Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18933


This item is only available as the following downloads:


Full Text

i
AHILIIT ID.rgBO 161_______
PAR l A CAPITAL E ^(JCiARBS O.UDE NAO K PAA PORTE
Por res meses adiaatados............... 60G0
Por seis ditos dem................. 12|J00O
# Por um anuo idenj........'".*..'......
Cada numero avulso, do mesmo da. ....... ... 100
DIARIO
QOABTA-FEIBA 18 DE JULHQ DE II
PARA DENTRO E PORA DA PROVISCIA
Por seis mese* adiantadoi............... 13*500
Por nove ditos dem................. 20*000
Por am anno dem................. 27*000
Cada numero avalso, de dias anteriores........... 100
Proprirtafte fc* jStanoel /tgietrita t -tarta i SxUfos
Sra Amede Priace t C,
4 Pars, sao os nosso agentes
exelasivos de annunelot e pu
bllcaedes) na Franca e Ingla
trra
II

i

TELE6RAMAS
iEWICfl PARtlCULAH 00 3141
RIO DE JANEIRO, 17 de Julho, s 4
horas e 5 minutos da iardapelanb^ ter-
Hoje na Cmara dos Deputades o Dr.
Pedro Luiz Soares de Souza, deputado pelo
5" districto do Rio da Janeiro, recrea ur
gencia para ser discutido o projcto, vindo
do Senado, sobre liberdade de cultos,
A urgencia foi negada por 63 votos.*
Contina a 2* disoussSo do projecto so-
bre bancos agriplas.
Orou o Dr. Mattoso Cmara, deputado
pelo 1." districto do Espirite Santo, pronun-
ciando se contra o projecto.
Foi*rcconhecido deputado pelo 9* distric-
to do Rio de Janeiro, o Dr. Candido Drum-
mond.
PARTE 0FFIC1AL
-y*
ICO Di USENCIA HAVAS
NOVA-YORK, 16 de Julho.
O general Porfirio Dias acaba de ser
reeleito presidente da repblica do M-
xico.
VENEZA, 17 de Julho.
D. Carlos acaba de endtrecar a seus
partidarios urna carta-manifesto na qual elle
declara que est apronoptanioa solucao das
grandes questeies que agitam a Hespa-
nha. .
PARS, 16 de Julho.
O estado d geneffW "Bolariger apresen-
tt ama melhtra sensivel.
Agencia Ha vas, filial em Pernambuco,
17 de Julho de 1888.
IHSTBQCCAO POPOLiB
Ministerio do laperio
Por despacito imperial de 4 do cor-
rente :
Foi prorogada por mais 6 meses a li-
cenga concedida a Su. Alteza o principe
D. Pedro Augusto para permanecer na
Europa.
Foi escolhido senador pela provincia de
Minas-Gcraes o commeodador Manoel Jos
Soares.
Foi nomeado presidente da provincia de
Sergipe, o bacherel Francisco de Paula
Prestes Pimentel, sendeconcedida a
1 firilnl iflTiaTr **rel
Foi concedida a exoneradlo que pedio
o BarSo de Ibitoruna do cargo de inspec
tor geral de byjiene.
Fez se merc do foro de fidalgo cava-
lheiro da Casa Imperial ao bauharel Joa-
quim Rayrrundo da Cunha Lobo, filho le-
gitimo do fidulgo cavalheiro bicharel Can-
dido Emiglio Pereira Lobo.
Declarou-se que a merc de cavalheiro
da nr'.em da Risa conferida por decreto
e carta imperial de 1 de Agosto de 1887
ao engenbeirj J-ibn H. Mariaat, na qua-
lidade dejsubdito brasil-iro, deve-se en
tender concedida ao subdito inglez Jobo
fl. Moraut.
oi nomeado cavalheiro da ordem de S
Bento de Aviz o major graduado do corpo
de estado-maior de 1* classe Jos Feliz
Barbosa de Oliveira.
Por decretos e cartas imperssi de 5 do
corrente mez
Fez-so m-r. :
D8 honras de grandeza ao Barao de
Ipanema.
Do titulo de BarSo de Catuama ao con-
selheiro Joo Jos Ferreira de Aguiar.
Do de Barao de S. Joaquim ao com-
meodador Francisco Jos Bernardes.
Foram nomeados :
Dignat rio da ordem da Rosa o Visoon-
de de S- Salvador-de Mattosiahos,
Commendadores da ordem da Rosa o
capitSo-tenenta Francisco Calheiroa da
viraca, Jos Mara do Nascimento, Tho-
maa L.rar-geira e Pandi Calogeras.
Offi.iaea da mesma ordem :
O Io tenente Arthur Iadio do Brasil,
bacbarel Fernando Mendea de Almeida,
Jos Candido Monteiro de Barros, Ca idio
Jos da Silva, Julo Francisco Parada e
Heorique Samuel Nogueira Rodrigues Cha-
ves.
Cavalheiro da mesma ordem Francisco
dos Santos Pereira.
Por portariVe igual da^afiJ se licenga a Su* Alteza o principe Sr. D.
Augusto para aceitar e usar as gran-cruzes
da real e distinota ordem hespanbola de
Carlos III e da real ordem belga de Leo-
poldo.
maquao, no RinJQn
re ffreKfc flWI
Do termo d'Assembla, as Alag is, o
bacbarel Luis Eugenia da Silveira Lite ;
Do termo da Abbadia, na Bahia, o ba-
cbarel Pedro Ribeiro de Araujo -Bitten-
court;
Do termo do Senhor Bom Jess do Rio
de Contas, na Baha, o bacharel Augusto
da Silva Carvalho;
Do termo de Cacapava, no Rio Grande
do Sal, o bauharol Alvaro H-crique Silv -s-
trejde Paiva, foando sem effeito sua ante-
rior nomeacSo para o termo de S, JoSo
Baptista de Camaquan ;
Do. termo de S. JoSo B*ptista de Ca
de do Su^^^hao
lo- Espirito- srinf
fio ando sem f ff ito sua anterior nomescSo
para o termo de_ Gacapava ;
Do termo de Santa Victoria de Palmar,
no Rio Grande do Sal, o bacbarel Jos de
Cavbante de Albuquerque. .
Por portaras de 3 do corrente :
Concrderam-se tres mezes do licenca,
com o ordenado a que tiver direito, ao ba-
charel Elpidio Jos de Carvalho e Souza,
juiz de direito da comarca de Canind, da
provincia do Osar, para tratar de sua
sande.
Guarda Nacional
Por decretos de 4.
Alagdas
Foram reformados:
No mesmo posto, o coronel eommandan
sos asSBbies da armada, que pratiearam actos de
bravoSTdarante a campaaha contra o goveroo do
Parafffty. a medalba de qae trata o decreto n.
4131 de 28 de Marco di 1881.
Em do corrente mea :
Foi nomeada ama oommissSo composta do almi-
ronte Marqmz de Tamandar, do almirante gra
SACI3SALI0ADS. UIMa i
LIIIESAISA
DE
fRUGAL E BRAZIL
PELO
Conselheiro Joao Mawel Pereira da Silva
IX
(oOJna acao)
A ezcelleocia s perfeico da primeira parte nao
se podem contentar. Todo all se prende, alteza
de pensamenios, metbodo de distribuido e narra-
tiva, senleajas apropriad-.s. erudicSo selecta e
orna linguagem, como raras veres se encontra nos
livros. Xenopbonte talve naicodos historiadores
o igualasse na maViosidade e ternura dos nff-ctis,
na pnreza e propried&de di s vocabalos E' para
mim o prosador ma:s agradavet e delicioso da lia-
gas portuguesa.
Nao ebega talv z correccao classiea e maes-
tra de Antonio Vieira, mas nao peer tambem por
tantos trocadiilos e quantiofade txcessiva de ae-
tsphoras arrojadas que u famoso pregader empre -
ga para affeiconr ae ao gosto da ana epocba 8eu
assompto na exalta o espirito como o de JoSo de
Barros, mas sua linguo)em, donaires e formasura
de estylo, mis pr.nd m e eucaatum, mais inte-
retsam e enteroccem.
Sob a estamenha do monge palpita anda forte
atente o corceo do cavalheiro p >et, e aempre
que trata das guerras e trras da frica, abi sen
genio se patntela com todo o mimo e esplendor ;
que all comb>te>a o soldado; que all tora,
prisicoeiro ; qae all supportara os ferros do
captivo ; que all o prendera recordacoes dos
prmairos annos da mocidade, que sio os qae se
impremem mwisfaadamento no animo ; que all
lazio com a oliima flamma o astro do nobre e des-
interessado valor porlugaes^ convertido na Asia
em cobica sanguinaria de mercadores ; que all
morremm as glorias mais paras da patria.
E api zar dos esforcos qae emprega para anda
pintar e sea paia no auge da grandeta e prosperi-
dade dorante o remado de L). Jo 111, nao oceul-
ta as chagua moraes que o corroem, antes descor-
tina o cemiterio de lentejoiUs e podiido de ama
epocba, onde api nss ae viam surgir como moua-
aiento canto de amigas tradi^es os maros enne-
grecidos de Alczar, Tangere e Alaira !
Como mrUncbo!lmenle detereve a tome, a pes-
te eos trra motos qae sssolaram Lisboa e quaii
todo 0 reino p-, rtugu> t, no anno de 15^2, esb< can-
do aceas patbetitas e intereasaotes, e eerviodo-
lhe a Imgua como msica imitativa para exprimir
a dr, o tentin eDto e a p> xo ? ( ira qae eleva-
fo e energa pinta a viettri dos poringaises os
defeca de Mazagao ? Que combiuacSS exquisita
e apropriaoa de tOres trua o paioel da .tomada de
Ceuta per D. J.io 1?
Relativamente ti me, assim se exprime :
Padeca oeste tempe o reino de Portugal ca-
4 Ismitoso apeno de fose. Creacia a falta gastan-
do e ccsieDOo o povo o ptoco pi que bavia,
CasteU tio ptoa t juflar, porqu a esterilidade
do aimcf de 1521 fira igual nena. De Franca
nada vi'ihn, rtspeito das goerras em qoe os na
r ejoosea liboravanv Os pebres do reino acndism
todos a Usboa, arraatndo eomaigo soaa trate*
familias peitukdioas da torca te superior da comarcada capital, Feliz de
Moraes Bandeira ;
No mesmo posto, o tenente-eoronel com-
mandante do 6.* batalbSo de iofantaria da
comarca do Pilar, Antonio Gomes de Mallo
|L!ma;
No mesmo posto, o comnel-co^omandan-
te superir da coooarca de Anadia, Jos Soa-
res do Reg; .
No mesmo posto, o tenente-ooronel com
mandante do 12.' b.taibo de intantaria
da comarca de Camaragibe, Francisco Ma-
noel de Oliveira Lima ;
No mesmo posto, o tenente-eoronel com-
mandante do 14.' batalbSo de infantera
da mesma comarca, Maritel Joaquim Ber-
509a Liipa;
No mesmo posto, o tenente-eoronel com-
mandante do 11.a batalbSo da comarca do
Porto Calvo, Frnoisco da Rocba Hollan-
da Cavalcante.
Foram nomeados para a mesma pro-
vincia:
Coronel-commandante superior da capi-
tal, Antonio Cardoso t-obral;
Tenente-eoronel commandante do 6- ba-
talbSo de iofantaria da comarca do Pilar,
Hvpoclito Caasiano Lopes Rodrigmes;
Coronel-commandante superior da co-
marca de Anadia, o capitSo Pedro de Bar-
ros Castro e Mello;
Tenente coronel commandante do 11.a
batalbSo de iofantaria da comarca de Porto
Calvo, JoSo Paes de Almeida Lina ; -
Tenenie coronel commandante do 12.*
batalbSo de iofantaria da comarca de Ca
maragibe, o capitSo Pedro Velho Barretto
de Mendonga ;
Tenente-eoronel commandante do 14.*
batalbSo de infantaria da mesma comaroa,
Bernardo Augusto de Mendonga.
Tenente-eoronel commandante do 37.'
batalbSo de infantaria da comaroa de Trai-
p, o tenente SerapiSo Rodrigues de Al-
buquerque.
Tenente-eoronel commandante do 9.* ba-
talbSo da reserva, da mesma comarca, o
tenente Luiz Gonzaga Torres Mello.
Ministerio da uerra
Por portara de 30 de Junho Codo foi transferi-
do o majar do corpo de eogeobeiros Emygdio Ca-
valonte de Mello do lug-r de director das obras
militares da provincia de 8. Paulo para igual car-
go ua de Matto-Grroaeo.
Por portaras de 2 e 7 do corrente foram nomea-
dos oa seguintts officines do corpo de eogeobeiros:
Coronel JoSo Luis de Araojo e Oliveira Lobo,
director de obras militares da provincia de S.
Paulo.
Coronel Luis Jos de Franca, para idntico la-
gar oa do Maranho.
Majores Antonio Ernesto Gomes Carneiro e
Francisco da Croa Ferreira Jaoior e capitSes Ma
00.1 i*onoalves Campello Franca e Caelano Ma-
noel de Paria e Albuquerque, para servirenrestes
na 2* e aquelles na 1* aecgSo da directora geral
de 1 bias militares.
Por portarla, de 3 do correte foi concedido ae
tenente coronel docorp de engenhi-iros Manoal
Peixoto Corjino do Amarante, lento mteriuo da Ia
cadeira do 3* anno da Escola Militar da Corte, um
mez de licenca, com metade do respectivo ordena-
da, para tratar de negocios de sea intertsse, onde
lhe convier.
Por portara de 4 foi concedida licenca ao te-
nente reformado do exercito Aotooio C'sar Mar
nos, para residir na provincia do Rio Grande do
Sul.
Por decretos de 4 do corrente foram nomeados
alferca alumnos :
O 1* cadete Julio Arehimedes Bacellar, 2"* ca
detrs Rbeos do Monte Lime e Heorique Noguei-
ra Borgea e oa soldados Candido Marianno da Sil-
rao da Pasaagem e do vicealmirante
Eeiario JosA Barbosa, para indicar ao
is officises da'armada quo teubam direito
b i de mrito militar, de aceordo com o de-
sta data.
Ci ver no da Previ ocia
DRSPACHOS DA PRESIDENCIA DO DA 16 DF
julho dr I88
tovao {MUtt, Cay*l""r'
ar-
retoPLias.Justifico as faltas. Dpois de
notados na Secretaria do Goveru, remet-
tam,fj9'lites requerimentoa ao Sr. inspec-
tor da Tbesouraria de Fazonda, para os
fios aanvenientes.
Francisco Sonto de Carvalho Fortado.
Informe' o Sr. commandante superior da
guardmf*nacional da comarca de Gara-
nbuns.
Bacharel Luiz Ignacio de Mello Barre-
to e Jos Pereira da C08ta Dr8' J8^
Austregesillo Rodriguei'Lima e Joo Joa
quim Seabra, tenente coronel Manoel Gon-
galvea P.--reir Lima.Sir,
l&'oel Figueiroa de Faria & Filhos.
Iaforain o RSr. inspector do Thesouro Pro
vincial.
Secretaria da Presidencia de Pernaro-
buco, 17 de Julho de 1888.
O portoiro,
F. Chacn.
Wpari
MlBlsterlo da instiga
Por decretos de 27 do mez fiado
Foram nomeados para a guarda nacio-
nal :
Jos quim Rodrigues Ferreira para o pos-
to do tenente-eoronel commandante do 13
batalbSo de infantaria da comarca de Ma
cau, no Rio-Grande do Norte.
Antonio Campello de Albuquerque para
o posto de capitSo quartel-mestre do com
mando superior da comarca da Escada,
em Pernambuco.
Fabio Velloso Freir para o posto de
major aj adame de ordena secretario geral
do commando superior da mesma co-
marca.
Eufrasio Alves de Oliveira para o posto
de major commandante da 2a seocSn do
batalbSo da reserva da comarca de Macau,
no Rio-Grande do Norte.
Por decretos de 4 do corrente :
Foi declarado avulso o juiz de direito
da comarca do Alto Mearim, na provincia
do MaranbSo, bacbarel Luiz Manoel Men
des Velloso, visto nSo haver reassumido o
exercicio das respectivas funccSes de-
pois de fiada a licenca em cu jo gozo se
achava.
Foram removidos:
O juiz de direito Francisco Ferreira
Dias Duarte, da comaroa de Mar de Iles-
panba, de 1 entrancia, na provincia de
Minas Geraes, para a do Alto Mearim, de
2* na do MaranbSo.
A pedido, o juiz de direito Jos Pam-
plona de Menezes, da comaroa do Para
bybuoa, na proviacia 'de S. Paulo, para a
de Mar de H-spanha, em Minas-Ger es,
ambas de 1* entrancia.
Por decreto da meama data foi nomesdo
o bacharel Alvaro Heorique Silvestre de
Fara para o lugar de juiz municipal e de
orpbSos do, termo de Cacapava no Rio ^ Jo,~qoia) Marques da Cunha, Alex.ndre Henri-
Grande dojSul, e nao o bacharel Alvaro jm^g Vieira Leal, Egidio Talicnee Joo Mana Ma-
llco da Polica
2a seccao S 664"' Secretaria de Po-
lica d Pernambuco, em 17 de Julbo de
1888. -Illm. e Exm. Sr.-Participo a V.
Esc., de DetengSo os seguintes individuos :
A' misha ordem, Antonio da Lacia ou Antonio
Jos di Espirito Santo, maettido pele subdelega-
do de B iim. por disturbios ; Feliciano Primo do
Esjiriro Sant', remettido p-lo subdelegado do 1"
dietrictof'da fregaezia de S. Jos, cerno desordei-'
ro ; RafJno Ricardo da Silva e Jesaioo Altioo dos
Santos, por disturbios.
A' urtiem do Dr. delegado do 2o districto da .ca-
pital, JoSo Ferreira da Silva, Eloy Alves da Sil-
va, Victorino Manoel Alves Passos, por disturbios
e aso do armas defeza.
A' oriem do subdelegado do Io districto da fre
guezia ie S. Jos, Ildefonso Goncalves de Siquei-
ra, Ruoo Antonio Alvas, Vicente Ferreira de
Brito e Autooio Joo da Cruz, por disturbios.
A1 ordem do do 2o districto, Viceote Raymon-
do Mai>., Francisco Baptista dos Saato-, por dis
turbios, e Manoel Felisberto Moreira das Cbagas,
por disturoios, mioha disposicSo.
Ante-hootem, cerca de 6 horas da tarde, na Ea-
Scj^a Nova de Casanga, na taverqft.de Jpa-o Jos
d^Kucba, o menor Osvaldo tiuiar^lftalpoie* l'e-
sca, cai+o!ro do mesmo Rocha, estando a brincar
com ama pistola, succedeu disparar-ie esta eoa-
pregaodo se toda carga em ootro menor de nome
Manoel Bento da Silva Alves, qae ficoa com o
peito e mi esqaerda fondos.
O subdelegado respectivo tomou coohecimeoto
do facto, fez traosportar o offeodido para o hos-
pital Pedro II, ao de ser medicado, e abri o
competente ioquerito.
Commooicou-me o delegado do termo de S. Ben-
to, que no da 8 do correte, remetteu ao Dr. jais
municipal do termo do Biejo, Eloy Francisco dos
Aojos, coio condemoado ausente n'aquelle termo
no mximo de art. 257 do cdigo criminal, ao de
Taqaaretinga, JoSo Capiatrano de Oliveira Costa,
tambem coodemoado 00 mesmo artigo, e fioalmeo
te ao de Caruaru, Joaquim Simao de Macedo, con-
demnado no mioimo do art. 193 do referido cdi-
go, conforme requereram oa respectivos promoto-
res, a6m de serem interrogados das penas qao ibe
foram imputadas.
O delegado do termo de JaboatSo trouxe a mea
coohecimeoto, qu n'uma oeite deste m-z, as pro
ximidades do sitio Vascoocellos, d'aqaelle termo,
os individuos de oomes Jos Eleateno dos Santos
e Aotooio Corris de Araojo, travaram-se de ra-
zoes, resaltando deltas sabir este terido levemen-
te e aquella gravemente.
Aquella antoridade tomou coobecmento do fac-
to, abri e competente ioquerito, qae ja teve o
coaveniente destino
Na noite de 13 do co rente, no lugar Canaviei-
ra, do termo de Gloria de G it, o individuo de
nome Joaquim Jos de Sant'Anna, espancou bar-
bara-siote a soa proprii. mulher Alexaodrioa Ma-
ra da CooceicSo e a itm deata Mara Fraocisca
do Espirito Sauto.
O deliqueote foi preso em flagrante e contra
elle a bro-se o competente ioquerito qae j foi
remettido ao jaiao competente.
Deus guarde a V. ExcIllm e Exm.
-Sr. desembargadpr Joaquim Jos de
Oliveira Andrade, muito digno presidente
da provincia. O ebefe de polica, Francia
co Dominguet Ribeiro Vianna.
Henrique de Paiva. como se publiceu.
Foranyconcedidas ao juiz de direito Al-
fredOyJos Vieira as honraa de deaembar
gador, por servicos "prestados magistra-
tura.
Foi declarado avulso 0 juiz de direito
Ignacio Accioli de Vasaonoellca, visto nio
ter do prazo legal entrado em exefcioio na
comarca de Grajab, no MaranbSo, para
onde foi removido por decreto de 15 de
Setembro do anno paseado.
Foram nomeados :
O bacharel Rymundo Joaquim Ewertoo
Maia, para o lugar de juii de direito da
comaroa de Grajab, de Ia entranoia, no
Maranb&o ;
O bacbarel Manoel da Costa Barradas,
para o lunar de 2." juia substituto da eo-
t ianrnia peresaaioas da torca oa necessiaaae r ___^_;;-
, ,o pederism achar remedio onde esuvam o re nf.c* apiUl da mesma provincia.
I eos grande 11 Foram nomeados jomes municipaes o ae
cali.
Concederse melboramento de reforma, com o
sold por n'eiro, de confermidade cim o decreto
n. 3364 de 16 de Maio ultimo, ao capitSo reforma-
do do exercito Jos Joaquim Pinto de Azevedo
Coy-tacaz, visto achxr-se comprebendido na lei
de 18 de Agosto de 1852.
Ministerio da Fazenda
Por decretos oe 4 do correte foram nomeados :
! Couterente da Aifandega de Santos, o 1* escrip-
lurario Maooel de Jess Cont.
1* esersaturario, o 2* Jos Martina dos Santos
barra.
2* dito, o 3* Antonio Augusto da Silva.
Por decreto da meama data foi aposentado o
eoaferente da dita Alfandega Francisco Affonso
Ferreira.
Ministerio da Marlofca
(Cantinea,) 'orphios:
"rovl acial
17 DE JULHO DE
Thesour* i
DBSPACHOS DO OU
1888
Jos Candido de Moraes.Certifique-se.
Balbino Jos de Carvalho.-Esoripture-
se a divida Da parte referente ao exercicio
en errado, fasendo-se nota na folba na que
respeita ao ct rrente e relativa aos meses
ie Janeiro a Abril deste anno.
Dr. Jos Bernardo GalvSo.Alcoforado.-
Ao Sr. contador para cumprir-ee o despa-
cho da junta.
Maria Pires d Silva Miranda. Regia
tre-s- e f.cam-se as notas.
Direotor da BiblioU.eoa Provincial. -
Junte-se-'copia das ioformacSes.
Jos Ftllix dos Santos, Manoel Clemen-
tino Corris de Mello. Ignci* Josepba de
Jess, Antonio Moreira Res e^ Jusoo
Teixeirs de Moura. Informe o Sr. conts-
dor. X^S
Belmiro Alexaodrino d Sousa.-Entre-
gue-se pela Porta.
Por decreto de 4, do correte, foi nomeado o ea-
pitio de fragata Manoel de Araojo Cortea para
exereer q logar de inspector do Arsenal de Per-
namboeo.
Por decreto de 5do oorreote mea, f.i conferida
HfcaRlO PE PERBAaBliCO
hECIFK, 18 E JOLHO DE 1888
Noticias do sal do Imperio
O paquete oaciooal Alageos, entrado hontem, foi
portador das seguintes noticias alm das officiaes
qae publicamos na seceso respectiva :
Pacifico e Blo da Praia
Folhaa de Bueoos-Ayres e Montevideo at 30 do
mez paseado e 1 do corrente.
Em ambas as capitaes a atteoeSs publica coo-
centrava-se toda nos desastres cousequentea ao
desenfreado jogo oa Bolsa.
Em Buenos- yre*, o da 28 de Junho era o pe-
nltimo til.do mes, por ser santificado o dia 29,
e a liquidacSo ee apreaentra coro caracteres an-
gustiosos, na pbraae de La Nacin, que aceres -
cenia : t Na vespera das operaco b fioaea, no mo
meoto orifico e angustioso, cada am tratav* de,
nio mais de dar batalha decisiva, seniu por-se
esberto de miores males. *
Sobre as acedes'do banco constructor qae se
eocontravam as especuiacoes, ou antes, o jogo.
< Seria aventuroso, declara La Nacin, dier o
numero de pesaoas cempreheadidas nata derra
bida. Maio fcil serie diz^r o das que, prendo to-
mado parte na eepa ulacio, sahem della iivres de
prejaizos.
Tendo sido s-mclificado o dia 29, as fo'bas por-
tenhas de 30, ultima data, nada.adiantaram com
precjsao acerca da scuacSo.
feste ultimo dia, porm, disiam da capital ar
gentina para a nroguay^ :
Parece que o desastre da bolsa se redusir a
proporcoes menos colloesaes. Cnegou se a aceor-
do entre 03 principis pussaidores de secoya do
banco ona ructor peosa qao tudo ee pasaer soce-
gadamente.
as rodas dos corretnres da bilsa de Montevi-
deo h uve tambem pnico produsido pela baila
das aecas do bcoco nacional. Pedio-se junta
de commercio proroga^ao para a liquidacSo, apro-
veitando-seo feriado do dia 29 para reolver acer-
ca deste ponto.
Nio se sabia ao certo o numero dos correteas
que estavam iosolveis.
As foibas da corte publicara os seguintes te
legrammas :
Bueoos-Ayres, 5 de Juobo.
A commisso da imprensa fluminense chegou
aqui hoje s 7 oras da manhS.
itec. beu a muito aff^velmente a aasociacao da
impreosa argeotina, que fra a bordo em ama em
baresco da prefeitura martima.
A c mmisti bosp^dou se no hotel dj Loavre.
Hoje noite deve ser apreseotada associacSo
da imprensa na casa onde eat* faneciooa.
5 de Julho. ;
Oa jornaes d'aqai pabearam as biograpbias
dosmembrosda commisso da impreosa flumi-
nense.
Os Srs. fyrSo de Alencar, ministro brazileiro,
e Dr. JoSj Adno Ch ves, cnsul, visitaram
aquella commissSo. W""
., A' noite f> i ella recetada pela AssociacSo da
Impreosa Argentina, asaistinds ao- discurso ofi-
cial do Sr Aristobolo Delvalle, aoiqfcl respond- u
o Dr. Pederneiras. Yqiirlln ajarnijir 1 n cooferio
diploma de socio bAaorario ajfembrjs da com-
missSo flimiuens^^"
A emprezi Ferrari**e#S ^nsaianio a opera
Othelo
Montevideo, 5 de Julho.
Preparam-se aqui grandes festejos para qaan-
do voltar a commisso da impreosa fluminense.
Buenos-Ayres, 5 de Julho.
A despeito da ebuva grande numero de pesaoas
compareceu ao desembarque dos representantes
da imprensa.
O presidente da repblica mandn saudar aos
recem-ebegadoa e haver grande recepcao esta
noite em palacio.
Tod'j a imprsnsa encara a ehegada dos repre-
seotaoatef da impreosa brazileira do modo mais
jjJp(p5rT6) Montevideo, 5 de Julho.
Houve hontem, nesta cldade grande illumina-
o3o elctrica para festejar o anniversario da inde-
pendencia dos Estados-Unidos da America do
.Stcte.
Os ti presentaatea da imprensa brazileira com-
primentaram hontem o presidente da repblica.
Beceberam muitas visitas das principis pes
S"as desta capital ; entre outras, duas commiasdes
compostaa <*as seohoras mais distioctas.
5 de Julbo.
Os representantes das impreosas brazileira e
argentina, que partiram hontem para Buenos-Ay-
res, foram ceuduzidos para bordo do vapor Saturno
pelos escaleres da corveta Trajano e navios de
guerra Argentino e Patagonia, cerca de 100 pes-
soas foram acompanba.-os at a bordo, entre ou-
tras es ministras do Brasil e da Repblica Argn
tina nesta -capital. A bordo foram proferidoa va-
rios discursos e houve vivas tres naces.
5 de Julhs.
Houve esta noite um grande incendio em ama
casa de negocio. Os estragos sSo calculados em
30,000 pesos.
O general Castro tein peiorado sensivelmente,
A celebre actriz Adelina Patti dave estrear de-
pois de amaohS
Buenos-Ayres, 6 de Julbo
A' reumao convocada hontem pelaassociaeSo da
impreosa argentina para recepcSo da commis(So
brazileira assistiram quiobentos joroalistas, tendo
a U i frente o geoeral Mitre. Comparecern! tam-
bem o ministro dos negocios estrangeiros e os re-
presentantes do Brasil e do Estado Oriental.
A'chrgada da commisso foi executada pelas
bandas de msica o bymuo brazileiro. 0
O presidente da asaociaco apreseotoa a esta os
mroibros da commisso da impreosa fluminense, e
eatregou-Ibes diplomas de socios honorarios.
O senador DeivaSle, orador oflkial, depois de
convidar a'as-embla a levantar-se em honra do
Brasil, disse que aquella vi-ita era o loieiode orna
nova p;c il- paz n de confiuca eotre o imperio
e a BepobTica Argentina; que as nc5s amrica-
nas procuradas pela emigrsco europea io gran-
de misso a cumpnr e z poderSo desempeohal a
seguindo orna poltica pacifica : a ccDlraterois cao
da impreDS* o m Ihor meio de obter tal resultado
Em su opiuio as qaesioes qae eurgirem eotre
o Brasil e a Repblica Argentina sero,resolvidaa
por arbitramento.
O Dr. Pederoeiras, respondendo, agradecen o
acolhimeoto esplepdido e generoso que tuj tido os
representantes da impreosa flumioeose, cujo cora-
cao se expanda de alegra naquella associacSo de
joraaiisiaa.. A paz era deaejada com lauta sioce-
rid.de 00 Brasil como oa Repablica Argeotina e
impreosa das duas oacoes contribuir certamen
te para lo nobra fim e saudoa o g-oeral Mitfe,
qo io i.tincto lugar oceupa oa impreosa platioa
Estes discursoa foram aeolhidos c -m prolngalos
applausos. O geoeral Mitre abracoo os memoros da
couiojisao eeuto foram erguidos vivas impreo-
sa, commisso e colooia brazileira.
H je a commisso foi visitada peloa Srs. general
Gr,roieudiaM?dero, Virasoro* SceUtraog.
Os memoros da commisso brazileira f.ram boje
oompnmeutar os Sra. Baro de Aleocar e Dr. Qui
rio Costa, ministro doa negocios estrangeiros.
O coronel Bereante foi nomeado goveroador de
NoUgO-M.
V. companbia Ferrari representoa' hoje a opera
Othelo.
A companbia de qae tai parta o actor Coqoelia
estre amanba.
Caracas 6 de Julho
O general Rojas acaba de ser eleito presidente
da Repblica de Venezuela.
Buen.s- Ayres, 6 de Julho
Os r^pr entintes da impreosa tiveram nesta
capital, ana brilbaote recepcao.
Foram proferidos alguos discursos pelo general
Mitre, senador Delvalle e Dr Pederneiraa.
O tempo cooservou-se eucoberto.
A asaociaeo da impreosa de Buenos Ayres no
meoa os representantes da impreosa brasilea
manobres hoo erarios da mesma asaoeaoSo. Por esta
oeeasiio, todos os assisteotea votaran, por acelama-
cao a resolnco de submetrer a arbitramento todas
as quesiq-o presentes e futuras entre a Repblica
Argentina e o Brasil
Os jornalistas visitara os estabelecimentos desta
capital.
O Club de Esgrima rrganiea urna festa, que se
deve realizar quarra feira prxima.
Baenos-Ayres, 7 de Julbo
Haver amanh espectculo de gala no tbeatro
Colon, em honra aos representantes da imprenta
brazileira. Representa-se a opera Ada .
Foi preso aq.ii, a bordo do paquete italiano Mat-
teo Brozzo o corret >r Canezza qae fugira de
Montevideo com 2< 0,000 pesos em ouro. Consta qae
val ser extraditado.
Estreou com a comedia Le Mdcin malgr lo!
o ootavel aetsr Coqaen.
Os profesores pcjmanca e seonodarios foram
isentos do sorteio para o servico militar.
7 de Julho
A empresa Ferrari efierecen commisso da im-
preosa fluminense um camarote para assistir re-
presentado do Othelo Esta operaobtevegran-
de saccesso, sendo muito applaadidos o tenor Ta-
magno, o barytooo Devoyod eKunferberger. Tam-
bem foi vic'oriado o compositor Vtrdi, ao qual te-
legrapboo, felioitaodo-o, o preeideote da repblica
que assistio a cxbibico da opera.
A c mmisso da imprensa fluminense visitn ho-
je as reduc{3es de El Diario a e de c La Tribu-
na Nacional a, e foi comprimentada pelo ministro
dos negocios estrangeiros, representante do Esta-
do Oriental, almirante So i da Uuiversidade Mai. r, e deputado Ziballos, qae
a convidan pnra visar o'coogresso.
Tambem foi convidada pelo club de esgiima e
gymnastica Ponce Cantillo.
H je, noute, haver baile no Centro Qallego
e amanh no Club del Progresso. j
A commisso ir amaob ao hospital da Cari-
dad-, aeslstir distribuico de premius na Uoi-
versidade Maior, e noute ir a espectculo de
gala no tbeatro Colon, onde se cautar a opera
Ada.
No dia 11 visitar a estancia do general Boseh,
onde alabear.
O presidente da repblica comparecer festa
promovida -nio club de esgrima.
Montevideo, 7"dejuih>
O senado rejeitou o projecto de l?i, apreEentado
pelo goveroo, pr hibm lo a eleico de militares pa-
ra o ccogresso, projecto este que fra approvade
na outra Cmara.
Antes de votar-ae essa rejei?Jo a senador D. Jo-
s Pedro Ramire} fez a .1 brilbaote discurso em
oppo icSo ao referido projecto.
Eat So mais firmes os presos das aeces' do Ban-
co Naciooai. '
Para solemnissr o anniversario da independen-
cia de sua naco, a-legaco argentina d no dia
9 recepcao e um grande baile.
Valparaso, 9 de Julho.
D.- sabou sobre esta regias ama grande tormen-
ta, causando innmeros estragos.
Calcula se que diversas seio as embarcarles
perdidas em conseqoencia dessa tormenta.
Em Santiago manifestou-se urna grve entre os
padeiros.
Buenos-Ayres. 8 de Julho.
O concert realiaado hoatem pelo Centro Gal-
lego esteve bastante animado.
O Dr. Rodrguez pronuocioa um discurso saa-
dando oa meuibros da commisso da imprensa flu-
minense, ao quai responden^) Dr. Fernando Mon-
des.
Foi servido am profese lunch, durante o qual
levantaram-se varias briodes. A' meia ooite deu-
ae principio ao baile, que correa animadissimo at _
poli madrugada.
Hoje noite baile no Club del Progresso.
A commisso reoeb-u h. j; a visita do presidente
da repblica, do Dr. Delvalle e do presidente da
muoicipalidade e-dous vareadores.
A's 3 horas da tarde assistio a commisso dis-
tribuico de premios aos alumnos da Uuiversidade
Maior. O reitor Sr. Basavilbaso prooaocioo am
discurso saudando a commisso fluminense e ao
qual responden agradecendo o Dr. Pedorneiras.
A' noite a cidade uiuminou-se.
8 de Juina.
As ne^oeac's diplomticas entabDiadas entra
o goveroo colombiano e o Vaticaoo tiveram em re-
saltado a aseigoatura de am arraajo amigavel.
Montevideo, 8 de Julho.
Acha-ae gravemente enfermo o Dr. Reas, ex-
director da Banco Nacional; o sea estado inspira
serios cuidados.
A cantora Adelina Patti deve estrear aqui com
o Barbeiro de Sevilha.
Esta artista recusa-se ir ao Rio de Janeiro.
Bueoos-Ayres, 9 de Julbo
No tbeatro Colon houve hoatem ooite especta-
cuio de gala, ao qual aasistiram os membros da
imprensa fluminense, com es seus collegas i- im-
prensa argenfina. A orchestra tocn os bymnos
argentino e brarileiro, que torain''ouvidos de p".
R presenta-se com grande saccesso a opera Ada.
0 presidente da associacSo da mprens foi bas-
car a commisso fluminense, acompaobando-a at
aquelle tbeatro. Pind o 2* acto foi servido um
protuso lunch eflorecido pela municipalidade
commisso flumineuse.
Esta cerumisao assistio boje ao TeDeum solem-
ne qu- foi cantado, na catbedral, pelo moosenhor
Aneiros, arcebis^o de Bueno-Ayrea. Compare-
ceram a estej*acto o presidente da repblica, rodea-
do ae brilbante estado-maio.-, ministerio, membros
do senado, da cmara dos depatadas e muoifipa-
hdade, 0 eorpo diplomtico, as principaes autori-
dades da capital muitas pessoas do p vo Du-
rante a c-remonia as tr. paa da, guaroico e OS
alnnano-i da escola militar eativeram formados oa
pra^a 25 d-- Mam
Fmio o Te Deum o? jornalistas flominenses se-
guiram com a comitiva oficial para a palacio do
guverno, de cojas jaaellas aesistiram revista das
trapas, pasaad p 10 general So>isicbe.
Depois o Dr. Qu'rno Costa, ministro dn negocios
estrangeiros, apresentoa a commisso fluminense
ao presidente Dr. Jurez Celman, qae a traten
com muita amabilidade. Por essa occasi > a com-
misso entregou ao'Dr. Jaarez Celman, urna men-
sagem da imprensa fluminense, a qual eslava as-
signada pelos seos mi rubros ,Dis. Pederoeiras,
Dermeval da FooseCa e Feroaodo Mendes. Tam-
bam aesignaram essa mt-osagem os Srs. Dr. Si-
queira Gavalcaote e A. rtoche e Florea, correa-
poudeut-s.de jornaes do Rio de Janeiro.
Ao retirar se do palacio a Comn sso, as bandas
ae to applaudido.
Depois desfilaram em trente ao palacio os ba*
talbdea escolares, que apresentavam aspecto des-
lumbrante.
A' ooite haver espectacul de gala no tbeatro
CJ10, sendo caattda a opera O'belo. N'um dos
loterval os ser servido ara luocb, off-recido anda
pela mouicipaltdade
O j-roal La Verdad, do qual redactor o 3r.
Li-n. dedicuu, em edico dourada, o sea numero
de bj-i a commisao flimiaenee
As ras -e pravas e.t 1 embandeiradas e eofei-
tadas, e noite, apesar da ebuva, sero illomina-
das.
De cada lado do monumento da Independencia
tocam duas h.ndas de msica.
9 de Julho.
Voltaram h" j os ltimos membros da comous-
so de limites que fis.-ram a exploraco do tuo
O Dr. Posee, ministro da justiea, off recea-lll
am banquete, ao qual aassstir.m o p.esidente ds
repblica membros do eorpo diplomtico, eatre
elles o Bario de Aleocar. .
No etosario prepara-so orna exposioao.
/*.-



Diario tfe ^2a&seo-*-Quartaicira IS de Julho de 1888
c

>
.0
I
.

I

M
' t-.-
Mootevido, 9 de Jalho.
O estado de saude do Or. Reas aggravoa-se.
A cantera V*^' Ptt estreou no theatro So-
lia, alcancando graos* succeese.
Pera solemoisar o anniversario da indepandeo-
*cia da Repblica Argentina, a respectiva legacao
den boje um baile.
Buenos-Ayres, 9 de Jalho.
R-ipreseatou-s; hontem a Ada Os braei-
leiroi foram maicos festejada*.
A seabora do Or. Fernanda Mandes (jasare na
enmarte do preiiiaafda fteputoliea.
O da bontem estesac-anleodido. Toearasa-se oa
fcymnos nabionaea braaileiro a argentino.
Hoje amanhecea chowendo.
Os representantes da imprecisa aasistirasa no pa-
lacio municipal ao desfilar das tropas
Representa-seo Odlo na tbeatro Colon.
Montevideo, 9 de Jalho.
Esteve maito ooncorrida a estra da celebre can-
tora Adelina Patti, que foi maico applaadida.
En honra ao da 9 da Jalho haveri esta noite
asa grande baile na legacao argentina desta ca-
pitat.
' Bnenos-Ayres, 10 de Jnlbo.
Rea lisa-so boje a fasta offerecida pelo Club de
Esgrima & comdrissao ds imprensa flnminensa.
Esta ciiojiiM) grata aos muitos obsequios que
aqu Iba tea sido dispensados, vai dar na b-
asete.
10 de Jalho.
A commissao da imprensa flaminensa visitn a
eeeola railicir, sendo acoatpanhada pelos rcerabroa
da commissao da associaflo da impreusa e pelo
general Mauilla.
Parts para o Rio de -Janeiro o pianista Dan-
gremoot.
As aegjeiofoea diplomticas entaboladas entre
o Vaticano e o governo da Columbia tiveram em
resultlo a asslgnatora da um tratado, na qaal foi
eetabelecido o uatholicismo coisj n-ligiao desse Es-
tado, i se it i de impostos os edificios religiosos e o
claro do servico militar.
Valparaso, 10 de Jalho
Terminou a grva dos padeiros em Santiago, por
se Ihes ter augmenta i) o salario.
Rio firande do Sal
Datas at 1" de Jaibo :
No dia 27 do paseado, as 11 horas da manhj,
foi o inspector da thesonrana da fasauda, Sr. Ber-
nardo di Castilho Maia, aggredido pbyaicamente
pelo 2.* eseripturario Joio de O.iveira Gaimartes
qne o ferio em urna orelha e em diversas partes d)
corpo.
Segando informaran) ao Mercantil, a causa do
atteotado foram faltas commattidas pelo aggreasor
e censuradas pelo chafe.
B > facto qna fjlevado ao cahheeimeuto dos Srs.
presidente da provincia e chefe de polica, den
?neixa o Sr. Cistilho Maia, sendo advogado o Or.
irael Rodrigues Barcellos, um dos chefes do par
tido conservador.
Conatava a imprensa da cipital que o Dr.
Yillanova deizaria no fim di mas pasaadj a admi-
niatrafio da provinais a apreseacar sa hia candi-
dato depjtag) geral pe j 5.' circulo.
A b irdj do biate Imperador, ancorado no
porto do Rio-Gtrande, e depais da u ui ligeira al-
trese ".o o crioalo Jos de Barros aasassinou o
preto An'oaio, muor de 50 annos, dando-lbe com
ama acha da leaha fortisama pancada na cabeca.
O criminoso foi preso.
Sib a epi ;rapie Barra da Provincia refere
o Diario do Bio-Grande em data de 29.
A' hora em qua escrevamos, 1 da tarde, esto
fundando) frada barra, impossibilitados de pode-
rem entrar, os vapores rlindo e Victoria, aqaelle
procadeata de Pernambuco e este do Rio de Ja-
neiro.
O Bio-Negro tambem ha qaatro dias que se acha
fundetdo no ancoradoaro do Pontal da Barra,
aguardando ensejo de poder sabir.
Sabe se qae nenhaat desses vapores piquete
transatlntico, cujo calado demande nm barra com
grao le profundidide.
Qaaiquar d'alies cala ni mximo 13 oa 13 1/2
palmos.
Noemtaato, n;m porque o seu calado asaim in-
ferior, coosaguem traoapor a barra, sendo forjados
a esperar das e dias qae os effeitos da ventos oa
das correatezas lh;s permittam entrar on sabir.
Ene facto, qne sarepete tantas veses, d a me-
dida de quaut o argente o melhoramento da barra
e qua o avaltado o prejuiso qae o sea actual es-
tad) est causando provincia.
L-se na mesma folha em data de 20 :
A que extremo ebegmos !...
Hoatero, os empregados da alfandega passaram
as horas d> expedante de brujos cruzados,por nao
haoer o qusfazer.
A rpamelo randea apenas... 434793, cousa
qne nunca se dea .'
At bontem o r-n lim -nto adaaneiro attingio
dimiuuta cifra de 50:893^161, o qae qaer di ser
que, oeste m-'z, a renda decresca, em relacio a
igual mes do anao passado, mais da 159: ;00.
Nao tu mercadoria e despacho; parallelamente
peralysaclo do movimento comuiercial da praca,
o movimsatj aluaneiro decahe de dia para dia.
J nos vamos aoproximando da poca propbe-
tisada pelo Sr. Louia Fraeb, isto da poca em
qae a alfandega do Rio Orando render apenas
104 por dia.
Pobre R'o Gkande *
A Beforma narra o seguate saccesso occor-
rido na Encrasilbada 17 :
Pelas 7 horas da noite, estando o tenante co-
ronel Juvencio Fontoura em sos loja, com varias
pessoas, foi assaltado por dons assassinos, que apa-
ando-se dos cavallos, penetraram na css, e dispa-
raram tiros contra aqnelle cidado, qae foi actin-
-gido por nma bala.
Os criminosos, julgando consummada a empret
toda, mentaram de novo, dispararam tiroi contra
a> patrulba e escaparam-se.
Acredita-se qae a autora do atttntado per
tence a Patricio; le Cirvalho, inimigo de Pontoura,
com qnem ha pouco sustenten nma questao civel.
Fra mesmo sabido qae os assassinos vieram de
eneom nenda do Estado-Oriental para vingar os
odios do referido Carvalho.
L-se n > Gaarany, de Uraguayana :
* Dea coat parto de Monta Caseros um bote,
tendo dentro nm bioeoe ama maiber mortos,
abracados um ao ontro, qae se sappoe terem mor-
rid-i da fro.
Poi to difficil separar os dons corpos nm do
ontro, qae se lhes dea sepultara abracados como
estavam.
para conferenciar ecm o presidente da provincia
acerca da queatio da assembla.
E' considerada impossivel a conciliacio dos pal-
udos.
Curitibs, 9 de Jnlbo
A Assambla Pfovacial reconheceu 23 depata-
dos, sendo 17 liberaes e .6 conservadores. Estes
oa.0 eompareceram, nem continaaram na dupli-
cata.
O presidente da provincia providencia em or-
dena a installar a assembla no dia 12 do cor-
renta.
. Panlo
Datos ata 10 d* Jalho.
No dia 6 do eorrente, na faseada do Dr. Aa-
tonio Qaldino de Abren Soares, o italiano Viesa -
so Pinto e o portugus Jos Castao, foram victi-
mas da explesio da nm tico de broca, qae arrs-
messoa sobre elles grandes peoras.
Vincenzi fieou com a mi direlta bastante of-
fendida e Jos Caetano teve ambas as pernal frac-
toradas.
Em Espirito Santo do Pinhal, ha dias, na
fasenda de Jeauiao Romualdo, asa liberto anda
menor dea varias foicadas em ama pobre velba,
deixando a gravemente ferida.
No (Ha 9 de manha houve on grande incen-
dio no Hotel da America, seo do o predio quasi
completamente devorado pelo fogo.
Consta nio ter bavido parda de vida.
Fallecen em Mogy-mirim o Dr. JoSo Gron-
caivss de Oliveira.
Refere o Diario Popular da capital em data
de 4:
Consta-nos qae por iniciativa dos mdicos,
advogadoa e engenheiros, residentes na cilade do
Rio Claro, foi sabseripta a qnantia necessaria
para montar-se aJIi ama estacio meteorulogioi, da
qual tomar cinta o Dr. Andreas Schmidt, 'apeo-
tor geral da Companhia Rio-Claro.
E' a quinta estaca i qua o Sr. Alberto Lif-
gren promove, pretenden do organisar anda oatra
em S. Carlos do Pinhal, antes do fim doste mes.
O referido aenhar ja effectaia a compra dos
neeassanos instramentos, deveado seguir breve-
mente, afim de montal-os e continuar os seas es-
tados da flora dos eampos daquella regio.
Eis como nm jornal de S. Carlos do Pinbai
uarra um a:tentado praticado pelo liberto Joao,
j astificado pelo po^o :
O liberto Jado dirigise i chcara do Sr. Si
meo, procura de nm sen filbo que esta va no es-
fesal, achando-se aqaalle ausente.
Em casa achava se a Sra. Palmyra Sampaio,
casada com o filho do Sr. Smelo, tendo em sua
companhia apenas urna crianoa de 1 1/2 annos,
mais ou menos. v
Cbe^a o liberto e dic qae dasajava fallar com
o marido da victima.
Nao est em casa.
< Eitao quem est ahi com mec.
Nioguam.
Acto continuo o miseravel atira-se a D. Pal-
myra, agarrando-a pelo pesaoco, quasi a soffoca e
dizjada est o dinheiro ?
< A probre victima quasi desfallecida, toma a
chave de um armario e mostra-o ao miseravel ne-
gr- j.
Este roaba 53 ) e em retirada, toma de um
banco e d repetidas pancadas em D. Palmyra.
O criminoso fagio, mas logo sabio gente ao
seu encale >, e domingo noite foi encontrado em
um samba p09auiud > de reito, apenas 30U rs.
Comproa tsendis, raupa fija, joias e fes groa-
sa pandega com os parceiros. *
Faltacea em Campias D. America Mara
Moreira.
Inas-beraes
Dates at 10 de Julho.
j Resaltado final da eleicao geral do 9* dis-
tricto da provincia de Minas-Qaraes :
L)r. Carlos Martins Ferreira (L) 516
Dr. Antonio R. Monteiro Manso (R) 391
Dr. Joaquim Barbosa de Castro (Cj 300
Diversos conservadores 45
Nao bouve eleicio as parochias do Bsn so Ver-
de e Limeira.
Entram em 2 escrutinio os daus candidatos
mais votados.
Em S. Simo de Manhuase, nesta provin-
cia, na noite de 23 do a es paasado, assassinaram
urna bobre molber, mai de tres crianzas, urna das
qaaesVde dous meses da idade.
O aftsatsioo visava matar oatra pesso* ; erroo,
porm, o tiro, indo a carga empregar-se, alat da
victima, em mais duas outras senhoras, que fica-
ram levemente offeodidas.
U assassino evadio-se.
No dia 1 do eorrente, em Sant'Anna do De-
serta, o liberto Rsymando esbordooa a dous po-
bres trabalhadores, sem qae elles o tivessem of-
fendido.
Urna das victimas aaha-so at boje, em estado
grave.
Fallecen em S. Joao Nepomuceno, D. Gta-
briella Emilia de Mndooca.
Roda
A estrada de fe rro do Rio Grande a Bag
renden em Marco 58:6574020.
Refere a Ordem de Jaguaro em date de 27
do pbesado:
No pateo da casa da viuva D. Raphaela Mat-
tos de Lopes, estavam boje Manoel Verdade e ou
tros oprranos censtrnindo um galpJo, quando, ao
abrirem nm buraco para collocar om esteio, nota-
raan ua trra qoe extrahiam pequeas espheras de
cor branca e movedicas.
c Chamando-Ibes a aUenfao o facto, comeca-
rasa a examinar e procurando juntar algomas das
espheras com urna cjihur, verificou-se ser mercu-
rio *ivo.
< Tivemos occasio de ver ama pequea porco
desse mineral reunido em um pires e, comqoanto
nada entendamos de chimica, nao deixamos de
csasarehender simples viste a excellencia dalle,
peto- sn brilbo.
Pode mnito bem acontecer qne no referido
pateo, exista algama for'un* nao difficil de explo-
rar, pois de presumir que all baja em abundan-
cia esse mineral, visto estar tao flor da trra a
porcio descoberta hoje pelos operarios a que non
referimos.
< O que boje vimos de maito mais pronuncia-
da clareza do qae o qae ha alguns annos foi extra-
bido do leito do rio Jagaaro, na margem orien-
tal, do qaal anda possaimos urna amostra qae
naqa-'lie tempo nos tacilitou nm amigo.
Esteva augmentando a mortalidade na mes-
ma eidade.
A Alfandega do Rio-Grande renden no mes
paseado 85:8784716, manos 84:986s5918 do que em
igual periodo no anao passado, em que o rendi-
saento toi de 173:8654937.
A masa ds rendas arrecadou no mesmo pe-
riodo 31:7941937.
Falleceram: na capital, Fernando Fer-
reira da Silva; no Rio-Grande, O. Adelina Cin-
tra de Araujo, Florencio /os de Car val no, Jos
Olin.o j de Carvalho e Manoel Gomes Moreira;
em Jaguaro, Jos Fraaoiseo Raymundo; em
Urugaiyaaa, o capitao Costodio Carlos de Arau-
jo; e em Bag, Joo Machado da Silva Bruno.
Faraas*
As t ilbas da corte publicam os seguintea tele-
graaamas:
Caritiba, 8 de Jnlbo
Saalisou-se hoja a primera sesso preparatoria
da AHembla Provincial coja installaoio re et-
faetaar-ss a 12 do corrate. Nio oompareceu ne-
nb'i n depata lo conservador.
Csagou de Paimeira o conselheiro Marcondei
Aa folh^s da corte publicam os seguintes te
legravmus:
Barbaoena, 6 de Julho.
A cmara municipal dirigi ao parlamento nma
menaagem pedindo a convocacao de ama consti-
tuate.
fante Nova, 9 de Julho.
Est eleito vereador da cmara deste munici-
pio o Dr. Manoel Uarte Pimentel (republicano),
que obteve 107 votos, tendo alcancado 53 o can-
didato liberal Adalberto Leo.
Juiz de Fra, 9 de Jalho.
A eleic&o a que se proceden oeste municipio
para preeoctur a vaga de um vereador den o se-
guate resultado :
Dr. Harmes (republicmi) 241 votos, Josu
(conservador) 181, Dr. Simas Corris (liberal)
56.
Oaro-Preto, 10 de Jalho.
Os depatodos liberaes, o centro liberal da pro-
vincia e 2j0 eleitores deata capital nao aceitara a
desistencia do depntado Casario Alvist, de ser
candidato na prxima eleico senatorial, e apre
sentara a mesma chapa.
Nao agradan aqni a preterico havida na ultima
escolha.
Barbacena, 10 de Julho.
Grande regosijo e manitestacao popular ao Dr.
Prestes Pimentel, presidente nomeado para a pro-
viocia de bergipe. Msica, fogos, etc. O povo
lamente nao ter sido S Eic. escolhido para pre-
sidir a provincia de Miaas.
Leopoldina, 10 de Ju bo.
Fallecen boje o juis da direito Dr. Joaquina Ca -
nato de Figueudo.
Mathias Barbosa, 10 de Julho.
Trinmpbou o candidato republicano na eleicao
muoicipal.
Hio de Janeiro
Peiaaco, Alvim, Lemos, Hearique Saltas,
gues Peixoto e Affooso Celso Jnior.
Na ordem do dia, depois de votada a materia
encerrada, foi encerrada a 3* discossio do erad
to ao ministerio da marinba, que foi tipuiesadu e
ramettido eomasisaao de redacoio.
Na 2* discusso do oroamento do ministerio da
jostis, orn o Sr. Mac-Dowell, ficando a discus-
sio adiada pela hora.
No dia 6, no Senado, justificoa a Sr. Silveira
da Motta om reqoerimenta para qne na ordem do
dia toase incluido o projecto do Sr. Bario de Co-
tegip? sobre a indemaisaoao; e assim decidi o
Senado.
O Sr. F. Bviisario requeren copia de papis con-
cementes reintegraeao do Sr. BarSs de Parana-
piacaba no lagar de procarador flacas do Thesouro
Nacional.
O reqaerimsnto foi approvado depois de crarem
os Sra. Jlo Alfredo e F. Beluario.
Justificoa o Sr. S. Martins ontro reqoerimen-
to, qae ficoa sobre a mesa para ser opportanameate
apoiado, pedindo informado *s sobre os motivos que
tara impedido a nomeaco de presidente da pro-
vincia de Minas-Geraes.
Na 1.* parte da ordem do dia, votado o art. 1.
do projecto de fixagao das torcas de trra entrn
em 2 discusao o das forcas de mar, a qual pela
hora ficoa adiado, tendo orado os Sra. Visconde de
Lamer e Viera da Silva.
Proseguio, na 2.a pasae da ordem do dia a 2.a
diseuaso do art. 2. do projecto da fixagio de for
fas de trra, enoerrando-se o debata depois de te-
rem orado os Srs. Avila, Candido de Oliveira,
Ribeiro da Luz e Tbomis Coelho.
A votaco por falta da numero ficoa reservada
para a sessio seguate, o que tambem acaatoceu
com a do art. 3 (additivo) cajo debate se encor-
rea depois da nm discurso do Sr. Avila.
A este additivo apresentoa a Sr. Candido de
Oliveira urna emenda, qae foi hda a apoiada.
Na Cmara, foram I idos e ficaram adiados os se-
guintes reqaerimentos :
Do Sr. Beitro sobre a restriecao faite ao favor
concedido pelo aviso da 30 de Junh aas lavradi-
res servidos pela estrada de ferro D. Pedro rf; do
Sr Custodio Martins, sobre disturbios oicirndos
na parochia de Panto Moreira, provinaia de Minas ;
do Sr. Sebastiio Mascarenbas, sobre aseamptos
relativos immigrac^p e do Sr. Coalbo Rjdrigaas
sobre o extravio de dinheiros remattidos p;li es-
trada de ferro D. Padn II
Foi lida ama intarpellaoo do Sr. Affinso Celso
Jnior ao Sr. Ministro da Estraogeiros, sobre a
coininisaao de limites, declarando o Sr. Ministro
estar prompto para r-s.'Ond t.
Approvada a urgencia requarida pelo Sr. Andra-
de Figueira, e depois de orarem sobre o expedien-
te os Srs. Coelbo Rolrigues, A'idrada Figoeir*,
Lourenca de Albaquerque, Sipidio de Mesqa fedre Luis, Custodio Mdrtias e Costa Pereira,
entrn em discusao a interpe!lacio.
Oraram os Sra Afijase Celso Jnior e Rodrigo
Silva (Ministro de Eitrangairo) sendo encerrada a
discusss depois que os Srs. Rodrigues Peixoto o
Mitta Machado desistirn) da palavra.
Coallnuou a 2.* discasso do orcamento da jas-
tica, orando o respectivo ministro.
A discussio ficou-adiada pela hora.
No dia 7, no Senado, depois do expediente, foi
lido o parecer da commissao de orcamento sob a
proposta Oo governo relativa s despesas do Mi-
nisterio de Estrangeiros.
O Sr. Corris requereu e obteve qae fosse im-
pressa no jornal da casa ama' representaco dos
habitant s do municipio de Campo Lirgo, na pro-
vincia do Paran, pedindo prolongan)ento, at
qu-lla municipio, da estrada de ferro que b >je
termina em Caritiba
Apoiado o requerimento qae fra jastificado na
sesso aotecadeate pelo Sr. Silveira Martins, pe-
diado informarlas sobre os mitivos que team ob-
stado nomeacio de nal presidente para a pri-
vincia de Minas-Geraes, oraram os Srs. Joia Al-
trdeo, Vieeonda de Juro Preto, Silveira Martins e
pela seganda ves o Sr. Joao Alfredo, ficando a
di8C.isao adiada pela hora.
Na 1 parte da ordem do dia procadea-se vo-
tecao do art. 2.* do projecto de fixacao de forcas
de trra o qual toi approvado com a emenda do
Sr. Candido de Oliveira, separando o art. 5- ad-
ditivo da cmara dos depatedos.
Foi tambem approvado o art. 3*.
Entrando em 2 discussio o art. L* da propo-
sif i di cimara dos depatados, autorisando o go-
verno a despender al 3.10:000* para auxiliar a
commiisSo franco-braziteira e os expositores bra-
zileiros na Expisicio Universal de Paria em 1889,
oraram oa Srs. Bardo de Cotegipe, Antonio Prado,
Sibeiro da Las, Visconde de Ouro Preto, F. Ba-
lieario e, pala segunda ves, o Sr. Bardo de Cote-
gipe.
A diacuasao, qne ficoa adiada, prolongou-se at
s 2 horas, nao podendo, por ooaseguinte, ter lu-
gar a do projecto de iodernaisac&o aos ex-proprie-
[ tari os de escravos apresentado pelo Sr. Baro de
Cetegipe.
Na 2.a parte da ordem do dia discutio o Sr.
Avila o art. 1." do projecto de fixacao de forga na-
val e tambam pela hora ficoa adiada a discus-
sio.
Na Cmara, nao houve seasao por falta de nu-
mero
No dia 10, no Senado, dapois da approvacio de
duas actas, o Sr. Viriato de Medeiros devolven
mesa as informacoes que, a requerimento seu, Ihe
foram ministradas pelo governo relativamente
construcedo do ramal da (Juro-Preto.
O Sr. Baro de Cotegipe requereu qae no jornal
da casa se imprimisse urna representaco dos pro-
prietarios da eidade do Bom Jess, na provincia
de Minas Gerses.
Dates at 11 de Julho.
No dia 5 foi lido no senado, depois do expe-
diente, o parecer da eomaisso de orcamento so-
bre a propoata do peder execntivo, emendada
pela cmara dos depurados, fizando a despesa do
ministerio do imperio para o exercicio de 1889.
O Sr. Viriato de Medeiros justificoa um reque-
rimento, pedindo informacoes sobre a eleico dos
membros da assembla legislativa da provincia do
Cear e administrac* da mesma provincia.
Oraram os Srs. Joo Alfredo e Ignacio Martins,
e a aisensas'o ficoa adiada pela hora.
Len-se ontro pareoeo da com oiasio de orca-
mento sobre a pmposta da enmara dos deputades
relativa ao aox lio concedido aos expositores bra-
zileiros na exposico universal de Pars em 1889.
Na prmeira parte da ordem do dia procedeu-
se votaco do artigo 1 do projecto de bancos
de emissao, o qual foi approvado com varias emen-
das.
Entrando em 2* discasso o artigo 2 do mes-
mo projecto, depois de nma questo de ordem, por
entender o Sr. Silveira da Motta que entilo se de -
via proceder votaco do seu requerimento para
que o projecto voltease s commissdes de fasenda
e legislaco, alvitre qne nio foi aceito pelo Sr.
presidente, encerrou-ae o debate, e foi approvado
com vanas emendas o artigo 2*.
Approvado o requerimento do Sr. Silveira da
Motta foi o projecto, com as emendas approvadaa,
remettido s commissdes de fasenda e legislaco.
Na 2a parte da ordem de dia oraram os Srs.
Correia e Taanay sobre o artigo 1* do projecto de
fxsco de forcas.
Encerrada a 2a discusao deste artigo, e nao
bavendo numero para votal-a, ficoa a votaco te-
servada para a sesso segante, e adiada, pela
hora, a discasso do artigo 8*.
Na cmara foram lidos e ficaram adiados os se-
guintes reqaerimentos :
Do Sr. Affooso Peona, soase a abertura de va-
las em diversas roas desta eidade com prejuizo da
saude publica; do Sr. Pedro Luis sobre rneteos
de corpos estacionados lera do Rio de Janeiro e
pregados de fasenda addidos ao thesouro na-
cios! e do Coelho Rodrigues sobre as obras do
porte de Santos.
Oraram na or do expediente o Sra. Carlos
Foi approvado o requerimento.
Foram justificados mais tres reqaerimentos : um
do 8r. Viriato de Medeiros pedindo informaco da
quantia paga aos empreiteiros do ramal de Ouro
Preto; outro do Sr. Meira de Vasconcelos relati-
vo ao espaneam >nto de um cidado e resistencia
a ama ordem de habeos cor pus oa eidade da Cam-
pia Grande, provincia da Parabyba ; e o tercei-
ro do Sr Lima Daarte sobre o assassinato de um
preso em S. Carlos do Pinhal.
Todos estes requerimeotos foram approvades,
tendo orado Robre os dous prineiros o Sr. Joo
Alfredo.
Proseguindo 'a discusao, que em sesso ante
rior ficara adiada, do requerimento sobre a dia
ponibilidade dos commaneantes superiores da
guarda nacional de Minas jGerses, oroa o Sr.
Ignacio Martina e foi adiada a diseusso.
Na 1.a parte da ordem do dia foi approvada em
i a discasso a proposicao da Cmara dos Depa-
tados concedendo auxilio pecuniario aos exposi-
tores brazileiros na exposiea universal de Paria
em 1889. Sobre o art. 1. orn o Sr. Siiveira
Martina.
Seguindo-se em 1.a discusao o projecto do Se-
nado sobre o indemnisaco aos ex-prcprietarios de
serv a, oraram o Sr. Baro de Cotegipe duas
veses, sendo a prmeira pela ordem, e o Sr. Sil-
veira da Motta. A diseusso ficou adiada.
Na 2.a parte da ordem do dia orou o Sr. Can-
dido de Oliveira sobre a fitaco das forcas de mar
a pela hora fiaon adiada a discussio.
Na Cmara doa Depatados o Sr. Zuna funda-
mentou um projecto de prclongamento e construc-
oao de viaa terreas em varias provincias do Im-
perio, projecto que ficou sobre a meBa para ser
lido boje.
Oraram aiada na hora do expediente os Sr>.
Rosa e Silva e Ratsbona.
Na ordem do da, foram encerradas sem debate
ae discuBsSes dos projeetos de crdito suppl -men-
tar ao Ministerio da Marioh* e o relativo ao exer-
cicio dos membros do supremo tribunal de justica.
Foram approvado* os projeetos para psssarem a
3.a diseusso.
Continuon a 2.a diseusso do orcamento da jas-
tic, que ficoa adiada, depois de orar o Sr. Mae-
Dowell.
Na 2.a parte da ordem do dia entrn em dis-
casso a proposte do governo convertida em pro-
jecto de lei sobre a creaoo de bancos regionaea
para auxilios lavoura. Oroa o Sr. Joaqalm Na-
boco.
A diseusso ficou adiada pela hora.
O grande dia naeonal da Rapablica Argen-
tina, o aoniversario da sua independencia,^ de
Julho, nio poda pasear sem as saudacoes cordiaes
do povo da capital, em caja memoria se conserva
viva a gratidio pelas provas de amisade qae bem
recentemente recebeu do povo argentino.
Foram cosa e&aito bem significativas aa man
festaco -s feitas na eSrte para cammemorar a data
da independencia da R .-publica Argentina.
Os navios de guerra, surtos no porto, eabfjh.
deiraram nos topas e ao meio-dia deram junta-
mente com as fortateaa* aa salvas do estylo.
as duas casas do parlamento, as legacoas e
naa redacedes dos jornaes foram arvorasas aa
bandeiras argentina e sMsoaal; e todas aa repar-
ticoe* publicas e muitoa eetabetoeimsntoe a jasar-
varam-se embandeirado* e i noite iUamioataoj aa
faenadas.
Foram tambem iluminados o Paeo da eidade e
ajardina pblicos.
As reparticoes doa miniaterioa da Fasenda, do
Imperio, da Marinha e da Agricultura estiveram
techadas.
Os empregados do arsenal,Ma intendencia e da
secretaria da guerra e oa doa corpos de sade e
ecclesiastieo retiraram-ae ao meio-dia.
Em trente da casa da inspectora, no Arsenal
de Marinha, foram basteadas no mesmo mastro as
bandeiras argentina e braaileira.
Aa companhiaa de bonds conservaran) oa carros
embao ieirados todo o dia, e a da 8. Cbrtovo
arvorou em cada um doa seas vobicalos nio so-
mente a bandeira nacional como tambem a argen-
tina.
A's 11 horas da manha apresentou-ae na lega-
cio argentina o Sr. Bario de Cornmb, fardado, a
comprimenter o Sr. ministra argentino eos noma
de 8. A. a Princesa Imperial Regente e do Sr.
Conde d'Ea. Desde maito cedo commecaram as
visitas, recebando o Sr. Moreao durance o da
grande numero de cartas e telegrammaa de felici-
tacao, entre os quaes os seguintes :
Do Dr. Joo Penido Filho e capito Pedro Jos
Henrique; do Sr. Z;ferino Barbosa, consol argeo-
tino em Santos; e das redacto aa do Punccionario,
de S Paulo, Sumi, Quinto Dittriclo, Cotutitucio-
nal e Gazeta de Macaba.
Entre as cartas receidas notamos, da o Jor-
nal do Commercio de 10, as dos Srs. conselheiro
Antonio Prado, ministro da agricultura, commen-
dador Ramalbo Ortigo, Dr. Joo Pirs Feriaba e
de varios titnlarea.
Eoviarain cartas grande numero de represen-
tantes de todas aa classes sociaes, entre oa qua-a
os Srs. Conde de 8 Clemente, Visaooda de C-
valcaati e Oaro-Preto, Baronesa de Coramos,
Baro e Baronesa de Iaba-na, senador Lima
Duarte e deputado Cosario Alvim e Ernesto Cy-
bro.
Entre aa corporacSas, clubs e instituico-s qae
se fiseram representar neati grande manif-staclo
de sympat'aia Repabiica Argentina e ao sea
digno -epreaeattote nesta corte, notamos:
Commandante e offi.-ialidadj do oorpo militar de
poltoia da erte, com a banda de msica guarda
de honra sub o commando do capito Lyrio ;
Ajadante-general do exarcito e seu ajndaote de
passos ;
C immissio de alumnos da Intrnate da Pedro II.
eomposta doa Srs. Affinso Costa, ttattoso Maia.
Torquato Megqaita, Alfredo Hok, Emilio Gaedea,
Riui do Amaral, Maaoel Peaaa, Joio Tota, Mi-
guel Pereira e Ral Cintra ;
Club Lib ral, r presentido pelos 8rs. Visconde
dj Santa Crus, Drs. Antuoes de Campos e Pedro
BorgeS Leiti-i;
Eacaia militar, da qual foi relator o Sr. alfares
Bevilacqua ;
Offieaiidado e pracis do Asylo da Invalidas da
Patria, em cuja noma orou o Cr conselheiro Ca-
miohol;
Club Naval ;
Cluo Militar;
Tente Jacotinga, aja lauto de rleos e em
noma do Sr. marechil Viaeonda de Maracaj;
Membros do corpo diplomitiao e consular com
suaa familias;
Commissio da Cmara Municipal com o secra-
tario;
Club dos Voluntarios da Patria, precedidos da
banda da mostea do 7." de infantina, e levando o
estandarte; o capito Pimental, em noma do c.ub,
leu urna mansagem da congratolico ;
Sociedade Uaio Baaefiaeote Protectora dos Ca-
cheiros, por urna commissao composta dos Srs. Vi-
dal R-is Jnior, Fernn i s de Carvalho e alfares
Eimrdo Ri,-j ;
. D.Miguel de Pino, com) sooio correspondente
da Academia Heipiiboa, proauuciou um dis-
curso, aa qual responden o Sr. ministro, manifes-
tando o carinbo que todos oa argentaos t n pela
mli-patria.
Redacco d) Diario de Noticias, orando o Dr.
Candido Meles.
Foram pessoalmente, entre grande nmeros de
cavalheiroa distiaetos fel sua pisiolo soeial, os
Srs. presidente do conselho, m nistros dos estran-
geiros, Mrquez da Paranagu e Tamandar,
Conde da Estrella, Viseonde de Cavalcaate, IJiro
de Vaseonc-llos Rjdolpho, Rodrigo Pereira Feli-
cia, Drs. Dmaso de Albuquarque Dinis, Jos
Avelina, Rodrigues dos Santos, Pedro de Barros,
Albarto Fialh, Pires Ferreira, Vaieotim Miga-
Ibea, manaenbor Borghesie, Bario de Jaceguay,
Carlos Gianelli, Luis Camuyrano, Dr. Ferreira de
Araujo, officiaes de trra e mar, representantes de
La Prensa, de Baenos-Ayres, do Pharol, de Jais
de Fra e das f olhas desta corte.
Foram offarecidos, entre outios mimos, os Be-
gointes :
Una rica bandeira aro-entina de seda e urna
corda de lonros, pelo corpo militar de policia da
corte, acompanhando nma mensagem asaignada
por todos os officiaes ;
Urna jardineira com urna baila combinaoo de
camellas brancas e margaridas axues, tendo no
centro um gyrasol e rodeadas da folbis de cro-
tons, pelos ontaiaes e pracaa do Asylo de Invli-
dos da Patria ;
Um ere molar, dourado, da Caseta da Tarde ;
Una corda de louros, delicado trabalho da fa-
brica Orpban ilogiea de Ribeiro da Carvalho ) C,
pela redacco do Diario de Noticias ;
Innmeros ramos de fiares naturaes e artifi-
ciaos, offarecidos por varias senhoraa Exma. es-
posa do 8r. ministro, D. Carolina Moreno.
At s 8 horas da noite tocou porta da lega-
cio a banda dos menores do arsenal de guerra.
O Sr. D. Enrique Moren > fes varios disoursos
em resposta a felicitaeas reaebidas, entre os
quaes o dirigido aos invlidos da pitria causn
grande emociono auditorio pelas descripcSes qua
fez das mais gloriosas jornadas da campinba do
Paraguay.
Mu tus veteranos presantes fizeram coro om as
senhoras as lagrimas que derramaram.
Nesta occaaiio, dirigiado-se o ministro a um
invalido que perdn, o braco no combate da Curu-
paity, disse-lbe :
< Vos perdestes o voaao braco, nesse tnemora-
vel dia ; eu accrescentei ao mea esta insignia
que a mais distinota que a minha afio iouce-
deu aos sena filhoa que cumpriram o aeu dever. *
Quando deafilou em retirada a guarda de bsnra
do carpo militar de polica, o Sr. miaiatro argen-
tino, assommaodo jaaella, levantoa vivas na-
ci brazileira, familia imperial e ao governo, aos
quaes respondan o Sr. miniatro de eatraogeiros
saudando a Republiea Argentina, a sen presiden -
te e ao son representante diplomtico neste im-
perio.
O Sr. ministro obsequiou os seus visitantes com
champagne, sorvetes a refrescos e apresentava a
todos a sua esposa qae de ha maito coaqaistoa as
sympathias da nossa boa sociedade.
Dorante o dia houve muito povo reunido as
proximidades da legacio.
Os alumnos da Eacoia Polytechuica Mar-
ques Rodrigues, Ewbank la Cmara, Jehovah Mo-
reira, Faria Lemos, Cmara Coatinho e Gregorio
Moreira enviaram um telegramma de congratula-
cao ao ministro doa negocios estrangeiros da Re-
pblica Argentina.
Em seaso de bontem do Gremio Beaeficente
Memoria a D. Eatepbania, Rainha de Portugal,
por propoata do Sr. Luis Alvos Teixeira, vice-
presidente, foi levantada a sesso em commemora-
fo ao da 9 do Julho, anniversarte da indepea-
neneia da Repblica Argentina.
e- A' noito, achando-se presentes a. A. a Prin-
cesa Imo-nal Regente, sea augusto esposo o Sr.
Conde d'En, e o Sr. Dr. Enrique Moreao, ministro
argentino, membros do ministerio, do parlamento e
do corso diplomtico estrangeiro, realison-se no
imperial tbeatro S. Pedro de Alcntara o festival,
promovido pela Cootaderaco Abolicionista, em ho
menagem Repblica Argentina.
O tbeatro estava litteralmente eheio.
Para o Sr. D. Enrique Moreao e sua Exma. fa-
milia foram ornados, em frente tribuna imperial,
dous camarotes, nos quaes viam-se cruzadas as
bandeiras argentiaa e brazileira.
Em soaoa aberca acbavam-ae os membros da
Confederaoio Abolicionista, representantes do
exercito e marinha ; e estavam ayaaetrioameote
distribuidos os estandartes de diversas associaoSas
abolicionistas e outras.
Em um camarote de Ia ordem estavam om alum-
nos do coliegio de Pedro II, cora o respectivo es-
tandarte. ,
A sesso solemne foi aborta a 8 1(2 horas palo
8r. Joio Ciapp, presidente da Confederado, se-
gainio-se cota a palavra os- ora lores inscriptos :
Dr. Joaquim Nabuoo, Jos do Patrocinio, capito
Serae ello, esa nossa do exercito, Bardo Jaeegaay,
em nome da armada, o Sr. Catramby, em noma da
Escola Polytecbnica.
O Sr. Moreno, em cuja voa lia-se sincera com-
mooio, em um brilhante discarao, no qual pos em
relavo e conaiderou como suaa as palavraa de al-
guna dos oradores, agradecen a uunifestaci) que
Ihe era teita e oceupau-aa largamente da amiaade
e ocafiaoca autr- m nfo s argentina a brasileira.
Ao terminar, toi enihusiattica e calorosamente
applaudido.
Em seguida o Sr. Jos do Patrocinio dea vivas
naci e ao ministro argentino, correapondendo
o Sr. Moreno com vivas a S. M. o Imperador, a S.
A. Imperial e naci brasileira.
O Sr. conselheiro Caminho, dapois de breve al-
loeuco, pedio a S A. a Princesa Imperial para
entregar ao Sr. D. Enrique Moreno o mimo que
Ihe era destinado.
O Sr. Clapp eonvidon o Sr. coaeelheiro Dantas
para encerrar a seas o, nomeando urna commissao
de membros aa Ccnfederaco para ir buscal-o ao
camarote.
O Sr. conselheiro Dantas pronuncio! nm,dis-
curso, muito applaudido, e declarou encerrada a
aesso.
Em seguida S. A a Princesa Rageuta entregoa
ao Sr. D. Enrique Mirona o albura e o retrato, di-
sando nasaa occasio que, tendo sida encarregada
de tal missio, a desemp-nbava com gran le prazer.
O Sr. Moreno gentilmente agradecen a Sua Al-
tesa.
Na mesma ocessiio foi entregas ao Sr. Moreno
par um representante da Gazeta de Noticias, urna
saudacio do profassorado braaileiro ao iluatra mi-
nistro i; ao profassorado argentino.
S-guio-sa pela compaohia do tbeatro Racreio
Dramtico a representa;io do drama Dalila.
Mo intervallo do Ia- o 2* acto o Sr. sjueelbe'.ro
Ferreira, Vianna, ministro da justica, foi ao cama-
rote ds Sr. D. Enrique Moreno comprimental-o em
noma do governa ; em seguida tambera all eom-
pareceram oara compriraaotar o ministro arg 'u-
o : o eapitio de mar e guerra Jos Marques Gai-
maries, official de gabinete da ministro ds Mari
nha, em uorai do mesmo miaistr.-, a umi com os-
si> de estudaates da Escola Poiyteahnica.
O Sr. conselheiro Prado, ministro da agricultu-
ra, escreveu urna carta ao presidenta da C'nfede-
racii Abolicimista, mmifestaad) o sea pasar por
ai i pider assiatir fasta.
O Sr. conselheiro Ruy Birbui escrevau ao
mesmo Sr. presdante urna longa carta, na qual
ixultju i abolifo da escravidao considerando a
cas di pa e confrat-raidiij das nifoa arg n-
tiaa e bfazilaira. s-
O Sr. Birii de Ibitarun foi exenerado, a
seu pedido, do logar de ioapaator garal de by
giene.
No exarcicio desao elvalo cargo prastoa o Sr.
lirjo ds I).'aro 11 relevaatisaimos aervifoa, que
nn sero facilmote eoqueeilos palos haOitantea
da corre.
O governo compran p)r 20:'K) l)30 aun fa-
senda do coronel Victirino de Barra, em Jaca-
rehy, provinaia de S. Paulo, pira fundar n'ella um
ncleo cilinial.
O Sr. Sirio de Lopes Netto foi agraciado
p -lo rei da Italia com a gr-crui da Ordoa da Co-
r i da Italia.
Como autores do crian de introiafl> na
cirnul ifio de notas faltas do valor da OJOJO,
foram conlaranad js palo juis de direito d S. Fi-
datis) Vl.taias Nj, ,Paulo O.'.wl e Bernardiao
Gomas Djarte, a qmtro aan>3 de gales na ilni de
Pernando da Noronha e multa aoroaspiudeuta a,]
metade do tempo, e, como complica no mesmo en-
ana, Jos Ribairo Portugal, a dous anuos a oito ma-
z s de gales na meama liba a multa correspaadent:i
metale do teosp -.
A' aetividiia di delegado ds p iliaia da San'o
4nt mi de Padui, o Sr. Silva Pardal, qua up,
Jiffi :i diLgsneia consigno a priao dos meocio-
s .- iiiis, se d3ve o riiujii), q i: acaba de oo
ter a causa da justifa publica.
No da 5, s 10 1/2 horas da Bsanht, fallsceu,
na c.-ta, D. Mara Lliza da Silva Paran .a.
fi'ba do noss) pira sempre lembrado etadiats
Viseo ida do Rio-Braneo. Oo aeu cousor":o d^ixi
a inditosa seabora seis filbis, todos de naaei
idade.
Foi no dia 6 sepultado no cemiterio da 3. Fran-
cisco Xtvier, onda repausim os restos d'aqaelie
eminente brasileiro.
Fallecen no dia 7, na estajio das Palmsiras,
o connil Llia Antonio Giruia, capitalista e cbate
do partido lioeril, ni municipio do 'iraby.
Expiriu talo
Um telegrammi da capital, da 9, diz o se-
guinte :
i Instalba-se hoje a Aasambli Provincial, es-
tenio presentes 11 depatados.
< O presidente da provincia, Dr. Antonio Liita,
lu um extenso e maito interessante relatorio, no
qual demonstra as principies nacassidade da pro-
vincia. Trata da inmigracio, instruefio publica,
fining, admimstrafo local, eatradas de ferro,
etc. O estado finaoceiro da provincia dado
coma muito lisongeiro, O ralatorio causa bos, im-
presso.
Babia).
Datas at 14 de Julho :
Fra prorogsda at 16 a sesad da Assembla
L'gislttiva Provincial.
Falleceram: a 16 do passado, em Cimam,
Bernardiao Jos ds Senna Ctmpallo, e a 19, do
mesmo m -i, no termo da villa do Barraca), o te-
nante coronel Mtnoet Joaquim Alves Birbosa.
Houvera na capital, a 6, numerosa reuoio
de agricultores e de aommarciantes no edificio da
Associafo Corameraial, e travon-se animada dis-
cuaaSo sobre a assuatadora oriae commareial, qua
faz com que, p>r falta de numerario na prafa, uio
teaham compradores os praductos da lavoura.
Uelibrou se representar ao giverno imperial
sobre as cirou nstaucias anormaes da lavoura e do
commercio, e pedir os auxilios promettidos comu
urgentes, por intermedio doa bancos da pro-
vincia.
Foi bem aceita a-proposte do governo, relativa
a beos de crdito territorial e agrcola, sem pre-
juiso da indemoisaoi).
A lavoura pede colonisafo para a Bahia, com
vantagens igaaes s que tfin as provincias do
eul.
Nomeou-so urna commissao, composta dos se-
guintes Srs.: commaodador Silvestre Faria, Bario
do S. Francisco, Baro de Villa-Vifosa a Drs.
Gonfalo Bulco e Assis Sonsa, para redigir a re-
presentaco qua tem da ser enviada ao governo.
Alssarosea
Dates at 16 da Jalao :
No da 10, 1 hora da tarde, prestara jura-
mento e asaumira a admiaistraea da provincia o
Dr. Jos Cosario da Minada Monteiro de Barros.
Seguir, a 15, para a corte o Dr. Tn-ophii >
Fernandea doa Santos, deputado geral palo'5 dis-
tricto.
Dia a Revista do Norte qae a oomeacio do
Or. Antonio Euatorgio, eleito deputado provincial
pelo 3* distrieto, para juis muoioipai e de orphjs
do termo de Arroyos, em Gayas, abri urna vaga
na Assembla d'alli.
A supracitada folha de 12 dis o seguate sob
o titulo Fabrica de ftaco e tecidos :
Trata-se entre n. da ioaorporaci) da nma,
com o capital de 3JO:000 iOO, destina io a fun-
dacao de urna fabrica de tecidos e de fiaco.
Acha-se frente do louvavel quo proveitoso
c >mm -ttimento o maito distiacto engenheiro Pro-
picio Brrelo, sem davida algama urna garant*
para o bom xito da empresa.
Est subscripta mais de ama terfa parte de
capitel.
* O local escolhido para a collooecio da fabrica
o denominado Caohoeira, margem da estrada
de farro ds> Imperatriz, aproveitando-se all a ea-
celleate queda d'agua do Muudah, para mover os
miehinismo8.
A sede da compaohia ser natta capitel.
E' de crer qua os esforoos do distiuoto Dr.
Propicio sejim secundados pelos alagoanss, quando
trata-se de proporcionar um malboramanto de
ande alcanas. *
O thesouro
considerado
mas nunca com
quando muto poder ser
,mo carteira do Estado,
a base e fundamento de
seu crdito, do mesmo modo qu a cartei-
ra de um bauco nunca poder Instituir a
base do crdito bancario.
Nao podemos, porm comparar nm Es
dado com um banco, porque a "base e fon-
Mainento do crdito econmico de qualquer
paiz permanente, illimitada e ine^hauri-
vel, ao passo que a base e fundamento do
crdito econmico de um banco nao pode
absolutamente deixar de |er transitoria,
limitada e exhaurivel.
As insolvabidades de um banco sao
quasi somprc irremediaveis, porque a">ase
d seu crdito difficilmente permitte o
encontr de recursos sufHcientes para trans-
por grandes embaracos; ao passo que
as insolvab'ilidades do thesouro sEo quasi
destituidas de importancia; porque, embora
deponham contra a administracao publica,
na illimitada base de seu crdito, en-
eontram as nacSes recursos inapreciaveis
para superar qualquer difficuldade do the-
souro pblico-
O crdito nacional paira em urna regiao
t3o elevada que nada absolutamente o pode
attingir a nao ser a administraao do Es-
tado e isto mesmo s em tres casos: ou
quando ella discura a pontualidade de obri-
giyoes e compromissos pecuniarios; ou
quafldo ella, longo de opphmtar as fontes
de renda publica, pela discentralisacao do
meio circulante, esgota-as tornando inevi-
taveis os defeitos or9amente-rios, sempre
coberto.s por emprestimos internos ou ex-
ternos, que oncrarn o futuro, desorientam
os estadistas e revoltam a consciencia pu-
blica contra as instituyes polticas ; ou fi-
nalmente quando por actos de irreflexo
e de improvidencia, ella provoca guerras
Linternas ou externas que ponham em peri-
co as instituicoes polticas.
Mas,*
a inda assim, o crdito econmico
do paiz a tudo resiste, por mais rudes que
.saojnu os golpes da imprevidencia adminis-
trativa e por maiores que sejam as trans-
formbaos politiuas que o abalem.
Fora d'alii, os desastres di vida domes-
tica qualquer que elles sejam : ou naufra-
gtoe da iniciativa individual, ou quebras
commerciac.s, ou falleneias bancarias ou
buEcaa de cambios, n*ao o podem' attingir
nem de leve ; porque nada d'isto modifica
o total da .actividade e das riquezas parti-
culares que Ihe servem de base. Si a pas-
sagem das riquezas de urnas para outras
ma is prejudica a alguns dos associados
favorece igualmente outros e com estes
episodios da vida domestica dos associados
nao alterain-se as cond55es do crdito eco-
nmico das nacSes.
O crdito nacional a maior for?a so-
cial que se possa imaginar; porque in-
destructivel desde que 6 impossivel aniqui-
lar-so a sua base.
Constituindo-se pelo total das riquezas
particulares, a riqueza nacional, donde tira
o Estado as suas rendas annualmcnte re-
colhidas ao thesouro publico; evidente
que aS.o se pode abstrahir da riqueza na-
cional, para filiar-se o crdito econmico do
paiz ou a garanta das dividas e obrigacoes
do Estado ao thesouro publico, que est
para a riqueza nacional na proporcXo em
que est a renda para o capital.
O contrasenso seria manifest.
E' clarissimo que todas as convenien-
cias ou inconveniencias que possam resul-
tar do uso do crdito nacional reverten!
necessariamente sobre a commiinhao so-
cial inteira; ao passo que as vantagens ou
desvantagens que possam resultar do uso
do crdito bancario revertem,. exclusiva-
mente sobre os bancos. '#
bi, diante da profunda diSerenga que
separa o crdito nacional do crdito ban-
cario, quizermos raciocinar do mesmo modo
acerca de ambos; disrespeitaremos a ver-
dade das cousas e os nossos raciocinios se-
rlo necessariamente viciosos, porque s
nos poderao dar conelusSes inconciaveis
com.a verdade.
A-scincia financeira, essencialmente es-
peculativa, nao pode portante deixar de
recorrer ao senso pratico, de preferencia
s synthesis da lgica, para estabelecer as
suas premissas de inteiro accordo com a
verdade dos factos.
Effectvamente o uso financeiro do cr-
dito particular.ou bancario o maior mul-
tiplicador da riquesa particular ou banca- .
ria. Si o crdito nacional hsse suscepti- '
vel de uso financairo parece que elle po-
deria ser igualmente o maior multiplica-
dor do total das riquesas particulares qm
forma a riquesa nacional.
Quanto a isto nao podemos ter a menor
duvida, porque, em todos os paizes, elle
^tinanceramente empregado para garan-
tir as dividas e obrigacoes do Estado.
Si elle pode ser financeiramente empre-
gado para onerar a riquesa nacional;
claro que poder igualmente ser emprega-
do como multiplicador dessa mesma ri-
quesa.
r
PINAJpiS
ELEMENTOS QOE FACILITA!! O ESTUDO E
SOLUTO DO SO88O PBOBUEHA MONETARIO
I BDAQOEStIodE BAS003. ^
(Continuado do n. 156)
J vimos em que condicSes fnanceiras
pode o crdito particular abroquelar urna
moeda fiduciaria rigorosamente equivalen-
te a moeda metlica; veijamos si o crdito
econmico das nacSes pode oumao fazer
outro tanto.
Como, o crdito economieo dos indivi-
duos, o das nacoes tambem tema sua base e
fundamento; nao no thesouro publico como
acreditou a economa poltica, mas no to-
tal da actividade e de todas as riquezas
particulares que constituem as differentes
tontea da renda nacional.
Logo: si financeiramonte elle poder ga-
rantir o pontual e integral pagamento de
urna moeda fiduciaria; claro ser que a ri-
quesa nacional poder encontrar n'elle o
maior multiplicador que se possa desejar.
E, nem se Ihe poder dar melhor em-
prego, porque s assim a somma das ri-
quesas particulares ter justa compensa-
cao do pagamento que ella fornece para
todas as dividas e obriga3es contrahidas,
com a garanta do crdito nacional, pelo
Estado que 6 a propria nacjio constitucio-
nalmente representada.
Indubitavclmente, pela solidez e incal-
culavel valor da sua base, o crdito na-
cional pode garantir o valor econmico de
todo o meio circulante de que possa pre-
cisar o desenvolvimento do progresso na-
cional e das riquesas particulares; desde
que elle pode garantir o valor muito maior
das dividas e compromissos do Estado em
prejuiso da3 riquesas particulares. Mas,
a questo outra e muito difirante: vei-
jamos se elle pode ou nao garantir o pon-
tual e integra', pagamento praso da moe-
da fiduciaria, porque j vimos que a scien-
cia financeira nao comprehende moeda fi-
duciaria, acerca de cujo pagamento se pos-
sa suscitar a menor duvida ou suspeita de
prejuizos.
Ora, nos j mostramos que o crdito
bancario firmado em urna cauco de moe*
da metallica ou de metaes promptamente
monetisaveis resolveu perfoitamente a pro-
blema de urna moeda fiduciaria rigorosa-
mente financeira e inteiramente equiparad
vel a moeda metallica, pelo tacto de nSo
I


a -

r --,.

? f,:




aj *-.

/i


Diario de Fentamboc---Qartu-feira 18 de iilhe de 1888
i

i.
%
1

poder falhar o eeu pagamento praso,
com o maior rigor de pontualidade o inte-
gridade. ., PJ
Mag vimos igualmente a.imposdibiMa-
de de Bustentar-se na circnlacSo to im-
portante moeda ; porque os avarentoe e os
cambistas, cujos interesses particulares sao
antagnico* com os da sociedade intdra,
no uso .lo eu direito levantavam aquella
caucao --m seu exclusivo proveito, torean-
do a uweda fiduciaria retirar-se da cir-
culacao, pek) desapparecimento da caucSo
que lhe garanta o pagamento,
J yimos como aquelle antagonismo de
intereses prejudicava praticamente a to-
das as nutras classes sociaes e ao desen-
volvimento econmico das nacoes que au-
feriam d'aquella moeda fiduciaria vanta-
ns incalculavelmente maiores do que as
moeda metlica; exactamente porque
ella alargava Ilimitadamente a esphera das
trocas, relativamente restricta e acanha-
dissima sob o exclusivo reinado da moeda
metallica ou de pagamento vista.
E vimos finalmente como a economa
politica complicou em vez de resolver o
grande problema financeiro de urna moe-
da fiduciaria, cujo pagamento praso, ca-
racterisando-se pela sua pontualidade e
integridade, a tornar-se inteiramente equi-
paravel a moeda metallica, no preenche-
mento de todas as suas funecoes da meio
circulante, sem possibilidade de ser amu-
lada pela mania dos avarentos e pela ga-
nancia dos cambistas cima de quaesquer
contingencias que embaracassem de promo-
ver o mximo desenvolvimento econmico
das nacoes ou de constituir-se o maior mul-
tiplicador de todas as riquesas particula-
res.
Logo: se o crdito nacional vasto e n-
quebrantavel, como poder amparar
urna moeda fiduciaria que preencha rigo-
rosamente todas esta condc5es, achar-se-
ha resolvido o grande problema fiduciario,
e implicitamente condemnadas todas as
theorias e crendices, autorizadas pela eco-
noma politica, em rclacSo a este mesmo
problema.
da, nao pode haver nada mais incon-
testavel do que a possibilidade de retirar-
se da riqueza nacional, o valor suficiente
que trocado por moeda metatica servisse de
caucSo a urna grande somma de moeda fi-'
duciaiia, garantida pelo crdito nacional.
Bastara mesmo, um grande emprestimo ex-
terno exclusivamente destinado caucao da
moeda fiduciaria do Estado. Mas, quem
""nSo v que a creaco dessa moeda fidu-
ciaria o sacrificio do desenvolvimento eco-
nmico do paiz e dos interesses de todas
as outras classes sociaes. aos
interesses dos usurarios
dos em levantar a caucao, era seu provei-
to exclusivo'?
Quem nao prev o horror das consequen-
cias lgicas do lovantamento da caucao?
Poder porventura a sciencia finanecira
aconselhar a deslocacao de grande parte
ego.sticos
e cambistas vi-
daquella riqueza fiduciaria que ir direc-
tamente garantida pelo crdito nacional ?
Absolutamente:Nao.
Io Porque nao ha paridade entre a ga-
ranta nacional e a garanta bancara.
A caucio do pagamento da moeda ban-
caria justifica-sc pela necessidade de
tornar-se inquebrantavel o crdito ban-
cario e indiscutivel o pagamento das
suas emissoes; porque, no seio da so-
ciedade, acliava-se de um lado o banquei-
ro usufraindo exclusivamente os lucros c
vantagens do seu crdito, e de outro lado,
todas as as outras classes sociaes com in-
teresses diversos que nao podiam ficar
desacautelados; c evidentemente o crdi-
to nacional de sua naturezainquebran-
tavele todos os seu8 lucros e vantagens
nao podem deixar de reverter sobre a indi-
duadade morala nayao. Se de um lado
est esta mesma nac&o inteira auferindo
todos os beneficios do seu crdito, do outro
lado, nao ha ninguem com interesses dif-
ferentes a quem possa aproveitar a cau-
5S0.
2oPorque, a moeda fiduciaria rigoro-
samente financeira emittida pelo Estado
deve destinar-se exclusivamente ao des-
empenho das grandes funccSes de meio
circulante, e seria um contrasenso conver-
tel-a em valor econmico para contrariar
os fins da sua creacao.
3*Porque essa moeda fiduciaria, de-
vendo constituir o multiplicador do total
das riquezas particulares, contradira esse
grande mister se deslocasse urna gran-
de parte dessas riquezas para caucionar
o seu pagamento em prejuizo de todas sa
classes sociaes e em beneficio exclusivo
dos avarentos c cambistas, quando certo
que uns e outros tirara as maiores vanta-
gens do desenvolvimento do progresso na-
cional.
4Porque, a grande difflculdade do
problema fiduciario resolver consista
exactamente em proporcionar-se a socie-
dade um meio circulante fiduciario rigo-
rosamente financeiro que se prestasse ao
mximo desenvolvimento econmico das
nac3es, sem a possibilidade de ser annul-
lado pelos avarentos e cambistas.
5oFinalmente, porque alm do muito
que poderiamos accrescentar, o meio cir-
culante do pagamento a prazo garantido
pelo crdito nacional pode e deve ser pago
as mais restrictas condic5es de pontuali-
dade do menor prejuizo para quem quer
que soja, como mostraremos.
(Continua)
Francisco Amyntas de Carvalho Mowa.
; tara na qoaldade de soeio correspondente eatran
geiro.
O correspondente do Paiz m Aix-les-Bains,
escreveu o seguinte em 16 do mes pasando sobre
a aade de S. M. o Imperador :
Est melbor, muito snelhor Sua Magestade o
Imperador do Brasil. Os aras sandaveis de Aix-
lea Baina tm operado ptimos resoltados no orga
0100 combalido do angosto enferma.
Como ja saben, es imperadoras, ho?pdarsm-
se aqu no Spleudide Hotel qae um edificio mag
nifieo, sitoado perto do pittoresco lago de Bbur-
et. .
Dorante toda a vtagem foi o Imperador alvo de
militas demonatrafoes de aympathia, sendo com-
primentado em Turim pelo principe Amadeu.
Da estaca o de Aix foi Sua Magestade condu-
sido para o hotel n'ama liteira, levada par oito ho-
rneo.
Acompanham-no a imperatris, o principe D. Pe-
dro de Saxe, a condessa d'Aquila, os viseondes de
Nioac, de Carapeba e de Motta Maia, a condessa
de Barra!, Melle, lastro e os seas mdicos assis-
tentes Semmo'a e Giovaani.
Pooco depois estes Ilustres mdicos deixavam
A x-les-Baina, visto augmentaren! as forcas do Im-
perador.
Aeaba de chgar aqni o ministro do Brasil em
Boma, o Sr. Bario de tajnb. Parti o Sr. Ba-
ro de Arinos, ministro do Brasil em Pars.
No jornal da loealidade, chamado Beyue d'te-
le Bains, arrancamos de urna chrooiea as se-
guiutes palavras, que se referem ao Imperador :
Mas poohamoe de lado estas coosideracoes
bvgieno-psycbolcgicaa e vamos a Aix, cojo com ci
de estaco dos mais brilhantes.
O Imperador do Brasil acaba de ehegar com
urna numerosa comitiva ao Splendide Hotel. o
acontecimento do dia, a great oracioii. ^
Sua Magestade ja por doas vesea psssoo n'u-
ma cadeira de rodasfabricada em Genebia, pelo
jardim do hotel, donde se desfructa um panorama
esplendido. Cobre nos ba das nm co de um asul
quasi sombrio, que nsensivelmente vai tomando no
horixonte urna coloraoo lctea de um asul pailido.
E' o co da Hespaoha ou o de Marrocos.
Em baixo a cidade de Aix com ob seus trez
vastos etabelecimentos : as Thermas, o C*Bs:no
e as cumiadas das grandes arvores da cidade da
florea.
> Urm haixo, mais ao Icnge anda, sereno e
doce, o lago de Bourget, que domina a liaba um
pouco montona, nm pouco pardaceuta, da monta-
aba de Lpine tio altivamente corta ;a pilo ma
gestoso e soberbo Dente do Gato. A' direita e es-
querda, villas numerosas e elegantes. No lago,
aqu e alm, um ou outro vapor, barcos de pesca,
um movim>nto eympathico d trabalbo.
A babia do Rio de Janeiro, affirma-se qne
ama das mais bellas do mundo, mas seguramente,
ooatemplando do alto dos terrados do Sp'endi -j
Hotel o nosso grande e bello pas da b i, D.
Pedro nao dev ter saudades da bella babia da
sua capital, eenj sob o ponto de vista patrio
tico.
A pnpoeite do Imperador do Brasil, um dos
jornac's d'aqui commetteu um erro engracado.
O Imperador do Grisil, dis o nosso espirituoso
colbga, cb'gou a Aix por am tempo magnifico.
Srr o Imperador do Grsil e ch gar por um tem-
po msgDBco am cumulo 1
Nao, nSo foi por um tempo magnifico qae chegou
D. Pedro ; foi por... um combou expresso.
}Ds o Fgaro, de 9 deste mez :
> O Imperador do Brasil demorar-se-ha quatro
srmi.iMS em Aix les-Bains. Embarcar depois em
Brdeos a bordo de um navio de guerra brasilei-
ro. que neste memento parte para a Europa.
Ora, nao eei se o oavio de guerra brusileiro par-
ti para a Europa, mas o que eu sei que no da
eai qne essa noticia era lida, ainda nada se tinba
rtaolvido sobre a permanencia de Sua Magestade
em Aix-les Bains.
O tempo ti-m estado inconstante, tem feito ca-
da de ferro nos vencimentos do sen pessoal na
Europa, sendo assim fizados : pan a directora,
t 1.600 em ves de t 1,900 ; para o secretario,
.350 em ves de 200 ; e para o escriptarana,
100 em ves de l 52.
A sobrwdita alteracao redunda na economa an-
nnal de 303.
eknaosaMIMaae- Pelo ministerio da
agricultura rorara remettidoe aa da faaenda os
papis relativos tomada das coritas do ex-tbe-
sooreiro do prologamento da estrada de ferro do
BeeMe a 8. Francisco, Nnmeriano Barbosa da
Silva, afim de qne se faca effectiva a respoosabi-
lidade contra quem de direito aa forma do regu-
la ment n. 8153 de 11 de Mareo de 1882 e decreto
n. 2548 de 10 de Marco de 1860.
Irrhho publico lo ImperioAo mi-
nisterio do imperio acaba de reclamar anda ama
ves o director do Atchivo Publico do Imperio
contra a permanencia do servico relativo a paten-
tes de inveocao no referido Archivo Ha mnito
tempo qne usemos sentir a apontada inconvenien-
cia, nao s porque ao edifieio faltam proporcoss
para doas simultneos servicos, osas tambem por
qce, para oceupar-se da abertura dos envolncros
e velar na guarda e classifioaco das amostra*,
desechos e relatnos das patentes de invenca,
ter forzosamente o peBBoal, que nSo numeroso,
de interromper a cada passo o desempeaho das
obrigaeoes referentes ao seryjoo proprio da repar-
t cao.
O Archivo Publico em trabalhos importantes
entre mSos e constitne reparticao de grande valor
para a historia patria, da qual 6 auxiliar indis-
pensavel. Nio para ser distrahido das suas in-
vestigacoes e classificacoes desta especialidade,
sobrecarregando-se com a tareta a que allndimos,
a que, tendo-lbe sido imposta provisoriamente,
vai s nJo prolongada com inconveniencia tanto
maior qaanto o servido das patentes tende a desen-
volverle a mais e mais, gracas ao mecanismo da
lei de 14 de Outubro de 1882.
Impresa N*ctoaatf O Jornal do Com-
mereio da corte de 10 do corrate dis o se-
guate :
* Da direccao deste estabelecimento recebemos
hontem um verdadeiro mimo, un trabalho littera
rio organisado pelo Sr. Enrique B. Moreno, com-
posto e impreaso com a maior nitides, esmero e
bom gosto artstico as oficinas da Imprensa Na-
cional. Este prim.i typ igraphioo aoona altamen-
te a direccao do estabelecimento e os seus opera-
rios, que assim se revelam artistas.
REVISTA D1ARU
n. M. o Imperador-S A. a Princesa Im-
perial Regente receben no da 5 do Sr. Viseonde
de Motta Maia o seguinte telegramma : Se Dens
qnizer, partida 5 de Agosto.
Publicou o Jornal do Commercio da corte o se-
guinte ttlegrsmma :
Aix-les-Bams, 9 de Ju ho.
Suas Magestade o Imperador e a Imperatris
do Brasil tencionam embarcar em Bordis no dia
5 do m> z prximo, de volta para o Brasil.
Na Academia das ciencias de Pars, logo ao
comecar a sessio de 11 de Junbo, o Dr. Cbarcet
tomou a palavra para como-unicar douto corpora
ci notieixs mnito triinqaiilisadoras neerca do es-
tado de sefttie de S. M. o Imperador.
' As melbores, diste o sabio profesarr, conti-
nuara no sea curso regalar e a cura certa. Pe
las '.ultimas palavras que me diriga, incumbi-
ase o ooseo illustre coafrade de significar-vos
quilo peoborado se acba das mostraa unnimes
de sympatbia que tem recebido do seio da Acade-
ssia. ;
AcbstaoB e*ta grate noticia no Tenps, foiha da
Paria, de 13 de Juuho. Como sabida, o Dr.
Charcot membro ordinario da eminente oorpo-
rscJo, qaal pertence o Sr. D. Pedro te Alean
lor bastante; e deve esta circumstaocia n.ti r
bastante na opioiao dos mdicos.
KlberioH Honaichlaas-Iuformam-noe,
dis o Pharii, de .luis de Fra, de 5, que na villa
da Sapucaia us libertos pela 1 i de 13 de Maio, sa
bendo que seus ex-seuh res fazendeiros esto or-
ganisando t-lub republicanos, tem solemnemente
declarado nao aceitarem trabalho em suas tasen
das por prtoo algum.
Befreiso de S. H. o Imperador
Por iniciativa do BarSo de S Praocisco e do eom-
m> ndador Jos Mendes de Oliveira Castro, como
presidente da Associaco Commercial, orgaois >u-
Ht na corte no dia 7 do correte, urna commissio
para tratar de promover os festejos pelo f<-lix re-
gresso patria de 8S. MM. Imperiaes, ficando
el cemposta dos ditos seahores e mais dos ee-
guintes :
Visconde de Tocantins, como presidente do Ban-
co do Brasil, conselbeiro Manoel Salgado Zeoha,
do Iutecnacional, cooomendador Estevo Joa da
Silva, do Rural, Conde de S. Salvador de Matto-
S'nbos, do Commercial, senador Mano6 Jos S;a-
n-s, do Commercio, Dr. Manoel de Oliveira Faus-
to, do Industrial, Lovel J. Mullios, gerente de
Eaghsh Bnk, E. A. Beo, g. rente do Londou
Braailian Batk, commendador Francisco de Paula
Mbyrink, presidente do Banco de Crdito Real do
Brasil, conselbeiro Antonio Pedro da Costa Pinto,
do Predial, Antonio Bernardo Pinto, d'El Credere,
Visconde Doprat, do Auxiliar, Luis P. Fras, do
niSo de Crdito, senador J. Manoel Pereira da
Suva, Baro de Araujo Perras, Dr. Jos Pernau-
des Moreira, conselhiro Francisco Xavier Pinto
Lima, conselbeiro Diogo Daarte e Silva, commen-
dador Laiz Aives da Silva Porto, commmdador J.
C. Raroalbo Ortigo, Baro de Ipanema e Barao
de Qaartio.
Proceasio da Caliendo -Diz a Gare-
te de Noticias que o Sr. Dr. Macedo Soares, juis
de direito da 2* vara commercial, apresenton ante
hontem, ao Sr. consfalheiro ministro da justica, um
relatorio sobre a reforma do processo das fallen-
cias, calcado sobre o projecto do conselheiro Na-
buco, com importantes retoques. Nelle se desta-
can os seguintet pontos:
Instrucco commercial e criminal inteiramente
separadas, cada urna affecta respectiva juris
dicio;
Costas mnito reduzidas;
Concordata por abandono;
Moratoria com o prazo mximo de um anno,
como est eatabelecido nos cdigos estraogeiroa
que a admittem ;
Suppresso da clausula de registro do titulo de
nomeacio, para que valham os privilegios dos tex-
tores, guarda-livroa e caiieirjs, naa u-asaas falli-
das on liquidadas ;
Sojeico ao joizo commercial dos ttulos civis
cuja validado nao foi reconhecida no processo da
fulleada.
A reforma tende a simplificar, apressar e bara-
tear o processo das quebras.
ervlco da suarnicaoEntram boje de
superior de dia a praca o Sr. cap to Manoel An-
selmo e officisl de ronda de visita o Sr. tenente
Jos Carneiro Maciel da Silva.
A guarnicio da cidade sera dada pelo 14 bi-
tolbao de intantaria e commandar a guarda da
Tbesouraria de Fasenda o Sr. alferes Justino Lo-
pes Cordeire.
VoluntarloVerificou bontem prac* volun-
tsriamente 1 indiv.duo.
Pea de offlcloPele quartel general tez se
eutrega aos 2 e 14' batalboes de infantera das
ts de offlcio dos Srs. capitaes Ernesto Alvos Pa
checo e Rapbael Tobas.
Cidade da EsradaSegu hoje pela ma-
nhi para a cidade da Escada o Sr. capitio hono-
rario do exercito Antonio de Paol* Cavalcante de
A lbuqoerqoe, que ah vai acompanbado por um
Sr. capilo do 2<> batalhio a requisicao do Sr.1
Dr. ebefe de polica.
Dispensa do servlco-S. Exc. o 8r. ge-
neral commandante das armas conceden 5 diaa de
dispensa do servico ao^Br. alferes do 14 batalbao
Urcicino Augusto Villas-Boas.
Patate de osnclal do exerclte
Acha-se no quartel general afim de ser entregue
ao Sr. 1* tenente reformado Antonio Gomes Cor
reia.de Miranda a ana patente, remettida pelo
qaartel general do exercito.
lnaagaracoLonsta que a officialidade
do V bialbao de intantaria resolveu adiar para
o dia 7 de Setembro a inauguradlo de sua biblio-
theca.
Bmpretados sao sjaartel general
Passaram a pmpregados no quartel general em
Bubstituico a dous cabos de esqusdra que all
serviam, dous outros sendo asi do 2 e outro do
14 batalboes.
Troca de eerpoaS.. Exe. o Sr. general
conceden troca de corpos entre ai aos aospeoadas
Francisco da Silva Vascooeellos e Vicente Mar-
tn! Gomes de Asevedo este do 2* e aquella do 14.
iii fs\Tir
Perra-va do Natal a Vmwm Craw
Deu-se por approvada a alteracao proposta pala
companbia cessionaria da mpra mencionada extra-
Recuerdos de los testimonios de fraternidad
del Brasil a la Repblica Argentina o titulo
do livro.
Recuerdos um laco de amisade e gratido
com que o Sr. Enrique Moreno enfeixa urna collec-
c i de documentos offieiaes e de apreciaces da
imjoreusa brasileira soDre o gentil e fraternal pro-
c.i:n ni: do governo, do puvo e da imprensa ar-
gentina e do seu estimado representante nesta
corte por occasio de solemnisar-se o grande fac
to da extinecio do captiveiro no Biaz I.
O livro appareceu hoatem quando a sociedade
fl im n-use dava ao Sr. Eariqae Moreao inequvo-
cas demoostraces da eympatbia e estima de que
elle gosa entre nos e de seu reconhecimeuto 4
Nncao Argentina.
Nio poda apparecer em momento mais oppor-
tuno. *
Brinde nacionalEm sessao da congre
z cao da facuidade de medicina do Rio de Janei-
ro, de 7 do corr nte, o conselheiro Baro .de S.
Salvador de C-rajos, vice director, propos e foi
approvado por unaoimidade de votos dos lentes e
anjuutos presentes,que se consigna.'se na res
pectiva acta a seguate mocSo :
A facaldado, de medicina do Rio de Janeiro
pplaude o peosamento generoso, scceito pela
Illma. Cmara Municipal desta cidade, de promo-
ver-be urna manifestacJo de reeonheeimento na
cional aos eminentes mdicos estraogeiros que na
Europa prestaram servicia a S. M. o Imperador ;
mas entende que tembem digno do mesmo reco-
oheetmento o medico brasileiro Dr. Visconde de
Motta Maia. que desde 28 .do Fevereiro de 1887
at boje tem prestado ao mesmo augusto senhir
os mais inteligentes servicos, com inimitavel de-
dietcao. a
Citolera no Pera'O Sr ministro do im-
perio recebeu ao da 7 do correte telegrama do
encarregado dos negocios do Brasil, em Lima, na
repblica do Per, declara ido nada constar all a
respeilo do apparecimente do cholera naquelle
paiz.
Portaleaa de anta Croa Por occa
sia i de retirar se da fortaleza d Santa Cras o
distincto e iatelligente 2o cirurgiSo do corpo de
saude do exercito Dr. Gasto de Aragaoe Mello,
uomeado para o rsenal de Guerra da corte tes o
Sr. coronel Jorge Dinis Santiago, commandan-
te da mesma fortaleza, baixar a seguate ordeno
do dia :
Com o officid' do chefe do corpo de s-.ude do
ex-rcito n. 473 de 30 de Junhi fiado, apresentoa-
se bontem a este commandu afim de servir de en-
carregado da enfermara desta fortaless o Sr. 2"
cirurgiab ir. Dogenes J. Teixeira em substituicSo
ao Sr. 2 cirurgiao Dr. Gasto de Arago e Mello,
a quem mais urna ves loovo pelo seio, inteligencia,
dedic-co e lea.dsde com que desempenh u as
fuaccoes de seu cargo aecudindo sempre ao leito
do enfermo, que necessitou o auxilio de sua pr >
fLsao, quer elle fosse oflicial ou prac* do bata
Ihao, quer preso nesta fortaleza e quer fizesse par-
te da familia aqu residente, ou fosse empregado
no estabelecimento, com a solicitode e delicadeza
proprias do coracao bem formado de um verdadei-
ro medico, pelo que declaro que tem a minba ami-
sade em signal de agradecimentc.(Assignado).
Jorge Dmit Santiago.
Odootologlaferante a Fsculdade de Me-
dicina da Babia prestou exame nos das 9 e 12 do
correte das 1* e 2* series do corso de odnntol gia
para verificar o su titulo, coa.erido pela Uuiversi
dade da Pensylvania, o Sr. Stepben Rogers.Wing,
e f i approvado plenamente.
O Sr. Wiug exerce dignamente a sua profissao
nesta cidade roa do Imprador.
Circo chilenoU o desembargador presidente da provincia e com
grande concurrencia, realisou a companhia Pala-
cios autH-h mtem a funecao deste circo, a qual
estaodo destinada ao beneficio do Sr. Domingos
Goncalves, secretario da companhia, foi cavalhei
rosamente cedido commissio que trete da cons-
truccio do passeio publico deste capital em beoe-
cio dopnjectado passeio.
Como das veses anteriores em que se exhibi a
companhia os artistas apresen'aram os seos me-
Ibores trabalhos e mais ricos toilets. e como sem-
pre foram calorosamente applaudidos, recebendo
alguas ricos ramos de flores.
O circo acbava-se ornado com bandeirss e fo-
Ihas de caadla, tocando durante a funeco as m-
sicas do corpo de polica e dos menores do Arse-
nal de Guerra.
Sio dignos de todo o elogio os que tomando
a si o trabalho da distribuicio dos bilhetea nio
pouparam esforcos para que o producto do benefi-
cio toase o maior poasivel, bem como sio merece-
dores dos agradecimeotos dos qne tentam levar a
effeito a coostruccio do passeio publico os Srs.
Palacios, director da companhia e Gonoalves, se-
cretario, pela maneira com qne auxiliaram a rea-
lisacao desse importante meiboramento.
Pledoaa conssnemoracaeO honrado
magistrado, Dr. Thomaz Montenegro, ainda in-
consolavel pela perda de seu estremecido filho,
Dr. Arthur Montenegro, tio cedo roubado mi seus
desvelos, manda hoje is 8 horas, resar missas na
matris de Santo Antonio em suffragios e saudosa
com memo racao de seu infelis filho.
Que essa consoladora demonstracio sirva a esse
Inossj amigo de lenitivo ao seu profondo pesar no
trigsimo dia do fallecimento ao sea f ho.
Hippodrosno do Campo Clrande
^T.-rmin h. je o praso marcado para os accionistas
desta companhia realisarem a segunda prestacio,
rasio de 25 o/0
Ficam assim avisados os qne nio quizerem in-
correr as penas de que tratara os estatutos, isto
, perda do capital realiaado.
IsnpreamaRecebemos hontem do sal as se-
guintes publicaces, coja remessa agradecemos:
Pontos para a prova expositiva de latim, se-
gundo o programma de exames de 1887, organi-
aados por nm protessor Babia.
iialvacSo da patria conferencia realissda no
Club ttepublicabo de Paulo, em 7 de Abril ul-
timo, p lo Dr. Silva Jardim.
A Eetac&o jornal de modas parisienses, n. 13,
do 11 anno dos Srs. Lombaerte que tras dous figunnos coloridos.
u tentarla Alm dos 156 volumes ja existentes
foram mais eflorecidos os seguiotes :
Pelo Sr. pharmaoentio Alexandre dos Santos
Selva:
Histori da revolucio de Parnambuco em 1817,
1 vol. broch.: Evangeiho SylUbus (drama) 1
vol. broeh.; Quadros de anthropologia, moral, po-
litica a social, 1 vol. brocb.
airee-loria da* obras de eoneerva-
co dosj porto* de PeraambncoHe-
oife 16 de Julho de 1888.
Boletim .meteorolgico
doras
6
9
12
3
6
t.
i'5 o
E
eo
I
231
244
269-2
264
23* -6
Barmetro
o
76410
764*67
764*02
76331
763i70
Tensio
do vapor
18,30
18,88
20,47
19,96
19.50
a
85
81
82
87
89
Temperatura mxima<27*,00
Dita mnima22*,50.
Kvaporaoao em 24 horasao sol: 3,"6 ; i som-
bra : 1",7.
Chava11-.8.
Direccao do vento: Variavel de SSE a ESE
predominando SE durante todo o da.
Velocidade media do vento: 3,20 por segundo.
Nebulosidade meda: 0.87.
Boletim do porto
* 3
i*
s*
M.
M.
M.
M.
Dia
16 de Jnlbe
17 de
Julho
Horas
10-r 0
4-29
10-30
5- 7
da manhi
da tarde
a a
da manhi
Altura
2,-SO
0,-70
2.-18
0,-83
Celiees fcnectuar-se-hao :
Hoje ,
Pelo agente Gusmio, s 11 horas, i ra do Mar-
ques de Olinda n. 48, de predios.
Pek agente Martina, s 11 horas, & roa do Im-
perador n. 29, de bous movis, lonca e vidros.
Pelo agente 8ilveira, s 11 horas, ma es-
treita do Rosario n. 36, de nma casa.
Pelo agente Pinto, is 11 horas, i ra Marques
de Olinda n. 52, de movis, louoa, vidroi, dnas
casas e pregos franceses avariados.
Amanhi :
P|o agente Pinto, is 10 1/2 horas, na Psssa-
gem da Magdalena, de movis, crjstaes, carros,
etc., etc.
Mismas) rsmeferes-Serio eelebraaas :
Hoje:
A's 8 horas, na matris de Santo Antonio, pela
alma do Dr. Arthur Gares Paranhos Montenegro.
Amanhi:
A's 8 horas, na igreja da Madre de Dens, pela
alma de Balthasar Goooalvrs Machado ; as 7 1/2
Pela Exma. Srs, D. Belmira Villarim da Silva
Coate':
Botamen applicada a 'nflaencia dos insectos so-
bra aa plantas, 1 vol. b> ah ; Poemas humorsti-
cos de Paulo Pereira, 1 vol. broch., o Plebeu,
(drama) 1 vol. broch.
Pela Exma. Sra. D. Mara Visira d'Anonada
ci Rabello :
Corso tbeorieo e pratieo de pedagoga, 1 vol.
enesderoado.
Pelo Sr. Goncalves Lima;
O Ebrio, 1 vol. broch.
Iij-cen TriadeiphlcoNeste estabeleci
meato de edacacao para o sexo feminino, tove lu-
gar a 13 do correte o exame parcial do 2 tri-
mestre cojo resultado foi o seguiote :
Cnrso secundario.Francisca T. de Mello, ap-
provada, Leticia de Barros Leal, faltn.
Curso secundario :
1' grao.Maris do Carmo C e Silva, Joan na
B. Teixeira de Lyra, Eatbalia de Lima Casco,
Anna L. Pereira do Carmo, Amelia Marques Leu-
ra, Adelaida de Albuquerque, Marcelino T.
Cordeiro, e Eugenio T. Cordeiro, approvados ple-
namente.
2 grao.Laura de Barros F. de Lacerda, ap
provsda plenamente ; Theresa de J. Cavalcante e
Theresa de Jess Mendonca, approvadaa.
3" grao.Mara A. de Mendonca Pereira, ap
provada ; Candida Bastea de Albuquerque, faltou.
Foram examinadores as Exmas. Srns. DD. The-
resa Mello e Arminda Mello, profesoras do col-
legio e os Srs. Drs. Elviro de Magalhies e Gon-
calves de Mello.
aoriedade L.itterarla fionealvea
OlaEsta sociedade reane-se amanhi, em ses-
sio ordinaria, afim de apreciar o plano, que tem
de servir para o regulamento das aulas recente-
mente creadas, aprsentelo pela commissio Horne-
ada na ultima reaniio e ouvir a leitora das theses
designadas aos consocios Francisco Pedro de
Araujo Filho e Francisco Cavalcante Pessoa.
lilla de direitoChejou hontem do sul no
vapor Alagoas, o Dr. Edelberto Liciaio da Costa
Campello, juis de direito da comarca de 8. Joio
B-ptiste dos Campos Novos de Santa Catbarna.
Veio a esta cidade, com licenC/a, visitar a familia
e acha-se hospedado na casa de sen digno pae o
Sr. Vicente Licinio da Costa Campello.
Theacuro Provincial Esta reparticao
paga boje s professoras de 1* entrancia os seus
vencimentos relativos ao mes de Junbo prximo
Sudo.
Fallecimento Fallecen no domingo s 3
1/2 horas da madrugada, de urna congesto pul-
monar, o acadmico do 4* anno Joio de Andrade
Pereira Borba. Muito moco ainda, pois apenas
coma va 20 aaoos de i dade, foi tio cedo roubado
s lettras, que o tinbam no numero de seus culto-
res, familia e a patria.
Os seas mestre-s de academia em demonstracio
de pesar deixaram de dar ante na segunda-feira.
ossos psames a sen* iocoosolavel pai o capi-
tio Simio Velbo Pereira Borba.
Caanall i adeN > domingo ultimo, por vol-
ta de 6 horas da tarde, na estrada nova de Ca-
xang, na taverns de Joio Jos da Rocha, o me-
nor Osvaldo Luis Cavalcante Pessoa, caixeiro do
mesmo Rocha, estando a brincar com nma pistol-
la, esta disparou, iodo empregar-se toda a carga
no paito e mi eaquerda do menor Manoel Bento
da Silva Alves.
Por ordem do respectivo subdelegado, que abri
o competeate inquerito, foi o tff ndido recolbido
ao Hospital Pedro II afim le ser tratado.
lmbo< re r Id unEm urna des tas noutes ni
timas, em Jaboato, perto do sitio Vasconcellos,
Jos Eleuterio dos Santcs e Antonio Correia de
Araujo travaram-se de razes e, depois de lucta,
ficou este levemente e aquelle gravemeate fu-
ndos.
A respectiva autoridade policial tomn conbeci-
meato do tacto, e abri o competente inquerito a
qii- j deu o devido destino.
Que valenlo No lugar Canaviera, do
termo da Gloria de Goiti e em a noute de 13 do
correte, Joaquim Jos de Saot'Auna espancou
brbaramente a sua esposa Alexandrina Mara
da Conceicio bem como a Mavia Francisca do Es-
pirito Santo, irmi desta.
O valcnto foi preso em flagrante delicio e con-
tra elle abri o respectivo subdelegado o compe-
tente int-uerito a que j foi dado o destino con ve
men e. .. .
Concarao ItinerarioO Club Litteraro
Avres (inm inauguran em seu seio concursos lit
terarioe bi-mensa- s ; e na sessio do 14 foram li-
d.-a o* pareceres sobre as pro vas do pnn.eiro desse
concursos.
Fora torteado este sssumpto Urna Douda
(deacripoio em soneto) e baviam se inscripto qua-
tro socios.
Dos pareceres, se conclue :
Equipararam-se, e alesnearam o primeiro logar
na classificacao, o- sonetos dos Srs. Artbarnio
Vieira e Severiuo Marques.
Neahum dos outros oceupou o segundo logar;
e por isso um foi classificado em 3 e outro em
quarto.
Para o 2 concurso foi sorteado o segninte as-
sumpto:
Descripcio do Te Deum no jardim (em prosa);
e exhib-am pro vas seis socios.
Reunioea ociaeaHa hoje as segura-
es :
Do Instituto Beneficeoto dos OfSciaes da Guar-
da Nacional, s 6 1/2 horas da tarde, em sua se-
de ra do Padre Mans n. 5, em sessio ordina-
ria.
Do Club Commercial Eaterpe, s 7 horas da
noite, na sede social, para, em sesssio de sssem-
bla geral, proceder-se leitura do relatorio e em
seguida, eleicio da nova directora.
Proclamas de casamentoForamJ-
dos no domingo 8 do correte, na matris da Ba-
Visia, os seguiotes proclamas Maooel Vicente do Nascimento com Mara Fran
cisca do Nascimento.
Ago Franco Marques da Cras com Julia Faus-
ta do Nascimento.
Ernesthor Jos do Bomfim com Marcionila Ber-
narda de Sant'Anna.
CHRONIGA JUDICIARIA
Tribunal da Relaco
8ESS.AO ORDINARIA EM 17 DE JULHO
DE 1888
PRESIDENCIA DO EXM. SB. CONSELHED20
QDINTINO DK MIRANDA
Secretario Dr. Virgilio Coelho
A's horas do costme, presentes os Srs. deaem-
bargadores em numero legal, foi aborta a sessao,
depois de lida e approvada a acta da antecedente.
Distribuidos e paseados os feitos deram-se os
segnintes
JCLQAMENTOS
Habeas-corpus
Pacientes:
Pedro Nolasco da Motta Raio. Concedeu-se a
ordem, contra o voto do Sr. desembargador Tava-
res de Vasconcellos.
Ensebio Ferreira Gomes de Queiroi. Negou-
se a ordem, unanimemeats.
Recurso crime
De GravatRecorrente o joiso, recorrido An-
tonio Soares de Lima. Relator o Sr. desembarga-
dor Buarque Lima. Negou-se provimento, nna-
nimemente.
Aggravo de peticio
Do RecifeAggravante Arthur Lopes de Oli-
veira, aggravado Joaquim Jos Alves Goimaries.
Relator o Sr. desembargador Pires Ferreira.
Adiantos os Srs. desembsrgadores Buarque Lima
e lavares de Vasconcellos.Negoa-se provimen-
to, un in me men te.
Appellaces crimes
De Nssareth Appellante o juizo, appellado
Antonio Francisco Ramos. Relator o Sr. desem-
bargador Delfiao Cavalcante.Mandn-se a novo
jury, unnimemente.
De S. JoioAppellante Josepha Mara da Con-
ceicio, appellada a justica. Relator o Sr. desem-
bargador Tavares de Vasconcellos. -*- Mandon-se
a aovo jury, unnimemente.
De IgnarassAppellante o juizo, appellados
Saturnino Antonio Reinaldo e outros. Relator o
Sr. desembargador Tavares de Vasconcellosoa.
Mandn-se a novo jury, unnimemente.
De PiancAppellate o promotor publico, ap-
pellado Joio Cassiano da Silva. Relator o Sr.
desembargador Delfino Cavalcante.Mandoa-se a
novo jnry, unnimemente.
De Alag* do Mooteiro Appellante o juizo,
appellado Jos Martios Ferreira. Relator o Sr.
desembargador Tavares de Vasconcellos.Man-
dn se a novo jury, unnimemente.
PA88AGES8
Do Sr. conselheiro Queiros Barros ao Sr. des-
embargador Buarque Lima :
Appellacio crime
De ItaoibAppellante o joiso, (appellado Deo-
lindo Correia de Sonsa.
Do Sr. desembargador Delfino Cavalcante ao
8r. desembargador Pires Ferreira :
Appellacio civel
De PaneliasAppellantes o joiso e Joio, por
sen carador, appellados os orphios |Manoel, Fran-
aisco o Isabel, filaos de Joio Savariao ds Si-
qneira.
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro de Andrade:
Appallacoes civeis
De Olinda Appellantei Manoel
horas, no Corpo Santo, pela alma do capitn Joa-
quim Pedro as Reg Raaos ; as 8 asna, na ana-
tria e aaato Antoaio s 7 ocas aa igreja de
8. Jos, pela alma do Dr. Jos Domingnes dallos
te.
Paaaaa-elraaChegadoa do sal no vapor
brasileiro Alagbat :
Dr. Carlos Bitteooourt, sua senbora. 1 filba e
1 criada, Fasto Ferrer, Joaquim do Reo Barros,
Pedro Jos de Sonsa, Edelborto Celestino da Cos-
ta, Joaquim Ignscio Ribeiro Roma, Jos Victoria
do Nascimento, Lnis Francisco Hypp lito, Manoel
Fnrtado de Moadonca, Jos Lino, Manoel Jos da
Silva, Lanrentino Baptiate, Jos Portado de Gar-
valbo, Jos Ferreira, Galdino Lnis do Espirito
Santo, Manoel Francisco da Hora. Apolinario M.
Pavio, Tbyrso D. Pavio, Jos Affooso de Pars,
Lignori Giovaani, C-llano Nieola, Miguel Vianna,
Rota Monteiro da Mello, Idalina Mooteiro de Mel-
lo, Balbina Monteiro de Mello, Franceliaa Moa
teiro de Mello, Elyta Monteiro de Mello, Elvira
Monteiro de Mello, Lnis Gomes de Mello, Julia,
Arthur, Fl irindo e Virginia (menores), Joaquim
Vidal, Nicolao Toleotiao, Heitor de Sonsa, Ma-
nee! Antonio de Freitas, Stephan R Wing, Ce-
sario Crezensiano, Olympio Das, Jos C. do Nas-
cimento, Manoel de Aimeida Galisa, coronel F-
lix de Moraes Bandelra, Jos Tavares da Costa,
Jos Casado da Cnnha Lima, Francisco A. de Al-
bnqaerqne Lias, H. B. Cox, Manoel Turco, Ar-
thur Williamer, Angoste A. da Silva, Josina Ma-
ra da Conceicio e Manoel Domingnes dos Santos.
Sabido para o sol no vapor francs Filie de
Maranhao :
Eogene Roesli.
Cama de oetencaoMovimento dos pre-
sos da Casa de Detencio do Recite no dia 16 de
Julho de 1868:
Exisliam 323; entraram 14; sabiram 11 ; exis-
ten! 326.
A saber:
Nacionaes 316 ; molheres 6 ; slranseirn 4.
Total326.
Arracoados 281.
Bons 266.
Doeutes 15.
Movimento da enfermara :
Teveram buixa :
Clementino Jos de Oliveira e Hercolano Ray-
mnodo Alves das Neves.
Teve alta :
Lois Antonio Evangelista.
Hoaaltal Pedro laO'movimente do da
51 de Julho, deste estabelecimento, foi o segnin-
te :
Entraram 7
Sabiram 18
Fallecern} 5
Existem 556
Foram visitadas as respectivas enfermaras pe-
los Ors. :
Ferreira Velloso is 10, Cysneiro s 9 1(2, Barros
Sobrio ho s 6 3(4, Este vio Cavalcante s 8 12.
Berardo s 9 1(2, Malaquias s 10, Pontual s
9 1|2.
Cirurgiio dentista Nnma Pompilio, a 8 ho-
ras.
Pharmaceutico entrn s 8 1[2 e sabio s 4
horas.
Ajudante do pharmaceutico entrn s 7 1)2 e
sahio s 11 horas.
Lotera do ParaA 6* parte da 19* lote
ra, pelo novo plano, cujo premio grande de....
60:000*00, ser exsrahida, segunda-feira, 23 de
Julho.
Lotera da VictoriaAchara-se venda
os bilhetes da acreditada lotera da cidade da Vic-
toria, da p.-ovincia do Espirito Santo, cojo plano
bastante animador, conforme se v do annuncio
em ontra seccio deste Diario. A extraccio ter
lugar no dia 20 do corrente.
Cemlterlo PublicoObituario do da 16
de Julho :
Isabel Francisca de Moora Mello, Periambuco,
100 annos, vinva, Boa Vista ; cachesia senil.
Luis Joo dos Santos, Pernambueo, 34 annos,
aolteiro, S. Jos ; tubrculos pulmonares.
Basilio Lourenco do Espirito Santo, Pernambu-
eo, bi aauos, vinvo, S. Jos ; hemipiegia.
Antonio Soares da Cunas, Pernambueo, 30 an-
nos, solteiro, Boa -Vista; aneurisma da aorta
Joio, Pernambueo, 6 das, Boa-Vista ; totano
dos recemoascidos.
Manoel, Peraambnco, 9 meses, .Recife; ma-
rasmo.
Helena, Pernambueo, 4 meses, Santo Antonio ;
entero colite.
Anua Mara da Conceicio, A'agSas, 64 annos,
viuvn, Boa-Vista ; marasmo.
Joio Alves Pedresa, Pernambueo, 27 annos, aol-
teiro, S. Jos ; tubrculos pulmonares
Manoel de Albuquerque Barros Cavalcante,
Pernambueo, 67 annos, casado, Boa-Vista ; gas-
tro entente chrooico.
Genuino Bello Jeronymo de Mariabo, Pernam-
bueo. 22 annos, solteiro, Boa- Vista ; diarrha.
Osario Jos de Sant'Anna, Pernambueo, 20 an-
nos, solteiro, Boa-Vista ; alcoolismo ebronico.
Raymundo Ferreira de Lima, Pernambueo, 30
annos, viuvo, Boa-Vista ; tuberculoso pulmonar.
Antonio Correia, Pernambueo, 62 anuos, viuvo,
Boa-Vista ; diarrha.
Jcio Baptifta de Mello, Pernambueo, 26 annos,
solteiro, Boa Vista; myelite.
Eui-ldes, Pernambueo, 14 mezes, S. Jos ; con-
vultoes.
Angelito, Pernambueo, 2 mezes, S. Jos ; gas-
tro enterte.
beiro e ana mulher, appellados Antoaio Jos da
Rocha Braga e sua lhr
DeBansra^ ..tes os orpMo. tutela-
dos de Jos Gomes de Millo e D. Marte Siivaria
da Coneeicio, appellados Manoel Barbosa Coati-
nho esos mulher.
Embargos infrngentes
Do RecifeEmbargante a companhia de sega-
ros Indemnisndora, embargados Moreira Irmio
&C.
Do Sr. desembargador Monteiro de Andrade ao
Sr. desembargador Alves Ribeiro :
Appellacdes crimes
Do RecifeAppellante Lnis Jos da Soledade,
appellada a justica.
De Alaga NovaAppellante o juizo, appea-
do Francisco Xavier Baiboza Gomes.
Do Sr. desembargador Tavares de Vasconcellos
ao Sr. conselheiro Queiroz Barros :
Ap ella cao crime
Ds Parahyba Appellate o joiso, appellados
Joio Francisco de Oliveira e Nstor Ferreira de
Almeids.
Appellacio civel
Do RecifeAppellantes Joio Antonio Pinto e
outroa, appellados Antonio Joa Perea e sea
filho.
DILIGENCIA
Com viste ao Sr. desembargador promotor da
justica :
Appellacio crime
De Pedraa de FogoAppellante o juizo, appel-
lada Antonia da Conceicio.
O Sr. desembargador Pires Goncalves, como pro-
motor da justica deu parecer nos segnintes leitoa :
Appellacdes crimes
De Agua PretaApptllante Adelino Ferreira
de Souza, appellada a justica.
De OlindaAppellante o juizo, appellado Fran-
cisco Jos de Moc de Oliveira.
De TraipAppellante Francisco Antonio Ma-
chado, por alcnnha Francisco de Mara, appellada
a justica.
Eucerrou-aa a sessao a 2 horas da tarde.
Tanta Commercial da cidade do
Recife
ACTA DA SESSAO DE 12 DE JULHO
DE 1888
FBBSIDEMCU DO ILLII. SB. DIPUTADO J0AQCM OLOTCO
BASTOS
Secretario, Dr. Julio Guimarie v!;
A'a 10 horas da manhi estando presentes og
Sra. deputadoa Olinto Bastos, ccmmendador Lo-
pes Machado, Beltrio Jnior e Hermino de Fi-
gU'oiredo, faltando com participacio o Sr. com-
mendador presidente, sasumio a presidencia o Sr.
deputado Olinto Bustos que declaroo aberta a
sessio.
Lida, foi approvada a acta da sessio anterior
e fez-se a leitora do segrate
EXPBDIBBTB
Diaria Officiae de na. 176 a 183.Archi-
vera ao/
Foram diatribnidoa rubrica os eeguintes li-
vr 13 :
Diario de Lnz Antonio de Siqneira, dito de
Amaral Primo & C, successores, copiador de D.
P. Wild & C, dito de Baltar Oliveira & C.
Foi presente a junta e ei ta ficou inteira da do
desoacho proferido a 9 do corrente, ordenando o
registro da procura ci do Banco Internacional do
Brasil, conatitumdo e rectificando Willism M.
Webster, gerente da caixa filial do mesmo Banco
em Pernambueo.
DESPACHOS
Mappa :
Do trapiche Barbosa, do qual administrador
Antonio Muniz Machado ; des trapiches Bario do
Livramento ao largo da Assembla, da quaes
administrador Joc Luis de Scuza ; dos armssena
alfandegados da Ccmpanhia Pernambucana, ad-
ministrador Clemente Lima ; e doa rmaseos al-
fandegados denominados Alfsnit-ga Vtlha, admi-
nistrador Lnis J jsfi da Silva Quimariea.Archi-
vem-se.
Pe :coes :
De William Paterson e Felippe Holmes para
que seja archivado o contracto de acciedade em
nome collectivo qne celebraran) sob a firma Wil-
liam Paterson >.- C com o capital de 20:0004,
para o commercio de fabricar, concertar, montar e
desmontar machiniamoj a vapor, pt cas de machi-
niamoa e tudo quanto fr relativo ao oficio de
aerralheiro e calafate e encarregar te de encom-
mendas e merendonas de ferro, bronsc, lati, co-
nrete nesta praca ra Nova de Santa Rita.
Archive ae o nico exeaoplsr spresentado.
De Manoel Jos G mes de Miranda para qne se
regiatre a nomeacio de seu caixeiro Anisio Emi-
lio da Silva Loureiro Filho.Registie-se.
De Palmeirn & C. para que se archive o con-
tracto de sociedade em neme collectivo qne sob
dita firma celebraram Jote Mara Falmeira de
Freitas e Antonio Jos Ramos com o capital de
21:583*510, para o commercio de gneros de es-
tiva por gro8ao e a retalho u'eata praca rna lar-
ga do Rosario.Como pedern, pago o sello e ar-
chivamento.
De Gumaries 4c Amorim, firma representada
pelos socios Jos Qoo.es de Amorim e Tbomas
Antonio Guimariea, para que ae admitta a regis-
tro a marca que diatiogue |o cleo aromtico para
lampannaa sob a denominacio Los brilhaate
aem fumo de ana fabrica de oleoa vegetaes roa
da Aurora n. 161.Satisfacam o parecer fiscal.
As 11 horas nada maia bavendo a tratar o Sr.
presidente encenen a seaaio. I
Antonio Ri-
PJBL1CAC0ES 4 PEDIDO
4|uare aggravat's corda vestra,
sieut aggraiavlt yEgjpiim et
Ph: rao cor sunm?
I Reg. VI. 6. SHSrv*)
A msior eegneira a dsquelle qne nio quer ver,
e tal a do calholico que obstinado em sna aecn-
safio ao Revm. Sr. conego Lnis Francisco de
Aracjo, fecha os olhos lu da verdade, gmente
pelo insaciavel desejo de tartera sua tole de vin-
ganoa.
O calholico em todas as suas ailegac5es, cons-
tantes dos des artigos at hoje publicados neste
Diario, alem da ceofiasio de D Mara Amelia, e da
referencia da gente do Sr. Botelho, de ter sido o co-
nego Luiz o causador da infelicidade deaaaaeohora,
neuhuma prova addnsio que podeese convencer i
pesaoai capaze de pensar e de apreciar com liberdade
de espirito o acontecimento que lhe cahem debaixt
da percepc&o, de que o conego Luis ti vase praticado
tamanho abuso de eoofiaoca; e entretanto ebeio
de ai annanciou no Diario de domingo asna victo-
ria, fingindo nio acreditar ter o outro cathelie
trazido evidencia a calumniosa impntacio teita
ao Sr. conego Luis.
Mas, coma destruio ?
Allegando iaverdades, citando, como o fes em
seu penltimo artigo, factos imaginanaroa, por
exemple, o de ter o Sr. conego Luis, o Aereo do
2:0004000 a um pobre artista para asaomir a noto-
ria do crime qoe lhe era montado.
O calholico scha iato serio ?
Pois o conego Luis, qne poda, se fra o autor
do facto denunciado, abafal-o, qur aproveitando-
se da inclinacio mutua que ha va entre a meca e o
Sr. Botelho, para facilitar-lhes o sen consorcio;
expediente esto que nio poda escapar a quem, como
ao Sr. conego Luis, convira por todos os meica, e
com os maiores sacrificios, evitar qnalqoer dis-
cussio a reapeito de facto tio grave, e at mesmo
que fosae auapeitada tamanha infelicdade; quer
promovendo com pesacas de ana confianca o casa-
mento desea enhora; o qne, como sabe oSr. co-
nego Joaquim Graciano de Araujo, nio Ibe sera
difcil, s agora, depoia ds lamentevel aconteci-
mento, que anda i cata de nm testa de ferro?
Q'tare aggravati* corda vettra, ilcut aggravavit
igyptus et Pharao cor tuum t
Porque nio declina o calholico, ou antes o Sr.
conego Graciano, o nome desee artista' ye procurado
pelo eonego Luis para editor reipotuavel de tu*
obra? '
Muito pode a acreditada firma Botelho &
C.!/ Gen abequ: concilio eteineprudentia Utti-
sais aperen et intelligerent ae novtoina provi-
derentl
Continuando, dis o catholico qne o eonego Luis
quer arrastar o 8r. conego Graciano para o terre-
no das immundicies. C mo o catholioo figura da
innocente o seu Revm. amigo ''..
O eonego Luis arrestando para o terreno das
immundicies o Sr. conego Graciano!!.. E de-
masiada eoragem.
Negar o catholico ; 1 : qoe foram o cunbeet,
o sobrinJw e o criado do Sr. cooego Graciano os
qne, pelas tavernas, esquinas e roas da cidade de
Olinda, primeiros se encarregaram de divulgar a
revelaco de D. Maria Amalia a seo marido 7 2".-
i



Diario de Pernambnco---tyuarta-feira 18 de Julho de 1888
i
I
I
3ot foi e Sr. conego Graciana queoa, sob o auooyoao
e un saAolico, trouxa para a impreasa aquella
acontec ment qu, admittido fosse verdad-iro,
nda a honra da familia, o reipaito e decoro a sa-
ciedade e o bita uome e firmada reputacio do um
tea ir mi em habito, parete, e corapauheiro de
trabalhos oa S, no Seminario e at na propria
aamioiatracie diocesana, fosse tratado e averigua-
do em conaelho de familia; ou quando maito no
fro eecleaiaitico perante a autoridade competente;
e com todo o segredo e reserva que o atsnmp to
Nio, o Sr. conego Luis o que tem procurado
livrar-se dos botes da calumnia qne Ihe irroga-
da ; e como um bom sacerdote ver ae anda pode
arrancar aquella ten irm&o em habito do infernal
atoleiro, em que ae tem afondado, e do qual diffi
Gilmente (o Sr. conego Graciano o aabe) podar
aehir com a couscieooia limpa, pois que sempre
maito penosa urna retractacio extra confetsiona-
rium.
Quio diflarente seria o procadimaato do Sr. ea-
neg Graciano, se estivessemm niquellas ballos
tempos. nio do paganismo, coa d'iS8 o cithoii-
co, mas do ehristianismo, em qaa a igrej pania os
calumniadores com penitencias publicas !
Nanea rebaixamos a misaio do acousador pu-
blico qae, na defaaa dos interesaes da soeiedade,
promove a accosaoio daqnelle qne pronunciado
em nm crima ; o que censramos (o o fosemos cjm
o Evaogelho na nulo) o proceiimento da um sa-
cerdote que, san provas, e somonte para desviar
de si a grande responsabilidad* de um casamento
por elle promovido e realisado com toiencia do es-
tado em que se achava nubiu-. proJura tancar
sobre nm sea irmSo em habito tolo o pesa dossa
responsabilidade.
E nio revelar esse seu proeaiimento mi t,
odio raneoroso, s le le viagauei e requintada
perveraidade ?
O publico qne o diga. .
Allega o r. conego Graciano qaa o eonego Luu
al hojt nao consigui convencer ninguem de sua
pretendida innocencia.
B' o caso de disar-se : prasumocio e agua banta,
cada nm toma a que Ihe couvem.
Com sabao Sr. conego Graciano quo o conego
Luii a ninguem teoha convencido com a sua de
fea?
O Sr. conego Graciano qnereri avallar do bom
kenso do pablioo desta oapital palo criterio que
lbe merece a gente do Sr. Botalho ?
Aos onvidoa de S. Revma. nao ehegou ainda a
traosformacio qua se tem oparado em mnita gen-
te aqui, e mesmo l em Olinda, depiis qaa nm ou-
tro catholico se aprsaeataa do lia;* em puaho em
defesa do cooego Lois ?
O Sr. conego Graciano chima pobres creaturas
os homsus da b?m e ten*ntes a Daes, que firma-
dos no nriocipionenio repene bonus, nano repente
malas, rejeitam, na ausencia de ama prova pro-
nada, a possibilidada de urna quila em um sacer-
dote tido e havido por todo, inclusiva por 8.
Revma., como um homem ie vida irreprehensivel
e de conducta illibada.
O 8r. cooego Graciano tanta conscienc'u tem
da futilidade de saus argumentos, os quaes n
ninguem tem trasiio a couviccio, que nio trepi-
dou em engendrar, em sen penltimo artigo, easa
prova provada, inventando um editor responsavel
procurado agora pelo Sr. conego Lui. Bone Deus !
Do que nao ser capis aquella brava gente ? !...
A ceguefra do Sr. couego Graciano tal que
at est arrssteodo-o para o caminho da falaidade ;
e assim que, sem o menor paijo e respeico ao seu
carcter sacerdotal, declarou no Diario de domin-
go qua celebrou o casamento de D Maria Amelia
a convite do conego Luis, quando S. Revms. o fes
a pedido da moca, a qual para isso o convidara,
loga qne foi ajustado o sen consorcio, pela rasio
de ter sido S. Ravma. quem o promover e de mais
ser ti o e padrinno do no vo.
Cremos que o Sr. conego Graciano nao negar
isso.
Nunca por parta do Sr. conego Luis sa disse
ter sido o Sr. conego Graciano o autor dos boatos
espalhadja antea do casament), mas sim das pu-
blicacoas feitas nasta Diari* sob o anooymo Ca-
tholico.
E, a proposito, compre as faier aqui urna de-
clarado ; a saber, que, qu indo denunciamos aquel-
lo R';vm. Sr., como autor desses artigis, nSo que
estejamos convencidos da serem eil?s eseriptos
por S. Revma cuja espacida o intellestual bem
cenhecemos ; mis por ser ella quem fornece ao sea
mandatario todos os eselarecim?ntos, e o fustiga
com aqnella sagacidade vu'pina que lbe propria.
NSo nega o Sr. conego Laia qua fossa amigo e
dedicado do Sr conego Graciano, nam que este
tiveose sponte sua, muito concorrido para o casa-
mento d'aqualla sua parante ; o que contesta, e
com elie contestarSo todos quantos conhecm o Sr.
Revista do Mercado
Recite, 17 de julho de 1888.
Foi pequeo o movimento na praca.
Em cambios constan apenus tranaaccoas em po-
pel particular.
Na Bolsa foram < ffectuadas as venda* de 4
a plices geraea com o descont de 6 */ 10 at8
provinciaea ao par e 54 lettras hipothecarias com
o descont de 4 %
Nada constou sobre algodo e cauros.
Eis o qaa de mais oceoiren :
Balsa
Q WACBS 0FFIC1AE8 DA JUNTA DOS COB-
RKCTORB8
Recite, 17 de Julho de 1888
Apolices geraea de juros de 5 0/0, do valoi de
1:000*OOJ 9404 cada urna.
Apolices provinciaes de 7 0(0, do valor de 1:000*,
ao par.
Lettras bypotbeeariHS a 96*000 cada ama.
Cambio sobre Londres, 90 djv. 25 1( d. por 1}
do baneo, hontem e hoja.
Cambio sotore raris vista 375 rs. o franco, do
banco.
Ka hora da bolsa
Venderam-se :
4 atioliei s geraee.
10 apolices provinciaea.
54 ielxaa ypothecarias.
>; i/resiotentc,
Augusto Pinto de Lemos.
') aecretar'O,
Podro Jos Pinto.
Cambie
O bancos abriram a 25 1/2 d., sem appirece-
rem tomadores.
A' tarde davam 25 5/8.
Em papel particular constou tranaaccoas a 25
5/8, 25 11/16 e 25 3/4
U mercado fecbou firme.
No Rio, os bancos em geral accaram a 25 5/8
As taxas oftlciaes para as diversas pracas, ex-
poatas aqui foram estas :
cooego Graciano, qan podis-* 'oapirar-lhe tan-
ta con/tanca, que S. Revma. te deixasse levar at
onde o muz arrastar a colonal deslealdade do Sr.
conego Luiz.
Mais do qna o Sr. conego Laia esteva o Sr. co-
nego Graciano a par do estado da mapa, em vista
da declaraoio verbal qae Ihe fi'.era o Dr. Paula
Soares ; declaraco qua nao poda deixar de ac-
tuar em sen espirito, ama ves qae se trateva de
um medico de sna inteira confianca.
O Sr. eonego Luis, porm, mais exigente, in-
sisti pelo exama do Dr. Pontual, tambem indicado
pelo Sr. conego Graciano, e que ae prestava a ir
examinar a moca na sua propria casa; exigencia
qne, cerno j se disse, foi repellida pelo Sr. conego
Graciano, aob o pretexto de ser a cidade de Olin-
da paqueas, e coasegaiatemeate de fcil divulga-
cao a entrada desse ultimo facultativo na casa da
referida moca.
Como vio o leitor no Diario de hontem, foi o Sr.
cooego Graciano quem, na chegada de sen sobri-
nho para a realisaoio do casamento, etpoi a este
e ao pai as oeenrrenciasreferentes moca, oecul-
tando, nao sabemos porque, o resultado do exame
medico.
Foi ainda S. Ravma. qaem saggerio a idea de
urna conferencia p .rticular com a moca, e da qnal
resultou nada ficar assentado, por ter pedido o so-
briaho do Sr. c:n 'go Graciano nm tempo para
pensar.
Foi finalmente no dia seguinte, d ipoia de haver
o referido mogo pernoitado em casa de sea tio, o
Sr. conego Greciano, qne f >i dada a deeiso final,
sem que para ella influase de modo slum o Sr.
cooego Laia. ,
Nao podendo o Sr. conego Graciano negar a
verdade do qae ah fioa narrado, pergeniaremos
aos qne nos lrem, onde est a coloual deslealda-
de do Sr. conego Luis, ? Verbx et voces, pros:erea
que nihil constitaem forma e o loado da* alla-
gacoas do Sr. Graciani.
Quem baver ah qua acredite que o Sr. conego
Graciano, segara em saas resoiucea, alardeador
de sna sagacidade e matr< iro velho qne de todos
e de tuio dasconfia, despresasse a declaraco for-
mal de um faccltativo, p*ra deixar-se lavar pela
confianca que, diz, depositava no conego Luis, a
quem com tanta faeilidade considerava, das de-
pois, dc>!oal e traidor ?
Entretanto, o qua affirmava o conego Luis ? A
improcedencia daquelles boatos em vista das ve-
rificacoes procedidas, e aos protestos da maga e
de sna mii parante o proprio Sr. conego Gra-
ciano.
Nio, o 8r. conego Graciano mais depressa es-
gotar o seu repertorio de citaces do qua legra-
r conseguir com argunentacas capciosas e re
cneaias de falsid^des, eximir-sa perante seu cu-
nhado e sea sobriabo, e m^smo perante a opinio
publica, da responsabildade dosse casamento ; e
porque disso est S. Revma. intimamc-nto conven-
cido, dahi as saaa iras, embora iojustificaveis,
contra o conego Liis.
A iniquidade, como muito bem disse em cileco
o catholico tem eeua caminho, e estes de certo
nao sao os que seguio o Sr. conego Luiz Francis-
co de Araujo.
Blasona o Sr. cooego Graciano de it um sa
cerdote moralisado, e qne em urna vida ji basten-
te longa (por que nao dia logo maior da 60 annos)
nunca escandalla u a soeiedade com actos repro
vados e torpes. Risum teneatit ?
O Sr. conego Graciano, ou alguem por ello, est
compromettendo-o, e seoo digsm-no as povoacojs
de Itabayana e de Gariobera na comarca do Pi
lar de soa provincia natal, e nesta as cidades de
Timbiba, Olinda e Recife.
A candado nos impoo o dever de nao ir mais
adianto.....
Oinimigo da calumnia.
m-------------iU-
Serinhem
TEAJANO ALVES DE MENDONgi AO PBOFES"
SOB PUBLICO DA VILLA DE -EBINHABM
FBANCISCO COBBEIA DE MATTOS.
Soa ebrigado a responder a pablicacSo do Jor-
nal do Recife de 3 do correte, sob a epigraphe
6'erin4em, onde o Sr. Correia da Mattos deu a
cunhecer, nao o que a bamanidade boje e sim o
qua fdra outr'ora.
Gis o facto e irei respondendo pontaalmente as
arjuigo -s d qae tni victima.
Em das do mea de Maio do corrate anoo,
mandei a barcaga Livramento de mioha proprie-
dade ae norte ver eal, intregaudo ao meatre res-
pectivo 100 para a compra da mesma. EfF.-di-
vamente, veio a barcaca trazendo 132 alqueires
de cal que custarsm lOJf, disendo me o meetre
que tambem trasia 104000 de cal do Sr. Mattos,
quan'o baviam custado 14 alqaeires.
isssssaMMM'iiMaaMMaMSii^'iiiiMiaMa}
Auauetar
Os oreos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
gundo a Associagao Corran:retal Agrcola, foram os
segoiates:
*r*neo 3.' superior 24200 a 24400
i 3." boa ... 2400 a 24200
. 3. regular 14600 a 1*900
-.menos...... 14500 a 1600
asea vado purgado 14400 a 14500
eruto.... 14100 a 14200
\otam..... 4800 a 14000
Nao ha ectaco para os assnoares baixos e h-
midos.
O de turbina nao tem apparecido no mercado
i exportacao. feica pela alfandega oeste mea at
o dia 16, foi de 4.166.411 kylob, sendo para o exte
rior 2.251.725 e p.-ra o interior 1 911.656.
Aa entradas eflectuadaa
6.611 saceos, sendo poi :
nrcaoaa .....
Vapores. .....
r\nimaes .....
Vi a-farrea de Caruar .
Via-ferrea de S. Fraucijco
Via-ferrea de Limceiro .
Somina .
at boje foram de...
1.852 Saccas
.....
43
54
4.610
82 c
6.641 Saccas
uancres .......
r'sno. .....
"talte......, -
3amburgo......*
iaboa e Porto.....
?ritcipuea dadea do Porco-
8j........
tina dos Acores ....
. 'ha da Madeira ....
Sow-Vork ......
SO d/v vista
25 1/2 25 1/4
372
461
208
375
375
461
210
215
218
215
1*950
AlgadA*
Cota-se o de 1* sorto do serto a 64300 (nomi-
nal).
A exDortecao, feita pela alfandega oeste mes
at O da 16. foi de 1.316.092 1/2 kilos, sendo para
o exterior 1.156.451 e para o interior 169.641 1/2.
Al entradas at boje coobecida fo-am de 7.998
saecas efiectuaias pelos vehculos leguintes :
Barescas ......
Vapores
Ammaes......
Vid-terrea da Caruar .
^^Bnea de-S. Fraacie
iro .
Somma .
Coup8 salgades
Continua a ser cotado a 40o res,
Vaporea despachados
Vsp. all. Corrieotef para :
Rio de Janeiro : 98 pipas com agurdente, i
caixa com pennas de ema e 50 laceo* com c;os,
(fracta).
Santos : 600 saceos com assucar branco e 1 200
di'os cem dito mascavado.
Carreg. diversos.
Vap. fraoc. Ville de Maraobo, para :
Rio de Janeiro : 65 pipas com agurdente.
Santoa .- 4.420 saceos com essucar.
Carreg. diversos.
Pa ta da Alfandega
saiiAsu ca 16 a ''i. oa julho oa 1888
Yide o Diario de 15 de Juluo
Mandei conduxir a cal e no segando dia do des-
carrego vi passar coaductores do Mattos oum cal
da barcaca, o qae nio me sorprenden por ter
sciencia da existencia da cal d' aquel le homein, isto
no dia 1 de Junho.
No dia 2 apresanta-se em miaba casa nm tilho
do Sr. Mattos pergontando me da parte do pai,
qne fien tinhf en dado cal qne tinha viudo de
Nova Grus a elle pertencente, qae apenas tinh
tirado deseseis sacos.
A esta insulto respond ao menino que de mi-
aba parte dissessa a seu pai que se enteniesse
com o meatre da barcaca, pois negocio neoham
tinha ommigo.
A's 2 horas da tarde do mesmo dia, vem o mea
mo protesssor 4 minha casa, entra e dis-me : Ta
nho um pouao de cal depositada em sua casa e
aob ana guarda, quero retiral-a ; a que ihe res-
pond : O Sr. nada tem commigo e sim com o
meatre, nio Ihe comprei, nio Iba vend, nao assisti
ao descarrego da barcaca o sim o mestre, e e
elle pode resolver.
Foi bastante para o homam que ae dic de bem
e ae aprega de cavalhuiro, vociferasse como um
hydrophobico em inaulter-me a pinto da, eu lbe
faser sentir que ae relirasse da minha casa, que
este procedinento nio era de bomem e elle recal-
citrando em insultos, appellava para minha auto-
ridade para mandar prendel-o, ao que Ihe respon
di que era necessario us fosse tio pedante quan-
to elle, fasendo-me valer da forga ofSsial de que
eatava investido, n'uina qu?s;2> pessoal.
Ene treslonc*do preceptor da infancia teve a
infeliz .'embranga de desafiar me para a roa, nio
se lembroa da qae tinha seis filos, _o qae pau-
prrimo ; porm, confiando na arma que sempre
condns, ponco lbe imoo'tavam as esnaequencias.
Nio acoeitei o convite responden Jo-Ihe qae con-
tra minha vontide esteva trocando palavras, e
trocar sopapos na ra s era proprio de mulher
de ribeira.
Fui prudente par demais, revestido da forga
ufficial, presenta tudo o destacamento, ser desma-
tado, ja em minia casa e j em mioha antoridade,
tive compaixii e d do homem que em um momen-
to de rracionabilidade atirara se a mim como non
fera, accresceodo que vivamos em perteita io-
tedigeacia.
Este facto foi publico nesta villa onde nasci,
onde moro e onde soa aut ridade policial.
Como collector provincial na eobranga da divida
activa da p'oviocia no diatrcto de mioha juris-
dicga no exercimo de 1875 a 1876 recebi de Ma-
noel Francisco do Rosario 204, para pagamento
de castas de deas mandados executivos de que era
devedor o menso Rosario, ora sendo oa mandados
superiores a 604 e sendo 224 de costas dos olfi-
ciaes do juis, que recebem ao faxer o servieo,
satisfis aos offieiaes, fieaaio Maooel Risario certo
de entrar com resto e, nio tendo satisfeito, an-
nos depois pasaei ao meu snecessor oa maniado*
em qaes'^o, isto em 1832.
Quera este sapieotiseimo profeseor que ea desse
quitlgio, exbibisse coabeuimento, fiaulmente, pa
gasaa de miaba aigibeira ?
E' irrisurio. Perguntar-me- ba o que faz o re
cibo em p der de R sirio ? Respondo-lhe, se nao
procurei foi por julgar intil, j pela quaatia e j
para o fim a qua elle se destinou e nunca me pis
soa pela mete qve hcavesse alma ti) paquenina
para tau:o, accresceodo que oito anno9 depjis
tive com o mesma Rosario contractos superiores
a cont de tia, parte dssas quantiaa com do-
cumento e parte sem elle, isso que diga o Ma-
ooel Rosarioempre jalguc oa hoinens por mim
e neste ponto teuho sido felis e a prova qae, sen
d > c edor neste termo do quaatia superior a.....
5:0004000, ainda nio .tive um devedor que me
taxasse ou que me arguisae de dolo, m f ou pre-
varic&gao e tcnbo negociado neste tjrmo com to-
dos da primeira nata social.
Cmara Municipal
F<1 x Jos de Saot'Anoa lis -u devendo 'a-
mara certa qaantia deimpistos e no iuveutario
procediio toram adjudicadoa urna casa de taipa e
nm terreno para esVfl pasamento ; devendo, porm,
a Cambra ao mesmo F-I'x 1:5001 foi, a reqoeri-
meoto da viuva, o'denado pela Assembla Pro-
vincial que a Cmara satisfizesse era prestagoe*
snouaes de 3004 e tenio a viuva neceasidade de
receber a primcira prestago j vencida por torgn
da lei, accordon em receb-r em pagamento da allu-
dida prestagia,os bens qne haviatn :ido adjuii.-a-
doi Cam&rs, isto a casa e o ttrrcnj leooeado
anda 2034 em dinheiro ou mandados.
Esta tr.nsac^ao foi aatorisada em sessSo da C-
mara o; i a minha presideucia e unnimemente
approvada pelos vereadores P. Albuquerque, Pri-
menio Ouarta e Gaspar Peres.
Tempo dopois recebi em transacglo com a vinv i
a cisii y o terreuo em questao no valir dt: 804'HK),
para liqudagio de orna conta de que eu era prc-
tmmsmsmmmsmmmmimsmsmsmmsmsmsmsmsmmmsmam
burgo e escaia em 15 do correte e cousigaado a
Bordtelmaou & C manifestou :
Carga de Hamburgo
Amostras 29 vuluines a diversas.
orem,
Manoei
1 a OUoto
da Silva
Kavtoa a carga
norueguense Brodrene, para
Rio de Ja
29 Saecas
887 .
2.162
10
S47 .
3.871
7.998 Saecat
Barca
neiro.
Patacho norueguense Sverdrup, para Rio Grande
do Sul.
Patacho nacional Francihn, para Rio Grande
do Sal.
Vapor inlei Gordon Caslle, para Bltico.
\'avias a descarga
Barca ingieza Enchanters. carvio.
Barca francs t PeneUn, carvio.
Barca italiana Fre sorelle, varios gneros.
B irea norueguense Hespid, carvio.
Escuna allemi Johanna. x .rque.
Lugar nacional Layo, xarque.
Lagar sueco Bifrott, fariuba de mandioca.
Logar portugus Jewerarto, varios gneros.
Lugar nacional Zti^uinha, viuhos.
Logar inglez Cypner, carvio.
Lujar norueguense Beriha, carvio.
Patacho nornegaense (Jeres, xarque.
Patacho dinamarqus Thor, xarque.
Patacho nacional Soial, xarque.
Patacho nacional Ad-ilusz, xarqoe.
Patacho inglez John T. Ir, feno e fuello
Patacho allemio Auna, xirqae.
Palhaoote naciouai Pinto /, farinha de mandioaa.
Patacho boliaodex A ee, xarque.
Patacho nacional Fositiv, x>rqne.
Patacho bespaohol Encarnacin, xarque.
Patacho ingles May, bicaibo.
Vapor ingles Chauuorth, carvio.
Iprtaeaa
Vapsr allemio Corriente, entrado de Ham-
Agua mineral 36 cix.s
Jardim os C, 2j a Francisco
s -:., i J. Krauae ce C.
Albnm 1 caixi a R -ph le Dias Iz C.
.A'tigos para chapeos de sol 1 caixa ord-.in.
Ca 1 caixa urdem.
Uimento 1,150 birricis oriem.
Cerveja 15o caixaa ordem, 4'J a Joaquioi Fc-
lippo ce Aguiar, 30 a Joio Feroaodes de Almei-a,
70 a R. de Drusina & C-, 25 a Soares & F. roun-
des, 1 a H. Nuesch & C, 40 a Costa & Medeiros,
2 a J. Krouse & C, 15 barra orlein.
Chapeos de sol 2 chxojs a Leito Basto 4 C.
Conservas 8 caixaa ordem, 1 a U. Nuesch
& C, 6 a C A Vauder Linden.
Canela 10 caixaa ordem.
Caigado 1 caixo ordem.
Cachimbos 1 caixa a Salazar & C.
Chapeos 1 caixio a Affonso liveira & C, 9 a
Raphael Oas & C, 1 a Cbristian & C
Candieiros 2 Caix ta a B. L). Campos & C.
Ccuros 1 caixio a C. Wacbeinano.
Cartas para jugos 1 caixa ao meemo, 2 a Gmo
de Mattos Irmios.
Drogas 24 vulumes a Francisco Mauoel da Silva
4 C., 5 a Fana Sobrinho & C, 3 a C. A. V ander
Lindeo, 2 ordem.
Espirito 50 caixas a H. Nuesch 4 C-
Eocerado 1 caixio ordem.
Frasees vaxioa 11)0 grades a C. A. Vaad/r Lin-
dan, v
Feltro 1 caixa ordem.
Ferrageus 22 volumes ordem, 1 a R. de Dru-
sina & U, 1 a Gomea de Mallos Irmios, 12 a C.
WachsmBnn 4 C. 1 Manoei Joaquim Ribt-iro
4 0., 6 a Fraucieco Xivier Ferie ra & 0., 8 u
L'-ito Beato Jt C, 4 a Jjb Ferreira 4 C, 3 a P-
rente Vianna t O, 5 a Nunes Funseca 4 C, 5 a
ilaia Silv.i iCla Noto Campos & C, 4 a Fer-
reira Guimaraea & C, 2 a Oliveira Basto & C, 2
a W. Halhdsy & C 2 a Albino gilva 4 C, 2 a
Guimaraea Cardoso.
Geneba 20 caixas a Jo.-quim Fclippe 4 Aguiar,
25 ordem.
Garraf >a vaziaa 25 calas e 10 grades trdom.
Harmnicos 1 eaixa a R. M. C-ista 4 C.
L-Tuca 10 grades ordem, 7 a R. de D.-asioa
4 C, 1 Panda Torrea & C, 3 caixaa a Oli-
veira Basto & U.
Lona 2 fardos a Albino Silva & C.
Licores 10 caixas ordem.
Linha 2 eaitSea u Antonio Duirte Caroeiro
Visnna, 1 a Maia Silva & C, 1 a Ferreira Gui-
maraea 4 C 1 a Guimaraea Cardoso 4 C.
Luvas 1 caixa a Salazar & C.
Mt-rcadoriaa diversas 56 volomes ordem, 1 a
A. Oliveira 4 C, 3 a T. Just, 14 a R de Drusioa
chaman, 1 a F. de Asevado 4 C, 4 a Antonio Jos
M*ia & C i 20 a Fraueisco Manoei da Silva & C
7 ar'Pareote Viaooa & C, 1 a A. D. Lima & C.,,6 a
A Duarte Carneiro Vanos, 1 aos consignatarios,
5 a Nunea Fooseca 4 C. 2 a Maia e Silva 4 C, 1
a Ferreira Guimaraea 4 C, 3 Oliueira Basto 4
C, 1 a Sal izar --. C l a Podro A otoes, 2 a Net-
to Campos & C, 2 a Guimariea Cardoso & C, 4
a J. Krause & C, 2 a R. M. Costa ia> C 1 a Maia
-obriuho A C, 5 a Eugeoio Samico oc C, 2 a
Juao Rexerra i C, 2 a Macoel Joaquim Ribero
c C.
Machinas 2 caixas a R. do Druzina & C.
Ditas de costara 1 caixa a A. Oliveira & C., 18
A ord mrad Wachsmann. 6 a Nunea Fon
aec 4 C, 6 a Albioo Silva & C, 25 a G jmes de
Mattos Irmics, 8 a Prente Viaona 4 C.
Movis 1 eaixa ordem.
Msicas 2 caixas orJ-.iu, 1 a Antonio Loar-
te Caroeiro Vianoa.
Maaaico 1 caixa a Conrad Wacksmann, 27
ordem.
Oleo 5 bafis a Francisco Maooel da Silva 4
C 1 caixa a C. A. Vander Lindeo.
Dito para machina 3 barra ordem.
O ras de papal 1 caixa a F. Jos P. Gaima -
raes, 1 ordem.
Parafina 1 caixa a Francisco Jos doi Panos
curador ; ouj a esoriptura foi pastada as notas
do tabeiliao Pessoa da Gama, assignada pela
viuva.
Von, finalmente, responder a quarta aecusacio.
Em 17 de Fevereiro de 1882 fui demutido do
cargo de c Hctor provincial, Ingar que exercia
ha 9 annos; essa demisaioem nada me des las-
trn, visto ser a consequenca do mea proced-
ment poltico na eleigio de Desembro da 1881,
em nio votar no Dr. Sigis ruado Gong Uves, can-
didato derrotado naqueil pleito.
Feliz Jos de Sant'Anua, qua erameu4a> o pa
drinho, deu me aociedade e n sua casa de negocio,
damos balance e oroou de mercadoriaa exis'entes
Da caaa em 6:2554440,; isto ea 19 de Margo de
1882.
Gonservei me frente do negocio qae d'aqoella
data em diante gyrava aob a firmaFlix Jos de
Saot'Aona 4 C.
Fis todas aa tranaaccoas por conta propria, dei
movimento a m u crdito na capital, chegaudo a
dever quaatia superior a 18:000$ ; fitemos muito
negocio, disto sabe todo termo de Serinhiem e in-
terpello a qualquer pessoa quer deste quer do ter-
mo de Ip jaca com quem tive traasacgdea slm de
1:0004, se algumas se cnteoderam com Flix Jos
de Saol'Anna, citarei apenas alguna nomes dos
que tive mais altea transacces : capitio Leonardo
Bezcra, cunhecilo por Nada de Uoaca, Vicente
de Monra Pessoa Cavalcante, Joa Bernardino de
Boorbon Aranti e outros.
Que caixeiro.
Quanto a capital e para prova do qne tacho dito,
e qae nunca fui empregado de Flix Jos de San-
t'Anna, appello para as casas com que abr traas-
aeces Tavaree de Mello, Amorim Irmios, Men-
des Lima, Miranda & sj..uza, Joaquim Ferreira do
Carvaibo 4 C, Narci.o Maia, Ferreira Barbosa,
Maooel Joaquim Ribero 4 C e ootras, appellao-
do anda para aa mesmas, se quando entend aca-
bar com a soeiedade se fiqaei deveado um f real
praoa.
Nsta aociedade que teve de duragio vinte e um
meses e 9 dias, pois teve principio em 19 de Mar-
co de 1882 e fiodou em 9 de Jmeiro de 1884 hou-
ve um lucro de 9:182451 0 'de cuja mecade meu
socio receben 4:5914^50 pela seguinte l ma :
1:5014750 em mercadoria do balang de 9 de Ja-
neiro de 1881, v sto ter recebido em 19 de Marco
de 1882, 6:2534440 e entregado 7.-757J190.
Um cont de ris de urna ord. m saccida por
elle Sant'.Anna ao Dr. Medeiros, cuja recebi em
pagamento m iraosaccao com o meamo doutor e
endossaudo a s.b a firmo Narciso Maia, foi ella
recaobiada pela caaa Tavares de Mello.
Seiscentos mil ris qae recebi de um em urna
ordim coutra Aut^mo He/eir da Richa Basto,
auccada per Leonardo Bezerra de Siqaeira Caval-
cante, >.
Sticentos e des mil e srisceotos lis, ce um
acceita d; Jos Coelbo de Mell, 2384330 qae r.
ceben do major Maujel Peres C-mpcIlo, 1064 40
que r-rebeu da Miguel Accioly Waoderley,... .
4134880 de Jos iom da Lima do qo-il era res-
pjosavel e 704150 em divTBaa fracc3~a acBaoe i
das por elle Sont'Anna, recebando aioda de innis,
de Flix Juc e Mello dvulcaute 2004(00 dan-
dome em indemmaag^o urna c a'.a do M.-iit'ubu
Pereira Gomes ue 2194000 que rec8 i.
Fioda a sociedad.' coutra a vontade delle, en-
tend -e viver p.T conta propria nao :lcx--.n-'o di-
tomar parte em todos es seua negocios, por mais
serios e arriscados qae elles ijseeax e e era nesta
ti-ra com quem ella se achava e com quem c:li-
ta va j Dura servir-lbidecompanhia em eu.is via-
geos, j em sua escripturago e j finalmoote
para ir por conta propria k captol tratar e resol-
ver os eeua negocias.
Diato sabo todo Serinhiem at os mais degcua-
rados.
A cooSurjca e o couceiio que de mim faaia de-
poia do cu me separo:- da aoied*do, d'gam o t..-
iicnte-crenel Jos Fern-ira tie Oliveira, Dr JIj
r*erre*ra do Atmeida Guimariea, s.-liciini r Mel-
cbiades Aotun.'s de Almeid que com mnu p-idriuho
se vium neata villa m commnm e finlmcate cii.- .
-linda oa teoeures-ooraneia Sebaatiio Antoolo Ae-
cioly Los Wudtrry e Francisco a.i Rich-i VVh:i
derley Lina, quanio no eagenho Coelhos o teen-
te-coroncl acb.btio me censurara de en ter ab.iu-
-lonailo aun padr.'nho iiaquclla idoe e em lutua,
se no foi elle Sanl'Anoa que vcio ao reclamo di-
sendo que eu cao tinba cutpa elguma o sim elle,
que eu oao podi-: ser censurado e sim elle por uao
tomar oa muus conselhos e qae era o nico amigu
qu tinba.
D'abi em diante fim de 1884 seus negocios se
complicaran), recaben ciiagoes, sc-quest.ro eou a-
sendaa, c.m quem ne i.ch u -n s'.ca lutaa?
A quem recorra ? A mim -
J v pus q'.t o d mm qa< saiui se prenua
Clava era impoaeiv-1 que uoi dia ant de sna
morte tivease dito que ea era ladrio, Efectiva-
mente quando elle isto publicava a alguem a mim
me chama va para qae procarasse nm padre para
coofessal-o.
E' celebre t !
En o satiefiz nesta parte e ae nio fui como era
do meu dever cavalheiro em suaa ultimas agoaias
foi por coohecer o terreno em qae pisa va e rea-
nhscer qae a minha presenga atli servia de eator-
vos a fias secretos qae se quera levar aeffito e
efectivamente ae levou ; pois nio era a caaa do
moribundo que se visitava e sim um drama que se
represeotava.
Mea padrinno morrea em 4 de Abril de 1885 e
os homens sensatos viram de que forma recebi o
golpe da peres do protector e amigo, qua morrea
em meas bragos, mandando-me chamar em minha
caaa para este fim, felizmente ainda vive o porta-
dor : certo de que foi um dia de festa nesta trra
J vi o publico qae nanea tive por costme
praticar ct js in iecorosos, nanea fui reo de polica,
nunca tea te i contra a vida do meo aemelhante,
por mais indiferente quo elle me fosse. Ja T o
publico que a cal consequenca da ferocidade,
pois ainda mtsmi tendo aquello professor de haver
de mim a aliadida cal e estebeiecida a raera de
proporgio e tendosido conduzidos para minha casa
176 saceos e elle 16 e tendo o direito a 132 e elle
a 14 ulqueires, teria elle direito a 3 saceos e ea o
irete de 19 saceos do norte para aqui quo em com-
mum nio podia sei menos de 400 ris u que 03 tres
saccas de cal comparativos deviam ter custado....
14620, e o frete todo 7 8600, hypotuese esta toda
gratuita, pois s pie havando meatre e com elle
se entender.
J v o publico que o recibo de Manoei dj Ro-
sario anda ama arma torpe de qua ao servio o
meo detractor.
J \ o publico queoaransl da Carasri Muni-
cipal por ed aventado un falaidade e final-
mente nunca fui empregado de Flix Jos de Sont'-
Anua e sim sccio.
Ao professor Mattoa que se arremessea pira
mim c mo um iodemoniado d-rei : nio me msre-.-e
importancia de r<-aponder-lh-< na ra>.aina classe,
da cabes* at os pea urna f chaga.
Em taes circumstancias urna retalisgiu em re-
gra seria in ligua de mim c do publico.
Accresca ainda que o insu'to ra de propoaiti
e em proporgoos Canalbescaa como o escripto dv
Sr. Mattos, t-jm Coaassigo alg-una cousu de auatago
ao ventno, quer fazer p.-oluzr (ffeito
Deixo, pois, correr a rav lia o libello afamante
que approuve o preceptor da infancia eacrever cou-
tra mim. Aa injurias, a valenta,as descompostu-
ras d'este grun-.ic heri.a polo servir de prelecgao
de monil pira a infancia, va isto com viata sai
in- pector da Inatruceio Publica. :ria galante e
galactsmente ridiculo qu eu tomnsjo ao serio um
desparate da tal torga, para vir a impreusi rea
pouder em lmguagem de biixa prostilsita qu? cbo-
gaajaneila pr se esgrimir de lingaai coma
collega que a dse mpoz em iftual eetylo. I isiiltar
algum mrito ?
Qjcm que ni sabo fas '.-o ?
. A escala dos desaforos & infinita, por mv- (u.;
seja a parud^i, qm-in i-:Ii p le dibral-n ? > :-
modo de fazer oppesjflo eetspido, nao estamos
na trra das inuuKsa.....
A calumnia m coaoiltocira. Eu nasci em 8a-
rinb-.m e o" Sr. j: me deauobrio teotOS defeitoa.
Oo !e naaceria o Sr tulizm ote na s iu sea alnm
o > s na: pig-iria a m:ntia ouoaii., l.-v-iado 25 e
30 lo I a poi-
Em retamo dii-lhe-h?i, Sr. M-utos vi criar seus
filh s que pr-cisam ae sua eTir.".u;i:i. Eu part o
Sr. to conste o d-sprezo. Pj dizer de mim o qui
Ihe aprouver.
No vire maia a impransa dar-lhe respoata, nao
: o e nao my.-ec; iropirtiucii em reapjoder-lh-'.
T nh-i eaaetnHo.
Serinhiem, 10 de Juho de 1883
Trujano Aloes de M:ndonci.
Piano 1 caixio a ordem.
Ppel 12 fardos a Costa Lima 4 C, 2 a Conrad
Wacbamano, 1 a Jouquim ti. dos Ueis & C, 27 a
Rouquayrol Freces, 1 a O. A. vfsnder LinJen, 45
e 13 ctlxas ordem, 4 a viuva de Antonio Perei-
ra da Cuuba, U. M. Costa fe C-
Pregos 35 caixas ordem, 1 a 01 veira Basto
IC
Papilio S frdos ordem.
lJaBuB 10 eaixis a C A. Vauier L-nen.
Piesuotu I cauta ao mesmo, 1 ordem.
Pinceis 1 caixa a ti. M. Costa & C.
POosphuros 30 cuixoes ord.uo, 5 a Joiquim
Duarte Simes 4 C.
Rolhas 4 tardos a R. de Druzica 4 C.
Soda 4 tambores a Eogeuio Smico 4 C.
Sedas 1 caixa a Christiani 4 C.
Tir.t .s 1 eixa a R- M. Cuota 4 C.
Tecidos diversos 7 volumes a Bernet ic C, 33
a ordem, l a J. Coimbra k C., 11 a A. Vieira i
C, 1 a bento & C, 3 a Nareiau Maia sC, 1 t
R. dn Drusina 0,1 a Agoatiubo Sa:ito. c C.,
6 a Fian, isco de Azevedo i C, 2 a Chuto Jar-
dim 4 U, 2 i Luiz Antonio Srqueira, la Souza
No^ueira & C, 2 a J. Bastea 4 C. la Magaihi- s
C-'reja 4 C, 5 a Luuieiro Maiu C, 4 a Avaa de
Bntco 4 C.
Tintas 1 caixa a Eugenio Samico 4 C, 1 e. or-
dem.
Terp-ntina 1 c.ira a ordem.
ViJioh 7 volumes a A. M. Veras 4 C, 5 a B. de
Dtasioa &. C, 5 a erdem, 9 a Francisco M.-coel
da Silva Se, C, 1 a Deodato Tjrr.-a 4 C, 27 a Eu
genio Samico 4 C 1 a rente Viauuu & G.
VelUo 20 caixas a Joaquim Duarte Sim a.
Viubo 11 caixas a ord-ai, 1 a C. A. Va.i der
Lioden.
Vernis 1 caixa a Eugeoio Samico & C.
Carg-i de Lisbi__
Batatas 30 1/2 caixas a Fernaadee 4 Irmios, 30
a Demingos Ferreira d-i Silva4 C.
Ceblas 0 caixas a Feruandes & Irir..'S.
Conservas 5 cixas a Domingos Ferreira da Si!-
va & C.
Macaca 20 1/2 caixas a Domingos Ferreira da
Silva & C.
Passas 4 cuxhs aos meamos.
Paquete nacional Alagos, mirado dos portas do
su', em 17 do correte e apnijiyado ao Viseonde
de Itsqui do Nurtr, munif ateo :
Carga do Rio de Jaceiro
Animal caVallar 1 a Antonio Ju*6 Moraes.
Caf 165 saceos a Souza Beato, Amorim 5c C,
80 a Augusto de Figueiredo i O, 130 a Poiva
Valeote a C, 50 a Pereira Carneiro & C, 645 a
Domingo* Cruz ae C 16 ordem, 155 a Feron
des Iro-os, 24 a Lopes Magalbes & C, 139 a
Joaquim Ferreira de Cirv-ilho 4 C, 50 a Soares
& Feroandes, 50 a Jos Joaquim Alvos 4 C, 25 a
Joaquim Duarte Simos 4 C, 110 a Gomes 4 Pe-
reira, 128 a Ferreira Rodrigue ce C.
Feijio 60 saceos a Moura Surges fc C. M
Panno de algodo 10 fardos a A. Maia de C.
Merendonas diversas 1 vlame a Frederico rj
C, 1 a A. Maia 4 C, 13 ordem, la M. R. d
Costa, 8 a Frauoisco de Araujo 4 C 25 a Jos
Joaquim Alses de C, 16 a Blackburo Necdham 4
C., 16 a Antonio Jet Moraes.
Carga da Pabia
Azeite 8 barra ordem.
Chapeos 1 caixio a Gomes de Mattos Irmios, 2*
a A. P. Carneiro da S'lva.
Charutos 1 caixio a R. de Drusina 4 C, 7 a
Almeida Machado e C, 1 a Joaquim Bernardo dos
Beis ce C
Fio de algodio SQ^saccos a Scuss Basto Amo-
rim 4 C.
Panoo de algodio 65 fardos a Rodrigara Lim.
c C 17 a Ferreira & Irmilo, 2 ordem.
It. 1
Admiravel r-ombiaugiio 8Cientifico-buuanitari
relmente o que constitu a mulaa> Oleo '-'e
Fijado de Bacalbo da Noruega com Hyoopioa-
1 hii i, preparada palos Sra. Linman oc K mp, a
qual tem sido com posta com tul esmaro a p.r m-oio
da um procea&o to poiteito, acieotifico c bamex-
primentado, que nao beaitum *a em recjm>nendHl-1
como uuiea na aua especie pela sua pureza, exeel-
lencia e efficacia em to lo o caso de escrophulas,
uffecgio dos puluio s, indigesto, dyap ps:a, debi-
l'dade geral e enfraqueeimento, g-iraotiudo o aug-
mento de volme e de aarnca, e a re.?operagio d*s
foig-is e a anude perdidas, em um espago de tempo
relt'.vameate curto.
Exigir a Marca Iodustrial como garanta
de legitimidade.
r'ara o interior
No vapor allemio Corrientes, carregaram :
Para Santoa, F. A. de Azevedo 300 saceos com
18,000 kiloa de asaacar baste e 500 ditos com
30,000 oitoa de dito mascavao.
Para Rio de Janeiro, D. Baltar 40 pipas com
19,i'00 troa de aguardoute ; M. Borges 4 ti. 25
pipai com 12,000 litros de ngourdonte,.
No vapor Botetonal Alagos. carregaram :
Para Manis, H O veira 20 harria com 1,920
litros de agurdente e 20 barricas c m 1,241 kiloa
de assucar branco; S. Res 25 barricas eom 1,515
kilos de assucar branco.
Para Para, M. f, Martina 96 barricas com 6.468
kilos de assucar branco ; J. J. Amorim e Silva 330
[barricas com 20,713 kilos de assucar breuco ; J.
Borges 300 barricas com 20,074 kilos de assucar
branco ; J. S. da Costa Moreira 50 barricas com
2 360 kilos de assucar branco ; M. Cuoba 690
barricas com 53,613 kilos de assucar braoco ; F.
A. de Asevedo "50 barricas com 15,225 kilos de
assucar bronco ; P. Caroeiro e C. 240 barricas
com 12,260 k los de asaacar braaco ; E. C. Bdrio
& Irmao 45 barricas cem 2,694 kiloa de assucar
refinado ; J. L da Silva Oliveira 30 barricas com
1,830 kilos de assucar branco.
Pnra Cear, F. A. de Azevedo 30 saceos com
2,250 kilos de assucar branco ; J. 8. da Costa
Manir 30 barricas com 1,800 kilos de asaucur
branco.
- .So biute opcional Bom Jess, curregou :
Para Aracaty, M. J. Pessoa 1,003 saceos com
f nona de mandioca.
Na barcaca Pedro Amtrico, carregou :
Para Maco, P. P. Vaaconceilos de Castro 164
saceos com farinha de maodioca.
Campos Fros
Os abaixo assigoados cidadio moradores e pro-
prietarios no districto de Campos Fros veem do
alto da imprensa, perante as autoridades supe-
riores da provincia, attester com a mais desinte-
reasada verdade o subordinado e bom procedimen-
to do destacamento estacionado neste povoado,
commandado pelo zeloso eabo de esquiara do cor-
eo de polioia desta pro vi ocia, Manoei de Campos
Lima Montenegro, qae durante o perodo que aqoi
estaciona, tem preatado a esta localidade relevan-
tsimos servicos.
Tem se prestado no desempeoho Je seas deva-
rea, com muito selo, prudencia e energa, de for-
ma que o jnlgamos digno de todo elogio, e bem as-
sim os seas commandados.
E aiuda mais protestamos contra as in verdades
apregoadas ao Jornal do Recife de 19 e 26 de
Maio e 6 da Junho do corrate auno eotn relacio
ao mesmo destacamento.
Campos Frioa, 28 de Junho de 1838.
Joio C audiaoo da Iaojoza Vareiio, subdelegado.
Joao Aotonio de Oliveira.
Alteres Joio Antonio da Oliveira FUho. nem-
ciante.
Nicolao Campos de Medeiros, negociante.
Emygiio Rodrigues dos Santos, negociante.
Antonio Gomes de Almeida, negociante
Francisco Caracciolo de Oliveira, negociante.
Bellarmina Francisca Lobo Barros, urofessora pa-
blea.
Joa Francisco dos Santos, negociante.
Joaquim Fernanies da Silva, 3o supplentedo sub-
delegado.
Francisco Paes de Lana, proprietario.
Joio Paes de Lina, agricultor.
TbomiZ Al^t do Sidueira Macvl, agricultor.
II arique Alvcs de Siquera Cavalcante.
Manuel Maria Seizas Borges, agricultor.
Joa de Pai va Campello.
(Eatavam sellado e reconhecidas es firmas.)
-----------------
Prado Pernia.bac.ino
Apparecpu no Diario de h intem o proprietario
do ctvallo Good-morniog, aOb o pseniooymo
Mui'os proprietariosfnfuio o-n appello dl-
rectoria para que considere o jock -y que montn
o Federalista incurso no art. 44 do cdigo de cor-
ridas, em vista do desastre de que fui victima o
Gool in-niinr,
Si 8. 8. tivessa meditado melhor sobre o caso
nao proenraria justificar a inepcia do jockey qne
mout-ou o Gooi-morninsr e muito menos procurara
responsobiiisar o jockey do Federalista; por-
quanto bumanambnte impoaaivel ompreheoder-
se como que dona cavados correado na mesma
direegio, lato nm pelo lado esquerdo e outro
pelo I-id direif.) da ria pidesse o primelro emba-
rugar por qualquer inado a corrida do segundo.
S'eata casi u jick^y qu inontou o Trovador
serin respouaaval p-ilo que suecodea a Exe, porm
o s"u p.-onri-jtario asm seqaer d'isto cogitau.
Qlauto ai aopello que fez S. 8. directorio^
acham >* cila b-oataote criterios-i para nio se dei-
xar lavar por iujiou-i'oo3 d" terceiros.
Muitos especiado:es.
Protesto
Deparando no Diario de 14 do corrente com
minh-i demissao a bem do servgo publico, cam-y
pre-m?. vir a imprenaa chamar a attengio do pd-
blico para o prioeipio da 3.* columna da 4.* pagina
3o Diario de 11 do errent?, nade ver que en
publiquei a minha ex:aegio por motivos parti-
culares.
A ;-,n :i)|i'-b para o Exm. Sr. Dr. Antonio
D.'miugja Pinte quiado ch t; de polica deste
provincia, so durante todo tempo que estive em
exercicio da subdelegada (de 10 de Julbo a 15 de
Agosto de 1886), pratiquei acto algum que me
deaabonasse: e nio tendo mais at o dia em que
publiquei miaba exonerago entrado em exercicio
d'onde polo provir egsa demisaio a bem do ser-
vigo pnico?
Eis o qae teaho a dizer e o respfitavel publico
ajuize.
Vsrzea, 17 de Julho de 1888.
Manoei Olympio Ferreira.
Dr. Euardo Sil veira
de volta de soa viagem corte contina
no exercicio de sua profissio
ConsultorioRoa do Imperador n. 42.
Resideucia Ra da Aurora o. 47.
Telepbone n. 266.
sjtufsero
BBCEBIDO
Pelo vapsr n?.c- Alagas, do Rio de Janro,
para :
Aatooio Augasto dos Santoa Porto 5.000JOO0
Martina Fiuza e C. 4 0JOOOO
Beroardioo Lopes Alhciro 2O>.'UO!)
Joaqn'm Pires da Silva 2000*V>00
Gratuliano oos Santos Vital 600*000
H. Borle 4 C. o66fi0
Keadiaaautmai publico
OB JULBJ
Renda eerai
Do dia 2 a 16
.i.m ;e 17
Ui
Alfemdeya
493:522*576
30:5104914
30 bois posando 4,716 kilos sendo de Oli-
veira Castro 4 0., 23 de 1* e 7 de
particulares.
167 kilos de peixe a 20 ris 31340
143 careras de farinha a 200 ria 28600
19 ditas de fructas diversas a
309 rs. 54700
15 taboleiros a 200 ris 3*000
24 sainos a 200 ris " 2*800
17 matutos com legumes a 200
ris 3*400
Foram occapadoa:
28 1/2 columnaa a 600 ris 17*100
1 escriptorio 300
25 compartimentos de farinha a
500 ris. 13*500
33 ditos de comida a 500 ria 16*500
95 ditos de legumes a 400 ria 38*000
18 ditos de suinos a 700 ris 12*600
9 ditos de Ireasaras a 600 ris 5*400
10 tainos a 2 40*000
1 dito a 1* 1*000
A Oliveira Castro 4 C.:
51 talhos a 1 54*000
224*240
rlandimcnto dos dias 1 a 12 do cor-
rente 3.131*720
Foi arrecadado liquido st noje 3:365*960
Pregos do din :
Carne verde de 280 a 400 ris o kilo,
Carneiro de 720 a 800 ris idea.
Sumos de 500 a 640 ris dem.
Farinha de 203 a 323 ris a cuia.
Milho de 320 a 400 ris idea.
raijao de 560 a 1*100 ris i.iem.
Hatada aro Publico
Foram abatidas no Matadonro da Cabanga 84
para c consumo do dia do boje.
Sendo: 56 rezes pertencentes a Oliveira Castro
i C, e 28 a diversos.
Recia provincial ;
Os di* 2 a 16
dem de 17
62:810 132
3.151*205
524:063*520
65:961*337
Vapores entrar
MEZ DE ITJI.H0
Su!........... Mandahu'.........
Sul.......... Portugal..........
Europa....... ZYioa.............
Sul........... Soraa...........
Serta......... Jacuhype........
Sul........... ZVen------,........
Norte......... Espirito Santo.
Sul
boje
boje
20
21
21
22
24
Pernambuco....... 27
Somau; total
590:021*857
Segunda aecoo da Alfandega, 17 de Julbo
da 1888.
O theaonreiroFlorencio Domingue.
O chefe da aecert Cicero B. de Mello.
tseeebedoriai eral
Do dia 2 a 16 20:653*783
dem de 17 363*060
21x016*813
stecebedorlst provincial
Do dia 2 a 16 93:916 i201 ^
s 17
Gaicaariei.
Exportases*
jmif*. 16 di julho di 1888
para o estertor
No vapor ingles Chasiworlh, carregou :
Para Liverpool, J- H. Boxwell 299 saccas com
16,930 kilos de algodio.
No vapor allemio Corrientes, carregou ;
Para Hamburgo, A. de Araujo 1 caixa com
plantel.
ta dia 2 a
Ideada 17
910*686
Recife Oralnage
16
7:651*014
1:0534147
94.826*887
8:704*161
Vapores aahir
HEZ DE JLXBO
Norte....... Alagos...........hoje s 5 b.
Bordeanx ... Portugal..........hoje s 2 h.
Buenos Ayres Tagus............ 20 12 h.
S Bthampton. Trent............. 22 s 12 b.
Sul.....____ Espirito Santo..... 25 s 5 h.
Norte....... Pernambuco....... 28 s 5 h.
Vavios a entrar
Adamantino....... Liveroool.
Alfarin........... Cardiff.
Deas Irmios...
Eagle............
Fairy.............
Fhd..............
Mimosa...........
Okonoo........... Hamburgo.
Valkyrien......... Swansea.
Lisboa
Liverpool.
Swansea.
Cardiff.
Rio Grande do Sul.
Horcado Municipal de
O movimento deste Mercado no dia
iho foi o seguinte:
Entraxam ;
m.

los
de Ja-
Mo violento do porto
Navio entrado no da 11
Rio de Janeiro e escala7 dias, vapor brasilsiro
AlagaB, de 1,999 tootltdas, commandanto
Joio Mara Pessoa, equipagem 60, carga varios
gneros ; ao Viseonde de Itaqni do Norte.
Navios Bahidos no mesmo dia
Santos e escalaVapor francea Villa de Mara-
nbo, oommandanto reant, carga varios gne-
ros.
BarbadosPatacho ingles Hay, capitio M. Col-
ima, em lastro.
(
K *
i

k:





,
i


Diario de Pernambucotyuarta--teira 18 de Julho de 1888
i
I )

i
y.

t
*
'.
lo Eia. Sr. desembargador
presidente da provincia
O agricultores da comarca de Jabo&to peaein
a V. Exc. qae tome em cousiderac&o o estado las-
timoso a qae teco obelado a estrada da Victoria e
grande parte da da Escada perto do eogenbo Ca-
rao na, logo na entrada de Jaboato.
E' horroroao ver-ae diariamente carros e carro-
cas qaebrarem se com grave perigo para os vi
jantes.
Pebres agricultores tSo tributados e to des-
presados.
Attenda-nos Extn. Sr.
Terrenos magnficos
O eorrelor geral P J. x*ioto est encar-
regada da subdiviso do sitio da capells,
na Ponte de U chSa, para cujo aa abriram
se -diversas ras, a estao demarcados os
lotea de terreno.
A locolidale recoinmenda se pela excel-
lencia do clima, facilidade do transporte, a
jinha priacial da estrada de ferro do Ca-
sanga e o ramal do Arri*l, con duas es-
tardes prximas, Jaqusira e Tan riaeira
agua potavel de primeira qualMade ; e
Urna capelia.
O sitio est muito arborisado, e cada
lote de terreno tem alguraas arvores dan-
do tractos. y
Nao podo faaver nielhar occasio para
quem qaizer constituir-si proprietario de
um magnifico sitio pequeo.
Fornece-se plantas dos arru*mentos com
indicarlo da damareaySo dos terrenos.
Pernambnco
AOS SES. MDICOS E A DIGNA CLASSE
PHAKMACEUTICA
As velas Berthaud, contra as molestias
do apparelho gento urinario, tero, retro,
fistulas, hemorrhoiies, etc., sao o medica-
mento ruis adoptado actualmente e por
isso indispensaveis as pharatacias, hospi-
taes e casas da saade. Nao sao de for
muas secretas, ao contrare, peias sub-
stancias empregadas e dosagem certa, o
facultativo fica desdo logo habilitado a
julg -r do seu valor. Oa depositarios B-.r-
tholonieu & C, em Pernambuco, ou o
abaixo assignado, rcmettem quadros e
prospectos com explicac8js
E Paulo de Freitas.
Deposito geral no Rio de Janeiro.
Dr. Caraero Ledo
MEDICO E PARTEIBO
CONSULTORIO E RESIDENCIA.
Ra do Livramento n. 31Io andar
Consultas de 11 horas s 2 da tarde
ESPECIALIDADESFebres, partos, e molestias
de creaugas
Frederko Chaves Jonior
HOM(EOPATHA
3Q=Rua do Bario da Victoria=39
PRIMEIRO ANDAR
< A. Nova York
New York Life Iusarance Compaoy.
Compaabia Mutua de Segaros de Vida e Mon
te-pio dos Estados-Unid >s da America.
Fndala em 184543 annos de prosperidade !
nica Companhia de Segaros de Vida estrac-
geira autorisad* a fnnccbnar no Imperio do Bra-
sil.
Capital terca de cento t setenta e cinco mil contot
deriit
Renda annual cerca de quarenta mil contos de
rU.
Deposito na corte no Theaouro Nacional.
Diaentos contos de ris.
Mais de dtenlos mil contos de rit p.i< -s a vi-
vas e orphaos e proprietario de apoliecs desde sua
fundacao
Cerca de tscenlos contos de ris pagos no Bra-
sil a herdeiros de segurad a em cerca de 5 annos.
Mediante ama pequea somma aonualmente (o
premio na idade de 35 annos casta cerca de 404
por anno porcada cont de ru segurado) pode cada
om constituir inmediatamente uro capital para sua
familia no caso de morte ou para si proprio se che-
ga ao prazo escolhido.
Para prospectos e informaces com o Sr. Tato-
doro Chrintianssn correspondente representante da
Companhia em Pernambuco cu com Julio Guima-
f&et agente viagante da Companhia, de passagem
por esta capital, qae pode ser encontrado no es -
criptorio d'aqaelle peahor.
C'ommlsso pernanbueana para
a representaban da pro vi acia
a exposlci ojal versal de fa
ris, em isstO.
A commissSo nomeada pelo Exm. Sr.
presidente para promover a representado
'esta provincia, na exposijao de 1889 par
ticipa aos seus habitantes que, devidam n
te constituida, inicioa os seas trabalbos e
espera, que todos concorram, na medida
de suas forcas, para que a provincia tenhi
urna representoslo condigna nuqu^lle hon-
roso e pacifico certami-n tm que as ri.^5i8
devem demonstrar a solidariedade, que as
prende e os progressis da eivilisayao mo-
derna.
A commissSo muito cor.fi i nos habitantes
desta provincia e espera qa- com o auxilio
delles desempenharse do honrado encar-
go, que Iba foi confiado.
Quaesqaer productos agrcolas, indus-
triaos e artsticos podem sur desde ja re-
mettidos aos Illros. Srs. Visconda da Silva
L yo, commendador Josepb Kraue, com-
mendador Antonio Gomes de Miranda Leal
commendador Joao Fernandes Lopes, e co-
ronel Jos Piusa de Oliveira.
A commisso ficou organisada do modo
seguinte :
Presidente. Visjoode da Silva Loyo.
Vice-presidente. Commendador Joo
Fernandes Lopes.
Tliescureiro. UommendadorJ Josepb
Kraase.
1.' secretario. Dr. Jos Eustaquio
Ferreira Jacobina.
2.' secretario. Dr. Vicente Eetrer de
Barros Wanderlay Araujo.
Auxiliares : Drs. Manoel Gomes de Mat-
ts e Lauriado de Moraes Pinheiro.
1 oommisso (productos 8gricola).Com
meaiador Antonio Gomes de VI. Leal,
commendador Joo Jos Rodrigues Men-
dos, capito Fabio Temporal, commenda-
dor Andr Maria Pinheiro, commendador
Jos Fiuza de Oliveira, Jos Maria de
Andrade, capito Joaquim Alves da Fon-
seca.
2* commissa (industrias e artes). Co-
ronel Corbioiano de Aquino Fonseca, Hen-
rique Burle, tenente-coronel Franeisco Bo-
litreau Julio Fuerstenberg, Francisco Gur-
gel do Amaral, barao da Casa Forte, com-
mendador Francisco Ribeiro Finto Guima-
res.
Commisso pernambucana para a repre-
ntscSo da provincia na exposico univer-
sal de 1889, 25 da Junho de 1888.
Visconde da Sdva Loyo.
Presidente.
MuBte-Pio flos TyjiBgraDlios to
i
t,
De ordem do Sr. presidente do Monte Pi dos
Typographoi de Pernambuco, acientifico aos 8rs.
asociados que, em sesso de aesembla geral, de
de Julho crrente, ficaram em iuteiro vigor os
15
nossos Estatnc.s, exceptuundo o art. 7 e 2 do
art. 24, c.utinuando a beoefic ueia desta data par
diantc #atrjsiui, aos limamos 8rs. astociadoa,
ainda scii-ntifico qu" para rec bimento das meoaa-
lidades acham se inc imbidos os Srs. (Instavo D.'o,
Polycsrpo de Sli>'s e Pedro Brazil, as typozr-
phias em qae sao euipreg>id<>8, o ts das deinais
otheinas dev*'ndu piigir u i respectivo thesour^iiO
ou ao proc-.rad r.
Sala das cescocs do Monte-Pi dos Typigrspbss
de Pernamboo, es 16 oe Julho de 1888.
O 1 secretario,
Manoel ticwio de Albitquerque.
Primeira pra^a
Pela inspectora desta Alfandega se tai publi-
co, qae s 11 horas do dia 19 do corrate mes, se-
rfto arrematado^ em prsca, porta desta reparti-
co, as segaie/fes mere*dorias :
ArreaiemTi. 1
Urna caiza da m>rca diamante 1,125 no cen-
tro, n. 125 A, eontendo amostras dj louca n. 2,
pesando broto 3 kilos, viuda de Harnbuigo no va-
por allemSo Sosario, entrad em 22 de Margo de
1887, consignada ordem.
Armacem n. 3
Urna dita da marca RF, ?. 192, contendo 13 ki-
los dn quadros annnncioa de urna cor, vinda de
New-York no vapor americano AUiance, entrado
em 18 de Marco de 1887, consignada a Roaquay-
rol.
Armasem n. 5
Um paeoe da marca Antonio O. Maia, sem nu-
mero, contend amostras de aniagem, em retalhos
sem valor, vindo de Liverpool no vap.r ingles
Plata, entrado em 19 de Marco de 1887, consigna-
do a Antonio de Oliveira Maia.
Armasem n. 7
Urna barrica da marca Hf & C, n. 1,938, can-
teado bagas de sabngoeiro, pesando broto 69 ki-
los, vinda de Hsmburgo no vapor allemo Uru-
guay, coasignada a Hcrin-a de Soasa Pereira &
Successores
dem, idem, n. 1,937, con :endo borato de soda
oa tincal crystalisado. p sando broto 67 kilos,
consignada aoa m ames
3 oceca da A fandiga de Pernambuco, 17 de
Julho de 1888
O chefe,
Domingos Joaquim da Fonseca.
Mu rnaaico-cirargGri
DO
Dr. Alfredo Gaspai
EspecialidadePartos,
e creancas.
ResidenciaRna da Imperatriz
andar.
Telepbone n. 326
molestias de senhora
n. 18 primeir
Dr. Brrelo Sampaio, medico cea-
lista, ex-ehefe de clnica do Dr. de
Wecker, d consultas de meio dia is
3 horas da tarde, no 1. andar da casa
n. 51 roa do Barao da Victoria, ex-
cepto nos domingos e das santificados.
Residencia ra Sete de Setembro n.
34. Entrada pela roa da Saudade n. 25.
Dr. Mello tiomes
Medico parteiro eoperador
24a larga do Bou*ro 1
(pjr cima do Anoel de Ouro)
Oose tem ccnsoltorio e residencia, podendo ser
procurado qaalqaer hora do dia e da noite.
ESPECIALIDADES: Pebres, partos, moles-
tias dj senhoraa e do palma >, syphiiis cm geral,
cura e operacea de estreitamf utos da uretra.
Acode de piompto a chamados para fra da ca-
pitel.
Telepbone374
HOxlfEOPATHIA
DE
CATELAIS FRERES
i Iglobtjlos, tintcbas, cabteikas,etc.
/ 4 Fende se na botica francesa
J ( 22= BCA DA CBCI=22
Dr. Coellio Leite
Participa a seus clientes e amigos
tem sea consultorio na na Duque de
xias n. 57 1 andar, onde ser encontrado
de 12 s 3 da tarda todos os das e
residb provisoriamente na ra do Hospital
Portugus n. 14.
Eduardo Gadault
Retratista
Ateller, ras Bar&o da victo-
ria u. 91.1 andar
Incombe-se da execucao de todos os
trabaloos concernentes sua arte, as-
si m como lecciena em deaennos e pinta-
ra.
Dr. Sil*a embra

Medico e parteiro, com pratica em varios boa-
pitaes d Europa as especialidades de molestias
de senboras e da prlle, d consultas na roa da
Cadeia n. 53 !. andar, de 1 s 3 horas da tarde
e reside na roa do Conde da Boa-Vista n. 24 I.
Telephone n. 412
) MEDICO HOMEOPATHA
jDr. Ballhazar da Silvera
I
!
Especialidadesfebres, molestias das
enancas, dos drgacs respiratorios e das
genhoras.
Presta-se a qaalquer chamado para
fora da capital.
AVISO
Todos oa chamadas devem ser dirig-
aos pharraacia do Dr. Sabino, roa da
Bario da Victoria n. 43, onda se indicar
sua residencia.
Mudanza de escrlpterlo
Os advogados JcSo Barbalho, Jos Dinis e Pe-
dro Ratis, mudaram o sea escriptorio para a roa
do Imperador n. 55.
ED1TAES
Leonor Porto
i
Roa do Imperador
! andar
a. 46
Contina a eiecutar os mais diffieeis
figorinoa recebidos de Londres, Parir,
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeic&o de costaras, em
brevidade, modieidade em precoa e fine
gosto.
Perante o Sr. Dr. juiz substituto dos teitos da
faaenda, Lindoipho Hisbello Correia de Araojo, uo
dia 20 do correte mea de Julho. pelas 11 horas
da manha, depois da audiencia se vender em pra-
(a publica, os b-ns aegniotes :
A eBBa terrea de tijolo e cal sita ni largo dos
dos Remedios, fregnezia de Affogados, n, 7, com
daas janellas e ama porta na frente com bons
commodos e quintal murado, pertenceote a Jeso
n da Costa Albuquerque Mello avaliada por------
400*000.
Outra casa terrea de tijolo e cal roa Impe
ra', freguesia de S. Jos, n 265, com daas janel-
las na trente e porta ao lado, com daas salas, dona
quartos, cosi ha fiera e quintal em aberto, perten-
centea Man el Tavares de Mello, boje deseas
herdeiros, avaliada por 1:200/,
Sendo todos os b. ns vendidos por execacao d.
faaeoda nacioual, para sen pagamento.
Recife, 11 de Julho de 1888.
O solicitador da fasenda nacional,
Luis Machado Botelho.
De ordem do Illui. Sr. engenbeiro director
geral, em virtudn de auti risacao do Exm. Sr. presi
dente da provincia de 14 deste mes, fuco publicj
que no dia 23 do correte, o meio da, oeata di-
rectora, r.-ctbem se propostas cm cartas fechadas
competentemente selladas, para a execucS) dos
reparos de qae necessiti o edificio da Aesembla
Provincial, na imporcaucia de 1:179/200.
O crcamento e mais condicoes do contracto se
acbam nesta secretaria, onde podem ser examina-
dos pelos senbores pretendentes.
Secretaria da directora geral das obras publicas
em 16 de Julh.i de 1888.
O ngenbeiro secretario
Luis Antonio 6avalcante de Albuquerqne'
Segonca pra^a
Pelg insprctona desta alfsndega se faz publico
que s 11 horas do dia l'J do correte mes, sero
arrematadas em praca, porta desta repartico,
aa seguintes mercado-ra :
Armasem n. 4
Urna caixi, marca R L'.urente, sem numero,
contendo amostras de drogas, vinda de Hambargo
no vapor allemSo Uruguay, entrado em 16 de
Abril de 1887, consignada a Joaquim Luis Jnior.
dem, idem, idem, ama cana sem numero, con
tendo 25 kilos de sementes, id-m, idem, dem.
3* seceo da Alfandega de Pernambuco, 17 de
Julho de 1888.-0 chefe,
Domingos Joaquim da Fonseca.
Comi geral
Malas a expedirse HOJE
Pelo vapor A lagoas, esta administracao expede
malas para os portus do norte, recebendo impres-
sos e objectos a registrar at 2 boras da tarde e
cartas ordinarias at 3 horas ou 3 1|2 com porte
duplo.
Adminiatracio dos correios de Pernambn, 18
de Julbc de 1888O administrador,
Alfonso do Reg Barres.
Hippodromo do Campo
Grande
De ordem da directora, convido aoa senhores
accionistas para pagamento da 2* prestaco ra-
sSo de 25 0,0, que ter lagar do dia 11 so dia 18 do
corrente, de meio dia a 2 horas da tarde, no es-
criptorio rna do Imperador n. 55, 1 andar.
Recite, 10 de Julho de 1888.
O secretario,
Jos Dinix Barrete
Indemnisadora
Dividendo
Esta companhia de seguro paga em seo escrip-
torio o dividendo de 12/ por aecao ou 12 0/0 do
capital, relativo ao semestre fiado em 30 de Junho
prximo paseado.
Administrado dos correios de
Pennmbuco
Esa II de Julho de 1888
Mala terrestre
O administrador faz publico, qae em qaanto
estiver interrompido o traf.-go entre as estacoes
de Caohotioho e Garaohuos, a expedicao de ma-
las para a agencia do correio de Qaranbons ser
feita nos das 2, 5, 8. 11, 14, 17, 20, 23, 26 e 29
de cada mes, isto de tres em tres dias, a partir
de 2, e a correspondencia ser recebida nesta re-
partija? at as 3 horas da tarde.
Aff uso do Reg Barres.
Estrada de ferro de
Pernambuco do Re-
cife ao S. Franeisco
Proposta para for-neclment 9
3,Oo toneladas de car-
va de pedra
Esta companhia recebe nropostas para oTorne-
eimeoto de 3.600 toneladas de carvao de pedra
por tempo de nm anuo, mudiante as seguintes con-
dicoes :
1. O carvSo devei ser de algamaa daa espe-
cies conbecidas por Cory Aberdare Mertbyr,
Penrikiber, Nixons N^vigation, Ornan Merthyr
oo Insoles Mertbyr Smikeleas Steam Coal, pri-
meira qualidade e doable screened, provada com
certificado da mina, o qoal para cada carga de
nvio dever ser apresentado ao soperintendente
da companhia.
_ 2.* A despesa de descarregar o carvSo do na-
vio e todas as outras da Alfaodega eto., sero por
conta do contractante at a entrega no caes da
companhia, onde o carvSo ser tirado das alva-
rengas pela companhia e pesado no trapiche em
Cinco Ponas, facilitando-se ao contractante todos
os meios de por si oo pessoa de sos confiaoca ins-
peccionar e conferir o peso, o qoal ser aceito
como definitivo por ambas as partes, nao sendo
depoie attendida pela companhia reclamacio al-
goma.
3 300 toneladas de carvSo pelo menos sero
mena lmente entregoes em Cinco Pontas; mas se
por conveniencia propria qaizer o contractante
entregar maior quantidadf, a companhia sojeita-
se a reeebel-a, comtaoto que nSo seja apresentada
pf ra pagamento ama conta menaal de mais de
300 toneladas durante o tempo do contracto.
4.* O contractante dever obrigar-se ao paga-
sienta de ama multa de 1:000/ por tod> e qual-
quer oes em que deizar de fornecer a qaantidade
estipulada de 300 tooeladaa, aasim como se for re
conbecido que o carregamento oo parte delle nSo
de algama das qaalidades mencionadas na pri-
meira destas condicSes.
5.> As propostsk para este contracto dever*
estipular o prece da tooelada de carvSo em di-
obeiro sterlino, o qoal para realizar-se o paga-
mento de cada conta mensal ser redosido a 1/
ao cambio da cotacSo das transaec-s do Banco
ao tempo da partida do altimo paquete da Real
Mala, qae passar para a Iaglatcrra no meamo mes
da conta.
6 O contracto entrar em vigor no 1* de Se-
tembro prximo vindooro e o primeiro aapprimeo-
to dever ser feito para o referido mes.
7.* Ser lavrado om termo de contracto basca-
do as coodicSes cima estipuladas, o qual ser
assignado por ambas' as partes.
8.* As propostas deveiSo sor lacradas e remet
tidas ao superintendente da companhia, no Cabo,
antes do dia 31 de Jolho prximo futuro, no qual
terio de ser ellas abenas oo escriptorio do mesmo.
A companhia declara qae de modo alguna fica
por este motivo obrigada a aceitar a prop.sta mais
barata oa qaalqaer das qoe lhe forem apreseota-
das.
Eserlptoiio da superintendencia, Cabo, 16 de
Jolho de 1888.
Wells Hood,
. Soperiorendente.
H Mutas
Mareo esa 91 de Jolho
Os senhores socios poderSo procurar os (eos in-
gresaos na sede do club, a contar do dia 16 do
corrente em diaate, das 7 s 8 12 da noite, em
mo do 8r. tbeaoureiro.
Secretaria do Club Carlos domes, em 14 de
Julho de 1888.O 1- secretario,
Pompeo C. Casaoevs.
B&oce de Crdito Real de
Pernambuco
Este estabeleci nento, de accordo com o art. 54
dos estatutos, paga o sea 4 dividendo, relativo
ao semestre finido em 30 de Junho do corrente an-
no, razio de 5 0/0 sobre o valor das entradas
realisadas do capital, on 4/000 p)r accio, todos
os diaa atis, desde as 10 horas da manh s ,4
da tarde, em sua sede raa do (Jommercio ame -
To M. Recife, 12 de Jolho de 1888.
O gerente,
Joo Fernandes Lopes.
BANGO lEiAClr
DO
Captal
BRASIL
30,000:000$
Mena]
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificio e mercaduras
laixat baixas
Prompto pagamento de prejuizos
CAPITAL
Rs. lQ,000:000*Hft
IBlWRi A *
N. 5RA DO COMMERCION. 5
COUISA FOE-
JTniool & London k
rNSURMTCE GDMPAITT
Blackbum, Needham k C,
Ra do Commercio n. 3
Pays-Bas.
Deutsche Bank.
> Banque d'Anvers.
Gaixa de Amorsagao
Notas falaaa de SOOi e de .O da
5." estampa
Cumprindo acaatellar oa interesses do publico
no recebimeoto das notas de 200/ e de 50/ da 5*
estampa, das quaea tm apparecido algumas fal-
sas, taz-se publico os principaes caractersticos
qae distingaem as falsas das verdadeiras desses
valores e estampas, a saber :
As falsas de 200/ sao mais cartas do qoe as
verdadeiras impressas em papel de linho azulado ;
os detenhos sao imperfeitos, sem relevo e as tintas
mais grosseiraB e mais carregadaa a rosea e azul
sobre os dizeres da nota e a irradiacSo que parte
da effigie de Sua Magestade o Imperador, sendo
em alguna lagares confusas e em ontroa falbadaa;
a uumeracSo impresa* com tinta cor de tijolo e
a assignatura imitando a de Antonio Teixeira da
Silva. No verso ha am espseo em branco por
cima e por baixo da vinheta central em forma de
fivela onde esto impressas as palavras Imperio
do Brasile a ornamentacSi interior dos aemi-
circalos das doaa extremidadea da dita vinheta
mal desenhada, sendo a impressSo desse lado das
notas falsas em tinta mais carregada e grossa do
que as verdadeiras.
As de 50/ falsiis sao estampadas em papel de
algodSo sobre um campo de mosaicos mal delinea-
dos e emareliados, em qae aigans desenhos pare-
cer feitos a penna, como o peito do retrato de
Sua Magestade o Imperador e a corda imperial, no-
tando se a imperfeicSo daa condecoracoes qae lhe
ornam a farda ; a nameracSo defeitoosa e feita
com tinta mais clara qoe a das verdadeiras ; o
emblema central incorrecto, principalmente na
m&o e no p da figura e no sombreado de todo elle,
e a effigie ae Sua Magestade poaco smilhaate
e defeitaosa na b:cca e na barba, aendo a assigna-
tura litbographada e as castas da nota de cor
desmatada.
Caixa de Amortizado, em 28 deJanho de 1888.
M. A. QalvSo.
Banco do Brasil
Paga-se o 69 dividendo a razSo de 9/ por ac
cao, no escriptorio de Pereira Carneiro & C,
ra do Commercio o. 6, 1 andar.
dem reallsado 19,000:00o*
A caixa filial d'ese Banco funeciona roa do
Coojnereio n. 40, scca, vista oa a prazo, con-
tra os seguintes correspondentes no eatrangeire:
Banco Internacional
do Brasil,
London office.
losaos dk Cosan (y
( Banking Cumpa oj L."
PABIS.........(Bmqae de Parta Hambargo.......
Berlim..........
Bremente........I
Prankfurt s/ Main (
Antuerpia.....
Soma.........
Qenova.......
aples.........
tfiiao e mais 340
c:dade8 de Ita-
lia..........
iadrid..........\
Barcolona........
Cdiz...........I
Vlalaga........I
Tarragons......\
Valenci. e ontras (
eidade a Hes-1
panba t ilhas I
Canarias......'
Lisboa........ J
Porto e maia ci-f
dades de Por-|
tagal e ilhas... '
Buenos-Ayres... .)
Montevideo......
So va York......
Banea Genrale e anas
ageaciaa.
Banco Hipotecario de
Espaa e ru.a agen-
cias.
Banco de Portugal
suas agencias.
MARTIMOS
R0Y4L M4IL STEAlii rAGBI
'C01PAHY
0 paquete Tagus
Espera-se da Europa at o
dia 20 de Julho, seguindo
depois da demerade costme
para
Ri-
English Bank of the
ver Pate, Limited.
O. Amsink & C.
Compra saques obre qualquer praca do impe-
rio e do estranger.
Recebe dinheiio em conta corrente de movi-
miento com jnrosra razo de 2% ao anno e por le-
ras a prazo a jaros convencionados.
O gerente, William M. Weberts
l
QUINTA-FEIRA 19 DE JULHO DE 1888
Concert
VOCAL E 1NITBUHEKTL
DADO PELA
Sra. Fmmy d'rnay
CANTOR.^ DO REAL TuEATRO DE DRESDEN
O ganiaado por
Amaro Brrelo
Com o concurso dos diatinctoa professeres
Marcellino Cleto, Antonio Martina, Paulino
de Mello e Candido Filbo
V Ha de Panellas
Pa
trem Iiltterarlo e Beereatlvo
nellpuse
Os Srs. Alves de Bnto &, C. raa do Livra-
mento n. 12, sSo os unios encarreeados nesta ei-
dade de tratar eobre negocios relativos ao Gremio
Litterario Recreativo HanelU-nse. A' elles podem
ser, pois, dirigidos oa donativos para o meamo
Gremio.
Panellas, 14 de Jolho de 1888.
Pelo conselln,
Arcenio Cordeiro 8. Campas.
".
-.
SLRCOES
frolongamento da estrada de
ferro de rernambnca e estra-
da de ferro do Recife a Ca-
ruar
Pelo presente to convidados os Srs. commen-
dador Augusto Rufino de Almeida e Domingos
Fernandes Correia a comparecerem, dentro de
tres dias, a contar de boje, i esta aeeretaria, afim
de assignarem os contractos, qae, para o servico
de carga e descarga as estacoes do Recife e Pal-
mares, l4m de ser celebrados com os mesmos se-
nhores.
Secretaria do Proloogamento da Estrada de
Perro do Recife ao S. Francisco Estrada de F-r-
ro do Reeife a Csroar,en 17 de Jolho de 1888.
O secretario,
Manoel Juvenci de Sabaya.
Prolongamiento da Estrada de
Ferro de mam buco e Es-
trada de Ferro do Recife a
Carnar.
D'. ord-m superior faz ee publico qae de 15 do
correute <-m diante^data em qu- como9a a vigo-
rar o horario, j publicado, serSo recebidas mer-
caderas a despachar para as estacoes de Pombos
e Possinba e vice-verss.
Recife, 14 de Jolho de 1888.
O secretnrio,
M Juvencio di Sabaya.
S. R J.
Soctedade Recreativa Javentn.de
Sarao em commemoracSa do 24.* aooiversario
de aoa installacSo, e 1. da sua beoda musical, sm
14 de Agosto. Convites na secretaria desta so-
ciedade.
Secretaria da Sociedade Recreativa Joveotnde,
10 de Jolho de 1388.
0 1* secretario,
Manoel Joaquim Baptista.
Instituto Beneflcente dos Offi-
ciaes da Guarda Nacional
De ordem da directora sao c nvidadoa todos os
cfficiaes da guarda nacional, para assistirem a 7.*
e a 8* seaso dessa associacSo, nos dias 18 e 22
do vigente, s 6 1/2 horas da tarde, na sede so-
cial, sita rna Paire Muniz n. 5, antigo largo do
Mercado da S. Jos
Instituto Beneflcente dos Oociaes da Guarda
Nacional, em 17 de Jnlbo de 1888.
O 1." secretario,
Alfrez Francisco de Assis Ferreira Maqalhes.
C.C. E.
Citsu Commerclal Eoterpe
ieaao de asscmbia geral
Teodo o Sr. presidente designado o dia 18 do
corrente para a leitura do- relatorio e eleicao da
neva directora, convido os s> nbores socios a con -
pnrecerem nesse dia referida sessSo, qae ter
lugar s 7 boras da noite, na sede social.
Secretaria d Club Comm'ereial Eoterpe, 16 de
Jnlhe de 1888.O 1 secretario,
F. Vieira.
P'ogramma
1.*MeyerbeerHogaenotea, aria do Pagem.
2.PesaardPice poor flte et piano.
3.WeberAria do Freyacbotz.
4.eGodard(srnade ^ons v'''n08 e P'an<>.
,5.oGoanodBorneo et Juliete, walse.
6."RossiniGuillaoma Tell, Romanza.
7.WeberAndante da Sonata para clarinete
e pin no
8BerliozDamnation de Faust, aria de Mar-
garida.
9.-TerachakPhaotaaia para flauta e piano.
10.Verdi-Aida, Romanza.
Comecar s 7 3[4 para acabar hora do ul-
timo trena.
' SEGUBOS
MARTIMOS contra fogo
Companhia Fhenlx Per-
nambucana
RA DO COMMERCIO N.^6, 1 ANDAR
Companhia de Seguros
AGENTE
Miguel Jos Alves
IV. J-hos dn Rom Jeu >'. 1
SEGUROS MABITIMOS E TEBBESTBES
Neates ltimos segaros a nica companhia nesta
praca que conced' aos Srs. segurados 3empco de
pagamento de premio em cada stimo anno, o que
equivale ao descont annual de cerca de 15 por
cento em favor dos segurados.
London k Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacoa por todos os vapores sobra as ei-
sas do meamo banco em Portugal, sendo
em Lisboa, ra dos Oapelstas n. 75. No
Porto, ra dos Ingleses.
Macelo Baha, Rio de fanelro,
Santos, Monte video e Buenos-
Ayres
0 paquete Trent
E' esperado dos por-
tes do sul at o dia 22
de Jolho e segui-
r d pois da demoia
aecesaria para
Lisboa, vigo, Antuerpia e Noa-
thampton
Reducco de passagens
Ida Ida e ooia
A' Lisboa 1* classe 20 130
& Soothampton 1> classe t 28 42
Camarotes reservados para os passigeiros de
Pernambnco.
t'ara passagens, fretes, etc., tracta-He ees os
Imorini Irmaos &C.
^. 3- RA DO BOM JESS-N
CompHkMz Bra gaco Vapor
PORT03 DO SUL
Vapor Espirito-Santo
Commandante o Io tenente Carlos An-
tonio Gomes
E' esperado dos por tos do nor-
te at o dia 24 de Julho e de-
poie da demora iodispensavel,
seguir para os portos do sal.
bem tainbem carga o Sra Santos, Santa Ca-
tharina, Pelotas', Porto-Alegre e Bio Grande do
Snl, frete codico.
As encommcndaa e sero recebidaa na agencia
at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, passagens, cncommendas e valores
trata-se na agencia.
PORTOS DO NORTE
O vapor Pernambuco
Francisco Antonio de
Almeida
E' esperado dos portos do snl at
o dia 27 de Julho, e seguir
depois da demora indspensavel,
para os portos do norte at Ma-
ndos.
As encommandas sao recebidas na agencia at
l hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, passagens enconunendas e valores
cracta-se na agencia
PRAQA DO CORPO SANTO N. 9
Rio Grande do Snl, Pelotas
Porto Alegre
Commandante
e
Espera-se no dia
25 de JULHO
dos portos cima
e segnir depoi-
da demora do cos-
tme para es mes-
mos portos cima indicados.
Recebe carga, enccmmendas e passageiros para
os mesmos portos : a tratar cosa
PEREIRA CARNEIRO < C.
N. 6.RA DO COMMERCIO-N 6.
! andar
INDEMNISADORA
Nos termos des arts, 5.* e 6 dos estatutos, eSo
eonvidados os senbores accionistas raalisar at
o da 18 de Agosto prximo totoro, na sede do
Banco, roa do Comnierciu o. 34, a 6.a entrada
de 10 OA) do valor nominal de cada necio. Reci-
fe, 12 de Jolho de 188I Os administradores,
Manoel J >io de Amorim
Antonio fernandes Ribeiro.
Loia Daprat.
Companhia de edifica-
cao
Assembla geral extraordinaria
XNo baveudo comparecido numero de accionis-
tas constituir a aesembla ceral extraordinaria
quit foi coavocada para h Je, pela terceira vea
convoco oa senbores accionistas a renuir-m-se em
aasembla geral extraordinaria no dia 23 do cor-
rete, s 11 horas da manh, aa sede da compa-
nhia, rara resol ve em sobre os asaomptos j an-
naociados. Ficando entendido, qae em vista de
art. 65 do decreto n. 8821 de 30 de Oezembro de
1884, etsa assemb'a constituir-se ha com o nu-
mero de accionistas qoe comparecer. Recife, 16
de Jolho de 1868.
R. Menezes,
Gerente.
MARTIMOS E TERRH STRES
Estabelecida em 1885
CAPITAL l,000:000
SINISTBOS PAGOS
At SI de BexemV.ro m llSd
Martimos..... 1.110:0669000
Terrestres..... 516:000$006
44Rna do Commercio44
Cmnpaitljia Hft Seguro*
CONTRA FQGG
KORTHEEN
de Londres e Aberdeen
Posicao financtira (Dezembro de 1885)
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accurnulados 3.134,343
Recelta annual:
De premios contra fogo 577,330
De premios sobra vidas 131,000
De juros 32,000
O AQBNTK
John H. BoxweU.
COMPANHUE DES HUSMAhE-
RIES MARITIHES
LINHA MENSAL
O paquete
PORTUGAL
Commandante rou
E' esperado dos portos do sul
no dia 18 do corrate, seguinde
depois da demora do costume,
para Bordeam, tocando em
oakar e Lisboa
Fas-ae abatimcnto de 15 /0 em favor das fa-
milias composta de 4 pessoas ao mchos e que pa-
^arem 4 passagens mteiraa.
Lembra-se aos senbores passageiros de todas
s classes qae ha lugares reservados para esta
irrencia, que podem tomar em qualquer tempo.
Por excepeo os criados de familias que torma^
rem bilbetes de pr6a, go^am tambem d'este a bati-
mento.
Os vales pestae.? s se da at e dia 15 pagos
de contado.
PaiO'rga, passagens, encommandas ednhairo
s frete : tracta-ee cr m o
AiENTE
angoste Labile
P QUA DO COMMER(J10-9
Pacifle iSieaai ^aviptioaiiompany
STRAITS OF MAGELLAN UNE
Paquete Sorata
Espera-se dos porto .
do sul at o dia 21 de-
Jolho seguindo
para a Europa depois
da demora do costume,
tocando em
Lisboa, Hordeaux, Plymouth e
Liverpool
Para carga, passageiros, enc.mmendaseinhdei-'
ro a frete, trata-se cota os
AGENTES
Wllson Sons V., Limited
S. 14 RA DO COMMERCIO-N. 14
{


t
v-


6
Diario de Pernaaibuco-p-(tuarta--eira 18 de Juiho de 1868


'


CObWANHIA MMAMUCAMi
avegacio Cootelra oor Vapor
* JPOBTOS DO SUL
lieri, Peiede, Aracg e Baha
0 vapor S. Francisco
Commandante Pereira
Segu no da 12 de
Jniho as 5 horu di
-Urde.
Recebe carga at o
i 18.
Encommendas, pssangons e dinheiros a frete
as 3 horas da tarde dodia 19.
ESCRIPTORIO
Ao Cauda Companhia Pemambueana
n. 12
LELBS
Quarla feira 18, de casas terreas novas e edifi-
em chao prcprio.
Qaarta-feira 18 deve ter lagar am leilao de
movis loucas e vidros no 2o e 3o andares do so-
brado da ra Mrquez de Olinda n. 52, casa de
esquina.___________________________________
Qainta-feira 19 deve ter lugar o dos mo-
vis e mais objectos da casa em que residi o Si.
O. F. Loop.__________________
Leilo
de 2 casas ra dos Guarerapes n. 49 A,
e 55, ambas am chaos proprios e reedi-
ficadas ha poui'O
. Quarta-feira 18 de Jidho
A's 11 horas
JVo armazem ra do Mrquez de Olinda
n. 52
PORINTERVENgAo DO AGENTE
Pinto
Leilo
Da casa terrea sita ra do Coronel Saassuna
n. 71, com 2 portas e 1 janella de frecte, 2 salas,
2 quartcs em bjm estallo rende 16f.l 00 mensaes e
em cbSo proprio.
Da casa terrea sita ma do Fogo n. 36 com
ama parta e janella de trente, 2 quartos, duas ea
las, eosinha e quintal, rende 16^000 mensaes, e
em bom estado e ebao proprio.
Da casa terrea sita ma de S. Jorge, n. 3, fre-
guezia de S. Frei Pedro Goocalues do Recite, em
perfeito estado.
Ojiarla feira, 18 do crvente
A's 11 horae
No armazem da ra Mrquez de Olinda
d. 48
O agente Gusmao autorisado far !el2o das ca-
sas cima mencionadas podendo os pretendeutes
ir examinal as.
Agente Silveira
Leilo
DE
do
Ojiara jeira 18 do crvente
A'S 11 HORAS
So armazem ni a Estrelta
osarlo n. 3tt
O agente Silveira por mandado e com assisten-
eia do Exm Sr- Dr juis de direito e de orphos
levar a leilo reqnerimento da inventariaote de
Sebastio Jos Gomes Penna, a casa terrea sita
ua da Cooceicao n. 2, cem eommodos para grande
qner familia
Os Srs. pretendentes podem ezaminiar.
Leilo
De pregos franceses de differentes tamanhos, em
csizas pequenaB (avariados)
Agente Pinto
Ojiarra feira, 18 do crvente
A'S 10 1/2 HORAS EM FONTO
No armazem da na Mrquez de
Olinda n. .
Por ter o mesmo agente de tfLctuar um ouro
leilo
Grade e variado
UDil
De bons movis, finoe crystaes, objactos
de electro-piale, christoffle, de bronse e
chineses, quadros, espelhos, vinhos
passaros.
Quima fe Ira, 1S do eorrente
A SABER :
Saleta de entrada
TJaia mobilia de janeo, com 1 sof, 2 soaslos,
1 mesa oval, 2 cadeiras de bracos e 6 de guarn-
ci. 1 espelbo oval, 4 ettagers, 2 figuras, 2 jarros,
2 cabides para chapeas 2 aaadroa.
Sala de visita
m piaao forte de Pleyel, com capa, 1 beropho-
io 2 almofadaa, 1 cadeira para piano, 1 mobilia
eom 1 sof, 2 dunckerques, 4 esdeiras de bracos e
18 de guaroicao, 4 espelbos ovaes dourados, 5
ettagers, 7 quadros, 5 pendentes para flores, 4 jar-
ros para flores, 4 casticaea com mangas, 4 tapetes
de porta, 2 escarradeiras, 1 lastre de crystal com
4 bicos e 1 tapete a velluda di para forro de sala.
Larcas e cortinados ae damasco de l e seda,
cordoea para cortinados, 2 eandieiroa para kero-
sene, 2 lindos porta-retratos com estante, 1 estan-
te eovidracada, 2 ettagers, 1 divn, 1 poltrona, 6
cadeiras estafadas, 8 transparentes para janellas,
2 tapetes de carneira, 2 mesas' de ferro, 1 conver-
sadera, poltronas de Jacaranda, 1 porta-mQsica,
2 porta-cbapos, 1 costureira, 1 tapete grande
para centro de sala e 4 transparentes chineses.
Qoartos
Urna cama francesa, 1 toillet, 1 lavatorio, 1
mesa de cama, tado igual, de Goncalo Alves com
fiordes de pao setim, 1 mesa com gaveta, 2 cadei-
ras e 1 guarda-vestido da mesma madeira com 2
espelbos, 1 cupola e cortinado, 1 tapeta aveliu-
dado, 1 guarda-roupa para meninos, 1 beroo, 2
camas de vinbatico, 1 guarnicSo de porcelana, 1
bandeja, garrafa e copo.
Sala de jantar
Urna mesa elstica com 13 taboas, 2 aparadores
com podras, 2 ditos, ecm pratileiras, 1 quartinhei-
ra com pedra, 1 guarda-comida, 1 lavatorio de
parede, 2 ettagers, 6 quadros, 5 pendentes para
fbres, 3 penduradores e 3 gaiolas de rame, 1 sof,
4 cadeiras de balanco, 18 de gusrnicSo de junco,
cadeiras para meninos, 1 candieiro de gas com 3
bicos, 1 dito de crystal no corredar, 1 fracteira de
madeira.
Um rico apparelho de porcelana para jantar, 1
dito chines, copos, clices, garrafas, machinas para
caf, 1 guarda-comida de rame de suapenso. 1
filtro, vinho do Porto, vinho verde e cerveja, 1 por-
ta-queijo.
Objectos avplsos
Urna casinba de madeira, 1 kioeque para plan-
tas, 1 viveiro c:m passaros, 2 bancos de jardim, 1
lanterna mgica, 1 velocipede, 11 pendentes para
flores, 6 jarros com flores, crotons e parsitas, 1
escada de abrir, 1 fogSo de ferro, 1 candieiro de
suspenaao, 1 relogio de pedra, 1 candieiro a
gas, 1 mala cem pertences de visgem, 2 quadros
com moldura preta, 3 nucanetaa, lindos vasos para
flores e ps de lenca.
Objeetos de electro-plate, ebriste ffle e bronse
Um faqneiro de prata do Porto, 1 dito de chris-
toffle, 1 apparelho para cha, galbeteiros, frnctei-
ras, 2 lindas serpentinas, garfos e colheres, porta-
carloes, porta-conservas, porta-garrafas, porta
fatias, amas, geladeiras, tudo de electro-plate e
cbristofflj, jarros e vasos de bronse, porta cartoes
e 1 tinteiros, 4 liados jarros chineses, pratoa de
porcelana para parede, bastos e animaes de bron-
se, tranparentes chineses.
8utSo
Um guarda-vestido de Erable, 1 cama de eam-
panha, 1 cama francesa, 1 guarda-vestido, 1 guar-
da roapa, 1 mesa com estante, 1 bastidor, 1 cama
de ferro cem lastro de rame, 2 camas de Erable
cem colxoes e amitos outros objectos de casa de
familia.
O.ympio Frederico Loup, em viagem para o Rio
de Janeiro com sna familia, fas leilo por nter
vencn do agente Pinto, dos movis e mais obje-
ctos da casa em que residi, ra do Paysand
n. 18
A's 10 horas partir um bood da linba da Ma-
gdalena que dar passagem gratis aos concur-
rentes.
O leilo principiar s 10 1/2 horas em ponto
por sercm muitoa e difierentes os lotes.
emta-felra, do correte
A's 11 horas
No armauem ra do Imperador n. 49
O agente Fastana vaadara, por mandado e as-
siitencia do Esas. Sr. Dr. jais de orphaos, e a
quem mais dar, a aasa terrea asesta mencionada,
com os eommodos seguiates: daas salas, deas
qsartos, eosinha fra, quintal grande com eacisa-
ba, em terreno proprio, e a importante olaria com
os seas nteneilioa, grande quantidadede tijolos e
daas candis perteneesrtes mesma.
Arente Pestaa
Ao commercift
O abaixo assigasdo declara ao corpo do com
murcio e ao poMteo, sjae disaolveu amigavelmente
a soeiedade que eyrava sobre a firma de Honorio
Lages & C, ra da Imperatrix n. 40, com loja
de faseodas, ficando o activo e pasalvo a cargo do
dito senbor, e o abaixo asignado exonerado e
pago :e sea capital e lacros. Becife, 16 de Jalho
de 1888.
Lnit Abmnehs de Pi.
Das casas terreas, sitas roa des Pescadores n.
12, fregoasia de S. Jas, perteneente a Antonia
Francisca do Sacramento, 1 dita sita na Ca-
banga n. 38, idem perteneente a Manoel Paulo
de Albuquerque e 1 dita sita no becco do Qaiabo
b. 3, freguesia do Poco da Pane la.
Seata feira, do eorrente
A'i 11 hora
No armazem ra do Imperador n. 49
O agente Pestaa vender, por mandido e as-
sistencia do Exm. Sr. Dr. jais substituto da fa-
senda, a quem mais dr, as casas cima mencio
nadas com grandes eommodos para familia.
Leilo
De movis, loarse vidros
Sabbado, ti do eorrente
A's 11 horas
Na casa terrea sita a ra da Mangueira n. 7, fre-
guezia da Boa Vista
CONSTANDO;
De ama mobilia de Jacaranda com tampo de pe-
dra, 4 jarros, 2 candieiros para kerosene, 4 qua-
dros, 1 cama francesa, 4 lavatorio de Jacaranda,
1 commoda, 1 marquesSo, 1 bidet, 1 lavatorio, 1
mesa elstica de 6 taboas, 1 guarda loaca, 1 relo-
gio americano, 1 jardineira, 1 qnartinheira, 1 ma-
china de costura, 2 figuras, 2 escarradeiras, 4
quadros, cadeiras de janeo, 1 jardineira de junco
com pedra, 1 apparelho de porcellana para cha, 1
dit de louca para jantar, ci pos, clices, garrafas,
competeira, talheres, colheres, bandejas. 1 bomba
de japy, 1 gamo com pedras de marfim, e diver-
sos ps de crotons e roseiras.
O agente Gusmao autorisado por ama familia
que mudou-se far leilo dos movis e mais objec-
tos acims meocionados.
Dr. Anisar (arces Paranhos
Montenegro
Alguns amigos do Dr. Tbomas Gares Para-
nhos Montenegro mandara reaar ama misss pela
alma de sea idolatrado fi ho Dr. Arthar Garcez
Paranhos Montenegro, no dia 20 do corrate, s
8 horas da manh, na matriz de Santo Antonio ;
convidam aos parentes e amigos deste e daqaelle
para assistir.
t
Commendador Joo do Reg
UM
Brasilina Senhorinha de Mello Lima, JoSo do
Reg Lima Jnior, sna mulher e filhos, Jos Sa-
res do Amaral (ausente) e seus filhos, Joo Au-
gusto da Silva Freir, ana mulher e filhos, Fran
cisco Jos Jayme Galvo, ana mulher e filhea,
agradecen) sinceramente a todas as pessoas que ae
dignaram acompaobar ao cemiterio publico o ca-
dver de seu s>mpre corado esposo, pai, sogro e
av, JoZo do Reg Lima ; e uinda pedem a todos
sens parentes e amigos e aos do finado, o caridoso
obsequio de assisiirem as missas do stimo dia de
sea taecimento, qoe mandam resar por alma do
meamo, no dia 20 do eorrente, s 8 horas da ma-
nb, na matriz do Corpo Santo do Reeife, pelo
qne Ih^s serio sempre reeonhecidoa.____________
3 leilo
Xo da 1. de Agosto
A'S 12 1/2 HORAS
Na Cmara Municipal de Olinda
O agente Stepple, a mandado e assistencia do
Exm. Sr. Dr. jais de direito privativo de orphaos
e ausentes e a reqoerimento do Dr. Jo Vicente
Meira de Vasconcellos inventariaote dos bens do
finado coronel Joo de S Cavalcante de Albu-
querque levar a leilo os bens seguintes :
Urna parte do engenbo Itapirema.
O engenho Tab, moente e eorrente, comorehen-
dendo os sitios Tobaro, Gangassary, Saboe.ro e
parte da prrpriedade Pedreiras, serviodo de base
e efierta de 30:000*000
O engenbo S. Miguel, a vapor moente e eorrente
com dietillaco alambique de cobre e suas trras.
As trras em que est constituido o engenbo
Sonsa, sem obras.
As mattas denominadas Pitangs, distante 2 le-
guas do engenbo Tab.
O sitio, nascente de Macei, com 1000 ps de
coqueiros.
Metade do pequeo sitio Olho d'Agaa, por um
diviso.
Urna parte do engenho Tabatinga,
AVISOS DIVERSOS
Leilo
Leilo
De 1 carra victoria com 8 molas, 1 cabriolet ame-
ricano de 4 rodas com anoeii e 1 vscca tourina
Quinta feira 19 do eorrente
A's 12 horas da tarde
Na Passagem da Magdalena. Por oecasio do
leilo d movis ni. casa em que morou o Sr. Loop.
De bous movis, louga, vidros, 2 lustres
de crystal sendo l de 4 bicos e outro de
3, e 1 pianno de Bl.ndel, 1 candieiro
americano para kerosene.
SENDO:
Urna mobilia preta entalbada e consolos de pedra
1 piano do acreditado fabricante Blondel,|l rico
lastre de crystal de 4 bicos, 1 dito de 3, 3 aran-
delas de porcelana, 5 ditas de talo, 2 ditas de
crystal, 6 langas para costurados, 1 cadeira para
piano, 3 transparentes, 1 esteira para forro de
ala, S venezianas, 1 lustre americano para kero-
sene, jarros, etageres, lanteraae, 1 cama francesa,
2 guarda-vestidos de amarillo, 1 commoda, 1 ca-
bido de columna, 1 banca para p ae cama e 1
toleti.
Urna meza elstica, 1 importante guarda prata
obra do Rio de Janeiro, 1 gaarda-loaca, 2 appa-
radores, 1 sof, 12 cadeiras de janeo, 1 cbovisco
para banbeiro, 1 espn guicadeira, 2 marquezSes,
1 meia commoda, orna qnartinheir, 1 estante, 1
mesa para estante, 1 lavatorio de amarello, 1 ca-
deira de balanco duplo para menino, 1 dita alta
para meza de jantar, 1 iyra para grz, 3 mastros
para bandeira, louca, vidros e muitcs outros objec-
tos de ouro.
luarta feira 1H do crrente
A'S 11 HORAS
lo 2o andar do sobrado ?. 29 da ra do
Imperador
(Por cima do Club Carlos Oomet)
O agente Martina far leilo dos movis cima
ao correr do soartello por ordem de ama familia
qne se retiron desta provincia.
Da armacSo, gneros e uteocilioa existen-
tes na taverna sita a travessa da ra das
Flores n. 2.
Quinta-feira 19 do eorrente
A's 11 horas
O agente Gusmao autorisado, far leilo por
coata e risco de quem pertencer da armaco e
gneros da taverna cima mencionada, em lotes
a vontade dos compradores.
Leilao
Agente Pinto
Leilo
De moris, louca, vidros, candieiros a gaz,
espelbos e esteiras para forro de 'sala
Uuar feira, i^do correte
No 2.a e 3. andar do sobrado da ra
Marquen de Olinda n. 52
A saber: .
Sala da frente do 2.* andar
Urna mobilia de Jacaranda eom 1 sof, 2 cen-
slos com pedras, 2 cadeiras de bracos e 12 de
gnarnico, 2 cad-iras de balanco, 2 cadeiras es-
pregnicadeiras, 1 candieiro a gas todo de crystal
para cima de mesa, 1 candieiro de suspenao, 2
serpentinas de crystal, 4 qoadres dourados, 2 can-
dieiros com absjonrs, jarros para flores, e 1 espe-
lho oval douradj, 1 esteira forro de sala.
Sala de detraz
Urna mobilia ce o 1 sc.f, 2 mesas, 2 cadeiras de
bracos e 11 de gu mice, cadeiras de janeo, 1 se-
cretaria, 1 carteira pequea, jarros, quadros, 1
candieiro de saspensv e esteira forro de sala.
Quartos
Urna cama francesa de Jacaranda, 1 cama de
ferro com lastro de rame, 2 camas para meninos,
1 commoda, 1 guarda-vestido.
pala c: jantar
Urna mesa elstica, 1 guarda boca, 1 appara-
dor grande, 1 guarda-comida de rame, 1 armario
zatra loaca, 1 sof, cadeiras avulsas, 1 qaarti-
nbea, i cadeiras de balanco, 1 candieiro de sus-
ppasir. 2 ditos de parede, 2 quadros, leaos e vi-
dros.
Sak de detrs
Usa sefi peqaeno, 1 nssss de ferro com lastro
de paJhuibs, 2 marqoesas, 1 urmario para roapa,
2 jarras eom torneiras, 1 esteira forro de sak, 1
lavatorio eom pedra, 1 toilette, 2 malas pera vis-
gees.
O leilao principiar s 10 horas.
^^Bega ao amsao ais.
Alaga-se nma casa terrea travessa dos
Guararapcs n. 2 ; a tratar na ra Real da Torre
n. 21. ou na do Di. Joaqaim Nabaeo n. 30, na Cs-
punga.
Alaga-se o 1' andar da casa n. 43 da roa
Visconde de Inbama, tendo agua e commodja : a
tratar no andar terreo.
= Alnga-se o 2.* andar e totea da ra de S.
Jorge n. 139, a casa terrea e soto ra de S.
Jorge n. 122 ; na mesma ras n. 131, taverna.
Alnga-ae casas a 8UOO no boceo dos Cuc-
os, junto de S. Cono alio : a trsUr na ras d>
mperatris n. 76.
Precisa se de am criado
de idade, e de ama c siobeira
Bario da Victoria n. 39, lija.
de 10 12 annos
; a tratar na roa
Precisa-ae de una ama
Florentina n. 34.
a tratar na ra da
f
Dr. Jos itomft.guea de.Coas*
A mesa regedora da irmandade do patriarcha
S. Jos de Riba-mar, convida a viuva e mais pa-
rentes e amigos, afim de assistirem as missas qne
manda celebrar na mesma igreja por alma do nos-
so prestimoso irmo Dr. Jos Dominguea da Cos-
ta, no dia 19 do eorrente mes, pelas 7 horas da
manh, trigsimo dia de seu p ssamento, e desde
j se confessa saturnamente agradecida por este
acto de caridade.
Consistorio da irmandade do patriareba S. Jos
de Riba-mar, 17 de Jalfao de 1888.
O secretario,
Henriqne rWnflIss.
t
Dr. Arthar Garces Paranbos Monte
negro
Qaarta-feira. 18 do eorrente, 30 dia do falleci-
mento do Dr. Artbur Garcez Paranhos Montene-
gro, celebrar-se-ha na matriz de Santo Antonio,
s 8 horas, nma missa pelo rop .uso eterno da alma
do nv ftpo finado.
Manoel
Barros
Na roa
eosinbeira.
Pormosa n. 11, precisa-se de ama
O abaixo assignado, estabelecido em Tim
baba, tendo necesaidade de retirar se, fas ver ao
publico que vende seu estabelecisoento por preco
resumido, ou cede a casa com lavas, retirando as
mercadoriae, constando de fasendas, gneros, fer-
ragens e miadezas, e todos estes triigos offerece.
Declara mais, que a casa no pateo da feira n. 7,
muito bom ponte para negocio : quem pretender,
dirija-se a este logar o mais breve possivfaL
Timba liba, 10 de Jolbo de 1888.
Clemente Pereira do Nascimento.
de tlknqaerqne
Caiaimnle
Ursulina de Castro Barros, seus filhos, genros,
noraa e netos agradec in do fundo d'alma aspes-
s as que acompanharam ultima morada os rea
tos mortaes de sea presado enanca esquecido ma-
rido, pai, sogro e av, Manoel de Alonqoerqae
Barros Cavalcante ; e de novo convidam a todos
os seas amigos e parentes assistirem as missas
do stimo dia, qne sero resedas s 8 horas da
manb da sabbado 21 do eorrente, as matrises de
Boa-Vista nesta cidade, e nss de Palmares e Agua
Preta ; agradecendo desde j mais este acto de
reg'n e carida-)*.
CRIADO
De 1 importante e grande cofre ingles, prora
defogo do fabricante Milners, 1 carteira alta, 2
mochos, 1 secretaria com estante, 1 secretaria com
armario e gavetas, 3 prensas para copiar, com I Prcciss-ae de um criado para comprar e para
mesas, 6 livros para faeturaa ou cartas, 1 qnarti- Jcopeiro : a tratar ra Baro da Victoria n. 54,
n he ira de columna, 1 lavatorio de ferro com jarro ef Nova agencia de movis.
baca, 2 eabides, 1 sof de amarello, 2 forjas no-
vas portateis, 1 lastre de crystal com 3 bracos, 1
eapriguicadeira.
Sexta-feira 20 do eorrente
A's 11 horas
No 1- andar do sobrado sito ra do Imperador
n. 83
O agente Guarni competentemente autorisado
far leilo dos movis de escriptorio cima men-
cionados existentes no referido sobrado.
-------------------------------------------------------------_
De mo7.s, 1 piano do fabricante J. N. C.
Meyer, louca, vidros e diversos livros
i]instando de :
Urna boniti mobilia de amarello entalbada,
tampo do pedra e cadeiras de balanco, 1 bom pia-
no, 1 cadeira de Jacaranda para piano, 2 pares de
lanternas, 3 candieiros de gaz, 1 tapete grande
para sof, diversos quadros, 2 etsgers, 1 toillet, 1
gaarda-vestidos de amarello, 1 dito de Jacaranda,
1 secretaria de mogno, i eaiza de ebaro e tentos
de marfim para voltarete, 1 espelho sobre colum-
nas, 1 meia-commoda, 1 banca redonda de Jaca-
randa com pedra, l cama para menino e 1 ex-
cellente espingarda.
Urna mesa elstica de 6 taboas, 1 guarda-louca
de amarello, 6 cadeiras da junco, 14 ditas de Ja-
caranda, l sof, 2 consolos, 1 relogio de parede, 2
aparadores de amarelle. louca de porcelana para
jantar, dita dita para tlmoco, copos, clices, gar-
rafas para vinho, talheres, 1 trinchante, coiherea
para sopa, ditas para cha, 1 caa para farinha, i
machina de costura, 2 bacas de metal, garrafoes,
2 mesas de cesioha, 1 trem de eosinha e outros
muitos moris.
Neuta feira. de lulho
A's 11 horas
Na ra do Vigsrio sobrado n. 2' andar
O agente MARTI' competentemente auton-
aado far leilo, ao correr do martello, dos aovis,
pianos, livros e mais objectos existentes em dito
sobrsdo, roa do Vicario n. 5, 2*andar.
Agente l'estaaa
leilo
da casa terrea sits ras Visconde de Goyauu n.
96, esa terreno proprio, e da olaria cem todos os
seas pertences, diversos milheiros de tijolos da
diversas qnalidades e dnas candas pertesMsentes
mesma olsris, sits os estrada velha da Torre, de-
nominada Taqaary.
Cao de ra$a
Vende-se tres de cnse meses, proprios para via-
do ou raposa, crusados com ingles e 8. Paulo ;
tratar na roa do Cabug n. 12.
Vinho branco Figueira
Vinho verde especial
Chegaram para o Ribeiro a travesea das
Cruees n 16. S a vista fas f a elle an-
tes que se acabe.
Feira de Jaboal?o
Sabbado 21 de Jalho
Os agricultores e fazenleiros do centro
tragam seus gneros para esta feira, que
os vendem por muito mais do que na Vic-
toria, aqu fioa suppriudo aa feiras viainhas,
que sSo feitaa sos domingos, como sejam :
Tegipi, Muribeca e outras mnitas; do
mercado da capital maior parte veem aqui
fazerem suas compras, com pouess despo-
sas, sem perda de lempo, o agricultor que
oo lhe convier vender seue gneros por
qualquer motivo, tem armazem gratis para
deposital-os.
Cidade de Jaboatao, 17 de Jalho de
1888.
O restaurador da feira,
Magna'a.
falseira perdida "
Desde a rna d> Unio at a matris de Santo
Antonio, perdeu-rc domiogo 15 do eorrente, urna
palaeira com brilb'ntes ; pede-se a pesaoa qsea
achia obseqaio de a estregar prca da Inde-
pendencia n. 40, qqe aera generosamente gratifi-
cada. tfUti
Ballbaaar fioncaltea larhado
Felicia M. dos Santos Machado, Isaac Goncal-
ves Machado, Zacaras Goncalves Machado, Fran-
cisco Goncalves Machado (ausente) e Sara Macha-
do, agradecen! a tadas as pessoas que acompanha-
ram ao cemiterio publico o cadver de sen presado
marido, pai e soero. e bem aasim convidam as
mesmas pessoaa, amigse parentes, para assisti-
rem as missaa que por sua alma mandam rezar na
igreja da Madre de Deus, s 8 horas do dia 19,
stimo dp peo psmeno.

Cspliuo Vicente Ellaa Cavalcante
de Albuquerque
O bacharel Antonio Venancio Cavalcante de
Albaquerqae, sas mulher D. Joaquina deFiguei-
rado Cavalcante de Albuquerque e seus filhos,
mandam celebrar nma missa por alma de seo
sempre lembrado pai, sogro e av, capito Vicen-
te Elias Cavalcante de Albuquerque, sexta feira
20 de correte, terceiro anniversario de sen talle-
cimento, s 11 1|2 horas da manb, na matris de
Gamelleira, agradecendo da intimo d'alma a todos
qoe eompareeerem a este acto de piedade e amor
filial.
i

Honina para crianza
Precisa-se de nma menina de 12 a 14 annos de
idade, de bons cestumes, para se occupar em en-
treter ama crianca de um anno, d-se de vestir e
bom tratamento ; a tratar na ra Velha n. 36.
Sao lindas
As guarnicSes do vidrilhos brancos para vesti-
dos de noivaa a igualmente pretas, precos de 15\
a 30U0O, receberam Pedro Antones & C, 63, roa
Duque de Caxias.
Sao econmicos
Os espartilboa a Ida, proprios para se lavar sem
estragar as baleias, e tumbeen de mnitas outras
qnalidades para todos oa tamanhos, vendem Pe-
dro Antunes 6c G, 63, ra Duque de Caxias.
Nao resar quem nao quizer
' tal a variedade de macuaes para missa que
duvidamoa nao baver urna devocosinha para os
meamos, igualmeute para es crucifixos, com pias
de pedra reeebidas por Pedro Antones s C, ua
Duque de Casias, 63.
Um pouco de tudo
^Pedro Antunes & C. recommendam os seguintes
ar^os, para os quaes pedem urna particular pre-
fer ncia:
Inti'ressantes leques a Jamaica, gosto vene-
sianno.
Lindas pastas para papel, com inscripcoes.
Bonitas lamparines trans 3arentes.
Grande vsriedade em linba escosseza para am
delicado crochet, tudas aa odres.
Globos e espheras para guardar os meemos.
Ss tantos os artgos que nao podemoa descre-
yer em to ponco papel.
Nao se esqnpcam, o 63, ra Duque de Caxias
Sova Esperanza
uno en;
Sem dieta e sem modifi-
cares de costantes
Laboratorio central, ra do Visconde
i Rio Branco n. 14
Esquina a ra do RegenteRio da
Janeiro
Especficos preparados peio phar-
macentico Eugenio Marqi.es
de Hollanda
Approvados pelas juntas de hygiene d
Corte, Repblicas do Prata e Academia de
Industria de Pars.
Elixir de imhirihina
Sestabelece os dyspepticos, facilita as diges-
toes e promove as ejeecoes difficeis.
%'iano ale ananaz ferruglno* e
quinado
Para os chloro-anemicos, de'n la a hypoemis
ntertropical, reconstitne os oydropicos e beribe-
ricoa.
Xatrope de flor de aroeira em
anana
Muito rcommendado na bronebite, na hemopa-
tyse e as toases agudas ou chronicas.
Oleo de leslDdns ferruglnoao e cs-
eas de laraojas amargas
E' o primeiro reparador da (raquera do orga-
nismo, na fysica.
Plalas ante peridica, preparada
com pererlna. quina ejaborandr
Cara radicalmente as tebrea intermitientes, re-
anuentes e perniciosas.
VIbbo de Jurubeba implen e (asa
bem rerraglnoso, preparados
em ilsno de caj
Efficazes as inflamaces do figado e baco agua
das ouehronicas.
Vinho inico de capllarla e quina
Applicado as coovalesceneaa das parturiente
tierco ante-febril.
1 a Sun k G
RA TU MRQUEZ DE OLINDA
H wl h Fia Uoiao
DAS
F11.H VS 1>F. M VU1V
Sab o patrocinio de 3. gnea V. M. compilado do
Manual da Unio Primaia de Boma, do mesmo
titulo, e de outros livros de piedade, pelo cone-
go Or. Ananias Correia de Amaral, approvado
pelos Exms. e Bvms. Srs. hispes de Pernsmba-
co e do Maranho e srcebispo metropolitano da
Baha e primaz do Brasil e eminentissimos car-
deaes patriarcha de Lisboa e hispo do Porto, e
adoptado por muirs congregaces de Filhas de
Mara de Portugal e do Brasil.
Este livrinho, indispensavel a todas as Piihss
de Mana, por center os estatutos da Pa Unio e
a regra qae todae devem seguir, tambero um li-
vro de devoco, pois qae alm das oracoes da
missa. confiseo, ctmmaohao, etc., etc., tem am
copioso namero de devocoes, praticas de piedade
etc., etc.
1 volme do 480 paginas elegantemente enca-
deroado, em percalisa, marroquim e chagrn, com
folhas douradas de 1*600 e 4*000, venda as
LFraras F^ncsza e fnnstrial
Reeife
As Pihuas Catharticas
Do Dr. Ayer.
A experiencia do tempo, applicado ks Pll*l*# do
Dr. Ayer, tem dado approva$fto com os reeuitados
obtidos com as mesmas. Ha mais de quarenta annos
qae estas Plalas obtiveram urna popular i Ja
  • versal, qae nenhuma outra medecina purgativa tem
    podido rivalisar.
    As Pili-las do Br. Ayer, pareara completa-
    mente o ventre com suavidade, e fstimulam o lor-
    ficam os orgos digestivos e assriinilativos.
    As Pilulas do Dr. Ayer
    curam indigestSo e impedimento, e evitam multas
    serias e a miado fataes, ouformidades, motivadas
    por aquellas desordens.
    Para as doencas do Estomago, Figado e Rins,
    cojos symptomss sao as Kuermidades da Pelle,
    Ardor e Peso no . Dores de Cabeca. Hlito Ftido, Febru Biliosa
    9 Clicas Dores do estomago costas e espaduas,
    Inchacoes Hydropicas, etc., nada as allivia
    con ^r-tfnrana e proinptido como as PII.CLA9 do
    Dit. Ayhb; as quacs sao de grande utilidade no
    curativo das Hemorrhoidas.
    Como remedio domestico nao tem egual.
    PREPARADAS PELO
    DR. J. O. AYER e CA.,
    Lowell, 3Iass., E. U. A.
    A* venda as principies pharmacias e drogaras.
    Alnga-se barato
    Ba Visconde de IUparica n. 43, 2. andar.
    Roa do Visconde Pelotas n. 5.
    Ra de 8. Jos n. 74
    Roa do Bom Jess n. 47, 1. andar
    Sua das Crioalss n. 15 b (Cspuogs)
    Ras do Visconde de Itaparica n. 43 2*. andar.
    Kua Visconde de Itaparica n. 43, armazem.
    Baixa Verde n. 1B
    Trab-Be na ra do Commercio n. 5, 1 andar
    escriptorio de Silva 'uimarSes & C.
    Aluga se
    oa vende-se no Parnameirim cu Cruz das Almas
    n. 10-A ama grande e excellente casa com agua e
    gas, tendo nm b.m sitio, a qual confronta com a
    casa do fallecido Dr. Leal ; a tratar na roa do
    Apollj n. 30, 1- andar, oa em Fernandes Vieira
    numero 11.

    }
    I
    t
    < i
    Alnga-se
    oa vende-se a caaa aita Cruz tas Almas oa Par-
    nameirim n. 10-B, com commodoa para ama pe-
    quea familia, tendo nm bom sitio, e acha-ae
    limpa ; a tratar na ra do Apollo n. 30, 1* andar
    oueoa Fernandes Vieira n 11.
    Ama
    Ainda se precisa de ama ama que entenda de
    cosinba, lave alguma roupa e engomme, obrigan-
    do-se a dormir em casa ; na roa de Santa Theresa
    numero 20.
    Ama
    Precisa se de nma ama para andar com crianca,
    qoe d fianca de saa canducta ; a tratar na rna
    Marques de Olinda n. 52, armazem.
    Ama
    Precisa-se de nma ama para servico domestico
    na ra Bario da Victoria n. 69, 2- andar.
    Ama
    Preciea-ie de urca ama para
    Duque de Carias n. 6, 2' andar.
    cesinhar ra
    Ama
    Preeisa se de ama ama para engommar ; na roa
    Duque de Caxias n. 48.
    Ama
    Precisa-se de nma ama ;
    Imperador n. 2b', 3- andar.
    a tratar na roa do
    Ama
    Precisa-se de nma boa eosinbeira
    qae de Caxias a. 46.
    na ra Da*
    Al
    Precisa se de ama ama qae saiba
    com perfeicao, para casa de familia ;
    ua Bario da Victoria n. 7, 2 andar.
    engommar
    a tratar a*
    .r*M Preeisa se de ama ama
    terno de casa de familia :
    mero 23.
    para todo servico ul-
    na ra de S. Jos na-
    .AMA
    Anda se precisa de ama ama que saiba lavar,
    engommar, cosinbar e comprar, para casa de pon-
    ca familia ; na rna do Imperador n. 26, terceiro
    andar.
    Am e erial
    Precisa-se de nma ama qne se ja boa eosinbeira
    e de am criado qne entenda de sitio, para todo
    seivico; a tratar na ra do Cretpo n. 10, loja.
    Sellos do crrelo
    de Brasil (usados) compra em qnalquer quantia
    Erna, llayn
    Berlim, Allemanha, Friedncbat 108 L.
    Restaurador
    UNIVERSAL
    do Cabello
    da Senhora
    S. A. Allen
    Copltio .feasuisn Pedro o Bego
    asan-roa
    Josquim Pedro Barrito do Seg e Antonio Leo-
    cadio do Reg Barros mandam celebrar nma mis-
    sa aa igreja do Corpo Santo, as 7 1{2 horas do dia
    19 do cirreote, em suffragb d'alma do sen finado
    irmio capitio Joaqaim Pedro do Reg Barros,
    stimo da do sen infausto passamento, e este
    acto de rehgiio e caridade rogam a todos os seus
    parentes e amigos e aos do finado o obsequio de
    aM'S'irwn. _________
    Attengo
    Na na Bario da Victoria n. 14, 2. andar, pre-
    cisa-se de nma ama qoe cosmhe e compre para
    daas pessoas de familia. No mesmo ba asna se-
    nhora perfeitantate habilitada para leccionar en
    eaaaa particulares portugaez e francs, salas
    como todos os trabslhos de agulba, e florea de to-
    das os especies.
    sr. *fo Dsssisiassa da Casitas
    Alguns xmigos fl. i L>r. Jos Dtmicguea da Coa-
    ta. mandara resar nma onesa por ana alma no dia
    19 do eorrente, is 8 hora* da manh, na matris
    ddSanto Antonio ; convidam aos pxrentes e ami-
    para a siyiir
    d.
    ourao e aua aeobora Ajena
    Josepbina de Myra Conrado agradecem do intimo
    d'alma a todas as pessoas que ae dignaran acom-
    panbar nltlma morada os reatos mortaes de sna
    presada Alba (adoptivw) Bita de Myra Conrado.
    J chegou a ierceira remessa
    das agaas alcalinas mineraes
    d Mondariz em Pontevedra,
    na Uespanha
    ESPECIALIDADES
    para molestias do estomago, taes como : dispep
    sia gastralgia, catbarro chronico do estomago,
    ulceras simples.
    B Molestias dos intestinos, taes como : enfarta-
    mento do figado, ictericia, calclos buhares, dtar-
    rhea ohronica, etc., etc.
    M' I es tas das vas urinarias, taes como : dias-
    teser ricas, catbarro vesical, diabetes sacarina,
    albuminuria e gotta.
    as anemias, chlorosis, psoriasis, prnnigos e
    dores artrticas e outras rouitaa molestias.
    As aguas aleahnas de Mondaria naaeem de ro-
    chas granticas na temperatura de 180 eentigra-
    des, sio claras, incoloros de ebeiro parecido un
    pouco aos de ovos cosidos, sabor alcalino, proda-
    sindo am ligeiro sabor-picante na oceeaio de to-
    mar-se. Eiits sio clasaificadas no numero das
    alcalinas Q bi-carbonatadas de soda.
    Estas aguas achem-se i venda no estabeleci-
    mento do Sr. Antonio Affonso Simoes, sito i ra
    Visconde de Grojanna n. 1 (quatro cantos), esa
    Boa-Vista.
    para restaurar cabellos grisalhos,
    brancos ou desbotados sua cor,
    lustre e belleza juvenil. Renova a
    sua vida, forca e crescimento. De-
    pressa remove a caspa. O seu per-
    fume rico e raro.
    ' MA GARRAFA PRODUZIO O EF-
    FEITO." Eestaaexpressaousadapormuitas
    pessoas cujos aabellos grisalhos foram restaur-
    ados sua cor natural, e a parte calva coberta
    de cabello. K5o urna tinta e nao pode fazer
    mal algum. Se desejais restaurar o vosso
    cabello como na mocidade e continuar a con-
    serval cV assim, procorai sem demora de tempo
    urna garrafa do Restaurador Universal do
    Cabello da Sra. 8. A. ALLEM.
    Vende se nos Cabsllairos, Psrfaastss,
    Droguistas Ingleses e catas de modas.
    Deposito Principal: 114 e 118 Soathamptoa
    Bsw, Londres Paria a Hew York.
    nicos agentes GuimarSas A
    Per mar.


    t
    f

    >
    *'

    1
    I
    K
    Diario de PernambncoQnarta-lefra 18 de Julho de 1888
    PEITORAL DE CAMBARA DE S. SOARES
    Este importante e acreditado medicamento, contra a tsica pulmonar, asthma, bronchite. irritaclo e
    inflammaco do laringe, coqueluche, tosse, rouquido e perda de voz, Yende-se em casa dos agentes e depo-
    sitarios geraes nesta provincia *
    FRANCISCO MANOEL DA SILYA & C.
    ra do Mrquez de OUnda, n. 23; a 2500 o frasco, 13#000 1|2 duzia e 2#000 a duzia.
    Vende-se tambem em militas pharmacias e drogaras desta provincia
    Cuidado com as imitages !
    Cuidado com as falsificaces /
    AO N. 20 ~
    RA 1. DE MARCO
    Bsenles de carrapato
    Compra ao os graade* e pequen* quatldadw;
    * drogara de Francisco M. da Silva C.,i raa
    di Haryw de Olinda a. 38.
    fPrtiaclftterapiaaFapsr
    FABRICA
    ate Ilvraa ele rirrplareei*
    Premiaos nu exposicoes de 1882 e 1885
    Manuel J. de Miranda
    Encaderoaoo, paataeSo e eap*eialid.;de*
    em cartdee de viwta.
    89EUA DUQUE DE CAXIA839
    ________________Telephone194 '
    Professora
    Uma aeobora competentemente habilitada, eom
    pratiea de 10 annos de profisaao, offerec-se para
    lecciooar por casa* particulares e collegios na ci-
    dade on sena arrabaldes, as seguintes materia* :
    porfuguei, francei, italiano, geographia, pian* e
    trabalhos de agulha, mediante eatipulacSa rasoa-
    vel ; a tratar na ra Visconde de loyaena n. 09,
    on rna do Livramento n. 5, loja da borboleta.
    CORTES de cambraia bordadas, brancas e do edres, a 50000 e 65000, um.
    MERINO de duua largaras, preto e de cores, a 800 rs., 10000 e 10200 o corado.
    NANSOK finas, a padro a novos, a 160, 200. 240 e 280 rs. o cavado.
    GAZE arrendadas edr de creme, a 600 e 700 rs., o cevado (mitago de ssda).
    ESGUIAO pardo para vestido, a 360 e 400 n., o covado (daas largaras).
    SETIVl do JapSo fazenda de listra, a 240 e 280 rs., a covaoo; barato.
    ZEPHYRES di quadro, ultima novidsde, a 200, 240, 300 e 400 rs., o covado.
    METINS CACHEMIRA de quadro, pdr5es novos, a 320 e 360 rs., o covado.
    FUSTA O branco bordado, padrSes novos, a 400, 440, e 600 rs., o covado.
    PERCALES dars, padrSes ivos, a 200 e 240 rs., o covado.|
    RENDA indiana, fazenda de gasto, a 500 rs., o covads.
    RENDA hespanhola, com um metro de largura, a 40500, o metro.
    SAHIDAS de baile com matises bordados a seda, a 10500 e 20000, ama.
    MEIA3 cora pintas e arrendada para senhora, a 800 rs., o par.
    BALEIAS para vestidos, a 300 rs., a duzia.
    BICO reme e matizados, a 10500, 20000, 20500 e 20800, a peca.
    FICHUS de 15, tecidos modernos, a 10000, 20000, 30000, 30500 e 40000, um.
    COMPLETO sortimento de extractos que se venda rauito birato.
    ESPARTILHOS courac, 50000, 60000, 60500 e 80000, um.
    GRANDE vriedade em bordado e ntremelos.
    MADAPOLAO americano com 24 jardas, o 60500, a peca.
    ATOALHADO adamascado, fazenda novas, a 10200, e 10403, o metro.
    TAPETES aveludados para portas e sala, grande varidade.
    TOALHAS Mpudas para rosto, a 30500, 40000, 40500 e 50000, a duzia.
    TOALHAS aluochnadas com uma vara de coroprimento, a 40500, a duzia.
    LENCOS bran?os p-r manca, a 10200 e 10600, a duzia.
    RICAS oaixas com uma duzia de lencos de linho, a 20500.
    BRAMANTE de linho de quatro larguras, a 10800, o metro.
    BRAMANTE de algodao de quatro larguras, a 800 e 10000, o metro.
    CORTINADOS bordados, a 60500, 70500 e 80000, o par.
    CAMISAS allemils, linho e algodSo, : 380000, a duzia .
    LUVAS de sda preta e de cores, a 20000 e 20500, o par.
    SICAS grinaldas com veo da bUnd, a 80000 e 100000, uma.
    CORTES de setineta em cartSes, a 70000. fazenda de 160000.
    SETINS de,todas as cSres, a 800. 900 e 10000, o .-orado.
    GUARNICAO de crochet, para sof e cadeiras, a 70000, uma.
    PANNO da Costa de listra e quadro, a 10000 e 10200, o covado.
    LENCO ES de bramante, a 10800, 20200 e 20500, um.
    COBERTORES de cores e cota ramagam. a 20000, 20500 e 30000, no.
    GARDA-PO' para hornero, a 5000, 60000 e 70000, um.
    SEROULAS de bramante, a 150000, 180000, 200000 o 220000, a dnaU.
    CHEVIOTH preto e azul, a 30000 e 40000 m 50000, o covado.
    PARA BANHOS DE MAR
    Costumes para bomens, s-nhoras e meninos.
    AMARAL & C.
    ooooooooooo ooooooooooooooo
    TOSSE CONVULSA
    CURADA PELO
    Xarope de Mr. Bourgeois
    Este xarope o nico composto infailivel para a cara do coqueluche oa tosse
    convulsa, como se evidencia das seguintes considerares feitas pelo finado Dr. Joaquim
    de Aquino Fonsca :
    A pertinacia que apresenta a tosse convulsa n'aquslles que della sofrera
    faz que por vez-s suecumbam os doentes, sem que os medicamentos applicados con-
    sigam resaltados favoraveis, sendo essa agcelo tanto mais grave, quanto menor a
    idade dosaccommettidos; e por isso novas prepararles sao constantemente annnnoiadas,
    sem que a applicacSo conforme o que dellas se diz.
    Tendo eu encontrado em um dos peridicos franceses de medicina a noticia de
    umxaropa preparado por Mr. Bourgeois de Faverdaz, pharojaceu'.i;o estabelecido em
    Saint Just (Loire), e parecendo me fundado o que se dizia da sua virtude therapeutica
    contra a tosse convulsa, em consequen :ia das substancias que entravam em sua cora-
    posicao, piJi ao Sr. Brtholoma Franuisao de Souz* que mandassa prepara! o, segan-
    do a formula qa^ ea lhe confiava, afim de que podesse applical-o a tres doentes de
    dez mezes a cin'-o-annoa de idade, qae ea tinb* ero casa de um amigo; e coro effeito
    esses doentes nao tardaram em car resUbeleoidos, e desde entSo essa xarope tam
    apresentado o mesmo resultado, sendo notavel o qua ltimamente se dea com ama
    menina de 14 dins de idade.
    O xarope de Mr. Bourgeois de Faverdaz nao proveitoso gmente na tosse
    convalsa; tenbo-o applicado com satisfatorio resultado as toases intensas, e nao im-
    pcoficuo na asthma. Ainda nao tive occasiao de atr:-pender me de bavel-o applicado e
    seos resultados sao tSo hsongeiros que, depois de seis mezes de experiencia, me animo
    a recommendal-o aos meas collegaB como um meio. de qae podem lancsr mao com
    vantagern, quan'o ss acbarem as coadijSss em qua me bei visto ; devendo accres-
    centar que essa preparagio tem adquirido voga no departamento em que est estaba-
    ecido Mr. Bourgeois de Faverdaz, tornndose tao prpuUr que, apenas alli appare-
    cem meninos com tosse convulsa, que por vezes reina epidmicamente, seas paes
    se apreesam de cmpralo.
    Posso -.{firmar que o xarope contra tosse convulsa nSo p eparagao de cnarla-
    tao, e que no departamento, em que existe a pharmacia de Mr. Bourgeois de Faver-
    daz, elle applicado por todos os mdicos, que alli se acham establecidos e obtem
    excellentes re.ultados dessa preparacSo. ^^
    10 da Agoste de 1857. j
    lar. Joaqu'm Ec quino Fonseea.
    \.^B.-S, NICAMENTE
    NA
    PHARMACIA. E DROGARAI
    DE
    BARTHflLOMEU k C. SCCESSOR
    34BA LARGA DO BOSABIO- 34
    iUeSTRIUADIOlL
    COGNAC BRAZILEIRO
    DE
    A.
    M. VERAS & C
    PERNAMBUCO
    Esta exccellente bebida preparada cem todas as regras da sciencia, de sabor
    *3&roma igaaeg aos do cognac estrangeiro. O Cognac Orazeiro tem feito
    grande suecesso pelas provincia do norte e su!.
    Presos da fabrica
    PEQUEAS GRANDES
    Orna garrafa. 10000 105OC
    Cmadoaia...... 90000 120000
    O Cognac Braziieiro encontra-se na fabrica, em todos os botis, restauran,
    .ilh.rese vendas desta cidsde, o em Boberibe no hotel do Joad ejvenda do Jaciatho.
    ):o:(
    AIcool 40 pari(ica<,-~ J" "ufeectado, perfumara para bomoeopitbia.
    C Morse, Anemia, Catharro pulmonar,Bronchite chronica,
    Mtharro da Bexiga, Phtisica, Tosse conoulsa, Dyspepsia, Palia?.
    Pardas seminass, Catharros antlgos e complicados, etc^
    jSo^levard Seala. 1, em YAXXT; e na* priadrae* PnarmaoV/.-

    /;
    UTA MflIllE!
    5^3-CX>
    PANTBGON MUSICAL
    DE
    MELISSA dos CARMELITAS
    -rjiiico Successor
    dos Ca.rxcLeli-ta.E3
    ^
    pARIS 14, JRtu de l'Abbaye, 14 PARISO
    ==s^ Desconfiar q
    AS O
    FALSIFICACES
    Apopleja
    Cholera
    Enjo do mar
    Flatos
    Clicas
    Indigestes
    Febre amareila, etc.
    Lar o propcto ea qual v* envoltido
    cada vldro.
    Deve-se exigir o letreire branco a preto.
    en todos os vidros,
    aeja qual lor o tananho.
    DEPSITOS SU TODA AS PHAEXACIAB
    do Vnivero.
    ooooooooooo oooooooooooo
    FDNDICAO GEiAL
    ALL4NPATERS0N8'
    N.44Btia do Brum-N. 44
    'UNTO ASfA()A0 DOS BOSDS
    l'em para vender, por prei.o raodic, aa segui tea ferragem:
    Tachas fundidas, batidas e caldeada*.
    Crivacos de diversos tamanhoB. ,
    godas de espora, idem, dem.
    Ditas angulares, idem, idem.
    Bancos de ferro com serra circular
    Gradeamento para iardim
    Varandas de ferro batido.
    Ditas de dito fundido, de lindos modelos
    Portasd fornalba.
    Vapores de forja de 3, 5, 6 a cavaUos.
    Moendaa de 10 a 40 pollegsdas de panadura
    ous a'agua, systema Leandro,
    jincarregam-se de concertos. e assentamenta da maohinia oxooattua
    quer tr .balho com perfeicSo e presteaa.
    grageas de Ferro Rabuteau
    Laureado do Instituto de Franca. Premio de Therapeutica
    O emprego em medicina de Ferro Rabuteau baseado na Sciencia.
    AsVerdadeiras Grageas de Ferro Rabuteau sao recommendadas nos casos de
    Chlorose Anemia,Plidas Cores, Corrimentos,Debidade,Esgotamento, Convalescenexa,
    Fraqueza das criangas, Depauperamento e Alteracao do sangue em consequenc de
    fatigas vigilias e excessos de toda a natureza. Tomar 446 grageas dor da.
    Xem Constipacao nem Diarrhea, Assimilafo completa.
    Elixir de Ferro Rabuteau recommendado as pessoas que nao podem engulir
    enjrulir as grageas. Um calis de licor aos repastos.
    Xarope de Ferro Rabuteau especialmente para as enancas.
    uil Um* explicado detalhada acompanha cada frasco.
    Exigir o Verdadeiro Ferro Rabuteau de CLIN & Cia, de PARS, qm se
    encentra em cata dos Droguistas e Pharmaceuticos^^________^^
    PARS FAMERICA
    16-Rua Barao da- Victoria- .6
    (ANTIGA NOVA)
    AZEVEDO IKMAO&
    Participara as Exmas. amilias que teem um vanadissimo sortimento de tazen-
    nas e vendem por precos sem competencia
    Mil BMftO DI VIGTORIi13
    Este estabebelaeimento aliu de um grande sortimento de
    MSICAS ISSIBUSISSIDSe sens pertences, recebeu tamben
    agora os seguintes artigos a presos razoaveis e moitissinw
    elegantes:
    Velocpedos para meninos.
    Prados para jogos.
    Bercos de vime.
    Remedio para callos.
    Realejos de 4 e 6 pecas.
    Brinquedos para menino*.
    Estampas religiosas (fnissimas).
    Tacos e solas para bilbar.
    Porta msicas e bengalas.
    Occarinao e diamantes.
    Tinta e oleo para impressao, et
    etc.
    Carrinbos para enancas.
    Transparentes para janellas.
    Cestinhas de madeira.
    Jogos de rollta e domin.
    Pboenix (realejos modernos).
    Camas com lastra de rame.
    Papel para forro de casa.
    Moldaras para quadros.
    C lixinhis de msicas.
    Harpas americanas.
    Ai'cordeons modernos, etc., etc.
    LOJa. DO AZ3T.SD0
    13Ra Bar da Victoria13
    qual-
    Ferfomaria- Oriza
    L. LEGRANO, PAIS, ra Salnt-Honor, 207
    ESS.-OBIZA SOLIDIFICAD/
    PfiBFUMES CONCRETOS
    mvKNCiOSClKNTIFICA C0HJJIPLOUA DE DJVKNCAO EM PaANCA 7, NO ESTHANGETHO
    Os Perfumes /solidos da Ess.-Oriz. ___
    rr-ianoi par *> a attano doto, aauM fni da caocutrati* uaviaii at entat MoamcMa
    Sao encerrados, debaixo da forma de Lpi* ou Pastillias, dentro de frasquinhoi u
    tidrii.hos ficit de levar com sigo. Esses JLpiB-Perfufte nao se evapro e pdem tar
    substituidos por outros, quando eativerem gastados.
    a enorme rantagem de communicar o chairo aos objectos pMot em oontacto com ellet,
    molharesem os estragar. BAST ESFREfiAR UKHITE HU PtsroM lajSTAaTAMEAJKrTTE
    ////////
    todo. xuaU.Qru.sr Bous* Brancas, Papal, ato., ato.
    au TODAS AS PBIN01PAJ13 Ruts-t* qutm o pstlr, franco efe r'Bfta
    paaTOMAiUA8 DO MUNDO I o Cataoo oj Perfuma, com ot pracoa.
    Caps de seda, etamin o merino de 25t)000 a 35<>UO.
    Enxovaes para casamento, pre5os sem rival.
    Penteadores todos bordado* da 70000 a I0*000- .
    Vestidos de cambraia branca bordado de 18,J000 a SotJO.
    Lindos cortes idem idem idem de 70000 lOtjOOO. ^^
    Cortes de cambraia branca arrendada, novi i?de, a 60000.
    Bico preto de seda cora um metro de largura, a 60000, o metro.
    Dto branco e creme idem idem, a 50000, o dito.
    Bonito* cretones claros, cores firmes, a 240 rs., o covado.
    Zepbyros de diversa* qualidades, a 160 e 200 rs., o covado
    La8 de quadros de agrada veis padrS'S, 320 rs., o covado.
    Dita* finas de duas l&rgurrs, a 10000, o oovado.
    Cortinadoa de cambraia bordada de 70000 a 100000.
    Ditos de crochet de 250000 a 350000.
    E diversos artigos cujos precos admiram.
    Telephone o. 20^>.
    iiJttiiitiA''''^!!,!!^>>"ll"M<,M.........**
    SAUDE PARA TODOS.
    UNGENTO HOLLOWAY
    O Ungento de Holloway um remedio infailivel para os males de pernas e do Pf^H^^I*
    as ferSas antigs chagas e ulceras. E famoso oam a gota e o rheumasmo e para todas as enfenni-
    dades de peito nao se reconhece egual
    Para os males de garganta, bronchites resfriamentos e tosses.
    Tumores as glndulas e todas as molestias da pelle nao teem semelhante e para os membros
    contrahidos e induras recias, obra como por encanto.
    Essas medicina o preparadas smente no Estabelecimento do Professor HoujJWAV,
    78 HBW OXFORD STEEKT (antea 633, Oxford Street), LONDRES,
    E vndanse em todas as pharmacias do universo.
    t9 Os compradores slo convidac respeitosameiit a examinar os rtulos de cada caixa e Pote, se n&o taen a
    "" F direccao, 533, Oxford Street, sao falsificasoes. _________________^^^^
    f-LTERIA DA VICTORIA
    novo mwo
    "ruio Diaior 4:S02000
    POR 20000
    oh :**!OOO
    POB 1A(X)0
    PAGAMENTO INTEGRAL DE TODOS OS PREKOS
    Caaa flNKT, fundada em 18B2, PAflIS
    i EXPLOTAQAO GERA CATCHC
    roa kow 'focessos upetritcMom
    artnaUDOEriinRBIEnCSialE0lCIMeCIRUR6li60MHatfJc*N
    TJrlnc*., 8orlnos, Boraoha.-P.ra para Inl9?' a^uT^aoX^L.
    Ftverlaadore. J>Ssrio., Funda., ontoaa.. Tubo.. Bioo.de Mamadasraa,
    ariaaaoraa. reaaarios, *oas, """-' -----:-----------;TTI
    Ajmo-adasi Bollaa para lnt*oces para qualquer no, atsV, ato.
    n*raa I. lAUaSSIl a C, Geodw K SBcewser, 34, roa Turbigo, 34, P1M-
    Eatabeleclmento fabril fe vapor: AX LTLAS, parto de Parla
    . a. 4 irmmr raga, tmprt orneante dea noaao* productoa tde dado lotar
    a fthMeaeata, cenrar enltlr a llana a. M. C".
    iaaajajIlllllM......................."
    Licenciado pala Inspeotorle de Hwane flo Imoerlo oo_ wn^ _m^^mmm
    CAPSULAS de SNDALO CITRIN:
    a. Savaresse
    Semanaes e intransferiveis
    Esta lotera compe-se de 6.760 bilhetea divididos em meios, do custo de 1*000 cada ajafe. Di,
    tribue-ae 7 "L do capital em 1.429 premica ao publico. .' ... .. M .
    Paga todos oa impoatoa, e ten. o valor doa premios garantidoa por um deposito de apouces da
    divida publica eeral do Estado, no Thesouro Provincial deata cidade.
    As extraces sao feitas p.la aperfeiooada machina Fichet., publicas e presididas por autori-
    dades arte fiacalisam o sen macbiniBrm. .... ,
    O novo pUno em seguida pubcado deua claramente ver que de todos, o que. actualmente
    mais vsntaeens offereee ao publico, nao 6 congenere, como tamben pelo resumidissimo numero de bilbetes, seu diminuto custo e consequen
    limitado capital a saber : .vi, o ---------..x,o ja,. I--------
    100*000 200*009
    30*000 60*000
    20*UO0 40*000
    2*0001:352*000
    1 premio de
    1 dito de
    1 dito de
    2 ditos de
    4 ditos de
    10 ditos de
    20 ditos de
    32 ditos de
    100*000
    50*000
    20*000
    10*000
    5*000
    4:500*000
    80>#000
    200*000
    200i0n0
    S00*C00
    200S0OO
    200J0C0
    OOO
    a
    2 approximac.'S do 1- pre-
    mio a
    2 ditas d) 2- premio a
    2 ditas do 3* a
    676 finaesde 1 letrado 1- pre-
    mio a
    670 dito* para 1 letra do 2* pre-
    mio a
    2*000 1:352*000
    PrtrparaoKo alamna A raala ofoaa contra a
    BESTIAS LSaH-"Sa2*
    miaTtmom Capsulas umitmrwalmente nc^e^n**** l^tSST
    amb, mon v. m uvEarooi. **+**. %******_"
    MO
    v
    aria*
    LOMDBaa.
    pFTO
    PHOSPHATO CAL GELATINOSO
    di e. l-EROY, farma^julico fle i" ClassB, 2, na DaiBBu, PABIS
    OBTEOGBXEO san a iaaMvalTtaaata i a owUeia aa a-tutM. caMia a laUtlta a loMIa *"
    Becrraraenoamos este Xarope osMdicos e aoDoentes. de^?satjor^radavel^dfl>*
    lacio faca e mil reaes superior a todos os xaropes de lacto-phosphato irrentados pe eepocar-
    . JE. i^ft b^-mss .tos, ?sg3Z ^SSSSB&Stfe*
    VINHO PHOSPHATADO DE LEROY mZ **&
    Depositarios em Pmtmlmco
    M. da SILVA


    8
    Diario de Pernamtiore-^n^rta-feira 1S de Julho de 1K88
    i



    .
    i

    I















    OLEO HIGHLIFE
    Oleo que maior ac-
    ceitago teve n'este
    mercado pelas suas
    qualidades hyg-ieaicas
    e suaves perfumes e
    por ser puro de a^ien-
    doas doces. Cheg'ou
    nova reroessa para a
    loja da ra da Impera-
    triznv&0.
    Engommadeira
    Precisa se ce ama, qoe engorme bem e ensa
    boe slguina rcupa para casa de pequea familia,
    qoe durma em casa ; na roa do Con(*e da Boa-
    Vista n.24.___________________________.
    Malher idosa
    Precisa se de nina muiber de meia ida le para
    faser tlguns trab*lbos un casa de tamilia, roe-
    diante un pequeo ordenada ; a tratar na roa
    Velba n. 36.
    Linaria, encadernacao i tnooi-
    Stoa du loaaeraaor naaaero tS
    Livros de jonsprudeneia, direitj,, litteratura,
    Ciencia e religiao, ii vrus para iustroocao primaria
    a secundaria, livros em branco para escriptara-
    oio coomercial. tinta para .copiar e para eecr'ever,
    de diversas corea, artigo* para eecriptorio e diver-
    los objectos de gesto e pbantasia, papis pintados
    para forro de sala, quarto*, restarame, etc.
    Encaderna-se c m prestes* e segurase*, mrca-
    te com nitides cartees de visita e imprime-se coro
    jerfeicio qnalqoer '.rabal bo typographico.
    Precos mdicos
    Rna do aaeranlor o. 79_______
    Estoque e pintura
    Evaristo Rodriga, a Viaon, chegado a esta ca
    pital de volta de ana viagem, fas soienta aos se
    nborsa danos de obra, que te acna exercendo coa
    profisaSo tendete a cu* arte.
    Pode ser procurado ra do Bom-Jesni n. 41
    on em casa do Sr. Francisco Manoel da Silva,
    ra da Cadeia.
    Fabrico de assucar
    Macblolamo don fabrcame Doean
    Sievrari A C. de tlaou
    CjnBtrufe) da mais moderna e aperfeicoada *
    de grande durato.
    Moeoda com prselo bydraulica de Stewart que
    j a melbor expresao onhecida at buje.
    Caldeiras com eeonimiaador, especialidade des-
    teB fabricantes.

    * r~I

    m
    O.
    9
    e
    l

    s
    o
    ni
    >
    fcitJULtiMtgglO^il
    REMEDIOS
    LEROY
    Populam era FRANQt, na HKICA,
    HBSP'HHA, no BRAZIL,
    onde sto autorisados ofla Junta de Higiene
    Medicaco Depurativa e Re-
    conatituinte dando toda a facilidade
    para se tratar so, por preco Darato, e
    se curar em pouco lempo.
    Basa mi'icaco expulsa rpidamente
    os humores, bs, humores viscosos vi-
    ciados que occasionam ccousrrvam as
    molestias; purinca o saugue e lmpede
    as reca tildas.
    x
    Fornalhaa para queimar o bagaoo verde em di-
    reitnra da moenda.
    Os apparelbos de Vacuo e Triplo effcito sao de
    syete na moderno como tambero as turbinas oa cen-
    'rifugo.
    Ornamentos e rucie ioformaces em casa de
    Browns & C.
    Ra do Commercio n. 6, andar
    2
    I
    O
    \*
    i
    i
    i*
    Ir
    ft."
    C3
    S
    I
    c
    o>
    n
    5
    K
    CB
    S
    _ o
    a erq t.
    ?>3
    B S-ft.
    -.?
    5 o
    S.2.*
    5' *
    !i
    s s
    21
    Campos k C.
    era
    Pao teoteo
    Mella & Biset avisam ao respeitavel sabuco
    que todas aa teryas e sextas reirs teem ente sa-
    Doroso pSo ; ra larga do Rosario n. 40.
    Bda cozinheira
    Prr-cisa-se de n*ro, preferiu-^o-se idosa,
    'a ru da Uni2o n. 55 por traz do Gynina-
    [Bc Pernambujsno.
    PurgantesLeRoyl
    LQUIDOS
    4 GRAOS, dosados segundo aidade. con-
    v3m especialmente as Molestia-
    Chronicas.
    A
    Extracto concentrado dos Reme-
    dios liquido podendn substituil-os.
    para as pessoas que tlverem repu-
    toiancia para os purgantes lquidos.
    85o infallivois contra : Ah lima, I
    Catarrho, Gota, KheumntiHino, [
    Tumores, t'leeraH, Perda Ao
    a>>etite,FebreK, CongenUien, .Wo-
    Irstins rf Fgnilo, Impigen*,\
    Verntellitliie*. .lIvuopati*a, ele.
    -NAO SE DEVE ACEITAR'
    qolquer prolnrtoque nao tirar o enJereco da
    Phcia COTTIN, genro do sr. Le Roy
    Ra do Seine,51, PARS ,
    ParOPITO EM TODAS AS PHAXMACIAS
    Olhem o prodigio
    Naraa das Calcadas n 4, vende se a 31000 a
    garrafa, remedio pura o rheuroxtiem, tanto agu-
    do cem gotoso, curando o radicalmente por mais
    actigo que si ja, em mn m z.
    Precisa se
    de nm moco de 12 a lannos de idade, para dis-
    tribuir nma obra literaria entre o eoromercic e oa
    hornees de lettrup, dando uro fiador sobre a con-
    ducta ; a tratar ua roa Velba n 36 ____
    ialaTa'iar-Sfl
    Aluga-se a sala da frente do 1- andar do ao-
    brado n. 46 ra Duque de Oxias, a qual est
    forrada a papel e pintada, prepria para escripto-
    rio ou morada de rapai solteiro ; a tratar na loja.
    Beftldencia
    O abaixo aseignado comrouoiea aos seas amigos
    Jae esta residindo ra Coronel Snassnna (antiga
    .ugusta) n. 252.
    Esdra de Souza.
    AS
    Enfermidades Secretas
    BLENORRHAGIAS
    GONORRHEA8
    FLORES BRANCAS
    CORRIMENTOS
    recentes ou antigos s?ri curados em I
    poucos dias em segredo, sem rgi-
    men nem tisanas, sem cncer nem
    molestar os orgos digestivos, pelas|
    e injeepao de
    KAVA
    DO DOUTOR FOURNIER
    Cada Pilula ten: gravado tt^"^
    PILLAS, 5 FR. DCJECAO, 4 FR.
    PARS, 23, Place de la Madeleiae
    r.
    VENDAS
    Vende se urna cadeir de ora cao, raaifo bo-
    nita obra, omito bem feita, e ama cadeira de pia-
    no, de Jacaranda ; tambero vende-se plantas mul-
    to bonitas para ornatos de sala e jardim ; no Ca
    minbo Novo n 128.
    Vende se urna casa com 2 qaartos, 2
    salas, cosinha, quintal e cacimba, sita travessa
    da Mmgueira n. 9 f Boa-Vista) ; a tratar no pateo
    do Carmo n. 25, de 1 horas s 2 da tarde.
    Beis de carro ja
    Vende se bois gotdos e mansos, habituados ao
    trabalho de earr.es ; a tratar na Companhia do
    Beberibe.
    NOVIDADES E,PHANTASIAS
    Capas e pllerinaa pretaa e enfeitadas, de
    cachemira, gorgorao r raerio.
    Veos e eapellaa para noiva.
    betim e Seda branca para casames^.
    Cortinados de crothet para cama e ja-
    nella.
    Colchas de seda para dovob.
    QorgorSo preto, diversas qualidades 0 pre
    eos.
    Sedas 6 aetios de odres, lisas, listras e de
    quhdros. i ,
    Merino de quadro, fasenda nova.
    Capas bespanholas para theatro a preco
    de 2^000 uma.
    Sortimento de meias brancas e de cores
    para sen horas e criantes.
    Espartilbos, sortiroento completo.
    Tapete para janella e stfa, sortimento.
    QrmdiB aosltifas e esteiraa para forro de
    Bula.
    Alm de muitos outros artigos que nos
    imposaivel mencionar.
    I Hu do Crespo-*l
    OLIVEIR-V CAMPOS & C.
    yENDE-SEMAISJiATfl
    Na Loja das Liste km
    i
    Medallia de ORO. Pai 1885

    Quem qaizer alagar o 2' andar do sobrado n.
    43 roa da Aunra, procure entender-se com os
    8rs. Negreiros, ra da Imperador.
    Cimento portland
    Vfnd'm em barricas de 150 e 180 kilos Quima
    raes & Valente
    6 Corpo 8into 6
    21
    Oliveira Campos k G.
    PECHINCHA EM FAZENDAS
    L's de quadros, padiS^s modernos e r6res
    lindas, a 820 e 360 rs., o covado.
    FustSes braucos, superiores, de 400, 500
    e 640 rs., o covado.
    Morcolina branca de listra e adamascada
    .para casacos, a 500 rs., o covado.
    Crotones modernos com ferradnras e an
    coraa^a 400 rs., o covado.
    Fustoea3le cores, padroes lindos e edres
    ciara|J*a 500 rs., o covado.
    Grorgorifls de cores, padrSes lindissimos
    Setinetaa branca, preta e de cQres de to-
    dos os preces.
    Batistes de cSres, a 200 e 300 rs., o co-
    vado.
    Fechas, sortimento completo, de 20000 a
    ^ v 6(J000, um.
    Cosinheira e copeiro
    No predio n. 8 do pateo da Santa Croa precisa-
    se contractar urna fe e peiteita eoainbeira e um Carobraia branca tapada e transparente, de
    bom copeiro, paea-se bem.
    Cosinheira
    Preeisa-se de uma cesinbeira ; qiem eativer
    habilitada, pode dirigir-se roa da Imperatris n.
    9, 1- andar, paga ae bem.______________________
    Cntelas lo Monte de
    Soecorro
    Compra-se cautelas de qualquer joia ou brilban-
    tea, paga-ae bem ; na praea da Independencia n.
    22, loja do relojoeiro.
    FLHETIM
    TESTAMENTO TSRHELHO
    POR
    XAVIR DE M0NTEPIN
    SK(.IVIH PARTE
    ft CAGtOfe DAS MEDALHAS
    (Continuacie do n. 160)
    XXXII *
    Senbor, disse elle ao eropregado ven-
    dedor, acabo de eomprar-lbe um bilhete de
    segunda clanse para Tours, roas vieram pre-
    venir-me agora de que a minha presenga
    esta noite em Pariz indispensavel... Par-
    tirei amanha.. O mea bilhete n2o pode-
    ri servirme... Ser-lbe-ba possivel reoe-
    bel-o novamente?...
    ___ laso e contra o re galamente, se-
    nbor, replicn o empregado. O nnico re-
    curso que lhe resta procurar ama pessoa
    que va para Tours e queira finar com o
    sea bilhete...
    Nesse momento apresentava se um via-
    jante no poatigo.
    ___Segunda para Tours... pedio elle.
    , Abi est jnstamente o que o senbor
    precisa... disse o empregado a Renato.
    Este offereceu o sen bilhete ao viajante,
    que aoeitou-o sem a menor diffiouldade ;
    rebavendo o preco da ana passagem, o ex-
    eminarista foi installar-se no cal da esta-
    eSo, onde devia esperar que o enviado do
    *Dr. Thompson foeao bscalo.
    Abvsum b>gsgens iam partir sem elle ;
    mas pooco imporuvs-lhe isso ; Tejlamal-as-
    bia no dia seguinte em Tours, apreaentan-
    do o aeo rooheoimento.
    Mandn vir ama soda gelada, porque
    senta a garganta em fog, e, sacando a
    carteira do bolse, tiroa della algumaa no-
    tas e poz em ordem alguns papis.
    Essa carteira achava-se bastante oheia.
    Continba aa contas dos objectos ooropra-
    mu
    30U0 a 6,5000, a pe5a
    Bramante de linho e algodSo.
    MadapolSo e algodao, sortimento completo,
    a preco baratissimo.
    a I na do. Crespo -1
    OLIVEIRA CAMPOS & C
    .*' ra Duque de Ca la* n
    TELEPHONE 211
    O proprieb-rio deste muito acreditado estabe
    lecimento, previne a todas as Ezmas. familias e
    a todos os seus fregueaes, qne as suas peebincbaa
    que costuma a dar,alo s&o e nem nunca foram
    divididas de out. a casacomo algui-m annuncia
    para Iludir e vender fazendas ordinarias par
    bdas,'coBtome que a Leja das Listras Azues nao
    tem; as fazendas vendidas uesta casa sao de
    qualidadr superior, e mais baratas ; d descont
    a qualquer fregus que compre de 20 para cfoa,
    e para que o respeitavel publico eonbrca o quanto
    aio baratas nessas fasendas, daremos aqu ls
    precos resumidos de algnns artigos aos qoats nin-
    goem poder fair cnaipe'enci.
    Rfovldadtg
    Renda d'Anatrla taaenda arrendada em
    listas e quitaros, cum cores crate, rosa azul e
    branco, a 500 rs., muir lind-s para baile.
    Teeldoa de (nb i abertos com quadros lar-
    gos ou liatraa, faienda maito larga, e de todas
    as cores a 600 e 700 rs. ultimo tecido da m d..
    Hirlaoo infestados preto e de todas as cores,
    500, 7(K) e 1*000.
    Naosoe de lindas cores seguras, desenbos
    n v s a 280 rs.
    liioon bordado, de todas as cores, imitacSo
    cachemira, a 240 rs
    Jetlm de Maeao. brinco, preto e de todas as
    edres, a &00, 900 e IJO'JO.
    tlgodtonnho a c.m 4 palmos de largura
    500li p ca.
    Chitas fin89, percales cores seguras, a200 e
    240 ra.
    Bramante com 3 e 4 larguras para lences
    de 700 at 1*00.
    Curllnacf < bordador, de crochet desde
    6 at Vt.
    Ar.os diversos
    Eelcgios d-spertad rfs amerieaoos, luvas de
    seda e fi > de Esccssia, meias para bomem, senbo-
    ra e meninos, leques de setim brancas e transpa-
    rentes, de lindas cores, baleias, esparti boa para
    senhora e meninas, leera braucos deade 1^200 a
    dazia bordadua tapados e transparentes desde
    200 rs. a peca, brim pardo, para vestidos e ronpa
    de meninos desde V0) rs., enxovaes para bap'isa-
    dos, desde 6*500 completos, grinaidas com ricos
    veas de Klond seda, e outros moitss artigos que
    todo ae encontra por qualquer preco e acceitamos
    a fazenda vendida se por qualquer circunstancia
    nSo fdr de agrado da pessoa por quem fr com-
    prada.
    Aviso aos dossos Iregaezes
    Para evitar eneanos. .aa nosaaa *id 5n
    embrulhadas em papel riscado de azul com em-
    blema da
    Venda de sitio
    Vende-as oa permuta so por predio nesta cidadt
    um boa ,sitio coa biacaaa, rauitas fructeira
    eicellente bauho da rio, boa agua de cacimba,
    ezt-sasao de terreno para baiza de capim, tod>
    murad ona frente, com porto e gradeamento, pos
    caminbo de ferro e estacio junto aq dito sitio, n-
    Porto da Madeira, conhecido pele sitio da JosV
    Sclleiro, junto ao Dr Ernesto de Aquino Pona
    ca ; qaem pretender dirija-se 4 praoa da lnde
    pendencia n. 40, das 11 horas s 4 da tarde.
    Sui generis
    Detestamos os artigos bombsticos com
    que alariamente se en-hetn os jornaes desta
    capital, annunciandq como eapeciabdade o
    que nunc.a passou de mediocridade. Somos
    positivos, e como taes s timbramos em
    nao engaar sos que nos dispensara a sua
    amizade e auxilio.
    Acabamos de receber nova remesas do
    j afamado e especial vinho
    Maduro
    O consumo extraordinario que este vinho
    tem tido faz-nos acreditar ser este o unice
    que rica substituirlo essea outros que por
    abi denominam--Bairrada, Figueira, Car-
    cavellos, etc., etc Duas sumruid es me-
    dicas d'esta capital, recommendam aos seus
    amigos o uso quotidiano d'este vinbo. oemo
    mais salutar econoroia humana por nao
    ter as cornposicSes de tantos outros, qua
    arruinara a sau.de da humanidade, trazendo
    como conseqaencias os horrores a uma po-
    pulaco que se denaba a olhos vistos.
    Recebemos tp.mb.em o
    Requeijo
    em latas, do procedencia de engenbos cujos
    proprietarios caprichara em bsm trabalhar
    neste artigo, afim de terem a primazia so-
    bre tantos outroa similares, cuja eompoai-
    (io duvidosa.
    Ero outros artigos como .
    SEM ENTES DE HORTaLICA
    E FLORES, LINGAS SECCAS DO
    RIO GRANDE E
    OBJtCTOS DE VIME
    para isto to pouco temos competidor, A
    aossa casa especialista e al pessoas que
    disto se queira a certificar pdero compa-
    recer, com o que muito nos hoorarao.
    A par de ama intnidade de artigos de
    primeira ordem, que se achata em exposi-
    co, accresce a amenidade do trato coro
    que timbramos tratar to'os os que nos hon-
    rara com sua preanca, junto a modicidade
    de precos se aa Estreita do Rosarlo o. 9,
    juuto Igreja
    Po^as Hendes J G.
    ATKINSON
    PERFUMARA ingleza
    afamada ha mais de um scalo; eicede\odu
    as out rspelo sea perfume delicado e exquisito.
    I'KrZ MEDALHAS DR OUHO
    PARIZ 1878, CALCUTTA 1884
    peli extra-fina excelencia desuaqualidade.
    Perfumes moderno* de Atkinsoo
    FAGRili k CYMB1DIM
    sao de um raro e ,iculiar perfumes, ten do sido
    registrados s podem ser obtidos por intermedio
    dos Id ventores ou seus Agentes.
    LOCAO DE oniHIHO DE ATKISSOH
    sem riTsl para forial-cer e embelezar os cbelas
    Garantida inoffensiva.
    AGDA FLORIDA BE ATKIKSOK
    perfume excepcional para o lenco; distillado
    da mais exquisita escoma. 4>
    builnu e> Cisi de U4sHenelutes e FibriuoUi
    J. & E. ATKINSON
    24. Od Bond Street, Londres.
    tUarraaaFabrUa U-a" Rosa branr _,
    sobre urna Lyra de Onxo.
    A' FLORIM
    Um saldo de 600 pegas de bordados da
    maito bda qualidade, cambraia Victoria
    proprios para casacos de senhora, vestidos
    de meninas, calcas e saias, com 4 e 5 de-
    dos de largara, a 10400, a pega.
    Idem.com 4 e 5 dedos de largura, e uma
    chave, a 105OO, a pega ; todos com 3 1/2
    metros garantidos.
    Grande sortimento de rendas
    Bico branco, de linho, a 1)5500, 2000,
    2*500 e 30000, a pega.
    dem de c6res, a 26, 20500 e 30000,
    a pega coro 10 varas cada uma.
    Paloeiras, gaarnigSes, aoeis, brincos o
    alfinetes para gravata, tudo de plaque ame-
    ricano, garante o doundo.
    J cheg-^rao os espelhos cara dura
    Esplendida sortimento de fl res fiase com peta
    las de seda, flhKsjavcluda-las e asteas de borracha
    para eofeite de peito, esbeca, chapus e cbapelinal,
    ramo a 1<000 e U500:
    Eofeite para ch.po, gorros e capotas, (aigreta)
    cem passarioboa de seda a 24000 um.
    Liado sortimento de jarros para eufeite de sala,
    tnialet e santuario o par 1*000, 2*000, 3*000,
    4*000 5*000 e 6*000, todos com lindos desenhos
    de p. rulas em alio relevo.
    Livros de sortee para S. JoSo e S.
    Pedro.
    Espartilbos a 30000 que se vende a
    50000.
    Invisiveis prateados a 200 ris.
    dem dourados a 400 ris.
    Plics brancos a 400 ris o metro,
    dem idem com roco de seda azul, en-
    carnado e cor de rosa a 600 ris o metro.
    Contas para enfeitar vestido de todas'
    as cores.
    IHem pretas a 600 ris o mago.
    Missargis de todas as cores para bor-
    dar e para voltas a 500 e 800 ris O
    mago.
    Vi rilhos pretos e de diversas cores, pa-
    ra enfeitar vestidos e para volt-,3.
    Colarinhos e punhos de borracha.
    Fezues com resela e liso a 20000
    Porta-embrulho americana.
    Ga3es, bi -os, palmas e rugas de viiri-
    lhos a 20500 e 20OOC 8 metro.
    Franja. preta e gilao a 500 e 1$600 o
    metro.
    Luvas de seda para meninas e mogas a
    20000.
    dem de Escocia a 10000 o par.
    Xa
    Ra DUQUE DE CAXIAS N. 103
    Vene-se
    nma prensa de madeira, apparelhada a ferro, para
    impressSo ; e duas caixas de typos suficiente
    para campar um jornal do formato de folha de
    papel com qua tro paginas : a tratar na ra do
    Caj n. 30.
    qne elle mandara imprimir com a morada
    de sua mai, a ra de Chercbe-Midi.
    Renato esvasioa-a um pouco, collooando
    uns cartSes de vi-ita, n'um dos bolsos ex
    teriores do seu paleto ; depo, tendo ter-
    minado o seu pequeo trabalho de classifi
    caglo, guardou a carteira e pegou em um
    jornal da tarde.
    O tempo parecia-lbe extraordinariamente
    longo, porque pensava na hora da suprema
    felicidade em que ia acb&r-se na presenga
    de Hartba.
    A cada instante o seu olhar interrogava
    a pndula do caf, e da pndula dirigia-se
    para a porta, esperando ver fiaalmente ap-
    parecer'a pssoa que devia ir bscalo pa-
    ra conduzil-o propriedade do Dr. Tnomp-
    on.
    Deram des horas.
    A impaciencia de Renato ternou-se fe
    brl e mesclava-se de angustia.
    Iriam faltar-lbe com a palavra dada 1
    Tea retardado intilmente a sua par-
    tida ?
    Nesse momento, um bomem com a ap-
    parencia de coubeiro de casa rica appare-
    en porta do caf e langou um olhar pa-
    ra o interior.
    Renato sentio o coracSo bater-lhe com
    violendia.
    O olhar do cocheiro de casa rica det<-
    nha-se na sua pessoa oom significativa obs-
    tinagSo.
    O mrncebo levantou-se.
    O cocheiro, no qual os nosaos leitores
    devem ter reoonhecido Pascal Saanier, fea-
    lhe am sigrn.1.
    Renato caminhou vivamente para elle e
    perguntou-lhe em voz maito baixs :
    E' a mim que procara ?
    E', se mesmo o seaber que esta* a
    para partir para Tours...
    Son eu exactamente.
    Chama-ee ?
    Renato Labarre.
    Entao iso mesmo.
    E o senbor mandado pelo doutor
    Thompson ?
    Sos.
    Vou pagar e acompanho-o.
    Pascal sabio e Renato foi ao baicSo pa
    gar a soda que bavia tomado.
    Minguem prestou attengao ao qne aM
    bava de passar-se.
    O mancebo sabio do caf e foi ter oom
    Pascal.
    Este disse-lhe, do alto da bolea, mos
    trando-lbe a portiohola _do coup aberta :
    Entre, senbor.
    Para onde me leva ? perguntou o ex-
    seminsrist.
    Pera Cretil, casa do doutor.
    Quando ebegamos l ?
    Daqui a uma hora.
    Vamos...
    Renato i na tallo u-se nos ooxios da car-
    rusgem e teohou a portiohola ; Pascal Sau-
    nier fastigou o seu oavallo, que parti a
    trote largo. O mancebo, febricitante de
    emoglo, achava entretanto a ana marcha
    muito lenta ; quizera vel-o vnar, tanta pres
    sa tinba de ebegar ussa do Dr. Thomp-
    son, onde Martha, segundo elle juigava,
    estava sua espera.
    Pobre Renato 1....
    *
    A Sra. Labarre apeou-se na eBtaglo de
    Vincennes, pagou e despedio o cocheiro,
    entrn na sala da venda de biihetes e pro-
    curou com o olhar aquello que la devia
    acbar se sua espera.
    Havia j esqaecido o sea filho N3o
    pensava mais senSo na entrevista combi-
    nada, na noite encantadora, no dia delicio
    so que ia passar em companhia do homem
    seductor em qaem a sos vaidade de mu-
    iber eoxergata um marido provavel.
    Jauques, acbando-se com am pequeo
    avango, entrata no ca da estagao, como
    sabemos.
    Nao o vendo, a Sra. Labarre consultou
    o seu relogio, vio que anda faltavam einco
    minutos paraaa hora marcada, e sentou-se
    n'ua banco, com o olhar fito as portas
    de entrada.
    Ao cabo de tres minutos Jaoques appa-
    pareeea.
    Ella levantou-se e foi ao sea encontr
    O que, minha querida senhora ) ebe-
    gou primeiro I exclamoa elle spertaado a
    uiao qne ella lhe esteudia ; morro de ver-
    gonha Perd6e-me tel-a feto esperar.
    Nao teoho nada que perdoar-lhe,
    meu amigo. O aenbor mais que exac-
    to... Eu que ubeguei antea da hora.
    Mas eu devia tan; bem chegar antes,
    como a senhora I... Emfim, obrigado pela
    sua indulgencia I ... Espero que tenha
    j anta do ligeiramente. .
    Oh I muito ligeiramente.... Quiz
    guardar intacto o mea appete para a sua
    ceia...
    Soa4be infinitamente grato por isso...
    Quando partimos ? ..
    J...
    Jacques d ixou a Sra. Labarre para ir
    comprar os biihetes.
    Um instante depois o trem parta oom
    eliea.
    Da estaglo de ohegada dirigirm-se a
    pe para o Pequeo Caatello.
    A noite eatava bella e a distancia era
    sarta.
    I
    a importante taverna da rna da Gloria n. 54 ; a
    tratar com o proprietario.
    Libras esterlinas
    Vendem Amorim Irmos & C., ra do Bom
    Jess o. 3.
    O pseudo Thompson abri o por to com
    uma chave qne tirn do bolso e atraves-
    sou o pateo com a sua companbeira, diri-
    giodo-se para a entrada principal da casa.
    No momento em que ebegavam, a porta
    abrio-se e appareceu Angela no limiar, em-
    punhando uma luz.
    Vendo ama muiber, que nSo era segu-
    ramente urna criada, a Sra. Labarre sen-
    tio se tomada de sorprezs, quasi de con-
    fusSo, e abaixou o veo.
    Jacques coroprehendeu perfsitamecte o
    oue se passou no seu espirito e apresen-
    tou se a dizer :
    Minha querida senhora, permitta-me
    que lhe aprsente a mroha prima Angela,
    a mais graciosa e a mais dedicarla de to-
    das as primas. Falleilbe muito a seu
    respeito j, da nossa syrnpathia commum,
    e ella est prompta a repartir cemsigo a
    affeigo que me dedica.
    Affricao que ser bem retribuida, mi-
    nha senhora. replicou vivamente a Sra.
    Labarre, estendendo a mo a Angela, que
    apertou-a sorrindo
    O couhecimento est feito I exclamou
    Jacques em tom jovial. J sao duas boas
    amigas I..
    Depois perguntou :
    A ceia est prompta ?
    Estar quando quizer, primo...
    Ent2o ba de ser j, porque estamos
    morrendo de fome ; mas primeiro, minha
    querida prima, tenha a amabilidade de
    conduxir a senhora ao quarto que lhe
    destinado esta noite, para desembaragar-se
    do chapeo e da capa.
    Venha, minha cara senhora.
    E Angela conduzio a reoem chegadp ao
    quarto habitado por Martha durante a sua
    estada no Castello.
    Jacques dirigise ao aalo, brilhante-
    mente illuminado, e onde, por exoepg&o,
    achava se posta a mesa, perqu era nesse
    aposento, e nio na sala de jantar, que de-
    via ser servida a ceit.
    Certifloou-se de que todas as janellas e
    portas interiores achavam se hermtica-
    mente fe balas, e depois approximou-se de
    am censlo sobre o qual estavam diversas
    garrafas de licores.
    Pegn n'nma desata garrafas, cojo ro-
    tulo annunuiava um producto das ilhas e
    oujo contento offereoia um admiravel co-
    lorido amarello dourado, deaarrolhou-a, dei-
    Atu fra obra de um clice da bebida e
    TJespejou em sea lugar a meama quantida
    de do liquido nontdo n'um pequeo fras-
    oo de crVotal que tirou do bolso.
    Arrolhou depois novamente a garrafa e
    eollocou-a no sitio de .onde a bavia ti-
    rado.
    Liquidadlo
    Vende-se duas casas novas e modernas ra
    dos Qnararapes ns. 55 e 49-A, existindo em ama
    dellas taverna muito bem montada e fe'is, que
    tambem se vende, visto o dono embarcar para a
    Europa com a familia : a tratar na mesma.
    mmmmmmmmm-mammemmmt^^a
    Um instante depois, Angela chegava ao
    salito com a Sra. Labarre.
    Sentaran) se todos mesa.
    A primeira parte da ceia consista em
    uma galantina trufada, um filet fro com
    gela, uma mayonnaise de gallinha, ligado
    preparado e um magnifico ensopado de bel-
    los camarSes.
    O vinbo de Champagne, emqaanto es-
    perava a oocasiZo de saooeder ao Chateau-
    Larose, esfriava na geleira.
    A ceia, aquella ceia que devia ser oomo
    que o prologo de um crime, foi singular-
    mente alegre.
    Angela en?ontrava, para animal-a, a jo-
    vialidade e os ditos exquisitos de que eos-
    tumava fazer uso nos seas bellos das, ou
    antes as bellas notes de sua mocidade
    accidentada.
    A Sra Labarre ria-ae s ajrgalhadas
    e emquanto ria-se bebia alternadamente o
    Cbateaa-L-irose qaeote e o vinbo de Cham-
    pagne gelado, que Jacques despejava in-
    cessantemente nos seas doas copos, e pou-
    co a pouco ella embriagava-se sem sentir.
    Um pouce antes das onze horas, conti-
    nuaba a fallar, e muito, maa com a voz tro-
    pega, e as suas palavraa j nao off-reciara
    nexo algnm ; continnava a soltar gargalha-
    das, mas sem motivo.
    Angela trouxe para a mesa o caf e os
    licores.
    Jicques eneheu um clice com o ouro
    liquido cuntido na garrafa de lioer das
    ilhas, e, apresentando-o Sra. Labarre, dis-
    se-lhe :
    __ Prove isto, minha querida senbora...
    Recommendo-lh'o .. E' delicioso ..
    A viuva do advogado esvasion gota a
    gota o "pequeo cali, soltando ex-dama-
    c5es de praaer, mas apenas aoabava de
    pousar o calix na mesa, os olhos feobaram-
    se-lhe, a cabega agitou-se de nm para ou
    tro lado, e depois cabio sobre o hombro
    esquerdo e nSo mexea-se mais... -\
    Est dormindo disso Jacques em
    voz alta. Dorme to profundamente qae
    nem a trovoada roncando-lhe aos ouvidos
    acordal-a-hia...
    Nao seria bom 1 val-a para o seu
    quarto e estendel-a na oama T perguntou
    Angela.
    Nao fagamos tal I-------Tenho o meu
    plano. Foi aqu que ella teohou os olhoa...
    aqoi que de ve abril-os...
    O pseudo Thompson sahio do sallo,
    acompanbado por Angela, e, depois de fe-
    char atrs de ai a porta a duas voltas, di-
    rigi se para a aala de jantar.
    O que ba a faser ? perguntou An-
    gela.
    Royal Blend marca YUDO
    Este excellente Whisky Escoces pre
    ferivel ao cognac ou agurdente de canna
    para tonificar o corpo-
    Vende-se a retalho nos melhorea arma*
    zens de molhados.
    Pede Royal Blend marea Viada,
    cujo nome e emblema sao registrados para
    todo Brazil.
    ____________BROWNS A C, agentes.
    AttenQo
    Vende-se cadeiras austriacao 'janeo) do acre-
    ditado fabricante Tbonet, a 66*0-X) a duaia; no
    arm&zem da ra do B;m Jess n. 49.
    Sabo transparente
    DE
    Cleaver
    HEDALH4S 1851, 1853, 1855, 1362, 1867,
    1875.
    De prata, Pars, 1878.
    De ouro, Londres, 1-84.
    Vende-se as priocipaes lojas de miudesas.
    Gnimares & Perman
    Agentes.
    Bicbas de Hamburp
    Vende-se em pequeas e grandes porcoes ; na
    ra da Madre de Deus n. 36 A.
    Preparemos o apparelho e nSo per-
    catos um minuto, responden elle.
    Passaram ambos para a copa, conhecida
    de nossos leitjres.
    O apparelho pulveriaador de lquidos foi
    posto em estado de funecionar, munido da
    dae suficiente de keroselene, e Jacques
    introduzio o tubo de borracha no cano de
    ferro que atravessava a parede e desembo-
    oava na sala de jantar.
    Mal estavam terminados taes prepara-
    tivos, ouvio-se na estrada o ruido de ama
    carruagem que rodava a grande veloci-
    dade.
    E' Pascal, disse Jacques, vai abrir-
    Ihe o portao.
    Angela sabie de cas?.
    A carruagem acabava de parar.
    suas lanternas acesas desprendiam
    loes.
    adida prima do Dr. Thompson
    encarJTBsjan-se para o portao que fez gy-
    rar nos fegonzos, e qu. em seguida tor*
    nou a fechar Slidamente jpmquaato o cou-
    p ia postar-se prximo & cocheira.
    Pascal soltou em trra e abri a porti-
    nhola a Renato Labarre, que perguntou :
    CbegmoB ?
    Sim, senhor.
    Angela acabava de reunirse aos doui
    homens.
    Senbor, disse ella, o Sr. Dr. Thom-
    pson espera-o com impaciencia.... Voa
    guial-o...
    Renato acompanhou Angela, que condu-
    io-o sala de j-ir.tar, onde Jaiques La-
    garde, sentado jauto mesa, por baixo da
    luz da lampada, fiagia 1er um jornal.
    Levantou-se vende entrar o mancebo
    estendeu lhe a mo a sornr.
    Ah como o tempo'pareoeu-me lon-
    go, meu oaro doutor 1 exclamoa o fiiho da
    Sra. Labarre ; saiba que.no caf, ondeen-
    chia-me de impaciencia, comegava a jul-
    gar-me esquecido !...
    Bem v qtft me aecusava injusta-
    mente! Nao deixei de pensar em si.
    Dme noticias de D. Martha...
    Est fnasi completamente restabele-
    oida... Epra-o...
    Fallou-lhe entao em mim T
    Assim era preciso, afim de preparaba
    para a coufisso qae vai taser-lhe.
    Renato croa at raia dos cabellos.
    E ella reoorda-se ao meos de mim ?
    balbuoiou elle.
    Ob I perleramente. E por qae nSo
    lhe bei de coufessar qae, oom oa seus tra-
    jo* de seminarista, ella reparou em ai ?
    (Continuar-athaf
    I Typ. fe Diario rna Oaque de Casas n. ^

    M
    i
    1


    k
    t.
    <:
    t

    i
    ^
    4 A:.
    IB
    i:
    14



  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EHJ4FNEUP_8ZH6T8 INGEST_TIME 2014-05-19T19:40:17Z PACKAGE AA00011611_18933
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES