Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18899


This item is only available as the following downloads:


Full Text
or seis unos cem
Por uin armo dem
C*da avulao, do mesmo dia
A DEXTR4
nove ditos idem-
Por um anno dem.
Cada numero avulso, de diai anteric
13*600
201000
260000
0100
t -Manoel Sty^Kde Jari # 'Mtycs


Os Srs. Amede Prin
florestas, como os cabello
estrellas do co, como as arei
E (lavemos de- c/er, concluc
6 06 U jd.6 x dJTlSi S3.0 *wit0
os nqssos agentes ex
elusivos deyannuneios
mblica valioso trabalbo, que taes liomns,
em seus negocios, bem conservados e amigos de
saber, prendados com o dora da eloqaenela e da
poesa, que*fallara.seis horas e maisfieja nenlm
[aterra.
ma iterr,
o seu
les.
^HSs d
o_, eaptivaud por trio loj^oespaco
rio, sabtmdo,qucUar todas as pai-
- i
JaculdatlesTBtpHecaaes ? Ha
o que jSrniBuft'
**& *
...Con-
iftnJJknte superior da
rcflTe {diares. -
da guardan;
faC0Cfc
no que no-
lello para o
secgo da
aedo,
I

SSS7IC0 PASTICULAB SO SIABXQ
NATAL, 8.-de Outubro, a 7 horas e 45
minutos da manLa.
O secretario da Presidencia desta pro-
vincia seguio para o sertSo acompanhado
de duas ordenanas, afim de cabalar no
2." districto em pro da candidatura do Dr-
Amaro Bezerra.
O vapor Una foi despachado hontem,
noite, com urgencia, para o effeito de con-
duzir para o norte da provincia cleitores
que aqui se achavam, garantindo o gover-
o dea, passagens para o Recife a um des-
ses eleitores e o transporte de sua familia
por conta da verba Soccorro Pblicos.
WO DE JANEIRO, 8 de Outubro, s 4
horas e 10 minutos da tarde.
Foram eleites em 2. escrutinio :
Pelo 5. districto do Rio de Janeiro, o
Dr. Pedro Luiz Soaros de Souza (C);
Pelo 10." districto do Rio de Janeiro, Ba-
ro de Souza Lima (L).
Foram eleitos tambera, em l.# eseru-
ri no: -
Pelo l.# districto de Matto Grosso, o Dr.
Carlos de Laet (L) ;
Pelo 2." districto da mesma provincia, o
r. Moraes Mattos (L'i.
Foram publicados o regqjamento e
tarifas da estrada de ferro do Recife ao S.
Francisco.
ce caMprpoaia1 _
TOacivlisada, homens que, segn
do a Solida do Brasil (1) erau} eDgenbosos
para tomarem quanto Ihes ensiaavam os brancos
e que para carpiuteiros de machado, serralhei-
ros,Reros, carreiros, e para todos os ofliciosde
engenho tinbam grande tino ; homens que, se-
gundo o Ouvidor Sampaio nao so no canto,
mas em qualquer outra arte, recebem com muita
fa ilidade as iostruccoes que se Uies do.
(1) Gabriel Soares de Souza.
%
(Contina)

;sa:i;o i uncu s::s
LISBOA, 7 de Outubro.
S. M. EI-Rei D. Luiz est um pouco
melhor.
ROMA, 8 de Outubro.
Telegramma da ilha de Sardenha an-
nuncia que hontem um cyclone causou all
mitos estragos.
Calcula-Be em 27 o numero de navios
naufragados e em 125 o de casas destrui-
das, durante a tempesadeIJtJNtdo-se aiada
a lamentar urna centena ae'morte-
LONDRES, 8 de Outubro
Corre o boato de que general Boulan-
ger parti para Jerstf-
Agencia Havf filial
ft de Outubro de 1889.
em Pe mam buco,
PARTE 0FF1CIAL
.overno da provincia
EXP1DIESTB DO DIA 20 DE AOOST3 DE 1889
Actos :
0 presidente da provincia, altendendo ao
que requereu Joao Arroxellas Jayme Galvo, 2o
escripturario dd Thesouraria de Fazenda e tendo
em vista o attestado icedioo exhibido, resol ve
conceder-hc 40 dias de licenca na forma da lei
para tratar de sua saude dentro da provincia.
0 presidente da provincia resol ve exonerar,
pedido, Marcolioo Lopes Cato, do cargo de
delegado do districto Iliterario de Duarte Coe-
lbo.Fizeram-se as necessarias communica-
ces.
0 presidente da provincia resolre exone-
rar o actual delegado Iliterario de Propriedade,
em Rio Formoso e nomear para substituil-o o
tenente-coronel Jos Aatoaio Alves da Silva.
Communicou-se ao inspector geral da instruccao
Jtooselheiro presidente do Tribunal da
RelaejM Recife.Sirva-se V. Exc. iDformar
sobre j^pe allega, no incluso requerimento, o
preso Conolano Hercalano Paes Brrelo.
Ao coraraaodante das armas.Declaro a V.
S., para os devit fins. que se acha a disposi-
cao desta presidencia, desde 9 do correte mez.
o teoente do 27a batalhio de infamara addido
ao 2 da mesma arma, Jos 'Joaquim de Agoiar.
Ao governador do bispado.Srvase V. S.
Revma. de prestar-me ioforofticoes sobre o as-
sumpto da inclusa peticao, que ser dissolvida,
do Revd. parocbo collado dafreguezia de S. Jos
to de 13
o de
eou Joo
posf de
reserva da
---..-. goarda na-
4kTnar ffl 4o Jslho mto foi oojteiderado sem effeito o
4118 de Maio f^correte anoo que no::
| major Joo Flix. Perelra, para o posljh ta^^E
coronel commandante do 40 corpoMjh <
^aacional, sob seti comaqfl, e que
a V. s pafu seu coobeciStato.
Ao commaudanle snr da uarda na-
ciooal 3a cpaVea de (tamb.' Tendo sido por
decreto de 13 de Julho liado considerado sem
effeito da 25 de Muio
. meon Ctirjstqvao Vi
, oosto un
ckv
Ao.
cwtl da coman
Sara seu coobechentO.: ijue por
e Julho findo foi considerado se
18 de Maio do correrte anno que
Baptista da Rocha BaixaLins pal
major commandante da *4J secjo _
guarda nacional sob^seu comraando.
Ao ioapealor do Arsenal de Marinha.De-
claro a Vine, que tica approvado seu acto, rela-
kivo ao fornec.iinenlo de mil e quinhentas chapas
de ferro galvanisado rugadas e de oitenta barras
de ferro T para o telheiro melallico daariroeira
d'esse Arsenal, conforme o termo de conl^acto
annexo ao seu officio n 27, de 12 do potrate,
3ue fica assim respondido.Remetteu-K coiia
o contracto Thesouraria de Fazenda.
Ao administraJor dtheatb Santa-Isabel.
Tando concedido esse theatro sem contribu-
cao a Hercilia Baptista da Graca, para n'elle ter
lugar um espectculo ha noite de 25 do corrate,
assim o declaro a Vmc. para os devidos Cas.Fi-
zeram-se as necessarias communicacoes.
Ao mesmo.De accordo com a informacio
de Vmc, de 14.do corrente, nesta dala defer a
petigao de Maooel Gomes ianhooca perraittindo-
Ihe dar um espectculo em sea beneficio nesst
thealro na noite de 7 de Setembro vindouro, me-
diante a contribuicao do estylo e sobrecarre-
gando-sfe-das despezaa de conservacao, asseio
do edificiVe outras inherentes ao referido espec-
tculo.Fi^ram-se as necessarias communi-
cacoes.
Ao inspector gcral da Instruccao Publica.
-Para os fin convenientes, declaro a Vmc. que
no requerimento de alumnos do 4o anno da Es-
cola Normal, so "re o qaal versa a sua informa-
cao n. 191 de 13 do correte mez, profer boje o
seguinte despacho:
> Tendo os supplicantes se matriculado na
Escola Normal, vigorando o regulamento an
lerior ao de 27 de Dezembro de 1887, e era
poca em que contavam completar O' curso da
Escola era trez annos, mediado na tentativa
de habilitarem-se para o eosino, a sorama de
sacrificios que Ihes era licito lazer. E, alten
dendo a que o regulamento vigente raantm o
curso de tres anuos em quanto bao fr preen-
chida a condico 14 do dito regulamento, como
preceita o art. 72 das suas disposicoes provi-
sorias ; Atteodendo, finalmente, a deficiencia do
regulamento em vigor, que em suas disposicoes
transitorias por demais insufficienie. dando lu-
gar s difficuldades. coja suluco depende de
apreeiacoes, em que, a equidade socoorr*i sotu-
rna dos esforcos empregados em boa f, e vi^o-
ta
vaid
a '
qui
eiiu
, requenmeatp de Mara Kranc:
~bre que versa a sua informar;
"do crrante aroferio hoje o
cho :
Indeferid por nao haver ^
da. nem hawr Hedro Calestino
tar-se fito i_
lAo insp
praca do corpo de policia
lino dosBSaatos que para al I i
lacompanba sua rnlber.
rintendente da estrada de ferro
o Francisco de1 pasSagam por
ia da estaeao de Cinco Pontas
irgento do corpo de policia Joa-
! Santos Lima que vai destacar
jado da estaco de Palma-
DO DB. SECBET.UIIO
Sr.
le-souz
1,701
"ite despa-
ldo ser csa-
fireira ao alis-
declaracao .
r*da Thesouraria de Fazenda.
selheiro presidente da pro-
'ter a V. S. cinco ordeos do
de os. 145 a 149 e bem as-
erio da Guerra de '8 do ebr-
OJCxm. Sr."
viaca mandi
Thesouro N;
sim ama do
rente.
Ao aecJlrio da Asstmbla Legislativa
Provjacial.DMem JoExm. Sr.cooselheir
preoente da'-provincia devolvo ay. S.^m
exemilar de cada urna, das resolucesenviadas
com o seu officio n. 139 de 30 de Jutho atfo as
quaesl'wam saQecionadaa sob ns. 2.041, 2,042,
2,044 2,046, 2^48 2,0522,054 e 2,056, sendo
publicido sob a 2,055 o decreto approvaudo o
rpgulaeento da cemiterio de Goyanna.
Aa commandante do corpo de policia.
O Exm. Sr. conselbeiro presidente da provincia
manda declarar a V. S- que fica inteirado de
seu offido n. 15 de 16 do corrente mez.
AoDr. juiz de direito do 2o districto cri-
minal da comarca do Recife.O Exm. Sr. con-
selbeiro Dresidente da provincia em observan-
cia do aviso do Ministerio dos Negocios a Jus
tica de 7 do corrente mez, manda iransmittir a
V. S. para informar a carta em que Manoel
Emygdio dos Sanios pede perdao da pena do
grao matimo da art 205 do cdigo criminal.
Ao sngeabeiro fiscal da estrada de ferro do
Recife a Caxaag. De ordem do Exm. Sr. con-
selbeiro presidente da provincia remetto a V.
S. 75 passes pressos gratuitos dos fornecidos
pela gerencia desla estrada de ferro para in-
demnisaipo de igual numero de passes dados
pelo Dr. chefe de polica no mez de Julho ul-
timo.
Ao direc'or do presidio de Fernando de
Norooba. OJExm. Sr. conselbeiro presidente
da proviieia em observancia do aviso do Mi
nisterio ios Negocios da Justica manda remet-
tteraV- 5- para informar, os iaclusos papis,
refereotffl a reclam|c5o que fazem os empresa
dos desse prdio-aobre a falta de preserrativo
da secca. qu? assola a ilha e a deliciencia da
racao dslribcida.
. Hontem. s 9 horas da noite, foi preso em
flagrante, na occasio em que furtava um chapeo
de raassa do estabelecimento de Samarcos & C,
na roa Duque de Caxias, o individuo de nome
Manoel Demetrio da Paxo, contra quem pro-
cede-se na forma da lei.
No dia 5, s 7 horas da noite, e na ra da
Florentina, a ex praca de cavallaria Pedro Pogy
ferio roortalmente, cora urna punhalada a Jos
Pedro Cavalcanle. x
O olfendido foi recolhido ao hospital Pedro II,
e contraodelinquente .procede o subdelegado
da fregoezia de banto Antonio nos termos do
inquerMo policial. S ja
Deua ufede a %xc. Iihn
S/.:cgnse--
O chefe de policia, Oeroncio Dia
ruda Falcdo.
!
Tkesonro Provincial
DESPACHOS DO DIA 3 DiS OUTUBRO DE
1889
Obras Publicas, Gasa de Detenco e corpo de
policiaA' Gontadoria.
Maria Amalia Loureiro A'Albuquerque, Anto-
nio Alves Barbosa e Jos Pacheco da Silva.
A' Recebedoria.
Caetano Cyriaco da Costa Moreira e Francisco
Quirino do Sacramento. Eatregue-se.
% Jos Coelho da Silvetra, JoSo Ignacio de Me -
deiros Reg e Lucilia Esteves d'Oliveira Cesar.
AoContencioso.
5
Tito Livio Soares, Souza Rocha & C, Rodri-
gues Lima C, Obras Publicas, chafe de poli-
cia, Cmara Municipal de Laga de Baixo, Ma-
tbeus Austin 4 C, Mara do Rosario d'Oliveira
Mello, Maria Joaquina da Trindade, Jos Maria
Teixeira Guimaraes, Antonio Valenta) da Silva
Barroca, Joaquim da Costa Guimaraes, Domingos
Goncalves Villa-Verde, corpo de policia, collecto-
ria de Gamlleira, Benedicta Maria dos Prazeres,
Fabio .Xavier de Souza Fonseca.Ao Conten-
cioso.
Manoel. Fernandes da Costa e Antonio Fran-
cisco Cavalcante de Lacerda.Certifique-se.
* Aots^ixioraria^'Fazenda- do oWar arad^tolecado a bjpothese^do
Para os W venE loraraunicTa t. ^VlSL SM* &* T^ ^"^
qae a 31 de Julho lindo entrou em exerc,cie'li,. S,,*,- PJ X* pp,l2?lf-9', '**'
carn de ininector de hvrirne de-'i nrovincia o .dand. 1B Pa,-,e ,llu!o de normalistas aos
POPULAR
-j
i LITTSSAXnSA SSA2ZLSZSA -
NOS
$MIP0S COL'ONIAIS
POR
4 Litlerniura Bruzllelra scalo
SVI ao comee* do XIX
E6BOCO HISTRICO
(CoBtinuacSo)
bliam-se de comparacOes para exprimlV g
pettmento, e dos gestos para os rematar. Fal-
laran) cantando, por que a poesa e a msica
aodavara intimamente ligadas na sua linguagem
namatopaica ; o cahir da fru -la. o eslalar do-
ramos, o correr das fon es, o penairar da chuva,
ran aons imitados da natureza ; e elevando-se
a rgfoes mais altasna trovo, no raio, oo re-
lmpago, ouviam a voz, viam o olbar, sentiam os
leto* da ira de Tupan ; expressoes felizes qae
admiramos, imitadas do hebraico em um poeta
allemSo cantando a grandeza de Deas.
Para os homens escolbiam noraes que expri-
issem a forca. a robustez e a coragem ; era a
anta, o tigre, o i pe, a palmeira, a frectia e o arco;
para as mulheres os dos objectos mais bran-
das, mais doces, mais delicadosda aves, das
indas e das flores; era o romper d'alva, o sipo
fexivel, a junca do brejo : e con, um senMneoto
1 bello, que nao era muito de esperar nelles,
temando o nome da flor do raanac, para desig
ar a moca mais bella de urna tribu.
Coala vam os ana os pela florescencia do cajuei-
ro. as suas quadras pelos fraas^ento amadu-
regdos, pelo cahir das folbaiqpfe desovar das
tenaragas, dos peixes ou das aves.,
--.Calculavam o espaco pelo alcance dos tiros da
P*cha, pelos .oes da jornada : contavam at 5,
d'ahi passavam a 10 e 20, anda que l'aw e Ro
Kertson Ihes neguem o composto alm de 3. De
2# em diante serviam sedecoraparaces -tantos
WBM taes aves eMJaaajaargeas, como certos
troncos das
ejnt amargeos, (
Dr. Joaquim C
poti-me em officio da mesmajdata.
Ao mesmo.-Ao engenheiro Gregorio Tbaf
matnrgo de Azevedo autoriso V. S. entregar a
qnantia de 4:45i"70, pra pagamento das fo-
Ihas juntas referentes ao pessoal que trabalhou
as ooras da hospedara da Jaqueirae do ondeo
colonial Suassuna nos dias 1 a 1$ -do corrente
mez.=Communicou se ao enfenheiro Gregorio
Thaumaturgo de Azevedo
Ao mesmo. Communico a V. S. que o en
genheiro Alfredo Lisboa, tendo caegado a 16 do correte, seguio a 17 para a capital da
provincia do Cear e objecto do mencionado Mi-
nisterio da Agricultura, Commercio e Obras Pu-
blicas, segundo o aviso de 13 de Juibo ultimo,
passaado substtuil-o o eugenheiro Affonso
Henrique de Souza Gama, nomeado ajudanle,
por portara do dito Ministerio, de 7 deste mez,
e juramentado ao mepcionado dia 16.
Ao director do Arsenal de GuerraTrans
raittq a V. S., para os devidos fias, o incluso co-
nbecimento dos 47 fardos remettidos no vapor
Alagos pela intendencia da guerra com destino
a esse Arsenal.
Ao Dr. juiz de direito do 2o districto crimi-
nal da comarca do Recife.Transmiti a V. S ,
para o prompto cumprimento, intimando se o
preso immediatamente ende o adiar, copia da
senlenca proferida pelo juiz municipal do termo
de Cacboeira, na provincia do Rio Grande do
Sal e em virtude da qual foi julcada conforme a
culpa o perdi concedido por decreto de 13 de
Maio ultimo ao reo Narciso que devia estar sof
frendo a pena de sales perpetuas por effeito de
commutaco da de morte, imposta pelo jury
daquelle termo, ao presidio de Fernando de No-
ronba, conforme consta do "aviso por copia, do
Ministerio dos Negocios da Justica, de 9 do cor
rente mez.
Ao mesmo Informe V. S. se*xistem pre-
sos na casa de Dlenc3o e em outras prlsoes da
provincia individuos qu8 bajam comprindo seo-
teocas i que foram condeidnados ou compreberi:
dids nos perdOes oujklgudos .pelo poder raod
rador. ,
Ao comiuanJante superior da suardaqjf
cional da comarca do Rj^ormoso. Faco conp
lar a V. S. para seu CtBecimento aue por do
creto de 13 .e Julho findo foi considerado sem
efleiio o de 25 do Maio do corrente anno que ou-
4neou o capito Francisco Ferreira de Aliioquer-
Aae para o posto de teacnt"-curotn'l comman-
dante do 44 batalhao de infamara da guarda
nacional .- o seu comaundo.
Ao commandante--uperior da guarda n
nal da cdbar^'a de Olifda. F,"
para s%ontiecimi nto
decretlile 13 d Julln
effeito ole* 18 de Man
f.r.oou no imano
mandante do fftt.
da nacional 8obts'cu com.n n
Crrela de Barros.
Ao mesmo. Tendo sido por
de Julho liod j considerada sem effeito a nomaa
cao do capito Fugenio Luciano de Mello, para o
poslu de teueote coronel do Ofr batalhao de in-
fantaiia da guarda nacional sob seu cumman lo.
assim deolaro a V. S. para seu couhecuuenio e
devidos fias.
Ao commandante superior da guarda nacio-
nal da Comarca da Victoria.Para os evidos
lias declaro a V. S. que por decreto de 13 de Ju
Iho findo loi declarado sera -e.ffeito o de 25 de
Maio do corrente anuo, que reformou no raesiao
posto o major ajudante de ordem desse c minan-
do superior, Joo Cleopbas de Luna Vasconcellos,
seodo igualmente cousiJerada em elTeito a no
meaco de Manoel da Cmara Pimentel para
Iianq posto.aj
Ao commandante superior da guarda na
cional da epujaicu de Panellas. Declaro a V-'
S.. para aeafloabe iiiK'ato. que por decreto Je
13 i- Jtdbjiflrao. foi considerado sem effeito o
de 25 dellSo'do correle anno que nomeou Joo
Rufiop de Mello e Silva, para o posto de leneate
coronel commaud ..'" corpo de cavallaria
da guarda njcioual SonB_ commando.
que
res annos, e quaesquer outros que
s atarera era idnticas condicOes. Envie-se
copia do presente despacho a Sr. director
geral t Instruccao Publica para os effijitos le-
gaes. >^
Ao director geral de Obras Publicas.Pro-
videncie Vmc. para que um eugenheiro de sua
reparligao jfr.examinar c orgar as obras do acude
de Duarte fbs, em Gloria de Goit.
Ao juiz de paz da parochia de Nossa Se
nhora do Rosario de Goyanna Respondo a con-
sulta constante do oflicio de 25 de Jullio findo,
declarando a Vmc. que o art. 24 da lei n. 3029
de 9 de Janeiro de 1881 nao comprehode os im-
mediatos em votos aos juizes de paz que exerce- hfc"ia7p"eotor"da^uroJ^
rem funeces de empreg.N pblicos retribuidos,
salvo se era virtude de vagas na lista e juizes
de paz tiverem de entrar par a mesma lista
como preceita o aviso d > Ministerio do Imperio,
n. 511, de Is de Outuuro de 1881.
Ao juiz de paz presidente da jnatade alia-
lamento milar da parochia de Sant'Annade,
Leopoldina. Sciente i! que. expOeiViuc. em
seu oflicio de 28 de Julbo lindo, transmiuo Ihe
uin.axi'm jlar impresso do dea n. lo 226, de 5
de mc do orrente auno, aiiprovaodo o regu-
lamento que altera as disposiges do dec. p
5,881, de 27 de Fewreirj de 1875. relativas o
processo do alstainento para o servico do exer-
cijo e armada.
Ao 1" juiz de paz do districto d Trigueiro.
Declaro a Vmc. em rfe#posta ao seu cfBcio de
8 do correle, que, nc tendo sido designado a
terapo edificio para a eleico que se tem de pro-
ceder a 31. devem os eleitores desse districtoj
reunirse no edificio designado para a reunido
dos do 1' districto, ti an lo assim approrada a
convocaco feita pelo respectivo juiz de paz.
Ao 1" juiz de p ./. do districto da Viceocia-
Com a copia iriclu-u .1 < officio dirigido nesta
ata ao Io juiz de paz lo districto de Trigueiro,
le 8 do corrente.
PRESIDENCIA DO DU 5iDE
?C_ 01 TUBBO DE 1889
.-*Field*#et&ei3.-Informe o Sr. inspector do
Thesouro Provincial.
PieldeqBroiliPrs.Informe o Sr. inspector da
Thesouraria de Fazenda.
Franci-ferreiia da Silva.Prove o suppli-
cante qu^ antes e depois de 1865 nao pagou d-
cima urBtna siperior designada no art. 17 da
iunovacSO do contracto de 18 de Dezembro desse
anuo.
Francisco Dativo de Moraes.Informe o Sr:
engenbeiro Gregorio Thaumaturgo ae Azevedo.
FranciscoMaei da Silva e outros reos reco-
lliidos najcafe^ de Garanhuns.Em vista das
informacoes n* tem lugar oque requeren os
supplicantes.
Capitao Joo riieodomiro da Costa Mootfiro.
Entregue-ae oadiante recibo-.
Alteres Jioo ho da Silva Valenca.Informe o
Recebedoria Provine al
DESPACHOS DO DIA 8 DE ODTBRO
DE 1889
Antonia Maria Joaquina da Conceico. Defe-
rido, em vista da informaco.
Francisco Jos Alves, Joao Francisco Pereira
Landim, Napoleo Bessoae de Assis Campos e
outro e Maciel & Guimaraes.Informe a 1.*
seceo.
\ ictorino Itomingos Alves MaiaiCertifique-se.
' IUUNCU E C0X1ERC10
r----:-------^ -------------
As djscussoes levantadas no eongresso mo-
netario teem despertado^raude interesae, prin-
cipalaente pelos planos a campaaha apresen-
'faJosT>elos defensores do bimetallismo.
constar a V.
ins, que por
siderado sem
anoo, que re-
ironel-com-
tzni da guar
Ks Manoel
decreto de 13
respondo aode Ync.
Portaras: jyJ
Os Srr. afeiiti'- Ij Gompaohia,Brasileica di
icoa Vapor ai n lem,dar passagera* de r
HbC re. por r.onta do Ministerio do Imperio.
nttieifca Mana da issumpcSo e spa lilha Ma-
ra do CoracSo de Jesas e Francisca Theodora.
-' O t. gerente da Companhia Perrtambnca
na mande dar passag^m de r no vapor de 22 do
corrente ao baeharei Jos de Si Cavajcante e de
proa a um criado deste, por adiantamento das
iU$ que o governo lem direko na primeira
'o mez vindouro aos portos do norte.
Sr. gerente da >'ompanbia Pernamijuca
jande traq|flprtar com passagem de r para
o Rio-Grande dpiwrte no vapor que segu para
o- portos do norle a 22 do corrente o baeharei
Manoel Flix Getirana, por adiantamento das
gratuitas a que o governo tem direito na primei-
ra riagera de Setembro vindouro quclles por-
tos
0 Sr. gerente da Companiia Pernambuca-
na mande dar passagera gratuita de r do porto
do Natal ao desta capital quaudo para isso se
apre e.itar ao tenente Jos Victoriano de Vas-
concellos Pereira.
O .Sr. gerente da Cq,
maule dar passagera
vapor qae segu para
Ctirispim do Arnarai "
o gorerno tem dir-fito.
- O Sr. gerente da Companhia pdffi
o le dar passagera Je proa a
no por que segu a "'
uobio de Figuei
Joanua de Jess Neres Qaatesma Duarte.-
Prove a snppl;cante que antes e depois de 1865
nao pagou deriaa urbana superior designada
no art. 17 da'innovaco do contracto de 18 de
Dezembro dese anuo, -
Secretar da Residencia de Pernam-
buco, 8 de Outubro de 1889.
O porteiro,
p F. Chacn.
panhia Pernambucana
r at a t'arabyba ao
re a 23 do correte a
onta ('.as gratuitas q
Repcirtieo da Plicla
2.asecc2oN. 1.228"Secretaria de Po
licia de Peniambuco, 8 de Outubro de
1889.Illm. e Sm. Sr.Participo a V
Exc. que loram nbntem recolhidos Caaa
de Detenco, os seguintes individuos:
A' mnta ordem, Manoel Piuheiro Torres, re
meltido pelo delegado do termo de Garaohun i
como pr(UDCiado em criine de morte.
A' urde* do subdelega lo da freguezia de San-
to Antonio, Manoel Demetrio da Paxo, por cri
me de*urto; Mana Antouja doNascimento, alie-
nada. ^Le se offe roca bpportunidadi' de ser
iraost'Pa para o asylo da Tamarineira; Manuel
Joao do Nasc nenio, Adolpho Lino de Araujo,
Jos Pedro de Mello, c inhecido por Mamulengo,
Jos F'aacisco Danjasceno, Hermino Jos Fran
cisco de Figueirdo, Augusto Jos de Sant'Aona,
Cyjjraoo de Soflza Viegas e Raymundo Alves da
Silva, por embriaguez e disturbios.
A" ordem to do Io districto de S. Jos, Libera
to Franektco'de Araujo, Jos Luiz da Paz, Joo
MendW.fl Al buque/que e Manoel Ferre'.ra de
Fariadpr emtiriajfhez e disturbios
A' oram do do 2 districto de S. Jos. Joo
Hemeterio de Assis, por embriaguez e distur-
bios.
A' ordem do do ( districto da oa Vista, Jos
Maurici* Liureatino ca Silva e Jos de Souza,
por eabriaguez e disturbios
A' onfc'ra do do 2 districto da Boa-Vista, Jos
jroardo da Silva, por embriaguez e disturbios,
i^ob telegudo do di-ti'icto de Ligoa
jnode Nizaretfi, me foi communi-
alli preso o celebre criminoso de
Lo quai se ada recolhido
..da tarde e no en-
la Es :ada, Polycar
I pe de fouce,
As maiotes capacidades fioanceiras teem to-
mado parte as discussoes, e apezar dos bime
tallismos se apreseotarem em grande numero,
nao poderfio lograr feliz xito do sea empenbo,
embora sejum radiantes as tbeorias de sua es-
cola econmica
As enormes desodas de a/ece da prata des
orietaram completamente os defensores dos
dois padres monetarios, porque, para serem
coherentes, deveriam requisitar a desamoedacao
da prata que fra eni'.tida ta re icio do preco
aito, para ampliar o peso de cada moeda de
forma tr representar o seu valor como se fra
barra.
O preco da prata 'manleve-se por muitos an-
nos no limite medio de 60 pence aooca de
Troy. e ha tres annos que tem ido successiva
mente diminuido at atiingir o preco actual de
42 9/16.
Cora esta enorme depreciaco da prata nao
s os governos da unio monetaria, como todos
os outros. trataram de effectuar continuas cu
nhageas para aproveitar o lucro que ellas Ihes
assegutavam, e, oestes termos, o que nos pa-
rece mais provavel que as cousas continuem
na mesma, porque, se as nacoes que emittiram
maior proporgo de raoeda de prata a tivessem
de retirar da circulaco, produziria violento
abalo as linanras desse paiz, por isso que a
prata amoedada" representa apenas 42 ",'0 do
seu valor nominal.
co at a ra Pfimeiro de Marco em frente aos
edificios do ebrreio e praca do commercio, de
aepordo cora os planos apresentados ao poder
legislativo, bei por bem decretar:
* Art. L0 Fcam prcrogados por igual tempo.,
nos lermo do art. 13 da lei n. 3396 de fcde
Novembro de 188, os prazos a que se refere
n. Vdo itado decreto n 9707 de29 de7anelro'
de 1887..
Art, 5-." Alm dos favores mencionados ao re-
ferido decreto n 9,707,. #3o concedidos aos re-
querentes, ou a empreia qu organisarem, os
seguinte :
iMH Garanta de Jorodl^fciU*r> sobre o capital
WCial de 10^J:ut)Ojl00;
tea^etfireitos de importac sobre
das ooras.
. de appro-
vaco do podeHegisIativo.
Art. 3.* os requerente3 obrigam-se:
I A coujtruir e entregar ao governo, a titu-
lo gratuito, um edificio para escola normal em
urna parte da zona que exceder os 20 metros d
fundos necessarios para coostruccao das casas;
HA construir na extreraidade da aveoida,,
com a frente para o campo da Acclamaco, ara
edificio.monumental para servir de forum, pa-
gando o governo, mediante contrato espedal
com a emprejia, urna somraa anaual de juros e
amortisaco qae ser fixada depois de opeadas
as despezas com a acquisicao do terreno e a
construeco ;
< III A construir, enfrentando com esse, an
outro edificio, tambem monumental, para a bi-
bliotheca nacional, estabelecendo o goverso o
modo de pagamento da respectiva importancia
empreza.

INDUSTRIAS E ARTES
qae o governo tec
quelles portos no
OSr gerente
nu faca" transpo
conta do Mimste
diodo 1.W0 d
ios de far.iarjH
de infanlaria
se ao directo
> Sr. superintendente da
do Recife iw Sao Francisco d passif
ucao de Cinco Puntas a de Agua-Preta
!so em ila-
. d
mo_do termo de
"nWz lio lo e i m
a preso e reco
le Djfae Jos Ma-
oe ferido grave-
Ign.'.cia Rila nao
Firopria me The-
la se refugiado em
contra o delin-
[sjuiio o cidadaa
Udade de t"
^^cia do termo de
Sob a denominagao de Companhia Crazeiro do
Sul. vai lancar-se oestes dias ama nova compa-
nhia de fiacao e tecidos com o capital de .....
400:000* dividido em 2,000 accoes de 200 e
4,000 de 100$.
Sao incorporadores os Srs. Dr. Joo Vieira
Barcellos, Dr. Bernardo Ribeiro Xavier de Faria
e Dr. Jos Rodrigues dos Santos.
0 lancameoto das acc6es est affecto to cor-
rector Arthar Hitchings. *
A compazbia prope-se a explorar a indus-
tria da fabncaco de crotones e de tecidos finos
conheiidos no mercado pela denoininaco de
zephirs.
\s fabricas que.axislem actualmente apenas
liam e tecera algoooes lisos e estarapadoe, do
uso comraum, grossos e com applicacao ao con
sumo por parte das elasses laboriosas.
A nova fabrica adianta se na produeco de
tecidos mais finos, mais artsticos e de mais
luxo.
E' um passo rois adiantado na nossa j fio
rscente industria de teeelagem e ora que todas
as attences convergem pura o desenvolviraen-
to das forca8 da ae.uvidade nacional, digno de
applauso d appareijbrrto..da nova companhia.
Com toda a solemnidade for'am^ 16 de Se-
tembro ultimo, inaugurados os trah ITms da
c, nsiruccao da estrada de ferro central de\Ma
cah. Ei^iveram prn^entes a cmara, autorida-
des, imprensa e grande concurso de povo. A
0 engenheiro bscal Dateu a estaca que Ihe foiJ
apresentada pelo deputado Almeida Pereira, que
proferio urna allocufo.
A directora offereceu profusa mesa de doces,
na qual se trocaran) muitos brindes.
*
Por decreto n. 2',35l de 14 deste mez delibe-
rou o govi'rno imperial, ptlo mioisterio dolm
perio, alm de tornar effeciiva a proroitacao de
prazos concedida porlei aos eraprezarios do alar
gaineoto e proloogaraento da ra do Senhor dos
''assos. earaiitir juros de 6 / sobre o capital ravelj
de 10,000":000 para execucao das obra?, sen- vo,
lar de direitos de importaco o material neces
sario s mesraas obras, etc. Pela sua irapor
lancia publicamos aa integra o referido de
creto :
Atiendendo ao que requereram Gius
Fogliani e o Dr. los Ferreira de Souza Arau.
a quera, na conformtlade da autorisaco
ferida pelo decret iegisiativo a. 3305 de
Outubro le 1886, feram pelo decrel
29 de Janeiro de 1887, conce
que organisarem
>*rar e orolt
O Jornal do Commercio publicou a res-
peito do CACAO os seguiqes consideracSes,
cuja leitura convm fazer-se :
Nao ba muitos dias publicamos um avi-
so dirigido pelo ministerio da agricultura
s presidencias do Amazonas e do Para, %
tendo por objecto fazer colligir dados ea-
tatlsticos acerca da producg3o do cacao no
ultimo decennio e informac3es de pessoas
competentes quanto ao estado e condicSes
de semelhante ramo de trabalbo.
JDecIarando"-i.deliberado a fomentar *a
referida produecao, manifestou tambem o
ministerio da agricultura o desejo de co-
nhecer quaes auxilios ou favores seria
nocessanos fumlagao de fabricas do ar-
tigo, dado que a sua organisa^So naque!
las provincias para alcancar elementos da
prosperidade cpazes de assegurar renau-
neracao satisfactoria ao capital empenbado
na fabricacao.
E' pais, um inqurito que vai. ser pro-
posto aos homens que all manuseiam 0
tranco do excellente producto e, aguar-
dando que as duas presidencias tomenf ao
serio esta ncumbenoia, desempenbande-a
com actividade e discernimento, comeca-
remos por applaudir esta boa tendencia
tJe proceder a administraciio, por tal meio,
ao estudo e exarne das questoes que, pela
sua natureza ou pela diversidade dos inte-
resses com que entendem, n3o podem
achar no remanso dos gabinetes de estudo
ou na I da atare fada das secretarias solu-
5oe8 adequadas ao meneio dos negocios.
0"parlamento e a administraos ingle-
za, o governo francez e outros, recorren
frequentemente ao meio dos inqiteritoa
para se informarem das neeessidades
das reclaraacoes de um e de outro ramo
industrial, quando as circumstancias acon-
selham ouvir os interessados, palpar aa
suas ^ndencias, conhecer de perto o fun-
damento das suas queijas, e, por este
modo, preparar elementos seguros de pro-
ficua ntervencao legislativa ou adminis-
trativa.
Isto occorre em paizes onde a estatisti-
ca toma todos os dias o pulso expansao
das foras productoras e nenhum pbeno-
meno econmico escapa observacao e
analye as publicacoes dedicadas a cada
especialidade.
Alli ser rara a-espherado trabalha
^ue nao se faga representar nos seas le-
gtimos interesses por associaeoes dedica-
das ao estudo de tudo o que interessa a
cada forma da actividade econmica, e
pelo concurso destes meios que, no come-
90 de cada campanha cultural, pode fun-
dar-se previsSo secura nos resultados pro-
vaveis da colheita, sendo conhecids e
estimados o valor das sementeiras, a ex-
tensuo das rees entregues cuitara, to-
dos os factores, emfiru. que bao de coa-
correr para a produecao.
Entre nos bem podemos dizer qtfa
por este lado vivemos ao acaso. Nem es-
tatistica de cousa nenhuma, nem associa-
5es, nem quaesquer elementos de esti-
mativa dedigna ajudam as elasses a pre-
caver se e acautelar-se contra eventuali-
dades, a fazer ouvir queixas fundadas, a
patentear neeessidades e provocar solu>
gdes."
Neste particular ignoramos quasi tudo
e o governo nSo ignora menos do qua
nos.
Perguntem-lhe quantas fabricas possui-
os de assucar, de herva-inatte, de fia-
3p, de tecidos, de qualquer outro ramo,
e tuda a nossa administraso posta pro-
va.Xazendo vibrar toda a sua rede de ia-
.
>



)tes, responder ingenuamente que
preparada para responder,
te respeito o nosso atraso deplo-
l.mdo delie, pond >-o em rel-
(Pe pidera^noe contribuir para f

vores, ou a empreza
tira de rectifica.
1 por esta razio consideramos ut8
atativa a que 'raos.
Inqurito bem irMmi cerca das con-
,iyi>es da produecao StI commercio
cacao poder habilitar a administra
1 esfci iadustria agrcola
a constituya
1, tonto


daP;


I
I

ir
%Y*J,\rJyj a.'
neenbeiro j|aaBcyrosoa,iiriaan tanda cwfede falaaapasice8H.srpra*as. Compr.
previ r
de cada ac**'
at o sea i
dara do
tros, aesanau
hado 200.0C0 francoe (digamoc 80.0000,
kn* braiiloiral. A estas indicis ac-
arescenta a inscnpc&o do original monu-
mento que a totalidad, nnil^iartraa.^r gjWaato.
Se. da fabrica dVNottel o *. poctfO W ^* Jj
tL de francoc-frejSo-JM d00^
Commantandovecta ne*ici-einjarta di.
jigida i fcjjwaaaWffiHcjaaAaria (apllente
mblioagno que, jios eus once aaaos de
existencia, tem aaeltor aftatadwMa su*
atilidade), pondaan judioioMmeotaMO Sr.
a*, acgo's
obrigaco sol
ssiooaros
para completar a
a obrigaco sub
cripta; o que, alai^H
nossoa laitores, que
livro a mssraa i
Echo da* Nclva*
cora esie titula compoz,
trtjiir a Exjm
accianislas, no aso de in- ancontraias ua U*ja-Ag
rilan rh mmnrhrf n mlitnjfn'* *"' divt
dmfa oo .eviCjos, e finalmente a dettnninacAa
deaa.fazer pastados dividendos as lucros lqui-
dos rasuttaaade oBeragfies effectivaiuente en
cluktos 110 semestre.
Assim resguardou o legislador presidente as
ralaces de tercetros :om as companias anooy
a
J augmentando tolos Ta das 6 consuno do
precioso concurrente do cha e d caf,
amito para merecer a atteagSo dos po-
deres pblicos este fama...da.producclio
ae rene duas cenaijUs .'saenciaes a
grande deeenvolvimento no Sjaail: vasti-.
aao e productiridade do solo e activa pro,
ora do artigo em todo os mercados do
OMBr. Oreen, cnsul britannicafro-Par,
aHadindo nossa pequdc. prodacc de
cedo, disse em relatono offereeido aoaeu
/cerno que a cultura do caceo ta Brasil
a*inspiro a attencao que meneo E' a ver
ade e verdade dita.ora benevolencia.^
Salvo- onyaa&o iafdluntaria, nao COD*lL
enios acto offieiat com-tjae o.governo do"
Brazil tenha revelado interesas iaanediato
por semelhante ramo da arW.a$Wf>ia-
ribuicao parca de sement* tudo o quo
a bem da-propagacSo desta cultura tem
fftlo a administracao. Vk /J
JS' agora -que pela primeira vez o minis-
terio da agricultura manifesta intenclo,
ene pareoe bem assaotada. de inteirar-se
rleitaimante das condi^dea desea indus-
tria e de fomentar-lbe o desenvolvucjento.
A iaiciativa iucontestavelroanteyOtil e
fjoverno dedicar-lhe-ha sem duvida at-
tabeao perseverante qual indispensavel
aommettimentos desta ordem.
Heeta perseverauca estar a condicao
esaencial do xito e nao acabaremos aera
acordar que esta qualidade ou esta vir-
asde administrativa que sobretudo nos tem
fritado em tentativas anlogas.
Muitas sao com effeito as que temos
posto a caminho e abandonado no meio da
aerada.
Ja a respeito dajwrracha, producto im-
frtantisaimo dacTioesas duas provincias
eatentrionaes, mandou o governo, ha mu-
as* annos, abrir inquerito. Qual foi o re-
costado? Senhura.
A' iinpressao produzida pelo aviso mi-
aaoterial de entilo succedeu iadifferenga
rotunda e nao mais se tallou disso.

TawscuircoEs


A ioquetaco
(Nafo, da corte)
Tem tldo" inefficaz o esfbrco por distrahir o
Sirito fiu&Hco das suas justas appreheosoes'
re o foturo. Os cidadoa interussados na
oautuaca da ordem iiressenteui as fu*sta<
oosequeocias da temeridade e intolerancia da
aova situasao. 0 molo como se obteve da elei
$o directa igual resultado ao do anterior e des-
wratisatlo,systeraa ; a exclusij ccraplata do
pettMo conservador, perie^uido cora x lora
nmigo publico; a promessa de recortara pro
Infidas na organisacfto do Imperio com exage-
rado ahirsaraeoto das franquesas locaes e pre-
jaJsoda uucao do govAtuu ceniral; a oainipo-
teacia do partido liberal pela uoanimidade na
Cmara dos Deputados, sao motivos de seria
frtoecupacao.
Soppriinld como fcii, a resistencia parlaren-
tu- do prtalo corwer*i.!oi\ n i S';r fao a so
laato dos conflictos entre as ten leoctJ extre-
tasde descentralisagao do liberalismo exaido
cas aDerl'eicoamentts ponderados e cociliado
na, al^tn dos quaes, naturalment nao arrisca
; gove-no a sna responsabilidade.
Umpealiada a luta, ais provavel a victoria
as reformadores, exagerados, coutra as quaes
arria intil oppdr os conselhos da prudencia* de
yoBfo vajjr em nina sociedade enervada pela'
aiaffercDca e trabailia la pelo sceyticicm.
leslas circumstannas tudo dependa da acaso
foe em geral favorece aos mais ousadaa.
Km fafu de crengas aceita-se- o %^psa,a e
cota elle se nutre eenveneaa-se otfspvntp. O
aartido conservador excluido systematicameaU'
da eoopariitipaco legislativa ali3 nunca tao
indispensavel, sent os embaraces da po^ao
axeeocional em que foiapHocado pela njus-
eaTel pjlitica do goverooj e antes de entrar era
coabate carece relempi*rar pas fcrgas desfalle-
cidas pela perseguieao, de que foi victima. Can
eeatrar de novo os elementos de opposkjo con-
aarfadura, nao objtanie o desatento e o deses-
pero, reanimando uns, convencen Jo ootrose
asaondo todos reuovaco de sacriticios, uraa
easpreza difficil, que so o temor da anareaia e o
aajor da patria podera levar felii xito.
A poltica do governo te n sido tio apaixona-
4a e violenta, que a ella e s ella se duver
imputar a responsabilidad? do auxilio que por
ventura venham recebe .candidatas repabli-
anos.
Sera a despertada arides por lucros repenti-
i e pbaotasticos, nem a promessa encaitado-
la imaiediata converso do raeio circulante.
>a febre ardente das especnla{6es de credila,
aem a-multiplicidade de bancos, canseguiram
adormecer a inquietagao imblica sobre o dese-
te de tantos erros e temeridades.
Mais do que tudo aflige a incerteza dos re-
arsos disponiveis e seguros no momento de
ivo, gastos desordenadamente, como tem sido
jafcrizmente.
Bioousamofraventurar joizos na q-deses-
ceiUi as ioinaras impeoetraveis do futuro, atas
eentos de prejuixos, podemos duvidar fae as
Basas otiluigoes no estado actual dos espiri-
tas, encoutrem eaj si torcas capases de resistir
ao abalo de urna cris*, como a da que, desgra
admente, estamos ameacadus.
Oterapo nao para tentar-se a fortana, mas
sira para aguardar com prudencia e cautella os
seos eapriebos ou rigores.
do capital e da certeza de sua effecti va realisag-o
Sobre este ponto a lei nio permltte duvida.
Qual o capital do novo banco O prospecto
nao o declara com a necessaria precis.'io. Se por
ura lado ostentosamente o lixa em oO.OO.OOUil
ai outro redul o tneUde.
O capital est dividido em 250 0 0 arges de
2004 cada uraa. D'aqui legalmente se infere que
o accionista e it obngado a realisar, isto e en
irar para a caixa do banco cora a quautia de du-
ceotos mil em dinheiro por cada aeyo.
Entretaoto assim nao : s se obriga a reali-
sar cem mil e tem o direito de receber urna ac-
pao do valor de 200* I 0 quequerdizerque oca.-
pital social em verdade de i5 0JJ:(W0 exanu
mate a raetade do annunciado.
-Viuda mais -realisados os 50 /. as acedes tt
coasidcrarointegralisadas para lodos oseueitos.
Nao pos.-ivel. Como assim se annullara as
disrioicesiniperativas da le ? (art. 7 5J 4* ri
di le u. .RHfcde i de Novemum de <88l) Por
ventara realisarla a quautia de iOjS se completa
o valor de urna aqeo de 2'W# ?
Coatra exprs* delerminacilo da lei, o pros'
pecto do novo baaco uo s coasklera interali-
sadas aeges nao pagas, como converte-as, nde-
eodentede necessaria deliberaco da asserabla
feral, em aeces traosferiveis ao portador e
viceverta I
O prospecto teoU itludir a garanta da le de-
clarando : os SO % restantes serSo -vealisados
pelo banco com o excedente do dividendo nara-
zo de 8 % do capital entrado .
Era primeiro lugar, a realisagaodo capital nao
compete ao banco, obngacao do accionista.
Era segundo luaar, o dividendo se faz com os
lucros, que sao incertoj e o capital o certo, exi
givel e deve ser effecluado em diaheiro. Era ter-
ceiro lugar, o dividendo nao pode ser previa-
mente fixalonemlao poucopago trimestralmen-
te, e delle s fazem parte os lucros liquidas re-
sultantes de operages effectivaraente concluidas
no semestre. (Art. 13, nico da lei citada).
O pensameato do legislador foi corlar pela
raiz o escandaloso abuso de repartir em dividen-
dos o proprto capital.
Se 6 possivel adrailiir-se que a lei das socie
dades anonymas flcou revoada pelo prospecto
do novo banco, at certo ponto, se justilica a te
meraria insistencia dos pretendeutes a tao pre-
ciosas c singulares ac$es.
REVISTA DIARIA
T

trasll
O bani*o coastrnc(or> do
(Nafo, da corte)
O calor, o enthusiasmo, a febre emlim dos
concurrentes, sem numero, s aeges dcste nova
epred3st.nado banco, de-p'rtarara ; ao-sa c.-
riosi'iiide. O risco de vida dos pretaadeates ea-
talados. sem ar, dentro das paredes do edilicb.
as accidentes deplorados, os gritos de aocieda-
de. os estraahos expedientes dos que terciara
nao ser a Hendidos, a temeridade con que ag-
ravara ao ar o dinheiro certo em troco de lucros
rblematicos, desperta a lerabranca do famoso
CBCoasex Law no reinado de Luiz XV.
O prnsoecto era de fascinar os inexperipntes,
que sc niuitos n- sta especie de eepecufago.
Todoquauto podia coucorrer paratfctivar o ape-
tite se apresentou em admiravel synthee. capaz
ie imi/resiooar e at commover o publico ja
adiado-e predisposlo ao jogo miraculoso do\
crdito, raque, iadeptodeiite di< fadigas do
anUttao e das privacdajfc economa, se alcan-
caarii|U'sa.
-i presumiodo-se mais avisado oj fa-
capar era lempo da
ro o cab-dal sa-
jada
Aaaentbla. Provinrtai Nan houve
hontem sesso por terem comparecido apenas 14
irs. deputados.
~A reuniao foi presidida pelo Esm. Sr. Baro
de Itapissuma.
Q Sr. I* seorelario procedeu a leitura do se-
guinte expediente
Urna petigo de Joo da Silveira Borges Tavora,
reqnerendo pagamento da quantia de 300 qpe
Ibe deve a Cmara Municipal do Recife, durante
oexercicio de IS83 a I88i, como solicitador #>s
presos pobres.A' conmisso de orcamento
municipal.
Era seguida dissolveu se a reunio.
Ministerio da Juwlica,JjVecretaria
da Presidencia nos foi reme'ufda para publicar
a seguinie copia: '<-.
i secvaov-Rio de Janeiro, Ministerio apa.
Negocios da Juslica, 27 de Setembro de t8BXm
Ilim. e Exm. Sr. -A Sua uagesUde oimpe
radar foi presento a represecUcoalue acora pa
nhou o officio dessa pre-idencia u. 182 de\i de
Setembro de I88ri, e na qual os avaliadores com-
merciaes Joviniano Manta e Manoel da ruztaar-
tias pedem interpretaco do art. 18do regi-
ment de costas que .buxou com o decreto n.
737 de 3 de Setembro de 1874.
E o raesmo augusto seuhor, conformando se
per iinme lala resuluco de 21 do correte com
0 parecer da secgo de justiga do conseibo de
estado, lia par bem (pandar declarar que osemo
luraenos laxados no art. 181 do citado rgimen
to sao devidos pela avaliago de cada urna das
quatro classes de bens nelle espewBcados, nao
influin lo era cada classe o nurae o de objectos
e a'sitnago dell -s, urna vez que os avaliadores.
(Se]ain os raesmr s e. se faga a avaBacao para o
ncVsrao lira n'um s inventario, conforme est
decidido pelo aviso n 402 de 20 de Setembro de
187, salvo o direito condueco nos termos do
art. 183 do referido retiimento. Deus guarde a
T. ExcCandido Luiz Mura de OUceira.Sr
presidente da provincia de Pernambuco.
rt<> ofBciaea Por actos da presidencia
da provincia de 5 do correte :
Foi exonc-adeo bacharel Antonio da Rocha
Hollanda Cavalcante do cargo de promotor pu-
blico da comarca da Victoria 'e nomeado para
subsiituil o o bacharel Antonio esario Ribeiro.
Porara coocedidos ao professor Pedro Pereira
de Souza Lemos, da cadeira de ensiuo primario
de Goyanna. 60 das de liceoga, com ordenado
para tratar de sua sade onde Ibe convier.
Foi ooraeada Mana Lydia do Sacramento para
re;:er effectivaraente a cadeira raixta de Rosari-
niio, era Pao d'Alho.
Foi prorogada por 2 mezes. cora ordenado, a
licenca ltimamente concedida a Mara Liberata
da Siiva ForttiS, professora da cadeira de ensinoj
primario de Bello-Jardim. **^
Fram nomeados Joaquira Manoel dr Carvalbo
e Jos Justino da Hora, para os lugares de agen-
tes dos correios de Riacho Doce e Salgueiro, tt
can'fu sem etfeito as portaras de 13 e 11 de Ju-
Iho. que nomearam Jos i -aciano Salvador da i '.rus
e Jos Francisco Ribeiro para os referidos car-
gos.
Foi exonerado Manoel Olyrapio Ferreira de
igual cargo na Varzea e reintegrado para sub-
stituido Lonrenco Rodriguesa.osta.
Foi oomeada Francis :a da Gama para cargo
idntico no correio de Caxanga, que agora passa
a fuuccionar.
CJreular Aos juizes de direito d'esta pro-
vincia expedio a presidencia a seguate circu-
lar :
Palacio da Presidencia de Pernambuco, em
4 de Outubro de 1889.Circular.'No intuito de
prevenir a demora na formagao da culpa, pre
paro e apresentagao tos procestos qne tem de
ser submettidos ao jury, recapuieiido a V. S. a
fiel observancia das disposicflweni vigor, guar-
da la sempre cota rigoroso escrpulo, quanlo
apresentagao e jolgainento, a preterencia estabe-
cida nos artigos 317 do cdigo do processo e 24,
1 6*, do decreto n. 4.824 de 22 de Noverabro de
1871{ e tendo se em vista a determinego con-
stare do aviso n. 54 de 22 de Novambro de 1887.
( Onlrositn, fago constar-lhe que as tqstemu-
ohas nao estao dispensadas de di-par, quando o
julgameuto se prolongue alm do auno, mencio-
nado no artigo 51 la lei de 3 de Dezembro de
1841, ficando apenas isentas da obrigagao de
commonicar a mudanca de residencia depois
d'esse termo.
O que, para os devidos effeos, tenho por
muito recommendad a V. %, em observancia
do aviso do ministerio dos nesrorios da justiga
de 24 de Setembro prximo (indo.
Deu* guarde a V. S. M. Aira de Araujo.
O Mraterio* da Ig-i*ejat-sta obra,
que a itnpiedade ditou ao3 litleratos fmncezcs
d'as.-a
raus;de
da Victoria n. II
iiium!aa*ava
de Abril ultimo o-cdttal qu
para o swvigo dailjumP|
do ftecife, e sendo de seis m
eooxurrecoia, tenajna ata-du
Outubro o-ssmo.*ca/.o.
As proaastas daverw ser "i p rataMlpiiaii1.nl I i ^
cretaria da Presidencia da Provincia, curaprindo
aos proponentes depositar previamente a quan-
tla de 25:000*00 em dinheiro ou apolices no
Thesouro Provincial.
AsHausulas de concurrencia constara da lei
provincial o. 1,901, de 4 de Juulio c
caUo-raarodnzidas aoailairio edital
Abril ultimo.
Releva dizer que a actual empresa d
uagao da cidade protesalu contra a indemnisa-
go que Ibe foi arbiirada pelo seu mateiial, na
somraa de*98:777*528.
Iitcaanr" publica -Repetidas veies te-
m'is iraad do assurapto da lioapexa ua cidade,
ja fazpndo reclamages, j ndicanco
convenieutes melhoria ttesse ramo de Uwiene.
* Tudo tem sido baldado. Parece que %' lesidia
da Cmara Municipal do Recife tocou aa extre-
mo limite. Nao ha censura, uio aa crtica que
a faga sabir do eu quietismo de opto:;
Etretanio, para que ntojjCJM t
que uo seguimos o priccipi^^H
v, para aqu aos a sesj
.\urie de honiam, coja redaccao r*iias a de-
Por aliiins dSs haviamos deixada de recia
mar da CaraaraJfanicipal providencias contra o
estao de praij^Bue parece se querer transor
mar nossa cicaae.
E o lizeraot quando depois de continuadas
0irelto ulari
ipeo de raatn-
^H Sr pafcelhe i
lla '"a92cPle %Kll0> determinou que
icntos das matriculas dus 1 ujcfafn'
nos se-reahzarao a 15. 16 dosaVe%.
aooos a 19 e 21 e os do S. a 2i 2*-lo correrte.
VeridVBios gravea No da Id
sado no ent'enlK) .Condado jdeP4a*|
rato e -recoUtido- cadeia o individu
Jo.- Mariauno por baver ^jiaiicuflo,e fi
remen le a urna sua irmaawnaija^cVita.
cenia a parte policial que 9r.riatimso
o rnesinj sua |iro;iria-icMS^rezJL_
Jess, porque esia fugio^^JHWcldo-st tun Casa
de ura visiolio.
Abrio-se o inqueri^aontra'o dcUnqaente.
Eoperloxa uialleKrada^oi a detara
individuo, da cor preta, e aV (lonWJosDemehki
aixao, que preten.lea uoit' de ntrli,>aien
^Blrahir um cnapeo da kqa^i. >4 a ra dopu
fcida com Mara
__ fee de Souza Cruz com Porcina Maria da
Ventura aaEspirito-Santo com Maria
Josflpba; ovEs piri lb'anto.
cana oeteacaaMovimenio aos pre
jk Casa de Oelencap da 7 de Outubro
xiasam 45J ;erHrtam 19;sahiram 17; exis-
jhu 455.
aaber:
cjaoaes 40P; multares & ; estraageiro 33
eadUjIi
?d quede Canas, e fui atiial-Jireso, enlregaado o
desejado ghapo, iiue Ihe cobra) a caiega.
Era tempo de calor raWiior no andar co
peno, e se o cidadao Paiiao Hlese rellecUdo
emJal conceito nao (icaria tao apamunado contra
a policio
Praao -No disiricto de La<>oaSecca, de
Nazaretli, foi capturada pela polica local a reco-
mido priso o criminoso* de morte, Jos Mar-
roqu m.
Lio Taxil e Kal Milo, a'-ab a Empresa Laso Paula Doderiein,
reclamages oasaas, veid ao noss escriptorio
ura digno vereador dizor-nus que o servico da
lirapeza ia passaf poj; un a reforma que uielhor
satisfara a espectativa do publico.
EsU reforma, porm. nao nos consta que ti-
vessesido feitare as reclamages or cartas qu
nos sao dirigidas veranos protar que contina
a se; desculado essa impo: laute-ramo da hygie
ne publica.
Ainda-hontern recebemos uma dessas cartas
em que se. nos pe.lia charaasseraos a attengto do
Sr. commissario da limpeza publica para o asta-
to a que est reduzido o caes 22' de Novembro,
principalmente na parle sol, e largo da Rebebe
doria Gerai.
O i ios so informante diz nos que tal a. cuan
tillado de lixo que existe oaquelle Ingar, que ja
as carrocas nao podem mais transitar por ;lli.
Diz-aos mais qtKgpt um certo lempo j ser
vico da lirapeza naqaelle sitio era fetc pelos
trabalbadores do Sr. Vctor Neesen, que sendo
all eslabelecido cora diversos rmaseos deako-
dao, recoiavam que o oro que iaocavaii sobr^
o lixo se propagaste al as pillias de fa-dos de
algodo que se achava arrumadas na pae ex-
terior dos armazens.
Como v, o Sr. commissario da limpiza pu-
bfica, o exposlo digno de ser providenciado.
Os mootes de lixo encontram-se a cada
passo. ... ,i
lsto, alera de ser nocivo e prejudicial a sa
de publica, triste e desacrediUdmespttUculo
u'uraa cidade como a nossa.
Depois de escripias as linhas qu frece
dem a transoripcau supra, recebemos d* peesoa
cpnceituada ama queixa contra o deposio de li-
xo e toda a especie de immundicias no fargo do
Paraizo, fronjclro ao edilicjo onde fuoccioua a
junla da Sania Casa de Misericordia.
Releva dizer que tase editiuiu faz parte, em
certo modo da Casa dos ExpBctns, oade sao alo-
ja-ios pela pa ioatiluicfco aiaita^ dezenas de
criangaJM dogas ; e, pois,caapo|islos os iri-
convenitntes que. para a lyjfaoe oase estabe-
cimeoto deve trazer a vizilhaifa |)or deraais io
oomraoda daquelle esterquilinia <
E a Edilidadc do Hccilo,. mus s m*, nao tem
olhos para ver essas cou
Fallt-rimeato -Depois daprowgada rao-
leMia, que trouxe-a no leito d padecinienc por
coraaridosdias ; depois de erfowo* jauaensos
da medicina para arrancar a mofle t3o*Jr>c;osa
existencia, suecurabio a illuctre Ciatrcoi D. Ar-
celina Xavier Caraeiro Campello, hsotm pela
maoh deixando iiaacrsos nador de tao penosa
sepango a sua familia eao crescidoBJUnero de
amigos aue Ihe apreciaram as vi nubes o ani-
mo varonil, qne caracterizara n a liio d'.stincia
senliora.
lloje ter tacar o sen enterramente-no- Cern
terio PaWico de Santo Amaro, sahtndo o corpo
do predio n. 15 ra de Sete de Semhro, pelas
9 horas da manha. jf
SogradoExra. Barao de Luceiaedos Drs.
Jos Mhria Carneiro de Albuqusrqjb e Feliciano
Pootnal,e raai do Dr. Francisco umpello, nos-
sos amigos, apresentamos-lhes as noapac condo-
lencias ---
i-^.ipr-.timo provincial '"oosta que
esse emprestimo, ti j nao estcoscluido, acha-1
se era va disto.
E' cont.-ahid no estrangeiro, e io,icaramnos
a praca de xNew York corao a em qnegeeffectua-
r a operaco, da qual se acha inenbido o Sr.
conselheiro Laffayelte.
Damos esta noticia cora recerca e guardamos
a sua conlirmago. *
Rio brande do Xorle ('ii-ns commu-
nicado o seguinte tdegramraa, procedente do
Natal, no Rio Grande do Norte, e dirigido pes
soa qnalificada, qu nos pedio sua poblicaeao.
Natal, 7 de Outobro. i
. Hcjois de um* cabala iiifrene, ofDr. Amaro
Bezerra capitolaa com os conservadores dt) 2.'
distiirto. fazendo uraa transaego por escripto,
na qual aquel les se obriga na a*dar-lte -3 votos,
obriuando-se elle Dr. Amaro a, no caso de ser
eleilo pelo 2.u di?tricto; optar por e!le, razendo
eleger o Dr. Almino Alvaro Alfonso pelol.* dis-
tricto.
Muito pode a lei da necessidade t ;
Eacola publicarla letceao-lnfor-
mara nos qne essa escola; da qual professor o
Sr. Gaspar Antonio dos Res foi hontem sitada
pejo Sr. coronel Jeronymo R. deHoraes lardira,
presidente do Cear, que foi emsuavisit aeora-
panhado pelo Sr coronel cora mandante das ar-
mas c seas ajudantes de ordens.
S. Exc. dtrigio palavras de.animacioao pro-
fessor e aos alumnos, e assignou o livro'de ma-
triculas. .
Conferencia publica tt- No tlicutro de
Santa Isabel, s 7 horas da noite fa/ o Dr.' Joa-
quina Nabuc uraa conferencia.
EapecacuioII >je Iwver espectculo no
tneatro de Santa Isabel em beneficio da viuva D.
Minerviira A. M. de Mesquita, subindo a sesoa
pela 2 vez o drama Ai ruinas o Castillo fefro.
Concert vocal e InnffrnnaentCklNo
dia 12 do correte llavera um concert no edifi-
cio do Lyeeu de Artes e Offi -ios, promovido pela
imperial sociedade dos artistas mchameos e li
braes em benelicio da familia do finado conso-
cio Paterniano Barroso.
O concert sera dirigido pelo dislinctoifcro-
fessor Paula Gomes e compor-se-ba de anas
partes, constantes dos seguimos trechos :
1.* parle :
. Rozwnico Trio para violino, flauta e piano.
pelos Srs. Sanuo Piulo, Joao Alveselfcdo
Schiappe.
Tosti-Per semicfj
Madile. Hedaij Stelzle."
Raff. J. -Polka
Exraa. Sra. Ti
Cavalini
pilo Sr Manoe
RubinsieioAnaglB
Alfredo Schiappe.
BragaLa sirena
tioliao e piano, por
iqunii.
A*aatato NtPdomingo (limo em tr-
ras do eugetiho Mameluco, freguezia da E3caua.
assassioou Polycarpo Jos dos Sanios a Joo
raacfcco de OUaafra a golpes de fouce.
O delinqu nt (o preso era flagrante e a au-
tboridado procede nos termos da lei.
Tribunal da ^lurr do Beccr F,
aoftteiB saaaetMScHkameii'o nesie Trib
o reo Pedro Aleaaodrino da Silva, pronun
no art. 205 do cdigo criminal por despac
juiz de direito do 2. distrieto e acensad
haver na larde de i' de Maio do anno pass
na rea do Soldenla nidada, fendo gravemeotffl
Lucillo Quintilib dos Santos.
Presidio a sesso o Dr. Francisco Doraingu*
Ribeiro Vianna juiz de direito do 4. distrieto.
O jury de senlenga, compoz-se dos segrales
juizea de facto :
Antonio Joaquira Ferreira.
Dr. Luiz da Cojta Ferreira Porto Carreiro.
Jos Aniooi Moreira Das.
Heorique Deocleciaoo Tavares dos Sanios.
Jos Dommgues Codeceira.
Deodalo Pinto dos Sanios.
Antonio SusustefFerrem Lima.
Jos Ildefonso Barbosa de Miranda.
Dr. Jos Berardo Carneiro da Cuaba.
Joaquim Jos da Co.sta Valente.
Dr. Laurindo de Moraes Pinheiro.
Francis o Paulino CabraI.
O Dr. Henrique Augusto de Albuquerque Milet,
i.* iroraolor publico pedio a coHdemnagao do
aecusado no grao medio das penas do art. 205
do cdigo criminal.
Deduzio a defeza o acadmico Alcebiades Pe
ganhar. que allegou era favor do reo a justifica
Uva do art. 14 % 2.* do cdigo criminal.
Replicou o Dr. promotor, e treplicou o acad-
mico Joaquira Thiag da Fpnseca.
De acrordo cora as decisOes do jury, que re-
conheceu por unanimidade de votos a autora do
delicio e negou por seis votos a gravidade dos
ferimentos, e por onze votos a existencia de atte-
nliantes e a justificativa da legitima defeza, foi o
reo coadeinuado a 6 raezes e lo das de prisao e
multa correspondente raetade do lempo, grao
medio do art 201 do odigo criminal .
Foi levantada a sesso s 2 1/i horas da tarde,
u adiada para hoje as 10 horas.
Mervieonilitar Entra hoje de superior
do dia o Sr. capitao Pedro Vejbo e de ronda de
vizila um olcial de cavallaria.
-->2 batalho dar as guardas da DetengSo,
Alfaodega e Thesouraria de Fazenda, o 14 o oflt-
ial pura estae as guardas doJrum, Enferma
ria e*hesooro Provincial e desficamenlo de ca-
vallarra de Palacio.
Foram nomeados os Srs. capitao Mauoel
Aoseimo Pereira Guimares, lente Leobaldo
Augu.-tode Moraes, alferes Victoriano Leopoldi-
no da Sfjva Costa e Pedro olasco de Souza,
para manha se dirigirem ao Arsenal de Guerra,
alira de asetstir abertura de doze caixes con-
tendo Dornaes paca o dito Arsenal. -
Fuoccona amaab as 11 horas do dia o
couselho de guerra do qual presidente o Sr.
inajor Justino Rodrigues da Silveira.
Otrectorta das obra* de ronterva
cao doa Portn de PeraanbacoRaci-
f.'. 7 de, Outubro de 1889.
Boletim meteorolgico
*rrtg
Jions 373
fioentes 24
LoucnsJL
Louca Ir-Total 401.
Movinipnto aa enfermara
Nao houve alteracSo.
leal: i'tdru ii o movimentd* deste
ment de caridade. ao dia 6 de Outu-
>0fr me:
tttraranj 12
Saiuran 3,
Filecerara 1
Existen 542
Cora/m visjtada> as respectivas .enennara
velos Drs.: '
Mo^coso s 8, Cysneiro s 10 i 2, Barros Sobri-
u:.o s 6 114 horas. ,
Nao cooare^arara os Drs
Huranln
">It>
O plano da i
cado marcando a distancia a pe
pareo.
as corridas ge observarSo as rearas q
ge ral e uuiverealmente admlbdas.
Quaesquer duvidas que se suscitarem ntreos
paltes ou entre estes e os juizes serio decidi-
das, ser appellago. pela comraissao de arbitros.
Sero.estes os premios' concedidos pelo minis-
terio da marioba:
Pareos de escaleres de marinha :
Para e^aler vencedor-Ao patro. unta meda-
Ihacoinoicraorativai' guarnigo. uma gr
gao, era dinhelro,;jjpr praca.
Puta o se^undeAo patrio, orna mdalha de
prata conmemorativa.
Wft.'OSid.aiUiUlores :
Para o vencedor -Urna medalbcSoeimemora-
tiva de ouro para cada tripulante
Para o segundoUma medalha commemorati va
de prata para cada trif oante.
Esle segundo premio ser concedido tao so-
monte se o pareo constar de mais de duas erabar-
cagoea/, ,
E' de G. Bastos a seguinie prddacgo :
Croyez...
(A- a..y
K
s
I-o | -o
Hons o sS 1*1 O 60 Barmetro a 0 Tenso 1 do vapor! e a
> -i=* 1 a
6n. 26 -0 761*26 18,58; 74
9 27o-7 762-50 19871 71
-12 28-6 761*94 20 24' 69
3 t. 27-7 760*09 1987 ri
26 8 760-31 19.52 75
Burai
Malaquias. j,"
Es tevc- Cavalcante.
Siraoes Babosa.
PouUial. j
0 cirurgio dentista Xuina Pompilio nao com-
Bareceu.
pharmaceutico eniroa s 81(2 da meaba e
"M 2 dajarde.
danie*tto pnarraaceutico entrn s 7 1(4
:h& e sabio as 6 toras da tarde.
i^ra do UToteria, cojo premio grande de........
^UOi. sera xtraaidu boje 9 do corrate
' tquarta feiraj.
'Ai parie da 3i* lotera, da mesma pro-
vincia, cujo premio grande 60:0004, ser x-
rahida no dia .. de Outubro.
- fc.rn.itte Joterla do Maranbao A 8'
erie da 1 lotera, dessa provincia, cujo premio
rande 300:nOO3000 s- r extrahida oo dia 14
le Outubro.
Cemilerio PublicoObituario do dia 5
de iutubro :
Jos Paulo de Azevedo, Pernambuco, 12 an-
nos, Graca; thraumatisrao.
Joiio Puuio, Pernarabuco, 3 mezes, Boa-Vista ;
impaludismo.
Raphael Felippe Nery, Pernambuco, 35 annos,
solteiro, Boa-Vista; tuberculose.
Joo Rodrigues Cardoso, Pernambuco, 25 an-
nos, casado, S. Jos; tuberculose.
Jos, Pernambuco, 6 raezes, S. Jos; atre-
psia.
Leocadio, Pernarabuco, 9 mezes, Boa-Vista;
bronchite.
Camillo Duchanell, 'Franga, 56 annos, viuvo.
Boa Vista ; tuberculose.
Marcolina Anglica, Pernambuco, 3,5 annos,
solieira, Boa-Vista; anemia.
Cbrispim Jos de Parias, Pernambato, 9 me-
zes, Boa-Vista; tuberculose.
Luz Joaquira Ferreira da Silva, Pernambuco,
3o annos, solteiro. tsoa-Vista ; tuberculose.
Bellacmino Barreto Accioly, Alagoas 44 an-
no<. Boa-Vista ; aslbma cardiaca.
Jeronyraa Maria da ConceigO, Parahyba, 72
aoaos, Boa-Visla; gastrite.
Antonio, Pernarabuco, 4 annos, Recife, sa-
rarapo.
Maria, Pernaxbuco, 6 das, Graga ; espasmo.
Maria, Pernambuco, Graga: aspbyxia.
6 -
Francisco Valentira de Lima e Silva, r"ernam-
buco, 63 annos, casado, S. lote; leso car-
diaca.
Severioo, PernambacOj 2 annos, Recife ; fe-
bre palustre.
Beruardlno da Rocha, Pernambuco, Graga; en-
cephate.
Estevao de SouiJLeo. frica, 82 annos, sol-
teiro. Boa Vista; seflilidade.
Um feto, Pernambaco, Boa-Vista ; asphyxia.
7' -
Jos de Miranda Costa, Pernambuco, 18 annos,
solteiro, Graga; adynamif. -
Mara Francisca dos Santos, arahyba, 40 an* -
nos, viuva. Boa-Vista ; tuberculose.
Maria, Pernarabuco, 9 annos. S. Jos ; coo>
surapg.
Joao, Pernambuco, S. Jos; inviabilidade.
Manoel, Pernambuco, 7 annos, -. Jos; bronco-
pneamonia.
Manoel dos Santos, Pernambuco, 25 annos,
casa jo. Boa-Vista ; accesso peroicioso,
Manoel Gomes Aroxa, Pernambuco, 34 anoos,
casado, Boa-Visla; cachexia palustre.
Temperatura mxima29,00.
Dita mnima 25*.75.
Evaporagoem 24 horasao sol : 9".4 ; solt-
ara: 6-.1.
Chuva aulla
Direcco do vento : ENE e E alternados du-
rante todo o dia.
Vetocidade -media do vento: 4",19 por ce
Nabulosidade media: 0.35.
Boletim do porto
II
ft\
Das
7 de Outubro
8 de
Outubro
Horas
910 da manha
3 -42 da Urde
9-32.
353 da marina
Aituri
-Ellectuar-se ho os seguintes
Brazileira.com sede era Lisboa de mandar faier
na versio pj lugoesa elo Sr. Gomes Leal, e
t irapnmindo e distnbnindo por fascculos,
obra volamos i'?iarapis intercala-
lexto e multas illusiragea. A verso
lado que sabe da penna do Sr. Gomes
o livro, o sai disont romance, de-
2. parte
alini Do sobre Pa
rineta, pelos Srs. Joo At
Flho.
Roioli Perclt gemo T vi
Exma. Srs. D. Julia Pinbein
Beetho venRondo
Hoje:
r- Pelo ageoie 9IIveira, s ti horas, ra do
Roxario n. 8, de terrenos.
' Pelo agente Brito, s 11 horas, roa do Bem
Jess n. 45, de uma chcara nos Afflictos.
Pelo agente Gusmao. as 11 oras, ra do
Apollo n. 32, de am cofre e mais objectos de
escriptorio.
Pelo agente Stepple, s 11 horas, i ra do Im-
perador n. 39, de uraa tavenia e mais pertences.
Peto agente Pestaa, s 11 horas, ra Du-d.
qne de Caxias n?79-, de f rragens, armago, etc.
Aman Ua : I
pelo agente Pestaa, s 11 horas, ra Duque!
de Caxias n. 79, da massa fallida de Manoel lio
drigues da Silva. ~'
Pelo ageute Gusmao, s 11 horas, na fabrica
de Cajurubeba, da mesma fabrica.
Pelo agente Modesto Baptista, s 11 horas,
ra da Imperstrii n. 7, de movis, loucas, vi-
dros, etc.
Pelo agente Burlamaqui, ao meio dia, ra da
[Aurora n. 61, de movis, etc.
Pelo agente Pinto, s 11 horas, na do Bom
cesas n. 45. de um sobrado de dous andares ;
ra do Boin Jess n. 45, de candieiros e outros
objectos de uso, e s 2Jwrasf de um sobrado,
dito ra de Joaquim Na^BO.
Pelo#gent Stepple, sWhor;;s, ra do lin-
de armagao, gneros e mais
s na taverna n. 2, ra da
1/aiioras, Carabda
ebradas:
ista pela alma
cantada pela
matriz
la Silva ores.
Amanli :
^^Kiiora?. na igreja de S,
de D. Mria Rita do Carmo .
Francisco, pela
a.
Sabidos para
onal S". Francisco
lno Caff, Joo Gouvea, Manoel Gon
raceslao Joa Baptista.
alma
s. no
D. Maria
porros do
Se eu podesse nestes verso
Te contar o que sofl'ri...
As magoas fundas saudades,
Que Uve longe de ti :
Com certeza uo descrias...
Nao duvidalas de mi.
.Tantos das que sem ver te
Pasei c'aquella soidSo f-
Paquelcs agros paguedos
Qm deaominam serto I
Onu'e o sol mais'rdente
E abrazador, no verSo I
Tantos dias II... que saudade* i
Oh oo te posso dizer a
Meu corago uo tera vez,
SO sabe te estremecer...(
Se elle podesse fallar-te
Talvez roe podesses crer.
Da manha as horas bellas
Quando o sol surga alem...
Beijandos os picos das serras
Roubando o orvalho ceem...
Eu (embrava o teu olbar
Que brilho raais que o sol tem.
Eu gostava ouvir das aves
O canto aleyre e festivo,
Quando se alavam no espago
No seu vdo fugitivo :
N'es3es gorgeios ouvia
Tua voz, quedo e captivo.
Quando a tarde ia morreado
E a noite desdobrava
0 seu manto azul escuro,
A la que se mostrava
Eu segua no seu gyro
Quana'o de ti rae lembrava




Se uo crs no qne te digo
Como t'o hei de provar-T...
Nao lenho ouro, riquezas
Que leus ps possa deitar.
Nem mais tenho corago
Pois fuaio com ara teu olbar...

-
. -


Na exposigo de Paris de 56,012 o numero '
total dos expedilores ; e por acharera-se 859
fura de concurso, sero oo,153 os submettidos a
julgameoto. Teodo o jury de classe sujeitado
ao de grupo os premios que considero*, no caso
de serem concedidos, apresentou este por sna
vez ao Jury Superior, aps a competente reviaao

a lista segrate
M POUCO DE TUDO
Varias vezes temo-no? referido excellente
mooograpaia qne acerca do Brazil foi dada es-
tampa na Grande EncyJopedia, a colossal obra
que anda em va de publicago constituir no
seu genero a mais consideravel de quantas tem
produzido o saber humano.
A referida mooojjraphia, na qual collaboraram
os Srs. E. Levasseur, E. Trouessart, Paulo Maurj,
Zaboroaski e Heorique Gorceix (quasi brazileiro
este ultirao), os nossos illustres compatriotas Vis-
conde de Ourem, Baro doRio Brancoe Eduardo
Prado, pdde ier publicada, com especial permis-
sio dos edictores da Grande Encydopedia, em fo-
liieto que at agora o trabalho mais completo
acerca do Brazil actual.
Sabemos que est sendo preparada nova edigo,
a qual ser acompanhada de um appendice con-
tendo artigos que nao pndero ser publicados na
Grande Encydopedia, entre os quaes ura do Sr.
Glas30o, do Instituto de Franca.
Esta segunda edigao trar cerca de 30 gravu-
ras, segundo desenbos de notareis artistas fran-
cezes,representando panoramas do .Brazil, mo-
numentos, as telas Guarorapes, de Vctor Mirel
les, e Ypiranga, de Pearo Americo, e o Ckristo e
a Adultera, de R. Beraardelli.
E' rato reconhecer que, assim o commissa-
riado do Braz na Exposigo Universal come va-
ajos brazileiros residentes, ou de-passeiona Eu-
ropa, tem prestado relevanlissimo servico pa-
tria n'esta quadra de extraordinaria actividade
em qua as nages americanas tanto se tem eirt-
cenhado por tornar coohecidas aacVias riquezas
els condiges de bem estar que podem offerecer
ao xodo das populagOes auporas.
De neuhum dos paizes do nosso continente
tanto se tem escripto quanto a respeito do Brazil e
tacs-pubticacoes revotara profundo conhecimento
da nossa existencia social em todas as espberas
da actividade. a
mostrador de
dono
. U* sujeto para defroatad'uoi
caca de modas :
^P*- Tenha a bondade de entrar, dis-lbg
da lo/a, pode ver melbof c .dentro.
Oh I nao I nunca compro seno
que tem os seus precos marcados.
E o dono da loja^ntigo sixeiro de ctamer
co, e que se nao deseoncerta por cousa pouca :
Mas qu nos nao podemos ter os precos
marcados. Sao to baixos que julgariara que sao
preces de occasio!
Diziara que a regata que se deve realisar na
enseada de Botafogo, era homenagem aos officiaes
da marinha chilena, embarcados no encouragado
Almirante Cockrane, c da qual foi encarrgado o
Sr. capitao de mar e guerra Luiz Felippe de Sal-
danba da Gama, constar de 9.nares de escaleres
da marinha e de mais um ou dous pares reser-
vados para amadores.,
tOs pnres lis escaleres da marinha ficaro as-
sim distribuidos:
Paro para escaleres de 12 remos.
Pareo para escaleres de 10 remos.
Pareo pira escaleres de 8 renns.
Pareo para escaleres de 4 renos.
Pareo para baleeiras de 6 remos. ? -
Pareo para canoas de 6 reinos.
Pareo para baleeiras de 4 reu
Pareo para candas de 4 remos ^^
Pareo para botes de 2 remos.
Ura oa dous pareos de amadores.
Os scalere8de palamenta a iie as ba-
leeiras e candas de 6 reg^H Ho ter como pa
troes oflkiaes ou
Grandes premios
Medalhas de ouro
Medalhas de nrala
Medalhas de brooze
Menges honrosas
Total
8
5 599
11.104
ID. 985
9.027
r
37-605
O jury superior, que representa ante o jury
gera o papel de Supremo Tribunal de Justica,
ja noraeou commisso para receber e resolver
acerca das reclamages, leudo tambera "j con-
firmado alguns elevados premios concedidos a
expositores brazileiros paos jurjs inferiores. O
numero total dos jurados orga por mil, entre na-
cionaes e estraogeiros. >
E'formado o jury superior por 9o raembroe,
dos quaes 53 francezes e 41 estraogeiros. Dos
estrangeiros sao 14 americanos, a saber ; 4 or-"
te-americanos, 2 brazileiros, 2 argentinos, e do
Mxico, Chile. Uruguay, S. Salvador, Guatemala
e Nicaragua, um representante para cada paiz.
Os dous jurados brazileiros sao os conselhei-
ros Visconde de Cavalcanti e Ladislao Nello.
Aquelle tem de direito assento no jury superior
a qualidade de commissario geral de paiz, qne
canta mais de 500 expositores, caso em qne
tambera se acharo, todos os commissarios geraes
dos paizes americanos. 0 conselheiro Ladislao
Netto foi comeado pelo governo francez como
demonstrado de aprego pela exposigo da *
Brazil.
Um sabio naturalis\,francez, Pauchet, que se
tem ocenpado das caus de que dependem aa,
variagoes que a pesca da^rdinhas apresent*'
todos os anoos e pnocipalrrrbqte do modo de re-
produego deste precioso pe*. para alimenta-
go, chegou a estas coocluses qt. lancam algu-
ma luz.na obscura questo.
Elle achou. depois de numerosas Cx^eryacoeg
que as sardfnbas mostrara em todo tempjrandes
imperfeigoes no seu desenvolvimeoto ; isttaadU>
a pencar que a postura das ovas nao su\met-
tida, na sardmba do Oceaoo, ao cydo sol*Ta
que tal postura se exerce em aguas profunda!
de constante temperatura e distantes da acgodo/-
bomem.
A mais pequea sardinha que Pauchet pode
obsecrar at hoje, nao tinha menos de seis mezes.
Os ltimos romances publicados em Franca
sao os segrales : han Bise de Joo Honcey
(Didier Perrin), Le Coionel Labretache de Quida
(Perrin); les Prouesses a"une fule d'Albert Cim
(Vlrpon); Susonne Duluc d'Atlals do r.ornaa (J.
Duchen ; Les peches de Themu d'A. I. Daisemc
(Bausloton); Pair* P. de Champeville (Quantin).
#
Do relatono feito sociedade zoologiJB
Franga, resulta que. as costas meridionaesd'este
paiz tncontram-se numerosos cacadores que es-
K'ndem nos metallicos, semelhantes aos dtele^
grapho. sobre os quaes as andorinhas vem repou-
sar da fadiga da sua travessia da migracao para
depois completal-a.
Quando muitas andorinhas csto agrupadac
sobre os fios, fazem passar nos mesraos uma
forte correte elctrica que faz cahir fulrnioadoc
os pobres animaes; e por este modo vem a ficar
um grande numero destruido.
A proposito d'nra tal facto foi observador
as ordinarias correnles dos fios telegraphicc
sSo bastante fortes para matar os animaes que
sobre elles poiso, e que pelo contrario,, espe-
eialmeote nos lugares ricos de caca, os passaroc
morrera porque batem violentamente, contra oc
(ios metlicos, precisamente como fazem contrtr
os poares.

O thema escoUiido pela academia franceca
de sciencias moraes c polilcas jara o concurso
do premio Doniol de 2,000 franafc que deve ser
conferido em 1892, uma HidStre du droit dai
neutra et de son imtroduction daxs la legtslatan
moderne de <'f^H i
Os ultira#3 romances inglezos sao: Tu*
Tree ofK%(*>lrige d'A. M. Robins (H-int and !
ckett); The scotte o Hestmnster de I. Masterawa |
(Bentley and Son); The Las* that loveia S"
de G. Manville Fean (Ward.aad Douney)
vith tAOldLove di
|H ------_
and Blockeui
-

"':<
ii
.
*
coscc
m
m
Z


-lwIo; 1:U00# ao ter-
mo.
:o oi animacsjBue aba
- cinco priSeiramente col-
udelaria
iro,

t
rv
tea
ffTo?, i u.
los. (G. L
y)
Agu los, (J. de Pigheiredo); The Wi-
tch,48k Id); My Boy, 46 kilos, (Mar-
aeliino); I 32 kilo?, iGebrge ; Thesaali
kili .lan, 50 kilos, (Turner);ij
. 50 kilos, (J. BastWi: ontralto 46 kW
Anstides); Breas, 4f kilos, (Beale) ; Setta, 4
tusa.''(James **'
Mo eorreram Mimer, Paladino. Jaguar, Si
ia e Troia.
Tempo de corrida 201 segundos. *g*,
Potde de Sotti'a'em 1. logar 03*360 e em 2.'
36*100.
Poule de Tic-Tac em 2 Ipgar 17W800.
o$. appell
.na.
DIST
Aggravo de petijSo
Ao Sr. desembargador Tavares de Vascoa
cellos: 4
Do Recife-Aggravante Antonio Luiz dukl
tos, ;t$gravada D. Leopoldina Felippa drooMa
Ca vafeante
Procfsso de ri'sp.insabilidade,
Ao Sr. desembargador Toscano Barreto
Copia da portara do Eira, conwlheir JRJt-
dente da Refaci e ruis papis relativos a res
ponsabilidade do bacliarel Aleebiadee CavalcanJl
le de Albuquerque, juix dedireito da-comarca
ftFbresta.
Enterrou-se a sessao j 111/2 horas da uw
nba.
frota
tarios de todas m eep
uAJ^aft. vfuductos cninit
ido-
Poule de atiirriaes ^'locado:?.- Sotta 28; Tic-
Tac, 82* ; Su a vita, 28*000.
Omovimento da paule no pareo foi 64:720*000,
tendo o geni dajoraadajl ^^71:270*000.
esea corrida,
anos.
oradas e uno*
gr
ipiTTi s
cas c a"e Inu-qnez de Ufmda n. 23.
'Mita de escrercr
fim^^^ga tinta Y*tria, vende-se a
fl rs. fatMgarrafa e a 800 rs. urna gar-
Dteira ta LivrWra Comtemporane
de Ramiro M. Costa, 'ua Io. de Marco n
-i 'jaie ferragens de Albino da Silva
<& C. ra da
caapp n^42r; loja de ferra-
gensTtaP>randao & C, Vua Duque do Ca-
sias n
V
ajrroHio
a benito i) uanto ella
UiMf, tifcloBpWyQueria a forca urna
mxqtoia, o que diftealtou extraordinariamente
a sahidu, retardando-a por rnais de meia hora.
Finalmente, mais ou menos alinhados os
suraza competidores,- starter arreiou a bandei-
ra, pulando na pon/a a The Witeh, que foi irorae-
'iatamente batida aor Feniana, a qual puxou ve-
lozmente a corrida durante cerca de 1.500 roe-
ros. My Boy, que corria era segundo logar, pas-
jou entao para apona, fazendo o jogo para a sua
companbeira de coudelariaSuaviia.
Na ultima passagem pela recta opposta s
arcfaibancadas Sotta forcou o galope, alcan-
ftndo francamente a vanguarda do peloto,
' fue sustentou at ao vencedor, ganhano bri-
Itaantemenie a corrida no excellente tempo de
200 segundos.
/ Tic Tac; migistralmente corrido pelo Toon,
ffei^ceu iuta a Sotta na recia do rio, luta que
irolongou-se at a chegada, onde a mesma >ot-
jea bateu-o por pescoco, gracas ao conhecido
partido do chicote applicado pelo Lourenco; Sua-
Tita fez chegada brilhantissima, perdendo de Tic-
Tac apenas poi cabega.
Urna corrida e urna chegada cheia de vivis-
sraas emocOes, Solta por dentro, Tic-Tac no
centro e Suavita por fra, todos tres em luta ti-
tnica, quasi emparelbados. Clan Challan hesi-
tou aa partida, sahindo cjm graole atrazo. A
sua Collocacao foi, portan to, muito honrosa.
HogUHiolte. o intrpido e valeroso filho de
eaummet. car cegando 60 kilos como top weigh
ia lutnicap, e roto visivel falla de trabalho, en-
confroo viva resistencia da parte dos competi-
dores mais valentea, e esgotou se na luta. Esta-
mos certos, porm, du que a sua desforra nao se
faro esperar.
O tempo esplendido da corrida, alias, por
Uso mesmo que honra a vencedora, nao desdou-
ra o brillto do nome dos venados. > -
O objecto de arte conferido ao vencedor foi
m liadissimo cofre tnarchetado de oura, tendo
aos cantos cablas de savallos e encimado por
m cavallo montado por ura jockey.
Tudode praia, produzmdo linaissimo effeito,
e constituimio uai valiosisstmo premio
No (ui/flutiiiut nse ensatara pomles de .nimaes
eollocados. lendo sido p-aticado j na corrida do
Prado Yla Isabfl, de 29 de Se tatabro prximo
aass-nie.
O processo o segainte :
O producto, depois das deducefies de 10 la em
tsor da soci'-dade e da importancia das apostas
des tres aDimaeaque lcao#rera as tres primei-
ras coIlocacOes, ser dirididaken) teas qnotas,
rateando-so cada urna des-tas pelos apostadoreM
inejuindo-se o capital empreado, conforme o
aalcu.o abaixo exemplificau :
Animando pareo
2:360*000
190MJJ0
1:170,
3:
Deducco de 10'*.
fdem do capital dos tres
animaos vencedores,
que por hvpoth*ses
sejam A. C. e E. 4:410*
2.100*000
1:750*000
11:561*000
l-.ioliOO
5.561*000
duala Comnercinl da cldadc do
Reelire
ACTA DA SESSAO DC 3 DE OUTBRO
DE 1K19
PRESIDENCIA BO IU.M. SR. IiOMME.ipADOR
OOaXS DE MIIa \DA LEAL
Secrttario, Dr. Julio Gvinares
. A's 10 lloras da'manda declarou-se aberta a
sesso, estando prsenles o; Srs. deputados rom
iador Lopes Hachado. Beltro Junio, Paula
liando sera partic pa Olinto Bastos.
da, foi approvada a atta da ultima Sessao a
fez-se leitura do scuuinte :
KaaciTS
Offielo :
De 28 de Setembj da unta dos corre
desta prega, enviando o noletim das cot
olicmes de 23 a 28. -Para o archivo.
OScio da junta dos corretores de 1 do cor-
rente, dando conbecimento das cotacOes effec
tuadas pelos corretores no mez de Setembro.
Seja archivado.
Oflicio de 21 de Setembro do Dr. inspector
commercial de Macei, remetiendo a nanea do
corrector Jos Joaquim Tavares da Costa. Hoja
vist o liscal.
Danos Offiaaes de ns. 248 a 261.Sejam ar-
chivados.
Distribuiram-se rubrica os seguintes Iivros :
Copiador de Antonio Maria da Silva, dito de
Olinto, Jardim 4 C, dito da caixa filial do Banco
Nacional do Brazil.
DESPACHOS
Peticoes : *
De Luiz Antonio Siqueira, apresentando a re-
gistro urna procuracao na qual constituio seu
procuradores em !. logar a seu neto Carlos de
Moraes Gomes Ferrcira e em 2. a Clemente
Lima.Registre se.
Do mesmo Siqueira para Ihe ser registrado o
distrete social celebrado entre elle e seu neto
Carlos de 'jporaes G. Ferreira. -Archive se na
forma da le.
De Hygioo Barbosa & C, estabelecidos com
fabrica de cigarros a ra Direita n. 13. submet-
tendo a registro a marca que adoptaram para os
cigarros qut njauufacluram.Satisfacam.o pare-
cer fiscal. ,
De C. J. Gome* 4 Fons
trar o contracto que da llrma que se compe.
de Carlos Lourenco Gomes e Joao Gongalves da
Fonse0, celebrara para cotnmerciar em assucar
por greaso com o capital de 54:576*310.Archi-
vbse na Corma da lei.
De Aftonio Joaquim Baibosa Vianna, subdito
poituguez, natural da freguezia de Victorino dos
Piaens, conselho de Ponte do Seine, provincia
do Minho, de idade de 38 aouos, socio da firma
Vianna Castro 4 C, estabeleeido ra Duque de
Caxias n. 115, impetrando matricula. Allestam
em abono do Impetrante Antonio Alves da Cruz
Gomes de Matios Irmaos e Manocl da Costa
LoboComo requer. ^^
Nada mais haveodo a despachar, o ^m Sr.
commendador presideale encerrou a sessio s
11 horas da manba.
fUBLICAiOE^i A PEDIDO
Rio Crancie do Norte
Estrada de fet-r do Cear-ati
rlm
O Exm. Sr. coasellieiro
Junque, honrado ministro
epjjpgjftr um importante
jSilwiditaiMif esquec'
. ves p'c ra a conl^^H
do ftrro
rNattl.
conhece a uberda* prodigiosa do valle
-mirim, quem conhece b deaeovolvimen-
m tido aqni a lavoura da ejmna, cuja
_ to no ultimo decennio elevoo-Be ao da*
. apezar da crise com que ha cinco annos luc-
tl nosso assucar, pela sua depreciacSo nos mer-
cados estrangeiros, onde s l'-rn oblido prejos
inferiores A 50 por cenlo aos que eotjjio obtinha;
a a eoocessao, flpK
poder sabir-sn das
eommerclaes em que se
sua e do paiz, e para
io, o Sr. con*elhei
ministro da
or d pasta, que
e quera quer que sej i.
remover qualquer em
tewba de apparecer eon-
e engenhos centraes do
idamente para o patriotismo
i do norte, que oo* faru em
lid''. melhoramentos que se
a provincia por cujos beae
lamente grata.
iie Outuhro de 1889.
Os agneuttoret.
co.
Comtaimc-rne ,a o intuito de
prejudicar-iBe ^Hie o lugar
do tabsiao e escrivic^RpM deste ter-
mo^ ha insinuado petante a presidencia
da provincia ser en parete do escrivao
do civel e crirne Jos de Leraos, em grao
tal que produz incompatibilidade entre
nos, venho pelo presente declarar que di-
to eacrivo apenas mea parate, m
grao que nflo estabelece incompatibilida-
de no exercicio de nossos cargos, confor-
me a lei, protestando tambero provar o
que afirmo, quando isto fr necessario, e
fzer valer o mea direito por todos o
meios legaes.
3. Bento, 30 de Setembro de 1889.
Jotl Bento de Qliveira.
Estamos aqui
it
oya^RP
entregues a- J
de Albu-
ra, acab
- po
.aramias
horda
l que diapondo da forea -publi-
da pratioar os actos mais
omento que satiafaca aos seus
Wsquiuhos o ambiciosos.
^ue passamos a narrar, v8-
inoa que tem sido aqui
pratic^^M axil o da polica, nao
r fira jonortar intrigas
ticas, vio alem ; padrinhar o$
inttreft* dos^painadores da Ierra.
O Sr. Dr. ohefe de policia/s&ne conhe-
ce bastante esta comarca, proeore nm meio
de tirar a polica das maos desta turbu-
lenta gente que s tem concorrido para a
decadencia de Qoyanna. .
O cidadao aqui nao ten) mais seguran


ue seode vigario d
zia a t annosr nunca vi reinar maior
rooia, moralidade e ordem no seio de me
parochianos, especialmente na presante i r
quando anda estSo jaem recenteB as.f
ceosflflifencias, lamentadas as anteriores i
de 1878 a 1879.
Firmando estas Bnbas com miaba asaignatur
quepo dar mais solemne prova de meu-eteoa
reconhecimento ao disiincto reJigiosti capHcai-
nho fre Cassiano, pelos relevantes sexvioa
prestados a qieug narochianos.
Imneratrii, 25 deSctembno de 889.
O. vigario,
, Antera Jos de Lima
(Do Ctarguej.
-----------a. L,^ ..----------
Episodio
Eicarso
D.
a Corteadas

Ao ebegar o trem estago dos Prazeres, nm
nobre a agigantado Visconde apreseota-se com
a coiapeteiitebat:ai;einurnas latas com biscoi
tos e dous cassuscoai cdco9 verdes-lembrtoea
feliz parao collega de Contendas.
Geraes synipaihias. ^
^jiuham es cocos, venliam os cocos, exclamara
^rdfcados hguroes que, de eempanhia cora dis
tudas aenboras, eDChiam um dos carros-saloes
do trem.
quem conhece de qnanto 6 capaz anda de pro- j 9a individual a de propriadada : tanto se
duzir este valle, ha de necossariameule convir ataca ft ^^ 0 O Canal de Govanna, achando-se
a
Saldo dividido em tres
quotas 5:9491000
Ser cada quota da quantia de 1:983* que
K dividir pelo numero dos aposladores de
cada animal dos tres |.nmeiros logares ca-
bendo:
Aos apostadores do animal A 18*400 ineluin-
do o capital.
dem do animal C 26*900, dem.
dem do animal E 32*500, idea.
CHB0N1CA JDD1C1AR1A
Tribunal da Relaco
SEi-SO ORDLXABIA EM 8 DE OUTUBRO
DE 1889 '
PBESJDENCU DO EXM. SB. CON8ELHEIBO
QUINTrMO DE MIRANDA
Secretario, Dr. Virgilio Coelho -
A's horas do costume. presentes os Srs. aes-
enibargadores e;u numero legal, foi aberta a
eaftlo depois de ida e approvada a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos na houve-
ramjulgamenios
PA8SAOENS
Do Sr. desembargador Pires rerreira a<
desembargador Monteiro de Andrade :
De Barreiros -^ppelame^lfanoel Octavianot*50111 spec"!^ moteatiaa do cora-
IKDICACOES OTIS
iHcdjo
Dr. Castro Jess medico e operador.
fVatica a lavagem do ulero guando co-
mo aconselhada. Consultas das 11 >
3 da tarde em sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da 'ra) n. 23, 1.'
*ndar. Telephone n. 380
O Dr. Matheus Voz, medico, tem o seu
escriptorio a ra do Bario da Victoria
n. 51, 1. andar, onde d consultas d
meio-dia s 2 horas da tarnc. Keside
ra de Gervasio Rres n. 27. Ehcarrega-
se do tratamento das molestias de olhes.
Telephone n. 427.
O Ifr. Simplicio Mavignier.Clnica me-
dico-cirurgica. Especialidades : molestia.1
pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
Olinda n. 27,1." andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa-
nelia) das 6 s 9 JMras da manha e
tarde. Teleshone o."|92
que iieiiiiuin outro melboramento se faz sentir
oesta provincia que deva ser preferido a estrada
de ferro, cuja coacesso acaba de ser decretada.
D realisaco desta depende a dos engenhos
ceutraes, nica salvufo poiivel para a.lavoura
da.canna.
Todos os proliisionaes qae aqui teemt viudo
sao accordes em alllrmarqne este valle pela sua
uberdade prodigiosa e sua posigo topographica
una zona a mais adaptada possivel para o esta
belecimento de grandes engenhos centraes, os
quaes darao resultados, se nao imposslveis, ao
menos muito dif&ceis de obter-se em qualquer
outra zona assucareira ao Brazil.
O valle forma urna baca banhada pelo rio
Cear-rairiin, com cerca de 36 kilmetros de ex-
lenso a 1 1]2 de largura, mais ou menos.
Metade,' 18 kilmetros, est cultivada, toado
42 engenhos; destes 27 sao movidos vapor e
15 por tracgOo animal.
Os cannaviaes dos 42 engenhos formam um's
partido, que se desdobra a nossa vista como
um lencol de verdura.
A sua prodncco media em assucar neste ulti-
mo quinquennio foi de 120 mil saceos aonuaes,
ju 19 600-000 kilogrammas, e urna parte corres-
pondente 20 por cenlo do assucar era agur-
dente e un I.
Pelos nossos systemas imperfeitos de raoen-
das de presso simples e de cosimento a fogo
n, s oblemos da canna de 4 1 JT por cento
de assucar ordinario, ao pa3so qoe pelas raoen
das de dupla presso, cosimentos vtcuo *M>-
parelhos de turbinaco obter-se-hia de 8Tlt
por cento de assaqar de boa qualidade.
fa-
issucar d
' queda
!0 mil sac
,t.
r. Ribeiro de Bfitto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no poden
dar a ra Duque de Caxias n. 46, 1. an-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei
ro, consultorio ra do C&bug u. 14,
1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Cerqueira LUU, teta o eu escripto-
rio na ra Nova n. 32, do meio dia s 2^
horas e desta hora em diante ra BarSo
de S. -Borja, n/ 22. Especialidades-
molestias da- enanca senhoras e parto,
Donde se v (|UtMa canna que actualinente fa-
zeo*B arjui 120 mil saceos de assucar, se tfris-
semos engenhos centraes aperfeicoados, faria
mos mais de 200 mil saceos.
Cultivada toda a rea do \alle teremos urna
producc/io superior 400 mil saceos de assucat
e 20 mtt pipas de alcool animalmente.
Alm da ca na ciiltiva-se aqu em grande e-
cala a matidioca, omilbo, o fe:jio e o algudjio.
O nosso cofiomercio esUi bastante desenvolv
do e com o eslmejecimento da liaba frrea vira
a ser o ra^is imfftnautc da proWnea, porque
paja aqui tem de ;.flluir o algodao do alto wrlo
do Serid e di- Angicus.
Desprenleruio-se na conslruc{o da estrada o
mximo do capital garantido, l,2b0 con tos (40
kilmetros a 30 coates), o Estado po.ler pagar
parte uc* juros garantidos nos tres primeiro*
annos; ani por diaote a estrada dar renda su-
perior a 8 par cenlo ao anuo.
A garanfi de juros pura os engenhos centraes
sera tamben apenas nominal da segunda safra
em dianie, principalmente sendo estes levado a
effeilo pelo honradissimo concessiooario, com
mendador Joaquim Ignacio l'ereira, que osAr
com a mxima economa e les dar a mais
econmica c moralisada admimstraco, o que
tem faltado absolutamente s emprezas inglesas,
que por isso teein dado resultados negativos.
Pelo contracto roe celebramos com esse dis-
tincto concessionario vamos perceber por cada
100 arrobas de canoa 6*000, quando o prego do
assucar bruto em Pernambuco for ii'lerior a___
1*300 e mais 250 res (as (00 arrobas) porcada
100 ris que'accresoer aquelle prejoi.
Esse contracto traz vantagens reaes para a,
eranreza e para os agricultores. Para aquella,
ua| poileuio tirar Je 100 arrobas de canna no
pe-
tmorado ha trea annos a requarimento do
Banco Industrial e Mercaatil do .Rio de
Janeiro, foi entregue a osn depositario
nomeado pelo competente juiz munici-
pal. '
Pois bem, nao obstante estar o canal
penhorado e ter um depositario nomeado,
a quem assiste a obriga2io de zelar e re-
ceber as rendas, o executado, a conselhos
do Dr. Joaquim Tavares e auxiliado pela
polica, persiste em nao onsentir que os
negociantes embarquem sem que primero
lhe paguem as respectivas taxas; de for-
ma que diariamente vemos a policia di-
zer ao negociante : ou a bolea ou a vida.
O negociante, ainda que tenha de certeza
que aquillo um roubo a mo armada,
porque o executado nao pode cobrar
promptamente entrega cobre, porque
deseja ver-se'Hvre da policia 11
Hontem, porque o negociante Manoel
Joaquim Carneiro de Albuquerque quiz
resistir ao pagamento, declarando que
aquillo era nm crime previsto pelo Cod.,
foi aggredido por um sobrinha do Dr.
Joaquim Tavares, de nome Jucundino,
que armado de revolver o tentn matar.
Felizmente o ci-iiajpn3o foi consumado de-
vido a intervenu^ode diversas pesaoa.
Uesponsabilia ws ao'Sr. Dr. chefe de
policia pelo que > posea suCceder de des-
Chegaram os cocos.
As senhoras, os cavalheiros e tuti quanti mos-
traram desejos de se servirem do refrigerante
licor que se contera as hojudas carcassas dos
froctos.
Nao havia, porm, com que perforar essas car-
cassas.
Supremo momento t
Um recem-eleito depulado geral pela cidade
do Recite, com a rapidez de um Hermano, ou
melhor de um jockey, sacou da cava do collele
um grande punhal e perguntou em ar trgico:
Isto serve ? I...
Houve estremecimeotos nervosos, desgostos
profundos, medo. Tal foi a resposta !..
Perdo. O nobre e agigantado Visconde res-
pondeu mas cora uraa vehemente censura.
Um senador presente encarou lixamente um
conselbeiro. tambera presente, e o seu olhar ti
tilia laivos de-----
Os excursionistas iam para casa de um ami-
go. simplesineole para se divertirem 11!...
O episodio, que de urna readade
firou denominado O* cocos das bodas
tenaos.
' .......
Su transil gloria mundi ..
sioistra,
de Con
Jlo Nccweii.*
agradane ncaa
nico .culpadtr.
comarca, pois elle o
Guedes Nagueira, appcllala D. Adriana Accioli
Lina.
Do CondeAppellante Constanca Mara Preire
Mariz, appellado Pedro Correia de Ainorim.
Embargos infringentes
Do BccifeKiubarganles Beruet & C, embar.-
gada a Fazenda Piovincial.
0 Sr. desembargador Pires Goncalves como
procurador da coroa e promotor da justica dea
parecer nos seguintes feitos :
Appellac5e8 crimes
Do Conde-Appellante o juizo, appellado Ig-
nacio Francisco dos Santos.
Do Limoeiro Appellante Vicente Ferreira
Lana, appellada ajustiga.
Appellaco civel
DaJ?arauyba Appellante Agostinbo Louren-
co Sane, appellados os herdeiros de Bernardo
ora:
. Do Sr. desembargador Tavares de Vasconcel-
los ao Sr. desembargador Oliveira Andrade :
Appellaco commercial
Do RecifeAppellanies os berdeiros de Fran
cisco Manoel de Souza Oliveira, appellados Ta-
jares de Mello Genro & C.
Do Sr. desembargador Oliveira Andrade ao
(esembatgador Silva Reg:
Anoellaco prime
Do PilarAppapnte o jtiso, appellado Flix
Manoel dos*Santos. *
Appellaco civel
De Pao d'AlhoAppellan'e Fraicisco Antonio
.Filias, appellado Manoel Leoncio de Parias
Appellaco commercial.
ife Appellante o carador flseal da
i de Alberto Rodrigues Branco, ap-
^H|e Alfredo BaptisU de Sa.
. coai vuia ao Sr. taaarabaiaader araaotorda
ira da Silva.
Telephone n. 326, da casa de residencia.
Dr. Moars OiMiaraes, che gado da
corte, dedica-ae medicina em geral, e
mnimo de 7 9 de assucar muito regalar, para
valer mesmo pelos precos baixos actuaes de
1*800 a 200 pelos 15 kilos, e 4 5 eanadas de
alcool. ter margein sulb ieu'.e para as despe-
as com a compra da matena prima, despezas
do fabrico, ailmiuistracSo e juros do capital em-
p regado.
Para estes porque percebendo 6*000 por cada
100 arrobas de canna, vo ter um lucro superior
a 60 por cento. visto como com o plantoe trata-
ment desta at o estado de ser colinda nao se
gasta mais de 2*000 pelas 100 arrobas (2 carra
das communs).
Plantar canna aqui neste valle e tratal-a a
cousa mais fac; e econmica que se conhece;
a grande difliculdade est no fabrico do assu-
car. Ah que eMaotraraos tqps os embaraces
possiveis :MBltfpi.-acao e cemuso de traba-
. j Ifco. apnaretoos imprestavvis e pessoal iuhabi-
c3o, pulmSes, figado,.estomago e intesti
nos e tambem s affec^es das enancas
Reside praca do Gonde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jepu
da Cruz), a 45, onde d consol-J
meio-dia s horas. Telephone.
etto Sampaio. d consultas t
meioHia l** 3 horas no 1.* andar da ca
ra dolBar?.o da Victoria, n. 51. Resi
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en
'rada pela ra da Saudade n. 25.
Oeeullata
Dr. Ferreira. com pratica nos pnnei
paes bospitaes e clnica de Pars e Lon
dres, consultas todos os dias das
horasdao meio-dia. Consultorio e resi-
dencia na Larga d" Rosario o- 20-
advegados
O baeharel Bonifacio de Aragao Fariet]
Rocha contina a advogar. Escriptorio
roa do Imperador n. 46., 1.* andar.
O baeharel Wiiruvio Pinto Bandetra
pode aer procurado roa do Imperado*
n. 71, 1.* andar. ,
J. A. de MagalhSes Bastos. Duque de
Caxias n. 66, 1. andar..
M- H. Milet contina cora seu es-
criptorio de advocacia, a ca do Impera-
dor n. 46,4fade tambem poder ser pro-
carado soW^UMjpcios concernentes 1.*
promotoria p^^^HBpata capital.
O conseldro 1 ^^B| contina a advo-j
nr. EscripM^H ^H| d Imperador
litado que das do um producto diminuto e pes
sao, difliculdade t ombusiivel, dilculdade
de transportes, falta absoluta decapitis baratos
para o cusiera das de=pezas e a:quisi(o de
inelboresapparelho, eis o que nos esta matan-
do, apezar dos nossos esforjos liprculeos para
narraos nm passo diante.
Venha a estrada de ferro, e com ella os cace-
nos centraes do ear-rairira, anda os mais sa-
criticados actualmente, com 3 a 4 annos de boa
salJtexnosrao vendidas razao de 6*000 por 100
arrobas de canoa ; solveremos todo os nossos
compromis,-.o, e a nossa principal industria en-
trar em iftnMaase de prospendade e eograo-
decimento admiraveis.
Quando estamos assim deb'aixo dp to boas
mpresses, com a esperanca de ura prximo e!
risonho pofvi eis que nos cnega a noticia dei
que amigos polticos do Exra. Sr. Or. Amaro
Bezerra, depulado eleito por esta provincia, e
notadaraente o Sr. crame idadador Umbeliuo de
Mello, aflirra'ara alto e bom tom que aquelle, em
chegando a corle ter .1 forca precisa pera ule o
governo do Sr. Ouro-Preto pora obstar a reaii
sacio da estrada de ferro, fazendo cassar, au
embarazando por toja os me os, a concesaa
dada ao inajor ABolK. Marauhao e enger.ueisp
Hargreaves.
Acreditamos pamente^ue se
que se empreguem todos os recu
para o conseguir;
Soveruo, e principal
leiro Lourenyo
posieoes desarf
Kio Grande
grande alean
tena.
B' impossi
e o ntere
ooatra 01
tra os
ses do
E'lamentav
deve a esta
O ronnendador Flix
PeroIra
SI cei 10 qpe os deveres sociaes podem variar
tegaodo as esndigoes de lugar, tempo ou de
ontras a que porventura, estejam submettidos os
individuos, OSO menos certoque os principios
d'onde decorfm aquelies deveres, independe:
de qu,;e-quer circumstancias.. Fazendo appbca
cao a pi^itiee, pode se assegurar^jue a tlrmeza
ie caracterjtaia coherencia nas ideas, sao con
dicoes de proresno, ou adianlamento social.
C-mveacido dess.is verdades, que sao de pri-
uie:rj intujae, o Commendador Joo Flix Pe
reir conservador distiuctissiino, sectario estre-
nuo das principios, que dominara a poltica, que
Imaiur aamma de vantagens tem trazido ao paiz,
aBsumio, na eleico a quenltiaamente se proce-
deu, a atlitude tranca e decidida que a sua com-
o/ovada lealdade aconselliou. esforcando-se pela
victoria daquelle, que o seu parlido indicou.
lrande liegao, ou ensioamentoa aquelles, que
se cancaram, ou perdaram a confianza nas ideas,
qie ahracavam I
Envidando toda a na actividad", o seu reco-
n ecido prestigia, consigui para o candidato
niservador, o xm, 8rt Baro de ftranito, uma
v itaco, que se pode qualiicar esplendida
a lentas as ctrcuraslancias excepciouaes, em que
se encootra o oiuvo disincto.
Excepdonaes ebem excepcionaes cireumstan
cas, aorcerto 1 ao menos em rdkcaoa este col-
legio. Nelle vcrilicou-se ura fijeto anmalo e
sem precedente os soi disant chefes coiserrado-
res trabalharam noite a dia, sem perda de uma
hora, pelo triumpbo do adversario !
Quasi negativos, porm. foram os resultados
de to csnsuravel empenho, gracas ao proced-
meato do Commendador Joo Flix, que s. ou
quasi ao constuio-se barreira ingente, onde vie-
rara esalhar-se todos os desnimos, todas as
descreB(as,e talvea rauitas ambiges inconfes-
saveis I
Con tal proceder o Commendador J0S0 Flix
Pea-ira collocou-se na sitiiafiode legitimo chefe
do partido coosevndor desta locali lade.
Palaaies, 6 de Outubro de 1889.

Arbltrariedailc [Mlilal
iaOARASS' ^K
ia a dia os fictos demonstrara qtfe os direi-
t'js indiTiduaes pertgara ; pois sio communs as
arbitrariedadas praticadas por aquelles qae
pela posifiao que xercem, deviam servir-lhes de
garanta.
E* assim que, na noite de 5 do corrente, al-
cuns cWados, qae ordeira e pacificamente se
divertiara esplendida luz do luar, forara victi-
mas das faeanhas do bravo sargento de policia,
que, infidamente, cotnmanda destacamento da
Mila'delguarassi.
1 fcaer a mnima observaco, pois nao Ih'o
permittia o estado ordeiro dos citados ciddos,
o reterldo agente policial investio furiosamente
sobre elles, quebrando uo so um violao, como
araeacando sspattcal os S pannos ds facao ai re-
plicaasera!
edimento torna-se anda mais revaltan-
te; porque na ciida reuaiao exietiam algumas.
t. e.anadio Antonio
arda nacional e
meios apropria-
caso de trans-
do occorrido,
inimigo dos direitos
Contendas,
faadaa,
lton sujo.
Fre Caaslaao de Coniachio
E' este o nome do tncansavel e virtuoso reli-
gioso capuchinbo, que chegando fiesta villa a 6
de Outubro do anno prximo passado, aqni per
maneceu at boutem, quando fez sua despedida
pararfecoiher se ao convento da Penha em Her-
namouco.
Faltara a ura dever sagrado, se nao procu-
rasse pela unprensa dar-pubcidade ao muito
que elle fezapibeoeflcio destas paragens, e es-
pecialraente%n roinha freguezia.
Coiumissiooado pelo governo, exercia o cargo
de director geral de-todb movimento, tendente a
soeconos popula No desempenbo desta ardua e humanitaria
missSo riivelou-senm cidadao talbado para eleva
dos eujpregos e um verdadeiro apstol) deacti
vidade'e virtudes inetcediveis.
E para que s opiniio public aquilate quaoto
fui acertado e bem inspirado o peusaraeoto do
governo geral. na escolha qde fes de religiosos
capuchnnos, par* collocal s frente de lio ter-
rvel calamidad. com especial misso de pro-
porcionar soccorro indirecto por meio de traba
Iho populnco faminta, vou offerecer na ligeira
discripgio, do que sabia e ilusamente fez Fr.
Cassianp, qut-rjcom relacao aos meluorament s
m.itenaes, quer era ordem e pereii.-o moral dos
soccorridos.
ErS as obras, que se realisaram em%ua adrai-
nistrayo e so sua immedata inspeceo:
Aqude da Rajada
E' normal, e de proporgoes gigantescas.
Sua baca mede de extenso mais de 3 kil-
metros : de largura 1 kilmetro e 300 metros.
Acha-se toda limpa e destacada at a distancia
qne tem de receber agua, na razao era que se
acha e barragem a qual mede de altura ..
11,30m ; de base 35m eo plato.ou parte supe
rlor 6 ra; de cumorimento 240 m.
0 sangra lourotera :nu cortcjde trra cumpri
ment 275 m; largura 25 m; altura 2,50 rae toda
extenge do sanaradouro amparada do lado da
barragem, por um paredio de pedra e cal.
Cano descarga para emigragao.
E' construido de pedra e cal, tendo de enra-
priraeoto i;>0 ra. e cubacao Om, 60/2 com 3m
sobre o nivel da baca, e 5 m febaixo do nivel do
saogradouro.
Estrada de rodagem
Parte d'csta villa e vai entroncar na linha geral
que vem da capiul e S. Francisco no lugar Na
tividade, (Riacho di Sella).
Tem este ramal.- de estenso 36 kilmetros e
450 m ; de largura 8m; con tendo os segnintes
traDalhos d'arte : 8 pontes e postilhoes : 14 oei-
ros: e grandes aterros, que se podem calcular
e 11 i3 mil metros cbicos de trra. Sendo alguns
d'estes aterros aproveitados fara servir de bar-
ragem a pequeos aqudes, que traro vaotagens
futuras ; e assim encontram-se no percurso da
estrada os seguintes1 em S. Jeronymo, 1 no
Julio, 1 em S. Paulo, 1 no Cedro, 1 no Turur,
sendo este o de maior p'oporco por ter por
bacia uma grande lagoa, e no suburbio do peque-
no e pittores o povoado do mesmo nome.
Reparo do acude ia villa.
Construido nas grandes seccas de 1877 a 1879.
acha va-se sem serventa por perder toda a agua,
nos primeiros mezes de vero ; sendo alias ura
deposito dos que chamamos grandes, no ser
lio.
Abri se um valado pelo lado interno, que,pa-
ra encontrar base impermeavel flcou rom 85 m
de c mpriraento, 2 m de largura, e 6. 8 ra de
profundidade : depois cheio com argamaca de
barro de louca, segundo os preceitos d'arte,
sendo esta arga transportada do distancia do
400 metros.
Alera d'estas obras, diversos servicos se Sze
rara em cacimbas para aguadas publicas, e em
estradas para differentes direcces-, tudo de ser-
venta publica e reclamadas pelo interesse ge-
ral.
Incansavel, como disse, diriga pessoalmeote
todos- estes trabaIhos, e anda Ibe sobrava tem-
po para servir de arcinterto ao grande templo.
cujo trabalho aor iniciativa particular comecou
(talvez a maior igreja da provincia), pouoando
uos interessados a despeza que deviam fazer
com a presenca de done artistas, pedreiro e car
pina, que dessem risco aos outros.
E quando noute se recoluia- sua residencia
ainda ate era para descansar ; mas sim para
caidar da parte mais imprtante de seus com-
misaionados, a salvaco d suas almas.
Todo reunidos ao redor da cadeira sagrada,
d'elle ouviam a palavra cheia de unecao e con-
forto, explicando e encarecendo todos a pra-
tica das virtudes coristas.
S logo em seguida tomava assento no confis
sionario para uvir aos penitentes, que em gros-
tas tUsras corriam elle, levando assim horas
o horas da noute no exerciciod'eata parte do
Ofatetaha.
: Pouco tempo de repouso loe
e 4 horas da manh, j en er
pronp*,.
da musa e dar 0MWt^t^tm
Elixir depura-
tivo ves;ctaL
Formula, de Angelin Jos
dos Santos Andrade
Approvado ^pela Inspeafcprio Geral de Hy-
gieoe Publica do Rio de Janeiro em 29 -
de Julho de 1887,
Este depurativo de grande efficacia nas mo-
lestias syphiliticas e impureza de sangae ; assia
como m todas as molestias das senioras:
Tem curado radicalmente muas pesaoas ae
eommettidts da terrivel molestia berioen.
*MODO DE USAR
Os aauitos tomaro quitro colheres das da
sopa pela manh e quatro noite. As enancas
de 1 a 5 annos lomoro urna colfaer pela insana
e outra noite, e os de 5 a 11 annos- tomara
duas colheres pela manh e duas noite. De- i
vero tomjr banhos fro ou momo pela manha e -
noite. Resguardo regular.
Encontra-se venda na drogara dos Srs.
Francisco Manoel da Silva & C. ra doMarqaez de
OJinda n. 23.
O autor deste preparado poae ser procurada <
na ra do naro da Victoria n. 37, onde ser en-
contrado para dar toda e qualquer explicacSa
que for precisa.
Cuidado com a falslflcaoea
Beriberi
S, 8
Sr. Angelin Jos dos Santos Andrade.O sea
Elixir depurativo acaoa de realisar ama cura
era raira, outyulgava wnpossivel.
Soffria mrminha rntirijh fin engenbo de
grande debilidade nas pernada nos ps, a ponto
de nao poder levaotar.-me, em completa demen-
cia attribui ao Beriberi, o mal que soffria, vial
ao Recife, coiisultei a varias pessoas, garanti-
r tn-me serem estes os symplomas do mal;
issei ao principio de duas garrafas, ponca me-
Ifaosa obtive, pois tioha necessidade de voltar ae
Engenbo, regressando, continuei no.tratamento,
com mais tres garrafas desaparecen o mal
que me atormentava.
Hojc restiibeiecido e robusto como eston, ida
meo dever atlestarmais este raso.-
Pode usar a bem da bumanidade do presente
alte-lado
Como sempre, seu amigo e criado- Recife.
31 de Setembro de 1888. Jos Stlverio ie Soma,
TX. 99
IUm. Sr, Angelina Jos dos Santos Andrade.
.Congratulo me em communicar-lbe o bom e
lelz resultado que obtive com o seu Biixir De-
purativo do Sangue, no tratamento de urna
grande enfermidade qae tinha na perna, prove-
niente de molestias syphiliticas, creia-me Sr.
Angelin qoe quando avia tomado metade da
garrafa, sent to grande melbora, que dei gra-
cas a Deus e a quera me guiou a tornee to po-
deroso remedio, no nm da segunda, ja me con-
sidera va bom, nao s da grande enfermidade
que soffria, como tambera de alguns achaques
que contm o corpo humano e digo-lfae mais,
creio no seu Elixir, etnpregado cm .qualquer
molestia jue tenha sua orgem na impurea de
sangue, estas palavras. que cima digo sao a
pura verdade que nao devo e nem qaero occol- '
lar para bem dos que se acharem uo estado en
que me achei e boje mo acbo,
Sirva-se fazer o uso que lhe convier, paat
bem da humanidade, do que cima digo.
De, Trac, servo e obligado. Augusto Carlas
Hua da Imperatriz n. 43, 1." andar, asa II de '
Pevereiro de 1883. v
r Recito, t de Janeiro de 1883.Dlm. Sr. An-
gelin Jos dos Santos Andrade. -Soffrendo uma
minha tilha de uma especie de paraljsia nas
pernas e nao tendo lirado resultado algum. coa
os remedios receitados or alguns mdicos des-
ta cidade. foi me acooselhado por nm amigo a
uso do Elixir preparado por V. S. Com eSeita
assim o liz mioisirando i mi.ha dita filba o re-
fe. ido E ixir do qual apenas tomou dnas garra-
fas por teiem sobrevindo ouiros lncoramodoa
e se nao ficou completamente*curada, ao menea
minorou alguma cousa os seus soffrimeotos. Esta
declarago fago a bem da humanidade, podendo-
V. S. fazer desta minha exposico o uso que lhe
aprouver. Sou de V. S. attento venerador a
criado.
Joao Jos da Silva.
Aviso aos nossos leitores
Os nossos leitores que visitarem Pana
durante a ExposicSo de 1889 j saben
que poderao 1er os ultimes ejemplares da
nosso jornal chegados aquella cidade no es-
criptorio dos nossos correspondentes, Srs.
Amde Prince & C, 36. rna Lafayette,
onde podem mandar dirigir qualquer cor-
respondencia, pedir quaesquer informacSes,
dar ordena de compras, etc.
Alera d'isso, levamos ao apnheciment
dos nossos patricios que afora o servico esta-
beleeido no escriptorio da ra I^afayetta,
n. 36, oa mesmos Srs. Amde Prince d^
C, acabam de organisar uma sala de lec-
tura e de mforuiayoes na Exposico mea-
ma, no pavilMo da republafa de Guate-
inaia-cuio commissario geral dignon-se dr
por graciosamente uma vasta sala com
varanda s ordens dos cosaos correspon-
dentes.
Aconselhamos mui vivamente aos nos1' -
sos amigos e leitores que se aoharem ea
Pars, qne visitera a casa Amde Prinoe
," C. na sua sede social, 36, ra Lafayat-
te, bem como na installacao que possue na
Exposiyao no Pavilhao de Guatemala ana
ha de ser, gracas s extensas relacSes das
nossos correspondentes, o ponto da rar
unio dos numerosos estrangeiros residea-
ea em Pars.
PHOSPHATINA FALIERES.AlimaatoatG
Oculista
Dr. Barreta Sampaio, m
eculinta, ex-chefe de clin:
Dr. de W consultas de
meio dia as da tarde, ao
andar 51 i ro
ona, exe
goa e das santi
^^^Hbia ra S<
H




>
t
p
I
i
J*
ojos e
M
Fia de seus simples efleitoa, seriam em
ates para dissipar toda a in-
op acaso ja nao etivessem al-
ie recnbecidos pe!o testemunho unnime
J 46 milbares de pessoas.
A historia de suas extraordinarias curas se
acha inscripta e traosladada com as lnnumera-
cerdoes e attestacoes etftiadas de todas as
partes do mando babitaveit entre esta grande
aglomerac5o sartas de eminentes mdicos, clrigos, legisla
dores, oradores pubbcos, metfianicos, advogados
e letrados; n'uma palavrade pessoas oertencen-
tes todas as classes e profis-6es da vida.
. Todos fallam em substancia que a tosse, as
coustipacOes, os b ron chites, as esquinencias s a
asthma, eta^ se alliviaiae curam mediante o uso
este admiravel e prodigioso remedio, de um
nodo infallivel, prompto e radical.
Como garanta contra as falsiflcaces, obser-
ve-se bem que os nomes de Lanmas & Renn ve
abara estampados em letras traospareoWs no
papel do livrinho que serve de envoltorio a cada
graa-
Acha-se a venda em todaras boticas e lojas de
drogas.
Bens do Dr. Jfcntonio Gomes
Tavares
Previne-se que os bens deste senbor estuo su-
jetos 3 urna restitulcao de quantia snperior a 9
polos de res, pertencente aos menores netos de
Jos Terxelra Castro, cujo inventario corren pelo
juizo ae orphios do Aracaty, sendo invenlarian-
te o mesmo Dr. Antonio domes Tarores, e por
aaver ja execuco era jaizo contra este, nSo pode
fule dispor legalmente de seus bens. em quanto
o mdemnisar aquelles' orpbos do que Ibes
pertence, sob pena de nnllidade de tal trans-
aego. t
Elixir cabera de negro do Dr. Maula
B*a, nalynao em Paria e ap
provado pela Inapcrtoria Ceral
de H> a-lene
(Premiado na Exposico)
Continuamos a prevenir o publico que o ver-
dadeiro elixir cabeca de negro o da formula
do Dr. Santa Rosa, que como garanta tem em
sen favor os attestados passados pelos mais dis-
tinctos mdicos, desta e demais provincias do
imperio, por pbarmaceaticos, desembargadores,
advogados, eogeoheiros, commerciantes, empre-
ados pblicos, lentes da Faculdade, artistas,
fe.
Pique, portanto, o pablico sabendo que o eli-
xir fabricado na roa da Cadcia, pbarmacia de
Hermes Souza Pereira, Successores, urna imita-
nte, do dosso.
Deposito do verdadeiro ra do Bom Jess n.
COMERCIO

Revista do Mercado
Recite, 8 DE OUTUBRO DE 1889.
O movimento foi regular, pouco entretanto ten-
do sido feito no mercado de cambios.
Honro vendas de alguns lolet de algodo ede
assucar.
Bolsa
COTAeES OFFICLALS DA JUSTA DOS COR-
RECTORS
Recite, 8 de Outubro de 1889
Xa Bolsa
affereceram Vender
70 aceoes da Fabrica de Teckios. e Fiaco de
Pernambuco, valor de JOO, ao par.
O presidente,
* Candido C. G. Alcoforado.
. O secretario,
Eduardo Dubeot.
Cambio |
Qs bancos manliveram ainda a taxa de 27 5/8
e teriam saccado a 27 li/16 se oQerecessem di-
abero.
Em panel particular bou ve pequeas trunsac
cOes a 5715/16.
aereado desanimado. .
No Rio o mercado nao soffreu alterarla.
TABELLAS AEFIXVDAS
A preparacao H
chegou ao mais alio grao de perfelcao.. E* -
aiiMe, muitissimo agradavel ao pala
nalmente urna combinacao de substancias pode-
rosas para a boa alimentacio. As mala afamadas
cer*ejas n5o trazem o nome do fabricante. En-
tretanto o proprieta rio da ceneja La Rtta Ale-
mana, tendo conquistado o segredo da sua sau-
davbl ckrvcia, registrou a marca com a sua fir-
ma no rotulo.
E como teve a honra derequestar a sympathia
nnblica, e para que a ceneja La Rosa Alemana
continu a gozar do conceito do respeitavel pu-
blico, amiudadas vezes manda examinar a sua
cerveja pelas celebridades chimicas.
Diversos attestados de cbimicos e doutores em
medicina justificara que a ceneja La Hosa Ale-
mana 6 muito saudavel e nm soberano alimento,
cujoa documentos ticam disposigao do respei-
t_vel publico.
Diz o Br. Vernier : Tenho por muitas vexes
examinado no laboratorio publico a arveja La
Rosa Alemana e. nao encontr materia chimica e
sim urna gigantesca preparacao de substancias
que representa o urna valiosa riqueza para ali-
mentaco. A ceneja La Rosa Alemana goza de
grande x>nceito na Europa, e um illustre cava-
Iheiro desta praca, ha pouco ebegado do estran-
-geiro, animou o fabricante a exportal a conven-
cido de ter grande aceitacSo aqu.
Est venda em gro-so e a retalho. Machado
* C, ra do Vigario n. 19; Jos da Costa Ca-
seiro C, ra da Cruz n. 13 ; Lopes 4 Araujo,
rna do Livraa-enlo n. 38; Vasconcellos Sobriniho
4 (.'., ra da Aurora n. 81; Ramos Ferreira *
C. rna Marque* de Ooda.o. 50; Albino Fe>-
nandes ra Mrquez de Olinda n. i ; Antonio de
Aimeida Rabello, esquina da ra da Unlao n. 2 ;
Azevedo Maia & C, ra da Imperatrlz.
j Bacliarel Antonio Witru-
vio Pinto Bandeira t
< Pode ser procurado ra do Imperador ,
\ n. 71, i' andar j |
Frederico Chaves Jnior
Homoepatha
39 RA BARO DA VICTORIA39
Prlmelro andar
Advogado
&
Miguel Jos de Aimeida Pernambuco tem o seo
escriptorio de advocacia ra do Imperador n.
81, onde sera encontrado todos os das uteis, das
nors da 9 manb s 4 da tarde.
AS entradas verilic idas at a data de boje so-
beui a 43.Ui saceos, sendo por:
gar cacas
Vapores.....
Ananaes....
Vla-ferrea de Caruar.
Via-frrea de S. Francisco.
Via-ferrea do Limoeiro
Somera.
lo.ii Saceos
1.438 '
283 >
7.069
3.&0
23-144 Saceos
7. *

6
CT
q
a
"3
o
s 2 S
=3 W O.
o
a
a.
1
*\*
I Q.
^ t I >
Ss
=3 I
s e ss g g S

3 8
* iiJLiL
Ci) U til
C-i a^ o y ff
I
\ S
Ot 00
I m.

Alcodo
Foi cotado o de 1* sorte do serto a 6#200.
A exportac2o, feita pela alfandega neste mez,
at-o dia 5^ attingio a 181.24o kilos, sendo......
140.235 para o exterior, 42.983 para o interior-
As entradas verificadas at a data de hoje so-
ben a 2.190 saccas, sendo por:
Barcadas.....
.
nata.....
?a-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
^-ea de Limoeiro
301 Saccas
865
16
109 c
699
Somma.
2.190 Saccas
issucar
i ao agncuitor, por 15 kilos, se-
bo Commercial Agricoia, foram
3i00 a 360O
3**00 a 3*8)0
WfUlU JiUXU

ASiiardcHte
Cota-se a Ou, por pipa de 480 Ijlroa.
-~
Alcoel
CoU-se a 180*000 por pipa de 480 litros.
*' Mel *
Cota-se a 50*000por pipa de 480 litros.
mos ejemplares, rej
nuestro peri
tras corresponsales los
ce y'C, 36, ru Lafayi
hacerce dirigir toda sf
pedir informes, dar
etc.
Pero, avisamos a nueit rpatriotas
que ademas del servicio QU|H0o en su
oficina 30, ru Lafayette, \SUfo- A100
de Prince y C. han orgonizado un otro
gabinete da lectura y de Infor ves en la
Exposicin misma, en el ^^^H de la
Repblica de Guatemala, en
comisaiio general a puesto
de dichos Srs. una grande
rado.
Acohsejomo* TMnente
gos lectores que vayan a
una visita a la casa Arade
tanto en su residencia, 36,
como en su instalacin en el
Guatemala de la Exposicin,
r, ser por el hecho de las e;
ciones de nuestros correspom
tro da reunin de los nuin
ros presentes en Paris.
W Dr. Mello Gomes
Medico operador parfiro
46Ra do Bario da Victoria46
(DEFRONTE DA PHABiUCIA PINHO)
Onde tero eoasultorlo e resi-
dencia i podendo ser encontrado e
recebendo chamados qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades: partos, febres, moles-
tias de senboras e dos pulmOes, syphilis
em geral, cora rpida e completa e ope-
racOes de estreHamentos e mais sori-
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
fra, a qualquer distancia.
Telephoae n. 331
i
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT RAWLINSON, for
nado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, t6m aberto o seu consul-
corio, na ra Bario do Viotoria 18, Io an
dar.
Consultas da 10 s 4 horas da tarde.
Recebedorla provincial
Do dia 1 a 7 3:237*789
dem ,de 8 477*728
3:713*517
*
Conros salgado?, 345 ris, e os verdes a 210
ris.
Paaia da Alfandega
SUUNA CB 7 A 12 de OOTUBBO DE AKS9
Vide o Diario de 6 de Outnbro
latios descarga
Barca norneguense Byfoged Christense, carvo.
Barca nacional Mara Angelina, arque.
Barca norue^uense Sotid, carvao.
Barca noruejoense -Y. f. N'elsen, cafvio.
Biitrue i.'inle/. Tabiot, bacalbo.
Ly:ir nacional Loyo, xarque.
Lugar nacional Zcqutnka, varios gneros.
Lugar ingles Hornel, varios genero^.
Lugar allemio Harod, varios gneros.
Patacho americano Teneriffe, farinh i de trigo.
Patacho diuamarquez Hansine Marie. xarque.
Patacho dioamarquez Mete Katartne, vanos g-
neros. '
Importaco
Vapor inglez BeUenden, entrado de Mon-
tevideo, em 8 do corrente e consignado a
Blackburn Needham & C. manifestou:
Alfafa 200 fardos a Costa & Fernandes,
96 a Maia & Rczendc.
Xarque 3:147 fardos a Amorim IrmSos
& C, 3:552 a Pereira Carneiro &C, 999
a Maia 4 Rezende.
EsportaeSo
BECirs 7 DI OOTOBBO OS 1889
Paro o exterior
Na barca noruefoense Sold, carregaram :
Para New York. A. Cascao C. 1,000 saceos
com 73,000 kilos de assucar mascavado.
o vapor americano AUianca, carreeoa :
Para New York, Rossbach Brothers 4,700 ptl-
les de cabra e 3 fardos com 8U0 kilos de bor
racha
fara o interior
No vapor americano Adtance, carrega-
ram :
Para Santos, F. Cascao & Filbo 90 saceos com
5,400 kilos de assucar branco e 280 ditos com
16.800 ditos de dito mscava o; M. Borges & C.
1.000 saceos com 60,0.0 kilos de assucar mas-
cavado : Maia Rezende 330 saceos com 13,800
kilos de assucar raascatado ; P. Carneiro & C
tOO saceos com 6.000 kilos de feijao.
Para Rio de Janeiro, H. Burle & C. 111 saceos
com 6,6> kilos de assucar branco c 332 ditos
com 21,120 ditos de dito mascavado ; M Bjrges
fe C. 130 saceos com 7,800 kilos de as.-
branco.
No hiate nacional Camelia, carregaram :
Para Cear, Maia & Rezende 1,600 saceos con
farinha de manduca.
No vapor nacional Alagos, carregaram:
Para Mandos, Amorim Irmaos 4C 40 barris
com 3,840 litro* de agurdente e 45 barricas
com 2,485 kilos de assucar branco J. Borges 40
barricas com 2,670 kilos de assucar branco ; P.
Aives 4 C. 20 barris com 1.920 litros de agur-
dente e 30 volumes com 1 600 kilos de assucar
refinado ; A. Guimares 16 barris om 1.536
litro. de agurdente e 23 barricas com 1,768
kiki de assucar branco; C. Beltro a Irmao
2 barricas com 120 kilos de assucar refinado e
10 ditas com 420 ditos e dito branco.
Para Para, A. Guimares 100 barris com 9,600
litros de agurdente e 300Jjarncas com 21,602
kilos de assucar branco ; C. M. da Silva 400
volumes com 28,100 Kilos de assucar branco ; J.
Borges 500 saceos com 37,300 kilos de assucar
branco ; Viuva de Manoel F. Marques & Filbo
224 barricas com 10,060 kilos de assucar branco;
;. Beltro 4 Irmao 100 barricas com 4,180
kilos de assucar branco e 80 ditas com 3,760
ditos de dito refinado; P. Aires 4 C. loo saceos
com 6,000 kilos de assucar branco.
Rendlnientos publico*
II DI I
Recite Dralnage
Do dia 1 a 7 2:881*467
dem de 8 736*639
3 618*106
DHuheiro
EXPEDIDO |
Pelo vapor amencauo Adva&fkjtpa'
Rio de Janeiro o.OOOiOOO
tterrado Municipal d *. Jo*
O movi memo deste raer?ado.ao da 7 V
Outubro foi o seuinte : V
Entraran) :
411/2 bois pesando o.fift kilos.
188 kilos de peixe 20 ris
5 cargas com farinba a 200 ris
7 ditas de fructas diversas; 30tis
12 taboleiros a 200 ris
13 suinos a 200 rit>
26 matulos edm leguine? a OO rl
Foram oceupados :
26 columnas a 600 ris
1 escriptorio a 300 ris
27 compartimentos de fa ruma a'
ris
22 ditos de comidas a TOO.-ris I
98 ditos de legme* e lazetidaa
400 ris
16 ditos de suinos a 700 ris
8 ditos de fressuras a 600
44 tainos a 2* 4
Rendimento do da 4 e 6 do cof
rente
ruis
9*760
)*000
2*100
2*400
2*600
15*600
15K500
30t'
13%00
lijwoo
39*t0
11*2 .;
4*800
83*00"
.,,,
201*460
1.294*310
1A93*800
*"oi arrecad.Mo liquido al
Precos do dia :
Carne verde de 200 a 4W ris o kilo
Clrneiro de 720 a 1* risidem.
Sumos de 560 a GiO ris dem.
Farinha de 400 a 640 ris a cuia
Milbo de 360 a 400 ris idem.
Felo de800 al*20 idem
Matadonro publico
Neste esianelecimeto foram abatidas fa^a o
consumo de hoje 89 rezas pertencentes a aive;-
sos marchantes.
Approvado pela Exma. Juffftade Hjgene^ preparado por
aTJV.O X3JW. SXO'V.A. SXX,'V3eX3aA. m
Chimico e Pliarmaceilico
' PELOTAS RIO-GRANDE BRASIL
Este elixir composto de \ egetaes de reconhecido mrito, em
pregado com vantagens as molestias seguintes:
Escrophulas, rheumatismo, gonorrhas, rachitismo, impingens, ulceras, tumoresj
sarnas, bobas, manchas da peJIe, carbnculos, flores brancas, boboes, cojffimentos dos
reos, ioflammacoes do utero, ioflammagoes de olhos, es-
r filustres mdicos que o repulan* superior aos medcamen-
os attestados mdicos que ein seguida publieamos e teroa
InfalTel do sangae 6 oElixir de TVogueira, Salsa, Carona e
ILLUSTHADO GORPa MEDICO DA PROYINGI
tH istufts, cancros v
pinhas, affec^oes syphffl
A ana efflcacla atte '
tos anlogos. Leiam com a
prova de que o nico depurat!
Ciuayaco.
ATTESTADOS DO
O abaixo asaignado, doutor em medici- tonio A. Assumpello. Est reconhecido precioso Elixir de Nogdeira, Salsa
pela faculdade .do Rio de Janeiro, con- na formada lei pelo tabellio Luiz Felippe Caboba e Gcaiaco com muito bom exito,-
decorado pelo governo portuguez, medico de Almcida. e tenho aconselhado aos mena clientes que
do hospital da Beneficencia Portugueza | o uzera eom toda a conhanca e espefanga,
desta cidade, etc. Eu abaixo assignado, doutor era medicina pois a sua preparoslo preenche 'perfeita-
Attesto que as molestias de fondo sy- pela faculdade do Rio de Janeiro, etc.,, mente o dosso desidertum. Vo empre-
philitico, em suas diversas e variadas for- etc.- gar as pilulas ferruginosas de meu grande
mas, a applicacno do preparado denomi- Attesto que erupreguei o Elixir de No- collega, em todos os casos em que se fi-
dado Elixir de Nogneira. Salsa, Caroba e gueira, Salsa. <.'rob;i e Guaiacu, prepa- zer sentir a necessidade do emprego dos
Guaiaco, do Illm. Sr. JoEo d Silva Sil- rado pelo distincto pliarruaecutieo Joao da erruginosos.
veira, tem sido de maravilhosos resulta- i Silva Silvcira, cm um caso de ulcera sy- j Continu V. S. a trilhar o mesmo ca-
dos. O referido verdade sob a f dejphilitica, dando este medicamento resul-,minho com toda a dedicarlo, para um dia
meu grao. tado-o mais uvoravcl'. cltegar meta dos seus desejoa e receber
Pelotas, 30 de Abril de 186G. Dr. Pelotas, 5 de Maio de 18S6. -Dr. Joa- j o competente premio do seu insano e es-
Barao dos Santos Al>reu. Est reconhe-; quim Rasgado. Est reconhecido, na fr- j pinhoso trabaiho.
oido na forma da lei pelo tabellio Luizjraa da lei pelo tabelliSo Luiz Felippe (|c j Rio Grande, 8 de Abril de 1886.r.
i Nicolao A. Pitombo.Est reconhecido
na forma da lei pelo tabelliSo Luiz Felip-
pe de Aimeida.

Felippe de Aimeida. Aimeida.
En abaixo-assignado, Dr. em medicina Eu abaixo assignado, doutor em medicina
Sela faculdade da Rio de Janeiro, con-
ecorado pelos govemos de Allemanba,
Portugal e Italia, medico do hospital de
Misericordia desta cidade, etc etc.
Attesto que tenho empregado muitas
vezes o Elixir de Nogueira, Salsa, Caroba
c Guaiaco, preparado pelo 6r. Joao da Sil-
pela faculdade da Babia, membro da
sociedade f'ranceza de nphtlmologia e
da sociedade zoolgica de Franca, etc., clnica
etc tfm
Declaro que o Eiixir de Nogueira, Sal-
sa, aroba e Guaiaco, do pharmaceutico
Attesto que tenho empregado na minha
o Elixir de Nogueira, Salsa,
Caroba E'Guaiaco, preparado pelo Sr.
pharmaceutico JoSo da Silva Silveira, ob-
tendo sejBpre os mais brilbantes resulta-
Joao da Silva Sveira, prestou-rae ,*eacs!(los, principalmente as molestias de ori
va Slveira, como um poderoso agente em servigos nos casos de syphilis terciaria e | gem' syphilitica.
casos de infeccao syphilitica diathese I em todas as afTecspes de fundp escrophu-
escrophulosa, parecendo-iQp supejior aos loso.
analojoB ique/ios vera do fetrangeiro. Ppr| Porto-Alegre, ) de .Maio de 1886.
rao eer pedido pasio este enja verdade i Dr. Vctor de Brito Est reconhecido na
affirmo em (6 ftb raau grao. forma da lei peo tabellio Luiz Felippe
Pelotas, 6 do Maio de 1886.Barab j de AlmSda. ,
de ItapitocayEst reconhecido na forma Eu abaixo assignado, doutor em medicina
da lei pelo tabelliSo Luiz
incida.
Felippe de Al
pela faculdade do Rio de Janeiro, etc
etc..
Attesto que tenho empregado, eempre
Gervasio Alvo* Pereira, doutor em medi-lcom magnifico resultado, e Elixir de
cia pela faculdade do Rio de Janeiro, i NoGUElBA, Salsa, Caroca eGuaiacO, prgf
cavalleiro da imperial ordem da Rosa,' parado do illustrado chimico pliannaccuti-
etc, etc. jco Joao da Silva. Silveira, nos casos de
Attesto que tenho empregado contra a' escrophulas e molestias de origem syphiliti-
escrophula o Elixir de Nogueira, jialsa, ca, o que afirmo em le de medico.
aroba c Guaiaco^ preparado pelo pbar- Pelotas, Io de Maio de 1886.Dr. Ray-
maeeutico o 'Sr. Joaa da Suva Silveira, mundo V. da Silva.Est reconhecido
com bom resultado e por isso o" reputo na forma da le pelo tabe'liao Luiz Felip-
um exceflente remedio para combater as pe de Aimeida.
reiestias de fundo escrophuloso. O refe- j
ido e verdade. u por mo ser pedido passo, Iit. Sr. Joao da Silva Silveira,
i presenta sob a f de meu grao. pharmaceutico e chimico cm Pelotas.
O referido verdade e por me ser pedido
passo o presente que affirmo in fide me-
dici.
Jagncrao, 27 de Abril de 1886.Dr.
Estevao de Sonsa Lima.Est reconhe-
cido na forma da lei pelo tabelliSo Luiz
Felippe de Aimeida.
-.
1
5 T () abaixo assignado, doutor pela faculdade
"o Rio de Janeiro, Io ciriirgio do cor-
po de sade do exercito.
Atiesta que tem. empregado com excel-
entes resultados o Eltxtr de Nogueira, ,
SaLsa Caroba e Guaiaco, preparado pe-
lo JKarmaceutico Joao da Silva Silveira,
pelo que o considera ,#m cxcellente pre-
parado, superior ao&gjue importamos do
e8trangeiro.
O referido verdade pelo que passa t
presente que affirmd in fide medici.
Jaguarao, 5 de Maiode 1886.--Dr.
Diogo Fernandes Alvares Fortuna. Est
Pdotas^ L'9 de Abril de 1886. Dr. E' com o mais subido prazer que venho reconhecido na forma da lei pelo tabellio
do na forma da lei pelo tabelliSo Luiz Fe-
lippe de Aimeida.
Eu abaixo assignado doutor em medicina
pela faculdade 3o Rio de Janeiro.
Attesto que tenho empregado em mi-
nha clnica, e sem com excellente resulta-
do, principalmente as affecgoes de ori-
Vapores a entrar
MEZ DE OUTUBRO
Europa....... Vilie deCearQ
Sul.......... Buenos-iyres
*ul........... Vitte de San
Europa....... Uerchant.
Sul........... Araucanttt
Europa....... Elbe.....
Sul........... AUianca.....
Sul.......... P. do Grao Para,
Sul........... Tagus...
Norte......... Alaranliao... .....
Noric .iSaiona.........


Sul... Tic
Bahu ......
l'i'i iiambuco ..
Norte..... Atarntense ..
Norte......... Espirito Sa\Uo
Europa....... Tanmr.......
ni........... Pura........
8ui........... Trent........
16
1
20
2\
Gervasio Alves Pereira. Est reconheci- aecusar o recebimenio do seu prezado fa-1 Luiz Felippe de Aimeida.
ir. F- vor de 5 do corrente acampanhando um
frasquinho com 50 pilulas formuladas pelo
consummado e distincto pratco, o illustra-
Eu abaixo assignado, doutor em medici- do commendador Dr. Miguel Rodrigues
na pela faculdade do Rio de Janeiro, Barcellos, e preparadas com toda perfei-
medico do hospital de Misericordia des- ao e nitidez por V. L Na verdade nao
ta cidade, etc. posso deixar de elogial-pelo relevante ser- ; gem syphilitica, o ELIXIR DE NoGUEDJA,
Attesto que tenho empregado o Elixir vijo que V. S. tem prestado e ha de pres- SALSA, Coroba E Guaiaco, preparado do
de Nogueira, Salsa, Camba e Guaiaco, tar scicncia medica. Enteado que o
preparado do distincto pharmaceutico Joao meu nobre amigo c digno de todas as
da Silva Silveira, nao -a na clnica civil- attenjSes e merece ser auxiliado por to-
como na do hospital, com o mais espen, dos os clnicos desta proviucia e fra
Jido resultado, o que affirmo ser verdade. de;la.
Pelotas, 5 de Maio de 188b\ Dr. An Declarolhe que tenho empregado o seu
Vapores a sabir
MEZ DE OUTBj^H
^aju e esc. y Ule de CeatWnl^^M
HatmWrgo Rumos-Ayr 10 as
Baenos-Ayres. Elbe.............. ^^ as 1
Liverpool Araucan, II as
Havre e esfc Vle deSfto0.. II as
New-York AUianca .. t as
Soutbampton Tagns----- i3 aa{
Sul..........Maraado 14 a
Santos e esc Bahia 17 asi
Norte.......Ptrnambuc
Sul.......... *P"4^^^H^Bl
Boeoos-Ayres. Tamimk
Soutbampton. Ti
Norte........ Para
-----
Movimento do porto
tamos entrados no d
Montevideo9 das, vap /teilini
1770 toneladas, comma
equipagem 39. carn ranos gcaer
' burn Needbam 4 C.
Mossor-11 das,
toneladas, mestre F
equipagem 5, em la-
Campos.
Navio sahido no mea
Man
mandante Joao Mana Pewoa, eaega v^
ner
Sr. pharmaceutico JoSo da Suva Silveira.
O que affirmo sob a f do meu gro.^
Herva, 7 de Julho de 1886.Dr. Jos
Adolpho Rodrigues Ferreira.Est reeo
nhecido na forma da lei pelo tabelliSo
Luiz Felippe de Aimeida.
Amigo e Sr. pharmaceutico JoSo da Silva Silveira.Em contestacSo a sua pergunta, relativa aos resultados que tenho
obtido com a applicacao do ELIXIR DE NOGUELRA, SALSA, CAROBA e GUAYACO, tendo a satisfacSo do communicar-
Ihe o seguinte : a
Fazem seguramente cinco annos que emprego na micha clnica o seu j tSo reputado Elixir em muitas affecc5is de
natureza syphilitica e cm algumas de fundo escrophuloso, taniando-se mais notorias as virtudes curativas deste preparado na*
primeiras d'aqu^jjpa arTeccSe.
Com o seu uzo prolongSo nunca observe. as perturbayocs gstricas qne sem apparecer quando applicamos outros me-:
dicamentos congene; es, tornandojpor isso segura e fcil a sua administra^A at as creancas.
Nao hesitarei em recommendal-o com conuanya nos estado* pathologieos supramencionados, sendo como a nobre mis-
sao do medico contribuir para o allivio e bem estar da humanidade que sofire.
Autorizo o a que taca o uso quo lhe convier desta minha declaracSo e disponha do amigo obrigado-Dr. Alves
q Rtuiclo.
NICOS DEPOSITARIOS EM PERNAMBOO .
Francisca* Banoel da Silva k .
23
Pre90S: Duzia
Ra de Mrquez Olinda23
. 30SOOO--------Vidro
3SOOO
Surdos
Urna pessoa que foi curada da surdez zui-
do de ouvidos, de nue padeca ha ti unios e
usando de um remedio muio simples, enviar
gratis a sua descripejo a qnjp a desejar. Diri-
ka-se ao Sr. rvichol.-:>n, 1260jB|ntiago del Esie-
-es.
rubercuioKc pulmonar
n^nBnwClA PClO n^BMtOTftl UC OftIB~
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro !
iade de molestia; .
Consultorio c rec^^H
ratrizn. 18, 1
Consultas de c> ^H
Chamados (p>
TELEPH":
especiali-
creancaB.
a da impe-
i manhl.
* qualquer hora.
226
Leonor Po )jI^
j Ra Larga do Retarlo nu- ),
ero 9 i
a,
^s
SEGL'N'JO ANDAR
Pariz, j
O Dr. Ermlni) Coutinh,
volta de sua \1jijem Europa,
se d te ao
do das molA .-s do systemj ner-
voso mlfiiin aJrnm
do C.
No escriptorio deste Diario se precis
comprar o n. 3,040 do Commercio de Por
tugal e os nmeros do Jornal do Commer-
cio de Lisboa da segunda- quinzena de
Maio do corrente anno.
MEDICO HOMEPATA
Dr: Balthoiai3 da Silveii
Especialidadet-febr
das criancas, dos orgaOs respir
ros e daa senhoras.
Presta-se aquakjuer chamado p
ora da capital.



*


mu
lOSif

fjeoooooooeociotc.*

Advogado
lodooido Lopes 1
ESCniPTORO
Ra Estreita do Rosario n.4 i
til virem,
parte d.
dirigid a pe cao
Vias urinarias, molestias das
choras, operares elctricas
11. CABLOS BSTTSrCOST
MEDICO E OPERADOR
coro pratica de mms e londbcs
Estrcitamento da urethra corados ra-
dicalmente pela el(^ciroi\
i fera
sem dr:
hydroccles seta injeccao (cura radical)
endose ulceras chroaicas, 0051 garan
tia de cura rpida ; pedras da bexiga,
fstulas e benjorrhoidas; eYptiis, K-
nornKas, pelo methodo das nsiillaces ;
ioleslias da garganta e do peo pelas
athmospheras medicamentosas. Con-
sultas e opcracOes das 12 s 3 lloras da
tarde.
RA DO MRQUEZ DE OLNDA N. Si,
2 ANDAR
UraliM ao pobre.



Advogado
1 Baeharel Joo Ferreira Do-
mingue Carnelro
Ra Estreita do Rosario n. 10,1.' andar
Encarrega-se de quaesquer causas
n'esta cidade e aas comarcas prximas,
especialmente aas de o d'Aho eTim-
baba, para ende viaja frequenteaienie.
AMO G ABO
O bacbarel Salustiano Jos de
Oliveira pode ser procurado para
os mistures de sua prossao.
ra Estreita do Rosario n. 10,1."
andar.
ou delle tverem noticia, q
de Araujo Veiga i C, me to
do theor seguinti :
Pelicao-Wm Exoj. Sr. ~Dr. jau espe'
commercioJos de Araujo Veiga & C-, sendo
credores de Francisco Antonio da Fons^ca Lui-
te, pela quaotia de 500*000, ianorlioda J'utn;i
tetra de seu aceite, j uncida, alm djs jub
nella estipulados : reqnerem a V. Exc. se SifjK
mandal-o citar para, na priaieira do juizo'ver
assignar se oa a pagar-lhes a alladida qoantiae,juros, ou allegar
os embargos que i ver, (cando'citado nafa to
dos os liemos at I[nal execacao, furam execu-
lados os mitfaaJWciliatorios; como o supplicado1
es teja em logr 'faced, ieq.ue.rem se faca por edrtal depois de justilicado e alie- J
Sacio. Horneando 8(t curador, sendo a presente
istribuida por dependencia a klin. Sestea termo* E R. M.
Reeife, 24 de Selembro do 1889.Dr. Perrer.
Sellada legalmente. Na qual profer o des-
pacho do theor Beguinie :
Despacho-Distribuida. Comp paem.
Rmfe, 34 de Setembro de 18;-Montene-
gro
Emvirtude dest aaMyktfM|o fot a dita pe-
ticig distribuida da**, pule :
A lose Frankiin.CTfvei^pF
E mais *e ;iu cntjnha em dita petico, des-
pacho e iftslribui^g aqu copiados.
Teodo os ju-.u 1 int i prodnzido a
tados.po
olver
se susci tarem, quer
quereom os particulares, QlflMO
todos os seus actos s leis e
toa e juriadiccao dos tribunaes j
rios oa administrativos do paiz.
S 15.a O eontractante ser obrigado
collocar e construir a sua casta um oj
mais gasmetros, se houve necessidade,
nos pagares qne o presidente da provincial
designar, e a introduzir todos os roeluo-
rameotos que durante o prazo do contrac
to-se forem descobrindo, urna vez adopta-
do na c6rte do imperio oa em alguma ca-
pital da Europa.
16. O pagamento da illuminacao p
biica'e particular eer feito em moedal
paiz, sem attencio oscillayiio do cambl
S 17. O eontractante pod*a organisar
aompanhia, a qual ficar suBPogada emfe
dos os direitos e obrigacSes do "contr
18. Para as despegas com a fi
lcelo do servia de illuminacLo o co:
sin te concorrer annual mente cota a qi
ta de 3:OOfl(0OO, que serao rccolhidos ao
The*ouro Provincial. '
19. O presidente da provincia esta-
blecer as multas e mais coudicoos, no
Direito
do Exm. Sr. conselheiro director,
de cooformidade com o aviso de 10
I 81, qoe do dia 15 em diante estar
^psenpe-ao para os exams extraordina-
de que trata o 10 do decreto 11. 7247 de 19
""l de 1879, sendo ditos exames prestados
anno, de accordo com 08 estatutos vigentes,
sob as aeguinte&condicOea :
Apresentacao das certidOes de exames das
materias exigidas como preparatorios para a
matricula da Faculdade ou das que mteceik-m a
dos exames requeridos na ordeui d> curso e de
ida de.
2. Prova d- idenlidade de pejsoa.
3.' Pagamento da importancia da matricula de
'abertura e encerramenlo.
Secretaria da Faculdade de .'ireito do Reeife,
o de ulubro de 1889.-0 secetario,
Bontracio de Aragao F. Rocha.
Faculdade de Direito
De ordem do Exm. Sr. conselheiro director,
faco publico, que do da 15 at 23 do corrate
(par ser feriado o da 24), estarao abertas as ma-
tri. ulas de encerramento dos diversos annos
desta Pacijld.de. podemlo de>de ia ser paga a
tiva taxa na estacad competale
Secretaria da Faculdade de Direito do Reeife,
de utubro de 1889. O secretario,
Bonifacio de Aragft I". Rucha.
bca, qu<
Faz-se
pul
particular.
finalmente, que o nov
riWOBMBeitrlada wi !ei," o re.p.;ctivu e>-crivao intuit0 de garant:r a-boa erecucao do con-
me fez os autos coa -lu-tos selladoa, e jifi-p^r-ids, | tracto, qer com relacao iliuniin^ao pn
nosqoaes profer a r-onleaca Uo
* Sentenca-Yistjs. Juigando
tificacao, mando que se faga a
por editae8.
Reeife, de Outobro de 18S9ISomaz Gar
cez Paranhos Montenegro.
Em virtude desta minha sentenca o respecti-
vo escrivao fez pasar o presente edilal, por cuio
theor chamo, cito e hei por citado o justificado
Francisco Antonio da Fonseca Leite. para com-
parecer & primeira audiencia desle juizo, depois
de fiado o prazo de 30 dias cootados da publi-
cado deste, alim de ver assignar-se-lke os dez
dias da lei, dentro dos quaes devera pagar o pe-
dido constante da peticao neste transcripta, oa
allegar embargos, (cando logo citado para os
demais termos da accao at final sentenca.
E para qoe chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente edrtal que sera publi-
cado pela imprema e ootro de igual theor sera
aflixado no lugar do cosame.
Dado e passado nesla cidade do Reeife de Per-
nam^uco, aos 3 de Outubro de 1889-
En, Jos Franklm de Alencar Lima, escrivSo,
o escrevi.
Tkomax Garcez Paranhos Montenegro.
Auxilios lavoura
Pereira Carneiro & C connuam, aotorisados
telo Banco do Brasil, eonceder emprestimos
lavoura das provincias de Alagoas, Parahyba
e Rio Grande do Norte, mediante as condicoes
e qoe os inleressados serao informados no es-
riptorio roa do Commercio n. 6, das 11 horas
da uianb s 2 oa ta
WS**
^^5

MEDICO E OPERADOR
ESPECIA LID AI*ES
Febres. affecgOes nervajM, car-
diacas, pulmonares, hepticas.
syphiliticas e molestias de
enancas
CO.YSt/XTOfi/O
18-BCA MRQUEZ DE OLINDA-18
t

Bronchlte aguda oa chroalea
O Peitoral de Cambar o melhor re-
medio.

i-
EDITAES

\.
Dr. Joaqun da Costa Rbeiro, juiz de
direito do civel -desta cidade do Reeife
c seu termo, capital da provincia de Per-
nambuco, por Sua Magestade Imperial e
Constitucional o Sr D. Pedro II, aquem
Deus guarde, etc.
Fuco saber, aos qae o presente edital
virem ou delle noticia tiverem, que lindos
os dias da le ir praca pela terceira vez
c ser arrematado com o batimento de
dez por cento do prejo da avaliacSo oa
pela offerta que apparecer nos termos do
artigo vinte e qoatro do decreto n. 9549
de 23 de Janeiro.de 1886o bem segoint :
Wmacasa de pedra e cal, sita na travessa
de Motocolomb, freguezia de Afogados
desta cidade, com 19 metros e 70 cent-
metros de largura e t metros e 70 cent-
metros de comprimento, tendo na frente 6
janellas e 2 portas, sendo que as portas
dio entrada para a sala de visita e de
jantar c as janellas ficam nos 4 quartos
que sao colloeados entro urna sala e outra
o um oulro quarto contiguo sala de jan-
tar, no fnndo do qual (m. cosinha interna,
acbando-se tudo em mo estado : no ter-
reno comprehendido em 700 palmos de
freute, o qual tero cerca nativa e um por-
tao de madeira, existem2 cacimbas e pin-
to a urna dellas um tanque e outro tanque
na parte posterior da casa; 80 ps de co-
queiros, diversos ps de cajueiros e mau-
gueiras, sapotiseiros e outros arvoredos,
todo bastante maltratado, e no terreno de
raarraha, que mede 28 bracas e 4 palmos
de frente, est situado um viveiro que Be
acba arrombado e em pessimo estado;
avtliado tudo por um cont de reis.
Pcnhorado para pagamento da execu-
&o promovida pelo cnsul de Portugal como
administrador do espolio de Manuel de
Carvalho Moura contra os berdeiros do fi-
nado major Manoel Ferreira Escobar e
vai praca pela 3.* vez por nio ter appa-
pracas, qne
licitonte na 1.a e 2."
sobro dito Bem lanfasse.
Pelo qae toda a pessoaqne em o referi-
do bem quizer lancar o poder fazer no dia
da praca.
E para que chegue ao conhecimento de
os mandei passar o presente que" ser
i -1 blicado nala imprens e affixado no la-
O Dr. Thomaz Garcez Paranhos Monte-
negro, commendador da imperial ordem
da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Reeife, ca-
pital da provincia de Pernambuco, por
Sua Magestade imperial e constitucio-
nal, o Sr. D. Pedro II, a quem Deus
guarde, etc..
Faco saber aos que o presente editSl virem,
ou delle noticia tiverem. que se ha de arrematar
em praca publica deste juizo. depois larespecti
va anata :ia do dia 31 lo frrente mez, com as
formalidades e pregOes do eslylo, o bem se-
guate:
A casa terrea n 68 roa do Hospicio, boje
ra do Visconde de Camaragibe, a qual teni de
frente urna porta e doas janellas, corredor inde-
pendente, dota salas, quatro quar;os, cosinha
(ora,quintal morado, cacimba meeira e mais das
quartos axtecaos, em lerreoo foreiro, mediado 6
metros e 30 centmetros de frente e 19 metros
de fundo, em bom estado, avallada por l:600fi.
Dita casa vai praca por execuco que move
D. Mana Joaquina das Dores contra o seu deve-
dor Francisco Cecilio Fernandes dailva Gui-
maraes.
E nSo havendo lancador qoe cubra o proco da
avaliaco, a arrematacao ser feita dos termos
da lei.
E para qae chegae ao conhecimento de lodos
mandei pasSar o presente edilal, que ser publi-
cado pela ira prensa, e ootro de igual tbeor afli-
xado no lugar do cosame.
Dado e passado nesta cidade do Reeife, aos 7
de Outubro de 1889.
Eu. Jos F.-anklin de Alencar Lima, o sab-
screvi.
Thomaz Garem Pm-ankos Montenegro.
5.a scelo.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
irdem do Exm. Sr. Dr. vice-pretidente
da provincia e nos termo do 2* do art.
1 da lei n. 1,901 de 4 de Jonho de 1887,
Jue, tendo-se concluido por meio de laudo
e arbitro desempatador, a questao de ava-
iiaflo do material da empreza de iliumi-
ay&o gaz desta cidade, tica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
ses, contados da data do piesente edital,
para contrallo da dita illuminacSo, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
3.* Nenhuma proposta aera recebida
em que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:0006
em dinbeiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitacao do contracto
ao caso de ser preferida a sua proposta
4.* O deposito, a que se refere o pa.
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo eontractante se nao lindo o contracto e
servir de caucSo para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que fosera estipuladas no mesmo.
5. O contracto s poder ser feito
coa quera melhores vantagens offerecer
oa concurrencia.
6.' A nao ser no caao do paragrapho
antecedente, a actual mpreaa nao ter
preferencia a qualquer outro proponente.
7. O novo eontractante sera obriga-
do indemnisaolo, a qae a. provincia
sujeita por forca da clausula decima ter-
ceira do contracto cm vigor, devendo dita
indenmisacao ter lugar de accordo "com
essa mesma clausula, e ficando o mtenla
e obras da empreza bvpothecados pro-
vincia at que esteja roalisada a indemni-
acSo ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
8. O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
9. Opreco da illuminacSo, quer pahu-
as, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
te urna reduccao de mais de 30 %, para
os estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e repartieses publicas. '
10." O aystema mtrico, si f8r mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
cao do gas.
11." A los ser clara, brilhante e senta
de substancias estnmhas, qae possam pre-
judicar a Muminacllo e a hvgiene publica.
5 12. A mtensidiide media da luz ser
equivalente a de de velas de espennacete,
ass que queimam sote gramsaas por hora,
correspondentes a .20^rios ingleses.
g 13. As horas de illummacao publica
serio fJTadaH pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
er era -iro menor de seis, nem maior
de d miste caso haver urna
redaccac n_______ > gaz correspondente
eontractante ter de pagar actual e
preza, conforme o % Io cima citado,
quantia de 994:917(5528, de accordo con:
a avaliacSo feita pelo arbitro desempata
dor em 18 de Marco ultimo, visto deducir-
se da de 998:777^528, total da avaliacSo,
a importancia de 3:860000 paga em-
Sresa em 1860, proveniente de 202 canos
e ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
pones, enllocados fra do permetro do
contrete. O secretario interino,
Manoel ioaquim Silveira.
Empreza do Gaz
AVISO
A empreza de illuminacSo a gaz desta
cidade por seu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
clo do edital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminacSo mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisacSo da empreza
actual a quantia de 998:777,5528, por
quanto foram avahadas pelo arbitro desem-
patador as obras da mesma empresa,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo eontractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliacSo nao pode servir
de base para tal indemnisacSo, por ter
sido illegal e irregolarm como qae contra ella j protes ou, qner
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos feitos da
fazenda, tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr. procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como "representsate
da ropvincia.*
E como quer que deva em tempo op-
portuno fazer valer seus direitos costra
quem de direito for, dehberou fazer s
presente publicacSo para scieneia dos 9-
teressados.
Reeife, 1 de Maiode 1889.
Gerente.
George Windsor,
^TKEATRQS
SANTA ISABEL
GRANDE FE8TA ARSTCA
Quarta-feira, 9 de Outubro de 1889
EM BENEFICIO DA VIUVA
MINERVINA AMELIA JtfONfKNEGRO DE MESQITA
PROGRAMA
1.a parte
Represontar-se-ha pela primeira vez nesta pocha a imponente e deslumbrante I
drama de grande effeito scenico, em 3 actos, original hespanhol. dos distinctissimos
dramaturgos DD. L. Zorillu e Zappata, intitulado
COLLAR DE OURO
<
Empresa da Estrada de Ferro de
BibelrdoaBiDihttjRecire
Assrembla Geral Extraordinaria
NSo se tendo reunido numero suficien-
te dos Srs. accionistas desta empreza
nos termos expressos no rt. 65 do decre-
to n. 8821 de 30 de Dezembro de 1882,
afim de realisar-se a Assembla Geral con-
vocada ara o dia 26 de Setembro prxi-
mo passado, e ser autorisado o augmento do
capital subscripto para a continuacSo das
obras da ferro-via, como dispSem os arte. 39
e 40 do citado decreto, sSo convidados
pela segunda vez os Srs. accionistas a se
reuiirem no escriptorio da Empresa, n.
74, ra Duque de Caxias, 1 hora da
tarde de 22 do corrento mez.
Reeife, 8 de Outubro de 1889.
O secretario,
Joo 8veiraarneirodaCunha.
Monte-Po Portuguez
Capital esa apolic-e* 4(000*000
Demonstracao da receita e despeza no trimes-
tre de Julbo a Setembro,. a cargo do tbesoureiro
Manoel Jos Vieira.
Receita
Saldo do trimestre ultimo 57*716
Mensalidades de socios 2754000
Juros de apolices (em se-
mestre) 1.255*000
Quota de 9 con3elbeiros 135*000
Por coala de urna com-
mis8o
.*>
m:\om v*i;ao no actos
1.O martyrio de nma mSi.
2."A desordera no lar.
3.Arrependimento e perdao.
PERSONAGEKS
D. Luiz de Medina. ....
Elvira, sua esposa .
Lydia, sua filha
D. Fernando de Lara
Flix, o engeitado .
Um criado
:
.
A. de Mbraes
D. Rosa Manhonca.
D. Honriaa.
P. Ferras.
L. Cirae.
N. N.
Somma

Despez
Beneficencias a socios, \iu-
vas e orphos
Honorario do Medico
Aluauel da sede social
ntagera e ordenado
do cobrador
Publicacoes, missasemais
despeas S*Jv
Compra de Saldo para o trimestre vin
donro
20*000 1.685*000
1.742*716
?
455*500
1004000
75*000
86*250
21*320
600*000
404*64
1.742*716
EPOCHA 1640
Guarda roupa novo e luxuoso
MISE-EN SCENE DO CLUB DRAMTICO FAMILIAS
te parte
Terminan! o espectculo com o bellissimo monologo dramtico, denominado
OS VOLUNTARIOS DA NORTE
recitado pela illustre e intclligente actriz, D. ROSA MANHONCA.

O tbesoureiro,
Manoel Jos Vieira.
Secretaria da Presidencia de Pernambuco
em 13 de Setembro de 1889. S.' seceo.Psfc
esta Secretaria se faz publico, d ordem daExi
Sr. conselheiro presdsBe da provincia e de
cordo com a lei provincial n. 1974 de 26 de
co ultimo, que, a requerimenio de Eduardo*de lc "" u'a-, aic l uu ?on?Sa >^u,ev-" faoraes Gomes Ferreira, acha se aberta a concur- ^ de Portugus, _francez arilhmet.ca e bis-
Faculdade de Direito
De ordem do Exifh Sr. conselheiro director
co publico, que as iascripcoes para os exames
1 niguas e sciencias, terao lugar nesta Facul-
e do da 15 at 31 do correte, conaecando
Os bilhetes que estilo impressoe com o titulo do dramaAs Ruinas do Cas-
tello Negroteem ingresso neste espectculo.
0 espectculo terninar a tempo de serem aproveitados os bonds para todas
as linhas.
Haver trens para Apipucos e Encruailhada de Belm tocando em todos os
pontos em que houver passageiros.
Nos iiitervallos a excellento banda do corpo de polica execotar lindas pecas
musicaes do seu vasto repertorio.
O resto dos bilhetes acham-se venda no dia do espectculo aa bilheteria do
Theatro.
A beneficiada em um dos intervallos, ir aos camarotes agradecer s familias
que se dignaran; honrar a esse beneficio.
Principiar s 8 horas.
A beneficiada aproveita o ensejo para agradecer a todas a pesadas qae se
dignartrn fazer o favor acceitar bilhetes, pede disculpa do adiament de seu benefi-
cio, devido a forca maior, e roga s mesmas o obsequio de deixarem esportula dos
bilhetes, :com seus nomes declarados, pessoa encarregada do sea beaeficio qae se
achara no Theatro d'aquella neite, em vista do sea mo estado de saide aao pe-mit-
tir ir a cada um de per-si reeeber, confessando-se mais orna vez agradecida.
A todas ai pessOas que cooperaram para a reatisacao do seu beaeficio, a be-
neficiada confessa-se penhorada e agradecida, muito. especialmente aos iacansaveis e
bondosos mocos do Club Dramtico Familiar, a S. Exc. o Sr. presidente da Provin-
cia, ao Exm. Sr. Dr. Jos Maano e sua Exma. senhora, aos IUma. Srs. tenente-
coronel commandante do corpo de polica, gerentes das compannias de Trilhos Ur-
bunos de Csxang e- Olinda e da Empreza do Gaz.
rencia, com o prazo de 5') dias, a coater de hoiei
para apresentaco de propostas em carta fechadaf
a fundaco de um raoinho, nesta provincia, dea
tinado a moer o grao de trigo preparar a farfi
nha de conformidade com a lei Afra transcripta.
0 secretario,
F-ancisco L. Marinho de Souza.
LE N. 1974
Inoocencio Marques de Araujo Ges. baeharel
em sciencias jurdicas e sociaes pela Faculdade
do Reeife, deputado i Assembla Geral pela
provincia da Babia e presidente da de Per,
nambuco:
Faco saber a todos os seus habitantes que a
Assembla Legislativa Provincial decretou e eu
sanecioaei a resolacao seguate:
Artigo 1.* Fica o presidente da provincia au-
torisado a contractar com Eduardo de Moraes
Gomes Ferreira, ou com qw-m melhores vanta-
gens offerecer, a fundaco e creaco de um raoi-
nho a vapor ou qualquer outro motor, destinado
a moer grao de trigo e preparar a farinba, com
a capacidade de moer diariamente, pelo menos,
7.500 kilogrammas.
1." Para a exploraco e aso da industrffde
qae trata este artigo, conceder-se ha privilegio
por 10 annos.
2." Dentro- de dous annos o contrac'.ante
obrigado a montar os estabelecimentos predtKM:
e a dar principio aos trabalbos da fabril
cojo servido ser abrigado a admittir at
phios, para Ibes ministrar o ensioo da industria
alimentando os, e dous annos depois dando-Ibes
salario equivalente ao que trabalharem.
Art/ 2. Ficam revogadas as disposices em
cootrario.
Mando, portaato, a todas as autoridades, a
quem o conhecimento e execuco da presente
resoluco perteocer, que a cumpram e facam
cumpnr tao inteiramente como nella se cootm.
O secretario da Presidencia desta Provincia a
faca imprimir, publicar e correr.
Palacio da Ppresidencia de Pernambuc^^B
26 de Marco de 1889, 68. da lodepeodencis e do
Imperto.
L. S. I.vvociKCio Marques de Ailmjjo Goas.
Sellada e publicada a presente resoluco oes
Secretaria da Presidencia de Pernambuca
26 de Marco de 1889
0 secretario interino,
Manoel Joaquim
loria que se realisaro aos dias 15,16 e 18.
Seguir-se-ho as de ioglez. latim, geometra
e geograpbia, nos dias 19, 21 e 22 ; depois des-
tas as de historia e chorographia do Brazil (em
banca especial), rhelorica e philosophia nos dias
23, 25 e 6; e nos dias 28, 29, 30 e 31 sero
admittidos as de quaesquer materias que justifi-
^p a sua falta de iascripcao nos das cima
minados, observadas as condicoes segua-
0 qne pretender inscrever-se deve fazel-o
pr meio de requerimenlo ao mesmo Exm. Sr.
conselheiro director e declarar nao s a materia
em que lem de se inscrever, mas tambem aquel-
la em que i tiver sido approvado. a filiaco, a
naturahdate, aisim como exhibir attestado do
director do collegio ou professor (legalmente
autorisado para eso) qae certificara a bablita-
co do examinando, e se sao do proprio ponho
deste a leltra e a assignatara do requenmento,
evendo ser recoobecida a assignatura do attes-
ado.
I. Sem approvaco no exame de portuguez
nao se lar outro qualquer. Quem nao bonver
sido habilitado em arithmetica nao ser admitti-
ame de algebra e ao de geometra ; deste
pendente o de geograpbia, e nao pode
exame de philosophia quem nao tiver
o do de historia e de mathematicas e
isso nao tiver os de linguas. sendo que
pbem desta ultima condico depende o de
rSetorica.
A exigencia de taes approvaedes para a admis-
sao dos exames que dependem dellas, nao se re-
inscripeo, curaprlndo smente toraal a
effBnvaquando se tratar da mesma adraissSo.
Os exames comecarao no dia I de Novcmbro,
as horas que serao previamente annunciadas,
segunda a ordem de soai^^^Bfacias.
Secretaria daFaculd^H ^M 4 Becire,
S de. Outubro de 1889.
0 secretado,
Bonifacio na. Rocha.
Tiesouraria deFa-
CoV->1
cnmp
A' Companhia do Be-
beribe
Tendo desapparecido as apolices de ni. 10,222
a 10,228, pertencentes a D. Auta Francolina Ra-
mos Ferreira, faco sciente, para que niaguem
com ellas negocie, visto que nSo foram vendidas
e nem caucionadas.
Reeife, 8 de Outobro de 1889.
Dr. Prxedes J. de Souza Pitonga.
^CONCERT-
INtt IBHHBM
QUE PBOHOVE A IMPERIAL SOCIEDADE DOS
ARTISTAS MBCHANICOS F. LIBERAES EU
BENEFICIO DA FAMILIA DE SEU PBAKTEA-
DO CONSOCIO
ptirrniano C. da Ponseca Barroso
Dirigido por seo socio eTeclivo o Illm. Sr.
Professor Francisco de Paula Gomes
Em 1 de Ouml.ro de 188
O paquete Tagus
Commandante P Rowsell
^^;
E' esperado do sal no dia 13 de Ou-
tubro, seguindo depois dademora
necessaria para
Lisboa, Vigo, Santhamptoa e Antuerpia
Huduccao de passagma
Ida Ida e volt*
i' Lisboa 1* class t 20 t 30
' Sonthampton 1 classe i 28 t 42
Camarotes reservados para os passageiros de
'ernambucfl.
Para passagens fretes, encommendas, oSua-se
mos
AGENTES
4joaorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
11."
ft2.
DECLARARES B3
S. R. M.
Sessao de posse
De ordeflrdo Illm. Sr. presidente, con:
senhores socios eleilos* a comparecer
go> 13 do crtente, sede *oc
empossados.de seus cargos
demais sodas, alim de gosarem do
offerece a directoria que ti n don.
Faco sentir aos senuc.
constitue ingresso paia^e
do mes de Outubro. Poierto
nhores interessados procurarc
na mo dd Sr tbesoureiro.
Secretarii da sociedade Recreativa
8 de Outubro de 1889.
0 i secretario,
*rado
zenda
Jtr dos tit Jilos da divida cxterm
mprimento de telegramma do Ofr Mi-
a da nSenda de aoje, fa>.o publicoT^B pro
^?!r em Londres s converso dj/s ttulos da
'crnaisle cinco por centvem ttulos de
a noventa, oom os descontos
arrio qu redaiema preco da emiss&o
b pito e meio. pona mais ou menos,
tan empresmo extinguirse dentro
rfb anrres ; pelo que sao convi-
s de 'aes apolices a deca
rar se ict feo a converso, fa'endo as
necessarias commroieacoes Rothschild 4 Fi-
i Londres, por meio de telegrammas at
ira prxima, 9 do corrente. Em 5 de
bro de 1889.
0 inspector,
MaaojtfAntonio Cardse.
Primeira parte
1. ROZZENI 0 Trio para violioo, flauta e pia-
no, pelos Srs Santino Pinto, Joo Alves e
Alfredo Schiappe.
2. T0ST1Per sempre ancor per sempre, por
Madlle. Hedwig Steizle.
3. RAFF. J. Polka de la Reine, caprlce, pela
Exma. ara. D. Thereza i.antalice.
4.# CaVALINICanto grego, variado para cla-
rineta, pelo Sr. Manoel Fandeira Filbo
5. RBINSTEIN Allegro Appassionato, pelo
Sr. Alfredo Schiappe.
6." BRAGALa serenata, com acompanharaenlo
de violino e piano, por Madlles. Hedwig
Slelzle e Paula Doderlein, e o Sr. Dr. Pau-
lino de Mello.
Scguada parte
|k CAVALLN'I-Duo sobre Fausto, para flauta
clarinetajoelWs Srs JoQoAlyes e Manoel
Bandeira Filbo.
8. ROTOLIPerch gemo 1 Meloda, canlada!
pela Exma. Sra D. Julia Pioheiro.
!. BEETHOVENRondo da sonoata, em f,
para piano e violino, pelos Srs Dr. Pau-
lino de Mello e Amaro Barreto
CHOPINNocturno em do menor, pelo Sr.
Amaro Barreto.
BIZET -Habanera da opera Carmen, can-
tada por Madlle. Hedwig Stelsle.
AUBEBOuvertura drt Muelle de Porltei. c
a pianos, 8 mos, peas Exmas. Sras. Dd.
Julia Pinbeiio, Francisca Pinheiro, Ludo,
vina Lobato e Tdereza F. Ribciro.
United States and Brazil.
M. S. S. C.
O vapor Allianca
E' esperado dos portos d -
sul at o dia II te Outo-
bro o qual depois da de-
mora aecessana seguir
para o
aranhao, Para, Barbadas. S.
Thomaz. Martlaiqae e Mev-
l'ark.
Para carga, passagens, encommendas e di-
oieiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Sua do Commedor8
1* andar .

;| Companhia Lacomo-
t ra'Pernambucana

tMcmblrift eral
lormidade com o art. 14 des estatutos
desta coiaaanhia, convido aos senhores accio
irem se em assembla geral no dia
i mea de Outubro, ao meio dia, no
no n. 1, escriptorio, para Ihes ser
is documentos, ref*
A Sociedade pede a todas as pessoas que se
dignarem de aceitar bilhetes o obsequio de sa-
tisfazer as suas esportulas commisso qne no
dia do Concert se achara no estabelecimento
para semelhante fim.
Companhia Bahiana de Na^
vega^ap a Vapor
Maoei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Babia
O VAPOR
Principe do Gao-Pata
Commandante Lacerda
E' esperado dos portos cima
at o dia 12 do corrente, e'de-
pois da demora do eos turne re-
igressar para os mesmos
carga, passagens, encommendas e dfflhei-
*o a frete trata-se com o
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do figtwio17
MARTIMOS
Royal Maii Steam Packet
Company
O vapor Elbe
Commandante Armstrong
Pacific Steam Nai
Company
STRAnSOFMAGELLAN LINE
O paquete Arucania
^^^^ra
Macelo.
Espera-se
iT'Utub;
Esperase do su
11 do corrente
ttepois da de
me paraLivo
Ibo

^

- '. !'. i
l~



vapor
tille do Cear
Com mandan te Laraey
ida Europa at odia 9
\. ^tasavel demora para a
iahia. fko de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
" ffes dest* linha,qne*iramapresentar dentro
d'.iis a contar do da descarga das al varengas
ma^ao concernente a voluntes qne
ira tdihan seguido para os portos do
aBiu de se podei dar a tempo as provi
jflas oecesaSrias.
Expirado o referido prazo a eompanhia nlo se
onsasMsa'por extravos,
a CSRa, passagens, encommendas e di
) auto : trata* .
_
Vlle de Santos
CommaaWo Tanquery
Espera-sedos portos dosnl al
da 10*de Outubro, segurado
|depois da indispeosavel demora
para o Havre tocando em
Entrar no porto
Condus medico a bordo, de marcha rpida
flerece excellentes commodos e ptimo pas-
tadiji
Ao passagens podero ser -tomadas de ante-
Recebe carga, encommendas e passageiros
losquaestem excellentes accommoda{oes.
carga, passagens, encommendas e di.-
Srtro a frete: trata-se com c
AGENTfi
Augusto Labllle
9RA DO COMMERCIO9
IO de Cuiufero
A's 11 'horas
O agente Gusmao, autorisado i or mandado do
lllm. e Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commer-
cio a re^uerimento do Dr. curador fiscal da mas
sa fallida de D. Maa Amelia da Cunta, far leilSo
da bem montada fabrica de Cajurubeba, perten-
cente a mesma massa fallida, cuja fabrica e sita
ra Luis Garante se a casa ao comprador; esta avaha-
da am 12:157*800.
Os pretendeotes qoe quizeren examinar pre-
viamente podem entender se coni o agente.
Leilo
De movis/ louca, vidros mais objectoa
de casa de familia
Quinta feir, O do corrente
A's 11 hora .
No 2. otear do sobrado n Tdi rwi da Imperatriz,
em que morou o Sr. Memoel Jote de Basto Mello
Agente Modesto Baptista
Leilo
Agente Briitto
De t mobilia de mogno. 1 cama franceta, I
commoda, t marquezes, 1 tavotorio, 1 sof, i
consolos, 12 cadelras de atnarello, i mesa elas
tica, t aparadores, 1 cabide, i quartinbeira, i
estante, i baoquioha, 1 machina de costura,
i relogio de parede, joias de ouro e brilhante,
i esoelbo. i serpentinas, 2 espingarda, lou-
ca para airado e jantar, quadros, jarrar co-
pos, garrafa?, bacias, talbere*. colberes 1 jarrad
ins de cosiuha e outros objectos.
uinta-fclra, O do corrente
Gamboa do Carme n. 7
horas
No 2* andar do t.obrr
Imperador
O agente Martns, competentemente auto;
do,- far leilSo dos Imprtanles movis exh
tes no referido sobrado, os quaes se tornara re-
commetjdavei pelo apurado gosto e bom estado
de coiiseryaco._________________________
Lea
Da grande fabrica Apollo, constando de diver
sas fabricas, machinas e mercaduras como
seiam :
Machinas e todos os accetisorios para trabalho
de fumo, 1 fabrica bem montada para leos ve-
getaes, i importante typographia com machinas
oovas e aperfeicoa>las paratodo o trabalho da
mesma inclusive 2 importantes machinas de cor-
lar papel, oficinas de serralheiro, fanileiro e
outras. grande quantidade de tenas de tinco
que cobrem os armasensda mesma labrica, uppa
relhos de campas elctricas, diversas mercadu-
ras constando de papel de diversas qualidades,
em fardos e a retalho, furaos, rtulos diversos,
saceos com rol has tinas, latas de diversas di-
ment-oes, caixas com ralba de Flandres, lotes
de madeiras proprlas para mobilias, balancas,
excellentes, movei% de escriptorio, cofre inglez
de Mdners, ptimos movis de casa de fam lia
como sejatn : mobilias de sala, guarn louga,
guarda roupa, mesa elstica, lindos lustras para
gaz carbnico, sanefas efcncas divisGes dejar-
dim. latadas, o e carrocase todo mais exis-
tente no grande estabeiecimento da fabrica
Apollo, os quaes serao descriminados mioucio-
samepte em catlogos avulsos. ^|
Terca e quarta-feira 15 e 16
do corrente
,.lho, Guhna-
anto n. 6.
I il'HDORES DE CA1TIS
icezes, os melhores -que
tem vindo para o nosso mer-
cado, de loo folhas a l$4oo,
de 2oo ditas a 1 $600, de 25o
ditas a 2$ooo, de 3oo ditas a
2#5oo, de5coditasa
A's 10 lj2
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Maranho
Cottanandante o eapitao de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
^^m -i E' esperado dos portos do norte- at
^lffc od'H 14de Outubro e depois lade-
Blmora indispensavel seguir para os-
il^i^'^'portos do sul.
As encmmeDdas serlo recebidas no trapiche
Barbosa at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
ne rata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Pernambuco
Oammafidante Antonio Francisco de
Almeida
E' esperado dos portos do sul at o
dia 17 de Outubro eseguindo depois
5da demora indispensavel para os
?portos do norte at Manos. AA
Blbuimendas so serto recebdas naag^
Ciaatfl 1 horada tarde do dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagena e vak>
res trata-se com B^fc.,^^,^
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6*a:Itua <^ Gomrnercio^=6
lo andar
Agente Burlamaqui
Leilo
<|aiata-frira f O do corrate
A's 12 horas da manha
No sobrado ra da Aurora n. 61, onde
morou o Lr. Flix da Cunha Menezes
De ricos movis e objectos de gosto e de
grande valor
Urna rica luobilia de Jacaranda, completa, em-
botida em pao rosa, com asst nto e encost de
estofo de damasco. 1 mesa grande de Jacaranda,
com mais de um secuto, 1 dita redonda com
flores dooradas, com ps de alabastro, tambera
milita aotiga, jarros antigs do lapaoe chinezes
espelhos. ricos quadros, objectos de cbario, eta-
geres, figuras de biscuit, apparelhos Je cobre en-
.rustado de prata, de Gorbam, figuras de bronze,
ricas gravaras, tapetes, passaros empalhados,
pelles, jardineira8, apparaderw, 2 ricos guarda
[nucas e guarda-vestidos, mesa elstica, commo-
das, cadeira de guarnicao, urna mobilia com-
pleta de pao carga, camas, zabides, diversos
objectos de electro pate e urna inflo id ade de
objectos de arte, que estarao \ isla dos Srs. lici-
tantes, no sobrado cima.
A's O 11* horas
O agente Gusmao, autorisado por despacho do
Exm Sr. Dr. juiz de direito do commercio, far
leilo do que cima fira descripto pertencente &
massa falUda de D. Mara Amelia da. Cunha o
que tudo Ter vend lo em lotes vostade dos
compradores.
ooo,
75o ditas a 3^5oo, de
1.000 ditas a 4$5oo, forte
enaderna^ao de couro e pan-
no na
EAINHA DAS FLOftES
i do Baro da Victor^n. 41
Olinda
Aluga-se urna boa e fresca casa em Olinda,
roa QeS. Bento n. 65, com grande quintal plan-
tado, e limpa ; a tratar na rua Velha u. i.
A quem interessSr
Urna pessoa habilitada offerece-se para ser
empregada como criado aqu nesta provincia ou
fra delta, e dar provas de sua conducta : a
entender-se na pbarmacia do povo rua do
Rangel n. 34.__________________
Boa casa
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se para passar a festa urna casa boa
para familia grande, muito perto da estacfcL a
margem do rio, no Ambol, frefuezia da Vafla,
a qaal tem a frente pintada de vermejbo. Sde
forma cu.ilet, est limpa ; trata se na m#wna
em qualquer dia, qoe achara com quem tratar.
Aluga-se ou vende-se por estes das, o sitio
e casa estrada Joo de Barros n. 11, em frente
estacao do Espinheiro, assim como o sitio,e
casa no 3 becco do Pombal o. 2 ; a tratar
com Victor Neesen, no caes de Ramos n. 4.
Aluga se a casa n. 39 rua Genoral Sera,
antiga do Jasmim, c m soto, 4 quartos, 3 salas,
e perfritamente limpa, pre^o mdico; a tratar
na mesma rua n. 31.
-------------------------------------4--------------------------------------------------------------------
Gosinheira
Precisase de urna ama para cosinhar ; a tra-
tar no Catioho Novo, defronte'da estacao.
t
Aluga-se urna casa terrea perto do Sobrado
Grande da estrada da Torre, estjeaiada e pintada,
tem porto ao lado, cacimba com boa agua e ba-
nheiro : a tratar na rua Imperial n, 42; as cha-
ves estao no poder do Sr. Flix, Hotel da Passa-
gem.
Leilo
LEILOES
Quinta-felfa 10, o de um* gt inde factura
de papd. enveloppes, lanternus para carros, fer-
rigens, jarros e couros no armazem da rua oom
Jdfluo o. 45.
A'a t horas da tarde. leilSo de bons predios.
Leilao
9a chcara dos Affiictoa, n. 33, em frente da
atradu do -halet do Sr. Wighas *laia, perto da
estac* do Emroocamento, cora excellente casa
Se vivenda. com boas acommodacoos, agua,
n, com grande sitio arborisado. com viveiro.
Quarta-feira. O do cor rente
As 11 horas
Agente Pinto
No armazem rua doBom Jem$ n 45
Leilo
%t um cofre prova de fogo de Minas, 2 balan-
zas decimaes de 750 kilos cada urna, 1 dita de
das, 1 terno de pesos at 200 kilos. 2 divisOes
* tt balaustres do amaflUo, arteira grande, 1
nixa. meuqr, l prensa'^ copiar e 1 estante para
rteira.
Quart-feira 9 do corrente
A's H horas
Por intervenco do agente Gusmao no arma-
MD n. 32 da rua do Apollo.

Agente Silveira
Leilo
99 terreno, qnarta-feira, 9 do corrente. as 11
horas, uo armazem rua estreita do Ro-
sario n. 8
O agente Silveira, por mandado e com assis-
tsocia do Exm. Sr. Dr. joiz de orphos, a re-
fuerimento da inventariante de Mana Leopoldi-
a da Cocta, levar a leilo um terreno a rua Im-
perial, rejjuezia de S. Jos, desta cidade, com
alicl>ce para editicar, com 7 metros e 3 cent-
metros de frente, 17 metros e 79 centmetros de
terreno tica
Do sobrado de 2 n da res e sotao da rua do
Rangel, o qual rende 1:30SM60.
Um dito de 2 andares, lodo rodeado de janellas
roa imperial, com portfte* de ferro, aradea
ment de ferro, quintal grande com sahida para
a via-ferria de S^Praneisco, rendimento annual
90OJW00. *
tlninta-feirj. ft d correte
A's 11 hora*
Agente Pinto
No armazem da rua do lom Jesu* n. 45
Lflo
De urna grande factura-oom lindos candi-
eiros a gaz e 'jarros para flores.
10 fardos c>m papel de impressSo.
6 caixas cetn papel para cartas.
4 ditas com enveloppes grandes.
1 dita com coaros de bezerros pequeos.
y ditas com louca esmaltada.
1 dita com um vanado sortimento de lan-
ternaa para carros.
2 ditas com selins e pertences.
4 pecas de castor encorpado e outras mer-
cadorias que cstao patentes.
No armazem da rua Bom Jess n. 45
Qninta-feira O do rorrete
O agente Pinto levar a leilo por liquidaco
e para fechameoto le conia, muitos e diversos
artigos de lei, que sero vendidos ao correr do
martello, sendo que, dito leilao comecar s 'O
boras em ponto, por sen m muitos differeutes
lotes e de ter de effectuar s 2 horas um ootro
leilo de predios.
3. e ultimo leilao
Do sobrado de um and ur e sotao n. 38 da
rua do Dr. Joaquim .Sabuco, outr'ora
rua da Ventura na Cipunga, junto
ponte da estrada de ferro
Qufnta-feira IO do rorrete
A's 2 horas da tarde
O agente Pinto levar novamentee pela ultima
tez a leilo servn'io de base a maior ollerta
obtida no segundo leilo a casa e sitio com solo
proprio pertencente ao acervo inventariado de
D. Candida Senborinha Vieira Lasserre, isto por
mandado e em presenga do E:;m. Sr. Dr juiz de
direito da provedoria de cape Has e residuos, s
2 horas da tarde no armazem da rua do Bom
Jess n. 45, por occasio do l;ilo de outros pre-
dios.
Aluga se o segundo andar rua da Roda
n. 17, com grandes commodos, em bom estado
de conservago ; a tratar na roa do Rangel nu-
mero 65^___________________________________
~Auga-se a ioja com armacao, o 2- e3'
andares da rua da Imperatriz n. 6 : a tratar na
rua Matriz da Boa-Vista n. 18, I- andar.
Precisase, com urgencia, de boas costa-
reiras no largo do Arsenal de Marnha n. 2-
Precisa se de urna ama de meia idade, para
comprar e cosinhar o diario de urna casa ,-t, na
rua Velba n. 38. _______________________*^.
Preci6a-se de urna ama para cozinbare um
criado: rua do Visctnde 2* andar. _
Precisa-se de diversos portu?uezes para
.empregados deengenho, ^c'ndo familias melber
ua rua do Li\ramento n. 38, armazea^____*
Tendo se desPUcamionado do pode*
Jo.- Victorino de Paiva um conbetimejti
fu;tajco, passado pelo Tbcsour ^j^^H
importancia de 47*ill, referente a dbr*
paios da ponte sob o rio Coruja, rjga se
Silvia
Crande walwn para piano
Anda encontrare na livraria franceza algun3
exemplares desta mimosa composicao musical.
AIu
a-se
a cssa da rua da Amizade n. 40 (Capunga) com
quintal e cacimba, e a de n. i. na travesea da
rubdico de Fura de Portas ; a tratar na rua Di-
reita n. 45, sobrado, das 9 horas do dia s 5 da
tarde.
Aluga-se
urna casa de pedra e cal. junto estacao de
AgoaFria, na estrada dsBpberH>e, tendo 2 sa-
rtas, cosinba. despensa e banbeiro.
diversa fructeiras ; a trillar na rua
n.10.
o achou, queira entregal-o
Vende se duas
Alng-a-se
Le la o
sita
do Reg,
ifta felrs. do corrate
A's 11 horas
eei effectuado no armazem rua
do imperador n. 39
ffe Stepple, por mandado e assislencia
Hr juiz de dire;to de orphos. a re-
IN Antonio de Souza Dtrarte Ferreira,
__; dos bens do finado bernardino de
He, levar a leilo era um s lote a ta-
ba < garante-se a chave da casa^ %t
podem Sfesde j exa
tlecimento ; o balanco acha-se e!
gao agente no armazem cima,
Agente Pestaa
Lei
maesa fallida
lado Manoel
a 8 de utnhro
jiras em ponto
|Ro-

ao anr.unciante
partes do engenho Forno
da Cal, em Olinda, no valor de 6:0UUJ, ou per
muta-se por ca*as no Recite ou sitio em Beberi-
be, junto*io rio ou em outra qualquer parte
perto de Via frrea do Recife os Olinda, mui
Dora para estabeiecimento de coloaos ou im:
granles por ter ramto terreno para plantajoes
limito frtil para tudo qne lavouras e caonasj
bou para engenho central por estar perto"
praca, tem grande pedreira pan fabrico de
boto barro para trjolo e tena, matas pap lenba
muito bom para pasto para burros bodes e ]
criacao de nado, qoe e onde se sustettta a gr
de por gao que tem era Olinda ; trata-se na
m.i cidade, sitio defronte da igreja de N\ S.
Guadalupe.____________________^___
A'ende-se diversos kloski em oons pool
ebem atreguezados : a tratar na rua do Rosar
da Boa Vista n. 15.
a Vende se o deposito de charttos e cigarros j
rua do Vis^onde de"Inhama, antiga do pagel \
u. 2 ; a tratar na rua estreita do Rosario n. t3-
'.A aeco entre cavalheiros sobre a eg
Alpha, que devia correr com a segunda lote;
e 60:000* do Para, lica adiada para quando so
anuunciar.
- O abaixo assignado, ieodo comprado a set
irmo Manoel Feraandes Salsa o negocio denp*
hados e miudezas, existente nesta cidade, bajo
jiiio todas as dividas de qne credera a dita
casa, comraunica a todos aqu 'lies com qnem casa tinha transaeges. que ella continuar <9
mes'^o modo, sob sua gerencia e nome.
Cidade de Limoeiro, 3 > Jos Fernandes Salsa. ;
Garanti; do lar dome&fio
Kerotene ioexplaalvo ver-
ladeiro
que vendem pelo commodo prego de 4^006
lata com So garrafas 11 Guiraares Vf
Corpo Santo n. 6.
ara exeetleole armazem e um 2- andar com
muitos commodos .barato, 'ru Domingos Joar
ln. 126, nm i andar e sotao rua Coro-
una n. 119 : trata-se na pharaacia
>, junto ao arco da Conceigao, no Re-
Aluga-ee
rrea sita rua Bario d S. Borja n. 18;
dar>raa Coronel Suassuna o. lo! : a
t: rua de Santo Amaro n. 8. nojo General
'fcima.____________^_______________
Aluga-se
roa' do Bonifira n. 23. urna casa
omodoswara familia, perto da estacao do
te dos brahos: a tratar na rua dolmpe-
44.
Alugtie barato
'amlar da rua Visconde de Itaparica n. 43
l da Roda ns. 58 e 60.
Visconde de Itaparica n. 43, armazem.
i do Mercado Ioja n. 11.
do Campello n. 1,1. andar,
nde de Goyanna n. 167, com agua e gaz
do sobrado do becco do Calbougo n. 4
xa Verde n. 3.
sconde de Goyanna n. 163 com agua e gar
r a rea de Commercio n. 5, l anaai
i de Silva Gnimaraes & C.
Csinheira
Me de urna csinheira para casa de pe
TRia ; a tratar na rua Duque de (Ja
*i loia- ^^^_^____
gmblico eao
mercio
com-
Costureira
Dos gneros, armaglo envidragada, cofre
contiguo s casas ne. prova de fogo, batanea, pesos e roed
kt -O taveroa sita np' da Florentina
boje Jlo do liego, n. 2. _..
Qnlnta-fetep, O do eofrreute
Ir 11 horas,
O leilao ser ejlBotuado lio armazem
rua do Imperador n. 39
O agente Stepple, por mandado e assisteafi
do Exm. Sr. Dr. joiz de direito de orphac
ausentes, a requerimento de Antooio de So
Duarte Ferreira. inventariante dos'hemdofllnad
Bemarjlino de Souza Duarte, levar* a leilao em
um so lote a taveroa cima ; garante-se a ciave
da casa.
0| Srs. preleodentBB podem desde j exami-
nar Mito estabeiecimento ; o balango actta-se
era'^B'Jer do me?3io agente, no armazem cima.
Precisa-se de nina,
Aurora n.'lft
o assignado, nico responsavel pela
es de Souza Pereira C. Successo-
cida com pharraacia, rua Mrquez
i. 27, faz publico quwl'esolveu acabar
Hbcio da mesma pbarmacia desta data
ante. Outrosim, faz sciente, que mudou
i Pharmacia da praga do Conde d'Eu n. 19,
rico do preparado elixir de cabega de ne-
continuando, porm, o respectivo deposito
drogara dos Srs. Francisco Manoel da
rua Mrquez de Olinda n. 23.
de Outubro del"
Antonio Maria Marques Ferreira
a ^Lag-em
Leilo
De importantes movis, 1 rico espelbo
oval, 1 excellente piar o, cadeira para o
mesmo, louca e vidros. .
Constando de ocia mobilia prsMpitalhada e
com consolosde T>edia, un elW^nte piano
com poucu i 'te Camlle Esbin,
um rico espaffo oval, urna cadeira entallfada
para piano, dnas lanternas dous jarres finos,
dops caodieiros de gaz, duis escarradeiras li-
nas, un tapete para sota, um dito para piano e
ditos para portas, duas venecianas perfei-
s de amarcllo,
i.m eolxo, um corti-
. umlava-
i raa guaroigao para
boa casa nesse arrabaldo ; a
rga do Rosario n. 34, botica.
liara in^leza
de ferro
rago, gallinbei
con langas, dob
forno, carrinho de m&
no I rgo do forte das Oi
Precisa se de
I hados -, na raa
Attico
Vende-te nma laverna ^^T
urna das primeiras roas di
na rua nava de Santa Rila
6 horas s 10 flstyha, ou
jEaern
Vnde-se urna taveraa
quenos fundos, propria
tratar na roa larga a o id
Mosso estabeiecimento de n. 1 para
;ma rua Baro da Victoria, pelo que
a nossos freguezes.
Domingos Jos Ferreira A C
ador de plano
rocurado rua do Amparo n. 50,
n. 14 ; e tambera para qualquer
Itro.
m
Cautelas do Mete
0*1
bastea
dale
PEITORAL de CEREJA
Do Dr. Ayer. .
Asi enfermldades mais dolorosas 8a ntgtwtn
e dos pulmO*.*, ordlnaranientc desenvoirem-sef
I tendo por principio bast'9 pequenus, cuto* resulta-
dos nfto silo difflcls de uror *** promptamfte n
tntlo com o remedio con nenente. Os ReM-
adrfs e as Tosm* dao reciprocamente o resultado
de Larlnsltla, Asthma, Bronchltis, Affeo-
Vo Pulmonar e a Tsica.
i Todaa aa famUlas que tem crinca darern ter o
Peitoral de Cereja do Br. Ayer
em casa para o usar em caso de neeessidade.
A perda de um da, pode em muitos casos
aeearretar ^criaj consequencla. Por tanto nao
se deve perder tempo precioso, experimentando
remedios de efflcacla dnvidosa, emqaanto qoe
aenfermldade se apodera do ysiema e se arralaja
profundamente, entao que te necesslta tomar
nesse instante, o remedio mais certo a activo em
tea effelto, e este remedio c sem durida alguny*
o Peitoral de Cereja do Dr. Ayer.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA.,
IiOweU, tfass., Est.-Unidos.
satposrro gkrai.
IN
Mal do Garganta, Tcsse e Ti

PEITORAL
9
I
De AHACAHUiT A
_ Remedio Vegetal da Natureza para o all- '
vio e cura de todas as molestias
Do Peito e doa Pulpados.
Precisa-se de urna para
engommar, e outros servidos,
a tratar na rua da Uniao n. 13
Para criado
No sitio n. 5 da estrada de Joao Fernandes
Vieira se precisa de nm menino de 10 a 18 an-
nos, para criado- e copeiro._________________
O correspondente da Gazeta
de Noticias Provincia
0 publico deve estar inteirado do que pubti-
cetra Provincia com relajSo aos telegrammas
dirigidos para a corte, ignora porm que
Alvim efe Chance
receberam corles de vestidos d vojle bordadoe
a seda *
Leques de penna com palhetas tartaruga.
ovos modelos de collarinhos.
Meias de seda para homens e senhoras
Camisas de flanidla pelle de ovo.
ALY'm <& Chance
RUA PRIMEIRO DE MAR^Q N. 19
Precisase de nma ama que cosinhe bem e
qne lave, para casa d; pouca Familia, dando co-
njiecimem>de sua conducta, on apretinando
sua cadefrota de matrcula, para servico e aa-
sistencia interna ; na rua da Aurora n. 67, an-
dar terreo.
Ama
Precisa se de udo ama para cosinhar; nn rua
Nova u. 20, Ioja. .
Atten^ao
Aluga-se a Ioja da rua doBarao*da Victori:
n. 59, onde fura eslabolecido Emilio Soares, ten
do o pretendente preferencia no 1." andar d(
mesmo predio : a tratar no 2. andar, dos 9 h
ras ao meio dia J
Cerveja saudavel
A LA ROSA ALEMANA nao contm cidos
Diversos atteslados de chimicos e mdicos jus-
tificara que a cerveja marca MOCA LA ROSA
ALEMANA um soberano alimento. Os atiesta
dos ticam a disposico do respeitavel publico
Tem venda em grosso Machado & C, rua d(
Vigario n. 19, a retalho; Albino Fernandos C.
rua Marqmc de Olinda b 2; Jos da-Costa (Ja
seiro & C, rua da Crui n. 13; Ramos Ferrein
& C, rua Mrquez *de Olinda n. 50; Lopes d
Araujo, rua do Livrameoto n. 38; 'Vasconce.'lo
Sobnnbo & C, rna da Aurora n. 81; Pocas Men
des & C, rua^streita do Rosario n. 9 ; Manoe
Joaquim Alves Ribeiro & C, travessa das Cruze
n. 66 e Pereira Ferreira 4 C, rua do Imperador
a. 40.
Sement de carrapato
Compra 3e em grandes pe^bet a? qc^ntidi-
des e pelo n.aior prefo possivel ; ao umaiet
de mercearia de Gomes Alves 4 C, roa Vida
de Negreiros n. 86, antigo pateo do Tergo, o
na fabrica de leos vegetaes rua da Anror:
numero i63.
ara minhe r
re
No 3. andar do predio n. 42 da
Duque de Caxias, por cima do Diario
Pernambuco, precisa-se de urna ama qu
saiba cozinhar bem.
Atten^o
Alnga-se urna casa propria para estabeiec
meato, com urinario, em um dos melhores por
tos da freguezia de Afogados, a qual acaba d>
passar por urna grande rectiflcac&o ; a tratar n<
pateo da Paz n. 96._____________
Se soflres porque qn#es
D8A E CONVENCEB-TE-HA8 '
CURA RADICAL

SE2ADD3TA
DA8
Molestias de pelle
SYPHILITICAS
Darthros, sarnas, ulceras antigs, im-
pingens, bobas, gommas, caeros, rheuma-
tismo e morpha.
Com os prodigiosos
XAROPE E UNGENTO
DE
Hydrocotile Calasans
Applicacao fcilUso sem perigo-rEf-
fetos promptos, dieta razoavel.
Contra Tactos no ha argumentos
Estes remedios sSo os ma commodos
do mundo. Envia-se gratuitamente, pelo
correio, direc^Ses para uso d'estes medi-
camentos admirareis.
Prco do ungent 15200 o frasco.
Preyo do xarope 3(J000 a garrafa.
Preparados por Calazans fe C
macia Imperial, Babia.
Deposito no Reeife
Francisco Manoel da Silva &
Rua Mrquez de Olinda n. 23
Em tempo
O Barao de Santa Cruz declara a quem possa
interessar, que o terreno Boa-Viagem, onde
asienta a'sua propriedade Ihe forciro perpe-
tnalmente, e que sao ie sua propriedade as bem-
feitorias ervores fructferas que nelle cxislem.
Faz eata dertaracao para evitar dnvidas futuras
Boa occasio
Vfnde-se o hotel do largo do Paraizo n. 21,
muito onhecido por aotiguidade e denominado
moclo : a tratar no mesmo. Motivo de moles;
tia a razao da venda___________________
Vinho Collares
Pbar-
C.
genuino
ancorta
Ama

Precisa-se de urna ama pan cosinha : na rua
da Palma o. 40.
Ama
Precisase de urna ama qne tngomme com
perfeico ; no largo das Cinco Pontas n. 128.
Ama
Na rua Mrquez do Herval n. 61, sobrado
precisa-sede urna ama.

I
Ama
Para cosinhar, precisa-se na rua Velha nume-
ro 137.
Ama
i
Precisa-se de urna ama que cosinhe bem, para
casa de familia ; a tratar na rna do Hospicio
numero 41.
Ama
Precisase de urna ama para cosinhar; na rna
do Livrameoto n. 34,3- andar._________
Ama
Precisa-se de unn ama para lavar, eagoratnar
,e fczer mais SOena familia, a tratar na ijia da UmAo n. 5.
*OS sr*. rsop?.r:Tasios UWUM
^GEr^TO STEYENS
O nico siibs'itiiitt^o a cauterlsa;io Uos canUoa
pelouKO. hall- niara-Uhso prei^aJado o ubica
reuicio TeriMluirameate efflcaz pare curar loUae
e (luaosqnir iflrwes ia f'rm *) eatiU, IaiBJ*i *
ffrtiMa c Malucn i!e Uta i laMrt'.a. 49 amaos tt/t
cp.i.jf, e -ontlaro xito em t4a 2 ear-
rt. no prnolpae estabeleel-
mezitoe de cav:iSV> em Zo^laterre. eXvopa*
Nunca dcixa nodos l=nua. E* mlster experl
m r. ta lo para Uca coaTencido do s<;u Talor.^
Vr*\i1o-ee em oatxot cao\ as comfM'unta imtliuaiwM
jara o ttu '^mnrr/jo. rm p*)"*.uqums ,
UHn. ',,.,:- ido Hf n. t. .TEVEV5 ni- Un llHil.
. fu; :.s, LcLinllnjUmnl
Maria da Silva Neves e sens filhos convida
ii- (larentts e amigos de seu fallecido e semprtr
leinbrado filho Antonio da Sirva Neves, para as-
si-tirem as missas que mandam celebrar s S
hr.tas da maulla do dia 9 do corrente, A matrk
da Boa Vista, trigsimo dia fe seu passamento;
p-lo que antecipam o seu eterno agradeciment


Hara isa to l'armo
Julia Maria Eulagia do Carino, anda ferida
pela per la de sua tempre chorada mi, Mari*
Rita do Carmo, manda celebrar urna missa pelo-
eteroo repoueo de sua alma, no dia 10 do cor-
rente, s 7 horas da manb, na igreja da Santa
Cruz, 1- aaniversario do seu falecimento; e
para assistir a este acto de religiio e caridade,
convida aos prenles e amigos, confessando-se
eternamente grata.
t
-

Marta da silva Baptlata
, Joo Gongalves de Sou^a Beiro (ausente),
Victor, Goncalves de Souza Beiro e Antonio'
Marques de Almeida, socios da firma Beiro &
Almeida, convidam aos parentes e amigos para
assistirem as missas do stimo dia & participa-
gao do faUecimento de sua mi e av, Mara da
Silva Baptista, que tero lugar no convento de
S. Francisco, na qulnta-feirs 10 do corrente. pe-
las 7 1/2 horas da manha, pelo que de;d antecipam os sens agradeciruentos a todos
aquelles que honrarera coa* suas presenjas a
este a^cyjte caridade e. deggligiq.__________

i
Pernaado MapPaes aa SU^a.
Antonio MaximiadHna Litis aaradaef do
fundo d'alma a todos os amigos que sedignasm
acompanhar os restos morlaes de seu sempre
IembraSo amigo Fernando Magalhesda Sifa, e
de noro convida os parentes para assistirem
a missa do stimo dia, que por sua alma nanda
celebrar na matriz de.Santo Antonio (sexta-feira)
pelas 7 horas da manha, confessando-se eterna-
mente grato.
attsastissi i Jim mi wmmmaammtmwm
n. Sjrcetlna Xavier Carneiro cana-
pello
Barao de Lucena, Dr. Jos Marta t^ar-'
neiro de Albuquerque^ Lacerda, Dr. Feli-
ciano Placido Pontaal, Francisco Carneiro
Campello, D. Maiia do Monto Carneiro
Campello, e D. Ameli* Augusta Carneiro
Chacn, feridos profibmente pela per-
da de sua ogra e mae, D. Arcelina Xa-
vier Carneiro Campello, convidam aos seus
amigos e son parentes e amigos da fina-
da a acompanharem at o cemiterio os
seas restos mortaes. O sahimento partir
do seu domicilio, rua Seto de Setembro
n. 15, s 9 faoraa d manhl de. hoja.
^^aoa^iB)SSiaaaa^aSS^^
i- anniversario
ABlonio Balthasar de Freitas e Joo Alie
Freitas convidam sena parele
assisuretu a? missaa qua-mas^^B

1 P"V^^^^HBI^^^^^^^^^^HB
>m


Os proprietarios des te iwvo estabelecimento pr^vinem
Exmas. familias e ao respe itavel publico, que acabam de recebeW
um grande e variado sortment de novidades do melhor gosto
parisiense, que sero, em vista do estado fayoravel do cambio, ven-
didas por precos excepcionales.
Todos os dias das 8 horas da manh as 8 da noite.
armazem do juma
aezes que acaba
WW ama oova -. -su deste especial
colbklo propriamente pelo chefe desta
io-Be recommendado por ser puro
oalidade. Jos Fernandes Lima & C,
Victoria numero S.Tetepbone313
Hotel doMastro
Estabelecimento montado com todo asseio a
todos para os viajantes, .como seja: boa
dormida, bom tratamehto, e cocheira para os
ani:nae8 que o freguez levar, existente oa Russi-
oha junto a estacan, para
attenca- do publico.
o qual chamamos a
IV

M H GABOCLO
Antigo estabelecimento de ferragpens
DE
FERREIRA -GmMA.KAES-& C
86 -Ra Duque de Caxias84
tfftaitir* gtrtmento teferrigens, entelaras,
t muito* ortos artigo*, a saber:
Cobre emfolha.
Ferro sortido.
Cimento Portlant
e outros marcas.
Bombas de ferro e bronze
Canos de ferro e chumbo para
encanamentos de alta pressao
Machinas e vapores
para algodfto.
Cndieiros elctricos.
Foges econmicos.
Este estabelecimento fundado em 1851, tem na sua
tonga existencia a garanta,mais segura dar os que pro-
curarjjem honral-o com a sua confianza.
. WMW SEM COMPETENCIA
Descontosdo costume
FNDCO DE SINOS E BRONZE
DE
LU1Z DA CRUZ MESQ1TA .
66ra do Baro do Triumpho66
fem para vender o 'seguate:
Machina de cobre para facer espirito de destillar e rastillar.
Alaavblajucs de cobre do antigo e novo systema com esquenta gsApa.
Merpeatlaas de cobre e de estanho.
C'arapucas de cobre. *'
Talla, taixos e caldeiras de cebra.
Bombas de todas as qualidade* de repuchos, aspirantes^ continuas.
Tomclras de bronze e madeira de todos os taannos.
Caaos de cobre, de chumbo e de ferro.
Repartldelras, passadeiras e escumadeira de cobre e de ferro estaohadc
Cobre em lencol e arruelas.
Sola ingleza e do Rio.
C'adlnbos patente e"de lapis.
Nios de 1 libra at 110 arrobas.
E muitos outros objectes
ENCARREGAM-SE de qualquer concert e obra fde encommenda, garac
"ido presteza, perfeicao e precos mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
V'IDE a praso ou dinneiro com descont.
*4ttUA BAB40 00 TRIIMM4
Machinas a vapor,
Moendas. ,
Rpdas d'agua.
Paixas fundidas e batidas.'
Taixas batidas sem crav
Arados.
OOEKCASdoKTOMJGO
ELIXIR GREZ
digestoes
DIFFICEIS
Dyspepsla
Parda
\de Appetlte
TNICO-DIGESTVO
~1 BU TODOS OS HOSWTAI
| pars 0MZ. ih.ru i* Bmjirt. tatas a Naraaeias
m QUINA, OOCA
ADOPTADO EM TODOS OS HOSPITAZS ttitttmlhm de Om Prfplom do
Gl
ANEMIA
Vomito
atar mea
chronica
INA
asthma & mmm
Cursaos pelos CIGARROS EStIC
'1
Oppressen Toase Defluseon Aevralyias
LfcBKClADO* PELA INSPECTORA DB BYOIENK DO IMPERIO DO CKAZIL
Aspira-.se a fumaca que penetra no pello, acalma o sysletnanerrpgc
facilita a expectoradlo e favorlsa as funccoes dos oreaos respiratorios. "
m atacado. J. ESPIC, EO, roa St-LazaW, em Paria. Exua-tt /ta osiw"
* Anua : FBANCn O. da SILVA (Uiiw nncisui rutiaKai Inocuo-
if
RV
Oleo de Figado de Bacalhau
do I>r 13XJOOTJ3K1
todo-Ferruginoso de Quina o Casta ds Laranja amarga
pca nr.useas,
sue todas as
i."F0|E
Este medicamento fcil de tomar, nao
e de cheiro agrdavel. Pela sua compodco,
qualidades que lhe permittem combater :
a ANEMIA, a CHLOROSE, as AFFf iCQES do PEITO
a BRONCH1TE, os CATA9^i<3S, a TY3ICA
a DiATHESE ESTRUMOSA ESCROPHULOSA, etc.
Em vista do seu emprego\"facil, da sua accao multplice e
segura, da economa para os doentes, os mdicos receitam-n'o
de preferencia qualquer outro medicaniento similar.
UErOOXTO UZRAL -
PARS, 209, ra Saint-Deafe, 209, PARS
TEJIOtlI-SE EM TODAS AS PRIHCIPAE5 WlllillM DO L"MVE<0
DESCONFIAR OA3 FALSIFICA56E6 E IMITACflES
Em casa de todos os Perfumistas Cabellelreiros
da Franca s do Extrangeiro
TEJJOrC
^f ^^^^^ Por 0
. PAEIS, B, Eua
gas ii glrdt mz especial
PHBPARADO COM BISMUTHO
Perfumista
Ru. de la. Paix, 9, F.AJRIS
- BRONZE
CARIlOZn

OS MDICOS SUBSTITDEM COM XITO .
o OLEO de FIGADO de BACALH0 assim como o VINH0de QUINA
ELIXIR DUQHAftIP
COI EXTRACTO DE FICAOO DE BAMUisO COM QUINA E CACAO
tte CMEMM de CACAO mw poder orno Depurativo
e iHcotnpmravel Corrobormttte.
YEIDA POI ATUCAft : DCHAMP, 16, RU PE, POITOU, PAfUS
Depoaiunoai
m, 8Ii VA .
EJUNTI
20Ra ^e Mar^o0

.
E.\CADEBN.4CA0 MIRANDA
39-R BE DE CAXIS-39
E^te antigo estabelecimento, boje completamente reformado com machinas
jaais aperfeicoadas e movidas a vapor, acba-se em condic/tes do exocutar qualquer
tplijilli em
T
Cartas, memoranduns, recibos, circulares, memoriaes, despachos, cartees de
SBoicacoea, mappaa, pregos correntes, accSes, bilbetes de loteras e rotulas de todas
as quadados em preto, ouro ou cores.

ienda hespanhola, todas as cores a 25000.
Cachemiras lisas, duaa largaras, a liJOOQ
o covad.
(Cachemira de listras, Jduas
a 15000 o dito,
feha de la bordada a 15000 um.
Jambraia Victoria a 25800 a peca.
3ambraia com aalpicos a 35800 a peca, f
Caixas com lencos, para presentes, a
35000.
Uvas de seda a 25000 e 25500.
flanellas de corea para camisas a 280 ra.
o covado.
larguras, a
lkochuras, cartonados, encadernacSes, livros era branco para o commercio e
repartibles, tendo para este Jim urna excellente machina de pautar.
CART0KS BE VISITAS
Variado sortimento em cartoes para visitas, participacSes e convites de casa-
aaento, bailes, men?, felickacSes, etc., etc.
Livros de recibos de aluguel de caaa, papel de impress&o, tintas, vsrnizes e
ais artigos para t ppgraaphia e lilhographja.
Manoel J. de Miranda
\ Teiephone- r94
Sspartilho cciuraca a 45000 e 55000 um|
Camisas brancas a 25000 orna.
Hadapolao americano a 65000.
roalhas para banho a 15500 ama.
Camisas de flanella a 35500, 45 e 55000|
Sxtrato Bita Sangal a 25000 um.
Dito Port-Veine a 15500 um. .
/elbutina preta a 700 rs. o covado.
alpaca branca a 400 rs. o dito.
Dita preta a 300, 500 e 700 rs. o dito.J
Panno da Costa para m*za.
Maalhado bordado a 15000 o metro.
zhaes arrendada a 400 e 440 rs. o cavado.
ra. o
Etamine Usa a 500 rs. o' covado.
Sargelins, todas as cores a 200
covado.
na broncos a 15200 e 15800 a dozaa.
de aeda com a Torre Eiffel.
es grandes a 135000 um.
nicao de crochet a 75000 urna.
M fc preto a 800, 15000 15200, 15400
(^00 o covado.
lea transparentes a 25500 um.
inado bordado a 65500 o par.
Fuatao de cor para roupa, a 800 rs. o
covado.
Colchas de cores a 2*000 e 25500 urna, Bicoa hrancos e de cores a 15800 e 25500
Colchas de fuatao a 45000 urna.
He a Derby Club a 240 e 280 ra.
o covado.
Fuatao branco a 360 e 600 rs. o dito.
Grinalda para noiva a 75000 urna.
Collarinhos e punhos de celluloid.
Bina, todas as cores a 800 rs. ojcovado.
amazonas a 400 ra o covado.
fitota de seda palha a 85000 um.
tota de alpaca preta'a 45500 um.
oto de Toile pardo a 45500 um.
\ de alpaca de cor a 45500.
atoa de bramante a 155000 a duzia.

9?ornecedor de $$. o Imperador do Brazil e o Re dos Belqas.
WatUXADBIJiA.
DE
E' o nico Dtntifricio approvado
Pkla ACADEMIA oa MEDICINA de PARS
0 melher a/manto mntra a Dorea da Dantas
Racommanoadc apaclalmanta com oe t d* BOTOT eoai Qc
para os oujdadoa da booca.
BMO. Ru St-Hooore, fmrit, em ladn u bou Drogiria. Pufiaalt OaJa^aiai.
-v

MEIO- SECLO DE XITO 51 PREMIOS
29 Medalhas de Ouro e Diplomas de Honra _
AlaOOO
H0RTEL0EP1IEIITA
RECXDMMENDADO
pelos mais Mamados Heises
Indigest es,
Dores de Estomago, .
do coracto. do* "hro, g& I ^*o Toilette e os Deotss
da Cabec*. etc. V ttatcV *>
Grand^JPreservativo ntmtenipoa de Epidemia
coars d'HcrbouTle. _
(USAR AS FALSIFICACES
INDISPENSAVEL
durante a estaro calmosa
EXCELLENTE
TAMDCW PARA A
Lencea de bramante a 158t0 e 25000 oa
Cobertores escuros de 1S a1^7Q0 un.
roalhas para rosto a 35i 0 a duzia.
Cortea de seda para collete a 550JW
Cartea de fustao para^collete a 2H00
Saptista de cores a Tw rs. o covado.
(ferinos de cores a 440 rs., duas larj
Para bai
Coatume' para]6enhora a 105000.
iMtoa pai a homena 85000.
r ESPE(
Guarda p para senhora 105000.
cos|cortcs de casemira para calf
Extratos, meias, entre-meioa']
junhos, regatas, principe (,e Galles,
D-se amostras sem peAnor
isa. Exmas. familias.
Jao de algodSo a 35500.
de linho a 25200 a duna.
homem a 55000 egMOOC
Sscocia a 15500 o par.
irdo a'280, 320,400 e 500 rs. o cov.
la de quadro a 280 rs. o dito.

i de linho e de algodSo.
ggados
para meninos ni)jfl
pal ha par* mesn.
JES
ie*6t>000.
cortes de oasemira paia costumes
aspas, sabor
rtas e oufros muitqs artigos
quaesquer amostras em cas
Roa do Baro do Triumpho ns. 100, 102 e
Deposito rua,do Apollo ns. 2e2B
Tem para Tender o seguate:
VAPOBES de diversos fabricantes para fogo directpara o ou fogo ^de asaen-

*
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
CRTVA$E&4e differentes. tamanhos.
TAIXAS de farro batido e fundido.
LOUOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americanos.
BOMBAS da-todas as qualidades com o respectivoJJencananiento e
todas as ferragens precisas para a agricultura desta provincia.
ENCARREG AlVfBE.de qualquer concert e mandam buscar por encommen-
dih> mediante ajuste previo u urna mdica commiaaab qualquer machinismo.
MACHINAS de deacarocar algodSo.
VARANDAS de ferro fungido e batido.
COTTRACTAM fornecimesto de apparelhos para usinas, garaniin.doa_.bSa
qualidade e bom trahalho dos mesmos, o que podem provar cam
obtido com as duas USINAS montadas ltimamente a saber:
Santa Filonilla etJoao Alfredo
Vendem a praso ou a dinheiro com descont.

Para eng-enhqp
Lopes & Araujo, vendenj
a precos sem competencia
garantindo a boa qualidade.
os artigos abaixo mencio-
nados.
Gal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot. *
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Potassia da Rossia em caixa^
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttand.
Graxa em bexigas.
llua do Livramonto n. 158
Telephone 316
Boa Viagem
Aluga-se urna casa de coostruccao moderna e
bem assettda, com bastantes commodos e mo
buhada, sitio' murado e bem arborisado.eoH)
prtSo'de ferro, e situada na melhor localidad
da mencionada povoacSo ; a tratar no largo de
Conluto n. 4, Iraadar.
H--------wm--------------------
Tamarindo
AM.
Aos proprietarios
Uma pessoa residente nesta cidade desoa fa-
zer uma renda de um sitio com fructeiras, baixe
'de capim, casa de morada e para um peqnenc
negocio, junto a esta cidade ou de alguma Mnh
frrea ; quetn tiver envi cartas ao Sr. Riaeiro
na travessa das Cruzes n. 16, que achara con
quem tratar
Compra-se essa fructa em gran !e e peques
porco : na botica i ra larga do Rosario nu-
mero 34. ^^
Alugam-se as sgintes
casas
Ra do Rangel n. 72, 2- andar, com bon
commodos, maito fresco e perto do mercado!;
ra do Pogo n. 50, com dnas salas muito boas 3
quartos e cosinha fdra; ra da Roda n. (6, Iota,
propria para pequea familia : a tratar m roa
do Cabug n. 16A Venturosa.
Farello superior
21700 o sacco
Vende-se no armazem de Areelino Lima Q,;
Caes d'Assembla n. i, garantindo-se -U ki|a-
grammas cada sacco. ________^_
Alfredo Jos Al?es de Carvalho, antigo e o'
nhecido barbeiro e cabelleirelro, participa "aoe
seus amigos e fregueses, que acha-se estabela-
cido na roa Duque de Caxias n. 31, onde poe
ser procurado para os misteres de sua profis-
sao, esperando de todos a proteccao que senpae
lhe tem dispensado.
melhor
cr derttrricto&i
m
panePliilip
mprejf ad& com A
Odontalin*
rruu, Ytnwptm unrn a ssom
:8sni8liii,24,!
&&
Vende-se barato, mesino a praso, ou
se por casas" pequetteaflBBfijakrquef am
da cidade do Recife, a asa eo viradoj
hoje ra do Coronel Joao de S; com
para numerosa familia, a qual tem dr
duas janellas de frente, quatro ala|;
espacosos; gabinete e cosinha frav !
todo murado, com alguns arvorede"
cacimba muito boa e portao para o bceo
ra : tratar na ra Direita n. 43, sobradfi
cifef.


Loja das Listras Ames
Receben
A DUQUE DE CAXIAS N. 61
de vestidos de caxemira bordados
,11 vdrilho.
Uzea de seda tecido, arrendado urna s
cor a 10400.
Voaile tecido de 12 muito largo com ra-
magens a 800 rs.
Creps de lindas adres para vestidos a 600
reis.
Surak de lindas cares tecido novo em seda
a 10300.
Sedas com listas largas e estreitas todas
as cores a 900 e 10400.
Cortes de vestidos brancos todos borda-
des ultima moda.
Csanbraias organdys de qoadros brancos e
cremes a 700 rs.
Senda austraca tecido aberto todas as co-
res a 400 rs.
Tortea de Zefiro com 161 [2 covados a 4)5000
^Rftdo bordado.
Hadapolao lavado pecas
30500.
Morim com um metro de largo pegas com
12 jardas a 40000.
Mosqueteiros americanos com armacSo se-
melhante a cortinados muito lindos para
ratamente de gabinete a 100, 120 e
. 150000.
Tecidos barates
Cbitas finas a 200 e 240 re.
Cassas de ama s cor a 120 rs.
Kanzuc de lindas cores a 240 rB.
Brim esguiRo pardo infestado para vesti-
dos ou roupas de meninos a 320 rs. o
covado.
Setim da china tecidos de quadrinhos a
200 rs.
LJns de quadrinhos a 160,200 e 240 re. o
covado.
Merinos infestados de todas as cores a 48v.
Espartilhos inglezeB a 40000 e 50000.
acamantes de 4 larguras a 700 rs. e 10000.
lucidos de linho muito bonitos padrees a
200 e 240 o ovado.
Bicos brancos e de core6 para toto o proco.'
Baleias a 240 rs.
Arco a 120 re.
Fitas da exposicao ultima novidade.
Lavas de seda a 10 300 o 20000.
Loques transparentes e de pennas.
Relogios despertadores com movimento a
70000 e 80000.
Sabonetes finos a 500 rs.
Pentes fantazia para cabello a 460 re.
Heias finas para homem senhora e mini-
nos. "
Fichs de renda e prateados todos t pre-
metroB cada peca a
)00.
Ditos bordados de lynon de 180000 a
0OOOju,
Enxovsesisjara baptisados, a 60, 80000,
10/5000 e 120000 um.
Grinaldas com veo para noiva a 80OOC
urna.
Ricas lSs com listras de seda a 400 re. t
covado.
Dita de quadros a 200 o 240 rs.
vado.
Zephir de quadros, modernos, a 120, 140
e 200 rs. o covfto.
Cortinados bordados para cama a 60000 o
par. a
Lindos fichs de retro*, dourados o pra-
teado a 10000 um.
Luvas de seda, todas as efires, para senho-
ra a 10000, 10500 e 20000 o'par.
Saias bordadas para senhora a 30000 urna,
para acabar
Bordados e entre-meios a 500, 600,
800 rs. a peca.
Espartilhos para senhora a 40000, 50000
o 60000 um.
Cachenoz para homem o senhora a 10500
e 20000 um.
Costumes de Jersey para criancas de 4 a
5 annos a 70000 um.
Oasacos de Jersey para senhora, ultima
moda a 60000 um.
Pannos de eroenet para cadeiras a 500 rs.
um.
Lencol de bramante a 108OO,;Uma
Cobertas forradas para casal* a 20500
urna.
Colchas adamascadas, todas as cores a
20000, 30000, 40000 50000 e 60000
urna.
Cortes de fustao para collete a
um.
quadr
dito.
rs. o dita,
metros de lar-
ro metro,
aorior a 800 rs.
o dito.
60
Ditos de velludo bordado a seda a 20000
para crianza a 120 o
200, 240,
um.
Toalhas brancas
160 urna.
Cretones de todas as cores
280, e 320 rs. o covado.
Cobertores brancos de 12 a 20000 um.
Madapolao americano com 1 metro de lar-
tura com 24 jardas a 60000 a peca.
Lencos de linho, a 20000, 30000 e 40000
a duzia.
Ceroulas francezas, a 10000, para acabar.
Lencos para enanca a 10200 a duzia.
Grande sortimento de casimira para cos-
tumes, precos muito resumido, assim
como aprompta-se um costum#| 24
horas, para iaao tem perfeitos chajaes.
S na Revolado
lia Dnne 4e Caxlaa n. 4H
HENRIQUB D4 SILVA MOREIRA
^ad^H
Hollanda p<
dito.
Setinetas m
I o dito.
Linhos de
200 re. o
Percales fina? a 200
Atoalhado bordado, qr
gura, a 10000 e 10
Bramantes, 4 larguaes,
e 10000 o dito,
dem de pu^o linho a 1
Riquissimas guarnic3es de croch
85000.
Toalhas para mos a 10201 0500 e
40000 a duzia.
Meias inglesas par homena a 20500 e
30000 edita.
Camisas superiores idem a 240 [)0OOO
a.dita.
Seroulas bordadas a 120000 e 180000 a
dita.
Cambraia Victoria e transparente a 20800
o 30000, com 10 jardas,
dem bordadas chics A 40000.
Superiores algodoes da corte a
. 30500.
MadaMfto americano a 60000,
jardas.
Flanella do "cores par camisas
o covado.
dem americana, azul, para palitots a
10200 o dito.
Casemiras de todas as qualidades a 10400
10800 '0OOO o dito.
Para as Exaaas. uolra
Lindsimas grinaldas e veo para 8J00 e
140000.
Ricas colchas de crochets e fcstao a 80000
^ e 60000.
500 re. Bonitos cortinados bordados
70000 e 80000.
LinonB branco bordados a 460-r. o covado.
Setim branco, superior, a 800 e 10000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 10000 o dito.
Setins Maca, todas as cores, 800 rs. o
dito.
30000
a 280 re.
taaia,
Ira.
__*, a 2fJU re.
prendados, o que ha de mais no-
vo, a 800 rs.
[Vestuarios jersey, ultimo gosto, a 100
o .120000
Renda oriental a 500 rs. o covado.
Cretones para coberta, 500 rs. o covado.
Pannos de crochet, todos os tamanhos.
^Kolao largm.* 60000
zul,- muito lis, a 10200 o co*
do'.
Ficha de phantasia a 10000.
Luvas de seda a 20000 e 30000 o par.
Ghiardanapos a 10600 a duzia.
Sargelins de qualquer cor a200 rs. o co-
vado.
Grinaldas para noivas, [coma chic e ba-
rata
Nunzucks, grande sortimento.
Cambraia Victoria e transparente a 20800
a peca.
Cortinados bordados a 60000.
Flaneilas para camisa a 320 rs. o covado.
Setins, qualquer cor, a 800 rs.
Renda da China a 200 rs. o covado.
Fust8.es braceos a 32Q, 400 e 500 re.
Vestuarios para ^baptisados, o que ha de
mais novo.
Camisas francezas, com collarinho, por
20000
Grande sortimento de setins lavrados
10000 o covado.
Crindines a 400 rs. o metro.
Zefros a 160 e 200 rs. o covado.
Merinos, sortimento grande, a 500 e 800
rs. o covado.
Cambra! suissa, a 70000 a peca.
Cambraia com,,salpicos brancos fi de cores
a 40000 a peca.
Babados e entremetes a 600, 800 e 10000
a peca.
Lencos de seda.,muito bonitos e baratos.
Cachemira combinacao om listas de seda
a 10400 o covado.
Bramante de quatro larguras 800 re.
a vara. v
Mantil' as pretas a 40500.
Atoalhado, lindros padroes a 10 o metro.
eos.
Bordado com 4 1[2
10000 o 10200.
Grinaldas com veos de blond seda.
Cortinada Bordados de cores a 10500 o
metra ^novidade).
Crochet para cortinado a 800 t o metro.
gelim de todas as "ores a 180 e 200 re.
Crinolina cor de chumbo e cor de caf a
360 o metro.
Colzas de fustao de cores a 20000.
E muitas fazepdas baratas que se ven-
ee com descont a quem comprar de 100
par cima.
Qualquer peasoa que comarar fazendas
BeBta casa, nao sendo do agrado para quem
for comprada, troca-se a contento.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
~lmm^k iRw
\ RA BABAO DO TRIUMPHO
J. 100 A 104 ^
Tem para vender tn-aulphi-
to de cal, que nao s faz alve-
jar muito mais o assucar, co-
mo evita o grande gasto de
cal no fabrico do mesmo.
Lencos de seda e de linho par 20800, Espartilhos com couraca a 40000, 50000 e
A Paragnassu
Vendas soraente a dfflBeiro, por baratigsimos
precos.
MLaciel & Guimaraes
tiraade % variada aortlaaeato
MDElaS, PERFUMARAS E AMIGOS DE
^ MODA
Em grosao e aretalho
24-luf Visconde de lnhaHma-24
Antiga do Rangel
Pernambuco ut
r
em lindas oaixinhas.
Lencfas de bramante 10800.
Cobertas de ganga, forradas, com pumos
20500 e 20800 urna. M
Colchas de cores a 20000 e 30000.
Tapetes para portas a 30500 e 5000
Pannos para mesas, de cores modtta] la,
10000 10200 e 10600. *
PARA BAPTIZADOS
Ricas toalhas da labyrtntho de 30f*
350.
Fustoes bordados brancos a 400 e 500 re.
" o covado.
Casemiras pretas e de cores de todos os
preooB, cheviots, merinas, damascos para
pian*, cobertores, redes a 40000 unta, e
un infinidade de artigos que serilo4em-
brados isa presenca doa dignos leitores
LOJA DE Jf
PBftKIM ilGALHi
Rafeaba (Boa Acqui-
)
Vende-se a dinfiSro, on a praso com garan-
ta urna boa e bem constrnida barcaca, arriada
e preparada para riagem. de lotacSo de 50 to-
k.Vinho puro de^Santatem
Da quinta do Barra!
Os proprietarioe do Armazera Central, a roa
do Gabug n. 11, avisam sos seus distiactos fre-
guezes e ao respeitavel publico que rceberam
Dora remessa ueste especial vinho, o. qual se
recommenda por ser puro da uva, e s sereta-
ia em seu armaiera.
Joaquim ChrialBvSo A C.
Telephone 447 __

Fazenda de criar
rOLPITIM
Vende-Be urna propriedade nesta provincia,
com duas teguas de trras, demarca
taDdo com. o stTtao do Cariri, e as me
condigoes de criar gados. Tem trras |
tieladas "e que" carreraT600 saceos "com assucar; para ptentaces, e urna extensa ?asant(
a pe-soa que pretender, pode dirigir-se ra gem do rio para cultivo de canoas,
60000.
Colchas brancas e de creB a 20, 30000,
40000, 50000 e 60000.
Grande sortimento de fichs de cores para
todo prego.
Cassa baptiata a 120 re. o covado.
Chita brancas e escuras a 240 re., s se
vendo a boa qualidade.
Cretones muito bonitas a 320 e 400 re. o
covado.
Meias para homens, senhoras e criancas,
grande sortimento.
Comisas de rn^as a 10000.
Grande sortimento em merinos pretos.
Cort [de fustao para colete, alta novida-
deaa 10000.
Camisas do flanella francesa a 30000 urna.
Brim de linho de c^r a 500 o 600 re. o
covado.
Tapetes para cama, sof e porta; barato !
Velbutinas, qnalqner c6r, 800 rs.
Cassmetas, mui bonitas, a 400 rs. o co-
vado.
Cortes de cachemiras, em cartao, consa
chic.
Ditos de cretone muito bonitos a 80000.
Ditos decasemira de c3r a 40000, 60000
e 80001'. j
Alm de outras muitas fazendas que
impoBsivel mencionar.
D-se amostras rMm penhor a qualquer
peasoa.
45 Ra Duque de Caxlaa S&
Fernandes Azevedo &C.
O, IRMaO & c.
16Ra do B. da Victoria16
200 Telephone200
Tendo recebido directamente da Europ.
grande sortimento de faaendas e modas
que ha d mais novo o precos sern oo
petencia.
A saber ;
Capas de surah, senda e, merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de 18 e 15 seda.
Damass de seda pura. __
TMerins preta'de 800, 10000 e 10201
i rinoline preta e branca 400.
Sargelim, todas as c6res, a 208 rs.
Bramante de linho a 10500, com 1!
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 10500
< hachemiras con* 2 larguras a 800 r
Ditas de la e seda 2 larguras a 10OOC
Madapolao trancado a 90000 a peca.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camiseiro a 70000.
Dito B6a-Vista, verdardeiro, a 60000.
Fichs de la e seda 10000.
Brins de linho cdies fixes a 600.
Espartilhos couraca a 40000 e 50OOC
Colchas de fustao a 20000 e 30000.
Capellas para noiva com feo bordado i
60000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de. saia a 105OC
Renda de II, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdaaeira osteira para forro de sal
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama
100000.
Chitas de cores a 200 re.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 o 10000.
Extracto Rita Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
GuarnicSes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda par homem.
Dita de dita para senhora.
Flaneilas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite"
Grande sortimento de chapeos de so
Setineta para coberta a 600 re.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustio de c6res.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
vie
do Padre Munu n. Vt, que acbara com quem
l^_____2--------------
Graxa embexigas
Vende-se em qfclquer porcao : no Conf San
ton 6.
etc. A industria pastoril presentemente da
nwior vantagem ; refazer gado ter o triplo ou
qaadruplo no praso de dous a tres annos. Ao
pretendente, se nao for pratico, se facUitarao to
dos os meios de funda a fazenda : a tratar no
Mies do Ramos n. 14-Ay onde tambem se veodem
ous burros aovos.
m m
mm^

PROLOGO
OS PBLLES-YERMKLHAS
( Continuacao do n. 228 )
ni
A tribal doa N
As Bas tradifSes histricas datavam
do rapto das mulheres dos Inrons por Pa-
gaie de Flammes, o Pharamond dos seus
annaes.
A sua poltica datava e tinha a sua ori-
gem na ultima HcSo que haviam recebido
no cabo Cbiley no reinado de Flecha de
Fogo.
Depois deste desastre, em que, por pa-
renthesis. Flecha de Fogo tinha perecido
gloriosamente com as armas na mSo, o
grande conselho dos Nibouais reuni-se e
Cabeca de Urso Coi eleito chefe por una-
nimidade de votos, por ter fendido o cr-
neo a um dezena de soldados de mari-
nha.
Por ultimo, considerando que os ingle-'
te estrella, Flecha de Foge urna ka cer-
cada de um circulo de branca ne; Ca-
beca de Urso o sol do esto,; o sen
ol ar funde os gelos e faz ferver o saague
dos guerreiros nibouais.
Deve-se notar que os bardos se abati-
nham de fallar de Azas de Vento, o nico
WSIT
Rejal Bleod marca YUDO
Este excellente Whisky Esoocez pre-
ferivel ao cognac-on agurdente de cana,
para fortificar o oorpo.
Vende-se a retalho nos melhcres arma-
zens de molhados.
Pede Roya! Blend marca Vlado,
cujo neme e emblema sSo registrados para
todoArii. ^
BROWNS & C, agentes^
Taverna
, fende-se una peqaena tavema bem locala-
da, com poucoB modos, propria para princi-
piante, tem commodos para pequea familia :
para inforroaces, ra da Concordia n. 165.
Mantilhas de seda e de algodSo,
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho,
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 30000 o 40000
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 500*
600 e800re.?a peca.
dem com 3 e 1(2 metros, de qualqu
argura a 10200.
Lencos de linho em caixinhas a 30000
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Finas pulseiras americanas a 40, 60 e
80000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama a
120000, 170000 e 190000 o.par, algn
de cores.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 a
10000.
Ditos para sof a 20000.
Capellas com veo para noiva a 60000
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 100
120000.
Toucas de setim para bajsado a 30, 40 e
50000.
Grinaldas e ramok.de seda, o que ha da
melhor.
Lindas fitas n. 12 para chapos.f
Luvas de seda, cano comprdo a 20 par.
Ditas de seda para creanca a 10000.'
Dita para moca a 10500 o par.
Espartilhos para creanca a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50000 e
60000.
Linha de machina a 60 re. o carritel.
Licha de machina a 600 rs. a duzia.
Lindos leques de surah a 40000.
Ventarolas de penas de todas as corea,
gosto moderno.
Lindos sortiment de ramos e cachos de
flores para enfetar chapeo e vestido.
Grande surtimento de cestas para senhora
a 20, 2,500 30000, 305CO, 40000, 40500,
50000 50500, 60000 e 70000 urna.
Caixas de papel amisade a 400 re.
Lindo sortimento de guarnicoes para toilest*
de diversas cores.
Renda hespanhola preta com vidrilho.
Lindos lencos todos de laberintho a 500 re.
Albuns de pellucia de diversas cores.
Livros de missa a 10500, 20000, 205O*
30000, e 34000 cada um.
Lindas luvas de seda com salpicos e com
listas, gosto moderno, a 20500 o paz.
Grande sortimento de extratos dos mais
acreditados fabricantes.
Toalhas para banho a 10300.
Toalhas para rosto a 300.
Toilnas para mao a 160 re.
Babadores com inscricoes e paizagem
500 re. e 400000 aduzia.
Espelhos grandes com,mulduras finas de
cantos redondos a 40000 e a 60000 um.
Bengalas flauta.
Grande sortimento de luvas de seda arren-
dada, com palmas canno comprido a
* 10500, 20000 a 20500.
Rna Duque de Caxiasn. 103
Libras sterlmas
Vende-se libras sterlmas ; na roa
mercio, armazem n. 5.
do Com-
Vaccina
Vende-se da melhor, na botica rancea de
Rouquaryrol Frres, ra da rus n. 28, Recite.
da urna das faces o desecho de urna fle-
cha cor de fogo; isto recordava a todos
os indgenas que tinha por pai o here d
cabo Chidlev.
Tal era Cauda de Casto-, verdadeiro
pretendente, cuja audacia e astucia pre-
coces tinham perturbado mais de urna vez
dos grandes chefes da tribu, que tinha sc- o seu somno do grande chefe Cabeca de
Pola astucia e violencia fizeram pnsio-
oiroe ; mao, receiando crueis represa-
lias, affastaram-se imrediatamente atre-
ves de extensas regiSea gela^as e ganha-
ram Labrador.
Fugindo em aeguida perante a occupa;
co ingleza, subiram para o norte, muito
aera l dos limites em que se teem con-
servado as tribus da su raca.
Se reinado de Pegaie de Flammes, pri-
meiro chefe dos vencidos, a tribu havia-se
.erganisado, conservando o nome de Ni-
Suais, que tinha sido o da tribu primi-
tiva.
Cabeca de Urso era o quinto successor
de Pegaie de Flammes, pai de Azas do
Vento, que desthronou Dente de TubarSo,
ene legoa o poder a Ftecha de ogo,
grande guerreiro, que tinha queimado dous
ehct'S de feitorias inglezas, plhado um
nav"io naufragado, saqueado diversos cam-
pos de esquimauB, e motivado com as suas
kdaciosas emprezas a expedicSo de um
que destruio o seu acam-
i Chidley.
fabulosos para estes indios
: poca da al-
js-1 i com os 'ran-
^3 SeilB Dd
zes possuiam terriveis pirogas armadas do
trovSes, e que os Nibouais uio eram bas-
tante fortes para destruir aquella innume-
rvel nacSo de homens paludos, senhores
do buI, o grande consol o tilda resolvido
dirigir-se constantemente para o norte, en-
de pareca haver ursos em maor abun-
dancia, onde se encontravam mnitas ve-
zes tribus de esquimaus fcilmente derro-
taveis, o onde a pesca era to provoitaa
durante o estio como as reges menos
septentrin aes.
Taes eras as decisoes que Cabeca de
Urso punha em execucio, com^coragom e
prudencia dignas dos seus illastres prede-
cessores.
Portanto, os poetas nibouais que canta-
vam em seu louvor... (Onie nao ha ver
poetas para lisongear os grandes chefes
do lugar ?...) Os poetas dizam :
Cabeca de Urso 6 um grande che-
fe !... Tem a sabedoria e o'ardor terri
vel do terrivel Pagaie de Flammes !
Sobre o mar, a sua pirog de pello
de phoca voa como a brisa do norte !
c Sobre a nev, ?desusa o seu treno,
sem deixar vestigios '
t O caue-tle de Dente de TubarSo nao
era mais pesado, nem mais cortante nos
combates, do que a raassa de Cabeca de
Urso !
i Flecha de Fogo nao tocava a extre-
mida de de um braco com tanta certeza
come elle !
lecha de Fogo foi um cacador
guer.-eiro ; Cabeca de Urso um
iior e n;
;ute de
cumbido durante urna guerra intestina
Os principes desthronados ficalm empre
mal.
Aquelles exagerados louvqjjj
vam a desagradar aos velhet
chocados com aindomavel orgol
beca de Urso, o seu eleito.
E o filho de Flecha d Fogo, meco ca
^ador, que j havia conquistado o Jonroeo
non* de Cauda de Castor, nao ouvia sem
intima colera, rebaixar os mritos, de s*i
illustre pai, para er augmentada a gloria
de Cabja de Urso.
Calava-ee, eatresoecendo.
Com cerfla, pensava elle, se um dos
nossos grandes chefes foi digno de i
cognommado de Sol do Estio, f<
de Fogo, nlau paije rlSo Oabec
Flecha de Fogb venceu os
do8,|incndiou duas das suau
receu como um here no
n*o fugio diadte de om nav
de trov3ea E o que fez Cabea
Matou alguna soldados deaarj
ceu esquimaus, derrubn
marinhos, ursos brancos
realmente !... 8e fosse grande el
lugar de recuar constantemente di;
homens pallidos, quareria, c
suas habitacSes, lancar-lhes
truil as, e enoher com
casas dos Nibouais.
Assim reflecti* "auda d
selvagem de elevada estatura,
5>es recoriavara aos guerreiros
venerando de Flecha do Fogo.
Olhos negros, e vivos, sobre:
sobrancelhaSijprotuberantes ; nar
no; labios crois; cabellos pretas,
dos, segundo o. uso> excepc-
comprido tufo, que se ergua
crneo ; perf^ severo, mas
tatuagem ; os seus alt
morosos anda, nao .
ir a face
9^ *5LRY
Vealt-ie an toda a rU
Gasemira para vestido a 280
i s. o covado
Casemiras decores modernas para vestido,
padro>s ultima novidade, a 280 rs. o corado :
na ra do reapo u. 21.
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio kH
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite puro de vaccas tourinas e da
trra, garante-se a qualidade do leite.
Vinho de mesa
Qnem nao poder beber o que bom f Chfgou
nova remessa, que se vende pelo mdico preje
de 7000 p garrafao de tres caadas (voltando o
casco); na roa do Amorim n.60._________'
Para os fesvaes
A' ra da soledad n. 56, pr^param-se,
com limpesa, mestria' e commodidade en
precos: bolo, pao-de-lt, cangica, arroz ma
leite, pirmides de doces d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentes e baptisados, etc.
Recebem-se as encommundas quer para
cidade, quer para fora d'ella.
Urso.
Eis, em resumo, o quadro da poMca
interna e da aituacao dos Nibouais, quan-
do JVicolan ,8Bolacdot, com o seu gabao
debruado-de^ vermelha e a sua gaita de
follelyde pelle de bode, se encontrn por
forc.amaior naturalisado entre elles.
Caoeja de Urso ficou satisfeito com as
suas respostas. *.
Cabeca de Urso, sabendo que elle tinha
feito guerra contra os inglezes, que sen-
do seu prisioneir-o, lhe havia fgido, elo-
giou-o pelo seu estratagema.
Finalmente, o Homem-Azul, tal devia
rer o nome nibouais de Nicalau Nicolat
iot, receben como cartas de naturalisacao
grande porjao de urso cosido, e dous
cbifres ebeios de cha de James.
Estes donativos do grande oj|efe aca-
m de lh restituir as fora %a philo-
aophia.
O flancez dos indianos nao era muito
acadmico, apesar ^^Kpriineiro momento, mas, em sum-
^^a urna linguagem muito intelligi-
^colau. pela sua parte, fazia-se enten-
maravilhosamente.
nicamente, quando perguntou, pergun-
ta bastante natural, porque acaso a tribu
oo PeHes-Verraelhas fallava assim, nao
de fazer-se entender.
A aotiga tradicao tinha-se perdido en-
_ os Nibouais -, Nicolau, perfeitamente
incapa de reachal a, coutentou-ae em for-
mular o fucto nestes termos :
um momento na sua Joanninha, e, final-
mente, adormeceu sobre um tapete de
pelles, de que urna rainha teria inveja.
Durante quatro hora- consecutivas re-
sonou como um marinhiro que sahe de
quarto : no fim de quatro horas o resonar
estrodoso de lugar respiracao socegada ;
logo depois, estava acordado, mas, fingin-
do-se adormecido, prestava o ouvido com
o mximo interesse a urna conversaclo de
Cauda de Pastor o um dos velhos da tri-
bu.
Aquelle dialogo confidencial ensinou-lhe
muitos begredos que Cabeca de Urso teria
pago muito caro ou muito cruelmente,
o que pouco mais ou menos, a mesma
consa.
Nicolau soube que havia dous partidos
na tribu dos Nibouais, que os desconten-
tes augmentavam de da para dia, e que
urdan urna tenebrosa conspiradlo contra
a augusta pessoa de Cabeca de Urso.
E' caso para resonar um pouco mais,
pensou o marinhiro ; julgam que nao ou,-
vi nada. Mas tambem caso pasa-nos
prtennos com toda^a finura; de andar, de
bombordo para estJbrdo, como costana
diier-se, e de faajl^iligencias para n3o
me quebrarem ostossos. Cuidado com a
historia parece que entre selvagens do
diabo, como entre nos, ha brancos e tri-
colores, castores e ursos, bonapartistas,
realistas, e o grande diabo do inferno !...
N8o me agrada nada a idea de ferver na
sua caldeira !. E' preciso descobrir urna
invencao !
iterlectindo deste modo, Nicolau Njco-
lardot, cognominado o Homem Azul, reso-
nava prudentemente, com os olhos fecha-
dos e os onvidos bem abertos.
As confidencias que tinha sorprendido
decidiram do seu destino, ensinando-lhe
qual a conducta que devia seguir ; aug-
mentaran! anda mais, se possivel, o sea
_ Decididamente, o nibouais e o fran- ^atlpersticioso optimismo.
cez sao duas lingoas gameas ; neste mo-
mento convm-mo, e, ji que tinha de cp
hir entre Belvagens, preciso confessar
o podia cahir melhor.
Depois, Nicolau tendo obtido a permis-
retirou-se para urna das
0 seu bini
.jsseiro, conaagroG
leoaamentos memoria dos
1 M Porque, assim como elle disia mui-
! las vezes, se tivesse dormido regalada,
ou se me tivesse deitado n'outra
parte,
nada teria ouvido, e ter-me-hia contenta-
do muito simplesmente em ser o tocador
de gaita de folies des meus selvagens. e,
sem contradiccao, um dia ou outro, aoa-
bava por ir para a marmita com <5u sem
gordura de ui
com os meus ossos pequeos, cabos ue fa-
cas e punhaes com os maiores, urna 00-
lher de sopa com a parte superior do mea
crneo, e o pouco de gordura que tenhe
entre o couro e a carne ter-lhes-hia ser-
vido de oleo para queiroar, ou para sub-
stituir a madeira com que se aquecem.
Obrigado, Joanninha. Nao me convela, ~
meus Pelles-Vermelhas. Prefiro muito
mais o Homem Azul, feiticeiro, guerre,
gran-sacerdote, primeiro ministro, velhe
dos velhos, selvagem, deus, diabo e m-
sico em cima de tudo isto.
0 tacto que, pelo seu diplomtico pro-
cedimento, Nicolau Nieolardot nSo tinha
tardado em conquistar estes diversos em-
pregos entre a barbara tribu de Cabeca
de Oreo. h
IV
aerrelro Baleia
Nicolau Nieolardot, decidido asujeitar-
se aos costumes dos seus hospads, teve e
cuidado de tatuar-so de azul, para justil-
car o nome que Cabeja de Urso he
imposto. j
Desenhou em ]^H as faces urna
ra ornada oem um^Bbo enrolado
sava sobc o nariz, sobiaj^Bra a
a da orelha a um dos olhos, <
cia sahir como de um escoven.
Sobre a fronte Nieolardot pintou" 1
cruz, um coraco inflammado, um canhS
e um N coroado, em tndo semelhant a*
que lhe ornava j o braco direito.
Nicolau Nieolardot nao se esqueceu da
nolicar aos Nibouais que NapoleSo tinlajl
sido" um grande che/o.
Se, por acaso, estivesse no castelloll
proa do Mitrsouin, o naufrago teria ex-l
primido o seu pensamento em outros ter-j
moa.
Ainda aue nos tivesse feito guarda-,
dores de gado, seria um bom marinheirl
teria elle accrescentado a urna daj
ancdotas que circulam a respeito
inexgiitavel assumpto.
O marinhiro serve para tudo.
O que nao faz elle a bordo
E' alternadamente-pintor
doeiro, chapelleiro, alfaia
radiador, pedreirp, |C-
l'SB-------
4







Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPQ3NTPXO_UMRVK9 INGEST_TIME 2014-05-19T18:55:01Z PACKAGE AA00011611_18899
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES