Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19116


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A
LIII HMM m
PARA A CAPITAL E MJCJAR?* OMtE XA0 *)B PAGA POfKfB
Por tres mezes adiantados............... 6$000
Por seis ditos idem.......... ...... i:'$(XX)
Por um auno idem.....' ,......;..... 230000
Cada numero avulso, do mesmo dia............ 0100
-~~-
ai
24 DE JIEO El 1
PARA DENTRO R FORA DA PROTOICIA
Por seis meses adiantados............... 13f$50C
Por nove ditos idem................. 20^000
Por um cano idem................ 27(5000'
Cada numero avulso, de das anteriores........... #100

Prprieirafc* tt Manotl Sx%ntixh tu i*ria & S\\os
O* Srs. Amede T*rnee fc C
e Par, 9L o a*>nsioa agentes
exclusivo* de annuncaos e pa-
blicacdes na Franca e las-I a-
terra
e^^^
TELEGRAMAS
::::::: pasiisitias 23 ruaic
RIO DE JANEIRO, 23 dej^jio, 3
horas e 50 minutos da tarde. (Recebido s
5 boras e 30 minutos, pelo cabo subma-
rino).
O Senado, em aeaa&o de boje, ap-
proinii em '. diacua**So o o: carna-
lo do Imperio. navenJu remellado a
emenda, qnc iiin-nia a Mapprlmlr a
verba rounlsiiadn para g-ratiflcaco
don lenien da Imperial Cunearlo de
i. Pedro II. que leem de examinar
em preparatorio*. Ful eata emenda
que deu oriscm a ilomiio do Baro
de lamor do cargo de ministro do
Imperio.
lia Cmara don Oepatado na
bou-re boje euo por falta de nu-
mero.
Fortn nomeadoa t
Cbefe de pelleta da provincia de
alIo-Sroaao o Jala de dlrelto Or.
FranclHOo Rodrlguer* Sette t
Juii'i mnniclpaen e de orpbow
doa termoat de Macap e Slaangao
da provincia do Para, o barbare!
Joo (arlos Gulmarea : do de Por-
to de Moa. da menma provincia, o
Bacharel Alclbladea Portado, e do
de Saboeiro. da do Cean. o bacba-
Edaardo do liego Barroso
Fol removido ojnlz municipal e de
oro naos do termo de Tacaratu' da
provincia de Pernambuco. bacbarel
Franciaco da Cosa Mala Fiiio, para
o de Palmare c au n-Pretn. da mes-
ma provincia.
Forana nomeadoa i
Commandante superior da guarda
nacional de Pan doa Ferro*, da pro-
vincia do Rio tirande do \orle. o co-
ronel Jos amonio de Carvalboi
Mesando eacriplararlo da Tbeaon-
raria de Faienda da provincia de S.
Paulo. Jos siivelra do pilar Pllbo.
ajudante do guarda mor da Alfan-
dega de Peraambuco. Franciaco de
Soma Motea.

t'ARIS, 22 de Julh..
2:7S
.acaba de ser encerrada a sesso
rdlnaria do i>arlamento.
PAKIS, 22 do Julbo.
is. MM. o imperador e a Impera-
tris do Brasil acompanbadoa de sua
comitiva de ve ni partir prximamen-
te para Carian <<".
RIO DE JANEIRO, 2 de Julbo, s
10 horas a lo mi' ut s da rnanha.
Fol nomeado ajudante do guarda
mor da Al Tan ilesa de Pernambuco
o ir. iuuia Hotta.
Fol removido para a comarca de
Palmares em Pernambuco o Juiz
nauniclpal da comarca de Tacaratu
Or. tosa Mala.
LONDRES, 23 de Julho.
Coaaldera-aejcomo imminenteuma
modificar.io ministerial em sentido
liberal.
Penaa-ae que entraro n'eatacom-
binacfto. o Marques de Harllnaton e
*r. Cbamberlain.
Ag^n-ia Hava?, nl'al em Pernamb-iuo,
23 HSTROCQiO POPULAR
(Extrahido)
DA BIBLIOTHKCA DO POTO E DAS ESCOLAS
PRIMEIRA PARTE
FUNCHES E > THK. AO
diobstIo
( ContinuMao )
No pheaomeno da mastigacao intervem tambem,
como auxiliares, os labios, as bocbeihas, a lingua
e o paladar. Quando o alimento de consistencia
fraca, oadenfca nenham tffeito produxem sobre
elle ; a presso da lingua contra o paladar (on co
da bucea) suficiente para o reduzir a estado de
poder ser ingulido. Como a malilla superior iav
movel, por estar soldada ao crneo, a interior que
exclusivamente executa os no. memos neceaaanoo
a maatigaco, movimeotos que sao determinados
por diferentes msenlos poderosos, os qoaes se
inserem por ama das snas extremidades aos ossos
do crneo ou da face e pela outra ao osso maxillsr
inferior.
Ao mesmo tempo que >i maxilla i>e move, a lia-
gua. e as bocbechaa impeliera os alimento pera
entre as duas arcadas dentarias, onde eo tritura-
dos. A maatigaco um acto importante do na-
ba ho digestivo ; i s alimentos mal maatigados ro-
dero dar Ingar a perturbarles graves das fucatas
digestvai. Alem d'ella, outra acto digestivo se
opera tambem na cav ade da bocea a insaliva-
9&V>, que lem por Gm o impregnar os alimentos de
nm liquido especial, que se chama saliva, e quu
producido pelas grandulas salivares, de que adean-
te fallaremos, quando tratarmoa das sccrecoea.
A saliva nm liquido incolar, geralmente alca-
lino, que s i derrama na cavidad? da b ceaespe-
cialmente quando ues'a se entroduzem os alimen-
tose que constituido por ajena, tendo em diauo-
luc.Io alguna saes (como cnloreto de sodio lacia
to de potassio e de sodio, etc.) e nma substancio
especial, que, operando como os fermentos, ten: a
nome de ptyalina, e desempeo um papel impor-
tante na digeato de alguna aumentos. A saliva
tem na digeato duas accosa distiuctas (urna me-
cbanica e outra chimiea) i pela sua aeco mecha-
nica favorece a mastigacao e a degluticao ; pela
chimiea desempenha urna fu iccao mais importan-
te, de que adeante trataremos.
Chama-se degluticao o acto mechanico do trans-
porte dos alimentes, desde a bocea at ao estoma-
go. E' um acto instinctivo. que tem por orgon a
pharynge e o rsophago. Quando os alimentos
estilo j suficientemente divididos e impregnados
de saliva, ficam reducidos a urna pt.sta molla e
dctil, quo se chama o bolo alimenticio, o qual se
rene sobre a faca dorsal da lingua, em resultado
do movimeoto dos labios e das boebecbas.
Depois a lingua eleva se, curvando-se ao mesmo
tempo em forma de gotteira antero posterior, e
applica-se de encontr ao paladar, comecaulo
pela ponta e seguindo nesse movimento at a batie.
O bolo alimenticio, compcllido de toias *s direc-
cSes, escorrega para a parte posterior da bocea,
ao mesmo tempo que a pharynge. se eleva e tai ao
seu encontr, para o receber e leval-o at aber-
tura superior do esophago.
Na paseagem ao longo da pharynge, preciso
evitar que o bolo alimenticio se escape pela aber-
tura posterior das fossas nasaes on pela das vias
aereas. A passagem para as fossas nasaes evi-
tada pelo veo do paladar, que se eleva at ficar
qua9i hcrisontal, oppondo-se assim a qne o bolo
alimenticio se dirija para o alto da phaiynge. A'
entrada as vas a> reas oppoe-se um movimento da
laryoge que, elevando-se, vai collocar-se sjb a
epiglotte, especie de vlvula membranosa que mo-
mentneamente Ihe fecha a abertura superior. O
bolo alimenticio, em taes circumstancias, nao ttm
pois ontro caminbo aberto senao o do esophago,
que u recebe e o conduc, pelas c-ntraccoes das
suas fibras musculares, at cavidade do est >-
mago.
Cbegadoalli, o bulo alimenticio demora se dentro
da cavidade durauca algum tempo, mevendo-se
u'ella sob o impulso que Ibe commanicado pela
contraccao das fibras musculares da respectiva pa-
red?, e transformando-se, pelo tffeito desse movi-
mento e pelo da aecj chimiea do sueco gstrico
(de que adeante fallaremos), n'uma pasta semi-h-
Juida e ucinzentada, que tem o nome de cbymo.
processo digestivo que se opera no estomago,
chama-se cbyinificaco.
(Continua;.
Julho de 1885 e circular de 7 de Pevereiro ultimo,
na parte e.n que appliuavel, approvar o seguiu
te plano de Ijtenas apresentado pelo respectivo
thesoureiro :
1 premio de
1.
1
2
3
8
16
9
>
>ARTE OtriClai.
Cioverao da Provincia
EXPEDIENTE DO DIA 21 DE JCVIO DE 1887
Actos:
O presidente da provincia tendo em vista a
disposicSo do art. 1. do Regulamento, de hontea
datado, expedido para a Reparticao das Obras Pu-
blicas, reaolve nomear os seguiutes empregados do
aervivo interno e externo da secretaria da dita
repartico :
Empregados internos :
Director geral, engenbeiro Francisco Apaligoriu
Leal.
Secretario, engenbeiro Joaquim Gomes de Oli
veira e Silva.
Desenhist, J 1' Amanuense, Jos Marcellino da .Silva Braga.
2a Amanueuse, An'.onio Tolentino de Figoei-
itdo Lima.
Porteiro archivista, Lydio Purpurarlo Santiago
de Oliveira.
Continuo, Manoel Uchoa de Ba roj Campello.
Um servente.
Empreados externos :
Engeubeiros, Joo Pinto da Silva e Francellino
Americo de Albuquerque Mello.
Administrador das obras, Jos Simplicio da S
Eattves.
1 Feit.-r, Manoel Thomaz dos Santos.
2- Feitor, Tbom Correia de Araujo.
Serventes.
O ex-engenbeiro conduc'or de 1. classe Fran-
cellino Americo de Albuquerque Mello, tendo pre-
terido nm dos extinctos engenheiros de districtos,
em vista da antiguidade, uo tem direito a perce-
ber maiores vencimeutos do que actualmente, ui>
obstante a n va tabella.C immunicou-se ao in-
spector do Thesouro e RepartifSo das Obras
Publicas.
O presidente da provincia reaolve, nos ter-
mos das ieis provinciaes em vigor sobre as loteras
ordinarias da provincia e de accordo cora os avisos
do Ministerio da Faienda de 31 da Abril e 27 de
Julho de 1885 e circular de 7 de Fevereiro ultima,
na parte em que appcavel, approvar o segnin-
ts plano de loteras apresentado pelo respectivo
thesonreiro :
1 premio de
1
1
3
7
14
89
12:000*000
2:UOOA0l)0
1:000*000
60e*0tK)
700*0(10
700*0-0
. 200*
100*
. 0*
10* para
os dous algsrismos finaes do 1'
premio
899 de 6* para o algarismo
final do l premio
899 de 6-t para o algarismo
final do 2- premio
Duas approximacoes de 150*
para o 1' premio
Duas de 102* para o 2-
premio
1918 premios do valor de
15 |o (circular da Pateada
de 7 de Fevereiro de 1887)
7 >; (le n. 1470 de 16 de
Juohide 1879 art. 11)
Sello e imposto addicional
10"[ para as despeas e
commisaio do thesoureiro (effi-
cio de 11 de Abril de 1887)
9000 bilbetes de 5* em 509
de 1*000
Os premios superiores a 200* csto sujeitos ao
imposto de 15 |.
Os 10 [0 destinados a despeas e commisso do
thesoureiro estilo sajeitos tambem a 2 "(o de im-
posto (le n. 1860 de 11 de Agosto de 1885 art.
2- 19 e 59, em vigor ex-u da lei n. 1883 de 20
de Ueiembro de 1886.Remetteu-e copia deste
acto aos inspectores,da Thesouraria de Faienda e
Thesouro Provincial, ao Dr. cbefe de polica e ao
thesoureiro das loteras.
O presidente da provincia retolve, nos ter-
mos das leis provinciana em vigor sobre as loteras
ordinarias da provincia e de accordo com os avisas
do Ministerio da Fasenda de 31 de Abril e 27 de
890*000
5:394*00J
5:394*000
300*000
204*000
29:182*000
6:750*000
3:150*503
1:417*500
4:500*000
45:000*000
. 500*
. 200*
. oo*
. 50*
30* para
completar a dsiena do 1- pre-
mio menos a aorta grande
9 premios de 20* na mesma
conformidade cima para o 2*
premio
80 premios V 15*- para os
dous ltimos algarismos finaes
do 1* premio '
80 premios de 10* para os
dous ltimos algarismos fkaes
do 2* pramio
800 premios i de 6* para o
alg--.rismo final do I- premio
Duas approximacoes de 150*
para o 1 premio
Duas approximaco -s da 85*
para o 2* premio
1014 premios do valor de
15 [a (circular da Faienda
de 7 de e'evpreiro de 1887)
7." lei n. 1470 de 16 de
Junbo da 1879 art. 11)
Sello e imposto addicional
10 *; para as d-speas e
commisfi) do tbesoireiro (ofi-
cio de 11 Je Abril de 1837)
1 :,0*X>0
2:000*000
1:000*000
1:000*000
600*<0>>
800*0.10
800* XX)
270*000
180*0 X
1:200*COO
80J*0 0
4:800*000
30:*000
190*000
25:940*000
6:000*000
2:800*000
1:-:60000
4:000*000
lei n. 1882 de 10 de Setembro da 1886 e quan-
tos So rs pedidos de pxgament 8 de cu,tu e pir-
ue motivo ainda nao foraui atiundiJ -.
Declaro Cmara Municipal da Timbauba
(ue m- diante as cndilo-3 conatantea do termo de
contracto annexo, por copia, ao seu oficio do 8
Ato rindo, autoriso pela quantii de 301*000,
atrucciio de suas pequeas poutes comtanto
respectivo coutractante aguarda para o fu-
xarcicio financeirj municipal o pigamento
e lSo puder recebar ai exercic ') vigente por
ra isa) inautScicnte o crdito conaig ialo
_ rtirfo 6 11 da lei n. 1,882, de 10 de Setem
i 18S6.
i Niq tendo aa procedido eleoo para pre-
etfhimentJ da vaga do finad) vureador los Fran-
CqBMCIai) iino pelos motivos expontos pela Cama
ra Municipal de B-ierroa em oieijj' 21 da Htid. jjsssado pela repartico das Obras Publicas em 30
8,000 btlnxtes a 5* em quin-
tos de 1*000 40:000*000
Os premios superiores a 200* estao sujeitos ao
imposto de 13 %.
Os 10 {o destinados a iespei.>s e cumtnisaao do
thesoureiro estao sujeitos tamban a 2 |, do im-
posto (lei n. 1860 de 11 de Agosto de 1885 art.
2a 19 e 59, em vigor exvi da lei n. 1883 de
20 de Deiembro de 1886).Remetteu se copia
deste acto aos inspectores do Thesouro Provincial
e da Thesouraria da Faltada, ao Dr. cbefe de
jolicia e ao thesoureiro daa loteras.
Officio8 :
Ao Exm. biapo diocesano.Em original le-
nho a honra de enviar a V. Exc. Rvma, as infnr
maces quo ao inspector da Thesouraria de Faien-
da prestaram a Recebedoria desta cidade n as
collectoriaa de Olioda, Agna Preta, Bom-Jardim,
Bonito, Carna:, Gamelleira, Iguarasc, (reyanua,
Itamb, Naiaretb, Palmares, r'aneilaa, Pao u'Alho,
Rio Formoso, Triumpho e Victoria astim como
certidoes a que ellas se referem de eacravos ma-
triculados, pertencentea a sacerdotes.
Ao general commandante das armas. Sir
va-sc V. Exc. de remetter a certda i de assenta-
mentos do soldado do 14 batalh) de infantaria
Jos Ceciliano Freir Gameiro.
Ao inspector da Thesouraria de Faienda.
Estando determinados pelo rt. 3 do regolamen
to n. 9519 da 14 de Novembro da 1885 oa alores
mximos dos matriculando;, sirva-se V. S. de
mandar redaiir o do 900* dado eacrava Mara,
de 19 annoa de idade, matriculada sob n. 328, no
municipio de Uom de J Ao mesmo.Remetto V. 8. a relacao jun-
ta sob n. 230, afim de faiar o col lector gerai do
municipio (te Bom Jardim declarar na columna
competente os valoreados eacravos all matricula-
dos, sob na. 757 a 764.
Ao mesmo. Communico a V. S. paraos
fins convenientes, que o bacharel Manoel Ferrcira
Escobar JoDor, juiz municipal e de orpbaos do
termo de Leopoldina, aaaumio em 8 do corrate
mei o exercicio interino do cargo de juiz de direi-
to da comarca de Salgueire.
Ao raosuii '" iroinunieo a V. S. para os fina
convenientes, que o bacbarel Lsvino Lipes de
Barros e Silva, jnix de direito da comarca de Sal-
gueiro, deixou em 8 do corrent, por motivo de
molestia, o exercicio de seu cargo.
Ao mesmo.Tendo em vista o oficio n. 73.
junto por copia, que hoje dirigio-me o inspector do
Arsenal de Marinha, autoriso V. S. a abonar tres
meies de vencimeutoa aoa offijiaea da armada e
da classea annexaa, quer de r quer de pia, nu-
fragos do patacho Pirapama. Cummunicou se ao
inspector do Arsenal de Marinha.
Ao meamo.Mande V. 6. ajuatar cent as ao
tenante Francisco Taixeira de Carvalbo, que foi
transferido do 2 batalho de infantaria para a
compaobta da mesma arma da provincia do Espi-
rito Santo.Communicou-se ao general comman-
dante das armas.
Ao preaideuta do Tribunal do Jury.iogo
a V. S. que, por conveniencit do ser vico puolico,
se sirva dispensar dos trabalh a da actual teasi
do jury o 1 offi.ial deata secretaria, Antonio (i -
mea Leal.
Aoa membris da commiasSo de aoecorros aos
nufragos do vapor Bah:a. Para oa fins conve-
nientes transmuta a Vv. Sa. a copia inclusa do
oficio que o mordomo da Casa Imperial dirigio-
me a 7 do correte mei acerca do donativo de
500* que S. M. o Imperador coucedeu em favor
doa nufragos do vapor Baha.
Ao director geral das Obras Publicas.
Seiente do que Vmc. expe no sen cfficio de 17 do
corrente, sab n. 128, bontem recebido, aguardo o
inventario e recoibimento que mandei proceder
das ferramentas, materiaes e quaesquer utensis
perteucentes 4 r-iparticilu.
' Quinto conservaco da ealcamento e reparos
das galeras de esgtos da capital, dada que a car-
go da provincia e nao a municipalidade, sobre o
queVmc. me prestar esclarecimentos, o autoriso,
nos limites do seu citado cfficio, a eocarregar o
administrador de obras, sob a immediata fiscalisa-
cio de Vmc, ou do engenheire secretario, da di-
reccao deste trabalho que ser pagj por ferias
quinieoaes, na conformidade do regulamento ex-
pedido em data de bontem.
Ao commandante dacorp) de polica. -- De-
claro a Vmc. que nao pode ser satisfeito n pedido
de seis cornetas, annexo ao seu officio de 6 de
Maio rindo, sob n. 5047, por se nao acbar ainda
vencido o praio de duracSo das rleioito fornecidas
em Setembro de 1885, o qual, em vista do art. 67
do regulamento do corpo sob seu commando, de
des annos, conforme est marcado na tabella n. 1
approvada pelo decreto h. 5325 de 23 de Julho de
1373Comrcanicou-se aa inspector do Thesouro
Provincial.
Ao mesmo.Ao Dr. cbefe de polica mande
V. S. apreaentar no dia 23 do corrente mes, daaa
pracaa do corpo aob sen commando, afim de es-
coltarem um preso at a provincia do Rio de Ja-
neiro, no vapor Manos, que naquelle dia espe-
rado do norte. Communicou-ae ao Dr. chefe de
policia.
Portariaa:
Para oa fina convenientes declaro Cmara
Municipal do Kecife, que no recurso de Virginio
Horacio de Freitas, do qual trata a ana informa-
cao n. 45 de 15 do corrente mes, profer hoje o
aeguinte despacho :
Nao ha que deferir vista da informaco da
Cmara <
Chamo a attencao d. Cmara para o art. 64 da
lei de 1 de outubro de 1828
Para complemento da informaco de 29 de
Abril nltimo recommendo Cmara Municipal de
Timbaba me enve nma relaco nominal dos
credores de costas judiaiaes que tem aido atten-
didas no c rrente exercicio financeiro e quanto,
cada um, ha recebido, couvindo qne declare qual o
aaldo do crdito conaiguado pelo art. 6* % 10 da
lindo recommendo a mesma Cmara que expeca
aovamenta commuuicac-io aos juiies de paz e ci
aa damaia providencias do eatyio, fin do que a
referida oleic-i teuha lugar ao dia 20 de Agosto
prximo vind'jun. Fizeram-ae aa commuoica-
coe8.
O Sr. agente da ompanhia braamira mande
dar paasagam a proa at a proviaci. do Rio de
J.meirj, p>r onta do laiaiiteri) di jjs'i;a, ao
preao Arthur Madnl n > ou Arthur Goncalvea, que
se evadi da cadea de S. Paulo ; e bein assim a
duas praeas do coepo de polica, qte aconpauhain
o refeiiii) preao.Commuoicou-ae ao Dr. chefe de
policia.
O Sr. agente da co.opiuhia brasilaira de na-
vegacao a vapir ta?a transportar provincia do
Espirito Santo, por conta do ministerio da guerra.
o tenente Francisco Teixeira de Carvalbo, que por
portara do ministerio la guerra, de 11 do corren-
te, toi trans- rido do 2 batalbo de infantaria
para a a mp nhia da m-'sma arma daquella pro-
vincia uor troca que fez com o teneute Jcj Ber-
nardo do R"go.
Ao referido offic! acompanha sua mulber D.
Leonar Mara nV Oliveira Carvalbo, saaa fiih&s
Angelina Leonor de Carvalhi, de 14 annos de ida-
de ; Ambrosina Zafirina deCarva'ho, de 12 annos
e um criado de nome Mano 1. Communicou-se ao
general commandante das armas.
O Sr. gerente da compaubia pernambucana
faja transportar provincia do Rio irande do
Norte, por conta do ministerio da guerra, o solda-
do Manoel Januario da Silva, qu; foi transferido
do 2 batalho de infantaria para a companhia
daquella provincia.Communicou-se ao general
commandante das armas.
O Sr. gerente da companhia pernambucana
faca transportar a provincia do Rio Grande do
Norte, por conta do ministerio da guen a o teen
te do corpo de estado-mator de 2* classe Francis-
co Vctor da Ponceca e Silva, qua veio da corte
com destino aquella provincia onle vai em com-
misso. .
Ao referido official acompanha o cabo de es-
cuadra Joaquim Leopoldo Dantas.Communicou-
se ao general commandante daa armas.
O Sr. gerente da companhia pernambucana
manda dar paasagam a pro ., at Nata!, no vapor
que segu hoje para o norte, por conta daa gra-
tuitas a que o governo tem direito, a Leonardo
Jos Barbosa, criado do tenente Franciaco Vctor
da Fonceen e Silva, que para all segu em aer-
vico publico.
EXPEDIENTE DO DE. SECXETABIO
Officioi:,:
Ao engenbeiro chefe do prolongamento.Da
trdeui Jo- Eim. Sr. pmaideuie da provincia acuo-
so o recebimeuto do officu de hontem, aob n. 972,
no qual V S. participa ter aido inaugurada no dia
19 a estucao de Aogelim, no kilmetro 119, desse
prolOugamento, abru da-se ao trafego os primeiroa
15 kilmetros da 3* aeceo.
Ao insp^ct r do Thesouro Provincial.-O
Exm. Sr. presidente da provincia pr> ferio hoje o
aeguinte despacho no requerimento de Victorino
Jos de Souza propietario da casa n. 2, da ra de
Cbriatovo Colombo :
Em viata da informaco do Thesouro Pro-
vincial, nao est no caeo de ser attendido o que
requer.
Ao director geral da reoartifio daa obras
publicas.O Exm. Sr. presidente da provincia
proferio hoje no requerimento da Francisco Avila
de Mandones, a que se refere a iufo.inacao de V.
S-, em i ffiaio de 13 do corrente, soo n. 121, o ae-
guinte deapacho :
Em viata da informaco ui ba que deferir.
EXPEDIENTE DO DIA 22 DE JDHMO DE 1887
Officioa :
Ao commandante das arraaa.Da accordo
com a indiuacn teita por V. Exc em oficio de
hontem, aob n. 329, designo o majar cotnmaudan-
te interino do 2 batalho de infantaria, Luiz An-
tonio Ferraz para presidir a commisso que, na
forma do aviso do ministerio da gueira, da 23 de
Janeiro da 1864, tem de dar em rousumo no res-
pectivo quartel, no dia 27 do correte, a 1J horas
da manh, diversos artigo* julgadoa inaervivais,
perteucentes ao 14 batalhc de iufantaria.
Ao Dr. ehefa de policia.Transmittindo a
V. S. os tel'grammas juncos, chamo sobre elles a
sua attencao, recommcodando-lhe que propouha
as mediJac qua entender convenientes para o
caso. ,
A> inspector da Thesouraria da Faienda
Communico a V. S. pan*, os tina conveniente?,que
o bacharel Trajano Alipio Temporal de Mondon-
ga, promotor publico da comarca do Brejo da Ma-
dre de Deua, deixou em 1- do crrante m-z o exer-
cicio de seu cargo por motivo de in lesna, entran-
do no dia 2 no goso de 2 mtzes de licenca com os
vencimeutos a que tiver direito, que ihe foi conce-
dida por portarla da mesma data para tratar de
sua salida.
Ao mesmo -Communico a V. 8. para os fins
convenientes, qua em 8 do corrente mei e na Se-
cretaria desta Presidencia, foi entregue ao tabel-
lio publico de Tacaratu' Manoel Francisco Bo-
telbo a collecco de livroi constantes da relaco
aqu junta, reinettida por oidein d> Ministerio dos
Negccios da Jtistica, por G. Leaiioger & Filhos,
para o registro geral das bypo. tucas u'aquell* co
marca.
A importancia da Ivtjs citados dever s r sa-
tisteita mediante preata'.oes moJieas e a praaos
raaoi7e;8.C mjiuuieou-sa ao juii de direito de
Taca at.
Ao m-'sm i -Tenlo sido chimado a corte o
commandante da escola da apreoJir.es marinheiros
eapito-tenente Joaquim Gougalves Mar'ins, man
de V. S., de couformdade com O que solicita o
coininsu4anta i .termo da dita escola, ab mar
aquella oficial a quantia da 2401, importancia
precisa para a sua passagem o da teus filhos Joo
de 4 anuos le idade, Domingos de 6 annos, Mar-
ganda de 5 e Gertrudea de 4 anuos.
Ao mesmoSirva se V. 8. da designar um
empregado de faienda para faaaff parte da com-
misso que, na forma das dspoeicoes em vigor,
tem de dar em consumo, no respectivo quartel, m
dia 27 do corrente, s 11 horas da manh, diver-
sos artigoa julgadoa inaerviveis, oerteecentes ao
14' batalho de infantaria.
Aj meamoDeclaro a V. S. para oa devi-
doa fins, que, cm oficio de hontem. sob n. 1, par-
ticipon o 1 tenente Jos Rodrigue* Abren haver
na mesma data assuuoido o commando interino da
escola da aprendiiea mariuheiroa, visto ter aido
chamado a corte, a eertico, o actual commandan-
te, capito-tecente Joaquim Goncalves Martina
R-apondeu-ae o oficio do 1- tosente Abreu.
Ao conaul da DinamarcaEnireaposta aoof-
ficio de hontem datado, declaro ao Sr. Aflonao
Goodret, conaul da Dinamarca que a devolucio do
aeu exequator est dependente da aatiafscao, na
Secretaria deata Presidencia, da emolumentos
conatantea da tabella de 27 da Abiil de 1861.
Renov ao Sr. cnsul oa proteatoa de miah per-
fcifa estima edistincta coosideraco.
- Ao director d > Arsenal de Guerra. Para os
fins convenientes declaro a Vmc. que nesta data
designo o ajo JantJ interino dessa Arsenal para
tazer parte da commisso que, na forma do aviso
de Ministerio da Guerra de 23 de Janeiro d" 1881,
tem de dar em conaamo no respectivo quartel no
dia 27 do corrente, s 11 boras da manh diversos
artg a julgadoa inaerviveis, pertencentea ao I4-
batalho de infantaria.
Ao iuapector do Thesouro ProvincialDe
accordo com a iafonmco de Vmc. em oficio n.
678 de 20 do corrente, antoriso-o a mandar pagar
"i ti'nn a, ao empreiteiro da obra de reparos da
cadeia de Pao d'Albo, Jos Franciaco da Rosa a
quantia de 273*740 conforme o certificado jnnto
de Maio ultimo. -Communicou-se ao engenbeiro
chefe da dita repart'fo.
Ao meamoA' vista dos inclusos atteatados,
a que aeompauha, por copia a informaco do ins-
pector geral da Iostrucco Publica de 15 do cor-
rente, n. 163, mande Vmc. pagar ao profeasor da
cadeira de S. Joa da Boa-E8per::DCa, Jeauino
Firmo de Asevedo, oa aeus vencimeutos relati-
vos aos mezes de Fevereiro a Abril deste ana.
Ao commandante do corpo de policiaAut -
riso Vmc. a excluir lo corpo de s> u Coinmanio a
praea Jos Lourenco da Silva, de que trata seu
oficio n. 6,070 de 2J do corrente mea.
Ao mesmoAo Dr. chefe de polica mande
Vmc. presentar amanh ao meio dia urna escolta
de 6 praeas, afim da condnzir 3 criminosos qua vo
responder ao jury no termo de Naaareth Cim-
municou-ae ao Dr chete de policia.
EXPEDIENTE DO DE. SECBETARIO
Oficios :
Ao commandante das armas Da ord. i do
Exm. Sr. presidente da provincia, communico a V.
Exc. para seu c.nhecimcnto e em resposta ao seu
offieio n. 321, de 18 do corrente, qu>; o Arsenal de
Guerra est autorisado a sat-afazer o pedido an-
nexo ao citado oficio, referente a artigos precises
para escola regiaental da companhia da caval-
laria.
Ao iuapector do Thesouro Provincial-- O
Exm. Sr. presidente da provincia proferio buje o
seguinte despacho no requerimento de Joo Go-
mes da Costa, a que se refere a informaco de V.
H. de 13 do corrente, sob n. 664, quanto casa n.
76 da ra do Pharol : Sim, luiente quanto ao
xercicio correte, nao estando iiquilaio.
- Mutalis mutandis ao fiscal da companhia Re-
cita Drainage.
Ao Dr. juiz de direito da comarca de Cim-
breaDe ordem do Exm. Sr. presidente da pro
vinci tranamitto a V. S. em soluco do aeo, ofi-
cio de 11 do correte, copia do de n. 553, de 20
do citad* mez, do Dr. chefe de policia, cab ndo-
me declarar a V. S. que o capita Satyro Ferrci-
ra Leite fei exonerado do car^o de delegado do
termo de Cimbrea em 14 de Marco ultimo.
Ao Dr. juiz municipal do term de Barreiros
De ordem do Exm. Sr. presidente da provincia
communico a V. S. que por falta de forca nao
podem por agora ser transferidos da cadeia desaa
villa para a Casa de Detenca oa sentenciadas de
que trata o seu oficio de 25 de Maio lindoCom-
municou-ae ao Dr. chete de policia.
Ao Sr. G. Leuiinger & Filhos, na corte
De ordem do Exm. Sr. presidente da provincia
aecnao recebida a carta de 29 de Abril ultimo com
a qual V. S. remetteu o conhecimento de um vo-
lume con tendo a collecco, constante da nota aqui
junta, de livroa destinadoa ao registro geral daa
hypothecas da cimarca de Tacaratu.
EXPEDIENTE DO Da 23 DB JCNHO DE 1887
Acto):
O presidenta da provincia, de conformidade
com a proposta do Dr. chete de policia, em oficio
n. 561, de hontem datado, reaulve exonerar a pe-
dido, a Joaquim Ermiro Admetto, do cargo de 1
supplente do subdelegado do diatricto de Lage
Grande, do terreo do Bonito. Communicou-se ao
Dr. chefe de polica.
Oficios :
Ao marechal de exorcito, ccnselheiro Viscon
de da Gavia, ajudante-general.Tranamitto a V.
Exc, em aatisfaco ao que aolicita em oficio circu-
lar da 4 de Maio findo, a inclusa relacao dos cffi-
ciaes honorarios do exercito, existentes nesta pro-
vincia.
Ao commandante daa armas.Autorioso V.
Exc, da accordo com a sua informaco de hontem,
aob n. _, a conceder baixa do aervico do exerci-
to, mediante aubstituico, ao cabo de eaquadra do
14 batalho do infantaria Joo Luiz.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenia.
Remetto a V. S. a relaco de objectoa embarcados
no navio Arminda, com destino ao at rvieo da cem-
panhia Recife Drainage, afim de aeren despacha
doa pela Alfandega, livrea do imposto provincial
de gyro.
Ao juii municipal e de orpbaos do termo do
Triumpho.De posse daa informacaa que acom-
panharam o oficio de Vmc, de 7 do corrente, re-
commendo-lhe que me remetta com urgencia certi-
do de idade do menor Pedro, pasaada pelo pano-
cho competente.
Ao juis commissario das trras publicas do
municipio do TriumphoSm soluco consulta que
me fei o Io auppiente do juii municipal dease term >
Joo Martina Vieira,em oficio i8daMarr;o ultimo
e qne deu lugar a informaco da Cmara Municipal
respectiva, qual se refere a prestada por Vmc.
em oficio de 27 de Maio, n- ata data declarei a
aquella supplente que determinados osdireitos.de
cada um dos poaauidores das (erras em commum,
por maio da competente aeco, jniicialmente po le-
rao tambem oa iutereasados evitar o eabulho de in
truaoa que pretendan, porventura estender aua
posse ttm doa limites da propriedade demarcada,
sendo qoe, em todo o caao negocio que deve Ber
resolvido conforme o direito e a juriaprudencia dos
tribunaes.
Outrosiin, em relaco ultima parte do aeu ci-
tado oficio de 27 de Maio, resDondo-lhe que deve
Vmc. aguardar a deciao do Exm. ministro d'Agri-
cultura, Commereio e Obras Punlicas, a quem esta
presidencia submetteu em 18 de Agosto do anno
passado, tal aasumpto, segando outro aeu oficio d-
15 do Julho do meamo anno.
Ao Sr. Joo Martina Vieira, 1 supplente do
juiz municipal do termo de Triumpho. Em solu-
co consulta de Vmc, em oficio de 8 de Margo
ultimo, referente ao tacto de haver o proprieta-
rio do sitio Retiro, pretendido apossar-se de trras
do sitio Bom Jess, de aua proprieiade, tando ata
boa easea aitios parte em terraa do extincto aldea-
mvnto, declaro-1 be que, determinados oa direitos
de cada um doa poaauidorea das trras em com-
mum por meio da competente aeco, judicialmente
podero tambem os interessadoa evitar o eabulho
de intruaoa que pretendam. porventura, eateoder
aua posae a!n doa limites da propriedade demar-
cada, eendo que em todo o caao, negocio que de
ve ser reaolvido conforme o direito e a jurisDru-
dencia doa tribunaea.
Ao fiscal da companhia R-cife Drainage.
Tendo providenciado hoje, de accordo com o oficio
de Vmc, de 11 do corrente, i vista de sua infor-
maco datada de 20, declaro-I he, para es fina con-
venientes, que as relacoes dos objectoa destinados
ao servioo desaa companhia Ihe devem ser por ella
apreseutadas para que verifique se taes objectoa
esto no caao da isenrto de impostes em viata do
contracto, emittindo 8eu parecer com o qual deve-
r a companhia intereasada requerer a esta preii-
deocia.
EIPEDIBKTE DO DB. 8ECBETBIO
Oficio :
Ao gerente da Companhia Pernambucaaa.
De ordem do Exm. Sr. presidente da provincia,
aecusa o recebimento do oficio,de hontem, no qual
V. S. participa qne tranaferio para hoje, a 2 ho-
ras da tarde a sahida do vapor Mandub para oa
portos do aul at Aracfcj, em conaequencia do mo
tempo.
Edital:
Por e?ta secretaria se communica a quem
interessar poasa que, segundo consta da aviso do
Ministerio da Guerra de 15 do corrente, foram ex-
pedidas as ni'cesaaria3 ordens para serem remetti-
dos para esta provincia o espado e o titulo de di-
vida do finad i 2o cadete 2o sargento do V> bata-
lho da artitharia a p A'fredo Hemeterio Ribeiro,
afim de s^rem entregues aaa mi Januaria Ca-
rolina dos Anjas, conforme pedio, devendo, p-irm,
correr por conta da intereasada aa deap'Zaa de
transporta, noa termoa da circular de 27 de No-
vembro de 1880.
EXPEDIISTB DO DIA 25 DE JCBHO DE 1887
Actoa: .
O presidente da provincia, tendo em vista oa
oficios do Thesouro Provincial, de 14 e 17 de Ju-
nbo corrente, relativos ao thesoureiro das loteras
com applicec/Io ao fundo de emancipaco e eJuca-
co de ingenuos d* Colonia Is bel, e
C.insi ier.a" lo qu- eate funcionario se recusa a
prestar contas da lotera de qua'ro mil con toa, que
nao extrahio, conaervando era seu poieros bilbetes
nao vendidos, e grande parte do producto dos j
venliJ ', sendo quj n'eata importancia existe co-
nhecido um desfalque de 232:687*9.:0, conforme o
officio-do Thesouro da 14 de Maio ultimo, n. 620,
alm do que se. ba de apurar afinal ;
Considerando que, sendo odia 14 do citadomex
de Maio o marcado para a extraeco que nao se
rffectuou, nt o presente o thesoureiro ii'o affix-ai
annuncio.', convidando os portadores da bilbetes a
receberem os respectivos valores, nem c nata meatnc
que de qualqu t modo est. ja cuidando deasa ia-
demnisaco a que obrigado ;
Cootiderando que o Thcseur sent se sem meios
coercitivos para chamar aquelle empregado ao
cumprimento da seu dever. por isso que, tando re-
querido e obtido da antordade indiciara mandado
de priao administrativa contra elle, na forma doa
arta. 27 a 291 do regulamento de 2 de Julho de
1879 e decr. to geral n. 657 de 5 de Deiembro de
1849, o Tribunal da Relaco. por accordo de 27
de Maio, a requerimento do thesoureiro, conceden-
Ibe habeas-corput pleno, e jalgou Ilegal que se o
conatrangease por estes tactos ; declarando na
ser o mesmo funecionario do pessoal e serv go do
Thesouro, nem ptMico o d nhero sob a S'ia guarda,
visto como k pode ser assim considerado o dinheiro
que se arrecada para occorrer s despezas necetsa-
ras exstenc.a d > Estado e qne pelo contr bu'nte i
pago obr' galanamente, e porforga da lei; e dep da,
por accordo de 23 do norrente, dei jando de tomar
c nhecunento do aggravo interpoato pele procura-
dor doa Feitos do despacho do juiz que mandoe
ficar sem effeito o sequestro requerido nos bens de
thesoureiro;
Considerando que, neetas condicoes, desligndo-
le o empregado de obrigacoes qne Ibe sao impostas
por lei a regulamentos, nao poda a adminintraco
de'xar que continu o mesmo ou fanceoes e van-
tagens do emprego ;
Reaolve, na conformidade do art. 17, com refe-
rencias aos arta. 14 a 16 do regulamento de 4 de
Novembro do anno passado, suspender, diacplinar
e adminiatmtivamentu o tneaoureiro das lotera*
extraordinarias da provincia, tenente-coronel Fran-
cisco Goiivalves Torrea, at que preste conta
doa valorea confiados aua gnarda, reatitna s
cuato do8 bilbetes aoa portad orea, recolta ao The-
souro as importancias nao reclamadas e oa buh-
te que ficar m pur vender, urna vez qua sua
demisso nao pode ter lugir seno por fraude,
provad.< em juizo. no exercicio do emprego, por
forca da lei n. 1832, de 28 de Julho de 1881
que deu-Ihe o carcter de funecionario publiec
vitalizo.
Remetta-se copia deste acto ao Thesouro Pro-
vincial para qne tenba a devida execuco, e ao 1'
promotor publico da comarca da capital, acompa-
nhado trmbera de copias dos oficios do Thesouro,
para que promova contra o referido empregado a
aeco criminal que no caso couber. Remetteu-se
copia ao inapector do Tbeaouro Provincial e ao 1*
promotor publico da capital.
O presidente da provincia reaolve, de con-
formidade com a proposta do Dr. cbefe de palien
em i fficio n. 565, de 23 do corrente mez, nomear
o cidada Herminio Laurentino de Andrade para
exercer o cargo de 3 supplente do de'egado d
termo de Ip juca, em substituico de Theotoni*
da Silva Vieira, que nao acceitou a nomeaco an-
teriormente f.-ita.
O presidente da proviicia tendo em vista e
oficio de 5 de Maio ultim ?ob n. 103,' em qne
engenbeiro chefe da repartidlo das Obras Publicas.
solicita, como propaz r. entao engenbeiro d? 2* dia-
tricto da mesma repartico, Joaquim Galeno C -
lbe, a nutovisHcao de auras aciescidas na ponte
de Parto de Padras em S'rinhem na importancia
de 741*774, segundo o oficio de 14 de Abril, aliar
daa primitivas, oa de 2:300* aatorisadaa em Ju.rs
de 1S85 e daa aupplementares, igualmi nte auton-
aadaa em Novembro do dito anno, na ''8 2:310*,
tendo envido o inapector do Tn-souro Provincial,
quer ucerca do citado oficio de 5 de Maio, qar
sobra a de-peza presentalla pelo eogenheiro da
- diatricto no cfficio de 16 Jesae mesmo mei,
c naideraado:
Io que, sendo as ebras primitivas e aa supple-
mentarea confr-.ctad*s c>m Affana) de Alboqaec-
que Maranho, eate nada havia feito at Fevreiai
de 1886, data da reaciso do contracto, tendo aliii
recebido a prime ra prestaco da i bra, ua iai-
portankia de 1:170*, j deduzida a respousabili
dade do tstylo, em virtude do certificado pasaada
pelo engenbeiro cbefe como consequencia das ia-
forinj[5>'5 que pelo engenbeiro Galeno Ihe torea
prestadas ;
2 que, em 15 de Margo de 1886, foi conaidetav
rfa sem rfteito a reaciso do contracto marcando-as
o praso de quatro mezes para a conclusao m
obras, e que, pao obstarte, o coutractante nada -
era, pelo que foi nrienada mva reaciso em 2 ie
Agoato aeguinte ;
3o que, aendo nesaa mesma data autoriaade
contracto Jas ebras com Nicas da Silva Guarn*,
por proposta do engenbe'ro do 2o eistricto S-
cou tem i rf'ito a auturisaco, mandando-se era 14
qoo fossem el'aa contractadaa com o coronel ol-
guel Tolentino Pirca Falco, tambem por propcftt
sua, e que > "!'imo contractante fra autoria*4#
em 18 de M.u yo.ultimo, o pagamento da aegiiuit
prestaco, na importaocia de 1:170*, ficande aa-
sim consideradas liquidadaa as obras prnni'ivas
i." qne, no oficio de 21 da Julho de 1886 ya*
occasio de propor a segunda reaciso com Mara-
uho propuzera o engeaheiro Galeno, ae ainda ab
eati vase teno, a auapenao do pagamenio da pr-
aaira proataeao, aut .risada aeis meies antea, al-
legando que o contractante durante a proroga^*
de quatro mesea nada tisera e abandonara oa tea-
balboa ;
5." que, ao ser determinada a segunda reec'tata
em 1 de Ago8to de 1886, nao se tratou da auapea-
ao pedida quanto a eaae pagamento, d'onde de*e-
ria elle concluir que nada a; havia quanto a ian
providenciado ou, ae nao, pedir instrucces awi-
peito;
6.- que, ai o coutractante Maranho naden,
sem que Ihe p>-rtenceaaem, ao contractante F-.leb
oa materiaes quese achavam aajp da obra, fuiaar
consenso do mesmo enge.-ibeiro Galena coma a*
verifica de aeus < fficies de 16 Agosto, 8 de Noveav-
oro e 17 de Dczembro do anuo passado ;
7.a finalmente, quea iazenda pnviuciai nao dea
aer onerada com encargos resultantes doa traW
Iboa e materiaes a que ae referem oa officka 4a
dito eegeuheiro Galeno, de 1 e 14 de Abril waj
anno, viatoqae foram inc'uidosna importaneta-fa
r

I
riiD
-V


2
Diario de Pernambuco---Domingo 24 de Julho de 1887
yraeirs prestaco, cojo pagamento fai autorisa-
4o em 13 de Janeire de 1886 ;
Resolve autorisar, na ponte de Porto de Pedraa
eeerescimo de obre e materiaes na importan-
eia de 741*774, conRanaa o citado oficie de 14 de
Abril, correndo por eoot da provincia a deipesa
de 239*961, e ficando o engenheiro Galeno rei-
ponsavel para com qnem ror le direito pela de
001*813Remetten-ee copia ao inpector do The-
acnro Pravincial e ao engenheiro chefe da Re-
partico daa brat Publici.s.
Oficios :
Ao Dr. chefe de peciaChamando .a eeten-
(So de V. 8. para os aaaaltos propriadadt, aeom-t
panhadoi de violencia*, de qsra est o dand noti-
eias, repetidas vezes, oa jornmea ; recommenB-lhe
muito especialmente o maior eidado sobre o-modo
pelo qual deve a gualda cvica tasar o paieia-.
ment da capital.
Da boa distribuicao da imfo que, de orden* incluso pedtd# de aedic*snea>toa,
de V. 8., cabe ao comnaadeae* desempenhar por
ieio de seus auxiliares de districtos, depende a
efficacia das randas e vigilancias a cargo daqnella
guarda.
E' preciso que os cominandantes geral e par-
ejees desenvolvam grande actividade ne desem-
peuho de suas func^oes.
E, contando V. 8. com todo o mea apoio para
este importante ramo do ser vico publico, pode so-
licita* aa medidas qne a experiencia e conh ei-
bmuLo do pessool o aeonseUiarem, certo de que
serio ellas promptameote tomadas em tudo quanto
depender da administrado.
Ao inspector da Thesouraria de Faaeuda.
Couraunico a V. S., para oa fina convenientes,
qne no dia 23 do earreote, o juis municipal e ae
crpfcios do termo de Floresta, bacbarel Jo-
Mauricio Berges Jnior entrou no goso da licenca
de inezea, concedida pete Ministerio d&Justica
em 3, drste isez.
Ao mesmo.Commuaico a V. S., para os
fins-eenvenientea, que, no da 1 do carrate, o
pramotor publico da comarca do Buiqae, bacbarel
Jos-da Costa Dourado reaasumio o exercicio de
sei cargo, renunciando o resto da Harnea qne Lhe
eco-di esa 14 de Marco ultimo.
Ao mesmo.Remetto a V. S., para os devL-
doa i ffeitoa, copia do avisu do Ministerio da Ma-
rinas, de 14 io corrate, n. 823, relativo con
ceaeao de augmento de crditos para diversas
ve reas do actual exercicio.
Ao inspector do Thesouro Provincial.
Queira in/uruiar-me ai existem vagas de etnpre-
gosinesaa repart cao e quaes ellas sajam, no caso
afirmativo.
Ao mesmo.Por oficio de 31 de Maio ulti-
mo, eata presidencia autorisou Vmc. a mandar
indeawiswr o Ministerio da Guerra da quaatia de
789*300, importancia de 30 mosquetdes com sa-
br, 30 bandoleras 60 bainhas de sola appare
Ibadas de latan, que pelo Arsenal de Guerra foram
feneecidos Guarda Cvica
Aobando-se compreheudida na referida quantia
a de 132*000, proveniente das ditas bainbas, cujo
abri foi contractado com Antonio Perciliaoo de
Burros Marinho, mande Vmc. pagal-a ao mesmo
Antonio Perciliano, procedendo quanto ae mais.
aoa termas do citado oficio de 31 de Maio. -
Cammumcou-se Tbesouraria de Fazenda.
= Ao mesmo.Chamo a attenco de Vtr.c. so-
bre as contribuicoes da Recife Drainage Com-
pauv > a qne esto obrigados es proprieUrioe,
cojo atraso sendo supprido por coota da caixa de
crditos especules e por meio de emprestimo, dif-
iculta a regularade do orcamento de receita e
desposa da provincia de modo que e preciso, tanto
quanto poasive], evitar taee.iueonvenientea.
Mira isto deve Vmc. organisar um servico
especial, sujeito mxima fiscalisacao, pois a di-
vida- deesee eontribuintes que j se eleva a cerca
de mil contos, ter de ir crescendo cada vez mais
SC nao fwretn tomadas providencia no sentido de
xoeiborar a arrecadacao.
Ao commandaate do cerpo de polica. Man-
de .Vmc. augmentar com 4 pracas o destacamento
de Barreiros, conforme solicita o Dr, ebefe de po-
lica em oficio n. 558, de 22 do correte.G un-
xunicou se ao Dr. chefe de polica.
Ao mesm >.Ao Dr. chefe di polica mande
Vmc. apres-ntar ama furea suficiente, afim de es-
collar da eadeia de Gamelieira para a Casa de
Detenco 5 criminosos, solicitando previamente os
oupetentes paases na secretaria desta presiden-
cia.Communicou-sc ao Dr. chefe de polica.
Portara:
Declaro Cmara Municipal do Altioho qne
Scam approv&das as arrematado s dos impost a
listantes do termo annexo aos seus odicios de 20
de Maio findoe 7 do torrente miz.
EXPED1KKTE DO DB. SECBEIABIO
Oficios:
Ao commandante das armas.De ordem do
Exm. Sr. presiiente da provincia communic a V.
tic, para os lins convenientes e em resposta ao
sen ifficio n 328, de 21 do corrent*, que a The-
sonraria de Fast-nda est autorisada a satisfazer o
j*dido;de medicsmmtcs, que acompanhou o citado
oficio.
Ao agente da Companhia Brasileira de Na-
regacao.De ordem do Exm. 8r. presiiente da
provincia aecuso o recebimento do oficio de hon-
tem. uo qual V. Exc. pirticipou que o vapor Ma-
taos chegou dos portos do norte e 8 horas da ina
nbi. e seguir jara os do su I bije s 4 horas da
larde.
Acs membroa da junta ro> dica provincial -
De ordem do Exm. Sr. presidente da provincia
sirvam-se V'v. Ss. de devolver a esta tecrctaria o
requerimento documentado, em que o engenheiro
irt pao das Obras Publicas, Joaquim Ga-
leno Co'lho, requeren aposentadoria.
EXPEDIENTE DO DA 27 DB JC1S110 nJ 1887
Actos :
O presidente da provincia, ttendendo ao
qne requereu o Dr. Ignacio **e Barros Barreto,
inspector da Aitaudega, resolve conceder-lhe 60
dias de licenca com os vencimentoa a que tivcr
direito, afim ae tratar de sua saude.
O presidente a provincia, attendendo ao
requereu o tenente-coronel commadante do
85* batalbo de iniantaria da guarda nacional
das comarcas ae Olioda e Iguarass, Jos Ma
noel Correia de Barros, e tendo em vista o attes-
tadu medico que xhibio, resolve conceder ao pe-
ticionario 6 mezes de licencn para tratar de sua
ande fra da provincia.
O presidente da provincia, de conformidad*1
aam a proposta do Dr. chete de polica, em officio
a. f>7 io corrente m-'z, resolve exonerar
ao alferes Ignacio Vespasiauo Augusto Ferrera
do cirgo de delegado da termo de Correntes, e
noin ar pira substituii-o ao cidido Man I Mar-
qaea d-1 Ol.veira. Commuuieou-su ao Dr. chefe
e polica.
O presidente da provincia, fondo em vista a
yrop'osta do Dr. chefe de polica i in oficio n. 570,
le 25 do correne mez, resolve non.'ar para o lu-
gar vago de 2 supplente do subdelegido do 1*
cistrico do termo de Correntes ao cidado Jeoda
toA'Ji-'U'to Melio ; e para os de subdelegido e
1* supplente do districto de E>oyzdio do' mesmo
>rmo, na ordem em que esto coliocados, os ci-
dad'is Viceute Ferrera de Souza e Lino Evan-
ita djs Res, em substtuicao de Iz ai Pires
de Crvaiho e Antonio Teix ira de Carvalbo, que
fieain exonerados.Commuuicou-se ao Dr. chefe
de polica.
O presidente da pro/incoa, de cout'ormllade
som a proposta do Dr. chefe de palcia em oficio
a. 569. da ~b do corrente mez, reailve nomer pi-
ra o lugar de 2 supplente do subdelegado do 2
districto da freguezia da Boa-Vista desta cidade
ao cidado Manocl X-ivier Carneiro Campello, em
gubstituico de Jos Aives'Barbosa, que passou
a 1* suppleot". Communicou-se ao Dr. chefe de
ia.
Oficios :
Ao commandante das armas. Je accordo
eom a informaco n 333, de 23 do corrente, au-
icnso V. Exc. a conceder baixa do servico do
exercito, mediante aubstituicao, ao soldado do 2
o .talbio de infantaria Mane-1 Simo da Cruz.
__ Ao mesmo.Tendo, por despacho de boje,
dofrido o requerimento sobre qne versa a iutor-
macae d'esse coma an Jo de armas, de 20 do cor-
rete, sob n 323, e em que o major aggr gado a
sima de ca valla na Jos Joaquim Coelho, pede ser
adrado para o vapor de 4 de Julho vindouro o
sen embarque para a corte ; aasim o declaro a V.
Exc. para sea eonheetmento e devidos fina.
__Ao Df. chefe de polica.Sao convindo pro-
seder-se aos repar-s da osa que serve de eadeia
st> Jabaatio, nao s por nao ser proprio provio
;ial. como porque /,pela cordeaco da respectiva
caaaara municpil lera de ser demolida, como in-
forma a Repartic&o das Obras Publicas, declaro
a V. 8., em. r*aposta ao seu oficio de 16 de Abril
ultimo, sob n. 367, que convm ser quanto antea
alagada outra casa, que sirva quelle mister,
reacindiudo ae o contracto d aquella sem onus pa-
ra a faseada provincial, como opina o inspector
do Thesooro Provincial. Commnnicou-ae ao ins-
aootor do Thes-uro Pr*vincial.
Ao mesmo.Para os fina convenientes trans-
mitto V. 8. o incluso oficio, por copia, sob n.
28)*, de 20 do corrente, em que o provedor da Sin-
ta Casa de Misericordia do Recife representa no
sentido de nao continuar a polica a remetter tn
termos para o hospicio de alienados, pelos motivoa
expostos no citado oficio.
A' Tbesouraria de Faaenda. Restituindc a
incl usa proposta que em seatio da junta d'easa
TI escurara de 22 deste mea foi apresentada pi-
ra o forneciment > f!e artigos de expediente para
o Arsenal de Guerra aepaahou c oxleio d'ea-
aa iaepactoria, a> 2Ao coi unes, sob n. 392, de-
clara iV.S, par a devtdea fins, qua Cea np-
yniva o a ata la laiaama justa aci'nitdo dita
propataa, visto aar wmUjuam em psc> aos in *
reesea-da fazgadaaaaisnal.
A' me ama.Oa conformidade coas a infi*
maco d'esaa Theaeararia da 36 de Maio findo,
sob a. 311, autonso V. 8. a mandar satisfazer e
anos a
aa* eommai-
phunaacia mil*
dantj das armas.
A' mesma.Para o fina convenientes, com
mmico a V. 8. que no dia 11 de Maio proxisio
findo o bacbarel Antooio Minervino de Moura
8oarea reaasumio o exercicio do cargo de promo-
tor publico da comarca de Panellas, conforme
participou-rae o respectivo juii de direito em of-
ficio da mesma data.
A' mesma.Sirva-se V. 8. de mandar pagar
asa inttrressados os valores doa 3 escravos coca-
tantee da relacao junta, libertados no termo de
Boin Consclho por conta da 7* quota de fundo de
cuiiuaipico, proeedendo-se qeaoto aos dona ul-
timoe ao proeesso do> art. 44 do regulamento n.
5135, de 13 de Novembro de 1872.
Outro sim, constando do ofitoio que dirigio-tne
o respectivo juia d* orphos em 16 do corrents,
qu o actual col lector nega-se a apresentar-lhe os
livros da antiga matricula, aem autoriaaeo d'ej-
sa Thesouraria, airva-se V. 8. de providenciar a
respeito, determiuaudo que o dito coliector con-
pari'ca as diligencias do juis, pois tratase do cn-
ine de eseravisar-se peaaoa liberta, pela le.
Coicmuuicou ee aojuiz municipal ote Bora Conss-
Ihoi
A' uaesma.De poaae da informaca por V.
8. prestada em oficio de 11 do corrente, sob n-
353, acerca de diversos escravos matriculado! no
municipio da Victoria, deelaro-lhe que cumpre se-
rem pelo respectivo collsetur geral satisfeitus
quanto antea as exigencias comidas no offic o
d'eeta presidencia, de 23 de Maio ultimo, quan'n
aos escravos Antonio Basilio e Valentn.
Cumpte outro sim que o dito coliector, ouvinc o
o respectivo viga rio informe sobre a divergeacia
de nome de Martinho e Deodata, dosquaes o pr -
meiro na inforsoaco do referido vigario tem o
sexo femenino e o segunda o sexo masculino.
Ao Dr. Joaquim Correia de OKveira Au-
drode, presdeme do Tribunal do Jery Bogo a
V. 8. qne, por conveniencia do servioo publico je
sirva dispensar dos trabalhos da actual seaso do
jury o oficial maior desta secretaria Emiliano
Ernesto do Mello Tamborito.
Ao Sr. Alfonso Gondret, cnsul da Dina-
marca.Aecuso recebi-lo o uficto de 25 do eo'
rente em que o Sr. Alfonso Gondret, cinsul da
Dinamarca me participa que tendo de fazer ma
viagem ao Rio de Janeiro, ficar encarregado da
geeto do respective consulado o Sr. Jos dr L -
vrumento, consnl da Austria e Hungra.
Em resposta declaro ao Sr. Alfonso Gondret
que tico inteirado de semelbante oceurrencia, da
qual passo dar sciencia s estaco -s competente!.
Kenovo ao 8r Affonso Gondret os protestos
de miiiha perfeita estima e consideracio. Fizc-
ram-se as communicacoea doestylo.
Ao commandanre superior da guarda nacio-
nal das comarcas do Benito e Bczerros Pea
oficio de 17 do corrente, fico inteirado de ha ver
V. 8. aasumido na mesma data o cjrain indo su
perior da guarda nacional das comarcas de Bonito
B 'zerroa em conseqoencia de ter tomado pesse
do cargo de jeiz mnuicipal e de orphos do termo
do Bonit, o bacbarel Sebastiao 'Ildefonso do Reg
Barros.
Ao comm: ndante interino da escola deapren-
dizts marinbeiros. -A" vista do resultado da con-
currencia para o fornecimento de fardamento e
calcado 4 esco'a de apnnlizes mannheiros, sob
seu caminando, a que se refere o oficio-n. 335, de
27 de Abril ultimo, declarou o Exm. 8r. ministio
da marinba, em aviso de 16 do correte, sob n.
846 que convm consultar sos actuaos fornecedo-
ree se annuem prorogseao de seu contracto, du-
rante o Bimestre vindouro, aceitando-se na nega-
tiva a proposta inclusa preferid pelo conselho de
compras na alludida concurrencia, com exelus.o
das macas e taceos de lona que sero manufactu-
rados na escola e dos corchoes que se remetteriio
da intendencia.
O que faco eonstar a Vmc. para seu coobeci
meuto e dvidos effeitos.
Ao promotor publico da comarca de Boin
Conselho.Remetto a Vmc, por co- ia, a parrara
do juiz municipal e de orphos desae termo, data-
da Je 11 do corrente, e a competente certido, o
auto de perguntas feitas a Benedicto e a justifica-
cae por este promovida por sen curador, afim t!e
qu.' proetda Vmc. s diligencias que couberen
acerca do tacto dt havtr ae rtduzdb a escravid.o
o dita Benedicto, liberto pela lei n. 3,270, de 58
de 8etembro de 1885.
Ao director do presidio de Fernando.Decla-
ro fc Vmc, psra seu conhecimento, que o assuoop'o
de aeu iffi-d n. 858, de 18 do corrente, -.Mnente
a eparoa Oa fortaleza des Remedios, j foi sul>-
mettido cousideraco do ministerio da guerri,
em virtude de n quisicao dtssa directora, constan-
te de oficio de 15 de Abril ultimo, seb n. 169, cam-
pando, pertanto, aguardar a decs io que houvi.-r
de dar a respeito o referido ministerio.
Ao director geral das obras publicaaArDa
inf<>rmaco prest da por Vmc no oficio den do
corrente, sob n 123 sobre o que expoz o juiz de di-
reito interino da comarca de '"aruar, \se que o
contractante das obras da respectiva eadeia ten
direito ao pagamento da quantia de 1:476*337.
Segundo a nota ann> xa.ao seu dito offi^io, o mes-
mo juiz de di re'o merino, fis-al da oora, autoii-
eoii o accrescimo de 36* e supprimio a despeza le
34(5400, ficando assim o accrescimo concedido jur
eaia presidencia em 15 de Marco, elevado a.....
30^*800. e as cbiaa cuja anppressao foi detern i-
ua la na meema data, redunda a 1:050*173.
A' vista dieto accreacenta Vmc, que mandn
lavrar termo de recebimento prov8orio da obra da
reparos, e'passar a favor do contractante certifica-
do de pagamento da importancia de 1:426*337.
Ficam appr. vadas as providenciis tomadas pir
aquella autoni.iie.
Portaras:
O Sr. agente da Companhia Brasileira faja
transportar Parahybs, par conta do Ministeiio
da Guerra, o soldado da companhia de infantaria
d'aquella provincia, Ji o Evangelista dos Sautos,
qu do 14 bataih da mesma arma, Joaquim Gon-
valves Valcacer. Communicou-se ao comma-
dante das armas. sj
O Pr. ugnte da Cempanhia Brasileira faca
transportar ao Para, por conta do Minsterio la
Mariuha, o imperial mariuheiro pertenceute
guarnico da canhoneira Guaran/, estacinala
u'aquella provincia, Manoel oes dos Santos, que
ae achava em tratamento na nf.-rm .ria do Arte-
nal de Mariuha desta provincia. Cummunicou se
ao insp-ctor do \rseuai de Mniulia.
Faco constar Camar.. Municipal de Bem
Conseibo, que o Exm. Sr. ministro e secretario i
Estaao dos N-gocios do Imperio, c.mmunieo--me
por aviao u. 2,145, de 16 do coi rente mez, ter sido
surtentado o dcspa.ho pelo qual esta presidencia
ue gou provimeuto ao recurso interpoato ; or J o
Pereira do Nascimeuto, da deciso aa m-ama Ci-
mata, prohibii.do que sejam assentadas dentro da
villa machinaa movidas por vapor para deecarocar
alt;odo.
EXPBDIEaTB DO DR. SECBZTABI3
Oficios;
Exm. Sr. presidente la provincia manda que V. B.
informe a que pretexto se acha nesta capital o al-
feres da b* companhia do corpo sob seu comman-
do, Jos Mendes da Silva, sendo elle subdelegado
do 2* districto de Ipojuca.
Ao agente da Companhia Bahiana___De or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia, aecuso
o recebimanto do oficio de boje, em que V. 8. par-
ticipa que o vapor Quahy, chegou hontem da Ba-
ha e escala e regressar no da 30 do corrente, s
4 horas da tarde.
Ao gerente da Campanbia Pernambacana.
De ordem do Exm. Sr. presidente da provincia,
ocaso o recebimento do oficio da 25 do corrente,
ao qual V. 8. partteiaatque o vapor Giquia, se-
guir par a. os portas da Rio Formo* e Tamandor
ao amaubeesrdo diaiSO.
leitores pela publicaoio das comiounicacoes, que Falle jera a 15 o abastado lavrador
temos recebido. capitSo Jos Joaquim Vianna, cavalheiro
Por mais extraordinarias qne parecam ai cir distincto, que por seus nobres sentimentos
DEUUCH08 IM PRES1DBBC1A, DO DIA 22 D*
jci.ao de 1887
Teen te Antonio Jos Qongalves Pires
Perreira.Remettido ao Sr. inspector do
Tbesouro Provincial para mandar pagar,
de accordo com a sua informacSo n. 717
de 12 do corrente.
Antonio Groncafvea dw Aitrrwro.Hrnr,
em vista da inforriiacSo do fiscal.
Anna Maria da CunceigSo Ncpomuceno.
Apostifie-se.
Companhia The Qreat Western of Bra-
sil'Companhia Limited. Inforne o Sr.
inspector da Tbesouraria de Fazenda.
Clodoaldo Auslheu da Costa Poreira.
Apostille-so.
Camilla do Carmo Torres. Sioa.
FielJen Brothers. Romettiioao Sr ins-
pector do Thesouro Provincial par man-
dar effjctuar o pagamento, nos termos da
sua informadlo n. 728 de 14 do corrente:
O mesmo. Remettilo ao Sr. inspector
io Thesouro Provincial para candar pa-
gar, de accordo oom sua informarlo de
13 deste mea, a. 722.
Henrique Dias de Farias.Deferido com
officie de hoje ao Thesouro Provincial.
Bacharel Helvecio de Carvalho Gomes
(oruinara-s. Deferido com offi-io de hoje
Thesouraria de Fazenda.
Imperial Sociedade dos Artistas Mcha-
meos e Liberaes. Sim, na forma da lei
n. 129, de 2 de Maio de 1844.
Jos Francisco Pereira. Informe o Sr
juiz de direito da comarca de Bezerros.
Jos Alves do Prado. Pague-se, em
termos.
Luiz Gonzaga de Menezes. Apostil-
le-si.
Maria Auta de Jess Campello.Sim,
sendo um mez com ordenado por inteiro e
ious por metade.
Maria Cavalcante de Albuquerque Ro-
cha. Sim, com ordenado.
Bacharel Sebaetiao Ildefonso do Reg
Barros. Ao Sr. inspector dn Thesouraria
de Fazenda para os fina convenientes.
Severino Aleixo de Vasconcellos. Dse
certido ao offieio n. 318, de 20 do cor-
reate mez, do juiz substituto do 2' distric-
to criminal da comarca do Rocife.
Ulysses Floriano do Reg Barreto, Re I \
mettido ao Sr. director do Arsenal de Guer-
ra para mandar attender, nao ha vendo in-
conveniente.
Vctor Neesen. Informe o Sr. inpector
da Thesouraria de Fazenda.
Secretaria da Presiden ^ia de Pernara-
buccr, 23 de Julho de 1887.
O porteiro,
F. Chacn.
cumsfancias, que levaram o conselheiro Baro de
Mamar a retirar-se do ministerio, solicitando e
conseguindo a sua exoneraco de ministro do im-
perio, nenhuma apreciarlo nos cabe faser na au-
sencia de dados minuciosos e seguros acerca do
que se passou no Senado na occa io em que o ex-
ministro se oecupava de negocios referentes sua
pasta.
A retirada.do conselheiro Baro de Mamor deu
"Pportunieoa ao conselheiro Manoel do Naae-
mento Machado Portella de Mceder a* coavste e
eonsequeusa aameaco para eaej; de minias* e
secretario de estado dos negocios do imperio.
Deputadopelo !. districto desta provincia, onde
este nesso distincto comprovinciano conta since-
ras adhesoes, demonstradas em diversos certamens
polticos de que tem sabido sempre triumphante,
deve encontrar decidido apoio da parte do partido
conservador, de que membro presttmoso e dos
seus numerosos amigos que apreciara o seu mrito
e os constantes servaos, prestados causa pu-
blica. *
Osadsr afeito s latas da trbuaa, juriscon-
sulto, que hoarou durante mais de vintc annos a
cadrimds mestre na noaaa FaeuM-tde de Direito,
administrador consciente e inspirado pela bem pu-
olico, conhecedor doa negocios politic js e sociaes
do psis, cojo estudo tem-lhe merecido particular
atlencSo, S. Exc. conta, portanto, elevadas habil
taeoeaparaoccupsr o alto cargo, que foi-lhe con-
fiado, com grande pi oveito-para o pas e especial-
mente para esta provincia.
Os honrosos precedentes, que a. sua vida poli
tica denuncia, podem agpra ser invoca ros, como
garanta do disvello e p itriotiamo, que, esperamos,
8- Exc.ampregara u > arduo desempenho da gran-
diosa misado de que se cha investido.
8e estas sao as nosaas esperanzas, se, como
v-as, tuda induz-nos a ter inteira confianca no
diatmets -parnambucauo, que boje se acha collo-
cad entre os ministros d* card, resta somante
que S. Exc. com o tiuo, molerla), talenti e pa-
triotismo, que Ihe recoaheoemas, nos. habilite pelos
sea acto* uo goveroo a assegarar com prova
do factia incontestaves, que as n issas proviso'* e
bein fundadas esperanzas se oonverteram em com-
pleta realidadu, hinraudo assim a sua provincia e
a confianca do partido conservador, que o apoia e
sustenta.
E' o que esperamos e aguardim js do novo mi-
Bistro do imperio.
PepartlfSo da Polica
2" secjSo.N 639.Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 23 de Julho de 1887.
lllm. e Exm. Sr. -Participo a V. Exc.
que toram hontem recolhidos Cas de
Detengo os seguint s individuos:
A' minha ordeo, Seraphim Valeriano
Franeisc i da Cunba, Jos Avelina do
Re6 por disturbies, e Joaquim dos Reis
ou Juo DamiSo, cmo pronunciado no art.
193 do Cod. Crim. do termo de Alagoa
Nova, na provincia da Parahybado Norte.
A' ordem do subdelegado da freguezia
do Recife, Silvano Xavier dos Santos,
como vagabundo e turbulento.
Hontem as 7 1|2 horas da noute preci-
pitou-8 do 2o andar do predio n. 48, da
ra do Barao da Victoria, da freguezia de
Santo Antonio, onde reside o cidado Jos
Francisco Carneiro, o subdito italiano Do
mingos Ro8si, que all se achava em tra-
tamento por estar soffrendo de sua i f acui-
dades mentaes.
Da queda resultou quebrar um braco e
urna das pernas, alm de outros ferimen
tos
Ao lugar do accidente compareceu o
commandante da 1' estacSo da Guarda
Cvica, que f*z transportar a off-ndido
pura o hospital Pedro II, acontecendo fal
lecer elle antes de chegar quelle estabe-
lecimento. O cadver foi conduzido para
a matriz de Santo Antonio, onde compa
receu o Dr. delegado do Io districto acom-
panhaoo do Dr. Jos Joaquim de Souza,
que procedeu a vistoria.
Ao amanhecer de hontem foi roubada a
taverna a ra de Marcilio Dias n. 23,
pertencente a Manoel Fernandos Mascare-
nhas.
(>s ladros fizeram um buraco por meio
de pa em um i das portas, e conseguirn)
pela abertura tirar a tranca que a fechava,
e assim introduziram se no estabelecimen-
to, don je levar*m cer^-a de 70($ em, di-
nheiro e gneros, clculando-se o roubo em
2000. O Dr. delegado do Io districto to-
mn conhecimento io facto, e procede a
respeito nos termos da lei.
Deus guardea V Ex .lllm. e Exm.
Sr. Dr. Pedro Vicente de Azsvedo, muito
digno presidente da provincia.chete
de polica, Antonio Domingos Pinto
noticia* do \orte
O paquete nacional Para foi portador
das seguiates noticias.:
Imamnao
Datas at 12 do Juilu.
Foi solemnisado em Manos o dta
10 de julho, [anniversatio da redempcao
a provincia do Amazonas.
A presidencia da provincia designou
o dia 10 de Outubro prximo, para ter lu
gar a efeic&o de depurados provinciaas nos
dois districtos eleitoraes.
m
Datas at 16 de Julho.
Continuava a gnssar com intensiade a
bsriberi e a varila.
Effe':tuara-8e no dia 14 s 8 lj2 ho-
ras da noke no elegante salilo do Gremio
Litterario Portuguez um grande sarao lit-
terario, presidido pelo Sr. Dr. Sant'Anna
Nery, amis sympathiea individualidade
litt erara e que representa a Amazonia,
em Pars.
Achavam-se presentes muitas pessoas
gradas e quasi todos os j.irnaiiatas e litte-
ratos.
Leram bellos trabalhos litterarios, que
foram calorosamente applaudids, os Srs.
e fina educaco foi sempre credor de geral
estima, no MaranhSo como na Europa onde
residi pot amitos annos.
Plaaby
Datas at 7 de Julho ;
Assumio no dia 6 a administradlo
da provincia o Dr. Francisco Jos Vivei-
roa de Castro.
Cear*
Datas at 19 de Julho :
Funocionara a- assembla legislativa
provincial.
A 18 do corrente, penco antes do meio
dia, finou-se no collegio da Coaceiclo a
irmS de caridade Margarida Baset, con-
tando 64 annos de idade.
Foi ella qnem inaugurou, em 1865, o
collegio de orphas e pensionistas da capi-
tal, sob a invocac2o da Immaculada (]on-
ceifSo.
Era natural da cidade de Tarbea, Fran-
9a, e descenda de urna importante fa
mi lia.
Na avancada idade de 82 annos fi-
noa-se em Sobral no dia 27 de Junho a
respeitavel matrona D. Umbelina Gomes
Prente, viuva do capito Ignacio Gomes
Prente.
Na mesma cidade rsndeu na dia 5 deste
mez a alma ao Creador, a Mx oa, Sr. D.
Isabel J. de Miraada e Silva, virtuosa
espos do commeodador Joo Thoui da
Silvi.
No dia 15 do corrente finou-se na
cidade do Aracaty o respeitavel anciao
Dolphtn Gurgel do Amaral, contando 76
Hunos de idade
No da 85 pela manhS, andando u
pequeo Jorge, filho do Sr. Augusto Ray-
rnunno Pereira, morador ra do Senador
Pompeu, n. 192, a brin ar.com um pspa-
gaio de papel, cabio de costas no aaciin-
b3o do quintal da dita casa.
Foram b Ha las tedas as tentativas que
a criada fez para salvar a inditosa crian
ja; sendo retir ..da do pic> ainia respi-
rar, morreu pouoo d ;pois-
Jorge coutava apenas 7 annos da id d'.
!<> t-ramle do \ irte
Datas at 21 de Julho:
As noticias desta proviacia coustam carta de nusso correspondente, sob a ru-
brica lnterv/r.
fratiylia
Datas at 22 de Julho :
Por portaras do presidente da pro
virwia .Ora nameado director da iustruecao
publica o Dr. Paulo CavHl:anta P-ss > de
Licenia, que j exerceu essa cargo inte-
rinamento.
A livraria dos Srs, Arantes & C foi
a 8mana passada vistala pelos gatunos,
q09 levaram 455;J em dinheiro e 20 em
perfumaras.
Os taes hroes escolheram para a sua
empreza a noite de 13 do corrento, quan-
do em casa do Sr. Ferrera Barbosa, pro-
vima livran Arantes, havia um baile,
qu' toi muito concorrdo.
INTERIOR
de
18
Correspondencia do litarlo
Pernamboeo
RIO GRANDE DO NORTEnatal
de Julho de 1887
Pelo paqu te P'rnambaco, que toeou neate porto
a 3dw carrease, mviaesos cm de coatwae a
nosaa carta miasiva, que parece nao ter che_,aio
seu destino, porque nao a vimos publicada no
Diario de 6, e nao sabemos a que atribuir esta
falta, aendo possivel que tenba sido demorada no
Correio da Farnhy'ia, porque tendo>-a conclnido,
quaodo j estavam feichadas a.- malas, botamos
na caixa da agencia e as cartas que sao encami-
nhadas por este meio.
---------,--- este meio. costume, segundo nos
Dr. Doniingos Olympio, Paulino de Brito, informam, ser-m entregues no primeiro Correio,
Julio Cesar, Dr. Ignacio Moura, Joao de
Deus do Reg, Marques de Carvalho, Fre
derico Rhossard, Euclydes Faria, Padua
Carvalbo, Dias Cardoso Jnior e Horison-
te Brasileira.
Por motivos de doenca, de.ixaram de
para terem o couveniente destino.
Assim, possivel que tenba sido enviada n-.la
mala do Jaguaribt, que passou poneos dias depois
do Pernambuco.
Contando pois, que xqueila carta tenha sido pa-
eada, limitamo-nos agora, a dar as poucas noti-
cias que tem occorrido depois daqnella data.
No da 8 do corrente, foi installada a Caixa
ciaes, 03 cidados FernandoC. Oarvalho e Joo A.
Carneiro Montciro, por terem sido reprovadus
todos os ciuco candidatos que se iuscreveram para
o concurso de que demos noticia em urna de
nossna cartas.
No dia da iustallaeao foi recolhida
a quantia de
No da 9
Ha dia II
No da 12
93051.100
2X)
Total 2:00d000
Informam-nos que at agora, j exerde d-' (rea
contos as quautias, que tem sido depositadas.
O resultado da amortisacao que se procedeu
no mea ultimo, doa impostos de taxa de carne,
dizimos de lavoura < pescado, no semestre de
Juih 1 Dexembro, toi o seguinte :
Taxa de cirne
Di zimo de lavoura
1 de pescado
> de miuncas
Imposto de 5 O/o de raspaduras
13:3041600
D :641000o
2:443U00
1:950
26Sfl5''0
Thesooro Provincial
DESPACHOS DO DIA 23 DE JULHO DE 1887
Manoel Antooio Leite.Registre se e facam-se
os deviJos assentamentos.
Joo de Almeida e Souza.A Recebedoria Pro-
vincial para attender.
Prente Vianna &('. Eudoxia Peregrina, Lou-
renfu Quedes Alcoforado, Laport i C.Informe o
Sr. contador.
, A' agencia da Companhia Brasileira. De
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia, acetso' Henrique Das de Farias, tegedor do Gymuasio
o lecehimento do offiew .m que V. Exc participa e Fieldeu Brothers.Junte-se copia das informa-
que o vapor Para chegou dos portos do sul hoje,} e.
s 6 hora da manh, e seguir para os do norte' Dr. Alexandre Bernardino dos Reis e Silva-
ate Mossor amanb s 4 da tarde. Gumpra-se a portara de licenca.
Ao inspector da Tbesouraiia de Fazenda.
O Eam Sr. presid nte da provincia manila remet-
ter a V. S. seis ordens, sendo cinco do Thesouro
Nacional, de ns 72 a 76, e urna do Ministerio da
Querr, de 16 do corrente mes.
Ao. inspector do Tbescuro Provincial. O
Exm. Sr. presidente da proviocia, proferto hoj eeguiute despacho no requerimento do bacharel
II .noel Barbosa de Arauju, ap qtual se refere a in-
tor nacao d'esse Thesouro, de 20 do corrente, sob
n. 677, acerca da casa anuinada n 63, ia
na Veha: Sim, do exercicio tuto liqudalo,
j estando o supplicante em parte attendido p da
junta do Thesouro Ptovincial, como allega e cons-
ta da informadlo d'esta repartico.aluttU mu-
tor.du ao bacal da companhia Reci/e Drain.ge.
Ao commandante do corpo de polica.O
Jos Maria de Souza Araujo.Aa Contencioso
para cumpnr o despacho da junta.
Fielden Brothers e Antonio Jos (ioncalves Pi-
res Ferrera.Junte se copia.ds informacoes.
Francisco QoncAlves Torres.Haja vista o Dr.
procurador fiscal.
iilARl BE PERaAsIbCC
BECD7E, 21 DE JULHO DE 1*7
O ministro do imperio
Os ltimos aconteci)estos polticos, de que nos
deram eonbeeimento os telegrammas de uoaso cor-
respondente na corte, sao j conhecidos dos bossos
n_ -. w .w..^U.b, .w. 1U.I.II.UB a 1/ttl.H
a testa 08 brs. Ponte de Econmica, sendo interinamente nomeidos ofli-
Carvalbo que se bavia inscripto, Antonia
Lemos, como representante d'A Provincia
do Para, Heliodoro de Brito, por parte
d'A Arena e Juvenal Tavaros, do Diario
de Noticias.
Ao encerrarem-se aquellas festas o iliua
tre director do Grmio, Sr. Joaquim de
Mello Abreu, leu um bem elaborado dis-
curso anlogo occasiao.
Terminando, diese que as portas do
Gremio Litterario Portuguez sempre esta
rao abertas a todos os athletas da intell-
gencia.s
Terminon o acto s 11 horas da noite.
O Ilustrado Dr. Sant'Anna Nery fz
votos ardeotes para que festas d'aquella
ordem reproduzsm-se sempre, empenhan
do para isso a mocidade amozonca todas
as energas da sua dedicacao e perseve-
ran^a.
F6ra pela segunda vez preso e pela
segunda vez solt, o individuo de nome J.
Camarena, em quem muitas pessoas vn
o tal Pbilemon Z ileski, autor do roubo
no correio de Vienna.
A otdein paru que fosse solt viera te
legraphicamente da corte.
Tinham fallecido na capital : a 8
Antonio Bemvindo Coutiaho, commandante
de um dos vapores da companhia Para e
Amazonas ; & li Manoel Rodrigues Parn-
polha Jnior e a 15 Carlos Pontes ; no
Bhxo Amazonas o negociante porttignz
A. J. da Silva Franco.
A Pravincia do Para diz o seguin
te sobra o eommercio da borracha :
No 1.' semestre do c rrente anno, ex
portamos para diversos paisas consumido-
res 6,331,150 kilogrammas de borracha,
que se decompdem assim :
Estados Unidos d'America 3,232.337 kilos
Europa 3,098.813
Decompondo anda aquello total pelas
pr ayas importadoras, temos :
New-York 3,232 337 t
Liverpool 2,809.847
Havre 288.966 c
A safra da preciosa gomma no anno de-
corrido de Julho de 1886 a Junho de
1887, foi no total de 13,390.100 k
que comparada com a de
igual periodo em 1885 a
1886 no total de 12,839.000
mai intereass que demos, foi a de diversas liber-
tades que tiveram lugar no Cear-mirim, pelo im-
portante ta^ndeiro o Revm. Antonio de liveira
Am '." f\at- 8ra- D Annft O- Antones e o
cidado Jos Antones de Oliveiro, e das quaes d
noticia o Correo do Natal de 13 do corrente, noo
seguintes termo* :
.Digno de louvor.-Mas urna aeco meritoria
e digna de imitacao acaba de praticar o nosso dis-
tincto amigo e prestante correligionario, o Rvdm.
Antonio de Oliveira Antuues, importante senhor
de engenho no municipio do Cear-mirim.
Desejan lo o respeitavel sacerdote, dar ama
prova de completa adhesio s ideas, expressadas
na paateral do Exm. bispo diocesano e para solem-
nsar o di 31 de Desembro, em que ba 50 annos
sua santidade o papa Leo XIII, cantou sua pri-
me ira misas; acaba de declarar livres, sem onus
e coadiees, todoa os seus escravos de nomes Do-
miagoa, Juan ftdelis, Joao Crua, Thomaz e Mara,
sendo esta ultima com quatro ingenuos, cujos ser-
vicos dispensou.
_ Ac(5es desta ordem dspenaam qoalquer elo-
gio, porque por s s, faliam bem alto, em favor
dos aentimentos humanitarios dos quo a prati-
cam.
E' assim, que, sem perturbacoes e vexames,
nos havemos libertar deste grande cancro social,
que nos opprime que este nosso vasto paiz, s-
tremecendo um da de jubilo, abrir 1 os olhos luz
da Redempcao, para aaudar o sol que se levanta.
Alm desta aeca meritoria do nosso amigo,
temos de registrar mais as seguintes :
A Exma. Sra. D. Auna Garca Antunes de
Olveira, viuva do capito Joaquim Antunes de
Ulivetra, aobrinaa e cunhadado nosso reapeiUvet
amigo, tendo coobecimento daquelle acto de seu
digno prente, e aproveitando a occaaio p urna prova de gratido, respeito e amisade a seu
digno tio, que tem sido para ella e seus filhos,
como para toda sua familia, um desvelado protec-
tor, declariu na mesma occasiao livres todos os
seus escravos de nomes Luiz, Juvencia, Vicentina
e Francisco;, som coudicoes e onus algum.
Devia aer bastante grato ao coraco do nosso
amigo, esta prava lie affecto de sua virtuosa p-
rente.
Outroto dia 24 do pasaado, annversano
natalicio de sua virtuosa esposa, o Ilustre cida-
do Jos Autune3 de Olveira, para soleamisar
aquelle dia. tambem declarou livres todos os seus
escravos, Francisco, Mtrtinho, Luir Francisca,
Quiteri* e Emygdia, sem onus e coudicoes, renun-
ciando tambem os servicos de orna ingenua.
O Sr. Jos Antunes tambem um amigo nos-
so muito distincto, e aenbor de engenho no Cear
minia.
Felicita i.os a estes nossos respeitaveis ami-
gos, a quem enviamos um expressivo aperto de
mu.
A Alfandega arrecadou durante o mez findo
de Junho. o seguinte :
R-nd. eral 1:471*125
Imposto 3 /o provinciaes 1:671*963
De t a 20 do corrente, arrecadou :
Banda geral 1:633*327
Imposto 3 /, provinciaes 443*328
1
A
presenta a differenca para
uiais de 551.000
aranho
Datas at 17 de Julho :
Chegara capital o Dr. Antonio Jaco-
me de Mattos Poreira, ezpresidenet da
provincia do Piauhy.
Total 23:tJ(>
Por nao terem havido licitantes e nao couvir hj
o8''rtas que foram feitas, deixaram de ser arrema-
tados diversos desses impostos, calculados na
quan'ia de 5:388*600, que vo ser arrecadados
administrativamente.
. Xo exercicio de 18861887, estes impostes r.-n-
deram a importancia liquida de 39:017*479.
Comparando-:e metade desae. producto c iio a
.enda do aemeatre quo acaba de ser arreui.
cm e que se presume arreeadar naa freeu zis
nao licitadas, se observa utua notav. I diff'-renca
para em favor da fazenda e foi por isao que em
urna de uo.-shs ultimas, assegnramos que, a xrre-
taathcoes attngiriam a s mma a que aiu u nao
baviaBa chegado.
A' 8 do crrente, chegou a Nova-Cruz e ao
incami d;a asaumio o exercicio, o illustradu uiz de
direito nomado para acuella comarca, Dr. Joa-
quim Ferrera Chavea Filho.
S. S. ao retirar-.e de Pao dos Ferros, onde por
inultos annos exercu o cargo de juis municipal,
foi alvo das mais honrosas manifestacoes de apre-
90 da parte de seus numerosos amigos .que. em
numero consideravel e sem dtstinccao de cor pol-
tica, vieram acompanhal-o at grande distanui.
Acabamos de ter noticia que, falleceram re-
pentinamente em Pao dos Ferros, o importante
cidado Galdino Proeppi I do Reg, membro pro -
mnente do partido conservador daquella comarca
e chefe de numerosa familia. O fallecido exercera
o cargo de deputado provincial e outros de elei-
cio popular, gosando de grande prestigio e in-
fluencia bk> seu partido.
No dia 2 do crrente, uo lugir Campo .?.
Joo, do termo de Nova Cruz, Pedro Joaquim as-
aassinou o infeliz Antonio Freir com duaB faca-
das, sendo preso e recolhido a eadeia daquella
villa, onde est sendo pracessado.
Pelos delegados dos termos de S. Jos e do
Cear-mirim, foram presos os criminosos, Luiz
Pedro e Pedro Nunes, sndo este ultime rscolnido
a eadeia desta cidt.de.
Em data de 20 :
Com a ehegada hontem do paquete Manos,
acabamos de verificar que, nao ebegou oso des-
tino a nosaa carta de 3, do que tratamos no cone-
00 desta, porque nao a vimos publicada nos Dia-
rios viudos por aquella mala e assim, acreditamos
tenha sido extraviada.
Naqoella nossa earta, alm de outras.noticias
de que nos nao recordamos perfeitamente, a de
Ijfliressdes de viagem
Visiia a una \a i|ueuil.i de Pelota*
Em regiois como a que oceupa a provincia do
Rio Grande do Sul, cuja principal riqueza consiste
na en irme producci de gado, gracis benegni-
dade do cmu e abundancia de sem pastos, o
hontem t ve que studar durante mu i tos anuos,
p*ra resolver o problama de obter productos aper-
feicaados no menor eapavo de tempo e coma maior
economa possivel.
A inauslri do xarquo, pesto qua iniciada de
umi forma ru liin;iitar, fui comolatando se paula-
tinamen'e, nao s de7ido ao grande consumo das
provincias do norte do imperio, como tambem
avultada extracca (que obtinha no menado das An-
tilhashespanhol-is^extracaijque veio desupparecer
oela d sacertaia e anti-e?ouomica medida do go-
verao nacin il, que sem cuidar do bem do paiz
nem la prosperdade desta provincia, mas sim de
arrecadar a maior q actidade possivel de cinhero
para o thesouro, sobrecarregou de tal maneira os
direitos de exportuco, que.prestes desappare^eram
destas plagas os navios qa vinham em busca do
xarque no grandense, passando a procural-o no
Ro da Prata, ond-, send 1 os direitoemuito mais
rjiiir-itiv js, podiam obtel-o com mais vautagens.
Acontecen, pois, o que era natural que oceur-
ress : os saladeros platinos, foram progredindo
e meltio audo os seus productos, emquanto que as
xarqueadas rio-graudenses ficaram estacionarias,
vendo reduzida sua exportacao exclusivain nte ao
couaumo nacional, em cujos mercados nao tardou
o xarque oriental e argentino a apresentar-se,
fazeodo-lhea competencia.
Foi nesta epocha que um varo ilustre, um
patriota de raputaco acrisolada, o Sr. Domingos
de Alm-ila,que maia terde devia prestar assig-
aaUdissimos servicos sua patria como ministro
da Repblica Ro-Grandeusereagndo contra a
rotina e o desalent em que havia cabido a iulus-
tria do xarque, aioptou as tnss de madeira para
o aqiiecimento dos oes is p r meio do vapor baixa
presso, afirn de extrahir-lhes a gordura, operaco
que at all se fazia em caldeiras submettdas a
aeco do fogo directo, methodo defficieute e im-
perfeito, que determinava a perdajde urna grande
parte de graxa, perda importante para a industria,
porque, como aa ndo, a gordura quo se extrabe
de urna rez, nao baixa de 20 a 25 kilogrammas,
segundo o estado e a qualidade do animal.
tistes anteceden'es, que pad* alquerir por um
I dos bons amigos que tenbo em Pelotas, e a noticia
524*00* de que um filho daquelle lusigne e glorioso repu-
ll 000 blioano, o Sr. tenente-coronel Junios Brutus Cassio
de Almeida, continuava ireute do estabelecimento*
que Ihe legara seu pae, havendro me.horado
extraordinariamente ao ponto de ser hoje em dia
0 maia importante desta provincia, despertaram
em mim o desejo de visital-o em primeiro lugar, e
ao trac^r catas linbas ni 1 taco maia qu .leixar
uellss a inpresso que produzio em meu espirito a
visita que tiz quelM estab-decimento. nde .nao
se sabe o que mais admirarse o estudo que pre-
aidiu a sua concepeo, se o arrojo, a energa e a
constancia de quera ajube leval o a caba.
Tenbo visitado os saladeros do Rio da ?rata
desde Uuavij a Frai Uentos, desde Cncordi* a
San Nieves de los Arroyos ; tenbo estudado deti-
damente esses monstros de produceo, nos quaes o
trabaih 1, o capital ajsciencia souberain crear urna
fonte de riqueza, qje o proprio systcmi fr g.rifico
nao conseguir* evgotar, nem mesmo chegando
sua maior perfect.ibdido.de, pois nuno-i a carne ex-
portada por esse meio poier competir com o
xarque nss p otos que fiquem af-.stados das
costas.
Muito, e ass-is fav iravilmonte, me tinham talla-
do da xarqueada do Sr. tenente-coronel Almeida
mas cuiitc3so-i, a i uo presso que produzio em mim
i visita da fabrica exeedeu a quouto me era per-
mitido esperar.
Machinas aperteicoadas, economa de combu?ti-
naior praduccao de gordura em cada rez, ta-
eddade para todas as operacoes, agu. abundante
w b.'in que um poaco salgadainconveniente que
vai sanar o proprietario abrindo novos pocos__
c-urraes e maugaeiras perfeitamente adequadas s
necessidad'S do trabalho, armazeos magnficos
depostos mmenSMS, um molbc espacosc, com to-
das as condicoes necessarias pan. facilitar o em-
barquo e desembarque, espaco para augmentar o
estabeleeimento, ee preciso tor, muito ar, mui'a
luz, casas p<.ra os operarios e mais empregados o
arr lie do Pelotas banhando o molhe onde atracam
as embarcado 's tudo, emfim. quanto pode desecar-
se para urna xploraoo tai importante e prove-
tosa como a que all se determinadadas as cir-
comstanciaa do paizo que oonstitUe aquella fa-
brica em um dos estabelecimentos mais notaveis da
provincia.
A graxeira, sobre tudo, o que de mai perfeito
se conhece. O galpo em que se acha installada
mede urna superficie de 2.500' metros quadrados
todo forrado de zinco, com 135 palmos de vo li-
vre, de eateio a esteio, sendo a sua altura no cen-
tro de 60 palmos, o que Ihe d um cunho de ele-
gaucia e grandeza quo raras vezes se encontra em
cstabeleciinentos deste genero.
Omachiuismo mandado construir expressamente
na Europa aob a direceo do notabiliaaimo enge-
nheiro iUliano Sr. Dr. Luiz Antonio ComoUi,
consisto em 5 tinas de ferro, collocadas sobre 12
c lumoas de ferro fundido, podends conter cada
urna dellas <>s osaos de 100 rezes, cujo aqoecimento
se realiza com 60 libras do vapor, no espseo de
tres horas e mea, depois de estarem as tinas em
pressov-antagem enorme sobre o antigo syste-
ma, cojas tins apenas tiabaitiavam com 5 libras
de presso, necessitando-se 36 horas para o com-
plete coaimeuto dos asaos.
Nao purin, a rapidez do servioo a anica van-
tagem deste novo proeesso. Alm desta, que j


Diario de Prnaiiitaw-'-Dimrimso 24 de Julho de 188?
3

i
asss sn prtante, he ostra de maior vulto, poii
cada rea boveficiada por este syitetna produi de
6 a, 7 libras de gorduras mais da que produzu
pelo antigo processo, o que es tabalee 3 urna diffe
renca importantissima ua erpioracio.
E' neceasario assistir-se a un da de mataat
para se poder apreciar o estado, o capital, a con-
stancia e o arrojo que toi preciso empregar par,
couverter a antiga xaiqueada em um estabeleci
memo modelo, que pd.' beneficiar de 800 a 1.0CK1
rexes diarias. Seus 140 trabal hadares se movem
com juma r pidez assombrosa, podando diaer-se
qu mais que homens, parecem auxiliaros autom-
ticos daquelle coloaso de produceo. O espaC) de
um minuto basta para xarquear-se urna rea. As
mangueiras, es trilbos, as zorras, as portas da Gui-
lhotina, o desnucado!-, tudo funeciona com urna
preciso inatheinatica.
O visitante se esquece de que assiste a urna ma
tanca, para nao pensar seao no pheuomeno de
produceo e actividade que chegou a produzir o
sublime consorcio di inteligencia e o capital.
Lffectivamente, quando se calcula todos os in-
convenientes que foi preciso 8)1 ver, todos os obsta-
culos que toi necessa*io vencer e todos os sacrifi-
cios que ttve de fazer o insigne iodustralista,
por mais que teoha sido secundado p-lo eminente ,
engenheiro Dr. Luiz Antonio Comolli; quando se | do-se em eoxnoaiyio mediante 1*000 por pessoa.
ra do Nogueira 12 14000
D. Laura, viuva da typographo Vctor,
ra do Mangue n. 26 1*000
D. Maria Joanna da Silva, roa do Paire
Nobrega 1*000
D. Maria Candida Wanderley Autran,
rus fafliarquas do H rval o. 137 1*000
D. Alfxandrint Maria de Barros, ra
do Tambi n. 18 1*000
1 bric mitmlro )Diz o Diario do
Gram-Para de 18 do correte :
Esteve buntem em exposica no mercado pu-
blico um abric que pesava 3 1/2 kilos !
Este abric monstro foi offereeido ao 8r. ad-
ministrad >r do mercad.', que par sua vez foi offe-
recer pessoalineute ao Exm. Sr. conaeiheiio vice-
presidente da provincia.
Todas as pessoas que tiveram occaaio de
apreciar esta enorme frusta torna uuan nes em
affinar que nuuca se vio outra igual
Fel timarlasDiz a Provincia do Para
de 13 do corrente :
Na estrada do Conselheiro Furtado, entre as
travessas Dous di' Dezembro e do Principe, existe
uini inuibcr, que, no seu estado interesante, diz
que o feto anta uo veutre.
A feitie-ra tem feito d'isto meio de vid pon-
d Silveira cora ioydia Olym-
pensa que at pessoal teve do ser creado, imp. r
tando trabalbadcres de Montevideo que ganba-
vam salarios elevadissimoa para ensimr os antigua
operar i, a. nao se pode menos quo admirar o ho-
mem que tal fez, vendo na perfeiclo dos productos
de sua fabrica, as vantageus que estes obteem
nos mercado),pois que coinpetem com os melbo-
ros do mundoa justa recjinpeusa a seus sacri-
ficios.
O teoente-corouel Almeida. abri novos bori-
sontes industria nacional, porque, indubitavel-
mente, outroa ho de seguir a senda que elle lhes
tracou.
Seja seu galardo a fortuna que Ihe sorri, o
apreco e estima de seus concidadoa, e a idooi-
raco dos estraugeiros.
Eduardo Peei.
PelotasJunho de 1887.
HLi'iSTA DIARi
Faruldade de DlrelloAnte-bout'in fi
zeram os candidatos, inscriptos pira o concurso
que se est procedendo, a prova escripia o ama
nh s 10 horas da dia rene se a congregaco
dos lentes para dar ponto, aos candidatos que tem
d fazer ua terca-feira a pro va da preleeeao oral.
4s Duaa VeaeasCom este titulo rece-
bemos um folheto do Sr. Galdioo de Barros, con-
tendo duas poesas de sua lavra.
Agradecemos.
VaporenDevem hoje ebegar ao nosso port>
o paquete inglez La Plata e o americano Pi-
nance, este procedente do sul e aquelle da Eu-
ropa.
TrKic aconteclmento A's 7 e me
horas da noite de ante-hontem precipiten-ce do
2 andar do predio n. 48 ra do liarlo da Vic-
toria, onde reside o Sr. Jos Francisco Carneiro,
o subdito italiano Domingos Rosse, que alli se
acbava em tratam nto e Defina de alienaco men-
tal.
Picando com um braco e urna perna quebrada,
foi conduzido pela guarda cvica da l'estaco
para o hospital Pedro lie morrendo antes de alli
ebegar. depositaram o cadver na matriz de San-
to Antonio, ande comparecen o Dr. delegado do Io
dietricto acompanhado do Dr. J. J. de Souza,
que procedeu a vistoria.
Beneficio da Wra. BaslelHCom o I
theatro bastante concorrido teve Uontem lugar o |
espectculo em beneficio da p-ima dona soprano
da companhia lyrica, a Sra. Therezina Rastelli,
tendo sido cantada a mimosa composiclo Ruy Blas
do maestro Marchetti.
O desempenho por parte dos artistas toi mais
ou menos igual ao da primeira noite em que foi
cantada esta opera, excepcao feita da beneficiada,
que tendo cantado bem na anterior represen'
do Ruy Blas, foi anda assim mais feliz ua noite
de ante-hontem, pois mostrando-se senhora da
parte da Rainha de Neubourg, muito agradou,
sendo rictoriada diversas vezes com lindos bou-
quets de floral e repetides applausoa, especialmen-
te no duetto do terceiro acto.
Os Srs. Ravagli e Megliazzi, cantaram bem e
correctamente as suaa partes, sendo igualmente e
com justica applaudidss.
Hoje sero cantadas as operetas D. Juanita e a
Casa de Campo, em beneficio do artista director
da companhia o Sr. L. Mi tone, tao conhecido do
publico.
Conferencia* de Honnenhor Non
roPomos obsequiados com a offarta de dous
folhetos cuntendo nove conferencias pelo Exm. e
Rvdm. Monsenhor Dr. Joan Tolentiuo Guedelha
Mourao, na igreja de Santo \ntonio.
Trata a 1 do culto das imageos, a '* da falsi-
dade da regra de f protestante, a 3a da confissao
sacramental, a 4* do culto e interceaso dos san-
tos, a 5' dos privilegios da Virgem Maria, a 6'
da regra de f catholica, a 7* do matrimonio chris-
tSo, a 8' do casamento civil e a 9 dos clevrea
dos pas para como os filhos.
Agradecemos o mimo.
BevIMa Menoal de Thereil.ia Rece
bemos o n. 2 deata revista, cujo summario eate :
A msica por Hygino Cnnha.9 perdi de
Christo por Antonio Costa.Viver e amar (poesa)
por Pietro. A lagrima (posia) por Lenidas e S.
A ignorancia por Nasci nento Filho. Estudos
antropolgicos por C. Preitas.Phalena pjr Adal-
berto.Toque de Rebate (poesa) por Lenidas o
S.Tobias Barreto (poesia) por ascimento Pi-
lho. A dauca por W-Saudacio por Mauro,=
Urna vista pela Revista por L. de Paivn.Hio-
tofia d 3 mez da Jnofao por Scrates.Registro
noticioso.
Aanoclaco Beneflcencla Mutua
dos Emprecadss Pblicos Cierae
Sob esta denorainacao acaba de organisar-se urna
aociedado entre os funeciooarios do Estado com o
fim de promover-se a protec^ao e o auxilio com-
mun da cluise a que pertencem.
E' digno de todo o acolbimeuto a idea, que ven
preenchor nma lacuna muito sensivel, pois at
boje nao se tinbain congregado para esse fim os
siembros dessa honrosa classe, que ae tem valido
dos seus proprios recursos e escassos vencimeotos,
c-iin os qaaes nao podem debellar, mnitas vezes,
a indigencia qUD de ordinario legam a suaa fa-
milias.
Honra, pois, aos iniciadores de tao til e accei-
tavel lembranca.
A associaeao funecioos ra Larga do Rosario
n. 8, 1- andar,e reunir-se-ha no dia 27 s 5 horas
da tarde para discutir a sua lci regulamentar.
Luz elctricaConsta-nos que pelo Sr.
commendador Jote da Silva Loyo Jnior, foratn
iniciados os trabalhos para a exploracao da luz
e .ctrica, segundo a concessao que Ibe fes a iei
provincial n. 1854 de 26 de Julho de 1885.
remando de NoronkaEacrevem-nos
em 20 do correte:
No dia 13 do correte ancorou ne porto dista
ilha o vapor Giqui, trazendo a seu bordo os
Srs. capito Freir, Dr. P.-dro Delrino de Agaiar,
teuente Joo Bernardo do Reg, alguna cadetes,
pracas e 21 sentenciados.
O Sr. capitao Freir e Dr. Aguiar, um dia de-
pois do di semoarque, tomarain cada um posan di
commissao que Ihe 16ra confiada, substituind .
aquelle a i Sr. capitio Roma, commandante do re-
forco aqui destacado, e este ao Sr. Dr. Alvellos
Bottas, 2o cirurgiao encarregado da enfermara.
Cessaram finalmente as chuvas torrenciaes e
com ellas os demoronamentos e mais estragos, que
ae Ihe seguiriam, se continuassem.
J se realisou a colheita do milho, que nao ex-
cede 4* parte da do anne prximo passado. de-
vido incontestavelmente a duas causas destrui-
doras : muito sol na sua germinacSo, rauita chuva
oa ana manutencio.
O presidio contina a gozar de urna paz inaite-
ravel, dan do-se apenaa, de ionge em lo a ge, um ou
outro tacto de pouca i oiportancia
i. ntriom para este estado tao lisongeiro, mui-
to principalmente .aaexcellente direceo e a per-
feita harmona que se nota em todo o pesaoal ad-
ministrativo.
Nada mais o .corre que seja digno ate ineaatt-
Segue hnje para a capital, s 4 horas da tarde,
pouco mais eu menos, o vapor Giqui, levando
a-sea bordo os Sra. capito Roma, Dr. Bottas e
na familia, tenente Valle, alguna catetes e pra -
fas, escoltando sentenciados.
KoraolanPara distribuir com pessoas ne-
ceetitadas, pedindu lhes que rezsm pela alma te
um homem muito caritativo e que, ha 5 anoos,
deixou de existir no dia de hontein, enviou-aos L.
C. P. C. a quautia de 5*000.
Distribuimos assim dita semina:
D. Miquelina S. de Albuquerque Vidal,
O povo ten ~-.tHj.ido em massa, tendo si J'
tajosa a colheita.
Realmente, era s o que nos faltava vr de-
pois ia feiticeira que deitava agulhas.
fibra ou lio de malva L-se na Ga-
zeta de Noticias do Cear :
Fabricantes da Europa tem feito paraesti pra-
ca grandes encommeudas da fibra ou fio da : nal va
(arena lubata) materia textil de muita procura
para fazendas grossas de grande resistencia como
a juta empregada em saceos, etc.
N'uma casa smente (Borris Freres) bi pe-
didos de 890 fardos Eis pois, nma indistria
nova para ricos e pobre. A malva cresce nos
campos do Cear n'uma abundancia que produz
ucoininodo, e morre ingloria e nao chorada.
Colhida toscamente como tem sido j, obtein da
Europa 120 ra. por kilo, pouco menos que o assu-
car, que exige euormissima despeza desde o ilan-
tio da canna at o fabrico. Meihorada, ser paga
talvez com 5 ";0 mais ; e o processo para seu pre-
paro nenhum. Coactada, reducida a pequeos
fcixes, passam-st- os talos. Em seguida,deitum-se
os feixes n'agua para serem retidos uo cabo de 48
boras expostos ao *r at seccarem. Apaz isto,
oatem-se com varas, para cahirem os talos frag-
mentados e ea'i obtida a fibra, que se esteode em
todo o comprirnento e amarra formando fardos.
Tanto Serve a malva branca como a preta.
Para conservar a fibra toda a resistencia, a
colheita deve ser logo ac coinecar a floracao, ou
as proximidades delta. Para expremel-a t es-
migalhar a parte I nh isa, desaggregando-a da
fibra, em Franaca e Inglaterra se preparam ma
chinismos baratos e si-ig los, de que se taz uso
nas Indias.
0 cravata e outras plantas fibrosas, que se per-
dem em oosaos campos, e sao pedidas cambeta da
Europa, podem se obter uo Cear, em quantidado
prodigiosa. O processo para destacar a fibra o
mesmo, e quanto ao cultivo das plantas, isto j fica
a cargo da bumidade < do calor, que at agora tem
trabalhoem vo para os ignorantes e para os pre
guicosos.
on.i'i vacuo de eorpo* M. Bouchard
de Brdeos, expoz em urna das ultimas sessoes da
Academia de Medicina de Pariz, que conseguir
conservar corpos para disseccoes dur.iute mais de
dous mezes, sem que os tecidos houvessem sido
alterados.
Para eate effeito preparou um liquido em cuja
cotnp isicao eatram o borato il soda hydratado, a
II) equivalentes d'agua por 10 kilos, ea glycei-ina
a 30" iiaum por 17 kilos Reduz-se o borato a
p muito fino que se peneira em um tamiz de cri-
na n O. Deita-se depois em urna bacia tendo cui-
dado de Ihe misturar a glycerina pouco a pouco,
afin de nao ficar em godilho. Faz-se aquecer a
uiua temperatura de 80, pouco mais ou meaos,
atiin de se dissolver completamente o borato, agi-
tando ao mesmo lempo e constantemente a milita-
ra. Cua-se depois por um tecido de flanella. O
liquido viscoso, mas deitaudo-lbe a'cool ade.ga-
cu-se convenientemente.
A injeccao desta composi(2o feita pela arteria)
cartida ou p.'la femural.
tmiunclo ulicoOe curiosos da ei-
tura de jornaes antigis nao devem desprezai as
paginas dos annunci >s, Sao documentos p.ecio-
sos para o historia de urna poca, e principalmen-
te para o progreaso e o -eaenvolvimento do com
incrcio e daa industrias. Foi assim que o estimado
escriptor Au eliano Scholl, consultando colleccoes
de velhas tolhas francesas, achou em um numero
datado de 30 de S-'tembro de 1658, este annun-
ei<>, qo? firma com exactido histrica a data do
uso do cha na Franca e na Europa. O annuncio
dizia aimplesmente :
Vendr-ae na ra de S. Diniz, casa '> Pao
de Aasucar urna excellente bebida cbineza ap-
provada pelos medico>, e que se chama Tcy on
Tcb
Que ntferenca desta simplicidade de redaejao
para os pomposos redantes qae boje annunciam
cha, talvez de qualidade inferior do que venlia
o Lianrado mercieiro do XVII seclo !...
Na mesma folba ii-se um annuncio de :
< Pos de sympathia para se fazer amar, bas-
tando urna | 'ida em um copo de agua.
Anda na mesma folba se efferecia venda,
coma objecto raro e curioso, um simulacro de
forinig'ieiro do Brasil.
Os annuncios de theatro datam em Franca do
XVIII seculo. quando appareceram tambera os
pr.meiros annuncios com vinbetas e tarjas.
O reclames procedem da Inglaterra.
Beunle* aoclaea -Ua hoje as seguu-
tea;
Do Instituto Litterario Olindenae, s 10 boras
da uianba, do conseibo director para tratar de di-
versos assumptos.
Da irmandade de Sant'Anna ia Madre de Dt ua,
s 9 boras da manh, em seu oonsistorio, para em
mesageral proceder-a eleicao da futura mesa
regedora.
Amanb:
Do Club de Regatas Pernambucano, em sua se-
de ra da Aurora n. 19, s 7 horas da ncite,
afim de proceder-ae eleicao do novo conseibo
admioiscrativo e tratar-se de negocios de muito
interesse para a mesma sociedade, que fuuc ;io-
aar com o numero de socios que comparecer.
Da irmandade de Santa Cecilia, na matriz de
S. Jes, s 3 horas da tarde, em reunio da meaa
gem, para tratar de luteresaes da mesma irman-
sh.de.
Dlrerloria da oDrai de ronena-
o don portoBoletim meteorologicci do
i a 22 de Julho de 1887 :
Joaquim U
pa SaraWa H
Manoel DatllWPlaamaiualo com Philadelpha
Cbristiliana da si.lv.
iaellAna ectuar-ae-hao:
Atsauhi :
Pelo agente Guamas, as 11 boras, raa do
Imperador n. 45, de armacao e per tengas da ta-
verna ah existente.
Teroa-feira:
Pelo agente Burlamaqui, sil boras, a raa do
Imaerador n. 30, de predios e dividas.
Pelo ageute Pestaa, ao me:o da, roa do Vi-
gario n. 12, de predios.
Pelo agente Guarni, s 11 horas, no palacete da
ra do Riachuelo, de movis.
l*an fulleares-Serio celebradas:
Asnanhi :
A's 7 1(2 boras, na capaila da Biberibe, pela
alma do capito Manoel Alexandrinu de Albu-
querque Pitta ; s 8 horas aa Ordena Terceir* de
S. Francisco, pela alma de Joao Jos da Silveira ;
s 7 boras, na igreja da Santa Craz, pela alma de
Alfonso da I Mi M'iniz.
Terca-feira :
A's 7 1/2 na matriz da Eseada, pela alma de
Luiz de Franca Baptista dos Santos ; As 7 1/2
horas, na matriz da B >a Vista, pela alma de Ma-
noel Joaquim Ribeiro ; s 8 hir.s na nutriz do
Carpo Santo, pela alma de D. Carlota Joaqun <' de
Carvalho.
Quarta-feira :
A's 8 horas, na matriz da Boa-Vista, pela alma
do major Custodi Floro da Silva Fragoso.
PamoatelrosChegados dos portos do norte
no vapor nacional Para :
Antonio Jos, Agestinbo Luiz Maria de Vascan
cellos, Antonio Jeronymo de Oliveira. Jacinta
Jos de Andrade, Jos Francisco de Mendonca,
Luiz Eissengortbjao, Herculana F. de Mendonca,
Dr. Manoel S. R. Pinbeiro, Ricardo Jones, Dr.
Antonio G. Tavares, sua senbira e 5 filhos, D
Rosa da Silva, Joo H. de Carvalho, Francisco de
Oliveira M., Dr. Joio Foster, AlfredoPag, Fran-
cisco de P. Oliveira L. e sua senhora, Antonio
Manoel de Sampaio, Dr. Francisco P. Viriato tle
aeiros, R lymunao Drest', Joo Btptista, Fran-
cisco Barboza Lima, Josepha e Vicente (creados),
D. Maria de Mendonca Barros, D. Rita M. Bar-
ros Corroa, Clemente G. da Silveira, Manoel
Vieira Beruardes, Antonio F. da Silva. D. Hea-
riqueta F. Magalhacs da Silveira, D. Mirii M.
da Silveira, Arthur Menor, Pedro Miguel de Souza,
Kirk Jonh, Francisco Pinto e Jos da Guia.
Sahidoi para o sul no mismo vapor :
Tenente coronel Manoel d: Azevedo do asci-
mento e 1 creado, Joo Vieira de Mello, sua "se-
nhora, 1 filna e 1 creada, D. Osmani, Jos Lopes
dos Santos Lape, H. Won Sohasten, Repossi Car-
los, D. Aona Ursulina B de Nazarotb e I irma,
Raymundo Penaforte Caldas, sua senhora e 1 me-
nor, Julio C. Braga, W. Vogel, D. Bita de Men-
don;a Carreta, D. Maria ie M.-u louca Correia, I).
Julia Kobiet, Joaquim Albuim Poteogy, Diooie-
des Alves de Oliveira, Maaoel Marqaes do asci-
mento, Jos Olympio de Souza Guerra, Sergia
(creada), D. Auna Buarque, Joo e Delphino, crea-
dos, Antonio A. V. de Souza e 1 filha, Antonio
J. de Oliveira, 1 sargento e 11 pessoas de sus fa-
milia, um 2 sargento, 48 pracas e 19 aprendizes
marinheircs.
Chegados de Fernando de Noronha no vapor
nacional Giqu :
Capito Jos Ignacio liibeiro Roma e 1 cralo,
Dr. Manoel Arvellos Bottas, sua senhora, 1 me-
nor e 1 creada, tenente Aureliano Xavier do Valle,
sua senhora, 6 filhos e 1 creado. 3 cadetes, 18 pra-
cas de linha, 4 mulberes, 3 filhos das meslas e 12
sentenciados.
Cana de Uetenc&oMovioicnto dos pre-
sos da Casado Detenoao do Reoite no dia 22 de
Julbo :
No mesmo coosisrorio estarlo expostas as ur-
naa as espharasa apreciaco do publico.
Os bilhet-s garantidos acham-se venda na
na praea da Independencia ua. 37
Casa Veliz
*S9.
Tammbem acham-se venda na Casa da Fortu-
na ra Primeiro de Marco n. 23 de Martis F.u-
saftC.
Assim como na Casa do Ouro na -"a d" Baro
da Victaria n. 40 da Joo Joaqussa aa Costa
Leite e na Roda da Fortuna na ra Larga do Ro-
sario n. 36.
L,olerlauto bfto-a*ar*A 7a serie da 11>
lotera desta provincia, pelo novo plano, cujo pre-
mio grande 1001000*000, s.r extrahida no dia
27 de Julho.
Os bilhetos acham-se venda na Casa da For-
tuna raa Primeiro de Marco n. 23, de Martins
Fiuza & C.
Tambem acham-se venda na Rada da For.u-
na ra Larga do Rosario n. 36.
Lotera da provincia do Paran-
A 20 lotera desta provincia,pelo novo plano, cu
jo premio grande de 12:000*000, se extrahir
no dia 26 de Julho.
Ii:lhtes a vonda na Casa da Fortuna, ra
rVimeiro de Marco numero 23, de Martins Fiu
za & C.
Lotera da Parahyaaasta lo:eria cujo
premio grande de 20:000*000 ser extrahida
no dia 4 de Agosto praxim futuro 'a 3 horas da
tarde.
Os bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna rua Primeiro de Marco n. 2, de Martins
Fiuza &C.
Tambem acham-se venda na Rid.i da For-
tuna ra Lira da Rosario n. 36.
PUBLiatMS A PAPUJO
Os presos do camiaho de ferro
de Olin.i i
i o
dorar i? .a o s -a -j o no Barmetro a 0 Teaao do vapor o 1
6 m. 22-0 6204 18,61 93
9 233 76386 19,65 91
12 255 76331 21,10 86
3 t. 23'-9 76l"99 19,05 87
6 22'-3 76254 18,31 89
Temperatura mxima27*,2.
Dita minima22,0.
Evaporaco em 24 horas ao sol : 2",3 ; s.>m-
ora: 1",J.
Chuva 5". i.
Direceo do vento : S de meia mutt* at 9 horas
e 3 minutos da manh; SSW at 10 boraa e 24
minutos ; S e SSE variaveis at 2 horas e 7 mi-
nutos da tarde; SE at 6 horas e 45 minutos; SE
e SSE, com interrupcoes de 9 minutos E e 12 mi-
natos ESE, at 9 horas e 55 minutos; S at 10
horas e 42 minutos ; SW at meia noite.
Calma das 3 ie 6 horas da manh.
Velocidad.' media do vento : 2" 00 p. r segundo,
(3,38 das 6 horas da tarde s 9 horas da noite).
Nebulosidade media i 0,92.
Boletim doj porto
B. M. P. M. B. M. P. M. Di. Horas Al tira
22 de Julho 23 de Julho 11-53 da manb 6 3 da tardo 0 1 da manh 6 8 0,>29 2,>56 0,"42 2,'61
Proclamas de casamento*Forano li-
doa domingo 17 de Jalbo na matriz da Boa Vista :
Manoel Francisco Santas com Antonia Maria de
Aquino.
Existiam 347; entrara n 4 ; sahiram 3 ; exis-
tem 348.
A saber :
Nacionaes 314 ; mulberes 13 ; estraageiros 11 '.
eacravos sentenciados 4 ; dem procesaado 1 ;
dem de correcejio 5.Total 348.
Arracoados 318.
Bons 301; doentes 17.Total 318
Movimeuto da enfermara.
Teve baixa:
Vicente escravo de D. Joanna de Salles.
Teve alta :
Antonio Gomes de Amorim.
Lotera do Espirito SantoE.a os
nHmeros premiados da 5 parte da 2 lotera, em
beneficio da instrueco primaria, extrahida em 22
do corrente:
3196 60:C0J*000
5581 10:000*000
9602 6:000*000
6111 4:000*000
8714 2:000*000
158 1.-000*000
8269 1:000*000
Eato premiados com 500* :
1137 2376 3652 7937
Esto premiad .s com 200* :
1365 1554 2862 3375 3989 4041 6043 8543
8678 8860
Esto premiados com '00* :
127 809 1364 1447 1495 1555 1603 1959 2080
2191 3S04 3813 4261 4916 5541 5647 5841
6529 6945 8373 8510 985J
Approximacoes
3195 1:000*000
3197 1:000*000
5580 500*000
5582 500*000
9601 300*000
9606 300*000
6110 200*000
6112 200*000
6713 145*000
8715 145*000
Os nmeros 3101 a 320C excepto o da sorte
grande esto preciados com 50*.
Os nmeros 5501 a 5600 excepto oda i m media-
ta eato pretniados com 20*.
Todos os nmeros terminados em 6 excepto o
da sorte grande esto premiados com 20*.
Extraccoes instransferiveis todas as sextas
feiras.
tarande lotera do s*araEis os na
meroa premiados da 6* serie da 11* lotera ex-
trahida em 23 de Julho :
76 100:000*000
1853 15:000*000
5565 6:000*000
2271 2:000*000
4158 2:000*000
1738 1:000*000
4127 1:000*000
5258 1:000*000
Esto premiadas com 500* :
436 706 1049 1491 203 2309 8626 3936
5269 5335
Approximacoes
1/000*000
1:000*000
800*000
300*000
60 estio premiados
1869 escs premiados
premiados
75
77
1852
1854
O nmeros de 71 a
com 200*.
Os nmeros de 1651 a
com 100*.
Os nmeros de 5561 a 6570 esto
com 100*.
Os nmeros terminados em 76 esto premiados
com 100*.
Os nmeros terminados em 53 esto premiad, s
com 100*.
Todos os numeras terminados em 6 esto pre-
miidos com 60* excepto os terminados em 76.
Todos os nmeros terminados em 3 esto pre-
miados com 50* exeepto os terminados em 53.
A seguinte lotera corre ao da 27 de Julho
com o mesmo piano de 100:000*.
Lotera do CearEsta acreditada lote
ra cujo premio ma>or de 15:000*000 ser et-
trahida amanb 25 do corrente.
Os bilhetes acham-se venda na Roda da oFr-
tuna ra Larga do Rosario a. 36.
Tambem acham-se a venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Marco n. 23 de Martins
Piusa & C.
Lotera do Espirito MantoA 1' par-
te da 3 lotera desta provincia cujo premio gran-
de 60:000*000, ser extrahida no dia 29 de Ju-
lho.
Os bilhetes acham-se venda na Rod da For-
tuna na ra Larga do Rosario u. 36.
Tambem acham-se venda sa Casa da For-
tuna i raa Primeiro de Marco n. 23 Martin Fin-
as C.
IiOterla da provincia A 8* lotera, pelo
novo plano, cujo premio grande de 12:000*000,
em beneficio da igreja de S. Pedro do Recife, se
extrahir quando for annunciada, is 4 boras da
tarde, e, no consistorio dn igreja de Nossa Senho-
ra da Conceico dos Militares.
E', assim, viciosa e contraproducente a compa-
raco que fazem, grevistas galhofeiros ou conven-
cido* sectarios da barateza, para julgar dos precos
do caminho ae ferro de Oiinda.
Ease mo veso, to peculiar a nos brasileiros, de
abandonar a loufa de casa, oa e reconhecidameute
consisten!", de fcil e pratico manejo, e com aqual
econmicamente n >s poderemos servir, em muitoa
casos, sino em todos; smente por ser um cami-
nho mais fcil, embora transformado em crime de
lesa naciin'lidade, o se submetter qualquer pessoa
a curadora eterna de outrem ; smente por ser
um meio da com captivadora sumpt losi lade usar
dos vistosos, mas quasi semore quebradizos,
praos defra, obtidos com pesado aluguel, sujei-
toa a perdaa c damnos ; ease mo vezo tradicio-
nal, gerado na e-pocha de masa primeira infancia,
quando nem a forma de dar o passo na tinhamos
anda apprendi i i : tem .mais ama confirma-
co, que grande por ser verdadeira, noste peque-
o caso de que nos oceupamos.
Para serem julgados os precos do caminho de
ferro do qual son accionista peri^oso sihir das
nossas paredes; em casa mesmo, mais positiva-
mente, poder ser encontrado o conveniente termo
de comparaco que de meu dever levantar at
a altura de urna cousa til.
Realmente, no meio de todas essas relatividades
a que me tenbo referido, as tarifas do caminho de
ferro de Oiinda t podero ser en tudo compara-
das com as tarifas do caminho de trro de Oiinda ;
e isto tanto mais positivo quanto tem esta em-
presa dous periodos do existencia caracterstica.
Ser esse o objecto deetc artigo, um dos ltimos
da serie que espontneamente, na minha qualidade
de accioniat* conacieucioso, ea me impaz a obri-
gaco de eserever, em defesa do meu capitalem
justa defesa do uteu capital, que toi obtido com
muito trabalho e que, por isto, nao pode ter.a valia
despreoecupada das cousas roubadas ou a mystica
incon ciencia de um bem que nos veio como um
man do c i.
A companhia de Oiinda obrigou-se pelo seu con-
tracto oe 186S, feito e as-i ;n.i lo sob a accio de
urna caprichosa lata de poderosa concurrencia, *
adopar tarifas de passageiros que nao excedes na 1* classe, a 400 ris nas viagens inteiras e 200
ris nas meias viagens, a 300 ris e 150 ris, idem
dem, na 2 classe, e a 200 e 100 ris, idem idem,
n'uma 3 clasae que ento havia ; sendo que, con-
venciooou, crear assignaturas de 1 e 2 clasae,
com abatimento de 10 a 15 "I, sobre os precos
avulsos, pelo reguiamento baixado em 1870 de ac-
cor.io cora ama das estipulacoea desse contracto e
por occasio de ser inaugurado.depois de insii -
tente reclamacoet do publico, e em grande prejui-
zo da companhiao primeiro trecho da linha que
alias s eslava ella obrigada a abrir ao trafego
depois da liaba toda concluida. E esses precos
a /uli is foram adoptados, no sea limite mximo.
E determinou a directora,logo bem predisposta
em favor dos asaignantes ou passageiros constan-
tes dos trens,que as'assignaturas, para Oiinda ou
para Beberibe. se vendeeaem por 17*0jO, sopara
os dios uteis, e por 19*000, comprehendeado os
das santificados, na .1.*; classe, nica para a
qual apparecar- n asaignantes. O que, bom de
notar, equivaleu a um abate para esta especie de
bilhetes superior a obrigaeo, pois foi assim a dif-
fenca de 23 /0 approximadamente.
Vigoraram taes precos at 1872, epocha em que
julgou o goveroo boameate ser opportuna a sua
mesmo yapo,.odas aa s> clasae ; sois, por ocea-
sio do novo accordie em faes de autorisaao da
lei, foi suppnmida a 2" classe, que quasi nao era
frequentada, passando a 3* classe antiga a- Ihe oe-
cupsr o lugar no masmo careo'ar de terceira
elatse.
E espontneamente a companhia, por essa scca-
sio ; se submetteu as exigencias dars a que j
me refer ; ella que estada exclusivamente o m-;io
de metborar a sua exploracao, e nao se preoecupa
com o fav r qu) lho poderi. aivir do .patronato
governamental ou de indecorosas i-spscilacoes
cheias de illuaoes e dolos ; ella qu -, cono outraa
companhias nacionaes ueata nasmi pr jvia.'ia, di-
rigidas por digaos brazileics, catenio qaj as di -
rectoras sao um maleador eatrs os interesaos dos
accionistts e os nteres do publico, pirante ojgo
veru i. e uo umis meras corooraco-a de agiotas
que s se pre-eoupassem com os muitas vezes
o engaosos lucros p 'cunian is, animilisando,
materealisando que tniis acertado, a sui quali-
dade human i, esquecendo-se que os sous crditos
pessoaea e de momento devem ser sacrificados no
altar dos cred.toa nacionaes, eternamente produj-
tivos.
Releve-me o lnitor -sta tirada; porqm ai*
ella um deap.-opiaito noi t -mp ia qu i corran, nem
vem desconchavada nesta quaatao das invectivas
gratuitas e levianas atindaa contra a companh'a
de Oiinda que como j disse tem urna historia >i-
priamente sua, forma um exemplo qae pode se- Li-
tado em hoara noaa, e lasa por aso o direito de
ser reapeitada por toioa oa himens de bem, por
todoa os cidados compenetrad is ds sua alta mis
sao no mundo, pois o dever se catale tanto as
pequeas c tusas, como os gran les.
Mostrarei no artiga segointe a que propurcojs
nos reduziria a applicaco absoluta dos pr\nn\os
apregoados peloa Aeoneos partidarios dos baixis
precos; ate agora, oilaliuu >, = ten lo mia-
trado que vendo a questo por um oculo de mi; -
ca objectiva, o eato tasando por mero pass*:einpo.
Para isto tirnei do Kistorieo f ir.o neta arti^j as
baaes de toda a minha argumentaco.
intervenco em favor da companhia. Sua renda,
ento, nem dava para a concluso das obras, nem
para pagar os juros, nao dire dividendo que
muitoa fazem nao c i tender,os juros dos capitae*
at alli empregados. No emtanto era de 500:000*,
a a mima destea, sufliciente, por si, para um ser-
vico provisor o como o que toi estabeleci lo desde a
inauguraco, e muito pequea e no caso de, por tal
razo deixar um lucro certo ende foase manifest
a concurrencia de passageiros.
Digo que o goverdo eotendeu boaueute ser
opportuna a sua intervenco porque nessa epo-
cha o desanimo real dos accionistas, todos a um,
fizera descer as acedes a urna cotacao maior de
50 /o abaixo do pal ; e a malfadada empresa, hoje
reconhecidamente prospera, vacillava no terreno
falso do cairel de um abysmo ; compromettendo,
nao s as eaperancas dos accionistas, to entha-
si ismados. de comee), pelo grande desenvol-vimento
que o caminho de ferro traria s localidades per-
corridas, por torca de todos os principios conheci-
dos ; como tambem prejudicando ajusta aspiraco
dos patriotas propagandistas da creacSo de empre-
zas nacionaes dease genero, tanto para ser deseja-
da n'um paiz como o nosso, capaz efectivamente
ae j caminbar sem o appoio impertinente de um
braco estranbo em questoes dessa ordem.
Foi quando, por um lado, o governo provincial, e
por outro, o governo geral, a instancia da directo-
ra e sem que houvessem valiosas impugnacoes do
publico, aineacado de ficar sem o caminho de fer-
io, sanecionou a lei n. 1060, authorisando o aug-
mento do preco das passagens : e baixou, logo
depois, mu 1875, o decreto n. 5714 dando poderes
a companhia para levantar, em acedes preteren-
ciaes, um emprestimo at 200:000*000 com o fim
exclusivo de serem concluidos as suaa obras.
E por conta desse emprestimo foram levantad s,
no Brasil, a juros de 10 >, 50:< 00*000... .dos
quaes ainda deve a companhia 29:000*OUI; mas
canos juros, na medida em que foram ficando fir-
mados oa aeus crditos, reverteram se a 7 0|.
E nada realmente, prova, o acert desta medi-
da do que a actual prosperidade da companhia,
bem indicada na confianca que Ihe dispensa o com-
merci) nacional, de si to escabreado, mas em cujo
saio, ainda a pouco n e com a maior facilidade
obteve um emprestimo de mais 42:000*000, em ac-
edes de typo idntico (debentures),ajuros de 7 [0,
para renovar o seu material. Nada tnelhor justifi-
ca a medida valiosa do que a augmento de renda
e de concurrencia que desde ento, nas anas rela-
coes com o estado da fortuna publica e particular,
se ple dizer que foi sempre cresoente, e & desen-
gaadamente firme, como prova a permanencia
na distribuico de um dividendo de 8 |0| feito
alias logonpi dofechamento das contaa do aetnes
tre !
E' de notar que ainda oa occasio de firmar o
contracto iuuovado por forga dessa lei n. 1060, a
directora se saostrou coherente com a sua orren-
taco, e aecorde com a nstoresa dos servicos que
diiigia, adoptando e* favor dos asaignantes um
bilhete de periodo, sem as restricfoes que tanto de-
sagradam ao geral dos nossos compatriotas, e que
por cinsegninte tenho aprendido que devem ssr
semprmanhosas, salvo conveniencia em contraro ;
conveniencia que pode alias existir sem que se
veja loge.
A aasiguatara passou a ser 20*900 para as duas
secces d linha, indefferentemente, dando ao pas-
sageiro asignante desse bilhete o direito de ir a
vontade a Oiinda e Beberibe e numero dt vmes
que enteodesse; e foi criada urna aasigaatura de
ama aeecio a 10*000, at a Encrusilhsda, e outra
especial para secoo e meia per 1 o*000, todos do
.desposta opporiuoa
Para nao alongarmos mais o uosso artigo in-
serto neste Diario de 21, deixamos de fazer urna
analyse completa da vida militar do nosso a-ni _-1 o
tenente Melio Filho, o qual tem dado tanto que
fallar ais seos lavajosos calumniad re? e impla-
cavis iuimi todas as corageua e capazes de todos os coinmetti-
m-ntoa com tanto qua procurem recalcar quem
lhes faz sombra, o aggridem traico: isto ,
em cartas an.nymas dirigidas, ora aos generaes,
junto a quem serve o nosso amige, ara elle proprio
cobrindo-o de bildoas, ajaras, e at de ameacas
do ser assassinado, ora, finalmente, na imprenst ;
mais sempre encapotados, e em luiguagem inde-
cente e quisi pomibraphica !
E' que as racaa de Pasquine, na Italia, e Gar-
rocht, na Franca, ap-'sar de serem de garacao re-
mota, nao se extinguiram...
Onde est n manto do ataque e insulto trai-
coeiro e caluraaiador ?
Quem tem e direito de, calumaiosam?nte, esqua-
drinhar no jorual, a vida particulir da qualquer
homem ?
Se ha quem tenba queipas do nosso amigo e
essaa queixas a otfanaas tem o cuaho da razo, si
provm do exercicio do cargo e sao filhas da al-
guma injustica, que teuha elle feito alguem. por
que nao se servem do recurso que a lei Ibes per-
mute ?
Porque, m>:smo, no jornal, nao Ihe tazem ama
accuaaco decente e justa ?
E' porque mais fcil aasacar um insulto do que
articular u na queixa motivada. ..
O nosso amigo j aoa'entou, nesta provincia
meamo, urna luta deaigual, e por isso esmagadora !
Cbocando-se o seu ex-cotnmaodante com o te-
nente Mello Filho, que a esse tempo era secretario
de um batalho, facto a que alludimos no artigo
anterior, por nao querer o nosso amigo asaumir a
responsabilidada de actos criminosos praticados
pelo genro d'aqnella oommandante, sofireu a grave
ujustica da ser suspenso, preso e submettido a
coav-lho Nem por nao se julgou ella com direito
de ir para as columnas dos jornaes, aem se quer
relatar com verdade o aggravo da que acabava de
ser victima, quaato mais de insultar!
Daixou paasar a primeira impresao, e recorreu
aos muios regulares, representando contra o acto
da prisa >.
E to justa, fundamentada e reapeitosa foi a sua
representaco, que o general Wauderl-y. ento
commandante daa armas, nao hesitou em dar pro-
provim 'nt i ao seu recurso, mandando pl-o em
lbenla Je 1
Aps esse facto, segaio-se o conselho de inves-
tigaco, peruta o qual encontrou o nosso amigo
todas as injusticas, desde a colpa que se Iba attri-
buia, at a parcialidade ostentosa que manifes-
tarais os membros do conselho; a desfacatez com
qae se procursva inverter o depoimento das tes
temunhss, at a negaco mais escandalosa do di-
reito de defeza, nao se conaentindo que seu adva-
gado comparecesae parante aquella tribunal do
Sanio Officio, e nem ao menos se acaitando a sua
detesa escripia!
Mesmo assim o Sr. Mel o Filho, nao insultou aos
seua algozes: procurou o msio que a lei Ihe dava,
e queixou-se oficialmente dos seas perseguidores
que tantas machinaces pozeram em pratica para
perdel-o!
Qual toi o resultado dessa queixa? O general
Wanderley, to convicto esta va do deseafreameuto
da perseguico que se fazia ao tenente Mello, que
nao trepidou em avocar o processo, e no dia se-
guiate baixar urna portara annullando-o, pelas
irregularidades, vicios, de/eitos, atropellos e perse-
guico que se mova a pessoa do indiciado!!, e por
ontra portara nomeou novos membros para esse
conselho...
Nao pensem que, com a nova nomeaco, foi elle
mais felix: ao contrario; a perseguico foi mais
atroz por ser mais bem planejada Quando o novo
conselho reconheceu pela defeza escripia e dezoito
documentas qua instruiam-na, que o genro do ex-
commandante, a quem convinha .alvar a todo o
custo, estava descoberto, desappareceram dos autos
a defeza e documentos .' .'
Ainda assim, o tenente Mello, nao se julgou com
o direito de ir a imprensa relatar essa amalgama
de perseguiedes, apesar dos insultos que Ibe ati-
raram n'um jornaleco pomographico, cujo nome
ainda temos nojo de proferir, mas que ha quem
tenha guardado como couaa de grande mrito...
Facam como elle: revistara se de coragem, e
ataquem-no como cavalheiro, como outr'ora elle fez
com o seu ex-c mmaudante, qae alias, era auxi-
liado por dous genroa, um dos quaes era capito,
e o outro, alteres, um sobrinho, tambem alteres, e
tres filhos cadetes, afora os que queriam viver nas
boas gracas...
Convrn acoentuar aqu urna circumstaneia bem
ponderosa: o general Wanderley, nao era amigo
do teoeute Mello, apenas conhecia-o de vista, como
efficial da guarnico.
Esta circumstaneia, parece-nos, deve pesar bas-
tante e demontrar que o nosso amigo tinha grande
somma de razo, para faser pender em seu favor
a balauca da justica, ao passo que o seu comman-
dante era coronel 1!
Outro facto: O tenente Mello Filho inimisou-ae
na campaaha esm um capito do seu batalho, h je
reformado no posto de major.
Essa inintisade sempre foi mantida nos limite i
da decencia. Em 1875, o seu inimigo fez urna
excurso pela interior da provincia, no commando
de um destacamento, onde commetteu aetos pouco
regulares, para nao diser outra cousa...
Na sciencia de tudo quaato havia occorrido, o
que fes o nosso amigo, a quem gustosamente de-
fendemos ? Nao foi para imprensa atacar e inaul -
tar o seu inimigo, nao; pegn na peona e tet ama
representaco contra o capitc, que foi submettido
a conselho, do qual sahio-se muito airosamente
pelos grandes empeos que pos em jogo, at para
o tenente Mello nao accosul-o perante o mesmo
coaselho!
Isso, nos parece ser mais nobre do que o in-
sulto, a calumnia, o apodo, a injuria e a diffama-
cio.
Em coacluso: o Sr. tenente Meilo Filho, tem
a sua vida militar muita coohecida.
Assentou praca no 9.' b.talho; com elle foi
para guerra, onde fez toda a campanha, sem ter
estado um s dia fra do batalho; nelle voltou e
se ci-nservou at a lucta com o sea ex-comman-
dante e a que acabamos de nos referir, occasio
em que foi transferido para 2., d'onde sabio para
o corso de estado muior de 2.* classe.
Ksteve por duas vezes, e interinamente, como
adjuncto directora do Arsenal de Guerra desta
provincia; d'abi asaeou para o quartel general,
onde ainla e conserva
A sua vida Barritar, est pois, bem patente, e
estamos certos que elle nao dita como alguem, que
tambem faz parte do cor aa diffamaco :
O rebaixado nao tai ea, porque eu, nao era eu
mesmo...
O Caim da Noom.
O Dr. *omm sloaquini de Fre tas
lleuriques
Dolorosissima fei a-impressio produzida nos asi.
mos pela noticia do extravio que houve nesicofrec
da theaauraria de Peruambuco. O elevado alga-
rismo de 8o0:00J* (que cerca disso repzesenta esse
prejuizad Estad.); as circu*asUoaaaextraordi-
aariaa persoaagans, qua nelle foram autores, tudo coa-
tnbuio para deap.-rt^r o internase publico. Iaque-
ritOTgoro5o foi instaurado adninistrativa e radi-
cialmente e delle reaultou para todos o claro ase
illuminou as mysteriosas profundizas daqaellete-
nebroso att-ntado. D'eatre os fu accionarios, a caio
zelo inexcedivel ae dftve o deacobrimeato da ver-
dade, destacaremos o digno prora itor do Rscfe
cujo nome encima esta artigo. Sacerdotj fidelisti-
mo la lei, aentnella indefaasa do direito, como
seu venerando prog-nitor, o conse'heiro Freitas
Hinriques, um dos mais esplendidos ornamentos
da alta migiatratura brazileiraojivon represea-
tanta dajgul.es publica, na capital de Peruambu-
co, p-netroueom enrgico desasa un Oto aos mean-
dros d-iiu-U; labyrintho, e tendo s em vislsa
recta im^arcialidade e o cumprimento do d'ver,
assignalou oa criminosos, desmascarando o ejibast
e pondo em evidencia o artificio fraudulento de au-
tores e cunplicea do audaz atteatado.
Sao p.-cas jurdicas mselos aa promoedes, qae
o digno pnmotor formalou denunciando o th-soa-
reiro da tbesouraria de fazenda, e sea Sel, o res-
oe-tivo insoector e o filho do tbosoureiro, qa-! l-
legalmente, e com toleran-.-ia lo inspector, guar-
dava as chaves do eofr, admioiotrava oa dinh'iros
nelle contidos, pagava e recebia sem ter a nomea-
ci> de fiel. A capitulaco, que o promotor fei
dos delict-is de cada um desses criminosos, revela
profundo estudo do Direito Patrio e recommenda
o seu nome admiraco do publico e s distine-
edes do governo. O iaspec:or, que era connivente
nas irregularkladea do theaoureiro, com quem vi-
va intimamente ligido, <:imo si provoalno po-
da deixar de ser claasifiaio como prevericador.
Querer eneabecar o seu delicto em ootro artigo do
ligo, descoohecer os prtsefpios comesinhos ia
Jurisprudencia Criminal, mi c^muiBtter m erro
intencional, no intuito iatei-ess.l i le Ihe mino-
rar a impatabilidade.
Quanto o Elbo do paesoureiro, que servia de
fiel sem autorisaelo competen"", inflama eviden-
tem'uto ii ia pjins Jo peca|ato.
Na refatacio das razdea proluzid ia pelo acou-
sado para obter danca provisiria e habeos corpas
(r'medios que foram negados pelos tribasaes), aa
ssatentaeia d)3 priilegioa da fazenda quanto 4
orisio administrativa,revelou tambeui o Dr. Prei-
tas Henriques grande coiade solida instruyelo
jnridia, qui mos'ra > quanto tem eporpalsado is
nossas leis e seua commntadores
Como o foram aa suaa promoedes sobre estes,
pontos, da crer qua tambem sejam aceitas as
que deu a respeito das clasaificacd;s dos delictos.
Assim triumphar a juste* ser dado salutar
exemplo aos depredadoras da fortuna publica, qae,
fiados na grande proteceo, queches prodigalisam
alardeara que rombaro da autoridade e do deeoro
publico.
Peaa que o ministro da fazenda nao mandasse
publicar no Diario Oficial as pe?as dsts impor-
tante pr icesso, que tem vi.id luz em Peroam-
buco. Nao comprabendemos o silencio, que se
guarda acerca desta hada scelerum ?
(Do Jornal do Cimm'.rc o di C >rrei.
Agradecimento
Os encarregados e devotos que promover ti ao
dia 17 do corrente a testa, em honra da gioriisa
Virgem do Carmello, faltariam a um sagrado de -
ver se deixassem de manifestar 9 sincero agrade-
cimeato em que Acarara aos dignos e Rvrns. sacer-
dotes que bondo-1 e desintereasadamsnte aux'i-
ram aquelle a t, de piedoia homenagem, rendida
a Virgi-m Mi de Deus.
Declinando os respiitavaia nomes destes sacer-
dotes, couoecar"r-i 's polo jv-n celebrante Rvm.
padre Joo Ou 11. o meu < iar un em seguida
03 dous dtstinctos pregadores : Rvm. vigario Au-
gusto Frankiin Mireira da Silva, qae se incumba
di sermo da testa, elevndose altura a que
aempre attinge o sen talento e loog* pratica da
tribuna sagrada, e o Rvm. padre Jos Paulino de
Andrade, quo bem deserapenhou o sermo da noi-
te.
Finalmente as jovena seminaristas que auxilia-
ran] a testa, e o prestante clerico Juvenal se tor-
uaram dignos da nojso ajradecim -uto.
Deixamos de mencionar o nome do liustre Rvm.
padre Julio, por ser elle tambem um d os que pro
uiivea a festa.
Pebres e sezoen.
Caras admtravel*
15
O Dr. Egbert Simms, aati gantes te um dos mam-
broa do Collegio Medico de r'hiladelphia e presen-
temente um dos mdicos mais popular em Miae-
sota, escreve a um ami.ro em Nova York, qae aa
pilulas assucaradas de Bristol, esto produzindo
maravilhas naquella reguo em casos de febres e
sezes e febres biliosas e inteimitteotes.
O extracto seguinte de suas observaedea foi pu-
blicado com a devida permisso do tal amigo,
quem fra dirigida:
Cono Vmc. sabe, eu son mu pouco amigo de
remedios aonunciados, e principalmente pilulas ;
a maior parte dellas para nada prestara, e muitas
sao pengosas. Porm as pilulas assucaradas de
Bristol, formam urna h onroaa excepcao. N) se po-
da desejar melhor pilulas para o uso da familias.
Nao ha, segundo nao me engao, em toda a phar--
macopea cousa que com ellas se possa comparar;
nem isto ainda tudo, as qualidades antibiliosas
das pilulas as tsrnam um remedio positivamente
incstiraavel para a cura daa febres biliosas e in-
termitientes e sezdes, to communs nesta latitu ie.
Eu as acbei de urna eficacia excellente no curati-
vo de tabres, calefrios e sezdes. Ellas sao tanto te-
nicas como aperientes e podem ser administradas
com grande vantagem, n'aquelles casos em que oa
purgativos drsticos poderam ser altamente pe-
rgoaos.
Ellas se acham acondicionadas dentro de vidri-
abas e por isso a sua conservaco doradora ea
todos oe climas.
Em todos os casos provenientes ou aggravados
por impureza do sangue a Salsaparrilha de Bris-
tol, dever ser tomada conjunctamente com as pi-
lulas.
Ene ntra se venda em todas as pharmacias e
drogaras.
Agentes em Peruambuco, flenry Forster & &,
ra do Comraercio n. 8.
Em hoffltnageiii verdade
Acontecimentos se do na vida humana que
cmquanto relativos a um s individuo, interes-
sam, todava a todos, em geral.
Nesta ordem de tactos, est indubitavelmante
adstricto o da conservaco da vida, isto da vida
CGn sade.
Ua quem diga, de si para si, que a nica con-
vieco firme aquella que se funda nas provaa
qae cada un adquire pessoblutene e nao aquella
que se transmitte ao individuo por tactos que se
do com outrem. Ma essa asserco, sobre nao
ser mais o que um paradoxo inacceitavel, mais
do que isso, pois significa a expresso mais anti-
pthica do egosmo.
t*oiB justo e admissivel que s acreditemos
em nos meamos ? Pois nao haver, n'aquelles
que nos rodeiam, roessoas que merecam tanta con-
tianca como a que temos no que experimentamos
ou no que presenciamos ?
Aquellos que lerem estas lionas, far uos-hab a
justica de crer na sinceridade d'ellas ; cao as-
sim ?
Pois ah esta a resposta mais lgica aos argu-
mentos capciosos dos que nao crem nos eloquen-
tes attestados passados em favor dos prodigioeoe
effeitos do Peitoral de Cambar, preparoslo cojaa
materias componentes nao sao, em nada, nocivas
sade e, alm disso, permittem que esse reme-
dio seja o preferido pelas senhoras, creancas e
pessoas de paladar delicada. a
Em homenagm verdade, pois, rigoroso dever
de quem, como nos, sabe das innmeras coras
produzidas pelo Peitoral de Cambar, apressar-sa
a fazer publicas essas mesmas curas, afim de, ow
isso, prestar relevante ervics a humanidad*
A voz da verdade.
Recife, 11 de Abril de 1887.
Clnica do Dr. Silva Ferrcira
Especialidades, molestias de Senhoras e de
selle. 1
Consultas de 1 as 3 horas.
Ra da Cadeia n. 53.
Residencia temporariaPonte d'Ueha n. 55.
TELEPHONE417 .



1
riisfifln


HMimiiMumniiiiMil ih.'Miraau.
Diario de FcrisanibocnDomingo 24 de Julho de 1
^4


Thomaz Espuca
HIUOUSE
Ra do Imperador n. 67, primeiro andar.
Lanmaii k Kemp
Previnem o piblico que existem neet praca
itnitafes fra'idulentas do seu oleo pbc de fi-
oado db bacalhocontra as quaes se deveui
acautelar os consumidores, p ir isso que o u"0
d'eaaes leos falsos ser em prejuiso dos
doentes.
Entre esaas ialsificacoes ha nina quealm da
differenca ua pnresa do liquido que s pode apre-
ciar-se comparando o oleo verdadeiro com o falso,
encana fcilmente os acantos, e por isso apresen
tarnM as diff trences que existem nos fraseos e in-
volucros :
A circular que acompanba -adx frasco deve
ser issignada porLanm Kemp^o ua >=
Lennon 4 Kemp -como na falsifioaco.
Osnossos frascosas tres lados descobertos
traiem em relevo no rxesmo vidro as siguite
palavris : -Coi liver l Lanman &c Kemp
New York, em quanto que os falsos vidros tem :
Refined Coa Liver Oil=New- York
as nossas capsulas metallcas l-se -.Lan-
man & Kemp, Droguistas, Nueva York, em quanto
as falsas se l :Coi Liver OU=Refined=Nae
va York.
R commeadamos, poie, aos doentes qne quize-
rem usar do nosso oleo, e retirar es resultados
maravlhosos pelos quaes se Mas acreditado em
todo o mundo, t-nhain todo o muda : m exaai-
nar os frascos que compraren!, para n.o serem
engaados por infames fa'.sificaeo-'s.
Tambem ha muitas falsificado s da nissa aoua
FLORIDA DB MORBAT 4 LAHMAN, B TNICO ORIENTAL
db kbmp, falsificaco.s essas preparadas feralmen-
te com substancias prejudiciaes pelle e ao ca-
bello ; exijam, pos, os consumidores os v rda
deires e nio recebam outros.
HA VENDO BEQISTRADO NE8TS IMPERIO TODAS AS
OSSAS MABCAS 1KDUSTBIAES E BOTLOS, PBEVENIM03
CS IMITAOOBKS E FALBITICDOBES, QOE PB CBDBBEMOS
CONTRA BLLES NOS TBIBCNAES, EM PBOTECCO DE
BO6S0S DIBEITOS.
Peruambuco, 28 Junbo 1887.
I.anman & kemp.
Cal de aagoarlbe e *- Beato e
cal vlrgem
O abaixo assignado avisa aos Srs. con-
sumidores da cal de Jagu^ribj e S. Beoto,
qae o Sr. Vicente doNaseimento cootini
a ser o nico que recebe a ver iadeira cal
de Jaguaribe e S. Beato, e as tem expos-
to venda nos seus armaz-3 s de tna'e
riaes Pra9a da Concordia na. 11, 13 e
15 e toda a cal que nao for vendida par
intermedio do mes rao s-nhor, nao ser
veraadeira.
Assim corao : que a cal virgero, de que
contratante e receb^dor o mearao Sr. Vi
cente, contina a ser vendida pelo Sr. Se-
bastiio Bezerra ra do Bom Jess n.,
23, a 60000 a barrica.
Jos da Costa Pereira.
Dr. Garpeira un.
EDICO
Tem o sen escriptorio ra Duque o Caitas
n. 74, das 12 s 2 horas da Urde, e desta hora
em diante em Ba residencia ra da Beata
Cruz n. 1.
Especialidadesmoestias de seniora e crian
{as.Tolepboue o. 326.
f.MMERCIO
iijiixiunHV^
Scrviqo da Agencia Havas
LIVERPOOL, 22 de Julbo.
ASSUCAR: Cmlmo, precosi auatea-
tadosj.
O de PerBambaco n. O. vndese *
lie por quintal.
ALGODAO:Herrado multo calmo.
procos em tendencia para balsa.
O FAIR de Pernambueo ende-e
a sil 16 d. por libra.
Venderam-se boje dorante o dia
cerca de lOOO Cardn.
NEW-YORK, 22 de Julbo.
ASSUCAR: Mercado activo, preeoa
fl rosea.
O FAIR REFINlNG.e Pernambueo
vende e a 4 9/16 cent, por libra.
Agencia Havas filial em Pernambuuof
23 de Julbo de 1887.
Bolsa commerclal
IJOTACOKS OFFICIAE8 DA JCSTA D08 COR-
KECTOBES
Recite. 23 de Julho de 1887
Camoio sobre Londres. 90 d|V. 22 5/8 d. por 1*,
do banco, bonteui.
Dito sobre diu, 90 d/v. 22 1(2 d. por 1*000, do
banco, boje.
Cambio sobre Lisboa, 60 d/v. 134 0/0 de premio,
particular, hontem.
i> resiaeuc,
Antonio Leonardo Rodrigues.
V secretario,
Eduardo Dubeux
Hovlmento banrarlo
BECIFE, 23 DB JULBO DB 1887
PRACA DO RECIPE
O mercado de cambio esteve boje aera movi-
ment >.
Os bancos mantiveram do balco a taxa de 22
1/2 d. sobre Londres, constando apenas urna pe-
quea transaccao em pipel particular a 22 U/16.
PRAQA DO RIO DE JANEIRO
Nao bouve alteraco na taxa eflicial, que conti-
na a ser de 22 1/2 d. sobro Londres.
O mercado esteve paralysalo.
As tabellas expostas aqui foram estas :
Do Internacional :
90 d/v vista
Londres....... 221/2 22 1/4
Pars........ 422 426
Italia.......... 426
Hamburgo...... 523 528
Lisboa e Porto..... 236 233
Principaes eidades de Portu-
gal........ 243
New-York...... 24250
Do Lobdob Bahb :
90 djv vista
Landres....... 221/2 22 1/4
Pars........ 422 4.'6
Italia........ 426
Hamburgo...... 523 528
Portugal...... 236 38
Sew*York ...... 24250
Do EflOUSR Bank :
90 djv vista
Londres.......22 1/2 22 1/4
Psris........ 422 426
Italia........ 426
Hamburgo...... 523 ~o28
Lisboa e Porto..... 236 238
Principaes cidadss de Portu-
gal.......... 243
U(p dos Acores....... 246
UsU aaiilher d Austria
Perto da alii de. Zilhngderf, na Aus-
tria Baixa, vive Mari* Haas, urna mulber
intelligente e industriosa, cuja historia de
8'flFriuieQto physico o ulterior alivio, conia
da por el'a rm pessa, de ioteresse
muloeres- '.ueri empregada, diz ella, oaa
li es de urna lavoara. Trabalho excesivo
d-u origom a .ore de ebey< icompanba
das de desmaios e vmitos, at que por ul
lino nao poJia reter no estomago alimento
uu bebida. Vi-me na necessidade do tioar
de cama por algumas semanas. Aehando-
me um pouco melhor com o deacango <
socego, tratei de me dedicar ao trabalbo,
porm cedo fui atacada por urna dor no
lado, a qual dentro de pouco terapo pareca
que se espalbava por todo e mcu corpo e
palpitava em todos os membros. A isto se-
guiose urna toase e f*lt do respiracao at
que por fira nao podia cozer, tive porten-
to de pela segunda vez me retirar cama
e segundo julgu i, pela ultima ves. As pes-
s i..s de miuba amizade disser-tm-rae que
mirilla vez se estava apraxiraando e que eu
no viveria senao at epooha di as arvo
r s se revestirem outra vez de verde. Pur
essa occasiSo aconteceu que um dos follie-
tos da Mai Seigel uie veio s maos, Li
e minha cara mai coinprou-me urna gar-
rafa do xarope curativo da Mai S-.igol qu.-
tomi de ac ordo com a presjripyo, e
mal tinha acabado da tornar uiLa garrafa
quando comecei a sentir me melhor. A
miaa ultima doeraca principiou em 3 de
Junho de 18S3 e continuou at o dia 9 de
Agosto, dia em que comecei a tomar o xa-
rope. C.;do comecei a trabalhar um pouco.
A tosae abandonou-me, e d&j exp^rimen-
tei mais difficuldadca na respirajao. Acho-
me agora completamente curada. E ah
quam feliz su Nao tnbo exprei63:s b:.s
tantes para mostrar a minha grati iio ao
xaropo curativo da Mai Scigtl. Devo
aqui dizer agora que os doutores do n >&-
.o aistricto mandaram distribuir annunuios
prevenindo o pualico contra esta medicina,
dizende que nenhum alivio produz e muita
gente foi iuduzida a destruir os foltietos S-i-
gel mas agora, quando se pode apanhar
um dVlles, guarda e-i como urna reliquia.
Os poucos que escaparam sao pedidos em-
prestados para 1er, e o meu teoho o em-
prestado a distancias de seis milhas vol-
ta do nosso districto. Tem vindo gente de
deseseis inlias distantes d'aqui a pedir me
que lhes compre a medicina para ell -s, isto
por ab -rem que foi ella que m-3 curou e
por se quererem afSrmar de que comprara
o artigo ver ladeiro. Marii Haas
Acba se venda era tolas as boticas,
lujas ds medicina em toda a parte do
mundo, e em casa dos proprietarios, A. J.
Whita, Limited, 35, Farringlon Road,
Londres, E. C
Depositarios na provincia de Pernambu-
eo por atacado: Francisco M. da Silva
& 0.| na cidad > n^ Pernambueo.
Vendedores por retalho, na cidade de
Pernarabuco, Bartholoraeu d C, J. C
Levy dC, A. M. Veras 4C, Rouquao-
rol Frres, Faria Sobrinbo d C, e T. S.
Silva ; em Palmres, A. C. d'Aguiar ; e
em S. Jiao da Igreja Nova, J. A. da Cos-
Silva.
ta e
llha da Madeira
Sew-Vork .
243
24250
Mercado de assucar e Alcodo
JtClFK, 23 DB JCLHO DB 1887
Aemcar
A cotacao deste producto, para o agricultor,
corua a regnlar aos algarismos ubaixj, por 15
kdos :
Mranco, os melbort-s que
apparecem no merend,
regulara de .... 24200 a 2440(1
3.* surte boa..... 1900 a 24100
< regular..... 14700 a 148.0
Hmidos e baixas 14500 a 14700
uiucooa...... 1430W a 14400
Hascavado..... 14040 a 14100
Bruto....... 490) a 14"00
ReUme...... 4700 a 4800
Alqod&o
Manteve se ainda na mesan posicio de hontem,
sem transaccao algums.
Entrada de aaatucar e alsjodo
HEZ DB JLBO
Assucar
Entradas Diaa Saceos
Burcacas...... I a 21 7.915
Vapores...... 1 a 22 404
Va-terrea de Caraar 1 a 22 764
Ammaes...... 1 23 22
Via-terrea de S. Francisco 1 21 9.131
Via-ferrea de Limoeiro 1 a 20 236
Somma.
Entradas
Algodao
Diaa
18.732
Saccae
BEHRENS & Nc KAV
New- York
ESTAD-UNIDOS, AMERICA DO NORTE
Caixa do orreio n. 1274
Agiotes exclusivos n>B Estados-Unidos da
America da Norte dos mais iirpirtani.es jor-
naes e perioiieos d'America do Sil.
AnnuH-ios em qualquer pais ou eai qual-
qner foi ha aos preces mais baixos
Do-se inform-co 's gratis relativas ao com-
meren expirtador dos Estados Unidos aos
coramerciantes e outros interessados.
Nao compramos num vendemos mercadorias,
p ir n diremos a V. onde se ple fiser ambos,
sem expectucao nem aeceitacia de commisso
por tal serviC'i.
Daremos gratis, pagando tambem as despe-
zs de sillo, kb propistns para qualquer es-
pecie de annuncio'f.
Listas correctas, com o endereca dos fabri-
cantes d'Ameri:-a do Norte, os negociantes de
- inm:ts3o, agentes, banqueiros etc., aos mais
baixos procos.
h
i
I
\
1
Oculista
r. Barreto Samparo, medico ocu-
lista, ex-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, >1A consultas de 'neio dia s
3 horas da tardn, no 1. andar da casa
n. 51 ;'. ra do Bunio da Victoria, ex-
cepto nos domingos e das santificados.
Residencia ra Sete de Serembro n.
34. Eutrada pela ra da Saudade n. 25.
Clnica medico-cirorgiCH
DO
Dr. Fernandes Barros |
Mlico aggregado ao hospital
Pedro II
Consultas de 1 s 3 horas da tarde, roa do
Bom Jess (antiga da Crur) n. 30 Residencia
i ra da Aurora n. 127 .
Telephone n. 450
Dr. "
ai'jUo. panciro e aperador
Hmuencia ra liara da Victoria n. 15, 1 audur
^jnsultorio ra Duque de Caxias n. 59.
Da consultas das 11 horas -1a uian s 2 d*
:-ird>'.
Attendi- para os eUtunnduB a qualuuer nor^
U'lephone u. 449.
Dr. Costa Gomes
MEDICO
34 Ra do Mrquez d* Oiinda34
Primeiro andar
Ceusultas da m-i > dia b 3 horas da tard--
Bareacas...... 1 i 21 1.448
Vapores...... 1 22 .3.236
Via-ferrea de Caruar 1 22 >H
Aoimaes...... 1 23 4.055
Via-lenea de S. Fraucsco 1 21 734
Via-ferrea de Limoeiro 1 20 540
Somma.
10072
Desprtaos de exportaco
HEZ DE JULHO
Nos das l 22 toram despachados na Alfande-
ga os artigos seguintes :
Pura fra do Imperio
Agurdente..... 24.245 litros
Algodao...... 684.77j! kilo.
Assucar...... 1,094.7;
Bagos de mamona 15.982
Borracha...... 2.387 *
Caf....... 34 saceos
Cocos (fructa) .... 11.090
Couros espichados 167
Couros salgados. 7.657
Doce....... 15 kilos
Farinha de maudicc 911 saceos
siel....... 9.129 litros
Francboes de amarello. 41
Fraovhdes de vinbatico. 31
Para dentro do Imperio
Agurdente..... 360.782 litros
Aicool...... 14-400 .
Algoddo ...... 784.414 kilos
Assucar......2,020.9071/2 .
Cujurubcba..... 80 caixas
Cera de carnauba ... 1.150 kilos
Cocos (fructa) .... 17.150
Cumar...... 10 caixaa
Doce....... 1.840 kilos
Espanadores..... 2 caixas
Fariuha de mandioca 100 saceos
Fio de alfodo .... 975 kilos
Folhas de jaboranJy 8 velum.s
Oleo de mocot .... 120 kilos
.'leo de ricino .... 5.720
Fji de jangada ... 42
Penoas de aves .... 20 kilos
l'ranches de amarello.
Preparados de jurubeba 1 caixa
Qaejo de serto ... 40 kilos
Rp....... 676 .
Resina de batata ... 1 caixa
Sal....... 32.700 litros
Sola....... 99 meios
Vinbo de jurubeba ... 96 caixas
RECAFITULACO DO ASSOCAB
Para o exterior 1,094.795 kilos
Para o interior 2,020.9071/2 .
Sema 3,115.702 1/2 .
Vapor despachado
Vapor nacional Para, sahido hontem, levou a
carga seguiste:
Para Babia :
', i caixas com oleo de ricino.
Para Rio do Janeiro :
200 B-iccas cora algodo.
16 raixas com vinbo de jurubeba.
Cari'e^ara'a diversas.
SMiitt. a corsa
Estilo seno despachados os aegnintiv :
Brigaa allemao 1. G. ficht, assucar, para o Rio
Grande do Sul.
Barca inglesa sseo. algodao, para o Bltico.
Barca portuguesa Claudina, diversos rticos, pa-
ra o Porto .
Barca nacional Mimosa, diversos artgos, para
o Porto.
Lugar portugus Jd EtevSo, csuros, para o
Po-to
Vapor americano .f'inanc ( chegar;, borracha,
para New-York.
Vapor uacioual '. Francisco, diverses artgos,
para os portos d i sul.
Vapor uacioual Guahy, varios gneros, para os
portos do sul.
Vapor nacional Arlindo, diverso! artig03, para o
Rio Grande do Sul.
Kovio* A oeoearsa
B;ig ie portugus Armando, varios gneros.
Birca iug ist Mar, bacalho.
Barca allem Hanza, kerosene.
Barca nacional Marianninha, urque.
Escuna allem Fritt, xarque.
Escuna norueguense Reform, xarque.
Lugar ingles Mary Cory, bacalho.
Lugar sueeo Anuida, varios gneros.
Lugar sueco Im'S. varios gneros.
Patach) allemao .Word naatoa.
Patacho ingles Echo, carvao de pdra.
Vapor nacional Ipojuca, varios genero i.
Pauta da Alfanrtega
Sta.NA DE 2) A 30 DE JULHO DB 1887
Aasuear retinado (kuoj .... 145
AaMaU brauco (kUaj .... 12
Assucar maacavau (kilo) 066
Alcool (itroj....... I0
Arros com casca (kilo) .... 65
Agurdente e ..... 056
Algodao (kilo;...... 373
Borracha (kilo;...... 1*086
Couros seceos salgados (kilo) 460
Couros seceos eepiebudus (kilo) 585
Cou rus verde (kitoi 275
(kilyi....... 400
Cal ItSlo.j vii'j;..... ^'-'^
Carnauba (kilo) ...... 3b
Carocas de alrodao (kilo) ... 01*
Carvao de pedra ue Cardifi (toa.) 16*000
Caf bom (kilo)...... 460
Cachaca (litro)...... 700
Fariuha de mandioca (litro) 037
Fumo restolho em rolo (kilo) 405
Fumo restolho em lata (kilo) >ri0
Fura- bom (kiio)...... 72
Fumo em toba bom (kilo) .
Fumo em foi ha ordinario (kilo) 400
Gencbra (litro)...... 200
Mel (litro)........ 040
Mimo (kilo)....... 400
Taboados e amarello (dusla) ljO.O
Jaros e dividendo*
Esto ei.iK- pugos os seguintes :
DIVIDA rCBLICA
Apolices gerjes h provinciaes.
LETTBAS HYPOTHECAKIAS
Do Banco de Credtto Real, 7 0/0, ultimo 6e-
oMstre.
BANCOS
Crdito Real de Pernambueo, 2. dividendo,
:asao de 5 0,0 sobre o valor das entradas reali-
zadas do capital, ou 3*000 por aeco.
Brazil, 67. dividendo, na razo de 9*000 por
aeco. Esto ehearng >dos desse pagamento os
agentes Pereira Carneiro & C.
CHUIL DE PEBBO
Trilhos Urbanos do tecife Oiinda e Beberibe,
25 dividendo, razio de 8 0/0. O pagamento
fai-se n> escriptorio da companbia as tercas e
s tbbadoa.
Memorial
T marcado para pagamento da terceira e ultima
prestacij, na r zo de 4'J 0/0, das accoas ltima-
mente emiendas pela Companhia do Bebbbibk.
O Sr. Jos Joo de Amorim, thesoureiro da
Conpanbia de FiaqIo b Tbcidos, est recebendo a
primeira pr.s>.ciao, ua razo de 10 0/0, das ac-
edes ultiiuatmnte einittidas para o levsntamento
da favrica da Torre.
Lyceu de Artes e
Officios
A Imperial Sociedade dos Artistas Mechanicos
e Libertes de Pernambueo, qu> tem a sen cargo
o Lyceu de Arles e Officios, no intuito de Ilustrar
as classes artsticas e manufactoreiraa, mantera
comn j bem conhecido em seu palacete, no
Campo das Princesas, aulas de diversas liuguas e
scieucias, as quaes funeconam em todos os das
uteis, das 6 as 9 horas dauoite
Com o mesmo iutuitemantera i II i urna pe |uena
e m-dtsta bibliotheca, que cora patriticos dona-
tivos, augraenta-se de dia para dia, e franquea-
da ao publico em ge ral diarianiei.t", s mismas
horas cima, o assim como um pequeo museu
artstico.
Assim. pois, com o mu applaudido atento de
tornar bem conhecido o progrtsso das artes e
officios entre ni, a perfuico e utilidade de seus
productos, faser conhecido sens autores, bem
como os lugares de seus estabelecimentor, afim de
facilitar a siihida e o consumo delles, promove
todos os annos, para o dia de su anniv rsano.
segundo disp5s o 6 do art. 2o dos seus estatu-
tos, urna txpjS'C.o dos trabalh. s d'artes e officios
e manufacturas.
E' para a consecuto de t2o aperfeicoado qu&o
vantajoso fim, que a directora di Sociedade vem
pIo presente solicitar de todas squellas pesaoas
que possuem por pergaminho o tiabalno, sua effi-
i-az concurrencia expoaico que em ovembro
deste anno se efectuar em sua sede, Lyceu de
Artes e Officius.
Cumpre tambem a ella t'iser conhecedores os
Lustres acnhores e senhoras qne oquizerem hon
rar cora seus productos, os seus diretos e
Devere
1. Dcvero at 15 do dito mes enviaren) as
amostras de seus vendaveis productos para o dito
Lyceu.
2 Em todos os objectos deverio acompanhar
o nome do autor, ou proprietario dos mesmos
3.o Ser imprescindivel em todo e qualquor
objecto a declaracao do preco e lugar de su i fa-
brica ou deposito.
4.* Qu>- os obj-'Ctos para a r xpusc2o devem sel
tal qual os costuma faser e vendor.
nirelto
Art. 8o do regulameuto da Exp-:siclo Artistico-
Industrial :
Smente aos expositores permittido abrir as
vitrinas para mostrarem aos visitant.a os seus
productos.
A di rectora, conscia de que inuiro se e6forca-
ro para o faustoso resultado deste cerumen to
prove toso e lisongciro a todas as classes iudus-
triaes, antecipa seus devidos agradecimentos.
Secrearia da Imperial Sociedade dos Artistas
Mechanicos e Liberaes de Pernambueo, em 30 de
Junho de 1887.
O Io secretario,
Paterniano Barroso.
Cliaica medico-cirnrg'ca
DO
Dr, Alfredo Gaspar
EspecialidadePartos, in.>ln8t.'*n .1: ftjaharsM e
oriangas.
Residencia Ra da Iraoeratri u ;4, segunde
andar.
Aos fuantes
SOBBE 08 CHARUTOS DA
Fabrica Barretto
principalmente os
PXKISVE^SBaS
Com um annel designando o nome
parisienses
Previne-se ao publico que a fabrica BARRET-
TO deixou de existir desde que morreu irada-
do Barrello. seu proprietario, e desde ento
anda por ah urna chusma de especuladores que
compraram em leilao urnas etiquetas que tinhs
fabricante a empregal-as em quaesquer cbiru.
para illudir os consumid >res ; e como taea charu-
tos sao vendidos quas de graca, ba por ah muito?
depsitos menos serios que os comprara. Tome
bi-ra uota o consumidor onde encontrar charutos
da fabrica Barretto. esse deposito nao serio,
porque p ictua cora os taes especuladores custn
da ba t d >s incautos.
Estamos organisando nma lista desses depoai-
i.ie para informar o publico, a qual brevemeute
s-'r publicada.
A Vebdade.
(Do Jorml de Not.c\as da Bah\a, a. 210.)
Fa'ricaBirr*
Dr. Bapflsta Fragoso
Medico. Consultas das 10 s 12 no Io
andar da Pharmacia Francesa ra do
Barao da Victoria n. 25 entrada pela ra
da Paulino Garuar?, antiga Gamboa do
Carme. Residencia estrada de J.-ao de
Barros d. 24.
I
MEDICO HOMEOPATHA
Dr. Ballhazar da Silveira
Especialidadesfebres, molestias das
enancas, dos orgaos respiratorios e das
enhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
'ora da capital.
AVISO
Todos r-s chamados devem ser dirigi-
dos pharmacia do Dr. Sabino, ra aa
Baro da Victoria n. 43, onde se indicar
sua residencia.
Telephone n. 226.
Collcgio de Sesfea Sc-
nhora da 'enha
Para o stxo femimtto
Funcciona ra da Auror i esquina da ra
For mesa.
Para prova do que dissera '8, veio imprensa
um individuo, coro a asignatura ioerso* fuman-
tes, (infirmar as nossas as.iercoes relativamente
falsifi-ayao dos charutos Parienie. posta
em pratiea por diversos cavalhe.ros de industria.
Veja o publico com que sans fujon o especula-
dor pretendo ainda tustentar que o seu procedi-
mento rauit > regular .'...
Um indiviliio d'esses e pode compararse com
um gatuno que apanhado com um furto na mao,
mus que nao cera, n im quer I rgar a presa !
Cuidad) com os eavale\ris de industria!
O depisito que pactua cora esa ladroeira, nao
pode ser serio, brj: principalmente que a cousa
est esclarecida.
A lista que vamos publicar s-r s a dos depo-
sites em qre taes charutos estiverem de hojo em
diante.
A Vehdadb.
(Do Jornal de Njtc\at da Baha, a. 240
Charutus da Babia
Os Terdadelros
A' ron da Madre de Deus n. 35
O Calangro contina a vender de diversos fa
bricanfs, a caber :
Fragrancia : oV J. F. de Simas.
Utilidade : de U. da Costa Ferreira.
Barrett-i : de Gracmdo Aarretto.
Livor : de Aot.ero i h.aves.
A Nova AHianc* : de V. Bardoso.
birlos: le J. C. Miffxlha s,
Alme.da Machado & C.
Pernambueo.
Consultorio medico-
cirurgico
J Dr Castro Jess, eouraa-io mais de V aauo
la eacruimlosa ubservacao, reabre consultorio nese
a eidhd, 4 na do Bom Jesus (aotiga da Crai
a. 2d, l.u andar.
lloras le cousultas
Oc dia : ducl s da tardo.
De noite : das 7 s 8.
as demais horas da noite ser encontrado ni.
itio & tavessa dos Remedios n. 7, primeiro por-
.i/i esquerda, alm 'O porco do Dr. Cosme.
O prai marcado para tal reeeaiaaato termiu.
uo dia 27 do corrente.
A directora da EsraADA de Pao de Ribbibo
ao Bon.to marcou o praxo u- 60 Ji>, que termi-
nar* a 4 de Agosto vindou'o. p.:ra os accionistas
recoluercm a 6." entrada de 10 UA; de suas ac-
coes.
C->m o detconto de 4 0/0 e at 30 de Setemb-o
vindouro, senVj substituidas na Thbsoobabia de
Fazenda as notas do valor de. '000 Ja 5. estam-
pa, 5U00 da 7.' e 10*000 da 6.
Importaco
Vapor nacional Para, entrado d>s por
tos ilo norte em 23 du corrente e consig
uado ao Visconde de Itaqui do Norte, tna-
nifestou :
Barris vasios 20D a Menoel Marques de
Oliveira, 130 a Amoro Imiaos & C.
Cat 50 6aecoB a Feroandes & Irinaos,
80 a Fraga Rocha C.
Jlal-s 11 a A. D. Carneiro Vianna, 7 a
a R drigues Lima & C.
Pipas vasias 41 a l'ereir.i Carnoiro &
C,. 21 a Antonio Maa U Silva ; 20 a
Aff odso Ti borda, 5 a .Vi a noel Marques
de Oliera.
Salsaparrilha 10 encapados a Jos da
Silva Reis.
Tapio i5 paneiroa a Costa Liiua C.
Bar ja io^leaa Mara, entrada jde Te.-ra
Nova em 23 do correte e consignada a
Johuston Pater & C, matifostou :
Bacalho 3.41*8 barricas o 750 meias
ordem.
Lugre ioglez Mary Cery, entrado de
Terra Nova na mesmo data e consignado
a Sauuders Brothers {& C, manifestou :
Bacalho 1850 birricaa e 1480 meias
aos ccDsignatarioB.
Eiuorl.;c.
SJtCIFB. 22 DB JCLHO DE 1887
Para o exterior
Na barca portugueza Claudina, carrega-
ram :
Para o Porto, J 8. Loyo 4 Filho 603 ssccos
com 45,000 kilos do aesucar mascavado ; P. Car-
neiro & C. 50 saceos com 3,750 kilos de assucar
branco e 727 ditos com 57,526 ditos de dito mas-
cavado.
Na barca nacional Mimosa, carregaram :
Para o Porto, M. Lopes S k C. 200 saceos
com 16,000 litros de farinha de mandioca ; tt.
Lima & C. 58 saecas com 4.330 kilos de algodao.
No vapor amerieano F.nance, carregaram :
Para New York, Julio 4 Irmo 5 barricas com
502 kilos de borracha.
Para o interior
No vapor nacional Arlindo, carregaram :
Para o Rio de Janeiro, J. S. Liyo & Filho 181
saecas com 11,521 kilos de algodao.
No vapor nacional Pard, carregaram :
Para o Rio de Janeiro, P. de Oiveira Maia 1
caixa com 40 kilos de qneij >s ; A. F. dos santos
4 volumes com vinho de jurubeba.
Para Victoria, A F. dos Sautos 1 caiza com
preparados de jurubeba.
Para Babia, A. F. dos Santos 8 barricas com
f ilhas de jaborandy.
No vapor nacional Jaguaribe, carregaram :
Para Camossim, Fernsndes A 1 rmo 6 barricas
com 360 kilos de assucar refinado.
== No hate nacional Deus te Salve, carrega-
ram :
ParaAracsty, P. Carneiro 4 C. 4 caixas com
oleo de mocot, pesando 60 kilos.
Na barcaca Dyla, carregou :
Para 8. Miguel, J. M. do Nt aciment 5,700
litros de sal.
Dlnbelro
BBCBBIDO
Pelo vapor nacional Para, pan
Carlos Loureofo Gomes
Pereira Pinto &. C.
Braga c 8
Diogo Augusto dos Reis
Prente Vianna 4 C
Duarte & C.
EXPEDIDO
Pelo mesmo vapor cima, para :
Baha
Rio de Janeiro
1:396*730
1:168*100
2:990*090
131*800
4:000*000
2:700*000
53:000*000
6:000*000
noiMn
Dr. Lrerrera da Silva, consultas
das 9 ao roco dia. Residencia e 1
cousultorio, n. 20 ra Larga do / i
Rosario. ) [
Cal virgem de Jaguaribe
V V/^
; db ^S\
REGS jj Jaguaribe I Ti ADA
\^crj^
Avisase :ios senhores de engenho e
mais consumidores desta expeliente cal,
que contioua ser o seu deposito geral a
ru i do Bom Jesus n. 23. Perfeitamente
"barricada e em pedras, como a que nos
vem do cstrangiro e em nada inferior a
esta, continua a s-r vendida polo preco fizo
ds 6&Q00 a barrica.
Alm do deposito geral j indicado, sao
tamban vendedores della os senhores:
Guimaraes & Valente6 Pateo do Cor
po Santo 6.
Lope3 & Araujo38 Rus do Livramen-
to38.
Beoto de Freitas Guimaraes & G Ra
do Visconde de Itiparica 51, Recife.
Clnica rio Dr. Sim5 'S Barbosa, Espe-
cialidades : partos, molestias de senhoras
e de criancas.
Consultorio ra do Mrquez de Oiin-
da n. 64 consultas de 1 s 3 horas da
tarde.
Residencia ra da Soledade n. 78.
T'oohone n. 213.
aa.cadiiuc>ii(n publico*
J-.tZ Ul. JULUO
Altundet/a
Itendn eral :
l) l-2: 537:581.306
lufin ce 23 2.277.353
ite.id.. (..rovinciai :
e l u 22 62.778*923
dem ci 23 2.970,684
609.85S>659
65.749607
1 ie 1 a 22
Icera oe 23
Oe 1 a 22
ij.'ii ii. 23
Ue 1 a 22
I Jera 4t 23
li.uxb'-doria geral
675.603*266
20:937*177
2:212*566
Reoebedoria p,o>nnciai
Recite Drainage
23:149*743
88.6134874
432*886
89:046*760
9:755*457
3641414
10:119*871
Mercado Mnulctpal de + Jos
U movimento deste Mercado uo dia 23 de Jalbo
foi o se^uinte:
Linraram :
36 bou pesHudo 4,921 kilos sendo de Oliveira
Castro, 25 1/2 ditos de Ia qualidade e
10 1/2 ditos particulares.
444 kilos de peixe a 20 reis 8*880
97 cargas de farinha a 200 ris 19*400
38 ditas de fructas diversas a
StH. rs. 11*400
10 taboleircs a 200 reis 2*000
19 Sumos a 200 ris 3*800
Foram oceupados :
24 columnas a 600 ris 14*406
22 compartimentos de farinha a
500 ris. 11*000
22 ditos d^ comida a 500 ris 1U00O
681/2 ditos de legumes a 400 ris 27*400
26 ditos de fazendas a 1* 26*000
18 ditos de suioo a 700 ris 12*60
12 ditos de iressuras a 600 ris 7*200
10 taihos a 2* 20*000
7 ditos a 1* 7*000
A Oiiveira Castro & C.:
54 taihos al*
54*000
236*080
4T77*620
5:013*700
Dove ter sido arrecadada nes'e dia
a quantia de
Reudi ment do dia 1 a 22
Foi arrecadado liquido at hoje
Precos do dia :
Carne verde de 320 a 400 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 800 ris dem.
Sumos de 560 a 640 ris dem.
farinha de 160 a 24') ris a cuia
Milho de 26 1 a 320 ris dem.
Feijao de 640 a 800 dem.
Itaiailnuro !>uttco
Foram abitidas no .tiatadouro da Cabanga 113
reasa pura o consumo do dia 24 de Julbo.
beodo : 87 rezes pertencecte a Oliveira Castro,
te C. e 26 a diversos.
Destas pertencentes a diversos 1 foi para a cal-
doira propriedade ue Jaciutho Raposo.
Embarcacften surtan no porto etn
X de Julbo
NACIOHES
Arlindoconsig. Pereira Carneiro & C.
Armando Loyo & Filho.
Giqui Companhia Pernambucana.
Guahy a Companhia Bahiana
Ipojacai Companhia Prnsmbucana.
Lamego(ennhoneira de guerra).
Marianninhaconsig. Baltar Oliveira & C.
Mimes*4 Baltar Uhveira & C.
Marinho Vil Loyo & Filho.
Manlah Companhia Pernambucana.
Para Companhia Bracileira.
Pirapamaa Companhia Pernambucana.
S. Francisco Companhia Pernambucana.
E8TR1SQEIBAS
Armidaconsig. a Fonseca Irmios & C
Claudina Loyo Filho.
Echo Wilson Sons & C. ,
FriUa Baltar Oliveira C.
\
Gesine Pereira Carneiro Sj C.
lianza Fonseca limaos & C.
linea ordrm.
J. G. Ficht F. R. Pinto Guimaraes.
Joe Estevo Amoriin Irmaos & C.
Mara Job istou Pater & C.
May Corya Sauuders Brothers & C.
Norddeutsch-3 Seewarte Henry Nuesch & C
Osueo W. Sons & C
Polslyornen F.-naeca IrmSos Se C.
Reform H. Londgren 4 C.
SOBTAS NO LAMAH.Vl
Anna Hermane Lundgrin.
O signal indica ter a embarcacao sahido hojs.
Vapores a entrar
DOS POBXOS DO SUL
Financehoje.
Pernambueoa 27.
Neva-a 29.
Camilloa 7 de Agosto.
Trent-s-a 14.
Espirito Santoa 27.
La Plata-a 29.
DOS POBTOS DO NSBTB
Espirito Santoa 3 de Agosto.
Manosa 12.
Pernambjcoa 24.
DA EUROPA
La Platahoje.
Magelana 31.
Senegala 3 de Agosto.
Mondegoa 10.
Tagusa 24.
DE LIVERPOOL
Scultorhoje.
DB BBW-T03K
Alliancaa 29.
Vapores naliir
Arlindo hoje, s 4 hora* da t*rde. para o Rio
Grande do Sul, tocando no Rio da Janeiro e
Santos.
La Plata boje, para Buenos Ayres, com escala
por Bahia, Rio de Janeiro e Montevideo.
Guahy hoje, s 4 horas da tarde, para a Ba-
hia, com escala por Macei, Villa Nova, Penedo,
Aracaj e Estancia.
Financeamanb, s 4 horas da tarde, para New-
York, com escala por Msranhao, Para, Barba-
dos e S. Thomaz.
Pernambueo i 28, s 5 luras da tarde, para os
portos do norte.
8. Fraucsco- 28, s 5 horas da tarde, para Ma-
cei, Penedo, Aracaj e Bahia.
Neva 29, 1 h ira da tarde, para Southamp-
ton, tocando em Lisboa.
Allianca 30, s 4 horas da tarde, para Bahia
Rio de Jaoeir > e Santos.
Magellan 31, ao meio dia, para Valparaso.
>n\ < entrar
Arielie Terra Nova.
Bella Rosade Terra Nova.
Clutade Terra Nova.
Emolatorde Terra Nova.
Florence de Terra Nova.
Farwardde Liverpool.
Honbjrgsundie Csrdiff.
Lidadordo Rio Grande do Sul.
Maredo Rio do Janeiro.
Marinho IXdo Rio Grande do Sul.
Postvodo Rio Grande do SuL
Veritssdo Porto.
Witbelminede Hamburgo.
floviuiento do porto
Natos entrados no da 23
Manos e escala -10 dias, vapor nacional Para,
de 1,999 toneladas, commandante Antonio Fer-
reira da Silva, equipagem 60, carga varios g-
neros; so Visconde de Itaqui do Norte.
Fernando de Noronha2 1/2 dias, vapor Nacio-
nal Giqui, > de 223 toneladas, commandante
Sonsa Lobo, equipagem 29, em lastro, a Compa-
nhia Pernamouca.
Terra-Nova41 dias, lugar inglez May Corj,
de 163 toneladas, capitSo Josep Gross, equipa-
gem 8, carga bacalho; a Saunders Brothers
* C. .
Terra-Nova46 dias, barca inglesa Mana, de
228 toneladas, capitao John Snow, equipagem
10, carga bacalho; a Johnston Pater <& C.
Sahidos no mesmos dia
PelotasLugar nacional Marinho 7, capito
AugustoF. da Cunha; carga assucar.
Rio de Janeiro e escalaVapor nacional Par,
commandante Antonio Fereira da Silva; car-
ga varios gneros.

. .-'
T



*



Diario de PernambucoDomingo 24 de Julho de 1887
*
Casa de euiicacao moderna
EM
Sciencias, lellras e bellas-artes
RA VELHA N. 36
O director e professor deste collegio onsiua pri-
metras lettn.s pelo melhor systema dos principies
collegio da corte do imperio, colheu escrupulosas
observaces.
Recebe meninos internos por 35J0X) men-
saes.
Primeiras lettras ilKO mensue^.
Pur cada um preparat >rio 3#000 mensaes.
36 Ra Ve! ha n. 36
Julio tjares de Azevedo.
Leonor Porto
Ra do Imperador u
Primeiro andar
45
Contina a exeestar os mais dilficeis
figurinos reeebid
Lisboa e Rio do Janeiro.
Prima em p rf.-...-".ode costura, em bre
vidade, inolicitii- era preco> e fino
gosto.
Dr. Lopes Pessoa
Medica e operador
Residencia Ru Lrga do Rosario
38 Io andar.
Consultorio Ra do Boin Jess n.
1* andar.
ConsultasDas 12 i 2 horas da
de.
Chamados-A qualquer hora, por
cripto.
_____a________
os pretendentes devera i instruir suas peticts com
os documentos seguales, que sero apresentados
em original: au;o de exame de suficiencia, cer-
tificado do turne de lingua portuguesa e itrith-
metica, f jlha corrida, certido de idade, attestado
medico de capacidade pbysica, certido ar. caso
de Mr menor de 30 annos, de ter sati afeito a obri-
gaco da lei n. 2556 de 26 de SeUinbro de 1864,
prucurago esp cial, se requer p.r procurado-, se-
gundo o decreto n 9420 i> 28 de Abril de 1885,
art. 203.
Este ser afiliado no lugar do costumo e publi-
cad-) pela imprensa capital. Dado e pausado
nesta villa do Benito, sos 13 das de Julb> e
1887.
. Eu, Joaquim Riberto Pereira, escrivo informo
de orpbios, o tscrevi.Sebastio Ildefonso do Ke-
go Barros.
Est conforme. Bjnito, 13 de Julho de 1887.
Sebastio Ildefonso do Bego Barros.
Certifico que nesta data atfiei na porta da casa
da Cmara o edital do Sr. Dr. jun municipal (leste
termo, marcan lo o praio di: bO das, a couti r de
hoje, para o preeu :'iiin"uto dos oficios de encri-
vio de orpboe, ausentes, provi'doria, capel as e
residuos, rt-c, do qu" tuio don f. Bonito, 13 de
Julhade 1887.O cftjciil de justica, servindo de
p wteiro dos auditorios Vicente Ferreira da
Silva.
37
tar
es-
0 Dr. Thomaz Garcez Garantios Montene-
gro, commendador da imperial ordem da'
Rosa, juiz de direito especial do commer- \
ci desta cidade do Recife e seu termo,'
capital da provincia de Pernambuco, por
S. M. o Imperador a quem Deus guar-
de, etc.
fjTaco saber aos que o presente edital virem ou
delle noticia tivereirj, que por parte de Jos Viei
ra de Siqueira Ferraz, Ihe foi dirigida a policio
do theor seguinte :
lllin. e Exm Sr. Dr. juiz de direito especial
do cominercio. Jus Vicira de Siqueira Perras,
na execucae contra os herJeiroa djr Joo dos San-
tos Co-lbo, requer a V. Exc. que ae digne mandil
citar por edital os ausentes em lugar incerto e nao
sabido, Manuel Liuieuc> dos Sanuis Coelbo e D.
Maria Francisca dos aantot Ujellio e seu mando
Hygino Rodrigues Fercira da Silva, para verein
o supplicaote na ri neira audiencia dVste juizo,
assiguar os seis dias da lei ponhora do sitio em
Campo-Grande, c verem seguir os inais t- rui s da
meseta at final liquidar; ij, esas pena de tevelia.
Os supplicados j foram citados deste modo para
a penhora em dioheiro. Pede deferimento.E R
Me Recife, 18 de Julho de 1887. O solicita-
dor, Thomaz Segismundo de Alineida Barros.
(Estava sellada na forma da lei com urna eaUnpi-
Iba de 200 rs., legalmente inutilisada).
SE mais se nao contmh-t em dita petico aqu
bcni fielmente copiada, d -pois via-se o despacho
do Muh segninte :
Como pede, Kecife, 21 de Juibo de 1887.
Montenegro.
E mais se nao cootinba em dito despacho aqui
bem e fielmente copiado. Em virtude i i despacho
aqui copiado o respectivo escrivo fiz passar .
presenre elital, pelo qual e seu theor rito a Ma-
noel Lourenco dos Santos Coelbo, D. Mana Fran-
cisca dos Santos Coelbo e seu marido Hygino Ro-
drigues Pereira da Silva, para verem o supplicau-
te na primeira audiencia d'csto juizo assiguar os
seis dias da lei penhora du sirio em Campo-
Grande, e verem seguir os mais termos da mesma
at final liquid >caj, com pena de revelia.
E para que cb 'gue so C'-nbecimcnro de todos
tcandei passar o presente edital q:ie s-'r publicado
pela imprensa e ath'xado nos lugares do costume.
Dado e pausado nesta eidade do Recita, capital
da provincia de Pernambuco, a>s 21 de Julho de
1887.
Subscrevo e assigno. Recite, 20 de Julho dt
1887.O escrivo interino, Eneas do liego Bir-
Barros Falcao.
Thomaz Garcez Paranhos Montenegro.
O Dr. Tuouoaz Garcez Paranhos Montene-
gro, commendador da Imoerial Ordem
da Rosa e juiz de direito especial do coro-
mercio dest ciiade Jo R eife, capital
da provincia de Pernambuco, por S Ma-
gestade o Imperador a quem Deus guar-
de, etc.
Faz saber aos que o presente elital virem o u
delle noticia ti verem, qu; se ba de arrematar em
praea publica deste juiz >, depjisda respectiva au-
diencia do dia 18 de Agosto do correte anno o
seguinte :
Um sitio com tres meias aguas, sito no largo da
Casa-Forte, freguezit do Poco da Panela, me-
diado de frente 65 metros e 60 centmetros e o?
fundos demarcando com o sitio do Lima, tendo o
mesmo muro cm ruina na frente e tildo mais em
aberto, cacimba propri;, tendo urna das meias-
agnas 8 metros e 10 centmetros de frente, o de
fuudo 4 metros e 40 centmetros, a outra ornas
mesmas dimenses e outra com 11 metros e 15
centmetros de frente e 6 metros e 15 de fon io
avahado em 1:000*
Um sitio com casa de vivenda e sotao, sito na
estrada do Monteiro. fregnezia do Poco da Panel-
la, tendo a casa de vivenda 4 janellas de frente,
portao de ferro ao lado, parte do muro Ra frente
e parte em cerca e tudo mais em abert), coin 2
galas, 5 quartos, cosiuha fra, dispensa c mais um
quarto coatigao, casa para banbo, coxeira e estri-
bara, quarto para creado, jarritas ao lado, cacim-
ba propria, terraco no fuudo, diversos arvoredos
fructferos, soto em salo, mediado a mesma ca-
sa de frente 10 metros e de fundo 18 m -tros e 30
centmetros avahado em 3:000*
Vo a praca por execucao que move Antonio da
Silva Ferreira Jnior contra D. Luisa Marrillo
da Costa Alves eoutros.
E nao navends lanzador que cubra o prer,o da
avaliacao pelo preco desta. sera fjita a arremata
cao na forma da lei em vigor.
E para que chegue ao conbecimento de todos
mandei passar o presente edital que ser publica-
do pela imprensa c afiliado nos lagares do cs-
tame.
Dado e passado nesta cidade do Recifo e seu
termo, capital da prov ncia de Pernambuco, aos
21 dias do mez de Julho do anno do nasenn-nto
de Nosso Senhor Jess Chrieto de 1887.
Subscrevo e assigno. R-cife, 22 de Julbo de
1887. 0escrivo interino. Eneas do Reg Bu-
ros Falco.
Thomaz Garcez Paranhos Montenegro.
Secretaria da Presidencia de Pernarcbueo, em
23 de Julbo de 18872" seceo.Por esta secre-
taria se faz publico de conformidade com o art.
157 do regulamento annexo ao decreto n. 9420 de
28 de Abril de 1885, o edital abaixo transcripto,
ponda em concurso, com o prazo de 60 das, os of-
ficics de escrivo privativo de orpbos, ausentes,
provedona, capellas e residuos, e por dis'.ribuico,
do civel, crimee coeimercio, e bem assim de 1 ta-
bellio do publica judicial e aotas do termo do
Bonito.
Pedro Francisco Correia de Oliveira.
EDITAL
Juizo municipal e de orphdos do termo do
Bonito
O Dr. Sebastio Ildefonso do Reg Barros, jjiz
municipal e de orphos do termo do Bonito, etc.,
etc.
Faco saber a todos que e presente edital virem,
que, de conformidade com o decreto n. 817, de 30
de Agosto de 1851, art. 11, fLa marcado o prazo
de 60 dia, a contar desta data, par o co .-curso
so provimento dos ofiieos de escrivo privativo
de orph.s, ausentes, provedoria, capellas e resi-
duos, e por distribuic), do civel, crime e commer
ci, e bem assim de Ia tabsl'io do publico judi-
cial e notas deste termo, creados de conformidade
com o decreto de 30 de Janeiro de 1834 e vagos
pelo fallecimeoto do respectivo serventuaro, Ser-
gio Clementino de Sonto Maior e Albuquerque :
mi De ordem do Llin. Sr. eugenheiro direetor
geral, faco publico que ten lo S. Exc. o Sr. pre-
sidente da prov c;a concedido autorisaco Ira
perial Socidade dos Artistas Mechante s Libe
raes para desaprspriar o terreno com seis peque-
as casas, existentes ao lado do sul do edificio do
Lyceo de Artea e Officios, para o estatelecim.uto
de oficinas e aulas praticas annexas ao mesmo
Lyceo, sio pelo presente chamados os senhires
ioteressados, para no prazo de dous meses virem
examinar a planta respectiva que foi approvada
pela Cmara Municipal d > Recite a acha-ae nt-stu
secretaria, e upresentarem as reelamaees que
tivereu., sob pena de proceder-se a arbitramento
para inderauisayao, na forma da lei n. 129 de 2 de
Maio de 1881
Secretaria da repartco das Obras Publicas de
Pernambuco, 3 de Julbo de 1887.
O engenbeiro secretario,
Joaquim Gomes de Oliveira e Silva.
0 Dr. Joaquim Correia de Oliveira An-
drade, juiz de direito de orphaos e au-
sentes, nesta comarca do Recife e tea
termo, por Sua Magostado o Imperador
a quem Deus guarde etc.
Fir;o saber aos que o presento edital virem ou
delle noticia tiverem que fica marcado o prazo de
30 das para os ioteressados apresentarem peraate
este juizo suas reclamaceg sobre a ordem de pre-
ferencia na claesificaco dos escravos que teem
de ser lioertados palo fundo de emancipaco, 7*
quota :
Esclavas casadas com bomens livres :
1 Joanna, parda, 27 annos, de D. Constantina
Ferreira da Silva.
2 Antonia, parda, 23 annos, de D. Maria Jos
de Jeras l'.rerre.
3 Ernestina, preta, 21 annos, de D. Lndovina
Ucba Carneiro (Jampello.
4 Benedita, preta, 32 annos, de D. Delmira Cao-
dida de Sant'Auna.
5 Auta, parda, 48 annos, de Francisco Antonio
C irreia Cardoso.
Escravos casados c >m mulheres livres :
6 Silvestre, prete, 30 annos, do Dr. Francisco
de Paula Correia de Arnujo.
7 Emiliano, pardo, 39 annos, de D. Francisca
de r*auta Cabra!.
8 Joo, preto, 31 annos, de Manoel Correia de
Araujo.
9 Taeo lusio, preto, 38 annos, de Silva & Alvaro.
10 Fraocelino, 32 annos, do Baro da Soledade.
11 Quintn, pirdo, 24 nnnos, de D. Maria do
Carino Carneiro Campello.
Coujuges escravos de differentes senhores :
12 Hereulaua, parda, 34 anuos, de D. Joaquia
Emilia da Silva Vnlaca.
M'ies viuvas cu s ilteiras com filbos escravos
menores de 21 annos :
lo Maria, preta, 41 annos, de D. Maria Militana
Monteiro.
14 Francisca, preta, 18 annos, da mesma.
15 Manoel, preto, 20 annos, da mesma.
16 Rita, parda, 37 annos, de Dr. Francisco de
Caula Correia de Anojo.
17 Agostinho, pardo, 20 annos, de D. Anna Mara
da Couceico.
Conjuge; casa filbos menores de 21 annos :
18 M.rcolino, pardo, 50 annos, de francisco An-
tonio de Oliveira.
19 Maria, sem-branca, 55 annos, do mesmo.
Mais viuvas ou solteiras com todos os tiihos
livres :
20 Sabina, parda, 21 annos, do Di. Antonio Joa-
quim de Moraes e Silva.
21 Luisa, parda, 34 annos, do D.'. Laiz de Salazar
Moscoso da Veiga Peasoa e Mello.
22 I .bel, preta, 40 aun t, de D. Maria Magda-
lena d- Avellar.
23 Sebastiana, preta, 26 annos de Ignacio Alves
Monteiro.
24 Justina, preta, 27 annos, de D. Maria Clara
Carneiro Machado Ros.
25 Joanna. pirda, 24 annos, de Antonio Jos
Duarte.
26 Siiveris, parda, 31 annos, de D. Maria Gal-
ama da bilva Braga.
27 Leopoldina, preta, 35 annos, de D. Francisca
Leopoldina da Rocha.
2S Vieencia, preta, 37 annos, de Josa de Sonna
Nuoes Braga.
Escravas solteiras e sem fi.h b :
29 Felippa, preta, 27 annos, de D. Maria Eupbra-
sia de Azeved i e Mella
30 Antonia, parda, 21 annos, de Manoel Joaquim
Alves dos Santos.
31 Osmioda, parda, 22 annos, de D. Guimaria de
Mendooca Alves e Lima.
32 Silveria, preta, 23 annos, de D. Josepbioa Tbe-
tnudo Lessa
33 Francisca, parda, 25 annos, de D. Anna A.
Lius Vlela.
34 Geralda, preta, 28 annos, de D. Mara Ceara
Carneiro Machado Ros.
35 Joanna, parda, 25 annos, de D. Isabel Emilia
de Oliveira Ferreira.
3o Helio Jora, parda, 21 annos, de J o Goncalves
Torres.
37 Lu.za, parda, 17 annos, de D. Anna Marques
Avila.
33 Guilbermina, parda, 19 anuos, de Jos da Silva
Ley.
39 Maria, parda, 22 annos, de D. Mara das Neves
de Miranda Oliveira.
40 Vieencia, preta, 24 annos, de Jeo Jos da
Silva.
41 Feliamiua, parda, 26 annos, do bacbarel Ju-
veutino de Miranda Cabral de Vasconcellos.
42 Q nteriu, preta, 20 annos, de Manoel Correia
de Araujo.
11 Aih.mazia, preta, 22 annos, do mesmo.
44 Maria, parda, 30 anuos, de Manoel Jos da
Silva Oliveira.
45 Quitea, preta, 35 au ios, de D. Maria Leo-
poldina Ferreira Lite.
46 Generssa, preta, 35 anoos, de Manoel Correia
ae Araujo,
47 Justa, parda, 39 annos, de Ignacio Ferreira
Toemudo Lessa.
48 Antonia, preta, 43 anuos, de Francisco Jcs
da Costa e Silva.
49 Romaua, preta. 45 annos, de D. Maria das
Neves ae Miranda Oliveira.
50 Cecilia, parda, 45' annos, de Joo Jos da
Silva.
51 Antonia, preta, 49 aonos, de D. Isabel Emilia
de Oliveira Eerreira.
52 Luiza, parda, 40 annos, do Espolio de Fran-
cisco Vicente dos Santos.
53 Sabino, pardo, 17 annos, do mesmo.
Foram excluidos do presente edital os escravos
Rosa, Maria Rosa e Isabel, pertencetes ao Dr.
Joaquim da Costa Ribciro, por se acharen] liber-
tos, confirme a declaraco feilo a este juizo pelo
mesmo doutor.
E para que chegue M
Os refractarios ao pagamento do referido im-
posto sujeitar-se-bao do 1" de Agosto em diante
sauccio dos arts. 8 e 9 do citado regulsmento abaixo
transcriptos.
Recebedori Provincial de Pernambuco, 7 de
Julbo de 1887.
Francisco Aroynthas ,de Carvalho M >ura.
Art. 8o. A venda dos bilbetss de loteras de
cutras provincias em estabelecimeotos ou por pes-
soas que nao estejiui muni.las da competente li
cenca, constitue flagrante infraeco da le e de
fraudacao da renda provincial, ficando snjeito o
infiactor perda dos bilhetes encontrados em seu
poder, que sero apprehendidos, a ao pagamento
do imposto com a multa de 2f) o/ que mo sendo
satisfeito de promp'o, ser cobrado judicialmente.
Art. 9. Sao competentes para 'ffectuar a sp-
prehenso os empregados proviuciaes das repsrti-
goes de fazi-nda, os fiscaea das e imaras municipaes,
hesi-urtiro das taimas provinciaes e autoridades
policiaes, devendo estas, h'm disto, prestar sem
pre o seu concurso, quaudo requerido pelo appre-
bensor.
6
m Pirralw
Sania casa da misericordia do
Recife
Pela secretaria da santa casa de misericordia
do Recife, sao cbauadaB as arase, a onem esto
confiados expjstos, para, pulas > boras da manb
do dia segumla-'eira i de Agosto prximo, e em
companhia das respectivas enancas, comparecc-
rem no salo do estnoeleciment-i, afim de recebe-
rem o semestre findo a 30 de Jnuh > ultimo.
Seeretaria da santa casa de misericordia do
Recife, 22 de Julbo de 1887.
O escrivo interino,
Francisco Gomes Castellao.
A directora fas sciente aos Srs. subscriptores
da nova emisso de acedes p ira o lsvantam nto
da fabrica na Torre, que fica marcado o praso de
30 dias desta data, para pagnmento da primeira
prestacio de 10 por cento, e autorisado o Sr. the-
sonreiro Jos Joo de Amorim Jnior, para ore-
cebimento.
Recite, 27 de Juubo de 1887.
Os directores,
Manoel Jos da Silva Guimares.
Henrique Sareiva,
Secretario.
Jos Joo de Am >riin Jnior,
Thesoureiro-
Rua do Bom Jess o. 3.
MCO IfiTERiCrOA
DO
BRASIL
Capital 90,000:000^
dem realisado ,000:000
A caixa filial d'es'e Banco funeciooando tem-
porariamente ra do Commert io n. 38, saca,
vista ou a prazo, contra os seguintes correspon-
dentes no estrangeira :
Llndres......... s/N. M. Rotbschil & Sons.
Estrada de ferro d Ribeiro
ao Bonito
Pelo presente fa;o sab r aos Srs. accionistas
desta emprezu, que j realizaram a segunda en-
trada de suas accoes, constantes das cautelas na.
18 19, 26, 55,6S,C63, 81, 83,|85, 86, 90, 98,
101, 102 e 104 que em observancia do disposto
no n. 1 do srt. 9 dos estatutos, fica-lhes m ireado e
prazo de 30 dias a contar de 15 do correte mez,
para realizaren) a 3* entrada de ditas accoes com
a multa de 20 %,.
Outro sim, o accionista que nao realizar suas
entradas na forma determinada perder em be-
neficio da empreza as entradas que j tenha feito.
Reeife, 13 de Julho de 1887.
O secretario da directora,
Jo Bellarmino Pereira de Mello
THEATR"
Recebedoria de rendas internas
geraes
O administrador da Recebedoria declara aos
senhores contrib'iintes d )8 impostos de industrias
e profissoes e prelial, que Ibes fica marcado o
prazo de 30 dias, de conformidade com o art. 27
do decreto 5690 de 15 de ,jlh ,1- 1874 e 1- do
art. 20 do decreto n. 751 de 18 de Outubro de
1878, [-ara apresentarem &s reclamacoes que por
ventura tenhara de f izer com rclaco ao ultimo
lancamento.
Recebedoria de Reas Internas Geraes, 22 de
Julho de 1887.
Alexandre de Souza P. do Carmo.
Arsenal de Guerra
De ordeu, do II Im. Sr. major director, distri-
bue-sc costuras nos dias 25, 26 e 27 do correte
mez, s costureras d" na. 51 a 100, de conformi-
dade com os aanuucios anteriores.
Seceo de costuras do Arsenal de Guerra de
Pernambuco, 24 de Julho de 1887.
Flix Antonio de Alcntara,
Alteres adjunto
Thesourariade Fa-
zenda
Pagara nto de costuras.
De ordem do Illm. Sr. inspector, faco publico
que no dia 28 do correte (quinta-fura), pagar-
se-ha no Aisenal de Guerra ai costuras ieitas du-
rante a primeira quinzena do andante mea.
Thesouraria de Fazenda de Peruambueo, 23 de
Julho ae 1887.--0 secretario,
Luiz Einydis P. da Cmara.
Cmara Municipal
Pelo presente sao convidados os possuidorea das
apohees inuoicip.es de na. 151 256 a virem ou
mandar receber os juros das mesmas, vencidos
at 30 de Juobo prximo findo.
Procuradura oa ('amara Municipal do Recife,
23 de Julho de 1887.
O procurador,
Francisco de Paula e Silva.
Estimulo Scieiitifin
Litterario
De ordem da directora desta eorporaco, sao
convidado! es senhores associados a se reunirem
em assembla geral hije, s 2 horas da tarde,
afim de contuiuar-se com a luin-'aco de lentes
para o provimeoto de cadeiras e de membros para
a nova directora da mesma. Cumprindo notar,
qae pela nec-eiisi 1 ide, ter luya a sesso com o
numero de socios que comparecer, e portanto va-
lidos todos os 8 us actos. Recite, 24 de julho de
1887.O 1 secretario,
Pedro Feruandes da Silva Manta.
Devoro de S. Joo
Baptista
Paris...........
Hamburgo.......}
Berlim..........I
Bremente........
Frankfurt s/ Main >
Antuerpia.......
Roma...........
Genova.......
aples.........
Mo e mais 349
cidades de Ita-
lia............
Madrid..........
Barcelona.......
Cdiz...........
Malaga.........
Tarragone......
Valencia e outras
cidades da Hes
panba e ilhaa
Canarias......
Lisboa.........\
Porto e mais ci- f
De Rorbichild Frrcs.
> Deutacbj Bank.
Banque d'Anvers.
Banct Genrale e
agencii.s.
Banco Hypotecario de
Espaa e suas agen-
cias.
dades de Por-?
I...J
)
Banco de Portugal
suas agencias,
tugal e i Ibas
Buenos-Ayres.. ..
Montevideo......
Nova York......
Compra saques sobre qualqucr
rio e do estrangeiro.
Recebe dinbeiro em conta corrente de movi-
raento com juros a lazao de 2% ao anno e por le-
tras a prazo a juros convencionados.
O gerente,
William M Webster
English Bank of tbe Ri-
ver Pate, Limited.
G. Amsick & C.
praca do impe-
No 9 ditslrtclo da freiiie/ia de 8.
Jun du Herlfe
De crdem do presidente, convido a tod js os
no.sos amad >s irmos para compareceris no do-
mingo 24 do correte s 10 boras da manb, afim
de tratar-se do bem estar da mer-ma devoco.
O secretario,
Conrado da Fonseca Silva.
conhecimento de todos,
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa.
Dado e passr.do nesta eidade do Recife, aos 21
de Julbo de 1887, Subscrevo e assigno.>0 es-
crivo interino, Too i-az Ferreira Maciel Pinbeiro.
Joaquim Correia de Olivera Andrade
O administrador da Recebedoria Provincial,
tendo em vista o regulamento de 4 do corrente re-
lativo a cobranca do imposto por venda de bilhei es
de loteras de outras provincias, scieutifica as cat as
de eommercio e as pessoas que no municipio do
Recife, quiserem continuar a cfferecer venda
ditos bilbetes de loteras que, at o dia 30 do cor-
rente mez, devero solicitar desta repsrtico a li-
cenca neeessana, satisfazendo previamente o io-
posto decretado pela lei n, 1884 en seu art. I
2.
Ci Carlos Gomes
Este club dar no dia 30 de Julbo vindeuro o
seu sarao ; os senhores socios podem procurar na
mo do senhor thesoureiro os seos bilhetes, a
contar do dia 25 do corrente em diante, das 7 s
8 i|2 horas da noite, na sede do clab.
Secretaria do Club Carlos Gomes, 24 de Julho
de 1887JO 1 secretario,
Pomp > C- Casanava.
Club Conco dia
Ordentliche Hauptversammlun?.
Freitag den29.Juli 1837.
Alenda 8 Uhr.
Trsktanden :
wie 20der Statuten
aufuahrne neuer Mitglieder.
Daa directorium.
Club Concordia
Sarao danzante
Sabbado 3 l de Julho
Convites penoittidos
A directora.
VENERAVEL IRMANDADE
Santa (ecilia, erecta na matriz
de S. Jos
De ordem da mesa regedora, convido aos ir-
mos professores para comparecerem era o nosso
consistorio segunda feira 25 do corrente, s 3 ho-
ras da tarde, afim de em asjemb'a geral tratar-
se do interesse da mesma innan-lade ; outroBm,
nao havendo numero para assembla geral, a mesa
regedora tomar quslquer resolu ;o, constituindo
mesa conjuneta.
Consistorio em mesa, 21 de Julho de 1887.
Amaro Joaquim do Espirito Santo,
Secretario.
Lililiciifao das casas incendiadas
A companhia Indemnioadora recebe propostas
para a reedificaco das casas terreas ns. 6, 8, 10
e 12, sitas no caes do Ramos, at meio dia de 28
do crrente mez. Os ri tullios nchim-se no es-
cript-irio da mesma companhia, ra do Commercio
n. 44, que sero exhibidos aos oenhores concur-
rentes. Recife, 23 de Julho de 1887.
Oa directores,
Joaquim Alves da /onseca.
Antonio da Cuaba Ferreira Baltar.
Companhia do Bftberibe
Previnn-se aos subseriptores das aecoes da no-
va emieso que o praz > pura o p .yiraento da ter-
cira e ultima prestac) de 40 /,. termina no da
6 do mez prximo vinlouro, come foi previamente
annunciado.
Recife, 11 de Julho de 1887
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina,
Director s cretario.
Nauta Casa de Misericordia do
Reeife
Por esta secretaria sao chamados os parentes
ou protectores das menores abaixo declaradas,
pars, at o da 30 do corrente, npresental-as no
collegio das srpbs, afim e serein ahi admittidas,
visto acharen)-se inscriptas euu primeiro lugar, no
respectivo quadro.
Laura, filba de Miguel de Souta Galvo e Isa-
bel Maria da Silva Galvo
Sydroma, filba de Cosme Damio Felippe da
Silva e Constancia Maria do Carmo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 16 de Julbo de 1887.
O escrivo interino,
Francisco Gomes Castellao.
Club de Reg-atas Per-
nambucano
Pelo presente rao convidados todos os soc'cs
desta sociedade h comparecerem na segunda-feira
25 do corrente, s 7 horas da noite, na sede so-
cial ra da Aurora n. 19, afim de proceder-se a
eleico do novo conselho administrativs e tratar-
se de negocios de muitj interesse para a mesma
sociedade : havendi tess seja qual for o nume-
ro de socios que comparecer. Recife, 21 de Ju-
lho de 1887.
Dr. Barr.s Sobrinha,
Presidente.
k of Rio e Janeiro
lirie
LYRICA ITALIANA
OE OPERAS E OPERETAS
empreza N A.GHE L
Directo LUZ 1IIL0M;
Domingo, 24 de Julho
Grande festival artstico
em honra do actor cmico o director
LMLONE
A pedido de muitos e pela ULTIMA DEFINI-
TIVA VEZ a popularissima opera cmica em tres
actos:
JUANITA
Acabando o espectculo com a sompre applau-
dida comedia opereta em 1 acto :
A CASI DE C4MP0
(-OHP4XHIE DEK MESSACHB-
Rlfift .IRTfflIF^
FJNHA MENSAL
Paquete Senegal
Comuiandante Moreau
Espera-se da Eu-
ropa at o dia 3 de
Agosto, seguin-
do depois da de-
mera do costume
para Bueno9-Ar
res, tocando na
Baha, Ro de Janeir e ate
video
Lembra-se sos senhores passageir.os de todas
as classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo.
Previne-se aos senhores reeebedores de merca-
dorias que s se attender a reclam acoes por fal-
tas nos Totumes que forem reconhccidas na occa-
sio da descarga, assim como devero dentro de
48 horas a contardo dia da descarga das atoaren-
gas fazerem qualquer reclamaco concernente a
volumes que poveruturu tenii-ui seguiJo paraos
portos do sul, afim de poder-se dar a tempo as
providencias necessarias.
Para carga, paasagens, nncorumeadas duiheiro
a frete : tracta-se com o
AGENTE
4gaste Labilie
9 RIJA DO CO.M MEK1 ) 9
i'acilic Sieam .HavigationCompany
STRAITS OF MAGELLAN LDE
Paquete Magellan
t^4
J-f^SuS-
com escala por
Babia. Rio
E' esperado da Euro-
pa at o da 31 de
Jolho, e seguir de-
pois da demora do cos-
tume para Valparaso
de Janeiro e Monte
video
Para carga, passagens, encommendas e din-
Seiro a f rete trete. se com os
AGENTES
Wilson Nona *fc c .. Mmitcd
N. 14 -RA DO COMMERCIO-N 14
Donds para
Apipucos.
A'a 8 bra.
telas as linbas e trem para
MARTIMOS
fiOYALAAlLSrEAl Hm
COIPASV
Vapor La Plata
Baha. Ro
video e
E' esperado da Europa no dia
23 ou 24 do corrente,Beguinds
depois da demora necessaa
ria para
de Janeiro Honte-
Kiienos \j res
0 paquete Neva
Lisboa e
Reduccao de
esperado
do sul no da 29 de
ivinvnt" seguinic
depois da demora
necesaai'ia para
OR
companhia Bahiana de
cao a Vapor
Mac-ii, Villa Nova, teuedo, Aracaj,
Estancia e Babia
O vapor Guahy
Commandante Martins
Segu impreterivel-
mente para os portos
cima no dia 24 de
Junho, as 3 horas di
tarde. Recebe carga
nicamente at ao lf2
dia do dia 23.
Para carga, pa88age8,encommendaEedinbei-
ro a frete, trata-se na
AGENCIA
7Ra do Vigario7
Domingos Alves Malheus
P no por Lisboa
Para os portos indicados seguir brevemente o
brigue por.uguez Armando. Para carga e passa-
geiros, trata-se com os censignatarios Jos da
Silva Loyo & Filho.
rara o Rio Grande do Sul
Segu com brevldade para o porto cima, o
lugar nacional .1/uri'n'io 7J : para o resto da car-
Sa que Ibe falta, trata se com os consignatarios
ose da Silva Loyo & Filho.
passagens
Ida Ida e volta
A' ^onthainpton 1* elasse t 28 i 42
Camarotes reservados para os passigeiros de
Pernambuco.
fara passagens, fretes, etc., tracta-se com os
Consignatarios
\ damsoii Howic & C.
N. 3- RA
DO COMMERCIO
1- andar
N. 3
Segunda-feira 25, ultimo leiio de miudezas e
fenagens, no armazem ra do Marques de
Olinda n. 34.
Terca-feira 26. o de bons movis, vidros, jarros
e i bilbar, na ra do Barao de S. Borja n. 55,
para onde partir o boad que dar passagem gra-
tis, s 10 horas.
Quarta-feira 27, o de 8 cavados para carros,
formando parelba.
Quinta-feira 28, o de cofres, carteiras, armaces
para fazendas, estivas, curros para fazendas e
miudezas.
Leilo
Cnnpu^ula Braslleira de Vave
jcaco a Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Pernambuco
Commandante o capo de fragata Pedio
Hyppolito Duarte
E' esperado dos portos do sul
at o dia 27 de Julho, e
seguir depois da demora in-
dispensavel, para os portee
do norte at Manos.
encommendas valeres
andar,
Para carga, passugens-
tracta-se na agencia
PRAQA DO CORPO SANTO N.
9
Estrada de ferro
DE
ftibeiro ao Bon'to
Por delb>r.-ic:.i da directora, s3o chamados os
senhores accionistas desta empreza, para no prazo
de 60 dias. a contar de boje, rec lherem a 6' en-
trada de 10 / de suas accoee, nos termos do art.
9 2* dos estatutos.
Recife, 4 de Junho de 1887.
U secretario,
Jos Bellarmino Pereira de Mello.
Companhia de edifica-
eao
Tendo assumido hoje a gerencia interina desta
companhia, pjr deliberacj da directora em sua
sesso de hoje, assim o declaro para conhecimento
de todos os uiteressadas.
Recife, 21 de Julbo de 1887.
Antonio V. do Nascimento Feitosa,
Gerente interino.
Capital do Banco....... 1.000,000
Capital realisado......... & 500,000
Fundo de reserva....... 200,00(?
A contar desta data e at ulterior reso-
lucSo, conceder-se-ha juros de dous por
cento ao anno, sobre os salios de dioheiro
depositado em conta corren'3 de uiovimen-
to no vdesmo Banco.
Recebe-so tambe... diuheiro em deposito
a juros por periodos determinados, ou su-
jeito ao aviso previo de trinta das para ser
retirado, mediante as cond,i5'S de que se
dar conbecimento aos i itercssados.
Pernamcuco, 23 de Maio de 1887.
llenry K, Oregory,
Gerente.
Sauta Casa de Misericordia do
Hecife
Na secretaria da Santa Casa arrenda-se os se-
gnintes predios :
Ra do Bom Jess n. 13, 3- n.idar. ,
dem dem n. 44, 1* andar e Jija.
dem do Vigario Thenono u. ti, 1' andar.
dem dem n. 25. sobrado.
dem do Mrquez de Olinda n. 53, 3- andar.
dem do Apollo n. 24. V andar.
Ide n da Moda n. 4'.
lpem dem n. 47. ,
dem idem n. 4".
dem idem n. 37.
dem da Liogoeta n. 14, 1- a .dar.
Becco do Abren n. 2, 2- andar.
Secretaria da Santa Casa da Misercordia do
Recife, 25 de Maio de 1887.
O escrivo intrino,
Francisco Gomes Castellao.
COMPANHIA i'KKVimi. CA**
DE
NavegacSo coste!ra por vapor
fORTOS DO SUL
Macei, Penedo, Aracaju' e Baha
0 vapor S. Francisco
Commandante Pereira
Segu
Jubo, s
tarde.
Recebe
dia 2i.
no dia 28 de
5 horas da
earg
a at e
Encommendas, passagens e dinbeiros frere ai<
as 3 horas da tarde do dia 28.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pemambucana
n. 12
EnaedStalss* Brasil I &
0 paquete Finance
C
E' esperarlo dos portos dt
sul at o din 24 de Julho
depois da demora necessaria
seeuir para
Maranho, Para. Barbados, n
Thosuaz e \cw-Vork
Para carira, pasbarej.a,^ icrnTi^ndas d'nheirf
a frete, tracia-se com o
0 vapor Alliaifa
Espera-ee de. Na*-rort
NewB. wtt o din 29 Julbo
D qo-.. i^Ulrs -:y i da
.i- non. i-j v;iai' > -i -'.
Bahia, Rio de Janeiro e Sanios
Para carga, passagens, e encommendas tracta-
AGENTES
Hcnn Forster A C.
N. 8 RA L0 COMMERCIO-N. 8
:. anda
Do movis, louca, etc.
O Hgento Brito, autorisado pelo Sr. Antonio dos
S. Martina, qu- retirou-se para fra da provincia,
vender o seguinte: 1 mibilia de pao carga, 1
cama francesa, 1 bidet e 1 mesinba para p de ca-
ma, 1 mesa de jantar, 2 marquesoes larga e es-
treito, 2 commodas, 1 jardineira, 1 sof, 2 mar-
quezas e 6 cadeiras de amarello, 1 cabide e 1
quartinbeira de columna, 1 guarda- lauca, 1 baba
grande e 1 mala, 1 mesa com estante, 1 guarda
comida, 1 espelbo, 1 relogio de parede, 1 espre-
guicideira 1 machina de costura, quadros, jarros,
lanternas, candieiron para kerosene, louca, copos,
bandejas, trem de cozinha, 1 carrinho e ostros
objectos.
Ra de Lomas Valentinas n. 78, Io
por cima do Caf Central
Leilo
De 3 barricas com chamiu i com beic', 22 pecas
de lona, 25 ditas de estopa e 12 ditas de cabos
de caire
Segunda feira 25 do corrente
por cceasio do leilo de cabos, miudezas e ferra-
gens, carros para fazendas, bataneas, papel e vel-
las.
Ra do Mrquez de Olinda n. 34
-__^^*^^
Terceiro e ultimo
Leilo
De miudezas, ferragens, perfumaras, lona
e estopa
(Em liquidaran]
ATo armazem da ra do Mrquez de Olinda
n. 34
Segunda-feira 25 do corrente
A's 10 12 horas
O agente Pinto levara a leilo, por liquidaco
e em continoa;o as ft-rrageas, miudezas, perfu-
maras e mais mercadorias existentes no arma-
zem da ra do Mrquez de Olinda n. 34.
Em continuado
e em outro dia que ser annunciado vender o
mesmo agente duas excelentes armaces inglesas
para fazendas, pratileiras com e sem vidracas,
mesas, carteiras e 1 cofre prova de fogo de Milner.
Da armacao e gneros da taverna da ra
do Imperador n. 45 garantindo se a cha-
ve da casa livre e desembarajada
Negnnda-fera, SS do corrento
A's 11 horas .
Por intervencao do agente
(usinao
Leilo
De mobiliss, cnstaes, jarros para flores, reiogios,
objectos de electro-plate, 1 piano, 1 serafina, 1
bilhar, 1 aesoalbo (torro de urna sala spursfa-
sado, bancos de jardim e muitos cu tros movis.
V



I
pGBn
k


'*?-

6
Diario de Peroarobun---Domingo 24 lbi-l
COMiTANDO :
De 1 pitao forte, 1 mobilia de jacareada,
Ihar e sena pertences, 1 serafina, 3 quadros, 1 re-
logio, 3 jarros de alabastro, fios jarroa para
floree.
Un neta e***, 1 gaarda-louea, 2apara-
dsres, 12 e*Wirs, 1 relofo, 4 qaadros, 12 cepos,
24 clice, 4 ganrafa, 3 bandejas, iouca e vidros.
Figuras de niscuit, porta biseuit deelectro-plate,
tructeiras, jardineiras, geUdairas, pnr*a -Aires, -
lher.s; facas e garios tudo de fino metal.
Um aesoalso forro de Bala, 1 garxafsira enver-
nlzada, formando urna dispensa.
Andar superior
Urna mobilia Luiz XV de junco preto e tampo
de pedra.
Urna outra linda mobllU com duoquerqaea, lin-
dos quadroa, vasos para flores, 1 cama francesa e
toilet, movis novos, 1 rico guarda vestido de car-
valho e nogueira, 1 marquezo e outros muitos
movis de casa de familia existentes
Na chcara da ra do Bardo de S. Borja
n. 55
Terva felra. 9V do corrate
i'S II HORAS
Agente Pinto
A's 10 bcras partir o bond da linha da Mag
dalena, que dar passagem gratis aos concurrentes
ao mesmo leilo.
Entrega no mesmo dia por j se acbar dita casa
allngada.
Leilao
Em continuaco
Oe mobilias, pianos, quadroa, espetaos, camas,
guarda- vestidos, mesas, vid ros, objectos de artes
e muitos outros objectos que deixaram de ser ven-
didos no 1. leilao.
Terca felra. 5B do corrate
A's 11 horas
No palacete da ra do Riachuelo, que fox
do Sr. Jos de Vasconcellos
POR INTERVENQO DO AGENTE
Gusmo
Agente Pestaa
Leilo
Das ruinas do'sobrado incendiado sito a ra
do Mrquez de Olinda n. 42, outr'ora
ra da Cadeia do Recife.
Terca feir 26 do crtente
A's i2 horas em ponto
\o armazem a na do vinario
n. I i
O agente Pestaa vender por mandado do Exm.
Sr. Dr. jniz de crphos e ausente-, o terreno e
ruinas do sobrado incendiado sito rua do Mrquez
de Olinda no dia e hora a coa mencionado a quem
meihor eSerta fizer.
Agente Pestaa
Leilo
De duas quintas partes da casa, sita ra
das Trincheiras n. 33, pertencente ao
espolio de D. Joaquina Rosa de Santa
Aona.
Terca felra. do correte
Ao meio dir em ponto
No armazem ra do Vigario Tenorio
n. 12
O agente Pestaa, vender por m..ndado do
Exm. Sr. Dr. juis do orphaos, .mentes, de duas
quintas partes da casa sira ra das Triochairas
n. 33, pertencente ao espolio de Joaquina Rosa
de Sant'Anna, no dia e bora acium wei.citnada, a
quem meihor c tferta zer.
Agente Biilinmi
Leilo
Terca-feira 26 do corrente
A'a 11 1/2 horas
De urna barcaca e sous pertences
O agente cima per mandad) e assistencia do
Sr. Dr. juiz substituto ;o ecmmercio, vender em
leilo no armazem rua do Imperador n. 30, urna
barcaca e sena pertences, cuja barcaca acby-.-e
fondeada no Caes do Rumos, a requerimento oe
D. Julia Apolinariu Pereir da Costa.
Agente Burlamaqui
2/ leilao delinitivo
Terca feira, 26 do corrente
A's 11 horas
No armazem da rna do Impe-
rador u SO
O agente cima pir inundado e assistencia do
lllm. e Exm. Sr. Dr. jniz do con n n rcio e a reque-
i ment dos admmistiadi r- d inassa fallida de
Moura & C., levar a l'-ilo 3 casas terreas tra-
veaasa de S. Miguel, sob us. 50, 52 e 54, todas
com porta e janella, 2 salas, 2 quartos e quintal,
e a metade de outra dita sob ti. 21 ra de Mo
tocolomb, com os mesmos commodos, mais uns
terrenos travesea de S. Miguel.
Os Srs. pretendentes desd j pndem ir exami
nar as casas e terrenos.
Agente Burlamaqui
J; leilo deflnitivo
De divida activa na importancia de....
2:5540410 do espolio de Antonio Alves
Lebre Sobrinbo.
Terca-feira. H do corrente
As 11 horas
NO ARMAZEM A' RA DO IMPERA-
DOR N. 30
O agente cima por mandado e assistencia do
lllm. e Exm. Sr. Dr. juiz da provedoi >i e reque-
rimento do inventarame Jun Nogueira da Silva,
do espolio cima, levar a leilio as dividas.
Os Srs. pretendentea desde j poderlo vir exa-
minar as refundas dividas.
Leilo
de Nlions mallos proprios para
carro, formando lindas pare-
Ibas
Quarta-feira 27 de Julho
A's 11 horas
Agente Pinto
No largo do Arsenal de M>rinba, eaa fren-
te cocheira do Baltasar
O tiente Pinto, autorisadi pelo testamenteiro e
inventarisnte dos bena deimd ,s pelo finado Dr.
Man'el Franciscj Teix< ira, em vi'tcde do alvar
da licenca do Exm. Sr. juiz de direit da provede-
ria de capellas e residuos, levar a leilo, em dif-
ferentes lotes, 8 cayallos preprios para carro,
pertencentcs ao referido espolio.
(Em liquldacao)
vender o mesmo agente uro cavalio de sella bem
andador.
Leil
ao
DE
SrNDO:
Um grande sitio de trras proprias, na estrada
do Arraial u. 5, freguexia do Poco da Panella,
oom grande casi de vivenda, cocheira, e quarto
de criados, duna cacimbas, um tanque, frente
murada e cero arvoredoa de fra?tcs.
Urna casa terrea da ra do Coronel .Suassuna
a. 274, antiga ra Augusta.
Urna dita dita na ra Imperial n. 44, terreno
?rio.
m terreno proprio com 30 palmos de largara e
ttO \/t As eemprimento, sito na lando da cas*
a. 44 da roa Imperial.
Qnlota tale. ?j Ao correte
A's 11 horas
No armaxem rna do imperador n. 16
O agente Martas, la* leilo dos avadios e ter-
reno asim, por inundad" lio Exm. Sr. Dr..'ais ds
provedoria um na preaouca, a reqoerim nto do
testamenteiro inventariantd dos bens deixadis pela
finada D. Candida Rosa de Albuquerqae Le isa.
Leilo
De crotos
Foi transferido para
exta felra do crreme
A's 11 horas
O leilo de 1203 ps de erutos e roseiras que
eero vendidos definitivamente ao correr de mar-
tello em grandes e pequeos lotes.
Nojardimda ra da Palma n. 21
PELO AGENTE
Martins
AVISOS DIVERSOS
Alug^-se casas a 8UW) uo becco de s Cue-
rnos, junto de lj. Gonyallo : a trata.- aa raa di
imparatriz n. 56.
Aluga-ae a lija da traversa do Livr m cnto
n. 10 e a casa da roa do Bartbolomea n. 58, na
ra do Pilar n. 125.
= Precisa-se de urna coaiu'beira e de um feitor ;
no sitio do Dr. Valenca, preximo da eatacao da
Jaqueira, na estrada de Apipucos.
Vende se urna bonita armaco, para qual-
quer negocia ; na ra de S. Joo n. 17.
Vende-se nm piano bom : a tratar na ra
Direita, na loja do Sobrado n. 60.
Ama te leite, offerece-se urna com oom
leite ; oa rna da Assumpcao n. 74.
Pieciss-se de um criaao
rador n. 31, 2' andar.
na ra de impe-
Alnga se por lu000 a casa n. 21 ia Var-
zsa, defroute da estaC/o, com aruiacj ; a tratar
na ra da Imperatriz n. 6.
XLJrTDAS L1STR4S AZIES
61-A' RUa DUQUE DE CAXIA3-61
Telephone sil
Recebeu as seguintes fazendas de nowidade
Velludo de seda pret. liso e com bordndos de
setc.
VetJudilaos pretoe e de cores lisos e lavrados
com contas.
Setins lisos e com matiz de cores a 800 e lf 000.
Renda de seda bespanhola preta, branca a creme
e com bico.
Cretones, alta novidade, a 320 ris, ce res se-
guras.
PercalesJuliuha u Nauinha a 240 ris
La? de quadrinbos escuras com matiz a 320 ris.
Meti* de quadrinbo imitaco de seda Tazecda
larga a 360 ris.
Esguio pardo infestado para vestidos puro linbo
a 360 ris.
iirua Bardo paira rcus* de ui ni nos a 32*
Bramante de quatro larguras a 800 icis.
Magdalena moriin americano fa'irieado especial-
mente para aLe ja das LkSras Azues a 7 000,
com 20 varas, (vale 10*000)
Luvas de pellica< de soda a 25 e 2*500 o par.
Bicoa brancos e creme em matiz a 2*, 3*, 4*
c 5*000 a peca.
Lequea transparentes No'-idad.-s g J*000,
2*500 e 3*000,
Baleiaa a 300 ris a dusia, melh r jualic1 ilc.
I] iotas para epfeite de vestido, todas as corea a
800 ria o masa.;.
Oleo oriza veHadeiro a 900 ris.
Lencos brancas de Bretanha a 2*, 2J500, e 3*,
a dusia, em caixas de fantasa para piesen tes.
Extractos finos, garrafas com inscripto :s para
presentes a 2<000 e 8*000
tnioalra* irm penbar
Jos Augusto Dias
Compras por atacado
O Pelloral de Cambar
tem precos especiaes para acuelles que compra-
rem grandes poroues. Distribmm se imoreseos w
qui m os pedir, contundo as condicoea de vendas :
na ri a do Narqous de Olinda !*S drogara dos
aicos >gentes e depositarios g raes
Francisco M. da Silva & C.
Vademcum a Hornteopalbico
Methodo concisc, claro e seguro de ebrar
homceopatbicamente todas as molestias (|ue
. afHigem a especie humana, particularmente
) (aquellas que reinam no Brasil pelo
\ I DR. .SABINO O. L. PINHO
r\ 5.' edlrriio
consideraveloante augmentada e aunotada.
Vende.se nicamente em Pernambuco.
PHARMACIA HOMtEOPATHICA
Pelo Dr. J. Sabino L. Pinno
ll NABIXO
43 BA do barIo da victoria
kWVYWVWWV ////////11
BTO^VO
THERMOMETRO MEDICO
de Lon BLOGH
(rmiviLsotiDoJ
Si/ntetna extra-itensivel
Qoa ni o experimenta variado algazoa
deida a oontrcelo do vldro.

tdofitto pelM Aeittmii t Medlcint ds ftr
i 22 d teptembro da 18S5. *
!
^^4.?
Tssss m biii isstrntitM insea
Dlaka lul|iitira:
i-oka-ae mi prineipsai Ocas da Iaitrumentoi
de OtmrgU. i^j
tt
$ rai Gross: 18, ni Albonj, m PilIZ
P pasito ea Psriwhssi : j
FRAN" M. dt SILVA & O
rfir/TrfFr*ssrsss\sas?
Criado
x*rec8a-se je asa criado para ooapiss e mais
servidos ; na roa da Imperatriz n. 86, segundo
andar.
Vende-se um i ico piano de tres cerdas, em per-
fcito estado, auixr o mais moderno, por mdico
preeo ; a tratar na ra da Palma n. 69, junto do
sobrado, das 11 horas ao meio dia.
Bom enprego e capital
Vende-se ama padaria com seus pertences, lo-
calisada no meihor ponto da capital. O proprie-
tario da mesma vende per ter de retirar-se para
tora da cidade; a tratar no Caes do Apollo n. 67-
Professora
Urna aenbura de boa conducta, habilitada em
ensinar primeiras lettras, trabalhos de agulha e
principio de msica (piano), dessja empreg%r-se
em algum i ngenh> ; podendo, quem precisar, en-
tender-se no escriptorio ra do Imperador u. 81,
sala de detras, que achara eom quem tratar.
Loja e armaco
Traspassa-se a chave de urna importante loja,
cajo local um dos melhores desta cidade, teado
urna excedente annacao apropiiada a qualquer
genero de negocio ; a tratar na ra do Cabog
numero 6.
GASA DA META
Aos .2:I00S000
Bl metes gar.intldos
23 RUA PRIMEIRO DE MARCD -23
Da 7 lotera da provine a venderam
Martins Fiuza & C oa seguintes premios
garantidos: 1288 e 6892 eom 30jJOOO
cada uro.
Acham-se vnnda os afortunados bi-
Ihetes garartidos da 8a lotera da provin-
cia em beneticio das ins".ituicSes de cari
dade e religiosas, quo se extrabir quan
do fr annuciada.
carwdG'di
a 400 rs. a arroba
Chegou a primeira remesa i do precioso fsrello
de caroeo de algodS, <> mais barato de todos os
alimentes para animacs de raca cavallar, vacsum
saino, etc. O caroeo de algodo depois de ex-
trabida a casca e todo o ole)-, o mais rico ali-
mento que se pode dsr aos animaes para os forta
lecer eengordar com admirare! rapidez.
Nos Estados-Unidos da America do Norte e na
Inglaterra elle empregado (com o mais feliz re*
sultado) de preferencia ao milho e outros farell :s
que sao muito mais caro e nlo aSo de tanta sus-
tancia.
A tratar no Recife Largo do Cor-
po Santo. 1 andar
SAUNDERS BROTHERS & C, largo do Cor-
po Santo n. 11, teem para vender :
Cerveja preta e branca, de M. B. Porster &
Sons.
Dita allem, Pilsrn lie r.
Vinbo Shuey. Amentillado.
Dito Bordeaux, St. Julien.
Whisky, Thiste Blend Sootck Wisky ***
Dito t o *
Presuntas de Adamson.
Maicena de Browns & C.
Phosphoros. Amesfosto Safety Matches.
Tincas em mas3i. branca de sinco, de chumbo
preta e verde.
Zarcao.
Plvora da muito cuuhecida e acreditada marca
ER.
SEM0MXA
De Brons k C, de Glasgow
Major Cnaitodlo Floro da Silva
Frasjooo
Primeiro anniversario
A m3i e irma -s do finado major Custodio Floro
da Silva Fragoso, ped> m a todos os seus pmente.a
e amigos lhe qciram fa'r o carid;>oo obsequio de
assistir as missas que, pelas 8 horas da mar. La do
dia 27 do corrente, mandam celebrar na matriz
da Boa-Vista, pelo eterno repinan daqaelln seu
nunca esquecnlo fiho e irmao.
A familia de Jos Vieente Goncalves Torres,
agradecendo a todas as pesseas que acompinha-
rasa ao ceaoiterio os restos mortaea drste sua in
ditosu prente, convida para as missas, qu; pelo
e;erno repouso de sua alin-., manda r>'sar do c d
vento de 8. Francisco, as 8 horas da manti* de
26 do corrente, sutimo dia de seu f.illecimen'o ; e
desde j confesaa-se grata por mais este aeto de
religiio e canda de.
Este artigo, preparado por um novo pr e-esso
de trigo da meihor qualidade, posaue os elemen-
tos necessarios para nutrigao de crianc-is e doen-
tes, e muito se recommenda por ser de fcil di-
geutao e gosto muito agralavel ; tambem pode-se
fazer urna excellente papa, misturado en partes
iguaes com a maizena dos mesmos fabricantes,
addicionandc-se-lh algum leite. Unieos agentes
nesta jraca, Saunders Brothers & C-, largo do
Ccrpo Santo n 11, primeiio andar.
FTOBIDA
Hua Duque de Casia n. IOS
ADMIRES!!
Cintos modernos a 1-VKX).
Luvas de pellica a 2|$500 o par.
dem de seda a 2d000, 2500 a 3000 rs.
o par.
Fitas de velludo a n. 9 a 6f$000 d 5 a
400 rs. metro.
Alburia de .^OOO al 8000.
Ramos de flores finas a 15500.
Luvas de escocia para menino, lisas, e bor-
dadas a 800 rs. e 1,5000 o par.
Porta retrato a 5C0 rs. 10000 1#500 e
2,5000.
Anquinbas de 10500, 2#50O, e 30000 urna.
Plisseis de 2 a 3 ordem a 400 rs. 500 rs.
e 600 rs. o metro.
Pentes para cc com inscripgSo.
Enchovaes para baptiaadoe a 80, 90, e
It'OOO
1 U x papel 100 cnvclope p..r 800
rfis.
C.' p ias a vco p..ra .-.oivas
Suap> D8iTna amcre-QOS a 2500*
La p ra bordar a 20800 a libra.
Estoj is para crochet a 10000.
Bico de ci.re8 corr 2, 3, 4 dedos de lar-
gura a 30000 40000 e 50000 a peca. -
Lindos broches a 30000 10000 e 500 rs.
Lequea para menina a 200 re.
Linh.s para machina a 800 rs. a duzia.
Garrafa agua florida a 800 rs.
Leques com borlla a 800 rs. um.
bicos brancos para setineta, cretona e chi-
ta para correr babados a 10000 10500
a poca com 10 var..s, e barato.
Albuns de chagrn, velludo e velbotina
para 50 e 60 retratos a 60 70, e
80000 um.
Meias de escocia pan senboras a 10500 o
par*
Lencos de linho em lindas caixas.
Bicos das ilhas muito fin i proprio para toa-
lhas e saias.
dem brancos com 5 dedos de largura a
30000 a peca coro 10 varas.
(Jaix*8 com sortea de jogo de mgica pro-
prios para sallo a 50000.
Sebonetes de diversas qualidad's a 120
200 e 500 rs.
Boleas de couro para menina de escola.
Grande pechincha ero espartilhos de linho
30000 um.
Lindas pastas de 500 rs 10000 20000
30000 e 60000.
Oarteiras para guardar sedulas de 100000
a cem.
Ditas letras com os repartimientos de Ja-
neiro a Dezetnbro.
BARBOZA SANTOS
Criado
m.

&
Ama
Precisa-se de urna para todos os servicos de ca-
sa de familia ; a tratar na ra do Bario da Vic-
toria n. 7, 2- andar.
AMA
Precisa-se de urna ama para lavar e en-
gommar em casa de familia : oa ra do
Riachuelo n. 13 se dir.
Precisa-se de um ra de Paysand n. 19
(Pass gem da Magdalena).
Semeotes k carrapato
Compra-s grandes e pee|uenas quantidades :
na drogara de Fri neisco AI. da Silva c C, roe
do Mrquez de Olila n. 23
Plnias purgativas e depurativas
de Campanha
Estas i'ilulas, cuja preparacao puramente ve
getal, teem sido por mais de 2 annos aproveitadas
com ob melhores resultadoii as seguintes moles-
Mas : affeecoes da jelle e do figado, syphilis, boa
ooes, escrfulas, chagas inveteradas, erysipelas e
gonorrhas.
Modo de naal-aa
l-rao purgativas: tome-se de 3 a 6 por dia, be-
oendo-se aps cada dse um pouco d'agua adoba-
da, cha ou caldo.
Como reguladoras rome-se um pilula ao janUr.
Estas pilulas, de invein,:':.) dos pharmaceaticos
Almeida Andrade Ai Filhcs, teem veridictum dos
Srs. mdicos para sua meihor garanta, tornndo-
le mais recommendaveis, por seren um seguro
purgativo e de pouca dieta, pelo que podem ser
asadas em viauein.
ACHAM-SE VENDA
-a drogara de Varia Wobrlnke *
*l KBA DO M AKy L'EZ DE OLINDA 41
Mudanza de escriptorio de adve
gado
O advegado Luiz Lopes ("asfello Branco mudou
seu escriptorio para o 1 andar, segunda sala, do
sobrada n. 2 da ra eatreita do Rosario, onde
pode ser procurado s huras do costume, das '.I 1(2
em diantc.
Senien.es e arrpalo
Compra-se na fabrica Apollo & ra do Hospicio
numero 79.
Xarope de cambar, guaco e bal-
same de Tull
reparado pelo pharmaceutico Jos Francisco
Bitteucourt
E' um poderoso preparado para todas as affec-
;oes doe orgaos reapiatorios, oouo eatarrho pul-
monar, asthraa, coqueluche, bronchite, pneumo
Ta, tisiea, < te, etc.
Cada fraseo 1*000
Deposito na Pharmacia Central, ra elo Impera-
dor n. 38. Pernambuco.
\nia
Precisa se de urna ama para iavar e engommar,
para casa de familia ; a tratar no hotel n. 30,
ra da Madre de Deus.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinbar e lavar,
prefere-se que durma em cesa ; no 3 andar da
typographia do Diario.
Criado menino
Na ra de Mathias de Albnquerqae n. 19, se
precisa de um menina para criado
O EXTRACTO COMPOSTO DE
Salsaparrlha
do Dr. Ayer,
F'iim -, '!' '*'
mente do ijsteanaa Escrofu'a :..-r.-.lli:ina,eiB
es qe tem affliu edades
contagiosas, ...mercurio. Ao
nieimo fin"- itausa i enrlqueoe o sangoe com-
manlcaado aaa t^> -'''ii.-.-: so orgiunmio e
rejaranaoaado o systama i:.-*.-^o. -yia granas
Medecina Regeneradora,
composta com a ''' ''
Il.m.iur;ttt, doe Iodos Potassio rro. e
r.ndee
curatiTai 23*-
A for al i 2a prona*
medica, e aa -.ilsa-
PAUUI.SU 1' DH ""
Remedio Absoluto
para s safacni ladee K'!" estado
i .,. ,io gro ms .c:nel.
man mals-aM nalqaar ontt
itemle proporcioi
'
para puriflear o Miign*.
PBKPABADO PBIO
DR. J. C. AYEB CA.,
LowelL Mass., E. A.
A'vendanauprintii.a.s ..:.r. i.
Aluga-sc barato
Kua Yisconde de Itaparica n. 43, armazem.
' gz-
Ra Coronel Suassuna n. 141, quarto.
Ra do Rosario da Boa Vista n. 89.
Travessa do Carmo n. 10, leja.
Ra do Rosario n. 39
Roa do Calabouco n. 4, loja.
rrata-se na ra do Coinmercio n. 1 andar
Tiptorio de Si'^a Guimares & C.
Aluga-se
Cosinheira cscrava
Precisa-se de um cosinh iro escravo, para urna
caBa de pequea familia ; a tratar no caes da
Companhia n. 2, escriptorio.
Capilao Manuel Alexandrlno de
tHiiiquerqui' filln
Maria Idalina da Albuquerque, Duarte Estevao
de Olive-ira, Antonio Estevao de Oliveira e Ma-
noel Estevo de Oliveira, sgradccem profunda-
mente a todos os que se dignaram acompanhar yo
cemiterio os restos .oortaes de seu presado tio e
primo, ocapitao Manuel Alexandrin de Albaquer-
que Pitta ; e pelo presente coovidam aos seus
prenles, amigos e conntcidus para aaaistirem a
missa de stimo dia, que ser celebrada na c-i-
peila de Beberibe pelas 7 1/2 da manh de 25
do corrente, pelo que ant< ei^aui seus agradeci-
rnentoB.
t>aV
PASTILHAS
De ANGELIM& MENTRUZ
ao
as
e?5
39
Commeodador AatonJo Luiz de
Oliveira Azcvetlo
Julio Lniz'de Oliveira Azevedo e sua mulbar,
Jos Antonio de Soasa Basto, sua malher e ir-
maos (iiisentes), t'-ndo recebido a ufausta noticia
da', i te de seu sempre estimado pai, sogro e
amigo, convidara a seas purenr.es e amigos para
aisistiH-m as missas que pelo seu eterno repouso
mandara celebrar na terea-teiru, 26 do corrente,
stimo dia do seu fulleciecento, na Ordem Terceira
de S. Francisco, s 8 hjras di raanha.
Do fundo d'araa agradecem o comparecimento
a este acto de cridadee 'religiao.
3 grande sitio Tacaruna, no Salgadinhc, com bas-
cantes trras para planta^oes e muitos rvoredos ;
uem pretender dinja-se fabrica Apollo, ra do
[ospicio.
Alima-st*
am grande sitio, contendo as principaes fructas,
no Caldeireiro n 9, com boa casa de morada (que
foi do finado Mamede), tendo agua e gaz, a qual
confronta com a casa do Dr. Alcoforado ; a tra-
tar na roa do Apollo n. 80, andtr.
AIuj
a casa terrea na trav.-ssa da Ponte de Uoba u.
12, com bastantes commodos para grande fami-
lia, com sitio murado e arborisado, b a agua po-
tavel para beber, deposito e banheiro de cimento
e bomba, tica a dita casa mareem do rio Capi-
baribe, com banbo doce temperado e salgado :
quem prtteuder dirija-se ao mesmo sitio, das 6 s
10 horas da manba, que encentrar o propie-
tario.
x\luga-se
a;
281008
O Remedio mais effcaz a
Seuro que se tem dwcoberto ate
hajt para axpellir as Lon.brigas.
ROQIAYROL KKERES
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro que tenha bastante
pratica de taverna e oondaeta afiancada ; a tra-
tar no pateo do Terco n. 21.
Fabrico de assucar
Apparelboa ecoiiomicoa para o cozimen-
te e cura. Proprio para engenhos peque-
os, sendo modfct* em preeo o ef
lectivo em operavo.
rode-ae ajuntar aos engenhos existentes
do systemn velho, inalhorando muito a
qu8!iiia; aMOuar e aug>ien'.-ndo a
qui-ntnlade.
OPERAQO MUITO SIMPLES
Uzinas graneles '-u ergenboa afAtraes,
ma :hinisroo aprteie;oafo, sysfoma moder-
no. Plantas oompletas ou uiacbiuis .1 o
separado.
Kspi-i-iticii^Ses e inf Riownn t .
-RUA DO 00.\lAR(.IO -5
l.ui#. de Franca liuptlsia doa
Man loa
Aquilino Pcrto e sua familia mandam celebrar
urna iniesa por alma de seu presado cunbado,
Luiz de Franca Baptista dos Santos, no dia 26 do
corrente, s 7 1/2 horas da manh, na matriz da
Estada, e para a qual convidara aos seus amigos
e es do finado.
ama casa terrea em Sauto Amaro das Salinas, na
ra da Fundieao n. 25 ; nesta typographia, no
terceiro andar, achara com quem tratar. A casa
tem 3 quartos bens, cosinha, 2 salas quintal com
arvoredos por 16/000 mens:.es, est caiada e
pintada. _________^^
luga-se
a casa terrea na roa do Fogo- n. 50, com bous
commodos ; a tratar na ra do Cabag n. lo, a
Veuturosa.
Ao comercio
O Sr. Secundino
Maurica nao mais
nosso empreado.
Francisco Manoel da
Silva Sf C,
Recife, 20 de Julho de 1887;
loao Mana da Conceivo Pinto da Mlveira, Manoel
Jos de Paiva Pinto e Joaquina Rosa da Estrella
Pinto, sorpreheadides pela infausta n ticia do
fallecimento do seu presado esposo e cunbado,
Joo Jos da Silveira, no Para, regara a todos os
parentes e amigos do finado, para assistirem a
missa que por alma do seu eterno repouso mau-
dam diser na prxima segunda-teira 25 do cor-
rete, pelas 8 horas da manh, na ordem terceira
de S. Francisco, stimo da do seu passamento.
.
^JD
Tinta preta
INALTERAVEL
E
COM MI M A 11%
PHARMACIA CENTRA L]
38 Roa ds Imperador 38
Pernambuco
Serve para escriptnrae^o mercantil e d tres oa
qoatro copias de urna vez
Precisase de um criado escravo, para urna casa
de pequea familia ; a tratar no caes da ompa-
nhia n. 2, escriotorio.
Aviso
L i i '
Ala ,-a-sfc o 2' andar do sobrado ra da Guia
n. 62, caiado e pintado por 204; a casa d. B a
ra do Riacbuello, antiga do Destn* a 204 (Boa
Vista) ; a de n. G nj m smo currer por ItiJOOO ;
em 8. Jote, travessa do Frenas n. 4 por 164000,
com 2 salas, 2 quartos, cosinha, 1 aotao, quintal,
est limpa ; a de n. 18 a roa da Via-ferrea, com
2 salas, 2 quartos, cosmba e quintal, caiada e
pintada, por 1240 >0 ; a chave acha-ae janto, i
trata-se oa raa da Guia n. 62.
D. Carlota Joaquina de t nallio
Manoel Fern. ndes da C' sra, Antonio Fernn-
des da Costa, Henrique Fernandes da Costa, Epi-
pbanio Carvalho da Costa e Jos Ferreira da Sil-
va, agradecem a rodas as pessoas que se dignaram
acompanhar ao cemiterio os restos mortaes de D.
Carlota Joaquina de Carvalbo, e convidara seu;
parentes e amigos para issistirem as missas que
por alma da mesma finada mandam resar na ma-
triz do Corno Santo, no da 26 do cor.-ente, s 8
horas da mauh, setimj di sen fallecimento, e
desde j se ontecipam em agradecer este acto de
earidade.
Enfermidades Secretas
BLENORRH AGAS
GONOHRHEAS
FLORES BRANCAS
CORR IM EN TOS
recentes ou antigos sao curados em I
poucos dias em segredo, sem reg-1
men nen. tisanas, sem cncer nem I
molestar os o.'^aos digestivos, pelas|
PILULA
e injecgo de
Arrenda se o sitio da raa da S. Miguel n. 148,
com quatro meias aguas, urna cocheira, algans ps
de coqueiros e mais arvores de frueto e capn de
planta, pronto a cortar, e tambem vende-se o
mesmo sitio e o capim : quera pretender dirija-se
raa da Imperatriz n. 13.
Casas
Alnga se duas exiellentes casas, con, agua,
gas e bons sitios, ra dos Guararapes n. 76, Re-
cife, e raa do Bemfica n 38, Passagem i.. Mag-
dalena : a tratar com Jos Antonio Pinto, raa
da Companhia Pernambucana n. 6.
KA
DO D0T0R FOUltNIEft
Cada Ptula tem gravade nrtm.ffia.tm01,
Huaxs, 6 ir.. nuaceio, 4 ra.
PARJ8, B8, ftaoo de lu Mmdajtriite
ll.illuiiOBO, Pim 18851
Afroano da Cros Maola
Alfredo Marques Muuiz, Pedro Marques M miz.
Rita Marques Monis, Laura Marquis Muoiz e
Alfonso Marques Muniz, convidara a todos seas
amigoa e p rutes e a s do fiuadj seu pai, para
ouvnein a missa do 11 anniversarii de seu fal
lecim n'e, no da 25 do corrente, s 7 horas do
da, n-i igreja da Santa Urus, p-j que desda j
antee-ipnn seus agrade.-im tos.
Jos Joaaotm Ribelro
1" annivi rsario
Joanna Maria Ribeiro, Js Firmino Ribi iro,
CaetanoT. da Silva Ribeiro, Fructuosa F. Ribei-
ro Outtes, Rita M. de Am--rin Rib.-iro e Ani >nij
O. Martins, viuva, filhos, uora e genro de Jos
Joaquim Ribeiro, mandam resar urna missa na
matriz da Boa-Vista por alma de sea t-mpre
lembrado esposo, pai e sogro, no dia 26 do e ir-
reote, s 7 1/2 horas da utaub, 1 aoniversario
do seu passamento ; e para este acto e earidade convidan oe seas pareles e amigo e
aos do tinado, protestando-lhes en recoobeci-
ssaato.
Pliar acia ceutral
Boa lo Impe ador n. 38
Jos Francisco Bittcucourt, antigo pharmaceu-
tico da pharmacia franceza ra do Barao da
Victoria a. 25, avisa a seu3 amigos e fregueses,
que se acha na pharmacia cima, onde espera
continuar a merecer a confianca que felizmente
depositaran) em seus trabalhos protessiooaes.
raoljfoS ELOiCt
= ULYSS ROY, en Poitrers fmp
milePROVST, Swr & Gbv*
imlf^co.................eeiSetaeo.' "'9*
Jaaalo w> >aOojna 1 ^at fu sa pera tod'^oe Lloare j 100 baaev 3Sa
*t*MK>ladeRIsoadeTaia.oeIOnme -..3j
Depositarios m fifaeao
let. la an-T* a> 1K
A
\wm
i**


I
aaaaBSj-----S----->-
Diario de PcmainbucoBomngo 24 de Julho de 1887
&*J.*AAA*AllA<*ft4f***g&**CT5
60TTAS REGENERADORAS
do Doutor SAMUBL THOMPSON
__mili ineipsredaa *j datidas a M PRECIOSO
CAMKNTO, rsoarador por eie lteasia o toda pernal erperlaiaaudas
peto oraanismo conssqaeiiuii a EXCEBB08 de PRAZEKES.
IHHi dio rigor aos oriaoi Miman do dous eioi : corlo afallivslmsate tanas u atrcales
E8G0TAMENT0. UM ooao Impotaaola, Espermatorrhtai Pardas asrainaaa >.
O SVataoo : 8 Franco (eeao. STanMja-)
rs)B ffun i i itio troaxar a arma de Fabrica rslistrada i aaaf|a d*ra> asa- rlgorostjMnt raomsado.
ruill, thMMeto BUI.IM Ktaolwain, .
Depositarios sao J>raiBb*ioo FRAN M. da SI UVA A C*.
\tb*&&v*&*&&<**^*&*^*&&&**&
WOLFF& C.
N. 4-~i.UA DO GABGA'-N. i
Vesto limito onaecirio strtbeleclm-en-
la> etaesMiia- r a rr*pitnv<'l publle* o anafs
variad ti rniapleio ortuu-iito le .MMA*
rece>>idHN sempre drpc(am^a(f dos mellio-
f hrlcantes da Knropa, e qu ~ primam
pelo apurado gosto do inunda cleganta*.
Ricos 1er ees completo-A lindas paisel-
ra. allineteat, voltas da ara erav Jadas cam
brilhtntes, ou peclas, annvis. cacalotas,
botdes e nutras muitos artigas proprlo
sstrsity genera*..
ESPECJALIADE
aS'aa relogia de ouro. prava- e niek.elado.
para hom<-nn, seahoraa e nav nios dos naalM
acr ladea fabricante* da Kuropa e Ame-
rica.
ara todos os artigo** desta casa garas-
te-s*> a boa <|iial!ade. a*sina como a modici-
dad** nos precos ajue stlo sena competencia.
\Vata easa tambem concerta-se qual-
qucr fiara de ouro ou prata e tambem reto-
glos de tfualquer t|ualidade que seja.
4--Kua do Cabug4

ELIXIR [
de
T.
CONTI._ A*
MOLESTIAS do ESTOMAGO e dos INTESTINOS
anos t successo Denaastrart i saoerioriOda deste madloirenta tan excitar o saDitlta a fazer digerir. sata
OYSF-EPSIA i VMITOS DYSENTERIA
CLICAS T ACIDEZ OO ESTOMAGO T DIARRHCA
^fE?^n!*tltnrrre- tara tm fesmuat en/retcjuecUlaa.
PAXIZ, Ph". 9, roa Le Feletier. Bajoito!. a Pernimbue : FRvAB* M. da SU. VA k.f.
ii y ii i i
Ra {" de Marco 0. 6.
".-.-i ipim ao respeiavel pablic qii, tendo augoieninrlo vr.
I isa- nto as JOIAS aun nlai" >m> sec^ao, no aaaWaatu taw i,
nm isep!ri*ti4a4* ea artice He ELECTRO-PLATE, l ExoBs. taaoiiac aetu t-u iiernaos fr-gi'-zes p>r. vUitir u stabele
, d I i. stKSr&O ura riquissimo sortimento de juias de uro e
, perohs, brilliantes e outras pedrs preciosas, e relogioa de ouro,
prata e nik-1.
Os arligcs que ieceb utados pelos mais atacados aspecaaliataa e fabrieantes da Europa <
Satados-Unido8.
A pir das joias de subido valor acharo una grande variedad-
ij ctos de ouro, prata e elsetro pate, proprios para presentes de
i i ntos, b ptis-.dos e nnniversaries.
Neru em n la^ao ao preco, e nem qualidade, os objectos acim'
npiieionados, encontrarlo foncurrencin n'esta praga.
Lotera da Provincia
I ACCO A DO ORRENlfi
AcJitt-m veiida a 8*" lotera a fecn-
fi io i i-rreja de S. Pedra do Recifts q e
Urn liig;ar n<>ciiNstorio daigrej: dv \ ssa
Seniora da Coneeifat dos Militares, onde
esterfta expostas as esplier?s em orden? nu-
mrica, para seren examinadas.
vpt para 'oos
i30EJsrg.A.s
ESTOMAGO, FIGDO e INTESTIW
vinho e xaroP;- de jurubeb;
BARTHOLOMEO & C*
1'MAt.M. PKRNAIfBUCO
unios preparados de Jura'oeb approvados pela Academia e Sedtcu, el
I recommenOaaos pelos Mdicos contra as Moleatiaa do Estomago, Perda de Apr<-
tile, Oigett&ea driDccit. Cyiaepala c todas as Molestias do Afeado, o do -
I na Diarrhaa chrrnica, m Hydrooaaia, etc.
CTJTDAX>0 COil A.S FALSIFIOA I
VERDADEIROS GRAOSdeSAUDE do DpFRANCK
LICENCIADOS PELA INSPECTORA GERAL DE HYOKNB DO IMPERIO DO BRAETL
Aparianlaa, Eotomachicoa, Purgativos, Depurativo
IsContra a Palta, de appettte. a Obatruccio. a, Eniaqueca. a- Vertiajenaa,
* as ConreatSea, etc. Dote ordinaria : 4, i graoi.
Desconfiar as falsillcacoes. Kxlglr o rotulo junto imprimido em francez
cta0^?^^^d1du^^die?e m FAXit, Pharmacia LHOT aassitM taiu ai ariiciiMs Paimacl.
0 vinho Hourisea
ttradavel aollota
Este delicioso e to apreciavel vinho de mesa,
acaba de cbrgvr felo Stln e ocha-se venda no
estabeleciuaento da Justo Teieira 4. C. Succesao-
res, roa da Penha.n. 8 Qunicos poasnidores.
VENDAS
= Veade-se as prinoipaes livrarias desta ei-
dade metnodoa para plantar com vantagem cacao,
caf e tamo de Havsna, e forma do benenciamento
para exporta$ao, por Joo Fernandes Lopes
Preco1*000.
Vende-se urna aimaco inglesa, toda tona-
da, Hseim como um grande registro novo para
gas, arandellaa. i-ncanamentos de chumbo e ua
bom deposito de ferro : na ra larga de Rosario
numero 38.
(tvuxo
Vende-se um cavalio de sella bastante gomo e
grande, castanho andrino, andador de baixa a
meie : a tratar na ra da Roda, cocheira de Jos
RECLAME
Urna experiencia
0 GRANDE ARMAZEM
DO
LOUVRE
A' RA PRIMEIRO DE MAR^O N. 20 A
(ESQUINA)
Resolvendo liquidar grande variedade
de ortigas por preces incoutestavei, ex-
poem a apreciacao publica os seguintes ar-
tigo*:
Popelines de seda a 500 rs. o cavado.
Setins de cores a 800 rs. e cavado.
Gambraias bordadas com salpicot de cor
a- (55000 a pe?a.
MadapolScs Meias francesas para hornera a 7^000 a
duzia.
Bordados tapados e transparentes de 500
a lr$50O, com pequen defeito.
Cortes de cretone por prejaa sem com-
petencia.
Lequee transparentes, grande novidade,
2.JOO0 um.
Ditos de sftim a 5^000, vale 85000
um.
Cachemira de duas larguras de 1<}000 a
1)$400 o covsdo.
ent ronlinuioo :
Z 'ph-os d urna s cor tecido lgr
320 rs. o eevado I !
Brim pardo liso 320 rs. o corado.
Dito dito tecido d<; esguio para vestidos
500 rs. o corado, grande' pechinoha I
Lencos abainbados 24 a ouzia I
Algudoes lisos industria nacional
a pega.
Camisas de cretone com p'-qurno efei-
to 2^000 !
Esteiras ainnaicainAB com l'gviro toque
de ivaria 1)5200 a jarda grande pe-
chincha I 1 !
Artigo, exclusivos
Liodissimos cortas ota caseroira para cai-
ga padrSee de apura tu goato I !
Especialidades en, citractos -orno sejam:
Ritta Sangalli, Porto Veine, Guarany,
Brisa de las Pampa, et etc
Plastrn de .ores c. ras e escuras
sui g neris na especie e ntuitos outroa
artigos recommendaveie pelo aprimorado
gosto e qualidade.
SEMPRE NOVIDADE8
Xa armazein do Lonvre
DE
Francisco Gorgel & Irmo
A' RA PRIMEIRO DE MARQO N. 20 A
Esquina
A Revoiufo
AH Ra do Duque de Casias
Tendo recebido um grande sortimento
de fazendaa que vende com 25 [0 de me-
nos de que em outra quitlquer parta.
Vesahass ver ]para crer
Damass de sed* a 15400 o covado.
Satina liaos a 800, ltfOOO e a 1>
Lionayse fazanda traniparente a 155000
apees.
Organdis bordados a tieda, ultima mo-
da a 16000 a dita.
Etamine bordado, alta novidadade a
lOOCO a dita.
Cachomiras bordadas a seda a 700 res
o covado.
Ditas pretaa a 700, 800, 900, 1)5000,
10200, 1A400 e 1^600 o dito.
Ditas de cores a 800, 15000 e 10200
o dito.
FustSes brancoa a 400, 440, 500, 600
800 o dito.
Ditos de cores a 240, 320, 440 e 500
ris o dito
Amor da Chipa fazenda de novidade a
400 ris o dito.
Lindas alpacas de cores a320rs. o dito.
Lindas lans de quadrinhoa 400 rs. idem.
Lines com saipicos a 640 ris o dito.
Lindos satina de damasss a 320 ris, o
dito.
Gurgurinas de listrinhas a 320 ris o
dito.
Zefiros escoceze8 a 200, 240 ris o ditw.
Cretonos para coberta a 320, 360, 440,
e 500 ris dita.
Creps idem idem a 700 e 10000 o dito.
Cambraia bordada a 50500, 60000 e
60500 a peca.
Veludilho liso e lavrado a 10000 o co-
vado.
Dito bordado a retroz a 10800 o dito.
Colchas bordadas a 20, 30, 40, 40500
50000 e 6000 urna.
Cambraia adamascada a 110000 a peca.
Toilets para baptiaado a 100 e 14500C
um.
Cortinados bordados a 60, 70, 80, 90000
o par.
Dito de crochet a 500000 o dito.
Meias para hornera a 20100, 20800 at
100000 a duzia.
Ditas para senhora de 30 a 150, idem.
Guamicoes de veludilho bordados a vi-
drilho a 60 urna (alta nov.dadc).
Cobertas forradas a 20800 e 30 urna.
Renda do Japao a 200 ris o covado.
Madapclao Gema e Pelle de Ovo a
60500 a pega.
Damasco de la a 20000. o covado.
Pao da costa a 10400 o- dito.
Longos brancos e con barra a
20 e 20500 a duaia.
Chales de cachemira a 20000 e
um.
Anquinhas a 10800 urna.
Fevhus a 20, 30, 40, 50, 60, e 70000
am.
Muitos outros artigos que vendemos cem
25 | de menos do que era outra parte.
Henrique da Silva Moreira
r

W**Wa>r>tSp>*p>eS*pW>ap>wnajs>s>^^
B RON CHITES, TOSSE9, Catarros Pulmonares,
DEFLUXOS, Molestias do Peito, TSICA, Aflus
coba rpida ama pilas
Gottas Livoniennes
tjr.oxjettjes-iee?.jr.je:t
Cea CRBOSOTB de F/ /A, ALOATBAO de NO&UBQA e BALSAMO de TOLO
Este preparado, nfallivel para curar radicalmente todas as Moleatiaa das Vla
respiratoria*, recommendado pelas Notabilidades medicas como o nico efflcaa.
o Mico medictminto que a/sst de nSo fangar o estomago, o fortifica, rtcomtitua t desparta
o appatiti: duas gottas pela mans e i tarde bastam para triumphar dos oasoa mais rsibaJaa,
DETE-E EXIOIB ," SELLO DE GARANTA DO QOVERNO PKAMCEZ
DeNiiU principal: TROlfATTE-PERRET, 264, boole' Toltiin, PABB
Oaooiffoi aai Pernambueo: nLUT- BC. da BOTA a O", as pMiclMM PliinMtta
rVaN^^^rVafa>a*aa>*a ***** BMneaal
LOTERA do ceara
15:O00W0O
10800,
15400
f'echnehas!
Xd antigtt casa (Jarneiro da Ganha
Admircm!
Sctinctas vrad>is, Hndoa padro- a 280 rs. o co-
vado!
FuBtoes brancos, novos desenhos, a 320 e 400 rs.
o dito !
Esplendido sortimento de lindas las pwa vestidos,
a 400 p 440 rs. o dito !
Cachemires felpudas alia dito 2 larguras.
Miriiis pretoa e de corea a 800 rs. o dito! idem.
Veludilbos de todas s core?, b. rdados, a 1400 o
dito!
Cret nes de cores firmes a 240 dito bou ve-
rean.
Damasco do I i, 'i la.gurus, proprio para catas
de piano, a 24 o dito !
Pannos de lindos desenhos para mesas a 14600 '
dito !
Cortinados btrdados, riquissimes, at> e 7 o par!
Gubrnv,oe9 de crochet para s Camisas brancas inglesas a 364 a duxia !
Ditas de cretone finas a 244 H dita !
Seroulas b rdadas a 124 e 184 a dita !
LeDCxs tm lindas caixiuhas a 34 a dita !
Meias arrendadas para senh(.ras a 64 a dita !
Chapeos para senboras e crianzas a 24500, 54 e
64000.
Espartilhos de cour&ca a 44 e 54-
Brim pardo lona a 360 rs. o covudo!
I em branco n. 6, de linho a 14500 o metro !
Tapetes avelud>.d Sup'-riores redes com 4 punhes a 124 e 144
Cr.lchus francesas a 34 una.
C bertas de ganga, 2 pannos, a 34 .'
dem de setmetas finas a 34500 !
Lenc'-s grandes de bramante a 24 !
Cambraia Victoria de 10 jardas a 34 a peca !
dem c m ealpic s bran<-os e de cores a 54, 54500
e 64, 10 jardas !
Madapoloes pelle de ovo a 64<|0, 24 jardas.
Camisas e Sai.is para senh ras por todo o preco
Bordarlos de Cambraiss finas a 14 a per;a.
Ficbus e capas de a >. 24, 44 e 64.
S rtimento di' cafemiras, ehevii.is e pannos por
pr Q s barhtis8mo3
Grande oeposito de f.iie.ud. s para os Srs. oezo-
cianfes do centro, tendo descont aa vendus I m
grosao.
59 KUA DUQUE DE CAXIAS 59
Sobrado a vender-se
Vende-se o obrado n. 87 ra da Aurora, em
frente a ponte de Santa Isabel ; quem preleoder,
pode eutender-se com o vrrccnr Pedro Jos Pin-
to, na pra^a do Cnmmercin.
*
*^a* Medalha de Ouro na ExposioSo universal 1878 w*
*? PARI8 C aa.su C ftl a. I-AKI* W"
5 ftSEE** i
J. jF-A-TT
BRDEOS 'FRANCA)
OepoMlos em todas as tends de Comemiiblei.
Carlos Sinden receben e vende barato por ser
de consignado tres cofres, prova de fogo ; na
ra do BarSo da Victoria n, 41.
Vinho Mourfcca
(PROPRIO PARA MESA)
Joo Ferreira da Costa, acaba de receber pelo
SULY, nova remesan deste iiapcrtaatissimo vinho
que por ser da excedente qualidade e fino paladar
se torna recommendavel.
Os Srs. apreciadores encontrarSo esta excellen-
te pinga em casa successores roa da Penha n. 8.
iivramento & C.
vendem cimento port'and, mar?a Robins, de 1*
qualidade ; no caes do Apollo u. 46.
WHlSt
-t'itAii BLENf> .rrarea *iC
ate exetalente Whisky Eseesses .er-
an cognac ou aguarden^ ele cauua, p^n artific-
i corpo.
Vende-se a retalho n- ^. Ihoreo armasene
coihados.
Pede ROYAL BLEND maro* VtAD* I cojo
<.'mbl"ma sao registrado do a Brac- .
BBOWSS fc C, agentes______
rimlct para vender
Vende-se um elegante e bem construido chalet,
sito em Parnameirim em frente a ettafSo da via-
ferrea de Apipucos, com eommodos sufficientes
para qualquer familia, om agua e g*s encana-
dos e um b im sitio, por preco razoavel ; a tratar
na ra do Bartholomeu n. 40.
Terreno
Vende-se uui terreno confronte a estacao de
Principe, estrada de Joao de Batros, eom 90 pal-
mos de frente e bastantes fundos, e om alicerces
{ara 3 casas; tratar na mi d'Apollo n. 30, pri
ero andar.
ETB1C5A0 INSTRNSFERIVEL DO 14. SORTEIO M 3.a LOTERA
a 25 do crrente
Os bilhetes desta acreditada lotera
acham-se venda as seguintes casas: Roda
da Fortuna, ra Larga do Rosario n. 36;
Casa da Fortuna, ra Primeiro de Maro
n. 23
Tetegramma o lista no dia da extracto

L- -X
0 mm Simples, ora A Eficaz dos EYULSIW
EN3AVX*. H. ^L*... .. S atoa ~VLAl.J
USADO NO SSHSC ISTTEIRO
mXIOOIjOT peda aoa Sci x- comprado:
VERMDEIRO P J, t C0I.L0T
XJCtl
pst am coda att
* tm cada /oha,
trai tsenpta
SaY fats incarntii*

Corre a W d crrente
En. beneficio da Inslrucco Publica da provincia
Eta ioleria e dividida em partes
Extracto da i.m parle da 1.a lotera
Bilhetes venda na Boda da Fortuna, ra
Larga do Rosario n. 36.
t
. -flM* DORES D f-AAw
^S fia, a pob no do saraioo dos ^"^^#W*a
.kP1^ Elixir,PePastadentifricios ^ft,
a" ___ oos ^^ a
RR. PP. BENEDICTINOS
da ABBADIA de SOTJTjA-C (Gironde)
OIW 'IASU"I.ONNE, Prior
.ftetfnliift; (fe Ouro : Bruxelhs 1880- Londres 1884
A; levadas recompensas
nvlk r Ao a f J* e^^L .
g 9 # O Flrre BOTrKSAU
.i F .xir Dentifricio
(i..= r>:' Ser.i 'nos. n.m dose 4e
[gmm i '" s oura a carie
. ,.. ..: tal cendo e tor-
,i., m | lente sadias.
i';- rjv, assimai-
antigo s utilia-
pr ;.:_:hor curativo o o nico
p.-eser-vati\ o coutra aa flec?5es
tariaSf n
CiSii j MlkMi HlMl 42 _B* aT* I I I M Hocuerte, 3
AqenteGeial SEiUUin BORDEAUX
den-
chase em todas as coas Perfumaras, Pharmacias Drogaras-

Chf prcto superior
Caitos Sinden receben pelo ultimo vapor e con-
tina i vender sem competencia ; na ra do Ba-
rio da Victoria n. 48, loja de altaiate.
"Tos Sanctorum
Vende-se esta obra em seis vojomes, nova, e
por prec" c.uimodo ; na eneaderDa^o da C ngre-
gacao, casa do Candido Simos.
rolnriiilios e punios de
selluloide
Carlos Linden recebeu pelo ultimo vapor, t
veade barstiseimo ; na ra do Barao da Victoria
numero 48
PHARMACIA CENTRAL
38Bu d Imperador38
paunti" P"' ii.ua o,hul-ta reforma itffcaf mouiada a satisfazer uodb
*
prono j)tdSo as indioa^Sea i- cas, tendo para esse fim raedcam-utos de primeira
lidade especialidades phsrii., < euiieas dos primeiro fabricantes.
qua-
0PPRESSJ.0
.rA5fifl-.:.'LDXI
NEVBALGIIS
CURA
C1EP.0S ESF1C
M i
aj i-a que pon. Mua aervoso, facilita
vonsa asfiiiKvoesdos org rtoS.
: < sn alaraao cau casa de J i:Flf S, rua <-Lasare. eaaParia
Deposito em Pernambuco : FRAN" M. da SILVA C._
\
Licenciado pela Inspectora ffei jde Ejglne io Imperio do Brazo,
PREMIO NACIONAL
i, i 6,600 ir.
Grande Medalha de OURO
Encerrando todos os principios das 3 quina
Apradabilissimo e de superioridade pro-
vada sobre todoe os preparados de quina,
contra ;i Depresso de FoRg^s, ;i Af-
FEcgEs del Estomago, as febres Re-
beldes, etc.
APERITIVO, TNICO e FEBRFUGO
OmesmoFERRUGINOSO
J* Recommendado aalra o Depauperamento <
m do 8akooe, a Chloro Aiema e as /
CONSECUENCIAS DO PARTO, etc. /
Pars, 22, rua Liouot, e xas .rlncipaas Pharmacias do Mundo.
PBJffin
bSm



.8
Diario de fcrnarabucoDomingo 24 de Julho de 1887
'
ASSEMBLEA GERAL
11H1K1 DOS DEPITIDOS
SESSO DE 8 JULHO DE 1887
OBCAMENTO DO MINI3TEUIO DO IMPERIO
' Continuado)
O Sr. Andrade Figueira (continuando)
soienoias physicas
NSo s o cursa de
e roatbeiuaticas. Eziateo all outras car-
gos ou, pelo meaos, cadeiras, que deviara
ser suppri nidas, que nlo tena tido igual-
mente alronos, salvo algum recrutado para
apparentar frequencias. (Apoiados.)
O Sr. Araujo Ges : Chamo a atten-
gao de V. Exc. para o additivo, que est
sobre a mesa, autorisando o governo a
reorganisar o curso de artes e manufactu-
ras e nomear Jentes sem concurso.
O Sr Andrade Figueira responde que,
pela leitura rpida que ouvio, feita na
mesa, pareceu-lhe que esse additivo est
de & crdo com as suas ideas, isto reduz
anda a despeza.
O Sr. Mattoao Cmara: Sem davida.
O Sr. Andrade Figueira declara que,
nao obstante, isto ainda nlo o satisfaz,
pois que quera mais. O nobre deputado
ha e comprehender que o orador um
pouco dfn.il ile conteutar. Aquelles cur
sos f.ram spp'aratosamente creados, nao
ba negl-o; as intengres eraui magnificas,
eram mesura louvaveis, mas, infelizmente
a experiencia, que o contrete das inten-
coes iiumanas, nao abandonou oa intuitoa
deaaa cresglo, pelo contrario tem condem
nado. Com excepgaa da um ou doua cur-
soa, com aa cadeiraa que lhes devem cor-
responder, todaa aa mais tem aido comple-
tamente inuteia.
Tratando d'eate aasumpto, o orador nlo
pude deixar de lavrar protesto mais posi-
tivo e enrgico contra a theoria que v
vin-ar com serio prejuizo doa intereaaea p-
blicos a respeito da suppresslo de cadei-
ras, tanto nessa escola, como as de ins-
trucclo primaria e secundaria, omfim, as
lie todas as ordena.
Tem ouvdo urna tbeoria aingular88ma
na sua razio e mais aingular ainda no aeu
reaultado, e que, urna vez prvido o pro
proftasor numa cadeira creada, elle fica
collocado e ue tal raaneira que, ainda que
o ccrpo legislativo suprima essa cadeira, o
individuo tem o direito de rtceber venci-
mentos sem excrcer o magisterio de conse-
guir licenga aem ter exercicio e at de apo-
sentar ae aem contar anaoa de antiguidade.
E' uua theoria singular !
O orador ioi educado na creuoa consti-
tucin.! de que os empregos pblicos sao
ereadoa por utilidade publica (apoiados),
de que as cadeira8 sSo creadas para se
ensinarera s materias que o corpo legisla-
tivo entende deverora ser enainadas para o
progresao daa luzes ; e sempre, portento,
que um sy8tema fr reeonhecdo como falao
ou puder aer ensinado por outro modo, ou
o corpa legislativo entender por motivo de
economa publica suppri.nir a cadeira, o
profesaor perde-a cora todas a3 vantag;na
ella iuberentes.
O Sr. Affonso Celso Jnior: Nlo
apoiado: ha direitos adquiridos
O Sr. Andrade Figueira nao concebe
direito auperior a conveniencias publicas,
nSo admitte direitos senao em quant> exis-
tem as obrigagSea.
Eraquanto a cadeira subsistir a Tltalicw-
dade do titulo ri direito ao profesar de
exer-el-a, maa anda assira nao lio abso-
luta que nao possa perJel a nos .; sos le-
gaes
O Sr. Affansa Celso Jnior : O con-
curso um contracto legal.
O Sr. Andrade Figueira diz que eaUs
relaiues nlo sSo reguladas pelo direito pn-
vaao nea> pelas leia dos contractos, mas
apenas pelo direito publico onde o principio
dominanta a conveniencia do Estado.
Nao pretendo o orador com estas sbser-
vagSes sacrificar os interesses bem ou mal
entendidos dos professores pelas cadeiras
na ae supprimem ; a equidade pe >e que
urna vez que destinaran! parte Ja sua roo-
dd'afc ao exercicio da magisterio
que foram admttidoa em virtuda de caa-
cursa, baja coa ellas atten;o:s, s?jim pre-
feridos para as cadeiraa, para que mostrara
habilitagoY-s.
Por.n, n'este caso tornara a regra mais
genrica dajqu est no additivo, e par-
tanto daria ao governo autorizaglo para
emprear esta pessoal em qualquer insti-
tuto, do ensino p.ra que estvassa habili-
tado. Assim, si fosse supprimida a calei-
ra de physba na Escola l'alytechnica, por-
que r..zao este professor nlo ha de ser ad
raittido em urna escola de physica em ou-
tro instituto ?
Nestas condigoos acha muito limitado o
additivo da coraraisslo, o qual alias aceita
por sua doutrina, desejaudo nicamente que
fosse mais ampia.
Tambem achari.i de vantagem que ae
estendesse a obrigiyao de examinar os
alumnos de preparatorios, nSo s aos lentes
do Collegio D. Pedro II, como a todos es
tes professores, que fijara avulsos. (Apoia-
dos.) E a todos os merabros do magiste-
rio neata corte com exceptu das faculte-
des superiores. (Apoiados)
O Sr. Andrade Figueira applaude a re-
soluto da Ilustra coraraisslo, e passa a
tractor de varios institutos qie perteuoem
tambem instrucglo publica, ra.s slo ea-
para ( ensina noa collegios urna irrislo ; raelhori este ponto, porque o poder legislativo nao
coa- fra aupprimir somelbante ensino. tem competencia para dar o negar honras
peciae8, como d;8 meninos cegas, surdos
mudoa, o Asylo de Meninos Desvalidos,
assim como a Escola Normal.
Observa |que esta escola tove desde a
sua croaglo urna origem illegal, entornou
se e nunca mais toroou caminho, o por con-
seguinte julgava mais conveniente que o
g)verno supprimissf este Instituto urna vez
que nao ple dar-lbe regularidade.
Nao v mesmo necessidade deatea estu-
doa conforme esto organizados, para en-
sinar primeiras lettras preparar profesao-
res, e com methodos rauit > complicados,
porque esta soioncia da pedagoga urna
aciencia moderna e est sempre caminhau-
do ; todos das ha theoriaa, doutrinas no
vas, nao est no caso das outras scienciaa
que j tem oa aeus principios eatabelecidos
como a raatbematiea.
A quesllo de methodo muito compli-
cada e em todo o caso urna questao qe
exige um alto gru de civilisac&o a que
nao chegamos ainda. Devenios tratar das
condijSes praticas de pramover a inatrucQao;
mas nao das condiyoes th oricas superio-
res aos nosaoa recursos, e ao estado da nos-
aa civiliaaySo.
O orador explica-s-: Precisamoa aem du-
vida dar inatruceao publica ao povo como
pao, mas qual o meio de dar essa iutruc-
cSo ? Ser fezendo estabelecimentos or-
mae8 que nao tem profeaaorea habilitados,
que nao tem frequencia, que nao tem alum-
nos, que nopreparim nioguemou ao con-
trario prep-tranda em urna escola modesta
professores com a somma de conhecimen-
ts precisos para derramar na populacao ?
Eatre na enten le-so que de8de que ae
gasta muito com a instruejo, promove se
tambem muilo a instruccSo. Esta foi a
mauia qual aa grande parte devido o
mu eotjdo das finanzas nao s geraes co
mo provinciaes. Enteadeu-se que era pon-
to de bonr3 gistar p"lo menos um t;rgo
doa recursos, >n a iustrueca) publica e
nesta ve. I thima '.jdos os poderea. C-
maras Alunicip es que nao tinbam dinheiro
uri pagar os seus tisoaes, provincias que
nao tinham orpos polciaes, crearam eaco-
!;i ; .11 laxo, compromelteram completa-
monte as suas ti angas, emquanto ao Esta-
do seri;i curioso calcular; o augmento das
desp^zts publicas depois que semelhante
mana alias nobre na sua origem come-
cou a dojiinar. Foi um augmento extra-
ordinario. A utilidade ter por ventura
correspondido a esse sacrificio ?
Do certo que ni'. A inatruego aup3-
rior tem decahido de urna maneira deplo
rav. 1; ins'.rag.lo se "undaria pode-se di-
zer que ddsapptraea, porque os bons es-
tuios que se t'aziam, ai meooa em certas
disiplin.s, desappareceram. Ninguem es-
tuda UttiD, ninguem estada regularmente
historia, a philosophia que se
aupp
A instruogio primaria ala ha duvila
que se tem adiaataia o se ten vulgarzalo;
mas aiula assim una havido erroa na sua
admioistragaa, porque se -tem inouuUdo
doutrioaa e ils nimiamente livres, que
pervertem a eduoigo da macidade. Entre
ellaa, basta notar ao a proscripjao do en-
sino religioso, a proscripto dts imagans
sagradas as escolas o esta instituigS > das
econmicas eacolarea, que ensin* a crian-
ca a por vntens a juras, quanlo o ensino
que se devia dar era fazer esmolas aos
aeus semelh mtes.
Urna mocidada eduoala com ess-s prin-
cipios po lera praduzir agiotas, gran les
banqueiros, maa nanea ha de produzir ea-
aas virtudea viria que lo u creado as gran
des nacionalidades, nao ha do produzir a
te, a pureza dos costume, o interease pela
sorte daa enancas.
Si o goveino quizesse attender a urna
reforma noa limites, nos moldea que o ora-
dor est expon 1o, faria nao s um servico
iostruceao, como urna grande economa
aos cofres pblicos. Na oSrte, em que o
governo tem a plenituia doa poderes, a
sua accSo tem-se demorado.
Com relaco s faculdadea, eata demora
anda mais aenaivel, porque o ministerio,
subinda ao poder, suspendeu os estatutos
das foculdadjs de (ireito lo Recito e S.
Paulo.
Maa o que tam feita o governo para sub
stituir os estatutos suspensos ? Nada, e,
entretanto, era urgente.
O orador nao sabe qual aeja a difficulda-
de que passa encontrar o governo em res-
taurar os estatutos de 1854.
Comprehenderia que o governo gastas-
se tempo, ai ntenta8se fazer urna reforma
nova, systemtica e meditada; mas para rea
taurar o paasado, retocando as dispasigSes
anteriores nos pontoa condemnados pela ex-
perincia, nio v ustificagao para tanta de-
mora. Essa demora ain la mais estra
nhavel, tra'ando-se das scolas de medi-
cina, cujos estatutos lera os defeitos que
j te ve occasiao de apoutar o nobre d*pu
tado por Minas, qu ouve e que apoia o
orador nao poucas veze8, ainda que ambos
estejara em campos oppostos.
O Sr. Joao Penido :-Quando V. Exc.
est com a boa doutrina, ou aou todo ou
vidos.
O Sr. Andrade Figueira, sgradecendo
a attengao que Ihe presta o nobre deputa-
do a quem se referiu, diz que analyae
queS. Ex:, fez da parte technica desses
estatutos o orador poderia aacrescentar urna
analyse da parte econmica da mesma es-
cola. Nao far, por aer urna diacusaSo
a qualquer que aeja ; attribuiglo do po-
der exacutivo.
O Sr. Oo^lh i Rodriguea : Camtanto
que aio imparce privilegio de foro.
O Sr. Anlraie Figaeirv diz que nSo
importa.
Estraahou que a commissao propuzeasi
urna eraeoa mananlo vigorar varios ar-
tigas da estatutos d s faculades de medi-
cina, o um dalles refaro ae a es3..s honras.
Acha singular qie a cariara deixe da
approvar ess^s estatutas, na parte orgni-
ca do servico em que pode otorvir, para
oceupir se da p.irto que nao da sua com-
petencia. (Apoiados )
Finalmente, a emmla manda applioar
varios arts os 51, bi, 53 o 328, que tra
tam de apoaentadorias e de outras vanta-
gens a que vara de referir-so.
O orador nao d o sen voto a essa emen-
da; reserva-o para deliberar depoia de dis-
cutir sobra os estatutos dos fatuidades de
medicina, sa o governo na resolver sus-
pendel-oa^ cora j devera ter feito, quan-
do suspendeu os estatutos das faculdadea
de direito.
Nao poda comproraetter o seu voto era
urna organistgao que nao conheca, nem
ap):-""^:i essas estatutos na pnrte que nao
d competencia do pd;r legislativo, com
preteriaco daquella da que a cmara de-
via toi;ir conhecimento.
Ha, porera, orna disposigaa exorbitante,
a respeito da qual a commissao deseja que
Sfj i exoeutaia desJe j, e para a qual
chama a attengao da cmara. All ae diz
que o lente que tiver 25 annoa, alera de
poder aer aposentado eora tolo o ordena-
do e meta ie da gratifioagao, no caso de o
governo entender que continu no magis-
terio, ficr cora mais um tergo do venc
ment.
O Sr. Coelho Ro Irgaea : -E' o que se
d no Collegio Pedro II.
O Sr. Andrade Figueira respoado que o
nobre deputado deve propar a revogagao
do que sa d no Podro II, porque nao
direita adquir la, e nicamente um reaul-
tado da regula menta do governa. (Apoia-
dos.)
Se na Faculdade de Direito oa lentea
tra un gratificacila de 600f$OO..
O Sr. Coelho Rodrigues: Quatrocentos
mil ris.
O Sr. Andrad* Figueira: ... ou 4000,
eamo disse o nobre deputado pelo Pauhy
como quo na Faculdade de Medicina se
d um tergo doa vencimeutoa, isto mais
do que tm os da Faculdade de Direito ?
O orador diz que muito aprecia aa scien-
ciaa naturaea, e sente-se ialvez com mais
Surdos-Mudos e doa Cgos, -que tem tra
aido um enorme sacrificio para oa cofres
publicoa ; no emtanto, este nao ter talvez
mais de 50 e aquelle 25 alumnos.
Estes estabelecimentos; t n custado sotu-
rnas avultadissimas, e .ainda custara ao
Thesouro quautias importaotos ; qual tem
sido, entretanto, o resultado?
era o ensino dos cgos, nsn o dos sur-
dos-mudos tem progredi lo. Uns e outres
abuadam no Imperio ; mas, cama natu-
ral, as familias custara a separar-ae desses
entes infalizos e desprotegidos p la aorte e
envial-os p ra esta Corto, que aas olhos
dellas ae afigura como ura cemiterio em
que ellas virio fazer rapousar os seus os
soa. Portauta, a veriadeira caridada con-
8ata em liberaliaar esses estabelecimentos ;
em vez de ter somonte um nesta capital,
custando rios do dinheiro, sem o menor
proveito, desdobral o e espalhal-os pelas
deslocada; todava, dir que essa organisa-: disposigo para a estado da naturzeza do
gSo nao .- defeituosa e apparatoa, des- q^e para as 8cien:ias jurdicas ;mas entne-
tinada a aggravar os compromiaaos' do The- > jg qua p ,r oaia favor quo ae queira dar
aouro, porque o ooera com as aposentado- a essas scieocias, nada justifica essa dea
gualda le entre as faculdadea de medici-
na o as faouldalea de direito. (Apoiadoa )
Eutretauto, para as scienciaa religioaas
ras, nao a de director, lentes, secretario
e outros empregados de nomeagao do go-
verno, como os de nomeagao do propri di-
rector da Faculdade. (Apoiados.)
Taes estatutos asaegurara aposentadora
com o ordenado integral aos 20 annos,
aposentadoria com 25 annos de exercicio,
com todo o ordenado e metade da gratifi-
cacao, aposentadoria aos 30 onoos, com
rw eutra as quaes alguraas ha que sao a um
tempe asylos e casas de instruegao, como
favor dos
c raoraes, ha ura esquecimento completo
O orador sente-se fatigado, alera da hora
j estar sdiaatada, mas ha ainda assump-
tos com os quaes desojara oceupar-se ;
um deliea em relaglo a instituig'as pas,
todo o ordenado e toda a gratificagao
mais que o poder legislativo o
do, na le especial que fez em
mais que o poder legislativo o aono passa- q ^ ^ Menao8 Ddaiido8, 0 In8ti-
tuto dos Surdos-Mudos o o dos Cgas, que
F0L3ET
JOSLAROiNZA
POR
lAtiU&S D l'LOT E PEIi AEL
t:\Tl P.4BTK
g-'ngrsphia
magistrados, exigindo 40 annos (.poiadoii) do ministerio do imperio;
quando os lentes facam com o tempo i.vre entMndo ^ 8MUten3a blica era n8.
w\a*a n moirialAPiA narh Milar Q OXOrClOlO (16
para o magisterio particular
sua protissao.
Quanto ao secretario e outroa emprega-
dos, quer de nomeagao do governo, quer da aorte deatea deafavorecidos
do proprio director da Faculdade, o de- como o pode ser o coragao humano, e
creto manda spplicar o regulamento da ae- mesmo no interesa* delles que desfijara
provincias, entregndoos iniciativa indi
vidual qie pode cuidadosamente mantel os
Si, em vez de termos um lastituto de Me-
ninos Cegse ura lastituto de Surios-Mu-
dos, tivesseraos seis desses estabelecimen-
tos naa provincias mais importantes, um no
Rio Grande do Sal, outro na Baha (con-
vra nao esquec r a Babia, porque, do
contrario, nada vinga no parlamento), o
tro em Pernambuco, outro no Para (esta
provincia vai tomando importancia, tem
dous representantes no Ministerio e c pro
ciso agradar-lhe), elles teriam quatro ou
cinco vezes mais alumnos do que tra os
dous da Corte e a mesma despaza que boje
o Estado faz com estes institutos, paderia
chegar para auxiliar os das provincias.
Assim como a primeira viagera de Sua
Magestade s provincias o Norte deu lu-
gar creago desses inuteia institutos de
agricultura, porque razio o governo nlo
procura honrar a regencia da Sua Alteza,
tazando ao Estado eate enorme beneficio e
prestando caridide este ira menso concur-
so em favor daquellas innocentes victimas
da sorte ? E' urna idea que o orador por
vezes tem enunciado cesta casa. As emen-
das que neate sentido tem iniciado, de
accordo com o Sr. presidente, hlo Ihe va-
lido a reputaglo de crael para com esses
infelizes ; mas as su a iatengoea aempre
foram puraa.
Si ha no Imperio 11,030 cgaa, come
demonatrou a eatatistisa, nlo urna irrialo
existir apenaa nesta Corte um lastituto
onde 25 delles se achara recolhido3 ? E
qual a razio deste facto ? E' que as fami-
lias nlo 30 aeparam fcilmente daquellea
de 86U3 raembros que sofifeem tal enfermi-
dade.
O orador apprava e applaude a emenda
que a Ilustre commisslo propoz, para que
se entrega* ao Instituto do Meninos Ce -
gos, que tem patrimonio superior a......
400:000/J, o edificio comegado na praia da
Saudade, para saa accomraodagao. Com
esse edificio o Estado tera gasto mil e tan-
tos r-.ontos ; elle faz parte de un vasto pla-
uo do grania edificio do quo o orador em
breve tratar. Pas bem : abandanem se
esses mil e tantos contos, dando-os para
patrimonio daquelle instituto, camtanto que
elle acabe o edificio e o conserve ; nlo se
pretendendo, porra, concluir o grande
estabeleoimento, que deve ter tres alas ou
pavilhSes, um di leste, <>utro de oeste e
outro provavelroente central.
Nlo sabe o orador si a Ilustre commis-
sao eliminou do orgaraento a verba que es
tava destinada para conelu'r esse edificio.
Maldicto sejas tu qa'em toda idado
Tens feito estrebuehar a humandade
as agaaias ttricas da dr.
D*sde que existe o hornera tu existes,
Teu genio assignalanio em Jeitos tristea
Como as furias crueis de Sstanaz !.. .
Dos pavos a uuiia tu desfizeste
E o tea soeptro de ferro, altivo, ergueste
Tripudiando em longas saturnaes !
Fosta tu essa espoctro povoraa o
Que lavantou se d'Asia furioso
Erguen lo sobro o Golgoiha urna cruz...
Vislo sinistra, pesadla horrendo
Oade o mundo assombrafo vio treoceado
A morte angustiosa de Jasus !
Quando Europa gema supplantaoa,
Ao carro dos tyrannos amarrada,
Sa debatendo em oonvulsoas crueis,
Tu te expaudindo sensuaes orgias
Davas o brago s velhia monarchias,
Calcando Dous, a patria e amor aos ps !
Das Cezares romanos fosta a vida,
Da eroo monstruoso matricida
A perenne e dilecta distracglo...
Foste o corcal do Attila terrivel,
Monstro dos raonstros, despota teraivtl,
Genio raedonho da devastaglo I
Di ilade-neiia os carceres fizesie
Onda milhSas de vidas es :ondcste,
Qual do Dante no inferno sepulcbral...
De lagrimaa e s >ngue tu te nutres,
Como em restos mortaes negros abutres,
Tigres, panteras ou feroz chacal 1
trucglo profisaional.
O orador diz que to compadecido de
ia fortuna
(Contina)
deslocar easfa estabelecimentos da admi-
obra da
cretaria do impeiio, que garante aos res-
pectivos empregados a aposentadoria com miaistragla do Estado, porque a
qualquer tempo, desde que as convenien-
cias do serfi^o exijain que elles sejam de-
mi ttidos.
O Sr. Jlo Penido :Alera de tudo
isso, mais as honras de desembargador
para os lentes.
caridad i muito delicada para 3er exerci-
da por meio de repartig*3a publicas.
(Apoiados) Entende que deve deixar-se
essa incumbencia iniciativa particular ;
ao Estado cumpre auxihal a cara seus po-
derosos meias, raas ounea tomando a d
OSr. Andrade Figueira nlo discutir recglo, como acontece cara o Instituto dos aobre o mua
vuui:\
. i ; ;.!'.inu U i Id 0.
VIH
165)
de ti e I i -
Jlo e Juliano oa esperavaro.
Houve nova effusao de palavrat a de
aperto8 de mo, entre o tenente e o me-
dico.
Maximiliano mandou servir o almogo no
seu aposento.
All, po menos, nenbum intrusa se ia-
aetteria na conversa.
Ora, ella foi intima, cheia de recor-a
j3ea pungentes
sfaxiofilUoo informou se longameate, de
todos aquelles por quem se iateressava c
qj- no dia seguinta preteniia procurar
Por um seatimeuto de discriclo,
cadez taeaota. guordou segre io quanto
caria de Renata. Mas, pura que a menina
soubessi qua elle esteva prorapta para ser-
vil-;!, encarregou Treguern e Darraailly de
dar a todos a noticia d;i sua anegada.
A refeigo concluio-se alegremant;
A desp'ito das ameagas e daa previstos
fc!i3tras da luta em que iam empenhar se;
oa tres mogos sentam-se apoiados pela
lembranga do seu din-ito, p'ia cOBSCMBCa
d* sua forga e da sua coragem, pela espe-
rangu que Deus sempre concele s aimas
jovens e corajosas.
Logo que receben a noticia la chegada
de Maximiliano a Pariz Stephan Raaval
sabio do sea esconderijo.
Reappareceu na sociedade.
Foi logo viato a caviillo na /xllee dea Po-
teaux, do phaetonte, ros boulevards, em
trajos de hornera do dinheiro no peristylo
da
No mesmo uia, s uas horas da tarde,
uiiodU tatr-gar o ta cartlo Sra. Fran-
cs o a Maximiliano.
F;i loga itroiozi^j.
O doutor re ebea-o cora a sua amabili-
rlale habitual.
A Sra. Fran s nlo ple deixar demos-
trar certa reserva que tinha toda a appa-
rencia de Erica*.
Bertr.a foi secaa e glacial.
O agente :e n go;ios vio tados esses in-
dicios.
Mas sra um baraem de truz.
Fingi cao dar rorportancia a isso, e com
o ar mais jovial Jo mani fez um convite
em regra para a quarta-feira seguate.
Nesse da, o palacete da avenida Wa-
gram seria entr'g'ie s alegras de um bai-
le mascarada e O convite era -.ambem feito em nome do
Sr. Clanos a Pacheao.
Nao ne.'essorio dizer que o Sr. de
Isaac e suas filhas, 3em e8quecer Jlo de
Tregacrn, Tam da festa.
Ren=ta quis eaquivar-se, maa aceitn
por consei::a da Sra. Franco.
Elia apenas inna visto Maximiliano.
\provei;aai i wi >ocasilo, o doutor
approsim~ i se lefia.
' '_ Mr. iisse elle sem occul-
tar saa eo sanhora honrou-mo
con a itu joafitaca; agradego, disponha
de mira
Mas Senate, qae o tinha chamado, Re-
nata, ni-, ho "o, s nelle tinha
i i i r* BTSO, aessf momento hesitou,
tcou
I' Era ura momento de
desamm ao senhor. Queira per
doar-.me O ara eavalheiro e nlo
ha de tir.r 'OaelniSe daqullo que nlo
passoa de um acto irreflecdc.
Maximiliano, brdsoamante magoado, n
enoa-M ante essa -eiraetagao.
Abttave-M de qu-lq-aer interpretaglo,
nlo se algando com o direita de traduzir
sua guisa "S v.ru-.,-u -s to penaamento ia
menina.
Aaoioa c iciasXo que Ihe pareceu pre-
cisa e daaoladara, E >i iu- efla nlo o ama
va.
O'nrahmane tiohi razio diaso elle
de -i para -i-
E &Cr'S--e!:tou :
Mas Be tambera disse que ella ha-
va di anar-a
Ni i confio i o aen oezar a ninguem.
U seu orgaibo era :gual ao de Reaata.
Nio quia d sai compaixlo, de-
poia de ter aoahado que ella Ihe daria o
aeu amor.
NSo tornou a vel-a antes da feata do pa-
lacete Rouval.
A feata foi esplendida.
O banqueiro quiz attrahir sua casa to
do Pariz elegante de fortuna.
Quiz que a imprensa e alta sociedade
fizesse o elogio da sua magniticenda.
Foi satisfeito.
A alta sociedade l estave, a imprensa
foi hyperbolica.
Dos convidados, nenhum faltou cha-
mada.
Os principes das finangas, os res da mo-
da, os nomes raaia nataveia da magistratu
ra e do exercito, encontraram-se nessa fea-
ta maravilhBi.
Rouval teve a 8atisfaglo de apertar s
mi' do juiz que instrua o processo de
Lombardo e do propio chefe da seguran-
ga.
Em vista desse auccesso impudente, Dar-
raailly teve de confe8sar, nlo som oerte
despeito, que, no futuro, as suas descon
fiangas tinham pouca prab-bilidade do ser
bem acolbidas.
O iuxo e a belleza rivalisaranr.
Maximiliano e Darmailly foram de casa-
ca preta, assim como o Sr. d'Isaac. Jlo
tr..java o seu uniforme.
Rouval esteva phantasiado como boyar-
do russo.
Clanos, a despeito da sua idaae, esteva
disfar;ado era bando calabrez, o que pu-
nha em. relevo o que Ihe restava de vigor
apparente
O triurapho da noite foi para urna linda
pi -rrette que acompanhava urna rlequioa
adoravel.
Alice e Bertha tinham escoUido esses
d sfar^es.
Renata appareceu admiravelmente ves
tida Mara Stuart.
Arband, aempre trate, afaaUva se da
sua passagam, deixando a menina colher
os testemunhoa da admirsglo geral.
Se tivesae sido mais perspicas, teria no-
tado a indifferenga com que a menina re-
cebia os cumprimentos e os elogios. Teria
percebido a sua tristeza, e que o olhar da
moga muitaa vezes fitava o atrava da
mancara de velludo preto.
Urna entrada inesperada
das suas preoccupagSes.
Um longo murmurio de
culou na chusma.
Acabava de entrar urna nxilher
preaonga tinba causado aensagl.
LITTERATllitf
O despotismo
Je baja l'oppression d'uue liaiue profonde.
(V. HD0.)
Maldiglo a>bre ti, raonstro nefando,
Que do inferno surgate vomitando
A Seiencia e a Razio agriolhoa8te,
Da Liberdade as azas tu cortaste,
Carao U3 demonio que nlo er em Deua !
Foste ura algoz para o chriatianiamo,
Toda a historia cruel do feudalismo,
Hydra terrivel que assorabrou os ceas I
De Bonaparte a espada flamraejante
Canverteste n'um latego ailante
Que essa gloria i mmortal veio oburabrar;
E ao gigante que encheu o mundo inteiro
Dste a velha Albioa por carcoreiro
Fazendo-o prender l qp alto mar!...
Foste sempre o fanal da intolerancia,
O sombro factor da ignorancia,
\ sanha que gerou a inquisiglo!
Dominador feroz l no Oriente,
Abriste as azas negras no occidente
Plantando era Santa Cruz a esciavidlo!
Tea ideal iufame o regre880,
Detestas os obreiros do progresso
Como tze8te ao legendario Hugo,
Genio asssorabrso, veneranda imagera
Que a realeza atroz, negra, selvagem,
Qaal Prametheu em Jercey amarrou !.
Da~todaa aa nagSes 03 patriotaa,
Deade aa sombras pocbaa remotaa
Era ti acharam aeu verdugo audaz 1
Levaste ao cadafaUo o Tiradentes
E o resto dos herea inconfidentes
Sepultaste em degredos infernaes.
Na treva assasainaate a Pedro Ivo,
Lelo da liberdade, grande, altivo,
Cujo cadver resolheu o mar. ..
Ratcliffs-o herefoi dogolado
E l em Porto-Calvo eaquartejado
Noa mostra a historia o livre Calabar !.. .
Como Satn em furia ae estorcendo,
Dos abysraos sem fim a voz erguendo,
Ruge impotente ameagando os cos,
Assira'tu, o maldicto, o mando opprimea,
Maa apeaar doa teua horrendos crimes
O mundo marchar voz de Deus !
lo o fautasma da terror !
voL desvial-o
adairsglo cir-
cuja
Trjava a roupa pittoresoa das bailadei-
ras de Ceyllo.
Ura corpinho Je velluio, aberto na meio,
descobria os cotornis maravilhosas do um
busto de mar more ; os bragos, ns at os
hombros, de um modelo magnifico, eraer-
giara de longas mangas ou antes de duas
azaa de renda, abertas desde cima. O cor-
pa esteva .ingilo por urna cinta de cache-
mira ; sos tornozelos havia anneia de pra-
ta ; o p calgado le chin-dba de sslto al
to, era o das ragas asiticas. Finalmente,
um .'ongo veo, preso aos cabellos de ba-
no, por um pente do feitio de um diade
m, cahia, cheio de provocagSas de attrac-
tlvos, pela nuca e pelas costas da soberba
creatura.
Ella tambera trazia raei mascara, mas
to curta que se via urna bocea, de labios
vermelhos, abrir-se o mostrar dentes de
alvura deslumbrante.
Rouval mesmo estremeceu ao ver a ra-
diante apparigio.
Maximiliano sentio urna perturbaglo n-
dizivel.
Julgoa reconhecer essa raulher.
NSo se enganava. Easa raulher era Car-
men.
Ella atraveaaou 08 grupoa, brincando
com o leqce, estendeado s vezes a mo
calgada de luva a alguna cavalheiros ; e
paseando por Arband langou ao mogo nm
longo olhar.
Maximiliano sctio-se commovido-
Tinba visto os grandes olhos negros bri-
lharem por baixo da mascara indiscreta.
Mas a bocea sensual nlo estremeceu.
Carmen passou com o seu passo lento.
Maximiliano vio a entrar na chusma vol-
tando de vez em quando a cabega para o
seu lado.
Nesse movimenta havia nm como cha-
mado.
O mogo, aborrecido, hmbrou-se de reti-
rarse.
Mas dessa sociedade, elle devia despe-
dir-se franceza, sem dizer nada a nin-
guem, porm, por maior quo fosse o sen
soffrimento, senta um prazer acre em estar
s vezes perto de Renata.
Ora, Renata tambera pareca eviial o.
Esses dous entes, que tinham nascido
para se araarem, ainda estivara naquellas
pii npiras acuidades do amor, quo parecen)
repuls3os inconscie&tea daa quaes s a ex
periemi pode dar o segredo.
Darraailly pproximou-se delle.
Parece estar in:ommodado, doutor.
Que tem ?
m
Maximiliano na pode dominar aa suas
impressSes.
- Sim, estou incoraraodado, disse elle
era voz surda.
Juliano sorrio e toman lo-lhe o brago :
Meu caro irmlo, disse elle, perdoe
introraetter raa noa aeus seutimentoa. Eu
aei o quo isso Est sofireodo do cora-
glo.
Maximiliano o encarou, ooramovido por
ver se aasim deacoberto.
Pois bom, aim, disse elle com triste-
za, aoffro do coragla.
E eu adivinho por causa de quera
sofFre.
Arband nlo pode deixar do sorrir.
Sim I... Eu aabia que voc era mui-
to per8pioaz, agora vou saber que feiti-
ceiro.
Darmailly le vou-o para o vio de ura a
janea.
Meu caro irmlo, nlo ihe farei a in-
justiga do acreditar qu: a sua perturbaglo
provra da passagam dessa devadassi mara-
vilhosa que deslumbrau a todos. Se, pois,
nSo dessa belleza rutilante que Ihe vera
o raio, porque mais antigo, vem de
mais longe. V que Ihe revelo o meu pro-
ceaso de dodueg33s. Sa opera desalada-
mente, ae Ihe causo dr, pego Ihe que me
faga parar.
Nlo, disse Arband, apertando Ihe a
ralo, voc um operaior admiravel.
Nesse caso, vou raostrar-lhe a origem
do seu mal.
E Juliano, emparrando Maximiliano com
branJura pelo hombro, obrigou-o a voltar-
se.
Eil-a I disse elle alegremente.
Renata passeava nesse raomomento pelo
braga de Jlo de Treguern.
O seu olhar encontrou o do javen medi-
co, que seniio um estremecimiento.
Entlo Eu tinha razio ? perguntou
Darraaiily.
Sim, reBpondeu Arband.
O kdvogado insisti cam delicadeza infi-
nita.
- Meu pobre irmlo, vot faz mal de
incommodar se aasim, eolia tambem. Crea
na rainha aagacidade : Renato d'Isaac o
ama.
E deixou-o com essas palavras, sera ver
o raio de felicidade que ellu derramaran)
no rosto do doutor.
Maximiliano foi passear, pelas salas, s
procurando encontrar Benate.
Rouval e Clanos, cada ura por sna vez
o tizeram parar.
Julbo de 1887.
Manoel Cavalcanti de Mello Filho.
A pouco e pouco a chusma dirigio-se pa-
ra o jardim de mverno.
No momento em que elle entrou, a estu-
fa estava vazia.
Elle preciaava de ar.
A despeito da frescura da temperatura,
abri urna das vidrsgas e expoz a fronte
brisa fra.
Nesse momento sentio urna mSo no bra-
go.
Voltou-ae. A bailarina cinghaleza all
estava.
Maximiliano I duse-lhe ao ouvido
urna voz que elle bem conhecia.
E ao mesmo tempo Carmen tirou a mas-
cara.
Mademoiselle Clanos, disse Maximi-
liano irnico, estimo muito saber que est
de boa saude. E como est o Sr. Jos La-
ronza '.'
Ella tremeu como urna falla sob o cho-
que dessa injuria.
Se Maximiliano estivesse attento, teria
ouvido urna exclara agio abafada, teria vis-
to o velho Pacheco sahr da escuridSo e
atravessar rpidamente as salas.
A moga tinha empallidecido.
Maximiliano vio-a morder convulsiva-
mente a luva que tinha na ralo direita.
Duas lagrimas brilharara nos seas grandes
olhos negros e ella murmurou em tom im-
possivel de descrever :
__ Eu devia esperar isto. O aenhor nun-
ca soube senlo insultar-me. Mas julguei,
espere i que aqui, debaixo do tecto de meu
pai innocente, o senhor teria me poupado
toda a allualo a ura passado que hoje est
raorto.
Maximiliano corou pela sua falta de ca-
valhcirismo.
Se o passado est morto para a se-
nhora, de vera tambem estar para mim.
Ora, e eu digo isto s para explicar as mi-
nhas palavras. parece que a senhora o re-
viveu, eu nSo devia mais conhecer nem o
seu norae nem o seu rosto.
O que quer dizer que os conhece de-
mais, nlo assim ?
Sim, minha senhora, para a sua hon-
ra e para meu socego.
Elle disse isto com dureza, de sobreci-
'ios cerrados, deixando afinal explosir a
colera que, at l o respeito pela raulher
ou a campaixlo pela sua miseria tinham
contido.
(Continuar sena)
-

Typ. do Diario roa Duque de CarU,< "- -U.




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EH4W9TAFO_UFD2D6 INGEST_TIME 2014-05-19T19:41:30Z PACKAGE AA00011611_19116
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES