Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19118


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AO LXIJf IDlfil
QDABiA-mA 2? DE MEO BE 1881



PIRA A l'.tVT.tt. E I.HAB* *?IE XiO E PAC PORTO.;
Por tres mezes adiantaim............... 60000
Por seis ditos dem.......... ...... ii\J000
Por um anno idem................. 23)5000
Cada numero avulso, do mesnio dia............ $100

DE
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adiantados............... 13f$50G
Por nove ditos idem................. 200000
Por um anno idem................. 27fJtOC
Cada numero avulso, de dias anteriores........... 100
NAMBUGO
Jtoprieirafce ht Mmotl St&xtitoa te Jara 4 UIjos
O* Srs. Aaaeiie i'riose *.l C
e Pars, 8*1 < o nttsios agentes
exclu I vos de aanuncios e pu-
bcacflen n franca e lugl
trra
TELSGRMMAS
SSS7I3C Fa.BT.Cft..., SO S2ASX0
RIO DE JANEIRO, 26 do Julho, s 4
horas e 35 minutos da tarde. (Recebdo s
6 horas e 30 minutos da noite, pelo cabo
submarino).
Homo boje eo oa Cmara Ion
Depatada*
O Barfta de Coteglpe responden
Interpellac&o qac foi fandamenlada
pelo Dr. Attonao Cel.o Junior. nao
sobre a causa da demiiso do Ba
ro de Minor do cargo de ministro
do Imperio, como tambem sobre a
Influencia e composlco poltica do
gabinete*
37*0 2A
*
*ICU
Julho, s
RIO DE JANEILiO, 20 de
6 horas e 25 minutos da tarde.
O Eia. Sr. Baro de Colea; I pe pre-
sidente du conseibo declarou boje
em resposta uma interpellaco na
Cmara dos Deputailos qne aegulrat
o rgimen inglez. faiendo explicar
pelo ministro da agricultura a re-
tirada do ministerio, do Mr. Baro de
Mamo re. ministro do imperio.
MRTE OFFICUi
Provincia
DE JCNHO DE 1897
PARS, 26 de Julho.
S. M. o Imperador D. Pedro II pa-
guu boje a visita do sr. Baro de
arlaos ministro plenipotenciario do
Brasil.
Agencia Havas, filial
26 Jo Julho de 1887.
!ia Parnambrico'
HSTRUCClO POPULAR
(Extrahido)
DA BIBLIOTHKCA DO POVO
B DAS K8COLAS
PRIV1EIRA PARTE
FU.'s'CCdE* BEJ^UTBICAO
dioebtIo
( Continuuco)
A. chymificacio resulta, como cimadistemos, de
duiS aecoes distiuctas : a mechanica (Je queja
hilamos), o a chimiea, Esta ultima deve-se pru-
cip.alinente a um liquido denomioado sueco gastri
co, que se^re^ado pela membrana mucosa do es
tomago. Esto sueco um liquido claro, transpa-
rente, de cor levemente ci'.riua, e de sabor simnl-
taoeam-nte salgado o acido.
A sua acidez attribui la existencia dj acido
lctico ; mas., ale.n deste acido, o sueco gstrico
CQjit'u) auid i diverso* sa drato e phnsphat i de ammoniaco, pbosphato de
ealcio, hlorei'i des'di ) e uo p:i iimmo especial e
qm ( .i .1. :i depravas. Esto principio, que
un verda le fu i i meato, a causa principa! da
trans nn \ ,,.,. utos .-m chymo: elle que
tem a ur > diaaoiver, <; oe tornar assi
mi la veis, Bbrin i. ama eoagnlada e todas
as outras sabaUa < >-t irada*. Quanto ao acido
contido no mee i amollecr e impast .r as substancias alimenticias,
facilitando assim acgaj da pepsina.
A digestio Mtoa ;:al reauroe-se em duas aceoes
que sao : Io, trjnfcf rmaca<, por ineio da ptyalina,
dos alimentos e '.cito: n'uma substancia saecba-
ria, soluvl e amimil.vel, a glycose ; 2 transfor-
madlo, por meio da p psiua, dos alimentos aaota-
doJ (fibrina, n bunvn.i, etc.) n'uma substancia
tambem soluvel, que se chama albuminoso. O
tempo aecesari cbymifiedjSo no homem ge-
ramente de tres :i qnar.ro hars, em caso de urna
refeicao regular.
A cbylificaco, cu o aeto pelo qual as substan-
cias alimenticias, j trausf miadas em cby.no no
eatcmag', se c nvertem em cbylo, fai-se, coinoj
disaemos, no intestino delgado. Duas aeces con-
correm para a eieca^ao deste pbenomeno r urna
mechanica (de que j tratamos) e outra cbimica.
A i.cco mechanica passa-se em todo squelle in
testino e nao favort.ee a cbymificaco mas tam-
bem a absorp^ao dj cbylo, ciu! se effectua em
toda a extenso do mssmo intestino. A aeco chi-
mic passa se no duodeno, uj qual se accumula,
ao sahir do estowago, o bolo alimenticio ji ehymi-
ficado ; e dtvid a doas liquido quo se derra-
ma m. nesta sec^Sa do iattstino, e que sio a bilis e
o sueco pancretico.
A bilis, segregada pelo ligado () de cuja pro-
ducto fallaremos, quando tratamos das seerecoes)
um liquido viscoso, de cor esverdeada e sabor
amargo. Tem urna constituico chimica anloga
a dos saboi'B ; mas sempre alcalina E' compos-
ta de agua, como dissulvente, e de cboleatenca,
materias corantes (biliverdina, bilifulvina e chele
pyrrhins), muco e dous cidos gordos (o acido cbo-
llco c o acido choleico) combinados com o sodio,
Tem reinado na scie >cia doutrinas diferentes a
respeito da accao da bilis sobre os alimentos :
julgou seiin teuipos que esto liquido operava, a
modo de sabio, emulsionando as gorduras o tor-
nande-ae aptas para a digesto. Mas as moder-
nas experiencias provaram que esse pspel compete
especialmente ao sueco pancretico, e que a bilis
t-'m per funecao principal ultimar a disto.uco das
substancias azotadas, j atacadas no estomago
p.'lo sueco gstrico.
O su'.'ce pancretico, producto, da secreco effe
ctuada no praocieas, parece-se muito, quer no
aspecto quer as propriedades chimicas bom a
hv.'. E' competo de agua, tendo em diosolu-
(ao carbonato de sodio, chloreto sodio, e urna roa
tena orgnica especial i pancreatina a que
devt o teu particular modo de necio. Tem duas
>..v6es na digestso : como a saliva, opera sobre os
alimentos feculentos, trausformsndo-os em glycosi;
mas a sua tunecao esseneial digerir aa materias
gordas, tornando-as aptas para a absorpei).
CCostDoa).
Cioverno da
EXPEDIENTE D0 DIA 28
Actos :
O presidenta da provincia, de conformidad?
com a prrpista do administrador dos correios era
officio de Dontem, sob n. 432, resolve nos termos
ia lei n. 279i, de 20 de Outubro de 1877, exone-
rar, a pedido, o agente do eorreio da villa de Cor-
rentes, Joo Lucio de Freitas, o oo'jiear Joanna
elganteria de Freitas para substituil-o.
Kesolve, de accordo com a mesma propoaia.
nomear Antonio Pinto Gimes Pinbeiro para o lu-
gar de agente de eorreio de S. Liurenco da Matta,
em substituicao de Francisco Aureliano do Reg
Me i iros, e Luiz Ernesto de Franca Casa N va
p ira o lugar vago de agente do eorreio da estac.-a >
de Tiuma, ni estrada de ferro do Recife ao Li-
moeiro. Communicou-se ao administrador dos
correios.
O presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o bacharel Oaetano Maria de Faria No
ves. 1' escripturario do extincto Consulado, addi-
do Recebedoria Provincial, resolve, de accordo
com o disposto no 3- art. 9- da lei n. 1884 de
30 Abril, e ar'. 75 do Regulamento de 26 de Malo
do correte anno, a que se refere a informacao do
Thesouro de 21 do corrente n. 679, permittir que
o supplente passe a ser addido ao mesmo The-
souro com os veocimeutos inherentes o citado
emprego, devendo ficar sempre por preeocher urna
vaga em quant) fr o supp'ente considerado ad
dido, regulando a reparticio o servico neste senti-
do.Communicou-se ao Theaouro.
OfEcios :
Ao ministro plenipotenciario do Brasil em
Londres.Tenho a honra de enviar um exemplar
do balanc to da receita e despeza da estrada de
ferro do Recife ao S. Francisco, relativo ao mez
de Maio prximo passado, acompanhado do devido
desenvolvimcnto e de copia da acta da sessio em
que procedeu-se liquidacio das contas correspon-
dentes ao mencionado periodo-
Prevaleco-me da occaiiao para renovar a V
Exc. a seguranca de minha elevada estima e dis-
tincta consideraco.Commuicou-se ao engeuhei-
ro fiscal.
Ao Dr. ehefe de polica. Sirva-se de Infor-
mar-me o que ha de verdade na narracio que fas
o Jornal do Recife de boje, em um local, sobre
o facto attribuido ao guarda civico n. 105, na es-
tadio central da estrada de ferro de Caruar.
Ao inspector da Th Communico n V. S. para os fina convenientes que
0 cidadio Manoel Resio Egydio Josu, entrou em
1 do corrente mez no exercicio do cargo de pro-
motor publico interino da comarca do Brejo da
Madre de Deas, para o qual foi nomeado na mes-
ma data pelo respectivo juiz de direito.
Ao mesmo Communico a V. S. para os
fins convenientes, que o bacharel Bernardino Ma-
ranhio, juiz municipal e de orphios do termo de
Oaranhuns. em 21 do corrente mes deixou o exer-
cicio de su cargo para assumir o de juiz de direito
interino, reassnmindo-o no dia seguinte por ter
cessado o impedimento do funecionario effectivo.
A mesmo.Devolveodo a V. S. as deze-
nove propostas que acocompanharam o seu officio
n. 388, de 21 de corrente mez, apreseotadas para
o fornecimento degeneras e diversos artigis ao
almoxarifado do Presidio de Fernando de Noro-
oha, durante o semestre de Jalbo a Bezembro-aV
eortsnte anno, recommendo Ihe que faca lavrar os
termos de contracto com os concurrentes cujas
prjpoi>tas foram preferidas pela junta do fazenda
constantes da inclusa relacio-
Ao coinmnJante superior da guarda nacio-
nal das comarcas do Bonito e Bzerroa.Sn res-
pista ao offico de 17 d > corrente, declaro a V. S.
que designo odia 31 deJuIho prximo vindouro
para ter lugar a revisio do alistameato da guar-
da nacional sob seu commando superior.
Ao director do presidio de Fernando de No-
ronha.A' vista do que exooz o brigadeiro com-
inandante das armas 'n' officio junto ] por copia,
de hontem. sob a. 336, nio pode tor lugar a satia-
tac, i o do pedido, annexo ao officio dessa directo-
ra de 18 d) corrente, sob n. 254, de cinco mil car-
tachos de festira para o exercicio das pracas ah
existentes.
Portara :
O Sr. agente da corapanhia braaileira faca
transportar k corte, por conta do ministerio da
guerra, o maj ir aggregalo srm do cavallaria,
Jos Joaquim Coolh), que para al'i segu, afim de
ser inspeccionado de saude, de coafonaidade cm
o aviso daqaelle ministerio de 26 de Maio lindo.
Maudou-se i Thesjurana ajustar cutas e res-
pondeu-se ao general
EXPEDIENTE DO DB. SICBETARIO
Officio :
Ao r. juiz de direito de orphios o ausentes da
comarca do Recife.Do ordem do Exm. Sr. prjai -
dente da provincia comutuoico a V. S. que s-ib -
inetteu se i deliberacio do Exm. Sr. conselboiro
ministro e secretario de estido dos negocioi da
justic a leprosentacio do curador geral do au
sentes, de quo trata e seu officio do 20 d) corren-
te mez.
EXPEDIENTE DO DIA 30 Dg J0NH0 DE 1887
Acto :
U presidente da provincia, tendo em vista
os offico3 de 6 e 13 do correnta mez, do Dr. juiz
de direito do 2 diatricto criminal do R cite e d>
juiz de paz da parochia do Santo Antonio, dos
quaes se verifica que em virtude d* revisio de
1886 ha necessidadd da crea(io de mais urna sec-
cao eleitoral naquella parochia, nos termos do ar-
tigo 95; do decreto n. 8,213. do 13 de Agosto de
1881, e attendendo ji nao ser poaaivel eata alte-
racao com tempo de aproveitar a eleicio de uta
ver. ador da Cmara Municipal do Recito, marca-
da para 7 de Julho proxiao, visto estarem
expedidos editaea de convocacio de eleitores,
de accordo rom o que existe presentemente
determinado, quando entretanto certo que
a agglomeracij de eleitores em numero exce-
dente a 250 em cada seccio embaraca e prejudiea
a regularidade do processo eleitoral, e, outrosim,
couviudo a substitaicio do siguas dos edificios ac-
tualmente designadla para o mesmo servico, como
'j do Instituto Archeologico e G-eographico Per
nambueano pelos motivos cons'antea do officiodis
ta assjciacao, de 9 do corrente, resolve adiar a
supramenciooada eleicio, a qual se prose lera no
dia que sera prximamente, de novo designado,
dopois de feitas asalteracoea referidas devendo
para iito, ser requisitadas cem urgeici as revi-
tocs relativas ao 3" e 4" districtos criminaes, viato
a tTm at agora ehegado secretaria as do !,
2o e 5 districtoe.Cumpra-se e communique-so
__Fizeram-ae ba devidas commnnicacoes. (
Offieios:
__ Ao commaodante das armas. -- Em solucao
aos offieios do commandante da fortaleza da Santa
Cruz da lha de Itamarac, sobre que versa a n-
forma^io desse commando de armas, de 11 de
Abril ultimo, sob n. 193, dirigi o ministerio da
guerra,|tm datajde 20 do corrente, o aviso,:cuja co-
pia iucluso remette a V. Exc, para seu canheci -
ment e fins convenientes.
__ A iuBpeotor da Thesourari i de rs}S lia
Terminando b je e praso, dentro do qual deviam
ter sido organizados n secretaria deata presiden-
cia os recursos da nova matricula e andamentos
aos quaes M refere o 4 do artigo 13 do regula -
ment n 9,517, de 14 de Novembro de 1885, e nio
tendo sido at agora remettidas as deyidas rea-
cos pelas collectorias de Granito e Ei, Salguei-
hro e Leopoldina. Floresta, Tacarat, Brejo, tar-
reiros e Gloria de Goil, srvase V. o. d provi-
denciar restrictamente a respeito.
Ao memoDevulvo a V. S. afim de serem
devidamenta descriminadas p-lo respectivo coliec-
tor as relacoea d>s escravos residentes nos muni-
cipios de Maribeca e Jaboatio, visto qae, alm
do outras, as de na. 191 o 195 sio de eaeravoa do
municipio de Muriboca e nio de Jaboatao cjrao
del aa conata.
Ao naeamo.Sirva so V. S. de exigir da col-
lectoru geral do municipio do IJoait > e remett< r a
esta presidencia a certidio de idade da menor An-
tonia ni i i matriculada sob n. 807, ora 15 anuos de
idado em 30 de Margo; ultimo.
dem de Bcoicio, n. 756 com 15 annos matricu-
lado cm 29 de Marco do 1887.
Ao mesmo.Sirva-se V. S. de exigir daol-
Icctoria geral do municipio do B mito, e remettor
a esta presidencia a certidio do idado do menor
Simplicio alli matriculado em 17 de Maio do auno
passado, sob n. 5S, com 14 unos de idade.
Ao mesmo.Chamando a attencio do V. S.
para os vicios r.u so encontram na relacio junta
n. 273 de rscraves matriculados no municipio de
Tiinbuubi, sirva so de exigir da respectiva collee-
toria qual o valor do de nomo Jos, sob n. 1023.
Ao mesmo.Sirva-se V. S. de exigir da eollec-
toria geral do municipio do Bonito, e remeltei a
esta presidencia a certidio de idade da menor An-
tonia, alli matriculada sob n. 807 com 15 annos
de idade, em 30 de Marco ultimo.
Ao mesmo C mmunico a V. S. para os fina
convenirntes que no dia 13 do cjrrente, o juiz de
direito da comarca de Salgueiro bacharel Laurino
Lopes de Barros e Silva reassumio o exercicio de
seu cargo.
Ao mesmo.C -mmunico a V. S. para os fins
convenientes, que o Exm. Sr, conselheiro ministro e
secretario de estado dos negocios da justica, portele-
gramraa de 28 do corrente participou ter proroga-
do por dous mezes a licenca com que se acha o
promotor da comarca de Nazareth, bacharel Jos
Soriano de Sonsa Filho.Communicou-se ao juiz
de direito.
Ao mesrao.Communico a V. S. para os fias
convenientes que o bacharel Joaquim Antonio da
Silveira Junior, em 25 do corrente mez, aasumio
o exercicio do cargo de promotor publ co interino
da comarca de Bom Conselho, para o qual foi no-
meado na mesma data pelo respectivo juiz de di-
reito.
Ao mesmo.Communico a V. S. para os fins
convenientes que o bacharel Joaquim Pedro Ga-
rateante de Albuquerque, promotor publico da co-
marca de Pao d' libo em 28 do corrente mez, reas-
sumio o exercicio de seu cargo, renunciando ao res-
to da licenca em cujo goso se acbava.
Ao mesm>.Communico a V. S. para os fins
convenientes que em 14 do corrente mez o promo-
tor publico da comarca de Caruar. bacharel Es
tevio Carneiro Cavalcante de Albuquerque La-
cerda, interrompeu o oxtcco do seu cargo por
oaotivo de molestia, resssumiodo o a 17.
Ao conselheiro Dr. Joo Jos Pinto Junior
presidente do Instituto Archeologico e Geograpbi-
co Pernambucano.Accuso o rocebimento do offi-
cio le 22 do correte em que V. S. me remette a
relacio nominal dos membros da mesa administra-
tiva desse Instituto, eleitos para servirem durante
o anno de 1887 a 1S88.
Apresento a V. S. meus protestos de estima e
consideracao.
Ao inspector do Thesouro Provincial.Man-
de Vine restituir a Jos Maria Soarea, a quantia
de 83160 visto havcsifrago em duplicata o impos-
to sobre seu estabelecimento csmmerci.il no exer-
cicio de 1885 a 1886, a que alinde a oformacio
desse Thescuro de 14 do corrente mez, n.665.
Aongeahciro das Obras Gusas.tm cta-
formidada com o que solicita o inspector do Arte-
nal de Marinha, no ouicio junto, que ser devol-
vido, baja Vmc. de apresentar o orcamento da des-
peza a tazer-so com os repares constantes do cita-
do officio.
Ao mesmo.Transmittindo a Vmc. o officio
do director do presidio de Fernando de Noronha
de 18 do corrente mes, sob n. 251, recommen-
do I be que sobre o assampto ouca o engenbeiro
Arthur de Lima Campos, que d'alli tendo voltado
no nltimo vapor poder dar informaces do que
houver occorrido em consequecia dos estragos cau-
sados pelas chuvas e o que eonvom attender.
Ao eng nh.'iro fiscal da estrada de fero do
R-'cife ao 8 Francisco.Remetto a Vmc. para os
fins cor. venientes, copia do A vis1, n. 19, de 21 do
eorrente, no qual o Exm. Sr. ministro da agricul-
tura, commercio e obras publicas, autorisa a admi-
nistrado dessa estrada de f rro a conceder passe
gratuito ao engenbeiro nomeado para fiacalisar a
construucio da estrada de ferro do Ribeirio a Bo-
nito e a abater 50 por cento as passagens do pes
soal empregado na dita construccao, e determina
que Vmc. recommenie ao respectivo superinten-
dente a reclamado da directora da mencionada
estrada de ferro de Ribeirio sobre a restituicio
do abate nos transportes de material-a em quanti-
dado inferior a quinhentos kjllogrammos.
MutatU Mut indis, ao da estrada de ferro do
Ribeirio ao Bonito.
Porta, ias :
O Sr. gerente da Corapanhia Pornambucana,
faga transportar ao presidio de Fernando de No-
ronha p>r conta do negociante Joio Rufino dos
Santos, os gneros constantes da relafio aqui
junta, assignada pelo secretario do governo desta
provincia.
Mn'.at'is Mutandit, eom relacio aos negoci-
antes J. J. Alvos A C.
O Sr. gerente da Companbia Pernambucana
mande dar passagem de pida at o presidio de
Fernando de Noronha na primeira opportunidade,
por conta das gratuitas a que o governo tem di-
reito, a Deiroira Maria da Ccaceicio, mulner do
sentenciado Emigdio da Costa Mello.Communi-
cou-se ao director do preaidio.
Declaro a cmara municipal de Timbauba,
que ficam approvadas as arremataces dos impos
tos constantes do termo annexo por copia, do seu
officio que respondo de 28 de Maio fiado.
EXPEDIENTE DO DB. SECRETARIO
Offieios :
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
O Exm. Sr. presidente da provincia, manda remet-
ter a V. S. quatro ordeos, sendo duas do ministe-
rio da guerra de 18 s 22 do corrente p duas do tri-
bunal do Thesouro Nacional os. 77 79.
Ao Sr. inspector do Thesouro Provincial.
O Exm. Sr. presidente da provincia, manda com-
muuiear a V. S., que nesta data, proferioo segua-
te despacho no recurso de Francisco Joaquim An-
tunes de qae se oceupou essa inspectora no ofi-
cie de 20 deste mez n. 675.
Em vista do art. 43 das instruccoes de 27 de
Junbo de 1883, nio pode ser deferido, por ter sac-
cedido, com a compra que fez es contribnintes an-
teriores em negocio da mesma natureza.
Ao mesmoO Exm. Sr- presidente da pro-
vincia, manda coromunicar a V. S. que nesta data
proferio o seguate despacho no recurso de Flo-
rentino Cavalcante de Albuquerque, collector do
municipio do Cabo, sob e o qual essa inspectora
informou em officio de 20 do corrente mez n. 676.
Sustento o despacho da junta do Theaouro Pro
vincial por seus fundamentos.
Ao mesmo De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, declaro a V. S em solucio do
seu otficio de 23 do correte m z, sob n. 63, que
teudo si Jo acceitos pelo conselho de compras do
Corp o de Pobcia os artigos de fardamento, cujas
amostres devulvo. correspondentes is prestacoes
de que trata o termo ani.exo por copia ao citado
officio, p,deudo os meamos artigos ser recebidos
definitivamente.
EXPEDIRIS DO DIA 1 DB JULHO DB 1887
Actos :
O presidente da provincia attendendo ao que
requereu o bacharel Dugo Carlos de Alio-ida e
Albuquerque, resolve exoneral-o do cargo de censor
do Gymnasio Pernambucano.C mmaaicou se so
regedor interino do Gymnasio Pernambucano b ao
i na postor-do Theaouro Provincial.
JBhreaidenta da provincia attendendo a> que
reqit^^Bs Dr. Luiz de Albuquerqnc Martina Pe-
reiraJHsm"i lo desembargado." da Relacii de
CuyaaHa tend i era vista a tabella annexa ao de-
creto )JJiF6017 de 27 de Novembro de 1875, o a n-
trmafl da The3iuraria de Paseada de 17 do
Jonhoiirttimo, n. 374, resolvo, de accordo com o
decreto 2884 do 1<> da Fevereiro de 1862, abrir
um cradito da importancia de 2:000000 & verba
" Aj'idas de cii3to do Ministerio da Justica,
exerciPB.de 188G a 1887, afim de tor lugar o pa-
gurncnjjn da ajuda de custo, na dita importancia,
que caas ao supplicante.Communicou-se ao ins-
pocfor.sja Thesouraria de Fazenda.
0'|uidente da prociaUa, lend i em
offi.'> do brigadeiro commandante das armas,
20, e a reqoisicio constante do da Thesouraria de
Fazenda de 25 de Junho ultimo, resolve, de con-
formidade com o disposto no decreto n. 2884 do
(lo de Fevveiro de 1862, abrir, aob sua responsa-
bilidade, cAditos s seguintes verbas do Ministe-
rio do Guerra, exercicio do 1886 a 1887, afim de
occorrerem ao pagamento de veneimeutos de pes
soal, relativos ao citado mez de Junho :
Arsenaes 1:700*000
Corpo de saude 2:105*000
Corpos regimentados 11:00'.000
Pracas de pret 6:000*001
Etapas 9.400*00)
Commisio s militares 600*0 X)
Diversas despezas even'uaes 189*000
31:289*000
Commnaicon-se ao inspector daOThesouraria de
Fazenda.
Offieios :
Ao Dr. chefe de polica.Remetto a V. S,
para providenciar, o telegramma qu> dirigi boje
a esta presidencia o juiz de paz do 2 diatricto
de Tracunbiem Joaquim Francisco de Souza
Canto.
Ao inspeetsr da Thesouraria do Fazenda.
Communico a V. o., para os fina convenientes, que
no dia 2o de Junho fiado o promotor publico da
comarca de Bam Conselho, bacharel Augusto Cesar
Pereira Caldas, entrou no gozo da licenfa de doua
mezes, que Ihe conced em 17.
A-> masmo.Recommendo a V. S., em solu-
cio de seus offieios de 14 e 15 de Junbo lindo, sob
ns. 362 e 3*J3, que providencie para que no vapor
do Cirreute mez sejam remettidos para (o presidio
de Fernando de Noronha, depois de examinados e
acceitos, como de estylo, o assucat mascavinho
e a tarinha de mandioca, que deixaram de seguir
ltimamente pelos motivos constautos dos citados
offieios.
Outrosim, commuoico-lhe quo exped as ordens
necessarias para que o citado vapor siga com a
possivel brevidade.
Ao mesmo.-- Sirva-se V. S. do mandar n-
demnissr aos intei essados, depois do praso da art
41 do regulamento de 13 de Novembro de 1872, os
valores dos quatro esdravos constantes da inclusa
lelacio, libertados no municipio da Goyanaa por
conta da 7* quota do fundo de omancipacao, em
audienea especial do respectivo juiz do orphios
supplente, de 2 de Junho findo.Communicou-s:
ao juiz municipal e orphios supplente do termo de
Goyanna.
Ao mesmo.Communico a V. S para os fins
convenientes, quo o bacharel Sibastiio Ildefonso
do Reg Barros, juiz municipal o do orphios do
termo de Bonito, em 27 do Juuho fiudo, deixou o
'TlfTW de seu cargo por motivo do molestia.
Ao mesmo.Communico a V. ., para oa
fine convenientes, qua o bacharel Antouio Pedro
da Silva Marques, juiz de direito interino da co-
marca do Caruar, em 13 de Juuho fiado, deixou
o exercicio do seu cargo por motivo de molestia.
Ao insp ejor do Thesouro Proviacial.Para
qne possa esta presidencia resolver sobre o as-
suinpto constante do officio desse Thesouro, da 23
de Junho ultimo, n. 683, coavem que Vmc. infor-
me o que servio do base arrematadlo do forne-
cimento de medicamentos e alimentado aoa presos
pobres da Casa do Detencao o da illuiniuaoio de
Iguarase e Caruar ; declarando tambem por
quauto estio sendo feitoa esses foruecimeutos e
qual o pre?o por que foi agora arrematado 3 de
medicamentos.
Ao commandante superior interina da guar-
da nacional da comarca do Nasaretb.Respondo
pela affirmativa a consulta que faz V. S. em offi-
cio de 25 de Junbo fiudo, si pode reunir os offi
ciaes da guarda nacional, sob seu comraandi su-
perior, para os fins indicados no dito officio, na
forma do disposto no 10 do art. 1 do decreto n.
1354 de 6 de Abril de 1854.
=i Ao director do Arsenal de Guerra.Decla-
ro a Vmc, para os fias convenientes e em res-
posta ao seu officio de hontem, sob n. 1171, que a
licenca concedida por portara desta presid -ncia
de 7 de Junho finio, ao es.revente de 2* classo
d ase Arsenal, ITysses Flonano do R-go Barre-
te, deve ssr contada do Io d) di'o mez do Juuho,
couforme pedio elle no requ-rimento do 31 de
Maio ii:i:.i>.
Ao director do Pieadio de Fernando de Nj-
ronha.Rocammendo a Vmc. que remeta para
esta capital as correntea de que trata o officio
junto por copia do juiz de direito do 2' diatricto
criminal.'Jommunicou-se ao respectivo juiz de
direito.
Ao gerente da Compauhia Pernambucana.
Convem que Vmc. providencie para que, no cor-
rente mez, o vapor que costuma ir ao Presidio
de Fernando de Norouha siga p-ra ali com a
possivel brevidado.
Portal ias:
Declaro Cmara Municial de Bom Jardiin,
era resposta ao seu officio de 21 do Junho findo,
que, vista da disposicio do art. 10 7* da lei
de 12 de Agosto de 1834, nio podo ser approvado
o acto deaaa Cmara, re'ativo i creacio do lugar
de advogado.
__ O -r. agente da Cumpauhia Brasileira de
Navegacao a Vapor faca transportar Corte, por
conta do Ministerio da Mariana, o 2" tenente da
armada, p'.rt-.nceute guirnici) do patacho Pi-
rapama, Francisco de Sousa Pinto, que para alli
aegue disposicio do ajudante general da arma-
da. Cummuuicou-se ao inspector do Arsenal le
Manaba.
O Sr. agente da Companha Brazideira de
Navagacio a Vapor faca transportar corte, por
eonta do Ministerio da Mariuba, os officaes e pra-
vas da guarn.vio do patacho Fiap.ma, constan
tes da i-iclusa relajio nominal, assignada pelo se-
cretario da presidencia, os quaes seguein pir.. a.li
disposicio do quarttl-mestre general de Marinha
Communicou-se ao inspector do Arsenal de Ma-
rinha.
O Sr. gerente da Compauhia Pernambucana
faca transportar, por conta do Ministerio da Gaer
ra, ao Presidio de Fernando de Noronha, para
onde destbeam, o capitio Feliciano Jos Freir
Junior, o 2- cirurgiao Dr. Pedro Delpbno de
Aguiar e o tenente Joio Bernardo do Reg.
Coninunicju se ao brig-tdeiro commaudante das
armas e mandou se 4 Tnesourana de Fazeuda para
ajuatar contaa aos referidos offici>ie3.
O Sr. gerente da Compauhia Pernambucana
mande dar passagem de r, at Maeao, no vapor
que seguir p na o norte a 5 do corrente, a D. Ger-
trudes de Barros FalcJo, por c mta das gratuitas
a que o g.verno tem direito.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
maule transportar gratuitamente, pi*, para o
Presidio de Fernando de NoroLha a Joanna Car-
neiro da Cuaba, muiher do sentenciado Jos Car
neiro da Cuaba e nma filha men< r. -Communicou-
se ao director do Presidia.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
faca traosportar ao Presidio de Fernando de Nu-
ronba, poi conta do negociaate Antonio Gomes
S una, os gneros constantes da relacio aqui junta,
aasigoada pu'o secretaria do governo desta pro-
vincia.
Sr. rente da Companhia Pernambucana
mande dar passagens gratuitas de r, at o Cear,
a Antonia de Qaeiioz e Mana da Queiroz, quando
ae apresentarem.
EXPEDIENTE DO DIA 2 DE J0XDO OE 1887
Actos :
O 'presidente da provincia, atteniendo ao
que requeren o Dr. Jos Joaquim de S;uza, resolve
aposental-o no lugar extincto de capitio cirurgiio
do corpo de polica com os vencimentos a que
tiver diteito, visto contar mais de trinta annos de
aervifos iffcctivos no empregj.
O providente da provincia, atteadando ao
o nsjuereu Ernesto da Silva Miranda, profeasor
da cadeira de ensino primario da Estrada de Fre-
cheias em Goyanna, e tendojem vista a informa-
do, n 171, de 30 de Junho findo, do inspector
goral da Iuatruccao Publica e o atteatado medico
exhibido, resolve prorogar per trinta dias, cora
ordenado, a licenca ltimamente concedida ao pe-
tecionario, para tratar de sua saude onde lha con-
vier.
O presidente da provincia, sttendend) ao que
rtquereu o engenbeiro Manoel Domingues da Sil-
va, fiscal da estrada de ferro de Ribeirio a Bonito,
r.-aolve concader-lhe quinze das de liren;a, sem
vencimentos, para tratar de negocios de seu ate-
ntas, onde Ihe convier.
Offieios :
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Mande V. S. abonar, sob a responsabilidade desta
presid-ncia, a ajuda de cuato, na importancia de
1024800, arbitrada pelo aviso, junto por copia,
expedido a 17 de Junho ultimo, pelo Ministerio da
Justina, ao bacharel Marcolino Dornellas Cmara
Junior, nomeado juiz substituto do termo do Olin
da, devendo ser opportunamente levada a despeza
ao crdito que tem de ser concedido pelo Thesouro
Nacional.
Ao mesmoNos termos da sua informacio
de 1 do corrente, n. ,310 mande V. S. sapprir o
almoxarifado do presidio de Fernando de Noro-
nha com a quantia de 5:857*985, de que trata o
incluso urcamento, afim de occorrer ao pagamento
da despeza de peasoal e material do mesmo proai
dio, relativo a este mez.
Ao mesmo -A vista da informaci) prestada
pelo inspector da Arsenal d- Moriuha no inclu3)
requerimento, mande V. S, pagar a Manoel Anto-
nio de Souza a quantia de 280*000 por quanto se
obrigou com a capitana do porto do Cear para
pratico do patacho de guerra Pirapamaque nau-
tragoa na Urca-do Minhoto esa viagem d'aquella
provincia para este porto.
Nesta data recommendo ao referido inspector
que reqnesite copia do contracto celebrado com o
alludido pratico, afim de ser fornei-ia a essa The-
souraria.Communicou-se ao inspector do Arse
nal do Marinha.
Ao mesmo.Sir7a-3 V. S. de exigir da col-
lectora geral do m-iuic po de Limoeiro as eerti-
does do idade dos menores Claudino, Estevio e
Maria, alli matriculados sob ns. 44, 81 e 201, o
primeiro com 15 e os outroa con 14 anns de
idade.
Ao inspector d) Thesouro ProvincialDa
feriado boje o requerimento do ex-professor da ea-
deira de ensino primario de Bella Vista do Ex,
Canuto de Pontes Simoes, autor so Vmc. a mandar
pagar-Ihe, indep -ndente de attestado do delegado
erario, os vencimentos relativos aos mezes de
Sctembro a i)ezembro do anno passado, a vista
do qee inforna o inspector goral da Iuatrueco
Publica no officio, n. 167, de 20 de Junho findo,
junto por copia. -Commuaicou se ao inspector ge-
ral da Iustrucclo Publica.
Ao mesmo.Mande Vmc. paear nos termos
da sua informacio de 30 Junbo ultimo, n. 693, a
importancia de 19*3JO devida a Manoel Goi.cal-
ves Agr pelas despezas com o enterramento do
sollado do corpo do polica, Joio Evangelista da
Silva, fallecido a 25 de Maio do crrante anuo.
Remetto a conta das mesmss despezasCommu-
nicou-se ao coamandante do corpo da polica.
Ao director do Arsenal de Gueira.Devol-
veodo as inclusas propostas,que ficam approvadas,
aceitas pelo conselho semestral cm sesaio de 18 de
Junho findo, segundo consta de officio dessa direc-
tora, de 22 do mesmo mez, sob n. 1160, para a
acquisifio da diversos artigos necessarios ao pro-
vimento do almoxarifado desse Arsenal, autorisa
Vmc. a mandar lavrar os respectivos termos de
contracto, na forma do regulamento de 19 de Ou-
tubro de 1872.Cemmunicou-se a Thesouraiia de
Fazenda.
Ao mesmo.Autoriao Vmc, conforme sol-
cita em offieo n. 1163 de 25 de Junho findo, a et-
feetuar administrativamente, mediante -. quantia
de 25*, constante do orcameoto annexo ao dito
oficie, a compra de milconhecimootoa lythjgraoba-
dos para a extraccio de coatas aos tornecelores,
attenta a argente necassidade que ha de taes co-
nhecimeutos para o servifo de exp diente do es-
criptorio do almoxarifado desse Arsenal.Cimrau
nico" -se Thesouraria de Fazenda.
Ao inspector geral da inatrucco publica.
Soasado a autorisacio solicitada pir Vmc. ptra
justificar as faltas de exercicio escolar da profes-
sora Francolina Vieira de Araujo, de que. trata o
sea officio, a qne respondo, de 23 do Jusho findo.
Ao vigario da treguezia de Nazareth.Ei
vando a V. Rvdma., como pede no officio de 28
de Junho, msdelos de mappas de casamentos, bi-
tos e baptiaamentos, conforme o decreto n. 9033,
de 8 de Outubro de 1883, declaro-lhe que devem
ser rucad V. Rvdma.
Portarlas :
Para os fins coavenientes commuoico C-
mara Municipal do Recife que, no recurso de
Amaro Francisco Pereira, de quo trata a sua in-
formacio, n. 41, de 8 de Junho findo, profer hoje
o seguiute despacho:
Neg provimento ao recurso interpoato, por-
que a contribuicio, decretada pelo art. 57 49 da
le n. 1882, de 10 de Setembro de 1886, recahiudo
sobre ura iinn ivel constitue um onus real, nos ter-
mos do art. 3o 4" da le geral n. 1237, de 24 de
Setembro de 1864, no qual ficou subrogado a re-
correute, se do, p rtaoto, obngado ao pagamento
de impostes relativos ao predio qua compran.
Para os fins convenientes communico C-
mara Municipal do Recife que, no recurso de Aa-
tomo Joaquim Caacio, de que tratam aa en is n-
form.cpes, ns. 24 e 29 de 30 de Marco e 4 de
Maio ultim -s, profer boje o segunte despacho :
Dou provimento ao recurso somento para de-
terminar, como determino, Cmara Municipal do
Reite, que conceda a liceuc* requerida p lo le
correute, afim de elevar o muro do quintal de sua
esa .i. 1, sita Praja ao Chaco, altara fis-la
pelo art. 57 49 ia Iji n 1882, de 10 de Setem-
bro de 1886 ; porquanto a Cmara, a pretexto de
falta de palomalo do impostas de exercicios an-
teriores, cuja cobranza deve promover pi-loa meios
iegaes, ni i pode impedir que o recorreoto eleve o
muro conforme prescreve a lei, sem qua effectue
aquello pagamento.
Neg, poim, proviraento ao recurso quanto
parte em que o recorrente se jnlga iseuio da
obiiga^io de sttiafaser o dbbit; do anterici pro-
pietario, po.quinto o imposto decrtalo p la ci-
tada dicposif&o de \<\, recahindo sobre proprie-
dade Iminove constitue onus real, nos termos do
art. 6a g 4 da lei geral n. 1237 de 24 de Seteno
bro de 1861, subrogando, portanto, o recorrente o
pagamento dos mpisioa relativoa ao predio, que
corap> a.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucaua
mande transportar gratuitamente a r, para Mi-
ca), no vapor qae segu para os portos do norte,
a 5 do correte ao Dr. Artbur Chaves.
eal.-3r
EXPEDIENTE DO DR. SECRETARIO
Offieios:
Ao inspector do Theaouro Provinci:
Exm. Sr. presidente da provincia manda remetter
a V. S. setenta exemplares impressos das leis oro-
vinciaes promulgadas no corrente anno, afim de
serem distribuidas s collectoras e a esse The-
souro.
Iguaes ao inspector da Recebedoria Provin-
cial remetiendo oito exemplares.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda
seis.
A > inspector da Alfandega quinze.
Ao inspector da R 'cobedoria Geral dous.
A' commissio liquidadora das contas da es-
trada de ferro do Recife ao LimoeiroS. Exc. o
Sr. presidate da provincia deu o conveniei te des-
tino aoa -documentos an,cexos ao offlcio.de Vy.
Sa. de 30 de Junh fiado.
A> director do presidio de Fernando de No-
ronha.De ordem do Exm. Sr. presidente da pro-
vincia devolvo a V. S. a peticao do preso Avelino
Gabriel de Oliveira, afim de qm informe se a mu-
iher de nome Joaquina Maria da Conceicio, j es-
teve nesse presid > e qual o seu procedimeato.
EM ADDITAMEBTO AO DESPACHO DO DIA-
. 23 DE JDLHO
Dr- Jos Joaquim de Souza. Sim, at-
tendendo que a reforma do supplicante foi
motivada pela extinfco de seu emprego,
e nio por incapacidade para continuar nel
le, nao sendo o servico medico policial pro-
piamente um emprego e importan lo o
offerecimento do supplicanta a economa
de 1:200#000 para os cofres pblicos.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA, DO DU 25 DE
JLHO DE 1887
Abaizo a8Sgnados moradores na villa de
Iguarassu'. Informa o Sr. inspector do
Thesouro Provincial com a3 bases das tres
ultimas arremataos do servigo, da que se
trata.
Agoatinho F^rreira da S;lva Azevedo.
E' preciso sujeitar-se aexame de urna jun-
ta medica, na conf.irmidade do artigo 104
do decreto n. 9420 de 28 de Abril de 1885.
Si na comarca de Garanhuns nao ba
mlicos, deve o supplicante vir esta ca-
pital, ou pelo menos ao lugar mais prxi-
mo aquella comarca, onie baja mdicos no
caso de procederem ao dito exame.
Antonio Marcelino de Souza. Sim.
Dr. Arthur Esperidiao de Carvalbo Cha-
ves. Sim.
Francisco Avila de Mendonja. Dou
provimento ao recurso, para que nio seja
administrativamente, embarazada a cons-
truegio do recorrente, sob pretexto de
projectos a cmara, em tempo ainda acer-
t, abrir urna ra no terreno em que se
quer edificar.
O dir.-ito de propriedade constitucional
mente garant Jo em toda a sua plenitud?.
S o bern publico, depois de Iegalmente ve-
rificado, autorisa o uso e emprego da pro-
priedade do ciiadlo, contando que seja
previamente inderanisado do valor della.
S, p' is, a cmara quer abrir no lugar
nova ra, alias cousiierada desnecessaria,
boj-3, pelo motivos que informa a directora
de Obras Publi.as, deve desde j desapro-
priar o recorrente, e nao oppor limitacSes
illg--s3 ao seu direito.
Francisco Tolentino de Fgueiredo Li-
ma. Em visti da informado da Cmara
Municipal do Cabo, n2o ha que deferir.
Bacharel G.'.spar de DrummonJ. Com
exclusio da isencilo do imposto de expor-
U90 sobre o assucar fabricado no enge-
nh>, abra-so coucurrencia, por sessenta
dias, na forma dos artigos 16 a 18 da lei
n. 1860, de 11 de Agosto do 188*, para
a construccao da fundacSo do um engenho
eentr.l no valle de SerinhSern, com quem
melhor vanlagom offerecer.
Major Hermenegildo Eduardo do Reg
Mont-iro Requ'-ira opportunamente ao
ao Sr. juiz de orphios.
Jos da Silva Loyo Junior.Confirmo
0 despacho de 8 de Margo ultimo, tanto
mais depois da lei n. 1,901 deste anno,
qui derogou a le n. 1354, de 26 de Ju-
lho de 1885.
Joaquim Verissimo do R-go Barros.
dora exclusao da isenjao do imposto de
exportajao sobre o assucer fabricado no
engenho, abr. -se concurrencia, por 60 dias,
na forma dos arts. 16 a 18 da lei n. 1,860
de 11 de Agosto de 1885, para o coutracto
de funtlacao de um engenho central no
valle de Piraogyrinho, com quem melho-
res vantagens offerecer.
Jos Raymundo Ferreira de Araujo Sal-
dante. Sim.
Bacharel Lydio Marianno de Albuquer-
que.Sim, com os vencimentos a que tiver
direito.
Capitao Mancel Duarte Vieir.. Era
vista da iuformajao da Cmara Municipal
do Cabo, de que nao stispendiu o recr-
rante do exercicio de seu emprego, mas
demittio-o, por forca do art. 79 da lei de
1 de. Outubro de 1328, por enteuder que o
rec -rrente nao convinha ao servico da
C mar, acumulando a profisslo de phar-
maocutico, nugo proviraento ao presente ra-
curao, ficando salvo ao proprio reco-rente,
ou a terceiros que se tintara aggravados,
os meios de dir-'ito contra a notueacslo do
substituto, urna vez provado qu> :>lu a
ste a precisa idoneidade para o caigo.
Manoel Vieira Nevos. Informe o ,Sr.
inspector da Tnesouraria de Faz ula.
.M marina Amelia de Ajiorim Ferias.
iLf.rme o Sr. brigadeiro corara, nluit; das
armas.
.pit-lo Manoel Carvalho Pii"S de An-
drade Gouv a. Informe o Sr. juiz de di-
reito la amar de Palmaria, devolvenda
depois com as outra3 petic3es que sobro o
mesmo assumpto Ihe forarn remettidas em
Frvi-rriro o Marc do amo ultinamonti
findo.
Dr. Mancel Poly.-arpn Morara de Aze-




I

OD
i


Mario de ernambucoQuarta- Icira 27 de Julho de 1887
de Jul





/
vado.Informe o Sr. fisoal do canal da
Goyanna.
Secretaria buco, 26 de Julbo de 1887.
O porteiro,
F. Chacn.
Inspectora de Hygiene da Pemambuco
n. 69-em 23 de Julho da 1887.
Illm. Exm. Sr.Em raspaata a* offijia
de V. Exj., do 19 do correte, eusapre-
me dizer que cata inspestoria, dswda sua
installajSo, nao tem deacuidado o diaposto
do art. 26 3 do regtilamento aaoitario
vigente, porquanto tem por direraaa vezas
annunciado nosjomaesdeatacidade, o lagar,
da e hora em que pratica a vaccinaco,
continuando este servico a ser feito regu-
larmente na sede deata inspectora, todas
as quartas-feiras e sabbadoa s 11 horas
do da.
A propagado da vac:ina acata provin-
cia nao tem sido em muior escala, devi-
do somonte insuficiencia de tubos de
lympha vacciniea, que foram reqaisitados
Inspectora Geral de Hygien9 era oflhio
de 22 de Margo do corrente anno.
Deua guarde a V. Exc. Illm e Exc.
Sr. Dr. Pedrj Vicente de Azevedo,
amito digno presidente da provincia. O
inspector interino Dr. Augurio Serafim
da Silva.
Joao Euthimio de Brito Macedo o Bru
no da Silva Carvalho de C. Informe a 1'
scelo.
Ir mandado de S. Padro.Certifique-se o
que constar.
Bacharel Pedro Alfonso de Mello.Em
vista das informacSes, o supplicante nao
pode ser attendicl.
Jala WaJlredo de MaJeirat.Certifi-
q
DIARIO BE PERRA1BIC0
Repartirn da Folela
2* seceso.N 644. Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 2 de Julho de 1887.
IUm. e Exm. Sr. -Participo a V. Exc.
que torara hontem recolhidos Casa de
Detengao os seguintes iudividuos :
A' ordem do Dr. delegado do Io districto da
capital, Rosa de tal, por disturbios.
A' ordem do subdelegado do Recite, I. Gucona
ey, a requerimeuto do cnsul inglez.
A' ordem do de santo Autonie, Carlos Miran-
da, por disturbios.
A ordem do do 2o diatricto de S Jos, Aatonio
Pedro dos Santos, Aatonio Joaquim de Souza,
Antoaio Tavares da Silva, Jos Theotonio de Al-
meida, Manoel Francisco dos Santos e Manoel Pe-
dro doa Santos, por disturbios.
A' ordem do do 1 districto da Boa-Vista, Coa
me Damio Mukz Barcel.os, por uao de armas de-
feca.
Ante hontem, pelaa 6 boraa da tarde, prxi-
mo a bomba de Tigipi do diatricto do Peres, al
tercaram Francisco Jorge Ferreira e Flix de
tal, quando aecudindo ao lugar o inspector de
quarteiro Ulyaaea Franciaco Alfreda, obatou que
a lata continuaaae ; permanecendo entretanto uo
lugar aquellos contendores que j estavam apa-
ciguados, appareceu o individuo de nome Thome.
que instigou a ura dellea pira travar nova lata.
O inspector de qaarteiro deu-ihe voz de pri-
ao e tanto baatou para que Thom lhe descar-
regasae urna tacada no bra; >, evadindo-se em se-
guida.
Hontem, pelaa 2 beraa da madrugada, no
lugar Areias, pertencente a aquelle diatricto, oa
individuoa Antonio Rodrigues de Mello e Antonio
Correia do Naacimento, d< pos de terem convivido
durante a uoite, ao voltarem pasa auaa casas ti-
veram urna altercafo da qual resultou aahirem
ambos feridoa levemente.
O subdelegado respectivo tomou conhecimento
dos factoa e procedeu a reapeito nos termos da lei.
Ainda hontem, no lugar Tabaruna, do ter
mo de Pao d'Alho, o aubd ligado do 1 d
d'aquelle termo prendtu o individuo de nome
Joo Bezerra de tal all pronunciado no art. 257
do cdigo criminal.
No dia 23 do cosrente. pelas 6 horas da tar-
de, no eogenho Sete Ranchoa pertencente ao 2
diatricto da Eacada, o individuo de nome Joo de
tal, conhecido por Joo Guariba, na occaaio em
que paesava pela frente da casa do cidado Au-
dr Pereira Vital, desfecbou um tiro de pistola em
Ignacio Pereira da Silva, feriado o gravemente,
vindo a fallecer dos ferimentos doua diaa depois.
O subdelegado respectivo logo que tevj acien-
cia dj tacto para alli se dirigi, fea proceder a
viatoria, abri o competente inquerito e diligencia
a captura do criminoso que ee evadi.
Pelo subdelegado do 1" districto do Poco da
Panella, foi rcmettido ao Dr. juiz de direitc do 5
diatricto criminal, o inqui rito policial procedido
contra Eatolano de Souza Campos, por crime de
ferimento feito na pesaoa de Bernardo Joaquim
da Siha, facto este occorrido na noite de 2 do
cadent: no lugar denominado Outeiro.
Daua guarde a V. ExcIllm. e Exm.
Sr. Dr. Pedro Vicente de Azevedo, muito
digno presidente da provincia. O chefe
de polica, Antonio Domingos Pinto
Thesonro Provincial
DESPACHOS DO DIA 2G DE JULHO DE 1887
B.ir2o de Arariba. Informe o cont.-n-
ciuso.
Clemente Nunes Pacheco e Affon30 Go-
mes Co.-deiros -A' Recobedoria Provincial
para attender.
Jos Pereira Bastos. Certifique-se.
Manoel Benjamtn Pereira Canejo, Fer-
reira CascSo & C, Aurelio dos Santos
Coibra, Fielden Brothers, Florentino Ca-
valcante de Albuquerque o Sebastiao Gin
calves de Brito.H.ja vista o Sr. Dr.
procurador fiscal.
Fr.inciseo de Paul: Ferreira da Annun
ciagao.Cunpra-D i ;:s're-sc o facam-
se os assentamentos.
Elvira S.iraiva de Arrox la3 Galvao.
Fagara-se as notas da portara de licenga.
Antouio da Costa Percir.Satisfaga a
exigencia.
Moraea Bjrges & U.Iaformo o Sr.
Dr. a.l'Bnijtrador da Rccebedom Provin-
cia^
Abaixo assignados de moradores de
Iguarass, Laporta & C, Affonso de S
Albuquerqu1, Tertuliano de Menionca
Nunes Pereira e Jos Elias de Oliveira.
Informo o Sr. contador.
Fielden Brothers.-Jntese cop3 das
informago;s.
Kecebedo la I*roviudal
DESPACHOS DO DIA 23 DE JULHO DE 1887
Manoel da Cunha Brandao. Em vista
da inforroagao, o supplicante se deve di-
rigir ao Thesonro Provincial.
Joaquim Gongalves da Silva & C D-
rija-se ao Thesouro Provincial.
Ernesto Dmetrio da Costa Amorim,
Duarte & C Silvestre Baptista de Santa
Rosa, Torres Irmao, A. Dueasble, do pro-
curador dos feitosU? e Manoel Cardoso J-
nior.Informe a Ia secgao.
26
Francisca Emilia de Gusmao 'erreira,
Ignacio Jos de Paula o a irmandade de
Nossa Senhora da Boa-Viagem.Informe
a Ia secgao.
Medeir s & C.Cumpra-se.
Joao FranciscJ dos Santos e Jos da
Costa Ferreira, D-ferido de accordo com
as informagoes.
Manflel Jos de Bastos Mello.Deferi-
do com relagao ao 3o semestre do corrente
exercicio.
Manoel Jos Gongalves Braga.Sim,
vistas as informagoes.
Satyro Serafim da Silva.Junte oo-
nbecimento de quitagao do imposto.
Irmandade do Senhor Santissimo Sacra-
mento da matriz de Santo Antonio.Cer-
tifique-se o que constar
RECIFE, 27 DE JULHO DE 1887
Modelas da Earopa
E o reata ala* aaticiaa e a/se Ui portador o
paquete inglez La Plata :
Blgica
Trata ae do parlamento belga de eliminar ai;
aubatituicea do servico militar, e tornar obrigato
rio o servico pesajal. A direita parlamentar na i
parece, porm, dispoata a votar o proj^cto; e,
neua anpposicao, o r?i da Belgics pedio papi.
qu- ioiuiaae ao animo di direita parlamentar,
par que cata deeae o seu voto ao proji-cto. (>
secretario de estado da Santa S favoravel pre
tenc&o do re.
Por maia extraordinario que nos parces o expe-
diente, saguido nesta coiju tic tura, pelo rei Leo-
poldo, tem elle a oais fac explicacio, desde qne
se saiba que a direita parlamentar formada doa
membroa maia grados do partido catholico belga.
Malaaa
Aa cmaras federaea da Suiasa encerraram j& a
ana seaaao do eatio ; e, no prximo mes da Outu-
bro proceder se-ha a novas eleicoea.
-J Urna correspondencia de Z irich, datada di:
6, para urna folha francesa, di canta de urna laV
meotavel cataatrophe succedi la na pequea cida
de de Zug, victimando maia de cem peasoas 1
Maia de 40 casas desabaram ao lago, arrast io-
do toda a gente que aellas ae achavam.
Foi a 4 horas da tarde que principiou o abalo.
Com um medanho ruido, urna casa situada no vo-
vocaea, prximo da gare, abyjmou ae no lago, aba
tendo tambem parte do caes.
Nada fazia prever eata catastrepb.'. Felizmente,
quando o caso succedeu, algumas tamilias estavam
fra do casa.
Foram lago organiaados tolos 03 so-C^rros, ado-
ptando-ae todas aa precaocoes para garantir as
outras casas ; mas, tres horas Jepoia, um segundo
abalo ae reprodaz aioda maia medonho, e desta
v.'z cahem descais casas, com todos os scua ha-
bitantes.
A's 11 hjrsa da noite, a cataatrophe repate-sc
pela terceira vez. Mais 15 casas vao parar ao
lago. O hotel de Zuricb, ua> doa maiorea da cida-
de est nesae numero. O hotel eatava cheio di?
hospedes alli attrahidos pelo bom tempo. A maior
part 1 dellea foram arrebatados emquanto dormiam.
O eatrondo det* nova -^ue Ja ac dou toda a
cidade. ditcil descrever o pinico da popuia
fia.
Toda as peaaoaa q> quelle bairro fogeni espavoridas. A obscuridado
da ooite tornava maia h rriyel anda aquelli sue-
na de desolacao, augmentando a difficuldade doa
aoccorroa. De um momento para outro, esp ra-
va-ae ver submergir tola a cidade que est b> ira
do lago. Hmeos e muiheres, gritando deseape
rados, iogem para fora da cidade.
Na manba segainte, depois de a verificar os
horrores da eatastrophe, as i.utoridades fizeram
evacuar todo aquello bairro. Ainda depoia abate-
ram maia quatro casas.
Nao se pode calcular precisamente o numero de
victimas, mas parece que sao maia de cem.
Zug urna das cidades mais pittoresca da Su
sa, situada a diatancia de 40 kilomctroa de Zuricb
Passam all todos os touriatea, que de Zurich viii
fazer a claaaica excursaodo Kighi.
A estatiatica de 1882 diz qne em Z'ig havia
53:892 viajantes ora, de anno pra anno, eeaa cifr-i
tem augmentado coniiderHvelmente.
Tres quartos de hora depois de ae sabir de Zu-
rich avista-ae, p:r entre as arvorea, aa ondas azues
do lago de Zug. sobre e.'se lago que estao as
casas de onde ae gosa o m lbsr panorama, que
realmente encantador.
Nj cimo damoutanba estao os famosos estabule-
cimentos de bauhos de Fclaenegg e Schooenfelt.
Entre o lago e o eatabeleeimento de banhos, veni-
ae as vivendas mia pittoreacaa, os chalets maia
graciosos embiscados na veidura do arvoredo.
Ainda se nao sabe a causa duquella horrivel ci-
tastrophe. Alguna gelogos, que fjram consulta-
dos, referem-se eatostrophe que a 2 de Setcmbro
de 1806 succedeu oa aldeia de Goldan, a 20 kilo-
metros de Zug. Em 3 ou 4 minutos, em uai valle
que era ubi paraso, maia de 300 casas Acarara
entnrradas sob um moato de rochedos, perecendo
457 peasoas.
talla
Estava para encerrar-ae o pirlamento italiano,
tendo, entre ontras medidaa j oa vinte milhoea
que o governo pediu para as despeina militares da
frica.
A oceupacao da Massuah, sobre o mar Vermelho,
sendo um facto que liaongeou o ministerio Mant-i-
ni a opinio publica na Italie, fui tambem a ori-
gen) d a deaaetrea que aa tropas italianas soffr -
ram dos abyssinius em Doguli.
O ministerio correepondendo opinio geral, de-
seja deatorrar-se e manter a sua dominago eji
Maaauah.
O crdito de vinte milhoea, para as despeina
militares ua Atrica, tevo M parlamento apenas 37
votos contra.
asues da votacao, o ministro Crisp pediu urna
moca de confianca, que tambem foi votada ; e o
ministro Mancini que o verdadeiro auctor da pri-
meira expedico italiana frica, pronunciou um
discurso que produzio grande impressao.
Disse elle qne a sua empresa fora prejudicada
por um incidente de forea maior, mas que nein par
isso Massuah deizou de ser urna acquisicao pre-
eisaa, embira injufficientemente avahada por ora;
e aocreBcentou que, nesaa queatao se mantiverim
as maia ordeaes relacoes entre a Inglaterra e
Italia.
Crisp confirmou esta proposicao de Mancini,
aiiirmaudo a cordealidade d'aquellas relacoes tacto
no Mediterrneo como no mar Vermelho, porque
realmente os intereis 's < cerca-
centju qie a empreza r..i ,>i su >u nao offurecia
receio de qualquer conflict) com outras potencias.
E' difcil caliulir at anata aa estendero casaa
relacoes entre a Italia e a Inglaterra.
A Inglaterra d Italia carta franca eobre as
coatas domar Vermelhi, como a I'alia apeia a (io-
lirica ingloza em Constantiaopla.
E' tambem difcil prever o que os italianos fot So
na Ahyaainia depois de votada a mocito p.'dida por
Crisp. O fim principal do governo vingar o des-
astre de Dogati e obrigar a Negus da Abvsainia
a urna paz honrosa pasa a Italia, Mas nao sabe-
mos a que meios ser preciso recorrer para obri-
gar Negus a dar as satistacoes que a Italia ce-
neja. A cmara deu ao governo as mais amplaa
facilidades, nem outro camiaho tinha a seguir
Vae reforaur-ae a cmara doa senadores em Ita-
lia. O senada votou j o respectivo projecto, oue
favoravel Inglaterra o nao ser approvada a con-
veacSo.
A Sublime Porta propox e o marques de Salla-
ba rv aceitou modificaodes no convenio egjpcio que
salvaguardam os diraitoa do sulto. Aaaim ha
agora probabilidade de que o convonio aera ratifi-
ca do. O aultSo tenciona eonvocar o grande naeio-
na 1 para submetter sua apreciacio o convenio.
O marques de Salisbury decidi que sir Wil-
lia m Drummund Wolf prosiga as suas diligencias
em ConstsatinopU, e espera-se que o sulto aca-
ba r por eader.
O govaroo iagias pode experimentar em breve
aaa moiliisiieis aor causa do incidente que ae
aa com so a*aa miwatroa, ineidjnte que, muitoa
jalgam na poda daisar de obrigar aquelle minis-
tra a retwar-ae.
Ha partaanaarfo aagl-z, abill agrario da Irisada
f sai adastsaV esa tercara leitara.
Hoparlsaanrrto agW, j s faou di convsa*Io
agk>-turea.
Entretanto, o ministerio manteve a esse res-
peito aa maia prudentes reservas ; lord Salisbury
deixon perceber que esperava a prozima ratifica-
510 da convenci ; e lord Ferguason mostroo qne,
na ana opinio, eram erradas as preoecupaedes a
tal reapeito, porque nSo reeeiava que a Inglater-
ra, por eaasa da convenci, ficaase expoata a urna
guerra eosa qualquer potencia europea.
lato nao paasot de um incidente parlamentar.
A queato capital, de que ae occapam ainda as
Cmaras inglesas o bi coercivo da Irlanda. A
diacusao tem corrido to lentamente, que o mi-
nistra Smith declarou que, se at tal dianao
eativessem ainda votadas as emendas propostas
pela oppoaico, requereris a votacio aellas sem
diseasaio.
Na Irlanda o partido do hume rule vai-se prepa-
rando para as eventualidades, iato vai eatudao-
do os meios da tornar o meaos efficas possivel o
b.ll criminal.
Por oulro lad i, correo boato da que o governo
proceder enrgicamente e pora em estado da si-
tio os trez condados de Clare, Herry e Cirk.
As graves aceusacS's dirigidas pelo limes aos
jornaliataa vo provavelaieote produzir um pn-
cesso, que devo causar sensaei) no mundo politi
aa. O antigo secretario da ConfederaeJo d 1 Oran-
Br^tanha em f ivorjoa hume rule, Hugo O' Don II,
atacado violentamente pelo Time, eacreveu ao
editor deaaa t.lha, dizeodo que vai intentar-lh
um procesao por diffamac-So, ae o THmi, no pras)
de 8 dias nao preferir as seguintes condifo 's :
l.o Rttractar-se e dar satiafacao ao Sr. 0. Dj-
oell e aos seua antigoa collegas.
2. Deaeulpar-8e de ter induzido em erro_a opi-
nio publica ingleza.
3. Dar, como confirmaco das suas retracta-
$oea, urna somma de de mil libras aoa estabeleci-
mentos de beneficencia de Londres, sem datincci
de religies.
Veremos a resposta do Times, que 6 esperada
com graode e natural curiosidade.
A rainha Victoria colloeou a 5 do Julho a pri-
meira pedra p:ra o edificio da expoaico das co-
lonias em Sortth Keusingtan. Aasistiraui a eata
ceremonia todos oa principes estrangeir js excep
cao do principa imperial da allemanha. A inul-
tido acclamou a rainha.
No dia 9 a rainha paaaoa revista a 58,030 lio-
mena de tropa e voluntarioa no acampamento de
Aldersh ,
Dcp'is das m mobraa o dn^ue de Cambridge
apreaenton rainha orna mensageoa do excrcito.
A rainha reapondeu affirmaudo a sua plena
confianza no exercito e acreacentju que a sua
oraco mais fervorosa para que durante o reato
do sea reinado leos conceda ao seu pavo o bene-
ficio da paz.
= cima diaaemos que o gabinete inglez, pode
ser brevemente modificado por causa do inciden
te parlamentar occorrido com um doa ministros.
Eipliquemo-noa.
Traeta se de orna crise e de um escndalo. O
ministro do reino, o Sr. Matbewa, que um advo-
gado distiucto, mas um parlamentar mediocre
abri o caminho criae. O caso este.
Urna costureira, Misa Casa, empregada na casa
da Sra. Bowjian, cuja respeitabilidado reeonha-
cida, sabio na noite de 28 de Junho para faz r
nmas compras. Quando chegou a Itegent Street
foi presa por um polica, que all<*gava ter ella se-
guido quatro eujeitca, um doa quaes sequeixava
de que ella o havia provocado por tres vazea, den-
tro de meia hora.
Levada para a estaco policial, Mita Cass foi
ah aceusada de prostituico e fechada no calabo-
zo, send algumas horas depois, afianzada psla
Sra. Bewmao, sua patia.
No dia seguinte, 00 tribunal, o polica repetio a
mesma accosaco, e a Sra. Bowman declarou que
a rapariga era a sua principal operara, que es-
tava desde algura.a aemanas, ao son servico ; que
fra empregada dous annos n'ootra casa; que
desde que a tomara ao aeu servico nurca sahira
de noite, eeno quando fci presa; e que de urna
hcnostidade excinplar.
O juiz, o Sr. Newton, fes calara b'ra. Bowman,
e, voltando-ae insolentemente para a aceusada,
accrescentou :
Se voc urna rapariga honesta, n> pasaeie
de noite em Regent-Street, quando nao, se aqu
vdtar, vai logo para a eadeia.
No da seguinte, o Standard e a Pa Mal Qa-
cetle censurava enrgicamente o juiz, por ter at-
tendido a deedaracao solada da polica, e injuria-
do ama rapariga honesta, sem querer, ao meaos,
ouvir a det-za.
A queato foi levada no parlamento.
0 ministro do reino foi interpellado pelos depu-
tndos Jones e Chamberlaia ; mas a resposta do
ministro foi vaga e ponco satisfactoria. Concluio
prometiendo que tomara informac-'s.
Interpellado de novo no dia immciiato, o rai-
nictro recuaou-ae a proceder a um nquerito acer-
ca do comportamento do juiz, c. ponderou que a
rapariga pedia demandar a polica pelo falso tes-
temunho.
Eata rejpcsta irritou a cmara, o o ioterpellante
-es propoz a prorogacao da aesso para se dis-
' 'ir amplamente a priso de Misa Cass.
'jsta votaco o inquerito requerido pelos in-
; liantes e recusado pelo ministro, foi este ba-
1 por 153 votos contra 148.
Jepoa desta derrota, quasi certa a demisso
1 ministro do reino.
O incidente de Misa Cas produzio a ma'18 viva
S'usicio sobre todo as clasaea operara*.
allemanba
Por despacho do gobernador da Alaacia .Loure-
fo prohibido o emprego da hogua francez i,
que al hi.je en adoptado nos tribunaes de certaa
localidades de Loreua c no tribunal do commer-
co.
A polica d'Epfig, prenden na manh de 6 do
corrente, seis rapazea de 20 a 23 annos, aecuaados
de haverem, cantado em 26 de Junho nltimo, em
C'.liatenois, urna cancao que terminava p-lo re-
/rain :
Nous ne voulotupa treprussiens.
Oa seis peraeguidoa deram entra da na eadeia de
Colmar.
Austria Hnnarrla
E' certo que na Bulgariajhavia glande desaceor-
do entre os membros da regencia e o governo.
Os regentes queriam a eleico lo principe de
Saxe Goburgo e os ministros da guerra e dos ne-
gocios estrangeiios pretendan! que loaae novamente
chamado o principe Alexandre de Battenberg.
Ao acto da eleico mais se pode virdadeiramente
chamar urna acclamaco, pois a grande Sobranii
irrompeu em vivas enthuaiastico, manifestando
uanto era do seu agrado e fescolha do principa
'era ando.
Julga-se que este principe acceilsr a eorda da
Bulgaria.
A regencia e o ministerio persista em manter
as aaaa dasaisaoes.
A grande aasembla nacional sin la ns decida
nada.
Eis o que foi commanicadwaopri.'iaipe Feraando
logo depois da acclamaco :
Oa desastados da grande SebraiecooipaaMra-
doa das altas qualidades que oro isa a angosta
paaaoa de vosea alteza .real,.bem como das ver-
dad-iras sympathas que vos conc uistou a causa
blgara acabara de acclamar calorosamente por
unanimidade a Vossi Alteza Real para 'principe
da Bulgaria.
Depon do oas mosde V. A. ai nossas humil
des felicitaces, faco-me interprete dos'fervoroaoa
votoa, que todos os deputadoa e toda a naci for-
mara para que V. A. se aprsente o mais cedo poa-
siv.l, oa Bulgaria, como soberano do povo, que
confia em que V. A. votar a sua nobre e preciosa
vida ao desenvolvimento da libenlade e da gran-
deza da uaco blgara. (Asaignadi)TotrrcHErr.
(preadente da S.brani).
0 eleito da aasjmbla blgara neto o re
Luz Felippe. Sua me, a princesa Clementina,
havia desposado o principe Augusto de San Co-
burgo-Qotba, perteucente a ama familia catholica
e auatrica.
Seu irmio mais velhc, Fernando i8axe Cobur-
go-9otha,deaposara .'rainha de'P.11 tngalJVlaria da
Gloria (D. Mana II), e era pai do actual re
de Portugal D. Luiz 1.
Do casamento de Augusto de Sai e-Coburgo-Qo
tha com a princesa Clementina, uaiceram 5filhoa:
3 vrdea e 2 fe incas.
Felippe de C >burg> casado coma orincezi Luisa,
filba mais velha dj rei dos belga:; Augusto de
Coburgo, viuvo da princeza L;opol lina do. Brazil
e fiualmen o Fernando, naacido em Vienna a 26 de
Fevereiro da 1861.
O principe Fernando eat anda soltero. E'
tido por ama grande capacdade p litica.
ti osa de alta importancia na Austria, onde tem
pasa ido a miior parte de ana vida.
E' muito aff icoudoa Franca.
_ Como eacriptor, tem trabalbos de groada tnere-
emento
Cultiva com camero a oraitholo^ia e possae no
seu pelacio vastisaimos viveiros que o principe im-
perial, ornitbologo distincto, vai m litas vezes vi-
ai -ar.
Esta perfeitameate claro, asaim o faz o'oscrvar
La Paix, Le Soir e outros jornaea frane-zos, que
o fim Ja reunio da Sobranii estjirvisto meemo
antea ella ee c l.-biar.
Na cumprindo a nenhuma pote ocia a intervir
n'estes actos da regencia, os candidatos do thro.u
da Bulgaria e podem ser imposto 9 pela propria
regencia.
Q laai ultima hora o principe Alexandre renau
eiou mais urna vez, pelo telegraph., candidatura.
S reato va como candidato o principe de Saxe-Co
burgo, porque)a>candidatura do rei Mi. m o Servia
foi atirada aaa quatro ventoa, como mero balaode
saaaia.
Havia ainda outro candidato,c do limes, can-
didato orgo myaterioso, urna ves t-ua o grande or-
go anda nao quiz apresentar o oeu nome ; alm
de que a maioria dos deputadoa Duigaros nao teem
a menor idea do principe que teiii de ser propos-
to sua cscolh ..
Eate candidato ficar para o futuro em estado de
niyihi, o que nlo inquietar ninguim, a nao ser oa
redactores do Timas.
Por conseqjenca a eleico porece ter cabido
Sera no principe d Saxe-Coburgo Apezar d'esse
acert, o facto em ai nao mudar m nada a situa-
c/io actual na Bulgaria.
O Daily _NetM receben de S. Pteraburgo o se-
guiute des acho :
O prncipe de Cobourgo put licar um mani-
fest, annunciando que nao vai oceupar o posto
que lhe foi confiado seno cond cionalmente, at
que a sua eleico seja sanceionoda por todas aa
potencias.
Suppoese que a Turquia, a Austria, a lugia-
trra, a Allemanha e a Italia d.ri.o tambem a sua
adheao. a
Servia
>izcm d'Odeesa ao Times, qu H rainha da Ser-
via acaba de embarcar para Sirtavo, d'onde re-
gressar a Belgrado, depois de haver visitado a
rainha da Rvumania.
Turqua
A convenco anglo-turca, a cae esto ligados
iateresses das maiores potencias europeias, conti-
na a preoecupar a imprensa poltica estrangeira.
Oa commissarios turcos solicitara m dos commissa-
rios ingleses novo prazopara a r: ctifica^o. Ain-
da se nao sabe at onde se estendj este novo adia-
mento.
No entender de nm correspondente francez, o
que as potvicias contraes da Europa pretendem
principalmente impedir que a Jtuasa identifique
a sua poltica com a Franca, n'im queato que,
c indirectamente so liga aoa intereaaea rnasos.
A situaco de Creta contina a inspirar cui la-
dos Turqua. Esperam-se a cada hora novas in
aurreicL-s, a que se attribuc ums de duas causas:
ou a demora qne a Turquia tem tido em attender
as reclamacoca doa cretenses ; o 1 aos estorcos oc-
cultoa da Inglaterra, que desoja achar um pretexto
para para p6r os ps em Creta, orno diz um ebro-
uiata.
Cuma
Um lelegramma enviado de Shi.ngai ao Standart
noticia que o prximo easamento du Quang-Lu, o
joven imperador da China, foi officialmente annun-
ciado.
A ceremonia n upcial nao cuat r monos de vin-
te e cinco milhoea da francos, nove mil contos cm
moeda braaileira.
Esperam-se nomerosas mudanzas por eata occa-
aiao no peasoal da administrado imperial e no das
legacos chinezas na cstiungeirc. A legaco chi-
neza em Londres ser encarroada daa retaco js
diplomticas do imperio com os gabinetes de Pa -
ris, Bruxellas e Roma.
Annuncia-ae que o ministro da China em Berlim
ser encarregado de representar o governo de Pe-
kn, junto dos governos de S. Petersburgo, Vienna
e Haya.
"* Consts-nos ainda que do conflicto resultaran]
quatro mortes e ferimentos, sem que nos aoubessem
informar a que lado pertenciam os mortos e os fe-
ridoa.
O certo que s 8 horas da noite o subdelegado
de Apipucoa eatava procedeudo as vistorias dos
feridoa e mortos.
Esperamos boje informacoes mais detalhadas
sobre to lamentavel facte e as tranamttiremos aos
nosaos leitorea.
O Club da PasaOa socios deste elub fo-
ram hontem das 2 horas da madrugada por diso-
te visitar o estabelecimento de mslhados sito
ra do Maiques de Herval n. 141, pertencente
aos Srs. Silva Jnior & Assia.
Para all ipoderem penetrar fizeram um posti-
go junto soleira em urna das portas, por meio
das suas celebres pas, e condusiram pelo mesmo
postigo nm queijo imeago, duaa garrafas da vi
stho fino e 10 libras de manteiga ingleza em la-
tas.
Lvaram mais 1<400 em cobre que aaeontr*-
ram em um caixo em baixo do balco.
Em acto continuad) foram a urna carteira que
eatava aberra e conduziraoi um caixosinho onde
ee achavam una coahecimentas de impostoa. Estes
foram encontrados e o caixo na eatrada que vai
para a eataco de Carnar.
Na poderara taser trabalbo mata a*e\ado por
serem aa portas traocadaa com trancas de trro e
fechadaa por cadeados.
A eata boa providencia, digo* de ser imitada,
de vera os Srs. Silva Jnior & Asa:s nao terem
softrido urna lnnpi geral na casa.
Uauumiaaes A imaortante casacom-
mercial desta praca, sob a firma Jos da Silva
Loyo & Filbo, e de qne chefe e honrado Sr.
Viaconde da Silva Loy, acaba de conceder a li
berdade, sem oous de especie alguma a todjs os
seus eacravisados em oum.ro de dezenove.
E' cate um acto digno de todo o apreco e que
cauaou agradavel impressao neata praca.
Tambera o Sr. comuendador Joa da Silva Loyo
Junur e sen conbado o Sr. Jos da Silva Loyo
Sobrinho concedern a liberlade, mediante prea-
taco de aervie js por um pequea praz >, aquelle a
doua c ee a trea eacra visados.
Vinte e quatro llbertacoeaAo Exm.
Sr. Dr. Jos >lanoel de Barros Waoderley, abas-
tado propietario desta provincia, e que, no aooa
paaaado, libertou sem condica alguipa a todos os
aeua eacraviaados, tacto de que en tai demos noti-
cia, acabam de communicar aoa seua amigos, tan-
bem proprietariot, os Srs. Lino Eibeirode Anira-
dc, Domingos Rilo -iro do Audrada e Leandro Gan-
ca'ves de aV>uza, que libertaram os seus eacravi-
aadoa em numero de 24, com a condifo de Ibes
preetarem servicia at o dia 24 de Dezembro de
188?.
O Sr. Lino libertou aaaim a 12, o Sr. Domin-
goa 7 e o Sr. Leandro a 5 escraviaadoa.
Applaudimoa to humanitaria accio
Paquete* Tauaar-Este vapor, sihido da-
qni 00 da 14 do corrente, com escala por S. Vi-
cente, chegou Lisboa hontem, s 6 horas da ma-
nh, segundo telejrammt reccbdo pelos Sra.
Adama >u H.wic & U., e qm noa foieommuni-
eado.
Perlaicntoa No di 24 do eorreate e na
tetrada do Tigipi 1 (erido par Toom eom nm 1 faca.la 11 > brajo o inspector de qaartei-
ro U'yssea Francisco Alfredo, na occiaio em
que este prenda aquelle par estar instigando d.ua
individuos a travarem luta.
Ante-houtem, s 2 horas da madrugad, n>
lugar Areias dodistrioto do Peres, Antonio Ro-
drigues de Mello e Antonio Correia do Naacimen-
to feriram-ae reciprocamente depoia de alterea-
rem po- algum tasb 1.
Pol preso O subdelegado do Io diatricto
de Pao d'Alho prendeu uo lugar Tabaruna a Joia
B ;zerra de tal, pronunciado no art. 257 do cdigo
crimiual.
Tiro e morir. = No dia 23 da corrente, a
6 boraa da tarde, no eugenho Sete Ranchos, do
2o diatricto da Eacada o individuo Joo de tal,
conhecido por Joo Guariba, deafechara um tiro
de piafla sobre Ignacio Pereira da Silva quando
pssuva eoi frente da caaa de Acdr rerera Vi
tal.
O off :did) rete a fallecer doua dias depoia em
cons:qucucia dos termentaa rcaultaotes do tiro.
FalleclmentoFalleceu eacpultou-ae hon-
tem uocemiterio do Saoto Amaro o antigo prati -
co da costa do norte, Aatonio Goipes Pereira.
A su digno filho, Dr. Autono Gomes Pereira
Juni r aposentamos nossas condolencias.
Outro A'a 10 horas da noite de ante hon-
tem fallecen o proprietaria do bilhar Luzo Bi
sileiro, Jos de Mattos c Silva
HtvisT DIARIA
reorgunisou o exercicio daa funecoea senatoriaea.
O Sr. Crisp upreseutou cmara dos deputadoa
o projecto de prorogacao do tractado de coajm r-
cio com a Heapanba al Dezembro de 1887.
ama at
Em Novembro sero abortas negocacoes entre
Portugal e Vaticano afin de se constituir no Con-
go a hierarebia catholica.
A cidade de Valoncia vae presentear sua santi-
1 'dade, por occaso das suas bodas de ouro, i om
urna estola pontificia de um considera vel valor.
O estylo do desenho romnico e exprime por
Tocio de alegoras as virtudes do sacerdote e o aeu
carcter de ministro de Christo.
Di confeceo do bordado eucarregou-se obse-
quiosamente urna senhora valen ona.
Para dar mais relevo ao mereciu. nto e valor de
to importante dadiva, ha mais de quatrocentas
pedras preciosas, algumas de subido preco, offere-
cidas por umitas pessoas d'aquelle arcebispade.
O Papa tem andado iocommodado de sa le :
sent grande cansaco, soffre muito de dores de es-
tomago e dos dentes, come ponco, toma smente
bebidas geladaa, e dorme mal ; entretanto o sen
estado nao inquietador.
Inglaterra
A convenco por causa da evacuacao do Egypto
continua a aer o objecto de todas as preoecuoa-
coes, porque nao se sabe ainda ss a Turqua ra-
tificar ou nao a convenco. As repugnancias
por parte da Turquia parecem ter sido to gr in-
dia como a insistencia por parte da Ingla-
terra.
J em Inglaterra se comee* a encarar a quea-
to sob todos os aspectos, e mesmo sob o de oo
obter a convenco a aquiescencia da Turq lia.
'At mesmo nao falta*qnem diga que ser mais
O ministro da fazenda hngaro tem-se oceupa-
do recentemente de diversas combinaco a desti-
nadas a colhtr melhur resultado, emproveitoda
receita publica, do monopolio des tabacos que
accualmeute exercido pelo Estado.
O governo da Hungra tem recebido differentes
propoataa para urna regie ex-intereaaada, e entre
tu tras d parte do grupo financeiro Kutschilde
crdito mobiliario austraco qa offerece arrematar
a regie por um preco superior a 14 milhocs de i-
ria (contos 6.300) ao rendimento aetnal, accres-
cimo que se espera obter pelo deasenvolvimento
da predueco do tabaco epela expoitaco.
Bulgaria
Foi eleito ltimamente pela grande aasembla
rei da Bulgaria o principe Fernando de Saxe Co-
burgo-Gotha, tenente do exercito-austriaco.
Parece que a eleico deate principe para sobe-
rano da Bulgaria foi a contento da ,propria Rusaia.
V Allemanba, segund|aejffirma, propenda para
a soluco blgara desejada pela Inglaterra e d ate
modo nao seria para eatranbar que a Ruasia se
encontrasse do lado oppoeto.
O dizer-ae, porm, que a Ruasia nao duvidaria
aceitar o rei que fosse eleito, parece findicar que
as divergencias at agora existentes se desvane-
cern!.
De qualquer modo, conseguiu-se at hoje evitar
a guerra, e a soluco apreseotada nao de natu-
resa a provocal-a.
A Gnela de Coburgo faz observar que o princi-
pe Fernando nao pode aceitar a corda da Bulgaria
sem autorisaco do chefe da familia o Duque Er
nesto II, e do imperador da Allemanha.
Apeaar do que se espalha quanto so bom humor
do governo ruoao a respeiio desta eleico, nao
falta quem diga que aquella potencia considera ilie-
gal a aasembla reunida em Tirnova eque se recu-
sar s reconhecer a eleico do principe de Eaxe-
Coburga-Gotha,e entende que as outras grandes po-
tencias nao podem tomarla serio semelnante eleico.
Promotor publicoPor portara da pre-
sideocia de 25 do crrente foi nomeado o bacharel
Joaquim Antonio da Silveira para exereer o ear-
go de promotor publico da comarca de Buique,
sendo exonerado o bacharel Jos da Costa Doura-
do, que o exercia.
Adjunto de promotor Por portari
da presidencia da mesma data, de conformidade
cam o diapoato no artigo 1, J da lei n. 2,033, de
20 de Setembro de 1871, foi nomeado Joa Fran-
cisco Salustiano Granja, pai a adjunto do promo-
tor publico da comarca de Salgueiro, no termo de
Leopoldina.
Delegado IliterarioPor acto de 25 do
corrente mez foi nomeado o bacharel Joo Gon-
galves de Azevedo para exercer o cargo de dele-
gado do diatricto litterario de S. Lourenco de Te
jucupapo, que se achava vago.
fcrave conflicto Hont:m as 6 1/2 horas
da tarde o Dr. chafe da polica foi avisado pelo
telepbone do Caldereiro, que tinha havido um
grande conflicto no engenho Brejo, do diatricto de
Apipucoa, entre trabilhadores do Dr. Paulo de
Oliveira, proprietaro do referido engenho e os dos
filhos do finado Joa Ceaario do Mello.
O Dr. delegado de polica req>iisitou do Dr. che-
fe de polica forja sufficieuto para seguir em deli-
gencia at o lugar do conflicto.
Immediatamente o Dr. chefe de polica deu as
necessarias providencias de modo que no trem de
7 horas e 45 minutos da noite 8<;guiram para Api-
pucoa 30 pracas de linba do 2." batalho de infan-
tera, coinmaodados por um olScial, a disposico
do Dr. delegado,
At a hora em que escrevemes (10 da noite) nao
sabemos dos pormenores do conflicto, nem o que
deu causa ao meamo, consta-nca, porm, que ha
alli questoes contra o Dr. Paulo de Oliveira e os
filhos do finado Cessrio acerca ce limites de trras,
que cada urna das partea cont adoras dis serem
suas, tendo j anteriormente reauitado de taes
contestacoes arrncame oto delavourase diatruico
de casas de parte a parte e iccoea judioiaes a
reapeito ds posse e propriedide das referidas
trras.
O finado era maicr de 50 annos e
Portugal.
Deixon testamento, seado 1* testatnenteire o
Sr. Dyuisio da Silva Guimaraes.
C o ni panilla, 1} ricaA testa artstica da
Sra. A. Naghel, emprezaria da companbia lyrica,
a iiu 1 devia realisar-se hontem no theatro Santa
Label, ficou transferida para quando fr annun-
ciada.
R eclamacaoRcmAtem-nos o seguinte :
Pede-se lllma. redaeco do .Diario que cha-
me a attenco do fiacal do Io districto da Boa-
Vjsta, ou de quem competir, para o estado lasti-
ma vel cm que fica a ra do Leo Coroado (ou
Mangueira) quaodo chove, devido ato a fa-!ta de
desobe trueca de um cana qae coa turna vara -a
anteriores fiscaes desentopir quasi sempre.
Iwto Miau :E' este o nome de urna linda pol-
ka para piano, que acabiu d publicar nesta ci-
dade o Sr. Claudio P. da Gama, a quem agrade-
cemos a offerta que noa fez de um exemplar.
Os pian'att.8 euconsl-a-ho ezposta venda
as seguinte casaa : ra da Imperatriz n. 82,
loja Vencedora e do Barao da Victoria n. 22, loja
Bazar Uuiveraal.
Keunloe aoclaes -Hi hoje ss seguin-
tes :
= Do Club Dramtico Familiar em aesso or-
dinaria, a 7 horas da noite, em sua sede ra do
Imperador n. 41, Io andar.
= Da irmandade de Sant'Anna da igreja da
Madre de Deua, a 6 1/2 horaa da tarde, pura as
proceder eleico da futura meas regedora que
tem de fuucciouar 00 anuo compromiaaal de 1837
1888, viato nao sj ter effectaado no dia marca-
do por falta de comparecimeoto doa rbpectvos
rosaos.
Cabo Deata lscalidadc nos communicam o
seguinte:
A Cmara Mu ocipiltem funecionado regular-
meote sem espirito poltico procuraodo armente o
bem do municipio, tanto que, consta procurar ella
contractar um curral para guarda doa cavados
nos dias de feiraa tirando-os aaaim do mercado pu-
blico ; tambem procura aforar um terreno para alli
ae fazer a mtanos, evitando que oa b-ris sejam
mortos noa lugares onde convm aos mai chantes,
fra da inspecco do fiscal.
Foram demittidoa, de secretario da Cimara o
capito Manoel Duarte Vieira, e de fiscal Joo
Paulo de Lima, e nomeados para secretario o te-
nente Joaquim Thomaz Ribeiro Vatejo, e para
fiscal o atieres Joo Rufino Ferreira Filho ; os no-
meados prestaiain juramento'e ae acham era exer-
cicio de seus cargos.
> Esto em juizo duas accoes de liberdadc, por
filiaco deaconhecida, e os proprietarios anciosos
pela deciso para saberem ae teem ou nao de per-
derem parte de eeu8 eacravoa que por tacilidade
foram aaaim matriculados.
o Foi sustentada pelo Dr. juiz de direito a pro-
nuncia do portugus Mauoel Joaquim Fernandes
Gomes pelo dtfloramento da infeliz Mara, filba de
Paula Mara de Joaua.
Bonito. -Recebemos desta localdade, datada
do 24 do corrente, a muaiva intra :
Sra. Redactores.Ha muito quo nao se le no
seu importante orgo de publicaco urna e noticia
do8ta comarca, pelo que reaolvemos quebrar o a-
leocio em que noa mantiohamoa para referir o que
de maia importante aqui ae tem paasado.
No dia 11 de Junho aasumio o exercicio de juiz
municipal o Dr. Sebastio Ildefonso do Reg Bar-
ros. S. S., a quem j conheeiamoa de nome, um
moco recommendavel pelo seu talento e boas qua-
lidades, e tem aqui procedido de modo irreprehen-
aivel, quer camo juis, quer como particular, pelo
que ha captado as sympathias de todos.
No dia 14 iustallou-se a 2* aesso do jury do
corrate anno, sob a presidencia do muito digno e
illustrado juiz de direito Dr. Joaquim Moreira Li-
ma, oceupando a cadera da promotona o inteli-
gente promotor publico Dr. Luis Barbalho Ucha
Cavalcante.
No primeiro da entrn em julgamente o reo Jo-
a Germano da Silva, pronunciado no art. 205 do
Cod Crino.; teve por advogado o cidado Joaquim
Roberto Pereira, que conseguio a abso vijo.
No segundo o reo Francisco Bertiuo da Costa
Medeiros, pronunciado no art. 193, combinado com
o 34 do Cod. Crim.; o jury desclassificou o crime
e condemoou no mioimo do art. 205; foi sea ad-
vogado o Dr. F. A. Regueira Costa.
. % aiuda meamo rio, pronunciado no
art. ot, teve por advogado o Dr. F. A. Regueira
Costa, que conseguio a abaolvco.
Noquarto a ser submettido o reo Manoel Mu-
lungu, que comparecen com aeu defensor o advo-
gado Aotooio Marcellino Regueira Costa, mas em
vista das recusacoes e ineompatiblidade, nao se
poude formar o conselho de sentenca.
Nao havendo mais processo algum preparado,
eucerrou-se a seaso.
Nao podemos deixsr no esquecimento urna reu-
oio dancanteqne tivemss em a noite de 24 de Ju-
nho, dada pelo dstincto e abastado commerciante
alferes Joo Cancio de Mello, e que este ve esplen-
dida e animada.
S. S., que aqui gosa de geral sympathia, reuni
em sua casa a lite bonitense.
A 12 j ha vamos tido ums outra nao menos
merecedora doa encomios desta, levada a edjfeito
pela iniciativa de slguns mocos da nossa melhs-r
aociedade.
Entre os coovidadoa via-se as pnmeiras autori-
dades e as pnneipaes familias.
A reunio pralongou-ae at s 5 horas da ma-
nh, retirando-se todoa penhoradasiaaos pelo modo
com que foram trasds por S. S. e sua Exma. se-
nhora, e nudosos de to agradavel noite.
Se o mez de Junbo paaaamos sem nenhum acon-
teeimeuta lamentavel, j o mesmo nao podemos di-
zer com o de Julh >, quo comecou mal para esta co-
marca.
No da 1 falleceu, victima de padecimentos as-
thmaticos, o escrivo de orphaa, capito Sergio
Uementino de Souto-Maior e Albuquerque ; acha-
se substituiodo-o, par nomeaco interina do Dr.
luiz maoicipai, o cidado Joaquim Roberto Perei-
ra, nomeaco justa par ser elle voluntario da pa-
tria e ter as habiiitacea para o sargo.
Na noite de 9 para 10, no lugar Boqueiro deste
termo, Mauoel Fraoeiaco da Silva, coohecido por
Eutraaio, asaassioon barbara e deahumanamente a
seu infeliz cuuhado Joa Vicente Ferreira da Silva.
O aaaaaanato foi pra:icado a golpea de foice e
pelo atado em que se ashava a victima, pde-ae
ay^liir oa iii8tincto3 perverao8 do miaeravel sica-
rio.
Logo qae o mu digno delegado, alferes Joo
Ueoto da Silva Valenca, teve conhecimento de to
aarrtvel aaaaainato, dirigise ao theatro do crime
na intuito do prender o deliaqueute e proceder s
diligencias do inquerito.
Alii chegado e apa rigoroaa buaca no matto,
onde elle se refugiara, conseguio prendel-o com
suas prapriaa mos, apesar da resistencia tenas
que oppoz o ussaasioo, que por duas vezes deafe-
chou sobre elle a sua espingarda, mas que afioal
cn desarmada e subjugado por aquelle denodado
oucial.
Quaodo 03 aoldadoa e maia pessoaa, que anda-
vara dispersas pelo matto acudiram j o aaaaasino
eatava preso.
feriamos hoje de lamentar a morte de to bra-
vo omcial, que honra o corpa de polica, se a Pro-
videncia oo tivesse permitido que r. espingarda
nao se diapirasse as duas vezes que o assasaino
a desfecbon sabr elle.
Parbaos a S. 8., qaa diante do dever arrisca
at_i propris existcnuia.
N" ubum outro aeoutecimento digno de menco
occorreu at eata data, pelo que fazemoa ponto,
agaardandu nos par* Agosto.
Ininij om mariiimon.A adminiatracao
do Bureuu Vertas trances publicou a relaco dos
sinistros martimos oecorrridos durante mez de
Abril de 1887.
S 1 os se0'uute :
Navios de vela perdidos : 11 allemes, 19ame-
rcaaos, 28 iu^lezoa, 1 austriaco, 2 franceses, 7 ita-
lianos, 3 hjllandezcs, 9 noruegueases e 2 suecos.
Total, 48.
Navios a vapor perdidos: 2 americanos, 10 in-
g! BSS, 1 dioamarquez, 1 hespaohol 1 francez e 1
ru.>so. To al 16.
Nestc nnmero comprehendem-se 2 aavoa de vela
e 1 vapor, qaese julgam pc-rdidos, por nao haver
noticias delles.
Causas das perdaa :
Navios do vela: encalhiJoa 33, abilroados 6,
ineendiadoa 3, afundados 9, abandonados 20, con-
demaados 9, suppostoa perdidos 2. Total, 82.
Navios a vapor : encalbadoa 10, abilroados 3,
iucc^i1. o 1, ufuodado 1, aupposco perdido 1. To-
tal, 16.
Curioso processo.Vai ser prximamente
julgado em Dublim ura curioso procesao, por viola-
co de promessa de casamento
Ura rico industrial cuja nica falta ter nl-
trapassada ha muito a casa dos quarentaa, tinha
i promettido esponaaea a unta jovem eformusa rapa-
natural de riga de abm- Hl Puco. ainda, p rm. dirigi-
se casa do pai da uoiva e, na ausencia doa cria-
dos, b'iteu porta do salo.
Entre Entre cme in come in gritou de
dentro a voz rouca de um papagaio.
_ O no8so homem abri a parta eoh pasmo
vio a sua nova recostada n'um canap com a cin-
tura amorosamente enlacada por um homem, que
eatava ainda muito longe doa 40 annos. E o papa-
gaio sacuda-ae com um riso gutural, somo se ti-
vesse ccnsciencia da partida qiu acabava de pre-
gar.
O desengaado noivo rompeu inmediatamente
com a amante infiel, mas eata istentou urna accao
contra o velhote, por violaco de promessa de ca-
samento.
Parece que o noivo tenciona mandar citar o pa-
pagaio para deper acerca daa razoes que motiva-
rain o rompimento de to auspicioso eulace.
Urna boa precau.ao.Actualmente, as
brasseries de Berlim, vendem-se cartoes com o se-
guinte aviao 1
Beb muita cenefa
C'o.tduzm-me a casa
ra ie... andar.-..
O chic por aopeacoca este carto, que tem um
cordel apropriado para eat 1 fim.
Encommenila de couracadosi.lti-
mamente es estalleiros do Mediterrneo entrega-
rara ao governo de Hespanha o famoao couracado
o Pelayt, > construid >, expresamente para o
governo d'aquelle paiz. Agora o governo da Gre-
cia ea.commend.ou tres vasos de guerra couracados
sendo dous aos estalleiros, do Mediterrneo e o
terceiro aos estalleiros do Loire.
Do primeiro d'estes estalleiros foi ltimamente
lancado ao mar por conta do nosso gaveruoo cou-
racado Marcean de priineira ordem. E?te bello
navio pouco mais ou mnoB idntico ao Pelayo
e ao Amiral Dupr 1 c pode aer considerado no
estado actual ida sciencia como um excellente mo-
delo.
Sua conatrueco consagra mais urna vez a re-
putacao universal adquirida pela socedade das
Forges et Chantiers de la Mediterrane, do mundo
industrial europeo.
Eate couracida tomar lugar entre os mais po-
derosos uavius de guerra do mundo ; quaodo es-
teja prompto e armado veni a cuatar ao estado a
bagatella de viotc milhes de francos !
O que ae da do Brawil O Sr. Dr. D.
Vicente Santa Cruz, que acaba de ser removido
de ministro do Chile neste Imperio para a Allema-
nha e Italia, na memoria que enviou ao ministro
das relacoes exteriores do oeu paiz, entre ontros
tactos refersntea ao Brazil eacreveu oa paragraphos
que se segu m :
Alm da tareta propriamente poltica, esta le-
gaco se tem preoecupado de outras materias que
podem aer convenientes para ambos os paizes e
principalmeotepira a repblica. V. S. sabe que
o Brasil urna daa nacoaa 8ub-americanas que
maior affinco tem posto em tudo que relativo
instrneco publica, e embora a falta de urna esta-
tistica comparada nao permtta asaignalar com a
devida exactido o grao de diffu8o do enaino, per-
eebe-se primeira viata o adiantaraento a que
tem chegado era materia de tudo que ao easinose
refere.
Affagoa idea de que em breve poierei enviar
um resumo das observacoea fetas sobre eata ma-
teria e remetter-lh'3 bem aaaim algumas das pu-
blicacoes mais importantes sobre instruscao .
Outro ponto de estudo e seria eonaideraco
o r-!*tivo s rekco3s comraerciaea entre ambos os
paizaa. O estrangeiro, e maia espocialmente o chi-
leno que chega ao Brasil, nao pode deixar de ad-
mirarse da elevaeo doa precos de certos artigos
de primeira necessidade que noooaso pai temum
valor relativamente b lixo ; e todava digno de
attenco o facto de que eatas mercadorias aejam
importadas da Europa e dos Estadoa-Unidos, pai-
zes que as produzem de qualidade muito inferior
a que vemos correutemeDte no Chile.
.Acredito ser do meu dever dedicar a esta
questo especial attenco, e sinto que os estreitos
limites desta memoria na m permittam entrar
em antecedentes e dados j recolhidos que V. S.
alias encontrar as minhas communcaedes a es-
se ministerio. Por ellas poder V. S. convencer-
se de que dados oa primeiros paaaoa acho-me em
conferencia com oa Sra. ministros da fazenda e da
agricultura no intuito de chegar a nm accordo a
respeito de medidas tendentes a remover os incon-

I
I


!



Diario de P^raambacoHuarta-icira 27 de Julho de 1887
3



venientes qae o iotcresse particular sncontra para
eitabeleeimeoto de uma corrento commercial entre
O Chile e o Brasil, que julgo de grande interosse
pai a ambos os pases .
Opera csmicaA proposito do sinistro da
opera cmica, escreTe Uo Telho architecto ao
Fgaro :
Nao ha seno um meio, no s, de preservar os
theatros do incendio ; todos tem ardido e deveui
fatalmente arder, emquanto esse meio nao fdr em-
pregado.
Prmeiro que tu Jo neeesiario que todos os
theatros sejam solados das casas visiuhas.
E' secessaro que as quatro faces do theatro,
altara de tedas as galeras, o corredor teoha
muitas janellas que dea para uma nica e com-
prida varanda, especie de terraja, d'onde se pos-
sa descer para as varandas iuferijres poi commo
das escadarias exteriores, e isto desde a ultima
galera at ao passeio do res do chao. A mesma
medida deve ser applicala a parte do theatroon-
de estaj os camarius dos artistas, urdimcatos,
etc.
Oj architcctos iein bastante talento para acha-
rem para este piano qualquer deoorac.to, e nao
achando, nao tem hesitar quando se trata de sl-
var centenas, milbares de pessoas de uma mort-j
certa.
Ao menor rebate toda gente poder sabir to
bem pelas janelias-portas, com pelos corredores
e paseagens do interior do theatro. Que essas va-
randas e oseadas exteriores sejam de ferro, de
marmore ou de pedra, pouco importa, corntaut j
que existam.
Tmio paiia Diz o Commercio Portu-
guez :
Est cora cscriptos a c-isa da associaco dos
jornalistas e escriptores pjrtugueses no largo de
S. Carlos.
Consta que a associacao deixou de existir
Laucada, com todo o ent'ousiasmo, pelas festas do
centenario de Carao.'s, viven por algum tempo
coadjuvada por todos os principacs escriptores e
membroe da iraprcusa ; ra is a pouco e pouco to-
dos foram sahindo, por diversas circumstancias, e,
ltimamente, raros eram aquellos ue anda be
prestavam a su i sympathia.
A assceiofi i j uo representava, npezar de
alguna homeuj de merecimento qus aiaia alli es-
tavam, o nosso centro ltterari e artstico. As
diificuldaies haviam-se levantado e finalmente,
cahio.
Sentimos deveras mas... tout passe, tout
cssse, tout iasse... et tout te remplace...
Agora trata-se da liquidaco e de dar destino
a alguna objectos que alli es rao depositados das
festas granaiosas do centenario de Carnees >,
Directora na* obra* de cossoerva-
clo des porto*Boletim meteorolgico do
da 25 de Julho de 1887 :
Horas
6 m.
9
12
3 t.
6
H ; o
o ? ry
21-
asa
24'9!
2V3!
23'4'
Barmetro a 0 Teaso do vapor
76352 76481 166" 1. 7t331 M8>64 17,21 19,51 19.9G 20,30 19,651
-o
a
93
93
87
81
91
Temperatura inuxnm26*,l.
Dita mnima80*,75.
Evaporacao em 2i hor3 an sol: 2m,8 ; som-
bra : l-,2.
Chuva13ro.7.
Direcco ao vento : SE de meian-itc al 1 hora
e 4 minutos da raanha; SSE at 9 boras e 22 mi-
notos ; S at 9 horas e 55 minutos ; SSE at 11
horas e 47 minutos; SE at 5 horase 2 minutos
da tarde ; ESE at 8 horas e 16 minutos ; E, com
pequen is interrup^oes de ESE e ENE at oceia
noite.
Calmara das 3 horas da madrugada at 9 horas
da manli.l.
Veloeidadc media do vento": 1,22 por segur; i .
Nebulosidade media: 0,84
Boletim do porto
Bilhotea a vonda na Casa da Fortu a, a ra
Primeiro de Marco numero 23, de Msrtins Piu-
sa C.
Latera da rarahvba-mu lo:ira cujo
premio grande de 20.0J0J0 ser eitrahiJa
no da 4 de Agosto proxiin tuturo 3 horas da
tarde.
Os bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna ra Primairo de Marco n. 2, do Martina
Fiasa &C.
Tambera acham-se venda na Roda da For-
tuna ra Ltrga do Rosario n. 36.
Cetnlterlo Publico.Obituario c o da 23
de Julho :
Maria Carneiro Conceico Albuquerquj, Para-
hvba, 77 nnuos, solteira, Santo Antonio; insufi-
ciencia artica.
Domingis Roste, Italia, 50 annos, Salto An-
tonio ; cougestao cerebral.
Gertrudes, Pernambuco, 85 annos, viu 'a, Boa-
Vista ; cachexia senil.
Rosa Maria dos Santos, Pernambuco, 19 annos,
aolteira, Ba-Vista; tubrculos pulmonar ts.
Francisco Amancio Martins, Pernaintueo, 45
annos, viuvo, S. Jos; dilataco artica.
Julia, Pernambuco, 60 das, Rccife ; athre-
sia.
24
Maria de Jess Espirito Santo, Pernam juco, 55
annos, viuva, Boa-Vista ; anemia palustre
Jos, Pernambuco, 2 annos, Ba-Vista ; convnl-
Bea.
Alice, Pernambuco, 3 raezes, S. Jos; convul-
so es.
Maria Francisca da Conceieo, Pernambuco, 20
annos, solteira, Ba-Vista: tubrculos pulmona-
res.
Maioela, Pernambuco, 6 mezes, Boa-Vista ;
gastr j-euterite.
25
Petrarcha da Cunha Baha, 24 annos, lolteiro,
lla-Vista ; ttano espontaneo.
Urbano Fernandes da Rosa, Pernambueo, 32
annos, casado, Boa-Vista ; lesSo cardiaca.
Dionisio, Pernambuco, 5 mexes, Bi Vista;
eclampsia intsntil.
Jos Francisco dos Santos, Permmbuco, 15
annos, solteiro, B* Vista; congesto ceresa.
Carolino, Pernambuco, 1 anuo, B* Vista ; dar-
rha.
Mara da Silva Ferreira, 21 annos. casad i, Gra-
nja ; hepatite aguda.
Ludovina, Pernambuco, 23 annos, solteir, San-
to Antonio ; insuficiencia mitral.
Maria de Mello, Pernambuco, 18 mezes Santo"
Antonio ; diarrht.
Jos, Pernambuco, 1 dia, Boa-Vista ; so nas-
cer.
Filomena Augusta dos Prazeres, Pernsmbuce,
18 annos, solteira, Ba-Vista; cachexia lyphili-
tica.
Avellno Jos Bernardo, Pernambuco, 20 anno s
solteiro, Boa Vista ; tubrculos pulmonares.
Thereta do Reg, Pernambuco, 85 annos, viuva,
Ba-Vista ; cachexia senil.
qual nao tem podido cumprir o despacho de 12 de
Maio, e maia duts peticoes de Santos kC.ua
primeira pediodo vista do registro solicitado por
Asevbdo 4 C, e na segunda oppondo-se ao pre-
dito registro.Adiado.
Nada mais havendo a tratar foi encerrada a
a sesso as 11 1/2 horas da mantuL
INDICACOES TEIS
CHRONICA JDDICIABIA
3 2 O, o Dia Horas Altura
P. M. B. M. P. M. B. M. 25 de Julho 26 de Julho 7 40 da inanha 168 da tardo S36 ;. 237 da mauh 2, ""51 0,52 2,ni38 0,n>69
IjellfteCttectuar-ae-o:
Hoje :
Pelo agente Modesto Baptsta, s 11 horas,
roa do Bario da Victoria n. 24, de dous pianos,
movis e oatros artigos.
Pelo agente Brito, as 10 1/2 horas, rna
de Lomas Valentinasn. 78, de movus.
Amanh :
Pelo agente Pestaa, ao meio dia, ra do Vi-
garo n. 12, de predios, movis, bu^is, etc.
Pelo agente Martina, s 11 horas na ra do Im-
perador n. 16, de predios.
Sexta feira :
Pelo agente Stepple, s 11 horas, ra do So-
ceg n. 32 de predios.
l>ao fnebre-Serao celebradas i
Hoje :
A's 8 horas, na matriz da Boa-Vista, pela alma
do major Custodn Floro da Silva Fragoso ; s 8
horas, na matriz de Santo Antonio, pela alma do
capito Manoel Antonio de Jess.
A's 7 1(2 horas, no convento do Carino, pela
alma de Auna Francisca dn SiUa.
Aaauha :
A's 6 horas no convento de 8. Francisco, pelas
almas de Angelo de Fijas Correia Cesar, Josnna
Paula Moreira Lima e Christiano Cezar.
Sexta-feira:
A's 8 horas na matriz da Bol Vista, pela alma
do bacharel Reinaldo Martnb Ramos.
liOteria do ParanResumo dos premios
da 2* lotera do Paran extrahida no dia 26 do
correte:
1010 12:000*000
2375 2 000*000
1225 1:000*000
Estao premiados com 500, os segaintes no-
meros :
1043. 4701,
Estao premiados com 200* os seguintes n-
meros :
2971, 5716, 5811, 6156.
Estao premiados com 100* os seguintes n-
meros :
718, 4031, 5267, 5302, 5941, 6107.
Lotera do Cetrasta acreditada lote-
lia cujo premio maor de 15:000*000 ser et-
trahida no dia 1 de Agosto.
Os bilhetes acharase venda na Roda da oFr-
tona ra Larga do Rosario n. 36.
Tambero acham-se a venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Marco n. 23 de Martins
Fiuza & C.
IiOterla do Eoplrito-Santo A.l" par-
te'da 3 lotera desta provincia cujo premio gran-
de' 60:000*000, ser extrahida no di* 29 de Ju-
lho. t _
Os bilhetes acham-se venda na RoJs da For-
tuna na ra Larga do Rosario u. 36.
Tambera acharase venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Marco n. 23 Martin Fiu-
a&C.
Lotera da provincia-A 8 lotera, pelo
novo plano, cujo premio grande de 12:000*000,
em beneficio da igreja de S. Pedro do Recife, se
extrabir quando for annunciada, s 4 horas da
tarde, e, nj consistorio dn igreja de Nos3a Senho-
ra da Conceieao dos Militares.
No mesmo consisrorio estarlo ei.jotas as or-
nas as espheras a apreciscao do publico.
Os bilhet's garantidos acham-se venda na
Casa Felis na >ra da Independencia ns. 37
39.
Tammbem acham-ee venda na Casa da Fortu-
na ra Primeiro de .Mareo n. 23 de Martis F.n-
ca& C.
A8sim cono os Casa d Oor- na -n& do Baro
da Victoria n. 40 de Joao Joaquim aa Costa
Leite e na Rola da Fortuna na ra Larga do Ro-
sario n. 36.
IiOterla do iraoPara-A < serie da 11a
lotera desta provincia, pelo novo plano, cujo pre-
mio grande 1U8:'jO000, ser cxtihida boje
87 de Julho.
Os bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna roa Primeiro de Marco n. 23, de Martins
Finsa & C.
Tamben acham-se venda na Roda da Poru-
a ra Larga do Rosario n. 36.
Lotera da provincia do Paran
A 21 lotera desta provincia.pelo novo plano, cu-
jo premio grande de 12:000*000, se extrahir
no dia 2 de Agesto.
Jauta Commercial da cidade do
Recife
ACTA DA SESSO E VI 21 DE JULHO DE
1887
PBESIDENC A DO ILLIt. SR. COMMENDAO Mt NTO:UO GO-
MES DE MIRANDA LEAL
Secretario, Dr. Julio Guimar&es
A's 10 horas da manhi Jeelarou-so aberta a
aessilo estando preeentes os Srs. deputados Olinto
Bastas, cotnmendador Lopes Machado, lteltro
Jnior e Figueiredo.
Liaa, foi approvada a acta da sesso anterior,
e fiz-se a leitura do seguinte
EXPEDIENTE
Oficio de 16 do corrento da juntados coi-recto-
res desta praca enviando o boletim das cntacoes
officiaes de 11 a 16 do presente mez.Para o ar-
chivo.
Diario3 officiaes de ns. 181 a 194 Archi-
vem-se.
Foram distribuid.'S ruhrica os seuiutcs
livros :
C'piador da viuva Cunhi, Oenro & C, (lito de
Adolpho 6c Ferro.
DESPACHOS
Mappas :
Do trapiche alfandegado ao largo da Assembla
n. 17.Archive-se.
D trapiche alfandegado do Baro do Liivra-
mento.Seja archivado.
Petifoes :
De Jos Bastos & C, apresentados por sus
procuradores Manoel Moreira Campos Jnior para
que sej archivad i o contracto de sociedade em
nome collectivo que sob dita firma celebrartm
Antonio Fiel de Mello e Jos Bast03 de Barros
Lima, com o capital de 500*, sendo o objscto da
sociedade o recolbimento de gneros e merca dorias
ao trapiche denominado Fiel, situado villa de
S. Luiz do Quitunde d*4>rovincia das Alagis.
Archive-se na forma da le.
Proferio se o despachoregistre-seas se-
goiotes pet?5es solicitando registro da no sea-
(So de caixeiros de':
Nones & Salgado.
Manoel Antonio Pereira.
Santos Porto & C.
Marcelino da Costa Bello.
Albino Me reir de Sonsa.
Silva Fernandes 6c C.
Antonio Joaquim de Sant' Vnoa.
Manoel Coliseo & C.
t'asco & C.
Gaspar Augusto Soares Leite.
Hemque Wogeby.
Angelo Raphael & C.
Joaquim Costa c C.
Antonio Pinto da Motta.
Pedro de Alcntara Borges Castro.
Francisco Petrocelli & Irmo.
Jos Doarte Pereira.
H. A. Lemos & C
Francisco Jos Fernandes Marcos.
Goocalves Lioreoco & C.
Antonio Jos de Carvalho Jnior.
Theodomira dos Santos Selva.
Xavier de Simas & Ir nao.
Francisco Gurgel & IrmSo.
Amiral & C.
Santos & Irmao.
Azevedo de C, roa do Forte.
Couto Santos 4 C.
Mello de Correia.
Hermn Luadgren de C-
Almeida Campos de C.
Campos 4 Ferreira.
Alfredo Martins & O., ra do Visconde de Inhau -
ma n. 29.
Maooel dos Saotos FalcSo.
Arthur de Desiderio.
Alfredo Martins & C, ra Viicoade da Tnhanma
n. 33.
Duarte Crus de C.
Antonio Maria Marques Ferreira.
Alc.ni;.ram o despachoComo pedem;s se-
guintes peticoes solicitando registro e baix& de
uomeacoes de caixeiros :
De Adolpho de Ferrao, biixa do ex-C.ixero
L:opoldino Americo Monto Lima e registro de
Manoel Tbomaz do Amaral e Silva.
Do MaU Sobnnho de C, baixa no registro de
Alfredo Jos Garca e Francisco Veras e registro
da nomeaco de Arthur Luiz Martins Pereira e
Eraclie Aogusto Ucba de Gusmo.
De Carlos Estanislao da Costa, baixa de Joo
Vieira Bsrboza de Soasa e registro da oomeaco
de Joi Nunes Correia.
De Barbota Lima & C, baixa de Jos Correia
Braga e de Alfredo Augusto Correia Doarte.
De Francisco Ribeiro Soares, baixa de Antonio
Torquato Ribeiro Soares.
De Jos Nones da Cunha para que se registre
a procuradlo qae lhe paseara Bernardo Estoves y
Eaceves Sejf. registrada.
De Aievedo 4 C, roa Duqoe de Caxias, re-
gistro da nomeaeio de caixeiro. Registre-se,
depols de satisfeito o parecer fiscal.
De Jos Cordeiro do Reg Pontea, idem.Re-
gistre-se, dopois de satisfeito o parecer fiscal.
De Asevedo de C. uma petico e tres documentos
appensados, tendo cumprido o despacho de 12 de
Maio prximo pastado justificando a antguidale
da posse do emblema duas mos aperUndo-se
para que se ordene o registro da marca de seo
commercio de cigarros sob a deoominaco Caxias
e emblema cima dito, roa do Forte ns. 3, 5 e
7, e roa Duque de Caxias n. 68, fasendo parte
do registro nao so a mortalbaem qae se eivolve
cada cigarro, como tambem o involocro dos paco-
tes de 500, dando-se baixa no registro n. 197.
Esto annexas a supradita petico tres peticoes
dos supplicantes a pnmeira qae contera o (.espa- i
cbo de 12 de Maio, a segunda relatando os regis-
tros que tem tido e a terceir dando c motivo pelo I
Medico*
Br. Barros Sobrinko d consultas da
meio dia 1 1/2 aa ra do Barao da Vic-
toria n. 25 por cima da Pharmacia Fran-
cesa, e das 2 s 4 na ra do Vigario n. 4,
1. andar*
O Dr. Lobo Moscoso, de volta de sua
viagam ao Rio de Janeiro, conntia no
oxercicio de sua profissae. Consltua das
10 s 12 horas da manhS. Especialdades
eperayoes, parto e molestias de sen horas e
meninos. Ra da Gloria n. 39.
Dr. Barreto Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1. andar da casa
a ra io Baro da Victoria, n. 51. Resi-
dencia roa Seta de Setembro n. 34, en-
trada pela ra da Saudade n. 29.
O Dr. Castro Jess tem o seu consul-
torio medico, ra do Bom-Jesus n. 23,
sobrado.
Dr. Gama Lobo medico operador e par-
teiro, residencia ra do B. de S. Borjs n. 26.
Consultorio: ra Larga do Rosario n. 24 A.
Coosm'taa das 11 horas da manh s 2 da
tarde. Epecialidade : molestias e opera-
res os orgaos genito-urinarios do homem
e da malher.
Dr. Joaqaim Loureiro medico e parteiro
Consultorio na ra do Cabug n. 14, l.
andir, de 12 s 2 da tarde ; residencia no
Montsiro.
Consultorio llomceopatlco
O Dr. Miguel Themudo, medico ho-
mceopatico, tem o sea consultorio ra do
Barao da Victoria n. 7, 1. andar, onde
d consaltas diariamente das 12 s 3 ho-
ras. Chamados por escripto a qualquer
bora do dia oa da noite.
O Or. Harros fiaimarae*
Pode ser procurado no essriptoro deste
Diario das 11 horas da inanha' s 5 da
tarde, todos os dias.
O Dr. Milet mudou seu es jriptorio de
advocada para ra do Duque de Caxias
n. 50, 1. andar.
Drogara
Francisco Manoel da Silva & C.. sitarios de todas as especialidades phar..u
;autic*8, tiatas, drogas, productos chBtM
e medicamentos homoeopaticos, ra do M a
quaz de Olinda n 2.5.
Drogara
Faria Sobrinho & C. droguista por ntU-
cado, ra Mrquez de Olinda n. 4l.
ferrarla a Vapor
Serrara a vapor e officina de carapina
de Fraucisco dos Santos Macado, caes
de Capibaribe n. 23. N'oste grande esta
belecimento, o primeirj genero, compra-se o venda-se madeiras
de todas as qualidades, serra-sj madeiras
de conta alheia, asbim como se preparara
obras de carapina por machinas e por pre
50 sem competencia Pernambuco.
Casa de Modas de J. Castos dr. c.
A ra do Cabug n. 2 B, estabeleci
ment do modas, encontrar'} so freguozes
grande e variado sortimento de f^zanJus
de seda, l e algodao, o que de melhor so
obtem nos mercados do Pars e Lyon.
pela autoiomia das mt.oicipalidades, entre-
tanto, sao os proprioa iiberaes que e en-
carregaram de mostrar como se abasa des-
sa lao sonhada autonociia.
Demittir-se funcjiomvrM probos, aelosos,
em faltas no exorcido dos cargos, e em
um s dia, nicamente por conveniencia
partidaria, e como rotruuerac^o de servi-
503 eleitoraes de individuos sem habihta-
c3es, sem direitos adquirilos, sena duvi-
da alguma, um attentado moral, justi-
5a e a propria sociedade; e, o qua peior,
um mo exetnplo dalo aos adversarios,
que devero aproveitar se do exemplo e
exercar represalias.
Onde j se vio e:n urna corporago,
como a rauncipalidade,dea:ittr se em mas-
sa fuuccionarios sem macula, pelo gran-'
de enme dtmilitar nasjileiras conservado-
ras ?! 1
Quaes os motivos, as faltas, os crimes,
que exigiram taes demissoes ?
Os cidadaos nomeados seraj idneos, te-
ro capacidade para substituir aos zelosos
empregados demittidos ? I 1
NSo consta do archivo da raunicipalidade
oa da imprensa, que essas pobres victimas
da paixo partidaria, fosse.u accusalas por
falta ao menos leves ; pelo contr irio ; eram
funecionarios antigos e bons.
Esses e outros factos registrados nos
annaes do partido conservador, e devem
provocar represalias, sem ao menos poda-
ren os adversarios articnlar uma s pala-
vra a respeito.
Em poltica o hodie eras tibi um prin-
cipio fundamental.
Prosigo os liberaos da municipalidade
no mesmo terreno e depois.. ?
Recife, Julho 87.
Juvenal.
achava para entenderse commigo sobre
assumpto argente de qas o havia incum-
bido, sem lembrar se talvez que poda mo-
les tal o, e incital o a um desaggravo, como
infelizmente succedeu.
Dando publiaidade a estas linhas, pro-
testo nao voltar mais a imprensa, quaes-
qu;r que s jim as provocacSas de mea
contendor, em quano nao for a causa jH-
gada.
Recife. 26 de Julho de 1887.
B. de Nazareth.
Clnica medico-clrarglca
DO
Dr, Alfredo Gaspar
HlepeeialidadePartos, molestias de senhoas e
enancas.
Residencia Roa da Imperatriz n.J4, segunde
andar.
Telephone n. 226.
t
w
W.-j
-o^f"
M
Castodio
Verto sobre teu tmulo lagrimas
de dor e saudades; primeiro anni
versario da teu tallecimeut i.
27 de Jolhose 1887.
J. H. S. F.
Oculista"

Pl'BLiaCOES 4 PEDIDO
Est dlreito ?!
Ha factos na vida poltica dos partidos,
cuja saliencia sa torna pasmosa, quando
nenhuma razo de ser autorisa sua exis-
tencia.
E' uma verdade, conhecida por tolos ;
na adversidad, na oppo3ico, ni iguera
grita mais, ninguem prometa mais, nin-
guem ambiciona mais felicidades, mais ven-
turas ao paiz que o partido liberal.
Os actos msigaificantes praticalos pelas
autoridades e corporacoes conservadora, sao
desbragadamente deturpadose censurados ;
e, qualquer dea.isso, embora necessaria e
justa, d lugar a descompusturas e lamenta-
(3es,e at menlas, entretanto, esse mesmo
partido galga o poder, ou, por qualquer
circumstancia especial consegue uma maio-
ria temporaria na Assembla Provincial
oa municipalidade, todas as tbeorias prega-
das no ostracismo ; todos os planos formu-
lados, fcam sem realidades praticas, por
que, o ta est preenchido e os funeciona-
rios pblicos sao logo demittidos em m is-
sa, por causa de suas crelas conserva-
doras.
Est na consceacia publica essa verda-
de e ningaen ousa contestal-a.
A extermiaadora charra dos olios po-
lticos libernas cornee^ e continua sem ces-
aar arrostar o campo adverso ; cada
grupo ou chele, trata p iraeiro de si e dos
seas, de modo que, como os amigos sao
mutos, e neoessario faaer taboa raza, ar-
mar uma guilhotna as repartieres publi-
cas, e de nittir aos conservadores ; acco-
modando-se rssim todos os parentes e
cabos tltoraes.
Os nossos adversarios nunca foram,
nem hilo de ser condescendientes e equita-
tivos, concillando os interesses partidarios,
eom os da justiga, como, nos conservado-
res, procuramos fazel-o-
A prova dessa asser^o salta aos olhos
de qualquer observador imparcial.
O furor da paixao partidaria, dos da
grey liberal, nesta trra, nada respeta ;
invado todos os poderes independentes,
at o judiciario.
Isto que avancamos. nao uma chima-
ra ; nao uma heresia poltica; a ex-
presso pura da verdade, que ainda hon-
tem foi posta em exhibco na Cma-
ra Municipal desta capital.
Os jornaes diarios da ultima semana no-
ticiaran! que, em sesso de quarta-feira
da Cmara Municipal foram demittidos os
saguintes empregados : o Dr. engenhei-
ro, 2 fiscaes, o do 2o districto da Magda
lena e o de 8. Jos, doas guurdas.
Alm dostes empregados, em sesso ante-
rior, foram demittidos dous ou tres guar-
das o fiscal do Recife, o administrador do
cemiterio da Varzna oa S. Lourenco, e
consta nos que a guilhotna funecionar
no va mente hoje.
Est direito, muito direito I I
Hodie mihi eras tib.
O oonselheiro Tarares Bastos, escreveu
ama monumental obra a Provincia, onde
procurou erguor bem alto a bandeira libe
ral, e pugnou na imprensa e na tribuna
Tribunal da Relapo
Voltou hoja o articulista do Diario de
22 do corrate, procurando eacontrar em
nossa contestaco ao sen artigo, falta de
esclarec ment na exposico que fizamos do
facto occorrido na aeco de hypotheca,
que moveu D. Anna Cecilia, contra sea de-
vedor Arstides Du&rte, e disse: que com
melhor vontade de respeitar a verd ide an-
tes de tudo deviamos dizer : no incidente a
que se refere o articulista, deu-se na exe-
cuco, que fieou suspensa at ser julgada
a revista sobre o incidente da preferencia
e eta.
R 'speitando a verdade ainda protesta-
rnos repetindo : nao exacto, que a exe-
cu',-ao tives>e ideado suspensa at ser julga-
da a revista sobre o incidente da preferen
ca.
O articulista nilo leu os auto3 com attn-
go, so nao veria, que a revista interposta
por ArstiJcs, foi nos embargos a execu-
jo, que adjulcou o bem a credora D.
Anna; pretendendo o mesmo Aristides,
com esta revista, annular a acjJo que ;deu
lugar a exjcuco, por incompatencia de
juizo.
J v o articulista, qua essa revista nao
foi interposta p*ra julgar o incidente como
diz em anterior ar'igo, e ainda rep ;te h"je.
Depois que a Relaylo revisora leu a su
ultima palavra, confirmando o julgado, ,
que voltando os autos do Cear, foram dis-
cutidos os artigos de preferencia, oppostos
por Santiago a carta de adjudicago, e oo-
teaio Santiago preferencia interposeram
revista desta deciso, *D. Anna e Grerva
zio ; negada esta revista que, voltando
os autos, teve lugar as deligencias que o
articulista menciona.
J se v portaoto, que o incident-3, da
preferencia, posto por embargos a carta de
adjudicado nao suspendeu ojulgamento
da causa principal, e disto parece estar
convencido o articulista quando diz: E
quando nao fosse exacto, era um caso de
de menos, e a le nao deixava por isto de
ser lei; bom, aceitamos aconfisso, edese-
jaraos que os outros factos citados em seu
primeiro artigo nSo^tenham a mesma im-
portancia que tem este por nos contestado.
Nada temos com a questo que defende
o articulista; se viemos a i nprensa oi so-
mante para rastabdocer a v;rdade, nao
consentinto que ella seja mistificada. Com
noseo nao se entende o juizo antecipado
aos autos do Exm. Dezembargador rela-
tor, a que n tributamos o mais profundo
respeito e acatamente, nao s pela sua il-
lustraco como principalmente pela sua rec-
tidao, Justina e independencia; e sobre tu-
do por nao ser daquelles, qae ss dobram a
empenhos.
Recife, 26 de Julho de 1887.
E. S. A.
Mais uma libertare
Paulo, tendo requerido certido da matricula
que ltimamente se procedeu oeste municipio em
virtude da lei n. 3270 de 28 de Setembro de 1885,
e encerrada 30 do Marco prozimo passado ; ob-
teve negativamente, isto que nao fra apresen-
tado referida matricula pur sua ez-senhora D.
Helena Rosa Ramos, pelo que est liberto em faco
do art. 7 da snpracitada lei.
-63*
s?
IB
Im importante ques-io para
os doentes
Esta questo vital, que envoive a sade e o bem
estar de milhares e milhares de pesaoas, vai ser
submeltida todo3 que s ,frem de dyspepsi.i, ;jri-
ao do veutra, febres biliosas, debiliaade'geral ou
qualquer uma outra enfermidale procedida do es-
tomago, do ligado ou dos ut istmos. Qjareis, por-
ventura persistir emusir de purgantes drsticos
mineraes, os quaes s faseT eufraquecer,Htormen.
tar e destruir o Bystenu inteiro; ou queris ante-
aceitar um allivio certo, seguro o p-irmaneate pelo
feliz intermedio das pilulas assnearadae de Bri=-
tol, um cathartico vegetal, o qual subjuga a mo-
lestia sem reduzir a forca physica, abaolutamens
te brando e suavissimo ni sua operayo e que ac-
tualmente poupa a necessidade de uma continuada
purgago, em quinto que a mesma produzida e
aggravada por meio desses purgantes violentos e
evacuantes? Se queris, piis,gosar da ventura de
um bom appetit", uma robusta digesto, um figado
sao, evacuacoes regulares, e a pas do espirito re-
sultante desta reuniao de salnliteras condijoes, as
pilulas assuearadaa de Bristol, realisaro o vosso
desejo. Ezperimenfu-as e podis ficar certo que
nao voshaveis do tuea^dader.
Ellas se acham acondicionadas dentro de vidri-
nhos e por isso a sua conservado duradora em
todos oe climas.
Eoi todos os caso3 provenientes ou nggravados
por impureza do sangue a Salsaparrilha de Bris-
tol, de ver ser tomada oojunctameate com as pi-
lulas.
Ene ntra se venda em todas as pharmacias e
drogaras.
Agente3 era P Tnambuco, Heary Forster c C,
ra Uo Oomnercio n. 8.
Lannian k Kemp
Previum opiblicoque ozistem ne3ta pr,ii;i
imitacoes fraudulentas do seu olbo pdec db fi-
oaoo de Bacluocontra a3 quaes se devem
acautelar os consumidor.*, por isso que o uso
d'esses o'eos falsos ser em prejuiso dos
doentes.
Entre essas f.ilsilioifois ha uxa quialm di
differeuc u pur-ji doliqaido que e pode apre-
ciar se coaiptraui i o oiu verdadeiro com o falso,
engaa faeilm;nte os acantos, e por isso apresen-
tamos as differeucs que ezistem nos frascos e in-
volucros :
A circular que acompanha -ada frasco deve
ser tssignida porLannt Kemp=o n=j
Lenman Jfc Kemp -como na falsificuco.
Os nossos frascosasa tres lados descobertos
trasem em relevo no mesmo vidro as seguintes
pilavras : -Cod lioer oil Lanman Se Kemp
New-York, em quanto que oa falsos vilrcs tem :
Refined Cod Liver Oil=New- York.
as nossas capsulas metallicas l-se :Lan-
man & Kemp, Droguistas, Nueva York, em quanto
as falsas se i ;Coi Liver Oil=Refined=Nue.
va-York.
R.'commendamos, poie, aos doentes que quize-
rem usar do uosso oleo, e retirar oa resultados
maravilhosos pelos quaes se tem acreditado em
todo o mundo, tenham todo o cuidado em czimi-
nar oa frascos que comprarem, para nao serem
engaados p)r infames falsificares.
Tambem ha muitas falsificares da nossa aqua
FLORIDA DE MORBAX & LAXHIN, B TNICO ORIENTAL
db kemp, falsificaces essas preparadas geralmen-
te com substancia] prejudiciaes pelle e ao ca-
bello; ezijara, paia, oa consumidores os vrda-
deiroa e nao recebam outros.
HAVBNOO BaiSTRADO HBSTE IMPERIO TODAS AS
HOSSAS MAECA8 IXOCSTaiABS E BOTLOS, PBE VENIMOS
OS IMITADORES E FALSIFICADORES, QUB PROCEDEREMOS
CINTRA ELLBB NOS TBIBONAE3, EM PROTECCAO DE
NOSSOS DIBEITOS.
Pernambuco, 28 Jnnho 1887.
Iisaman \ Keaap.
Dr. Barreto Sampaio. medico ocu-
lista, ez-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, d consultas de meio dia s
3 horas da tarde, no l.o andar da casa
n. 51 ra do Baro da Victoria, ex-
cepto nos domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setembro n.
34. Entrada pela ra da Saudade n. 25.
Aos II m ;i ii i
SOBRE OS CHARUTOS DA
e s
Com
Prsra&ifl
fian
; os chabutob
Fabrica Barrelto
PRINCIPALMENTE OS
FAAIS11NSES
um annel designando o nome
parisienses
Previne-ae ao publico que a fabrica BARBET-
TO deizou de ezistir desde que morreu Gracia-
do Barrelto, seu proprietario, e desde eoto
anda por ah una chusma de especuladores que
compraran em leilo umus etiquetas que tinha
fabricante a empregil-as em quaesquer chara,
para Iludir os consumidores ; e como taca chai-
tos ao vendidos quaai de graca, ha por ahi mutos
depsitos menos serios que oa comprara. Tome
bem nota o consumidor onde encontrar charutos
da fabrica Barrelto. esse deposito nao serio
porque pactua com oa taes e8peculadore8 cuate
da boa t dos incautos.
Estamos orgauisando uma lista desses depsi-
tos para informar o publico, a qual brevemente
ser publicada.
A Verdade.
(Do Jornal de Noticias da Baha, a. 20.)
Cal de Jagaarlbe e S. Bento e
cal virgem
O abaixo assignado avisa aos Srs. con-
sumidores da cal de Jaguaribe e S. Bento,
que o Sr. Vicente do Nasci ment contina
a ser o nico que recebe a verdadeira cal
de Jaguaribe e S. Bento, e as tem expos-
to venda nos seus armaze- s de mate
riaes Praca da Concordia ns. 11, 13 e
15 e toda a cal que nSo for vendida por
intermedio do mesmo senhor, nao ser
verdadeira.
Assim como : que a cal virgem, de que
contratante e recebedor o mesmo Sr. Vi-
cente, contina a ser vendida peio Sr. Se-
bastilo Bezerra ra do Bom Jess n.,
23, a 60000 a barrica.
Jos da Costa Pereira.
Ao publico
No proposito em que cstou, de excusar-
ibo de toda a discussao na imprensa com
o Sr. bacharel Miguel Arcbanjo Pereira do
Reg, no responderei as suas publicares
feitas, quer no Jornal do Recife, quer na
Provincia, aguardando roinha defeza para
ocoasiSo pertinente, depois que for deci-
dido o pleito que contra mira propGz no
juizo do civel; porque s<5 entilo se poder
ficar sabendo qual de nos o culpado, ou
innocente, qual o creddr, ou devedor.
Por ora, limito-me a denunciar que o
Sr. bacharel Pereira do Reg receben de
mim a quantia de 1:964|J000 pelos seus
servias de advogado; e a declarar que,
attentos os valores liquidados, at hoje,
as causas, por S. S. executadas oa movi-
das, o honorario a que tem direito, fixado
como foi, na raz3o de am lucro de 20 0/0,
calculado sobre a importancia que arreca-
dasse, nao pode attingir aquella sornraa,
ainda depois de reduzida pelo pagamento
das custas judiciaes.
Quanto ao documento comprobatorio do
ajuste que tizemos, prometi a S. S. jun-
tal o opportunamente aos autos da acc.&o
que lbe aprouve tentar con ti a raiii.
Agora relativamente ao incidente de que
se queixa S. S., com i de cavalhiro lbe
declaro que, Be ao menos me fosse dado
suspeital-o, tel-o-ia evitado; entretanto nao
devo calar a confissio de que elle fora pro-
vocado por S. S., que em audiencia, quan-
do fallara, fez allusftes offensivas ao ca-
rcter de um meu emprsgado, que alli se
Dr.
HKDIt'O
Tem o sen escriptorio ra Duque a* Cazias
n. 74, das 12 s 2 horas da tarde, e desta bora
em diante em sua residencia ra da Santa
Cruz n. 1.
Especialidadesmoestias de senhoras e crian
cas.Tolephone n. 326.
Dr. Costa Gomes
HEDICO
34 -Ra do Mrquez de Onda34
Primeiro andar
C'ensultas de meio dia s 3 horas da tarde
Para_ prova d-> m diseemos, veio 4 imprenaa
um individuo, com a assigaatura dieww fuman-
tes, confirmar as nosas assercoea relativamente
falsitieacso dos charutos ParluienaeM. posta
em pratica por diversos cavalhe'tros de industria.
Veja o publico com que sans facn o especula-
dor pretende ainda bustentar que o seu procedi-
mento muito regular ?....
Um indivi ino d'e6aea t pode compirar-se com
um g*n u i : apanhado com um furto na mo
mas qae uo cora, nem quer.lirgar a presa !
Cuidado com os eavalhe\r;s de industrial
O deposito que pactua Cm ess^ ladroeira, nao
pode ser sprio, boje principalme.ito que a cousa
est esclarecida.
A lista qu i vamos publicar ser s a dos dep-
sitos em ii; taes charutos estiverem de hoje em
dianto.
A Vebdadb.
(Do Jornal ii ffotus'.aida BxMa, n. 210
Charutus da Baha
Os verdadeiros
A' ra da Madre de Deus n. 3o
O Calangro eontiiia a vender do diversos fa-
bricantes, a saber :
Fragrancia : de J. F. de Simas.
Utilidade : de U. da Costa Ferreira.
Barretto : de Graciado Aarrctto.
Lavor : de Antero < haves.
A Nova Allianc : do V. Bardoso.
Sirius : ie J. C. Magalh a,
Alme'da Machado & C.
Pernambuco.
Dr. Baptsta Fragoso
Medico. Consultas das 10 s 12 no l9
andar da Pharmacia Francesa ra do
Baro da Victoria n. 25 entrada pela ra
de Paulino Camar?, antiga Camboa do
Carmo. Residen a estrada de JaZo de
Barros n. 24.
Cal virgem de Jaguaribe
REGS
TRADA
Importante declaraco (3)
As virtudes do PEITORAL DE CAMBARA-
de J. Alvares de S. Soares, de Pelotas (Rio Gran-
de do Sul) vantajoaamente empregado em todas
as molestias do apparelho respiratorio, ne sao
h je postas em duvida por mutos Ilustres filhos
da sciencia.
O hbil medico Sr. Dr. Culoa Marchand, de S
Gabriel, escreveu ha pouco o seguinte ao antor
do preparado :
O seu zarope peitoral de cambaba' tem-me
feto muita falta, porque quasi nunca o encontr
ao seu deposito d'aqui. Teoho-a aconselhado na
minha clnica e com elle tenho tirado resultados
importantes no tratamento das molestias 6ronco-
pulmonares.
Outraa declaracoes imporUntissimis d e mu
tos diatntoa mlicos, comprovam valiosamente as
virtudes de to precioso medicamento.
O leitor poder sprecial-as no opsculo que
acompanha cada frasco e qae vende-se na agen-
cia a cargo dos Srs. Francisco Manoel da Silva
& O ra Marque de Olinda n. 23.
Frasco 2500, meia duzia 13000 e duzia 24*
A agencia envia a quem pedir condices im-
pressas para as vendas por atacado.
Avisase aos senbores de engenho e
mais consumidores desta excellente cal,
que continua ser o seu deposito ge^al a
ra do Bom Jess n. 23. Perfectamente
eznbarricada e em pedras, como a que nos
vem de estrangairo e em nada inferior a
esta, continua a sr vendida pelo preco fixo
de 6&000 a barrica.
Alm do deposito geral j indicado, sao
tambem vendedores della os senbores :
GuimarSes & Valente6 Pateo do Cor
po Santo 6.
Lopes Araujo38 Ra do Livramen-
to-38.
Bento de Ficitas GuimarSes & C Ra
do Visconde de Itaparica 51, Recife.
Clnica do Dr. Sim5as Barbosa, Espe-
cialidades : partos, molestias de senhoras
e de criangas.
Consultorio ra do Mar juez de Olia-
da n. 64 consultas de 1 s 3 horas da
tarde.
R sidencia ra da Soledade n. 78.
TMohone n. 213.
Leonor Porto
Ra do Imperador n. 45
Primeiro andar
Contina a ezecutar oa maia difficeis
figurinos receid;s de Londres, Pars
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeijilo de costura, em bre-
vidade, modicidade em presos e fino
gosto.
Dr. mu um
Medico, parteiro e operador
RittAfuiin ra Bardo da Victoria n. 15, 1- andar
^ i Duque de Caxias n. 59.
D eojua'as -' 11 horas da manb s 2 da
Urde. .
Attende para oa tramados a qualquer ora
telephone u. -.-'-
Dr- Lopes l'cssoa
Medico o operndor
Residencia Ru. Lirga do Rosario n.
38 1 andar.
ConsultorioRa do Bom Jess n. 37
1* andar.
ConsultasDas 12 s 2 horas da tar-
de.
Chamados A quslqu?r hor?, por es-
cripto.



#



r
.-


Diario de PernambacoQuarf.i-.eira 2/ de Julho de VJtl

n

Casa de eo acacho moderna
KM
Seiencias, letlras e bellas-artes
RA VELHA N. 36
O director e profeaaor deate callego ensiua pri-
meiraa lettras pelo melhor systema dos principaea
collegios da corte do imperio, calbeu eacrapaloaaB
observaces.
Kecebe meninos internos por 3540J0 men-
aae.
Primeiras lettras 240U0 mensaes.
Por cada um preparatorio 34000 mensaes.
36 Ra Velna n. 36
Julio Soarea de Azevedo.
MEDICO HOMEOPATHA
I
jj
[ |>r. Bailhazar da Silveira i!
( Especialidadesfebres, molestias das
\ enancas, dos orgaos respiratorioa e daa
' genhoras.
( Presta-Be a qaalquer chamado para
) *or* di capital.
4 VISO
Todos os chamadas devem ser dirigi-
dos pharmacia do Dr. Sabino, ra da
Bario da Victoria n. 43, onde te indicar
sua residencia.
Consultorio medico-
eirurgieo
O L)r. Castro Jess, contando mais d; 1-i i M
de escrupulosa observacao, reabre consultorio nw
ta cidade, ra do Bom Jesus (antiga da Crm
o. 23, i. andar.
Horas de consultas
De dia : dasl as 2 da tarde.
De noite : das 7 as 8.
as demais horas da noite ser encontrado m
sitio tavessa dos Remedios n. 7, primeiro por-
l4o & eaquerda, alm o porco do Dr. Cosme
Thomaz Espuca
MIDOI SE
Ra do Imperador n. 67, primeiro andar.
REVISTA OHHEKCItL
Da semana de 18 a 3 de Juinu de
1SS9
Cambio sobre Rio de Janeiro A 15 d/v 1/4
/, de descont
Cambio sobre Bahia Nida constou official-
D>ente.
Cambio sobre Santos Na la constou olficial-
mente.
Cambio sobre Rio Grande do Sul A 6) d/v
com 13/8 % de descont.
Cambio sobre Porto A'egreNada constou of
ficialmente.
Cambio sobre LondresA 90 d/v 22 1/2 22
9/16 22 5/8 d/s por 14 doBaoco.
Cambio aobreParis A vista 424 o franco.
Cambio sobre Hamburga -Nada constou oficial-
mente.
Cambio sobre Portugal e L'sboiA 60 d/v com
134 % de premia partieu'ar.
Cambio sobre Porta Nada constou offl^isl-
mente.
Cambia sobre Montevideo iem idem.
Cambio sobr Buenos AyresI lem idem.
Apolices da divida publica de6%Nidt. cons-
tou.
Dita gtral de 5 "/,Valor do 1:0004 venderam-
se a 9604 cada urna.
Dita provincial de 7 o/0Nada onstou.
Compaobia Segur. Lidemnisadoradem idem.
Companbia d edifieacao A"*coes do valor i-.
704 a 354 e do valor de 1004 a 654 cado uui.i,
venderanrse.
Companhia Phenii Nada consf mi.
Companbia Segure Aufithrite 1 lem idem.
Companhia Pernambucaua I iem idem.
Companhia Fiaco e TecidosAccoes d .valor
de 1:0004 venderam se ao par.
Banco de Crdito Real Venderam-se accoes dj
valor de 60 a 804 cada urna.
Companbia da Beberibe -Nada c nttou
Companhia Santa Th:rezaNada constou.
Companhia de O.inda a Beberibe Nadacons-
tOD.
Descont de lettrasNada constou.
Lettras bypotheearas Forana vendidas a 901
cad- nma sem juros do actual semestre valor de
1004 a 944 cada urna om jjroj.
Genero naclouaea
AgurdenteAs veudas toram de 5>4 a pipa.
Alcool dem idem de lC'O, a pipa.
Assucar cntraram 2,596 saceos Vendsi,
sem alteraco, branco de 14803 a 24300, sumen as
de 14400 a 14500, mascavad. da 14100 14.-00,
bruto de 900 a 14000, retam de 700 a 80.) rs.
AlgodoEutraram3,137 saccas dem de
64700 a 64800 por 15 k La.
Arroz em cascaContina o retalbo de......
44400 a 44800 o sacco.
CafEutraram 100 sacens O retalha de
134000 a 174000 os 15 kilos.
Ceblas do Rio Grande do SalNao h.uve en-
trada.
Cera de Carnauba Por lotea anda colamos de
44 a 64 os 15 k los.
Couros salgados seceosAs vendas foram de 505
rs. o kilo.
Couros verdes C.tamos ncminalmente a 300
rs. o kilo.
Cerveja nacional O retalho dt 64 a dasia de
1/2 e 54 a de l/l.
Farinha de mandiocaContinuando is entra-
das do interior o mercado ivo tem alterado, cita-
mos nouiinalmente de 24500 a 24600 o sacco.
Fumo O retalbo de 64 a 154 de 154 a 304 ('n corda) o 15 kilos, conforme a
qualidade e procedencia.
Gomma de mandioca O retalbo de 24200 a
24400 os 15 kilos.
Graiza do Rio Grand o da Sul Catamos nouii
nalmente a 44500.
Gordara do Rio da Prata Cotamoa a 448L0.
Genebra nacionalSe mantm o retalbo de....
34801- a 94500 a caira conforme a qualidade.
MelC'tam 18 nominalmcnte a 404 a pipa.
MilhoO retalho de 55 a 60 rs. o kilo, as en-
tradas do intencr suffi-nentes paia suppnr o mer-
cado.
Pilles cortiias As vendas foram de 504000 a
10)4 o cinto.
dem em cabello -As v ShI do Ass a Mosoi As vendas foram d<-
800 rs. os ICO litros, ficando este firme.
Sebo cuadoColana js nomnalineuto a 54000 os
15 kilos.
Tapioca O retalh 1 de 34100 o 15 kilos.
Velas stearinas do Rio O retalha do 280 re.
o masso.
dem idem da provinciaRetalha-se a 260 rs.
o masa a.
Vinagre do Rio C-tamos a 814 a pipa.
Vinho do RioCot naos de 1254 a 1604 a pipa
Xarque do Rio Granda do bul -Deposita ....
48,000 arrobas, quo se retalba de 44000 a 54000
cada urna.
(enero* clrangeiroa
Alfazema S'-m dep .sito, a p uca que existe
vende-se a 74500 os 15 kilos.
Arros da ludia') retalho de 24 O) o 15 kilos.
AlfisteO retalho de 44800 a 54 os 15 kiloa.
Ateite de oliveira em barnsNa ha.
Dito de dita em latas O retalho de 154300
a 154500 par ata.
BacallaoDeposito 4,000 barricas, que se re-
talha de 174500 a 184000 cada urna.
Banha de purco Continua o retalho de 410 a
420 ra. a libra.
Batatas p .rtugueziu O retalha de 44009 a
1/2 caira.
Ditas Iogl<.z>isNao ba no mercado.
BreuContiuuain s a cotsr d= 124 a 144 *b,r
rica.
Caivo de pedr. O r.-talh-. Je 16>.0JJ por
tonelada a borde.
CaaellaO retalha h d.- 14450 a 15^) es 16
kilo*.
Clnica do Dr. Silva Ferreira
Especialidades. molestias de Senhoraa e ele
pello.
Ojusultas de 1 s 3 horas.
Ra da Cadeia n. 53.
Residencia temporariaPonte d'Uehoa n. 55.
TELEPHONE417
EDITAES
O Dr. Thomaz Garcez Prannos Monten-i-
gro, commendador da imperial ordem oa
Rosa, juiz de direito especial do comme--
cio desta cidade do Recife e seu term,
capital da provincia de Pemambuco, por
S. M. o Imperador a quem Lfeus guar-
de, etc.
Faca saber aoa que o preaente edital virem ou
delle notic.a tivercm, que por parte de Henrfque
da Silva Ferreira me foi dirigida a petico do
theor aeguinte :
Iilm. e Exm. Sr. Dr. juiz do commercio. Hen-
rique da Silva Ferreira, portador das 15 letras
juntas, sendo 8 aceitas por Antonio da Maia Pel-
e*, na importancia de 4084000, 6 por Antonio de
Sousa Rasteira, na importaueia de 7264240, e
i fiualinente, por Pinto it C, na importaueia ele
51400a, succede que estando ditas litras a preu-
creverem, quer o supplicuute interromper-lhes a
prescripea pelo que requer a V. Ezc. se digno
maudar tomar por termo seu protesto, que dtvei
ser iutimado aos aceitantes. Bporqas se acbein
ellea em lugares incertos c nao sabidos, quer an-
da o supplicante justificar esta cireumstaucH,
sendo a intimac > trica por ediUea e entregues as
referidas letras aa uiesmo supplicante. fiean .0
capia nos autos. Nestes tormos pede que, dis-
tribuida ae Ihe defira. E R. M. liecife, 21 de
Julho de 1887. J.o) Caetano de Abre), trotu-
rador, mellada legalmente.
Nada mais ae continba em dita petica na qu.l
profer o despacho do thejr aeguinte :
Distribuida. Como pede, designando o escrivi.u
dia. Recife, 21 de Julho de 1837. Moaten-gr.
Em virtude deste mea despacho .1 respectivo dia
tribuidor a quem foi a meama peticio presenta a
distribuio ao escrivo do primeiro otficio, que f lavrar o termo de protesto do theor seguinte :
Aos 22 dias de Julho de 1887, nsta cidade do
Recife, em o meu cartorio, veio o solicitador J0S0
Caetaao de Abreu e ante mim e as lettemuahas
iufra aseignadas, disse que por parte do uup.ili-
cante Uenrique da Silva Ferrt ira, seu conatituin-
te, reduzia a termo de protesto para ioterrujeb
de prescripcao o conteudo de sua peticao retro,
que fioa fasendo parte integrante do presente,
afina de s r intimado aas suppii.-aloa para os de
vidos efiitos E de como aesur o disse e prote.
Cebolas O retalho de 114 124030 a caiza.
CervejaaO retilbo de 64 a 104 a duzia con-
forme a qualidade e fabricante.
Cemento O retalh) de 6} a 84 a bar.ica,
confirme a qualidade e puso.
Cominhos'i retalh 1 de 17450) os 15 kilos.
Gravo da ludia retalho de24800 a kilo.
Farinha de trigo Depiaito 16,000 barricas, que
ae retalha de 174000 a 174500 pela americana e
204500 a 224500 pela de Trieste cada nme.
Feija Cinliiit o --u.>p. im.-iio p I u ei quo faz nao alterar o retilhi q-ie de 44 a 84 o
sacco.
Garra toes vasios>uti 11 o retalh) de 14 a
450 conforme a cipicidade do garrafa.
Doces em calda O retalho de 700 a 750 rs.
a lata.
Karello do Rio da PrataO retalho de 34S00
a 44 o sacco.
Dito de Liabaa O retalho de 440 X) a 14200
o sacco.
Genebra-O retalho de 34503 a 144503 -ca
za eo itorine a qualidade.
Herv doceO retalho de 174>03 os 15 kilos.
Kerotene Uenosito 19,000 cairas que se vende
de 34300 a 34400 a lata.
Lauca iugleza ordinariaO retalh" de 804 a
1254 o gigo conforme a qualidade.
Massa de tomitt'J retalbo de 800 a 850 rs.
a libra.
Vanteiga em barraO retalh> de 750 a 760
rs. a libra.
Dita em laUaU letalbo de 14100 a 14200 a
libra.
Massas italianas Contina a vender-se de 54
a 740* 0 a caira.
Oleo delinhaca ^ontini a vender-se a 14700
o galio.
Paseas caminaos C^utint a veuder-se de
84500 a 94 a caiza.
Ditas tinas -'J retalha de 114 a 124 a caiza.
Papel de embrulhjCmtiuua se a retallinr de
580 a 14100 conforme a dimeusao e qualidade.
P.menta da Iadia-0 reUlbo dt 14100 a------
14450 o kdo.
Plvora ingieraO retalho de 204103 o btr-
ril.
QueijaaO retalho de 34300 a 34400 um
bal eetrangeiroSem eziateacia.
SardiuhasCoitiuna a retalhar-83 de 3 Jo a
320 rs. o 1/4
Toucicho de Lisboa O retalbo de 104 os 15
kilos.
Dito .mericano O retalho da 124 a 124>00
os 15 k'los.
Velas steariuas I iem de 550 a 900 ra. o
masso.
Vinagre de Li.baaO retalh > de 1534 a 1704
a pipa.
Vinbo de Lisbaa dem de 2204 a 2304 a pipa.
Dito francez0 retalho de 2504 a pipi.
Dito Figueira-0 retalha de 2354 a 2404 a
P'P*-
Xirque do Ro da PrataS:m eziatencia.
tan lavro este termo em que assigno com as tesa
temunbas depon de lido por mim Manoel Lpa-
de Cirvalha Chavss, escrevente juramentado, que
o escrevi. E en, Jos Franklin de Alencar Lima,
escrivo o fia acrever e aobscrevo. Joo Caeta-
no de Abreu, Tito Pinto, Jos iforeira da Rocha.
Nada maia coctinha dito termo de protesta
cima fielmente transcripto.
E tendo o aapplicante Honrique da Silva Fer-
reira justificado na forma da le a ausencia em
lugares neertos e nio aabidoa dos juatificadoa, o
respectivo escrivo me fea oa autos conclusos sel-
lados e preparados e nelles profer a sentenoa do
tbeor sepn'ite :
Vistor. II .-i por justificada a ausencia dos justi-
ficados em lugar ineerto e mando que sejam os
ire.-uioa intimados por editaos com o praso de
tn'nta dias do protesto ie folhas para interrup^o
da p.esenpeao das titulas de rolbas a foltiis.
Custas ez-eausa.
K cife, 23 de Julho de 1887. Thamaz Garcez
Paranhos Monteuer 1.
h n virtude deata minba aentenca o respectivo
ifcrivo fez passar o preaente edital par cojo
th or chamo, cito e hei por intimadoa os jusfifi
eados Antonio da Maia Peaaoa, Antonio de Soaza
Rn'teiro o Pinto 4 C. para que no praaa de tinta
das contados da data da publicoslo deste cotepa-
recam ante este juizo afim de allegarem o que fr
a b-m de seos direitos e justica.
E para que ch 'gue ao conheclmento de todos o
presente ser publicado pela imprenaa e ou-
tro de igual tbeor aluzado no lugar do coatume,
do que se juntar certido aos autos.
Dido e passado nesta cidade do Recife de Per-
narabuco, aos 25 das de Julha do aono do Nasci-
mento de Nosso Senhor Jesus Christo de 18-57.
Eu, Jos Franklin de Alencar Lima, subscrevo.
Thomaz Garcez Paranhos Montenegro.
Secretaria da Presidencia de Pernarcbuco, em
23 do Julho de 18872 seccio.Por esta secre-
taria se faz publico de conformidade com o art.
157 do regulamento annezo ao decreto n. 9120 de
28 de Abril de 1385, o edital abaira transcripto,
pinja em concurso, com o prazo de 60 dias, os of-
fieus de escrivo privativo de orpbos, ausentes,
provedona, capellas e residuos, e par distribuico,
do ':ivel, crime e commercio, e bem asaim de 1* ta-
bellia do publica judicial o ootas do tormo da
Bonito.
Pedro Francisco Correia de Oliveira.
EDITAL
Juizo municipal e de orphos do termo do
Bonito
O Dr. Sebastio Ildefonso do Reg B irros, juiz
municipal e de orphioa do termo do Bmito, etc.,
etc.
Faco Baber a todoa que o preaente edital virem,
qn*, de conformidade com o decreto n. 817, de 30
de Agosto de 1851, art. 11, fioa marcado o praso
de 60 dias, a contar desta data, par., o coecuno
Do Enolisu Bahk :
ao provimellzo dos offio os de rtcrivo privativo
de orpli 8, ausentes, provedoris, capellas e resi-
duos, e par diatribuic", do civel, srime e commer-
cio, e bem asaim de 1 tabclliSo do publico judi-
cial e utas deste termo, creados 1 e conformidade
com o decreto de 80 de Janeiro d 1834 e vagos
pelo falleciaiento do respectivo aerventuario, Ser-
gio Clementina de Souto Maiar e Albuquerque :
os pretendentce devera instruir euaa peticSes com
oa documentos seguintea, que aeriio apresentadoa
em original: auto de ezame de 8 iffieiencia, cer-
tificado do zame de lingna porugueza e arith-
metica, falba corrida, certido de dade, attestsdo
medico de capacidades physica, ertido no caso
de ser menor de 30 annas, de tei i.atisfeito a obri-
gaco da^lei n. 2556 de 26 Je Setembro de 1864,
procuracasp eial, se requer p.r procurador, se-
gundo o decreto n 9420 d- 28 de Abril de 1885,
art. 203.
Este ser aluzado no lugar do ostumo e publi-
cado pi-la imprensa ba capital. Oada e passado
nesta villa de Bjnito, aos 13 dia de Julho 'e
1887.
Eu, Joaquina Riberto Pereira, tscrivo interii.o
de orpbos, o escrevi.Sebastio jd.lonso do Re-
g Barros.
Est conforme. B mito, 13 de Julha de 1887.
Sebastio Ildefonso do liego Barros.
Certifico que nesta data affizei 1 a porta da casa
da Cmara o edital do Sr. Dr. juiz municipal deste
termo, marcando n prazo de bO dias. a contar de
hoje, para o preenchimento dos inicios de escri-
vo de orpbos, ausentes, proveiloria, capellas c
residuos, etc., do quo tudo dou f. Bonito, 13 de
Julho de 1887.O inicial de jus'ica, servindo de
pirteiro des auditorios. Vicente Ferreira da
Silva.
90 djv vista
Uindrea .......
Paria........
(ulia........
Haraburgo......
Lisboa e Porto.....
Principaea cidad:s de Portu-
>........
liba das Acores ....
liba da Madeira ....
V w-York......
22 1/2
422
523
236
22 1/4
426
426
528
238
243
246
243
24250
Mercado de aaancar e Ais Jilo
aacirs, 26 na julho na 1887
Asracar
A otaco dea te producto, para 0 agricultor,
cjntina a regular aoa algariamod abaizo, por 15
kilos :
raneo, oa melhores que
apparecem no mercado,
regulam de ....
3 serte boa.....
11 regular.....
lu-jiidos e baizoa
iotnenos ......
vlascavado .....
Brnto.......
Rtame......
Alqod&o
1.' tal a i.csifo desee producto em nasso mer-
cado, o qual contina asm sabida, que nos aguar-
dimu para dar a sua Citaco quaodo fr iff.-c
tuada a sua venda.
Enlradaa de aaaaear e alRudo
UKZ 1>B JULIO
Auucar
Entradas
24200 a 24400
14900 a 24100
14700 a 148 KJ
14500 a 1470.I
14300 a 14400
14040 a 14100
4903 a 14000
4700 a 48 KJ
Diaa Saces
Barcacas...... I 25
Vapires...... 1 23
Via-ierrea de Caruar 1 23
Auujaes ...... 1 23
Via-terrea de S. Francisco 1 21
Via-frrea de Limoeiro 1 i 20
9.840
404
7l
252
9.131
236
Somma.
Algodo
Entradas
.roaoas...... 1
Vaporea ...... 1
Via-ferrea de Caruar 1
Ammaea...... 1
Via-teriea de 8. Francisco 1
Via frrea de Limoeiro 1
Somma.
Diaa
25
23
23
4 23
21
20
20.627
Saccat
2.656
3.236
5i
4.055
734
510
11.230
O admin8trador da Recobei.oria Provincial,
tondo cm vista o regulamento de 4-. do correte re-
lativo a cobranca do impa3to por venda de bilhetcs
de loteras de ontraa provincias, acieutifica as casas
de commercio e as pess.as que 10 municipio do
Recife, quizerem coutinuar a eflerecer venda
ditoa bilhetes de loteras que, at 1 dia 33 do cor-
rente mez, devero solicitar desta r.'psrtiy > a li-
cencia necessaria, satisfazendo previamente o im
posto decretado pela lei n. 1884 en seu art. 1
o.
Os refractarios ao pagamento do referido im-
posto sujeitar-se ho do 1 de Agoto em diante
saneco dos arta. 8 e 9 do citado reg lamentoabaizo
transcriptos.
Recebedoria Provincial de Pemambuco, 7 de
Julho de 1887.
Francisco Amyothas de C* valho Maura.
Art. 8. A venda dos hilantes de loteras de
cutras provincias em estabelecime.itos ou por pes-
aoaa que nao estejsm munidas di competente li-
cenca, conatitue Sagrante infraejo da lei e de-
fraudaco da renda provincial, fie.indo sujeito o
infiactor perda dos bilhetes encentrados em teu
poder, que scro appiehendidos, e ao pagamento
Vaviu a aec-ari;a
Brigoe portuguez Armando, vario i gneros.
Barca ing era Mar a, bacalho.
Barca a I leui Hanta, kerosene.
Barca nacional Marianninha, zirqic.
Escuna alterna Frita, rarque.
Escuna noru-guense Heform, zar re.
Lugar lugl-z Y.ary Cory, boCalIlij.
Lugar sueoo Armida, vari.s gneros.
Lugar euec 1 I>r. $. varios generes.
Patachi allemo NurddeuUcfte Satinarte, varios
gneros.
Patacho inglez icAo, carvode pudra.
Vapor nacional Ipojuca, varios gen ero j.
Pama da 4ifandega
SkMtRA DI 2) A 30 HE JULHO DK 1887
Assucar retinado (kilo) .... 145
Assucar branco (kilo) .... 12
Assucar mascavado (kilo) 066
Alcool (litro)....... loO
Arroz com casca (kilo) .... 65
Agurdente e ..... 0." 6
Algodo (kilo)...... 373
Borracha (kilo)...... UOti
Couros seceos salgados (kilo) 460
Couros seceos empichados (kilo) 585
Couros verdea (kilo)..... 275
Caceo (kilo)....... 400
Caf restolha (kilo)..... 30
Carnauba (kilo)...... 366
Crdeos de alfodo (kiloj ... 014
Carvo de pedra de Cardifi (to i.) 160O0
Caf bom (kilo)...... 460
(Jacha ya (litro)...... 7.H3
Familia do maudioca (litro) 037
Fumo reatolho em rolo (kilo) 4t>5
Fumo restolha em lata (kilo) 5 0
Fuin-> bom (kilo)...... ~r
Fumo em fjiba bom (kilo) ... 72
Fumo em folba ordinario (kilo) 400
lieneura (litro)...... '200
Mel (litro)........ 040
M.tbo (kilo)....... 400
Taboados de amarello (dozta) 10040J
do imposto com a multa de 23 % que nao sendo
satisfeito de prompto, ser cobrado judicialmente.
Art 9*. SSo competentes para tffectuar a ap-
prehenao os empregadoa proviuciaes das reparti-
coes de fazenda, oa fiscaes das cmaras municipaes,
hesoureiro das loteras provinciaes e autoridades
policiaes, devendo estas, alm disto, prestar sem -
pre o seu concurso, quando requerido pelo appre-
hensor.
= De ordem do Iihn. Sr. engenbeiro director
geral, faca publico que tendo S. Ere. o Sr. pre-
sidente da pruvi c:a concedido autorisacao Im
perial Sociadade dos Artistas Hechanicis Libe-
raea para desapropriar o terreno com seis peque-
as casas, eristentes ao lado do sul do edificio do
Lyceo de Artes e Officios, para o eetabelocimento
de otficinas e aulas praticas annezas ao mesmo
Lyceo, alo pelo preseute chamados oa senhores
mteressados, para no prazo de dous mez-o virem
ezaminar a planta respectiva qu t approvada
pela Cmara Municipal da Recife e acha- secretaria, e apresentarem as redarnacoos que
tivereo., sob peua de proceder-s a arbtrame-oto
para iudemnisaco, na forma da lei n. 129 de 2 de
Maio de 1881.
Secretaria da repartidlo daa Obras Publicas de
Pemambuco, 23 de Julho de 1887.
O engenbeiro secretario,
Joaquim Gomes de Olivei a e Silva.
O Dr. Joaquim Correia de Oliveira Au-
drade, juiz de direito de orphaos e au-
sentes, nesta comarca do R"cife e seu
termo, por Sua Mg;'Stadc o Imperador
a quem De.ua guardo etc.
Fsca saber aoa que o presente edital viren ou
delle noticia tiverem que fioa marcado o prazo de
30 dias para os ioteressados apresentarem perante
este juizo suas reclamacoes sobre a ordem de pre-
ferencia na elae8:hc*cio doa escravoa que teem
de ser libertados pelo fundo de emancipacao, 7*
quota :
Escravaa casadas com homenB livres :
1 Jo'iuna, parda, 27 annoa, de O. Coustanlina
Ferreira da Silva.
2 Antonia, parda, 23 aunos, de D. Mara Jos
de Jeius Pirette.
3 Ernestina, preta, 21 annos, de D. Ludovina
Ueha Carueiro Campallo.
4 Benedita, preta, 32 annos, de D. Delmira Cau
dida de Saut'Auna.
5 AuU, parda, 48 aunos, da Francisco Antonio
C >rreia Cardoso.
Escravos cisadoa c m mulh res livres :
6 Silvestre, prete, 30 annoa, do Dr. Fraaoiaco
de Paula Correia de Artujo.
7 Emiliano, pardo, 39 aauos, de D. Francisca
de Pauta Cabral.
8 Jo i, preta, 31 ano .s, do Mauoel Correia de
Araujo.
9 Taeo losio, preto, 38 annos, de Silva St Alvaro
10 FranceHno, 32 annos, do Baro da Soledade.
11 Quintino, pardo, 24 anuos, de D. Maria do
Carmo Carnein Campello.
Conjuges escravos de differentes senhores :
12 Herculana, parda, 54 annos, de D. Joaquina
Emilia da Silva Villaca.
Mes viuvaa cu aolteiraa com filhos escravos
menores de 21 annos :
13 Maria, preta, 41 annos, de D. Maria Militana
Monteiro.
14 Francisca, preta, 18 annos, da mesma.
15 M.noel, preto, 20 annos, da mesma.
16 Rita, parda, 37 aon;a, de Dr. Francisco de
Paula Correia de Anujo.
17 Agostinho, parda, 20 annos, de D. Anna Maria
di Conceico.
Cipjuge- com filhos menores de 21 annoa:
18 Marcolinn, pardo, 50 anaoa, de francisco An-
tonio de Oliveira.
19 Mara, semi-brauca. 55 annos,do mesmo.
Mis viuvas cu eolteiras com todos oa filhoa
livres :
20 Sabina, parda, 21 annoa, do Di. Antonio Joa-
quim de Moraes e Silva.
21 Luiza, parda, 34 annos, do Dr. Luiz de Salazar
Moscoso da Veiga Pessoa a Mello.
22 Is ibel, preta, 40 annos, do D. Maria Magda-
lena de Avellnr.
23 Sebastiana, preta, 26 aunos de Ignacio Alvee
Monteiro.
24 Justina, pret-i, 27 annoa, de D. Maria Clara
Caroeiro Machado Ros.
25 Joanna, parda, 24 aunas, de Antonio Jos
Duarte.
26 Silveria, parda, 31 anuos, de D. Maria Gal-
aina da Silva Braga.
27 Leopoldina, preta, 35 annoi, de D. Francisca
Leopeldina da R >cha.
28 Vicencia, preta, 37 aun >?, de Jos de Souza
Nuucs draga.
Eacravas solteiras e sem fi.hob :
29 Felippa, preta, 27 annos, da D. Mara Euphra-
sia de Azeveda e Mello.
30 Autonia, parda, 21 anuos, de Manoel Joaquim
Alves do8 Santos.
31 Osmiuda, parda, 22 annos, de D. Guimaria de
Mcndouc* Alves e Lima.
32 SOveri.., preta, 23 aunos, de D. Josephina The-
mudo L'-saa
33 Francisca, parda, 2 annos, de D. Anna A.
Los Vulela.
34 Geralda, preta, 28 anuos, de D. Maria Ceara
Carneiro Machad) Rios-
35 Joanna, parda, 25 anuos, de D. I-abel Emilia
de Oliveira Ferreira.
3> Helio Jora, parda, 21 annos, de Jeo Goncalvea
Torres.
37 L'i.za, parla, 17 annos, de D. Anna Marques
Avila.
35 Guilhermioa, parda, 19 annos, de Jos da Silva
Lry*
Boina couaiBerol!
l."OTA<;B8 OFFICIAK8 DA JUSTA D08 COK- Agurdente
KBCTOKK 'Algodo .
Recife. 26 de Julho de 1887 I *"utar1
I agos de mamona
'Borr
Accoes da companhia do ediScicao, remidas, do
valor de 1004 a 65J cada urna.
Ditas ditas, valor realizado de 704030 a 354003
cada urna.
Ditas ditas, dem de 60J a 254 cada urna.
Jaiunio sobre Para, 60 d/v. com 11/4 0/0 de des-
cinto.
Cambio sobre Londres viata, 22 3/8 d. par 1<,
do banco.
Ka hora da boita
Veuderam-ae :
10 accoea da cempanbia de edificaco remidaa.
10 ditas idem de 354000.
10 ditas idem de 254000.
(> presidente,
Antonio Lrooardo Rodriguea
y) ieiT.'funo,
tduardo Dubeuz.
Muilmeiifo baurarlo
BBCIPB, 26 DE JULHO DB i I
PRAQA DO RECIFE
L's bancos abriram h-je com a taza de 22 1/2 d.
sobre Landres, dando, poro n, a 2*2 9/16.
Gm papel bancaria houve trau.-aeces a 22
5/8 d.
O papel particular f,i vendido tamben) a 2 5/8.
A tarde o mercado apresentou teudencia; de
freuzo.
PRAQA DO RIO DE JANEISO
A taza aflizada no balco fo a mesma de hoo-
tem, ist > 22 1/2 d. sobre L ires.
Oa teos deram a 22 9/16 d, f.chando fiouzo
tarde.
As tabellas ezpostas ajui fonm es' is :
Do Ihtbmacioil :
90 djo vista
Despachos de eiporlarao
MKZ DB JULHO
Noa diaa 1 25 toram deapacbadoa na Alfande-
ga oa artigoa seguintes :
Pura fra do Imperio
.... 24.245 litros
.... 587.133 kilos
. 1,379.795
. 15.982 .
racha ......
.... 4.187 .
Cal....... 34 saceos
Cocos (fructa) .... 11.003
Cuuriohos e pelles 65.050
Couros espichados 167
Couros aalgadoa. 7.657
Doce....... 15 kiles
Farinha de mandioca 1.111 saceos
Mel ._...... 9.12 litros
Pranches da amarello. 41
Pianehoes de vmhatico. .'(
Para dentro do Imperio
Agurdente..... 381-592 litros
Alcool...... 16.800
Algodo ...... 800.714 kiloa
Assucar......2,140.4021/2
Cxjumbeba .
Ora de carnauba .
Ceja (fructa) .
Cumar.....
Dace......
Eapauadorcs. .
Farinha de mandioca .
Fio de algodo .
{Vllias de jaboran (y
Oleo de mocot .
.'leo d ricino .
Pl >a de jangada
Peonas de aves .
PraneL.'s de amarello.
Preparados de jurubeba
Queijo do ser'.o
Rap......
Resiua de butata .
Sal......
Sola......
Vmho de jurubeba .
80 caizas
1.150 kiloa
18.100
10 calzas
1.840 ki les
2 caira
100 saceos
975 kilos
8 v.luui' s
120 kiloa
5.720 .
4-2
20 kl >s
7
1 caiza
40 krll
676 .
1 caiza
32.700 litros
99 meios
96 caizas
Juro e dividen doa
Esto sendo pagos os seguintes :
DIVIDA I-BULICA
Apolices ger es u proviuciaes.
Apolices muuicipa s (rs 151 21)6).
LBTTBAS HVrOTHBCARIAS
Do Uanco de Crdito Riat, 7 0/0, ultimo ae-
uieatre.
BANCOS
Crdito Real de Pentambuco, 2." dividendo,
lazo de 5 0/0 sobre o valor das entradas reali-
zadas do capital, cu 34000 por aeei'o.
Brasil, 67." divideuoo, na razo de 94030 por
aeco. Esto enca regxdoc desse i agaueuto os
agentes Pereira Carueiro & C.
CHUIL DB FERRO
Trilhot Urbanos do Recife Olinda e Beberibe,
25* dividendo, razo de 8 0/0. O pagamento
faz-ae na escriptorio da couipauhia naa tercas e
sabbados.
Memorial
Aos contribuintes dos impestos daiodustria c
prosso e predial, foi marcado o prazo de 30
diaa, qne terminar 22 de Agosto vindouro, para
apresentarem na Recbbbdobia Gebal as reclama-
coes que porveutura teubana de faz :r com relacao
i-o ultimo laDcain-nto.
Teroiioa no dia 6 do m z viud juro o prazo
marcad) para pagamento dt tercera e ultima
preitaca, na razo de 43 0,0, das aceis ultima-
mente emittidss pela Cohpamiia do Bbobbib::.
O Sr. Jos Joo de Amarim, thesoureiro da
CoNPAxaiA na Fia1o e Tecidos, esti recebendo a
primeira preataco, na razo de 10 0/0, das ac
toes ltimamente emittidas para o levautamento
da fabrica da Torre. *
O prazo marcado para tal recebmento termina
boje, i 7 do corren te.
A directora da Estrada db Ferio de Ribeibao
ao Bos.to marcou o prazo de 60 dits, que termi-
uara a 4 de Agosto vindouro, para os accionistas
recoluerem a 6.' entrada de 10 0/3 de suas ac-
coes.
Com o descont de 4 0/0 e at 30 de Setemb-o
vindouro, sero substituidas na Tiossoobaria db
Fazenda as notas do valor de 24000 da 5. estam-
pa, 54000 da 7." e 104000 da 6.*
Carga da Babia
Alhas 100 canastras ao Viscon la da Ita-
qui do Norte.
C^f 300 siccas ordem, 413 a Domin-
gas Cruz & C.| 100 a Fernandes da
Costa & O., 157 a Paiva Vaieute & C.
GJgairos 1 volu-na oriem.
Panno de algo lito 42 fardos ordem, 30
a Rodrigues L-d& & C.
Pelles 5 atados ordem, 3 s H. Land-
gren < C.
Vapnr iughz La Plata, entrado do< p ir-
los da Europa na mesma dat e onsigaa-
do a Adamsnn Howio & C, mauifestou :
Amostras 31 volumen a divirsia.
(Jnuisas 1 caixa a A. R. Graogory.
Cartas para jogos 3 cuizas a Prente
Via un,, it C.
EtttirU* e t pitea 1 volurno ordem.
Livros 1 caisao u Prente Vianoa & C.
L-nh i 12 Chix5-a a Miguel Izabella
4 C.
Mercaduras 1 volume aos raesmos.
Movis 2 caixSes ordem.
M-.di.aaiaritos 1 vol'ime a J. 11- Box-
Well.
Papel 3 fardos ordem, 1 caixa a Wes-
tern Brazilian Telegraph Compony.
Koupa 1 caixa a R. H. Conooly.
Tintas 4 barricas ordem.
Tejidos diversos 135 voluntes ordem,
8 a Aodrade Maia & C, 8 a Machado &
Pereira, 3 a Liareiro Maia & C 3 a N*r
ciso Maia 4 C, 7 i A. Vieira & C, 16 a
Guerra <& Fernandes, 2 a Couto Santos
& C 5 a Luiz A. Siqueira, 4 a Rodrigo
de Carvalho, & C, 11 a Gonjilves Irmao
& C 11 a Joaquim Agostinho & O.
Vidros 9 valumas ordwn.
Velas 3 grades ordem.
Lugre inglez Clutha, entrado de Terra-
v, a j u ereiu>! a rereira oarneiro oz
Nova na me tna data e consignado a baun- Hanaa_ pjateca irmos & q.
dera Brothers & C, manifeatou :
Bacalho 3,075 barricas e 1,680 metas
aos consignatarios.
Exportaco
RMCira. 25 db jolho db 1887
i^ora o exterior
No vapor inglez Bessel, carregou :
Para Liverpool, Marcelino Cuoha 500 saceos
com 37,500 kilos de assucar mascavado
Na barca ingleza Otseo, carregaram :
Para o Bltico, Borstelmann c C- 500 aacc.a
eom 35,261 kilos de algodo.
Na barca portuguesa Claudina, carrega-
ram :
Para o Porto, M. Lima db C. 256 aaccaa com
17,100 kiloa de algodo.
*oro o inienor
No brigue allemo J. G. Fichte, carregou :
Para o Rio Orande do bul, 8. Q. Brito 700
volumes com 80,000 kiloa do assucar branco.
No vapor nacional Arlindo, carregaram
Para o Rio de Jaueiro, J. Ramos c C
cocos, fructa.
25 columnas a 600 ris 154060
21 ompartimeatos de larinha a
500 ris. 104500
22 ditos d- comida a 500 ria 114000
62 1/2 ditos de le^uines a 400 ria 244800
29 ditiade fazeudas a 14 294000
18 ditos de euino a 700 ris 124600
10 ditos de rreasuras a 600 ris 6000
li taiho= a -' 204000
8 ditos a 14 34000
A Oliveira Castro C.:
54 talhos a 14 544000
Jeve ter sido arrccad.iUa istsata da
a quautiade 2294380
Rendimento do dia 1 a "25 5:4524200
Foi arrecadado liquido .-t hoje 5:6814580
Precos do dia :
Carne verde de 23J a 400 res o kilo.
Carueiro de 720 a 8 JO ris idem.
Soinoo de 560 a 610 ris dem,
tariuha de 160 a 24! ris a cuia
Jillio de 26) a 32) ris idem.
Feijo di 64 I a 800 idem.
Haiadonro Publico
Forano! abatidas ot latadouro da Cabanga 113
rezes para o consumo do dia 24 de Julho.
Sendo: 87 rezes pertenec! te a Oliveira Castro,
At C, e 26 a diversos.
Djstas pertcncentes a diversos 1 foi para a cal-
doira propriedaie de Jaciatho Raposo.
Embarcacdes arla* no porto eos
ia de Juliio
KAC10NAE8
Arlindoconsig. Pereira Carneiro & C.
Armando Loyo Fiiho.
Qiqui Companhia Pernambucana.
Ipojuca Companhia Pernambucana.
Lamego(canboneira de guerra).
Marianninhaconsig. Baltar Oliveira & C.
Msniah Companhia Pernambucana.
Pirapama Companbia Pernambucana.
8. Francisco Companhia Pernambucana.
estbaxgeibas
Armidacousig. a Fonaeca Irmos & C
Bessel Sauuders Broth>rs & C
Claudinak L y > /k Filho.
Echo Wilson Sons 4 C.
Fritz Baltar Oliveira & C.
Gesine- Pereira Carneiro & C.
900
Londres....... 22 1/2 22 1/1
Pars........ 422 4.6
Italia........ . . 426
Ilamburg?...... 523 528
Cisboi e Porto..... 236 238
?ri:icipa"s eidades de Purtu-
?'........ 213
NeW-York . 24250
Oo Lobdob Bahk :
90 djv vista
es .
pHr;s. .
.. .
Hall-burgo
al
New-York
22 1/2
-122
523
236
SI 1,4
426
426
528
238
24250
BBCAPITCXAC/AO 00 AB80CAB
Para o exterior 1,379.795
Para o interior 2,140.402 1,2
kilos
Somma. 3,520.197 12 .
Vavioa s\ rana
Eoto seuCo despachados oa seguintes :
Biigue allemo J. G. ieht, assucar, para o Rio
Grande do Sul.
inglez i tseo, algodo, para o Balite).
Barca portuguesa Claudina, diversos rticos, pi-
ra o Porto..
Lugar portuguez Jos Estenio, couro, para o
Porta
Vapor ua:iooal Bessel, assucar e borracha, para
Liverpool.
Vapjr nacional Pemambuco ( chegai), dive.ica
artiga, para oa portoa do norte.
Vapor nacional 6*. Francite, diversas artigoa,
para oa portos do sul.
Importar
Vapor americano Finance, entrado dos
pertos do aul em 24 do trrenle, e consig-
nado a H;nry Forster & C, manifestou :
Carga do Rio de Jan uro
Amostras t volutnea a di veri os.
Cal 64 saceos a Costa t& Medeiroa, 65
a Joaquim Ferreira de Carvallo & C, 13
:i Domingos Cruz & C, 27 a Joo V.
Alves Matheus & (\, 4 ordem.
Fumo 105 volumes a Xavier de Simas
Irmaoa, 40 a Fraga Rocha & C, 7 a Cos-
ta Lima dt C, 4 a Rvirigu's de Paria
& C.
Mercadorias diversas 1 volume a A.
-M-rtina & C 1 a Manoel Coilaco dt C,
3 a Oiiveira Basto dt C la Couto San-
tos & C, 1 a Andrade Maia dt C, la Rc-
d. lpho Pessoa, 2 orJom.
Panno de algodo 45 Urius orJ-.-m, 25
a Luiz Autonio Siqueira.
Xarqoe 663 fardes a Saunders Brothers
& C, 200 a Mia dt Rezcnie,
Itcutliuicnius pblicos
HEZ DI JDXHO
Alfaniega
Renda geral
O 1 a 25
dem c 26
lien da provincial
De 1 a 25
dem de 26
665:392*255
23:1901133
70.067522
3.068^542
688.5S2>394
73:136.064
e 1 a 25
dem de 26
De 1 a 25
dem d. 26
Ua 1 a 25
dem ue 26
R.icebedoria geral
Rcceledoria p. ujinsiat
Recife Drainage
761:7194458
23:5384810
3504610
23:8894450
91:4503429
3-44968
91:8154397
11:3124435
8934736
12:2064171
(Serrado Municipal le S. Joa
O movimento deste Mercado no dia 26 de Julbo
foi o aeguinte :
Cntrarm :
43 1|2 bois pesando 5,678 kilos seudo de Oliveira
Castro, 26 ditos de 1*, 3 de 2* qualidade, e
14 e 1/2 ditos particulares.
454 kilos de peize a 20 ria 94080
69 cargas de farinha a 200 ria 134800
40 ditas de fructua diversas a
300 ra. 12.0J0
8 taboleiros a 200 ria 146JO
10 Sainos a 200 ris 24000
Foram secupados :
lenes ordem.
J. G. Ficht F. R. Pinto Guimares.
Jos Estevo Amorim Irmaos ft C.
Maria Jeh istou Pacer & C.
May C017X 8aunders Brothers & C.
NordJeutaeh: Seewarte1 Henry Nueach & C.
Oaaeo \V. Sons & C.
Polsty.'rnen Fonseca Irmos & C.
Kefortn H. Lundgren & C.
B8BTA8 .-10 LAMAbXo
Annaconaig. Hermano Lundgrin.
Cluta Saunders Brothers 4 C.
Vaporea entrar
DOS FOBTOS DO BUL
Pemambucohoje.
Neva-a 29.
Valparasoa 2 de Agosto.
Camilloa 7.
Trenta 14.
Paraa 17.
Espirito Santoa 27.
La Plata-a 29.
DOS FOBTOS DO NOBTB
Espirito Santoa 3 de Agosto.
Mansosa 12.
Pernambjcoa 24.
DA EUBOPA
Magelana 31.
Senegaia 3 de Agosto.
Vi I le de Macei a 4.
Mondegoa 10.
Taguaa 24.
DE LIVERPOOL
Scultorhoje.
DE NEW-TO.K
Alliancaa 29.
Vaporea waiiir
Pemambuco amauh, s 5 h jras da tarde, para
os portos do norte.
S. Fraucisco amanh, s 5 horas da tarde, para
Macei, Penedo, Aracaj e Baha.
Neva 29, 1 h >ra da tarde, para Soutbamp-
ten, tocando em Lisboa.
Allianca :0, s 4 horas da tarde, para Bahia,
Rio de Jaueir 1 e aotos.
Qiquia 30, ao amaubecer, para Rio Formoso e
Tamandar.
Magellan 31, ao meio da, para Valparaso.
\aviow a entrar
Arielle Terra Nova.
Bella Rosade Terra Nova.
Cmolatorde Terra N jvb.
Florence de Terra Nova.
Fatwardde Liverpool,
llonb rgsundde Caidiff.
Lidadordo Rio Graude do Sul.
Movimiento do porto
Navios entrados no da 26
Baha 2 dias, vapor ingle* Bessel de 1242 to-
neladas, commandante Ch. J. Watrom, equip.
gem 30, carga vaiioj g-ncroa : a Saunders Bro-
thers & C
Aracaty15 lias, hy*te nacional Daus te Guie
de t'O toneladas, mestre Vicente Ferreira da
Costa, equipagem 4, carga varioa gneros ; a
Bartholomeu L urecco.
Sahido no mesmo dia
Pelotaa-Lugar nacional Marnho VII, capito
Auguato F. da Cuaba, carga sssaoar.
C^El




i
Diario de PernanibueoHuarta-feira 27 a<& Juiho de 1887
-




-
39 Mara, parda, 22 anuos, -le D. Mara das Nev g
de Miranda Oliveira.
40 Vieencia, preta, 24 annos, de Joao Jos da
Silva.
41 Felismina, parda, 26 annos, do bach.rel Ju-
venliiu de Miranda Cabral de Vasconcellos.
42 Quiteria, preta, 20 annos, de Manoel Correa
de Araujo.
43 Atbanazia, preta, 22 annos, do rnesmo.
44 Mara, parda, 30 aunoa, de Mau:el Jos da
Silva Oliveira.
45 Quiteria, preta, 35 an ios, de D. Mara Leo-
poldina Ferreira Leite.
46 Generosa, preta, 35 anuos, de Manoel C'rreia
de Araujo,
47 Justa, parda, 39 annis, de Ignacio Forreira
Themudo L?ssa.
48 Antonia, preta, 43 annos, de Francisco Jee
da Costa e Silva.
49 Romaua, piuta. 45 anuos, de D. Mara das
Nevos ae Miranda Oliveira.
50 Cecilia, pardt, 45 annos, de Jjao Jote da
Silva.
51 Automa, preta, 49 aanos, de D. Izabjl Ein'lia
de Uiiveira Eerreira.
52 Lnizn, parda, 40 annos, do Espolio de Fran-
cisco Vicenta dos Santos
53 Sabino, pardo, 17 annos, do mesma.
Foram txcluidos do presente edtal os 6cravos
., Mana Risa o Isabel, pertencetes :t > Dr
Jutquim da Costa Ribeiro, por se acharem liber-
tos, conforma a declaraco feito a este juno pelo
rnesmo dcutor.
E para que chegue ao conhecmento de todos,
maudei passar o presente que ser publicad) pela
aprensa.
Dado e p-itsr.do cesta eidade do Recife, ais 21
de Julbo de 1887. Subscrevo e assigno =0 es-
crivo interino, Tbo i ai Ferreira Maciel Pin!:, ir >.
Joaqun Correa de Olivera Andrae.
DtLARACOES
Recife Drainage
Re iySo dos concertos feitos nos apparellios
no mes >ie Junho do crrante anno, de
conl'j. nidada cora o art. 10 do contra)
to e 2o do art. 15 do regulamento de
12 de Janeiro de 1872.
Recife
Mrquez di Olinda a. 6.
Dita n. 30
18S020
24GW
4*020
W&10J
3,5080
805SO
7,5890
25640
25G40
2,5640
20640
20640
25610
20.J4O
* 06 40
34080
206.0
25640
125320
2<40
204O
45620
35030
14574J
3508U
25640
25640
25640
35480
55280
165260
25640
25640
35040
25640
25640
25640
25610
25640
25640
55240
155160
25640
35170
65320
Dita n. 48
Dita n. 60
Di-a n 61
Bjiu Jess n. 40
Dita n. 13
Dita n. 29
Bispn Sr li.iha o. 2
Torres n. 16
Dita n. 20
Be-co do Abreu n. 4
Vigario Tuenorio n. 1
Dita ii. 5
Amoriui n. 36
Dita n. 33
ruyuy n. 6
Becco do Norouba n. 1
Largo da Assembla n. 13
Domingos Jos Martins n. 22
Dita n. 50
Dita n. 110
Travessa do Carnpel'o n. 1
Masantes u. 12
Travessa do Antigo Porto n. 1
Restauracao n. 4
Dita u 40
D. Mara Cesar n. 22
Viseonde de Itaparica n. 34
Dita o. 25
Pharol n. 20
Dita n. 26
Praga do Chaco n. 14
Dita n. 9
S. Jorge u. 8
Dita n. 74
Dita n. 83
Dita n. 99
Dita n. 131
Dita n. 135
Quararabes n. 1 A
Dita n. 85
Barao do Triumpbo n. 90
Caes do Brum u. 59
Vital de Oliveira (app. publico)
Santo Antonio
I operador o. 54
Diu n. 19
Dita n. 27
Dita n. 41
Imperador n. 43
Dita ii. 55
Dita n. 69
Io de Margo u- 13
Duque de Casias n. 56
Dita n. 71
Dita n. 81
Cabug c. 1
Baro da Victoria n. 50
Dita n. 60
Dita n. 49
Larangeiras n. 1
Dita n. 17
Travessa das Cruzas n. 12
Largo do Paraso n. lO
Ditan. 18
Larga >lo Rosario n. 12
Dita n. 14
Eatraia do Roz:.ro n. 41
Dita u. 45
S. Francisco n. 56
Dita n 35
Joao (1 j Reg n 42
Travessa dos Quarteis n. 13
Dita dos Expostos n. 14
Matbias de Albuquerque n. 1
Pas n. 16
Travessa da Flores n. 4
Paulino Cmara n. 8
Dita n. 34
Dita n. 13
Fogo n. 1
Livramenton. 22 25610
Dita n 32 5568*
Visoonde de Inbauma n. 28 25640
Dita n. 35 75200
Pedro Affonso n. 33 2#'>40
Dita n. 35 45560
Travessa do Carqereo n. 4 45620
Marcilio Dias n. 36 35960
Dita n. 56 60820
Dita n. 68 45880
Ditan. 19 25640
Coronel Suassuna n. 7 45760
24 de Maio n. 9 65820
Palma n. 8 25640
Dita n. 64 25640
Marqaez do Herval n. 16 24440
Dita n. 45 5:y,0
Cadeia Nova n. 17
Caes 22 de Novembro (apparelho
publico) 45560
S. Jos
Marcilio Dias n. 116 45760
Dita n. 141 35960
Lomas Valentinas n. 70 204O
Coronel Suassuna n. 180 25640
Dita n. 228 215240
Dita n. 57 25640
Dita n. 67 45460
Dita n- 91
Dita n. 125
Pama n. 79
Mrquez do Herval n. 146
Ditan. 171
Travesea do Poucinho n. 29
Dias Cardoso n. 66
Dita n. 94
Dta n. 35
Padre Nobreg4 n. 80
Dita n. 29
Dita n. 59
Tiavessa do Qaz n 24
Vidal do Negreiros n- 52
Dita n. 62
Dita n. 168
Dita n. 127
Domingos Teotonio n. 62
Dita n. 19
Nogueira n. 1L
S. Jos n. 29
Travessa do Peizoto n. 27
Dita do Lima n. 12
Boa-Vista
I nperatriz n. 24
Dita n. 30
Dita n. 42
Dita n. 5
Dita n. 41
Dita n. 45
Dita n. 47
Coneeicao n. 8
Dita n. 40
Visconie de Albuquerque n. 32
Dita n. 102
Dita n. 178
Ponte Velba n. 2S
Dita n. 114
Praca da Santa Cruz n. 4
Conde da Boa-Vista n. 5
Dita n. 21
Riachuello n. 18
Dit. n. 24
Dita n. 28
Hospi io n. 61
Dita n. 60
Rosario n. 15
Gervasio Pires n. 15
Dita n. 107
Travessa da ra de Gjncalvcs
Pires n. 9
Atilho n. 5
Hospital Pedre II n. 4
Coronel Lim Travessa de Jos Francisco
o. 12
Alegra n. 34
Barao de S. Borja n. 18
Travessa do Palacio do Bispo
n. 12
Dita n. 3
RecifeJulho-1887.
B. BrotherlKod,
Gerente interino.
20640
205380
55260
25'340
45760
2^6 40
21640
25640
25640
2564')
25640
4,7760
25640
355370
45360
35320
25640
75700
155160
215100
45310
45160
14,5740
Jjc de Amo-
1005000
8005000
Amorim
N. 24 K. Jol
rim
N. 24 L. Anna Soar?s do Amo-
rim 8005000
N. 24 M. Manoel Joao de Amo
rim 8005000
l1 seccao da Recebedoria Provincial, 25
de Juiho de 1887.
O chele,
Jerffeton Mirabeau de Azeuedu Soarei.
Jaizo dos Feitos da Fazendi
45720
45680
20640
558 SO
35960
80560
3*960
165540
35960
35J60
295620
35960
25640
55160
4556)
25640
30J6O
25640
35960
35960
25640
75440
17*380
145740
30960
Eacrlt&o Cintra
No da 29 do co.reuie e depiis da audiencia do
Sr. Dr. juiz substituto da Fazenda, iro de novo
praca os bens seguiutes :
O predio n. 51 ra do Bom Jess, cjm tres
andares, soto interno, 3 portas de trente, varan-
das de ferro nos V e 2- andares ejanellas no 3-,
mede o metros de largura e 15 metras e 65 cent-
metros de comprimento, coin 2 salas e 3 quartos
em cada um dos andares, avahado em 5:(Xk>JO0O,
para pagamento do que devo mesma Fazenda
Jos Pedro Vaz do Oliveira,
A renda annu il do predio u. 1 ra do Tuyuty,
avallada em i0jl, para pagamento do qiedeve
mosma Fazenda Jos Soares Pireir Braga.
S. Linreaeo
O predio n. 31 noL.rgo da Matria, c>m2ji-
ncllas e I porta, 2 salas, 2 quartos, cosiuha fra,
mede 5 metros e 89 centmetros de frente e 8 in :
tros de fundo, 6 de tuipa u tiu solo fireiro, ava-
llado coi lOOf. pur t psgaueuto do que deve
mesma Fazenda Jos Floriano da Souz i.
O predio u. 18 nj L'irgo da Matriz [8. Louren-
co), com i janellas el pjrta, 2 salas, 2 quartos,
m.-dindo 5 metros e 70 centmetros de largura e
255060
295220
95520
359-JO
25640
45160
2,5640
25640
45800
25640
25610
25640
25640
5920
25640
45160
45160
25940
2*640
3*083
25640
3*'. 80
454>J0
25640
85240
25640
25640
25640
45620
25640
25640
35080
55250
25640
45760
25640
25640
25640
2*640
25610
45560
195360
75740
2*6*3
RECEBEDORIA PROVINCIAL
Relacao das differencas para mais, encon-
tradas no valor locativo dos predios ur-
banos, da freguezia de Santo Antonij,
que estao sujeitos ao imposto de decima,
relativo so exercicio de 1887 1888,
pelo Locador Joaquim Tranquilino de
L*!ino8 Duarte.
Ra de 28 de Setembro
N. 31 Antonio de Siqueira
Ferrao 1445000
Travessa do Calabouco
N. 3. Jos Joaquim dos San-
tos 213&000
Becco do Calabouco
N. 12. Antonio Duarte Carnei-
ro Vianna 1895000
N- 14. O rnesmo 189000
N 16 Antonio de Paiva Fer-
reira 189*000
N. 5 A. Adriao Augusto de
Almeida JordSo 2135000
Ra de Santo Amaro
N. 14. Jos d'Assumpcao Oli-
vara 7145000
Ra de Pedro Ivo
N. i. Jos Mara Save 303$000
N. 6. Manoel Vaz de Miranda
e outros 3035000
N. 8 A. Manoel Antonio de
Jess 1325000
Travessa da Matriz
N. 4. Francisca Guilbermina
da Costa Guimaraes 895000
Ra de Matbias de Albuquerque
N. 3. Antonio Francisco Pe-
reira de Carvalho 924*000
N. 9. JeroDVino Fr a n c i s c o
F.rreira 4535000
Ra da Paz
N. 26. GalJino Antonio Alves
Ferreira 2735000
N. 40. Angela Baptista Gon-
calves Lima 3815000
N. 5. Custodio Christino Ra-
mos 2735000
Ra de Paulino Cmara
N. 40. Anna Bernardina da
Costa Ros 582* XX)
N. 42. A mesma 333*000
N. 23. Joao de Oliveira L-te
Souza 417*000
Largo do Carmo
N. 2. Jos Sobres Fernandes
de Oliveira 1:029J000
N' 4. Jjaquim Manoel Ferrei-
ra de Souza. 273*000
N. 14. D. Anna Lo u r e n < a
R al 3005000
N 7. Joaqui'n Manoel Ferrei-
ra de Souza 3795003
N. 21. Ordem 3" do Carmo 240* WO
N. 27. Aotmio Jjs Moreira 237*000
Travessa da Bomba
N. 11. Pedro de Alcntara dos
Guimaraes Peixoto 273*300
Travessa do Carmo
N. 2. Antonio Joaquim de
de Souza Ribeiro 330*003
N. 10. Jos de Assumpfao
Oliveira 4625000
1*scicao da Recebedoria Provincial, 2b
de Juiho de 1887.
O chefe,
Jerffeson Mirabeau de Azevedo Soares.
8 metros e 80 centmetro; de comprimento, ava-
llado em 100/, para pagamento do que deve
mesma Fazenda Jos Salustiano Vellos.
O preiio n. 26 ra do Rosario (S. L-iUrenco),
de taip e em solo foreiro, con porta e jaoclla, 2
salas, 2 quartos, mediado 4 metros o 40 centme-
tros de largura e 8 metros e 30 centmetros de
comprimento, avallado em 80/, para ppgimento
do que deve mesma Fazenda Joao Mara (lomts
Barreta.
Kecite, 26 de Julbo de 1887.
U solicitador interino da Fazenda,
Luna Freir.
inraria de S Jos d'AgonisT
C6 de, Juiiu de s&i
De ordem d. nosso irmo provedjr e em virtude
do art. 21 do eompr^misso rcsj>eetivo, convilo os
nossos carissiuios irmaos que j tenbam occupido
cargos em mesa, para a reuuiao da mesa conjue-
ta, que ter lugar seit -f jira 29 do crrante,
pelas 5 horas da tard:% no eoriistirij da mes.a a
coofraria, para se tratir de neg co urgaate.
O secretario,
Marcos Francisco de Paula Reis
IHMAXDADE
.iorixa Senhora Sani'Ann* da Isre-
Ja da Madre de Deas
ELEIQO
Em cumprimento aos arti. 7 e 16 di compro-
misso que rege eata irmandade, sao de novo
convidados todos os irmaos a coinparecerem no
consistorio da igreja da Madre de Deus qiarta-
f. ira 27 do correte, pelas 6 1, horas da tarde,
para se proceder a elei^So da futura mesa rege-
dor- que tem de funecionar no anno compromis-
sai de 1887 88, visto nSo se ter dia marcado por faita de comparecimiento legal.
Consistorio da irmauJade da Gloriosa Senhora
Sant'Aona da igreja da Madre dt Deus, 25 de
Julbo de 1887.D escrivo.
Luiz Barbota Ribeiro.
HINCO INTERN1CMA
DO
BRASIL
Capital 0,000:0004
dem reallsado ,ooo:ouo*
A caiza filial d'es'e Banco funecionando tem
porariamente ra do Commerc io n. 38, saca,
vista ou a piazj, contra os saguintes correspon-
dentes no estrangeirj :
Londres......... f/_N. M. R.thsebil & Sons.
Pans...........
Hamburgo.......i
Berlim..........
Bremente........i
Frankfurt s/ Main J
Antuerpia.......
Roma......
Genova....
aples___
Milao e mais 34
cidades de Ita-
lia.......
Madrid..........
Barcelona.......
Cdiz...........
Malaga.........
Tarragona......
Valencia e outras
;i da-lea da Hes
panba e Ihas
Canarias......
Lisboa.........\
Porto e mais ci-l
dades de Por-?
tugal eilhas... J
Buenos- Ayres___)
Montevideo.....)
Nova York......
De RothEchild Frres.
Deutscb-2 Bank.
Banque d'Anvers.
Ediflcafo das casas incendiadas
A companbia Indemnisadora recebe propostas
para a rcedificaco das casas terreas ns. 6, 8, 10
e 12, sitas no caes do Ramos, at meio dia de 28
do crrante mez. Os detalbes ach.m-s; no es-
criptorio da mesma companbia, ra do Cummerco
n. 44, que serio exhibidos aos senbores concur-
rentes. Recife, 23 de Juiho de 1887.
Os directores,
Joaquim Alves da Fonseca.
Antonio da Cunha Ferreira Baltar -
Banc Genrale
agencii.s.
e 8Uas
Banco Hypote2ario de
Espina e suas agen-
cias.
Banco de Portugal
suas agencias.
Ri-
EngUsh i.uik of the
ver Piale. Limited.
G. Amaick & C.
Compra saques sobre qualqncr pra;a do impe-
rio e do estrangeiro.
Recebe dinheiro em conta correte de movi-
mento com juma a tazao de 2% >.o anno e por le-
tras a prazo a juros convencionacos.
O gerente,
Wllam M. Web.-ter
Saata Casa de Misericordia do
Recife
Por esta secretaria sao chamados os parantes
ou protectores das menores aba izo declaradas,
para, at o dia 30 do corrate, apresental-as no
callegio das arpbs, a fio e serem ahi admittidas.
visto adiarem-oe inscriptas em primeiro lugar, no
respectivo quadro.
Laura, filba de Miguel de Souza Galvao e Isa-
bel Maria da Silva GalvSo.
Sydronia, filba de Cosme Damio Felippe da
Silya e Constancia Maria da Carmo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 16 de Juiho de 1887.
O escrivo interino,
Francisco Gomes Castellao.
do
Santa Casa de misericordia
Recife
Na secreta lia da Santa Casa arrenda-se os se-
guiutes predios :
Ra dj Bom Jess n. 13, 3- andar.
dem dem n. 44, andar e leja.
dem do Vigario Thenorio u. 22, 1 andar.
dem idem n. 25. sobrado.
dem do Mrquez de Olinda n. 53, 3- andar.
dem do Apollo n.'J4. 1- andar.
Ideu da Mvda v. 4'.
Ipem idem u. 47.
dem idem n 411.
dem idem n. 37.
dem da Lingseta n. 14, 1- aodar.
Beceo do Abreu n. 2, 2- andar.
Secretaria da Santa Casa de Msercordia
Recife, 25 de Maio de 1887.
O cscrivao intrioo,
Francisce Gomes Castellao.
do
COMPANRTA
aa
K
>Ov
MPERIA 1

CompanhlaFranceza de navega-
cao a Vapor
Linha quinzenul entre o H^vre, Lis-
boa, Pernambuco, Babia, Rio de Janeiro e
Santos
DE
Estrada de ferro d Ribeiro
ao
Pelo presente faco sabor aos Srs. accionistas
desta empreza, que j realizaram a segunda en-
trada de suas ac\os, constantes las cntelas ns.
18,. 19, 26, 55, 6!,-63, 81, .83, 85, 90, 101, e
14 que em observancia dodispisto no n. 1 do
art. 9 dos estatutos, fica-lhts marcado o prazo de
30 das a contar de lo do corrate mez, para reaj
lizarem a 3' entrada de ditas accoes com a multa
de 20 /,.
Outro sim, o acci mista que mi realizar suas
entradas na forma determinada perder i m be-
neficio da empresa as entradas que ji tenha feito.
Recife, 13 de Juiho de 1887.
O secretario da directora,
Jo Bellarmino Pereira de Mello.
SECilTROS contra FOiO
EST: 1803
Edificio e mercadoriaa
Taxcu baixas
Prompi pagamento de prejuizot
CAPITAL
Rs. 16,000:000,QOo
Agentes
BROWNS & C.
N. 5Ra do CommercioN. 5
SEGUROS^
MARTIMOS contra fogo
Companhia Phenlx Per-
nambacana
Ra do Commercio n. 8
0
Eilisfi Mi of i Se Janeiro
Lia le
BA IIO COMMBdCIO N. 20 1* t\IMH
tLnndoo A Brasillan Bank
lAmite
Ra io Commercb n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as ca-
do rnesmo banco em Portugal, sendo
em Lisboa, ra dos Capellistas r. 75. No
Porto, ra dos Inglezes.
NORTHERN
Ue EiOndren e Aberdeen
Poniru Onancelra (Uesembro issr.i
Coaimandante Panchvre
E' esperado da Europa
at o dia 4 d;- Agosto, se-
guindo dnpois da indiepen-
savel demora par a Ba-
bia. Bio de Janeiro
e Mani*.
Roga-se aos Srs. importadores de carga pilos
vapores desta linha,quciram apresentitr dentro de 6
das a contar do da descaiga das alvareng;.. pal-
quer rec!ama9ao concernente a volumes, que po-
vf-ntu ta tenham seguido para os portos do 8ul,ain
de se podercra dar a tempo se prever!encas neces-
sarias.
Expirado o referido praso u companbiJoa n se
rosponsabilisa por extravos.
Para carga, patsgen3, encoromendas e dinheirt
a frete : trata se com o
AGENTE
Aupsle Labilfe
9 -EUA DO COMMERCIO-9
DampfschinTalirls-GeselIsCuafl
0 vapor Valparaizo
Capital oubsciipto
Fundos accumulados
Becella annaal i
D premios contra fogo
De premios sobre vidas
De jaros
3.000,000
3.134,348
577,330
191,000
132,000
Santa casa da misericordia do
Recife
Pela secretaria da santa casa de misericordia
do Recife, sao chamadas as rnn is, a quem estilo
confiados expostos, para, pelas 9 horas da manh
do dia segunda-reira 1 de Agosto prximo, e em
companbia das respectivas criaucas, comparece-
ris no salo do est^belucimento, afim de recebe-
rem o semestre fiado a 30 d; Junh) ultimo.
Secretaria da santa cisa de misericordia do
Recife, 22 de Julbo de 1887.
O escrivlo interino,
Piancisco C jmes Cit<-IUo.
Thesourariade Fa-
zenda
Pagamnto de costaras.
De ordem do lllm. Sr. inspector, fajo publio
que no dia 28 do correute (quinta-feira), pagar-
se ha no Ai senil de Guerra a- costuras teitas du-
rante a primeira quinz^na do andante mez.
Thesouraria de Pazenda de Peraambu^o, 23 de
Juiho de 1887.--0 secretario,
Luiz Emydio P. da Cmara.
Cmara Municipal
Polo presente sao convidados os possuidores das
a plices municip'ics de ns. 151 4 256 a virem ou
mandar receber os juros das mesmas, veneidos
t 30 de Junho prximo findo.
frocuradoria da Cmara Municipal do Recife,
23 de Juiho de 1887.
O procurador,
Francisco de Paula e Silva.
Capital do Banco....... 1.000,000
Capital realiaado......... 500,000
Fundo de reserva....... 200,000
A contar desta data e at ulterior reso-
luto, conceder-se-ha juros de dous por
cento ao anno, sobre os sal ios de dinheiro
depositado em conta correte de inovimen-
to no raesnio Banco.
Recebe-se tamben dinheiro em deposito
a juros por periodos determinados, ou su-
jeito ao aviso pi vio de trinta das para ser
r< tira i o, mediante as condicF^s de que se
dar onhecimento aos iiterecsados.
Pernamcuco, 23 de Maio de 1887.
lenry K, Gregory,
Gerente.
O AGENTE,
John. H- Boxteell
E' esperado dos por-
tos dj su I at o dia 2
de Agosto e seguir
d pois da demora ne-
cesaria para
Este club dar no dia 36 de Juiho vindeuro o
seu sarao ; os senh ros socios podem procurar na
ui;D do scuhor thesoureiro os seus bilhetes, a
contar do dia 2~> do crrante em diante, das 7 s
8 1|2 h>ras da niic, na sede do clab.
Secretaria do Club C'irloi Gsmcs, 24 de Julbo
de 1887.O 1- secretario,
Pomp> C. Casaucva.
8 mi
di PerraMce
Alteracao encontrada para mais da daei-
ma urbana da freguezia da Boa-Visia,
relativamente ao exercicio de 187 a
188S, peh lancador Jos de Pinho Bor
ges.
Coude da Boa-Vista
N. 24 F. Antonio JoSo de Amo-
rim
N. 24 G. Maria Soares de Amo-
rim
N. 24 H. Jes Joao de Amorim
Jnior
N. 24 I. Carolina Soares de
Amorim Moreira
N. 24 J. Adelaide Soares de
A directora faz aciente aos Srs. subscriptores
da nova emisso de accoes para o Itvantaun nto
da fabrica na Torre, quo fica marcado o praso de
30 das desta data, para pagamento da primeira
prestacao de 10 por cento, e autoriaado o Sr. the-
soureiro Jos Joio de Amorim Jnior, para ore-
(.bimento.
Iti-cite, 27 d_- Junbo de 1887.
Os directores,
Manoel Jut da Sv.i Uuimaraes.
Henrique Sarviva,
Si Prt-taiio.
Jos Joao de Amorim Jnior,
Tbcsoureir.
lina dojBoin Jess n. 3
Companhia do Beberibe
Previne-se aos subscriptores das accoes da no-
va emisso que o prazo pura o pagamento da ter-
cira a ultima prestaca> de 40 /0 termina no da
6 do mez prximo vindouro, como foi previamente
anuunciado.
Recife, 11 de Juiho de 1887.
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina,
Director secretsrio.
8CO0OOO
8000000
800^000
8000000
Subdelegada de polica do Ia da-
(lelo da Boa-Vala
Por esta subdelegada foram apprehendidos e
Sirio entregues i quem s. bre elles provar ter
direito, os seguimos objeetos : um embrulho con
tend i fazendas, urna fr uba fina, usada, duas
caixas de vel'udo ooateolo doun pequeos frag-
mentos de urna jia de curj. Bja-VistH, 25 de
Juiho de 1887.O escrivo,
D. Carneiro.
Arsenal de Guerra
Ue ordem do lllm. -8r. major directer, distri
bue-se costuras nos dias 25, 26 e 27 do correte
mes, s costureras de ni. 51 a 100, de cooformi-
dade com os aanuncios anteriores.
Seccao de costuras do Arsenal de Guerra de
Pernambuco, 24 de Julbo de 1887.
Flix Antonio de Alcntara,
Alferes adjunto.
COMPANHIA DE EDIFiCAjAQ
0 escritorio d'esta
companhia a cha-se
fuuccionando no largo
de Pedro II, n. 77, 1.
anda*.
Imcnmbe-se median-
te contrato < a paga-
mento em preshifoes,
de construcdcs e rc-
construcfdcs dle pre-
dios, cujos projectos e
ornamentos sejam ou
nao confeccionados
pela companhia.
No cscriptorio se cn-
contraro sempre, as
amostras dos produc-
tos da fu lrica vapor
do Taquary, tendo sem-
pre venda: tijoibs
niassifos de alvenaria,
ditos para ladrilhos,
diversos formatos, te-
Ihas romanas, franec-
zas, de capote com en-
ea i ve, de crista; canos
c curvas de diversos
dimetros, ornatos va-
riados e lijlos fun-
dos de diversos forma-
tos.
Para vendas c en-
comeadas, no escripto-
rio central.
AGENTE
Miguel Jos Alves
N. 7RA DO BOM JESS-N 7
Sesrnroa marUIsnoa terrestres
Nestes ltimos a nica companbia nesta praca
que concede sos Srs. segurados sempcao de pagar
ment de premio em cada stimo anno, o que
equivale ao descont annual de cerca de 15 per
cento em favor dos segurados.
SEGUROS
CONTRA
rhc Liverpool A London i Globe
INSURANCE COMPAiW
Saito Brolfiers k c.
(onptviiiA o: si:<.i ito<
CONTRA FOCO
Sorlh Brilish Mereanlile
CAPITAL
t:OOO.OOo de libras sferllnas
A GEN 1 ES
AdomsonHowie&C.
Companhia de Seguros
martimos e terrestres
Estabeicida em I '?>"'
CAPITAL 1,000:
SINISTROS PAGOS
.4(6 31 de dezembro de 1884
Harilimos..... .,110:000$000
Terrestres,. 3i6:000$000
44 Ra do < oiuiureio -
THEATRO
Lisboa e Hambnrgo
Para passageiros e carira a frete trata-se com oi
CONSIGNATARIOS
Borstelmann & C.
RA DO COMMERCIO N. 3
1' andar
COMPAWH! A PHBIIMBltT
DE
Vavegaco Coste! ra por Vapor
PORTOS DO SUL
Rio ForiiK so e Tamandar
O vapor Giqui
Comandante Lobo
Segu no dia 30 de
Julbo, pelas 4 ho-
ras da manha.
Recebo carga at o
'dia 29.
Encommendas, passagens e dinheiros a frete
at s 4 horas da tarde do dia 29.
ESCRIPTORIO
raes da Companhia Peruana
cana n. ta
Compauba llrasileira de Xave-
Saeo a Vapor
PORTOS do nortf:
O vapor Pernambuco
Commandante o capitao ele fragata Pedio
Hyppolito Duarte
E' esperado dos portos do sul
fr. at o dia 27 de Jnlbo, e
seguir depois da demora in-
dispcnsavel, para os portos
do norte at Muios.
Para carga, passagens encommendas e valeres
tracta-se na agencia
PRACA DO CORPQ SANTO N. 9
Unued Slates & Brasil!. JTC
0 nw AlHiUd
spcra-se de Ne*-Port.
News, at o da 29 le Juiho
o qual seguir uepoig da
demora necasari pira
Baha, Rio de faneiro e Santos
Para carga, passagens, e encommendas tracta-
e com os
AGENTES
Henry Forsier & C.
8 RA A) LOMMERCIO -N. 8
. andm

i LlCll
ERAS E OPERETAS
EMPREZA. NAGHEL
Directo LUIZ MILOAE
AMANHA
Quinta-feira, 28 do crrente
Pela prim?ira e ultimavez, asublime e inspi-
rad* opera > e Holline :
NORMA
Festa artstica do 1 baizo
SIOAHHI CI0BI
ESTK.4 da artista
parte de ADALSIJA.
Srs. llaccarlae. na
A'a 8 lioraa.
Donds para todas as linbas e trem para
Apipucos.
Pacific Steam NavigationCompany
STRAITS OF MAGELLAN LINE
Paquete Magellan
com escala por
Bahia. Rio
E' esperado da Euro-
pa at o dia 31 de
Julbo, e seguir de-
pois da demora do cos-
,ume para Valparaso
de faneiroe Monte-
video
Para carga, passagens, encommendas e din-
heiro a frete tracta-^ecom os
AGENTES
Wilson Non dk C, Limited
N. 14 RA DO COMMERCIO-N 14
HOYALMAlLSTEAn PACMKT
COMPANY
O paquete Neva
esperado
do sul no dia 29 de
cnente seguiudo
depois da demora
para
nccessaria
Lisboa e Southampton.
Reducido de passagens
Ida Ida e volta
A' Southampton 1" clnsse t 28 42
Camarotes reservados para os passigeiros de
Pernambnco.
Para passagens, fretes, etc., tracta-se cok os
' Consignatarios
Adamson Howie & C.
S. 3 RA DO COMMERCIO N. 3
1* andar



k



k'
!
t




,.. I

6
Diario fie PernambuoQuarta-leira 27 4c Julho de 1887
c*mr*!ve hbm hsab
RE HAHITDIE9
LDHA iffiNSAL
Paquete Senegal
Comtuandante Moreau
Espera-se da Eu-
ropa at o dia 3 de
Agosto, segura-
do depois da de
Imora do costume
para Buenos-Ay-
res, tocando na
Baha, Rio de Janeiro e Moatc
video
Lembra-ae aos senhores passageiros de todas
u classes -que ha lugares reservados para este
agencia, que podem tomar em qualqu-sr tempo.
Previnese aoa eenhores reeebedores de merca
as que se attender a reclam acoea por fal-
tas nos Yolumes que forem reconheeidas na occa
siio d& descarga, assim como deverao dentro de
48 horas a contar do dia da descarga das alvar.'n-
gaa faserem qualquer reclamaco concernente a
volumes que povemtura tenham seguido para os
ortos do sul, afm do poderse dar a tempo as
providencias necessarias.
Para carga, pasaageus, encommendas dinneir.
a frete : tracta-se com o
AGENTE
Migaste
9-RA DO COMMEKOIO9
coiirvMii
PERMHILC4XA
DE
SaTecaco coste! ra por vapor
fORTOS DO SUL
Macei, Pcnedo, Aracaju' e Babia
0 vapor S. Francisco
Comniandante Pereira
Segu no dia 28 de
Ju.ho, a 5 horas da
-tarde.
Recebe carga at e
_idia 27.
Encommendas, paasagens e dinheiros frete at
as 3 horas da tard do dia 28.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Per>\ambucana
n. 12
tilinta ftira. 8 do correte
A's 11 horss
No armazem ra do Imperador n. 19
O agente Martin, tari ieilao dos predios e ter-
reno asima, por mandado do Exm. Sr. Dr. jair ds
provedoria em son presenca, a reqnetimento d(
testamenteiro inventaran!.! dos bens deixados pelf.
finada D. Candida Rosa de Albuquerque Lesna.
Leiao
De tres quartas partes da casa terrea da ra d)
Coronel Suassuna n. 108, antiga dos luartyriot,
tendo bom quintal com porto para a ra do Cal-
dereiro.
Quintalera, t8 do correte
As 11 horas
NO ARMAZEM A' RA DO IMPERA
DOR N. 16
Onde haver outro leilSo de prodios
PELO AGENTE
Martins
Porto por Lisboa
Para os portos indicados seguir brevemente
o brigue portugus Armando ; para carga e pas-
sageiros trata-se com os consignatarios Jos da
Silva Loyo & Filho.
LELE&
Quarta-feira 27, o de 8 cavallos para carros,
formando parelha.
Qninta-feira 28, o de cofres, carteiras, armacoes
para fasendas, estivas, carros para fasendas e
miudezas.
De um cofre prava de fogo de Milncr, 2 carteiras,
2 armarios envidracados, 2 armacoes inglesas, me-
zas para fazendas, enzams e trilhos para estiva.
DAS 10 AS 12 HORAS DA MAN HA
Quinta feir 28 do corrente
No armazem da ra do Mrquez de
Olinda n. 34
Em continuadlo
De meio dia em diante
LEILO
De 6 fiteiros envernisados para fazenda, miudezas
e roupa feita, 1 mesa, 1 balcao, 5 cabides, 1 tabn-
leta e mais objectos de loja de Ifaiate existentes
no armazem da ra da Cadeia n. 52. por occasiao
do leilo de movis, jarros, quadres e muito ou-
trss artigos.
Leilo
de 8 bons cavallos proprios para
carro, formando lindas pare-
Ibas
Quarta-jeira 27 de Julho
'a 11 horas
Agente Pinto
No largo do Arsenal de Mancha, em fren-
te cocheira do Baltazar
O agente Pinto, autorisado pelo testamenteiro e
inventariante dos bons deixados pelo finado Dr.
Manoel Francisco Teixeira, em virtude do alvar
de licenca do Exm. Sr. juiz de direito da provedo-
ria de capellas e residuos, levar a leilo, em dif
ferentes lotes, 8 cavallos preprios para carro,
pertencentes ao referido espolio.
(Em litiuI(nrao
vender o mesmo agente um cavallo de sella boas
andador.
Leilo
De 2 pianos quasi novos, mobilias, mesas els-
ticas, 2 fiteiros, 1 gnarda-looca, secretarias, ca-
deiras de bracos de Jacaranda e janeo, espelhos,
relogios, qaadros, camas, tercas, bancos de ma-
deira, ferragens, jarros, copos,;"talhere3, colheres,
miudezas e ontros artigos.
Em
seguida
De 23 costumes de cachemira para meninos,
aias bordadas, plastons, fronbas bordadas, rucias
brancas e de cores para meninos, grande quanti-
dade de brinquedos, 2 terqos de bandejas, resmas
de papel, maizena, vinho e cognac.
Quarta-feira 27 do corrente
A 11 horas
Na ra Nova n. 24
' O agente Modesto Baptista far Ieilao do que
cima se declarae alujar a mesma casa, enten-
dendo-se o pretendente com o Sr. Antonio Duar-
te Carneiro Vianna.
de movis, loura. ele
Quarta Jeira 27 do corrente
O agente Brtlo, auterada pelo Sr. Antonio
dos S. Martins que retirou se parafera da provin-
cia, vender o segrate : 1 mobilia de pao carga,
1 cama francesa, 1 bidet e i mesinha para p de
cama, 1 mesa de jantar, 2 marqutzo-'. largo e es-
treito, 2 cemmodas, 1 jardineira, 1 sof, 2 mar-
quesas, C cadairaa do amareilo. 1 cabida. 1 quar-
tinheira de columna, 1 gusrda-loucs, 1 bah
grande, 1 mala, 1 mes.'. inte, 1 guarda-
camida, 1 capelo1, l relogo do parede, 1 espre-
guicadeira, 1 machina de costura, quadror, jarros,
lancernas, caarheiros para kerosene, louca, co-
pos, bandeja?, trem de cosiuha, 1 carrinho e ou-
tros objeetos.
Ra de Lomas Valentinas n. 78, Io andar,
por cima 'o Caf Central-
es 10 1[2 horas
Le i a
a o
DE
SENDO:
Um gaande sitio de trras proprias, aa estrada
do Arraial n. 5, freguezia rio Peco da Punella,
com grande casa de viveoda, cocheira, e quaito
de criados, duas cacimbas, um tanque, frente
murada e cuiji trvoredos de fr
Urna casa terrea da ra do Coronel Suassuna
a. 274, antiga ra Angosta.
Urna dita dita na ra Imperial a. 44, terreno
proprio.
Um terreno proprio com 30 palmos de largara e
130 1/2 de comprimento, sito na fundo da casa
a, 44 da ra Imperial.
Agente Pestaa
Lelao
Dos importantes predios sitos ra do S
Jorge n. 13, com sabida para a ra do
Pharol, 1 dito ra de Domingos Jos Martins n. 38, freguezia do Recife, po:i
detrs do Monte de Socjorro, o qual
rende 8160000 annual, 1 casa terrea no
Corredor da Bispo n. 18
Quinta-feira 28 do corrente
A's 11 horas
>o imtien da Ba do Vlgarlo n l '
O sgente Pestaa chama a attencio dosSrs.
compradores para virem examinar os referidos
predios, os quaes se tornam recommendaveis pe-
los sens rendimentos e grandes commodos, e se
acham livres e desembarazados de qualquer onufi,
ts qnaes serio vendidos sem reserva de precos-
Alinelo
Vende-se um sitio com boa casa de vivenda
com bons commodos e reconstruida de novo, bita
Encrusilhada de Bellem ; a tratar na ra do
Fogo n. 20. __________
Da importante casa terrea asaobradada r.
32 a ra do Socego, faz esquina para a
ra do Principo.
Sexta i'eira. 99 do corrente
A's 11 horas
>a aeama cana ra do Socego
a. 8*
O agente Stepple por mandado e assistencia do
Exm. Sr. Dr. juiz de direito privativo de orphos
e ausentes a requerimento do testamenteiro e in-
ventariante dos bens do finado Manoel (Antonio
Teixeira levar a leilo a casa terrea asaobradada
com grandes commodos, agua encanada e gaz, em
seguida vender tambem os movis seguintes, til-
do pertencente ao mesmo espolio, como sejam mo-
bilia de Jacaranda, dita do amareilo, camas, toilets,
marquesas, quadros, etpelhos, guarda-louca, guar-
da-vestido, sof de janeo, cadeiras, 3 bancos para
jardim, 2 grades para janella com os competentes
caixilhos, 2 arandellas, registro para gaz carbli-
co, commodas, joias, relogios, colheres de prata e
garfos, papagaios, e muitos mtros objectos que cs-
tarao patentes no acto do leilSo.
Os Srs .pretendentes desde j podem examinar a
dita casa : a chave acha-se junto n. 34.
Leilo
De crotos
Fox transferido para
Sexta feira do corrente
A's 11 horas
O leilo de 1200 ps de crotos e ruteiras que
eerao vendidos definitivamente p.o correr do mar-
tello em grandes e pequeos lotes.
Nojardimda ra da Palma n. 23
PELO AGENTE
Marlins
AVISOS DIVERSOS
Alnga-so cnsas a WOCO no becco des Cce-
Ibos, junto de S. Ooocallo : a trat- r na ra '
Imperatriz n. 56. _______^^^
mm Precisa-se de nma cosiubeira e de um feitor ;
no sitio do Dr. Valenca, preximo da estacao da
Jaqueira, na estrada de Apipucos.
Piecisa-se de um criaao : na ra do Impe-
rador n. 31, 2' andar.
Alnga se por 10*000 a casa n. 21 aa Vur-
zea, defronte da estacio, com armacij ; a tratar
na ra da Imperatriz n. 56.
ALUGA-SE o > andar da ra do Imperador
n. 26, com bastantes commodos para tamilia ;
quem pretender dir jase ra do Mrquez de
Olinda n. 8.
AMA Precisa-se de urna de boa conduc-
ta e que saiba bem cosinbar e fazer o servica de
urna pequea familia em Olinla ; a tratar na ra
da Iaperatriz n. 15, 1- andar. ___
Na ra da Santa Cruz n. 10, precisa-se de
um criado para o servico domestico, trazendo cur-
ta de conducta.
Offcrece-se urna pessoa capaz e de boa conduc-
ta para creado de escriptorio, de consultorio mes-
mo e mesmo de trapiche, qu ib precijar dirija- se
a ra da Aurora n. 01, andar tsrieo.
Precisa-se da ama cosinheira e de um criado
para casa de familia ; a tratar na ra do Baro
da Victoria n. 39, loja.
Livro perdido
A pessoa que achou um 3' volume de Eeonoioia
Poltica de Macleod, querendo entregar o polcr
fazer na Livraria Parisiense, ou ao Sr. Linde Ifo
Campello, no Theiouro Provincial. Gratifica-sc se
assim for exigido.
Vende-se mnito barato as seguintes casas :
Ra do Calabouco n. 2'J.
Travessa da ra Bells n. 9.
ecco do Pindoba n. 2 (Reeife).
A tratar com Jos Augusto Dias, ra Da |ue
de Csxias u. 61
Loja daw llalraw aine
Atten^o
Vende-se o sitio encostado ao engenho Piles,
na freguezia da Escads, com muitas planta^oes
de caf e cacas, de qual tetn sabido, ha mais de
cito annos, muitas sementes pan toda a prjvin-
cia e p-.r* fra della, tem muitas outras fruclei
rus lur-rativas, o terreno f-rtilissimo, d ooa
inandi' 00, milho, feijao, tera grande plautacXi i
cacaos n jvos e muito terrena para a continuadlo
de p!autti;oes, tem mata-virgein, umgranlsii -
cri >, que travessa com urna casa i-) tariuhi,
d'agua.
tale sitio se vend3 porque e3t hy > itln cato e
o bypothecsnte cownte na renda : q lom preten-
der fundar-se n'um boro eslakeieeiareato agriejl i
appareca no mesm) 6iti a tratar com o pro.
tario Antonio Gomec Itibeirj, que far t>do o ne-
gocio.
No mesmo sitio ba para vender Eructas de ca-
cao, para ptaartar on.tantemcnte, a 60 r. a fiuc-
', posta na eetac.io, s-sadi uin tent para
cima, te.D tambara D8 mesrer sitio nma marl iaa
de drscarocar cafe, tangida por agua, e p irlo
da estacio de Preaeiraf.
-aixeiro
Precisa-se de urc
molhadas ; a trat ir
ixeiro que leuba praticn de
. rea da Uniio n. 54.
Mudanca to earlorio
O escrivSo do civel e crime, tenente Felidssi-
me de Asevedo Mello, mudo u o seu cartorio jara
a raa do Imperador n. 16, 1 andar.
CASA DA FORTKA
Aos 12:000^000
Blthetes garantidos
23 RA PRIMEIRO DE BIAR^O 23
Da 7a lotera da provinei venderam
Martins Fiuza & C. os seguintes premios
garantidos: 1288 e 6892 .com 30^000
cada um.
Acbam-se venda os afertanados bi-
Ihetes garantidos da 8a loter a da provin-
cia em berr 'icio das instituir;5es de cari-
dade e religiosas, que se ex rahir quan-
do fdr annuciada.
"lio
a 400 rs. a arroba
Cbegon a primeira remessa do precioso farello
de caroco de algodo, o mais banto de todos os
alimentos para animaes de raca a vallar, vaceum
suino^ etc. O caroco de aJgodo depois de ex-
trabida a casca e todo o oleo, > mais rico ali-
mento que se pode dar aos animaes para os forta-
lecer e engordar com admiravel raiidez.
Nos Estados-Unidos da Americi do Norte e na
Inglaterra elle empiegado (com o mais feliz re-
sultado) de preferencia ao milho e outros tardos
que sao muito mais caro e nao st de tanta sus-
tancia.
A tratar no BeclfeO Lai-ajo do Cor-
no Santo. 1 andar

\f- y v O
4,0 /[ i
4
Ama
Criado
SAUSDERS KOTHERS 4 U., largo do Uor-
po Santo n. 11, teem para vender :
Cerveja preta e branca, de M. I. Forster &
Sons.
Dita allema, Plisen Beer.
Vinho Shury. Amentillado.
Dito Bordeaux, St. Julien.
Whisky, Thiste Blend Scotck Wisky
Dito *
Presuntos de Adamson.
Maircna de Brcwns 4 (.'.
Phosphoros, Amesfosto Safeiy Matches.
Tintas em massa, branca de zinco, de chumbo
preta e verde.
Zarco.
Plvora da mnito conhecida e acreditada marca
EB.
SEM0LIM
DeBrons & C, de Glasgow
Este artigo, preparado por um novo processo
de trigo da melhor qualidade, possue os elemen-
tos necessarios para nutricio de criancas e doen-
tes, l muito se recommenda por ser de fcil di-
gestio e gosto muito agrartavel ; tambem pode-se
fazer urna txcellente papa, m-sturado cm partes
iguaes com a maizena dos roesmos fabricantes,
addicionandc-ee-:he algum leite. nicos agentes
nesta oraca, Saunders Brothers & C, largo do
Corpo Santo n 11, prirnciio andar.
0 vinho Mourisca
.hradavcl noticia
Este delicioso e to apreciavel vinhj de mesa,
acaba He chegar pel Sidly e acha-sc venda no
estabeleciment de Justo Teixeira & C. Successo
res, ama da Penhi n. 8 '.nicos possuidores.
Atlenco
Hotel Desoito de Maio
Comidas c bebidas especiaes.
Feijoadas a 40 rs. com subr;-mesa boa.
Moclo 200 rs.. sarrabuiho de Uitao '00 rs.
Mo de vacca 400 rs.
Qualquer prato com bife, Icinbo, com arroz,
320 rs tendo vinho e doce 500 rs.
Caf 60 rs., cha 60 rs, com torrada 120 rs.,
sendo t-oberta d'ovos i(K) rs.
Ba de Lomas Valentinas n. 60, Recife.
Sementes e cmapato
Compra-se na fabrica Apollo ra do Hospicio
numero 79.
Precisa-se de um ra de P.iysand n. 10
(Passgem da Magdalena). ____
Caixeiro
riPrecisa-s" do um caixeiro que tenha bastante
pratica de taverna e condu.ta a6ancada ; a tra-
tar no pateo do Tergo n. 21.
Xarop
e de cambar guaco e bal
samo de ToLil
Precisa-se de urna ama para cosinhar e lavar,
prefere-se que durma em casa ; no 3 andar da
typographia do Diario.
4ma
Precisa-se de ama para engommar e mais servi-
dos de urna casa de familia na lypcgraphia do
Diario no 3" andar n. 42.
Ama
' Precisa-se de urna para cosinhar e lavar rrnpa
de meninos, que durma em casa, na typ'grsphia
do Diario, no 3 andar n. i.
\ma
Jos Francisco
reparado pelo pharmaceutico
Bitteucourt
E' um poderoso preparado para todas as affec-
;5es dos orgSos respiratorios, couio catarrho pul-
monar, astbma, coqueluche, broachite, pieumo-
aia, tisiea, etc., etc.
Cada frasco 1/000
Deposito na Pharmacia Central, ra do Impera-
dor n.3S. Pernambuco.
l>&
se
PASTILHA3
De ANGELIM & MENTRUZ
as
as
Tn
53

Precisa-se de urna ama para lavar e rngommar,
para casa de familia ; a tratar no hotel n. 30
ra da Madre de Deus.
Criado menino
cr-
e
tuna Francisca da Silva
Manoel Jos da Silva 0!v< ir, Thom Jos da
Silva, Quilhermina Francisca da Silva, Jesuina
Francisca da Silva, Mara Francisca da Silva e
seus parentes, sgradocem a tedas as pessoas que
acompanharam ao ceir.iterio publico os resto]
mortaes de sua presada irsoa e prenla, Anna
Francisca da Silva ; e de novo convidam aoa
sens parentes e amigos para assistirem as missas
qne por alma da mesma finada mandam resar na
igreja de N. S. do Carmo, no dia 28 do corrente,
s 7 1|2 horas damanb, stimo do seu paasamen-
to, por cujo acto ficam summamente agradec
dos.
Caaila Manoel Antonio ale
Primeiro anniveraario
Manoel Antonio Gronr^arves, Dr. Julio Cesar de
Castro Jess e D. Olympia de Jess Goncalves,
convidam aos sena parentes e amigos para assis-
tirem as missas que por alma de seu presado so
gro e pai mandam celebrar no dia 27 do corrente
mes, na matriz de Santo Antonio, s 8 horas da
manhS, pelo que sero eternamente gratos aos
amigos que comparecerera a este aeto de religio
6 caridade.
O Remedio man effoz e
Saturo que te tem detecte -to Ble
hoje paro expellir as Lnn trigas. i^^
ROQIAYROL RERES
Fabrico de assucar
Apparelhott econmicos para o cozimen-
te e cura. Proprio para engenho peque-
nos, sendo mdico em preco e el-
feclTo em operacc.
Pode-se ajuntar aos enge.nhos existentes
do systema velho, mclhorando muito a
qualidade do assucar e augmentando a
quartidade.
OPERAgO MUITO SIMPLES
Uzinas grandeB ou engenhos centraes,
machinismo aperfeiyoado, sjstema moder-
no. Plantas completas ou machinismo
sepnrado.
E8pecifica9oe8 e informa j5es com
Brown* r.
5RA DO COMMERCIO5
Na ra di Mathias de Aibuquerque n. 19, se
precisa de um menino para criado
Eiiiiilsao de Kcpler
Preparado de Burough -. Well
ernue A C.
CHIMICOS DE LONDRES
Azeite puro e fresco de figado de bacalbo da
Noruega m soluco com o Extracto de Malta de
! Keplcr.
Esta a mais perfeita Emtsao at hoje conhe-
cida.
Foi inlrodosida na pratica medica a alguus
annos e desde ento o seu c. nsurr.o tem temado
nm incremento tao extraordinario que nSo ha um
e dia em que seja receitada pelos mais abulisa
: dos me dicos do mondo, com preferencia sobre
| todas as demais preparacoes de igual Datureza, pela
! certeza do sua tolerancia no estomego nao e das
creancae como dos adultos, rebelde-a muitas vezes
I ao cleo de bacalbo e a muitas emuleoes mal pre-
' paradas.
Assim, pois, a nossa Emulsao te recommenda
. com preferencia para o tratamento da tsica em
; todas as sues multiplicadas mamfestecoes c em
todas aeccoesdoaorgos respiraterios, como broa-
chites, raquitismo, enfermidades escrofulosas, tu-
I mores brancas, procedimento supurativo e na den-
tico das creancas, na caxexia sypbilitica, na
I perda do appetitte o debildade dos orgas diges-
| ti ves e em geral em todos os casos em que se faz
preciso o levantamento na nutricSo.
nico deposito
34Ra Larga do Rosario34
Pharmacia
BARTHOLOMEU A C SUCCESORES
Loj.
a e armayao
Traspassa-se a chave de nma importante loja,
cujo local um dos melhores desta cidade, tendo
urna excedente armacao apropiiada a qualquer
genero de negocio ; a tratar na ra do Cabug
numero 6.
Bomemprego de capital
Vende-se urna padaria com seus pertences, lo-
calisada no melbor ponto da capital. O proprie
tario da mesma vende per ter d<- retirai-.se para
fora da cidade ; a tratar no Ces do Apollo n. G7
S MfilS BE FAMILIA
O bachsrcl A:nerico"Fernsiide8 Trigo de Lou-
reiro e sua c 'n=orte, seus irmioj e cuah idos, de-
sembargad >r Ovidio Fernando Trigo Macocl Antonio Fernandes Tri,')l: Liureiroe
suaa t.;milias, l). Emilia Aa-jelu Feliciana de
Loureiro. D. Marianna Anglica le Loureiro Fer-
nandes o seus sobrinhos, D. Mam da Oloria Lou-
reiro de AlnHd'i, D. Alico Augusta de Loareiro
Fernandes, bi-!nrel Aotoai) Fernandes Trigo de
Loureiro, 1) Airra Trigo de Loureiro Lina e
seu esposo bichare! Francisco Corroa Lima 8o-
briuho, ten 1 m da mais profunda dor pelo falleci-
mento J.- su* pregada mu, sogra e av, D. Um-
olina Lnisa da Silva Fernandes de Loureiro,
r>.-ani a -oJas as pessoas de sua amizade, que
di^ii'-m-se de assistir as missas que por alma da
mesma finada man iam celebrar na matriz de San-
to Antonio di- tn cidade, s 8 horas da manhS do
dia 29 do corrente mes, vigsimo do seu passa-
inento. Desde ja confessamsse cordealmente re-
conhecidos a todas aquellas pessoas que assisti-
rem a este acto de oaridade e religlio.
[ Vade meiiiin do Homaeopatbleo
> Methodo conciso, claro e seguro de ebrar
( borzeeopathicamente todas as molestias que
' affligera a especie humana, particularmente
aquellas que reinam no Brasil pelo
DR. SABINO O. L. PINHO
&.* edirca
consideravelmente angmenti.la e aonotada.
Vende-se nicamente em l'i-rnarnbuco.
PHARMACIA HOMCEOPATHICA
PeloDr. J. Sibioo L. Pinbo
DO
DR. NABIXO
43BA DO tlVKAa DA VICTORIA43
m$ftw
Alu ra-M o 2- andar do s. b arlo k ra da Guia
n. 6j, caiado e pintado por N|f a casa r. B &
ru do Kiaebuen, antiga do Destino a 20J (Boa-
Vista) ; a de n. t no m- smo correr por 16000 ;
em S. Jos, travessa do Freiias n. 4 por 16*000,
com 2 salas, 2 quartos, cosinba,. 1 aotao, quintal,
est limpa ; a de n. 18 rna da Via-ferrra, com
2 salas, 2 quartos, eos-sha a quintal, cniada e
pintada, por 120D0 ; a cbavj icba-se junto, e
trata-se na ra da Guia n. 62.
Compras por atacado
O iv-lioral de Ciimbsr
tem precos especiaos pira a fi.- i les que compra -
rem grandes porcoes. DistriLivm se impressos a
quem es pedir, coutenJo as coidicoes de vendas :
na roa do Mrquez de Olinda .>. v3 drogara dos
nicos f gentes e depositario f: rraes
Francisco M. da Silva C.
Aviso
Major Custodio Floro da Uva
Prnioto
Primeir anniveraario
A mai e irma s do finado mjor Custodio Floro
d Silva Fragoso, pedem a todos os seus parentes
e amigos Ibe queiram faz r o caridojo obsequio de
assistir as missas que, peras 8 horas da manl.S do
dia 27 do corrente, mandam celebrar na matriz
da Boa-Vista ;.o s 7 horas na Madre de Deus, pe-
lo eterno reponso daquelle seu nunca esquecido
filho e irmSo.
Arrenda se o sitio da rna de S. Miguel n. 148,
com quatro meias aguas, urna cocheira, alguna ps
de coqueiros e mais arvores d; frneto e capin de
planta, pronto a cortar, c tambem vende-se o
mesmo sitio e o capim : quem pretender dirija-so
ra da Imperatriz n. 13.
Tinta preta
INALTERAVEL
K
COMH1 '\IC.4iriVt
PHARMACIA CEMTBA Li
38 Ra do Imperador 38
Pernambaeo
Serve para escripturacao mercantil e d tres
quatro copias de nma ves
Para remediar fraqueza das criancas, de
volver suas Corea*, seu crescimento e preser-
val-os das molestias conwnuns idade tenra,
os principal e Membros da Academia
de Medicina receilo, com grande xito, overda-
deiro Racahout d Arab*a de Delangrenier,
de Pariz. Este aliuu uto muito agradavel com-
iosto de substancias vegetaes nutritivas e
ortiflcantes, so espalb ior toda a economia
e cm vista de suas propriedades analpticas,
melhora a composicao do leite das senhoras)
3ue crio, e restaura as torcas enfraquecidaa
o estomago.
Dtpoiitos em todas atCidade! do Braxil e do P+t-tUffU.
Ao coramerc!o
Os abaixo assigoados partcipam ao commercio
que, a coatar de 81 de Maio do corrente anno,
disselveram amigavelmente a sociedade qne entre
si tinbam e que gyrava s.-b a firma de Esnaty
Rodrigues 4t C cem estabelecimento de gneros
de estiva ra do Amorim n. 58, retirando-se o
socio Alfredo Alves Rodrigues, ficaodo respon-
savel pela mesma firma o socio Esoaty.
Recife, 27 de Julbo de 1887.
Jos Esnaty.
Alfredo Alves Rodrigues.
Ao commercio
O abaixo asBignado participa ao commercio que,
contar de 1 de Junho do correnta anno, conti-
na sob sua unin respnlisabilidadi? a cyrar a fir-
ma Esnaty Rodrigues & C, na estabelecimento de
mema 4e ftstiva, sii.i na do Amorim n. 58
if, 27 de Julho de 1887.
Jos Esnaty
Vcnde-ee uina sita a estrada da Cnbenga em
Btberibe, crin 2 sallas, 4 qunrto=, cosinba fra c
um pequeo siti.i atntnr com .Martins Cipit2o,
ra Estrella do Rcsario n. I.
0 PEIT0RAL de CEREJA
Do Dr. Ayer. *
cnfennidaoX mais dotorosas a fuaes : i e .los palnies, ofdfaiariamente awsnivnrmsa-
tendo por principia bases pequeas, tajos
o curar se prornptu-
ineni loonvi atante. Porem
o progresso pou S i.i.-niora fatal.
i .slrla.lo oi|irocamente o
litado do Laringitis, Asttuna. Bronchitln,
.'.l!'ri,fio Pulniciiir c a Trsioa.
Todas as famillus jue tem criancas devem ter
O Peitoral de Cereja do Dr. Ayer
em casa para o Bar en caso de necessidade. A
i enta de m odia, pode em muitos casos accarre-
t-ir terias l'"r "ato nao se devo
.K.,.,l, i lando remedio
da Sneacbi davidosa, ciuqnanto qne a enfenni-
dade se aj Kraig profunda-
KMnte,entaoejn la tomar nesse instante,
orr. eaetWo um s>-n effeito, e asta
remedio seo d .vida alguina o Peitobal, de
i.:;. A\ i it.
nUEPABUVDO I-I.LO
DR. J. C. AYER B CA.,
Lowcl), Mass., E. U. A.
A' venda as princpaes pharmacias e drogaras.
Aliiga-sc barato
Kna Visconde de Itaparica n. 4?, armazem.
gas.
Ra Corrnel Suassuna n. I4l, quarto.
Ra do Risario da Boa Vista u. 3'J.
Travessa do Carmo n. 10, loja.
Ra do Rosario n. 39
Ros do Calabouco n. 4, loja.
ftath-se na roa do Comra.rcio n. 5, Io andar
a -rptfirio de Silva fjuimiirai' & C.
Aluga-se
i grande sitio Tacaruna, no Salgadinho, com bas-
tantes trras para planacoes e muitos arvoredos :
quem pretender dinja-se fabrica Apollo, ra do
Hospicio.
Aluga-se
um grande sitio, contendo as prncipaes fructas,
no Caldeireiro n 9, core boa casa de morada (que
foi do finado Marr.cde), tendo agua e gis, a qual
confronta com a casa do Dr. Alcoforado ; a tra-
tar na ra do Apollo n. 33, V andir.
All!
-se
a casa terrea na trav.'ssa da Ponte di Ucbi n.
12, com bastantes commodos para grande fami-
lia, com sitio murada e arborUado, b a agua po-
tavcl para beber, deposito e banhrfiro de cimento
e bomba, fica a dita casa margem do rio Capi-
baribe, com banho doce temperado e salgado :
quem pretender dirija-se aa mesma sitio, das 6 a
10 horas da inanha, que eneantrar o propie-
tario.
Alug
a-se
urna casa terrea em Santo Amaro das Salinas, na
ra da Fundicao n. 25 ; nesta typographU, no
terceiro andar, achara com quem tratar. A casa
tim 3 quartos bons, c.isioha, 2 salas quintal com
arvoredos por 10/OCIO mensf.es, est caiada e
pintada. ^^_____
Criado
Precisa-se de um menino at 14 annos para casa
de familia na typographia do Diario no 3" andar
n.42J____________________________________
Sementes k Garrapato
Compra-se grandes e pequeas quantidades :
aa drogara de Frrncisco M- da Silva & C, roa
io Marques de Olinla n. 23.
Scm dieta c sem iiiodifl-
capoes de cosumcs
Laboratorio central, ra do Visconda
Rio Bronco n. 14
Esquina a ra do Regente Rio de
Janeiro
Especficos preparados pelo phar-
maceutico Eugenio Marques
de Hollanda
Approvados pelas juntas de hygiene da
Corte, Repblicas do Prata e Academia de
Industria de Pars.
Elixir de Imbiriblna
Restabelece es dyspppticos, facilita as diges-
tor e promove as ejeccoes difficeis.
Visillo de ananas ferrusinimo e
quinado
Para os chloro-anemicos, debella a bypoemia
intertropical, reconstitue os bydropicos e beribe-
ricos.
Varone de flor de araeira e mu
laniba
Muito recommendado na bronebite, na hemop-
tyes e as toases agudas ou chronicas.
Oleo de tewludun ferraglnono e eaa-
caa de Inranjasi amsrftas
E' o primeiro reparador da fraqueza do orga-
nismo, na fysica.
Piulasi anie-periodlcan. preparadaa
rom pererinn, quina e jaborandy
Cura radicalmentu as fi-bres intermitientes, -
mittentes e perniciosas.
Vinbo de Jurubeba Implen e tam-
bem rernisiniiN!', preparado*
em vinbo de caj
Efficazes as intliina^es do figado e baco agu-
das ou ebroniess.
1 lobo touico de cnpilaria e quina
Applicado as convalesccncaa das parturientes,
retico ente febril.
Francisco Man) a Silra & a
RA DO MARQEZ^DE OLINDA
Cosinheira
Precisa-sede orna 16a omsinheira de cenduett
jffiancavel, na ra da Aurora r.. 27.
Uugi-sc
as casas ns. 22 e 24 da ra do Lima, em Santo
Amaro, caiadas e pintadas de novo, com 3 quar-
tos. 2 salas e quintal comcacinibi ; quem proten-
del-as dirija-se raa do Marque de O-mu nu-
mero 8.
Ao commercio
O Sr. Secundino
Maurica nao mais
nosso empregado.
Francisco Manoel da
Silva 4r C.
Recife, 20 de Julho de 1887.
NICA TNICA
DE FILLIOL
ROSADA t*r. dir un
r&DCOf
DE -IL.LIOL
5BSTANTANEA pu bark*.
S nm v;dro, sem pnfnfWf
mu icfo. na Cor prtmltlvb
uxltipnl s Farlsr rXXAXO&, II, ru ntin, F|B8
*r etmeaittitcs FBAN M. .
)
f
Bacbarel Reinaldo HMrtlna
Ranos
L".n amigo, sinceramente reconhecido memo*
ria do bscharel Reinaldo Martins Ramos, falleci-
do na Babia, sua provincia natal, a 29 de Junho
prximo findo, far celebrar urna missa sexta-fei-
ra 29 do corrente, trigsimo daquelle fallecimen -
to, s 8 horas da manbS, na matris da Boa-Vista,
e para esse ante de caridade, e demonstiativo da
mais cordial gratido, sao convidadas os amigos e
comprovincianos do joven finado, que durante sua
curta existencia soube revelar as bellas qualida-
das de que era dotado.
.

-
-







Diario de PeroainbucoQuarta-feira 27 de Julho de 1887

A.XJ
Casa Aristide Boucicaut
:hW:
do BON
tem por
priu ipio da nao Ten-
der :.eno xnercado-
rias de ptima quall-
dad, al* pelos precoa
os mala reduzldoa.
O aystema de vender
todo com iirco pe
pSS2 MU 01! KOrniiDES
bow mabch; PARS
Temos a honra de participar as Ex"" Senhoras quo acaba da parecer o nono
I Catalopo illuslr.ido da Novidades da Sazio, e que mandaremol-o franco de porte
a todas as peasoaa que o pwliroai r
Man,!,,,..-, franco, a quem pedir, as amostras de todas as noasas faeenda novas,
orno : Seria; i dalos, Las Panno,, Estofa novo,, Tecido, imprimidos, Renda,.
1 apele, e Esteto, para MobU.a, o tambera os albuus, descripcos e roproduccoes
! senhora, \
.1 nagoa
'amito, para I
Oa Amazens do BON MARCH sao os mais vastos, de molhor
ordenanca e os mais bem organisados; por isso que fazem parte
das curiosidades de Paris. Pelos seos engrandecimentos successivos
o BON MARCHE tem se tornado um Armazen NICO NO MUNDo!
Apezar dos novos looaes inaugurados no dia 7 de Marco u. p a
Casa nfio basta para a sua Clientela, e oi mister principiar inme-
diatamente novas e oonsideraveis construccoes.
As noasas remessas para oa paizes de alm-mar, cujo valor de 25 francos, vSo,
porte pago ate o porto de embarque. Essas expedicoes nao podem ser feitas I
i sem um vale de reembolso; pedimos portante nossa clientela que, quando nos
[ nzer qualquer encommeuda, mando-nos tambem a importancia d'esta.
O Armazens o RON AMACHE nao tm Succurstes ou Representante, em
I Franca fien no paizes estrangelros, e roao as Senhoras que se acautelen! j
| contra o* negociantes que usto do mesmo titulo no Rm de estabelecer confusto
e especialmente para por a venda Luyas BOUCICAUT, cuja rm- : universa/- j
menfe conheclda e que se achio nicamente nos Armazens do Pi MARCH
em Pars.
Interpretes para todos os Idiomas
Pharmacia central
Ba do Imperador n. 3*
Jos Francisco Bittenuourt, hntigo pharmaceu
tico da pharmacia francesa ra do Bario da
Victoria n. 25, avisa a seas amigos e frecrueses,
que se acha na pharmacia cima, ende espera
continuar a merecer a confianca que felizmente
depositaram em seus trabalhos protessionaes.
9
4 Revoluco
VENDAS
Vende-se ama arma cao inglesa, toda foria-
da, assim como um grande registro novo para
gas, arandellas. cncanamentos de chumbo e um
bom deposito de ferro : na ra larga do Rosario
numero 38.
Vndese urna bonita armacao, para qoal-
quer negocio ; na ra de 8, Joao n. 17.
Vende-se um piano bom : a tratar na ra
Direita, na loja do Sobrado n. 60.
RECLAME
Urna experiencia
0 GRANDE ARMAZEM
DO
LOUVRE
-.
DE
WOLFF& C.
N. MUJA DO CABA'-! i
iVesta mirito oiili.-cii! estabeleclmeu-
(o eneanti r o respeitavel publica o mais
variada e co tlelo nortiiuento de JO4*
receidas sempre directamente das uselho-
res fabricantes da fr.iirop. e qns priiuam
pela apurado gesto do mando elegante.
Ricos i derccos completos, liadas pulsel-
ra. ainete*. voleas de ouro eravfjadas com
Itrilh.nlcM, on perolas, anneis, cacoletas,
botoes e outros mnlios artigas proprio
deste generes.
ESPECALIDADE
Km relogio de caro, prata o nickelados,
para botaras, senhoras e na*nios dos mais
aero litados fabrirante-s da .Europa e . rica.
Para todos os artiges desta casa garan-
tt"v a !>'; <|iinl iaiic. H-nint > t BUSsdtci-
dade nos precos que uto sem competes cia.
-Vista casa tambem coneerta-se qual-
quer frbra de ouro ou pra'a e tambem relo-
gios de qualquer qualidade que seja.
4Ra do CaltugM
A' RA PRIMEIRO DE MARCO N. 20 A
(ESQUINA)
Resolvendo liquidar grande variedade
de artigos por pregas incontestaveis, cx-
pSem a apreciacao publica os seguintes ar-
tigoa :
Popelines de seda a 500 rs. o covado.
Setins de cores a 800 ra. o covado.
Cambraias bordadas com salpicos de cor
a 60000 a pega.
MadapolSea de 7$ a pe ja por 50500.
Meias francezas para homem a 74000 a
dueia.
Bordados tapados e transparentes de500
a 15500, com pequeo defeito.
Cortes de cretone por preyos sem com-
petencia.
Leques transparentes, grande novidade,
25000 um. |
Ditos do setim a 50000, vale 80000
um.
Cachemira de duas larguras de 1)5000 a
10400 o covado.
Em continuars :
Zephiros de urna s cor tecido lgr
320 rs. o covado 1! 1
Brim pardo liso 320 rs. o covado.
Dito dito tecido de esguiao para vestidos
500 rs. o covado, grande pechincha 1
Lencos abainbados 20 a duzia I I
Algodoes lisos industria nacional
a peca.
Camisas de cretone com pequeo defei-
to 20000 1 1 !
Esleirs americanas com ligeiro toque
de avaria 10200 a jarda grande pe-
chincha I I !
Artfgos exclusivas
Lindissimos cortes de casemira para cal-
ca padroes de apurado gosto I 1 1
Especialidades em estrados como sejam:
Ritta Sangalli, Porto Veine, Guarany,
Brisa de las Pampa, etc. etc.
Plastrn do cores claras e escuras
ou> gomara ra CSPCL'ie B miiitns nutro
artigos recommendaveis pelo aprimorado
;sto e quslidade.
SEMPRE NOVIDADES
Xo armazem do Loavre
DE
Francisco Gnrgel & Irmo
A' RA PRIMEIRO DE MARQO N.20 A
Esquina
I
O AH Ra dv Ouque de Caxlas
Tendo recebido um grande sortimento
de fazendaa que vende com 25 0[o de me-
nos de que em outra qualquer parte.
Venham ver para erer
Dama as de seda a 3 0400 o covado.
Setins lisos a 800, 10000 e a 1 0
Lionayse fazenda transparente a 150OOQ
a peca.
Organdis bordados a seda, ultima mo-
da a 160000 a dita.
Etamine bordado, ata novidadade a
100000 a dita.
Cachomiras bordadas a seda a 700 ris
o covado.
Ditas pretas a 700, 800, 900, 10000,
10200, 10400 e 10600 o dito.
Ditas de cores a 80), 10000 e 10200
o dito.
Fust5es brancos a 430, 440, 500, 600
800 o dito.
Ditos de cores a 240, 320, 440 e 500
ris o dito.
Amor da China fazenda de novidade a
400 ris o dito.
Lindas alpacas de cores a 320 rs. o dito.
Lindas lans de quadrnhos 400 rs. idem.
LinSes com salpicos a 640 ris o dito.
Lindos setins de damasss a 320 ris, o
dito,
Gurgurinas delistrinhas a 320 ris o
dito.
Zefiros escocezes a 200, 240 ris o dito.
Crotones para coberta a 320, 360, 440,
e 500 ris i dito.
Crepi idem ilera a 700 e 10000 o dito.
Cambraia bordada a 50500, 60000 e
60500 a pesa.
Veludilho liso o lavrado a 10000 o co-
vado.
Dito bordado a retroz a 10800 o dito.
Colchas bordadas a 20, 30, 40, 40500
50000 e 6000 urna.
Cambraia adamascada a 110000 apega.
Toilets para baptisado a 100 e 140OOC
um.
Cortinados bordados a 60, 70, 80, 90000
o par.
Dito do crochet a 500000 o dito.
Meias para homem a 20400, 20800 at
100000 a duzia.
Ditas para senhora do 30 a 150, idem.
Guarnieres de veludilho bordados a vi-
drilho a 60 urna (alta novidade).
Cobertas forradas a 20800 e 30 urna.
Renda do Jap3o a 200 ris o covado.
MadapolSo Gema e Pello do Ovo a
60500 a pega.
Damasco de 12 a 20000 o covado.
Pao da costa a 10400 o dito.
Lencos brancos e com barra a 10800,
20 e 20500 a duzia.
Chales de cachemira a 20000 e 10100
um.
Aaquinhas a 10800 urna.
Fe?hu8 a 20, 30, 40, 50, 60, e 70000
um.
Muitos outros artigos que vendemos cem
25 <>[ de menos do que em outra parte.
Hcnrique da Silva loreira
tu'-
53 LYSSt ROY, erri biSars (Fv
tmlle PttnusT, Suc*-- & w\s
A LOJA DAS LISTRAS AZIES
61-A' RUa DUQUE DE CAXIAS-61
Telephone 911
Receben as seguintes fazendas de novidade
Velludo de seda preto liso e com bordados de
setim.
Velludilhos pretos e de cores lisos e lavrados
com contas.
Setins lisos e com matiz de cores a 800 e 1O00.
Renda de seda hespanhola preta, branca e creme
e con} bio,
Cretone, alta novidade, a 320 ris, cores se-
garas.
PercalesJulioha e Naninba a 240 ris.
Las de qnadrinhos escuras com matiz a 320 ris.
Metins de qusdrinbo imitacao de seda fuseeda
larga a 360 ris.
Esguiao pardo infestado para vestidos puro linbo
a 360 ris.
Brim pardo para roupa de meninos a 320.
Bramante de quatro larguras a 800 ris.
Magdalena morim americano fabrieado especial-
mente para aLoja das Listras Asues a 7*000,
com 20 varas, (vale 10*000).
Luvas de pellica o de seda a 2 e 2/500 o par.
Bicos brancos e creme com matis a 2, 3f, 4$
o 64000 a peca.
Leques transparentes Novidades a 2*000,
A FLORIDA
Ras
Leqi
2*500 e 3*000.
Baleias a 30) ris a duzia, melhcr qualidade.
Cootas para enfeite de vestido, todas as cores a
800 ris o masso.
Oleo oria verdadeiro a 900 ris.
Lencos brancas de Bretanha a 2*, 2500, e 3*,
a dusia, em caizas de fantasa para piesentes.
Extractos finos, garrafas com inscripcoes para
presentes a 2f000 e 3*000
imoHira* sen penbor
Jos Augusto Dias
WHISKY
BOYAL BLEND marca V1ADO
Este excediente Whisky Escesses .erivf
so cognac ou agurdente de canoa, para fortifica
i corpo.
Vendese a retalho nos n> IkonM rmaseos
ol hados.
Pede R0YAL BLEND marca VIADO cujo n
ne e emblema sao registrados para todo o Braii.
BBOWN8 4t C, afrentes
M um (BnglBtsT' e le casca de Limias amaras.
TOxfICO RECONSTJTTJINTF.
Remedio soberanc
COMTRA A
CHLOROSE, A JEMIA. CARIE DOS OSSOS,
AFFECQStS DAS VAS DlOESliVAS,
oiarrheas chronicas, rachlt'smo.
escrfula:, oeilidade,
cohvalescencas cc fef.re.3 typhoiocas
E DE MOLES: ES, rTC

fc Vsartume enanUoo oa ?toa em aotsra) mmm k
UafAoo.................aaMOfraanai ^*
AaUndoo(>'Mnelataogna*.4slOOtnnof KOOk.
'aHrtsapantodc*wIJooraaMl()Ofrasaof *CO s
8Bw*ncladIUiamosdTa*la.oslSOtrMooa &OC
Depositarlos em Pvrnambucoi
T x.i-xatao Sff. ra. 8ILTA *&.
-*-?-----
14 BluMOMU.. ss CORYIOPSIS do JiPli
a*TMCAMS'9RYL0PSISdJAP0 10-io........aiCOBTLOPSIS.tJAPI
.esCCBYLOPSSiiJAPAoipnM......asCORYLOPSSJlA
- MS *
. mCOITLOPSS da JAP j p i
. a* CORYLOPSIS .1* Jil*l0
m<^#tfr
Lotera da Provincia
EXTRACGO A .-DO HRRENTE
Acha-sc yenda a 8.a lotera a* bene-
ficio di i^rreja de S. Pedro do Recife, que
ter lu^ar no consistorio da igrej de Nossa
Senhora da Conceipao dos Militares, onde
estaro expostas as espheras era orden? nu-
mrica, para seren examinadas.
grageas de Ferro Rabuteau
Laureado do Instituto de Franoa. Premio de Therapeutica
O emprego em medicina de Ferro Rabuteau baseado na Sciencia.
As Verdadeiras Grageas de Ferro Rabuteau sao recommendadas nos casos de
Chlorose, Anemia,Plidas Cores, Corrim^ntos, Debilidade,Esgotamento, Convalescencia,
Fraqueza dus criancas, Depauperamento e Alteracao do sangue em consequencia de
fatigas vigillias e excessos de toda a natureza. Tomar 4 a 6 grageas dor dia.
Nem Conslipacdo nem Diarrhea, Assimiluco completa.
Elixir de Ferro Rabuteau recommendado as pessoas que nao podem engulir
engulir as grageas. Um calix de licor aos repastos.
Xarope de Ferro Rabuteau especialmente para as criancas.
U31 Urna explicado detalhada acomoanha cada frasco.
Exigir o Verdadeiro Ferro Rabuteau de CLIN O, de PARS, que se
encontr em cosa dos Droguistas e Pharmaceuticos. ^
Na antgi casa Carneiro da Gunha
Admirem!
Setinetas lavradas, lindos padroes a 280 rs. o co-
vado I
Fustoes brancos, novos desenhos, a 320 e 400 rs.
o dito!
Esplendido sortimento de lindas las para vestidos,
a 400 e 440 rs. o dito !
Cachemires felpudas a 1 a dito 2 larguras.
Mirins pretos e de cores a 800 rs. o dito! idem.
Veludilbos de todas as cores, bordados, a 14000 o
dito!
Crotones de cores firmes a 240 o dito bom ve-
rem.
Damasco de la, 2 larguras, proprio para capas
de piano, a 2 o dito !
Pannos de lindos desenhos para mesas a 14600 o
dito !
Coi tinados bardados, riquissimos, a 64 e 74 o par!
Gusrnicoes de crochet para safas e caddras a 8/!
Camisas brancas inglesas a 364 a duzia!
Ditas de cretone fiuas a 244 a dita !
Seroulas b.rdadas a 124 e 184 a dita !
Lencos em lindas caixinhas a 34 a dita !
Meias arrendadas para sfnharas a 64 a dita !
Chapeos para senhoras e crisnejas a 24510, 54 c
64000.
Espartilhos de couraga a 44 c 54-
Brim pardo lona a 360 rs. o covado!
I cm branco n. 6, de linho a 1J500 o metro!
Tapetes aveludi.dcs a 124, 154 e 224-
Bup riores redes com 4 punhes a 124 e 144.
Colchus francezas a 34 urna.
C1 bertas de gang, 2 pannos, a 34 !
dem de setinetas finas a 34500 !
Lences grandes de bramante a 24 !
Cambraia Victoria de 10 jardas a 34 a pega !
dem cm salpicos brancos e de cores a 54, 5*500
e 64, 10 jardas !
Madapoloea pelle de ovo a 64200, 24 jardas.
Camisas e saias para seohoras por todo o prego
Bordados de Cambraias finas a 14 a pega.
Fichus e capas de la a 24, 44 e 64.
Ssrtapento do casemiras, ebeviots e pannos por
pree s baratissimos.
Grande deposito de fazendas para os Srs. nego-
ciantes do centro, tendo descont as vendas cm
grouso.
59-RUA DUQUE DE CAXIAS-59
bobrado a vender-se
Vende-se o sobrado n. 87 ra da Aurora, em
frente a ponte do Santa Isabel ; quem pretender,
pode entender-se com o e-rrector Pedro Jos Pin-
to, na praga do Cimmereio.
W preto superior
Carlos Siodeo recebeu pelo ultimo vapor e coo-
tina a vender sem competencia ; na ra do Ba-
rSo da Victoria n. 48, loja de altaiate.
Chalet para vender
Vend -se um elegante e beri construido chalet,
sito em irnameirim em frente actagJo da via-
ferrea i Apipucos, com commodos sufiicientes
para qu .juer familia, com gaa e gas i ncana-
dos e uo. bim sitio, por prego razoavel ; a tratar
na ra do Bartholomeu n. 40.
Terreno
Vende-ie um terreno confronte a estagSo do
Principe, estrada de Joao de Batros, com 90 pai-
tos de frente e bastantes fuios, e can alicerces
para 3 casas; tratar na ra d'ApolIo n. 30, pri-
ciro andar. ___________ _
m
"? Medalha de Ouro na Expsito universal 1878 "
i J. PA.U
- BOnocos pr*n;a) "
-A Depsitos em todas as tendas de Comestibles. 9"
Colarinhos c punhos de
selluloide
Carlos Linden recebeu pe o ultimo vispor, e
vende baratiseimo ; na ra de Bati da Victoria
numero 48.
Carlos Sinden receben, e vende barato por ser
de oon8gnago tres cofres, prova de fogo ; na
ra dn Baro da Victoria n. 48.
Liyramento & C.
vendem cimento port'and, marca Robins, de 1'
qualidade ; no caes do Apollo n. 45.
Vende-se um rico piano de tres cordas, em per-
f, r -> petado, auter ornis moderno, por mdico
prego ; a tratar na ra da Paima n. 69, junto do
obrado, das 11 horas so meio dia.
iMAMADEIRA-BOMBA
MONCHOVAUT
A nica com vlvula, era que nunca
o leite torna a deacer
I01MA II CRTSTAL COM ?AK FUSI T0INCADO
Medalhas
de Ouro
da Prata
Oplnl&o do D' BOU CHUT, lente I
[regado da Facaltade de MfJicina de Pars e]
medieo do Hospital das crianfis oofermas, no enl
| lirro Mlygiriut rf In/ui rin :
a Urna Mamadelra bem ncondioionnada ]
deve ter -ima vlvula onie o lelte nunca J
i torne a deecer : e este o principio da I
l MAMADEIRA MONCHOVAUT. >
pnltssem Usas aiirlacipaisPbarHtcliie Drofarlil
.


Daqae de Caxls> n. IOB
ADMIREM!
Ciatos modernos a 1(J000.
Lavas de pfllica a 2|J500 o par.
dem de seda a :'->000, 2^500 e 35000 r.
o par.
Fitas deveilu'. n.9a 6#000 b. 5a
400 ra. ro^
Albaas do ?;: sooo.
8f.zr fl a 1^500.
Lavas i .ra menino, lisas, e bor-
dadas a b v' "<- e 1^000 o par.
Porta retrato a 500 rs. 10000 15500 e
2MX)0.
Anqainhasdo 10500, 20500, e 30000 urna.
Plisseis de 2 a r) ordem a 400 rs. 500 rs.
e 600 rs. o metro.
Peates para cc com inscripcSo.
Enchovaes para baptisados a 80, 90, a
120000.
1 Caixa p.; e 100 envelopes por 800
reis.
Capelias e \\,3 i .ra aoivas.
Suspensorios air.i ri-'anos a 20500*
La para bordar a 20800 a libra.
Estoios para crochet a 10000.
Bicos de cores- com 2, 3, 4 dedos de lar-
gura a 30000 40000 e 50000 a peca.
Liados broches a 30000 10000 e 500 rs.
Leques para menina a 200 rs.
Linhas para machina a 800 rs. a duzia.
Garrafa agua fl>rida a 800 rs.
Leques com borlota a 800 rs. um.
bicos brando- para setineta, cretone e chi-
ta para coner baados a 10000 10500
a peca com 10 varas, e barato.
Albuns de chagrn, velludo e velbotina
para 50 e 60 retratos a 60 70, o
80000 um.
Meias de escocia para senhoras a 10500 o
par*
Lencos de linho em lindas caixas.
Bicos das ilhas muito fino proprio para toa-
lhas e saias.
dem brancos com 5 dedos de largara a
30000 a peja com 10 varas.
Caizas com sortea de jogo de mgica pro-
prios para salo a 50000.
Sabonetes de diversas qaalidades a 120
200 e 500 rs.
Boleas de couro para menina de escola.
Grande pechincha em espartilhos de linho
30000 um.
Lindas pastas de 500 rs. 10000 20000
30000 e 60000.
Carteiras para guardar sedulas de 100000
a cem.
Ditas letras com os repartimentos de Ja-
neiro a Dezembro.
BARBOZA & SANTOS
Csttn raptttm e certa pelo
lARSENIATOdeOURO DYNAMISADO,
do Doutor ADDISOIV
' da Chloroaa. Anala, todas u Molestias do Sjrstema nrvea,
aaakl nbekls. Molestia* ahronlca doa PulmSes, te., ete.
As miares UlastrsoSes medical Um testado e poder cmrstiTo deste meillnsnsiats
o primeiro e e mai, envgtco dos reconstttuinU*.
O FRASCO 1 e FRANCOS (BM FKAMOAl
| Tota frasco tu nSo trouaer a t arca de Fabrica registrada t a atUtnattira-.
dar* ser rigorosamente raoasto.
Pharmacia OUXaT, raa Xoeheoateurt, S.
Deposito em Pernanniuco : FRAN M. da SILVA
00:000^000
Corre a 27 do corrente
Em beneficio da Instrucco Publica da provincia
fsta lotera dividida em partes
Exlraccao da I.* parte da 1.a lotera
Bilhetes venda na Boda da Fortuna, ra
Larga do Rosario n. 36.
INJECT ON CADET
ora certa em 3 das sem mitro medicamento
y
-.

-PAJUI8 f, J*4Ue*mrt
VJLUlt-
JKfl UUSE ti t
Ra Io de Marco u. 6.
Participam ao respeitavel publico que, tendo augmentado sea
estabelecimento de JOLAS com mais ama seccSo, no pavimento terreo,
com especialidades em artigos de ELECTRO-PLATE, convidam as
Exmas. familias e seus numerosos fregaezes para visitar seu estabele-
cimento, onde cu. ontrarao um riquissimo sortimento de joias de ouro e
prata, perolas, brilhantes e outraa podras preciosas, e relogios de ouro,
preta e nikel.
Os artiges que recebem directamente por todos os vapor sSo
ejecutados pelos mais afamados especialistas e fabricantes da Europa e
Estados-Unidos.
A par das joias de subido valor acharSo urna grande variedade
le objectos de ouro, prata e electro pate, proprios para presentes de
jasamentos, baptisados e aniversarios.
Nem em relacao ao preco, e nem qualidade, os objectos cima
mencionados, encontrado concurrencia n'esta praga.

-
*ifir r MHo
franeu.
S0LUCA0 COIRisE
Exigir o saJh
Frtmtmt.
AO CHLORHYDRO-FWOSPHATO DE CAL
r todos os Hed
Escrfulas, StcAitUme,
Dysp
J r^COIRRE,?!, ru_at Cksnts-lti.
attalBtea adoptado por todos os Medico* da atoref as
PMeueta feral. Antmt, CAlorost, Titiea, Cackexia, Escrfula,, BaeAitume, Deemm
te, ottoj, Crescimtnte fUct ios criancas, rosti, Dttptpuat.
OPPRESSO
Tete
CiTaUBO-DErinS
ASTHMA
Pilo ciCAasos esfic
Asplra-se a fumaca que penetra 110 pcito acalma o sj*mptoma nervoso, tacUlta
a expectoraca e favorisa as funoedes dos orgas resprritrlos.
pntla < atascada em casa ele J S'.WPIC Sts, ra -Lasare, eam t*mr<*
Ceposito em Pemambuco : FrXANco M. da SILVA A C. _
OD
T


8
Diario de PernambacoQuarta-feira 27 de Julho de 1S87

VAfilEMDES
mar
i m Incendio en alto
(Coocluso)
Tomn se nacaasario a enrgica inter-
Yenc&o dos offidaos do paque.-ts para taz^r
COmprehender a estes uiedrosos que oa
cabos e as tainas nao poieriara sopportar
OS seas pesos, que se partiriara e que el-
los soriam levados marte certa, no mar.
O que augiucutava o horror de uina
scena to sinistra que npreseatavam esses
primeiro8 instantes, cr. o aliente obsoluto
que se observava ness* iLultido tao agi-
tada.
Este pnico, porro, nao durou muito.
O inceiicio se havia manifestado
Nessa diiecgo era sudeste.
O vento, tendo refrescado eonsideravel-
mnte e sopranio de or leste, nao s neu-
tralisava a brisado navio, c roo produia
urna correnta de ar para avante. Era pre-
ciso fazer proa ao vento, pondo o navio
capa para nordeste.
Apezsr da violencia do incendio, eaaa
manobra til; diftaeil ero Ues condigSes, foi
sob a direccao do commandante que occu-
pava seu posto no passadigo, executada
ero poucos minutos.
Ao rnesmo tempo foram fechadas as ea-
cotluas do paiol c as portas do comparti-
mento, estanques do ferro, que dividero o
navio em diversas partes.
O Io machinista, M. Chenu, desde oco-
megu, arremessava jados de vapor para o
centro do incendio, onde si achava a pl-
vora, e, segundo sffirmou o comroandau
te, a elle devengos, ero grande parta urna
BalvagSo
Para fazer luneconar as bombas no con-
vz, foi preciso alijar as caixas c os gran
des cilindro que o entulhavaro, operagSo
da que mantinha o mastro naquella dirc c-
go e obrigal-o, instantes depois a caiiir
ao mar.
Mas todos esses esforgos, que se podetia
dizer, sobrehumanos, pareciam impotentes
para evitar a catastrophe.
O grande salo, a escala principal, o
caranrira das senhoras situado quem lo
compartimento estanque, offerocam o 'S-
pectaculo de uin cabos de charamas. A
popa tinha roegulhado arrastando o spi.r-
deck e o salo dos fumantes. O fogo ha'ia
se declarado alguna minutos depois df 3
horas da lar le, o s 3 o meia, mt.is de
uro terco do navio estiva incendiado.
A's quatro horas e meia, cora os olhos
fixoa r, vi clareo, seguido de ura abalo
r. e de forte detonacao.
Era o paiol da plvora qua havia feito
explosao.
A's cinco horas, o mastro da mezan,
coro j disse, cabio.
Para nao comprometter a hlice, o com-
mandante vio-se obrigado a parar a ma-
china, que felizmente anda nao havia
sido attingila pelo incendio. As correntes
do leroe tendo si lo torcidas e quebradas
pelo fogo, o navio nao governava roais.
A direcgo quo tomava a furaaga cau
sada pela explosao de que aca'oo de hilar
provava que o navio, sem governo, coaie-
gava a cahir atravessado. Se esse mov
ment contina, em poucos minutos teria
mos o vento pela popa, o incendio ganha
ria a meio nao e a proa e tudo estaa aca-
bado... Entretanto o fogo tinha j feito
suas victimas : o misionario Tavernier,
durante, a viagem, havia, por causa
que,
do bataneo, quebrado urna pero*, nao po
dendo fugir ao perigo, cooservou-se om
seu camarote, onde morreu queimado. E'u-
rante alguns minutos nuvirara se os seus
gritos dilacerantes. Um cura do Guade'u-
delieada, roas do melhor c-ffeito, porqu-;! pe, que tentn salvarse, foi tila graveraen-
logo depois do alisada, os balances que
at entilo train rouito fjrtes, eesgaram
completamente, sentindo-se apenas urna
ligeira arfadura.
A esse tempo os passageiron perdiam o mados na dispensa
te queimado qua esteve em perigo de vida
Eu tive a satisfago de vel-o, seis sema-
nas depois, quasi restbale ci lo.
Um d8pnseiro e um criado f iram quei-
primeiro terror que os assaltara, o servigo
foi organisado, e muitos homens, mesmo
alguns recalcitrantes, foram se unir aos
bravos Boldados de infantaria de marinha,
equipsgcm e ao re3to do pcs&oal.
A grande roassa dos passageiros, todos
eiufim, at os pequeos serventes da cozi
nh, que habitalos ao fogo, preparavaro-
As feridas produzidas nos homens im-
carregados do servigo da salvagao foram
numerosas, porem sem gravidade.
Eraquanto essas ajanas se passavam no
campo da batalha, que era, como se sabe,
a popa do navio, oa ola combatentea, rau-
lheres, criangas, alguns vigorosos rapazes
de diferentes nacionalidades, qua procura
e para derramar as chara as suas caga- van subtrahir-se aos olhar s investigado
rolas ebeias d'agua, rivalisavara em acti- i res da um gendarme tolas as vezes que
vidade e coragem no perigo, o que cons este harculeo breto, do olhos azues, ca
titue um dos mais bellos attributss do ci-|bellera ruiva, aspecto rebarbativo, vmha
racter gauloz. ; reerutar trabalhadorea ; oa nao combaten-
Havia, entre esses bravos combateutes, te3, divididos em grupos, enchiam o cas-
tres alleraes : um engenheiro, um indus- U11.) da proa.
trial e um negociante de Hamburgo, gen-
te instruida e bem educada ; que aun-
t'iam coa adrai'ayo os actos heroicos
pratioados sob suas vistas, nos estreitos
redores, cada vez mais invadidos pelo
iu;cn!io, na b ira ti grande forualha, na
terrivel visinhanca da plvora
pe s cbarainas.
eva
Njs escaleres, ero grande parte,
cuados lepos do primeira momento de pa-
o2o, encontrou-sa un joven casal petrifica-
do p'lo roedo.
Eu is; que o navio, alliviado do peso
do con vez, havia cessado de jogar, sendo
envolvida a bilanca substituido por urna 1 tve arfadu-
ra, dfl nodo que as poucas pessoas que
Obcdecendo-sc s rleos do3 ofii-iaes oao d-sviaram suas vistas podiam abran-
que operavain frente desta p:quena eger o io-;endio int^iri. Espectculo gran-
dedicada tropa, atravessava-so essas nu- dioso, magnifi-o, terrivel!
vena espessas da fumaga, pasaava se por : Sobre nossas tlMCH um co azul; sob
perto da objectos completamente abraza nossos ps a dang macabra das ondas,
dos, coiu firmez i do soldado que desfila que, sacu lindo aos ventos suas tongas
em parada. crinas de ouro, pareciam vidas de n
O qua eu digo, nao phraso de effeito, engolir ; e anta nos as duas chamins da
c airo verbal quo .fllnuu do viau. {maikini n n "iistm (jr Na naite s-guinte, no caetello do pia, ; mes, pareeiom indifferentas ao que se pas-
muitos notuea eram repetidos de bocea em aava em torno. No paaaadigo, o vulto do
bocea. Oavia-M citar o Io machinista Mr. commandanie, que por simpleB movimento
Chenu, que j roeuciond, os offi.ies de da man trf.ns.nittia suas ordens. Atraz
bordo Dapout, Gorphe, Landryon, Rapin, dell-, como fundo do quadro, a crtera,
o capitao Martineau, o alferea Montme aberta, vomrtando caminas, qria, reunidas
ant d'infantaria de marinha, os dous fo- em a na s columna vertical vermelha,
guistas Certain e Robillot, c sobre todos o ehvav.m-BO prodigiosa altura de 40 rae-
mestra carpinteiro Hamet qua envolvido tros
litteralmente palas chamraas. e protegido 'Vr cima de todos esses horrores, una
somante, pdos jactos d'agua quo lhe eram grosaa nuvera de fumo affacta formas de
tirados, sangrando >la urna ferida recebi-|un dowl qua o sol, quasi a deitar-se, enlo-
da ero um dos bragos, cora o outro roana-' ra de tintas bronzeadas
java um machado, o qu-l demola os com-; A's cinco horas, como souba depois, o
partimentos dos camarotes que impedan, commandante perdeu toda a esperanga.
I lmelo. Oincenoprogradia, as forgns dos traba-
Muitos outros ps-ssageiros, entre os quaes lhadorcs esgotavaro-sa a olhos vistos, as
aforas pert-ncantes s roais notaveis fami-jGO caxas da plvora estavam j envolvi-
das pals rbans?as, o navio saro governo,
dascahia lentamente, era iropossivel ajai-
do estado do paiol. O momento
gra
odea serv
lias da Franga, prestarem
gos
Vio se ura mogo, no momento em quo o zar-so
mastro da mezena ameagava cahir do lado supremo pareca approzimar-.e.
da auehioB, o qua produzirir. a perda do Uajornaes Dimnn oa esforgos empre-
nuvio, subir s enxartia?, cortar BflM cor-
grtdos para tranquillizar os passageiros
oceultando lhes a grandeza e mminencia
do periga. Com eff:i(o, tempoa a tempoa,
apparecia alguim qua dizia qua a plvora par-roe
esta va tola iounlada, quo tudo mar-chava
s mil maravilhaa, e que o incendio, que
para eos pareca soropre encontrar novos
alimentos, seria em breva dominado.
Essas poderosas mmtiras eram acolhi
das com sigoaes da incredulidale e impa-
ciencia. Depoii a explosao da plvora
de bordo, um hqmara veio noa informar
que era ella o resultado do urna resolugao
extroma tomada pelo commandante.
Com que fim ? perguntou se-lhe.
Alguam respondeu para afugentar os tu-
barSss.
Tola a gente, inclusive o commandante
Collier, acreditou qua, se tendo inoendia
do urnas das (30 caxas, as outras teriam o
mesmo fim.
Havia de transformar em tomos o pa-
quete e tudo quanto ella continha.
A verdade que nenhum de n3 illu-
dia-se.
Nij falla dos bravos qua luctavam com
o incendio e, como tropas que aasaltam,
nao tinham tempo da reflictir noa p?rigos
que os cercavam.
No castello de proa tolos estavam cer
tos do que a hora da morte havia soado...
Ha urna grande diff renga, direi mes no
contraste, entre a situago de quem se
acha em perigo inminente de vida e a de
quem se acha em face de urna morte
certa.
E' que a palavra perigo implioa sempre
ama esperaoga de salvagao : ha incerteza.
Ninguem dir que nm condemnado, que
marcha ao supplicio, est em perigo ; mas
si elle tanta fugir e perseguido, est em
perigo.
Desde que ella preso o que a marcha
lgubre prosegue,. o perigo desappareceu e
a execug&o certa.
Sao, portanto, duas situagBas perfeita-
raanto distinctas, o a disposigo de espiri-
to do individuo em questo deve corres-
ponder a urna e outri.
O Lo nem em perigo entrev urna chan-
ga favoravel e nao pensa seno em apro-
veital-a. Nao tero tampo da empregar
um sd dos seus pensamentos noa seus, na-
quelles que ella ama o qua vai talvez dei-
xar para sempre ; nos seas interesses de
fortuna, e, se christSo, na salvagao de
sna alma. Todas as suas faculdades se
concentran! no nico e ardente deaejo de
salvar-se, de viver.
Algumas p-ssoas do roeu conhecimento
e eu meim experimentamos essa aenaago
em circLirostancias semelhaotes.
Un padre, de oaridada notoria, me con.
too ura dia, nao saro censurar o seu ape
go vida, que, tendo disparado os caval-
los de sua carruag-ra, elle nio se oceupa-
ra senio em saber o que seria melhor
si saltar do vehculo ou se conservar-se
dentro delle.
Aquelle qua tem certeza, que er firme-
mente que chega no ultimo instante de sua
existencia, se v em urna disposigito de
espirito mnito diversa.
Sabe que nida mais tem a esperar, na-
da mais tem a fazer. Segundo suas con-
vicg3es, os vastos borisontes da eternida-
de, cem aeua secretos terrores, com seus
clar5e8 sobrenaturaes, os abysmos do na-
da ao abrem diante delle.
Nao lbe resta seno eacolher entre a re-
signagao ou desespero, e, com effeito, urna
ou outro desenhava se em todas as phy-
aionoroiaa.
NSo podendo reanir-me aos combaten-
tes, eu procurava ser til indo de grupo
am grupo, procurando manter o moral das
pobres mulheres, quo rodeada de seus fi-
lhos e os aportando em seas bragos, roos-
travam se bastantes corajosas.
Umaa, e era a maiora, com os olhos er
guidos para o co, oravam fervorosamente ;
outras reoolhiam si ao silanrio morno do
desespero
Um sorriao, urna palavra do animagao
produzia, anda que momentneamente, o
effeito de um balsamo.
Eu nao deixarci do mencionar duas den-
tro ellas que me impreasionararo, urna pela
expressib de coragera phyaica indomavel;
era orna robusta mulber do povo, natural
de Turiro, a vivandeira om ubefo do canal
do Panam; a outra, urna elegante daroa
de Caracas, typj arrebatador da belleza
andaluza, pela dogura de sua resignoslo.
Por muit is vezas fui ao theatro do iu
cendio, mas a agua, que craaos borbo-
i^iiii*
tras palos corredores, mo
log; en receiava molhar oii
i
arremessava
ps e consti-

J0SLAR0NZ4
POK
Tu que deves esqueeer. Fost-i o
offendido.
Stephan estendeu a mito ao socio.
Volteroos para a saa. ^aal bao de
pela nossa ausencia. Se quizerea, um
nos esperar um pouco antes de reap
parecer.
E' jasto, dissa o hidalgo. E' preciso
que nao suppoiba que estamos juntos S
' be primf-iro
D PLOT t PEDRO MAEL: Rouval s esperava esa .a palavras.
Aproveitou logo o ccnselho.
== Pi.ra voltar para as salas, pasaou pvn
galeria envidragala.
FJi a o momento era qua Arband separa
va-se d? Carmen.
hn vio o doutor perd-r-s* na chus-
ma dos dansantea.
Vio a rroga, que solugava eom o rosto
ido n.ta mo*.
*l!lTl PIBTK
(akih:\
VIH
i j a.
tinha
A piuca pouco Rouval tambaos
; ia.
p.n lembrarae justamente do
lien nun f< z sercel .
m navio do capilSo
L.ronza.
Mas como Clanos contentsva ae com
ess^ verso, que era o primeiro a crear pa-
ra nella acreditar, as cousas am bem. S
re3tava*iaformar Carmen, antes qua di.
IssM com o pa.
Clanos esta va positivamente envergo
libado.
" Pedio tmidamente esculpa.
Pcnija os miniA8 interpretag5es ea-
tupides ?
jouval tinha se aahido bem de mais, pa-
ra regatear um perdi.
C<>mo nao hei de perdoar te, meu ve-
lho Gmez ? Afinal de coatas o sentimento
que la guiou foi o txcesso do mais reapei-
tavel dos sentimentos. E' simplesraente o
teu amor paterno que transborda.
E' veraads I confeesou tristemente o
velbo.
Esquejamos tudo isso.
F..i dimito a ella com corta aapereza :
Car f"i\ dissa elle, vo< parde nos
a todos e a i n p^ ao mesmo tampo. Tor-
ne a por :. ccara e vole para a sala.
E eomo ella ouedeces3a roa. Iiin^lroente.
Ouca, disse rapid*m(nte o banque-
ro, aeu p i anda ha pouco ouvio part da
aua convera i con essa imbcil. Elle foi-
me pedir explicagSea. O diabo foi-nos
propicio Eis o que eu lhe dissa ao aca-
so, e o acaso servo-me to bem, que seu
pa lembrou se muito a proposito de urna
viagera que tez no Mediterrneo, ea sua
companhia e na do doutor. Voc agora
est prevenida. Faga o seu jogo ; eu a
deixo. Defenda se. A partida sria.
Carmen tinha recobrado o sangue fro.
Obrigada, disse ella. He de lem-
brar-me do roeu papel.
Esperou que Rouval se retirasse, para
ella mesma entrar na chuama, depois de
arranjar s pressas a desordera da sua roa
pa.
O baile esta-ra no seu auge. Carmen
aceitn o brago do primeiro cavalheiro que
ae offereceu.
E qaando pmava, levada pelo turbflilo
da valae, vio um espectculo que lhe fes
Ninguem, mais do qu9 eu, cativa con-
vencido de que a hora extrema era che
goda, a tal ponto que, voltando para a
pr, indagava sempre se era possivel
anda chegar at s rinaa de ciridade
ajoelhadas perto do gurups. (*)
U.n ailanci solemne reos,va nesta par-
te do navio. Nio so ouvia aenSo o baru-
Iho daa vagas, os suspiros abafadoa de
urna senhora quo apertava uos bragos seu
filhinho, as lagrimas da urna mocinha que
chamava por sua mili deixala em alguroa
aldea no fundo da Bratanha, e as vozes
sonoras das tres irraSs de caridade que,
desde 3 horas da tarla at 10 horas da
noite, soropre le joelhos, nSo cessavam de
rezar.
Essas santas aenhorai, no mostravam
roedo figuro o offereciam, nessa terrivel
oonjunctura, o edificante ejemplo do he-
rosmo christo, do despreso vida e do
esquecimento perfeito da si propras
Depois de ter invocado o soecorro do
co pa^a escapar ao perigo, ellas, perdida
a esperanga, imploravam a graga de urna
morte christ...
Estava, porem, escripto as estrellas
que este pobro La France, por mais dam-
nificado o arruinado que fosse o seu esta-
do, n2o devia perderse.
A'a sete horas tinha-ae cencentrado o in-
cendio em um s ponto : a nove podia-se
considera! o dominado ; s onze horas as
ultimas labaredas tambando a roda de proa,
inundava de uns clardaa violceos a obs-
curidade de urna noite tropical.
Toda a substancia ombu-tivel 83 havia
consumido, e falta de alimento, o incen-
dio se extingui.
Havendo desapparecido um tergo 'do
navio, salvo o forro do ferro, toda a gente
estava agglomarada avante e perto da ma-
china.
A carne fria e o vinho dos marinheiros,
tendo se perdido tuda qua era destinado
alimentigao dos passageiros, foram a estes
distribuidos e a administragf.o faz o possi-
vel para supprir as necessidades de mo-
mento.
Passageiros, soldados, equipagem, esta-
vam extenuados pela fadiga e emogSes
das ultimas oito horas.
Ninguem revelava a satisfagSo de ter
escapado a to grande parigo, porque nin-
guem acreditava estar livra delle. O paiol
da plvora estava realmente inundado ?
Kra a duvida que a todos se apresentava,
e com> veremos mais tarde, esta preoc-
cupagao n3o era muito chimenea.
O navio nao governava oais, conserra-
ao capa durante toda a noite.
No da sefiuinte o commandante concer-
tou o lerae co^o pfl le e ao meio dia to-
mou o rumo da Martinica.
Ainda quo tivesse de arraatar a popa
cheia d'agua e quasi a pique o que noa
obrigava a conservar-nos em um plano in
clinalo, e8te excellenta La France deitava
suas 12 milhaa.
Felizmente ura vento aoberbo os favo-
recia.
Com sua pepa completamente descober-
ta, elle nao poderia resistir a urna rajada
de vento.
Durante quatro das de navegago nao
houve a menor desordeu a bordo ; todava
notava ae mos symptomas, boatos siuis
tros espalbadoa nao se sabia i>nr i'""",
de pequeos roubos nos camarotes, de ex-
ploragoes tentadas as ruinas.
A attitude enrgica do commandante
Collier e a imponente presenga dos quatro
aoldadoa de infantaria de marinha foram,
porem, sufficieates para conter os menos
respeitosos dos meus companheiros.
Muitos passageiros, inclusive eu, rica-
raro reduzidos roupa que vestiam. Por
um favor ou por urna irona do acaso, de
todoa os meus objectos queimados dentro
e coro o meu camarote, nao encontrei se-
no a minha gr-craz de Leopoldo da
() Os jornaes publicaram trechos de
urna carta do commaudante Cdlier, es:rip-
ta sua esposa, onde se l:
< Acabo de escapar no mais horrivel
dos perigoa que tenho encontrado em toda
a minha vida... De 3 horas e 15 mnu
tos at 9 horas do noite contei ir pelos
ares. E' realmente inaudito que nao nos
tivessemos inteiramenta perdido. >
Austria. A fita estava quasi completamen-
te destruida, o pendente nao roostrava ves-
tigio aigum de fogo, a placa estava enne
grecida e em parte fundida. E' o caso de
repetir : Perd tudo, manos a honra.
A bella dama de Caracas vio raduzir se a
cinzas um grande numero de caxas cheias
de chefes d'obra do grande Worth, e ou
devo fazer-lhe o justiga de declarar que
supportou esta cruel prova oom a mesma
langanimidade quo raanifestau em presen-
ga da morte.
A conducta do commandante Collier foi
superior a tod) o elogio e seu respeto
nao havia duas opiniSes.
Foram admiraveis, sua presenga de es-
pirito, seu sangue trio e suas manobras no
momento crtico em que foi preciso por o
navio -apa, emquanto o incendio invada
o spardech, as cobertas, finalmente quasi
um tergo do navio.
Accrescentarei, que tambero almirei a
precisSo do aeu juizo.
E eia aqui porque. Em sua opnio, e
u-amlo da linguagem medica, s 5 horas
da tsrde o doente estava condemnado. Si
nessa occaailo elle tivesse dado ordem pa-
ra arriar-se os escaleres, toda a gente se
fria precipitado eile8, 'urna luta de mor-
te t-!r-se-hia empenhado entre essea qua-
trocentos agonisantas, os trabalhos da salva-
gao teriam parado inatantaneroenta, e depois
dessaa aceas horrorosas, o incendio, o de-
sespero e o rhum, porque os rous elemen-
tes nunca fartam bordo, teriam feito sua
ultima conquista e o La France teria do
pelos ares. *
Evidentemente, noSso bravo comman-
dante, imaginava tudo isso, e seguindo
mxima, contra spem, speio, fazia proae
guir os trabalhos, e nunca deu urna s or-
dem de natureza fazei-os ceaaar.
Nao ha duvida, que os quatro escaleres
ti potados por alguns marinheiroa e urna
i'iuzi i de passageiros no maxim >, levando
viveras e agua, aendo arrastados palas cor-
reutea o os ventas alizios, podiam, ai nao
aobievieese mu tempo, aportar aa Barba-
das ou Guadeloupa em doze ou quinze
das. Mas esses meamos escaleres, sobre-
carr?gado3 de gente, correran! urna per-
da carta.
D i mais mais, como j disse, elles
na i comportavam a terga parte dos passa-
geiros e da equipagem.
Sob todos os pontos de vista, o comman-
dante foi bem inspirado.
Quanto origaro do incendio, o inqueri-
to official, cajo resultado at hora ero
qua escrevo ainda nao conhecido, far a
pulir o corago com o primeiro sentimento
do ciuroe.
Em um dos cantos da sala, Maximiliano,
sentado, c inversa va com urna daroa do se-
culo XVI, que tinha na cabega o chapeo
zinho de velludo de Mara Stuart.
Carmen compreheodeu que all estava
urna belleza sem rival, daquellas que con-
quistara para sempre o corago de um ho-
rnero, qu-'ndo ao imperio daa seduegoea
pliysieas junta sa o attractivo da graga e
da virtude.
Elle a ama I disse ella de si para si
em um transe terrivel de desespero.
Ella a ama 1 ella a ama I
Pobre menina nao se enganava.
Os seus olhos tinham vista claro, a sua
alma tinha adivinh ido a rival.
E essa rival era Renata d'Isaac.
Carmen, desvairada, nao dansava mais.
Pesava no brago do seu p ir.
Estoa mo senta lo caneado, disse
ella de repente. P,-go-lha desculpa, mas
sinta necessida lo de descansar.
Elle parou e levou a para o seu lugar
com tola n eap'cie de atteng3;s.
Mas Carmen tinha um fim era vista.
Nao era mais o soffrimento que lbe cau-
sava a indiff r. nga de Maximiliano. Eran
as torturas do ciume que viuham juntar so
s angustias pungentes do despreza.
Esse ciume complicava-se com um aec-
timento at eatSo desconbecido do corago
de Carmen.
O odio, um odio intenso, feroz, capaz de
ir at o criroe, acordava-se. A filha dos
cos abrazados senta correr lhe as veias
a febre das ving&ngaa atrozes.
E nao i/ra Arband que ella odiava, era
a outra, a outra, essa desconhecida, essa
mulber que lhe tomava assira o corago do
hornera, quo ella adorava.
Carmen quera a todo o cuato onhe-
cel a.
Logo depois de ter despedido polidamen-
te o aeu cavalheiro, foi ter com o pai.
Cobrio o de cariciaa, disfargando as suas
SOgnatiaa.
- Clanos, anda impreasionado petas suas
saapeitaa, estava do sobr'olhos estrados.
luz sobre as causas immediatas e, o que
para desojar, talvez tambem sobre as cau-
sas indirectas do sinistro.
Por ora sabe-se amente que, no dia na
fasto, ao meio-dia,,deu-Be ordem para abrir
o compartimento do porao que continha as
bagageus dos passageiros, alera de urna
grande quantidade de barra de alcool.
As mallas, segundo o costume, igadaa
para o convs, arira de serem abertas pelos
respectivos donos, foram depois restituidas
aos seu8 lugare8. E' preciao aecreacan-
tar que o commandante julgou necessario
rectificar a arrumaco desao comparti-
mento.
Suppoe-se que nessa deslocago alguns
barris quebraram-se e que o conteudo ca-
hindo na despensa onde existia urna lan-
terna, inflammara-se, produzindo o incen-
dio que all teve origera. Segundo urna
^>utra verso, na minha np"** multo va
rosimil, toda essa parte do poro se impre-
gnou de rhum durante a viagem, em con-
8aquencia de aa haver quebrado um gran-
de numero de barra pelos choques produ-
zi 'os pelos balangos do navio.
Este faeto, ai for provado, pode expli-
car a rapidez com que o incendio propa-
gou se.
E;se drama no mar, nico em seu ge-
nero, porque nao ha exemplo de um na-
vio salvo depois de ter sido a sua terga
parte consumida pelas charamas, desperta
serias reflexSes e convida ao estado de
muitas questSes de incontestavel impor-
tancia.
Mas aos profissionaes compete esclare
celas. Sao os nicos que podem elucdal-
as com autoridade e provaito nao s para
os viajantes como para as compaohias.
A elles, pois, cedo a palavra. Chama
rei somente a attengo do publico para uro
ponto relativo obrigagao ero que estilo
em Franga as coropanbias subvencionadas
Entretanto, o que mais desejava era achar
a filha innocente.
Fez 'he esta pergunta, queiroa roupa
Conheces o Dr. Arband ?
Ella estava avisada. Respondeu sem he
sitar ;
Si n, meu pai, e ha muito te npo.
Clacos fitou a filha.
Ella sonio com tanta malicia alegre nos
olhos, qua todas aa suas duvidas desvane
cerara aa.
Ab I velhaquinha, uurmurou elle,
ralbando oom ternura, e nio me diaseste
nala
Ella desviou o golpe com destreza.
Entre nos, meu pai, tu que ests
em falta.
Em taita ? Eu ? Que queres dizer ?
Oh I E' rouito simples. Ests em
tua casa, meu caro pai, das urna testa e e
esqu'ces urna cousa...
Qual minha qjerida filha T
Simplesraente a principal.
Diz; qual *. '
Carmen apoiou se no braga do paa, e em
voz rouito carinhoaa :
Esquoceu-8e de apresantar official-
mente sua filha aos 8eus convi lados.
Clanos teve um aobresalto.
E' verdade. Nao m- lerabrei.
E ac'. res cent ou :
Mas, felizmenta, un esquecimento
que fcilmente se pode repara e qua vou
j reparar.
O momento era propicio.
Os convidados, retiravam se, um a ura,
ou por grupos, indo cumpi-i nentar o dono
da casa, Rouval, o verdadeiro dispensador
daa riquezas do palacete.
Clanos aproveitou a circumstancia-
Approximou-se do socio e, dando o bra-
go filha, despedio se de todos.
Carmen tinhaftiralo a mascara.
Foi para 08 convidados um deslumbra-
mento e ura pezar por ver a no momento
de sabir aa feigrss encantadoras da baila
deira raaravilhosa.
A todos concedeu um sorriao e am curo-
pri ment.
de transportaren! grandes qaantdades de
plvora pertencente ao Estado.
Asseguram-me que os paies sao dispos-
tos do mesmo modo qua os dos navios de
guerra ; que as ineamas preeaugSea ao to-
madas e que nease ponto nao ha differenga
alguma entra as embarcagSea mercantes e
os navios do Estado.
Isto possivel, ou antes, attenta a auto-
ridade das pessoas que o afHrroam, cer-
to, mas smente quanto construcgJo dos
paies, a disposiglo da canalisago, das
bombas, das toeneiras, eto.
Ha um ponto pelo qual a semelhanga
dos navios do Estado e das companhias
nao caracterizada.
Naquellea, n3o embarcam sino indivi-
duis da posigo offiia!, desda os superio-
res al o grumete, debaixo do rgimen de
urna severa disciplina.
Noste3, oa passageiros i^noram at o qua
quer dizer disciplina.
Empregam se todos os esforgos para que
nao fumom em seus camarotes, ou que se
retirem na hora do silencio. Demais ha
viajantes e viajantes.
As linhas como as de New York, si o
navio nio est atopetado do emigrantes, e
de Iado-Chins, sSo freqaeutadas de prefe-
rencia por pessoas pertencentes s c!as3cs
elevadas ou abastadas, outras como as do
Brazil, do Rio da Prata, da America Cen-
tral, por emigrantes italianos, hespanhes,
vascos, aos quaes sa reunem nufragos da
vida de todas as nacoes qua os trabalhos
do Panam attrahem como ultimo recurso.
Nao preciso obsivar que nao classifico
nesta categora os engenheiros aos quaes
esses trabalhos gigantescos servem de alta
eacola o de ensinarcento a carreiras bri-
lbantea na Europa, nem os numerosos a
honestos trabalhadores que nao paderam
encontrar trabalhos em auas patrias ou
em outros paizes cujo clima seja menos
mortfero do que o do isthmo.
Coroprehende-se que em momentos criti-
eos, seja mais fcil haver-se com gente
bem educada do qua cora individu.s sem
instruego, laucos pelo terror, instigados
talvez por vagabundos, especialmente quan-
do ha, como i o caso mais geral, urna
grande desproporgo numrica entre a tri-
pulago ordinariamente reduzida ao stricta*
mente necessario e os passageiros de ter-
ceira clasae e de proa.
Deate modo encarada, a semelhanga dos
cavos de guerra e dos paquetes Ilusoria.
Seja-me permittido citar aqu dous fac-
tos que nio foram referidos, o menos que
eu saiba, por jornal alguu, e cuja autben-
tcidade posso garantir.
Tres ou quatro das depois da ebegada
de nosso paquete era Fort-de Frnie, re-
volvendo-se oa deapojos, viu-se surgir cham-
raas, apezar da grande quantidade dagaa
que ainda havia O transporte da plvora
do navio Fortaleza effectuou se mais tar-
de com todas as precaugSes iraaginaveis.
Esta operago permittiu verificar o estado
do pail.
O compartimento estauque que forma va
urna das paredes, enverroelhecido pelas
charamas duranta o incendio, tinha aqueci-
do as paredes das caixas de metal que o
tocavam, e algumas deltas se haviam tor-
cido e em parte abarto.
O tecto de mad ira que cobria o paii
estava, em differentes ponts, completa-
mente ou ero parta calcinado pelo fogo.
O acaso, ou a aorta ou a Providencia quz
que a agua das bombas cahisse sobre as
caixas fechadas!!
Chego ao fim da minha narrsgo.
No dia 21 de D.zembro, precisamente
quatro vezas 24 horas depois que o incen-
dio se raanifestau, o La France constante-
mente favorecido por um teuspo soberbo,
depois de ter montado a ponta norte de
Martinica o passado dianta de S.int-Pier-
re, ancorou s 3 horas de tarde em Fort
de France perto do molhe da companhia
transatlntica.
Foi entlo, e amente nessa occasio que
nos podamos considerar salvos.
Eu nao poderia resumir minhas impres-
sSes sino repetindo a phrase qua o Sr. al-
mirante Vignes, cujo conhecimento tive a
desventura de nao poder fazer, proferiu
depois de sua visita ao paquete, e do ter
verificado o estado lamentavel a qu3 o re-
duzu essa terrivel aventura : eil-a.
A salvagao foi um prodigio Honra
a marinha franceza. t
Babao Hcbxer.
Chegou a vez de Arband e seus ami-
gos.
E' verdade que o mogo estava triste.
Um sentimento de vergonha opprimia-
ihe o corago e enrubeca lhe a fronte.
Elle conhecia o paseado lamentavel de
vergonha dessa roulher que euraprimen-
tava. Teve que resistir ao seu amor.
K a essa roulher, entretanto, impellido
pala necea8d&de, tinha elle de apresentar
a sua irm, a innocente menina que levava
pelo brago, e devia i-preaentar a Sra.
Francs, a senhora honrada qua elle veno-
rava como a urna mi.
E tinha de passar por >sse soffrimento,
pela humilhago de ver os seus amigos,
Joo e Juliano, e sobretudo essas duas me-
ninas, Alice e Bertba, e a sua bella, sua
inmaculada Renata, submettdas ao con-
taoo dessa vergonha.
Esitrotinto, esse sentimento era m-scla-
do de compaxo.
Quem podia dizel-o ? Talvez fosae esse,
para fciufeliz C.-rmen, o comego de urna
vida**ova. de urna rehabilitecSo.
Elle inclinou-se diante deila sem dizer
p lavra.
Ella est>ndeu-lhe a roa.
At mais ver, S.-. doutor, raurmurou
ella.
Elle estreov-ceu.
Nao lhe tinba ella dito, havia pouco, qua
nao devia conheccl-o T E como Clanos
timbera sarria, sem parecer admirado des
se conhecimento, Arband fleo1 attonito e
inquieto.
Renata e Alice timbero tinham tirado
as suas mascaras.
Renata liaba bastante experiencia da
vida para ficar rapressionada pela expre3
ao dos olh'S de Carmen.
Nao se eoganou coro essa expresso.
Leu nesse olhar um odio mortal, e essa
dcscobarti f-z lhe bater o corago.
Por que era que essa mulher a odiava
de antemilo, ae oo era porque amava a
Maximiliano ?
E, por sua vez, Renata sentio como ama
surda irritago, alguma cousa parecida coro
ciume.
Nao sa atsrrou com isso.
Se ella amava a Maximiliano, ella em
breve o saberia e, ento, que lhe importa-
ra ser odiada por Carmen ?
Entretanto, teve de confessar que acha-
va muito b^lla essa Carmen;
Urna ultima sorpreza, urna colera ines-
perada estava rseervada para Arband.
A sorpreza foi ver o Sr. d'Isaac apertar
affectuosameate as raaos de Clanos o do
banqueiro ; a colera foi causada por ver
o olhar cynico que Rouval Mancou a Re-
nata.
Sabio d'alli com o corago ulcerado e
a cabega em fogo.
IX
Ao separar se delle nessa n.ite, Dar-
roailly roarcou hora p ra se eacontrarem no
dia 8aguint8.
E no da segunte, hora marcada,
Juliano foi sosa do doutor.
Esta o esp:rava cora viva impaciencia.
Essa impaciencia ira expiicavel.
Elles tinham tanta censa a dizer. um ao
outro, tantas ni xS'.es ou observagSis a
trocar 1
Ven Jo o amigo que ero breve sera seu
irroo, coroo tinham lhe prometdo, Ma-
ximiliano sent) verdadera satisfago.
Seja bem vindo, meu caro Juliano,
disso ella, estendenio-lhe a mao.
Darmally o abservou com interesse.
Eat paludo, doutor, parece cansado,
adoenlado.
Com effeito, estou um pouco, mas nao
nada
Qual a causa do seu incommodo.
Nao pregu i olho toda a noite.
O raesaao me acontecen. Passei a
ta estudaudo.
Corrigio se de proposito :
Ou antea, meditando em lado
estamos venuo da extraordinario.
Arband suspirou profundamente.
1101-
que
I.



(Continuar-sena)
f/p. do Diario na Daqae de Caxias kL
i mam i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBRV64VPO_HCO9SR INGEST_TIME 2014-05-19T19:37:46Z PACKAGE AA00011611_19118
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES