Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19152


This item is only available as the following downloads:


Full Text
IF
^
ANN-0 LXV NUMERG'149
Por tres mezes adiantados....
Por seis ditos idem.....
Por um anno idem.....
Cada numeru avulso, do mesmo da.
PARA A CAPITAL E LCCARES O.liDU MAO Sfi PAA PORTE
6*000
120000
23,5000
100
SMMDO
ipil I .t .111 -^^
, PARA Ii:\TRO E PORA A PROVINCIA
Por seis meses adiantados ..........
Por nove dito idem............
P'irum auno dem, .... ........\
f'ti|gjMni i ii avuJso, de dias anteriores..........
13*500
20*000
26*000
*100
Trcpriedcufe de Manoel IfHp^ *& fFaria # 3%tyM
N Os Sis. Ariiede Prin-
ee & 0., de Pars, sao
os nossos agentes ex-
clusivos de annnncios
epublicapoes naFran-
$ae Inglaterra.
psito (le cobre ama solugao 'I'un sal (Je prata
ou de ouro. se se quizer obter por meio da pilna
ualquer reproduego em prata ou em ouro.
emos pois da percorrer, para descrever as ope'i
rari'.s praticas da galvanoplastia :
1" A mcoeira de pro parar o molde ;
2 O modo por. que se produz dentro deste
molde o precipatado metallieo por meio da cor-
rentc electnca,
Preparac&odo molde.A metera hojir q
exclusivamente utada$ara raser a molde desti
nado reproduego do original a gutta-pereba.
Esta substao lis preciosas quali-
dades para servir para tal operaeao, porquj
ainollece pelo calor, c recebe d.-m a inaior faedi
O
v-:?c
'TLEfiB|HB
8837153 FA&TIG7LA3 30 llLll*.
NATAL, ;. do Whb,
minutos da manli.
11 horas e 5
Foi adiada para o da 13 do corrente a
apresentacao das prepostas para compra
de 5,000 saceos com farinlia, annunciada
pela Thesouraria de Fazenda.
RIO DE JANEIRO, 5 de Julho, a 3
horas e 30 minutos da tarde.
Foram nomeados:
Inspector da Thesouraria de Fazenda do
Maranhao, J03 Bernardino da Silva ;
Inspector da Thesouraria de Fazenda do
Piauhy, Antonio F.aneo de S ;
Inspector da Thesouraria de Fazondado
Rio Grande do Norte, Germano Machado;
Contador da Thesouraria de Fazenda do
Maranhao, Leite Moraes:
1." escripturario da Thesouraria de Fa-
zenda de Pcrnambuco, Bandeira de Mello ;
1. escripturario da Thesouraria de Fa-
zenda do Maranhao, Ladislao Romeu Fer-
reira de Souza Jnior;
2-06 escripturarios das Thesourarias de
Fazenda f de Pernambuco, Arroxellas Gal-
vao, Duarte Godinho e Pereira Coelho; do
Maranhao, Severo Souza, Alfredo GalvSo
c Antonio Caetanheda;
3.* escripturarios da Thesouraria de Fa-
/.. nda do Maranhao, Ataliba GalvSo, Brau-
Iw6 Lago e Miranda Ges ;
Inspector da Alfandcga de Corumb,
Virgilio Costa;
Inspector da Alfandega de Uruguayana,
Frederico de Almeida;
1. escripturario da Alfandega de Ala-
glas, Tito Silva;
2. escripturario da Alfandega do Ma-
ranhao, Ataliba Belleza;
Engenheiro residente do prolongamen-
to da estrada do ferro do Recife ao S.
Francisco, o engenheiro Jos Antonio Sa.
raiva Junior> sendo o actual, engenheiro
Mendonca, mandado servir como chee de
seccao no prolongaraento da estrada de
ferro da Baha ao S. Francisco.
Ir
Por esta pressr.a Ratta-perch;'., materia emi-
nentemente plstica, penetra em todas as sinuo-
sidades do origina. Depois de arrefecer pode
ser separada, com a maior fanilidade, do origL
nal. e conserva todos os tragos deste com urna
lidelidade incompararel.
Mas a gutta-percha, que forma o molde gaUa-
ncplastic, qin corpo que nao conduz a electri-
cidade : por consequencia nao deixana passar
a corrente da pillia destinada a decompor o sul-
pliato de cobre. E' por isso nece3sario tornar
a sua superficie interior conductora da eleclric-
dade. Conscgue-se esse etTeito cobrindo a pin-
cel o interior do molde com plombagina e:n p,
Era lugar de gutta-percha usam se as vezes
outras materias plsticas., taes como a gelatina
applicada quente e arrancada do molde dopqis
de esfriada ; o gesso, que d boas moldes ; e
tambem o lacre. Nenburaa destas materias eon-
duz a electricidade, por isso indispensavel co-
brir sempre o interior do molde que produzram
com urna tenuissima capa de plombagina era
p. para tornar conductora a sua superficie in-
terna.
Modo de nroduzir o deposito me^allico no in-
terior do molde -Preparado assim o moldee tor-
nado conductor, resta provocar no interior delle
a precipitadlo do metal Para este effeito, pren-
(lc-se o molde ao polo negativo d'utna pilna de
Bunsen, constando de um ou dous elementos,
conforme o volurae ou numero ie pecas immer-
iidas no mesmo banho, e deposita se este molde
era um-tina de madeira que contem urna solugao
de sulfato de cobre (!) mergulbado3 s os nos
conductores no banho.
(if Como esta soluco se vai enfraquecendo.
preciso ter o cuidado de collocar no liquido um
sacco cheio de crystaes de cobre, que se dissol-
vem na agua medida-que urna parte do sal dis-
solvido destruida pela corrente, e que, deste
modo, conservam sempre o banho no mesmo
grao de saturacc.
(Contmi)
PARTE 0FF1CIAL
Ministerio do Imperio
Em 28 de Junho foi expedido o se-
gaint? aviso ao presidente do iauhy :
Em referencia ao officio de 13 de Feve-
reiro ultimo, com o qual essa presidenciajfossem mandados paraos navios da arma-
rcmetteu copia do que ihe dirigir o juiz da quantos por tal modo distrahidos dos
sim concebido : Na crte,
pector substituir o inspector no sen
pedimento e tersl especialmente a seu
go a polica do arsenal, a {Ucalisa
ponto e dos depsitos das officinas
lecidas dentro do raesmo'arsenal. *
arsenaes das provincias estas attrili
competem aosayudantes e no da Bshia
mais graduado ou mais "anti::
de igual patente.Barita de Ladario.
jfEixt 2li d Junho aojyuda
ral 9a armada:
as dtposcSes 'lo .".viso
o. 282 de 11 de Fevereiro do anno pr-
ximo lindo, que revogaram na parte que
ellas attendem o quanto fra estabelecido
no plano de uniformes promulgado, em vir
tude do decreto x. 5,208 de 26 de Abril
de 1873, declaro a V. Exc., para os fins
convenientes, que prohibido o uso d
capacete, voltando-se ao do chapeo de pa-
lha, bem como que de. conformicade com
o plano citado a sobrecasaca abotoada s-
mente admittida em 2. uniforme.
i No servco e quando se nao permita
b uso do paletot (actualmente dolman) a
sobrecasaca ser empregada com o collete
azul ou branco, correspondente cor da
camisa da marinhagem no uniforme do dia
(titulo III parte l.1, ns. 64 e 71).
Declaro, outrosim, que os officiaes
devem fazer uso da divisa nos punhos so-
mente em servijo sendo obrigados a tra-
zer espada cinta o que importa dizer nilo pode ni fazer uso da espada sem as
divisas e vice-versa.
Por ultimo recommendo a V. Exc.
que seja rigorosamente observado o pa-
drao dos uniformes e o seu uso.
i Levando A le;tura de V. Exc. a con-
sulta do conselho naval n. 5,644 de 18 de
Junho de 1887 e papis annexos, tenho
por fira fazl-o bem comprehender quanto
aquelle conselho lastimara cntao o ter
sciencia de esquecimentos que offendiam o
alluddido plano, os quaes, se ainda domi-
nam, devem cessar.
A dita consulta e papis que a acompa-
nhain, serab devolvidos a esta secretaria.
Barao de Ladario. j>
Para melhor comprehender-se o pensa-
mento que dictou o aviso n. 1,280 de 15
do corrente mez, e pelo qual a V. Exc
determnei que fizesse cessar de prompto
a abusiva o inconveniente pratica de tan-
tos aanos de o considerarem embarcados
para todos os effeito* os officiaes nao eff*c-
ivamentc no servico de bordo, e para que
{rover.no da Provincia
LE n. 2,1
Barfi :ir.i. baelurel j^^^^Hu Jurdicas-e sociaes
Dliuo\ e l late da provincia de
ambuco.
Jos os scu habitantes que a Assembla Le-
Provincial -deci-etou e eu sanCcionei a solucab se-
Ari. l.o I a Cmara Muricrpal do Recife, para
aiorio chimico innuicipal, destinado a anaiyse de gneros
e medicamuati ida ne-la cidade, o laho-
iraic e Iii^l esiudos
la caQia a cargo da taeiinr
fouheci-
i'-sen!" resolto' prttf^ -i. qu'1 a cun-
[uain e facam cumprir tao inteiramente como nella se conten.
' O. secretario da presidencia de.-ta proTncia a faca imprimir.
' 'publicar e correr.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, Io de Julho de 1889,
^S" da Independencia e do Imperio.
t. S. Ba&ao i>b Caiar.
Sellada e pnblicada a presente resolucao nesta Secretaria da
Presidencia de Pernambuco, em l' de Julho de 1889.
.. Servindo de secretario,
Emiliano E. de M. Tnmborim.
LE N. 2,007
Barao de Caia:. bachurel em scienciaS jurdicas e sociaes
pela Academia de blinda, e 1* vice-presidente da provincia de
Pernambuco.
Faco saber a todos os seus habitantes que a iissembla Le-
gislaiiva. Provincial deepetou e eu sanccionei i resolucao se-
guinte:
Art. 1." Ficaoi restauradas as extraccOes das loteras ordina-
rias da provincia.
| 1. O thesoareiro prestar urna fianca do valor de 60.000,
em dinheiro, apolices ou bens de raiz.
2." O thesoareiro orgunisar os planos para as extraeges
das loteras ob sua responsabilidade e remetiera copia delles
Secretaria da Presidencia o ao Thesouro Provincial, c far publi-
cal-os pela imprenta antes de expdr venda os biltetes.
3." O thesoureiro percebera 10 % do capital das loteras
para todas as despezas cora o custeio das mesmas, inclusive a
gratificago do 50500) ao delegado de polica que assistr ex-
traego e iiomear os empregados que julgar necessarios.
| l. Coiishiiiiro beneficio os 13 ",', de imposto cedidos por
le gernl aos beneficiados.
f 5 Nao poderser extrohida a lotera sem que o thesoureiro
lenha recclhido repartico competente oscilo e beneficio, deven-
do exhibir ao delegado no aclo da exlraecaoos respectivos conhe-
mentosde quiJago.
6 Os premios que nao forem procurados no !im de seis mc-
ze3 depois retribuigao aos bilhetes que nao forem vendidos, competindo ao
mesmo hesoureiro adiara exlracco das loteras, no caso de ne-
cessidade, coratanto que este adiamento nao exceda de se3 me-
.zes.
S 7o O thesoureiro poder extraliir as loteras por s ou seu
preposto. >*
i 8o Ficam as loteras iscnta^e qualquer imposto provincial
e municipal, devendo o ttaMoureiro pagar annualmente paraos
cofres provinciaes a qualfta de 300.
stora aiGiialinenle perahte o Thesouro
pial dus loteras extrabidas, de
ios 'Mgos e a ii,|iort*ncia do sua
fs Fitlfouou-
\ !> 0 tli'sbureiropr
racial cjnt'i eorreBT
uioiistrando os sellos
CQraaiisso.
% 10' Aslo'leria's se
tra mais aperfeicoada.
% 11 As extraccOes das lotefms sere dmTtfflas em partes do
capital eoncedido. -
12 Rea prohibida na provincia a venda de bilhetes de lo-
teras estrangeiras, la corte ou de oulra qualquer provincia ; os
infractores-, -en 11 vendedores ambulantes, pagarn 50^ de multa.
afnflm p r:la dos bilhetes, e sendo casa 200i e perda dos-bilhe-
lidoi.
I mullas ser divi-
dida iru a renda da provincia e ou-
tra pra a optirt* .. c-
mtfVflmMmpi, o
terias, empreados pblicos, autoridades polfcia<^*o^WuniC
e qualquer pessoa do poro.
% fo. U presidente da provincia expedir regularmente para
effecUvidade da prohibigo das vendas dos bilhetes estranhos a
provincia, ordenando ao adiuinistrador do (^orreio' ou outras
quaesquer autoridades alim de exercerera a maior vigilancia na
apprenensao de ditos bilhetes.
Art. 2. i-icatn revjgadas as disposices en>contrario.
Man do, portinto, a todas as autoridades quera o conheci-
ihento e execugao da presente resolucao pertencer, que a cum-
pram e fagain cumnrir tao inteiraiue.ile 30mo nella se cratm.
O secretario ca Presidencia da Provincia a Uri imprimir,
publicar e correr..
Palacio da Presidencia de Pernambuco, I. da Julho de 1889,
68. da Irrdependend c do Imperio.
L. S. Barao uf Caiab
Sellada e publicada a presente resologao nesta secretaria da
Presidencia de Pernambuco. ao 1. de Julho de 1889.
Servindo de secretario,
Emiliano E de M. Tnmborim.
LE X. 2/08
Barfio de Caiar, hachare! em sciencias jurdicas e ociaes
.pela Academia de Onda e 1" vice-presiienie da provincia de
Pernambuco.
Fago saber a todos 03 seus habitantes que a Assembla
Legislativa Provincia! decretot: e eu sanecionei a rcsolugo se-
guate :
Art. nico. Ficam dispensados da multa e aggravaco a que
esto sujeitos e mais com direito ao abate de 30 os devedores
de iiopostos e rendas municipaes referentes aos exercicios an
tenores que liquidarem seus dbitos dentro do 1. trimestre do
cxerr.icio de 1889 a 1890.
Revogam-se as disposicGes cm contrario.
Mando, prtanlo, a todas as autoridades a quem o conheci-
mento e execugao d presente resolago pertencer, que a cum-
pram e fugara cumprir tio inleramente como nella s contm.
O secretario da Presidencia desta Provincia a faga imprimir,
publicar e correr.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 1." de Julho de 1889,
fi8. da Independencia e do Imperio.
L. S. Barao de Caiar.
Sellada e publicada a presente rcsolugo nesta secretaria da
Presidencia do Pernambuco! ao 1." de Julho de 1889.
\ Servindo de secretario.
Emiliano E. de M. Tamborim.
sss7i;o sa &sm havas
LONDRES, 5 de Julho.
Os jornaes europeus noticiam que S. S.
o Papa Leao VIII tem a intep9ao de es-
colher a Hespanha como refugio even-
tual.
A Independence Belge annuncia que
8. S. o Papa recommenda o Cardeal de
Lavigeiie como seu successor.
Agencia Ilavas, filial em Pernambuco,
5 de Julho de 1889.
INSTRUCCO POPULAR
da provedoria do termo da Piracuruca, re-
lativamente autorisaeao para se vende-
rem em hasta publica as fazendas perten-
centes irmandade de Nossa Senhora do
Carmo e ser convertido em apolices o pro-
ducto da venda, declaro a V. Exc. que,
conforme foi explicado, entre outros, pelos
avisos n. 248 de 17 de Novembro de 1853
e 118, de 5 de Dezembro de 1887, n5o
necessaria a licenca do governo afim de
que se permutem por apolices da divida
publica os bens immoveis das irmandadea,
as quaes em os seus contractos se regera
peloi compromis80i respectivos e disposi-
gSes do diroito civil, sendo que pela le de
22 de Setembro de 1828, art. 2., a subro-
gado dos bens inalienaveis compete aos
juize8 de 1.* instancia.
Ministerio da fustiga
Ao ministro dos negocios estrangeiros
foi exped do eni 7 de Junho o seguinte
aviso :
Rogo a V. Exc. que se digne encar-
regar as legacoos do Imperio na Europa e
na America de remotterem a esta secreta-
ria de estado a legislaao civil dot paizes
em que serveiu, cdigos e commentarios,
projectos de reforma, exposicao de moti-
vos, que mais uteis possara ser aos traba-
lhos da elaboragao do Cdigo Civil Brasi-
leiro. Recorrendo officialidade do Minis-
terio da Justica dos respectivos Estados,
talvez possam as legafoes obter urna col-
leegao mais completa correndo as despe-
gas que forem necessarias por conta da
repart9So a meu cargo. Renov a V.
Exc. o?, protestos de mmha alta estima c
mui distincta considei-a^X >. Cancliio Luiz
ia de Oliveira.
i.*'8PACnos' na presidencia do da 4 DE i Foi inaugurado, em Santiago do Chile, o club
rr-i Tir nv i nkQ I nacional do tiro. *
. i aJio n ^ i Proseguiam all com muita acvidade as obras
Joaquim Jos dos Sanios.- Ao Dr. juiz de di- do djqu^ de Ta|cahuano,
Valparaso. 27 de Junho.
AS 6U3IDES
ANTIGS K MODERNAS
AS
Sciencias. radustnas'e arts
POR
XVIII
, A galvanoplastia
(Continuaos o)
A ga'ianoplastiu urna das mais uteis appli-
cag6es da chimica s operages artsticas. Por
ella pdem obter se, por meio de simples solu-
$6es salinase pelaaegao da electricidada, objec-
tos metlicos de cobre, prata c ouro, que at
hoje nao se haviam nodido reproduzr seco
pelo triba!h do cinzel ou pela fuso da materia
metalliea.
A iralvanoplastia tem por tim reproduzr qual-
quer objecto em cobre, prata, qnro oa outro
qualquer metal. Para obter essa reprqduccao,
opera se com um molde feito com o original que
se quer reproduzr O deposito de cobre, ouro
ou prata, obtem-se d>.compondo pela corrente
d*uma pilha voltaica, urna solugao do sal que con-
tem o metal que se quer depositar : urna solugao
de sulfato de cobre se se quer provocar um de-
substancia que conduz muito nem a electricida-
de, e da gutta-percha, sobre que so. anplica, a
conductibilidade electnca indispensavel para a
operacao.
Slinisterio a llarinha
Foram expedidos os seguintes avisos:
Em 21 de Junho aos inspectores dos
arsenaes:
c Tendo-se por diversas Vezes consulta-
do sobre quem accidentalmente deve subs-
tituir os inspectores dos arsenaes de ma-
rinha, quando o -jrice-inspector ou o ef-
tcial que serve sos seus impedimentos,
nao na hierarchia militar, superior ao
director das officiaas, e convido que ces-
sem taes e tao repetidas duvdas, as quaes
somente podem derivar-se da falsa suppo-
siao, de que o Governo Imperial tem fa-
culdade para alterar artigos claros dos re-,
gulamentos, com forca de le, nterpretan-
do-os, S. M. o Imperador tendo ouvidp o
conselho naval e de aecrdo cora o pare-
cer enunciado em consulta n. 5,606 de 19
de Fevereiro de 1887 manda declarar a
V. S., que o regulamento de 2 de Maio
de 1874 promulgado por autorsaae do
podor legislativo, nao permitte qne os di
tos inspectores sejam substituidos em suas
faltas e impedimentos senSo pelos vice-
inspectores ou quem suas vezes fizer, con-
forme est acentuadamente expresso no
art. 12 do mesmo regulamento, que as-
proprios deveres se mantinham em posU
c3es no cogitadas em le e da classe a
que pertencem, tenho por muito recom-
mendado a esse quartel-general que n2o so
distribuam por navios, n2o em estado de
receber cominissao, esses officiaes a que
V. Exc. se refirira na relacao n. 2, que
acompanhava o officio de V* Exc. a que
aquelle aviso responde.
Do contrario, seguramente, opensamen
to alludido e suas consequeneias, seriam
infructferos, e os momentosos interesses
do servig activo deixariam de ser atten-
ddos. As autoridades a que por 1 i cabe
instruir e disciplinar o pessoal de embar-
que nao podem ser facis no attender os
desejos privados desse pessoal com sacri-
ficio certo dps interesses do Estado.
O governo nao dar exemplo qus moti-
ve acrenca de nao estar intimamente con-
vencido desse dever: e para quo se con-
siga quanfo instantemente reclamado so
ore o assumpto, a V. Exc. recommendo :
l.\ A fiel observancia do que dispos
to na lei c regulamento de promocoes da
armada;
2.- A publicajao, em ordem do dia, do
decreto n. 6,847 de 2 de Mareo de 1878,
fazendo-o ser mantido, d'ora em diante
como tanto mister;
3." A necessidade de nao se transferir
os officiaes de uus para outros navios, tao
fcilmente como est era uso, e jamis de
se effectuar transferencia qualquer desde
quando se conheca que est cogitada, ou
determinada commissao para o navio.
O governo espera que V. Exc. coinprc-
hender todo o desejo que nutre de real-
car a classe de embarque da armada, por
sua irreprehensivel eonducta, dando aos
iuteressea mais inmediatos do servico do
Estado os que a cada mesnbro porventura
actu, que acaso estejam em conflicto com
aquelies outros.
Este aviso ser levado ao conueaimen-
to da armada por ordem do da. Bar&o
d Ladario.
Decreto n. u',847 de 22 de Marco de
1868. Ait. 1." Berilo declarados imraedia-
tamente em estado do nap poder navegar
os nav os da armada que necessitarem de
fabrico ou reparos cuja durajSo presme-
se exceder de 30 das.
Paragrapho nico. Se findo3 os 30 dias
a C ntar de declaracS nfio 6obx>uver dado
comeco s obras ou se -stas ainda nao es-
tiveiem concluidas passarao os navios de
que sNrata desde logo disponibilidade
e neste estado se conservarlo at que fi-
quem promptos para o servico activo quan-
do nao devam ser desarmados de confor-
ra idado com o disposto nos arts.e l.- 2.-
do decreto n. 4,045 de 19 de Dezembro
de 1867.
Art. 2.- O tempo de embarque em na-
vios que n3o puderem navegar nao ser
contado para os effeitos da lei n. 2,296
de 18 de Julho de 1873, % I.' art. 8.-
Art. 3.- Fie*. revogado o decreto n.
6,383 de 3 de Novembro de 1876 e quaes
quer outras dipos55es em contrario.
Eduardo de Andradt Pinto, etc.
reito do 2o districto criminal do Recife para in-
formar.
ulavo Crespo. Informe o Sr. inspector da
Thesouraria de Fazenda.
Bulino Amaro Seares. Ao Sr. Dr. miz de di-
reV do 2" districto criminal da comarca do
Reare.
Maria do Patrocinio Cavalcantc Ucua.Sim,
com ordenado, a contar do dia 1" do corre.ite
mez.
Co3ma Joaquina de Lima Xunes.Satisfaga a
prova exigida no art. 139 do Regulamento de
1888-
Alferes Manoel Jos Fereira da Costa.Infor-
me o Sr. inspector do Thesouro Provincial.
Bacharcl Manoel Joaqutm Machado Jnior.
EnCaminhe se, devendo o supplkante pagar o
porte na Rcparlico do Correio \'
Bacharo! Manoel Raymundo de^raujo Pinhei-
ro.Informe o Sr. inspector |do Thesouro JHro-
vinCial. '
secretaria da Presidencia de Pernam-
buco 5 de Julho do 1889.
O porteiro,
F. Chacn.
&teparii?o da Polica
1." secsao.N. 743Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 5 de Julho de 1889-
Illm. e Exm. Sr!Participo a V. Exc.
que foram hontem rocolhidos Casa do De-
teaeo, os segrate individuos :
A' ordem do subdelegado da freguezia do Re-
cite. Basilio Greio, por ollensas amoral publica,
Laoriudo Ferreira da Costa Dias e Jernimo Lo
pea de Souza, por disturbios.
liStones d^SanTofw'dSiof ^S**. *> IHmo emprestimo.
1 oraemPS do l' dKriSo da "Sza de S. O representante de um syadicato de cap tal.s-
it FrTnriwi !Pedro di Silra Guilhermina Jo- las franezes apresenlou ao governo argentino
S/d "XigMilfl^sep pmga P o 'SSfTiStti
gao, Florencia da Rosa Lima e Mara Luiza da telegrap^irco enlrs a capital da Repblica c a
Lu sajn.8 isa& ^ .^ S^fi^r.xi
BrtaVista, Jos Antonio do Rosario, Joiio Berna:- qu proposto do, br. Bieckert A Ce o praso
do da Silva, Jos Cosme da Silva c Jos Bonifa da mwsto!* i0 annos' m v" de J
Entabolaram-se negociages diplomticas en-
tre os governos da Bolivia e do Per a respeito
do territorio de Tacna.
Valpa*ai*o. 28 de Junho.
O ministerio peruano declaren as duas c-
maras que a polica descobrio vestigios de una
conspiragao, com o lim de derrabar o governo
actual, e que os cabegas deesa conspiragao ti-
nham sido presos.
Valparaso, 29 de Junho.
Ura dos ministros declarou na cmara dos de-
putados, em nome do gabinete, que o governo
seguir urna poltica conciliadora.
A cmara des deputados approvou o crdito
de um milhao de pesos para ser caonfisado o
rio Mapocho, em Santiago, o.qual pelo rio Mip
cooimunica com o ocano.
Parasiin.'
Dalas at 19 de Junho:
As cmaras do Paraguay haviam coraegado a
discutir a lei do casamento civil.
Rio da Prata
Dalas de Buenos Ayres at 22 e de Montevideo
at 23 de Junho, e telegraphicas at 29 :
A commissao de cdigos da cmara de depu-
tados da Repblica Argentina estava Irabalhan-
do com alineo na reforma do cdigo do commer-
cio, afuu de conformal-o comas acluaes exigen-
cas do paiz, mrmente no tocante s sociedades
snonyraas
Corria^na roda ejos financeiros, que por nter-
meiliaffo Sr. Tornquist recebera, de Pars, o
mini/tenoda fazenda a proposta de ura erapreB-
linio de t railhesde francos. N
Dava-se tambera como certo que o Dr. 'Pelle-
grini navia telegrapliado de Londres, communi-
cando que um svndicato de ljanqu'-iros ioglezes
ia 10 milliOes de libras e.-terlmas ao typo
argentinos e uruguayos, cu jo lim adquerir ter-
renos e construir um estaieiro ja praia do Cer-
ro : e constituio-se outro praiTinstruir fornos
de creraaco.
Buenos ~A\rcs, 27 de Junho.
Foram no'mcadas commissOes para combater o
phyloxera na provincia de San Juan.
stgrassando a diphteria na provincia de
SanU F.
A commissaotia cmara do3 deputados. eo-
carregada de examinar o projecto de le sobre a
converso, concluio os seus trabalbofe. No rela-
torio que apresentou conciue pela adopgo do
projecto.
- 27 de Junho.
Inaugura-se amanh o cabo telegraphico entre
esia capital e Montevideo, pondo em communi-
cago directa Buenos-Ayres com o Ro de Ja-
neiro.
Os Sra. visconde de Figueiredo e Lhambi Camp-
bell suhmetteram approvago da cmara dos
depatados urna proposta para a construego de
urna estrada de ferro que partir desta capital,
tocando em San Nicols e Santa F (com ramal
para a Concordia), seguindo depois para Recon-
quista e Ituzaing, estendendo-se s provincias
de S. Paulo, Minas e Pernambuco. Nesse pro-
jecto pedem o praso de tres annos para estudos,
com a garanta de 5 /..
Os varrpdores desta cidade fizeram parede.
Montevideo, 27 de Junho
Fundou-se aqui urna escola de natago para os
subalternos do exercito.
Montevideo, 28 de Junho
O senado adoptou o projecto de le, autori3an-
do a cmiss de^ciricoeula milhes de letras hy-
poihecarias garantidas. .
O governo apresenlou acamara dos deputa-
dos um projecto de reforma do cnsno superior.
Montevideo, 29 de Junho
A cmara dos deputados rotou a totalidade do
orgjinento para o cxrrcicio futuro com o aug-
mento de oitorentos e quarenta mil pesos, teado
supprimido-' a legago da Allemanba.
ci dos Santos, por disturbios. -
A* orlem do do 2. districto da freguezia do
Pego da Panella, Francisco Antonij, como vaga-
bundo turbulento.
Pelo subdelegado da freguezia do Recife, fai
remetlido ao Dr. juiz de direito do, I." districto
criminal, o inquerito policial procedido contra
Joo Francisco Pernandes, aulr do roubo prati-
m da 22 do mez de Junho ultimo r.o ar-
nazem de Figueiredo Costa & C,
coi.o na dila^iroposia.
Foi apresentado no coogresso urna proposta
de vi frrea da Villa Mara a Tucuman.
Pelo jz municipal de Rioja foi expedido
mandado de priso contra o rosego Apolinario
Argaoaray, que acoueado de liaver celebrado
c-samenls religiosos sem que os nnhenb
romo manda a lei, -er lo de easa-
menlo civil.
Esta iriso moiivou a publcago de urna vio-
idao Scbssiiu .i li de An Irado, commn-
nicou-me ter hontem prestado juramento e a-su-
mido o exercicio de subdelegado do 1.
districto d i termo d JaboatSo.
0 subdelegado do disin'cio do ''eres, iarl'ci-
oo-nie ter : lo a Casa de De-
i) -. juiz de direito do 3.
ilisirictoCcriinal, o individuo de no
Soarea da Silva i> crin
dos na pessoa de Manoel Antonio do Espii
Sanio, e na mesmi data fei remessa do inq
to poiipial'procedido coutrao re'erido Paulo 8o-
res da Silva, pelo indicado criuw.
omraunicou-nie o dnimstradpi i 'e
v'hontem pelas 412 horas da tarde,
falleceu de lata enfermara .l'aquellc es-
taneleeimento o-te'eiito Manoel Barbosa da Silva.
Deus guarde a V. Exc.Illm. e Exm.
Sr. BarSo de Caiar, muito digno Io v
presidente da provincia.O chefe de poli-
interino, Joo Augusto de Albuquerque
^Kan/iao.
Foi marcada para o dia 9 do prximo m
ulhoa inauguiagao do porto ue La Plata.
Fandou se jem Lujan na banco pn i
Jal
garantido coa" o capital da um railbo de
ibros do conselho
ituenos-Ayies, que esiavain era
lucia aberla Com o sea presidente o Sr. Cran-
eu alli o diai i Julio Ralinckx,
enterro fui feilo fiela associaco da im-
prensa.
A inundago causada pelo crescimenlo do no
V, causn enormes i
Genera! Villegas licou debaixo d'agua.
i!'' ovellfBS foi enorme, altamas f
rail Bcaram sem n--nhumi.
0 Dr. Reas diegra a Houteyido a bordo do
vapor brazi! 'lo, acompanliado do coro-
nel T..jes, chele poltico, senda
EXTERIOR
Pacifico
Datas at 18 e telegraphicas at 29 de Junho :
Corra como certo eirrLima, que o S
presidente da Bolivia, pretende i jues-
le Tacna e,Arica antes do plebiscito. Te-
Bii3-se por isso em Valparaso, um rompii:
de relajees do Chile com a Boli
dolidas da Europa
HcNpanlsa
A solemoidadc da coroago do poeta D. Jos
Zorrilla, em Granada foi adiada para 21 deste
mes. 15' o assumpto de todos os jornaes. que
parece lerem dado oestes ltimos dias, tregoas
poltica.
A Aasociago (ios Escriptores e Artistas Hes-
panhoes eclebrou ha pooeo, n Madrid, urna ses-
so extraordiiiaiia em honra do insigne poeta.
I.er.iin .-> v,-::-i:i i-, e o presidente da
Ijde ; Sr. Nones de Arc,\ pronunciou um
eloqutnssirao discurso enaltecen do a Z nrilla e
aslrando que a noesia vive e
nidado existir.
Era'adi i-s oulra manifeslaco se-
aieihaffte prwaovia ue! i i Gadtaao, e
i ; ir ludo quanto alli ha de nolavel e
..,clo as arles, n commercio, nalit'.er. tura
e na potinca.
i) sarao foi celebrado no magnifico salao re-
gio da Junta Geral, estandocompletameute cheio
de fbrinoaas damas cuja encantadora presenga
nior esplendor festa.
Como em Madrid, recitarara-se varias poesas
illa e leram-se alguns fragmen-
tos de poemas inditos.
Varias banda sr*>i
lo muito api I lularmo-
so
olemntdadc.
AS janellas do governo civil e da junta geral
ndidamente illuininadi
Lluranle a segunda par io occnpanUB
. i svrap itliica festa os ^rover-
a militar e civil da provincia.
Em Granada conlinuavara o ovos
para a coroacJo de Zorrillaesiando mui: i adian-
E-iila a re'lisacao doiinporc.ur ans-
; .alacio Carlos V
lgico, de pintura c csculpluva
Trabadla va-s; para
^1
i recplhido
preso "a urna casa da repartigao da polica, por
causa do mandado expedido pelo juiz do co;n-
inereio da 1- vara o Dr. Dr. Sarachega.
Sr. Casey, respoudeudo a um artigo do Sr. ~j pjll'lura c esculplnra ia po,-.
n, declarou o S'gmnte: Vabmava-se activamente para que coinci-
Allmno, cora minha asignatura que di==e trtii. .nacoio;. tilla.
.do que a Coinpanhia Nacional ha de pagar UuA=,ALpadetni;1 Mlll^r ficara in,!;, uin-
anuo um dividendo de ,;, que suas ac-1 cnuvent0 deS,Domingos.
Iiao de valer 15 peses at 31 de Dezembio < em Qutr05 ,QCa(!S Qs centr03 ., do
a dda companhia possue bens no vaior ao io : 'm aue eslavam alli
milliOes que ter um bairro de cinco mil casas A s,}e,|a(|l, do5 Concertos, de que director
para opeTanos ; e que cotonisar 5U leguas ae rQ Brelot)i ^3^00 mrd quw-
Arce, campo u-,n to da
nlava-se que o Dr. Reus seria posto em lber
7 m... a centro de capitalistas
dos j
Os oontertos comegaram j.
f
J


*



2
Diario de PernambucoSabbatlo 6 de Julho de I *fc'9


A rainha regente, para que se nao dsse a
coincidencia te urna exenicao capital no monte
4a coroaglo .le Zorrilla, mdnltou o reo Carras-
cosa, o que produzio agradavel irapre3sao era
Granada.
Na corrida de touros de 18, em que entra-
rom os espadas Mazzantini e Guerrita. o pnmm-
ro dedirou o terceiro tiro a Zorrilla, que stava
na tribuna da autoridad, dizendo :
Ao cantor das glorias da Granada, D. J
Zorrilla, para qu viva muitos annos e
que se record do affecto que Ihe prolija este
povo! ......
Zorrilla offereceu depois a Mazzantini o pn-
meiro exemplar damedalha runfiada pura com-
memorar a sua coroago.
Foi encerrada em um elegante estojo.
Em virtude dos concursos abortos para cele-
brar a coroago do eminente poeta, foram ad-
judicados varios premios : um de 1000 nenias
a D. Isidoro Marn, por um esbcelo em que e
representada a prisao de Boabdil, na batallia d
Lucena ; outro de igual quantia era Duarte Fi-
Iho, medico, pela obra intitulada : Topogru-
phia medica de Granada.
Os outros dous premios de 5,000 e 1,000 pe
setas, para a melhor leuda em verso, e para um
baixo relevo de eosturaes sraoadianos, nao ti-
nham si Jo conferidos por faltar aos concurren-
a necessaria classicago.
Um imponente cortejo cvico, composto de
-grande numero de commisses de todos os pon-
tos de Hespanha, devia ir no dia 21 perante o
glorioso poeta, offerecer-lbc coras, brindes,
flores, etc. .
Granada est chela de forasteros, e aprsenla
um aspecto verdaderamente festivo.
O concurso das bandas que se realisou no
theatro Izabel a catholica, esteve rauito concor
rido. as*im como o concert dado no raesnio
theatro pela Sociedadc dos Goncertos, dirigido
pelo maestro Bretn.
Depois do concurso da* bandas, a 20. em que
a entrada era gratuita, os socios do Lyceu repre-
sentados pelo'ajf'"co militar D. Alvaro Magro.
d^alHbdlram vey ario a duzentos creangas, 100
rapazes e 100 raparigas, premiados as escolas
publicas.
Ao mesmo tempo forara dadas as ere-ancas
urnas centrabas cea doces e fmetas
A' n*ite [alia esplendido effeito a illuminaco
da cidade. Por causa das festas e por ser a
vespera de Corpus, anava multido enorme de
povo pelas roas, sendo quasi impossivel transi-
tar por ellas. .
De ambos os lados das ras, aDnhavam se pe-
queas mesas Nos quatro ngulos da praca de Bibarrarabia,
tafia estrados onde estavam tocando bandas de
msica. ... ...
A' ultima hora ficou delinilivameme resolvido
que a homenagera nacional se lizesse no da 21,
e que a coroaco de Zorrilla se effectuasse no
dia 22
0 .Ciheneu Iliterario de Valencia celebrar no
mesmo dia 22 um sarao em honra de Zorrilla,
em que os poetas valencianos leriam poesas de
dicadas ao grande poeta nacional -
a Hespanha est ha tres anuos a engran-
decer solcitamente a sua marinan ;-de guerra,
que j tem ura poderoso eouragado, o I elayo,
numerosos torpedeiros e alguna cruzadores.
Vai construir poten'es cruzadores de 7,000 to-
neladas c de extraordinaria velocidadc.
Nos ltimos dias lizeram-se experiencias olli-
ciaescoiu' os cruzadores I) Joo UUoa. ,
A artilharia de D. Joo d'Austria deu excel
lentes resultados. A velocidade do navio de
-13 railhas. a mesuadocouracado portugnez i asro
da Gama as experiencias do constructor.
O Ulton de 1,193 toneladas. Um pouco maior
que o nosso cruzador XffonsooVAlbnquerque, mas
muito raais pequeo que as nossas crrelas hs
tephania e Bortlwlomeu Dios.
Dizera que um navio que faz honra ao arse-
nal de Carraca. Tem 4 revolvere de 37 railhme:
tros, svsiema Hotclikss, dous canhOt-s de o;
millimtros e do mesmo sysiema, urna metraina-
dora Nordeufe)t,duas pecas de 7 eenlimelros do
aystema Hoctoria e 4 de 12 centmetros, era re-
paros Vavasseur-Carnet.
0 cruzador e illuminado a luz elctrica.
K rainha D- Izabel, o rei D. Francisco de
Assis e o duque e a duqueza de Moutpensier
jantaram no dia 19 em casa do duque de \u
male em Paris. ,-_<
De Granada publicar.cn em Lisboa as to
Ihas de 23 noite, o seguiute telegramraa coui
data de 22 : ._,
Reulisou-se lioje com grande solemaidade
no palacio de Carlos V, a ceremonia da corea
cao do llustre poeta D. Jos Zorrilla. No cen
tro do salo principal tinha se levantado um
throno. tendo a direiU urna cadeira de espaldar
para o poeta. A esquerda sentavam-se os con-
vidados, as commisses, cmaras muninpaes de
Bncelloaa e Valladolid, e o corpo consular- <>
poeta to; acclamado por toda a assemblen 1 sua
entrada no salo tomando asscnlo na cadeira
que Ihe eslava destinada, leu varias poesas, que
foram applaudidas phreiietlcamente. Depois o
duqu" de Bivas, representando a rainha regen
te, eoroou o poe'a. A ceremonia toi grandiosa.-
Fraara
Nos circuios parlamentares rirrem boatos de
8ue o aoverno inclina se a lixar para 28 de Ju-
lo as i leifoVi que tem de renovar um terco dos
membr-is dos conselhos geraes, e, se as cir
cuinst.ii;ii.i:; pareoerem favoraveis, a mandar
proceder s eleires legislativas em 14 de
Agosto.
Aa festas da cxposigo, que deviam romecar
no cha 20, em Paris, que bao de durar al 30
de SotembrO. prometiera ser raannilicas.
Tilosos lomacs de Paria tiazem o program
ma dessei festejos, n o palacio da industria ja
coraeci u a *er adniiravL'lraente decorado para n
grande baile, que al lia de darse a 10 de Ju-
lho prximo.
No dia seguinte a esse baile, havera urna gran-
de"Testa, para a qual seriio "convidados, com as
suas familias, os operarios de Paria, assira cuino
lodos i s operarios ira n zes c estrangeiros, >|U''
trabalhanim na exnosiefto.
Eis o prograinraa de*sa fealas :
90 duJunho--Feala uoetaraa dr> l'arc-Mon-
ceau.
Domingo 23-Fesla .ia li.a da educarao phy-
sica. .
Quinta (L'ira, ideJalbo Inangnmgao da es-
la da lili -rdade na fhiiile de Grenelle.
(jn; rm-f-ira, 10 de JulhoBaile dado pelos
smosiUireii no Palacio da faduatria, ou
e ii'.iii.icipalidade de l'aris.
Se\';-l't-ira, 12 de Junho Fesia
Rova! .
S'al.ha'l'. !3 de JulhoBaile dado no Palacio
da Indu-tri.i aos upetarioa da e-.nsiro e aoJ
amtdrcatoH de operarioi".
Domiiiao, de Julfa i ftaa na lotial.
1 '.;! I'i'ir.:, 16 de julho -Fcsla do irabalho no
bote! .le Vllle.
Sabbido, lOdcJullio- l Pjao a stiah da
S ttbodo, 27 de JuUwanqBrte dado pelos
exp ancezes aos coinoiissano estran
OTO*.
.. i.:_ 1 de A'- -sto-Grande Testa das mu
Uca no l;akcio da industria.
Quinta reir, S otembru Kepresentaco
da'" Aafe, por Mil-. A. Ilolms ;; por
aanite 2" para os alumnos las escolas, 3' gra-
tuii;- ; pagas.
Sitb'.iado. 21 de Setnmbro Inanguraio
Ti a pr- "'' '> S
r de Seieinhro1>;
da- nunicjpaea d- harmonia o Palada,
da Industria. n. .
a, 30 de Sctembro --Diiinbuicao
da
OS:-. Souller, u.int-l.ro !u roa
geiros .1- Franca, oBerecen ja 18 de iunl ai
9Bff.ptuoso banquete ao corpo diplomtico e a
nmitas i. I ibili ladea politica de Pars. _
ipulle solteiro as honras de ca-
ga ..-' por Mme, Mel!n:\
...Ilocou boa direita.a Sra. coi
0 Sr Carnot expressou ao m auto oq nao Ihe do direito #3, intimar o gabiuat
pmhorava a sua attenco, a qual prova que qnon-
do se traa de patriotismo. nSo existe entre >s
l'rancezes nem a sombra de 'um dissentimen j
jornaes boulangistas annunciam que o Sr.
Herase interpelara o governo acerca uns de
carnelos tirados do processo Boulancer pela
docommisso instructora do alto tribunal de jus-
tica.
O processo correccional 'de Angoulme, que
paraf-devia ser julgado a 20, ser crovalemte adiado
em consequencia de estar indisposto de saude o
Sr. I.arguerre. /
A cmara dos depulados approvou o orea
ment do ministerio da marinha. No decorrer
da discussao, o respectivo ministro, vice-al-
mirante Krantz, disse que ser brevemente ne-
nio um grande impulso as conslrucc6es
nuvaes. I'eliri para so um crdito de 50
a 60 milhoes de francos.
A cmara tomou em consideraco a proposta.
que tem por lim conservar certos ediflcios da
Exposicao.
Os jornaes boulangisUs publicaram urna car
ta, da qual coatava que o depulado Traneux,
membro da commissao instructorr do alto tri-
bunal de justija, tinha enviado ao Sr. Lon Be-
nault, anligo prefeito de-polica, um bilhete de
seu tilho Eugenio Renault, bilhete que fra en
contrado nos papis do general Boulanger, lti-
mamente appreiiendidos; mas onfacio foi des-
mentido por urna carta do mesmo Sr. Renault.
0 uepuuido Le Heriss tinha annunciado que
interpellaria o governo a este respeito. conside
raudo o acto do Sr. Trarieux como subtraeco
de documentos do processo.
A nterpellaco loi diada para 22.
A cmara dos deputados discutiu soregada-
mente o orcamento das bellas-artes.
Os jornaes conservadores publicaram a 22 um
manifest dos deputados da direita, enumeran-
do as sua^ razoes de queixa contra a maiena
republina, e aconselhando os eleitores a unir
se, em nome da Frauca e da liberdale, outra
o feudalismo parlamentar.
- O Sr. Heriss, depulado ooulangista, pediu
cmara para inlerpellar o governo sobre a no
lagao da le por um membro do alto tribunal de
justica. ,. ,
A esquerda propoz que se adiasse a nter
pellaco para daqui a um mez ; mas a proposta
foi rejeitada por 247 votos contra 236.
A camaraapprovou em seguida por 289 volos
contra 226 o adianiento da interpellago para de-
pois de votado o orcamento.
O conselho do gabinete autonsou o Sr. Spul-
ler, ministro dos negocios estrangeiros, aapre-
senlar s cmaras um pedido de crdito para a
recepeo da embaixada marroquma que vira
prximamente visitar a exposiijo.
Terminou por um accor lo vantajoso de par-
te a parte, a grve dos cocheiros en Paris.
ilsdonos dos carros de praca e as grandes
companhias aceiturara a media dt 22 francos,
e compromelterara-se a intervir com o preteito
de polica para estas concessOes.
A grve terminou portanto.
Trata se agora de promover urna subscripta
atim de soccorrer as familias dos grevistas que
se; ucclaron que o gabinete n;
forma algunia em dar a sua demiss:
ci escenlou que ninguem tpm o dir
em dissertu' o da cmara, pois s o rei
dissolver, e elle nao deu essa mtssao ao S. Jan-
IVa. 'ahaw animados colloquios entre o de-
potad
: nsultos que dirigirn) aft Sr. Jaoson do-
minavam complelameato a voz do pre%id
cmara, que em vo roelaraava o sile
enrava evitar que o tumulto augmentaB
Como fosse impossivel manter a o
sident eacerrou a s39o.
Na ral houve enlao uianifestaces a raulti-
dd acclamou enthusiasticaraente o ousado ora
dor.
A poliria vio-se obligada adaralguma ea
deiradas; travou-se luda, sem coailudo b*
feri'lientos.
4o lluvia memoria de escndalo semeiliatite
no pailament. b
C P. Huntingtou. um dos gran les capitalistas
americanos, acaba de declarar que sutacreve
com meio milho de dollars (450 c .utos de
para o emprestirao do rarainno de ferro do Con-
go, acc.-escenlando que nao procede assim per
espcculaco ou interesse industrial; mas sim
por obediencia a um senlimenlo de admiracJo
pela obra do rei dos belgas, e to desij
tribuir para a suppressao do tranco dos esc'ra-
vo-, que so pode d/sappareccr no dia em que o*
rabes, tendo camfnhos de ferro para trans
t ir as suas mercaduras, nao precisen) empre
gar homens como bestas de carga.
INTERIOR
>verno
do Palais-
d .
alim de soccorrer
foram piesos.
Celebrou-se ba poucoa das em Pars, no
hotel cor.tiuenlal a ultima sessao do congresso da
reforma agraria. '
Foi um congresso internacional de queixas
e de curiosos esbocos praticos, feitos pelos res-
pectivos delegados das naces.
Ixglatf.bra:--0 Sr. Saunden lavrouoseu ter-
mo de protesto contra 0 landslordismo. Exclamou
indignado que, no seu paiz, trinta mil lordsli
iiiiam as suas raaos o destino de 30 milnoes
de homens, osquaes Ule divun todos os annos
180 milbees sternaoa do producto do seu liana-
Abaixo os lor.ls !foi o seu grito linal. Era
preciso que essa classe desapparecesse de todo.
E que se nao dsse por cima nenhuma comp-.-n-
aa \s com pensaces so sao devidas aos que pa-
decera por cau.-a das injusticas. e o lords nunca
padeceram com essas injusticas.
Euriquec rain a i usa dellas.
Por isso, abaixo os lords I
Aaaiaia:-0efl delegado fallou quasi no
mesmo sentido. .... ..
Metade da Escossia pertence a 12 ou 15 indi
\iduos, que nao teera felo senao empurraros
habitaules do interior do paiz para a beira mar.
Tem sido urna expulsao constante de dentro
do territorio para fra delle, da ierra para o
mar.
Os grandes expulsara os pequeos.
Aquces soberbos highlanders que causavam
a admiraco do rauodo n'outros lempos, vivem
aora em cbalas, como os boteuioles e estao
DO mesmo meridiano de eivilisaciio que a frica
austral. .
Franra: 0 seu quadro tambem nao foi pin-
tado de* azul e cor de rosa. .
Um terco da sua superncie nao est BBHmao.
Outro teiCO esta uial cultivado.
Assim. apenas, a restante terga parte do paiz
bem cultivada, uas sobre essa mesma pesam
encargos enormes. .
Em resumo, tres qnaftM dos proprletanosnao
possuem mais do que ura dcimo da superficie
da Franca.
Um pequeo landlardismo para aquem da
Mancha, com menos lords e menos libras sterli
as. .
Dinamarca Ha dous rail grandes dOOUBaoa
e 72 0 0 mais p<-quenos.
lm grande paiz com urna grande miseria.
lia la dentro dous movimenios coutrarios, um
proteccionista, outro livre cambija.
O delegado do congresso pela lberJade.
Disse, muito animado, que era preciso parti-
rem todos, com uns cruzados do livre cambio,
aos gritos de Deus assim 0 querNU' Qual
como nos lempos de Godofredo. N^
Na soa opuuo Deus livre-cambista.
En f|uestes de economia poltica, pensa no
co como exactamente o Sr. Linderberger na
Dinamarca. '
llollania Fallou a respeito de: te paiz o Sr.
StonVI.
E' uutra miseravel a llollauda.
E' porftt, muito extraordinaria a sua mise-
ria.
K' una Dlethcra de riqueza o que a loma as
aim miseravel.
A llollauda Iraz por tora emprestados as na-
,a etrangeiras 12 mil milliOes que Ihe do
lodos us anaos a bagatella de 600 milhoes.
Bita aciiiosa, repartida por todos os saus ha
Litantes dara um rendiuiento annuai por cada
habitante, de 130 francos c para cada familia de
'.750.
Os capitalistas, porm, chamam eu a esse ca-
pital, e, em vez de exploraren) o solo e de paga-
ren) a quem quer trabalhar, guardam as ren-
Dalii provOm ser ajraade* MTurta de bracos e
pequea a sua-p-o ura. ...
At mesmo nas provincias mais ( rtets, ik>
Fru
SUStl
communa
A (erra Frtil, mas la menos do que o amor
de I)"us.
lisatanha : Qua renta por ceato rfosseus
prOprietariM teem as tftaa Ierras hypotheca-
Pacara i |li,s-
ma da tena c OUtra do c. pityl, que
res a maior.
Volielas do snl do Itnucrio
Rio-VrunUo du Mal }
Datas al 22 de Jdho e telegraphlcas at 28 :
A'O'tzfita Mercantil commuiiicaram de Pelo-
tas ter ehegado all noticias de um sangiiinolen
to conflicto, occorrido c:n Santa Victoria, do
qual resultaram vin'.e. mortes e numerosos feri-
mentos.
O Sr. Dr. Azevedo e Silva, chele de polica,
ia partir para all acompauha lo de urna torca
de linda, alim de restanelecer a ordera.
Refere o Artsta o seguinte :
N'o da 17. -3 horas di tarde, mais ou
menos na ra de S. Jos n. 2. era Pelotas, na
o :ca*tto era que estavan j:;n -lia as lillias do
Sr. Kauoei JacmHio Poetes, Somera maior de to
annos de dade, all apparecnu o italiano Ama-
lo Joo, ofTerecendo venda diversas estampas.
Perguntando as lilhas de Pontos se as refe-
ridas estampas estavam benaidas, o Tendedor
prorompeu em improperios, insultando alroz
mente as ndefeas mogas
Puntes, que ^e acliava no interior da casa,
sanio e disse ao italiano qm se retirasse, rece
bendo ne.^sa occ.isio urna punhalada no ventre,
vibrada per este. O pobre vi Iho arrancou a fa
ea que toara na ferida. e correu em perseguir >
de seu agu'ressor, cnhindo poacodepois exhaus-
to de torcas. Perseguido pelo clamor poMjco,
foi o crimiooso preso e recolhido cadea civil.
0 delgalo de polica procodeu a auto de per-
gunias e corpo de delicio no ferido. O estado
de Pontes desesperador.
Com referencia ao naufragio da galera Jaltus,
acharaos nas folhas as seguinles inform-icOes :
Referi chanceller do consulado allemio,
Sr. Gustavo Poock, que foi arrojada piaia. cer
ca de duas leguas ao norte da barra, una das
landtts da dita galera,, com um tripoVaate de
nome John Andreas Aiideison, natural da No-
ruega.
0 pobre naufrago con'a que embanaram
na lanera 8 mannii"iros inclusive o piloto, e
queao chegarem perto da costa, c meados de re-
mar e de esgotara pequea ouibarcacao, que de
momento a momento era invadida pelas vagas.
os seus companheiros de infortunio atiraram se
a mar. pensando que a nado podessem alean-
car mais fcilmente a trra.
Estando j sera torcas, os desditosos maru-
jos pereceram afogados. Anderson, vencido pe-
lo cancaco. conservou-se lia lancha, onde ador-
ir muitas familias, amigos e pessoasde
rodos polticos, que assira Ihe quize-
rain palentear sen reconhecimento pelos rel
rvigos que prestou provincia, como
administrador e principalmente a esta capi-
tal, cora o beneficio do abaileeimento de agua e
.ment da canalisacaodos esgotos.
i 0 l)r. Teixeira Gouveia e sua fami-
lia toram comprimentados pelas Sras. Visconde-
Camargo-, e Baroneza de Carilargos, e Srs.
-elheiro bolera, desembargadur Accioli Brau
lio. Drs. Tin i, Jjs Eufrosino, Veiga, Ferreira
-la e sua familia, deputados proviuciaes de
Jados os partidos polticos e muitas outras pes-
soas conceilua las.
A imprensa pre.-tou justa bomenagenrao escla-
recido criterio ;e aombridade .1) D:-. Tei-
xeira Gouveia.
8. Paulo
Dalas al 29 de Junho:
Eiii yirtide de mandado exped lo pelo juiz
de direilo da comarca de Tatuliy, Dr. Antonio
Candido de Almeida e Silva, torara presos os
Joaquini de Souza Gavio, soldado, e Anto-
nio Jos Pedro e sua mulher Mara da Conceico.
pronunciados ha mais d3 10 annos.
No dia 20 do correte mez l'echou-se o La-
zareio de variolosos, visio terera sabido os dou-
ultimos doentes que no mesmo exisliam, achan-
do se, pois, extincta a epidemia nesta cidade.
O Diario de l'iracicaba refere o seguate:
Na madrugada de 19 do crreme parti des-
la cidade cora destino capital, por'Santa Bar-
bara, pela liuia de trolys, um mico do commer
ci que residi era ura bairro do raunicipioje se
iade mudar.ca levando ao mesnn tempo diver-
sas incumbencias de certa importancia, de urna
pessoa daqni.
Caminhava o homem na melbor paz de es-
pirita qoando de repente, na escurido da noi-
te, foi assaliado por tres valules rupages que
o arrebataram do trvly. pozeram-n'o ao lomba
de ura bucebalo e o Bzeram trotar por um ca-
iiob-nn diverso daqoelle a,u eonduz Santa
'llanura!
Com o cocheiro do troly vajava mais um
empregado la linda, ambos os quacs julg tram-
se impotentes para livrar o seu passagcro de
um positivo e terrivel r/tpto.
' Contamos o nosso informante que no dia se-
guiute Datura um enlace matrimonial semas pre-
liminares do es'vio.
Era Itatiba, ua tarde de 20, na (aseada do
Sr. Joo Baptista de Paira Baraclio, indo o ad
ministrador Frao isco de Carralh i, acornpanha-
do de um irmo e um ca manda, ao cafezal fa-
zer sabir ura empreileiro J i.iquim 7. f rio, que
se acliava despedido, aconteceu travar-se um
conflicto entre aquelles e o empreiteiro, resuf
ando a morle de Joaquira Zefenno e, consta,
um ferimeato no administra lar?
O morto eslava en eompaub de sua mulhpr,
que de> iz cintra Francisco de Carvalho
As domis leslemunlus no preseuciaram o
facto.
-- Em M igy-mirim, s 01/2 Jraras da tarde de
21 do corrente, ura ex-empregado do Hotel Cen
ral de ..oraeJos de tal, homem extraordinaria-
mente surdo, ao recol!ier-se para saa casa no
bairro do Aterrado, indo pela linba ferrea foi
desastradamente apaohado pelo trem que che-
gava deCampi ias, sen lo lancado agrande dn
lancia da linba com ura toriinento na eabeca e
outro i na nema. Os ferimentos sao de bastan
te gravi lad''.
Foi pretW na capital JordSo Lopes, j co-
ntiendo nos annaes da polica, que andav i pas
sando no-as falsas de 200000.
No dia 23 do correle, ao raej dia, na estra-
da que segu da villa de Sa ita Barbara para
Campias foi assassinado com dous tiros de es
pingarda o italiano Carlos Giovanetli pelo seu
compatriota Angelo Fortunato.
Deu origwn a esae crinw urna questo de con
las entre Angelo e Hermenegildo Giovanetli, ir-
mo da viLiima. os quaes. sabsndo que Garios
i-tirava se daqnella villa de mudanca, forara no
seu encaiQo alim de receberem o que elle Ihes
devia.
Origi'iou-se cnto o conflicto de que resol ou
a morto de Carlos, escapando por felicidade de
ter a mesm i sorte seu irmo Hermenegildo.
O criminoso nao fui preso. A autondade po-
licial mandou proceder no exame do cadver e
aDrio inquerito.
Na fazenda do Sr.-Joo B. de Paiva Baracho,
meceu.
As vagas foram raipellindo pouco a pouco no municipio de Itatiba, a 20 d> corrente. indo
ti
Rus,
Ni
fa
Vailora, tendo esquerda a Srv Baro-
dO. .
ae tinha direita o embaixaJor da
a ministro lo Mxico.
dio ama toagnilira mrhestra
i, du;
is mais
escollados do seu
i na diplomacia,
io marechal Mac-Mahon. que eslava
uniforme.
Ale nie-iiio uaa |m"i'"' >"
eslaud, por exemplo, metade da populago
da durante o invern pea catidactc
a embarcacao para a praia. Quando Anderson
acordou, a lancha acliava se cncalhada naareia.
Saltou para a torra, onde oncontreu urna
garrafa de vinho. que o mar Ihe h va roubad);
depois de tomar um trago, dirigi se a cuto
casa mais prxima, oude Ihe forne.eram ali-
mentos.
Tendo ido para a cidade do Rio-Grande, e
achaudo-se doente foi recolhido Santa Casa.de
Misericordia.
Diz o Echo do Sut:
Segundo telegramma recebido por unr res-
peitavel negociante desta praca, gabe-se que a
galera allemS Julius foi levada a Maldonado
pelo vapor belga Skeld Henl.
Nas proximidades daquelle porto os passa-
gtros do paquete Rio Negro virara o vapor bel -
ga rebocando o casco da referida galera. *
Chegarara capi.al o capilo Meenlzen e os
tripulantes, que se salvaran), e linham licado no
Albardo.
Prximo da barra do Chuy tambem naufragon
a barca ingleza Eqiiador.
Eslava reinando a varila em Bag.
Em Piratiny a enchenc foi muito considera-
vel. elevando-se as aguas a tal altura, que faltou
a|ieuas um p.dmo para allin^irem o taboleiro
d* ponte da estrada de ferro.
Rio Grande do Sal, 27 de Junho
Consta aqu que o ebefe de poficia da provin-
cia, que est na fronteira era diligencia por cau-
sa das notas falsas de 20, ja fez examinar seis
e est de posse de proras que comprometiera os
indigitados criminosos.
A mesma autoridade pedio a apprehenso de
vulumes era Rivera
Rio Glande do Sal, 28 de Junbo
Alera tas noticias hontem 'rausinittid :s sobre
as notas falsas de 2o*, .-abe se que o presiden-
te da provincia reineiteuao Sr. rain.stro da jus-
tica por lelegraramas copia dos commumcidos
pedo chefe de polica.
O mesmo presdeme podio ao governo imperial
para requisitar diplomticamente do da Republi
ca Oriental o acto de ipprehe iso e mais dados
sobre a i .seo berta das ditas olas falsas.
Viaitft-beriti'*
Datas telegraphict* a' iO de Junho :
Oaro-Prel, 27 de Junho
O vicepresidente da provincia delermnm
fazenda provincial que aceitasse em lauca de
colleciores, cscrives e directores de rocooedo-
ras, raderaelas com depsitos de dinbeiros, fei-
tos no banco provincial de Minas lieraes.
Orno-Preto. 28 de Junho
Resultado de 440 collegios :
Itorta Barbosa 5,840, Jiipiira Fcliciq
Carlos Peixoto 3,31', Cobra V, 09!, Penido 3
Vlvim 3 0i2, Brandv 4,833, C. ArTonsu 4,W>,
[iJoli- 4 340. Filelis i.:i)3, Veiga 3,804, Moa
ro 273.
Os roliegos que fal'am n.'io alterara o reftal-

OBaraodc Ihiturana foi recebido na estagao
ir milhares de pessaas.
28 de Junbo
l'eraiiie a assembla provincial prcslan jugar
\\v\y Barao de Ibi'.uruna que toraou em se-
:i i$6es, a que se pode da guida pos-e tracn.
te>e
uiar h ni oa agricultura
festival+o .-eu final franc ista.
o I iodo a propried m-
.jnrados.
--a- atiendo ; ate w ra
BelKica
S id'm 16 de Junbo tomou
a, o Sr. Jan-
.13. .
a um
11. ;ne foi
Declarou e
vern ;pi
i
dilTe;-
a elei
perto

L

ha de mais

ulo de
:.:o na capital e m
ma residencia.
I-;' ra i \inda do impera-
or:
>.Preto, Site lonho
I prxima rinda de S. Jt.
ara or-
s,-que se bao de
m constituida : Drs.
ral.
.'io
i o De.
la e deoutroS
ram o barato, e um lupanar
n levantar um
i o traballio. v-
cito.
do Junho
1
iWIPP
I
o adminislrador Francisco de Carv.ilho, acompa
nhado de mu irmo e ura cmara la, fazer sahir
um empreiteiro por noraeJoaquim Zel'erino, que
estova despedido, travou-se urna lucta entre
aquelles e este, resultando ser morto Zefccino.
0 administrador, aecusado do crirae. tamben)
recebeq ura ferimenlo durante, a lucta.
No bairro da Mi dos Homens, muuictpio de
Bragonca, travarara-se de briga Benedicto Xa-
vier da Silva e Jos de tal, r-sallando ser o pn-
meiro ferido muito gravemente pelo seu conten-
dor.
O ouemlido deu entrada no hospital da Mise-
ricordia de Braganga, sendo, o seu estado muito
melindroso.
Falleceram e e o empregado da estrada de ferro l'auhsla Geor-
ge Young.
A' 27 foi subraettido a julgamento na ca-
pital o reo Malve* Valmiro, aecusado de iniro-
duzir dolosamente raoeda de prata alsa do va-
lor de 14 ua circulacao.
Depuzeram cinco testemunhas de aecusago e
tres de defeza.
Houve replica e treplica.
Sustoutou a accusacao o Dr. Silvino Cesar,
promotor publico, e a defeza o advogado Galvao
Bueno _
Presidio a sesso o Dr. Ferreira Alves, juiz de
dreito da 1" vara.
O juiz, aps a treplica mandou que os autos
Ihe fossem conclusos, e condeinnou o reo a 2 !|2
annos de gales em Fernando de Noronha.
Houve appellagao por parto do reo.
No mesmo dia 27 o trem expresso da Com-
paa* Paulsla, que vinha lo Rio Claro, apa-
nhou, eit* as estacOes de Santa Barbara e Re-
boucas, ura individuo que estava deitado sbre-
os trilitos, a dormir, ao que parece.
O infeliz, era empregado da fabrica de tecidos
Carioba, ficou cora o crneo esraag ido. No mes
rao trem foi conduzilo cidade de Campioas.
on le ehegou anda com vida, fallecendo .raoraen
tos depois.
O maehinista do expresso quando avistou o
individuo deitado ua linba estorcou-se por fa
zer parar o trem, mas nao o pode conseguir an-
tes que se dse o desastre.
Entre os kilmetros 14 e 17 da liona soro-
cabana, lera sido visto urna grande onca acom-
pa uada por dous til botes j bera crescidos. .
Em diversos pomos tem sido observadas as
pegadas das fras, mediado as da raai 14 centt
metros de largura por 12 de compruneuto, e as
dos IllliosO cenliraero3 de largura por 6 l[i de
compriraento.
Sotl'reu muito o muuicipio do Ribeiro Preto
com as geadas das noites de 13, 14 e l do cr-
renle.
Grande numero de cafezaes foram prejudteu-
dos com a geada, sendo relativamente poucas
as Eazendas que uacaparam rltesaa.
No municipio de S. Jos do Bio Pardo tara
bem n .-.ida proiiizio grandes estragos.
Rio de Janeiro
Datas al 30 de Janho :
LVae no Jornal do Commercio do 29 :
u E' coaliecido o vista projecto organisado
pelo Sr. Manoel tioioes de Olivoira para tunda-
rao, dentro do praao de dez annos. de note Bor
09 \ i m cada ura dos quaes localisa
r 1,000 familiai de mmigi-autes europeas e_ ae
nacionaes, sendo estas na propoi w I
daquellas. C. podeudo a porcentagem olevac-se
at 30-1. nos Burgos situados era provincias do
norte do imperio. A le n. 3,897 de 24 de ao-
vembro ultimo lutorisou o governo para cete-
ra|. ^raaaaeHe edadao contorme o
plano aprese.1 il%eque
, foi !i i l>radu pelo
cultura, listrinuir-
Burgos:
.'Jara:
nucu
Alauoas
Babia
K i o de Janeiro
>. I'aUlO
G
Pan
ita Catharina
Rlo-Crandedo Ful
Alni do outros favores, quaes a venda d i
trras devolutas pelo prego Jrainimo da le, di
reito de desapropriaco de ierras incultas que
se achareui encravudas nas zonas dos Burgos,
preferencia para mineiuco, etc., ter direito o
concesionario subvengao de400 por familia
estabelecida em cada Burgo at o mximo de
1,000 farailias.Jdevendo ellectuar-se o pagamento
por trrupos de 23 familias enllocadas e, quanto
s ultimas 100, somenle depois qu- o Burga es-
tver inteirameute constituido.
Cala Burgo ter fabrica central, Banco Po-
pular cora se tgaro, hospedara para
agasatho dos recera-chegados, ensino primario,
agrcola e induslrial pratco, bibliotbeca, phar-
mauia. med'co, capellas para os cultos citholico
e acalholico, salo para receio, servico de extinc-
co de incendios,
O eoucessionario poler realisar a e;i>p:/1
por meio de companhia nacional ou eslrangeira,
do capital le 20 0HiO.D, que dever achar-se
or.'.an'Si la dentro de um anuo.
Nao do estas lnhas sena) i I.'m 'completa
do mporlantissimo projecto enja'organisaco
custou ao seu laborioso e intelligente autor tonga
nteditacao e estudo aturado. Theoricamente, a
id-a 6 seductora, parecendo fatula a proporcio
nar ao Brazil a collocagSo de 20.OU0 familias (on
100.030 indivi-luo perfeitas condicoes de prosperiiade. 0 acolhi-
mento cora aue ella Foi rocetnda nas duas casas
do parlamento, denota a sjmpathia que o tiran
dioso projecto para inspirar. Muito estimo"
nios da nossa parte que a excenclo corresponda
sera nenhuma insoperavel diflcuidade s aspe-
rangas que pide:n ser fuada!a3 era plano to
VaStO e tan utd.
A collueaco de 20.000 familias, no prazo de
10 ou de menor numero ifb annos, nao basta cor-
tamente a satisfacer as nossas grandes necessi
la les do suporimento debraeos, mis constituir
contingente Importante que, combinado cora ou-
tros meios de acgo, actuar de modo muito ei
Para a expanso econmica do Imperio. A
publicieo d contracto permutar que o possa
mos,considerar mais de lamente, desejosos de
qu- a emprezi, por bera do Brazil, nao tai
con verter se em til realida le. -
L se na :r.e-ni roloa la 83 so'i o titubo
Auxilios l'tvoara:
Noticia nos hmiera, na uoaaa seccZo cora
mercial. que linham sido assiga idos os contractos
celebrados pelo governo cora o Banco ile Crdito
Real io Brvs 6 a lineo Paulo, para o forneciraento, exclusivamente la-
voura. de capilaea qu:' anxitiem esta grande in-
dostria a i passo dilncil qaeella actualmente atra-
voaea.
Ai que ionteru denos p ide n is iioje ac -res
centar as segui.ites inform n--s relativamente ao
contracto celebrado c\m o Bateo de Crdito Real
do Brnz l.
t) adiaalamento f-ito pelo thesouro ao banco
cora destino exclusivo lavoura. -era da somma
de 3.000:00:)5. em prestares de 3'W:OO05, sendo
qaanlia igual fornecida pelo banco.
\s op!'racs seno de emprestirao sobre hy-
potheea de prbpriedades ruraes, penlior agrcola
ou ciujo de apolices da divida publica, bihetes
do ihesouro, leltras hypotlie -arias e lettras com
duas firmas, pelos menos, de lavradores abona-
dos, ou de mutuario lavradore outra pessoa abo-
nada ; e tanbvn. em caso determinado, aeros
ou litlos de companhias garantidas pelo Es
tado.
As operaces de hypotheca pedern sr por
prazos de 3 10 13 anos ; as de penlior agri
cola, constituido em colheitas pendentes, rnctos
agrcolas ou era animaos, por I a 3 annos; e por
l a .' annos quando seu objecto forera machinas
e insiruraenlos de lavoura. ttulos e aeges, ou
lettras por ura anno, refonnaveis a apraimento
das partes. A reforma da letira ser obligatoria
at mais um anno. se n aceitante ou en ios'-antej
araortisar pdo menos 23 "/. do valor respectivo.
O juro, era qualqner ds operaces, nio ex-
ceder de (i pego por semestre, vencidos, sem
nenhum outro amoriisaefio do capital n que sehouver ohrigado.
Nos casos de hypotheca, aseraortisages. que
scr3 i semestraes e pagaveis por semestres ven
cidos, poderse, a aprazimentodas parles, ser com-
postas do uro amortisaco, calculada sobre todo o prazo da di-
vida, ou s nenie do,juro durante o priraeiro ler
go ilo prazo e do juro e quota de amortisaco BOS
dous outros tergos.
Os limites para os craprestimos sero: na
bypotheca sobre propriedades ruraes. ou na cau-
go de ttulos da divida publica, acedes de com-
panhias, etc., de 2:00.)i n 120:0005 ; no penhor
ou letira, de 300* a 50:0004.
As prestages de 506:090, serio torneadas
ao banco do seguinte modo : a primeira, 30 dias
depois da assignalura do contracto : as outras.
logo que o banco provar o desuno dado s ante-
riores. A prestago que nao livor lido emprego
por noventa das' vencer o juro de 3 '7o-
Sabemos que ha outras clausulas ; mas o seu
conheciraento nao toteressa to directamente
lavoura.
A zona para ns operaces do Banco de Cr-
dito Real do Brazil. abrange o municipio neutro
e as provincias do Rio de Janeiro, *. Paulo, Minas,
Espirito Santo, Paran Santa Catharina e Rio
Grande do Sul, obrigando-se o banco aestabcle-
cer, quando seja preciso, caixas liliaes oj agen-
cias nas provincias do norte.
No contracto cora o Banco de Crdito Real
de S. Paulo, as bases sao as mesmas expostas; o
adiantamento do thesouro ser de 2.300 contos
de res, e a zona abranger S. Paulo, Paran e
Soya*.
' Parece que est resollido accordo anlogo
com o Banco Predialfeendo o adiantamento de
1.000 contos de ris; e tambem em relago Ba-
bia e Sergipe, sendo o adiantamento de 3.000
contos.
Julga-se provavel, accordo semelhante, em
relago a Pernambuco.
CORRES PON DEXCIA S
<
i
i
i
i
i
-.
2
4
1
1
i
Do Diarlo de Pernambuco
PORTUGALlisboa, 24 de jcxho e
1889
Coincide hoje a sabida do paquete da Mala
Real Inglesa com o das Messageries .le Bordeus.
Nesta si ejle-case iransatlaulica veras quem l
checa priraeiro.
- As corles foram prorogadas at zi do cor
rente, creio que a quarta prorogaco, e pelos
lennos em que os debates progridera, j se diz
que o governo obter da coioi ma3 outra, at 2
oa 3 de Julho Veremos se anda nao a ulti-
ma. E' a torga de prorogages que o gabinete
vai arrancando leis do parlamento, .como quem
he arranca denles queixaes. O bollco, neste
caso, s i as c^descendentes prorogages que o
poder moderador vai concedendo aos seus mi-
nistro-!. Estes que nao leem razo de queixa
Ao po>ler moderador tambera, nada Ihe custa o
arranque dos tes dentes. O contribuate,
que anda com cara de palmo e meio, porque
raro o projecto ou projecticulo que nao repre-
sente un) augmento de despeza, sem contar com
o gasto avallado, dos subsidios eos deputados e
o res'o da tnifi en scne parlamentar, que anda
por una contiaha callada em cada dia a mais
que a: cortes se vo protelnndo.
A ociera nao rica, mas o ilinheiro vai appa-
reganilo.
f.ii nomcada urna commissao parlamentar
iquerito ao negocio Salamanca Esta com
musi compostn Jos Srs Jos Oas Pen
ico CastelM Branco, Consiglieri
P,.(|. i e Co~a, Eduardo Villaca, Esper-
ruei a. Pocas Palcfto, J a de Andrade.
Uapi uza e los EreJerico Laranjo.
I is assim nesta commissao
>9 grupos poliiicos da cmara
\ pares j foi votado o ptojecio
de le viudo da outra cmara esiabeleceudo os
trihmmes avio-lores.
o ministro da justica tem -npenho em
i anda na pros
reforma judciaria.
tralou na penulluna i-u ,iao do con-
selho
tivoj da noviss ma prorogataj projeetada.
nas cam ultima
a. Na
enheiro dis
do Porto, como previdratemenle o projecto de
lei acautella.
Nestas cinramstancias. a companhia ter o
mximo empenho em chamar todo o movimento
s Habas frreas ao porto ommerciat, e por
consequencia ser altamente beneficiado ocami-%
nho de ferro do Douro que flea entre aquellas"
duas vas de eoraraunicagao : a terrestre, na
fronteira, e a martima,
A linal o projecto loi votado na cmara dos
depulados'na sesso diurna de 22. cumpriado
rectificar aqu o que na minha de 19 lhes disse,
sobre ter sido elle votado na seso nocturna
de 48.
Esta sesso de 22 foi variadissima : houve dis-
cursos serios, jocosos, graves, cbSafrineira, ba-
rulho, deludo um pouco. i ara o contingente
dos banzs parlamentares, nao somos s nos que
contribuimos : ha poucas semanas em Madrid, e
ag ira ha poucos dias era Bruxellas c em Roma
tora se da lo exemplares do genero, c dos mais
completos.
Di rao que o defeilo da raga latina : pois sim,
e no paYlatr.rnlo de Londres quantas e quantas
scenas grotescas de chiofrim nao tem bavido, e
no proprio parlamento alLmio, apesarde serem
alli os tempe-amentos dos Ilustres preoninan-
',es muito menos fogosos e su-ceptiveis do que
os nossos.
- Passou na cmara alta o projecto de lei
creando 7 consulados de Ia classe. .
Ni mesma cmara foi dado para ordem do dia
o projecto dos violtos, e j fallaran) sobre o as-
sumpto os Srs. Telle de Vascoiicellos,'ministro
das obras publicas, Margiochi e Silvestre Ber-
nardo Lima.
O p'rojecto ficou pendente.
Foi hontem que o eminentissimo cardeal
patriarcha de Lisboa sabio de Salamanca para
Portugal. Como ja Ibes disse leve um desastre,
fracturando um braco quando ia de jornada para
Roma. Desisti da visita ao padre santo e tem
i stado a realabeb eer-se. Preparara-grand' s fes-
tejos os visinhos da residencia patriarchal de S.
Vicente de ora, para celebraren) o rejiresso de
illust^. prelado sua seda. Acompaoha S. emi-
nencia um doa medicot hespachoes que o tratou
carinhosai, ente.
Os proprietarios do3 predios situados na
zona de Lisboa, por onde se projecta construir u
tunnel da ru;i Santo andam activos nos protestos que levantara
Obrai
FJma commissao desnes proprietarios entregon
ante-lioutem ao presidente da cmara muuic pal
urna represeaiaco rom grande numero de as-
ignaturas, na qual prolestam contra essa con-
struccao pelo risco em que vai coltocar rs seus
predios. 0 presidente da cmara promeiteu a
commissao tomar na consideraban devida a<
suas queixas, e apresentar a reclaraacao nd pro-
xia)a sessSo camararia.
Consta que alguns dus propriefario referidos
vio mandar abrir profundos p -ssos nos seus
predios para rr.nis terminantemente ; ffinoaiem
os seus lireitos propriedade do sub-solo.
0 planeado tunnel, que poe era risco predios
importantes, que abraugem o largo do Carino,
calcada do Sacramento, Ciliado (ra Carret)ra
de S. Prancisio (ra lvens) etc. ama obra dis-
pensavel. Alargassem a ra -to Arsenal expro-
priaudo alguns metros da frente da casara do
lado do noite, e teram o transito desembaraga-
do, :'.> 30 para o moviraen'o actnal, mas para o
que de futuro capital possa vir a ter, em vir-
tude da iranstormacao porque ha de passar,
quando foram terminadas as obras do melhora-
raento do porto de Lisboa.
Tambera est dando motivo a porfiada conten-
da o projecto de mutilar o fonio (Praea deD.
Pedro) e demolico dos predios do lado oriental
da ra de Principe, porquanto os do lado occi
dental ja foram demolido? desde o largo do Car-
ino praga dos Restauradores para nesse terre-
no se levaatarem as ediflcacSea de esiaefio prin-
cipal e anne.xos da comnaonia dos cainielios de
ferro portuguezes.
Acertadamente se tem ponderado que nos
outros paizes eslas questoes locaes de transito
publico se nao resolvem a golpe-; da ramarteflo,
se nao no ultimo caso. Regulara se u.iiuciosa-
meite o movimento dos vehculos pblicos e
particulares, por modo a garantir os peOes dos
atrope liantes, e nao se decreta, sem mais neni
mais. a expropriaco e demoligo de boas pro-
priedades urbanas a lorio e a direito, como aqu
se tem feito e se pretende fa*cr arada em maior
escala.
Urna folha de Lisboa publicara, ha poucos
das, as bases do accordo combiqr.das entre a
commissao dos commeretantea de vinbos do Por-
to e o governo :
quanto ao subsidio concedido i Companhia
Vincola, usar o governo de nietos suasorios antf
ella, para Ihe ser dada outra applicscao :
quanto ao subsidio cmara coramerciai.
.fazer o governo un) contrete provisorio, que sera
era lempo opportuno sujeito sancc&e parla-
mentar, oaiolroduzir, na le: de fomento agrcola.
a verba respectiva :
quanto aos depositas geraes, reiralamentar
por forma que se destroam suspeitas e appre-
hense3 dos commerciantes, de maneira iue a
marca. seja consoante s ueclanges do gover-
no, no parlamento, e s circulares dos cnsu-
les.
Parece que a linha frrea do Algarve ser
aberta circulago no 1." de Julho prximo, *
que a inaugurago ser mais larde. A esse acto
diz-se que S. A. R. o Sr. Duque de Braganga r
representar el-rci seu pai.
S A. demorar-sema apenas alguma- horas em
Faro, onde a cmara municipal ihe offereoera
um almoco, lindo o qual regressar a Lisboa.
reparam'-se era Faro grandes festejos para n-
ceber o Sr. Duque de Braganga.
A circulacao j estava aberta at s Araoreiras.
As novas estacoes sao Odenira, Sabora. Monch-
que, S Marcos, S. Bartholomeu deMessioes, AI-
bufeira. Boliqucime. Loul e Faro.
O percursodas Amoreiras a Faro de 114 ki-
lmetros e de Lisboa, a Faro, 340.
J se publicaram o respectivos horario? e ta-
bel'as de precos para passafeiros.
Esta linha"faz parte da rede dos camiufaos ile
ferro do sul e sueste c pertence ao estado tambe-
ra de ha muito se pense e:u adjudical-a a ttfn-
raa empresa. '
Sao tambem do esledo as nnhas QO ano e
Douro.
ral do


ii as vi
nas
:io ce fl
eaminli
Falleceu ha dias, era Chollas, o caOselhi
Antonio Jos da Costa Gomes, que fm adminis
trador gera! das alandegas e ftOOtriKuices in-
directas. Era ltimamente membro da Junta do
Crdito Publico. Craio funecionario superior
era muito considerado pela inteireza do seu ca-
rcter e profundo connecimento nos ramos de
admiuislrago a que prestou inielgentes serv-
gos. Succumliio a una enfermidadepertinaz.
Contava 60 annos de idade.
Tem creeddo em Lisboa por ura modo ex-
traordinariamente assustador o numero de suici-
dios. E' raro o dia em que a imprensa deixe de
registrar dous ou mais casos, baveado alguns dt
Ires e quatro tentativas, das qu .--, alguma fatal.
Os atropellanicnlos com para os
transentes nas ras da capital tamb-m se snc-
cedem om uaia multiplii-idade de que nunca
houve iqui memoria. A polica das rnaa e pra-
cas eita por agentes a pe ; inan lo 6 ce-to que
soldados de cavallria municipal quedeviam
vigiar pelos abusas e descarameiito com que os
cocheiros das carruagens publicas c p->rticula-
res iufringem as posturas da cmara.
Acaba de fallecer o Sr. Visconde da Babia,
irmo da Sra. Viseoodessa da >brig
Haesper'ancasdeque n ;- marrana ajer
cante se v' levaoland i I) aba'ioientoedecadeii
i que cnegou. Acompa- Ma da Mala Real
Portugueza ter, em breve, oito vapores, cinco
dos quaes de gran le lotscio. Oestes, j esta
prompto o paquete Rei de Portugal.
Foi publicado na folha offieial o ','gulamral
utenciaria de Santarem. Para o Ittga ds
director foi nomeado o Sr. Mrquez de Bellas.
tantes Un ires 'ai postos a cmcurso.
Estes casos le titulara da antiga UnbrgBm
irem servir QO n. 'da
frequentcs. skUlare? de fresca data.
individuos pela maior parte argentarlos ua
nao leem a solicilai u de
servir funegoe publi
X, :, l30ccLuilas.
O lugar de fde-
nado aunual, e

de Zatnl -o a nie-
cor-
lavia novi
V3 "*co"
berta
: a urna ce
r

..-




Xf
-

-
-

.>




V

Diario de PemambucoSabbado 6 de Julho de 1889
a
uto, ja mutilada e a ura fragmento de cruz
de ferro que encimara o pail
Ha tns dias o Sr. Pinheiro Ghgas fe na
cmara dos deputados algumas perguntas sobre
o ultimo conflicto occorrido era Fellali (Mao-
cos) dos raouros coa os pesca lores portuguezes.
O governo receben a 21 um telegrama (n Tn-
ger, expel i pelo nosso ministro, em
que participa que o sulto ile Marrocos dcuor-
dem pan nos ser dada completa satisfagan.
D na impiensa que artes do dia 23
do fcorrcrte o governo resolvera a questo do
eaminho de ferro de Lourengo Marque*, naocon-
sertiud.) na prorogngo pedida pela empresa
constru" ira, visto como se havia faltado ao que
se contrastara.
Esta noticia chegou a Londres e au agradou,
porque na empresa esto envolvido* capitaes
inglezes, ealli zelam-se incito os interesaos dos
nacionaes, principalmente se elles representan!
accordos cora paires que a Inglaterra considera
como secundarios e facis de se subraetterera.
E a proposito disto, na cmara dos comrauns,
sir James Fergasson, secretarte dos negocia
trangeiros, respondendo ao Honorable Charles
Mills, deputado or Sevenoaks (Kert.) disse
que o caramba de ferr de Lourenco Marques
levanta urna qu-stao espinhosa. O governo por-
luguez allega que a concessao foi feita a urna
sociedade poi tugueza, que nao cuaiprio os seus
compromissos. e eunseguintemente tem elle o
direito de confiscar a concessao, isto de lhe
rescindir o contracto.
Sir James Fergasson observou, porra, que os
capitacs foram inteiraraente fornecidos por urna
sociedade ingleza, mas que verdade ter essa
sociedade a sua sede em Portugal, e que o go
verno Inglez asa da sua influencia junto do go-
verno portugus am deste adiar qualqucr pro
cediraento que possa lezar os interesses com-
prometidos no negocio
Por causa da qaesto Lourengo Marques se
reuni aqui duas vezes o conselho de ministros,
chegando a espaihar-so o boato de que o con-
tracto nao seria rescindido. Entretanto o Diario
Popular de hornera diz que no dia 26 ser publi
cado o decreto rescindindo a concessao do ca-
minho de Ierro del. arenco Marques
o pessoal portuguez suprior e subalterno
que d'aqui parti a 10 do correte ainda la nao
ebegou.
A nao resciso do contracto importara a an-
nullago das despejas ja feitas para o governo
para o transporte daquelles empregados.ajudas
de custo, adiantainentos de ordenados, etc. etc.,
gggravadas com o regresso delles metropole
pjr Cunta do estado.
Mal jgraram-se todos os aecordos tendentes
approvago do projecto de lei que diz respeito
ao eaminho d ferro para Braganca (Traz os
Montes).
Nao ser tao pouco discutido este anno cami-
ulio de ferro ulgum dos qne conslituiara o pro-
jecto de lei que no clao parlamentar se chamou
o do nocelto.
Vai eslabelecer-se com a denominago de
Laboa Industrial urna fabrica de fiaro e tecidos
de algodo no sitio da Junqueira (Lisboa).
Chegaram j da Antuerpia para ella cinco ma-
chinas completas, em 25 roanles.
O edificio uchi se quasi cqn:iuie e vai cs-
megar a montagem do niai hinisrao.
Por iniciativa do Sr. Dr. Thomaz de Carva-
Iho, provedor da Santa Casa da Misericordia de
Lisboa, foi all estabeleciJa ltimamente ama
aula para cegos a qual vai funecionar diaria-
mente em una das salas do estabelecimento.
Foi convidado para a dirigir o Sr. Branco Bo
dngucs, que acceitou o cargo, que desempenhur
gratuitamente.
Vo cursar i sta aula os cegos que ha na Mise-
ricordia, e m : cm que a cmara municipal-de
S tu 1 bsidia ura vi.- a Lisboa aprender a
ler.
Beunio-se, bi poneos dias a direcgo da
Sociedade de Benificencia Brazileira em Por-
tugal, alim de noraear una commisso para
comprimeotar o novo ministro do Brazil nesta
Corte, Sr. Baro de Aguiar de Andrada, entre-
gar-lhe o diploma de presidente honorario da
sociedade, e convdalo pera uiu banquete que
llie vai ser offerecido no dia 27 d'este mez no
hotel Bragaiie-i
Ficou a commissao comporta dos Srs. \ ieira
da Silva, Oliveira Lima e Jacintho Du- de
Aguiar.
O distinctu diplmala acceitou gostosamenlc
as honras da presidencia e o convite.
Para organisarem a festa foram escomidos o
9r. Conde do Franco, Panto Porto Alegre. Gui-
lit-rm l Ses.Vieira da Silva, Oliveira Lima,
Jacintho Dias de Aguiar e Ahres de Carvalho.
O diploma ser entregue rom um collar e me
lialha de ouro igual ao que possoem SS. Mil. o
Imperador do Brazil c o re o Sr. D. Lab I.
Foi una dadiva do Sr. Conde de Frauco, sem-
pre generoso em todos os sena actos.
H No edificio da estagao cbiinico-agricola de
Mirndola, nstallou-sc provisoriamente a sir-
aria desnala producto de sement iii-
tiemne. Sao mui'as as variedades de sement de
bicho de soda que aili vo ser estudadas, pro
vindo amas do districto de Braganga e ostras de
Franca.
No conselho de Miranda do Douro trata se de
montar outra sirsara especial exclusivamente
para experiencias do sirgo alli reproducido ha
muitos aimos e que parece ser dolado de grande
elasticd ide.
Falleceu em Furo o Se. Mauoel Juaquun de
Almelda. antigo depulado e presidente da coni-
mtsso execufiva da junta geral do districto,
car^o que resignen em Outubro ultimo. Era
pai^do deputado'Sr. Ferreira de Almeida. O fu-
neral foi muto concorrido.
Fallecen em Lisboa o Sr. Zacnarlaa de \ -
Iheua Barbosa, irmo do Ilustre escriptor e aca-
ueraico Ignacio de Vilhena Barbosa. O Sr. Za
charias de Vilh-na Barbo-a nublicou ha annos
um interessautissirao Mmanack Commercial. que
o governo subsidiou. ....
. Tambera se linou o antigo e babilissirao
advogado Dr. Ernesto Adolpho de Freitas. Era
tio do distinctd ascriptor Jos Antonio de Freitas.
O fallecido era dolado de inuita erudiego e
muito conhecedor da litteratuia classica portu
gnesa.
A Sociedade de Geographia de Lisboa far-
se-ha representar do seguinte modo no Con-
eresn Internacional de Sciencias Geographieas
de Pariz, segundo a orginisac 10 do raesmo con-
aresso: .
Burean : Couselheiro F. M. da Cunha, presi-
dente ; e L. Cordero e Palermo de Faria, secre-
tarios da Sociedade.
Groupr*: I (eographia mnihemutira : Fredenco
Oom, director do Observatorio Astronmico;
II Geographta Phtsica: Mendes Guerreiro, ea
genbeiro ; III (eographia econmica: Professor
Henrique Milosi: IV Geographu histrica Lu-
eiano Cordero; V Geographia prdugogu-a: Dr.
Bernardiuo Machado, lente da niversidade;
VI Viagens c exphracet: i. J. Machado, inspec-
tor de obras publicas do Ultramar; Vil Geogra-
nhia- antropolgica : etc. Dr. J. J. da Silva Amado,
lente da Esc. la Mlica.
A estes serfio aggregados oulros'socios, que,
por aquella occasio poderem eslar em Pariz,
pois que a Sociedade, nao po lendo ispor de
recursos suflicientes para formar urna represen
laco to numerosa como conviria, e de accordo
rom o governo na conveniencia d'aquella reprc-
sentacao anroveita. como j fez em relaco a
maiorla d'aqoelles delegados, a dedicacSo dos
eos socios, qu- por s tvko publico ou diversuo
propra teem de ir a Paria em Julho e Agosto.
E nao (lescnrando tambera a conveniencia de
aue Portugal Ibsse representa lo n'outros cou-
KKWH, foram encarregados de o representar
no de agricultura o Sr. Mendos Guerreiro. no de
nstruccao o Sr. Dr. Berna: lino Machado, no co-
lonial, a mesa e os Srs J. J. Machado, A. 8
Prado, etc.
A Sociedade de Geographia de Lieboa foi in-
scripto como membre onateur, do congresso, e o
te nomeado para o alto comit de
patronn'ty. em horaenagem a Porlugal e aootra-
balh edade.
__O Diario do Governo publicou os esututos aa
Coojpaiih'.t Nacional d
augusta esposa tem apparecido, a passeo ; mas
irocissJJo do .orpo de Deus, S. M. fez-se re-
presentar por seus fllhos, nao tendo o Diario do
Governo, no boletn do paco dito cousa alguma
de inquietador sobte a saae de El-Rei. Cansn
raheza este laiiso, que o dtve ter sido da
raordomia ou de qualquer outra estaco official.
Esta vai j muito lOoga, e agora at 8 de Julho.
KMM. V- E COllERtKI
e por procos exhorditantes ttulos ele ura
e ura rendimento mais que. "problema-
PERNAHBGG
^^
Londres, 90 d...
cheque.
Pars, W> d.....
cheque
AlleraanhaOO'.d..
cheque
Madrid, 8 d. v .
iiaia, cheque-----
Hollanda, itOd. :.
(beque.
cer a
de ferro e outros
tanto pror
ill llIStt l fabril
metaes em barra e em obra,
i. .
lag cm
i Jo adquirir
Em sua revisia commercial e financera. de 22
de Juuho ultimo, diz o Jornal do Cornmercio de
Lisboa, que a leudeucia das grandes bol.- u
norte continaa frouxa apesar de alguns vilotes
terem obtido urna ligeira melhoria, sendo o mo
tivj apparente desta depreoiacfto a incerte;:a da
poltica europea, mas a verdadeira razao d*ella
o exagero dos preps e o eicesso de espocula-
t*o que ha por toda a parle, de forma (ue as
emisses succedem-se urnas atraz das outias, c
pagara-se
valor e e
ticos.
E na Allemauha onde se tem abusado mais
dar emisses Tucis, e vera de l o moviracnlo
de baixa que se est sentindo. O preco do di-
nbeiro que eslava ha mez em B rlim a 1 3'S por
cento, est boje a 2 3 4 e a 3 0/0 pan descoulo
de papeltie priraeira orlem, pagando os reports
a i e at 0 0/0 conforme os valores.
ASsituafojdos cambios conserva-sc igualmente
desfavoravel para a.Allemanba, e as coligues
chegaran ao nivel que permute a exportago do
ouro.
Relativamente Franga os resultados da ex-
psito compensara al certo ponto as ;conse-
quencias dos erros praticados ; porque tainbem
em Pars, houve e ha anda exagero na especu
lago : as ultimas operages cora valores russos
rastraram que os tiuanceiros francezes imagi
naram as forgas superiores ao que realraeute
sao.
0 dinheiro do mercado livre, est a 2 12 0,0,
e isto quer dizer que nao ha pedido para de3-
contos Tora do Banco
A Inglaterra tera se conservado mais seota da
febre da especulago ; e ainda que a cifra das
emisses, de I de Janeiro at 1 deste mez, subi
a mais de 00 milhes de libras, a Bolsa de Lon-'
dres, tem-se descartado de muito papel venden-
do-o no continente. E' esta urna das razes
porque alli o dinheiro se conserva laxa baixa
de 1 i/2 0/0.
N j que concerne nraea do Lisboa, a situagao
idntica a de Inglaterra
Tera-se exportado muto papel e o producto
d'essus vendas est aluda, na sua raaioria. dep
sitado ordeni nos bancos.
E' verdade que uliimamente se fizeram algu
mas emisses de valores locaes. cora bom xito ;
mas a totalidade dellas mo eslem rolacfto cora
o dinheiro que se mobilisou no reembolso das
obrigages de o 0/0 do governo, e em una grande
parte de inseripges transformada em obrigages
de i 1/2 0/0, vendidas ou collocadas no estran-
geiro.
Se a abundancia de dinheiro, relativamente |a
praga. existe, a situago do Thesouro nao rae-
Ihorou por esse facto; pois deve-se muito mais
do que se devia ha 3 anuos, c, sobretodo, deve-se
mais jo estrangeiro, resultando disso a necessi-
dadede remetter todos os semestres maiores
soinmas para o pagamento de juros ao estran
geiro, fado, que n'ura paiz como o nosso, cuja
raportago muito superior exportago. cons-
titue ura desequilibria e perigo constante?.
Apesar de augmento'rotisideravel da nossa di-
vid|fundada.la divida fluclun-c continua a cres-
cer, e est hojejem cerca de20 rail contos, sendo
t tlve por causa d'isto que o governo tanto 'sis-
te na ligago do projecto de ajada aos bancos do
Porto com o da operago do porto de Leixes
porque este ultimo Ihe proporciona os raeios de
evitar por algum lempo o recurso de ura era
presumo.
No mercado cambial notoo-se maior procura
de papel sobre Londres, a ponto de se modifica
rem sensivelmente os preces. Provavelmente
essa procura tem razao directa ou indirecta com
as necessidadesjdo pagamento do coupon externo
a que acallamos de relerir-uos.
Eis os nossos cambios :
Papel Dinheiro
53 3-8 .'3 1 2
33 3 10 83 1.'
SH 332
S38 8a8S8
2i!t i 2 218
221 220
871 863
3M 333
i2 7,8 W i/8
42 5s 43
0 movmento da nossa Bolsa foi pequeo.
As ueces novasjdo Banco Lisboa & Agor;
ainda nao appareceram venda, c a., antigs
subiram de 117*000 a 1".I3000 ri A emissao
das obrigages da Companhia d'Arrentella, que
-realisoueai 18 e 19 ltimos, leve um xito
completo como era de esperar, em vista das ga-
rantas que a empreza oftrecc.
Os Srs. Milemon & C. apreseutarara ao gover
no argentino proposta para a construcgiio de
uraa estrada de ferro internacional, que pora a
capital argenten em communicacio directa com
Montevideo e a fronteira d.) Brasil, no Rio Gran-
de do Sul. .
A linda prtanlo de Dean Funes, na provincia
de Cordova, atravessar a provincia de Sania F,
at a margera do Paran, que atravessar em
llernandarias na provine.a de Entre Itios.
S'este ponto a empreza construir urna ponte
e viaducto na extenso de 14 kilomelros, com-
prehendendo nao s o leito do rio, como os ex
tensos bandados que exiUera era arabas as mar-
DWQijV
c De llernandarias a linba se estender pela
provincia de Entre Rics terminando em Concor-
dia, onde per uraa ponte de londigcs idnticas
a antecedente atravessar o no Uruguay entrn
cando na outra margem do rio com a outra linha
em exp orago no Estado Oriental, a qual consta
de dous raraaes, um que vai cidade de Monte-
video c outro fronteira do Brasil.
A linha ter a extenso de 620 kilmetros.
Teve lugar no Banco Indu-trial e Mercantil a
primeira runiao dos accionistas da companhia
ViacSo Central do Brazil, sob presidencia do
Sr. "Dr. Amaro Cav aleante.
Aceitas as bases da associago, liaos os esta-
tutos, e noraeados os Srs. Drs. Jos Poraiieu de
Albuquerqne Cavalcant", Jeroriymo Furlado de
Menlonga e Alfredo Henrique Pacheco, para
avaharon os privilegios que os concessionanos
transferem companhia, licou adiada a reuniao
para sai definitiva constituigo depois de reali
zada a primeira entrada de 10 ",' do capital so-
cial, o qual de 4.000:000*000.
E" culminante a posico que os Estados-uni-
dos oceupam no mundo. O seu territorio abran
gf um vasto continente banhado por dous oca-
nos. -E este toritorio est collocado na pande
eslrada da civilisaco qie marcha do oriente
para o occidente, em urna faxa de trra privile-
giada pelo seu clima, entre os parallelos da lati-
tide que maior numero de grandes homens ha
produzdo na serie dos tera pos c onde se lem
r labrado os mais notaveis aconteciraentos his
loreos, os maiores triomphos da arte da lttiera
tara e da guerra, e onde se achara as nages
mais preponderantes.
Contera os Estados-Unidos urna popalagao
e 62 milhes di habitantes, tola.- pes-oa-
. que augmentara o seu numero razao de
1 ja- milhes annualraenle, pois que o sol alumia
lodos os dias o nasciraento de 5,000 criangas.
POde calcular-se que dentro de um secuto a
riqueza dos Estados-Unidos ser maior que a de
tuda Europa e qu dentro de dous seculos te-e-
mos 800 niillies de habitantes. Sendo os sala
ros na Europa na razio de um tergo comparati-
vamente ao, Estados U .idos da vida
ame-
ricano consom trez veze loqna o
peu,isto (-. 60 milli"? de americanos consomem
t.tnto quauto 180 milhes de europeus.
Foi importado na praca do Rio de Janeiro dnj
i:nlKh Bank of Ri* de (Umlted)
Capital du Banco em 50,000
accSes de 120 cada urna s. 1.000,000
uapital realisado...... 500,000
Fundo de reserva...... 150,000
liAJ,\Sl,0 D.VtAIXA FILIAL EM PEKSA5IBDCO,
KM 28 DE JUNHO DE 1889
Acthu
Letras descontadas........ 21:982*610
Emprestimos e cuntas cauciona-
das................ 596:990*170
Ledras a receber......... 5)6:731*600
Garantas e valores depositados. 442:392*100
Mobia,etc, do banco...... 2:882*880
Diversas contas.......... 728:532*000
Caixa................ 590:293*230
2,919:874*630
Pastivo
('.<> nas correntes
simples.....335:750*570
Depsitos a prazo-
nxo com aviso e
porletlras. .1391:108*820 1,926:859*390
Letlras apagar...........117*590
Ttulos em caugo e deposito. 442:392*100
Diversas contas.......... 5o :50o|570
2,919:874*650
S E. i O.
Pernanibueo, 5 de Julho de 1889.
Henry K. Gregory, manager.
J. K. Eddowes, accounta'nt.
i a 22 para
i: fura de
jp-ha i
raho da fieira i
es uiunios dias. O Sr. in-
i de carru
Lisboa. Entretanto a in
ainda lhe nao passou. El-Rei e sua
i io w '
a maior impoi
ter ascendido
Foi
commum ou de cosinha, sendo
de Portugal, por
.iros.
Das ilnas de Cabo Verde nao houve importa-
do de sal.
A uiportaco total pagou de dreilos de con^
sudo 100:009*440, sendo o valor omcial do sal
de 208:333*000.
.ioxcmbla Proinrial Funccionou
honteiu sob a presidencia do Exin. Sr. Baro de
ltapissuraa em 2' sessao preparatoria.
Comprecerara os Srs. Barao de Itapssuma,
Eliziano de Moraes. Davino Pontual, Lopes Ma-
chado, Correia da Cruz, Inneu Macedo, Leonar-
do Cavalcanli. Estevao de S, Julifio Tenorio,
Jos Maria e Costa Ribeiro.
OSr. presidente declarou que nao havendo
numero para ser installada hoje a sessSo extra
ordmaria, ia ofliciar-se nos trraos do art 10 do
Regiment Interno.
Era seguida foi levantada a sessao.
Recebetlorla Provincial Fui Contem-
plado no quadro do respectivo pessoal, no lugar
de chefe de sccc&o, o Sr. Jos Xavier Caruero
de Barros Campello, chefe de spegSo do antigo
Consulado Provincial, addido ao Thesouro, sendo
em consecuencia considerado adido ao mesrao
Thesouro o Dr. Jefferson Mirabcau de Azevedo
Soares, que excreta aquelle lugar de chefe da 1*
secgSo da Becebedoria Provincial.
Secretaria da Polica -or perlada de
ante noutem foram demitlidos o amanuense c
porteiro dessa secretaria, os Srs. capito Manoel
Aprigio de Moraes e Jos de S e Souza, sendo
igualmente exonerad* de amanuense e encarta
Jo no lugar de porteiro o Sr. Joaquim Francisco
Borges Ucha.
Pa a as vagas assm abertas, de dous amauu-
eu-es, foram Horneados os Srs. Abdisio de Yas-
concellos e Israel Benjamn de Oliveira.
senle do Crrelo Foi reintegrado no
lugar de agente do correio de Frecheiras o Sr.
Jos Joaquim dos Santos.
Mundelesaria de Beberine Foi no
meado subdelegado d'esse districto o Sr. Maxi-
miao Lopes Machado Jnior.
Honroso O Dr. Arthur da Silva llego, sen-
do demittiJo do cargo de promotor publico de
Nazarelh.'ao deixar o exercicio recebeu do Dr.
juiz de direito da comarca o officio' que abaixo
tianscreveraos:
Juizo de direito de Nazareth, era 1 de Ju-
lho de 1889. Ulm. Sr.Accuso o recebiraento
do officio i'e V. S. desla data, em que comrau-
nica-me dtixar o exercicio das funeges de pro-
motor publico desta comarca por haver sido por
porlaria de 26 du mez prximo lindo exonerado
desse carRO. y
Nao poeso preterir o de ver de ueste mo-
mento louvar os relevantes Borricos, que com a
maior solicilude, iutegridude moral e.distincla
intelligcncia preslou V- S. justiga criminal
nesta comarca.
A cxoneraeo de V. S., motivada smente
pela conlaoga poltica a que, conforme tem-se
entendido, devem estar subordinados os mem
bros do ministerio publico, nao pode dissonar
do merecido juizo e justa atlestago que fago
dos merecinientos com que desempenbou V. S
as imporlanlissimas attribuiges do cargo que
acaba de exercer. Se a orienlago liberal que
inspirou em 1832 a confccc.au do art 36 do cdi-
go do processo criminal naotivesse sido abando-
nada pela reforma de 3 de Dezembro de 1841,
os habitantes desta comarca nao seriara agora
privados da Ilustrada e protectora dedieago de
V.. S. causa da justiga.
Deus guarde a V S. Illm. Sr. Dr. Arthur
da Silva Bego. ex promotor publico desla co-
marca. O juiz de direito. Carlos Augusto Yaz
de Oliveira.
servico militar Esto designados boje
para superior do da o Sr. capito Pedro Velho,
e para ronda menor ura subalterno de e-val-
lara.
A guarnigo da cidade
balalbo de infartara.
N enfermara militar existera 27 pragas
em tratamanto.
Foramentregnesaos2-e 14-batalhes de in-
fartara as relages de alterages occorridas com
os Srs. officiaes e pracas seguirte*: raajor Fran-
cisco de Paula Argollo, capellao capito Manoi-I
Jos Alves Martins de Carvalho, tenente Jos
Joaquim de Aguiar, alferes Sesioando Bodrigues
Alves, 2- cadetes Margal de Siqueira Campos,
Boaventura Sebastiao Campello e cabo de es-
quadra Antonio Pereira da Silva.
-Foram entregues ao 14- batalhio de infantaria
a certido de assenlamentos e caderneta do sol-
dado Jos de Albuquerque Mello.
Foram distribuidos aos corpos da guarnido
e mais repartiges militares os exemplares das
ordens do dia da repartigo do judante general
sob n. 2,261 e 2,262, de 31 de Maio e 5 de Ju-
nho do correrte anno.
No requerimento de Lourengo Xavier Ta-
vares, ex-praga do 2- batalho de infantaria,
deu S. Exc. o Sr. teuente-coronel commandante
das armas o seguirte despacho : -O Sr. com-,
mandante do 2 balalbo de infantaria, passe o
attestad requerido.
Hoje s 1 > horas da manh, vo ser ins-
peccionados de saude, os Sra&lenente Aureliano
Xavier do Valle, e alferes LutPBczerra dos San-
tos.
Conforme a cotnmunicago feita pela pre-
sidencia da provincia era oh"kio de 4 do corren-
te, foi mandado licar a disposigo de S. Exc. o
Sr. vicepresidente da provincia o Sr. tenerte
doi4- batalho de infantaria Francisco Evaristo
de Souza.
No requerimento do anspegada do 14 ba-
talho de mfanlaria Joo Luiz Pereira deu S.
Exc o Sr. tenente coronel commandanie das
armas, o seguinte despacho : Indeferido, em
vsta da nforraagSo.
Dr, Loli Honcono-Com pela hoje (7 an-
nos o nosso presado amigo o Dr. Pedro d'Alhay-
i, digno inspector da saude pu
blica e dtstinoto clnico desta cidade.
Nasccndo o Dr. Lobo Moscoso em 6 de Jrtho
de 1822, recebi-u o grao de doutor cm medicina
pela Faculdade do Bahia em 23 de Novembro-de
1844 : e tendj rhegado a esta cidade como me-
dico no 4 oalalbo de arlbaria em 26 d'
terbro d- !8io, t"ve de ser er..:arregado-do
hospital reaimental onde logocoracgoua desen-
volver a 1 actividade.
sjs outra- i tem o Dr. Lobo
Mosccso ocoupadp e muitos sao os relevantes
idos nesta provincia as occasiOes
nas por S. -. e iiltimamente na Colo-
I.
m de tiaba'.ho e de coragem. nunca des-
mentid a nenhuma
ru o encurregass'
fos ; esta : ooi i rula, e ue -mo modo
ios neces
tem sua porta.
Felicitando ao Dr. Lobo Mostoso por contar
mus um anno na sua preciosa existencia dse
que nella t'.-nha de assignalar muitos an-
arios.
Boyal Mail -0 vapor Tagus sahlo hontem
da Babia s 3 horas da tarde devendo chegar a
este porto, domingo 7 do correte.
Peala do Nenhor Bom Chaga -Em outro lugar publicamos o pro
i.'ranima da esplendida festa do -enbor Bom
Jess das Chusas, que se reasar amanh na
igreja do l'uraizo.
Via frrea do Recite Olinda e
Beberlbe -Anda'hontem nao pode realisar-
se a sessao extraordinaria desta companhia. Fi-
cou marcada para segunda-fera, 15 do cor-
rente.
Tbcatro anta Iabcl A companhia
hespanhola de zarzuela que se acha trabalhando
neste Thealro, fe antehonlera levar a secna a
mimosa zareuella As Duas Princezas pro-
durgao dos dramaturgos Carrion e Pina c orna-
mentada de msica pelo maestro Caballero.
O libreto que serve de motivo, pode-se dizer
que uraa comedia -drama e comquanto tenha
alguraas scenas um tanto triviaos, n5o deixa
comtudo de ser interessante e prender a atten-
eo do espectador.
A msica, porra, era nossa opinio, toda
boa. viva e agradavel, havendo trechos de gran-
de belleza em cujo numero podem-se aportar os
coros dos zngaros e o linai do segundo acto,
ema cango, ura duelto, duas arias, dous quar-
tetos, a marcha e a valsa.
Se, como acabamos de dizer, sao todos estes
nmeros de msica de grande belleza, segu se
3ue a zarzuela nao pode deixar de ser elassiflea-
a no numero das boas coraposiges hespanho-
las e merecedora de ser ouvida mullas vezes.
Relativamente ao deseaipenbo, achamos que
f um dos mais correctos que teem dado a con
panliia, nao s pelo modo feliz porque cantaram
os artistas como pela acertada distribugo dos
papis.
A parte da Princeza qoe coube a Sra. Ouaran-
ta, foi interpretada com corregao e arte, o que
tatnbem succedeu a Sra. Pl na parte Marieta,
artistas estas que cantaram com verdadeira ex
presso e natural sentimento os differentes tre-
chos musicaes, tendo se tornado salientes Oas
arias e cango do priraeiro acto, nos dous quar-
letos do segundo e no duelto e concertino do ul-
iimo acto.
O Sr. Abella foi um liel interprete da parte do
Principe de Monaco e se este artista ja nao hou-
vesse lirmado os seus crditos como cantor de
mrito, bastara o sentimento e gosto com que
cantou todos os nmeros de msica d.. sua par-
te e particularmente a aria do segundo acto, para
que nr>podesse mais ser posto em duvida o seu
merecireento.
Os Srs. Mor, Vallina Cluliu, Onrubia e demais
artistas, exforraram se por bem desempenhar os
seus papis e cadaum, conforme as suas rorCM,
foi bom interprete, quer na parte cmica, quer
na cantante.
Os coros cantaram com regulandade, sobre
sahindo porm no coro daalvoradaeno do baile.
Finalmente o modo porque a companhia ex-
hibi. As Duas Princezas agradou geral-
mente e a todos satisfez, salisfagfio esta que se
manifestou nos applausos que foram distribuidos
aos artistas ; pena porm que publico nao te-
nha correspondido aos exforgos da empresa, fre-
queiitaiido mais o icutro.
Ao publico cabe pois dar a animagao que ca-
rece a companhia de zarzuelas.
Hoje ser repetida -As Duas Princezas.
Manto Antonio -Amanh ha espectculo
sesee tbcatro. subindo scena pela ultima vez"
a opereta mgica O Ovo de Owro, que tanto
agradou ao nosso publico em suas representa
V .-..._ ...... ..:..,! 11... ...mr.enmnnr!1!
Sabidos para o sul no mesmo vapor
Manoel Virgilio e sua senhora.
Sabidos para a Europa no vapor allerao
Argentina r*
Antonio Fernandes de Figueiredo, sua senho-
ra e i criada e Adolph Borle.
Chegado de New-York no lugar brazileiro
Duas Americas :
Dr. Manoel Gomes Vegas.
Chegados do norte no vapor nacional Prin-
cipe do Grao Para .
Capito Hemaldo da Silva Port e Alberto
Borges.
Operaroe cirnrglca-Foram pratica-
das no hospital Pedro no dia 5 do correrte,
as seguintes:
Pelo Dr. Pontual:
Amputaco do penis pelo processo de Guynn.
indicada por cancro pha^edenico endurecido.
Extirpagio pelo esraagador e torso de poly
po fibroso da narina direita.
Pelo Dr. Malaquias:
Baspagem dos ossos do crneo indicada por
necrose do mesmo.
Caa de BetencoMovmento dos pve-,
sos da Cusa de Detengo do dia 4 de Julho de
1889.
Existiam 418. entraram 13; sahiram 10 ; exis-
tera t23
A saber:
Nacionaes^80;mulheres 18; estrangeiroa 25.
-Total 423
Arracoados 398
Bom 380.
Doentes 16.
Loucos 3.-398.
Moviraentoda enfermara
Falleceu :
Manoel Barbosa do Nasciraento.
Manta Canta de Misericordia Eis o
pessoal soccorrido nos diversos estabelecimen-
tos cargo da Santa Casa de Misericordia no
mez de Junho ultimo:
Hospital Pedro II
Dito dos Lazaros
Dito de Santa gueda
Hospicio de Alienados
Asvlo de Mendicidade
Colegio das Orphs
Casa dos Expostos :
A saber :
Em criago fra do estabelecimento (115
Em educago no estabelecimento (205
613
42
4
210
112
199
? 320
Total 1.500
lloNoitai Pedro II -0 movmento deste
estabelecimento de caridade, no dia 4 de Julho
'o o seguinte:
Entraram 20
Sahiram 6
Falleceram 1
Existera 644
Foram visitadas a respectivas enfermarlas
icios Drs.:
Moscoso s 8 1|2, Cysneiro s 9 Mi Barros
joes anteriores e que ainda lhe proporcionar a
mesma sasrago pelo desempenho magistral
dado aos respectivos papis pelos artistas Bocha,
Franga, Lvra, Commolety e D. Aliverti.
Ao espectculo a que alludiraos servir de m-
trodugo a zarzuela em um acto Msica Classica,
a na prosima semana ter a empresa de levar
scena a appiratosa e l.nda mgica .1 Ftlha do
Ar.
Vapor pernambuco Hoje chega a este
porto, procedente dos do norle, esse vapor da
Companhia Brasileira.
Tan-Por noticia telegraphtca sabemos
que esse vapor inglez sahio hortera da Bahia
pelas 2 horas da tarde para este porto.
FalleclmcntoNa Casa de Detengo fal-
leceu o preso Manoel Barbosa da Silva antehon-
tem.de Jaryngite.
SBbiiclegado Foi nomeado subdelegado
do 1" districto do termo de Jaboato o Sr. Sebas-
tiao Jos de Andrade.
2Belauranf porlt;ue-Este bem co-
nfu'cido restaurnnt. ra das Laranjeiras os. 21
e 23, passou a pertencer aos Srs. Bestier & C, e
n abno-se hoje. .
Segundo vimos, passou o estabelecimento por
grande reforma, adoptando melhoramentos que
muito-agradaro aos frequentadores.
Oafcinete de Leitnra amellelreu-
eBeune se no domingo prximo a assembla
geral dessa associaro, para eleger a respectiva
directora do anno social de 1889 90.
Uireetoria dan obra de conserva-
cao do Porto d<- Pernambuco--Beci
re. 4 de Julho de 1889.
Boletim meteorolgico___________
Sobrinho s 6 02, Malaquias s 9 1]4, Pontual s
9 1|4. Estevo Lavalcante s 9 1|2, Siraes Bar
bosa s 10 1|4 horas..
O Dr. Berardo nao corapareceu.
Ocirurgiao dentista Nuraa l'orapilios 8 1|2
horas
O pharmaceutico entrou s 9 1(2 da manh <
labio s 3 da tarde.
0 judante do pharmaceutico entrou s 734
la manh e sahio s 4 horas da tarde.
Lotera do Ura ni-Para-A i' parte da
30* lotera, dessa provincia, cujo premio grande
6ll:000i000, era exlrahida boje 0 de Julho
(sabbado).
Cirande lotera do Maranbao A 2'
serie da 1 lotera, dessa provincia, cujo premio
grande 300:"00O00 s-r extrahida oo dia 10
do Julho.
Cemiterio PublicoObituario do dia 4
de Julbo de 1889 :
Pedro, Fernarabuco, 4 dias, Graga; ttano do-
receranascidos.
Osear Bio de Janeiro. 18 metes, Hecife ; ca-
ebexia palustre.
Doria Maria da Cnceigo, Pernambuco, 45
annos, viuva. Kecifc ; les&O cardiaca.
Maria, Pernambuco, 14 dias, Boa-Vista ; con-
vulses.
Joanna Mara da Cnceigo., Pernambuco, 22
annos, solteira, Boa-Vista: beriberi.
Manoel. Pernambuco, 4 mezes, Graga: diar-
ha.
dada hoje pelo 2
lonw S'S-2
|a
H
fi m. 22"-8
9 25-4
12 27-7
3 t. 27 -:i
6 26-3
Karometro a
u-
______V
761-48
762*56
761-50
760-76
761-23
Teuso
do vapor
18 31
19,67
19,71
17,65
17.35

x
89
80
70
65
67
-28",50
l'emperaiura mxima
Dita mnima 22.50.
Evaporago em 24 horas-ao sol: 5"\2; som
ira: 2-7.
Cbuva3",2.
lrecco do vento : SE com oterrupge^ de
SSE e S durante todo o dia.
Caimana durante 2 horas oela madrugada.
Velocidade media do vento : 2-,2a por se
urdo.
Nebulosidade media: 0.3/.
holetim do porto ________
n H Isa Dia
P. M 4 de Julho
3. M P. M. '3. M. m 5 de Julho
Horas
844 da manh
2 -59 da tarde
9 02
305 da manh
Altura
2-.08
0-.70
1*99
0-78
fjellcEffectuar-se-oao os seguimes :
Hoje :
Pelo agente Britto, s 10 12 horas, no paleo
doTerco n. 18. daarraagoe todos os movis
ahi existentes.
Pelo agente Martins, s 11 horas, ra Duque
de Cixias n. 18, de bons movis evidros.
Segunda-feira :
Pelo agente Grasmo, s H horas, ra Vis-
conde de Albuquerque n. 184, de movis, espe-
Ihos, ele.
Helo agente Brito, s 10 e 1/2 horas, ra
de Santa Thereza n. 23, de movis, louga, etc.
Hia runebren-Sero celebradas:
II
As 8horas na matriz do Cabo, pela alma de
Joo Machado de Souza Leo : s 8 1 2 horas, no
convento do Carino pela alma de Francisco An-
tonio de Magalhfies Ba9l
Segunda-feira :
A's 8 horas no convento do Carmo, pela alma
de D. Maria Magdalena de Siqueira Varejo.,
PaaKeiro hegados da Europa no va-
por francez Gongo :
Jos C-zar Coutinho, Vi.-ente, dos Santos ir-
ms Pauline Dubois. Amelio Hortez, Lanise,
Anastasio o Madeleine, Antonio Pccfeira Das i'a-
Lino Fernandes de Azevedo, Jos Anto-
nio f-'ilro Jnior, Jos M. Moreira, Manoel de
Azevedo Moreira, Emile Buhen esua senhora, Vi-
cente Portella e Domenico Mellio.
Sabidos para o sul no mesmo vapor :
Negri:ii Fortunato, Negrioi Vittorio, Busato
Antonio, Antonio Colimodio, Chiappetti Giovan-
ni, Bandeira Dionizio, Antonio Joaquim de Mello
e sua senhora c Dr. Jos Joaquim Seabra.
- Chegados da Europa no vapor inglez FAbe:
Ilenrig Wallacc Ailken. Charler Morrison, Joo
Duarte Bibeiro, Henry Cose, Joo Bernardo de
Oliveira, Carlos Ferreira, William Blakburo e
dos Santos.
UM POUCO DE TUDO
O governo inglez acaba de adquirir
grande quahtidade da substancia explosi-
va, de origem frauceza, chamado lyddito
(norae da villa onde foram realizadas as
ultimas experiencias) e que os francezes
conhecem pelo nome de melinite.
Quando ir.r. Turpin, o seu inventor, pro-
poz ao governo inglez, ha prximamente
dezoito mezes, a venda do seu segredo,
este repelliu a offerta, sob o pretexto de
que o algodao-pblvora satisfazia complteta-
raente; mas quando houve conhocimento
dos effeitos maravilhosos obtidoeem Fran-
ca com um obuz carregado de melinite,
cujo privilegio foi comprado ao seu inven-
tor pelo representante da importante casa
Armstrong, o governo inglez accordou em
o adquirir, e em grande quantidade, a fim
de o fmpregar em substituicao do algo-
do-polvora.
riosos que obteem antorisacSo para trans-
porem o recinto.
O monumento situado n'uma eollina.
E' um lugar onde o europeu gosa o es-
pectculo do mais magnifico panorama do
mundo, mas que selvagem e triste, afiaa-
tado de toda a habitaclo e destinado a
ser a habita$3o da morte ; por isso o no-
mearam Torre do Silencio!
Foi construida a dous seculos pelos Par-
sis, partidarios de Zoroastro. Addiciona-
rnm-lhe inais quatro torres; e depois fize-
ram acquisicao do toda a collina, rodea-
rarana de um alto muro, com portas de
ferro para prohibirem a entrada quem
quer que nao pertencesse sua relglo.
No sop da collina vem-se dous esta-
belecimentos, dous hospicios onde s38 re-
cebidos os sectarios pobres de Zoroastro,
da India e da Persia.
A Ibrre do Silem-io o cemiterio dos
Persis. E' curiosa a maneira coino pro-
ceden! s ceremonias fnebres.
Os corpos s2o completamente ns, em.
conformidade das palavras : Nvima
este mundo e n sahirei d'clle Depo-
sitam nos sobre a plata-forma da torre e
meia hora depois todas ai partes carnosa
que cobriam os ossos estSo devoradas pe-
los aburtres que habitara nos reconcavos
do monumento.
Estas aves de preza fazem retiir nos
ares os seus gritos lgubres e s se riti-
ram do festim depois de saciadas e fartas,
a ponto de nilo poderem voar no cimo
das nrvores que vegetahr na collina.
Quando os ossos ticam a n, o esquele-
to resta a embranquecer ao sol e ao ven-
to, at que esteja completamente sceo.
Dous serventes, com as mlios calcadas
e luvas, transportam-os, depois para um
pogo onde os precipitam at ficarem redu
zidos a p.'>.
CHROHICA JODICIARIi
Tribunal dn Relaco
SESSAO OBDINABIA EM o DE JULHO
DE 1889
PBB8IDEKCIA DO EXM. SR. CONSKLHKIBO
QUINTINO DE MIRANDA
Secretario, Di-. Virgilio Coelho
A's horas do coslume presentes os Srs. des-
embargadores em numero legal foi aberta a
sessao depois de lida e approvada a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
os seguintes '
JOLGAMENTOS
Habeas corpus
Pacientes:
Rapbael Jo-i da Silva.Negon se a soltura,
unnimemente.
Antonio Marques de Salles e Manoel Vctor
de Salles. Mandou-se ouvir o juiz de direito da
Victoria contra o votados Srs. desembargado-
res Almeida Santos, Silva llego e Oliveira An-
drade que mandavam soltar os pacientes.
Virginio Horacio de Freitas.Negou-se a sol-
tura, unnimemente, por estar pronunciado.
Recurso eleitoral
De Alaga de MonteiroBecorrenle o juizo,
recorrido Manoel Pereira de Carvalho. Belator
o Sr. desembargado!- Pires Ferreira. Deu-se
provimetito. unnimemente, com urna adverten-
cia ao escrivo.
Recurso crime
De Tiinbaba-Recorrerte o juizo, recorrido
Luiz de Albuquerque Maranbao Filo. Relator
o Sr. desembargador Silva Reg. Adjuntos os
Srs. desembargadores Monteiro de Andrade e
lavares de Vasconcellos.Negou-se provimen-
to, contra voto do Sr. aeserabargador Tavares
de Vasconcellos.
Appellaces commerciacs
Da EscadaAppellante D. Maria Anglica de
Moraes Falciio, appellados Domingos Lourengo
& C. Relator o Sr. desembargador Silva Reg.
Revisores os Srs. desembargadores Toscano
Brrelo e Dellino Cavalcante. Deu-se pro vi-
olento, unnimemente-
Do Becife Appellante Thomaz Jos da Silva
GusmC'O. appellados Ernesto 4 Leopoldo. Rela-
tor o Sr. desembargador Dellino Cavalcante.
Revisores os Srs. desembargadores Pires Fer-
reira e Monteiro de Andrade. Confirmou se a
sentenga, unnimemente.
Da Escada Appellante Jos Fernandes da
Silva Polle, appellado Deodato Luiz Francisco
Monteiro. Relator o Sr. desembargador Delfino
Cavalcante. Revisores os Srs. desembargadores
Pires Ferreira e Monteiro de Andrade. Confir-
mou-se a sentenca, unnimemente.
AppellagOes civeis
Do RecifeAppellante Francisco Ferreira Vi-
tal, appellado Francisco de Assis Almeida. Re-
lator b Sr. desembargador Dellino Cavalcante.
Revisores os Srs. desembargadons Pires Ferrei-
ra e Monteiro de Andrade.Julgou se por sen-
tenga a desistencia, 'unnimemente.
*
risco de um
V esta noticia por conta e
collega europen.
Na sala do senado dos Estados-Unidos
occorreu no mez passado scena escndalo
sapelo lugar e pelo motivo.
Um honrado e recente senador pela Vir-
ginia, o Sr. Riddleberger, apresentou-se
no rec nto das deliberacoes legislativas em
estado de... no deliberar. O legislador
as si u mesmo chumbado entendeu qife de-
via crivar os collegas que oravam, de apar-
tes os mais exquisitos e os menos parla-
mentares possiveis.
Ora mandava-lhes invectivas violentas,
ora galhofas de pessimo gosto.
O presidente chamou-o ordem, empre-
gou todos os meios regimentaes para fa-
zel-o calar, mas o homem insista cada
vez mais no seu espirito.
Por fim o presidente mandou-o por lo-
ra do recinto. Ahi foram ellas.
Mastcr Riddleberger era um valente e
os primeiros continuos que se chegaram a
elle foram corridos a soceos e ponta-ps.
A muito custo quatro robustos guardas
ajudados por dous collegas do honrado se-
nador o levaram a bragos em charola para
um gabinete dos pagos senatoriaes. All
cozinhou elle o que' havia de cr no seu
procedimento parlamentar.
*
Extractamos de urna folha portugueza :
A trrivel epidemia da varila est
grassando insistentemente em S&o Domin-
gos, onde j tem feito mu tas victimas.
Contra a terrivol molestia ali usado
um curioso preservativo, aconsolhado nato
se sabe por quem nem tao poucoae da" re-
sultado. E' o seguinte :
Merg.dham-se as camisas em agua com
flor de enxofre e depois de seecas ao
ar livre, mas sem apanhar sol, faz-se uso
d'ellas.
Pouco costa experimentar.
*
* *
Ha na ilha de Bombaim um monumento
estranho, de aspecto sombro, de contornos
enegrecido e cobertos de musgo, conheci-
do pela denominaste de Torre do Silen-
cio.
E' visitado com temor pelos raros cu-
De Camaragibe Appellante Elysio Firmo
Martins. appellado Manoel Heleno Rodrigos dos
Santos. Relator o Sr. desembargador Tavares
de Vasconcellos. Bevisores os Srs. desembar-
gadores Toscano Barreto e Dellino Cavalcante.
"-Desprezados os embargos, unnimemente.
PASSAGESS
Do Sr. desembargador Toscano P..:rreto ao Sr.
desembargador-Dellino Cavalcante :
Appellages criincs
Do Becife Appellante o juiz.,. appellado
Joo Francisco dos Santos e outro.
Ue Cimbres Appellante o juizo. appellado
Joaquim Jos de Carvalho.
Appellago commercial
Do liecifeAopellarte D. Leonizia N. Fer-
reira "Estoves, appellado Manoel Paulo de Al-
buquerque.
/Do Sr. desembargador Dellino 'avalcante ao
Sr. desembargador Pires Ferreira :
Appellages crimes
De SalgueiroAppellante o promotor publi-
co, appellado Jos Maria de Almeida.
De Goyanna Appellante o juizo, appellados
Antonio Bernardo Cavalcanle o outros. .
Appellago civel
Da P.irahyba -Appellante Pedro Norat, appel-
lados os herdoiros de Bernardo Norat.
Do Sr. desembargador Monteiro de Audrade
ao Sr. desembargador Pires Goncalves :
Embargos infringetes
Do BecifeEmbargantes Slzer KaulTraan &
C. embargado Jos Joaquim da ''osla Maia.
6 Sr. desembargador Pires Goncalves como-
procurador da cora e promotor dajustiga, deu
carecer nos seguintes feitos :
Appellages crimes
De Garaelleira Appellante Francisco Jos Al-
ves de Lyra, appellada a justica,
DeGuarabiraAppellan'e Jos Firmo da Cos-
ta, appellada a justica;
De CaruarAppellante o promotor publico,
appellado Joaquim Bezerra de Andrade.
Do CondeAppellante o juizo, appellado Joo-
Aleixo Gomes.
De Verlentes -Appellante Jor.quim Ignacio de
Souva Cordero. appellada a justiga.
De Camarag-bf ppcll;.nte o promotor pu-
blico, ?ppellados Jcs Rufino Marques e outro.
Appellago civel
Da ParahybaAppellante Agostinho Louren-
go Ponto, appellados os herdeiros de Bernardo
Norat. .
Ii. sr desembargador Tan sconcel-
ador Oliveira Andrade :
Appellaco civel
I) Gaianhuns Appeflarte Joaquim Flix da
Antonio Vctor da Silva
App
DePalra lo Livramento,
appellado Dr. I ira.
DDJl
Cora vista ao reo e depois ao Sr. desembar-
gador promotor da just.
H^HlB




Diario de Pernambuco-Sabbado 6 de Julho de 1889
Appellagao crime
Do CaboAppellante Heieodoro Baptista do
Rosario, appeliada a justica.
Em diligencia no juizo a qu
Appellaco crime
De CaruarAppellante Xisto da Cruz Vuel-
ta, appeliada a justica.
Com vista as partes :
Appellaco Jcivel
Do Recife-Appellante Jos Jacintho de Oli-
reir, appeliada a companhia da estrada de fer-
ro do Recife a Caxanga.
DISTBIBUIQOES
Ilecursos crimes
Ao Sr. desembargador Almeida Santos :
De NazareihReeorreate o juixo, recorrido
Justino Evangelista de Aracjo.
Do RecifeRccorrente o juno, r.corrido Joo
Hermano Carneiro.
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
De BezerrosRecorrentc o raizo, recorrido
Vicente Gomes da Costa.
Ao Sr. desembargador Montciro de Andrade :
BeNazareth Recrreme ojuizo, recorrido
Jos Pereira Vaz.
Ao Sr. desembargador Tarares de Vascon-
celos :
De Campia GrandeRecrreme o juizo, re-
corrido o bacharcl Alfredo Deodato de Araujo
Espinla.
Ao Sr. desembargador Oliveira Andrade :
De CamaragibeKecorrente o juizo, recorri-
do Ramiro de Praga Bezerra.
Ao Sr. desembargador Silva Reg :
De Campia Grande -Recrreme o juizo, re-
corrido o bacharel Alfredo Depdato de Andrade
Espinla.
Ao Sr. desembargador Toscano Barrete :
Do RecifeRecrreme ojuizo, recorrido Joao
Hermano Carneiro.
Aggravos de petico
Ao Sr. desembargador Toscano Barrito :
Do Recife Aggravante Manoel Jos- da Costa
Pereira, aggravada a fazenda provincial.
Ao Sr. desembargador Delfino Cavalcante :
Do RecifeAggravante o curador liscal da
massa fallida de Capituliao Rodrigues do Passo
4 C, aggravado o juizo. .
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
Do RecifeAggravante Manoel da eilva Maia,
aggravado Roolpho Pessoa.
AppeTlaoOes crimes
Ao Sr. desembargador Toscano Barrete :
De Olinda-Appellante Candida Maria do Es-
pirito Santo, appeliada a justica.
Ao >Sr. desembargador Delfino Cavalcante :
De Correles Appellante o juizo, appellado
Pedro .Dias Teixeira.
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
Do Brejo Appellante o juizo, appellado An-
tonio Jos da Silva Marques.
Ao Sr. desembargartor Monteiro de Andrade :
De BarreirosAppellante Manoel Kouremjo
da Silva, appeliada a justica.
Ao Sr. desembargador Tarares de Vascon-
celos:
De BarreirosAppellante o juizo, appellado
Jos dos Santos Motn.
Encerrou-se a scsso ao meio dia.
INDICARES DTEIS
Moriros
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pratica a lavagem do tero auando e co-
ao aconselhada. Consultas das 11 as
! da tarde em sua risidencia ra do
IJom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.'
mdar. Telephone n. 389
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
meio-dia as 3 hr>ras no 1.* andar da casa
roa do Barao da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en-
erada pela ra da Saudade n. 25.
jt. Ribeiro de Britto d consultas de
fneio dia as 3 horas da tarde, no poden-
iiar a ra Duque de Casias n. 46, 1. an-
do? ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Joaqun Lomeiro medico c partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
to Monteiro.
Dr. Alvares Guimarites, chegado da
';6rte, dedica-sc medicina em geral, e
'om especialidade s molestias do cora-
yfto, pnlmes, ligado, estomago e intesti-
nos e tambem as affeccScs das criancas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. 45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
O Dr. Mathtus Vaz, medico, tem o sen
esoriptorio a ra do Barao da Victoria
n. 32, 1. andar, onde d consultas d
meio-dia s 2 horas da tarde. Reside
COMERCIO
Revista do Mercado
Reciki. 5 DEJULHO UK 1889.
O nioviniento ua prca continuou a ser peque-
o.
O mercado de cambios esteve pouco activo.
Fora da Bolsa consten a venda de um lote de
lettras hypothecarias, com juros vencer, ao
par: e 84 aeceo da Companhia do Beberibe com
o premio de 55 '<
Cambio
Os bancos aiantiveram a taxa de 26 3, id.,
lando reservadamente a 26 13/16.
Nao constou transacrao alguma em papel par-
ticular.
No Rio foi mantida a taxa de 26 7/8 e 17 d.
oaocario.
Continua a falta de particular.
TABELLAS AFFIXADA3
ra de Gervasio Pires n. 27. Encarrega-
se do tratamento das molestas de olbes.
Telephone n. 427.
Dr. Cerqueira Leite, tem o sen escripto
rio aborto ra Duque de Caxiaa n. 74, das
12 s 2 horas da tarde, e desta hora em dian-
te em sua residencia ra Barao de S.
Borja n. 22. Especialidades molestias
de senhoras e criancas. Telephone n. 326.
Occiillsta
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
paes hospitaes e clnica de Paris e Lon
dres, consultas todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio o resi-
dencia i ra Larga do R"ario b. 20-
Advogados
O bacharel Wruvio Pinto Bandeira,
p<5de ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1." andar.
J. A. de Magalhaes Bastos. Duque de
Caxiaa n. 66, 1. andar..
O Dr- H. Milet contina com seu es-
criptorio de advocada, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambem poder ser pro-
curado sobre negocios concernentes 1.
promotoria publica desta capital.
0 consclheiro Portea contina a advo-
gar. Escriptorio ra do Imperador
n. 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'ora ra da
Matriz da Boa-Vista).
Drogara
Faria Sobrinho cado, ra do Mrquez de (Miada n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor e oficina de atropina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende madeh-as de todas
as qualidades, sorra madeiras de conta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por precos sem dom-
petcnciaPernambuco.
I'l. BLIIJOES 4 PEDIDO
Loteras da provincia
Projeeto n. 1
VII
Nos escriptos anteriores, que levamos, com l-
delidade. ao criterio publico, lizemos um estu-
do syntbetico do pensamento legislativo, que se
contm n"aquelle projeeto; e posteriormente,
descendo detalhes, sentimos necessidade de,
argumentando com as disposiges de varios pa-
ragraphos, provar com factos incontestaveis hy-
potheses, que saltam do mesmo projeeto, veri-
ficando se alinal a existencia de um escndalo,
ou mesmo de urna fraude, que se pretende.
A' esse respeito muito anda poderiamos d-
zer, analysando a disposicodo paragrapho, que
se refere a entidadepreposto, que, por dele-
gaco do thesoureiro das loteras, pode extra -
tiil-as sem prestar flanea para este acto, e sem
conhecer-se de sua idoneidade para prati.-
cal-o I
Era isso materia muite sufticiente para outros
escriptos, avolumando-se por este modo a som-
ma das disposiedes infelices de urna lei, que an-
tes de tudo um preceito organisado pela boa
razio, cumprindo eliminar hypotheses absurdas,
quedevem ser previstas pelo" legislador sabio e
cauteloso.
Entretanto no projeeto, a que. nos referimos,
estas hypotheses sao encontradas as palavras.
que formara as variadas dlsposicoes consumiti-
vas da svnthese, ou antes do todo do mesmo pro-
jeeto, as qnaes j foram por us analysadas, fa-
zendo-se ineoncusso o lado de um pongo inte-
resses, quer de ordem publica, c quer de ordeni
privada. ;
Relvesenos, pois, deixar o commentario a
que se presta aquelle paragrapho, e se nos per-
mita abordar em urna questao, que se devejul-
gar capital, e que nos deixamol-a de discutir
mmediatamente pela necessidade de tornar pa-
tente a fraude occulla no projeeto, que, para ser
sanecionado, redamara um presidente amigo, ou
um presidente, que. hospede em pratica admi-
nistrativa, se prestasso a da.- arrhas um arti-
ficio fraudrlento, um estellionato !
Foi, pois, aquella necessidade, que nos arras-
tou discutir logo disposicOes soladas, Jepois
de um esludo geral, que lizemos do projeeto,
sem indagar de sua constitucionalidade, o que
era questao preliminar.
Bolsa
TAV*!'-* OFFICAE8 DA JUNTA DOS C08-
KETOSES
I lea fe. o Oe Jalho de 1889
Cambio sobre l'ai, 00 d v. com 2 0/0 de des-
cont.
Cambio sobre S. Paulo. M d, v. na mi de 8 0/
ao anno de descor to.
Cambio sobre Londres, !H) d v. 20 13,10 d. por
1*000, do banco.
Cambio sobre Lisboa, vi-ta 101 0,0 de premio,
do banco.
Pelo presidente.
Eduardo Dubeuv
Pelo secretario,
P. J. Pinte.
Algodo
Ceta-sc o de 1* sorte do serto a "200 por
15 kilos.
A esportaeio feilapela alfandega nosle mez
at o dia 3 attingio a 97. (82 kilos, sendo 32.411
para o exterior e (4.771 para o interior.
As entradas verilicadas at a data de hoje su-
bem a 1.29o saccas, sendo por:
Barcacas..... WO Saccas
Vapores..... ..
Ammaes..... 20
Via-ferrea de Caruar. 4
Via-ferrea de S.Francisco. 13
Via-ferrea de Limoeiro 738
A' ella, agora, abrimos espaco sob as normas
de nossa lei fundamental, a Lonstituigao Polti-
ca, e sob dous pontos de vista.
O primeiro resulta do principio gemtrix a pro-
vocar qualquer medida legislativa, o que a Con-
stituicao synthetisa na disposigao do n. 2 do
art. 179, as seguinles palavras :
j Nenhuma le ser
estabelecida sem
utilidade publica...

O segundo, porem, se nao tem aquella origem,
nasce, entretanto (lo reconliucimlo de um dire
lo individual, que se expande sob as brotas
variadas da actividade ; o por isso as leis org-
nicas des povos cultos o garanten!, e o consa-
gramem principios escriptos.
E a nossa Constituigao, feguindo nutras, que
se organisavam depoisjjda grande luctaUevolu-
gio Franceza, tambem creou garantas a aquel-
fe direito, que o da liberdade, sob um dos as-
pectos que ella se maaifesta, as palavras do
art. 179 n. 14, que assim se exprime :
* Nenhum genero de
Iraballio, de cul-
tura, de industria
> ou commercio, pode
ser prohibido, urna
vez que nao se op
ponha aos eostumes
publico?, a seguran-
ea e saude dos cida-
/ liaos
E' essa disposicao o principio, que osUluc a
garanta da liberdade do coinniticio, ivslrin-
gindo-a nicamente, ou proWlndoa quundn
se verificar opposicao aos costames mblixt,
seguranea e saxiAe doscidada .s.
Taes ao os uniros limites consliluctonaes
liberdade do commercio, os quaes podem legal-
menie ser postos era prauea.
Anda assim, verifica se que urna lei para au
tensar semelliantc medida coercitiva a um di-
reito carece em su i origem do princip-o geral,
que suffraga toda e qualquer lei, que 2 a utilida-
de publica.
Dahi esludarmos agora o primeiro ponto, que
se reere a constitucionalidade do projeeto n. 46
E a esse respeito, em tragos ligeiros, ja o
combatemo3 ; cumprindo-nos nicamente^ mais
desenvolviraento. o quea.ias, nos parece desne-
cessario, porquanto esta no animo publico que
o projeeto exprime- o inleres.-e particular, ou
30tu mais l'ranquesa um arranjo '.
Ha, dos, urna idea opposta a uLlidadepublici,
3ue resultando dos reclamos da3 necessilades
a communhao imp&e a exiseui:ia de urna lei,
ainda mesmo que se a considere no sendo ely-
mologico.
E por isso publicistas de grande nota jurdi-
ca dizem que a palavralei- exprime idea
de urna regra de acgo, delermiiada por um ob
iecto de geral utilidade ecoinmum interesse.
Nao pois, a lei um acto arbitrario, como se
pode suppr, mas um acto necessario, e como
regra de aeco, presidiado antes de ludo a ex-
istencia real de urna utilidade em ravor da com:
munhao social.
Qualquer medida legislativa, que nao consulte
l&o momentoso e racional principio, ser tudo o
que se quizer: menos, porem, u;na \A, que era
direito se comprehenda. e a Conslituicao fa-
culte.
Neste caso se acha o projeeto u. 40, pois ijuc
nimgucm descoure-lhe a publica utilidade, o in-
tresse da communhao, emfim urna necessidade
social, que o redamasse !
E' curto que no momento histrico da pa^n-
gem do projeeto pela assembla ?e disseliaver
necessidade de reorgaiisar-se o servigo das lote-
ras, que se achavam suspensas.
Mas a razao allegada nao testeraunha a ne-
cessidade do projeeto. quanto mai3 do escnda-
lo concedido, porquanto j lissenios que a sus-
penso <\o Servigo de loteras resullou da falta
de bom expediente e conhecirnento do sevvigo
em favor de um ex-tliesourciro, que foi o uuico
prejudicado no exercicio do .cargo, que bous
proveitos dera a thesoureiroj anteriores.
V-sc, pois, que a razo invocada tem por ori-
gem um facto isolaJo, um facto excepcional, o
que jamis pode determinar a existencia de urna
le, que deve sement attender ao bem publico.
\inda mais, se omallogro de um cv-lhesou;
reiro toniou se a causa determinante de urna lei
a acauteiar nicamente o interesse do suoeessor
daquelle funceionario, entao os que lomafti a si
empresas e operac?s. que n:'u> foram flizos eni
mos de outros, prccisain tambem de leis espe
ciaes, que os salvem de um mallogro, c Ibes at-
ienda ao interesse pessoal.
O negociante, o industrial, o empresario, etn
lim qualquer individuo, teniendo ino xito
suas operages, tambem pegam ijma lei especial,
que cont a seus interesses A esta consequen-
cia ubre espigo a razo invocada em auxilio do
projeeto n. w." Mas, onde o preceito constiiucio-
nal. exigndo para a lei o principio dautili-
dade publica? *
tfera, porvcnlura, utilidade publica couceder-
se, como faz o projeeto, ao liiesoureiro das lote-
ra? mna fianea illusoria de 50:000. para L-aran-
lir0(M):00Ji ou mais?
Ser utilidade publica permitlr se. eomo o
projeeto o permitte. ao Ihesoureir a orgaoisa-
cao dos planos de sua lotera sem approvagio
C'oiiro
A eotagao dos saljjadQ de 380 ris na base
do 12 kilos c dos verdes J ris.
Pasta da alfandega
EJIAN'A vr. 1 DK JUXHO A 6 Dt 1I.XBO DE
Vide o Diario de ti de Junlio
ISS'J
sitente da provincia, cuja autorid'idc flea
aniquilada perante um funceionario provincial?
Sera utilidade publica facultar se ao tuesou-
reiro, como se l jtraego das loteras al o praiodeseis meze3,
licano sob a guardado thesoureiro os dinheiro*
arrecadados, quando outr'ora eram recolhidos
de quiltro em quatro mezes ao Thesouro Provin-
cial?
Ser anda utilidade publica reduzir-se o
praso da prescripgao de premios em favor do
thesoureiro, c dar a renda da prescripgfio, que
forma boa somma, mais de cuito de res, tirados
da recciUt provincial, pois '|ue era sua receila ?
finalmente utilidade publica permittir-se
que o thesoureiro faga cxtruliir loteras ;
preposlo.quundo esse ruixeiro pessu do
mesmo thesoureiro, mas que tifio presta lianga
para garantir o servigo que vai executar, e nem
d provas de sua idoneidad,. !
tuvor em tudo isso o preceito constitucional,
que pruduz a necessidade para a existencia de
urna lei ?
NSo : respondem todos, inclusive os interessa-
dos no projeeto, que se rev. a, em face do n. 2
dourt. 179, mnnifestamen'.e irioustitucional.
Ora. se ao projeeto foge u po-cco constitucio-
nal, que se liarinonisa com o sentimeulo geral
dos publicistas, nao h ne^-ar a inconslituciona
lidade de um acto, que nicamente abrigase na
mais escandalosa fraude em preparo.
A ella nao se prestar o Exro. Sr. Baro de
Caiar.'i, que nao busca deaegiir a renuiacao de
um homem de bem, como 6e llie rcccuhece.
S Ikc. medite, repetimos.
Has'.: -or boje.
lUtife, 26 de Juidio de 1899.
El'AHiN'lXDAS.
Somma.
1.S95 Saccas
M
l co w
,-3 V W Ot
ir
O 9

s
he i-
S o
* w w
* o ot
^ y r
Assuear
Os pregos pagos ao agricultor, por lo kilos, se-
gund a Associaco Cominirciat Agrcola, foram
os seguintes:
Brancj..... 3*000 a 4*400
Somenos.....- 2*800 a 3#000
Mascavado purgado 2*400 a 2*000
bruto. lirme) 1*90 a 2*000
Rtame 1*600 a 1*700
A exportagSo feta pela alfandega neste mez
at o dia 3. subi a 661.231 kilos, sendo 548.630
para o exterior e 112.581 para o interior.
As entradas verificidas it a data de hoje, se-
bera a 1.094 saceos, sendo por:
Barcacas .... 926 Saceos
Vapores..... >
Animaes.... 10
Via-fe-rea de Caruar. 15
Via-fe.-rea de S. Francisco.^^ 63
Via-ferrea do Limoeiro ?%?" 80
Somma. 1.094 Saceos
Agurdente
Cota-se a 85*000, por ppa de WO litros.
Alcool
Cota-se a 180*0 por pipa de 480 litros.
Mel
Cota-se a 70*000por pipa de 480 litros.
A situa^ao
i
tafreno, desasado e altamente escandaloso tem
sido o mjJo-pi'io qual a siluaijao dominante se
quer consolidar no poder.
I,-meando inao de lodos os recursos, desde a
pratica illegal de actos cuja quatificaco a te-
clluologia poltica uio exprime llelmeute atea
traigo vergonhosa as proinessas*ervilnieute fei-
tas curoa, o partido liberal quer ebegar ao seu.
ambiciono desidertum :a negago de todos os
lilulos de capaciiade moral e iuielleclual. e a
consagrago'do dispolismo e ila eseravisago da
patarra e das couvieges !...
Nao ha espirito verdaderamente serio, neta
carcter reeouliecidamentc nobre, que deseo-
uhega quao icrnveis e desastrosos serio os ef-
feilos resullanles desa poltica de perverso e
desbraganiento arvorada cono estandarte do li-
beral gabinete do Sr. Visconde de Oaro Fieio.
Qjem ousar contestar que o paiz ha pouco
bandado pelos ratos luaiinosissimos do dia 13
de Maio, passa (desde o dia em que a reaegao
uni se ao liberalismo para derribar o patriotis-
mo encarnado no ministerio 10 de Margo) |>or
Uina pna-e aviltaule para os crditos nacionues,
por urna completa convulso onde os dominado-
res querem fazer perecer o valor cvico, a intel-
ligencia dos caracteres honraJos para, sobre os
iloslrogos gloriosos desses operarios do bem
fundar o governo do terror e da amirclua .
A feijao douiinanle de todos os acios at aqu
praticados pelo ministerio liberal tem sido ou a
nuIliflcjcAo das liberdades publicas coinoacon-
teceu noRio de Janeiro no dia 11 do passado
em que foram presos dous individuos pelo sim-
ples faci de darera ellos vivas repulica) ou
o desconhecmeiilo absoluto da cipacidade in-
dividual e ;ua csolha dos felizes que substitocm
uquelles que a constancia no Iraballu Iho e a
aptido para os cargo3 tem tornado incompatj
veis com a situadlo actual.
Esiamjs, pois, em pleno carnaval de senli-
menlos !... lor toda a parle rein i o mais ampio
imperio da falsidade, enr que os homeus usan
do da mascara Ha moralidad;, pregara as pra-
gas, na imprenta o contraro daqulo que re
solvem nos galiinelesnesses antros donde tem
jorrado a dcseousidcrago, a intriga e a Icucura
moral earactetieada pelo mais descomediJo des
respeito a lei, justiga e ao direito !...
Ao encelar a prsenle serie, dous seiilimenlos
predominan! no meu espirito: a indignaste
provocada pelo escndalo erigido pomo norma
de governo e a comparac'io prodnzid pelo es-
peciaculo que offerecem'os dominadores CU|os
actos sao recon.'Cidameute producidos por um
cerebro desananjado.
Th-'mis.
do teen te
do Sr. Ju
Julia por teigao
AExma. Sra. D. Rita de Mesquita.
Juiz por devogo
O Illm. Sr. capit&o Joaqui'.u Aureliano Pessoa.
Juiia por de\ogao
A Exma. Sra. D. Jesuiua, tuposa
coronel Joo Francisco da Caoba.
**, EscrivSo por eJeigao
O Il!m. Sr. Jofio Marcolino Ferreira.
Escriv por eleigo
A Exma. Sra D. Generosa, esposa
liao L. H. C. Albuquerque,
Escrivo por ifevoco
O Illm Sr. capiaoAdolpbo Lins W'atiderley.
F.scriva por dcvogio
A Exma. Sra. D. Adelaido Mana Cox.
Juizes protectores
Os lllras. e Exins. Sis. :
Vi gario Francisco Raynjuwlo da Cunha Pe
Irosa.
Harao.de Serinbaem.
Bario il0.'rnilo.
Bai o dfArai i
Major Joift Tliomaz Ca\aleante Pessoa.
Major JMp .Man' 'limo 'Alves da Fonseca.
VajnrPearo Terluliann da Cunha.
j lente Uerculauo Jos Rodrigues Pinhsiro.
Tunele Augusto Cabral d^- Barros.
TeuJfMe Jos.!' Aiuonio Pinlo.
Teoeote Felipp.-; Sampaio.
Teneute Victoriano de Arago Ebla.
Tcncate Alfivdo Leal Ferreira.
Dr. Manoel Bavniundo de Araujo Pinliciro.
Proc'sor Ceryilo Augusto da silva Sanliag.*
Syd-wTO Ignacio de Mello.
Joaquim Marcolino Ferreira. '
Aeiolo Jos Dias
Davd da Silva Maia.
Augusto de S Montenegro.
Joaquim Mendos Ribeiro.
Fulgencio Jos Joaquim Cavalcante.
Manee! Il'iirifjue Nogueira.
Joao Joa.uim AJvea de Albuquerque.
Anlonio Isidoro de Souza Barbosa.
Joao Ferreira de Oarvalho.
Luiz Eugenio de Araujo Pinlieiro.
Sydrouio Nunes 'elle.
Antonio Gomes de Matto?.
Baltfiazar Jos dos liis.
Manoel Mendes ua Cruz GaioUrSes.
Livio de Souza e Silva.
Sabino de Luna Freir.
Anlonio Ferreira de Souza.
Jas Luiz de Mello,
doipho Al"es Falco Taque?.
Jos Pereira da Silva.
Pedro Jos Coclho.
Olympio Veainio Fillio.
Jos Joaquim de Loaos.
Hernienegildo Coelho da Silva.
Juizas p:'olccloro3
A'sExmas Sras. DD.:
Esposa do Illm. Sr. Dr. Carlos Alberto d>. Me-
nezes. ,
Espo-a do lilm. Sr. Dr. Antonio Justino de
Souza.
Esposa do Illm. Sr. Dr. Anlonio da Cunha Bel-
tro.
Esposa do Um. Sr. major francisco Isidoro Ri-
beiro de Carvalho.
Esiiosa do II m. Sr. capito Enedino Rodrigues
Noaueira Lima.
Esposa do .Um. Sr. capi'.io Pedro Garrete de
Gusuio.
Esposa do lliin. Sr. caplt.io Arcliius Lindalplio da
Silva Mafia.
Esposa do Illm. Sr. capio Sergio Evergisto
rerreira Hagalbes.
Esno?a do Illm. Sr. tennto Lino Francisco das
Chagas.
Esposa do Dlm. Sr. Antonio Ascendioo Ja Cruz
Castro.
Esposa do Illm. Sr. Ignacio de Amorim Luna.
Esposa do Illm. Sr. Jauuario dos Santos Ber-
nardo.
Isabel Alvarenga.
Maria da Conccigo Alves.
Mara l'erera da Silva.
Carolina de Albuquerque e Silva.
Babel Lins Wanderley.
Conmiissfio da festa
Es!e\o Laurindo Coelho da Silva.
Joao Baptista Estoves de Souza
Migue! de Araujo Lima.
Feliciano Francisco de Ilollanda Chacn.
Maiioil Angosto Genyalvr-s.
Afogados, 1." de Julho de 1*89.
Approvo. O conego vigario, SimBo de sete-
do Campoi.
!>. Francisca A. loares de
Azerd
Cborai meiis filhos! E' sublin'e'
Urna lagrima a correr!
Segar-lhe o valor devidfl
E' nao a comprehender !
Eu que se i o quanto santo
O doce orvalho do pranto
Que a face no3 vein banhar;
Devo tambem consternado,
Para os cos ergucr um brado
E neste dia chorar.
Julio Soares de Azevedo e seus iillios..
ainda traspasando de dr e saudades pe;,
sentida morte de sua virtuosa esposa c
: mili, convidam aos seus paren tes, amigo.
: coilegas c discpulos, pura coiupareeeren^
i no dia 0 do correute pelas 5 horas da tar-
de, no Cemiterio Publico, utiin de assisti-
reua a visita do tmulo da tinada D. Fran-
cisca A. Soares do Azevedo, e seren so-
bre o tmulo aneadas flores naturaes.
Esperam, pois, que se dignem assistir a
este acto iuaebre e saudoso, pelo que
desde j antecipam urna imniorredora gra-
tidiio, a aquelles que se dignarem compa-
recer.
( i--V por tict ii<-it(> iloxi provedo
!<>.. pruvedara* m iiac l- 1','^ifj.if o palriareha %
Joso Ja Asunta no anno romprn-
taixsal 1(*>1 a i so
Provedor
i Major los Elias de Oliveira. .
Provedora
Exma. Sra. D. Julia Anglica Pires Ferreira
V'ice-provedores
Oa Illm. Srs. :
Julio da Costa Cirne.
Salviano Luiz de Siqueira.
Vice-provedoras
As Exmas. Sras.:
i'. Mara Augusta Coelho Mena.
. Er.higeoij, Otila do Sr. Dr. Joao Pedro Maduro
da'Foseea.
Mordomos
O Illrns. Srs.: \.
Antonio Ferreira Prente.
Capo Kodolpho Olympio Guedes de Lacerda.
Joo Jacintho Guedes "de Laceada.
Profcssor Lydio Porpurario Santiago Oliveira.
Francisco Soriano da Silva Santos.
Helec'Joro i'.-indido Ferreira llabcilo.
Ravmundo Nonato de Oliveira.
Tiliurcio Valeriano Guilhcrme de Assis.
: Runo Ferreira da Co.-la.
Alfredo Cavalcante SimOes.
Esposa do Ilim. Sr. Jos Carlos de S. I prancisco Joaquim Gongalves do Cabo.
Esposa do Illm. Sr. Olympio de Ilollanda ^n1" | profossor Jos de Souza Cordciro SiraOcs.
ELKITAO DA FESTA DO l'KISCIPE DA MELU'IA
CEI.LES, OAKCHASJO 8. AlIGCKL EU AFO-
OADOa, XO DIA 29 DK SETEMBRO DE
18.
Juiza perpelua
A Exma. Sra. t. Francisca Tnere/a dos Santos
Araujo.
Juiza da bandeira
A Exma. ^n. D. Amalia, esposa do Illm. Sr.
Justino T. de Moura.
Juiz por eleigo
O Illm. Sr. Dr. Miguel Figueira de Paria.
con.
Espesa ilo li!n. Sr. ArtfiltOO
con.
Esposa do Illm. Sr. Mauocl Gon.
lo
Mordomas
de BoJlanda Cha-1 As Exmas. Sras. DJ.:
j Maria A.'ripina. esposa do Sr. Jos Pinto.
calves Jos -au-. n;1cti-sl Bastos, lilha do Sr. Demetrio Basto;.
. Fni isca, '.:lha do Sr. Manoel da Cunha Brandan.
Esposa do Illm. Sr. Fortunato Jos de Andrade- Leopoldina, esposa do Sr. Antoaio Dias Ferreira.
Esiiosa do Illm. Sr. Jos Marlins Ribeiro. \ Maria Anuuiiciada, li I lia do Sr. professor Fragoso.
Esposa do Illm Sr. Antonio Jeaquim dos San- yal,u n10inazia. esposa do Sr. Dr. Estevo de
tos.
Esposa do Illm. Sr. Val-utim da Silva GororOba.
Esposa do Illm. Sr. Ricardo Jos Gomes da
l.udgero Rodrigues Nogaeira
navios a descarga
Barca nacional ilnriamintha, xarque.
Barca atlem Louue, varios gneros.
Ila-ca norueguense Tralernitas, carva.>.
Brigue allemi iasel, varios genero-.
Escuna allem Frilz, xarque.
Lugar nacional Tigre, xarque.
Lugar narueguense Poseidon, xarque.
Patacho nacional Rival, xarque. .
Patacho dinamarquez Plisz, xarque.
Patacho sueco Amor, xarque.
Patacho iuglez afren, xarque.
PalacbO allemo Marie con Uldeudorp, xarque.
Palhabote naciona^/a, farinha de mandioca.
Patacho hollandez Hroedertrow, xarque.
lU|K>rlaco
Paquete l'rancez Ctm^o, entrado dos portes da
Europa, em 5-do corrente, je coasignado a Au-
gusto Labille, mauife&tpu:
Azeite 15 caixas a Sulzer Kauffmann di C. ^0
a Jos Joaquim Alves '.: C 1 a G. Laportc C.
Ameixas 8 caixas a Soares J& Fernandos, 2 a
Guimare Rocha 4 C, 9 ordem.
Agua-mineral 8 caixas ao consignatario.
Bolsas 1 caixa a Conrard Wachsmann.
Cognac 200 caixas ordem, i ao consiguata
rio, 10 a G. Loporte C, .'i a Gongalves Rosa &
Fernaudes.
(Isnservas a caixas a Pinto & C. 10 a Domin-
gos" Ferreira da Silva C, 6 ordem, 4 a G.
LaporteA C.
Chocolate 1 caixa os mesmos. '
Chapeos I caixo a Laquim.
(^asligaes 1 caixa a Conrad Wachsmann.
Impressos i caixa a F. P. Bolitreau, 1 a Rami-
ro M. da Costa Jt C.
Joiasl caixa a Atibar eziderio. 2 a J-
Krause C, 2 a Augusto Bego.
Luvas 1 caixa a Papoula & C.
i egumes 1 caixa a G. Laporte 4 C.
Licores 3 caixas'a G. Laporte 4 C.
Manteiga 3 caixas a C. Pluyn C.
Massas alimenticias '> caixas a Gonealves Roza
4 Fernandcs.
l'apcl 1 caixa a Costa Lima 4 C 1 a D. J. Se-
ve & C. Dito de cmbrulho 30 fardos.a Joao.Fer-
nandes de Almeida, 30 a Paiva Valente 4 C.
Queijos 20 caixas a Paiva Valente 4 C, 150 a
C. Pluyn & C, Mina a Ramos 4 C.
Sedas 1 caixa a Bernet & C.
Tecidos 3 volumez ordem, i aos herdeiros
de Antonio C. de Vasconccllos.
Vestidos 1 caixa a N. Fonseca 4 C.
Vellas 1 caixa a Guimares Rocha 4 C.
Vinho 3 barris a J Laurel,! a J. Howe, 8
ordem, 4 a G. Laporte & C.,?3 a Ramos Geppert
fcC, 2 ao consignatario, 20 caixas a Carvalho
4 C, 10 a Paulino de Oliveira Maia, 18 a Ramos
Geppert 4 C.
Escuna norueguense Gefiun, entrada de Pelo-
tas era 4 do correte e consignada a Maia.4 Re-
zende, man i fes tou :
Xarque 292,395 kilos aos consgnatenos.
' Paquete ingle/, Elbe, entrado dos portos da
Europa c:i> 3 do andaute u consignado a Amo-
rim Irniaos C, inanii'jstou :
Agua mineral 10 barr, as ordem. Amos-
tras 23 volumes a diversos.
Biscoutos 10 caixes ordem.
Chapes 1 caixo a II. de Brasilia C. Chum-
bo 35 barricas Companhia do Boueribe.
Ginger ale I barrica ordem.
Mercaduras diversas I a H. Brauwokite^ l a
R. de Drusina 4 C, 1 a Manoel Collago 4 C, I
Companhia do Beberibe, 1 a W. II. Briton, 1 a
IIoliuR, I a L. B. "Wines. ordem.
Oleo de linlraca 10 barris a Fraacisco Manoel
da Silva 4 C. Objectos para escriptorio .2 Cal-
xas ordem.
Pimcnti 10 saceos a Francisco Ribeiro Pinto
Gniraares C.
Oueijos 24 caixis a Jos B. le Carvalho, 13 a
Joo Fernandes de Almeida, 11 ordem. li a
Figueiredo Costa 4 C.
Tecidos diversos I voluaie a -Monhard llubar
* C 13 a Bemet 4 C, 31 ordem, :l a Lou
reiro Maia 4 C, 3 a Bodritues Lima C, 2 a
Guerra 4 Fernandos, 3 a Olinto Jardim 4 C, 9
And:ade Maia 4 C. 2 a Alves de Britto 4 C, 1
a Gonealves Cuuha C, 5 a Manoel Dias da
Silva Guimares, 17 a Machado 4 Pereira.. 5 a
Joaquim Agostinho 4 C, 3 a Sveira. Tintas
110 volumes a Francisco Mar.ooi da Silva C.
Velas 2 caixas ordem.
Whisky 3 caixas ordem.
Lugre norueguense I)1 : Amencas, enlrado
de New-York em 3 do andaute e consignado a
Fonseca lruios 4 C, nanifeslou :
Kerosene 21,986 caixas aos consignatarios.
Madeira do pinho 97 pecas aos mesmos.
SXjoi'av>~iO
KKC1F. DE JULHO UB 1889
Paro o exten
.No vapor americano I ar/egoo :
Para New-York, ltessbach Brothers l,(K0
courmhos de cabra.
No vapor fraact; garam :
Para Montevideo. Costa Fetnandes 1,000
cocos, fructa.
No vapor fraocez Sedbe, cartegaram: j
Para Pan-, J. L. de Barros 1,000 passaros*
seceos.
Para Lisboa.-Cosa 4 Fernaudes .1 barricas
com li abacaxis.
Para Allemanha. F. Salgelo 8,000 graos de
ourox'lho e 32,000' ditos I e!b.
Para o interior
No vapor americano Allmnrn, carregou:
Para Sant03, V. da Sveira 100 suecos com
6,000 kilos de assucar mascavado.
No hiato nacional F. Jardim, carregaram :
Para Camossim, F. A. Monteiro 2 barricas
coto 140 kilos de assucar refinado ; E. C. ltel-
trfio Irmo 7 barricas com 450'kilos de assu-
car branco. ,
Para Parnahyba, E. C. Beltro 4 Irmo Sor
barricas com 1,730 kilos de assucar refinado, 45
ditas com 1,892 ditos de dito brageo e 4 duzias
de elixir medicinal.
No hiate nacional Adelina, carregaram :
Para Mossor, P. Pinto C. 1 caixo com 100
kilos de doce; M. Viegas 4 C. 10 caixas com
80 litros de genebra.
Na barcasa Eudoma, carregou :
posa
S Cavalcante da Albuquerque.
Amelia, lilha do Sr. Jos Joaquim slves.
Adelina, lilha do Sr. Amonio da Costa.
Emvgdia lilha do Sr. Carlos Pinto de Lemos.
Mara Henriqueta, lilha do Sr. Dr. Gomes P-
renle.
Maria do Carmo, lilha do Sr. Alfonso Temporal.
Maria Rodrigues' ampello.
Recife, 'J de Maio de 1889.Frei liberte d,'
>anta Augusta Cabral de VasamceUos, vigari'-
provincial
posa
Luz.
Esposa do l!!:!i. Sr.
Lima.
Esposa do Illm. Sr. Antonio da Cruz Ribeiro.
Esposa do Illm. Sr. Manoel Feodrippe de Sonta.
Esposa do Illm. Sr. Asosnho Joaquim da Suva
Abreu.
Esposa do Illm Sr. Anlonio Moreira Res.
Esposa do Illm. Sr. J.icob Teixeira de Moura.
Adelaide, lilha do Illm Sr. Antonio Pinto Men-
dos.
Israenia. lilha do IV.:. Sr. Francisco SUBOes da
Silva Mafra. ,.,,. Si a terru iiirasse todos os navios iriam
Theodoo.a, lilha do Illm. Sr. Dav.d ltibe.ro oa, ^ ^/^ Migu^ luas como n2o
Professora Hara l.eoviglua da Silva Cordeiro. gira e sim as proniOcorias todos os donna-
Pronioior le Jaboatao
Prol'essora Amelia Casfello Branco.
Prol'essora Maria da Conceigo Braiulo Btral-
cante.
Professora Digna de Santa Rosa.
Para Parahvba, A. Flores 10 caixa; e 12 gar-
rafes com 224 litros de genebra.
Kcndlmento pabllcos
UEZ DE JL'NilO
Alfandega
Renda geral
Do dia .1 a 4
dem do" 5
101:8361.787
17:238*104
Renda provincial
Do dia 1 a i
dem de 5
ll:..24*oe"
l-.14GJ.924
12I-.09S91
1567U01I
Somma total l3G:76359n2
Segunda secco da Alfandega, 5 de Julbo de
1889.
8 thesoureiro Flercncio Domingiics.
chele da secgio Cicero B. de MeUo.
Reccbedoria Geral
Dodiala4 1.948*721
dem de 5
342*505
5.491*227
Rcccbcdoria provincial
DO dia 1 a 4 34:895*671
dem de 5 10:114*982
Recife Dralaage
Do dia 1 a i 274*302
IdemSdeS 186*236
Mercado Municipal de S.
mercado, ao
B:WO>33
I9VJU98
Jone
dia 4 de
O movimenlo dcse
Julho foi o seguinte :
Entraram :
411/2 bois pesando 6,119 kilos.
349 kilos de peixe a 20 ris 6*S0
29 cargas cora farinha a 20* ris 5*800
6 ditas com feijao a 200 ris l 000
i ditas com milho a 200 ris 800
14 ditas de fructas diversas a 300 rcia 4*200
14 taboleiros a 200 ris 2*800
11 suinos dioQ ris 2*200
28 matulos com legumes a 200 ris 3*600
Foram oceupados: s
27 columnas a 600 ris 10*200
1 escriptorio a 300 ris 300
25 compartimentos de farinha a 50Q
rc"3 12*500
24 ditos de comidas a 500 ris 12*500
87 ditos de leguraes e fazendas a 400
ris 34*800
16 ditos de suinos a 700 ris 11*200
8 ditos de fressuras a 600 ris 4*800
43 talhos a 2* 90*000
Bendimento do da
rente
1 e 3 do cor-
210*180
673*380
Foi arrecadado liquido at boje
Precos do dia:
Carne verde de 200 a 480 reis o kilo.
8834560
tos v2o dar ao partido liberal. Boa mudau-
5a no fin da vida.
O boa duvida.
Carneiro de 720 a 11 reis dem, fgz
Suinos de 560 a 640. reis idem.
Farinha de 720 a 1* reis a cuia,
MilJio de 300 a 640 reis idem.
Kei-ao de 1*400 a 1*800 idem.
Xatadouro publico
Neste .: r'iiel.'cimento foram abatidas para o
consumo de hoje 83 rezes pertencentes a diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
MEZ DE JULHO
New-York..... Cearense.......... 6
Norte..........IHiaiico.......... 6
Europa....... VUle de S. Nicolao..-. 6
Norte....... Pernambuco....... 6
Sul........... Minos........... 6
Sul... ..... Tagus.............. 7
Europa....... Porto Alegre ....... 13
liorte......... -lagoas........... 14
Sul........... Marankao......... 17
'="3t ------
Vapores a sabir
MEZ DE JULHO
Sul ......... Pernambuco....... 6 as S h.
Norte.......Alunos........... 7 as 5 h.
Santos e esc Allianca.......... 7 as 3 h.
Southamptom. Tagus............. 7 as 12 h.
Santos e esc VUle de S. Nicolao- 7 as 10 h.
Bahia eesc... P. Cear e esc... Pirapcuna ,........ 9 as 5 h.
Bahia eesc Jacuhype.......... 10 as 5 h.
:ndo Jaguaribe......... 10 as 12 li.
RioFormoso iandahu ......... 10 as 3 h.
Santos e esc. Vorto Alegre....... 14 as 3 h.
Sul...........llagos .......... 15 as 5 h.
5u.......... A'.aranhao......... 18 as 5 h.
Hovlmento do porto
Navios entrados no dia 5
Soulharaptan eescala lidias, vapor inglez
Elce, de 1.732 toneladas, commandante B. Ar-
mstrong, equipagem 106, carga varios gne-
ros ; a Amorim Diaos & C.
Bordeaux e escala-15 dias, vapor francez Coi
de 2,144 toneladas, commandante Lecointre,
equipagem 126, carga varios gneros ; a Au-
gusto Labille.
New-York50 dias, lugar nacional Duas Ame-
ricas, de 620 toneladas, capito Francisco Gon-
ealves de Mallos, equipa-gem 16, carga gaz a
maneira de pinho: a Fonseca Irmos & C.
Csar-6 dias, vapor Gacional Principe do Gra
Para, de 308 toneladas, commandante Julio
Cesar de Lacerda, equipagem 28, em lastro ;
a Pedro Osorio de Cerqueira.
Navios sonidos no mesmo dia
Buenos-Ayres e escala Vapor francez Coi
commandante Lecointre, carga varios gene-
ros.
Buenos-Ayres e escala Vapor inglez IE9V,
f commandante Armstrong, carga varios gene-
ros. '
Hamburgo e escalaVapor allemo Argentina,
commandante J. Schernier, carga vanos gene-
ros.
Rio Grande do NorteHiate nacional Adelina dos
Anjos, mestre Manoel Francisco Monteiro, car-'
ga varios gneros.
LiverpoolVapor inglez llandel, commaadapte
G. Bsaithwart, carga varios gneros.
..!
11
fi 1
/
-



'

%
y
1;


f
\)


*
V
K
F
i
F
'
.

Diario de
ulho de 1889
Cvmpanlioiros do 3" dislriclo
ttiirglte. camu*
Approxiitn-se o dia 31 de Agosto. Cem-
panheiros as urnas, as urnas E' tcrapo
de cerrador, unidos, mostramos que o
Dr. Felippe de Figueira Furia merece e
o noaso candidato do peito.
A Qoilo a foroa e essa forra deve con-
vergir otn proveito d aquello eavallieiro,
nosso candidato nosso amigo e nosso be-
nemrito concidadao. Mostremos no da
31 dovindouro, qne sernos solidarios n'nm
s pcnsaniento c na idea, e d'estatto,
que os conservadores de Pao d'Alho nanea
vencidos, darao mus nina prova de dedi-
cacSo a sua pessOa, que a3a trocamos
nossa dignidade por pequeninos o vis in-
teresses, nem tita pouco nos amedronta-
mos com os arrrgaohos do poder. Ser
para nos, verdadeiros conservadores, urna
gloria o triumpho de nosso syinpathico
candidato; pois, que as iniciaes de seu
illufre nome traduzem por tres ve/es
para o districto : Felicidade
Muito devenios a tan conspicuo cidado,
tistau:o.s chcios de suas liberalidades : cum-
pre-nos, pois, nao sermes ingratos no
desmentir o nosso glorioso pascado, e,
fazendo brilhar a virtude de que: as tri-
bulacScs que se onheccm os amigos,,
namo-nos, que cantaremos hosanas !
5 de Julho de 188!.
Un ehitvr.
*' Obreiro
Por descuido deixou de ser publicado no se-
gando numero d'esie peridico o seguinte :
Aviso
Como o Obreiro se destina, por cm quanto, a
sahir smenle duas vezes por semana, preveni
uaos que serao offerecidos a venda todos os
dias os cxemplares de uin numero publicado,
at que appareca o seguinte. K pedimos ao3
Srs. compradores que indaguem previamente a
lata da publica-To, afini de evitar que comprem
le novo, gem o desejarem, o numero que por
ventura ja leobam adquirido.
MIMO
Os Srs. possaidorcs do Io e deste 2* numero
ficarn com direito a coocorrerem gratuitamente
adjudicacao inmediata d'um presente que of-
fereceinos :
n i-icsanif rolo*io prata para
alffilteirn. novo
Na 1.1 VR ARIA QUISTAS, mediante a exhibi-
ao dos dous nmeros e o consentimento de
ama chancella nelles, s explicar todos os
lias uleis, das 2 s 4 horas di tarde, a forma da
adjudicacao.
O relogio osla na LIVRARIA (JUNTAS para
*er entregue a queui liver de pertencer.
A redaccao 'O Obreiro.
Pasamento le juro
A Couipanlna Pernambucana de Navegacan
Costeira por vapor paga os juros de seuempres-
timo preferencia!, em seu esrriptorio, sendo nos
das 1, 2 e3 do prximo niel de Julho, das 10
horas da manila at as 2 horas da tarde.' e dabl
per (liante em todos os dias uteis das 10 horas
da manda al o ujpo da.
Para regularidade do servico. os coupons n
destacados do respectivo tiiulo preferencia!, na
do pagamento, o que se previne aos
interessados.
Recife, 28 de Junho de 1889.
Dr. Barreto Sampaio
R.-tirando-me hoje para a Europa, despeco me
dos nieus aios e clientes, e offereco (lies os
incas diminutos prestimos durante o corta es-
paco de teui|i'-> que pretendo demorarme em
l'aris. Fica ciicarregado da minlm clnica o Sr.
Dr. Matlieus Vnz.
Recife, idoJulbo Dr. Burre'o Sampaio.
*ft^-
Vest do Senhor Rom Jcmu
das (har- na igreja de \ossi
Senhora do Paraso
Ao meiodia de d do corrente subiro ao ar
diversas girndolas de fogos e tocara a banda de
msica do corpo de polica.
As 6 f, i horas da tarde ter comees o ultimo
setenario tocando antes e depois do acto a mes-
;na banda,
Pelas i horas da manh do dia 7 huver alis-
ta rezada em tenclo dos devotos qne, concorre-
ram para a fcstividade do nosso padreiro.
As 11 horas da maoha entrar a missa solem-
ne a grande orehesta sendo os solos cantados
pelos principacs cantores da capital, sendo o
>rador oRvm. Sr. Frei Augusto da Immaculada
'kmccico Alves, locando tambem neste acto
urna banda de msica marcial, assim como a
larde haver un grande bazar de prendas onde
,is devotos da sacrosanta imagen) irio haver
,is premios que Ibe sahirem por sorte nos bilhc-
08 distribuidos, cas 7 horas da noite entrar o
Te Deum sendo o orador o me sino da festa, can-
tando-se a partitura do 7>-D-hm Kspirito Santo
lo imuiortal ni.estro Colas.
Pede Be aos moradores do paleo que illuminem
as frentes de suas casas para maiorbrilhantismo
da festa.
Consismno da irmandad^ do Senhor Rom Je-
ss dasi:hagas, 8 de Julho de 1889.
O secretario,
Amaro Joaquim do Espinto-Santo.
. a
Oleo puro medicinal Baeiilnao. de l.annwn A w*cut;>
Parece realmente qiui a lbica estara |rOdexi-
nada a sacrnialdr ;- '|!..ilid.idcs iKilnticas e
eorativas -.la >;-ii'n;.:o dii ligado (!. Iwcaltiao.
<> leu pora ipeiciiul de Figads de Hacalto
de Lantuan & !^- wp, Hia! eui viricde da sua
reo iili'-cida Mm-xa < execltrntcia^oblcfii a su-
preuiasiu utinwkM os mitivados do .nu.nl j ; pro-
da resaltados reui preoedentrs. Dilosiseihorea
im em sea poder u:na muilido de altestados
mdicos em sen favor (alm das inlinta.s carias
dos convalescenles.) o que ludo formara ura
grosso volume. Ditos altestados foram recebidos
de quasi todas as partea do mnndo civilisado.
Alguns dos casos acham-se exlensamentciescri
pos em forma de diario, com os progresses da
cura de dia em dia.
As asseies au'hecticas sao sem duvida al-
guma inui extraordinarias, e provam de um modo
o mais incontestavel que as pciores molestias
dos orgaos da respiraco sao susceptiveis de
cura.
O oleo puro medicinal de Figado de Bucalho
de Lanman & Kemp, nao".conten nenhuma sub-
stancia eslranha, e sim absolutamente puro e
conserva-se frescal em todos os climas; cirtum-
staacias estas queisc devem tersempre presente.
echase a venda em todas as principaes boti-
cas e lojas de droaas.
com as formalidades legaPs, para ser
rematado por quem mais der e maior lan-
ce oflerecer, o bem seguinte-: Urna casa
terrea sita ra do Fogo, freguezia de
Santo Antonio, a. 25 com porta o janella
de frente, duas alas, tres quartos, cosinha
fora, pequeo quintal murado, precisando
o telhado, o ladrilho e toda a casa bastan-
tes emeertos, medindo de frente tres me-
tros e XJ centmetros e de fundo 14 me-
tros e 70 centmetros, avahada por um
cont e cem mi reie ; cujo bem pertc
ao acervo inventariado da finada D- Can
dida Mara Ferreira e vni em praca g
queriment do respectivo
Francisco Gomes da Silva Saraiva para
pagamento de cust:. de heranca, ''
outrfls despeza.s v. dividas.
F. para constar e chegarao ;onliec'imen
to de todos mandei passar o presente edi-
tal que ser publicado pela uiprensa e
al.vadono bigardo costume.
Dado e passado nesla cidade do Recife
i capital da provincia de Fornambucu ao
printeiro dia do mez (o Jullio do anno do
Dado e passado n'osta cidade do Recie,
$ s 5 dias do mez de Junho do anno do
Nascimento de Nosso Senhor Jess Chris-
to de 1889.
Eu, Antonio de Burgos de Ponce d
Len, escrivo 6 escrevi.
Joaquim da Costa Ribeiro.
BECLARC0E
Nascnnento de NousoSenhvr Jos:is Ghn,s-
Eu Cuije da Veiga Possoa es-
to de 1889.
I erivXo o subscrevi. /',"
Ribeiro Viarata.
Entre amigas
Como passas, minha amiga?
Vou indo bastante adoentada ; ha al-
guns dias que vejo-me atormentada por
urna forte tosse, que me desespora.
Ora, is&o cousa que n2o te deve
dar cuidado, principalmente se tomares o
Peitoral de Cambar, de S. Soares, que
o mclhor remedio para as enfermidades do
peito e aquelle que mais promptos resul-
tados opera.
O Peitoral de Cambar vende-se em
casa dos agentes Francisco Manocl da
Silva & C, a ra Mrquez de Olinda
n. 23, e as prineipaes pharmacias e dro-
garas da capital.
O Sr. DivLuiz de Araujo
a Tenho empregado em minha clinica
o P.itoral de ambara, do Sr. J. Alvares
de SouzaSoarcs nos casos de molestias
broncho-pulmonares, colhendo sempre re-
sultados muito satisfatorios.
Posso mesmo, em virtudo deses bons
resultados, garantir a efricacia deste me-
dicamento, principalmente quando estas
atTeecocs tiverem tomado o carcter de
chronicidade.
Isto verdade e o juro soba lo do meu
grao.
Anta (provincia do Riode Janeiro), 18
de Agosto de 1888.
Dr. Luiz Jos d Araujo Fho
Aviso ao Comniercio
Pniiemon Restier participa ao corpo do com-
en-io que deisou de ser procurador de Anto-
nio oncalves de Azevedo, desde de Julbo cor-
rente, c ao mesmo lempo agradece as attences
e nianeiras cavalbeirosas que sempre Ihc dis-
i'eusaram os seus companheiros e patro.
mima portogez
Kua das Larangeiras os. ii e 2
Reabri-se este im-
portante estabeleei-
mento clebaixo da g'e-
reneia e propriedade
do nosso mui distin(to
ami;o Philemon Res-
Jier, o qual tendo pas-
sado por nina grande
reforma, aelia-se apto
a satisfazer ao maior
astrnomo. Encar-
rega-se de qualquer
trabalho tendente a
arte culinaria.
Instituto de Nossa Senhora
do Carmo .
Hermino Rodrigues de "Siqueira, parti-
cipa aos Illms. Srs. Paes e Tutores de
seus alumnos, assim como a todas as pes-
soas que o honram com suas amisades e
ao publico em geral que mudou o seu es-
tabelecimento de instruc9ao e educa9ao da
ra de S. Francisco n. 72 para a do Im-
perador n. 75, onde espera que continuem
a honral-o com suas ordens; certas de que
elle empregar os maiores esforcos para
corresponder a espectativa e confianca de
todos.
Recife, 3 de Julho de 1889. .
i:\po.siv l'ulversal de 1S8S
Segundo a carta que nos eserevem nos-
sos correspondentes, os Srs. Amde
Prince & C, o Pavilhao do Guatemala
onde elles acabam de organisar urna sala
de leitura de todos os principaes jornaes
das Americas do Centro, do Sul, das An-
tilhas e do Extremo-Oriente urna cons-
truc^ao de madeira muito bonita.
Este pavilblo acha-so situado direita
da Torre Eiffel, pelo lado direito e de-
fronte da parte cental do Palacio das Ar-
les Liberaes. Est perto de todas as soc-
ces das Repblicas Americanas e do Im-
perio do lrasil cujos riquissimos palacios
hao de constituir, por sem duvida, urna
das maiores attraccoes da Exposioao.
Aos nosso3 patricios recommendamos
encarecidaiucnte que visitem no Pavilh&o
de Guatemala a installacao dos nossos
correspondentes, Srs. Amde Prince &
C, devida ao obsequio do Ilustre cora-
missario geral do Guatemala.
r. 'Vkoi.uiz Uar<:. : Paratio* I
negro, commoidador da imperial orden
Manoel da Silva Oliveira.
Manocl Jf>'- Mreira.
Manoel de Va.scoocello?.
Marcianno F. de Almeida Sampaio.
j presente edital vir^m Mara Joaquina do Espirito Santo.
Octavio Pinto da Rocha.
Paul Objois.
Paula Francisca-de Jess tiomes.
Pa da Maa da S.
Pedro fioncalves da Silva Barros.
Celestio Jos Diniz (2).
Sevcrmo Jos Eltuterib.
Tava/:s Mello.
U i' oflical,
Anin in Dnheu.c.
EXPOSITION UNIVERSAL DE 189
Segn nos escriben nuestros correspon-
sales, los sr Amde Prince y C.
el Pabelln de Guatemala, en donde han
organizado un gabinete de lectura do los
principales pridices de las Americas del
Centro, del Sud, de las Antillas y del Ex-
tremo-Oriente es una construccin de ma-
dera, de las mas lindas.
Est situado dicho pabelln a mano
derecha de la Torre de Eiffel, del lado
derecho y en frente de la parte central
del Palacio de los Artes liberales. Se en-
cuentra a proximidad de todas las seccio-
nes de las Repblicas de las Americas y
del imperio del Brazil, quienes han cons-
truido palacios que rivalizan de riqueza, y
que sern una de las mayores atracciones
de la Exposicin.*
Encomendamos particularmente a nues-
tros compatriotas que visiten, en el Pa-
belln de Guatemala, la instalacin que han
hecho nuestros corresponsales, Slrs. Am-
de Prince y C gracias a la amabili-
dad del seor comisario general de Gua-
temala.
da Bota, juiz de. direito especial do ca-
mercio desta cidade do Recife, capital da
provincia de Pernambttco por .>V< Ma-
yestade u Imperador < fputa !) guarde
etc. etc.
Faco sar,er aos que
ou delle noticia tiverem, que por parte "de Fran-
cisco Ignacio de Oliveira me fot dirigida a
petico do tbeor segnnte :
Illm. e Exm. Sr. Dr. juiz do commercio.
Francisco Ignacio de Oliveira, credor de Jos
Brrelo & C, das lettras juntas, sendo 7 de
400 e urna de 553*180, querendo interromper
a prescripcao de ditas lettras, vera requerer a
a V. Exc. digne se de mandar tomar por ter-
mo o seu protesto, e inlimal-o por editos a ios
Barreto Paes de Mello nico representante da-
quella tirina, o qual se acha em lugar tocarla
e ignorado pelo supplicante; admittindo-o a
provar a ausencia do supplicado.
Pede a V. Exc. deferimento. Espera receber
merc.
Recite, 0 de Maio de 1889. -Reg Baptista.
(Sellada legalmente) na qual profer o des-
pacho do theor seguinte:
DespachoCerno pede. Recife, 27 de Maio de
1889.Montenegro.
Em virtude deste meu despacho o respectivo
distribuidor a quem foi a mesma petico pre-
sente a dislribuio aoescrivao do primeiro of-
llcio que fez lavrar o termo de protesto do theor
seguinte:
Termo de protesto.Aos 27 de Maio de 1889,
nestacidade do Recife, em meu cartorio,compare-
ceuo Dr. Francisco do Reg Baptista advogado do
supplicante que por parte deste disse ante mim
e as testemunhas 11: Ira as signadas que reduzi a
termo de protesto para interrupcao de prescrip-
cao o couteudo de sua petico retro que fica fa-
zendo parte integrante do presente, atim de ser
intimado ao supplicado para os devidos eflei-
tos.
E de como assim o disse e protestou lavro es-
te termo em que assigna com as testemunhas
presentes, depois de lido.
Eu, Manocl Lopes de Canalho Chaves, escre-
venle juramentado, escrevi.
E eu. JosFranklin de Alencar Lima, escrivo,
o fiz lavrar c subscrevo. Francisco do Reg
Baptista. Dioso Baptista Fernandes.Joo Fer-
reira Loureiro.|
Segundo continua dito termo de protesto, e
tendo o supplicante produzido a justiticaeao re-
commendaikt pela le, o respectivo escrivo me
fez es autos conclusos e nelles proferia senten-
ca do theor ceguinte :
Senteuca.Vistos. Procede a justiticaeao. Ex-
ptram-se os editaes pedidos, fustas ex-caosa.
Recife, 1 de Junho 1889. Thomaz Gwcez
Paranhos Montenegro.
Em virtude desta minha sentenca o respecti-
vo escrivo fez passar o presente edital por cu-
io theor chamo, cito e hei por intimado o justi-
ficado Jos Barreto iPaes de Mello como repre-
sentante da firma Jos Barreto* C, para que
no prazo de 30 dias contados da data da publi-
caco deste, compareca ante este juizo anu de
allegar oque for a bem de seu direito.
E para que chegue ao conheciraento de todos
o presente ser publicado pela impreusa, e ou-
tro de igual theor allixado no lugar do costume.
dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, ao 1 dia de Junho do anno de Nosso
Senhor de 1889. Eu, Jos Franklin de Menear
Lima, subscrevo.
O Dr. Carlos Augusto Vaz de Oliveira,
juiz de direito e do commercio desta
comarca especial de Nazareth, por Sua
Magestade Imperial a quem Deus guar-
de, etc.
Faro saber aos que o presente edital ou praca
com o prazo de oito dias jvirem, que o porteiro
dos auditorios deste juizo ha de trazer ao pre-
g;lo de venda e arremaiacao a quem mais der e
maior lamo offerecer em o dia 8 de Julho Tas 10
horas da manh porta da casa das audiencias
deste juizo,.o engenho Bomba, moente e corren-
te, cora casa de vivenda e senzalla de taipa,
casa de engenbo. de caldeira, de purgar, de
destillacao, todas de tijolo, 50 formas de ferro,
machina, trras e urna casa nova de vivenda co-
mecada, penhorado a viuva e filha de Joaquim
Nues Xavier de Souza, para pagamento da esa-
curlo hypothecaria que Ihe inove Antonio Ta
vafes Gomes de Araujo, cujo engenho foi ava-
llado em 15:0005000, e vai a tercelra praca pela
quantia de 12:050*000, j feito o segundo abate
legal de u) [, E quem no mesmo qui/.er lancar,
eoiirpareca neste juizo em o da cima dito.
E para constar, sepassou o presente que o por-
teiro dos auditorios publicar e affixar a no lu-
gar do estylo, lavrandoa competente certido.
Cidade de Nazareth, 28 de Junho de 1889. Eu
Joao Bczerra Vieira de Mello, escrivo, escrevi.
Carlos Augusto Vaz.de Olizeira. Est confor-
me.Eu, Joo Bezerra Vieirajde Mello.
O Dr. Jouaquim da Costa Ribeiro, juiz
de direito de civol desta cidade d Re-
cife de Pernambnco e seu termo, por j
Vliiiinisraco dos Crrelos de
Pernambnco. de ffnlho de
inventaria cao da correspondencia registrada (sem va-
~ loi'i (jue existe u'esUt repurticao, por nao tc-
rem sido encontrados seus destinatarios.
Antonio Ferreira de Souza.
Antonio Seqilaooo das Hereda.
Amaneio Baptista da Silva.
Antonia Mara da Conceicao.
Bernardina Maria da Conceico.
Benio Monteiro de Almeida.
! jo Araujo Lima.
Vi-,, i-isso arl'inagn;!
J. UnrdQcr.
Joo flrasiliens-i Lis*l i Cota.
Jj.-i.piim Ji>j foaqnim B. nCuntaQeimont.
Jos Francisco d.i Silva.
Jo.- da Silva Brasa.
ios Antonio do XascimoiH
Jos Ferreira Cuiraarae-
losc C Barros.
Jos Carlos da Cunha Sob^inno.
Jos'' Goncalrca da Silva.
Dviiih
Joaiiuim Israel Cssneiro.
EDITAES
Inslitnlo Benelicenle dos Oftdaes
da Guarda \acional
Nao se tendo reunido numero legal do socios
para funecionar a assembla geral., ventao de
ordem do Illm. Sr. presidente, convidar de novo
aos senhores socios a comparecerem no da 9,
as 6 1/2 horas da tarde, afim de proceder-se a
eleic'' do 2- orador e um membro da comrnis-
so de syndicancia ; certo de que, funecionar
com o numero que comparecer, como determina
o art. 57 10.
Secretaria da assembla geral, 5 de Julho de
1889.O 1 secretario,
Joaquim de Medeiros Raposo.
Companhia de Trilhos Urba-
nos d Recife Olinda e
Beberibe
.' CONYOCAC0
4sembl* eral extraordinaria
_\'o se tendo ainda boje reunido o numero
legal de accionistas, fica convocada para o dia
ib do corrente, ao ineio dia, no escriptorio di
ra da Aurora, a assembla geral extraordina-
ria, funeciouando desta vez com o numero oc
accionistas que se lizerem representar. Esta
assembla geral, segundo ficou declarado nos
annuncios feitos desde o dia 17 de Junbo, con-
vocada a requisicfio da directora, tem por fim
resolver sobre a conveniencia de ser renovado q
privilegio da companhia, de aecrdo com a lei
n. Oui, de 4 de Junho do corrente anno, sobre
a at'itude que devera a mesma companhia to-
mar para com as emprezas d'ijma e gaz de
Olinda; e sobre o levanlamento de um empres-
timo destinado ao renovamento do material ro-
dante da companhia. Sao resoluc/ies tomadas
estas que aftectarao grandemente a economa
social e assim devero ser cstudadas e resolvi-
das pelo maior numero possivel de accionistas.
Recife. 5 de Julho de 1889.
Jos Antonio de Almeida Cunha
Secretario da assembla geral.
Sociedade Beneficen-
le de Nazareth
De conformidade com a disposicao do art. 13
dos estatutos sao conv dados os soci' s a com-
pareceiein na sede desta sdciedade a 14 do cor-
rente, para a eleicao da directora, e a 31 do
mesmo. s 7 horas da noite, para a posse e
coinmemoragao do 2- anniversario.
Saaneth, 1 de Julho de 1889.
01 secretario interino
Quintino P. Malta. ___
Wociedade Recreativa Conamercial
De ordem dO Illm. Sr. presioeote, scientifico
aos senhores socios que em virtude de os sales
se acbarem no estado de poder haver recreio no
domingo 7 do corrente, Ins serao fraoqueados
os mesmos, como de costume.
Secretaria da Sociedade Recreativa Conimcr-
cial, 0 de Julho de 1889. awi
O 1 secretario
Adolpho Mendos Torres.
Hlppodromo do Campo Grande
(Assembla geral ordinaria)
Em virtude do | Io do art. 13 dos estatutos,
convido aos Srs. accionistas para se reunirem
em assembla geral ordinaria no dia 12 do cor-
rente, s 6 horas da tarde, do escriptorio desta
companhia ra ido Imperador n. 53, alim de
eleger-se a nova directora para o futuro anno
linanceiro e tomar conliecimeuto da3 contas e
parecer fiscal.
Recife. 1 de Julho de 1889.
FrmUMCe de Paula Correia de'Araujo,
Presidente.
Sua Magestade o imperador, a quem Santa Casa de Misericordia
e.?g.r_de'!tc:______......,,, do Recife
O Dr. Fraucisco Domingues Rib uro Vi-
anna, juiz de direito da provedoria de
capellaa e residnos nesta comarca do
Recife de Pernambuco por Sna Mages-
tade o Imperador a quem Deus guar-j
de, etc.
Faco saber aos que o.presente edital v-
rem ou delle noticia tiverem que depois
da audiencia deste juizo que ter lugar no
dia 10 do corrente, ir em praca .publica
Faro saber aos que o presente edital
virem, que por este juizo, lindos que se-
jam os ditos pregues, tera de ser arrema-
tado a quem mais der e maior lance offe-
recer no dia 6 de Julho prximo vin-
douro, s 11 horas da manha, na sala das
audiencias, o engenbo Agua-Fria, situado
na freguezia de S. Lourenso da Matta que
foi penhorado a Joaquim Cavalcant de
Albuquerque. em execucSo que Ihe move
Antonio Luiz dos Santos e sua mulher, a
qual o constante da respectiva avaliaco
e existente em poder e sartorio do escri-
v&o que esta escreve, a qual do theor
seguinte : Engenho Agua-Fria, com gran-
de porco de trras incultas, com casa de
vivenda em pessimo estado, sensalla intei-
ramente cahida, sendo o engenho de ani-
maes, tambem arruinado, nao havendo
nenhuma plantaco de canna, excepto al-
gumas pertencentes a lavradores, avaliado
por vinte contos de ris, com todos as suas
dependencias, trras e obras. E assim
ser o dito engenho Agua-Fria arrematado
a quem mais der e maior lance offerecer,
no dia e hora* indicados.
E para que chegue a noticia todos,
mando ao porteiro do juiso affixe o presen-
te ho lugar do costnme, e que paase a res-;
pectiva certidlo.
Perante a Iilma. junta administrativa em sua
oeasao de 9 do corrtnle ser arrendado a qu"m
melhorcs vaniagens offerecer o 1 adar do pre-
dio n. 24-A ra larga do Rosario, leudo por
base a renda u.e ;sal de 22#000.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 3 de Julho de 1889.
O escrivo,
Piro Rodrigues de Souza. v
Thesouracia de Fazenda
De ordem do Illm. Sr. inspector, convido os
Srs. negociantes abaixo declarados, para virem
r na seccao do contencioso desta Thesou-
raria, ateo dia 6 do corrente, os respectivos
termos dos contraetos celebrados para o frne-
cimento de vveres e forragens ao exercito, du-
rante o semestre de Julho a Dezembro deste
anno.
Antonio Duarte de Figueiredo.
Umbelina Maria do Carino.
Manoel Paulo de Amuquerque.
Alves Fernandos & C.
Bernardino da Costa Campos Jnior.
Oliveira Castro & C.
Antonio Soares Raposo.
Francisco Pinto de Magalb&es.
Joo Ignacio Ribeiro Roma.
Joo Walfredo de Medeiros.
Alves da Costa Filbo.
Alheiro Fernandes t C.
Manoel Bento Pinheiro.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 27
de Junho de 1880.
Pelolsecretario,
Jos Hermogenes de Oliveira Amaral.
tf
n$
mi
muu
Dia
A' REAL1S AR SE NO
7 de Julho de 1889
nm
m
e
a
G
Pello*
1
>:il lli'Jl - e
lid. --
;-------------------i- i
Cor da veatl-
m.iila
Propriciaiio
1" Pareo Conitolaeo t- 800 metros Animaes da provincia que nao tenham ganho no
Derby nesta ou maior distancia e nos outros prados do Recife em distancia superior
a 830 metros. Premio
Lucifer.....
Muscadm ...
Jorr.........
Cauley......
Bonjour.....
Tontn......
Transclavc..
Vamos-ver..
Delegado ..
Barra......
iiEsquimo...
12|Bostock.....
Rodado .....
Raio.......
Alazao......
Castanho___
Zaino.......
Alazao......
Rodado...
Cas', escuro.
Alazao......
Rodado .....
Castanho .. .
2003 ao Io, Wf ao 2 e 205 ao 3
Pern......
5o
53
53
53
55
55
35
53
55
35
55
53
Crenat e ouro..
Amarello e encamado
Branco preto e ene...
Encarnado e branco..
Grenat e azul......
Encarnado e branco..
Ene. h bonet azul ...
Encarnado e ouro
Encarnado e azul ..
I.'ehoa.
Archei.
Francisco M. Ferreira.
Alfredo Marques.
Barbosa.
Coudelaria Tentamen.
J N. Silva.
J. M. Ribeiro.
A. Mello.
K. B. Lins.
Augusto M.
............... Dias & Pesaos.
H" Pareo Prado da i.s;:in u 1.009 metros -Animaes nacionae* de meio sangue que
nao tenham Ranbo do Derby em maior distancia. Premios : 3005 ao l", 60> ao
2 e 305 ao 3 .
Mimosa-----
Douro......
Mandarim..
Minerva....
Risette.....
Alaz.......
Alazao......
Rosilho......
Douradilha..
Zaina.......
S. Paulo...
Rio de Jan.
S. Paulo...
u
Rio de Jan.
46
Vi
34
49
52
Azul e grenat........
Verde e amarello....
Rosa e prto........
Azul branco e euc..
Encarnado c ouro...
C. A. Fernandes.
Escrich.
Coudelaria Cruseiro.

Coudelaria Brazileira.
3.
Pareo< unoolaro H- turma)-800 metros-Animaes da provincia que nao tenham
ganho no Drby hestl ou maior distancia e nos outros prados do Recife em distan-
cu superior a 850 metros. Premios : 200 ao Io, 40* ao 2o, e 203 ao 3.
i .abollan___
Zambo......
Tbisbc......
Tupa.......
Petit-maitre.
Marat.......
Ubirajara ...
Bedengo....
Biscoutinbo.
10| Bismarck..
11 Cacique.....
12JBoa-Visla....i
Russo.......
Castanho
Pedrez.....
:Pern......
Rodado.
iRusso.......
Rodado.....
iBaio........
iRodado......
lAlazo.....
Baio........
oo
53
50
33
33
55
35
33
35
33
55
55
Encarnado e branco..
|Preto escosses e ouro.
;Auri verde........
Encarnado e brauco.
Azul e branco.......
Encarnado c branco..
Azul e rosa..
Francisco F.
F. R. Ramos.
J. M. de Abreu.
J. Mello.
V. Rival.
Coudelaria Demcrata.
Encarnado e brauco..
Azul e eucarnado
Rranco e azul marinho
Rosa c prelo.
... Olympio.
M. Lyra.
1 M. B. Cavalcante.
F F. Goacalves.
F. Leal.
.....Francisco Costa.
4. Pareo-Iateraaeloaal 1.009
metros Animaes de qualquer paiz. Premios: 500*
a 1 1305000 ao 2" e 504000 ao 3*

Asmodeu -
Estephanic..
Diana......
Brazil......
Apollo.....
Ernani.....
Vesper------
Fagotin......
Coupon ...
Castanlio. ...
AlazJ.....
Castanho...
Alazao.....
Zaino.......
Alaz......
Inglaterra. 37
1 32
Franca. ..' 51
31
R. da Prata 54
Inglaterra. 39
a 34
Franca - 57
u 57
Ouro e azul.........
Ouro e encarnado...
Azulo ouro........
Verde e amarello...
Amarello e preto
Rosa e preto........
Ouro e branco.....
Azul e ouro.......
Coud. Exigencia.
F. Correia.
Coud. Internacional.
Coud. Independencia.
Estevo de S.
P. Campello.
Coud. Emulaco.
Coud. Internacional.
Escarate e preto----Uoo Elizio.
Pareo lroidade-
premios no Derby
- 800 metros Animaes da provincia que uao
em 1889. Premios : 2003 ao Io, 405 ao *> c 205 ao 3".
tenham ganho
Lucifer.....
Flor do Dia..
Almirante ..
Dublin.....
Monarck, L..
Tupy........
Bismarck. ..
Redado...... Peni..... 33
1 53
Castanho ... 55
Cardo..... 33
a 55
Baio-rxo... B Oil
53
Grenat e ouro .-----
Preto e branco.....
Grenat............
Encarnado e branco.
Ene. e bonet azul----
Encamado e branco.
Brancc e azul marinho
6. PareoSapalemei
lar 1.200 metros Animaes da provincia,
ao 1 305000 ao 2o e 23*000 ao 3o.
Monitor......
Florete......
Tephe.......
4 Templar.....
Tupy.......
Cariry.......
Transclave...
Medusa......
Tyranno. ...
Russo.......
Castanho ....
R. pedrez. .
Rodado .....
Bato-roso....
Russo......
Rodado.....
Castanho ...
Alazao......
Pern.
34
36
54
54
54
54
54
54
31
Encarnado e prelo...
Encarnado c nraiico.
Asul e branco........
i*
ouro.........
Ouro e encarnado...
Verdee branco......
Ouro e branco.......
Encarnado e verde...
Dcboa.
Joo P. N.
Coud. Independencia.
M. i. de Miranda.
I. Maia.
F. C.-Jlezende.
F. F. oncalves.
Premios: 250*000
Coud. Pernambucana.
F. Freir.
J. G. Ferreira.
J. F. Ferreira.
F. C. Rezende.
P. Souza.
J. N. da Silva.
M. Gulmares.
Manoel Silva.
7. Pareo -Prosperidades 830 metros. Animaes
nos prados do Recife em maior distancia. Premios
da provincia quo nao tenham ganho
2003 ao 1, 605 ao 2* c 205 ao3.
V
Etna.......
Ciclone
Bolaxinba..
Zambo......
Tupa.......
Pierrot......
Potosi. ..,.
Castanho
Rodado......
Russo......
Castanho ...
Pedrez......
Baio.........
Castanho
Pern..... 55

a -w
n 55
9 53
m 55
4 53
* 57
Ene. e bonet azul.....
Branco e preto......
Encarnado c azul....
Prelo, escossez e ouro
Encarnado e branco.
Grenat c ouro .....
Encarnado e ouro___
J. Oliveira. >
C. Fragoso.
Jos Maria.
F. R. Ramos.
J. Mello.
Coud. Progresso.
Bostock.
V
i
Os animaes inscriptos para o l9 pareo devem achar-se no ensilhamento s
9 Ii2 horas da manha.
Os animaes inscriptos para os outros pareos, deverSo estar no ensilhamento
pelo menos urna hora antes da determinada para o pareo em que tiverem de correr.
Fede-se attengao dos Srs. proprietarios para os additamentos feito ao regi-
ment interno do Derby Club de Pernambuco e para os artigos 9, 10, 25 o 95 do
mesmo regiment interno.
O expediente desta corrida enerrar-e-ha sabbado G de Julho do 1889
horas da tarde.
A venda de votdee encerrar-se-ha 20 minutos antes de cada corrida.
s 3
l.o pareo
2." pareo
o." pareo
4.u pareo
b." pareo
6.u pareo
7. pareo
Recife, 4 I
HORARIO
\
/
n
ii
12
1
2
3
4
horas
e ni
e 50
e 40
e 30
e 20
e 10 0
e >

de Julho de 1889.
O GERENTE,
Henrique Schulel.
Gabinete PortuguezjThesouraria do Correio de
Pernambuco, 1 de Julho
de Leitura
Sesso ordinaria do conselho deliberativo
, De ordem do lit". Sr. commendador, presi-
dente, convoco todos os dignos membros do
conseiho para reunirem se na sede social, pelas
11 horas do dia 7 do corrente, afim de dar-se
cumprimento ao disposto no art. t dos nossos
estatutos.
Recife, de Julho de 1889.
0 1- secretario
Albino Moretra de Souza.
de 1889
Carino com valor
No prazo de 30 dias serao devolvidas s suas
procedencias as cartas abaixo mencionadas, cu-
Sos destinatarios nao as tem procurado,
lanoel dos Passos Assis Cavalcante de Mello.
Mananno Jcaquira de Sant'Anna.
Sebastio de Souza Lima.
O thesoureiro
Manoel Martins Pires.



Diario de PernambucoSabbado 6 de Julho de 1889
THE'ATRO
SANTO ANTONIO
Propriedade e empresa dos artistas
EDUARDO RODRIGUES EJHELENA BALSEMlO RODRIGUES
DlRECgAO*DO ACTOR
C LISBOA
4manha-Domingo
A PEDIDO
A ultima representac&o da opereta mgica de grande effeito scenico ornada de
linda msica, transformacSes, etc., ete,
O OVO DE OURO
A zarzuela em 1 acto
Mi
usica
Toma parte toda a companhia.
Ch
assica
O resto de camarotes venda na biJheteria
Na prxima semana
A FILHA DO AR

Camarotes com 5 entradas ....
Cadeiras de l* classe para senboras e homens
Ditas de 2.a.......
Galeras........
Geraes........
8000
25500
25000
25000
14000
HIPPODROMO
DO
BRANDE
1P A. A
-
2i: CORRIDA
Que deven realizar-se no domingo. 14 Julho de 1889
0 PAREO ENSA10 800 metros. Animaos da provincia que nao tenham
ganho premios em 1889 nos prados do Recife n'esta ou maior distancia.
pkemios : 2005000 ao primeiro, 405000 ao segundo e 205000 ao
terceiro.
. l'ARi: -DR. PEKEIRA SIMES1.100 metros. Animaes pelludes do
paiz. premios: 3005000 ao primeiro, 606000 ao segundo e 3(>5OO0
ao terceiro.
3. PABEO K1VALIDADE 1.050 metras. Animaes da provincia, que.nao
tenham ganho nos prados do Recife em distancia superior a 1.500
metros premios : 250O0O ao primeiro, 605000 ao segundo <
255OOO ao terceiro.
*." PAREO 1 i DE JULHO1.09 metros. Animae at puro sangue. pre-
mios: 5005000 ao primeiro, OOUOO ao segundo c 505000 ao
terceiro.
*." PAREO -COMPENSACO 1.200 metros. Animaes nacionaes at meio
sangue. premios: 3005000 ao primeiro, 305000 ao segundo e
3O5OOO ao terceiro.
"PAREO ANIMACAO 1.000 metros. Animaes a provincia, premios:
2505000 ao primeiro, 1005000 ao segundo e 255000 ao terceiro.
PAREO PR0GRESS0 900 metros. Animaes da provincia que nao te
nliam ganho em maior distancia no* prados do Recife. premios :
2OO50OO ao primeiro, 405000 ao segundo c 20,5000 ao terceiro.
Observares
Nenhum pareo .se reasar sein que se inscrevam cinco animaes de tres pro-
prietarios differentes.
A inscripcao encenar-se-ha segunda feira, 8 do corrente, as G horas da tarde
na secretaria do Hippodromo, na ra do Imperador n. 55, 1." andar.
O cdigo de coiridas prescreve o modo da inscripclo.
Recife, 4 de Juiho de 1889.
Ferreira Jacobina,
Neeretarfo.
.
Companhia do Bebe-
ribe
Nao se teodo reunido accionistas em numero
sufficiente para que le realisasae a assembia
gerai ordinaria do corrente anno, no dia tixarto
nos estatutos, sao de novo convidados os senho-
res accionistas a se rcunirem no dia 12, ao meio
di, no l- andar da casa n 71 ra de Impera
dor, devendo a reunio ter lugar com quaiquer
!|ue 8eja o numero de accionistas presentes, na
rma da lei dos estatutos.
Recite, 5 de Julho de 1889.
Ceciliano Mamede Alves Ferreira
Director gerente.
Jos Eustaquio Ferreira Jucobina
Director secretario.
THEATRO
Mi ISABEL
COMPANHIA LYRIGA
DE
ZARZUELA HESPAIVHOLA
Descaer:
Kabbado. O de Onlho
A grandiosa e interessante zarzuela
Amanha
DO JUNGO, 7 DE JULHO
A opereta cmica
A MASCOTA
(Javera bonds para todas as Imitas e Irem at
Api pucos.
-
C'OMI't'X'lll t tl'KK'V tMRI < \M
DE
\avcga^o costefra por vapor
PORiOS DO SUL
Macei, Penedo, Araca-ji e Baha
O vapor Jacuhype
Commandante Pereira
Segu Jno dia-do 10 Julho as
o horas da tarde1. Recebe car-
ca at o dia 9.
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Compaithia Pernamhucana
n. 12
Companhia BrasiJeira de
Navegado Vapor
PORTOS DO SUL.
O vapor Pernambuco
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
E' esperado dos portos do norte at
o dia t de Julho e depois da de-
mora indispensavcl seguir para o?
portos do sul.
As encommendas sero recebidas no trapicho
Jarboea at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas c valo-
res Ira'a-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Manos
Oommaodante o Io tenente Guilherme
Waddington
E' esperado dos portos do sul at o
da 6 deJuIho e segurado depois
da demora indispeasavel para os
(ortos do norte al Slanos.
As encommendas so serao recebidas na agen-
cia at i horada tarde do dia da saluda
Para carga, encommendas, passagens c valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carne i ro & C.
*=c do Qommercixt-=f
1 indar
COMPHIAKA PK\AHI < *\\
DE ,
Xavegaco eosteira por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maco Mossor, Araea-
ty e Cear
O vapor Pirapama
Command? te Carvalho
Segu no dia 10 de Julho as S
horas da farde. Recebe carga al o
dia S.
Encommendas, passagens e dinneiro frete'
ale ? 3 horas da tarde do dia 9.
ESCRD7TORIO
Ao Cae da Companhia Pernambucanu
n.12
Recebedoria provincial
0 administrador da Recebedoria Provincial
faz publico na forma do regulamento de 28 de
Maio de 1887, e para conhecimetito dos interes-
sados, que dentro de trinta das uteis improro-
traveis, contados do 1*, de Julho prximo, eer
eflectuada por esta reparticSo a cobranca, Ii-
vre de multa, dos impostos contantes da ta-
bella annexa lei n. 1881, abaixo transcripta,
relativos ao semestre do corrente exercicio
de 1889.
Companhia de Edifi-
cado
Assembia geral extraordinaria
Terceira ronvoraro
Nao se havendo reunido numero legal de ac-
cionistas afin de consti(uir-se a assembia ge-
ral extraordinaria para hoj convocada, de or-
dena da directora e pela terceira vez convoco o
senhores accionistas reunirem se no dia 10de
Recebedoria Provincial de Pernamluco, 28 de' Jaiho vindouro,ao meio dia. no escriptono desta
companhia. praca Pedro 2. 11. "7, 1 aBdar,
afim de trataren du mesmo a->sumpto j annun-
ciado.
Sendo esta a terceira conyocaco previno a"s
Srs accionistas que, em vista do | 4o do arl. 15
da lei n. 3,460 de 4 do Noremhro de 1882, rea-
lisar-se-ha a assembia gcrl extraordinaria
com quaiquer numero de accionistas que cora-
parecer, seja qual fr a somma do capital que
representem.
Recife, 2a de Junho de 188!).
Ricardo Mena
G
Companhia Imcmm-
sabora!
-unho de 1889
Francisco A- de Carvalho Honra
Tabella a que se refere o edital supra
ia de commissGes, de consignaes e de
commisses e consignacoes.
Ditas ou deposito de vender em grosso carvao
o- pedra em trra ou sobro a,rua.
Lojas de vender joias somente ou joias e re
ios.
Ditas de vender relogios somcate.
Ditas de vender pianos, msicas e instrumen-
musicaes.
Fabrica de rap Mcuron.
Ditas de cerveja. vinagre, vitihos, ginebra,
licores e limonadas gazosi
Ditas de
Ditas agencias e depsitos de rap.
ou ngencas destas, in-
i'ompannia do Bebcribe
Ban'i'S, agencias filiaes e representante
I
:;enciag ou casa de seguro, on
qualqur le no carcter de agente de
contracto desla na
ii promovel-03, com excepeo dos que
) nesta j>r<>
e di psito ou de
ner.
- dejego de bilhar.
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Allianca
E' esperado dos portos do
norte at o dia 6 de Julho
o qual depois da de-
mora necessaria seguir
para a
Baha, Rio de Janeiro e-llantos
Para carga, passagens, encommendas e di-
obeiro a trete : trata-se com os
AGENTES
Htnry Forster & C.
8Ra do Commecioi8
1* andar
CHARGEURS REUNS
Compaubla Prniire
DE
Xavcga^o a vapor
jinha, regnlar entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Sant
O VAPOR
VilledeSan Nicols
Commandante Henrx-
B'esperado da Europa at o dia-6
de Julho, segurado depois da in-
dispensavcl demora para a
Bahia, Rio de Janeiro e Santos
Rogase aos Prs. importadores de carga pelos
vapores destn lintv'.queiramapresentar dentro
Je 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
nalquer reclamacao concernente a volumes que
norventura tenham seguido para os portos do
-ul alim de se podei dar a t"inpo as provi-
dencias necessarias
Expirado o referido prazo a companhia nao se
resjxnsahilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frele : trata-se com o
AGENTE
Auguste Labille
JRA DO COMMERCIO -9
Companhia Bahiana de Na-
vegagao Vapor
Macei, villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Bahia
O VAPOR
Principe do Gao-Para
Commandante Lacerda
Seguir para os
portos cima no
dia 8 do corran-
te s i horas da
tarde.
PanTcarga. passagens, encommendas e dinhet
ro a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario 17
COHPMint ri:ii\iiiii(tvi
DE
Xavegaeo eosteira por Vapor
Para Fernaiido de IVoronha
O vapor Jaguaribe
Commandante Monteiro
Segu no dia 10 de Julho s 12
'horas da manila. Recebe carga at o
dia 9.
Passagens at slO horas do di da sahida.
. ESCRIPTORIO
Ao caes da Companhia Pernamhucana
n. 12
COIlIM^illA PKU\AMi C 1\A
DE
Xavcga^o eosteira por vapor
PORTOS DO-SUL
Rio Fornioso o Tamandar
O vapor Mandahn
Commandante Alcidcs
Segu no dia 10 do correu-
te s horas da manh Re
cebe carga at o dia 9.
Encommendas, passagens e dinheiro frete
as 4 horas da lar le do da 9.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernamhucana
n. 12
LEILOES
J3Sal da ra do Bom Jess n. 4o, de 2 cavallos para
corridas, -endo 1 de puro sangue denominado
Merovcu.
Leilo
DE BOXS MOVIS E VJDROS
Siendo :
Urna solida mobilia de Jacaranda a Luiz XV o
com encost de palhinha, lanternas, jarros, ta-
petes, escarradeiras. randleiros de gaz. etageres.
1 bonita cama franceza. 1 toilet e 1 lavatorio
com pedra, 1 colxio de I, cabides de columna,
ditas de parede. marquczOes estreitos e relogio
de parede.
lima mesa elstica de amarello e 1 guarda
louca, cadeiras de junco com bragos de rforco
1 grande aparador de armario, aparadores de
columna, louga de jantar, dita de almoco, copos,
clices, 1 sof de pao carga,, trem de cosinha e
outros muitos movis.
Sabbado 8 do corrente
As 11 horas
No 2." andar do sobrado n. 1% da ra
Duque de Caxias
0 agente Martina far leilao por ordem do
Sr. capito Gaspar Antonio dos Santos que se
retira desta provincia, dos movis cima, que
foram removidos da estrada de Joo de Barros
para o referido sobrado.
Agente Brito
Leilo
De urna boa mobilia de raogno, 1 cama fran
ceza, 1 toilet, 2 marquezc;, 1 coinmoda, 12 ca-
deiras de junco, 1 tota- 2 consolos e 12 cadeiras
de amarello, 1 mesa clstica, 1 cabide e 1 quar-
tinheira de columna, 2 banca?, 1 mesa de cosi-
nha. quadrt 9, jarros, louca para ahueco e j;u-
tar, vidros. esperaos, 1 relogio de parede, 1
machina de costura, bandeijas, tapetes, candiei-
ros para ke -osene, facas, trem de cosinha e ou-
tros objectos.
o correr do marte!Jo
Segunda-fera, 8 de Julho
A's 10 1(2 horas
I la de- Santa Thereza n. 3.
Leilo
De movis, e.spelhos, loucas, vidros, pas-
earos, livros e diversas plantas
tteguuda-feiro, S do corrate
A's 11 horas
Na casa sita ra do Viscondc de Albu-
querque n. 184
Conulando
de 1 mobilia de po-carga com 12 cadeiras de
guarnigo, 2 de bracos, 2debalancol sof e 2con-
solos com pedra, 1 espelbo oval, etageres, 4 jar-
ros, 1 relogio de parede, 6guadros, 1 jardineira
com pedra, 1 espreguicadeira, 1 cama franceza
para casal, 1 toilete de phantazia, 1 lavatorio com
pedra, 1 raarquezo, 1 guarnigo paca toilete, 4
cadeiras avulsas, 1 mobilia de amarello com 12
cadeiras de guarnigo, 2 ditas de bragos, 1 sof
e 2 consolos, 1 guarda-louga, 1 mesa elstica
com 5 taboas, 2 etageres, meio apparelho para
almogo, meio dito para jantar, copos, canees, I
garrafas, talhere, tapetes, candieiros, garrafOes,
Jarro vidrado, 1 revolver novo americano, me
sa para engommado, passaros 0 volumes das
obras de Julio Verne, 16 brochuras, 3 volumes
de poesas de Lencanlre e muitos outros objec-
tos que eslartto patentes no acto do leito
O agente Gusmo, autorisado por urna familia
que rctirou-se para fra, far leilao dos objec-
tos cima mencionados.
ltenla o
Precisa-sc de urna senhora de tdade, de boa
conducta, para lser companhia a urna senhora ;
a tratar na ra da Madre de Deus n. 3.
- -**w^Wit-0--
SNDALO1
AMmf ptt Ju fHrthMt m Jmtim
Supprime a Copahlba, Cu-
babas e as Inleccei. Cura em
48 horas todo e quaiquer corrimento.
K'da maior efflcacia as affeccoes da
boxiga, toma as urinas claras por
mate torvas qae se]fio. Cada /-~N
capsula leva tmpresso em [JCIf 1
negro o nome.............. \^S
Deposito em Par, 8, Ru Vivienne.
Rodad agua
Comprase una roda d'agua em bom estado,
de 24 a 30 palmos ; a tratar na ra Direita nu
mero 106. ___ ___________
MadameKoblet
previne sExmas. familias eseus freguezes que
mudou se provi.-oriamenl para a ra larga do
Rosario n i'4, i andar, canto da ruado Ca-
bana.
Agente Slepple
Leilo
Da casa terrea n. 6 ra dos Coelhos,
freguezia da Roa Vista, em terreno
proprio.
Terca-eirit, ) do corrente
A's 11 horas
\o ariuazem na do Impera-
dor n. 39
0 agenta Stepple competentemente autorisado,
levar a leilao a importante casa terrea n. 6 nos
Coelhos, tendo porta e janella de frente, 2 salas,
2 quartos grandes, cosinha fra. quinlai murado,
cacimba neeira.
Os Srs. pMeodcntes desde j podero ir exa-
minar a refe-ida casa.
Agente Pestaa
Leilao 1
De um piano, movis, loaras, vidros e outros
muitos objectos que serao vendidos sem reser-
va de prego.
Terca-felra, 9 do correaje
A's 11 horas
Xo predio roa das Flores n. 3>
O agente cima far leilao por autorisag&o do
Illm. Sr. Dr. Augusto da Cunta Brando. que re
lira-se com sua^Extna. familia para a Corte, dos
seguintes movis:
m piano de Jacaranda, 1 rica mobilia-de ja-
caranda com encost de palhinha, com 18 cadei-
ras de guarnigo, 4 consolos, 1 sof e 4 cadeiras
de braco, Um riqnissimo toilet de Jacaranda. 1
cama de dito, 1 mesa elstica com 7 laboas. 1 nio
billa de junco, 2 serpentinas, 18 cadeiras de jun-
co.cama de amarello,jmchos. uma'linda columna
de marmore com baca para llores, ama meia
commoda, cabides, lougas, vidros, candieiros.
jarros e muito* outruS objectos que se torna en-
fadonho mencionar, e que eslaro patentes no
acto do leilo.
Leilo
Leilo
ftoyal Mail Steara Packel
Companhy
O paquete Tagus
' Commandante P. Rowsell
K' espVado do sul no dia
De um cavallo castanhu de eorridas, de puro
sangue, inglez denominado Meroveu. de 4 anuos
m dito allazo-foveiro, da provincia, de 6
annos, tambem de corridas.
Sabbado do corrente
A?s 11 horas
Em frente ao armazem da va do Bom
Jess n. 46
0 agente Pinto levar a leilo a requerknento
do Dr. curador fiscal da massa fallida d Joo
Felisberto da Cruz Braga 4 C, por mandado e
em presenga do Exm. Sr. Dr. juiz de direito es-
pecial do commercio. os dons cavallos de cor-
ridas cima mencionados pertencenles a mesma
massa, s 11 huras do dia sabbado. 6 do 1
rente, ua ra do Bom Jess em frente aVrma'-
sem n. Ut.
Agente Britto
Leilo
De bons movis, espelhos, lancar-, corti-
nados, loueas e vidros
Qnarta-fera IO do corrente
A's 11 horas
No 1." andar do sobrado fito ra Coronel
Suassuna n. 30, antiga de Hortas
C'onatando:
De urna bonita mobilia, imilago a Jacaranda
com tampo de pedra, quadros. espelhos, jarros,
etagere-, escarnldeiras, tapetes, langa- e corli
nados, bidet, cabides, guarda-vestidos, marque-
zoes, lavatorios, guarJa-lojga. mesa elstica,
apparadorps, guarda-comidas, cadeiras, quadros,
espelho, louga para almoco e jantar, copos, cli-
ces, garrafas, galheteiro", mesas de cosinha e
muitos outros objectos.
O agente Susnio, antorisado pt'lo Sr. Mauoel
da Paciencia Nascimento que retira-se para o
Para com a sua Exma familia, far leilo dos
objectos cima meccionados. os quaes se tornam
recomnieodaveis por lerem apena* um mez de
us.
AVISOS DIVERSOS
Alugam-se as casas na encruzilhada de
Belin ns. 28, 22 e 16, a 10000 mensacs, esto
limpas, tem quintal e cacimba : a tratar na ra
da Imperatriz n. 76
Aviso
As aegoes d" um cavallo proprio para o pra
do, e ruis premios, que corriam com a ultima
lotera de Junho, licam arliadas para a prirneirr,
do mez de Julho por falla de rccebitnentos.
A o commercio
Tendo dissolvi lo a sociedade qc linhamos n.i
estahelecimento ra de Marcilio Dias n. 7.
participamos ao corpo rom^ercial desta praca,
que o nosso socio Hygino Bealde Araujo se re-
lirou pago de seus hicros-. e que a nossa casa
licou a careo dos socios Carlos BoteHio de Arro-
da c Jos Mara A nomo Ferreira que continru
rao a usar da mesma lirma.
Becifc. 3 de Julho de 1889.
'arlos de Arroda & C.
Cozinheira
Precisase de urna que eosinbe bem e nao
saia a rut, para casa de familia; a tratar na
ra do Cabug n. 14 de meio dia at 2 horas
AOS Srs. *KOKUXTAJtX UNGENTO STEVENS
O nico substltnlndo a cauterlsac-lo dos cavdiioo
pelo fono. Est: maravllhso preai-ado o nico
eme iio verdaderamente efflcaz para curar t..das
iner Afftc^ti du pernal do Tallo, Eofi:"i i'S i:
g-';a!!ia e Diilotafdos di toda a oatirva. *0 aaaaos de
op.ioio e continuo xito em todas aai cor-
r.<.as, novas >, e noe prinoipaes estabclecl*
li utos de cvanos em Inglaterra e Suropa
Nunca deixa nodoa alloma. P mister cxperl
di :.ia lo para flear convencido do sou valor.
Vendc-BC em catxas com a competentes indicacSes
para o seu emfjn'go. em portuguez
Cnicam:ute prepara !. por H. R. STEVCNS, m dico-TOterjitiic,
B, Park Laso, Lcodres (loglaterro)
Det#siuriM a Pernmb"co SUir M. ib SIAVAiC
Gasa
, A luga se urna bon casa terrea ra da Vento
ra (Capnoga) n. 30. prego commodo ; tratar na
tesina ra com Ih'nnque Lasserre, junto d--
ponte.
Ccntn
PALPITAnOES mmt$M
PERTURBrSS S CiRCBLAi .
IETEHM1TTEHGUS ilU
t todos os Ic'OTnrnyJoiM cor.s.3**r3-*r* ronio
milos da.H
H30LCSTA> DO OOKA$0
Sranues ABfeinaes
1

B
i
F* K
VE.. .:-
2 "-''. '
.x '
aceni: fiv liza. 1. ?se os-ars. fsc S
1 5 ,r"-""- r .....' :-- e
:.:>:-'. '."--^5006
Boa morada
Alusa se no Arraial, ra dx Harmona- un.
sitio com bastantes commodos a tratar nn mi
do l'adre Floriano n. ." :"'-. bu 1 ;i BCV04 mi re :' ;
v.o lOabicikn .11 .: . .. !;:::! c*ccl!eiieaffa&(.V;,ii jur.
tasfk goza de faina universal,
r.fn! <'. mes e Hcavlsa a cutis, e, co:n<) rpfres*
.t'.p. .-.i I nilo(-ni:t4HecoDliorcat.'' hoje.i
' as rhannaciis, dro;'a-j
. a s-niuii|.aosperlHKariMdomnade]
' Invpwt.: W. MAGK, Clni s/P^
V
--".'jC.iC*.
Alugaseuma boa casa na ra Direitu de
Afogados. prximo a ponte; a tratar na mesma
casa com o Dr. Pinheiro.
Na ra da Solcdade n. 56, prepara-se ban-
deijas, bolos, p&o-de-l, cangica, arroz de lei
te, pirmides de doces d'ovos. vatap, etc. Be-
cebe-se quaiquer encommenda para dentro e
fra da cidade.
, Antonia da Casia Wrigbt participa s suas
amigas e clientes que mudou a su 1 residencia
para a C ipunga, ra das Pcrnambucanas ame
ro 60.
Vende-se
Julho, seguindo
scessaria para
depois da
7 de
demora
de
Sobros In-
26
A directora da 'Companhia
dcmnisadort, d
extraordinaria para o dia 23 do corrente ao meio
dia na sua sede. O lini da reunan tratar de
lutos 1 iri rom-
Becife, 3 dejJulho de tv
U.s directores.
Antonio da Cu a ha F. Baltar
Jos Fereira tfarqne*.
S. Vicente, Lisboa, Vigo, Southampton e
Antuerpia
Reducqao de passagitn
Ida Ida e rolta
20 3Q
A' Southampton 1* ciaste 23 42
1
Pero ambo
Para passagens fretes, encommendas, trta-se
com os
A.morm Irmos & C.
^N 3Ra do Boa \'. 3
Hiate Aurora 2.a
Honsor e Mu ro
nos o biate ac!
o qual segu por luda esta semana a tratar!
encarregados travessa da ra da Lapa
> 14.
Da armaco. balcofiteiras e todas as 0M#ea
dorias existentes na loja de cigarros e mrtrtezas
sita no paleo rio Terco n. 18, em seiruida se n
vendero tarnhem diversos movis, loucas, etc.
Sabbado 6 do corren!<
una rica e elegante mobilia de Jacaranda : para
ver e tratar no pateo do Paraizo, offlcina do te-
nente Dionisio.
Aluga-se
a casa sita Cruz das Almas ou Parnameirim n.
10 D, com commodos para urna pequea lami
: i tendo um tiom sitio, e acha-se limpa ; a
i-a'ar na ra da Aurora n. 119, ou ra do Apollo
" 30, 1 andar.
Mara

Magdalena I> Sii :i<-ira
Va rjalo
Joauna Justina de Siqneira Varejo e seus B-
Ihos convidam se1 s parentes e amigos para as-
sistirem a urna missa que mand;n rezar na
igreja de R. *. dojCaimo. no dia 8 do corrente
s 8 horas da manh. por alma de sua idola
trada/filha e irma, Maria Magdalena de Siqueira
Varejo, stimo dia do seu fallecimento, pe'
que se confessam agradecidos.
.. ;-i:
i
As IO I2 hora-
2.a leilo
De 2 caixas contendo 2 cortes de case-
mira para caloas e 36 pejas de uterinos
de sed:i e la e de 13.
Sabbado, t do corriente
A's 11 hor
.lo armazem raa do Harqaez
de Ollada a. &
Em lote* h voniaile do* coa
pradorea
O agente Gi lo por maod*d
Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio e a
^pnmenio do Dr.curador fiscal da massa fal-
de D. P. W & C, far letiao com a-
nojuiz; das fazendas cima men-
eferida ni
- fm continua^ao
Madapolio d diversas marcas.
Aluga-se
emP-iinameinm ou Grjz das Almas n. 10 A,
urna renit-e excelPnic c sa era agua e gaz,
tendo "foom silio. a qual confronta com a
casa d > Dr. L-*al ; a tratar na ra du Apollo n.
30, -1 andar, ou ra da Aurora n. 119.
lun Mariiiho de Kuuza l/eo -
Visconde de Tabatinga e sua mulber, Ernesto
Oe S Albuqoerque, D. Mana C.lcstina de S e
Albuquerque, inuo, cunhada e sobn'nhos. con-
vidam a todos os seus parentes e amigos do fi-
nado para assistirem as missas que pelo repou-
so de sua alma mandam rezar na matris da Boa
Vista e na matriz da cidade do Cabo s 8 horac
da maulia de sabnaiio 6 do corrente. stimo dia
do seu passamento. pelo que se confessam ter
mente agradecido-.
Ao commercio
D Anna, viuva de Quinlino dos Aojos Perei-
ra, declaran quem interesoar possa. ene
i de mol hados sito lia-
nabal n. lo. livre e deserabaracado
ito. e quem se julgar credor,
contas nu prazo de oito dias.
S89.
Fraitriotco Belnrntisio Iok SanlOK
i'reita* -
Maria Alexandrin dos 3 eitas agradec
a todas as-pessoas que se i mpa-
nha: at o cemiterio publico os restos mftaiM
u'c wu linado uiaride, FrauctMCO Bc-liiuino dos
Sanios Freitas : e parentes
u assistirem a missa, q. riiemo,
D do cor-
reme, s 8 hoi :ize
Santo Antonio.
io-cominerci
Christovo Paulino Vieira da Cunha declara
que comprou a D. Annn, viuva de Quinlino dos
Anjos Pereira, o
lo l'ombal n. 16, n
quaiquer direito : quem se i' rlor apre
[ sent suas contas no praro de tres dia.
Recife, 5 de Julho do 1889.
f
Francisco Antonio de Ma^ames
Basto*
dia 6 do cor:- ; fi i horas da
man i na igreja do convento do Carmo
urna missa oor alma de Francisco Antonio de
Magales Bastos, stimo dia tp, para oque se convida os amigos do finado.
/


V








\
/ :
I




Diario de PeraamhucoSabbado 6 de Julho de 1889
IP?3C*(fl0
da Junta Hvgiene !
de Eio e J&uoiro
HecoKtpettaa de 16,60f> franco* ao Tsimrhe
Blm -.-tidJhai'tOUaO,
mta.
rj K#
'.ae
do io ds Jaioiro
to.
ESX-.I2CI -VI3STOSO
Aperiente. Tnico Fehrifuf}o< este producro de O mes/no ferruginoso muito recomrnenda.lo contra
um sabor agradare! superior aos "vinhos de quinquina a Deccloracao do' Sangue, Chloro-aneuiia, as Cocse-
contra as AJfeicoes do Estomago, Fsbres an'gas, etc.
quencias do Parto, etc. pars, ao aa, r orouot pna< macu
*
H*
Destillada especialmente para
Charles Pliivm & C.
Este delicioso licor fabricado de agurdente de caima velhissima, com-
pletamente desinfectada.
Reno toilas as qualidades tnicas d'um bom rhum whisky ou cognac e tem
a grande vnntagem de sor
wmu m mmmm
o
H A O
Approvado pelo Exm. Sr. presdeme da provincia
= # *!

NATURAL
lOj'000

Nao tem competidores em precos.
Doze garrafas.......
Urna dita......'. 1#000
(Merecemos condioes ainda mais vantagosas por grandes porcSes.
Cuidado com as imitaces!
Para evital-as dirigir se aos unios depositarlos
Premios da
1 premio de .
1 .
1 c .
2 a .
6 .
10 .
2 approximacSes de
2
2
9 Dez. do 1. prera.
lotera iuteira
, 300:0000
La
>
Xarope e Pasta de Berth
13M
Pharmaceulico, Laureado peJoa Hotpitaes da Parir.
O Xarope e a Pasta Berth de Codeina pura, possuem umaefficacia ncontestavel
nos casos Je Defluxos, Bronchites, Catarro, Asma, Molestias da Gar-
ganta, Insomnias, Tosse nervosa e exhaustante das Molestias do Peito e
para acalmar as Irritacoes de qualquer natureza. As pessoas que usam do
Xarope ou da Pasta Berth experimentao um somno calmo e reparador que
nunca seguido de pezo na cabera, perda de appetite, nem de constipacSo.
as receitas especfique-se bem Xarope ou Pasta Berth e como garanta exja-
se a Assignatura Berth e o Sello Azul do Estado Francez.
Pariz Casa CLIN & Ce e por intermedio de qualquer phamiacia.
9
9
99
99
900 tenn.
900 t
c
' f
2 tin/
c
2.*
3."
1.
2.
1.
2."
2052 premios no valor de
50:0000
12:5000
10:0000
15:1 00 *
15:0000
5:0005
3:0000
1:5000
6:7500
4:5000
2:2500
24:75 :0
24:7500
1250 112:5000
1250 112:5000
. 700:0000
5:0000
2:5000
1:5000
2:5000
1:5000
7500
7500
5000
2500
2500
2500
Premios da serie
1 premio de.....
1 f.....
1
2 ...
6 a .
10 .
Sfapproxi macules de
2 c
2
9 dez. do 1. prem.
9 2.
0 t 3
99 2 fin. < 1."
99 a 2.
900 term. 1."
900 2.
2000.
1*300 \
600
1000
600
300
300
200
100
100
100
50
50
2052 premios no valor de.
12:0000
2:0000
5000
4000
6005
6000
2000
1200
600
2700
1800
900
9900
9900
4:5000
4:5000
28:0000
VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sol) bases scientificas
>e pbysiolojrias para o fin de
Jciar os cabellos, restaurar
a cor, impedir a queda, e promo-
ver seu vico e abundante cresci-
mento.
Esta aparada e excellente preparacSo,
sem duvlda o melhor remedio at hoje
conhecido para os diferentes defeitos da
cabelladara, merece a intima attenco de
todas as pessoas que tem tido a infelici-
dade de perder em parte este mais rico
ornamento natural da physionomia.
Com o seu emprego intelllgente tcm-sa
conseguido resultados realmente sorpren-
dentes. Em muitos casos, porm nao
semprc, a propria calvicie tem sido curada
permanentemente.
Sempre se consegue fazer parar a queda
los cabellos; emquanto que para opentea-
ao das senhoras, o objecto mais utU o
mais agradavel que se pode empregar.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA,
l.nwcl 1, Mass., Kst.- Un idos.
A' venda as lejas de armarinho e per*
tomarlas.
DEPOSITO UKKAI
^0flO Qlliayj^
ABELLO.
Augmenta, Aformosea
E PAZ CEESCER O CABELLO
com assombrosa rapidez.
Todos os premios sao pagos integralmente
Esta lotera composta de 10.000 bilhetes a 100(5000, dividida em 25 series,
cusando o inteiro da serie 40000, gubdividido este em quintos da serie (125"" do
bilhete inteiro da lotera) de 800 rs. cada um.
O agente desta oteria chama a attencXo do publico para este importante
plano mais vantajnso pela sua boa organisago.
Com 40000 (o quintos de que se compile a serie) recebe-se 12:0000000 e com
800 rs. (1 quinto) 2:4000! 00.
O menor premio d um resultado de 25 /0 pois custando o quinto 800 rs.,
recebe 10000 as terminacoes dos 1." e 2.8 premios.
Sao premiadas as dezenas dos 1.. 2." e 3. premios.
As duas letras fiaes dos 1. e 2., terminacSes dos 1. e 2., e as approxi-
xes dos l., 2.8 e 3.; tendo alm disso premios de 2:000$000, 5000000, 2000000.
1000000 e 600000.
EXTECCAO imANSEEIUMEL'
VICTORIA
TINTA INALTEMVEL
Esta finta recommenoVi-se pelas qualidades
juntes

1 E! igual a melhor tinta Bluc Block ingleza.
2E' de urna fluidez extraordinaria, e torna-se preta como
carvao.
- E de duracao Ilimitada, portanto para os livros do com-
mercio e para documentos, que carecam de longa durneao, nSo
se pode desejar tinta melhor.
4 Nao estraga as pennas de 350.
rejos: garrafa 800 rs. p garrafa 300 rs.
i.i\ It.HI \ COHTEIIPOR4.\El
:,.::::: ::. costa : c.
R O A 1. D E M A R 9 OP ERNA M BUCO
ALBINO SELVA &G
I IIna Mrquez de linda *
Ama.
Preclsa-se de urna ama para casa de familia :
na ra ciu Cotovcllo n. 46.
Ama
Precisa'1 se de moaama que cosinhe '>em. para
casa Ae familia ; a tratar na ra do Hospicio nu-
mero 41
Ama
Pncisa- e de urna ama para lavar e engom-
irar ; na ra do Ranjel n. 9, padaria.
Ama
Precisase de urna ama: na estrada do3 Af-
ilelos n. 20, taverna.
Oiulellas do Monte te Soceorn
qualquer joia, brilhantcs e relogius; paga-s:
bem na Praca da Independencia n. 22, loja di
fiojoero.
Aluga-se
o 3- andar do sobrado a'roa do Imperador n. S6,
aUratar n. lithographra ra Mrquez de Olin-
da n. 8.
Aluga-se
o graude armazem com grande quintal, guarios
para dependencias e cacimba, a ra de MarcilU
Dias n. 71 ; a mcia-agua travessa do Peixok.
numero 17 ; a tratar na ra de Marco nunan
ro 16.
Aln^a-se
os seguinles (iredios :
Ra de S. Francisco n. 70, 1 andar.
dem idem idem n. 68, 1- andar.
Rud Coronel Suassuua a. 101. 1- andar.
Ra Bom Jess das Creoulas n. 28, casa ter-
rea; a tratar na r ja General Abreu e Lima nu-
mero 8.
seguinle?
Aluga-se
Na roa Direita n. 45, sobrado, as
casas :
Travessa do Ccrpo Santo n. 5, est caiada e
pu-taua.
Lomas Valentinas n. 40, pintada e limpa.
Ra da AmizaJe n. 30, Capunga.
de FiGADO FRESCO da BACALHO, NATURAL 8 MEDICINAL
Praacripto desde 30 annos, em Franca. Inglaterra. Hespauha, Portugal. Brasil*
RepubUcaa Hispano-Americanas, pelos prlmelroa medico aamad*. contra *m
molMtlai olto, I6e, Crlfcnoa frnln.j, Tamom, ni Bjaalaai U rXU,
Kiiiu fraeai, riSrea bravaeM. etc. O Or de Bacalh* da fiO O mata
rtco **~y~^kXtt^
Um fmMk i bogo, a m* QMUaUoM, PAJUS. m i
GRANDE NOVIDADB
mmiL s TILZDAIS
F^?-";'
ADMIMTRAgAO :
PAklZ, 8, Boievard Montmartre, PARiZ I
PASTILHAS DIGESTIVAS faricartas c:n
Vlchjr com os Saes extraliidos do gosUi agradavel e a sua aceii; e certa con-
tra a Azia c as Vigcsiiks diificis.
SAES DE VICHY PAM B.'.NHOS. Um rolo para um banbo, para as pessoas que nao podem ir a Vichy.
Pura evitar as tmitcedes extgtr em todos os productos a
MAHCA OA. COJVII. DE VICHV
Em Pernamtuco, os Prodncto* kclum ac^So-se cm rzsu de sulzlr a- KOEChun,
S. r-.ia da Cruz: Auo. tlil'.Lt.
esSi^n^grgsaiTf-'yg^-: a
JUNTO AO tOUVfiB
E'ON. 20
Tecidos para vestidos
48-
-RUA BARA DA* "VICTORIA-48
Venhr.m ver para crer
\>

1
HS0N8C.
^lllB4R\0!!TRIl!!PH04f
Machinas a vapor.
Vot'ruhts.
Rodas d'aeua.
Taixas funtiidas e batidas.
Tai xas batidas semL eravaijao
Arados.
Cambraia Victoria a 2 Batiste finas a 240 rs. o covado.
FustSo branco lavrado a 360 rs. o corado.
Setim do Japao a 240 rs. o covado.
Cachemira de listras a 15200 o dito.
Las Amazonas a 400 rs. o dito.
Merinos lisos duas larguras a 440 rs.
Gazes arrendada a 00 rs. o covado.
Chitas percales a 200 rs. o dito.
Metins de quadro a 300 rs. o dito.
Cretones claros a 240rs. o dito.
Rendas hespanholas a 2)5000 o dito.
. Setim Maco a 800 rs. o dito,
j Popelina branc a 8C0 e 900 rs. o dito
Setineta branca lisa e lavrada.
Merinos pretos (baratissimos).
Toile pardo a 360 e 400 rs. o covado.
| Cachemiras lisas a 15200 o covado.
I Cortes de vestidos em cartSes.
I Cachemiras de quadro a 28( rs. o covado.
I Velbutina preta a 640 rs. o diio.
Crep preto finglez) a 25000 o dito.
Capel!." para noivas a 75000 urna.
Baleins torradas a 440 rs. a dozia.
Luva:- de seda a L'tJOOO e 25500.
Bieos \>m'.o de seda.
Toallas para banho a 15500 urna.
Cobertores Bicos de cores u 250UU e 250OO a peca.
Guar.-U.::; pos de linho a 25200 .-. duzia.
Baleias pretus ;\ 240 rs. a duza.
Arcos cobertos a 140 rs. o metro.
Coletea de cores a 15800 urna.
Guarniese de crochet a 75000
Panno da Costa a 15000 e 15200 o co-
vado.
105.
\ Suy<
.
> - f, --. - t na Jac lPs.ri
s ' . u.Jir ouy;." ! a .Irj.



m


.UT
Artigos para liomons
Cortes de casimiras, a 65, 75, S^ e
Camisas ailemes a 36600 a duzia.
Paletots de alpaca preta a 45500.
Regatas de cores a 15 e 15500 e 25000.
Paletots de seda palha a 75500 um.
Cern las de bramante a 155000 a duzia.
l'aletots de alpaca de cores 45500.
Camisas de flanella a 45500 urna.
Guardap para -homem a 65000.
Sobretudo de panno piloto.
Meias inglezas a 55000 a duzia.
Meias finas da Escocia a 15500 o par.
Lencos de linho a 55000 e 65000 a duzia.
Casemira em corte para temos.
Chevioth preto e azul a 45000 o covado.
Casemia diagonal a 25000 o dito.
Brim branco, todos os nmeros.
Brim de linho, de cores, a 1580 a vara.
Dublecapas de panno.
Casemiras pretas e de cores.
Bolsas para viagens.
Costumes para banhos salgados.
ARTIGOS DIVERSOS
Colchas de fcstao a 5500 it;n.
Algodao branco a 35200 e 45000 pega.
Colchas de crochet a 65500 uiti.
Coletos de flanella a ^500 um.
Tapetes grandes a 135000 um.
M&dapoJ&i americano a 65000.
Fichs de retro a 15000 ilro.
Lenco.es de bramante a V5.000 um.
; Cobertas dn ganga a .".CKKl tima.
Lencos brancos a 15200 e 15500 a duzia.
I Sargelins de cores a 200 rs. ocovad".
Bria pardo a 280 rs. o dito.
EspartilLos curaga a 55000 um.
FustSo de cor para ronpa de-enanca a
800 o covado.
Seda palha a 15000 o dito.
QUEBEIS VOSSOS FILHOS
Administrae-lhe8 o xarope ou
BEDU FUERES
Constiuclores a fl.iiii,Franca
Represe atado por l.'milio Bu-
lln, eagenheiro uiechan'-t.
(PERNAMBUCd)
Assentamento complelo p.ra engenhos cen-
traes e Uzin:.s pelos procesaos os mais aperfei-
coados.
Moendas e represso mltipla.
Corte-cannas vertical, sysiema Bi-du.
DilTusao, circulare reclilinha. dito Bedn.
Diflusao continua do bagaco dito Perret.
Fornos para queimar obagaco da diffusao
dito Bedn.
Filtros mechauicos a liltraco mltipla.
Turbinas centrifugas (economa, liinj
i trabalho rpido).
IEm geral todos os apparelhos os mais moder-
nos e os mais aperfeicoados para o fabrico de
assucar.
N. B. -0 Sr. Emilio Billion fazendo urna via-
gem de 3 mezes Da Europa, durante a sua au- i
sencia dirigi asearlas e pedidos- a casa Bedu
Frres aHain. que fornecer plantas, orgamen-1
tos ele, e por uatqaer negocio urgente infor- i
mar se ao Sr Eugcue Chalme; 24 ra do '".cm-',
mercio, Recife.
Iimpeza
Alugnel barato
Ra de S. Amaro n. 14.
Becco da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. 58 e fiO.
Ra Visconde de Itapanca n. 43, armazfn.3
Largo de S. Jos n. 74.
Largo do Mercado n. 17, loja.
A tratar i ra do Conimercio n. 5,1- andar
esenptorio de Silva Guimaraes A C.
As maes de familias
SEMPRE SADIOB ?
as
Pilulas' Yerniipurgativas
DO DR. GALASANS
ptimas preparares de niastrz
s rhuibarbo, para a expulsao completa, sen1
dores nem incommodo, dos vermes
intestinos ou lombrigas
. (DAS CRANLAS E DOS ADULTOS)
SEIS ANNOS DE SUCCESSO
Esute excellentes preparacoes nSo ne-
ceesitara de purgativos como auxiliare
visto serem purgativas por si mesmas.
As pessoas que tm vermes sentem c-
licas, tem constantemente diarrhas, indis-
posi'9o, sensacSo de corpos que se moven
nos intestinos, endurec ment do ventre,
is Teses, vmitos. Rangem os dentes, qnai<-
do dormem, algiunas e pessoas expelleir.
vermes cora as fezes ou com as materia
os vmitos. As enancas apresentam ae
pupillas dilatadas e inapetencia.
As pilulas levam impresso o nome de
DR. CALASANS e sao cor de rosa.
1 caixa de pilulas 1520C
l vidro de varope 1520C
3! AS PRINCIPAES DROGARIiS E
PHARMACIAS
Boa pee-hincha
Vende-se o engenho Caianna, distarte legua
e meia da estacao de Santa Rit?, com trras
proprias para safrejar nous mil pes ou mais.
faz a prazo ou por troca de predios : a traWr
com o proprietario ou no pateo do Terco n. 18.
segundo andar.
VENDAS
Attenco
ilaranua de S. Jos Cavalcante, viuva, maior
de 70 aunos, vivendo em extrema pobresa, e
tendo em sua companhia Ires netinboa de lenra
idade, orphos de pui e mi, vem implorar das
almas betnfasejas ecaridosas um obulo qualquer Vende-se urna boa armugao de amanlnV
Vende-se um pequeo eslabetecimenlo de
seceos e molhados, no rancho da ra Imperial, a
ra do Amorim n. 60.
Vende-se um silio em Tigipi, com boa
casa de morada, e outro no Peres, ambos com
casas de pedra e cal, e arborisados ; a tratar n
caes do Ramos n. 26.
para ftao so alimentar quelles infelices, como
tambem para comprar alguma ronpinba para
cobrir a nude^ em que virem. A supplicante
1 reside ama da Concordia, casa n. 231.
Ensino particular
1 O professor Joo Valenlim Teixeira Bastos
I contina a leccin-r, nSo so em casa de sua
' retideDCia, co;noem casas parliculares, as ma-
1 lerias que constituem a instrurco primaria, das
' 4 as 6 da tarde.
prepria para qualquer negocio, na ra co Bao
gel n. 6 ; a tratar na mesma ra n. 29. Garan-
te-se as cbaves.
\
Barato
Vende-se milho especial a ra de Pedro Affons*
n. 68, antiga da Praia).
Vende-se
Toalhag felpudas a t0 0 a duzia.
Leques transparente a 25500 um.
Extratos, inicos, entremeios, bordados c pos de arroz.
Boupas por medidas
20Rua Primeiro de Mar^o 20
CASA J>5i AMAFAL \& G.
ELIXIR NTINERVflSO POLYBifiMiOI


**
ra TH.K3 COM
Fahri:a : Casa L. FRERE, 19, ra Jacob, PARI2
de BAUORY, PbamiaoeutJeo de 3 Cl&sae.
tote Elixir, que conten em roa mposicao os brorauretos le potassio, de sodio 1^
e de imns3nia, perfeitamenta comoinauos, de um sabor agradavel e sempre
tomado com prazer, moamo petas pessoas, que tembl u:i>. c&4<>.
Nuaiertsas otpune-cias vierflo confirmar a sua imoienta uilioacia contra a
Inatomnia, as Vniaqueoa*, a / jta^So du: at'.: e as Palpitacoea,
calmando imm<>diatamente xcioibiliaa.ie n
grande vantagtin as convulsoe > das cr i
espasmo, desmalos e atraques de neivos,
este Elixir un auxiliar poderoso 's eaedici
e a dansa de Sao Guido A de *j ci 2 at i
tfpeaitc Btb P fat Viv"
oi>aaoooibv. -

e^
.istra-se Uaibem com
'horas que solTrem ds
jpvenienteaiente, (,
teria.To, a spUepsa f
i, pela i!.a:.lia u tarde. I
pa.t-3 lJhR .aiiutv
>0v
t
r*.
j a tarerna sita ra da Uniao n. 3, bem afregu-
zada; trata se na mesma c varante se a chave.
0NSTP?0ES,BE0NCM
Irritaba o do Peito e da Garganta
Contra cssa- aiTei<-oes. a pasta peitoral o o
XAROPE do KAF (i OELANGRENIER, de PAF!!C,
nossuQm nina cfficaela naUivelvcrilicadanekc
crr.bros da Academia ile Medicina de Franca. Ko
conlenito opio ucm t5o j ouco sacs de opio t:c :
como Uorph'na ou Co&eint*. e:;sea productos w
i.:s!r5o-se com ptimo exito c sesnranca criancas soiTrendo de 'fosee ou Coaa:.L::c.cC,
Depsitos ns Phnrmsclas do I'uno Inteir.
0 Dr. Mello Q idfe participa a-;s sens smigos
c clientes, que niudou o -cu cousulloiio
deoeia da roa larga do Rosario n. 2i, para a
ra Barao da Victoria (anfiga ra Nova) n. i6,
c da i'iarmacia Pinbo.
Libras si er! i ras .,
Vende se no csciiplorio dePereira Carneiro *
C, ra do Commercio n. 6.
Xarope e Pasta
kSEIVAkPINHE.RO martimo
diT*SAMSt Pamnann
Affr-tU, fi Juu u aiiiim ti
Popular ha 30 anuos, 6 o unios.
preparado com s verdadeira
Selva de Pinhelro, extrahida
pelo vasdr d'agua, logo depoli
de cortada a arvore. Cura os
defluxos rebeldes, a tosse,
as grippes, oatarrfaos. bron-{
chites, molestias da gar-
ganta e ronquido*.
Bm PAJJS, S, Km Vi>insSat
m
DO
to de Car'
s tnioo para rocont -aserar
- ruslsi C
. Cacfceiia Vlmxa l
lang-ne, Tr%tpaza reral, SeMHlad
oi3ta, go, Boolvard de Strsjljoarff, xa TABr
3.
'



tamtmtmm
8
Diario de PernambucoSabbado 6 (te Julho de 1889
I
Liquidacao por 30
dias
Aproveitem!
Pedro Antunet C, deseosos de reduzir a
.grande quantidade de mercadorias qne existe em
seu estabelecimento, resolveram fazer glande rc-
duccao nos presos, atira de facilitar mu etifado-
nho"balan(;o.
Alera de muitos outros rticos, damos urna no-
ticia ligeira de alguns que podem convir s ama-
veis le'iras "
GRAN'i'E VARIEDADE em bicos de seda, li-
nho, algodao e l.
SALDOS DE FITAS de todas as cores e torga-
Guarnicoes de drilhos relos e do tres,
palmas, pingentcs e galoes andaluzos, alta di vi-
dade. #ygretes para cabellos e chapeos. Pen-
tes a Imperial Regente. Cortes de vestidos bor-
dados de 9 a 20/. Vestidos ponto de tnallia
para enancas, prego de 65 a lO. Gorros a roa-
rujo. Aventaes bordados para enancas. Rendas
hespanholas. Lindos rticos para presentes.
Porta-carles e (lores em electro-ptot. Palalos
e entre-meos bordados. Finas perfumaras.
Aguas e sabonetes fenicados. Commodos e ele-
gantes espartilhos de 3,5300 a lu. Romtos lo-
ques de seda, setineta e papel. Braceletes e bro-
ches, curo romano. Talherea de electro-plate
para enancas. Grande vanedade era calmitas.
Capellas, veos e ramos de llores de larangeira
para noivas Finas meias de seda. Escossia e al-
godao para senhoras, neniens e criangas. Enxo-
vaes para bapt;sados, chapeos, apatos e meias.
N5o 6C esques-am que fazenios todas as conecs-
63-RA DUQUE DE CAXIAS63
TSova Esperanza
Pedro Antones A C.
A Revolucao de 48
ra Duque de Caxias a. 48
nmit>
$omns_
P*6 *?LERY
Vende-u em tab i eart
Tele^ramma familiar
Veuham Ter ao 55
RA DUQUE DE CAXIAS:
Tendo resolvido yender os seguiul.es
objectos por menos 50 ]" de seu valor
real, convidamos nossos fregueses a ver
a rcalidade i.
Cachemiras combinacSo com, lista* dfe seda
ultimo goso a 15200 corado.
Cambraia com salpicos a 4;5000 a peca.
Cortinados, novidade a 5j$00.
Sargelins de qualquer cor 200 re. o covado.
Linn bordado padrees novidade a 800
rs. o covado.
Setins de todas as cores a 800 rs.
Mantilas pretas.
Camisas francezas com collarinho coisa
chic a 2^000.
Cretones para coberta a 500 re.
Amor da China grande sortimento em de-
zenhos a 200 re. o covado.
Pannos de crochet.
Cortea de vestidos coisa nova a StyOOO
125000 e 16000.
Guardanapos a 15600.
Madapolao com muita largura a o^Mi
65U00 e 7,5000.
Merinos pretos de todos os preeos.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Babados e ntremelos.
Vestuarios para baptisados coisa nova a
105000 e125000.
Luvas de seda a 25001).
Zefiros de cores a 160 e 200 rs. grande
sortimento.
Grande sortimento de plastroa* e regatas a
15000 urna? .
Tecidos arrendados, novidade a 400 q oOO
rs.- o covado.
Grande sortimento de casemiras para rou-
pas de homem.
Colchas brancas e de cores um sortimento
completo.
Collarinhos e punhos para homem.
Cortes de casetnira de cor a 45000.
Cassinetas com 2 larguras a 15000 o co-
vfldo.
Cretones para vestido a 240, 280, 320 e
400 rs. o covado.
Meias e lencos do cores para homem e
senhoras.
Merinos de cores de 500 a 800 re. o co-
vado.
Brim de linho de cor, angola e molcsqums
grande variedade.
Tapetes grandes e pequeos, algodao bran-
co, largo e bom a 55000. o cru-.fi
Camisas de cretone muito bonitas a &0W
e 35000 urna."
Cambraias suissas com salpicos de cores a
75000 a peca. ,
Renda da China a 200 e 240 re. o covado.
Da-se amostras sem penhor.
55 Ra Duque de Callas 55
Fe mandes Azevedo &C.
A' ra Duque
Viemos por meio das poucas linhas,
provar aos nossos freguezes, como vende-
mos Tpor menos 3 5 la de que em outra
qualquer casa.
Cort* de linn e cretones, todos os avia-
mentas, em cartao a 65000,85000, 95000
6105000. *
Rico* cortes de boi dados para vestidos a
145000.
Organdis (fazenda i.e phantasia) a 400 re.
o covado.
Folardina, tecidos modernos a 360 re. o
covado.
Merinos setins, lises e de quadros, 2 me-
tros de largura a 25000 o cevado.
Cretones franceses, claros de 500 rs.
por 320 rs. o covado.
Palitots de seda palha e cor de chumbo a
85000 e 105000 um.
Seroullas francezas a 15000 nma.
Luvas de seda, lisas e bordadas a 15000,
15500 e 25000 o par.
Cambraia suissa de 145000 por 75000 a
Pe9a' r>r\
Collarinhos e punhos celluiloid por 1#800
Camisas francezas com peito de linho a i
a2#000uma.
Lindos cortes de caaemira ingleza para
calca por 65000 um. ^^
Pechincha em camisas de meia por 15000
e 15200 urna.
Atoalhado para mesa muito largo por
15200 e 1500 o metro.
Bramante trancado de 2 larguras a 400 rs.
o metro.
Bramante liso e trancado d 4 largura? por
15000 o metro.
Toalhas de cores para mesa elstica por
55000 urna.
Fcchs de retroz, lisos e com palmas por
15000 um.
Capellas com veos parC^poivas por 85000
urna. \
Colchas de crochet com palmas de cores
para noivas por 10> urna.
Cortinados bordados, mufto finos por 65
o par.
Nansuks muito finas de 320 rs. por 240
rs. o covado.
Para acabar, leques transparentes e de pa-
pel a 500 rs e 25000 um.
Saias bordadas (recebidas ltimamente de
Pars; a 35000 urna.
Algodosinho muito largo a 45000 e
55000 a peca.
Cambraia preta para forro por 15200 a
peca.
Brins de linho, cores fixas e garantidas,
a 500 rs. e 600 rs. o covado.
Cobertas de ganga para cama de casal a
25800 urna.
Cobertores braeos de pura 15 de 55000
por 25000, um.
Setins de todas as cores de 800 rs. o co-
vado.
Lencos de c6res, imitaclo de seda de
1*800 a duzia.
Colchas de todas as cores de 25000, 35000
e 45000 urna.
Setineta branca e de cores, lisas c lavra-
das a 440 re. o covado.
Cortes de velludo para coleto a 25000 o
covado.
Espartilhos finos de 46000, 55000, e
[de
de
MAIS BARATO
Pa Loja das Listras zaes
A' RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Vende-se faaendas finas mais barato e
da-se descont a quem comprar de 2'
para cima, troca-Be as fazeudas' vendidas,
se por qualquer motivo n3o. fr de muito
agrado para quem for comprao
pelos seguintes precos:
Cachemiras las e com listas
seda de lindas cores, a 15400.
Merinos de duas largu:
800 rs., qualidade superior.
Tecidos arrendados cor de crome com
matiz com duas larguras, a 600 r
Fajeadas de phantasia e lindas eSres
a 400 e 500 rs.
Tecidos de linho,, lindos padrones
grados, a 200 e 240 rs.
Zeflros lisos e de quadro, a 80 e
100 rs.
Setins de Msco branfiOj preto e de
todas as cores a 750 e 800 rs.
Setins de quadrinhos, a 900 rs.
Wedas lavradas brancas e de cores ca
ras, a 15400.
C'izes de seda com fios prateado a
15000.
A FLORIDA
sen
Cortinados de crochet, em pega, a
900 re. -^
Cambraias bordadas brancas e de
cores, a 4#)|fcaH)cca.
Cortes oRjbstido bordados, brancos,
para noivas, a^BpOO. 185000 e 205000.
VOS para cH^So preto, branco e de
qualquer'cor, a 15600.
Crep ing'cz para nfeitos de vestid( s
a 15200 e 25000.
1 TECIDOS MAIS BARATOS
Percales e chitas claras, finas, a
180,-200 e 240 rs. .
Cassas de cores finas e seguras, a
120 e 240 rs..
!tlorini de listras azues muito lar-
gos com 20 varas, a 65000, a pera.
Sargelins finos, a 160, 180 e
200 re.
Crinolina, qualquer tr, a 400 rs.,
o metro.
Gates, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda c de algodao com
vidrilho.
Mantilhr.s de seda e de algodao.
Contaa lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
a hespanhol."..
Collarinhos para homem a 35000 o 45O0(
iteia.
Bordados do camb aia tapada a 40o
600 e 800rs.'fape<;a.
Idm com 3 e lj2 metros, ds oualque
argur^ .1 15200.
Loncos de linho em carinhas a S-5000^
dita.
Meias para homem, duzia a 45000.
dem para/senhora, duzia a 4000.
Lindos leques transparentes de gte
35000 um.
Grande.sortimento do porta-retractos t
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 45, 65 '
85000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, d
255500 a 3000 o par.
I ortinados^todos de croenet para cama t
125000, 175000 e I95OOO o par, algum [
de cores.
Ditos para ianellas a 75000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 f
15000.,
Ditos para sof a 25000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelhs com tres palmos de comprimen^'
a 45000.
Capel las com veo para noiva a 65000 <
80000.
Lindos cnxovacs baptisados a 85 105 f
125000.
Toucas de setim para baptisado a 35, 45
55000.
Grinaldas o ramos de seda, o que "ha d'
melhor.
Renda hespanhola do diversas cores. -
Bioos brancos e de cores a 25000 a peca
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 45000 um.
Collarinhos e punhos celuloide.
O
metro de larga
59
Liquidando os artigos se-
uintes!
Ra Duque de Caxias
Merinos do todas as cores a 200 rs. o co-
vado.
Lindo sostifiento *de alpacas modernas a
rs. o dito.
Zefiros de quadros a 80, 100 c 160- rs.
o dito,
Cretones francezas com 1
ra a 280 b dito.
Nansuks, cores firmes a 100 e 160.
Fustcies brancos bordados a 360 e 4 0 o
dito^
Bramantes de algodao a 700, 800 e 15000
metro. '
dem de linho, superior a 15600 o dito.
Atoalhado bordado a 15200 o dito.
Superior madapolao americano com' 24
jardas por 65000 % peca.
Al'godVs da corte, o melhor a 3,5500
. 4-5000 o 55000'adita.
Cambraias bordadas inissiraas a 45000 a
dita.
dem Victoria com 10 jardas a 25800. de
Esguio de algodao a -15000 a dita.
Ricas guarnicoes de crochets a 7fJO00 e
85000.
"ortinados bordados, noYOS desenhos a
65000 e 85000 o par.
Toalhas superiores, muito grandes a45000
a duzia.
Meias inglezas a 35000, 45000 e 65000 a
dita.
Seroulns bordadas de bramante a 145000
a dita.
Camisas francezas e inglezas a 365000 a
dita. *
Guardanapossuperiorca a 25000 e 55000 a
dita.
A LOJA MAIS BAIUTEIM
PARIZ NUMRICA
AZEVEDO, IRMaO & C.
10Ra do B. da Victoria16
200 Tfilejthone200
f/uardanapos superiores a 1800 e Grande sortimento do fitas modernas
6fr}00 um.
Zefiros de quadrts de 120,160, e 200 re.
o covado.
Cambraia com salpicos com 10 jardas de
45000 a pee a.
Assim como muitas outras fazendas que
s com a presenca dos nossos freguezes
podem ser verificadas.
Temos tambem oficina de alfaiate e ga-
rantimos a perfeicSo do trabalho.
S na Revolacio de
25000, a duzia.
Atoalhado lavrado, lindos dezenhos,
a 15000.
Bramante de 4 larguras a 640, 800
e 15000, o metro
Toalhas acolchoadas e felpudas com
listas de cores, a 45000 e 65000, a duzia
Bicos brancos f raneczes, a 60
e 800 rs., a peca.
icos Unos, brancos, cremes e ma-
tizados, a 25OOO, a peca.
Baleias a 210 re. a duzia, cobertas a
400 re.
Luvas de seda, bordadas, brancas,
pretas e de cores, a 25000.
Leques de papel, a 500 rs. e trans-
parentes, finos, a 25000.
Leques de pennas o que ha de me-
lhor, a 55000 e 65000.
feabonete grande de perfume agra-
davel, 11 500 rs.
Extractos finos francezes e inglezes
a 15U0O e 25000.
Despertadores americanos, a 75-
Mosqui tetros americanos com ar
macao a 105000 e 125000.
Espartilb.es americanos e inglezes,
a 45000, 55000 e 65000.
Capas de vidrilho e rendas, a 265000
e 305000/
Toalhas de labyrintho para bap-
tisado a 305000, 405000 e 505000.
Baleias a 280 re. a duzia.
Extractos o leos de diversos fabricantes
Linha de machina, claque, a 40 re. o car
ritel.
Pastas a 15000 e 25000.
Porta-lcttras e pcrta-sedulas a 25000.
Arquetes para chapeos e chapelmas >
15500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 25000 t
par.
Ditas de seda para creanca a 15000.
Dita para moga a 15500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette
eanctuario e consollos.
Lindos lencos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos
Ditos ditos para enfeitar cabeja e segura-
chapeo.
Espartilhos para creanca a 45 e 45500.
Ditos para senhora a 45, 45500, 55000 *
65000.
Grande sortimento de sabonetes de 200
15500 um.
Estojo com faca, garfo e colher, propri'
para creanca.
Bengallas com flauta a 15500.
Meias do la para homens e senhoras.
Linha donrada par feser crochet. /
Lindas fitas para facha a 25, 35 e 45L1
o metro.
Lindos leques de setim para casamento.
Cobertas de ganga, 2 pannos a 25800
urna.
Lenes de bramante a 15800.
Colxas francezas, de cores a 25000.
Mantilhas e fichsa 15000, 15200 e 15500
Chales de la a 25OOO, cachemira, grandes a
3000.
Redes de cores a 35000 urna.
Cobertores de la broncos a" 25400 um.
Cassinetas para roupas de meninos a 200
rs. o covado.
Casimiras diagonal, 2 larguras a 15400
e 15800 idem.
Flanella azul ingleza a 15200 e 25000
idem.
Cheviots superiores a 35200 c 35500 o
dito.
Damascos de la para capas de pianos a
25OOO o dito.
Pannos rara mesas, novo gosto a 15100
15300 e 15800.
Espartilhos, luvas, grinaldas para noi-
vas, lencos de linho, baratissimos e muito
artigos que vendemos por presos sem com-
petencia.
Rua Duque de Caxias n.59.
LOJA DE
PBREIRA & MAGALHA*
Tendo recebido directamente da Europa
grande sortimento Je fazendas e.mocas o
i a de ma3 novo e presos sem com-
petencia.
A saber :
Capas de.surah, sfnda o merino. /
Renda preta, diversas qualidades.
Eternices, pretos, di 13. e ia seda.
Damasse de seda pu
Merinos pretas de 4JO, 1*000 c 15200.
Crinoline preta e branca a 400.
Sargelim, todas as Ores, a 200 rs.'
Bramante de linho a 15500, com 20
palmos.
Toalhas para banliB a 15000 e 1550Q.
^haehemiras com 2 larguras a 800 t:
Ditas de l e seda 2 larguras a 15000.
Madapolao transado' a 95000 a peca.
Dito globo a 75000 a dita
Dito camiseiro a 75000.
Dito B6a-Vista, verdardeiro, a 65000.
Fichs de 13 e seda 15000.
Brins de linho coies iixes a 600. _
Espartilhos couraca a 45000 e 55000.
Colchas de fustao a 25000 e 350C0;
Capellas para noiva com veo bordado a
65000.
Toalhas de corea para rosto.
Rendas, comprimento de sala a 15500.
Renda de 13, preta, para quaresma.
i ano verde para buhar.
Tapetes para sof a 135000:
A verdadeira esteira para forro e aal
a 15000.
Camisas de flanella a 55000.
Cortinados de crochet para cama
105000.
Chitas de cores a 200 re.
-M
r
Pao centeio
Mello & Biset, avisam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sexta3-feiras, tem este sa-
ooroso pao ; rua larga do Rosario n. 40.
tiamelleira
Vende-se um bom sitio, Hvre e desembaraga-
do, com casa de morada, dita para desmanchar
mandioca, muitos arvoredos fructi'eros e froso
capoeiro. torna se recommendavel por ser pr-
ximo a estaco e raargem da via-ferrea de S.
francisco : quem o pretenler. dirjase ao dito
sitio a tratar com Custodio Neves. O Sr. Fu-
mino Gomes da <:osla, estabelecido eom loja de
fazendas em frente a estacto. dar injormacto.
A 2^500
Vende-se o frasco do Peitoral de Cam-
bar, de Souza t .ares, em casa dos agen-
tes e depositarios geraes Francesco
noel da Silva, rua Mrquez
n. 23.
E muitas fazepdas qne se d por todo o Grande sortimepto de leques de setim
de papel de todas as cores.
preso na.
Loja das Listras Azues
FOLPSTiM
DECAPITADA
Ma-
de O! inda
Farello de caroqo de algo-
dao
Ja conhecido coran o rnelbor e mais nutritivo
alimento para anirases ; vende-se rua do Bom
Jess n. 38. 1- andar.
Suspensorios americanos a 25000.
Lindo3 desenhos para talagarca,
Finas carteiras para algibeir de 15 9.
3 e 355OO urna. .
Rua Duque de Caxias n. .05
Ao bello sexo
As mulherrs sao como as pedras preciosas,
cojo valor augmenta conforme, os adornos. Para
isso o .Sdlao da Moda recebeu um completo sor-
aento de cortes de l de quadro?. com 20 co-
rados cada um, que vende por 55000 e o
rua do Raugel n. 13, G. Santos & C.
bem tivesse.
POR
P. D BOISGOBBY
(Con tinuaso do n. 141.
IV
Natura! men-
(
'd
chamad* ao
nao
Mataranvna na vespera da entrevista
que ella me dera... e quem a naatou
evidentemente o homem de quem ella era
mulher, amante ou escrava
te espiou-a... e sorprendeu-a
< E nunca poderia vingal-a
~ A justica se encartegar disso.
__NSo 9 consegne. Fui chami
jvax formador da culpa.. Quasi qu
acredita que haja enme.
Sobre esse ponto o amigo podi.
clarecel-o, mas comprehendo que o
tenha feito. De que servia, urna vez que
nao est no caso de Ihe fornecer a menor,
ndicaeSo sobre o assassino? Eaiio ami-
go nem sequer sabia onde ella morava?
Ella nunca me disse, era eu nunca
Ihe perguntei. Como havia jie ber?
Espera va-a no restaurante em um gable-
te : ella chegava apee quando nos sepa-
ravamo8|ia szinha.
fis'perava que a reconhecessem na
Morgue. Dizia de mim para mim qu de-
?iam ter, como en, reparado nella nos
Campos-Elyseos. Sei agora que n2o era
ella ; sei-o desde que vi a sobrinba do con-
de Borodno.
O tal conde russo. A morta creio
que nao o er.
__Eu qifasi que podia affirmar q
nrque me record que ella me disse que
nunca tinha ido Russia, se
viajado muito.
^ Ella nunca Ihe disse que tinha urna
irm5 ? perguntou de repente Jonville.
N5o.
Jonville teve um gesto de desanimo c
foi *6 depois de urna longa pausa que con-
tinuou :
Desculpe-me, meu caro amigo, de
Ihe faer ainda urna ou duas pergutas.
Desojo tanto esclarecer esse lamentavel
negocio, que rae atrevo a interrgalo co-
mo se estivesse encarregado de b instruir.
A sua infeliz amante sabia quem o senhgr
era ? ^r-
Sabia que me chamava Paulo V1-
trac, que. era pintor e que morava na^ir-
ea Pigule... mas nunca foi minha casa.
_ Creio que a* sua Vand a receberia
mal. Ella desconioaque o senbotivesse
out.a amante?
Talvez... e que importa ?
E' querr ella-tivesse desconfiaucas,
po lia vigial-o e descobrir a ligaeJo que o.
sejhor fhe ocrfultava, e.itao... -para se
desembaragar de ma riva, talvez que...
A mandasse assassinar! exelamou
Vitrac. Se eu acreditarse niteo e tivesse
proras, inatava- aquella mulher como se
mata ara eadella dampada.
Nao cr-io tyie Vauda ceja capaz dj
cmmctter%m crime, disse sera convic
Jonville.
EntS logo Vitrac, par que
. porguotou se ella era quem. .
- Porque, na incerteza eavque estav
1 q*e estou ainda, otu-
.maglnaveis me sjftniram a> espirito,
ha esquecido que, # momento em que
a cabera rokm no siu do seu atelier,
Vanda nio manifestou senito repugnancia...
Evidi^ejn^nte ella nSo conhecia a pobre
mulher que assassinaram.
Nunca a -tinha viste... A prova
que, no primeiro momento, acreditou co-
mo todos os mais em urna brincadeira de
rapazes e que depois nao cessou de me re-
petir que aquella cabes, tinha sido rouba-
da Escola de Medicina.
na
Royal Bleud marca V1AD0
Este excellcnte Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Viado,
cujo nome e emblema sao registrados para
todo Brasil.
BROWNS & C, agentes.
Movis
Xa casa n. 183 rua Imperial, vende-se ba-
rato dous guarda-vestidos c urna cama para ca-
sal, tudo novo em folha, de superior qualidade
e estylo moderno.________________
Alten cao
Vende-se a taverna sita & roa do Bom Jesns
antiga da Cruz, n. 53, com pouco capital, pro-
pria para principiante e bem afreguezada; a
tratar na mesraa.
Vende-se
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 o 15000.
Extracto Rita Sangal a 25000.
Velbutina de quadro a 800 e 15900.
Guarnicoes, pretas, de vidriihos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 45060.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 25000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para snhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite"
Grande sortimento de chapeos de so!.
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200__________
Vinho puro de Santa-
rem
Da quinta de Barral
Chegou a segunda remessa deste especial vi-
nho para o armazem central de gneros alimen-
ticios rua do Cabuga n. H. o qual se torna
recoramendado por eer puro da uva.
Joaquim ChristovSo & C.
Teleptaone'14
.^____^_______^_^ .
Muita attenco
Na rua de S. Jos n. 56 tem para vender os
afamados vinhos e licores de todos os fructos do
paiz, fabricados pelo tinado Joo do Amaral Ra-
poso, comosejam : vinho de caj 1.* e 2.' qua-
lidade, vinho do abacaxt, viubo de janipapo,
composto e simples, hsperedina brasiieira, la-
ranginha cordial, excencias de limo e cidra, e
tres prensas para esprenier os fructos, e tudo
se vende por baratissimo preto para liquida-
cao. Assim como se vende um bom terreno na
povoagao de N. S. da Boa Viagem por qualquer
preeo. ______ ___________
que vahara as apreciacoes de Vanda, visto
que illa as tinha exprimido na sua pre-
senta, naa nao Ihe convinha fallar a Vi^
trac a respeito da visita matinal que ella
fizera ao capitao.
E como Jonville se calasse, Vitrac ex-
clamen :
Nao importa !... o amigo n&o teria
essa idea se um facto ou urna informacao
qne ignoro nao lh'a tivesse suggerido. Di-
ga-me francamente o que ha.
Po8 bem, ahi est !... recordei-me
depois de fallar que, muito antes, Vanda
nos tinhajiito, a Cavaroc e a mim. que o
baile havia da acabar eom urna sorprez.
E o amigo imaginou qHe a sorproza
era aquella exhibido aborainavel? E' ab- aquella gente.
me desembarasar della. Vanda estava na
minha' casa, quando elle se aprsentou...
Com a sobrinba V
Ella ficou em baixo na carruagem,
que os tinha trazido, mas via-a pondo-me
janella, porque a tal carruagem era um
landau descberto.
O mesmo que os levara ante-hontem
ao Bosque. E o tal sujeito pedio-lhe para
fazer o retrato da^sobrinha?
E' verdade, e Cu aceitei. Devo co-
mecar amanha em casa delle... rua Ber-
ton. .
Ah disse Jonville' um tanto admi-
- rado.
Aceitei, porque quera saber o que
dous sobrados, um na rua Tliora de Souza n. o
(oulra becco da Linguete).
Outro na rua Coronel Suassona (antiga dos
Martyrio's) n. 101; a tratar na rua General Abren
e Lima (antiga Santo Amaro) n. 8.
Leite puro
Na estrada de Jo&o Fernandos Vieira, sitio lo
go depois das casas novas da direita, vende-sf
todos os djas lcite puro de vaccas tourinas eai.
trra, garntese a qualidade deleite.
\ ende-se
um estabelecimento de molhados 4 rua do Raa-
gel n. 33, e garante-se a chave ao comprador:
a tratar no pateo do Mercado, tallio do commer-
co n..2, com o dono^_____________________
Vinho particular
No armazem da rua do Amorim n. 60, vende
se o que pode haver de melhor, pelo mdico
preco de75 o garraao de tres caadas (voltan-
de casco).
Jonville poda responder que sabia o
urdo! So*Vanda estWssajealp^A:, era
nycessario qu' estiv 'h'o
aniinciaf gjtk- E depois. .11 conlieeia
K.. era a "entrada qe iuna
mascar* ^rgaisada par Dangalas e o
amig a ella.
Mea caro, o seuhor interrompou-me
i no momento era- que ia accrescentar que
tal ida,apenas me passou pelo cerebro.
Re'pqlli-a depois de rcfloxSo ; j;i nao pens
nella o que be disse ainda agora era
apenas paLvras no ar, cmo escapara a
toda a gente era urna conversa animada.
icraos a outra cousa. O amigo foi in-
terrogado pelo j aiz. O que lho perguntou
ello c o qno Ihe respondeu?
Nada, pela razao muito sfmples que
Babia nada que elle nao soubese ja e
ahi do seu gabinete persuadido que as
pesquisas jidiciaes nao davara o menor re-
sultado.
Nio teve a curiosidade de ir Mor-
gue ?
N2o. Nio nro sent, com coragem
para tornar a ver o horrivel espectculo
que presenciei naquelle maldito baile. Dah-
galas quiz l levar-mo. Deixei-o ir s.
Que impressao troux* elle i1
Nao o torne' a ver. Veio muitas
vezes minha casa o eu recuse recebel-o.
NIo tenho recebido senao Vanda...
Vanda e o conde Borodino.
Ah a esse recebi, porque quera
E depois, ella c Uto forruosa !. .. Eu
tambem desejava tornar a vel-a... mas o
lur,.. entaa o seu pincel, nao l'he tre-^
i na mar,quando reproduzir na/tla as
feicScs que hao de Ihe recordar as da mu
lher que o senhor araou?
.__Espero que nao. Mas nao Ihe occul-
; por mais tempo que vim aqni sobre-
tudo para lho peijir infojn^oes-a respeito
.'. russo.
E at agora, meu pobre amigo,' mto
tenfib feito sonao apoquental-o com per
guntas. Chegou a minha vez de respon-
der. Por infotteidade estou raaito sura-
mariaraente informado. As minhas rela-
1 com el!es limitara se a um encontr
soguiJo'do urna viagem de carruagem
de a alameda de.Madrid at a minha por-
ta. O nosso homem.disse-me o que quiz
dizer-rae. Rovo turnar a vel-6, mas o
amigo torna-o a ver antes de mira e mais
vezes do que ou, porque Ihe ha de ser ne-
cessario grando numero d seasSes para
terminar o tal retrato. Emquanto a en-
cantadora sobrinba estiver servindo de mo-
delo, o-amigo interroga o tio e elle hade
responder-lhe.
E' a sobrinha que eu desejava ou-
vir, porqup... quer saber, meu caro Jon-
ville ? tenho a Certeza de que a outra est
morta... cosa toda* a certeza a cabeca
de Irene que lancarara no meio do meu
atelier... e quasi que tenho vergonha de
Ihe confessar que me resta ainda urna du-
vida... mas essa moca que tem as mes-
mas feijocs que a minha pobre Irene, nao
pode ter o msmo som de voz. Urna vez
que ella me falle, nao duvidarei mais.
Mas ella que nao falla.
Por que?
Porque muda.
E' possivel ?
Muda de nascenca... n2o ; muda
por accidente... urna paralysia da lingua
causada por um susto, disse-me o tio.
Trouxe-a para Pariz para consultar os
grandes mdicos, que esperam cural-a.
Alm disso nao gurda,-mas n5o compre-
hende o francez. Nao pbder portanto
ouvir o som da sua voz. Mas agora j
peder estar mais cer'.o ..
- E' verdade, porque fallava francez
cmti) uma franceza.'.. e nao sei como pu-
de duvidar que ella estivesse morta, de-
pois de ter visto aquella cabeca... aquella
cabega horrivel que me parece ter ainda
diante dos olhos. A desculpa qu tenho
que a scracihanja por tal modo incri-
vel!...
__Tudo incrivel nessa sorabria aven-
tura.:, quera que pode acreditar que
se perca sbitamente o uso da palavra...
mas talvez que tudo se eselarega mais dia
menos dia... desejo-o de todo o coraeao,
oorque..'. eu tambem tenho uira confi-
dencia que Ihe fazer... uma confidencia que
nao pode offender... aquella moca pro-
duzio em mim uma profunda commocao!
Quer dizer que a ama ? perguntou
; com animac/
Ainda n3o- O amor nao vem tao
-ja, a nao ser nos rqmances. Mas
sinto que a hei de amar e peoo-lhe um
eonseho. O tio convidou me a ir casa
delle. Devo aproveitar o convite ou abs-
ter me ?
Nao sei o que Ihe hei de responder,
balbuciou Vitrac, visivelmente contrariado.
Jonviile," sorprendido, perguntava de
para si no que que elle o tinha offendi-
ia perguntar-ra'o qnando, entrada
da porta, aberta de repente, appareceu
Jajme Cavaroc.
O nosso capitao de couraceiros tinha o
ar radiante de um homem qne toma sem-
pre a vida pelo seu lado bom e os acfn-
tecimentos pelo que ellea valem.
Bom dia, caro senhor, exelamou elle
estendendo a mao a Vitrac. Vinha visi-
tar Jonville e estou encantado de o en-
contrar em sua casa. Como passa depois
daquella tola historia?... Parece que deci-
didamente era uma brincadeira de mo
gosto, A principio cahi como outros, mas
j nao pens nisso e supponho que o se-
nhor j o esqueceu tambem... Jouvillede-
ve-lhe ter contado o encontr curioso qne
tivemos no Bosque de Belonha no dia se-
grate ao de seu baile, e como se deixou
por fra do sellim -por uma egua que me
pertence.
A proposiftr, meu caro, accrescentou
Cavaroc, dirigindo-se a Jonville, trouxe-
rara-me essa afeaba a minha egua... n2o
em bom estado, aqui para nos... ficou dous
dias no deposito e alimentaram-na mal.
Emquanto o capitao fallava, Vitrac ti-
nha agarrado no chapeo.
Desculpera-me, mens senhores, de
os deixar tao depressa... sou esperado.
Que diabo tem esse colorista? per-
guntou Cavaroc logo que elle se foi embo-
ra. Desconfiar porveptura que Vanda
anda atrs de mira ?
Jonville fez signa! que nao, mas teria
muita difficuldade em explicar aquella sa-
hida ex-abrupto, porque nao a comprehen-
dia.
Como tambem nao suspeitava do que
se passava mesmo uaquella occasiSo na
rua Berton, no palacio do conde Borodino.
Depois da noite de carnaval podia di-
zer-se de JoSo Dangalas o que se dizia
em 1814 dos emigrados que voltaram
Franca com os Bourbons.
o tinha aprendido nem esquecido
nada.
f Continuar-M'ha)
Typ. do Pi
L
En
*
t




'4


)\
i

i
irrojn Dnaue de Caxias n. W *


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8NH96HJH_WI7GOL INGEST_TIME 2014-05-19T20:15:26Z PACKAGE AA00011611_19152
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES