Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19095


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AIIOLIIT -- 1DI1I0 1M
PABI A CAPITAL LUGARES OVDE MO SE PACA PORTE
Por irea meses sdiantados............... 60000
Por seis dito dem................. 120000
Por am anuo dem................. 23)KKX
Cada numero avulso, do mesmo dia.............. #100
DIARIO DE
SBI'fA-FEIEA 29 DE JUMO DE 1888
PASA DENTRO E FRA DA PROTOJCIA
Por seis meses adiantadoa............. 13i}500
Por nove ditos dem................. 200000
Por am anno dem................. 270000
Cada numero avulso, de dias anteriores........... 100
RNAMBUCO
|)roj?ricia> *t Jilanoel Si&ntvcfa %t Jhxwl i f\)o$
*
Sr* mede Prince t C,
ale Pars, silo os notiao agentes
exclusivos de aun une ios e pn-
Heacocs na Franca e logia
trra
AVISO
Aos senhores assig1-
nantes em atrazo, ro-
gamos o obsequio de
mandaren* satisfazer
seus dbitos at o dia
30 do correntef para
nao soffrerem inter-
rup^o na remessa
do Diario no 1. de Ju-
lho prximo.
TELEGRAMMAS
SEIIHCO PARTICULAR 00 DIARIO
RIO DE JANEIRO, 28 de Junbo, s 3
horas e 50 minutos da tarde (pela Iinha
hrrestre).
Foram nomeados:
PatrSo-mr do porto do Cabedello, na
na provincia da Parahyba, JeSo Barreto de
Mello.
Juis municipal do termo da ConceicSo
da Serra na provincia do Espirito Santo, o
bacharel Vicente Neiva.
A commissSo especial, composta dos de-
putados Andrada Figueira, Francisco de
Paula Rodrigues Al ves, Manoel Jos Soa-
res, BarSo de Guahy e Lourengo de Albu-
querque, para dar parecer sobre a proposta
do governo, relativa aos bancos agrcolas,
apresentou boje o seu parecer favoravel,
assignando-se vencido o deputado Loaren-
$o de Albuquerqae.
A Cmara approvoa boje em 2a discas-
sSo o ornamento do Ministerio da Mrinba,
sendo remettidas a commisaSo as emendas
apresentadas que equiparam os vencimen-
tes dos operarios do Arsenal de Marinha de
Pernambuco e autorisam o montepo dos
mesmos.
O Senado nSo funccionou boje.
RIO DE JANEIRO, 28 de Junho, s 4
horas e 27 minutos da tarde (pela linha
terrestre).
O |conselhsiro Antonio Prado assumio
boje a direccSo dos [negocios da pasta da
Agricultura e o conselheiro Rodrigo Silva
ficou na posta do ministerio de Estrangei-
ros.
dinheiros para sustentar sea estado presumido e
pagar mercenarios e guardas, que Ihe servissem
aoa d'sigioa. Por toda aquella redondeas espa-
lboa-ae o boato de ter apparecido D. Sebaatiio na
Ericeira, e de tuda a parte corra gente para re-
conbecel-o. Maitot volviana a seas lares assegu-
rando ser o proprio rei, que seus olbos baviam
revisto.
Em qnanto se fortaleca Matheus Alvares na
Ericeira, la tentaran) ir as autoridades com forca
para o prenderen). Resisti valentemente e re-
cbassou-as. Ousou mandar a Lisboa urna carta
txigiodo das autoridades que o recorhecessem
como rei, e amelando-as de atacar a cidade caso
lbe desobedecessem.
Empregou o governo ento forjas bastantes, e
depoia de encarnizado e sanguinolento combate,
porque elle tinba par si maia de mil camponezes
e pescadores armados, foi derrotado, preso, arras-
tadado em ferros capital eom muitoa dos seos
sequases, paseeado pelas ras e pracas publicas,
montado em jumento, e quasi despido de roopas,
para que o publico descobriase perfeitameute asna
impostura. Cndemnado morte, bem cjmo mais
dea de seus companheiros, cumpriram todos s naa
penas los clara do sol, e as vistas de todos os
moradores.
Nenbum portugus ousou man intitularse pu-
blicamente em Portugal D. Sebaatiio, posto que
as tradicoes publicas fa lam anda de urna cu outra
apparicio do rei morto, aqui e all as localidad'
do inferid das provincias. So eatrangeiro, porm,
nio foi o exemplo esquecido para ulereases loncos
ou ambiciosos. Na propris Hsspanha, um Gabriel
Spinosa, patteleiro de Madrigal, te ve .a habilidade
anda de impOr-se como tal, e de Iludir por tal
forma a princesa D. Anna da Austria, que viva
em um claustro retirada, e a quem prometteu ca-
samento, logo que fosse reconbecido rei, e cingisse
a corda de Portugal, que lbe pertencia, que ella
o recebia no seu mosteiro, conversava horas esque-
cidas com elle, presenteava-o com joias, diamante,
e sommas grossas de dinbeiro. Has Felippe II,
apenas lbe ferio os ouvidos a noticia, fel-o prender
condemnar 4 morte e ezecutar na torca, nao se
esquecendo de castigar a credulidade da parenta,
rebanando-a do cargo de abadessa, passando-a
como simples monja para outro mosteiro, e obri-
gaodo-a a penitencias duras e marfyrisadoras at
que a morte a aliviou do peso da vida.
Appareceu ainda um quarto D. Sebastin ; o ca-
tabres Mareo Tullio Cthzani quis reprosentar o
papel do rei dcsapparecido, e mais que os imposto-
res at all castigados, tinba semelhancas phisicas
eom O Sebasttao, de modo a Iludir os olhos dos
que baviam conbecido. Contava urna historia mi-
lagrosa de sua vida.
Evadir-se da bata I ha, atravessara o deserto
africano, chegara ao Egypto, e asilara-se em Je-
rusalem, resolvido acabar seus dias na peniten-
cia, a fim de expiar o sacrificio e calamidades de
sua patria, e a perda de tantos bravos de seus
subditos.
Fallando lbe, porm, o coracio, pretender vol-
ver a ella e regeneral-a mas em Italia se ternera
de Felippe II, e se retirara a Venes. Csrreram
logo para a formosa cidade dos D jges amitos por-
tugueses, que andavam expatriados desde a der-
rota do Prior do Crato, cujas partes baviam segui-
do. Alguna affirmavam que era o proprio D. Se -
bastiio, e que se lembrava de todos os Incidentes
da catattrophe de Alcacer-Kibir. Espalhou-se a
noticia pela Europa, e monarchas neumbram pea-
seas de confianca de irem a Veneza, e terificarem
o estrondoso evento. O re de Hespanha encarre-
gou seu embaixador em Vneta de exigir da Re-
pblica lhe entregasse para castigar aquelle im-
postor, por isso que D. Se bastiio morrera em com-
bate, seu corpo fora trasido a Ceuta, dabi transpor-
tado para Lisboa, e enterrado com todas as cere-
monias officiaes na igreja de Belem.
(Continua)
PARTE OfflCIAL
Ministerio da Fazenda
Foi nomeado tbesoureiro da thesouraria de fa-
senda de S. Paulo, Jos Alvares Rubiao.
Foi aposentado o contador da thesouraria de fa-
senda do Amasonas JoSo Francisco Soares, sen-
do nomeado para este cargo o 1 escriturario da
mesma thesouraria Saturnino Autanes de Carvu-
lho.
Foi removido de inspector da alfaodega de Ma-
naes para a ds Parnabyba Lino Rodolpho Caval
cante de Albuquerque e desta para aquella Satur-
nino Mesquita de Loureiro Maiies.
Ministerio da Justina
Por decreto de 20 deste mes foi reconduiido ne
cargo de juis municipal e de orphoi do termo de
Casa Branca, na provincia de S. Paul >, o bacha-
rel Alcibiades Juvenal de Mendonca Uetaa.
SEMflCO 01 AGENCIA HAVAS
BERLIM, 27 de Junbo.
A abertura da ssesSo do parlamento prus-
tiano teve lugar boje.
A mensagam real menciona as boas re-
lac/jes exteriores e trata de questoea de
interesse exclusivamente nacional e sem de-
clarado notavel sob o ponto de vista geral.
VIENNa, 27 de Junbo.
As delegarles austro-bungaras votaram o
(rdito militar pedido pelo govari.
BEKLIM, 28 Je Junho.
boato de que S. M. o Impera-
dor QuilheYme II de ve ir para S. Petera
burgo no mez de ^itio prximo atm de
visitar o Caar.
Agencia Havas, fui
!8 de Junbo de 1888
iaKem Per
Pernambu.o'
1HSTBBGCA0 POPQUli
UITESAIB*
DB
PORTKiVL E BRAZIL
PELO
Conselheiro Joffo Manoel Petara da Siln
VIII
fContinu a(5oJ
Nao lhe faltaram adapto*, nem entes, e nem
Ministerio do imperio
Foi elevadu a viaconde com grandeza o tenente
general Bario da Penba.
Foram agraciados com os ttulos de barao, com
grandeaa : de Pereira Franco, o senador Luis An
tonio Pereira Franco ; de Corumb, o chefe de es-
quadru Joo Mendes Salgado ; de Miranda Res,
o teoente-general Joe de Miraada da Silva Ris ;
de Ramis, o Or. Benjamn Franklin Ramis Gal-
vio, e sem graudeza : de Jagura, o Dr. Antonio
Pinheiro Uloa Cintra ; de Camargos, o Dr An-
tonio Teixeira de Sonsa Maga I bies ; de Ataliba,
Nogueira.
Os ttulos conferidos por despacho imperial de
15 do co. rente, de Bario de Loreto e de Bario de
Muritiba, o foram com as honras de grand-sa.
Fes-se mere do titulo de ccnselho ao Or. Vir-
gilio Climaco Damasio, lente de tuxicolcgia da fa-
tuidad? da Baha, pemittiodose-lbe que continu
oo magisterio com a grat'ficacio addiciunal de
que trata o art. 54 d s estatutos.
Form nomeados : commendadores da ordem de
Nosso Senbor Jess Cbristo, os padres Joio Bp-
tiata de Carvalbo Oaltro e Renovato Pereira Tejo,
e o capitio Antonio Agoatinho Ribeiro Guima
rae. t"i j-,
Commendadores da ordem da Rosa, Christovio
Perer de Mascarenhas e Laurindo Al ves de Ol -
veira K- gis.
Uffiuiaes da mesma ordem, capitio Liberato Al
ves de M .ora, Luis Schremer e o actor Jan Co-
qoelin alu.
Cavaileiro da ordem de Nosso Senbor Jess
Christo, o couego Ul.rindo de Sonsa Arauha.
CaValleiro Ca, ordem da Rosa, Efisio Aoedda.
Foi nomeado secretario da provincia de Santa
Caibriun o bacbarel Joqaim Francisco de Barros
Barreto, seudu exonerado de idntico cargo que
exercia na provnola de Matto-Orosso.
Foi u. meado o Dr. Dornuvil Jos dos Santos
Machado para o lugar de inspector de Jiyipene da
provincia de Matlo Qrosso.
Foi aceita a resiguaco qne fes de sua diocese
o Rvd. arerbiapo da Baha O. Luis, Marques de
Moutc Haaiboal, srndolhe & ncedida a necessana
licencap.tr impetrar da Santa a competente
oula ou decreto cousisturial.
Foram apreKnutdot, o c^nego honorario H mo-
rio fc.nedioo Uuosii e o padre Alberto Jos Oon-
oaivea, eate n> igreja. sarochial de Nossa Senbora
da La Os cidade de C^rltba, na provincia do Pa
taui e aqu>-llb ua de Noaaa tfenhora das Dores da
cidade de Casa Branca, na de !#, Paulo, ambos da
diocese de S. Paulo.
Foi nomeado auxiliar interino de desenlio topo
graphico e de marinha da Escola Naval Manoel
Teixeira da Rocha.
Mandn se o conaelho naval organisar, com ur-
gencia, um projecto de regula-nento para a prati-
cagem da barra e porto de Santos, tendo em vista
os interesses do commercio martimo e as condi-
cea especiaos do dito porto, cujo movimeoto aug-
menta gradualmente.
Por decreto de 20 deste mes foi exonerado, a
seu pedido, do car^o de intendente de marinha o
chefe de diviaio Sr. conselheiro Fortunato Foster
Vidal, e por aviso da mesma data nomeado para
interinamente exercer ease cargo o Sr. chefe de
esquadra Bario do Ldano.
Ministerio da tierra
. Foi mandado averbar nos asaentamentos de bri-
gadeiro graduado Francisco Cselbo de Oliveira
Soairs o que a seu respeito consta de cinco docu
mentos relativos a servicos que prestou no arse-
nal de guerra da corte, na fortalesa de Santa Cruz
da barra do Rio de Janeiro, junto ao oommando
das torcas brasileiras em Corrientes, durante a
campanha do Paraguay, e no commaodo das ar-
mas da provincia da Matto-Grosso.
Foi nomeado o capitio do corpo de catado maior
de 2.a classe Luis Augusto Soares Wolf para ser-
vir como assistente do quartel-mestre eenprai
jnntn i' .;g.J-, ...r, jimpoi o respectivo
commaodante.
Foram tranferidos na arma de infantaria : do
10 para o 3o bataihio o alferes Myrtbaristides
Fortuna e deste para aquelle corpo o alferes Be-
nedicto Marcellino de Arauju, e do '1 para o 17
bataihio a praca Vicente de Sonsa Pacbeo.
Foi nomeado para servir no bitalhio de enge-
nheires o tenente do 3 bataihio de artilbaria
Marcos Franco Rabel lo.
Por decreto de 20 deste mes foi reformado, a
seu pedido, por enfermo, o brigadeiro Agoatinho
Marques de S.
Foi nomeado inspector dos navios e estabeleei-
mentos da armada no snl ata Matto-Grosso o che-
fe de diviaio conselheiro Fortunato Foster Vidal,
i o m
Projeeto de paasielo publiro
BEPAKTigO DAS OBRAS PUBLICAS2 DIVISO
Memorial
O presente projecto tem por fim a eonstruccio,
em um dos quarteires da cidide, de um paseeio
publico de genero conbecido ptlo nome de^ardim
ingles.
Os grandes jardins pblicos em Londres sao
muitas veses denominadosos pulmoes da cidade.
' por ahi, realmente, que respira, tanto no phi
tico como no moral, a grande cidade.
E' ah que o operario, depois de ter deixado sua
oficina, vai se retemperar ; ahi que o pensador
vai procurar a calma e o repouso necessarios i me-
ditacio ; ahi que a mocidade pode se entreear a
seus passatempos, acostumar-se ao respeito da
propriedade publica, e initruir-se divertindo-se.
E' ahi, em urna palavra, o grande laboratorio em
que se puiifica o ardas cidades populosas, o que
torna indispensaveis os jardins interiores, ainda
mesmo nio devendo elles ser frequentados.
Como o da o Sr. Arthur Mangin na sua magni-
fica obra sobre os jardins pblicos urna grande
cidade que nio tem jardins pblicos nio vive;
aquellas que nio teem suficientes vivem mal.
Assim todas as cidades cuja situacio, commer-
cio ou industria, gosam de um certo renome, nio
teem hesitado ero entrar largamente nesta senda,
e a capital do Brasil d, neate mesmo momento, a
pruva do grande interesse que liga esta questio
destinando nm grande campo da cidade i creago
de nm jardim central.
Em New York mesmo, onde as queatoes utilita-
rias primam sobre todas as sufras, os roembros de
edilidade acabaren por autorisar, por motivos de
salubridade, a creagio do paseeio publico que de-
nomina-se Central Pare.
A cidade do Recite possue j dous iquare ele-
gantes, o primeiro no Campo das Princesas, e o se-
gundo na pratja do Conde d'Eu.
Elles servem para ornamentaren) e arejarem as
pracas em qae foram construidos e offerecem ou
cfferecerio ao passeiador urna sombra e um pre-
cioso lugar de repouso.
Mas seus beneficios higinicos nao podem se
estender senio em urna pequea sona ; o passeia-
dor que demora-se ntlla continua a ficar no meio
do arruido e da agitacio da ra ; a multidio nio
ensontra ahi o espaeo necessario ; as grandes fes-
tns populares sao ahi impossiveis.
E', pois, de toda a necessidade que sijam com-
pletadas por um passeio rrais importante.
O local para este novo jardim se impe por si
mesmo, elle os terrenos devolutos que se estn
dem por detras do Gymnssio e do Paco da Assem-
bla Provincial at a rna do Hospicio.
Ficar assim supprimido um alagado de aspecto
repugnante que nao se deve continuar a tolerar
no centro da cidade.
Dar se-ba ao Paco da Aesembla e ao Gimna-
sio urna visinbanca mais agradavel e mais salu-
bre, nm lugar de rejolhimento para o legislador,
um lugar de distraccio para o alumno, e para os
dous, aguas frescas e sombra espessa, o frigus
opacum do V' lho tboracio.
Em outra occasio j foi npresentado um proje-
cto para transformar este local em passeio publi-
co, o que acha sa mencionado no ultimo relatorio
que S. Exe. o Sr. prest lente da provincia upre
sentn Assembla Provincial. Mas sua super
ficia era muito diminuta para um jardim de py-
sagens ou ingles.
U presente projecto augmenta esta superficie
primitiva em urna larga proporcio em harmona
com as necessidades futuras da cidade. recuando,
para este fim, os limites do lado do eul at o cimi-
nbo de ferro de Oliuda.
Supprime, alm disto, os caes primitivamente
projectados, no lado do norte, e adopta claramente
o lypo dos passeios chamados jardins ingleses com
lagos pontos de vista e outros accessorios.
Os limites exactos do novo paiseio sio, como o
fas ver a planta, ao norte o canal da sabida das
aguas, ao oeste a ra do Hospicio, ao aul a ra D
Lbil aproveitando a primeira i Iba desta ra, a
a faculdade de deixar circular os carros de pas-
seios em certas ras do jardim orno se pratica na
maior parte dos parques pblicos : urna diminuta
retribuicio recebida dos carros de passeio com
pensar, por demais, as despesas da conservscio
do calcamento.
Para o uso dos carros e em geral para a circu-
lacio doa grandes grupos, o projecto prev um ca-
minho de circuito com 12 metros de largura e
1,200 kilmetros de deaenvolvimento, sem contar
os caminhos de accessso. Esta grande arteria se-
gu tanto quanto possivel o contorno do jardim,
mas deixando sempre um algrete com grandes
arvores entre o camioho e o muro, porqne neces-
sario que nessas especies de jardn; possa se es-
quecer inteiramente a ra com seus arruidos e sen
tir-se realmente em outro lugar. aparte sep-
tentrional o caminho de circuito contorna um lago
artificial.
Duas outras grandes arterias destinadas nica-
mente s pessoas a p completam a rede de gran-
de circulaoio; a prime-ira segu a parte sul do la-
go e, na planta, vai denominada por avenida do
aquarium ; a segunda communica a avenida do
aquarium com o portio collocado na proximidade
da ra D. Isabel.
Emfim, oaminhos de menor largura cstabelecem
communieaces entre as grandes arterias a *V"
Um o passeio em tapetes de verdura de dimensoes
convenientes.
No trayado ae todos estes caminhos foi adopta-
do, como uso, curvas de grandes raios, ligndo-
se de modo que nio firam a vista. Tambero foi
adoptado grandes larguras pjra os caminhos, pa-
ra que a circulaoio jamis possa ser embarazada,
mesmo nos momentos de grande animacio, como
por occasiio de qualquer f .sta popular, concert,
iogos de artificio, regatas, ou outras que reunem,
em alguna lugares, a populacio de muitos quar-
teiroes da cidade.
As pequeas veredas nio vio representadas no
desenlio, mas- podem ser feitas ao mesmo tempo
que as arterias priucipaes. Creio dever haver
nesta prudencia a este respeito. porque a moral e
a decencia sio interessadas muito. Seguindo o
costume da Inglaterra poder ser concedido ao pu-
blico, em determinados dias, livre goso de um cer-
to numero de taboleiros de relva as quaes o pu-
blico possa livremente passeiar, deitar-se e distra-
hir-se a seu goeto.
{Continua)
Governo da Provincia
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 27 DB
JNHO DK 1888
Antonio Soares da Silva.Ser remettido na
primeira opportuoidade.
Abaixo assignado de moradores de Beserros.
Nada ha a deferir, vista do despacbo nesta data
proferido no requerimento de Manoel Bezerra dos
Santos Jnior.
Francisco da Silva Vasconcellos. Nio tem lu-
gar o que requer.
Jos Antonio de Pinho Borges.Nesta data ex-
peoo ordem para ter lugar nova pre$a.
Joio Francisco da Cunha.dem.
Joaquim da Costa Peieira.Nio possivel
compra algnma, para o fim proposto actualmente.
Capitio Manoel Beserra dos Santos Jnior.
dem.
O mesmo.A pret- ncio do supplicante foi nes-
ta data resolvida.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco/ 27 de Jacho de 1888.
O porteiro,
F. Chacn.
leste o prolongameoto da ra da aJ
nasro rrovinclal e a ra da Aurora.
O fseto o que pura e simplesmente consta da
parte do dia de hontem :
Dionisio, cocheiro da Jos Duarte, tacada de.Manoel Bala, acudindo ao lugar o dele-
gado e subdelegado respectivos, dando taea pro-
videncias, que lego em seguida foi o criminoso
preso na Capunga pelo commandante da 5* esta-
co da guarda cvica.
O delegado do termo de Pao d'Alho, deu me
sciencia de que no dia 24 do corrente, no lugar
Varsea Grande daquelle termo, o iodivduo de
nome Joio Francisco de Castro, assassinou a Joio
Ribeiro Seabra, logrando evadir se.
Ainda naquelle dia, no lugar Rosarinho, do
mesmo termo, o individuo Gabriel de tal, ferio le
veniente a Manoel Francisco da Silva, evadindo-
se tambem logo aps o crime.
O respectivo delegado tomn conhecimento de
ambos os tactos, e acerca dos mesmos proceden
nos termos da lei.
Pelo Dr. delegado do 1* districto da capital foi
remettido ao Or. juis de direito do 2 districto cri-
minal, o inquerito policial procedido contra Mi-
guel Francisco das Chagas, aonbecido por Galli-
nho, por crime de morte.
Deas guarde a V. Exc. IIIra e Ezm.
Sr. rlftaan.bapg.Aor Joaquim Jos de
Oliveira Andrade, muito digno presidente
da provincia. O ebefe de polica, Francis-
co Domingues Ribeiro Vianna.
i
MiuiNterlo da Marinha
Por aviau de 20 deste mes ti nomeado memon
Estes limites deixam, ae lado do Gymnaeio Pro-
vincial, urna superficie de 48 A50 destinada a ser
traoaf >rmada em um jardim reservado especial-
mente para distraccio e instruccio dos alumnos do
Gymnksio.
A superficie total do novo passeio de 13HA
|8A. Es>a superficie nio excessiva nem dimi-
Duta. El* corresponde approximad'meDte u
perficie do parque de Bruxellas (UHA 04A), ou
a do parque do Anvers (12HA); um ponco maior
qoe a do gracioso Pare de- Manctau de Hari
^HA) on a do Jardim de Bordean (10HA); e fi-
n>.ln'Dte excede muito superficie do Jardim da
Ettrtlia de Lisboa (6HA) e a de Natura artisma-
gistra de Amsterdam.
As entradhs do patsro sio em numero de cinco,
das qu>es duas sio filtradas principaes situadas
Das duas extremidades do passeio, a primeira na
ra da Aurora, e a segunda no encontr das mas
D. Isabel e do Hospicio.
As entradas segundarias sio para as mas do
Hospicio, D. Isabel e pr< longamento da Sauda-
de. As portas sao distribuidas de modo a per-
mittir qne os p. ssoas qne moram oes erredores
pessam atraveasar o passeio sem muitos rodeioe e
gosar assim da bospitalidade do passeio dirigin-
do se a seus traualbos ou a seus negocies.
Os porUes siaformades por grades.presas aos
pilares ale alvenaria construidos so lados.
Liles tilo construidos de tal maneira que nada
faca obstculo ao transporte das arvores e qne
poassm dar fcilmente franca passagem aoa car-
adjunto neate couaelbo o Sr. cap.tao-tenente hondx no.ssm dar fcilmente tranca WB*"r;
rario da armada Tr.jano Augusto de Carvalbo. W E' effc' muito conveniente conservar
Repartleo da Polica
2 secgao.N. 603 Secretaria de Po-
lica da Parnamhuco, em 23 de Junbo de
1888.Ulm. e Esto. Sr.Partioipo a V-
Exc, que foram bontem recolbidos Casa
de DetencSo os seguintea individuos :
A' minba ordem, Nicoio Tolentino da Silva,
Jos Ignacio de Carvalho, Joio Avelino da Silva,
Mathias Pereira da 8ilva, Jos Flix do as-
cimento, Torquato Acacio Pontea, Germino de
Oliveira, Joio Alfonso Moreira, Vicente Gomes
de Sonsa, Alfredo Manoel Barbosa de Arruda, F-
lix Antonio do Nascimento, viudos da corte como
sentenciados ; Joio Pedro Beserra e Antonio Igna-
cio de Barros, viudos de Iguarass, como senten-
ciados.
4' orden do Dr. delegado do l" districto da ca-
pital, Jos Avelino da Silva, Joaqnim Vicente Mar-
que?, Sabino Jos Alves, por disturbios.
- Serfico Silverio dos Santos, disposicio do
subdelegado da Torre, por crime de furto.
Felippe Paixio, disposicio do de Afogados, por
crime de furto, e Jos Alexandre do Silva, conbe-
cido por Jos Bala, disposicio do da freguesia
de Santo Antonio, por crima de ferimentos.
A' ordem do do 2 districto, Joio Jos de San-
t'Anns, Muniel Felippe dos Santos e Antonio de
tal, por disturbios s oso de armas defesa.
Dr. delegado do 2* districto da capital, por
offic'o de hontem, commonicou me que, no dia ao
tecedente por volta de 6 horas da tarde, morreo
afogado no acude Dous Irmios, d i 2" districto do
Poco da Panel la, quando all foi bannar-se, um in-
dividuo, cuja identidade nio pode ser reconhe-
cida.
O subdelegado respectivo tomando conhecimento
do facto, fes retirar o cadver do acode, e da via-
toria a que se proceden, verificou-se ter sido as
phixia por submersio, a causa da morte.
Por tcli gra ma de bontem, participou me o sub
delegado do 1* districto de Gi yanca, ter prendido
all, o individuo de nome Jos Vicente, pronuncia-
do no art. 193 do Cdigo Criminal, no termo do Li-
moeiro.
No dia 26 do corrente o Dr. delegado do 2 dis-
tricto da capital, fes r< messa ao Dr. juiz de direito
do 5 districto criminal do inquerito p* licial proce-
dido contra Paulina Mara da Conceiyio, autora do
Hssaseinato de seo amasio, Antonio de tul, no lu
gar Eneanamento do 1' districto do P6co da Pa-
ommuiflbbu.me o aeiegaao ae uuricury, que na
taide do dia 3 do corrente, deu se alli urna troca
de palavras desagradaveis entre o capitio Jos
Joaqoim Ribeiro e o professor Telesphoro Lopes
de hiqneira, seado desviados um e outro de pas
sarem a viae de facto, pela intervencio de amigos
que acudirn) na oceasiio.
Dis que na madrugada do dia seguinte frs des-
fechado um tiro de arma grossa na porta da fren
te da casa db capitio Ribeire.empregando-se toda
carga composU de urna bala c diversos crocos de
chumbo, d. p.is de varar a porta, na taombreira da
parede interior da referida porta dolado direito da
entrada, o que denota ter sido o tiro disparado de
meia esguelba, parecendo lora de contestacio ter
sido dado sem o proposito de iffeuder aquelle ca-
pitio, nem pessa de eua familia.
O facto preatava se a explorarles na localidade,
attriDuiodo-o liibeiro ao seu contendor da veepi'ra,
emquanto que, por outro lado elle laucado a cunta
de meaquinhoa odi>-8 da pequea poltica da aldeia,
com o fim de imputarse a pessous certas e detei-
mioadas.
Seguio-se vistoria emais diligencias constituti-
vas do inqoerno.
Hontem asumi o exereicio do cargo de dele
gado do l* districto da capital o Dr. Anesio Au-
gusto de Carvalbo Serrano.
A noticia que vem uo Jomoi do Rectfe de non
tem sob a epigrapbe Faeada. nio seria.
O noticiante duminado simpleamente do desejo
de fasar espirito, apanbou a primeira impresso
que se apresentou e compos o que beta lbe pare-
cen.
Th eso uro Provincial
DKSPACH08 DO DIA 28 DE JNHO DB
1888
Graciana Maria de Barros Corris.Deferido,
tomando-se por termo a Sanca offerecida.
Antonio do Carmo Ferreira.Para ser atendi-
do deve provar o pagamento do 1 semestre, nos
termos do art. 48 das instrucedes de 27 de Julho
de 1883 e art. 37 do regulamento de 28 de Maie
de 1887.
Joaquim Alves Dias, M*ria Joaquina da Silva
Santos e Jos Joaquim Simdes do Amaral.Defe-
rido, ficando isentos da contriboicio da decima
por achar-se as condicdss da lei n. 1,541, a casa
n. 12 rna 28 de Setembro, outr'ora Calabou-
co Velho, n 113, ra do Coronel Suassuna n. 37,
travessa dos Remedios, durante o corrente exer
cicio e nos posteriores, se continuar nas mesmas
condices; o que provar snnualmente per ante a
Recebed.ria Provincial.
Contas do eommando do corpo de polica.Ap-
provadas.
Eugenia Maria Vicencia de Mello.Facam-se
as notas da portara de licenca.
Adolpho Cesar da Silva e Pinto & C.Resti-
tua-se nos termos das ioformaeoee.
Antonio do Carmo Ferreira, oficio do Dr. chefe
de polica e Genoveva Rosa da Silva Correia.
Informe o Sr. contador.
Rodrigo Carvalho & C. e Joio Jos Ribeiro de
Moraes.Deferido, nos termos da informaoio do
Sr. Dr. contador.
Joaquim Alves Barbosa.A' vista das infor-
maces do collector e das ordens expedidas, ser-
lbe-ba passada a certidao, urna vez apresentada
peticio em termos e pagos os devidos emolumen-
tos.
Manoel Jos Pereira Pinto.Deferido, sendo
approvado o calculo da pensio de inactividade a
qu proceden-se pela conladoria em 26 do cor-
rente.
Jos Cordeiro da Silva.Indeferido, vista das
informacoes.
Anacleto & Irmios e Jos Joaquim dos Santos.
Deferido, ficando irresponsavel o supplicante
pelo debito anterior do estabelecimento n. 158
ra Impeia!, e 160 i ra Marques do Herval, vis
to provar nio succeder no mesmo eatabelecimento.
Francisco Goncalves Torres.Hija vista o Sr.
Dr. procurador fiscal.
Manoel Figueira do Nascimento, Tbeodoro Joa
Firmino Ribeiro e Taciana Mantelro Lnpca.Li-
quidada, escripture-se a divida.
Mara Liberata da Silva Fontes.Junte os at-
testados do exereicio.
Jos Ferreira da Costa e Francisco Jos de
Santa Julia Botelho.Informe o Sr. Dr. adminis-
trador da Recebedoria Provincial.
Souza Barbosa & CJuntos, volte ao Sr. con-
tador.
Inspectora fieral da instruccao
Publica
DESPACHOS DO DIA 26 DK JNHO DE
1888
Maria Hermina dos Pasaos Lima, professora ju-
bilada.Cumpra se e regstre-se o titulo de 26
de maio fiado.
27
Jos Vidiciano de Mello, professor publico.
Justifico.
Racbel Adolpha Cavalcante Ferreira, professo-
ra publica.Justifico.
Joanna Augusta de Albuquerque Jayme, pro-
fessora publica.Cumpra-se e registre-se a apos-
tilla de 27 do corrente.
28
Leopoldina Feliciana do Nascimento, Mara
Dornellas Pessa Catanho, Maria Amalia Forjas
de Lacerda, Antonio Basilio Baudaui, Maria Eu-
lalia do Reg Barros, Felippe Heoriques Girio,
Jote Mauricio de Aleocar e Flix Joquim Fer-
reir de Carvalho. Prejodicados.
Mara Hermina dos Passos Lima, professora
jubilada. -Justifico as faltas dadas pela suppli-
cante, de 1 do Mareo a 6 de Maio fiodo.
Secretaria da Inspectora Geral da In-
straejao Publica, 28 de Junho de 1888.
O porteiro,
J. Augusto de Mello.
MARIO DE PERaAMBCC
iEdrc, z t/cntrano db toas
Noticias do sul do Imperio
O paquete ingles Nile, chegado hontem, fui por-
tador daa seguintea noticias, alm das officiaes que
puDlicamos na s- eciu competente.
Rio da Pralta
O Jornal do Commercio da corte publicoa os se-
guiut-a lelegmmuia- :
Assompciu, 21 ue Junbo.
Foram mauguradas as obras do porto.
O governo apreaeutou ao parlamento um pro-
jecto de lei concedendo ten ai aos colonos estran-
g'iros que tiverem familia.
Fui cicada urna reparticio de eogenharis.
Ku. nos-Ayres, 21 de .lunbe.
O premio de uuro 50 3/4 /
Vai aer levautada, no Uosaiio, urna estatua ao
general UrquiSa.
Em Mendosa seotiram se tremores de trra,
seudu inaiguidi antea os estragos.
O Rio da Prata tein baixado extraordinaria-
mente.
U moibe de Riachuelo tem soffrido estragos.
Muutevido, 21 de Junbo.
Recebeu-ae aqui a nuticia de que fallecen na re-
pblica vismba um dos seus melnores cabos de
guerra, o ebefe do estado maior general, goneral
de diviaio N. Lavalle.
Assum[.cau, 21 de Junbo.
governu apresentau ao parlamente um pro-
jecto de lei que tem por fim conceder o todoa os
chefes da Usnil.a eerangeiroa 16 quadras de
trra.
A mprensa acolbe esta noticia de modo muitt
favoravel. %
Buenos-Ayres, 21 de Junho.
Sentio-se em Mendonza um tremor de trra qas
dorou o espaeo de tres segnndos. Felizmente ala
hsuve victimas e os estragos sio insignificante?*
O commandante Levalle acaba de fallecer. _j-jg|
Rio firande do Sal
Datas at 15 de Junbo.
Foram extraordinarias as enebentes causadas
em D. Pedrito pelaa ultimas chovas, tm assober-
hado os campos n'uma rea consdersvel.
Os arroios transbordan m, tornando dificultosa
a sua passagem, e os caminhos acham-se quasi ia-
transitaveis.
Em outros lugares da campanha as enchentca
foram reaes, occasionando nio pegenos prejuiaot).
O paquete Ato Negro andou dous dias e duas
noites acossado pelo mo tempo para ebegar
b rra do Rio Grande, onde nio pode entrar por
que, estando em 13 palmos, a barra e tinha
12 1/2.
A Associacio Commercial do Ro .Grno>
dirigi uma representaceo ao governo sobre a ne-
cessidade daa obras da mesma barra.
Na cidade do Rio Grande, na noite de la, a
portugus Antonio Pinto eonvidou quatre amigos
para conjunctamente com elle festejaren) Santo
Antonio.
Metteram-se os cinco em um carro com alguatavs
dusiss de foguetes e sahiram a percorrer a cidade,
e, em uma das occasides em que deitavam um Ca-
gete, commuaicou se o fogo aos outros, que ex-
plodiram immediatamente.
Qaatro dos folioes ficaram muitissimo queima-
dos, em estado grave.
No paquete Rio Negro seguio para o Rio ala
Prata, com destino a Uruguayana e outros ponto
da fronteira, a commssio de fasenda de que
chefe o commendador Castro e Silva, e que alsa
de S. S. se compoe dos Srs. Nunrs Pires, Crescea-
tao Baptista de Carvalho e Octaviauo Orosimb*
Xavier Garipuna.
A commssio, que, como se v, se compoe da
distioctos e intelligentes funceionarios, depoia de
uma demora de 15 das mais ou menos em Monte-
video, seguir para Uruguayana.
L-se no Diario do Rio Grande:
t Diz um telegramma de Montevideo :
< O navio Goeette Albino, procedente do sal
do Brasil, cem destino a Buenos Ayres, lev anda
um carregamento de berva-matte, foi de encen-
tro costa, perto de Maldonado, e ahi despeda-
cou-se. *
As slfandegas da provincia renderam em
Maio nltimo 427:617*192, menos 169:330*281 da
que no mesmo mes de 1887.
Os jornaes desmentem a noticia do fallec-
ment da D. Clara Maciel, em Santa Victoria.
Falleceram : na capital D. Francisca Vellea
Gomes e em Santa Victoria D. Cecilia da Costa,
Leitio.
Sania Camarn*.
Datas at 16 de Junho.
Fallecer na capital D. Francisca de Medeiros
Silva Duarte.
L se no Jornal do Commercio do Desterre
de 14:
< Hontem tundeou no porto desta capital o pa-
tacho nacional Comete, capitio Joio Piris Vieira,
pertencente praca de Porto Alegre.
O patacho Cometa achava-se em viagem do Rio
de Janeiro para o Rio Grande ha 42 das, cosa
carregamento de kerosene para esta ultima praoa
e diversos generes para a de Porto Alegro,
O navio supportou todos estes ltimos temporaes
e felizmente nada soffreu; porm, 8 falta de v-
veres e a aguada que se fes se sentir a bordo,
assim como o facto de haver se approximado por
tres veses da barra do Rio Grande, sem conseguir
transpl-a em nenhuma d'ellas, fiseram-n'o arribar
a este porto.
Paran
Datas at 16 de Junho.
Da freguezia de Iguass escreveram, em data
de 4, ao Detenove de Detembro :
Hontem meia noite mais ou menos, cabio
sobre esta freguesia um grande furacio acompa-
nbado de copiosa chova, que quasi devastou a po-
voacio, pondo em alarma todos os seus habitantes:
derrubou uma casa de modo a nio se aprovet-
tarem nem as telbas, descobrio outras, obrigando
os moradores a as abandonaren). O cemiterisr
ficou em campo aberto, exposto aos animaes.
__ Falleceram: na capitel Miguel de Castro
Cabra I e no districto de Piraby, municipio de Cas-
tre, Joaquim Carneiro do Amaral.
S. Paulo
Datas at 21 de Junho.
Iam reunir se na capital diversos cavalheiros
promotores de um banco de emissio, para prestar
auxilios vantajosos lavoura, industria e a*
commercio*
Em Campias o preto Christovio, acompa-
nhado de algumas pessoas dirigio-se faaenda da
Jos de Souza Campos, em Anhumas, eom o fim da
provocar a Francisco Marques de Moraes e ao sea
fimo Wenceslao, que lbe attnbuiam desapparest-
ment de tres animaes.
Chritovo e os seus pareceiros ah chegando
aggredram a cacetadas Moraes e o filbo que **-
ponderam a tiro, indo uma bala cravar se no peito
de Christovio. ....
Procedeu-se so auto de corpo de delicio esa
Christovio que foi transportado para a cidade,
declarando os peritos ser gr-ves o fenmeotc.
Na fazenda ficou um libeito de nome Joaqun.
Pequeo, que, segundo consta, est morte, tende
perdido a falla.
Francisco de Moraes e o filho estao presos e ne-
gar m o tacto.
No lugar denominado Varadsr, em JaboticaOal,
Joa Tbeedoro de L-ma, iodo roca caer catetes,
suppoz que outro individuo, que j all se acbava
com o mesmo fim, fosse um e desfechen lbe usa
tiro tao oexteiro. que o matou logo. Em segua*
.prementoa-.o i polica, que o manden recolber *
cad.ia. "^%*_. ..
__ Falleceram: na capital, Jcs Caetano Jla-
chado. Joo de O ive>ra e Silva, Gabriel Getal'O
Monteiro de Mendooc e D. Maria Jone de To-
ledo Aymbar; em Taubal, D. Maria Correa
Marcoudes d Toledo ; m Campias, D Mananna
Amelia de Castro e em Piracioaba, D. Benedicta
de Campos Penteado.
Rio de Janeiro
Datas at 22 de Junho.
_ No dia 20, no Senado, depois da leitura do
expediente, o Sr Jaguaribn requeren informc9aS
s.bre a execucio que teve a parle 2' do 3 de
arl. '. da le n. 3 til) de 28 de Setembro de IS85.
Orn o Sr. Joo A trrdo e foi approvado o reqae.
rimeoto. .ja
Proseguindu o debate do requerimento do tur.
Saraiva sobre a estrada de ferro da Babia, oro
o Sr. Feruandea da Cuuba fic-u a di#cnss*e
adiaia pela b ra.
Na l' parte da ordem do din f. i approvada CBS
2' discusao a pr. p sicu d Cmara os D puta-
dus re>nva a..iguidde de posto do tenate
Antonio F.cood.. de Castro M neaes.
Entrando em 2' diaeu.siu u art do pr.jeeje
de fi-vio de tuic.s de ierra, .rou o Sr. Visenos)
de P-1 taa e ficou adiado o debate.
N 2' pane da ordem do da declarou se pr*j-
dicaoo o r quenmento de adimento do Sr. Ri-
beiro da Lus r-.oaeguio a discu.bio, orar, oe
Sr* Visconde de Ouro-Preto, Joio Alfredo {
-^^^ -e
I"
...'
r
M
I
IITIllloLT


\m
2
no
mtinco- Sexta-feira 29 de Junho de 1888
Ribeiro da Lux, e pe hora ficou adiada a dis-
coho.
N Cmara, depois da leitura da acta, foram
lidoi, e fiearam adiados por teram plido a pala-
Tra 08 Srs. ministro da agricultura, Almeida No-
guaira e Carlas Peixoto oa aegumtea requer-
ten toa,
D>Sr. Rodrigue Peixoto s;bre a garanta de
joro de 6 0,o ao anuo ao Engenbo Ceatral de
borona ; do Sr. Joo Penido, inquinado do mo-
tivo que determiaaram a exoneradlo do agente
do carreio do Entre Rios ; do Sir. Affoaso Peona,
sobra despera de impreso pela verbaTartas e
Colooisscaoe do Sr. Alfonso Celso Jnior sobre
ocearrencias graves havidas em Grao-Mogol, pro-
viaoia de Minas Geraea.
Obteve a palavra o 9r Ferreira Vianna (minis-
tr ca juatica), que fuadamentou largamente um
projacto de ropresao contra a ociosidade, o qual
fican. sobte a masa para ter boj; 2' leitura.
a.i ordent do da eantinuau a d* discussa do
oresnenta do imperio, orando os Srs. Affaoao
Celso Jnior, Daarte de Asevedo e Junqaeira
Ayws.
A discuasao ficou adiada.
Ni 3 discasso da foro naval oraran os Srs.
Alrsdo Chaves e Afronto Penna, fi cando a tan-
sao idiada pela hora.
Ni dia 21, no Senado, o Sr. Lima Daarte jus-
tificou um requerimento pedindo copia do aviso
que approvou o acto da presidencia da provineia
de Minas Garaes, transferindo a sede da omarca
dos Pateos par o Carino da Parabyba. Dapais
de orarp Sr. Joo Alfredo, o requerimento fai re-
tirad] a pedido do seu autor.
Prosegaio a desensata do requerimento do Sr.
Saraiva sobre a estrada de ferro da Jahia ; orou
o Sr. Correia e foi approvado o requerimento com
adltamento do Sr. Viseonde de uro-Proto.
S.bre o requerimento da Sr. Silveira da Motta,
pedilo commanicaco da reaolaeo do coas -Ihj
de estado pleno sobre a intervenca do governa
na verifieaoia da poderes das assemblas provin-
ciaea, orou o Sr. Silveira Martin e ficou adiada
a diaaaso.
Na 1" parte da ordem da dia foi approvada, em
3* disoukSaOj a proposico da Cmara dos Dipu-
tados, sobre a antiguilade de posto do ten ate
Fasaalo de Castro Metieses.
Em 2a discasso entrou outra pr~>poic2'>, auta-
risando a elevacio da aposeatadoria de Avaltuo
Severo de Carvalho e Grama, a qual foi approvada
dep-ia da algainas observacd's dos Srs. Candido
de Oliveir i, Viseoade da Cruseiro e Saraiva.
GVou sobre a fincla de" foreas ro-terra o Hr.
Avila, e mandn mesa diversa emendas, ficaa-
do adiado o debate.
Na 2 parte da ardem do dia eontinuou a 2*
discusso do art. 1* do prajecto de bancos de
embalo.
Lidas diversas emendas das cammiasoes del-
gislacio e fazsnda, orou o Sr. Correia, e pala hora
se dioa a diacu?s5a.
Na Cmara, depois da leitura da acta, teve
segunda leitura e foi julgada objecta de delibera-
e, sendo remitida a camm'aso de coastitaico
e legislacia o projecto do Sr. Ferreira Vianua
sobre a repressai cintra a ociosidada.
Fjram lidas e fi;aram adiada por terem pedi-
do a palavra os Srs. Mattoso Cmara e Gane.Ivs
Ferrara, os seguintes requerimento : do Sr.
Affoaso Celso Jnnior sobre a ti icio do 9 dstric-
to da provincia do Rio da Janeiro ; do Sr. Baltro
flobr) oceurrenoias bavidas na villa de S. Jatj do
Egy.oto, provincia de Pernambuco.
Foi tambam lido e ficau adiado per ter pedido
a palavra o Sr. Valladlo um roquerimanto do Sr.
Lernas sobra as ocearrencias que sa aeran na ci-
dade da Camaanha, provincia da Minas-Geraes.
Ti've prmeira leitura o ficou sobre a mesa para
ter segunda, um projacto do Sr. Bento Ceciliaio
obre demarcad) d>. Imites entre as provincias
de Alagdis e Pernambueo.
N* ordam do dia foi encerrada a 3' discusso do
orcannato da dpapaza di imperio, depois de orar
O Sr. E pidi da M'quita, sanio o prajecto ap-
provado e regsitala a 'manda do Sr. Alfonso Cel-
so Jnior institualo u-n premio para o autor bra-
sileiro da me'.har prodaa^o dramtica represen-
tada em algum dos theatros deata capital.
Foi -encerrada sem debate a 3* discusso da
propasta da fixacaa da forca naval, a qual foi
approvada e remettida 4 comm9so de redaccio.
Anounaiada a 2a discasso da oreamento da es-
trangeiro, o Sr. Maciel, en nome da oppasicao,
declarou que ell- se abatnha da discusso, e,
2oa:> ni aguaos, isais pelusa a palavra, foi encar-
rada a discusso, sendo o projecto adoptado para
passar a 3*.
Entran em discussSo o cradito supp'emeatar a o
ministerio da imperio pela verba da saccorros pu-
blicas, orando ol Sra. Pedro Luis e Costa Pereira
(miaistro da imperio).
A discussSo ficou aditda pela hora, esgotando-
se a ordem da dia.
FIMN(JAS
Elementos que facilitam o estddo e
solclo do nosso problema monetario
edaqestaode bancos.
(Continuado do n. 144)
II
A nossa falta de moio circulante tao
antiga como a priuieira colonia portugaeza
estabelecida no territorio brasileiro; a sua
historia exactamente a do vagaroso e
retardado desenvolvimento econmico do
nosso paiz.
As lic5es dessa historia, que cada um
pode criticar como lhe parece, sao to pro-
veitosas aos que estudam com verdadeiro
interessse o nosso problema monetario, que
nao podemos deixar de recordar alguns
dos seus episodios para fundamentar os
nossos conceito-s, para tornar saliente a in-
fluencia reflexa de tao importante facto,
nos acontecimentos politicos de maior im-
portancia para o Imperio, e principalmente
para tornar bem conhecidas as attenuan-
tes que o nosso governo pode invocar parV
explicar sua pertinacia nessa poltica anti-
economica e anti-nanceira que elle nos
tem dado at hoje.
Para isto nao temos necessidade de nos
remontar a alm do presente seculo, por
q.ue a nossa independencia data de f822.
At 1808 o rgimen, monetario do Bra-
zil era exclusivamente metlico, e os por-
tuguezes inais resignados e obedientes j
vontade do seu governo, do que os ame-
ricanos do norte, se lembraram como cites
de recorrer ao crdito particular, para
preencher a falta de meio circulante, que
era o eolio pro gado inconscientemente pelo
gOTcrrro pwrtiagufiz, em todas as puita? '. .
Ma
Datas at 23 de Junho.
Traba!havo. regularmente a assembla pro-
vincial.
Em urna das eesseB ultimas foi apresentada a
seguiote proposta: ". '
Propamas que a assambia legislativa pro-
vincial se dirija ao governo garal, no sentido e
dar excucia lei.de 18 da Outubro de de 1818,
na parte que concede a cada provincia 70 kilme-
tros em quadro de terreno devoluto.S. R,Se-
bastiaa iledraJa^^Izaiaa G.do Mello.Joo Evan-
gelista.Themistocles R. Paasas. Alcxandnno
- Suimarlus.Vigario Portella. .
Perante nmnerosiasima concurso de povo e
de pessoas da varia claasas sociaes, postados nos
. extremas do novo plano inclinado da Linha Cir
cular. 'inham-sa realisado experiencias p-.ra a su-
bida e da'ss da daa charioli do Plano Isabel.
Os eharioU subirn e descarara perfeitamante,
sem o manor incidente, sem a menor in.errupcae.
Repletos eempre, o chariols subiam e desdara
par eat'0 viv is eatbusiaaticos ao realisador d> im-
prtante mslhoram?ato, engenheiro Dr. Ramoj de
Queiros.
No dia 18, 6 horas da tarde deram a igre-
jas signaes de incendio, que se havia manifes'id i
no aran nena do Srs. Alves Correia & C, esquina
do predio situado entre o cese travassa de S. J.a>
e ra Conselheiro Dantas.
A espessa famaea, que sabia pelos oculos uber -
tos .cima das portas do armasem e da loja de c i-
balleireiro contigua, fasia suppor que o fogo ta-
vrava com intansidade.
Camp^receram immediatsmente a bomba e o
peisaal da aampaobia Allianca que d'abi a
Alguna minutos comecou a funcaionar jorrando
agua pelas ditos oaulos para o interior do armasem
s da loja.
Ae mesmo tempo trabalhavam para arrombar
urna p:rta a machado, o que conseguiram, pene-
trando em seguida no armasam onde verificaran
que o fogo lavrava no forro.
Extincto all em pouco tempo, foi preciso arrom-
bartambem a parta da loja de cabelleireiro pois
d'ahi cootinnava a sahir fuma.
O fogo j se havia communicado ao forro dadoja,
.que ficou tada estragada,n is maveis e tndo o maia
que continha, davido s:m duvida a alguna desasa
por parte dos bombeiros.
Falleceu s 2 horas da madrugada de 16,
victima de mal da Brrght, Francisco Mni
da Carvalho, conde de Subane.
O finado tinha-ae1i?pedado no Hotel Paris, de
onVs sahir a 14, pelo sggravamento da mi-
les ti a, para a casa do sea particular amigo e com-
padre Sr. Ignacio Coelha Fragoso, na qual tal-
lece a.
O cadver seguio em vapor especial, da li-
nha do Siata Amaro, afim de ser dade a sepultura
na capella do engenho Agua-Boa, que per:en:ia
ao Ilustre finado.
O canda de abah foi o V bario e o 1- vis-
conde do mes no titulo econtava 02 anuos de ida i i.
Fisura astil aridiOM na Uuiversidaie
de Coimbra.
Pir servidos imaortantes prestados, mer
dos gowernos brasileiro e portugus as on-
slecoracSis de conmandadar das ordena da Rosie
de Obriata, do flraaU, e da Villa Vicosa, da P r-
tugal.
O cania da SubahS eraum agricultor importan-
tiuioo e toda a estiafa cercava-o, ato l pelo seu
yalimentj a sea carcter.
Sua balsa abria-se eempre om favor dos pobres
e da i boas id
Ficsra em ampo ao governo a offerta de 25 can-
tos de ri, em favor das obrss da tacialdade de
medicina da Bilis
Faliecea aa cidade da Barra, Simpliciano Soares
Portella, irmaa do Sevm. Sr vigario Jos S jaras
Portella, depotado provincial peto 14.* dis-
tricto.
Na Caahoeira fallacara o negociante Argemiro
Jos 4 Vaiga ; n capit il o teaeate LtdMio Au-
gus i D. Angela Olegaria Al vas d* Sil
va; e em Iuparie*. de beriberi. O. Mara Augusta
Pedreira Maia.
progresso das suas colonias.
Alargada a esphera ao commercio bra-
sileiro com as nacSes estrangeiros pelo al-
var de 28 de Janeiro de 1808 expandio-se
logo a troca internacional, fazendo sentir,
entao, de um modo inequvoco a falta de
meio circulante para todos e para tudo e
at para as neces&idades do commercio n-
ternarcional!
Entao por lei de 12 de Outubro desse
raesmo anno, foi autorisada a crea9ao do
1. banco do Brazil incumbido de emittir a
primeva moeda fiduciaria, que tiveram os
brasileiros.
Esa 1809 iniciou o banco as suas func-
93es e revia-se na enthusiastica aceitayao
das suas notas, por toda a parte.
As necessidades de meio circulante que
sentia o commercio internacional, decor-
riam exatamente das exigencias de um d-
ficit que desde logo come50U a formar-se
no cstrangeiro contra a colonia portugueza,
e por isso bastou que o banco emittisse nos
annos de 1808 e 1810 100:000^000.
Apenas entrou em circulacao a moe-
da fiduciaria, verificou-se um phenomeno
financeiro naturalissimo c -igorosamente
lgico, em virtude das leis que regem a
troca internacional, mas que, por sua novi-
dade, aterrou aos nossos antepa ssades que
morreram antes de o poderem comprelun-
der e explicar.
Na proporcio em que a moeda fiducia-
ria abasteca a circulago, facilitava-se o
pagamento do dficit do paiz no estran-
geiro; c a moeda de valor intrnseco com
que se effectuava o pagamento sahia e
nao voltava uais, e nem poderia voltar si-
n3o no caso contrario de verificar-se saldo
em vez de dficit na conta internacional de
importacao e exportagao de valores, que
nao se pode nem se deve confundir com a
de, imporiacSo e exportado de mercado-
rias, como j mostramos em nossos Ersuos
Econmicos. '
\".. muf -eroirte (1811) o banco ape-
nas emittio 100:lX)0iJOO mas resgatou
155:8000000 em consequencia dos receios
e desconcertos da opiniao publica diante
da escacez do ouro attribuida a simples re-
trahimento e nao a urna fuga real de que
nao Bospeitsvam.
Em 1812, porm, j desconfiavam des-
sa fuga que era real, e a ignorancia.
que suggeria disparatosas previs3es aos
nossos ingenuos antepassados, aterrados
(liante de um pbenomeno tao simples e na-
tural, Ibes augmentou as suspeitas de que
aquillo era exclusivamente determinado pela
moeda fiduciaria! Sendo manifesta a es-
cacez do ouro na drcu'.acao, todava a sua
procura nao era bastante para determinar
baixa do cambio no balcao dos cambistas;
a e portanto n3o era possivel explicar-se
9 phenomeno pela depreciacao da moeda
fidaciacia que o banco pagava puntualmen-
te. Em face das injustas prev'encoes que
a ignorancia suscitava contra a moeda fi-
de levar urna porcao de moeda, prefera
muito naturalmente levar o ouro e deixar
a prata, contra toda a espectativa dos inno-
centes colonos.
O reinado da prata no Brazil aps o
longo reinado do ouro foi um facto natu-
ral e perfeitamente presumivel por quem
tivesse algum conhecimento da verdade das
cousas, que a economia poltica disvirtua.
Diante da falta evidente de meio circu-
culante no Brazil cuja responsabilidado
pesava exclusivamente sobre o governe
portuguez, este apiedou-ee dos seus eervos
e jimtou mesquinha esmola da concessao
de um banco, a graca do alvar de 20 de
Novembro de 1809 autorizando a cunha-
gem de urna moeda de prata provincial.
Si elle tivesse algumas no95es da sciencia
financeira, menos errneas do que as dos
seus auxiliares; cortamente em, vez d'esta
graca, teria autorsado a concessao de
tantos bancos podessem desejar os cole-
mos em vez d'aquella moeda de prata, de
litados econmicos financeiros idnticos
aos da moeda fiduciaria, no seio da econo-
mia propriamentc colonial. Mas com os
olhofl talvez nos depsitos do banco, con-
cedeu aquella moeda de prata e mais tar-
de pela provisto de 4 de Abril de 1810
ordenou a recunhagem dos pesos fortes
hespanhoes, que o dficit externo da co-
lonia tinha regeitado afim de igualar o
valor das duas moedas que nao se acommo-
davam convenientemente no seo da econo-
mia colonial. A' parte o grande desastre
dessa tolice, a que se chama umaoperagSo
financeira, ella s poderia servir para fa-
editar o reinado da prata c obstar o des-
vanecimento dos absursos pieeonceitos que
comecavam a agorentar o meio circulante
fiduciario.
Emquanto toda essa trapalhada ia obs-
tando o augmento do meio circulante que
um s banco poda forneccr, o governo
portuguez bem longo de
preoecupar-se
do nos-
necessidades
COm a OTganwgayande: irt) }nm rAtriinen
monetario compativel com o dese
ment econmico do Brasil, s preoecu-
pava-se com phenomenos financeiros e
apossava-se das reservas em ouro
s*j banco para occorrer
do seu erario.
Os colonos sempre desconfiados da moe-
da bancal a. por consideraba como a cau-
sa da fuga do ouro, que elles tinham por
habito guardar, porque a consideravam
como a nica riqueza, nSo -oubeiam apre-
ciar as grandes vantagens da moeda fidu-
ciaria promovendo com ella o desenvolvi-
mento econmico do paiz e incessante-
mente procuravam trocal-a.
A gerencia prevaricadora do banco,
sem os estmulos e correctivos da compe-
tencia de outros bancos, e certa da com-
plicidade do governo que nada poda aban-
donar depois de ter esgotado as depsi-
tos do banco, precurava tirar as maiores
vantagens do seu negocio e nao olhava
muito^para o futuro.
Em 1818 o banco nao pdc mais trocar
a- ~ua.< notas e desvendou-se inteiramente
a sua completa insolvabilidade, cahindo
no maior desagrado publico as suas emis-
aoes. Esse acontecimento fixou o curto
reinado da moeda de prata que em 1819
completou o seu dcsapparecimento da cir-
culaSo onde entrou a reinar a inoeda de
cobre e a moeda fiduciaria de um bancon
manifestamente fallido e somonte susten-
tado dahi por diante por incessantes favo-
res do governo!
Em 1818 tinha o banco cm circulacao
3.632:3505 porque nesse anno emittio.....
1.032:0005: entretanto, depois que as
notas fi'jaram sem garanta do seu
valor e do seu pagamento, elle nao se con-
demos affirmar, talvez, que as consequen-
da falta de meio circulante nunca fo-
ram tao sensiveis!
' Como duvidar-se de que todos os des-
contentamentos, desillusoes, desesperan-
cas e miserias ligadas aos resultados pra-
tcos da falta de meio circulante nao con-
correram poderosamente ou decisivamente
para o nosso glorioso 7 de Setembro?
Feita a sua independencia, eram taes
as circtmstancias econmicas c financeiras
do Brasil, que aquello banco nao pode dei-
xar de continuar a merecer as maiore8
contemplares e favores do governo im-
perial. ^0--
Renaeceram as mais agueiras esperan-
cas de futuro, e aquelle odio contra o
meio circulante fiduciario, qualquer que
elle pudesse ser, concentrou-se dahi por
diantc tanto mais, quanto maior se tor-
nava a resistencia opposta pelas neces
sidades eeonomicas e financeiras do paiz
contra o desejo dos brasileiros de extin-
guir completamente a moeda execrada.
Este desejo era de todo infundado,
por que o novo governo expuzera sem cri-
terio aquelle odio estupido e absurdo con-
tra a moeda fiduciaria. Sendo inteiramen-
te impossivel a prompta extinecao daquel-
le banco, temos procurado desde entao
at hoje, restringir pelo menos o mais pos-
sivel a moeda fiduciaria. Mas todas as
nossas tentativas tin sido impotentes para
reduzil-o, contra a resistencia crescente
com que as nossas circumstancias econ-
micas e financeiras as tem multiplicado,
humilhaado o nosso governo em seus ca-
prichos mal intencionados.
Um odio tolo e os estpidos preconcei-
tos dos nossos progenitores nos arrastaram
ao erro de considerar um mal a moeda fi-
duciaria. O erro tambem tem a sua lgi-
ca, e a poltica que tem infelicitado o paiz
occasionando o seu atrazo e a nossa mise-
ria obedece a essa lgica.
Mao ao nosso governo nao faltam atte-
^envDTvt--fnu:in|',s para o erro da sua poHacs, tm
relacao ao nosso meio circulante. Elle tem
obedecido exclusivamente opiniao na-
cional, que nao o perdoaria se ousasse
contrariar um odio tao velho.
Debaixo deste ponto de vista a respon-
sabilidade dos governados muitissimo
maior que a do seu governo.
(C intina)
Francisco Amyntas d> Carvalho Mourn.
REVISTA DIARIA
duciaria, o banco nosse anno nao emittio
um rea! e resgatou anda 44:2000000.
rctrahimento da moeda fiduciaria
n3o podia deixar de repercutir na econo-
mia pur. ilonial, c nao teve o mi-
i valor para attenuar os effeitos da im-
placabilidade das leis da troca internacio-
nal, symthetisados na fuga permanente do
ouro.
No anno seguinte (1813) o banco ainda
resgatou 60:00)0000 que era o resto de
toda a sua m circulac ra de
direiro foi inaudita, mas o ouro nao voltou,
e por isto ni no anno elle emittio
teve mais, e em 1819 emittio..................
2.886:0000, e assim continuou at
UUll o lt n*>of>* iml<*puinluiii.
-aeWu-ee mt circuiacao 9.170:9200
Vendo-se os nossos antepassados, sem
ouro e sem prata, coagidos a servirem-se
do papel bancario para tudo, perderam aJ
calma. Coberto de todas as possiveis exe-
">es, o meio circulante fidu-
ciario foi o bode expiatorio que innocente-
mente carregou com todas as culpas alheias
ecom todas a [uencias da ignorancia
dos nossos progenitores. A explosio do
odio mais estupido nao encontrou limite,
c Inspirou a todos taes repugnancias, prc-
ven9?5es e horrores que, transmittidos de
gera9So cm gerago, ainda perduram bem
vivos no animo da maior parte dos nossos
contemporneos! Foi assim que desde o
seu comego a inoeda fiduciaria no Brasil
achou-sc, com horror, votada s iras infer-
naes sem o menor motivo racional e cera*
tve] para tao fcio e insensato procedi-
mento!
A]' -nos anotar, que de 1818
' os brasileiros tiveram diante dos
um tacto eloquentissimo para con-
t'im lir a todos aquelles que inconsciente-
mente alfirmam que o cambio a medida
exacta do valor da moeda.
As notas de um banco fallido, execradas
e depreciadas por falta de garanta, a pon-
to de sercm trocadas com abatimento, por
cobre, continuaran* a desempenhar todas
as funcgSes econmicas c financeiras da
mclhor moeda legal, sem que o cambio
deixasse de ser muito bom. Nunca no Bra-
sil houve cambio to elevado como nos an-
nos de 1814, 1815 e 1818! Nao carece-
mos prova mais evidente de que o cambio"
170^' I S.'i l-n-\,i ficou 'iimirjamen- um phenomeno exclusivamente lijado
te, fora de duvida, a completa fuga do '
ouro, de. mais profundas sauda-
des na alma dos nossos antepassados que
desccram ao tmulo sem consol s mas
agoas.
Oa rsgate Inciaria, inteira-
mente improficuos para.coagir a volta do
ouro, deram lugar ao reinado da prata,
pela seguinte razao: A colonia, indepen-
ate das suas relagoes externas, ti-
nha relagdes exclusivamente internas, para
as quaes ente prescin-
dir de urna moeda fosse ella qual 1
Desde que, e gnorancia, oa no
antep caprichosamente queriam pre-
ferir, para estas relagoes inclusivamente
internas, a ruieda metlica moeda fidu-
ciaria e a todo custo imp i o ouro e
a prata i dn cii
fiduciaria, veriticou-se fatalmente em virtu-
de das leis da troca internacional, o pheno-
meno mais natural do mun
Para os trocos irrternacionaes, a m i
s serve pelo valor mercantil da sua mate-
ria prima, sendo o valor mercantil do ouro
;rivel ao da prata, por ser elle o pa-
dreo monetario dn quasi todos os pazes,
e nao podendo o dficit da colonia deixar
eis" da iat as C --7*
na la absolutamente tem de commum com
a moeda especial dos differents paizes, e
muito menos com o crdito nacional de
que opportunamcnte nos oceuparemos.
Aa emiseoea do banco desacreditado e
lo de 1818 a 1826 elevaram-se de
10, o esse aug-
ito de meio circulante, einbora insig-
, provavelmente concorreu para o
uento da prodcelo, determinando be-
nelicos i i> na conta internacional
de i lo e exportaeao de valores, e
desta sorte coneorrendo para que o cam-
bio nao se affastasse das immediagoes do
paiz.
Em 1822 a moeda bancaria ou circu-
era 9.70:920$, mas o ouro e a pra-
ta tinlrtin desapparecido, e nestas cond
-o pode dizer que a falta de meio cir-
culante fosse menos sensivol do que em
18 )S. Hivia, porm, urna ditferenga: em
1818 tolos estavamesperangados e anima-
dos, em 1822 tolos cstavam deaanim los
e sera esperanzas de melhor futuro. O que i
predominava no espirito de todos era a
esperanga ardente de ver o completo des-
apparecimento da moeda fiduciaria. Po-I
8. n. o ImperadorEaereveram ao Jor-
nal do Commero o :
Mildo, 29 de Maio Daoia de alternativas, que
muito fizemm reeeiar oela promptidilo e segurao-
C'i da cnvulenca do Imperador, p.rece que Su i
Magi-Bta'e pode ser ciaaiJeralo, noj anaota a
salva do perigo immine ita que carrea na violenta
ciise nervosa de que tai ltimamente aecommettida,
mas a bam caminbo de completa rejtautar.-cao.
A principia foi muito para temar qu o organis-
mo na a pulesse resistir deoililade extrema que
a alimentaei) oSa tinha a virtuda de reoarar. Os
mdicos inquiran eatre si por que raso uaa v-i-
tavam as foro^s, nio padeceodo o Imperador sa-
ngo de fraqueza como resultado da crisa. U de-
pauperam' uta era grande.
Hoje, 29 Je Maio, as causas vo muito melhor
O Imperador est mais forte on muito menos fra-
co. Tem durmido tranquiil meut) ; ni ineuta s
cam appetite e est aniuiadu, mostrando vivo inte-
resse por tuda aquillo de qua costumava oceupar-
se activamente, a pesar das prescripcoas doa m-
dicos quanto conv-mencia de repoaso, tentando
a cada passo iniciar conversaba) com as pessoas
que dol se approximam. Ainda abatido pbysi-
camente, eBt o in'sino homem de outr'ira quanto
ao moral. A inteiligcocia lucida e prompta.
A continuarem estas melhoras, agora bem pro
nunciadaa, partir Sua Magestade, dentro da dons
on tres dias, para Aix-lea-Bains, para 9 que eata
dadas todas as providencian, e tomadas todas as
precaucocs, tendo a viazem de durar por mais de
nove horas. Eeperar-se ha cm todo o caso que
ceese o mo tempo, que est reinando. Ser acom-
paado o angosto enfermo pelos sous quatro me-
clSS ''*' Cbaraot, Hemmola, Qiovanai e Mottn-Maia..
~^~A viagena sera feita em eomboio especial, que
tJo smente parar em Turim e Modane.
8. M. a Imperatris tem eatado tai conaternads
quanto era para prever. Noa transes dolorosos da
crwe, a santa Senhora mostroa-se sublime de de-
diciico. Era debalde tentar arredal-a da cabe-
cetra do Imperador ; ella meama quera prestar-
Ibe todos os cuidadas.
A' roda do Imperador o sentimento de pezar tem
sido profundo. O principe D. Pedro, toda a co-
mitiva e os mdicos pstentearam a mais viva e da-
lurosa inquietao&o. O aelo dos medaos nao pode-
rla ser excedido, e todos maoifestaram admiracao
pelo Imperador quando, passado o periodo agudo
da crise, deixau Sua Magestade transparecer, car-
sciente do seu grave estado, a mais perfeita sare-
nidade e resiguaco npplicaodo o espirito logo que
pote, aos objectos das suas preocupares constan-
tes.
Parece que a principio, ao levar-lhe a Impera-
tris a grata noticia da extinecao do captiveiro no
Brazil, o que fomente fes com autorisaco e por
conselho dos mdicos, o Imperador susp^itou de
que isto lhe disiam para suavisar -lhe os ltimos
momentos ou para provocar-lhe abalo moral. Tal
ves tivesse necessidade, no sen melindroso estado,
de reunir as suas ideas e fixar bem o objecto.
Elle pareceu hesitar par momentos, e, rompendo em
manitestaco de prazer, exclamou Grande povo l
grande povo 1ordenando que no seu nome se te-
legraphasse Bem perda de tempo a Princesa Be
gente, mandando-lbe a bencao e f> licitando todos
os brasileiros. Desde esse momento, o Imperador
nao cessa de refer r-se ao grande acontecimento e
de inquirir pelas circumataociaa. Qier saber
eomo as cousas foram as suas particularidades e
elle mesmo tem tomado a ai expdr a Chareot, a
S mm ila e a Giovanni os termos da queato, in-
sistindo no extraoruinario numero de maoomissas
espontneamente concedidas pelos brasileiros, e
repatinioo histrico dos actos legislativos referen-
tes qu sto.
Aos camaristas, ao medico, ao principe e Im-
peratriz, a todos emSm tem Sua Magestade diri-
gido muitas vezes a palavra a esta respeito. Tem
sido esta, nos ltimos das, a sua preoecupaco
permanente. O seu prazer immenso. Elle tem
dito (para que oceultariamos isto ?) que s morre-
r* no Brazil.
Tem estado squi as prinoezas U. Januaria e I>
Francisca, a Coodessa de Barra!, os Bardes de
Arinos e da Aguiar de Andrada, e Carvalho Mo-
reira. Os ara. Arinos e Aguiar de Andrade, se -
gundo me asseguram, conservam-se aqui por or-
dem do governo imperial.
O clima em Miio bom : o calor vai-se tornan-
do muito intenso. A despeito da enorma qoaati-
dade de palha que tem sido posta na ra, o ruido
dos carros iotoleravel. Por isto os mdicos estao
mmto dasejosos da que Sua Magestade poasa trans-
portarse pira Aiz-lea-Bains.
O re da Italia t -in-se mostrado muito solicito o
gentil para cam o I opera i ir. E' homem de cora-
ci como o pai, dase o Imperador.
AnMi-mtila Oeral m sessSo de 15 ie
Junbo da cmara daa Srs. deputados, por occa
da 2* disenasio nisterio dolicpario, foi orfarecida a seguinte men-
la, qii>, nos termos do regiment da mesma ca-
aiia, foi re nettida eomnisso de oroameoto pa-
ra e nitiir parecer respeito :
Artigo (additivo). E' o goverao autorsado a me-
lhorar, de aocardo cara os prelal >8 dioeesanos os
v.-ncimeutoa do.paasoal daa cathatraes, bam como
as congruas da clero parochial. S. R. Costa
Aguiar, Seve Navarro, P. de Piguairdi, Juvaoeij
Je Aguiar, Maocio Ribei-'o, Passos Miranda, Lai-
to da Cuaba, ti. Crus, Canto, Oiyoioio Campos,
J. A. PeraaoJes de Oliveira, Preire da Carvalho,
America de Sonsa, Baro do Diamantino, Tarqui-
uis da Soasa, Cocinoe Campos, Joo Mauoel, Kt-
vier da Silva, B. de Meodonca Sobnoho, Cl
tiano da Loa, Laia Moreira.
, A >. indio, em sesso de 18, dea o
seguinte pane c joro eaaa e oatras emendas, sen-
do eese parecer approvado na meama eessao :
A commissio de oreamento, teado examinado
vsrias emendas e ad iitivos prspostos despeza do
Ministerio dos Negocios do Imperio, de parecer :
1, que seja rejeitada a doSr. Bernardo de Men-
donca Sobrinho, pela qual se equiparara os veuci-
mentos do bedel do Intrnate com os do Externa-
ta do Imperial Collegio de Pedro II;
2a, que sejam adoptadas : a da commisaSo de
polica ao n. 13, sobre publicacao das discuasoes
da Cmara ; e a dos Srs. Bosa e Suva e outros
Srs. depotados, concedendo o auxilio de 5:000$,
por urna s vps, como auxilio ao Institoto Archeo*
lgico e Qeographico P>mambucano ;
3, que sejam separados e convertidos em pro-
vectos distietos, os additivos dus Srs. Costa
A mar e outros muitos Srs. deputados, autarissn-
do o governo para melhorar, de accordo com os
prelados diocesanos, os vencimentos do pesaoal das
catbedraes e as congruas ds clero parochial; e o
do Sr. Atfooso Celso Jnior, autorisando o gover-
no a subsidiar com a quantia de 3:000 meusaes,
e a eoneedbr outros favores empreza do theatro
nacional e aos autores de pecas nacionaes.
Sala das commiseoes, 18 de Junho de 1888.
A. J. Henriques, presdante, Daarte de Asevedo,
relator, Oiympio Vallado, Carneiro da Cunha,
Rodrigues Alves, Mattoso Cmara.
Autorliades poltclaes Por portaras
da presidencia da provincia t-ram nomeadoa :
1, 2, e 3 snpplentes do delegado da 2 dis-
tricto da capital os hachareis Jos Salasar da Vei-
ga Pessoa, Jos Bandeira de Mello e Jos Antonio
de Magalhes Bastos, na ardem cm que se acham.
2 suppleote do subdelegado do districto da S.
G.ncalo do termo de Oaricury, Joo Jos Mo-
desto.
Poi exonerado, a pedido, Manoel llenriqua
ds Cunha Babello do cargo de subdelegado do
districto de Cruangy, da termo de Timbaba.
Eitceocsi Foi concedida ao protessor de en-
sino primario da Pesqueira, Rufino Epipbanio Ko-
drigoes dos Santos, urna licenca de trez xiezes
com ordenado para tratar do aaa saie onde Iba
coavier.
Guarda nac tnalPor portaras da pre-
sidencia da provincia, de 20 do corrente, ioran
exp -didos ob seguintes actos :
Designou-se o 4 batalhao da comirca do Be-
ife para ser a elle aggregado o capito do ex
tincto 8 batalhao Jos Daciano Vieira de Amo-
rim.
Nameoa sa Joo Fernaudes de Almeida para o
pasta de teaeate da 1' companbia di 9a seceo da
reserva da comarca de Giyanua, em subBtituicSo
de. Francisco Cesario Castcllo Branca, que falle-
ceu.
Para preenchlmeoto das vagas existentes no 11
batalbo das comarcas do Oiiuda e Iguarasa, fo -
rana nomca doa :
Estado maior
Tenente-ajudante, Mauoel Eustaquio de Mello.
/ companhia
Tcnente, Arcelino de Ciiveira e Sauza.
2* companhia
Tenente, Francisco Miguel de Siqueira Bastos.
6** companhia
Teueate, Liberato Prisco Bibeiro.
Alferes, Fausto Ciemeutiuo Bezerra.
7a. companhia
Tente, Miguel Jaa daa P.-azeres.
Alferes, Leandro Honorio Joii de Sampao.
Para as ragas do 45 batalhao da comarca do
Rio Formoso:
Edado maior
Tenente-ajudante, Aquilino Antonio da Silva
Moraes.
7" companhia
Alferes, Emilio deOliveira Silva Ra3a.
2* companhia
Tenante, Manoel Aftinjo Ferreira.
5* companhia
Capito, Antonio L-pes da Fooseca Lima.
Alferes, Francisco de Asis Mello.
4> companhia
Tenente, Antonio de Freitas Paiillii.
Alfares, Rogaciano Bispo de Farias.
5a 'companhia
Tenente, Pedro Cavalcante de Albaquerque
Ucha Sobrinho.
6*4 companta
Tenente, Manoel de Barros Wanderley Sobrln-
nbo.
Alfares, Joo de Mello Castanha.
7* companhia
Alferes, Joa Roberto de Andrade.
8 companhia
Tenent3 Luis Francisco da Albuquerque.
Alfares, Trujano Jos Barroso.
Para as vagas do 44 batalbo da mesma cs-
marca :
Estado-malor
Tenente-ajudante, Antonio Per eir dos Santos.
companhia
Capito o alferes, Joo Seuhorinho da silva.
Alfares, Caliatrato da Silva Paes Barreto.
3i companhia
Tenente, Thamsz da Costa Lima. '
4* companhia
Alfuroc, Jos Alves Moreira.
a' campanftio
Tenente, Joc de Fr'eitaa Padilha.
Alteres, Marcolino Mauricio Wanderley.
6' companhia
Teuente, Silvina Alexaadrino da Costa Lins.
7* companhia
Alfares, Joaquim Ferreira da Silva.
8-' companhia
Alferes, Joo Theotonio Becerra de Vascoacal-
los.
Ser vico da gaaralcao Entram hoje de
superior de dia na prsca o Sr. capito Francisco
de S Barreto e oficial de ronda o Sr. alteres
Luiz Bezerra dos Santos, e amanh os Srs. capito
Pedro Velho e alfares Laobaldo Augusto de Mo-
raes.
A guaraioo da cidade ser dada hoje pelo 2 e
amanb pelo 14" balalboas.
nica iio Campo dan Princezan
Toca hoje a tarde no coreta do jardim do Campo
das P. i acezas a msica do 2 batalhao.
VclantarioaVerificaran! praca voluntaria-
mente no ote na 6 paisanos.
'Siuarda de HonraNo Arsenal de Mari-
ana, por occasio de embarcar para o norte o Exm.
presidente da provincia do Amazonas, fez-lhe as
continencias devidas urna guarda da honra do 2o
batalhao de infantera.
Escalas reglmentaes loa carpos
Foi elevado 50 o numero de pracaa que devem
frequentar a escola regimeotal de cada corpo.
Fortaleza do BrunaO quartel general
ordenou que hontem aFortakzi do Brum, salvacse
com 19 tiros de esnho passagem do paquete
nacional Espirito Santo que conduzia o Exm. pre-
sidente do Amazonas.
Tribunal do Jury do BeclfePresen-
tes na sala das sesgos, s 11 horas da manh de
bontem, os Srs. Drs. Oliveira Andrade, presidente
do tribunal, e Oliveira Escorel, promotor publico,
e o capito Miranda Franco, escrivo privativo,
principion a sesso.
Verificadas as c-dulas e feita a chamada com-
pareceram 36 juizes de facto, sendo submettido a
julgameato o reo Laz Francisco do Nascimento,
pronunciado no art. 257 do Cdigo Criminal pelo
facto enminoao de haver no dia 20 de Marco do
annn puuudtL-aa/msnasia. dn Recifa, tirado para
'ai contra a vontade da sea dono ama barrica de
bacnlbo pertencente a Mandas Lima & C.
Occupou a cadeira da detesa o Dr. Jeronymo
Materno Ferreira de Carvalho, compondo-se o coa-
aeih de sentenca dos seguntea juizes de tacto :
Jos Ildefonao de Mallo.
De. Hormiaia ilur.ira Dias.
Antonio de Borba Coutinho.
Uanoel Roberto de Carvalho Glamarea.
Jos Tavares da Silva.
Joaquim Francisco das Chagas e Silva.
Edmundo de Moraes Carvalho.
Juo (Jomes Ferreira de Abren Mello.
Flix Cavalcante de Albuquerque Mello.
(Jariel anriqoe de Araujo.
Uarculano da Silveira Bessone.
Francisco Epipbanio de Sousa. y
Ao interrogatorio responden o reo qas era-'na-
tural deita provincia, de 40 annos da idadfi^ aol-
teiro, ganbador da ra e analph ibeto.^x
Que sabia o motivo porqua era acrusado e nada
tiuha a oppor contra as testemimiaa que uraram
ao precasso. y
Que entrara no dia 26 oVe Marco no rmazcm de
VIaudes Lima r. C, por achar-se maito embria-
gado, porquaoto lh/^naviam oa meamos prohibido
que all entrasser, acudo que na occasio de ser
preso ao elaiia a barrica de bacalho, que era
coadusid* a sea maulado por Isaas de tal.
Feyv do a palavra pela ordam, apreseatou ama
frelimiaar, ra visto na ter sido o rea prese em flagrante de-
lieto. ncutida a mesma preliminar ao foi ella I
aeeiU, aggravanda dito corad >r, no auto do pro-
eesao para o Superior Tribunal da Relaco.
Em segaida toi dada a palavra ao Dr. promo-
tor que deseovolveu a aceasuclo e pedio a con-
demoaco do acacsado no grao medio do art. 257
do Cdigo Criminal, depois do que o carador do
roo deduaio a defesa do sea constituate.
Nao houve replica.
Em vista das deeisoes do jury que oonfirmon
por unanimidade de votos a autora do delicto a
por sete votos a clrcumslancia attenuante pre-
vista no 9 do art. 18 do Cod. -Crim. foi o reo
aaemnado a 2 meses e 10 das de priso simples
e malta de 5 -/o do valor furtado, grao mnimo do
art. 257 combinado com o art. 49 do referido c-
digo.
Foram adiados os trabalhos do jan para hoie.
as 10 horas da manh. '
Paaaoeio publicoComecamos hoje a pu-
blicar em outra seceo o parecer sobre o projecto
da passoio publico, elaborado pela engenheiro Be-
ranger em Julho de 1875, quando trabalnava na
repartilo das Obras Publicas desta provincia.
Sendo um dos* melhoramentos a muito tempa
reclamado nesta cidade, onde to poneos sao os
pontosde distracoss, chamamos para o projecto a
attenco dos letores, certos de que todos reco-
nhecero a grande utilidade que resultar da
conatrueco de to necessario melhoramento, para
o qual, todos sem distineco', devem trabalhar
afim de que nao seja simpleamente um projecto,
mas sim, ama realidade o pasaeio publico.
CoucerloNo salo de honra do Club Inter-
nacioml roalisou-te hontem o concert, dado pelo
distincto prafasaor Amaro Barreto, com o concur-
so de suas Exmas. discipalas e alguna cava hei-
ros.
Pouco mais da 8 horas da noite o salo estava
compietameata eheio de senhoras e eavalheiros da
mais esoolbida sociedade.
O programma foi magistralmento desempenha-
do, sen lo muito applaudidos as senhoras e eava-
lheiros, que se eucarregaram de execatal-o, e as
discipulas do eximio protessor honraran! o mestre
na exhibioo de seos dotes artsticos.
Reinou sempre umita aoimaco, e os convida-
dos retiraram-se muito satiafditoa, tenao-lhes cau-
sado agradavel e sorprahendeote impresso o ta-
lento e progresso de que deu pravas a iuteressante
tnademoieelle Laup na execuoio da parte, qae lhe
coube, ao piano.
Pela nossa parta agradecemos ao Sr. Amaro
Barreto o ter-nos proporcionado horas to agra-
daveis.
Presidente do Imazonai-No paque-
te nacional Espirito Sanio ch.-gou aqui ante hon-
tem o Or Joaquim Cardoso de Andrade, presi-
dente n meado para a proyocia do Amazonas.
R cebido pelo Dr. Pedro Curr. ia, hospedan-ae
em casa do Viseonde da Silva L-yu, onde reside
aqiialla nomo amigo, qua Iba oSereceu um jantar,
ao qual cumpareceram o presidente da provincia,
Dr. -.-nee de polica e muitos o-itros amigos.
outem offereceu-lhe o Dr. Pires Ferreira, di-
rector da estrada de ferro da Caruata, um al-
mo; >.
3. Exc. embarcou s 4 hars da tarde de hon- I
tem no Arseaal da Marinha, onde lhe foram pres-
tadas as honras do pstylo.
Afosado Na terca feira, par volta do 6 ho-
ras da tarde, m rreu atogado no acule oua Ir-
ma oe, do 2' districto do Poco da Panella, quando
all lora bauharse, um individuo cuja ideutidado
uo foi reconhecida.
Retirado pela polica o cadver, da vistoria pro-
cedida verificase ter sido ama asphixia por aub-
mersao a euusa da marte.
Foi ptooUm telegramma expedido hontem
de Gr.youua ao Sr. Dr. chefa de polica pele sub-
delegado do 1' districto d'alli, noticia ter esta ul-
tima autoridade prendido a Jos Vicente, pronun-
ciado no art. 193 do Cod. Cr.,no termo de Limoeiro.
TiroNa madrugada de 4 deste mes, oa filis
de Ouncary, desfecharam um tiro de arma grossa
na porta da frente da oasa do capito Jos Joa-
quim Ribeiro. A carga era composta de urna bala
e diversos carocos de chumbo.
A polica procedea vistoria e mais diligencias
constitutivas do ioqacrito.
Fallecimemo Falleceu ante hontem no
hospital Pedro II, para onde tinha ido tratar-se,
o alferes da guarda nacional da comarca de Olin-
da, Joaquim Francisco da Rocha.
O fiaado era natural da cidade da Parahyba e
contava 48 annos de idade.
Praca de pedasrlo Perante a junta da
fazenda provincial arrematar-se-na amanh ao
meio dia a cobraoca do pedagio das baireras do
Qiqci, Magdalena, Ponte das Carvalhos o CoUB-
seiro, servindo de base nanea os volores cons-
tantes do edital do Thesouro Provincial, publica-
do na seceo competente deste Diario.
Circo CntlenoDan aot- houtem espect-
culo no Circo Chileno a companhia de que di-
rector e Sr. Palacios.
Apezar de ser repetido o trabalho com qae es-
treoa a companhia, comtudo, como da prmeira
vez agradou sobremodo.
Entretanto cumpre-nos aqu mencionar o tra-
balho da eseada em balanco das senhoritas Juani-
ta, Rosa, Luiz i e Julia que, em excepoo foi pela
prmeira v>z levado acea, e o trabalho execu-
tado no trapezio pala iuteressante e intelligente
menina Estrella d'Alva, qae apenas conta 5 an-
nos do idade.
No deoiais como era todos os espectculos a cjai---
panhia tem desampenhado perfeitameate seus tra-
balhos, e encontrado por parte das espectadores
calorosos applausos. s"
Para hoje esto annunciadas duas variadas
fuoccea, sendo urna as 4 horas da tarde e a outra
as 8 l/ da noite.
'
,.:
Prado Pernambacano Realisa-se hoje
a 18.* corrida oeste prado, cujo programma i o
seguate :
Primeiro pareo. -Caasolaco.800 metrea.
Aniaaes da provincia que ainda nao tenham ga-
no?. Premios : 200 ao 1-, 50 ao 2- e 3- livra
a entrada.
Correro :
Petropols, Pendanga, Atheu, Urso, Salvatus,
Cadeaux, Araaha.
Palpite Atheu.
Seguodo pareo.Capito J. J. da Rocha.1.2))
metros. Animaes de menos de meio sangue. Pra-
mios : 300/"ao 1-, 75/ ao 2 e o 3- livra a entrada.
Correro :
Fgaro, Oalatha, Recife.
Palpite Galatha.
Tereeiro pareo:Peres Campado.1.600 metros.
Premios : 400/ ao I-, ICO/ ao 2- e o 3- livra a en-
trada.
Correro :
Douro, Favorita, Ipojuca, Morena e Maestro,
Palpite Favorita.
Quarto pareo.Prado Pernambucano.1.609
metros. Premios : 500/ ao 1- e 125/-ao 2-,
Correro :
Africana, Bacarat e Castiglioni.
Palpite Castiglioni.
Quinto pareo.Dr. Sousa Res.1.10O metros,
Animaes da provincia. Premios: 250/ ao l'
60/ ao 2- e o 3- livra a entrada.
Correro :
Faisca, Topy, Noruega, Ocila e Cndor.
Palpite Noruega.
Sexto pareo.E. Chaline.1000 metros. \.ni-
maes da provineia que anda nao tenham ganbo
nesta distancia. Premios : 200/ ao 1-, 50/ ao i'
o 3 ilvra a entrada.
Correro:
Petropolis, Zig, Leaeira, Blizxard e Elo.
Palpite Leaeira.
Stimo pareo.Claudio Bubeox, 850 tros.
Animaes da provincia que anda nVdfahara ga-
nho nesta distancia. Premios : 20^aVao 1- 50/ aa
2- e o 3- livra a entrada.
Correro:
Atheu, Candor, Cadaaux^- Zumby.
Palpite Zumbg. ^s
Oitavo pareo Saguado turma Coasolaoo.
800 metros AnLaaes da provincia. Premios :
20JZ ao;i\60//o 2- e o 3- livra a entrada.
Cojsfera T
>ffper&nt\ Sancho Pauca, Rigoleto, Javali, Toa-
paira e Mouro.
Palpite Mouro.
O Brasil a Exposico de ISS8
Em dat de 2 de Junho escreva,o correpondeue
de Pariz para ojornal do Commercio :
A 31 de Maio, reunio-se a mesa da catnmis-
so franco braaileira para deliberar -acerca da
eooatrcelo da palacio deatiaado seaca braai-
leira ao campo da Marte. Asseotou em confiar a
ama sub-commisso todos os pormenores relativo!
can8tracco e redigir am projacto abrila con-
curso para a edieaca do palacio, que deve com-
pr-se da nm aposento terreo ede dous andares, oc-
cupando ama rea de 400 metros quadrados pelo
meaos, ficaado reservado o espaco restante para
ais jardim, no qual a commisso deseja qae figa-
rem variados espacimeos da flora brazileira. O
concursa ficar.aberto at 5 da Julho, e as plantsa
/
I- 5-


[ EiCrVU
J.


*r^f5*"**!^3**

' to dos l'I
Diario de PernambucoScxta-feira
h< J- 1888
3
las serio jugadas por l
te don ir Lourdlet, fe*tor, iE. Pimo, Sant'Aans
Nery, Amde Prince e Ptt, membros da mesa, e
Bhom de Sabois, da Estrella e da Albuquerque,
conselbeiro RodilphoDsotas, esgssbeiro Teixeirs,
conmeedador Adulpho Ktiugelhoeffer a Eduardo
Ferrer* Cardoso, membras da sao-eommisao.
Ha ver 3 premio : 1 de 3, ontro da 3 e de 1000
franco. A cummisso ficar proprietaria do* pro-
jaetos premiados e poder mandar exeeutar o edi
ficio par qaem melhorea vantagens offereeer.
Coiamonicoa-se a mesa urna carta do afamado
botnico Li ieo, a guem nm dos vice-presidentes
ie dirigi par intermedio do Sr. Conde de Ville-
aenve. Lindes te declara prompte para empre-
en der a ornamentacSo do jardim da secco brasi-
- leirm cale se torem acceitas as suaa propostas,
apre seu-.ar oa mais bellos especimena da fiara tro-
pical. >
O Bsnfuele** Deste bello romance brasi-
leiro, que est publicando o sea autor, Sr. Dr. Car
miro Villela, reeebemos hontem as formas 11 e 12,
formando o 6- fascculo. Agradecemos.
AssassiaatoNo dia 24 dcate mes e no lu-
^ Vanea Grande do termo de Pao d'Albo, Joo
Francisco di Castre assasein. u a Joo Ribeiro
Seabra, logrando evadir-se.
A respectiva aatoridade policial, nos termos da
le, tomen conbecimento do facto.
Fe rf asento leveNo dia cima e no lugar
Roaarinlu d.> referido termo, Gabriel de tal ferio
levemente a Francisco da Silva, evadindo-se tam-
bem logo a o o crime.
Tarabm a respectiva auoridade proceden quan-
toa cato facto nos termos da lei.
Club Recreativo SI de Jnnno-Pro.
C-'len-ae aote-hontem eleicao para a nova direc-
tora de 1888 a 1889, dando o resultado segainte :
PresidenteFrancisco Gomes de Souza LeSo
(reeleito).
Vic'-presidenteJoSo Pereira Lima Juuior.
I SecretarioFirmino Amaro do Livramento.
2' DitoJj2o Baptista Galvo.
OradorPedro de Asis.
ThesoureiroAngosto Caoba (r-eleito).
F 1 Antmio de Mtraes.
letre slaArtbur Fenelon (reeleito).
L gi pos foi eleito o Sr. Rodolpho Lima, para
director do mea de Julho vindouro.
Domin 50 1 de Julho tomar posse a nova di
recteria.
Fesia rtG Senhor Rom lesas das
Cbagati Oo septenarios tem corrido na unja
do Pitraiio, muilo animado, b vendo no fim a ben-
cao do Suntissino Sacramento.
Domingo, 1 de Julho, pelas 4 horas da madru-
gada btver missa resuda em iutenco de todos os
devotos que concorreram para a festividade.
A'i 10 \\ horas do dia entrar a missa solem-
ne, precedida do cante de Tercias e orando ao
Evar. jeW> o Sto. Frei Augusto da Immaculadu
Gouceico Alves, sendo rccmd da orcheacra
O procura ior geral, Amaro Joaqmm do Espirito-
Santo.
A's 6 lr2 horas da tarde entrar o 'li-Deum,
sendo orador o meetm do Evangelho.
En todos os actos tocar urna banda de msica
marcial.
.Os moradores do largo do Paraso devero
iluminar as frentes de suis casas para maiur bri-
|Qantismo da festu.
Alvares de AzevedoHoje s 4 horas da
tardo tuuceioaa esta sociedad, em assembla ge-
ral .
Domiugi 1 de Julho funecionar em BeesSo or-
dinaria e horas do costume.
Reunies soclaesH.ver domingo as
cguiit'S :
Do Instituto Li'teraro Oliniense, as 11 horas
da manh. na sdi social, do conselho director.
Do M >nr,e-Pio dos Typographos de Pernambu-
OS, s 10 horas do dia, na sedo social, em seasao
ordinaria.
01 rectora das ouras de eoaserva -
e*o don portn de reraambnro-Be
rife 27 de Jaubo de 1888.
Hospital Pedro II0saovimento do dia
27 de Junho, deste eatsbelecimento, foi o segain-
te :
Entraran 18
Sahisism 9
Falleeeram 3
Existem 515
Foram visitadas as respectivas enferaarias pe-
los Drs. :
Barros Sobrinho s 7 3,4 horas, Ferrer* Vel-
loso s 9, Cysneire s 9 1[2, Malsqnias s 8 1(2,
Ponlual s 9, Estevo Cafalcante s 8 1[2, Simos
Barbota s 9 1(2.
Cirurgio dentista Numa Pompilio, s81|2 ho-
ras.
Pharmaeeutico entrn s 8 1[2 e sabio s 4
horas.
Ajudante do pharmaceutico entren s 7 34 e
sahio s 4 1[2 horas.
IHDICACES TEIS
Lotera do ParaA 3 parte da 21* lote-
ra, pelo novo plano, cajo premio grande de....
69:000*000, ser extrahida, segndaa-feirs, 2 de
Julho.
Cemlterlo PublicoObituario do dia 26
de Junho :
Mara Casimira, Pernambnco, 50 annos, sol-
teira. Boa Vista ; paralysia.
Jacob Mauricio, Pernambuco, 63 annos, solteiro,
Graca; epilepsia.
Franktio, Pernambnco. 8 meses, S. Joi ; atrep-
sis.
Alfredo, Pernambuco, 4 annos, Boa-Vista ; con-
gesto enebral.
Mara, Pernambuco, 1 mes, S. Jos; toase con-
vulsa.
Urna crianca, Pernambuco, Boa-Vista; remet-
tida pela polica.
Francisca Genuina do Rosario, Pernambuco,
26 annos, solteita, Santo Antonio ; tubrculos
pulmonares.
Ago8tnho Anastacio Fernandes, Portugal, 24
anacs, casado, Boa-Vista; beriberi.
Manoel Balthaaar de Oliveira Barcellos, Per-
nambuco, 29 annos, solteiro, S. Jos ; tubrculos
pulmonares.
Pedro, Pernambuco, 3 annos, S. Jos; bron-
chite.
Joventim Catharim de Hollanda Prxedes, Per-
nambuco, 14 annos, solteiro, t. Jos ; fysica pul-
mn ar.
27 -
51
Joaqmm Francisco da Ro:ba, Parabyba,
annos, casado, Boa-vista ; abeesso heptico.
Mara, Pernambaco, 1 anno, Boa-Vista ; can-
vulsoes.
Joo Francisco das Cbagas, Pernambuco, 45 an-
nos, viavo, Boa Vista ; gaatro-eoterte.
Jos, Pernambuco, 6 meso*, Grac-. ; convnl-
6033.
Raymundo, Pernambaco, Boa-Vista ; coogestao
cerebral.
Antonio, Pernambaco, 15 das, R;cifc ; gaatro-
enterite.
Thsodora Mura doa Reis, 65 annos, Recife ;
caero da mama,
Clauiisno Jos Marques, Pernambuco, 60 annos,
solteiro, B 'a-Vista ; tnberculose.
Alfredo Zicarias do Reg, Pernambaco, 16 au-
nas, solteiro, Boa-Vista ; epilepsia.
Joao Francisco Carneiro, Pernambuco, 40 an-
nos, solteiro, Boa-Vista ; diarrha.
Boletim m 'teorolcgieo
!
Horas
6 m
9
13 .
3 t.
6
21'5
251
9fi7
250-6
M ii
BsUOssSSSM a
O*
764^85
765"63
761oit3
764">55
764'"89
TensSo
do vapor
15.19
17,07
18.^7
18,73
18.12
o
o
o
S
D
a
84
70
71
76
79
Temperatura uiaxiinit--27,,0
Dita mnima20',75.
Ev&Doraco em 24 horas so sol: 0,8 ; & som-
bra : On-,4.
Cbuva1-2.
Direccao do vento : S de meia noite at 8 horas
6 45 miau;osda manh ; SE at 9 horas e 45 mi-
nutos ; S al 11 horas e 5 minutos ; variavel de S
I E predominando SE at meia noite.
Velocidad-- mda do vento: 2m,91 por segundo.
Nebnlosidade md-a: 0.67.
Boletim do porto
S- es
Ja
5
b. n.
P. M.
B. M.
Dia
27 de Junha

2 de Junho
Horas
114 da tarde
7-39
126 da manha
Altura
0,*45
2.0136
0,-68
tellesEffectuar-se-hao:
AmaohS :
Pelo agente Britto, s 10 1|2 horas, ra da
Imperatris, de um piano, movis e vidros.
Pelo agente Pinto, s 11 horas, ra Marques
de Olinda n. 52, de um piano, movis e vidros.
Segunda feira :
Pelo agente Silveira, ao meio dia, ana es-
treita do Rosario n. 36, de predios.
Pelo agente Alfredo Guimares, s 11 horas,
roa do Bom Jess a. 49, da quinta parte de um
obrado.
Mtssas fnebresSero celebradas :
Amanhi:
A' 8 hsras, na matriz da Boa-Vista, pela alma
do engenheirc JoSo Beserra de Mello ; s 7 l|2 ho-
ras, na igreja do Espirito-Samo, pela alma de D.
liara Francisca de Hollanda Cavalcante ; s 8
horas, n matriz de Santo Antonio, pela alma do
Dr. Joo Beserra de Mello.
Paasasrelros'Jhegados do sul no vapor
ingles A'ile :
Jos Antonio de Figueiredo Santiago, Dr. Al-
cebiades C. de Albnquerque e Sidney Henry.
Sabidos para a Europa no mesmo vapor :
Constancio Lapes de Oliveira, Martinbo Jos
Fernandes Fe reir, John Est K -en, C. R. Cons-
table, Oatoman H Eikourie, Ostoman Saliba El-
kourie, Eppbanio Gomes de Oliveira, Manoel
D.mingiies Pereira e Joo Garda de Castro.
Sabidos para o norte no vapor bratilero
Espirito Santo :
Tenetite-coronel Antonio Fernandes Jorge e
sos seo hora. Rodrigues do Le^ H.jmamia ++
Costa L'ite, Jos aiVrrtos de Freitas, Jos Mosal,
Rs^irnjso E. Pires, Gustavo Hermelica, Antonio
Fi de Moura Falco, Valentim Lopes Gaimares,
Joao Li aralo. Manoel Liberal, Balbina de Sonsa,
Virginib Fidels Ramos, Joaquina Francisca do
ascimcnto, Amelia Rosalina, Rodopiano de Al-
sneida, Bras Rataeosa, Jos Pedro, Anna Reno
vate, Fsiippe Holmes, Getulio Pires de Hollanda
Cavalcante.
Sabidos para o sul no vapor francs Yiile de
Bakxa :
ti. K. Wing, Vicente de Moraes Mello e sus se-
sbors, Romualdo da Silva Braga, Dr. Jolio de
Calasans, Mauoel Accioli, Argemiro Falco, Fran-
cisca da Cooceioo e Manoel de Asevedo.
Cae si se seieaeaeMovimento dos pre-
sos ds Casa de Detenco do Recite no dia 27 de
Junho de 1888:
Existan) 293 ; entraram 25 ; sahiram 6 ; exis-
tem 312,
Asaltar:
Nacioaaes 294 ; mulseres 10 ; estrangeiros 8;
-Total312.
Arracoadoa 26L
Boas 248.
Doentes 13.
ToUl261.
Movisieoto da enfermara :
Teve baixa :
Sa'uuiaao Alves Pereira.
(BFallson:
Liberato Jos da.Silva.;
Tribunal da Relami
SESSO ORDINARIA EM 28 DE JUNHO
DE 1888
PRESIDENCIA DO EXil. SR. CONSELHEIRO
QINTINO DE MIRANDA
Secretario Dr. Virgilio Coelho
A's horas do costume, presentes os Sra. desem-
bargadores em nume.-o legal, foi aberta a sessilo,
depoi i de lida e aparovada a acta da antecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se oe
seguintes
JLQAMKNTOS
Recursos eleitoraes
Da ParabybaBecorrente Jos Vicente Mon-
teiro da Franca, recorrido A lipio Gomes da Sil
veira. Relator o Sr. des'mbargador Buarque
Lima.Den-se provimeoto, UBanimemente.
Dj LimoeiroR-cerrente Manoel Bernarda Go
mes Silveira, recorrido o juizo. Relator o Sr.
deeembargador Pires Perreira. Deu-se provi-
mento, unauimemente.
Recursos crimes
Do Camaragibe< corrate o juizo, recorrido
Manoel da C sta do Naseimento. Relator o Sr.
conselhelro Queiros Barros.Negou-se provimen-
to, nnanimemeute. .
De PalmaresRecorrente o juizo, recorridos
Uiysses Jos da Cunba e outro. Relator o Sr.
desembirgador Pires Ferreira.Negou-se provi-
meoto, unnimemente.
De Palmares -Becorrente o juizo, recorrido Jo
s Antonio da Hora. Relatar o Sr. desembarga-
dor Alves Ribeiro.Negoa-as provmento, nnani-
p">"'ciite.
Carta testemunhavel
Do ReciteAggravaute Francisco Gomes da
Silva Saraiva. Relator o Sr. consebeiro Queiros
Barros. Adjuntos os Srs. desembargadores Pi
res Ferreira e Buarque Lima.Negou-se prov-
mento, unnimemente.
Prorogacdes de inventario
Inventanante Melcbiades Pulpino Freir de
Carvblbo.Uaocedeu-se o prazo pedido.
Inventar ante Gustavo Leziaseno Portado de
Mendonca Em diligencia.
Appellacoes crimes
De IpojocaAppellante o promotor publico, ap-
pellado Manoel Joo de 8iqueira. Relator o Sr.
desembtrgador Toscano Barreto. Mandn se a
novo jury, aaanimemente.
Do PilarAppellante o juizo, appellados Vi
cente Pereira do Naseimento e Flix Pereira da
Silva. Relator o Sr. desembargador Buarque Li-
ma.Mandou-se a nove jury, unnimemente.
De Garanhuns Appellante Jos Joaquina da
Silva Casaca, appellada a justica. Relator o Sr.
desembargador Toscano Barreto.Confirmou-se a
sentenca, unnimemente.
De Paulo AffonaoAppellante o promotor pu-
O Or. Barras fialsvaries
Pode ser procurado do esoriptoro da re-
dac^So d'eate Diario, ra Duque de
axiaa n. 42, 2. andar.
Advocado
O baeharel Bonifacio de AragSo Faria
Rocha, mudou o sea escriptorio de advo
cacia para a ra do Imperador n. 22, l.
andar, onde ser encontrado das 10 horas
da manha s 3 da tarde.
O Dr. Milet mudou o sen escriptorio de
advocara, para ra do Imperador n. 22.
Medico*
Dr. Barreto Sampaio d consultas de
aeio-dia s 3 horas no 1. andar da cas*
amado Barao da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 34, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
Dr. Joaqpim Lowreiro medico e parteiro
Consultorio na ra do Cabug n. 14, 1*
.ndar, de 12 s 2 da tarde residencia nc
Monteiro.
O Dr. Moaree Guimares chegado da
drte, dedica se medicina em geral, e
-om especialidade s molestias do corago,
polmSes, ligado, estomago e intestinos, e
tambem s convulses e outras molestias
das criangr.s. Reside praca Conde d'Eu,
a. 28, 1." andar, e tora consultorio ra
do Bom-Jesus, n. 45, onde diariamente d
consultas do meio-dia s 3 horas da1 tarde,
aceitando chamado em qualquer iesses lu-
gares. Telephone n. 381.
O Dr. Matheiw Vaz, medico, mudou b
sua residencia para a ra dos Pires n.
83 A, onde poder ser procurado para o
azarcicio da sua profisso. D consulta de
11 horas da manha s 2 da tarde na rus
do Bar3o da Victoria n. '32, 1. andar.
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto
rio ra Duque de Casias n. 74, das 12
s 2 horas da tarde, e desta hora em dian
te em sua residencia ra da Santa Cruz
n. 10. Especialidadesmolestias de se-
nhnras e enancas. Telephone q. 326.
O &r. Castro Jess,, medico e operador
Pratica a lavagom do tero quando e como
acouselhada. Consultas das 11 s 3 da
te em sua residencia ra da Santa Jruz
o. 10. Especialidadesmolestias de se-
nhor. s e creaogas. Telephone n. 326.
O Dr. Castro Jess, medico e opera Ior
Pratica a lavogem do tero quando e como
aeonselhada. Cousultas das 11 s 3 da
tarde em ana residencia ra do Bom-
Jesus n. 23, 1. andar.
Occalisfa
Dr Ferreira, com pratica nos principr.es
bospitaes e clinicas de Pars e Londres,
d consultas todos os dias das 9 horas ao
meio-dia. Consultorio e residencia a rus
Larga do Rosario n. 20.
Drogara
Francisco Monoel da Silva & C, deposi
taros de todas as especialidades pharma
euticas, tintas, drogas, productos chimi-
oos e medicamentos homeopticos, ra de
Mrquez de Olinda n. 23.
Herrarla a vapor
Serrara a vapor e ojjicinas de campia
ie Francisco dos Santos Macedo, caes de
Capibaribe n. 23. este grande estab ele
amento, o prmeiro da provincia neste ge-
nero, compra-se e vende-se madeirte
ie todas as qualidades, serra-se madeira
de contei alheia, asum como se prepararos
obras >de carapina por machinas e por pre
os em competencia Pernambuco.
to, acostados pela sede, se engaaran) com as te
ductoras miragt-nt das ridas planteas africanas
em que suppanbam ver nm in sgotaval manaacial
de aguas tranquillas, nio reveion se a vietim
cooscia da ana innoemeia e que nao se'humilha
nanea ; S. Revma. em vea disso mostrou ser o cul-
pado, a quera o medo do castigo tai deseer at o
vil expediente ds procurar obter do offendido por
premessaa engaadoras a compaizao, de que nio
digno.
Na .primeira situacSo por nos figurada, 8.
Revma, que tanto esbravejon do fingida indigna-
ci, nio s contra os seas proprios irmSos di ha
bito, a quem por urna estrategia reclamada p;la
difficuldade de sua defeza attribuio a responsabi-
lidade da calumnia, de que se qaeizava, como
tambem contra os proprios fiis 6<5 palo inaudito
crime de terem nella acreditado, aio tena deiza
do de fulminar o procedimento de D. Mana Ame-
lia ; na segunda S. Revma. tpida fazer o que
fes : calar-se diante de qaem tinha tido a des-
graoi de faser-se duas vezet sua victima. E foi o
que se deu.
Si, por outro lado, prestar se alguma attencao
ao contando da carta em questo, ver-sa-ha que
essa carta nao foi a erupeo da urna conscieocia
opprimida pelo remorso, que veio atirar a lava do
arrependimeato sos ps da inaocencia calumnia-
da.
Tudo nella denuncia a obra da encommenda e
feta com um fim preconcebido. D. Maria Amelia
anda nma vez condesceod u peccaminosam*nte
como Revm. Sr. governa ior do bispado, dando a
responsablidade de seu nome ao que este lhe
mandn escrever.
Si a carta de que se trata fosse ama produccSo
espontanea de D. Maria Amalia, sera urna obra
de sent ment, que estara a denunciar o coraoSo
de molher que a inspirou, do mesuio modo que os
suaves perfumes que a brisa nos tras ao seio das
fl restas denuncia a existencia das fLr.z, que all
descerrara suas esplendidas corollas.
L?ia bem opuolico essa carta e note que nella
s ha cabera e cabrea perturbada e nao coraedo e
principalmente coraedo aguxlhoado por um senti-
ment nobrt.
O arrazoado e o argumento es;o neBsa carta
trahindo nao s o homem, mas o homem criminoso
Siles esto all como os gneos do capitolio dan
do o grito de alarma para acordar a boa f doa
que dormem sobre a lettra, despresando o espirito
desse documento.
Em cada periodo da carta alludida se esti des-
cobrindo nao a mnlher, que airep ndida de urna
fraqueza ou de urna falta fai della confiseSo e pe-
da perdo ; mas sim o culpado que estabeleie pre
missas para tirar a conclusao da sua innocencia.
Aqu l-se : Agora diur.i => j-i. ^- i
nJi eatou grvida de vosmec, wa\ nunca vojme-
e me off ndeu c sempra voso ce respeicou-me e
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista por
tacado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Novum crimen
VI
blico, appellado Jos Ferreira de Arauj -. Rela-
tor o Sr. conself-eiro Queiros Barros. Confirmou-
se a sentenca, unnimemente.
De Paulo AffousoAppellante Jos dos Anjos
da Silva, appellada a justica. Relator o Sr. des
embargador Buarque Lima.Confirmou-se a sen-
tenca, unnimemente.
De Paulo AfiensoAppellante Targino Ferrei-
ra Barata, appellada a justica. Relator o Sr.
desembargador Buarque Lima. Confirmou-se a
sentenca, unnimemente.
De Ourieuiy Appellante o iuizo, appellado
Umbelino Jos de Lima. Relator o Sr. desembar-
gador Toscano Barreto.Mandou-se a novo jury,
unnimemente.
Do RecifeAppellante o juizo, appellada Ma-
ria Francisca da Anounciacio. Relator o Sr.
conselbeiro Queiros Barros.Mandn-se novo
jury, unnimemente.
Revista civel
Bl*----B^ott.. I. (I.,ltnric U Bapl.i
to Santo dos Res, recorridos D. Cypnana Tnoma-
zia Ferreira e outros. Relator o Sr. desembarga-
dor Alves Ribeiro. Revisores os Srs. conselheiro
Queiros Barros e Buarque Lima.Julgou se a re-
corrente com direito s meiacio, contra o voto do
Sr. desembargador Buarque Lima.
PA88AGEN8
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro de Andrvle :
Appellacoes crimes
De AtalajaAppellante o juizo, appellado Joao
Goncalvcs dos Santos.
De Nazareth Appellante o juizo, appellado
Vicente Perreira BarDoza.
U Sr. desembargador Pires Ferreira mandn a
mesa, por ser impedido, a
Appellaco commercial
Do RecifeAppellante o Banco Industrial Mer-
cantil do Rio de Janeiro, appellado Dr. Manoel
rofvcarpo Moreira de Azevedo.
Sr. desembargador Pires Goncalve, como
procurador da corda e promotor da justica, deu
parecer nos seguintes faites :
Appellacoes crimes
Do Trnmpbo Appellante o juizo, appellado
Antonio Pires Brandan.
Da IndependenciaAppellante Francisco, por
sen curador, appellada a justica.
Conflicto de jurisdiccao
Entre os janes municipal e de direite da ce-
de Campia Grande.
Rnoerrou-se a sesso s 2 horas da tarde.
Vamos continuar a oeeupar-aas da carta de 3.
Maria Amelia de Araujo.
Por mais que nos custe desempenharmo-aos da
miseo, que nos impasemos, de fazer a las nesta
questio, que ji buje com gran ie p zar notso tomou
a orientac'i que mais lamentamos e que tanto te-
miamos', havemos de leval-a ao fim, pois pensa-
mos com o grande poeta dos> Lusiadas que
fraqueza desistir da empreza comecada, >mexim
tratndose de assnmpto de tanta magnitude.
Raciocinavamos em nosso artigo anterior no
sentido de provar que a carta alludida foi escripia
por D. Maria Amelia de Arauj > a instancias do
Revm. Sr. governador do bspado e agora pode-
mos accrescentsr que disto mais umjj prova a
circamstancia, que a nenhum dos nossos leitores
deve ter escapado, de que o mesmo Revm. Sr. go-
vernador, tendo sido como dis calumniado com a
imputacao do defioramento deesa moca e tendo
essa imputacao partido della propria, nao fes en-
tretanto a esse facto o menor commentario, nao
articulou contra elle urna queixa sequer e nem
mesmo reprevoa o como um procedimento em todo
o caso digno de ser estygmatisado ; o que alias
teria feito o menos exigente mostr de moral, ain
da mesmo qnando nio tivessa de apreeal-o em re-
lacio a sua pessda, como o fez S. Kevma.
Si na sua defza, publicada no Diario de 12 do
cadente mes, foi assim que proceden o Revm. Sr.
governador do bspado ; na tribuna da S j tinha
sido esta a esndacta de S. Revma.
All o Revm. Sr. governador do bspado, que
esforcou-se o qaanto lhe foi possivel para parecer
offendido em sene bros e revoltado contra o qne
elle chamo] urna miseravel calumnia ; all S.
Revma., que para fazer acreditar em sua inno-
cencia teve prmeiro nejessidade de estrangular a
su8 consciincia, abafando-lhe o ultimo grito de dr
com a sacrilega invocaco do Deu tres vezes san-
to, do Santissimo Sacramento do Altar, que elle
proprio declarou nao poder recebar sem que pr-
meiro se expurgasse da imputacao infamante, que
sobre elle pesava ; all S. Revma., que por todos
esees recursos de sua laboriosa defesa foi pr-
meiro a deixar fra de duvida para os seas oa-
vintes a negrura da accao que Ib era attribuida :
all 8. Revma., ao passo que vibrava raios contra
a sua propria elasse, attnbuindo a algans de seas
irmios de habito o infernal designio de bI-o fra
llu gVTCHUV tim iww*. pvm .oveja c &m01C&0, USO
proferio urna s palavru contra aquella, qne o ha-
via denunciado no leito nupcial a sen proprio ma-
rido como o autor de sua deshonra e da deagraca
de ambos.
Quem nao eoxerga atravs dos buracos dessa
estampada detesa do Revm. Sr. governador do
bspado as inconcussas provas do sea crime T I
Pois humano que o mesmo Revm. Sr. governa-
dor, tendo recebido de D. Maria Amelia de Araujo
a carta publicada em nosso artiga anterior, sem
que ella s tivesse solicitado (quando mesmo o fazer
nao della em sua defesa fosse eompativel com a
sua innocencia), se tivesse servido dessa carta ara
duas circumstanias differentes sem proferir em
nenhnma Helias ama s palavra de condemnacio
oa mesmo de compaixio e de perdo em relacio a
qaem a escrevera i l
ijAo menos a necessidaae qaasi inatinctiva de
moraliaar o estranho e extraordinario aconteci-
mento o teria arrastado insensivelmente a fasel-o
no caso de innocencia lato, porm, nao teve la-
gar.
E querem maior prova de que a carta de que
se traets foi nm acto de favor ou de condescen-
dencia, alcaooado pelo Revm. Sr. governador do
bispado de sua desventurada prima por urna vio-
lentaoo moral por elle exereida sobre seu fraeo
animo TI
O Revra. Sr. governador do bispado diante do
triste doenmento, com cojas apparencias se illa
diu tanto esa su neeessidade de detesa, como os
soldados franceses da celebre expedico ao Egyp-
eu tambem da mesen a sorte a vosm-e, tanto que
lhe tomei por meu padrinho de ehrisma.
Acola i se; Peco perdo do falso que le-
vantei a vosmec; quando contei a meu marido
foi em intencSo de fazer-lhe mal, tanto qae ped
segreio.
Nao ha duvda que a carta de que so trata I
urna pega de defeza. A lgica trabio nella o bo
mem e veio att-star que a mulher all somonte
representou o pipil de editor reapoosave!.
Diro que a lgica da carta dett-stavel e eu
concordando responderei que assim ; porque se
pode dizer da lgica do crime o inesuo que al
guem j disse da lgica do erro : Urna vez es-
tabelecidos principios falsos, mais erra quem
melhor raciocina. *
Mu'.atis mutandis, sa p Je dizer do homem cal-
pido que, ama vez c minetidi o crime, mais se
denuncia, quem mais procura justificar-se.
Ni > podemos deixar de chamar a attencao dos
nossos leitores para urna circamstancia muito elo-
queute no sentido de comprovar a nossa attirma'i-
va do que a minuta da cana em questo toi fome-
sida a l). viaria Amelia pelo Revm. Sr. governa-
dor do bispado.
Essa circomstancia a de concluir a carta em
questo pela autorisaco dada ao Revm. Sr. go-
vernador^ do bispado pira fazer dalla o uso que
lhe convesse.
Todo o mundo comprebende que essa declara-
cao exprime o conbecimento de um preceito legal,
que D. M ira Amelia nao poda ter.
Si, portante*, Maria Amelia tivesse escripto
espontneamente e sen inspirago d? alguem a
carta em questo, gemelo.ante declaraco nao teria
vindo nessa carta.
Essa declaraco pus, um indicio certo de que
a carta foi pedida por quem tinha interesse em
fazer uso della.
Os p -quenos erros, que se notam na peca qne
estudamog foram poatos all para deefarjar a pia
fraude do Revm. Sr. governador do bispado.
Quem redige urna carta,, arredondando perio-
dos, e escreve com tanta precso orthograpbica
at a palavrachrism >, nao escreve lhe tomei
p.jr meu padrinhoseuo propositalmente. .
Tem moa teita, est no caso de satisfazer o espirito mais
exigente, desde que nao enteja elle soffrendo da
cegueira, do que nos falla o Evangelho.
U mundo moral tem auas leis 'ai precisas e cer-
tas em seus eff :itos, como o mundo pbysico.
Quem es'.uda, portanto, os phenomeaos moraes
e mes Taz crltenosa apjrii^^*-. convencer-8e de qae chegar ao canhm.nta de
sua verdadeira explicaco.
E' o prooesso, de quo temos asado com resal-
tados to segaros e palpaveis, como seriam os que
poderia obter um chimico em seu laboratorio, fa-
zendo a analyse de um corpo para chegar ao
conhecimento exacta de sua coenposico.
Em i833 em Pars descobrio-se em urna exca-
vaco, a que se proceda em um jardim, urna oa-
sada esparsa, o que causou grande sensaco.
Noticiado o facto polica, esta immediata-
mente passou a tomar delle conhecimento e nesse
sentido a primeira consa que fez toi chamar al-
guna mdicos para proceder ao exame dessa os
sada, que deveria ser o fio para se chegar ao des-
cobrimento da verdade.
Presentes os mdicos, entre os quaes nos lem-
bramos que figura vam o celebre Ofila e o afamado
anatomista Dumoutier, qae era tambem nm dos
mais notaveis discpulos de Gall n'aquella poca,
disse-lhes a autoridade : E' preciso faser um
* milagro: determinar si todos esses oasos esperaos
< pertenoem a um mesmo individuo e depois dists-f-,
recompor esse corpo carcomido pelo tempo e pre-
cisar o sexo e a idade do individuo a quem
perteuceu, assim como os annos que tem essa
ossada.
Nada mais fcil para neus collegas, responden
Dumoutier, e a miaba presen,* seria desoeces-
saria neste momento si nao se tratasse de alguna
cousa mais, isto de dizer, simples inspeceo
deste crneo, quaes foram os pensamentos habi-
tuaea, as paixoas, as virtudes e os vicios predomi-
nantes na alma que o animon.
Depois de reconstruido o esqueleto e determi-
nados o sexo e a idada do individuo, a quem per-
teuceu, assim como o numero de annos da ossada,
disse Dumoutier : A mulher, cujo crneo eu te-
c nho entre as mos n'este momento, foi ava-
renta, desconfiada e ao mesmo tempo tmida e
colrica.
A essa voz nm dos individuos, que se achavam
presentes e sobre quem recabiam suspeitas, cobrio-
63 de pallidez e comecou a cambalear como quem
accommettido de vertigem.
Os dentes rangiam-lhe, mo grado d'elle, e o
suor ifjriundav.i-ihe a fronte.
cumu.-."..o processo c cbsgon-se evidencia
de que esse individuo era criminoso e de que 0 sa-
bio Dumoutier tinha dito a verda le.
O que nao foi diflie.il para Dumoutier em pre-
senta de um crneo gasto pilo tempo, nao o
mais para o psycbologo diante de nm documento,
que o repositorio do pensamento da pessoa qne
o escreveu ou para melhor dizer a photograpbia
do estado moral dessa pessoa.
Temos a certeza de qu no final desta questo
o nosso triumpho nao ser menor do que o de Du-
moutier.
A las da verdade ha de raiar afinal sobro todos
os tactos que discutimos, para alumiar a innocen-
cia ou o crime, e u'esse da ha de ficar reeonbe-
cido que a carta de que nos oucuppamos foi obra
do Revm. Sr. governador do bisando e que S.
Bevms. um grande criminoso.
Continuaremos em nossa va dolorosa.
Recife, 26 de Junho de 1888.
UmcathoUco.
Novan crimen
(DEFESA)
Ql
Dissemos no prmeiro artigo e repetimos
no de hontem, que os boatos acerca da
antora do defloramento recahiram so mes-
mo tempo sobre quatro pesaoas ; ora diia-
o que fora Peo>o, ora, Paulo, ora, Manoel,
ora, o eonego Luiz.
O Cathoico, que revslou desde o prin-
cipio a m f com que andar em relagfto
ao casamento de D. Marii Amelia, na
parte principal que lhe oouba nelle, des
presou oj nomes dos outros e^ateve-se ex-
clusivamente ao quarto, co n a maior cau-
tela em seus escriptos de nSo alludir aquel-
las, dos quaes (4 ahi lhe damos toda razSo)
um muito seu conhicid-y.
Foi, sem dnvida, por empanho e arte
do Catholice, que os nomes dos tres desap-
parecern), logo em principio do drama,
para figurar somonte e da sua victima es
oolhida,j como derivativo, j como meio
de- chegar mais depressa a um outro fim
menos confesvel ainda, e mais perverso.
Um daquelles tres aproveitou-se geito-
ssmente do trabalho do Cotholico, a quem
associou se, e nSo s esespou sua som-
bra, mas lavou o seu peito.
Esse o mesmo que declarou parante
alguem que o dia do casamento de D.
Maria Amelia seria o de sua vioganga con-
tro o eonego Luiz.
Essa ainda o mesmo que havia jurado,
que o padre (o eonego Luiz) havia depa
gar lh$ com lingua de palmo.
Ora, esse era o nico qua polia invocar
motivos conhecidos para atirar-si ao eone-
go Luiz, poia que este obstara-lhe o casa-
mento.
As noites de aturadas vigilias que elle
passara, escrevendo a sua namorada esti-
radas e expansivas cartas, algumas das
quaes, segundo consta, entrega va lhe de
mo a mo, pela cerca do quintal, seno
na mangueira do fundo do mesmo quintal;
o incommoio quj teve de mudar se para
o... afim de nao continuar to longe do
seu amor, tudo pedia vinganca contra o
eonego Luis pela su inaudita crueldade
de frustrar a realisago do suspirado en-
lace.
O nii j;.,, ^o, B*r/0 i timo conheci-
do somos o prmeiro a resonhecel o nSo
passaria at o fim por ser d'flirador, era-
bora possa ter em sua vida cxhiio fim mui-
tas fraquezas semelhantes, que nao tiuha
razo para promover tamanho escndalo,
ainda quando podesse alimentar fundadas
suspeitas contra o eonego Luiz.
Mis o Cathoico o mesmo homem de
todo serapre I
E u sua adiantada existencia tal vez pos-
sa cootar os annos pelas luotas por el-
le provocadas, fazendo alarde de um
odio inapagivel, e assim parecendo antes
urna hyena do que um ente humano.
O padres, de preferencia os de posi
cao saliente, ten experimentado os effditos
desse odio mpl&cavel.
A inveja, um amor proprio iaqualifica-
vcl e urna sobarba correspondente alimen-
tara n'aquelle coraco do fra o sentimen-
tc da vinganca no mais alto grao.
O que resta, por.n, saber que motivo
aotuou em su animo para despejar im ta-
manha profuso a suaa bilis contra o eo-
nego Luiz, ainda receotemente sen amigo
e confilente, e que, com raspeito ao casa-
mento de D. Maria Amelia nao fez mais
do que seceundar as lembianjas e pensa-
mentos de um seu collega.
Comprehende-sa qua aquelles que con
correram para o desastrado casamento sen-
tisbem depois o mais profundo pazar de
haverem contribuido para a infelioidade
de duas pessoas digaas de meloor sorte ;
porn, que procurassem, e por meios in-
dignos, um boda expiatorio, isso o cu-
mulo da perversidade, o praser satauico
de augmentar o numero dos infelizes : tres
em vez de dous I
Mas esse justamente o offi;io do mi-
sntropo, que refina o veneno no silencio,
sem dbanc.a da cobra, que, quando presa,
sent activar-se a acoo mortfera da sua
pegonha.
Temos insistido por urna prova directa
contra o eonego Luiz, sem a yn! ninguem,
seno o ousado Cathoico, afllnnanl tr-
foi elle o autor do crime.
Em favor do eonego Luiz, antes dessa
prova, prevalece para os espintos impar
ciaes, o seu passada irreprebensivel, sua
conducta sera mancha at hoje, e porque
nao dizel-o ? sua posicaa elevada, a qual,
se nao muda o carcter do individuo, aug-
menta-lhe a responsablidade e o contem
as suaa manifestacoss de toda ordem.
E' entretanto, foi justameute a um cida-
do collocado em taes condicoes, que o Ca
thlico, em nome dos interesses da moral e
a igreja, atirou-se, e promette lvalo
ra das amarguras !
Triste irriso !
A moral e a igreja, apadrinhando os pla-
nos tenebrosos de um ambicioso insaoiavel,
de um invejoso commum I
O eonego Luiz, repousando na confianza
da amiaade,jamis poda orer.o que Catlico,
despresando os dictames da prudencia (palo
menos da prudencia), apanhasse as ras
um boato infamante contra elle, e, com en-
carnicameuto sem igual, trouxesse o para a
imprensa com o intuito framente calculado
de inutilisal-o, e assim provocar sua.....
demisscLo de governardor do bispado.
Custou-nos a escrever estas ultimas pa -
lavras, que guardavamos para occasio me-
as Illm. Sr. Dr. Alvaro Angosto Car-
neiro Leao
Um dever me leva a, por meio da imprensa,
agradecer ao distincto facultativo que encima
essas liabas, sen que fira a sua reconheoida mo
destia.
Estando minba mnlher no leito da dr prestes
a dar las, e sendo o sen estado perigcsissmo,
ti ve a dita de recorrer ao Ilustrado Sr. Dr. Car-
neiro LeSo, para com os soccorros da aciencia
sal val-a das garras da morte. E, com effeito ; se
nio fosse esae medico, eatou certo de qne passaria
por om golpe h rrivel, pois, sem o auxilio de
outro collega, executou com a moior pericia e de-
licadea os midieres de sua profissao.
A 8 S. a minba eterna gratidao.
Recife 28 do Junho de 1888.
Jos i. .da Trindade.
/fe\ / Parabeas
a Augusto Carlos de Miranda Hen-
riques pelo sea ditoso consorcio com
a Exm. Sr. D. Rita Maria de Car-
valho, realisado na noite de 28 de
Junho de 1888.
Homenagem de sincera dedcaoslo
do amigo ex corde
A. G. de Gusm&o Lobo.
Rrcfe, 29 de Junho de 1888.
Confiara de Santa Rita de Cassia
No domingo, 1 de Julho, s 11 horas da ma-
nh, tomar posse o novo conaelho adminigtrativo
d'essa contraria, sendo regedoi o prestimoso irmSo
Vicente Jos da Silva, que tantos servicos tem
prestado, sempre com a mis pronunciada dedica-
cao e a melhor boa vontade, levada muitas vezes
at o sacrificio de seus commodos e dos meios pe-
cuniarios, a que nunca se recusan, quando sor
duas vezes exerceu o espinhoso e difficl cargo de
thesoureiro.
E' de esperar, portanto, que, em sua nova admi-
nistracSo, o digno regedor eleito, dispondo de qua-
lidades to apreciareis e reconhacidaa,abrir, ieu
*-d", nova era n'aquelia contraria, procu-
rando nm s tratar dos' melhoramentos materiaes
da que precisa o templo, como tambem da cele-
bnco do culto religioso, para o qual sempre con-
correu e jamis iecusou-se nos tempos de asal-
tadora crise, porque passou a mesma contraria.
Assim o esporam
Muilos irmeios.
Festa de Nossa Senhira do Carino
no coivento do Recife
Appriximandose a festa tradicional de Nossa
Senhora do Carmo, comecando sua novena no dia
6 do mea de Julho pelas 5 horas da tarde, tendo
missa e levantamento da bandeira as 4 horas da
maah, peco as fimilias devotas de Nossa Senhora
do C irmo, qae tanto se empenham pelo esplendor
da festividade qae mandem aojos para condaxirem
t bandeira ao lugir de ser basteada.
Teho eaperanga que a golemn idade deste anno
ter a mesma, ou maior ooncurrenoia dos annos
anteriores, convicto de que os devotos nSo deixa-
ro de coucorrer com o sea obulo do costume, m-
xime os que j sao irmSos da Ordem para maior
esplendor, devido aos louvoures da Excelta 1 a-
droeira deste convento, sempre benvola, sempre
protectora para os que a imploran) com fervor.
Outrosiin apresso-me a cunvidar todos os catho-
licos residentes nesta capital, e as cidades visi-
nhas para assistirem a novena e a missa solemne,
esperanto tambem que es nossos confrades o ter-
esiros, cemp-recam neeses dias como sempre tem
feito nos aunos antrriores e qne os devotos que
m irim no Pateo do Carmo e encarregaem de ornar
o illuooinar o meio do frontespicio, onde se aeha a
Sacrosanta Imagem da Santssima Virgem.
Convento do Carmo do Recife, 28 de Junho de
1888.
Frei Alberto,
Vigario provincial.
lhor ; mas a verdade teve pressa em ar
rancal-as do bico da penna.
Ah I Que mundo que ellas revelam I lili
Recife, 28 de junho de de 1883.
Otbo Catholico.
A meas gratuitos desaffeclos
Como Sertorio, digo por minba vez : O homem
que tem verdadeiro carcter, illustracSo e digni-
dade nao se serve de meios vis, nem para conser-
var a propria vida, quanto mais para, injusta-
mente, denegrir a reputaoSo daquelle qae, ha 23
annos, sempre com applansoa de seas distinctos
ebefee, e sem s mnima nodoa, nem a mais le/e
nota em sua lo longa vida publica, desempe-
nhado tem satisfactoria e distinctamente a seu
cargo I
A' calumnia e maledicencia com que, i socapa
rnente ancora procuram, em vio reril-o, nada
oppor o infra formado, seoio o severo cumpri-
mento de seus pblicos deseres ; acceitando, po
rm, pela imprensa, com referencia ao desempe-
nho de seu cargo, qualquer discuesSo seria e
digna, e com quem, sendo aqui residente e co-
nhecido, por extenso assignando se, en nada in-
tellectual e moralmente, venha a desmerecer-le :
sime qaa non.
Em qaanto, porm, vida privada (consa a que
jamis descera um homem de probidade, alustra-
do e de bom senso), seno ella das mais illi-
badas, por ser a imperfectibilidade inherente
humanidade, lance-lhe o prmeiro calho, sob a
responsablidade de sen proprio nome, aquelle
que o modelo de todas as virtades disaerse,
aquelle qne, na pares for urna Vestal, aquelle
Msne um novo Christo considerar se 1
^Po d'Albo. 27 de Junho de 1888.
Joaqmm Bitas de Albuquerque Reg Born,
fleifo
Da mesa regadora da Irmandade de Nossa
Senhora do Bom Parto, erecta na igreja
de S. Sebastio, de Olinda, para o auno
de 1888-1889.
Juiz por eleice
Emilio Antonio Soarcs.
EscrivSo por eleigo
JoSo Antonio Fausto Oliveira.
Juiza por eleico
D. Aiexandrina da Silva Si Esortvs por< eleioas-
D. Eulalia Maria dos Prazeres.
Proouradort s
Manoel Porphirio Ayres.
Jos Bento Machado.
Definidores
Feliciano Cardoso de Aguiar.
Florentino Pereira de Franja.
Samuel Botelho
Manoel Francisco Ribeiro.
Jos Caetano S. Ribeiro.
Miguel Maria Pereira de Azevedo.
Manoel Francisco Martina Ribeiro*
Leoncio Felioiano Marques.
Manoel Renero da Silva.
Francisoo de Salles Jaco me da Costa.
Joaquim Cesario da Rosa.
Thesoureiro
Manoel do Naseimento de Jess.
Juizes por devogo
Os 111 ms. Srs. :
Jos Flix de Albuquerque.
Manoel Eustaquio.
Jos Calazans Lins.
Joo Euzebio Fernandes das Nevos.
Manoel Felippe Vieira.
Pnente Joo Paulo.
Dr. Pedro Ratia.
EscrivSos por devojo
Os Illms. Srs. :
Antonio Tellos de Menezei.
Flix Abilio Pereira.
Carros Nigro.
Dyonysyo Maciel Monteiro.
Joo Fernandes Soares.
Joo Luiz Gonzsga.
Francisco de Salles Peixoto.
Manoel Alves da Silva Pinto.
Juizas por devojXo
As Illmas. e Exmas. :
Josepha Francisca Loureiro esposa do Sr. '
Joo Francisco Loureiro.
Floriana Maria do Carmo de Azeveds
Barcellos, esposa do Sr. professor To*
bias de Barcellos.
Maria Quedes Alcoforado filha do Sr. ca-
pito Jos Candido Guedes Alcotorado.
Maria do Carmo Calixto.
Mara Gomes da Silva Lrta esposa dt
Sr. Rufino de Almeida Catanho.
Anna Felppa de Salles.
Francisca Moreira filha do Sr. Jos Anto-
nio Moreira.
D. Salastiana esposa do Sr. ajferes Jas
Augusto de Mello.
D. Bernardina Fernandes.
D. Maroionilla de Carralho.
D. Amelia Rastier esposa do S'r. Carlss
Rastier.
Escrivs por devoco
D. Antonia Senhorinha Lopes de Olirsira,
D. Vioenoia Mara da Apresentaco.
D. Marianos Vieira dos Santos.
I
nni
I

LiimM03



Diario ie r
I>. M.ria Viitoriana da Conoeioto.
O. Etolvina filha do 8r. capito Joaquim
Cosario da Rosa.
1). Zulmira de Franca Pareira.
D. Aaoa da Franc da Panha.
D. Cmdida Abedulii Mer quilas.
D. Sophja Pareira Barros.
D. Hnnia do Nisoimeato Paraira Gras-
mao.
D. Igaaoia Casimira de Paula Rbiiro.
D. Arseliaa Amelia Pareira de Franja.
'91 Juizis protectoras
D. Elisa Serpa.
D. Joanna Porphira Ajras.
D. Maria Machado filha do Sr. Joaquim
Banto Machado.
D. Philomena Ferreira Lima.
D. Maria Dalphiaa de Sant'Anna.
D. Maria Joaquina de Oliveira esposa do
Sr. Antonio Sirafim.
Itabsl Casias eapjja do Sr. Jos Aires
Casias.
D. Margarida esposa do Sr. Maaoel Alves
Viaaaa.
D. J-iana i esposa do Sr. Antonio Tavarej.
EscirSs protectoras
D. Mtria Jos espost do Sr. capillo Jos
Q jos Uves da Andraie.
D. Eruaatina Mtria de Miara.
D. Elisa Augusta de Andrade.
D. Elisa M*rinhi de Araujo.
D. Antonia V along esposa do Sr. Jlo
Jos dos Santos.
D. Francisca Paraira da Fontas L)l es-
p9sa do Sr Feliciano Candido de Ag liar.
Mordomas
D Maria Magdalena dos Santos.
D. Antonia Bertoleza Jacques da Cjsta.
D. Maria Naroiaa da Costa.
D. Joanna Maria da Costa.
D. Amalia de Lmv.
O Cura da S e Jvigario da S. Pedro
j Martyr
J Conego, Jos Vaz Gterres.
Tiabo de estraei le 114*4 de ba
ealbo, de Cbovrler, no qatl se acbam to-
das os elemoatoj ef:asea do oleo de figslo de ba-
calbao, piaaue ao m'amo tomp as propiedades
therapeuticas excelleates dos prep irados alcooli-
eos. Oom o alcool, guatela o poder vital, excita-o
e forneca materiaes de primaira escolha a reejos-
titaicioorgnica; em una pilavra refas a trama
animal e anima-a. O sea uai pois indicado as
innmeras circumstauciaa pilhologicas que resut-
taca do empobreeicaento do sangas.
E|'< Socommendamol-o especialmente aos nossos
leitores .
(Revue Medical*).
Despedida
V. cent o de Moraes Mallo e Sofa Gui-
harmina de Mello, aegaindo para cidade
de Iguapa em S Pauto, e nao podando sa
despedir pessoalmente de todas as pessoas
qua os honraran oom sua amisade faaem-
no pelo presenta offerecendo-lhes alli o sea
diminuto presumo.
Reoife, 27 de Junho de 1888.
D< seocamiabaramse des aecoas da Companhia
do Biberibo de ns. 7.122 a 7,130 e 8,250.
Boga-se a quarn as tiver achado o tavor de as
entregar 4 ra V da Marco n. 13, sonde ser gra'
tifieado, qaerendo.
Extrnalo Central Nocturno
i
PABA
LIBERTOS E IXQEXUOS
Segunda-faira, 2 do Jjlho, pelas 6 horas da tar-
da, ter lugar a inauguracao solemni desta Ex
teraato Nicturno gratuito, roa do Imperador
n. 77, 8- aadar.
O instituidor nai fes convites especiaes, mas
aproveita esta pub'icacao pira convidar a todas
aa asjociacojs Iliterarias e scieotifieas, a todoa os
Sr. profesores primarios e secundanjs, ao Ilus-
trado eorpo acdeme), a tjdos os oobces aboli-
cionistas e emancipad tres a em geral a todas
aquellas peas isa que se intereesam pela cansa da
inatrucc) populara se faserem representar uessa
pequma festa dos outr'orr desprotegidos das leis
e da sorte.
Aos ill oatres seuhores que promatreram livros e
a objectoa escolares rogu o instituidor o obsequio
de os enviar para a cass cima at o dia mencio-
nado ; a aquellas que o nao fieram pede-lhes o
ajuiem eom os el amentos que julgarem nesessarios
a to nobra desidertum.
O proiesior.
/. L. Dorneas Cmara.
N. 1
HO deseobrimento p'li insigne navegante casta-
Ihaao, da encantada p;ninaula da Florida nio s
augmantou o mappa a accreseentoa mais um fl>-
rlo 4 imperial corda de Gtatella, sanio que veio
tambsm alargar os hirisoates da poasia com a
aga da lends, e mais tarde a popolarisar esta
parte do coatinante com a produscio do riqaiaai-
mi perfumo que de suasfliras se extrshio e que
foi designad] con o nomodaAgaa Florida de
Marrar & L laman, orgalbo da Amarica e elegan-
te aeeassidada social da sena habitantes.
Qiem nio eoaboca este delicioso parfama ?
Qiam nSo ha gosado algam* ves de sena em-
briagsntas vaporea no biabo oa no toucad.r ?
Qiem, ao usal o, nlo ha sentido mais forte o
corpa, mais clara a mente e mais alegre o espirito?
Bista pcoval-a urna vea para preferil-a 4a di-
is.
A 1 igttima Agoa Florida a de Murray & Lia -
man, preprala pir Linmai & K np, nicos fa-
bricantes e propietarios, Now-York.
Dr. Robert P. IhwliisM
CIBUSGI') DE*TC3TA
Tara abarlo o sea consultorio provisoriamente,
as 1* aniar da casa n. 20 da ra Primeiro da
Marco, onda sara encontrado das 10 4s 4 biras da
tarde.
Foreado a ir 4 cidade da Rarbalba, na provin-
cia do Ceari, afi-n de tratar de pessoa da miaba
familia, deixo encarregado de miaba clnica, du -
rante o pouco tesapo qaa espero estar ausente, o
mea collega e amigo Sr. Dr. Matheua Vas.
Daspeco-me daa mana amigos por eate meio,
visti como nao piaso fasal-o passoalmente.
Bacife, 25 de Janbs de 1883.
. Dr. Barretto Sampto.
Gran-le oovidadeGrande noYi-
Mioroscopios da crjstal para algibor* -
Objectos muito interussantes e indispensaveis
para escolas e casas particulares, bem como para
os estados de botnica, ziologia, etc.
S3o incontastaveiaente eat.'s microscopios de
cryatal.
Aagmcntam mais de mil veses cada objecto, o
qna fcilmente pide verificar-so.
Com um microscopio deatea, obtendj-se a gran-
des augmentada do objecto examinado v-'se
quinto sarprehendente, msravilhoso e ntil.
Basta coliocar-se ieutn de cada um delles
qaalquer quantidade de p<5 da quoij i para ver-se
o sea grande resulta io, e quantoa insectoa contm
elles ; ou qualquer outro objacto para tambsm ver-
se o seu grande e estup u 11 effeito.
Custa cada um a insignificante guardia de mil
ri, fasendo-se um grande abatimenl) por atacado.
A' V' nia em casa da U. Philipson, 4 ra do
Imperador n. 61,1 andar.
Ao corpo acadmico e ao publico
em geril
O abaixo assignado, tendo acabado de escreve
ama obra em prosa e verso, intituladaAmor a
Caridade offcrecida a consagrada a Princesa Im-
perial D. Isabel, a vista ter na dita obra urna par-
te escripta dedicada a diatiocta mocidade acad-
mica do Becife, pede portanto aos acadmicos em
geral, que se dignem acceitar um volume pelo di-
minuto prco de 14000, visto o producto ser sp-
plicadu pir iniciativa propria a nm estabelecimento
beneficente de criaocas eegas, ingenuos e liber-
tos.
Antecipsndo desde j4 a sua leal gratido, lhe
grato significar-lhe os votos de saa mais sabida
consideracSo e profundo respeito, com os quaes tem
a honra de assigoar-se.
Est 4 venda em casa de saa residencia, a ra
Velba n. 36, Collegio EmalscSo 1*000 am ex-
emplar
Julio Soares de Atevedo.
Commlssio pernanbucaaa para
a representafo da pro vi o ca
na exposlco universal de Pa
ns, em 1889.
A oommiseSo nomeada pelo Ezm. Sr.
presidente para promover a representado
deata provincia, na ezposigSo de 1889 par
ticipa aos seus habitantes que, devidam?n-
te constitu i a, iniciou os seus trabalhoa e
espera, que todos concorram, na medida
de suas forcas, para que a provincia tenha
urna representagSo condigna naquelle hon-
roso e pacifico certamen em que as nagSaa
devera demonstrar a solidariedade, que as
prende e os progresaoB da civiliss9ao mo
deraa.
A commissSo muito oonfia nos habitantes
desta provincia e espera que com o auxili >
delles desempanhar se do honrado encar-
go, que Iba foi .confiado.
Quai'squer productos agricolas, indus-
triaos e artistijos podam ser desde ja re-
metidos aos Illms. Srs. Visconde da Silva
L yo, oom mandador Joseph K-auae, com-
mendador Antonio Gomes de Miraada Leal
commendador Joao Fernandos Lopes, e co-
ronel Jos Fiuzd de Oliveira.
A commisso fioou organisada do modo
seguinte :
Presidente. Visooade da Silva Loyo.
Vice-preaidento. Cammendador JoSo
Fernandos Lopes.
Thesoureiro. Commendador Joseph
Kraose.
1." sscrjtario. Dr. Jos Eustaquio
Ferreira Jacobina.
2.' secratario. Dr. Vicente Eerrer de
Barros Wanderlay Araujo.
Auxiliares; Drs.Manoel Gomes de Mat-
toa e Liurindo de Moraes Piaheiro.
Ia commisso (produatos agrcola) Com
mendador Antonio Gomes de M. Lal,
oommendador Joao Joa Rodrigues Man-
des, c&pitao Fabio Temporal, commenda-
dor Au ir Maria Pinheiro, commendador
Jos Fiuza de Oliveira, Jos Maria de
Anrado, opit5o Joaquim Alvea da Fon
seca. ,____
2' commisso (olustrias o artes). 0>-
ronel Corbiniano de Aquino Fonseca, H-n-
rique Burle, tenante-oronel Franaisco Bo-
litreau Julio Fuerstenberg, Franaisco Gur-
gel do Amaral, barao da Cisa Forte, com
mendador Francisco Ribeiro finto Guima-
raes.
Commisso parnarabucana para a repre-
sentadlo d. provincia na esposicao univer-
sal de 1889, 25 da Junho de 1888
Visconde da Silva Loyo.
Presidente.
Urna i oven salva!
ES
><
COMERCIO
Salea coa nerolis I
^aragoea omcuaa da jdsta dos cor-
BB3TORB9
Rmite. 28 de Junho ie 13&3
Cambio sobra o Bio de Janeiro, 60 djv. 1 1|8 0|0
de descanto.
u Dresid6nta,
Augusto Pinto de Lamoi.
O ecretario,
Pedro Jos Pinto.
Fatuta da. /tlfandega
saofaju na 25 a 30 de ju.vho oa 1888
CVide o Diario de 21 de Ja aba
j Mevlmenta baaeari*
aaotra, 28 oiu^ho di 1888
PBAQA DO BECIFE
Os bancos afliiaram tabellas a 24 7/8 d., a coja
taza nao appareceram tomadores.
A' tarda mostraran-se mas disposto a dar a taza
otis favoravel.
Em papel particular nao conatea ^anaacci o al-
PBAQA DO BIO OE JANGIBO
Taza baocaria, 25 d., sem tomadores.
Pnpel particular escasao a 25 1/8.
Ai toballas expostas aqu forano estos :
Do Loao>oa Baaa :
DO
Dr. Alfredo Gaspar
EspeeialidadePartos, molestias de eenhoras
e crean cas.
BesidenciaBoa da Imperatris n. 18 primen
andar. ________
Tciepbone n. CS6
aiiiiaMMiwaiaiiiiiaMiiiiaassssssssssssssssssssssssj
1*1500 a 1*1600
1A400 a 14500
1*160 a 1*1200
800 a ldOOO
lmenos ....
ttasoavado purgado .
< bruto. .
etome .
HOMEOPATHIA
DE
CTELAS FRESES
GLBULOS, TINTURAS, CABTEIRAS,ETC. j
Vende se na botica franceza
22= bca Da cbs=22
Terrenos iiia^iii(icos
O corretor geral P. J. finto est encar-
regado da Bubdivisao do sitio da capella,
na Ponte de U.liOa, para cujo.fim abrirm
se diversas ras, e estao demarcados os
lotes de terreno.
A locolidade recommenda se pela excel-
lencia do clima, facilidade do transporte, a
(ioba princial da estrada de ferro do Ca-
sanga e o ramal do Arri>ial, com duas es-
tacoes prximas, Jaqmira e Tamsrineira ;
agua potavel de primelra qualiJade ; e
urna capella.
O sitio est muito arborisado, e cada
loto de terreno Um algumas arvores dan-
do fructoB.
Nao pode baver melhor occasifio para
quem quizar constituir-sa proprietario de
um magnifico sitio pequeo.
Fornece se plantas dos arruaineotos com
indicac3o da damarcacao dos terrenos.
A joven Marciana, de 15 annoa da idade, mora-
dora a rna S. Miguel n. 11, neeta cidade da Pe
Iotas, (Rio-Orande do Sal), ha muitos meses ae
achava aoffrendo do peito.
O sen organismo depauperado apresentava to-
dos os symptomaa de ama grave affeecj pulmo-
nar ; falta da apetite, cansaco, tosse, dores no
peito e u?>-costas, extrema dbil dada, todos estes
ciracteriaticos da terrivel doeaca, apresentava a
pobre mocinba.
A saa saude, fio profundamente alterada, co-
meoou a inspirar serios cuidados a saa ria D.
Joanna Ferreira Cardoao, que ea vSo apresentoa
a eua doente a' alguna Ilustres mdicos, sem ne-
nham conseguir atalhsr o curso da eofermidade.
Esta senbura, seriamente preoecupada com os
progressos da doonca, tere a feliz idea de recor-
rer experiencia do uso do teitoral de Cambar,
e em tSo boa bora o fes que, alguna das depoia a
doente apresentava sensiveis inelhorae, o o u edi
camento, fasendo triamphar a natureaa, depjis de
alguna meses de tratamento, restitua a sanie
p.-rteita joven Marciana.
O autur do PeUoral de Cambar, completamen-
te extranho a eata pr .digiosa cura obtida pelo sen
maravilbjao medicarneuto, reci-b- u um dia, com
sorpresa a visita da D. Joanna F. Cardoso, que,
muito satiafeitu em cumpanhia de saa sabriubs,
trasia-lbe o aegainte attestado, que carrea im-
presso na maior parte dos jornai-s da provincia :
D< claro qna ininba sjbrinba Marciana, com
15 annos de idade, acbava-eo gravemente dotte
do peito. Senta grandes palpitacdea do cora el i,
tesse des aperadora e dores agadiasimaa no pjito
e as coalas quaudo tomava respiracao. Lembrei-
me, dfpois della ter osado muitos medicamentos
sem resaltado, de dar lhe o elogiado Peiforal de
Cambar, descoberta do Sr. J. Alvares de Soozi
Soares, e com o uso diste effioss remedio, actua-
se completamente livre de tSo terrivel enfermi-
dade.
Fac esta declarado, com o m de ser til
bumanidade em agradecimento .< Sr. Joa Alva-
res de Sousa Soares, a quem me .outi'sso reconh -
clda pelo beneficio que minba rara sobrnba aca-
b* de receber com o uso do sen muito acreditado
Peitoral de Cambar. Pelotas, 29 de Deiembro
de 1877.Joanna Ferreira Cardoio.
O Sr. Ignacio Tvixeira Machado, honrado cria-
dor no Povo Novo, (Bio-Grrande do Sal), sonra
he rrivi-lmente de astbma, havia dezeaete annos,
nao obstante o seu constante tratamento com ha-
bis mdicos de Pelotas d> Bio Orando. Ero No
vembro d3 1877, poim, usou o Peitoral de Cam-
bar e at boje nanea mais foi perseguido pela
terrivel ei'fermidade !
E-it" Bcnh ir, gra^ o boacfiuij obtdn pe > Pei-
toral de Cambar, dirigi ao eeu aar.or o seguate
atteetudo :
O abaixo assignado, morador no Povo Novo
(boje em PelaUs), *ttesta, qua eoffenio, dur-nt-
DEZESETE ANNOS, de asthma, com accesaos
terriveis em todoa os qaa.tua de loa, e sem aun
ca obti'r melboias em todo esse longo lempo, ape-
sar da grande qasntidade de remedios qae usuu,
maitos d'elltB recei ados por habis mdicos de
Pelotas edo Bio Oruode, kin u em Novembro de
1877 o afamado Peitoral de Cambar, da Sr. J
Alvares de Souza Soaree, de Pelotas, e nao foram
neceaaarios mais de sete vidros para o faaer CU-
BAB RADICALMENTE, pois dosde aquella da-
ta at boje, nanea mais f .i acjommettido de tao
terrivel enfermidade.
E por ser verdade fumo o presente. Pelotas,
17 de Agosto'de 1879.Ignacio Teixetra Macha
do.
o Ea abaixo assignado, negociante n ata cida-
de, Btteeto que, si fi e ido do bronchite rebelde, ficarsm compUtnra^nte cura
dos com o conhecido Feitoral Homosapath'.co de
Combar, descoberta e preparaco du Sr. Joa Al-
vares de Souza Soare, de Pelotas
< Cidade de Jaguaro, 30 de Nowmbro de
1877.Joe Domingues de Jess Braz.
Leonor Porto
Ra do Imperador o. f
Io andar
Contina a executar os mais difficeis l
firnriaos recebidos de Londres, Paris, '
Liabi e Bio de Janeiro.
Prima em perfi-icSo de costuras, em
brevidade, modicidade em presos e fino
gosto.
Pernambuco
AOS 8B8. MDICOS E A DIGNA CLASSE
PHAB1ACEUTICA
As velas Bertkaud, coutra aa molestias
do apparalho genilo urinario, tero, retro,
fstulas, hemorrhoides, eto., sSo o medica-
mento mais adoptado actualmente e por
isso indispensaveia as pharmacias, hospi-
taes e casas de saude. Nio sao de for
muas secretas, ao contrario, pelas sub-
stancias empregadas e dosagam certa, o
facultativo fica desda logo habilitado a
julgar do seu valor. Os depositarios Bar
tholomea & C.t em Pernambuco, ou o
abaixo assignado, remettem quadros e
prospectos com explicagS-s
E Paulo de Freitas,
Deposito geral no Rio de Janeiro.
Eduardo Gadaalt
Retratista
Ateller, rusa Bario da Victo-
ria a. 91.1" andar
Incumba-se da execucSo de todos os
trabalhoa concernentes sua arte, as-
sim como leecisna em deaenbos e pintu-
ra.
i
Parecer da Esuiii. Junta de hy
giene d Rio de I inciro
Oa preparados do Sr. Lu'- Carlos de Arroda
Mendos sao similares a taatos outros que san ge-
ralmento reconhecidos, receitados e uo eacerram
priucipios nocivos que os condemuem na pratica
medica, podendo ser utilisadoe como aquelles r: 8
m tmoa casos, mas nao coustitaem novidade algu-
ma a nao ser, que na sua preparaba) entrem qua
si exclusivamente plantas do piiz, cujas quaiida-
dea elle pode melhor verificar e garantir do qu
empreando productos im^ortad^s do astraagairo.
Junta C-ntial da hy2iene publica, em 'l de
Maio de 1883.
presidente interino Dr. J-js" B. nici i de
Abreu. Agentes em C .'gaases, Costa Subrinho
& C.
Na corte, Silva Gomes & C.
Lua cousa Ter e ontra <5 coa
Car
A procura, o oaosumi e o ooceito do todos os
pn-qarados do ph^rmaceuti^o Luis Cnrlo, e isto
di vi.'o a eapeeialiJuau Uo cada meaicsruento
para o fiui qae destinade.
is plalas Sudonfi^is p.'it rasa tem havido
muita procura porq-ie cura n em piucos das os da
flixoi, broothitea a constipado a qae sl> sempre
as ciuaas dos incjmmodoa pul a nares.
O Aati-rbcumuiico Paulistano est provado ser
o remidi s.guro co itra toda a especie de rben-
matismo, assim o Licor Antipaorico com oa pos
depurativo ou com as pilulaa fitas dos meemo3
po sao oa djis d>.-purativ8 mais efficazea contra
a 6yph8 do qualquer espeoi.
Ospianti hem-oribiidarios tanto se vendem
que in.-aicu ave! oa bencfi,-ijj que tem dado
humaoidade.
Assim o oleo calmante para aa dores de barriga
das criaocas, dores do ouvido o nico prompto
allivio.
Grandes dep sit s as casas de Sila Gomes &
C. -Cort i e Francisco il n.el da Silva 4. C. em
Pernambuco.
ANsva York
New York Life Insurance Companv.
Ccmpanhia Mutua de Segaros da Vida e Mon-
te-pio dos Estados-Unidos da America.
Fondada em 184543 annos de prosperidade I
nica Companhia de Segaros de Vid estran-
geira autorsada a fanecionar no Imperio do Bra-
sil.
Capital cerca de eento e setenta e cinco m contot
de re
Beada annual cerca de quarenta mil sonto de
ri.
Deposito na corte no Thesourc Nacional.
Denlo contos de ri.
Mais de dwentos mil contot de ri pagos a vi-
vas e orphaos e proprietario da apolices desde sua
fundacSo
Crea de seiscentos contos de ris pagos no Bra-
sil a berdeiros de segurados em cerca de 5 anuos.
Mediante urna pequea somma annaalmente (o
premia na idade de 35 anua custa corea de 404
por anno porcada cont de ru segurado) poda cada
um c u.ti'.uir inmediatamente am capital para sua
familia no caso de morte ou para si proprio se cole-
ga ao prazo escolhido.
Para prospectos e informacoes com o 8r. TheO-
doro Christiansen correapmiente representante da
Com auhia em Pernambuco ou com Julio Quima-
raes agente viagante da Companhia, de piasagem
por eata capital, qua pia ser encontrado no es
criptorio d'aqmlle senhor.
Dr. Eiuardo Silveira
de volta de eua vkgem corte contina
no exrrcicio de sua profiaeSo
CooanltorioBa do Imperador n. 42.
B'sidenciaBa da Aurora n. 47.
Telepbonen. 266.
Dr. Balthazar da Silveira
Especialidades-'-febres, molestias das
criancas, dos orgaos respiratorios e das
genhoras.
Presta-se a qualquer chamado pan
^ora da ca:>ita!.
ATIKO
Todos ns chamadas deveno ser dirigid-
dos nbarmacia do Dr. Sabino, ra da
Barao da Victoria n. 43, onde se indicar
sua residencia.
Dr. Coelio Leite
i
Participa a seus clientes e amigos qae
tem seu consultorio na ra Duque de Ca-.
sias n. 57 Io andar, onde ser encontrado
de 12 s 3 da tarde todos os das e
resido provisoriamente na ra do Hospita
Portnguez n. 14.
EDITAES
OcaiLsia
Dr. Barreio Sampaio, medico oca-
iita, ex-ebefe de clnica do D.-. de
Wecker, d consultas de meio dia s
3 horas da tarda, "no 1. andar da casa
n. 51 ra do Barao da Victoria, ex-
cepto nos domingos e das santificados.
Besidencia ra Beto de Setembro d.
34. Entrada pcl* ra da Saudade n. 25.
><
1 (
li
NotaNao ha cotaco para oa assucares baixos
a hmidos.
l'olwr-tio de algodalo
H 28 DB JL-.NUO DB 1888
Cota-se nominal o da 1* sorte do sertao a 61300
por 15 kylos.
lacradas de aisuear e algoda*
EEZ DE OU.Vhu
A8SUCAB
Entradas Das
Barctcaa...... 1 26
Auimaes...... 1 28
Via-frrea deCaruar. 1 a 27
Via-ferre* de 8. Francisco 1 26
Via-ferrea do Limoeiro 1 26
Londres.
Paria. .
Italia. .
Banaburgo
Portugal
Hew-York
SO d\> vista
94 7/8 24 5/8
382
474
213
885
385
477
215
2,1030
Do IaxBnaoioaax.:
Londres.......
Paria........
Italia. ......
Han burgo......
Lisboa e Porto.....
frtaoipaea cidade* de Portu-
gal. .
tow-York......
OoEsNHjaa Bask :
SO djv vista
24 7/8 24 5/8
382
474
213
'385
385
477
215
220
2*030
Loavlrea.
Pirii.
ItalU. .
Oataborgo .
Lisboa e Porto .
tVisMapaes eidade
90 djv vista
24 7,834 5,8
882
474
213
de Portu-
Bba dos Aeore
Hha da Madeira
eW-York .
385
885
477
215
220
223
220
2*030
Bottssa
ALGODO
Entradas
Barcacaa ...... 1
Vapores...... 1
Animaes...... 1
Via-ferrei> de Caruar 1
Via-ferrea de S. Francisco 1
Via-ferrea do Limoeiro. 1
Somma
Dias
26
a 26
a 28
27
26
26
'Saceos
6.564
303
1.466
24.418
80
32.831
Saccas
1.297
3.197
6 628
253
1.746
1.535
14.6:6
Cataeaa de avsmear-^,
mu 28 o junho na 1888
A Moosocdo OommerauU Agrcola, registrn os
caaos abaixo, pagua ao agricultor, por 15 kilos :
Tartina puiverisado. 2*000 a 2*109
Bfaaea 8.* saparior 2*200 a 2*400
3." boa ... 2*000 a 2*200
8.a regalar 1*600 a 1*900
Vapor despachado
Vap. fr. Villa de Baha., para :
Babia : 30 saceos com cera de c.rnabs.
Bio de Janeiro : 83 pipaa e 23 saceos com c.oa
(fructa).
Santos : 3.200 saceos com aseucar branco e
1.9O0 ditos com dito msseavado.
Caircg. dircist/d.
IVavl* despachada
Barca norau. Imacos, para :
Bltico : 3,000 saccas com algodo.
Carreg. J. H. Boxw.-U.
I%vies a carga
Brigae dinamarqus Anne Mari*, para Bio Gran-
de do Snl.
Lugar nacional avenal, para Bio Grande do Su!.
Lg-r portogaez Bento de Freitas, Para o Poito.
Patacho norueguenae Sverdrup, para Bio Grande
do Bul.
Wavlos a descarga
Barca ingiesa Enchanters, carvao.
Barca franceza Pen*l Bacana allem Johanna, Xarque.
Logar nacional Loyo, xarqae.
Patacho nacional Velotense, xarqae.
Patacho nornegusnse Ceres, xarqae.
Patacho dinamarquez Ther, xarqae.
Patacho nacional Social, xarqae.
Patacho nacional Andaluza, xarqae.
Vapor ingles Chassteorth, carvao.
3m por Caca
Paquete nacional Espirito Santo, entrado dos por-
to* do sal em 27 do correte e consignado ao
Visaonde de Itaqai do Norte, msnifestoa :
Carga do Bio de Janeiro
Calcado 1 eaixo a Thomas de Carvuiho & C.
Cigarros 1 caiao a Mirn & C.
Chapeos 1 caixao a Carvalho Irma o & c., la
F. Bamoa da Silva 6c C, 1 a Samarcos & C, 1 a
Adolpbo & FerrSo, 1 a Angosto Feroandes, 1 a
Brnno da Silva Carvalho.
Caf 60 saceos a Fraga Bocha & C, 57 a Pa-
reira de Carvalho & C, 280 a Fernandes da da-
ta & C, 110 a Augusto Figeirodo & 0 bO a
Soares do Amaral Irmaos, 200 a Paiva Valente
c C, 116 a Araujo Castro & C, 61 a Joaquim
Daarte Simo ja & C!, 15 a Paulo Jos Alves & C ,
100 i DomiDgos Cruz A C, 133 a Fonseca Irmao
& C, 121 a Joaquim Ferreira de Carvalho & C.
Fumo 6 volumes a Almeida Machado & C.
Gravatas 1 caixa a Ferrreira Se Irma;.
Mercadoriss diversas 25 volumes a JoS> Vc-
tor Alves Math.ua Si C., 3 ao Estacionario do
relegrspbo, 26 a Pereira Carneiro ce C.
Panno de algodo 21 fardos a Ferreira & Ir
mo, 10 ordem, 26 a Joaquiao Agostinho & C,
18 a Moura Borges c* C, 2 a Gonoalves Irmao
& O.
Carga da Babia
Bacalbao 400 barricas e 200 meias ditas
ordem.
Ch rotos 1 csixao a Soares & Fernandes, 1 a
J. F. Carreiro.
Fio de algodo 27 saceos a Ismael C. Daarte
Bibeiro, 60 a Joo Francisco Leite, 80 ordem.
Pliles de cabra 31 amarrados ordem.
Panno de algodo 20 fardos a Ferreira & I
mo, 10 a Luiz Antonio Beqneira.
Vapor austraco Jokay, entrado de Trieetre e es-
cala, em igual data e consignado a J. Pator & C,
manifestou :
Agua mineral 24 eaixas a V. Prealle.
Ac 35 eaixas ordem, 25 a Antonio Pinto ds
Silva & (!, 50 a Antonio Daarte Carneiro Vianna.
Farinha de trigo 7:140 harnear ordem, 236 a
H. Nuesch & C.
Vapor ingles Portuense, entrado de New York e
escala em 26 do corrente e consignado a J. Pa-
ter & C, maoifaaton :
Banba 75 barra ordem.
Chamin 14 velumea a Vianna Castro de C.
Farinha de trigo 2:125 barricas a Henry Fors
ter & C, 3:000 ordem, 44 aos consignatarios, 25
a Soasa Basto Amorim & C.
K -rosene 5:500 eaixas ordem.
Machina para descarooar algodo 9 eaixas aos
Herdeiros do Bowuiann*.
Pa de ferro 10 amarrados a Albino Silva & C.
Toucinho 10 barrs ordeai.
Tecidos diversos 3 volumes a Oiinto Jardim
& C.
Tinta 4 volames a Albn Silva & C.
Dr. Sil,a F rreira
Medico e par'eiro, com pratica em vanos bos
pitaes da Europa as especialidades de molestias
de sonhoras e da pelle, d consultas na ra da
Cadeia n. 53 i.* andar, de 1 s 3 horas da tarde
e reaide na ra do Conde da Lioa-Viata n. 24 I.
Tciephdne n. 4*2
ELDER, liORKE & G.
31 Great St. Heleos
LONHOH 1. c.
H.elven coaslgaatlons de pro-
duita et marebandises pour vate sur les
marches sngl is et americain 2 /0 de
commission.
Executent ordres pour toutes es-
peses da marebandises.
SE ciiabge d'operations da banque et fi-
reainanoa.
Palbabote nacional Pinto 1, entrado de Porta
Alegre em 27 do corrente a consignado a Pereirt
Carneiro & C, manifestou :
F ijo 50 saceos.
Farinha de mandioca 3152 saceos aos consig-
natarios.
Hiate nacional Aurora de Maoo, entrado de
Maoo em igual data a consignado a Carlos Anto-
nio de Araujo, manifestoa :
Coaros seceos salgados 92.
Sal 42:240 litros i ordem.
ExpartacS*
oirm, 27 os ji-.nmo na 1888
Para o exterior
No vapor ingles Sculpt r, carregarano :
Para Liverpool, J. Pater & C. 100,000 kilos de
carcC/Oa de algoio.
Na barca uoruegueuse Imacos. carregoa :
Para Liverpool, J. II. Boxwll 50 saccas com
3,561 kilos de algodo.
No I-jar portugus B. de Freitas, carrega-
ram :
Para o Porto, Amorim Irmoa & C. 100 saccas
com 6,840 kilos de algodo.
i-ara o inersor
No vapor aastriaco Jokay, carregaram :
Para Santos, Amorim Irmos & C. 670 saceos
com 40,200 k loa de aasucar bramo e 830 ditos
com 49,800 ditos de dito n asea vado.
No vapor francs Fi/ de Bahia,. carrega-
ram :
Para Santos, A. Labille 1,000 saceos com 60,000
kilos de assucar branco ; P. Ferreira ce (.'. 10
pipas e 50 barris com 9,600 litros de agurdente ;
J. Fontelles 30 saceos com 1,500 klea de cera da
carnauba.
No vapor nacional Joguaribe, carregaram:
Para Mc i, Fernandes & Irmo 2 barricas
com 200 kilos de asaucar refinado.
Na brcaca Correio Parahybano, carre-
gou :
Para Farahyba, J. Baptista 50 eaixas com 300
litros de genebra.
No vapor nacicnsl Espirito Sanlj, CBrrega-
ram :
Para Manos, Pinto Ferreira 4 C 23 barris
com 2,400 litros de agurdente ; J. S. da Costa
Moreira 10 barricas com 452 k loa de assuca:
branco ; E. C. Beltro & Irmo 20 barra eom
1,920 litros de agurdente a 30 volnmes com 1,571
kilos de assacar braceo ; J. M. Dias 26 barricas
com 1,450 kilos de asaucar branco.
Para Para, Amorim Irmoa & C. 70 barria com
6,720 litros de agurdente ; M. M. de Oliveira 100
barra com 9,600 litros de agurdente ; A. F. dos
Santos 3 volumrs com vinbo jurubeba.
Par-tS*r*, H Htthailn 9-harrmaa wm 1500
kilos de assucar refinado ; J. M. Dias 16 caixis
com 192 1|2 kilos de rap ; P. Carneiro & C. 3
pipas com 1,140 kilos de graxa e 15 eaixas com
450 ditos de oleo de mocot.
Para Maranho, J. M. Dias 5 Cbixis com 140
1|2 kilos de rap.
No hiate nacional Camelia, carregaram :
Para Maco, J. Cordeiro 38 volames com 390
litros de genebra ; Maia & Bezende 500 saceos
com fsrinba de mandioca.
Diuheiro
BBCBBIDO
Pelo vap. iog Nile, do Bio da Janeiro, para
Londom & Brasilian Bank 9.800*000
Bevdbaentes publico
MBS DB Jt.NBi
Alfandeya
Segunda seceso da Alfandega, 28 de Junho
de 1888.
O thesoureiroFlorencio Domingues
O chota da seceoCicero B. de Mello.
Reeebedoria Kfral
i>a dia 1 a 27 39:987*102
dem de 28 5'JO982
40:578*034
Berebedoria proTinelsil
l?o dia 1 a 27 135:955561
(dia du 28 15.946J236
151:901*797
Rcrire Drainage
i'e dia 1 a 27 8:226*582
dem da 28 418>66
8.615*338
Mercado Municipal de S. los
O movunento doste Mercado no dia 27 ue Ja
nho foi o segaiute :
Entraram :
26 bois pesando 3,771 kilos sendo de Olivei
ra Castro A C, 21 de 1, e 5 de parti-
culares, j
584 kilos de peixe a 20 ris 11*630
77 cargas de farinha a 200 ris 15J
21 ditas de frucias diversas a
300 rs. 6*300
18 taboleiros a 200 ris 3*600
7 sainos a 200 ris 1*400
17 matotos com letames a 200
ris 3*400
Foram oceupados :
27 columnas a 600 ris 16/200
1 escriptorio 3-0
3i compartimoutoa de farinha a
500 rie. 160)0
29 ditos de comida a 500 ris 14c80O
99 ditos de legumes a 400 ris 39();KJ
18 ditoa da aninoe a 7CO rile 1-2*600
10 ditos de tressuras a 600 ris 6*000
10 talhos a 2* 20*000
1 dito a 1* 1*000
A Oliveira Castro & C:
54 talhos a 1*
Benda geral
Oo dia 1 a 27
dem de 28
Bendimento dos dias 1 a 26 do cor-
rente
Foi arrecadado liquido at noje
Preoos do dia :
Carne verde de 240 a 400 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 800 ris idem.
Sainos de 56) a 640 ris idem.
Farinha de 20) a 320 ris a caa,
Milho de 320 a 40) ris idem
Fcijo do 560 a 1*400 ris idem.
54*001
222*080
5:356*060
5:578*140
O Dr. Joaquim Correia de Oliveira Andrade, juia
de dreita de orpboa e ausentes neata comarca
do Becife da Pernambuco, por S. M. o Impera-
dor a quem Deua guarde, ele.
Faco saber ao3 que o presente edital viren, que
te do se arrecadado o espolio do finado marinhei-
ro braaileiro Antonio L ral, ail chamados oa seus
legtimos saccescores a se habilitarcm heranca
na lrma da lei. ,^
E para constar, mandei passr o presente, que
ecr publicado pela imprensa e afiliado no lugas
do coetum?.
Dado e paseado neata cidade do Becife de Per-
oambueo, aos 28 dias do mes de Maio do auno do
uascimento de Nosso 8enhor Jesua Cbnsto de
1888.Eu, Luiz da Veiga Peasoa, escrvo o es-
crev.
_______Joaqaim Corris de Oliveira andrade.
4* Secgo --Sacrotaria da preaid -ncia
de Pernambuco, em 18 de Junho de 1888-
De ordem do Exm. Sr. Desembarga-
dor presidente da provincia, convido es
autores e editores da capital, das cidades
e localidades do interior desta provincia
para qu; se dignem da enviar esta se-
cretaria um ex no piar dos peridicos, bro-
charas, folhas avulsos e estampas, de que
trata o offi io infra transcripto do director
do archivo publico do Imperio.Pedro
Franaisco Correa de Oliveira. "
BBJ
Europa....... Niger............. 4
Sul........... Pionee........... 5
Europa....... Vil'.e de Montevideo 6
Europa....... La Plata.......... 6
Sul........... Maranho......... 7
Sul......... Tomar............. 8
Sul........... PteaePemaniouco. 10
Norte......... Allianca...........
Norte......... Mandos........... 13
Sal........... Alagos........... 16
Europa...... Ville de Maranho 17
Sul.......... Portoja.......... 18
Europa....... Tagus............. 21
Sul........... Trent............. 22
Norte......... Espirito Santo..... 23
Sul........... Pernambuco ....... 26
Vapores sabir
HEZ DB JL'LHO
Valparaso .. Potoi............ 1 s 12 b.
Hamburgo .. Valparaso........ 4 s 5 h.
Sal......... Pernambuco....... 5 s 5 h.
Buenos Ayres Niger............. 4 s 12 b.
Estados-ni Fvnance........... 6 s 8 b,
Baeaos-Ayres La Plata......... 6 1 h.
Santos e esc. Ville de Montevideo 7 s 2 b.
Norte....... Maranho......... 8 s 5 b.
Southampton. Tamar............ 8 s 11 h.
Havre e esc. Ville de Vernambuoo 11 s 3 h.
Santos e esc. Allianea.......... 13 s 9 h.
Sul......... Manaus.........7. 14 s 5 h.
Norte....... Alagos........... 17 s 5 h.
Santos e esc. Ville de Maranho. 18 s 3 b.
Bordeaux ... Portugul.......... 18 s 2 b.
Buenos Ayres Tagus............ 21 a 12 b.
Southampton. Trent............. 22 s 12 h.
Sul......... Espirito Santo..... 24 s 5 h.
Norte....... Pernambuco....... 27 s 5 h.
\avlos entrar
Bertha............ Cardiff.
Cypher........... Swanaea.
Plld......--.-.'.. Csrdiff.
Fairy............. 8w*naea.
Mimosa........... Bio Grande do Bal.
Ok moa........... Hamburgo.
Bespit............ Cardiff.
841:194*726
48.559/573
Beoda provincial
Do dia 1 a 27
idem de 28
90.524*480
8:295*807
889:754*299
98:820(287
Somma total
988:574*586
Halado aro Publico
Foram abatidas no Matadonro da Cabanga 89
rcies para o consumo do dia do hojo.
Sendo: 60rezes pertencentes a Oliveira Castro
& C, e 29 a diversos.
Vaporea a eatrar
MEZ DE JLLHO
Europa...... Potos.............
Snl........... Valparaso........
Sal........... Gamillo...........
Norte......... Pernambuco.......
1
3
4
4
Uovlmento do porto
Navios entrados no d:a 28
Banoes-Ayres e es-sli 13 dias, vapor inglez
Nile, de 1,889 toniladas, eommandaate D. M
Iliks, eqaipagem 99, carga vario3 geueros; a
Amorim limaos ce C.
Parahyba3 das, hiate nacional Flor do Jtr-
dim, de 80 toneladas, mestre Jos Bandeira,
eqaipagem 5, em lastro: a Alheiro Oliveira
&C.
Shidos no mesmo dia
Soutampton e escalaVapor inglez Nilv 3M>-
mandante G M. Hik<, carga varios gneros.
Hanoa e escalaVapor Etpirito Santi, eom-
mandante Carlos Antonio Gomes, carga^varioss
gneros.
Cronstadt (Baasia)Barca norueguense Imaaoa
capito Nioisan, carga alg .d>.
Santa Koaalia (3. Frann;aco da California)Bar-
ca franceza Feaeloa, capito o pilota L, I. E.
Achillef carga varios gneros.
Santos e eaeala Vapor fraaeez Ville da Babia,
eommandaate P. Boai, carga varios gneros.
I

1


A
I

Diario de Pernambuco-"Sexta--leiraV*-.__anho de 1888
Imperio.' Rio JaMiro, 25 TmTo dt PftlSO C 30 U8S
1888.
IUm. e Exm. Sr. Dassjando oolligir,
para aereo) guardados neste arohivo co-
mo apreciareis documentos historiaos, fo-
lfaas avulsaa e estampas que se tenharn oo
copado da gloriosa lei de 13 do correte
que extingui a escravidSo no Brasil, e
dado noticia das manifestacSes de r>-gosro
publico em qualquer cidade ou villa deesa
provincia pela promulgado da mesma lei,
tenho a honra de rogar a V ac. se dig-
ne de fizer com que a (Jazata Offiiial so-
licite do patriotismo d tores de taes publi:ac3-8 a reraessa de utj
exemplar, ou directamente a esta repartilo
ou por intermedio da secretaria deesa pre-
sidencia.
Agradeoenlo sinoerament) a V. Ex o
benvolo aoolbimento que prestar a essa
minba rogativa, tenho a honra de spre-
tentar muitos protestes de estima e couside-
racSo i psssoa de V. Exc, quem
D us guarde. Illm. e Exm Sr. pre-
sidente da provincia de Pernambuco, -O
director, Joaquio Pires Machado Portella.
DtLARACOES
Tliesouraria de Fa-
zenda
De ordem do Illm. Sr. inspector, faco publico,
de aecord i com o officio da inspectora da caiza
de amort.duco de 8 do corrente, s.b n. 213, que
a junta ..dmiuistrativa da dita repartida: rerol-
veu prorogar at 30 de Setembro prozimo f aturo o
Sraso para a subs:tuic>o, sem descont, das notas
e 10^000 da setiosa estampa.
Tnesouraria de Paseada de Pernambuco, 15 de
Junbo de 1888.O secretario,
Dr. Antonio Jos de Sant'Anna.
Monte-Pi Popular Pernamba
cano
Asspmbia geral
De ordem di nosso irmo director, convido a
todos os irtfii-s deste Monte Pi & comparecerem
em sua tie no da 1 de Julho prozimo vindouro,
Si 10 horas do mauhS, para en< assembla geral
asaistirem a leitnra di relatono e balancete do
semestre corrente, de conformidade com o art. 6"
de bosso8 estatutos.
Becife, 28 de Junbo de 1888.
O 1 secretario,
Bennque de Almeida.
Faculdade de Dfreito
De ordem do Ezm. Sr. conselbeiro
director interino e de coutormidade com
art. 119 do regulamento comp'jmentar
dos estatutos, Be repete o edital relativo
ao ooncurso cuja nscripcSo ser encerra-
da as 2 horas da tarde do dia 2 de Julho
prozimo vindouro.
Faculdade de direito do Ricife.De or-
dem do Exm. Sr. conselbeiro director in-
terino, fago publico que n:a marcado o
prazo de 6 mezos, contados da data deste
para a inscripcSo dos que pretenderem con
correr ao lugar de lenta substituto deata
Faculdade, que se acba vago por ter pas-
eado, a catbedratico o Dr. Tobias Barre
to de Menezes.
Pelo que, todos os pretendentes ao re-
ferido lugar, poder&o apresentar-s i desde
j nesta secretaria para assignar seus no-
mes no livro competente, o que ibes per-
mittido fazer por procurador, se estiverem
a mais de 20 leguas desta cidade ou tive-
rem justo impedimento: devem, outro-
aim, presentar documentos que montrem
sua qualidade de cidadao brasileiro e que
est2o no gozo de seus direitos civis e po-
lticos; isto certido de baptismo, folha
corrida no lugar de seus domicilios e mais
o diploma de doutor ou bacharel por
ama das Faculdadea de Direito do imperio
ou publica forma justificando a impossibi
lidade da apresentacSo do original, e na
mesma occasio poderSo entregar quaes-
quer documentos que julgarem convenien-
tes, ou como titulo de babilitac&o ou como
provas de scrvigos prestados ao estado,
tumanidade au sciencia, dos quaes te
lhes pausar recibo, tudo de conformidade
com os arte. 36 e 37 do Decr. n. 1286 de
28 de Abril de 1954, e 111 e segu ates do
de n. 1568 de 21 de Fevereiro de 1855.
E para que chegue ao conhecimeato de
todos, msndou o mes nao Exm. Sr. conse-
lbeiro director interino anisar o presente,
que ser publicado as folhas desta cidade
e naa da corte.
Secretaria da Faculdade de Direito do
Reeife, 2 de Janeiro de 1888.
fAssignado) O secretario Jos Honorio
Bezerra de Menezes. Secretaria da Fa-
culdade de Direito do Reoife, 23 de Junba
de 1888. O secretario,
Jos Honorio B. de Menezes.
Fabrica de fiacao c te-
cidos de Pcrnambudo
Sai convidados os Srs. accionistas da nova
emisBJ a eotrarem, no dia Ia de Julho prozimo,
com a prestaco de 15 % das quantias qu i sub-
screveram.
Pagamento no Banco Internacional do Brasil,
rus do Commercio n. 40.
Becife, 1 de Junbo de 1888.
O secretario da direcco,
Jos Joao de Amorim.
Primeira pra$a
}
Pela inspectora desta alfandeg* se faz publico,
que s 11 horas do dia 30 do corrente mes sero
arrematadas em praca, porta desta repartilo,
as seguintes mereadorias :
Armuzem n. 3
Urna caiza marca FS&C n. 5, confendolOJ kilo-
grammaa, p*-s bruto de nnnjnmta m >
cor, e 38 lrilojjm------~* livros impressos com
capa d* p^pri, viada de Nfw-York no vapor in -
gtes Paraense, entrado em 4 de Maio do corren-
te anno, abandonada aos direitos por Faria So-
briaho i C.
dem, idem n. 6, contendo 2 kilogrammss, peso
bruto, de annuncios de mais de urna cr e 108
kilograaimss de livros impressos com capa de
papel, idem, idem, dem.
dem, idem, ideo n. 5, contendo 5 kilogrammss,
peso bruto, de annuncios de mais de urna cor
vindo de Hew-York no vapor americana Allianee'
entrado em 26 do Abril do corrente anno dem'
idem. idem.
3' seccao da Alfandega de Pernambuc \ 28 de
Junbo de 1888.-0 cbefe,
Domingos Joaquim da Funsecs.
RHtND
DE
fossa Senhora da Luz
Pe; -dem do irmo jais, convido a todos os
boseo 'iriesimos irmos cooparecerem em nos-
so i i .itorio domingo 1 de Jalho, as 3 horas
em ponto, para, lennidos em mesa geral, elegir-
nos p irui j para o cargo de secretario, visto
ter pedida sxoneraeo o irmo que o ezercia.
Secretaria da irmandade de N. S. da Lu,
recta na igreja doCarmo, 27 de Jnnho de 1888.
O secretario inteeino,
Salviano Lua do Siqueira,
Pela ioip ctoria dosta Alfandega, 83 fas publi-
co, que, achando-se as mereadorias cuntidas nos
volumes abaizo mencionados no caso de serem ar-
rematadas para consumo, ms termos do Tit. 5'
Cap. 5* da dnsolidaco das Leis das Alanrie-
gas, os eeus donos ou consignatarios deverSo des -
pachal-as e retiral-as no praso de triata das, sob
peaa de, fiodoelle. serem vendidas por sua conta,
sem que Ibes fique direito de allegar contra os
effeitoa desta venda.
Armaaem n. 1
Um pacote da marca Djmingos Alves de Abren,
pesando 2940 grammas de livros impressos com
capa de papelo, viudj do Havre, no vupjr fran-
cs Vide da Bahi* cjtradj em 9 de Sitem-
bro de 1887, consignado a Domingos Alvos Ma
tbeus.
Doas caizaa da marea V. P. A. N., ns. 1 e 2,
contendo 74 k los de iyph6t e vasos de barro or-
dinario para latrius, valas de Hsmbargo no va-
por allemaj R'o entrado em 19 de Setembro
de 1887, consignadas a Vicenta t'erreira de Al-
buquerque Nascimento
Armssem n. 2
Um cesto da marca diamante F & I de um lado
e 305/309 d j outro, B no centro, contendo amos
tras de looca, ns jl e 2, vindo, de Hainburgo no
vapor iaglr-i < Sculptor entrado em 1 de Agos-
to de 1687, consignado a Fernn des & Irmaoa.
Una barrica da marca diamante tendo A no
centro e S ao lado direito, n. 222, contendo 260
kilos de liquido legal de chapas de ferro fundido
para foguea, todas quebradas, vindas de Liverpool
no vapor incrls Sculptor >, entrado em 6 de
Agosto de 1887, consignada a Albino Silva & C.
Uun fardo da marca J. A. F., n. 275, com 125,
kilos de morim branco, viudo de Liveipool no
vapor ingles Sculptor entrado em 6 de Agosto
de 1887, consignado a Jesuino Alves Fernaudes.
dem, idem, idem, n. 276, com 123 kilos, idem.
idem.
dem, idem, idem, n. 271, com 160 k los, idem,
idem.
dem, idem, idem, n. 272 com 162 ledos, idem,
idem.
dem, idem, idem, n. 271, com 157 k los, idem
idem
dem, idem, idem, n. 273, com 135 kilos, idem,
idem.
dem, idem, marca diamante com S ao lado e'A
no centro, sem numero, 571 kilos de fragmentos
a granel de chapas de ferro para ,fogoes, idem,
idem, dem, consignado a Albino Silva & C.
Uem, idem, um cesto da marca, diamante B no
centro e F I ao lado, n. 310/319, contendo amos-
tras de louca n. 1 e 2, v nda de Liveroool no va-
por ingles Orator entrado em 27 de *g
de 1887, codsignado i Fernadcs as Irmo.
dem, i-Jem, urna caiza da marca M A & C, n.
109, ciiendo 70 kil.-s de serras finas, viudas de
Liverpool no vapor inglf Auto r entrado em
21 de Setembro d; 1887, consignado a Miranda
Alves & C.
Armazem n. 3
Urna caiza da marca J A F Heraes, n. 5321,
contendo 30 frascos com acido tartrico em p, 810
grammas cada um : 10 latas com canella em p,
120 grammas cada ama : 2 latas com flores de
acafrSo de Hespanba, 1 kilo cada um i : 28 kdoB
de t ires de tilia em pacotea : 7 kilos de capsulas
eopabiba : 7 kilos de manteiga de cacao : 5 kilos
de n jz moscada : 10 k 12 kilos de scido oxlico: 10 latas can-lia em p,
690 gammas cada urna, vinda de Hamburgo no
vapor Noruega Ezpedit entrado em 1 de Se-
tembro de 1887, consignado a Hermcs de Sousa
Pcreira & Successores.
dem, dem doas fardos da marca J A F em
cima e por baizo S B, ns. 277 e 278, contendo
560 kilos de panno de algodao cr, viudos de
Liverpool no vapor ingles Hereck-d entrado
em 6 de Setembro di 1887, consignado a Jesuino
Alves Fernandes.
Urna barrica da marca H 8 P & O, n 30, eon-
t.ndo 93 kilos brutos em latinhas de tinta a oleo
para pinturo de casas, vindas, de New YJik
no vapor americano Fiaance*. entrado em 13
de Setembro d* 1887, consignado a Ilermes de
Sousa Perelra & Successores.
Duas caizas da marca L & C, ns. 8 e 8, con-
tendo 172 kilos brutos em latinhas de tinta a oleo
para pintara de casas, vindas de New-York no
vapor americano Finance entrado em 12 de
Setembro de 1887, consignado a Livramento Se C
dem, idem, duas caizas, ns. 9 e 9, contendo 110
kilos, idem, idem.
Armazem n. 6
Um pacote da marea Julio Irmo, sem numero
e sem valor, vindo de Southamptton, no vapor in-
gles Tamar entrado em 10 de Setembro de
1887, consignado a Julio & Irmo.
dem, idem, nm dito, idem, idem.
Urna caiza da marca M M C, em cima e M A
C em baizo, n. 34, contendo 285 kilos brutos, cai-
ziahas de papel pautado para escrever, vinda de
Southampton no vapor ingles Tamar entrado
em 10 de Setembro de 1887, consignada a Manoel
Cardoso .vres.
Armasem n. 7
Urna caiza da marca P L, n. 3, contendo 30
kilos de cartases de mais de duas cores, vinda do
Havra no vapor francs Ville de Santos *, en-
trado em 7 de Outabro de 1887, consignado a Cb
Playm & C.
Qainse barricas, da marca E T, sem nume-
ro, contendo fumo picado em muito mo estado,
bruto 942 kilos, liquido legal 848 kilos, eom aba-
timento de SO por cento na tasa, vindos dos por-
tes do sal no vapor brasleiro Maranho, entra-
do em 25 de Outabro de 1887, consignado a or-
dem.
Urna barrios, sem marca, e sem numero, con-
tendo 70 kilos brutos gesso em p, vindo de An-
tuerpia, no navio belga Brabo, entrado em 15
de Abril de 1887, consignado ordem.
Urna barrica, da marca diamante BB de um
lado e C do outro e 1125 no centro, n. 1, contendo
59 kilos brutos, gesso em p mui'o avariado, 50
por cento de abatimento na taza, viada de Liver-
pool no vaper ingles Warror, entrado em 30
de Abril de 1887, consignado a ordem.
Desesete sacos simples, marca Q, sem nu-
mero, contendo 98 kilos brutos de iolhae de louro.
3* Secco da Alfandegi de Pernambuco, 28 de
Junho de 1888.
O chefe,
Domingos Joaquim da Fonseea.
Prado Peraambucano
82o convidados os Srs. accionistas desta eompa-
nhia, pira comparecerem no meamo Prado, no dia
1 de Julho, s 11 horas do dia, para ama reunio
de assembla geral, afim de ser apresentado o pa-
recer da commias i de louv idos nomeada na ses-
so anterior, como determina a lei dua sociedades,
anonymas.
Roj.le, 23 de Jnnho de 1888.______________
Banco de Crdito Real de Per-
nambuco
No sortoio a qu se preceden neate baoco em
data de honteui 22, p-.r, o resgale de 236 lettraa
hypothC8rii:8 dasqu- azistem em circulaco (1
2.* e 3.* series), deaignou a sorte as dos nmeros
angun'.es, as quaes sero pagas pelo banco a con-
tar do primeiro dia til do m s de Jalho prozimo
futuro, e, quer s-jam ou nao apresentadas, nao
veucoro mais jur a depois de 30 do corrente.
Estas lettras sero pagas ao portader p lo sen
valor nominal de 1004000 cada urna, bem como os
juros, e com os premios as abaizo mencionadas.
Tambtn serio pagos a contar do dia 1 de Ja-
lho pro^pso futuro, os jaros das lettras emittidas
nos annos de 1886 e 1887.
Kocife, 23 de Junho de 1888.
O gerente,
Jo&o Femandes Lopes.
PBIMEIRV SERIE
NMEROS
83 1.016 3.15tt 5.234 6.962
89 i.041 3.173 5.270 7.019
98 1.077 3.434 5.324 7.130
132 1.196 3.465 5.37 7.151
166 1.236 3.611 5.390 7.178
179 1.306 3.638 5.420 7.258
181 1.359 3.706 5.500 7.318
199 1.458 3.721 5 528 7.347
370 1.655 3.791 5.557 7.363
371 1.658 3.841 5.619 7.407
403 1.754 3.859 5.715 7.430
432 1.755 3.881 5.816 7-452
447 1.879 3.904 5.922 7.672
453 2.005 3-926 5.923 7.817
701 2.233 3.974 5 924 7 831
721 2.238 3.982 6.063 7.894
737 2.302 4.UH) 6.132 8.008
757 2.314 4.166 6.134 8.016
800 2.326 4.192 6.191 8.111
804 2.451 4.551 6 231 8.113
815 2.662 4 598 6.253 8.151
848 2.713 4.638 6.312 8.159
m 2.759 4-713 11 f.SJ 8.171
2.845 4.778 6 ?>54 8.228
927 2.85 4.999 6.761 S. 251
968 2.901 5.005 6.762 8 326
983 .986 5.025 6.763 8.437
3.002 5.161 6.915
3.120 5.218 6.924
SEGUNDA SERIE
.NMEROS
8.515 9.443 11.014 12.681 14.733
8.618 9 461 11.045 12.803 14.819
8.680 9.653 11.087 12.883 14.839
8.949 9.667 11 168 12.917 14.910
9.016 9.768 11.333 13.111 15.253
9.058 9.823 11.354 13.121 15.289
9.100 9.826 11.364 13.195 15.415
9.149 9.839 11.533 13.541 15.491
9.170 9.844 11 567 13.726 15.918
9.252 9.962 11.579 14 003 15 953
9.311 10.054 11.691 14 008 16.119
9.330 10 411 11.918 14.147 16.142
9 335 10.637 11.916 14.166 16.407
9.337 10.855 11.990 14.18 16.584
9.371 10.897 12.112 14.18' 16.682
10.907 12.192 14.285
10.963 11.488 14.600
TERCEIBA 8ERIE
SUMERG
7.182 17.204 17.821 18.67] 20 344
17.734 18.554 18.671 19.600
As lettras premiadas ioram as seguintes :
PRIMEIRA riERIE
NMEROS
6.134 com................. 10040(0
6-312 com................. 50*000
5.025 com................. 30/000
5.5-!8 com................. 10*000
5.924 com................. 10*000
7.817 com................. 10*000
SEGUNDA SERIE
NUMERO
14.147 com............... 10*000
14.285 com............... 10*000
14.818 cjm............... 10*000
Secretaria da Instrncfo Publica,
U de Junho de 1888
PRASO DE 60 DAS
De ordem do Sr. Dr. inspector geral da instrac-
Publica, eem virtuds de deciso da presidencia de
25 do corrente mes, envido aos contractantes Ame-
lia Carmelina de Soasa, Joanna Lina d'Albuqurr-
que e Josepha Aurora Galvo, para no praso de 60
dias a contar d'aquelli data virem a esta reparti-
do assignar os seus contractos, a 1 na cadeira
do Salgueiro, a 2a na de Gamelleira do Uuique,
a 3* na do z
O secretario, Pergeotino Saraivo de Araujo Gal-
vio.
Club Internacional de
------^Regatas
5> Regata
Acbsndo-se designado o da 22 le Julho prozi-
mo vindouro para ter lagar a 5* Regata deste
club, em eommemoreo do 3' anniversario de saa
installaco, sao convidados para nella tomarem
parte todos os senbores socios qne pertencem ao
corpo de remadores, e os que nelle se qaiserem
iuscrever.
Secretaria do Club Internacional de Regatas,
26 de Junho de 1888.O 2- secretario,
Alfredo B. da Rosa Jorges.
Comparta do Beberibe
Convida-se aos senbores accionistas desta com-
paohia a reonirem-se em assemb'a g rol ordina-
ria no dia 2 de Jalho prozimo vindoaro, na rma
do art. 26 dos estatutos, afim de tomar conheci-
meato da gesto dos negocios desta companbi,
dorante o anno social prozimo passado, para o
qne ser apresentado o parecer da commissis fis-
cal, cuja rennio eti. ctuar-ae-ba no lagar do cos-
tme, i roa do Imperador n. 71, 1. andar. Na
mssma occaaiio se proceder a eleicio da nova
mesa da assembla geral e commissio fiscal. Re-
cife, li de Junho de 1888.
Ceciliano Mamede Alves Ferreira,
Director gerente.
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina,
Director secretario.
De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector, faco
publico, a bem da regalardade do servico, que
as averbaces de apolices e se faro at o fim do
corrente mes, sendo que por occaaiio do pagamen-
to dos jaros, o que ter lugar no dia 16 de Julho
prozimo vindouro, os possuidores de apolices qne
nio estiverem averbadas e poderio receber os
Juros a qne tiverem direito depois qne forem pa-
gos os daqnellas apolices que nio necessitarem
desse processo.
Oatrosim, as apolices que nio forem averbadas
durrnte aquello praso, o poderio ser de Agosto
por diante.
Secretaria do Thesonro frovinoial de Pernam-
buco, 21 de Jnnho de 1888.0 oficial,
Lindolpho Campello.
PEOLONGAMENTODA ESTRADA DE
FERRO DE PERNAMBUCO E ES-
TR\DA DE FERRO DO RECIFE A
CARUARU'
Fornecimento de materiaes de construc
ello, grasa, azeite, ferragons, tintas, chum-
bo, ferro, folha de Flandres, kerosene,
lanterna para] signaes, movis, plvora,
carvSo e artigos diversos.
De ordem do Ulan. Sr. director, fajo
publico que no dia 5 de Julho prximo
futuro, recebem-se propostas, na secretaria
destas estradas ra de Antonio Carneiro
a. 1-37, para o fornecimento de materiaes
de construccSo, artigos diversos, etc., du-
rante o segundo semestre do corrente
anno, conforme as relajees que os propo-
nentes dovem examinar, dos os dias
uteis, nesta secretaria, onde encontrarSo
tambem as bases para os respectivos con-
tractos.
Os proponentes devero apresentaj-se
na reparticio s 12 horas do dia marcado,
trazendo as sua* propostas fechadas e de-
vidamente selladas, datadas e assignadas,
| as n""" Bpa"ifity3n p-^ 'ti i"
gos com o respectivo preco, sem rasuras
ou emendas, e acompanhadas das compe-
tentes amostras.
Todas ss propostas apresentadas at
aquella hora serio abortas e lidas em pre-
s 09a dos concurrentes, nio sendo recebi-
das outras neta retiradas quaesquer das
recebidas depois de aberta a concurrencia.
Cada proponente far previamente a
caucSo de 1000 na thesonrana destas es-
tradas, para poder ser admittido a ooncur-
1 ncia, fijando enfendido que aquellos que
forem preteridos para o fornecimento de
quaesquer artigos, que se recusaren! a as-
6 gnar os respectivos contractos dentro do
prazo de 3 dias, a contar da data do aviso
q ie por esta secretaria Ibes for dirigido,
p. rderio o direito as quantias entregues
em cauclo.
So serio aceitas as propostas de nego-
ciantes matriculados, que se habilitem com
os respectivos documentos at o referido dia
e hora.
Reeife, 25 de Junho de 1888.
O secretario,
Manoel Juvmeto de Saboya.
PitADO PERNAMBLCANO
*-"**
Programara da 18 a corrida
QUE SE EFFEGTAR
Sexta-feira, 29 de Junho
Asf. uorasdamanhemjponto
Nomea
dades
Pello*
Naturalida-
des!
Pesos
Cor da ven tmenla
Proprletarloa
l.o PareoConsolacio- 800 metrosAnimaes da provincia que aiada nao tenham ganho. Premios : 200J ao 1, oOf ao 2.* e
3<" livra a entrada
Pe tro polis.
Pendanga.
Athea.....
Urso.....
Salvstus..
Uadeaux...
Aranha...
annos
I


56 kilos.
1 :
54
54 *
56 .
54
Azul, branco e rosa.........
IflK.IQ V T iulclS ...........
L*yrio a branco.............
Encarnado e branco .......
Branco, e azul listado.......
Branco, encanarlo e azul...
Encarnado e branco........

Alvaro Ferras.
M. C. R. S.
A. F. CabraI.
VI. Q. de Camino.
J. L. Freitas.
U. G.
B. A.
2.* PareoCapilMo J, J. da Bocha 1200 metros. Animaes de menos de meio sangne. Premios : 300/5 ao 1.* 75/ ao 2.* e
3o livra a entrada
Fgaro'........I 5 annos.
Galathea...... 5
Becife........I 4
Chita.....
Rasilho..
Cistauho
Rio Grande do Sal
c
Rio de Janeiro...
54 kils.
56
56
Asul, branco e rosa.
Escarate e onro...
Verde e onro.......
J. M.
Coudelaria Allianoa.
S. P. ^
3* PareoPeres Campello1600 metros. Premios : 400/ ao 1; 100/ ao 2* e o 3o livra a entrada
Douro ...
Favorita .
Ipojuca ._.
Morena...
Maestro .
Alaso ........
Ziioa.........
Alaso........
Castanha......
Tordilho......
Rio de Janeiro...
S. Paulo.
Parao..
S. Paulo.
54 kils.
52 >
52
50 >
54
Verde e ouro..............
Rosa e branco.............
Escarate e asul......j.....
Escarate e preto..........
Encarnado e branco........
F. P.
Coudelaria 13 de Maio.
Delmiro Gonveia.
Paulo Moreira.
Sydronio I. de Mello.
40 Pareo.Prado Peraambucano.1G09 metros. Premios : 500/ ao 1- e 125/ ao2-
11 Africana .
2JBacarat.....
SjCastiglioni...
anuos.
Z lino....
Castanha
Ztioo....
Rio da Prata ..
Rio de Janeiro
Franca .......
55 kils.
50
57
Encarnado e preto..
Verde e amarello ..,
Encarnado e branco,
Djalma Moreira.
F. C. daCnnha.
Joaquim D. da Costa Braga.
o PareoDr. Soasa Bel* 1100 metros. Animaes da proviocia. Premios : 250/ ao 1-, 60/ ao 2- e o 3* livra a entrada
llFaisca..
2 Tnpy....
3| Noruega
4 Ocila...
51 Cndor..
8 annos.
6 *
5 t
7 <
5
Oveiro ..
Baio.....
Zaino....
Castanho.
Baio.....
Pernambuco.
54 kilos.
54
60
60
54
Asul, branca e rosa......
Branco, asal e encarnado
Verde e oaro...........
Grenat e oaro...........
Asal e branco..........
Alvaro Ferras.
F. C. Resende.
Vicente F. S. Meneses.
Augusto F. de Oliveira.
Jos Cavalcante.
6.* PareoE. Challne 1000 metros Animaee da provincia qne aiada nio teabam ganho nesta distancia. Premios : 200/
ao Ia, 50/ ao 2* e o 3 livra a entrada
Petropolis.
Zig......
Leseira.. .
Blissard ..
Elo.......
6 annos.
4
6 <
5 <
5
Tordilho.
Russo ..
Castanho.
Pernambuco
<
56 kils.
54
66
56
56
Asal, branco o rosa ...... .
Grenat...................
Asul.....................
Encarando e brsnco........
Asal e branco.............
Alvaro Ferras.
L.L.
Coudelaria Firmesa.
M. M.
Jos Cavalcante.
7." PareoClaudio Dubeni-850 metros.Animaes da provincia que ainda nio tenhamganho nesta distancia. Premios: 200/ ao
1-, 50/ ao 2- e o 3 livra a entrada
Athea ..
Cndor..
Cadeaax
Zamby..
annos.
Castanho.
Baio.....
Russo ...
<
Pernambuco.
56 kilos.
56
56
56 <
Lyrio e branco.............
Branco e asal.............
Branco, encarnado e asul ...
Verde e branco............
A. F. Cabral.
Jos Cavalcante.
H. G.
M. de Carvalho.
8. Pareo.Segunda turmaConsolacao. 800 metros. Animaes da provincia.
entrada
Premios: 200/ ao 1 50/ ao 2 e o 3o livra 1
/',:
6 annos.
Sancho-Panca . 7
Rigoleto...... 4 c
4 c
5
6
Ros so.
Alaso.
Baio...
Rasso..
Russo .
Alaso.
Pernambuco

a


56 kils.
56
54
54 <
56 < -
56
Verde e branco..
Branco e asal .
Grenat.........
Encarnado......
Verde ..........
Verde e amarello.
A. F.
M. C. de Albuquerque.
J. F. B. F.
C. D.
Albino Santos.
Antonio Barbosa.
OBSERVACOES
Pede-se aos Srs. proprietarios dos animaes inscriptos no primeiro pareo o especial favor de tel-os
no ensilhamento s 10 horas da manha no dia da corrida.
Os bilhetes acham-se venda nos lugares do coslume, at a vespera da corrida, e no dia da corrida
em mao dos conductores dos bonds e no Prado.
Os Srs. proprietarios dos cavallos inscriptos podera procurar os seus cartoes de ingresso e de seus
criados e jokeys, no Prado, at s 6 horas da tarde do dia 9.
S serao recebidos os forfaits at o dia 9 s 6 horas da tarde.
Reeife, 29 de Junho de 1888.
CIRCO CHILENO
No largo do Arenal de Guerra
RAMDE (OHPlXnil
eqaestre, gimnstica, acrob.itlca, eoreographlca, zolooglca,
equilibrista, fuambalesea, f icetlca e mmica
EHPsEZI t DJfl
DE
D^ HONORIO PALACIOS__a-
DUAS PUNZES!
As 4 horas da tarde e s 8 1/8 da noite
Para festejar o glorioso dia de
S- E1U\0
A pedido de multas Ezmas. tamilias ser pela segunda vez posta em
EXPOS.QAO
A cabeca-auimin-ada do primeiro guerreiro indgena a tarde e a noote.
in> ji: i ao circo iioji: i
TOMAM PAUTE AS CELEBRES:
Estrella do Norte Estrella do Sul
Estrella doBrazil! Estrella do Mar
A familia Palacios e o Sr. Daniel Ca&.ro ezbibirao briib ,ntes eaercicios.
PRECOS:
Camarotes oom 5 entradas ..... 10 Cadeiras........ 2000
Geraes ........ IjjUGO
Principiar a funccSo s 8 1/2 horas.
O SECREARIO, OSC De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector fajo pu-
blico que no dia 30 do corrente ir pela 4 ves a
praca, de accordo eom es editaes anteriores o pe-
dagio das barsairas de Giqui, Magdalena, Ponte
dos Carvalbos e Consseiro, sob as novas bases
abaixo jiencionadss e approvadas por S. Exc. 0
Sr. desembargador presidente da provincia em o
officio de hontem datado :
Giquia 40:79/600
Magdalena 2:400/000
Ponte dos Carvslhos 317/400
Ccusseiro 600/000
Secretaria do Tbesouro Provincial de Pernam-
buco, em 28 de Jnnho de 1888.
Servindo de secretario,
Lindolpho Campello.
Atob.-. eAug.a.Caz.".la(..d.*.
Esp/. U:. Mi:.
Soleniaa no dia 29 do corrente, o 18
anniversario d.\ 8.'. P.-.j aota^SW.*
Mag.'. as 7 horas da tarde ; para a qnal
convic.a a todos oslrs.'. a comparecerem
em noss. Caz.*, a.*, val.-. d.. S.\ Ant.\
na ra da Penba o. 3. 2 andar.
Secret.-. d.\ Nob.% o Aug \ Caz.-., 27
de Junho de 1888 E. C .
O Irro.\ Secr.*.
1513 Gr.\Symp.\ 17.-.
Monte Po dos Volunta-
rios da Patria
Assembla geral
De ordem do Sr. presidente, convido aos senbo-
res socios a eomparecerem s 5 horas da tarde do
dia 2 do mes futuro, na sede de nossa sociedade,
para em seisSo de assembla geral ser impossada
a aova directora, e tratar-se de assumpto de in-
teresse social.
Secretaria do Monte Pi dos Volootirios da Pa-
tria, 27 de Jnnho de 1888.
O 1- secretario,
Antonio A. Moreira de Mandones.


.r-fesaW- yy;-;. -J,
[

}




6
uc re}
Companhia de Edifica-
sao
Aasepbla geral extraordinaria
Tendo-M 11 Asaembla Geral extraor-
dinaria que realisou se Do da 22, depois
d vencido e approvaao o augmento do ca-
pitel social, e quando discutiram-ae os meioi
He effectuar tal augmento, aventado a ideia
de que nao seria oobarta a amtalo de no-
vas acc8s vista da depreciadlo do aotaal
Capital da companhia rsaattsaae dos pre-
Juiaos produzidos pelas obra* qne ella exe-
CUtoa e pela natural dapreeiacio de mate-
rial em consequencia do trabalho qne ha
annos deaempenha, a havaauia a omma
Asaembla Geral extraer diaria resollido
que de novo e eztraofdiaaiiaaaeote se re-
na a companhia eonr o fim especial de dis
Cutir e se approvar, votar a aqnisicSD do
actual capital social ao su justo e real va-
lorj afim de lomar possivel a a novo capital sem o qnal nao pode a compa-
nhia proseguir nasua misso, convoco, de
ordem da directora, pira o da 9 de Ju
lho prximo futuro, as 11 horas da[manha,
no escriptorio da Companhia de Edificaclo,
i Praca Pedro II n. 77, 1.a andar, a reu
nilo da companhia, em ssembla Geral
a extraordinaria, para discutir convm ou
nao reduzir o actual capital social, no
caso afT stiro, qual a redncyao, devendo
Ota asaembla constar de numero de ac-
cionistas que representa pelo menos, dous
tercos do capital, de accordo com o dispos-
to no paragrapho 4.* do art. 15 da lei n.
3,150 de 4 de Noventbro de 1832 a qual
rege as sociedades anonymas.
Recife, 23 de Junho de 188$.
Ricardo de Afentzes.
gerente.
MjRilttS
R0Y4L HAIL STEAFTAtltT
COIPANY
Vapor La Plata
Espera-se da Europa at o
da 6 de Julho, seguindo
depois da demora do costumt
para
Baha, Rio de Janeiro. Monte-
video e Buenos Ajres
O paquete Tamar
"E' esperado dos par-
tos da sul at o dia 8
de Julho e segui-
r d pois ds. demoia
neceas aria para
.Trente, ILisboa, Viso, An-
tuerpia e Soutnampton
Reduec&o de patsagmt
Ida Id* t volla
A Sonthampton 1* classe 28 X 42
A' Lisboa classe 20 30
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambnco.
Para paasagens, fretes, etc., tracta-se c-Jn o
. AGENTES
Amorim Irmos &C.
H. 3 RA DO BOM JESS N 3.
8 2
aS
* i
ce
i os
o
s
i
B
D

?
B I
>-3 >
O
er
l
so
EE
er
-i
-
I
g
1
l 2
f i ?
8- 1
I" *
B
f
B .
$
es H to ex
%r -
a a a
K K K
2. S 5.
o a o'
o.
a
a
> > s
i = "8
Dir
el mente
para Euro-
pa- o Rio
da Prata.
S 5 S
s-
? f *
|
r. A,
*
B g->
IS-S
*
B a>
= S2
O, 9
o t- JC
E 5 S>
8*
t 8. E.
g- o
c w to
-
e k fe
o 2.

c
B
er
O C
O. O.
O a
ES
en
E2 ES >
B. 2. %
9 o a
Sgr
Ssr
gS B
l-11
al;
-it
o <
POR
sT'fK?
panhla Braiilelra de Xare
eio A vapor
TOS DO NORTE
0 vapor Maranhao
Commandante o capitulo de fragata Ped o
Hyppoltto Duarte
K' esperada dos partos do sal at
o di 7 da Julho, e seguir
depois da demora indispeoaaTel,
para o* porto do norte at Ma-
nioa.
As encommsndas sio rcoebidas na agencia ata
t hora da tarde do da da aaarda.
Paj carga, paaaagena eaaaasssmsdaa valore
taaatsrae na. \im neis.
PRA^A DO CORK) SANTO N. 9
PORTOS DO SUL
O vapor Pernambuco
Fraeoiaeo Antonio da
Alaeetde
E" ^aperado dos por tos do nor-
te at o dia 4 de Julho e de-
pas da demora indispensavel,
seguir para os portoa do sal.
ttacebem tambem carga p ara Santos, Santa Ca
tharina, Pelotas, Porto-Alegre e Rio Grande do
Sul, trate sdico.
Aa.encommendas s serSo reeebidas na agencia
at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, paasagens, cncommendas e valorea
trata-se na agencia.
PRAQA DO CORPO SANTN. 9
CsVaslsFAMmES DE HBSNA(b>E
RES HARimiES
LINHAMENSAL
0 paquete Niger
Commandante itaulc
E' esperado da Europa no dia 4
de Jnibo e seguir depois"da
demora necessaria para
m.o de lanelro, Buenos
Ayres e Montevideo
Lembra-se aos senhores paasageiros de toda:
as classes que ha lugares reservados para est
i'enela, qne-puJun tuuu toa qualquer tempo.
rTevlnffUai Sun imaliimyi raaeoiadorea ae merca
dorias que s se attender a reclamacoes por fal
tas nos rolumes que forem reconhecidas na occa-
sio da descarga, assim como devero dentro de
48 horas a contar do dia da descarga das al varen-
gas fazerem qualquer reclamagao concernentes a
Tolumes que poverntura tenh.m seguido para os
portos do sul, afim de poder-se dar a tempo as
providencias necessarias.
*JPai a carga, passatcfns,encomm^ndas e dinhstr
s frete : tracta-se cem o ___
AOENTE
Angoste Labile
9- RA DO COMMERCIO-.9
Vupores nacionaes
EMPREZA NORTE E SUL
Rio de lanelro, Mantos, Rio
Brande do tul, Pelotas e Por
to Alegre.
O paquete Cantillo
Espera-se no dia
4 de JULHO
dos portoa cima
e seguir depoi-
da demora do cos-
tme para es mea-
mos portos cima indicados.
Recebe carga, enccmmendas e passageiros para
os meamos portos : a tratar coso
PERERA CAR1VEIRO & C.
N. 6.RA DO COMMERCIO-N. 6.
V andar
LELES
Kribbario 30 'fteei* o agente Pinto o ieilo
d'um piano fjrte, I mobilia de jicarand, e muitos
ontros movis existentes no armaxem da ra Mar-
ques de Olinda u. 52.
Ag
II
a
I

aciic Steam Diavigation lompany
STKAITS OP MAGELLAN UNE
O vapor Potos
E' esperado da
Europa at o dia
1 de Julbo, e se-
guir depois da
demora do oostu-
ate para Valparao eom escala por
Baha, Rio de lanelro e Monte
TldO
Para oarga, passageiros, ene mmendas e inhdei-
ro a frete, trata-se com os
_____ AGENTES
Wllson Sons k J., a-lamlcd
H. U-RUA DO OOMMERCIO-N. 14
Cmai Slilcs* Brasil 1-S.S. C.
0 paquete Finance
E' esperado dos portoa do sol
at o dia 6 de Jalao depois
'da demora neoeasaria seguir
i o
Para, Barbados, m. Thomaz
e New-York
Para carga, paaaagena, eocemoaendas o dinheir -
frete, traeta-ae com os
Eepera-se de New-Port-News,
at dia 12 e Julho o qnal
eguir dapoia da demora ae-
^eaaaria para a
Iodo lanelroe llantos
Paraearga, passagens, e encoramenas tracta-
se cosa o
Henry Forster C.
H. 8 RA DO POMMERCIQ-N. 8
1.-andar
aT'TSr
De 1 piano forte equasi novo, 1 mobilia.de Ja-
caranda, 1 serafina, 1 fit^ir^ cr.vidraido. aua-
dros, jarros par SureB, looc. vidria, cortinados,
e outrfl dm>.
Presuntos e figos em caixas
Sabbado 30 do correte
A's lf horas
ente Pinto
No armazem la ra Marquet de Olinda
n. 52
Agente Britto
Leilo
De 1 plano, movis, espelho e
loueas
O agente cima autorisado por ama Exma. fa-
milia, que mudou de residencia, far leilSo do se-
guinte :
Um pisno, 1 mobilia de Jacaranda, moderna com
1 sof, 2 consolos com pedrss, 4 cade iras de bra-
co e 12 de guarnicao, 1 eipelho, 1 cama francesa
de Jacaranda. 1 toilet, 1 mesa elstica, 1 guarda
louca, 1 quartinbeira, 1 cama de amarello com
lastro de rame, cadeiras de amarello e junco, 1
caminba para crianza, 1 commoda, banqumbas, ta-
pates, jarros, lanternas, figuras, quadros, relogio
paia parede, espetaos, facas, colberes, lencas, vi-
dros, trem de coeinba e outroe objectos.
Sabnasio, 3 do correle
A's 10 1|2 horas
Roa da Imperarris n. 78
Agente Silveira
2o Leilao
Da quinta parta de sobrado de 3 andar*
e sjtSo o. 31 sito ra do Amorim
Segunda-teira, 2 de Julho
A's 11 horas
No armasem da roa do Bom- Jess n. 49
O agente Alfredo Gqimar&es por alvari do IUm
eExm. Sr. Dr. jais dos feitosda fazenda, levar a
leo a 5* parte do predio cima mencionado para
pagamento da fsenda nacional, pertencente a Ma-
noel Jos Luis Ribeiro, representado pelo Sr. cn-
sul de Portugal.
Importante leile'.
De engenhos, sitios, de coqueiros e vaccas
O leilao ser efectuado em frente a
Cmara da cidade de Olinda
A's 12 1/2 horas
Quarta felra, A de Tulho do
corrente anno
O e gen te Ssappla por mandado e assistencia do
Exm. Sr. Or. jais de direito privativo de orpbcs
e ausentes a requerimeoto do Dr. Jos Vicente
Meira de Vasconcellos, inventariante dos bens do
finado coronel JoSo de S Cavalcrnte de Albu-
qnerqao levar a leilo o seguinte :
O engenho Tab a vapor moente e corrente,
comprehendendo os sitios TubarSo, Oangassary
Saboeiro e parte da propriedade Pedreira, na co-
marca de Pitimb na Parabyba.
Urna parte no engenho Itapirema do Meio, co-
marca de Goyanoa.
O engenho S. Miguel, a .vapor moente e cor-
rente, distilaco alambique de cobre e suas tr-
ras.
O engenho Soasa, as maltas denominadas Pi-
tonga.
O grande sitio Acab, na praia do Guagir,
com 2U0 ps de coqueiros ao poente de Hacei.
O sitio denominado Acab, ao naacente do re-
ferido Maeeio, com 1,000 ps de esqueiros.
Motado do pequeo sitio Olho d'Agua,
Urna parte do engenho Tabatinga.
Todoa estes engenhos estao situados na comarca
de Pitimb na Parabyba.
Os dous sitios cima, um com 200 ps de co-
queiros e o outro com 1,000 ps denominado,
Acab, vSo com a baae de 2:000/000 pelos dous
Agente Stepple
2* leilo
De casas e sitio
Quinta-felra, de *nii*e
A's 11 horas
No armazem roa do Imperador n. 16
(Bom emprego de capital)
O agente cima, por mandado e assistencia do
Exm. Sr. Dr. jais de direito dos feitos da fazenda
levar a leilo quatro importantes casas terreas
com frente d azuleijo, ra Imperial sob ns. 168,
170, 172 e 174 eim porta o janella de frente, ca-
da urna com 2 salas, 3 quartos, cosinba fra,quintal
murado, cacimba e porto com tahida, em solo
toreiro. Um imp irtante sitio e casas no terceiro
becco no Pombal, freguesia da Boa-Vista, com
bastantes commedos, fra quartos para criados, co-
cheira com soti, cacimba e tanque e diversas ar-
vorea de fructos, cojos bens sao pertencentes a Jo-
s Moreira da Silvre prnnorados pela faztnda na-
cional para pagamento da me:ma.
Os Srs. pretendeut>'s desde j podero ir exa-
minar hb referidas casas e sitio. .
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se casas a HUMA) no becco dos l l
bos, junto de S. Goncalio : a tratar na roa d>
mperatria n. 76. __________________^_____
Aloca se o 1' andar da casa n. 43 da ra
Visconde de Inbama, 'em agua e commodos; tra-
ta-se no andar terreo.
luga-se o soto da casa n. 103 ra da
Aur re, com mobilia ou sem ella, e com agua para
banho c banbeiro ; a tratar na mesma casa.
Precisu-se de urna cosiobeira e de urna en-
gommadeira, para casa derfamilia ; qaem se aohar
habilitada, dando banca de seu bom comportamen
to, dirija se ra de Cabug n. 16, loja. Paga-
seibem.______________________________________
Preciss-se de ama cosinheira que entenda
bem de sua arte e durma cm casa ; a tratar na
roa do Kiachuello, antigo Corredor do Bispo n.
57, porto de ferro.
Precisa-se
casa de familia :
ria n. 46, loja.
da urna perita cosinheira para
a tiatar na roa Baro da Victo
Compra se sement de carrapato ; na fabri-
ca de leos vegetaes. ra da Aurora n. 161.
Joaquina, ex-escrava de Jos Gomes Mina-
do', do serto do Pi> nc, chama seas filbos Luiz,
Minoel, Tbeotonio e Maris, no Reeifn, onda rasi.
de cem 3uas bas Luiza e Umbelina, no P.mbul,
sitio 13 d Maio, ntrente a padaria a vapor.
Pede se aos credores da massa fallida de
Caetano Remos & C. queiram apresentar os seus
ttulos, afim deserem classificados, dentro do pra-
ao de oito das, no largo do Corpo Santo, armazem
da Tbeod Jast.________________________________
Multei em 2000 o escrevente da casa com-
mercial n. 46 da roa do Ran ;el, pjr nao estar na
forma da lei ; o guarda-livros por lei, Joaqui n
Pena Forte, morador na ra do Livramentc n. 21,
terceiro andar. *>
Estuque e pintura
Evaristo Rodrigues Van na, ehegado a esta ca-
pital de volt de saa viagera, fas sciente aos se
naorss donos de obra, que se aeba exercendo saa
profissio tendente a roa arte.
PJe ser procurado roa do Bom-Jess n. 41
ou em casa do Sr. Frsneiseo Manoe! da Silva,
roa da Cadeia.
ira
Preeisa-se de ama eogommadeira que saib la*
var a engommar e mais servicos domsticos para
ama casa de pequea familia ; na roa do Livra-
mento n. 24,. 2 andar
A,
JA ebegou a urtanda reaiessa das
agoas alcallaaa mlaeraea dealan-
dariz em Pontevedra, na Heapa-
'nna
ESPECIALIDADES
para molestias do estomago, taes como : dispep
sia gastralgia, catbarro chronicj do estomago,
ulceras simples.
Molestias dos intestinos, taes como : esfarta-
mento do figado, ictericia, clcalos buhares, diar-
rba chronica, etc., etc.
Molestias das visa urinarias, taes comu dias-
teses ricas, catbarro vesical, diabetes pRarina,
albuminuria e gotta.
as anemias, chlorosis, psoriasis, prunigos e
dores artrticas e outras maitas molestias.
As aguas alcalinas de Mondaria nascem de ro
chas granticas na temperatura de 180 centigra-
des, sio claras, incolores de cheiro parecido um
pouco aos de ovos cosidos, sabor alcalino, prodo-
zindo um ligeiro sabor picante na occasiflo de to-
mar-se. Ellas sio classificadas no numero das
alcalinas e bi-carbonatadas de soda.
Estas aguas acham-se venda no estabeleci-
ment do Sr. Antonio Affonso Simcs, sito roa
Visconde de Gjyanna n. 1 (quatro cantos), em
Boa-Vista.
%
G
w

-? -O
o 5
gg
a.
a
-
B
W
B
%
a
a, ->
to
lli
>.= e
5"b
B 8.
_. o
una
s
N "O-O
a cr t
B S'ft.
* o 2
g.. 5
" 2 "

' 8
i
= 2
2 B
Csf.
3
o. 2
a> a
miii, neafnnacciB e typogra-

Roa do Imperador numero 98
Livros de jurisprudeneia, direito, litteratura,
jciencia e religiao, livros para iuotrncco primaria
a secundaria, livros em branca para escrptura-
so commercial, tinta para copiar e para escrever,
de diversas cores, artigos para escriptorio e diver-
sos objectos de gesto e pbantasia, papis pintados
para forro de salas, quartos, restaurante, etc.
Encaderna-se com pr< stesa e seguranca, marca-
se com nitidez cartdes de visita e imprime-se com
perfeifo qnalquer 'rabalho typographico.
Presos mdicos
Rus do Imperador n. 9a
Dr. ToaTavarea da Cimba e
ello
Um amigo e compadre do Dr. Jo- Tavares da
Huntrn e Mello, fallecido em Taqnaretinga, pun-
gido de dor, convida aos parentes e amigos do
mesmo finado para assistirem a urna m pelo eterno reponso de sua alma manda rezar no
dia 30 do correte, na matriz da Boa-Vista, pelas
8 horas da manh
Multei tambem em 2*000 o eterevente da
casa commercial da ra larga do Rosario n. 37,
por nio estar na forma da lei.
Jeaquim Pena Forte.
Absurdo
"O fiscal do mercado de S. Jos e sens gu ardas-
fiscaes, acham-se tomando' dos seas legtimos do-
nos fumo e cigarros no meio da roa, em frente do
mercado. Espero que o Sr. presidente tome co-
nheeimento do caso. L
Criado
Precisa-se d um criado para casa de familia
na ra do Vigario n. 13.
f
Mancel Francisco de Paula, D. Francisca de
Paula Figueircdo Gama e Joaqaim Ribeiro da
Gama, marido e ennbados de D. Mara Francisca
de Hollanda Cavalcante, agradecen! do intimo
d'alma a todas as pessoas que sssistiram e aeom-
panharam o enterro da mesma fallecida, e de novo
convidam as mesmas pessoas, bem como as da sua
amisade e da finada, para assistirem a missa e
memento do stimo dia, a qnal ter lagar no dia
sabbado 30 do corrente, pelas 7 1|2 horas da ma-
nh, na igreja do Espirito Santo, pelo que ficaro
eternamente Bernderidoa.
As Kliilas Catharticas
Do Dr. Ayer.
A experiencia do tempo, applicado as Pilnla do
Dr. Ayer, ten dado appv
obtidos com as mesmas. Ha mais de quarent annos
qui esta- rilnlaaobtiveran urna populandaileuni-
versal, que nenhuma outra medooina purgativa tein
podido r i va Usar.
A Pili-las do Dk. Aver, pargain ompleta-
mente o ventro com suavidade, e stfmulam e lor*
licam os orgos digestivos e assimilativos.
As Pilulas dr Dr. Ayer
ouram indigesto e impedimento, e evitam maitas
serias e a miudo fataes, enfermidadea, motivadas
por aquellas desordens.
para as doenyas do Estomago, Figado e Iins..
cujos symptomas ao as EiiTrnnlladn* da Pelle,
Ardor e Peso no Estomago* Nausea, Males,
Dores de Cabeca. Hlito Ftido, Felire I'.iliosa
e Clica, Dores do estomago costas e espaduas,
IncharfA Hydropicaa, etc., nada as alli\da
com seguranca e proinptidao como as Pii.rLAS DO
Un. Ayer: as quaes sio de grande utilidade no
curativo das Hemorrboidaa.
Como remedio domestico nao tem egoal.
rBEPABADA PELO
DK. J. C. AYER CA.,
IiOwell, Mass., E. U. A.
A' venda as principaes pharmacias e drogaras.
Boa cozinheira
Precisase de
a ra da Unilo
sic PerDarobucano.
uro, preferalo-Be idosa,
n. 55 por traz do Gymna-
Nao
Tieram
Roga-ge aos Srs. Joaquim Xavier Carneiro de
Lacer e Manoel Xavier Carneiro da Conha, o
obsequio de apparecer ra Mrquez do Herval
n. 12. a negocio que nao ignoram.
Titnbaba
Antonio Emigdio Barbosa Gomes declara aos
seus fregueses e ao respsttavc! publico, que uu dta
9 de Maio de 1888 mudou se para a cidade de
Timbada, e all se acha com fssendas, mindesas,
chapeos, calcados, molhados e ferrsgen, vende
barato, despacha com promptido, agrado e sin-
ceridade a todos geraimeote que freqnentar o seo
estabeleeimento.
5 PATEO DA FEIRA 5
Caixeiro
Precisa-se de um menino com pratica de taver-
na e que d fia lor de sua conducta ; a tratar na
ra do Capito Lima n. 68, em Santo Amaro das
Salinas.
Caixeiro
Precisa-se de um menino que tenha alguma
pratica de taverna ; a tratar na ra da Concordia
numero 36, *
a
Jacintho Botelho de Amontn & C, estabelecidcs
ra da Gloria n. 54, avisam aos seus devedores
que venbam pagar seus dbitos, e se o nj fize-
rem sero chamados por este jornal.
Engonimadera.
Precisase de urna, que engomme bem tensa-
boe alguma roupa para casa de pequea familia,
que durma em casa ; na ra do Conde da Boa
Vista n. 24.
Precisa-se de urna ama que lave e engomme
roana de homem eom perfei^Jo ; na rna Primeiro
de Marco n. 16, 2 andar (uotiga do Cresp ).
A.VISO
Guerra Fernandes & C. participara 'aos seus
amigos e fregueses que mudaram o seu armazem
de fazendas para a mesma ra Di'que de Cazias
n. 47. Vendas em grosso e a retalho, precos sem
competencia.
ios w curan!
Sem dieta c sem modi-
De predio
Segundafeira 2 de Julho
Ao mel da
No armazam da ra eatreita do Rosario n.
36
O agente Silveira por mandado e com assisten-
cia do Exm. Sr. Dr. juiz de direito e de orpbos,
levar a leilSo a requerimeoto do Sr. Dr. Benja-
mim Aristides Ferreira Uandeira inventariante
dos bens deizados por Joo de Cont Medeiros, um
terreno com ama pequea casa de taipa & roa de
Fernandes Vieira a. 40, mediado o terreno de
frente 20 metros e 12 centmetros com diversos
ps de coqueiros
Os Srs. pretendentes podem examinar.
Agente Stepple
Leilao
Quarta feira de falli
A' 1 hora da tarda'
O leilSo. ser efectuado na cmara da cida-
de de Olincia
O agente cima a mandado do jub. Sr. Dr.
juis de direito da provedoria de retidnos da co-
marca de Olinda, a reqgerimento do Dr. Bernar-
dino de Sena Diaa, inventariante dos bens que
coostitae o espolio do eonego Joaqaim Ferreira
dos Santos levar a leilfii, a grande livraria cem
diversas obras importantes.
Os Srs. pretendentes desde j poderSo enten-
derle com o agente cima
No armazem na do Imperador n. 16
ilograiaclMU* a rapar
FABRICA
De llvroa ae esrrlptnr*s;fio
Premiaaa as exposicoes de 1882 e 1885
Manoel J. de Miranda
Encadernaco, paotaco e especialidades.
em cartea de visita.
39RA DUQUE DE CAXIAS39
Telepbone194
Cupeiro
Precisa-se de um copeiro e tambem para com-
pras. Dame obsb de familia no Mangniofco |
tratar na ra Nova n. 137loja.
Ao cofflmercio
O abaizo assignado declara que nesta data com-
proa aos Srs. Joaquim Cavalcante & C. o sea es-
tabeleeimento de refioaria sito roa do Coronel
tuasfluna n. 7, livre e desembaracido de qualquer
onus. Recife, 25 de Junho de 1888.
Joaquim Qoncalves Fraga.
Pao leu telo
Melle & Bise* avisam ao respetavel publico
qne todas aa teryaa e sertas teiraa teem este sa-
aoraso pao ; rna larga do Rosario n. 40.

eafoes de costiimes
Laboratorio
'
Esquina
central, ra da Viseonde
Rio Brsnco n. 14
a ra do RegenteSio de
Janeiro
Ir. Joo Becerra de Mello
Felippe de Figueira Faiia (ausente) e saa fa-
milia mandare rezar ama m'a a por alma do sea
prez-ido compudre e amigo Joo Beserra de Mello,
no da 30 do corrente,. na matriz de Santo Anto
nio, a 8 horas do dia, c convidam os parentes e
amigos para assistir a este acto de religiao e.ca-
ndarte.
S. K J.
Sociedacle Recreativa Javentnde
EspeeiGcos preparados pelo phar-
macentico Eugenio Marques
de Hollanda
Approvados pelas juntas de hygiene da
Corte, Repblicas do Prata e Academia de
Industria de Paria.
Elixir de Imblrlblna
Restabelece os dyspopticoa, facilita as diges-
tores e promove as ejeccoes difficeis.
Vlsssse de ananas ferrnslnoao e
quinado
Para os chloro-anemicos, d^'n la a hvpoemis
ntertropical, reconstitue os oydropicos e beribe
ricos.
Xarope de flor de arneira e nan-
Ismba
Muito rcommendado na bronchite, na hemopa-
tys*i e as toases agudas ou ebronicas.
Oleo de teatudasa rerroslnoao e ca-
cata de laranja amargas
E' o primeiro reparador da iraqueza do orga-
nismo, na fysica.
Ptlulaa anie-perlodlcaa. preparadaa
rom pererlna, quina ejaborandj
Cara radicalmente as febres intermitientes, re
mittentea e perniciosas.
llano de jurubeba simples e lasa
bem rerruKlnoNo, preparados
esas Issbo de caj
Efficases as inflamac5es do figado e baco agua
das ouebronicas.
Voiio lostlco de capllarla e quina
Applicado as convaiescencaa das parturientes
tierco ante-febril.
Tnio
'Oriental
Aluga-se barato
Roa Visconde de Itaparica n. 43, 2." andar.
Baiza Verde n. 1 B.
Ra do Visconde Pelotas n. 5.,
Roa do Mrquez de Olinda t. 48, 3* andar.
Ra do Visconde de Itaparica n. 43 2*. andar,
Kua Visconde de Itaparica n. 43, armasem.
Baiza Verde n. 1B
Ra V;sccnde de Pelotas n. 5.
Irata-se na rna do Commercio n. 5, 1S andar
es -riptorio de 8ilva Guimarles & C.
Aluga
se
oa vende-se no Parnameirim ou Cruz das Almas
n. 10-A nms grande e ezcellente casa com agua e
gas, tendo nm bom sitio, a qnal confronta com a
casa do fallecido Dr. Leal ; a tratar na rna do
Apallm. 30, 1- andar, ou em Fernandes Vieira
numero 11.
Alnga-se
oa vende-se a casa sita Crac das Almas oa Par-
nameirim n. 10-B, com commodos para orna pe-
quea familia, tendo um bom sitio, e acba-se
limpa ; a tratar na rna do Apollo n. 30, 1 andar,
on em Fernandes Vieira n. 11.
Alukti-se
o
as seguintes casas : a da ra 4o Lima ^n. 30,
grande casa, com agua, gas e apparelho ; a tra-
tar na Ivtoexanhia de J. E. Pnrueli, ra Mr-
quez de Olinda n. 8.
Alagase
A casa n. 10 na ra da Fundico, Santo-Amaro
das Salinas; tratar na Jytographia de J. E.
Puri'ell, roa do Marques de Olinda n. 8.
Alagase
o magnifico sobrado n. 21 ra da Unio ; a en-
tender-ae ra da Imperatriz rTT19.

Ama
Anda se precisa de urna ama que entenda de
cosinba, lave alguma ronpa e engomme, obrigan-
do-se a dormir em casa ; na ra de Santa Therea
numero 20.
Ama
Precisa sr de urna ama para cosinhar ; na roa
de Pedro Affonso n. 70.
Ama
Precisa-se de urna proa para servico domestico :
na iua Baro da Victoria n. 69, 2- andar.
Ama
de menino e costareira : precisa-se
n. 15, loja de chapeos de sel.
na rna Nova
.-

i -
I '
1 m Silra & c
RA TO MRQUEZ DE OLINDA
Joa AVugaafo de Abren Cerdoso
Tendo fallecido o consocio distincto Jote Aa
gasto de Abren Cardoso, fica suspenso o erpe
diente desta asciedade nos das 28, 29 e 90 do
corrate.
Secretaria da Sociedade Recreativa Juventnde,
28 de Junho de 1888. O 1- secretario,
Manoel Joaqaim Baptista.
Engenbeiro Joao Beserra de
Mello
Alguns amigos do fin-do engenheiro Joo Be-
serra de Helio, convidam aos parentes o amigo
do mesmo finad > assistiren) as missas que- por*
saa alma mandum rezar sabbado 80 da corrente,
s 8 horas damanhi, na matriz da Boa-Vista, tri-
gsimo dia de seu passamento. __________
Obras Publicas
Est indo in transita-
veis as ras da Moda
e Amorim, pedem os
moradores a caridade
de ser concertado o
calcaniento.
Ao commercio
Josquim Cavalcante C. declarara que nesta
data venderam ao Sr. Joaquim Qoocalves Frsga
o sen estabeleeimento de refioaria, 4 rna Coronel
Saassona n. 7, livre e desembaracado de qualquer
Recite, 26 de Janbo de 1888.
Joaqaim Cavalcante & C.
Ama
Precisa-se de urna ama para comprar e cos-
nbar ; a tratar na ra de Pedro AffonBO n. 22.
Precisa -se de urna ama de meia idade, que seja
boa cosinheira ; na ra Vidal de Negreirjs nume-
ro^134._________________________________________
AilST
Na ra de Santa Bita n. 83, se precisa de ama
ama para cosinhar.
Amas
Nada ra Conquista n. 21 precisa-se urna ama
para cosinhar e ontrs para engommar e maia ser-
vicos de casa de familia, que durma em casa. -
, Ama de leite
Piecisa-se de urna ama de leite ; a tratar em
Santo Amaro das Salinas, no barraco.
Ama deTete-
Na roa Coronel Suassana n. 118, precisa-se de
ama ama de leite.
Milita attencao
i Na roa das Trincheras n, K
avisa-se ao respaitavel
publico que acha se ^
aberto um deposito de
massa de milho de to-
das as grossuraig por
pre^o mais barato do
que em outra qual-
quer parte, assim co-
mo caf moido e em
carolo, e assucar refi-
nado e em caro c, o, g"a-
rantindo-se a boa qua
lidade dos artigos ci-
ma mencionados. P-
de-se as pessoas con-
sumidoras dos gene-
ros cima declarados
que venham verificar
a verdade deste an-
nuncio, que nao dei
xaro de agradar-se.





t
Precisa se de ama ama que engomme e ensaa
que durma em casa, para casa de prqaena fami-
lia ; na ra do Conde da Boa-Vista n. 24 F. por-
to de firro.
MUTILADO ;
isa ii 111, i 11 sw
; 9 "


-
Diario de FcrnambocoSeita-feira 29 de Janho de 1888

BRAVAIS
A pesaSlt anemiram a mu-
ir aque ja'us por un empobre-
oimetno do sanana, a qum o
medico aconselba o emprago
do Ierro, support&o eem cam-
a5oaigram.360TTAS CONCENTRABAS
<< FERRO BRAVAIS. da
preferencia a quaaaquar en-
tro* proparado ferruginosos.
m
amo prodas calmbras,
oa na pn aoaatoaiagg
rhaa, oaaa oonat'
tem sabor a'ffum, aa
a-rnto oommuiloa nafro
ouaignar liquido oom ona
pode mer lomado. NUNCA.
BNNEORECEo DMNTXB.
ago-neta
tfolpao. Nao
im chairo,
sito .mili

Qotta, Eheumatismo, Dores
SoluOo do Dou^or Clin
Laureado da Faculdad da Medicina de Pars. Premio Ihatyon.
jj
'A Verdadelra Solugao CLIN ao Salioylato de Soda empresas pata curar:
/s Afieccoes Rheumatismaes aguda e chronica*, o Rheumatismopottoso,
Dores artiaara e musculares, e todas as vezs ;que necessarlo- calmar os
soffrimentos occasionados por estas molestias.
A Verdadelra Solugo CLIN o melhor remedio contra o Rheumatismo,
v Gotta e as Dores.
1123 Um oxplfctcio detalhada acompanha cada frasco.
'Exigir a.Verda^ra. Sbluca de CLIN & Cie, de PARS, que se eneontra em
_p* casa dos Droguistas e Pharmaceuticot. __^__ 4j
BARATO E MUITO BARATO
ESNALOJAMSESTBELLAS
56-HC4 00 DUQUE DE CAXIAS56
O proprietario desto mai acreditado estabelecimento previne a todas as
Exorna. familias e Ireguezes em geral que, as muitas pechincbas que costumam fazer,
nao sao mais divididas coma suaex-tasa das LISTRAS AZUES, portento quem quizer
comprar por menos que em outra qnalquer parte duija ssA LOJA DAS ESTREL-
LASonde encentrarlo um completo e variadissitno sortimento de Fazendas que*se
vendem por presos que nao lhe podem fazer competencia.
A SABER.
Fazendas de leiadmirem!
Madapolao americano com nm metro de largura de 14$ por 70000
dem idem muito boas e largos de 85 a 5(5 e 60000.
Algodao americano T-, superior a 5000.
Crotones para vestidos a 180, 200 e 248 rs.
Gaogas adamascadas para coberta a 240 e 280 rs.
Toalbas alcocboadas para rosto a 20000 a duzia.
Dtaa felpudas para rosto a 30500 idem.
Quardanspos adamajgados a 0000 a duzia, que maravilha !
Bramante com 4 largur s a 660 e 800 rs o metro.
Dito de linho com 10 palmos a 10610 e 10800 idem.
Atoalhado adamascado lindo desenbo a 10200 idem.
Colchas de 50000 o 20OO e 20500.
Cobertores de 10500 e 30 a 900 e 20000.
Sargeiim de todas as cores a 200 e 240 rs.
Cassinetas escuns a 400 e 440 rs. o covado. (
Baeta para banbos de mar a 600, 760 e 800 rs o corado.
Brins de cores para roupas de menino, imitaco de casemira a 320 e 400 rs.
o covado.
Lencos com berra de cor de 20500 a 10200 a duzia.
A's Exmas familias
Offerecemos um lindo sortimento de merinos oom 2 largaras de 10000 a 500
o covado.
Setins maravilhas de 500 a 240 rs. novidade.
Fualoas brancos de 500, 600, 800 e 105CO a 240, 400 e 10000.
Rendas circasianas brancas e pretas de 10200 e 10500 a 300 e 500 rs.,
baratiasimo.
Linons de cores bordados a 240 rs. o covado.
Rendas betpanbolas de todas r.a cores por prego* sem competencia.
Sttins dos Alpes de 500 a 200 rs.
Taile de vieby de 320 a 160 rs.
Velludo Pang.l de 10000 a 430 e 500 rs., que pechinchas I
Glics de linuo com um metro de largura de 800 a 300 rs.
Brim pardo com duas larguras para vestidos de 600 a 320, 360 e 400 ris
aproveitem.
Lincn a pompadour a 560 e 600 rs.
Cachemiras felpou para vestidos a 240 rs.
Cezarinas para vestido escocezes a 200 rs.
Cortes de gargurSo de mcU velludo de 150 a 600 e 700000.
BRAVAIS
Aa Cara palllAas, atTeieAet
(la nommon antro aa moga a na
mnoto da formnoAo, a Ana-
mi, a Chlorosis, annunoia-
dorem da mor parte daa aftei-
gass ohTnloaa.eaooomhattaSam
oom a maior aiBoaoia palo
emprego regular do FERRO
0 FERRO
BRAVAIS
KesU+xetta samfue m
colaracaa que perdeu
pela molestia,
NUMEROSAS IMITA0OI*
Exigir > Arma
XZ. BRAVAIS
Imprimida vermelba
iMpoiiu u ak tuu tu IV".
DE CAMBARA
Frofessora
Esi^ poderoso e importante medicamento, vende-se em casa
dos unreos agentes e depositarios geraes n'esta provincia
.FMNCISCO MANOEL.DA SILVA & C.
droguistas, ra do Mrquez de Olinda, n. 23; aos precos de
2S500 o frasco, 13$000 1(2 duzia e 24$000 a duzia.
mal com ais falsiicap! OnidaSQ m as pM9 '
Urna aenhora competentemente habilitada com;
i pratics de 10 annoa de profiaso, offereo'-se par
leecionar por casas particulares e eollegioa na ci-
dade cu sena arrabaXdes, as aegaintea materias :
portugnez, francez, rtaliaoo, geographia, piano e
trabalhos de agnlk, -medianta estipnlacSo rasoa-
vel; a tratar a ra Vissende de tfoyaesa n. 69,
auraado LivrssMUjto n. 5, lpja da boiboleta.
cosinheira
Preciea-ae (rajwms, boa eosinheir^, preferindo-W
idoaa ; 'na rita da Unio n. 55, -por tras do 6rm
naaio.
i
Pequea penio
Recebe-Be hospede, dando-seeasa e comida con
. bom tratamento por praco commodo; no Caminho
Novo n. 128, a tratar durante o dia.
PARS N'AMERICA
16-Rua Barao da Viclona-16
(ANTIGA NOVA)
AZEVED'O KMAO & 0.
Participara as Exmas. familias que teem um variadissimo sortimento de fazen-
nas e vendem por precos sem competencia
**

1
i
Liddos cortes de cambraia bordada de cores brancas a 40500 e 80000.
Cachemiras circasianas novidade de 800 a 400 rs.
Ditas de la escocezas de 800 e 10 a 400 e 500 rs.
Setins macu de todas as cores de 800, 900 e 10000.
Lindos vestuarios de fustSo e setim para meninos de 4 a 5 annos 150 e 180
por 90 e 100000 rs.
Ditos elasti.os Jersey a 85, 100 e 140000.
Cortes de cachemira e etamine ricamente bordados a matiz de seda de 600
e 500 a 200 e 250000.
Mantiletes de velludo de 500 e 600 a 100, 150 e 250000.
Aos dignos cava Iheiros
Offsrecemos camisas inglesas a 300 a duzia, que pe hincha!
Ditas de meia a 90, 120 e 150 a duzia, sao baratas.
Ditas listadas pura IS de 60 a 30500 (regatas).
Collarinhos de linho a 40800, 50 e 60500 a duzia.
MeiaB iglezas Escocia e 13, presos baratissimos.
Brins de linho de cores inalteraveis a 10, 10200 e 10100 c metro.
Ditos brancos de 20 e 20500 a 10200 e 10600.
Ditos pardos para crianzas a 240 e 320.
Lindos cortes de collete em fustao branco e de cor a 20, 30. e 30500.
Ditos de fustao bordade em alto relevo a 10000.
Ditos de seda de 100 a 150 por 40 e 60000.
Lencos brancos e com barra a 10200, 10000 e 20000 a dazia.
Cheviote americano de 30 e 40 a 10200 e 20500.
Completos de casemira de 300 por 150000.
Cortes de casemira inglesa de 70 por 40000.
Completo sortimento de casereiras em cortes e pegas padrees inteiramente
novos e modernos, que se vendem por precos que admira. Aproveitando o ensejo
avisamos desde j que temos um hbil alCaiate para ezecutar qualquer pega de roupa
com perfeigao e gosto : tudo isto por precos que amis nirguem nos poder faaer
competencia.
A's Exias. noivas
Os seguintes artigo, que reccbiJos por um cambio tSo favoravel, prnitte a
aquisicao de serem vendidos quasi por roetde do seu valor.
Sltin branco macu, liso a 10, 10200 e 19800 o covado.
Ditos lavrados com listas, de rico effeito a 10600 o covado.
Rendas hespanholas de todas as cores a 30 e 40000,
Ditas hespanholas pretas de seda a 30, 30500 e 40000
Bicos brancos de linho a 10, 10800, 20 e 20500 a pega.
Ditos de cores matizados e lisos a 20, 20500, 30 e 40000.
Ditos de seda de todas as cores a 80 e 120000 a peca.
Babados bordados a matiz de 20500 a 800 e 10000.
Ditos brancos a 600, 800 e 10000.
Pannos de crochet para guarneci de sala por precos baratos.
Anquinhas de pannos, modelos elegantes o 10 a 10500.
Ditas de rame, syatema aperfeicoado 30 40000.
Capotaacjf i'irui eus uu Ulumttr a 00 a 1 Opon O-------------------- N
Mrts^eseda de lindas cores de 80000 a 40000.
Completo sortimento de meias fo de escocia, fniasioMB e mordernas.
Cortes de cambraia suissa bordada a 300 e 350000.
Riquissirnos vestuarios para baptisados a 100, 155, 200, 300 e 400000
C mph'to sortimento de cortinados bordados a 60500, 70, 80, e 100000.
Lindissimos cortinados de crochet, desenbo de apurado gosto a 180, 2O0OCO
e 250000.
Finissimos leques brancos e de cores a 80, 100, 150 e 200000.
Para decoro e forro de sala :
Damascos de todas as cores, reps para cortinados, crep da China. Esteiras
bramas e de cores por 10200, alcotifas, tapetes tanto em peca como para guarnigao
de sala de todos os tamanaos.
Grande quantidade de retalhos.
TELEPHONE 210
Capas de seda, etamine o merino de 250000 a 350000.
Enxov: es para casamento, pregns sem rival.
Penteadores todos bordados da 70000 a 100000.
Vestidos de cambraia branca bordado de 180000 a 250000.
Lind<8 cortes idem idem idem de 70000 a 100000.
Cortes de cambraia branca arrendada, novidade, a 60000.
Bico preto de seda cora um metro de largura, a 60000, o mrlrn
D to branco e crema idem idooa. ^fi00, o dito. ___.
DoniitiB ereoDPS claros, corea firmes, a 240 rs., o covado.
Zephyros de diversas qualidades, a 160 e 200 rs., o covado.
Las de quadros de agradaveis padrdVs, 320 rs., o covado.
Ditas finas de duas largurts, a 10000, o covado.
Cortinados de cambraia bordada de 70000 a 100000.
Ditos de crochet de 250000 a 350000.
E diversos fuligos cujos precos admirara.
Telcphonc n. 20?.
oeoooooooooooooooooooooooooooooo
DE
MEL3SA dos CARMELITAS
TJnico Successor
dos Carmelitas
PARXS 14, Ba de VAbhaye, 14 PARS
CONTRA :
Apoplea Flatos
Cholera Clicas
Snjo do mar Indigestoss
Fehre amareila, etc.
er o prospecto no qual rai mmttta
cada vldro.
?ev3-se exigir o letreito branco e preto,
em todos os vidros,
seja qual or o tamanho.
Descosa Gar-
as
FALSIFICARES
Erigir
a Assignatura
de
PHOSPHATO CAL GELATINOSO
de E. LEUOY, PbaiwDtico de i" Classe, 2, na Dannoo, PARS
OHTKOGENEO tira i iMMTirtUBiiti i MiUti tu CrlatcM. castra licUtuaw i s iltto M
Reeommendamos este Xaroae a >s Mdicos e aos Doentes. de um sabor agradaTel, de asiiml-
lacio fcil e mU Teie-" superior a todos os xaropeade lacto phosplialo Inventados pelaespecu-
lacao. ledos sao cidos ao rosso VINHO PHOSPHATADO DE LEROY ...STAg
Aaastta, consumpcio, frooohtts chronics.T/s/ca, Fraqatza orgnica, CooiaJttcancu OrfOosis.
^ ^ Depositarios em Ptr*tmb*co : FRAN UJ_dji_SU^VAe_e___^^mAW
DEPSITOS EM TODAS AS PHAEMACIAS
do Universo.
oooooo ooooooooooo oooooooooooo
GALERA DCASBL
PHOTOGRAPHIA E PINJR1
1. premias e medalha de ouro na Expo
aipo de Berlim de-1886. ^-^=-
Medalha de prata, Exposipao TCver-
sai de Anvers, 1885.
1. premio. Exposipao Arti stica Indus-
trial, Eio de Janeiro, 1882.
Diploma de Progresso e Mrito em di-
versas exposipoes.
Fhotographias artsticas em todos os
gneros, o melhor que se pod produzir, re-
tratos a oleo, prepos razoaveis.
Grande collecpo de molduras e Taa-
do sortimento de passepar-touts.
ii-,r
PECHINCHAS!!
SSo os seguiuteB artigos por menos de 40 % ^9 8eu valor^ cujos precos admir%
01 quo em seguida appresentamos. fc
A saber: .
Batistas e nanzes, de cores firmes, a 160 e 200*rs., o covado.
Merinos lisos, urna largura, todas as cores, a 200 rs., o dito.
dem idem de duas larguras, la para, a 500 rs., o dito.
Setnet8 modernas, padreas de pbantasia, a 240, 280 e 32(T rs., o dito.
Z'.firos de quadrinhos, bastante largo, a 200 e 240 rs., o dito.
Brins de cores para roupa de crianca, a 320 e 560 rs., o dito.
Brim pardo lona, superior, a 320 e 360 rs., o dito, V j
dem do linho de cores, padre* s novos, a 800 rs., o dito. wS&
Casimiras diagonal, preta, a 10800 e 2,5200, o dito.
dem de c6res para costumes, a 2#500 e 2($8< 0, o dito,
Cheviots, superior. pi">to> 1, a^OOO, o "Olto.
----------Pcnuos de cores para mess, a 1)5400 e 1^700, o dito.
Atoalhados de algodao, duas larguras, lisos e bordados, a 15200, o metro.
Bramante de algodao de quatro larguras, a 800, 1)5000 e 10200 o dito.
dem de linho puro idem, a 10800, o dito.
GuardanapoB de linho, a 20500, 30500 e 60000, a duna
Lencos de algodao e linho a 10800, 20009 e 30000, a dita.
Meias inglesas para homens e senhoras, a 30000, 40000 e 50000.
Camisas de cretones finas, francezas, a 240000, s duzia.
dem brancas, iuglezas, a 360000, a dita
Seroulas bordadas, de bramante, a 120000 e 160000, a dita.
Cobertas de gnga, torradas, a 20500 e 30000, urna.
Lenjes de bramante para cama de casal, a 20000, um.
Tapetes aVeiludttdos, grandes, para quartos e salas, a 80000 e 160000, um.
Cortinados ricamente bordados, a 70500, 80000 e 100000, o. par.
CambraiaB bordadas para bercos e camas, a 800 rs., o metro.
Fustao branco bordado, a 320 e 400 rs., o covado.
MadapolSo americano, superior, a 60000, 24 jardas.
Algodao cr para toalhas, a 30000, 30500 e 40000, a poca.
FichB de la, modernos, a 20000, 20500 e 30000, um.
Enxoaes para casameotlos
Grinaldas e veos para as Exroas, noiras.a 90000 e 100000.
Damascs e setins branca, a 900, 10000 e 10200.
Espartilhos, leques e luvts para todos es pre$os.
Saias bordadas a precos sem competencia.
Toalbas de labvrintho, riquissimas, a 300000.
D< psito de fazendas para os Srs. azendeiros.
As vendas em grosso teem o descont da praca.
59- ra Duque de Caifas 59
Loja de
Pereira & Magalhes
SCCESSORES
de

Can da Cumia & G.
I^IP ^ Eldr. V Psta'desiti&ioios ^Si
RR. PP. BENEDICTINOS
da Abbadia de SOTJLAC (Gironde)
DOM MAGUELONNE, Prior
tyt r>-cj-xC^
-baldas 1580 Londre U4
As mai elevada* recompensas*
INVENTASOiMiaO Pelo Prior
o ano I 3 / O KtmBOVBSAVm
o O uso quotidino do Ullxlr
Sentifrldo dos KR. PP. Be-
nedictinos, com dose de algu-
ruas gollas rom agiia, i>>'3vein
e cura a carie dos eni (
branoueceos.fortalecandoe tor-j
nasdo as geuglvas perfelta-l
i .- dias. 1
i verdadelra
Hnto^aalgcalaudoao-
stiantigo e utili
rado, o ntehor cura-
tivo 0 o iimru preservativo contra as
Affeeces dentarlas.
Casada fundada en 1S07_______
Agente CA 11 M 3' BE H"flDERIE, 3
Geral: 9a\9IUIIl BORDEAUX
Aoha-te om toditas boas Perfumera!, Pharmacias
e Drogara.
->
SADE PARA TODOS.
PILULAS HOLLOWAY
1
As Pilulas purifleib o Sangue, corrlge/n todas as desordems de Estomago t
dos Intestinos,
Fortalecem a. saude das constitucoes delicadas, e slo d'um valor !nci pe para todas as enfermidades
peculiares ao sexo feminino em todas as edades. Para es meninos assim como tambem para as
pesgoas de idade avancada a sua ecacia e incontestavel.
i:.
Risai medicinas sSo preparadas smehte no Estabelecimento do Proissor HollowA^
78, NEW OXroaD 8TEX2ET (antes 633. pxford Street i. LQHDSES.
t: v^rntemsc em todaa Wpkarataciau do uaiVarso. r
taT Os compi>dores sfto convidados respeitosamente a examuiar os rtulos de cada caca c
direcao, 333, Uxford StreaU^sio falsificasoes.
ELIXIR 1NU1W' IffltL
FORMULA
ANGEL1X0 JOS DOS SANTOS AJi&RADE
Approvada pela Inspectora Geral
da Hygiene Publica do Rio de Janeiro em
20 de Julho de 1887
Este depurativo de grande eficacia as molestias syphililicas e impa-
za do sangue. Para maior garanta da eficacia desteTnedicamento, publicou-
g grande numero de attestados de alguns Srs. mdicos- residentes nesta
provincia e de muitos cavalheiros que teem feito uso desle depurativo, em no-
aero superior a 300; notande-se 50 pessoas qu se curaram da terrivel beribe-
ri com este poderoso depurativo.
0 uso deste Elixir muio recommendado no tratamento geral as mo-
lestias das senhorase a prova est no bom resultado que 4tem obtido aquellas
las Exm". Senhoras que delle tem usado.
s adultos tomarao quatro colheres das de sopa pela manha e quatro
ijite. As creancas de 1 a 5 annos tomaro urna colher pela manha a outra
\ noite e os de 5 a 11 annos tomarao duas colheres pela manha e duas noite.
)evero tomar banbos, fri ou morno pela manh e noite. Resguardo regular.
Encomra-se a ven*rmr drogara dos Srs; Francisco idanoel da Silva
k C. ra do Mrquez de Olinda n. 23 e pharmacia OnentariTrira Eslcajta do
Rosario n. 3.
MHMHIIIOWIimiMIl
?Ein
ADMINISTRA!,.
PARIZ, 8, Bonlevard IWuutmaitro, EARIZ
PA8T1LHAS DIGESTIVAS fabrica'
Vlchy coi i! n ex ral i
de goslo ag! certa con-l
tra a J:i c aa JJigestdes difflceU-
SAES DE VICHY PAM BAftHOS. Vn ro!opara um banno, para as pessoas ojie nao podem Ir a Vichy.
Para tintar as tmtiaces exigir em todos os proiuctos a
Em PcrnambUco.
MARCA DA COASP. X>B VICHV
01 Prodm-to m tcblo-M em UlU de SUUtR ^t KOtOHLIN,
35. ra d Crol; Auo LABII'LV>' **
EXPQSIQAO JS UHUrM878
Mdaille d'Or ^^CroiuCheTalier
LEI PLUS HtUTfS HCOUPfHUI
Nova CroajSo
PRIMAVERA
E.COUDRAY
Inventor d
PEBF17VARIA ESPECIAL de LACTEUA
fio apreciad do ali mundo.
Saboneta........ PRIMAVERA
Oleo............ PRIMAVERA #
agua de Toucailor PRIMAVERA
Essencia........ PRIMAVERA
i P de Arroi...... PRlMAVERA^j
FAWCA E DEPOSITO : ,
i PARS 13. Ro d'Enghiei, 13 pars
lch-M i >uoa a lalu u'prhieip Nrdawlu
UM
MUMU
MOLESTIAS do PEITC
HYPOPHOSPHITOS
QOD!CHURCHILjL
O D' ChnrchiU, autor da descoberta das
propriedados curativas do3 HypophOS-
phitos no tratamento d tsica pulmonar,i
tem a honra fe participar .. lleg*i
mdicos,"que os nicos Hypophosphtoe
reconhecidos e recommondados por elle
fcao os que prepara o 8r. Swann. phar-
m,aceutico. 12, ra Casliglione, Panz.
Xaropes dfl Hypophosphitos do4
Soda. Cal e Ferro vendem-ae en rasoo
quadrados tendoo nom'e do D' Cbnrcbill
no vidr, sua a^gi^na'ira no envoltorioe
ua tira de papelanaamaaa aue cobraa,rolha.
Cad., 'i isto a
marca de fabrica da Pharmacia Swann.
Veudem-m em toda* as Ph,


J


8
Diario de PerBambuc*Scxte-feira 29* ie Jonho de '1888

i
s
Paul Jullien *
Tem alionra e com-
4nuuicar/*t respeitayel
publico,' esj^cialnen-
te aos seus amigos e
*,cm
ezes
CJAluga se em'u pr(*o bem situado um primei-
ro andar com 4 quartos, 2 salas expagcsaa e coii-
xjba per 16^000, e un segando ana-rdom 01 mes-
mes comoiodos e eoto por 18*000; na ni* ds
Apoilo u. 75, (rata se sarna. Larga do Rosario o.
=
sua iiii-
1*
fatigo
i abe
poriant
lo*, oade cMiusatisfa-
j&o A^mrfa-as us
ordefis
Eslampilhas osadas
Do Brszil, compra om qualquer quanha
EBiliTvaAiN
Berlm, Allemanha, Friedrichstti 103'
o
* Tendo fallecido o leodeiro do aogenho Jundi*-
ilerim, silo na comarca da Escuda, traspassa-se
o arrendameoto do dito engenho com grande aba-
t ment, e vende-fl a presente safra, se jnlgar
conveniente ao, novo reodairp ccmoral a : a tratar
no Bacife, a ra da Cruz n. 11, ou na ra Impe-
rial^209.
Vrico de assucar
Machlnlaiuo do s
8ie-C*rt 4t C. de Uamow
onstrnce&o da mais moderna e aperfeicoada e
de grande curaco.
Moeoda com presso hydranlica de Stewart que
di a melhor ezpreesSo conhecida at buje.
Caldeiras com ecouomisador, especialidade
tea fabricantes.
Fornalnas para qncimar o bagaco verde em di-
reitura da moenda.
Os apparelhoa de Vacuo e Triplo sao de syste-
raa moderno como, ambem aa turbinas ou cen-
trifugo.
Ornamento! e mais informaces em caaa de
Browns & C.
Boa do Commercio n. 5, 1* andar
Sementes de Garrapato
Compra ae em grandes e pequeas qnantidadea;
na drogara de Francisco M. da Silva & C, i rna
d> Marques de Olinda n. 23.
Cntelas do Monlc de
Soccorro
Comprase cntelas de qualquer joia ou brilban-
BSa, paga-se bem ; na praca da Independencia n.
22, loja de re'ijoeiro.
VENDAS
i

*
Na LojalaWslriBAzu
Veode-sa urna oammoda, urna estante, ama
deira de piare, de Jacaranda, muito boa obra,
uitospes de crotn* liados paraeuMti de sala.
e alguns livroe ; ni C .minhj Novo n. 128.
Vende-a* a refismcao lo A'ogado 4 roa D-
reita n. 29, prepria para principiante por ter pou-
cos fundos ; a tratar ni meema.flu na ra do Ro-
sario n. 45 (Boa-Vista), com Jos Luia Alves Vi-
talia, O motivo di venda sf socios nao quere-
res continuar.
N. 63
Roa Duque de Caxias
' o fedro Antunes & C, qnem pede a prefe-
rencia para os segointes artigos, comprometindo-
se a nao vender caro, e tambem mandar levar
casa das Exmes. lttoras qualquer artigo que es-
aolberem.
Enzovaes para baptisados preco 7/ para liqui-
dar e mais de 12* a 20*000.
Capotas e toncas de seda para criancas, sapatos
de peltarce de seda, merino e aetim, tneiaa de seda
braoca e de cores.
Finas grnaldas e veos para noivas, bonitos le-
qaes brancos, ramos- de flores de laraojeira, pal-
mas da vidrilhos brancos para" vestidos.
Novos vestidos ponto de malha para criancas,
prec- 7/ a 15/0C0.
Bonitos agrettes de todas aa cores, e petit clo-
mile para enfeites de capotas.
Grampos de pbantasia pata enfeites de cabello,
ditos de nicke* para segurar chapeos, alfinetei de
cores para enfeites e segurar vena.
Delicados bicos ganai de cores e pretos, ditos
d HpfauJjord~A>a tulpias cores e brancos.
*"Ttqtret OS piuln anarajna paraVCDielitD de ^
bailo, e tambem a imperial regente para segurar.
Resumo para nao aborrecer
Especial bou^uet de nupcias paraj.evitar
PECHINCHA EM FAZEJDAS
LSb de quadros, 'padres moderos s cores
lindas, a 820 e <0 rs., o covado.
Fustea broncos, superiores, de 400, 500
e 640 rs., o cuva-io.
Morcojjca branca de listra e adamascada
para casacas, a 500 rs., O covado.
Crotones modernos com ferraduras e an-
coras, a 400 rs., o covado.
Fnstea de coree, padrSea lindos e cares
claras, a 500 re., o covado.
Gorgorinas de cores, padrSea lindiaaimoa
Setioetas branca, preta o de cores de to-
dos os prectos.
Batiales de c6res, a 200 e 300 rs., o co-
vado.
Fechos, sortimento completo, de 2)5000 a
60000, um.
Cambraia branca tapada e transparente, de
30000 a 6^000, a pega. -
Bramante de linbo e algodSo.
MiidapolSo e algodao. sortimento completo,
a preco baratissimo.
1 Roa do Crespo -* 1
OLIVEIRA CAMPOS & C
21
Oliveire Campos k C.
a importante taverna da ra da Glarif n. 51.; a
tratar eoflV o propietario. ^Skj
s
t z-os Buque de Cmjutm.
1
TELEPHQNE
Fascrfdas de phaniasla
E'a casa mais barateira em fuzendas' finas, que
vende por todo preco e da descont a qnem
comprar de 20* para cima. As Ezmas. familias
nio devem comprar fasendas em fctra parte sera
primeiro ver, cu mandar osea as htatras que
desejarem, s quaes se dXi sem penhor.
Henil* (i'.ftustrlai RcAdo aberto Com listas
i 16 c!*p)i
e quadriiihos de urna
branco, .cretne, azul
claro, roea e_cs de caima in/iito linde para baile
latzja e indas,
08
Hoj
|e Fogospara saloc jar-
dim
Para acallar
A livraiia Parisiense rna Primeiro de Marco,
vende sem reserva" de precio para liquidar, vis-
to nao ser esee o seu genero de negocio. Vio vOr-
Vai reabrr-se
A PensSo Acadmica sita a ra da Imperatrii
n. 15 2 andar, que esteva por a'gum tempo seb a
direccao do Sr. Dr. Ascenco Mascarenhss, tendo
pasasdo a novo director e interrompido as suas
tuncc&ea em coasequencra da grande reforma por
que esta paseando reabrir se-ba no dia 1 de Ju-
Ibo prozimo.
-Os Srs. aeademicos poderlo desde j ae prev-
llil, un i iiilm! W> Siib. itnr Tllfrrnn coeino'na
niaama Ptgjjj^^xi no Caes do Capibaribe n. 16.
pannos.
Variedades cm bebes e brinque dos para crian-
cas.
Especial Icco de violetas para os cabellos.
Brevemente lindos loques a Jamaica e grande
sortimento em guarmeio de vidrilbos de cores e
pretos.
Nova Esperanza
Bichas (?e Hambnrgo
Vende-se em pequeas e grandes poredes ; na
ra da Madre de Deus n. 36 A.
Cimento portland
Vend-m em barricas de 150 e 160 kilos Quime-
rees & Valente
6 Corpo Santo 6
Celebres Remedios Le Roy
dbil da ti hki raliM t ua
AS VERDAUEIRAS
FiLULAS LE ROY
Popu/areem FRANCA, nt HESPAMHA, na AMERICA,
no BRAZIL onde lio
tutorisada pela Junta de Hygiena.
ESCO ................ 1/1 FRISOS
tai Pilla dilo toda a taoilidade de se traUr j, por
preco barato, e de se corar em pooco tempo.Ellas expulsam
rpidamente os liomores, bili, humores viscosos Ticiadoa
que conservam as molestias; e!W& porficam o sangae
' e impedem as recahidas.
-^ Euprcsam-sc <-
contra a Pria&o de ventre, Cntharrho,
.ti, lllit'umutisiii". l-'ultu ile
appetite. Tiimorea,tTecran,I''ebretf
nolestiamlo Fiqatlo, Imjtii/eits,
ilur bitlltah. t ermelhiilea,
.Venopausa, etc.
E PRECISO RECUSAR
(julqier frita me ifi tlw e nr*ct l
Ph"1 Oottla
U* co sel"
EM TODAS AS fHARMACIAS
NOVIDADES E PHANTASIAS
Capas e pellerinas pretas e enfeitadas, de
cachemira, gergoro e merino.
Veos e espolias para coiva.
Setim e Seda branca para casamento-
Cortinados de crochet para cama e ja-
ir. oiubas de seda para aovoa.
Gorgorao preto, diversas ^nulidades pre -
08.
Sedas e setins de cores, lisas, listras e de
qnadros.
Merino de quadro, fazenda nova.
Capas bespanholas para theatro a prejo
do 2)5000 urna.
Sortimento de mcias brancas e de cores
para senhoras e crianzas.
Espartilhos, sortimento completo.
Tapetes para janella e sef, sortimento.
Grandes acaltifaa e esteiras para forro de
sala.
Alm de muitos outros artigos que nos
impossivel mencionar.
91Rna do Crespo-91
OLIVEIRA CAMPOS & C.
FflLtETIlS
?
w
TESTAMENTO VEBMELHO
pos
XA^R de montepn
SUBCirXD* PARTE
& GAGADA.DAS HEDALHAS
[ContnnasSo do n. 145)
Np trouxo-lhes cartas ou jornaes
durante os qninze das qui aqu estive-
rim ? .*
Nen urna carta, nem um jornal. Mas
se doe^ja saber como se chama os proprie-
tario, cousa muito fcil.
Indique-me o meio.
Dinjasfc o*j ao tatatli pie-fe* a
Tonda, ou apParpreitairo que fea aa obras.
*stOode moram esse tabellio e esse
easpreiteiro T
Ambos a vinte minutos :Jl*qui>
Superior carne doser-
, to
Vende-se no armasem de molbados de Fran-
cisco Cardoso da Silva Pinto, ra da Imperatric
n. 23. No mesmo eetabelecimento vende-se cb
de primeira qualidade, queijos flamengo a 3000,
vinbo collares a 600 ris a ganara, dito do Pasto
a 440 ria e cutros muitos gneros que se garan-
te e por menor preco que em outra qualquer parte.
Roa da Imperatria n. 3, Francisco C. da Silva
Pinto.
Attenco
Vende-se cadeiras austriacao (junco) do acre-
ditado fabricante Thonet, a 66/000 a dusia ; no
armazem da ra do Bem Jess n. 49.
4 thsatro a 600 rs., fas'-uda -muito
tecido especial para esta cas*. '
Irques Iranaparenlea-'e de setim com
lindas cores e desenbos desde 25O0 at 7/000.
Vecldoa de lmh > abertos com quadrss larj
goa ou listras, fasenda muito larga, a 700 e
Zeflro de linbo bordados com quadros ou lis-
tras, lindas cores, a 600 e 700 rs.
Linn bordado, de todas aa cores, imitacio
cachemira, a 240 rs
Beoda rlenla!, fazenda fina,berta em
quadrinbos, a 500 rs.
Eagniaio pardo para vestidos, tecido de linho
puro e largo, a 36.0 rs.
Mirlna infestados preto e de todas as coras,
700,^00 e 1O0.
Xaniuc ou caEsas indianas com lindas cores
e desenbos, a 280 rs.
Fzcndas diversas
Hadapoliio eniraacado tecido, novida-
de, que se presta para qualquer obra, pecas com
20 varas e sem gomma, a 5/5U0.
Morlm americano lavado,' sup rior ao
verd^deiro camiseiro, p^cas com 20 varas, a 8/ ;
tem a marcaListras azues.
aigotlao para lences, mais largo quem ada-
pol&o a 5#000.
AlgodaoBlnno a 3/ e 4/000 a peca, pro-
prio para toalbas.
Cretnnes franceses, claros e escuros, desde
240 at 100 rs.
Cbitas finas, percales cores seguras, a 200 e
240 rs.
Batista* e fu nio de cor, a 160, 200, e
240 re
Setioetas Mimo dos Alpes, a 200 e
040 rs.
LlnbOS e iraroa do quadriiifaoo, 100 rg.
estreitos e 200 rs. largos.
Bleoa i rancos, creme e de cores, baleias,
grampos, pbantasia, bordados tapados e transpa-
rentes, luvas de seda e pellica, meias brancas e de
cores para hornero, seobora e meninos fichs de
renda para aenhora e meninas, cortinados de cro-
chet e bordados, mosquiteiros americanos, crochet
para sof e cadeiras, tapetes para portas, cama e
sof, e mnites outros artigos que damos muito ba-
ratos. SP
Na Loja das Listras Azaea
Jos Augusto Dias
Vende-se
a armacao, cofre e utensilios da loja ra Duque
de Caxiab n. 43 ; a tratar na mesma.
Oliveira Campos e G.
Ba do Crespo n. *1
Beceberam pelo ultimo vapor sortimento com
-Jete de capas de casemira, merino, gorgurSo e
eda, para senhora, o que ha de maia novo, a pro-
co rasoavel; receberam mais seda preta e gorgu-
ao," ""->dem por preco baratissimo.________
Haelnia a vapor
Vende-se urna machina a vapor, de forca de
seis cavallos, Jiorisontal, tiza, quasi nova, par pre-
co barato ; a tratar no escnptoiio da companhia
do Beberibe.
Veoe-se
especial musa de mandioca para bo'os ; na Gam-
$* do Cs*soo n. 10.
*..---------------------1--------------------------------------------0 t
Venda de sitio
Vende-se ou permuta-se por predio nesta eidsutr
um boas di to--coa boa-casa, multas fructerrai
excellente baabo-jbj rio, boa agua.de cacimba,
exteasao .de terrena para baija de capim, todi
murad ona'frente/abm portSo e. gradea atento, con
caminko de'itirrt) e e#taco junto ao' dit.sirra, rx
Porto da Madira,\ conhecido pelo sitio da JoU
Solleiro, jna>to ao Dr Ernesto de Aquino Fonae
ca ; quem pretender dirija-se praca da Inde
pendencia q- 40, das 11 horas s 4 da tard'-.
Vende-se
Especialidades em viaho
Do Porto em barra de. dcimo fi vigsimo.
Verde em barra de quinto. e dcimo.
Virgeros em barris de quinto.
Garntese a qnalidade e acondicionamiento. .
Jlilho
italbo, de pan<
do.
Fuios
Em porcSo e a retalbo, de panecs saceos,
ro bem acondicionado.
gene-
Do Bio de Janeiro, Hias e Goyaz.
No trapiche da Companhia, largo do Corpo San-
to n- 19. _______________________________
Siigeneris
Detestamos os artigos bombsticos oom
que c ariamente se enifaem os jornaes desta
capital, annunciando como especialidade o
que nunca passou de mediocridade. Somos
positivos, e como taes so timbramos em
nao engaar aos que nos dispensam a sua
amizade e auxilio.
Acabamos de receber nova remessa do
j afamado e especial vinho
Maduro
Sabo transparente
DE
Cleaver
HEDILHIS 1851, 1853,1855,1862, 1867,
1875.
De prata, Pars, 1878.
* De ouro, Ijin^roa^iaa^-
Vende-aa as prinerpses lojas de"miudecas.
Guimares & Perman
Agentes.
jfsasajgajgg'SMssassMsassaaaMssaMssss1^*1
em
JoinwMp. "MaSi agora me lembro, c
rilo
Encontrar
altorlo precsair at l.
ero Saint-Maur, alli pertinbo, o jardineiro
5uprat, ae qaal dirigiam se os pretenden-
tl A propriedade para ioformavSetT.. A'
ctsa delle fica no canto da primeira ra,
direita.
Agradeco-lbe, meu amigo... vou
oasadoSr. Dup'rat... Ah .ainda urna
ptrgunta
A* sua disposis&o, aenhor.. .
Disse me, nfto verdade, que os no-
TI8 propristarios estfveram aqai apenas
alguna dias 7. .
Quinze, nqymaximo.
Qwndo plrtiram T ,
Ha tal vea oito oa dea dias
Obrigado*.
O carteiro contmuou o sea caminho.
Partiram ba oito ou de dias, mur
murou R.ymucdo ; nSo possivel... ou
pelo Qmdoi voltaram depois, porque oa sul-
C03 d*ai Tedaa do lado intdrno da oeroa sto
recentes... ha aqni um mysterio a escla-
recer. Hei de esclarecel-o...
Dizendo comsigo o que precede, o pai
de Paulo segua o caminho de Saint-Maur.
Encontrn sem custo a casa de Duprat.
Elle estajra no sea jurdiro, cultivando as
suas flores e cuidando das arvorea fructfe-
ras.
Venho, disse Iba Fromental, pedir-
lhe urna informacSo, que julgo lhe ser f-
cil dar-me. Esteve em relaf5es vo proprietario do Pequeo CastelTo...
Sim, senhor.
Tenha a bondade de dizer-me o seu
nome...
Ignrro-o, BBnhor.
Raymnndo fez um gesto de sorpreza.
I Admira lhe isao, senh--r, continuou o
jardineiro, e entretanto nada ha mais natu-
ral... O comprador dirigise a mim para
visitar a propriedade que desejava alugar,
porque primeiro foi locatario... Acompa-
nbei-o, mostrei-lhe tudo, e em seguida dei-
lhe a morada do tab-lliao... Ha de con-
vir que nada tinha com o nome delle.
E' justo. O tabeiliao mora em Join-
ville, segundo me disseram.
E' verdade, e ohama-se Finet.
Vou proearal-o.
Es-usa incommoar se boje.
Por que ?
Encontrar o cartorio fechado.
Fechado I... Um cartorio !... N'um
dia til I. .. .
E.' pi>r urna aJromataeoH inteiraman.
te accidental .. O tabeiliao Finet tem a
fortuna .. quero diaer : o desgosto... de
enterrar boje a sogra...
Evita me aasim urna caminhada in-
til, senhor. .*. Obrigado.
Nao ha de que.... e estou inteira-
mente a suas ordena.
R-yinuuio aabio do jardiro, cabisbaixo,
muito desapoutnio, torturando a imgina-
C0 para eDoootrar o aieio de alcaujr,
sem esperar pra o dia seguinte, a iutor-
ma(o qu quera obter.
Voltava lentamente pelo caminho por
que tinha ido, quando o seu nome, pro-
nunciado muito ptrto delle, falo estreme-
cer. B
Ergnen bruscamente a cabera e os seus
olhos tiaaraiu-ae n'um homem que diriga-
se para elle.
Reconhecendo esse homem, fiuou paludo
senhor aqu !.. ex -Umou elle
Ser acxso a mim que procura ?
_ E' verdade. Deaeoibaroo do trem 3e
ferro e ia procralo em Port-Crteil.
Vem da parte do chefaiV
z. Venho.
Tem alguma couia a dizer-me
llillio
Vende-se milbo de boa qualidade, em porcSo e a
retalbo, no trapiche da companhia ao largo do
Corpa Santo n. 19.
Bois de carrosa
Vende- se bois manses e gordos, habituados ao
trabalbo de carroca ; a tratar na companhia do
Beberibe.
Trago ama carta para entregar-lha
em ruao propria.
Tirando do bolso a carteira e abrindo-a,
o homem accrescentou :
Fui primeiro na ana casa na Una de
S. Luiz... A porteira mostrou-me a nota
que b senhor deixou-lhe esta manbS....
Tratei entSo de vir aqui sua procura, e
ia informarme do caminho a seguir, quan-
do muito felizmente encontrei-o... Aqui es
t a carta do chefe...
Fromental recebeu o enveloppe fechado
que lhe entregavam, abrio-o eom os dedos
tremuloB e leu a meia voz:
a Logo que receber esta carta, venha ao
mea gabinete. Urgenoia IO chefe de
seguranca.
Aasim, pois, preciso que v imme-
diatamente prefeitura ?... murmurou Rai-
mundo.
Tenho erdem de esperal-0 e de acoro-
panhal o.
O que se passa entao por l ?
Nao sei... Cbegava para entregar o
meu relatorio... O chefe chamou-me....
Mandou-me sua procura... Aqui entre
nos, elle eslava com cara de poneos ami
gos... Creio que seria de mo aviso fa-
zel-o esperar. ..
Entretanto preciso que eu disponha
do tempo oecessario para prevenir mea B-
ibo e para slmocar...
Homem, nSo far grande mal ohe-
garmos mais tres quartos do hora maia tar-
de ; tanta maia fi}anin .f laminuasls II
mocei ainda, o, se me permittir, far-lhe-hi
companhia.
Raymundo fez um sigal da oabeo-a affir-
mativo.
Tornara-se sombro.
Era, pois, obrigado a separar-se deFeu
lo, justamente na occasiao em que acba,-
va de dizer-lbe que durante quinas' das
nao o deixaria !
O meco ia eem a menor duvida achar
singular aquella partida ; maia que singu-
lar incOnjprehenaivel.
A sua imaginac;o trabalharia com oer
tesa extraorainaru-nente.. Dease traba-
lbo, qaat seria u resoltado ?
Reclama7am a preseoca imaedata e
Froment'l na prefeitura.
Por quo T
Paasava-s certamente em Para algma
couaa muitagrave, e ia-ae-lhe impr a ne-
cesai tade da' auonntar-se novamente
ana miseria.
Qje taaer ?,
Para esta porgo nta s bavia ama rea-
pesta Obedecer I
Os douftjiomena-sM)jLvji so nesaa occa-
siao em fr-ptq a urnTrE^rna.
Fin manteiga ingieza
Vonae-ia a f 00 rs. a lihra rm oaaa de Arthur
Macaea, rna da Aurora n. 85, e Antonio Uuarte
ra da Uniao n. 54, armasem do Ethoayne, con-
fronte a estaco, latas de diversos t amachos.
Raymundo paroa.
Entre aqui... disse elle ao agente,
que chamava-se Vernier. Mande preparar
o melhor almoco possivel... Daqui a vate
minutos, o mais tardar, voltarei.'
Est entendido... repheoa Vernier....
Mas avie-se... repito-lhe que o chefe nSo
est com boa cara boje... Creio que nSo
teria condescendencias nem mesmo comsi-
go, que o seu querido...
Fromental acelerando o passo, corren-
do quasi, dirigi se para onde estava o fi
lho, que morria de impaciencia.
Havia decorrido mais de urna hora, e o
pai nSo voltava 1
Chegado ao ponto em que bavia desem-
barcado, Raymunde fez das mos um por-
ta-voz e chamou Paulo.
Este abandonou as suas linhas, des
amarren o bote, empunhou os remos, e em
alguns minutos venceu a distancia que se-
parava-o do improvisado embsrcadouro.
Vendo o rosto sombro de Raymundo, o
mancebo sentio um estremecimento de an-
gustia percorrerlhe as carnes.
__ Tens urna m noticia a communioav-
me, n5o verdade ? pergantou elle com a
voz estrangulada.
M noticia effectivamente... respon-
den Fromental, saltando para a embarca
S&o...
__Vais dizer-me que ELLA eat per-
dida para mim ? que nao tornarei a vel-a
nunca mais ?..
__jl> A d'K.r-LA ojio, aa Jrata meu
querido filbo... nao poaao dzer-te cousa
aJgumai a seu respeito, porque nao termi-
nei a diligencia oomecada, e que dar cer-
tamente um resaltado...
Porgue, meu pai, interrompeste esaa
diligencia 7
Por motivos de forja maior.... En-
contr! prximo da estac&o um erapf'egado
do ministerio, enviado p-lo seu secretario,
para levar-me a toda pressa. .
Vais entao deixar-me ?
Vou e j... leva-me ap porto de on-
de aabimos.
Paulo virou de bordo e manejeu os re
mus com febril violencia. *
Assim, murmurou elle, partes T
Obedezo aos meus chetea.v
jprata se de uma'*viagm t
Ignoro-o... Se apenas que roo cha-
mam ... S em Paria poderei saber para
que... "^
Ninguem te informoa Hobre. Mar-
tha?.. .'sobre os moradores do Pequeo
Castello ?
Partiram ha.oitp ou dej dias, aegui
dodraseram-m...
Para onde foram ?
O COBBUmo extraordinario juo ooto TtolO
tem tido faz-nos acreditar ser este o unice
que fica Bubstituindo esses outros que por
ahi denominam-^Bairrada, Figueira, Car-
oavellos, etc., etc. Duas summidades me-
dicas d'esta capital, recommendam aos seus
amigos o uso quotidiano d'este vinbo, cerno
mais salutar economa humana por nao
ter as composigoes de tantos outros, qua
arrunam a sade da humanidade, trazendo
como conaequenciaa os horrores a urna po-
pulacSo que se definba a olhos vistos.
Recebemos tambem o '--
Requeijo
em Utas, de procedencia de engenbos cujoa
proprietarios uapricham em bem trabalhar
neste artigo, afirn de terem a primazia so-
bre tantos outros similares, cuja composi-
jo duvidosa.
Em outros artigos como .
Cementes de hortaliqa
e flores, lingas seccas do
rio grande e
objectos de vime
para isto tSo pouco temos competidor. A
nossa casa especialista e as pessoas que
disto se queiran certificar pdem compa-
recer, com o que muito nos honrarlo.
A par de urna infinidade de artigos de
primeira ordem, que se acham em exposi-
(&o, accresce a amenidade do trato com
que timbramos tratar todos os que nos hon-
rara com sua preaenca, junto a modicidade
de pregos sem rival.
loa Estrelta do Rosarlo n. 9,
junto Igrefa
Pofas Mendes J C.
a acredirada rcfiaaya^ n. 7 ; a tratar na roa estreita do Rosario nume-
ro 17.
Uro saldo do 600 pa^^^^^^^fc
muito boa qualidade, aambraia Victoria
propros para caaacoa dfsenhdra, veptidoi
de meninas, calcas e satas, oom 4-'o 5 da-
dos de larguraj a l#400i p
dem com 4 e ^iedoaB largura, e urna
chave, a Ji$OO, a pega yK&ta com 3 1/2
metros garantidos.
Grande sortimenti de r^*
Bico branco, de linhc, a HOfli %**
2500 e, 30000, a,peca. *
dem de cores, a 20, 20500 e -30000,
a^peca com 10 varas cada urna.
Pulceiras, guarnieres, aneis, ^yiv.coa 9
alfinetes para gravata, tu to do plaque amo-
ricanot, garanta o~-dour.do|
J chegarao- os- oapeibusla**
Esplendido sortimento d< ras finus coa pta-
las d seda, folhasjavelodadaa Matan de borracha
para enfeite de peito, cabeja, cBpM e chipoiinas,
ramo a 1/000 e 1*500:
Enfeite para chapeo, gorros^^^^^(aireta)
com passarinhos de seda a 2(floil-.
Lindo sortimento de jarros para enf.-ito de sala,
toialet e santuario o par 1/090, 2/000. S/000,
4/000. 5/OO a- 000, todO0 cssillndos desenhoa
de p rulas em alto relevo.
Livros de sortea paraJS JoSo e S.
Pedro.
Espartilhos a 30000 que se vende
50000.
Invisiveis prateados a 200 ris.
dem dourados a 4D0 ris.
Plics brancos a 400 res o metro.
dem idem com frjeo de seda azul, en-
carnado e cor de rosa a 600 ris o metro.
Contaa para enfeitar- vestido de todas
as cores.
dem pretas a 600 ris o mago.
Missangas de todas aa cores para bor-
dar e para voltas a 500 e 800 ris o
mago.
Vidrilhos pretos e de diversas cores, pa-
ra enfeitar vestidos e para voltas.
Colarinhos e punhos de borracha;
Fexues com meacla e liso a 20000
Porta *bruUio moriesno.
Cales, bicos, palmas e rugas de vidri-
lhos a 20500 e 20OOC o metro.
Franjaa preta e galb a 500 e 1$600 o
metro.
Luvas de seda para meninas e mogas a
20000.
dem de Escocia a 10000 o par.
Xa
RA DUQUE DE CAXIAS N. 103
i
Carvo a 400 rs. a
barrica
Vende-se por este resumido preco carvo de
boa qualidade; na padaria de Mello & Biset.
ra larga do Rosario n. 40.
tal res-
ae
NSo puderam intormar-mo a
paito.
NSo disseram-te ao menos como
chamam ?
Ninguem sabe.... mas poderia s-
belo amanbS...
. E partes disse Paulo com desani-
mo*.
Parto coro effeto, meu filho, mas na-
da prova que a minha ausencia deva ser
longa... Pode'ser que volte esta noite.
Nesse caso, oontinaarei amanha aa diligen-
cias comegadas hoja ... Fica tranquillo
e conta commigo !... promet-te, cumpri-
rei a minba palavra... Se nSo for ama-
nha, aera um poueo mais tarde... Daqui
a alguns dias... E's mogo... tens diante-
de ti um longo futuro... Podes esperar um
pouco sem deaesperar... Temcoragem I...
tica convencido de que, ae a tua felioidade
depende de mim, ella certa, ainda que
para aaaegural-a eu faga o sacrificio da mi-
aba vida 1...
Paulo abaixara a oabega e continuava a
remar vigorosamente.
Aps um momento de silencio, proae-
gao : ...
Onde est o enviado do ministerio,
que veio buscar-te ?
Voltou immediatamente para commu-
nicar aos meus ebefes que me havia encon-
trado e que eu ia por-me sua disposi
gao...
EntSo nao almogas oom migo ?
Esperas realmente voltar- logo noi-
te T
Espero, sim... Sa alguma circums-
tancia me retiver, communicar-te-hei...
Como ?
Por meio de om telegramma.
Onde julgas poder obter informagfcs
sobra os moradores do Pequeo Castello T
perguntou Paulo com voz hesitante.
- Em caaa do talbelib que vendeu a
propriedade.
Onde mora elle ?
Em Joinuille.
__ Nao poderia eu "mesmo ir procu-
ral-o ?
NSo se jas tSo impaciente... Deixa-
me dar eu proprio os pasaos necesaarios...
Assim ser melhor...
O bote acaba va de atracar.
O mogo amarrn a embarcagSo e acom-
panhou seu pai, que dirigia-se para casa.
E' bem singular 1 pensava Paulo, ca-
minhando silenciosamente. Meu pai, que
julgava se livre por alguns dias, chama-
Ido a toda presta I... Vieratn at aqui I I
Royal Blend marca YUDO
Este excellente Whisky Escocez pro-
ferivel ao cognac ou agurdente de canoa,
para fortificar o corpo-
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zecs de molbados.
Pede Royal Blend marca Vlado,
cujo nome e emblema sao registrados para
todo Brazil.
BRQWN3 bC, agentes.
Nao tem competidor!
Manteiga pura dinamarquesa (Copenhague),
sem confeceo de magarina, c jbid geralmente con-
ten as manteigas de exportacSo para este impe-
rio, e que to n icivo para a sade
A 800 rs. a libra a retalho.
(Acceita-se devolvida, nao agradando.
Corpo Santo numera 6 Guimares & Valente.
Engcnlio
Vende-se ou arrenda-se um engenho a vapor na
f eguezia da Varsea, moente e correte, com for-
ca para safrejar at 1,200 pes ; e tratar na ra
do Vigario n. 31, 1- andar.
%^mmia^ia^mA*MAmmAVL^AmAWA^A^mmk\
O que significa isto ? Passa se em redor
de mim nao sei o que de mysterioso, de
incomprehensivel, que me inquieta e me
atemorisa...
Chegaram pequea horta, onde Mag-
dalena colhia alguns logumes para jantar.
J de volta I exclamou ella. E sera
peixe I. Eu que contava com urna pe-
xada I Previno-lhes, meus earoa amos, qae
o almogo ainda n2o e3t prorapto.
*- NSo almogo, minha boa Magdalena,
dase Raymundo.
Ora essa 1 e por que entao ?
Vou-rae embora I
Vai embora 1 repeli a velha criada,
erguendo as mos e os olhos para o tocto.
E' verlade.
E Fromental repetio a Magdalena a nar-
ragBo que acabava de fazer a Paulo.
A fiel criada conhecia. toda a vida de seu
amo.
Comprehendeu, e trocou oom elle um
olbar profundamente triste.
Raymundo munio se do sobretodo e poz
o chapeo.
Estava prompto*
Meu pai, disse-lhe Paulo nesaa occa-
siao, nSo sei porque esta tua partida pre-
cipitada me atormenta. Mais do que isao,
aesustame... NSo quero deixal-o... Le-
va-me contigo.. .
Fromental estremeceu, e um movimento
nervoso contrahio-lbe o semblante.
Meu querido filho, replicn elle, es-
__ rJa "ya.i diaarTim ftsUma ilafc- ** n'Ba^pv de espirito que impelle-
nalena e pr-me immediatamente a cami- te para O exagero em *adaj.%. S razoa-
nho.
vei e nSo te atujas aera motivo 1 Repito
espero firmemente voltar logo... Em caso
contrario, e se for obrigado a fazer ama
viagem, recuso formalmente le-var-to.. .
for que essa inquietauSo pela primeira
vez ?... Aa minbaa ausencias nada tm
de anormaea. R'petem-as regularmente
ba alguns annos... sSo a cons^quenuia do
meu empr.-go do ministerio. Tranquilliaa-
te, pois, e lembra-te que Fabio de Chate-
lux ser teu hospede daqui a algunas ho-
ras e que deves estar em casa para rece-
bel-o. Fioa aqui com Magdalena... man-
dar-te-hei esta noite um telegramma, sa
nSo puder voltar... Bem v i, estou cal-
mo, alegre, apezar do meu desgosto por
aeparar-me de ti.. Fica calmo e alegre
como eu..n A felioidade est omitas veies
mais perto do qua a gensa pansa I... Co-
ragem, confianga, e abraga-me.
( Continxiar-ttha)
)

Typ. i" Diario roa Duque df- Cazias n. 48.


LJ
"y"'i" m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7G8ACUJZ_J0N8XC INGEST_TIME 2014-05-19T20:54:38Z PACKAGE AA00011611_19095
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES