marca que adoptaram para os cigarros
de seu commercio sob a denominaco- Sirius.
Regstrese.
DeAntonio P.uarte Correia e Engracio Ribeiro
de Mello, domiciliados e estabelecidos ao largo
da Peuha n. 1, sob a firma Ribeiro Duarle -
C, idem quanto marca dos cigarros- de seu
estabeleciraento Beija Flor, denominadosMe-
teorosVista ao fiscal.
De Phileraon Rostier, para que se fagam as
notas nos registros da procurago e de"carias,
de ordens de Antonio Gongalves de Azevedo,
que o supplicante deixou, desde 1 do corrente,
de ser procurador do raesmo Azevedo. Cmo
requer, pago o sello das annotages.
Representado da secretaria, dando sciencia
meriti3siina Junta que, em cumpriraento do des-
pacho de 4 do corrente, officiou-se aos Drs Jos
Isidoro Martins Jnior e Luiz Ferreira Maciel
Pinheiro e este escreveu no envoltorio do dito
oflicioregistre Maciel Pinheiro. E "qne em
vista disto ordene a meritissiroa Junta que se ar
chive o contracto de sociedade em nome collecti-
vo que celebraran ditos doutores sobre urna em-
presa typographica destinada composig3o eim-
pressSode trabalhos luteranos e publicago nesta
idsde de uma folha diaria sob a denominago
O Norte, com o capital de 12:000a.Cumpra:
se o despacho de 9 de Maio prximo passadoi
Parecer fiscal sobre o relatorio do anno de
1888, da junta dos corretores, da qual fra pre-
sidente Augusto Pinto de Leinos. Archive-se e
ofcie-se ao presidente da junta dos corretores,
da ultima parte do parecer fiscal.
Expcdio-se o segointe attestado :
A Junta Commercial do Recife, tomando em
considerago o expendido no oflicio de 17 de
Junho ultimo, do lllm. Sr. William Hughes, con
sul interino do reino da Suecia e Noruega, e,
usando da attribuigo que lhe confere o art.
218 do regulaniento n. 737 de 25 de Novembro
de 1850, atiesta, sobre infonnago da praga do
commercio, de 10 do correte, que a laxa do
cambio que deve regular o pagamento de fretes
neste mercado a banearia a noventa dias de
vista ; e que as lettras de firmas commerciaes,
nao bancarias, estabelecidas nesta praga saca-
das sobre as mesmas firmas em p agas estran-
geiras, nao sao consideradas pelos usos e estylos
commerciaes como lettras boas e approvadas. e
nao satisfazem a exigencia contida as clau-ulas
das cartas de tretaraento que dizera saldo a
ser pago em boas e approvadas lettras ba-
ance lo be plaid iu good and approved bilis.
Sala das sesses da Junta Commercial do Re-
cre, 11 de Julho de 1889.
Eu, Julio Augusto da Cunha Guimares, se-
cretario, o subscrevi.
Estava uma estarapilha de 200 ris Miranda
Leal, -i- Olinto Rastos. L. Machado.-Beltro
Jnior. H. de Figueirdo.
Nada mais havendo a despachar, o Illm. Sr.
commendador presidente encerrou a sesso s
11 1/2 horas.
INDICACES TEIS
..... '-.....-.....----------.....---------------------1
TIcIcos
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pratica a lavagem do tero quaDdo e co-
mo aconselhada. Consultas das 11 s
3 da tardo em sua risideneia ra do
Bom Jess (antiga da *'ruz) n. 25, 1.a
andar. Telephone n. 380
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
raeio-dia s 3 horas no 1.a andar da casa
ra do Barao da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 5-1, en
trada pela ra da Saudade n, 25.
t'r. Ribeiro de Britlo d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no poden-
dar a ra Duque de Caxias n. 46 1. an-
do ser procurado para chamados na
residencia ra do Hospicio n. 81.
lephone n. 303.
Dr Alvares Quimares, chegado
corte, dedica-se medicina em geral, e
com specialidade s molestias do cora-
gao, pulmoea^ ligado, estomago
nos e tambera s affeccoes das
Reside praca do Conde d'Eu,
tem consultorio na ra do
(antiga da C,
sua
Te-
da-
e ntcsti-
crian
a.
se do tratamento das molestias de olhos.
Telephone n. 427-
O Ur. Simplicio Mavignier.Clnica me-
dico cirurgica. Especialidades : molestias
pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
Olinda n. 27, 1. apelar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da inaifta e
tarde. Telesbone n. 392
Dr. Joaquim Loiueiro medico e partei-
ro, consultorio /na do Gabug u. 14,
1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
OccnUsta
Dr. Ferreira. com pratipa nos princi- ,
paes hospitaes e clnica de Taris e Lon-
dres, consultas todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio e resi-
dencia- ra Iarga do Rosario ot 20-
* Advogados
Qbacharel Wruvio Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1'.- andar.
J. A. de Magalh&es Bastos. Duque de
Caxias n. 66, 1. andar..
O Dr- H. Milet contina com seu es-
criptorio de advoccia, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambera poder ser pro-*>
curado sobre negocios concernentes 1.a
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro Portella contina a advo-
gar. Escriptorio ra di Imperador
n 65. Residencia, casa n, 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'ora ra da
Matriz da Ba-Vista). Telephone n. 362.
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista por ata-
eado, ra do Mgrquez de Oliada n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Aterrarla a vapor
Serrara a vapor "oficina de carapina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende madeiras de todas
as quaiidades, serra madeiras de conta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por preg.os sem dom-
petenciaPernambuco.

PUBLICARES 4 PEDIDO
\ shuaco
IV
Mantemos a mesma norma de conducta :no
terreno calmo e reflectido de uma discusso se-
ria, em que os contendores, apezar do ardor de
suas enraizadas convieyes, nao descem ao uso
dos botes em falso nem ao euiprego repulsivo da
acrimoniosa terminologa dos inconscientes, ha-
veremos de provar ao nosso Ilustrado collega
i'scriptor das Quotidlmas do Jornal do Recife que
a razo est do nosso lado e que todos 03 argu-
mentos de, que temos lancado rao sao ver-
dad ei ros e correctos.
Enem deraover-nos ha dessa convieco a as-
serco feita pelo digno collega de me a impren-
sa estrangeira recebeu bem o gamnete 7 ou 8
de Junho, e isso por dous valiosos motivos : l*
porque o governo pode muito bem, ler amigos
no exterior que ou escrevara pessoalmente esses
artigns ou inlluenciem os redactores no sentido
o mais favoravel possivel ao advento liboral ; e
2o porque o artigo pelo collega citado e tran-
scripto nao se refere ao governo liberal mas sim
ao goverao considerado como entidade moral.
E se nao vejamos :
Diz a Rasan: Nao ha emigrados polticos
brazileiros porque ninguem naquelle paiz carece
de fugir aineacas eu violencias da autorida-
de.
E' edificante este exemplo de liberdade na
nica monarehia sul americana cujo governo
(atienda se bem para o sentido destas palavras)
apezar de monarchico rnostra-se mais liberal do
qne os das repblicas tolerando e re*peitando
todas as manifeslacoes da opinio publica dando
a mais ampia liberdade de eleicoes, ao ponto de
sanireui victoriosos os candidatos dos parti-
dos (!!) em opposiro
Eis ahi:a Rosn se referi ao governo toma-
do como poder supremo.
E tanto isso verdade que linalisa ella fallan-
do em liberdade de cleiges das quaes sahiram
victoriosos os candidatos da opposicao, quando
o partido liberal nem ao menos chegou ainda a
pensar seriamente sobre os seus candidatos. '
Foi portanto infeliz o distincto collega na tran-
seripeo desse artigo que se refere .nossa for-
ma de governo e tanto mais quanto todos devem
saber que o partido liberal respea as manifes-
taces da opinio publica consenlindo aberta-
mente no degradante desacato soffrido na Baha
pelo denodado propagandista Silva Jardim, que
leve a ingenuidade de eonfiar na imparcialidade
de nm governo liberal que noraeia para as pro-
vincias mais influenciadas por um espirita de-
mocrtico presiJentes militares, como se o paiz,
quando desejar uma reforma, se deixe intimidar
pelo cano das espingardas ..
Tav


I
Os aconteciraentos polticos de que foi theatro
a eapital deste imperio demonstran], se analysa-
dos e eslu.lados convenientemente, que foi em
virlurte de um trama secreto e cujos autores hao
de ura dia, solTrer as consequencias da sua igno-
miniosa conducta, que se realisou a ascencao do
Ministerio Ouro Preto, cuja dfficil gestao e ines-
perada composico actual provam o estado va
cillante Jaquel les que tomaram sobre seus hom-
bros a empreitada de illudir o nosso Augusto
Imperante que hoje, a maior garanta da esta-
bilidad'.' das instituiQoes que nos regem. r
Houve trafcao : provam-n'o as reiteradas" ne-
gativas aos instantes pedidos de demisso apre-
sentados pelo Ministerio 10 de Marro: prona-o .
o facto de ter sido chamado o nobre senador
Correia, antes de comm'unirada ao Ministerio a
imperil resoluco relativa a nao dissolnco das
Cmaras, e eem a, usualmente previa, consulta
ao presidente do conselho sobre quemdeveria .
st chamado para organisar novo gabinete.
O que quer mais o digno redactor escriptor
das Quotiduinas?
Lea reflectidamente sobre esse ssumpto o
3ue disse nesta provincia o crilerioso e illustra-
o escriptor que se oceulta sob o pseudonyrao de
Beaconsfitld e o que escreveu a imprensa neutra
da corte e depois diga-nos se de facto nao houve
traico !. .
i
Diz o collega, dizem-no os defensores do
actual Ministerio que foi acertada a uomeago de "
dous ofliciaes distinctissimos para as duas pas'as
technicas 1
Em theoria negamos todos nos, que despre-
venidamente analysamos as gestacOes poltico,
sociaes. que houv'esse tal acert visto como. >aes,
ministros militares para nao se transformar em
ministros polticos deviam nao se presentar
candidatos depulaco o que ira,
pratica os fados se encantarara e encar-
regar-sc-bo de demonstrac^xbub ca-
nte que dessa mtlidaai sBrgir uma sciso
no exercito e vo aftR?recer complicacOes de
todo o genero.
Alein das derrpfas inflingida

Vr


/
vacao. no Club Milita
l de n'ii ..


Diario de Pernaml -Quarta-feira 17 de Julho de 1889


fcibttlcao s innmera* e inoividadas corte/
jwitilezas com que ti distincta sociedade chilena
recebeu os dignos representanles da armada
kraxileira.
Essa iosigoiQcanle despeza era necessana e
BBprescindivei'cm vista das reiteradas pro vas de
tima dadas pelo governo do Chile aos nossos
^Eficiaes, que seo pena de impulidez, nao po-
4tam deixa| de. ocalmente retribuir taes con-
deracOes. .....
Base acto do invern foi, felizmente, um mo-
tivo para se conocer o espirito altivo da nuco
*razileira, que nao recebeu com indifferenca tal
tensa aos nossos brios e acs da adiantada re-
publica chilena.
Descortezes para o Chile j humilhantes para
s, taes medidas provocaram um protesto da
parte da armada que reivindico)] para si o direi-
to de indemnisar o Thesouro attestando assim
a Chile que amesquinha-ia do governo nao
altrage a nacionalidade brazileira e que o proce-
uuento do distincto oflicial en aguas da naco
amiga encontra da sua parte apoio sem restric-
foes.
E a iaepcia e absolutismo do Sr. de Ladario
cfeegam a ponto de demittir ti subraetter a con-
ceibo de investigado aos ofliciaes, socios do
Chih Nacal, que concorrerara jara to gloriosa
patritica subscripeo.
' Pasme de horror o Ilustre collega, envergo-
ne-se a naco brazileira di tote desses dous
attentados cortezia internacional e aos bros
ile urna corporago respeitavet !...
Soltaremos sobre esse assumpto.
Themis.
Tiisseio militar e exereicio
Conforme noticiamos, o 23" batalho de infan-
Varia, sob o comniando do Sr. lente coronel
Bstevao Ferraz, marebou hontem, do quartel do
llampo da Acclamaco, s41|2 horas da madru-
gada e, depois de ouvir missa na matriz da Glo-
lia, seguio para a praia Verraelha.
O SrT general Glarindo, que, oom o corpo de
alumnos, commandado pelo iiifor instructor
audio Savaget, esperava o 23 wtalho na pe
freir da praia da Saudade, ah aimulou a dele-
xa do desnladeiro, tomando as convenientes pre-
cauces, aflm de evitar que alguma forea con-
tomasse pela ra da Passagem.
O batalho 23', ao approximar-se ra de S.
Clemente, destacou para frente um piquete de
ptorajo que, depois das 61|2 horas, eneon-
frou-se com as avanzadas do' corpo de alumno?
travando-se logo renbido tiroteio.
O corpo de alumnos defendeu o desliladeiro e
na da Passagem, fazendo vivo fogo, e o 23
anracou gauhando terreno proporco que os
*mmnos reuavara conforme liavia sido combi-
nado
as proximidades do hospicio de Pedro II ees-
coa o fogo ao signal dado pelo conimandante da
Escola.
Abi reunida a forca cm brigada, o general
Clarindo deu o commando gcral ao tenente-co-
el Ferraz.
A brigada chegou Escola s 7 ii2 horas e,
depois de desenvolver em linha e fazer s con-
tinencias militares, ensarllbou armas.
A's 8 1[2 horas foi servido o almoco.
De 11 1 hora da tarde o 23* batalho fez
acercicio de tiro ao alvo, sendo servido o jantar
is 2 horas da tarde.
O general Clarindo e C9 ofciaes empreados
ia Escola almocaram e jantaram no refeitorio
toe alumnos com o commandante e ofliciaes do
2t*bataiho. os cadetes deste com os alumnos,
as pracas com as do 1* batalho de engenha-
ra.
A' tarde houve exereicio de brigada c de
fago.
A brigada marchou s 31|2 horas para a praia
Je Botafogo acompanbando o general comman-
ante da Escola e o general Bario do Rio Apa
-am seus estadosamaiores e cm frente ra dos
voluntarios da Patria dissolveu-se, seguindo o
htaibo 23 para seu quartel.
Os distinctos gene raes mostrar am se satis fe i-
os pelo que flzeram as forcas reunidas.
(Do Jornal io Commncio.J
tjfcartei do commomio do 1P batalho de ifem-
mra. na prara da Actiamaqao, corte, 3o de Ju-
nto te 1889.
Ordem do dia n. 86
Para conbecimento do batalho e devida exe-
aC3o, publico o seguinte:
Passeio militar e exereicio da fogo.
Realisou-se, com a devida autorisacao supe-
rior, o passeid militar do batalho Praia Ver-
elha, onde fez exereicio ao alvo, e tarde, de
ogo, em formatura de brigada.
O tenenle-coronel commandante tem grande
afaco em declarar ao batalho que o seu
irjruRio subi de ponto testemunhando o exem-
?kr comportamento de todos os Srs. ofliciaes e
pracas durante as marchas, as horas de per-
manencia com armas ensarilhadas no pateo do
^artel da Escola Militar, e finalmente porocca-
So dos exercicios em que provaram ter n-
saraecoe disciplina.
COIHERCIO
Revista do Mercado
RKCIFZ. 16 DEJLHO DE 1889.
Vovimento qiaai nullo, notando-se apenas ne-
?tdo nos mercado:; de cambio e de algodio.
Bolsa
ootaqSes OmCUES DA jcxta dos cob-
EBTOBES
Ro/*. 16 de Julho de J889
Algodao do sertao l1 sorte, 7*100 por 15 kilos,
riontem
O presidente,
Candido C. G. Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux
C arab
A taxa oflicial contmuou a ser 26 7/8 d cons-
tjado ter havido negocio a 2< 15/16 bancario.
Papel particular foi passado a 27 1/8.
No Rio nao houTe alteraco, nao constando
negocio algum.
TABELUV8 AFFIXADAS
isonjeiro do bntali;
patentead Jistinctos geoe
Barao do Rio Apa 6 los Clarindo de Queiroz,
que se dignaram assistir aos exercicios e sem-
pre estiveram testa de todos os movimentos
militares, seja devido ao auxilio prestimoso de
todos os Srs. officiaes, veuho especialisal-os.. de
nodo que cada um reconhe^a na pessoa do che-
fu do corpo o sentimento de verdade em pre-
miar o mrito. Assim, pois, louvo e agradeco ao
Illm. ?r. major liscal Antonio Cfrio* da Silva
Piragibe, por stla intelligeacia e conhecimentos
militare?, predicadas estes em que est tambeui
firmada a sua reputarlo de bom ollicial; capi-
tes Eugenio Augusto de Mello, Pedro Antoniuo
N'ery, Jos Sotero de M.-neses e Flaminio Anto-
nio de Vasconcellos Machado, por terem prova-
do mais urna vez que sao cajite3 a quera se
pode confiar qualquer commando, por sua intel-
ligeniia e perfeito desenvoiviraento militar; te-
nentes Augusto Fernando de. Almeida Brando,
Antonio Luiz Fagundes de Souza, Antonio Cae-
tao da Silva Jnior; alferes Joo Pi de Olivei-
r* Penaa, Frederico iuilherme. Pinto de Gou
veia, anocencio Fabricio Ferreira de Mattos e
Paulino Caetano da Silva Santiago, por sua in-
telligcncia, dedicajo ao servico e prestigio mi-
litar.
Por deficiencia de ofliciaes, leve de conduzir
a bandeira do batalho, nessa formatura geral,
o Sr. 2o cadete sargentoquartel-mestre. Joaquim
Xorberto Carneiro, e de coramandar pcl&tao o
Sr. 2" c. dte sargento ajudante, Leonidio Aun*
liano de Almeida ; louvo igualmente estas duas
pracas, por terem robustecido cada vez mais o
juizo que del las fajo, de poderem ser bem apro-
reitaveis a ofliciaes subalternos.
(Assigoado). -Estevao Jos Ferraz, tenente-eo-
ronel commandante.
(Do Diario de Noticvu da corte )
.uado
inna,
ulli
. ito
mais na-
:ite, o ar-
itvu e ati-
om o
rtavu-
Na escola militar realisou-se hontem o exerei-
cio dos respectivos alumnos com o 23 batalho
de infantina, sob o commando do tenenteooro-
nel Estevao Ferraz.
Conforme annuncimos, eslc batalho depois
de tertmvido missa na matriz da Gloria, por oc-
casio de sua marcha, alli chegoff s 8 horas c
acampou.
as mmediacoes da escola, no morro do Pas-
mado, por determinaco doSr. general Jos Cla-
rindo de Queiroz, seu commandante. que esteve
presente, executaram-sc varias cvolues, pro-
prias da defeza de um desliladeiro, onde os
alumnos tomaram a defensiva c houve reunido
tiroteio.
Tenio o corpo de alumnos se encorporado
quelle batalho, passou a formar brigada assu-
mindo o tenente coronel Ferraz o respectivo com-
mando.
Das II 1 hora da Urde, houve exereicio de
tiro ao alvo, em que smente tomaram parte os
soldados d'aquelle batalho.
A's 2 horas da tarde chegou ao estabelecimen-
to o Sr. general baro do Rio Apa, commandante
da 1' brigada, a que pertence aquello batalho,
tendo sido recebldo pelo general Jos Clarindo e
ofliciaes da escola e bem assim pelo mesmo
batalho.
A's 2 1/2 horas foi servido o rancho, em que
tomaram parta os Ilustres goneraes, tendo se
trocado na occasio varias saudaces.
Depois do conveniente descanso, a brigada
marchou para o campo da frente da escola e ahi
executou muitas evoluc&es, sobresahindo as de
atiradores com fogo.
A's 6 horas foi dado o signal de retirada, mar-
chando em seguida o 23' batalho para a cidade.
sendo acompanhado at ra dos Voluntarios
da Patria, onde dissolveu-se a brigada, tendo re-
gressade a seu quartel o corpo de alumnos.
Nao s o Sr. general Jos-Clarindo como o Sr.
general baro do Rio Apa raostram-se satisfeitos
por tudo qoaoto fizeram as forcas congregadas.
/ GRATIDO
01
-> Manoel Rodrigues Ae Atevolo e Silva
\ Ao listre clnico -
/S BR. J. LORMO
Pe modo delicado com que res-
tabeleceu-lhc asaude
embor,
a morder a\
Eu nao tcntio
publico de aecus
Oes qu tinlia a dar. ja
al'.rutnaS notas ao artigo publt
lebre joiz do Cabo, o tal
o homem da syutaxe, emlim.
Coiueca o lazare po !a:na:i
dade de intelligeocia e jl'
primeira, estou convericid
da opinio do jogral. m is,
faca alto pardavascp, ap
proTam, alias li'jnrei con o di rejo i i
pela golia c foryl-o a enguUr o (iieexpeclorou.
Nullo de carcter o individuo ijie 'trabe mise-
ravelmente o seu berafeitor. moriendo raivoso
a mo que arraucou-lhe a jaqueta de vagabun-
do para vestir-lbe a loga de ma Nullo
de carcter o juiz que, para safiwao de tor-
pes interesses, desee a substitu .as, fal-
sificar pupeis. lavrar actas mentirojas'etc. Nul-
lo de carcter o individuo quea'vaBja urna
calumnia, e provocado a explk i como
um cobarde. Nullo de carador 6 u juiz de di-
reito do Cabo, cuja beca esburacada nao pode
mais occultal-o ao'd^prezo da -
Rxtranhao Sr. Teixeira de S que ai all
a sua atlitudqora ridiculamente alli^a ora bai
smente servil a meu respelto. Nad
tural. Audacioso como um ioconscii
nento rooim as vezes murciva m c
rava-mc os caicos ; eu me eoc
arreganho do sendeiro, cjBdgava-o
he de rebenque os mifU
o bruto reconhecia a mp.
ca.-regando-ine ao dorso, tvolav.i a valiK
Nem aquelle contra- oteuder
que eu nao saiba mais afinar o i au ;
este contina cada vez mais liarmoi.uto, mas
nao se presta a aeompanhar os uiyilltoA de .
JacintUa dS raargens do l'irapama :
Dou-te o velho Corpm jaris.
Dou re a prisca ordenacao etc.
Lembra-s f.
Outra nota.
Nao publico os documentos a qe tcnlio me
referido, porque me seria muito dispendioso fa-
zel o, desde que nao tenlio jornal mlna dis-
posirao : mas esta falta lica supprilla comax-
posiyao dos documentos na lypognlphia. A W&-
gencia do Sr. T. de S n'este" ponto uro pre-
texto deque se quer servir para fujer acreditar
que pode responder s minlius aciii-ai"
mo pretextos sao os derivativos a flue se tem
soccorrido.
Eu disse no ultimo artigo que o oficio ao pre-
sidente sobre a suspensa do contador era um
facto sem importancia, comparativanente aos
outros por mim apontados. E com efeito dizer
que um juiz mentiroso vale menos que a afir-
mativa de ser elle falsario e prevaricador. Mas
o bruto nao enlende assim, lal a osliteraco
de seus sentimentos. Volta anda qlclle ol
co, mente deslavadamente quando s refere
consulta ao procurador da cora, por lle lem-
brada, e procura desviar a attcnco pufelica das
miserias que eu denuncici. Mas nao In de ser
assim : prove o Sr. T. de S que nao jra pre-
varicador, um falsario (neste ponto esclba ou-
tro expediente que o da syataxe muitocstupi
do) um calumniador, um ignorante, ummenti-
roso.
Colloque a defeza neste ponto e nada e deri-
vativos, alias para nao ouvir as suas sindices
remettelo-hei n'uraa gaiola de ferro para um
nuseu zoolgico como valioso specimen do g>-
rilla.
Recife, 1G de Julho de 1P89.
Ep tacto Pessua.
Fraaelc Teixeira de
E' com mmensa rermgnancia que ainda ve-
nho me oceupar da apourecido juiz de direito
do Cabo.
O Jorpa a isto ma obriga c nao ve que, per-
dido no conceito dos homens de bem, nao Ihe
ser mais possirel afivelar a mascara com que
illudia a boa f dos incautos.
Prevejo que o desespero que o assalta por
ver-se descoberto no lamaral em que se revolva
como asqueroso verme, torna imminente ou a
reprodcelo das sienas do Cear, onde o idiota
vi\ ia trancado em um quarlo ou um accesso de
hvdrophobia que ponha era risco a seguranca
dos transentes, amentados por um cao que,
Homenagem
Tendo assumido hontem o commandodas ar-
mas interino desta provincia o Exm. Sr. coro-
nel Dr. Jos de Cerqucira Aguiar Lima a quera
desejamos prospera administracao; deitou este
cargo, que com inexcedivel brilhanlismo sem-
pre deseinpenhou, o Exm. Sr. tcnento-coronel
r. Antonio Florencio Pereira do Lago. '
i rilerioso em suas decises, o Ilustre oflicial
que acaba de deixar a ar'ua direecao das ngo
cios militares da profllici*, ti*ve sempra a Rus-
tica por fanal.
Assim, saudoso despadirao-nos. desejando-'
Ihe, coto a smceridade que nos cabe, aterna fe-
licidade merecido premio que compete hoo-
n t intelligeocia.
adinerado)-.
afunerxila
Alsodo
CoU-98 o de i* 60rte do serto a 7*100 por \Z
kilos-
A exportacio feita pela alfandega neste mez at
odia 13attiogio a860.160kilos, sendo 662.08
para o exterior c 198.07(1 para o interior.
As entradas verificad. < at a data dehoje so-
beo) a t.271 saccas, sendo por:
Barcacas..... SI? Saccas
Vapores ..... *
\nimae8..... t i*9
Via-ferrea de Caruar. 38
Via-ferrea de S. Francisco. 231
Via-ferrea de Limoeiro 1.836
Sorama.
4.571 Saccas
Asanear
Os presos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
rondo a Associayo Commercial Agrcola, foram
os seguintcs:
Branco .
Somenos.
Mascavado purgado
c bruto.
Rtame .
3*800 a 4*400
3*000 a 3400
24600 a 2*800
(firme) 2*000 a 2#400
1*700 a 1*900
A exportacao feita pela ulfandega neste mez at
o dia 1?, subi a 1.537.101 kilos, sendo 548.650
para o extenor e 988.431 para o interior.
As entradas verificadas at a data de boje, so-
bem a 3.666 saceos, sendo por :
Barcacas .... 1697 Saceos
Vapores..... -'
Animaes.... 24 >
Via-ferrea de Caruartt. 102 *
Via-ferrea de S. Francisco. 1 551
Via-ferrea do Limoeiro 238 c
Sorama.
Kimha mepica Zesbe laia ne mo nezezo xar-
ras snos. Vsbrerire ne ha Hfrcn u meka l'siqa
jas lo rei pe g se ripo. Too vem be razc. y
e u rucos u unbiaqo aslepanco a cim co orJo.
R pcmmre likha zolo reo iOkmo H.
12 de Julho de 8.
Alferes Alfredo Maci'l.
3.668 Saceos
Agurdente
Cota-se a 85*000, por pipa de 480 litros.
Aleool
Cota-se a 180*000 por pipa de 480 litros.
Hel
Cota-se a 70*000 por pipa de 480 litros.
Coaros
Couros salgados, 360 365 ris, nominal, na
base de 12 kilos.
Pauta da alfandega
gBkUKA l>H 13 A 20 DB JULHO DK 186*9
Vide o Diario de Vt de Julho
Xavlos descarga
Barca nacional Mariannitiba, xarque.
Barca norueguense Suez, carvo.
BareaNnoruegueuse Ge/Un
irence, bacal
mportaco
Vapor nacional $. Franciuv. entrado da Babia
e escala em 15 do corrente c consignado a Com-
panhia Pernambucana, manirestou:
Arroz 2 saceos a Manoel Pinhelro. Aasucar 57
soceos a Pinto Ferreira & C.
Barris vazios 205 a Pereira Pinto 4 C, 111 a
P. A. Ferreira. Barricas vazias 456 a Machado
Lopes 4 C.
Couros salgados seceos it a Ilossback Bio-
tbers 4 C, 150 ordem.
L de caona 6 saccas A ordem.
l'iassava 50 mullios a Albino Costa, Pipas
vazias 50 ordem, 50 a Pereira tinto 4 C, 40 a
P. A. Ferreira. Pelies 105 atados a Abe Stetn 4
C, 166 a Rossback Brothers C.
Sola 300 meios ordem.
Tapioca 5 saceos a Fraga Rocha 4 C. Ta-
mancos 12 fardos a Abe Stein 4 C, 4 ordem,
tt a Rossback Brothers 4 C, 1 a Pinto Ferrei-
ra *C.
Barca norueguense Artndal, entrada de C*r-
diff em 15 do correte e consignada a Wilson
Sons 4 C, manifestou :
Cok* 6 toneladas e 14 quintaes.
Carvo de pedra 654 toneladas aos consigna-
tarios.
Vapor itutlez Thales, entrado de Montevideo
em igual dala e consignado a Blackburn Xeed-
bam 4 C, manifestou :
Alfafa 20 fardos a Joaquim Lopes de Barros.
\arque,132 fardos a Maia 4 Resende, 729 a
Baltar Oliveira 4 C, 500 a Amorim Irmos 4 C.
Vapor nacional ilamnho, entrado dos porfos
do sul em 16 do corrente e consignado a Pereira
Carneiro 4 C. manifestou :
Carga do Jrlio de Janeiro
Caf H2saccos a Paiva Vajete 4 C, 70 a Fer-
reir* Rodrigues t C, 80 aoTCbnsignatarios, 61
a Costa 4 Medeiros.
Cognac 35 caixas a foo Vctor Alvos Ma-
tlieus. Chapeos 1 caixa Christiani & C. Cho-
colate 1 caixa a Pereira Ferreira 4 C.
Drogas 32 volumes a presidencia, ') a A. Fer-
nandes 4 C.
Fazendas 1 caixa a Andrade Maia 4 C. Fumo
93 volomes a David Ferreira Baltar, 58 a Moura
Borges 4 C, 10 a Joaquim B. dos Reis. Farda-
mentos 36 fardos a presidencia. Ferragen3 1
caixa ao prolongamento.
Mobiiias 26 volumes ao Dr. Soriano de Soma,
27 ao l>r. Tarquinio de Souza. Materiaes para
telegrapho 79 volumes ao estacionario. w
Panno de algodo 25 fardos a Olinto Jardim
4C. '
Vidros 1 caixa A W-llso:;
barris a JoSo Viclor Alves Mati
Xarque 400 fardoa aos consigt
Carga d .
Chapeos 2 caixasAjaUio Pinto C. da Silva.
Cavallo i a
Pereira Cambi-
ado dos portos do
-ignadoa Pereira Gar-
LiHln Ua itcMHOOM |iie *tnbrrc i e
rnm em favor da ramilla ao i>r.
TobiaM Biirrclo.
Rodrigues Lima 4 C.
Manoel J. de Amorim
Dr. Constancio Pontual
Dr. Jos Marianno Carneiro da Cunha
r. Caries Alberto
Perman 4
Fra&ct'o dt Paula Lopes
Cnsul de Portugal
Conipanhia Drainage
Antonio do Carme Almeida
Mendcs, Lima o C.
Barao ele, Caiar
Dr Joo Paulo
Di CecitiaooMamed
Dr I'. Leopoldo Marinbo
Dr. Moscoso
Dr. II. Miiet
Dr. Antonio Estevo
Um a non y mo
Dr. Argollo Ferro
Charles-Pluvui
Her. Sulterfe
Krause 4 C.
1 ouibcr
Herdeiros Bo^man
Francisco Cardoso
Ajudante do guarda-mor da Alfandega
Coronel Fiuza
iionvmo
Consol da Allemanha
Jo Kerrii lides Lopes
W. Ilailiday
Martins
. i. da C. Carvallio
Iruio
i'i:!iia Amphitrile
Lemos
l"ni ai. aymo
e. lia Companbia Pernambucana
tluiiiiiieudador Machado
reir da Silva
Pereira Carneiro C.
Jos J. de Amorim
Carlos Pinto de Leraos
Joo Carneiro da Silva llego
Dr. Ferrer
Conselheiro Portella
Dr. Telespboru
Dr' Be.rardo
Dr. Gomes de Matlos
ommendador Leal
Dr. Malaquias
Barza
TabcllioMergulho
Quintas
Hainiro Costa
Joo WalfriJo
EscrivSo Antonio Burgos
Tbomazde tarvalOo
Antonio Maia
Francisco Gurgel do Amaral
Tomborim
Etregorj
Permau
J. Maebado.
Sebastio Lopes Guimarcs
Um anonyrao
Izidoro Bastos
Um anonymo
Reis e Santos
Mondes Lobo 4 C.
Costa Lima 4 C.
Eugenio Guedes
Joo Fcarcira da C.
Aguiar
Domingos Cruz
Pedro Itamires
Jos Raposo
t'm u:ioiiymo
Fmpregados da Caixa Econmica
Manoel Maiqucs de O.
Manoel M. Pires
Miranda ^ Souza
Lourenco Cavalcante de Albuquerque
Joo A. da Costa M.
Euzebio Beltrio 4 C.
Corbiniano de a. Fon seca.
r.ardoso Irmos
Cramer Fie y
F*ouseca Irmos
Um anonyrao
Um aoonvmo
Jos J. G." Bastos
Commcodaa. R. Pinto Gutmarie
Bauco Interoatnal
Fraga 4 C.
Joio do Livraraento
Barlliolo 4C.
Alfredo Franco da Silva
Manoel (los Santos Villaca
Fernando Costa 4 C.
Dr. Nicolao Tolentino de Carvalho
Jos Al ves avalcante
Francisco de Azevedo
Tboui i Times
Chfistiani
Um anonymo
t'm anonymo
Carlos Antonio de Araujo
Masoel A. de Souza
Bnto Filho
F. M. do Amaral
56* 000
304008
30/000
20#000
s*ooe
10*000
20*000
20300U
15*000
iJ'IOOO
15*000
10*000
104000
104000
103000
10*00
10*000
1040)
lOiOIK)
104000
10*000
10*000
10*000
104000
10*000
iOOOO
10-3-.00
1041 00
lODIK)
104000
io*d00
iO*0D0
leloeo
10*000
i 0400! I
104000
lOeOO
10*000
04000
.-4000
5*000
53000
5 4000
5*000
AUO
5*003
54000
.4000
5J000
54OO0
5*000
5*000
54000
3*000
5*000
54'IX)
3*000
5*0110
54000
54000
5*000
54 00
5*(K!0
KMkXl
5*000
:S(KK)
54000
5*0IM)
5 100
5*000
5-5000
55000
&*0(X)
54' 00
54000
5*000
5*000
5*000
5*000
5(!O0
5*000
.:)4000
.'>*000
.400O
-$000
54000
5*000
5*000
5*0 1
54000
5*0n0
54000
4*000
4 4000
44000
3*000
3*000
34000
3*t00
3*000
2 (00
li
M>
2,.K)
t 00
pes; 4 C. Dita de mandioca .'09 saceos a Antonio
Rodrigues da Costa 4 C.
Milbo *K) saceos aos mesmos, 200 a David F.
P. Baltar, 500 a Ferreira Rodrigues 4 C.
Yinho 46 caixas a Joe Ramos.
Xarque 442 fardos a ordem, 12 a AmoriraJIr-
mos 4 C.
asxportaeo
BBCira. 15 dc Jin.iio de 1889
Para o exterior
h*Jfc vapor ini:lez Thales, carregaran :
Para Liverpool, Borstelman com JW,6U3t kilos do algod&o.
Para o tnterwr
Xa barca nacional Marianninlta, carrega-
ram :
Para Pelotas, Viuva de Manoel F. Marques 4
Filho 200 barricas com 21,212 kilos de assucar
branco.
So vapor allemo Poi-to alegre, carrega-
ram :
Para Santos, E. C. Beltro 4 Irmo 150 saceos
cotn 9,J0 kilos de assucar branco.
Para Rio de Janeiro, Costa 4 Fernandos 10,000
cocos, frucia.
No rapor francs Y Ule de Cear, carrega-
ram :
Para Santos, A. V. de Barros 1,000 saceos
com 60,000 kilos; de assucar braaco.
Para Rio de Janeiro, A. A. Ilollanda Costa 20
caixas coin 40 duzias de elixir.
No vapor nacional .[layos, carregaram:
Para Rio de Janeiro A. de Oliveira Maia 6,000
cocos, fructa ; P. Carneiro 4 C. 650 saccas com
49,98(1 kilos de algodo e 1,595 saceos com
95.700 dffos de assucar branco": P. Valente 4 C.
30 pipas com 14,400 litros de agurdente.
Para Bahia, J. A. de S 27 barricas com 1,890
kilos de assucar branco.
No vapor inglez Cearense, carregaram :
Para Para, Amorim limaos 4 C. 6 pipas com
2,400 litros de aleool, 50 ditas com 24,000 ditos
de agurdente < 450 barricas com 35.412 kilos
ucar branco ; F. Casco Filho 160 bar-
ricas com 8,506 1 2 kilos de assucar branco ; V-
da Silvcira 50 barricas com 4,070 kilos de assu-
car branco ; Fernandes 4 Irmao i barricas com
200 kilos de doce ; J. Salgado 1 caixo com 90
kilos de doce e 1 barrica com 50 ditos de inha-
mes.
No vapor nacional ilavanho, carregaram:
Para Manos. II. Oliveira 80 barricas com
4,800 kilos de assucar branco e 20 barris com
litros de agurdenle.
Pura Para, J. A. de S 40 latas com 560 kilos
de assucar refinado ; A. A. Ilollanda Costa.10
caixas com 40 duzias de elixir cabeca de negro.
Maranhao, A. A. Ilollanda Costa 6 caixas
de eligir cabeca de negro.
\ 1. A. de S 40 barricas com 4,480
jcar branca.
ite nacional Nepttmo. carregaram :
- B. Pinto 10 barricas com 876
branco.
D. Stnh, carregou :
1,0C0 saceos com farinha
e maa
carr<
^^Hl 1 too

l'into Ferreira
Caors
Cicero de Mello
Jos C.oin;alves Madeir.i
F. G. de Albuquerqne Mar;
' Itaymundo de Sousa
Joo O ndido
,j1
Barbosa
Osorio
l"n a(lonvmo
Marres
,-o llego
Ferreira da 1 roa
Goiraaries Cardoso
M, Cardoso Ayres
lereulano de A. Ponseca
Viuva Marques 4 Filhos
Antonio F. Carreiro
L:n amigo
(m carblico
SaUlanba
Dr. Cosa l'iibeiro
i)r. Luiz A, Pire-;
Dr. Affouso do Reg Birros
Dr. Prxedes Pitatiga
l'ra:;edes (usmo
Braga
Alve-1 Cava] 'inte ,
Banks
A uto ai') la Silva Noves
Fredevicu Pinto
Jos Ksteira
Jos Miranda
VKCl> LO 1:0
ll.T'avares dos Sinlos
Antonio Leonardo de Amorim
Rapiuel Das Je C.
AraUjO e Silva
. iovmo
JooJ. R. Mendcs
Carneiro Vianna
Deom 'lale de Ma^allies
t'm anonymo
Um dito
Uta (Uto
Um dito
Thomnz le A. Ftirtado
Ai thur Gouveia
Dr. Feiippe Lopes Xcito
Joo Lobo
i 000
20OO
2p0-0
2*000
24000
2*000
Sooo
2*000
2.41:00
200O
2*000
2*000
2*000
2400!)
1*000
I 000
141HX)
10!J0
14000
1"00
1*000
1 00
14000
14000
13000
1*000
1/000
14400
15000
1*0)
14000
f*H)
I30J
500
500
500
500
51:0
5)
500
200
i .0083-')
Segundo a presente ola, o total da subscri-
pgo consta da quantia de 1:008*200 ; mas a
eommissao tem em seu poder a somma de.....
1.047*700. attnbojndo o ecesso de 40*500 a
omisso de ak'u is sabscrif.iores cuj03 nomos
tio tenham sido tomados por esqueiumenio.
Marta Qylhu.
Ikliiura Cotia.
Marn Fragosa.
AoExm. Sr. consHlieiroMa-
noel Alves de Araujo
Hontem foi assignado ?.ltropellaiamente o
contracto para fornecimento de fardamenlo
guarda cvica e polica desta provincia por dous
anuos, contracto mandudo lavrar a l'J Ao cor-
rente.
Prelcnrarn-se direitos de outros fornecedores,
despresanilo-sc todas as formas legaes, como
sejam a licaco e concurrencia publicas, como
preceituam muito terminantemente o rcgulumen-
lo da forra policial nos art<. 7" t 711 asleis pro-
vhuiaes untit. XI arts. 1~S e t~f.
E despresaram-se tanto mais. quando. ha-
viam eutros fornecedores: que requereram ao
Exm. Sr. presidente no3 dias 12 e 13 do corren-
te propondo-se a faar os fornecimentos alludi-
dos com grandes abaiimento* dos quaes resul
lavan um lucro a favor dos cofres ao Thesouro
de cerca de quarenta centos de ris nos dous
annos.
Hnje, porm quese acha frenteda adminis-
tracao desta provincia o Exm. Sr. conselheiro
Manoel Aires de Araujo, conlia se, que {o pri
meiroacto de 8. Exc. ser aannullaeo daquelle
contracto, contra o qual protestara a razo, a lei,
a justica e a moralidad".
Sendo notoria a difflcil quadra financeira des-
ta provincia, confiase que V. Exc. annullari
ess# acto, salvando assim os interesses reaes
da provincia, que em to boa hora llic foram
condados.
Assim espera
R .4 innralidaile.
CiruFgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLrNSON, for-
mad pela Uaiverairlacle de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra BarSedo Victoria 18, Io an-
dar.
Consultas daa 10 s 4 horas da tarde.
Francisco Ribeiro Pinto GimarJcs 10.000*000
Bcrnardino Lopes Alheiro 4.000*000
Joaquim Pires da Silva 2.000*000
Companhia Pernambucana 1.7!i*390
Pelo vapor nacional -Maranhao, do sul,
para:
English lank of Rio da Janeiro. :i2.000000
London & Brasilian Bank 29.00645J0
Niemeier Cahn C, 16.000*000
Julio & Irmo ."..SOOOOO
ilcrmanu Luodgreo 5.QH04000
II. Burle4:. :Lil 14400
Amorim Irmos 4 C ;1J99*780
Fraucisrt Manoel da r*>a 1.585*000
Carlos Pinto de Lemos 2.340*000
Duarte 4 C. 2.S0M000
A. Augusto da Silva *. 1054*500
Carlos Loureuco (oraes 1.5004000
Ramos Geppert 0 (50*000
Carlos Asferra 690*000
Piulo Alves C. 477*500
KXPVDIDO
Pelo vapor alleroJto Porto-Alegre. para:
Rio de Janeiro 3.284*190
Santos 100.0004000
RendlBaeatfos publico
MK DBU>t&
Alfomdega
Renda geral:
Do dia la lo 381:1004877
Idera de 16 18.576*733
----------------- 309:7764610
Renda nrovincia! :
Do dial a 15 40*474011
dem de 15 S:ll^3o7
43:764*318
AOS SURDOS
O Aurophoac es-
pecialmente adaptado s
molestias dos ouvidos
int'allivel e de inmediato
clcito na prbduccSo^)^H
som. Este valioso ^^^H
OT /fy incnto nunca 'alhou e "jj-p ^T/Q^iT,t!iviar aos A.t.vy nAWSflfiourdez. A quadade inais
importante do instrumento a facilidade
com qnc pode ser posto c tirado, e que
nao pode ser visto quando dentro do ottQ
vido. Inforraacoes gratis pelo correio aV^
pessoas (jue ae desejarem.
Queiram dirigir-se pessoalmente, oa por
carta, a A. 13. SEawson, ra Sete de
Setembro, n. 64, Rio 8e Janeiro.
Ilavcndo grande numero de pessoas na
provincia de Pernambuco o suas circumvi-
sinhancas, soffrendo de surdea e querendo-
aproveitai'-se do celebre instrumento Al-
rophoKC o Sr. A. E. llawson decidi
apontar como seus nicos agentes para todo
o norte do Diperio, os Sr*. Bandeira &
Oliveira.'n. G5, rn.a do Imperador, onde po-
dcrSo ser procurados os ditos instrumentos.,
BANDEIRA & OLIVEIRA
N. b'5Ra do Imperador .1$. Gb.
Brilhante resultado *
Eu abaixo asstnado, morador a ra
Paula Brito n. 25, no Rio de Janeiro, de-
sejando prestar una homenagem verda-
de., tornando, ao rnesmo tenipo, publicas
as virtudes do Pe toral de Cambar, ve-
nho declarar que, empregando esse impor-
tante medicamento em urna lhinlia de ">
annos de dade, preza do urna terrivel
tosse convulsa ou coqueluche, ha j dous
mezes, e depois de applicados outros me-
dieainentos, obtive o mais agradavel re-
sultado para o raeu eoraeSo de pai, at en-
tao alflicto pela crueldade da molestia di
minha tilhinha, dando-lhe o afamado Pei-
toral de ("ambara do lhn. Sr. Jos Alva-
res de Souza Soarcs, de Pelotas, qne,
com dous vidros apenan, produziu tao bri-
lhante resultado.
Felicitando ao autor de tao virtuoso pre-
parado desejo que este attestado verdadeiro
aproveite aos que, como a minha filhinha,
sejam atacado de-tao terrivel enfermi-
dade.
Jos Cario Cvimhrade Gouveia.
TH. IO.
Oleo puro inedielnal de Fcicado de
Bacalkn. de i.unmiui A Kenap
Ainda mesme quando a fehre htica tenlia
marcado tuas faces, nao dias, e j muc tar-
de domis,Iporque sempre haver tenipo de se
atalhar o mal. *
Kiiiiiuanio houver no systema vital urna s
sombra de vigor recuperativo, animai-a com o
oleo puro medicinal de Kigado de Bacalho, de
Lanman 4 Kemp, porque esle pode reviver a
energa vilal do systema.
Se existem ulceras,, nada to balsmico como
elle : se ha irritar nada to suavisante, se lia
debiiidade, nada lo restaurador. Porem mis-
ter ohter-se o ;artiga verdadeiro. Os leos or-
dinarios de Firado de Bacalho. sao sempre
impuros, e as vezes nelle nao se encontra urna
segla do artigo legitimo.
o os empregueis jamis, lleparai bem, se
o nome desta firma respeitavel, a qual por si s
urna garanta da purea e legitiraidade do ge-
nero, acha se no letreiro sobre a capa do Olao
de Figado de Bacalho que porventura tenbas
de comprar. Em lal caso podis ricar descan-
sado. de que a prc|tarac>o <-. a inelhor que O'ta-
lento e sciencia podem produzr. .
Acha-se a venda era todas as principaes boti-
ca e lojas de drogas. \
gen
Dr. Firmo Xavier
Medico c operador
D consultas das 11 as 2 horas em seu con
sultorio ruada Imperaliiz n. 30 1 aiidar e
tem sua residencia na cidade do Cabo, onde po -
de ser procurado das 6 da tarde as 9 da manh
8 sainos a 200 res 146C0
26 matulos com legumes a 200 ris 54200
Foram oceupados:
27 columnas a 600 ris 164200
l escri prono a 300 ris 300
25 compartimentos de farinha a 500
ris 124500
2-4 ditos de comidas a 500 ris 124009
76 ditos de legumes e fazendas a iOO
ris 304400
16 ditos de subios a 700 ris 114200
8 ditos de fressuras a 600 rgis 44800
V taihos a2* 00*000
Somma total 443.5404928
Segunda secgio da Armadega, 16 de Julho de
1889.
thesoureiroFlorencio Domingues.
chafe da seccio -Cicero B. de ateo.
1]
RecebedorJa Geral
Do dia i a 15 18.5434466
dem de l 2:2124793
20:755i52o9
Rccebedoria provincial
Do da 1 a 15 125:523*038
dem de 16 754151
126:1984189
Recife Dralaage
Do dia 1 a 15 3:945*239
Iderajde 16 272*188
4:2174427
Mercado Municipal de S. Jote
0 morimento deste mercado no dia 15 de J u-
lho foi o segninte:
Entraram :
41 bois pesando 5,874 kilos.
226kilosdepeixaaa0r 4*520
17*800i
2144420
Rendiraeuto do da 1 e 14 do cor-
rete 3:0644900
:!:279*32(>
Foi arrecadado liquido at hoia
Preces do dia:
Carne verde de 240 a 480 reis o kilo.
Carneiro de 720 a I* reis dem.
Suines de 560 a 640 reis idem.
Farinha de 680 a 800 reis a cuia.
Milho de 500 a 600 reis idem.
Feo de 1*200 a 14600 idem.
Matadonro pnhlieo
Neste esiaelecimento foram abatidas pa?a
consumo de aojo 84 rezes pertcncentes a diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
MEZ DE JULHO
Europa....... J'ie d* Cear.....
Europa....... Neva............
Sul........... Tamar...........
18
19
21
Vapores a sabir
MEZ DE JCLHO
Sul..........Alagoas........... 17 as 5 ti.
Norte........ Maranhao......... 17 as 5 h.
Santos c esc Yille de Cear..... 17 as 4 h.
n o vi incalo do porto
Navios entrados no dia 16
Rio de Janeiro e escala6 dias, vapor nacional
Maranhao de 1999 toneladas, commandante
Pedro Hyppoiito Duarte. ^qaipagem 60, carga
varios gneros ; a Pereira Carneiro 4 C.
Manos e escala13 dias, vapor nacionaj Ala-
goat de-1999 toneladas,- commandante Joo
Maria Pessoa, equipagera 60, carga varios g-
neros ; a Pereira Carneiro & C.
Santa Catharina19 dias. patacho dinamarquez
Trc Sastre de 160 toneladas, capitSo C. tlintz,
equipagem 7, carga farinia da mandioca; a
H. Lundgren 4 C.
Montevideo21 dias, barca allera'Fntz Schmidt,
. de 397 toneladas, capitio A. Schmidt. equipa-
gem 10, carga ossos; a H. Lundgren 4 C,
Rio Grande do Sul30 dias. luga: dia-
na de 289 toneladas, capito J. L. Per:
equipagem 7, carga graxa; a Pereira Carnei-
ro & C.
Santa Catharina20 dias, patacho norueguense
Larkam de 228 toneladas, capito B. Over-
lart, equipagem 7, carga farinha de man-
dioca ; a llermann Lundgn
Navios sahidos f^^^^^^^H
S. Vicente
dante J.
V'

S


Diario de PernambucoQuarla-feira 1 de Julho de 1889
m
J naoadmitte ctuvids
Todo aquello que soffre de tosse, as-
thma, rouquidao ou qualquer enfermidade
do peito, e de vas respiratorias, anda a
grave, s u2'
endo.
O Peitoral de Cambar, importante des-
^ooberta do Sr. Souza Soarcs, de i
Uffl remedio tao efficaz que nao admitte
hojeduviclas a nsspcito.
A prova acha-sc no grande numero de
atteatados de curas ob im netal
consumo de vinte i rruscoa por i
as honrosas apre da imprensa; na
sua approvagao )e!a junta de hygieoe pu-
blica; na autorisacao do governo imperial
o nos grandes premios de duas mealaaa
de onro de l1 case com quo f'>i distin-
guido.
Portento, os doentes s nao e curam
quando nao o queiram.
Lde com atteoelio o eiheto que acom-
panha cada frasco.
O Peitoral de Cambar ver.dc-sc em
dos agentes e depositarios geraes
raneisco Manuel da Silva & C, a rua
Mrquez de Dunda n. 23, o cm diversas
pharmacias e errogrias da cidade.
ED1TAES
casa
T"
0
Gralido
Tendo miuha rnuiher no dia 7 do cor-
renxe tido um parto muito laborioso venho
agradecer a Exma. Sra. D. Joaquina Ade-
fia dos Santos Costa, a delicadeza com
que ajudou na hora do parto e a quem
levo a vida de minha mtilhor e de meu
lho; se nao tbsse olla tao perita estara
heje chorando.
Kecifc, 14 de Julho de 1889.
Juaqx'i.m Emi/i/dio de Albtujvenjue.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
eculisia, ex-chefe de cliniea do
Dr. de Wecker, d consultas de
ineie dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 rua do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e ias santificados.
Residencia rua Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela rua da
Saudade n. 25.
5.a secsao.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, era 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Eim. Sr. Dr. vice-preaideute
da provincia e nos termos do 2 do arr.
Io da le n. 1,901 de 4 de Juubo de 1887,
que, tendo-se concluido por rneio do laudo
de arbitro desempatador, a questao de ava-
iacao do material da empreza de iiliirai-
nacilo gaz desta cidade, iica al)erta
a concurrencia, com o prazo de seis rae-
es, contado da Jara do piesnte. ediial,
para coatracto da dita illuniinacSo, me-
diaste as aeguintes clausulas da cit
3." Nonbuma proposta abr recebida
sem que o proponente com < la aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quanti.; de 25:000J
em dinhiro ou apoliees da divida publi-
ca, para garantir a aceitagao do contracto,
no caso de ser preferida a ba proposia.
| 4." O deposito, a que se refere o pa-
ragraplio antecedente, n?.o ser retirado
pelo contractante senao lindo o contracto e
servir de enucJo para os pagamentos de
mul'a c fiel compi'iiueuto d.: clauaulas,
que forcm estipuladas no aesmo.
." contracto s peder ser feito
com quem melhorcs vantage. ceer i AsSOClUraO JYleulCO JrJlirma-
na eoncurrencia.
- Secretaria da presidencia de Per-
nambuco, 22 de Junio de 1889.Fores-
ta secretaria se faz publico, de ordem do
Exiu.. Sr. vice-presidente da provincia,
que tica prorogado por 30 dias, a contar
de hoje, o prazo para a apresentacao de
propostaa de concurrentes & fundacao de
onze engenhos centraes nesta provincia,
nos termos da leia n. 1972, de 22 de
.Marco do corrento anno, observadas as
disposicoes constantes dos editaes de 25
de Maio ultimo e 3 do corrente.
Servindo de secretario,
Emiliano Ernesto de SI. Tamboriin.
5.1 Hecao.Secretai psidencia de ivr-
nambu'-o era 10 de Jolln
i cr cite, er.rolar>-a e i'.i/ nihlico para conlie-
ri uto de quem Hiien-so-fr, me. a requeriiaeo-
lo de Jos Beruiniio de liunebcm Arantes, li-
en abarla ;i "ia u >ui o preso de trila
dias, contados (fasta data, pare o recebimento
de pronostaa refeijenlea lufnlacao de um ernA-
Hn'o central de iti>o luawr, de que trata o art.
lt- Ja iei n. ]-' 15 le i di Agosto de 1835, mc-
dianuj as coodicoe doar. 16 da mesma Iei d
Ja de u. 11172 dV t'i de Marro oltlmoj
(Assi.'na>!o).-<-'> eereU&o, Vrmoitca /.. Ha-
i'mliu de Sun"".
THEATRO
Propriedade e empresa dos artistas
EDUARDO RODRIGUES E HELENA BALSEMiO RODRIGUES
DECLAEiCOES
E)
o o
R Si C^ A O O O ACTOR
A-FEIRA. 18 DE JULHO DE 1889
<3AM)I0S0 SfKESSO
-1.'' e ultima-representacSo da opereta mgica
Na prxima semana

=***--
>} Lcouor Porto
i (Rna l^arga do Rosario nn-
i / mero *
J SEGl'NDO ANDAR
; ) Contina a execotar os mais difticeis
>?urinos receidos de Londres, Pariz,
, j Lisboa e liio de Janeiro.
I j Prima <:m perfeiro de costuras, em
!-em brevidade," modicidaue em prcijos e
jlino ii?slo.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e craancaa.
Consultorio e residencia rua da impe-
ratri^ n. 18, 1 andar.
Consultas de 8 a 10 da manha.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TKLKPHOXE K. 22t
fl

MEDICO HOMEPATA
Dr. Balthazar da Siheira
Especialidadefebres, molestia*
das eriancas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Presta- se a qualquer chamado para
ore da capital.
AVISO
Todos os chamados devem aer di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabine,
rua do Barao da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Advoeacia crime
MBHU) DA SILVA, defeude perante o
jury de Palmares, Agua-Preta. 6amelleira,J
Escuda, Jaboato, Xazarctti, Victoria, Titn-l
r bauba e as comarcas visiabas as ras (
frreas. ; .
Pode ser procurado rna l* de Marco j
m
| 6." A no ser no caso do paragrapho
antecedente, a actual empresa nao ter
preferencia a qualquer nutro proponente.
'? 7. O novo cuntractantc sera obliga-
do indemnisa5ao, a que a provincia
sujeita por forca da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
indemnisacao ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e ficando o material
e obras da empreza hypothecados pro-
vincia at que esteia realisada a indemni-
sacao ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
8." O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
9. Opreco da illuminacSo, quer publi-
ca, quer particular, no poder e^eder de
260 ris o metn) cubico de gaz, fazendo-
e urna reduccao de mais de 30 [0, para
os estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e reparticSes publicas.
10." O systema mtrico, si for mais
conveniente, ser adoptado para a niedi-
{So do gaz.
11. A luz ser clara, brilhante e isenta
de substancias estranbas, que possam pre-
judicar a illuminacao e a hygienc publica.
12. A intensidade media da luz ser
equivalente a dedez velas de espermaceti,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 graos inglezes.
13. As horas de illummacao publica
serSo lixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, nem maior
de dea, devendo neste caso haver urna
redcelo no preco do gaz correspondente
ao acrescimode horas.
| 14.* O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questoes que
se agiotareis, quer com o goverao,
qaer oaat m particulares, cando su jeitos
todo oa sea* actos s leis e rcgulamen-
tos e 4 jariedic<;ao dos tribunaes judicia-
roa am administrativos do paiz.
| 15.' O contractante ser obrigado a
collooar e construir sua custa um ou
mais gasmetros, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os mclho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forcm descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
f 16.* O pagamento da illuminacao pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attencao oscillacao do cambio.
17.* O contractante poder organisar
companhia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos e obriga53es do contrete.
| 18.* Para as despezas com a tiscali-
saeSo do servico de illuminacao o contrac-
tante concorrer annualmente com a quan-
tia de 3:000)9000, que serio recolhidos ao
Thesouro Provincial.
19.9 O presidente da provincia esta-
bclecer as multas c mais condicoes, no
intuito de garantir a boa execucAo do con-
tracto, quer com relacao a Ilumnelo pu-
blica, quer com a particular.
Fac-se publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual em
cfica Pcni^imbucana
De ordem do Sr Dr. presidente dcst asso-
ciaro. declara-se io^ senhores assoeiado* que.
nao" se tendo procedido a eleiciio dos membws
da coramissio adni;iistrativ mais cotnniis-
sOes que teem de dirigir os trabalbos durante o
anio prximo, por nao ter comparecido numero
suflicient* aos mesmos associados, foi dita elei-
cao transferida para a prxima quinta-feira 18
do corrente.
Associacao Medico Pharraaceutica Pernamim-
cana, em 13 de Julho de 1889.
Dr. J. de M. Curio
1 secretario.
4 Tomada da Bas/dha
Arremalao
Thesouraria de Fazenda
De ordem do lilao Sr. inspector, < chamado o
Sr. I'ineu de Araujo Cesar, ex-thesoureiro da
reparticn dos correios desta provincia ou os
herdeiros do seu respectivo fiador, atim de vir
recolher aos cofres pblicos, no prazo de 15
dias, que Iica marcado, a quantia de 270*600,
que figura em responsabilidade do mesmo se-
nlior ex-thesoureiro para coma fazenda publica.
Em 13 de Junho de 1889.
O secretario,
Dr. Antonio Jos de Sani'.inna.
um vnwui
DO
JO ttx. tVj > X JO
Capital.....20,000:0005000
dem realisado 15,000:000$000
A caixa filial deste Banco funeciona
rua do Commercio n. 42, sacca, vista ou
a prazo, contra os seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LondresBanco Internacional do Brazil.
PariiBanque de Paris et des Pays Bas.
LondresLondon & C'ountj Banking Com-
pany Limited.
AemaiihaDeutscbe Bank.
BlgicaBanque d'Anvers.
ItaliaBanca Genrale e snas agencias.
1 j> na e suas agencias.
PortugalBaaoo de Portugal e suas agen-
cias.
Rio da PrnUt-Th* Londtai ARiver Pis-
te Bank Limited.
Nova YorkQ. Amsink & C.
Compra saques sobre qualquer prace do
imperio e do estrangeiro.
Recebe dinhiro em conta corrente de
movimento com juro na razio de 2 /8 ao
a prazo a juros conven-
O gerente,
UUliamAf Webster.
Ouarta foira 17 t!o cnrrei.te nu'z, depois de|
linda a audiencia do Sr. Dr. juiz municipal o do!
commercio do termo da Escada, va; a prega por
venda a eugenhoca denominada Muricy, cora
abate da quinta parte sob a avliaciu de 3:000i ;'|
urna boa encenboca, moenle com agua, e com |
muito boas proporcOcs para aafrejar 300 paes
annnacs, tendo boa casa de vivenda, com boas
arvores fructi leras c coqueiros. casa de enge-
nho e de bagaco, e diversas outras casas e si-
llos para aviadores, muito perto da cidade da
Sscada e da estacas da via-ferrea : dase infor-
macOes rua Duque de Cixias n. 30, padaria, c
na mesma engenhoca.
Club Carlos Gomes
Sarao mensa!
Commonico aos senhores somos que ter lu-
gar no da 20 o sanio deste mez.
Ingressos em mao do Sr. thesoureiro.
Secretaria do Club Carlos Gomes, M de Junli"
de 1889^-0 secretario,
Andr Costa.
Companljia te $$e$avos
com. ros-o
NORTHERN
de Loadres e Abcrdaen
Posigao Bwncira ('Dezembrode 1885J
Capital subscripto 3.000,000
3.134,348
SANTA CASA
CASAS PARA VUltll
Rua do Vigario Tenorio n. 27, loja 2O000O
dem idem n. 22, 2. andar 180000
dem idem idem, 3." andar 180000
dem do Hispo Sardinha (Encanta-
mento) n. II. 2." andar 2401000
Idem do Mrquez de Olinda. n. 44, so-
brado de dous andares 2:131*000
dem idem n. 33, idem idem 1:200000
dem do Bom Jess n. 29, loja 2105000
dem do Bom Jess n. 39, 1." andar 240*000
dem idem 3* andar 240"O0O
dem deThom de Souza (Liuoeta)
n. 14, andar 180*000
Idera da Senzala velha n 16
ca;a terrea 233 000
Becco das Boias n. 14, 2" andar. 130/000
dem idem 2" andar- 260*000
dem do Padre Ftoriano n. 63, caza
terrea 168*000
dem S. Bom Jess das Crioulas a.
8, dem 216*000
dem Imperial n. 131, caza terrea 300f<>00
Becco da Detenclo imeiaguaj !>6000
S. LoureDco daMatta 60*000
loibol)*' (Varzia )idem 73*000
Fundos accumulados
Receitfa annnal :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
O AGEJTJS,
John II. BoxineU.
Companhia de Seguros
AGESTE
Miguel Jos Aires
>I- *loa do Bom Jo^nn-S. *
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguios a nica companhia
nesta praca que concede aos Srs. segurados semp-
cio de pagamento de premio em cada stimo
anno, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 15 por cento em favor dos segurados
Relacao dos devedores do imposto da d-
cima da freguezia de S. Jos do exer-
ciciode 1886 a 1887 inclusive o 3." se-
mestre, que deixaram de pagar
Victoria n. 1. Lauriana d'A-
buquerque Lins
Dita n. 1 A. O mesmo
Dita n. 1 B. O mesmo
Gasmetro n. 1 C1. O memo
anno e por letras
cionados.
Banco do Brasil
a. 7.A.Livraria Parisiense.
[Advogado
O bacharel Joaquim Manocl Vieira de
Mello, residente na cidade de Bezrros,
cncarrcga-sc de caucas criminaes, civis e
vommerciaes n'aquella comarca e as de
Bonito, Victoria e Caruar.
|j Bacharel Antonio Witro-
! vio Pinlo Bandeira
< Pode ser procurado rua do Imperador
\[ n. 71, Io andar
molestias das
nhoras, operacSes elctricas
j( SGfiZiO? SI7TS3S0ST
ESPECLALISTA
com pratica de pakis e lo.vdees
/\ Estreifamento da urethra curados ra-
5 ( dtcalmeBte pela elcctrolyse, sem dr;
Hliydroceles sem imecgao (cura radical)
lase ulcera.- clironicas, com garan-
de cura rpida ; podras da bexiga,
fstulas e iiemorrhoidns: svphilis, go-
norrhas, pelo methodo d < oes ;
molestias da garganta e-do peito pelas
athmospheras medicamentosas. Con-
'', horas da
1)0 MRQUEZ DE OLINDA N. 34,
8* ANDAR
IloNiUeucia na Torre
preza, conforme o 7o cima citado, a
quantia de 994:9175528, de accordo coir
a araliacao feita pelo arbitro desempata-
dor em 18 de Marco ultimo, visto deduzir-
se da do 998:777^528, total da avaliacao,
a importancia da 3:8005000 paga em-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
peoes, collocados fra do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manoel Joaqun Silveira.
Empreza do Gaz
AVISO
A empreza de illunnnacSo a destagaz
cidade por seu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
cao do edital cm que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminacao mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
quanto foram avahadas pelo arbitro desem
Cdor as obras da mesma empreza,
para a indemnisacao da empreza
actual a quantia de 998:777&>28, por
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaharlo nao pode servir
de base para tal indemnisago, por ter
sido legal e irregularmente feita, bem
como que contra ella j protest ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos feitos da
fazenda, tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr. procurador dos feitos da
Tazenda ProvinoiaJ, como representante
da provincia.
E como quer que deva em tempo op-
portuno fazer valer aeus direitos contra
quem de direito for,. deliberou fazer a
presante publicacao para seieneia dos in-
teresando.
Reeife, 1 de Maio de
Puga ae
por accao
ndar.
71. dividendo a razo de 8*000
na rua do Commercio,n. 6, primeiro
Correio Geral
ala r p-tl ir-nr hoje
Pelo vapor brasileiro Maranho, esta adminis-
tra can expede malas para os portos do norte,
recebendo impressos c objectos a registrar at
2 lioras da larde, c cartas ordinarias al J horas
ou 3 1/3 com porte duplo.
Pelo vapor brasileiro Alagos, esta adiinistre'
cao oxpede malas para os purtos do anl, rece-
bendo impressos e objectos a registrar at i
horas da tarde, e cartas ordinarias at 3 ou i 1/3
com porte duplo.
Administracao dos correios d PernampucOw
17 de Julho de 1889
O administrador,
Alfonso do Reg Barro?.
Arsenal de Guerra
De ordem do Illm. Sr. director de3te arsenal,
distribue-sc costuras nos dias 15, 16 e 17 do
corrente mez, com as costurciras, possuidoras
das guias de ns. 581 a 615, de conformidade
cera as ordens em vigor.
Seeco da costuras do Arsenal de Guerra de
Pernambuco, 13 dp Julho de 1889.
Manoel Caetauo Vieira da Paz
______________Alteres adjunto interino.
Contraria do Scnhor Bom
Jess da Viasacra da i^re-
ja da Santa Cruz
Musa geral de eleicao
De ordem do nosso innio prvedor, convido a
todos os nossos irmaos para comparecerem em
nosso consistorio sexta feira 19 do corrente, pe-
las 6 horas da tarde, afim de reunidos em. nu-
mero legal de mesa geral, proceder-se a eleico
para os cargos de prvedor e cscrivo, por te-
rem pedido escusa os irmos eleilos para os
ditos cargos, de conformidade com o art. 36 do
no-"so compromisso.
Consistorio da confraria do Senlior Bom Jess
da Viasacra na igreja da Santa Cruz, 16 de Julno
de 1889.
O escrivao
M. D. da Silva.
Gompanhia Indenmi-
sabora1
i
A directora da {Companhia de Seguros In-
demnisadora,- de conformidade eom o art. 26
1- dos estatutos, convoca urna assemblea geral
extraordinaria para o dia 33 do corrente ao rneio
dia na sua sede. 0 lira da reumo tratar de
assumptos relativos interesses da mesma com-
panhia.
Reeife, 3 de|Julho de 1889.
Os directores.
Antonio da Cunha F. Bmttar.
Jos Ferreira Marques.
SEGURO CONTRA FOGO
Royal Insurance Compaa
de Liverpool
CAPITAL 3.000:0o*
AGEKTES .
R. DEDRUSIKA&C.
13Rua Mrquez de Olinda^13
Dita n.
Dita n.
Dita n.
Dita n.
Dita a.
Dita n.
Dita n.
Dita n.
D. O
F. O
E. O
G. O
H. O
mesmo
mesmo
mesmo
mesmo
mesmo
Companhia
Imperial
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e mercaderas
Taxas baixas
Prompto pagamento de prejuizos.
CAPITAL
RS. 1 0.000:000^000
AGB5TB
RHO \V.\M A C.
RUA DO COMMERCION. 5
N. 5-
Instiiuto Areheologico e Geogra-
phico Peroambucano
Quinta-feira, 18 do frrente, hora do costu-
me, haver sesso ordinaria.
0 Dr. Machado lera um capitulo de sua obra
Historia da Parahyba.
Secretaria do Instituto Areheologico e Gfcogra-
phico Pernambucano, 16 de Julho de ""
Baptista Rej
___ I -
jlub onordia
Londn & Brasilian Bank
Limited
Rua do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
ras do mesmo banco em Portugal sendo
em Lisboa ruados Capellistas n. 75. No
Porto, rua dos Jnglezes.
INDEMNISADORA
Companhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
EHiabelecida em 1855
CAPITAL 1,000:000,^000
SIISTROS. PAGOS
At 31 de Dezeibro de 18 84
Martimos.. 1,110:000^000
Terrestres. 316:000$000
44Rua do Commercio44
I. O mesmo
J. O mesme
1 L. O mesmo
Assumpcao n. 10. O mesmo
Gasmetro n. 1 K. O mesmo
Jardim n. 32. Leonor4 lime i
ro d'Albuquerque
Sao JoSo n. 75. Leopoldo Bor^
ges G. Uchoa
Santa Rita n. 17. Loaranco
d'Albuquerque Roaa*
Via-Ferrea n. 4 F. Louranco
Alves de Brito
Ipiranga n. 2 A. Lniz Gonaa-
ga M. Muniz
Imperial n. 232. Lourencn li-
beiro da Costa Oliveira
Dita n. 236. O mesmo
Dita n. 23G A. O mesmo
Travessa do Loureneo a. I.
O mesmo
Dita n. 3. O mesmo
Dita n. 5. O mesmo
Dita n. 7. O mesmo
Dita n. 9. O mesmo
Dita n. 11. O mesmo
Dita n. 13. O mesmo
Dita n. lo. O mesmo
Dita n. 17. O inesuu>
Dita n. 19. O mesmo
Dita n. 21. O mesmo
SEGUROS
CONTRA FOGO
The Liverpool London & Globe
HT3UHAITC3 COMPA1TY
2LAGSS7SV, OSSA1C-& ..
Rua do Commercio n. 3
MARTIMOS GOMA FOGO
Companhia Phcnis l*er-
nambucana
Dita n. 23. O mesmo
Dita n. 25. O mesmo
Dita n. 27. O mesmo
Dita n. 29. O mesmo
Dita n. 31. O mesmo
Dita n. 33. O mesmo
Dita n. 35. O mesmo
Gasmetro n. I G. Lenidas
Tito Loureiro
Dita n. 1 H. O mesmo
Dita n. 1. I. O mesmo
Dita n. 1 J. O mesmo
Dita n. 1 L. O mesmo
AssumpcSo n. 10. O mesmo
Gasmetro n. 1 H. O mesmo
Mrquez do Herval n. 152.
Luiz Ferreira de Almeida
Dita n. 154. O mesmo
Vidal de Negreiros n. 75. O
mesmo
Jardim n. 28. O mesmo
Forte n. 22. O mesmo
^Coronel Suassuna n." 51. Luiz
Pereira Franca
Dita n. 55. O mesmo
Dita n. 172. O mesmo
Santa Rita n. 52. Luiza Bene-
dicto Fernandes
Coronel Suassuna n. 109. Lui-
za Francisca de Souza
Frei Henrique n. 12. Manoel
Adriano de Souza
Imperial n. 13. Manoel Anto-
de Alcntara
Assumpcao n. 16. O mesmo
Coronel Suassuna n. 103.
O mesmo
Pescadores n. 12. Manoel Air-
tonio Beltrao
4. de Maio n. 37. Manoel
:ges da Silva Villar
ea n. 20. Mrnoel Cy-
725998
18)5599
1859H
18,5599
18*599
18*599
18*599
89*759
29*759
29*759
29*759
29*759
36*625
29*759
98*a53
29*759
42*313
18*599
46*499
29*759
99*759
29*759
14*879
14*879
14*879
18*599
18*599
18*599
14*879
14*879
14*879
14*879
14*879
18*590
14*879
14*879
14*879
18*599
14*879
18*599
29*759
29*759
29*759
29*759
29*759
36*625
29*759
14*193
14*193
12*478
12*321
6*239
37*199
36*113
40*454
42*313
51*613
29*402
37*189,
38*594
Viaca
Dias Cardoso n. 40. O mes-
mo
Dita n. 42. O mesmo
Dita n. 44. O mesmo
Dita n. 46. O mesmo
Dita n. 48. O mesmo
Dita n. 70. O mesmo
Vidal do Negreiros n. 85. O
mesmo
Santa Rita n. 22. O mesmo
Dita n. 83. O mesmo
S. Jos n 58. O mesmo
Travessa do Ramos n. 75. Ma-
noel Francisco dos Santos
PesBoa.
Coronel Suassuna n. 250. Dr.
Manoel Gomes Viegas
Padre Nobrega n. 75. O mes-
mo
Dita n. 75 A. O mesmo
Imperial n. 6. Manoel Joa-
quim Ferreira Esteves
Pescadores n. 2o. Manoel Joa-
quim Gomes Ferreira
Imperial n. 69. Manoel Joa-
quim da Silva
Travessa do Cimba n. 12.
Manoel Jos Machado
Santa Rita n. 63. Manoel Jos
Machado
Dita n. 68. O mesmo
Dita n. 80. O mesmo
Coronel Suassuna n. 180. Ma-
noel de Mesquita Cardoso
Mrquez dp Herval n. 172 A.
Manoel ap Nascimento Silva
Imperial n. ^200 C. O mesmo
Pon tal da Cabanga n. 38. Ma-
noel Paulo de Albuquerqae
Dita n. 40. O mesmo
Travessa do A. Bezerra n. n.
Praia da Santa Rita n. 6. Ma.
noel Pereira Lemos
Travessa do Lima n. 3. Ma-
noel Pereira de Magalhaes
Dita n. 5. O mesmo
Dita n. 7. O mesmo
Imperial n. 262. Manoel F-
retro Vianna
Vidal de Negreiros n. 118.
Mara Alexandrina de Car-
valho
Diquo n. 14. O mesmo
Dita n. 16, O mesmo
Luiz Mendonca n. 20. Maria
Amelia do Reg, outra
Vidal de Negreiros n. 174.
Maria Annunciada de Arau-
Jardim n. 43. Maria Angela
do Carao
Frei Henrique n. 26. Maria
Antonia da PurifleaeSo
Dita n. 28. A mesma
S. JoSo n. 8. Maria Bernar-
dina da Rocha
Dita n. 10. O mesmo
Santa Rita n. 62. Maria Can-
dida do Reg
Coronel Suassuna n. 148. Ma-
ria Candida de Souza Lelo
Travessa do Cunha n. 4 Ma-
ria do Carme Maia
Travessa do Caldeireiro n. 8.
Maria de Cerqueira Castro
Monjeiro
Pescadores n. 27. Mara da
ConceicSo Carvalho Araujo
Imperial n. 199. Maria da
Conceicao dos Santos Suya
Dita n. 203. A mesma
Dita n. 207. A mesma
Mrquez do Herval n. 172.
Mara da Cruz Neves -
S. Jos n. 27. Maria Francis-
ca das Chagas
Jardim n. 37. A mesma
Luis de Mendonca n. 14. Ma-
ria Francisca do Reg Mello
Dita n. 16. A mesma
Travessa NoAa de Santa Rita
n. 15. Mara Ignacia da
Fonseca Banks
Dita n. 17. A mesma
Padre Muniz n. 21. A mesma
Coronel Suassuna n. 113 Ma-
ria Joaquina da Silva San-
tos outra
Dique n. 3. Maria Josepfea de
Almeida Cunha
AssumpcSo n. 26. Maria Jose-
phioa Dubourcq
Pescadores n. 28. A mesma
Coronel Suassuna n. 142. A
mesma
Jardiffl n. 38. Maria Olympia
de Cliveira Cyrillo
2 Travessa do Villaca n. 6. B
Maria Ponciana da Concei-
cSo
Vidal de Negrueiros e. 50.
Maria do Rosario da Silva
(partes)
Imperial n. 20. A mesma (par-
tes)
Jardim n. 4. Maria de Santo
Amaro Correia
Christov."'o Colombo n. 17.
Maria da Silva Campos Gdi-
mares
Pontal da Cabanga n. l. Ma-
ria rsula, dos Prazeres
Coronel Suaisuna n. 183. Ma-
ria Venaneia de Abreu Li-
ma Bastos
Dita n. 242. A mesma
Dita n. 244. A mesma
Dita n. 254. A mema -
Dita n. 25G. A mesma
Dita n. 258. A mesma
n. 69. A
p/A.
I Dita
^rt P
Padre Nobrega
mesma
Dita n. 25. A mesma
Dita n. 32. A mesma
Dita n. 34. A mesma
Travessa do Peixoto
mesma ^
Dir n. 6. A mesmi
Dita n. 8. A misma
Padre Nobragja n. 17. A mes-
ma
Frei^Jrtenriquc i 7. Marina
aria da Conceicao
Idal de Negreiros i
Mi
ynos n. o.
de Souza
34. O mesmo
>
28*319
28*319
28*P9
29*3"9
28*319
28*319
34*463
34*463
86*986
24*527
11*159
46*499
9*299
9*299
154*999
29*759
13*418
14*879
75*328
42*313 '
21*336
100*497
i
37*199
33*479 *
01*999
30*999
14*879
46*599
25*573
29*756
22*318
18*599 l
19*396
7*486
7*486
18*599
8*690
1*287
23*349
18*599
11*074
9*299
37*255
37*25
62*097
34*463
40*673
40*673
75
7*075
15*523
19*560
22*044
12:5419
12*419
14*902
25*."'
11*018
22*318
H
i
42*313
42*313
26*039 26*039
27*971 9*282
51*613
49*18* !
14*672
9*93
12*388 i
22*345 24*838 7*798
37*199 \
42*413 30*999
14*879 14*879
22*318 22*318 37*199 i.
37*199 /
25*573
33*013 29*402
41*012
33*013
:*199
ana)
RRETA


Diario de PernambucoQuarta-feira 17 de Julho de 1889




fc,
-
MARTIMOS
DE
Xavegaca costelra pnr vapor
PORiOS DO SUL
Mcete, Penedo e Aracaju
O vapor Mandahu
Commandante Alcides
Segu no dia do 22 Julho s
5 .horas da tarde. Recebe car-
at o dia 21.
Encoramendas, passagen3 e dinheiros frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida".
ESCKIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernamhucana
n. 12
Companhia Bahiana de Na-
vegacao a Vappr
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
ju, Estancia e Babia
O vapor Sergipe
Cmniandante Rebello
E' esperado dos portos cima
ft o dia 22 do corrente, e de-
.pois da .demora necessaria re-
Hresfcara para os mesmos
Para carga, passagens, encommendas e dinhei-
ro a frete trata-se com
AGEWTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario 17 *______
COVrHltV\ PEBXABBl'CAXA
DK
IaTcsacSo costelra por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Araca-,
ty e Cear
O vapor S.Francisco
Commandante Esteves
Segu no dia O de Julho as '
horas da tarde,
dia 19.
Recebe car Encommendas, passagens e dinheiro frete1
at s 3 horas da tarde do dia 20.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucanu
n. 12
Royal Mail Steam Packet
Companhy
O vapor Neva
Commandante G. M. Hick:i
Esperase da Europa at o dia 19 de
Julho, seguiudo depois da demo-
^ra do costume para
HaeelO. Baha. Rio de Janeiro
Santos. Montevideo e Bnenos-
Ayres.
Para passagens, fretese encommenda s'rata-
ge cotn os AGENTES.
O vapor Tamar
E' esperado dosnl no di;. 21 de
Julho, seguindo depois da demora
necessaria para
Lisboa, Vigo, Southampton e
Antuerpia
ReduccUo de pas3agsni>
da da e volt a
A' Lisboa 1 classe X 20 30
.A'SouUiamptonl'dasse 2S 42
Camarotes reservados par< os pasageirosde
Pernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, !rata-se
com os
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Roa do Bom JessN. 3
'Caixa iQi 48 pegas de mirin de la '
Caixa o. SHJ, obra 10 pecas de atoalhados te-
rrados u +\ du irdauapcs.
Caixa n. 1,155, con 36 pecas de mirin de l.
Caixa ti. i s de casemira de
15 para calcas
Caixa n. (90, com 42 pecas de casemiras
de la.
Caixa n. 1,841, com 26 pegas de casemiras
de l. t
Quarta-feira, i 7 do corrente
A's 11 horas
No armazen 1 ra Mrquez de Olinda
n.45
0 agente Gusmao, autonsado por mandado do
Exm. Sr. Dr. jura de direito do commercio e a
requeriraento do Dr. curador fiscal da massa fal-
lida de D. P. Wild & II, far leilo com.assisteu-
cia do mesmo juiz das fazendas cima mencio-
nadas, as quacs si rao vendidas em lotes, von-
tade dos Srs. compradores.__________
Leilo
De bons movis de junco, Jacaranda e ama-
relio, 1 rico espelho oval, loucas e
vidros.
CONSTANDO DE:
Urna bona mobia de junco cora encost de
palinha, 12 cadeirasjdeguaruico, 4 dita? dejbra-
eos, 1 sof, e 2 duoquerqui's. 1 rico oupelho oval,
lauternas. jarros linos, tapetes, escarradeiras,
etageres,;tandieiros df gaz, 1 guarda vestidos;de
amarello, 1 lavatorio de Jacaranda com tampo de
pedra eespclbo, 1 cabido de colunua, 1 meia
coramoda de amarello, 1 marqnezao, 1 banqui-
nba e diversos quadros.
Urna importante meza elstica de amarello.
1 guarda loued de dito, 2 aparadores de colum-
na. 1 guarda comidas, 12 cadeiras de junco. 1
sof, 1 meza de cosinba, 1 lavatorio, louca para
janlar, dita para alinoco. copos, cajices, compo-
teiras. garratas e nutro? muios movis que se re-j
commendam pelo hora estado era qpe se aeham
Quarta-feira, l do corrente
A's 11 horas
No sobrado n. 20 do Pateo do Parizo
|0 agente. Martins fir loo p >r aulorisagao de
urna familia que se retira para a corle, de todos
os movis e. mais objectos existentes no referido
sobrado e que scro vendidos
Ao correr do martello
Leilo
De amostrad
Constando:
De botinas para senhoras, flxs, machinado
costura, Un has sortids de carrrtel, linhapara
crochet, chapeos de palha para homem, senhora
e menino, bonets, chapeos de feltro para homem,
luvas de seda para senbora. cartOes com boloes,
camisas e salas para aenhora e 1 geladeira.
Quinta-felra. 18 do corrente
A's 11 horas
No armazemda rita do Mrquez d* Olinda
n. i
Km continuarlo
De 1 annel de ouro, com uma pedra de ame
thysto com brilhante proprio para conego ou vi-
gario. 1 bilhar com pertences, 1 armaco de
amarello, 1 guarda-louca, 1 antepara de amarel-
lo, 1 candiel ro belga, i mesas grandes, 1 cama
de Jacaranda para Casal, 1 marquezo estreito, 2
bancas com gavetas, i aparadores torneados, 2
ditos com gavetas, sorveleiras, cadeiras avulsas,
1 pipa ejll barris com vinho Jlranco, diversas
bebidas em garrafas e muitos outros objectos.
Por intervenco do agente
-H-
AVISOS DIVERSOS
Alugam s>' as casas na encruzilhada de
Beim ns. 28, 22 e 10, a lOOOO mensaies.
limpas. tem quintal e cacimba ; a tratar i
da fmperatriz n. 76-v-__
' Aluga-se o sobrado n. 46 HflHBdi
com bons commodos e muito frescoJ^^Hnft
os dous pavimentos terreos ; quem os fin
dirija-si ra do Cabug n. 16, loja da Ventu
rosa.___________________________-
Aluga-se o 2- andar e sota da roa de S-
JorgeD. 120, com agua e gaz ; a casa terrea n.
122, com agua e pz : na inesma ra a. 131,
taverna.
' Pergmta-se ao Sr. Francisco Raposo Fal-
can, 3- oQicial do Correio, se mora na r a da
Gloria n. 142, conforme disse, parece que nao.
Precisase de uma ama para varrer e arru-
mar casa ; na ra da Matriz da Boa-Vista n. 9.
Roda (Tagua
Compra-se urna roda d'agua em bom estado,
de24 a 30palmos ; a tratar na rmrDireita nu-
mero 10t''.
' Caixeiro
Precisase de um caixeiro com pratica de mor
Ihados e que,d fiador de sua conducta ; a tra-
tar na ra la'Auroran. 113._____________
Boa compra
Travessa do Pombal n. 11 (taverna) vende-
a armagao. arantindoae a chave ; a tratar conj
o lente Evaristo de Souza.
Comp;
>anbia Brasileira de
Nave^a^ao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Para
Commandante Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos portos do norte ate
o dia 25 de Julho |e' depois da de-
mora indispensavel seguir para os
poros do sal.
As encommendas sewo recebidas no trapiche
Barbosa at 1 hora da larde do dia da sabida
Para carga, passagens, encommendas e .-alo-
rea trata-se com os AGENTES.
POKTOS DO NORTE
Vapor Espirito-Santo
Commandante tiarlos Antonio Gomes
E' esperado dos portos do sui at o
, da. 27 de Julho e seguindo depois
da demora indispensavel para os
portos do norte at Manos.
As encommendas so serao recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carne ro & C.
6=P*'- do H:>mmercio=*=6
JBfWdar
(juinta-f'-ira 18, o de movei, c.ar:-leis, espe-
jos, papel e envelopes limpos e nvarmlos.<
Sexta-feira, 19 o da loja de Alfaiate da ra
fova n. 59, espolio do subdito porfuguez Emilio
Soares.___________________________
Sabbiio 20, o dos movis, quadros, espelhos,
loaca, crtstiies e mais objectf de apurado Ros-
to da casa em que residi o mesmo Emilio Soa-
_____________.

Leilo
JJe fazendas
Coosta|jcD do segunte
Caixa n. 1,402, tornan.' '.'mira de l
ara cali ^>__
n. l4ni, co.u cortes*^casemiras de l
n. 1,U4_, com ias de
irtas de seda. 60 duzias Jertas,
ditas abas,
f^usmo
Leilap
De 130 resmas de papel para cartas e officios,
enveloppes, papel para cmbrulho, movis, espe-
lhos, quadros e cadeiras'novas a 15730 cada
uma-
Quinta-feira,,18 de Jullio
A's 11 horas
No armazem da ra do Bom Jess n. 45
Agente Pinto
2. Leilo
Dos movis da massa fallida de Joo F. da
Croz Brapa C.
lulnta-felra. 18 de Julho
A' 11 horas
No armazem ra do Bom-Jess n. 45
O agente Piulo levara novamenle a leilo, por
despacho do Exm. Sr. bv. juiz do commercio, os
movis perteucentes massa fallida de J. F. da
Cruz Braga & C, existentes no armazem da ra
do rom-Jesus n. 45, por occasio de outro leilo
de movis c papel.___________________ -
Leilo
De fazendas, roupa feila, buies, armaces, co
fre. espelhos, candieiros f:az e movis.
Como a-ejam :
Um ar,u icio eOTldncada e er,vern:sada, 2
balces, 2 lustres, registro e eneanamento gaz.
Duas armaces in.,'leza;. 2 espelhos grandes,
8 quadros, 1 mesa redonda com pedra, 1 secre-
taria, 1 burra prova de fogo, 4 cabides grandes
pan roupa, 2 mesas grandes, 2 estrados, machi-
nas de costura, 1 vitrine. 1 luslre com 3 bicos, 1
espelho de columna com 3 faces, 1 reposteiro, 1
repartimento de escriptorio, 2 bracos gaz, mo-
chos, cadeiras, outros movis e 1 rolo de ence-
rado para forro de sala (novo).
Um variado sortimenlo de casemiras, roupa
feita, cortes de casemira, botOes e liabas, e ou-
tros artigos.
Sexta-feira. 19 do eorrenc
Em um ou mais lotes a vontadedos compradores
Na loja de alfaite da ra Bardo da
Victoria n. 59
O agente Pinto levara a leilo por mandado e
em presentado Exm. Sr. Dr. juiz de direito de
orphaos e ausentes, em virtude do requerimento
do cnsul de Portugal, a armaeo^faienJas, mo-
vis e mais objectos da loja de alfaite da ra Ba-
ro da Victoria n. 59, pertencente ao espolio do
subdito portuguez Emilio Soares.
Garanle-se a chave da casa ao arrematante da
armar ao.
O leilo principiar s il horas em ponto.
Bario de Wcrinhacni
A Baroueza de Serinhaem anda J aob a pres-
so da acerba dor pelo pasamento de sen sem-
br lembrado esposo o Barao de'5?riDliaeui,
agradece a tedas as pessoas que acompanl.aram
os seus restos mortaes a ultima morada, e de
novo convida aos seus parentes e amigos para
assistirem algumas missas que pelo repouso
eterno de sua alma manda celebrar no dia 20
d) corrente, pelas 8 horas da manha, as igre-
jas de S. Pedro dos Clrigos e matriz de /fuga-
dos, stimo dia, de seu fallecimcnto ; anteci-
pando desde j seu sincero agradecimento e
eterna gratidlo por este acto de religio.
1
*S
Em continuasao
Leilo
De bot.s movis, crystaes. ricos quadros, objectos
;;s-uit, livros e jetas.
l'm livan e 2 cadeinis estufa I.;-. -' mesal de
bano, 2 etageres, 4 cadeiras de balando, 12 de
guarnijao, 2 consolos, 4 lindos vazos japoneses,
1 dunkerque com um espelho grande, 3 cande-
labros de bronze.
Uma estante envidracada de madeira fusca
com llores,-l commoda de Jacaranda, 1 toilet. 2
guarda-roupas,3 pedras para coii.-olos, jarros cora
jiaisagiiis, 6 estatuas, cortinas de damasco, 4na-
nefas,'2 rposteiros, taptele jarros.
Diversos diccionarios, liros. atlas o glebos
geographicos.
i i-elogio remoutoir, 1 caddade ouro. alline
tes, broches, botoes e oulrcs objectos de ouro.
Lindos quadros a oleo 1 rne.-;i rlu.-tiea, 1 guar-
da lomja envidrayi.do, 2 apparacores, i quarti-
uImi'3,'4 cta^eiTS. quadros linos oleo, appafe-
Ihoschinezes para cha, capo?, cauces, fructeiras.
1 lustr-., 2 candelabros, 4 etageres. quadros a oleo,
2 a, artistir.o, 1 piano, 1 appareliio
chine teiros. 1 porta licor, l grupb de
via'.adures, llexas ii. e 1 lustre, muitos
potros objectos de aparad
Ovidio Waraiva de Carvalho
etvd
Olegario Saraiva de Carvalho Neiva,; Idalina
Emilia de Carvalho Neiva, Manoella Saraiva
Gondim Neiva, Waldetrudes P'rimiti a da Silva
Ramos, Mari a Prepedigna da Fonseca Ribei-o,
Eulalia Auta da Fonseca Telles. Vicente Saraiva
de Carvalho Neiva e Francisco Fernandes de Car-
valho Neifa (ausentes), Rita de Cassia de Car
valho Neiva, Luiz Francolino Martins Ribeiro,
Arthur Octaviano da Silva Radios, Edeltmdes
Emilia Martins Ribeiro e Mara do .Carmo da
Silva Ramos, muilo agradecen.a lodos os pa-
rentes e pessoas de sua ami2ade que se digna
ram acompanhar sua ultima morada o cadver
de seu pranteado filho, neto, irmSo. cunhado e
tio. Ovidio Saraiva de Carvalko Kei-
va, e de novo Ihes rogam o caridoso e humani-
tario obsequio de assisiireffl as missas que peto
repouso eterno desna alma mandam rezar qin-
ta-feira tS do corrente, s 8 hora3 da manh, na
igreja do Divino Espirito anto, stimo dia do
seu infausto passamento. Desde j hypothecam
a todos a sua immorredora gtatido.
t
Hauool 1- anniversario
Anna Francisca da Matta Ribeiro e seus lilhos
convidam a lodos os seus parentes-e amigos
para ouvirem a missa que maudam celebrar na
igreja de N. S. do Terco, quinta-feira 18 do cor-
rente, s 7 1/2 horas da manh por alma do seu
extremoso e sempr'e chorado esposo e pai. Ma-
noel Jos Nune3 do Valle, 1 anniversario de
seu falleciment), que desde ja se confessam
eternamente gratos a todos aquelles que se dig-
narem de assistir a esse acto de religio e can-
dade.
t
Anna Itudri^nc da Coala
Trigsimo dia
Abilio Rodrigues de Almeida e ^ua mniher
Virginia Clotilde de Almeida tendo recebido do
reino de Portugal a dolorosa noticia do falleci-
mento de sua prezada mSi e sogra, Anna Rodri-
gues da Costa, convidam a todos os parentes e
amigos para assistirem a missa que mandam re-
zar pelo seu eterno repouso, a qual ter lugar
no da 19 do corrente, na igreja do Corpo -an-
to, pelas 7 horas da manh. Desde j anteci-
pam os seus a radeeimenlos._______________
Francisco Ruflno Vctor Pereira
D. Emilia Vctor e Ismael Victor Pereira con-
vidan as pessoas de sna amizade e parentes, e
aos do falle ido seu esposo e irmo Francisco
Rulino Victor Pereira, para assistirem as missws
que mandam rezar na u atriz da Boa-Vista quia-
ta-feira 18 do correte, s 7 1/1 hor;-s da manh,
stimo dia do seu passamento. protestando des-
de j o peu reconhecimento por ese acto de ca-
ridadi e religio.
t
bbado, 20 d

-. riofun-
Roxn Viterbo fiama Penna
Luiz de Mello, Zulmira Mello e Jucimdina
Mello, trespas.-ados dos man dolorosos senti-
uientos pela prematura niortt de sua muito es-
timavel e adorada tia Rosa de Viterbo Gama
Peana, convidam ao< ndfentes e amigos da ti
nada a assistirem as missas que mandam rezar
na igreja da Conceigo dos Militares, s 8 horas
aa mannl do dia 18 do corrente, e desde j se
confessaoi gratos. ____
t
I. Roita de Viterbo Gama Penna
Luiz Goncalvs Penna Jnior, Lniz da
Gama Bandeira de Mello, Zu!mir Mello e Ju-
cundina Mello, coovidam aos se,us pareni,
amigos pora assistirem s mu-
celebrar na igreja da Conceico
8 horas da manh do dia 18 '
alma de sua prezada esp
seu fallecimcnto, p o ouau
decides.
t
la rao de Kerintafiem
nte (sabbadr
HANDE LIQUIDACAO
Na Loja das Estrellas .
56-Ru Duque d Cxis88
Telephone n. 9 O
ste bem conhecido estabelecimento acaba
de passar por uma grande reforma,
sende ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
de serem despachados todos os seus
freguezes com mxima brevidade
poBsivel, resolveu fazer grande II-
quldaeo de todos os saldos que
tcaram do balance, por menos
50 [. do seu valor, cujos artigos
passaraos a demonstrar:
Artigos de lei
Esguiao, pe^a, a 5#500.
Madapolao com um metro de.largura de
14$ por 7^000.
dem idem americano de 8# por 5)5000.
Algodlo marca T, espacial, muito largo,
de 75 por 55000.
Bramantes, pecas, por 75000.
Atoalhados, Hdos desenhos, duas largu
ras, a 15 e 15200 o metro.
Guardanapos de 45 por 2(5000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 500 o me
tro. fe
Bramantes de linho com 11 fhlmos de I
largura a 15500 o dito.
Len50B brancos e com barras de cor a 15,
15200 a duzia.
Toaihas de fustJfo, qualidade superior,
35 e 45000 a'Haza.
Crotones para coberta a 240 rs.
Colchas acolchoadas, brancas e de cores t>
25000.
Leny^s de bramantes.a 25000.
Qhales escocezes a 15000.
E outros muitos artigos que deixam de
ser mencionados e que se vendem com
igual abatimento
Tecdos de alia novidade
PAKA VESTIDOS DE SKNHORAS
Linhos pardos para vestidos a 300 e 320
Sedas com quadros e listras de 15800 por
800 rs.
Setins de seda, todas as cores, de. ...
15200 por 500 e 320 rs. ,
Merinos lisos, todas c6res,3 de 500 por
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 rs.
Nonsuks, desenhos no vos de 240 por
120 rs.
Cretones claros e escuros com lndissimofe
desenhos de 440 por 240 rs.-^ 1.800
PECAS!
Merinos de quadros, grande variedade de
padr3es, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
pechincha !
FustSes de cor, de quadros e outros dse
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs
Sedas Felippmas, de 500 por 200 rs.
E muitcs outros tecidos para vestido,
em algodao, linho, la e sedas -'que se ven-
dem como o mesmo abatimento de 50 (,.
Confeceo
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de 805 por i 55 e 305-
Ditos para armar de 6$, 85 e 105.
Ditos brancos bordados em cartto, alta no-
vidade a 85 e 105-,
Guarnicoes de colariuhos e punhos para
senhora por 15 e 15200.
Capotas (preparadas na corte) de 205 por
95 e 105
Golhnhas e punhos para menino de 3 a
8 annos.
Vestuarios e roupinhas para criancas, per
55, 65, 85 e 105, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 25 e 35.
Enxovaes para baptisado com collares ele
trieos por 55-
Luvas de seda meio brajo e qualquer t^>
manho a 15500 o par.
dem dem de Escocia a 15 e 15500.
Sobretudos impermeaveis de borracha i_v
705 e 805, por 305 e 405.
Capas e pellerinas de cachemiras ottoma-
na ricamente enfeitadas de vidrilhos a
255 e 305.'
dem idem de renda, seda, damasco e
gurguro, tanto para phantasia como
para commodidade a 385 3 405-
Velludos de seda e algod&o de muita3 co-
res.
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de seda, algo-
do e linho, com um metro de largura.
Setins Maco de todas as cores a 750 e
800 rst
E mqtos outros artigos de confecs5es
como sejlm mantilletes de blonda, sahidas
de bailes,'leque8 transparentes e de phan-
tasia, e outroflauitos mais, que se ven-
dem com o mesmo abatimento de 50 [0.
Para horneas
Casimiras inglezas com duas larguras, de
35500-por-15200.
Ditas cor de caf e azul, de 25500 por
800 rs.
Cortes de seda para collete, de 125000 por
35000 e 35500.
Ditos de velludo e fustSo a 15 e 15200.
Me ias inglezas com fio de seda, de 125
por 65000 a duzia.
Paletots, de 75 por 45000.
Camisas com um pequeo toque de mo%
a 15600 uma.
Collarinhos, modelo moderno, a 55000 a
duzia.
Camisas inglezas com collarinhos e pu-
nhos, sem collarinhos e sem punhos a
365000 a duzia.
Brins pardos de linho a 240, 280, 820,
360 e 400 rs.
Dito branco de linho n. 6 a 15200 a vara.
Lindos cortes de casimira ingleza, de 6
85, 105 e 125 a 45, 65, 85 e 105000.
Sobretudos impermeaveistle borracha, para
homens, de 705 o 805 por 305 e 405.
Ceroulas francezae, de 385 por 245000
a duzia.
Paletots de seda, completos de feitos d
casemira, malas para Yiagem, e boleas e
tapte e um completo e variadissimo Bor-
de cheviots, casimiras francezae,
pretas e de cores de'padrBesin-
fc novos e que se vendem oom c
abatimento de 50 i0 de sen valor
Retalhos
fe^feVa grande quantidade
^^HSdas pretas e do cores,
nos, zephyros,
. ."es e algodaosi-
Atten^ao i
Uma familia se encarregu de formeer comida
para fra por mdico pr'eco, e garanle-se a bon
dade da rereicaV, pois tem os melhores acepipes
para satisfazer o mais exigenle paladar, e bem
como encarregu se de lavar e engommar com
perfeico ; a tratar na ra Direita n. 99.
1 gipio
InuNianiiiio de S Brrelo
Convida se'a este senhor-a comparrcer ra
do Bom Jess n. 23, para prestar conlas das co-
branzas, que fez no termo de Agua Prela em
Margo prximo passado.
Aluga-se
a casa da ra da Gloria n. 49 ; a tratar na ra
Nova n. 42, loja.
BEDUFRERES
Constructores a Ham, Franca
Representado por Emilio Bu-
lln, eagenheiro mcchanufc
(PEKNAMBCCO)
Assentamerto completo para engenhos cen-
U-aes e zinas pelos processos os mais aperfei
coados. -
Moendas e represso mltipla. '
Corte-canna3 vertical, systeaKi Bc-d-i.
Difiuso, circular e rectilinha, dito edu.
DifTuso continua do bagaco dito Perret.
Fornos para queimar obagaco da diffusao.
dito Bedn.
Filtros mchameos a Hltragao mltipla.
Turbinas centrifugas (economia, limpeza e
trabalho rpido).
Emgeral todos os apparelhos os mais moder-
nos e'os mais aperfei^oados para o fabrico de
assucar.
N. B. O Sr. Emilio Biliion fezendo uma via-
gem de 3 mezes aaEuKpa, durante a sua au- i
senciadirifio asearla- e pedidos a casa Bedu
Frres a llaiii, que forijecera. plantas, orcamen- I
tos etc., epor qualquertie^ocio urgente infor-
marse ao Sr. Eupene Chaline ; 24 ra do Com-
mercio, Recife.
o publico
O professor ulmamenle jubilado na segnnu.
cadeira dj Ilecife, lecciona, mediante razoave
ajuste, as materias .eguintes : primeiras letras
portuenez, francez e'os primeiros rudimentos da
lingua latina ; a tratar na ra Direita n. 43, pri-
meiro andar. ..............______
Cozinheira
Precisa-se de uma qne cosinhe bem .e nt>
saia a rut. para cas.a de familia; a tratfr B*
ra do Cabuga n. 14 de meio dia at 2 horas
AO Bn. ROPaiSTABtoif de CATAUOt
UNGENTO STEVENS
O urco subslitulndo a cauterlsai^o dos cavaBgs
pelofot'o. Estu maravllhso preparado e o unie
emertio verdadelramente efBcaz para curar todas
e auausquor Mk^ii dai ttnu do caialli, Eoiermedailas >
roinueBUlocaOid Uatprwa. 40 auaot de-
ptimo e continuo xito nn todas as oo-
rt'iz, liara >. no principaes ettabeleci
ment e cavaUo em Inglaterra e Cnropa.
vnca delxa nodoa aljuma. fcT mlsler expen-
CKDla lo para Ucar coavei.oido do seu valor.
Vende-tiem caixat com tu competentes endcaf*
aara o teu empreao. em_portuguei
UciicUMOU sTePir.d0 por H. R. STEVENS B teMlUmat,
" Pirk Lia, Londrei Is6l'"l
DKUirii na PtrnunDuco fUi" Id. to SiiTA k P*
o I andar
'Jess n. 26
- Deua n. 7
Aluga-se
do impoitante precio ra do Bom
e o 2- andar' trave-sa da Muar de
a tratar com Joo Kernafdes de Al-
meida na mesma travessa n. 21

1 QmftkBr
WLll ii^

amp regada com
':.-. MsniJu, ..'."> fiMtwi tt txci
'; ; ;:r!>;-.-

'

%m
G. jLAPORTE
C oramissao-importa^ao
REPRESE.vTAC.lO DE FABRICAS ,
Hua da Flores n. ZO
Armazem
(En:rada pela ra Baro da Victoria n. 41)
I* ai ancas de Hl". Boulenger & C.
'niic'tH de Laroche Joubert < C.
PianoN de Pleyel.
Porcelana de fiche Jullien & C.
Cieos rendas e coronados de Edw. Steeg-
mann & C.
Drogan da Pharmacie cntrale de France.
AKiiilejoH de. Fourmaintraux Courquin.
Conserva de Lomt Frre! & C.
Vinho le Btordeaux da Association Vi-
i ni role.
Cacbimbo de Lorge Pre, Fih & David.
Cofinac de Ceorges Segvin & C.
. VitiruM de C. Le Blanc.
Cr(ae da Cristallerie de Scres (Landier
& Hondaille).
CaiiNula para frascos e garrafas, de A
Belts Fra.nroH. vasilbaue para pharmacias e per
fumistas de Berln Tissier & C.
Arciiaeocf* para sellins. esporas e maleriaes
para seleiros e fabricas de carros, de
Fichet Frtret, etc., etc., etc.
As meriadorias veem directamente das fabri-
cas para os clientes, sem commissc, e pelos
precos da fabrica.
Concedem -se os prazos usuaes sem augmento
de juros uu outra qualquer despesa.
COMMISSO : Recebem-se encommendas di
qualqter outro artigo, em coiumissao.
20Ra das Flores20
Caixeiro
Precisa-se de um menino ; na ra da Floren-
tina n. 3i.
Silvia
Grande valsa para piano, composta por Caro-'
lina da Silva e recentemente publicada ; achare
venda na casa edictora, LIVRARIA FRA^CE-
ZA, ra 1. de Marco n. 9.
Bons resultados
Para provar os bons resultados do Pe-
toral de Cambar, basta apresentar os nn-
i merosos attesados de curas firmados po
j pessoas dignas, de toda f.
Cura-se fcilmente
As inflammacSo do larynge cura-se la-
cilmente com alguns frascos do Peitoral dtv
Cambar.
Os agentes,
i Francisco M. da Silva & C.
3
ENGENHEIBp E CONSTRUCTOR
manpijo e rade-
ROBERTO WEISS
FRANCFORT S/MENO ^ citMBOlM M fk
P^slabelecimento especial por fornecimento de caminhos de
ac iranspoitaveis, e fixos monlados completos para posic3o e "
assim como
CADEIRINHA COM RODAS, VAGONETES, DE
TAIPAES LOCOMOTIVAS, GRAS, ETC.
Pan uso : agrigola, planlagOes, armazen?, minas
ninslrias. selvas e campos militares, etc.
EXPORT!


BRONZE
DE
CARDUZO & II1M0
Ra do Baro do Trinmpho ns. 100, 102 e 104 \
Deposito ra do Apollo ns. 2 e 2 B
Tena para vender o segninte:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo directo ou para fogo de asseE -
tamentc.
MOENDAS de todos os tamanhos.
:ODAS d'agua.
^RODAS de esjtbra e angulares.
RIVACOES de differentes tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LOCOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americanos.
MACHINAS de descaro9ar algodao.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
BOMBAS detodasas qualidades com o respectivo eneanamento e ficalmente-
todas as ferrgens precisas para a agricultura desta provincia.
ENCARREGAM-SE de qualquer concert e mandam buscar por eneom*e-
odiante ajuste previo ou uma mdica conimissSo qualquer maennismo.
CONTRACTAM fornecimento de apparelhos para usinas, garantindo ;vb6
qualiuade e bom trabalbo dos meamos, o que podem provar ce
obtido com as duas USDAS montadas ltimamente a saber:
Santa Filonla e Joao Alfredo
Vendem a praso ou a dinheiro com descont.
com o hom resultado-
ISiOHU IJB.-5B3.

CAPSULAS
i
11
1 O CS.i
ios M,
i Ce
polo DOUTOR CJN Premio Montyon
As Cap sy-Caylc ro acuidades de Medecina e k
ios :
onorahea, a Blear-or...
a Bexkias e :. genito vriaar:



mieost^osdo


Diario de Pernambuco-r-Qi
Julho de 1889
*HP
*
UANPATSBSBNSC,
y,
4-B14 BARIO DO TRIUMPyO-H
r
tfachinas a vapor.
VIoendas.
Rodafc d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravacao
Arados.
mmn m
o
. R Jk
Approvado pelo Exm. Sr. presidente da ^ovincia
RAGUAS DeMAZREI
_A.p5>rovci5is jpela Inspectora ele EygienG do Brasil
CASCARA SAGRADA
Verdmdeiroi Remedio
Jkntra a frio (elvenfre habitual.
0. Df K/JKRE, 71. mu tff V'ti*^. p--*
En ftrmto _FAW** M.il S'LV* 4 C.
O mata activo do* Farrugmomom
lVo produrindo a .Prisio do Vcntre.
ySTJOe&'&t'ALXi :,.TN-"U:-B. I #
Premios da lotera ineira
. 300:0000

1 ... . 12:5000
2 t ... 5:0000 10:0000
6 ... 2:5000 15:0005
10 ... 1:5000 15:0000
2 approximacoes de 2:5000 5:0000
2 1:5005 3:0000
2 7505 1:5000
9 Dez. do I-.* prem. 7500 6:7
9 t 2.8 5000 4:5000
9* t 3.' 2500 2:2500
99 2 fin. c 1. 2500 24:7504
99 2. 2500 24:7500
900 tena. l. 1250 112:5000
900 2. 1250 112:5000
rciuios da serle
to de.....
2052 premios no valor de
700:0000
1 pr^ii
1 .
1 .
2 t .
6 .
10 ...
2 apprcximaco'es de
2 t s
a
9 dez. do 1. prem.
9 c 2.
9 .3o
99 2 fin. 1.
99 ... 2.
900 term. 1."
900 2.
2000
1000
600
1000
600
300
300
200.
100
100
100
50
H
2052 premios no valor de.
12:0000
2:0000
5000
4000
6000
6000
2000
1200
605
2700
1800
900
9900
990*
4:5000
4:5000
28:0000
CfAXA UQ
IHIPERMEAVEL\
\ 6F.M F.i?CrVA9
I

*L
3AL
^PASl

y O magnifico LUSTRO oVosia praxdf
ooijcerri-^-e durante U?s sumaca,
1 eeja quui fr o lempo.
iRAL oLUoS Gotnrna lustre a liaslica "-ara es Battiu.i.' das Seboros, j
APPLICA-c. JOVA^H|
UKGUOSA, em c.xi-Tos de /oiia de Janros, tai ouaijl
o aacj'etfce ro JLxpTcito In-ilaz.
[ NUOiA-4 MA"UF OOM*.' l_, B A Hot'tr L*f. LNS^rt K. O.
[AIS
es
P" e Fasta den*i.>icios

Todos os premios sao pagos integralmente
Esta loteria composta de 10.000 bilhetes a 1000000, dividida em 25 series,
custando o inteiro da serie 40000, subdividido este em quintos da serie (1250s do
bilheta inteiro da loteria) de 800 rs. cada um.
-,-cnte desta loteria chama a attoneao do publico para este importante
plano mai#vantajoso pela sua boa orgaoisacao.
Com 40000 (5 quintos de que se compSe a serie) recebe-se 12:0000000 e com
800 rs. (1 quinto) L':4OO0OOO.
O menor premio d um resultado da 25 /a pois custando o quinto 800 r3.,
recebe 10000 as tefminacoes dos 1. c. 2. premios.
63o premiadas as dezenas do 1.. 2." e 3." premios.
As duas letras fmaes dos 1. o 2., terminacSes dos 1. e 2.a, e as approxi-
xoes dos l.o, 2. e 3.; tendo alm disso premios de 2:0000000, 5000000, 2000000,
1000000 e "600000. '
EXTRACTO MKAN,
REMEDIO DO BR, AYER
CONTRA
AS SEZOES OU MALEITAS.
O Remedio do Dr. Ayer, descoberte
vegetal qne nao contera a quina nem o
arsnico, nem topouco outro ingrediente
nocivo, 6 um remedio infallivel e prompto
para toda a qualidade de febres interm-
lentes oa maleitas. Seas effeitos sao per-
manentes e certos e nenhum mal abso-
lutamente pode advir do seu emprego.
Da mesma forma torna-sc o melhor
remedio possivel para todas aquellas
doencas que provm dos effeitos dos
miasnuts, que se desenvolvem nos lugares
pantanosos e infectados, e que geralmente
caracterisao-se pelas affccSes do
flfrado e do baco.<
O Remedio de Ayer curar sempre,
mesmo nos casos peiores, {oda a vez que
for emp/egado convenientemente e se-
gundo as direccoes.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYxR & CA,
IiOwelL Ulass.. Est.-Unidos-
sodc
RHEUMATISM
tepa?ezas So Sangue, Erapges, Esa-
e toda r.-.':;.-,'So de naturza
r erupt'.va ou veneroa
SLSPMRILIA
DE BEISTOL'
0 Remedio d3 Fpiiia por excelencia
Alug'a-se
O segundo andar do predio ra do Barao da
Victoria n. 60. com agua e pintado de novo : a
tratar com Paulo Jos 5 Ivs & C.
Ha no mesmo grande quantidade de canarios
belgas para vender.
Ah
Sra-se
da A33ADIA do SOTJLAC (Gircnde)
02B MAAttUStAtatB, Prior
i Medallifte re Oiti'o: Bruxelles 1S80Londres i8S4
AS MAIS ELZTVADAS RECOMPENSAS
NO ASNO
Pelo Pilor
Perro SOUBSATTX
JUNTO O LOUVBS
E'ON. 20 '
Tecides para vestidos
i
I
0 i quotidiano do Elixir Dantifricio
i dft< RR. PP. Benedictinos, cem doaa f'a
_J alpuiiias pottas emb jipia, i>reveai e cura a caria
-, embranquaceos, frbiIoceudo e tor-i
'an i\as pereitameiita satiiafi.
:< Prestamos nm vordadeiro serv|fo, assgna-l
- naaaot I itor s este .intimo o milis-1
..kK,o melhor curativo oo n?ico
preservativo contra as Afeccoes den-
tarias.
Agente geral: SEGUiN, BORDEAUX
i'chi-si em todss as boas Perfumfu, Phrmacits e Droitritt.

)
I

T0R
1
TINTA INALTERAYEL
Esta tirita recommenda-se pelas qualidades
seguntes :

1E' igual a melbor tinta Bine Block inglcza.
2E' de urna fluidez extraordinaria, e torna-se treta como
carvo.
3E'lde duracao Ilimitada, portante para os livros do cort-
mcrcio e jara documentos, que carcram de longa ('.iirooFo. n3o
ide t- i^r tinta melhor.
'.\i4d estraga as pennas de ac.
Pre.osj garrafa 800 rs. I agarrafa 5
rs.
Cambraia Victoria a 20800 a peca.
Batiste finas a 240 rs. o covado.
Fustao branco JavTado a 360 rs. o covado.
Setim do Jap.o a 240 rs. o. covado.
Cachemira de listras a 10200 o dito.
Las Amazonas a 400 rs. o dito.
Merinos lisos daas larguras a 440 rs.
Gazes arrendada a 500 rs. o covado.
Chitas percales a 200 rs. o dito.
Metins de quadro a 300 rs. o dito.
Cretones claros a 240 rs. o dito.
Rendas hespanholas a 20000 o dito.
Setim Maco a 80) rs. o dito.
Popelina branc a 800 e 90U rs. o dit >
Setineta branca lisa e lavrada.
'Merinos pretos (baratsimos).
Toile pardo a 360 e 400 rs. o covado.
Cachemiras lisas a 10200 o covade.
Cortes de vestidos em cart3es.
Cachemiras de quadro a 280 rs. o covado.
Velbutina preta a 0-10 r?. o diio.
Crep preto (inglez) a 20000 o dito.
mm i. costa & c. *
1. D E M A R C OP E K K A K B U C O
ALBINO SUVA-& a
ItRa Mrquez [dV"!lnda4
dDT
leodeRgadodeBaoaiau
do E>r TZTJC>T?3SL
^-Ferruginosa ce Quina e Casca Laranja amarga
, ,. -------------------
Este medicameno ficl do tomar, no provoca n.-useas,
e de cheiro '.. Pela sua coa ...s as
lidades que bx pjraiittcm combater :
a ANEMIA, a CHLOROSE, 5CCES do PEITO
a BRONCKIT3, os CATA i TYSICA
a DIATHESE ESTRUMOSA, SJCROPHULOSA, etc..
Em vista do scu emprego faci!, da sua accao multplice e
^ra, da economa para os doentes, os mdicos receitam-n'o
Arligos para liomcns
Cortes de casemiras, a 60, 70, 80 e 100.
Camisas allemaes a 36<*600 a duzia.
Paletots de alpaca preta a 40500.
Regatas de cores a 10 e 10500 e 20000.
Paletots de seda palha a 70500 um.
Ceroulas de bramante a 150000 a duzia.
Paietots de alpaca de cores 40500.
Camisas de flanella a 40500 urna.
Guardap para hornera a G0OOO.
Sobretodo de panno piloto.
Meias inglezas a 50000 a duzia.
Meias finas da Escocia a 10500 o par.
Lenyos de linho a 50000 e 60000 a duzia.
Casemira em corte para temos.
Chevioth preto e azul a 40000 o covado.
Casemia diagonal a 20000 o dito.
Brim branco, todos os nmeros.
Brim de linho, de cores, a 10800 a vara.
Duble-capas de panno.
Casemiras pretas e de ares.
Bolsas para viagens.
Costumes para banhos salgados.
ARTGOS DIVERSOS
Colchas de fustSo a 30500 um.
Algodo branco a 30200 e 40000 a pe?a.
Colchas de crochet a 60500 ura.
Culetes de flanella a 20500 um.
Tapetes grandes a 130000 um.
Madapolao americano a 60000.
Fichas de retroz a 10000 um.
Lenges de bramante a 20000 um.
Cobertas de ganga a 30000 urna.
Lenos brancos a 10200 e 10500 a duzia.
Sargelins de cSres a 200 rs. o covado.
Brim pardo a 280 rs. o dito.
Espartilhos curaca a 50000 um.
Fu.stSo de cor para roupa de crianca a
800 o covado.
Seda palha a 10000 o dito.
Ama
Prcci=a se de urna ama
92. 1- andar.
na rua.Imperial n.
Amas
Na ra da Palma n. 40. irecisa-se de duas
amos urna para andar com criancis e outra
para rosinbar a comprar.
a casa terrea da ra do Lima n. 26, em Santo
Amaro ; a tratar na lithographia A ra Mrquez
de Olinda n. 8.
Aluga-se
o grande armazem com erando quintal, quarts
para df-ppndencias e cacimba, ra de Martillo
Dias n. 71 ; a meia-agua travessa do r'eixoto
numoro 17 ; a tratar na ra i- de Mare nume-
ro 16.___________
Aluga-se
a casa sita a Cruz das Almas ou Parnameirim n.
10 B, com commodos para urna pequea fami-
lia, endo um nora sitio, e acha-se limpa ; a
tratar na'rua da Aurora n. 119, ou ra do Apollo
n. "30, 1- andar.
AJuga-se
i\.Ilia (le leite emParnameirim ou Cruz das Almas n. 10-A,-
Prr d m___ji .. urna grande e encllente csa com agua e gaz,
urna ama deleite; a tratar na ,endo um hom sitio, a qual confronta cora. I'
casa do Dr. Leal ; a tratar na ra do Apollo .
30, 1 andar,, ou a ra da Aurora n. 119.
ra Barao da Victoria n. 54, nova agencia de
mo\eis
Ama de cosinha
No siti n. 5 da estrada de Joo Fernandes
Vieira se pretis; de urna cosinbeira, prefere-ae
a urna mullier qi e durma em sua casa
A
ma
e eostureir
Na ra da Imperatriz n. 37, 1- andar, preci-
sa-se de ama e costureira.
Capellas para noivas a 70000 urna.
Baleias forradas a 440 rs. a duzia.
Luvas de seda a 20000 e 20500.
Bicos preto de seda.
Toalhas para banho a 10500 urna.
Cobertores de la a 10800 um.
Bicos de cores a 20000 e 20500 a pega.
Guardanapos de linho a 20200 a duzia.
Baleias pretas a 240 rs. a duzia.
Arcos cobertos a 140 rs. o metro,
'chas de cores a. 10800 urna,
-aieo de crochet a 70000
.u.o da Costa a 10000 e 10200 o co-
vado.
Toalhas felpudas a 400 0 a duzia.
Leques transparente a 20500 um.
Extratos, tnicos, ntremelos, bordados e pos de anos.
lioupas por medidas
20Ra Primeo de Mareo -
CASA 1B CO.\F9AXA
Alugue* barato
Ba de S. Amaro n. 14.
Becco da Bomba n. 8 loja.
Ba da Boda ns. U8 e 60.
Ba Visconde de Itaparica n. 43, armazem.
Largo de S. Jos n. 74.
Largo do Mercado n. 17, loja.
A tratar ra do Comoiercio n. 5,1* andar.'
esenptorio le. Silva Gnimares & C..
IHsliTMocis"
CHlellas do Mone de Soceos
Compra-3e cauteas do Monte de Soccorro df
qualquer joia, brilhantes e relogios; paga-s(
pem na Praga da Independencia n. 22, loja d*
l"elOJ0Y>.
A o coififliercio ,
Alfredo Lopes rti C, participam que o Sr. Joa-
quim Pereira de Freitas dcixou de, fazer parte de
nossa casa desde o dia 30 de Maio.
Becife, 12 de Julho de 1889.
Mudanza
Jo9 Gomes de Ansorim faz publico, e com
especialidade aos seus amigos e freguezes, que | tismos, inchacoes, dores aciaticas, nevral-
desde o dia 20 do roez prximo pastado, muuou ;
a sua fabrica de leos vegetaes, do predio n 161
da ra da Aurora para o de n. 163 da mesma
ra, aonde o respeituvel publico o encongar
sempre piompto a satisfazer todo e qualquer
pedioo com toda sua Bderidade e prestesa; po
dendo a qualquer hora serem as encommendas
dirigidas para al ; sendo o n. 33 o do appare-
Ibo telephonieo de seu eslabelecimento. Becife,
1 de Julho de 188'J.
20

AMARAL

a

O .'..TPERAt
toedor de $$. 3f^f.
>o BhaZIl, e o Rli dos Belgas.
A. VERDADE1RA
BOTOT
' o nico Dentifricio approvado
pela ACADEMIA os MEDICINA de PARS
P melhor calmante contra as Dores de Dentes
Reoommendado especialmente com os POS do BOTOT con Quina.
para os cuidados da bocea.
339, Rae St-Honor, Paria, m todas as bou Drogars, Perfauriu t Cabellerdrlas.
GRANDE N0V)E
IWmiL 2 TILZSASS
IZm SC SSS2ZAT1S1S0
DORES E DeDENTES
PREPARADO NICAMENTE
POR CALASANS & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheoma-
smos, ir
gias, dormencia, etc., empregai do-se em
fomentagies sobre os lugares afFectados.
Cura o beri-beri, as paralysias* e as dores
de dentes.
Todos os frascos levam direccoes para
uso d'este medicamento admiravel.
Prego 10200. Descont de urna duzia
em diante.
DEPOSITO NO RECLFE
Francisco Manoel da Silva & C. ra
Mrquez de Olinda n.23

hl
armacia
Precisa se Je um praticante ; na ra larga do
Bosarie n. 3?.
Paulina Doedrlein e Hed-
wig Stelzle
1 ltimamente chegadas da Allemanha coiti diplo-
mas do conservatorio de msica de Munich,
oflereeem s Exmas. familias desta cidade os
seus scrvjgos como professoras de piano e Gante
Ra !< Payandu' u. 39
Informagoes podem ser tomada? em casa do Dr.
Joo Paulo, medico, Toa Nova59
'lcencfiriopel Inspectora Ge?ai
de Eygine do Imperio do Br&ziL
48RA BARAO DA VICTORIA48
Vcnhana ver para crer
Attenc.o
Narianna de S. los Cavalcanie, viuva, maior
de 70 unnos, viveivio em extrema pobresa. e
tendo em sua cooipnihia tres n tinhos de tenra
idade, orphos de-pai o mi, vem implorar das
: 'ofasejas ecaridosas un; obulo qaalquer
para oSo so alio felizes, romo
t.imbem par comprar algoma roupiom para
cubrir a nudez em que vivera. A supplicaote
re6lde ra da Concordia, casa n. 131.
M. T. A. S.
Pede se a este pareja para cum-
prir com a 1 jBpje pode fisel-O,
e se nao o lizer.....
Zarope-Zed
[Oe CODEINA c TOLlI,
O Slarope Zed ftapre^a-s coar
IfriUfUs do 'Palo, Tossc )i fsim, rtB
COKVulsi \Coquuche).'BTonchiUs,C Caarrxa e Ir.iomntas txrsistsnta.
VARIS, 32. re Drovot, 1
n">'
I I -
de preferencia qualquer outro raodicaincnto similar.
DEP08TT0 QBFAL s
PARS, 209, ra Saic. Oenis, 209, PARS
I-SE KM T0D4S AS PUNCIPAE PHARHACIaS DO l'.MVElfcO
OES CON FIAR DAS F A U S I F I C A C O E S E IMITAQOES
% 9 jiiiifll
Curados pelos CIGARROS ESPIC
C&wesaCcx Tese, Mteflvjcos terral,,
UC1:NCIAD> \i 'BHYdlLNk DO Uf^BMO I
Afpt: acal.ua o oystema nervoso,
Jac asfunccdesdartiios re8.:ratorius.
Venda era ctncMC, i. ECPtC, ZO, ra CI-L.2.Taro( CUl Pari-3. xja-it a'.a canon'
Ptrniwttoxi : RA.Hl.ci II. SU.VA U., t la. rtatab u-u*ojj >:

FUNDIjrjO DEiSINOSE Biy)NZE
DE
DA |lri

i i
i UA
66-ra do Barao do Trumpho66
Tem para vender o seguinte:
.Hcbistas de cobre .para fazer espirito de destUlar e restillar.
Alambiques de cobre do antigo e novo systema com esquenta garapa.
Serpentinas de cobre e de estanho.
, ai*apn< as de cobro.
Taixas, taixos e caldei'ras de cobre.
ISS>Ulbas de todas as qualidadease repuchos, aspirantes e continuas.
Toirnefras de c raadj^ j^^xlos os tamxihos.
'aaos de cobre, de el
R^paridc'ras, paaa: e de ferro *stanhado.
Cobre em lune
8 ola i
Cadinhos pi
Sinos (
igipio
Co:iinnlino de Sis nrrelo
Convidarse aox a comparecer la do
Bora Je-i s n 83, para pptar contas das co-
braueas que fez no termoVde Agua Preta em
Marco prximo paseada
Major
Pede a este d:.
, ,:>;:;lii i a ((uantiaque
pedio emprestado .ati ha dous
pena jflUm
ueste' Diario.
t'mn vicra.
*?
No sitio nj
Vieira 'ma <&
l
-andes
14 an-

r
OIGEStCES
DIFFICEIS
Dyspepscii
mita
OOElf ESTOMAGO
1XIRGREZ
rA<8
*WSt
OuTO
'ere. e oa todts t*
GASTI
ANEI
Vomito$l
\DtarrhHi\
!na

' 4
" I
i


> de
mi

5





propria para qi
a tratar na me
afreguezado,
qualquer obs ; a tratar na
dara.
Veude-se ama porgao de i
e canto, alguna livros muito
para]
de florea
bonitas e crotons para enftitar salas", arvores da
fortuna tatnbem. j mesma easi offerece-se
urna sihora para miniar era1 casas particulares
primeiras letras e al^uns trabado* de llores ; a
tratar no Caniinho Novo u. 128 com madama
la._______ .__________
Telegramina familiar
Vcnham rer ao .5
RA DUQUE DE UAXIAS
Tendo resolvido vender o; seguintes
objectos por menos 50 0i de seu valor
real, convidamos *nossos freguezes a ver
a realidade!
Cachemiras corabinacao com listas de seda
ultimo gosto a 15200 ocovado.
Cambraia com salpicos a 45000 a pega.
Cortinados, novidade a 55500.
Sargelin de qualquer cor 200 rs. o covado.
Linn bordado padroes novidade a 80
rs. o covado.
Setins de todas as cores a 800 rs.
Mandl' as pretas.
Camisas francezas com collarinbo coisa
chic a 2<$000.
Cretones para coberta a 500 rs.
Amor da China grande sortimento em de-
zenhos a 200 rs. o covado.
' Pannos de crochet. -
Cortes de voJHps coisa nova a 8^000
125000 ^6WS0.
Guardanapos a 15600.
Madapolao com muita largura a 5000
65000 o 75000.
Merinos pretos de todos os preoos.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Babados e cntremeios.-
Vestuarios para baptisados coisa nova a
10501-0 e 125000.
Luvas de seda a 25000.
Zeliros de cores a 160 c 200 rs. grande
sortimento.
Grande sortimento de plastrons o regatas a
15000 urna.
Tecidos arrendados, novidade a 400 c 5P0
rs. o covado.
Grande sortimento de casemiras para rou-
pas de hornera.
Colchas brancas e de cores um sortimento
completo.
Gollarinhos e punhos para homeni.
Cortes de casemira de cOr a 45000.
Casinetas com 2 larguras a 15000 o co-
vado.
Cretones para vestido a 240, 280, 320 e
400 rs. o covado.
Meias e longos de cores para homeni e|
senhoras.
Merinos de cores de 500 a 800 rs. o co-
vado.
Brim de linho de cor, angola e molesquins
grande variedade.
Tapetes grandes o pequeos, algodSo bron-
co, largo e bom a 55000.
Camisas do cretone muito bonitas a 25500
e 35000 urna.
Cambadas suissas com salpicos do cores a
75000 a peca.
Renda da China a 200 e 240 rs. o covado.
Da-se amostras sem penhor.
5. Ra Duque de Caifas 55
Fcrnandes Azevedo &C
4
las muitas peehinehas que te-
m(*s rt viemos p- (Teste cha-
U fcattenyao dos nossos freguezes, pro-
esreo tempo como vendemos
10 ,1o do que em outra qual-
asa.
oiardina, tecidos moderno, a 320 rs. o
covado.
Organd8 (fazenda de phantasia) a 400 rs.
o covado.
Nansuks muito finas de 120 e 240 rs. o
covado.
Merinos lisos e de quadros 200, 240 e
280 rs. o covado.
Cortes de linn e cretones, todos os avia-
mentos, a 65000,85000, 95000 e 105000
um.
Ricos cortes bordados om cartSo a 145000
Atoalhado para mesa, muito largo 15200,
e 15500 o/netro.
Pannos de crochet para cadeira Ja 500,
600, 700 e 800 rs. um.
Colchas de crochet com palmas para.noi-
vas a 55000, 65000, 75000 85000 e
95000 urna.
Cortinados bordados, muito finos a 65000
o par.
Bramante liso e trancado *ft 4 larguras a
15000 o metro.
Bramante trancado de 2 larguras a 400 tb.
o metro.
Toalhaa de cores para mesa elstica a
55000 urna.
Saias bordadas, muito finas !a 35000 urna.
Luvasjde seda, lisas e arrendadas a lj?000,
15500 e 25000 o pto.
Sed* alsaciaaas, novidade a 240 rs. o
covado.
Cretones claros e cacuros [de 500 rs. por
320 Ts. o covado.
Zefiros de quadres a 120, 160,. e 200 rs.
o covado.
Pcchincha em camisas de meia a 15000_e
15200 urna.
Leques de penna, o que ha de moderno a
45<;00 e 55000 urna.
Capellas com veos para noivas a 85000
urna.
EustSo de cores para palitot c calca a
500 rs. o covado.
pafl
Muita atteiMjo
Na ra de S. Jos n. 56 tem para vender os
afamados vinhos e licores de todos os frurtos do
paiz, fabricados pelo finado Joo do Amara! Ra-
doso, comospjam : vinlio de caj 1." 8 i' qua-
lidade, vinko do abacaxt, ^uho de ianipapo.
oomposto e simples, hesperedina brasieira, la-
ranginha cordial, excencias de limo e cidra, e
-rts prensas para espremer os fructos, e tudo
" se vende por baratissimo prego para liquida-
e&o. Assim como se vende um bom terreno na
povoagao de X. S. da Boa Viagem por qualquer
proco.
Vinho particular
No armazom da ra do Amortn n. 60, vende-
M o que pode haver de melhor, pelo mdico
Sreco de 75 o garrafao de re3 caadas (Votan-
o casco).
Brins {de linho, cores fixas e garantidas,
a 500 e 600 rs. o covado.
Cortes de velludo bordado a seda para
colleto a 25000 o covado.
Cambraia de salpicos com 10 jardas a
45000 a peca.
Bicos de cures e branco a 15800 e 25000
a peca.
Cambraia suissa de 145000 por 75000 a
peca.
Collarinbos e punhos borracha a 15800.
Cobertas de ganga para cama de casal a
25800 urna.
Lengos de cores, imitegSo de seda a 15800
a duzia.
Fich de retr*.., lisos e com palmas a
15000 um.
MadapolSo americano com 1 metro de lar-
gura a 65000 a duzia.
Algodaosinho muito largo a 45000, 55000
e 65000 a peca.
Redes francezos a 45000, 55000 e 65000
urna.
Palitots de seda palha a 85000 e cor de
chumbo a 105000 um.
Cortes de casemiras ingleza a 105000
um.
Cortes de fustSo para collcte a 1.5000 e
15600 um.
Cobertores de 13 com pequeo deeito a
25000, um.
Renda hespanhola larga a 25000 o covado.
Espartilhos finos a 45000 o 55000 um.
Roupa por medida, garante-se a perfei-
cao.
S na Revoluto de 48
HENRIQUE DA SILVA MORETRA
Vende-se
a taverna sita ra da l'niao n. 3, bem afregue
zada; tratase na mesma e garante se a chave.
F0LP5TIM
DECAPITADA
POR
F. BU BOISGOBEY
(ContinuagSo do n. 157)
VI
Degros gastos e um corrimao despoli-
do pelo esfregar repetido pelas maos dos
presos.
Em cada pataraar havia um guarda de
Pariz, e o homem da seguranca nao parou
senao no terceiro andar.
Alli, disse em voz baixa algumas pala-
vras ao soldado de plantSo, que introduzio
Vitrac, Borodino e a sobrinha era um quar-
to reservado para as testemunhas, urna
grande gala guarnecidalde bancos, onde na-
quela occasi3o nao havia ninguem.
Feito\to, Grisaille foi bater a outra
porto, que esa a do gabinete do Sr. Fran-
eaatel.
Aquelle juix ernum magistrado de ve-
Iba tempera.
ele
Nao tinha pretengoes a: ser
seu todo deixava que derfW
o encontr o rosto n2o o
tavor.
mmente jarbeado, punha
^Hboa dessat gravatas brancas enrir
Ta verna venda
Vende-se a taverna sita ra do Lima n. 70,
era Santo Amaro das Salinas': quem pretender
dirjase a mesma, que achara coii quem tratar.
Taverna
Vende-se urna taverna bem sortida c afregue-
zada e em muito bom ponto, ra da Concordia
n. 1; a tratar nella ou no caes da Companhia
Pernambucana n. 8.______________________
Libras sterJi as
Vende se no escrlptorio dcPereira Carceiro
C, ra do Commercio n. 6.
machado, e olhos pardos, assombreados por
espessas sobvancelhas.
Mas qaando fallava, o rosto muiava-lhe
de express3o. Por momentos mesmo tor-
nava-se sympathico. O seu sorriso era
encantador. E' verdade que nSo sorria
muitas vezes.
Era, alm disso, um juiz modelo, sa-
bendd como poucos o seu officio, que elle
estimava a ponto de recusar promojao,
para se conservar no lugar de juiz forma-
dor da culpa.
Agarrado ao direito, sabendo como pou-
cos, e por cima disto letrado at a ponti-
nha das orelhas.
Por isso lhe confiavam de boa vontade
os processos mais dirficeis.
O juiz Francastel estova oceupado a
examinar documentos, quarrdo o Sr. Gri-
saille entrn, e sem levantar a cabeca,
disse
* Entlo !... Que noticias ?... Trou-
se-os ?
Sim, senhor. O tio, a sobrinha e
alm disso Vitrac, o pintor da praga Pi-
gale, que encontrei na ra Bortn, tratan
do de fazer o retrato da sobrinha.
Perfeitamente As outras testemu-
nhas j chegaram. Tenho toda a gente
mao. Emfim, vamos ver se comprehende-
mos alguma cousa.
Por rainha parte ainda o n5o conse-
gu, disse o Sr. Grrisalle abanando a ca-
beja. Confesso mesmo que a questao pa-
rece embrulhar-se cada vez mais. Ha mo-
mentos em que son tentado a concluir que
nSo ha nada no fundo de tuda isso... nada
de grave .pelo menos urna brincadeira
grosseira de atelier e urna modisto que
fugio de casa do avo, ]>iira ir viver com um
amante.
Oh! oh! exclamou o juiz formador
da colpa. Pelo que rsipeito brincadei-
ra do atelier, nao posso acreditar nella ; o
inquerito provou que rlio foi ltimamente
ja se nk)]^na&Bffl)|nmf cabeca da wcri^
o bordados, "brancos,
185000 e 2050^0-
reto, branco <

JjAIVA-1 \J
M Loja das
A' RA DUQUE 1
Vende-se fazeudas
c descont a quem o
para cima, troca-se as I
se por qualquer motivo nS& ffir de muito
agrado para quem for comprada c vend;
pelos seguines precos:
Cachemiras lisas e
seda de I ras, a 1
Sferla^S de duas ar,_
800 rs., quaKaade superior.
TeeluOarrendados cor de reme oonj
matiz com das larguras, a o|o rs.
Fazenda de phanlasia e lindas cSres
a 400 e 500 rs.
Tecidos de linho, lindos DadrSes
grados, a 200 e 240 rs.
Zeflros lisos e de quadro,
100 rs.
Seas de Maco branco, prt:
todas as cSres a 750 e 800 rs.
Metfns de quadrinhos, a 900 rs.
Wedas lavradas brancas e de cores cla-
ras, a 15400.
i.izes de seda com fios prateadoe a
15000.
Coroaiios de crochet, eff peca, a
900 rs.
Caillbralas brdadaa brancas e de
cores, a 45000, ap
Cortes de ve
para noivas, a 16
VOS para cha
qualquer cor, a 1
Crep inglez
a 15200 e 25000. A
TECIDOS AIS BARATOS
Percales e Alias claras,
180, 200 e 240 r
Cassas de 69res finas e seguras, a
120 e 240 rs:
norlm de Hsiras azues muito lar-
gos com 20 varas, a 65000, a peca.
Sargcllns finos, a 160, 180 c
200 rs.
Crinolina, qualquer cGr, a 40 rs.,
o metro.
Ciuardanapos superiores a 15800 e
25000, a duzia.
Atoalhado lavrado, lindos dezonhos,
a 15000.
Bramante de 4 larguras a 640, 800
e 15000, o metro.
Toalhas acolchoadas c felpudas com
listos de cores, a 45000 e 65000, a duzia
Bleos brancos f raneezes, a 60C
e 800 rs., a peca.
Bleos Unos, brancos, cremes e nia-
tisados, a 25000, a peca.
Baldas a 240 rs. a duzia, cobertos a
400 rs.
Lavas de seda, bordadas, brancas,
pretas e de cores, a 25000.
l*eques de papel, a 500 rs. c trans-
parentes, finos, a 25000.
Leques de pennas o que ha de me-
lhor, a 55000 e 65000.
ftabonete grande de perfume agra-
davel, a 500 rs.
Kxtractos finos francezes e inglezes
a 15000 e 25000.
Despertadores americanos, a 75-
Mosquitclros americanos com ar-
ma5ao a 105000 e 125000.
Espartilhos americanos e inglezes,
a 45000, 55000 o 65000.
Capas de vidrilho e rendas, a 255000
e 305000.
Toalhas de labyrlntho para bap-
tisado a 305000, 405000 e 505000.
E muitas fazendas qne se d por todo o
prc50 na.
Loja das Lislras Azies
Farello de carocp de algo-
dao
J conecido como o melhor e mais nulritivo
alimento para animaes ; vende-se roa do Bom
Jess b. 58, 1- andar
LORIDA
Gal5esj palmas e rosas de vidrilho.
>s de seda e de algodao com nerr
;iho.
Mantilhas de seda c de algodo,
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
'. hespanhola.
. irichos para homem a 35000 e 4500C
a duzia.
Jados de cambraia tapada a 400 500'
600 c 800rs.apeca.
dem com. 3 e 12 metros, de qual que
argura a 15200.
Ijaugos^e linho em caixinhas a 35000 *
ta.
Meias.para homem, duzia a 45000.
dem para senhora, duzia a 45000.
Lindos leques transparentes de caza *
35000 um.
ande sortimento do porte-retractos t
pellucia.
as pulseiras americanas a 45, 6
85000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, di
25500 a 35000 o par.
Cortinados todos de croenet para cama t
125000, 175000 e 195000 o par, algn.
de cores.
Ditos para janellas a 75000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 *
15000.
Dito para sof a :
Plastons c regatas dsjfjngo.
com tres palmos de ocmprknentt
para noiva a 65000 t

fe 10
ira baptisado aS>; 45
o que ha de
Vinho puro de Santa-
rem
Da quinta de Barral
Cbegou a segunda rernessa deste especial t
nho para o annazem centra' de gneros alimen-
.icio3 roa do CabugA n. 11, o qual se "
recommendado por ser puro da uva.
Joaquim Christovio & C.
Telepbone441

125
Toncas
55000.
Gi-inalis e ramos de seda,
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de- cores a 25000 a pee
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 45000 um.
Collarinhos'e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a dzia.
Extractos e leos de diversos fabricante
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car
ritel.
Pastee a 15000 e 25000.
Porte-lottras e porte-sedulas a 25000.
Arquetes para chapeos e chapelinas
15500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 25000 e
par.
Ditas de seda para creanja a 15000.
Dita para moca a 15500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette.
sanctuario e consollos.
Lindos lengos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos
Ditos ditos para enfeitar cabeca e segura;
chapeo.
Espartilhos para creanga a 45 e 45500.
Ditos para senhora a 45, 45500, 55000 e
65000.
Grande sortimento do sabonetes de 200
15500 um.
Estojo com faca, garfo e colher, propric
para creanga.
Bengallas com flauta a 15500.
Meias de 12 para homens e senhoras.
Linha* douradu para toser erocket.
Lindas fitas para fecha a 25, 35 e 45001
o metro.
Lindos leques de setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim t
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 25000.
Lindos desenhos para telagarga,
Finas carteiras para algibeira de 15, 2>
3 e 35500 urna.
Ra Duque de Caxias n. 403
WlSIY w
Boyal Blend marca Y1,
Este excellente Whisky Escocez ^>re-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corno.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca liado,
cujo nome e emblema s2o registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.

sSlo frequentes. E depois... onde est o
corpo dessa cabega ?- Todos os cadveres
encontrados no Sena ou na via publica cs-
tevam completos e foram todos reconheci-
dos... entretanto a cabeca nSo o foi du-
rante as setenta e duas horas reglamen-
tares de exposigSo na Morgue.
RazSo de mais para acreditar que ha
um crime em tudo isto. Este mulhcr nao
era conhecida senao daquelles que a ma-
teram e esses nao cahem em a reclamar.
Ali'm disso os mdicos declararam no re-
lator io que, havia sido decapitada viva e
de um s golpe, como os condemnados que
se guilhotinam. Demais, ha essa seme-
lhanga em que nos falln o discpulo do
Sr. Vitrac. Existe realmente ? O senhor
agora deve saber, urna vez que acaba de
ver a sobrinha do tal Borodino.
Existe e admira-me muitissimo. Mas,
para avahar bem, seria preciso ter ao mes-
mo tempo diante dos olhos a viva e a
morta. EntSo pde-se fazer a compara-
gao.
Ha de se experimentar} torne' as
minhas medidas para isto. Que pensa do
tal conde rffsso ?
Pens que se nao um honrado fi-
dalgo estrangeiro, o patife mais esperto
que jamis tenho encontrado. Nao se im-
pressionou absolutamente nada com a mi-
nha visito e nao gaguejou urna s vez,
respondendo s perguntas que en lhe tinha
preparado e que lhe fiz.
Mandei embaixada da Kussia to-
mar inf'ormagSes sobre elle. Espero-as
de um momento para outro e logo que as
ti ver interrogo-o. Quero estar armado
com todos os documentos, porque prevejo
que he i de ter de me haver co
mem de forga. Entretanto ni
nSo pequea importancia s
do av, que pretende que o tal Bo
foi pirata .. hei de confrontar os i
quando chegar a occasiao. ..
j tal sobrinha
representa
[seu papel, porque nao
Liquidando os arligos se-
sraintee!
Ra Buque de Caxias
Merinos de todas as cores a 200 rs. o co-
vado.
Lina sortimento de alpacas modernas a
400 rs. o dito.
Zefiros de quadros a 80, 100 o 160 rs.
o dito,
Cretones franceza3 com 1 metro de largu-
ra.a 280 o dito.
Nansuks, cores firmes a 100 e 160.
Fustetes brancos bordados a 3G0 e 440 o
dito.
Bramantes de algodao a 700, 800 e 15000
metro,
dem de linho, superior a 15600 o dito.
Atoalhado bordado a 15200 o dito.
Superior madapolSo americano com 24
jardas por 65000 a pega.
Algodocs da c6rte, o melhor a 35500
45000 e 55000 a dita.
Cambra as bordadas finissimas a 45000 a
dito,
dem Victoria com. 10 jardas a 25800. de
Esgui3o de algodao a 45000 a dita.
Ricas guarnigoes de crochets a 75000 e
85000.
Cortinados bordados, novos desenhos a
65000 e 85000 o par.
Toalhas superiores, muito grandes a 45000
a duzia.
Meias inglezas a 35000, 45000 e 65000 a
dita.
Seroulas bordadas de bramante a 145000
a dita.
Camisas francesa e inglezas a 365000 a
dita.
Guardan^possuperiores a 25000 c 55000 a
dita.
Cuberas de ganga, 2 pannos a 25800
urna.
Lenges de bramante a 15800.
Colxas francezas, de cores a 25000.
Mantilhas e fichsa 15000, 15200 e 15500
Chales de 15 a 25000, cachemira, grandes a
35000.
Redes de cores a 35000 urna.
Cobertores de 13 brancos a 25400 um.
Cassinetas para roupas de meninos a 200
rs. o covado.
Casimiras diagonal, 2 larguras a 15400
e 15800 idem.
Flar.ella azul ingleza a 15200 e 25000
idem.
Cheviots superiores a 35200 e 35500 o
dito.
Damascos de 13 para capas de pianos a
25000 o dito.
Pannos i ara mesas, novo gosto a 15100
15300 e 15800.
Espartilhos, luvas, grinaldas para noi-
vas, lengos de linho, baratissimos e muito
artigos que vendemos por pregos sem com-
petencia.
Roa Duque de Caxias n.59.
LOJA DE
A LOJA MAIS BAHATEIBA
PARIZFAMEICA
AZEVEDO, IRMaO 4 .
16Ra do B. da Victoria16
200 Tdephone200
Tendo recebido directamente da Europa
grande
que ha
)rliineDo de fazendas e modas
ma3 novo e pregos sem com-
petencia^
A saber ;
Capas He surah, senda e merino.
Rendaipreta, diversas quaidjadea.
Eternices, pretos, de 15 e 13 seda.
Damasfe de seda pura.
Merinos pretos de 800, 15000 e 1520C.
Crinoline preta e branca a 400.
Sargehm, todas s cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 15500, com 10
palmos. I v
Toalhefe para banho a 15000 e 15500.
Chaehmiras com 2 larguras a 800 ra. .
Ditas Be l e seda 2 larguras a 1500G.
MadapolSo trancado a 95000 a pega.
Dito globo a 75000 a dita
Dito catniseiro a 75000.
Dito B5>-Viste, verdardeiro, a 65000.
Fichs Se 13 e seda 15000.
Brins de linho, coi es fixes a 600.
Espartilhos conraca a 45000 e 55000-
Colchas.de fustao a 25*t)0 e 35000.
Capellas para noiva com veo bordado *
6500U.
Toalhaaj de cSres para rosto.
Renda*/ bomprimento de saia a 1550C.
. Renda te K, preta, para quaresma.
Pao verde para buhar.
Tapetes pera sof a 135000. :
A verdat'.eira esteira para forro de sal*
a 15000.
Camisas fie flanella a 55000. *
Cortinadas de crochet para cama
105000.
'Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sen forro.
Seda de :6res a 800 e 15000.
Extracto Rita Sangal a 25000.
Velbutim de quadro a 800 e 15900.
Guarnigoes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de peda, brancos.
Caixas cejm extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 45000.
Capachos de coco.
Lavas de 'seda a 25000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas e cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, aje crochet com flores.
Crep inglez para enfeite'
Grande sortimento de chapeos de soi
Setinete para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cores.
DLEPHONE 200
PEREIRA & MAGALHAES
Pao centeio
Mello & Bisct, avisam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-ieiras, tem este sa-
boroso pao ; ra larga do Rosario n. 40.
Movis
Na casa n. 183 ra Imperial, vende-se ba-
rato dous guarda-vestidos c urna cama para ca-
sal, tudo novo em foltaa, de superior qualidade
e estylo moderno. ^__
JLeite puro
a, ou-
__losa-
articulou
pode interrogaba ?
su Podia ter interrogado, porque nSo
mrda, mas n3o me responda, nem mesmo
me comprehendia. 3o entende sen3o o
grego.
Grego ? disse o juiz esfregando as
m3os. Nos temos aqui interpretes para
essaJbgua, como para todas as outras, e
almTiisso eu poderia tolvez prescindir
delles apezar de estar um pouco enferru-
o, depois qne tive o primeiro premio
i versSo grega no conenrso geral. E'
"verdade tombem que, provavelmente ella
n3o comprehende senSo o grego moderno
que na pronuncia difiere muito do antigo;
emfim hei de experimentar.
t Agora, o que pensa da historia da
costureira, contada pelo tal Dangalas ?
Admitte que ella esteja escondida na casa
da ra Berton e que n3o a deixam sahir ?
NSo estou ainda no caso de me pro-
nunciar. Tudo que 'posso affirmar ( (|ue
se ella l est, nSo a fazem sahir sem "que
o saibamos, porque deixei l agentes que
vigiam a propriedade e nos l a encontra-
remos se o senhor julgar a proposito or-
denar urna visita domiciliaria. Mas incli-
no-rae a crer que ella nSo est l.
Entretanto ella para l foi. A sua
iatra m'o declarou. O chapeo que ella
evava para experimentar, havia sido en-
commendado em casa de Lucia Cartois, na
ra da Paz, por urna senhora cujos sig-
r*es concordam com os da morta e que
deu a sua morada na ra Berton 8 : Sra.
condessa Irene... nilo tem Borodino-...
Irene, sem mais nada.
A pequea pode ter ido l entregar
ao criado a chapeleira que continha o cha-
peo e safar-se para se ver livre do pintor,
cuja cara n3o lhe agrada va.
A_ tal patrOa est aqui.no quarto das
(temunhas, est espera que eu mande
hamar. Vamos ver o que ella diz quan-
uzer em face do Sr. Borodino e da
io a cabega cortada?
Ainda n" E' urna sorpreza que
lhe prepan -la e a outros. N&o a
mostr, n^^^Hsalas, que alm disso a
conhece, i uan, que nada
Na estrada de Joo Fcrnandes Vieira, sitio lo
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite Puro de vaccas tonrinas e ds
trra, garante-se a qualidade do leite.
.
oa aequisigao
Vende-se ou arrenda-se um boro sitio na es-
trada nova de Agua Fria teberibc, perto da
estacSo da Encrnzilhada, contendo casa com
bons commodos para familia, mais urna casa
para negocio, um psrreiral, coqueiros, sapotisei-
ros, laranjeiras, fructa-po e outras fructeiras.
boa cacimba com a^ua potavel c terreno para
plantaces de hortahees ; a tratar na ra Duque
de Caxias n. 30, padaria de Beiro Almeida.
Muita.atten^o
Xa ra da Imperatriz n. 80, vende-se sapa-
tos de felpos para fri a 600 rs. o pa r, e de
criangas a dOO rs.
tem que ver com a aecusacao do assassi-
nato ; mas creio que n3o ser intil exhi-
bida diante do Sr. Vitrac. Seu modo de
proceder, depois da scena do baile do ate-
lier, n3o me parece claro... Ha tambera
a sua amante, a chamada, ou antes, a al-
cunhada Vanda, que n3o foi interrogada
senao muito summariamente e que tai-
vez saiba mais da questSo do que eu pen-
sava.
Emfim, como \g\diza, meu caro Gri-
saille, tenho toda aVnnnha gente m3o e
0 da ha de ser decisivo.
Vou por m3os obra e desejo que o
'r.<:nhor assiste aos interrogatorios e s con-
frontagSes.
Depois, dingindo-se ao escriv3o, velho
encanecido no officio, que garatujava em
um escrivaninha.
Tudo est preparado no outro gabi-
nete, nSo verdade?
Sim, senher, respondeu o homemsi-
nho sem levantar os olhos.
Dir-se-hia que elle tinha medo de olhar
para o lado do tal gabinete, que era ape-
nas um quarto para despejos, separado por
urna simples cortina da sala em que traba-
lhava o Sr. Francastel.
Naquella occasiao entrou Um continuo,
que lhe entregou urna carta bastante vo-
1 umosa.
Bem, disse o juiz, aqui estilo as in-
formales que eu esperava.
E abrindo o enveloppe, p6z-se a 1er
com toda a atteng&o os papis administra-
tivos com que elle esteva recheiado.
Levou bastante tempo e o Sr. Grisaille
n3o interrompel-o e ainda menos interro-
gal-o, quando elle acabou.
. As informagoes sao curiosas^disse
espontneamente o Sr. Francastel; em
summa, favoraveis ao tal senhor, com cer-
tas reservas. O principal que tenho
aqui.com que o interrogar com conheei-
mento do causa., Fgame o obsequio da
ir buscal-o ao quarto, onde o deixou, e de
m'o trazer.
' S, ou com a sobrinha ?> perguntou
Grisaille que pensava em todp.
Em qualr bo, eu |ouvia-o
Attengo
Vende-se a, iverna sita ra do Bom Jess
antiga da Cruz" 33, com pouco capital, propria
para principian :, bera afreguezada ; a tratar n*.
raesma.
f
Chegaram!
Superiores
nho, duzia 4 f
Ricos cortes di
Bonitos cortesl
Superiores toal
Guardanapos
Casemiras ing
ras, covado 2 >0t
E outras muit
todo preco para al
Rna Duq
lisas portuguezas peito de li-
cambraia bordados 101000.
de cretone com figulinos 9.
as acolxoadas, duzia 4o00.
franjas bons, duzia i 600.
zas de cores com duas largu -
fazendas que se vendem por
pbar.
e de Caxias n. 4>
KM V III) TM'flPHO
BASTOS & r.
Atten^ao
Vende-se bons Bredios era boas ras, que se
recommcodam pelas boas localidades e r%b:v
certa, sao os caixOes sitos ra Mrquez dt
Herval ns. 35 c 37, oceupados com negocio, e ar.
importantes casas (e morada, urna sita rna da
Palma a 'Jo, e outra ra da Conceigo n 12 :
a tratar na ra d; Concego n. 38, das 3 s 6
horas da tarde.
primeiro s. Otvir as testemunhas sepa
radamentc um principio de que me ates-
to raras vezes.
c Mas... no caso como dizemos no
Palacio, urna vez que essa moga n3o com-
prehende francez,,n3o vejo que naja in
conveniente em a isistir ao interrogatorie
do tio, que alm < isso me servir de in,
terprete quando in errogar a sobrinha.
Grisaille pensot que aquillo era impru-
dente, visto que orodino podia, traduzin -
do as perguntas d< juiz, indicar em. gre-
go interrogada al respostes que devi*
fazer por sgnaos.!
Mas Grisaille gnardou para si aquellas
reflexoe8 e foi exetutar as ordens do ma-
gistrado. |
Pilois, disse o Sr. Francastel logo
(jue se acbou a sos com o escrivao, recom-
mendo-lhe que olhe de vez em quando
para mim, emquanto eu interrogar o se-
nhor que vai entrar. Pde-se dar o caso
que se trate de cousas de que melhoi
nSo ficar nem vestigios esafipto. Por-
tento, quando me vi*' passar a m3o pe
queixo, deixe de registrar o que eu lhe
disser e o que disser a testemunha," e
quando eu molhr a penna'o tinteiro, re-
comece a escrever.
Muito bem, murmuran o escriv3or
aparando a penno.
A porte abri se e Grisaille tornou a
apparecer, precedendo o conde e a moca,
que introduzio quaei ceremoniosamente.
O juiz levou a cortezia at o ponto de
se levantar e de Ihes ofterecer cadeiras.
Naturalmente encarou primeiro com He-
lena e ficou ainda mais impressionado com
a sua deslumbrante belleza do que com a
sua parecenga com a decapitada.
O Sr. Francastel nunca tinha visto viva
a decapitada.
Helena radiante de mocidnde e de sa-
de, n3o lhe recordava senao imperfeite-
mente a cabega desfigurada pela morte,
que tinha fcado tres dias exposte na Mor-'
{C&ntimtar-i-ha).
. Typ. do flairio-raa Duque de Casias o. 41
i
'1
I
I



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1DTGH0F4_4MZJ51 INGEST_TIME 2014-05-19T17:38:33Z PACKAGE AA00011611_19161
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES