Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19059


This item is only available as the following downloads:


Full Text
- I 4
ANNO Lili HMEBO 211

J
i

PARA A CAPITAL E LUGAW OXDE NAO SH PAC;A PORTE
Por tres mezas adiantadoa ........ 63000
Por seis ditos dem...... ......... 120000
r'or um anuo dem................. 240000
3ada numero avutao, do saesmo dia"........... 0100
DIARIO DE
QOABTA-FBRA 15 lfflliriTBi
PARA DEWTRO E FORA DA PROVINCIA
Por seis meses adiantadoa......... ..... 1305OC
Por nove ditos idem................. 200000
Por um anno dem................. 270OOQ
Cada numero avulao, de das anteriores........... 01^0
$r0jmlral>* ir Jttatwel Jtptrira
?Zs<7
Os Srs. Amede Prince fc C,
le Paria, si> os nossos agentes
exclusivos de aitnim ios e pu-
blic cd~cs da Franca e Ingla-
terra.
Os Hvm. Wasburne II rannos
de HeW'York, Broad Way n
990. sito os nossos agentes ex
elusivo ; de aniiu cios nos Es-
tadas-Unidos.
Aviso
A.08 Srs. Assignan-
tes que se achremem
atrazo, scientifieamos
qu- devem mandar
abonar suasassignatu-
ras at o dia 30 do cor-
rente, para que nao
soflram interrupc, o na
remessa do Diario do
1 de Outubro.
TELEGRAMAS
SSB7I5D PABTICULA3 SO SUBI
RIO DE JANEIRO, 14 de Setembro, s
3 horas e 50 minutos da tarde. (Recebi-
do s 5 horas e 20 minutos, pelo cabo sub-
marino).
O Mr. Conde de Baepen d j. prealden-
(e de Senado, declaron haver rece-
ido nm lelefcramme da AMOciacio
Commerclal Beneflcente de Pernam-
fcnco relattwamenle a saapcnio dos
impontoM geraea obre o aniurnr.
O referido telegramma fol. paraos
devltlo fnm. remetlldo eommino
de orcamento.
Ma Cmara don Depnladoi, em aes-
io de boje, o Sr. Pedro lie 11 rao
apreaentou um req.aerlmento> caja
dlacuaae fieou adiada por baver pe-
dido a palavra outro uepu'auo, pe-
dindo InformacSes sobre o ronbo da
Thesouraria de Faienda de Per-
itmburu t sobre as violencias Ha* 1-
vldaa na cldade de Bom Jarim t se
ja fra marcado da para a eieico
municipal de Bom Jardim sobre o
processo Instaurado em Leopoldina
pela introducc&o de moeda falsa t e.
analmente, sobre a approvacao do
contracto do engenbo central de Tlu-
ma.
(Especial para o Diario)
CORUNHA, 14 de Setembro.
Teem-sc produztdo ltimamente
aqu continuada* perturbacoes de
certa importancia.
Todava as autoridades bao come-
guido reprmil-an at boje.
Sao de vi das taes perturbacoes a
causas Inteiramente particulares, e
locaes.
Agencia Hars, filial em Pemambuco,
14 de Setembro de 1886.
e de azote na substancia alimenticia propiciamente
dita, e nao ser de mais o elevar-so a proporco do
azote a 400 grammas e a do carbonio a 20.
Ora, 4C0 grammas de carbonio e 20 de azote cor-
-espondem a 150 grammas de carne e 750 grammas
de substancia feculenta secca, ao todo 900 gram-
mas de alimentos 'seceos, a que devem juntar-se
500 grammas de liquido ou meio litro de agua.
Deve, pois, calcular-se o consumo de um adulto
de boa sade em 324 kilogrammas de alimentos
seceos por anno.
alimenta! n Insunlciente E' verda-
de demonstrada que urna nutricao insuffieiente,por
pouco que se prolongue, exerce a mais desastrosa
influencia sobre a sade e o vigor das populacoes.
as criancas obs'a ao crescimento e ao desenvol-
vimento natural dos orgos; empobrece o organis-
mo que, pouco a pouco, se deteriora ; e, pelo uso
habitual de alimentos grosseiros e de difficil ela-
boraco, provoca mflaumacoes, chronieas que sao
as mais frequentes causas de doenca e de morte.
No adulto esgota gradualmente as forcas vivas
do organismo, annulla a energa physica produz
um estado de enfraquecimento geral, que priva o
bomem dos seusmeios de aeco e das suas fa:ul
dades, torna-o incapaz de esforcos aturados, e ex-
poe-n'o a todas as causas de doenca que encontram
na organisaco debilitada um terreno adequado
sua produeco.
E' d'ahi que resulta ser a mortadade relativa -
mente muito consideravel, tanto as cidades como
no campo, at idade de dez anuos. E' pela mes-
ma razo que as epochas de caresta das substan-
cias figuran sempre as eetatisticas com um nu-
mero avultado de chitos e com urna grande dimi-
nuicao no numero dos nascimentos.
(Contina].
INSTRUCCO POPULAR
(Extrakido)
A bIBLIOTHECA DO POVO E DAS ESCOLAS
CAPITULO V
vi.mKvi \<;io
[Contmuafdoi
allmentaco suulclenteE' difficil
apreciar exactamente as condicoes da alimentarn
safficiente, porque estas variam em grande ame
k> de circumstancias, que dependem da idade, do
sexo, do trabalho, do clima, da estacaoe da consti-
tuico especial de cada individuo ; mas pode es-
tablecer-se em principio, e formularse como lei
geral, que a alimentaco deve ser im todas ae
ircumstancias proporcionada ao dispendio geral
de orgaaismo.
Ora este dispendio, que est scientificamente
alentado,podeavaliar-se nohoraem adulto e de boa
aide, em"1:300 ou 1:400 grammastermo medio
de materal alimenticio em cada dia. Urna ter-
sa parte desta quantidade desapparece no ar expi-
rado ; outro terco sahe na ourina ; e o restante
abandonado pelo organismo na transpirarlo cuta-
ea e nos excrementos. Representara estas perdxs
ao todo 350 grammas de carbonio, 18 de aste, e
am pouco mais de 800 de sgoa (isto de exyge-
i i e bvdrogeni) misturadV-eom saes de soda e
de cal, phosphoro, ferro, enxofre e ainda ontros
orpos que entrara na compoai^o dos lquidos e
dos solidos da economa animal.
Devendo esta perda total ser exactamente com-
pensada, segue-se que a quantidade de alimenta-
fao solida e de agua deve ser pelo menos de 1:300
a 1:400 grammas diarimento ; mas, para que a
snbstitnicao da materia eliminada se opere com
erteza, importa que baja nm exoesso de carbonio
?ARTE OFFIClAi,
l.ovoruo da provincia
EXPEDIENTE DO DIA 2 DE SETEMBBO DE 188S
Actos:
O vice-presidente da provincia, tendo pre-
sente o recurso interposto por Izidoro Bastos de
Oliveira do julgado da junta do Thesouro indef -
rindo -Ihe o pedido de estituicao da taxa de he-
ranca qne allega haver pago demais no inventa-
rio de seu irmo Joo Carlos Bastos de Oliveira,
e considerando, de accordo com o parecer do pro-
curador dos Feitos da Fazenda Provincial annexo
a informacao do mesmo Thesouro de 30 de Junho
do anno prximo passado, n. 641, nao s que pas-
sou em julgado a sentenca que julgou o calculo
da referida taxa, mas tambem qne restituico
lequcnda se oppoe o art. 62 do regulamento de
23 de Julho de 1874, resolve negar provimonto ao
mencionado recurso e determina que se remetta
copia desta portara ao Thesouro Provincial para
os devidos efeitos. Remetteu-se copia ao inspe-
ctor do Theaoaro Provincial.
O vice-presidente da provincia resolve no-
mear os hachareis Marcolino Doradlas Cmara
Jnior e Luiz Limenha de Mello Tamborim para
os lugares de 2o e 3 supplentes do 4- juiz substi-
tuto da comarca desta capital.
Aos nomeados fica marcado o praso de quinze
dias para prestarem o juramento do estylo. Coni-
municou-se ao respectivo Dr. juiz de dircito e de'
orphaos e ausentes da comarca do Recife e aos
respectivos nomeados.
O vice-presidente da provincia, em execuco
a lei n. 2395 de 10 de Setembro de 1873, resolve
nomear Jos Caetano de Medeiros Jnior para o
posto de alfcres da 3* companbia do 8- batalho
de infantaria do servico activo da guarda nacio-
nal da comarca do Recife, em substituicao de
Austriclimano Continho Ponce dejLeao, qne obteve
guia de pasaagem part a comarca da scada.
Communicou-se ao respectivo cemmandante.
O vice-presidente da provincia, attendendo
ao que requereuJFrancisca de Mendonca Pinto,
professora contraetnda da cadeira de ensino pri-
mario do Brejo de Santa Cruz e tendo em vista a
informacao n. 266, de 21 de Agosto findo, do ins-
pector geral da instrucco publica, resolve conce-
der petecionaria, nos termos do art. 7 5' das
instrueces de 29 de Abril de 1884, tres mazes de
licenca com a gratificaco a que tiver direito, para
tratar de sua saude onde lhe convier, devendo
dita licenca decorrer de 13 do referido mez de
Agosto.
O vice-presidente da provincia, attendendo
ao que requereram os subditos portuguezes Ma-
noel Jos Pereira e Joao Baptista Goncalves, re-
sidentes nesta provincia, resolve, de accordo com
o disposto no decreto n. 1950 de 12 de Julho de
1871 e nsando da attribucao conferida pelo art.
14 da lei n. 314 de 30 de Outubro de 1882, natu-
lisar os referidos subditos portuguezes Manoel
Jos Pereira e Joao Baptista Goncalves, afim de
que possam gosar de todos os direitoe, honras e
prerogativas qne pela competem aos cidados
brasileiros naturalisados.
O vice-presidente da provincia d conformida-
de com a proposta do Dr. cnefe de polica em officio
n. 849, de 31 de Agosto findo, resolve nomear o
tenente Jos Pedro dos Santos Neves para o car-
go de subdelegado da freguezia de S. Fjei Pedro
Goncalves do Recife, ficando exonerado, a pedido,
o actual, Frcncelino Augusto do Hollanda Cha
con.
O vice-presidente da provincia, tendo em
vista a proposta do administrador dos correios de
hontem datada, sob n. 801, resjlve nos termos da
lei n. 2794 de 20 de Outubro de 1877 exonerar a
pedido, os agentes do correio das villas de Leo-
poldina e de Alagoa de Baixo, Manoel Ribeiro de
Carvalho Granja e Joao Bezerra Cavalcante e
nomear o major Manoel Ferreira Escobar e Tbe-
reza de Jess Cavalcante para substituil-os na or-
dem em que vo collocados. Communisou se ao
dito administrador.
Ao pr'sidente da Cmara Municipal do Re-
cife.Em virtude de officio do juiz de dir**ito de
orphaos e ausentes desta capital, em que me re-
presenta centra o facto de n;;o qutrerem os verea-
dures se prestar a funecionar, como supplentes dos
juizes ubtitutis, vagos por nao terem os nomea-
dos acceitado os lugares, determino emquanto nao
entraren em exercicio os supplentes nesta data
nomeados, assuraa V. S. as luocces Jo Ckrgo de
4* juiz substituto, que obrigado a servir ua fal-
ta deste juiz e seus supplentes, como vereador
mais votado em 1' escrutinio, nos termos do art.
19 da lei n. 261 de 3 de Dezembro de 1841 e de
aviso do Ministerio da Justica n. 38 de 21 de Ju-
lho de 1883, e passe o exercicio de presidente da
Cmara Municipal ao veica ior que be seguir em
votos, na falta do vice presidente, visto que iu-
compativel o exercici simultaneo dos dous cargos
e nao poder V. 8. deir de aar preferencia s
func<,o s do judiciano, conforme as doutriuas dos
avisos do Ministerio da Justica, n. 12', de 12 de
Abril de 1858, n. 215 de 11 de Junho de 1877 i
n. 9 de 14 ie Fevereiro de 1^83.Communicou
se ao Dr. juiz de orphaos e ausentes da comarca
do Reelfe.
Ao i-isp- ctord'i Thesouro ProvincialAchan-
do-se pendente de dclioeacao do poder legislati
vo algumas queites sobre tax.ts de lDtenas de
cuja deciaii depende a solucao de vanas uvidas
suscitadas ao g iverno imperial por esta presiden-
cia, e sendo prejudicial que c> ntiuue paraliuado e
tervici da extrac-co de lo.erias n. st.. provincia,
resolv por isso approvar provisoriamente os pla-
nos juntos p ir copia ltimamente snbmettidoa
considerado desta presidincia pelos r>sp.olives
thesour. iro t-n- ut-s coronis Augusto Out.iviano
de Sonsa e Francisco Goncalves Torres.
O que faco constar a V rae. pala os devidos ef
feitos, em soluco aos officioa ns. 7, 15 e 78 de 16
de Junh e 10 de Ag ito ultimo.ttera-tteu se
copia ao thesoureiro das loteras para o fundo de
emancipacao e educacao de ingenuos da Colonia
Isabel, e ao thesoureiro das loteras ordiuarias da
provincia.
O vice-presidente da provincia, attendendo
ao que requereu o engenheiro Aristides Galvo de
(jueiroz, director do proloogamento da estrada de
ferro do Recife ao S. Francisco e estrada de ferro
de Caruar e tendo em vista o attestado medico
que exhibi resolve conceder-lhe sessenta dias de
licenca com vencimentos na forma da lei para tra-
tar de sua saude. -Commancoa-ss so inspector da
Thesouraria de Fazenda.
Officios :
Ao inspector do Arsenal do MarinhaCon-
forme solicita V. Exc. em officio do 1 do crrente
sob n. 443, autonso a comprar no merend, median-
te a quantia de 150-OOO inclusive a sui colloca-
co, um fogao de ferro, destinado ao edificio onde
reside o ajudante dease Arsenal, atientas as pon-
derales feitas no citado officio.Communicou-se
ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Ao commandante das armas.Reraetto a V.
Exc. para seu conhecimento e fins convenientes, a
inclusa copia do telegramma de hontem datado
relativo ao sargento do 14 batalho de infamara
Joo Didimo Faria Lobo.
Ao mesmeD V. Exc. suas erdens para que
sejam inspeccionados de saude pela junta medica
militar os aprendizes artfices do Arsenal de Guer-
ra, Joo Alves Nunes Joo C. da Silva Gomes,
que esto soffrendo, este de asthma e aquelle de
epilepsia, segundo declarou o cirnrgio encarrega
do da respectiva enfermara.Communicou-se ao
director do Arsenal de Guerra.
Ao Dr. juiz de orphaos do Recife.Tendo
sido julgados incapazes para a escola de aprendi-
zes mari-ih' iros os ex-educandos da Colonia Isa-
bel, Antonio de Carvalho Franca e Paulino Vi-
cente Ferreira, fico apresental-oa a V. S. afim de
que se sirva de dar Ibes destino.Communicou-se
ao director da dita Colonia.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
De conformidade com o aviso do Ministerio da
Agricultura, Commercio e Obras Publicas, de 18
de Agosto findo, autoriso o inspector do Arsenal
de Marinha a mandar pintar as boias que des ignaro,
no pjrtj d'esta cidade, a ponta norte do bau :o in-
gles, ponta-sul do mesmo banco, baixo de Olinda
e pedraCabeca de coco, -despendendo at a
quantia de 86-8240. Semelhante despeza, segundo
declara o citado aviso, dever correr por conta da
consignacoBalisamento de portos,demonstra-
co a. 7 da verbaObras publicasdo orcameato
em vigor ne corrente exercicio. O que commnnico
a V. S para os fins convenientes.Officiou-se ao
inspector do Arsenal de Marinha.
Ao mesmo.Remetto a V. S. os documentos
que acompanharam ao sen officio de 17 de Dezem-
bro de 1884: n. 844, e dizem respeito despeza
de 42o270 proveniente de raparos efectuados
pela Companhia Recife Drainage nos apparelhos
do quartel do Hospicio e enfermara militar em
Setemtiro do mesmo anno.
Assirn Sea satisfeito o pedido constanto do offi-
cio d'essa Thesouraria de 31 de Agosto ultimo, n.
630, a que respondo.
Ao mesmo.Recommendo a V. S. que sob a
responsabilidade d'esta presidencia mande pagar
aos negociantes Rodrigo Carvalho & C. a quantia
de 7:000-1090 proveniente da despeza a qne allude
o aviso io Ministerio da Guerra de 12 de Agosto
ultimo, proveniente de artigos de ardamentos
pelos mesmo3 negociantes foruecidos, em Maio do
corrente anno, ao Arsenal de Guerra, provideo-
ciando para que seja a dita despesa levada oppor-
tnnamente ao crdito que para ella tem de ser
conce lida pelo Thesouro nacional.
Ao director do Arsenal de Guerra.Auto-
riso Vmc, conforme sollicta em seu officio n. 532,
de 13 de Agosto findo, a fazer administrativa-
mente a acquisi(o dos artigos mencionados nos
dous pedidos que lhe devolvo, visto a urgencia que
ha no fornecinento de ties artigos, segundo a or-
dem do Ministerio da Guerra em aviso de 31 de
Julho ultimo.Communicou-ss ae inspector da
Thesouraria de Fazenda.
Ao mesmo,Fica Vmc. autorsado a mandar
fazer o concert de que precisa a carroca a cargo
do 14 batalho de iofantaria, despendendo com o
dito concert at a quantia de 106J310 e segundo
o orcamento que acempanhou o seu officio n. 425,
de 18 de Junho ultimo.Commnnicou se ao ins-
pector da Thesouraria de Fazenda e ao comman-
dante das armas.
Ao ngenheiro das obras geraes. Tendo o
capito de mar e guerra, Eduardo Wanderkock,
inspector das escolas do aprendizes marinheiros,
propoato ao governo imperial, segundo declara o
commandante da escola de aprendizes marinhei-
ros d'esta provincia, em officio de boje sob n. 156,
a mudanca do quartel da referida escola para o
predio fronteiro pertencente ao Ministerio da Ma-
rinha, mande Vmc. sustar o concert do dito, man-
dado executar por officio d'esta presidencia de 26
de Agosto findo, at que o governo resolva res-
peito de semelhante assumpto.Communicou-se ao
inspector da Thesouraria de Fazenda e ao dito
commandante da escola.
Ao inspector geral da Instrucco Publica.
Concedo a autorisaco solicitada por Vmc. para
justificar as faltas de exercicio escolar da profes-
sora Idalina dos Santos Li al, de que traca em seu
officio n. 286 de hontem datado.
Ao commandante interino do Corpo de Poli-
ca. Autoriso Vmc, conforme solicita no seu offi-
cio n. 746, de hontem datado, a excluir do Corpo
de seu commando o soldado Altino Jos Rodrigues.
Portaras :
O Sr. agente da Companhia Brasileira faca
transportar corte, no vapor esperado dos partos
do norte, por conta do Ministerio da Marinha, o
cabo do corpo de imperiaei marinheiros Manoel
Rodrigues Cordeiro, o q tal, achando-se affectado
de beriberi, segundo declara o commandante da
escola de aprendizes marinheiros em officio de
boje datado sob n. 145, segu para all disposi-
cao do quartel general da marinha.Communicou-
se ao dito commandante.
O Sr. Agente da Companhia Brasileira faca
transportar corte, no vapor esperado dos portos
do norte, por conta do Ministerio da Marinha, os
aprendizes marinheiros Antonio Francisco de
Oliveira e Manoel Joo Pereira, os quaes sao re-
mettidos pelo commandante da respectiva escola,
disposicao do quartel general da marinha. Com-
municou-se jn dito commandante.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
de Navegaco fa^a transportar para o prasidio de
Fernaudo de Noronha, por conta de Reis & San-
tos, os gneros e objectos constantes da inclusa
relaco.
Mutatis mutandis para Jos Joaquim Alves
&C.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Officios :
Ao administrador dos correios. De ordem
de S. Exc. o Sr. vice presidente da provincia, de-
claro a V. S. que ao interessado deve ser entre-
gue o officio que ao governo imperial dirigido
com a nota de interease particular de J as Fran
cisco dos Santos Miranda, depois de pago o respe-
ctivo porte.
Ao engenheiro Manoel Marques de Albu-
querque Maranho. S. Exc. o Sr. vice- presidente
da provincia fieou inteirado pelo officio de 31 de
Agosto fiuao de haver V. S. assumido naquella
data o exercicio do cargo de fiscal da Companhia
dos Trilhos Urbano* do Recite a Olinda e Bebe-
ribe.
Ao agente da Companhia Bahiana.S. Exc.
o Sr. vice presidente da provincia ficou_ irteirado
pelo officio desta data de ter cbetadoJioje da Ba-
bia e escalas o vapor Principe do GrSo Para, que
regressar para os meamos portos no dia 6 s 4
horas da tarde.
Ao gerente da Companhia Pernambucana.
S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia fieou
inteirado pelo officio de 28 de Agosto findo de ter
essa companhia expedido para os portos do norte
at Acarab, s 5 horas da tarde de 4 do corrente,
o vapor Pirapama.
EXPEDIENTE DO DIA 4 DE SETEMDEBBO 1886
Actos:
O vice-presidente da provineia, de confor-
midade com u proposta do Dr. chefe de polica,
em officio n. 861, de 2 do orrente mez, resolve
nomear Jos dos Santos Correia para o cargo de
1. supplente do subdelegado do districto do Cal-
cado, do termo de S. Bento, ficando exouerado o
actual.
O vice-presidente da provincia, de conformi-
dade com a proposta do Dr. ehefe de polica, em
officio n. 860, d 2 do corrente mez, resolve no-
mear Andr Ra.fipk para o cargo de Si.' supplente
do subdelegado do districto do Poco da Panella,
ficando exonerado o actual.
O vice prestente da provincia, de conformi-
dade com a pr?posta do Dr. chefe de polica, em
officio n. 86J, de 2 do corrente mez. resolve nomear
Cantillo de Lelis Peixoto e Pedro Francisco dos
Santos Costa para os caraos de 2. e 3. supplen-
tes do subdelegado do districto do Arrayal, fican-
do exonerados os actuaes.
O vice-presidente da provincia, attendendo
ao que requereu o juiz de direito da comarca de
Iguarass, bacharel Hsbello Florentino Correia
de Mello, resolve conceder-lhe dous mezes de li-
cenca, com os venciment3s a que tiver direito,
para tratar de sua saude ; devendo entrar no goso
da referida licenca no prazo de quinze dias.
0 vice-presidente da provincia, tendo em
vista o officio do administrador dos Correios, de
hoje datado, sob n. 808, resolve declarar que o
agente do Correio nomeado para a cidade de Ja-
boato ch ma-fe Umbelino Augusto de Mello Me-
deiros, e nao Uinbelino Augusto de Mello, como
consta da respectiva poitaria de 28 de Agosto fin-
do. Communicou-se ao administrador dos Cor-
reios.
Officios :
Ao inspector do Thesouro Provincial.Para
os fins convenientes, communico a Vmc. que falle-
ceu no dia 25 de Agosto findo, o professor da ca-
deira de ensino primario de Bengalas, Andr Joa
de Almeida Catanho, segundo declaron me o ins-
pector geral da Instrucco Publica, em officio n.
290, de hoje datado.
Ao mesmo.A' vista da informacao n. 110,
prestada per Vmc, em 31 de Agosto findo, auto-
riso-o a mandar a Nicas da Silva Gusmo, arre-
matante da obra dos reparos da ponte de Motoco-
lomb, a quantia de 2:392096, importancia da
mesma obra, segundo o certificado que devolvo, j
dedusida a responsabilidade do estylo.Commu-
nicou-se ao engenheiro chefe da Repartico das
Obras Publicas.
Ao director do Arsenal de Guerra. Mande
Vmc. satisfazer, na forma das disposicoes em vi-
gor, o incluso pedido de artigos de fardamento,
que para seu uso faz o 2." cirurgiao encarregado
da enfermara dos aprendizes artfices do Arsenal
de Guerra, D'. Jos de Miranda Curio.Commu-
nicou-se ao inspector da Thesouraria de Fa-
zenda.
Ao gerente da Companhia Pernambucana
Providencie Vmc. afim de que a viagem do vapor
dessa Companhia, que devia seguir hoje para o
portos do norte, seja transferida para o dia 6 do
corronte.
Portaras :
A' vista io qut dispSe o art. 204 do regu-
lamento expedido com o decreto n. 8,213, de 13 de
Agosto de 1881, determino Cmara Municipal
de Granito que expeca as cemmunic&coes aos jui-
zes de pas e d$ as demais providencias do estylo,
afim de que se proceda nesse municipio, no dia 25
de Novembro prximo vindouro eleico para ve-
readores e juizes de paz, que deixou de ter lugar
no dia 1. de Julho ultimo, segundo declarou-me a
mesma Cmara, em officio daquella data.Remet-
teu-se copia ao juiz de direito de Ouricury.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
mande dar pasaagem, a re, por conta das gratui-
tas, a que o governo tem direito, at o Rio Grande
do Norte, na primeira opportunidade, a Antonio
Bezerra de Araujo.
O Sr. agente da Companhia Bahiana de Na-
/egacao faca transportar, a 5 do corrente, para a
provincia de Sergipe, a bordo do vapor Principe do
Grio Para, e por conta do" Ministerio da Justica,
o soldado de polica Milito Pereira.
O Sr. agente da Companhia Bahiana de Na-
vogaco, faca transportar, a 6 do corrente, para a
provincia de Sergipe, a bordo do vapor Principe
do Grdto Para, e por conta do Ministerio da Justi-
fica, os soldados de polica Milito Pinheiro de
Carvalho e Manoel Poreira de Andrade, que re-
gressam para aquella provincia, d'onde vieram
condnzindo um criminoso.
EXPEDIENTE DO DIA 0 DE 8ETBMBH0 DE 1886
Acto:
O vice-presidente da provincia, attendendo
ao que requeteu o subdito hespanhol Severino
Lyr, residente nesta provincia, resolve de accor-
do com o disposto no decreto n. 1950 de 12 de Ju-
lho de 1S71, e usando da autorisaco conferida
pelo art. 14 da lei n. 3140 de 30 de Outubro de
1882, uaturalisar o subdito hespauhol Severino
Lyra, afim de que possa gosar de todos os ditei-
tos, honras e prorogativas que pela Constituico
competem aos cidados brasileiros naturalisados.
Officios :
A presidente da provincia da Parahyba.
Transmitto a V. Exc, para que se digne de pro-
videnciar a respeito segundo entender acertado,
copia do officio de 4 do corrente m z, em que o
juiz de direito da comarca de Itamb trouxe ao
meu conhecimento os factos qne ltimamente occer-
reram em Pedras de Fogo e nos qaaet tomaram
parte os respectivos colleetor e subdelegado de
polica.
Ao Dr. ebete de polica.Declaro a V. S.
que devolv ao juiz de direito inferido de Bom Jar-
dim o officio que acompauhou o da chefatura n. 876,
de hoje datado, fazendo-lbe sentir que nao pode
sob qualquer pretexto recambiar officios, que lhe
forem devidamente enderezados.
Ao vereador Dr. Jos Oaorio de Cerqueira -
Dando solucao a consulta que V. S. nesta data
me dirigi, declaro que, nao podendo V. S na
qualidade de delegado de palala que d'esta ca
pital, exercer cargo algum judieiario, por ser este
incompativel com aquelie, nos termos da lei n. 2033
de 20 de Setembro de 1871, art. 1* 4 e art. 7
do decreto n. 4824 de 22 de Novembro do mesmo
anno, bem procedeu nao asoumiodo o exercicio do
cargo de 4" juiz subtituto desta comarca, devendo
assumir a presidencia da Cantara Municipal, como
vereador immediato em votos ao presidente eleito
e na falta de vice-presidente, desde que nao existe
incompatibilidade entre o cargo de autoridade po-
lisial e o de vereador.
Ao Dr. Joo Augusto d> Reg Barros.
Teudo-me commnnieado, p r officio de 4 do cor-
rente, o presidente da Cmara Municipal desta
cidade ter dentado de assumir o exercicio do cargo
de 4 jniz substituto desta mesraa cape eommodos de sade, raza; pela qual tfficiara ao
vereador Dr. Joc Osorio de Cerqueira, seu imme -
diato em votos, para entra- no exercicio d'aquelle
cargo e ao vereador Dr. Joo Augusto do Reg Bar-
ros para assumir a presidencia da Cmara, e ha-
vendo o dito vereador Dr. Jos Osorio de Cerqueira
commumeado me ter o fie ado a V. S. para assuintr
o exercicio do cargo judiciano, visto julgar-se elle
com incompatibilidade para exercel-o por ser au-
teridade policial, consultando-me ao mesmo tempo
se rompetia-lhe a presidencia da Cmara como
vereador immediato em votos ao presidente eleito,
na falta de vice presidente, respondi-lhe pela for-
ma constante do officio que por copia remetto a
V. S. para seu conhecimento, devendo, portento
V. S. entrar no exercicio do cargo de 4o juiz subs-
tituto para que nao continu a softrer os interesses
da justica publica com a falta de juiz que d anda-
mento aos processos que, segundo communicou-me
o juiz de direito de orphaos e ausentes d'esta co-
marca em 18 do mez qroximo findo, aaham se
parados no cartorio.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda
Communico a V. S., para os fins convenientes, que
a 17 de Agosto findo, Leovegtldo Soares de Mello
Avellins, assumio o exercicio do cargo de promotor
publico interino da comarca de Cabrob, para o
qual foi nemeado p.-lo respectivo juiz de direito.
Ao mesmo.Communico a V. S., para os
fina convenientes, que o promotor publico >la co-
marca de Taquaretinga, bacharel Vicente de Mo-
raes Mello Jnior reassumio o exercicio de seu
cargo a 3 do corrente.
Ao mesmo.Communico a V. S., para os fins
convenientes, que o 2o juiz substituto da comarca
d'esta capital, bacharel Francisco Odilon Tavares
Lima interrompeu hoje, por motivo de molestia o
exercicio de sen cargo.
Ao inspector do Thesouro Provincial.Man-
de Vmc. pagar a Francisco Pacifico do -Yutaral a
segunda prestaco, que tiver direito, pela publi-
cae.au do almanak da provincia, enjos exemplares,
correspondentes ao corrente anno j foram entre-
gues.
Ao mesmo.De accordo com a informacao
prestada por Vmc. em officio de 28 de Agosto fin-
do, n. 98, recommendo lhe que mande fornecer as
pecas de tardamente e correames, constante das
inclusas relacoes, por copia destinadas as 20 pra-
cas com que foi ltimamente accrescida a guarda
cvica.Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Ao mesmo.Tendo em vista o que Vmc. in-
formou no officio de 10 de Jutho, sob n. 17, appro-
vei hoje o orermento junto, na importancia de
400/000 organisado em Agosto ultimo pela repar-
tico das Obras Publicas, para execuco de alguos
reparos da cadeia da villa de Serianhem, cuja
praca acabo de autorisar.Communicou-se ao Dr.
chefe de polica.
Ao mesmo. Nao havendo inconveniente,
raande Vjqc. eutregar ao thesoureiro da repartico
das Obras Publicas, a quaatia de 8:900/000 cons-
tante do pedido junto em original, para occorrer
as despezas a cargo da mesma repartico no mez
de Julho prximo findo.Communicou-se ao enge-
nheiro chefe da repartico das Obras Publicas.
Ao mesmo.A Niceas da Silva Gusmo, ar-
rematante das obras de reparos das pontes do
Aterro, ra Bella e Acougue, em Rio Formoso,
mande Vmc. pagar a quantia de 855/000 impor-
tancia da segunda prestaco das ditas obras, na
forma do certificado junto, passado pela Reparti-
co das Obras Publicas, procedendo-se de accor-
do com a informacao de Vmc,, de 31 de Agosto ul-
timo, sob n. 111.
Ao engenheiro chefe da Repartico das
Obras Publicas.Tendo era visfci o exposto pelo
Dr. chefe de polica e a informacao prestada pelo
inspector do Thesouro Provincial, nos mezes de
Junho e Julho ltimos, aporovei hoje o orcamento
na isportancia de 40'1/000, organisado por essa
Repartico e remetti lo com o officio de Vmc, de
27 de Agosto, sob u. 155, para execuco de reparos
na cadeia da villa de Serinhem, cuja praca au-
toriso.
Ao juiz de direito interino da comarca de
Bom Jardim.Tendo Vmc. se recusado a receber
o incluso officio, que lhe fra presentado pelo
commandante do destacamento e delegado de po-
lica do termo de Bon-Jardim, devolvo o citado
officio fazendo'lhc sentir qne nao pode Vmc, sob
qualquer pretexto, recambiar es officios que Iho
forem devidamente enderezados.
Ao Dr. juiz de diruito da comarca de Itamb.
Declaro a Vmc. que nesta data trausmtto copia
ds seu officio de 4 do corrente mez ao Exm. Sr.
conselheiro ministro e secretario de estado dos ne-
gocios da justica e ao presidente e chefe de poli-
ca da provincia da Parabyba, solicitando destes
ltimos as providencias necessanas a respeito do
assumpto do mesmo officio.
Ao Dr. juiz de direito interino da comarca
de Villa-Bells.Accusando recebido o officio do
11 de Agosto findo declaro a Vmc. que a esta pre-
sidencia nao cabe providenciar sobre o assumpto
do mesmo, porquanto tem Vmc. na I-i os recursos
indispensaveis nao s para rep-irair as irregula-
ridades praticadas pelas autoridades sob sua ju-
risdieco, mas tambem prevenir quaesquer outras
que ellas pietendam commetter, chamando-as ao
stricto cumprimento de seus deveres a bem dos
interesses da justica.
Ao director interino do presidio de Fernando
de Noronha. Faca Vmc. regressar para esta ca-
pital, te estiver completamente restabel cido, u
sentenciado Vicente Ferreira Honorato, de quem
trata no seu officio n. 227, de 15 de Agosto findo.
Ao Sr. Jeo Francisco de Pontes, presidente
da Cmara Municipal de Caruar.Declaro a
Vmc que nao pode ser approvada a deliberaco
constante de seu officio de 16 de Agosto findo,
porquanto smente Cmara cabe resolver sobre
o raelhor meio da arrecadaco dos impostes desse
municipio, cumprindo-lhe, quanto falta de com-
parecimento de vereadores para haver sesso, pro-
ceder nos termos do art. 28 da lei de 1 de Outubro
de 1828, art. 22 4" e 6 da lei n. 3,029 e arso
de 27 de Setembro le 1881, isto multar os ve-
readores rernissos, e se ainda asaim nao compare-
ceris, convocar supplentes em numero stritamen-
te preciso para haver maioria.
Portaras:
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao Limoeiro m .nde dar, por conta da
provincia, transporte de ida e volta do Recife a i
Limoeiro, quando se apresentarem, ao Dr. chefe
de polica e seu secretario (em 1 classe) 'e tres
soldados (em 3) e tres cavalgaduras das ordenan-
cas.
O Sr. gerente da Companbia Pernambucana
mande conceder pasaagem a proa at ao presidio
de Fernando de Noronha, a Libertina Maria dos
Prazeres, mulher do sentenciado, que para all
segu, Cosme Jos Birboaa, e a urna filha menor,
por conta das gratuitas a que o governo tem di-
reito. Uommunicou-se ao director do presidio de
Fernando de Norouhi.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Officios :
Ao comraanante superior da guarda nacio-
nal da Escada.De ordem do Exm. Sr. vice -pre
sidente da provincia sirva-se V. S. de devolver o
requerimento do alferes Austricliniano Coutiaho
Ponce de Len, com despacho de 2 do corrente,
visto ter sido por equivoco remettido a 3sse com-
mando superior.
Ao commandante interino do corpo de poli-
ca.S. Exc. o Sr. vice presidente da provincia
manda declarat a V. S. que Sea approvdo e acto
de que trata o officio n. 742, de 30 de Agosto
findo.
Ao inspector geral da instrucco publica.
De ordem do Exm. Sr. vice-presidente da provin-
cia declaro a V. S., para seu conhecimento, que
no requerimento do professor da cadeira de ensino
primario do Bonito, Pacifico Paulino Malaquias,
sobre o qual versa a sua informacao n. 283, de 1
do corrente mes, toi proferido o segumte despa-
cho : Concedo, se o do a aula gratuita e nao
t udo o supplcantc no futuro direito indemnisa-
co alguma.
Ao engenheiro chefe da repartico do pr-
fugamente da estrada de fprro do Recite ao S.
Francisco e estrada de ferro de Caruar.S. Exc.
o Sr. vicepresidente da provincia fieou inteirado
pelo offieo ie 3 do corrente, seb n. 1003, de haver
V. 8. assumido a drecco da repartido do pr-
fugamente da estrada de ferro do Recife ao S.
Francisco e estrada de ferro de Caruar.-Com-
municou-se ao inspector da Thesouraria de Fa-
zenda.
EXPEDIENTE DO DIA 9 DE SETEMBBO DE 1886
Officios: a.
Ao Dr. juiz de direito das*execucoes}crim-
naes da comarca do Recite.Transmiti'! V. S.
copia do officio n. 846 de 30 de Agosto findo, em
que o Dr. chefe de polica participa o fallecimento
do rirainoso Jos Barbosa, evadido do presidio
de Fernando de Noronha, por occasiao de effec-
tuar-se a sua captura no termo de Floresta.
Nesta data recommendo ao Dr. chefe de polica
que opportunamente d-me conhecimento do re-
sultado d inquerito a que se procedeu acercando
tal diligencia. E, logo que fr observada a mi-
nba ordem, communicirei a V. ;. o que houver
occorrido a semelhante respeito.
A' commisso agnciadora de productos para
a Exposico Sul Americana, em Berln.Rogo a
Vs. Ss. que se dignem de entender-se com os ex-
positores de productos que vo figurar na Exposi-
co Sul-Americana, em Borlin, afim de que as
amostras remettidas sejam, depois de expostas, ce-
didas Sociedade de Estudos Brazileiros, tunda-
da em Pars em Janeiro do corrente anio, com o
que prestaro ao Brasil um importante sprvico.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Para os fins convenientes communico a V. S. que
o bacharel Pedro Francisco Correia de Oliveira,
renunciando o resto da licenca que lhe foi conce-
dida pelo gaverno imperial, reassumio hojeo exer-
cicio do cargo de secretario da provincia
Mutatis mutandis ao inspector do Thesouro
Provincial.
Ao mesmo.Para os fins convenientes trans-
mitto a V. S. o incluso decreto de 28 de Agosto
findo, nomeando o desembargador Manoel Clemen-
tino Carneiro da Cunha para o cargo dedvice-di-
rector da Faculdade de Direito do Recife.
Ao inspector do Thesouro Provincial.Em
additamento ao mcu officio de 6 do corrente decla-
ro a Vmc. que a Francisco Pacifico do Amaral
nao compete o fornecimento de almanak para o
anno de 1887, visto nao prevalecer mais a autori-
saco contida no 83 art. Io da lei n. 1860 de 11
de Agosto de 1885, sobre a confeccao e mpresso
do almanak da provincia para o corrente anno. O
que Vmc. far constar as dito Amaral.
Ao gerente da Companhia Pernambucana.
Em resposta ao officio de Vmc., datado de 3, com-
municando-me a sabida dos vapores GiquieJa
cuhype, a 10, para o presidio de Fernando de No-
ronha e portos do sul at a Babia, declaro-lhe que
transfira a viagem do Io dos refei idos vapores
para o da 12 do corrente.Fizeram se as devi-
das communicacoes.
Ao mesmo.Recommendo ao Sr. gerente da
Companhia Pernambucana que d suas ordens
para que o vapor Giqui, que tem de seguir 12
do corrente para o presidio de Fernando de No-
ronha, toque na ilha das Roccas, afim de conda-
zir nao s os pharoleiros ltimamente nomeados
para o servico do pharol da mesma ilha, Alfonso
Ferreira e Joaquim Venancio Caldeira, com suas
respectivas mulheres, como tambem combustiveL,
mantimentos e vencimentos dos pharoleiros alli
existentes, segundo solicita o inspector do Arsenal
de Marinha em officios ns. 452 e 455, de 4 c 6 des-
te mez.Communicou-se ao inspector do Arsenal
de Marinha.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Officios :
Ao commandante das armas.De ordem do
Exm. Sr. vice-presidente da provincia, communico
a V. Exc. que remetteu-se ao Ministerio da Guerra
os dous pedidos, que vieram annexos ao seu offi-
cio n. 439, de 26 de Agosto findo, afim de provi-
denciar no sentido de serem satisfeitos pela re-
partico do quartel mestre general por montar a
respectivo fornecimento em urna somma elevada.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
O Exm. Sr. vice-presidente da provincia manda
remetter a V. S. quatro ordens do Thesouro Na-
cional, de ns. 185 a 188.
Ao mesmo.O Exm. Sr. vice-presidente da
provincia manda remetter a V. S. a inclusa ordem
do Ministerio da Guerra de 27 de Agosto findo.
Ao inspector do Thesouro Provincial.De
ordem de S. Exm. o Sr. vice-presidente da prs-
aincia, remetto a V. 20 exemp'ares do Alma-
nak da provincia relativo ao corrents anno, afim
de serem distribuidos por esse Thesouro, Consu-
lado Provincial e procuradores fiscal e dos Feitos
da Fazenda Provincial.
Ao inspector Interino da Alfandega.Um
exemplar.
Ao inspector geral da Instrucco Publica.
Quatro exemplares.
- Ao Dr. chefe de polica.Dous exempla-
res.
A' Repartico das Obras Publicas.Quatr
exemplares.
Ao commandante interino do corpo de poli-
ca.Dous exemplares.
Ao bibliothecario provincial.Um exem-
plar.
Ao regedor do Gymnasio.Dous exempla-
res.
Ao director da Escola Normal.Dous exem-
plares.
Ao commandante geral da guarda cvica.
Um exemplar-
Ao commandante das armas.Dous exem-
plares.
A' Thesouraria de Fazenda.Dous exem-
plares.
Ao inspector do Arsenal de Marinha.Dott
exemplares.
Ao administrador da Recebedoria.Uat
exemplar.
Ao Dr. Ignacio de Barros Barrete Jnior,
1 secretario da Assembla Legislativa Provin-
cial.De ordem de S. Exc. o Sr. vice-presidente
da provincia communico a V. S. que no officio de
31 de Agosto n. 181, a que veio annexo o ponte
dos empregaios da secretara d'essa Assembla
concernente ao citado mez, fui proferido hoje o des-
pacho seguate : ttemettide ao Sr. inspector ds
Thesouro Provincial para os devidos fins.
Ao engenheiro riscal da estrada de ferro do Re-
cite a S. Francisco.S. Exc. o Sr vice-presidente da
provincia manda dec arar a V. S que n'esta date
teve o conveniente destino o relatono dos traba-
lhos executados n'essa estrada de trro durante
mez de Julho ultimo que acompanhou o sen officis
n. 8i de 3 do corrent..
Ao engenheiro chefe da Repartico das Obras
Publicas.O Exm. Sr. vice presidente da provin-
cia fieou inteirado pelo offieo de hoje sob n. 161,
de haver V. S mandado lavrar termo de reo Di-
mente defiuittvo da obra de reparos da ponte so-
bre o no Una, em Palmares, e pasbou o certificad
do pagamento da prestaco de responsabilidade a
que t' m direito o respectivo contractaote.
__ Ao agente da Companhia Brasileira. S.
Exc. o Sr. vice-presidente da provincia fieou in-
teirado pelo officio de 7 do corrente de que o va-
por Cear entrado s 6 horas da manh desse da,
dos portos do sul, seguir para os do narte a 8, s
4 horas da tarde.
__ A' commisso liquidadora ras contas da er-
trada de ferro do Recife ao Limoeiro. S Exc.
o Sr. vice-presidente da provincia manda declarar
a Vs. Ss. que nesta data tiveram o conveniente
dsstino os d cumentot que acompauhamm o ufficis
de 6 d<* corrente.
Edita! t
__ De ordem do Exm. Sr. vice-presidente da
provineia e em observancia do dsp >sto no art.
57 d decreto n. 9,420 Je 28 de Abril de 1885,
faco publico o edital baixo transcripto, p ndi em
concurso, com o praso de 60 das, os officios de
tabellio do publico, judicial e notas e mais cari-
nos annexos do termo de Taquaretinga. O se-
cretario, Pedro FrancUco Correia de Oliveira.




Y*



Mi
o de PeroarabncoQuarta-feira 15 de Setembre de 1886

EDITAL
O bacharel Joa Tavare da Caniae Meta, jn
de dreito da comarca de Taquaretinga, por de-
creto imperia.
Fas saber a todos a qaem poma interes&ar este
ediUl, que nio tendo at hoje ido prvido cffecti-
Tameate nesta comarca o officio de tabelliao de
notaa e judicial ao qual estao anuexo* 08 carinos
de escrivao de orphaos, civel e crime, ausentes,
capellas e residuoaMnaanncrcio. e jsnj, exaraaV
mminaese regitangnrnl daa abitan ra%Jtoa
creados pela lei fanrinani n. 1^16 de 4 de Ire-
reiro de 1879, da aifandada eom nnat. 15* do
decreto n. 9,42 a 28 ale Abr de lana^ficaaner-
to concurso par o visando de toda elle por
espaco de 63 di a, i- nnserlo leafea alat*, de-
vendo dentro aman tean >m pretnnnrate aos
mencionados ofnriaa, a^naaernii pnrna sfcwc-
cionario, apresennar sea* leqaaaiieiBBav os ataca
devero ser dataan angna*lo pretenann-
tes ou seus procurit'ijrs* c instruidos com auto a*
cxame de rafficieucia, f'ltaa corrida, certidao, de
exame de lingua portuguesa, e arithmetica, certi-
dao de idad e attestadj medico d- capacidade
Sbysca, e ao caso de ser maior de trmta anuos
e ter aatisfeito a obrigaco da lei'n. 2,556 de 26-
daetwan>a>1874aa-iai....... nan
meamos pretendentes julgarem neeeasanoa, lado
devidamente senado e conforme os arta. 1M e 210
do citado decreto de 1885 e outros e.in vigor.
E para que chegue ao eoaheciaaeno de todos
ser atusado porta da casa das audiencias deate
juixoe tu^ar do costume. Expedid e publicada
nesta villa de Taquaretinga, aos 31 diaa do mes
V Agpst i de 1886.
En, tiuherme Duqu* Be-erra, eerivo- inte-
rino, escreri.Joa Tavares da Ctmha e Mello.
E mais se alo eontnha em dito editad qne fiel-
mente e',ii.'i di proprio originnl, ao qnal me re-
porto d u t.
T: quiiretiog, 31 d Agosto de f886.O esen-
vlo interino, Guilherme Dtune Baerra.
CERTIDAO
Crrtico que boje, pelas 11 horas da manh-1 affi-
xei n'tal na b dlt cm*ra e audiencias
do juiz de dreiti. abriinlo concurso pura pruv-
menta do otfic: notas "is "fifios
neRnannexo O refaca verdade e dou le.
Villa de Taqnarettoga. 31 da \g>aro de 1886.
__O pirteiro- inturnoFlix -ios*' do Reg Brrele
fc. mais s- (rito eontnha em diia certidio que
fielmente c pei do r-inn que fica archivado em
mu cortan ___ ^
I', ,na i Une, 31 de Agosto de 188b.O escu-
v:i) interino, Guilherme Duque Bezerru.
DBSPACHOS DA I-RESIDENCIA. DO DA 13 DB
SETEMBRO DE 1886.
Dio Pereira S:nrisgo. Bernet Joseob, Do-
mingos Martina Nogneira, Fransa* V*faa de Asis, Gervasio Raymundo Jos dos
o Joo d Espirito Sauto, Jone
Barbosa de -anta Isabelj Jo*
. Silva, Manoel lio di-
da Silva, QmntiUaa S-.ntos e \ leea-
te Antonio dos Santos N'esta data providencio
atido d- ser entregan pelo almojarife d o
presidio de Fernandb de Noranha o peca:
es. ..
Companhia Pernambucana, Jos da Wlva ap-
Lmrenco A'ves de BlitO e Ricardo Jos Go-
mes da Luz.Informo > Sr. inspector interino d*
Theso.irarie. de Ftfzenda.
Antonio Candido. Ferieira e Serveliano Crrela
Maia.-R-mettido junta medica provincial, a
quem o anppiieante se presentar para ser ios
neccionade. .
Tenentc coronel Ernesto Machado i rataa Perci-
ra da Silva.e Dr. Joao Jos Pinto Jnior.Sim-
Francisco Lins de Albuquerquen Manoel Jobo
do N*sci.i;ento.-Smi, pagando os supplicantes 3
coariedrias.
Francisco de Paula Prudencio Machado.Aa
Sr. porteiro da secretaria desta presidencia pui-a
faz;r u rosituicao pedida, c-Suindo-a-nas despe-
gas a seu cargo. .v
Padre Genuino Walfridj de Sonza Gurjao.
Deferido com o officio desta data ao Toeeooro Pro-
vincial. ___. _
Joaquim Machado Mendes Guimaraes Passe
p rtaria e a respectiva carta de naturalisaciu.
Joao Francisco dos San'oR Filho.-Paase porta-
ra dando provimeato ao recurso.
Joao da Vatta- FilgneirasvInforme o Sr. Dr.
chefe de polica.
Joa-* Dercw4ino.de Bar*aIiio8.Retnettida ao
8r. cnwandate suparo d guarda nacional das
oom-cas de Barreiro o- Palmares para mandar
passar a ;aia de que treta art. .46 do decreto uj
1,130 de 12 de- Marco de 1853.
Mara Joaquina da Couceieio.Encurunne-ae.
Victorino.^O Bopplicante toi attendido pela
iunta, eom sua naolhec e trea filho, dos quaea
mando hoj'eieluir um. por ter attmgido a 4dade
undo consta da ciaseifioacao, daudo-lhes
amesraa junta o lugar que Ihea competir, confor-
me a elasse a que perteneca o suppcanto e sua
mulr=cr. .
Vii tr.n-.O supplicaate ja fot attendidona
forma da lei.
Secretaria da Presidencia (le Pernarobu-
14 do Spt-iinbro da tlBd
O i-juiiante do porteiro,
Antonio F. da Silvra Carvalho.
Joa Joaquim Al vea.Pagne-ae.
Jkaaerie Paraira Braoday Tnaonhila **?
Cavalcante di Albuquerque e Antonio Ferreira
Muniz Certifique-se.
Petronilla Aurora de Mello, Antonio L. Cae taa-
da Silvi e outros, Mandil Jos Pereira, Luis Fe-
lippe dos Santos Pto, Joao Rodrigues de Mowa
e oficios do Dr. chere de palieia.Informe .
contador. _
Antonia. LeopoUiaa. de Amorim.informe a ar.
Bk. 1 i -J" da Ganaalado.
COI
laal* af 4-OVlalCal
DESPACBM DO DU 13 DaT 8ETE.
Ananao Angustnde Vaneosanellos, Sajuzn
Qmwm Alara Ia Ioforaav a 1" aaa^k
Baltar Irmaos A C. Informe a 2
8eceao.
Francis:o ^nta^de, Brito e Filan.
Satiafaea n exigenc>lian 1* secgao.
Coato & C, Pedro Aniaea & C. e
Jos Caetano Marques de Amena- A
1* aec^o para on devidos fin.
Isabei Francisca dnCt Anaanal Leo.
Ortitque-se o que constar.
- 14 -
Francisco dos Santos Martyres do Naaci-
mento. In rme a Ia secffto-.
Joao Pinto, o inesmt. Ccrtitiquc-se.
Plumia im Cimba Teixeiri. -Certit-
Pedro ArUunes &C Antonro on^lves
i'erpira & C, B-nto Machado A C, Lopesi
Alheiro & C, Jos Pedro de Melfo & C,
Pashoai Sainllis, Ferreira Casco & Fi-
lho, Maia Sobrinho & C. Manoel J-
quim Freir. Informe a Ia seccSo.
Pdro \far;nbo. A! Ia seceso para a
iLevilos fias.
Bernaido Alves de Britto. Cernn-
que se
Jos Xavier Estolano Santiago, 10 pett-
(,-jjs. dem.
Oljmpio Marques da Silva, 6 peticoes.
Certitque-se.
Antonio Ramos Nuaes, 10 petif/)es.
Certifique-so.
Manoel Maria de Moracs, 1 peticio.
Certitque-ae.
Antonio Tavares tic Almuida, 1 petizo.
Cer!itque-se.
I i bao Jos de Souza, 1 peticito. -Cer-
titque-se.
Fran'3C0 Xavier da Cruz, I petigao. -
Certitique-se-
Vicent". de Oliveira m, i peticao. -
Cortitiqup.-so.
Joa Francisco "dos Santos.-^- Certifi-
quese.
Cear*
Datas at 11 de Setembro :
Trabalhava a assembla legislativa provin-
cial, tendo sido eleitos os Srs. : presdante, padre
Graa>; vice-presidente, padrea Feraantten e Il-
defonso ; secretarios, Martinho e Valdeoaara.
Por anlo de 9, foi concedida, ao offieial d
theaanro provineial Joaquim Francisco da Costa,
a aposectadoria que pedio do dito emprego, visto
goffaa damolaatia que o impoaaibilita de continuar
a sasnar.
Para anear de atanial da tbosouro provin-
cial t uaanaanV por acto <*a 9, o cidad&n Jnsti-
niaiidaV anpav
Chagan m sua aarnisaa- pastoral ao nantr
ila pmaaaaa o flain. e Rvdan. D. Joaqoiaa, nVgp
Dioceaaaar.
ffaaVrer aa cafetal o negociante pnrtafuez
Antoaw Us Oancia.
Unana 1, a* iaaa*^, naariinan 4o. Cam
presidente d"* pro
.
na***, mmwcewmmmna. Enm.
vfwefa, efceres dte rparT^fb e
innitas pessoaa gradas, teve lugar a inaugura-
cao do edificio construido para quartel dos apren-
dJzes inaiiuhairoa, paopriedade do- Sr. Jos Mari
da Silveira, e contratado por > lguns annos pefo
ministerio da marinha.
O aiiaia tan vanaan aiiiasaaiia
oem monaaoo.
fez a gaarda de honra os aprendizes, tocando
a msica do 11 de infanteria.
A noite foi offereaiJo pelos Srs. commandante
Manoel Pereira Pinto Bravo, seu iramediato Ray-
maordo F. K da- Costa Rubim e o Sr. Joa Mara
de Oliveira umareuniao familiar, que teve concur-
rencia numerosa do senborae e> eavalhe^ros
A alfandega randera no mea de Agosto nodo
o segainte :
Mantos de consumo 03:757*919
Aagmcato de 60 "/. addiciomves 32:246131
Expediente de gneros arrema-
tados 7l8
Armazenagem 1:069*929
Imposto de phares OO^MK)
Direitos de exportaco 8:778&IO
Reiras internas l:60c#392
Randa extraordinaria 6247%
Imposto de 5 '/o para lando de
emancipacao 4:390335
Deposites 296*317
KEilSTA HARA
Provlmenio de retno munlriuai
DajBecretana da Presidenain enviaram-nos hon-
taaa para publicar o seguate :
* 4 aeocAo.Palacio da Presidencia de Per-
nambuco, em O de Setembre de 1886.Tenho pre-
sente as informacoea ns. H e 20 prestadas pela
Cmara Municipal do Recua, ea 24 de Mareo 2
da Main altimos, sobre ananwa inteanww yetas
ereadnres Drs. Augusto Carian Vaa t OlaVaira,
*>& Jnguato do Kega> Bao e bncanrol Jm
"a anta de Oes Uavafcamtn, din deiMancaWajUa
y* J mesma Cmara flann ana t*-MT0S>7t a
ajannnan a pagarse, a tita* V nclaanaisa^iava
Penan) C, ex-contraanatni aW tervie de tanan-
porte a* carnes verden, etti rrtude aV aonwit),
autoatanio pelo art. 1 da lea l,taaVde>M de
Agmna a% auno passaav
* Am<* de tudo, oaWiHW rnfar a nshfewf*,
com que a Cmara tem pretendido justificar a
errnea doutrina, de que as suas delberacoes in-
depeadeu d appaovacao da Praetdaaeaiv e iato
tem suceecfido, sempre que contra ellas tem havidO
recurso. O pretexto, para isss apresentado, de ter
n ante w delihera^ao renarrid* e entra laejiaas nato
\ Cuan a, em virtud de autonsacSes concedidas
. ,' i_:_ _..*.____._ _*. i .
102:3985946
A scelo de arrecadacao rendo". 2:276<90l
no referido mez de Agosto.
Rio raudo do >'orr* o Parahyba
Datas d<-. Natal at 12 e da Parahyba at 13
ds Setembro.
QtqaM i- ni un importante occorrou ^s^A relata-
do na carta;de nojso correspondente, inserta sob a
ruDrica Interior.
..._.. ...^-
co em
v.epartiro da Polica
Soegao 2aN. 896.-Secretaria daPo.
licia do Pernambu.'o, 13 de Setembro de
lt-ti. Iilui. e Exm. Sr.Partecipo a V.
. que foram hontem re olbidos na Casa
i) tenea* on seguint'-s individuos:
A' ii inha orden, Manoel Vieente Fer-
i ir v.nlo do termo de Santo Antao cuino
uatiada m erifl da orimentos na co-
c Naaar th c no rlc furto de oa-
Pfe <:'A i"; Bellarmino Jos
S nms, ramettido p^lo (lel-/gad<> do t-r-
(loria do Goit 'omo stntenciacio^
A! ordaia do Dr. de.lrgado do 1. dis-
trictn da capital, Joa .Mara Bezerra do
i -;urb03.
A' oi-doui do sub'Juleg.ido do R-f", E
, L,ureni,o Soaree, por uso de ar.ias
,,s ; Jos Antonio de Souza, como vh-
^;.bun o; Anton;o Vctor de Araujo e Ma-
noel Domingos Nun'-s, por disturbios.
A' id mu (ia de Santo Antonio, Jos
Oupha Souto-Maiur, Joseplia M .-
o, J ao Pero Gomes, Iii-
i Jos Francia o, Silvestre Ferrei-
ra d" Castro, Justina Luiza da C
i Tortea, Joao da Silva Oli-
1 Joaquim da Silva Sontos e
beoplilo dos Sai.tos, por embria-
i.^turbios.
do do 1. districlo da Boa-
. M n .el Co -::po-Verde, per djatO-
P.lo commandante do destacamento-
rthi t i nado no termo da S. Jos
>to, foi capturado no i i o nomo Francisco doi
, :- nti nciado no termo do
da provincia da Pi.raliyba.
- II .oten, s 3 1/2 horas da rardej
ii na- enfermaria da Caaa le De-
ludido de tal, conhecido por Gnlli-
iia jidrt.
D.us guarde a V. Exc.Illm. e Exm.
Sr. Dr. Ignacio Joiqaim de Si.uza Le5o
aurit digno vice-presidente d^ provincia.
-O befe de polica, Antonio Domingos
Finio.
Thesouro Provincial
BKSPACUOS DO DA. 14 SETEMBRO DE 1886
ucisea de M-ndoncii Pinto.Facam-se aa
ay**8 da portnria de licci
Gnldino doa Santos Nuaes de Oliveirae Anto-
a i H.oeiqnss Bodrigfues.Satiafac* a exigencia.
do tbesoureiro das Obras Pnblioaa, -da
.. dos Artistas Mechaoicns e Liberaes,
aos eelleoiwta da Paiwaai Onricury e Tiababa
Haja rista o 8r. Dr. procurador fiscal.
,B0 BE fEMASiaiCO
\ta'i;) do norte
O paquete nacional afonda, entrado hontem
do* porto do norte, foi portador das seguinte3 uc-
ticiaa :
toiaiona*
Datas at 31 de Agosto :
Prosegua seu tramite o procesao do assaesi-
nio de Custodio Garca.
Appareeeu em circulaoao urna cdula de
100 conv o-nn ('-e urna respeitavel firma com-
mercial, tendj por baiio falsificada a asignatura
deGnrcia.
Prepravanvee feetejos para o da o do cor-
rente em cominemoraeao data da lei que elevou
m comarea do Alto Amazona cathegonade pro-i
vincia.
O Dr. Kaurualdo Martina deaunaou ao Url
inspector de hvgiene publica do Bubdito hespanhol
. Cesario Salina Se. Fernaadei, por exercer lile-
galmente a medicina. .
Conatonao Anazonaa que tora nomaado inj
ternamente procurador fiscal da Thesouraria d*
Fazcoda o padre Israel.
__ Pedio e obteve eioaeraco do cargo de ebefd
de polica interino o Dr. Joo Hasaonah de Oiii
veira. .
__ Foi nomeado procurador fiscal mteuno M
Thesoaraiia de Faaenaa, o 1. eseripturari Ca'
navarro, em viitude de nao tr aceitado a nomea'
eo o padre Israel.
foi nomeado ckef? de pocia ntertoo o Un
HaymjndJ Jos Ratello. .
Estava tonecionando a 4. sesa> perisdic
do Jury. ,
Dixia-se. qua entrar em julgamcnto o re
Taciano Torres, aasassino do capltlo Torre Gar
ca.
Pari
Datas at 5 de Setembro :
O Diario do Grao Para da ultima data pn
blicou aeeguiute ndicia : ,
__ por aeto de bontena o Sr. conaettieiro Fre tas
ilrnriques d^mittio da cargo de director gera! in-
t.ino da instraecao publica o It^vd. Dr. Manoel
Curios do Nascmcnro.
O Sr. presidente da provincia fundameat 0 o
aeu Krto u publicaco feita por aquelle funecio-
nnrio em artigo inserido uas coloran. d'esto j -r-
nal e por iim orSeio que lbe foi dirigida
AguiTd.-.mosn publicaco do officio que den
. no proeediim uto do Sr. Freita Hnrique
ualinoar o eeu pn-cadnento.
Cons-tu-nos que foi nomeado para sobstiiuil-o
o Sr Dr. Liberato Cuatro.
Deixara n> dia 4 o <.-om nanUr da tirinas o
le ro Jos Clarindo de Qocru, qMI angaM
0 Ro de Jamiro no Mano. No luifar inte
rrn.urft-nte estava o aorOsH Joaquim Jos de Un
lea.
Falleceram: na capital Isidoro Iiaym
da Ooata e aa croada d- CameO o joven e intelli -
ntM snaBtn Mtnnnl Mavtinai Pereira Lobatoy
insta da Escola l'olyteehnica da ('tc.
No mes de Anean irrecadou a Aliand-g
de Belm 713:644*821.
Comparando e#a soarm com a de igual mea
do annos anteriores temo':
1881 690t8S6|58i
188- 823:800^775
>-99:981t24
467:9861131
1^8) 644:.r)36K3
1S8 773:644*821
Xo referido mez a Reeebed ira arr.'eadou
331:087*236 que, comparada com igual mez doa
annos anteriores, temo :
lh8l 144:928..
188v 192:7014893
188 246:932*701
1884 155:943*656
1885 209:445*469
1886 331:0878226
Haraohe
Datas at 6 da Sntembro :
Grasaava em Alcntara a feb-e am^rella.
No vapor qu chegara capitul dos portosi
do ul, cm 23 do mex fiodo, fra o Exm. Mr. Dr.
J.'s Beuto de Araujo preidente nomeado para ai
;>rt vincia.
Recebido por grande numera Av pessoas e com
a9 honras que Ufe sao dtvida, desemburcou S-
Exc, indo residir no palacio do governo com euai
un* de beriben, o dfeOto Aa Exma. familis. onde Ihe foi oftwecido um lauto al--
rno^o pir saus correligionarios polticos
fjo da 25, 1 hora da tardo prestou S. Exc. c
devido juramento parante a cmara municipal da:
d, tomando posae da administradlo da pro-
vincia, i m cuja ocoasio foram-lbe feita as hon-
ras e.continencias do stylo.
A este acto comparecern as priucipf.es autori
dudes, muitos fuuccionarios publicse grande nu
un.ro da pessoas do povo, estando postada iunto
ao paco da cmara urna guarda de honra do 5o
batalhao de infantaria e o corpa dos educandos
ariifice, camiBdndado pelo seu dign director.
Em Hcto continuo s-guio tedo o prestito para a
igveja c.i.hodral, onde teve lugar a celebra^iU d<*
uin soleuna Te-Dvtm. a que asaistio todo-o clero,
piesidid pelo Exra. Monaenbor Goveraadjr do
Bispado.
Depois desta ceremonia religiosa foi S. Ese. o
Sr. presideate aoempanhado por todo ateo pa-
lacio de sua residencia, onda foi coraprimenUdo
por umercicido numero de fuuccionarios e cida-
daot distinctoa.
Parahvba. era 13 le ftembro
Je iHHt.
Pouco temos que dizer-lhe desta vez.
Continuamos a gozar de bdra estado
sanitario, o o verSo vai sendo fresco:
A Assembla Provincial na? tom ul-
kdiaWaate tuneoionad cora rPgu'aridade'
Diz-so at que nao teremos or9ambto pera
o futura ex^rcicio.
Se isto acontecer, o que nao esperamos,
a responsabilidade intuir cabera opposi-
cSo pela grve que' tem feito, coneorwndo
assim para n5o haver casa. Era minera
occaional) pela ausencia de alguna depu-
t ios, aguarda, segando propala, o regres-
an dests para entao proseguir na 2.a dia-
cussSo do orcamento.
Nao acreditamos, porm, nessa verao,
e ao coutririo embalamoa'ai fagueira espe-
ranza de qne a opposicao-, melbor aconae
lhada e seriamente compenetrada doa setts
deveres, alienar de si o triste expediente
das greves, dotando a provincia com1 una
orcamento na> aUura< de suas actuaes cir-
enmetaneias.
Se o projectoem discasaSo, apresentado
pela coramissSo respectiva, nao no con-1
ceito da opposic2o,.o mais opportuao econ-
vonionte, cumpre-lHe aporrtr-lhe os sanSe
e reparar-lhe as faltas.
E' esta a missao das opposieoea serias c'
bem int-ncionadas.
Dois dos tres deputados liberaes que a-
cornpanbam o Dr. Paulo Primo, deputado
Assembla Geral p'b dis-tricto des-
ta provincia, os Srs. mjor Amelio Anto-
nio.Marinbo Cesar e capitilo Joao Alvino
Leite, a'despeito da promessa que fizeram,
mediante accordo previo cora um doa ohe
fea conservadores, de auxiliar a passagem
do orjamento, mostram- e hoje, scno ar
rependidos, de.scofiados, pelo motivo de
ter o-Jornal da Paruhyba cbamado-os de
alliados polticos, classiticacao contra a qual
protestaran! em um dos ltimos nmeros
rio Diario da Parahyba, crgao liberal.
Nao nos parece procedente a razSo dos
amuoe dos dois deputados liberaos, por-
qusnto as llaneas polticas boje sSo mui
to frequentes e coramuns na vida dos par-
t ios, s-m que dellas resulte a mnima sus-
peita contra a autoninia e digniiade dei
ada um delles.
- O celebre facinora Jos Bsrnardo.nao
podendo permanecer em Perpirituba, thea-
tro de suas f9anhas, pelo receio le ser
capturado pelo destacamento alli existen-
te, foi tsr em suas correras, com dois de
seus comparsas ao lugar Olho d'agua,
da omarca de Mamanguape, onde atacou
bara roubar a casa do negociante portu
gues, Jo? Cafedorio.
Foi, porm, infeliz em seu acominetti-
raento, porque, dando-se conflicto, ao qual
fompareceram o inspector de qnarteir.lo o
um seu filho, foi morto um dos assaltantes,
em cojo poder estava o dinh-iro, joias e
tres cavarlos, j ioubados, e f.-ridos, leve-
mente o mosmo negociante e sua mulher,
e gravemente o inspector e filho, logrando
evadirem so Jos Bernardo e o outro com-
panheiro, que consta terem sido tambera
feri los, ignorndose, porm a natureza e
gravdade des ferimentos.
__Regressou de Pedras de Fogo, onde
fra syndic r dos acconteeimentos que alli
(neram lugar ntimaniente, o Dr. chefe de
polica.
Nada, por ora, podemos arHantar, a
agnardainos a publi :acao do relatoro que,
s-.m duvid.1. ter de apresentar sobre u
resultado de sua eoraraiasilo, para delle tra-
tarmos no seguinte vapor
Esees acontecimeaws referem se- a um
bomiiioio praticado por urna praca de poli-
ca do destacamento de Itarab, u a tenta-
tiva de aeaajsinato contra o collector de
rendas-, provinciaes, pnr um conductor de
animaes de ongenho, qne se recusou a pa
gar o imposto de- tranzito, consignado na
lei do orcamento vigente.
Chegou ltimamente do alto s9rtao,
conduaiodo 11 presos, o alfere a de hnha,
Agnello Lopes Pereira, um dos co.nman-
dantes don destacamentos volantes naquel-
las padagens.
Consta-nos que brere rsgressar, indo
permanecer ent Pdmbal> ponto escolhido
par acudir da protnpto- As emargnnoian do
servico pnblco.
por lei? proviHcraes, nao estipulando' expiess.v
mente que taes deliberacois ej*m submettkiaa i.
approvacao da Presidenoia da Provincia, rateira-
meote i na l-'uMssjver, porquaato taes leis nem ex-
prese e anda menos tcitamente- podem revtogur
as disaoBioe da lei drganie* da Io de Outabro d
1828, coeigoadas alm de outro, nos art. 3 e 78,
qnano snperiBtead?ncia e attrrbuiQOJudos pre-
sidentes da provincia, relativamente s munici-
palidades. Feito-eat reparo, pjsso demonstrar
os motivos, porque nao pode per Mpprovnda a deli-
beraco recorrida.
v A emprea Henea & C, que no dia seguinte
ao da assignatura do-contracto orovisori autori-
sado pela portara desta presidencia di 2 de Ja-
neiro de 183, apnessou se a prevenir a cmara
que ee Hthava habilitad-v a comecar o servir
conduc?ao de gado ab-itklo e fi-esuradoir.tadouro
pira o t.alhos da cidwd'e, nao tratou de proceder
avafaco de todo o material empregado, antea da
comecar o servico, conforme estipulaoio eipreosa
da clausula 4.' da citada portara, sendo entre-
tanto merecedrras do sebero repia-o as evasivas,
com que os rootmetuntes se esquivaram de a pre-
sentar codo o material, que dizianr possoir e o
respectivo valor, segundo se verifica do parecnr
da comm8sao da caaiara. que foi, a 9 de Feve-
reiro de 1888, proceder a um cxame, mSie de Um
mez depois de iniciado o servico.
E' evidente, portant?, a dilfieuldade de saber-s
que derpezae a empresr. havm fico, quando foi
intimada para suspender o surv.co a seu cftrgo.
Pela sentenca do juizo ci?cl do Becife, confir-
mada-em ultima iastancia. a cmara fui candem-
nadn a pagar a Peaa-A C, soment'u a importan-
c i- das despezas anteriores ao tempo em que estes
t veiam conhecimento da snspenso- do contracto
abatido o valor do material comprado. Isto expli-
ca a facilidad*? e bene-voleaci- eom que os ex
i-ontraet-uit'-e, julgaodo-ae a principio credors
la cmara da importancia de 32:5995200, depois1
-ios tnbnnaea, redociam seu pedido al
Iil:(i57571.
o Anda assim, porem, esta quantia engerada,
porquanto ella ootaprefaanM o paguneot de um1
dvogado judicial e administrativo, lucros cossantes
oiM&a verbas iiiadmissivip, quercm virtud da
sentenca judiciaria quer por forca da citada porta-
ra desta pres idenciai
Nao menos exajgerada a conta apresent-ida
pelos cmpre8irins, quants ao material, cojo valor
entretanto, elles ignoravtim, quaudo a Cmara por
mte.-medio de sua eontmisaio procurava indagar
ao tempo em que elles j deviam estar preparados'
para i?so. A. cada carro, sendo que una yk servir
ua corte segundo os empresarios confeasaram para'
coiidne^o de carnear verdes, deu-se o valor medio
de 3:1575652, sendotodos estimados em'.........
I2:63l)*08, foram arrematados em leilS) por
4:lC0S000.
O'onde resulta que, si a avaliaelto bo era exa-
gerada, os empresarios nao podiain nem deviam
consentir que taes objectoa novos e quai sem uso
se vendossnn ao correr- d marte I lo por preeo tio
nfimo, como se fossem salvados, coto avaria,, de
algum ini'kndio ou sinistro martimo, corrend
prejuizopor conta da Cmara, que nao autoiisara
o leilao.
fL vista das cansideracoes expendidas- e to-
mando por base, o que consta de todos os docu-
mentos annexo* predtas inf^rmacoea, attenta
a falta d elemento essencal para um calclo se-
guro, qu* era a avaLiaco, nunca procedida, de-
terminada pala citada clausula 4a, tenho resolvido
arbitrar em 9:867j240 o preco da indemnisa^ao,
devendo a referida tirna social Penna & C. liqui-
dar no foro competente o que julgar a bem ide seus
direitos, si nao quizer annuir ao recebimento da
mencionada quantia de 9:8675240, como qitaco
de seu debito em a plice nos termo, (lo supruci-
Udo arr. 13 da lei n. 1862.
Desta forma dou proviraento ao recurso n-
terpesto pelo referidos voreadores.
O que taca constar mesma Cmara para seu
conhecimento e devida execuco. Ignacio Joa-
quim de Souza Ledo.
Hallen* parpo-No egregio Tribunal da
Relac.-ae toi b)ntem julgada umapetico de habeae-
oorpus, sendo paciente o- Hr. Dr. Eduardo de Bar-
ros Faleode Laeerda, tbesoureiro da Thesouraria
de Fazcnd.
O tribunal jlgu-se competente para tomar co-
nhecimento do referido habeos-corpus, c intra o
voto do Exm. Sr. couselheiro (umtino Jo de Hl-
rana ; e denegou a ordera contra os voto dos-
Srs. desembar^adores Pires Ferreira e Buarque de
Lima, que mandaram ouvir o Sr. Dr. chefe Je po-
lica, averbando-se de suspeito o Sr. couselheiro
Queiroz Barres.
O advogado do impetrante foi o Sr. Dr. Ulysses
Machado Pereira Viauna
iMccionarto UniTernal de Kiluc-arai
e Enolna-Para a. Iivraria traneeza do Sr. J.
W. de Mideiros, acaba de ehegar do- Porto a ca-
derneta n. 34 desta excellemV" obra til Macida-
de, s maes de familias, aos professores e aos alum-
uot- que se preparam para uxames.
Provincia da Paran y toaFomos obse-
quiados coin a remessa de um exeinpUr da Falla
com que o Exm. Sr Dr. Antonio Hercul.m
r) iuza Baudeira abri em 1 ao mez p-.sndo a 1.
sesso da 26." legislatura da Assemblen. Provinaial
da Parahyba.
Agradecemos.
ItetralOM a sl-0 S-. Euolides de Faria,
do Maraiihao, i ffertoil-nas um exenplar do seulivro,
com o titulo cima, em que traca dez retratos a
gis.
O autor veraeja com suinma facilidade e gosto e
os retratos sao feliciseimus e muito engracados.
Agradecemos Ihe o mimo que nis fez.
Babiatiste vapor da Lomp inhia Brasiieira,
sahio houtein do porto da Bulla, s 5 horas d
, segundo o avisD tolgraphico aq-ii recebido.
Iinli<-iruOa vapores nucionaes S. Fran-
cisco e Manos I a dos port-os do norte pa-
ra diversos 13:918500.
O vapor Francisco levou para diversos
particulares em Mossor 43:0 R)5. .
O vapor Giqui levou para o almoxarilado
de Fernando 4i9altffKM
Fallecinieato De urna febre paludosa
suecumbio hontem pela maiihi, ua Tone, onde
se achava em tratament.), D. liosa de- Barro.-
cioli Lins, esposado Sr. majar Presouno de Bar-
ros Accioli Lana.
C mtava 33 annos de idade e era urna senhora
virtuosa v e^timuda por todos quantas a conne-
ei.iin.
A seu desalado esposo aprevenamos nossas
coadoluncias.
0 PaliiNCODstribuo-se hontem o n. 2
deste peridico illuatrado e humorstico.
Gremio Cinerario l'crnaiiihiifaii
Procodendo-se a lei^o par a nova direetoria
que tem de funccii.nar uo prximo trimestre, foi
este o resultado :
PreaidenteTheodoao de Freita Barbosa- (re-
leitoi.
1 Vice-presidenteiMsaoel' B. Oavaleante J-
nior.
2.* DitoFranoisco Qom.a Patente Flho.
l.o Seuretario1 Barro Jnior (reeleito).
2." DitoAlvaro da Silveira.
l. hupplenteAlfredo de Oliveira Lima.'
2 DitoCarlos Viegan.
larThomaa Gomea Viga (reeleito);
Vice-oradorEurico Witruvio e A. de Vaaenn-
cello.
TheMureipeEnsebio Mendonca,
BibliothecarioPraneaco da' Barro Peaeoa.
ArthiVistattoaolpoo Aranosa.
Coumistoe aa syadicaneia :
RelatorEurico Witruvio
MembroeGomes Parate e 1ro de Campos.
Redaccio :
Relator-Thoma Yigan.
MembrosBarros Jnior e Vieira,
Polica :
RelatorThoraaz Viegas
Membros Freitas Barbosa e Gomes Prente.
Conta:
RelatorPasaos Asis.
MembrosAnnes Jnior e Drummmd.
Em seguida foi designado o dia 17 do crente
para ser empontnda a nova directora.
Na noticia dn uitiasa seaaan detaaa-ae don en-
gaos quo narren me-.ifiar; 1. a eesaio reali-
sou-se no dan 10 e MaW no din 9 ; 2.* peraonagem
Mazarino, Mentada aaio prnaaotor nat *oe Taomaz
Vigaa e andido nelo ar Jos Cavia, foi con-
demnado e ala abaatndo, annw foi pntlieanax
Impona de rntlajMrina e prnflt-
aoeaA BtMabedoria de Usadas nU prernUendo
arrecadacnn. Uva V matan, do 1? seaaeatre de
imposte de iodVaatrtaa e rnaaWatns relaaivo ae> *xn*-
cicio corrente.
Curioso phpnomeno Le e no Lidador
do CsUri do 1. de Setem5ro :
diste na serra dn Baturit, nc sitio < Porca-
magra do crpitao Jos Balbino Rabello Leitao,
urna crianca pheaomena!. E' um menino que ape-
nas eo*ftr 9 aawos volvioyjsy cada atama do tamaito de una laranja
eomn*unj, e d diariamente ama chicara de leite-
puro, coi) o de s/uatqoer nHtlher.
A mai dVisa orinva, qu^ ama viaVa, oujo
marido foi1 assaaniaadV en* das d'este aano, no1
dtetricond L*eirao; dte que oexqnisiM phen-
ueao'a que ao referimos foi1 or elta desdbberto1
pincos-dias depois do ansciment do aeu Sino,,
sendo de entilo para e* pteoso qtte' ella o deslete*
trM vezs o dfa', porque' db oonlrari* a crianca
nao s"pporta a agglomeraclo do leie as glndu-
las mamarina.
D'e*se facto sabm todos os1 que moram noi
Mulunn e LaweirSo e' nos foi referido pelo noseo
eifinrtdo' amigo Martinho Rodrijoes, rputa'-to
provincial, que o ouv> do Sr. Jos Balbino Pir,
vereadbr da Cmara do Baturiti, e do Sr. Jbaquim
Vieira do SoRza Oarneiro, negociante, que vram
u^amiaaram a siugalar crianca1.
Uabincln de liifnra t>anieilereo-
e-Eicrev>'m nos o seguinte .
Nodia7 db corr v o Gabinete de
Leitura Intructiva c Recreativa1 Gflmellerease
embwDdeirH lo, sendo a norte ihuminado, naa s
sal vista' da gloriosa data de nossa inlepsndencia
como tambom1 pir faf i W|nM da creaeaa do
mesuio instituto.
A's 9 hora d* noite, mnit&s cavalheiros'
acompanbado de urna banda de mcOfe&y pefeorre-
min ae raa da villa, erguendo diverB vivas' ao'
sympithlco pharmaceatic,) A i-n-ijliano do A. An-
drad -, instituidor do meamo Gabinete.
! i minutos da manha'
dirii-'io S. Exc. a- mor prte da'socledade a eBtacuo1
aflm1 de refcebsr os digan*, presidente e orador,
que foram alvos de urna grande rnanifestafij e!
d'ah seguirn todos pera o Gabinete, tocando a
msica, durante o trajecto, escolhidas pecas de
seu repertorio.
A" 1 hora da tarde, ao toque do hymno bra-
silero, e porante pessoas gradas, foi aberta a ses-
sio, pioferiodo o distincto presidente Dr. Jos
Ea genio'dn Svt Rimos, um importante discurso,
e ii'i-espondendo'perf'itaraente a espnetativa-do au-
ditorio.
> Orou em nome d-j Gabinete, o intelligente
profesaor Adolpho Astolpho Lins de Albuquerque,
ornamento do magisterio, que em eloquent.es oa-
lara, mostrou o brilho de tao memoravel da.
Seguio-se na tribuna, o Dr. Joao Bixa Lina Fi-
lho, orador do C'.ub Litterario de Palmares, dea-
empeuhando com distinecao o maniato qua lbe
fra conferido.
Teve depois a alavra, c aleutoso acadmico
Man el Antonio Accioly Crrela, qne em um bo-
nito im)>rov30 teceu um pompjso elogio ao Dr.
Baixa Lias, e fez ver que nao podia deixar de
tobar parte em urna festa, em que a palavra o;
^ladio e o pensamento o grande campo dos luta-
torea.
< Foi conferido ao Dr. Baixa Los, o titulo de'
socio -correspondente do mesma Gabinete, entre-
gando-lbe o diploma, o teneute Joa Antonio de!
Castro, que em nome da siciedade, profvrio um
brilhante discurso.
O -ocio benemrito Adolpho Astolpho, tam-
bem felieitou a Dr. Baixa Lid-, que respondeu,
expandin-lo a sua gratidito. i
As horas da> tarde o agradavel Sr. Jes
jVIoreira da Silva Dourado deu principio a um lei-
Jto de prendas ; eatev* animadiaaimo.
Distnguiram-e entre os arrematante, o hon-
rado presidente do Gabinete,, tbesoureiro Manoel
Alvos de Araujo, o viee-presidente capitio Lm
renco de Pnreira. capitao Bellaruioo Dorotho,
"3 negocianles Manoel F. Carvalho, Firraino Go-
mes, Almeida Aadrade Sussuarana, Jos de Cas-
tro, tenente Manoel Lourenco, Honorio de Mace-
do, Francisco Oezar, Loareneo do Reg Barros e
o artista Francisca Manoel de Araujo.
A's 10 horas da noite, teve principio urna
soire, que prolongou-se at s 3 horas da madra-
gada. a
ColtccionadoraN celebrenUrna folha
estrangeira inaere urna curiosa noticia acerca das
colleeiooador48 celebro, entre aa quaes figuram
algumas pessoas rea es.
A ranina Victoria coasagra a aua mana collec-
cionadora s porcelanas de Svres : no seu pala-
co de Wndsor ha milbo .-a de objectos de Svre,
e ns suas outras residencias acham-sa amontoa-
da verdadeirae maravilbaa d'aqnella preciosissima
porcelana.
O principe regente que reinou cim o nome de'
Jorge IV, toi quem prinjipiou a colleccaod'essas-
joias, mais valiosa* do que as deouro. Uoa agen-
te secreto do priucioe coinproii os objectos mais1
rios que vendiam os emigrados francezes.
Araiuha Victoria tem a inania de todas as co-
leccionadoras intelligentes ; a de mostrar as suas
riquezas artstica aa pessoas que as sabem apre-
ciar. Ao vulgo prohibido ver as soberbas por-
^elanas, porm quaudo a s ibnaana eneontrn al-
_-uem entendido na especialidade, mostra-lhe uini
p ir um o seas theaouro, explicando como os ad-
quiri.
A rninha. Margarida d'Italia outra grande1
colleccionadora. O sea palacio da Monza est
ubeio de preciosos armario? onde se estadeiam
p-.ircelaaa de Svres, eap lhos de' Venena, e ad-
mirareis joias antigs, maravilhas da arte fluren-
tina. A rainha, que pinta- mmto bem aquarella,
poBsue tambem um museu. particular onde codee-
ciona quadras dos mais reputados pintores conten
p ran. os.
A mperatriz Eugenia urna colleccionadera
sentimental, enamorada de Mara Aatnieta. Tu-
Oo ^llanto pertenceu dei{ravai|a raioha apaixo-
na a rainha, tambem desgrcaJa. Possue quin-
tidado eiior'ne. da movis, porcelanas, obje.-to
avalaos, joias e leques de Maria Antouieta; al-
guna d'elles cuotaram-lhe mais do 10d,000 fcan-
ct;s. Ao pi-ia-.pi foi victima de ;'alsificado.-es
audases, mas afinal tornou-se urna excellenl
nh'-ecdora. ^^^^
Acondeasa Dzialyoski, que vive menid do -m-
io en P-ris, e a uutra metade nos seus castellos
da Paloni, consagra se a reunir objectos anOben-
tices que pertncei-aui a rainhas e I izea,
s ibreMdb rtlaatDa, movis e jalas. Tem alm d'is-
80 urna soberba culleccao de estampas raras, e
a uniea pesooa do mundo que conaeguio juntar as
obras completas de Alberto Durer.
A viaeondessa de Jauze, urna celebridade da
aristicracia parisiense, tem toda a casa mobiliadu
no esrylo da epuea de Luiz XV e Luiz XVI, po-
-m cam movis construidos efFecrvanante ii a
queda poca. D-maia. escrveu ama obra sobre
os Fermi-.es Generaux, aquar nS) um iivr. i.
mia policien, coiao poda supp r-se, mas si:n
de arte.
A viaeondessa de Gtetfalhe declaroa-se biblin-
|)ln.;i ni 20 annos, e o sen conteeimentos em
livrn, udicoes < encaderiiacoas aoti<;a) deiiaui
atraz do proprio Sr. Quarioehj por cujas lados
pa9oua .naior parta do livroa autigoB e celebres
db mundo.
A dua-ueia de Rochefouoauld B-zaoeia coHee-
cionu esmaltes de Tetiat, miuiaWra de HaH e de
Agustn, e qnadros microscpicos de Blsraroaerg.
A marauea de Britfia posaue urna colleccao de
retraftis abreviad s dos seus aacendentm e das
pessoas celebre. Todos oa retratos ao do mea-
mo tamaon, panno mai oa menos, e a serie prin-
cipia di-sde o n-inado de Prancioo I.
A baraneaa de Rothwhild colleoiona jtoda a es-
pecie de riquetas artiatcas. Porm a suafavori-
ta madame de Pompadour, e nao vaciila em pa-
garqualqunr ornma por um retrata^ utabibelot,
eto., que tivessepartendido Anoret dr un cbtoei-Anda por Was-
hington, deseapetadb e fallando em auieidio, um
nooo chinaaddido legacio da su patria e fi-
lho dcom alto funcoiooario:da corte de Pekim
A cana-de todoos seus desgostos eoaao-di-
em o italiana Vamorosofade qe adoendea no
sea peito foi urna rapariga americana, loura como
' a espiga e filha de um empregado do ministerio
da guerra.
0 caiam vio-a paseeiando n'um parque, defron-
te da legacio. Nao sabendo inglez, fe-lbe ig-
naea, aos quaea ella corresponden de bom grado.
O Olho do anltao SanorrO princi-
pe Karamokor que actualmente faz epocha em Pa-
rs, e filho do sultao africano Samara, que, tendo
comecado a ma vida, como simples moco de ca-
ravana, domina baje *obre canto e tantes peqne-
no aatadj, de que aaceessivameute se foi apo-
derando.
A ronteiraa do seu Haperio vao desde a Sene-
gaatnia inglezn at ao paia des Achanti, e do
aWfdW at perto da serra Leoa, e formara um es-
tado tao exteano orno a Franja.
O seo exercito coorpds-se de sessenta mil ho-
anens armado de carabina, de cinco mil ca-
Mle-oa, alen m gnarnteSe ntilitare. que elle
aBerra ao (Pantos rriai importantes dos sena
estados para conter as populacoe mais rebel-
de.
Samory mussulmano, sem ser um dos crentes
mai fervorosos, cocotudo tem mandado construir
murtas mesquitaa nos grandes povoados e pres-
ero ve rigorosa mente o uso das bebidas fer-
mentadas porque, diz elle, o bomem ebrio nao
teme ais Den nm o dmbo e est sempre
revolta.
amory bomem de extraordinaria altura, bella
preseuca, d um amar notavelmeate intelligente e
de oneiras dis ti netas ; conta quarenta e cinco
annos.
Depois das auas ablucoes quotidianas, unta o
corpo cotn urna ponwda perfumada A moda dos
ehetes db- paiz e roefea a palpebras d um induto
tambera p-rfuiiiado, pintura cujo effeito engran-
decer os olhos.
No intef-ior do seu palacio usa de trajos bran-
cas (bombona', na guerra usa-os de cor amarell,
cobertos completamente de pequeas almofadas
de cnuro, cm que guarda numero do reliquias e
outras bugigangas de igual valer.
Samory tera no aeu aerralho perto de cem mu-
lhcres escolhidas entre as mais formosas dos seus
estados, -endo uso quaudo visita qualquer villa,
receber de presente mais urna mulher ; tem qua-
renta filiis e Karamok i o tereeiro.
Continuarara a ver-se frequentemente no par-
que, e k. bella washingtonisna fez-se profes ora
de ingloz do asatiO", que fez rnidos pro^-esses
na lingua de Milton, e apresentou a a seus p
Um cha, o chinez, julgando-se em condiciies de
ser amado, fez-lHe urna declaracao de amor.
Ella rio-so como urna dama 1.0 ovil-o, e disse-
Ihe'que nfto podia amar a quem se na vesta e
penteava segundo o sdu uso europeo.
N'o outro da'o chinez apreacutou-se de sobre-
casaca e sem rabicho. A rapariga entlo, sem es-
tar co-n mais rodeos, deu-lhe u-aaS aboboras so-
berbia, e d'ahi a' pou?o seus pa3 mandaram-u'a
para fra da cidade,
O enamorado mo^o est desesperadiSsirove
ministro da Chirta muito desgbstoso por ver que
o seu protegido se deshonrou a ponto de cortar as
m -lenas.
t!H jesutaAsir, que a companhia de
fatta a s tt, cm censequenea da
publicaco da bulla Dolemv. sinler alia, que lhe
restitue todta os privilegios aunuladoo por Cle-
mente XIV, teem interesse es segliintes dadoa com
respeito ao numero, organisa\^o e sitaufo dos
m-mbros da ordem.
Em 1750 o numero dos inembns sobio a 4i',000
era todo o mtihdo, e em 1800 tinha diminuido em
mil, e hoje pode calcular-se em 8,000 o numero
dos iudividuos da c-mpauhia.
Fer.im expulsos d-2 Frauca, Suissa, Allemanha,
Portugal, Russia, Iloanda e de quasi toda a Ame-
rica do Sul.
Vivem tolerados na Hospanba, Inglaterra, Aus-
tria, e gozara completa liberdade, c un > quaesquer
outros cidadaos nos Estados Unidcs e as posses-
s6es inglezas Nao ha estado algum, que saiba-
mos, que reconheca a companhia como tal,
ser alguma repblica da America do Sul.
A companhia tem duas cathegorias de socios :
os que, perteneendo mesma, podem ser expulsos
por uma'deeisao do gera!, e aqnslfcs cem quem a
compauhia est ligada por um solemne compro-
riaso.
19em'todos os profesaos pertencem a esta ulti-
ma cliisse. Nao chegam a ser profesos sem qna
primeiro tomara as ordena maiores e Sm que te-
nhaui completado 34 annos.
Sujeitam se,- entao, a um exame, cojo resultado
decida do seu futuro na companhia. Mas sabem
ecrettrtneute s ser2o admittidos a seu tempo,o
que se chama tereeiro anno e nicamente de-
pois do tereeiro de estudo se comprometa a com-
panhia solemnemente eom elles. Smente n'eate
caso pode o-papa expolal-os por motivos verda-
deramente excepcionaes.
0 jesuta goza de liberdade completa nas suaa
apreeiaces philosopbicas, e pode publcalas sem
que a c.>mpanhi se intrometta n'Bto. Esta inde-
pendencia de criterio e a liberdade na escolha dos
estudos de que mais gostam, foi sempre aj princi-
pal forca dos discpulos de Layla.
U fundador Ignacio Loyola deixou escripias as
seguintes regras, para os membros da ordem sa
aprsentarem ao publico.
Devem traaer a cabera u;n pouco -inclinada so-
bre o peito, sem a deixar pender nem para um
nem para outro lado.
NSo dvrm levantar os olhos, e conerval-os a
um nivel inferior ao d'aquelles com quem f.-.! an,
permittindo lhe qpe passam ver de soslaio.
Os labios devem conservar-sc nem muito aber-
tal n-m muito fechados, nem devem frnnzir fl tes-
ta nem o nariz, e apresentar-se com ar mais ams-
vel e satisfeito do que triste.
O general UealaasterAppareeeu em
Pars e foi posto venda um oousculo que con-
tera a biograpbia do general Bouiauger, com elo-
gios t exagerados que tocara as raas Jo ridicu-
lo. De urna das suas passageus inferirn! alguns
jornaes qn- o general Boulanger se propoe repre-
sentar o papel do Bouapartea, e p >dein explica-
goes ao ministro da guerr -. A Rpublique Fran-
caise chama a attenfo de Mr. Freycmet sobre o
opuse no. O Intransigente considera o opsculo
obra de uin ininigo e assegu a qua o genrale
completamente alheio publicaco da sua b: .
phia.
S ja como for, o ministro da guerra .i.,l,.ou-se
no caso intimar o editor d> opsculo 0 gtfkral
Boulanger a oessar e*sa publicaco c v
que nao pedio a autorisagio corresponden le.
O ministro pedio, ale.mdisso, ao preteto de pa-
lie.a que nterviess^ naaaaaptOi
Determinaroe a rewpeilo dan le-
van do soldado em Franca O
nutro da guerra da repblica francesa detenni-
uou que os contingentes de r "rutas, d reservis-
tas ou de pracas do exereit i t rntanal, qn
mudarem de um para outro quartel, afim d: t
o seu p ri )J i de- insiroceo s.-jam acompanhados
de nmica reghneatal d-sl- o su ponto de ren-
aiit at a gare, eodu de crao embate ir ad seu
destino. sua chegada aos novo quarteis os re-
s destMcameotos aerd igaalmente recebidos
cam mnsiea.
Os contingentes de pracas icenceadaa de ser-
vico, quer do exereico acaro, quer di eserva,
qn-.r do exercito territorial serao aeampauhadas
. s n is con licoes at gare da estaca), em
que devwrao emoarcar para voltar as trras da sua
oataral idade.
Vioa do imperador tulllierme
liacla Lorena O imperador Guilherme
a visitar a Alsacia-Lorena, e chegar no
da 10 de Setembro, i'w 4 horas da tarde a fitras-
c te lhe preparam grandes fesi
\ uoite do dia 10 baver missa com toen
luajiaacao da cathedial; na dia 11 revista de
tropas, |U ser, seguida da um grande btnquete
em casa do lugtr ttuentc, e le urna representa-
gala notheatro; no dk 12, officios solem-
nes u is templos, e de tarde corridas de cavallos
pelos officiae da guaroico ; no dia 13, priir
dia das grandes manobras, de tarde concert e vi-
sita exposieiode flore; uoite espectculo de
gala ; no da 14, visita cathcdral c unversi-
Jade e depois banquete no club dos offijiaes :
da 15 segundo da de mauobras; c nos das 17 e
13 grandes manobras, e a 10 noite, parada lo
imperador para Metz.
Memoria de ama princena rabe
Com este titulo acaba de appareeer em aleme,
em Berlim, om livro curioso, cuja autora, mtame
Eiay Bate, nem mais nem menos, urna priuce-
za< natural de Z*nabar, e irma. do actuul salta i
dente paia, Seid Baraghaah.
A princesa Salm, aeu nome da solteira, vive em
Berlim, ha umi deiena de annos. E' riuva de
um negociante allemo, chamado Rute; cora quera
mgio (iu Zanzbar; v.-nernaa em qua cireumstaa-
ciaa, pana ir habitar auceeaBivaatenGe em Hambar-
0 n'algnmn outra aidadbs da Allemanha Ella
ouiz escrever aa suas memorias, on par attiuhir
a attenco das goveanos para a son sorte, ou para
melhor conhecer o seu paiz e as suas propria
I


uavR 1


Diario de Perwwtom* Unaita-fcira 15 de Setewbro de iHH
____ UaallaVIP
aventuras, que eo, na
lares.
verdee, bastante singu-1 pria riauea d seas notantes os tornam desasa-
A princeta Salw (isa* tripla e seis roaos e
irina. Como su ai>e, na arte do sultao Bar-
ghash, como em toda a parte uo Orieute, us mem-
broa da familia imperial procura vowntarinmen-
te aupplantar-se na throao.
A princesa pareos tor mostrado desde a sua in-
fancia aptidoes pira ,1o intng ts ; lo-
uiau meamo umt certa parle ujs acjateeim
qae doram o podts- ao saliio Barghsia eocitra sea
irmo Majid. Eate, sendo destbrouado, fji envia-
do preso para Bombaiin, sob a aeco d> governo
inglez.
flufelizmeoro > j princ.-aa, prevendo uaia
aova revolucio palacio, altas pioeo provavcl, e
tambem par satistaje-r os iiistiuctos de intriga,
reconcilioa se uiaia tard e n Majid- Esta reeon-
cilwcao foi couheeida do aa tao Barjhash, e este
nao p rdocu nuae.i a ana rma.
o p.oambalo. Pouco depois do sea deseon-
ctito, a princeza S.lm euainaruu-SJ da un joieu
, allemao Mttdcate eos Ziuzibar.
Toda a sort* de obstculos eoatrsriou por moit
tempo esla inclinacsw uasceuta. A difirenos de
reli^iao era a maior.
A princesa resolveu-se a veocar todas as ditfi-
culdades, fugiud d.i paiz de seus pais.
Emiuanto qu- o Sr. Kate punha os s.ua m-go-
c08 em ordem, Sua Alteas Imperial favorecida
pela esposa de um medico inglez e polo cominan-
dante do navio du guerra brUanuio Higflyei; em-
barcava para Aden.
Nesta cidade encontr ''Ha reluci u ama fami-
lia hespauhola que eoheoeitJ em 7. mtibar, e oa-
perava s enegada do tej noivo. Dorante este
leropj famiiiuiiaoa-ae coio oa principios da rili-
gio corista e breve recebeu o baptiamo com o no-
me 4e Emilia, ua capella angicana de Aden.
Algom tempo depois pirtio pira Iiamburgo em
compaahia de sea marido. Esta unio, abencoaJa
com tres filhos, pareca devr *er das mais telizes,
quando o Sr. Kate, ao a>ear-se de um americ^n >,
cabio ao dcsaMradameuto, qu- morrea no fim de
doas dias.
Naata iKama poc o < i sulto Majid, co ma-
dame Sute decL.rava mais tarde, fretou um navio
e carregou-o de toda ;. especie de prtseutes para
sua iima. Bate navio, ua, > sa sabe porque, 'i i
ebegoa nuic* a Himburgo.
Durante mais de doas ai.nos viveu madamc Ru-
te com seas trea filhos em Hambargo, onde os seas
bens se toroaram a presa de alguna amigos dema-
siadamente olli.ios ,. Partid eutaj para Dresde,
depois para Kiiiohtadt, Thurin,'e e finalmente fi-
xou a ba reaideucia em lierum, onde recebeu um
i.i^aii^o aeoiiuj -uto, e i m partcalar tornou-ae
alvo da graciosa tyinp tibia de Saaa Magestades
Imperiaea.
De repente em 1875, ella aoube pelos jjniu s
que o seu irmao, o aulto Barghasb, partir para
Landres. Depois de um momento de cominucao
bem natural, resoiveu-se a partir para I:>glat-rra.
ProjectavH reconciliar-se cora a sua familia e vol-
tar para /. mz bar, afim d receber os seus beoe,
os ecus ttulos e sua antiga vida.
Mas este plauo encuutrou um obstculo impre-
visto na pesaob C'analto e iLesivel p rsonagem
ingle* sir bartlfc Fr ro, o qusl se apresentoa m
pessoa na esa da princeza, logo que soube da sua
chegads.
Se ^Iguui vez. diz aud. Kate, ge alguma vez
fui advettidit po. uui p:e.rntimcnto, ioi no dia em
que aa iaial|.is nms queridas esp rancaa e de meua
albos estkvaui tao gravemente ameaeadas. Um iu-
deicriiivil sen:imento de tristeza ae apoderou de
raita qua^o vi o grande diplomata qae tiuba ti-
raBnBjdi o m "a para natal, qae, por assim dizer,
ti-iha mdttido/.amzibnr j ra-.a irmao ua algi-
beira.
,' Sir BaptLe prineipioa por pergautar a princeza
fe leva va a p-ito a reconcilia^ao com a sa fami.
'ia, oa de asegurar o futuro de seus filhos.
, O astuto dij'L.nata aaacitava assim um penoso
/conflicto eutre os roetbores sentirntutos demadame
Rute. Depois elle explicava que sendo o sulto
Rargbash hosp'.de do governo britnico, nao era
conveuieut;' enfaaiil-o com negocios d^- fimilia
Finaluienre a r Barile obtioha a promessa da prin
ceza de que nao procurara ver o ultao. a irmao
a sea taran, o gov rao inglez eucarregar-ae ba d
olhar pels surte dos 3 timbos m m dame at Sir
]!aitl<: ievou a irona de p d.r a princeza urna es
pecie ue petieo qu apree< ularia ao governo das
ludias, teudo sidn eous;d.Taio n'.sta ej
s.bax cerno ama futura estonia inglesa.
Depois de S siman ia dt- i evidencia em Loadres
a princeza Salm volt*va para Allemaaba.
Ella recebia logo do Foreign Office, cora grande
i.'idignaeo soa, ama commanieaed < rejeit^uio a
sua peticu, e inforioaudo-a de qu>- o governo in-
glez nao poda i.eoup'ir-te dos negocios da familia
da viuva de um sabio tjltuiao.
A pnneeza eoiiJiHiioa, Bj*, a viver em B>!riim
uao s-: sabe de que reu.timent n. me litando amar-
gamente na perfidia da luguti-rra e esperando qae
os seas direibos sejnm riConheeidoa.
Recebeu, linahn-uw, ama nota do governo alle-
mao convidaeJo-a parase apromptar afim de tor-
nar a ver Zanzbar.
Foi no meiado do anno passalo.
A Allemanha, qae inaugura va a eaa peqaena
poltica colonial, inandava madame Rate p^ra pe
dir ao suitTu Birgaaah qike cousentisse na titnda-
jao de urna estacio al lema na Cuela orieutal da
frica.
Era, peiisivao chancetlcr, urna occasio favora-
vel de tratar com o sultau e de fazer as uaaea com
a irm.
Infelizmente todos estes projettos faibarasn por
causa de raucor de Barghasb c do mo querer do
seu conselheiro sir John K Madame Emily Rute chegoa a Zanzbar, e nao
fo rece'oida pelo aultio.
Este rnandou Iba offereeer 6.(X)0 ropias para
ella abandonar os teus direiws.
Mas ella reeuaou esta propoeta, visto terem'fal-
leeido 6 dos seus irmo^, 5 irma, urna t, 3 eo-
brinhiis, 1 sobrina*', urna madrasta, e perteneer-
lhe urna parte da heranc* d'estee.
Nto restava mais nadn 4 priecsaa do tar ootra vez para Allemanha e eeerever as suas
Memorias.
A vida do harem est extensamente deseripta, e
madame Rute esforca-se por eorngir o ssil pre-
conceitos a qae os Irnos maraTilhosos no tinham
acostumado.
E' certo que em Z nzibar a esc i' ha de urna mu-
Iher nio ditada por neobuma especie 'essaa con-
sideracoes de respeito que na qualificara is de ro-
manescas.
Mad. EbIt Batr, epeear da sua toog estada
na Eorop, *o obtgon aind. a aaceitar a* ideas
Biodoraas obre am grande manejo de pcertoa e"e
m ral Eitre outr .s divergeaciae, as jua* nocose
tobre a escravatura differem completamente e*
noseae. Entende que neceesario prohibir o
trafico, ou, pelo menoe vigial-o. Mas 11 tente
xplicsr que a situacao dos negros e Zanzbar
sao de todo infeliz, e, so recebem de vez em
quando paueadaria, qae a experiencia t
eraanstradu ser este o nico meio de hawr bons
criados.
l.eiliESoctuar-e-uio:
Asaaadia:
Pelo agente Gatm&o, as 11 horas, na ra do
Mrquez de Oliod u. 19, de machinas de eusturs
muitos outros srtigos.
Sexta-feirs,:
i'elo agente Gusmao, s 11 horas, na rna do
Mar juez de Ulindan. Vt, de 20 encapados de fu-
me do Para.
MiMNa /usieHres. Sera? celebrada :
Moje :
A's 8 1/ no convento do Caroso, por alma do
Dr. Graciliauo de Paula Baptista ; s 8 1/2 horas,
na igreja do Terco, por alma do capitao Manoel
Loar-neo da Silva Sobrinho.
Amanh :
A's 6 borae, ua igreja da Soleaade. por alma
de D. Mara Joaquina Pinheiro Barriros Maia.
PstMMagelr*Cbegads dos portas do nor-
te no vapor nacional Uanaos :
Antonio Pereira (jomes, Rsymundo Jos de Bi-
3ueira Mendee, Joao Jos de Siqueira Meudes, A.
oaquim de Oliveira, Richard Scbcwsrs, Caries
Alook, Francisco Araujo, Jos S. da Costa, Ben-
vinda Azevedo, Santos P. Pires, Henriqae Soares
de Albaqnerque, Domingos Jos Almeida, Galdino
Jos da Paixo, Dr. Antonio Joaqu:m de S Ri
beiro, Dr. Eduardo Stodart. Antonio Ferreira Bai-
lar Sobrinho, Fruocisco de Paula Oliveira Lima,
Henrique Pereira Gaimaraes, Antonio Cunha,
Manoel Bezerrs, L. de Fre tas, Frederico Sam-
paio, Jos Joaqu'm Areiae, Oaetano D. de Sam
paio, Max Krause, Fre Jos e Santa Julia e
um criado. Leonor de Carvalho, Amelia (menor),
Hermano Wirmeyer. Vicente Fiuiz.la, Domingos
Facanaro, Joao Carff, 2" cadete Joo Carlos de
Mt"0- v ;
Sahido3 para a carona ao vapor oglez \al-
paraixo :
A. G. Browo, saa senbora e 2 filhos, J. 1 da
Costa, A. Landi, A. Hall e 4 criancas, 8. A. Tir-
rel, F. J. de Barros.
Chegado de Liverpool no vapor inglez Dal-
ton :
James Stewart.
i.oi ira da provincia do Rio de Ja-
neiro Eia os amares mais premiados na Ia
parte da 305' lotera, da Ia en beneficio das ooras
da nova matriz de Pctropols, extrahida em 3 de
Settmbro :
ruamos de 100:000^000 a 1:000*000
grande de 2f 0:000J, pelo novo plano, Ser* ex
[rbida impretervelmeote no dia 21 de Setembro,
as 11 horas da mauha.
Bilhetes a venda na Casa Foljs da prac* da In-
dependencia na 37 e 89.
Tambem acham-se venda na Reda da Per-
tuna ra Larga do Rosarte a. 96.
Preveo resumidos.
Lotera Uo BioA 2 parte da lotera
n 3t>5, do nsvo plano, do premio de IGO.-OOOJJOOO,
ser extrahida ao dia de Setembro.
Os bilhetes acham-se venia na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Marco.
Tambem acham-se venda na praca da lude- ] *'*.
pendencia us. 37 e 39.
iOleria da corteA 4 parte da li*) lo-
tera da corte, cujo premio grande de t00:0lXW,
ser extrahida no dia 17 de Setembro.
Os bilhetes aeh .m-sc venda na Gasa da For-
tuna ra Primeiro de Marco n.
Tambem acham-ae venda na prae-t da Inde-
pendencia ns. 3T e 39.
Censiterlo pabilo*.Obituario do dia 13
de Setemhro :
Mara, 14 3iezes, Santo Aut^aio ; convaltoig.
Francisca Waria do Oarmo, ?> Kanos, eo!T
Ba-Visl* ; tsica pulmonar.
Herculano Gomes Munteiro, 49 unnos, tiivo,
Bou- Vista; ascite.
Mana Virginia da ConceicJ, 80 anu s, linead,
U-Vi8ta; tabercalos pulmcuare^.
Jos, 2 dias, B*-Vista i iuviabilidade.
Pedro, 20 aunes, solteiro, Aio m|m anemia.
Fesmins, 39 annos, soteira, Boa Vi^ta; sas-
risma da aorta.
podo ser procurado 4 quaiquer hora d
o a n&%^ Gooeultaa: a l t 3 Loras
da tanle. Especialidade : ol-stias e ope-
d"oa. orgao ja8o-urinarios do bo-
CHRONICA JDICIARIA
epeca Z m-
Portanto, madaw Emily Rut-trata de provar,
e nos prova com fiii*o, que, se prohibida toda
a especie de relaces -otre os ujogoa dss oas sexos
OS vassallos do sttaV Bargha>b ni) deisam por
isao dt viver em b'>a reU^de* depois do casamen-
to e que, por consequencia, aa tergiversacoes a que
nos entregamos u'ost.is cu ouiastaucias seriara mal
comprehen lidaa por uui p >Vo, para o qual o casa-
mento nao ma-s qae ana lotera onde se ganba
sempre.
Apelar da le conceder a todo o mahometano
de Zanzbar -i dwaisa de possuir qsutro eepus^s
legitimas e uta numero indeterminado de concu-
binas, os lieos mesmo nao casara geralmeata sena o
com duas rauihenes. Acontece alera d.'isto frecuen-
temente qae ama rapariga recusa um marido que
ja t'inuraa mulh-r. ou nao caliente em casar
seuo com a iondi;o de ser ella a nica esposa
legitima.
A poueo e p'/uco, finalmente, se estabelece em
Zanzbar a monogamia, na -rnente ptir causa dos
principios da moral, qae all sao mal conhecidos,
mas sobietudo poique o ciume aas mulheres alli
mais iutoleravel que em ootra parte.
A inulher legiti.na nao eeunpa em Zanzbar urna
situacao inferior da ma.her europea. E verdade
qae sahe livrementu ; mas ella quera governa a
casa e que vela p- !a educataj do. Sibos. E esta
eaucacao nao um tense irrisorio, pelo contrario,
as crianzas recebem um ex lente ensino de msi-
ca, de clcalo e de escripia.
Alm d'isto, quando a esposa se julg vietima
de urna iajastiua do marido, refugia-se cm easa de
seus pas, ou eoto dirige se p-aavalmente ao juiz.
As muheres dos differentes serralbja visit.ra-se
mutuamente, dao soires, divertimentos campestres;
orgauisaia mesmo VKitaa aoitunpo. Dorante estas
reaoioea, estas muiber. a oecapam-se dos seus
trabalhoa inauuaes, dem mutuamente, ou tocara
msica. 0 proprio marido ee interesas da edu-
e.icao da sua familia e viga sobretad> a das suas
ilbas.
Em amma, parte os seus hbitos de nao se
-eutarem na ra seuo raras vezes e hermti-
camente veladas, 4 parte o txcess-o uso dos
blsamos e perfumas, cora que eo eefregadoe es
.anascido.", aajmalher-a de Zanzbar levara ama
vida quasi europea.
Pele que respeita toilette, as modas, como se
sabe, nunca variam. Oa trajos de casi, de que as
ir 'liberes, quer de dia qoer de noite, usaro, sao
K'iito simples, e quanto aos trajos de luxo a pro-
3831
6316
8085
580
9893
2361
6-116
8479
9279
13731
13909
3830
38:12
6315
6317
8084
8086
579
581
9892
9891
armOXIMACOEB
1051
3105
4365
PBEKIOS DE 500,4000
4904 5890 11328
5318 6070 12236
5333 10929 12694
PREMIOS DE 200*V.KK)
385 4863 5392 8237
879 3613 5635 9490
1213 3728 7697 10500
1415 4172 7919 10668
1645 5242 8024 11240
1'itLMlOS DE 1004000
39.3 4069 7204 9694
696 4176 7220 10070
1416
1523
1583
1935
2534
2595
3J2:S
3522
4373
4643
4905
5868
6733
772
7020
7141
7312
suo;
8575
8624
9079
9135
9M5
9556
10292
10336
10648
1080
10841
10955
11438
11518
100:000^000
20:000000
5:000(X0
2:0005000
2:0O0O0
1:OOOU0O
1:000U00
1:!'XX)000
1:0000000
1:000*000
1:0005000
1:000*000
1:000*000
600*000
600*000
400000
400*000
300* 300*000
300*000
300*000
12823
13462
11302
11502
16621
13046
U960
11598
12049
12210
12396
12595
1*947
13355
13667
13753
13882
HONpital PortuKues-0 movimento das
enfermaras deste hospital da. ante a semana finda
fo o seguute :
Existiam em tratamento...... 19
Entraraai.
Sahiram curades......
Ficam em tratamento.
22
S
20
22
Coutinua de semana o Sr. mordomo Jos Maria
d|i Silva Fernandes.
Casa de iieienraoMovimento dos pre-
sos no dia 13 de Setembrc :
Existiam presos 345, entraram 18, sahiram 25,
esistem 337.
A saber:
Nacionaes 309, mulheres 4, estrangeiro 7, es-
clavos sentenciados 3, processados 5, ditos de cor-
teccao 9.Total 387.
Arracoados 296, sendo : bons 276, doentea 19
Total 295.
Movimento da enfermsria :
Teve baixa :
Manoel Francisco do Nascimento.
Falleces :
Candido, ooahecido por Galiinba podre.
Maiudouro PublicoForam abatidas no
Matadoure da Cabanga 91 rezes para o consume
do dia 14 de Setembro.
Sendo: 74 rezes pettencentesa Oliveira Castro,
J( C, e 17 a diversos.
Mercado Hnatcspal de Jos-O
isorisnento deste Mercado uo dia 14 do crrante,
fsi o K^mata:
Entraram :
441/2 bou pesando 6,442 kilos.
439 kilos de peize a 20 rea 8*780
207 cargas de farinha a 200 ris 4t*4(K)
51 ditas de fructas diversas a 300 rs. 15*300
5 taboleiros a 200 ris 1*030
12 Suinos a 900 ris 2*40.'
Foram oceupados :
221/2 columnas a 600 ris 13*5 ^1
27 compartimentos de farinba a
500 ris. 13*500
24 ditos d- comida a 500 rus 12*' 00
711/2 ditos de leguaee a 400 ris 28*600
16 ditos de saino a 700 ris ll*20n
10 ditos de tressuras a 600 rie 6*600
10 talhos a il 20*000
3 ditos a 1* 3*000
A Oliveira Castro & C.:
54 talbos s 1 res 54*000
2 talhos a 500 ris 1*000
Deve ter sido arrecadada neate dia
a quautia de
Bendiments dos dias 1 a 13 de Setem-
bro
231*680
1:548*140
2:779*820
Foi arrecadado liquido at boje
l'regos do dia :
Carne verde a '40 e 400 ris o kilo.
BiluOs a 560 e 64" ris dem.
Carnerro de 720 e 8t0 ris dem.
farinha de 240 a 880 ris a euia
Milho de 240/a 320 ris dem.
Feijao de 500 a 640 ideur
botera da provincia Quinta-feira
16 do oorreoie, se extrahir a l. parte da 1. lo
ten en benefisio da taataCasa de Misericor-
dia do Recite, pelo novo plano approvado.
No consistorio da igreja de Ncssa Senhora da
Conceicao dos Militaras s pelo systema da machina. Fich.
Lotera. Eitraordlaria do 1 piran
KS* O 4." e ultimo sortero das 4;" e 6." series
desta importante lotera, cujo maior premio de
1(0:000*000, sera extrahida brevemente.
Achara-se expostoe a. teods os restos das bi-
tas na Casa da Fortuna 4 ra Primeiro de Marco
n. 28.
Lotera de Mcele de fOOiOOOMHMI
A 8* partes da 13 lotera, cojo premio
Tribunal da Hela^o
8ESSO ORDINARIA KM 14 D s'ETEMBRO
DE 1886
PBK81DI5SCLV DO EXM. 8B. OOJtSiiaiEIliO
QIKTIMO BB MIRAN 1>A
Seerear/o interino r. Alburio CtHko
As lloras do eos turne, presento.-- m ^s. desuui-
bargadures em numeo legal, foi a sesfao,
depois de lda e approvada a actii 6 1 itptWseasBte.
Distribuidos e passados os fetMs e, a,n-sc os
eguutes
JULAAMESTUS
Babeas corpas
Paciente .
Dr. Eduardo de Barros Falcao de Lacerda. O
Tribunal juigou-se competente para tomar co-
uhecimeut do babeas-Corpus, contra o voto do
Sr. couselaeim presidente ; e denegou a ordrm
osutra os votos dos Srs. deseaibargadores Fires
Ferreira e Buarqae Lima, que maudaium ouvir o
Dr. cheftj de polica. O Sr conselheiro Qoeiroz
Barros averbia-se de saspeto.
Recurso eleitoral
De GoyannaRecorrente o juiz de dreito, re-
corrido Antonio dos Santos Medeiros de Agaar.
R-lutor o Sr. conselheiro Queiroz Barros.Con-
iirsaou-se o despacho recorrido, unnimemente, e
mandou-se rcsponsaaihsar a meaa eleitor.il de
Tejucupapo.
PASSAQENS
Do Sr. conselheiro Araajo Jorge ao Sr. conse-
conselheiro Queiroz Barros ;
Appeltacao cummercial
Do ReeifeAppeliantes Antonio Jos de Le-
aos e Joaqaira Jo.- de Lemoa, appellado Aogas-
to i arlos de Miranda Henriqaes.
O Sr. conselheiro Araujo Jorge, como procura-
iior da cora e promotor da justioa, deu parecer
nps seguiutes feitos :
Appellacao civel
Do ReeifeAppellautes os herdeiros do com-
uu udador Vicente de Fanla Oliviira Villas-Boas,
appellado Affoneo de Brito Taborda.
Appellaces crimes
De Bom Jardi .1 Appellante Jos Jaaquiro
Correia, appellada a justica.
Do Catle do RochaAppellaute Antonio Fer-
nandes de Lima, appellada a jastiea.
Do BarreirosAppellante Francisco Elias Go-
mes, appellada a justica.
Do Sr. desembargador Toscano Barreto ao Sr.
desembargador Oliveira Maciel :
Api ellacao commercal
Do ReciteApoellantea D. D;na Candida da
Cunha e Joaqaim de A u eida e Silva, appellados
os mesmos.
O Sr. desembargador Oliveira Maeiei mandou
a mesa para nova distrbuico o
Recurso crime
De Bom JardimRecorrente o jaizo, recorrido
Joo Francisco Xavier da Fonseca Fiiho.
Do Sr. deaembargador Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro de Andr^de :
Appellacao civel
Do ReeifeAppellante a janta administrativa
da Santa Casa de Misericordia, appelladcs Joao
Anselmo Marqo^s e outros.
Do Sr. desembargador Monteiro de Arale ao
Sr. desembargador Pires Goocalves :
Appellasoes civeis
De Mamsnguape Appellante Jos Martina
Fernandes Nogueira, appellado Dr. Pedro de Al-
buquerqae Maranho.
De M-acei Appellante Francisco Vaz Pereira,
appellados Cicero, Davioo e Jacintho.
Do Sr. desembargador Pires Goncalves ao Sr.
desembargador Alves Ribeiro :
Appellacao crims
De PiassabussAppellante o promotor publi-
co, appellado Joaqaim Ferreira Ferro.
Appellacao commercal
De MaceiAppellante Antonio da Silva Re-
g, appellado Flix de M raes Bandeira.
DILIGENCIAS
Com vista ao Sr. conselheiro procurador da co-
rea e promotor da justica :
Appellacao crime
De S. JooAppellante o juico, appellado Ma-
noel Freir Ja Silva.
Com vista as partes :
Appelacao commercial
DoBecif.Appellante Joio Holmes, appellados
(Jasmano Fernandes & C
distmbuicOes
Recurso eleitoral
Ao Sr. desembargador Oliveira Maciel :
De GaranhunsRecorrente o captio Jos de
Barros e Silva, recorrido o juizo.
Recurso crime
AoSr. desembargador Alves Ribeiro :
Do ReciteRecorrente Antonio da Silva Aze-
vedo, recorrido o juizo.
Appeliacoes crimes
Ao Sr. desembaigador Toscano Barreto :
De IuabAppellante Antonio V. da R'cha,
appellada a justica.
Ao Sr. desembargador Oliveira Maciel:
De Campia GrandeAppellante o juizo, ap-
pellado Joaquim Vieira de Araujo Correia.
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
De PaneUas Appellaute o juizo, appellado
Zcferino 00 Espirito Santo.
Ao Sr. desembargador Monteiro de Andrade :
Do AesemolaAppellame Antonio Alexandra
do Nasoimeuto, appullada ajusbos.
AoSr. desembargador Pir--a Goncalves :
Do RecieAppellante e juizo, api>ellado Jos
Joaquim de fent'Aoua.
Eucerroa so a sesso s 2 horas e 15 minutos
ds Urde.
rnetn e da muiber.
Dr. Barreto frvnpaio raudou seu consul-
torio Ao 2." andar da casa n. 45, a irua dj
Bario da Victoria, para o l. andar, da
casa n. 51, meuoa ra, cerno consta, do
1 animado ia&erto na seccao compe-
Rasidencia a ra Seta do Setaoj-
bro n. 34.
O Dr. Joio Paulo mudou sua residen-
cia e oonsultorio para a ra do Bario da
Victoria n. 18, 1. andar.
Ad vagad*
O bachard Benjamn Bandtira, ras do
Impejador n. 73, 1. adar.
O Dr. Htnrique Miilei ten o seu ae
criptorio de advog.net ra do Imperador
n. f(, I.'andar.
Tabeilio
O Bacaard Amaro Fonseca d-, Aibuquer
jue, tabelao rki notas interino nesta eapi-
m\, communich % respeitavel puWi.-<> qu
abri seu escriptorio no pavimento t -rreo
do predio n. 4, sito a ra do Coronel Fran-
cisco Jacintho, uutr'ora de S. Francisco,
omie, rom .olii.itude e mxima lesdate,
est prompto para desempenhar aj i'ttoc-
eoes de seu cargo. Reside na freguezi.
.ot-Vista, ra do Coronel Laioenliu n.
30 ('iutr'ora dos Prazeres) para onde, fra
/as horas do expediente de seu escriptorio,
ieverao derigr-ie os chaiuaJos, para c-
tura o apprjvac&a de testamentos.
Cosaeuitoriu ailopatleo slosilnmeiricu
Dr. Migud Tliemudo d consultas das
12 s 3 da tarde em s consultorio ru
Jo Bar-a da Victoria n. 7, 1. audr.
Cliaioailos por escripio a quaiquer bor:i.
Especialidade* partos, tebres, sypiili,
molestia do pulmilo e do corceo.
Dr. Lopes Pessoa Medico.Residen
eia a ra de D. Pedro I n. 9, onde podo
ser procurado at s 9 horas da manh.
Consultorio ra do Bom-Jesus n. 37 1."
andar. D consultas das 11 s 2 da tar-
de. Gratis aos pobres.
Urogarta
Francisco Manod da tiw efe 0 do0'
sitarios de todas as especialidaues pbarma
oeutifds, tintas, drogas, productos chiink:.
raedieamentos bomoeopaticos, ra do I
que de Olinda n 23. "
errarla a Vapor
Serrara a vapor e oficina de carapino
le Francisco dos antos Macedo, caes do
CJapieartoe n. 28. Teste g*aa te ostub e
cimento, o primeiro da provincia n'cste ge-
uero, compra-se e vendo-se inadeiras de
lodas as qualidades, serra-so inadeiras de
conta alliei, assim como se preparaia obrai:
de carapira por machina e por preces cetr-
Drogara
Faria Sobrinho & C-, droguistas por at-
tacado, ra do Mrquez de Cundan. 41.
INDICARES OTIS
MnsIriii
Oensiaitori n>etliro clrurglco do r*r.
Pedro de AtiaMyde Lobo oscom
rasa da uiurm n. 39.
O dmdor Musaiii d comsuitas to lias atis, das 7 as m horas da aa&uoti'
Bate cousutnrio offer-fce a eommodada-
ic de poder cada.dvcntw ser ouvdlo e exa
minado, seru ae* presenciado por* eu.tr
e meio da $ horas da tarde ser <
Dt. Most-ozo
^v do CorniH
pecjo de aa Para quaiquv
restes oua pon ser airigido
os chamados m n! boea*.
PUBLICitlilES A PEDIDO
Ao i: xin. S4r. Dr. Presfdeute la
proviaeia
Pedimos providencia* ao iigno Dr. Ig-
nacio Joaquim d" Sonza L-ia contra o
naodo ts proceder do actual juiz substituto
da comarca d>> I-uarass, Telesphoro Go-
mes de Araujo, que mudou sua residencia
pura a cidade do R-jiite.
Tendo vindo passeiar a esta villa no
dia 3 do correte mez, poucas horas de-
morou-se. retirando se no dia seguinte, e,
at hoje nao mais noticias ha de S. S.
E de notar que tendo o juiz de tii-
reito Dr. Hisbello Florentino entrado no
gozo de urna bcenca no dia 8 do andante
mez, nao baja quem requerer na co-
marca 1
Acha-se retido desde o referido dia 8,
era poder do escrivao Maximiano Duarte
Jnior, o offi'iio do Dr. Hisbello, cotnrau-
cando ao seu substituto ter entrado no
gozo de urna licenca.
como bem possivel que, appareoeu-
do de amanha em diante n'esta comarca o
juiz substituto, officie elle ao Exm. Sr. Dr,
Ignacio Joaquim, communicando ter en-
trado em exercicio da vara de direito no
dia 8 do correte mez, pedimos S. Exc.
que nao se deixe Iludir.
Esperamos que S. Exc. tomar provil
dencias sobre o caso( punindo o bacbare-
Telesphoro Gomes de Araujo, de accerdo
com a lei.
Voltaremos sobre o assumpto.
Iguarass, 12 de Setoinbro di 1886.
Justus.
Caso importante )
LE-SE ESI UM JOBUAL DE PELOTAS
A joven Marciana, ds 15 annos de ida-
de, morad, ra ra de S. Miguel n. 11,
nesta cidade de Pelotea. (Rio Grande do
SuI), ha muitos mezes achava-se soffrendo
do peito.
seu organismo depauperado apresenta-
va todos os syraptomas de urna grave affec-
gao pulmonar : falta de appetite, caneaco,
tosse, d3rcs no peito e oas costas, extrema
debilidade, todos estes caractersticos da
terrivel doenea apresentava a pobre mo-
cinha.
A sua saude, tao profundamente altera-
da, comeyou a iuspirar serios cuidados
sua tia D. Joanna Ferreira Cardoso, que
em vio apresentou a sua doente a alguna
Ilustres mdicos, sem nenhutn conseguir
ht-ilhar o curso da onfermidade.
Esta senhora, seriamente preoceupada
co.n os progre6Ss da doenga, teve a feliz
i a d.' rucorrer experieneia do uso do
Peitoral de Cambar, importante deseo-
berta do Sr. Alvares de S. Soares, desta
c la te, e em tao b61 hora o fez, que aJ-
guns dias depois a doente apresentava sen-
siveia raelhoras, o o medicamento fazeudo
triuraphar a natureza da enfermidade, de-
pois de alguna mezes de tratamento, res-
titua a s^ude perfeita joven Mar daa.
O autor do Pekoral de Cambar, coan-
ros da sciencia medio. (Vede o folheto
que acompaDaa caa fr**
nicos agentas e depemtarioe g-raca em-
Pernambuce Francisuo M. da Silva & C*:
-Ra Marqa-z de Olinda a. 2$.
Marrara abaleo
Con6tando-tne qae algaeis propala que eu ol". -
reco su offorea lucas p> la easa eis que sfid esSs-
hilecidos os Su. Hamos a .Santos, ra du Vis-
coadu de lahauia n. 75, preaso me a dcUrar
gas falso e meutuosu tal hoaGo.
Nunca por este lueio pretenda nao preteadn a
referida casa, e nao aeho multo razoavei que
Vuen quer que teja .&ca ua* do meu nomo para
me.hor poder cliegar a brota para a sua ardiiiha.
('rotalo, pola, contra Cal aleivueia e provoco o
seu autor 011 satures a qae veuham em publico
desmentir in-me.
liecife, 13 de Setembro i 168&
J. Franco Ferreira.
Ho pital Portopez de BencL-
ceiicia
31- aani versa rio
FESI' -V DO CAJUEISU
A junta administrativa do Hospital Pnrtagaez
de Beneficencia, confia do aos generosos senti-
saeutus de caridade que aiiiinam a colonia porta
irueza n-sta cidade e milito mais na in mensa sym-
Mtbia qae mereee a toda a 1 aa popalacjio o i-ata-
belecimenlo qu.' Brlm tem a honra de convidar
lodos os seus eoooidadios c todiw os habitantes do
Ktcite a a'uri.buntar. m asfli a saa preseron a fes
la couunemorativa do 31 annivcrsariu da abertu-
ra do hospital, que tr lagar no sitio du Cajse'ro
ao dia 19 do corrate.
A festa constar, como 6 de tradiccao, da urna
missa cantada na oapclla do dito huspital, pelas
10 horas da mauha, ladamha s 7 horas da tarde,
exposiclo do estabel. eiiiii-nio desde s 3 horas da
tard em diante, leilaoe basar av prendas.
Duas msicas marciaes exeeutari.i anielhcres
secas de seus repertorios e ama espleud.da illu-
aUnscao abrilhantar toJe o sitio do Cajuciro.
A junta administrativa espera que aiada urna
vez o favor publico proteger ov pobres desvali-
dos a que distribu' soceor.os e qae he nao falta-
r a proteceo e syinpathia de todos os cora^oes
bem formados qae tanto e tanto tem protegido o
estabelecimento ; ce que a festa dos pobres nao
faltar a animaba. de todos aquelles qae sentem
pelas dores e desgrsca da hamanidade alguma
coasa mais do que urna estril coinpaixao.
Secretaria do H spftal Portogoez de Beneficen-
cia em Pernambuco, 11 de Setembro de 1880.
Feliciano de Azevedo Gomes,
1 secretario.
Conullorio si(Mf ivfiii firgko
O Dr. JSst/'vV. Cr.vafcfMiT- 4e Alboquerqte coo-
. ti-oar eous>t> o. rmirs;*e, aa roa
do Bo n. 20. t* Hticra.-. de m'i<> dia &* 4
horas du tarde, r'araay oemni isuri. ensi-
las en soa resr vi .t. rasa dSt Jtavusa
S. nepbonKM!* : lo ci'!iA>i!'r.rie *:> e rexleneift
lz"6.
_ EseeJHdaa'fe Pai-tua, tiailtslissi Ae -r-acas
t Unan* .
Dr. Carlos Bettencoiirt
B*treilanstoa si* uretnra curdos
radic.ilmcnO; pflu < ktctrutyse. t^eas dr. Todas B
peracOe^ de pequea e alta irurifia. lina do
Mrquez c'e Olinda n. 31, das 12 as 3 horas da
tarde Residencia, Psseagesa da Magdl
I
(Dr. Ballhazar da Silveir*n
MEDICO HOMEOPATHA
Espcuialidadesfcbres, moleitisf das
erisness, 1- ro?piraturtos e da
nnhoiaa
.sU-flL- a quaiquer chamado .para
la capital.
avio
I ten
:
T.idns ra chamad-s devMn ei>r d :
dos phai maoia do Dr. Sabino, ra Uo
Barao da Victoria u. 13. osde sj indiesr
a sua residencia.
Aviso
Glora do Ooil
O Dr. E. "iNulan Bonnet Medico pela
Facaldade de Medicina de Pars.
Condecorado com a me ia'.ha dos hosprt h!.
Socio correspondente : das Academias de Medi-
cina do Rio de J.neiri e de Barcelona ; da So-
oiedade de Medicina p-atiea de Paris e da Sicie-
dade Francesa de Hygiene, ex-director do Musen
AoatouioPatologic ds Facaldade de Medicina
do Rio de Janeiro, tem a honra de prevenir o pu-
blico qae durante a saa estada tm Pernambuce
tica a disp sieao dos doentes qae desejareni hon-
ra I-o com a saa confinaba.
Chamados e consattaa de 1 s 3 horas da tarde
at novo aviso: na hospedara de D. Antonio
(Caminbo Novo).
Especialidades: molestias das vas respirato-
rias coracao, estomago, ligado, etc., molestias
nervas, e ypbibtieaa.
Reeife, de Agosto del 886.
B.. Gbb Leite
Peci aos Srs. redactores 00 Diario de Pernam
buco, que facain me u obsequio de inserir nxs pa-
ginas do sru conceituado Diario, as buhas se-
guiutes :
Deparando as columnas do sea coucettaado
Diario de29 do mez prximo rindo, cam um arti-
gete em que um anonymo pede providencias ao
Ilhn. Sr. Dr. juiz de direito da comarca contra
u>n individuo que segundo diz, vive extorquindo
dnheiro dos ineus COBAS juriadcionados, com o
fslso titulo de escrivao, venho pedir encarecida-
mente ao autor d'aqueii artigete, que publique tefephan a?W).
o nome do tal iniiv:n... para pjder dar as aao-
videness, iudependeute de incommodar ao Sr. Dr.
jsiz de direito ia comarca : ceno o tal anonyo-.o uf. I CFOdllOS IMITS
de que se nai o fijer, terei como falsa a sua no-
ticia,porqaaotoduaindagHCoesquc tenhoainda nSo \llk jl*l
Mediru. pnrfeiro o operador
Residencia ra da Imperatriz n. 48, 2.- andar.
Consultorio ra Duque de Casias n. 59.
D consultas das 11 horas da manha s 2 da
tarde.
Attende para s ehamadee a quaiquer hora
pude chegar ao eonheci ment de facto.
O juiz municipal,
Jos" Cometi Leitao.
1 de Setembro de.1886. '
Ao publico
Consultorio raa do Bom Jesas n. 30
Consaltas d- ireio dia s 3 horas.
i Residencia rna da Aurora u. 127.
Telephone n. 450
i LicOr depurativa vegetal iodif'o
1)0
Medio tyuiitella
Este iii.tabilissiino deparante que vem nreeedi-
ce de tao grande fama infcilliVi I na cara de todas
as doeucas syphilitxus, scrofalosas. rheumaticas
e de pelle, OOtne tumores, ulceras, dores rheamati
; cas, osteocopae e uevrui^ictt-s, blennorrhagius agu-
1 das n chronieas, cancros eyphiliticos, inflamma-
pies visceraes, d'olhos, ouvidos, garganta, intes-
3 1 rtlia do Mar- Ssoa, etc., em todas as molestias de pello, simples
oa diathericos, assim como na alopecia uu qn.a
ds eabel, e us .lenlas determinadas per sata-
1 raguo mercurial. Do-se gratis folhetos onde se
I encentram numerosas experiencias feitas com este
especifico nos hospitaes pblicos e muitos attesta-
dos de mdicos r documentos particulares. Paz se
descont para revend r.
Deposito em casa de Faria Sobrinho & C
Ra o Mrquez de Olinda n. 4.
O Dr. Cerqueira mudou o seu cons ulto
rio para a ra Duque de Casias u. 74
antiga do Queimado.
Ilr. E. Ossiau-Bouoet
Medico
Consultorio
quez de Olinda Kecife
RESIDKNCIA : HOSPEDARA DE D.
AN IONIO -CAMIN'HO-NO VO
Fados e nao palams
Aos que se desejam tratar sem comprometler a
saude com preparados mineralgicos.
Nesta typographia e na ra Direita n. 43, 1.
Este eficaz e uoffeusiv > preparado, que
nao contro mercurio uem arsnico e ape-
nas urna dose to diminuta de iodoreto de
potassio, que bem se pode qualikar de
homc3opathica (menos de meio grlo em urna
colber de sopa do vehculo), deve somonte
sua maravilhosa virtude depurativa aos ve- "dar vende-se tinturas homeopathicas para ino-
i :s : feu8va cura das seguintes molestias : asthmatico,
getaes que entrara em sua cotoposicao. n(,a mesm0 broa,hitic0. mJsipe,a, enxaquecas;
Outros preparados que rilo contera ab j nternitentes (sem o emprego do fatal quinino);
solut.imente um tomo de mercurio ou seus I to6se convulsa, falta de menstrua9io ; cmaras de
compostos, tem tal dse da iodoreto de po- i saD8e : estericos ou metnte ; dores de deutesoa
- ,. -, ., nevralfrias, metrorragia; vermfugos, dentieaoe
tassio, 4ue esta,, dissolviua em agua pura, ^^^as criaueas ; tudo manipulado de her-
curara os doentes que tm sido curados vas ao. paii.
pelos taes apregoados depurativos v ege Assim como tratam se escrofulosos em quaiquer
taes.
A eficacia do cajurubeba pro va- se :
4o Pelos innmeros attestados de mdi-
cos e de doentes por elles curados de ma-
les reputados ineuraveis.
Io Pela procura que tem ; de modo a fa-
zer desapparecer os preparados congene-
res, que antes d'elle dominavam a thera-
peutica das molestias sypbiliticas do rheu-
ruatismo e das affeccSes berpeiicas.
3 Pela lealdade com que- seus autores
tara fallado ao publico, fazendo-lhe conbe-
cer a composiyao do seu preparado, o que
nenbum outro se animou anda a fazer.
grao e gonamatoBos
DT.
rlKim O
Tem o seu escriptorio a ra Duque de Ca-
XB8 n. 74, das 12 s 2 horas da tardo, e desta
hora em diante em su residencia ra da an-
ta Cruz n. 10. Especialidades, molestias de se-
naoras e criancas, telephone n. 326
A Emulsao de Scott nao um
novo, pois ha longos annos que
N. 2.
remedio
est se usando na Europa, nos Estados
Unidos e muitos outros paizes e tem sem-
pre dado os nelbores resultados na tsica,
as molestias d? peito e da garganta e as j
bronchites chronieas.
c,
Usinas de cobre, afilo e bronze e<- *
Golitzer Ufer n. 9 Berlira S. O.
Espee alidade:
Construe?o de inacli-
Oculista
Dr. Barreto Ssmpaio, medio ocu-
litta, ex-ehtfe de clnica do Dr. de
Weeker, muiou sea consultorio, do 2.
andar da casa ?. 45 ra do Barao da
Victoria, para o 1. andar da casa n.
51 da mesma ra. Consultas de meio
dia s 3 horas da tarde. Residencia
ra Sete de Setembro n. 3 A.
MEDICO
O abaixo asignado, que at agora assignava-se
Dr. Silva Britto,previne a seus collegas e ao
Eublioo, que, para evitar oonfuioes, que j toen
vido, por exercer nesta cidade, onde bastante
'. .,, i* .^linnliln nr.fr, t\ ultimo formo .1 rtfiuelle nnp.llido
obtida pelo seu maravilboso medicamento,
re.- b.u um da, com sorpresa, a visita de
D. Joanna F. Cardoso, que milito satis-
Faita, e em coa panhia de sua sobrinham,
tiaz a lhe um atte8tado que corre impresso
O Dr. Arthur Imbim-ihy, medico oceu na maior parte dos jornaes da provincia e
lista, recemciuent ttupo, esta cidin, m todos oa opsculos aue aeompmha
a consultas tod horas da manha, s< oda gratis aos pobres. \ O leitor deve procurar apresar esae m-
no 1." andar do pr-di.. n, 8, largo da portante documento, por mi do qual po-
, ^-a i----1 1 f J i ii ia usl/Tu* a (nnonanWaili'ia
Santa Cruz.
Dr. Quma Lobo, iBedico operador e par
iler .ievidamente julgar a transcendencia
da victoria obtida na cura de urna affeecao.
teiro, reside ra do Hospicio n. 20, onde I que ainda em nossos dias fai os desespe-
conhecido com o ultimo termo d'aquelle apellido,
am oatro collega mais a utigo, previne dis, que
d'ora em diante assignar-se-haDr. Jo2o Paulo.
Reeife, 1 de Agosto de 1886.
Dr. Joao Paulo da Silva Brittf.
Oculista
Dr. Ferreira 'u Silva, con-
sultas das 9 ao meio dia. Resi-
dencia e consultorio, n. 20 ra
Larga do Rosario.
as e appari
parafaoiioas do assucar, desillacoi.':
finaySes com todos os aaieriecoamei
modernos.
INSTALLAQAO DE:
Engenhos de assucar completos
Estabelecimento filial na Havana s>
mesma firma de C. Hockmann
C. e San Ignacio n. 17.
luicos reprcsentanlcs
Haupt Geini'Jer
EIO I E JANEIRO
Para ioforrnacoes 'i.iij u.
Pohlmaii &
M So CHIRIil l IB
Leonor Porto
Ra do Imperador n 45
Primeiro andar
(I
Contina a esecutnr os mais didictis
figurinas recebidos de Ijondr
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima tm perfeicao.it' ooetnra, m
vidade, n.oiicidade ein precos e lino i
Mato.



Diario de PernambueoQuarta-feira 15 de Setembro de 1S6

EDITAES
Cana Municipal da cidade de Olinda e tea
termo em virtade da le, etc.
Pa saber a quem ioteressar posea, que, estar
esc. hasta publica nos diaa 15, 22 e 29 do corrente
para aer arrematado por Joo Baptista Cavalcan
te de Albuquerque, ou por quem maie offereoer, o
terreno sito a ladeira da Se desta cidade, cem os
imites seguintes : ao norte com o antigo caminhe
que vai da S para o Bom-fim, ao tul com o terre-
no aforado L.uii Antonio Goncalves Pena, ao
poente com o terreno perteneente a irmandade do
Bom-fim e ao nascente com a ladeira de, S, ser-
vindo de base a quantia de 6/ annual, sendo ebri-
Sdo o arrendatario obter da Assembla Legisla-
a Provincial autorisacao para lhe ser atorado
perpetuamente. Os pretendentes podem compare-
ter nos indicados diaa.
Paco da Cmara Municipal de Olinda, 9 de Se-
tembro de 1886.
BarSo de Tacaruna,
presidente.
Jos Marcolino da Fonseca Manguinho,
no impedimento do secretario.
Edilal II. 740
Caizas econmicas escolares
De ordem do inspector geral da inatruccao pu-
blica chama-se a attenco dos professores que
tendo cm suas escolas caizas econmicas escalares,
bao deizado de cumprir o disposto no srt. 104 5
do regiment das escolas publicas para disposto
no final do referido piragrapho relativamente
emesia da lista de inscripcoes mensaes esta
secretaria.
Secretaria d instrucc&o publica de Pernam-
buco, 21 de Setembro de 1886.=0 secretario,
Pergentino S. de Araujo Galvo.
Edilal n. 747
Abandono de cadeira
De ordem do Dr. inspector geral, faco saber ao
professor Manoel Soares Albergara, da cadeira
de Olho d'Agua da Onca, que fica-lhe marcado o
praso de 15 diaa para responder sobre o abandono
de sna cadeira, visto ter deizado de reassumil-a
depois de finda a licenca obtida, e haver decorri
do mais de seis meces fra do ezercicio della.
Secretaria da Inatruccao Publica de Pernambu-
eo, 11 de Setembro de 1886.
O secretario, Pergentino S. de Araujo Galvo
DECLARACES
Companhia Santa Ther za
Kmpreiarla do abastec atento
traga* e las a Olinda
Dividendo
Por deliberacao da directora fica marcado o
dia 13 do corrate pira nelle se comecar o paga
ment do 15 divide ido da companhia, a razo de
6 0/0. O pagamento, como de eos turne, se efec-
tuar pelo Sr. thesonreiro no 2 andar da casa n.
73 roa do Imperador, das 8 horas da aanh s
2 da tarde at o dia 18, e dahi em todos os diaa
uteis das 8 s 10 da man! .
Escriptorio do gerente, 6 de Setembro de 1886.
A. Pereira Simes*
Obras publicas
De ordem do Illm. Sr. Dr. engenheira chefe,
faco publico que no dia 25 do corrente, ao meio
dia, recobe-se nes'a repartico propostas para a
execuc&o dos repares da cadeia de Serinhem,
oreados em 400*000.
O orcamento emais condicoes do contrato se
acbam nesta secretaria para seiem czaminados
pelos senhores pretendentes.
Secretaria da repartico das obras publicas de
Pernambuco, em 11 de Setembro de 1886.
O seva-etario,
____________Joo Joaquim de 8. Varejo.
Thesouro Provincial
De ordem do Illm. Sr. inspector desta reparti-
co, faco publieo que nos diaa 14 e 15 do corrente
paga-se a claase de 1' entrancia de professores,
relativamente ao mez de Julho prozimo paasado.
Pagadoria do Thesouro Provincial de Pernam-
buco, cm 43 de Setembro de 1886.
O escrivo da despeta,
_____________Silvino A. Rodrigues.
Santa
casa
Edilal d. 23
Por ordem da inspetoria desta alfandega se faz
publico qne no dia 16 do corrente, s 11 horas,
mas portas do trapiche Conceicao, ser arremata-
do em hatta publica, livre de di'eitos, um amar-
rado contendo duas latas com fumo, npprehendido
o caes a Lingoeta no dia 7 ce Junho ultimo.
3 seccao da Alfandega de Pernambuco, 13 de
Setembro de 1886.-0 chefe,
Cicero B. de Mello.
Edital n. 8
De ordem do Illm. Sr.Dr. inspector faco pu-
blico que ir a praca no dia 23 do corrente, con-
forme a ordem do Ezin. Sr. presidente da provin-
cia, de 3 do mesmo mez, o fbrneciment de alimen-
tacao para os presos p 'bies da Ca de Detenca ,
relativo ao trimestre prximo vindouro, de Outu -
bro a Dezembro, de accordo com a tabella n. 2,
abaizo transcripta, do Reg. de 18 de Marco de
1885, servindo de base a diaria de 420 ris.
Secretaria do Thesouro Provincial de Pernam-
buco, em 14 de Setembro de 1886.
Servindo de secretario,
Lindolpho Compeli.
Tabellan. 2
Almoco para todos os das da semana
160 grammas de pao.
55 ditas de assucar refinado de 3a sorte.
20 ditas de caf em p.
Ceia para todos os diaa da semana
120 grammas de pi.
55 ditas de assucar refinado de 3a soite.
20 ditas de caf em p.
Jantar para domingos, tercas e quintas-feiras
400 grammas de carne verde.
5 decilitros de farinha.
10 grammas de toucinho.
Jantar para segundas e quartas-feiras
229 grammas de carne secca.
4 decilitros de farinha.
2 ditos de feijao.
19 grammas de toucinho.
Jantar para textas-feiras e sabbados
180 firrammas de bacalbo.
4 decilitros de farinha.
2 ditos de feijao.
1 centilitro de azeite de oliveira.
1 dito de vinagre.
Lenha e sal, o necessario para todos os dias.
Os gneros serSo de 1* qualidade.
Lindolpho Compeli.
Edilal n. 26
1 praca
De ordem do Illm. Sr. inspector se faz publico
que as 11 horas do dia 17 do corrente moc serao
vendidos em praca no trapiche Conceicao, 12 ki-
logrammas e 700 grammas de coral cm raizes e
em obras, e 750 grammas de fitas de seda lisa,
nao especificada, apprehendidos no da 20 de Ju-
lho do corrente anno, a Achules Giomo, passa-
geiro do vapor francs Ville de Victoria.
3" seccao da Alfandega de Pernambuco, 14 de
Setembro de 1886. O chefe,
Cicero B. de Mello.
S
COMERCIO
Na secretaria da santa casa de misericordia do
Recife arrendam-se per espaco de um tres an-
nos, as casas abaizo declaradas :
Ra da Moeda n 45, por 20f mensaes.
dem idem n. 49, 20 idem.
Dita da Linguete n. 14 1- andar, 16*660 idem.
dem idem 2 dito. 15* idem.
Ra do Burgos n. > 1S* idem.
Dita da Madre de Deus n. 10 A, armazem,
15*, idem.
dem idem n. 12, 40* idem.
Ra da Guia n. 25, 16*660 idem.
Dita da Senzalla-velha n. 132, 2- andar, 15*
idem.
Dita da Detenco n. 3 (dentro do quadro) 10*
idem.
dem idem, 8(000 dem.
Ditajdo Visconde de I tapanca, n... 2* andar
e soto, 35* idem.
Dita do Mrquez de Olinda n. 53, 2- andar,
40* idem.
Caes da Alf. ndega n.
Secretarla da venrate! ordem ter.
reir de Seraphlco Padre S. Fran-
cIhco no Recife. 1-1 de Setembro
de isse.
De ordem do csriseimo irmao ministro, convido
a todos os senhores candidatos approvados para
entrarem de raos e aoa nossos irmos novicos
approvados para professarem, a comparecerem uns
e outros no dia de sezta-feira 17 do c rrente, pe-
las 9 horas da manb, na igreja de nossa venera-
vel ordem, afim de realisarem suas entradas e
profissoes.
Igualmente convido a todos os nossos carissi-
mos irmoa a comparecerem revestidos de'seua
hbitos, para ^isistirem as Vesperas, missa so-
lemno e Te-Deum, que em cemmemoracao im-
presso das cbagas ao noeso Serapbico Patriarcba
terao lugar nos das de quinta-feira, s 7 horas da
noite, e sezta-feira, s 10 horas da man ha e 7 da
neite.
Ao respeitavel publico fazemoa sciente que a
banda marcial Jo c irpo de polica tara ouvir suas
lindas msicas ao meio dia da vespera, an'es e
depois dos mais act >a : que a musiea da missa,
sob a regencia do maestro Joo Rosas, ser a da
ordem, composico de Santos Piulo ; que prega -
rao, o sertno da missa o distincto pregador Rvin.
conefeo Ananias Correia do Amaral e o sermao do
Te-Deum o nao menos distincto pregador Rvm.
Pr. Augusto da Inmaculada Conceicao A Ivs, e
finalmente que os edificios do hospital e consisto
rio estarao expostos das 6 1[2 s 9 horas da noit
de sexta feira a aquellas pesaoaa que se apresen-
tarem decentemente vestidas.
Jeaquim Jos da Costa Valente,
Secretario.
Alfandega de Pernam-
buco
De ordem ds Illm. Sr inspector da Alfandega,
scientifico a qaem intereasar possa, que a partir
do dia 1 de Setembro prozimo vindouro, fica
inaugurado 0 1 posto fiscal no antigo Porte de
Picio entrada da barra, onde deverao atracar
tanto na ida como na volta todos os vehculos qne
forem ou vierem do lamaro, fleando no en tanto a
cargo da barca de viga estacionada ao lado do
caes da Liogoeta e que servir de 2- posto fiscal
todo movimento de pequea cabot^genV qua ooai-
prehende a entrada e sahida das laaofiM, oaroa-
eas e canoas que navegam entre portos da pro-
vincia.
Guardamoria da Alsandega de Pernambaso, 14
de Agosto de 1886.O girar da-mor,
__________Jos Augusto de AeveglojMarqe.
AlteracSes para mais no lancamento da de-
cima urbana da fregaeaia da BoarVbta,
relativas ao exercicio de 18(88 1*397,
pelo lanzador Isidoro T. de Ijfrjtfcn In--
reira.
Ra da Imperatriz
Urna casa terrea arrendada
N. 72.
por
N. 33.
N. 79.
Urna dita dita
Urna dita dita
Praca do Conde d'Eu
N- 2. Um sobrado arrendado-por
Conceicao
Urna casa terrea arrendada
N. 16.
por
N. 26.
N. 28.
N. 32.
N. 25.
N. 27.
Urna dita dita
Urna dita dita
Urna dita dita
Urna dita dita
Urna dita dita
N. 33 Urna dita dita
N. 43. Urna dita dita
N. 45. Urna dita dita
Visconde de Pelotas
N. 10. Um sobrado para o 2o se-
mestre, arrendado por
N. 24. Um dito dito
N. 15. Urna casa terrea arrendada
por
N. 17.
25.
27.
39.
41.
N.
N.
N.
N.
N.
N.
N.
N.
N.
N.
N.
N.
N.
N.
por
N. 66.
N. 90.
N. 94.
N. 96.
Urna dita dita
Urna dita dita
Urna dita dita
Urna dita dita
Urna dita dita
Tambi
2. Urna dita dita
4. Urna dita dita
9. Urna dita dita
25. Urna dita dita
Visconde de Albuquerque
8. Urna dita dte
32. Urna dita dita
Urna dita dita
Urna dita dita
Um sobrado arrendado por
Urna casa terrea arrendada
36.
42.
52.
56.
Urna dita dita
Urna dita dita
Urna dita dita
Urna dita dita
108. Urna dita dte
128. Urna dita dita
144. Urna dita dita
184. Urna dita dita
29. Urna dita dita
49. Urna dita dita
51. Urna dita dita
55. Urna dita dita
109. Urna dita dita
129. Urna dita dita
Aurora
109 B. Urna dita dita
109 C. Urna dita dita
109 D. Urna dita dita
109 E. Urna dita dita
109 F. Urna dita dita
109 G. Urna dita dita
109 H. Urna dita dita
109 I Urna dita dita
111. Um sobrado arrendado por
113. Urna casa terrea arrendada
\.
X.
X.
N.
X.
X.
X.
X.
N.
N.
N.
N.
N.
N.
N.
N.
N
N.
N.
N.
por
N. 173.
573*000
393*000
393*000
1:250*000
273*000
760*000
9184000
240*000
273*000
020*000
333*000
573*000
273*000
1:100*000
879*000
333*000
333*000
700*000
373*000
333*000
360*000
297*000
120*000
273*000
280*000
213*000
213*000
500*000
240*000
1:000*000
220*000
285*000
260*000
285*000
280*000
260*000
273*000
260*0O(>
350*000
429*000
273*000
273*000
240*000
273*000
393*000
588*000
5fc8*000
588*100
588*000
588*000
588*000
588*0(0
768*000
1*00/000
Santa Casa da Misericordia do
Recife
Por esta secretaria sao chamados os paren tes
ou protectores das menores constantes da relaco
infra, p ira que as va recolber ao collegio das
orpbs.
Relaco das orphs a que se refere o edital
Supra
1 Donina, filba de Paulina Mara Ferreira.
2 Mara, filba de Joanna Baptista de Jess.
3 Amelis, filba de Auna Amelia Bezerra de Al-
buquerque.
4 Olindiua, filha da mesma.
5 Rosa, filha da mesma.
6 Emilia, filba de Feliciana Vieira da Rocha
Palcao.
7 Mara, filha de Joaquina Mirandolina da
Silva
8 Genoveva, filha de Hermina Correia de Lyra.
9 Carolina, filha de Antonia Diniz Bandeira
de Mello.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 13 de Setembro de 1886.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
Urna dita dita
X. 179. Urna dita dita
Caes do Capibarike
N. 6. Urna dita dita
N. 14. Urna dita dita
N. 34. Urna dita dita
N. 50. Urna dita dita
N. 56. Urna dita dita
1. secca do Consulado Provincial,
tsmbro de 1886.
O chefe,
J. X. C. de Barros Compeli.
1OWO0O
1:000*0)
3HO*000
06*000
8*000
480*000
528*000
240*000
13 de Se-
do
Bolsa commerclal
buco
de Perraam-
RECIFE, 14 DE SETEMBRO ^)E 185o.
As tres horas da tarde
CotacOe* officiacM
Cambio sobre Paris, vista, 447 rs. o franco,
banco, bontem.
O presidente,
Pedro Jos' Pinto.
O secretario,
Candido C. G. Alcoforado.
aENDLMENTOS PBLICOS
Mes de Setembro de 1886
ALFANDEGA
Ruda hdu
De 1 a 13 288:444*407
Idea de 14 47:789*344
do
da raoviaciiL
Del al?
dem de 14
Total
28:863*336
3:366*010
336:233*751
32:229*346
368:463*097
Demonstrativo da renda provincial, arre-
tadada por esta repartilo, e recolhida
ao Thesouro Provincial, na semana de
6 a 10 do corrente mez, como se v do
seguinte :
Importaeo
Imposto de gyro :
Direitos de 3 */0
Addicional de 5/.
Direitos de 20'/o so-
bre fumo
dem de 500 rs idem
dem de 11)0 ris por
couro
dem de 200 ris por
.'lada de navio
10:575*833
527*496
274*160
*
117*100
J800
11.103*389
dem de 50 ris por
alqueire de aal 12*800
dem de 5 % de ad-
dicionaes 40*348
Exportacao
"-vS47*208
11:950*597
Direitos de 3 % so-
bre o assucar
dem de 2 */o sobre
algo 42o
dem de 8 */ sobre
agurdente, al -
cool, etc.
dem de 7 % sobre
couros seceos, etc.
dem de 20 % so-
bre ditos verdes
dem de 3 o/o sobre
sola e couiinbos
dem d 100 ris por
sueco nao fabri-
cado na provincia
dem de 100 ris
sobre barrica ,
idem
dem de 5 % addi-
cioi.aes
2:075* 295
177*675
472*431
236*460
*
*
43*900
134*075
156*998
Santa Casa de Miserleordia
Hecife
A Illma. junta administrativa desta Santa Cusa
contracta com quem melhores vantagens ofierecer,
o fornecimento dos gneros abaizo declarados, pa-
ra o consumo dos estabelecimentos seguintes, du-
rante o trimestre de Outubro a Dezembro do cor-
rente anuo : Hospital Pedro II, dito dos Lazaros,
dito de Santa gueda, hospicio de alienados, casa
dos ezpostos, Asylo de Mendicidade e collegio de
orpbas.
Aletria, kilos.
Arroz, idem.
Agurdente, litros.
Azeite doce, idem.
Araruta, kilos.
Assucar de Ia, 2a e 3a sorte e turbinado, kilos.
Bacalbo, idem.
Banha de porco, idem.
Batatas, idem.
Cha, idem.
Caf em grao, idem.
Carne secca, idem.
Cebla, cento.
Farinha de mandioca da provincia, litro.
Fejio, idem.
Fumo do Rio, kilo.
Gas, lata.
Dito inezplosivel, idem.
Milho.ko.
Manteiga franceaa, idem.
Potassa, idem.
Pao e oolacba, dem.
Dita dem para o collegio das orphsF(em Olinda)
dem. *
Rap, idem.
SabSo, idem.
Sal, litro.
Tapioca, kilos.
Toucruho idem. i
Yelias de carnauba, idem.
Ditas stearinas, maco.
Vinbo branco, litro.
Dito tinto (figuera), idem.
Vinagre, idem.
As propostas deverSo ser apresentadas na sala
de suas sesst's, em cartas fechadas, devidamante
asiladas, at s 3 horas da tarde do dia 21 do cor-
rente, declarando os proponentes sujeitarein-se a
ama multa de 5 "/. sobre o valor total do forneci-
mento, se do praso de 3 das no comparecerem
secretara da mesma Santa Casa para assignar os
respectivos contratos.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 14 de Setembro de 1886.
O escrivo
___________________Pedro Rodrigueb de Souza.
Iiiizo dos Jeitos da fazenda
Escrivo interino Costa Rocha
No dia 17 de Setembro, depois da au-
diencia do Sr. Dr. juiz substituto da fa-
zenda se ha de arrematar a quem mais
dar.
Freguezia da Boa-Vista
A renda annual do predio n. 1 4 ra do
Hospicio avaliada em 500$ para pagamen-
to do que deve a fazenda provincial, Fran-
cisco dos Santos Neves o outros.
A renda annual da olaria n. 1 no largo
dos Coelhos, avaliada em 100$, para pa-
gamento do que deve mesma fazenda
Jos de Amorim Lima.
A renda annual do prouio n. 9 no becco
da Cacimba, avaliada em 480000 para pa-
gamento do que deve i mesma fazenda
contra Antonio arnoiro da Cunha por
Gertrudes Idalina Carneiro da Cunha.
O predio n. 6 ra de JoSo Fernan-
des Vieira, de pedra e cal, em solo forei-
ro, com 5 metros de fundo, porta e janella
de frente, 1 porta no oitao do lado do nor-
te, 2 janellas no oitSo ao jado do sul, 2
salas, 1 quarto, cercada na frente, tendo o
terreno 28 metros e 80 centmetros de fun-
do, avaliada em 1:000)$ para pagmento do
que deve mesma fazenda, Franciscisco
das Cbagas Barros.
A armacSo e balcSo de lousa envernisa-
da existente ra do Visoonde de Pebtas
n. 30, avallado em 70jj(000 cuja armacSo
penhorada para pagamento do que deve
mesma fazenda, Ernesto Barbos a de Oli-
veira.
Santo Antonio
A armacSo de amarello, envidrjada,
existente no predio n. 58 ra do Barao
da Victoria para pagamento do que do ve
mesma fazenda, Mara Catharina.
S. Jos
O sobrado n. 4 ra do Ipiranga, de
1 andar, com 2 janellas e 1 porta, 4 janel-
las no oitao ao lado do norte, tendo no an-
dar superior 2 salas, 3 quartos, e no an-
dar terreo 2 janellas e 2 quartos, medindo
de largura 6 metros e 20 centmetros e de
comprimento 15 metros e 80 cantimetros,
avaliado em 2:500$ para pagamento do que
deve mesma fazenda, Pedro Aureliano
da Cruz Munz.
A renda annual do predio n. 162 ra
imperial, avahada por 144$ para pagamen-
to do que deve mesma fazenda, Umbeli-
na Justina de Souza, por Jos Joaquim da
Cunha.
Freguezia de Afogados
A renda annual do predio n. 142 ra
de S. Miguel, avahado em 120$ para pa-
gamento do que deve mesma fazenda,
Isabel Mara de Moraes e Bastos.
A renda annual do predio estrada do
Giqui a JaboatSo (no lugar Areias) ava-
liada em 96$ para p?gamento do que
deve mesma fazenda, Ignacio Fsteves
Moreira da Costa.
A casa n. 305 a estrada do Giqui a
JaboatSo, em solo foreiro, com 5 m. e 50
centimetrosjde frente e 13 metros e 60 cen-
tmetros de fundo, 1 porta e 2 janellas de
frente, 2 salas, 2 quartos, cosinha externa,
avaliada em 400$ para pagamento do que
deva a fazenda provincial, Francisco Qui-
rino do Sacramento.
S. .Lourenc.0
A renda annnal do predio n. 20 do lar-
go da matriz, em S Lourenco, com tres
portas e 1 janella de frente, avaliada em
120$ para pagamento do que deve mes-
ma fazenda, a vi uva de Francisco Lins
Quaresma.
3:296*834
15:247*431
Segunda seccao, 10 de Setembro de 1886.
O escripturario,
Manuel Gomes de S.
iceheuobia \)< 1 a 13
... de 4
15:731*837
800*968
f.NSCLAOO Pai>V!NC14l.
dem Ao. 14
D* 1 a 13
'rciFs iibituiot' Un a 13
14
16:535*805
11:126*798
3:355*122
14:481*920
15:678*191
1:800*999
17:479*190
DESPACHOS DE IMPORTACAO
Br.u inglrz' Enchan'ress, ntr-i'la de
Cardiff, no dia 12 do corrente, e consigna-
da a Jobnston Pater & C, manifestou :
CarvSo de pedra 940 toneladas ordem.
Lugar inglez Vivid, entrado de Cardiff,
no dia 12 do corrente, e consignado a Wil-
son Sons & C, manifestou :
Carvao de pedra 769 toneladas ordem.
Brigue inglez Winifred, entrado de Ham-
burgo, no dia 12 do corrente, e consignado
a H. Petersen A C, manifestou :
Carvao de pedra 330 toneladas ordem.
Drogas e tintas 9 volumes a Firia So-
brinho & C, 25 a Francisco Manoel da Sil
va & C.
Vapor nacional Mandos, entrado dos
portos do Norte, no dia 14 do corrente, e
consignado ao visconde de Itaqui do Nor-
te, manifestou:
Barra vasios 40 a Amorim L-mfoe di 8.
Banba 3 barrs a Henry Forster d C.
Farinha de trigo 4 barricas a H. Fors-
ter & C.
Gomma de mandioca 10 barricas a Joo
V. Alves Matbeus & C.
Malas 12 volumes a Goncalves Irmao
C.
Mercaduras diversas 13 volumes or-
dem.
Pipas vasias 175 a Persira Pinto C.
Tapioca lOpaneiros a Costa Lima A C
{MfPACUOS DE EXPOHTAgA
Em 13 de etembro de 1886
rara o exterior
No patacho portugus Tentativa, carrega -
rain :
Para New-York. J. S. Lpyo eos com 34,875 kilos de assucar msseavado ; M.
J. da Rocha 121 saceos com 9,075 kilos de assucar
mascavado.
= No patacho nacioual Osear, carregaram :
Psra o Porto, M. Lima & C. 124 saccas com
10.537 kilos de algodo.
Para o Interior
be a'1'.-milo p. Pedro, carreg>-r:T j
Para o Rio Grande do Sol, P. Carneiro & G.
88 saccas com 6,089 kilos de algodio.
No vapor nacional Manos, carregaram:
Para o Rio de Janeiro, M. N. A. de Almeida
7,000 cocos, fructa ; E. M. dos Santos 2,000 cocos,
fructa ; jartbolomeu tt O Successores 6 volumes
vinho jurubeba.
Ni hiate nacional Ctrreio de Natal, carre-
garam :
Para Macabyba, M. A. Senna & C. 3 barricas
com 205 kilos de assucar branco.
Na barcaca Dylia, carregou :
Para Parahvba, H. Oliveira 5 barricas com 606
kilos de assucar mascavado.
MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no dia 14
Mauos por escala9 dias, .vapor nacional
Manos, de 1999 toneladas, commandante
Guilherme Waddington, equipagem 60,
carga varios gneros ; ao Visconde de
Itaqui do Norte.
Liverpool17 dias, vapor inglez Dalton,
de l,'i31 toneladas, commandante Joseph
Bussell, equipagem 27, carga varios
gneros ^a Saunders Brothers A C.
Fernando de Noronha Vapor nacional Gi-
qui, commandante Souza Lobo, carga
varios gneros.
Rio de Janeiro por escalaVapor nacional
Manos, commandante Guilherme Wad-
dington, carga varios gneros.
PelotasPatacho allem&o Mary, capitao
J. Breckinoldt, carga sal.
Barbado!Lugar americano Lewis Eler-
man, capitao W. F. Collerin, em lastro.
VAPORES ESPERADOS
A casa terrea em S Lourengo da Matta
tendo 11 metros e 50 centimeiros de vao,
6 metros e 75 centmetros de fundo e com
2 janellas e 1 porta de frente, 1 porta no
oitao, 4 salas, 3 quartos, cacimba interna,
terrajo ao lado, sitio grande e 1 rancho ao
lado, avahada em 500$ para pagamento
do que deve meema fazenda, Silvino da
Costa Machad*.
Francisco Egydio de Luna Freir,
Solicitador.
Eaapreza Telephenlca Bonr
8*rd
BELAgXO DOS NOVOS ASSIGNANTES QUE
COLLOCARAM APPABELH08 TELEPHON1COS
DEPOIS DA LISTA N. 8.
Mez de Agosto
A
458 Antonio Jos da Costa Araujo.
Regulador da Marinha, ra Larga do Ro-
sario.
460 Augusto Neeseu Residencia, ra
Formosa.
425-Arsenal do Guerra-Caes do Ra-
mos.
322-Almeida Duarte & C'.Armazem
de fazendas, ra Duque de Caxas.
132 Goncalves & Irm3o Ra Mr-
quez de Olinda.
344 Abrantes &C\Armazem de mo
Ihados, ra do Bora Jess.
C
461 Companhia Ferro-Carril Escrip-
torio, ra BarSo do Triumpho.
E
431Eduardo Martnez A Ca. -Refina-
$ao, Praga do Conde d'Eu.
Ii
261London A Brazliun Bank, Limi-
ted, ra do Commcrcio.
m
457 Socedade Recreativa Juventude
Pateo de S. Pedro.
314 Valente A Irmlo RefioacSo, ra
Marcilio Dias.
Z
459 Zeferino Valente 4 C\-Arma-
zem de molhados, Caes 22 de Novembro.
Recife, 3 i de Agosto de 1886.
O gerente,
Carino Almeida.
THEATRO
DE
VACIEDADES
Quinta-feira 16 de Setembro
Ultima apparicc lo illnsionista
DE CASffilONE
condn and Brasillan Ba
Limited
Roa do Commerc9 n. 32
'acca. por todos os vapores sobre as ca
do mesmo anco em Portugal, sendo
em Lisboa, ra dos Capellistas n 75 N-
Porto, ra dos Inglezea.
COMPAinESlior
COSTRA FOCO
iiortb Brilish & Mercantile
CAPITAL
C:000.00o de libras sterllna*
A GENJES
Adomson liowic & C.
COM PASHIaT^DsS-ECCRds
X0RTHKKX
de Londres e Aberdeen
Potlce ananceira {esembro 1**5)
3.000.000
3.134,34rj
Capital oubsciipto
Fundos accumuladoB
Beeella annual t
Da premios contra fogo
De premiosobre vidas
De juros



577,330
191,000
132,000
BUl
O AGENTE,
John. H- Boxtce
COMMERDOCIO >. SO 1 t\llR
Slffi
CONTRA FOGO
The Liverpool k Leuden & GIo
INSIRRaNCE company
&G.
MARTIMOS
CUAROELRS REUNS
Companhia Franceza de \ a vega-
cao a Vapor
Linha quinzenal entre o Havre, Lia-
ooa, Pernambuco, Baha, Rio de Janeiro
Santos
StoBinr VillB Qe Maced
Espera-se des Dorios do
sul at o dia 19 do corrente
seguindo depois da indis-
pensavel demora para o Ha-
vre.
Conduzem medico a bordo, sao de marcha rpida
e offerecem excellentes commodos e ptimo passa-
dio.
As pastagens poderao ser tomadas de aatemSo.
Recebe carga encommendas e parsageiros para
os quaes tem excelentes accommodacuea.
Grande funeco
Experiencias incomparaveis de alta
prestidigitacao
Pela 1 e ultima ves
E' esperado da Europa
n > dia 20 de Se'.embre, se-
guindo depois da indispen-
savel demora para a Ba-
lita. Rio de Janeiro
e HantoN.
Roga-se aos Srs. importadores de carga p.'lot
vapores desta linha,queiram apresentar dentro de 6
dias a contar do da descarga das alvareng.v ,;al-
quer reclamaco concernente a volumes, qud po-
ventura tenham seguido para os portos do sul.afim
de se poderem dar a tempo aa providencias necea-
s arias.
Expirado o referido praso a companhia alo se
responsabilisa por extravos.
Recebe carga, encommendas e passageir* pars
os quaes tem excellentes accomodacoes.
Augusto F. de Oliveira & l
AGENTES
42-RIJA DOCOMMEROIO-45
A FADA
OOS
Pliantasinas
Ultima func^o
Preces os do costume.
Prlrlpiar nt 8 e mela em ponto.
llliDOi
Gompanhia de Seguros
martimos e terrestres
EstabelcJda emlH55
CAPITAL 1,000:000$
SDISTROS PAGOS
At 81 de dezembro de 1884
Martimos..... UI0:000$O00
Terrestres,.- 31:000$000
41Roa do Commerelo
Companhia
Jmperia
Orator de Maeei hoje
Mondego do sul boje
Mrquez de Carias da Bahia hoje
Rosario de Hamburgo arnanb
Dalton de Liverpool amanh
Baha do sul a 17
Valparaso du sul a 18
Ville de Maoett do sul a 18
Ville de Pernambuco da Europa a 20
Espirito Santo do norte a 23
Neva da Europa a 24
Congo do M-l a 26
Para do sul a 27
Tamar dj sul a 29
SEGUROS contra FOCiO
EST: 1803
Edificios e mercadoriai
Taxas baixas
Prompto pagamento de prejuvsos
CAPITAL.
Ra. 16,000:000*000
Agentes
BROWNS & C.
N. *Ra do CommercioN 5.
SEGUROS
MARTIMOS contra fogo
Companhia Phenlx ier-
nambncana
Ruado Commercio n. 8
CO BA\Biai. JE ES HESSAVE-
RIES MARITIHES
LINHA MENSAL
0 paquete Congo
Commandante E' esperado dos portos do
sul no dia 25 do corrente,
seguindo, depois da demora
do costume, para Bordeaux,
tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos senhores passageiroa de tudas
as classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo.
Pas-se abaumento de 15 /0 em favor das fa-
milias composta de 4 pessoas ao menos e que pa-
garem 4 passagens inteiras.
Por excepeilo os criados de familias que toma-
rem bilhetes de proa, gosam tambem d'este abati-
mento.
Os vales postaes s se dao at e dia 23 pagos
de contado.
Para carga, passagens, encommendas e dinheir o
a frote: tracta-se com o
AGENTE
4uguste Lab lie
9-RA DO COMMERCIO-9
DampfschifiTahrts-GeselIschaft
O vapor Rosario
Espera-se de HAMBURGO,
via LISBOA, at o dial6 do
corrente, seguindo depois da
demora necessaria para
Rio de Janeiro e Santos
0 vapor Valparaso
1
B' esperado dos portos do
sul at o dia 18 de Setembro
depois da demora necessaria
seguir para
a.lsboi e Hamburgo
Para carga, pasagens e encommendas e dinhei-
ro a frete tracte-se com os
Consignatarios
Borstelmann & C.
RUADO VIOARJON. 8
/ andar
AGE2CTB
Miguel Jos Alves
N. 7-RA DO BOM JESS-N.
Seg-uroN martimo* e terrestre*
Nestes ltimos a nica companhia nesta praca
que concede aos Srs. seguradrs isempcaode paga
ment de premio em cada stimo anno, o qne
equivale ao c'-7ionto de cerca de 15 por cento em
' favor dos 8fg-:r.J.os.
Comp.. ha Brasllelra de Xsre-
gacSoa Vapor
PORTOS DO NORTE
0 vapor Baha
Commandante Silverio Antonio da Stlva
E' esperado dos portos do sui
at o dia 16 de Setembro, e
seguir depois da demora in-
dispensavel, para os portos
io norte at Mnnos.
Para carga, passagens, cncommendat valeres
raeta-se na agencia
11Ruedo Commercio11
SBI


1
Diario* de Pernambnco<(iiarta--ieira 15 de Setembro de 1886
a**
United SUtes & Brasil lail S. S. G.
O vapor Advance
esperado do sul no dia
do corrente, segoiado de-
da demora neeesaaria
Leilo
de
Haranho, Para, Barbados, .
Thomaz eSewVork
Para carga, passagens, e encommendag tracta-
te com os
AGENTES
0 paquete Finalice
Espera-se de New-Prt
News, at o dia 1 de Oa-
tubro o qual seguir depois
da demora neeesaaria para a
Habla e Ro de Janeiro
Para carga, passagens, encommendas e dinheir?
a {rete, tracta-se com os
AGENTES
Henry Forster 4 C.
N. 8 RUADO CMMliClO N.-8.
! andar
iOHl't\lllt
DE
5iavegaco Costelra or Vapor
PORTOS DO NORTE
Parhyba, Natal, Macan, Mossor, Ara-
caty, Cear, Acarahu e Camossim
0 vapor Jacuhype
Segu no dia 21 de
Setembro, as 5 horas
da tarde. Recebe
carga at o dia 20.
Encommendas passagens e dinheiros afrete at
s 3 horas da tai de do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
de terrenos com bailas de capim, olaria, casas
pedra e cal un Apipucos
e urna parte na propnedade em
commum Apipucos no valor de 1:918/608,
A saber :
Um grande terreno no Zongue com plantas de
capim propria para o invern, eom olaria parte
nova e parte detercorada e urna meia agua de
pedra e oal antigua mesma olaria,
Um ottm MM< denominado liba, com planta
4e asStim M|Mk pera o invern, que outr'ora fa-
ia parte iiUso cima;
Ain*/* dita com planta de capim pro-
pria p*tt vfctsia fonhecido por baixa do Moc.
'"Urna can*. a> ijblo e cal, n, 21, na estrada de
Apisncos pan Csaang, com um outro terreno,
en o Bul na grande alicerce para urna ou duas
casas. .
\m *%* Mjrii.dade em commum Apioti-
" i de Setembro
sil horas
Ag-ente Pinto
Em seu e8cripterio ra do Bom Jess
n. 43
Leilo
De livros, entre os quaes differentes obras de
direito e literatura
diiinin ri-lra 1 do corrale
A'a 11 horas e meia
Agente Pinto
Ra do Bom Jess n. 43
Precisase de urna ama para cosinhar ; a
tratar no sitio do Dr. Valonea, na estacao da Ja.
queira. __________________________________
Aluga-se o sobrado de um andar e soto
com muitos commodos e bem preparado, na ra
dos Guararapes n. 48 : a tratar na ra do Impe-
rador n. 16, 1- andar._______________________
Urna senhora de boa moral tem para alug a
em eua casa um quarto, pereai que seja algurua
senhora idosa e de boa co -ducta. A mesma se
nhora offerece sa para tomar sob sua responsabi-
lidade a educaco de al cunas meninas que esto-
jan no caso de havererr. p-. '.if mi ou pai, pois
tem as precisas qualidades pata esempenhar
esse magisterio : trata ae na ra do Mrquez de
Herval, casa n. 182.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia : na ra de Marcilio Dias n. 25, segundo
andar.
Aluga-se o 2- andar da ra da Penha n. 29
e a casa terrea da raa Vidal de Negreiros n. 140:
a trr tar com o Fiuheiro, ra Duque de Cazias
a. 66, loja de miudezas.
Precisa-se da quantia de 8:000/000, a juros
sobre bypotheca em predios : quem quizer faaer
este negocio, deixe carta fechada nesta typogra-
phia com as iniciaes D. I. S dizendo aonde pode
aer procurado e o menor preco do juro.
Precisa-se de urna ama para engemmar
rua do RaagfjJVj^
-*
Leilo
ROYALHAILSTEAM PACkET
COMPANY
0 paquete ittondego
esperado
do sul no dia 15 de
cerrente seguinio
depois da demora
"neeesaaria para
. Vicente, Lisboa, Vigoe Son
Champion
i Para passagena, fretes, etc., tract- ** t> es
CONSIGNATARIOS
Adamson Howie & i>.
Para o Porto or Lisboa
Segu com brevidade para os portos cima a
barca portugueza AUianea : para o resto da carga
e passageiros, trata se com os consignatarios Jos
da Silva Loyo & Filbo.
LE1L0ES
Quinta-feira (16) deve ter lugar o de livros,
terrenos com buzas de capim e casas em Api-
pucos.
Conforme o annuncio ua columna dos leudes ,
no volta do vapor Gfiqui de Fernandt) de Moro-
nba, deve ter lugar o leilo da barca italiana
Luizia V, tal qual se acha no lugar de sinistro,
bem como os aalvadoa viudos d'alli no mesmo
vapor.
De 6 machinas novas de costura, ns. 2 c 3, do fa-
bricante Domestic, cerca de 2 milheiros de agu-
lhas para ditas, 5 bataneas decimaes, propnas
para armazem de assucar ou estiva, 4 pecas
de encerado para mesa, 1 mobilia de junco com
tampos do pedra, 1 dita mogao, 1 piano, camas
francezas, marquezes; sofs, cadeiras, consolos,
carteiras, secretaria, jarros, candieiros, quadros,
e muitos outros objectos, inclusive diversas
miudezas.
Quinta-feira 16 do crvente
A's II horas
No armaze da rua do Mrquez de Olin-
da o. 19
Por inicrvcncao do agiente
Gusmo
Leilio
Aluga-se um bom sitio na Magdalena, rua
Carlos Gomes, tendo boa casa com accommoda-
coes para grande familia, tem cosinha fra e
quartos para criados a coeheira ; quem preten-
der pode dirigir-se rua da Iinperatriz, loja do
Cysne. ________________________________________
Na rua do Riacbuello n. 14, engomma-se e
lava-se roupa de homem e de senhora, com perfei-
co : quem quizer dirija se dita casa, que ficar
satisfeito.
Foi perdido ou turtado o bilhete da lotera
da provincia de n. 2803, qne deve correr no dia
16, roga-se ao Illm. Sr. thesoureiro nao o pague,
caso seja premiado, se nao ao abaizo assignado.
Victorino Gong ilves Dias.
Caixeiro
Precisa-se de um caizeiro coin multa pratica de
molbados : a tratar na rua da Aurora n. 113.
Aluga-se o sitio da travesea de Joao de Barros
n. 6, com boa casa de morada, bastantes fructei
ras e baixa para capim ; trats-se na r ia da Im-
peratriz n. 14, camisari*.
Consultorio medico-
cirnrgico
O Dr. Castro Jess, contaado mais de 12 annos
de escrupulosa observacio, reabre consultorio nes-
ta cidade, rua do Bom Jess (antiga da Cruz)
n. 23, i.o andar.
fl Horas de consultas
Dt dia : das 11 s 2 da tarde.
De noite : das 7 s 8.
as demais horas da noite ser encontrado no
sitio travessa dos Remedios n. 7, primeiro por-
teo eaquerda, alm do poro do Dr. C>sme.
E a expressao da verdade
Sao boas e bonitas as casimwas, que oltimamen-
e receberam Pedrosa <5s C, assim como eat na
direccao da officina de sua alfaiataria um ezcellen-
to mestre; sua thesoura quasi infallivel os precos
das obras all fabiicadas]sas modificadisimos, pois
sendo estas vantagens a principal e esaencial con-
dioco para a base fundamental das regras econ-
micas regras estas que todo homem tem o deve-
observal-as. pois justo e rasoavel que todos os
amigos e bons freguezes, vo muirse das rou-
pas que precisarem a rua do lia rao da Victoria n.
41 prepara-ae um terno de roupa em 24 horas.
E' o que faltava ver, podendo-ae comprar um
terno de caaemira fina a escolher, obra muito bem
feita, que nada deiza desejar, por 60*, 65J, 70*
80|, na casa de Pedrosa 4 C. a rua do Baro da
Victoria n- 41 para ir-se em outra parte pagar
eme cento c tantos mil ris, isto nunca.
Ama
de 20 encapados com fumo do Para
Sexta-feir 11 do corrente
A's 11 horas
No armazem da rua do Mrquez de
Olinda n. 19
Em continuado
Precisa-se de urna ama para cosinhar e que
durma em casa do emprego ; na rua da Conceico
n. 4, 1 andar. ________________
a m rs, o
Na rua da Guia n. 51, superior qualidade.
Inslrnceo publica
, O delegado Iliterario de Viccncia, conteste, se
ser vendido grande quantidade de miudezas, per- -^ com documentos serios, a publicaco inser-
I ta no Diario de hontem, sob a epigraphe cima.
Recite, 6 de Setembro de 1886.
i A voz da moral.
fumarias e movis
PORINTERVENCAO DO AGENTE
Gusmo
[ ei llO
Os abaizo assignados
participam ao publico e
com especialidade ao commercio que nesta data
,. e i_ j i tem justo e contactado com os Srs. Souza Al ves
De bons movis, finos crystaes, objectos de |& c^ara do estabelecimento de molhados
Ao commercio
a
Da armacio, restos de miudezas e utensilios da
loja de miudezaa rua do Mrquez do Herval
n. 57, antiga Concordia.
Qaarta-fefra, 15 do corrente
A's 11 horas
FOR INTERVENQO DO AGENTE
Gusmo
de 2 vaccas taurinas muito boas, e em seguida de
1 piano, movis, lougas, jarros, copos e muitos
outros artigos.
QARTA-FEIRA 15 DO CORRENTE
A's 11 horas em ponto
Na rua Estreita do Rosario n. 24
Agente Modesto Baptista
Agente Burlamaqu!
Leilo
De movis, louca, vidros e espelhos
4|nana-feira. do corrente
AS 11 HORAS
No sobrado do pateo da Santa Cruz, que faz
esquina para a rua do Baro de S. Borja.
O agente cima autonsado por urna familia que
se retira para o sul do Imperio, levar a leilo 1
piano forte e bom, 1 mobilia de junco completa e
consolos com pedra, 1 meia mobilia de Jacaranda,
2 cadeiras de balance, 1 eapelho oval, jarros, ta-
petes, 1 toilet com pedra e espelhe, candieiros
para gaz, cama para caaal, 1 guarda-lauca, 1 com-
moda e guarda roupa, aparadores, mesa para jan-
tar, cadeira para crianca, 1 cama para crianca,
1 berco para crianca, 1 marquesao, lanternas, es-
carradeiras, 1 barheiro, 1 cama de ferro, camas
de lona para crianca, compoteiraa, garrafas para
Vinho, garrafoes, passaros, papagaios, iolhas de
zinco, grades de madeira, e outros mnitos mo-
vis como verao no dia do leilo.
Agente Sib eir
Leilo
Quarta-feira, 1" do corrente
A's 11 horas
A' rua estreita do Rosario n. 24
O agente Silveira, por mandado e com assisten-
cia do Ezm. Sr. Dr. juiz de orpoa, levar leilo
o engenho Penedo de B&ixo, freguezia de S. Don-
renco da Matta, comarca do Recife, espolio de D.
Anna Mara da Rocha Falco, sendo o engecho
edificado margem do Capibarib?, moente, com
bom cercado de pastagem e er.cellentes mattas.
Os Srs. pretendentes podein examinar o referido
engenho.
Grande leilo
objectos antigos
de mais de 200
De importantes movis e
e notave8, alguns at
annos
CONSTANDO:
De grandes colleccOes de conchas e mug
mesas, cadeiras, sofs, commodaa e uma infinids-
de de objectos apreciaveis pi'rtcncentes ao grande
museu do Illm. Sr. Antouio Mafra.
Quinta feira, 16 do arrente
As lo l| horas
No sobrado n. 13 sito rua de S. Jorge,
em Fra de Portas
O agente Gusit.ho, aotoriindo pelo film. 8r. An-
tonio Mafra, far lrilao doten grande e impor-
tante museu de movis e ubjectos n^tavci > e do
grande aatguidade, cujo leil-; e;4 i$:z; adv na
obrado cima mencionado,
sito rua do Camaro n. 17, livre e desembaraza
do de todo e qualquer onus ; se alguem se julgar
credor aprsente-se dentro do prazo de 3 dias.
Recife, 1 de Setembro de 1886.
Goncalves Ferreira & C.
Tendis (oee ou MoiTrela do pello t
Uaai o melbor remedio, que o PEITORAL
DE CAMBABA', e veris como vosso soffrimento
desapparece. Vende-se na drogara dos nicos
agentes e depositarios geraes na provincia, Fran-
cisco Manoel da Silva & C, rua do Marqnei de
OHnda n. 23.____________________________
Elixir carminativo e tnico do
pharinaceutico Ye as
Remedio que cura dyspepsias, gastralgias e to-
das as perturbacea ligadas desarranjos de es-
tomago e intestinos. Aconselhado por varios cli
nicos dos mais conceituadoa desta cidade, acha-ae
venda ezclusvmente na pbarmacia americana
de A. M. eras & C, roa Duque de Casias nu-
merr. 57.
4o commercio
electro pate, lindos quadros, vasos para
flores e espelhos.
A saber:
Um piano, urna mobilia de fantazia com 1 sof,
2 consolos, 2 o deiras de bracos e 12 de guarnico,
2 cadeiras de balancoe, 1 meaa oval, 1 porta-flo-
res, 1 lkd ewpelho oval, 2 ettagers, 6 laucas e
corilaaJe, 1 aandieiro gaz com 2 bicos, 1 es-
tante para moaica, chrocheis, tapete torro de sala,
eafeitas A* sOsm, & tapetes de coo e 1 estante
par umdui
Oablnete
Braa daots para livros, 1 carteira, secretaria,
1 porta-chapos de sol, cadeiras de balanco, 1
mesa redonda, 2 mesas de trabalho, 1 candieiro
luz-dupla, tapetes e capachos, 1 mesa para jogo e
6 cadeiras, e 1 estante para livros.
Sala de jamar
Urna mesa elstica, 16 cadeiras de guarnico, 1
guarda-louca envidracado, 1 apparador, 2 cadeiras
de balanco, 1 sof, 3 mesas, 2 consolos com mar-
more, 1 relogio de parede, 1 candieiro, 3 lampeoes
e 1 filtro.
Porcellana, crytitaes e electro-pate
Um apparelho duplo para jantar, 1 dito para
cha, 1 dito para almoco. guarnieres para lavatorio,
copos, clices, compoteiraa, garrafas, porta-quei-
jos, galheteiros, salvas, paliteiros, talberes e ou-
tros objectos de electro-plate.
Primeiro quarto Francisco Joaquim Gomes da Silva, convida a
Urna linda cama, cortinados, colzoes e travs- | todos os scus credores, a apresentarem suas con-
seiro, 1 guarda-roupa, 1 commoda. 1 mesa de tas para serem couferidas e pagas ; ruadolm-
cama, 1 lavatorio. 2 cadeiras, 2 cabidea, 2 toilet- perador n___, escriptorio do Sr. Dr. Manoel Por-
tes, 1 commoda e tapetes. ; tella Jnior.
Segando qaarto
Urna cama com colzo, traveaaeiroa e cortina-
dos, 1 mesa, toilette, 2 cabiles, 1 lavatorio, 2 ca
deiras, e 6 cadeiras.
Tercelro quarto
Duas camas com colzoes e travesaeiros, 2 me-
sas, 1 guarda roupa, 4 cadeiras, 1 cabide, 1 com- as aeces entre amigos, que corriam tres vezes
moda, tapetes e 2 lampees. com a grande lotera de tres sorteios, da Colonia
Dispensa etc. coslnba \ Isabel, as pessoas que ficaram com bilhetes qnei-
Flandres, potes, formas para bolos, trens de cos- j ram receber as respectivas importancias de quem
nha e trens de jardim. lh'os passou. Recife, 14 de Setembro de 1886.
SEGN DA-FEIRA, 20 DO CORRENTE
No Poco da Panella, casa pouco adiante
da casa do Sr. Qeorge Gatis
Ricardo Hall, tendo de fazer urna viagem com
sua familia, faz leilo por intervenco do agente
Pinto, dos movis, crystaes, espelhos. quadros, vi
dros, electro-plate e mais objectos da casa de sua
residencia no Poco da panella, peno da estacao do
Chaebn.
Todos os objectes sao de apurado gosto e achara-
se em ptimo estado de conservaco, por ter sido
montada dita casa ha pouco tempo.
A's 10 horas e 15 m inutos, partir um trem ex-
traordinario que dar passageui gratis aos concur-
rentes ao leilo parando em todas as estacoes at
Ponte de Ucba, e d'alli em diante ser ezpresao
at a Casa Forte.
Recife, 10 de Setembro de 1886.
Francisco Joaquim Gomes da Silva.
Fican sera efeito
4o publico
Leihio
Do casco, mastros reaes m is per eneas e
da barca italiana
1X1G1\ \
tal qual se acha na ilha da Rata, 6 milhas
distante de Fe-mando de Noronha
O agente ratja far leilo, por autoriaaco do
A abaizo assignada faz publico que nesta data
dirigi ao Sr. Manoel Fortunato da Silva, morador
em Limoeiro, urna carta na qual declara ficar sem
effeito autorisaco que por escripta Ihe deu para
elle ceacertar suas casa3 sitas na mesma villa de
Limoeiro, rna Santa Cruz ns. 15 e 17, at que
com ella aqui nesta cidade do Recife se entenda
pessoalmente sobre a mesma autoriaaco, que
precipitadamente deu e assignou. Recife, 14 de
Setembro de 1886.
Felicidade Maria do Carmo.
' Caixeiro
Preciaa-se de um menino com pratica de (aver-
na : na rua de HVrtas n. 17.
Regulador da Mari-
nha
Este importante estabelecimento de re-
lojoaria, fundado em 1869, est funecio-
nando agora rua Larga do Rosario n. 9.
O seu proprietario encarregado da Ro-
gulamentaco dos relogios: Arsenal de Ma-
rinha, Estrada de Ferro de Limoeiro, Com-
panbia Ferro Carril de Pernambuco, As-
sociacSo Hominercial Benefcente, Estra-
da de Ferro do Recife a Caxang, Estra-
da de Ferro do Recife a Olinda e Beberibe
e Estrada de Ferro de Caruaru'; cercado
de intelligentes e habis auxiliares, fazcon-
certos por mais difficeis que snjam, nao
s em relogios de algibeira, mas de pndu-
la, torre de igreja, caixas de msica, ap-
parelhos elctricos e telegraphicos.
O mesmo acaba de receber variado sor-
timento de relogios americanos que ven-
de de 7$ a 20$ de parede e de mesa, des-
pertadores de nikel.
Aos seus collegas vende fornecimeto em
grosso e a retalho : e aceita encommendas
para seu correspondente em Paris.
Acha-se bem montado neste estabeleci-
mento um observatorio pelo qual regula to-
dos os relogios martimos e terestres.
Recebe asssignaturas para dar a horacer-
ta desta cidade pelo telephone n. 458.
Preco commodo
Em frente de seu estabelecimento se
acha collocado um relogio, cujos mostrado-
res poderao ser vistos pelos passageiros da
Ferro Carril, lendo sempre a hora media
desta cidade determinada pelas s uas ob-
servares astronmicas.
Antonio Jos da Costa Araujo.
Cofres de ferro
Vende-se dous, pro va
de fogo, novos, que
vieram de en rom Hien-
da, por pre Rua do Baro da Vic-
toria n. 48.
es
VI
ce
o
i
o
p*
O
t
*-
fe
a
03
be
2
03
o
ce
O
0)
Q
99
fl
es
fl
fl
sS
s?
B
!
^cr^amaVismo Q^JkCfi3k,Bhk\np^iev %
efaxtesas molestta qelcnl<>,'.6na.oru|em
-na inpuj-ea do axigue desvaa, a 9vphia
*teo yo box 2
,** Crt''
'i
f} ^^ ^cm^in. A tni
OS


'-"- f. fea ftOMSRAStUt^A;
l t^Ru do Vtsoone do Rio Bpae
TU O
ft
i
2
81
55 f"



fl ^T

-ato. O
fl

p
3
O
Xl
P-
s


PERFUMARA
PARIZ
Segredo da Juventuds
LAFERRIRE
PARIZ PARIZ
________ Segredo da Juventudo
AGUA LAFERRIRE M OLEO LAFERRIRE
Para o Toucador. B^B Para us Cabellos.
POS LAFERRIRE ^1 t~W ESSENCIAS DIVERSAS
Para o Rosto. ^^B ^r ^Wara o Lenfo.
PRODUCTOS HYGIENICOS para conservar a Belleza o Rosto e do Corito.
DpogltritMemftniafiitiict>.-FRAN',M.da8n.VAtC'e na? principie' Perfumarias e Cabellereirog._____
Saude e rigor para toaos
ESTOMAGO, FIGDOeINTESTIN
VINHO E XAROPE DE JURUBEBr
BARTHOLOMEO & C*
PHAI.M. PBRNAUBUCO
nicos preparados de Jnrabeba approvadot pela Academia de Mediana, el
recommendados pelos Mdicos contra as Molestias do Estomago, Perda de Appe-1
tita, Digostes difflceis, Djrspepeia c todas as Molestias do flgato e do B^v-ic
na Diirrhea chronica, na Hydropesla, etc.
CXTIDAJDO OOM A.S FALSIFICACOESI
EX!G!R
!S3.7iatsra,
Banhos do mar
Roupa e calcados apropriados para aso de ba-
nhos do mar, par bomens e senhoras, vende-se
no estabelecimento u tamben ulnga se a quem
! queira usar d ae avuleos ; as pessoas que levaren) de trra suas
roupas, deverSo nellae deitarem suas iniciaes, sob
br. cnsul ae Ilaria, com licenca do Sr. inspector i do e8tabe|ecmPn,0 nao se prestar a tomar
da Alfandega o eum ass.stencia do empregado da j eo de ^^^ e guardal-as, o mesmo fa-
m^sma que para esse fim for nomeado, e por con- \ rSo comfe0 ca|?lldo ^^ etc.
ta e risco de quem pertencer, do casco, mastros
reaes e mais per'enyas da barca italiana Luigia
V, tal qual se acha na ilha da Rata, onde naufra-
gara na sua ultima viage-m de- Cadix para Buenos-
yres.
En. conlinoao
vender-se-ha os botes, remos e cabrestante, sal-
vados da mesma barca, existentes na Alfandega,
bem como as velas, cabos e mais perteneas da
mesma barca, que devem vir pelo vapor Giqui
da Companhia Pernambucana.
No dia 12. deve partir o vapor Giqui para Fer-
nando de Noronha.
Os pretendcnles podem ir ou mandar examinar
dita barca.
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se casas a 3(A.O no beceo dos Cce-
Ihog, junto de S. (jonca'lo : r tratar na rua d
Imperatrit n. 56.
Alu,ta-ae quatro casas n .rua Imperial ns.
102, 104, 132 e 136, caudas c pintadas, com coin-
mados pura familia, e precos razoave! : a tratar no i
Recife, exea do Apollo n. 45, ou na mesma rua
n. 130, al as i h.r;is ou dat 4 em diante.
Casa tarrea e sota
Aluga se a do pateo do Terco n. 82, e a da rna
d, Nascente u. 22, prxima matriz de S. Jos,
com 3 quartos, quintal e cacimba, em bom estado,
est nova : a tratar em Fra de Portas, rua do
rilar n. 56, at as 11 horas da manbS ou depois
das 4 horas da tarde. _____
\endose a casa tensa'
n. 22 da rua do Nascente, prxima i matriz de
S. J ai; cita 3 quartos, quintal e cacimba, em bom
estallo e chao propri >, por 1:3004, ou permuta-se
por outra mais pequea : a tratar na rua do Mar-
quez de Olinda n. 3-A, ou rua de S. Jorge n. 56.
AO
Precua-M
do Raagel n. 9,
ae ama euguamumeu ; sa roa
Os abaixo assignados participam ao publico e
com ecpecialidade ao commercio que nesta data
iim justo e contractado com os Srs. Goncalves
Ferreira & C. a venda de seu estabelecimento de
molhados sito rua do Camarao n. 17, livre e
desembarazado de todo e qualquer debito ; porm
se alguem se julgar coro direito ao mesmo apr-
sente -se dentro do prHzo de 3 dias a cntar da da-
ta Ueste, tecie, la de setembro de 1666.
Sonsa Alves & Q.
Alimentago racional
das MAES, CBIANCAS, AMAS A CONVALESCENTBt
Por uso da PHOSPUA TIXA fiilres.
PARIZ, 6, Avenue Victoria, 6, PARIZ.
depositarios ua Permmbuco FAN~ M. da SILVA k OK
CASA DE MODAS
Fazcndas linas
0 mais .ariado sortimento m artigos para ittkM scafiam i recetier
J. BASTOS & C.
2 A--Rua do Cabug--2 B
Sedas de cores em cortes de 20 metros com as rendas de seda para enfeites.
Sedas com bordado de alta novidade.
GorgorSo de seda, qualidado especial, cores del, rese, marinhe, lontre, beijt_
lilaz, tabore, brenze, lontre e grenat.
GorgorSo branco para noiva.
Faille branca para dita.
Damass ottomane branco.
Grinaldas de cera, o que ha de melbor.
Veos e fiil, em peca, para noiva.
Leque de madreperola com rendas.
Meias brancas de seda.
Col. lias de damasco de seda.
Ditas de Guipour e crochet.
Cortinados de crochet.
Ca( e res com bordadosAncoralindissiraa combinacao pdra vest
inteiramente novidade.
do
ESCOLHIDO A CAPRICHO
Robes mi confeccionesvestido rneio preparados, em seda, 13, t cidos novos
algodao, de 155000 a 65^000.
Manoel Leurenco da Silva
ttobrinbo
Leonor Correia Limada Silva, Jos Victor Lou-
renco da Silva, Maria Correia Lima, Francisco
Xavier Correia Lima, Getulio Xavier Correia
Lima, Jos Xavier Correia Lima, Mara Olindens
Correia Lima, Theonilla Correia Lima de S
Leitao, mulher, filho, aogra, cunhados e cunhadas
do finado Manoel Lourenco da Silva Sobrindo,
feridos do mais doloroso sentimento, mandam re-
sar missas por alma do mjsmo finado, na igreja de
N. S. do Ter$o, quarta-feira 15 do corrente, stimo
dia do seu passamento, pelas 8 1/2 horas da rna-
nha ; e para este acto de religiao e caridade con-
vidam aos parentes e amigos do finado, confes-
sando-se desde j eternamente gratos.__________
^-:
Hara Joaquina Pinbelro
Barrelroa Mala
Manoel Antonio Rodrigues Pinheiro e sua mu-
lher mandam celebrar orna missa de stimo dia
por sima de sua presada sobrinha, Maria Joaqui-
na Pinheiro Barreiros Maia, fallecida em Mara-
nhao, no dia 10, na igreja da 8oledade, pclss 6
horas da maubS do dia 16 (quinta-feira), convidan-
do para assistir a este acto de caridade aos seus
amigos, a ernem dsde j se confessam gratos.
Colleretes para senhora-doctoresse, em fusto e crotones; grande moda.
Visitescapas enfeitadas ricamente a passementerie e rendas.
LUVAS DE SEDA
Com e sem dedos, ultima moda.
Bolsas de couro da Russia He diversos tamanhos.
Perfumaras finissmas, grande sortimento.
Leques do seda e setim, modernos.
Tecidos de algodao para vestidos ligeiro e econmicos
E' difficil encontrar tnelhor sortimento do que acaba de chegr.r e que ven
se barato. Padres novissimoe.
2 A-RA DO GABUGA-2 B
(Telephone n. 359)
Grande e bem montada oflicina de alfaiate
DE
PEDROZA&C.
N. 41Rua do Baro da VictoriaN. 4
Neste bem conhecido estabelecimento, se encontrar um lindo variado 8 t
timento de pannos, casemiraa, brins, camisas, punhos, coarinhos, meias, gravatas.
tudo importado das melhores fabricas de Paris, Londres e Allemanha; e para ben
servirem aos seos amigos e freguezes, os proprietarios deste grande estabeleciment
tm na direccSo dos trabalhos da officina habis artistas, e que no curto spac.o
horas, preparam um tside roupa de qualquer aaenda.
(PM:COS SEM COMPETENCIA)
HU
I WIHrWI


Diario le"PerDainlwiwiHiiarlft-teM '5 de Setembro de 188
Luz brilhante, sem Fumo
0LE0M0MATIC0

Hygienico e Econmico
PARA UMPARINAS
Alujase
. predio n. 140 ama Imperial, propno par es-
beleeiaiento fabril : a tratar aa ra do Commt r-
io i;. J. I de Medeiroa Rejo-_________
Sngase barato
Eua Vieeonde de Gryanna N. 79
Ra do Chiab-juco N- 4. lija
) aroazein da ra do Corouel Suassuna n. 141
na da Bai Verde n. 5.
Jaca terrea da travesea de S. Jos n. 2.
IraK-se na ra do Cornmorcio n. 5, 1 anuar
-criptorio de Silva Guimarae c C.
Aluga-sc
: casa n 1 ra Lcinbrane do Gomes, em Santo
Imaro, tem agua : a tratar na rat da Imperatriz
i. 32, 1. andar.
A luga
-se
.3 casas da ra do Viseonu- de Goyaona ns. 159
: 167, e m a^rna e gaz : a tratar no largo do Cor-
io Santo d. 19, esc iptao. ___________
AUiga-se
sala de detrs d > 1 andar 4 ra Primeiro de
larco n. 18, uiuito prqpria para escriptono de
ualquer iatureaa : a tratar p loja do aieemo
'red,: ______3_________
Alusa-se
, casa tenea da ro Vi.-conde de Albuqaerque n.
70, caiada e pintada de novo ; a tratar no largo
Corpo Santo n. 4, 1 andar.
Alugi
"a-se
casa n. 18 da ra 7 de Setembro u. 18 : a tratar
o caci do Apollo n. 47.
Alujase
eguudo a d;ir da praca do Conde .l'Eu n. 2,
um grandes e.min-dos para familia, sa chaves .
ndar terreo.
XABTDTS* BASTOS
Pernatn buco
NUMERO TELPHONICO : N* 83
Agua florida. Extrahida de flores bra-
sileiras pelo seu delicado perfume, suavida-
de e euss propriedades benficas, excede
a tildo que neste genero tcm apparecido de
ujais celebre.
Tnico am trican*.- E' a primeira das
prepararles para a ionservac3o dos ca-
bellos. Extingue as caspas e oatras mo-
lestias capillares, faz nascer os cabellos,
impede que embranquecam e tem agrande
vantagem de tornar livres de habitantes as
caberas dos que os usam.
Oleo vegete!' Compcsto coro vegetal
innocente, preptrado para tm aeiar, for-
tificar e dar brilho aos cabellos.
Agua dentifricia. Exctente remedio
contra a carie des denles, fortifica as gen-
givrs o faz desapparecer o cao balito.
Yend --se na principad casas desta ci-
dade e na fabrica de leos vegetaes ra
da Aurora n. ll.
TFLEPHOXE N 33__________
Tricofero de Barry
Garntese que faz nas-
cer ecrescer o cabello anda
aos mais calvos, cura a
tinb o a caspa e remove
todas as impurezas do cas-
co da cabeca. Posith l-
mente irupede o cabello
de cahirou de embranquo-
cer, e infallivelmente o
torna espesso, mocio, lus-
troso e abundante.
'J4r:MiU
Alngs-n
casa da ra de P. i s n. '29 ; a tratar com o
inbeir ., roa uque de axias n. 66, loja de
lindezas.
Agua Florida de Barry
Fn parada segunda a formula
original usada pelo inventor em
1822. E' o unioo perfumenomnn-
do que tem a approvacao official de
um overno. Tem duas veees
mala fragrancia que qualqner ou t ra-
edura o dobro do tempo. E'muito
mais rica, suave e deliciosa. E'
muito mais fina e delicada. E'
mais permanente e agrndavel no
lenco. E' duas vezas mais refr.
canto no banbo e no quarto do
doente. 9 E' especifico contra a
fronxidiio e debili ura as
doras de cubeca, os cansacoa e os
deemaioe.
larope ie Vida Se Reuter No. 2.
Uuga-s> muito barato
Exceliente morada
A cusa'grande ra de S. Jorge n. 26, i o Re-
:fe, com quartos, quiutsl e portio.
O SITIO e casa para familia, travesea do
totocolomb n. 4, em Afolados, cm umitas
iras e baubo aalgade, perto dos bonds para
ecife e da estrada de ferro ; trata-se na ru.i d
jnta Thereza n. 38.
rida-'
de U
Na praca do Conde d'Eu u. 7, segundo
ecisa-se de urna coaiuh-ira para caea
ilia.
Ama
ANTES DE TTSAIr-O. DKPOIS DE USAIr-O.
Cura positiva c radical de todas as formasde
escrfulas, Syphilis, Feridas Escrofulosas,
Affeccoes, Cutneas e as do Couro Cabel-
ludo com perda do Cabello, e de todas as do-
encas do Sangue^Figado, e Bins. Garantes*
que purifica, enriquece e vitalisa o Sangue
e restaura e renova o syatema inteiro.
Sabao Curativo de Reuter
Precisa .se de urna ama para CAsinhar c com-
,r ; na ra d < Aragao n. 14._________________
Ama de frite
Precisa-se de urna ama de leite com urgencia,!
M Oliuda. no Varadouro : a tratar em casa do I
. Deirneritn Cavalcautr.
Serrara a vapor
Caes do CapJbaribe n. ZH
N'esta serrara encoutraro os s< nbores fregu -
s, um grande sortimento de pir.b) de resina de
ico a de metros de comprimeuco e de 0,08 a
4 d' ctquadros Garante te pr(;o mais cmo-
do que em outra qualqui r parte.
Francisco dor Sant's Macedo.
pisho w m\
.'X9. 4X9 e 3X'2 ; veu-'.i-so na serrara a va-
de C i maco da Silva, caes Vinte Dous de >Jo-
Para o Bonho, Toilette, Crian.
Sis e para a cura das moles-
as da pelle de todas as especies
em todos os periodos.
ksuear especia
i
:i Salguciral S C urcji>ricterius 4a mait
fuentada refioacao dista cidade, scientificam
ablie > ni .;:.i cipe alente ao commer
que um sempr- um completo sortimento de
tai to ei i Ca finndos, de 1*,
ite, e especial refina i" com ovos, o me
a se enc-intri no mercad?, e mit \q atisfazer (o ilquir pedido que lhes seja
pre um grande dep -
Jarar.ti'in H BCiO e IlUlpeza de seU6
- n;i iHroldi b. 3S
luit; attenvo
' : TXctL-
oihido
mi a do [Sanbj da Vic-
i LdlZ.
Kj inheira
. .i ; ',.i ,'ua i i Riae
---------
rl V :.-,..#
s;.:' ie mu'iou
p la UtaS erubar
iti n. 1, utr'ora da
mea L> L |W2
i j'tj^Miwar
neto a. !'.', ..ndar, ie
e tratar de
Deposito em Pernambuco casa do
Francisco Manoel da Silva & C.
y*irgeu leJapiribo
Al-rio se ra do Bom Jess n. 23,
um arrn-zem oude se venido oo^sf ptemen-
te a superior cal virgem de Jaguaribe,
aconfi.- ionada em barricas proprias para o
fabrico do Mfacar.
Esta cal, em nada inferior que nos
vem d'i estrangeiro, vendita p'lo preco
6xo de (J^OQ a barrica por ci tracto que
fez Sr- Vicente Nascimento com o Sr.
Jos C.isfa Pereira proprietf rio do engenho
Jaguaribe, < ajas pedniras Ihe (! o nomo
B' i iirregiitio da venda cucamente
nesta cidade o Sr Sebastiao Bezerr-i,
com eseriptorio ra dj Biu Jes.os n.
23.
PajMiula k (J.
h-m so caljoat 18
Tem
de do, MFNKC| seda lio
Au'im florida e Cricoferi) de 11
ete diverso* e eur:t:v-, de K- atir,
Nibi^ine lis;,?, bordada alnipis.
( amu \M c i eroulas de flauella e Dieia de 11.
L'amira* sein collarinhos e sem unlios /^ c/p
c/c c/p.
(ollaimbis punhos, meiss, pi.stroe, antas,
gr .VHtar- de laco.
Lene.*, espartilbos, penteadores em cambrsia,
vestid, h a CHinbraia bordad.., b d^s tapetes, ti-
xs d -c ia e de la, casacas (lasUcox, cxsata* de
caremira greuadice de seda t todas de seda.
Alpacas de seda a 600 ra o covado. j
PEROLAS DO W CLERTAN ~~\i
H
Approvadaa pela Acadeaai de lldiciua de- Pas*is.
AS PEROLAS DE TEREBlEIliTIW-* acalraam em aiguns minutos as enxatruecas, as rT\IS
VIOLENTAS DORES DE CABEgA e DOEI-JC ? o PIGAOO. Si a dose de trez ou airo pt o.
nao produzr effecto dentro de aiguns instantes intil sera <0/7 -^,
continuar. Cadra vidro contem trinta perolas. Para ter o pro- K^JCs^Xz^
ducto bem preparado e efficaz, convem exigir a assignatura do: x+a%s
AS PEROLAS D'ETHER ido o remedio^ por excellencia, das pessHB r^/j ^^
nervosas sujeilas s juffocafes, cambras 'estomago e aos desmaios. as quaes \JL&^ "^
devem ter sempre meo este precioso medicamento. Exigir a assignatura : jk
AS PEROLAS DE QUININA conteem cada uma dez cenfigrammas (dois graos) de sulfato de quinina puro.
Por isso encacia dellas certa nos casos de febres alera do que nao causara repu-
gnancia, nem fastio e engolem-se fcilmente. As perolas de quinina conservam-se
ir.deRnitamence sem estragarem-se. E indispensavel exigir a signatura : a
S veade a varjo na mor parta das Pharmacias.
Fabricaco e atacado, Casa L. FRERE 19, ne Jacob, em Pars.
/
THES0URAR1A
DAS
wmm % mrn
Acha-sc venda a Ia parte da Ia lotera a
beneficio da Santa Casa de Miserieord a do
Reeife que se extrahir quinta-feira, 16 do cor-
rente pelo seguinte
v
FARINH LCTEA
IE
Oleo de moeot
Superior e sam aUifiosoisa veude Luiz Jos da
Silva GuimarSa, ra do Cotmnereio n. 5.
24,000 bilhetes a 16^000
Beneficio, sello e commis-
s3o......
3e4:OOO,5000
69:0600000
3H:940?>000
mmm
100:000^000
30:000,5000
10:000^000
a centena em que sahir
o terceiro preirjio
Approxira a 9 o e s de
2:000^000 para o pri-
meiro premio
Ditas da 1:000*000
para o segundo pre-mio
Ditos de U000 para
o terceiro premio .
4:00: J6000 2,400 premios de 20(5000
i4:0005000 para todos os algaris-
10:0005000, mos iinacs do uim iro
8:0005000 premio ....
2,4U0 Premios de 205000
para todos os algaris-
19:9005000 mos finaes do segundo
premio.....
9:9005000 5,140 Premios .
1 Premio e.
1 Dito de ... .
1 Dito de ... .
1 Dito de ... .
7 Ditos de 2:0005000 .
10 Ditos de 1:0005000 .
16 Dito de 5b05>00 .
99 Ditos de 2005000 para
a centena em que sahir
o primeiro premio
99 Ditos de 1005000 pnra
a centena cm que sa-
bir o segundo premio
99 Ditos de 605000 para
Caso a terminacao do segundo premio seja igual a do primeiro passar ao nu-
mero iromediatamente superior.
Esta lotera divide se era 20 partes e os bilhetes em vigessimos de 800 ris
cada um,
Os premios raaiores de 20Q5OOO em cada parte estSo sujetos ao mpo3to pro-
vincial de 15[0 e 5r0 add'cional sobre o referido imposto.
EXTRAi ('AO PELA MACHINA FICHET
Trenouraria das loteras, 7 de Setembro do 1886.
Augusto Octaviano de Soiiza,
Thesoureiro.
5:9405000
.4:0005000
2:00050 0
1:3005000
48:0005000
48:0005000
314:910;000
MARCA. REGIS1RADA
15 OTOSDE SVCUSSQ
21 reci mpensa?, das rrun< s 8 diplomas de honra
e 8 me'Jalbas de ooro.
Certicados numerosos d a primeiras autorida-
des medicas.
Alimento cmplelo para ciianci-
iibttN te peilo
Supre a inmfficieneia do leite materno, celita
de semamcotacao e a dipestao fcil.
mprega-ae tambem vantajosameute para -adul-
tos como alimento para estmagos debilitados.
UNIC'DEPOSITO ESPECL4L DA EABKICA
PARA TODO O IMPEK10
31 CRA DE S. PEDRO-31 C
________Blo de JaneiroW
g^^JardiiH das plaas
MONDEGO N. 0
Pretendendo-se acabr com as plantas que estao
em vasos n'este JHrm, vendem-sn os sapotiseiroa,
muito grandes, e daudo fructu a 2$0(X), lau
geiras. muito grandes, par; enxertar, a 6000 n
duzia, e sapotiaeiros mais pequeos por barato
preco.
PH0SPHATINA
Falires
AlIlCEHTAclo* EACIOBAI
Mes, Mangas, Amas,
Cono&escdnes.
Este alimento, de un sabor agradavul, precioso
sobretudo .-
Para as Mes, durante a gravidez;
Para as Criancas, na occasio de flesmamal-as;
Para s Velhos e Convalescentes.
A PHOSPHATINA constitue o verdadeiro alimento
*das Criancas alimentadas no seio ou na maiiKidnira. Xenhuma
Fcula, Oonseuva ou Pos ditos de alimentajo para a infancia,
pode competir-lhe.
E a administracSo fcil do Phosphato de Catcium, que fortifica as
Crianzas durante o seu crescimento.
FABXZ, 6, Avenue Victoria, 6, FABZZ
SeposiUrios em Pernambuco : FBAN" M. da SU.VA i C '
Mvvv^^vyvvvv^^^yy^<|i^vvyvyv^%v^^^i^^^^^^^^^^^tt^#<
BRONGHITES. TOSSES, Catarros Pulmonares,
DEFLUXOS, Molestias do Peito, TSICA, Asmas
COBA RPIDA K GESTA PELAS
Gottas Livoniennes
TROUETTE -PERRET
Com CRSOSOTB ie FAJA, AlCATSlO de NOBUBQA e BALSAMO ie TOLW
Este preparado, infaivel para curar radicalmente todas as Molestias das Vias
respiratorias, recommendado pelas Notabilidades medicas como o nico efflcaz.
o nico mediamento que *leeo da neo fatigar o estomago, o fortifica, reconstitue e desperta
o appetite : duas gottas pela mat i e tarde bastam para triumphar dos casos mais rebeldes.
OEVE-8E EXIGS. -. '.ELLO DE GARANTA DO GOVERMO FRANCEZ
Bcpsso prcipal: TROf TTE-PERRET, 264. booleTd Voltaire, PARS
Depsitos en- JVivkmjib.-o: raAS"M. ta SUVA* C, enas princijunsPtarmac'a*
jj^VVVVaV**a**i*i*^VVv*r^^r*iA^^AA* 'i.....***aAa**..........^
j*.f "-.->-
V

LJHXC
* V


:
i -I"
0 mclhci dos Saboes de icucaj

os tais peuftipae* <*(aujr5, Piwj-irwis a OabeLereiro da Awk5-
Molestias Nervosas
Capsulas do Doutor Clin
Laureado da Faculdade de Medicina de Pars. Pnmio Uontyon
As Capsulas do Doutor CLIN ao Bromureto de Camphora empregao-se
nas Molestias, as de Cerebro e contra as afTeccSes seguintes:
Asthma, irtsomnia, Palpitacoes do Cora?o, Epilepsia, Halluciuaco,
Tonteiras, Hemicrania, Atecgea das viao urinarias et para calmar toda
especie de excita,ao.
na Uim explicado dttalhada acotopsnhk Mida Fnu*.
Exigir as Verdadeiras Capsulas ao Bromureto de Camphora de CLIN & G'S
de PARS, que se encontrlo em casa dos Droguistas et Pharmactuticos.
AOS
100:0008000
23roa Primer de Sari23
O abaixo assignado t- m exposto ven-
da os 8eus afortuuacioi bilhetes garanti-
dcs da 1.a parte da 1.a loteria da Santa
Casa de Misericordia do Reeife, pelo novo
plano, que se extrahir quintafeira 16 do
corrente.

Casa filial ra do Ca-
bug n. 12
Receber^m novamente um esplendido
sor'.imer.to de cliapos de sol de todas as
qualidades, para senbira, lisos e bordados,
grande variedade em cores ; e para hoaaeni
grande variedaie eui cabos inteiraraente
OO/os, cliapos para criancas, cargar no-
vo sortimento.
N. JJ. Fabricam-se e conoertaia-se cha-
peos de todas as qualidades, com perfei-
cio e rapidez a roaii.r possivel; pois oo-
bre-se um chapeo em menos de uma hora.
Amostras levam se era qualquer parto.
Vende -se em gross e a retalho
DE
SCOTT
DE OLEO PURO DE
Figrado de bacalho
COM
flypophosphilos de cal e soda
%pirovada pela Junta de ly
glene e autorizada pelo
governo
E' o rnelhor remidi at b>je de=coberto para a
tlHira broncliileM. oxeropbnlaN, rn-
cIiiim. anemia.' cbilidadc cas ireral.
deflnxoM. toe cbriinioa ; ir<-<;
da pella e da ;arsaiai.
E' muito superior no ol^o simples de figado de
oacalbo, porque, alni de ter cbi-iro e sabor agra-
daveis, posaue todas as virtudes medicioaea e nu-
tritivas oo oles, lm das propriedades tnicas
reconstituinti-s dos hypophospliiros. A' venda naj
drogaras c boticas.
Deposito em Per-jarcbuco
Pinho
de 3X7 at 3X1*.
resmr.
p
Mt'OS
'.-
1 vig.-ssim 1000
Ga pore:' de f e04 p^ cima
l vigesimo 900
Mai.ue.l M'irti.ris Fi'^ra.
Golooia Agrcola Orpha-
nologica Isabel
Sdentifico aos tuto-
res (tu parentcs de me-
nores qae obtivereni
despachos favoraveis
da presidencia da pro-
vincia para admisso
dos mesraos neste ins-
tituto, que devero
aguardar previo an-
nuncio desta Directo
ria, pelo Jornal Offi-
cial, para tal reali-
sapio, sujeitando-se a
reconduzirem os mes-
mos, se antes disto o
fizerem.
Secretaria da Colo-
nia Orphanologica Isa-
bel, 0 de Setembro de
1886.
0 director,
Fr. Fidelis.
Capachos *e esparto
Pintados, de diversos tamanhos, yendem por
pr.co aun eompeteveia Martina Capitao C. ora
armaz^m de inolbados ra estreita do Rosario
Pinho branco (da Suecia)
3X7 at 3X1'.
Cimento inglez
VENDEM
Fonseca Iruos tk. C.
numero 1.
Do respetad conselho lilterario
C nvidaui s a prcioa atteqgio para o artigo
estampido uo Diari i d" aomi gu ultimo, epigra-
phado sIurtru vao fubea.
Retif., 7 d.- tiet mbro de 1886.______________
oa i'(|iiisic;io
I |*ara quim qoxer pmhar dlnlieiro
N'uoaa U principa'a -vas d.-su iitade, uego
' ,-in s.' nmi I* > per'eiiCHa e em
p rfi itocalad d- e .useivacao : a tratar aa praca
lo Couded'Eu n. 18.
Folhinhas .
De Laemniert
Para iH1
CHEGARAM as afamadas folhinhas de Laem-
mert : 1 Recreativa, 2 [Trovador, 3 Divortimeat*
de saiao, 4 Histrica, 5 Moralista, 6 Jogador, 3
Cmica, 8 Romancista, 9 (Jupian, 10 Jardinciro,
11 Maco.ii".. 1 Cbaraditta, 13 Sonboi, 14 Dra-
mtica, 15 Contos monea, 1G divertida, 17 Thea-
tral, e mais oito nutro,-, e vende m-se na casa de
G. LAPORTE v. C.
46Ra do Imperad..r46
(Grandes abatimentoa nas v ndaa em gro?s \
Barbeiro
Precisa-se dn um official de barbeiro : na ra
do Livramento n. 17.
Ca>a para alugar
Alaga-ge casa n. 6, sita em Saut'Anna de
dentro, com 2 silas, 4 quartos, eosinba e quartcs
fra, quintal mnrndo e graad* terreno em seguida
ao muro do fundo : queua pretender dirija-se ao
sitio do Sr. Jorge Tass;>, no Ma:iguinho, estrada
da Ponte de Ucba, que achara com queo tratar.
"Tavares de Mello,
Genro & &, previnem
ao publico qne movem
pelo juizo do commer-
cio desta cidade a>
po por quantia avul-
tada co atra o proprie-
tario do engenho Con-
ceigo Velho, no termo
de Ipojuca, pelo que
nao ser licita qual-
quer transaeco sobre
o referido engenho, ou
acerca de uma escrip-
tura de hypotheca que
se diz existir no nes-
no.
Obras de vime
l Minio goKta
Modelo ap ifcicud i >m ct-aa par* eompraa,
azafates, eoMureiM*, tadiir^s para criancas, etc.,
etc., vender or piecoa commedoa Martina Capi-
tao IC, 'iii si u armaiem de molbados ru
estreita do Rosario b. 1. .......
Criado
Procisa-se de um criado de 14 a 19 ann ; a
tritar na ra do Corrurereio n. 44, ou Payandi
n. 19 (Pas-agein da Magdalena). ____
jHIHllEnllllOOtl
Tornera nota
Trilhos para engenhos
W.vGONS PARACANNA
Locomotivas
Hach;ri. geuhos de t< -dos oh tamanuos
Systema, aperfejc/>ado
tispecijiaicoes e presos no escriptono dos
agentes
Browns & C.
M. a Ra do tommereio
N. B \lm do cima B 6t C. tem cathalo^os de
mu .^mplemeiitosiMiccaaarioaisgricultnra, ccn#
mbem machinas para deacapecar algodo, moi-
uhos para eat, trigo, arroa e milho ; crea d. ier-
ro alvanisado exceUcte e mdico cm prego, pea
ioa nenhuina pode trepal-a, nem animal qne-
bral a.
r

OsasHr


&iarh> de PtsrwMiifciM^^^eftrte-felra 15 de fleten, bro de IftSfl
_]___1J*
i


ui mu.
.s KNMMOIMO
iiLntffB* A*******
Praga da Independen
ca os. 37 e 39
Achara-e- venda os folia* brlhetcfc
garaatidosd novo piar da Ia paite da 1
lotera a beneficio da Santa Casa de Mi
ierieorda do Reotfe, que se extrahir
16 do corrente.
Preeo*
De cada vigessimo lf^OO
Emporcao de 1000 para cima 900
4_V > Al *'"''" Porto
40
Caxang
Alogam-se quaitos mobilhados a 155 mensaes,
nt antifo hotel de Caxang, assim cjmo tenibem
ommodoB son cosinlia e dependencias par hm\-
Ha : a tratar i rua Prmeiro de Marco n. 25 loja
de joias._____________________t
AttenQo
O SbBixo seeignado, tendo contratado eoBprar
ao Sr. Mancel Ferreira de Paaa a im taverr da
estrada doe Aflictos n. 5-A, livre c desembara-
cada d qualquer oam, previne a qaenr se jul-
gar prejodicado part, no praso Je tres dias, a
contar ae hoie, apresentar sna reclaraaco. Rfe-
crfe, 11 de seten.Ur de 1886
Antn 11 FernanoVs de Alboquerqiie.
4.s 100:OOOSO0
msm mkmm
16-E.ua do Cabug-16
O abaixo era exposto yen-
da os seus venturosos billn tea gari ntidoa
da 1 lotera do novo plano.
i Vigsimo 1.-5000
Meado quautidade superior
dMW "00
Joaquim Pires da iivti
VENDAS
Vende-se diversas taboas de pinh e louro e
nm compartiavei.o para (scriptono com duas por-
tillas, encanamento -icaz com enndieiro simple :
a tratar na rua das Flores, casa de gubias.
Taverna
Vende-s* urna inverna : a tratar na rna do
Carnario n 17._________________________________
Mavasia
Tinho proprio para senhoras
Em barris e a retalho : Pjcas Mendes & C,
-na estreita do Rosario n. 9.
GRANDE
Expo i<;ao central roa larga do
Rosario n. 58-
Dmelo Lima & C, chamam a attencao das
Exmas. familias para os precos seguintes :
Carreteis de 200 jardas 80 rs.
Pecas de bordados de 200 a 600 rs.
Ditas do uso i._mo a 2,5500 e 3*000.
Fita n. 80 para faxa a 2*500.
Leqces recitas e D. Joannita a 1*000.
Fraseos e extractos de Lnbin, grandes, a 2*000.
L*qnes D. Lucinda Colho a 6*000.
Toalbas felpudas a 500 600, e 1*000.
Duzia de meias para homem a 3J000.
Ditas para senboras a 3*000.
Lavas de seda a 2*000.
Meias de fio de seda para menina a 1*000.
Colannhos de linho a 500 rs.
Ditos de algoiio a 320 e 400 rs.
Magos de prampos a 20 rs.
Peis de cordita para vesiido a 20 ra.
vista is graudcs a 320 rs.
rarnpos ii vi-si veis a 60 rs
Um liqu e de setim novidade) a 6|50(.'.
i t b Boleinfa is da rr.adreperola de 1*500 6*.
LA para bordar 2*800.
Urna Sr'f>. por 12*000.
Un OM P ^>0-
abo.
Pliss a 400" i '' i
Unri honren grande '5500 e 3*000.
;OO CENTRAL
8Kaa Larga do lv^rio-38
Vende-se ou sretada-ae annualmente urna boa
casa core bastantes cvmmodos para familia, tendo
agua e gz encanados, com um boin quintal todo
murado, com algutnas arvores fructferas e caa
3ahiiia pata o rio. jror prejo rauito razoavel :
qnem pre t-e rua Duque de Caxias n.
117, qoe a ia qnem tratar._______________
Para .igenhos
Cal nova ie Lisl
Potass;-. da Russia.
Oleo de ;:r;e t.
Axeite de cirrapato.
Grax.'. em ivxigas.
Vendem A orantes & C, ru. do Bom Jess
numero 48:
WHISKY
BLEND marea V lAfXi
Este <;j' "rivt
ao cognac ou oBMa, pnr fttrtifieis
i i irpo.
Vend--. 'i'-* urirren
Bolliados.
Pede R cW
ae eemblorra le Brail
Tecidos de llho
A amo rs. a eiTa4i
Na laj i da rua da Itapratriz n. Si, vende ee
um bonits so: (fe tatenilf de linhj pra
vestidos, enri ,largara de ehita frmeeza^eom
multo b .nidio cores e palminas bordadas, p-
tbincha a 50 rtis o cotsA); n l Silva.
6#5 12*000
800
1*800
5X>
l*00
800
1*2
280l
1J800
400
200
Fazendas brancas
SO' AO NUMESO
40 rna !a imperairtot -
Jjiia do$ barairo
Alheiro & C, a rua da Imr*rtriz n. 40, ven-
dem tim bonito sortitaento de toda estas taiendas
abaixo mencionadas, sem compeiaacia de preeoa,
A SABER:
AlgodioPeess de Igudosinho ^m%)
jardas, nelo> barato preco de 3*800,
4*, 600, -, bj( 5*500 e
Madapolfo Pe?*s de madapslao cam 24
jardas a 4*500, 6*. 6* ata
Omisas de meia com hstras, pelo barato
prece de
Ditas branc i el craas, de 1 ai*
Creguella franceza, fazeuda muito encor-
aada, papila parf* lenene, talhas e
ceronlas, vara 400 rs. e
Cerenlasds u^sasa, Mito bem fertaSi
a 1*200 e
Colletiuhos c'a mesma
Bramante fraoce de algodio, moto en-
corpade, eoifi 10 patrmo de hrgura,
n 'tfo
Dito de Tinho ingle, de 4 largura, me
tro a 2*500 e
Atoalhado adamascado para toalhas de
mesa, com 9 palmos de lrenf, rrtetf*
retoes e chitas, ciara e espuria, pt<-
roes delicados, d 240 rs. at
Eaptista, o que ba de roai ckilicaio no
mercado, rs.
Tocias estas fazendas barf.tissimas, na coineCida
lj* de Albeiro & C, esejain-i do beeeo
dos BVrreiros
Ugoda^ enfestado pa-
ra lejifoes
A Oo r. e l#0O o metro
Vende-se na I. ja dos barateiros da lioa-Vista
edao p dft um s panno, com 9 pal-
s di', ar^uraa 900 t?., e cito com 10 palmos a
00 o r,;etr assiin eoms dito trancado paja
mailias de m. sh, com 9 palmos de largura a 1*200
i otro. Isto na leja de Alheiro & C, esquina
do ecco dos FerreSros.
MERINOS PKETOS
A 1*20!), 1*400, 1*600, 1*800 e 2* o covdc
A heiro & C^ A rua da tmftUk n. 40, ye
d- a. mni'o bons merinos pretoe pelo- preco aeimt
iueha : na loja da esquina do bee-
eo di s Ferreiros.
Espartllfeo*
Na loja da rua da Imperatriz n. 40 vcade-se
mmto bous espartaos para Kenbora*, pelo proco
de 5*U00, assim como um sortimentu de ronpas
de casimiras, brius, eit, isto na loja da esquina
do becco dos Ferreiros.
CASRJURAS INGLEZAS
Alheiro & C, rua da Imperatriz n. 40, ven
dem um elegante sortlmcnto de eauemiras ingle-
zas, de duaa larguras, com o pudroes mais deli-
cados para eos turne, e veudem pelo barato preo,
de 2*800 e 3J o covado ; asBra como se encarre-
gam de mandar fazer eosttimes de easemira a
30, sendo de paletot saeeo, e 35* de fraque,
grande pechiatM na h^a doe barateiros da Boa
Vista.
BRIM. PARDO LONA
A 820 rs. o covado
Os barSteiros da Boa-Vista veudem urna grande
porcao de brim pardo lona, por estar com princi-
pio de toque de mofo, peto barato preco de 3BC
rs. o covado, grande eetincha na loja da es-
qurnp. do becco dos Ferreiros.
Bordaron t 5O r*. a pera
A rua da Imperatriz n. 40, vendse pecas Ja
bordado, dous metros cada ptea, pelo barato pre-
co de 100 rs., ou em cartio com 50 pecas, sorti-
das, por 5J, aprovertem a pechincha ; na loja da
esquina do becco dos Ferreiros.
A Kevoluco
JW* -,- s
A' rua Duque de Gaxias, resolveu a vender
os aeguintes artigos com 25 /o de me"
nos do que em outra qualquer parte.
Setins damass a 360 rs. o covado.
Gorgorinas de strinhag a 360 rs. o covado.
Las com listrinhas a 640 rs. o covado.
Fastoea de cores a 320 rs. o cavado.
Merinos de eorea a 900 rs-, 1*000 e 1*200 o co-
vado
Merinos pretos a 1*200, 1*400, 1*600, 1*800 e
2*000 o covado.
Velludilbos lisos e lavrados a l*000el*200o
covado.
Palha de seda a 800 rs. o covado.
Cachemira bordada de seda S 1*500 o co-
vado.
Las escossexas a 500 rs. o eovado.
Cambraia con saipicos a 6* rs. a peca.
Chitas escuras e claras a 240 rs. O covado.
Linhos fscosse'es a 240 rs. o covado.
Las con bohnhas a 640 e 500 rs. o cavado.
Gaze com bolinbas de velludo a 800 rs. o co-
vado.
Linn com saipicos a 500 rs. o covsdo.
Grosdcnaples pretos a 1*800, 2*000 e 2*500 o
covado.
Z"phiros listrados a 200 rs. o covado.
Cretones fiuos a 320, :60, 400 e 440 rs. o co-
vado.
Setinetas m'dern>is a 360, 400 e 440 rs. o co-
vado.
Fusto branc 5 a 320, 360, 400, 440, 500, 560,
600 e 800 rs. o covad...
Setinetas lisas a 400 rs. o covado.
Ditas b.vradas a 500 rs. o covado.
Flanelia de cor a 40 > rs o covad j.
Flanella branca a 400 e 1*000 o covade.
Chapeos de sol de cores para senhoras a 7500
um.
Chsles de casr-nfira finos 9*000 um.
Fechs de la a 2*000, 3*000, 4*000, 5*000
e 6*000 um.
Tapete* para janea. piano, sof e cama a 4*,
6*0()0, 0Q0, 8*000 e 24*000 um.
sguiu 8marella S p; rdo n 500 rs. o covado.
Caaaces de laia a l& 00 um.
Lencoes braneos a 1*8(10 um.
rim prareado a 6f>; rs. o covado.
Tibio m para mendioe de 4 x 5 euus a 5*000
um.
Lenco9 a 2000 is a duzia.
Colchas brancas h 1*800 urna.
Seti* raa-ao de es SOO, 1*200, 1*400, 1*600
e 2*000 o i ovado.
Setinetas bramas a 500 e 560 ra o covado.
Coftinnoos boH. dos a 7*0!H, 9*00O e 16*000 o
psr.
Chpellas e veos a lOiOOO e 1-4*000 urna.
Colchas bordadas a 5*000, 6*000, 7*000 e 8*0 0
urna.
Espartilbos de ciurac* a 4*000, 5*000, 6*000
e 7*000 un.
Cortes de la pira vestidos a 20*0 0 um.
Algo'lilo com duas larguras a 800 rs. o me-
t.
Cortes d- ean^fliira pura eaVca a 3*000 um.
Braunnt.' de liuh 1*800 o im
Dito lie algod* a l$20O o miro.
Tunlhas ielpudas a 4000 e 6*oOO a duzia.
\\)m iS^as
A tftelM refs o covad*
CAcabam c- ehegar par loj da rua da Im-
peratriz n a e bouito sortimento de
lasinhas au c res pa;a vestidos, sendo fazenda de
mnitu phantusia, coto ceres duras e escuras, c li-
nuidam se a 320 e 400 res o covado, por haver
grande porcao na loja de Pereira da Silva.
Predio
>
la um sortimento variado de
Azul.js francezes
dte paiJroee u v. S e inulto solidos a
80*000 o miiheiro
Na loja de L nica de
J. DE A. VE1GA & C.
Iiu h rg i do Kosario
Maduro
V inho puro n uva
O que pode haver de mtlhor pira mesa, em
barris car- tailiy : l'oe^s MeaVin.> < C rb
estreita do R saric n. 9,
Mtoii, tioii temas
Vewle CandWVj Thiago da Costa Mello em sen
deposito rua Imperial n. 322. olariaTeleplione
n. 221.
Camisas nitciofs
A 3#5O. SSffOO e *500
32=-; Loja k rua da imperatriz = 32
Vende-se acete nev estabeleeimeeto nm gran-
de sortimento de camisas brancas, tanto de aber-
turas e pjnbos de linho como de algodio, pelos
baratea preco de 2*500, 3* e 4*, sendo tasends
milito metnor do qnr- as que veetn do estrangeiro e
muito maris bem feitas, por seretn cortada* por
um bom artista, especialmente eamiseiro, tamben,
ge manda fazer por encouiniendas, a v intade des
fregnezea : na nova loja da rna da Imperatriz a
3 i, de FWreira da Silva.
Ao32
Nova IojadefairJas
Rna da impe m ai
DB
ERREIRA DA Sx^VA
Neste novo estabelecinent encontrar o re#-
pjitavel publico um variado sortimento de fazen-
das'de todas-as quartdades, qae se-vendem por
precos baratissimos, assim como um bom sorti
ment de roupas para homens, e tambera se mas
da azer por encommendas, p r ter nm bom rnes-
tre alfaiate e completo sortimento de pannos finca
casemiras e brins, etc.
hhih tan ms
SIRna da Imperniriz-31
Loja de Peteira da Silva
Neste estubeeoimento vende-se aa ronpas abas
x mencionadas, que sao ba- i -u.ae.
Palitots pretos de .-r .. aiagonaes e
acolchoados, senao lazenaas muito en-
corpadas, e forrados 7*001
Ditos de easemira preta, de ordao amito,
bem feitos e forrados 10*00(
Ditos de dita, fazenda muito melhor 12*001
Ditos de flanella azul seudo ingleza ver-
dadeira, e forrados 12*001
Calcas de gorgorita preto, ooleheaco,
sendo fasenda muit." eacorpada 5*5(^
Ditos de casemi.a de sores, sendo mnita
bem fsttaa 6*5t
Dras de flanella ingles verdadeira, e
rr.mto bem. feitas 8*O0i
Ditas de brim de Angola, de mnleekim e
de brim pardo a 2*, 2*500 e 3*00<
Oeroulas de gri-giieftas para homens,
sendo muito bem feitas a 1/200 e 1*6(''
Colletinboo de greguella muito teni feitos 1*01.1
Assim como um bom sortimento de lencos c-
i'nho e de algodo, maias cruas e collarinhes, etc.
Isto na loja ea -na da Imperatriz. n. 3V
i en, nctineta e Iclnba* a ao
rn* o eovado
Na taja da raa da Imp'ratris u. 32, vende-k
um grande, sortimento de istoes braucos a MA
rs. o covado, izinhas la.vradas de furta-core*
&zenda bonita para vestidos a 500 rs. o covad..
e setinetas lisas muito kirgas, tendo de todas a;
coree, a 500 :s. i novado, pechincha : na loj
do Pereira da Silva.
Alltodozlnbo francs! para leace
a SKM rn.. t e I SOO
Nu Lija da- rua da Imperatriz n. ?''.', vendV-s
superiores algodaozinhos frauceze-s com 8, 9 e l1
palmos de largura, proprios para lences de uri
s panno pelo barato preco de 900 rs. e 1*000
metro, e dito trancado pa a toallas a 1*280, at
sim como superior bramante de qnatro largursi
para lencoes, a l^oOO o metro, barato na loj
da Pereira da Silva.
Roupa para meninos
A 4, too e O*
Na nova toja-d rua da Imperatriz n. 32, b-
vende um variado sortimento de vestuarios pro
prios para meninos, sendo de patosinho e calo
nha curta, feitos ce brim pardo, a-4*000, dito.
de molesquim a 4*500 e ditos de gorgorita preU
emitando easemira, a 6*, sao muito barato ; n>
oja do Pereira dt Silva-._______________
Grande quidaca
NA
Loja Camacan
Avisamos ao respeitavel publico e especialmen-
te a Exmag. familias qae estarnas liquidando
os artigos de miudezas existentes n ste t-stabele-
eimento com 50 0/0 de menos. Aa Exmas. fami-
lia* encontrariio bom sortimento e boas pichinchas
em todos os artigos, como soj.m : bicos braneos
finos, a 3*800, 4*500, 4*800, 5*, 6* e 8*000 a
peca, com 11 metros, ditos de corea a 4|50Q, 5*,
7* e 8* a peca, bicos pretos com vidrilho, alfinete
a 60 rt. a carta, agu ha finas a 80 rs. o papel,
caixiuha com alfineta a 120 rs., pacote oom tres
sabonetes fines por 400 rs., um pao de sabonete
fino a 800 rs garrafa com agua florida verdadri-
ra a 500 c 800 rs., 1*000 e 1*300, baleiae a 300
rs. a duzia. lindo sortimento de ispartilho a
4*500, 6* e 8*000, dem idem de luvas finas,
bolsas de couro a 1 *500, 5*, 6* e 7*000, metas
finas pan senbora a 700 rs o par, oleo riza ver-
dadeiro a 900 rs. o fraseo, agua de colonia fin a
1* o frasco, liuh- de machina a 900 rs. a duzia.
Alem deste annuncio temos muitos artigos que
as Exmas. familias vern melhor com a presenca
t Duque de Csxias n. 66. _
Cabriolet
Vende-se um era perteito estado e por preco
eommodo; i tratar na rua l^-mue de Carias n. 47
Pouco capital
Vende-se o estaheU-cmento de moihados roa
de S. Joto n. 5, de pouco capital, bm local, alu-
guel de casa burato, negicio proprio para prin-
cipiante, -se livre c desembarafado, conforme
o ajuste a tratar no mesmo.
VAPOR
e mocada
Vende-se nm bom vapor e moenda pom poueo
uso ; a vfir no engenho Timb -ss, milito per-
da estacao do mermo uome ; a tratar na rua da
mperador n. 48, 1 andar. '_______
e.eoles de llores
das mais bonitas qualidades que ve encontram no
estrangeiro, receberam Martins Capitio 6: C, e
venJem p ir preces coinmod '8 em seu armazem
toa eetre.ta de Rosario n. 1.
Almanack da provincia
1886
im voiumc com J9ft paginas
2i00
A' v. i Ja na casa editora. Livraria Parisiense
o. 7 A, rna Pr1m< 1ro de Marco n. 1 A,, Indust ial
Econmica de G. L^prt & O. e (Sanioso Avreg.
Saipcoiis e vi uno verde branca e
Un o
Reeee.-u Ant nio Duarte ru-i da Uniao n. 54,
confronre a estaca : toruam- e iec)inmenda-.eis
artig s por ter i-cebilo de casa particulnr
de Portugal, razao por q"e garante ser especiai
dade ; apsim tome rem carne e queijos do serto
por prec > muito m >dieo ; o raeSmo vinho tabem
se vende em c.ia-de.Brniiraiu i Duarte rua da
Florentina us. 2 e 3J. > in retalho e ancoras. ( Na
mesma ompts-ec urria bal-rica decimal, pr nde.
Seraphina
Vende-se urna .raplima novamente remontada,
propria aawa lieJK ; a trafenr cofn I-eonci & Mn-
iniz ru-i ua ln______________
Boa acqmsicM
Vende-ae anrmafiio e bemieitorias da loja de,
i'las rua do i5ivrtiinito n. 10, com garan-
ta da casa, portero propfietario do estabelci-
mento oe retirar-se para fra da cidade ; a tratar
na mesma loja.
TT Jl i| II _______________________C
EMULSA0 DE SCOTT
DE
OLEO PURO DE FltADO DE BACALHO
DOS
iii riiiispiira di cal i m\
Approvada pela E\ma. Junta Central dellvgiene Pnbliea doli de Janeiroe anlorisada pelo
(overeo Imperial
H' TAO V(iRAI) VVEL A0 PALADAR COMO 0 LEITE
CURA A
luir, imites, rapla, raclis de mm. Hlitt n tal, ania, tosse
e alccoes do rt e
Combina, n'uma forma saborosa e agradavel, o oleo do figado de bacalbo e os hypophosbitos de cal e soda, e com
seu uso obtem-se, simultneamente, os effeitos de ambos estes dois valiosis e brrl conbecidos remedios. Alin de que e tolerada e
assimilada pelos estmagos mais dclicadoa, e nilo causa riera nausea, nem dirrha, como muitas vezes acontece com o _to
do oleo simples.
Veja-so a opiniSo de Ilustres medieos de varios p:izes, sjbre os resultados obtidos cora o uso da Emdsao de Scott ;
ItlIA/li.
Atiesto ter ompregado com vantajosos
resultados em doontes de tuberculoso pul-
monar, em mrnha casa de sale, a Mmul-
sao de Scott de oleo de figado de bacalho
con bypophosphitos de cal e soda.
O referido verdade e o juro in fide
medici.
Rio de Janeiro, 15 de Outubro de SS4:
Dr. J. lavano.
ESTADOS I XIDOS
Nova York, 4 de Setembro de 1870.
Srs. Scott & Bowne. Teuho receitado
na minha pratiea particular e nos hospv
taes, a Emulsao de Scott de oleo de figa-
do de bacalbo cora bypophosplutos, e es-
timo a como urna proparaco de grande
valor.
A Emulsao uae mud;;, mesmo no tempo
de grande calor, e agrada mais ao paladar
do que qualquer oatro preparado de oleo
que conhoco.
Roberts Watts, director do ferriejt sanitario
do hospital de Chprity.
IXI.AT2URA
Royal Free HoBital. Qrays Inu Road
w. c.
Londres, H de Marco de 1984.
Srs. Scott Bowne. Tenho usado
com vantagens, a Emulsao de Scott neste
hospital, em casos, nos quaea, o oleo sim-
ples de figado de baealo nao po Ha ser
tolerado, pois a Emulso saborosa, ef-
ficaz e n2o se re pete o gosto do oleo.
Chesam Sanaos medico interno.
%'EX'__I'KLbV%
Valeneia. Venezuella Io de Junho de
1884.
Srs. S-ott A Bowne. Desde o ultimo
anno estou applicando :i Emuls&a de Sco,
a qual tein dado muito bons resultados, pois
aleando ser urna efficaz preparacao para to-
das as doena.8asquaesest indcalo o oleo
d figado de bacalbo, toma-se sem a me-
nor repugnancia, vaBtrgara immensa sob
todos osrespeitcs.
Dr. S. Co/om.
GftTDOtt I.IIDOi DE COLOM
lili
Bogot, 4 do Junho de {~
Sr. Scott & Bowne. Ha alguus oaeseB,
espririmentei, em dous doentes a En-
de Scott. Um padecia desue. muito t
de urna ul -era eaerophulesa e o outro I
urna atrophia incipiente 'io li-ado.
Arabos curaram-se radicalmente com o
uso da Emulsao.
Dr. Vicente Prez Rubio.
ME.VICO
O doutor Ernesto M. Hegewich, director,
do hospital de S. Sebastiao dtsta ci-
dade.
Certifica ter usado cora bons resultados
a Emdsao de, Scott na escrophula e na tu-
berculose, achando-a ursa boa prepara-
gao que deve ser recommendada.
Veracruz, Abril 5 do 1883.
Ernesto M. Hegewich.
Cl BA
Os abaixo assignados, doutorea em me-
dicina e cirurgia, certificam haver empre-
eado e continuarem a empregar a Emdsao
Scott no hospital de caridade para mulhe-
res (S. Francisco de Paula), encontrando
no dito preparado excellentes propriedades
recooatituintes, assim como o eon3dera_os
de ublidade para as affeccies do peito,
qur tuberculosas, quer outras, pois modi-
fica vantsjosamente o organismo as pi-
meiras, einquanto a affecgao nao tem es-
trado no terceiro periodo, i "bserra-
do as outras, que cura muitas dellas. Ae-
cre8ccntarcmos em conclusao, que terna*
acalmado alguraas vezes e outras aluna-
do a tosse pertinaz, que tanto aflf'go s
doentes do poito, com o uso desta Emulsme.
ios, portanto, recoramendatr a
Emdsao de Scott para todos os casoe, e_
que. entejara indicados todos os outros olese
de figaoc ie bacnlho, e particularmeane
a que nos referimos. E paca
constar onde convenha, passaraos o presen-
te em Habana, 803 M d Feveroiro e
1882.
Dr. Nicols Carballo y Qvt
Dr. Nicols Jos Guitarree.
PdRTO RICO
Caguas, 30 de Junho de 1884.
Srs. Scott & Bq,w8c. Tenho a safe-
faoao de participar a V. S., que fr?mho
receitado, muitos dos meus doentes, a
Eraulsao de Scott, temi obtido, em tods
es casos, os mais favoraveis resultados.
Esta efficaz preparacao, pela sua forma
agradavel e seu bom cheiro e gosto, vero
encher o vasio, que notava-se de um me-
dicamento que, tendo por base o oleo de
figado de bacalbo, nao apresentasse os in-
convenientes deste, (sobre tudo pelas crian-
as.i devido ao seu cheiro repugnante e
gosto desagradavel.
Dr. Domingo Cabrera.
Deposito era casa de Francisco Maitoel da SilvaRua do Mrquez
de 01 inda n-23.
I
DOMESTIC
Sao reconhecias ser as mili*
^elegantes, as mais durareis '
era todos os sentidos.
AS MBLHORBS
Para precos, e cir ulares com<
Ilustrares de t idos os estylos, diri
jara se
Donieslic Sewing Machine k i
NEWYOR, U. S. A.
Aos i.ooo:ooo$ooo
_00:0 rSooo
I00:000S0(I
IIAK9E L.TERIA
DE 3 TEIOS
Edi av r dos ingenuos da Colonia OrphHnulogica IsaM
da provikcijT^de pernambuco
nmm i uta B fi -to ft 886.
0thesour^iro, Francisco Gon^alves Turres
A' Florida
Rua Duque de Caxias n
Chmate a attaajjao ds Exmas. fnmil'as para
os pr. eos seguintes :
Luvss a-' seda preta a 1J500 o |
CiBtosa 1*5(0.
Punhos e collarinhos de cores para horneas a
100O.
dem par senhora a 1.35110.
Grampos invisiveis a 60 rs. o masso.
Luvas de seda cor granada a 2, 2^500 e 3
o par.
Suspensorios p ra ftetanu a 500 |
dem amer.eanos par hornera a 35-
|TJMeias de Escossia para erianca a u'40 rs. o par.
Leques de papel com torrente al.
Titas de velludo n. 9 a 600 rs n. 5 400 rs. o
metro.
Lencos de eseniao a 1*500 a dmria.
Albuns de U500, 2, 3$, aj
Ramcs de flores finas a I 500.
Luvas de Ecos8a para menina, lisis e bords-
das, a 800 el* o par.
Perra-retrati. a 500 rs., 1, 15500 e 2/j.
Pentes do nik^l a 610 rs.. 700 e 0 rr.. um.
Rosetas de- bnlhanteg chimcos i 200 rs. par.
Guaniico.-s de irfem idem a 500 rs.
Anquinhas de lo'nO. 2. 2500 e 3 nn
I'Iisss de 2 a 3 ordena 400, 500 e 6(X) rs.
Bicra de corea com 13rjarda! ..' u.dos de
rgura a 3* a perja.
dem com 4 dedos a 4500 a i
Espartilho Boa Figura a 45500.
Ide^. La Pigurine a 55000.
Bicos de alencon com 4 e 5 dejos de largura a
25500 a peca.
dem estreitinhos cos 10 metros a 800 e 10J0
a peca.
Botoes de phantasia a 200 rs. a duzia.
Pan; tuilet
Sabao de areia a 320 re. un .
dem phenicado a 500 rs. um.
I!, m ali.-atra i a 5( I
dem de ameudoa a 300 rs.
dem de alf.ice
Agua c-leste B -1
Agua divina a 1*600.
Agua Fien in a 13UOI.
e eos de seda a 10-- rs.
Meias brancas pira senhora a35 a da
BARBOSA <& SANTOS
ESPLENDIDO RESTAURANT
Este acreditado estabel-eiroento; ultimamente m.-lborado, est em condicoe
o servir ao mais e_?ente hospede, para o que tem magnificas salas, quartos, banheirof
e restauran!, encontrando-se n'este, am das mais exquisitas iguarias, a grande nov)
dade
Oslras chfas i origeza
*___.__ .- ..., flnavtaa.pir
(nica casa que prepara} era todas as qUsrtas e sextss-feiras, de l hors da m
nha em diante.
PRESOS RSUMIDIS? OS
A actual gerenta do Se. IZIDORO ALVES PIT_v/.
Rua da Madre de Dos n. 3
Venda do hotel o hospedarla
Estrella do \orte, rua Tho-
n de onza a. 8
O proprict.irio deste hotel, tendo de retirar-se
parr. a Enrona por acommodo de saude, vende-e
por prec eommodo ou admite um socio.
Vende-se
Ua) cofre prova de
fogu do fabricante
Milner.
A entender-se com
o agente Martins.
Vende-se
um maiuho grande com pouco uso, para mter ca-
f : na rna larga do Rosario a. 12.
IKHB I
B_B_B


Diario de PernambiicoQuarta-feira 15 de Setembro de 1886
ASSEMBLEA GERAL
CAflARi DO DE PUTA DOS
5AO EM 25 DE AGOSTO DE 1886
DENCIA DO SR. GOMES DE UASTBO 1.
VICE-PRESrDENTE
(Continuacdo)
COM APPLICACAO ESPECIAL
de escravos i
addicio-!
de
dos
lote-
iui-
1,300:0005000
*ENDA
1. Taxa
(inclusivea
nal).
2. Tr ansmissa o
pr o p rie da de
mesmos.
3. Multas.
4* Donativos.
5. Beneficios de
rias, isentas de
posto s.
6. Decima parte do be
ficio liquido das con-
cedidas depois da lei
7. DiviJa activa.
8- Imposto sobro os
consignatarios de e
escravos.
9. Imposto de 15 [0
sobre loteras.
10. Sello de bilhetes,
idem.
11. Remanescentes dos
premios, idem (lei J
n. 1,114 de 27 de;
Sete~bro de 1860,
art. 12 3o)
Ar. 2o O governo fica autorisado a
eittir bilhetes do thesouro at somma
de 16,000:000,$, como antecipagSo da re-
ceka, no exercieio desta lei.
Paragrapbo nico. Contina a vigorar a
atorsag5o, confer la ao governo no ar-
tigo 2o, paragrapho nico, da lei n. 3,018
de 5 de Novembro de 1860, relativamente
conversao da divida fluctuante em conse
Kdado, interna ou extrna, no todo ou om
parte
projecto, as seguntes emendas com pare-
cer tavoravel da cotnmibsao :
Fica o governo autorisado a isentar
de direitos estrada de ferro D. Pedro II os materiaes
que foram importados para as obras de
canalisacao d'agua as cidades de Tauba-
t e Piracicaba.
< Sala das sessdes, 17 de Agosto de
1886.Almeida Nogueira. Cochrane.
Duarte de Azevedo. Rodrigues Alves.-
Geraldo de Rezende.
Fica o governo autorisado a isentar
de direitos da alfandega e transporte na
estrada de ferro D. Pedro II o material ne-
cessario para o encanamento d'agua pota-
vel da cidade de Leopoldina, Minas Go-
raes.
f Sala das sessSes, 18 de Agosto de
1886.BarSo de Leopoldina.
< Fica o governo autorisado a isontar de
direitos de importegSo os materiaes desti-
Se no uso d'essa autrisagSo forem emit-
tidas apoliees a juros de 5 [0, poder o
governo destinar 1 [0 para a araortisagSo
Art 3." E' concedida ao governo a fa-
omldade de receber e restituir os dinheiros
daB seguintes crigens:
Emprestimo do cofre de orpbaos.
Bens de defuntos e ausentes e do evento.
Premios de loteras.
Depsitos das caixas econmicas.
Depsitos dos montes de soccorro.
Depsitos de diversas origens.
O saldo, que produzirem esses depsi-
tos, ser empregado as despezas do Es-
tado ; e se as sommas restituidas excede-
rom s entradas, pagar-se-se-ha a differen-
$a com a renda ordinaria.
O saldo ou o cxcesso das restituigoes ser
ntemplado no balango sob o titulo res-
pectivo, conforme o disposto no art. 41 da
le n. 628 de 17 de Setembro de 1854.
Art 4. Contina em vigor a autorisa-
cio dada no art. 14 da lei n. 3,018 de 5
de Novembro de 1880.
Art. 5. Ficam revogadas as disposicoes
em contrario.
Rio do Juneiro, 2") de Maio de 1885.
Jm Antonio Saraiva.
Vem mesa lida, apoiada e entra con-
jsnstamente em discussao, a seguinte
emenda :
* O art. 9o da commissae substitua-se
pelo seguinte :
Fica o governo autorisado para crear
un imposto at 50 rs. por litro, sobre as
bebidas alcoolicas fabricadas no paiz e dea-
timadas ao consumo, exceptuadas Bmente
as fabricas existentes nos estabelecimentus
ruraes e que aproveitem os productos da
saa lavoura. -Pereira da Silvi. Lucena.
Barao de Guahy.-Silva Tavares.
Mattoso Cmara.Carlos Peixoto.Hen-
riqHes.Lourengo de Albuquerque.
Vem mesa, sao lidas, apoiadas e en-
tram em discussao conjnnctamente com o
nados construcgSo do hospital, capella e
gradil do cemitcrio de Santa Isabel, a car-
go da Santa Casa de Misericordia do Para,
c Sala das sessSes, 18 de Agosto de
1886. -Costa Aguiar.
< Fica o governo autorisado a conceder
isncao de direitos aos materiaes que vie-
rem para construecSo do porto do Cear.
< Sala das sessSes, 11 de Agosto le
1886.Jaguaribe Filho. -Alvaro Cami-
nba Alenear Araripe. i>
Vn mesa: sao lidos e remettidos
comraissSo de orgamento as seguintes
emendas :
i Fica o governo autorisado para dis-
pensar de direitos de importagSo as amos
tras e mais objectos que se importaren!
para a exposigSe de industria e artes da
cidade de Santos no anno de 1887.
Duarte da Azevedo. -Cocrhane.- Jagua-
ribe Filho. Geraldo de Rezende.Almei-
da Nogueira. >
Fica o governo autorisado para isentar
dos direitos da alfandega e transporte na
estrada de ferro D. Pedro II o mate-
rial necessario para a canalisagSo d'agua
potavel das cidade3 de Leopoldina e Mar
de Hespanha. Barao de Leopoldina.
Offdrecemos como additivo o projecto
n. 121 de 1883 da commissao de fazenda,
j approvado em l1 e 2a discussao. Frei-
r de Carvalho. -Barao do Guahy. Joao
Manoei.A. Milton. -Fernandes da Cu
nha Filho. Costa Aguiar. Americo de
Souza. Joaquira Ayres.Accioli Franco.
P*dro Carneiro. BarSo de Villa da Barra.
Soriano de Souza.Elias de Albuauor-
que.Ferreira Vianna.BarSo de Gere-
moabo.Xavier da Silva.Olympio de
Campos.
O Sr. Francisco Belisario (mi-
nistro da fazenda) pede desculpa cmara
por tomar a palavra ao encetar-se o deba
te sobre a receita. A cmara acaba de
votar a despeza e, comquante nao seja es-
ta ainda definitiva, por faltar o voto do
senado, julga o orador que occasiSo de
examinar a quanto monta a despeza e qual
o meio de occorrer a ella.
Temo a palavra para expr a cmara o
estado em que se acha o paiz, e para pro-
var a necessidade de augmentar as contri-
buicSes.
Segundo o relatorio do Sr. Lafayette
v-se que nos dez exercicios de 1873-1874
a 1882-1883 o excesso de despeza sobre a
receita de 287,000:0005, dando urna me-
dia de defic annual de 28,700:0000000.
Nao se podia apresentar situagSo mais
grave. orador nao pode ainda apresen-
tar um calculo exacto, porm, conjectura
que a receita total do exercicio corrente
ser de 134,976:0000 e a despeza de
171,241:000(5 dando assim um dficit nes-
to exercicio de mais de 25,000:0000
O orador nao accusa, nem desculpa nin-
guem ; mas pede liceaga para 1er um tre-
cho de um autor qne diz que comparndo-
se os orgamentos de todas as nag5es ve-se
que por tida a parte as despezas crescem,
parecendo ha ver urna lei que regula esse
augmento.
Nao pode deixar de reconhecer a gran-
de difficuldade qne ha em favor e ainda
mais para retrogradar com as despezas.
Para que a cmara possa avaliar bem a
posigSo do paiz, qucr tornal-a clara. Nao
pode organizar quadros completos, nao s
por falta de tempo, maa pela difficuldade
que ha em obter dados exactos, mas l um
quadro qu < organisou para mostrar o pro-
gresso da fortuna publica e dos nossos re-
cursos ; a exportaclo do algodSo hoje o
que era ha annos, tendo subido considera-
velmente o valor do algodao exportado
apenas durante a guerra civil dos Estados
Unidos; A expoftagSo do caf, do fumo e
de gamma elstica tem tido urna progres-
sao rpida.
Comparando o valor da importacao e ex-
portaclo, por decennios, com os recursos
do paiz, v-so qoe em 1840 quando o va-
lor da importagSo e exportagSo era de
90,000:0000 a nosea despeza estava na
proporcao de 22 9(10 [0 desse valor, e em
1880, sendo o valor da importacao e ex
portagSo de 410,000:0000, a despeza esta-
va na razao de 32 9[10 [0. V se, pois,
que as despezas subiram em 1810 para ca
na razao de 50 [0.
O orador leu ainda urna tabella por on-
de mostrou o augmento que tm tido a di-
vida publica que em 1840 era de 57 mil
contos ; em 1850 de 178 mil em 1860, de
de 146; mil em 1870, de 522 mil; e em
1880, de 802 mil.
Nao fez tu o quanto desejava, mas, leu
ainda outra tabella para mostrar que em
todos os orgamentos de despeza agora vo-
tadas hauve diminuicao de encargos; esto
resultado est longe do que o orador dese-
java.
A situagSo da fazenda publica muito
grave e se para o anno n5o melhorar ser
preciso pedir novos recursos ou fazer no-
vas reduccSs as despezas.
O orador explica donie provm as diffi
culdades do thesouro, dizendo que s em
estrad3 de ferro gasta-se 18,083:0000 por
anno. Nao infenso s estradas de ferro,
mas nao devenios por emquanto construir
mais, sendo um erro suppor que as despe-
zas com todas as estradas de ferro sao re
productivas. Mostra os erros que se tem
commetiido com a construsclo de algumas
dessas estradas : a de Paulo Alfonso cons-
truida pelo Estado custou 5,077:0000 e a
sua renda bruta nao chega a 1 [0 do capi-
tal empregado; a estacao terminal em Ja-
toba custou 500:0000 e por essa estrada
s transitam dous trens por semana.
A estrada de Natal Nova Cruz com
capital garantido pela provincia e abonado
pelo governo geral, est no mosmo caso
dando um dficit de cento e tantos contos
por anno, nao rendendo a sua receita bru-
ta 1 \0 do capital garantido : e ainda tem
despezas em Londres, pois foi construida
por urna companhia ingleza.
Como exemplo de urna estrada do ferro
construida por companhia estrangeira, com
garanta do governo geral, o orador cita a
da Bahia, que tem custado ao Estado
3,402,0000, de garanta ao capital, ou cer-
ca de 37,000:0000.
A um aparte, responde que teria sido
melhor gastar no prolongamento da estrada
de ferro D. Pedra II os 4,000:0000, que
se tem despendido com o ramal de Ouro
Preto.
Estamos habituados a fallar no nosso
solo ubrrimo, mas grande parte do paiz
nao o..
O governo tem sido acensado por nao
ter reduzido o numero dos funecionarios
pblicos Para supprimir empregos pre-
ciso quem vagueen, mas ainda para mos-
trar a difficuldade de supprimir emprego.
Em urna lista de empregados do thesouro
que tm muitos annos de ser vico e pergun-
ta se pode deixar de promover esses em-
pregados havendo vaga. Isao seria matar
todas as aspiraedes.
Precisa justificar o governo das accusa-
ces que lhe tm sido feitas por nao auxi-
liar as provincias.
Conbece o estado nfflictivo das provin-
cias e se o governo nao as auxilia por
que o Estado tambem est em m posicSo.
Se fusse possivel desojara destacar urna
grande somma para as provincias, mas
cumpre confeww que o estado em que ellas
se acham, em grande parte devido sua
m administrasao, de que o governo n5o
tem culpa.
O orador passa a tratar dos doua novos
impostos que prop5e : sobre bebidas alcoo-
licas fabricadas no paiz e sobra o sal.
Quanto ao primeiro nao acha justo, que se
proteja a fabricacao de vinhos artificiaos
contra os vinhos verdadeiros. Quanto ao
sal como alimento o imposto tao insigni-
ficante que o consumidor nao o sent.
Com a severa fisealisacilo das rendas es-
pera o governo augmentar a receita e se a
renda continuar a subir com urna aggrava
5I0 moderada de impostos, conta entrar no
rgimen dos orjamentos equilibrados.
A discussao ficou adiada pela hora.
O Sr. presidente d a ordem do da
para 27.
SESSAO EM 27 DE AGOSTO DE 1886
que
F0LHET1M
DE
EMMA &0SA
POR
2AVIBR be a:s:ara
C3SMUA5A" BE BI&OLO
( Continuago do n. 209 )
IV
De onde venB ?
Da beira do Mamo.
Sophia atravessou o caminho de Birga
para ir so seu encontr.
-- Mas urna mulher que trazes nos
bracos l exclamou ella attonita.
- Justamente!
Onde a achaste ?
Na margem do rio, desmaiada, com
os ps na agua. Deixa-me passar, por-
qme, posto que ella nao seja muito pesada,
CMieco a sentir o seu peso.
Tudo est aborto na casa, replicou
Sphia, ha fogo e ha luz. Os tratantes ti-
akam feito urna installaco completa, mas
parece rae que s furtaram o coup-
Oscar dirigio-se o mais depressa que po-
de casa.
Sophia, depois de fechar o portSo e o
postigo, pasBOU adianto para abrir a porta
da sala ; o fogao de carvao de pedra, ten-
de sido aticado toda a noite, ainda ardia.
Osear deitou a moe> no mesmo canap
em que poucos momentos antes, Luigi a
tinha atirado tao brutalmente, emquanto o
sea cumpl ce mettia-lbe entre os dentes o
narctico preparado com antecedencia.
O rosto de Emma Rosa appareceu en-
tl na claridade.
Osear recuou, fazendo um gesto de es-
por.
Ab ] exclamou elle, esta nao m!
Camquanto eateja veado com os meas olhos,
qmw nfto poseo crer.
PRESIDENCIA DO SR. GOMES DE CASTRO
VICE PRESIDENTE
Ao meio-dia corneja a chamada,
termina ao meio-dia e dez minutos.
Abre-se a sessao.
O Sr. I. Secretario d conta do expe-
diente.
Sao remettidas 1.a commissao de in-
querito diversas actas'eleitoraes do 3. dis
tricto da provincia de Pernambuco.
E' lido e entra em discussao e sem de-
bate approvado o parecer da commissao
de pens3?s e ordenados, opinando para que
seja remettido ao governo para que resolva
como fr de justiga o requeriraonto de D.
Felizarda Adolpho da Fontoura Possot,( pe
dindo que lhe saja revertida a pensam con-
cedida a sua mai, boje fallecida.
E lida a redaejao do crdito para obras
do matadouro.
O Sr. Rodrigo Silva requer e cmara
concede dispensa de impresalo da redac-
cao a fim de entrar j em discussao.
Ninguem pedindo a palavra encerrada
a discussao e approvada a redaccao.
O Sr. Rodrigo Silva requer e a cmara
approva a inverso da ordem do dia de
sabbado, afim de que depois da primeira
hora entre em discussao o projecto sobre
trras divolutas.
O Sr. Joo Penido diz que o go-
verno nao tem cumprido a promessa de
justica e tolerancia que fez quando subi ao
poder, porquanto no seu districto tem sido
demittidos quaai todos os ampregados, res-
tando apenas dous.
O orador indica nomeadamente empre-
gados que contam muitos annos de bons
servicos e que foram demittidos.
Um juiz municipal supplente juramen-
tado, que tinha exercido o cargo tambem
foi demittido, por isss pergunta ao Sr. mi-
nistro da justica se j chegaraos a epocha
em que se pode demittir empregados ga-
rantidos por lei.
Entende que o Sr. ministro da agricul-
tura, qu-brando a bitola da estrada de
ferro D. Pedro II, praticou um attentado
e nao fez nenhuma economa, porque parte
do leito j estava feito para a bitola larga
faltando apenas dous cortes. Diz que, se
as baldeacoes, como affirmou o Sr. minis-
tro da agricultura, s5o de pouco custo, sao
urna despeza permanente que afinal torna-
se importante. S. Exc. tambem nao con
signava no orciroento nenhuma verba para
a estrada de ferro D. Pedro II, foi preciso
que o chefe conservador da provincia de
Miuas mandasse urna emenda para que essa
estrada tivesse verba.
O orador pronunciou-se enrgicamente
contra o proposto imposto sobre o sal que
coasidera urna verdadeira calamidade para
a provincia de Minas.
Lamentou que nao fosse nomeado tabel-
liao um voluntario que fez cinco annos
de campanha, indo como praca e voltando
capitao por actos de bravura.
ORDEM DO DIA
CRDITO AO MINISTERIO DA AGRICULTURA
Contina a 2.* diacussSo do projecto n."
34 deste anno, abrindo um crdito de
186:2340000 ao Ministerio da Agricultura
para pagamento de terrenos desappropria-
dos no morro do Senado e na ra do Vis-
conde de Itauna.
O Sr. Rodrigo Silva requer e a cmara
approva e encerramento da discusslo.
O Sr. BeltrSo requer e a cmara oega
que o art. 1. tenha votaco nominal.
Posta a votos approvado o art. 1. e
successivamente, sera discussao os arta, 2.
e 3. passando o projecto 3.* discussao.
APOSENTADORIA DE MAGISTRADOS
Contina a 2.a discussao do projecto n.
60 A, deste anno, sobre aposentadoria de
magistrados.
O Sr. Olircira II i bel re ser bre-
ve as observagSes que tem a fazer. Res-
pondendo ao discurso do Sr. Candido de
Oliveira, diz que o nobre ministro da jus-
tica n3o perfilbou o projecto, mas alterou-o
com as emendas que o orador apresentou
Sob sua inspiracjto, afim de evitar os es-
banjamento de que fallou o nobre depu-
tado.
Defendeu as emendas que apresentou,
que sao um raeio de economa.
O Sr. Rodrigo Silva requer e a cmara
approva o encerramento da discussao.
Posto a votos o projecto approvado
com as seguintes emendas :
Ao art. 1. accrescente-se depois das
palavrasse contarem mais de 40 annos
as seguintes :contanto que em um e ou-
tro caso tenbam completado 70 annos de
idade.
Substitua-se o 1. pelo seguinta :
c Ao desembargador e ao ministro do
supremo tribunal de justica se abonar o
ordenado e metale da gratificagao, ou to-
dos os vencimentos do cargo anterior, se
nao contarem no cargo que estiverem exT-
cendo mais de tres annos de servico effec-
tivo.
Ao juiz de direito, .porm, s se conce
para gravar o orcamen'.o
derao as mencionadas vantagens se tiver
mais de 10 annos de exercicio no respec-
tivo lugar.
n S. R.Oliveira Ribeiro.
o Ao substitutivo do 1. accrescente-se
depois das palavras do cargo anterior se
as seguintespara a aposentao. O
mais como est no mesmo substitutivo.
c Sala das sessoes, 25 de Agosto de
1886.Oliveira Rideiro.
Sao regetadas as outras emendas. O
projecto passa 3.a discussao.
RECEITA
Continua a 2' discussao do projecto n.
46 oreando a receita geral do imperio.
O Sr. Candido de ollvelea fe-
licita o nobre ministro da fazenda por ter
iniciado a boa pratica, a exemplo da In-
glaterra, da Franca e de outros paizes, ex-
pondo cmara a situagao exacta do the-
souro publico. E' boa a pratica, mas la-
menta que S. Exc. della se lembrasse
tao tarde, porque a esmara j votou a des-
peza. Devia ter se dado a eEse trabalho
antes, assim talvez na> proferase hontem
as palavras de desalent e/m a cmara ou-
vio.
Comquanto tarde, talvez nao seja tarde
do mais ; alguna orcamentos da despeza
ainda dependem do voto do senado e pos-
sivel que o nobre ministro conaigaalli mais
alguma reduccao na despeza.
Ha mais de 20 annos que viremos no
rgimen dos dficits, com rara excepgao,
sendo a causa o pouco escrpulo dos go-
vernos as despezas e o calculo polo mxi-
mo das verbas de receita.
Vai fazer a rectificacjto de alguns alga-
risraos citados plo Sr. ministro da fazenda
que, sombra da imparcialidade, carregou
a mo sobre a responsabilidade dos minis-
terios liberaes.
S. Exc. tomando o relatorio do Sr. La-
fayette appreciou os algarismos em globo,
Que ha entao ? perguntou Sophia vi-
vamente.
Esta menina.
O ex-mascate indicava Emma Rosa.
Tu a conheces ?
Oh se conheco 1 E' a filha de An-
gela Bernier, hervanaria de Batignolles,
que acensada de ter assassinado o pai, e
da qual me julgavam cumplice I E' a me-
nina com quem me acarearam ha poucos
das e que tentaram matar atirando-a de
um wagn na estrada para supprimil-a, co-
mo ao av.
E' possivel I murmurou Sophia, cuja
admiragao tomava proporgSes facis de
comprehender.
Oh 1 bem sei que nao verosmil,
mas exactamente a verdade I Eatou cor-
to de que reconhego a menina Ella bas-
tante bonita para a gente lembrar-se do
seu rosto 1
Est morta ?
Nao, apenas desmaiada. O seu cora-
cao est batendo.
Mas que significa tudo isso ?
Quero que me enforquera se eu com-
prebendo I Ha s urna cousa que me pa-
rece clara como o dia.
Que consa T
A menina estava beira do Mamo,
sem conhecimento, com meio corpo dentto
d'agua. Portanto, quizeram afogala, e es-
tou certo de que noasa chegada que
ella deve a vida.
Sophia, que no fundo era boa rapariga,
a despeito dos seus costumes ultra-exira-
vagentes, tinha se approximado de Emma
Rosa e prodigaliaava lhe enidados.
Nao me dissoste, tornou Osear, que
nao tinham roubado nada na casinha 1
S o coup.
Pois bem, esse relinchar que ouvi,
esse estalo de tecto que desaba, essa queda
na agua, era o ca vallo e o carro que salta-
vam do alto da margem no fundo do Mar-
no, onde estSo actualmente bem tranquillos.
Queriam, ao mesmo tempo, supprimir essa
menina.
Como escapara ella ?
- Nao sei ; amas provavel que ella
achasse meio de abrir a portinhola e sabir.
Mas a queda foi violenta o fl-a perder os
sentidos. Eu vi dous vultos que se escafe-
diam. Os tratantes deviam ser dous.
Dous, sim.. responden Sophia. Na
sala de janter a mesa tinha tres talheres,
mas s dous serviram. O terceiro era sem
duvida destinado menina que, de certo,
'nao quiz tomar parto na reteicao.
Houve. Esses tratantes trouxeram
comida e garrafas de vinho 1...
Estou tonto 1
Nao para menos I
Como e porque escolheram elles a tua
casa para fazer das suas ?
Seria um grande finorio quem expli-
casse isso.
Pois bem I talvez seja eu esse fino-
rio, torno i Osear, depois de dous ou tres
segundos de reflexo. Creio que comego a
comprehender.
Entao explica-me isso depressa.
As pess>as que se acha vam no teu
immovel eram os verdadeiros assassinos de
Jayme Bernier, e continuavam aqu a sua
feia tarefa, comegada na estrada de ferro,
entre Dijon e Pariz Com todos os dia-
bos 1 Se tivessemos chegado cinco minutos
antes, eu poderia ter agarrado o tratante
ior cuja causa fui preso I Os bandidos sce-
eradoB attrabiram a pequea para urna ar-
madilba. Qualquer casa servia-Ihes, e ca-
hiram na tua. Eis ah a palavra da adi-
vinbacao.
E' preciso avisar a justica !
Oh 1 nao tenha tanta pressa, mana !
Nao ba necesaidade disso.
A jusiga s faria asneiras Eu fui vic-
tima della, de88a celebre justiga, e tao ce-
do nao me hei de esquecer disso. Garan-
to-te que nao hei de precisar de ninguem
para descobrir o ladrSo e assassioo Espe-
remos que a menina volte a si e falle. De-
pois veremos.
Sophia nao tirava os olhos do rosto en-
cantador e pallido e do corpo immovel de
Emma Rosa.
- P&reoe-me que ella moveu-se, dase
ella de repente.
Com eff-ito, a menina tinha feito um li-
geiro movimento.
A violencia da emogao, o abalo, o cho-
que e, finalmente, o rigor do trio haviam
neutralisado os cffoitos do narctico.
Emma Rosa despertaba, nao do desmaio,
mas do somno.
Ose r debrugou-se sobre ella.
Mad oioiselle, disse elle em voz que
procuruu tornar meiga e a acariciadora ma-
demoiselle Bernier.. .
A menina entreabri as palpebras e per-
guntou :
Quem me chamou ?
O ir ni 5o de Sophia tornou :
Mademoiselle Bernier, volte a si...
n5o tenha medo... a seuhora est salva...
agora nenhum perigo a ameaga. A senho-
Ira est com amigos.
Emma Rosa Ievantou-se lentamente e em
voz quasi distincta repetio :
Quem me chama ?... Quem me fal-
la ?...
Eu, minha senhora, respondeu o ir-
mSo de Sophia. Eu, Osear Rigaulr, por
alcunha Rigolo... O bom rapaz que aecu-
saram de ter churinado o seu vovo em um
vagao da estrada de ferro de Pariz, LeXo o
Marselha, e depois de ter atirado a senho-
ra pela janella do compartimento. A mi-
nha innocencia ioi reconhecida, gragas a
senhora o outras testemunhas e eu acabo
de trazel a para eBta casa, depois de o ter
encontrado desmaiada na margem do Mar-
no.
A menina sentou-se e lancou um olha-
espantado sobre os objecto3 que a cercar
vam.
3 Meu jDeus! meu Deus! exclamou
ella aterrada. Este quarto aquelle para
onde os misera veis me trouxeram dizendo-
me que eu aqui encontrara minha mai I
Onde estSo elles?
- Desappareceram I Escafederam-se co-
mo coelhoB, quando chegmos 1 A senhora,
por acaso, conhece esses sujeitos ?
Pelo menos, reconheci um delles.
Quem era ?
O horneo que matou Jayue Bernier,
o miseravel que tambem quiz mater-me e
que n5o o tendo conseguido completamente
nessa noite ia acabar cora migo hoje...
Eu estava certo disso disse Osear.
O que foi que se passou, minha senhora ?
Lang^ram-se sobre mim e forga fi-
zeram-me beber alguma cousa muito amar-
ga. Entao, perdi os sentidos e n3o me
lembro de mais nada at o momento em
que .bri os olnos ha pouco.... Se esses
hoiuens voltassem. elles juraram a mi
nha n'orte. Protejam-me.... Defendam-
mi! delles.
NXo tenha receio 1 replicou o ex
mscate. A senhora est com gente que
nSo ha de abandnala. Minha senhora,
aposento lhe minha irra Sophia Rigault,
proprietaria deste immovel.... boa moga
que tem corngai e t>-m a bolsa cheia I
Quanto a mim tenho duplo motivo para me
constituir o seu trra nova... Primera-
mente, o motivo de defendel a contra esses
patifes e depois o de viugar-me do acele-
rado que commetteu o crme de que me
acensaran! e que hoje deixa aecusar sua
m5i !
O senhor nSo julga minha pobre m5i
culpada ? disse vivamente Emmo Rosa.
nao os quiz apreciar detalhadamente; mas
chamou particularmente a attengSo da c-
mara para o exercicio de 1884-1885. Es-
sa exercicio j est verificado, faltando pon-
tea cousa para a sua Iiquidag5o definitiva,
em todo o caso, a mais completa appro-
ximagSo que podemos ter e della ae infere
que o orgamento da despeza ordinaria e
extraordinaria foi de 156,200:0000 e a re-
ceka de 128,000:0000 sendo o defieit real
de 34,000:0000 approximadamente.
Para mostrar qui esse dficit montou a
48,000:0000 o nobre ministro carregou
esse exercicio com omitas I spezas que nao
lhe pertencem, e que o orador indica.
A' ultima hora o Sr ministro da agri-
cultura veio ainda aggravar o thesouro com
70,000, em virtude de um contrato que
foi modificado pela cmara; essa somma
pois iniciativa conservadora e veio reve-
lar urna humilhagEo imposta nagao. En-
tretanto o nobre ministro da fazenda d lhe
valor re trac ti vo
anterior.
O contracto, diz o orador, era ad refe-
rendum. Em virtude da lei, a ultima pa-
lavra sobre elle era do corpo legislativo.
O contrato foi sujeito ao parlamento que o
revogou. O orador quor firmar que a res-
ponsabilidade desta despeza de 70,000,
ca! ae governo actual e n5o ao ministe
rio liberal, como iojustamente disse o no-
bre ministro da fazenda.
O orador trata de demonstrar que a si-
tuagSo liberal n5o excedeu as verb s vota-
das nos orgamentos.
Ficou contristado com a declaragSo do
nobre ministro da fazenda de s-r quasi im-
possivel a reduegao de funecionalisrao.
por isso que dis3e e repete: o governo n2o
diminue as despezas por que n5o tem hora-
bridade para arcar com js obstculos crea-
dos por sou3 amigos e foi por isso que o
nobre ministro tambom condemnou hontem
o rgimen parlamentar.
O nobre ministro procurou attenuar o
proced ment dos liberaes pela tribulag5o
em que viveram os seus governos, recei-
'ndo a todo o instante a queda, mas ac-
tualmente isso n5o se d, o governo tem
grande e dedicada maioria, que leva a sua
condescendencia at a exageragao e por
tanto pesa-lhe toda a responsabilidade por
nada ter feito para a reduegao das despe-
zas.
Concorda que com a reducgSo dos or-
denados do funecionalismo nao se conse-
guir o equilibrio financeiro, mas pensa
que a redcelo dos fmpregos poderia dr-
se proporcionalmente.
Rofere-se autorisaeo em vigor desde
1877, mandando que s por exigencias do
servigo se preenchessem lugares que fossem
vagando, e que para ella muito concorreu
o actual presidente do conselho, quando
relator da commisao do orgamento no se-
nado, declarando entao que havia supera-
bundancia de funcionalismo. A autorisa-
g5o est de p, mas os lugares vagos tm
sido preenchidos e com augmento de des-
peza proveniente de aposentadorias que
tm sido dadas sem as formalidades da
lei.
Diz que prestando muito bons servigos,
era plena a';tividade intelleotual foi aposen-
tado o inspector da thesourara ie Minas !
Por que o fez o nobre ministro ?
O Sr. F. Belisario (ministro da fazenda^
Se permitte, eu explico.
Sr. Candido de Oliveira :Se o Sr.
presidente consente sem prejuizo da minha
vez de fallar, sim, senhor.
O Sr. Presidente :E' apenas para urna
explicagSo do Sr. ministro que depois de
dala o nobre deputado continuar o se
discurso.
O Sr. F. Belisario8 (ministro da fazen-
da,) quando entrou para o ministerio ea-
controu um requerimento do inspector da
thesourara de Minas, pedindo aposentado-
ra, esse requerimento tiuha informag5o fa-
voravel do presidente, que era liberal, e na
qual dizia que era um empregado zeloso,
mas que o seu estado era valetudinario.
_______________________(Continua).______
Culpada, ella N5o mais culpada
do que 1 Mas fallaremos nisso depois. Ago-
ra preciso que eu lhe interrogue... Pre
ciso saber muite cousa que s a senhora
pde-me contar.
A menina tiritava.
Ouviam-se bater es seus dentes, com-
quanto a atmosphera do salao estivesse lon-
ge de ser fra, gragas ao fogo do carv5o de
pedra.
Osear percebeu e tornou:
Mas a senhora est gelada, os seus
ps estao molhados.... Approxime-se do
fog5o e aqueca-se. Emquanto conversar-
mos, minba irma ir preparar-Ihe urna cama
era que a senhora poder dormir at ama-
nh5 de manhS.
Sim, sim, isso, disse Sophia, bei-
jando Emma Rosa, Socegue, minha que-
rida menina. Havemos de cuidar da se-
nhora !
Obrigada, a senhora muito boa,
balbuciou a filha de Angela Bernier.
De repente passou a m5o pelos olhos e
o seu rosto exprimi angustia.
Que tem ? perguntou-lhe Sophia in-
quieta.
singular... Aquillo que j sent
depois do primeiro attentado de que fui
victima, repete-se agora. Parece-me qua
um nevoeiro espesso, que urna especie de
gaze preta interpoe-se entre os meus olhos
e essas luzes...
Sem duvida a eroog5o a causa dis-
so, disse Sophia. Ha de passar...
Sim, murmurou a menina ao cabo de
um instante. Eis que se dissipa um pou-
co.
Pois bem, converse com meu irmSo.
Eu vou preparar urna cama para a senho-
ra.
E Sophia, tomando urna das velas sabio
da sala.
Osear, depois de avivar o fogo, fez Em-
ma Rosa sentar-se em urna poltrona perto
do fogSo.
A senhora sent que est em estado
de me responder ? perguntou elle depois.
Oh! perfeitamente.
Pois bem, queira explicar-me como
foi que a trouxeram para aqui e que a se-
nhora seguio com tanta simplicidade os
dous tratantes que quizeram supprimil-a?
Emma Rosa contou resumidamente a Osear
o que se tinha passado e o modo porque a
attrabiram para armadilha.
O irmao de Sopbia, depois de ouvir com
a maior attengSo, tornou:
E essa carta que servio de isca....
esse pedago de toucinho da ratoeira, a se-
nhora a tem ?
Se n5o m'o furtaram, replicou a me-
nina.
Tenha a bondade de verificar.
Emma Rosa procurou no bolso do se
vestido.
NSo m'a tiraram, disse ella. Aqui
est.
E tirando a carta offereceu a Osear Ri-
gault.
Este a leu.
Bem imaginado! disse elle. Sao mui-
tos finos, esses velhacos I Entao, a senho-
ra nada disse boa mulher que a recolbe
em sua casa ? accrescentou elle.
Nem urna palavra e a pobre Catha-
rina deve estar desolada.
Havemos de a consolar.
Araanha hao de levar-me outra vez
para a casa della ?
Isso seria urna tolice 1 NSo a farei !
Entao por que ?
Os tratantes saberiam fcilmente que
a senhora foi salva, e como elles tm a idea
fixa de se desembaragarem aa senhora [em
estimara saber por que) haviam de reco-
megar as suas tramoias e eu entao tal ves
nSo chegasse a tempo de a salvar. Para
chegarmos a descobrir o culpado, precisa
que todos, por emquanto, acreditem que a
senhora desappareceu. Nos a levaremos
para a casa da minha irma Sophia, era Pa-
riz, onde a senhora ficar bem oceulta.
- Mas, minba pobre mai... havemos
de deixal-a inquieta a meu respeito ? per-
guntou a menina.
Isso resta ver... Havemos de pen-
sar nisBO. A senhora sente-se disposta a
confiar em mim ?
Oh sim, e de todo o corago! dis-
se Emma Rosa.
Pois bem estimo muito 1 exclamo
o ex-mascate, radiante. Confie em mim,
minha senhora, disse Osear Rigault, eu me-
rejo isso e conta com Bibi, a senhora na*
se ba de arrepender I A senhora ama a
sua mamS mais do que tudo neste mundo
e a pobre mulher acensada de um enme
abominavel, que ella n5o commetteu 1...
Pois bem 1 sou eu Rigolo, quem ha de
provar a sua innocencia, e fr piender o
culpado I garanto-lhe isso.
Oh I como hei de abengoal-o 1 qu>l
n5o ser o meu reconhecimento !.. bal-
buciou a menina, juntando as mSos.
[Continuar se-ha.)
Tjp. do Diario roa Duque de Casias n. 42.
WM


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ES4W7X1I2_KTY3KC INGEST_TIME 2014-05-19T19:04:06Z PACKAGE AA00011611_19059
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES