Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19155


This item is only available as the following downloads:


Full Text

>m0t+
ir

**T
a.-w' *>_

I*
J
/i i> i> V
AT T"
PARA A 1 A|PI*AJL 12 LtCiNj
'B^r tres uiezes adiantados....
Por scb ditos dem.....
Por um anno idem
Cada numero avulso,
65000
125000
235000
5100
Q -FEXRA DE JtLHO DE 1889
ji
PIRA DGKTRO E I OKA DA PROTHKCIA
itados ._...........o ,.
Por seis
Por nove d|
-rf Porum annoi^*. ........
Cada numefro avulso, da (Im anterioras.....
135500
. 205000
265000
5100
Trcpriedadc' de Manoel Styueiroa de 3 TELEGRAMHS

#\
S3B7I5D aiKTULB 20 ULZS
IO DE JASffclRO, 9 de Julh
toras e. SO minutos da tarde.
Jlfoi noroeado
uterino da
oominandante.
t
^^^Kclepsilu de pr
< majara vivo brilho*..
dfe depositar e
otro rrtetal. Por meio ,
nas propria poaem accumular-
diversos metaos uus'volwo os outros. Pode a
produzir-se um deposito e platina, cbunq|
balto, nickel, etc.. sobre oWros metaes.
Estas applieaeOes nfto tem afc
em grande escara, po:'<|u
gem, zinc
inani"
rotos i
n a
solHgi".^
-
oje sido feit*
de da platiqa-
3nao se tgm
ordem da fotago at o 'i* oais vo- 1
a junta nao se reunir at ^ dia 8 4p
ilte^Btt culpa de algn d s ou subHwps .anda que justificad, "'
qualquer d >s 08- i
pimbros da^HJ. 011 seus substituios, dfi
H^ftcsmo dia, por ollicro, conhecimentojlj
JR^Bo municipio na Corte, ao ministcrtoip
gnem, e as provincias, aos respec.ivos prop
denles, expondo circumstanciadamente. o? inJT
tos que. houvemjlermimulo a falte da re
de Cerqueira A guiar'
Foi nomeado major ajudante de or-
dens do commando superior da guarda na-
cional de I'enedo, na provincia das Ala-
gas, Lauriano Lessa.
I I
I:
::::::: sa a&shcia sms
PARS, 8 de Julho.
Annuncia-se que S. M. o Kei da Grecia
micos consiste
na prepararas da baixella dourada ou prateada
pela pela [nlha. Esta operagu oceupa um lugar
importante a industria moderna. As peca3 pra-
teadas pelo processo galvnico sao muito usadas
em Inglaterra, em Franca e no? outros pases da
Europa. Por um prego" mdico, cada qual pode
lioje aproveitar-se das vantagens bygienicas e
aceio que resultam do uso da prata "no servieo
domestico.
(Contina)
PARTE OFFICIAL
llinlstcrio da Guerra
Circular. Ministerio dos Negocios da Guerra,
leve vir aqu prximamente para visitar a R0 de Jan(ljr0 ,.; (|e J(jq|i0 de {m
Illra. e Exm. Sr. Devendo proceder-sc no dia
1* de Agosto prximo vindouro, na forma do
disposlo no art. 8o do regulamento que baixou
cora o decreto n. 3881, de 27 de Fevereiro de
Kxposicao Universal.
LONDRES, 9 de Julho.
Dous membros do parlamento
ncabam de ser presos n'esta capital.
inglz
Agencia Ilavas, filial em Pernambuco>
n de Julho de 1889.
1873, em toda3 as paroctuas do Imperio, ao alis-
tamenlo dos cidados para o servieo do exercito
e armada, convem que V. Exc. providencie comHpUra(i0"isa"r os'contingentes que o municipio
urgencia para que serneihante servieo seia eito da Arte e as nrmrincias devero fornecer nara
com toda a regularidade, impendo
INSTRCClO POPULAR
i
. *
AS CHANDES
ANTIGS E MODERNAS
AS
Scisncias. industrias e artes
POR
XVIII
\ galvanoplastia
(Continuar o)
O dourado electro chimico, imaginado em 1841
sej
as autorida-
des que o nao realisarem as penas coraminadas
no art. 7o do regulamento approvado pelo n.
10.220, de 5 de Abril deste anno, do qual re-
mello {a V. Exc. um exemplar atira de tornar
as suas disposiges bastante conhecidas nessa
provincia.
Deus guarde a V. Exc Visr-onde de ln>
ruja.
Sr. presidente da provincia de Pernarabuco.
DECRETO N. 10226de 5 de abesil
de 1889
Approva o regulamento quealterra as disposi-
ees do decreto n. 881 de 27 de Fevereiro de
875. relativas ao processo do alistamento dos
cidados para o servieo do exercito e armada.
Usando da autorisago concedida pelo para-
grapho nico n. i, do art. 6, da lei n. 3397 de
i't de Novcmbro do anno prximo passado, hei
por bera approvar o regulamento que altera as
disposiciM's do decreto n. 5881 de 27 de Feverei-
ro de 1873, relativas ao processo do alistamento
dos cidados para o servieo do exerctlo e da ar-
mada : regulamento que rom este baixa as-

.


micos nao sfio realmente n:ais do qae nma opfi-1
rafia de galvanoplastia, na qual -e emprega.
D vez de molde, o objectoque se quer dourar
ou pratear. A puna, o banho e todas a3 mani-
pulaces que desi-revemos ao fallarmos vanoplastia, serven), sem modilica.o alguma,
para as operaces do dourado e prc teado electro
cliimicos. A nica difliculdade escolber o sal
riouro ou de prata que se ha de empregar.
Para dourar nela pula um objecto de,cobre
ou bronze. prende-.se este objecto ao polo nega-
tivo d'utna pilha de Booscn. O banho contem
evanureto d'ouro dissolvido em cyanureto de po-
t;is?io. POe-se a pillia em accao, e, pela influen-
cia da corrente, o cyanureto d'ouro decompe-
Fe : o cyanogeneo desenvolve-sc no polo positi-
vo ; o oro prip.ipita-se no polo negativo, e vai
obrir o objecto preso ao rame que termina este
polo : o objecto tica porlanto dourado. A pera-
fio dura apenasjalguns minutos. Se quizer pro-
duzir-se um dourado espesso, demora se mais o
seNtjite-^ir imadu uu!> negocios da guerra, que
assim o tenlia entendido e faca excntar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 5 de Abril de
1889, OK" da Independencia e do Imperio.
Com a rubrica de Sua Magestade o Impera-
dor.
Thomiz JoU Coetko de Almttda.
ra. na BPf^^PI presientes, as t>ia
nomearo lmmediatamente tres cidados
residentes na parochia ou l'reguezia, onde nao
se honver .alisado a reunio, os qnaes compo-
nio a junta da dita parochia.
i O presidente daljunta, a no ser designa-
do no acto da noraeaeao, sera o mais idoso tos
seus membros, devendo a junta reunir se, para
iniciar os trabalhoi do alistamento, trinta dias
depois de haver receido commuuicaeao official
da nomeacao.
2o A junta nomeada fart, por editaes, a con-
vocago dos interessados para o alistamento, a
3ual se refere o art. 13 do regulamento n. 3881
e 27 de Fevereiro de 1873, 13 dias antes da re-
unio ;!a mesma junta.
i Na falta ou impedimento de cidados ido-
neos na parochia, que devem compor ajunta,
podero ser nomeados outros de parochia diver-
sa, mas pertencente ao mesmo municipio.
Art. 4 A' junta incumben] os trabadlos de
alistimento do armo em que liouversido no-
meada.
CAPITULO II
1>0S COSTLNGENTK-
Art. 5." No mes de Marco de cada anno o mi-
nistro da guerra, tendo vista o alistamento

Ilcijidamento alterando as rJiposigZes do de-
creto ,i. 5881 de 27 de Fevereiro de
1875, relativas ao processo do alistamen-
to dos cidados para o servido do exerci-
to e da armada, a que se refere o decre-
to desta data.
3APITDLO I
DO ALTSTAMESTOE DAS JUNTAS PAEOCHIAES
Art. i* llavera em cada parochia ou Trcguezia,
ainda mesmo nao provida cannicamente, urna
junta incumbida do processo do alistamento a
banho da pera. Passad este intervallo, retira- i qual ser constituida pelos membros segrales :
se do banbo "o objecto dourado, e s falta, paraf, juiz de paz do primeiro anno, como presi-
Ihe dar brilho, brunil-o, isto 6 esfregal-o com dente :.2-, o subdelegado : 3o, o cidadao imme-
nm pedaco de gata oa qualquer corpo dnro. diato em votos ao 4o juiz de paz.
Mudando o evanureto d'ouro por cyanureto del Paragrapho nico. Na falta ou impedimento
prata, e dissolvenrttf este em cyanureio de polas-
sio, obtem-sc um banho que sb a influencia de-
corapoaente da pilba, prateia os metacs com a
maior facili lade. Conduz-se a operacao como
: o dourado, e produz-'se superficie dos ob-
dc qualquer delles, serviro como substitutos
do juiz de paz, o 2*. 3* ou 4", na ordem da vota-
cao^ do subdelegado, os supplentes, na ordem
designada pela uoraeaco : e do cidadao imme-
diato em votos ao 4 juiz de paz, os que se llie
da corte e as provincias devero fornecer para
preenchimento da forca decretada pelo poder
legislativo, anda mesmo que nao se teoha con-
cluido o alistamento em todas as parochias ou
fregnezias dos ditos municipios e provincias.
1." Sstes contingentes srao lixados na pro-
porco do numero de individuos que f-rem apu-
rados, mas, para as parochiasou fiegueziasonde
nao houverfcido feito o alistamento da parochia
do mesmo municipio, na qual se houver apurado
maior numero de alistados.
8 2. Esa mesma base servir para a distri-
buigo dos contingentes pelas parochias, a qual
se refere o art. 57 do citado Regulamento n. 3881
de 27 de Fevereiro de 187.1
3." Quando nao houver sido feito o alista-
mento em todas as parochias ou freguezias de
um municipio, a base, assim pira Qxaco dos
contingentes, como para sua distribuico por
aquellas paroetnas ou freguesas, ser o alista-
mento da do municipio mais prximo, na qual se
tiver apurado maior numero de alistados.
Art. C." Os contingentes distribuidos na forma
cima determinada, pelas parochias ou fregue-
zias, onde nao houver sido feito o alistamento,
serao organisadOs por meio de recrutamento Jor-
cado.
<9JBS3?tje*jott*i JM^iado- *^*wmeBTmT-'
?ingente, de que trata o art. 5." da lei n, 2536 de
26 de Setembro de 1874, s podero ser orga-
nisados por meio de recrutamento forrado os
contingentes distribuidos pelas parochias ou fre-
guezias onde nao houver sido leito o alistamento.
Art. 7.* Ficaia sujeitos s multas de cera a
trezentos mil ris : 1., qualquer pessoa que se
negar a fornecer ao juiz de paz c s autoridades
policiaes do districto a lista dos individuos su-
jeitos ao alisiamento, que habitaran com a
mesma pessoa: 2.", qualquer dos membros da
junta paroebial ou revisora, que faltar s ses-
ses sera motivo justilicado; 3.. o secretario
que faltar sesso, sem causa justa, ou nio
cumprir devidamente as disposiges da citada
lei n. 2336 de 20 de Setembro de 1874, do de- ,
crcto n. 5881 de 27 de Fevereiro de 1873 e do
' presente Regulamento.
A's mesmas multas cima mencione das licamV
sujeitos os membros das juntas de parochias ou i
freguezia, que forem nomeados pelo ministro da '
guerra ou pelos presidentes de provincia, na
forma do art. 3.* deste Regulamento.
Art. 8." l'icam revogadas as dlsposicSes cm
contrario.
DISl'OSig.\0 TRANSITORIA
Art. 9." No corrente anno a flxaco dos contin^
gentes, a que se refere o art. 5." deste Regulaj
ment, ser feita no mez de Junho.
Palacio do Rio de. Janeiro, em o de Abril d
1889.T.'toma: Jos Coel/io de Al me da.
imaoveisTcom excepcao dos predios rueteos ou urbanos, qufl
: pagirem o imposto do paragrapho antecedente.
!>rc o valor das vendas de accGes de coj
I nhis.- r
3. 2 pelas transferencias ou vendas de qualquer
trtcto com o governo da proMH^.
14. 255O0 porlonelada de alvarenga. canoa de carga o'
dtwarga, conforme a ariueaco ou im-tricula.
ibre a renda'dos Lie'.'i- de.ralz das corporajgj
ie nido raorta. que nao mantiverem ostaltelcimentos pios.
5 i. Dcima urbana..
i 7. -21X1 ris por tonelada de tedHfidljippres, nu&HP
mburcac^l^llslipi
I
~M
s *' 10 "/o de novos e velbos djreitos dos empregados pro-
,06 por nomeacao, anosentadoria. rernoyocu accesio, sendo
caso feita a cobranea sobfe o excesso dooencimentos, des-
lo em t: do caso uurante umonno.
49. Pedagio de pontes e estradas.
30. Emolumentos das reparticues ^roviocaes cobrados com
o accrescimo de 30 sobre a tabella.
31. Imposto sobre o calcameuto de quptratam as leis ns.
f 32. Dizimo de gado vaccuriT, carallar e muir, cobrado por
rrfpiataro nos respectivos campos de creaco.
:. 200i000 por pessoas que empregar eapitaes em des-
into de letras, exceptuados os commerciantes elabelecidos.
ii. 3 soore a porcentagem do thesooreiro das loteras
xttauidas na provincia.
S 55. Contribuiro das emorezas FefflQJteTir e Locpmotnra.
% |1<. Producto "dos emolumentos- inifratente da guarda na-
ional.*
$ 57. 35 por estabclecimento commercial en industrial, cujo
luguel nao exceder de S00 ; 10i demais de 8005 at 1:800-i e
>4 de mais de 1:800o destinados ao servieo de extinccSo de in-
2ndios.
S 58. Imposto pessoal por concessSo do governo geral.
SS 59. :; de contribuico dos empregados provinciaes que
rem titulados, a razo de 3 ". sobre os respectivos vencimen-
s. cornprchenJidosos aposentados, jubilados e reformados, bem
i mo os membros de Assembla Provincial pelo que perceberem
3 subsidio, e os fiscaes das companhias, emprezas anonymas e
enip/egados geraes que recebem porcentagem pela arrecada-
t) da divida activa, de sello de heranca, exceptnado o corpo de
licia.
i 8 60. 100 ris diarios dos sidos das pragas^do corpo de po-
lijia e da guarda cvica, como indemnisago de Tardamento.
g 61. Auxilio dus cofres geraes.
i 62. Saldo do excrcicio anterior.
63. Multas por infraccOes.
C't. Juros de 9 pela intlevida rcten.;o das rendas.
S 65. Bens do evento.
$66. Beneficio e premios de bhetes de lo.eria que prescre-
Ifem.
07.Restituiee?, rcposirOes e outras quat squer indemnisa-
C^s provenientes'do processo judicial.
5 68. Renda e venda dos proprios provinciaes.
g 69. 10,u addicionaes a todas as impesigoes da presente
le!
g 70. Divida activa.
I 71. 6 | addicionaes a todas as imposices, eujo producto
si entregue junta administrativa da Santa Cisa de Misericor-
djpara auxilio dos estabelecimentos a cargo dr mesma, guarda-
dla disposirSo do art. 60 da lei n. 1,860, derendo ser pagos pela
mpma Santa Casaos vencimentos de 1:200Jl a que tem direo
o Irurgio dentista do hospital Pedro II. de accordo com a lei que
crou dito lugar.
Art. 2." a despeza para o mesmo excrcicio lixada em
3j0:984,748.
-41-
_
40. dem ao Club Litterario Victoriense .
."ociedade Litteraria Caruaruense, como
auxilio a manutenga.) da enla por ella mantida .
! Auxilio a i Club. .Litterario de Itamb .
.J-.-Bibliotliea PtpHfsrcarg-j do Institu-
to OJUdense ... ...
Pagamen'. das annuidadesdevidas pelo
servige da leafe Drainage, 0's termos das leis ns.
e 1,394 de 18sl, inclusive 6U,ii para o de
h annuidade relativas 0.predios do patri-
'nonio do conveuto da Gloria.....
i i. Alimento os pobres.
11 udo.-
5064000
.-MtfOOO
49O#000
flO^SOOO
contractora
restituido
da referida
empresa
> ^SMb
(iovcnio da Provincia

LEI N 2,009
Bario de Calar, bacbarel em sciencias jurdicas e 60Ciaes
pela Academia de Olinda e l' vice-presidente da provincia de
l'errambuco:
Fago saber a todos-os habitantes que a Assembla Legislati-
va Provmclal decretoue eu sanecionei a resolugo seguinte:
Art. Io A receitaparao excrcicio inaneciro de i889orga-
da do seguinte modo :
Io 2"o sobre agurdente, alcool e genebra, que forem ex-
portados.
$ 2o 20% sobre.couros e courinhos verdes, idem.
3* 10 sobre couros e courinhos seceos, espichados e sal-
gados, idem.
I 40 ^ y soure B|a n couros corlidos, idem.
5 'i1 6 o sobre couros verdes ou espichados, sola e couri-
nhos exportados para outras provincias pelas collectorias limi-
trophes.
| 6" 100 ris por sacco de assuar em faxenda nao fabricada na
provincia. ..._
7o 100 ris por barrica de madeira estrangeira, sendo w
ris quando em meia barrica e proporcionalniente uas subdivi-
ses desta.
| 8' 12 ris por litro de agurdente ou alcool, quer pwra,
quer transformada em licor, que fr retalliada em qualquer parte-
da provincia. ..
9o 35 por cabega de gado vaceum. cavallar e muar, que for
importado das provincias limitrophes, salvo se pertencer a cria-
ilores desta provincia.
$ 10. IDO ris por couro procedentes de outras provincias c
que for reembarcado. ,
g 11. 43 por carga de algodo, que pelo interior for expor-
tado para as provincias visinhas.
12. 105 por carga de fazendas importadas das provincias
visinhas pelo o interior.
13. 55 por carga de miudezas importadas das provincias
visinnas pelo interior.
14. 2S por carea de quaesquer outras mercaderas impor-
tadas das provincias visinhas pelo interior com excepga das de
sement de carrapato e algodao.
15. 50 ris por ulqueire de sal, pagos ao sahir do navio.
16. 34 por cada rez abatida nos municipios da provincia,
excepto Itamb, que pasar 2*000. ^
17. 100 ris por kilogramma de fumo em folha, e em po,
que for importado para a provincia.
S 18. 300 ris por kilogramma de fumo em corda, que for
importado Mira a provincia.
19. 600 ris por kiiogramma de fumo picado, desltado e
KM preparados, que for importado para a provincia.
$ 20 U por cento de charutos, idem.
i 21. 2l)Q ris por cento de cigarros, idem.
22. Imposto de gyro, nos tern os dos 12 a 13 do art. 2"
da lei n. 1.8(i6, de accordo cora a de n. 1 899 e respectivo regula-
mento, sendoelevado a 8"'"quando se tratar do valor das seguintes
nercadorias: calgado, roupa feita. coilarinhos, punhos e peitos ae
camisa, emolas, chapeos, obras de selleiro e marcraeiro, velas
stearinas ou espermacete, sabo, milho, cal, perfumaras, vinhos,
'3 e seceos, cerveja cuutrai
joias de ouro, prata ou imitago, armas de fogo c plvora, qual-
quer que seja a procedencia.
?. 21. 5 "|u sobre os gneros e productos nacionaes entrados
de outras provincias, inclusive o municipio neutro, cobrado so-
bre o valor da pauta aduaneira, declarado ou por arbitramento,
se for necessario, exceptuados os que forem tributados, em dis-
po3gao especial e os cereaes, carne e seus preparados, livres
quaesquer mercadorias acondicionadas era volume de valor infe
rior a 15, roupa de uso particular e instrumentos e machioismos
de uso industrial e agnco'a, inclusive assucar e algodo 3
S 24. 20 ris por cada volume, que for transportado pelas j
estradas de ferro, quer de carga ou bagagem.
% 23. 1:00D por casa em que se vendam madeiras de pinho.
ou quaesquer outras de procedencia estrangeira.
Si 26. 10 ris por litro de sal importado, qualquer que seja a
procedencia.
5 27. 40 ris por kilogramma de cal importado do estranj
geiro.
5 28. 20% sobre o valor locativo dos predios, onde se exer
cerera na cidade do Recite 'quaesquer industriad ou profissei
nao romprchendido? no S 22. f
5* 29 10 sobre as casas s commcrcio, industrias e profty "
so s ira da cidade ou em seus arrabaldes.
$ 30. 1:300S por joalheiro, que mascatear na provincia
ainda que pague o imposto por estabelecirneolo ou casa de ven
der joias.
S 31. 1:0035 por casa de garanta de bilhetes de lotera ou,
fraego destes>
] 32. 1:0:K)5 por casa que vender bilhetes de loteras de,
outras prouineias, ainda que pague o imposto do anterior, uo
podendo dividir os bilhetes por outras casas, sob pena de pagar
cada umatambem 1:0005000.
33. 12 sobre escriptorio de advogado, solicitador, carto-
rio e consultorio medico na cidade do Recife.
34. 6% dem dem fra da referida cidade.
g 33. Impasto de repartigio conforme a tabella annexa lei
n. 1.883, menos quanto s tojas de vender pianos, msicas e ins-
trumentos de msicas, que pagarao 300J000.
g 36. 5%, sobre os premios superiores a 200 de todas as
loteras da provincia.
g 37. Sello de heranga3 e legados de todo3 os herdeiros ab-
intestato ou testamentarios, inclusive os espurios, regulado do
modo seguinte ; 15% at o 3" grao inclusive, 20 % d"a>i por
diante, iuclusive 03 estranhos. Quando as herangas tivercm de
sabir para fra do imperio pagarao mais 10 /
38. 10 Vo sobre doagOes de qualquer especie, exceptua-
das a- feitas em iiuha ascendente ou uescendente, que pagarao
1/2 / e as menores de 2U0i, sendo que as escripturas dotaes se
rao regaladas pela legislago geral applicavel a especie. Os sel-
los das doages mortis causa podero ser pagos por occasio da
transferencia da propriedade doada e os da* outras devero sel-o
na occasio do contracto, sob pena de multa para o tabellio que
o lavrar.
; 39. 12 o sobre herangas e legados mesmo consistentes em
rudo entre berdeiros necessario.
g 40. 2 % sobre o valor dos predios rsticos ou urbanos cuja
alienagao se verificar por qualquer meio, pagos antes de lavrado
o respectivo titulo de dominio.
g 41. i"., sobre o producto de qualquer leilo de movis ou

ftTsla^'ajuaa'daTlft dos" dupuriil
f 2." Eiipregadus, inclusive o chefe da sec-
cq bachareTiraoleo Peres de Albuquerque Ma-
raiio, o 2" oflicial da mesma secgo, hachare!
Zo/mo Zenaides da Cmara Lima e o continuo Jos
I .iclico Telha de Mondonga a contar do 1 de la-
nero deste anoo........
i | 3." Expediente easscio da.casa, inclusive a
a mblicago dos annaes da Assembla dos annos
de 1844. 1843 e 1846.....
g 4." Apanhado e publicaco dos debates.
Secretaria do gocemo
% 5." Empregados, reduzida a gratilicago do
soretario a l:2Jo, e supprimido o lugar de ofli-
ci|l de gabinete, que ser preenchido por um em-
pegado da secretaria.......
g 6. Expediente e asseio da casa -
lnstrH Publica
l "." Empregados.......
g 8." Expediente e asseio da casa .
Gijmnasio PernaBtbucapo
i g 9." Empregados.......
g 10. Expediente e asseio da casa, inclusive
2i00 para illuminago interna ....
I i 11. Obras e reparos.
Esrola Normal
i 1. Empregados.'......
13. Expedieute e asseio da casa .
g 13. Alugael da casa......
bibhotheca Pxotiv.-ial
% 13. Empregados.......
S 16. Expediente e asseio da casa .
1 g 17. Compra e remonta dos livros
1:800 para npresso do catalogo-
Indrucyo secundaria
| 18. Aula de latira e fr'ancez da cidade
Pesqueira..........
g 19. Aluguel da casa e expediente.
nstrucco primaria
g 2't. Profcssores de instr'uggo primaria, ex-
'tinelos os actuaos contractos, incluindo a dileren-
ca de veiiiimeqtos devidos professora Anna Ce-
sar de Almeida l'ereira por forga da 2a parte do
art. 263 do regulamento de 18 de Janeiro do anno
de 1888 ...... ...
g 21. Aluguel de casas para escolas, expe-
diente diurno e nocturno, inclusive a da cadeira do
Espirito Sauto de Tacarat.....
22 Fornecimento de move3 e compra de
livros para os alumnos pobres, sendo 300 para
as escolas publicas da cidade de Nazaretli, 60W
auxilio cscjla creada na cidade de Garanhuns
pelos engeohuiros do' Prolongamento da estrada
de ferro e 1805 para compra de movis da escola
publica do sexo femiuino da povoaco de Nossa
Senhora do O' de Goyanna......
. 1 luriN 's dieerso
g 23. Subvengo ao Instituto Ardieologico
g 24. dem a Frederico Ramos e Chnspim do
Amaral em execugo da ei n. 1I83 ...
!3. I lem a Sociedude dos Artistas Mecha-
nicos e Liberaos ........
g 2C. Idea", Companhia Peraambucana
g 27. dem ao Gabinete de Leitura de Goyanna
28. dem ao vigario de Bora Jardim para
custeio da escola por elle creada ....
29. Auxilio ao Recolhimcnto do Bom Con-
sendo
de
3.\400s>000
13:386*000
22:3420'JO
7C:224330
4:50:1*000
2o: 3005000
997*000
Gil: 360*000
12:8005000
13:369*777
31:670*000
. -400*000
2:316*800
10:100i000
400*000
4:5003000
2:OOO.S00O
200*000
provincia
ierro via .
Obras publiiiis
3 47. Empregados inclusive o administrador
do theatro Santa Isabel, e supprimido o lugar de
administrador das obras......
S 48. Expediente e asseio da casa .
g 49 Reparo e conservaeo das obras, sendo
3:000*000 para a construego" do agude do Alti-
nho que desmoronou-sc, ficando todos os jardins
pblicos a cargo da 'amara Municipal do Recifc .
Sendo mais o presidente da provincia autori-
sado a despender: 3:0<..>o*000com os reparos e ter-
mioago das obras da matriz de S. Jos desla cida-
de ; 12:000*000 com os concertos da estrada de ro-
dagem da Colonia SOccorro e factura da ponte de
Pirangyass, no povoado de Catende; 4:000*000
para as"pontes do rio Preto no engenho Rebingudo
e concert da ponte Duas Barras; 500*000 com as
obras da matriz de Grvala ; 2:U0 '5000 com as
obras da matriz de Papacaca: l:2u0-ii00 coma
construego de um chalriz na fontc d'agua pota-
vel existente na villa de Panellas : 1:200000 com
a construego de urna ponte sobre o riacho que
passa pela villa do Bvn to; 1:0)0*000 com a- con-
ttnuarao das obras da igreja de Maneota na co-
marca de Iguarass c igual quantia com as obras
da matriz de S. Lourengo; 3:000*000 com um
agude que ser feito mediante arremata gao ou mes-
mo sobre administrarn ao lugar Mundo-Novo de
Buique; 1:000^000 com as obras da igreja de S.
Gongalo de Itapissuma : !:ij(i;,0! 0 para a matriz
de Santos Cosme e Damio de Iguarass e igual
quantia com as obras da .reja da povoaco de
Trez Laderas; 12:0lt0 iOOOcom a cadeia da cidade
da Esftida; 1:000*000 '-om o- reparos da igreja de
Santa 'i'hereza de Pao d'Aiho, a cargo da i raan-
dade de S. Jos dos Artistas, 5:00^000 cem a
' concluso da estrada feita pelos agricultores co-
megando no acude do engenhe Carnario e termi-
nando na estrada de rodagem confronte ao enge-
nlio Quemadas ; 5:000*"O0 com a compra de nma
casa para servir de cadeia e pago municipal na
villa ile Leopoldina : 4:000*000 com as obras da
matriz da Boa-Vista d'esta cidade; 10:000*000
com a compra de urna casa para servir de cadeia e
pago municipal da villa de Salgueiro: 20:000 iOOO
com a construego de urna ponte sobre o rio Ipo-
juca na cidade de Grvala, ligando os dous pantos
povoados da mesma cidade na dirceco da estiada
de rodagem; 10:000u00 com a construego de
urna ponte no rio-Doce, fregtiezia d:' Maranguape;
2:01X1*000 com a compra d alfaias para a igreja
de Nossa Seuhora da Saude do Pogo da l'ahella.
sendo esta quantia entr
ma k
30:0(W*0'X)
32:930*000
8725000
100.000OO





struego da ponte de madeira que une S. Pat
villa Vea da ha de itamarac ; 1:600*000





5G3:i70000
33:777*000
g 30. dem Casa de Beneficencia de Bezer-
ros, inclusive a escola aunexa.....
;[. dem Casa de Caridade de Gravat -
S 32 dem ao RecoHiimeotO da Gloria
33. Idsm Casa de Caridade de Caruar.
g j4. dem ao tkeolhimeulo de Iguarissi -
3o. dem Casa de Beneficencia do Tri-
12:000000
2:400*000
2:4C0*000
4:000*000
24:O00*iXX)
1:100*000
500*000
1:300*000
3:000*000
1:500*000
1:300 00U
1:000000
1:200*000
iho
dem ao Recolhimento de Olinda-
dem, idem de Goyanna .
dem ao Hospital de Misericordia de
36
37.
. 38-
Goyanna
g 39. dem.determinado no art. 1." da le n.
1,663 de 10 de Junho de 1882 ....
1:300000
1:3004000
1:000*000
1.000*000
1:200*000
e
000,
pofli a ccfsirucgnTTe uTadee^i Jrina na co-
marca de Panellas e de duas pontes de madeira no
rio l'irangy e Riacho, em (uipap : 0:0005000 com -.
o concert" da estrada de rodagem do Recife a
Itamb: 3:000*000cora a construeco de um agude
em Santo Autonio do Tara, na Pedra do Luique ;
2:000000 com a terrainago da3 obras da matriz
de Quipap e 1:000*000 para o mesmo um em re-
laco matriz de S. Bento : 400*000 com a recon-
ulo
que
ser entregue Cmara Municipal da villa do Bo-
nito alim de fuzer os reparos que necessita o agu-
de da mesma villa; 1:000*000com os concertos do
agude de Lagoa Secca na comarca de Nazareth ;
1:0005>00 c'm 3 concert da Cacimba da Bomba
em Nazareth; 4:000^000 com a construego de
urna ponte em Ipoiuca no lugar denominado Gi-
tahy; r.OOOOOO cora os concertos da matriz da
cidade da Escada : 3:00 '5000 com a concluso
das obras da matriz da Victoria ; 12:000*000 coi
o concert da estrada de rodagem de Olinda ao
Recife: 900*000 com a terrainago das obras da
igreja dosMartyrios de Goyanna; 1:3005000 com
a concluso das" obras da igreja de Santo Antonio
do Bebedouro : 2:(,00X)0 com os leparos da co-
berta da matriz de Nossa Senhora das Dores de
Caruar ; 7:00 ,000 com os reparos da nova ma-
triz de Floresta, igual quantia com os da matriz de
Salgueiro: 2:00000-') mu, os da igreja de S. Jos
deBelmonte; 1:500*000 com os da matriz de S.
Francisco da Villa-Bella, igual quantia com os da
matriz de Leopoldina : 1:0005000 com os da ma-
triz de Beln) era Cabrob ; 700*000 com os
da eapelia do Divino Espirito-Santo de Taca-
rat : 800*000 com os da matriz de Tacarat;
1:000*000 com a continuago das obras do agude
existente no Riacho Bella-Vista ha poneos passos
da villa de S. Bento ; l:300000 com as obras da
matriz de Santa gueda de l'esqueira : 6:000*000
com os concertos da,ladeira do Broloc, na serra
do Triumpho; 4:000*000 com a recon-truego do
agude deDuarte Dias, na Gloria de Goit ; a quan-
tia que fr precisa com a construego de um pon-
hlho no sangradouro do agude provincial da
villa de S. Bento, para dar lugar ] passagem de
moradores e transentes ao. norte do agude;
800*000 com a concluso das obras da igreja da
Estancia nesta cidade ; 1:3005000 com os concer-
tos da casa de instruego publica da villa de Bar-
raros : !:30*0u0 com o concert da ponte do Ca-
chito, situada entre a villa de Nossa Senhora do
O' e o povoado Vermelho no termo de Ipojuca ;
"4:000*000 com a construeco de. una ponte no rio
Ipojuca no enge:ho Salgado; 3:000*000 com a
construego de um acude no lugar denominado
Gaviao, comarca de Limoeiro; 2:000*00.1 com a
continuago das obras da matriz de Itamb:
2:000*000 com as obras da raatr de S. Vicente ;
5:000*000 com a construego de um caes-no Va-
radouro, em Olinda ; 3:OiO5000 para a construe-
go de urna ponte no rio Ipojuca no povoado de-
nominado Primavera, na comarca da Escada;
2:004*000 com as obras da igreja de S. Jos da
800*000 com as obras
Po d'Aliio a cargo
da irmndade de S. Jos" dos Artistas; 800*000
com as obras da ig-eja de S. SebstiSo em Olinda
a cargo da irmndade de Nossa Senhora do Bom
Parto; 1:0003000 com os concertos precisos na
ponte do rio Pira pama no Engenno Novo do Cabo;
12:000*000 para a coostruegio de urna ponte so-
bre o rio Ipojuca, no engenlio Maranhao, e 300*
para as obras da igreja do povoado de Bern-te-vi,
da freguezia do Bonito.
Seguranra publica
30 Empregados d Casa de DetencU,
cando i iduida nesta verba a quantia de 5003
ao enfermeiro, de gratilicago de antiguidade lti-
mamente obtida ....- i:42U.s>UUU
(Contina).




u

;
i. r" \\i\<'' i.nii ii~ i ni*. uu i
povoago de Pedra Tapada;
da igreja de S. Sebasti-iq^le

B-
&O0OO
EXPBDllNTK DO DU 6 DB JXUO DS 1889
tos:
O vice-presidente da provincia em execu-
_'da lei n. 2393 de 10 de Setembro de 1873
iowe nomcar o tenenls Antonio Pedro Dionysio
pfaio posto de capito da 8* companhia do 7
cqplde cavaliaria da guarda nacional de
.jmmunicou-se ao commandaate supe-
lente da provincia em execu-
-"- le n. 2395 de 10 de Setembro de 1873,
, resolve oomear Francisco Jieovigildo de Albu-
querque Maranhao para o posto de alferea da 3
companhia da 9* secgo de reserva de Goyanna,
em substitus*) de Pedro Celestino de Mello uus,
aue nao solicitoa a patente no 'gal-
Com; a*ilawte u
i
gao da lei n. -
resolve nomear para a
guarda nacional da comarca
execu-
mbro de 1873,
to o. 10,131 de 22 de Dezembre de
1888, os seguintes o
1" companhia
Capito, Antonio Joaquim da Fonseca de Car-
valho ;
..oidio de Carvalbo Raposo ;
.uilhermino Ramps de Barros e Suva
2' companhia
Capito, SebaStio Jos Mendes ae Hollanda ;
> da reserva da Tenente, Lycurgo Guraldo de Alencar;
da 'Escada creada' Alfercs, Joo Tavares de Lyra.
U
-"..-



2
Diario de Pernambuco---Quarta-feira 10 de Julho de 1 ^9


:i' companhia
fSapito. Francisco Pinheiro de. Menezes ;
Tenenle, Syncletico Araerico dos Santos;
Alferes, Antonio da Costa Reg Monteiro.
4 companhia
Gapitao, Manoel Tavares do Miranda :
Tenenle, Francisco Garoeiro da Silva ;
Alferes, Jos Felippe de Barros Lins.Commu-
nicou-se ao commandante supenor.
O vice presidente da provincia eai execugo
da leirn. 2,35 de 10 de Setembro de 1873, re-
sol ve noinear Jos Miguel dos Santos para o
posto de tenenle da 3* companhia do 28" bala
lho de infantaria da guarda nacional da comar-
ca do Cabo eni substituido de Joao de Araujo
garateante que nao tirou patente no prazo le-
gal. Coramunicou-se :io commandante supe-
rior.
O vicepresidente da provincia em execu-
5So da Ici u. 2395 de lo de Setembro da 1873,
resolve nomear para as vagas existentes no 45
batalho de infantaria da guarda nacional da co-
marca de Rio Formoso os segun.tes olliciaes :
2* companhia
Tea :ntc, Trajano Jos Barbosa.
6' companhia
Alferes, Joaquim Francisco de Mello.
8" companhia
Alferes, Joaquim Alves de Moura Communi-
cou-seao commandante superior.
O vlce-presidente da provincia resolve, de
conformidad'* com a proposta do Dr. chefe de
polica wn lucio de hontem datado, n. 361, no-
mea r Uemelerio GuedM Alcoforado para o lugar
de 2o supplente do subdelegado do distncto de
S Vicente, do termo de Timbaba.
O vice-presidente da provincia resolve, de
onformidade com a proposta do Dr. chele de
polica em oflicio de hontem datado, n. 561, exo-
nerar Paulino Gomes Cavalcante do cargo de 3"
upplente do subdelegado do dijtricto de S. \i-
eenle, do termo de Timbaha; e nomear para
substitu!-o, ao cidadao Manoel Francisco de
Paula.
O presidente da pro\incia resolve nomear
a 3o supplente do juiz municipal e orphaos do
termo de Correntes, comarca de Garanbuns, Alei-
xo Barbosa da Santa Cruz Oliveira para o cargo
do Io upplente do mosnic termo, vago, por terem
acceitudo patentes de guarda nacional os cida-
dos nomeados para os lugares de 1" e 2' sup
plentes. Ao nomeado tica marcado o prazo de
am me para prestar o juramento do estylo.
O-vicepresidente da provincia resolve no-
asear para o lug-r de 2. supplente do juiz mu-
nicipal e de orphaos do terso de Torrentes, co
marca de Ganbaos, ao tenenle coronel Anlo
nio Pinto Correia, visto achar-se vago o mencio-
nado lugar por ter aceitado patente de guarda
nacional o cidudo para elle nomeado.
Ao nomeado tica marcado o prazo de um mez
para prestar o juramento do estylo.
O vicepresidente da provincia resolve Ho-
rnear ao tenente Antonio Olegario de Barros
Quilla para o lugar de 3.* antente doj'iiz
municipal e de orplos do termo de Correntes,
comarca de Gaiauhuns, o qual se acha vago.
Ao nomeado tica marcado o prazo de trinta
dias para piestar o juramento do estylo.Com-
municou-se ao juiz de direito da comarca.
O vice presidente da provincia, attenden-
do ao que requereu o prof-ssor jubilado nal.'
eadeira da freguezia de S. Jos do Recite, Victo-
rino Antonio de Alcntara, determina, em vista
da informado n. 147. de hontem datada, do in-
spector geral da instrueco publica, que seja
computada najuoilafSo do peticionario a graii-
fleago de cenlo a que allude o art. 125 do re-
glamento de 18 de Janeiro de 1888.
Oflicios:
Ao desembargado)- Americo Milito de Fre-
tas Guimaraes, 1. vicepresidente da provincia
do Cear. Pelo ollicio a que respondo, de 27
de Maio findo, n. 9, lio sciente de haver V
Exc. em 2(i do mesmo mez assumido a adminis-
tracao dessa provincia na qualidade de 1." vice-
presidente.
Aproveilo o ensejo para apresentar a V. Exc.
meus protestos de alta estima e distincta consi-
deraeo.
Ao cnsul dos Estados UnidosEm res-
posta ao offino do Sr. cnsul dos Estados Uni-
dos, de hoje datado, sob n. 7, declaro-lhe ;ue
amanli, iima hora da tarde receberei neste I
palacio a honrosa risita do mesmo Sr. cnsul e
a do commandante do vapor de guerra Al
itance. .
Renov ao Sr cnsul os protestos de miaba i
perfeita estima e considerago.
Ao presidente do tribunal "do jory.*-fle*r>
a V. S. que, para conveniencia do servido pu-
blico, se digne de dispensar dos traballios da
actual sessao do jury o bachare Eduardo Au
gusto de Oliveira, inspector do Thesouro Pro-
fincial.Fez-se a neseasaria communicajo.
Ao presidente e secretario do Instituto
Archeologico e Geographico Pernambucano.
Satisfazeado o pedido constante de sen ollicio
de 31 de Maio lindo, relativo remessa do pro-
cesso instaurado aos complicados na revolugo
de 1824, aproveito a occasio para enviar a Vv.
Ss. o auto de devassa procedida em o anno de
1823.
Ao inspector do Thesouro Provincial. -Nos
termos de sua informago n. 134, de 4 do cor-
rente, mande Vmc. pagar ao superintendente da
estrada de ferro do Recife ao S. Francisco a
juantia de 45960, constante da inclusa conla,
proveniente das passagens concedidas, durante
o mez de Abril lindo, nos carros d'aquella es-
trada, ao engenheiro da Repariico das Obras
Publicas, Manoel Pereira Brando Jnior.Com-
municou-se ao superintendente.
Ao mesmo.De aerordo com a sua infor-
mago n. 171, de 4 do correte, autoriso Vmc.
a mandar pagar ao alferes do corpo de polica,
Severiano de Mqueira Barbosa, que seguio para
Pedra Tapada, na qualidade de commandante do
destacamento, a ajuda de custo na importancia
de 30*00d. Communicou-se ao commandante
do corpo.
Portaras :
Os Srs. agentes da Companhia Brazilcira
de Navegacio a Vapor, focara transportar a pro-
rinda do Para, por conta do Ministerio da Guer-
ra, o 2" cadete Manoe! Alves de. Albuquerque
Lima.que por porlari do citado ministerio de 24
de Abril ultimo.foi transferido do 14" batalho de
infantaria para o 13" da mesan arma, e beraas-
sim sua mii Mana Joaquina de Albuquerque Li-
ma e ura irmao de noine Manoel de nove annos
de idade.Communicou-se ao commandante das
armas.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
de Navegago, providencie alim de terem passa-
gein de r do porto daParabyba aod'esta cidade
por conta das gratuitas a que o governo tem di
reito Arthur Machado Pereira da Silva c duas
Irmas.
O Sr gerente da Companhia Pernambucana
de Navegago, mande transportar gratuitamente
com passagem de pra para o presidio de Fer-
nando de Norooba Kaymunda Rufina Correia da
Silva, mulher do sentenciado Manoel Correia da
Silva.
dem Joaquina Mara do Espirito Santo
mulher do sentenciado Joaquim Ferreira dos San-
ios com dous lilhos menores.Communicou-se
ao director do presidio. ,
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco, man.le dar transporte
a tres pracas, da eslagao de Palmares a de Cinco
Pontas, curreudo CM i'.espeza por conta da pro-
Tincia.
dem com direito a bagagem, da eslrcao de
Cinco Pontas at a de Gamelleira, a ires pracas
do corpo de polica, que vio all destacar.
EXPEDIRME 00 Dlt. SECHETABIO
Oflicios : : ___.'. _
Ao Dr. Antonio Hortencio Cabral de vas-
eoncellos,secretarioi!a presidencia daParabyba.
Pelo ollicio a que respondo de hontem datado,
a 1337, ico inteirado de haver V. S. em 29 de
Maio lindo, assumido o exercicio do cargo de se-
cretario d'essa provincia.
Aprsenlo a V. S. meus protestos de estima e
consideraco.
Ao inspector da Thesourana de FazenaB. -
O Exm. Sr. vice-presidente da provincia manda
jemetter a V. S. a inclusa ordem do Thesouro
Nacional n. 93 de 25 de Maio lindo. *
Ao director interino do Arsenal de Guerra.
O xm. Sr. rice-presideate da provincia tendo
nbmettido deliberaco do Ministerio da Guer-
ra o assumpto do ollicio de V. S. de hontem da-
rdo sob n. 531, concernente ao aviso de 25 de
Maio ultimo, que mandou sustaro fornecimento
ao 27- batalho de infantaria dos artigos de ar-
e equipamento ; assim o manda decla-
rar ra seu cenhecimento e em resposta
ae
. dente da provincia ficou inteirado pelo officio de
hoje, de haver entrado as 6 horas da ir.anb dos
portos dosul o vapor Pernambuco, o qual seguir
para os do norte norte at Maoos, amaoh as 5
horas da tarde.Communicou-se a directora da
agricultura.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DA 6 DK
JDLHO DE 1889
Argemira Guilhermina Feitosa Breken-
feld.Concedo sessenta dias.
Fielden Brothers.Informe o Sr. ins-
pector do Thesouro Provincial.
Capitao Jos Amancio Pereira Matta.
Informe o Sr. Dr. juiz de direito da co-
marca de Goyanna, tendo em vista o seu
officio do 31 de Janeiro ultimo.
Jos Marcelino da Costa.Passe porta-
ra concedendo somente a gratificacSo de
bons servicos-
Alferes MonoelBellerophonte de Lima.
Informe o Sr. inspector da Thesouraria de
Fazenda.
. 8
Aniceto Jos Maria do llego.P-ove
ser maior de 21 annos de idade e residir
no Brasil ha mais de dous annos.
Companhia Pernambucana.Informe o
Sr. inspector da Thesouraria de Fazenda.
Catharina de Senna Res.Informe o
Sr. director da Colonia Isabel.
Fielden Brothers.Remettido ao Sr.
inspector do Thesouro Provincial par;
mandar pag*r a despeza de que se tcata,
de accordo com sua informacS n. 191
de 14 de Junho findo.
Guilhermina Alaria da Conceicao Padi-
lha. Informe o commandante das ar-
mas.
Joaquim Ribeiro de Brito.Sim.
Jos Bernardino Cancio de Barros.
Prove que reside no Brasil ha mais de
dous annos
Alferes Manoel Mendes da Silva.In-
forme o Sr. coinmandante do corpo de po-
lica.
Manoel Rodopiano Barbosa de Santa
Barbara.Ao Sr. director do presidio de
Fernando de Noronha para atiende*
Manoel Jos dos Santos Ferreira.
Cumpra o disposto no art. IS 3." do
regulamento de 18 de Janeiro de 1888.
Minervina Mara de Lima.Informe o
Sr. conselheiro provedor da Santa Casa
de Misericordia do Recife.
Mara Presciliana Vilella dosSantos.
Cumpra o disposto no art. 185 3." do
regulamcnto de 18 de Janeiro de 1888.
Keis & Santos.Sim, com as restriegues
do estylo.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco 9 de Julho de 18B9.
O porteiro,
F. Chacn.
nhotinho e Calcado, o alferes, ltimamente no
meado, do corpo de polica Francisco de Oliveira
Valenea, e o desta villa o sargento, tambem no-
meado, Antonio Alves de AlmeidS Valenea.
Nao se sabe ainda quem occiipara os cargos
de subdetegndo dos quatro districtos polk
da villa de Cachorrinho, Jupy, Calcado e Canh'o-
tinho!
Cumpre s autoridades nomeaas pronibir o,
uso da faca de ponta, do bcamarte e pistolas;
os jogos prohibidos, especialmente o jogo deno-
minado rifas de prato na feiras dt> municipio ;
os sambas e bebedeiras, e terao cun\prido a mais
bella missao da policaprevenirlo crimes e
delictos. i
Cumpre mais auxiliarcm o delegado litlerario,
para obrigar os pas, tutores e curadores man-
dar para as escolas publicas, os sena lilhos, tu-
telados e curalellados, e nao nresenciarnjos urna
multido de criancas, vagando pelas mas desta
villa e povoacoes do municipio, atitopellando
com gritaras e algazarra infernal os ouvidos d
pobre cidadado, fazendo recolher aosestabele-
cimentos pblicos aquelles que. d'cutroWe curto
lempo, nao forem mandados para as escolas.
Ha lempos cliamei a attengo dos poderus com-
petentes para o estado de ruinas em que Be acha
o ayude provincial desta villa, o maisiimpor-
tante deposito d'agua que possuimos. e que tem
cuslado provincia mais de 10:000*; eappro-
ximando-se as trovoadas tempp de provi
deuciar-se sobre os reparos indispensawis ao
mesmo.
Com um pequeo concert, nao perder a pro-
vincia tao avultada somma, e convm lembrar.
que em 1874, falla de um concert cuja im-
portancia nao excedera de 2005000, penleu se
o mesmo acude, sendo de mistr construir-se
novo, ^uja importancia montou a 4:600*000,
A" falta de un ivgulameuto interno, as ifier-
cadorias entradas no mercado publico vo se-jilo
mal arrumadas c classilicadas. .
Mercadeja se D bebe-se cachaga dentro do rw
cinto do mesmo mercado.
Pede se a Exma. Asscmbla que approve o re-
gulamento a ella remettido ha mais de anno,
para attender s necessidades da lavoura depau-
perada, a bragos com a crise proveniente da
transico do rgimen do trabalho, acabrunhada
ao peso do capital immobilisado em trras im
productivas ?
Pelo seu raechar.ismo especial, pela naturza
do novo instrumento liduciario, os bancos de
emisso apenas indirectamente serao uteis la
voura.
Ketn estes bancos podem immobilisar seti ca-
pital em emprestimos a longo prazo, nem a in-
dustria agrcola pode tomar capitaes a proz
edrtos. Quando muilo, a aegao dos banco9 de
emissao poder fazer-se sentir sob a forma) de
emprestimo commercial, quer directamente a
Lintermediarios da lavuura, quer directame'nte a
esta em ttulos conimerciaes ; mas n'uma/corao
n'outra hypo'.hese, liea desde logo excluida a
possibilidade de operages a longo prazo, Vqoe
equivale a demonstrar que os bancos de emis-
sao s- indirecntmente lograro auxiliar a la-
voura.
ASSOCIAgOES
Coinpaahia do Bcbcribe
BELATOBIO QUE VAISEE APBE8NTADO A09
ACCIOXI8TA8 NA ASSEH3LEA CERAL OR-
DIARA DO CBRENTE ANNO.
\Contuiuagao)
2."
approvado pela [Urna. Cmara Municipal.
Foi julgada perempla a queixa dada pelo
Bevm. L)r. padre Assis, ex-vigariode :anhotuh/
contra o agente da eslagao e dous conductora
do prolongaroento do lerro-via desta provincA
pelo desacato pelo mesmo ex-vigario solTridoon
Setembro do anno prximo passado.
A excepgo foi apresentada pelo accusjlo
Francisco Ignacjo le l'aiva, e sendo procederes
e baseadas um direito as razes, a perem[ao
aproveitou tambem aos outros aecusados Vilo-
riano de Paiva e Magalhes. I
A prematura morte do Dr. Tobas de Menefes
causoa a^ui verdadeira consternago.
S. Bento, pequea villa ao sudoeste essapa-
pital, te ve a insigne honra de hospedar o spio
do norte quando elle buscava all vio a seus >a-
declnenlos em ares mais puros, e obteve-o.
A sua estada, aqu, foi curta, mas nao deiou
de, cora o seu verbo divino, instruir e acoBe-
lhar o pov (leste niuoicipio, deixando penhra-
dos todos quantos do mes.i. se approvunaym.
Paz a sua a'uia grandiosa! Psames a sua dso-
lada familia I ,
A ariulia vende-?e de GOO a 800 nhs osdez
litros: o fejao novo a 2, e o vellio a 800 ei?.
Nao ha preco fixo para as carnes, queips e
rapaituras, cuja abundancia e espantosa.
Contina a chover, e parece que tercraoium
verao fretiCO, como vulgarmente se diz, enilin-
guagem sertaneja. ,
Al outra vez, e entao daremos o reSOllM da
ultima corrida, o que nao se faz agora paranao
augmentar a presente.
* 't'iriyacies preferenciaes
Nos prasos ajustados forara pagos no anno Go-
do ojuros vencidos e asobrigages sorteadas
par a amortisago do primeiro emprestimo.
ls olirigagOes amortisadas foram e-n nuniero
'28, as quaes reunidas as dos anuos anteriores
iogem a 54, eaddicionando as que deven ter
1$ amortisadas no derraro de Junho prox
o pagado, sommam (i8",TTb 800 de amorff
agio.
A cotacao na bolsa de Londres foi de 105" a
108.
Sendo indispensavel proceder a liquidago das
contas das obras novas, saldar as contas desia
companhia cornos Srj. Knowles 4 Foster, usou-
se da autorisacioque conferistes as assemblas
i:eraes de 1 e lo de Dezembro de 1881, c con
trahio se um segundo emprestimo no valor de
.'O.i'OO, as mesmas cou lices do primeiro,
variando somente quaulo aos prasos de amorti-
sacao.
Sendo os juros de 6 '. o encargo annual de
3.000 a coniar do 1" de Janeiro deste anno ; e
a arnortisago annual ser de 2.100, a comegar
de 1894, couforme a tabella abaixo:
Rcparticao da Polica
sccco.N.758Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 9 de Julho de 1889-
Illm. e Exm. Sr.Participo a V. Exc.
que forauo hontem recolhidos a Casa de De-
tcncSo, os seguintes individuos :
A' ordem do Dr. delegado do 1.* dis-
tricto da capital Manoel Barboza dos San-
tos, por disturbios.
A' ordem do. subdelegado da freguezia
do Recife, Manoel Bahia, p>r disturbios.
A'ordem do do 1.- districto da fregue-
zia da. S. Jo*< Ueb^klura Marque da_P.e-
nha, por embriague e disturbios.
A' ordem do do 2.- districto, Manoel Pe
reir l'.ezerra, Jos Rodrigues da Costa,
Antonio Rodrigues da Costa, Anastacio
G reg no do Espirito-Santo, Joao Antonio
de Siqueira, Manoel Leopoldino da Silva
e Pedro Jos de Sant'Anna, por distur-
bios.
A' ordem do do 1.- districto da fregue-
zia da Boa Vista, Francisco Elias. Miguel
Izabelle e Antonio Manoel dos Anjos, por
offensas a moral publica.
A" ordem do do 1.- districto da fregue-
zia de Nossa Senhora da Graca, Antonio
Mafaldo de Souza Magalhes e Maximia-
no da Costa, por disturbios.
A' ordem do da Torre, Galdino Ferrei-
ra, por disturbios.
Communicou-me o capitao Frederico
Colombiano da Silva Guimaraes, ter hon-
tem assumido o exercicio do cargo de de-
legado do termo de 01 inda
Hontem assumio o exercicio do cargo de
subdelegado da freguezia do Recife, na
qualidade de 2." snpplente o cidadao Ma-
noel Teixeira Bastos.
O cidadao Manoel Joaquim Botelho,
partcipou-me ter hontem prestado jura-
mento e assumido o exercicio do cargo de
subdelegado da freguezia da S de I dinda.
O cidadao Mariano Xavier Carneiro da
Cunha, communicou me ter nesta data as-
sumido o exercicio do cargo de delegado
do termo da Luz-
Deus guarde a V. Exc.Llm. e Exm.
Sr. Bario de Caiar, muito digno Io vice-
presidente da provincia.O chefe de poli-
ca interino, Joo Augusto de Albuquerque
Maranhao.
l\Wm E COHHERCIO
Governo do Bispado
De ordem do Exm. c Revm. Sr. Gover
nador do Bispado, declaro que nenhum
sacerdote secular ou regular, poder en-
commendar cadveres, ou, na qualidade
de capellao de innandades acompanhar
enterros, sem aprescntaao de gua paro-
chial.
Soledade, G de Julho de 1889.
O secretario do bispado,
Padre Jos A. Do relatono do ministerio da fazenda utaa-
raente apreseutado ao corpo legislativo costa,
que a caixa de amortizago receben para acor-
rer a despeza com o pagamento de juro e rega-
le a seu cargo a importancia de 18.827:701o1 0.
Desta destinase ao pagamento do juro dositu-
losemiitidos nos termos da le de 13 de.Naem-
bro de 1827 a quanlia de 16 364:551*500 ; aipa-
gameuto do juro do emprestimo contrahidonos
termos do decreto n. 4 244 de 13 de Seteibro
de 1868 a quantia de 2.093:2104000; e ao fga-
mrnto do juro do emprestimo levantado delon
forinidade com o decreto n 7,381 de 19 de.tlbo
de 1879 a quanlia de 170:000*000. ,
A caixa de "amortizacfto coiDprotr maOT5
apolices de valores diversos oa somma de. i...
27:70 total dos ttulos em que tem sido convertido os
juros nao reclamados, sendo que esses 287.*3*
ora adquiridos custarara 2/ 535*800.
A renda do cofre especial elevou-se e:n 181 a
132:257*500. Existia no anno passado um sato
de 63:344*350, de modo quo, para a compra os
supramencionadas apolices, o cofre dos juos
nao reclamados emprestou apenas 79:933*950
Do emprestimo nacional de 1868, presnteme-
te circula a importancia de 18.953:500*000 qle,
em relacao de 19.838:500*000, deraonstrda
era 1888, manifesta a dilferenca de 885:1100*00,
proveniente das amortizages effec'.uadas pose-
riormente. E do emprestimo nacional de 1#9,
sendo o capital na data sobredita de......
33.872:500*000, e tendo-se restatado, de Ide
Abril do anno passado a 31 de Margo ultima a
importancia de 1 040:000*000, desceu a......
34 233:500*000 aquelle algarismo. I
guanto a divida anterior a 1827, vereease
que a importancia dessas obngagoes do thesou-
ro e hoje de 138:318*346, por se haver page, a
conta de urna inscripgao de divida da provincia
Je Mato Grosso a quantia de 3:728*100.
Nao soffreram, porm, modilicago a divida
inscripta nos auxiliares das provincias, nem a
anterior a 1827, nao inscripta a menor de 40_i*.
A importancia da primeira de 148:765*2fD e
adasegunda de 22:176*975.
O papel raoeda era circulago at 30" de Abril
do anno de 1888 fazia o total de 188.861:263* ;
mas teudo-se emittido em troco de raoeda sub-
sidiaria para auxiliar a subslituigo com des-
cont, a quaulia de 2-300*000 achon-se a mes-
ma circulaco elevada a 188.863:763*000.
No entretanto, rccolhida conta do empresti-
mo ao Banco do Brazil, nos termos das leis ns.
3,263 e 3.393 de 18 de Julho de 1885 e 24 de
Novembro de 1888 art 3o, a quanlia de..
3 000:000*000; substituida por moeda de sickel
e bronze a quantia de 1:3905070 ; c a:inullada por
descont soft'm'o pelas notas em substituigao a
quanlia de 43:490*430, cujas addigoes fazem o
computo de 3.044:349*500, ve se que exista ef-
fectivamente em circulagao a importancia de. .
183 819:213*500.
Elevou-se a 5-149:311*280 a importancia que
em consequencia das substituiges de notas, tem
sidoannullada da existencia em circulagao, sen-
do 4 326:667*000 de cdulas n&o apresentadas
M Hoco e 822:644*280 descont realisado di
conforuiidade com a le.
ti o -r. 0 = -o
= 5o
Datas p zz s> c = = 5 a
i o o ~ = ~ "3 3a3
a 33 *
33 = =-= =
K
(894 Junho 10
Dezcmbro li- -21 479
1895 Junho li
Dczembro ii- -22 437
1896 Junho i
Dezcmbro 12- -24 433
1897 Junho 13
Dezembro 13- -26 407
1898 Junho 13
Dezembro 14- -27 380
1899 Junho 14
Dezembro 15- -29 351
1900 Junho - 15
Dezembro 15- -30 321
1901 Junho 16
Dezcmbro 6- -32 289
1902 Junho 17
Dezembro 1833 234
1903 Junho 17
D -zerabro 19- -36 218
1SK'4 Junho 19
Dezcmbro 19 38 130
1905 Junho 21
Dezembro 20- -41 139
1906 Junho 22
i'ezembro 22- -41 95
1907 Junho j*
Dezembro 24- -46 49
W08 Junho 24
Dezetntfro i* -40 ' 0
%ecas
Keeebedorla Provincial
despachos DO DA 9 DE JLHO DB 1889
Francisco Ribeiro Pinto Guimaraea e Manoel
Martins Fiuza.Informe a secgo.
Bacharel Manoel Kaymundo de Araujo Pinhei-
ro.A' 1* secgo para os devdos lins.
Rita 'ires Poriella Tamariudo. Deferido em
vista das infermagoes.
. & C. e Al vita i Chcnce.In-
forme a 1" secgo.
CORRESPONDENCIAS
Do Diario de Pernambuco
VILLA DE 8. BENTO, 4 de Julho de
1889
Consta que foram nomeados delegados de po-
Etn bilhetes do Thesouro circulava em Margo
de 1888 a quanlia de 31.:73:o00*OJ0, inclusive
22000*000 de reforma de alguns bilhetes no
trimestre de Abril a Junho. Desta importancia
rcsaalou-se a quantia de :1 .27:500*000, e d>
liia v-se que ainda nao foi paga a de 45:500*
sendo 33:300*000 de bilhetes j vencidos enlo,
e 12:000*000 de outros que vencer-se hio de-
pois.
A directora da Associago Commercial do Rio
de Janeiro, deu cumpnmenlo ao mandato que
havia recebido de seus co-associados e apresen-
lou ao Sr. ministro da fazenda a apresentagp
concebida no proposito de B"f revisto o regula
mcnls de 5 de Janeiro deste anno, na parte en
que at hoje tem impedido a fundagao dos ban-
cos de emisso.
As palanas proferidas nesse acto pelo S.
Viscoude de Ouro l'reto, os seus discursos pn-
aunciados no parlamento e, sebretudo, o espil-
lo pratico que mais de orna vez tem revelad ,
permitiera julgar que brcveninte sero adopti-
das medidas a'tliiientes ao eslabelecimento t^
bancos de emisso destinados pelo seu mecan:
mo a avigorar e desenvolve o crdito commej
cial, c auxiliar a creaco de novas fonles Je
produego, e ao mesinij lempo contribuir parala
mobilisago dos capilaes.
11 os bancos de emisso.
o novo instrumento fiduciario das garanta
-ua ellicaciu, novo aspecto
sentar o comraercio e a industria.
Sob este ponto de vista 0-
^^^^-credilo, i:
pa
Para completar a legalisaco da hjpotheca,
requer ao digno Dr. juiz do comraercio a no-
mea^o de ura curador ad hoc que represenlas-
se os credores ausentes possuidores e portado-
res dos ttulos do segundo emprestimo e acei-
tusse a hypolheca no acto de lavrar-se a eserip-
tura e a nomeago recahio no conselheiro Joa-
quim Correia de Araujo dislincto advogado des-
tj foro que com a melhor vontade desemjienhou
aquella misso. "
A escriptura foi lavrada a 28 de Novembro de
888 no carlorio do tabellio interino Joo Pres-
iliano da Costa : e o registrada hypolheca fez
e 110 competente cartorio no mesmo dia.
Estando agora terminadas as obras novas, fi-
ta ipso fado exlncta a autorisago que havieis
lado para contrahir-se emprestimo para exec-
0o da innovago do contracto celebrado com a
irovincia ; e vos que declaris ter licado hoje
Oduca a referida autorisago, para maior regu-
Iridade.
Direitos de importaro
Como vos aununciei em meu relatorio do an-
O passado, reclamei contra o acto do Thesouro
.Vional suji'itando esla companhia ao paga
n;nto do imposto de 3 |* de expediente e con-
tl a deduegao que nesse sentido nos havia sido
fita as resiiluiges aulorisadas.
Apezar do ^iom direito desta companhia e dos
picedentes citados, tivemos indeferimento.
A empreza do gaz desta cidade foi mais feliz,
qosi que na mesma occasio obteve deferimen-
toem caso idntico.
Vppellamos para melhores tempos.
Proposta de orcamento
>'os termos do 7 do artigo 31 de nossos es-
tallos apresento-vos a proposta de orgamento
dsreceita e despeza para o novo anno social.
Hulanros
B explicacOes que titila de vos apresentar a
reseito das diversas verbas dos balangos, ja
forp dadas pela Ilustre commisso fiscal, nada
meiestando a accrescenlar,
Situarn econmico-finaaceira
C balangos, os quadras da rcceita e despeza,
a e.iosigo que acabo de fazer, e o parecer da
corraisso fiscal, mostrara claramente qual seja
a sbagao economico-iinanceira desta compa-
nhia
Nlhuma palavra mais eu adduziria a respei-
to sjm facto naturalissiino, mas que nos sor-
prehndeu e causou reparos a alguns, n&o me
demes do proposito : reflre-uo a nao /lestri-
buigole dividendo.
Ante de entrar na apreciagao da causa im-
raediat, determinante, convm fazer algumas
considrages.
Na plicagao de capitaes em ttulos de ren-
da lia, escoiher entre a renda certa, lixa, sem
lucroiO capital, como d-se com as apolices e
titulo de emprestimo, e a renda variavel, com
a expiativa de augmento como tambem um lu-
cro 1 capital, como o caso das aeces das
cominbias, etc.
Oidividendos das acgOcs su.} a partilba dos
lucrs liquidados, depois de dcduzda urna ver-
ba ^ra os prejuizos, eventuaes, etc.; mas a
proorgoque crescem os lucros, sao maiores
os ivideudos, razao pela qual sao as aeges
seipre muito procuradas quando a empresa of-
fertc probabilidade de bora xito.
i mesmo lempo que engrandece a empresa,
acumulam-se lucros, ha capitaiisacao.
for consegrante quem emprega seus Jcapitaes
e enipresas sabe que est sujeito as variagOes
pfiprias de negocio, pois sao variagoes intrinse-
( a naiureza da applicago do capital, e nao
\e olhar somonte para.uma das especies.delu-
fos, e 1er em vista o modo por que se manites-
m.
Quando a actual directora foi emposs.ida de
|eu cargo, em Novembro de 1884. era de 93*000
valor de cada acgo, e hoje o prego corrate
de 133* a 136*01)0 ou 37* a 62* a mais, cor--
espondeudo a 6j per cento no accrescimo do
apiial.
valor em que o publico estima as aeges
1 cjrapanlna, firmado nos haveres sociacs.
bem bateado, pois sao ejles representados
culadas administrativa
co lim a que se destinara e bem construidas,
Uo sujeitas a depreciago.
Nao obstante a grande transformagao porque
passou a empresa na permanencia da actual di-
rectora, executando-se obras novas do valor
I quadruplo do da empresa primiliva, serapre des-
tribuio-se dividendos, sendo os ltimos na ra-
zio de 10 por cento do valor nominal das ac
gees.
Alm disso a conta de lucros e perdas de 18S4
para c apresenta ura saldo de 307:152*516 que
representa lucros accuralados durante esse pe-
riodo.
Aquelles que empregarara-seus capitaes para
a fundagao desta compannia tiveram que espe-
rar longos annos at que tudo ricasse concluido
e podessem ao depois ir recebendo pequeos di-
videndos.
Quando o passado prximo so por si nao ds-
se plena eotnpensago ao actual dividendo, se
difterenca representa, ou qualquer outra que
occorresse, basta considerar que na acquHgo
de cces serapre se visa o futuro, o que vai ser
a empresa.
us lucros preseules ainda sao. assim se pode
diz"er proventos de que foi estabelecido pela ve-
Iba einorcsa, melhor aproveitados porm reta-
lhados.peIa diminuigo de prego : agora que
coinega a nova renda.
O que tenha de ser a nova renda muito fcil
de julgar pelo passado da Companhia.
, Na renda do anno prximo passado apenas ti-
vemes cerca de 2 000 pennas d'agua em func-
cionamento, no entretanto esta cidade contera
12.000 casas, e os pedidos de novas concessoes
sao to numerosos que nao podemos prompta-
mente salisfazel-os.
O triplicar o numero actual de pennas ques
to nicamente de tenipo.
Alm do lira a que raais especialmente nos de-
dicamos, muitas oulras applicagOes pode se dar
a agua, nao o tendo felo al agora para evitar
confueao de sfrvif*.
Assira temos ts applicaces industriaos que
nos daro larga margem para lucro com grande
proveito para o publico e industria em geral,
mxime da que depende d'agua como elemento
de vida.
At agora ainda nao se tratou da irrigaco'da
cidade, mas posso vos assegurar haver a melhor
dunoeigSo para o uso desse melhoramento.
A alia presso proporciona dos tambera a van-
lagpfli de fornecer s casas e estahelecimenlos a
forja motriz para pequeas industrias e varios
usos.
Ha pouco vos disse que a cessngedo ultimo
dividendo nos foi urna verdadeira e desagrada
vel sorpresa em vista das precauyocs que tinha
mos tomado.
Tivemos que anear mo'do saldo da receila
para applicar terminago das obras, porque nao
podemos reeeber era lempo diversas quantias
que trabara sido forjadamente despendidas.
Enlre as deepezas que lizemos com as obras
novas tivemos as dos (mirantes por. forga da
clausula XII do conirelo com a provincia, e que
nos devem ser iudemoisadaa como fui ajustado
pela clausula XIII, mas ainda nao se tendo reali
sado o emprestimo provincial, ainda nao me f.n
possivel liquidar esta conta.
Outrosim, em vista ^!a obrigacSo que esta Com-
panhia contranio pela clausula XXVil lio con
tracto com a provincia, e tambem pela fiecessi-
dade de augmentar nessa renda, tem se empre-
preL-ado um avallado canil i era materiaes para
pennas d'agua e era obras fritas.
Infelizmente o 'retardameato do emprestimo
cima referido veio demorar o recebimento de
obras feitas para distribuigo d'aguu nos esta-
belecimentos provinciaes. e reunindo a demora
em nutras cantas do governo geral, da niunici-,
palidade, etc., obras indispensaveis para o prose-
guiraento da inaugurajodo novo abastecimento
d'agua, ahsorvendo grande somma.
O se'rvigo de collocago de pennas d'agua para
os particulares, exige ter em movimento grande
quantia, e sem isto nao se poder augmentar a
renda com presteza.
Sem estas causas teriamos attingido ao despn-
volvimenlo da empresa, comegado a colher os
lucros do melhoramento antes de tiDdarem-se os
recursos que nos jsrastiatn ^a distribuigo de
dividendos.
Nao porm, nicamente da distribuigo de
dividendos, mais ou menos avultados que de-
pende a boa ou ra situagSo eronomico-tinancei-
sa da companhia, e mesmo era licito ter suspen-
dido a distribuigo de dividendos desde que fo-
ram iniciadas as obras novas
A par do lucros tpie**tton) a coMpan&ia co-
Wier, tem ella imperiosos oeveres a cumpnr e
dos quaes depende sua existencia legal e mate-
rial.
Desculpai-me, Srs, accionistas, certos detalhes
e o encarar a questo.por todas as faces, mas te-
nho que dirigir-me a rauitos, preciso altender
ao modo de pensar de cada um, e nao sois vos
somente que tendes os olhos litosnesta empresa.
Commisso fiscal
Tendo-se retirado temporariamente para fra
da provincia o Sr. Joaquim Alves da Fonseca,
digno merabro da commisso fiscal, foi substi-
tuido, por nomeago do presidente da meretissi-
ma Junta Commercial. pelo Sr. Adolpho Jardim
Cucdes Alcoforado.
Questes uaiew.es
A nica questo que tinhamos no foro, sobre
o aluguel do engenno Dous Irmos, foi termina-
da amigavelmente desistindo o ex-rendeiro da
desarrazoada pretengo que tinha, decujo accor-
do lavrou-se escriptura publica, entregando elle
o engenho.
Alim de conter certas pretenjes e talvcz evi-
tar conflictos, requer e nos foi concedido man-
dado de manutengo das posses que esta com-
panhia tem na propriedade Apipucos : felizmen-
te nao houve seguimento de questo.
Diversos
Falleceu em trabalho desta companhia o Sr. ^,0 l(t,n ,je ser pagas, como sejari:
Carlos Guennes que desde alguns annos erapri- X 0s hvdrantes por parle da provincia.
m.'ir.i i- -,i,i iIi'!uh< rhprp macliinist.i da estacan i-,....,'......,..,., j.___... ....v.k.
metro e ao depois" chefe machinista da estago
de Dous Irmos, prestando-nos sempre muito
bons servigos.
A viuva Sr. do Guennes requorftaTtos a con-
cesso de urna penso aiterTfrfffilfcfo de serem
menores todos os seus filhos. '
De feito doloroso ver o artista ddicar-se
esforgadamente pelo cuniprimento de seus de-
veres, sem ter margem em seu salario para sal-
vaguardar o futuro de sua familia, e repentina-
mente, em meio de camiuho, desapparece dei-
xando tudo ao abandono, sem recursos ; de ou-
tro lado vejo vossas diiculdades tinanceiras
presentes reclamando economas da parte da di-
rectora, pflo que ella declinou para vos o des-
pacho dp requerimento.
Concluido
Srs. accionistas. Estaes perfeitamente bem
informados do modo porque foram gendos vos-
sns negocios e do estaao actual da empresa,
e vos achaes habilitados a tomar qualquer reso-
lujfio que julgardes acertado a-bem dos inie-
resses sociaes.
A directora procedeu sempre como entendeu
ser melhor para esta compannia. e todos os seus
actos emanaram deconviego firme de ser o me-
lhor, depois de acurado estudo.
Repito vos : a norma de conducta que a si
mesma tragou esta directora quando aceitou o
mandato que Ihe conSasles, foi mantida ate hoje,
e entende que deve ser a do futuro, com as cor
reegoes que a experiencia lhe for ditando.
Ainda urna vez vos agradegoem meu nome e
dos demais companheiros da" directora a con-
fianga aue nos tendes manifestado, as provas de
considerago que nos tendes dado ejtera servi-
do de forte sustentculo no desempenho de nos-
sa misso.
Recife. Julho de 1889.
Ceciliano Mamede Alves Ferreira,
Director gerente.
Companhia do Beberibe
Parecer da commissSo fiscal
Senliores accionistas da companhia do Bebe-
ribe. A commisso infra assignada, investida
dos poderes de tiscalisar a contabilidade desta
companhia cmo de tudo quanto iniereressar
pos:a ao seu estado de economa e vitalidade,
vem em face di le que rege as sociedades ano-
nymus, e do t do artigo'31 dos seus estatuios,
desempenhar-se do seu espiohoso encargo, pres-
tando-vos os esclareciraento* consequentes do
minucioso exame que procedeu
Primeiraraente tem a vos allirmar que a escri-
pturago apresenta a boa ordem, asseio e exac-
lido desejavei- i urna empresa de tal ordem,
podendo portanto assegurar-vos. que todas as
verbas desenptas combinam exactamente com
os documentos que lhe forara apresentados e os
valore.- com os balangos fechados
em 31 d 1988 e 30 de Abril proxi-
No se limitando as attriboicoes da commis-
sSo simples verificacuo das contas, tem ella
por coaveniente informar vos. ainda que syn-
tlieticamer.te, do estado geral da companhia, ja
por observago propria e j pelos dados que,
cora plenissima franqueza llie foram ministrados
pela digna directora que nunca se recusou a
satisfazer as exigencias da commisso. Assim
habilitada a commisso sente-se satisfeita em
dcclarar-vos que as obras complementares ai
obras novas, ltimamente encetadifs, esto pres-
tes a terminar, faltando apenas a unio da um
dos pojosde apanbamento das aguas.
Quanto a experiencia dos encanamentos alta
pressio. resta apenas fazel-a n'uma pequea ex-
teiisao de canos, de pequeo dimetro, corres-
pondente a cerca de um vigsimo do compri-
mento total da canalisago.
De nenhum defeito resente se as obras novas,
quer no reservatorio, quer na rede de canos, ma-
chinas, galeras e pocos de apanhamento das
aguas, pelivjue tem sido regular o seu funecio-
uamento, no se podendo diividir da solidez e
prestabilidade das obras que constituem o novo
abastecimento d'agua a esta cidade.
Se algumas faltas, sem valor para o servico,
tem-se notado no actual abastecimento d'agua,
sem. no entretanto haver inlerrupgo no forne
cimento d'agua ao publico, faltas que, como
sabido, tem sempre sido removidas p<-la digna
directora com aquella solicitude que lhe pecu-
liar, nao podem ser langadas a conta daquellas
obras.
O servigc de fornecimento d'agua alta pres-
so tem a propriedaoe rie tornar perceptivel
qualquer insignilicante alterugo nos terrenos
em que repousara os encanamentos, o que pro-
duzio a primeira ordem de faltas observadas.
Acresceque tendos antigo3 encanamentos sido
jnlgados pelos primitivos, esles resistiro peY-
leiUimenle bem a alia jiresso, ao paseo que nos
m&is recentes deu se o contrario, leudo sido
preciso fiandes reparos e em varios casos subs-
lituigo completa, obrigando a companhia a
grandes despezas.
Felizmente j esto em larga escala sanados
esses males
O trabalho de substituigao das antigs pennas
d'agua, acha-se quasi concluido e muito j se
tem feito para collocago das novas, ufHuindn
constantemente os pedidos que ja sobem a um
numero consideravel
As obras novas figurara no balango na quantia
de 2.072:879*840 aihando-se ueste valor inclui-
da a importancia dos hydranles, que tem de ser
iudemmsada pela provincia na forma do con-
tracto, o que realisado far entao aquella conta
representar o seu justo valor
Para occorrer a liquidago das conlas das
obras novas cootrahio se ura segundo empresti-
mo no valor de 50.000 para cojo lim havia as
aulorisaje? quo conferistes as assembias ge-
raes de t e 13 de >etembro de 188! : com o pro-
ducto desse emprestimo remio se o debito dos
Srs. Knowles 0 typo e coodices desse emprestimo foram
os niesuios do primeiro. variando, porem, quan-
to a arnortisago era poca o prazo, por is-o que
principiara era 189i e terminar era 1908
As prcsiagGes do primeiro em emprestimo tem
sido pagas com a precisa ponlmlidade. j quan-
to ao-; ju:-os e j quanio a arnortisago, attin-
gindo esta a 34 tirulos ou 5,400
A coota aniigo abastecimento d'agna que
apparece no balango actual em I59:20*6j8, re-
presenta o valor das amigas obras e portante
o mesmo valor que no balango anterior gurava
sob o titulo Actual abastecimento d'agua.
Explica-se razo dessa mudanga de titulo,
pela alierago que houve no servico que pres-
lavara aquellas obras, ou melhor pelo seu novo
destino.
Oeeupando-se das (nangas da companhia, a
commisso porque compulsou, como lhe cum-
pria, as respecuvas comas, arha-as prosperas e
cora tendencias bem pronunciadas de grande
desenvolvimento.
A renda durante o anno prximo passado foi
de 239:005*360. era quanio que no anno ante-
rior foi de 29:640*9O, olferccendo um augmeu -
to de 9:364*400.
Os chfarizes que no anno prximo passado
eenderam 10: 91*67, naviam dado no anno
anterior a renda de 102:462X280, e assim um
augmento de 419*390.
Esta dillerenca que primeira vista parece
insignificante, pela cifra, to-avia de muita im-
portancia, atlendendo-se ao excessivo numero
de pcnjias d'agua que i.'-.n sido collocadas : e
offo'rece ainda um attestuio solemne do quanto
lera lucrado a companhia acabando, como aca-
bou, com o systeraa rotineiro e prejudicial das
arrema tages.
As pennas d'agua renderam no anno prximo
passado 108:033*180 e no anterior 3 06:876*310
o que d tambem un angmenlo de 1:178*870.
Pelo que lica exposto, v-se que todas as
verbas de receita cresceram, nao obstante a re-
duego do prego a raetade do que amigamente
era.
E' de fcil intuigo que, logo que se cenelua
a substituigao das antigs penias, e seus effei-
los seiio fagan sentir, a renda tender a cres-
cer continuadamente
As despezas no anno prximo passado foram
de 83:738*170, e no anuo anterior de........
65.0363080 verilicando-se una differenca para
mais de 18:702*090, differenga esla proveniente
daorganisago do servigo de conservago das
obras novas e despezas de rao d'obra com as
novas |iennas d'agua.
E' assim que, tendo sido o saldo liquido da
renda 00 auno anterior de 164:604^880, foi no
prximo passado de 155:267*190. Nao obstante
este saldo, apenas foi distribuido um dividendo
no valor de 75:000*000, porquanlo o restante e
mus as sobras resultantes das obras novas
acham se erapregadas em obras que a seu tem-
Encauamenlos em diversos" csUibebelecmen-
tos pblicos, geraes e provinciaes.
Ditos era estabelecimentos municipaes e em
ouiros pos a cargo da Santa Casa de Misericor-
dia, como tambera em casas particulares, cujas
obras a companhia tem feito no intuito de des-
envolver tanto quanto possivel a sua renda.
Essas verbas esto incluidas na conta Obras
novas como no principio disse a commisso
e tambera na conta-Materiaes para peonas d'a-
gua.
Pica assim explicada a falla de dividendo no
semestre ultimo, a qual talvcz tenha causado
apprehensoes a certos espirites tmidos, mas
por scmelhante falta, a commisso jamis cen-
surara a digna directora que as circumslan-
cias actuaes parece-Inc ter procedido criterio-
smente, fazendo aquella applicago. para que
mais proraplamente possa a companhia conse-
guir os seus melhores (ins.
E nem acredita a commisso que isso possa
tanto affectar os crditos da companhia, sendo
como um facto muito coramum na vida das
sociedades anonymas e principalmente porque
esta companhia 1 cumpre notar) apezar dos one-
rosos encargos conlrahidos, augmentou ltima-
mente os seus dividendos quando lhe era licito
mantelos na mesma razo dos anteriores.
Os crditos da companhia do Beberibe es*o
slidamente firmados, e nao ser certamente, a
falta de dividendo, quando ella acha-se a bragos
com urna obra collossal, para realisago da qual
lera einpregado avultadas sommas, que possa
causar lhe abalo ou trazer depreciago aos seus
ttulos, por muito tempo.
As suas aegees foram ltimamente coladas em
nossa praga a 130* e a 165*, e em Londres os
ttulos do emprestimo de f 100 a SJ103 e 108.
Dando por lindo o seu mandato a commisso
pede-vos dcsculpa das incorreges de que por
ventura se resinta o seu trabalho, garantindo-vos
porm que se a ella falta aquella intelligencia
que se faz raister, nao deixou todava de proce-
der com a melbor vontade, alim de que podessa
corresponder a vossa honrosa conlianja. E,
pelo que lica exposto, pede e espera a vossa
approvaco s contas e aos actos da digna di-
rectora, que ainda urna vez conseguio elevar se
no conceito publico, pelo zelo, dedicago e in-
telligencia desenvolvidos em prol d'esta ulilis-
sima empresa.
Recife, 28 de Junho de 1889
Francisco Gurgel do Anaral.
Jos Joaquim Mor,
Adolpho Jardim Guedes Alcoforado.
Companhia do Beberibe
Durante o anno social prximo p"
o de 1888 a 30 de Abril ultimo, foram re-
icas de 1216 1
'
f
fl
i

_


~ ...... V tmm n i mu >.,
Diario de PernainbucoQuarta-feira 10 de Julho de 1889
3
-

r.
do 903 por venda e 313 por devolugo de ht-
ranga.
Recite, Junho de 1889.
Ceciltano Mame de Alces Ferreira,
Director gerente.
G'inpanhia doBeberibe
Balando do semestre do Io de
Ma! a 38 de Ontubro de
1888.
ACTIVOS
Actual biiilcrlmen
lo d'asua 'obras antigs)
Valor lias obras existentes 759:200*618
Obras nova
Valor das existentes 1:963:6573560
Divi-riai propricda-
den
Condominio da proprieJade
Apipucos (0,175) 17:556*548
Chalet do Prata 7:220*000
Engenho i>ous Irraos e baixa
de capim do Muss 88:294*354
Urna casa de taipa-.terreno da
mesraa \ 1803300
Casas no pateo do engenho,
estrada da Pedra Molle 14:8254406
Posse da sitoac.io Ferraz 1:913*240
Terreno de rnarinha n. 227 A,
em aberto. na roa Imperial 505000
dem dem n.,209 P murado e
cora casas na ra de S. Joao 9:0093480
dem murado e casa na ra
Mrquez do llerval 12:4095630
Valor de parte da caga d. 6 na
travessa dos Guararapes 1:0395630
dem dem da 'asa n, 56 na
ra do Riachuelo 5005000
dem idem na travessada Con-
cordia antigo chafariz 500*000
Conremioaario de
peana* d'agua
Saldo tfesta couU 28:277i0.>0
Movis diversos 3:0653180
Malerlaea em deposito pa-
ra coiiservaefiD das obras 21:0693320
Ferramenta* c maclii-
naM etc.. para' conserva-
vagoda obras 3:8173960
Can o em deposito 4:472l50
l.inhu telephonica 1:3485000
ntcriuc* para peonas
d'agua 109:481*930
Fcrj-ainenta para pennas
- d'agua 5:133880
London A Brasilina B.
K. Dinheiro em c-'c com jures 1393150
lderaem c c sem juros 4583920
Caixa
Dinheiro existente dos divi-
dendos dos semestres ante-
. riores 5:0843600
dem existente de diversas ver-
bas 27:0515800
bio de 26 .
Dividendo de wm>-
tn'N anteriores
Pelo que se resta a pagar
Iiiicroi e perd*
Pelo saldo d'esta conta
448:598*130
4:994*600
307:152*316
3-143:0781216
Somma 3:085*9565880
PASSIVO
Capital-
Valor nominal de 15,il00 aceces
de lOOODO cada urna 1.500:0005000
Empretiimo
!t60 obrigaees prefe:enciaes.
ou debeotures bonds de
100 cada urna, 96.000 ao
. cambio de boje 26 3,4 848:4475160
CoEixutuo d'agua
Saldo desta conta 28:2775030
DlTideado* anterio-
ra*
Pelo quo se resta pagar 5:0845600
OrtagcMinio 1 div.
deudo
Pelo que se destioou para o
mesmo 73:0003003
knouleit A Foater (de
Londres)
Saldo de s c 30:173.9,9, ao
cambio de 26 3 i 270:715*400
Lu:-rurt e perda*
Saldo desta conta 338:432*696
Somma 3.085:9365886
0 director gerente,
CecUkmo Mmucdc M>cs Ferreira
759
.072
33
13
Bataneo do semestre de
Xovembro de 1888 a
Abril de s880
ACTIVO
Actual nla*tcclmen-
to d'asna (obras antigs)
Pelo valor das obras existen-
tes
Obra nova*
Pelo saldo de-la conta
Conrc sismarlos de
pennas d'asua
Pelo saldo desta conta
Carvo em deposito
Pelo saldo desta conta
Diversas proprieda-
des
Pelo valor das seguintes
Condominio da propriedade
Apipucos 17 1 2100
Chalet do Prata
Engenho Dous lrraos, e baixa
de capim do Muss
Urna casa fl'; taipa em terreno
do me.-::, i
Diversas casas no pateo do en-
genho, estrada ..'o acude e
Pedra Molle
Posse da situago Ferraz
Terreno de rnarinha n. 227 em
aberto na ra Imperial
dem idem e casa na ra de S.
Joo n. 209 P murado
dem idem e casa na ra Mr-
quez do Henal murado
Valor de urna parte da casa n.
0 na travesea dos Guara-
rapes
Idem de urna parte da casa n.
56 da ra do Riachuello
dem idem da travessa da Con-
cordia (antigo chafariz)
Ferramenta*, machi-
nas, etc. para conser-
vacao das obras
Pelo' valor das que existem
Movis diversos
Pelo valor dos que existem
Materiaes em depo-
sito para ronwrvacao
das obras
Pelo valor dos que existem
Ferramenta* para
pennas d'asua
Pelo valor das que existem
Materiaes para pea-
nas d'agua
Pelo valor dos que existem
l.inh telephonica
>ow Lonion A Brnsi-
iian Bank Limited
Pelo saldo d'esta conta
lnovvles A Foster
Pelo saldo que deve at hoje
de 337.10.8. cambio 26 3 /
Catea
Saldo existente:
De dividendo de semestres an-
teriores
De outras verb
i- de
SO de
2005618
8795810
3853310
2955600
M
a
3
21
: 556*548
220^000
: 2945334
1805500
: 823*406
913*240
50*000
009*480
: 4093630
:039S630
5003000
500*000
:8175960
:0655180
069.5320
2485370
9155300
5483000
0005000
028*340
994*806
930*990
%
Somma :. 143:078*916
1*ASSIV Capital
Pelo valor de 15:000 acefies de
400*000 cada orna 1 500:000*000
Consummo d'asua
Pelo saldo d'esta conta :i:: 5835310
Primciro empresli-
mo
Pelo valor de 946 obrigac>
ou debeotures de 100,
cada urna t 94,600 ac cam-
bio de 26 V* 848:7475660
Besando empreiti-
**o
Pelo valor de 500 obrigay.
ou debentures de 100,
O director gerente,
Ceciliano Mamede Aires Ferreira.
Assoeiaeo SIedleo Pharmneeu-
tlea Pernambueana
ACTA DA8ESSAOEE 13 DEJUNHO DE 1889
Presidencia do Sr. Dr. Arcibiades
Velln
Secretario o Sr. Dr. Curio
Aos 13 das do raez de Junho de 1889, na sede
la assoeiago, presentes os Srs. Drs. Velloso,
Curio, Coelho Leite, Barros SoDrinho, Lisboa,
Coutioho e pharraaceuticos Sabino Pinho e Fa-
cundo, 6 aberta a tsalo.
E' lida e approvada sem debate a acta da ses
sao antecedente.
0 expediente coista dos ns. de if a 18
d'O Drazil Medico do corrente anno, e di um
oflicio dirigido pela redacgSoido Diario de utidas
pondo disposiyao da assoeiago a columna
sobre Medicina, creada no mesmo jornal.
Passando se as coramunicages, o Sr. pharma-
ceutico Sabino Pinho participa casa haver re-
cebido telegramraa do Cear em que lhe diz ter
embarcado com desti.io a esta capital, no paque-
te nacional Maranho, o Ilustre consocio o Sr.
Dr. Barreto Sampaio
Em vista do que o Sr. Dr. presidente noraeou
os Srs. Drs Barros Sobrinho. Coelho Leite e
pharmaceutico Sabino Pinho para irem recebel-o
a bordo.
Da em seguida a palavra ao Sr Dr. Coelho
Leite. que a havia pedido na sesso passada para
oceupar-se da these : qual o mellior tratamen-
to do liydrcele, e que era o do dia.
O Sr. Dr. Coelho Leite diz que voltando a tratar
da referida these. tina que dividir o discurso
do seu Ilustre collega o Sr. Dr. Malaquias em
duas partes, para melhor poder respondel-o : a
1* em que oceupou-se do tratamento que o orador
fez em um dos seus {clientes : a 2", sobre qual
seja omelbor tratamento a applicar em casos de
hydrocelc.
'Quanto a primeira o orador diz ter sido cha-
mado para fazer operacao em um individuo que
sonra daquellemal pela segunda vez, apezar4de
ja ter solTndo operacao com a injecgSo de alcool.
0 oradqr fez-lhe a nova operago injectando um
liquido composto de paites iguaes de tintura de
iodo e agua e uieiaparte de chloroformio, o
donle leve reaego febril c nao obstante trez ou
quairo mezes depois a molestia reappa-eceu.
orador e um seu Ilustre collega o Sr. Dr.
Pitanga izeram lhe a inciso, cortaram a tnica,
deram um ponto no centro, deitaram um tubo de
drainage e lizeram applicago do apparelho de
Listef.
paciente eslev mal, correu risco a sua vida c
o orador teve necessidade de applicar cataplas-
ma de ferro, de batata; mas ainda assim rcap-
pareceu o hydrocelc.
Foi este ocaso a que se referi era urna das
sesses passadas e que o orador nao quiz laucar
cm conta do processo de M'olckman, como pane-
cea ao honrado collega aquem respondo.
Sobre o tratamento'do hydrocele nao participa
do eulhusia.smo do Sr. Dr". Malaquias relativa-
mente a tintura de iodo puro.
O orador emende que a applicago do melhodo
deve ser feita de conformidade. com a que o caso
exigir. Assim, se a tnica vaginal est espes-
sada, se ha pachyvaginalite, aquella tintura devo
ser preferida a incisao; bem como nao lhe parece
necessario uzal-a nos casos de um hydrocelo
recente.
E' istocm syntbese o que tinha a dizer.
sJEra seguida.JSr. Dr. presidente tendo de tomar
parte na discussao, convida o Sr. pharmaceutico
l';i:undo aoceupara cadeira da presidencia, e
nbtendo a palavra, diz que tratando-se de urna
qoestao daquella ordem, anda que incompeten-
te quera dar a sua opinio, apezar de ver em-
penhados n'ella de um lado um eminente cirur-
{iio, Ilustrado e cujo talento tera-no tornado
notavel, de outro lado um moco nao menos intel-
gente e estudioso, a quera aguarda um futuro
auspicioso.
-O orsaw velao ja e por wsw iui*rii beld adaptacSo do exclusivismo, so pode
admittir o emprego da untura de iodo pura em
casos exccpcionacs, mxime quando em ?ua longa
clnica tem tirado esplendidos resultados com as
dissolures da niesiiia tiatura accommodadas ao
grao de.~ alieragao da tnica vaginal, rriabilida-
de do doenie e outras coadicOes que nao-devem
passar desapercebidas ao operador.
Tem apparecido diversos procesasos para o
tratamento d9 hvdrcele.
O orador vio applicar-se, aleo de outros, o de
drainage que foi usado por muitos cirurgiOes
notaveis.
Mais tarde foi abandonado este processo e ap-
pareceu o da cauterisaco pelo nitrato de prata.
Nos jirnaes do imperio devera estar estampa-
dos os elogios que mereceu
Agora, purera, surgem .03 modernos auton-
sando como nico e principal tratamento d'aquel-
le mal a injeccSo de tintura de iodo pura recen-
teraente preparada.
Mas simplcsmenre por isso deve-se acceitar
tal injeceocomo o principal tratamento?
Certamente que nao, responde o orador.
Nao ha neces-idade para ojeaso de um hydro-
cele novo urna injecco tao forte que produz
dores to agudas; basta urna pequea parte de
tintura de iodo em sullicienteiquantidade d'agua.
A proporjao se far conforme o estado do
doente .
O orador, ha alguns annos passados, achando-
se na Bahia, foi opejado por um hbil cirurgiao,
ento lente da Ficuldade de Medicina e cheaado
da Europa havia pouco, servindo-se elle para a
injeegao da tintura dejiodo pura; c a inflamacao
resultante foi de tal ordera que a sua existencia
perigou por alguns das.
Em quanto aos outro* processos lhe parece
desoecessario tratar, a cxcepgo da excisao de
Dupryten que julga de grande ut'lidade nos tu-
mores volumosos, ou que ap-esentam degene-
rescencia da membrana e mesmo desconhanca
de alterago do testculo, julgando ainda no caso
de complicagao herniana sempre prelerivel as
injecc6e9. "
O orador declara serem essas as considera-
ces qne tinha a fazer e pede desculpa aos col-
legas por lhes ter roubado o preciso lempo.
Volta era seguida a cadeira pres dencial e le-
vanta a sesso.
Asscmbla Provincial Nao houve
hontem sesso por tercm comparecido apenas 8
Srs. deputados.
A reuniao foi presidida pelo Exm. Sr. Baro de
Itapissuma.
O Sr. 1 secretario procedeu eilura do se-
grate expediente :
Um oflicio do secretario do goverao, remetien-
do uns artigos additivos do compromisso da ir-
raamdade do Divino Espirito-Santo desta cidade,
e bem assim copia da niformacao prestada a tal
respeito pelo desembargador .procurador da co-
roa, soberana e fazeoda nacional.A' commis-
so de negocios ecelesiasticos.
Outro do mesmo, declarando que teve o con-
venieuie destino o quadro os erapregados da
i Assembla. Inleirada.
Outro do mesmo, feos, idem, a rehieo nomi-
nal dos Srs. deputados que compareceram as
desta Assembla do 1."a 23 de Maio ul-
timo.Inteirada.
Oulro do mesmo, remettendo um oflicio do
do Thesouro Provincial, acompanhado
utos papis referentes ao pagamento de
,i:tn ile passagens concedidas na estrada de
ferro do Recife ao S. rrancisco, durante os me-
le;Maio e Abril ultimo, a um official e pra-
casjde linhae de polica e a epimnosos. A' com-
uiisso de orcamento provincial.
Outro do mesmo, dem, idem, idem. e mais pa-
pis relativos ao pagamento de 133250 de p
;j3 durante o mez de Abril lindo
na companbia Great Wartern of Brazil Railway
Limited a pragas do corpo de polica e a presos.
A' commisso de orgamento provincial.
Ootro do m nettendo urna copia do
Cipal de Olinda com Luciano Eugenio de Mello,
para construir um cemiterio na freguezia de San-
to Antonio de Beberibe.A'^quem fez a requi
sigao.
Outro do mesmo, transmittindo.um oflicio do
inspector do Thesouro Provincial acompanhado
de tres documentos com os quaes prova Antonio
Leonel de Alencar ter direilo ao premio de
1:0005, por existirem em seu sitia Caxaag, no
termo do Ex, seis mil ps de oaf em estado de
frutilicago.A' commisso de orgamento pro-
vincial.
Outro do mesmo, communicando que teve o
conveniente destino o ponto dos erapregados
desta Secretaria, relativo aos mezes de Maio e
Junho ltimos.Inteirada.
Outro do mesmo, aecusando o oflicio de 5 do
correte em que se communicou nflo poder ser
installada a sesso extraordinaria desta Assem-
bla no dia 6, por nao haver numero suflicienle
de deputados presentes. Inteirada.
Outro do mesmo, remettendo 40 ejemplares do
Relatorio com que o Exm. Sr. Dr. Innocencio
Marques de Araujo Ges passou a administragao
da provincia ao Exm. Sr. Dr. Ignacio Joaquim de
Souza Leo.A' distribuir.
Sete do mesmo, remetiendo diversas resol a
rSes sanecionadas e nSo sanecionadas.A ar
chivar as primeiras, indo as ultimas respectiva
commisso.
Um abaixo assignados de habitantes do po-
voado de Palmeira de Gararihuns, pedrado a re-
vogag.lo do disposto no art. 41 do Regulamento
da lustrncgSo Publica de 18 de Janeiro de 1888-
A' commisso de instrUcco publica.
Urna petigo de Luzia Candida Ferraz, reque-
rendo a admisso de seu filho Joaquim como
alumno externo do Gymnasio Pernambucano,
alim de cursaras aulas do curso secundario.A'
commisso de petigOes.
Oulra de Andr de Albuquerque Mello profet-
sor contractado em Cheos de Bom Jardim, re\
querendo ser considerado elVectvo. -A' commisA
sao de instrueccio publica.
Foi a imprimir. sob-; 78, BB-^irojecto, prece-
dido de parecer da commisso de orcamento mu-
nicipal, concedendo a Jos Francisco de Lima Amo-
rim, arrematante de impostosde Bezerros o abale
da terga parte do valor da arrematago.
Em seguida foi dissolvida a reuniio.
Actos da presidencia da provincia
Por actos de 13 de Junho:
Foram nomeados para os corpos da guarda
nacional da comarca do Brejo, abaixo declara-
dos, os seguintes ofliciaes:
74' batalhiio de infatuara
1." companhia
Alfercs. Lenidas Dias da Costa.
2.a companhia
Alferc3, Jbo Izidro da Silva,
3.* companhia
Capilao, Honorato Pereira das Chagas.
Tenente, Antonio Francisco Araste.
Alferes, Rodolpho Cordeiro Muniz Falco.
4.* companhia
Capilao, Manoel Ferreira dos Santos.
Tenente, Manoel Tanesio de Siqueira.
Alferes, Jos Joas da Silva M<>rgulho.
5.' companhia-
Capilo Jos Leopoldino des Santos.
Tenente, Francisco Lucio de Miranda.
Alferes, Jos Aiexanlrc Bezerra.
6* companhia
Capito, Joaquim Manoel ao Siqueira Caval-
cante Arcoverde.
Tenente, Jos Emygdio de Benevides.
Alferes, Jos Ferreira Maciel Dunda.
7.- companhia
Capi'.o, Alexandie Vieira de Mello.
Tenate, Antonio Jos Ferreira Franga.
Alferes, Joo Soarcs da Cucha.
8.* companhia
Capito, Regino Cordeiro Falco.
Tenente, Manoel Francisco dos Santos.
Alferes, Joo Baptista da Silveira.
J'' secfao de reserva
1." companhia
Capito, Honorio Honorrao Cordeiro de Mi-
cena.
Tenente, Manoel Bezerra da Silva Salom.
Alferes, Antonio Rodrigues Lima Filho.
2.* companhia
Capito, Clementino Ferreira Guimares.
Tenente Manoel Jos Baptista.
Alferes. Frederico Elelvino Maciel de Bene-
vides '
3.* companhia
Capito, Alexandre Furnaades de Magalhes
Bastos.
Feraandes fe Magalhes
Bast s.
Alferes, Jos Tiieodoro Arago.
'i companhia
Capito. Joaquim Britoraldo da'Silva.
Alferes, Henrique Julio derFraoca Belm.
Foram concedidos professora da cadeira
de ensino primario de Tiiubauba, Fchppa Flo-
ripes de Faria Vieira seis raezes de liceoga para
tratar de sua saude onde lhe convier.
Foi exonerado, a pedido, do cargo de subde-
legado do districto de Tigipi do termo de Ja
boato o cidado Latino Ramos da Fonseca
Lima. i
dem, do cargo de subdelegado do 2o districto
de R;beiro do termo de Gamelleira. Joaquim
Francisco de Alraeida.
*omeacoesForam nomeados, e assumi-
ram os respectivos exerciiios. delegados de
Olinda e da Luz, os Sis. Frederico Columbano
da Suva Guimares e Mariano Xavier Carneiro
da Cunba; e subdelegado da S de Olinda o Sr.
Manoel Joaquim Botelho.
Nubdelegacia do BecifeEntrou no
dia 8 do corrente em exercicio da subdelegada
de S. Frei Pedro Gongalves do Recife o Sr. Ma-
noel Teixeira Bastos, na qualidade de 2" sup-
plente da raesraa subdelegai-ia.
Instrucco Primaria na provincia
Segundo relatorio da respectiva repartigo,
ella dada em 715 escolas de ambos os sexos,
tendo sido no ultimo anno a matricula de 26.940,
e a frequencia de 17,553.
Delegadas I i IterarlasForam nomea-
dos delegados litterarios de Nazareth, Allianca
e Tracunhaem os Srs. Francisco das Chagas Ofi-
veira, Domingos de Araujo Vasconcellos e Joo
Gongalves da Silva Brazil.
Promotoria publicaFoi nomeado para
a da comarca do Limoeiro o bacharel Alfonso de
Albuquerque Mello Filho, sendo exonerado o ba-
charel Erpidio de Abreu Lima Figueiredo, que
exercia o mesmo cargo.
Collectorlas provnciaes Em conse-
quencia de demissOes dadas aos respectivos
funecionarios, foram nomeados:
Collector e escrivo do Limoeiro, Francisco
Nogueira Pinto e Antonio Francisco da Silva.
Collector e escrivo de Caruar, Antonio de
Lemos Vasconcellos c Alexandre Francisco Frei-
r de Carvalho.
Collector do Brejo, Protogenes Barnaveleiro
Marcos Cordeiro.
Escrivaa de delegada-Foi nomeado
escrivo do delegado do 2 districto desta capi-
tal o Sr. Germaio Motta, que j assumio o res-
pectivo exercicio.
Cargos poildoesForam nomeados de-
legados de Palmares e de Ipojuca os Srs. Ignacio
Matheus d'Almeida e Abdias Bibiano da Cunha
Salles ; c subdelegado do districto de Jurema,
no Brejo, o Sr. Candido Ladislao Cordeiro Ma-
galhes.
Prolonsamento da estrada de fer-
ro de H. Francisco e estrada de fer-
ro de Caruar Por portadas do respectivo
director, datadas de 6 do corrente, foram no-
meados : Ajudaote de 2a classe, o engenheiro
Antonio Costa, c conductor de 1' classe, o enge-
nheiro Antonio Prado L. Pereira.
Tendo hontem, a objecto de servigo, segui-
do para a #orte, bordo do vapor Ville de S. Ni-
cols, o Sr. comraendador Dr. Luiz da Rocha
Dias, director emenbeiro em chefe destas estra-
das de ferro, assumio hontem mesmo interina-
mente as baratos des-e cargo o Sr. Io enge-
nheiro, Dr. Jos Antonio Rodrigues Vianna. Na
mesma data assumio tambem interinamente as
funrcOes de 1 engenheiro, o Dr. Theophilo de
Vasconcellos, eraquanto chesa^) Sr. ch
secgo, Dr. Lucio do Amara!, designado para
exercel-as durante a ausencia do director enge-
nheiro em chfe.
Festa do Carmo -Na terga-feira prxima
ter lugar a fesvidade de Nossa Senhora do
Carmo.
O aclo comecar pela rmssa solemne s 11 ho
ras do dia, e terminar com o Te Deam k noite>
empenhando o Revm. provincial os seus esfo
para que a festividade nao desmerega do brilhan-
tismo tradicional e corresponda ao fervor reli-
gioso de nosa populacho caHiolica.
Relatorio da Instrucco Publica
ti mil l H lllll exeraplar do
15 deFevereiro ultimo.-apresntou ao Exm. Sr.
^^Bnte o Dr. Joo Barbalho Ucbda Cavalcante,
llustrado inspector geral da Instrucgo Publica
d'esta provincia.
Aradecemos a fineza de'S. S.
Club Ayres CamaAmanh rene-se em
sesafto esse club litterario, pe'as 5 horas da tar-
de.
Servlco militarEstilo do para superior do dia o Sr. capito Pedro Velho,
* para ronda menor ura subalterno do cavall-
ria.
A guarnigo da .cidade dada boje'pelos
corpos da guarnigo.
Na enfermara militar existem 35 prayas
em tratamento.
Comraanda hoje a guarda da Thesouraria o
Sr. tenente Manoel Mauricio Lopes Lima.
No conselho de guerra a que responde o
soldado do 2o batalho de infantaria Guilherme
Francisco dos Santos, foi substituido, o Sr. te-
nente Francisco Evaristo de Souza pelo Sr. te-
nente Francisco Teixeira de Carvalho.
i No requerimento do soldado do 2o batalliao
de infamara Luiz de Franca Barbosa, pedindo
transferencia para o 14 da mesma arma, deu o
;Exm. Sr. tenente coronel coicmandante das ar-
mas, o despacho seguinte: Indefendo em vista
das informages. *
FaiieclmentoVictima de'antigos padeci-
mentos falleceu na villa de Panellas, depois de
baver escotado os recursos da sciencia, n'esta ci-
dade D. Joaquina de Souza Moreira, senhora de
reconhecida virtude e bem formado corago.
Ao seu uiguo irmo o major Jos Cordeiro dos
Sanios, apresentamos nosss pezames.
Forum de Lisboa(juatro sao os con-
currentes, que. snb as de^gnagoes de Pro patria,
Aljubarrota. Juttira, Deus protege os fraros, apre-
sen taram os seus projectos para um palacio de
Justiga que tem de ser construido na Avenida da
Liberdaoe, entre as ras Alexindre Herculano.
.Rosa Ar.iujo c Mousinho da Silveira, em Lisboa.
/Segundo nos dizem aa capital porlugueza, o
Hfde nrais irapressiona primeira vista, pela
simplicidade e ao mesmo tempo pela grandeza
da ordenago geral, pelo seu carcter moderno,
sem excluir severidade, o que tem por desig-
nigo Deue protege os fvacos. Examinado de per-
to,.accentua-sea bda impresso de momento e
conhece-se que foi tragado por njo demestree
estudado cora.cuidado nos seus menores dera-
IbeS.
6 seu custo est orgado em 1.600:0005.
Oiprojecto Aljubarrota tem as fachadas n'esse
esty) abastardo, pesado e desgracioso, que se
charla gotlco ingtez,e\ue de gothico s tem a
agodo arco ogiva, como se esta partieu-
de pudesse ser tomad i como a caractris-
e um estylo. A planta, porra. bem estu-
convm ser tomada em consideragcj, ern-
aja n'ella grandes desperdigos de espago
. ment eleva se a 1.286:0005.
Pri patria pesado e sem nobreza. A disposi-
gao d planta .comtudo, recular as suas linhas
geraei. Est orgado em 1.080:000.5.
Quanlo ao projecto desicnado pela legenda
Jiistica, e orgado em G4O:iiO05, de'todos ose-
menoa, tanto na disiribuigo como na parte ar-
chitectonica e decorativa.
Ciabinete Porlugurx de Leltura
Na dcima sesso desia sociedade foram appro-
vados socios accionistas os Sis. Francisco Perei-
ra da Bilvae Joo B. Pereira.
Fordm registradas com agrado as offerlas se-
guintes :
Do Sr. thesoureirb, Cornelio Bororquiu, 1 yo-
lume enradernado.
DoSr. orador: Clbralion du Dimanchc. por
Proudhon ; 1 volume encadernado.
Do Instituto Archeologico de Pernarabuco: Re-
vista do Instituto Archeologico de Pernarabuco.
Do Instituto Beneftcente: Estatutos do Insti-
tuto Btnelicente dos Ofliciaes da Guarda Nacio-
nal.
Das redaeges dos jornaes' O Partir c O
Obreirn; as respectivas assignaturas:
Do Sr. Dr. A. O. de Cerqueira : dous mappas
da protincia de Pernambuco.
Pela ilirectoria foi resolvido proprao conselho
para socio benemrito ao Sr. coinmendader Je-
ronymo da Costa Lima, por servigos prestados
sociedade.,
Mociecaade PhilomaticaEsta socieda-
de reute-se amanh, s 10 horas do dia, no lu-
gar dq costume.
Sociedade Iliteraria 2 1 de Maio
Tambera amanh. s 6 horas da tarde, reunir
se-ha esta sociedade, alim de proceder eleico
de suaBova directora.
. Iw^imaI marinheiroHontem, s 2 e
1/2 horas da tarde, o imperial marinheiro de
nomo Francisco Doria, em estado de embriaguez
e arando de /ac de pona, provocou desordem
enf cusa de urnas raarafonas na ra de Lomas Va-
lentinas n. 80.
Foi preso e recolhido ao Arsenal de Marraba,
depois de resistir por algum tempo.
Vapor JaguaribePor ordem superior
foi transferida de hoje para o dia 13 do corren-
te, a sabida desta vapor para o presidio de Fer-
nando de Noronha.
Companhia de ediflcacoos Em as-
sembla geral extraordinaria. eunem-se hoje,
ao uieo da, no 1* andar do predio n. 77 da pra-
ga Pedro II, os accionistas da companhia de edi-
ilcages, para tratarera de assumpto da maior
ponderago. Sendo a 3a convocagao, funeciona-
r a assembla geral com o numero de accionis-
tas que comparecer.
Companhia do BeberibePara 12 do
crrante, ao meio dia, e no Io andar do predio
n. 71 da ra do Imperador, est convocada urna
reunio ordinaria da assembla geral da compa-
nhia do Beberibe.
Hlppodromo do Campo GrandeA
sociedade (jue funecioaa com este titulo est
tambem convocada, em assembla geral ordina-
ria para s 6 horas da tarde do referido dia 12
do brrenle, e dever reunir-se no respectivo es-
criptorio ra do Imperador n. 55.
ilirectoria das obras de conserva
cao dos Porto* de PernambucoReci-
be. 8 de Jutho de 1889.
Boietim meteorologipo
fnebresSero celebradas:
Mls<
Hoje :
A's 7 horas, na matriz da Boa-Vista, pela al-
ma de Domingos Antonio da Silva Beiriz.
AmauhS:
A's 7 112 horas, na ireja da Gloria, pela alma
de Jos Eduardo de Souza Landira.
Passagelros- Sahidos para o norte no
vapor nacional Mandos:
R. N. Mother, Felippe de Araujo Sampaio e 1
filho, Alexandrino Ferreira da Costa Lima, ir-
ms Joanna c Gahriella, Prancisco de Souza, Is
raael Cesar Duarte Ribeiro, Joo Flix d'Oliveira,
vigario Jos Eufrosino M. Ramalbo, irm Jose-
pha, irm Maria, Dr. Miguel Pernambuco Filho
e sua seohora, David Moreira de Barros, Io te-
nente Raymundo Jos Ferreira do Valle, 2" ca-
dete Luiz Ignacio da Costa, 2o dito Francisco Joa-
quim da Costa Fialho, Domingos Mielsa, Jos Mi-
nervino, Francisco da silva, Domenico Malonha,
Nelter Julso, Juan Beget, Josino Cardoso M<*ntei-
ro, Antonio Vera Cruz, Eduardo Ignacio dos
Santos e 1 criado, Rutilo d'Oliveira, Manoel Gon-
galves, Jos Nuihs Ferreira Coimbra, Jos Joa
quim de Souza, Raphael Rena, Antonio Tarrio e
Manoel Nunes da Conceigo
Sabidos para o sul no vapor americano Al-
lianca :
S. Nalhara. MasLange, Dr. TJastro Rabello, sua
seohora, 2 lilhos e 2 criados, Jos C. B. dos San-
tos e sua senbora, D. Rossi, Maneel d'Oliveira
Maia e sua senhora.
Sabidos para o sul no vapor francez Ville
S. Nicols :
Luiz da Rocha Dias, Joao Villares e Octaviano
Aristides Coelho. .
Chegado do norte no vapor nacional Pira-
pama::
Jos Joaquim Dias do Reg.
Sabidos para o sul no vapor brasileiro
Principe do Grao far :
DeOelecio Candido Accioly, Antero Accioly,
Jos Roberto Silva e Jos Rabello Padilha.
. Proclamas de casamentasNa ma-
triz de Afogados foram lidos no dia 7 do corren-
te os seguintes :
Joo Marques Ferreira com Hcrmelinda Chcru-
bina de S.
Manoel Laurentino da Paz com Joaquina Ma-
ra Baptisti.
Antonio.-Soares da Silva com Eugenia Gomes
da Silva.
Casa de DetencoMovimento aos pre-
sos da'Cusa de Detenco do dia 8'de Julho d
1889.
Existiam 447 ; entraram 17 ; sahiram 10 ; exis-
tem 454.
A saber:
Nacionaes 408 i mulheres 20; estrangeiros 26.
-Total 451.
Arracoados413.
Bons 397.
Doenies 13.
Loucos 3.413.
Movimento da enfermara
' Tiveram baixa:
Cecilio" Luiz de Franga.
Antonio Pedro do Nascimento.
Ilospital Pedro li o movimento deste
estabelecimento de caridade, no dia 8 de Julho
foi o seguinte:
Entraram 25
Sahiram 34
Fallcceram 3
Existem 632
Foram visitadas as respectivas enfermarlas
pelos Drs.:
Moscosos 8 12,, Cysneiro s 10, Barros So-
brinho s 7, Bcrardo s 10 1(4, Malaquias s
9 1|2, Pontual s 9 Ij, Estevo Cavalcante s
8 1|2 Simes Rarbosa s 9 1|2 horas.
O cirurgio dentista Nuiua Pompilio s 8
horas.
O pharmaceutico entrou as9 1|2 da manh e
sabio s 4' 1|4 da tarde.
O ajudunte do pharmaceutico entrou s 7 1[2
la manh e sahio s 4 3|4 horas da tarde.
. Lotera do tirata-Para A 3' parte da
30' lotera,'dessa provincia, cujo premio grande
60:OO0O0O, .-era extraada no dia 13 de Julbo
(sabbado).
Grande lotera do Maranho -A 2*
serie da l1 lotera, dessa provincia, cujo premio
grande 300:oOO000 ser extrahida hoje. 10
do Julho.
Cemiterio Publico Obituario do dia 8
de Julho de 188:):
Antonio Henrique de Olheira, Santa Cathar;-
na, 48 annos, solteiro. Boa-Vista ; hepalite. .
Luiz Antonio de Araujo Helln, rernirabOco,
74 nanos, casado, SI h -'BItI
Fructuoso Antonio da Sirva, Tftraiimbuco, 38
annos, csalo, S. Jos ; tuberculose.
Manoel, Pernambuco, 5 dias, Boa-Vista ; teta-
no dos meninos.
Rosalina Maria da Couccicao, Pe-nambuco, X
annos. viuva. Boa-Vista ; l'ebie typhica.
Manoel Laurentino, Pernambuco, 35 annos,
solieiro, Boa-Vista; gangrena da perna.
Florencio Gomes de t>, Parahyba, 42 annos,
solteiro, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
a
Horas o c 3 3>OU - Barmetro a 0 Tenso do vapor a a
H X
6 m. 2 4* -7 761-48 17,81 76
9 26" -8 761*97 1842 70
12 27-4 761-66 17,19 63
3 t. 25-8 760-49 19,35 80
6 25-3 760-93 18.58 74
Temperatura mxima28",00.
Dita mnima 24,50.
Evanorago em 24 horasao sol: 8-.5; som
bra: 3"5.
Chuva0-8-
Direcco do vento : SE cora interrupgOes de
SSK a ESE durante todo o dia.
Velocidade media do vento : 2-,78 por se-
^urde.
Nebtosidade media: 0,41.
Roletim do porto
2 x a'3 I! i Da Horas 0 -47 da tarde 47 118 da manh Altura
|>. M. 8. M. P. M. 8 de Julho 9 de Julho 2-.13 O,60 2-,17
beilocaEffectuar-se-no os seguintes :
Heje :
Pelo agente Silveira, s 11 horas, ra da
Conquista n. 1, de una meia agua.
Pelo agente Stepple, s 11 horas, na Cma-
ra Municipal de Olinda, de bons predios.
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra do
Coronel Suassuna, de bons movis, lougas, etc.
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, ra das
Flores n. 30. de um piano, movis, lougas, etc.
Pelo agente Alfredo Guimares, ao meio dia,
de caixas com fecbauras avadadas.
Amanh:
Pelo agente Pestaa, s II horas, 5 travessa
do Corpo Santo n. 27, de predios.
Pelo agente Brito, s 10 1/2 horas, ra do
Arago n. 21, da armago, baldo e mais objec-
tos ah existentes.
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra Tho-
m de Souza n
loja d
CHRONICA JUDICIARIA
Tribunal da Relaoo
SESSO ORDINARIA EM 9 DE JULHO
DE 1889
PKES1DENCIA DO EXM. SR. CONSELHE1BO
QISTINO DE MIRANDA
Secretario, Dr. Virgilio Coelho
A's horas do costume presentes os Srs. des-
embargadores era numero legal foi aberta a
sesso depois de lida e approvada a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
os seguintes
JL GAMENTOS
Habeas corpus
Pacientes:
Antonio Jos Pereira. -Mandou-se ouvir o Dr.
chefe de polica.
Jos Al ves de FreiUs. Negou se a soltura,
unnimemente.
: Recursos eleitoraes
De SouzaRecrrante Emygdio Jos de Al-
raeida Vianna, recorrido o juizo. Relator o Sr.
dtfserabargador Pires Ferreira.Negou-se pro-
vimento, unnimemente.
De SouzaRecrreme Uos de Souza Naza-
reth, recorrido o raizo. Relator o Sr. desembar-
gador Pires Gongalves. Negou-ae provimento
contra o voto do Sr. desembargador Tavaresde
Vasconcellos.
Recurso crime
De CamaragibeRecrrante o juizo, recorrido
Francisco Flavio Bezerra. Relator o Sr. desem-
bargador Oliveira Andrade..-Deu-se provimen-
to, unnimemente, para se pronunciar o recor-
rido no art. 154 do cdigo criminal.
Prorogares de inventario
Inventarame D. Caetana Olympla dos Santos.
Era diligencia.
Appellago crime
Da Palmeira dos Indios-Appellante o juizc,
appellado Jos de Souza Castro. Relator o Sr.
desembargador Pires Ferreira. Contirmou-se a
senlenga, unnimemente.
Appellages civeis
De PenedoAppellante.Jos Joaquim de Sou-
za Menezes, appellado Jos Antonio de Vascon-
cellos. Relator o Sr. desembargador Delfino
Cavalcante. Revisores os Srs. desembargadores
Pires Ferreira e Monteiro de Andrade.Confir-
mou-se a senten;a, unnimemente.
De GoyannaAppellante D. Maria das Dores
Menezes de Azcvedo, appellado Ludovico de
Mello Azedo. Relator o Sr. desembargador Pi-
res Ferreira. Revisores osJSrs. desembarga-
dores Monteiro de Andrade e Oliveira Andrade.
Coiilirmou-se a sentenca, contra o voto do Sr.
desembargador Oliveira "Andrade.
Appellaco cominercial
Do RecifeAppellantes Lewis Ehman C,
appellados Luiz Gongaives da Silva & Pinto.
Relator o Sr. desembarcador Tavares de Vascon-
cellos. Revisores os Srs. desembargadores Oli-
veira Andrade e Silva Reg.Foram despreza-
aos os embargos, contra o voto do Sr. desem-
bargador Silva Reg.
Embargos infringentes
Do RecifeEmbargantes Sulzer Kaull
C, embargado Jos Joaquim da Costa Maia. Ri
lator o Sr. desembargador Pir- "
te An-
.No se tomou conhe-
ente.
uto d.
Ferreira ao Sr.
Monteiro de Andradv
i Appellages crime*
v' SalgueiroAppellinte o promotor publico,
appellado Jos Mana de Almeida.
De GoyannaAppellante o juizo. appellados^
Antonio Bernardo Cavalcante e outros.
Do Sr. desembarg/idor Monteiro de Andrade
ao Sr. desembargados Tacares de Vasconcellos:
Appellages crime3
Do PilarAwiellante Antonio dos ^Santos Pe-
reira, appe)l*raa a justiga.
De Ara runaAppellante o juizo, appellado
Antonio Nunes da Silva.
O Sr. desembargador Pires Gongalves como
promotor da justica'deu parecer nos seguintes
feitos:. '-.*""
Appellages crimes
Do BonitoAopellanie Antonio Bernardo de
Oliveira, appellada a justiga.
Do BuiqueAppellante o juizo, appellado Ro-
dolpho Rolemberg de Albuquerque.
De SouzaAppellante o juizo, sappelliido Ri-.
cardo Marinho Falco da Normandia.
Do Conde-Appellante o juizo, appellado Ig-
nacio Francisco do Santos.
Conflicto de jurisdiego
Entre os juizes de direito de orpbos e o dos
feilos da fazenda do Recife..
Do Sr. desembargador Tavares de' Vasconcel-
los ao Sr. desembarador Oliveira Andrade :
Appellages crimes
Da Imperatriz -Appellante o juizo, appellado
Antonio Gongalves da Silva.
Da PrincezaAppellante David Rodrigues dos
Santos, appellada a justica. '
Do Sr. desembargador Oliveira Andrade ao
Sr. desemba gador Silva Reg :
Appellages civeis
De GaranhunsAppellante Joaqoim Flix da
Silva Burgos, appellado Amonio Vctor da Silva
Vianna.
De MaceiAppellante o juizo, appellada
a Companhia de Navegago Bahiana.
DILH^NCIA8
Com vista ao reo e depois ao Sr. desembar-
gador promotor da justiga :
Appellages crimes
De Caruar Appellante o juizo. appellada
Antonio Gongalves.
De PatosAppellante Jos Francisco Alves,
ppeilada a justiga.
De Piranhas Appellante o juizo, appelladc
Manoel A.ves da Silva Beir.
De Alaga Monteiro-Appellan'e Claudino An-
tonio de Oliveira, appellada a justica.
De Bunaneira3Appellante o juizo, appellado
Jeronymo Jos Francisco.
DISTR1BUICOES
Aggravo de petico
Ao Sr. desembargador Monteiro de Andrade:
Do RecifeAggravanie \iulor Neesen, aggra-
vados Bezerra & irmo.
Appellages crimes
Ao Sr. desembargador Oliveira Andrade :
Do Conde-Appellante Jos Fortunato Fran-
cisco, appejjada a justica.
Do RecifeAppellante Jo primeiro promotor
publico, appellado Joo Francisco Bastos de
Oliveira Filho.
Ao Sr. desembargador Silva Reg :
De Camaragibe-Appellante o juizo, appella-
do Joo Miguel Francisco do Nascimento.
Do Recifevppellante Antonio Francisco de
Araujo, appellada a justiga.
Ao Sr. desembargador Toscano Barreto :
De CaruarAppellante ft juizo, appellado
Clirislovao Bezerra de Menezes Jnior.
Ao Sr. desembargador Dellino Cavalcante :
Da PrincezaAppellante o, juizo, appellado
Alexandrino Jos dos Santos.
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
De Alaga GrandeAppellante Jos Marques
Ferreira, appellada a justica.
o Sr. desembargador Monteiro de Andrade :
Do Recife Appellante Jos Mendes dos San-
tos, appellada a justiga.
Ao Sr. desembargador Tavares de Vascon-
cellos :
Do RecifeAppellanle o juizo. appellados Aa-
tonio Mathias do Nascimento e outro.
. Appellages civeis
Ao Sr. desembargador Toscano Barreto :
Do PombalAppellante Manoel Joaquim Pe-
reira, appellados Jos Tngueiro Castello Branco
e sua mulher.
Ao Sr. desembargador Dellino Cavalcante :
Do Recife-Appellantes Marcelino Gongalves
de Azevedo, Antonio Luiz da Silva Branao e
Manoel Luiz dos Santos, appellados os mesmes
Ao.Sr. desembargador Pires Ferreira :
DO Catw^Apabilante. Gaudencio Rodrigues da
Cruz, appenado Francisco Carneiro Rodrigues
Cara pello.
Eocerrou-se a sesso ao meio dia.
fua Comsucreial da cidade d
Elceic
ACTA DA SESSO DE 4 DE JULHO
DE 1889
PRESIDENCIA DO 1LLM. SR. COMMEXDADOR AXTOXB
GOMES DE MIRAXDA LEAL
Secretario Dr Julio Guimares
A's 10 horas da manh declarou-se aberta a
sesso, estando presentes os Srs. deputados Olin-
to Bastos, coiiraicndador Lopes Machado, Beltro
Jnior e Hermino de Figueiredo.
Lida, foi approvada a acta da precedente sesso
e fe*>se a leitura do seguinte "
EXPtDIEXTE
Ofcios :
De 13 do mez passado, do deputado Jos Can-
dido Cavalcante, communicando ter assumido a
presidencia da Junta Commercial da^ortaleza.
Accuse-se a recepgo e archive-se.
De 2 de Janeiro, do ex presidente da junta
dos corretores desta praga, remettendo o tela-
torio dos trabalhos da mesma junta do anno
lindo.Vista ao fiscal.
De 28 do passado, da junta dos corretores
desta praga, remettendo o boietim das cota-
ges ofliciaes de 25 a 28 do mesmo mez.Seja.ar-
chivado.
De i do corrente, da mesma junta, dando
scieucia do numero de transaeges elTectuadas
pelos corretores durante o mez prximo pas-
sado.Seja archivado.
De 2 de Julho, do Dr. secretario do Hippodro-
mo do Campo Grande. Ofhcie-se. devolvendo
os documentos, que devem ser sellados e satis-
feitos os preceitos da le, quanto ao archiva-
mento solicitado.
De 1 do corrente. da junta dos corretores des-
ta praga. aecusando o recebimento do oflicio da
mesma data.Archive-se.
Foram distribuidos rubrica os seguintes
livros:
Diario e copiador de Alves da Costa & Filho
o copiador de Antonio Pinto da Silva & C.
DESPACHOS
Petiges :
De Carlo3 de Almeida & C, domiciliados e es-
tablecidos nesta praga com casa de commercio
de cigarros ra Marcilio Dias n. 17, para que
se registre a marca que adoptaram para distin-
guir a qualidade de cigarros mais grossos do
que os communs, expostos venda em seu dito
estabelecimento.Vista ao fiscal.
Protocollo do corretor geral da praga de Ma-
cei, Americo Netlo Firmiano de Moraes, re-
raettido pelo secretario da juula dos corretores
da mes?.:a praga, com o oflicio de 12 de Junho,
lido na precedente sesso.
Auto de exame, nos termos do art. 13 do regu-
lamento n. 8('6 de 26 de Julho de 1851
Anno do nascimento de Nosso Senhor Jess
Christo de 1889, aos 4 dias do mez de Julho.,
estando reunida a meritissima Junta Commer-
cial de Recife sob a presidencia do Sr. comraen-
dador Antonio Gomes de Miranda Leal, e sea-
do-lhe presente este livro, que servio de proto-
collo ao corretor geral da praga de Macei, Ame-
rico Netto Firmiano de Muraos, passou a exami-
na!-o. nos termos do disposto no art. l do re-
eulameoto n 806 de 26 de Julho de 1851 e
achou-o escripto de fl. la II. 34 sem emendas
nein borraduras.
E para constar se lavrou o presente auto, que
vai por todos os membros da referida junta assi-
gnado. .
' Eu, Julio Augusto da Cunha Ouimares, se-
cretario, o subscrevi. O presidente, A. G.
Miranda Leal.Olinto Bastos.Lopes Machado
Beltro Jnior.Figueiredo.
Petigo de Americo Netlo Firmiano de Moraes
solicitando sua exooerago do oflicio de corre-
tor geral da praga de Macei> Como requer
. quanto nanga, na forma da
De Adolpho H. Daia, Miguel H. Paia, Elisa G.
Naumann, Maria F. Naumann, Manoel C Nan
Amelia H. Naumann, para q

r-:


Diario de Pernambuco-Quarta-feira 10 de Julho de 1889


^
chive a alteraco de aea contracto de soctedadc
pela admissao da soci Amelia Hennquet Nau-
mann, que completou pa maioridade, submet-
tendo-se a todas as c,ndicOes de seu contracto
primordial.Archive-sa, depois de satisfeito o
parecer fiscal. \
Representaco da secretaria desta Junta, sobre
o motivo que deu fugar a nao ser curaprido, al
hoje, o despacho que raaudou archivar o con-
tracto de sociedade dos Drs. Lni* Ferreira Ma-
ciel Pinheiro e Jos Isidoro Martins Jnior.
Officie-se aos interessades oos termos da repre-
sentacio.
A mesma secretaria, apresen tando meritis-
sima Jauta a carta testemunnavel pedida por
Jos Pereira Penna, solicitando autorisacao para
proceder a encadernagao das marcas registradas
no auno de 1888, conforme determina o art. 14
do regulamento n. 9,828 de 31 de Dezembro de
1887.Archive-se a carta testemunhavel.
Petic&o de Anastacio da Silva Lorega, repre-
sentante da firma Lorega & C. domiciliado e
estabelecido com casa de coramercio de cigar-
ros ra Lirga do Rosario n. 8, para qae se re-
gistre a marca que adoptou para distinguir
urna qualidade dos cigarros de seu commercio,
sob a denominaco Realidade. Vista ao
fiscal.
De Jos Antonio de Castro, tendo cumprido
o despacho de 27 de Junho, pede que se ordene
o registro da escriptura de autonsajao que dera
sua mulher D. virtuosa Bandeira de Castro,
para commerciar na villa de Gamelleira. Re-
gistrase.
De Antonio Ferreira de Souza, para que seja
registrado o contracto de locacao de servico
que com J. J. Guimaraes eclebro a firma com-
mercial desta praca Ferreira Cascao a Filbo,
para explorarlo do que possa conter o casco
do vapor Copertuco. O Dr. fiscal averbou sus-
peicSo e designou o Sr. deputdo Heltrao J-
nior para dar parecer, e proferio-se o despacho :
Reconhecidas as firmas signatarias do con-
tracto, registre-se.
De Demetrio A. de A. Bastos, para que se re-
gistre a procurarlo que Ihe passara Jos dos
Santos Oliveira. Registre-se, nao votando o Sr.
deputdo Olinto Bastos.
Nada mais havendo a despachar, o Illni. Sr.
commendador presidente encerrou a sesso
1,2 hora.
COMMMCADOS
Pastas teehnieas
Tal foi a epigraphe de que se servio o Dtarit
de Nolicias, da corte, para externar o seu modo
de ver o gabinete de 7 de Junho no concemente
s pastas da mannha e da guerra.
Sirva o artigo do abalisado escriptor da folha
3uminense para esclarecer a opiniao a respeito
do tacto anmalo que o paiz asstsiio estupe-
facto.
9 de Julho de 1889.
Beaconsfield.
Eis o artigo :
Quando, aos 3 do correntu, prenunciamos a
invasao. que se acata de verificar, da 5 pastas mi-
litares pela coroa, mediante duas espidas extra-
parlamentares, acautelamos logo os t.nimos con-
tra o disfarce, sob que se oceultariam as inten-
ces reaes desse alvitre. A nnovacSo, que se
deseaba assim na poltica da coroa dissemos,
rebuca-se sob o falso pretexto de attender s
aecessidades technicas c prolissonaes inheren-
tes a esses dous ramos da admioistraco. Ora.
tal qual o calculramos, acaba de succeder,
advogando sob essa coarctada a Tribuna Liberal
Je hontem a trama de que executor o gabinete
1 de Junho.
Na especie vertente, o pretexto calvo. Se,
orno affirma o Ilustre contemporneo. a es-
colha de dous ministos militares era desde muilo
1 redamada na opiniao como que de tal nao
oube, ou no se lembrou de tal o Sr. Visconde
e Ouro Preto, se nao nos ultimo- momentos da
gestacio de seu ministerio, em Petropolis, ao
confabular com a familia imperial' S. Exc. for-
ma aqu un gabinete, de ornes em que cosita-
va, ou que Ihe snggeriram ; levaos, no dia 6,
presenta de Sua Magostado obtem Ihe a an
nuencia : volta na manh de 7 : conferencia com
COMMERCIO
Revista do Mercado
Rkcifz. 9 DE JULHO DE 1889.
Poico movimento na praca.
0 mercado de cambio csteve pouco active,
k-ndo havio alguma aniraaco na,Bolsa.
os indicados ; regressa a Petropolis com a mes-
ma lista; sem que at ahi Ihe acuda esse recla-
mo da opiniao. Mas chega aos ps do Impera-
dor, ou de quem por elle reina ; sbito se Ihe
abre a intelligencia luz dessa verdade os con-
templados eliminam-se ; alinhava-se s pressas
nova combinago, e a noticia da nomeaco, j
consummada, sem previa consulta, vemestremu
nbar no Icito, urna hora da madrugada, os
dous militares designados para restaurar a dis-
ciplina e o contentamente entre os seus irmos
de armas. E bavemos de crer que essa inspira-
gao agarrada pelos cabellos resultasse da forja
de ideas, que, segundo o orgao ministerial,
acham echo, de largo tempo, na tribuna de urna
e outra cmara ? Nao, nao est este paiz ainda
Uto crcliniado, que absorva taes con tos da ca
rocha.
Nem as classes militares tal coisa pedem, nem
a opioiSo o deseja, nem o rgimen parlamentar
o adraitte, nem o servico publico o determina,
As classes militares receiam mais do que es-
peram no systema de confiar a prolissonaes das
respectivas classes a suprema administrado des-
sas pastas. O que ellas querem, bom pessoal
technico as secretarias de Estado, observancia
escrupulosa das leis que regulara a carreira das
armas, e, nos ministerios, bomens de Estado'
personalidades feitas no governo, ou no parla-
mento, era vez de bisonhices pretenciosas, que
saiam das foxas do compadrio poltico a receber
all a primeira tonsura.
Tivemos nos acaso ministros da marinha, en.
tre os militares que tm occopado esse pasta,
superiores a Saraiva no gabinete de 12 de Maio
e ao bario de Cotegpe no ministerio 16 de Ju-
lho ? ministros da guerra mais nolaveis do que
Silva Ferraz, no ministerio Olinda, e o visconde
do Rio Branco, no gabinete 7 de marco ? Hou-
ve, jamis, neste paiz, admioistraco da man-
que excedesse em competencia, em acert, em
vestigios gloriosos a do consclbeiro A Aboso Cel-
so, moco e sem brazes, no ministerio 3 de
Agosto ?
A autoridade do Paiz. para que a Tribuna ap-
pella, respcilavel como em lodos os assump-
tos que discute, nao podia ser, nesle ponto, in-
vocada por um jornalista da escola a que per-
tence a folha liberal. O Paiz, obedecendo a pre-
occupacOes que deploramos em um publicista de
to extraordinaria capacidade, fulmina contra o
governo parlamentar o seu delenda Carthago, e lo
gicamente, porta to, devia advogar a pretenso*
que encontrou agora emprciteiros no gabinete 7
de Junho. Mas, em toda a parte, onde vigora o
rgimen parlamentar na sua pureza, no seu su-
premo bom senso, na sua influencia bemfazcjai
as praxes polticas evitam essa anomala no me-
canismo do systema como prejudicial adminis-
trarlo e inconciliavel com as leis do governo re-
presentativo.
Da essencia do rgimen parlamentar que
cada um dos grandes serviros do Etado teuha
cabecas responsaveis ante a representado nacio-
nal. O contrario acarrelaria perturbaces fu-
nestas, abusos desastrosos ; creando no seio
da administraro reas consideraveis, onde a
lissalizaco legislativa nao poderia penetrar, ou
concentrando era ministros de outras pastas a
responsabilidade pela gerencia dessas, subtra-
hidas acgo dos representantes immediatos da
soberana popular. Nao ha no governo de ga-
binete distinc<;o entre pastas administrativas e
pastas polticas em todos os ministerios ha po-
ltica e adminislra<;aq. Nao pode scindir-se, diz
Arcoleo, no seo liVro sobre II ijabiuetlo nei gover-
m parlamentan, -nao porte scindir-se o ministe-
rio cib parte administrativa e parte poltica:
urna / outra gao connexas em lodos as pastas.
Quera nao tem excrcilado aeco poltica na c-
mara baixa, ou na alta, nao deve, por va de
Cambio
Os bancos'continuaram a saccar a 26 3 i e 26
U/16, sem acharem tomadores.
Houve pequeas transan-oes era paper parti-
cular a 2/ d
No Rio ao houve alteraWio, maniendo os ban-
ce as taxas de 26 7/8 e 27 d. banca rio.
O Internacioaal offereceu a 27 1,16 sabr a
caixa filial de Londres.
Papel particular, 27 1/16.
TABELLAS AFFIXADAS
9 K > tJ ! "Ti b
4 p -J ^ TD H &
4 w s - 0 B cr 5 2 3
ft* -O -. "3 -i 3 . .
. 2 a. O . - T
V 3
* 9 e
a 9 a
"3
O
o o
=2 *
^5"
5
3
a.
=^.

u
5D C
te
en
M
&
^
%\
-

5:15
3
S.

CK tt
& &
S
ex
si
= *
al

00
tx

* !5 *" 5^ S
= o e;
s ^- i o eo
Bolsa
3eTAgoE8 0FFICIAE8 DA JUSTA DOS COB-
EETOEES
lieeife. 9 Apolices geraes de 5 0,0, valor de 1:000*000 r
930* cada urna.
Letras hypothecarias com juros, a 99M00 cada
urna.
Na Bolsa Venderau-se
: aei.
83 1.
o presidente.
Candido >:. G. Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Duhcux
Algodo
Nao conslou vendas. *
A exportaco fulla pela alfandega neste mez
at o dia 7 atlingio a.li3.%il kilos, sendo 32.411
para o exterior II1.110 para o interior.
As entrada* verificadas at a data de hoje so-
bem a 1.732 saccas, sendo por:
Barcaca8..... 697 Saccas
Vapores..... ...
vnimacs..... 20
Via-ferrea de Caruar. 1
Via-ferrea de S. Francisco. o3
Via-ferrea dcLimoeiro 978
regra, ser ministro, quando n&o occorram cir-
cunstancias graves ; isso por muitas razOes '
mas sobre tudo pela de que nao deu a saber ao
puhlico as suas opiniOes, nem o systema que
pretende seguir. Falta-lhe, em consequencia,
necessariamente, acondiro capital, para des-
empenhar autorizadamenle ai suas funcc.6es em
presenga do parlamento.
Kssa pratica de mais a mais, claramente
inconstitucional, ante a disposico da carta, que
submette reeleigo os raembros da cmara
temporaria chamados aos couselhs da cora.
Quiz assim a lei fundamental que o individuo
agraciado com a conlanca do imperante mostr
possuir, ao entrar para o ministerio, a confian-
ca dos eleitores. au Ihe basta que a merecesse,
quando o elegeram deputdo ; cumpre que Ihe
seja confirmada, ao entrar para o governo. Ora,
nao resultar manifestamente dessa previso um
laco necessario entre o cargo de ministro e o
mandato popular ?
Nem se suppouha que essa regra parlamentar
immole a administrar'.) poltica. Ella, pelo
contrario, concilia sabiamente os interesses de
urna com os de outra, nessa uudade superior
em que ambas se confundem.
Os homens de estado, que o parlamento dele-
ga ao seio da administraco, vo levar-ihe o es-
pirito de reforma, a iotuico dos abusos, o ra-
strado das mais elevadas conveniencias admi-
nistrativas, espirito, intuico, instincto que nlo
se adquirem.no funecionalismo, e a que as pre-
occupdcOes profissonaes profundamente se op*
p&era.
Os ministros que se vo succedendo, repre-
sentara a intcrvenci do bom senso publico na
administracSo dos negocios, urna e.-peciede
transfuso peridica de elementos novos de
actividade, saneamento e progresso na circula-
gao ua vida administrativa, amo lecida e \idada
pela diuturnidade das influencias de secretoria,
pela inveterago dos hbitos prjfissionaes, pelos
conllictos pessoaes que os attritos e as rivalida-
des de oflicio alimenlam em cada elasse.
Ainda o aono passado, na Inglaterra, lord
Charles Berpsford. dando canta aos seuj elei-
tores dos motivos, que o levaram a exone|ar-se
do ministerio da marinha, dizia n"um comico
celebrado em 26 de Janeiro :
Quero deixar ntido um ponto, que reeeio
nao ter elucidado assaz no meu discurro : a
conveniencia de caber, ou nao, a um nauta, eu
a um militar, a direceo do exercito, ou da ma-
rinha. Sustento eu que o soldado, ou o marti-
mo, em regra, nao competente para esto posi.
rao, que dece ter oceupada por estadistas .le gra-
duarlo ele cada. *
O homcm de estado itiglez. que assim se
enunciava, c que acabava de depor as rdeas
do almirantado britarmico,' um ollicial de m -
rinha, ajudante de campo naval do principe de
Galles na sua viagem India em 187o, assigna
lado por actos de bravura no bombardeamento
de Alexandra em 1882 a aggregado, man tarde
ao servigo de trra, sob asordens de lord Wol-
seley, na campauha de Sudan, em auxilio de
Gordon. E' portanto, um militar exporimen
tado na esquadra c no exercito. a quem nao
se poder, pois, argir de paisanisiuo, e que
impugna a investidura do homt-ns da prolissilo,
extra-parlamentares nos ministerios da marraba
e da guerra.
Nos mesmos do temos, no Brasil, o ejemplo
do Visconde de Pelotas, rejeitando, ajtes de
penencer ao parlamento, e por esse mtivo, a
pasta da gurra ?
Entretanto o paiz no se illude : o que se
planeja a poltica de compressao anti-rcpu-
blicana exercida, nao s contra as carnadas ci
v3, raas contra as carnadas militares daopim?.
O meio ensaiado, orm, contra producente
ha de activar, as forjas de mar e trra, a ac-
go |do feqncSto democrtico, de que j se ex-
perimentaram os primeiros effeitos na questo
abolicionista.
Mas que esse jogo v ser dirigido por um ga-
binete liberal!... Como nao serem levados,
todos os espiritos saos a refugiar os seus bros
no campo republicano 1
PliBLlCtCOES 4 PEDIDO
Polica do Peco
Porque motivo no sao mencionados na
parte da polica os crimes que se tem
dado na- fregueziado Popa?
Ha pouco um tal Malaquias deu urnas
tacadas em um criado do commendador
Netto no Encanamento.
Moura ex praca de polica tambem Ie-
vou umas facadas em Sant'Anna.
O hespanhol Jos Fernandes Ribciro,
na porta d'agua, foi ferido por uaa faca-
da por um tal Asterio.
A parte da polica n3o mencionou uc
nhuin desses factos e nenhuma providen-
cia foi tomada sobre ellos, assim como o
mcbno tem acontecido com os repetidos
roubos que em havido.
I Pobre freguezia do P090, a que poli-
ca ctaes entregue!
t Barao de llumboltez.
Somma.
1.752 Saccas
Assacar
Os precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
.'undo a ssociago Ccmmercial Agrcola, ioram
os seguintes:
Branco..... 3*i>00 a 4400
Somenos..... 3*000 a 3*400
Vasca vado purgado 2*600 a 2*800
bruto. (firme) 2*000 a 2*400
Rtame..... 1*700 a 1*900
A exnortaro feita pela alfandega neste mez
at o dia 7, subi a 677.004 kilos, sendo3W.650
para o exterior e 128.354 para o interior.
As entradas verilictdas at a data de hoje, so-
hein a 1.874 saceos, seudo por :
Barcacas ..... 1.230 Saceos
Vapores..... ...
Animaes.... 12
Via-ferrea de Caruaru. lo
Via-ferrea de S. Francuco. o09
Via-ferrea do Limoeiro 108
Somma.
1.871 Saceos
Agurdente
Cota-3e a 85*000, por pipa de 480 litros.
Aleool
Cota-se a 180*000 por pipa de 480 litros.
Hel
Cota-se a 70*000 por pipa de 480 litros.
Coaros
A cotacio dos salgados de 380 ris na base
de 12 kilos e dos verdes 2j5 ris.
Pauta da alfandega
SEUAXA "V 8 A 13 I>K JULII0 DE 18S9
Yide o Diario de 7 de Julho
Xavios descarga
Barca nacional MarianninKa, xarque.
Ba-ca norueguensc TralernUas, carvo.
Barca norueguense Suez, carvo.
Barca norueguense Ge/ien, xarque.
Brigue alleaii Insel, varios gneros.
Escuna allem Fritz, xarque.
Lugar nacional Tigre, xarque.
Patacho nacional Rival, xarque.
[mor. xarqilP.
fren, xarque.
u Oldeudorp, xarque.
iMportafo
Vapor inglez Scholar, entrado de Liverpool e
Lisboa, em 6 do andante e consignado a Samuel
L. Johnston ; manifcslou :
Carga de Liverpool
Amostras 5 voluntes a diversas. Arroz 600
saceos a Paiva Valenle c C., HK) a Figueiredo
Costa C, 100 a Araujo Castro i C, 50 a Gue-
des de Araujo & Filho, 200 a Fernandes i li-
maos, 2.721 ordem, 75 u Gomes & Pereira. 50
10 London Bank, 30 a Soares & Fernandes, 50 a
Goncalves Rosa d- Fernandes. 50 a Joo Fernn
des de Almeida, l(l a S. Noguetra & C. Aline-
tes 1 caixa a Manoel Collago & C. Agua mineral
55 caixas a Medeiros fruaos & C, 40 a Black-
buroNeedham 4 C. Ac 24 volumes orden,.
Arcos de ferro 60 feixes ao London Bank. 182 a
Gomes de Mattos Irmaos. 52 a Ferreira Guima-
raes & C. Alpiste 5 saceos ordem. Armas 1
caixa ordem
Biscoutos 25 caixesa Guelesde Araujo & Fi-
lho, 12 ordem. Barras de ferro 12 a Gomes de
Mattos Irmos, 65 a Antonio Rodrigues de Souza.
211 a Companhia do Beberibe, 22 e 36 feixes a
\V. Halliday 4 C, 25 e 145 a Res 4 Santos, 63
feixes a Lardoso & Irmos. Bolsas 1 caixa or-
dem. .
Cimento 1 barrica ordem. Cofre de ferro I
caixa ordem. Cha 3 caixas a Jos Joaquira Al-
ves 4 C, 2 grades ordem. Canos de ferro 100
ordem, 3 barricas a J. de Azevedo & C. Cal-
cados 5 caixoes a Ferreira Barbosa 4 C, 2 a Cos-
ta Campos 4 C, 1 a Manoel de liarros Cavalcaute,
2 a Thomaz de Carvalho 4 C, 2 a Albiao Cruz
4 C, 1 a Francisco Ramos da Silva 4 C, 1 Diogo
A. dos Res.
Cabos 16 rolos a C. C. da Cosa Moreira 4 C,
13 a Corapanhia Pernambucana. Capachos 1
caixa a Francisco Gurgel 4 Irmos. Cerveja 75
barricas ordem. Cachimbos i caixa a Azevedo
* C Carvo de pedra 30 toneladas aos Herdc-
ros Bowmann, 182 a Great Western of Brazil.
Conservas 5 caixas a London Bank. Camisas 2
caixas a Francisco de Azevedo C, l a Gomes
de Mattos tratos.
Drogas 3 caixas a Francisco Manoel da Silva
& C, 4 ordem.
Enxadas 12 barricas a Antonio Rodrigues de
Souza & ."., 18 a Ferreira Guimaraes & C. En-
xofre 20 barricas a Albino Silva 4 C 70 a Fer-
reira Guimaraes & C. Elstico 1 caixa a Con-
rad Wacbsmann. Esleirs 12 rolos a Manoel da
Cunha Lobo, 1 a Francisco Gurgel 4 Irmos.
Estopa 1 fardo ordem.
Fogareiros 250 a Albino Silva $ C. Fio i far-
dos a Gomes de Mattos Irmos, 1 a Francisco
Manoel da Silva 4 C. Ferragens 18 volumes a
W. Halliday 4 C.,3 a Vianna Castro 4 C : a
Companhia de Fiago e Tecidos, 63 a Cardoso 4 Ir-
mos, 6 ao Londou Bank. 29 a Antonio Pinto da
Silva 4 C. 4 a Antonio i.uarle Carneiro Vianna,
137 a Ferreira Guimaraes 4 C-, 1 a Albino Sil-
va 4 C, 14 a Gomes de Mattos Irmos. i a Anto-
nio Rodrigues de Souza 4 C, 1 a F- Lauria & C,
1 a Vctor Neesen, 22 a Reis e Santos, 2 a P.
Holmes 4 C. 3 a Miranda 4 Souza, 18 a J. de
Azevedo z C.
Folhas de ferro 40 feixes a Antonio baarte
Carneiro Vianna, 31 a Reis 4 Santos. Ditas de
Flandres 30 caixas ord'-':i!, 50 a A Machado
4C.
Formas para assucar 40 gigos a Cardcso 4
Irmos.
Harmoniuns 1 caixa a Manoel Coliaco C.
Louca 3 barricas e 21 gigos a Bernardiuo Du-
arte Campos 4 C, 30 a Fernandes 4 Irmos, 83
a Domingos Cruz C.
Linha s a Gomes re Mattos Irmos &
C,, 7 a Nunes Fonstca 4 C. noel Collago
A C, 2 a Francisco Launa A C, 3 a Sulzer
Kauffmann 4 C.
Lona 2 fardos a N. J. I.
4C.
*^B_ 10 caixa; ord
Historias de Pesqueira
O Jornal do Reclfe de sexta feira 5 do
oaqt
Mauricio Wanderley, ex promotor publico
daquella localidade.
A parodia desabrida do articulista, sa
digna do mais soberano desprezo, e a
elle smente cabe o vil papel que repre-
senta no negocio da aggreseo fcita ao Sr.
Dr. Jos Juliao Rcgueira Pinto de Souza,
digno juiz de direito daquella comarca.
O proprio Sr. Dr. Jos Jubilo deve es-
tar convencido do influxo da miseravel in-
triga ardilosamente manejada por perver-
sos de ordtm do articulista, que descara-
damente e sem o menor pejo considera
incompleta a noticia que um outro articu-
lista de igual jaez deu na Provincia d<:
13 de Junho lindo.
Bem se compraaende o intuito desses
amigos destarrados do Sr. Dr. Jos Juliao,
e a sua S. S. ou aos seus verdadeiros
amigos compete evitar que elles conti-
nucm tao prfidamente a dcsprctigial-o
injuriando-o jornaes.
Para prov;i disto, repeto-sc com o maior
dezazo a injuria de que se propalava em
Pesqueira haver sido chicoteado o digno
Dr. juiz de direito, injuriando se por tan-
to por sua vez com tal repetiyilo.
Ora, se o Sr. Dr. Jos Juli3o, convicto
como deve estar da nenhuma co-particpa-
yao do Dr. Mauricio War>derl*v para desa-
catar a um seu collega por psquenas e li-
giras desentclligcnciaa sem importancia
alguma, como devora acceitar hoje a de
leza sem criterio desses prfidos amigos
que parece almejar outro fira e assim se
exprimem!
Somos amigos do Sr. Dr. Jos Juliao
e sem duvida mais do que os proprios ar-
ticulistas para termos lamentado deveras
h agressao feita a esse digno magistrado,
porm nunca para c ocordarnica na co-
participaeao do Dr. Mauricio Wanderley,
naquclle attentado, pois, temos grande
conhecimento do seu carcter c sabemos
o quanto alie um hornea de bem, e isto
Macuinismos 1 caixa a Cardoso limaos.
Ditos e ferragens 32 volumes e pecas aos her
deiros Bowmaon. *
Mercaduras diversas 4 volume a W. Halliday
4 C, 1 a Manoel da Cunha Lobo, 2 a Courad
Wadi-inann, 2 a Browns 4 C. i ordem. \ a
Netto Campos & C. 4 a Nunes Fonseca A C, 2
a Gomes de Mattos Jrmos, 2 a Guimaraes Cal-
doso & C, 1 u Sulzer Kaullmann.
Movis 8 caixoes a Antonio Duarie Carneiro
Vianna.
Materiaes para encanamento d'airua 9 volumes
a Companhia do Beberibe.
Oleo de liobaca 10 barris a Ferreira Guima-
raes <* C, 5 a Caetano C. da C. Moreira & C.
23 a Francisco Manoel da Silva 4 C.
Objectos para chpeos de sol 1 caixa a Leite
Basto 4 C Ditos dar escriptorio 1 caixa a
Great Westera of Brazil. Ditos para estrada de
ferro 3 volumes a G eut Western of Brazil.
Pollas de ferro fundido 2 a Gomes 4 Pereira.
l'rovisOes 4 caixas a Antonio Pinto da Silva
4 C.
Pregos 16 saceos ordem, 2 barricas a J. de
Azevedo C.
Ps de ferro 24 feixes a Albino Silva 4 C.
Perfumaras 1 caixa a Guimaraes Cardozo 4'C.
Pimeuta 15 saceos ordem.
Papel 1 fardo a Francisco Manoel da Silva
fe C.
Penas de oco I caixa a Prente Vianna 4 C.
lleziduos de vidro 200 barricas ordem.
Salitre 20 barricas a A. Silva 4 C, 50 a Ferrei-
ra Guimaraes C.
Saceos 2 fardos a J. Fuerstenberg, 4 ordem.
Semenles de alsodto 60 saceos a J. II. Boxwell.
Trilhos de ac 31 a Cardoso 4 Irmo.
Tapetes I caixa a Courad Wachsraann.
Taxas de ferro 55 aos lierJeiros Bowmann.
Tecidos diversos 21 volumes oran, 2 a Sil-
veira 4 C, 2 a Frederico 4 C, 6 a Alves de Brit-
to 4 C, 11 a Fernandes Silva 4 C, 46 a Goncal-
ves Cunha 4 C, 14 a Joaquim Goncalves 4 (T., 3
a Pereira =de JMagalhes & C, 6 a Rodrigues de
Garramo-& G., 3 a Bcrnarrtino Maia A C, % a
Narciso Maia 4 C, 15 a Machado < Pereira, 13 a
Cueria 4 Fernandes. 7 a A. Oliveira 4 C, 35 a
Rodrigues Lima 4 C, 1 n Joaquim Luiz Teixeira,
4 a Lourciro Maia 4'C, 2 a Andrude\Maia 4 C.,i
Francisco Gurgel 4 Irmo, 1 a Manoel 1 otla^o
4 C, 5 a ilbino Amoriin A 0, I a Guilherme
i-orto H;,Sa Francisco Lauria A C.
Tintas 11 caixas ordem.
Tubos de papel caixas a Companhia de Fia-
g;1o e Tecidos.
Vidros 9 volumes a J. A. Veiga 4 C.
Verniz 1 caixa a II. W. S. Bird.
Lugar inglez Florence, entrado de Terra-
Nova em 8 do corrente c consignado a
JohLston Pater & O manifestou*:
Bacalho 2355 barricas c 1500 meias
ditas ordem.
Vapor nacional PcrnaiJfCo/entrdo dos
portos do norte em G do correrte c con-
signado a Pereira Carneiro 4 C, ma-
aifestou: ^
. Barris vasios 90 a Manoel Marques de
Oliveira & C. ,
Pipas vasias 12 ao3 mesmos.
Sola 25 amarrados a Amorim Irmao
& C. Salsaparrilha 50 rolos aos mesmos.
xporiaeao
RBCtfH, 8 DS JVLHO DB 1889
Para o exterior
o.vapor inglez Dalton, carregou :
Para laverpoel, J. II. Boxwell 4,00 fardos com
76,680 kilos de algodo.
rresou:
repetimos, quer queirain quer n3o os arti-
culistas. ,
Para mior conhecimento da verdade,
se deveria ter aberto um vigoroso inquerito
e at mesmo urna deva$a para melhor ser
feita a luz em todo esse negocio.
O Dr. Joaquim Mauricio Wanderley,
comprehenda-se, foi destituido do cargo de
promotor pelo tacto de ter sido nomeado
na situa5ao conservadora e tem assim pela
incompatibildade que infelizmente teve de
servir com o Dr. juiz de direito
Podemos affirmar que, aperar de tudo
sempre viveu elle em Pesqueira mantido
as mhorcs relceos de amizade sem
cor poltica.
Devemot dizer aos articulistas que po-
nham um paradeiro em todo esseneg"Cio,
porque devenios tambem todos nos devotar
ao Sr. Dr. Jos JuliSo adevidaconsiderajao,
e ainda raajs, por estar elle ligado a una
familia illustre com quem mantemos a^
mais cordeaes relaeoes de amizade, e tr-
butamos'o maior rospeito e consideracao.
Recife, 8 de Julho de 18S9.
-r=>SCS
gGoyanna, 8 de Julho de 1880
Srs. Redactores.Consta por esta ci-
dade que foi nomeado collector provincial
e escrivao d colli'ctoria deste municipio,
Manoel Gomes de Albuquerquc, collector
e Bento Bandeira -de Albuquerque escri-
vao, o que nao deixou-nos de suprchender
estas nomeaQ.oes, por tereiu recahido em
dous individuos incapazes de exerecrem
os lugares para que foram nomcados, por-
que o collector nomeado deve para mais
de quinhentos muris de aipostosnas duas
collectorias, geral c provincial, e o escri-
vao mais de seiscentos mil reis, e em vis-
ta da lei, todo individuo que deve a fa-
zenda publica nao pode d'ella ser empre-
ado sem que pnmciro fique saldo o seu
debito, para prova do que rceorram as
collectorias que acharao a verdade.
L'm que sabe,
-. .::-/:: :.;::.. ^ -::.:.....^ JOOMt
Goyanna
3 de tialho de as8
Effectivamente est esta cidade sob o
dominio das violencias e arbitrariedades ;
estilo de semana os Juliocs e os Olynthon.
Olyntho Carneiro de Vasconcellos, ven-
dedor de carne verdes e fiscal da Cma-
ra Municipal desta cidade, auxiliad pelt.
forja policial, que Ihe forneceu o dcsabu-
sadp subdelegado Juliao, em das desta
semana foi ao ajouguc do marchante Ai:
tonio Jos Vario (eleitor conservador) e
ordenou ao respectivo talhador que nSu
tocasse buzio (meio por que em geral na*
cidades do matto chama-se concurrentes
compra de carne barata (e como este nat-
tivesse obedecido foi preso, tendo-se origi-
nado deste facto um conflicto serio que ter
minou sem violencia gracas a prudente
intenvengao do dono do ajougue e de al-
guns seus amigos,%. que ao theatro dab
bravuras corapareceram.
Nlo sei onde querem ir os dominadores.
At outra vez.

a' sv-mpatrae distincta amiga i
cJ'Ulai'U (b\el)j
no dia do seu feliz annivcrsarij \\
nalacio
Unta amiga. .;
Ilecife, 10 deJullio de 1889.
a i
Festa do Canno
No dia 1G do corrente, terca-feira ter
lugar a tradicional festa da Scnhora do
Carmo comecando pela missa solemne as
11 horas do dia impreterivclmcntc, e lin-
dando com Tc-Deum laudamos, que dar
principio as horas da noite. Ainda urna
vez pede o provincial, a concurrencia de
todos aqujlles que tem dado exuberantes
provas de suas iuabalavcis crenjas catho-
licas, para maior brilhantismo da mesma
festa.
Carmo do Recife, 9 de Julho de 1889.
Frei Alberto da Sania A. Cabral de Vas-
coneeos.
Prado P^rnambucano
Para directorcN
Luiz Duprat (commendador).
Claudio Djibeux (despachante).
Eugenio Chalinc (iiegociaute).
A moralidade.
Para >'e\\-York, .J. C. Levy 21,000 pelles de
cabra.
Para o interior
Na escuna allem l. Johanm-s, carrega-
ram :
Para Pellas, Amorim Irmos 4 C. dO barrica?
com 6.890 kilos de asmar branco.
. o vapor frailee;: Pul de S. Xkolas, carre-
ga ram :
Para Santos, Amorim Irmos & C. 300 saceos
com 18,000 kilos de assucar branco c 200 ditos
cora 12,001 ditos de dito mascavado ; P. Carnei-
ro 4 C. 200 saceos com 12,000 kilos de assucar
braaco, 500 ditos com 30.000'ditos de dito mas-
cavado e 30 pipas con 24,000 litros de aguar
dente; S. Guimaraes 4 C. 200 saceos com 12,000
kilos de assucar branco e 3o0 ditos com 18.0UO
ditos de dito mascavado.
Para Rio de Janeiro. A. Labille 300 saccas com
37.437 kilos de algodo ; Costa 4 Fernandes
5,000 cocos, fructa; A. de Oliveira Maia 10,000
cocos, fructa : P. Vleme 4 C. 5 > pipas com
24,000 litros de agurdente : P. Pinto 4 C. 40
pipas com 19,200 litros de aguntente.
No vapor nacional P. do (rao Para, carre-
garam :
Para fiahia, F. Casco A Filho 21 barris com
3,360 litros de mcl ; A. C. Moreira Dias 42 bar-
ris com 6,720 litros d> mel : Julio A Irmao 10
saceos com 750 kilos de caroeos de algodo.
Para Villa Nova, A. T. Lopes 2,000 saceos com
150,000 kilos de caroeos de algodo.
Na barcaca Phenur, carregou :
Para Parahyba, J. P. Lapa 10 caixas com 80
litros de genebra.
Rendimeatos pblicos
UKZ l'KJiv-J
Alfandega
Renda seral:
Do dia 1 a 8 185:274467
dem de 9 43:9915710
Mougraphia das execres de
senleip pelo Dr. Leie Velho
Nos ns. deste Diario de 21 de Maio ul-
timo e 1." do corrente, li dous artigos as-
signados pelo Sr. Dr. Ferrer, nos quaes se
propoe aualysar a mmha obra cujo titulo
tomou por epigraphe.
O systema adoptado nessa analyse deix.
esperar que o seu estudo ser minucioso c
demorado, e qualquer interrupeao que eu
Ihe causasse, perturbara sem duvida o me-
thodo adoptado, sem proveito paraaquelles
que ligara intereBse s discussSes jurdi-
cas.
*{uando, pois, o Sr. Dr. Ferrer con-
cluir a sua tarefa; quando tiver expurga-
do a minha obra dos gravissimos erros que
a maculara, c que no seu conceito a tornarr.
perigosa para o* novicos do foro; quand"
tiver demonstrado que eu ui apenas um
snpresticioso sectario das betnadiecs de Lo-
bao, de que segui algumas vezes a dou-
trina, c que outras vezes combat: entSo,
e s ento, usarci do direito de defesa pelo
modo que julgo conveniente.
A natural modestia resultante da con-
ciencia.do pouco que sai, apesar de veljbo
pratico, nao me consenta a vaidade de ter
produzido um trabalho magistral; tive
apenas a esperanza do fazer alguma cotua
til, c concorrer para que aiguem mais ha-
bilitado supprisse as miabas faltas.
Os eogios dispensados minha obra
por jurisconsultos de alta competencia,
que. se, no sentir do Sr. Dr. Ferrer, s2w
liyperbolicos nao foram solicitados, derarc-
me a llnsSo de que ella tinha algum va-
lor; e por em quanto, apesar da critica
pouco benvola e talvez um pouco appara-
tosa do disincto collega, persisto ainda
nessa illusao.
Xein tome o illustre critico estas pala-
vras orno liihas de fatuidade, ou menos-
p'reco pelo seu trabalho, dando-Ihe a cer-
tesa de que tenho bastante docilidade para
aceitar as licies que achar merecedoras do
mcu a.-sentimento, e bastante franqueza
para lh'as contestar quando as achar con-
testareis, com a screnidade de animo e
temperamento de phrasc de que me der
exemplo.
Permanccendo, pois, no mcu proposito,
aguardo a occasiab opportuna para tomar
a palavra.
io de Janeiro, 10 de Junho de 1889.
B. T. de Moretes Lcite Velho.
Renda provincia!
Do dia 1 a 8
dem de 9
2S-67358
:1!72302
328:266*177
29:0455820
Somma total 257:311*997
Segunda secr5o da Alfandega, 9 de Julho de
1889.
8tliesoureiroFlerencio Domingiies.
chefe da seccao-Cicero B. de Mello.
Rcccbedoria Ceral
Do dia 1 a 8 9.3705624
dem de 9 327368
9:697*992
Recebcdoria provincial
Do dia 1 a 8 83:652*696
dem de 9 11:352*191
95:004*887
Recife DralEiajrc
Do dia I a 8 1:33P
Idemjde9 274*633
| 1:614*455
Mercado Hunlcfpal de 8. Jos
O movimento desle mercado no dia 8 del Ju-
lho foi o seguiute:
Entraram :
401/2 bois pesando 5.53S kilos.
283 kilos de peixe a 20 ris 5*660
122- cargas com farinha a 200 ris 24*400
3 dita* com feijSo a 200 ris 600
211*5611
Rendimento do da 1 e 7 do cor-
rente 1.550*640
Foi arrecadado liquido at hoje
Precos do dia:
Carne wrde de 240 a 480 reis o kilo.
Carneiro de720 a i* reis idem.
Suinos de 560 a 640 reis idem.
Farinha de 720 a 900 reis a cuia.
Milho de 500 a 640 reis idem.
Feiio de 1*400 a 1*800 dem.
1:765*20" I

Mandouro publico
Neste estabelecimento foram abatidas para o
consumo de hoje 83 rezes pertcncentes a diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
MEZ DE JULHO
Sew-York..... Cearens.......... 10
Europa....... Porto Alegre....... 13
Norte......... lagoas........... 14
Europa....... ViUe de Cear...... 16
Sul........... Maran/tao......... 17
Europa....... Neva............. 19
Sul........... Elbe............. 21
Norte......... Par.............
Sai........... Espirito Santo..... 27
Vapores a sabir
MEZ DE JCLHO
Ccara c esc... Pirapama ,........ 10 as oh.
Bahia eesc .. Jscmype.......... 10 as 5 h.
Fernando___ Jaguaribe......... 10 as 12 h!
Rio Fonnoso Mandahu'......... 10 as 5 h.
santos e esc.; Porto Alegre....... 14 as 3 h.
Sul...... Alagos.....:..... 15 a9 5 n.
Sul...........JUarunhao......... 18 as 5 h.
Buenos Ayres. eca............. 19 a j n.
ovimeuto do porto
Jfavios entrados no dia 9
Cear e escalaG 1/2 dias, vapor brasi-
leiro Pirapama, de 360 toneladas, cora-
mandante Francisco R. de Carvalho,
equipagem 30, carga varios gneros; a
Companhia Pernambucana.
Santos6 dias, vapor inglez Dalton, de
1253 toneladas, commandante James
Rapell, equipagem 2S, cm lastro ; a Bla-
ckburn Needhann & C.
Navios sahidos no mesmo dia
Santos e escalaVapor francez Ville de,
San Nicols, commandante A. Voisin,
carga varios gneros.
Baha e escalaVapor'brasileiro Principe
do GrSo Para, commandante Julio Ce-
sar de Lacerda, carga varios gneros.
JamaicaBarca allem Luise capiti"
W. Bohwe, em lastro}
'i
.4
>



\
1
5 ditas com milho a 200 ris I iOOt>
8 ditas de (rucias diversas i 300 ris 2*400
15 taboleiros a 200 ris 34000
9 suinos a 200 ris lf800
30 matulos com iegumes 1200 ris 600ii
Forarn oceupados :
27 columnas a 600 ris 16*200 -'
i escriplorio a 300 ris .100
25 compartimentos de farinha a 500
ris 12*500
23 ditos de comidas a 500 ris 11*500
73 ditos de Iegumes e fazendas a 400
r> 29*200
lo ditos de suinos a 700 ris 11*200
s ditos de fressuras a 600 ris 4*800
12 tainos a 2*. 84*000
%
'
'


T
m*

Diario de PernambucoQuarta-feira 10 de Julho de 1889
.Brilhante resultado
Eu abaixo assinado, morador a ra
Paula Brito n. 25, no Rio de Janeiro, de-
sejando prestar Urna homenagem vcrda-
de, tornando, ao me.smo tempo, publicas
as virtudes do Peitoral de Cambar, ve-
nho declarar que, eraprcgando esse impor-
tante medicamento ciu urna filhinha de 5
annos de idade, presa de 111114 terrivel
> tosse convulsa ou coqueluche, ha j dous
mezes, e depois de applicados outros me-
dicamentos, obtivc o mais agradavel |e-
sultado para o racu coraco de pa, at on-
tao afflicto pela crucldade da mo'estia de
minha filhinha, dando-lhe o afamado Pei-
toral de Cambar do lllm. r. Jos Alva-
res de Souza Soares, de Pelotas, que,
com dous vidros apenas, produziu tao bri-
lhante resultado.
Felicitando ao autor do tao virtuoso pre-
parado desojo que este attestado verdadeiro
aproveite aos que, como a minha filhinha,
sejam atacados de t$Q> terrivel enfermi-
dade.
Jos Carlos Coimbradc Gouvtia.

I

-;<

>
y *>
i
r.
BRE A LOLSA
DODR.
tliri Lobo Uomcoso
i que deixou exhuberantes
j provas de seu robusto ta-
, lento e nobre carcter, verte
urna lagrima de profund
I magua no 30." di.i de seu
trespasso urna
Am'iija de sua familia. *r
AVISO
O abaixo assijnado, de-
clara que desde o dia l.do
corrente, deixou voluntaria-
mente o Sr. Philemon Res-
tier, de ser procurador e co-
brador dosalaguis das casas
do Sr. Antonio Gonc.alves de
Azevedo, ficando em seu lu-
gar para cobranzas de alu-
gueis, o Sr. Melcliiades de
Souza Santa Rosa, nico
competente para pasear re-
cibos, e os <|ue forem passa-
dos por outro qualquer*, nao
serao valido".
Recife, 9 de Julho de 1889
(,osme de hrcu. \facedo.
Aviso aos nossos Icltore
Os nossos leitores que visilarem 1'ars
durante a Exposicao j sabem que pode-
rSO ler os ltimos nmeros recem-chega-
dos do nosso jornal que em casa dos Srs.
Amde Prince & ($., 36, ra Lafayette,
quer da sala de leitura pelos nossos cor-
respondentes estabelecida na exposicSo
no Pavilhao da Repblica de Guatemala
cujo commissario geral dignou-se de por
graciosamente urna sala com varanda
disposicSo dos mesmos sunhores.
Para se evitar qunlquer connsilo, os
nossos amigos que quizerem receber a
sua correspondencia em casa' dos Srs.
Amd rince & (.*., deven) mandar diri-
gil-a ra Lafayette, n. 36, por ser a
sede do servico especialmente organisado
para sso.

Leonor Porlo
ii
N. 399
Oleo puro medicinal de Figado de
Bacalho. de Liinman A kcmd
De urna simples tosse resulta rautas vezes o
uronchite, a tsica, a emaciacao e linalrnente a
norte.
A tosse o signal precursor do perigoque se
ivesinha.
Nao esperes at que j seja tarde de mais.
Ninguem sabe.-se a tosse passageira de hoje ser
imanh a tosse pronunciada de um tsico. Per-
ianto todos devem saber, pois a faculdade me-
dica assim o diz. que o Oleo de Figado deJBaea-
llio, de Lanman & Kemp subjusa a enfermida-
Je, antes que coegue a cravar suas terriveis
garras no centro da vida, e restabelece comple-
ament a saude dos orgos da respiracSo.
Usc-se deste poderoso remedio, se possivel.
ao leste como haja algum motivo de alarme:
.nesmo quando a enfermidade pulmonar tenba
| deixado impivssos as Taces seus febris ves-
tigios, e convertido o corpo em urna sombra,
jinda assim mesmo nao ha que desesperar. Suas
propriedades curativas e restauradoras, potlem
subjugar a molestia at mesmo quasi undci-
ma hora. Porm tenha-se em lembranca que
nao lia 110 mundo um remedio to geralmente
adulterado como o genero que de ordinario se
.ende com o nomc de Oleo de Figado de Daca-
ho. /
Veja-se, pois, se se alcaWa oespecilico puro
abricado pela casa de Lanman 4 Kemp, dos fi-
jados mais frescos cuja conservacao inalle-
ravel.
Acha-se venda era todas as principaes boll-
as e lojas de drogas.
'0U
Club Rossini
Pcrgiita-se ao maestro Mussica. que lim le-
u o concert do Club Rossini. pois os socios
me j pagaram querem ser indemnisados das
ditas quantias.
A alma do Cervasio
ager-
AVISO A NUESTROS LECTORES
Los de nuestros lectores que vayan a
Paris mientras la Exposicin, saben ya que
podran leer los ltimos nmeros de nues-
tro peridico recibidos sea en casa de los
Srs. Amilc Prinee y C. sea en
el gabinete de lectura instalado por dichos
corresponsales, en el Pabelln de la Repbli-
ca de Guatemala, en donde el comisario
general de Guatemala ha puesto graciosa-
mente a la disposicin de dichos Hr%.
tmde Prince y C, una sala con
terrado.
Para evitar toda confusin, los amigos
nuestros que se hagan dirigir la corres-
pondencia a la casa de los citados fcrs.
imde Prince y C debern hacerlo
36 ru Lafayette, en donde estar espe-
cialmente organizado ese servico. (2)
Ranson Coleeome Batterhee
fallecido
Conforme a le 22 e 23 Victoria Cap.
intitulada Le para melhor emendar a
ley de propriedade e para aliviar os cura-
dores, o presente edital para avisar
a todos os credores e outras pessoas que
teem dividas ou reelamacoes sobre os bens
de Ranson Colecome liatterbee, engenhei-
ro, que morava em n. 16 Buckingham
Street, Adelphi, no condado de Midclesex,
em Inglaterra (e que [fallecen no dia 5 de
Julho de 1388, e de enjos bens, lettras de
administracao com o testamento junto em
chata de 2 de Marco de 1882 foram conce-
didas no da 30 de Marco de 1889 a An-
na Ranson Brower, pelo Registro Prin-
cipal da repartioao para a verificaco tes-
tamentos do Conselho Supremo de Jus-
tica de S. M. Brit.) que elles sao pelo
presente solicitados a apresentar, 2 mezes
depois da publicacao deste edital. no dia
29 de Julho de 1889, ou antes, detalhes
por escripto de taes dividas ou reclama-
oles, a mim abaixo assignado, no mcu es-
eriptorio, como solicitador da sabredita cu-
radora, quepassado este diaproceder
a distribuidlo dos bens do fallecido entre
as pessoas que tsem direito, tendo somon-
te providenciado pelas dividas ou recla-
mares das quaes ella j tinha aviso, e que
ella nao se responeabisa jpelos bens dis-
tribuidos ou por qualquer porciio d'aquio,
a qualquer pessoa de cuja divida ou re-
elamacjto ella j nao est avisada.
Datado em 8 de.Abril de 1889.
A .P. Cobb.
"j3 Lincoln's Inn Fields, London, W. C.
Solicicitador da dita curadora.
Formula de Angelino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Inspectorio Geral de Hy-
gicne Publica do Rio de Janeiro em 20
de Julho de 1887.
Este depurativo de grande eiScacia as mo-
lestias sypliiliticas e impureza dosangue ; assimJ
como em todas as molestias das sennoras.
Tem curado radicalmente umitas pessoas a c
commettidas da terrivel molestia beriben.
MODO DE USAR
Os adultos temarao qutro colheres das de
sopa pela manh e quatro noite. As mancas
de 1 a 5 annos omaro urna colher pela manlii
e outra noite, e os de 5 a 11 annos tomarao
duas colheres pela manh e dnas noite. De-
vero tomar banlios fri ou morno pela manh e
noite. Resguardo regular.
Encontra-so venda na drogara dos Srs.
Francisco Mauoel da Silva & C. ra do Mrquez de
Olinda n. 23.
O autor deste preparado poae ser procurado
na ra do Haro da Victoria n. 37, onde ser en-
contrado para dar toda e qualquer explicaco
que for precisa.
_C iiIikIo com as f.i InifU a< os
Beriberi
R. 71
Recife, :W de Noverabro de 188.
lllm. Sr. Anselmo Jos dos dantos Andrade.
- Tendo sido accommettido da terrivel molestia
de beriberi, que me vi obrigado a lazer urna
viagem a t'orlugal, na qual gaslei oitocentos e
tantos mil ris, votei creio que bom, mas de-
pois da mmha ebegada, ha trez mezes, pouco
mais ou menos, tornou-me a reapparecer esse
terrivel mal, a ponto de achar me com as pernas
inchadas e a sentir grande cansaco.
Quando eslava neste estado assustader chegon
me ao conhecimento o seu elixir, e lanr-ando
ino d'elle, tomei duas garrafas que foram sufli
cientos para me curar radicalmente.
Cumpre-me dizer aos que soffrem por este
meio que tendo tomado a primeira garrafa nao
senti melhora na intlamaiayo, c so depois que
conclu a segunda foi que ella desappareceu
completamente, conhecendo ento que. para o
perfeito restabelecimento nao basta s nma gar-
rafa, aconselho aos que, como eu, soffrerem
d'este terrivel mal, que nao desanimem e facam
uso d'este miraculoso remedio, porque nelle est
a sua salvaco.
Concluo pedindo ao Sr. Angelino que faca pu-
blicar o seu virtuoso remedio para bein da hu-
manidadi', e autoriso-o a fazer d'esta minha
carta o uso que llie aprouver.
Sem mais, sou com a maior estima de Vine
criado e obrigado.Amonio I Has de Almeida
Cosa.
N. 7
lllm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Tendo soBrido por muito tempo da terrivel
molestia de beriberi, depois de ter usado de di-
versos remedios, sem resultado algum. a conse-
ibo de um amigo, lancei mo do seu elixir pu-
rilicador do sangne, com Unta felicidade que
com duas garrafas me julgo salvo de to horri-
vel soffrimento.
Portante dou-lhe os meus sinceros parabens
pela sua feliz descoberta que to til tem sido
para a humanidade .'-offredora.
Poder fazer uso d'estas poucas linhas que s
coni'm a pura verdade.
Sou de Vmc. venerador e obrigado.
Recife, 10 de Deiembro de 1883.Hanorl Finio
de Castro.
N. 73
Recife, 31 da Dezembrode lt'88.
lllm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Soflri durante seis annos de rheumatisrao par-
cial, acompanhado de horriveis dores osteocopos
das quaes me sobrevieram diversas exostosas,
entre as quaes quatro foram na cabeca, que
muito me martyrisavam, nao podendo descansar
nem noite nem'dia.
Era tal o estado em que vivia, de abatimento,
de magro, desfigurado e entrevado, que muitas
pessoas, inclusive de minha familia, me julga-
ram perdido.
Desde o pnmeiro dia em que me senti incom-
modado recor,ri aos mdicos (19 de Outubro de
1879) e com clics luctei durante os seis annos
tendo feito urna junta medica c observando a
maior dieta proscripta, sem tirar resultado.
Desesperado com tanto sollrer e j resolvido
Ra E.nrj:n do Rosario nti-
( 1111> 1*0 $6
SEGUNDO ANDAR
('oiiina a executor os mais dTTIiceis
llgurino reccbMot de Londres, \\u:/..
Lisboa c Rio de Janeiro.
Prima isn porlWcSn de costuras, em
rm brevidadp, uiodicidaiie em procos e
(filio g'-sto.
J nao ad 111 i l le duvidas
Todo aquello que soffre de tosse, as-
thma, rouquidao ou qualquer enfermidade
do peito, e de vias respiratorias, ainda a
mais grave, s nao se cura nao o que-
rendo.
O Peitoral de Cambar, importante des-
coberta do Sr. Souza Soares, de Pelotas,
um remedio tao efficaz que nao admitte
boje duvidas a respeito.
A prova acha-se no grande numero de
attestados de curas obtidas; no seu actual
consumo de vinte mil frascos por mez ;
as honrosas apreciacoes da imprensa; na
sua approvacao pela junta de hygicne pu-
blica; na autorisacSo do governo imperial
e nos grandes premios de duas medalhas
de onro de 1* classe com que foi distin-
guido.
Portanto, os doentes s nao se curam
quando nao o queiram.
Lde com atteni;ao o folheto que acom-
panha cada frasco.
O Peitoral de Cambar vende-sc em
casa dos agentes e depositarios geraes
Francisco Manoel da Silva & C, a ra
Mrquez de Olinda n. 23, e em diversas
pharmacias e drogaras da cidade.
17. O contractante poder orgamsar
companhia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos o obrigagoes do contracto.
18. Para as despezas com a fiscali-
sacao do servico de illuminaciio o contrac-
tante concorrer annualmente com a quan-
tia de 3:000)5000, que serao recolhidos ao
Thesouro Provincial.
19. O presidente da provincia esta-
belccer as multas e mais condiroes, no
intuito de garantir a boa cxecuolo do con-
tracto, quer com relacilo a iliumiafio pu-
hlica, quer com a particular.
Ifaz-sc publico, finalmente, quo o novo
contractante ter de pagar actual "em
proza, conforme o 7o cima citado, a
quantia de 994:9175528, do accordo con
a avaacao feita pelo arbitro desempata-
dor em 18 de Margo ultimo, visto deduzir-
se da de 998:7775528, total da avaliacao,
a importancia de 3:8605000 paga em-
presa em 1860, proveniente de.202 canos
de ferro, 5 columnas c 5 bracos com lam-
peos, coilocadog fra do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manoel Joafuivi Silveira.
Empreza do Gaz
AVIO
A empreza de illuminayiio a destagaz
cidade por seu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hje a publica-
cao do edital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o. novo
{contracto da illuminacao mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
quanto foram avaliadas pelo arbitro desem-
patador as obras da mesma empreza,
base para a indemnisacao da empreza
actual a quantia de 998:777528, por
quantia essa que dever ser paga pelo
nov contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliacao nao pode servir
de base para tal indemnisagao, por ter
sido illegal e irregularm'mte feita, bem
como que contra ella j proles ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos feitos da
fazenda, tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr. procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da provincia.
E como quer que deva em tempo op-
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicaco para scieneia dos in-
teressads.
Reife, lde Maiode 1889.
George Windsor,
Gerente.
EDITAES
lecido com hotel ra do Dr. Fcitosa, e experi-
mentei o seu milagroso depurativo, com o qual
fui sentindo de dia parajdia consideraveis me-
lhoras, podendo dormir perfeitamente c j sem*
dores, pois o seu milagroso depurativo teve a
propriedade de resolver as exostoses que j es-
tavam principiando a cariar, fazendo desappa-
recer, portanto. as insupportaveis dores que me
atormentavam por tantos annos.
Animado c dispo3to para o traballio da minha
profisso, jamis abandonarei esse santo prepa-
rado, at que emfim convenci-mc de que a cura
que 110 lim de pouco tempo tinha tido foi abso-
lutamente radical, razao pela qual demorei pro-
positalmente este attestado trez annos, paramis
certificar-rae si minha milagrosa cura era urna
realidade, ou si era ficticia, e si me voltariam a3
malditas dore3; como, porra, nao rcapparece-
ram. cumpro um grato e religioso de ver a bem
dos que soffrem, como eu soffri. proclamando
bem alto as immensas virtudes d'esse remedio.
Pode Vmc. fazer o uso que llie con vio r d'este
meu attestado, e cora prazer assigno me.
j amigo moito agradecido.Dionisio da
Silva Guimarcs.
-lavam selladas as firmas).
Estavam selladas e reconhecidas as firmas por
tabelli.
Advogado
O bacharel Joaquim Manoel Vieira de
Mello, residente na cidade de Bezrros,
encarrega-se de caucas criminaes, civis e
commerciaes n'aquella comarca e as de
'Bonito, Victoria c Caruar.
5.* seccao. Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de,
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-presidente
da provincia e nos termos do 2o do art.
Io da lei n. 1,901 de 4 de Junbo de 1887,
que, tendo-se concluido por meio de laudo
de arbitro desempatador, a questao de ava-
liacao do material da empreza de illumi-
nacao gaz desta cidade, tica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
zes, contados da data do presente cdiial,
para contracto da dita illuminacao, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
3." Ncnnuma proposta ser recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:0005
em dinheiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitacao do contracto,
no caso de ser preferida a sua proposta.
4. O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, nao ser %tirado
pelo contractante seno lindo o contracto e
servir de eauco para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
I 5." O contracto s poder ser feito
com quem melhores vantagens offerecer
na concurrencia.
6. A nao ser no caso do paragrapho
antecedente, a actual empresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponente.
7. O novo contractante sera obriga-
do indemnisacao, a que a provincia
sujeita por forca da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
inaemnisacao ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e ficando o material
e obras da empreza bypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemni-
sacao ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
8. O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
9." O proco da illuminacao, quer publi-
ca, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
te urna reduccao de mais de 30 e0, para
os estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e reparticoes publicas.
10. O systema mtrico, si fr mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
cSo do gaz.
11. A luz seT clara, brilhante e isenta
de substancias estranbas, que possam pre-
judicar a illuminacSo e a hygiene publica.
I 12. A intensidade media da luz ser
equivalente a dedez velas de espermacete,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 gr2os inglezes.
13." As horas de illuminacao publica
serao fixadas pelo presidente dk^rovincia
no principio de cada anno, n2o podendo
ser em numero menor de seis, nem maior
de dez, devendo neste caso haver urna
reduccao no prejo do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
I 14. O contractante Ber obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questSes que
se suscitarem, quer com o governo,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leis e regulamen-
tos e jurisdic9ao dos tribunaes judicia-,
ros ou administrativos do paiz.
I 15. O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometros, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to ee forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
16. O pagamento da illuminajao pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attensao oscillaao do cambio.
O Dr. Fraucisco Domingues Rib iro Vi-
anna, juiz de direito da provedoria de
capellas e residuos nesta comarca do
Recife de Pernambuco por Sna Mages-
tade o Imperador a quem Deus guar-
de, etc.
Faco saber aos que o presente edital vi-
rem ou delle noticia tiverem que depois
da audiencia deste juizo que ter lugar no
dia 10 do corrente, ir em praca publica
com as formalidades legaes, para ser ar-
rematado por quem mais der e maior lan-
ce offerecer, o bem seguinte : Urna casa
terrea sita ra do Fogo, freguezia de
Santo Antonio, n. 25 com porta e janella
de frente, duas alas, tres quartos, cosinha
fora, pequeo quintal murado, precisando
o tolhado, o ladrilho e toda a casa bastan-
tes cfAcertos, medindo d frente tres me-
tros e 90 centmetros c de fundo 14 me-
tros c 70 centmetros, avaliada por um
cont e cem md rcis ; cujo bem pertence
ao acervo inventariado da finada D. Can-
dida Mai'ia Ferreira c vai em praca a re
queriment do respectivo inventariante
Francisco Gomes da Silva Saraiva para
pagamento de custas, sello de heranca, e
outras despezas e dividas.
E para constar e chegar ao conhecimen
to de todos mandei passar o presente edi-
tal que ser publicado pela imprensa e
affixadono lugar do costume.
Dado e passado nesta cidade do Recife
capital da provincia de Pernambuco ao
primeiro dia do mez de Julho do anno do
Xascimento de Nosso Senhor Jess Chris-
to de 1889. Eu Luiz da Veiga Pessoa es-
crivo o subscrevi. Francisco Domingues
llibciro 1 'ianna.
DECLAEAGOES
Companhia Indemni-
sabora
A directora da (Companhia de Seguros In-
demnisadora. de conformidade com o art. 26
1~ dos estatutos, convoca urna assembla geral
extraordinaria para o dia i'-i do corrente ao meio
dia na sua sede. O fim da reumo tratar de
assumptos relativos interesses da mesma com-
panhia.
Recife, 3 de[Julho de 1880.
Os directores.
LnJonio da CunUa F. Baltar.
Jos Ferreira Marque.
Companhia de Trillios Urba-
nos do Recife O]inda e
Beberibe
3.' CONVOCA!.".o
scmb!('r. geral -\; mordu.-\ria
Nao se lendo ainda hoje reunido o numero
legal de accionistas, lica convocada para o dia
15 do corrente, ao imio dia, 110 escritorio d.
ra da Aurora, a a3senibla gcrjil extraordina-
ria, funecionando desta vez com o numero fle
accionistas que se lizerem refkrestnlar. Esta
assembla geral, segundo ticou declarado nos
annuncios feitos desde o da 17 de luuho, con-
vocada a requisicSo da directora, tem por fim
resolver sobre a conveniencia de ser renovado o
privilegio da companhia, de accorde com a lei
n. 2001. de 4 de Junho do corrente auno, sobre
a attitude que devero a mesinu companhia to-
mar para comas emprezas d'. gua e'gaz de
Olinda ; e sobre o levan'.ami'nto de um etnprea-
limo destinado ao renovamento do nalerial ro-
dante da companhia. Sao resolni;oes tomadas
estas que offeclarSo grandemente a economa
social e assim devero ser esluriadas e resolvi-
das pelo maior numero possivel de accionistas.
Recife, 5 de Julho de 1889
Jos Antonio de A'tneida CuDba
Secretario da assembla geral.
Dividendo
Xo escriptorio da Companhia paga-se o
29 dividendo correspondente ao semestre
lindo, na mesma razao dos semestres an-
teriores. Para esse lim ser encontrado o
Sr. thesoureiro nos dias 11, 12, e 13, do
corrente das 11 horas ao meio dia, e de-
pois as terca-feira3 e sabbados as memas
horas.
Recife* 9 de Julho de 1839.
O gerente,
A. de Sims.
Arsenal de Guerra
.V commissto de compras d'este Arsenal
recebe propostas em carta fechada no dia
15 do corrente at as 11 horas da manha,
para a compra das madeiras c mais artigos
abaixo declarados, as condic^les anterior-
mente annunciadas.
Costados de sicupira, de ainarello,
pao carga e de louro um.
Costadinhos de sicupira, de amarello,
de pao carga e de ouro, um.
Taboas de soalho de amarello, de
pao carga e de louro, duzia.
Taboas de 3j4 de grossura de ama-
rello, e de louro, duzia.
Taboas de forro de amarello e de
louro, duzia.
Enxamis de qualidade, um.
Fechaduras francezas para porta, de
latao para armarios e gravetas e de ferro
idem idem.
Dobradicas de cruz para portas par.
Ditas de latao para armarios, par.
Ditas de ferro para armarios, par.
Secretaria do Arsenal de Guerra de
Pernambuco, 9 de Julho de 1889.
O secretario,
Joaquim Francisco Ribeiro MacluuJo.
tssiM'iufo Medico l*li;i-Fiia PernaHburana
De ordem do Sr. Dr. presidente desta asso-
ciacao, scientilico aos senhores associados, que
na prxima reuniao de quinta t'eira se procede-
r a eleicao dos msmbros da commisso admi
tistraiiva e mais commissoes que team de diri-
gir os trabalhos da mesma associacao dorante e
anno prximo.
AssociacSo Medico-Pharmaceutica Pernambu-
cana. em 8 de Julho de 18C9.
Dr. J. M. Curio
1." secretario.
Companhia de Edii-
cac,o
Assembla geral extraordinaria
Tereelra convocar*
Nao se havendo reunido numero legal de ac-
cionistas afim de constitnir-se 4 assembla ge-
ral extraordinaria para hoje convocada, de or-
dem da directora e pela terceira vez convoco os
senhore3 accionistas reunirem se no dia 10 de
Juilio vindouro, ao meio dia.no escriptorio desta
companhia, praca Pedro 2." n. ,77, 1- andar,
afim de tratarem do mesmo assumpto j annun-
ciado.
Sendo esta a terceira convocaco previno a<*s
Srs accionistas que, em vista do 4o do art. lo
da lei n. 3,150 de 4 de Novembro de 1882, rea-
lisar-se-ha a assembla geral extraordinaria
com qualquer numero de accionistas que com-
parecer, seja qual fr a somma do capital que
representen!.
Recife, 2o de Junho de 1889.
Ricardo Menezcs
Gerente. 7
S. R. J.
Soctedade Becreatlia Joienlode
Sarao em solemnisacao ao *5.* anniversario de
sua installaco, e 2.a do da sua banda musical
em 14 de Agosto.
Convites para este sarao, em mo do presi-
dente : ingressos em mao do thesoureiro.
Desde j previne -se queno se admitte aggre-
gados.
Secretaria da Sociedade Recreativa Juvcntudc,
8-de Julho de 1889.-0 2- secretario
______________Antonio F. Lopes.
Segunda praca
Pela inspectora desta Alfandega se iaz pu-
blico, que as 11 horas do dia 12 do corrente mez.
serflo arrematadas em praca. porta desta re-
particao, as seguintes mercadorias :
Armazem n. 3
24 caixinhas, marca diamanta e F no centro,
contendo frascos com agua florida, pesando nos
frascos 130 Kilogrammas. abandonadas aos di-
reitos por Henry Forster & C., viudas de Xew-
Xork no vapor americano Moma, entrado em
17 de Maio do corrente anno.
3. seccSo da Alfandega de Pernambuco,* 9 de
Jlho de 1889. ~ O chefe
Domingos Joaquim da Fonseca.
Instituto rcheologico e Geogr-
fico Peroambucano
Quinta-feira, 12 do corrente, hora do costu-
me, haver sesso ordinaria.
Secretaria do Instituto rcheologico e Geegra-
phico Peruambucano, 9 de Julho de 1889.
Baptista Regueira,
Io secretario.
Juizo dos feitos da Fazenda
Escrivo Torres Bandeira
Xo da 19 d'este mez, depois da audiencia, irao
a prasa, por venda, os preios abaixo declarados.
,penhorado3 per eSBCOC&p da 'Fazenda Provin
cial. ,'
11' tfe
Casa terrea, no Becr Jo Paschoal n, 1, cora 9
metros e 20 centmetro^ de comprimento. 6 me-
tros e 20 centmetros de frente, 2 portas de fren-
te, 2 portas e 2-'janellas no oito, sotao, sendo
o pavimento terreo um armazem, e no sotao 1
quarto e 1 sala, avaliada em 6405, pertencente a
Jos Celestino das Nevos Fonseci.
Casa a ra do Areial 11. i, com 6 metros e 40
centmetros de largura, G metros e o centme-
tros de fundo, 1 porta e 2 janellaa de frente, :i
sala, 1 quarto. quintal, por 320a, pertencente a
J0S0 de Souza Pereira.
Casa ra dos Guararapes n. 29, com 2 portas,
2 salas, 1 quarto, sotao interno, cosinha e quin-
tal com cacimba, 4 metros e 30 centimetros de
frente e 8 metros de fundo, avaliada em 3005.
pertencente aos herdeiros de Flix da Cunha
Teixeira. *
(asa roa Imperial 302. com 1 porta de
frente, sem repartimento, com 3 metros de frente
e 10 metros e 70 centimetros de fundo, avaliada
em 1005, pertencente a Amaro Antonio de Fa-
rias.
Recife, 8 de Julho de 1889.
Banco de Crdito Real de Per-
nomfonco
>'o sorteio a que se proceden n'este Banco em.
data de hoje 20, para o resgate de 39I leUra*''
hypothecarias das que existen em ciiculao
(l1, 2a e 3' series e Io semestre da 4' scrie, de-
signou a sorte as de nmeros abaixos descriptos
as quaes sero pagas pelo Banco acontar de pri-
meiro dia utll do mez de Julho prximo futuro,
e, quer sejam ou nao apresentadas.nao vencerte
mai3 juros depois de 30 do correte mez.
Estas lettras sero pagas ao portador pelo sen
valor nomioal de 100?000 cada urna, bem como
os juros e com os premios abaixo mencionados.
Tambem sero pagos a contar do 1 de Julho
prximo futuro, os juros das lettras emittidas
nos annos de 1886. 1887 e 1888.
Recife, 26 de Junho de 1889.0 gerente. Joo
Fernandcs Lopes.
1 gran
13 1441 3622 3300 6967
loi 1430 3629 5311 7034
194 1451 3783 5370 709o
198 1469 3833 3402 7112
222 1527 3848 3496 7162
225 1561 3891 3518 7171
-' "i 1563 3951 5536 7177
2i7 1631 3991 3561 7262
238 1637 3999 5597 7333
300 1713 4129 3608 7338
328 1793 4156 5620 7350
433 1847 4184 5688 7361
514 1928 4228 3690 7366
.">l"i 1962 4282 3747 7376
538 1973 4303 3781 135
606 2010 1322 3790 7449
622 2031 4330 5812 7459
625 2061 4337 5SIS 7474
667 2087 4398 5821 7515
675 2100 4431 5865 7394
685 2138 4433 5888 7621
741 2196 4446 5907 7677
760 2243 4494 3946 7689
764 2233 4338 6038 7698
772 2317 1637 6053 7744
822 2322 4727 6058 7754
842 5*4 4741 6120 7813
859 2613 13JO 6125 7924
862 2667 4777 14 905S
896 2681 4781 6148 7976
903 2690 4837 6188 7989
942 2694 4852 6195 7994
953 2778 4878 6226 7996
957 2836 4914 6255 8014
1021 2927 4966 6262 8032
1056 2930 4968 6266 8078
1066 2959 4972 6280 8174
1075 2966 4997 6329 8215
1107 2972 3027 6344 8230
1167 3017 3030 6373 8245
1173 3053 3045 6389 8270
1248 3109 9088 6409 8304
1254 3127 3i6 6331 8354
1236 3133 3124 6643 8336
1261 3163 3144 6669 8337
1276 3190 5169 6671 8364
1283 3258 5175 6682 8399
Mil 3280 5181 6686 8442
1350 3346 5201 6706 8489
1357 3482 5272 6731 8490
1422 580 5275 6911
1437 3587 5291 6916
25 SERIE
8612 11893 13696 14866 15885
8622 12136 13703 15059 16164
8713 12325 13748 13158 16196
8881 12664 13800 13178 16286
9534 12759 13834 15186 1^392
10139 12763 !38'o- 15241 16558
10144 12964 13893 13251 16672
10185 13073 13935 15290 16687
10274 13104 14049 15310 16749
10324 1322o 14138 13473 16768
10570 13411 14461 15479 16813
10397 13420 14531 13484 16877
10669 13433 14560 15537 IOS
10997 13443 14392 15359 16920
11032 13521 14646 13582 .....
11460 13561 14731 15760 .....
11803 13648 14786 13828 .....
11872 13680 14864 13876 .....
Thesouro Provincial
De ordem do lllm. Sr. Dr. inspector desta re-
partigo, faco publico que no da 10 do corrente
mez paga se a classe de professores de 2. e 3.
entrela, com relaro aos seus vencimentos do
mez de Abril prximo lindo, que dcixaram de
receber nos mezes de Maio e Junho findos, por
insulciencia da renda.
Pagadoria do Thesouro Provincial, .9 do Julho
1889.O cscrivo,
Alfredo Gibson.
Secretaria da Intitruccao Publica,
9 de Julho de 1SS9
N. 91. Aos professores Jesuino Firmo de
Azevedo, removido em 25 de Junho lindo por
conveniencia do servico publico da cadeira de
Bravata para a de Agua Preta ; Joao Jos Ribei-
ro a queni era 25 do mesmd*mcz foi designadla
cadeira de Gravat, e Manoel Bezerra ue'Vas-
los Cavalcante, removido em 26 do mesmo
mez. de Caruar para Preguicas, e Vicente da
Silva Monteiro desta para aquella ; faco scente
S ordem do Sr. Dr. inspector geral Ibes
rcado o prazo de 45 dias para entrar em
exercicio de suas nu
Hippodromo do Campo Grande
(Assembla geral ordinaria)
Em virtude do 1" do art. 13 do3 estatutos,
convido aos Srs. accionistas .para se reunirem
em assembla geral ordinaria no dia 12 do cor-
rente, s 6 horas da tarde, no escriptorio desta
Companhia a rua|do Imperador n. 55, am de
eleger-se a nova directora para o futuro anno
h'nanceiro e tomar conhecimento daa.contas e
parecer fiscal.
Recife, i de Julho de 1889.
Francisco de Vaula Correia de Aravjo,
Presidente.

Companhia do Bebe-
ribe
N80 se tendo reunido accionistas em numero
siifliciente para que se realisasse a assembla
geral ordinaria do corrente anno, no dia lixado
nos estatutos, sSo de novo convidados os senho-
res accionistas a se reunirem no dia 12, ao meio
dia, no 1- andar da casa n. 71 ra do Impera-
dor, devendo a reuniao ter lugar com qu Iqoer
que seja o numero do 3 na
forma da lei e dos e
Re,
-rreira
Jacobina
I
17337
17667
17772
17922
17995
18033
ISIS*
18338
23618
23712
18376
18584
18965
18968
19386
19854
19882
20026
24000
24312
PKEMIAD.VS
CORl
i-1 SBBIR
20143
20183
20626
20734
20920
20954
21265
21315
4* SERiF.
24755
25145
foanoo
503000
3000O
lOOOO
10000
105000
105'00
lOsiOOO
103000
lOSOOO
21390
21335
21346
22064
22086
22112
22141
22307
25249
25867
manase
C149
13SI
1451
'.Vi I
4949
5818
? 135
9958
IG908
18188
22328
22830
23139
23165
23235
26054
Recebedoria provincial
O administrador da Recebedoria Provincial
faz publico na forma do regulamento de 28 de
Maio de 1887, e para conhecimento dos interes-
sados, que dentro de trinta dias uteis improro-
gaveis, contados do 1* de Julho prximo, ser
effectuada por esta repartico a cobranca, Ii-
vre de multa, dos impostos constantes da ta-
bella annexa lei n. 1884, abaixo transcripta,
relativos ao 1- semestre do corrente exercicio
de 1889.
Recebedoria ProviadaJLda Pernambuco, 28 de
Junho de 1889.
Francisco A. de Carvaiho Moura
Tabella a que se refere o edital supra
Casas de commissoes, de consignaces e de
commissoes e censignacoes.
Ditas ou deposito de vender em grosso carvio
de pedra em trra ou sobra agua.
Lojas de vender joias somente ou joias e re
logios.
Ditas de vender relogios smente.
Ditas de vender pianos, e instrumen-
tos musicacs.
Fabrica de rap lleuron.
Ditas de ceneja, vinaere, vinhos, ginebra,
licores e limonadas gazo:
Ditas de gaz..
Ditas age cpositos de rap..
Nmprezs an u agencias destas, in-
clusive a companhia do Beberibe
Bancos, agencias filiaos e representantes dos
meemos e casas bar.
Companhias, agei: guro, oi
qualquer pessoa quo no ca<
eompanh;::
ureza ou promoTel-os, com e dos que
teem si
V


;
.





^-1
6
Diario de PemambucoQuarta-feira 10 de Julho de 1889
areos
D. Francisca Brite.
D. Aliverti.
D. BaUemSo.
Sr. Franja.
THEATRO
Um 1NT0NII
Propriedade e empresa dos artistas
KDABDO RODRIGUEN EJHELENA BALSEMO RODRIGUES
Quinta-feira, 12 de Julho de I 889
DIRECCAO DO ACTOR
C. LISBOA
MAEAVILHA DAS MARAVILHAS
A MAIOR NOYTDADE NA PRESENTE POCA
ESPECTCULO LYIMMMMO E PHANTASTICO
Pela primeira vez a grandiosa e monumental opereta mgica em 1 prologo,
3 actos e 2 quadros, aprimorado e verrinoso trabalho do Ilustrado e applaudido es-
criptorportuguez EDUARDO GARRIDU, nico no genero da critica finae espirituosa.
AFILHADOAR
A. L lULIliLJUnL AUlllJll
Fersonagens
A Rainha do ar
A Princeza Azulina.
Zephiro (vento brando) '
Breas (o rei dos ventos) .
Sylphides, genios areos, diabinhos, etc.
Personagens terrestres
Leandro (rapaz aparvalhac.o) Sr. Rocha.
Mathias (velho uzurario) .... Sr. Teixeira.
Acucena (sua Ulna) ..... D. Anglica.
Martha (aro de Leandro) .... D. Angelina.
Camponezes s
DENOM1NACAO DOS ACTOS
PROLOGONA8 nvensPartida para a Terra.
l.u ACTOqadro l.-0 Talismn
2.* A Derrocada.
2.o ACTOquadbo 3.Os beijos do Diabo.
4.* OCemiterio.
3. ACTOQADEO 5.A Gruta Mysteriosa,
> 6.Apotbeose.
Discripc,o do scenario
PROLOGOEntre nuvens, Morada dos geaios, Reinado dos ventos a da fa-
milia aerea. Scena de deslumbrante effeito. Completamente nova.
PRIMEIRO ACTOPRIMEIRO QUADRO
Interior de um moinhoj arruinado, Habitaciio de Martha e Leandro. Scena a
capricho. Scenario novo.
SEGUNDO QUADRO
Grande derrocada, A chava de prataScena de marivilhoso effeito.
SEGUNDO ACTOTERCEIRO QUADRO
O Jardim encantado.
QUARTO QUADRO
O Cemiterio^Scena surprehendente pelos seus Feffeitos. Scenario novo.
TERCEIRO ACTOQUADRO QUINTO
A gruta mysteriosa, Bosque frondoso, Morado do velho monge, A cela infer-
nal. Scena de verdadeira illusao d'optica.
SEXTO QUADRO
A apotheosc. Scena passada nos ares.
Fogos cambiantes, chuva de fogo, chuva de prata, etc., etc.
2o minieros de msicas
Scenario, guarda-roupa e accessorios novos e a capricho.
Esta companhia nao poupo'i despezas com a montagem d'esta peca afim de
bem satisfazer o Ilustrado publico desta provincia, que tao benvolamente a tem
tratado.
N. B.O guarda-roupa todo novo e feito sob a direccSo da actriz
30. SJKX,S3SDCVXA.b
Travessa dos Quarteis n. 24Jos
Domingues Codeceira 42*133
Caes 22 de Novembro n. 12Jos
Felippe de Souza Leo 49*499
Larga do Rosario n. 20-Jos Fran-
cisco Bello 409*967
Lomas Valentinas n. 40 Jos F.
de S Lcito 22*044
Penha n. 31 Jos Goncalves da
Silva s*m
Palma n. 8Jos Jeronymo Teixei-
ra de Souza 17*313
Barao qa Victoria n. 40Jos Joa-
quim Alve da Silva I0S9
Dita n. 29Jos Joaquim de Aze-
vedo 61*999
Livramento n. 25Jos Maria Fer-
reira da Cunta 185*999
Travessa dos Expostos n. 4Jos
Maria Seve 22*318
Barao da Victoria n. 46 Jos de
Mendonca do R. Barros (parte) 2*922
Imperador n. 28Jos Moreira Lo-
pes 50*588
Dita n. 300 mesmo 193*127
Duque de Caxias n. 75Jos Mo-
reira Pontes 6*333
Travessa do Carcereiro n. 19-Jos
Nunes de* Oliveira 23*249
Mrquez do Herval n. 36-Jos Pe-
dro de Souza Silva 23*714
Marcilio Dias n. 26-Jos Pereira
deAzevedo 92*999
Coronel Suassuna n. 3-0 mesmo 42*313
Largo de S Pedro n. 130 mesmo 33*479
Coronel Suassuna d. 12Josepha
'Maria Ferreira Costa 184*485
Marcilio Dias n. 28Josepha Maria
dosPrazeres 111*598
Fogo n. 44 Jo vino Bandeira de
Mello 37*199
Marcilio Dias n. 380 mesmo 37*199
Travessa do Carcereiro n. 7 O
mesmo 225318
Livramento d. 24Jovino Epipha-
nio da Costa 'i578
Larangeiras n. 12Jos Moreira
Fragoso 276*018
Primeiro de Marro n. 17 Jovino
Cunha 39*454
Io neceo da Camba n. .*>Julia Go-
mes da Silva Neves 863488
Duque de Caxias n 82Justino Pe-
reira de Parias 88*785
Coronel Suassuna n. 24 Justino
da Silva Boa-Vista e outros 50*225
Mrquez do Herval n. 101.-Laura
d'AssumpcSo Queiroz 24*634
Trincheiras n. 19 Laura de Fi-
gueiredo '>
Palma n.27-Lauriana U. da Silva
Villar 71*303
Pedro Affonso n. 45Lourenco Ri-
beiro da Costa Oliveira 213*89/
Roda n. 15Luiza Maria Torres U876
HAR1TIM0S
COI
Banco do Brasil
Paga se o 71.* dividendo a raz5o de 8*000
por aeco ; na ra do Commercio n. 6, primeiro
idar:
O procurador dos feitos da fazenda provin-
cial, tendo recebido do theeouro a rclaco abai-
xo transcripta dos devedores do imposto da de-
ama da freguozia de Santo Antonio,d ejercicio
de 1886 a 1887 inclusive o 3 semestre que deixa- i *> beccoda Caraboa n. 8 Joo da
Emiliano de Miranda Castro
Travessa do Lob.iio n. 1.Joanna
Domingas do Espirito-Sauto
Travessa dos Expostos n. 8.Joan-
na Joaquina da Pai*o
Primeiro de Margo n. T7Joao de
Assumpco Queiroz (partes)
Palma n. 66.O mesmo
Trincheiras n. 31.Joao de Brito-
Correia
29*758
75*837
37*190
.223IX
Tun de pagar no tempo competente, dec ara aos
mesmos devedores que Ihes tica marcado o praso
de 30 dias, a contar dapublicaco do presente
edital, para dentro delle pagaren) a importancia
de seus dbitos, com guia da seccu do conten-
cioso, certos de que lindo aquetle praso si ra feita
a cobraoca-executivainente.
Recife, 17 de Maio de 1889.
Manat Nicoiau Regueira Finio de Souza.
.elaeo dos devedores qne deixaram de satisfa-
zer o pagamento das decimas aoa predios si-
tuadosaft freguezia de Santo Antonio, relati-
mente ao 1", 2" e 3o semestres do exereicio de
1886 a 1887.
Travessa dos Quartais n. 22.Her-
deiros de Joaquim Jos Vieira
Trincheirss n. 19. Herdeiros de
Joaquim Viegas (parte)
Coronel Suassuna n. 58.Herdeiros
de Jos Joaquim da Costa Fajozes
Travessa dos Quarteis n. 10.Her-
deiros e viuva dd Justino Ferrei-
ra dos Passos
Dita do Labato n. 2. Herdeiros e
viuva de Luiz Bezerra Monleiro
Padilba
Io becco da Camboa n. L Herdei-
ros de Manoel Figueira de Fa-
rias
Duque de Cax'as n. 42.-Os mes-
mos
Campo das Princezas n. 9.Her-
deiros de Manoel Theodoro d'As-
sumpeo
Palma n. 10.Hermenegildo de Pa-
rias Teixeira
Bita n. 12.O mesmo
Hha do Carvalbo n. 19.Herminio
Ferreira da Silva
Travessa do Pocinho n. 28.Igna-
cio Francisco da Conccico Patri-
cio
Dita n. 30O mesmo
Duque de Caxias n 30.Innocencio
Pereira de Parias
Travessa dos Qu rteis n. 41.Ir-
mandade das Almas do Recife
Dita das Cruzes n. 8.A mesma
Larga do Rosario n. 32.A mesma
Duque ae Caxias n. 79.A mesma
Penha n. 25.A mesma
Laranjeira8 n. [lo.Irmandade do
Espirito-Santo do Collcgio
Prara Pedro II n. 2. A mesma
.Santa Thereza n. 32.A mesma
Largo do Panizo n. 25.A mesma
Barao da Victoria n. 49.Irmanda-
de da 'onceieo dos Militares
Dita n. 51.A mesma
Cruz Estanislao
Trincheiras n. 31.O mesmo
Travessa das Flores n. 27.Joo da
Cunha Soares Guimares
Travessa do Pocinno n. 8.O mes-
mo
Primeiro de Marco n. 170 mes-
mo
Livramento n. 37.Joo Francisco
Ferreira Jnior
Estreitado Rosario n. 41.Joo
Goncalves Ferreira da Silva
Palman. 58. Joo Pereira de Lima
Mrquez do Herval n. 71.Joao do
Prado Martins Ribeiro
Travessa do Carcereiro n. 5.Joao
Rufino Barbosa
Primeiro de Marco n. 9.Joo Wal-
frido de Medeiros
Pedro Alfonso n. 50 Dr. Joaquim
de Aquino Fonseca
Travessa do Carmo n. 15. Joa-
Iquim Bernardino de Castro Ros
Dita n. 17.O mesmo
; Trincheiras n. .300 mesmo
Largo do Carmo n. 3.O mesmo
Travessa do Queimado n. 1.Joa-
quim Coelho Cintra
Duque de Caxias n. 33.Joaquim
Ferreira Ramos
Travessa das Flores n.' '!.Joaquim
Pereira Arantes
Largo do Paruizo n. 11.Joaquim
Rodrigues de Almeida
Livramento n. 35.Joaquim Santi-
no de Figueirao
Travessa das Flores n. 33.Joa-
r'.m de Souza Silva Cunha
eco da Uamboa n. 2- A.Joa-
quim Rernardino Castro Rios
Penha n. 31.Joaquina Emilia da
Silva Villaca
. i ?-?.' Becco da Matriz n. !8. "Paulino Cmara n. 38.-Joaquifiu
Maria de Mello
Travessa dos Quarteis n. 33.Joa-
quina M ra da Penha Costa
Marcilio Dia3n. 5.Joaquina Maria
Pereira Vianna
Dita n. 7.a mesma
Largo do Carmo n. 13.A raeama
Travessa do Carcereiro n. 11Joa-
, quina Mana Vianua
WWM3 Dita n. 13A niesina
w-nn I Dta ,7~A rae8raa
<[*..:> Trincheiras a. 33-Joaquina Rosa
42*31. de SanfAiKi i
...,_.-.; Santa Thereza n. 30Jorge Jacome
1KJ120 xasso
11..31171
48*599
2ii7*996
17*313
12*478
12*178
46*499
31*47!
214*827
.13*067
11074
50*888
B0#S88
33*983
Travessa dos Expostos n. 10.Ir-
mandade do Senbor Bom Jess
dos Passos do Recife
Mrquez do Herval n. 23.Isabel
ca de Gusmo Vileila
imperador i. 51.-Isabel Maria da
Fonseca Salles
Caes Vinte Dous de Novembro n.
42.A mesma
Laranjeiras n. 25.Jacintho Pacbe-

a do Carmo n. i LJeronymo
160*003
21*837
2;*367
288*915
141*437
4;!*313
Visjonde de Inhama n. 71Jorge
Carrol
Calabouco Velho n. 12Jos Alves
Dias
Larangeiras i). 8Jos de Azevedo
M Silva
Travessa da Concordia n. 400
mesmo
Maruez do Herval n. 100 i
mo
S.Ptm M-O mesmo
Duque de Caxias n
larmino Pereira dt
108*496
9*821
37*199
28*180
4*286
31*679
14*879
7624
14*379
18*599
28*180
25*985
41*852
13*725
46*499
22*318
103*986
23*910
23*714
22*318
46*346
121*828
169*957
126*962
37*199
4*628
21*8:58
110*395
22*318
7*362
70*213
:3oi:
12*478
154*377
15M757
22*356
7*576
8*140
7*576
8*783
, 42*313.
120*898
7*676
42*318
33*913
PAMia l'IK\AWIEI CA*A
DE
.Vavega'o costeira por vapor
PORiOS DO SUL
Maeci, Penedo, Aracajtf e Baha
O vapor Jacuhype
Commandante Pereira
Segu [no dia do 10 Julho s
5 horas da tarde. Recebe car-
3 at o dia 9.
Encommndas, passagens e dinheiros frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernamhucana
n. 12
COMPIIIAXA PEB\AHGl'CA\i
DE
XaTcsa^o costeira por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyoa, Natal, Maco, Mossor, Araca-
ty e Cear
O vapor Pirapama
Commancb te Carvalho
Segu no dia 10 de Julh ttr ~ 5
horas da tarde. Recebe, cufgaat o
.dia S.
Encommndas, passagens e dinheiro frete1
at s 3 horas da tarde do dia 9.
ESCRD7TORIO
Ao Caes da Companhia Pemambucanu
n.12
Pacific Sl;eam Navigation
Company
STRAITSOFMAGELLAN LINE
O paquete Britania
Espera-se do sul at o dia
15 do corrente e seguir,
depois da demora do costu-
me para Liverpool por
Usboa. Bordeatix e "Iymoulh
Para carga, passageiros, encommndas e di-
aheiro a frete: trata-se.com os
AGENTES
Wilson, Sons k (]., Limited
14RA DO COiaiERCIO14
CHARGEURS REUNS
Cumpanbin Francesa
DE
IVavcgacao a vapor
jinha regnlar entro o Havre, Lisboa,
Pemambuco, Babia, Rio de Janeiro e
Santos.
O VAPOR
Ville do Cear
Commandante Lainey
E'esperado da Europa at o dia 16
de Julho, seguindo depois da in-
dispeniavel demora para a
Bahia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha, queiram apresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
-qualquer reclamaQo mneernente a volumesque
porventura tenham seguido para os portos do
sul alim de se portci dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referida^razo a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommndas e di-
nheiro a frete: tmta-se com o
AGENTE
Anguste Labille
9-RA DO COMMERCIO-9
Companhia Brasileira de
Nave^acao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Alagoas
Commandante Joao Maria Pessoa
E' esperado dos portos do norte at
o dia 14 de Julho e depois da de-
mora indispensavel seguir para os
portos do sul.
As encommndas serao rerebida3 no trapiche
3arbosa at l hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, passagens, encommndas e valo-
res trata-sc com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Maranho
Commandante o eapitONle. fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
E' esperado dos portos do sul at o
dia 17 de Julho e seguindo depois
da demora indispeusave! para os
portos do norte al Manos.
As encommndas s sero recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, encommndas, passagens e valo-
res trata-se com os
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
1 andar
LEILOES
Leilo
COMPANHIA l'KB\AMBICA\i
DE
.%'avcgaco costeira por vapor
PORTOS DO SUL
Rio Fonnoso e Tamandar
O vapor Mandahu
Commandante Alcides
Segu no dia 10 do correu-
te s horas da manh Re
cebe carga at o dia 9.
Encommndas, passagens e dinheiro frete
as 4 horas da tarrfe do dia 9.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernamhucana
n. 12
De; bons movis, e6pelbos, lanas, corti-
nados, loucas o vidros
Qaara-fera O do corrente
A'b 11 horas
No 1." andar do sobrado sito rua Coronel
Suassuna n. 30, antiga de Ilortas
Constando s
De urna bonita mobilia, imitacao a Jacaranda
com tarapo de pedra, quadros. espelhos, jarros,
etageres, escarradeiras, tapetes, langas e corti
nados, bidet, cabides, guarda-vestidos, marque-
zes, lavatorios, guarda-louca, mesa elstica,
apparadores, guarda-comidas, cadeiras, quadros,
espelho, louca para almoco e jantar, copos, cli-
ces, garrafas, galheteiro, mesas de cosinha e
muitos outros objectos.
0 agente Gusmo, antorisado pelo Sr. Manoel
da Paciencia Nascimcnto que retira-se para o
Para com a sua Exma. familia, far leilo dos
objectos cima meccionados. os quaes se tornam
recommendaveis por terem apenas um mez de
uso. y
Qintajeira 11 do corrente
A's 11 horas
Nfli armasen* da ra de Tnom
Sonin n. 4 (anliea Linsueta)
POilI.NTEHVENCA D AGENTE
Gusmo
de
JLeo
Agente Pestaa
Das casas terreas abaixo mencionadas
Quinta-feira, 11 do corrente
A's 11 horas
No armazem travessa do Corno Santo
n. 27
Urna casa terrea sita ra do Coronel Suas-
suna outr'ora Augusta n. 290, com 1 porta, 2 ja-
nellas de frente, corredor separado, 2 salas, 4
quartos, conha, quintal murado, com cacimba,
em terreno proprio.
Urna dita sita ra da Alegra n. 4, com 2 sa-
las, 3 quar'os, cosinha, quintal e quarto com ap-
parelho.
Una dita ra da Santa Cruz n. 30, com 2
salas, 3quartos, cosinha, quintal, cacimba, em
terreno proprio.
Urna dita com um andar ra de Gervasio
Pires n. 63, com 4 salas, 6 quartos, cosinha f-
ra: quintal, quarto para banho e apparelho e
peina d'agua.
Uma dita chalet com gradeamento e porlo
de fjrro, com 2 salas, 1 gabinete, ."> quartos. co-
sinha fra, 4 quartos independentes, quintal at
o rio, cacimba com boa agua de beber, na Ca-
punga, tra-essa das Pernambucanas n. 3 R.
Tedas estas casas esto livres e desembaraca-
das de qualquer onus.
Leilo
Agente Britto
D;i armac.io, balco, fiteiros. quantidade de
louca da trra, alguns movis, jarros, quadros,
candieiros, vidros e outros objectos existentes
no deposito ra do Arago n. 21.
AO CORRER DO MARTELLO
Garante-sc a casa.
Quinta-lfelra, 11 do corrate
A's 10 Ii2 horas
Leilo
De 1 mobi ia de junco nova, 1 cama de casal,
marquezOes, lavatorios, jarros, ettagers, 1 com-
moda, espejos, cadeiras avulsas, 1 mesa para
jantar, apparelhos para cha e jantar, talheres,
colheres, co])os, clices e muitos objectos pro-
prios de uso domestico.
O gente Modesto Baptista. autorisado por uma
familia que S3 retira para o sul do imperio, leva-
r a leilo os objectos cima, existentes no 1."
andar da ra de S. Francisco n. 70.
QUINTA-FEIRA 11 DE JULHO
A's 11 horas
Leilo
De fazendas
CONSTANDO:
da ca;xa n. 1 8i0 com 26 pecas de casemirade l,
dita da caixa n. 690 com 42 pecas de caseraira de
l, da caixa n. 1.062 com 38 duzias de chales finos
de l entrangados e adamascados de cores, da
caixa n. 1,037 com 25 duzias de ditos, ditos da
caixa n. 1,811 com 26 pegas de casemira fina de
l, da caixa n. 1,150 com 250 cortes de casemi-
ra p.ira calca i, da caixa n. 1,155 com 36 peras
de bmttos de cores de l, e seda.
Sexta-elra 18 do corrente
A's 11 horas
Xo armazem a raa do Narqnez
de Olinda u. 5
O agente Gusmo, autorisado per mandado do
Exm. Sr. Dr. juiz de direno rio commercio e a
requeiimento do Dr. curadpr liscal da massa;fal-
lida d3 D. P. Wild & C, far leilo com assis-
lencia do me.-mo juiz das fazendas cima decla-
radas, as qua:s sero vendidas em lotes a vonta-
de dos Srs. compradores.
Leilo
Do uma pipae 11 barris de quinto com vi-
nho baanco
Sexta-felra 19 do corrente
A's 11 horas
No armazem ra Mrquez de Olinda n. 5
Por intervengao do agente
rTusmo
Leilf
Agente
Setepple
Leilo
COMPXOIAA PGRAAHBICAM
DE
Wavegaco costeira por Vapor
Para Fernando de Noronha
O vapor Jag-uaribe
Commandante Monteiro
Segu no dia 13 de Julho s 12
'horas da manh. Recebe carga at o
dia 12.
Passagens at s 10 horas do di da sahida.
ESCRIPTORIO
Ao caes da Companhia Pernamhucana
n. 12
Roy al Mail Steam Packet
Companhy
O vapor Neva
Commandante G. M. Hicks
De bons predios na comarca de Olinda
<|uarta-felra 19 do corrente
A 1 lwra em ponto
Xo edilicioda > amara Municipal de Olinda
O agente cima, por mandado e assistencia do
Illra. Sr. Dr. juiz de direito de orphos da co-
marca de Olinda, levar a leilo as seguintes ca-
sas : .
Um sobrado ra de S. Pedro Martyr, sob n,
30, a casa terrea ra de Mathias Ferreira. hoje
Fernandes Vieira, sob n. 57, a casa terrea na
mesma ra sob n. 30, a casa terrea ra do
Amparo, sob n. 3, a casa terrea a ra do Al-
jube. hoje 13 de Maio, sob n. 13, todas estas ca
sas na comarca de Olinda e pertencentes a me-
nor Maria, herdeira instituida no testumento do
tinado Domingos da Silva Torres.
Os Srs. preteodentes desde j podero ir exa-
minar as referidas casas.
Agente Silveira
Leilo
ao
De 4 encllenles vaccas tourinas com crias da
melhor quahdade que se pode desejar, 2 im-
portintes cavallos de corridas, 1 excellente
cavallo de seila, 1 dito dito sellado e enfrea-
do bom andador de toda altura.
Sabbado, 13 do eorrente
A's 11 horas
S largo dama do Commercio
(antiga Lingueta)
O agente Gusmo, autorisado fara leilo dos
animaes cima mencionados no lugar e hora
cima ndicados.
AVISOS DIVERSOS

112 SO i,
Espcra-se da Europa at p dia 19 de
Julho, seguindo depois 'da demo-
ra do costume para
UnceiO. Baha, Ro de Janeiro
Santos. Montevideo e Bucnos-
Ayres.
Para passagens, fretese encommenda s 'rata-
so com os AI.E.MKS.
O vapor Tamar
E' esperado do sul no dia 21 de
Julho, seguindo depois da demora
necessaria para
Lisboa, vigo, Sonthampton e
Antuerpia
Reducco de passagens
Ida Ida e volta
boa 1 classe 20 30
V Sotliampton classe 28 42
Camarotes reservados para os passageiros de
passagens fretes,encommndas, trata-sel
Amorim Irmos & C.I
3Ra do Bom JesuN
Da mei'agua sita ra da Conquista n. 1
freguezia da Boa-Vista (terreno f o-
reiro!.
Quarta-feira O do corrente
A's 11 hora
(Effettuado na mesma casa)
0 agente Silveira, por mandado c com assis-
tencia do Exm. Sr. Dr juiz de ausentes c a re-
querimento do Sr. Dr. curador de ausentes leva-
r a leilo a referida mei'agua, com duas portas
de frente, \ salSo, medindo 4 metros o 70 cent-
metros de frente e 8 metros de fundo.
Os Srs. pretenden les nodemyexaminar.
A charo pftde Sr procurada na casa n. 2,
mesma rna.
Alugara-si? as casas na encruzilhada de
Rclra H3. 28, 22 e 16, a lOOOO mensaes, esto
limpas, tem quintal e cacimba ; a tratar na ra
da Imp'ratriz n. 76.
Aluga-se o sabrado n. 46 ra'da Roda
com bons commodos e muito fresco, bem como
os dous pavimentos terreos : quem os pretender
dirija-si ra do Cabug n. 16, loja da Ventu
rosa.
Alaga-se o sobrado deura andar ra das
Trincheiras n. 17, e a casa terrea n. 11 ra do
Calabouso-velho : a tratar na ra das Trinchei-
ras, loja n. 17.
Aliga-se urna bia casa na ra Direita de
Afogados, prximo a ponte ; a tratar na mesma
casa cora o Dr. Pinheiro.
Nc escriptorio desta diario precisa-se com-
prar o IHario de 14 de Abril do anno de 18*8.
Precisa-se de urna
Crespo ii. 17. 2- andar.
cosinheira ; na ra do
Pharmacia
Precisa se de um praticante ; na na larga do
Rosario n. 34.^_______________________
Por 20#
aluga-se a casa n. 7 da ra de S. Jos dos Pes-
cadores, tem bous commodos, muito fresca e
est limpa ; a tratar na ra Duque de Caxias n,<
89, loja.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 10 a 12 annos,
com pratica de molhados ; na ra Imperial nu-
mero 164
BEDU FUERES
Constructores a Ham, Franca
Representado por Emilio BlI-
lion. cngcnheii'o niechanfctv
(PEBNAMBUCO)
Assentamcnto completo para engenhos cen
traes e Uzinas pelos processos es mais aparfei-
coados.
Moendas e reprcsso mltipla.
Corte-cannas vertical, systema Bedu.
Diffuso, circulare reelinha, dito Bedu.
Diffuso continua do bagaco dito Perret.
Fornos para queimar obagaco da diffuso,
dito Bedu.
Filtros mchameos a liltrago mltipla.
Turbinas centrifugas (economa, limpeza e
trabalho rpido).
Em geral todos os apparelhos os mais moder-
nos e os mais aperfeicoados para o fabrico de
assucar.
N.B.-OSr. Emilio Billion fazendo uma va-
gem de 3 mezes na Europa, durante a sua au-
sencia dirigi as cartas e pedidos a casa Bedu
Frres a Ham, que fornecer plantas, orcamen-
tos etc., e por qualquer negocio urgente
mar-se ao Sr. Eugene Chane;
mercio, Recife.
infor-
t ra do Com
Bons resultados
Para provar os bons resultados do Pei-
toral de Cambar, basta apresentar os nu-
merosos attestados ce curas firmados por
pessoas dignas de toda f.
Cura-se fcilmente
Al intammagao do larynge cura-se f-
cilmente com alguns frascos do Peitoral de
Cambar.
Os agentes,
Francisco J. da Silva & C.
Bacharcl Jo* EuMaqtiio de
Oliveira e Silva
Antonio Francisco Regueira Duarte o seus ir-
mos mandara celebrar na matriz da Boa-Vista,
s 8 horas da manh do da 12 do corrente, s-
timo do fallecimcnlo do seu prezado amigo (
cunhado, b charel Jos Eustaquio de Oliveira i
Silva, uma mi3sa pelo repouso etert.o d'alma do
mesmo tinado, e para isso convidam a todo? os
seus parentes e amigos e os do referido finado,
a todos os quaes antecipaai o seu agraecimento
por scmelhanle acto de reluiio e candade.
mmnBKmBm
S3fBS
nominaron Antonio da Silva
Beiriz
2." anniversario
A viuva e lilhos do tinado Domingos Antonio
da Silva Beiriz, tendo de mandar celebrar argn-
mas missas pelo eterno descanso do me3mo
tinado, pelas 7 horas da manh do dia 10 do
corrente, na nutriz da Boa Vista, convidam a
todos os seus parentes e pessoas de sua amade
para Ihes fazerem o caridoso obsequio de a ellas
assistirem.
f
los Ednardo de Souza Landim
2 anniversario
A familia Landim em honra memoria de seu
pranteado chefe, Jos Eduardo de Souza Landiin,.
manda celebrar na isreja da Gloria .uma missa,
as 7 1/2 horas da manh do dia 10 do eorrente.
para a qual convida a assistir os amigos e pu
rentes do finado, agradecendo-lhes desde j.
f
D. Ignex FraneiMca Crrela de
Ara ojo
O capito Manoel Correia de Arauje, sua mu
lher. seus filhos e genro, agradecem do intime
d'alma s pessoas que assistiram aos ultimes
suITragios feitos ao corpo de sua tinada mi, so-
gra e av ; e de novo Ihes pedem o caridoso ob-
sequio de assistirem a missa de stimo da que
mundam rezar na igreja de S. Francisco de Pau-
la do povoado do Caxang, s 8 horas da manh;
do dia 12 do corrente.
t
Leilo
De 25 lardos com papel branco para embru-
11)0. .
De 12 ditos com papel azul para embrulho.
i resmas de papel grande >e pequeo : ,e
muitos outros ai l ^_
Hoje, O do corren*^
Ao meio dia !
Por intervencao do agente
Alfredo Guimaraes
armazem da ra do Bom Jess
u.
ii)
Leilo
vo, 2 armarios envidra-

Veide se um estabelecimento de molhados,
bem afieguezado, livre e desembaracado de
qualquer onus; a tratar na ra Duque de Caxias
n. 30, podaria.
Veide-se uma porgo de msicas para
piano 6 tanto, alsjuns hvros muitos ps de flores
bonitas e croton.3 para enfeitar salas, arvores da
fortuna tambem. Na mesma easa offerece-se
urna senhora para cnstnar era casas particulares
primeira? letras e alguns trabalhos de flores : a
tratar uc Caminho Novo n. 128 cora madama
Vil lela.___________________________________
Anda porque?
A irmandade do Divino Espirito Santo do Re-
cife nao cumpre as disposices do art. 108 e
22 do art. 40 do seu compromisso ? Nao se ve
riticande a hypot'iese do art. 109 nao ser res-
ponsavel por este abuso o juiz em face do 12
do art. 47? Pelo final do art. 87 competa ao
conselho liscal eupossar os novos eleitos no do-
mingo mais prximo ao dia 29 de Junho. e exi-
gir a entrega imniediata das contas e objeatos.
E nada disso se le at hoje. 0 que llavera9
Brinco perdido
Perdcu se nm brinco do fitio de uma concha,
contendo 11 brilliantes pequeos e um grande
no centro ; roga-se aos senaores ounvesoua
qualquer pessoa ;. aucm seja offerecido o obse-
quio de aiiprehemlel-o, sendo por isso generosa-
Luiz Antonio Pereira
Maria Goncalves da Silva Pereira agradece do
intimo d'alma a todas as pessoas que acompa-
nharam at o cemiterio publico os restos mor-
taes de seu idolatrado esposo, Luiz Autonio fe-
reir, e convida os parentes e amigos a assis-
tirem as missas, qudela alma do mesmo, man-
da rezar no stimo dia (sexta feira 12 do cor-
rente) s 8 horas da manh, no convento de N.
S. da Penha, por cujo caridoso obsequio desde
j se..conffssn agradecida. _______
t
Borolhca Correia de lenum
Antonio Ferreira Nobrega, tendo recebido u
infausta noticia do fallecimento de sua prezada
av, Dorolhea Corre.a de Jesus, convida ao?
seus parentes c amigos a assistirem a missa
que pelo seu eterno repouso manda rezar na
matriz de S. Jos, pelas 7 horas da manh do
dia 13 do correte, stimo dia ue seu falle-
cimento, e desde j se confesa summamente
agradecido.
f

Antonio' Argemiro Baudel
W'alfrid Serrcnson e sua familia agradecem a
todos aquetles que acompimharto ao cemlteric
publico o cadver de seu cunhado e amigo, An-
tonio Argemiro Baudel e pedc-lhes c novo ob
sequo de assistirem a missa do stimo dia, que
ser rezada no convento de S. Francisco desta
cidude no dia 12 do corrente, pelas 7 1/2 horas
da manh, pelo que se confessam desde j finui-

*

t^


i


Diario de PernambucoQuarla-feira 10 de Julho de 1889

FUNDICAO !DE SINOS E BROME
DE
LUIZ U CRUZ MESQUITA
66ra do Baro do Triumpho66
Tem para vender o seguinte:
Machinas de cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
Alambiques de cobre do antigo e novo systema com esquenta garapa.
eruentas de cobre e de estanho.
Carapncas de cobre.
Taixas, taixos e caldeiras de cobre.
Bombas de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
1'orneiras de bronze e madeira de todos os tamanhos.
Canos de cobre, de chumbo e de ferro.
Reparf idciras, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro estanhado.
Cobre era lcncol o rmelas.
Sola-ingieza e do Rio.
Cadinbos patente e de lapis.
NIDOS de 1 libra at 110 arrobas.
E nmitos otitros objectes
EXCARREGAM-SE de qualquer concert e obras de encommenda, garan
lindo presteza, perforo e precos mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
VKXDE a praso ou dinheiro com descont.
fftAIS DORES de Djm>i&,
Elixir, F> e Pasta dentilricios "* /
DOS
i. >P. BENEDICTIM OS
da ABBADIA de SOULAC (Gironde)
DOM IWAGELONNS, Prior
2 JIctlalJiaB d? Ouro: Brutelles 18S0 Londres 1884
AS MAIS ELEVADAS RECOMPENSAS
1373
atoffiasiMSPSiWHgaa
DO
MARA1VHAO
Approvado pelo Exm. Sr. preside a te da ^>iovincia
:##:
Premios da
1 premio de .
1 .
1 < .
2 .
6 ...
10 t ...
2 approximacdes de
2
2
9 Dcz. do 1." prem
a


3rrvKT.&30
Nl> ANNO
Pelo Prior
Herr noUBQAVD
?
O hk> anotidiftao do Elixir Dentifricio
eos R. PP. Benedictinos, com losa filpunias pottas com ra. prevem o cura a carie
d lian 1 as. }reiii.rivas parfuitamoute sdias.
"rostamos um yerdadeiro sarvioo, assi Un i ai.s HHS.S08 leitor.'S esta antipo e utilis-1
si::.(i prapsrado,* melhor curativo oo nico
preservativo contra as Aileccoes den-
tarias, s
Agente geral: SEGUIN, BORDEAUX
Acha-se em toda* as boas Perfumaras, Pharmacias e Drcsarias.
9
9 .
99 2 fin.
99
900 tena.
900 c
2."
3."
1.
2."
1."
2."
lotera Intelra
. 300:0000
. 50:0003
. 12:500?
5:0000
2:5000
1:5000
2:5000
1:5000
7500
7500
5000
2500
2500
2500
10:0000
15:0000
15:0000
5:0000
3:0000
1:5000
6:7505
4:5000
2:2500
24:7500
24:7500
1250 112:5000
1250 112:5000
Premios da serie
premio de .
2052 premios do valor do
700:0000
1
1
1 ,
2 .
6 .
10 a .
2 approximaco'es de
2
2
9 dez. do 1.
9 2.
9 c 3
99 2 fin. 1."
99 < 2.
900 term. 1.
900 2.
prem.
c
2000
1000
600
1000
600
300
300
200
100
100
100
50
50
12:0000
2:0000
5000
4000
6000
6000
2000
15*>0
600
2700
i 800
900
9900
9900
4:5000
4:5O0
28:0000
j
2052 premies no valor de.
Todos os premios sao pagos integralmente
Esta lotera composta de 10.000 bilhetes a 1000000, dividida em 25 series,
custando o inteiro da serie 40000, subdividido este em quintos da serie (12508 do
bilhete inteiro da lotera) de 800 rs. cada um.
O agente desta lotera chama a atteacSo do publico para este importante
plano mais vantajoso pela sua boa organisacSo.
Com 40000 (b quintos de que se compite a serie) recebe-se 12:0000000 e com
800 rs. (1 quinto) 2:4000000.
O menor premio da um resultado de 25 /0 P's custando o quinto 800 rs.,
recebe 10000 as terminacSes dos 1. e 2." premios.
Sao premiadas as dezenas doa 1.. 2. e 3. premios.
As duas letras finaes dos 1." e 2., ter/ninac3es dos 1. efi..e as approxi-
xoes dos l.o, 2. e 3.; tendo alm disso premios de 2:0000000, 5000080, 2000000,
1000000 e 600000. \ j
EXTRACC0' NTEANSFERIVW
Para a eura efficam e prompta da
Molestias provenientes de im-
pureza do Sangue.
E' urna loucura andar a fazer expe-
rienctis com mistaras inferiores com-
posta* de drogas ordinarias ou de plantas
indgenas cuja efflcacia nao confirmada
pela sciencia, emqaanto que a molestia
cada vez vai ganhando terreno.
Lancem mao, sem demora, de um re-
medio garantido cuja efflcacia seja facto
assignalado e inquestionavel 1
O Extracto Composto Concentrado
de Salsaparrtlha de Ayer 6 conhecido
e reco mmendado pelos mdicos mais in-
telligeotes dos paizes adantados, ja
durante 40 annos,
Centena* de mi litaros de doentes
?m colhido beneficios do seu emprego e
sao oiitras tantas testemunhas da sua
efflcacia positiva e incomparavel.
PREPARADO 1XLU
DR. J. C. AYER & CA,
Lo well, Mass., Kst.-Unidos.
DEI'OSITO ""
(JM.
REMEDIO
ffiFALLTSEL
cm todo o caso de
RHEUMATISMO
Impurezas do S&Egiie, Ernpgoes, Escr-
fulas, ulceras, SipMlis
e toda affoeeao de natnreza
eruptiva ou venrea
SLSPRRLflA
DE BEISTOL
0 Remedio 3 Familia por excelencia!
Aliiga-se
o 3- andar do sobrado roa do Imperador n. 26,
a'tratar na lithographia roa Mrquez de alin-
da n. 8.
Ama
I recisa-se de urna ama:
flictos n. 20, inverna.
na estrada dos Af-
,
VICTORIA
TINTA INALTKRAYEL
Esta tinta recommenda-se pelas qualidades
seguntes:
1E' ignal a melhor tinta Bine Block ngleza.
2E' de urna fluidez extraordinaria, e torna-se preta como
carvSo.
3E' de duracao Ilimitada, portento para os livros do com-
mexcioe paxa documi'ntoa, que carecani dft longa duracao, nao
se pode desejar tinta melhor.
4Nao estraga as pennas de ac.
Prefos; garrafa 800 rs. \ \l garrafa 500 rs.
UVRARIA (nn;ni>ORi\i:i
:.:.:: :..::;: i :.
R Ag.' DE MARQ OP ERNAMBUCO
ALBINO SLYA & C.
-I'i Ra Mrquez [de Oliada t
gorneceior de $$. gf^f.
o Imperador do Brazil e o Re dos Belcas.
A VBRDADEIRA
AGUA de B0T0T
' o nico Dentifricio approvado c
pela ACADEMIA dr MEDICINA de PARS
0 melhor calmante contra as Doret de Dentes
Rtcommendado especialmente oom os POS de BOTOT eom Qnint.
para os cuidados da bocea.
2S9, Roa St-Hooor, Paria, t em todu u bou Dnpriu, Perfamariu e CabeDenMu.
Em Cifc, da criar is Farromist;
rtc Frruiga e do .'jrti-angeirc
a e GaiKIlireirDS
M
PAKIS,
*H9
i*
,&m~'$s ce glrdr <&msespscbil\ U
?asPAR&r)0 cov; Bsmixso |
IP^'J^T, Perfuraisca \{
-^a u-rc VP.-PT ?_
JUNTO AO LOUVRB
E'ON.20
KUUGEKil
iiummsmit.
44-814 B4R\0 0 TR1UIIPH0-44
Machinas a vapor.
Moendas.
Rodas d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas] sem^'crava^ao
Arados*
Tecidos para vestidos
Cambraia Victoria a 20800 a peca.
Batiste finas a 240 rs. o covado.
Fustao branco lavrado a 360 rs. o covado.
Setim do Japso a 240 rs. o covado.
Cachemira de liatraa a 14200 o dito.
Las Amazonas a 400 rs. o dito.
M.erW>B Iibob duas \arguraB a 440 rs.
Gazes arrendada a' 500 rs. o covado.
Chitas perca/es a 200 rs. o dito.
Metas de quadro a 300 rs. o dito.
Cretones claros a 240 rs. o dito.
Rendas hespanholas a 20000 o dito.
Setim Maco a 800 te. o dito.
Popelina branc a 800 e 900 rs. o ditj
Setineta branca lisa e lavrada.
Merinos pretos (baratsimos).
Toile pardo a 360 e 400 rs. o covado.
Cachemiras lisas a 10200 o Govado.
Cortes de vestidos em carteles.
Cachemiras de quadro a 280 rs. o covado.
Velbutina preta a 640 rs. o dito.
Crep preto (ingle) a 20000 o dito.
100.
Artigos para homens
Cortes de casemiras, a 60, 70, 80 e
Camisas allemaes a 36600 a dosia.
Paletots de alpaca preta a 40500.
Regatas de cores a 10 e 10500 e 20000.
Paletots de seda palha a 7&500 um.
Ceroulaa de bramante a 150000 a duzia.
Pa\etot8 de alpaca de corea 40500.
Camisas de fianeJJa a 40500 urna.
Gnardap" para homem a 6&000.
Sobretudo de panno piloto.
Meias inglezas a 50000 a duzia.
Meias finas da Escocia a 10500 o par.
Lenyos de linho a 50000 e 65000 a duzia.
Casemira em corte para temos.
Chevioth preto e azul a 40000 o covado.
Casemia diagonal a 20000 o dito.
Brim branco, todos os nmeros.
Brim de linho, de cores, a 10800 a vara.
Duble-capas de panno.
Casemiras pretas e de cSres. \
Bolsas para viagens.
Costumes para banhos salgados.
Ama de cosinha
No sitio n. 5 da estrada de Joao Fernandes
Vkira se preris; de urna cosinheira, prefere-se
a urna raulher qi e durma em sua casa.
Gozinhoira
Precisa-se alugar urna ama
que saiba cozinhar; no 3.
andar do predio n. 42 da
ra Duque de Caxias, por
cima da typographia do
Diario. >
Aluga-se
o grande armazem com graade quintal, guarto9
para dependencias e cacimba, ra du Marciv
Dias n. 71 ; a meia-agua travessa do Peixofc
numero 17 ; a tratar na ra de Marco nume-
ro H).__________
Aluga-se
o segundo andar e sota do sobrado ra do
Rtagel n. 44, caiado e pintado, e com muitos
commedos : a tratar narua Direita n. 3, tercei-
ro andar.
Aluga-se
a casa sita Cruz das Almas ou Parnameirim n.
10 B, com commodos para urna pequea fami-
lia, lendo um Dom sitio, e acha-se hmpa ; a
tratar na ra da Aurora n. 119, ou na do Apollo
n. 30, 1- andar.
Aluga-se
em Parnameirim ou Crn/ das Almas n. 10A,
urna grande e excellente casa com agua e gaz,
tendo um bom sitio, aqual confronta com a
casa do Dr. Leal ; a tratar na ra do Apollo n.
30, 1 andar, ou ra da Aurora n. 119.
Alug-uel barato
Ra de S. Amaro n. 14
Becco da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Ra Visconde de Itaparica n. 43, armazem.^
Largo de S. Jos n. 74.
Largo do Mercado n. 17, loja.
A tratar ra do Commercio n. 5,1 andar,
esenptorio de Silva Guimares & C.
A03 Sn. XOPXXETAXIM de CAVA ILOI
UNGENTO STEVENS
O nico substitulndo a cauterlsacSo dos cavallos
pelo topo. Esto maravilhso 'preparado o nico
teoiedio verdaderamente ci'Qcaz para curar tudas
e quaesquer Afleefoe du psrnu da csvalls, Enfermediies di
lrgame Dislocares di U4a a utarui. 40 anuos de
ojtlmo o contlnao xito em todas as cor-
ridas, haraa e nos prlnclpaes estabeleci
mentos de cavallos em Inglaterra e Europa.
Nmica delxa nodoa alguma. E' mister experl-
monta lo para Dcar convencido do scu valor.
VenU-te em cairas com a competentes indcace
para o seu empreoo. emportuouez
Uicaante prepindo por H. B. STEVENS. medico-ntehaarM,
f. Park Lana. Londres (IngUUrriJ
i>iiiUriu ea Peramt>uu> FllAt- M. a SttVi k C
GRANDE NOVIDAD'
48RA BARAO DA VICTORIA481 {
Veahr.m ver para crer
AKTI60S BWERSCS
Capellas para noivas a 7(J0OO urna.
Balcias forradas a 440 rs. a duzia.
"Luvas de seda a 2J000 e 20500.
Bicos preto de seda.
Toalhas para banho a 10500 urna.
Cobertores de 12 a 1(5800 um.
Bicos de cores a 20000 e 20500 a peca.
Guardanapos de linho a 20200 a duzia.
Bale as pretas a 240 rs. a duzia.
Arcos cobertos a 140 rs. o metro.
Colchas de cores a 10800 urna.
Guarniciio de crochet a 70000
Panno da Costa a 10000 e 10200 o co-
vado.
Toalhas felpudas a 40OCO a duzia.
Ia rae m
:^'*
DES
Oleo deFipdodeBacall.au
do X>T JOTTOOXT32:
iodo-Ferruginoso e Quina e Casca de Laranja amarga
------------n> m*------------
Este medicamento fcil de tomar, nao provoca nauseas,
e de cheiro agradavel. Pela sua composicao, possue todas as
qualidades que lhe permittem cornbater :
a ANEMIA, a CHLOROSE, as AFFECQES do PEITO
a BRONCHTTE, os CATARRHOS, i TYSICA
a DIATHESE ESTRUMOSA, ESCROPHULOSA, etc.
Em vista do seu emprego fcil, da sua accao multplice e
segura, da economa para os doentes, os mdicos receitam-n'o
de preferencia qualquer outro medicamento similar.
DEPOSITO C*^T^S^Xi s
PARS, 209, ra Saint-Dems, 209, PARS
VE.NDEU-SE tu TODkS AS PnUCIPAB PHAMUCls* BO CWVERSO
CONFIAR DA8 FAUSIFICACOES E IMITACOES
Colchas de fustao a 30500 um.
Algodao branco a 30200 e 40000 a pesa.
Colchas de crochet a 60500 um.
Coletea de flanella a 20500 um.
Tapetes grandes a 130000 um.
Madapolao americano a 60000.
Fichs de retroz a 10000 um.
Lences de bramante a 20000 um.
Cobertas de ganga a 30000 urna.
Lencos brancos a 10200 e 10500 a duzia.
Sargelins de cores a 200 rs. o covado.
Brim pardo a 280 rs. o dito.
Espartilhos curaca a 50000 um.
FustSo de cor para roupa de enanca a
800 o covado.
Seda palha a 10000 o dito.
Leques transparente a 20500 um.
Extratos, tnicos, entrcmeioB, bordados e pos de arroz.
Roupas por medidas
20Ra Primeiro de Margo20
CASA DE COMFIAX$A
AMARAL & C,
i-m-im' n:.u-^r3r;^;"N n u- b i .a
NBM
-.11 Bi'I
GRAXA LIQUIDA lMPEfEAVEL\
EMPHEaA-9E 0B2fcC ESCOBAS
O magnifico LUSTRO 'eaxa graxa^
consarvaso duranto tuna semana,
soja quai fr o terapo.
BAL MORAL GL0SS Gomma uslrixa ns Boltiiuu as SenlxrrasA
APPLTCA-8E BEt: >:3COVA8
PASTA UHCTU0SA, "** oaixas do roiha de n&ndres, tai qnaJj
uUiwue ao xercito logia*.
TMr NuflIAN MAHUfl COMW U, O 9, HoierLliC. LONDNH K. Q.
ACent. atas* cm pzrnakz-co I
Quituarao- A Por man.

asthua & mmm
Curado;: pelos CIGARROS ESPIG
Oppresses Tate Defluxo XevrtUffUu
DIGESTOES
DIFHCEIS
Oyspepsia
Perda
\de Appetite
30l
DOENCASdoESTOMAGO
ELIXIR GREZ
GASTRALGIA
ANEMIA
Vomitas
Oiarrha
i
EJcencf adopela Inspectora Geni
dsEygine do Imperio do Brai.
Xarope-Zed
V
(0 CODEWH TOltl,
O Xarope Zed nprega-se coam m
britafSts do "Peite, Tosu dos Tiam, Tom
convulsa fioqtuluche)SBroncUUs,Ccnsttstfas\
Qarrhos t Insommas persuitnUs.
iajus, n, ras Draset, s aaa twiasiaasr
Ensino particular
0 professor Joao Valeotim Teiseira Bastos
contina a leccin .r, nao s em casa de sua
residencia, como em casas particulares, as ma-
terias que constituem a iostruccao primaria, das
4 as 6 da tarde.
tomSo Jos da Silva Marques declara a quem
intere8sar possa que venden ao Sr. Fortunato
Pinto da Motta o seu estabelecimento de molha-
dos n. 63 ra Visconde de Inbama, conforme
a escriptura lavrada no cartorio do tabelliSo Sr.
Apclinario Maranhao. Recife. 6 de Julho de
188!>.
Caulellas do Monte de Soecorre
Compra-se canteilas do Monte de Soccorro de
qualquer joia, brilhantes e relogios; paga-E
bem na Praca da Independencia n. 22, loja d
relojoeiro.
A's maes de familias
QEEEIS VOSSOS FILHOS SEMPRE SADIOS?
Administrae-lhes o xarope ou as
Plalas Yermipurgativas
DO DR. GALASAHS
ptimas preparac5es de mastrnz
9 "rhuibarbo, para a explsalo completa, sen;
dores nem incommodo, dos vermes
intestinos ou lombrigas
(das cranlas e dos adultos)
SEIS ANNOS DE SUCCESSO
t Estas excellentes preparacoes nao ne-
cessitam de purgativos como auxiliares
visto serem purgativas por si mesmas.
As pessoas que tm vermes sentem c-
licas, tem constantemente diarrhas, indis-
posicao, sensac3o de corpos que s movem
nos intestinos, endurecimento do ventre, e
s vezes, vmitos. Rangem os dentes, qnan-
do dormem, algumas e pessoas expellem
vermes com as fezes ou com as materias
dos vmitos. As enancas apresentam as
pupillas dilatadas e inapetencia.
As pilulas levam impresso o nome do
DR. CALASANS e sao edr de rosa.
caixa de pilulas 1#200
V vidro de jarope 1S200
AS PRINCIPAES DROGARAS K
PHARMACIAS
{4
Maranna de S. Jos Cavalcante, viuva, maior
de 70 annos, vivendo em extrema pobresa, e
tendo em sua companbia tres netinbos de teara
idade, orphos de pai e mai, vem implorar das
almas bemfasejas e cariciosas um obulo qualquer
para n5o s alimentar aquellos infelizes, como
tambem para comprar alguma roupinha para
cobrir a nudez em que vivem. A sopplicante
reside ra da Concordia, casa n. 231.
0 melhor dentfrrtcto '
a
n
mpregada co-n
Odontalina
^ HSII DCKTsnl*, TEBDADEIB!) UUII B( BOCCA
^ PAS1S: E&seD.Zira ffBg&ta ^
W+*^+lM>9r9*
Caixeiro
Frecisa-se de um meniDO de 12 a 14 annos de
idade para caixeiro de taverna; no largo do
Terco u .34^______________________________
Cozinheira
Precisase de urna que cosinbe bem e nao
gaia a rut. para casa de familia; a tratar n
roa doCabug o. 14. de mio dia at 2 oras

Grageas Deuiazire
ivadfts polo. Inajpootoria de Hraiene do Brairil
SAGRADA
anadio


i
?

I



Rouad'agouvs,
oda d'agua em honestado,
a tratar i.a rua^ireXa nu
Diario de PernambucoQuarta-eira 10 de Julho de 1889
As acet do, e majare tu i os, que eorrum coai a uitiau
loteria^Te Junho, ticam adiadas para a priineiri
Tez de Julho por falta de lecebimentos.

./
Vndese ura pequeo e.Uabetecimento dt
seceos e molhados, 10 rancho ila ra Imperial,
rua do Amorim n. CO.
Vndese un sitio em Tigipi, com boj
casa de morada, e outro no Pe. es, ambos com
casas de podra e cal, e arborisados ; a tratar no
caes do Ramos n. 26.
Vende-se uma boa armacao de auiarello.
propria para qualquer negocio, na rua do Rao
gel n. 6 ; a tratar na mesma rua n. 29. Garan-
ts chaves.
Tele^ramma familiar
Venham ver ao 55
RUA DUQUE DE CAXIASj
Tendo resolvido vender os seguintes
objectos por menos 50 0j de seu valor
real, convidamos nossos freguezes a ver
a reaiidade!
Cachemiras combinacSo com listas de seda
ultimo gosto a 15200 ocovado.
Cambraa com sal picos a 45000 a peca.
Cortinados, novidade a 55500.
Sargelins de qualquer cor 200 rs. o covado.
Linn bordado padrees novidade a 800
rs. o covado.
Setins de todas as cores a 800 rs.
Mantib as pretas.
Cambas francezas com collarinho coisa
chic a 2-5000.
Cretoncs para coberta a 500 rs.
Amor da China grande sort'mento em dc-
zenhos a 201) rs. o covado.
Pannos de crochet.
Cortes de vestidos coisa nova a 85000
125000 c165000.
Guardanapos a 15600.
Madapolito cota muita largura a 55000
65000 e 75000.
Merinos pretos de todos os preeos.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Babados e cntremeios.
Vestuarios para baptisados coisa nova a
105000 e125000.
Lavas de seda a 25000.
Zefiros de cures a 160 e 200-rs. grande
sortimento.
Grande sortimento de plastrons e regatas a
15000 uma.
Tecidos arrendados, novidade a 400 c 500
rs. o covado.
Grande sortimento de easemiras para rou-
pas de homem.
Colchas brancas c de cores tim sortimento
completo.
Collarinhos c punhos para homem.
Cortes de casemira de cor a 45000.
Cassi netas om 2 larguras a 15000 o co-
vado.
Cretones para vestido a 240, 280, 320 e
400 rs. o covado.
Meias e lencos de cures para homem e
senhoras.
Merinos de cGrcs de 500 a 800 rs. o co-
vado.
Brim de linho de cor, angola c moksquins
grande variedade.
Tapetes grandese pequeos, algodao bran-
co, largo e bom a 5500<.
Camisas de crctone muito bonitas a 25500
e 35000 ama.
Canibraias suissas com salpicos de cores a
75000 a peca.
Renda da China a 200 e 240 rs. o covado.
Da-se amostras sem penhor.
55 Rua Duqnc de Caxias 55
Fernandos Azevedo &C
A Revoluqao de 48
A' rua Duqne de Caxias a. 48
Em vista das muitas pechinchas que te-
mos recebido, viemos por meio d'este cha-
mpar a attencSo dos nossos freguezes, pro-
vando ao mesmo tempo como vendemos
por menos 30 01 do que em outra qual-
quer casa. *
Folardina, tecidos moderno, a 320 rs. o
covado.
Organdis (fazenda de phantasia) a 400 rs.
o covado.
Nansuks muito finas de 120 e 240 rs. o
covado.
Merinos lisos e de quadros 200, 240 e
280 rs. 6 cevado.
Cortes de linn e cretones, todos os avia-
mentos, a 5000,85000, 95000 e 105000
um.
Ricos cortes bordados em cartao a 145000
Atoalhado para mesa, muito largo 15200,
e 15500 ometro.
Pannos de crochet para cadeira |a 500,
600, 700 e 800 rs. um.
Colchas de crochet com palmas para noi-
vas a 55000, 65000, 75000 85000 e
95000 uma.
Cortinados bordados, muito finos a 65000
o par.
Bramante liso e trancado de 4 larguras a
IdOOOo metro.
Bramante trancado ,de 2 larguras a 400 rs.
o metro. ^
Toalhas de cores para mesa elstica a
55000 uma.
Saias bordadas, muito finas '& 35000 uma.
Luvasjde seda, lisas e arrendadas a 15000,
15500 e 25000 o par.
Seda alsacianas, novidade a 240 rs. o
covado.
Cretones claros e escuros [de 500 rs. por
320 rs. o covado.
Zefiros de quadros a 120, 160, e 200 rs.
o covado.
Pechincha em camisas de meia a 15000^e
15200 uma.
Leques de penna, o que ha de moderno a
45'JOO e 55000 urna.
Capellas com veos para noivas a 85000
uma.
Fustao de cures para pelitot e calca a
500 rs. o covado.
Brins ido linho, cores fixas e garantidas,
a 500 c 600 rs. o covado.
Cortes de velludo bordado a seda para
colletc a 25000 o covado.
Cambraia de salpicos com 10 jardas a
45000 a pe..a.
Bicos de cores e branco a 1500 e 25000
de 145000 por 75000 a
a peca.
Cambraia suissa
peca.
Collarinhos e punhos borracha a 15800.
Cobertas de ganga para cama /de casal a
25800 uma.
Lencos de cures, imitacSo de seda a 15800
a duzia.
Fichas de retroz, lisos e com palmas a
15000 um.
Madapolao americano com 1 metro de lar-
gura a 65000 a duzia.
Algodaosinho muito largo a 45000, 55000
e 65000 a peca.
Redes francezos a 45000, 55000 e 65000
urna.
Palitots de seda palha a 8.5000 e cor de
chumbo a 105000 um.
Cortes de easemiras ingleza a 105000
um.
Cortes de fustao para collete a 15000 e
] jb'00 um.
Cobertores de l com pequen defeito a
25000, um.
Toalhas para rosto a 200 rs. uma.
Espartilhos finos a 45000 o 55000 um.
Rotipa por medida, garante-se a perfei-
efio.
S na Revoluto de 48
IIENRIQUE DA SILVA MOREIRA
MAIS BARATO
Na Loja das Liste Azues
A' RUA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Vende-ae fazendas finas mais barato e
d-se descont a quem comprar de 205000
para cima, troca-se as fazendas vendidas,
s~por qualquer motivo nao fr de muito
agrado para quem for comprada e vende
pelos seguintes preeos:
Cachemiras lisas e com listas de
seda de lindas cores, a 15400.
!71crJns de duas larguras, a 440 e
800 rs., qualidde superior.
Tecidos arrendados cor de efeme com
matiz com duas larguras, a 600 rs.
Fazendas de phantasia e lindas cO.-es
a 400. e 500 rs.
Tecidos de linho, lindos padroes
grados, a 200 e 240 rs.
Zefiros lisos e de quadro, a 80 e
100 rs.
Metas de Macdo branco, preto e de
todas as cSrea a 750 e 800 rs.
lefias de quadrinhos, a 900 rs.
Sedas lavrtdas brancas e de cores cla-
ras, a 15400.
G'Azes de seda com fios prateados
15000.
Cortinados de crochet, em pesa, a
900 rs.
Cambralas bordadas brancas e de
cores, a 4500<', a peca.
Cortes de vestido bordados, braneos,
para noivas, a 165000, 185000 c 205000.
Veos para chapeo preto, branco fe de
qualquer cor, a 15500.
Crep inglez para enfeitos de vestide s
a 15200 e 25000.
TECIDOS MAIS BABATOS
Percales e chitas claras, finas, a
180. 200 e 240 rs.
Cassas de cores finas e seguras, a
120 e 240 rs.
Morim de listras aznes muito lar-
gos com 20 varas, a 65000, a peca.
Sargelius fiaos, a 160, 180 e
200 rs.
Crinolina, qualquer cor, a 400 rs.,
o metro.
Ciuardanapos superiores a 15800 e
25000, a duzia.
Atoalhado lavrado, lindos dezenhos,
a 15000.
Bramante de 4 larguras a 640, 800
e 15000, o metro
Toalhas acolchoadas c felpadas com
listas de cores, a 45000 e 65000, a duzia
Bicos braneos franceses, a 60(<
e 800 rs., a pega.
Bicos finos, braneos, crerr.es e ma-
tisados, a 25000, a pega.
Baldas a 240 rs. a duzia, cobertas a
400 rs.
Lnvas de seda, bordadas, brancas,
pretas e de cores, a 25000.
Leques de papel, a 500 rs. e trans-
parentes, finos, a 25000.
Leques de pennas o que ha de rnc-
lhor, a 55000 e 65000.
Jabonete grande de perfume agra-
davel, a 500 rs.
Extractos finos francezes o inglezes
a 15000 e 25000.
Despertadores americanos, a 75.
Mosquiieiros americanos com ar-
macao a 105000 e 125000.
Espartilhos americanos e inglezes,
a 45000, 55000 e 65000.
Capas de vidrilho e rendas, a 255000
e 305000.
Toalhas de labyriatho para bap-
tisado a 305000, 405000 e 505000.
E muitas fazendas qne se d por todo o
prego na.
das Listras zoes
A FLORIDA
sen
Ts
Vende-se
averna
Vende-se a bem afre^uezada Uverna, sita
roa das I rincheiras n. 23 ; a tratar na mesmu.
Barato
Vende-se diversas machinas de numerar, gra-
damenos e balco de amarello para escripto-
rio, carieiras. armarios, macnina de copiar car
tas e diversos cofres, entre os quacs um dos
melhores que tcm vindo para estu provincia de
encommendu para a antiga thesouraria da9 lo-
teras ; a tratar na rua Bario da Victoria, loja
n. II, das 10 horas da maaha as i da tarde.
FOLFSTIM
DECAPITABA
POR
F. BU BOSGOBBY
(Continuacao do n. 152)
V
Palavra de honra, o senhor mereca
que eu sabisse sem dizer palavra mais.
Nao balbuciou Cordouan, acabru-
nhado. NSo... fique... e fal eme della...
voc vio a ? m
Sexta-feira, s tres horas, diante do
square Notre-Dame, encontrei-a, dirigi-
lhe a palavra c conversamos. NSo vejo
por que motivo nao lh'o dira e se qui-
zesse ter o trabalho de reflectir que nada
tenho que me censurar... uma vez que
venho <' sua casa... Entilo o senhor ima-
gina que eu subi por acaso' a este quinto
andar? Isso que nao! Eu nem sequer
sabia que o senhor existia, quando fallei
sua neta, a quem tambem nunca tinha
visto. Foi ella quem me deu a sua mo-
rada. Ainda mais, foi ella quem me con-
yidou a fazer-lhe a minha visita em um
fiomingo em porque nesse dia eu encon-
trava-a aqui. J v que no perdi tempo
para aproveitar o convite.
O velho marinheiro absorto, olhava para
Dangalas com olhos inquietos c nao ousa-
va interrogal-o, se bem que lhe tardasse^
saber como tinha acabado a aventura, de
que o rapaz nSo lhe tinha contado senao
o principio.
E Dangalas continuon logo:
uma rica e elegante mobilia de Jacaranda : para
ver e tratar no'pateo do Paraizo, offlctaa do tc-
nente Dionisio.
bBinn
no ans,
Tndt-n em teda 1 oart
Vinho particular
No armazem ta rua do Araorim n. 60, vnde-
se o que pode haver de melhor, pelo mdico
preco de 7-S o garrafao de tres caadas (vollan-
da casco).
Loja
Farello de carolo de algo-
dao
J conhecido como o melhor e mais nutritivo
alimento para animaos ; vende-se a rua do Bom
Jess n. 38, 1- andar.
Gates, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e de algodao com
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodao.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 35000 e 4500
a duzia.
Bordados de cambaia tapada a 400 500'
600 e800rs.a peca.
dem qom 3 e 1[2 metros, do qualqu;
argura a ljj200.
Lensolde linho em caixinhas a 35000 ;
' dita.
Meias para homem, duzia a 45000.
dem para senhora, duzia a 45000.
Lindos leques transparentes de gaze 1
35000 um.
Grande sortimento de porta-retractos di
pelhicia.
Finas pulseiras americanas a 45, 66 *
85000. o par.
Ditas do phantasia, gosto moderno, d<
^ 25500 a 35000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama 1
I25OOO, 175000 e 195000 o par, algn
de cores.
Ditos para janellas a 75000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 t
15000,
Ditos para sof a 25000.
Plafitons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de compriment<
ar45000. ,
Capellas com veo para noiva a 65000 r
85000.
Lindos enxovaes baptisados a 85 105
I25OOO.
Toncas de setim para baptisado a 35, 45 *
55000.
Gnnaldas e ramos de seda, o que ha d<
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos braneos e de cores a 25000 a pea
Ditos de seda braneos c de cores.
Lindos ramos de flores a 45000 um.
Collarinhos e punhos cclluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos c leos de diversos fabricantes
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car
ritel.
Pastas a 15000 c 25000.
Porta-lcttrss e porta-sedulas a 25000.
Arquetes para chapeos e chapelinas >
15500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 25000
par.
Ditas de seda para creanca a 15000.
Dita para moca a 15500 o par.
Grande sortimento'de jarros paca toilette
sanctario e consollos.
Lindos lencos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos
Ditos ditos para cnfeitar cabeca e segurar
chapeo.
Espartilhos para creanja a 45 e 45500.
Ditos para senhora a 45, 45500, 55000 e
65000.
Grande sortimento de sabonetes de 200
15500 um.
Estojo com faca, gario e colher, proprit
para creanca.
Bengallas com flauta a 15500.
Meias de la para liomens e senhoras.
Lichas dourad pora faasr crochet.
Lindas fitas para tacha a '6, 35 e 450W
o meti.
Lindos loques de setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim e
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 25000.
Lindos desenhos para talagarca,
Finas cartel ras para algibeira de 15, 24,
3 e 35500 uma.
Rua Duque de Caxias n. 103
Liq
O 59
uidando os artigos se-
gmntes I
Rua buque de Caxias
Merinos de todas as cores a 200 rs. o co-
vado.
Lindo sortimento de alpacas modernas a
400 rs. o dito.
Zefiros de quadros a 80, 100 e 160 rs.
o dito,
Cretones francezas com 1 meti de largn-
ra a 280 o dito. 9
Nansuks, cores firmes a 100 e 160.
FustSes braneos bordados a 3G0 e 440 o
dito.
Bramantes de algodao a 700, 800 e 15000
metro,
dem de linho, superior a 15600 o dito.
Atoalhado bordado a 15200 o dito.
Superior madapolSo americano com 24
jardas por 65000 a peca.
Algodoes da corte, o melhor a 35500
45000 e-55UOO a dita.
Cambraias bordadas finissimas a 45000 a
dita.
Idera Victoria com 10 jardas a 25800. de
E8gui3o de algodao a 4,-5000 a dita.
Ricas guarnicoes de crochets a 75000 e
85000.
Cortinados bordados, novos desenhos a
65000 e 85000 par.
Toalhas superiores, muito grandes a45000
a duzia.
Meias inglezas a 35000, 45000 e 65000 a
dita.
Seroulas bordadas de bramante a 145000
i a dita.
Camisas francezas e inglezas a 365000 a
dita.
Guardanapossuperiores a 25000 e 55000 a
dita.
Cobertas de ganga, 2 pannos a 25800
uma.
Lences de bramante a 15800.
Colxas francezas, de cores a 25000.
Mantilhas e fichsa 15000, 15200 e 15500
Chales de la a 25000, cachemira, grandes a
35000.
Redes do cores a 35000 uma.
Cobertores de la braneos a 25400 um.
Cassinetas para roupas de meninos a 200
rs. o covado.
Casimiras diagonal, 2 larguras a 15400
e .15800 idem.
Flanella azul ingleza a 15200 e 25000
idem.
Cheviots superiores a 35200 e 3-5500 o
dito.
Damascos de la para capas de pianos a
25C00o dito.
Pannos -ara mesas, novo gosto a 15100
15300 e 15800.
Espartilhos, luvas, grinaldas para noi-
vas, lencos de linho, baratissimos e muito
artigos que vendemos por preeos sem com-
petencia.
Rua Duque de Caxias u.Iil.
LOJA DE
PERBIRA &MAGALHAES
Pao centeio
Mello & Eiset, avisara ao respeitave! publico,
<]ue todas as tercas e sextas-teiras, em este ss*
joroso pao; rua larga do Rosario n. 40.
A LOJA MAIS BARATEIRA
PARZ NUMRICA
AZEVEDO, IRMaO & C.
16Rua do B. da Victoria-,-16
HOOTdephone200
Tendo recebido directamente da Europa
grande sortimento de fazendas e modas c
que ha de mais novo e preeos sem com-
petencia.
A saber ;
Capas de surah, senda q merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, do 12 e la seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 15000 e 1520.
Crinoline preta e branca a 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 15500, com 1C
palmos.
Toalhas para banho a 15000 e 15500.
Chaehemiras com 2 larguras a 800 rs.
Ditas de l e seda 2 larguras a 15000.
Madapolao tran?ado a 95000 a peca.
Dito globo a 75000 a dita
Dito camiseiro a 75000.
Dito B3a-Vista, verdardeiro, a 65000.
Fichs de la e seda 15000.
Brins d? Iraho cies fixes a 600.
Espartilhos couraca a 45000 e 55000.
Colchas de fustao a 25000 e 35000.
Capellas para noiva com veo bordado
65000.
Toalhas de cre3 para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 15500.
Renda de 1S, preta, para quareBma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 135000.
A verdadeira esteira para forro de sal*
a 15000.
Camfsas de flanella a 55000.
Cortinados de crochet para cama *
105000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 15000.
Extracto Rita Sangal a 25000.
Velbutina de quadro a 800 e 15900.
Guarnigoes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, broncos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 45000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 25000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite"
Grande sortimento de chapeos de sol.
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
Ao bello sexo
As mulheres so como as* pedras preciosas,
cujo valor augmenta conforme os adornos. Para
isso o S;ilo da Moda reccbpu um completo sor-
timento de cortes de l de quadros. com 20 co-
vados cada um, que vende por 55000 e 6$ : na
rua do Rangel n. 13, G. Santos & C.
Para que lhe hei de oceultar que fiz
a c'-rte aquella encantadora menina?...
A principio para passar um pouco de tem-
po... depois, como vi que ella nao cahia,
aceitei logo vir explicar-lhe as minhas in-
tencoes... e pedir-lhe que me autorise a
continuar a frequentar esta casa... com
boas intenciies. Contava que a tornara
a encontrar aqui e que ella lhe tivesse
fallado a meu respeito. Ora aqui est, meu
velho. Espero agora que n2o me tome
por um farcista que desinquieta as mo-
jas.
Nao... acredito-o, disse-lhe sem mui-
ta convic^ao o pai Cordouan; mas... on-
de ia ella quando voc a encontrou ?
Levava um chapeo novo a uma das
freguezas do armazem.
Receber a conta, foi o que me disse
a patria, que tinha ar de desconfiar que a
minha pobre netajj nao tinha voltado por-
que queria ficar com aquelle dinheiro.
Era melhor que tivesse mandado sa-
ber noticias da sua costureira casa da
tal senhora que lhe cncommcndou o cha-
peo.
Pretende que mandou l alguem o"
que lhe responderam que nSo tinham visto-
a minha neta.
Isso nao vurdade Eu acompa-
nhei-a at a porta da fregueza em ques-
tiio. Ella entrou s, mas eu esperei-a.. *
approximava-se a noite e o lugar e bas-
tante deserto. Nlo quera que elle vol-
tasse sem escolta. Esperei-a por longo
tempo, e como ella nao sabisse, bat
porta. Appareceu-me ura lacaio, que me
disse que ella tinha sabido. Acreitei-o e
safei-me. Nao sei mais ada^nias descon-
fi agora que o lacaio ce.
O velho poz-se de p e perguotou-me
repentinamente:
E' em Passy, nao verdade rTHpfc
tra disse-me.
E' na rua Berton, muito perto do
caes que se prolonga com o Sena.
Qucr l ir commigo ?
la propr-lh'o, responden Dangalas.
O dUciplo de Vtrac fallava a ver-
dade.
Vinho puro de Santa-
rem
Da qninta de Barral
Chegou a segunda remessa deste especial vi
aho para o armazem central de gneros alimen-
:icios rua do Cabug n. 11, o qual se torca
recomniendado por ter puro da uva.
Joaquim Christovao & C.
Telephoae- 4147
A primeisa idea que lhe tinha acudido,
sabendo que a joven modista nao tinha
voltado para o domicilio paternal, tinha
sido de correr a Passy, e l teria ido com
certeza szinho, com risco de ver ainda
uma vez fcchar-se-lhe a porta na cara.
Mas elle prefera muito mais ir com o
avS, mais autorisado a reclamar sua neta
do que Mealheiro, que nao era nem p-
rente, nem alliado da pequea.
Nos dous, continuou elle, havemos
de obrigar aquella gente a entregal-a.
Entao voc julga que elle3 a tm
presa ? perguntou Cordouan.
Eu nao sei. mas o que lhe posso
dizer que a vi entrar e que nSo a vi
sahir. Se eu tivesse desconfiado que ella
nao voltava para casa nesse dia, tena ido
immediatamente procurar o commisario
de policia.
Vou com voc* a Passy.
Magnifico Mas o senhor est em
estado de supporar a viagem ? Olhe que
a rua Berton muito longe.
Era capaz de andar com as maos
pelo chao, antes, do que abandonar Agos-
tmha... e nos vamos tomar um carro.
Nao me sinto ainda muito seguro as per-
nas, e a cabeja pesa-me nos hombros co-
mo uma bala de trinta e seis, mas o ar h-
vre vai me fszer bem. Deixe-me apenas
refrescar um pouco as ideas antes de des-
cer-
Mealheiro nao saba "como que o ho-
meminho ia retrescar as ideas.
Estava em cima da mesa uma terrina
de agua.
Cordouan m< Lentro a cara, ficott
com ella me ante um minuto;
levanton como um Terra-
Nov; xclamou ; .
Agora estou lesto a largar. A cousa,
como v', muito fcil. Deixe-me enver-
gar o casaco, e a caminho !
O tal casaco era um velho sobretudo
com capuz, que tinha recebido muito gol-
pe de mar.
O antigo marinheiro tirou da parede e
poz na cabeca um chapeo dt
(uando quizer, disse i pro-
i.
V
Boyal Blend marca VIADO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Bleatl marca Vlado
cujq nome e emblema sao registrados par
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
psito, esqueci-rae de perguntar o seu no-
me.
Chamo-mo Dangalas.
E o xjue que faz ?
Sou pintor.
-; De casas ?... Raio de profissSo !
Pintor de casas, nao. Pinto retra-
tos... mu tos retratos... e quadros...
algumas vezes. Sou artista.
Tanto melhor !... porque so tem
realmente tencSo de pedir Agostinha em
casamento, prevno-o de que ella nao quer
casar com operario__Mas, agora nao se
trata dis30, trata-so de a encontrar. Toca
a safar.
E a sua porta, que eu rrombei ?.,.
O seu aposento vai sjcar aberto... en-
nho.
Nada tcm que roubar, gritou Cor-
deuan.
J estava na encada e Dangalas seguio-o,
admirando aquella velho que agonisava
ainda ha pouco e qHe agora descia sem se
agarrar nn corrimo.
A porteira estava entrada do cubculo,
como uma aranha & beira do burace, e
qoando o locatario passou, interpellou-o
com bastante descortezia.
Ola, diga-me c uma cousa, que dia-
bo de cozinha est l fazendo em cima ?
Empesta toda.a casa e isto vem l do seuj
aposento com toda a certeza...
E como o velho nio parasse para lhe
responder; a porteira continuou reforjan-
do o din pasito :
'Parece tambem que se diverte em
- vidros... os vidros chovem rio
>. Est bom, ha do pagal-o e o
^HlpCe-n'o na rua.
Tftflbuan nom se quer se voltou e Dan-
galas que ia em serra fila, absteve-se ape-
zar de estar morrendo por travar com
aquella megra de cordo um combate de
ditos'apimentadoa.
Tojnou a encontrar Cordouan na rua e
cinco minutos depois rodavam em fiacre
para Passy.
Tudo aquillo tinha-se feito tSo depressa,
Hov
eis
Xa casa n. 183' rua Imperial, vende-se ba-
rato dous guarda-vestidos e uma cama para ca-
sal, tudo novo em follia, de superior qualidde
e estylo moderno.
L puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo
go depois das casas novas da direita, vende-se
iodos os das leite puro de vaccas tourinas e da
Ierra, garapte-sc a qualidde do leite.
Boa aoqiiisic,o
Vende-se ou arrenda-se ora bom sitio na es-
trada neva de Agua Fria Beberibe, perto da
estago da Encruzilliada, contendo cusa com
lions commodos para familia, mais uma casa
para negocio, um parreiral, coqueiros", sapotisei-
ros, laranjeiras, fructa-pao e outras fructeiras,
toa cacimba com a^ua potavcl e terreno para
plantagss de hortalices ; a tratar na rua Duque
de Caxics n. 30, padaria de Bciro Almeida,
Vende-se
doiu quantidade de madeira propra para pada-
ria ou ohria : a tratar no la go do Corpo Santo
n. i, I indar.
qne o rapaz nem se quer teve tempo para
reflectir na empreza em que se mettia.
Come java apenas a ncaral-a seriamente
e parecia-lhe arriscada.
Quasi que j nao duvidava de que a pe-
quea estivesse presa na rua Berton, mas
nao sabia explicar por que motivo, e voltava
pouco a pouco a pergantar de si para si, se
ella nio tinha l ficado por sua propria
vontade
AqueJe mo pensamento j o tinha tid
n.i ante-vespera, emqnanto esperava Agos-
tinha e procurava afastal-o, mas sabia que
asi costu reiras de modista nSoin3piramcon-
inca e pensava que se aquella tinha, co-
mo se d z em certa roda, feito um bordo
em casa de m sujeito, Dangalas tinha oc
cs.siSo de se arrepender por ter levado
tram no seu aposento eewe -em ma- mm- ?[^ DOm bomem porta da casa, onde
a pequcaa fazia as suas partidas.
Era um tanto tarde para pensar nisso e
sobretudo para pensar em caminho.
Agora que a expediQo tinha comecado,
era preeiso ir at o fim, sob pena de des-
pertar descontiancas no velho marinheiro
queja o tinha suspeitaio de se entender
com a neta para zombar delle.
Desde que tinha entrado no carro, o ve-
lho lobo marinho nao tinha aberto os den-
tes e as suas feijSes severas e bronzea-
das podia-se 1er que ruminava resolucoes
enrgicas.
Dangalas julgara se dispensado do lhe
fai lar no drama do atelier de Vitrac e da
visita Morgue, que tinha sido o ponto de
partida de uma auentura truncada pelo
su>ito desapparecimento de Agostinha.
Reservava aqnell confidencia para o
car.o oin que adquirisse a certeza que a
senhora do chapeo e o sujeito que morava
coin ella na casa do caes de Passv, esti-
vo ssem envolvidos directa ou indirecta-
mente no negocio da cabeca cortada.
E com > os nao tivesse visto, mesmo na
occasiao om que elles entravam na casa,
nlo tinha meios de prejulgar a questao.
Os dous defensores da desapparecida ti-
nhumcahido por acaso em um cayao que
gatoi muito mais de um quarto de hora
para os conduzir ao lugar, onde na sexta-
iMuita atten^o
Na rua de S. Jos n. 56 tem para vender os
afamados vmbos e licores de todos os fructos do
paiz, fabricados pelo tinado Joao do Amaral Ra-
poso, comosejara : vinho de caj l. e 2.* qua-
lidde, vinho do abacaxt, viuno de janipapo,
composto e simples, hesperedina brasileira, la-
ranginha cordial, excencias te-jimo e cidra, e
tres prensas para espreraer os fructos, e tudo
se vende por Daratissinjofeco para liquida
Cao. Assim como se verae um bom terreno na
povoago Ue X. S. da Boa Viagem por qualquer
preco.
Vende-se
a taverna sita rua da l'niao n. 3, bem afregue
zada: trata-se na mesma e garante-se a chave.
Libras sterlinas
Vende se no escriplorio dePereira Carneiro''A
C, rua do Commercio a. 0.
Vende-se
o deposito de cigarros c cnarntos da rua do Fo-
go n. 18 ; o motivo da venda 6 o seu proprieta-
rio achar-sc doente c ter deretirar-se para fra:
a tratar no mesmo. _
r
feira de tarde, Mealheiro tinha saltad*
para um bond para escapar vigilancia de
um homem suspeito.
Aquella mudanca que lhe acudi men-
te, nao fez senao lhe confirmar na idea de
que se tinha passado naquella casa cousas
extraordinarias.
E' all, disse. elle ao companheiro,
mostrando-lhe o muro do jardim. Entra-
se pela rua onde vamos chegar, mas a pro-
priedade estende-se at o caes.
Aquelle muro ? resmungou Cordouan,
seltava perfeitamente por cima ddle, se
nao me deixassem passar pela porta. Se-
ria menos difficil do que subir borla do
mastro real.
Esperemos que nao havemos de ter
necessidade de chegar at l. Diabo!
Violaco de domicilio por escalada... isso
podia-o levar longe.
Cordouan nao disse palavra, mas fez um
gesto que significava evidentemente :isso
para mim o mesmo !
E Dangalas scismava at onde seguira
aquelle homem na va perigosa, onde pe-
recia inteiramentc disposto a embrenhar-se.
O fiacre nao levou muito tempo a che-
gar esquina da rua Berton.
Dangalas f<*l-o parar entrada da rua e
apeiou-se com o velho.
Aquelle rapaz, esperto como era, prefe-
ra apresenlar-se a p, sem se annunciaf
com o barulho de rodas, e isso com o fim
de ter probabilidades de sorprender os
moradores daqueila casa mysteriosa.
O calculo deu certo.
A porta, aquella porta que um rude cria-
do apenas entreabrir quando Mealheil
batera, estava escancarada.
E' verdade que o mesmo criado prepa
rava-se para fechal-a de novo, mas no pa-
teo, cujo accesso anda era livre, um co-
cheiro de libr acabava de desatrelar dous
cavallos de um landau.
Evidentemente,'anda esta vez, o pa-
trSo acabava de entrar.
i Continuar-te-h)
Tvp. do IHcrio rua Duaue de Caxias n. 41
\
w ^*,
^
J
* r
J
V
.
f
a
*'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EI38LGRU2_I2D7ID INGEST_TIME 2014-05-19T17:51:05Z PACKAGE AA00011611_19155
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES