Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18911


This item is only available as the following downloads:


Full Text
S ODE \AO
E PR BA PKOTIMI
oe dem
Por um ano idem ....
Cada camero avuiso, do mesmo da.
12
234000
#100
Cada numero avuiso, do oas anteriores
ARIO DE
NAMBUC
Tropriedctdk de Marwel
de 3vria $ fiQw
+
TELEGRAMAS


asavisoL past:cl3 so aus;:
RIO fl^ANEIRO, 22 do OutolR>, as |
3 horas e 40 matutes da tarde.
contraaos nos Cantos Popuhret (i.) recolhidos
pelo Sr. Sylvio Romero, decidido entbustesta
campeo da indepedencia 1 i Iterara de sua pa-
tria.
A KAU CATAEINBTA
Trodifao de eryijs ~
Faz vate annos e un (a
que andamos as om as rio mar,
de mol!!*
exibido, approvo a prorogaPrppr mais um me
Ida licenca em cojo goso se acha para tratarj1
aande o empreado da mesma estrada de "
Alfredo de Britto Camino, observando ~
peito o disposto nos avisos do
I Agricultura, Commercio e Obras [
le rfoTembro de 1883 e 28 de Janeiro
Wevolvo a Vmc. os documentos que ac
I ram o officio u. 51 de hontem datado.
Ao di rector engenheiro em che'
ido pr~l i imnap t> estrada
ao S. Fra^^^^BL^eci
Consta
u.>t E
calada o prego mximo
e pelo praso da dara-
juarreveiter para a
coro todas as suas obras.
rabas telegraplficas.
am dos ramaes que tenbam
tto que tenham sido oxpjbra-
iros s se tornara' eUfec-
_ a a effcjto a concesso
de Amarante na provincia-do
jslnMoi, 4 qual.se preude a
~" oario o
Suspende rara os pagamentos os bancos de
Bari e hueca, na Puglia.
A situacao flnanceira naltalia aggrava-se.
Segundo o Capitn Fracqssa, "tinbam sido
asignados dous tratados e*re a Relia e a
Ettuopia.
ouza, seria um
r. amizude, cora
as po3sess6"es
O rfrimeir, j asfiigad
tratado de paz. de ajlianja
pleao rocoaliecinieato de
canas diHZia/
.segundo rSere-se apias a relac6es com
rojnSaes.
Tem ocforrido ltimamente em prover, a
- A junta apuradora do^. districto do
Rio de Janeiro expedio diploma a0 Dr.
Pedro, Luiz Scarsa^^ 9bJbHi (C).
Foram eltyWff em. 2. escrutinio :
Pelo 11." districto ^e Minas Geraes, o
Dr. Francisco Xavier Rodri^fc Cam-
p%Uo(L);
Pelo 7. districto do Rio de Janeiro, o
censelheiro Eduardo de Andrade Pinto (X),
e nao o Dr. Bezamat, como hontem foi
dito; ^
Pelo 6. districto de Minas GeraelLo
Dr. Carlos Justiniano da Silva (R).
A este respeito dizem a Gazeta de ivV
fictas e O Paiz que houve protesto tsasplei-
eio.
I
SSSVI5C U AJSSCU 2AVAS
SOPHIA, 21 de Outubro.
A Sobranie foi convocada para o dia 27
do crrante.
MILAO, 21 de Outubro.
S. M. o Imperador da Allemanha e sua
comitiva ohegaram hoje a Monza, com o
m de visitar ao Rei Humberto.
& Imperador Quilherme est acompa-
ando do Conde Herbert de Bismarck.
BERLIM, 21 de Outubro.
Aununcia-sc de Stnttgard que ama ten-
tativa de assassiuato Mi commettida contra
S. A. Real o Principe herdeiro de Wur-
temberg.
O aasassino que disparan um tiro de pis-
P tola sobre sua victima, sem attingil-a, foi
preso.
LISBOA, 21 de Outubro.
As eleices para a Cmara dos Deputa-
dos estao completamente terminadas.
Q numero dos deputados favoraveis ao
gsverno de 87.
a da opposicSo 40.
LSBOA, 21 de Outubro.
O cadver de D. Luiz foi vestido de ge-
neralissimo e com o manto real, e depois
de feita a ceremonia do beija-mSo pela
erte e criados da casa real, foi posto em
exposicSo publica na igreja de Belm, sen-
de immensa a multid^o.
LISBOA, 21 de Outubro. *
S. M. a Rainha de Hespanha se far
representar no enterro de D. Luiz pelo
to-general Duque de Montpensier.
*H. a Rainha D. Mara Pia e o Du-
que do Porto regressaram hoje para Lis-,
Wa.
i transporte do cadver de D. Luiz para
S. Ifipente de Fra foi transferido para
mUmmIo prximo.
GENOVA, 22 de Outubro.
Chegou aqui hoje S. M. o Imperador da
Alemana.
i general
wiuc. sobe, meu gageiro,
_eu gageirinho real.
T se vs trras de Franja
areias de Portugal.
Nao Tejo trras de Franca,
areias de Portugal,
vejo sV espadas fina;
todas para te matar. .
Sobe, sobe, meu gageiro,
meu gageirinho real,
ollfa p'ra estrella do orte
para podernos guiar.
AMtsas, (4) meo capito,
atristas, meu general,
aTigto trras em Frania,
areias em PortugaL
Tambem avistei tres mocas
dabaixo d'um parreiral,
duas cosen do setim,
outra calcando dedal.
< Todas tres sao fllhas minbas,
oh I quero m'as dera abracar I
a mais bonita de todas
para comtigo casar.
Eu nao quero snas flhas
que loe custou a crear,
quero a au Catharin-ta
para n'ella navegar.
Desee, desee, meu pageiro
meu gageirinho real,
ja Tistes trras em Franca,
ateiasem Portugal...


.

(Contina;
(i) Cantos populares do Brozil, prefaciados por
Theophilo Braga, t TolmneB
(2) AlTicaras.
(iorerno da provincia
EXFKDIKNTI DO DIA 3 DE SETEMBBO DE 1889
Actos :
p conseih
presidente

Havas, filial em Pernambuco,
itobro de 1889.
iySTROCCiO POPULAR
immim imimu
NOS
TKMPOS COLONIAKS
FOB
^^%lk%^ Vlib^
lura BraBllelra do calo
db camero do XIX
Xtatternl
ESBOZO HISTOEICO
m
CoHtintiacSoj
{\W\
da provincia de
to addicio
oro-
de ft d' Marco ultimo convoca a
Asseaiba Legislanta Provincial para o dia l.
d Jnnhode 1890, procedendo-sea eleicao de seus
membros a 11 de Detembro do corrente anno.
O conselbeiro presideMe da provincia resol-
Te nomear Candido Carniro de Albuquerque
Lacerda para exercer internamente o lugar de
escreTente da directora de construccoes naTaes
do Arsenal de Marinba d'esat proTincia.Fize-
ram-se as necessarias communicaces.
O conselbeiro presidente da provincia atten-
dendo ao que reqo^reu Francisca Eupbrasia da
Conceicio NeTCs, professora da cadeira de ensino
primario de Santo Amaro de Serinhaem, e tendo
em Tista a informacao n. Sil de t8 de Agosto
ando do inspector geral da Instruccao Publica
resolTe prorogar por 3 raezes, com metade do
ordenado, a licenca ltimamente concedida pe-
ticionaria para tratar de sua saudeonde Ule con-
Tier.
Ofiicios: ... ..
Ao ministro plenipotenciario do Braril em
Londres.Tenbo a honra de enriar a V. Exc o
balante da receita e despeza da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco relatiTO ao mez de
Julbo ultimo acompanhado do derido desenTol-
vimento e de copia da acta da sesso em que os
commissario8 do gOTerno hquidaram as respec-
tivas contas.
Renov a V. Exc. os. protestos de minhaalta
estima e distincta consideracio.Communicou-
se aos membros da cooynissao liquidadora de
contas. ^
Ao conselheiro presidente do Tribunal da
Relago do Recite.Sirva-se V. Exc. proriden-
ciar, no sentido de ser ministrada, conforme Ihe
foi pedido, em ofiicios de diferentes datas, a cer-
tidao do processo do reo Valerio Francisco Regis.
que interpqz recurso de graca da pena de 8
annos de prisSo com trabalho, imposta em Marco
de 1881, por decisao do jury d'esla capital.
Ao commandante das armas interino.En-
vi a V. S. copia do officio que dirigime hon-
tem o fiscal da Companhiu Recife Drainage a
proposito do estado dos apparelbos collocados
na enfermarla militar, aos quaes V. S. se refere
no de 23 de Agosto, n. 769
Ao inspector da Thesou^aria de Faienda.
Communico a V. S., para os ns conTenientee
que, em 18 de Agosto lindo, o bacharel Lauro
Castello Branco assumio interinamente o exer
cicio do cargo de promotor publico da comarca
de Palmares para o qual foi nomeado pelo res-
pectivo juiz de direito.
Ao mesmo. -Remeti a V. S. as inclusas
propostas dos concurrentes ao fornecimento de
m.tcrUes para a construccao do novo edificio
da Faculdade de Direit cresta cidade, enTiadas
pela commissao eocarregada da administragao
daquelle >ervico, afim de iiae sejam lavrados os
respectivos contractos com os proponsntes cons-
tantes da relacao junta enviada pela referida
commissao ; devendo ser exigidas as calices
dos que tiverem de assignal as.Communicou-
se aos rqembros da cotnaiinsao encarregada da
adrainixlracao das obras.
Aos Srs. Auioriin Irm lo 4 ".Remeti Vv.
Ss. copia do officio que em 31 de Agosto ultimo
dirigime o engenheiro (regorio Thauraaturgo
de Aievedo,,a proposito i desembarque da la
milia estrageira chegada da Europa no vapor
ingltz Don cujo chele, declarando ser estucador,
negou se a seguir para o ncleo Suassuna becn
como a couta da despeza do desembarque da
dita familia, na importancia de 84000 afirn de
ser paga porquera rompetift
a- Ao inspector do Argfpde Marinha.Faco
constar a Vmc. para seqPhecimenio e devidos
lins que, segundo consta >:e ariso do Ministerio
da Marinba n. 1603 de l de Agosto prximo
passado foi, na uiesma dita, deuutlido o escre-
vente da directoria de con ruccoes naTaes d'esse
Arsenal, Manoel Jostle tulro Villela.-<:oromo
nicou-se ao inspector da Thesourariade Faienda.
Ao iaiz de direito da comarca de Tacarara.
Remeti a Vmc. capia do officio que em 31 de
Agosto ultitao.sot n. 971, Jiri^io me o adminis-
trador da reparticJb dos 0>rreios a proposito da
expedcao f
terio, o
^Bprolongamento, NinnefTan Barboza da'Silva,
ffla intimarao que Ihe foi feita pard indemnkar o
agente da eslacao de Cinco Pontas, Francisco
Tranquilino de Lima Barros, da quantia de----
1:263*070, pela qaal tornou-se responsavel o
dito ex-tesoureiro/* m+
Ao presidente da jnata de olistamento mi-
litar da parochii de Nossa Senbora do U'^e
Goyanna. Teno o Dr. c Mfc de policia, confor-
me consta do officio n. 1061. providenciado par
que sejam apreseotadas a essa junta asustas do
qu trata o g unieo do art. 14 do regulamento de
27 de Fevereiro de 1875, recommendo a Vmc.;
que, sem perda de tempo, faca reunir a mesma1
junta, de conformidade com o aviso do Ministe-
rio da Guerra, de 21 de Agosto de 1875, dirigido.,
presidencia da provincia da Babia. Pa
assim respondido seu .officio de 12 de Agos
Ando. ,
Ao delegado do termo de Buique.Con-'
stando do officio junto por copia, do promotor
publico da comarca de Buique que os indio) da
Serra Negra da comarca de Floresta teem feito
diversas sorrenas pelas fazendas dos proprieta-
rios e criadores do districto de Gamelleira, nesse
termo, recommendo a Vmc. que d as necessa-
rias providencias, no sentido de serem aquellas
indios coudos oas ditas correras.Remettea-se
copia ao promotor publico da comarca.
Portaras ;
Cumpre que a Cmara Municipal do Recife
expeca communicacao aos juizes de paz e de as
demais providencias do estylo para que se pro-
ceda no dia 12 de Dezembro rindouro a eleicao
para deputados a Assembta Legislativa Provin-
cial que lem de fuaccionar durante o biennio de
1890 a 1891.Igual s demais Cmaras da pro
vincia.
Declaro Cmara Municipal de Triumpho
3ae nao pode ser concedida a autonsacSo pedi-
a, em seu officio de 16 de Agosto fiado, por
quanto da competencia da Assembla Legisla-
tiva Provincial a creacao de empregos mnnici-
paea.
O Sr. gerente da Cotnpanhia Pernambuca-
na de Navegico Taca transportar provincia do
liio Grande do Norte, porconta do Ministerio da
Guerra o 2* cadete do IV ba.aliio de infantaria
Nstor da Silva Brito, que por ordem do referido
Ministerio foi mandado servir no destacamento
alli exislMte.Comraunicou-se ao commandante
I.'
resj
18*
prisa ou
privilegib'j
c66.
f>9. IX
ddferao
definitivo
dos e ter 1
calido ai
forera
maior
2.'
onario podera transferir em-
Bpathia, qne organisar o presente
todos as seus favores c obriga-
olt 8 annos da^Uta do contracto
Ifentados os respectivos estudos
ectivos arcameuto detalha-,
le execuco as o
se dendro desse
radas, salvo caao-te
Ite prjado.
voladas as disposicoes
a todas as autoridades a
o e execucio da presente
ter, que a cumpram e facam
ira^iente como nella se com-
ea faca
8 de
do lin-
das arm;
dem de r per coala
das
Aroyj do vifonfte segoe para
gratuitas, at
13 Boas.
SECaBTlBK)
corrite, a
EXPBDUurrK no pa.
Officiosi:
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
0 Exm. Sr. conselheiro presidente da prsvincia
manda remetter a V. S. tres ordens do Thesouro
Nacional ns. 154 a 156. f '
Ao inspector do Thesouro Provincial.De
ordem do Exm. Sr. conselheiro presidente da
provincia communico a V. 3, para os os canve-
nientes que por officio de 15 de Agosto tindo
pirticipou o bacharel Adolpbo Julio da Silva
Mello haver entrado em exercicio do cargo de
ajudante do procurador dos feitos da fazenda
provincial, no municipio do Cabo, em 12 do dito
mez.
Ao 1 secretario d Assembla Legislativa
Provincial.O Exm. Sr. conselbeiro presidente
da provincia manda communicar a V. S. que no
seu officio n. 146 de hontem datado remetteu o
ponto dos empregada da secretaria dessa As-
sembla, relativo-ao mez de*Agosto lindo, profe-
rto boje o seguate despacho : Remetlido ao
Sr. inspector do Thesouro Provincial para os de
vidos tins.
Ao commandante da escola de aprendizes
marnheiros.O Exm. Sr. conselbeiro presdeme
da provincia manda acensar o recebimento do
officio de V. S. de 31 de Agosto fiado, sob o. 26,
de cujo assumpto tica inteirado
Aos agentes da Companhia Brazileira de
Navegaco.De ordem do Exm. Sr. conselheiro
presidente da provincia, aecuso o recebimento
do officio, era que Vv. Ss. participara que o va-
por Alagos ebegou dos portos do norte hoje s
6 horas da manlia, e seguir para os do sul ama
nha s 4 da tarde.Communicou-se directoria
do commercio.
Edital
Per esta secretaria se faz publico que tica
aberto o praso de 50 dias, a contar desta data,
para o receoimento de propostas em carta fecha-
da dos concurrentes construccao de urna es-
trada de ferro de que trata a le provincial infra
n. 2.056 de 8 de Agosto prximo rindo.
0 secretario
Francisco L. Mariano de Souza.
LE N. 2.056
Maooel.Alvcs de Araujo. do conselho de Sua
Magestade o Imperador, bacharel formado em
sciencias sociaes e joridicas pela Faculdade de
S. Paulo coramendador da Imperial Ordem da
Rosa e presidente da provincia de Pernambuco-
Fago saber a todos os seus habitantes que a
Aiemblea Legislativa Provincial decretou e eu
anccioneia resolucao seguinte:
Artigo 1." Fica concedido -o engenheiro New
toa Cesar tiurlamaqui ou a quera melhores van
tagens offerecer privilegio por 60 anno* para a
coiistrucco, usn e'goso de urna estrada 4e ferro
de bitola eatreita, qne partindo da Serra Dous
Irraos, na extrema desta provinuia com
Piauhy, v terminar na villa de Petroliaa,
to marginal do Rio S. Francisco
i l A zona privilegiada ter 10 leg
fcada ladodoeixo da linha, sem que
em lempo algum empecilho a que a
ootra estrada de ferro, parallela ou oo jj
^ogita a presente concesso, possa a
azer concesso de zona privilegiada,
de futuras concessoes, se a zona privik
estrada a que refere-se a actual
pela de qualquer outra estrada
dida mais tarde pela provincia,
de trra que entre as duas estrada
dido ao meio, ticando urna metade
zona privilegiada de cada urna das refi
(radas
I 1 Era igualdade de condicOes o con
oario ter preferencia para const
goso de futuros ramaes converge
I 3. Ficam isentos de di
provinciaes e mumeipaes os edid^^^
uase materiaea rteceasarios para a <
explorapto da Ti
tm
O secretio di presidencia da provine!!
imprimir; aoblicir e correr.
Palaciojftgadeocia de Pernanbuco.
Agosto de 1889, 18' da independencia e
peno. k
L. S. M. Atoes de Araujo.
Sellada e publicada a presente resolucao nest.i
secretaria da piWidencia de Pernambuco, aos 8
deAgostCrde88.
O secretario
* Francisco L. Marinko de Souza
Heparlico da Polica
2a SecpSo.N. 1305.Secretaria de Po-
lica de Proambucc,22 de Outubro de 1889.
Illm. o Exm. Sr-Participo a V. Exo.
que foramhontem fecolhidos Casa de Do-
tonga*), os seguintes individuos:
a' minha/wdem, Heliodoro Baptista do Rosa-
rio, vindo de termo do Cabo, como sentenciado,
disposiclodo Dr juiz de direito das execuces.
A' ordem do subdelegado da fregnezia de San-
to Antoiio, Ibao Francisco de Aimeida, Augusto
Jos de Sant'Afina, Maria Joaquina do Amor Di-
vino, Antonio ercira da Silva Bemtevi eBazilio
Anselmo e Oliveira, por'embnaguez e distur,
bios.
A' orden do do l'1 districto da Boa-Vista, Cos-
- Nascimento, por ~
me Pere
bria
do
tm-
io 2' districto da Boa-Vista. Se-
Joito Gau
Jfcgdalena, Jorge
deneio dos santos, por embriaguez e disturbios.
Commanicou me o delegado do termo do
Bonito, }ue no dia 13 do corrente, foi capturado
uo lugar Tiquara, o criminoso Augusto Cabra!
de Andrade, pronunciado em crime de tentativa
de morte
Deas guarde a V Exc. Illm. e Exm.
Sr. conselheiro Manoel Alves de Araujo,
muito digno presidente da provincia.O
chefe de policia, Gerpncio Dias de Amida
Paleto.
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 21 DB ODTBEO
DK 1889
Sabina Gomes de Souza, Fielden Brothers,
Alfandeifa, collectoria de Buique, Generosa Her
culana do Reg, Obraa Publicas.Ao Sr. Dr
contador para os fins devidos.
Juaquim Jos de Moura c Luiza de Araujo.
SatisfacJ a sigeaeia da Cuntadoria.
Elisiirio Yictorino de Paiva Certiquc-se.
Dr. Estev8o Cavalcante de Albuquerque.De-
ferido.
Rodrigo Carvalho 4 CComo requer.
Jos Dias da Silva Guimares.Volte ao Sr.
Dr. contador
Mantwl Fernandes Velloso e Joao Felizardo de
Araorim.Ia|| |o Sr. administrador da Rece-
bedori.
Dr. Felippe 1 Mf. Cotlago. Candido Das.In-
forme o Sr. flipHvior.
Ricardo Hel^oe la Silva, Companhia da Illu-
minaco, Jlo Flix da Rosa, Pedro Osorio de
Cerqueira e Victorino Antonio de Alcntara.
11 aja vista o procurador fiscaL
JoSo Athanasio Lins Cavalcante.Ao Sr. por-
teiro para entregar ao inleressado.
Claudica do Espirito Santo Brando.Entre-
Rae-se pela porta.
R.eeehcdori:i Provincial
DESFACHoJ plfc 22 UH OUTUBRO DE
1889
Dr. JuSo Augusto do Reg Botos, Ernesto Ro-
gauiano dos Saotos, Antonio
Antoaio Games "
Pires de Oliveira
lartins o Francisco
Braga.-l
* a secco.
Mas Almas da matriz de Santo An
que-se.
EXTERIOR
Ntleias da Europa
Italia
Os radicaes italianos realizaram urna grande
reuniao no da 29 de Setembro, no circulo de
Reimiui.
O Sr. mbriani pronnnciou um discurso vio-
leutissimo contra a poltica inteltot e exterior
do uoveriin. ^J .
Fallando ib attentado contra o Sr. Crisp, rtisse :
. CoQdcmnainos esta violencia, assim como
condemnainos as suas.
Continua o deeaccordo entre o ministro da
uha e o da fjz-nda, que acaba de reconsrae-
'mindo no orcamento seis milboes de
lie minitro declara que aquella verba
solutaraeute necessaria, e recusa annuir
Wi dias que em toda a imprensa mi

ata urna mudaoga de tom a respeito
aue o mimsterio fem certo
iroxiraar da repblica,
octor
im em Kan, deu um tiro nos

cics entre e ifl| BfhTopra e 03 pai!
nbos.
Fixa, alm difJb, a nova fronfeira da3 po3
sessOes italianas, concede que a Italia seja re-
presentada por nm cnsul geral junto de Mn
lik, e qoe os dous paizes se protejan reciproca-
mente.contrao inimigo comroBm. '
Pensa-se tambem na andafo d'um banco co-
Atnial, de escolas italo-abyssinias; e o deputado
S Plebouo pardo em direceo a Massuali, com
missionado pelo governo, para se informar de
jtrisu do caminbo das cousas em frica, levando
en simultneamente, at onde podesse o nome e a
acyo da Italia.
Refenndo-se -ircular recente, pela qual
o principe de Bismarck convida os fabricantes
aliemes de vinfio a empregarera os vinhos de
coupage ib.lanos, diz oDtritto, que, para favo-
re :er a Italia, andara melhor o chanceller redu-
ziudo os direitos enormes de entrada sobre o vi-
nho, direitos que o commercio francez pode
snpportar, mas que sao excessivos para o vi ni
cultor italiano.
Confirmase officalmente que ser no dia
12, de tarde, a entra la do Sr. Crisp em Roma.
Correspondendo aos desejos manifestados pelo
Ilustre presidente do conselho, a commissao
que se tinha forreado para organisar urna de
monstracao, nao ir gare esperal-a, porm, di-
rigir-se-bo, de noite, processlonalmente, com
um grande cortejo, do Curso, tia Gregoriana,
onde mora Crisp.
A instruccao do processo de Caporali, o
hornera qne quiz matar com urna pedra o chefe
do gabinete da Italia tem comprometlido gra-
veraeute o reo.
Depois de oprenderem, encontrarara-lhe^m
casa urna carta da mi, em que ella dizia: Sop-
plico-le que nao leves por diante 03 teus projoc
tos1 insensatos. Perguntando-se a Caporali
que projectos eram esses, elle responda evasi-
vamente, e ento a justica qraenon, pelo te!rf
arapho.quc se lizesserh pesquizas" no domicilio
da mi, em Canosa.
Estas pesquizas no foram infructferas.
. Ebjfcontrou se urna carta em qu 'aporali di-
O progresso humano nao d um passo sem
iniciativa ; sito-me capaz de tomar urna inicia
tiva-energica, qoCJ^lvez fhe cause um grande
feolherei para rcalisar o meu projeclo, urna
antonatnraJ.
i^llige-se'destes ed'outroa faclos que houve.
pidMuitaofo, Ci rno-tanibem o prova a circuie-
stancia de ter sido previamente agapada a pon-
to de cortar como urna faca, a pedra con que
Crisp foi fendo.
O tribunal, portanto, pronnnciou Caporali por
asstssinato frustrado, com premeditaco e citada.
0 juramento nao se far esperar.
0 ministro da guerra de Italia acaba de
publicar urna n >ta, qne est chamando extraor
dinariamente a attenco.
Fez aonunriar que deseja fazer acqnisico de
cavallos de tres e sete annos, e convidou todos
os proprielarios que os tivessem nestas condi-
cOes, a apresentaf-os, que seriara comprados ao
preco do mercado.
Resulta dos dad03 officiaes que este anno
a colbeita do vinbo da Italia ser de 22 railbes
de hectolitros.
Quatro quintos da colheila sao bons, e um
quinto mediocre, ou mo.
A colheita em 1888 foi de 32 milboes de hec-
tolitros
KaataB
No dia 29 de Setembro foi- lida em todas
as capellas catbolicas de Londres urna carta do
cardeal Manniag, arcebispo de Westminter, con-
vidando o clero a celebrar em Outubro a festas
do Rosario, com toda a solemnidade, para obler
o restabeleciraeiuo do poder temporal do papa.
Em algumas igrejasleu se tambem a allocu
cao do papa relativa aos ultrages de que elle
tem sido alvo em Roma, cora a sanecao do go
verno italiano.
A diplomacia allem contina, a empregar
os maiores esforcos para desviar o papa do seu
proposito de abandonar Roma.
Perante a gravidade da situacao, o Sr. de Bis-
marck aconselhou o ministro Crisp a que adop
te urna poltica mais transigente e pacifica,
O Dr. Ligue, arcebispo de Armagh, e pri-
maz cathclico da Irlanda, pregou um sermo na
cathedral de Armagh, em que disse que mais
que provavel que o papa deixe proximameote
Roma para ir viver n am paiz onde a sua liber-
dade de aeco seja mais respeitada.
O arcebispo queixou-se amargamente dos pro
gressos da irreligiSo.
Na propria Irlanda, disse elle, no se res
Eeita presentemente o papado, de quf certos
omeos polticos, apezar de cathoheos, fallara
com desdem.
Sai*a
O grande conselho do canto de Friburgo
votou por unanimidade a abertura, em Novem-
bro prximo, d'uma universidade catholica em
Friburgo.
0 re Miln chegon no dia 3 a Lucerna,
onde se demorar uns dez dias -
Inglaterra
Tem causado grande sensaco em Ingla-
terra um artigo publicado pela Contemporany
Revine, e que attnbuido a Gladstooe, demons-
trando que a trplice allianca nao como se
quer fazer suppdr, urna garanta da paz, mas
sim urna provocarlo guerra.
Referindo-se o articulista 4 entrada da
Italia para a trplice allianca, dii que isto urna
gigantesca loucura e affirma que se a Italia al
gura dia vier a intervir n'uma guerra contra a
Franca, quando esta queira recuperar a Alsacia
ser um dos maiores escndalos aa ni-t >na.
0 Daity Netcs sustenta que o Sr. Gladslooe
o autor do artigo da Contemporany Revuw.
O Sr. Gladstone, sendo interrogado acerca do
artigo da Con/por a Daity Heics nao tinha autondade para tneatiri
buir esse artigo. Esta resposta co siderada
bastante ambigua. .
O jornal ingles Tnili, diz saber que o du-
que e a Uuqueza de Edimburgo nao voltarao
o cedo Inglaterra, e permaaecerao bastante
tempo era Cobarso, e deoois era S. Petersburgo.
A rigcm d'ite afastamento seria o desejo que
o duque de Edimburgo tem de nao se encontrar
com o principe de Galles; porque, tendo se
opposto ao cajtmeuto da pr.ncew Luiza, nina
do prinuipe, com o duqae de Fife, o di le
Jos Regalo
sua investidura, que se deve realisar no dia i de
Noverabro. para assim solemnisar tambem
700. annivereario da corporago municipal loo-
drina.
seas foi a de fozer repre-
a fama de todas as colo-
com o celebre Barnom,,
ra, para tomare o 1
ossaes elephan
Urna das suas
sentar
nas ing
Para laso anteo
e* esta hora j e .
minho det Londres,
e leoes.-fllie represenfaiAp a India";
casi ncarregadas de --lipresentar
avestrezes, delegados dolCsbo da
; kangaroos da A-anraiia, etc.
d'esta exhi
etc.
fa ItnHfL
rainha Isafcel7Cromwell,fIampden,-Jelsoa,
pole. Hewe, Malborongh, tareon, i'hafliam e ata-
tas outras notabilidades, figuradas,;Como ee -
vas fossem, com os (rajos das suas pocas; cas
insignias das suas dignidades^&i^nDpanBwaB
pe* viatosa3 comitivas.
gpera-se que a procisso do lord-mayw.le
banque o que ha annos se fez em Munich, per
occasio de urna testa patritica.
Confirma se a noticia da visita do principe
de Galles ao Egypto dupois das festas do casa-
mento do principe real Constantino era Atheaas.
' Allemantaa
0 parlamento federal da Allemanha fot caate
cado para 22 de Outubro.
O principe de Bismarck, e receber o pre-
sidente do congresso n-lustria d Hamborgo,
disse-lhe:
<> A situacao externa a tal ponto pacifica, -
que podis, sem o mnimo receio, lancar-vosae .
trabalho. Nao foi sempre assim ; houve um mo-
mento, e nao vai louge, em que a Inglaterra'
hesitara ainda se farjA de touro feroz oa de boi
gordo remoendo. hojp a sua re3olego est to-
mada, e posso-vos garadtir que a paz est se-
gura.
O ministro da guerra da Baviera acaba de
apresentar ao principe regente um reiatorio, qne
conclue pela reprovagu do projecto qne-elevata
o effeclivo dos corpos de infantera em tempo
de paz.
RazOes de ordem financeira-oppoera-se i rea-
lisagao d'aquelle projecto, inspirado e preparado
pelo governo imperial allerao.
Diz a Gazeta de Spandau que o ministro da
guerra allemo fez urna encommenda de-32,000
espingardas, de pequeo calibre, fabrica real
de Spandau.
Aquellas espingardas sao destinadas aos reg-
mentos de infantera do exercilo prussiaao.
0 governo allemo ppnsa em aggreear aes
corpos de cavaliaria alguns soldados de^oge-
nharia, que acompanharao os regimotos em
carroagens. em .udo similhantes s qde usamos
bombeiros d'aquelle paiz, onde accommodatio o
material.
0 principe de Bisraark escreverfa seguate
carta a urna sociedade re veteranos, que ihe ea-
viou urna mensagem de felicitaco por occasiio
do anniversario x sua entrada no ministerie
prussianno:
Contino a desfructar sade, e sinte-me fc-
IU por poder assim consagrar ainda a nansa
vida ao servfco da patria.
O qoe mais me lisongeia na vossa carta a
appiovaco que concedis rainha poltica de
paz que julgo a melliotpara a Allemanha, e.sjae
seguirei at ao Qm da rainha vida.
A Gazeta di Silezia diz que o feld-mam-
chai Mollke est quast restabelecido de indispotigm. .
Ningnera fallar ainda desta indisposico m
velho marechal, de que s se soube por esta note
do orgo officioso.
0 conde de Mollke deve ir a Berlim confereft-
ciar com o imperador, antes da partida do sobe-
rano para a Italia e para o Oriente.
A Presse, orgo officioso de Vienna, de Ana-
na, mette-se a dar conselhos e a dirigir censa-
ras ao imperador GuUberme, a quem acha dema-
siado amigo de viagens. *,
Diz aquelle jornal:
O imperador Guilherme quer deixar a Ae-
manha porum tempo que nos parece muito tongo.
Na situacao actual da Europa, mais valia que e
imperador se conservasse no seu paii, porque de
um momento para outro podem levantar-se gra-
ves complicaces.
A Presse, apesar de muito germanophila, pare-
ce ter urna pontmha de raocor para com o novl
imperante, a quem se attribne ter dito um dia
que, quando quer adormecer, pega na Presse de
Vienna.
Assegura-se ter fundamento o boato propa-
lado em Paris acerca da substituigo do actual
embaixadpr allemo junto do governo da repa-
blica. w
Cr-se que o conde de Munster pedio a sua ee-
misso ao imperador Guilherme. quaido este so-
berano este ve era Hano ver, e que' foram baldados
todos 03 esforcos do monarcha para que o dipl-
mala recoosiderasse.
Iodiglta-se o conde Hatzfelds como successor
provavel do conde de Munster.
Este conde, que actualmente oceupa o cargo
de embaixador em Inglaterra, vai em breves dias
conirabir segundas nupcias... com a sua pn-
meira esposa, de quem est separado h uus orto
A Cermania affirma que o principe de_Bis-
marck, apesar de estar ainda mdisposto, vas *-
Ikorando. fl___..
O Dr. Sehvenninger, telegrapbou pafficipande
que at nova ordem nao poda sanir de rnem-
A Get-mania diz tambem constar Ihe que o cftaa- .
celler nao passar o invern na AUemanna
Acaba de publicar seem Berlim um folhete
com o ttulo0 imperador Guilherme Ue o <*-
"o autor, depois de ter fallado da desiotelligea-
cia que continua a haver entre o principe do
Bismarck e o partido militar, d a entender m
o chanceller procura que a saa heraeca polrtg
v caber a seu lbo. o conde Herberto de ws-
mSeC'undo a Gazetta raosta estar perfeitamentc ao factj do que se
passa as repartices da secretaria dos negocos
estrangeiros. l .,
Refere rauitas cousas, que sao descoabeciaas
da grande raaioria do publico. .
0 conde Herberto, qu2 era l7i, era addido &
leyacao alleraa em Munich, ajudou sea nal as
nego'ciaces mais ii.iportantes, e foi por elle pre-
parado cora a mira na sua futura carreira. Pos-
sueincontestavelmente o coiiheci.nento das pes-
soas, e o tacto ortico, que fazem os diplmalas.
Na sua mocidade habituou-se a uao ler pe
meatos que nao fossem os do chanceller do Im-
perio.
Diz o folheto : ,_
. Durante o invern de 1886 a 1887 o pnna-
pe Guilherme trabalhou 01 secretaria do* pe^o-
cios estrangeiros. Conta-so que all teTed-al-
gum mod.) como ,.rofe;sar o propno conde Ber-
beito de Bismarck
O mestre soube to bem apou.
racio do seu discpulo, auc
maior estima, e, desde aqi
entre o prme
ia como' tend




a:
onde Hemerto de*wm*rck. Seje coraolor. pa-
rece no> que o grande cbanceller e sea ttlho Ir>*r-
kerto teera raiu lleto :
Deus qos IttMbb dimos amigo.- >
gentes.
i insisti
nbHHntre.Ue
Se a ratona ti
lhe focam- profiistas.
honras reaes, e leu fllho^ tel-o-hia
irftru o palacio.
-Mas agora pnmvel que naocoturifra ver seu,
lnee que se sitspenda d sua obsltoiaco.
O rei ohajiaa ambiciosa, eaceusa-a de seguir
B prejectos poMiiuos ; reoosa-se absolutam-me a
..|ae8eHBUifM)uW-dMemh#Narin ttn Rotterdam entre-<
dos navios, lera alastrado.
Os operarios de algumas fabricas de tabaco
abandonarais tambera o seu trabtlho. .
Os grvistas teBtaram obstar a que continuas
lem trabalhando os carregadores do vapor flo
Hand, nico barco onde anda nao se manifes-
tara a grve.
Eslao em grve 5.000 carregadores. Dorante
< dia 4U Houve alguns conflictos entre a polica
toe grvistas que pretendiam impedir o opera-
rios de trabalhar. A' noite um magote de gr>
rielas atacou pedrada a polica e a guarda ci
rica, que tiveram de fozer ufe das armas.
Ficaram feridos alguna dos grriali, sendo
logo restabelecida a ordem.
Contara de S. Petersburgo Uanierm
Tenho boje a comraBuicar um (acto que oc-
opa n'este momento totfte os nossos altos June-
onarios, c sobretodo a^ossa polica,e a pelicia
secreta. Esta rainha, cnegou um telegramma
m cifra, de Copenhague, cantando um cas..
tranbo. ^Maturaimaaie guardo u-ae omaior segre*
do sobre teso, e nao se sab% ao certo de qae #e
trata.
Eu proprio fallei com mn*.pe6
toe me affinnoH ter lidresse
O texto traduiido^ o seguim
No dia 27 de SeteWbro leve logar proaime
de Copeniugne urna cacada real, a que assisti-
jsm o.Rei da'Dinamarca, com todos os seas boa
pedes: prinripevreis e imperadores.
OIrnacradorw Russia assistia tambem
seta cacada
A tarde, o Czar Alexaadre IR estava parado
prximo de urna arvore, e conversava com um
dos principes convidados
A alguns passos d'elles achava se um mootei-
10. Be repente ouriose sibilar ama bala, que
veio achatarse de encontr urna arvore, a dez
u doze- passoa do Czar, tiro nao tinba sido
envido.
A bala foi achada e apanhada pelo picador.
Km de pequeo calibre.
Se foi um acaso ou am attentado, que se
a&o sabe ; mas nao se encontr nada de suspeito
os arredores
O que ba de mais extraordinario, que nin-
fuem oovio o tiro. Ter-se-hiam servido de ama
pinearda de vento, ou seria simplesmente ama
bala perdida, atirada por san cacador t Parece
que apesar da polica secreta ter feito as buscas
nais minuciosas, nao se encootrou nada.
Foi dada ordem polica secreta de S. Pe-
tersburgo para estar alerta, e tratar de descobrir
se se rama aiguma cousa n'aquella capital.
. Receia-se que alguns personageus suspeitos
teoham deixade secretamente a capital.
.Cont o facto como elle se deu, sem acre-
ditar de forma aiguma n'um attentado.
Alguns mimares de judeus, expulsos da
Kaseia, firmarais em ondres contractos para se
eslabelecerem na Repblica Argentina, e embar-
aaram iramediatamente para all.
Diz um tolegramma de Berlim para o Stan-
dard de que os artigos alarmistas publicados em
Vienna e Berlim nao ten pro luzido neohuin ef-
feito, porque o publi -o pergonta de si para si
para que tanto barulbo com respeito aos arraa-
neatos da Russia, quando a Allemanha e a Aus-
tria estao procedendo da mesma forma O cor-
respondente do mesmo jornal affirma que ba
grande exageraco nos boatos relativos aos ar-
mamentos ruaos, e davida muito da redueco do
xererto ottomaoo, a 100:' 00 homeos.
recia
A 5 de Oulubro cheguu a Alhenas o Rei Jorge
e a Rainha Olga. Corre o boato de que a Rainha
nao gosta do casamento do principe real Cons-
tantino com a princesa Sopbia da Prussia, re-
celando que esta princesa faca prevalecer na
orle helnica a influencia alloma. A Rainha,
Tottando da Dinamarca, recusou passar pela Al
fian
aUiawasf
A 29 de Seiembro noite ainda-nada se sabia
de positivo em Belgrado, acercaba chegada da
Rainh*Nath..lia. mas um despacho publicado no
domingo de maoh no Jornal Official, acabou com
todas as incertezas.
Annuociava o governo qoe, tendo-se mallogra-
do todas as oegociaces eotaboladas com a tai-
ha para regular as condicoes da soa estada em
Belgrado, nao seria ella recebida official mente.
K a crescealava que, segn lo a Constituico e
as leis.era oaicamente ao ex-ReiMiln, que com-
peta realisar a posico da Rainha me
Ao*mesmo tempo que sabia o lornal Oficial,
appareiiam as esquinas aos cariases annun-
eiandt> que o yacht Masan, a bordo do qual a a
Rainha, ebegaria das 3 para as 4 horas da
tarde. .
Muito tempo antes da hora marcada, comecou
a affluir enorme multido s margens do Danu-
bio, e s ras ingreraes que conduzera do caes
paia o interior da-ci lade Calcula-se a concur-
rencia em mais de 30:000 pessoas.
Nao e viam personagens officiaes ; mas nota-
vam-'se nume-esas deputacoes de sociedades, e
otras corporaces, agrupadas no ponto de de-
sembarque
O general Horvalovitch compareceu de grande
smiforuie. ostentando todas as suas cooqjcora-
fOes, e rodeado pelo ex ministro da guerra Pras-
sanovitch. pelo blpo Nicanor, pelo burgo mes-
tre de Belgrado, e por alguns antigos minis
tros-
As senhoras e meninas de Belgrado tinbam
enviado nme grande deputaco, vestida com tra-
r:s Daconaes.encarregada de offerecer bouquett
miaba.
O caleche destinado a essa fra alagado, mas
o cotneiro e o tnntanario trajavam a libr da
asa'real.
Cerca das 4 horas entrou o fcovan, e a nrasica
xecutau o hyoiBO nacional servio.
A raiuba. vestida de preto, apresentava urna
bella p eseuea. r a sua formosura impi-essiouou
aooretudo aflpessoas que nao a viam ha muito
tempo, oa qne mesmo nanea a tinham visto.
O paco estava fechado, e o pequenino rei,
guardado a viita, nao conseguio, apezar de re-
petidas supphcas, e de chorar amito, que o dei-
zassem ver naquelle dia sua mai.
A ralnba, seguida por urna grande multido,
foi apeai-se a porta da casa Vontchevitch, oade
se alojou. *
O 8r. Persiani, ministro da Russia, fe loge vi-
sitar a recem chegada ; os mnisfros foram dei-
xar os i-us rartoes.
* A regencia propozera a rainha Na'.haia que
pedisse audiencia ao joven re Alexaodre, nao
eomo sendo a rainha sua nsi. mas como a Sra.
Ratholia Kechko; a rainha Nathalia, porm, re-
cosou submetter-se a seinejliante hamiihac&o.
A op.iio publica de Belgrado est por isso
Mianaxla contra a regencia, e receiavs-se urna
snbievaco popular.
EJTt'' tivameute lavra grande irritafio no
povo de Belgrado por terem impedido o rei de
Ter -a m
ti anda nao tivei-am pnlrevioia alenraa
> ooalo de que o re declarou que aao
ver a -ua mi al que ella nio aceitasse as con-
diioe-i da regencia.
uando que s ao rei Miln competa re-
gatar a- coodicoes da rainha mai com sen fiibo,
aram hbilmente sobre Miln a
a odiosid :de das medidas to-
i no konak.
i ... (i A i i
i ama c rta, em que seu lilbo
ua ch-k'da a Belgrado, e ex-
^^Hk poV nao ter poiuo ir
j*n a dynastia
para Belgrado, as 03 regentes asseguraram lhe
qaeeslariam alert, e que a sua pcesenc nao
era necessaria.
Segundo rfere n'um telegramma o corre -
pondente do Siisdarem Belgrado os regentes
servios telegrapliaram ao rei Miln, que era con
veniente autora ir a entrevist do joven rei Ale-
xandre com.sua mai; o re Miln, porm, res-
ponden negativa nenie.
A rainha Nathalia ate ag >ra tem permanecido
encerradabia rirajanir se bospedou.
Espera s todEVarnnscompromissos graves
intervencao da Russia que dtseja evitar nma
erise.
O goveruo i:onfWera que a paz da 3 Tvia
nao pode ser sarflcada as cOntenda* pessoaaa.
do rei Man e da rataba Naih;ir; e desa^H
afastamento de ambos.Talis pedir skupcit-
na urna le que rbarque a praso de residencia
na Servia a am e a onlro.
Conlirma-i'! toiaafl|
mandar constru
pece de corte.
aoticia de que a ra
C0RItESP0\DE\CI4S
Constarlos que os S
presa das Obras Pablicas
iimci do Rio de. J neiro naba
uarque de vtaaado &
ama companhia > om
lareira e Viagao lamnense. a^H
mar a si os servil
y. arris Urbuii
manto d'agua >
0 seu capital, que de 7N|
pamente lomado por un
da praca.
Era reuniao de assetnola ajara
Ferry resolveu sea fu.-o deBE
tome a si, igualmeute cora
o dos carris urbanos e alu's.eOiK
XylbjNoy
A proposta d? fuso foi a
pr.-za de Obras Publicas no
nos referimos, e aceita a prop^H
bla ge ral os poderes aeceasa
npannia Farry, comme
Martina Lage, para levar a elTeito
da asseiubk-a.
la
ras
i da Cruz.
iras abaixo
las os seguintes proessores :
i Salvador
e Miria Belraira de Carvalhu \?.-
- Maria Figaeira.. de Barros
Vicente da Serra do Vento FrHwric Etel-
Alve3 Maeiel..
dacaiaFrancisco Olympio da Roeha
Serra. Branca> de Ouricury ^Francisca etro-
oila da Silva.
n de Gabrofi Aap Etetrg* de Souza e
oelraMo Espirito mito Ana Alexandri-
Joa Passi'sBaptista.
'Jatob de TacaratCt Hermina Teixeira de
I Villa Bella -Jos Joquira de M-rara.
V legre(Qam ihu.isi Hartada Con-
io da Carvalho
BuiqueJoanna Kwvin.i Perwira de Lyra.
Foi alierto un crdito da importancia de
7:800 verba do % 14 do Ministerio do Imperio,
cicio vigent-, arlm de ter logar o paga-
-nto de ajudas de custo aos depu ados ge-
dem, idem, da im/oriancia de 200
TerbaEventaaesdo Ministerio da Man ha,
occorrer ao pasraineuto da ajuda de casto
De tem direito o capao-tenente Rodrigo
Costa, Borneado para o cargo de di-
construccoes navaes do Arsenal da
Sena & C, pelo sen assu
Pernambaco, pelos doces
lem.
Lopes, pelo sea cal Libe-
ra.
car.
A' c
expo I
A' J. Duarte Sinsfles; pelo sea vinagre e licores
' D Isab 'essoa, pelo seu vinho de
caj.
A' E Samico, pelo seu viaho de ca].
. A' A. M. Veras & C, pelos seus vinos e lico-
rej.
Re-umindo v-se que foram concedidos
aos expo-dio -es d> Pprnauouco :
irande gremio 1
Vfedalha^ de ouro 5
Mdalhjs de prata ti
M d i ha* de bronze 39
MencOes honrosas 26
Tot-d
92
>! Diario
QIPAPA'17 de Outubro de 1889.
Permittam ijue, saindo hoje da minha v
obscuridade, vinha occapar um pequeo
espaco as coli runas do seu conceituado
Diario, para dar-Ibes algumas noticias
desta esqueci.u e decadente localidade.
A nossa cmara, tendo sido convocada
para o dia 14 do crrente, afira de proce-
der a arremata>;ao dos impostos, deizou
de funecionar por falta de quorum.
Neste dia prestou cuntas o procurador,
havendo em favor da Cmara um saldo de
66210! O presidente adiou a sessao para
o dia 21 do crrente, ofeiando ao Exro.
Sr. presidente da provincia.
O vi gario dista fregu zia acaba de edi-
ficar urna casa sera a necessaria iicenca
da cmara; niio satisfeito com isto, po-
rm, abri em frente da mesma casa,
n'uma das ra mais publicas desta villa,
um enorme barreiro, sendo um perigo
inminente para as pessoas que teem de
transitar noute pela referida ra.
A cmara n.o tem fiscal, porque se
tivesae nao consentira em escndalos des-
ta ordem.
Est tranafonnado em viveiro importan-
te de eleitores > prolongamento da estra-
da de ferro do Recife o S. Francisco.
Comparndose o numero dos actuaos era-
pregados com o do dominio conservador,
hoje tem o duplo ou mais d'isto.
No trem de bagagem ha qnatro baga
geiros; ha estaces com dois agentes,
dous guardas e dona telegraphistas Nb
escriptorio do engenhetro residente o sejjk
vico era feito por dous empregados ape-
nas, hoje o por cinco ou seis.
Confiamos qu* o director ltimamente
nomeado, o Sr. Dr. Aarao Beis, de quem
temos as melbores informacSes, logo que
aasuma o exercicio de seu cargo, tomar
providencias sobre esse estado de cousas,
nao consentindo que os dinheiros da es-
trada sejam esb aojados de modo assom
broso.
Consta que vnt aer removido o nosso
professor publico, moco intelligente e
cumpridor dos .seus de veres. Com a
ana retirada muito tem a perder os pais
de familia desta villa.
Sendo elle liberal intransigente e dedi
oado ao seu partido, a sua remocao, pro-
movida pelos seus proprios correligiona-
rios, nao tem explicacSo.
No dia 6 do torrente teve lugar a pri-
meira corrida do Prado Panellense da vil-
la de Pan ellas.
As nossas feiras continuara abundantes
de vveres, vendando-se o feijao o 15600,
a farinha a 800 rs. e o milho a 500 rs.
O nosso estado sanitario bora, ape-
gar de um sol abrazador que temos tido
uestes ltimos dias.
I ha parisiense Te*
era u temnma
gao a nos:
< PodeMbs nojqinr awinas twrodt(bei
bre as circumstrancias que vio dar adgem, no
Brasil, ao banco de eraissao, sobo patronato do
Banco de Pari.
Ha anoosjafo Banco de Paris tinha pensa
do era fundar am banco nacional no Brasil: mas
como o seu ^irojocto visa va creacao de um
banco nico privilegiado, sobre p modelo dos
_Kieus. e traha prevalecido as ca
finaras brMfeiras o principio ii pluralidade
dos bancos, a moda aaerioana, q Banco de Pa
ns foi obligado a renunciar sui iJa. No eu
tMto, noha elle fundado nesse ptiz um banco
particular, cujas operaces tornalam se to r-
pidamente fructuosas, que as ae^5 s do Banco
It.Tnacioir.il, com o capital de m mitbes (20
mil contos da nossa raoeda), tiveram ara agio
importante. Esse a^io chega hoje.djiela-ooj, a
40 v %
O nVpco Internacional teria onlifluado as,
suas operacoes, se umi raudanca de ministerio,
que se deu recientemente no BrasJI tivesse per-
mitndo ao Banco de Pars voltar o sea projecto
primitivo, sob ama forma um pouco diff.Tente.
e verdade, porque o systema dofibancos nao foi
modi.'icado, mas com vantagens; que podem,
at certo ponto, contrabalancar um privilegio de
emisso.
< O governo brasileiro, desejando reigatar o
seo papel-moeda em circalaco no paiz, n'uma
soimna de 450 milhOes (180 mil Oontos da nossa
moeda), encarregou o grupo do Banco de Paris,
sob a condicao expressa de justilicar a findacao
de um banco com o capital de 230 milles de
francos em ouro (90 mil contos), de ffectuar
essa operaco e realisar o pagamento dssse pa-
pel-moeda com o* seus proprios bilhetei que o
banco autrisado a emittir. ,
O governo brasileiro entregar a) Banco
Nacional do Branil (denomioaco da nVa in tuicao), em troc de seu papel-moda, it a con
currencia de 430 millioes (160 mil conips) de t-
tulos de reada brasileira a 4 |0. ao par, isto ,
18 milhdes de renda (6 mil e tantos contos)
O lucro mmediato do Banco Nacional ser
o segrate : o seo capital nominal de 239 mi-
|boes sosera realisado pela metade, isto ir; 23
railades (45 mil contos), dando-lhe o poner de
eini'g&o pelo triplo do capital realisado.
Se o Banco resgatar asstra, cora 375 milhOes
de suas notas (135 mil contos) ama somsia igual
de papel moeda do governo. receber 375 mi
tooes de ttulos de 4|. ou 15 railhoes rend
annuaLiS mil e tantos contos.)
Befe 15 railbOcs. em retacao a>capitrl n-a-
lisitdofSfeostituiam j um lucro de (2 f..
Outros lucros poderiam, alera disfn, sdr rea-
Usados por meto de depsitos a empregar. quer
era novos resgates de papel-moeda, opaacao
a qual o governo brasileiro deu ao banco um
prazo de cinco annos, quer am outras aperacOes
ordinarias de bancos.
A constituico do Banco Nacional doBrasil
ter como conseqaeucia a liquidacao do Banco
Internacional, cujo capital ser admittico em
grande parte na constituico do novo banco.
Gomes

PANELLAS 17 de Outubro de 1889
Ha quaai seis meaes que nao temos a
dita de enviar as nossas missivas, afim de
correr mundo.
Hoje resolvem js pegar na penna para
dar-Ibes noticias.
Grafas a presdencia, vamos mais ou
menos servidos com as autoridades poli-
cial desta villa.
Nao podemos cleixar de exprimir os nos-
sos sentmentos pela injustica que acaba
de Boffrer o professorato contractado, m-
xime estando elle apadrinhado por urna leu
NSo podemos ceixar de profligar o pro-
oedimentq do governo que nao concorre
para a fiel execuySo das eis.
Nao seria mais acertado esperar o go-
verno que cada um dos professores con-
tractadne findass: o seu contracto, e que
toase logo tratando de preparar-se para um
outro meio de vka?
O procediment; do governo, nos mere
ce tanto mais reparo quauto tambem fo-
mos prejudicados com a retirada da senho-
ra D. Paatilla Lina, ama das professoras
mais habis e acivas que tem tido eeta
villa.
Soffra a aenhera D. Paatilla Lins as
consequencias do quem vota e com ella
soffram os pais do familia que nella viam
urna professora lesvellada e cumpridora
df pus deberes.
Feliamente todos lhefazem a devida jas-
tica, e os numernos attestadoB existentes
em seu poder dimonstram claramente o
que acabamos de expor.
Estamos em pleno verlo e com todo o
sen rigor, j faxeulo sentir-se alguns arvo-
rclo diq-ieladt suas tr.'h** ; ^s animie^
magros quasi a falta de refrigerio e es vi-
veres nra tanto desarrosoadns, pudendo
peioraree a pro\ deacia nao se lembrar
adas,
em aer iguaes as de S. Beato.
BxftfHtieAo UaiverMMl de Parix-\a
distribuicao dos premios, conferidos aos erposi
(ores da exposico de Pariz. couberara ao ra-
l, segundo o jornabM,^'Amerique, 566 premios,
sendo: 22 grandi-s premios; 80 medalhas de
ouro; 1*2 medalhas de pita; 170"medalhas de
bronze e 152 mepcoitf honrosas.
De tae3 premios tocaram Pernambuco os se-
guales i
GranUrpnmio
A comraissao de Pernambuco, pela sua expo
slclo de asaucares
Medalhas Ae our
-A; Colonia Orphanologica Isabel, pelo ensino
MMco.
'comraiso de Pernambuco, pela tapioca,
arroz e farinha de mandioca.
A' asina Pinto, pidos seus assucares.
A' asina Bambu.-ral, pelos seus assucares.
A' N. Rouquayrol, pelooeus cremes e xaropes
de anans.
Medalhas de prata
A' P. A. P. da Costa, pelas suas obras sobre
geograpbia geral
A A. Oucasble, pelo seu panorama de Per
nambuco e pelos retratos expostos,
A' commisso de Pernambuco. pelos balaios,
vassouras, caia e gaiola exposto3.
A' A. Ducasble, pelos lencos bordados e ren
das.
A' A. J. Maia & C., pelos seus chapeos de fel
tro e seda.
A' commisso de Pernambaco, pelas fibras
vegetaes e tabacos.
A' Barthotomeu & C, pelos seas productos de
j urubba.
Ao Arsenal de Marinha, pelos seus modelos
de construccoes navaes.
A' D. Jeronyraa Cousseiro, pelas diversas fe-
calas que expdz.
A' Antonio V. Cavalcantc, pelo caf exposto.
A' i. Brax da Silva, pelo cacao eXposto.
A' Francisco B. Cbagas, pelo caf exposto.
A' Francisco Jos de Mello, pelo caf e assu
car expostos.
A' asina central de S. Francisco, pelos seus
a asacares.
A' Antonio S. Ribeiro, pelo caf e cacao ex
pos tos.
A' S. C. Victorino, pelo caf exposto.
A' i olonia Orphanologica Isabel, pelo sea as-
sacar. V
A' Orlando Barros, pelo sea licor de-larar
jas.
A' J. B. I^anatte, pelos am wbos'de fraetas
A^oio de Lemos, pelas suas cervejas bran-
ca e p1 .
A' quinta Isabel, pelo seu vinho de caj.
Meiolha de bronze
A' Prale, pelas suas msicas.
A' Lnis J. C. Baptista, pela sua mesa de cos-
turas de differetes madeiras.
A* commisso de Pernambuco, por diversos
movis expostos.
A' E. Samico, pela perfumara que expdz.
A' Ildefonso Falcao Dias, pela sua agua den
triflcia.
A' Casa dos Expostos, pelos seas chrocbets,
bordados e labvriothos.
A' J. A. da M. Guimaraes, pelos seus cerdees
de seda e ouro para cortinas.
A o Orphelinato de N. S. da Esperanca, pelos
seos labyrintbos.
A' commisso de Pernambuco, pelas flores ar
tiflciaes qoe expoz.
A' mesma commisso, pelas aguas ferrigino-
sas e phospbato de cat
Ao Arsenal de Marrana, pelas madeiras de
construeco.
A' commissio de Pernambuco, pelas madeiras
de construeco.
A' Jos a. da Conceico, pelas fibras e mate-
rias de tinturarla qoe expoz.
A' J. Braz da C. Silva, pelas plantas medid
naes e odorferas que expoz.
A' Jos Val, pelo sen carvo animal.
A' A. M. Veras, pelos seas productos phanaa-
ceulicos.
A' J. B. Cavalcante, pela sua cal virgem e pe-
dras calcreas.
A' Companhia de Edificacao, pelos seas lijlos
e telhas.
A' Tbomaz Cavalcante da Silveira Lins, pela
soa eomma de araruta.
A' Lanrindo F. Mello, pela sua tapioca.
A' Jos Pinto & C, pela soa gomma de milho
e farinha de arroz.
A' Rooqnayrol irmos, pela sua ararnta.
A' commisso de Pernambuco, pelo caf ex
posto.
A' Rodrigo de Carvalho, pelo seu caf.
A' Fabrica Riacbo, pelo sea assucar
A' Manoel Pedro Marques, pelo seu assucar.
A' Oiiveira 4 e Ohveira de Irrao. pelo seu
assucar.
A' Pinto Alves & C pelo sea assucar.
A' fabrica de Ribeiro Azevedo C, pelo seu
o encerfamento da discusso. r assucar.
Approvou-se em 3. uiscossOy ^QdftA eojpnu fabrica de Manoel dos Santos Dias, pelo sen
A<-ibl Provlacial Funccionou
hontera sob a presidencia do Exm- Sr BaTao
de Itapissuma, tendo comparecido 30 Srs. depu-
tados.
Foi iida e approvada sem debate a acta da
sesso antecedente.
O Sr. i* secretario procedeu 4 leitura d* se-
gninte expediente :
Um officio do secretario do governo, indicando,
de ordem do Exm. Sr. consetheiro-presiden te da
provincia a argente necessidade de un auxilio
para saneamento do terreno em que tem de ser
construido o jardim 13 de Maio, em rirtnde da
(letnonstracao da commisso encarregada da con-
strueco do referido jardim.A' commisso de
orcaraento provincial.
Outro do mesmo, devolrendo qnj> exemplar da
resoluco sanecionada sob n. 20-A archivar.
Um abaixo assignadosdos guardas da 2." classe
da Casa de Detenco, representando contra a
de8igualade que soffrem em seus rebeimeatos
pedindo que todos os guardas tenham a mesma
cathegoria.-^A' commisso de orcamento pro-
vincial.
Passou-se ordem do dia.
Conclnio-sc a votaco das emendas ao prajeeto
n. 75 deste anno ("orcamento provincial para
1860) havendo orado pela ordem os Srs. Ulysses
Vianna, Joao Augusto, Drummond, Jos Maria e
Jos Mariano,
Em seiruiJa entraran em discusso as emen-
das empaladas, sendo approvadas as de us. S
e 185 esta na 2.* parte, sendo rejetada a 1.*,
tendo orado os Srs. Eliziario de Montes, Clodo-
aldo Lopes e Jos Maria, que requeren e blete
sao de redaeco, o projecto o. 131 de 1788 tr*
forra com o sold por inteiro a qoalquer sol-_
dado de guarda cvica e de polica quetiver 35 '
annos de servicos nos raesmos corpos) tendo
orado os Srs. Ulysses Viaiina e Meira de Vas-1
concello?.
En;errou-se a discusso do parecer n. 84 deste
anno, nao se volaos":> por falla de numero
requerimento do Sr. ruuniioud para'ser ou\
a Cmara Municipal de Goyanna, orando o mesmo
Sr. depntado.
Adiou se a 1." discusso do projecto n. 100
desre anno.
A ordem jo da : i discusso das emendas
apresentadas e approvadas na 3.' do projeCt
n. 75 deste anno e cintinuaco da antecedente.
Actoa oOlcAskea -Por actas da presidencia
da proviacia dwB 1o cutenle :
Foram nomendis. para iiremichiiueulo das
vagas existentes nos corpos da Guarda Nacional
da comarca .de Floresta, abano declarados, os
segrales oflHaes :
8.' esqvadra de cavallaria
, 8.* corapnnbia
Teneofe, Rozeai-i Mni'|ums da Silva.
Alfares, Cometi Malaquias da Silva.
4QS balulhao de infantetu
3" Cun,i


assucar.
usina Bandeira, pelo seu assucar.
A' Manoel Bastos, pelo sen vinho de janipapo.
A' commisso de Pernambuco, pelos doces,
Condimentos e assucar que expoz.
A' Oliveira & C, pelo seu assucar refinado.
A' .zevedoMaia C, peio s*-u>sal rert'iado.
A' jommisso de i eruambucj, pelo vinho que
expdz.
A' J. L. Doarte, pela soa agurdente.
A' A. Kruss, pelas saos cervejas brancas e es-
coras.
A' Leonardo Kuhn. pelos seus vinho.
MenfSri honrosas
A' Walfrido de Carvalho, pelas suas caixas de
papelo.
A' Martins 4 Bastos, pela sua agua dentica e
tome*
inlio (t C. Dla so* perfiiranria.
Moura, pelo seu quadro de l em
Monra, pelo seu quadro, idem.
sso de Pernambuco, pelo vistido de
ito de renda
panhia de Edifkaco, pela greda e or-
e expz,
umisefio de Pernambuco, pelas fechadu
.es, pela resina que expoz.
de Pernambuco,pelas rdese
mansa* axpostas.
.irvalbo % irmos, pelos seus cigarros.
B. Lanatt. pelas resina que expz.
j:. u
.\otteiaa Bnhia 0 vapor Arlwdo,
die-.-a lo ii'i'.i- u du Sul, apenas nos trouxe fo-
llii- rl Bi:i.:i. alineando a II do corrale.
. E-tav.i ledtnmmeue organrsado o Banco
niio da Baha.
O capital do novo banco de 8,000:000*000
dividido eui accoes de 2004000, diz o Dm>io de
utilas.
O banco, era virtud e da aova le, emitlir
notas pigaveis a vista e ao portador na razo
tri Ha do capital reatisado e em caixa em moeda
metlica.
Como referimos honten, a eubscripco ser
berta no prximo aab!>ado, no edificio de Ban
co Mercantil, encerrando-se s 3 1/i bpras da
Gany, commii ladnr Antn o Loureiro Vaqna.
ipes, commendador Manoel
ida Brando, coramapaador
Augusto .-!.-;,< de Faria e Joao Soarwnha
fe?.
* Mi-tade do capital est tomado pelo Sr. vis-
conde de Figneircdo, para si e seus amigos, es
tan lo parte da outra metade j subscripta por
capitalista* da pra'ga de Lisboa.
As demais noticias sao de mero interesse
local.
BeviKla do Observa torio. Da Corte
rec-beiuos o n. 9, de Seterabro prximo lindo,
Ja Revista do Observatorio.
Colonia portuguesaTeve hontem ef-
fectivamente lugar a reuniao da colonia portu-
gueza. no Gabinete Portuguez de Leitura.
O director do Gabinete, Joaquim da Silva Car-
neirp que, era viriule da resoiucSotomada pelas
directoras das sociedades portuguezas, em Per-
nambuco, tinha au'orisado o Sr. 2 secretario a
couvocar a reuniao da Colonia para hoje, afim de
tratar de urna mamfestac&o publica conforme
consta va de annuncio. e achava que nao lhe com
petia presidir essa reuniao, pelo que os senhores
presentes elegessem o cosspetente presidente.
Foi acclamado o Sr. commeadador Miguel Jos
Alves, que, tomando a presidencia, convidou
para 1* secretario o IIIm. Sr. commendador Jos
Augusto Alvares de Carvalho, e para 2o o Sr.
JoSo V. C. Alfarra.
Expondo o fio) da reuniao declarou aberta a
sesso e pedio que a colonia, representada nos
senhores presentes, approvasse a resoluco toma-
da pelas directoras das sociedades, na transmis-
so, que lizeram, dos telegrammas a Suas Mages-
tades EI-Rei Carlos e a Rainha D. Maria Pa.
assim como oque em tempo devido expediram
pelo fjllecimeato de Soa Alteza D. Augusto.
Foi unnimemente approvado este proced
ment.
Entrando em segnida, em discusso, o as-
sumpto que dera tugar reuniao foi approvada
a seguinte proposta do Sr. Antonio Joaquim Bar-
bosa Vianna. %"-2ifcM
proaonho qae aeja nomeada urna mmisso
central, com poderes ampios para levar a effeito
as exequias pelo fallecimento de S. M. El-Rei o
Sr. D. Loiz I; e outras parciaes pira as diversas
freguezias.
Ficaram assim compostas as commisses:
COUHISSAO CBHTKAL
Consol Vicente Nunes Tavares.
Visconde da Silva Loyo.
Commendador Miguel Jos Alves.
Commendador Francisco Pinto Guimaraes.
Joao Jos Rodngnes Mendes.
Antonio Fernandes Ribeiro.
Jos Maria de Andrade.
Antonio Nunes da Cruz. _
Commendador Jos Augusto Alvares de CarvalBo.
Mauoel Ferreira Bartholo.
Jos Bernardino Ferreira.
Antonio do Carmo Alraeida.
Diogo Angosto dos Reis.
Joaquim Manoel Ferreira de Souza.
COSOflSSOES AOENCIADOUS
Freguezia do Recife
Commendador Antonio Francisco Correia Car-
doso.
Commendador Lniz Duprat.
Manoel da Cunta Lobo.
Joao Baptista Pereira de Soma.
Joaquim Jos de Amorra.
Domingos Joaquim Ferreira Gnu.
Manoel Moreira de Souza.
Aniceto Augusto da Silva.
Agostinho Jos da Costa.
Dr. Jos de Albuquerque.
Freawzia de Santo Antonio
Joaquim Duarte Campos.
Rodrigo Carvalho da Caoba.
Gaadioo Ernesto de Medeuos.
Jos Antonio Fernandes.
Antonio Pacheco Dias Torres.
Domingos Pinto de Freltas.
Joaquim Artbur dos Santos.
Seraphim Ferreira Maia.
FranciscoiMoreira Netto.
Paulino de Oliveira Maia.
Freguezia ie S. Jos
Vicente Alves Machado.
Joaquim da Silva Salgueiral.
Carlos Boiellio e Ai ruda.
Antonio Soares Pinto.
Jos Ferreira Doarado.
Jos Lores Ferreira Maia.
Frxauezia da Boa-Vista
Jos Francisco de Figueiredo,
Antonio Affonso Simoes.
Alfredo A. Fernandes.
Domingos Coefho.
Jos Gomes Ganches.
Manoel Moreira Ribeiro.
.Freguezia da Graca
Antonio Jo-iquim Vinnas Maia.
N ii la Fonseca.
Francisco Manoel da Silva.
Joaquim da Silva Carvalho.
Jos Joaquim Gongalves Bastos. *
Manoel da Cunba Reis.
Faculdade de Direito-Era sesso de
lioni.'Ui coaregaCO da Faculdade deliberou
que os actos acadmicos tenham comeco no dia
2 do correte pela prova escripta em turmas
de 15 ostudantes em todos os annos, Bcando as-
sim distribuidas as mesas examinadoras: .
f> anno
Conseineiros Panto Jnior, Tarquinio de Sou-
sa e Dr. Angosto Vaz, ao meio da.
Conselheiro Silveira A l Souza e Drs. Barros1
Guimaraes e Oliveira Eseorel, s 10 horas.
3anno
Con-. orreia de Araajo e Drs. Joto
Vieira Al; io, s 11 horas.
4" nnno
quinio de Soasa e Drs. Seabra
e Cirue. as 10 horas.
5a anno
Drs Jos Hygino, Seabra, Meira e Portella,
1 hora da tarde.
A songregacto deliberou anda que as chama-
das fossem mitas at completaren! as tac
un le a COBKN
^ WrJBgf do improct
co, instaurado contra o alumno Pa
Caard nacienal -Tendo I
jornaes o Sr. Leandro li )eiro,
ura espectacujo de gala e dedicad
ficiaes da guarda nacional, aos quaes
respectiva interferencia, na passagetn deb
tes. informain-nos que os mesmos ora^^H
acquiesccii~ia aquella solicia^k orgaa
para -ase lira as seguintes comfllsO -s:
Commisso executivaCoronel Manoel
sio Gomes do Reg, capgRp Jos Alfredo de-C
valho Jnior, capio FrancUap de Assis I
Magalhaes. lente Adopto ffctaviano Leal
.ira.
mmissirios paroqjtsea Coronel BarSo de
~a cormel Mauie^ Vctor Co; nte
I TlioniafBl3inad,'"C3pit3o i'once
n, ci. roaelTSogoberlo Barbosa da Silva, te-
nente II rebla do Cavalcante de Albu-
querque. cilplto Joaquim de'Medeiros Raposo,
capito Aogust Couciro de HMh lene:ile
Vilbcrto Brrelo de Mello Rogo,' tenente J
Beato Montdro da Franca, atieres Adeno Au-
gusto Pereira de Albuquerque alfere Thomai
Marques Virra, tem-nte 'Ifredo Soare3 de Aze-
vedo, "capilao Belisario Peanambuco, teneate
Firmino de Morai-s, tenente Antonino Alfredo de
Carvalho, tcenle Belrairo Manoel de Oliveira,
alteres Leojioldino Augusto da Silva Neves, te-
nente Albir.o Leiie de Parias, capilla Francisco
Antonio Barbosa, tenente Fortunato Jos de
SamnUc'teneiite Albino Francisco das Cliagas,
capitoSebastio Muniz Basilio Pyrrli e caDi-
to Ulys-es Ponce de Len.
Neste prepsito, como secretario, o Sr capito
CarvalUB Jnior, convida aos Srs. officiaes n;
Clonados reuoirem-se na qiiinlajJJira 24 do
correntias 7 horas,; da noite, ra do Livra-
mento n. 23 2o andar, alim de corabiHarem obre
0 raelbnr meio de levar-se m effeito .alo
mencionado.
Concert-No saino do tlieatro Santa Isa-
bel, ter losar hoje noute o concert vocal e
instrumental organisado pela Exma Sra. D-
Eulalia Fres de Oliveira, disiincta professora
de niane nesla cipial.
E' este o progrjimma :
l'Partr
1 -Saint Saa.is Tarentelle a 2 planos.
2RoffNeturne em l bemol
3 Braga -Ja Herenuta.com acompanhamento de
piano e ijlino. a
i KuhiaOjMooatine a 4 mos.
'> V.iriacao de flauta.
6 -Humrael-i-La Bella Capnciosa.
7Rseleu DauclaZampa, do para piano e
violino.
2* Parte
1RubinsteinTarentelle a 4 mos.
2FaurBerceuse para violino e piano.
3l -nri HerzAndante.
i Mendelssohn Scherzo.
Eriiu RomanzaBailo in Maschera.
6 RavinaLes Oiseaux a 4 mos.
7 Rossini Ouverture de Guilaome Tell a 2
piaa e 8 mos.
Haver trem at Apipucos e bond para a Mag-
dalena.
Vida Fiuminene-Recebemos o o. \&*
13 do correte, da revista Ilustrada e satyrica
Vida Fluminense, que traz explendidas grasuras, i
Companhia LocoaioioriiEm ssem-
bla geral reunem-se hoje, ao meio dia, no pre-
dio n. 1 do pateo do Carino, os accionistas da
Companhia Locomotora, aSm de tomaran co-
nhecunenlo do balance e contas da erapr-za e
resol verem sobre o que mais convra mesma
empresa,
l Santa Bita de CsalaEra collegio re-
presentativo devem reunirse hoje os irmos da
contraria de Santa Rita de i^assia, pelas 5 horas
da tarde, afim de legalisarcm as providencias
lomadas e determinaren! o que de mais conve-
uha fazer no intuito de reconstruir a capella-
mr da respectiva igreja, devorada por um in,-
cendio.
iraiandadV do Terco Era assembla
geral reunem-se amanha, 's 6 1/2 horas da-tar-
de, os confra les da irmandade de Nossa Senhora,
do Terco, para elegerem a nova mesa regedora
para o anno compromissal do 188990.
Paisameolo-Na cidade da Escada, no
dia (9 do correte, fallecen o Ilustrado medica
Dr. Manoel Doarte de Parias, alli residente ha
tpjasi 30 aonos.
O finado, qae era hoaamde iliustraco prora-
da e de verdadeiros senmentos de humanida-
de. tumoo parte activa nfftmprensaem prol da
maconaria na celebre questo religiosa. Exer-
ceu por vezes o lugar de juiz de piz e de verea-
dor
Em diversas pocas mostron-se dedicado aos
quede seos servicos precisa vam, sera olnar
retribuico, o que fez com que fosse sempre
muito querido e respeilado pela pobreza. '
Morrea pauprrimo I
Reconciliou se com a Igreja, recebendo todos
os sacramentos e fazendo retratacao de alguns
osos qae defeadia-em materia religiosa.
Em poltica militou sempre e activamente as
fileiras conservadoras, inclinando-se ltimamen-
te ao partido republicano.
Ao seu sabimeiito concorreu crescido numere
de amigos e de admiradores.
A' beira do tmulo, traduzindo o geral senti-
menlo pela perda que a sociedade escadenee
acabava de ter, o Dr. Aquilino Porto dirigi al-
gumas palavras consoantes com aquelle senti-
mento e expressivas das qnalidades do hornera
qne descia ao tmulo para ser urna memoria ve-
nerada.
Nossos pezames desolada familia e popu-
lacho da Escada, a quem boje falta um plian-
tropo.
Depntado a-eral No paque'.e nacional
Alagos, esperado amanh do norte, segu para
o Rio de Janeiro o Sr. Dr. Prxedes Gomes de
Souza Pitaoga, deputado geral pelo 12 districto
desta provincia.
S Exc. vai acompanhado de*saa digna fami-
lia.
Agradecendo-lhe a visita com que aos hoarou,
desejamos-Uie prospera viagem.
%oriedade Recreativa Septentrio-
nalSob a presidencia do Sr. Alfredo de Castro
funccionou no domingo ultimo essa sociedade ;
e procedendo eleico do lagares vagos de 2
secretarlo e de um membro da commisso da
syndicancia, foram eleitos para o primeiro oSr.
Jos Gomes de Mattos e Silva e para o segundo
0 Sr. Manoel Luiz Soares do Nascimeoto-i
Igualmeote procedeu-se a eieigao do director
do mez de Novembro. e sahlo eleito o Sr.-Jo
Gome* re Mntto e Silva.
Club de EstgrimaAnte-hontem reunie-
se esse club, em sesso preparatoria, para d-
cosso e approvaco dos estatutos provisorios,
sob a presidencia do Sr. capito Joo Justinian
da Rocha.
Aberta a sessao, proceden-se a leitura doses-
tatutos, sendo afina! approvadas provisoria-
raente. .
Era seguida, por ser a mesa de simples ac-
clamafo, teve lugar a eleico da provisoria
sendo eleito presidente o Sr. capito Joo Jnsti-'
umno da Rocha, secretario o Sr. Francisco Gou-
veia e thesoureiro o Sr. Alexandre Aineti a^de
Caldas Padilba.
Constituido assim o referido club e
desde j dar comeco seus trabalhos
de preparagao, o Sr. presidente nomeou urna
commisso composta dos Srs. Dr. Gregorio Thau-
maturgo, Bernardino Pontual e Dr.'Alvaro Vi-
Ihena, para com o respectivo thesoureiro proce-
der aqoelles trabalhos.
Para coaanletar a commisso de estatutos por
dispensa d"Sr." Alexandre Americo de Calda
raiido, o Sr. presidente designou ao Sr. Dr.
W uvi i Pito ^ande!-a, e levantou a sesso.
O precddo assucar e os bancas da
emiwao -Acerca de taes assamptos o illas-
Sr. gerente de nossa Sociedade Auxiliadora
da Agricultura, acaba de dirigir nos a carta
infra.
Socicdad% Auxiliadora da Asricnltil
de Outubro de 1889.-Srs. redactere
do carta de 22 de Julho prox
posico esttistica do as
raes,e ore
hoje colhf--
por todos
30


3



i
! ----------- "
te
esp(
MOS

^^^reeeJent" nao pa^re, em vis a das in
{brmufV- ra que deva ser .-
velmente %up>ior ao cbrrespondenle ao a
mmo das superficies plantadas, isto a urnas
J00 ou .250 rail toneladas, proporco esta qiv
fon o augmento normal do consumo
vsnnVado no ultimo quinquimnio.
ISE' cesto, i|u Mr_Licht :ir M t.li'barjo, om ~um
derradaia* circalwes. vaticioou um oxcesso
uito mainr: ra es p:evj-oe-< d'aqu*'lle e~pe
eialisla. baseadas sobre informacos que atlri
talara a Adstria Hungra urna producco prova-
vel de 700 mil tofceladas, foram inmediatamente
contestadas por Mr .Achleituer de Vmnna, qne
considera taes informaces comp inleiraraente
destituidas debuse.
Emquaoto viveu o fundador dsrjasa Licht, as
apreciacomSle sua circular mensa I. acercada
producco do asquear, gosavam de merecido ere-'
dito, porque eram confirmadas pelos resultados
das safras ; depuis, porm, que foi substituido
pelo filao, tal coafirmaco tomn -se exreptional
por occasiao da ultima safra a circular Licht de
V de Setpmbro de 1888. avahara ero 451-800 to-
neladas o excesso provavel, ao pass que o real
ao passou de 283 mil toneladas.
De assucar de canoa nao parece que se d<>va
aperar s nsivel augmento ; pois si o accrescimo
certo, na safra de Cuba, nao menos certo o
itfkifms le Java e de nosso Braiil.
Em mrama. a posigao estatistica- do assucar
ao soffreu, do meiado do anno para c, impor-
tantes modn" "-aeea, e entretanto, alca vertigi-
nosa, que elevara em Julho o assucar de betteraba
foolarisando 88a) at 26 e 27 sch. por quintal in-
jdez e a 21 < 21 scb. as priraeiras qualidadesde
assucar bruto de canna. suocedeu urna baixa no
Henos rpida, qne recondutio o presos ao que
eram em Xirco, no fim da passada safra de
1888S9. e nem siqner all parou.
O oo 4a obtinha em Liverpool de 17 a U sch. por
quintal, e em New York 8 9/16 por libra, j no
m do mesmo mez era cotado de 15 a 16 sch. no
rimeiro de ditos mercado** a 5 c. 6/8 no se-
gundo.
Em Setembro, quasi que nao honve altera^o,
aantendo-se os precos de 15 sch. e 5 c 5/8 ; mas,
logo, que principiou Oatubro. as cotagoes baixa-
ram em Liverpool a 14 e a 13 sch. e finalmente
a 126 e a42 qnea dada pelos ltimos tele-
Kiranias. Era N^w York verificoo baixa ana-
a, e no d>a 15 do corrente a cotagao do fair
reftning descera a 5 c. i/4 !
Da mesma forma que os de Jolbo. taes precos
lio correspondem, nem ao casto da produzcan
do assucar. nem a relaco existente entre as exi-
Ssacias do consumo ao orbe civilisadoe asquan-
dades disponive8 para Ihes fazer face. Sao
Ilhos da espeeutago e por isso nao podem ser
doradouros.
Ouco dizer, que a especulacao alma do coto-
mercio. mas anda nao tenho podido comprchen-
der a sua utilidade social.
E' certo. que a actual orgam9aco econmica
do nosso mundo civilisado nao pode dispensar
m ou mais intermediados entre o productor e
consumidor: e os lacros realisados por taes
intermediarios sao em tese a remnneraco de
m servico prestado a sociedade ; mas o qne
oonstitae mais propriamente a especulacao, essas
tentativas de monopolisaco de certos prodnetos
ara impor aos consumidores preces artificial-
mente accrescidos. como a do syndicato do co-
bre, qne accarretou ltimamente era Franca a
queda do C.omptnir d'Eicompte e a do sjndicato
assucareiro de Magdeburgo, causa efficiente da
nbida extraordinaria dos precos do assu*ar em
Julho e cujo Krach determinon a depresso des-
communal que hoje preenciamos, embora na>
caiam geral mente na aleada das leis penaes
trac s cositarara da especulacao relativa aos ge-
eros alimenticios indispensaveis, com tudo
eonstitdem factos immoraes e delictuosos.
Incorre na mesma pecha e merece a mesma
ualificaco nutro genero de especulacao mu
desenvolvido nos mais importante? marcados de
gneros e sobretudo de capital*.
Essas compras e vendas simulada, operadas
aem tradico de ttulos ou de gneros, que os
Iroprios vendedores nao possnem, e so tra por
m lser descr ou subir os precos e*mbolsar
as diffareneas,. nao passam de jogo immoral e
ernicinso, qne perpetua no valor dos talos e
os gneros urna instabilidade nao menos preju-
dicial que a da saoeda em que computado dito
valor, e sera as vanlag*ns indirectas que desta
tesultam para a communhao^social em certos e
determinados casos.
Alentada pela perspectiva da emissao trplice
roraettida aos bancos que constitus*^ o sen
fcpital em raoeda metal^a. eslava ltimamente
arrassando na capital do imperio nma poid^mia
de febre esoeculadora. qne trat a lembranea, j
aodirei a do tempo do famgeradrfLaw. mas %
que deseovoIvpu-se na Germania depois da che
Jada dos bilho>* arrancados a Pranca e teve por
esenlace o krach de Vienn e as liquidacoes
desastrosas de Rerlim.
Os aetoaes bancos de depsitos e descont da
corte estavam todos tratando de col locar se as
condigoes exigidas pelo decreto de 6 de Jnlho
para tr ju a eraissSo. O velho Banco do Bra-
lil abrir subscripeo para elevar o sen capital
a cem mil contos. J eram factos comummados
a matamorphose do Banco Internacional em Ban-
co Nacional, como capital subscripto de noventa
nil contos, e a concessao ao mesmo Banco da
missao triplice, de qne j se aproveitara para
depois de justincada a existencia em seas cofres
de 9 mil contos era ouro, laucar as suas notas
a circulacfto. Creavam-se bancos novos sobre
mesmo typo nvtallico ; outros estavam era ela-
boraco ; e surgiam da noite para o dia, quaes
ogumelos no montouro eraprezas de todo o
genero auxiosas por partilharem das doaradas
aguas do novo Pactlo.
As aegoes de taes bancos e eraprezas, com es-
Secialidade as do ex-Banco Internacional, hoje
acional, que adiantando-se a todos os seas
competidores j tem papel na praca e contratou
com o governo o re3gate de noss papelmoeda.
tinham dado lugar a mais desenfreada a^iotagem,
logrando alguas jogadores mais felizes, ou antes
jais expertos, realisar em poucos das lucros de
eentenas ou milhares de contos, alem da fixaco
de ordenados fabulosos titulo de directores ou
vice-directores dos mes-nos bancos on emprezas.
Declinou a febre n'estes ltimos dias, em con
equencia de mais ou menos fundadas descon-
fianzas acerca das intences do Exm. ministro
da Bzecda no Be diz respeito a novas con
cessSes da faculdade emissora; mas a praca
est longe de se achar restituida ao estado nor-
Portanto, a no ser que o decreten. 10.262 so
tenha tiiio por fim permitlir a creagSo na corte
de um colo8sal banco e emis-o, com capital
igual seno superior ao dos mais importantes
bancos da Europa, ae qual seria assegurado um
^monopolio de facto, com a recasa da emissao aos
que-qaiessem estabelecer se as raesmas pro-
porces, (hfjpothese alias incompativel com a
seriedad'? que deve presidir aos actos de um es-
tadista abalisado como o Sr. Visconde de Ou
ro^PretOr ter de ser concedida a emisso ao
Banco do Brasil e aos mais que se incorporaren]
ou reoj-ganisarem-se ebre as bases estabeleci-
das no dec. de n. 10,262; e caso elle* consigam
o que nao me parece rauito provavel, adqu rir o
enorme capital' metallico imispensavel. teremos
de assiytir, depeis de urna dieta'rigorosa manti
da por espaco de meio jeculo, a urna derrama
de papel fiduciario guperior sonbada pelos
mais decididos partidarios da expanso do cr-
dito!
Entretanto, taso realise-se, sejaelbante innnda
cSode papel ter pouca duraco. Os bancos pla-
oejados em 1887 sobre o modelo dos bancos na-
cionaes dos Estados-Unido, com a sua emissao,
limitada a 200 mil contos e garantida por depo-
sito de igual qnantia em apoliees da divida in
tema fundada, nao se prestavam sera dnrlda ao
desenrolviniento do crdito na medida das nos
sas prec.ses, mas ; nos termos em qneforam
propmtoi pelos Exms. conselheiros LefJBette e
os boje VUcondes do Cruzeiro e de Ourc-Prelo,
eram de fac realisacio e embora nao abrussm
aos futuros accionistas perspectiva de lucros
nnnnnnnnm era eoomasacM nao oSereeitm con
i de preintio qnwr para os ec
ira o portadoree das notas han -
-
realisou su urna transaeco e como conse-
a lei dfe 24 de Ifovembrs do
anno prximo paiisado, que tornando irai>
a fundajo de tuncos mobilisadores da divida
publica, abri a porta a desdes bancos de fuoJo
metallico e emissao triplico, cuja creaciko esta
'boje mononolisando a atteoco publica e de'sper
laudo a cnica e a agiotagem.
A emissao dos planejados bancos de' papel,
co no Ihes charaa'.'a o conseihnro Silveira M.ir
tras, era limitada ptia le e plcnain-nta ^arai;i-
da ; dados banco raetallicos,ura terg apena -
ter garanta positiva, ea sua i npn inn
tem limite algum alm do arbitrio do {overoo e
da difficuldade qi.e possa apreseotar a obtnaco
do ouro sobre o qual se far a mes na emissao.
Por isso, nao sendo por ora diflicil a adquisif fio
do metal, pois o nosso papel raoeda est cima
do par, e a concessao da emissao trplice aos
bancos que j a pediram ou esto para ppdil-a
podendodar lugar a emissoes de papel fldacia
rio de cerca da um milnao de contos. (570 mil
contos so para os bancos Nacional e do Brasil) a
opioio publica acba-se naturalmente apprehen
siva e receiosa da.i consequencias que pode tra
zer esta elevacSojiio quintuplo da somma actual
da '-irculaco.
Felizmente ou infelizmente, todos esses ban-
cos de fundo metallieo,)creados ou por crear, in
clnsive o graade Banco Nacional, cujo capital
integralmente reaiisado em ouro autorisana urna
emissao de 270 mil contos nao passam de cas-
tellos de cartas, cuja fundacio e subsequente
existencia depende da continuaco da correte
de capitacs europeas, que de dous annos para
c tem proeurado as uossas plagas, como em ou
tros teuipos as do Egypto e da Turqua.
Logo que hemp correte, e tal vez hora nao
seja mu distaafeoste ouro, coja chegada occa-
siooou e madJPRintas illuss, voltar para a
Europa, em virtu le de leis econmicas incon
trastaveis, que nos^os inculcados floanceiros pa-
recem aeecoahecer. Ento os bancos metallcos
n5o podendo mais trocar suas notas por ouro se-
rao obrigados a liquidar, ese esttver na oeca-
sio concluida a substituido do nosso papel
moeda por notas bancarias, ser preciso conce
der Ibes o curso forcado pelo menos temporaria-
mente.
Este resultado fatal: assim como os prejuizos
que resultaro de taes liquidacoes para o Estado
e os particulares, o cuja ratenside.de depender
da maior ou menor facilidade, que o governo hou-
ver mostrado em aulorisar a fundaco dos taes
bancos metallcos, e da que estes tiveremencon
irado para a adqui.sico do ouro base da alie-
jada emissao.
Com effeito, a impossibidade para qualquer
paiz de evitar a exportaco dos me taes preciosos
amoodados, quando esta exigida por desequi-
librio en'.re o que elle tem de pagar e de re-
ceber no exterior, facto tbeorico e ptica-
mente reconbecido pelos economistas quer or-
thodoxos quer nao orthodoxos, que todos con
sideram o equibr o na conta das transaccOes
internacionaes condigao une qua nen da perma-
nencia da cirfulaco metallica.
Ora semelbante equilibrio nao se d em cir-
cumslaucias normaos no nosso Brasil, no Cbile,
na Repblica Argentina e em geral em todos os
paizes que s exportara materias primas ou
gneros agrcolas e importan) em graude es-
cala productos da industria fabril i S appa-
rece ^xcepcionalmeiite, quando o de/ict de sua
exportaco se acha compensado, como ha sido
entre nos de dous anuos para c, por capitaes
estrangeiros introduztdos quer pelos respectivos
governos, quer por particulares, e por isso taes
paizes acbam-se fe Teosamente condemnados a
urna circulaco de papel raoeda ou bancaria de
curso forcado.
O Sr. conselheiro Lafayette Rodrigues Pereira.
no discurso que prenunciou no Senado na sesso
de 26 de Junbo do anuo prximo passado, na
discusso do projeUo para a mobilisaco de
parte da nossa di\ida publica,, mostrou com
algarismos, pela mor parte ofliciaes e que nao
foram contestados, que os nossos reeursos nor-
maes, os que resultara de nossa exportagao,
apenas chegam paia satisfazer dous tercos de
nossos compromissos no exterior,. curaprindo
que o outro terco seja foraecido por empresti-
raos do governo ou de particulares para que
nosso cambio possa conservar-se no par de
27 d. por liOOO.
. De eolio para c taes compromissos longe de
diminuir leera efescdo eom a importaocia dos
juros qne temos que pagar pelos capitaes es-
trangeiros que importamos, .e nao de crescer
aioda com os pedidos de oro para constituir a
garanta dos actuaes e fotnros bancos de emis-
sao ; pelo que, permaueceodo o deseqailibo
paleoteado pelo Sr. 'Xinselheiro Lafayette, togo
que cessar a unp irtigJo de capiats estrangei
"08, p ucos annos serao precisos para reduzr o
fundo metallico de oossoa bancos a proporces
taes que Ihes ser impossivel manter a conver-
sibilidade de suas notas e d'abi como conse
queacia necessaria liquidacoes ou curso for
cado.
Em summa o plano, ora em principio de exe-
cuco, de expansio do crdito por meio de ban-
cos metallico e concomitante substituicao de
nosso papel moeda por notas bancarias conver
?iveis era ouro denota, da parte dos nossos fl
nanceiros ofliciaes, le ambos os credos polticos,
(pois o Sr. Visconde de Ouro Prelo n'este
ponto mero continuador do fallecido conselheiro
Belisario), profunda ignorancia das leis econo
micas ou das nossas peculiares circumstaacias
e da historia econmica de todas as nacss do
nosso continente.
As consequencias nao tarda rao em spparecer.
Parece qne, na colossal derrama de notas ban-
carias, com a qual pretende se felicitar o Impe-
rio s devera tocar a esta provincia uns 24 mil
contos, on para maior exactido 16 mil contos,
pois 8 mil ticaro unraobilisados para garanta
da emissao do nossi banco.
E' muito pouco, a vista do que exige a trans-
formado de nossa industria assucareira ; mas
antes pouco que nada e cumpre os organisado-
res do mesmo banco apressar as entradas e re-
querer logo a emissio. -para qne esta seja facto
coosummalo quando, como muito provavel,
o nosso Parlamento tratar de por um dique le-
gal a possivel inundaco de notas bancarias
m garantidas e entretanto revestidas pelo
facto de seu recebimento nos cofres pblicos do
mais importante predicado da moeda legal.
Paro ahi, Srs. redactores, para nao me tornar
por demais massante, e sou com eslima e con-
sideragio de Vv. Ss. amigo e venerador obri-
gado.Hennque Augutto Met-
Korviro militarEntra boje de superior
do dia o Sr. capitao e de ronda de visita um of-
l,al de cavallaria.
-02" batalho dar as guardas do Brum,
DeteUyo e Thesourerla de Fazenda com o res
pectivo oflicial e o 14' as da Alfandega, Bofer
maria e Tbesouro Provincial e o destacamento
de cavallaria a de Palacio.
Teve 4 dia3 de licenga, coocedidos por S.
Exc. o Sr. coronel commandante das armas, o
cabc.de esquadra do destacamento de cavallaria
Eugenio Raymundo de Lacrda.
a enfermara militar existem em trata
ment 25 piucas dos cornos da goarnicSo.
telles h-ft"-1 !.i--;e-3OA>8 ..-aU'aie.
Hoje : .
Pelo agpn'e Gusmao, as II horas na fabrica
Caiurubetia. dospertences nelta existentes.
Pelo agente Modesto Baptista, s 11 horas, no
becco da Bomba n. 13, de movis.
Amanh:
Pelo geme Martina, s II horas, ra do Rao
gel n. 2, de diversos artigo* de tabacaria.
Pelo agente Molesto Baptisia, s II hora
roa do Buru da Victoria n. 59, de inobllias
amitos outros movis.
Miaai* *"uo-r*!Serio celebradas :
Amanbl:
A's 7 horas, na i alma de D Lumioata Maria la Cooceicao ; s 8
horas, na matriz de Santa Antonio, pela alma do
baeharel Aflfooso ftlirdense Ribciru de Souxa; s
7 Doras, na igreja de S. Goncalo, pela alma de
D. Ignacia Maria CaDipos.
regrlriT i'itiilrrn pare o norte no va
por nncional Jaauarbe:
Antonio Penvira Bjr^es^Simpbronio Gorcl-
ves, Beovenato Gongilves Belmiro Alve, Igna-
cio Ganes Porto Net Antonio'Cenco Limeira.
da Sirva Paraahos, D. Qoitera Pacheco
iba, O. Mara Men
Mi
J'.j.iqii.ra Silva e UAo Vrgoli.
I mo de >'
Dias iraga, Jos Bailo.
Jos Soares do Amaral e Mauu
deijo.
airrcton* da obra* , o Porto* de PerMatmo-
f>.. 21 de Outubro de 1889.
Boletim meteorolgico
l eaisao
yaroti>o do^ac
O
u- -o;
28* -6L
28 m
27 9(
27* 2
760-75^
762-38
761-74
760-11
760-27
18 88
17 97
1845
19 24
1922
74
62
64
68
71
Temperatura mxima29*,50.
Dita mnima 25-.50
fcvaooracoem 24 horas-ao sol: 11".2 ; som-
>ra: 7-0.
Ctiuva nulla.
Dlrecco do vento:. ENE com pequeas inter-
rupces de E durante todo o dia.
Velocidade meda do vento: 3",59 por se
urdo.
Nebulosidade media: 0.22.
Boletm do porto
3 3
5. M
P M.;
3. M.
?. M.
Dias
21 de Ontnbro
22 de Outubro
Horas
810 da mannaa
2-41 da tarde
8-28.
302 0a mantu)
UII0
dos
t3o fino e n
sor reconhecido i
Sscopio. Este filamen-
lagkrU, da tribu das
tinha; lagarta im-
rsce affecia svvioleta, pois
esmente de tomar empres.
i floi o tecido necessario
o seu ligeiro tronco,
c mu o neu aguilhSo delga-
HEe seda que fia, transforma
irimavt.ra o elegante insecto em
b ileca bulada.
raUmu, a moral a base da
u c -tilines, as leis annullam-se
daite des*aparece.
A e h li'ierdade sao as ba-
mf** d ver iadeira legisla9ao,
^b eterno do estado o mais
perfeit o genero bu mana.
i poltica sempre o engodo
o preparara os astutos para suas
vbus'j ter- se peesoal, e & formula em
que oa encobrem a sua estupidez.
ica, diz Koraangos, tem por mis-
sao respe, a liberdade de consciencia.
As asew ia^oes, as reuni3es, os discursos
e uutraa-i le* cousas pertencemao dominio
da politk*.
Cana ele linenraoMovimenio dos pre-
os da Casa* de Detenco do dia 21 de Outubro
e 1889
Existiam 428 ; entrarara 10; sahiram 5; exia-
'.em 433.
A saber:
Nacionaes 386; mulheres 16; estrangeiros 31.
-Total 433
Arracoados39i.
Bons 368. *
Doentes 21.
Loucos 2.Tota! 391.
Movimento aa enfermara
Tiveram baixa :
Manoel Jos de Sanl'Anna.
Cosme, ex escravo.
Tiveram alta :
Manoel Ferreira da Silva.
Joo Chrysostomo Peixoto.
Serapiao Honorato dos Santos.
Uowpiiai Pedro ii -O movimento deste
;8tabelecimento de caridade, no dia de 20 Ontn-
bro foi o seguinte:
4
12
5
475
as respectivas enfermarlas
rente.

de um uiovimento politioo, diz
aquelle que prsticou menos (tes-
eobr'elevas-se aos sons concor-J
**
*W
Entraram
Sahiram
Fdleceram
Existem
Foram visitadas
lelos Drs.:
Barros Sobrioho s 6 1|4, Malaquias s 9 ho-
ras.
Nao comparecern! es Drs.:
Moscoeo.
Cysneiro.
Berardo.
Pontual.
Estevo Ca val can te.
Simoes Barbo 3a.
O crargio dentista Numa Pompilio nao com-
parecen.
0 pharmaceutico entrn s 8 1|2 da manha t
ahio s 2 da tarde.
O ajudante do pbarmacentico entrn 7
ta manb e sanio as 6 horas da 'arde
Lotera do firam-Par -A 3 parte o.
32' lotera, dessa provincia, cuio ntv-uio grandi
60:0804000, ser extrabida boje 23 le Outu
bro.
A 5 parte, da 31" lotera, cujo premio
grande de 350:000*, ser extraoida no dia ..
do corrente.
Qraade lotera Ha corte A 2* p > rip da
247* lotera cujo premio ma.r e de 10:i>00000
ser extrahida nn diafv docorrente".
rande lotera do ataranko A 9a
*rie da 1* lotera, dessa provincia, cujo prenn
irande 300:00
de Outubro
Cenaiterio Publico Obituario do dia 21
de Ouiobro:
Seraphina, Rio Grande do Norte, 20 anuos, sol
tetra Boa Vista tuberculosis
Marcelino Francisco Alve. da Silva Jnior
Pernamboco, 28 annos, casado, B -a-Visia ; i-
bre typboide.
Elisa, Fernn:buco, .1 mezes, Boa-Vista ; con-
vulsoes.
Antonia. Pernamboco. 4 mezes. Boa Vista :
athrepsia.
Um feto, Pemambuoo,- Boa-Vista; inviai.ili
dade.
Terencio, Peraambuco, 24 hora;, Recife fra
quexa congenita.
Florentina, Pernambuco, 38 annos, solteira,
Graca ; entorile ch roica.
Nem tamos'') em poltica se tornou, nem
entre os negociadores jamis aa distingui
aquello qne no venceu os graades obst-
culo, pensa Oasti.
O mesmo escreveu:
Ministro, que ti par saldo sostegno
Su oui s'appogianlc corons e il sogli,
Se il taciturno sno grave contegno,
E il mistero onde involgesi, gli togli,
l'importanza d'alto affar che ostenta,
Di grands che par*, piccol diventa.
.%
M POUCO DE TUDO
A divisa da violeta um pouco preten-
ciosa modestia e innocencia porque se a
encantadora floriona se ocoulta s vistat
indiscretas, dissimulandc-se debaixo das
hervas, commette no entretanto o pecca-
do de coquetera espargindo nm suave
perfume para se iazer descobrir.
A violeta gymbolo da alegra e da
juventude, da lembranca e da consolacao.
Hoje, como na antiguidade, ella figura
as festas e as ceremonias fnebres.
Em Athenas sobretudo, esta flor gosa
va de urna grande veneracao. Havia
mercados especiaos, onde as bellas athe-
nienses vinham fornecer-se de violetas
para com ellas ornarem os cabellos e os
seios. Esta flor passava por ter a virtude
de conservar a belleza, e os antigos attri-
buiam lhe igualmente a propriedade de
de curar a loucura 'e de dissipar a em-
briaguez.
A violeta tinha t5o grande prestigio que
mnitas vezes os oradores se ataviavam
com urna coroa dellas afim de agradareis
aos aeus ouvintes.
As variedades de violetas sao numero-
sas ; as mais communs bo aquellas das
quatro estaciJes, a violeta tricolor on
petue, a violeta adoruta ou violeta que
embalsama, e a violeta de Parma, cuja
flor de um azul pallido procurada pelas
elegantdfl-
As violetas unem o til ao agradavel;
ao encanto do seu perfume, ellas ajnntam
propriedades medicinaes. Muitas 'espe-
cies so empregadas como tisanas as af-
fec^Ses do peito. Suas folhas emollientes
podem indifferentemente ser utilisadas in-
terna e externamente.
Na Italia emprega-se principalmente as
violetas pense contra a sarna e tinha.
Os indgenas fazem uso deetas plantas
no tr.tamento das feridas. A violetas
tem propriedades emticas, notavelmente
a variedade viola ipecacuanha.
Sob a relaco industrial, aaeim como o
temos dito, u violetas sao empregadas
na perfumara, sendo tamben em pregada
bem qne em pequea quantidad, na tin-
tofana.
vw anda nio tivessi
examinar atteneioument
Quem goverca com o engao, acaba
por engaar se asi propro, diz Patsevano.
SPORT
Na quinta-feira ulfma deixou a gerencia do
Prado Pernamiucanc o Sr. Dr. Souza Res que' a
desempenbava ha uns dous annos e em cojo
exercicio muit bem se houve.
A's bas maneiras pessoaes, sua cordura
alliada conveniente energa, muito deveu a
prosperiilade daquella sociedade, que sob sua
direceo lgranos melhores dias.
O Sr. Dr. Soma Reis detxou o lugar por ter
sido comeado mgenheiro fiscal das Usinas Ca-
rass e Trapiche.
#
O Duque de rortand um homem feliz, tudo
lhe sae medica dos seus desejos; como se elle
fosse anillado di Cada bemfeitora das mgicas, an-
tigs no turf, can nma coudelaria relativamente
pouco numerosa tem obtido snee 'ssos sem prece-
dentes e a tort \eio ao seu encontr juntamente na
occasiao emqueo principio das pravas monstros,
inauguradas em 1886 em Saudown Park, era
adootado pelas g-andes sociedades inglesas.
Os seus dous o-ack% Ayrshire e Donovan, enjog
gaojios se elevara a somatas phantasticas, pro-
prias. para fazer lonhar o almirante Rous com
as espberas ethereas era que elle deve raminar
ocessantemente ts pesos de um bandicap phan-
tasista, sao evideltemente bons cavados que, em
qualquer poca, tiriara ganho a sua alfafa. mas
difcilmente recoihecemos que os pensionistas
de George Dtwsor. (o tramar dos animaes do
Daqnp de Portland) esto na altura da sua re-
iiaic'.
Sno- 'uelhores de urna producco mediocre;
alem i \* >l'?n tido a fortuna de se rerem des
nriircidct, quasi desde o comeco de suas
c.irr-ra-. dis mais temiveis adversarios,.porm,
*p iiveg>emde medir suas forca com animaes
la ..rieiii d> Wild Dayrell, Thormanby, Lord
C.i'Me'i, Blar Atbal. Gladialeur, Herrait, Cre-
'ii >-n. Domaster, Isonomy, Foxhall, Tristan,
lr-''in>i- Omonde ou Minting, mais qne pro-
:iv. I que > sen record sera dos mais mo-
'lc-tl>-.
\ h ilidde de suas victorias alcanzadas o
nais i s vees sobre adversarios sem valor ou
fora da forED, tiraram s grande, pravas destes
"Iiiim i- anos a maior parte do seu interesse: a
ii "iT encaabsoluta t que o Grand Saint Lege-
A.tijiito a resse inspittdo por urna das corridas mais ior
pula e do tropo aotigo ou antes do antigo r-
gimen.
A azo bem simples. O resultado quasi
certo e conltci lo previameote. Donovan bateo
diversas veza os adversarios que devia encon-
trar no da I do corrente, para nvame ote os
bater com exraordinaria facilidade. O mesmo
facto se tem reproduzido com urna exactido
quasi natfieatica todas as vezes que elle tem
sabido a canto a exhibir as snas (breas.
. A sua vidria, por conseqnencia, a ninguem
interesa a nb ser ao seu proprietario ou en-
traineur.
%
Reumram-e. era urna sala da sociedade Pra-
do Villa lajtbi. na corte, diversos cavalbeiros
muito coteilos do tporl Ilumnense, e naqua-
lidade de orgnisadores, fundaram a sociedade
de corrida, ojo titulo foi unnimemente aceito
-Turf Club.
A sociedadie de muito futuro, nao s pela in-
fluencia dos sus organisadores como pelo capi-
tal com qne vi iniciarse, que nos consta ser
de 2OO:0qM0O.
Foramadqiridos os eapacosos terrenos dos
lierdeiro di visconde de Nitheroy, limitados
pelas ra d. Francisco Xavier e Oiio de De-
zembro B^iel; nha frrea D. Pedro II com a
e. Foi ttdidoem Curityba, para a ponta Grossa,
(r'aranj, o graotio Fanfarrn.
JDICIARIA
H#&:
tal da Relaco
5O o/^..AWA EM 22 DE OUTUBRO
. DE 1889
PRESIDENCIA 10 EXM. SE. CONSELHEIEO
QnCllO DE MIRANDA
\Secretaifi, Dr. Virgilio Coelko
A's horas do pstume, presentes os Srs. aes-
ernbargadores 8i numero legal, foi abara' a
jes&a depois de ida e approvada a acta da an-
tecedente.
Distrlbnidos
os seguintes
Jtt- GAMENTOS
Rairsos eleitoraes
De Camaragit Recrrante Jos Bastos de
Andrade Lima, corrido o juizo. Relator o Sr.
desembargador ires Ferreira. Negou-se pro-
vimento, unanic mente.
mi- corrente o juizo, recorrido Ma-
gador Monteiro i
temis.
Da Victoria -Becorrente
passados .os feitos deram-se
l.rreira da>i(va. Relator e Sr. desltobar-
Andrade.Deu-se provimen-
Josc Vieira San
dor tires Goncal
o iuixo, recorrido
Relator o Sr. desembarga-
i. Den-se provimento, una-
crimes
He o juizo, recorrido
1 Lima. Relator o Sr. desem-
ttcellos. Negou-se
lores Tavares de Tascooceflos. e Oliveira
de. Negou-se provimento*; contra o veto
lator.
Carta testemunhavel
Da Parahyba-Aggravaate/JoftoRodolpho Vel-
loso de Aievedo, tfggravado o juizo o commcr-
co Relmor o Sr. desembargador Silva Reg
Adjuntos os Srs. desembargadores Monteiro de
Aodrade e Pires Ferreira.Deu-se provimento a
carta, unnimemente.
Prorogago de'Uentario
Inventariante .' aetana Bosa de Lima. Con-
ceden se o praso pedido.
Appellaes crimes
De Serinhem Appellante o juizo, appellado
Peilro Celestino. Relator o Sr. desembargador
Suva Reg. ConQrmou^se a/estenja, unani
memente.
Do Conde Appellante o juizo, appellado
Ignacio Fraiciscp dos Santos. Relator o Sr.
desembargador Tavares de Vasconcellos. Man-
dou-se a novo jury, unnimemente.
Do Bonito Appellante o promotor publico,
appellado Manoel Antonio de Gonveia Baila. Re-
lator o Sr. desembargador Tavares de Vascon-
cellos. Mandouse a novo jury, unnimemente,
Appellaco civel
Do Conde Appellan'e D. Con3tanca Maria
Freir Mariz, appellado Pedro Correia de Amo-
nm. Relator o Sr. desembargador Pires Ferrei-
ra. Revisores os Srs. desembargadores Montei-
ro de Andrade e Tavares de Vasconcellos.Re-
forraou-se a s.ntenca contra o voto do relator.
PASSAGEKS
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
iesembargador Monteiro de Aodrade :
AppellacOes crimes
Da Parahyba Appellante o juizo, appellado
Manoel Ferreira Callado.
De Ilamb Appellante o promotor publico,
appellado Jos Francisco Pereira.
Ikinictb de ursdiccao
Entre os jotos da preAkssria d Bom Conse-
Ino e Truimpbo.
Appehagao civel
Do Recife Appellante Jos Cecilio Carneiro
Monteiro, appellado Presciliano Prisco Paes Bar-
reto.
Do Sr. desembargador Monteiro de Andrade
ao Sr. desembargador Pires Goncalves :
Appellaco commercial
Do Recife Appellante Antonio Gbncalves de
Aievedo, appellado Antonio Augusto Pereira da
Silso.
O Sr. desembargador Pires Goncalves, como
promotor da justica e procurador da corda, deu
parecer nos seguintes feitos :
Appellaces crimes /
De GuarabiraAnpellante o juizo, appellados
Manoel Cavalcante de Macedo e outros.
De Goyanna Appellante o juizo, appellado
Francisco de Paula Cordeiro.
Do Bonito Appellante Jos Pereira da Silva,
ap pe liada a justica.
Appellaco civel
De Olinda Appellante Boaventura de Paula
Mello, appellado Joo Augusto de Mello.
Do Sr. desembargador Tavares de Vasconcel-
los ao Sr. desembargador Oliveira Andrade :
Appellaco enme
De Pesqueira Appellante Francisco Jos da
Silva Leite, appellada a justica.
DILIGENCIA
Com vista ao Sr desembargador procurador
da corda e promotor da justica :
Appellacces crimes
Da Victoria Appellante Joaquina Francisco
de Salles, appellada a justica.
Da Victoria Appellante Jo3 Feliciano dos
Santos, appellada a justica.
Appellaco civel
Da Parahyba Appellaote o juizo, appellados
Pedro Baptista dos Santos e outro.
Com vista s partes :
Appellaco civel *
De Goyanna Appellante D. Maria das Dores
Menezes de Araujo, appellados Ludovico de Mel-
lo Azedo e sua mulber.
dibtbihtjicOes (0
Recursos crimes
Ao Sr. desembargador Oliveira Andrade:
De uricury Recrreme o juizo, recorrido
Elias Gomes de Souza,
Ao Sr. desembargador Silva Reg :
Do Cabo Recrreme Dr. Luis Salazar da Vei-
ga Pes8oa, recorrido o juizo.
Appeilagao crime
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
De Atalaia -Appellante Manoel Gomes de Mes-
sias, appellado Manoel Joaquim da Fonseca.
Encerrou-se a sesso 1 hora da tarde.
------------------------------ .
Ocenllstn
Dr. Ferreira. cora praca nos prin
paes-hospitaes o clnica de'Paria e Lon-
dres, consultas todos os dias das S
horasdao- meio-dia. Consultorio e resi-
dencia a na Larga do Rosario o. 20-
Advogadoft
O baeharel Bokifacio de AragSo Frin .
Rocha contina a advogar. Escriptorio
roa do Imperador n. 46., 1. andar.
O baeharel Witruvio Pinto BandeirQ,
pode ser proeurado ra do Imperador
a. 11, 1.* andar.
J. A. de MagalhZet Bastos. Duqae de
Caxias n. 66, 1. andar..
O Dr- H. Met contina com sen es--
criptorio de advocacia, a ra do Impera-
dor n. 46, ende tambem poder Ber pro*-
curado sobre negocios concernentes 1.*
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro PorteUa continuara advo-
gar. Escriptorio ra do- Imperador
n. 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'ora ra da .
Matriz da Boa-Vista). Telephone n. 362.
Drogara
Faria Sobrinho s C, droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi^
cas e mediiiamentos homeopticos, ra de
Mrquez de Olinda n. 23.
Tunta de escrever
A- melbor a tinta Victoria, vende-se a
500 rs. meia garrafa e a 800 rs. nma gar-
rafa inteira na Livraria Comtemporanea
de Ramiro' M. Costa, ra Io. de Marco n.
2~, loja de ferragens de Albino da Silva
& C, rna da cadeia n. 42; loja de forra-*
gens de Brandio & C, rna Duque-de Ca-
xias n. 46.
PUBLIG4(jOE8 4 PEDIDO
Junta Commercial da cldade de
Recife
ACTA DA SESSO DE 17 DE OUTUBRO
DE 1889
PRESIDENCIA DO ILLM. SR. COMMBRDADOR ANTONIO
GOMES DE MIRANDA LEAL
Secretario, Dr. Julio Guunaret
A's 10 horas da manh, tendo aienas com-
parecido o Sr. deputadoeBeltro, faltando com
participaco os Srs. Olinto Bastos, commendador
Lopes Machado e Paula Lopes, o Sr. presidente
declarou nao haver sessio por falta de quorttm,
fazendo todava a distriboQo dos seguintes
livros :
Diario de Rodrigo Carvalho & C. copiador de
Manoel Ferreira Bartbolo t C, dito de R. de
Drusina, dito do London Brasilian Bank Limited,
dito da Usina Joo Alfredo.
1HDICAC0ES DTE1S
nedlcos
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pjatica a lavagem do tero quando e co-
mo aconselbada.' Cons altas das 11 a
3 da tarde em sua risidencia ra de
Bom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.'
andar. Telephone n. 389
O Dr. Matheus Voz, medico, tem o sen
escriptorio a rna do Bario da Victoria
a. 51, 1.. andar, onde d consultas d
meio-dia s 2 horas da tarde. Reside i
ra de. Qervasio Pires n. 27. Encarrega-
se do tratamento das molestias de olhes.
Telephone n. 427.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me-
dico cirurgica. Especialidades : molestias
Slimonares e partos. Ra do Mrquez de
linda n. 27, 1. andar: Consultas das 11
as 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da manha- o a
tarde. Teleshone n. 392
'. r. Rbeiro de Britto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no poden-
dar a rna Duque de Caxias n. 46, 1. an-
do ser procurado para chamados na sua
residencia rna do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-
ro, consultorio ra do C&bug u. 14,
l. andar do 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Corqusira Lcite, tem o seu escripto-
rio na rna Nova n. 32, do meio dia s 2
horas e desta hora em diante ra BarSo
de S. Borja, n. 22. Especialidades
molestias de enanca senhoras e parto
Telephone n. 326, da casa do residencia.
Dr, Alvares Guimaraes, chegado da
corte, dedica-so medicina em geral, e
com especialidade s molestias do cora-
ci, pimoes, figado, estomago e intesti-
nos o tambem s afeocoes das enancas.
Reside rus de Fernsndes Vieira n. 23, e
tola consultorio na roa do Bom-Jesus
(satiga da Crus), n. 45, onde daV censad-,
tas do meio-dia s 8- horas. Telepbose
n. 381.
Dr. BarrsUo So*
meio-dia
rom
Baccho ou Capibaribe
Ha bem pouco tempo, fei inscripto no Prado
Pernambucano, era um pareo de animaes da pro-
vincia, um cavado 'nacional de meio sangne,
muito conbecido no turf fluminense pelo nomo
de Rio Verde.
Este pareo, segundo o programma, era e
mais importante do dia, nao s pelo valor do
premio, como porque o publico desejava ver
Arumary disputar corridas com competidor da
mesma forca.
Annunciada a venda depoules do referido pa-
reo, o publico correu pressuroso ao ensilnamen-
to para admirar a bonita 6gura do Rio Verde,
chrismado aqni cora o nome de Capibaribe- de-
pois do que retrabio-se no ogo, pausando por
isso a directora do Prado pelo maior fiasco qne
temos presenciado.
Ao retrahimento no jogo snecederam os pro-
testos por parte do publico e dos proprietarios
de animaes da provincia, que reclamaram nio
.-o a excluso do gato do pareo assim como a
sua desclassificaco, sendo apenas posteriormen
te attendidos na ultima parte do pedido.
Hontem, porem, no Derby, com sorpresa nossa -
e de todos que l se acbavam, vimos apparecer o
Capibaribe com o nome de Baccho e prometo
para correr no parco de animaes pelludos. *
Dissemos com sorpresa porque soppunhamoa
nao ser lettra morta'o que dispee o regiment
interno do Derby no art. 32 nenfaum cavallo
poder ser inscripto cora um nome diverso da-
quelle com que tenha sido registrado no Stud
Book da sociedade, ou de outro qualquer club de'
corridas da provincia, sem que o proprietario
participe directora a alterago de nome ha vi-
da, devendo em todas as ioscripces que fizer no
mesmo anno, declarar em seguida ao novo nome
aquelle cora que o animal j liver corrido. -
Admitamos, porem, estar a directora alheia
espertesa empregada no caso oceurrente, mas
porque raso deixou de applicar ao referido caso
a disposico do art. 34 se se reconhecer a frau-
de ou falsidade antes da corrida nao ser o ca-
vallo admittido a correr.
Nao obstante surgirem os protestos por parte
dos inleressados e ae ser reconhecido o Capiba-
ribe por todas as pessoas. presentes e al mes-
mo pelo digno gerente seria elle admittido a cor-
rer se o proprietario do animal Cometa nao o
tivesse retirado, nullificando assim o pareo.
A'vista do exposto oerguntamos, nos haver
nisto incuria ou connivencia da parte da direc-
tora .'
W.
Aos Exms. Srs. presidente
da provincia e ministro
da justica. *
Constando-me que alguem quer pedir
a minha remocSo ou demissio de juis
municipal e de orphaos do terme de -Leo
poldina, previno aos Exms. Srs. presiden-
te da provincia e ministro da ustica, que
qualquer peticSo qne aparecer neste sen-
tido nSo ser minha.
Nao quero, nem pretendo, deixar o
cargo que oceupo, emquanto a lei me
permittir.
Leopoldina, 5 de .Outubro de 1889.
Fauo C. A. Oadelha.

Amor ao pagode
O Sr. Alves de Araujo incontestavel-
mente um bon vivant. NSo ha nada que e
faca dispensar ou ao menos adiar um qual-'
quer convescote! .
A sua viagem a Goyanna urna prbva
d'isto. No mesmo dia em que chegava
esta cidade a triste noticia do fallecimente
do monarcha portugus, o Sr. Alves de
Araujo, que alias mandara prohibir espec-
tculos pblicos, em demonstrado de pe-
zar, largava-se com sua troca para a patria
de Nunes Machado, onde foi recbido ao
estampido dos foguetes e ao estourar de
champagne!
O trespasso prematuro do rei de Portu-
gal levou o presidente da provincia a pro-
hibire n'isto andou correctamenteque
o povo se divertase mas nSo teve a for-
ca de fazel-o adiar um convescote !
Era preciso aproveitar os pers
leitoes !
Que presidente pandego I
Que amor ao pagode !
Cajaca.
e o

Banquete poltico
Tendo o Dr. Jos Marianno C. da Cj
carta escripia hpje, pedido o ad amento
qoete que se Ibe promove para respes
da nobre coIods portngoea, pelo faUecimt
de El*ei D. Luis; a commissao abaixo a
nada tem a honra de avisar aos seu
que o referido banquete s poder
dia 31 do corren!;.
Recife, ti de Oatubro de !8C
Corbiniano___________________





e actamete
earta.
usshho o estado a que
la asta infeliz comarca; gracaa
lucias 3 arbitrtriedado commett-
^^K subdelegado Joaquim F. Liti-
^^^K tem do Dr. jais do direiio ga-
-mati* e anima co para todos os desman-
das que pratica.
sem sido presos, mettidos no tronco
pancados diversos cidadaos, simples-
o porque nao pertencem situacao
ilimite. t
'urna cou.ia nanea vista. Em urna
'astas noites mandou o subdelegado soltar
>osra
| os presos > e eucorporando-ov ao des-
Mmwnlo aqui estacionado fel-os seguir
para a fazenda do nosso amigo RomSo Pe-
nara, que foi vareada sem s formalida
dea lgaos, nao tendo sido elle preso, e
fcbe si at assassinado, por se achar
D velta a esta villa cercaram a casa
im aservao lementino Baaerra, que foi
sm, bem como um flho, recolhidos am-
sh a eadeia, guardada pelos criminosos !
Aleta da torca destacada aqui requesi-
taa o subelegado Leitinho pragas de Leo-
aalsSna o Cabrob, para o que der e vier.
Teabo receios da que as cousas aqui
asapaiorem muito, e como nlo ser aseim
si as autoridades-superiores nao teeni *s-
cranloB de conservar em pstos policiaes
Um eonhecidamente incapazes ?
Ka todo caso rogo a V. Exc qoe peca
fwvidencias a quem competir para que
ala eontinuem ameacados era suas vidas
Kfcerdades, bomens pacficos e honestus
ale simples facto de serem conserva-
Ja por diversas vezes temos reclamado
sastra a permanencia de Leitinho no car-
ga da subdelegado ; demos as razoes que
jastmeavam nossas reclamares, e o Sr,
Abres de Aran jo fez ouvidos de tnercador,
srovavelmente continuar a fazer porque
Laitiubo ereatura do Sr. Barao de Caia-
ri, a foi escolhido justamento para per-
turbar aquella localidade !
O Sr. Alves de Araujo anda nao se
a- convencer de que um presidente
afta simplesmente um touriste ; que se-
ria e grave a soa missSo!
Qae se trucidem os nossos amigos; mas
aBa Re taltem os passeios e os convesco
tas!
Iba S. Exc. ha de convir que isto deve
lar so paradeir '. Si como tudo faz crer,
aa egocios de Salgueiro tiverem o fim
se a Sr. de Caiar tanto deseja, para to-
nar as suas desforras, o nico responsa-
Ttl ser o Sr. Alves de Aranjo. S. Exc.
2o podar dizeren nao cuidei, pois de
iabejo o temos avisado.
Laiunho, repetimos anda urna vez, nao
saarador em Salgueiro, toi para i ex-
reBsamonte para dar cabo dos conserva-
. ares, e vae dando conta da sua incum-
bencia, porque o Sr. Alvea de Araujo
ale-bem o inconsciente 1. vice presi-
laate!
Entretanto, nos o respoasabilisamos por
. tadoquanto occorrer em Salgueiro.
Saja bomem urna ve*, Sr. Alves de
Aranjo. Ao menos para que nao se dem
gravea perturbares da ordem, abandone,
*m* qoe por instantes, o papel de iustru-
aaaao eego, que tem at hoje desempe
alado n'esta provincia.
Compra o seu dever, Sr. conselheiro !
Licurgo.
fccife, 21 de Outubro de 1889.
>. asi
Inacahuila Pelleral
De1 cnjasrtuoes cspecili^ili's tantos annun
apjwreceram em todos os jornaes. urna
esigao de vegetaes peitoraes, e nao contm
m adstringente venenoso ou luortalnu-ntr
aareotico. E preparada em forma de uin xarope
Hseliooao, Din poderoso e e ID ca retnedto para
a sritagao dos pulmes, anginas, catarrbo, tosse,
caasOpac&es, rouquid&o. ull -croes catarrhaes,
tac un ii de saugue, e to las as iuoumeraveis ico-
halUa qoe aQVctam os oreaos da respirago.
Como garanta contra as ralsicagea, obser-
sa-se bem que os nomes de LanmaR 4 Kemp ve
skamt estampados em letras transparentes no
papel do Hivnnho que serve de envoltorio a cada
jrrala. r
Ada-se i venda em todus as boticas e lojas de
COMERCIO
Revista do Mercado
ROTS. 22 DK OUTUBRO DK 1889.
O mnenlo foi pequeo, Iimtando-se apenas
atraasaegoes no mercado de cambios.
lamb
Os bancos mantiveram no balco a laxa de 27
fiSd.. saccando, porenj, o Nacional a 27 3/4 d.
Km papel particular bouve negocio a 2713/16
17 V, lettras escassas.
lio Rio, laxa' bancaria 27 U/10 exigindo os to-
aaiores 27 l/>,
ftto bove papel particular uo mercado cima
t213/16.
TABELIJIS AFFIIADA8
ral
ciaes do distir. t ado correligiona-
rio, conego Antonio Fabricio de Araujo
Pereira, filho deste distridto, onde gran-
demente sympathisado c dispoe de muitas
adbesoes.
A votacSo obtida por ease digno cida-
dlo em diversos pontos do districto por
occasio da ultima eleicl) provincial, asse-
gura d'esta vea sua victoria e cdtn esta o
triumpho do partido liberal, cujos directo-
res nlo podem sem grave injusti$a pre-
terir na escolha de seus candidatos'o res-,
peitavel conego Fabrioio, a quem qualquer
que seja a sttitude do dii-ectorio, suffraga-
remoB com empanho na eleiclo de 12 de
Dezembro.
Mui* eleitore.
Demarca^iSes de trra
O engenheiro C. Q. ""arlini contina a
encarregar-se de medie3es de trra, le-
vantamento de plantas tjpographicas, ni-
vellamentos, projectos de parques, jardns
chals, etc., na roa da Atalaia na cidade
da Eacada.

SurdU
)S
Urna peasoa que foi curada da surdei zui-
do de ouvidos, de que padeca ha 23 annos e
usando de um remedio muilo simples, enviara
gratis a sua descripeo a qu?m a aesejar Diri-
ja-se ao Sr. nicholson, 1260, Santiago del Esie-
o,Bueno8-Ayres. $
H
O Dr. Ermlrio so. de
volta de soa viagem i. Europa, onde
se dedicou especialmente ao estu-
do das molestias de systema ner-
voso, tem seu consultorio Praca
do Corpo Santo n. 5, defronte do Te-
legrapno Nacional.
Consultas de urna s tres horas da
tarde.

&&
Aviso aoa nossos Iclloro
Os nossos leitores quo visitarem Pans
durante a Exposiclo de 1889 j sabem
que poderao 1er os ultimes exemplares do
nosso jornal chegados aquella cidade no es-
criptorio dos nossos consspondentes, Srs.
Amde Prince & C, 3o. ra Lafeyette,
onde podem mandar dirigir qualquer cor-
respondencia, pedir quaesquer informacoes,
dar ordens de compras, etc.
Alera d'isso, levamos ao conhecmento
dos nossos patricios que afora o servico esta-
belecido no escriptorio a ra Lafayctte,
n. 36, os meamos Srs. Amde Prince &
C, acabara de otganisar urna sala de lei-
tura e de informales na ExposicSo mes-
ma, no pavilhao da republica de Guate-
innlnajijii commissario.geral dignou-se dr
por graciosamente urna vasta sala com
varanda s ordens dos nossos correspon-
dentes.
Aconselhamos mu vivamente aos nos-
sos amigos o leitores que se adiarem em
: aris, que visitem a ca Amde arinco
A C na sua sede social, 36, ra Lafayet-
te, bem como na installaro que possue na
Exposicao no Pavilhao de Guatemala que
ha de ser, gracaa As extensas relacoes dos
nossos correspondentes, o ponto da re-
uniao dos numerosos esti-angelros residen-
es em Pars.
Elixir rabrra dr Bf|to da Dr. San!
Roa. *imlydo eos Parix r a.p-
provado selm iieetoria, eral
de Hyairne
(Premiado na JKjmsco)
Continuamos a prevenir o publico que o ver-
iadeiro elixir cabeca de negro o da formula
lo Dr. Santa Rosa, que com 3 garanta tem em
sen favor os attestados passados pelos raais dis-
tinctos mdicos, desta e d mais provincias do
imperio, por pbarmaceutieo, desembargadores,
advogaaos, engenbeiros, conimerciantes, empre-
mdoi pblicos, lentes da Facuidade, artistas,
etc.
Fieme, portanto, o publico sabeudo que o elt
sir fabricado na ra da Cidea, pharmacia de
Hermes Souxa l'ereira, SuccBssores, uma imiU-
cao do nosso.
Deaositp do verdadeiro raa do Bom Jess n.
Bolsa
OOTAgKS 0FFICIAK8 DA JDIfTA DOS COE
RECTORES
CamDio sobre Baha, 1S d/v. com 1/2 0,0 de
descont.
Oarabio sobre Londres. 90 d/v. 27 3/4 d. por
14000. do banco, bontem e boje,
i 'ito sobre dito vista 27 d. por l*00o, do
banco, nonlem e hoje.
Cambio sobre Pars, vista 348 rs. o franco, do
banco.
Cambio sobre Lisboa, a viiita 93 O/O de premio.
Reeift, 22 de Outubro de 1889
O presidente.
Candido ('.. G Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeox.
Algedio
Nio bouve vendas.
A exportac2o, feita pela alfanoeaa neste mez,
at o da 19, attingio a .125.'t05 kilos sendo.....
142.610 para o exterior, 3a!:.79S para o interior.
As entradas verificadas at data de hoje so-
beo, a 8 236 saccas, sendo por:
Jarcacas.....
/aperes .....
knimaes.....
/ia-ferreadeCaruar.
/ia-frrea de S. Francisco,
'ia-ferrea deLimoeiro
752 Saccas
Oli
Sorama.
4tD Os Breos pagos ao agnciltor.
guodoa Associaco Comm^ircial
Mseguintes:
Usinas.....
Branco .....
Jmenos.....
aseavado purgado .
Bruto especial
Bruto bom .
Bruto baixo ....
dtame .....
8.236 Saccas
por 15 kilos, se-
Agricola, foram
3*600
3*400
3*000
2*200
1*600
1*400
1*200
*800
a 3*900
a 3*800
a 3*200
2*400
a l*/00
a 1*500
a 1*300
a 1*000
A exportaco, feita pela alfandega neste mez
al o i 19. subi a 3491911 kilos, sendo 825.000
para o exterior e 3.067.911 para o interior
Aa estradas veriBcdas it a data de boje so-
ben s 4.680 saceos, sendi por: .
Barcacas..... 3.309 Saecos
mientras fj
mos ejemplares, receidos i
nuestro peridico, en la o
tres corresponsasEs los Srs.
ce 7 C, 3p, ru tafayetto,
hacerce dirigir toda su coi
pedir informes, dar ordens
ote
Pero, avisamos a nuestros
que ademas del servicio msi
oficina. 36, ru Lafayette, l
de Prince y C. han orgoni
gabinete de lectura y de informal
Exposicin misma, en el P*^^H
Republica de Guatemala, en
com sai io general a puesto a
de dichos Srs. una grande sala!
rado.
Aconsejomos vivamente a nuestros ami-
gos lectores que vayan a Pars, i acer
una visita a la casa Amde PrilJ C,
tanto en su residencia, 36, ru ]
como en su instalacin en el P.ibe i de
Guatemala de la Exposicin, que i
r, ser por el hecho de las exteasi
ciones de nuestros cori-esponsalaB ecn
tro de reunin de los numerosos a
ros presentes en Pars.
Advogado
Bachure 1 Joo Ferrelra De-
salagues Cararlro
Ra Eslreiiad Rotarto n. 10, i.' andar
Encarrega-se de quaesqner causas
n'esta cidade e as comarcas prximas,
especialmente as de o d"Alho eTim-
baba. para ende viaja frequentemente.
.Jos
ceder eraprestimos
is daMIttgoas, Paraliyba
le, mediante as condiges
iados serSo informados no es-
-ua do Commeretj n. 6 das 11 horas
da manlia s 2,da tarde.
v:t-: -''yx^'-: Advogado
Dr. Clodoaido Lopes
ESCRIPTOBIO '
Ra Estreita do Rosario n. 4
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de sennoras e creancas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratria n 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manhS.
Ohamados (por escripto) qualquer hora.
TELBPHONE N. 226
~- 'vH
Estreitamento da urethra
Aolllm, Sr. lr. Cario*'Betteneourt
Eu abaixo assignado, soffrenlo borriveknenle
ha muitos anuos, de um estreittmento da ure
hra, o anal me iinponsibiliiava le exercerami-
nba profisso, caneado de proou'ar recursos aa
sciencia medica, ba do de esperancas, procurei
o Dr, Bettcncourt, distinctissimo operador e fui
por elle operado pelaele.ctroly.st', sem dor, flcan-
do radicalmente curado em pouco lempo..
Eustaquio Pape dt Rocha.
Dr. Mello Gomes
Medico operador parttiro
46 Ra do Barao da Victoria46
(DEFBONTE DA PHAB1UCIA PQH)
Onde tem enanltorio e rest-
drnria i pdendo ser encontrado e
recehendo chamados qualquir hora
do da e da noitc.
Especialidades: partos, febres, moles-
tias de senborasedos pulmoes, lyphilis
em geral, cura rpida e compleU e ope-
rac6e8 de estreitamentos e maif soffri-
mentos da uretra. r
Acode de prompto a chmalos para
fra, a qualquer distancia.
Telepboue n. 39-1.
Broorhllr aguda oo chroaiea
O'Feitoral do Cambar o meliOr re
medio.
U
Leonor Porto
II
i Raa Larga do Rosarlo nu-
mero
SEGUNDO ANDAR
Contina a execuUir os mais difficeis
flguriios recebidos de Londres, Pariz,
Lisboa e Rio de* Janeiro.
Prima' em perfeiclo de costuras, em
em brevidade, modicidae em prejos e
fino posto.
!

Tuberculoso pulmonar
Cura garantida pelo ^Peitoral de Cam-
bar.

MEDICO HOMEPATA
Baltbaui da Silveira
Oculista
Dr. Barreto ampaio medi
cuiista, ex-chefe de clnica
Dr. de Wecker, d consultas
meio da s 3 horas da tarde,
1 andar da casa n. 51 ra d>
Barao da Victoria, excepto n
domingos e das santificados.
Residencia ra Sete de Setei
bro n. 34. Entrada jSjl* ra A
audade n. 25.
Especialidadefebres, molestia:
das enancas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
na do BarS da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Advogado
Miguel Jos de Alnieid i Pernambuco tem o seo
escripiorio' de advocada a ra do Imperador n.
81, onde sera encontrado todos* os dias uteis, clu-
noria da 9 maob a.- 4 da tarde.
PHOSPHATINA FALIERES.Alimentte
Toase convulsa! coqueta
Nlo deis crianca seno o Pe
Cambar.
.gurdente
Cota-se a OiOCU, por pipa de 480 Uta*.
ticool
Coto-se a 183*000 por pipa de 480 lit^s.
cJ
Cou-se atWiOOO por pipa de 480 litrs
Coaros
Couros salgados, 343 res, e os rerds s 210
ris.
Panta da Alfandega ;
SBMA.NA UB 21 A P DK OUTBRO Dft
Vide o Diario de 0 de Outobrc \
navios a descarga :
Barca nacibnal Mara Angelina, xarque
Barca norueguense Solid, carvao.
Barca norueguense Uosten, carvao.
Barca noruegueuse Bore. madeira.
Barca norueguense Bravo, carvao.
tirigue portuguez Adelina, varios genes.
Brigue ailemao Iasel, gorduras.
Lugar nacional Loyo, xarque.
Lugar nacional Zcamnka. varios genera.
Lugar allemSo Harold, varios geoer
Lugar ingier Perlees, assucar. ^^M
Lugar ingle Belle of the Ex, bacalh..
LOgar noruegueuac Freugang. carvjo.
Patacho americano Teneriffe, faria de jj^^H
Patacho dinamarquez Hansine Mari xsj^H
Patacho dinamarquez Mete Katarit, varios g-
neros. ------
9 lamportaeo
Vapor inglez .4r/mio, entrado p Rio G
do Sal e escala em M do corre:
a Pereira Carneiro & C, manifestd :
Carga de Pelotas]
Linguas seccas 10 caixas a Anpio
Palco. r
Oleo de mocot 30 caixas a A|pri[
AC.
Sebo 50 barris a Joaquim da *va
Saho 4 caixas a Amorira IrmSos Q.
XarqueJ,070 fardos a Joaquim, la SiU
Carga do Rio al Jane >
Fumo em folha SO fardos a Sai el
Bank, SO a Joao Francisco Leite.
Carga da Babia
'Fio de algodo 80 saceos a
Leite.
Isnno de algodao SO fardos
notiDa 1 malla a ** La
neiro.
fl^n^^H
/
Vas urinarias, molestias das se-
nhoras, opCrac3ea elctricas
11. CELOS SST'PCOS.
MEDICO E OPEftaDOR
com pratica de pak:s e Lo.tDuss
Estreitamento da urethra curados ra-
dicaimeate pela elecirolye, sem dr;
hydroceles sem injeccao (cura radicaH ;
i'eridas e ulceras chronicas, com garan-
ta de cura rpida ; pedras da b Astutas e heniorrhoidas; synfailis, go-
norrhas, pelo methodo das nstillaces ;
molestias da aramia e do peito pefas
athmospheras medicamentosas. Con-
sultas e operareis das 12as 3 horas da
tarde.
RA DO MRQUEZ DE OLLNDA N. 34,
S ANDAR
Crul* aoa pobre.
O tnico, o melbor e o mais enrgico
que devem empregar os convalescenjes,
velhos, mulheres e cfan5s assim como
todas as pessoas fracaf, o Vinho do Dou-4
tor Gabanes. 3)
Elixir depura
ti vo vegetal.
Formula de ngel ino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Inspectorio Geral de Hy-
giene Publica do Rio de Janeiro em 20
de Julho de 1887.
Este depurativo 6 de grande efllcacia as mo-
lestias syphiliticas eimpureza dosangue ; assim
como em todas as molestias das senhoras.
Tem curado radicalmente muitas pessoas ac
commettidiis da terrivel molestia beriben.
MODO DE USAR
Os aaoltos tomarfio quutro colheres das de
sopa pela manha e quatro noite. As cnangas
de 1 a 5 annoa Uxnarao urna colher>ela manb
e outra noite, e os de 5 a 11 annos tomarae
dnas colberes pela manha e duas noite. De-
verao tomar banhos fro ou morno pela manha e
noite. Itesguardo regular.
Encontra-se venda na drogara dos Srs.
Francisco Manoel da Silva 4 C.. ru do Mrquez de
Oliuda n. 23.
0 autor deste preparado poue ser procurado
na ra do Haro da Victoria n. 37, onde ser en-
contrado para dar toda e qualquer expiieacao
que for precisa.
Cuidada com a falMU]p4kc4e
Benberi
Sr.' Angelino Jbs dos Santos Andrade.r-Oswi
Elixir depurativo acaOa de realisar nasa cora
em mim, que julgava impossivet.
Soffria na minlra estada no engenho de
grande debilidade as pernas e nos pl, a posto
de nao poder levantar-m^m completa dormen-
cia attribui ao Beriueri, o mal que soffria. vi;n
ao Recife, consultei a varias pessoas, garanti-
rn! me serem estes os sympicmas do mal;
usei ao principio de duas garrafas, pouca me-
Ibora obtive, pois tieha nece?sidade de vottar ao
Engenho, regressaodo, cootinei no trataoento.
e com mnia tres garrafas desapareceu o mal
que me atormenlava.
Boje restablecido e robusto como es'.eu, de
meu dever atii.-star mais este caso.
Pode usar a bem da bumanidade do presente
alies tado.
Como sernpre, seu amigo e criado. Recife
31 de Setembro de 1888Judo SUceno deSouza
V 89
Illm. Sr, Angelino Jos dos Santos Aadrad.
- Congratulo me em com.nunicar-lhe o som e
feliz resultado que obtive com o seu Elixir De.
purativo do Sangue, oo iratainento.de urna
grande eofermidade que tinha na pero!, prove
niente de molestias syphiliiicas, creia-me Sr
Angelino que quando navia tomado m-tade da
garrafa, seuti to grande me!hora, que dn gra-
cas a Deus e a quem me guiou a tomar (lo po-
deroso remedio, no fim da segunda, J n: con-
siderava bom, nao soda grande eofermidade
que soffria, como tambem de alguns achaques
que contera o corpo humano e diso-Ihe mais,
creio no seu Elixir, empreado era qealquer
molestia que tenha sua origem na iinpuivza do
sangue, estas palavras, que cima (ligo sao a
pura verdade que nao devo e neni quer occul-
tar para bem dos que se seasen uo estado em
que me achei e hoje me aciio.
Srvase fazer o uso que lhe convier, para
bem da bumanidade. do qoe cima digo.
De Vine, servo e obligado. August Carlos
Noronlw.
Ra da Imperairiz n. 43, 1." andar, aos lo de
Fevereiro de 1883.
Recife. 13 de Janeiro de 1883.Illm. Sr. An-
aetiaa Jos dos Santos Andrade.-Soffrvndo urna
miuba li lia de urna especie de paralysia na.
pernas e oSo'tendo tirado resultado algum com
os remedios receitados por alguns medieos des
la cidade. foi-iae aconselhado oor um amigo o
uso do Elixir preparado por V. S. Com effeito
assim o fiz ministrando mitin di la til lia o re
ferido E ixir do quai apenas tomou duas garra-
fas por tetera sobrevindo ouiros Incommodos
e se nao fieou completamente curada, ao menos
minorou alguma cousa onr%eu3 soffrimentos. Esta
declaragiio fago a bem da liutnauidade, pudendo
V. S. fazer destlr minha exposicao o uso que lhe
aprouver Sou de V. S. aliento venerador e
criado.
Joao Jos da Silva.
v^ijrurgiau ijgiiusib.
DR:*OBERT P RAWLINSOf, for-
mado pela Universidade de Mryland nos
Estados-Unidos, ten aberto o sen consl-
rua Barao do Victoria 18, t an-
tono, na
dar.
Consultas das 10 is 4 horas da tarde.
-gt!gg"" ~-"n r> ""f''" rMi^jg
** sb. imm MOSTSSE&BO %
MEDICO E OPERADOR
E8PECIALIBADE8
Febres, affeccoes nervosas, car-
diacas, psimenares. hepticas,
syphilitica s e molestias de
eriancas
CONSULTORIO
18-RCA HABQCEZ BE OLINDA-18
S^S^-
.
EDTAES
O Dr. Joaquim Correa de Oliveira
dradfc, juiz de direito de orphaos e au-
sentes nesta comarca do Recife por S.
M. Imperial a quem Deus guarde, etc.
Faco saber que tendo-se arrecadado por
este juizo, a requerimento do cnsul de
Portugal, o espoJio do subdito portuguez
Antonio Pereira da Rocha Bastos, e2o cha-
njdos os seus ered.ores, para dentro de
irm anno, a contar desta data, requererem
a bem de sea direity perante este juizo.
E para constar madei passar editaos
para se publicar pe!i imprensa, e affixar'
no lugar do costume.
Dado e passado nesta cidade do Recife
aos 15 de Outubro de 189. Eu Francis-
co de Siqaeira Cavalcahte escrivao subs-
crevi.
Joaquim Correa de Oliveir.a Andrade.

No vapor americano Ftnance, carregaram :
*Para New-York, Tae Keeu Suttor 4 C. 35,449
pelles de cabra..
No lugar inglez Ftorence, carregaram :
Para New York, A. Casco C. 1,000 saceos
com 75,000 kilos de assucar masca vado..
no vapor loalez Taar, carregaram :
Para Bueno.o-Ayn.-s, 11 Burle & C. 130 suecas
com 9,756 kilos de algodto.
No brigue portuguea Adelina, carregaram :
Para o Porto, S. Gutmares A C. 52 pranchoes
de ana relio.
Para o interior
- No vapor nacional Arlindo, carregaram :
Para Rio Grande do Sol, P. Crneiro & C. 310
saceos com li,750 kilos de assucar masca vado.
Nj vapor allemo Sarama, carregaram :
Para Santos, P^Carnero 4 C. o0 saceos com
30.000 kilos de assucar branco.
Para Rio de Janeiro, Maia Rezcode 333 sac-
eos com 19,980 kilos de assucar mascavudo ; N.
M. do Eirado 150 saceos com 9 000 kilos de
assucar branco e 150 ditus com 9,00i) ditos de
dito mascavado ; A. de Oliveira Maia 30,000
cocos, fructa ; A. V de Barros 1,3C0 saceos com
7,000 kilos de assscar macavado WAmorim
i pipas e 1 barril com 1.05C litros de agurden-
le ; F. CosU 4 C. i socc ,6 kilos le
fajio.
No patacho suecc .-lfsuiia, carregaram :
Para Cear, M. Mnezes 300 saceos com 18000
kilos de fcij : M. Borges4 C. S Oarris com 400
iilros de mel ; P. Alves & C 70 volumes com
5,100 kilos de assucar branco.
No vapor nacional Jagjiuribe, carregaram:
Para lear, Maia 4 Rezeide 10 barricas com
1,050 kilos de assucar mascavado e 50 ditas com*
5,J50 ditos de ito branco.
No biate nacional Aurora 2.*, carregaram :
Para Mossor, E. C. Bettro trmo 6 barri-
cas com 490 kilos de assucar refinado.
No hiate nacional Corrcio de Natal, carre-
gou :
Para Mossor, K. Lemos i barricas com 120
kilos de assucar branco.
Na barcaca Farofj, carregaram :
Para Pirahyba. P. Alves 4 C.' 30 saceos com
B,i50 kilos de assucar branco.
Na barcaca Theminha, carregou :
Para Natal, J. Bapsta 20 saceos com i.JOO
los de milbo.
Na barcaca Maa dos Anjos, carregaram:
r Para Mamaninape, P. Alves C. 12 barricas
cum 840 kilos de assucar retinado.
a barcaca D. Lomtancia, carregaram:
Para Parahyba, P. .Uves 4 t. 20 barricas com
ucar refinado.
Dlaheiro
Frederico Chaves Jnior |(
Homoepatha
H 39 RA BARO DA VICTORIA 39 M
f I Prinit'tro auilar |)
*. ABVOftABT"""
Celso F. JEnriques de Soza
Escriptorio Ra Larga do Rosario
n. 10 1." andar. ResidenciaRa da Im-
pera triz u. 80.
Reecbedoria
Do dial a 21 51:112*493
dem de 22 5:898*411

Mossor 50TX Ceari 4.304 3m Iteudiaieuto* pnblicos
Renda geral Do dia 1 a 21 dem de 22 HEZ DB OUTUMBO Alfandega 632:049*730 24.501*714
Rehda provincial :
Do dia 1 a 21 75:979*771
dem de 22 4:581*196
0:331*4*4
80:561*275
Somma tjtal '737:112*719
Segunda seceo da Alfandega de Pernambuco,
22 de Outubro de 1889.
O thesoureiroFlorencio Domiagues.
0 chefe da seccaoCicero b. de Mello.
rcral
-----------------
O Dr. Thosaz Garcez Paranhos Montenegro
commenlador da Imperial Ordem da Rosa,
juiz de direito especial do commercio desta
cidade do Recife capital de Pernambuco por
S. M. Imperial, etc.
Fco saber aos que o prsenle edital virem,
ou detle tiverem noticia, que por parte de Jos
de Araujo Veiga 4 C, me foi dirigida a peticSo
do theor seguinte :
Peiico-Illm Exm. Sr. Dr. juiz especial do
commercioJos de Anujo Veiga 4 C, sendo
credores de Francisco Antonio da Fonseca Lei-
te, pela qnantia de SOOjiOOO. im lorUn.-ia d'uma
letra de seu aceite, ja vencida^ alm dos juros
aella estipulados: reqoerem. a Y.. Exc. se digne
maudal-o citar para, na pnmeira. do juizo ver
assignar se os dez das da le para dentro dellds
pagar liies a alludida quantia e juros, ou allegar
os embargos que tiver, finando citado para to-
dos os termos ate final execucao, foram execu-
tados os meios conciliatorios; como o supplicado
esteja em iug'ar jncerto, requerera que a citacao
se faga por edital depcis de justificado e alle-
eaJo. borneando se curador, sendo a presente
distribuida por dependencia ao escrivao Fran-
klin. Nestes termos E R. M.
Recife, 24 de Setembro t889.Br. Ferrer.
Selladr. legalmente. Na qus profer o des-
pacho do theor seguinte:
Despacho -Distribuida. Como pedem.
Recife, 24 de Setembro de 1889. Montene-
gro. |
Em virtude deste .mea despacha foi a dita pe-
tico distribuidBpioMBa seguinte:
A Jost1 Franklin.Oliveira.
E mais se njssjeontinia em dita p#cao, des-
pacho e distribufcao aqu cojiiados. ;
HJTendo os jpsticaiiu s produzido a jilstificago-
reoommendada pela le, > respectivo escrivao
me fez os autos conclusos selladas, enreparados,
nos quaes profer a senlenga do theor seguiste '
Senteoca -Vistos. Jutgaado procedente a ]us-
tilicaco, mando que se faga a citacao pediia
por editaes.
Recife, 2 de Outubro de 1889 Thomaz Gac-
cez Paranhos Montenegro.
Em virtude desta minha sentenca o respecti-
vo escrivao fez pasar o presente edital, por cujo
theor chamo, cito e hei por citado o justificado *
Francisco Aatou da Bmseca Leite paraconi-
parerer a pnmeira audiencia deste juizo, depois
de dudo o prazo de 30 das contados da pubi-
caco deste, afim de ver assignar-se llie os dez
dias da lei, dentro dos quaes dever pagar o pe-
dido constante da petieo neste transcripta, ou
allegar embargos, litando logo citado para os
demais termos da aegao al final senienga.
E para que -hcguaao conheeimento.de todos,
mandei passar o prsenle edita! qua ser publi-
cado pela imprensa e outro de iguar theor sera,
aluzado no lugar do costume.
Dudo e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 3 de Ouiubro de 188*
Eu, Jos Frantlin lie Alencar Lima, escrivao,
o escrevi.
Thomaz Garcez Paranhos ontenc'-S -o
Rendimento do da 1 a 20 do cor-
rente
4.258*480
4.453*360
Poi arrecadado liquido at hoje
Precos do dia:
Carne verde de 240 a 400 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 1 ris dem.
Suinos de 560 a 6*0 ris idera.
i-arinha de 400 a 560 ris a cuia.
Milbode 360 a 400 ris dem.
Ko;;ao de 800 a 1*200 idem
Maadonro publico
Neste estaoelecimeto foram abatidas para o
consumo de hoje 80 rezes pertencentes a diver-
sos marchantes.
Vapores a enrar
MEZ DE ODTCBKO I
Sol......... Mrquez de Caxtas.. 23
Norte....-' logos........... 24
Sol........... Adtamx.......... 24
Norte......... Finance .......... 24
57:008*905
Reeebcdorla provlaeal
Dojaia la l 18:057*683
dem de t 532*095
19:389*778
Recife Dralaage
rDo dia 1 a 21 11:017*689
dem de 22 229*641
11:247*330
Mercado Municipal de H. Joae
0a mov ment deste mercado ao dia 21 de
Outubro foi o seguinte :
Enlraram :
39 bola pesando 5,380 lulos.
434 kilos de peixe a 20 ris
10 cargas com farinha a 200 res
i) ditas defructas diversas* 300 ris
H laboleiro3 a 200 ris '
12 suinos a 200 ris
Foram oceupados:
26 columnas a 600 ris
1 escriptorio a 300 ris
27 comp rumen tos de fannna a 300
ris
2i ditos de comidas a
101
8*680
2*000
2*700
2*300
2*400
15*600
300
13*300
10*300
Marina'.......... 23
25
26
27
27
27
Liverpool
Europa....... Tat%ar............
Europa....... Vilh de Montevideo.
Sul........... Magdalena.........'
Sul........... Tret.............
Sul........... Para
Liverpool
Eiulides
'"
31
Sul..........
BuenosAyres.
Baha e esc ..
Netr-York....
Santos e esc .
santose esc..
Soulhampton .
Southamplou
Vapore a sahir
MEZ DE OUTUBRO
Alagos........... 24 as
Tamar............23 as
Jacuhyp Advance.......... 25 as
Finance........... 23 as
VillfdeMontevideo.. %1 as
Magdalena.
Trent.....
oh.
2 b.
5 h.
3h.
4 b.
9h.
7 as 11 h.
27 as 2 h.
Norte........Par............. 28 as 5 fc.
Mvilmente do porto
favios entrados no dia 22
Porto Alegre e escala25 dias, vapor nacional
< Arlindo, de 631 toneladas, commandante Ma-
noel Goales, equipigem 32, carga ve os g-
neros ; a Pereira Carneiro 4 C.
Cardiff M dias, barca norueguense /-
de 489 toneladas, capito M.
pagem 11, carvao de podra;
Imbetiba (Macah)-15 d
*



H


I
I
i


fW de *i-ro;inib
oofor-
-.-h-j de J8Gi, que.' dos termos do art.
a. 3.069, de 17 de Abril de 1863,
tioje n'esta lepartigau a carta de
|tenaeao ao Sagrado Ministerio do Evarigolho,
Iferida ao Sr. Williaai Calvia Porter. abaixo
ta.
O secretario,
J Francisco LeopoldoMarinko e Souza
TA O 0RDK.NAg.io AO SAfiUM MIMSTBIO DO
KVAXCEI.HO
sta carta para certificar a todos que nie-
lar possa,que pelo p.-esbytrio de Pemam-
o da igreja presbyieriana no Krazil, reu-
) na cidade da Parabyba do Norto, a 26 de
:mbro de 1889, s 7 1/1 horas da noite, em
sesso publica, e perante a igreja e rungregacao
presbvteriana nVsia cidade, foi ordenado o Sr.
WiUim Calvin Porter, meuibro e pre>bytero da
igreja presbyteriana no Reeife, ao oflicio do Santo
ICJKV9 Ul
iante concn erA an ilmeme com a quan-
tia de 3:0000000, c ue sera recolhidB ao
Theouro Provincia
$ 19. O presidente da provincia esta-
belecer as maltas e mais condicoes, no
intuito de garantir i boa execueao do con-
tracto! quer com re lacio a illumincao pu-
blica, quer com a piixticular.
Fax-se publico, analmente, que o novo
contractante ter de pagar actual en%
prea, conforme o % 7o cima citado, t
quantia de 994:917 a avaliacSo feita peto arbitro desempata-
dor em 18 de Marco ultimo, visto deducir-
se da de998:777#>28, total da avaliac&o,
a importancia de ci:860000 paga em-
presa em 1860, preveniente de 202 canos
de /erro, 5 columnas e 5 bracos com lam
Ministerio do Evangelno de Jess Cliruto, depois.-^ collocados forado permetro do
de exarnes sobre sua experiencia da graca, voca [__.....n r\ .,.- ...t- ,
>* an ,nintPr,o ,i.t nXvra ihiwinmi hUteri. contracto. O iiacretario interino,
Manoe' Joaquim Suveira.
cao ao ministerio da palavra, theologia, Historia
ecclesiastica, etc., julgados suuicieatcs e satis-
factorios pelo presbyterio em sessOes previas, e
pelo voto unnime do mesmo. com oraco e itn
posicaodas maos do presbyterio, ludo segundo a
constituicao da igreja presbyteriana no Brasil.
O dito Sr. William Calvfa Porter, paranlo,
tem o direito de ser recebid j c reconhecido em
toda a parte como ministro do Santo Evangelbo
de Nosso Similor Salvador Jess Chnsto, devida-
meqte ordenado, c de exercer todas as funeces
do Santo Ministerio.
Em f do que, e por ordem do dito presbyterio
passamos esta carta.
Eslava sellada com duas estampillas no valor
de 200 ris cada, urna e innulilisadas da forma
secutte:
Parahyba do Norte, 30 de Setembro de 1881.
Belmiro de Araujo Cesar, moderador.Jos Fran-
cisco Priment da Silva, secretario.
Recoabeco ver ladeiras as tlrnws retro por ter
d'ellas plenos conheciraento. Dou f.Paralivba,
30 .le Setembro de 1889.
Em fde vcrjaile (signal publH).O tabellio
publico, Jorge Cavalcante de Albaquerque Cha-
yes.
O ministro constante la prsenle carta pagou
no Consulado Provincial, a quantia de 3*630,
como consta da guia respectiva que tica archi-
vada n'esta reparlico.
Secretaria do Goveroo da Parabyba, 1 de Ou-
lubro de 1889.-Dr. Arlhur Greeohalg, secre-
taria, j.
Fica rembpda a follia 187 y, doctoro de pro
vioes eccwMfsticas d'esta re pa rucio.
- 1* secgo da Secretaria do Goveroo da Para-
Sba, em 1 de Outubro de 1889.Na ausencia do
efe, Francisco Pedrosa.
Pagou 6*001, de emolumentos e addicional de
10 e 6 /..
Secretaria da Presidencia de Pernambuco, 18
de Ootubro de 1889.-Chacn.
Visto.Designo o 2 oflicial interino da 4' sec-
Sao, Jos Gitirana, para registrar.
Secretaria da Presidencia de Pernambuco, 19
de Outubro de 1889.M.irinho de Souza.
Registrada a folha 164 do livro 7 denrovisoes
do ministerio do imperio.
4 secjo da Secretaria da Presidencia de Per-
nambuco, 18 de Outubro de 1889.
O 2* official interino,
lo*? Gitirana.
5.a seccao. Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-presidente
da provincia e nos termos do 2 do art.
1* da le n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
que, tendo-sc concluido por meio de laudo
de arbitro desempatador, a qu esto de ava-
liaeao do material da empreza de illumi-
naco gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
ses, contado, da data*do piesenteedital.
para contracto da d.ta iiluminaeD, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
3.a Nenhuma proposta ser recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Tesouro
Provincial deposito da quantia de 25:0004
em dbkeiro ou apohees da divida publ-
j*, para garantir a aceitaejio do contracto
ao caso de ser preferida a sua proposta
4." O deposito, a que se refere o pa.
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo contractante senab findo o contracto e
servir de caucSo para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
5. O contracto s peder ser feito
oom quem melhores vantagens offerecer
na concurrencia.
6. A nao ser no caao do paragrapho
antecedente, a actual npresa nao tera
preferencia a qualquer outro proponente.
. 7. O novo contractante sera obrga-
do indemnisacao, a que a provincia
rajeita por torca da clausula decima ter-
eeira do contracto em vigor, devendo dita
indemnisacjio ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e ficando o materila
a obras da empreza bvpotbecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemni-
sacSo ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
8." O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
9. O preco da illuminacao, quer publi-
ca, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o metro ^cubico de gaz, fazendo-
ae urna redcelo de maB*de 30
os estabelecimentos de caridade
cenca, e repartieres publicas.
% 10." O systema mtrico, si f5r mais
conveniente, ser adoptado para a med
cSo do gaz.
11." A luz ser clara, brilbante e senta
de substancial estranbas, que possam pre-
judicar a illuminacao e a hvgiene publica.
12. A intensidade media da lux ser
equivalente a de dez velas de espermacete,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 graos ingleses.
13.a As horas de illuminacao publica
serao fixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, nein mator
de dez, devendo neste caso haver urna
' reduccao no preco do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
' 14. O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e illimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questes que
se suscitarem, quer cun o governo,
quer com os particJares, ficando sujeitos
. todos os seus actos s leis e regulamen
tos e jurisdccao dos tribunaes judicia-
rios ou administrativos do paiz.
15." O contractante aera obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
ajis gazometros, se houve necessidade,
nos lugares qne o presidente da provincia
designar, e a introducir todos os melbo-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se frem descobrindo, urna vea adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca
pital da Europa.
O pagamento da illuminacao pa-
ser, feito em moeda do
oacillacao do cambio.
' organisar
Empreza do Gaz
A empreza de illuminacao a gaz dcsts
cidade por seu geronte, tendo visto no
Diario de Pernmnbtteo de hoje a pubhca-
oio do edital em que; a presidencia da pro
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminacao mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
base para a indei anisaoSo ds empresa
actual a quantia le 998:7774528, por
quanto foramavaliacas pelo arbitro desem-
patador as obras da mesma estpreza,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliacSo nao pode servir
de base para tal indemnisacSo, por ter
sido illegal e rregularm'nte feita, bem
como que contra ella j pfctes ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos feitos da
fazenda, tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr. pr curador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que deva em tempo op-
portuno fazer valer seus diritos contra
quem de direito for, delibercu fazer a
presente publicacao para scieneia dos in-
te ressados.
Reeife, 1 de Haio de 1889.
Gerente.
George Windsor,
Secretaria da Presidencia de Pernambuco,
era 23 de Setembro de 1889.5. seccao. Por
esta Secretaria se faz publico, de ordem do Exm.
Ssx conselheiro presidente da provincia e de ac-
cordo com a lei provir cial n. 1974 de 26 de Mar-
o ultimo, que, a reqierimt-Dto de Eduardo de
loraes Gomes Ferreini acha se aberta a concur-
rencia, com o prazo de das, a contar de boje,
para apresentacao de propostas em carta fechada.
i fundaco de um moinbo, nesta provincia, des-
tinado a moer o grao de trigo e preparar a fari
nha de conformidade com a lei mfra transcripta.
O secretario,
F'-anctscc L. Marinko de Souza.
LE N. 1974
Apl
Perante o Sr. Dr.
fazenda Lindolpho Htsbello O
dia 31 do corren te mez, pelase 1 h
nha depos da audiencia se vende;
publica os Jbens seguintes :
A casa terrea de tijollo e cal n. 12
gar denominado Iputioga, freguezis
edifleada em terreno, ceja oatureza
proprio, foreiro ou arstado, a1
3004, pertencente a LeonOT Pereira
A casa terrea com rancho ao lado,
gar denominado Iputlnga. freguezia da V
tudo editicado do tijollo e cal e coberto de
igoora-se se o terreno em que est editicado se
proprio, forreiro ou arreniado, avallado em
90*, pertencente a Antomo Francisco dos Freza-
res.
Urna mei'agua dr tijollo e cal em chao proprio,
sita na estrada de Joio de Barros, freguezia da
Boa Vista, avaliada em lo, pertoceoie a'Joao
Chrysostomo das Chagas.
A casa terrea de tijollo. e cal, sita na roa dos
Copiares ou becco do Lobato n. i, freguezia
dSoJos, avahada em 7'0*, pertencente a
Jos Alfredo de Carvallo; cujos bens fortn pe-
nhnrados para pagamento da fazenda nacional r
custas.
Becife, 32 de Outubro de 188).
0 solicitador. 1
I.mz Multado lljlelho.'
Club Commorci.il Euterpe
Devido ao prematuro passamento dft.F.
D. Luiz l.'.R-i de Portugal, este club trNuzin-
do o seu seotimenlc, resolve suspender
exn.'dtento at o dia 23 do correnle.
Secretaria do Club Commercial Eatcrpc, 19
de Outubro del889.
0 1* sci
Autonio Soares.
------/-----------------------------------li----------K------------------- i,
Irmandae de N. S. do
Terco
MEZA GERAL
De ordem do irmao Revm. juiz, de novo con-
vido a todos os nossos caros irmos para cora
parecerem em nosso consistorio na quinta-/eir
24 do corrente, pelas 6 1/2 horas da tarde, para
procedermos a eleicdo dos novos funccionarios
que teem de administrar a irmandade no anno
compromissal de 1889 1890.
Consistorio, 21 de Oulubro de 1889.
0 secretario,
_______________Joaquim E. das a'eves.
Pereira Carneiro & C, autorisados
pelo Banco do Brazil annunciam que foi
resolvido pela assembla geral dos accio
nislas elevar o capital desse Banco a cem
mil contos de ris e qne a subscripeo
para as novas accSes estar aberta em seu
escriptorio, ra do Commercio n. 6, 1?
andar, de 3 a 7 de Novembro prximo fu-
turo, exclusivamente para os accionistas da
extincta caixa tilia], na razio de duas ac-
edes por cada urna das ja possuidas.
A entrada ser no acto da subscripcSo
de 60/kXX), sendo 40|J0OO de premio para
o fundo de reserva e 204000 correspon-
dentes a 10 [ do valor da nova ac$ao.
1111 .."I .'I-i .....
CAMPO GRANDE
INAUGURADO PEFLNITIVA
PRO'JBCTa/) 1)E NSCRPCAO
vegatjao a
Administra^ao dos Correios
de Pernambuco,
Em ti de Outubro do 19S
Correspondencia official
0 administrador, de conformidade com o que
decidi o Ministerio da Agricultu'-a em aviso n
103 de 31 de Agosto e Ihe foi declarado pela di
recloria geral os cor-eios, em tircular n. 163
da diviso central de 14 de Setembro lindo, faz
publico, para evitar recIamacOes, que s devf m
PARA A 5." CORRIDA
A realisar-se no dia 1." de Novembro de 1889 .
1." PAREODR. PEREiBA SIM ES 800 metros. Animaes da provincia
que nSo tenham ganho n'estes 3 ltimos mezes nos prados do Re-
eife. premios : 20Oi5O0O ao primeiro, 40/WOO ao segundo e -20(?000
ao terceiro.
. PAREO DR. JOAO DE S 1.600 metros. Animaes menos de meio
sangue, pifemos: 300(5000 ao priAiro, 605000 ao segundo e
S050O ao terceiro. *
PAREO DR. JOS DINIZ1.200 metros. Animaes da provincia que
nao tenham ganho em distancia superior a 1.609 metros nos pra-
dos do Recite, premios : 200|J000 ao primeiro, 50(5000 ao segun-
d e 205000 ao terceiro.
PAREO BASTOS MELLO* 1.400 metros. Animaes nacionaes at meio
sangue. premios : 350i5000 ao primeiro, 7Oi5O0O ao segundo e 35)5000
ao terceiro.
PAREO HIPPODROMO DO CAMPQ GRANDE2.000 metroa. Animaes
de qualquer paiz. pbbmios : KOOO0OOO ae prime*), 300,5000 ae
segundo t 100KKX) ao terceiro.
PAREO DR. JACOBINA 1.000 metros. Animaes da provincia que nao
tenham ganho em maior distancia nos prados do Reeife. premios:
2005000 ao primeiro, 405000 ao segundo e 205000 ao terceir.
PAREO LUIZ PAULA LOPES 1.200 metros. Animaes da provincia
premios: 2005000 ao primeiro, 505000 ao segundo e 205000 ao
terceiro."
PAREO DR. CORREIA D"ARAUJO 800 metros. Animaes da provin-
cia que nao tenham ganho nos prados do Reeife. premios : 2005000
ao primeiro, 405000 ao segundo e 205000 ao terceiro.
Observcoes
Nenhum pareo se realisar sem que se inscrevam pelo menos cinco animaes
de tres proprietarios differentes.
A inscripcao encerrar-se-ha sexta feira, 25 do corrente, s 6 horas da tarde,
secretaria do Hippodromo do Campo Grande na ra do Imperador n. 55,
andar.
O cdigo de corrida prescreve o modo da inscripjao.
O secretarlo.
a.
4.
.
.
.
8.


(nnorenrio Marniina Hp Ar-inin AM hophnrol I H""'"-" l*" vitar reciamacoes, que so oevf ir
do Reeife, Jepptodo i Assembla Geral pela ^Z^TLtl^JL T^J' JS ^
lo. para
benefi-
pel
provincia da Babia e presidente da de Per
nambuco:
Faco saber a todos os seus habitantes que a
assembla Legislativa Provincial decretou e eo
saneciolei a resoluco seguirte:.
Artigo l. Pica o prssidente da provincia au-
torisado a contrariar com Eduardo de Montes
Gomes Perreira, ou com quem melhores vanta-
gens offerecer; a fund-cao e creaco de um moi-
nno a vapor ou qualquer outro motor, destinado
a moer grao de trigo e preparar a farinba, com
a capacidade de moer diariamente, pelo menos,
7.300 k i logra remas.
i 1.* Para i exploracao e uso da industria de
que trata este artigo, concederse ha privilegio
por 10 annos.
J 2. Dentro de dotts annos o contractante
obrigado a montar os estabelecimentos precisos
e a dar principio aos trabalnos da fabrica, em
Ojo servico ser obrigado a admittir al 15 or
phos, para Ibes ministrar o ensino da industria
alimentando os, e doas annos depos dando-lhee
salario equivalente ao que trabalharem.
Art. 2.* Picam revocadas as disposicoes em
contrario.
Mando, portanto, u todas as autoridades, a
quem o conbecimenlo e exeacao da presente
resol uco pertencer, que a^umpram e facam
cuinpnr tao inteiramente como nellaae contm.
0 secretario da Presidencia desta Provincia a
faca imprimir, publicar e correr.
Palacio da Ppresidencia de Pernambuco, em
26 de Margo de 1889, 68.* da Independencia e do
Imperio.
L. S. Ixnocrncio Marques db Araujo Gos.
Sellada e publicada a presente resoluco nesta
Secretaria da Presidencia de Pernambuco, aos
26 de Marco de 1889.
O secretario interino,
Alanoel Joaquim SUceira
-. ........._____
Pelo presente edital se fax publico, qne em
virtude de ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
Srovincia, contida cm officio de 26 de Agosto
ndo. e de accordo cot o disposto no art. 26 dos
Estatutos do Lycen Patahybaio, se acha em con-
curso a cadeira de geo?raphia do mesmo Lycen,
vaga em consequenci de ter-se jubilado o res-
pectivo professor cora raendador Thomaz de Aqu -
no Mindello, devendo os concurrentes se habi-
litaren! dentro do pra.io de noventa das, a con-
tar da presente data, e exhibirem na forma do
art. 27 dos meamos Estatutos os documentos se-
guirte : 1.* Certidao de atislamento eleitoral,
oa documento, que prote ter o candidato as con
dicoes exigidas para ser eleitor; 2.* Folha cor-
rida; 3." Attestaco de moralidade, pausada pelas
autoridades ecclesiastica e policial do logar d
residencia; 4. Alfil ido medico de nao ter mo
1 ostia ou deleito pbysico, qne o inhiba para as
funeces do magisterio.
Rotor do Lycen Pirahvbano, 12 de Setembro
de 1889.
O reitor do Lyceu Parahybana^
Joaquim Igs.aciu de Lima e Moura.
do
reguli ment vigtnte, os que se communicarem
di-ectamente com o respectivo ministro e chefes
de reparlicoes provinciacs, os que se coramuni
carem directamente com o presidente da pro
vincia.
Art. 25 do reguiamento de 26 de Marco de
1888. Os magos e cartas dirigidos por tune
cionarios pblicos particulares nao deferao
ser considera Jos correspondencia official, em-
- bora tenham a declaracao Servisco pu-ilico.
Paragrapho nico. Exceptuam se.' 1.* os ex
" emplares do Diarto Officat, remettidos ao as
signantes e autorida-les, e de revistas pubJi.
cadas por estabele imertos pblicos ; 2 os
avises, a ras e macos relativos ao servico pos
tal ou dos telegraphos que aos particulares
remetieren) os respectivos cheles de servico,
e os remettidos pelos ministros de eitado e
chefes de repartieses geraes e pmvinaaes.
Alfonso do Reg Barros.
J ulzo ds f el lo* da f .->/ enda na-
cional
Escrivo Reg Barros
Perante o Sr. Dr. juiz substituto dos feitos da
fazenda Lindolpho Hisbello Corris da Araujo.
no dia 25 do corrente mez de Outubro telas 11
borasfda manha, depoisda audiencia se vender
os bens seguintes :
Um cofre de ferro prova de fogo, qne (se acha
no predio, ra do Viscoode de Camargihe, n.
79. perfcncente a Antonio Pereira da.Cunha
boje i sua viuva, avahado por 2004000.'
Outro cofre de ferro prova de fogoqaase acha
no andar do predio n. 10, ra donan Jess
pertencente a ^ebastiao Barro6 Brrelo, ivaiiado
por 2004000.
Outro cofre tambem de ferro e prora,
que se acha nos predios ns. 24 e 26,
a Alfredo Guimares C. avahado em
Urna armaco de amarello, enver:
vidracada. um balcao com lampo de9
quatro caixes que so acham no predio
Thesouro Provincial
De ordem dolllm. Sr. Dr. inspector, faco pu-
blico que no dia 23 do corrente pagam se as se
guintes ciasses :
Protessores de 2.* e 3.' entrancias e escola noc-
turna, relativamente aos leus vencimentos do
mez de Junho prximo findo.
Pagadoria do Thesouro Provincial, 22 de Ou-
tubro de 1889 0 escrivo,
^_-/-____________Alfredo Gibson.
Arsenal de Guerra
De ordem do Illm. Sr. tenerte-coronel direc
or-deste arsenal, distribue-se costuras nos dias
!i, 22 e 23 do correrte mez, com as costureiras
jossuidoras das guias de ns. 1 a 100, de con -
'ormidade com as ordens em vigor.
Seccao de costuras do rsena de Guerra de
'ernambuco, 20 de Outubro de 1889.
Flix Antonio de Alcntara
Alferes adjunto.
Companhia Locomo-
tora Pernambucana
Eugenio de Barros
9 SEGUROS
CONTRA FOGO
Hie Liverpool & London k Globe
HTSURA3XTCE CDLIPANY
iiLiztm, mim & c.
Ra do Commercio n. 3

DECLARACOES
lartiniilar
Edificio da Faculdade
fo dia 28, ao meio dia, no ps I. ci da presi-
dencia, a commisso eocarr^gala da construc-
cao das obras do novo edificio da Faculdade,
rea ber propostas em cartas fechadas para o
fornecimento de pedra, at 31 de Dezembro des-
te anuo, em blocs de meio metro cubico cada
um, pelo menos, e de lastro, de menor volme.
O transporte s -ra por corta do fornecedor.
Para garanta da e.vecuco da prop?sta ser
depositada previamente oa Thesouraria de Fa
zenda a quantia de 500/.
Reeife, 22 de Outubro de 1889.
G. Thaumaturgj de A;evedo.
Banco de Pernam-
buco
Em virtude da le das soledades anonymas e
la de imtufct rtn ct ovidados os accionistas a
ac por cent
ra Larga do Rosario, pertencente a
cisco olaco. por 804000
Nina machina a vapor com todos os
tences, que se acha no caes de Capib
pertencente a Francisco dos Santos '
liada por 2:000/000.
Urna armacao de pinho pintada e
carteira ao amarello, dons caixOes,
de parede e utna pipa pintada de
avahado tudo por 50*000, penen
Ramos C., cujos bens foram tod
para pagamento da fazenda nacional
Reeife, 22 de Outubro de 1889.
to Fran-
per-
n.S3,
, ava-
orna
relo^io
vasia,
quim
orados
costas.
O socadoi
Luis MacXSdo Sttelho.
Gabinete Porrtguez
de Leitura
r
Aaaeankla noravl
Nao se tendo effectuado no dia 20 do "torrate
a reuniJo de assembla geral dos socios do Ga
bioete, por haver sido traosferida para o dia 27
do mesmo, em consequencia da noticia do falle-
cimento de S M. F. El-Re D. Luiz 1.", de novae
por ordem ol Uta. Sr. commendador presiderte
do conselno deliberativo, os convido arennirea-
se s 11 horas do indicado dia, em a nossa s|e
social, para em assembla geral, onvlrem oi-
latorio da directora, elegerem a coqunissa^ le
examede cortas eusarem dooutras attribuicCes-
que Ihes confere o art. 42 de nossoe estatutos.
Reeife, 2idc Outubro de li89.
0 1 secretario,
________Albino Moreira de Sonza.
Instillo Apcteologico e Geogra-
AMembla (eral
Convocados os senbores accionistas desta rom-
jartna para reunir-se- em apsembla eeral hon-
em (8) e nao tendo comparecido numero para
sse fim, anda de accordo com o art 13 dos
estatutos, convido os seonores socios a reaoir-se
:m assembla geral no dia 25 do correte, ao
neiodia, no pateo do Carmo n. 1, escriptorio,
>ara Ibes ser i presentido o balanco e mais do-
cumentos, referentes ao estado da companhia, e
solver se o melhor sobre assumpto de nteres
e da mesma. Na falta de comparecimento dos
.enbores accionistas, depositare na meretissima
unta commercial os hvros e documentos em
neu poder, perlenc-ntes a mesma companhia.
Reeife, 9 de Ontnhm *? 1889.
Andre M. Pinheiro,
Secretario adhoc.
Veneravel confraria de San-
ta Rita de Cassia
Col les; lo R4prcft<-nlativo
De ordem do conseibo administrativo, convido
odes os nossos carissimos irmaos para na quar
a feira 23 do corrente, pelas 5 horas da tarde,
ompareeerem em nossa igreja, atim deconsti-
uirem o Collepio' Representativo, nao se para
egalisaras providencias tomadas relativamente
ios meios mais proficuos de ser reconstruido o
osso templo, como tambem pare tratar se de
mtros assumptos, esperando que na referida
eunlSo todos os cunfrades concorram com seus
ibulos, mostrando de modo honroso essa nniao e
:oragem proprias de espiritos crentei e bem
'ormados, que sahem resistir aos golpes da ad
'ersidade.
Secretaria da confraria da veneravel Santa
lila de Cassia. 21 de Outubro de 188*
O secretario,
Jos de A. Costa Portes.
INDEMIflSADORA
Companhia de Segaros
martimos e terrestres
EMafeelecldaem lSS
CAPITAL 1,0OO:000#0O0
SINISTROS PAGOS
At 31 de Dezembro de 1884
Martimos.. 1,110:000#00C
Terrestres. 316:000^000
44Ra do Commercio44
Companhia de Seguros
AGENTE
Miguel Jos' Alves
IV. VBoa do Bom afean* -N. V
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguios a nica companhia
esta praca que concede aos Srs. segurados semp-
^o de pagamento de premio em cada stimo
inno, o que equivale ao descont annual de cer
a de 15 por cento em favor dos segurados
SMllMMNTiTroiO
Rojal Insurance Company
de Liverpool
CAP TAI. 9.000:000
AGENTES
R. DE DRUSINA A C.
7.3Ra Mrquez de Olinda13
Vapor
Macei, Villa-Noya, Penedo, Araca-
j, Estancia e Bahia
O VAPOR
Mrquez de Caxias
Commandante Bernardos
-Seguir para os
portos cima
indicados no dia
123 do correte s
4 boras datante.
Para carga, passagens, encommendas e ainbei-
ro a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osoriode Cerqueira
17Ra do Vigario 17
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Alagoas
Commandante JoSo Mara Pessoa'
E' esperado dos portos do norte at"
o dia 24 de Outubro e depois da de-
mora indispensavel seguir para 03
'portos do sul.
As encommendas sero recebidas no trapicas
iarbosa at* honi da tarde do dia da sabida,
es rata-se cbm 03 AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Oommandante Antonio Ferrera da Silva
E' esperado dos portos do sol at o
dia 27 de Ootubro e seguindo depos
da demora indispensavel para os
por toe do norte at Manos.
As encommendas s sero reobidas na agen-
ta at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas e Talo-
Para carga, encommendas, passagens e valo-
es trata-se com 03
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=*Rua do Commercio=6
lo andar _
Xoyal Mail Steam Packet
Company
O vajjor Tamar
Espera-se da Europa at o dia 25 de
Outubro, seguindo depois da demo-
ra do costume para
Baha, Rio de Janeiro Montevi-
deo e Buenos-Ayres
Para passagens, fretese encommendas trata-
e com os AGENTES.
_
O vapor Magdalena
E' esperado do sul no dia 27 de Oo-
tubro, seguindo depois dademora
necessaria para
S. Vicente, Lisboa, Vigo, e Southampton
Reduccao de passagen*
Ida Ida e volt a
?'. Lisboa 1" elasse 20 i 30
' Southampton 1 classe 28 i 42
Camarotes reservados para os passageiros de
ernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
om os
AGENTES
Imorimirmos & C.
N. 3Ra do Bom JesusN. 3

.i



.V.
CHARGEURS REUNIS
Companbia l'ranrea
DE '
WaregaeSo
Pernambuco, Bahia,
Santos.
O VAPOR
Ville de Montevideo
Commandante Viel
E' esperado da Europa at o dia 26
de Outubro, seguindo depois da in-
dispensavel demora para a

a vapor
o Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro e

iH^,
Companhia
Imperial
SANTA CASA
CASAS PARA AJLI U % II
Ra do Vigario Tapono n. 27, loja 20<000
dem dem dem, 3.* andar 180<00o
Ra do Bom Jesus n. 29, loja 240*000
dem dem a. 29, 1. andar 2VU000
dem idem 2* andar 240i000
Bispo Sardinha n. 3, loja 168*000
Patio do i-arauo.2o.. andar n. 29 300*000
Roa de S. Borja casa terea. n. 3 3004000
dem Encantamento n. 11. 2. andar 240*000
Ra da Moeda n. 49: annazem 200*000
dem do Mrquez de Olinda, n. 3-3, so-
brado 2:131*000
dem de Tbora de Souza n. 14, 1*
andar 200*000
dem Imperial n. 151, caza terrea 360f 00
Becco da Dotencio imeiagua) 96*000
S Loorenco da Matta 60*000
SegAU*os contra Fogo
EST: 1803
Edificios e mercadoricu
Taxas baixas
Prompto pagamento de prejuizot.
CAPITAL
Ks. 141,000:000*000
AGINTg
BROW\ dt C
N.( 5RDA DO COMMERCION. 5
London & Brasian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as ca
tas do mesmo banco em Portugal sendo
;m Lisboa ra dos Capellistas n. 75. No
3orto, ra dos Inglezes.
Quinta feira 24 do corrente, s 11 boras da
nb, ha ver sesso ordinaria.
Secretaria do Instituto, 22 de Oulubro de 1
Baptista R 1 secr>'.
Glub Carlos
O sarao mensal daste club
do 26 do corrr
aos
Companljia > Seguras
COTBA F06-0
NORTHERN
de Londres e Aberdaeu
?osco 6oanceira fezembro de 1887;
Capital BubscriDto 3.000,000
Fundos aecumtlados 3.421,000
Keeelta annual :
De prenios con| fogo 607,000
Do premios sobWidM 197,000
De juros 143,000
O AGENTE,
_____ John H. Boxine.
" EGKOS "
^KlS COSTBA ti
MARTIMOS
COMPANHIA l'KR>AIHI(t\4
DE
Vavegaeio cosleira por vapor
PORiOS DO SUL
Sacei, Penedo, Aracaju' e Bahia
O vapor Jacuhjpe
Commandante Esteves
Segu no dia 25 de Onubro as
5 horas da tarde. Recebe car-
at o dia 24.
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
t as 3 boras da tarde do dia da partida,
ESCRDPTORIO
lf Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
Babia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga peles
pores desta Ijpha, queiram apresentar dentro
le 8 dias a contar do da descarga das alvarengas
raalquer reclamaco concernente a volumes que
orveotura tenham seguido para os portos do
mi afm de se poder dar a tempo as provi-
tencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
esponsabilisa por extravios.
rara carga, passagens, encommendas e di-
heiro a frete: trata-se com c
AGENTE
Angoste Labille
9-RUA IX) COMMERCIO-9
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Finance
E'.esperado deNewTrk-
at odia 24de Outubro
too qual depois da de-
mora necessaria seguir
para a *
Baha. Rio de Janeiro e Santos
Para passagens carga, encommendas e di-
iheiro a frete. trata-se : com os AGENTES.
Ovapor Advanee
E' esperado dos portos 6-
sul at o,dia 24 e Outu-
bro o qal depois da de-
mora necessaria seguir
para
Para, Barbados, 8.
Martinique e Sew-

Haranho.
Thomaz.
York.
Para carga, passagens, encommendas
heiro a frete .- trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commecior8
1* andar v .
edi-
LEILOES
Porto
Segu com brevidade para o torio o
portugue:
3 e ultimo leilo
* Da fabrica Cajurubeba
Constando :
De prensas, depsitos, preparados
promptos, vailhames, 40 pipas com ex
tracto de jurtibeba, canalisacSo e
os mais pertences.
A'e
'LOanteGuso*ja-.



I


I



-
examinar p
re-
rua-i cite i
ir a] pralica de
60, armazem. ~""~~~~
LULAS
Leilo
Be .alia"1 .iiversas qualidader, pooteiras
espuma, rmudezas, quin
fcoa para flores ouiros
% a-f Ira 94 do frrente
is li hura*'
JX*M" 'de cowrr- da m do Kangel n. 2
P*u afate Martina
000 irensaes
Aluga se o rrportante i- andar da ra da Ro-
da n. 17 : e tratar no largo do Marrado n. 1S.
Leilo
corrate
49
Jjatfn. a-f eir. 4 do
A*t 11 flora
Na ra.do Barao da Victoria n. 59
le 3 u.nit.s mobilias de Jacaranda, urna dita
toca, 2 ricos guarda-loueaa de Dogueira. t
d* maretlo, i guarda-vestido, duas mesas
car :-ei. tiua de aogueira, aparadores,
l niobilia estufada .ricas toilettes e lvalo
Jri"tirMiivui-a> <*ouro de onca comea-
quaitroB chinezes, mesas, marquezoes, se-
nas e uuuus muitos movis e objectos de
asdto que estoraca vista dos concurrentes.
"Tap.rtifll.Kles' Baplista, tendo de entregar
as-Aave? do ai inazeui acinla declarado, tari le
JasTlo- os ot.jp tos sem reserva de preco.
Leilo
Em eoDtinuaeo
Mo sobi lio sito a ra da Uniao o
CONSiANlX):
Be ric (obj.tos de arte, bronze", porcelana,
AiOPts. ele, 1 piaoo de cauda, 1 motalia,
iaJ^ao ji-w-aud, i diU de Jacaranda, 1
tees elstica, toninas e reposteiros de la. 4 rica
E rola 1 banca, cabeceira de cama cora em-
dr [c sciiiD, 1 espelho. moldura doura-
4a, t importante secretaria dejacaraBdi, i gran-
sardft vestid de mogno e mullos outros
los que deixaram de ser vendidos no leilao
'. 24 do ouiioute.
QuiOa-feira, 24 do eorrente
AS li HORAS
PELO AGENTE
Gusmao
Leilo
De urna mobilia de Jacaranda, espelhos, can-
4*tfos a gaz. quadros, jarros para flores, papel
acra cartas e de npressao e enve*>ppes.
^}m cofie prensa, 2 carteiras e vinhos.
%mn mesa elstica, 1 aparador guarda tonca
cideiras, copos, objectos de agatha e trem de
Para principiante
Vende-se urna pequen:, taruma bem loca'isa
da, cum pouos fundos, propina para principian-
te, tem eoinmodos para pequi-ua auulu ; para
informacOes, na ra do Ara^ao u 17._______
Para formaturas e
casamentas
TELEPHONE N. 93
0 administrador da cocheira n. 1 da na de
^auto Amaro (casa amarella), leodo-o a kilo pas
sar poa urna completa tramformacao, acha-se
habilitado a servir da melhor forma o mais exi
gente fregu*.
m magnitico landau, um lindo coupe, ber-
Iindas forradas de seda branca, victorias, cale-
ches, fardas novas e de cariados gostos, bonitos
arreios, excellentes cavillos, tudo se encontra
na ra de Santo Amaro a. 1 cocheira amarella,
confronte estacao.
Precos sem competencia.
Pede-se aos Srs. noivot e acadmicos, um pas-
seio at la. ____
Caixeiro
Precisase de um menino de ti 14 anuos de
idade, para reflnaco ; na roa D. Mara Cesar
numero 4.
tOIinoV
rfexta-felra. 5 do corrate
A's 11 hora-
Agente Pinto
Ib armazem ra do Bom Jesu n. 45
Leilo
De "3 vaceaa taurinas, sendo urna com cria
e 11 a-f eir 2 do eor reate
A's 11 horas
Agente Pinto
JEm~ frente uo armazem da ra do Bom
Jess n. 45
Por occasio do leilo de movis.
3 e ultimo leilo deliaitivo
Da fabrica Apollo
Confiando:
De toda a fabrica de oleo, toda a typograpbia
com importantes prelos e mais perteoces, duas
achinas paia corlar papel, urna dila para ser-
enar 4 w->gon se todo material Decawu, tan-
, ferr cerca de 4,000 tenas de unco,
inca de aicb.es pjtereotypia, encanamento
Precisa-se
alogar urna casa de 10* 12* de aluguel por
mez, ou de ama melado de casa que so more
duas pessoas, s serve as freguezias de S. Jos,
Santo Antonio ou Boa-Vicia : qoem tiver dirja-
se ra Imperial n. tiJ, d ero. diante, oa das 8 a 9dauunha, que seta
com brevidade ; ou ^ri,i se ao escoiptorio des-
te Piano.______________________________
Ac acadmicos do
quinto anno
Telrpbone aa n #
O aaixo assignado participa a> resptitavel
publico e especialmente aos acadmicos do 8.
anno, que tem em sen istabelecimeoto carros
preparados para formatoras, casamentos e bap
tisadot, bem como lindas parelhas e pessoal ha-
bilitado, sendo seos alugueis menos 5 0/0 do que
em outra qualquer parte.
Jos Daarte Pereira.
fc^^.^. ^^--^ a a a>A.l.AAAA4AA
ANEMIA, C! LOROSE
4 EMPOBREC MENT DO SANGUE|
j COIES PULIDAS, COmLESCEig
< saio eos Hospsss os i im
* fuBt aruii di bi.ui*ihi
COTTAS
VINEO E.0BIN
A TQ0t-ttu riliro Keconi
J nt
4SMGAS
4
r
4
Aluga-se urna casa nesta localidade a ra de-
S h>nto n. 52 : irotar nofaes do Apollo n. 47.{
Tratamenlo radical em 6 das
DAS
BLENORRHAGIAS AGUDAS
ou
GHRONIGAS
(VULGO PURGA9O)
DO 1MMBM OU OA MULHEII
E da leucorrha ou flore branca
Ptalas Resino- Balsmicas
E
lnjecco AntBIenorrhagca
PREPARADOS |POR CALASANS & G.
PRODUCTOS APPBOVADOS PELA
IKSPECTOBIA OERAL DE HYGIENE
Urna serie de brilhantes e innmeras ex-
periencias, coroadas sempre de bom xito
duranteatiez annos, assignala a estes dous
medicamentos, usados com a dieta e dosa-
gens prescriptas, o primeiro lugar entre oa
medicamentos estudados e preconisadoi
para curar estas terriveis molestw-
Afl piluljw *JU> snpportadM pelo estoma-
go o mais delicado, pois que ellas n2o im-
pedem nem difficultam as funcgSes deste
orglo.
A injecco anti-blenorrbagica nSo ab-
solutamente irritante e por isa o nao tem o
inconveniente das actualmente empregadat
e nao produz estreitamentos.
NSo publicamos o grande numero de
cartas, attestados e agradecimentos que te-
mos recebido para nao oflFender aos nossos
clientes, muitos dos quaes sao pessoas mu-
to conhecidas e altamente collocadas.
Empregada como artigo de toilet parti-
cular excellente preservativo contra as
molestias secretas.
Modifica e faz desapparecer o mo cheiro
das regras.
Preparadns por Calasans a U., rhar.
macia Imperial, Babia.
DEPOSITO NO RECDTE
Francisco Manoel da Silva & C, roa
Mrquez de O inda n. 23.
i rotafiMrto prmptm om-a im
Molestias do estomago e dos
ateatlnos, molestias do fizado,
IndigeatOea, clicas,
dispepsia.
ventre,
diarrbea, prisSo do
lia de appetite, incom-
i'depols da cernida, enxa-
queeas e dores de caneca chroni-
cas, rhenxnatismo e nevralgias,
molestias da pelle, molestias pe-
rledicas das senhoras, e, alm
m, aiultas outras enfermldsdes que se
cUmUco debaizo de ama Inflnidade de
, todas porm, oriundas da mesma
causa, a saber;
Desarranjo.s dos orgaos de di-
gestfio e assimilacSo,
donde provm a tmaureza e o enfraquecl-
mento do sangue, com a debllldade e con-
gestio OS todos os orgios vitaea do aja-
AEUAFLDHl
DE
Murray & Lanman.
0 Mi|IS EXQUESITO
DOS
Perfumes do Toucador.
Perfuma o Corpo e
Vivifica a Mente
NO &ANHO.
Superior a Agua de ob-
na pela delicadeza de cu
aroma e a durabilidac d>-
seu perfume
MO LEHQO.
Procarem-se
AS LULAS CATHARTICaS DE AYER,
nUCTARADAS PKLO
DR J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., E8t--Unidoa.
Daaroaxro Gasas.
Os celebres canarios da
AllemaiAa
DE
CARLOS BRANDMULLER
DO HABZ
Vendem-se ra do Imperador n. 30.
Attendite!!!
Jos Samuel Bote'ho avisa ao respettavel pu
blico que aiada continna a fabricar bouqnets
rifra casamento, baptisade ou outro> qualquer
acto, e bem assim capellas rsornarias de per
peluas a traUr na ra da Cadeia n. 43, loja de
selleiro ; na Nova n. 30, loja de miudeas, e
ra do Caboga n. 3, andar.
tfiif'ua, < machinas para cortar fumo, urna dita
ara fazer fumo em corda, urna dita de i
para desb .1
. a-rro. 1 motor de forca de 8 caval-
orna raldeira de forja de 12 cavados e mui-
tajg noli s oi'j co?.
t xta-ft-lra. S do eorrealte
A's 11 hoia
O apreuH- Go?mo, autorisado por maodado do
Hcn. Sr. D.. jun de direito dt comm-rcio ea
ramKMimtoio do Dr. curador fiscal da massa fai
Jila de i aria Amelia da tuuba, fara leilao
pela terceira e ultima vez dos objectos cima
jMoeioqados existentes na grande abrka Apol-
la, ooiie sera eftecluado o leilao.
CONSTIFACOES,
Irritacao do Pello
Ao commercw
Os abaixo assignados pelo presente declaram
que neste data comprarara o esUbelccimento de
molhadof, sito ra Imperal n. 1, pertencente
ao Sr. Aodre Affonso de Carvalho. livre e de-,
sembaracado de todo e qualquer onns, o qual
passou a gyrar sob a firma social de Pmto &
Costa. Rtcife.l de Agosto de 1889.
Justino Antonio Pinto.
Manoel Gomes da Costa.
Criado
Precisase de um : tratar ra do Paysaod
n. 19, Passagem da Magdalena. ____________
Cosinheira
Precisa-se de nmi boa cosinheira, que de fian
ca de sua conducta : na ra da Aurora n. 133, ou
ra da Madre de Dens h. 5, armazem
Nao duvidem!!!
Dos maravilhosos effeitos do legitimo
SABO RUSSO. Em resumo ningnem
mais se dere lastimar q*e sofFre: de
rheamatisao, dCres de csbe?a e ouvidos^
inflamac3ea de olhos, ulceras, impingens,
darthros, erysipelas ; a humanidade nao
se deve queixar da falta de um medica-
aento qaa-cure de sbito: as contusoes,
as queiradtiras, as mordeduras pe insec-
tos venenosos. Para o toucador de pri-
meira naatssidade o uso d'este medica-
manto parque quem d'elle usar nSo ter
sardas, espinhas e outras erupcoes
pelle. Para limpar metaes especial.
Na arte veterinaria especial para
contusSes das ernzes.
Vide o prospecto qne acompanha cada
frasco.
nico deposito na conhecida casa de per-
fumarias e modas.
NOVA ESPERANCA
Pedro Antune & C.
63-Ra Duque de Caxias63
da
aa
Ama
Precisa-se de tuna ama pata lavar, eagomoia
e fazer mais alguna eervicos, para casa de pe
quena familia a tratar na roa da Uniao n. B
Na Loja das Estrellas
SS-Ktt buque de (i.\iaM8
Telefliooe a. fio
Este bem conbecido'eBtabelecimento acaba-
de passar por uma grande reforma,
sende ligado interiin-mente com a
-.i.-.-. eonrina do n. X no intuito
.Ji- si-reii, det rivjiieze. culi- uiHxiuia brevidade
Hu.-.-ivel. resoheu- t'aztr grrde II
:(eHS;tco f os saldos q a
myishi i bulanv", por menos
'(. o aou valor, cujes artigo
pass tnos a demonstrar :
trfigoa de'lej
i j-ya, a 34500.
. !_(( | .i;>o com um metro de largura
do
Ama
Precisa-se de uny ama j
sano n. 23.
na ra larga do Ro
Ama
Precisa-se de uma ama que cosinbe elave,
para casa de uma pequea familia ; a tratar na
ra do Imperadoj n. 40, armazem.
Ama
cores, de.
Aluga-se
em Olioda, ra do Bomflm n. 3. nma casa
com commodos para familia, perto da estacao do
Carmo e dos banhos; a tratar na ra do Impe-
rador n. U- r :
_ AVISOS DIVERSOS
Aloga-se urna casa em lugar muito ameno,
perto das'ludias dos trilhos de Apincose Ca-
banga, toda reedificada, com taaqu* Tagua su
erior e tedas as commodidades para familia,
prefere-se alugar aestrngeiros ; queu quizer
alugal-a dinia-se ao t aroinbo Novo n. 1*8, qne
se dir quem aluga. Ka mesma casa prepara se
caf on aleos j para a gum pa-sageiro, tendo o
banho de cbovisco para alguma pessoa idnea
qae quizer, se prepara bolos ou pao de-lo de en-
commenda, por prejo commodo.
da Garganta
XAROPE de H*.rt d OEUNOREtMEP. de MBk.
TOBSem um. eficacia lafalUrel vertllcada pelo
fiimbros da Acad.-nila de Medicina di- (Tanca. I---.
i^MorpSin ou Ccdetu., csses productos zn.
nistrao-se com opuaio extto o seguran?
crianzas soffreodo do Tame oa wtcit-Srt.
C$aotttot tm Pifif/lti do l'.une* ltlf-_
/\tten<;o
Alnga-se uma casa proprla para estabelecl
ment, com armacio, em um dos melhores pon
los da freguezia de Afogados, a qual acaba d-
passar por uma grande rectiflcacao ; a tratar n<
pateo da Paz n. 96.___________________
(asa na C apunta
Est para alugar a casa sobradada si-
tuada ra do Dr. Joaqnim Nabnco n. 22.
E' muito fresca, tem agua, gas e todos os
commodos para familia: a tratar com Gui-
lherme Pinto, roa do Bom-Jesus n. 62,
!. andar.
i osinheipo
""Precisa se de um cosioheiro i a tratar na ra
de Paysandu a. 19, Passagem da Magdalena
Fara corinhar
No 3.' andar do predio n. 42 d ni
Duque de t.'axias, por cima do Diaria d
Pernambuco, precisa-Be de uma ama qut
saiba cozinhar bem.
Palha portugueza
jai oalba de railbo para cigarros ; vend
Aluga-se
Precisa-se de uma ama para
prar : na roa Nova n. 20.
cosinhar e com-
Ama
Precisa-se de uma ama ; na ra do Atalno nu-
mero 3.
Ama


na excellente casa, sita na campia da Casa
Forte: tendo bastantes commodos para uma
arande familia, jardim na frente, agua e gaz en-
canados ; a tratar na ra t de Marco n. 11,
Joja.______________________-
Alga-se
Especial palba
o Bazar Pprnambucano,
nuii' ro 30.
para cigarros
ra larga do Rosaric
t
a casa n. 52 a ruada Soledade: a tratar no caes
do Apollo o. 47.______________
Aluga-se
uma boa casa de pedra e caf junto a estacao de
Agna Fra, estrada de Beberine, tendo 2 salas, 3
qWrtos. cosinha, despensa estribaria e banbei-
ro, e sitio com diversas frucieira* ; trata-se na
ra dos Coelhos n H.
Precisa-se de nma ama para comprar e cos
nhar; cm Fernandea Vieira n. 60.__________
Instantnea
Tinta para copia sem precisar prensa, l ins-
to, usoo.
Victoria
A melbor tinta para toda classe de escriptn-
rasao, 1 garrafa 800 rs. e 1/2 garrafa 500 rs.
lluro depositarlo
Eseaty Rodrigues & C, raa do Amorim n^52.
Cautelas do Monte de Soc-
corro
Compra-se Cautelas do Monte de Soc
corro de qualquer joia, brilhantes e ro-
gios, paga-se bem na praca da Indepen-
dencia n. 22 Lja de relojoeiro.
Alugam se casas caiadas e pintadas nos
fandoe de S Goncaio, a 8#000; a tratar na ra
da Imperatriz n. 76._____________________
__ Alaga s? a casa da ra Visconde de Albu-
Precisa-se de am criado activo e
fiel na, ra de Fernandes Vieira, o. 23
Precisa-se de um rapaz para caixeiro de
padaria, que tenha 12 ou 16 annos de idade ; na
raa larga do Rosario n. 46.
Precisa se de nma ama para compras e
cosinna.; na ra Bario da Victoria n. 5, segan-
do andar. _____________________
Precisa-se, coai urgencia, de boas costu-
reiras no largo do Arsenal de Marinba o. *
Preas^-se de um caixeiro para taverna,
qae tenha de 14 a 16 annos, para um arrabalde
desta cidade; a tratar na ra larga do Rosario
mero 27. ___.
Por 400 rs. o covado
Merino de%)res, lisos, la pura a 4< "0 rs. o co-
vado, fazeoda de 1*200; na rna do Ciespo
uumero21.
0 me mor enUtrtclo
m
Precisa-se de um hornern de meia idade, de
asapregada com a
Oontallna
f.ST* SEITUU, TltOiMIM M M OCC
Francisco Nunes Collares
(de Lisboa)
Constando Ibe que alguem se serve do sei
cor pteta. t que entunda de lavonra, para tomar. oome ara Teu(ier vinbo de Collares, dizend(
. conta de um pequeo sitio perto da cidade : a ger exportado pelo mesmo. deciara qne a nat
tratar largo do torpo >anto n. 4, aadar. KT dog mUit0g particulares que fornece directa
mente, os nicos estabelecimentos que venden
o dito vioho de Collares paro de que exporta
dor, e o qual foi approvado pelo conseibo d
sado dessa provincia, cnio documento tem en
sen poder, sao os Srs. Abraotes A C, roa d<
Bom Jess, e Jse Custodio Loureiro. ra d(
Bemfica.. Fat esta declaracao para evitar eqm
vocos e discredito ao sen uome.
Lisboa, 28 de Seterabro de 1889.
Francisco Nunes Collares.
Ra da Atalaya n. 18. Lisboa.
lueFiippe
Barbarel ATonso lindense
b. Iro le Houia
Joo C. Ribeiro de Souza, Victaliano P. lobei-
ro de Souza e Clementina Tbeodora Ribeiro de
Souza, irm&os e cunhada do finado bacbarel
AITOBSO O i tifense Hibeiro le- o
convidam a todos os prenles e amigos seus e
do mesmo tinado, asslstirem as tnissas que,
pelo lepouso eterno de sua alma, serio celebra-
das na igreja matriz da freguesia de -anto An-
tonio, p< las 8 horas da manha do dia 2i do cor-
r nte, se imo do sen prematuro e doloroso tres-
'passo. __
t
Aluga-se
por preco c-mroodo o 2- e 3 andares do sobra-
do n. 35, ra da Impifratriz ; a tratar na rite
do Imperador n. 55, 1- andar, esenptono d
advogado._________^^^ ___
Aluga-se barato
0 1.* andar do predio n. 21,1 rna do Barao da
Victoria ; s tratar na ra do Vigario n. 3i. !:
andar. ^ __ *
Alugim-se as seguintes
ca'sas
ra do Fogn. 50. com deas salas moito boa?*!
quartos e cotinna fra; ra da Roda n. 46, loja
propria para pequea familia : a tratar na ru
do Cabug ai lo A Venturosa ________
Alugue barato
0 2." andar da ra Visconde de Itaparica n. 43
Ra da Bola ns. 58 e 60.
Ra Viscoide de itaparica n. 43, armazem
Largo do Jfcrcado loja n. 17.
Becco downpello n. 1, 1*. andar.
Visconde 4e Goyanna n. 167, com agua e gaz
Loja do sotado do becco do Calabouco n. 4
Ra do Ntsaeira n. 13.
Visconde tb Goyanna n. 163 com agua e gaz-
A frstar arca de Commercio n. 5,1- anaai
esenptorio d* Sirva Guimaraes ce C.
YEMAS
Vende-se ua ridaue dn E.-caria tres tupi
tantes predios, sitos na ni< hor localidade >
commercio : a Halar eoi Afoga Paz n. 3, e oa E ada. com Alfrdo de Azevtd
ampos ns. I, .11 e33.
Aos senhores proprietarios de animaes de
crna, alfafa 8*000 o tardo ou 160 rs o kilos
na raa do Commercio n. 28. Recife._____^_
Oma pessoa que se retira para fra, deseja
vender am sot e um marquez5o por barato
preco ; quera precisar dirija se a ni do Vigario
n.29, andar.
Bom
empreo
j tl-
ele
ea-
Veade-se barato e vSnlade dos compradores
ota excellente cocheira, conteni seis carros,
arreios* fard amentos e 12 ca vatios ; o mOtivo da
-vena se dir ao comprador. Quem a pretender
ou a algum do^dilos carros, pode dirigir-se
rna das Flores 3, typograpliia do I>ario de
Notxias, das 8 as 10 horas da manha, e das 3 as
5 da tarde, qne encontrar com qoem tratar.
Yinho verde especial
tasm ama remessa do excellente Mounsca,
rafes de tres casadas por
ia roa de Amorim n. 0 ;

c#
Meraflm Teixeirav Basto
Domingos Teixeira Basto, tendo recebido a
infausta noticia do fallecimento de seu primo,
compadre e amigo Seralim Teixeira Basto, falle-
cido em 25 de Setembro, oa cidade do Porte em
Portugal, manda resar missas por ana alma, na
matriz do Corpo Santo, as 8 horas*fla manb do
dia 28 do correte, trigsimo do seu pnasamento;
convida aos seus parentes e amigos para assis-
tirem, assim como aos do fallecido.
Confes8a se desde j agradecido por este acto
de religiao e candade.
(bWIBTl
H0*WSL
f^
Y Vnae- ta teda 1 nirti
Di de finados
Coreas mor
gostos e
comprado
Cs,sl
Loja de >
- Vend.-.-c nina 1 sa em Afiliados, na ra
do M-tocolorab n. 23, oiu 2 salas, 5 quarto-.
quintal com arvoredos ; a tratar una velb:-
dt Santa Rita n. 61.
Lanlnata BUirla da Coneeir&o
Manoel Domingues Freir e suas tias, convi-
dam aos seus parentes e amigos e aos da sua
nunca esquecida niai o irma Luminata Maria da
Conceijao, para assistirem as missas que por sua
alma mandam celebrar as 7 horas da manha, de
quinta feira,.24 do correpte, oa igreja da Santa
Cruz, 7* dia de seu fallecimento. pelo que se coB-
fessam desde j sununamente reconhecidog.
f
Bacbarel aiTsbso -tom de OUvel
ra Filbo
A viuva e filhos do bacbarel Aflbneo Jos de
Olivei -a Filho.convidam aos seos parentes e ami-
gos para assistirem a missa que mandam rezar,
na igreja do Livramento, pelas 7/2 horas da na-
aba do dia 27 do torrente, 1 anniveisario do
sea intao^t" paasamento. ____Jl
I
. la
Issaeta Marta Ct
Jlo Zeferino Barbosa convida a aa^H
e amigos para assistirem a missa
eorrente as 7 horas da manha,
Goncaio, setimd^^^^_
relia
isortimeuto magnifico em
com dsticos > vontade do
i sem competoncia,
ladea dk C
iiqe le Caifas n. 119.
aboato
Aluga se z cta da roa Duque de Caxias n
15, railda e pintada, com curemodos para fami-
lia, perto dd r;n o mzoavel; a tratar
no Redfe, d^^^BPo* 45. esenptorio.
i\o commercio.
0 ateixo assignado deilara que nesta data
veodel o sen egtijbi'lecjmento de molbados, sito
ra Inperial-1. i, ao Srs. Pinto A Costa, livre
e desennaraeattade toilo c qualquer ldu. Re
cife,U'eA^^88i>.
^Mnonso de Carvalho.
4
' O grande e importante estabelecimenu, d
Pocas Mendes A C, sito roa estreita do R" -.
rio n. 9, contiguo a reja, acaba de rec !
uma grande remessa acreditado e especial
Vinho Maduro
O nico que, sem a minima confeceo, iu
portado neste mercado, e s se vende no refer
do estabelecimento. Este precioso nctar si
torna cada vez mais procurado aqu. Querett
saber porque ? Vejara : o vinho Maduro, sendi
como feito nicamente da uva madera, ten
as seguintes vantagens que as outras qualidadei
de vinho nao tem ; facilita sem a menor pertw
baco as digestoes do estomago, anda mesnu
o mais enfraqnecido, dando-lhe vigor, pois natn
a olhos vistos as pessoas debilitadas, e di forca:
as qne as tiver arruinadas pelo oso de bebida.'
viciadas.
Recebemos tambera
Requeijao
em latas, de procedencia de engenhos, tojo
propr3tarios capricham em bem trabclhar nestt
artigo, airu de terem a primazia sobre tantot
outros similares, cuja composico dnvidosa.
Em outros artigos. como temene* de kortaUft
e flores, linguas steettt do Rio Grande, objectos dt
vime e tamancos do Porto pan homens e sendo
ras, para isto to pouco tetaos competidor.
aossa casa especialista, e as pessoas que diste
se queiram certificar podem compaiecer, coa.
o que muito nos honraro. Aps uma inri ai _
dade'de artigos de primeira ordem,.que achara
se em exposico, acresce a ameaidade do tratt
com que timbramos tratar todos os que no:
honram com a sua presenca, junto a modicidad*
de precos sem riyaL
Boa estreita da Raaario n. 9. Jante
# sgreja
Pocas M endes & C.
i 4* por 7)5000.
dem idem americano de 8)5 por 5j5000.
AlgiKlo marca T, especial, muito largo,
de 76 por 55000.
Bramantes, pecas, por 76000.
Atoalhadua, lindos. desenhos, duas larga-
ras, a 1(5 e 1^200 o metro.
Quardanapos de 46 por 2)5000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 500 o me-
tro.
Bramanleb de linho com 11 palmos de
largura a 15500 o dito.
Lencos braucos e com barras de cor a 1)1,
e I52OO a duzia.
Toalbas de fustao, qualidade superior,a
35 e 45000 adnzia.
Cretones para co berta a 240 rs.
Uolchas acolchoadas, brancas e de
25000.
Lenooes de bramantes a 25000.
Chales escoceses a 15000.
E outros muitos artigos que deixam de
ser mencionados e que se vendem coa
igual abatimento
Tccidoa de alta novidade
PARA VESTIDOS DE SKSIIORA8
Linhos pardos para vestidos a 300 e 320
Sedas com quadros e lis tras de 15800 por
800 rs.
Setins de seda, todas as
15200 por 500, e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 por
240 rs.
Toaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 rs.
Nonsuks, desenhos novos de 240 por
120 rs.
Cretones claros e escaros com lindissimos
a desenhos de 440 por 240 rs. 1.808
"PECAS!-
Merinos de quadros, grande variedade da
padr5es, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpeo, de 640 por 240 rs.
pechincha !
Fustoes de cor, de quadros e outros dse
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs
Sedas Felippinas, de 500 por 200 rs.
E. muitos outros tecidos para vestido, .
em algodao, linho, la e sedas qne se vea-
dem como o mesmo abatimento de 50 e]t.
Confeeeie
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de 805 por 55 e 305.
Ditos para armar de 65, 85 e 105-
Ditos brancos bordados em cartao, alia no-
vidade 85e 105.
Guarnides de colariuhos e punhos para
senbora por 15 e 15200.
Capotas (preparadas na corte) de 205 por
95 e 105
Collinias e punhos para menino de 3 a
annos.
Veotuarios e roupinhas para enancas, por
55, 65, 85 e 105, e Jersey, casemira
de brim.
Salas Imrdadas a 26 e 35.
hnxovat.- para baptisado coai collares ele-
tnciib por &6.
Luva de seda meio b-a<;o e qualquer ta-
uianho a 15500 o par.
dem dem de Escocia a 15 e 15500.
Sobretudos impermeareis de borracha de
7t*5 e 805, por 305 e 405.
Capas e pellennas de cachemiras ottoma
na ricamente enfeitadas de vidnlhos a
255 e 305.
dem idem de renda, seda, damasco e
gurgurao, tanto para phantasia come
para commodidade a 385 405.
Velludos de seda e algodao de militas > co-
res.
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de seda, algo-
dao c linho, com nm metro de largara.
Setins Maco de todas as cores a 750 e
800 rs.
E muitos outros artigos de confecc&es
como sejam mantilletes de blonda, sahidaa
de bailes, leques transparentes e de phan
A o 9ptt 111 ere 1 o
Vin^ Carroll & C previnera ao coromi
gado d
Fruoei*co de Souza, deede
que ddpottc mm-gado desea estabeleci-
mento
o dia p de
avajTaTsaros a oavaii
GyfiHTO STEVEfIS
udKV) a cauterisurao dodJuvaUoa
liado e o anteo
flcaz uara curar todas
1 ana a eall. UtrauhiM di
vk I ii Mri'l O nao. a*
W xito ea todas as
iKlatrr Bmrtpa
expil
Jor.
mi(lna
Atten^o
Vende-se por barato pre< o duas vaccas da Ier-
ra, sendo uma solteira e nova e outra parida de
Kuco : a tratar no sitio Camod, na estrada de
lo de Barros, das I oras da tarde em diante.
taaia, e outros mmtos mais, que se ven-
dem com o mesmo abatimento de 50 *]B.
Para hornea^
Casimiras inglesas eom duas larguras, de
35500 por 15200.
Ditas cor de caf e azul, de 25500 por
800 rs.
Cortes de seda paracolLete, de 125000 por
35000 e 35500.
Ditos de velludo e fustao a 15re 15200.
Meias inglesas com 0 de seda, de 125
por 65OOO a duzia.
Paletots, de 75 por 45000.
Camisas com um pequeo toque de mofo
a 156CH>uma.
.Collarinhos, modelo moderno, a 55000 a
duzia.
Camisas inglesas com collarinhos e pu-
nhos, sem collarinhos e sem punhos a
365000 a duna.
Brins pardos de linho a 240, 280, 320,
30e400rs.
Dito branco de linho n. 6 a 15200 a vara.
Lindos cortes de casimira ingleza, de 6^
85, 105 e 125 a 45, 65, 85 e 105000.
Sobretudos impermeaveis de borracha, para
homens, de 705 e 805 por 305 e 40#.
Ceroulas francesas, de 385 por 24500
a duzia.
Paletots de seda, completos de feitos i
casemira, malas para viagem, e boleas e
tapete e um completo e variadissimo sor-
timento de cheviots, casimiras francesas,
inglezae, pretaa e de cores de padrees in-
teiramente novos e que se vendem coa
mesmo abatimento de 50 *i de seu valor.
Reg albos
Aproveitem a grande quantidade o
pelos precos, tta sedas preta e de core,
gorgorees, setins, las, merinos, sephyroa,
linhos, chitas, madapoloes algodaosi-
nhos.
E mnitas outras pechinchas qae s
aacontrara na
i
' i."


.
'-,

l
*i


23 i\e Outubro de 1889
Qual lioje a mellior cousa doBr^dlII
EIT0R1L DE GAMBA1A
E POR QUE ?
5
respiratorio: tosse de quaquer especie, coryza,
sabor, qualidades que o tornam
\
Porque cura de urna forma rpida e radical as molestias do apparelho
reuquidao, a'sthma, bronchite, coqueluche, laryngite, tisica pulmonar, etc.
Alm d'isso, o Peltoral de Cam>ar de ama appareneia agradavel e delicioso
am remedio preferido para as crianzas, senhora* e tolas as pessas de palladar delicado.
Est approvado pela Exma. Junta Central de Hygiene Publica, auctorisado por decreto imperial, premiado com duas me-
albas de ouro de Ia classe, rodeadoj-dos melhores attestados mdicos, de in omeros certificados de curas importantes realisadas
esn toda parte.
jrarantia do lar domestico!
' Keroene lnexplaalvo vor-
dadeiro
que vendem pelo commodo prego de 4000 urna
lata cnm ffi garrafas 11 Guimaraes & Valente,
Corpo Sonto- n. 6.
Sement de, carrapato
Compra se em grandes e pequeas quantida
'des e pelo .maior preco possivel ; no armasen
de mercearia de Gome3 Alves 4 C, ra Vida
de Negrein n. 6, aotigo pateo do Terco, o
na fabrica-de leos vegetaes ra da Aurors
numero i68.
Canarios belgas
Chegou grande quantidade destes bem conbe-
cidos canarios, para a ra Barao da Victoria n.
60, aonde se vendern a 5*000 cada um.
Vinho Collares
E^CADEffiVACAO MRANBit
, 89-RUA DUQUE DE GAHAS-39
te antigo estabelecimento, hoje completamente reformado com machios*
mais aperfeicoadas e movidas a vapor, acha-se em condicoes de executar quaquer
trabalbo em
0 PECTORAL M CAMARAS^E REMEDIO GARANTIDO
Por isso, precisa hacer todo o cuidado com as falsificac^ies e imitacoes : o verdadeiro que fabricado
leeimento agrico-industrial do PARQUE POLOTENSE, expressamente creado para esse effei o, em
raude do Sul, traz, alm da marca da fabrica, a firma de seu autor- e manipuladorI. Alvares de Mouza Soares
genuino
Em anoortas
Onero superior, remettido para consuno
no -ande estabe-' Particnlar, por prego sem competencia. Vende
largo do Corp
Pelotas, proviteia do Rio nn^phe da Conpanhia,

23
Vndese em totas as pharniaeias e drogaras
Presos: frasqps 2#500, 1{2 duzia 13^000 e duzia 24#000.
SAO ASENTES E DEPOSITARIOS 1JKH A ES
FRANCISCO MNOEL O A SILVA efe C.
?^ BPESAi DROGARA m
lina Marauez de Olinda

23
?
A I\OTRE
Casa para alugar
Terrea, fresca, com agua, roa do Paysandt
(passando a ponto no Chora menino) n. 11; t
ratar na raesraa roa ti. 19.
Attenfdo
Alfredo los AI vas de Carvalho, antigo e ce
nnecido barbeiro e cabelleirelro. participa ao
sens amigos e fregueses, que acba-se estabele
cido na roa Duque de Cavias n. 31, onde pd
ser procurado para os mis teres de sua roh's
sao. esperando de todos a protceco que sempn
lhe ta dispensado.
Cartas, rcemoranduns, recibos, circulares, memoriaes, despacho, carites.r
ndicacSes, mappas, preos correntes, acetes, bilhetes de loteras e rotul>s de toda*
as qualidades em preto, ouro ou cores.
.www
Brochuras, cartonados, encadernacoes, livros em branco para o commere* e
eparticoes, tendo para este fim urna excellente machina de pautar.
CABT&ES BE VISITAS
Cariado sortimento em carttes para visitas, participajSes e convites de "lini-
mento, bailes, menus, elicitaches, etc., etc.
Livros de recibos de aluguel de casa, papel de impresaao, tincas, vernize *
mais artigos para typographla e Uthographla.
Manoel J. de Miranda
TeJephone i94

Olinda


Os proprietarios (leste novo estabelecimento pr^vinem s
E\mas. familias ao respeitavel publico, que acabam de receber
um grande e variado sortimento de novidades do melhor gosto
parisiense, que sero, em vista do estado favoravel do cambio, ven-
cidas por presos excepcionaes.
Todos os dias das 8 horas da manli*s S da noite.
Aluga-se urna boa e fresca casa em Olinda, a
roa de S. lenlo n 65 com grande quintal plan-
tado e limpa; a tratar na ra Velba n. ioO.
Attengo
Precisa-se de um bom cozinheiro ou co-
sinheira, de urna engomraadeira perita
para roupa de hornera e senhora, d um
criado copeiro e de um feitor que entenda
de jardim. Agradando paga-se-lhes bem,
a tractar na ra do Brum n. 96, armazem
de assucar.
Olinda
Afinador de plano
Pode s( r procurado rea do Amparo n. 50
ou a ra do Sol n. 14 ; e tambem para qaalquer
cidade do centro.

PAUL JllLLliN 16JDNTIAOL0DRE!
m&t
J3T5
NBIAN
GRAXA LIQUIDA IMPERMEAVEL\
EMPEEGA-SB SEM BSOOVAS
O magnico LUSTRO d'esra gr-axal
Gonaervi-sQ durante urna aeaaana,
eeja qual fr o tempo.
UAL mu RAL GLOSS Gamma lustrosa tlastica para as Botlinas das SinborasA
PASTA UHCi(JOSA, em caizas de tolh?. de landres, tal qual)
entregue ao Exercito lnglez.
T" NUBIAIM MAMUF1 COMPI L>. 0 S. HOI.V Ltlf. LONORU O,
l Wt Aijentff gmea em PERNAMBDCO :
HSM Guimarass A Perman.
rnje
'VrBiZIL'A',*:
:

i
Tenho a honra de participar bo respei
lavel publi-o e especialmente aosmeus fre-
guezes que mudei a alfaiataria da ra da
Emperatriz para a do Ba.rao da Victoria n. 50,
nde com mu-ta satisfaga! espero suas or-
s
ovado.
o dito.


Pereira k Magalltes
ecebedores directos ds mercados estrangeirs
50--Iina Diiqoe de Caxias-51^
uidam os sefoJate artigos eoH deoooato de 414 O/O
?cadas em grosso
Superiores percales para vestidos a 200 e 240 rs. o
Cretones suissos, nos, quasi 1 metro de largo, a 2
Baptistas de cores e lisas 100 e 120 rs. o dito.
Brim pardo trancado superior a 260 rs. o dito.
FUnella de cores para camisas a 280 re. o dito. -
Renda heapanhola a 20800 o metro.
Bramante fraacez a-800 re. o dito, 4 larguras,
dem de puro lmho a 1 Pannos de cores para mera a 1(5000 e 4Q0 o covado
Meias-casemiras, duas larguras, pretas, a 860 rs. o dio.
Casemira diagonal, idem a 15400, 10800 e 2$tXK) o dito.
Cheviot preto e azul, idem, a 2(5000 e 30000 o dito.
Tapetes avelludados a 140000. 9
Cortinados bordados, ultimo gosto, a 60000 e 80000 o par.
Lencos de linhos a 20500 a duzia bonitas cairfnhas.
Meias inglezas e nacionaes, para homem, a 20500, 30090 e 50000.
Camisas idem superiores a 280000, 300000 e 360OOQ !? duna
Ceroulas bordadas de bramante a 190000 e 160000 ifl|ita.
Toalhas grandes para rosto 40000 a dita.
Madapolao americano cam z4 jardas a &0o4.xj e n> mu, %
Cambraia Victona e- trasparente a WgOO e 30000.
dem bordada branca e de cores a 4pj00, 12 jardas. y^ '
Cortea de seda para oollete a 40000.
dem de meia-casemira para calca a 10500 e 10800.
dem de cretones, novidade, com figuriso, a 80000.
Guarnieres de crochets para sof e cadeirat a 60000 o 80000.
Colchas de crochets a 70000.
dem de fustao de cores a 20000 e 30000.
Cobertas de ganga, forradas para casal a 20500.
Lences de bramante idem j- 10WX).
Cobertores, de 1S, superiores, a 50000 um.
Chales de 13 a 10500, casemira 30000.
Fichs'e mantilhas a 10000, 10'00 e 20000.
Fustoes bordados de o6res e brancos a 280 e 360 rs. o covade.
Linn branco para noivas a 500 re. o dito.
Setins de todas as cores a 800 rs. o dito.
Hargelins de cores, diagonal, a 200 re. o dit".
Sortimento completo de merinos pret s e brins para lutos, caaemiras preta
lanellps aznes e mnitnn prtgrg vprdd irah p.. l.iiiba*.
59Ra Duque de Caxias59
20Roa 1. de Marco20
alenda hespanhola, todas as cores a 20000.
Oachemiras liras, duas larguras, a 10000
o covado.
Jache mira de listras, Jduas larguras, a
a 10000 o dito,
richs de 18 bordada a 10000 um.
Jambraia Victoria a 20800 a peca.
Jambraia com salpicos a 30800 a peca,
leas eom lencoe, para presentes, a
30000.
Uvas de seda a 10000 e 20500.
lanellas de coree f ara camirae a 280 re.
o covado.
Jolchas le oree a 20000 e 20500 ama.
Sspartilho couraca a 40000 e 50000 um.
tamisas brancas a 20000 urna..
tfadapooV) americano a 60000.
roalhas para banho a 10500 urna.
tamisas de flanella a 3|500, 40 e 50000.
ixtrato Bita Sanfal a 20000 um.
Dito Port-Voine a 106O(f ,om.
7elbutina pa4* 700 re. o corado.
Upaca branca a 400 rs. o dito.
>ita preta a 300, 500 e 700 re. o dito.
Panno da,Costa para meza,
itoalhado bordado a 10000 o metro.
Grases arrendada a 400 e 440 re. o covado.
ences de bramante a 108(0 e 20000 um.
Cobertores escaros de 12 a 10700 um.
Toalhas para rosto a 305dO a duzia.
fortes de seda para collete a 49000 um.
Jortes de fustao para collete a 20500 um.
laptista de cores a 120 re. 9 covadoi
Etamine lis& a 500 rs. o covado.
Sargelins, todas as cores a 200 re. o
covado.
Lenco3 brancos a 10200 e 10800 a duzia.
Ditos de seda com a Torre Eiffel.
Tapetes grandes a 130000 um.
Guarnicao de crochet a 70000 uma.
Merm preto a 800, 10000 10200, 10400
10800 o covado.
Leques transparentes a 20500 um.
Cortinado bordado a 60500 o par.
Fustlo de odr^para roupa, a 800 re. o
covado.
Bc.hi Brancos e de cores a 10800 e 20500
!4ehes de fustao a 40000 uma.
bretones a Derby Club a 240 e 280 re.
ovado.
Fuatao branco a 360 e 600 re. o dito.
tlrinalda para noiva a 70000 uma.
Coarinhoa e punhos de celluloid.
fletas, todaB as cores a 800 re. o'covado.
Lis amazonas a 400 re o covado.
iHtots de seda palha a 80000 um.
Palitots de alpaca preta a 40500 um.
Palrtots de toile pardo a 40500 um.
Palitots de alpaca de cor a 40500.
Ceroulas de bramante a 150000 a duzia.
Pecas de esguiao de algodio a 30500.
Gruardanapos de linho a 20200 a duzia.
imbres para homem a 50000 e ,60000
Meias fio da Escocia a 10500 o par.
Brim pardo a 280, 320, 400 e 500 re. o cov.
Cachemira de quadro a 280 re. o dito.
smante de lmho e de algodio.
OleodeFigadodeBacalhau
do x>r roucoux
lodo-Ferrugtnoso He Quina e Casca le Laranja amarga
Este medicamento acil de tomar, nao provoca nauseas,
i e de cheiro agradavel. Pela sua composicao, possue todas as
I qualidades que lhe pernittem combater :
a ANEMIA, a CHLOROSE, as AFFECCES do PEITO
a BRONCHITE, os CATARRHOS", a TYSICA
a DIATHESE.ESTRUMOSA, ESCROPHULOSA, etc.
Em vista do seu emprego fcil, da sua aeco multiplice e
segura, da economa para os doentes, os mdicos receitam-n'o
| de preferencia quaquer outro medicamento similar.
DEPOSITO ERAL s
PARS, 209, ra Saint-Dente, 209, PARS
'VEKDea-se u tods as principaba pharmacus do cnvsaso
BtecoNFIAR DAS FALSlFICACOES E I M I T A Q O E S
'

a
tferina de cores a 440 re., duas largaras.
Para banhos salgados
'ostume' para senhora a 100000. I Ceetames para meninos a 50000.
Ditos paia bomens 80000. j Dpiaii de palha para o mesmo fim.
ESPECIALIDADES
>uarda p para senhora 100000. Ed-p para homes 60000.
tieos cortes de casemira para calcas. | Lindos cortes de casemira paia costumes
Extrates, meias, entre-meios bordados,,"baleias, aspas, sabonetes/collarinhos,
lunhos, regatas, principe de Galles, cretones. para cobertas e outros muitos artigos
D-se amostras sem peabor e manda-te levar' quaesquer amostras em cass
tas flamas, familias
CASA DE C0NF1ANCA
BE
I
1^
AMAR AL &.O.
-
Grageas Deriazire
ro^raulma x>*lat InapaotoT^ <& Hyolant do 9
AUWOd
CASCARA SAGRADA
Varttodairo Rtaedio
ucotn a Primeo oto Vmntre ^fl^^J'T-'
l_aa
sssD
lODIHKTQocFERRO'ttSCAU
O ouua motivo do* -Faa i u$ >
trio produMlado a Prim&o oto Va
BIC10 GEBAl
aLLHFATR5ail !C.
M;.ohina> a vap. .
Mwfuia-.
Rodas d'affua.
Tarcas fi
^tidas.

FNDICAO DE SINOS E BBONGE
DE
LUIZ D4 CRUZ MESQUITA
66ra do Baro do Triumpho6
Vem para vender o seguinte:
naehlatas de cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
Alambiques de cobre do antigo e novo systema com esquenta garapa.
;.

Merpentlaas de cobre e de estanbo.
Carapaeas de cobre.
'rallas, taixos e caldeiras de cobre.
Bombas de todas as qualidades de repuchos, aspiraates~e continua*.
Teraeiras de bronse e madeira de todos ob tamacbos.
Canos de cobre, de chumbo e de ferro.
Repartldeiras, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro eatanhada
Cobre em lencol e arruelas. ,
Sola inglesa e do Rio.
(adiabas patente e de lapis.
Nios de 1 libra at 110 arrobas. .;"-i
muitos outros objectos
ENC ARREO AM-SE de quaquer concert e obras deencommenda, garas
V'liDE a praso ou dinheiro com descont.
. 4
MEIO-SECLO DE XITO -* 5 PREMIOS
29 Medalhas de Ouro e Diplomas de Honra
HORTELsOBPIEHTA
RECOMMENDADO
INDISPENSAVEL
durante a estafo calmosa]
EXCELLENTE
. TUSBZM FAKA A
Toilette e os Dentes
PARA CURAR AS
Indigestos,
Dores de Estomago,
do CorafSo. dos ervos.
a Cabaos, ato.
Grande Preservativo tos tempo de Epidemia
Fabrica em LYON, 9, cours d'BerboaTillc. a,vsT>eNaMT\ffevS>Sva> Casa em PARS, '41, r Ricfaer.
EXI61R 0 NOME DE RICQLS RECUSAR AS FALSIFiCftQES
BSJMiat n rernamhuco 1 FBH" M. la SUTA P* 1 m toda; i Piumadas Drogiria acriiliUia*.
digestOes
D1FFICEIS
Oyspepsa
Ptria
de Apoitte]
DOEKCASdoESrOMAGO
ELIXIR GREZ
GASTRALGIA
ANEMIA
Vmitos
Oiarrha
enronica
TNICO DWaCaT'lVO com. QUINA, COCA e PEPSINA
ADOPTADO tt TODOS os HOSPITASS Sfaofalfias a Ouro a Diploma de Honra
MAM atz. w,riu arwrire. e es> twsse a FkartiicUt |
Si
Curados-pelos CIGARROS EBPI,
P
A.
Ovvreaa&ea Toase E>efuno 7.'' ff
v'"' \
VI'
UCWmllO PULA lltSi'fcl.iLUUA USStWUHfc UU kUt-tilV lJ I.UAU.
Aspira-se a tumaca que penetra no pelto, acalma o sysUma nerruo,
facilita a expectorado e favorisa as funcl'&esdos oreaos resplratfaoB.
Venda am atacado, J. E6PIC, 20, ra Gt-Lazara, em Paria. Mxtjo-- asta oMter--
*m Hratmu : FUMO U. da SILVA. Cs. s sas rro*fm ri.nus s u. ..
03 MDICOS SDBSTITEM COM HUTO
OLEO de FIGADO de BACAIH0 asstm eemo o VINHOdeQUINA
LIXIR DUCHAf
COM EX f.i ACTO OE FI6A0 E BACALHAO COi QUINA E
tto UKM CAO um* poderos
tcotnpuruvel Coriuv.tii


[ I
ttranco,

enmt
larris uma s cor com
branco, preto com todas as corea 10200:
s abantas fanf azia de urna s cor e
j^faaz a 400 rs.
roaiie coai ramajeos coi es claras a TOO
1 es escuras a 400 rs.
Casemira escaras fantasa lisas ou coco
ramagens a 300 e 40< >
^^pdos fantazkv em quadrinhos, cores:
, aaul claro, marinho, cafa> e matiz,
ts coraramagencoros claras a 500 e
600" rs.
Nanzuc com lindas cores e deaenhos 240 rs.
Tecidos de linho em listas ou quadros ta-
zenda muito larga a 500 rs.
Cortes de vestidos de casemira bordados a
204, 25*6 30,5.
[pstidoa brancos bordados para noivas a
mefwe 205.
Cortes do linho de quadrinhos com 16 Ij2
vados a 4$.
Xoyidades
[osquiteiros americanos coma:
12$ e 15$.
Sabonetes para sardas e pannos a 500 rs
Pentes fantazia para enfeites a 400 re.'
Fichas prateados e donrados a 800 rs. 4
15000.
Bordados com 4 Ii2 metro
e 15200.
Grinaldas com ricos veos para
75, 105 e 155.
Cortinados bordados para cama ou janel-
las 55500.
Cortinados crochet de cores cm peca a 15
e15500.
Luvas de seda pretas e de todas as cores
15800 e 25.
Colxas -de fustao de cores a 25 e 25500.
Bramantes com 4 larguras puro linho a
15600 o metro.
Espartilhos inglezes desde o n. 40 at 80
centmetros de grossura.
Bioos e rendas para enfeites de vestidos
> todos os precos.
Caaacos de Jersey tecido de meiaa 56.
Fazeadas Baratas
Chitas claras finas e seguras a 200 rs.
Tecidos de linho lindas coi es a 120 rs.
Casan de urna s cor a 100 rs. ou 15500
l^a peca.
Baptistas miudinhas cores finas a 120 rs.
Brim pardo para roupas de meninos a 24'J
res.
Esguiao pardo infestado para veitidos a
300 e 320 rs.
Morim das Listas Azues 20 varas a 65 a
peca.
Madapolao com 1 metro de largo a 45a
peca.
Morim lavado pecas eoni
i 35500 ou 75-
AlgodSosiaho a 35200 a peca.
Lencos finos a 15600 a duzia. ,
Guardanapos superiores a 15800 a duzia.
Atoalhado bordado a 15 o metro.
Panno da costa para mesas- de jantar a
15000.
Toalhas felpudas grandes
l.borlbda, e casaco-
Cambraia Victoria a 25600 a
Crinolina de cores a 360 rs.
Sargelin* finos* J60, 180 e 200 rs.
Baleias furadas a 340 a duzia.
Fitas de sedas de listas diferentes largu-
ra e cores a 400" 600 rs.
Loques transparentes lindos desenhos a
15500 e 25.
Contas lapidadas todas as cores a 500 rs.
o maco.
Retratos cm tamanko \atural
Qualquer familia que desejar possuir
um lindo retrato em sua sala de visita,
u mesmo para um presente, bastante
mandar um retrato pequeo em cartao, e
dicer a cor dos olhos, e do cabello, para
chegar um lindo retrato
Por S5 rom moldara
Para fezer encommendas dirijam-se
A' Loja das Listas Azues
JOS AUGUSTO DAS
em fa-
0 de Paris, pede a
iit'-r.cito das xmas. familias.
Ricos cortes de Casemias bordadas a se-
da e 13 de 805000 305000 e 405000.
um.
Ditos bordados de lynon de 185000 a
125000 um.
Enxovaes para baptisalos, a 65, 85000,
105000 e 125000 um.
Grinaldas com veo par, noiva a 85000
urna.
Ricas lSs com listras de seda a 400 rs. o
covado.
Ditas de quadros a 900 e 240 rs. o co-
vado.
Zephir de quadros, modernos, a 120, 140
e 200 rs. o covado.
Cortinados bordados paia cama a 6500" o
par.
Lindos fich teado a 15000 um.
Luvas de seda, todas as cores, para senho-
ra a 15000, 15500 e 25000 o par.
Saias bordadas para sen hora a 35000 urna,
para acabar
BiwBaaoB e entre-meios a 500, 600, e

enanca.
120
10
ou 20 varas
BD rs. a peca.
Espartilhos para senhora 45000, fcJOOO
e 65000 um. r!
Cachenez para homem e seafcora a 15500
e 25OOO um.
Costurnea de Jersey pa-a crancas de 4 1
5 annos a 75000 um
Caaacos de Jetsey para senhora, ultima
moda a 65000 um.
Pannos de crochet para cadeiras a 600 rs.
um.
Lenco] de Dragante a 15800 urna,
Cobfcrtas formas para casal a 25500
urna.
Colchas adamascadas, todas as cores a
25000, 35000, 450X) 55OOO e 65000
urna. 3
Cortes de fustao para colle'te a 500 rs.
um.
Ditos de velludo bordado a seda a 25000
um.
Toalhas brancas para
160 umt
Cretones de todas as cores a 200, 240,
280, e 320 rs. o covado.
Cobertores brancos de 12 a 25000 un.
Madapolao americano com 1 metro de lar-
gura- com 24 jardas a 65000 a ^>eca.
Lencos de linho, a 25000, 35000 e 45000
a duzia.
Ceroulas francezas, a 15000, para acabar.
Lencos para enanca a 15200 a duzia..
Grande sortimento de casimira para cos-
tumes, precos muito resumidos, assim
como aprompto-se um costume em 24
horas, para isso tem perfeitos officiaes.
S na Revoluto
\ -na Duque de Casias a. I
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
Vmho puro de Santarem
Oa quinta do Barral
Os proprietarios do Armazem Central, ra
do Cabug n. 11, avisara aos seus distinctos fre-
guezes e ao respeitavel publico que receberam
nova remesas oeste especial vinho, o qual se
recoraineoda por ser puro da uva, e s se rta-
los em au armazem.
Joaquim Christovlo & C
a presos
garantindo a/ba
artigos abaixo
riado.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot.
Dit>para machina.
Azeite de cco.?
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosiveli
Potassia da Russia empaixa
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttsnd.
Graxa em bexigas.
Ra do LiYraiiiento n. '38
_ Telephone 316
HiHDOiS DGITAS~!
francezes, os melhores qi
teem vindo para o nsso mer
cad, de loo folhas a 1#4
de 2oo ditas a l#6oo, de 25
ditas a 2$ooo, de 3uo ditas
2$5oo, de 5oo ditas a 3#oo de 75o ditas a 3$5oo, d
l.ooo ditas a 4$5oo, fo:
encadernacao de couro e
no na
RAWHA DAS FLORKS
Roa do Baro da Vieloria d. 41
Fazenda de criar
Vende-se urna propredade nesta provi
com duas leguas de Ierras, demarcadas,
tando com o serto do Cariri, e Das mel
eondicoes de criar gados. Tem trras propri
para plantacOes, e urna extensa Tasante ma#
gem do rio para cultivo de canoas, fructeiras,
etc. A industria pastoril presentementaJ
maior vontagem : refazer gado ter o tripH
quadruplo no praso de dous a tres annosj
pretndeme, se Dio for pratico, se facilitara
[os precos abaixo mencioi
China, fazenda de phantasia,
vidade, a 240 rs.
China, a 200 rs.
arrendados, o que ha de mais no-
a 800 rs.
fiarios jersey, ultiflaa gosto,
! 25000 ^.. *
Renda oriental a 500 rs. o covado.
Cretones para coberta, 500 rs^ ovado.
Pannos de crochet, todos os tamanhos.
Madapolao largo a fOOO.
fPUnelIa azul, muito lisa, a *52O0 o co-
_ vado.
Fichs de phantasia a 15000.
Luvas de seda a 25000 e 35000 o par.
Guardanapos a 15600 a duzia.
argelina de qualquer cor a200 rs. o co-
vado.
Grinaldas para noivas, [cousa chic e ba-
rata
iKunzucks, grande soitimento.
Cambraia Victoria e transparente a 25800
a peca.
Cortinados bordados a 65000.
Flanellas para camisa a 320 rs. o corado.
Setins, qualquer edr, a 800 rs.
Banda da China a 200 rs. o covado.
JastSes brancos a 320, 400 e 500 rs.
ment de setins lavrados a
covado.
a 400 rs. o metro.
Ka 160 e 200 rs. o covado.
, sortimento grande, a 500 800
PJcovade.
suissa, a 75000 a pe9a.
cm salplcos brancos e de efires
POOO a peca.
s e ntremelos a 600, 800 e 15000
peca.
neos de seda, muito bonitos e baratos:
chemira oombinacao com listas de seda
o covado.
mante de qutro larguras a 800 rs.
vari. W1
Mantiltjas pretas a 45500^
hado, lindros padrSer'a o metro,
fes com couraca 45000, 55000 e
P FOLPSTIM
A
PBMEIRA PABTE
CONDKSSA DE FUKZ1KRS
( Continuaco do n. 240)
vn
Poeto que nio conservasae mais do que
ama esperanza,-esforcava-se por apoiar a
tranquilhs&dora opiniSo do velho contra-
taatre, citando numerosos exemplos de
sangue fri e habilidade de Kervor.
O nome de Gustavo estova sempre nos
.seas labios e .sempre acompanhado por
elogios pateroaes.
Herminia nlo se cancava de o ouvir.
Edith estimava-o principalmente pelo
Mhn que fazia sua companheira.
Petras Castellot preenchia assim as in-
tenc^es do seu amigo, com urna abnega-
pft-e dedicacSo, de que pessoa alguma
nspeitova a grandeza.
Emquanto aos senhores JoSo Bredette
i Belmas, o naufragio da Alerte e do
Vdaireur fizeram com que voltassem so-
bre si mesmo.
Come eram obrigados a faser justiga ao
talento de Kervor, chegaram a telicitar-se
de todo o corceo, por terem to pruden-
temente renunciado famosa expedico
aos Mares Glaciaes.
lette, framente irnico, excla-
Telephone 447
Oliuda
Vende-se barato, mesrio a praso, ou pe mu
ta-se por casas pequeas, em qualquer dos bair
ros da cidade do Recife. a casa do Varadourt
d. SO, lio.e ra Coronel .loaode S, com commo
do para numerosa familia, a qual tem 2 portal
e 2 aoellas de frente, i salas. 6 quartos espaco
sos. gabinete e cosinba fra, bom quintal todc
murado com alguns arvoredos, agua de cacim
ba muito oa. e portao para o becro da Poeira:
a tratar na ra Direita n. 45, sobrado, Recife.
Superior vinho de Al-
cobaca
0 acreditado e antigo armaxem do Lima par-
ticipa ao publico e aos seus fregueses que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
vinho, escolnido propri&mente pelo chefe desta
casa, tornndose recoinmendado por ser puro
e de boa qualidade. Jos Fernaades Lima & C,
ra Barto da Victoria numero 3, Telephone323
dos os meios de fundar a fazenda : a trat
caes do Ramos n. 24-A, onde tambem se ve
dous burros novos.
IRMO
CiRDOZI)
A BA BARAO DO TRroMPB|
N. 100 A 104
Tem para vender tri-sulphi-
to de cal, que nao s faz ajve-

Colchas braacas e de cores a 25, 35000,
45000, 51000 e 65000.
P sortimento de fichs de cores para
todo prego. -.
Cassa baptista a 120 rs. o corado.
Chitas brancas e escura a 240.n.^ so se
vendo a boa qualidade.
Cretones muito bonitas a 320, e 40O.rs. o
covado. 9 I I v
[leias para homens, senhom je criancas,
grande sortirneta. ^
Comisas de meias a 150^0.
Grande settimento ein merinos pretos.
Cortes fde fustao para coleto, afta novida-
de, a 15000.
Camisas de flanella franceza a 35000 urna.
Brim de linho de cor a 500 e 600 rs. o
covado.
PARIZ KAMERIGA
AZEVEDO, IBMaO & C.
16Ba do B. da Victoria16
200 Telephone200
Tendo recebido directamente da Europ.
grande swtimento <&Bendas e modas
que ha de mais novtBf precos senl core
potencia.
A saber ;
Capas de surah, eeada e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamins, prctoa, de 12 e 12 seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 15000 e 15201
Crinoline preta e branca a 400.
SargeUm, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 15500, com 11
palmos.
Toalhas para banho a 15000 e 15500
Chachemiras com 2 larguras a 800 rt
ttaa de la e seda 2 larguras a 1500G
Madapolao trancado a 95000 a peca.
Dito globo a 75000 a dito
Dito camiseiro a 75000.
Dito B6a-Visto, verdardeiro, a 65000.
Fichas de 12 e seda 15000.
Brins de linho coles fixes a 600.
Espartilhos couraca a 45000 e 61000
Colchas de fustao a 25000 e 35000.
Capellas para ueiva ceta veo bordado <
Toalhas de corea para rosto.
^Rendas. CQmprimeuto de saia a 15501
Hkda de 12, preta, para^aresma.
Pao verde pan bilhar.
Tapetes parl'la 1
A verdadeira^steira dsj brro de sal*
a 15000.
Camisas de flanella a
Cortinado de crochet Ka cama
105000. ^
Chitas de cores a 200 rs.
retoes com 2 largaras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 15000.
Extracto Rita Sangal a 25000.
Velbutina de quadi* 00 e 15900.
GuarcigSes, pretas,' d.vidrilhos.
Bicos de seda, branorM
Caixas com extractse a presentes.
Rendas hespanhola a 45
Capachos de coco.
Luvas de seda a 2500fJ.par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para nM
Vestuarios para baptisadl
Colchas, de crochet com n res.
Crep inglez para enfeito'
Grande sortimento de chapeos de so
Setineta para coberta a 60 rs.
Cortes de collecte d seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
000'e,<
Tapetes para cama, sof e porto; barato !
Velbutinas, qualquer c*j 0 rs.
jar mUltO maiSdi SSUCar, COf Cassinetos, muito bonita, a 400 rs. o co-
mo evita o grande gasto de
cal no fabrico
Atter
Vende-se orna Uverna bem afres
ama das primeiras roas desui cid
na ra nova de Santa Rita n. 63, 2-
6 horas as 10 da manba, ou das 3 asi
Vende-se
Yvon de Kervor encon-
e a gloriosa morte com que
nin.o aolm
Foram mirar-se no Mediterrneo.
Nos fns do invern, quando a condessa
se resignou a receber o visconde de Gla-
ville e o seu ofBcial de escolha estavam
novamente no seu posto, no salao.
Confirmava-se a noticia da perda total
da Alerte e do E'tlaiirewr.
Baleeiros hollandezes tinham encontra-
do detrictos de um grande navio as cos-
tos da ilha Jean-Mayen; pescadores irlan-
deses apresentovam entras provas do mes-
mo genero.
O mestre Concarcet, nesta parte, de ac-
cordo com os jornaes de Tooion e Brest,
pretenda que era dever do ministro en-
viar um navio procura da expedico.
Importova saber toda a verdade.'
Todas as noticias dos baleeiros e dos
pescadores de bacalho eram vagas e con-
tradictorias ; prova veintn te mentiam.
A Alerte e o E'daireur invernavam, tal
ves, tranquillamente na Groenlandia, ou
em paragens desconhecidas ; mas, no caso
de naufragio, nlo estova perdida toda a
esperance de salvar ao tenos urna parte
dos marnheiros. r*
Edith, em presenca da triste Herminia
e de Petras Castellot, fes o juramento de
que o fatal mysterio seria descoberto, ou
entao, que ella perecera neasa missao.
A expressio parece u ser exagerada ao
moco sabio.
A propria Herminia nlo couiprehendeu
a intencSo de sua mdrinhs f s o ve-
lho Pedro Concarnet adivinhou o seu pro-
jecto.
Ora ainda bem, senhora condessa,
disse elle; espero que nSo deixar em
trra um antigo msrinneiro, que tem me-
nos cabellos brancos na cabeca do que ra-
sSes para se deixar esquartejar por sua
causa e pela daquelles que estima.
Mea vlente Concsrnet, respondeu a
condessa, sempre cr ntei comtigo ; hoje,
mais do que nunca !
portoes de ferro com columnas, ditos 1
grade de ferro para cima de muro, jardi
raco, gatlinbeiro de ferro, bandeiras
con lancas, d -bradice de chumbar,
fomo, carrinbo de osao e 'oda para o;
no 1 tro do forte das cinco Pontas n. 1
Ultima descoberta!
O verdadeiro Sabio Rut
sito na bem conhecida casa de perf
e modasPedro Antunes & C-
Duque de Caxias.
.do.
Cortes de
Alm d outras mrfVis
imppssvel mencionar.
Da-se amostras sem pe sor a qualquer
pessoa.
Duaue de la 55
e mandes Aze^ r & C.
t-
Jo2o Bredette, visconde de Graville,
cou encantado naqu<:lla noite da partir,
r deferencia com que ro tratan
talmente finalm
s^Bswllo. apeaar da olistinac
fi-
0 commando do navio que toase
procura da Alerte.
Concarnet, desgracadamente,
sido consultado ; ella s ha va
colha, de que foram causa' a co
licitude de Jo2o Bredette, os seus
de Ihe agradar, a sua obediencia
ores convites e a reputoc2o de
ro que de vi a a Belmas ou ao sen
charlatanismo.
Edith, sempre um ponco levi
se deixado fascinar pelas suas bel
ses de honra cavalheiresca.
Assim, a oracao fnebre de
Kervor, pronunciada por J0J0
tinha-lhe parecido muito nobre
commovento.
Mas, desta vez, Jo2o Bredette,
de de Glaville, foi snper
briaao.
Sabe-se como Editl^^H
cada.
Jo2o Bredette recebeu erdem de
para herbourg em- vinte e quatro i
para tomar o oommando da corveta
contre, j completamente armada, para um
destino desconhecido.
Era urna desgrana ou um favorjj
as secretarias assegurava se
nhora ,de Frzires tinha p
urna hora no gabinete de seo
em seguida, p almirante Saint-,
pois de urna rpida conferesj
ministro, tinha expedido a n>
cial.
Jo2o Bredette n2o ficou mu
com a noticia.
Foi annunciar a Edith
precipitada, dirigio-lhe as s
ean bello estylo, e esforfou-
della alguns esclarecimenos.
- A adoravel condessa nBC
ra disori^ao.
Foi affavel, alegre, in
ca e espirito, cheia de
sempre, quasi irritantej
Para s k
ida soledade n.v
ipesa, mestria e comn
bolo, p2o-de-lt,
pirmides de doces
Bijas para casamentes e
n-se as eneommundas quer para s
guer para tora d'ella. .^t
i-se,
os, etc.
t----------------- -
Dus a ouca,
rea-
sflnhur
ap rigor dma pfirasje' garante.
o2o Bredette a2o teve tenipo de pro-
nuncia!-a. 1 ^B^
Tefe-lae* preparado mais de urna
sorpreza, accreseenteu Edith, rindo.
Em seguida dirigio-se para outros gru-
pos, onde era* impossivel continuar a con-
versa c2o.
Jo2o Bredette sahio rnafto intrigado.
.Alguns ha ver i a com meaos ras2o paraj
e o daspeito fiseram-
tda a escala das dcsilluses
Cstes Kbnos predomiaram finalmen-
t, porque havis tres annos que as cousas
. exactamente no mesmo ponto.
Edith, com os seus inysterios, parec
WUSIY
ftoy Blei marca YIADO ,
Este l Mllente Whisky Escocez pre-
fer vel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o carpo.
nos melhores arma-
aato,
liorna sao registrados pan
OWNS & C, agentes.
m-----------------------
GalSes, palroa^^H^^m
Bicos de seda e ce algod
vidrilho.
Mantilhas de sed o de alge
Contas lapidad. ; i vest
Franjas de seda con e son
Renda hespanhola.
Collarinhos para hom
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 4C
600 e 800rs.apesa,
dem com 3 e 1(2 metros, der
argura a 1^200.
Lenfos de linho em caixinhas
dita.
Meias para homem, duzia a 44000.
dem para senhora, duzia a 44000.
Finas pulseiras americanas a 44,
84000 o par.
Cortinados todos da crochet para cama a
125000, 170000 e 19SO00 o paf,alguM
de odres.
Ditos para janellas a 75000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 e
10000.
Ditos para sof a 200{L
Capellas com veo para"aeiva a 65000 t
85000.
Lindos enxovaes baptizados a 85 05 e
125000.
Toncas de s etim para baptisado a 35,45 *
55000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha da
melhor.
12 sera chapos.f
cao comprido a 25 par.
Ht creanca a 15000.
moa)-a 15500 o par.
Espartilhos para creanca a 45 e 45500.
Ditos para senhora a 45, 45500, 5500Q o
65000.
Linha de machina a 60 rs. ocarritel.
Linha de machina a 600 rs. duzia.
Lindos leques de surah a 45000.
Ventarolas de penas de- todas, as cores,
gosto moderno.
Lindos sortimenti de ramos e cachos de
ores parta enfeitar chapeo e vestido.
Grande surtimento de cestas para senhora
a 25, ,500 35000, 355C0, 45000, 45500,
55OOO o5500, flfOOO e 75000 urna.
Caixas de papel amisade a 400 rs.
Lindo sortimento de guarnieres para toilett
de diversas cores.
Benda hespanhola preta com vidrilho.
Lindos lencos todos de laberintho a 500 rs,
Albuns de pellucia de diversas cores.
Livros de missa a 15500, 25000, 25500
350C0, e 35000 cada um.
Lindas luvas de seda tom salpicos e com
listas, gosto moderno, a 25500 o paz.
Grande sortimento de extratos des :
acreditados fabricantes.
Toalhas para banho a 15300.^
Toalhas para rosto a 300.
To lhas para mo a 160 rs. \
Babadores com inscric5es e pazagem a
500 rs. e 450000 a duzia.
Espelhos grandes com mulduras finas do
cantos redondos a 45000 e a 6\5K)00mna.
Bengalas flauta.
Grande sortimento de luvas deeda arren-
dada, com palmas canno comprido a
15500, 20005 a 25500.
Ra Duque de Caxias d. (03
Taberna
localisa-
prinfi-
ilia :
165.
%'endrse um4 peqnena taverna
la, com poucos fundos, propria
piante,'tem commo ios para p
para informacoes, ra da Co:
Vaccina
Vende-se da jaebor, na botica franceza de
Rouquaryrol Frres, ra da ^n n. 22, Recife
Gasemira para vtdo a 280
rs."o
Caaemiras decores moa foara vestido,
padroes ultima nV'iinJ ^rs. o covado
ua na do <.respo
peior do que o s
Etfectivamente,
despoto por na
era por calculo,
O prime ro, aSI
em imaginar meioVl ato;
subalternos ; teria
mero de insignifici
ventivo espirito do
escapar.
Um espirituoso
que Virgilio era c
Homero; Flifla
ferros, ffelo prim
clamou:
Palay de dad
o nosso iauBdjato
nossi on Bd^nte
Ata

que
official
nte.
Bredette em-
ito, Belmas
_ entrejpha
ntar os* seus
oecdo um sj nu-
s qrfe o in-
Ato
ven algores
Leitepuro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo-
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite puro de vaccas tourinas e da
trra, garante-se a qualidade do leit.
Vinho de mesa
Quem nao poder beber o cree bom 1 Chegoa
nova remessa, que se vende pelo mdico prego
de 7/000 o garrafao de tres caadas (voltando'o
casco); na ra do Amorim n. 60.
mm

Libras steriinas
Vende-se libras steriinas ; nfe rua|
mercio, armazem n.5.
Vinhos puros garantidos )
Alcoba^a e C1aH
em barris de S e a retalbo, precos sel
tencia, vendem em porc*o e a retalh0j-<
raes & Valente, Corpo Santo n c
6.
-*.
algum
Sem se
mente, sem renunciar
da sobrinha do director do' pessoal, o am-
bicioso visconde do Glaville rangia os den-
tes e dava ao diabo todos os caprichos fe-
mininos, e, sobretodo, a indcifravel con-
dessa.
No lia seguinte parta de Paria com Bel-
mas.
Estova de humor extremamente irras
ivel.
Os officiaes, mestres e marnheiros da
re, aprenderam sua custo que
humor nao se bavia dissipado no
i ai 1 ai 1 exclamou Fiana-Baa-
o flautim e farcola de bcrd >, acabou-
egria, mcus rapases
u com a msica e
! Joao Bredet-
c^m os divert
illustre visconde de Glaville inaugu-
sua entrada a bordo e a posse do
o por urna multidao de ordens
iras, que Eaviam outr'ora dado lo-
que o alcunbassem de cOmmandante
" mo, tyrannico o insupportavel, e
i essa atoa.
i da sua
captJo augmentara enormemente, red
brava 'de aelo, ou antes, de maligmdade.
O interior da Rencontre era um inferno
antesHte ter comecado a campanha; as
mais sombras previsSes eram permiti-
das; o estedo-maior e a tripolac2o ,enca-
ravam a sua npsicSo com terror.
O proprydpelms nao estar muito sa-
tisfeitq. .t:
Atinad,,tinha muito limitada confianga
nos tata w* martimos de JoSo Bredet,
tfo freifontemeate elogiados por" elle.
LNas paragens em que Yvon de Kervor
da obra i tinha suceumbido, o que n3o baveria da
flacos e perigoa, sob as ordens de um ebe-
fiS1 mediocre ? i
J Finalmente, o com mandan te tinha inven-
que o excitavam e irrita-
u ais.
ca elle faaia desse galante
onde, de que tantas veses se
[irado o bom gosto e irTeprehen-
o Bredette,
suas instruccSes dofinitiyas, e
fundamente ulcerado.
Cornejo a acreditar, peaj reiie
que a senhora de Fraieres encarfega os
Mares Glaciaes de* a desembaracar dos
pretenden tes que se aborrece. Nunca se
mostrou taojgalanto para Yvon de Kervrj,
como no momento em que o enviava para
a morte 1 Lembro-me ate que nessa occa-
siSo, tive a fraqaeza de ser ciumento !
< Eu nunca a vi tao amavel como na
vespera do da em que recebi esto maldi-
to ordena de commando \
t Mas sei ter prudencia, quando que-
ro ; nao sou tao tolo, que me atire para o
pergo de cabeca baixa. Nao me .exporei
loucamente a invenciveis perigos <
< E tornar-noB-ha a ver, senhora con-
dessa Se os prepara sorpresas, nos faze-
mos exactamente o mesmo !...
Edith era, daili em diante, para Joao
Bredette, visconde de Glaville, nem mais
nm menos do a^ne um monstro em minia-
tura ; no emtanto teve o cuidado de nao
commur. car as suas reflexo"es ao tenente-
seu gracioso sornso nao exista jj
As suas sobrancelhas, constantemeal
franzrdas, a sua biliosa pallidez, o seu an-
dar arrogante, a sua linguagem e gestos
imperiosos, a expressSo sinistra de suas
feicoes, faziam delle um outro homem.
Na vespera da partida, depois do pfir de
sol, passeiava s no tombadilho,,d4
do estibordo, pensando ainda as
da condessa, quando urna sentinella
para urna canoa :
Quem vem I ?
Official, respondeu urna voz qu
era desconhecida a Joao Bredette.
Prometteu-me urna sorpreza !, diasa
me : At breva!.-.
f Envia-me o seu velho Concarne! Te-
rei feito mal em accusal-a de querer a mi-
nha perda ? Esto missao nSo ser do que |
urna experiencia? Trar-me-hao tuna cu
tra-ordem ?
O commandante debrujou-se na^varan
da, o ulgou ver, n'n
duas mulheres
ficial de


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQDPI6N0G_ZGFKYG INGEST_TIME 2014-05-19T19:36:31Z PACKAGE AA00011611_18911
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES