Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18898


This item is only available as the following downloads:


Full Text
fMERO 221



1
TA AB
ios. .
mm
PARA D
PORA DA PROT1
Por seis meses adiantados
Por noveWfitos dem.
Por ubi a
Cada noifero arabo, de das anta
*
^mpriedade de ZMxatol
de tFaria
TE
ssevijo mi :: ::asi:
10 I) JANi HPr0> s
2 horas o 50 mina na, (Rcccbi-
a 9 horas e 50 mim rtnanhS de 6).
Fallecen, em S. B
Ernesto Julio Bande
cao dessa provincia.
O Banco Nacional bel Kcr lancou na
eirculagao suas no rJKtojOOO.
fcembargador
da Rea
RIO DE JANEfiSO, de Outubro, s
8 hora da noite. $cebido s 9 e 50 mi-^
nutoa-a manha de 6).
Fo cacolhido saaj r do Imperio, pela
provincia do Cear, t th. Antao Pinto
Ncgneira Accioly.
RIO DE JJEIRO, 6 de Outubro, as 8
hcras e 55 minutos da' noite.
Foram concedida as exoneragoes pedi-
das pelos presideate do Maranhao e de
AlagGas.
Foram nomeadoa presidentes de pro-
vincia:
Do Maranhao, e desembargador Tito Au-
gusto Pereira de Mattos ;

De Alagoas o Dr. Pedro, Ribeiro Mo-
reira.
Foram tambem nomeados :
Lente da cadeira de histologa da FacuL
dade de Medicina da Corte, o Dr. Eduar-
do Prevost;
Confrente da Alfandega da Curte, o 1.
escripturario Bernardo Amaral Savaget;
Ajodante do guarda-mor da Alfandega
da Cfirte, o 3." escriptnrario Manoel Lo-
pe de Oliveira Lyrio ;
Guarda-mor da Alfandega de Santos,
Sebastiao Andrade, sendo exonerado o ac-
tual ; i^fchtt*
Ooarda-mr da Alfandega do Par, Jos
Kanes Pires, sendo o actual removido para
o Thesouro como 1. escripturario ;
I. escripturario da Thesouraria de Fa-
senda de Pernambuco, Jlo Raposo de
Pinho.
Alm desaai, houve outras nomaa-
goos e promocoes 1.*, 2.**, e 3.a* escri-
pturarios do Thesooro Nacional, Thesou-
rariaa de Fazenda, Alfandegas o Recebe-
donas.
Foi nomeado cnsul geral do Brazi
na Bolivia, Julio Favilla Nones.
Foi norxeado engenheiro chefe da
estrada de ferro, de Baturit no Oear, o
engenheiro Antonio Vicente do Nascimen-
jo Feitosa, sendo exonerado o actual.
Foi removido para igual cargo na
estrada de ferro da Bahia ao S. Francisco,
o engenheiro chefe das estradas de ferro
do Recife ao 8 Francisco e do Recife
Caroar, engenheiro Luiz da Rocha Das.
Foi nomeado engenheiro chefe das
referidas estradas de fe ro de Pernambu-
co, o engenheiro, Aarao Leal de Carva-
Iho Reis.
Foi removido o engenheiro chefe da
estrada de ferro da Baha ao S. Francisco
Antonio de Sampaio Pires Ferreira para
igual cargo na estrada de ferro de Sobral,
ao Cear.
4 Falleceu o 1. official da Secretaria
de Estrangeiros, Jos Bernardes da Silva.
- -I, -- -
1875 "e 886, que os ttulos que se dese-
jar converter devem ser depositados, o mais
tardar, at quara-eira prxima.
PARS, 7 de Outnbro.
As. eleicoes de segando escrutinio (Bal-
lotage) que tiveram logar hontem, deram
o resultado seguinte :
Renublicanos cleitos 136
Opposicao 50
Alfredo Naquet, Henri Rochefort e An-
driux, foram derrotados.
Constans, Floquet, Edooard Lockroy,
Ives-Gnyot, Clemenceau e Raynal, foram
eleitos.
Por consegointe, ata vista d'estes ltimos
resultados, a nova Cmara fcar assim
constituida :
Republicanos 365
Opposicao 211
Da opposicao 35 sao Boulangistas. I
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
7 de Outubro de 1889.
IWSTRDCqO POPDLAR
A LinSSATSA SSA3ILSISA
NOS
TKMPOS GOLONIAKS
POE
a JLHH-rnlur Rraxlleira do ?-rulo
XVI i* c o tuero do XIX
ESBOZO B38T0BIC0
rmWa
m
S8S7Z6C CA A&8SCIA 2A7A3
BERLIM, 6 de Ootabro.
SS. MM. o Impar
Alternan ha eleve
e a Imperatriz da
urna viagem a
Constantinopla.
SS. MM. partirlo no da 1. de Novam-
bro.
i E" esperado aqoi no dia 10 do >rrente
S. M. o Gaar.
PARS, 6 de Outubro.
O Sr. Visconde de Cavalc^Sflcaba de
ser nomeado grande official da Legi&o de
Honra.
LONDRES, 7 de Outubrofc
As subscripcoes do novo emprestimo
braaileiro de 4i0 serlo fechadas quarta.
; prxima, & do corrate.
ja bancaria Rothsehild, d'esta cda-
poctadar ^rigacSes
(Coatinuacao)
~ E, de fado, entre os Tupvs era todo msica e
poesa; o nascimento e a morte, a guerra e as
testas, o amor e a religio, a linguaf em e a vida,
todo era poesa. Eram presados por boas can-
tores, as molheres mesimo saban, improvisar, e
as aguas da Carioca pussavam por ter o condo
de dar mais maviosidade ao canto dos Tamoyos.
Emquanto os Taporas arraecavam sons durosrJa
garganta, seraelbantes ao regougar das Guantas,
spero como o Tocar pos Teques pelos troncos
escabrosos da palmeiras,os Tupys bebtam na
solidan do mar, c entrada das florestas, os sons
mais doces da natureza. Na suaJUgnagem har-
raoniosa e quasi toda labial, trarada e intercala-
da de vogaes, imitavam o ciciar da brisa a cor-
rer sobris ondas espe'hadas do Ocano, a agi-
tar levemente a igara derivando tona (Tagua, e
a enredar se pelas foluas dos bosques que aro-
matisam o littoral.
(Conltnia)

PARTE OFFICIAL .
Ministerio do imperio
Foi nomeado tinador do Imperio pela
provincia do Rio de Janeiro o conselheiro
Dr. Eduardo de Andrade Pinto.
Foram condecorados : cora a gra-cruz
honoraria da ordem da Rosa o Conde de
Amelot Chaillon, enviado extraordinario e
ministro plenipotenciario da Repblica Fran
ceza ueste Imperio, com a commenda da
mesma ordem Cunisset arnot e com o
grao de cavalleiro o BarSo de La Toar,
3.- secretario da leglfcao de Franca nesta
cSrte.
Foram nomeados vice-presidentes da
provincia do Maranhao : 1.*, Antonio Car-
los de S Ribeiro; 4.- Dr. Antonio Bap
tista Barboza de Godoy e 6.*. o coronel
Francisco Saloma Rodrigues.
Foram exonerados o 4.- e 6.-, padre
Joao Evangelista de Carvalho e bacharel
Raymnndo Joaquim Ewerton Maia.
Mlalsterlo d Jiistlca
Foi reeonduzido o bacharel Jorge de
Azevedo Segurado no lugar de 4.* juiz
substituto da corte.
Foi nomeado juiz substituto da 2.a
vara civel da comarca.de Nitheroby, na
provincia do Rio de Janeiro, o bacharel
Miguel Soares Palmeira.
Foram exonerados a pedido:
Do lugar de juiz municipal e de orphSos
do termo de Itatiba, na provincia de S.
Ppulo, o bacharel Jos IoaqoimBaeta N
ves Filho.
Do de juiz municipal e de orphaos do
termo Souza, na provincia da Parahyba
o bacharel Luiz le S Lima.
Foram uo meados:
Do termo de Souza, na provincia da
Parahyba, o bacharel Alvaro Teixeira de
Scuza Mendes; do de Iguape, na de S.
Paulo, o bacharel Alfredo da unha Bue-
no ; do de Itatiba, na mesma provincia, o
bacharel Francisco de Assis de Barros
Gomide.
Foram nomeado na guarda nacional
Provincia <4> Uasftt. Comarca de Aqui-
raz. Tenentc-coronel c mroandante do
27- batalbao de infantaria, Alcides Brazil
de Mattos; teneute-coronel c^mmandant
do 10- batalhao da reserva, Josdrineu de
Ajwujo.
Foram reintegrados, nos termos do
art. 5.- do decreto n. 10,264 de 13 de Ju-
bo ultimo, os seguintes officiaes da guar-
da naci lal.
Provincia de Sergipe. Comarca dePro-
pri, o tenente-coronel -Amado Guilberme
da Silva Martina, no commaado do 18-
batalblo de infantaria, ficando aggregado
ao referido batalhao, o tenente-coronel J->ao
arisco
GuilhermaAda Silva Martins, no comman-
do do 19' batalhao de infantaria, ficando
aggregado ao mesmo batalhao, o tenente-
coronel Joao Baptiata Das Coelho e Mello.
Foi privado; nos termos da ord. liv.
1.- tit'. 70, 45, explicada pelo decreto n.
6,841 de 16 de Fevereiro de 1878, o ba-
charel Augusto .de Meireiles Reis do lu
gar de juiz municipal e de orphaos do ter-
mo de Queluz, na provincia da S. Paulo,
para o qual foi nomeado por decreto de 5
de Novembro de 1887, atienta a incompa-
tibilidade existente entre esso juu e o es-
crivo de orpbaos^do mesmo termo, capi-
tao Ignacio Gal vilo de Oliveira Franca,
casado com ama ta daquelle juiz. -
Ministerio da lrieultnra
Foi reintegrado o Sr. Francisco Irineo
de Araujo no lugar de administrador dos
correios da provincia do Cear, sendo
exonerado o Sr. Antonio Moreira de
Souza. "


--------------m---------,-----
WinKterlo da Ciuerra
Concederam-se as honras do posto de
tenente do exercito ao alteres honorario
do mesmo Jos Carolino Chaves.
Conceden-se troca de corpos entre si
aos capitaes Carlos Olympio Ferraz e Pe-
dro de Alcntara Fonseca, este da Ia
companhia do 7 batalhao de infantaria, e
aquello da 3o companhia do 22 da mes-
ma arma, conforme pediram.
Foram transferidos:
Para ajodante o capitulo da 3* compa
nhia Frederico Lisboa de Mora, e para a
referida 3o compan ia o capitlo-ajudante
Nelson Pereira do Nascimento, ambos do
26 batalhao de infantaria; para a segun-
da classe do exercito de confonnidade
com a immediata e imperial resolucao de
1 de Abril de 1871, o alferes do 10 ba-
talhao de infantaria Americo Augusto de
Farias Costa, ficando aggregado arma
a que pertence, visto ter sido julgado in-
capaz do servido do mesmo exercito om
mspeccao de saude a que foi submet-
tido.
Foi expedida s thesourarias de fazen-
da a seguinte circular :
c Manda S. M. o Imperador, por esta
secretaria de Estado, declarar ao inspe-
ctor, da thpagraria de faaeada da provin-
cia-da .*. ^fHNi ea-conhociment e ex4t
cacao, qae os descontos qae soffrem os
officiaes do exercito para indemnisacSo
dos cofres pblicos devem ser feitos, de
ora em diante, pela quinta parte dos res-
pectivos sidos desde que o total da divi-
da fdr inferior importancia correspon-
dentes a tres mezes de mesmo sold, e
pela terca parte quando superior aquella
importancia.Candido Luis Mara de Oli-
vara.
Mutatis mu/andis pagadoria das
tropas da corte.
Augusto Bjtts.Sim, sendo o d
binar com o sr. administradol^H
a cooceMo feita a outros.
Custodio Jos do Reg Araajo.Defe
forma requerid-.'.
Dr. HKro de Albayde Lobo Moscoso.Cotao
requer.*
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, fcde Outubro de. 1889.
Oporteiro,
F. Chacn.
Ifo da Polica
-N. 1.221Secretaria dePo-
hmambuco, 7 de Outubro de
1889.^5jp. e Exm. Sr.Participo a V.
Exc. i i. foram recomidos Casa de De-
tone*, os seguintes individuos :
Dia m
A' ordem do subdelegado da fregnezia de
Santo Antonio, Joao Francisco de Almeida.
Francisco Manoel Vera-Cruz, oa Manoel do Nas-
cimento Vera-Cruz, Severo Jos Prancisco e
Izidoro Francisco da Coaceigo, por embriaguez
e disturbios.
A' ordem do do 3." distado de S Jos Vicen-
te Ferreira de Paula. Antonio Joaquim Bibiaao,
Bellarmino Barbosa, Julio Paes Barreno e Fran-
cisco Ferreira da Silva, por embriaguez e dis-
turbios. a
Da 6:
A' ordem do do 1. districto de S.'Jos, Antonio
Apolsni da Cruz, Pouciano Moyss Peixoto, Ma-
noel Martins do Nascimento, Pedro Anselmo de
l.inia,4tidio Vieira de Sonsa. Manoel Delfino
Domingos Jos dos Santas, Jovino Jos Joaquim
de Queiroz, Manoel Jos das Dores, Benedicto
Francisco de Souza e Antonio Francisco do Es-
pirito-Santo, por embriaguez e disturbios.
A' ordem do subdelegado do 1. districto da
Boa-Vista, Julia Mara da Cooceicao, por em-
briaguez e oJTensas moral publico.
A' ordem do do 2.' districto da Ba-Vista,
Antonio Candido de Miranda, por embriaguez e
disturbios.
T Pelo suodelegado da freguezia da Vanea,
foi remettido ao Dr. juiz de direito do 5o districto
criminal o ioquerito policial a qae procedeu
contra Maximiaao Joo de Soza e outros indi-
vidaos,,toor haverem assaseinado ao liberto An-
selmo e Jjerjdo a diversas pessoas. .
Deof guarde Y. Exc. Illm. e Exm.
Sr. cooselheiro Manoel Alves de Araujo,
mui digno presidente d'esta provincia.
O chafa de polica, Qeroncio Dio de 4**"
formula do ja-1
esoiiro Provincial
CH0S DO DU 4 DB OTUBEO DE
1889
Miguel Reinaux Duarte, Joaquim Firmo'Oli
veira, Jos do Reg Ca ralean te Silva, Manoel Ro
berta d* CojU, Francisco da Silva Miranda, Au
TelraaoAaff^ lBotiepUos, .Antonio Joa
qun te Souta Linia, Antonio Peraica,
Apritio Bra d'Oliveira Lima. FrannsuMOi
Si!v* e Enedino Goocalves Ferreira da Luz.
Ao Contencioso.
Augusto Octaviano de Souza,-Mara Petrolina
da Silva Falcao, Antonio Leonel de Afencar, Ale-
xaedre Carlos de.Carvalho, Emiliano Ernesto de
Mello Taraborim e Deocleciano Ferreira dos San-
tos. -A' Contadoria.
Jeronymo Joaquim da Cunha.Satisfaca a
Contadoria.
Miguel Archanjo Bezerrae SilvaDeposita-
das as plices, ao Dr. procurador fiscal.
m
Ministerio da Marlnha
Por decreto de 28 de Setembro foram
concedidas ao ex-capitao-tenente Miguel
Ribeiro Lisboa as honras do posto de ca-
pitao de fragata, em atten^ao aos rele-
vantes servicos prestados por elle na ar-
mada, durante a guerra do Paraguay.
Foram demittidos do Arsenal de Mari-
nha do Para Joaquim Henri |ue Virgolino
e Antonio Constantino da Cruz, este
apuntador e aquello porteiro, sendo o pri-
meiro substituido por Franc seo Jos de
Castro Vaiente e -Jegundo por Jlo de
Souza.
Cioverno da provincia
DESPACHOS DA PBlsSIDEHCIA DO Da 2 DR
OUTUBRO DE 1889
Antonio Jos de Aaevedo.Neg pro-
vimento ao presente recurso ; pois o recr-
rante nao limita seu commercio a urna s
especie, e os arts 50 e 51 das instrucySes
de 27 de Jnlho de 1^83 neuhuma duvida
offerecem, quando o.art. 51 obriga o re-
currente a pagar as laxas que lbe coube-
rera pela divisan das classes tributadas.
- 3 -
Demetrio Carneiro Rodrigues Oampello.
Tendo o contracto que tem o supplican-
sido approvado pelo Sr. ministro da
agricultura, commercio e obras publicas, e
attendeado s clausulas 7.a e 8.* do mes-
mo contracto, nio pode ser deftrido por
esta presidencia o pedido, que deve ser
apreciado pelo Sr. ministro da agricultura,
commercio e obras publicas.
Anna Francisca Bibeiro.^-Ioforme o Sr. direc-
tor da Colonia Isabel.
Alipto Candido de Andrade.Nao tem lugar o
que requer.
Aveliuo Jos Jeronymo. -Encarainhe-se.
Anna Acacia Lins.Entregae-se, mediante re-
cibo.
Companhia Pernambucana. Encamiuber
devendo ser pago o porte no correio.
Padre Firmino Brant Rocba.Informe o Si*.
inspector do Thesouro Provincial.
Jos Mara de Sonza.Indeferido:
Maria do Rosario Pinheiro. Entreguenl
mediante recibo.
Mana do Patrocinio CaTalcacte l'ca.Venha
por mteruiedio do delandg^ttenirio e Dr di-
rector da lustruccau Paf^^H
Jos*Antonio de Pinlio Barges.Como,
na l. pane de confoiroidad ofim a
de 7 de Agosto ultimo, quanlo fironusta,
prejudicado.
Pedro Secuudino Barb>
em coocurreaca publica que J^^H
prazo ,de M das.
Pedro Pereira de Souza Lemos. Gotn
JV mago Pegado.-Informe
nente-coronel commandanle de poli
Reeebedoria ProTineeal
DESPACHOS DO DU 7 DB OUTUBRO
DE 1889
Seixas & Irmaos, Antonio Rodrigues de Souza,
Emilia Urbana Vasconcellos de Brito, Luiz Mo-
reira da Silva, Manoel Antonio Ribeiro e Isme-
nia Ayres da Silva.Informe a i. seccSo.
Conego Manoel Jofio Gomes.Deferido, em
vista das inforraacoe.
Mara Amalia Loureiro de Albuquerque e Jos
Pacheco da Silva.Cumpra-se.
Antonio Alves Barbosa e outros.A' 1.* sec-
cSo para comprir o despacho da Illtoa. juata do
Thesouro Provincial.
\otleta da Europa
Austria Hungra
Corre com iusisteucia o annuocio de urna pr-
xima visita do imperador da Austria ao re de
'Italia.
Sao conhecidoa os escrpulos, de ordem poli
tica t de ordem religiosa, aueo imperado Fran-
cisco Jos linha posto at agora em ir pagar na
cidade eterna a visita que o re Humberto Ihe
fez em Vienna, ha ja tres annos.
Apear de graudes diligencias empregadas,
nio naviam podido ser vencidas as repugnancias
do imperador. ,''.'
Diz-s*( que foi o soberano da Allemanna quera
consegus vencer apira aj escrpulos do seu
collega austro-hunguro,
Depois Uc varias negociaCOes,este acabou por
ceder licou concitado que se encontrar em
aples com o monarcha allemao, que deve de
norar-se n'aqoella cidade por occasiao da sua
viagem Grecia*
aples ver pois dentro dos seus mnro3 os
tres soberanos da allionca da Earopa central
Muilo pode a rntluencia d'a-|uelU alliaasa; ven-
ce todos os escrpulos e repugnancias dos ai-
liados. ,
0 imperador Francisco Jos ja nao recea in
dispor;-se com os seus subditos catholicos, indo
ser hospede do titilo de. Vctor Manuel, do mes-
mo modo que a Italia nao duridou mostrar-se
ingrata para com a Franca, eocorporando-se
n'uuia -olligacao formada em opposicao, senao
em odio a esta potencia.
A4la-se gravemente o a?sumpto da coroa
cao do imperador da Austria-Hungra, como re
da Bohemia.
autonoma d'aquellc paz
asmo a 12 de Sutembro
a que, no ano de 4871
Francisco Jos, reco-
cora de
daquelle
roo o
a res-
acceius-
diela da
b depois a pre-
0 conde An-
Bust, nos func-
iic ao mesmo
re e da alhaOca alte-,
ilohenwart,
go periodo de espera,
iqito que pro
^^n de ni
, ara e simplcso iltio jura-
meato, o prestado em 1833. porfornando, que
dous annosmais tarde succedeu a Freucjsco I no
throno, imperial, quando ja eslavaempossado no
poder, como rei da Hungrfa e da Boemia.
0 texto desle juramento conforme as pres-
cripce da ordenanga de 1627, na qnal eslava
expressamente reconhecido o dircit da votacao
dos;imt)ostosnos estados da Bohemia, dos quaes
a actual dieta 6 successora legitima.
Emquanto destas discussOes se traa em Pra-
ga, em Vienna est-se tentando um ultimo eg-
forco para se cliegar^ urna reconcihacSo entre
os elementos moderados .das dnas nacionalida-
des tebeque eallem.
Um grande numero de membros da alta aris-
trocracia austro tcheifBe esliveram casualmente
reunidos n'aquella cidade uo fim de Agosto, por
occasiao do casamento do principe Joo de
Sctrwarzeobeg com a condessa Tliereza, filha do
principe Carlos TratttnansdrlT.
0 principa Jorge Ldbkowitz, grSo-marecnal da
dieta da Bohemia, aproveitou o ensejo para se
entender com o primeiro vicc-presidnte da c-
mara alta do reichsrath.
Este prestou-se a ver se obtinba da junta di-
rectora do partido allemao na Bohemia que acei-
taste em principio a coroacSo, considerada, nao
como o tnumpbo do partido tcheque, mas como
ama satisfaedo dada ao patriotismo de toda a
Bohemia.
A illusao uo durou muito tempo. A junta
regeitou toda a idea de coroaco. E' isso urna
aova prova da intransigencia que a miona cen-
tralista allema oppoe a tudo que nao sej^a sim-
ples restauracao da sua hegemona.
Communicam de Buda Pestli ao Jornal do
Debates :
E' destituido de fundamento o boato que se
espalbou de o Sr. Tisza pensar em ir a Pars, no
sen regresso de Ostende. O estadista hngaro
demorou-8e em Vienna, mas entrou em Franca.
Elle desejaria visitar a exposicao, mas compre-
hendeu as objeccoes que a saa presenca poderia
levantar em Pars, depois de, no sen discurso,
citar a Franca, e resolveu, porlanto, dispensar-
se da visita.
Em Vienna procedeu se ha das eleico
de um deputado pelo bairro de Lespoldstads,
para a dieta da Austria-Hungra. Receiavam-se
tumultos, porque os: nimos andavam bastaste
exaltados, mas alioal a eleico correu paciica-
menlc
0 partido anti-semitico, que pretende goaar de
grande influencia na capital do imperio austro-
hngaro basia obtido algumas vantagens n'umas
is eJelces para a renovaco parcial do
(pal, e, forte com ellas, apresen-
ito aguerrido no combate. Tinha
JWlbTdO para candidato um operario chamado
Scbaeider, conhecido como um dos cabegas d
guerra contra o judetffe; mas depois, comovies-
sem a Inme alguna facete poueo edificantes do
d'aqueJlaJndivMtaJMrfBiprovisou outra
incorrente.a Fum proprietarjo
auadoPabst.
dos anti-seailicos dividir-se-h
MM ao secado os seos votos os
oe iifjsjwi repugnancia em jdal-o= ao pri-
iro IMido aanbinado que, no caso de em
pate, no segundo escrutinio todos votariam n'um
dos dous.-
Para oppr aos candidatos da colligacao dos
chamados ebristaos unidos, o partido liberal es-
colheu o professor Saess, que ja fra represen-
tante de Vtenna uo reichsrath e no baodtag.
A feicao tumultuosa das reunios eleitoraes
dos anti-semiticos, fazia receiar grandes distur-
bios no dia da eleico; mas a polica tomoo as
suas precaucoes, e conseguir que a ordem nao
fosse alterada
Os anti-semiticos foram derrotados. 0 pro-
fessor Saess foi eleito por 2,200 votos contra
1,300, qae obtiveram os seus adversarios reu-
nidos.
0 New- York-Herald publica o telegramma
seguinte. que lbe foi dirigido de Turim :
> Sabe-se de boa ote. que. a pedido do go-
vemo allemao, o Sr. Crisp resolveiaexpulsar do
territorio laliano o patriota hungarirKossuth.
0 partido do governa aliemo motivado
na recente visita feita a Kossutb por 800 hn-
garos, e* no discurso que elle pronunciou por
essa occasiao, discurso hostil a poltica do gabi-
nete de Tirza.
Algus depois, na presenga do Maire do
Cuneo e de outros, omens polticos italianos,
Kossulh declarou que tinha pena de ver a Italia
e a Hungra colloeadas n'uma situaco tal que
foderlam ser envolvidas n'uma guefra contra a
ranga.
Esta attitude de Kossutb incommodou seria-
mente as regies governamentaes de Berlim e
de' Vienna, e o gabinete allemao observou ao
governo italiano que este, tolerando tal lingoa.
gem no seu territorio, violava os compromissos
da trplice allianca. ^
PaizovBtitoii
Diz o Jornal Utrech que o estado de sade do
rei da Hollauda peiorou novamente. Aquelle
soberano est muito enfraqnecido; accom-
mettido de somnolencias frequentes, e- tem per-
dido o appetfte da comida.
airela
Reahsou-se no dia 27 ae Outubro o casamento
da princeza Sophia da Prussia cem o prmeipe
real da Grecia. 0 imperador Guilberme deve
chegar a Atheaas a 24 ou 25 para assistir quelle
acto. O principe de Galles, o principe imperial
da Russia, o pnocipe de aples e o rei da Di-
namarca, (este se o seu estado de sad* lh'o
permitlir) tambera irao assirao casamento.
Oriente
Teera circulado nos ltimos dias na Europa
boato* de perturbacao de paz no Oriente.
Os armamentos e concentrac6es de pegas na
Bulgaria e na Servia, urna concentraco que
lamlHin se diz Hzera a Russia na fronieira "
Armenia tee n dado origera a dwer-se que
potencia se prepara para urna intervenc/
penm-ulu dos Bulk^ns.
Na Turquia lavrain receios d'esBa'jnter*
e ao mesmo temp estao alli muito desca
os humeas poliucos da caoipunha qu urna
da imprensa tuglexa lein ultiiiiamente eul
nhadu em favor dos ebristaos da ti
Parece purm que taes boatos nj
damento, porque a Russia. coraqua ^
pira a guerra, tem mostrado nos ulil
as meiores ilisposiges para a (
paz, tem deixado escapar occa-ies
reeum pretexto para intervir na
Balka^is, e nao tena no mom^Oto
gem neuhuma em alterar a ua
ceder. Se ella guardou urna poli
gao e retrahimento durante a gunrra
gara, durante as avi-nturas do princi|e
dre da Bulgaria, e em pieseoga da prodamagu
do principe Fernando, uoierosiniil que agora
sainase d'essa aitiiutle, e fosso provor
Qicio, que poda dar origemfltuaMHI'a ge ral.
A Bulgaria e a Servia deram e4pM|0n mais
ou menos satisfactorias dos-neu pruparalivos
militares, a pnmeira a Turqua, e ^egnodaa
Bulgaria Quaato a "Armenia, a Porta ja deu os
primeiro-* passos para atteu i
ruiaos, e em tolo caso, a quest;n
ser fj>-ilineate i por uraa.iDteiv
-essidade de fazer d'ella um
boatos, e que se nao realisarSo as sinistras pro-
fecas de algu,ns fnebres novelleiros.
Ha razao para suppor-se que os ltimos boa-
tos sao manobra do grande cnaaceller, que pre-
tende com el es dispor os espritos para ot
novos crditos que vai pedir brevemente .ao
reichttag, para accrescentamento das despezas
militares.
Segundo telegramma de Vinnna para o Ti--
mes, estao abertasnegociages para urna allianga
offensiva c defensiva entre a Servia e Monte
pro, e por isso esperado em Vienna o Sr. Stam-
buloff, presidente do conselho do gal
gar, que provavelmente expora
austro-hngaro as medidas qoefi
impoe Bulgaria.
A Sublime Porta prepara urna circular s
potencias, na qual pe em relevg
dos blgaros a sairem da sua situago indecisa
o que poderia obligar a Turqua a empregar a
coergSo, e convida as potencias a receberem o
principe Fernando de Coborgo, ou a nomearem
outro prncipe da Bulgaria, anm de evitarem
complicagoes.
A Servia, sendo interrogada pela Sublime
Porta, protestera contra a aecusagao de ter pro-
jectos ambiciosos sobre a Macedonia
0 rei Miln meditava um golpe de Estado para
se apodera da regencia; solicitou para isso o
apoio militar da Austria, que lbe o recusou.
As noticias sobre os acontecimentos de Creta
estao anda longe de serera consoladoras.
Tiveram.de refugiar- se em Amenas, impelli-
das pela- fome urnas 25,000 lamillas.
O goverdador da Uha, Cbahir-Pach pn-
blicon urna proclamacao ameagando com severo
castigo todas as pessoas que. estivessem em di-
rectas relagoes com os instigadores do levanta-
meato, e que recentemeate aoMreram os rigores
da le.
. As noticias* dadas ltimamente petos jornaes
de Athenaa, sao, em vista dos factos, considera-
das como mdrto optimistas.
Dizem de Berlim qae' em a noite de 18
para 19 de- Setembro descarrilbou o comboyo
correio, que segua de Belgrado para Constanti-
nopla.
Os rails tinham sido levantados proposital-
mente. *gk
Iam no comino' a metropolitano, e dois minia
tros servios, o que levrasuspeitar que se trata
de um aUentado contra, algum d'aquejles perso-
nagens. Felizmente, nb occorreu neab
astre pessoal.
Noticias de Solia para Vienna <
terminantemente, e d'um modo official
de que dentro em breve ia ser nrodf
dependencia da Bulgaria.
A tSde-Setembro passou o annTersarlo do pro-
nunciaren to em favor da rennio da Rumeha ao
principado eos agentes russos pretendiam un-
lisar aquella data tao memoravel para despertar
entre romeaos e blgaros aspiracoes que por
antecipadas, poderiam originar desordens, e
quem sabe se nrxa guerra europea.*
Xoticias da Oceaaia
a ansia
llavia mute que no faziaoi fallar d-si as
Depois da reJBlo da
b reguo Malicfra, d
mes, h?via*db reconduad-
para ser ntatabelpcido no gorerobv
cava qttavtllemanha se tinha visto
ceder, dBpferida conferencia s er
Inglaterra-e dos Estados-UnidoB.
Pereca ioteiramente pacicrdo o archipetop),
e que aquella sofugo, levada a efleito pelas tres
potencias, teria sido do inteir agrado dos indi-
cenas.
Estes, porem, segundo se v, nao esUto de
accordo com a resolugo da con^eocia.
Quatarafa. commandou-os na iba resistencia
levoo-os victoria; nao podem esquecel-os e
moslram-se dispostos a dar de mao ao aotigo so-
berano desthrooado Malictra. fiouve quem pro-
pozes'se um meio de tudo se conciliar, sendo
proclamado novamente rei o dito Malictra, e dan-
do se a Quatarafa o posto dj mandante geral
da Torga armada, com a facuMadede dispord'ella
ao seu arbitrio : maatsso tambem nao calou bem
no animo dos indi genes.
Reina grandeagitacao no arcbipelago. Tama-
sere. que os allems hayiam dado por successor
a Malictra, julga a>do o ensejo para pencar as
aguas torvas, e diz ojfealnglaterra e osEstados-
Unidoa suspeitam ddj| e a Altemaoha Ihe pro-
tepe o jogo. E' de esperar que venha ainda a
toi nar-se necessaria a reuniao de urna conferen-
cia pa-a resolver i ivamentea j celebre
questo da
eias da America
ctaatoA-Vuti
0 cnsul doEstados-l 8 Jamaica,
telegraphou ao governo, participatido-lbe que
rebentara um grande motim em Nevassa, na ilha
dos Guanos, situada entre o Haite e a Jamaica,
tendo sido assassioados algnns americanos, e
qu^ foram j enviados para la um navio inglexe
outro americano. A Companhia dos Guanos em
Nova York er, porem. que a noticia falsa.
E' no dia I de Outubro que deve reunrr-se
pela primeira vez em Washington o congresao
tendente a regular as relagoes commerciaes e
diplomatici's entre os diCPrentes estados da Ame-
rica, tanto do norte, como do su!.
Segundo vemos de um jornal scientfico da
Franga, as nages da America que at ha poseo
tinham aectitado offieialmente o convite, eram :
a Venezuela, o Ckili, o Brazil, a Repblica Ar-
gentina, Costa-Rica. Guatemala, Per, Hondoras,
Nicaragua, S Salvador Bolivia.
A quaotia votada para as despezas d'este con-
gresso de 75:000 dollars.
Veremos em que fica o projectado Zoumretn
icono. ,.*'
congresso de Washington tem orna alta m-
rtan.ia para a Europa.
tesan
PKiflc e Rio da Praia
Pelo paqH<-! Bacionel Aagoas tiven
jruintts notMftas .telegraphicas, publicada
A poli urna conspiraco contra o governo actual-
Os cabegas foram presi
0 Coogrtssp t'.frtleno foi convo<
nariaiiien!'? para o dia 1.
Pallcenira os senadores Ve
BuenosAyys, i" d1
0 senado approvoi
rantia estrada
blica ArgeotinaJ
As comj
obterpri.:
r-
'fado.



IO
de Per
m
:rja-feir
uli
r ^9
lade pequeas crean
to apeuas a merc
^fome, que crameo
m todo o seu
uver esperancas de M,
Sor.
Mrteoa lavoura e-
LaEramos de trabalho,
itasde
esa 3.* diseusso o projec-
^Hterrenos para ataju-
I 99,000
operarios
go da
u atguos raanifestos eom-
tow' a pnso de-oito anar-
chi .
Terminou a parede dos opranos .da estrada
de ferrado Rosario, por ter sido solt o maelu-
sista que se achsw preso.
O Supremo Tribunal commuaoq era gales per-
Borte a que fra couderanado
o-padn Slasarria ,-".",
ottcia- o apparecimento da epide-
aaia da teare emareHa em Vigo.
Montevideo, 29 de 8etembro
otacees da Bolsa tm sido nomioaes, nao
e foseado aegocia
TEMOR
$1 do imperio
0 pmqaete naciena* Alagos, hootem cbegado
do sulttrouxB aapiiateg notioias :
rto wat
Datas at te Setembro:
do de
GooMnao Diaria o fl*> Grmie ter sjdt
anivaawnto organwniio o syodMato ioefei para
a compra. da* diversas empresas do RioGrao.de,
Petlas-o- Alegre.
Coaiineava a manifestarse em aag cora
alguna intensidade a epidemia da varila.,
% -endimento das diversas reparheoe8%u-
Wicas de Petate, at o da 19 foi o seguate
Mesa de rendas geraes 13:6991504; se pro
!nria*. IWMttm; Btrra de S. Gangas,
2:034*15", Garxa Econoimca, l-.tSiMmT
Faltetevam : no Rio-8rande, Marcellino Jo
s Simas; em Bag; Jos Antonio Marasmo e Id
mo Soeto; em Santa Victoria, Emilio de
Varia Alberoar.
aa>e de aaeira
Datas at 30 de Setembro :
Lentos ao Jtrnuedo Commercio de 88 :
Sob a presidencia de S. M. o imperador,/*
alixou**B BOBtem, as 5 horas da tarde, a 7* Con-
ferencia da commissao orgaaisadora do pafJjBCto
4o cdigo civil-
> Ckaapereeeram todos 4 membrosMpMO
aaisss. da e approvada a acta da seas an-
o Br. eosseheiro Baro de Sobral, obten
do a palavra, declarou que antes de mandar un
primir distriauir o tuJaorelirartaMo pro
lecto, desejava ouvir seus astegas sobra o prazo
da pubfiaapn din leis, algunas di9oosi$0es ten
dente a-esclarecer o principio dajo retroacti-
idade e a fizar as bases da iei transito ia re
f ras dtfeatatatos pesaoal e real que juigava con
veniente estabelecer para firmar os prinsisaos
dodirito internacional privado recoshecis no
Brazil, ladepeadentemeote de tratados ou m re
aprocdsdev en retacAo ao estado e capacidade
das pessoas, aos movis e immoveis, as socces-
tOes e aos actos jurdicos em geral.
Accoraaodo a commissao nos pontos essen
enes, fcoo resolvido qne, impreso o distribei-
talo Preliminar, fosee discutido na se-
cainte eafrtuucia. ,
. 0 cooseiaeiro Coelho Rodrigues declarau
me est consolidando o d.reito vigente sobre a
om as modirccges que le parecereni
rias para depois accreeeentar as novas
stitaiedes segundo plano adoptado, e que sub-
s o seu -tratoalbo a diacuMao, depoia de
oncUMa. ,
Pelo conseladko Olegario foi dito que, ten-
4o qtMfcoricluidf titulo sobre a posse, agttar
Itajaf est>eoaselbeiro.Barao de Sobral
tes wrWTSrTMjetel &m*r& bu-
jftouisar a* dlspoeii.'oes, ao exameMafCoamu
sao Wpu v^
IBBDou a conferencia as 4 e l/SHaras da
tarde- ,
Augmentando de 130:0005 o crdito desti-
"irafego do proteogamento da estrada de
i'd ftecite a S. Francisco (trecho de pro
Iriedade do Estadoy. recommeodou o ministerio
agricnltora ao competente en^nbeiro chefe
jne postia lodo o cuidado e use de toda a eco
nomia para obstar que ve aba a ser excedida a
rerba decretada ^r* os servsfos a seu cargo.
Ha mato urna acuna, que de passagem as-
sigaalaremoa M mecanismo do dosso sfstema
de credtjs. Sendo principio geral dos crditos
atappleoentares que se J fau applicaveis. nos
ios urgentaa, as dasM be sua nalurea va-
riaveist nao tem todv > governo faooldade
para, or tal n eio, occwfr. a defiaeu-'ia das
verbas dfftttnadas ao cuteio da estradas de fer
10 do Estado, quauio de todo irapossisel fixar
de anta-oi, e i pdo absolutamente invaria
Tel, o quantum eRto dos gastos doseu.aus-
eio. Kftttcuvamente. Ues gastos escoja raiao
directa do desenvolvimeato do traregt, edado
que este augmente alm da pretisao ordinaria.
rigor da legislago nio ffereeera oulro reme
r dio seno o arbitrio
lo, poeta o trafego
uitas vezes a necessida
ptas de certa importancia ,
seja forcado a mandar continuar d
sua nica respoasaBiliadc, a falta
S&o legal para o suaprimento que se
pensavel. E' anodina que ooovom ?
Consta nos bavei-a>do concedida compa-
ahia, que vier a ser organisada pelo majar Af-
lonso de Albuqaerqne Maranbao e engenheiro
Cnarles Flemming Hargreaves, privilegir. para
onstrueso. uso e gozo de urna estrada de fer-
ro entre a eidade do Natal e o vaHe do Cear-mi
Tim, na provincia do Rio-Grande do Norte, bem
assim garanta de juro de 6. /. ao anoo sobre o
l que fr fixido at o max'mum de 30:0004
kilmetro, tudo nos termos da autorisaco
i'art. 7* da Iei o. 3,397 de 24 de Novem-
bro ultimo.
O privilegio durar por 60 annos e a Rarao
lia por 30 aooos, sendo expressaraeote declara-
do que, para todos os effeitosda concesso o ca-
pital, e juro garantido serio computados em
moeda nacional sem neuhuma referencia a outro
padrao monetario.
Logo que os dividendos excederem de 8 por
Rdente ser igualmente repartido
entre o apierno eacompantiu, cessaodoa divi
lo desdfe que bouverem sido embolsados pelo
Estado os juro por este pagos D;ido que ve-
abama excede:- de i? por ceuto, iicar ao gover
BO o direto de exigir u reJucco das tarifas de
liMhrrea do Natal ao Cear-mirim ter,
las, o percurso de 45 kilmetro* e,
unes reclamada como estrada de re-
ljeos relativamente muit satis-
KLaracter vivamente tecom-
meiro Silva Goutiabo, por
|vde visu a viacSo 4Q&. das
- dh
a do elvl-rdirim, pontsv>%b}ective N
* o mais frtil da provincia do
Norte, sendo notoriamente apon-
eS do imperio mais apro-
ia caana de assucar.
js combinara para fazer
icao a estes 48 kilmetros,
^L^LWvAo se demorar muito
isa meramente nominal.
_ li
e Outubro.
Diario de Notmm F30 de Su-
illailba
miserias,
Iro prximo
^^Bh, asstm
por falta de di-
^^Hpca.sJM nos foita triste e-dolo
welamn providencias urgentes dos pode-
esme folha do I* do correte :
* efcegam da villa dn Urub
i ma* roda a populacao est ain
inipraaslo que Ine causaram
os acontec mentos occarndos no comeen d j mez
pcoximo passado.
Na da i de Setembro um troco de ndj^^H
um s nininr numero criminosos e deq^^H
assaltou a fazenda do Sr. coronel Rodrigo J
de Magalhaes, lanzando fogo Ha casa de moi
|e matando grande parte da creacao ; exerceu o
'saque n\ resirteneia de outras pessoaia|oire el-
las o negociante Mauoel Morer..
O Sr. delegado informado dos actos crimino-
sos, teve scieo^ia de que os assaltantejs|t|Mpgia
ram na faxanda Passagem. Imraediatamento fez
seguir toda a forca soto seucommando para o lo-
cal indicado, aflm de capturar o criminosos.
Na altara da Ram latdim, um grupo qne es
tava margm do rio agjredio inopinadamente
a forca em sua passagem, travando-se um tiro-
teio qu durou cerca ite 34 horas.
Da parte dos assaiiados morreu o individuo
de nome Hilario'de tal e ncaram gravemente fe
ridos t pracas do 9 baialhao e 5 paisanos. Dos
asfaltantes foi maior o numero de inortos e ten-
dos, e os demais evadiram-se iniernaudo-se pe-
laa matlas.
O capitao Benjamn de lal que na occasiao
do tiroteio procurara fugir, vestido com trajes
de rauluer, foi alcaucado por urna bala que o
matou ; o cadver foi encontrado na estrada.
O delegado fez corpo de delicio, procedendo
a varias diligencias.
Fallecen de beriberi. o*Dr. Domingos fi
res de Garvalho" e Aibuquehjue.
A Alfandega rendeu em Setembro......
733:335*4.
MssBajaaf
Datas at 6 de Outubro. i '
Bm Macei, depois da aggresso que da torca
publica soffreu o povo, reuuio-se este em tiut-
Ung no dia i6 de Setembro para protesUr coatra
as violencias.
T Por ordem do Sr. ajudaote-general, em te
Ipgramma, assumio o commaodo do 16* baUlho
e caail|o Capitulino Cesar Loureiro, seguindo
>ara,e. tortao-major commandaate Andrade e
arma-se a noticia telegrapbica da elei-
escrutimo, pelo Io districto, do Dr.
rio Pereira de Carvalho.
\orte ti* Imperio
O paquete americano AJvance. entrado an-
tehontem do norte, apenas nos troure folbasdo
M
Datas at 9 de Setembro.
Sao de menor interesse as noticias.
Lemos na Prowacio, do Para de 28 :
0 conductor da companhia urtana, Manoel
Andrade Cardoso, revelou ao i- delegado de po-
lica existirem na circulacao moedas falsiHcaaa3
de prata, naaonaes, do- valor de ifflfMX
Aquella autoridade apresen tou Cardoso urna
moeda, que, pela sua consistencia, parece ser de
ferro mkejado. grosseira e visivelmente falsi-
cada.TT .
Tem tf data de 1864 e na face, onde ve se a
cora aamonal, l-se o dislico : / kocsigno c-
ces aue ais modernas nao se encootra.
oaoduclor diz que a receben de pessoa
desooonecida quera-feira noile.
r0 i* delegado providencia.

tOMESPOSDBSAS
D
PAO D'ALHO, 5 de Outubro do 1
Vai em pai esU eidade do Diviao rsjinto
Santo de Pao d'Alho, nao ohstanUi as strofaue*
do actual subdelegado e commaudtnte di desU-
c amento.
BM essa autoridade eai querer arvorar-ae de
agente da Edilidade, sem eucommenda d'esta, e
qu'T agir como se fosse naeal, ingenndo se em
execucao de posturas niunicipaes, e, o que mais
. at .nvenuudo disposHrvos de posturas que
nunca existirn).
Tem, por exemplo, querido evitar que os ea-
tabelecimentos commerciaes fecbem erta bora,
que Ine deu no beslunto qando nao ba postura
que tal disponha! e os negociantes em boa hora
nao lem feito caso de lio disparatada pretensao.
Em Bns do mex pasaado, creio que 25 ou
26, a Cmara Municipal desla eidade, que, vaiba
averdade, urna das mais zelosas da provincia,
represeniou ao presidente da provincia no sen
tido de providenciar em ordem a aerem supri-
das as lacunas que a ultima Iei do orcameuto
municipal contem em reiacao aafaervicos locaes
desta eidade.
At agora S. Exwnenhuma providencia tomou.
nem ao menos respondenio oficio d'essa cor-
poraco, ou remetteu sua representado a As-
sembla Provincial. '
Emretanto, nada mais justo dp que essa re-
presenlacao. Trato e de servicos urgentes, que,
ou de m f ou por descuido, foram esquecidos
na citada Iei.
D'ella foi excluida a verba para o servente ou
coveiro do Cemiieno, e bem assim glosada a
verba para iliuminaco da Cadeia. E' possivel
le permaneca a sjadeia s escuras 1 E' licito
m te. por falta de coveiro, iiquem insepultos os
cadveres? -....^ .
Cortadas asduas verbas, est a Edilidaie im-
possibililada de agir tal respeito : neui pode
suprir a lacuna no coveiro, nem dar luz para a
cadeia.
E de certo nao haver quem gratuitamente se
preste ao miater de coveiro, triste incumbencia
que s desempeohada pelo incentivo da paga.
Quanto escuridao da cadeia, couaa que
salta aos olho o seu inconveniente quer no
ponto de vista da seguranca, quer no da fajgieoe
da priso.
E' doloroso que a Assembla Provincial, por
pequenino espinto partidario, pratique taes des
asos, verdadeiras miserias t
A' proposito, cumpre diser que, alem d'essa
gentiles, a Assembla Provincial praticou outros
actos dignos de censura em relaco aos servicos
municipaes adesta importante eidade, como fos-
sem, por exemplo, coosideraveis reduccOes nos
vendmentos dos funcuionarioe do municipio,
tornando quasi inipossivel a continuaco de taes
funecionanos.
0 ordenado do fiscal da eidade que era de
300*, passou a ser de 1304 por anno.
Isto tanto mais extraordinario quanto igual
funecioaario da Cmara de Iguarass, na ilua de
llamarada, que nao tem a quarta parte da im-
poJancia dadePo 4'Alho, continua vencer o
hoiKrio/de^OOiOOOj
mu
ta
fac
Aeapl
paD
Iguara
dora
pissuma
"sid
tud
co
8UE-
E qutssp
couco
sim su
**#

lo,
lus dos
uo Bo-
iituagao
tem j
a pavo
ainda
dessa'anomala est em que, ao
loria da Cmara Municipal de
ral. #de Pao d'Alho conserva
o omnipotente Sr, Baro de Ita-
'j/eudal de Iguarass, era o pre.
'inblt'a. Assim tndo su explica,
ide, menos o interesse publ
gbese, foi extravagantemente
Odio partidario.
]. at que ponto chegou o des-
Quando as-
imprescin-
"

Em 31 anasjMe existencia tea a Compa
Fidelidade, do Rio de J s stus se
gurados cerca de 4 900:000 JO JO (media annual
60:00W) e distribuido aos seus accionistas..'..
3 48d;00uj em dividendos equivalentes a......
693 i S 'o sobre o capital realisado e media de
22 1/3 /. ao anno.
O dividendo distribuido no utlirauanno foi de
191000 por aceo, equivalente 14 *,. do capital
reoiisado.
*
Em Portugal aetivam-se os irabalbos da Unba
frrea do ramal de Viaeu, atim de que a inaagu
I se possa enectuar ao meado do prximo
anuo.
tde pooi sobre o Dio j est concluido
da margan esquerd*,o da awrguui
diantaduaimo: e procede so Umhera
em dos apparelhos de ar comprimido
lacOesdo pilar central.
ponte- sobre o viaducto de Nagozella ejtto
inde adiantamenio ; e anda em perfora^ac
o tonoel da grande sec{o.
A Santa Combadao j chegaram 14 wagons, e
espera se urna iocomova.
Na se :co de Vteau os trabalbos j ebugam
junto ao campo de vinato.
O que para lastimar o deminuto numero de
operarios empregados nJestes trabalhos.
O Centro da Industria e Commercio de Aasu
car tem roalisado diversas offertas de amostras
de assucar a estabelecimentos pblicos e is ajjen-
cias de informacoes na Italia.
Arj Imperial Instituto fluminense de Agricul-
tura offertou urna colleccap ie 99 vidros com os
prineipaes typos de asaucres nacionaes que li-
guraram na xposicaa*ealisada pelo inesm
tro, e ao laboratorio de chimics mdustr
cola polytechnica. por duas vezes, fez o
valiosas-colleccOes, sendo a pnmeira de
naeionaes e a segunda de 30/ de procedei
trangeira. N'estas esto inaluidas imp
amostras de assucar da Russia, Allemaasjt. Bel
gica, Franca, Austria, Chile, Hespanha, .Dina
marca, Venezuela e Repblica Argentina
Por decreto n. 10.366, de 24 de Setembro,
foram approvados os estudos definitivos l|oe
apresen tou a Compagine Genrate di Chemitu de
fer brsiens, relativos ao trecho do prolonga
ment da estrada de ferro do Paran, compre-
hendido entre Corit.ba e o ponto onde dever
comecar o ramal que, pasaando por Lapa, ter
de dirigir-se para o Rio-negro e o ramal de Mor-
retes a Aotonina, aos quaes se refere o decreto
o. 10.132 de 5 de Janeiro d'esie anno.
A garanta de juros do 3 /. concedida pelo
Estado, em caso necbura exceder de 30:000
por kilmetro, anda quando maior aaaolia ve-
oha a ser despendida na coostruccao, sendo qu-
ita revisoc locacao das linhas ser evitadoqual-
quer novo prolongamento das mesmas.
Foi outrosun esubelecido que, a nao seren ac-
ceitas pela compa na as variantes exigidas palo
competente engeoheiro-flscal, ser sojeitada a
questo ao governo imperial, que deliberar de
modo definitivo.

Ao enviado extraordinario e ministro plenipo
tenciario do Brazil em Loudres dirigi o minis
ter da agricultura, a 22 de Agosto, o atiso se
guinte :
Illm e Exm. Sr.-Em resposta ao ofllcio de
22 de Fevereiro de 1888 com que essa legaco
iransmittio ao miaisteno a meu cargo ama carta
do presidente da cempanbia da estrada de ferro
da Babia a S. Francisco, pedindo relevaco da
malta imposta mesraa companhia por nao ha-
ver concluido no devido termo o ramal de Timb,
declaro a V. Exc, para os Ons convenientes, que
o governo maotm a deciso anterior, nao jul
gaudo atteudivel o requerimento da mencionada
companhia, vista das iaformaedes prestadas
pela presideacia da Bahia em ollicio de 20 de
Dezembro de 1887, e pelo eogenheiro riscal da
referida ferro- viem officio de 15 do mesmtj raes-
dirigido aquella psesideneia, dos quaes reuetto
espa a V. Exc.
Dos guarde a V. Exc.LourenfO Cacofcoae
dt Albuquerque. m
l-n

IMHSTKliS E ARTES
A fabrica de tecidos de 8. Cbrkliovaa idaugu-
rou no dia 25 de teuihro prximo passado, Oo
que algam^H
m bem sdsBBBBT
Exerciio-As 3 horas da tarde da ante-
jbootem os ofliciaes da guarnicao da praca do
^ realisarara a visita, que estava annuu-
allei
tantos
dustn
msaco.
m a ser povoadas por
_ do Dr. aergar, ontros
midOfBB de proaaRos da in-
nao acnam similares1 na orga
do Brazil.
^L aos Srs. Drs. Joaquim abuco e Jle Ma-
ftsjpio, no intuito de solicitaren!ate ambos o seu
na Cmara
r
SVISTA DIARIA
4i-maten l-r> iiMal Nao
lioatein sessao por tereiu comparecido apenad 14
Srs. deputadue.
, A reunio foi presidida palo Exm. Sr. Barao
de Caiar.
0 Sr. 1." secretario procedeu leitura do se-
guinte expediente: *
Urna petico de Jos Caspiniro Alves B^zerra,
professor publico de Bebedouro, requereodo sua
juoilacao com ordenado e gratifica^o propor
ctonaes ao tempo de servigos prestados. A' com
missu de peticOee.
Outra do Dr. Jos Flix da unha lenezes
requereodo a sua aposentadoria no lugar de me-
dico da polica eom dous tercos dos veocimentos
que a lualmente percebe.A' commissao de pe
ticOes.
Foi lida e remanida commissao de consti-
tuico e poderes a seguiote indicaco :
ndico que a Assembla Legislativa Provin-
cial, atteodeudo siluago aiTltctiva da lavoura
d'esta provincia, que se acha extenuada pelos
effeitos de urna crise. longa, sem recursos para o
planto de cannfc, na epocba presente, e amea
cada de completa desorgaolsagao, o que de fu-
nestas consequeocias para esia provincia e para
o Estado, represente por telegramma a S. Exc.
o Sr. presidente do conselhq de ministros, fa-
zendo sentir a urgente necssidade qne ha de
auxilios efficazes de qualquer forma e por qual-
quer meio, e que outras provincias ho obtido
esses auxilios, mxime aquellas que leem pre
tendido ameacar as instituicOes monarchicas.
Jos Ma ia. *
Em seguida dissolvcn se a reum&o.
Arto ssaelaeaPor actos da Presidencia
da Provincia de-4 do correnle
Delerminou-se que os eleitores do districto de
paz de Marotos se reunam para actos cleitc
ua capella existente n'aquelki localidade.
Foi concedida ao professor Adolplio Astolpho
Lina de Albuquerque, da cadeira de ensioopri-
mario de Bello Jardimr a licenca, cora ordenado,
que requeren para tratar de sua sa le onde Ihe
convier, e prorogada por igual lempo a que
gozav,. a professura Fausta Felicia da Cunl
Rosal, da cadeira de S. Benedicto.
Foi rescindido o contracto celebrado com Jos
Antonio de Hinho Borges p*ra a cobranca do pe-
dagio das barreiras de S. Joio Couceiro e Mo-
renos.
Ubteve o .* tabellio do publico e annexos do
termo de Floresta, Hermelindc de Ahneida Aleo-
forado, a cuocessao de 3 mezes de licenca para
tratar -de sua saude, devendo entrar no gozo da
mesma licenca no prazo de 43 das.
Po r portara da mesma data :
Determinou-se Cmara Municipal do Rio
Formoso que d as providencias do eslylo para
qae se proceda no dia 19 de Novembro vindouro
eleicio de um vereador, em subsiituicao de
Antonio Lopes da Fonseca Lima, pue fez opcao
pelo-cargo de 3 supplente do juiz municipal.
U(-trftrcad>rBaSMilra de Mell*
Pelo telegramma da corle non ra seccio pu-
blicado, tivemoB a triste noticia do faHecimeoUi
do desembargador da Relagao de S. Paulo, Er
oesto Julio Bandeira de Mello, nao ba muito
tempo colfocado naquelle honroso posto da ma-
gistratura.
O desembargador Bandeira de Mello era per
nambucano de nascimento, e aqui fez todos os
seus estados, recebendo o grao de bacharel en
sciencia jurdicas e sociaes em 1863.
Logo depois de formado, seguio a carreira da
magistratura, sendo successivamente promotor
publico.juiz municipal e de direito. Deste ulti-
OM) posto, seudo auditor de guerra na corle, foi
escolhido para desembargador da refenda Rela-
cio, em 21 de Novembro ultimo; e naquella pro-
vincia exerceu tambera o cargo de chefe de po-
lica em situacao muito dillicil.
Homem muito Intelligente e (ilustrado deu
sempr as -mais robus las provas i* ras capaci
salo do Derby-Club, ra do Ouvidr, magifi-Jjjdade, e fot um ornamento da classe a que per-
liara a causa do
pataJos.
de todos os ofliciaes fnou o Sr. al-
Pilho que eotrego a cada um dos
(dos aj memorial sobre aVtnais urgentes
^Horainsitos reclamados pelo exf roto.
' aiii)o- os visitados agrailecerara^a. visita, e
proinetieram o patrocinio pedido p*los visitantes.
[ Estes regre^saram satisfeitos.
unaeua e tdaa no Brasil-O Sr. Mr,
Domingos Jos Negueira Jaguanbe Filbo, depu
cado geril pelo Ceara, reuni n'um livrayjmores-
houve-Jso na corte, diversos artigos que puUlioou all
ns'Jornal do Commercio &oti os ttulos Coria ai
S. 31 o Impe- ador, O aprtido (lonservudor e a Re-
gencia e U Coneellmro Beluario; e. sob a nova
forma desses artigos, offereceu o opsculo ao
Sr.'Consjrlbciro Ruy Barbosa.
E' iuteressante esse Iivro pelo lado poltico, t
merece Ser lido.
Agradecemos ao autor o exemplar que se dig-
nou renetter nos.
Circulo tnbolico du RccifV Em
sesso ordinaria que fuuccionou esse circulo ta
quinta feira ultima, 8ob a presidencia do Sr.
v ice p res i iente Dr. Jorge Gomes de Mattos; e
nessa sessao foraai declarados socios eQeclivos
os Srs. Manoel Antonio Ribeiro Jnior, Jos Do-
mingues Maa Jnior, tenente Freaerico arlos
da Silveira e Dr. Jos Geraldo Bezerra de Me-
nezes; e depois de cumpnmenlados pelo ora-
dor, toraaram posse o segundo e quarto desses
sennores. .
Expedio-se diploma de socio benemrito ao
Revm. Sr. vigario Augusto Franklin Iforeira da
Silva, em virtude dos relevantes servicos pres-
tados ao Circulo.
rraco* Jurticiario*E' o titulo que leu
o Sr. Dr. Jos (lardoso da Cuoha.juiz de direito
d. comarca de Puriolins, no Para, a um ops-
culo que alli publicou conUndo tapidas aprecia-
coes sobre alguns pontos importantes de direo, al-
gn despachos e sentenqas, e um recenteprovimen-
lo geral de correicao.
E' trabaiho que pude ser til e proveitoso,
quer aos magistrados, quer ao publico em geral.
Agradecemos o mimo que de um exenaplar
nos tizo autor.
Fallecimento Victima de urna febre pa-
lustre, lalleeeu ante bontem nesta eidade o aci-
demico do 2 anno Jos de Miranda Costa, Mili >
do Sr. Trajano Austricano da Costa, em Pai-
Tnba o inditoso mogo apenas 18 annos de
idade, e era talentoso e mu'.to applicado, pelo
qne distinguira-se entre seus collegas. Anda
em comeco da vida, j tinha dado de si as rae-
Ihores provas, e era portauto urna lisongeira es-
peranga.
A seu digno pai, nosso amigo, apresentamos
sentidos psames.
reidente do Ceari-N'o paquete Ala-
goas, honm ch<>gado do sal, vai de viagera para
f\ '.pnpA i V.vtn Sr cnrnni'l J*>ron\
me que puim
dajj |eaBlauProvincial'
ipptnfip servicos necessarios,
diveis, mssj^Ke. sob pena de respoosabili
dade, a CamaiPIluoicipal de Pao d'Alho pagas-
se cjrtos typos quantias que essa Cmara Ibes
nao deve sob neohnm titulo!!
E' al onde pode ir o dfabragamento e o furor
partidario. Felizmente a Cmara Municipal, que
sabe cuupriio seu deve^pao executar seme-
lhante dislate.
Reina trinqnillidade cesta .villa e se.u ter-
mo, gracas inaole pacifica e ordeira dos seus
habita.ites.
As feiras tem sido regulares, sendo ospre-
(06 dos gneros razoaveic..
A safra do assucar na comarca j comeepu,
mas eremos ser pequea.
A ealubndade pode-Be dizer boa, nao obs-
tante reioarem aqui n pupeiras.
At outra ves.
ea exposico dos seus productos
Nao smente a boa artstica disposico dos
objectos expostos que all se adnuravam, mas a
excedencia e a pereicao do fabrico; pois viam-
s os mais variados artefactos em lgodo, la,
juta e aigedo e li e algodo e linho.
A fabrica de S. Cbristovo expoi toalbas de
rosto, toalbas de mesa, guardanapoa, colchas
adamascadas e trancadas; tapetes de juta, lar
gos e estreitos, de hados padrdes; panuos de
mesa de qualidade igual, seno superior aos si-
milares que vem do exterior, e a precos infe-
riores.
Duas magnificas colchas de seda que estavam
armadas no fundo do salo, vo ser oSerecidas
pela fabrica de S. Cbristovo a Sua Magestade o
Imperador e ao Sr. presidente do conaamo.
Quer no todo, quer nos objectos, a exposico
era digna de ser visla pelo publico, no interesse
dos consumidores e no interesse da nossa indus
tria textil Incipiente e j tio auspiciosa.
Sao dignos de animaco por parle dos poderes
pblicos os esforcos empregados, e que de modo
tio brilhante se patenteiam, n j sentido de fun-
dar as bases solidas um dos prineipaes ramos da
nossa industria como sem contestagao a de te-
cidos.
Na fabrica acham se empregidos 170 opera
ros, e quando es ti ver organisado o trabalho de
liaco e augmentado o numero de teares para on-
tros tecidos, poderSo n*ella trabalbar cerca de
500 operarios.
O capital da companhia de 600:000, sendo
seas directores os Srs. Henry Lowodes, Frederi-
co Pinbeiro da Silva e Dr. Jos da Cunha Fer-
reira.
1r+*
O Deutsche KAonial-Zeilung, peridico de Ber-
ln), publicou um trabalho notavel do Dr. Kaer-
ger acerca da grande colooisacao.
O Dr. Kaergcr visilou a nossa provincia de S.
Paulo e outras do eul do Brazit, estulando-as
pelo aspecto dos interesaos da colonisaco alie
m, e nos resultados da sua iospeccAo pcssoal
funda apreciacOes quanto exequibtlidade de
emprezas colooisadoras do Brasil-Austral, espe-
cialisando o seu projecto com relagao provin-
cia de S. Paulo, cujo planajte considera muito
apropriado quelle tim.
Letnbrando que j o celebre Martius, qualiflcon
o clima da provincia de 8. Paulo por um dos mais
agradareis do globo, observa o escriptor que aquel
la circomscripco merece preferencia para thea-
tro de emprezas d'aquelle genero, porque a cui-
tara do caifeeiro poder alli renier 2ffa 30lo do
capital empsegado, j mediante rgimen de tra-
balho assalariado, ja pelo coocurso de pequeos
agricultores, que, constHuindo-se proprietarios
de parcellas de trra, tomem a si a tarefa agr-
cola, encarregando-se a empreza do beoericia-
mento do producto.
A simultaneidade dos dous sy9temas em urna
fazenda grande ou em algemas Jfazendas poaco
distantes entre si, facilitara aos trabajadores
remas adquirir, aps alguna annos de trabalho,
o capital necessano a constituirte proprietarios
de trras e a outros ampliar o seu dominio j ad
qairido.
Condemnaado o systema de parceria para
base da organisaco econmica da iraprdnsa qu
das emprezas, recommenda o Dr. Ka#rger o J
gamento de salario para planto *L
certa qoantia por alquera de caMbascolbil
parecendo-lhe que agie svati
boa execucao do ira"
pensavel para obter
A escoma da prov
r. ttaerger Unto
extensa rede de v
tivar torras e fun
las, at em regiOes
Ne n smente o cafeeiro que optimosj
produz emS. Paulo
Alli cultivam-pe tarabea com val
godoeiro, o fumo, a incosiparavel
sucar, a vidira, cb, cereaes e plantas
no?as.'
A regio dos campos as cr
de S. Paulo prestase bem I
si va.
demais.'prariacias me
tenceu.
Era offical da ordem da Rosa. r
Nossos psames sua Ilustre familia.
eaerroa Segundo cartas que tiyemos de
Bezerros nao va bem a3 cousas por ali.
A seguinte copia de um officio dirigido pre-
sidencia pelo supplente em exercicio do cargo
de juiz municipal, copia que de Bezerros nos foi
remedida, denuncia a m situacao d'aquella co-
marca.
Publicando-a nao precisamos comntala:
Juizo municipal supplente em exeretcio pleno
do termo de Grvala da comarca de Bezerros, 3
de Outubro de 1889.Illm. e Exm. Sr.Cumpre-
me levar ao conbecimeoto de V. Exc. que hontem
tendo de dar a audiencia ordinaria d'este juizo
na casa Cmara Municipal, ti ve sciencia, logo
pela raanh ojiando cheguei eidade, que n'esse
dia tendo de processar-se urna queixa. por crime
de calumnias terbaes contra Zeferino de Albu-
Suerque B, este e seos amigos, animados e in-
uenciados pelas autoridades policiaes do termo,
estavam dispostos a opporem-se que tivesse
lugar a mesma audiencia, ameagando ostensiva-
mente de desacatarem-me phyeicamenle, ao quei-
xoso Antonio Soares de Oliveira e ao advogado
Dr. Joaquim Manoel Vieira de Mello e de rasga
rem publicamente o processo alludido.
< A' vista de semelhante atitude hostil e crimi-
nosa por parte de pessoas, que dispoem de in-
fluencia na localidade e a quem alias estao con-
fiados os cargos pblicos do termo, requisitei do
delegado de oolicia a presenca de quatro pracas
minba disposigo e a sna solioitude como auto-
ridade, afim de ser maotida a ordem e garantido
o livre exercicio do poder judiciario durante a
mesma audiencia.
Entretanto, o delegado nao satisfez a nrniha
requisigac e antes consentiu que nao tivesse lugar
a audiencia, conservando-se fechada a casa da
Cmara e fazendo-se com que os esenves, offi-
cal de justiga e porteiro, uns dessem parte de
doentes e outros nao viessem minba presenca.
N'estas condiccftes, vendo- me coacto, sem po
der exercer com a liberdade recommendada pela
Iei a9 funecOes de meu cargo, retirei-me para o
sitio de rainha residencia no termo, levndolo
facto ao conhecimento de V. Exc. e do Dr. juiz
de direito interino da comarca de Bezerros, soli-
piurado as precisas providencias, que possam
garantir o vre exercicio do poder Jodiciario
,n'este termo, certo de que, emquanto nao forem
dadas e postas em execucao as providencias que
raelbor possa indicar o Ilustrado tino adminis-
trativo de V. Exc., nao poderei dar mais audi-
encia e cumprir livremente as funecOes de meu
cargo.
Permitta-me V. Exc. que d pnblicidade pela
imprensa do contado d'este officio. Deus guar-
de V. ExcIllm. Exm. Hr. conselheiro Ma-
noel Alves de Araujo, muito digno presidente da
provincia de Pernambuco. 0 juiz municipal sup-
plente em exercicio pleno, Jos Bezerra de Car-
valho.*
Cabo submarino do *ul Estao resta -
belecidas, desde saboado ultimo, as comunica-
goe3 entre a Baha e o Rio de Janeiro pelo cabo
submarino:
Locomotora Pernambucan- H ijp,
ao meio dia, no pateo do (.'armo n. i, de vem
-se em assembla geral os accionistas da
hia Locomotora Pernambucana, para to-
nhecimento do bataneo e contas da em-
resolverem o que mais convenha sobre
empreza.
acriuco Tobas nrreloO Sr.
Gracio Lobo, secretario do pro-
nto e ferro va de Garuar communicou-
ontem que a Exma. doutora Maria Coelho
a-ttiesouraria dessas estradas, a
30Q, restante da subscripeo
iellTepaTlr,ao em favor da vm
ido Dr.; e que reunida essa
remeltida por oosso interme-
ta e logo entregue
r interino, Castip
s.que foram, j rece-
doutora,*perfaz o total
imovida pelos referidos
"secretario, a importancia de.....
o Cear o Exm. Sr. coronel Jeronymo de Mcraes
Jardira, ltimamente nomeado presidente dessa
provincia.
S. Exc. desembarcou hontem no Arsenal de
de Mannha, onde era esperado pordiver-as pes-
soas, fjzendo Ihe as continencias militares urna
guarda do 2 batalho de infantaria.
A fortaleza do Brum deu urna salva.
S. Exc. prosegue boje em sua viagem.
Prolongamento da estrada de fer-
ro de 8. Francisco e estrada de rerro
de CaruarPor portaras .datadas de bon-
tem foram Horneados: jara o Prolongamento,
conferente de estacao de 1. classe, Joaquim
Augusto Ferreira Jacobina, conductor de trem
de 1. classe Joo Dias Sonto ; agente de estago
de 2-classe Joo Ribeiro Pessoa de Lacerda e
agente de estago de 3.' classe Jos Ramos de
Franca; sendo removido Fabio de Albuquerque
Coutinho de agente de estacao de 2." classe da
estrada de ferro de Caruar para igual cargo no
Prolongamento ,
Por portara da mesma data foram exonera-
dos.- Flix Alhanazio Villa Nova e Agostinbo
Alves Camello, de agentes de estaco de 2.
lasse do Protongamenio, e, a sea pedido. An-
tonio Jos de Souza, de agente de estaco de
3.* classe do mesmo Prolongamento.
. I*oi nomeado Bernardmo Henriqu&de Oliveira,
ae8enhi8la do escriptorio technico.
0 Brasil Odcadcate Foraos obsequia-
dos com segundo fascculo dessa publicaco
do Sr. professer Sitvwa los.
Agradecidos.
A*socmco (los Fiuicrioiiarion Pro
inciaes de PernambucoHontem, em
sessao do conseibo deliberativo dessa associa
cao, sob a presidencia do Sr. Dr. witruvio Pinto
Band ira, teve igar a posse do novo conselln
qUO-tem de dirigir mesma associago no anno
social ie 1889 90.
Bam policialEm consequencia de nao
querer urda veodedora de bolos, que acbava:se
autenontefl! nopateo de S. Pedro, |tor oecasio
da partida da Juventude, dar-lh'as ao bon mar
cki do fiado, um soldado de polica que alri es-
lava em apreciacio do sereno e sentio necssi-
dade ie mastigar, indignou-se con xa a falta de
confianca que inspirava, e encheu os ares de
grandes palavroes e por ultimo quebrou ven-
dedora um vaso que a mesma tinha com agua,
indo em seguida para a ni3 das Lomas Valenti-
nas, o ide commetteu outras brilnaturas de igual
jaez.
E' de admirar que individuo dessa ordem faca
parte de um corpo de polica, principalmente j
tendo anteriormente tido baixa por nao compor-
tamento do exercito ou do mesmo corpo, segun-
do mformagoes qae nos dSo a-seu respeito.
rucadaNo sabbado pela noite travaram-se
de razes ra do Coronel Joo do Reg o ex-
sargento de cavallara Pedro Borges e Jos Pedro
Cavalcante de Albuquerque empregade em urna
padaria da mesma ra: e d'elias resultou ferir
Pedro Borges a Jos Pedro gravemente, sendo a
isso instigado por um cadete d'aquella compa-
nhia, que em seguida foi sen caminbo com o
delnqueme.
O offendido loi recolhido ao Hospital ?edro U.
octedade Recreativa Commerclal
Essa mciedade no domingo ultimo proceden
eleifo de sua direccao; que ticou composta dos
Srs.:
PresidenteAlfredo dos Santos Almeida,
Vice-presidente Manoel Joaquim Alves da
Costo.
1 secretarioArthunio Vieira.
2* ditoManoel Tavares do Prado.
The3onreiro -Luiz Maria Ribeiro Guimares.
Vice-tnesoureiroManoel Colago Das.
Bibliotecario -Francisco Jos da Silva Maia.
Commissao de contasMa oel Domingos da
Silva Girio, Antonio da Silva Campos e Ayres de
St usa Baplista.
Directores de mez Jos Guimares, Albino
Lima.JJoaquim Colago Dias, Antonio Alves Pa-
checo, Manoel Pereira da Silva, Manoel Francis-
co Alves da CoetokAyres Augusto dos Reis, Ma-
noel Menezes, Maaoel Gomes da Costa, Antonio
Monteiro Martina, Manoel Euzebo SimOes e An-
tonio da Silva Castro.
Rosario de *anto AntonioAmanlia,
s 7 horas da "manM, a confraria de Nossa Se-
nbora do Rosario, erecta na igreja dessa invo-
cado na paroebia de Santo Antonio, manda ce-
lebrar musa de rquiem pela alma- de D. Affonso
VI, re de Portugal, como tributo de gratido
pela ooncesso rgia.feita mesma contraria.
Tribunal do Jury do Recite Sob a
presidencia do Dr. Francisco Domingues Ribeiro
Vianna, funecienou bontem este tribunal, res-
pondendo catamada 36 juizes de facto.
Foi julgadOT reo Liberato Marques de Souza,
pronunciado no art 201 do cdigo criminal, por
despacho do Ur. juiz de direHitdo 3- districto.
O jury desentenga compoz^BWos segmntes
jurados : JJaaur '
Gregorio Thaumaturgo fle S Lttto.
Pedro Luiz de Oliveira.
Flix AnquindDieuttier.
Jos Vicente Gomes de Souza.
Dr. Luiz Ferreira da Costa Porto Carreiro.
Andronico Rodrigue^ do Pa-so.
Antonio Cavalcante d Aitmquerque Pimentel.
Joo Cesario de Melt.
Vasco da Gama Lobo.
Henrique Deooleciano Tavares dos Santos.
Joo Landelino Dornellas Cmara.
Tenente Antonio Pedr,> Dionisio.
O Dr. Henrique Milet, 1 promotor publi, pe-
dio a condemnaco do reo no grao mximo do
dito art 201, visto estar provado dos autos que
fm 20 de Maio do anno passado, no BecCO do
do 2o districto de S. Jos, o mesmo reo
pe
ueoios em Libanio Jos de Sant'Anna.
Occnpou a tribuua da defaza o Sr. Joaquim
Francisco de Mello Santos;
De conformidade com as decisoes do jnry foi
Liberato condemnado a 1 mez de prisSo e multa
i corrcspondenMMH^H^BKDpo, grao mnimo
do art. 201 '
O jury
attenuautes
aaggi
tudo por
Emaeg
o reo Antoi
ha ver no dia i
xia do Pogo
co Pereira
FuuceioB^B
que foi appfM
0 Dr. promot
de Medairos no mi
cdigo crimina
despacho do Dr
Prduzjo a defeza
veira
0 jury recenheceo a aul
tos, a .tr'avidade dos ferun
reo. absjlvido por perempe
muni;ipalidade as custas.
A sessao ticou adiada para boje, s II
ttociedade Recreativa Mocida
Ess sociedade proeaieu, no domingo ulti
eleigo de sua nova directora, a qual ficou as-
sim com posta:
Presideute Emilio Martins.
1* vice-presi lenteJoaquim Odo rreia
de Araujo.
2o vice-presidentePonciano Pereira Let
Io secretarioMartimano Xavier da Cruz.
2 secretarioJos Mendes.
1' vogalLoobaldo-Fragost.
2" voial GiiilhermftMeirelles.
OradorFelippcafrcii-a da Cruz.
Thesoureiro-JosSpoacalve rtins.
Directores de rat-rUlysse Joaquim
Autsnio de Souza, Jos vM eto Angelo
da Silva, Francisco Alves de ( 'eir Mala-
i/quias Alves.
Aula primarlaConsta-m que breve-
mente ser installada ma do Visconde do Rio
Branco (autiga Aurora) o. 37ia'i*ai
primaria, que funecionar das 6 s 8 1>
rioite. >
Para a respectiva frequeo acha-se aberta a
matrcula.
impreiisaRjoebemoa d*x6rle a Revista
Sul \mencana. a. ijb Vida Fluminense n. 3 ;
a E'turo. n. 18. auno 18 ; e a Unto Medica, fas-
cculo 8o, anno. 9. .
Agradecernos o obsequio-dos cotlegas, cuja
visita nos sempre ngradavel. ^
Asylo de ilcadicldaUeDurante O rnez
de Setembro findo o movimeoto- desse estabele-
cimerilo de (aridade foi o seguinte :
Homens
Existiam 405
Entrarara

10
MSheres
13
Sahiram
Existem
as eufermarias :
Existiam
Entraran
Tiveram alta
|"Falleceram
Existem:
as enfermaras
Nos dormitorios
97
14
46
145
16
129
27
13
40"
2
12
2q
103
1


baa
W,
Total 226
Escola de instruego primaria :
Foi frequeutada por 12 alumnos..
Directora uas onras de ronserra-
ro dos Porios de Peraambnca .isa-
fe. 6 de Outubro de 1889.
Boletim meteorolgico
Barmetro a
0
n
-
Horas Na
^2*
H
6 m. 25-9
9 29-4
(2 29-6
3 t. 28- 5
ft 26 .9,

ratura raaxuHa3025
nima
ean ifasao
E durante todo o dja
Velocidade' mednt;
gurdo.
Nebulosidade media :
Boletim
ra do-
ra do Bom
ictos.
bellaes
Hoje: i
Pelo agente Pinto, s tO 1/2 horas,
do Visconde de Goyanna neo6, de mov
taes e outros artigos. _
Pelo agente Gusmo, s" 10 1/2 |
do Hospicio, da fabrica Apollo.
Pelo agente Stepple, s IM
Baro da Victoria n. 59, de tug|
etc. etc.
Amanhi:
Pelo agente Silveira, s
Rozario n. 8, de terrenos.
Pelo agente Brito, s 11 hora
Jess n. 45, de urna chcara nosl
Pelo agente Gusmo, as If horas, & ra do
Apollo n. 33, de oa> cofre e*nais objectos de
escriptorio.
Pelo agente Stepple, s 11 horas, ra do Im-
perador n. 39, de urna tavernaaSfiais pertenoes.
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, ra Du-
que de Caxias n. 79, de ferragens. armado, etc.
lasas rnnea>resSerao celebradas :
Hoje:
A's 8 horas, na igreja do Espirito Santo, pela
alma de Manoel Reg de Oliveisfl
Amanh: I
A's 8 horas, na matriz da JBjfl
de Antonio da Silva Nevea. j
jPassageiros-Chegaaos i -sui no vapor
nacional Alagos:
Benjamn A. Lemos, Jos Joaqkn Moreira,
Dr. Jos Xavier de Carvalb^Hendonga, ,o5 **
C. de Albuquerque, Joo
Dammav, J. Cesar, Joo "
Aralara, Jos de Carva
ral, JoaoR- da Silva, Clai
nio F. dos Santos Palco,
raes, Raymundo Seixas, Manoel da Silva Olivei-
ra, Severino B. de Brilo, Damasio A. B Lessa,
William Overesk, Manoel Jeaquim de Miranda,
Seaino Tlles, Francisco R. Lemos Telles, Anto-
nio Francisco Leite Pindahyba, Jos A. da Costa
e Silva, Constantino Santos, Flix Marianno Vas-
salo, Marianna de Oliveira Falco e 1 filho, Jos
F. da Silva, Pe\lro A. Maia, Wenceslao A. Bap-
tista, Sebasliao Luiz Baptista, Antonio A. Perei-
ra da Silva. Francisco M. A. Vassallo, Sebastin
A. de Moura, E.Jtda Silva Manoel Buen
res, Joaquim D. Fflgueiras Manoel Gon
Gouveia, Aristids Jos Esteves, sua
1 filho. JoSo Thoraaz, Affonso Ribeiro Pessoa,
Emiliano F. do Borafim, Jos F. da Costa e 4
ex-pracas do exercito.
Sahidos para o sul no vapor .nacinal Ma-
ndos :
Jos da Costa Jjfonteiro, Ildefonst
Francisco Laraego, Bento Gomes de
cisco ; oelbo Goncalves e 1 tlho,
drigues, A. Pohlman, Dr. Santa Cn
ro Austricano H. o Carvalho e
Bernardo Rodrigues, Dr. Afigua
senbora, Carlos AUtorae i
tirio Guimarae?
Lima, Cnail
tn Uq.
Santos, Geraldo
"Coelho, William
Jlias S. do Ama-
o R. da Silva, Anto-
Francisco de C. Mo-
< fu


I


/
i
I
i
\~f

I 9
4
>

traraoi 13: sahiu i : existem
453.
A saber:
Nacioaaes 399; mulbcrea 51: estrangelrostt.
-Tolal 4o
Arracoados 401."
Bobs 379.
Doente 19
^kos 3. -Total 401
Movimento at enfermarla
B^Bpi batea :
6 de Souza.
da Cruz,
dos Sanios.
Paixao. j
rom dos Santos.
MannBWrreir.
MartiJano Ferrcira Matheus.
Tiveram alta :
Manoel Ferreira de Souza.
Jos Nogucira da Silva.
Foram hontem visitados os presos deste esta-
belecimento por 226 pessoas, sendo 130 bomens
e 76 mulberes.
api tal Pedr ii o movimento deste
estabelecimento de caridade, no dia 4 de Outu
aro foi o seguinte :
Entraram 24
Sahiram 30
Fdleceram 4
Existem 536
Foram visitadas as respectivas enfenuarla
pelos Dr3.:
Jfoeeoso as 8 3|l, Barros Seoriatns 7, BMfer-
do as 9 1|2, alaquias s 8 lj, Pontua a s 10, Is-
tevo Cavaicante s 8 1(2, Simoes Babosa s
W lii horas.
O Dr. ysneiro nao comparecen.
O cirurgio' dentista ama Pompilio s 8
koras.
O pharmaceutico entrn s 8 1|2 da manha e
sahio as 3 1|2 da tarde.
O ajudunio do pharmacentico entrn s 7 1|4
da manha e sahio as 6 horas da tarde.
Lotera lo nn-Pari-A 4* parte, da
31* lotera, cujo premio grande de........
250:000*, sera extranida amaob 9 do corrento
(quarta-feira).
Ai' parte da 3" lotera, da mesma pro-
vincia, cojo premio grande 60:0004, ser ex-
trabida no dia do'Outnbro.
I rancie lotera do Maranho A 8*
serie da Ia lotera, dessa provincia, cujo premio
nde 300:uOMO00 ser extrahida no dia 14
utubro.

M POCO DE TUDO
Em Tobolsk, na Siberin, realisou se ltima-
mente o casamento de um oflicial superior, con-
emnado a degredo perpetuo por motivos pol-
ticos.
Sua noiva pertenceoee a una das melhores
imilius de S. Petersburgo e immensamente rica
acotupanhou-o at Tobolsk.
O uoivo estava diante do altar com q,unifor-
ae de degradado, e com ferros nos ps e as
anuos. Atrs delle estavam dous soldados com
as espingardas carregadas.
A noiva traja va urna toilette magnifica fcita
em Pars, por urna das pi incipaes modistas, e
ooerta de tabantes que valiam raais de qua-
frocectos emitak de ris.
*
CltimamcQte realisou-se em Alfortville, perto
de Paris, urna aposta muito original.
Um nadador sueco chamado Gustavo Akey,
comprometteu se a lancar-se a Sena, vestido
com camisa, tres paletoos, botas, tres pares de
calcas e chapeo na cabeca ; e depois de estar
na agua a receber um cigarro acceso, e a des-
pir-se toiJosem que o cigarro seapagasse.
E gaohou a aposta.

' Acaba de realisar-se em Bridgeport o banque-
te annuul da sociedadu dos bomens gordos, sen-
do urna das reunios mais agradaveis que lem
fcavido desde Ha mudos anoos. Os convives rram
m numero de 43, mas representavam em peso
a respeitavel cifra le nos 5,000 kilos.
Os bomens de 136 kilos e mais estavam era
maioria, o que nao conlribuio poueo para o bom
xito da festa. ,
Ates de irem para Maesa (jaacederam elei-.
cao do presidente : ttJSeilp ojiz Lockvrood.
de Bridgeport, um bravo magistrado que sao
pesa meos de 147 kilos, e que reuni todos os
otos.
Bepois da eleico entregaram-lhe urna ben-
gala gigantesca, emblema da presidencia, e so-
ore a qual estao inscriptos os nomes de todos os
predrcessores do Sr. Lockvrood.
Este agradeceu couiraovidc aos seus collegas
e promeiteu Ihes fazer todos os esforcos para se
mostrar sempre digno da. honra que Ihe faziam.
A melhor meio para o juiz cumprir esta nro-
inessu, engordar anda mais, porque se emma-
grecesse seria d'um effeilo desastroso para a so-
ciedad e.
Collocados mesa, os homens gordos fizeram
desapparecer em menos de duas toras monta-
anas de vuualhas, e depois do jaotar, para fa
zerem a digesto, entregaram se a diversos ex-
ercicios violentos, taes como, correras, saltos a
a juntos, etc.
INGE.NUIDADE
Ai, mamisinha que ea morro I
Ai mamisinha, que dr I' .
O que sentes, milha Alba T .
Ai, nfamaisinha, soccorro 1...
Meu Deus I... Rosa I Petrooilua ?
Corram, chamem o doutor 1
lo por
>mou a ptnta e
servou at ao porte do vencedor, ganbaodo g cor-
em 114".
i ora foi tt e Minerva 3\
Nao correram Torpedo e Favorita.
P.ul de Chiron em 1", 144*I00; em 5,.....
:n*ioo. k
Pon da-Cora em 2. o#H0.
Movimento geral WOiOOO.

5o pareoAninucao000 metros Animaes da
provincia que nao fiaviam ganho uo Derby aro
distancia superior a 1.000 metrosPremios:
200*000, 40*000 e 20*000.
A corrida foi ganha por Piramos, que tendo
sabido na vanguarda nessa posico se conservon
at ao porte do vencedor, percorrendo a distancia
determinada em 67".
Pombo-Preto'oi f e Esquimo 3.
Delegado negou saluda.
Punte de Piramon, dirigido por Pedro Alexan-
drino, em 1 8*9 O. em 2 7*300.
Poule de Pombo Preto em 2-. 12*100.
Movimeuto geral, 4:615*000.

6." pareo-Internacional 1,800metros Ani
maes de qualquer pazPremios : 300*, 100* e
50*.
Dado o signal, em pessimas condicoes, sabio
Apollo escapado, sustentando a pona at a entra-
da da recta de ckegada, qusrado Ves per,, dirigida
par Huido, passa para a frente e chega ao ven
cedor em 127".
Apodo qj clasificado em 1* lugar e Gladiator
em 3*. i,-.
PotZVde Vesper *ra 1 10*600, em 2- 6*380.
Poule de Apollo em 2', 7*600.
Movimento geral, 5:395*000.

7 pareoProvincia de Pernambuco 1,300
metrosAnimaes da provincia que nao baviam
eanho no Derby em distancia superior a milha
Premios : 200*. 40* o 20*
Ao grito do digno rtarter, sahiram Good-mor-
ning, Florete e Village, gnarnecendo Cupido e
assim passaram pelas archibancadas, parecendo
antes um grupo de cavalleiros em passeio do
que jockeys em demanda do poste do vencedor.
Cerca de 300 metros depois, foi Cupido em-
purrado para a frente e to bonita carreira fez o
excedente parelheim, que poueo depois canse
guio, sein esforco, distanciar os compaobeiros,
chegando folgado ao vencedor em 100". '
O dono de Cupido, crate de que o seu ani-
mal gaobara licitamente a corrida, visto nao ter
sido consultado para o resultado da brincadora,
offerecia-o depois no enshamento a um ca-
valbeiro pela diminuta quantia de 1:500*000
e dizem que pretende ioscrevel o em qualqner
pareo em que r encartado o famoso vencedor
do grande premio-Imprensa Peruambucana.
O 2- lugar foi dado a Village e o 3' a Good-
morning.
Fouie de Cupido em 1- 39*200, em 2- 15*500
Poule de Village em 2\ 154300.
Movimeoto geral, 3:4354000.
Hippodromo do Campo Grande
Eis o resultado da ioseripcao de hontem par
a 4* corrida, que tem de realizar-ge no domingo,
13 do correte:
UUIga do meio-dia
In. 381.
Dr. Barretto Sampaio di conaulta*
meio-dia s 3 horas no 1.* andar da casi,
ra do Bario da Victoria, o. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en
trada pela ra da Saudade n. 25.
Oeeullsta
Dr. Ferreirq. com pratca nos princ
paea hospitaes e clnica.de Paria e Lu-
dres, consultas todos os das das '
horasdao meio-dia. Consultorio e resi
denoia ra Larga do Boeario o. 20'
Advocados
O bacharel Bbnifacio de AragU Pari*
Rocha continua a advogar. Escriptori'
ra do Imperador n. 46., l.# andar.
O bacharel Witruvpo Pinta Bandcxra
pode ser procurado ra do Imperadoi
a. 71, I." andar.
J. A. de Magalhfa$ Bati*. Duque de
Caxias n. 66, 1. andar..
O Dr- II. Milet contina com sen ea-
criptorio de advocada, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambem podera ser pro-
curado sobre negocios concernentaa a 1.a
promotoria publica d'esta capital.
O contelheiro PorteUa continua a adf o-
gar. Escriptorio ra do Imperador
n. 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Viaconde de Albuquerque (outr'ora roa da
Matri da Bda-Vista). Telephone n. 362.
Drogara
Fasria Sobrinho & C, droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi
tarios de todas as especialidades pnarma-
ceuticaa, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Tinta de eserever
A melhor a tinta Victoria, vende-se a
500 rs. meia garrafa e a 800 rs. urna gar-
rafa inteira na Livraria Comtemporanea
de Ramiro M. Costa, ra Io. de Marco n.
2, loja de erragens de Albino da Silva
d C, ra da cadeia n. 42; loja de ferra-
gens de BrandSo & C, ra Duque de Ca-
xias n. 46.

riiBLICUOES A PEDIDO
1 pareo -Extra700 metrosEguas da pro-
vincia que nao tenham ganho premio nestes l-
timos 5 mezes no Hippodromo. Premios: 130*
pnineira, 30*000 segunda e 15*000 ter
ceira:
Invicta, Ida, Fanlina, Vandick, ex-Duvidosa,
Faceira, Carlota e Corday.
2* pareoEstimulo-800 metros-Animaes da
provincia que anda nao ganbaram premio no
Hippodromo nesta ou em distancia superior a
1,000 metros nos prados do Recife. Premios:
20*000 ao pmeiro, 40*000 ao segundo c 20*
ao terceiro :
Bonaparte, Corsario, Berlim, Cyelone, Dublin,
Cabrion, Bruto, Dspota Maranguape, (uara-
ny, Cauby, Boojour, Pombo-preto, Esquimo,
Boa-Vista, Pintasilgo, Bismarck e Provencal. ex-
Fanfar.
Ento, minba lha, vamos;
Conta o que te aconteceu- -.
Foi o Juca... aquelle traste.
Furtou-me um beijo e corren I
E porque o nao seguraste 1
Ah isso quera en 1
SPORT
Derby Club de Perataaabuco
Com a concurrencia do costume, realison-se
antehonteui a 21* corrida no Prado da Estancia.
O divertimento corren em boa ordena e o pro-
grmala annunciado foi cumplido
Na casa das apostas foi arrecadada a aomma
de 30.005*000.
Eis o resultado das corridas :
*
i PareoMinimus800 metrosPequiras da
provincia at 1,28 de alturaPremios i 1.10*000,
30*000 e 15*000.
Ao signal de partida, Bom Jardim, montado
por Baibiiiu Beojamim, lomou a ponta, que nao
mais perdeu, gauhando a corrida em 2".
Boulang'ir foi 2o e Borracho 3*.
Nao con-eu Elctrico.
Poule de Bom Jardim em 1, 1U2M-, em i.*.
4900.
Poule de Boulanger em 2o, 6*100.
Movimeuto geral, 2.655*000.

2o Pareo Omniun1.30!) metros Animaes
de menos de meio sanguePremios : 3004000,
0*000 e 30*000.
Aymor, montado por Balbino Moreira, sahio
na vangnarda e da mesma forma cnegou ao
posle do vencedor, ganbaodo acorrida em 93".
Vulcano foi 2eGallileu 3o.
o correram Parabyba e Favorita.
Poule de Aymor em i, 21*800; em 2,.....
11*100.
Poule de Vulcano em 2.", 27*600.
Movimento geral, 4.625*000.
a.
3* PareoConsolacSo 800 metrosAnimaes
da provincia que nao baviam ganbo nos prados
do Recire Premios : 200*000, 40*000 e 204000.
Os animaes sahiram em bolo, apparecendo Can-
' h puco depois na ponta
Na entrada da recta de ckegada Humilde, mon-
'albino Beojamim, colloca-se na van-
nba a corrida em l"
m 2 e Maranguape 3*.
ho e Ferrabra?
3o pareoAericnltrcr 1,450 metrosAni-
maes de qualq jer paiz que nSo tenham ganho
nestes ltimos 4 mezes no Hippodromo. Pre
mos: 3004000 ao primeiro K *000 a segundo
e 30000ao terceiro: .
Ernani, Africana, Yanda, Vampa, Feuillage c
Brazil.
4- pareoImprensa do Recife900 metros
Animaes da provincia qne nao tenham ganho
em distancia superior a 1.609 metros nos prados
do Recife. premios: 200*000 ao primeiro, 404
ao segundo e 204000 ao terceiro :
Tupy, Good morning, Collosso, Piramon e Vil-
lage.
5o pareo-Hippodromo do Campo-Grande
1,800 metrosAnimaes de qualquer paiz. Pre-
mios : 4005000 ao primeiro, 100*000 ao segun-
do e 40*000 ao terceiro :
Apollo, Gladiator e Vesper.
6 pareoDr. Pereira Simoes1.20o metros
Animaes da provincia que nao tenham ganho
em distancia superior a 1,609 metros nos prados
do Recife, nestes ltimos 30 das. Premios :
200*000 ao primeiro, 80*000 ao segundo e 20*
ao terceiro: ,
Cupido. Arumary. Guarany, Village, Singapo-
re, Templar e Cabrion.
T pareoDr. Joo de S1.600 metros-Ani-
maes nacionaes at meio sangue. Premios :
300*0 o ao primeiro, 70*000 ao segundo e 30*
ao terceiro:
Ruy-Blas, Danubio, Ciaron, Minerva, Torpedo,
Cora e Maestro.
Nao se tendo formado o 4o pareo, o f ser
dividido em duas turmas, correndo em cada urna
9 animaes.
ITDICACES DTEIS
Medico
Dr. Castro Jess mediee e operador.
Pratica a lavagem do tero quando e co-
mo aconaelhada. Consultas das 11 it
3 da tarde em sua risidencia ra do,
Bom Jess (antiga da Orna) n. 23, 1.*
andar. Telephone n. 380
O Dr. Matheus Voz, medico, tem o seu
eacriptorio a ra do RarSo da Victoria
n. 51, 1." andar, onde d consultas d
meio-dia s 2 horas da tarde. Reside
ra de Gervasio Pires n 27. Encarrega-
se do tratamento das molestias de olhes.
Telephone n. 427.
O l*r. Simplicio Mavignier.Clnica me
dico cirurgica. Especialidades : molestias
pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
Olinda n. 27, 1." andar. Consultas dao 11
as 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa-
nella) das 6 a 9 horas da manhiL e i
tarde. Teleshone n. 392
r. Ribeiro de Bntto d consultas d
meio dia s 3 horas da tarde, no poden
dur.a ra Duque de < axiaa n. 46, 1.* an-
do ser procurado para chamados na sin
residencia ra do Hospicio n. 81. Te
lephone n. 303.
Dr. Joaquim Lovnerro medico e partei
ro, consultorio ra do Cabug u. 14.
1.* andar de 12 a 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Cerqueira Lcile, tem o seu escripto
rio na ra Nova n. 32, do meio dia a 2
horas e desta hora en diante ra BariU
de S. Borja, a. 22.' Especialidades
molestias de crianca senhoraa e parto.
Telephona n. 326, ca casa de residencia
r Alvares Oumares, ckegado da
se medicina em gi
a moles:.
i>e lternm Crispaos...
Crispim nos hipiiodromos. Crispim na cump-
cidade e na intimidade dos trapaceiros de corri-
das, Crispim em intimidades muito mais censu-
raveis e perigosas, Crispim raptor, Crispim fra
das gracas, Crispim preso, Crispim soldado,
Crispim deportado, Crispim limpo de todos os
crimes e indultado de todas as penas, Crispim
de volta, Crispim recebido como hroe victorio
so, Cristim retratado, Crispim tornado celebre,
sempre Crispim f
E' urna historia completa, uma triste historia t
d'aquellas que traduzem, que esteriotypam
urna situaco.
Do mesmo modo que as humedades do invern
f.-izera brotar no? campos as vegelages esponta-
neas, dir-se bia que miasmas de conupeo e de
iramoratidade es.Uo impregnando a atmospbcra
do paiz e produzndo. aos punbados, fados im
previstos, extraordinarios estupendos, de todas
asquaiiir.ares. em lim :-verdadeiros cogutne-
los sociaes pullulando as esterqueiras de urna
sociedade apodrecida.
Cbamem-nos etnbora de Heraolito choramigas
a prantear incessantemente os desvarios huma-
nos, nem por iss clamos do patriotismo nem calaremos nossas la-
m ntac' s.
Compra cada um o seu dever.
Como Inste, como desiUdor tudo o que
est se passando no Imperio ( Como vergooho-
so edesanimaior tudo o que, particularmente
se passa nesta provincia I
A onspiraco, o recurso tenebroso dos que
nao podeiu nem sabem combter de frent-, n
suinou-se al s maiores alturas soca- ;
ambico sem patriotibmo. de um lado, e. i.....
tro, os sobresaltos hystericos de vision;>ri s
diaote dos quaes por toda a parte se levan'av mi
phatasmas de quedas e transformaces. se as mos, buscaram pretextos, embora a'ir.m
do suspeitas sobre caracteres immac-il !>- -
com surpreza geral, da noute para o dia, ---im a
ram a suprema governacfto do paiz.
E a situaco poltica, que assim foi apeada \
poder, bavia sabido honrar as tradices glorio* *
de um partido; acabava de escrever em carae
teres deouroo epilogo da-grande epopa, in cu-
da por Eusebio deQueirozebrilhantemente cou
tiouada pelo immortal Rio Branco ; preparava
cautelosamente os elementos de* progresso e
transformar.) da patria libertada; bavia illumi-
apdo, para nunca mais ser squecida'das gera-
COes vindouras, os annaes brazileiros com o im-
menso clar'i all projectado pelo maior e mais
glorioso acontecimento do imperio americano ;
e, escudada na gratido nacional, era a que mais
ttulos linha a esperar que o poro, quando a pro-
paganda revolucionaria Ihe pedisse apoio, res
pondes^se com sinceridade e decisSo : nao, nao
podemos, nao somos ingratos!
Acalumnia noattingio o alvo, mas as ronpa-
gens lgubres e negras de que a revestiram im-
pressiooaYam e geraram o terror; este foi o fac-
tor principal da nova situaco, como foi, no ul-
timo pleito eleitoral, e est sendo airida sua ar-
ma predilecta de conquista e propaganda.
Tristi8si na victoria aquella E os que boje
tripudiam sobre os destroces que d'ella ficaram,
insensatos, acreditam na possibilidade de sumir-
se o glorioso vencido o gabinete redemptor, no
esquecimento do passado, quando, ao contrario
elle cahio briihaniemeute nos.bracos da historia
Atordoada a opiuio publica, ticou de pe o tac
to consumado ; e o Sr. V6conde de Oaro Preto
poude realisar seu soaho dourado, aullando a
posico que para si preparara, auxiliado pela
dlssidencia conservadora do senado, e pondo ao
servico de urna situaco poltica, como iniciador,
todo o seu talento, todo o seu estado, toda a sua
ambico sem freio, todo o seu desembaraco sem
escrpulos e todos os seusodios,partidarios.
Impondo se como salvador das instuic.6es,
aue alias nao corriam risco, nao escrupulisou na
escolha Sos ineios para manter a victoria e go-
vernar; e, com ares de general que ganhou urna
batalhi.sem cora ella contentarse, destribuidos
procnsules apropriados pelas provincias, est
pratieaiido e perinittindo soldadesca a carnifi-
cina e o saque I
Seinelhaote tctica nao poda ser de resoltado
duviooso. Um advogado administrativo, affeito
aos manejos e transaecesque improvisara abas-
tanzas e fortunas da noute para o dia, nao teria
melhor eocaminhado um especulacao lucrativa.
:tor de phrasc
celebres, e de dea pacaos
itos. que tem feito as eli-
de curiosidades de estylo,
eiro Alve de Araijo urna
pdaa administrador de
Iquer, e, multo menos de orna
ra ordem e de dlfficil admi
Pernambuco.
ratn de procurar um prest-
ase capuz de bem administrar, seno
iim proeofiaol no caso dexecutar um plano le-
n-hr<^H
O sr Visconiiu de Oaro Preto conhece os ho
nens -bii cousas e sabe tirar partido dessa
-ciencia, Um da, cabido o-dibinete Sinimb,
na sitaadio liberal de:78, doqual S. Exc. tlnha
feito pe* yaoaio ministro dafcisenda, um depu
lado di rtncia eacreveu duas cartas, urna a
mu rolle i que sehaviasalientado naopposico,
e um de mais bellos talentos deste paiz, felici-
ta queda do gabinete contra o qul t&o
pete luctra, e outra ao ministro da
se gabinete decabido, lamentando a
i queda, em nome da admlraco e do
ra occasiao.de pr-lnes os sobres-
ou os codertcos, e a carta dordepu
is mos do ex ministro da fazenda,
e a destd a maos d'aquelle. .
Di e o Sr. Visconde de Ouro Preto guar-
KBbas, ao menos urna dessas cartas,
*nde de Ooro Preto sabe tirar par-
tido de todo- -
assumpto de que nos desviou a
os de referir, n>Detimr d'Araujo nao estava na
da provincia de Per-
f!o deeeqnillbrio entre a im
dessa administraco e a aptido do
administrador nao podiam deixar de vir, nao
podiam demorar seus efeiios.
De facto, a que estado nos tem ellas arras
tado Parecemos urna sociedade em dissolu-
cao 1 Possenoe um individuo, e um medico
tacteasse-nos o pulso e as visceras, e auscultaste
nos os pulmoes e o corac&o, e, com certeza, ou
dara um desengao fatai, ou recorrera, como
ultima esperanca, aos extrema remedia.
Foi a volta de Cbrispim do presidio de Fernan-
do de Noronha que veio desafiar as considera
eoes que ah deixamos feitas; precisamos voltar
a esse assumpto, e com elle terminar.
Vot
anedo
o n
jpc
mencionados oas autbeoti
N'essas minbaa deliberacoes fui acompanhaJr>
pela maioria da junta.
Outro tanto, porm, nao acontecen quandj vo-
-lei para que fossem apuradas as elegdes dos
collegios de Jacarar e do Attiabo, argidas, esta
de viciada, e aquella de falsa*.
Por essa occasiio fiz ver junta que a lei nSo
conceda faculdade mais ampia duque a desom
mar votos das aitheniica? das eleicOes feias pe-
rante mesas bem constituidas, nao nodendo, por-,
tanto, a junta recusar essas eieifOes.que b
podiam ser annulladas pela Cmara dos Senhores
Deputados, convertida em tribunal julgador.
Da reipectiva acta constam estas raEoes, mas
a junta era sua maioria deliberen nao apurar
essas eleicoes contra o meu voto e o de um dos
raesarns.
Apuradas essas eleicoes teria o Sr. Dr. Lou-
fenco de S maioria e o diploma lbe deveria ca-
ber.
Nao tendo, porm, a junta apurado-as, o diplo-
ma devia ser expedido, coxo foi, ao seu compe-
tidor, asslgnando-me vencido c*m o mesario, que
ose acompaohou n'essa deliberacao, urna vez que
nSo havla numero gufficiente para resolver se de
modo diverso.
Eis como se passou a apuraco do 10 listricto,
que tanto inquieten ao Sr. Dr. Loure.nco de S,
enchendo-o de bilis e azendo-o despejar aquellas
injurias, das quaes j deve estar, a esta hora, ar-
repeodido.
Nao contente anda com a vioganca que di-
ctou a paixo do momento, publicou, ou fez pu-
car no Jornal de 35 aquella diutribe, com as
signatura de Caneca, a qial bem poderia ter
ligado o seu nome.
Pena tenbo que o nao fizesse.
Ha obras que s podem perteacer a certos au-
tores.
A publicacao do dia S5 toda sua, s lbe pode
caber, pois identifica se bem e ajusta se a S.
S.
Infeliz magistratura,
Felizmente somos ambos filbos da mesma pro-
vincia, que nos julgar.
Anda bem.
Caruar, 28 de Setembro de 1889.
Jos da Cunha Teixetra.
aggredir brutaimei
Marques da sil
Conhecendo.oSr. Dr. ebef d
ma do seu delegado, contentamo-nos
car abaixo o que a roapeHo do attentad
no Diorio de Goyama o~5r. Manoel Bmili
qus da Silva.
Vilemela policialTendo sido eu se
dia 29 do passado, hoite. grosseiramente ag-
trodido pelo delegado em exercic,T)8olioo
Tavares de Gouveia, necessito vir participar ao
publico o motivo que ievou aquella antoridade a
pratica r semelhanie violencia.
Son bostant conbecido uesta cidade, onde..
todos sabem que pelo raen genio pacifico auvma*
incommodei aauioria"ade alguora mas os bo-
mens da policiano podiam tolerar que om sim-
ples homem do povo fosse conservador, e dot
isto todo o odio, toda a rarva, e era necessario
vingar a ous^dia do plebu: reunem-se em con-
cilibulo, decretan) a desmoralisaco do atreva
e escolhido para carrasco o propno drteg!
Eis o motivo da violenria de, qne fui victi-
ma ; agora o publico que nos julgue. Manoel
Emtl'O.
E Coyanna que tinha motivos para esperar do
Sr. Dr. Geroocio justica, est sendo a comarca
mais perseguida I
Quem tai diria, sendo chefe de polica o Dr.
Geroncio Das de Arroda Falcao ?! I
Abdon.
Nao se commettom abusos praticara-se Ilega-
lidades e violencias e trangrde-se o enmprimen-
to do dever, impunemente.
Alm de que os exemplos tm um contagio pe-
rigoso, a consciencia de quem erra tira a autor-
dade e a energa para poder exigir que os outros
np errem tambera.
administraco da provincia, e seus agentes.
d'ella dependentes, e por seus exemplos inspira-
dos, desde que oaviam enveredado pelo peior
cammbo, a contar dos seus primeiros das; des-
de que se baviam collocado em um plano incli-
nado, nao podiam mais conjurar a queda no
abysrao, e evitara terrivel lgica do erro, porque
o erro tem lgica taojbem.
Quem nao soube resguardar as susceptibilida-
des da morahdade publica, amparar a santidade
do direilo, e mantera magestadee aigualdadeda
lei, como poda depois exigir o cumplimento dos
deveres e evitar a perverso dos costomes e a
convulsao da sociedade ? E, quando se chega a
um tal estado, tudo se exige, sem medida,
tudo se concede, sem escrpulos.
Cbrispim, qne, em principio, bavia gosado nos
hippodromos da convivencia e connivencia de
jogadores de alto cotburoo, n'um bom dia, deca-
bio das gracasfo desventurado tinaa tido, tai-
vez, algum movimento de honestiJade, e bavia
burlado algum tcapaca.
Chrispim foi admitido a urtas intimidades im-
prudentes e perigosas, e sem a educaco, a ele-
vacio de sentimeotos e apuro de trato necessa-
rios, nao soube defeuder-se da atlracco do abys-
mo, e arrojoslaatoauas pretences quo arro-
jadas tinhara sido j condescendencias qne me-
recer, e fez-se D. JBSo.
Praticado up rapto audacioso, as circj*aaf|n-
cias o iodigitavam como ura reprobo, maaPme-
lizmente, o distanciavam da accao da lei
Na impotencia d'esta, s sera, nao diremos
admissivel, mas desculpavel, a vindicta pri
vada.
Esta absteve-se, teve, talvez. motivos para nao
inlervir; mas procurou substituir-se pela vindi-
cta publica, e o conseguio, como se teria conse-
guido a i.upunvlade, se fosse caso de promover
a punicao legjl.
E liliri piis preso, forjado a assentarpraja,
i m'ar bandeira e a destacar pira o presidio de
F ih.iu io deQoronha.
- Kr.i.n dous crimes, dous escndalos, um em
(r. a do outro, -o de Cbrispim e o das autor-
1...IM que se Baviam incumbido de um desforjo
,) - Cuno era d< prever, dividiram se as opinioes
" ** -ympatnias; e ao passo que uns applaudiam
> ..-tigo de uo seductor ousado, outros cnsu-
iva i, o abuso da auteridade protestavam con-
elle e pedam em brados, no meio da ra,
iu fosse revotado o acto que d'elle tinha pro
. udo.
Os reclarnaales triumphararu, depois de ser
U4R hada urna das mas da cidade cora o sangua
' om victima e abi est Chrispira de volta. sem
crime, sem pmca sem farda, sem baver dado
substi'.ato. .vendido o seu retrato pelas ras e
festejada sua viida por seus partidarios I
Depois de indo isto, em que posico fbam a
adraiaislrac5o, o commando das armos e a po-
lica 1
Recife, 7 de Outubro.
Wokefield.
Ao

Era tal destribuigao, a nbj, raalfadada pro-
neia de Pernambuco, coube o Sr. cooselheiro
auoel Alves de Araujo.
Qae sina 1
Depois de una vice-presidencia em que a in
capacidade intellectual, a iramorahdade admi-
nistrativa e a subserviencia partidaria se dispn-
taram a primasia, nao era nos mesmos moldes
que o governo central devia (avalar um admi-
nistrador definitivo, de detinitiva responsabili-
dade.
A escolha do Sr. cooselheiro Manoel Alves de
Araujo foi a denuncia formal, por parte do go
verno geral, de que nao baviam desagradado os
desregramentos e a ductilidade da vice -presi-
dencia incumbida de iniciar nesta provincia a
nova situaco.
Mediocridade pretenciosa e balota, deaaiudada
desse bom seoso qae aconsfcjba o silencio e o
roirahiinento, quando a falta delles pode com-
i Sr. Dr. Loiireaeo de *
Li e admirei quanto disse o Sr. Dr. Lonrenco
de S era urna publicacao solictala e dada a es
lampa no Jornal do Recife de 24 do correte, a
proposito da apuraco do dcimo districto elei-
toral.
P.tsmei diaote d'essa publicajaoque o retratou
perfei lamente.
S. S., naturalcaente contrariado por nao Ihe ter
sido conferido o diploma de deputado por esle
districto; pernea a calma, quando mais d'ella pre-
cisava, e ahrou-se de corpo e alma contra o juiz
de direilo de Caruar. a quem attribue a causa
de todos os males, deixando escapar aquelles
qualilcattos de energmeno e prevaricador com
ameacn de futura responsabilidade.
Na verdade, ou as noticias que transmittiram
a S. S. lbe chegaram as raaos em um momento
de mo humor, ou os seus amigos o trabiram, no-
ticiando o que nao se passou.
o primeiro caso, revelou se S. S. um espirito
pequeo, capaz de sufocarse com as primeiras
mpresses, deixando de parte a razo e o exame
dos factos para aggredir a olhos feichados e ao
primeiro ebeontro; no segundo, fez obra por urna
base falsa, construio um gigante com ps de bar-
ro, que caira ao primeiro sopro.
Estou certo que si o Sr. Dr. Lourenco de S,
tivesse lido e meditado um pouco sobre a acta
da apurco, passada a impresso desagradavel
que tanto o acabrunhou, teria retirado da sua al
ludida publicacao, nao s aquclles'qualificativos
injuriosos, tomo ate o nome do juiz de direilo
de Caruar.
S. S. foi victima de um falso speoste.
Como pcsidente da junta apuradora votei,
verdade, para que nao fosse apurada a eleice de
S. Caetano da Raposa, feita perante mesa irregu-
larmente constituida, visto como nao considero
regular a substituido dos dous msanos imme-
diatos em voto ao quarfo juiz de paz.
Desde o dia 30 do passado que soube. se pro-
jectava fraude na eleijo d'esse collegio, levando,
em tempo ao coobecimento da presidencia, 0
quanto occorrena esse reapeito.
A substituicao dos dous msanos, teve por fim,
tornar a mesa uanirae, para melhor consumarse
a fraude, da qual resulton ser smente sufra-
gado o nome do Sr. Dr. Lourenco de S n'aquelle
collegio.
Na apuracao. pouco importara isso, se nao fura
a irregularidade bavida Da constituijao da mesa,
que me impedio de apurar essa elaic&o.
Tambem votei para que fosse apurada a elei-
cSo de Pedra lapada, presidida pelo segundo!
ipedimento do
oente
^^^^^^^^^Brtneo
HHIIIIIIIIIIII|Hp* representante da fraude do
10 districto
Levantou-se o panno, e exhibise o Sr. Lou-
renco de S de mos as cadeiras a jogar o
dosto e o insulto anonymo na praca publica.
Sim, senlior, gostaraos de vl-o.
I'ensa elle que assim convence fra daqui de
que efleciivanienle foi eleito por este districto.
Habiioado as falcatcaas e fraudes eleitoraes,
acredita far vingar em*uma cmara de amigos
o resultado das violencias e indignidades que
fariara corar a qualqder aventure!ro uimmum.
O homem, porem, oseiro e viseiro atira-se
a ventura com tanto cynismo quanto foi preciso
para alistar pbospboros em um districto e pedir
passagem para outro de sua residencia 1 !
Nao podeodo convencer ao publico que lo o
seu pretendido trUrapho, mostra se irritado e
coasiJera-se roubado. Estylo j muito sedigo e
conbecido.
Por via de regra os saltimbancos fazem assim,
roubatn e dizem-se loubados.
Mas o representante da fraude, desta vei ao
menos, foi iogo encontrado cora o roubo as
mos. Elle nao suppoz, do contrario nao teria
[eiio aquellas ingenuas confisses antes da elei
gao, isto que subira da frauda violencia
para ganbar.
Es;e infeliz collegio sempre un dos pontos
priacipaes de suas torpes operacoes.
Pretenden que, excluindo os msanos conser
vador -3, Ihe seria fcil alapardar toda a vo:aco.
Que imbcil 1
o que quer, se o homem nao entende do sis-
eado.
Elle conhece qual a melhor sement da can-
na, porem, de direilo, sabe Unto quanto eu de
dizer missa.
Os poneos momentos gastes em estado sao no
intuito de engazopar, falsificar e desviar o curso
uatund das cousas. -- -"-
Como se taes recursos podessfm constituir a
cora de glora de alguem.
E com esses elementos que o fraudulento
Lourenco de S pretende apparecr entre os ho-
mens que se presara, donde devera ser tangi-
do, se bem conbecido fosse.
Como, porem, os bomens se conbecem pelos
seus actos, aiuda nao perdemos a esperanca de
vl-o excluido da cadeira em que s homfcus de
bem sa tra sentado.
' Aoaixo a fraude, e com ella o seu represen-
tante. '
Raposa, 1 de Outubro de 1889.'
Goyanna
Ao ar. Dr. diere de polica
As altas posices, que podem oceupar os ma
gistrados, quando indicados pelas aplidoes que
irazera o talento e o carcter, sao garantas se-
guras de prestigio da auteridade e do bom e in
dependente desempenbo dos cargos. Para
aquelles em quem concorrem essea requisitos
nao ha a obrigaco de serem manivelas que at-
tribuam a disiincco de que foram alvo a tudo,
menos ao mereciuiento proprio. D'ab a inde-
pendencia de accSo e a repulsa formal a essa
obediencia cega. to preconisada raelo governo
actual e to necessaria aos senaVres da trra.
Si em desespero de causa, pelo receto da demis-
so, se justificara facilidades de fuuccionarios
dependentes do odio de um governo sem entra-
ubas, o mesmo nao acontece com o magistrado
que tendo feito piaca de homem serio, por muito
tempo como juiz, se v hoje corrompido e estra-
gado pelo m.ndio de Goyanna com quem br-
gou em outras quadras, como tambera pelo go-
verno que por acaso o desigoou para o car-
go de cuete de polica.
Quera ignara que a polica teve urna soluco
Carnot -veio quem nao se esperavasimples-
mente por.) e a comarca que oceupava, servia a
utu genro leao.
Isto longe de ser em desabono do Sr. Dr. che-
fe de polica, veio despertar em nos, conserva
dores, esperancas de justica e reparaces no rao
mente em que comecasse a reaego escandalosa
de que estamos sendo victimas
Mas, infelizmente assim nao acontece, e bem
inspirado andou o governo, escolheudo um juiz
que nao era garantido pelos cabalistas e S. S.
honra boje e do melhor modo a confianca de
que nao o julgavam capaz os seus correligiona-
rios, matande sem piedade as esperancas que
era si depositavam os seus adversarios.
A administraco da polica pelo Sr: Dr. Ge-
roncio Falco tem sido de maravilbosos e pro-
ductivos effeitos; contra S. S. naoarticulam
queixas nem o capanga, nem o maniao, tudo Ihe
serve, obedece a ura principio e enlende que
com os amigos mos rolas.
Mas, note S. S.: essa pas3ividade, essa subser-
viencia j nao tem razao de ser, pois j temos
noticia de que S. S. nao obedece mais ao plano
da administraco, que acaba de dar um magnifi-
co arranco em favor desta infeliz provincia, com
a portara que suspendeu a publicacao de leis,
que autor isavam aposeoiadorias escandalosas.
Era, eoncorde comnosco o hr. Dr. chefe de
polica, o caso de S. S. tomar to bonita exem-
plo, e mudando do caminho que o comprometle,
mandar que as autoridades policiaes. principal-
mente as de Goyanna, se oceupassem em pren-
der criminosos e nao em perseguir conserva-
dores.
Quando os jornaes desta capital regstrame
as partes diarias da polica confirmara prisoes
de assassinos e ladroes de Garanhuns, Bom
Conselho e outros pontos da provincia, lamen-
tavel que em Geyanna elles andem as mas mais
publicas da cidade, garantidos pela polica, e
que o sentenciado Colleie faca da cadeia publica
o seu hotel e seja encarregado pelo subdelegado
Juliio Nogueira de Carvalbo de castigar as victi-
mas, que alli tm a infeiicidade de entrar, pelos
caprichos e odios da polica do Dr. Geroncio.
Como se Dio baslasse ao Sr. Dr. Geroncio a
violencia de que foi victima o tenente Angelim,
os espancameutos de Goyanninha, as
31 de Agoste, a aura dada
apedraj amento
Bellarmino
A polica desordefra de Santo
Amaro v
Ao coobecimento do Sr. Dr. chefe de polica
trazemos o facto de o subdelegado dt Santo
Amaro prohibir que, depois de 8 horas danoite,
as fapiilias ali moradoras eslejum a paleslrarna
calcadas dos predio de suas residencias e tacam
passeios.
ao passo que a exdruxula auteridade aseim
pratica em reiaco aos outros, nao o faz com
sua propria familia, para a qual reserva todos
os privilegios.
Entretanto, a familia desse desbragado subde-
legado nao melbor do que as outras: e nao ha
distineces na le entre familias abastadas e fami-
lias pobres ; pel que todas devem ser tratadas
no mesmo p de igualdade.
Alm desse facto, que vexatorio, o subdele-
gado de Santo Amaro nao escrupulisa em prali-
car todas as violencias contra os seus jurisdicci-
n^ dos; e se maiores vexames nao tm sida
praticados provem isso da propria ndole das
pragas do destacamento, que pensam meiaor da
que a desabusada autoridade.
Pediido providencias ao Sr. Dr. chefe de pote-
ra, em cujo criterio confiamos, eeperam ser*
attendidas,
As victimas.
EleQao do 10o districto
Joacjuim Antonio Crrela de
tasconeellos ao pnblico
J deve estar o Sr. conselheiro Rosa a
Silva de posse de todos os documentos que
sobejamente provam as violencias e com-
pre ssoes que se deram no dia 31 do mea
Este districto de paz de Bebedouro
nSo escapou pressSo, e violencia; tu-
do empreganftn, at o meio de negar-se
ao signatario do presente e a quatro elei-
torea conservadores, de votar em quando
anda estavam em tempo de taaei-o, reti-
rando se por esta causa os meaarios. Fe
ppe de Moraes Bezerra de Andrade e
Felicio Torres Galindo, que nao quize-
ram mais presenciar e sanecionar tanta
villeza.
Diante de tantas tropelas que se de-
ram nao s nesta povoacab, como em to-
dos os ngulos do imperio, eu nao viria
A imprenta, n2o me justificaria, diante de
meus amigos e correligionartW que me
conbecem, porm sim, por amor a ver-
dade m8eravelmente adulterado por ini-
migos peqneninos e vi loes, de que por
amor a urna patente de oflicial superior
da guarda nacional prometiera ao Revd.
Sr. padre Manoel Zacbaras de Soaza Ly-
ra e ao Sr. coronel Lua Paulino de Hol-
landa Valenea, de nSo concorrer com
ineua amigos ao pleito do dia 31 do pas-
sado. ,
Provoco aos Ilustres cavalleiros a qae
me retiro que publicamente declaren} se
os procurei em tempo algum sobre assum-
ptos polticos, e muito menos se procu-
rei apadrinbar-me para nao perder urna
patente, qne S aceitei porque o homem
poltico nao se pertence.
Os v115es alm do emprego da forca e
violencia, pretendem marear a reputacao
daqueilea que nao quercm ae amoldar at
suas vontades caprichosas e despticas.
Repito, que venham a imprensa o
Revdm. Sr. padre vi gano Zacbaras e o
Sr. coronel Lniz Paulino, ou outro qual-
quer liberal de importancia a quem me
tivesse dirigido solicitando favores e be-
nignidades, solicito de meus adversarios
respeito apenas, e nao favores politicos.
Bebedouro, 12 de Setembro de 1889. .
Joaquim Antonio Correia de VatconceUos.
Ao charadista
A dec;.fraco da charada modernissima, publi-
cada no expediente do governo da provincia do
dia 2 de Outubro do correteanno a segra-
te :
Estando de conformidade com o que allega
t o supplicante sobre o requerimento.em queal-
legou e iadividuaii.-ando as necessidafles preci-
< sas do agente que procura ajvista do artigo pa-
ragrapbo que manda a lei da nossa constitni-
caode quaesquer classes tributadas para as
outras nao estarem adequadas mesmo porque
questo de direito criminal ou civil.
Pede-se, no caso de acert, a remessa do suf-
ro de qualquer nate para qualquer das asta -
cOes de Caruar.
. Xico Sorvete.
A o publico
Fernando Hagalhes da Silva. Qlho do* finado
Antonio tfagalhes da Silva, tendo lido QO obi-
tuario do dia 4 do corrente, publicado no XMora
de bontem, como fallecido de tubrculos pulmo-
nares, urna pessoa de igual nome, vem declarar
que nSo se entende comsigo, que reside no
Campo Grande com seu sogro o Sr. Diogo Bap-
tista Fernandes.
Recife, 7 de Outubro de 1889.
. Rectifica$ao
Estrada de Ferro do CU
No artigo qne com esta epigr
publicado no Diario de ante-bontem
ram-se os seguintes erros typograRt!
que aqui corrigimos.
o final da 1 columna, Un
se II ^|
columna.
r***?
i-


m

>stituto dos. feitps
da do Recife, ao
ftpublk
Nao tenho por norma entreter garotos na im-
minha cu9ta, mxime quando os meus
acto* por sua lisura e prudencia, de que proco-
empre cereal os, nao me t^m dado lugar a
nanter a mais Iigeira polemiea com pessoa al-
guraa em qualquer terreno.
sto^Kwto, tomei-me ho]e de verdadeira sor-
presa, quando no Jornal do Recife, em iettras gar-
rafaes, assim a guisa de quem annuocia Salsa Ca-
raba ou Cabeca de Negro, encontrei a seguinte
ntileza Pede-se ao Dr juiz substituto dos
faitos da fasenda provincial que ae digne
atarear hora e lugar para seus despachos, visto
como de outra eorte as partes sao mmensamen-
te prejudicadas. Assignado, Um prejudicado.
Ora, quem nao sabe neste foro que o obscuro
jniz substituto da fazenda, em cuja cooperario
se acba desde 1887 alias, delibcrou de entao para
ca daros seus despachos no cartorio do honrado
escrivSo Torres Bandeara e sala das audien-
cias T
Cremos que ninguem !...
Anda bootem na occasiao em que, na ra do
Imperador, se me apresentava urna peticao do
lustre Dr. Ferrar, disse ao parlador que a le-
vtsse para aquelle cartorio, onde logo iepois me
apresentei para os despachos do dia.
Has, todos nos reconbecemoos o espirito tra-
fego, de quera por tai modo me aggride, pela
mi voutade que metem, visando deixar no ai-
no do publico a conviccao de que o juiz de quera
se trata relaxado no cumprimenlo de seus de-
veres.
Baldado intento.
Son, Dos louvado, muito conhecido.
Quer, porem, saber o publico, para quem te-
nho a honra de escrever, a raso de Indo isto ?
Eil a : Por meu caiporismo tive a petulancia
de indeferir por duas ou tres reaes, habis peti-
ebes de um dos advogados desta trra, cujos
moldes nunca segui, apezar de todo o sen ta-
lento e casustica illustracao.
Vou concluir. E o foco, dando parabens a
minha fortuna pelo fado de terpor urna ope-
raco muito conhecida na lgica, sob o nome de
associaco de ideasrecoohecido no volume do
reclame, o volume de sen autor.
Recife, 3 de Ootubro de 1889.
Lmdotpho Correa.
Bens do Dr. Antonio Gomes
Tavares
Prcvine-se que os bens deste senhor esto su-
jeitos a urna restituicao de quaotia superior a 9
oonlos de res, pertencente aos menores netos de
JosTeixeira Castro, cujo inventario corren pelo
juizo ae orphios do Aracaty, sendo inventaran
te o mesmo Dr. Antonio Comes Tavores, e por
ha ver ji execuco em juizo contra este, nao ppdc
elle dispo? legalmente de seus bens. em quanto
nSo nderanisar aqnelles orphos do que Ihes
oertence, sob pena de nullidade de tal trans-
accao.
Terrenos da Boa-Viagem
Protesto
O abaixo assignade declara que possue
aa Boa-Viagem dous sitios em terrenos
foreiros a Irmandade pelos quoes paga o
loro annual 37-> (trinta e sete mil ris)
sendo um por 270 e outro por 10*5, ten-
lo to smente a irmandade o dominio
directo nos terrenos, pois as casas e bem-
eitorias alo pertencentes ao abaixo assi-
gaada em virtude de compras* feitas a
terceiro, e dos recebimentos desses foros
a irmandade sera p re prestou con tas ao
Sr. Dr. juiz da provedoria, que em o
jnlgando annuio aos meamos contractos
de foro e nao obstante o protesto j apre-
sentado perante o Exm. Sr. juiz da pro-
vedoria fez mais sciente por este Diario
a quem interessar possa que pretende a-
ser valer o direito que I he assiste ao do-
minio til dos ditos sitios o que faz bem
publico e protesta para evitar duvidas fu-
toras..
Cabo, 5 de Ootubro de 1839,
Bento de B. Fij.
tem oa a evotos que nao ae festejar a oant
sima Virgem no anno compromissal de 1
Juiz perpetuo.r-0 Bvmd. padre Ignacio
Francisco dos Santos.
Juiza perpetua.A Exma. .Sra. D. Ma-
ra do Rosario Muniz.
Juiz por eleicSo. O Illm. Sr. Antonio
Jesuino Marques.
Juizes por devocao. Os Illms. Srs. ma-
jor Pedro Velbo de S Barrete e Manoel
Joaquim dos Passos Guimaraes e Maneel
Moreira de Souza Nyceas de Muniz.
Escrivao por eleicao. O Illm. Sr. Joal
Francsco dos Paasos Quimarles.
Escriviea por devoclo.Illms. Srs. Jos
Pereira de Andrade, Jos Jos Miguel dos Santos, Joa do Monte.
Tbesbureiro. O Illm. Sr. Jos Joaquim
de Andrade (reeleito).
Procurador-ge ral. O Illm. Sr. JoSo
Rodolpbo dos Paasos Guimaiaes.
Procaradores. Os Illms. Srs. Antonio
Jos Moreira, Jos Antonio Moreira Filbo,
Joaquim Ramos da Cruz, Manoel Alfredo
da Ounka Sampaio.
Mordomos.Os IUms. Srs. Jos Auto
nio Moreira, Augusto Joa Carneiro, Jo&o
Abrantes de Qouveia, Joaquim Jos da
Cunha Sampaio, Jlo Polj-carpo Soares
Rozas, tenente Francisco das Cbagas Mon-
te, Jlo Lisboa,ManoelMonteiro Martina.
Juiza por eleicao. A Exma. Sra.-D.
Alice dos Santos Araujo.
Juiza por devocao. A Exma. Sra. D.
Isabel Leopoldina dos Passos Guimaraes.
EscrivS por eleicSo. A. Exma. Sra.
D. Anna Moreira.
EscrivI por devocao. A Exma. Sra.
D. Elvira Faiclo.
Recife, 7 de Outabro de 1889.
O escrivao,
t Manoel Alfredo da Cunha Sampaio.
Marca registrada
IV. 220
COMMERCIO
Revista do Mercado
Rscm. 7 DE OUTURRO DI 1889.
. O movimento na praca foi quasi nullo, cons-
tando entretanto a venda de nm pequeo lote de
algodSo.
Bolsa
gota$3es fficiaes da junta dos cok-
sectores
Sao houve cotacao.
O presidente,
Candido C. G. Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
Meretisslma Junta Commercial. Viuva Gon-
galves cigarros a ra do Bario da Victoria n. 4, seque-
rem a essa Heretissima Junta que se digne man-
dar registrar a inclusa marca denominada .4
Flor de Hespanka e destinada a distinecao dos
cigarros de primeira qualidade fabricados com
fuios Goyaz e Daniel pelos supplicantes.
A citada marca constituida por um paraile-
logrammo rectngulo dividido em tres partes
desiguaes por urna perpendicular a dircita e
outra a esquerda. licando a maior parte no meio:
impresso com tinta preta em papel de lustro
encarnado, conlendo, na parte central, no alto,
orna fita, um arco, com as extremidadesJdobra-
das para traz e voltadas para cima ; na fita, cu-
jas ponas so bifurcadas, esto as palavras :
Flor de Hespanka no centro dessa mesma parte,
um titrre com a frente para a esquerda, tendo
por baixo urna fita, em arco com as palavras
Trad-Marck no sentido da tila da qual os extre-
mos prendem as hastes de ramos de fumo flora-
dos, que se levaniam a direita e a esquerda cer-
cando o tigre ; por baixo dessa fita Vinca Gon
calces < Lorega dispostas as palavras em arco
com o concavo para cima ; a extrema esquerda
dessas palavras e immediatamente por baixo
.Va extrema direita tanbem inmediatamen-
te abaixo 4; direita do ramo de fumo da di-
reita, em arcos com o convexo para fra come-
gando do alto : Coinpieto soriimrnto. e mais a es-
querda de Cigarros', Charutos e mais a esquerda
ainda, tambera em arco com o convexo para
dentro Ponteiras etc. ; e a esquerda do ramo da
esquerda, em arcos com o convexo para tora,
comecando de baixo : Ra do Bario da Victoria
mais a direita Antiga Ra Moca e mais a direita
ainda em arco com o convexo para dentro Per-
nambuco : Na parte esquerda do parallelogram-
mo, no sentido da perpendicular que o divide,
coinecando de cima, coutem as seguintes pala-
vras : Premiado com o diplomu de trabalho na
Exposirae Artistico-Imlustnal do Lfceu de Artes e
Oficios. Inaugurada eml6de Dczembro de 1883:
na parte direita do parallelogrammo no sentido
perpendicular ao lado direito da mesma figura
existen) dnas medalhas da exposrcao com os res-
pectivos dizeres mostrando cada orna o verso e
meio reverso. %
Pede deferimento. E. R. Mtrc.
Recife, 27 de Fevereiro de 1888.
Algedo
Foi colado o de boas procedencias a 64*00.
A exportaco, feita pela alfandega neste mez,
at o da 5, aitingio a 179.215 kilos, sendo......
Ii0.23o para o exterior, 38.960 para o interior.
As 'entradas verificadas at a data de boje so-
bem a 2.146 saccas, sendo por:
arcacas..... 467 Saccas
Vapores.....
ioimaes..... 8i5
Via-ferrea de Garuara. 16
/ia-ferrea de S. Francisco. 99
Via-ferrea deLimoeiro 694
Sorama.
S.146 Saccas
rtilieo qU'
despacho da Meretissima Jum
o de boje.
Pagou 6*000 de registro e 900
addicional no 2 exemplar. \
Secretaria da Junta Commercial
de Marco de 1886.
Escrevi eassigno- Em.R deverdaij).
cretario, Julio Augusto da Cunha Guimar&es.
Eslava ao lado, em alto relevo, o sello da
Junta Commercial do Recite.
Em enmprimento do despacho da Junta Com-
mercial de 26 de Setembro prximo uassarto se
declara que a marca retro paseou a perte;
Anastacio da Silva Lorega, successorda e
firma Viuva Goncalveg 4 Loroga, conform*
la do dislracto de sociedade comme-
vado sob o n. 77 do crreme anno.
Secrelria da Junta Commercial do Recife, 3 de
Outubro de 1889.O secretario, Julio Augusto
da Cunha Goimar&es.
Escrevi futra nota oo respectivo regutro.
Marca registrada
1*. 221
Merilissima junta commercial. -Viuva Goncal
ves *. Lorega. establecidos com fah^^^
garros ra do Bario da Victoria
rem a essa raeritissima junta que
dar registrar a inclusa marca de'
Affonso, e destinada dislincco
bricados cora fumo Daniel, Rio Novo e
pelos supplicantes.
A referida marca constituida por trai paral
lelogrammo rectngulo, dividido em I re partes
desiguaes por duas perpendiculares, una di-
reita outra a esquerda tundo a maior parte no
centro. E' impresas com tinta preta em papel
amarello laranja, e contcm na maior parte, um
arco cujos extremos sustentara o verso e meio
reverso com os respectivos diseres. O arco est
ci m o concavo para cima e fecha um iygre com
a frente para a esquerda po" cima das meda-
lhas urna lita com as ponas dohradas para traz
e voltadas para cima; na Ola Fabrica Tygre; por
baixo da mesma fita c entre as medalhas ura
trapezio regular tendo na arta as palavras Trad
Marck, por baixo do arco, em linha curva Vinca
Ooncaloes & Lorega e por l ainda em linha curva, as palavras Successores e
Goncalves & C.; a esquerda do arco'fina do Bu
rao da Victoria em tres llohas horisootaes, urnas
abaixo das oulras, e por baixo da palavra Victo-
ria n. 1 direita do arco, em bobas horisoo-
taes, no alto kntiga mais abaixo Ra ainda mais
abaixo Nova, e por baixo dessa palavra 4: na
parle da esquerda, no sentido da perpendicular
que divide o parallelogrammo, romecando da
base deste, existem as palavras : Premiado com
o diploma de trabalho na exposicao artstico indus-
trial do Lyceu de Artes e O/finios inaugprada em iti
de Oezembro de 1888 : na parte direita do paral-
lelogrammo urna oval tendo no centro o retrato
de Pedro Affonso com o chapeo na caneca ; por
cima da oval prendendo os prolongamentos dos
desenos qneguarnecem-na, urna lita horsontal
com as palavras Dedicados a por baixo da oval,
tambem cora os extremos cntacados nos prolon-
gamentos dos desenhos que guarnecem na urna
fita com as palavras Pedro Affonso e por baixo
destas palavras Pernombuco.
A' direita do parallclograramo e fra dcllc na
orna tarja de ornatos.
Pede deferimenie. E. R. M.
Recife, 27 de Fevereiro le 1*8*.
Viuva Goncalves-A Lorega.
Estava urna cstarapilhi de 200 ris legalmente
inulilisada com a data e assignatura sapra. .
- ?
Certifico que foi apresuntada *a secretaria da
junta commercial do Recife, s it irg do da 27
de Fevemrodc 18 8.
EscreiW^slf.'no.
Em fe de verdadeO secretario, Julio Au
gusto da Cunha Guimares.
Certifico que foi registrada sob o n. 221,. era
virtude de despacha da raentissiraa junta cra-
me rea I em sessao de hoje.
Pagou 6#i00 de registro e 300 ris to addicional no 2 exempfar.
Secretaria da junta commercial do Jlccife, Io
de Marco de 1888.
Escrevi e assigno
Em f de vi-rdade.O secretario, Julio Au-
gusto da Cunha Guimares.
Estava ao lado, em alto relevo, o sella da jun-
ta commercial do Recife.
Em cumprimenlo do despaeno da jonta com-
mercial de 26 de Setembru prximo passado, se
declara que a marca retro passou a p<(r.teucer a
Patacho dinamarqus Hansine Marie. arque.
Patacho americano Teneriffe, farinh fc Higo.
So no i* exemplar regs-
Marca registrada
222
asnino
Gs bancos conservaram no balco a laxa
27 3/8- offerecendo alguns saccar a 27 il,'16
appajtecessem^ tomadores.
Em papel particular nao houve negocio.
No Rio o njercado nao sofireu alteracao.
TABELLAS AFTTXADA8
SS-

i
I
a.
=
B.
3.

a
o
ITT
ta.
3
S

S
CO
ce

.-o
- w
v

g
6d
J
Assncar
Os precos pagos ao agricultor, por 15 Kilos, se-
gundo a Associaco Commercial Agrcola, foram
os seguiutes:
l'sinas..... 3*100 a 300
Branco..... 3#3iW a 3*7uO
Somenos..... 3*0 a 3*200
Mascavado purgado 2*200 a 2*tO0
Bruto especial 1*600 a 1*700
Bruto bom l*iut a 1*500
Bruto baixo .... 1*100 a 1*3D0
rtetame..... *800 a 1*000
Aexportaco, feita pela alfandega neste mez,
at o dia 5, subi a 636.765 kilos para o me
rior.
As entradas verificadas at a data de boje so-
bem a 17.262 saceos, sendo por;
Barcacas .... 6.302 Saceos
Vapores ..... ....
Ammaes. 1.374 <
Via-ferrea de Caruar. 164
Via-ferrea de S. Francisco. 5.472
Via-ferrea do Limoeiro 3.950
Soturna.
17.262 Sacco3
Agurdenle
Cota-se a 112*000, por pipa de 480 litros.
Alcol
Cota-se a 220*000 por pipa de 480 litros.
Mei
Cota-se a 60*000 por pipa de 480 litros.
Catiras
Couros salgados, 345 ris, e os verdes a 210
ris.
Paata da Alfandega
SEJiM ca 7 a 12 db oiTuaao de abo;)
Vide o Diario de 6 de O.itubro
Mi
f|os descarga
ir?ao.
impoitaeo
Vapor americano Adeance, entrad* de New-
York e escala, em 6 do correte e caisigpado a
Henry Forster & C, manifestou :
Carga de New-York
Amostras 3 volumes a diversos. Arados 1 cai-
xa aos consignatarios. Alinanak 6 volumes a
Francisco Manoel da Silva & C.
banha 100 barris a Domingos Criz C, 123
ordem, 25 a Lopes Alheiro 4 C, 3) a Goncal
ves Rosa & Fernandes, 25 a Guimarscs Rocha &
C. 100 a Paiva Valente de C, 50 a Domiogos Fer
reir da Silva & C. 100 a Joaquim Fcrr. ira de
Carvaiho C. Breu 2o barricas a Caetino Cy
riaco da Costa Moreira C.
Drogas 1 caixa a Francisco*Manoc] da Silva &
C, 1 a Pedro da Able.
Estopa de calafetar 2 fardos ordem.
Ferrageos 4 volumes a Silva Marques. Fari-
nha de trigo 100 barricas a G. de Mallos Irmaos.
Kerosene 100 caixas a Guimares Valenle
Mercaduras diveisas 10 volumes 1 Lyle Nel-
son, i ordem. Maizena 50 caxas a Silva Mar-
ques & C. Movis 2 voluntes a FranciacoMauoel
da Silva & C. Machinas de costura 3 caixas a
Papoula & C.
Objectos.para escriptorio l caixa ao Cnsul dos
Estados-Uidos. Oleo 12 caixas ao cQ&sifioata-
rto, 2" a Francisco Manoel da Silva C.
Perfumaras 6 caixas a fedro da Ah
Remos 11 amarrados a ordem. Relogtos 17
volumes a ordem.
Tecidos 3 caixas a Monhard Huber aC.l
ordem. Toucioho 15 barris a Lopes Alheiro &
C, 20 a Domingos Ferreira da Silva &C. 15 a
Silva Marques & C, 20 i ordem.
Vidros barricas a F. Manoel da Silva & C
Veroiz 1 caixa t ordem
Carga do Maralo
Tapioca 20 paneiros a David Ferreira Porto
Baltar, 20 a Moura BorgUes & C.
Lugar nacional Zequinka, entrado de Pellas
em 6 do correte, e consignado a Joaquim da
Silva Carneiro, manifestou:
Xarque 254,250 kilos ao consignatario.
Vapor nacional Alagos, chegado hontem dos
portos do sul, e consignado a Pereira Carneiro
& C, manifestou
Carga do Rio de Janeiro
Caf 73 saceos a Fraga Rocha 4 C, 00 a Cos
ta >v Medeiros, 80 a Joaquim Ferreira de Carva-
iho & C, 150 a Fernandes & Irmos, 377 a Do-
mingos Ciuz & C, 100 ao consignatarios, 116
a David Ferreira Porto Baltar, 50 a Ferreira
Reis C, 10' ordem.
Calcados 1 caixa a Ferreira Batbosa & C. Ca
vallo 1 ordem.
Cognac 20 caixas a Joo Ramos, 10 aliaga Ro-
cha C.
Chapeos 1 caixa a Rapbacl Das & C, 1 a Au-
gusto Fernandas & C, 1 a A. Oliveira C 1 a
Joaquim Goncalves C, 1 a Samareos & C.
Couros 1 caixa a Antonio Duarte Carneiro
Viann;.
Fnmo 5
Meretissima Junta Commercial.Marca Prioce-
za Imperial.-Esta marca destina-se i diMinccao
dos cigarros de primeira qualidade, fabricadds-j
com fumo Daniel, por vwva Goncalves 4 '.orega,
estabelecidos ra do Baro da Victoria n. 4.
E'irapressa cora urna cor roxo-clarasobre papel
branco. E' cqn.-tituida por paralielograramo re-
ctangular, dividido em duas partes designaos por
urna perpendicular a esquerda, tendo no alto no
sentido horsontal, esquerda Pernambuco e
direita Brazil; mais abaixo, oceupando toda a
extenso da maior parle do parallelogrammo,
ama fita cujos extremos estao enrolados e volta
dos para cima oo-a palavra Princea, esquer-
da, e a direita Imperial; no centro urna oval
cora a cora imperial no alto, emuiolduranlo o
retrato da Princeza Imperial, por baixo do qual,
em arcos com os cncavos vollados para cima,
esto as palavras : Viuca Guia-alces cetsores de Conraltes em fundo ro$o, urna maiaUa de Exposicao,
mostrando o verso e o reverso; por biixo das
mdiums, esquerda, um tigre rxo era fundo
branco tendo por cima Fabrica Tigre o por baixo
Trad Marck; a direita Ra do Barao da Victoria
ngulo esqueido inferior ura destrabo de or-
to i'n forma de palma, cuja haste curva-se so-
u a palavra K. cora tinta rxa em fundo bran-
_ no ngulo direito iuferior, ainda um dese-
nlio de ornato era forma de palma cora a. baste
curvada sobre ou. 4: na segunda parte do pa-
rallelogrammo, no seotido da perpendicular que
divde-o, estao as seguiDles palarras em fundo
branco Premiado com o diploma de trabalho na
Hxpask&o Artstico-Industrial do Lycio de Art'S e
Ofinios, inaugurad i em 10 de Desemhio de 18H,
Fra do parallelogrammo, a esquerda, bu urna
tarja larga no sentido perpendicular.
Os supplicantes requerem a essa Meretissima
Junta que se digne manda"- registrar a marca
caja descripcao flzeram aoiraa.
Pedem deferimento.E. R. Me.
Recife, 27 de Fevereiro de 1888.
Viuvu Gonjalvcs 4 Lorega.
Estava urna cstampilba de 200 ris legalmente
inulilisada com a data e assignatura supra.
Certifico que foi aprescBtada pa Secretaria da
Junta Commercial do fenle as 11 hora;, e 1/2
da marina do dia 27 de Fevereiro de 1888. Es'
crevi e assigno. Era f de vcrJade.-O secrea-
lario. Julio Augusto da Cunha Guimares.
Certifico que foi registrada sob o n. 222 em
virlude de despacho da Merelissiraa junta Com-
mercial em sesso de hoje.
Pagou 6s 00 do registro e 300 ris do imposto
addicional o 2." exemplar. -
Secretaria da Junta Coramrcial do Recife, l.
de Marco de 1888. Escrevi e assigno Em h"
de verdade.0 secretario, Julio Augusto da Cu
nha Guimaraes.
Estava ao ladu, em alto relevo,o sello da Junta
Commercial do Recite.
Em cumprimemo do despacho da Junta Com-
mercial de 26 de Setembro prximo passado se
declara que a marca retro passou a peitencer a
Anastasio da Silva Lorega, successorda estincta
tirma Viuva Goncalves 4 Lorega, era virtude do
detracto de so:iedade commercial archivado sob
o n. 77 do correle anno.
Secretaria da Junta Commercial do Recife, 3
de Ouiuhro de 1889.O secretario, Julio Augusto
da Cuaba Guimares.
Escrevi igual annotacao estampilhada no res-
pectivo registro.
ra em arco
4 Lorega, e,
inmediatamente abaixo, ainda em arco com o
lado concavo voltado para cima, Ra do Barrio
da Victoria 4, esquerda comegando do lado
superior na direcco da perpendicular do paral-
lelogramma, que rectangular, aelia-se escrlpto
era itlico : Premiado com o diploma de trabalho
na Exposicu artstica industrial do L'jpcu de Artes
e Offkios inaugurada em 16 de Dezembro de le8:
Os signatorios pedem a Essa Meretissima Jun-
ta Commercial que se dine mandar registrar
a marca, cuja descripcao fazem cima
Pede deferimento E. R. M. -Recife, 27 de
Fevereiro de 188a. Viuva Goncalves 4 Lo-
rega.
Eslava urna estamnilha de 200 ris legalmen
te inutijsada com a data e assignatura supra,
Certifico que foi apreseutado na secretaria da
Junta Commercial do Recite as II horas da ma-
nha do dia 27 de Fevereiro de 1868.
Escrevi e assigno em f de verdade.O secre-
tarioJulio Augusto da Silva Guimaraes.
Ceryfico que foi regstrado, sob o n. 223, em
virtude de despacho da Meretissima Junta Com
mercial era sesso de boje
I*aou 6S000 de registro e 300 cis de impos-
to addicional o 2. exemplar. Secretaria da
Junta Commercial do Recife, 1 de Marco de
1888.
Escrevi e assigno em f de vsrdade.O secre-
tario.Julio Augusto da Cunha Guimaraes.
Estova ao lado, era alto relevo, o sello da
Jauta Commercial do Recife.
Em cumprimenlo do despecho da Junta Com-
mercial de 26 de Setembro prximo passado, se
declara que a marca retro Bohemios, passa a
pertencer a Anastasio da Silva Lorega. successor
da extincta tirma Viuva Goncaltes 4 Lorega, em
virtude do distracto de socu-ilaUe archivado sob
n. 77 do correle anno. Secretaria da Jaula
Cummercial do Recife.
Recife, 3 de Outubro de 1839. 0 secretario
Julio Augusto da Cunha Guimaraes.
'; Tributo de gratidao
Ao Ilustre medico o Sr. Dr. Joilo Paulo da
Silva" Hrito, a quem liv; a felicidade le chamar
pira tratar de minha lilbinha Estlier, que> se
achava doente de urna febre palustre, agradeco
do intimo rt'alraa pelo inleresse, dedicacao e pe-
ricia que moslroo u'esse tralaraento. Hoje, cneio
de jubilo por vel-a restabelecida, venho impren-
sa render a este distiucto apostlo da scieacia
medica a lioraenaj;era do rneuprofuiido reconhe-
ciraeoio. Pego a S. S. que rae deseulpe, se pro-
cedeudo assim. feri a sua reconhecida modes
lia. _
l de Outubro dr*-#8S9.
Samuel Esnaly.
Caxaug,
Marca registrada
Vi. 223
Meretissima Junta Commercial do Recife.
Marca Bohemios.Esta marca destina-sc' dia
tineco dos cijiarros faoricado* com fumo Goyaz
de primeira aualiduds por Vinca Goncalves
Loriga, estabelecidos a ra do Bario da Victoria
u. 4.
E' impressa com urna cor parda ligeramente
afoirnea'io. sobre papel branco.
A configuracao .
Um paralleo^n.inma cootendo dircita urna
oval coui o retrato de Anasiacio da Silva Lore-
ga : a esquerda a mesma lisura com O retrato
den. Mari a Rosa Pinto Goncalves; ambos os
retratos teera cada um a palavra Peraambuco es-
cripta por baixo. c sao sobrepujadas cada um
por urna oequena raedalha de Exposicao, mos
trando eada urna o verso e meio reservo ; no
mmnmwL^m.^ iiimw '
QPapel 2 caixas a Ramiro da Costa & C, 23 e
11 fardos a ordem. ^anno de algodao 16 fardos
a Machado 4 Pereira, 108 a Reis Lima 4 C.,.28
a Andrade Lopes 4 C, I a Agosiinho Santos 4
C, 10 a Albino Amoriin 4 C, 10 a Fernando Sil-
va 4C.
Tinta 3 barricas a Esnaty Reis 4 C
Carga da Baha
Charutos 1 caixa a Sulzer a Kauffuiann, 1 a
Alraeua Machado 4 C. Chipos i caixa a Sa-
mareos & C, 6 a A. C. da Silva, J a Anlonio
Mua Irmo, 2 a Loureiro Maia 4 C, 2 a A. Mar-
tos C, la Augusto Fernasdes 4 C, 1 a
Adolpho 4 Ferro.
Exparlaco
HCCIFB 5 D OUTUDho OE 1889
Para o exterior
Na barca norueguense Solil, carregarem :
Para Xew Yofk, M. borges C. 500 "saceos
com 37,500 kilos de assucar mascavado.
fura o interior
No vapor americano Adoancr, carrega-
ram :
Para Santos, A. Lemos 130 saceos com 9,000
kilos de feijo ; E. C. Beltrag 4 [nao 200 sac-
eos com 12,0 0 kilos de assucar mascavado : A.
V. de Barros 1.000 saceos com 60,000 kilos de
assucar mascavado ; V. da Silveira 130 saceos
com 9,000 kos de assucar mascavado ; i. A. de
Sa 264 saceos cara lo.iSO kilos do r-sucar nas
cavado; P. Carneiro C. 432 accos cora 25,920
kilos de assucar branco.
Para Rio de Janeiro, A. Lcmo3 230 aaccos.com
15,000 kilos de leijo ; C. Sindeu 500 saceos cora
30,000 kilos de assucar mascavado ; F. M. de
Moura 30 barris cora 4,800 litros de niel.
Para Baha. H. Bur.e 4 C. 30 sancos com
22,500 kilos ue assucar branco e 50 sxeas com
4.025 kilos de algodto.
No vapor nacional Manos, carregou;
Para Rio de Janeiro, J. de Sa I.eito 10 saceos
com 6,000 kilos de sement de mamona.
No vapor americano AlUanca, carregou:
Para Para, G. A. Furtado 2 pipas com 960
litros de alcool.
No vapor nacional S. Francisco, carrega-
ram :
Para Bal/ia. J. Guimares Smeios de sola.
Para Maeei, J. II. Boxwell 10 duzias de vas-
8odras--e piassava.
Na barcaca D. Sn/,"carregaram :
Para Macci, i'. Carneiro C. 2 duiias de ta-
boas de louro e 1 caixa com 30 kilos de oleo de
mecoto.
Na barcaca Sympalhia, carregou ^.
Para Parahyba, A. Lemos 30 caixas com 330
litro* de genebra.
No hiaie nacional S. Cruz, curregaram :
Para Aracaty, Amorun Irmos 4 i.. 23 barri-
cas com 2,448 k ho.
No vapor nacional Alagoas, carregaram :
Para Para, M. A. senna 4 C. 60 barricas com
3 600 K branco; B. Oliveira 4 C.
OO bat is de assucar branco
ua 4 Rezente 37 barricas com
r branco.
4 C. 45 barris com
late : M. '. Martins' 60
Dinheiro
oprputnn
2. Exemplar
X. 91
A marca infra," cootendo a denominacab de
Tggre, destina-se ao< cigarros fabricados petos
artistas cigarreiros Goncalves C, doiniciliados
nesla cidade o. nella estabelecidos a ra do Ba
ro da Victoria n. 4, foi apresentada a registro
no da 14 do correte s 9 lloras rta manda e re-
gistrada Desta data em cumprimenlo do despa-
cho de hoje da ruoreiissima Junta Coramereiul
E para contar Di esia nota e escrevi outra
gual no exemplar registrado.
secretaria da-Junta Coratiiercial da cidade do
Recife 28 de Aaosio de 1879: O secretarioe.-
Julio Augusto da Cunha Guimaraes.
Estava urna estarapilha legalmente inutilizada
i-lo respectivo erapregado da Recebodoria Pro-
vincial.
Pagou rail ris de um parecer fiscal.
Pagou cinco mi! ris de emolumentos do re-
gistro.
Secretaria da Jinta Commercial do Recife, 27
de Agosto de 1879.Turres Fragoso.
Averbagao. Tendo fallecido Joao Gregorio
Goncalves, mcrabro da firma Gongalves C.
proprietario da raarca supra n. 97, sob a deoo-
ninago Tgijfe, ordenou a meretissima Junta
Commercial por despacho de bont.ni, proferido
ua peticio, qu<-lioa archivada, da viuva Goncal-
ves 4 Lorega que se tizesse uo registro retro a
competente averbacio de que dita raarca passa
a pertencer indicada lirma Viuva Goncalves
Lorega, da qual sao socios D. Maria.Rosa Pinto
Goncalves, viuva de Jo5o Gregorio Gongalves e
AnasiaciO da Silva Lorega, por conta dos quaes
eorrera as fiu&licagoes exigidas no art. 13 do
.lee. n. .682 Je 23 de Outubro de 1873, pelo
f co da presente averbagao.
, 20 de Ji
lio Augusto da Cunha Gu
Em cumprlmento io despacho da Junta Con?--
raercial de-26 de Setembro prximo passado se
declara que a raarca retro passou a pertencer ;:
4nastacto da Silva Lorega successor da extincta
firma Viuva Gongalves & Lorega, conforme tudo
consta do distraclo de sociedade comraerciirl
chivado sob o n. 77 do correte anno.
Secretaria da Junta Coramercial do Recife, 3
de Outubro de 1889. 0 secretarioJulio Augus
toda Cunha Guimaraes.
Fiz igual aonolaco no exemplar registrado.
EBtava urna estarapilha de 1* legalmente inc
usada.
As cancflt criadas ao peito on
mamadeira que digerem com difficuldade
e padecera de clicas, curam-se com rapi-
dez, administrando-lhes com o seu leite
urna colherada pequea de Xaropede.....
Trouette-Perret com papaina. E' nm pre-
cioso medicamento que devem empiegar
todas as mies cuidadosas da saude de seus
filhos. (9
-------------^-------,------
La Rosa Alemana
E' o nome de ume qualidade de ce/veja branca
que pela primeira vez ver a esta provincia. A
cerea La Rosa Alemana nao ronfea cidos on
productos chmeos.
A preparagao da ceneja La Rosa Alemana,
chegou ao mais alto grode perfeigao. B v
biime, muitissimo agradarel ao paladar, fi-
nalmente urna combioacao de snbstancins pode:
rosas para a baalimentaco. As mais afamadas
cervejas nao trazera o nome do fabricante. En-
tretanto o proprietario da ceneja La Rssa Ale-
mana, tendo conquistado o segredo da sua sac-
davel cbrvbja, registiou a marca com a sua fir-
ma no rotulo.
E como teve a honra de requestar a sympathia
publica, e para que a. ceneja La Rosa Alemana
continu a trazar do conceito do respeitavel pu-
blico, ainiudauas vezes manda examinar a sua
cerveja pelas celebridades chinacas.
Diversos atistalos de chimicos e doutores em
medicina justificara que tuxneja La Rota Ale-
mana muito saudavel e ura soberano alimento,
cujos documentos licam disposigo do respei-
tavel publico.
Diz o Dr. Vernier: Tenho por rauitas vezes
examinado no laboratorio publico a cerveja La
Rusa Alemana c- nao encontr materia chimica e
siin urna gigantesca preparagao de substancias
que representan urna valiosa riqueza para ali-
mentago. A ceneja La Rosa Alemana goza do
grande conceito oa Europa, e um filustre cava-
Ibero desta praga, ha pouco chegado do estrai -
geiro, aniraou o fabricante a exportal a conven-
cido de ter grande aceilagSo aqu.
Est venda era gro-so e a reta Ido. Machado
* C, ra ifo Vigario U.-49-; Jos da Costa Ca-
seiro C, ra da Cruz n. 13 ; Lopes 4 Araujo,
ra doLivca.ealo n. 38; Vscoucellos Sobrinbo
., roa da Aurora n. 81; Ramos Ferreira *
C. ra Mrquez de 01 inda n. 50; Albino Fer-
nandes ra Mrquez de Olirida n. 2; Antonio do
Aimeida RabeliA, esquina da ra da Uto a. 2 ;
Azevedo Maia 4 C, ra da Iraperatrlz.
Martins Fiuza C. 12.000000
Bernardino tones Alheiro 1.5004000
mi tu nio Augusto dos Santos Porto l.OOOiOOO
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional -Muuaos, para :
Maeei 20.0005000
Rio de Jaueiro 4.000*000
ReadJmeutos pnblicos
MEZ D OCTCMRO
Alfandega
Renda geral
Oo dia 1 a 5
dem de 7
151:897*724
53 841*008
Rehda provincial : *
Do dia 1 a 5 13:139*842
dem de 7 2:574**43
175:738*732
15:714*285
__________m
J. 3S5
tnacutiuila 1 Est fazendo pasmar a todos os nossos mdi-
cos pela grande rapidez com que cura a tosse
era toilos os seus periodos.
A Academia Medica de Berlim leve muita ra-
zio em considerar o sueco desta balsmica arvo-
re, como um especifico absoluto para as irrlta-
ces e iufiammagVs da garganta, ou vasos broo-
chios.
Nenhuma tosse, roaqnido, asthma, catarrho,
dor da garganta ou biohchites, pode resistir s
suas propnedadescontra-irritantes.
Restilue e restabelece a voz quando por afiec-
goes da trachea ou laryox se ebega a perder ou
debilitar; fa parar a expectoragao sangunea, e
impede a agglumeracp de mucosidades nos tn- ,
hos :!a respirago, qdllcondujpi aos pulmoes.
Inieiramente mu differenl a esses peitoracs
compostos principalmente de fructas acres e ad-
siringentes. etc., finalmente oa sua delicada c
elaborada coraposigo nao entra nenhura acido
prussico, nem to pouco ingrediente algnm de
especie ou carcter venenoso.
Como garanta contra as falsificages, obser-
ve-se bem que os nomos de Lanman 4 Kemp ve-
nbara estampados era letras transparentes no
papel do vriuho que serve de envoltorio a cada
garrafa.
Acha-se venda em todas as boticas e dro-
garas.

Sorama Dtal 165.037*560
Segunda seceo da Alfandega de Pernambnco,
7 de Outubro de 1889.
O thesoureiroFlorencio Domingues.
O chele da secgaoCicero B. de Mello-
Qo dia i a
dem de r
Reeebedoria geral
39635781
1:993*369
7:937*130
Reeebedoria provincial
Do dia la 5 l:43iU7
dem de 7 1:803*672
3:2375789
Reeife Dralnage
Do dia 1 a 3 2 310*920
dem de 7 564*517
2:881*467
Be rea do Municipal de Jone
O movimento deste mercado nos dia 3 e6 de
Oulubro foi o seguinte :
Eulraram :
gftl,z bois pesacio 12,121 kilos.
14*2 kilos de peixe a 20 ris
58 cargas com farioh a 200 ris
19 ditas de fructas diversas a 300 ris
22 taboleiros a 200 ris
49 suinos a 200 ris
13 matulos com legume3 a 200 ris
Foram oceupados:
'2 columnas a 600 ris
2 escriptorio a 300 ris
38 compartimentoa defannhaaBOQ
ris
42 ditos de comidas a 500 ris
203 ditos de legumes e fazendas a
400 ris
32 ditos de euinos a 700 ris
16 ditos de fressuras a 600 reis
91 taraos a 2*
29*640
15*600
5*700
4*4004
9*800
3*000
31/200
600
29*000
21*000
81*200
32*4-J
9*600
182*000
Pregos do dia:
Carne verde de 240 a 400 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 1* ris idem.
Suinos de 560 a 610 ris ideo.
arinha de 400 a 640 ris a coia.
Milho de 360 a 400 ris idem.
F(v;aode800al*2O0iirem.
Hatadouro publico
Neste estanelecimeto foram abatidas para o
consumo de boje 89 rezes perteocentes a diver-
sos marchantes.
Tapares a entrar
MEZ DE OCTBHO
8ul............ Allmnca.......... 7
Europa----- Ville de Cear..... 9
Sol.......... Buenos-Agres...... 10
^ul........... Ville de Santos..... 10
Europa....... Mercltant......... 10
Sul........... AraucaBia..,...... 10
Europa....... Elbe.............. 11
Sul.......... P.do Grao Para... 12
Sul........... Tagus............. 13
Norte........ JfciroiiAoo.......... 14
Norte......... Sacona...........V14
ma

Vapores a sabir
MEZ DE OUTUBRO
New-York Alliana.......... 8 as
Norte........ Alagos........... 8 as
Baha ceso S.Francisco... 8 as
-antose esc- Ville de Cear..:... 9 as
Hamburgo ... Buenos-Agres...... 10 as
Buenos-Ayres, Elbe ............. 11 as 12 b-
Liverpool.....Araucoaio......... II as !
Havre e esc VtUe de Santos..... U as
Soutliampton Tagus............. 13 as
Sul..........Maranhao......... 14 as
Norte.......Pernambuco....... 18 as
hu.......... EspiitoSanto ..... 24 as
Buenos- Ayres. Tomar............ 25 as
2 h.
5h.
5h.
4 h.
4 b.
4 b.
11 h.
5 h.
5 h.
5 h.
2 h-
Movimento do parto
Entrados no dia S
New-Vork e escala24 dias, vapor americano
Adcan-y, de 1,902 toneladas commandante D.
E. Grifflths, e niipajtem 70, carga varios gene-
ros ; a Henry Forster 4 C.
Pelotas20 dia3, lugar nacional Zcqmnka, de
220 t:h'!adas, capitao Antonio Duarte Ralba,
equipagem 8, carga xarque ; a Joaquim da
Silva Carneiro 4 C.
Camossira 25 dias, hyate nacional Camelia, de
85 tone!adas, meetre Manoel Antonio da l-
va. equipagem 5, em lastro ; a Manoel Joaquim
Pessoa.
Taxios entrador vo dia 7
Rio de Jaiiro e escala7 dias, vapor nacional
de 1.999 toneladas, commandante
Joo Mara Pessoa, equipagem 6', arga va-
rios gene'os ; a Pereira Carneiro 4 C.
Rio GranJc do Norte 4 dias, byat
'i toneladas, mestre
ira, equipagem 4, carga ae
Manoel Joaquim Pessoa.
io mjjiid-
..... m


-; < i-i;


\
/
1
'
1.
>
Advogado
fj
<4Dr. Clodoaldo Lopes ^
ESCRIPTORIO
flaa Estrella do Rosario n. i

Tosse convulsa! coqueluche!
Nao deis crianza senao o Peitoral de
Cambar- ,
ExpOHleo l'niversal de 1889
Segundo a carta que nos escrevem nos-
sos correspondentes, os Srs. Amde
Prinee & C, o Pavilhao de Guatemala
onde olles acabain de organisar urna sala
de leitura de todos os principaes jomaes
das Americas do Centro, do Sul, das An-
thas e do Extremo-Oriente urna eons-
truegao de madeira muito bonita.
Este pavilhao adiase situado direita
da Torre Eiffel, pelo lado. direito e de-
fronte da parte cental do Palacio das Ar-
ies Liberaes. Esta perto de todas as sec-
cSea das Repblicas Americanas e do Im-
perio do Brasil cujos riquissimos palacios
nao de constituir, por sem duvida, urna
das maiores attraegoes da Exposigao.
Aos nossos patricios recommendamos
encarecidamente que visitem no Pavilho
de Guatemala a installacad dos nossos
correspondentes, Srs. Amde Prinee
C, devida ao obsequio do Ilustre com-
missario geral do Guatemala.
) | Oculista
M Dr. Barrete Sampaio, medico,
J ( aculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, da consultas de
meio da as 3 horas da tarde, no.
Io andar da casa n. 51 a ra do
BarSo da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
andado n. 25.
EXPO^TIO^BrVERSAL DEl"89
Segn nos esc riben nuestros correspon-
sa es, los Srs Amde Prinee y C.
el Pabelln de Guatemala, en donde han
organizado un gabinete de lectura de los
principales pridices de las Americas del
Centro, del Sud, de las Antillas y del Ex-
tremo-Oriente es una construccin de ma-
deraje las mas lindas.
Est situado dicho pabelln a mano
derecha de la Torre de Eiffel, del lado
derecho y en frente de la parte central
del Palacio de los Artes liberales. Se en-
cuentra a proximidad de todas las seccio-
nes de las Repblicas de las Americas y
del imperio del Brazil, quienes han cons-
truido palacios que rivalizan de riqueza, y
que sern una de las mayores atracciones
de la Exposicin.
Encomendamos particularmente a nues-
tros compatriotas que visiten, en el Par
heUonde Guatemala, la instalacin que han
hecho nuestros corresponsales, ftrs. Am-
de Prinee y C. gracias a la amabili-
dad iel seor comisario general de Gua-
temala.
w Vias urinarias, molestias das se-
J ( nhoras, operacoes elctricas
| es. cauos asirse:"
I ( MEDICO E OPERADOR
i | com pra'.ica de fabis i Londres
> { E8treitamento da urethra corados ra-
\ ( dicalmeate pelfeleetrolyse, sem dor;
i t hydroceles sem iajecgo (cura radical);
cripiorio roa do Commer
da raanba s 2 oa ta
horas
"^*
js. e:sb:o oiehs&bc
MEDICO E OPERADOR
ENrECliLIDADE
Febres, affecgOes nervosas, car-
diacas, pulmonares, hepticas,
syphiliticas e molestias de
enancas
CONSULTORIO
18-KCA MAEQEZ DE OLIXOA-18
^
2*^
todos os seus actos as leis e regui
toe e jurisdiegao dos tribunaes ju
ros ou administrativos do paic.
J 15. O contractante ser obrigado
collocar e construir aua costa um W
ma8 gazometros, se houve neceasidade.
, IV iouuuuci.-.u ua 11HII,
aos lugares qne o presidente da provincia em ,Pmpo igam en,pecjiD0
Bronchlte aguda ou ehronca
O Peitoral de Cambar o molor re-
medio.
EDITAES
,{ fe
11 a
ferdas e ulceras chronicas, com garan
J ( tia de cura rpida ; pedras da bexiga,
!/ fstulas e hemorrboidas; syphilis, go-
) norrnas, pelo metbodo das instillages ;
| molestias da garganta e do peito pelas
l atbmospberas medicamentosas. Con-
1 ( sullas e operagoes das 12 s 3 horas da
W tarde.
| RA DO MRQUEZ DE OLINDA N. .14,
l ANDAR
firatla no* pobre.
3

Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creaacas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n. 18, 1" andar.
Consultas de 8 s 10 da manhS.
Chamados (por escripto) qualqner hora.
TELEPHONE N. 226
O lr. Ermiriu Coatiabo, de
volta de roa viagem Europa, onde
se dedicoo especialmente so estu-
do das molestias do systema ner-
voso, tem sea consultorio Praga
o Coipo Santo d. 5, defroute do Te-
legrapho Nacional
Consultas de urna as tres horas da
tarde.
3
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLDiSON, for-
mado pela Universidade de Maryland no
Estados-Unidos, teai aberto o seu consul-
torio, na ra Bario do Victoria 18, Io an-
dar. -,
Consultas da 10 s 4 horas da tarde.
Tubereulose pulmonar
Cura garantida pelo ^Peitoral de Cam-
bar.
!}
Leonor Porto
.Una Larga o Rosarlo n-
aero *tt
SEGUNDO ANDAR
iDlina a executar os mais difliceis
recebidos de Londres, Pariz,
!\io>de Janeiro
mj em n'ir'-,;i de costuras, em
i presos e
O Dr. Joacnim di Costa JRbciro, jniz de
direito d civtl desta cldade <(o Recife
e sen termo, capibd da prorinsta de Per-
nuni/ji'co, por Sita Magesttideftty
Constitucional o *$; D. Ped^rQi%aiit>,i
Deus guarde, etc.
Fago saber, aos que o presente edital
virem ou delle noticia tiverem, que lindos
os dias da le ir praca pela terceira vez
o ser arrematado com o abatimonto de
dez por cento do prego da avaliagao ou
pela offerta que apparecer nos termos do
artigo vinte e quatro do decreto n. 9549
de 23 de Janeiro de 1886 o bem seguinte :
Urna casa de pedra e cal, sita na travessa
da Motocolomb, freguezia de Afogados
desta cidade, com 19 metros e 7 cent-
metros de largura e 6 metros e 70 cent-
metros de comprimento, tendo na frente 6
janellas e 2 portas, sendo que as portas
dao entrada para a sala de visita e de
juntar e as janellas ficam nos 4 quartos
que sSo col locados entre urna sala e outra
a um ou tro quarto contiguo sala de jan-
tar, no fnndo do qual a cosinha interna,
achando-se tudo em mo estade : no ter-
reno comprehendido em 700 palmos de
freute, o qual tem cerca nativa e um por-
tao de madeira, existem2 cacimbas e jun-
to a ama dellas um tanque e outro tanque
na parte posterior da casa; 80 ps de co-
queiros, diversos ps de cajueiros e man-
gueiras, sapotiseiros e outros arvoredos,
tudo bastante maltratado, e no terreno de
marinha, que mede 28 bracas e 4 palmos
de frente, est situado um viveiro que se
acha arrombado e em pessimo estado:
avaliado tudo por um cont de reis.
Penhorado para pagamento da execu-
clo promovida pelo cnsul de Portugal como
administrador do-espolio de Manoel de
Carvalho Moura contra os berdeiros do fi-
nado major Manoel Ferreira Escobar e
vai prags pela 3.a vea por nSo ter sppa-
recido liciUnte na 1.a e 2.a pragas, que
sobro dito bem lancease.
Pelo que toda a pessoaque em o referi-
do bem quizer lanciir o poder fazer no dia
da prafa.
E para que chegu 3 ao conhecimento de
todos mandei passar o presento que ser
publicado pela impransa e affixado no lu-
gar do eos turne.

aos 7 de Outubro de 1889.Eu, Pedro
Tertuliano da Cunts escrivao escrevi.
Joaquim da Costa Riheiro.
5.* secgao.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
jrdm do Exm. Sr. Dr. vice-presidente
da provincia e nos termos do 2 do art.
Io da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
3ue, tendo-se concluido por meio de laudo
e arbitro desempatador, a questto d ava-
iaaio do material da empreza de iliumi-
oaclo gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
ses, contados da data do presente edital,
para contracto da dita illuminacao, me-
diante as seguintea clausulas da citada le:
3. Nenhuma proposta ser recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:OOOA
em dinheiro ou apohees da divida publi-
ca, para garantir a aceitaeSo do contracto
ao caso de ser preferida a sua proposta
$ 4.* O deposito, a que se refere o pa.
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo contractante senao findo o contracto e
servir de caucSo para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
S 5." O contracto s poder ser feito
com quem melhores vantagens offerecer
na concurrencia.
% 6. A nao ser no caso do paragrapho
antecedente, a actual vmpresa nao ter
preferencia a qualqner outro proponente.
7. O novo contractante ser obriga-
do indemnisaglo, a que a provincia
sujeita por forga da clausula decima tor-
fseira do contracto em vigor, devendo dita
indemnisagao ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e ficando o mtenla
e obras da empreza hypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemni-
sagao ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
f 8.a O nrazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
| 9.a O prego da illuminacao, quer publi-
ca, quer particular, nao poder exceder de
260 ria o metro cubico de gas, fazendo-
te tuna redcelo de mais de 30 [a, para
os estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e repartigoes publicas.
10.* O systema. mtrico, si fr mais
conveniente, ser adoptado para a med-
gao do gas.
% 11 .* A luz ser clara, brilhante e nenta
de substancias estranhas, que possam pre-
judicar a illuminagSo e a hygiene publica.
12. A intensidade media da luz ser
equivalente a de dez velas de espermacto,
das que queimam seto grammas por hora,
correspondentes a 120 graos inglezes.
*% 13." As horas de illuminacao publica
ero fixadas pelo presidente da provincia
ao principio de cada anno, nio podendo
ser em numero menor de* seis, nem malor
de dez, devendo neste caso bava/ urna
reduegao no prego do gaz correspondente
so acreteno de horas.
C 1 nfpflptante ser obrifffldo
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou cm alguma ca-
pital da Europa.
% 16." O pagamento da illuminagao par
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attongao oscillagao do cambio.
17. O contractante poder organisar
eompanhia, a qual ficar subrogada etn to-
dos os direitos e obrigag3es do contracto.
18. Para as despezas com a iscali-
sagab do servigo de illuminagao o contruj
tanto concorrer annualmenle com a quaaj
tia de 3:0003000, que scrZo recolhidos a*
Thesouro Provincial.
19.* O presidente da provincia esta-j
belecer as multas e mais condigSes, no
intuito de garantir a boa execugao do con-
tracto, qunf com rclagSo a illuiningso pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o nov
contractante ter de pagar actual em
preza, conforme o % 7 cima citado, t
quantia de 994:917(5528, de accordo con
a avaliagao feita pelo arbitro desempata
dor em 18 de Margo ultimo, visto deoutr-
se da de 998:777,5528, total da avaliagao,
a importancia de 3:8600000 paga em-
Sresa em 1860, proveniente de 202 canos
e ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
peSes, collocados fra do perimetro do
contracto. O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveira.
(ngenheir New-
un
e goso de urna estrada de ferro
ita, que partindo da Serra Dous
la extrema desta provincia1 com a do
v terminar na villa de PetWina pon-
^^Pginal do Rio S. Francisco
ti* A zona privilegiada ter 10 leguas para'
a lado do elso da Imha, sem que seja Isso,
a que a qualquer
nana
Empreza do Gaz
AVISO
A empreza de illuminagao a gaz dests
cidade por sea gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
gao do edital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminagao mediante as clan
subs no mesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisagao da empreza
actual a quantia de 998:777)5528, por
quanto foram avahadas pelo arbitro desem-
patador as obras da mesma empresa,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar davidas futuras, de-
clarar que dita avaliagao nao pode servir
de base para tal indemnisagao, por ter
sido illegal e irregularm<*.nte feito, bem
como que contra ella j protes ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos fetos da
fazenda. tendo srdo intimado do mesmo
protesto o Dr. procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que deva em tempo op-
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, deliberen fazer a
presente publicagao para scieneia dos in-
toressados. <
Reeife, 1 de Maiode 1889.
Gerente.
George Windsor,
Dado e passado nesta cidade do Recifa, H> Dr. Joaqttim Correia de Olivcira An-
drade, juiz de direito privativo de or-
phSos e ausentes nesta comarca do Re-
cife por S. M. Imperial a quem Deus
guarde, etc.
Faz saber aos qne o presente edital virem ou
delle tiverem conhecimento, que estando se pro
cedendo por este meu juizo o inventario de Fran-
cisco Philomeno da Costa Mello, a n ventaran te
meisira D. Dorotbea Mara Villaga me diriglu a
pelicSo do tbeor seguale :
Illm. Sr. Dr. juiz de direito privativo dos'or-
phaos.
Diz D. Dorothea Mara Villaga e Mello, que es-
tando se procedendo o inventario dos beos de
sen tinado marido Francisco t hilomeno da Cssta
Mello, por rgnorar deixei de doscrever Joaquim
Benigno da Costa Mello sen cunta Jo irraa de
seu marido e que est ausente, ha muito lerapo,
e herdeir.' dos bens inventariados.
Nestas circumstanciaa, requeraV. S. digne
se mandar qne o escrivao addicione os herdeiros
o referido ausente. As jira pede a V, S. defer
ment. Espera receber merc. Recite, 2G de
Agosto de 1889. Advogado, Pian'.
Estava com urna estampilha de 200 reis iaoti-
lisada na forma da lei.
Despacho.Sim. Recife, 26 de Agosto de 1889.
Olioeira Anirade.
E, nada mais se continha em dita petigo e
despacho, depos do que subiram os autos a mi
nha cooclusao, profer o interlocutorio do theor
seguinte :
Proceda-se parlilha depos da primeira au-
diencia, intimados os interessados.o Dr. curador
geral eo curador do berdeiro ausente Joaquim
Benigno da Costa Mello, que noraeio Dr. Galdi
no Lorto. Na occasiao dare a forma. Recife,
28 de Setembro de 1889.UUoeira Audrade.
Em tempo. Faga-seo que delermihei sopra
depos de citado por edital com o prtzo de -10
dias o alludido herdeiro ausente. Era at sapra.
Andrade. ,
E-para constar mandei passar o presente edi-
tal que sera publicado pela imprensa e afibudu
no lugar do costume.
Dado e passado nesta cidide do Red
de Outubro de 1889.
Eu, 0!avo AQlooio Ferreira, escrivao-asubs-
crevi.
Joaquim Corra de Olwtira jtkiradt.
Pelo presente edital se faz publico,' fue em
virtude de ordem de S. Bxc. o Sr. presidente da
provincia, comida cm ollicio de 26 de Agosto
findo. c de accordo coan o disposto no jkrt. 26 dos
Estatutos do Lyceu Parahybauo, se icli em con-
curso a cadeira de geographa do meso Lyceu,
vaga em consequencia de ter-se jubUaO o res-
pectivo professor commendador Thomasdti Aqu
no Mindello, devendo os concurrentes,te habi-
litarem dentro do praso de noventa dias, a con
tar da presente data, e exhibirem na forma de
art 27 dos mesmos Estatutos os documentos se-
guintea : Certido de alistamento eletoral,
ou documento, que pro ve ter o candidato as con
dices exigidas para ser eleitor; 2.a Faina cor-
rida ; 3. Attestagao de moralidade, paisada pelas
autoridades ecclcsiastica e policial do logar de
residencia; i." Attestado medico de nao ter mo
lestia ou defeito pbysico, que o inhiba para as
fuDCgOes do magisterio.
Reiiona-do Lyceu Parabybano, 12 de Setembro
de 1889.
0 reitor do Lyceu Parahybano,
Joaquim Ignacio de tema e Moura.
{*J3.' Secgo Secretaria da presidencia de- Per-
nambucoEm 3 de Setembro de 1889
Por esta secretaria se faz publico qne fica
aberto o praso de 50 dias, a contar desta data,
para o receoimenio de propostas em carta /echa-
da dos concurrentes i eonstruegao de urna es-
trada de ferro de que trata a lei provincial infra
n. 2.058 de 8 de Agosto prximo findo.
^^Kcret
Fron rinho e Bauza.
N. t.086
Manoel Alvos de Aramo,
Magestade o Imperador, bac
i as sociaes e juriicas j*"
S l ulo. comseBdado
e em 1
oatra estrada de ferro, paral lela ou no a de que
cogita a presente coneesso, possa a provincia
^12? concessito de zona privilegiada. 5o caso
t futuras concesEcs, se a zona privilegiada da
estrada a que refere so a actual le for invadida
pela de qualquer outra estrada de ferro conce-
dida mais tarde pela provincia, ser o espago
de trra que entre as duas estradas mediar divi-
dido ao meio. ficando urna metade delle como
lona privilegiada de cada urna das referidas es-
tradas.
| Em igualdade de coudigoes o concessio-
fario lera preferencia para eonstruegao; uso e
goso de futuros ramues convergentes.
I 3." Ficam sentos de direitos e impostos
proriociaes e municipaes os edificios, as machi-
e materiucs necessaiios para a eonstruegao e
exploragn da linlia principal e dos ramaes que
forem construidos,
g i." 0 concessionario ser obrigado a cons-
oir linha telegniphica para uso publico e par-
ticular da referida estrada e ramaes, gosando de
igual i?encao de direitos impostes.
j 5. Fica concedida a garanta de juros de
i(J */o sobre o capital que for, empregado effecti-
vamerrte as obras, calculado o prego mximo
do kilmetro, em zS.QOO* e pelo praso da dura-
go do privilegio, liado o qual reverter para a
provincia a estrada com todas as suas obras,
macunismos, maieriaes e linbas telegrapuicas,
m asiim cada um dos ramaes que tenham
sido construidos, logo que tenham sido oxplora-
dos por ignal tempo,
6* A garanta de joros s se tornar elec-
tiva no caso de ser levada a effeito a concessao
da estrada de ferro de Amarante na provincia do
Piauoy a Serra Dous Irmaos, qual se prende a
presente concessao, perdt ndo o concessionario o
direito referida garanta se obtiver o governo
geral, snbvengo kilomtrica, quantia de juros
ou qualquer outro favor equivalente.
7. Aprovtocia ter o direito de embarcar
gratuitamente a sua forga publica, autoridades e
respectivas cargas.
8." O concessionario poder transferir era
presa ou eompanhia, que organisar o presente
privilegio com todos as seus favores e obriga-
goes.
8 9. Dentro de 5 annos da data do contracto
deverao ser apresentados os respectivos estudos
definitivos e os respectivos orgamentos detaiha-
dos e ter comeeo de execugao as obras, cadu-
cando a concessao, se dendro desse praso no
forera ditas obras comecadas, salvo caso de for-
ga raaior, devidamente provado.
Art. 1* Ficam revogadas as disposiges em
contrario.
Mando, portaoto, a todas as autoridades
quem o conhecimento e execugao da presente
resolucao pertencer, que a cumpram e fagam
cumpnr tao inteira.-nente como nella se cora-
tm.
O secretario da presidencia da provincia a faga
imprimir, publicar e correr.
Palacio dapresidencia de Pernanbuco, 8 de
agosto de 1889, 68* da Independencia e do im-
peno.
L. S. M. Atoa de Araujo.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta
secretaria da presidencia d Pernambuco, aos 8
de Agosto de 889.
O secretario
Francisco L. Marinho de Souza
SANTA ISAB
GRANDE FESTA ARTSTICA
Quarta-feira, 9 de Outubro de 1889
EM BENEFICIO DA VIUVA
MINgRYINA AMELU' MONTENEGRO DE MESMTA
PROGhAMM
1.a parte
r Representar-se-ha pela primeira vea nesta pocba imponente e deslumbrante
drama de grande effeito scer.ico, em 3 actos, original hespanhol dos distinctissimos
dramaturgos DD. L. Zorilla o Zappata, intitulado
0 COLLAR DE ORO
i:\oni\i(,:io DOS actos
1.O martyrio de urna mai. t .
2.A desordem no lar.
3."Arrependimento e perdao.
PERSONAGENS
D. Luiz de Medina. .
Elvira; sua esposa .
Lydia, sua filha ......
D. Fernando de Lata
Flix, o engeitado .
Um criado ....
EPOCHA 1640
Guarda roupa novo e luxuoso
MISE-ES SCB5IE DO CLUB DRAMTICO FAMILIAR
|' lll>| '
t.a parte
Terminar o espectculo com o bellissimo monologo ^dramtico, denominado
OS VOLUNTARIOS DA NORTE
recitado pela Ilustre e intelligente actriz, D. ROSA MANHONCA.
A. de lloraos
D. Rosa Manhonga.
D. Honorina.
' - R Ferraz.
L. Cirne.
N. N.
-SSSJ

Os bilhetes que estSo impressos com 0 titulo do dramas JEtumus do Cas-
teo Negrotecm ingresso nesto espectculo.
O espectculo terninar a tempo de serem aproveitado6 os bonds para todas
a lianas.
Harer trens para Apipucos e Encruzilhada de Belm tocando em todos 0d
pontos em que houver passageiros.
Nos hitervallos a excellente banda do corpo de poUcia executar lindas pegas
musicaes do sea vasto repertorio. ,
O resto dos bilhetes acbam-se venda no dia do espectculo na bilheteria do
Theatro.
A beneficiada em um dos intervallos, ir aos camarotes agradecer s familiar
que se dignaram honrar a esse beneficio.
Principiar s 8 horas.
i. '.
aproveita o ensejo para agradecer a todas as pessas que s
A beneficiada
DECLARAGOES
'

A commissi encarregada da eonstruegao
das obras do edificio da Faculdadede Direito do
Recife. convida os proponentes ao fornecimento
Je pedra em blocs, para assistirem a abertura
de suas propostas amanba ao meio dia, no pala
ci do sroverno.
Recife, 8 de Ootubrq de 1889,.
G. Tbaimaturgo de Azevedo.
Admlnlstraeio dos Crrelos de
Pernambuco. 1 de Outubro
de 1889.
Relagao da correspondencia registrada (sem va-
lo que existe n'esta repartigao, por nao tc-
rem sido encontrados seus destinatarios.
Antonio Cardoso Pinbeiro.
Antonio Luiz Perreira.
Antonio do Prado Lopes Pereira.
Antonio Gslisto dos Santos.
Adriano Hinbaqui.
Alvaro Joaquim Cordeire.
Augusto Ewerton e Silva.
Auus o Chaves dos Santos.
Candid llana da Encarnagao.
Carmela Peeci.
Fortunato los da Silva.
France ina Mana da Conceigao.
Gervasio Rodrigues Costa.
Henriqueta Mara Wanderley.
Josepha Mara da Conceigio e Silva (i).
Jos Silveira Costa Graga.
Jos Eusebio de Carvalbo Oliveira.
/os Lina de Albuquerque.
Jos Joaquim Barbosa Jnior.
Jos Pereira de Lima.
Jesuina Rusa do Nascimento.
J C. Rohu
Joo de Souza.
Joo CarlJi Bandeira de Mello.
Joio Rodrigues da Silva.
Joaquim Osar de Araujo.
Joaquim Ros de Moura.
Joaquim Campos Uuimares.
Joaquina F. Monteiro Beltrao.
Leopolaina Ribeiro Barros Lima.
Luiz Cirne Lima.
Louis Fortn.
Marie Tbomas.
M-ria da Penha da Conceigao.
Marianno rancisco de Oliveira.
Mreos Cohn.
Manoel Cabra! le Me'lo
Manoel Francisco de Oliveira.
Manoel Rodrigues Bezerra.
Olindioa Pire* de Oliveira.
Sebasfiao Pereira Pinto.
Uldarico Pereira do Lago.
Vicente Anastacio do Espirito Santo.
. O 3' oficial.
Barru Compeli.
Secretarla da ln*trurcao Publica'
5 ele Outubro de tSSO
.Restric^ao de praso
N. 121.Fago saber, de ordem do Sr. Dr. ins-
pector geral, a professora Anna Elisa de Olivei-
ra Barros, que tendo-se verificado na occasiao
de notar se o despacho laigado em sua petigo
de 28 de Setembro 8n das de prorogagao de praso, pira cotrar no
exercicio da cadeira de Una, para a qual fra
removida, que j se lhe havia concedido o dito
praso, fica pela presente restringida a proroga-
gao a mais 30 dias sement, de accordo com o
art. 3. J 15 do regulameuto vigente, que deve-
ro ser contados do dia em que expirarem
aqueles sessenta.
0 secretario,
> Pergentino S. de A. Galvao.
S. R. M.
Sesso de posse
De ordem do Illm. Sr. presidente, convidos
senbores socios eleitos a coraparecerem domin-
go,. 13 do corrate, sede social, atim de serem
empossados de seus cargos e bem assim aos
deraais socias, alim de gosarem do aro que
offerece a directora que lindou. ,
Fago sentir aos seuhores socios que o fue
coostitue ingresso para esta partida o recibo
do mea de Outubro. Podero desde ja os se-
nbores intere8sados proenrarem sena mgressos
na mao do Sr thesoureiro
Q*r*poTTri .vTOTlivn Mnci/ifuip
dignaram fazer o favor acceitar bilhetes, pede desculpa do adiamento de seu benefi-
cio, de vi do a forga maior, c roga s mesmas o obsequio de deizarem a esportyja dos
bilhetes, com seus nomes declarados, pessoa encarregada do seu beneficio que se
achara no Theatro d'aquella noite, cm vista do seu mo estado de sade nao perm:-
tir ir a cada um de per-si receber, confessando-se mais urna vez agradecida.
A todas as pessas que cooperaram para a realisagSo do seu beneficio, a be-
neficiada confessa-se penhorada e agradecida, muito especialmente aos incansaveis e
bondosos mogos do Club Dramtico Familiar, a S. Ese. o Sr. presidente da Provin-
cia, ao Exm. Sr. Dr. Jos Mariano e sua Exma. senhora, aos Illms. Srs. tenente-
coronel commandante do corpo de polica, gerentes das compannias de Trilhos Ur-
bunos de Casanga e 01 inda da Empreza do Gaz. *
'Segunda praca
Pela inspectora desta Alfandega se faz pu-
blico qne s 11 horas do dia 9 do corren te mez,
ser arrematada em praga, aporta desta re-
partigo, as mercadorias abaixo declaradas :
Tres caixas, marca WA ns. 101/3. vindas
de Hamburgo no vapor allemao Argentina, em 3
d Setembro ultimo contendo papel de embru
Iho, pesando liquido legal 510 Kilogrammas,
abandonadas aos direitos por Ferreira Rodrigues
AC.
3. secgo da Alfandega de Pernambuco. 5 de
Outnbro de 1889-0 ebefe,
Domingos Joaquim da Fonseca
Companhia Locomo-
tora Pernambucana
AaMseaabla aerai
De conformidade com o art 14 dos estatutos
desta companhia, convido aos seobores accio-
nistas a reunirem te em assembla geral no dia
8 do prximo mez de Outubro, ao meio dia, no
pateo do Carmo n. i, escriptorio, para lhes ser
apresentado o balango e mais documentos refe-
rentes ao estado da companhia, e resolver-se o
meibor soDre assumpto de interesse da mesma
companhia.
Recife, 24 de Setembro de 4889.
Andr M. Pinbeiro,
Secretario adboc.

Oorreio geral
Malas a expedir-se hoje
Pelo vapor brasileiro Alagos, esta adminis-
tragao expede malas para os portea do norte,
recebendo impressos e objectos a registrar at i
horas da larde, e cartas ordinarias at 3 horas
oa 3 1/J com porte duplo.
AdiDin8trago dos Correios de Pernambuco,
8 de Outubro de 1889.
O administrador,
Alfonso do Reg Barros
Posse de cadeiras
i
Secretarla da in*irnwa< aoblica,
de Outubbro de 198
N. 120.De ordem do Sr Dr. inspector geral,
fago sciente a Francisco Thcotonio Pereiaa da
Costa, Antonia Romualdo Pessoa de Mello, Ma-
ra Honona de Freitas Sampaio e Anna Umbeli-
n* de Miranda, nomeados, o I.*, professor pu-
blico effecti vo da cadeira de Mimoso ; a 2.', para
a cadeira mixta de Camossim, em Becerros ; a
3.a, para a de Boa-Vista e a 4., para a de. Lage-
do; qne ibes fica marcado o praso de 60 dia?,
a contar das datas dos actos da presidencia da
provincia, para tomarem posee e assumirem o
exercicio de suas cadeiras.
. Servindo de secretario,
M. T. de Araujo Saldanha.
MARTIMOS
United States and Brazil
RS.S.C.
O vapor Allianca
E' esperado dos portos d
sul at o dia 10 le Outu-
bro o qual depos da de-
mora necessana seguir
para o
Para, Barbados, S.
Hartlralque e \ew-
llaraoho.
Thomaz.
York.
Para carga, passagens, eacommendas
aheiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8i2ua do Commecior8
1' andar *
e ai-
Banco de Pernambuco
Capital s.ooiOOO*ooo, com rmU-
a*, sendo o irn fundo, metallico
esa aeeoea de *OOOO0.
Este eslabelecimento tem boa parte de seu ca-
pital subscripto, e, de accordo com o Exm. Sr.
Viscondede Figueiredo. fundador do Banco Na-
cional do Brazil no Rio de Janeiro, ficart xtincta
ial daquelie nesta praga, logo que eslejafun- j
dado o Banco de Pernambuco.
Adentradas sao de 5 % no acto da subscrip-
go,X% quando for annnnciada a assigoatura.
As "subsequentes entradas nao podero ser
maiores\de 13 % com intervallo nnnea menor de
60 dias. \ *-
A subscripgao est aberta na caixa do Banco
'Nacional do Brazil desta praga at o dia 15 de
Outubro correte, se antes n5o se aebar pre-
enchida.______________________________-
Thesouraria de-Fa-
zenda
Conversao dos titnks da divida externa
Em comprimento de'ielegramma do Exm Mi-
nistro da Fazenda de hole, fa< o publico que pro
cede-se em Londres a cbpversao dos ttulos da
divida externa de cinco or cento em ttulos de
quatro por cento, a noven, com os descontos
de antecipagao que reduzemlo prego da emissio
a oitenta e oito e meio, podre- mais ou menos,
devendo o novo emprestimo \ittinguir-se dentro i
IS-TSr as
Companhia Bahiana de Na-
vegacao Vapor
Macei, Villa-iova, Penedo, Araca-
j, Estancia' e Babia
O VAPOR
Principe do Gao-Para
Commandante Lacerda
E' esperado dos portos cima
at o dia 12 do correte, e de-
pos da demora do costume re-
__________lres8ara para os mesmos
Para carga, passagens, encommendas e diohei-
-o a frete trata-se com o
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Viga*io- 17
Pacific Steam Navigation
Company
STRAITSOFld^GELLAN LB
O paquete ruca
Espera-se do s
11 do correte
depos da demoia do
me para Liverpool p
de cincoenta e seis annos
dados os possu dores de taes'
rar se acceitam ou nao a com
necessarias communicagOes
lhos em Londres, por meio di
nroxima. 9 do
dos
polici
to, fa,
tothi
. eiro a freie: trata-se com 03
Uil.iin Vitn*.
*pec
\ i
i






:1
I



^mandante Pereira
Segu no dia 8 de Setembr s
i5 horas da arde. Recebe car-
at o dia 7.
r las, passagens e dinheiros a frete,
at a 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRCPTORIO
Ao Cae da Companhia Pemambueana
n. 12
Raya] Mail Steam Packet
Compaay
O vapor Elbe
Ctmimandante Armstreng
m
Esvere-se d _
Outubro, seguiud
. aleo dia 11 de
lepois da demo-
. 'ra do costme para
arelo. Btala. Rio J__el_
les,Montevideo Bueno*
Arres.
Para passagens, frotes e encommendaB trata
materi
o perita-
uima-
3.
e somos
O
Tagua
lommandante P Rowsell
E' esperado do sol no dia 13 de (ta-
tabro, .seguindo depois dademora
necessaria para
>, Vigo, Santhampton e Antuerpia
Reducqao de passagens
Ida Ida e volt a
A' Lisboa 1 ciasse 10 30
A' Southampton ciasse *-**
Camarotes reservados para os passageiros de
peroambuco.
Para passagens frotes, encommendas, trata-se
COBOS
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
CHARGEURS REUNS
Companbia Francesa
DE
Mavegaeao a vapor
iba quinzenal entre o Havre, Lisboa,
Peroambuco, Babia, Rio de Janeiro e
Santos.
O vapor
Vile doCear
Commandante Lainey ,
E'esperado da Europa at o dia 9
de Outubro, seguindo depois dain-
dispensavel demora para a
Babia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelee
vapores desta linha, queiram apresentar dentro
te 6 dias a contar do da descarga das al varengas
aaalquer reclamas; ao concernente a volumes que
por ve o tura tenham segaido para os portos do
aai afim de se^poder dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
onsaDilisa por extravos.
_ ja carga, passagens, encommendas e di-
Eeiro a frete: trata-se com o AGENTE.
Ville de Santos
Commandante Tauquery
Espera-se dos portos do sol at
o dia 10 de Outubro, seguindo
depois da indispeosavel demora
ara o Havre tocando em
Entrar no porto
Condnz medico a bordo, de marcha rpida
C cueree*- txrellentes commodos e ptimo pas-
sadio.
As passagens podero ser tomadas de ante-
Recebe carga, encommendas e passageiros
para os quaes tem excellentes accommodaces.
Para carga, passagens, encommendas e di-
naeiro a frote : trata-se c*nn c
AGENTE
Angiste Labille
9-RA DO COMSERCIO-9 '
rra-felra S de Outubro
A's 10 e 1\2 horas
O agente Guarni, autorisado por mandado do
lm. Sr. Dr. jai do commercio, a rquerimento
lo Dr, onradorzhacai da mesma massa fallida de
>. Mara Amelia da Cunha, far leilo da grande
3 importante fabrica cima mencionada, penen
iente a referida massa fallida.
Os pretendentes que quizerem examinar a dita
,'abnca podero entender-se com o mesmo agen-
te ; garante-se o predio ao comprador da fabrica
lita ra do Hospicio. ______
Grande e variado
Leilo
De bons movis, finos crystaes, quadros, espe-
Ihos, objectos de electro pate, livros, candiei-
ros a gaz, vinhes, jarros piara flores c um fogo
de ferro grande.
CONSTANDO DE :
Sala de entrada
Urna mobilia com 1 sof, 2 consolos. 2 cadei-
ras de bracos e 12 de guarnieo, 6 quadros,
4 jarros para flores, 1 mesa de chao, 1 espe-
Iho oral, dourado, e 2 canaieiros a caz.
Sala de visita
Um piano forte de Blonde), I cadeira para o
mesmo, 1 espelho oval, dourado, 4 quadros com
finas gravaras, 4 figuras de biscoitos, 4 casti-
Sies e mangas, 2 candieiros a saz, 4 jarros para
ores, 2 escarradeiras, i mobilia de Jacaranda
com t sof, 2 consolos, 2 cadeiras de bracos e
12 de guarn gao.
Quartos
Um guarda-vestidos, 1 commoda e secretaria
com oedra, 1 lavatorio, 2 camas francesas, mar-
quezas, 6 cadeiras de junco, 1 bastidor, 6 etage-
res, 2 bancas e guarnicOes para lavatorios.
Sala de jantar
tima masa eiastioa, 1 guarda-louca, 2 appara-
dores com armarios, i guarda-comida, 12 ca-
deiras de mogno, copos para agua, louca, vi-
dros, mesa de cosinba, trem de cosinba em p-
timo estado, (novos) bajas e i fogo de ferro,
grande) com chamin.
Objectos avalaos
1 espingarda de Fioher. 1 sellim, 1 silhao, 6
bancos para elasse3. 1 escada, 1 banheiro de
cho viseo, i mesa oval, I linda mesa elstica *
1 tapete de centro de sala.
Terea-felra, de outubro
Agente Pinto
Na casa grande da ra .do Visconde de
Goyanna n. 56
O leilo principiar
A's 101|2 horas
Aloga-sp a referida casa, a qual tem commodos
para grande familia, agua, gaz, cisterna e gran-
de quintal (sitio). ^^^^
_e neos movis e oojeetos ce gosio
grande valor
Urna rica mobilia de Jacaranda, com
botida em pao rosa, com assento e <-
estofo de damasco. 1 mesa grande de Jacaranda,
com mais. de um seculo, 1 dita redonda com
Dores douradas, com ps de alabastro, tumben)
muita antiga, jarrn antigos do Japo e cbinezes
eapelhos. ricos quadros, objectos de churSo, eta-
geres, figuras de biscuit, apparelhos decobre en-
'.rustado de prata, de Gorham, figuras de bronze,
ricas gravuras, tapetes, passaros empalbados,
ielles, jardiceiras, apparadores, 2 ricos guarda-
nucas e guarda-vestidos, mesa elstica, commo-
das, cadeira de guarnieo, urna mobilia com-
pleta de pao carga, camas, cabides, diversos
objectos de electro pate e urna innnidade de
objectos de arle, que eslarao vista dos Srs. lici-
tantes, no sobrado cima.
Leilo
Do sobrado de 2 .indares e sotao da roa do
Rangel, o qual rende 1:300*000.
Um dito de 2 andares, todo rodeado de janellas
roa imperial, com portoes di ferro, gradea-
ment de ferro, quintal grande com sabida para
a via-ferrea de S. Francisco, rendimeoto annual
9004000.
lulnla-felr t. IO do corrate
A's 11 horas
Agente Pinto
No armazem da ra do Bom Jess n. 45
raxa erabexigas
"ni <|ualqu' o Corpo San-
COBftMS DI C41T4S
francezes, os melhores que
teem viodo para o nosso mer-
cado, de loo folhas a l#4oo,
de 2oo ditas a l|6oo, de 25o
ditas a !2$ooo, de3oo ditasa
2$>5oo. de 5co ditas a 3$ooo,
de mo ditas a 3|5oo, de
l.ajo ditas a 4|5oo, forte
(klernagao de couro e pan-
no na
. RAINHA DAS FLORES
lia do Baro da Victoria n. 41
Leilo
candi-
De urna grande factura com liabas
eiros a gaz e jarros para flojsjy
10 fardos com papel de impresaSo.
6 caixas cem papel para cartas.
4 ditas com enveloppes grandes.
1 dita com couros de bazerroe pequeos.
9 ditas com louca esmaltada.
r dita com um variado sortimento de lan-
ternas para carros.
2 ditas com selins e pertenece.
4 pecas de castor encorpado e outras mer-
cadoras que esto patentes.
No armazem da ra Bom 'Jess n. 45
QuJnta-felra lo do correte
O agente Pinto levar a leilo por liquidaaao
e para fecbamento le conta, muitos e diversos
artigos de le, que sero vendidos ao correr do
martello, sendo que, dito leilo eomecar s 10
horas em ponto, por serem muitos differentes
loles e de ter de effectoar s 2 horas um ontro
leMao de predios.
De um cofre prova de fogo de Minas, 2 balan-
cas decimaes de 750 kilos cada urna, 1 dita de
rodas, 1 terno de pesos at 200 kilos. 2 divisoes
de balaustres do amarello, 1 carteira grande, 1
dita menor, 1 prensa de copiar e i estante para
carteira.
Quarta-feira 9 do corrente
A's 11 horas
Por intervengo do agente Gusm&o no arma-
zem n. 32 da roa do ApoHo.
Companhia Bf asileira de
Npaegacao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Maranho
Commandante o eapi tao de fragata Pedro
Hyppoljto Duarte
E' esperado dos portos do norte ate
odia 14de Outubrodepois dade-
.mora indispensavel segmr para o?
'portos do 8ul.
As encommendas sero recebidas no trapiche
Barbosa at 1 hora da tarde do dia da saluda.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
res rata-se com os AGENTES.

PORTOS DO NORTE
O vapor Pernambuco
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
^m E' esperado dos portos do sol al o
[jVks. da 17 de Outubro e seguindo depois
g'da demora indispensavel para os
bboHIbV portos do norte ate afanaos.
As encommendas s6 sero recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se catn os
AGENTES
Pereira Cameiro*&.C.
6*3eRuo. do Commercio=6
lo andar
LE1L0ES
Terca-feira 8, deve ter lugar o leilo de
ovis, (005a, vidros, Jarro, espelhos e mais ob-
jectos existentes na eisa da ra Visconde de
Goyanna n. $$, propriedade da Ex:. Sra. D. M.
Jacobina. ...
Quiata-fetra 10, o de urna grinde facinra
de papel, enveloppes, lanternas para carros, fer-
rageos, jarros e couros no armaiem da ra Bom
Jess n. 45. -
A's 2 horas da Urde, leilo de hons predios.
Agente'Silveira
Leilo
De terreno, quarta-feira, 9 do corrente, s 11
horas, no armazem roa estreita do Ro-
sario n. 8
O agente Silveira, por mandado e com assis-
tencia do Exm. Sr. Dr. juiz de orphos, a r-
querimento da inventarame de Mana Leopoldi-
na da Costa, levar a leilo um terreno a roa Im-
perial, freoezia de S. Jos, desta cidade, com
alicerce para edificar, com 7 metros e 3 cent-
metros de frente, 17 metros e 79 centmetros de
fundo, o qual terreno tica contiguo s casas ns.
316 e 318.
Leilao
Da chcara dos Affiictos, n. 33, em frente da
entrada do chalet do Sr. Wighas Maia, perto da
estaco do Entroncamento, com excellente casa
de vivenda. com boas acommodacos, agua,
gai, com grande sitio arborisado, com viveiro.
Qaarta-felra, todo corrate
As II horas
te Pinto
No armazem ra dvBom Jess n 45
Agent
Leilo

Leilo
Dos gneros, armacao envidracada, balan-
ca, pesos e medidas da taverna sita
ra da FJorentina, boje Jo2o do Reg,
n. 32.
Qaarta-felra, 9 do correte
A's 11 horas
O icilao ser effectuado no armazeai ra
do Imperador n. 39
O agente Stepple, por mandado e assisteocia
4oExm. Sr. Dr. juts de direito de orphos, a r-
querimento de Antonio de Souza Duarte Ferreira,
inventarame dos bens do finado Hernardino de
Souza Dnarte, levar a leilo em um s lote a ta-
verna cima ; garante-se a chave da casa. Os
Srs pretendentes podem desde j examinar o
dito estabelecimeoto ; o balanco acba-se em no
der do mesmo agente no armaiem cima.
Agente Pestaa
Leilao
Da massa fallida do finado Manoel Ro-
drigues da Silva
Quarta-feira H de Outubro .
A's 11 horas em ponto
No stabekcimtnto de ferragens, sito ra
Duque de Caxias n. 79, outr'ora do
Queimado
O agente Pestaa, competentemente autorisado
por mandado e aasistem ia do Exm. Sr. Dr. juiz do
commercio vender a armaco, ferragens, ir.e-
taei, cofres prova de fogo e lodos os mais objec-
tos pertenceutes referida massa, em um s
lote ou retalff'lamente ; garanundo se a chave
a Ifnem comprar o referido estabelecimento.
Leilo
Leilo
De nm importante buhar e pertences, momitas.
quadros, espesaos, apparadores e outros mui-
tos objectos que vieram de Bebenbe parao
grande araaiiem roa do Bario da Victoria,
n e ordqp do Sr. Joo da Silva VilU-
rca-f eir. 8 do correaje
I horas,
Iiarao dr, Victorian. 59
9 autorisado
os movis
admites po-
Da fabrica Cajurobeba, constando de prensas,
depsitos, preparados j promptos, vasilhames,
10 pipas com extractos de jurubeba, caualisaco
e todos os mais pertences.
Qulnia-reira O de Outubro
A's 11 boras
0 agente Gusmacsoutorisado por mandado do
Ulm. e Exm. Sr. Dr. jniz de direito do commer-
cio a rquerimento do Dr. curador liscal da mas-
sa fallida de D. Mara Amelia da Cunha/ far leilo
da bem montada fabricarle Cajurubeba, perten-
cente mesma massa fallida, cuja fabrica sita
ra Luiz do Reg. ,
Garante-se a casa ao comprador; est avaha-
da am 1S: 187*800.
Os pretendentes >qoe qnizera'.n examinar pre-
viamente podem en tender- se/om o agente.
Lei
10
De movis
, louca, 1
de casa
os 0 mais objectos
familia
lulaU-frlra, #qdo corrate
A's M horas
No 2.aiUaro$o6rsfm. 7daadaIperatriz,
em quemorou o to.fmoJttie BadashkUo
Asente M 3. e ultimo leilao
Do sobrado de um and*r e sotSo n. 38 da
ra do Dr. Joaquim Nabuco, outr'ora
ra da Ventura na C'apimga, justo
ponte da estrada de ferro
lui nta-f eir IO do correaite
A's 2 horas da tarde
O agente Pinto levar novamente e pela ultima
vez a leilao servindo de base a maior oferta
obtida no segando leilo a casa e sitio com solo
proprio pertencente ao acervo inventariado de
D. Candida Senborinha Vieira Lasserre, isto por
mandado e em presenca do Exm. Sri Dr. jniz de
direito da provedoria de capellas e residuos, s
2 horas da tarde no armaiem dama do Dora
Jess n. 45, por occasio do leilo de outros pre-
dios.
Leilo
Dos gneros, armacao envidracada, cofre
prova de fogo, balanca, pesos e medi-
Olinda
r se orna boa e, fresca casa em Olinda, i
le. Bento n. 69, com grande quintal plan-
udo, e limpa ; a tratar na ra Velba 11.109.
A. quem interssar
Urna peesoa habilitada offerece-se para ser
eipregadh como criado aqni nesta provincia on
fra dala, e dar provas de sua condnrta : a
entender-se na pbarmacia do povo roa do
Rangel n. 34. _____
Attenc.o
O cnsul de Portugal tendo visto annunciado
no Diario de Pena/muco de 37 de Setembro pr-
ximo passado. pelo agente Brito, e por ordem do
Dr. juiz de direito de provedorias e atrequeri-
mtnto do Dr. promotor de capellas, a venda de
nm terreno pertencente ao patrimonio da irman
dade de II. S. da Boa Viagem (Afogados), decla-
ra que esse terreno aforado ao*espolio do ti
nado Manoel deCarvalbo Moura, do qual tem
dito espolio a posse e tem pago os resoectivos
fraes ; declaraco que faz o mesmo consol na
qualidade de administrador do espolio referido
e para que seja aquelle direito mantido.
VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sob bases cientficas
e physiologiea* para o fin de
beneficiar os cabellos, restaurar
a c6r, impedir a queda, e promo-
ver seu vico e abundante cresci-
mento.
Esta apurada e excalltat* sreparacio,
sem duvlda o melhor nsmcIo atl sois
conhecido para os difieren tfelt da
cabcUadnra, mereee a Inahna atten^to a
todas as pessoas que tem tido a Infelici-
dade de perder em parte este mais rico
ornamento natural da fBysionomia.
Com o sea emprego mtelligente tem-se
conseguido resultados jlataente sorpren-
dentes. Em multoafeasas, poam nao
sempre, a propria calvicie tem sido curada
permanentemente.
Sempre se consegue lazer parar a queda
dos cabellos; emquanto que para opentea-
tto das senhoras, o objecto mais til
mais agradavel que se pode empregar.
PREPAKADO PELO
DR. J. C. AYER & CA.,
liowell. Masa., Est.-TJnidos>
1 A' venda as lojas de armarinho e per-
nunarias.
DEPOSITO GERAI ( ,
Boa casa
Aluga se a casa n. 39 roa General Sera,
antiga do Jasmim, c m sotao, 4 quartos, 3 salas,
e perfeitamente limpa, preyo mdico; a tratar
na mesma roa n. 31._____________________
Attenc,d da polica
"So dia S de outubro desappareceu um menino
com 8 annos de idade. muiatinho, seco do cor-
po, com camisa e calca velba, um chapeo de
palha, velbo e sem abas ; mora va na roa des
Ossos n. 3, tem na cabera falta de cabellos, de
impingem : qnem o tiver em sen poder leve-o
roa Bella n. 45. O menino cbjama-se Joo.
Cosinheira
Precisa-se de urna ama para cosinhar ; a
tar no Caffiinho Novo, defrontc da estago.
Aluga-se urna casa terrea perto do Sobrado
j ci__i Grande da estrada da Torre, est eaiada e pintada,
das da taverna sita ra da *lorentma^ tem p0fUl0 iado ^^^ C0I bQi agHa e ba.
boje Jo5o do Reg, n. 2. nheiro : a tratar na roa Imperial n, 41; as cha-
4|liin(a-feira. i O do forrate ve-esto Do poder do Sr. Flix,-Hotel da Passa-
A's 11 horas g-
O leilao sera effectuado no armazem da
ra da Imperador n. 39
0 agente Stepple, por mandado c assisteocia
do Exm. Sr. Dr. jniz de direito de orphos e
ausentes, a rquerimento de Antonio de Souza
Duarte Ferreira. inventarame dos bens do tinado
Bi-ruardino de Souza Duarte, levar a leilo em
um s lote a taverna acuna; garante-se a chave
da casa.
Os Srs. pretendentes podem desde j exami-
nar o dito estabelecimento ; o balanco acba-se
em poder do mes no agente, no armazem cima.


AVISOS DIVERSOS
- Aluga-se para passar a festa nma casa boa
para familia grande, muito perto da estaco, a
margem do rio, no Ambol, freguezia da Varzea,
a qual tem a frente pintada de vermelbo, e de
forma ch.ilet, est limpa ; trata se na mesma
em qualquer dia, que achara com quem tratar.
Alnga-se cu vende-se por estes dias, o sitio
e casa a estrada Joo de Barros n. 11, em frente
estaco do Espinbeiro. assn como o sitio e
casa no 3 be ce o do Pombal n. i ; a tratar
com Vctor Neesen, no caes do Ramos n. 4.
Alnga-se o segundo andar roa da Roda
n. 17, com grandes commodos, em bom estado
de conservacao ; a tratar na ra do Rangel nu-
mero 65.
- Alujase a toja com armacBo, o 2- e3-
andares da roa da Imperatriz n. 6 : a tratar na
ra Matriz da Boa-Vista n. 18, 1- andar.
Precisase, com urgencia, de boas costn-
reiras no largo do Arsenal de Marinba n. 2.
Precisa se de nma ama de meia idade, para
comprar e cosinhar o diarto de urna casa ; na
roa Velha n. 38.
Sr.
Tendo se desencaninnado do poder de
Jos Victorino de Paiva um coobeoimento de
quitaco, passado pelo Thesouro Provincial, na
importancia de 47421, referente a obra dos r04L r>
paros da ponte sob o rio Coruja, roga se a quem 1 O
o achou, queira entregal-o ao annuncianto.
Vende <>e duas partes d o~ en gen ho Poni
da Cal, era Olinda, no valor de 6:006, 00 per
muta-se por casas no Recife oti sitio em Beberi-
be, junto ao rio ou eni ou'ra qualquec,.parte,
perto de va frrea do Recife ou Olinda, muito
bom para estabelecimento de colonos ou inmi-
grantes por ter muito terreno para plantoces
muito frtil para ludo que lavouras e caimas,
bon para en^anho central por estar perto da
Eraca, tem grande pedreira para fabrico de cal,
om barro para tijoio e telba, matas para leutia.
muito bom para pasto para burros, bodes e para
criaclode ado, que onie se t-ustenta agran-
de porgao que tem em Olinda ; trata se na mes-
ma cidade, sitio defronte da igreja de S. do
Guadalupe.
Vende-se diversos kloski em oons ponti
e bem afreguezados : a tratar na ra do Ros.
da Boa Vista D. 13.
O abaixo assignado, trndo comprado a s.
irmo Manoel Fernn des Salsa o negocio de mo
Ibados e miudezas, existente nesta cidade,-bem
jomo todas as dividas de que credera a dita
casa, cotnmnnica a todos aqu lies com quem a
casa tinba transaegoes, que ella continuar do
mesmo modo, sob sua gereaejLfgosae.
Cidade de Limoeiro, 3 > Jo; Fernandos Bal -
Garantia do lar domestico!
keroiene laiexplolvo ver-
, daaflelro
que vendem pelo commodo preco de 44000 nma
lata com 25 garrafas f I fluimares & Valste,
Corpo Santo n. 6. ^^____^
0 un
portado
do es
torna
saber no1
como e,
as seguin
de vino
bacoas
ornis
aolbos
O graade e importante estabelecimento <
PocaaMefdes & C, sito roa estreita do Rosa-
rio n. 9,'lrT.tisuo a igreja, acaba de rec ebe
urna graaie remessa do acreditado e etpeciat
I Vinho Maduro
que, sem a minima confeceo, ilu-
te mercado, e s se vende o referi-
imento. Este precioso nctar se
vez mais procurado aqu. Qnerem
? Vejam : o vinho Maduro, sendo
to nicamente da uva madura, tem
?antagens que as outras qualidades
tem ; facilita sem a menor pertur-
es do estomago, ainda mesmo
acido, dando-lhe vigor, pois nutre
as pessoas debilitadas, ed forcas
s que as tiver armiadas pelo uso de bebidas
viciadas.
Recebemos tambem
Requeijao
em latas, de procedencia de engenhoa, cujoe
proprijBrios capricham em bem trablbar ueste
artigo, nm de terem a primazia sobre tanto;
outros similares, cuja composico dnvidosa.
Em outros artigos como sement de hortalieo
e flores, lingual seceos do Rio Grande, objectos dt
rime e tmemeos do Porto para homens e senho.
ras, para isto to ponco temos competidor.
Bossa casa especialista, e as pessoas que disto
se queiram certificar podem comparecer, com
o que muito nos honrarao. Aps urna mni
dade de artigos de primeira ordem, que acbam
se em exposicfio, acresce a amenidade do trate
com que timbremos tratar todos os que nos
bonram coa a sua presenca, junto a modicidade
de preces sem rival.
Boa eatreUa do Koaario n. Junt*
* ian-ju
Mendes & C.
Pa^n criado
No sitio n. 5 da estrada de Joo Fernandet
Vieira se precisa de nr menino de 10 12 an-
nos, para criado e copeiro. ________
O correspondente da Cxazeta
de Noticias* Provincia
O publico deve estar inteirado do que pnbti-
con a Provincia com relaco aos telegrammas
dirigidos pata a corte, ignora porm que
Alvim db Chance
receberam cortes de vestidos de voile bordado-:
a seda
Leques de penna com palnetas tartaruga.
Novos modelos de collariohos.
Meias de seda para homens e senhoras
Camisas de lanella pelie de ovo.
Ar.vim A Chance
RA PRIMEIRO DE MARCO N. 19
Cosinbeiro
Preclsa-se de nm cosinheiro ; a tratar na ru
de Paysand n. 19 (Passagem da Magdalena).
Attene,o
Aluga-se a loja da roa do Bario da Victor
n. 59, onde fora estabelecido Emilio Soares, ten
do o pretndeme preferencia no 1. andar de
mesmo predio: a tratar no 2.a andar, dos 9 bo
ras ao meio dia
Cerveja saudavel
A LA ROSA ALEMANA nio contm cidos
Diversos attestados de cbimicos e mdicos jus-
tf^ltjticam que a cerveja marca MOCA LA ROSA
I ALEMANA um soberano alimento' Os atiesta
dos ficam a disposico do respeitavel publico
Tem venda, em grossD Machado & C, ra de
Vigarlo n. 9. a retalho ; Albino Fernandos* C.
roa Mrquez de Olinda n. 2; Jos da Costa Ca
seiro 4 C, ra da Cruz n. 13 ; Ramos Ferrein
& C, ra Mrquez de Olinda n. 50; Lopes s
Araujo, ra do Livramento n. 38; Vasconcellos
Sobrinho & C, ra da Aurora n. 81; Pocas Meo
des & C, roa estreita do Rosario n. 9 ; Manoe
Joaquim Altea Ribeiro C, travessa das Cruze-
d.66 e Pereira Ferreira & C, roa do Imperador
n. 40.
Sement de carrapato
Compra se em grandes e pequeas quantida
des e pelo nraior meq > ,< s-ivei no n>azer
de mercearia de Gome' A>e- C ma Vid.
de Negrei.-*.!'n. ^6 aiii''' i>-'" do Terco, o
na fabrica de leos 'u *> *ru< da Auror
namero i63.
>" ^jiorro a
...-, paga-i/
r. 3t. loja d
Cailellas do ios?.. '%mm
Compra-se cautellas .- -
qualquer ioia, briiliai
bem na Praca da bid
relojoeiro. ^^^^^
Para eoxiakar
No 3.a andar do prdn> 42 da MU
Duque de Caxias, por cuna do Diario d
Pernambuco, precisa-se de urna ama qm
saiba cozinhar bem.
Atten Aluga-se urna casa propria para estabelec:
ment, com armago, em um dos melhores pon
tos da freguezia de Afogados, a qual acaba dt
passar por urna grande recticaco ; a tratar ni
pateo da Paz n. 96.
O abaixo
firma Hi
esiabel
Olinda n.
rom o m
em diante,
para a pbui
o fabrico do:
tro --contiul
a sar na drogara
eo eaoxom-
^ercio .j
), nico rasaonsavel ^pela
a Pereira fL Soociea-
pharmacia ra Harfuez
ublico que resolveu acbar
ima pbarmacia desta data
faz s.:iente, que mudou
praga do Conde d'Eu n. 19.
irado -elixir de cabega de ne
porm, o resoectivo deposito
dos Srs. F-ancisco Manoel da
Se seflres porque qneres
USA E CONVENCEB-TE-HS
CURA RADICAL
e
SEM DIETA
DAS
Molestias de pelle
SIPHILITlC.AS.
Darthros, sarnas, nieras antigs, im-
-ilta a C, 4 roa Mrquez de Olinda n. 23.
ecife, 1 ddfWtubro >: 1L89.
Anronio Marta Marques Ferreira
Boa Viacr(>ni
nesse arrabalde
34, botica.
Aluga-se nma boa casa
-~^"g im^wmq Bosario n
Sellara ingleza
Mudamos nosso
n. 9
-

Costureira
sMUsrt"
cimento de n. 1 para
da Victoria, pelo que
es.
Ferreira & C
l*n
tffen, bobas, gommas, cancros, rheuina-
tistro a morpha.
Oom os prodigiosos
XAROPE E UNGENTO
DE
Hydrocotile Calasans
ApplicacSo fcilUso sem perigoEf-
fetos promptos, dieta razoavel.
Contra Tactos oo ba argumentos
Estes remedios sao os mais commodos
do mundo. Envia-se gratuitamente, pelo
correio, direcjSea para uso d'estes medi-
camentos admiravej^.
Prego do ungento 1J800 o frasco.
Preyo do xarope 3(5000 ay^rrafa.
Preparados por Calazaa^c C. Phar-
macia Imperial, Babia. ^?
Deposito no Recife
Francisco Manoel da 9ilva & C.
Ra Mrquez de Olinda n. 23
^^^^^^^^^^^^^^HVsr "!
Em tempo
O Baro de Santa Cruz declara a quem possa
interessar, que o terreno Boa-Viagem, onde
assenta a sua propriedade Ihe foreiro perpe-
taalmente, e que sao de sua propriedade as bem-
feitorias earvores fructferas que nelle existem.
Faz esta dtctoraco para evitar dnvidas futuras.
Boa#occasio
mUdJ a Lanada-
0 MA,rS EXQDESITO
DO
Perfumes do Teusafer.
Perfuma o Corpo o
Vivifica a Meno
NO BANHO.
Superior a Agiia de Cok'
nia pela delicadeza de sell-
ronla e a durabilidae>de'
stu perfume
SO LENQO.
Precis se de urna ama que cosinbe bem e
que lave, para casa d? pouca familia, dando co-
nhecimento de sua conducta, ou aprenentando
sua caderneta de matricula', para servco e as-
sistencia interna ; na ra da Aurora n. 67, an-
dar terreo.
Ama
Precisa se de urna ama para cosinhar; nn roa
Nova o. 20, loja.
Ama .
Precisa-se de urna ama pan cosinha : na roa
da Palma n. 40.
agua,
n rtll-- n
Vf nde-se o hotel do largo do Panizo n. 31,
onnecdo por antiguiJade e denominado
\ ratao da

mr\ UAtivr\ de
Ama
Precisa se de nma ama qne t ngomme* com
perfeicio ; no largo das Cinco Pontas n. 128.
.I! II I I- .....
Ama
Na ra Mrquez do Herval n. 61, sobrado
precisa-se de urna ama.
m.
Ama
4
Precisa-se de orna ama para cosinhar. e qne
durma em casa : na roa dos Guararapes n. 94.
Ama
Para cosinhar, precisa-se ca ra Velha nume-
ro 137.
Ama
Precisa-se de urna ama que cosinhe bem. para
casa de familia ; a tratar na rna do Hospicio
numero 4t.

'
-
.<

Aluga-se*
a casa da roa da Amizade n. 40 (Capunga) con>
quintal e cacimba, e a de n. 4. na travessa da
fundico de Fra de Portas ; a tratar na roa Di-
reita n. 4o, sobrado, das 9 horas do dia s 5 da
tarde.


Alug
.
a-se
nma casa de pedra e cal junto estaco de
Agua Fria, na estrada do Beberbe, tendo 2 sa-
las, 3 quartos, cosinha. desuensa e banheiro,
no sitio tem diversas fructeiras ; a tratar na roa
dos Coelhos n. O.
\ luga-se
um excellente armazem e nm 2- andar com
muitos commodos e barato, ra Domingos Joa
Martins n. 126, um 2 andar e sotao ra Coro-
nel Suassuna n. 119 : tratase na pharaacia
Conceico, jnnto ao arco da Conceieo. no Be-
cife. __________________________m
Alugne barato
0 2." andar da roa Visconde de Itaparica n. 43.
Ba da Boda ns. 58 e 60.
Ra V is.-onde de Itaparica n. 43, armazem.
Largo do Mercado loja n. 11.
Becco do Campello n. 1, !. andar.
Visconde de Goyanna n. 167, com agua e
Loja do sobrado do becco do Calabonco n.
atxa Verde n. 3.
Visconde de Gt.yanna n. 163 com agua e gaz-
A tratar a ra di. Commercio n. 5, t anaar.
escriptario de Silva Ooimares te C._________
Cosinheira
Precisa-se de urna cosinheira para casa de pe-
quena familia ; a tratar na roa Duque de Ca-
xias n 77-A. loja._________________





t
Mara da SilTa Neves e sens filbos convidam
aos prenles e amigos de seu fallecido e sempre
lembrado filho Antonio da Silva Neves, para as-
sistirem as missas que mandam celebrar s 8
horas da manh do-da 9 do corrente, matriz
da Boa Vista, trigsimo dia de seu passamento ;
pelo que antecioam o sen eterno agradecimenta

que antecipac


Manoel Bes; de Olivelra Pino
nebon Bego de Oliveira Pinto e seo irmo Po-
libio de Oliveira Pinto, ainda ferid< s pela perda
da seu sempre chorado pai Manoel Bego.de Oli-
veira Pinto, mandam celebrar orna missa pelo
eterno repouso de sua alma no dia 8 do corren-
te; s 8 boras da manh, na igreja do Espirite
Santo, 5.* anniversario de seu fallecimento ; e
para assislir a este acto de religiao e caridade,
convida aos parentes e amigos seus e do nado,
confessando-se eternamente gratos.__________
I
T
- Mara Rita do Carino
Julia Mura Eulogia do Carino, anda ferida
pela pena de sua einpre chorada mi, Maria
Rita do Carnio, manda celebrar urna missa pelo
eterno repouso de sua alma, no dia 10 do cor-
rente, s 7 horas ds manh, na igreja da Santa
Cruz, 1- aaniversario do seu failecimento: e
para assistir a este acto de religiao e caridade,
convida aos parentes e amigos, confessando-se
eternamente grata._______________
t
Mara da Silva BapMMa
Joo Goncalves de Sousa Beiro (ausente),.
Victor Goncalves de Souza Beiro e Antonio-
Marques de Almeida, socios da firma Beiro *
Almeida, convidam aos parentes e amigos para
assistirem as missas do stimo dia da participa-
gao do fallecimento da sua mi e av, Maria da
Silva Baptista, que tero lugar no convento de
S. Francisco, na qulnta-feirk 10 do corrente. pe-
las 7 1/2 boras da manh, pelo que desde j
-ntecipam os seus agradecimentos a todos
aqnelles qne honrarem com suas presencas a
este acto de car_ade e de religiao.
rida
f
Fernando Ma*al_e* _a Silva
Antonio Maximino Vieua Lins agradece do
fundo d'alma a todos os amigos que se dignaram
acompanbar os restos mortaes de seu sempre
lembrado amigo Fernando Maga!caes 1
de novo os convida para assistirem v
stimo r
matriz dt
boras da
grato.



<&, J\jvgix\i& "VictoriteL, 0
PttOSP
Fhos&atia Calieres
constite um JLlixnento ompleto
mais agradaveis e de fcil digestSo. O seu emprego
preciosissimq para as creaiNjas, especialmente no 'momento em que
deixam de ser ainamentactys. A Phosph.atna Falires prevern a ftiarrha ocea-
sionada, a mor parte das vezes, pela mudan9a de alimentaujao.
Facilita a dentico, abo mi a fomiacao molida don 0900a, evitando ou prevenindo a doencaa
produxida pela ereicenca das fretica.
DEPSITOS -BTM" TODAS -A.S IENraXIs.AJOe SHLA.3a^aLA-Cr^LS

A 1\0TRE DAME DE P4KIS
Os proprietarios deste novo estabelecimento pr^vinem fpf
Exmas. familias e ao fespeitavel publico, que acabam de receber
-um gTande e variado sortimentar de novidades do melhor g-osto
parisiense, que sero, em vista do estado favoravei do cambio, ven-
didas por precos excepcionaes.
Todos os das das 8 horas da manila s 8 da noite.
. ___________________._____-____,----- II. |l !!S*-i II I I i
Qual hoje a melhor cousa do Brazil ?
EITORAL DE CAMBARA'


E POR QUE ?

Porque cura de urna forma rpida e radical as molesias do apparelho respiratorio: tosse de qualquer especie, coryaa,
reaquidao, asthma, bronchite, coqueluche, laryngite, tisica pulmonar, etc.
Alm d'isso, o Peitoral de Cambar de urna apparencia agradavel e delicioso sabor, qualidades que o tornam
bb remedio preferido para as criancas, aenhoras e todas as pessoas de palladar delicado,
Est approvado pelaExma. Junta Central de Hjgiene Publica, auctorisado por decreto imperial, premiado com duas me-
aaJhnn de ouro de Ia classe, rodeadlo melhores attestados mdicos, de innmeros certificados de cura importante* realisadas
'"""O PECTORAL DB CAMBAR*nS REMEDIO GARANTIDO
Por isso, preciaa haver todo o cuidado com as falsificacoea e imitacdos : o verdadeiro que fabricado no grande estabe-
leeimento agrico-industrial do PARQUE POLOTENSE, expressamente creado para esse effeito, em Pelotas, provitcia do Rio
rande do Sol, traz, alm da marca da fabrica, a firma de seu autor e manipulador*I. Alvares de ttoaza aare.
Vende-se em todas as pharatacias e drogaras
Precos: frascos 2#500, lj2 duzia 13#000 e duzia %
SAO AGXNTES K DEPOSITARIOS GKBAES
FRANCISCO MANOEL DA SUVA
1MPBRAL DBMABIA
liua Mrquez de Olindat
NDICO DE SINOS BBRONZJB
1MB
LUIZD4 CRUZ MESQITA
66ra do Sarao do Triumpho66
tfeM para vender o seguate:
binas de cobre para facer espirito de destillar e restillar.
blqaes de cobre do antigo e novo systema com esquenta garapa.
aeraeatfaas de cobre de ettanho.
Carapaeas de cobre.
Tallas, taixos e caldeirasde cobre.^
ibas de todas as qualidades de repuchos, a/pirantes|e continuas.
Taraelras de bronze e madeira de todos os tamanhos.
Caaos de cobre, de chumbo e de ferro.
RepartJdeiras, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro eetanbado
Catre em lencol e rmelas.
Sola ingleza e doaRio.
Cadlakos patente eade lapis.
Slaos de 1 libra at 110 arrobas.
E maitos outros objeetes
ENCARREGrAM-SE de qualquer concert e obras Jde encommenda,
'ido presteza, perfeicfio e precos mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
*'!.1DE a praso ou dinheiro com descont. *
rk tufMUrtt ti Ha m Isas* U kruu
a presos sem compet
garantindo a boa qualidade,
os artigos abaixo mencio-
nados.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot.|
Dito,para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de.peixe. \
Plxe ejn latas.
Kerosene inexplosivel.;
Potassi da Russiaem caixas
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttend.
Graxa em bexigas.
Telephone 316
PAR Una
issJUlifT
desoja comprar sollos de
todos os paizes do nran-
do, especialmente os raros
e de emissoes antigs,
betn coa os sellas de
Portugal de 4500 e 1JOW.
Bogare o imot *-tsttlwr s
precos e quattMa-M.
sUo de remetter uauMillM tai
auiiniilml.inUlaailii.sml<*
garae
Superior vinho de AJ-
cobaca
0 acreditado e antigo armazem do Lima par-
ticipa ao publico e aos seus fregueses que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
toa*
mro
vinho, escolnido propriamente pelo chefe desta
ado
qo
ruaBarao da Victoria numero 3, TelepBene313.
casa, tornan do-se recommendado por ser I
e de boa qualidade. Jos Fe mandes Lima i
2=1 QUINA E FERRO
tml Chlorose, Anemia, Debilidade
Cura las B'elDT-
VINHOS
TITULADOS
as
***
* Mtdrn i, &t, **)
iMktjInsr.
OSSIA HENRY)
' A fel' reunlao, n'cste preparado, dos dous tnicos por excellencla, a QhXMA
a o rSBKO, eonstitue um precioso medicamento contra a CMmMi MU
rrnUi***, Anemia, Flore* branca; Cotmtituices fraemn, etc.
PARS, BAIN rounNIER, S, ni d'Amsterdam.
Dpollrlo tm Mrwntim I FHA- M. da SIL-VA O.

'
WEJ0OR0 DAS MUS VHRDADBIROS
COLLARES BOYEB
Elotro-l(acrnUo
HHs TiIIiii Mllfii a MiaW ara
i tm tauta lanfie iu cuufts
OsCOULARES ROTER.conhecidoa haoait'
a-36 tnnn, sao os aicos que pressrvao
realmente as creaoeas das CONVULSA ES
SJMrfswrfti ao mttmo temp m (Untifo.
_________________ Par arltar as FalsffioaoSes aa Ualta*as,, CMja-tc que coi*
Tamarindo
Comprase essa fructa em grande e peqnena
porco : na botica ra larga da Rosarioau-
mero 34.
tmOtrmiuco :FBJlS" M. da SILVA A


39-RUA DUQUE-KS GAX1AS-39 u
Este- antigo estabelecimento, boje coaspletamente reiaraUrda com machinas
naia aperfeicoadas e moyidas a vapor, acba-se om condicSes de executar qualquer
rabalho em
i
Cartas, memoranduns, recibos, circulares, memoriaes, despachos, cartoes de
asijeacSes, mappas, precos correntes, aocSes^ bilhetes de loteras e rotulas de todas
ai qualidades em preto, ouro ou cores.
I
\
i JUNTO AOLOVRE!
af\ T>.___i J Tl/V______ nc\
i
I
Brocharas, cartonados, encadernacoes, Uvros em branco para o commercio e
rsparticSes, tendo para este fim urna excellente atasalaa m pautar..
fiARTOES BE VISITAS
Variado sortimento em cartees para risitas, parteipafoes e conrite de oaaa-
asnto, bailes, menus, felicitacSes, etc., etc. .
Li vros de recibos de aluguel de casa, papel de impreasao, tintas, vernizes e
ais artigos para tjpograapaia e lilhoicrapaJa.
Manoel J. de Miranda
Telephone i94
v
- SOL.U9AO e CAPSULAS
de Antipyrina do Jy Clin
Xmutdo pe Faculda.de de Medicina de Pars Premio iSontypa.
0 Melhor Remedio contra a Enxaqueca. .
A Verdadelra Solucao de Antipirina do D" Clin i>ossue um* poderosa
aocao para acalmaras dores de : Lumbagos, Tortieolis, Nevralgias, ciaiic", Aeiw-
truafo difficil, Clicas violentas e os Aecessos de Gota e de Ilheumatitmo)
c Antipyrina poda ser considerada scientiicamente como a medica-
mento mala poderoso contra a dor. > n0dinndiMSciuicii>.siii-od*inti^Jf'-iid,is7).
Doss : Tome-se cada da de 2 4 colhres da Verdadeira So>ucao de
Aratipyrina do Dor Clin. (
WOTA. As Capsulas de Antipyrina do D Clin t-3o destinadas 4S pessoas
qm nao podem tomar a SolucAo. i
Casa Clin o O aa PAJUZ, k fharmacus.
^' ft *
A1 Stod de CMoral FoUet
leuda hespanhola, todas aa cores a 2000.
Cachemiras lisas, duas larguras, a 1(W00
O corado.
Cachemira de listras, Jduas larguras, a
alOOO o dito,
ichs de li bordada a 14090 um.
Jaobseia Victoria a 2#M0 a pees.
Jambraia com aalpioos a 57(800 a peca,
Caixas com lencos, para presentes, a
34000.
Lavas de seda a 25000 e 2*500.
Planellas de corea para camisas a 280 ra,
o aovado.
Colchas de ores a 2*000 e 2*500 ama.
Sspartilh couraca a 4*000 e 5*000 um.
Camisas brancas a 2*000 ama.
tfadapolao americano a 6*000.
Foalhas para banho a 1*500 nma.
Camisas de flanella a 3*500, 4* e 5*000.
Sxtrato RiU Sangal a 2*000 um.
Oito Port-Veine a 1*500 m.
7elbutina preta a 700 rs. o covado.'
ilpaca branca a 400 ra. o dito.
Dte preta a 300, 500 e 700 ra. o dito.
Panno da Costa para mesar.
Atoalhado bordado a 1*000 o metro.
. arases arrendada a 400 e 440 ra. o coTado.
jiienoies de bramante a 1*80 e 8*000 a.
Cobertores oscuros.^JsssssM700 ""
roalhas para restoJpPsw a duzia.
Caries de seda |gta colleta a 5*000 um.
Certes de tusaW para cdHete a 2) 500 um.
3aptBta daefires a 120 rs. o eevado.
erins de edret a 440 rs., duas l rguras.
20Raa 1. de lVIar^o-~20
^^.Z3e3NnaAo
Etamine lias a 500 rs. o covado.
Sargelins, tedas as odres a 200 rs. o
corado,
ieasos srancos a 1*200 e 1*800 a duaa.
Ditos de seda com a Torre Eiffel.
Tapetes grandes a 13*000 um.
Merino preto a 800, 1*000 1*200, 1*400
1*800 o covado.
Loques transparentes a 2*500 na.
Cortinado bordado a 6*500 o par.
Fustao de cor para roupa, a 800 ; rs. o
covado. i.
Bicos braneos e de cores a 1*800 e 2*500
Colchas de fustao a 4*000 urna.
(Crotones a Derby Club a 240 e 280 re.
o covaao.
Fustao branco a 360 e 600 ra. o dito.
Grrinalda para noiva a 7*000 urna.
Collarinaos e panaos de celluloid.
Setins, tedas aa cSres a 800 ra. o'covadq.
Lia rraaitnpt a 400 ra o covado.
Palitote e seda palha a 8*000 um.
Palitotsia alpaca preta a 4*500 unu*
Palitea toile pardo a 4*500 um.
Palitota de alpaca de cor a 4*500.
Ceroaa da bramantaa 15*000 a duzia
PeeasflsV atguiio de algodlo a 3*500.
6raardaaapoa de linho a 2*200 a duzia.
Chambre para homem a 5*000 eg6*000
Meias fia da"Escocia a 1*600 o par.
Brimpaedo a 280, 320,400 e 500 rs. o cov.
Cachemira de quadro a 280 ra. o dito.
44-BUA BAR4010 TRItMPHO-44


Machinas a vapor.
Moendas.
Rodas d'agua.
faixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem crava^ao
Arados.
Sirop de Cliloral FoUet
E o calmante por excelencia qnS supprime a dor o
o somno tranquillo a natural noe caaos de
TiEVRALGIAS OOTTA JtHJEl
TlhlCA JFJEBSJES
ExlalraFlrm*:
Fabrica casa FRERE, 19, roa Jacob, PAJUZ
Para banhos
Costum ec ?para|senljora a 10*000. | Coi
C-itos pai a horneas 8*000.
ESPE
Sroarda p para senhora 10*000.
cos|corte8 de casemira para calcas.
Extratos, meias, entre-meios bordi
aanhos, regatts, prncipe de Galles,
D-se amostras sem penhor e
las Exmas. familias.
de linho e de algodao.
dos
meninos a 5*000.
palha para o mesme fim.
ES
horneas 6*000.
de casemira para costumes
aspas, sabonetes/collarinhos.
e outros maitos artigos
quaesquer amostras em caas
K^rvM
**?.
ai
I1I1IIIS
. *^. a
SADE PARA TODOS.
P1LULAS HOLLOWAY
Ai,Pfalaspurlftcab o Sangue, corrigem todas adesordems de Estomago9,,,,
dos Intestinos,
Fortalecen a saude das constitugoes dclicaitn, e sao d'nm valor incrivel fiara todas as esfennidadss
peculiares ao sexo feminino em todas as edades. Para os meninos assim como tambem' para SS
pessoas de idade avancada a sua fffiracia e incontestaveL
KHM WfSirinir iSo pigparadM
noEstabele
o do Profesor Hi
I
or Hqllowa,
L0SBI5,
71, MXW OXFORD STBXBT (satas 633, Oxford Strset),)
Zmfamm.em toda pharmcia doocirtoo.
al* oradadn n i|ilim......If a eramiiir o. rotulo de cada tiza e Ptese ato I
Oxford Street, sSo fiilsaiP"1"
Hotel doMastro
Estabelecimento montado com todo asaeio 8
commodos para os viajantes, como seja: boa
dormida, bom tratamento, e cocheira para os
aniaiaes que o fregus levar, existente na Husai-
nba junto a estac&o, para o qual chamamos a
atiene! do publica ______________
Attengo
Alfredo Jos Alves de Carvalno, antigo e co
nhecido barbeiro e cabelleirelro, participa aos
seus amigos e fregueses, que acba-se estabele-
cido na ra Duque de Caxias n. 31, onde pode
ser procurado para os misteres da sua profiar
sao, esperando de todos a proteccao que sempre
lhe tm dispensado. __________________
Apolice perdida
Joto Goston, tendo perdido urna apolice, sob
n. 258, da i.1 emisso provincial, pede a quem
a acbou o favor de entregal-a ra Vidal de N'e-
greiros n. to6, que ser gratificado.
Alugam-se*as seguintes
casas
Roa do Rangel n. 73, 2- andar, com bou
commodos, muito fresco e perro do mercado):
roa do Fogo n. 50, com duas salas muito boas, 3
quartos e cosiuha fora; ra da Roda a. 4, leja,
propria para pequea familia : a tratar na na
do Cabug n. 16A Venturosa.
Aviso
Aos proprietarios
Uraa pes8oa residente ne#ta cidade d
ser urna renda de um sitio com frt
de capim, casa de morada <
negocio, junto a esta cid j
ferreaj quem l
n tra
Farello superior
2^700 o sacco
Vende-se no armazem de Arcelino Lima avf,;
Caes d'Assembla n. 24, garantindo-se 41 lfe-
grammas cada sacco.
Boa Viagem
Aluga-sp urna casa de coDstmccao. moderna e
bem asseiada, com bastantes commodos e me-
bilhada, sitio murado e bem arnorisadaj
portao de ferro, e situada na nrelor Joca
da mencionada povoaco ; a tratar no larga1
Corpo Santo n. 4, 1- andar.
Olinda
Vende-se barato, mesmo a prazo, ou
se por casas pequeas, em gualqnefj *
da cidade do R<
do Cerenel
1-^
.



nn____m
a
OVDES
A Loja das Listras Aznes
aadas a se-
000.


RA DUQUE DE CAXIAS N. Ql
Cortes de vestido de caxemira bordados
com vldrilhos.
Gases de seda tecido arrendado urna s
cor a 1*400.
Voaile tecido de la muito largo com ra-
magens a f<00 rs. *
Creps de lindas oras para vestidos a 600
feis.
Surak de lindas cires tecido novo em seda
14300.
Sedaafcom listas largas e estratos todas
as cures a 900 e 1*400. .
Cortes degestidos brancos todos borda-
des ultima moda.
Cambraias organdys de quadros brancos e
- cremes a 700 rs.
Renda austraca tecido aberto todas as co-
. res a 400 rs. -j:
Cortes de Zefiro com 16 1 [2 corados a 4*000
tecido bordado.
Madapolao lavado pecas com 10 varas a
3*500.
Morim com.um metro de largo pecas com
12'iards-a 4*000.
Mosquteiros americanos com armac,2o se-
melhante a cortinados muito lindos para
ornamento de gabinete a 10(5, 12* e
15*000.
Tecido baratos
Chitas finas a 200 e 240 rs.
Gaasas de urna s cor a 120 rs.
Kanzuc de lindas cores a 240 rs.
Brim esguiao pardo infestado para vesti-
dos on roupas de meninos a 320 rs. o
covado.
Setim da china tecidos de quadrinhos a
200 rs.
LJns de quadrinhos a 1G0,200 e 240 rs. o
covado.
Merinos infestados de todas as cores a 480.
Espartilhos inglei.es a 4*000 e 5*000.
Bramantes de 4 larguras a 700 rs. e 1*000.
Tecidos de linho muito bonitos padrees a
200 e 240 o ovado.
Ricos brancos e de cores para toto o preco/
Baleias a 240 rs.
Arco a 120 rs.
Fitos da exposicao ultima novidade.
Lavas de seda a 1*500 e 2*000.
Leques transparentes e de pennas.
jos despertadores com movimento a
e 8*000.
netes finos a 500 rs.
Penies fantasa para cabello a 400 rs.
Meias finas para hornera senhora e mini-
aos.
Fichas de renda e prateados todos os pro-
co-- ^
Bordados com 4 1(2 metros cada peca a
1*000 e 1*200.
Grinaldas com vaos de blond seda.
Cortinados Bordados de cores a' 1*500 o
metro (novidade).
Crochet para cortinado a 800 rs. o metro
Srgelim de todas as 'ores a 180 e 200 rs.
Crinolina cor de chumbo e cor de caf a
360 o metro.
Cotxas de fustSo de cores a 2*000.
Smuitas fazendas baratas que se ven-
im descont a quem comprar de 20*
cima.
Qualquer pessoa que comprar fazendas
Beata casa, nao sendo do agrado para quem
for comprada, troca-se a contento.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
1*500
cSo das Exmas: fami
rtes de Casemiras
da e 13 de 0*000 i
um.
Ditos bordados de lynon de 18*000 a
12*000 un.
Enxovc.cs' pjira baptisdos, a 6*y 8*000,
10*000 e 12*000 um.
Grinaldas com veo pira noiva a 8*000
urna.
Ricas I2s com listras de seda a400 rs. o
covado.
Ditas de quadros a 200 e 240 rs. o co-
vado. .
Zephir de quadros, modernos, a 120, 140
e 200 rs. 'o covado.
Caminados bordados para cama a 6*000 o
par.
Lindos fichas de retroz, dourados e pra-
teado a 15000 um.
Luvas de seda, todas as cores, para senho-
ra a 1*000, 1*500 e 2*000 o par.
Saias bordadas para senhora a 3*000 urna,
para acabar
Bordados e entre-meios a 500, 600, e
800 rs. a peca.
Esaartilhos para senhora a 4*000, 5*000
e 6*000 um. ,
Caehenez para homem e senhora a
e 2*000 um.
Costumes de Jersey para enancas de 4 a
5 anuos a 7*000 um. '
Casacoa.de Jersey para senhora, ultima
moda a 6*000 um.
Pannos d crochet para cadeiras a 500 rs.
um.
Lencol de bramante a 1*800 urna. ^^
Cobertas forradas jara casal a 2*6
urna.
Colchas adamascadas, todas as cores a
2*000, 3*000, 4*000 5*000 e 6*000
urna.
Cortes de fusto para collete a 500 rs.
um.
Ditos de velludo bordado a seda a 2*0
um.
Toalhas brancas para crianca a 120 e
160 urna.
Cretones de todas as cores a 200, 240,
280, e 320 *s. o covado.
Cobertores brancos de la a 2*000 um.
Madapolao americano com 1 metro da lar-
gura com 24 jardas a 6*000 a peca.
Lencos de linho, a 2*000, 3*000 e 4*000
a duzia.
Ceroulas francesas, a 1*000, para acabar.
Lencos para crianca a 1*200 a duzia.
Grande sortimento de casimira para cos-
tumes, presos muito resumidos, assim
como apronipto-se um costume em 24
horas, para isso tem perfeitos officiaes.
S oa Revoluco
a na Duque e Casias n. J8
ijyj'j re. u
Hollanda parda para v^^H
dito."
Sethetes modernas idem a m
o dito.
Linhos de quadrinhos a !
200 rs. o dito. .
Percales finar- aJ
Atoalhado bor
!>in'
RMaO & p.
gosto, a
s no-
10*
gura,
1*000
o metro
HENRIQUE DA SILVA MOREDJA

CAI1MIZQ & IlliO
A RA BARO DO TRIUMPHO
M. 100 A 104
Tem para vender tri-sulphi-
to de caj, que nao s faz alve-
jar muito mais o assucar, co-
mo evita o grande gasto de
cal o fabrico do mesmo.
AParagnassa
Vendas rnente a dinheiro, por baratissimos
precos.
Pvlaeiel & Guimars
rwiir e isriMlo rtlHeato
MIUDEZAS, PERFUMARAS E ART1GOS DE
MODA
Em grosso e aretalho
24-Rna >isconde de Inbanoa-24
Anlis do Bamel
Pemambuco
Barcada (Boa Acqui-
si$o)
Vende-se a dinheiro, ou a praso com garan-
ta, ama boa e bem construida barcaca, arriada
e preparada para viagem, de lotaco de 50 to-
neladas, e que carrega 600 saceos com assocar;
a pessoa que pretender, pode drigir-se ra
do Padre Mnniz n. 19, qae achara com quem
tratar. ____________________^__
Taverna
Veude-se a taberna da roa Bella n. 37, livre e
desembarazada, com poneos fondos, propna
para principiante ; a tratar na ra de S. Joao
numero 12.
Bramantes, 4 larguras, superior a 800" rs.
e 10000 o dito.
dem de puro linho a 1*600 o dito.
Riquissimas guarnieres de crochets a 6* e
8*000.
Toalhas para mos a 1*200, 3*500 o
4*000 a duzia.
Meias inglesas para hoaans a 2*500 e
3*000 a dito.
Camisas superiores idem a 24* e 30*000
a dita.
Seroulas bordadas a 12*000 e 18^000 a
dita.
Cambraia Victoria e t aparente a-2*800
e 3*000, cm 10 jardas,
dem bordadas chica a 4*000.
Superiores algodSes da corte a 3*000 e
3*500.
Madapolao americano a 6*000 com 24
jardas.
Flanelk de cures para "ITIMMJ 380 rs.
o covado. ^ -
dem americana, aaul, para palitots a
1*200 o dito, ",
Casemiras de todas s qualidades a 1*400
**X) e 2*000 o dito.
Para as Euaai. aofraa
LinKssimas grinaldas e veo pata 8*000 e
14*000.
Ricas colchas de crochets e fustn a 8^000
e GAOOO. ^M
Bonitos cortinados bordado: a 5*500,
7**00 8*000.
Linons branco bordados a 4 Setim branco, superior, a 0 e 1*000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 1*000 o dito.
Setins Maco, todas as cores, a 800 rs. o
dito:
Lenccs de seda e de linho para 2*800,
em lindas caixinhas.
Lences de bramante a 1*800.
Cobertas de ganga, forradas, com pannos,
a 2*500 e 2*800 urna.
Colchas de cores a 2*000 e 3*000.
Taupetes para portas a 3*500 e 5*000-
Pannos cara mesas, de corea modernas a,
1**00 1*200 e 1*600.
PARA BAPTISDOS
Rica3 toalhas de labyriatho de 30* a
35*.
Fustoes bordados brancos a 400 e 500 rs.
o covado.
Casemiras pretas e de c$res de todos os
precos, cheviots, merinos, damascos para
pianno, cobertores, redes a 4*000 urna, e
ama infinidade de artigps que. serio lenv
brados na presenca dos dgn leito^s.
LOJA BE
PKREIRA & fflpALgAES
Vinho puro de Santafem
Da quista m Barra I
Os proprietrios do Armazem Centrsi, f ra
do Gabug n. 11, asam ios seus autiactos fre-
guezes e ao respeitavei publico ti, receberam
nova remessa ueste especial vinho, o qnal se
recommenda por er pnro da uva, a a* se reU-
Iha em seo armazem.
Joaquim Christovao
Telephone 447
Fazenda de c

rOLPETIM


iglMSi3i^@
Vende-se nma propriedade nesU proviocia,
com doas leguas de trras, demarcadas, limi-
tando com o serto do Cariri, e as melhores
condigOes de criar gados. Tem trrasproprias
para plantaces, e umaeatensa Tasante mar-
gem do rio para cultivo de caanas, frurteiras,
etc. A industria pastoril Brtentemente da
major vantagem : refazer gaav-fT tafo triplo ou
quadrunlo no praso de dous traaVansos. Ao
pretendente, se nao for pratico.seapitario to-
dos os meios de fundar a fajenda 11 tratar no
caes do Ramos n. 24-A, onde tameejrse vendem
dous burros aovos.
aawaaisMB^
H jersey,
100
Renda oriental a 500 rs. o covado.
ratones para coberta, 500 rs. o covado.
Pannos de crochet, todos os tamanhos.
Madapolio largo a 6*060.
Flanella azul, muito lisa, a 1*200 o co-
vado.
Fichs de phantosia a 1*000.
Luvas de seda a 2*000 e 3*000 o par.
Guardanapos a 1*600 a'duzia.
Sargelins de qualquer c6r a200 rs. o co-
vado.
Grinaldas para noivas, [cousa chic e ba-
rata
Nunzncks, grande sortimento.
Cambraia Victoria e transparente a 2*800
a peca.
Cortinados bordados a 6*000.
Flanetlas para camisa a 320 rs. o covado.
Setins, qualquer cor, a 800 rs.
Renda da China a 200' rs. o covado.
Fustoes brancos a 320, 400 e 500 rs.
Vestuarios para ^baptisdos, o que ha de
mais novo.
Camisas francezas, com coiiannho, por
2*000 ^j^b^J"
Grande sortimento de setins labrados 2
1*000 o covado.
aolines a 400 rs. o metro,
ros a 160 e 200 rs. o covado.
Merinos, sortimento grande, a 500 e 800-
_. o covado.
Cambraia suissa, a 7*000 a pesa.
Cambraia com salpicos brancos-e de cores
a 4*000 a peca.
Babados e ntremelos a 600, 800 e 1*000
a peca;
Lencos de aeda. muito bonitos e baratos.
Cachemira eombinacSo com listas de seda
a 1*400 o covado.
Bramante de qutro "larguras a 800 rs.
a vara. \ .
Mantillas pretas a 4*500. \
Atoalhado, lindros padres''a, 15 o metro.
Espartilhos com couraca a 4jJQ00, 5*000 e
6*000.
Colchas brancas e de coree la* 2*, 3*000,
4*000,5*000 e 6*000., :
Grande sortimento de fichaste coi es pata
todo prego. i
Cassa baptisto a 120 rs. e covado.
Chitas brancas e escuras a &0*rs., s se
vendo a boa quaiidade.
Cretones muito bonitas a 320 400 rs. o
covado.
Meias para homens, senhiais e criancas,
grande sortimento.
Comisas de meias a 1*000.
Grande sortimento em merinos pretos.
Cortes Ido fusto para colete, alta novida-
. de, a 1*000. .^.,
Oamisas de flanella fraaM! a 3*000 urna.
Brim de linho S cor a 500 e 600 rs. o
covado.
Tapetes para cama, sof e porta; barato !
Velbutinas, qualquer cor, 800 rs.
Cassinetas, muito bonitos, a 400 rs. o co-
vado.
Cortes de cachemiras, em cartSo, cousa
ctta?v -
Ditos de cretone muito bonitos a 8*000.
Ditos deeaaemira de cor a 4*000, 6*000
e8*00; .
Alcm de outras muitas fazendas que
impossivel mencionar.
Oa-se amostras sem penhor a qualjuer
pessa. *#'
3 Rna Daqae e Caxia^ ft
remandesAzevedo 8C.
AZE^
16Ra ?lo B. da Victoria16
200 Telephone200
Tendo recebido directamente da Europ*
grande sortimento de fazendas e modas-.
que ha de mais novo e preos sem coa
petencia.
A saber ;
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etomines, pretos, de 12 e 12 seda.
Damass d seda pura.
Merinos pretas de 800, 1*000 e l*20t,
Crinoline preta e branca a 400.
Srgelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 1*500, com K
palmos.
Toalhas para banho a 1*000 e 1*500
('hachemiraa com 2 larguras a 800 rs
Ditas de la e seda 2 larguras a 1*000
Madapol&o trancado a 9*000 a peca.
Dito globo a 7*000 a dito
Dito camiseiro a 7*000.
Dito Boa-Visto; verdardeiro, a 6*000.
Fichs de 12 e seda 1*000.
Brina de liaho coi es fizes a 600.
Espartilhos couraca a 4*000 e 5*00
Colchas de fustae a 2*000 e 3*000.
Capellas para noiva com veo bordado
6*000. *-*'
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de aaia a 1*600
Renda de 12, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 13*000.
A verdaieira esteira para forro de sai
a 1*000.
lisas de flanella a 5*000.
finados de crochet para cama
10*000.
Chitos de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400. ,.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditos sem forro.
Seda de cores a 800 e 1*000.
Extracto Rito Sangal a 2*000.
Velbutina de qnadro a 800 e 1*900.
GuarnicSes, pretos, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 4*000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 2*000 o par.
Meias de seda para homem.
Dito de dito para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costo para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep ingles para enfeite"
Grande sortimento de chapeos
Setineto para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fusto de cores.
Dito de casemira de odres.
TELEPHONE 200
de so

PR0L0O0
9S PKLLES-YEMKLHAS
i
('ContinuacSo do n. 227 )
taonem a
a sua
Cabeca e Urso j nao braodia
terrivel maesa.
Em tom sentencioso tinha dito :
E' um homem !
E, em seguida a tab judiciosas pala-
vras, o grande chefe tinha-se collocado
a'urna pos9ao theatral, de fronte erguida,
com a m2o na cintura, de olhar altivo, se-
melhante a um trgico de primeira plana,
no desenlace de um melodrama.
0 grande chefe Cabeca de Urso espe-
rara urna genefluxab, ou pelo menos, urna
supplica do recem-chegado, que tinha a
audacia de resuscitar perante o fogo
sua gloriosa tribu.
Mas Nicolao Nicolardot, tocava a ana
Aim hini goz.
Os guerreiros, sorprendidos, olharam
uns para os outros ; o grande chefe fran-
zio as sobrancelhas, as mulheres approxi-
maram-se com menos assombro do homem
edr de violeto, que tinham salvo dos ge-
loa.
O adjectivo violeta de rara exacti-
dao.
A cor da pelle de Nicolau Hioolardot
era ama mistura perfeitode azul e kcar-
aaiin.
O fri e o calor arroxeav
to ; as veias azues e vermelhas Jasam-lbe
saermorea avar mer-
reiros tatuados que o cercavam tinha mais
riscas no rosto do que elle.
Encantado pelos sons que tirava do seu
instrumento, Nicolao nao se limitou as
quatro primeiras notas da aria ; achava-se
vivo com prazer, sentase entorpecido, e
sabia, por exeperiencias qne utn exerenao
moderado convm para restablecer a cir-
culac2o do sangne.
Levantou em cadencia a perna direito,
batendo o compasso com o pe esquerdo ;
depois comedn com elegancia um passo,
e, em seguida, saltn vigorosamente...
em resumo dan 9 a va moda dos marinhei-
roa, tocando gaita de folies.
Dancava o bailado do castello de proa
ao som da aria Ann hini goz.
O contagio do exemplo apoderonasf das
mocas indianas ; imitoram-n o ; as rellias
comecaiem a mover-se em seguida, os
guerreiros, logo depois ; finalmente, ape-
sua elevada dignidade, Cabera de
em pessoa, comecou a bailar.
Vendo isto, Nicolau Nicolardot n2o se
cangou de tocar ; mas attendendo a que a
gaita de folies de todos os instrumentos
de vento portoteis, o nico que permitte
sem interrupcSo no acompanhamento, que
o instrumentista pronuncie algumas pata-
rras, Nicolao aproveitou-se.
Bravo Vivam os Pellas-Verme-
lhas gritn elle. VA, rapaziada Hur-
rah Vivam as capas de ursos.
Para que aria nao fosse- intesrompida
por um som agudo, cuja espeialidade
possue o clarinete, Nicolau nao deu tem-
ao foile para se despejar, pegou na
canto alguns accordes, e
zar Ai
Urs, e:
Libras sternas
Vende-se libras sterlinaaT na ra
tnercio, armazem n. 5.
Vaccina
Vende-se da melhor, na botica franceza de
Rouquarjrol Prres, roa da 1 ruz n. 22,,Recife.
^% nauta, *du ao
gfitou depois :
Dem as m2os V Depressa !
V de roda Assim, assim E' a ordem
com o empo que fas neste celerado
paiz.
Cantava, danjava, gritava, tocava gai-
ta de folies, o que n2o o impedia de fa-
zer, segundo o cqatume, muitas reflexoes,
urnas tristes, outros alegres, todas marca-
das no seu espirito fatalista e optimista ao
mesmo tempo.
Como n3o via ao seu lado nenhum dos
seus cantaradas do Marsouin, infelizmen-
te, deviam todos ter sido victimas do nau-
fragio.
Nicolau consagres sua memoria urna
inspiro.
Mas lgubres pensamentoe, pouoo em
harmona com o seu caracror, nSo podiam
casar-se muito com o genero de eaateicio
que fazia naquelia occasi2o.
" Tinha-se entregado a elle por instincto,-
depois pela necessidade de recuperar o seu
vigor e elasticidade habituaos.
Continuava por politicaj-
Por muito mos qte-eejam estes de-
coradores de ursos brancos, quando tive-
rem danado bastante, quand* conhece-
rem o meu talento de masico, "conservar-
me-lo a vida, pelo menos.
Nao era mal raciocinado, e, Ise consi-
deramos que Nicolau Nicolai fitt nao sa-
bia onde estova, nem como i ara, e que
e tinha recuperado as^suasj Kculdades
ia mais de dea minutos, < Remos pa-
gar-lhe justo tributo ot
A' aria Ann *MsV goz
Rond do tres marinhejfii
urna tarentella, e at urna1
leira.
Nicolau coatecava a can$ar-s
Os dancarinos e dancarinB |
se, Quand .Cabeca de Urso :
rochedo d dtie ftzia throasr
mente, e deu um grito suf
selvagem, em qae, Nicolardot j|
nhecer as palai
BasdV
Deixou de tocar, dizendo
Ah com mil vendav'a
selvagens fallam francez, per
ou son o naufrago mais felis
hido entre as pad|B dos Pelle
O mais profundo 1
tribu.
Os indios, a|
zeiro, esperavas
seu graad'
sais, p
m
porque nos entendemos as pala-
vras, exactamente como na msica! Gran-
de chefe, trago aqui no meu corac2o a si,
aos sepa Companheiros, s suas mulheres,
filhos, e em geral, a todos aqui presentes.
Inimigos !... Eu n3o bou inimigo de nin-
guem... que nSo sejam inglezes, j se en-
feude a
A' palavra inglezes, a tribu inteira sol-
tou um murmurio geral de approvac2o
WI1SEY
Roya! Blend marea VIADO
Este excellente Whisky Escoces 4 pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corno.
Vende-se a retolno nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Boyal Blend marca Vlado,
unjo nomo e emblema s2o registrados par
todo Brasil.
BROWNS & C, agentas.
Taverna
Vende-se orna pequea taTerna bem localisa-
da, com poacos fundos, propriu para princi-
piante, tem commodos para pequea familia :
para informacOea, ra da Concordia n. 165.
Mantilhas de seda e de algodao.
Contos lapidadas,para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 3*000 e 4*000
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 5001
600 e 800rs.Sapeca.
dem com 3 e 12 metros, de qualque
argura'a 1*200.
Lencos de linho era caixinhas a 3*000 a
dito.
Meias para homem, duzia a 4*000.
dem para senhora, duzia a 4*000.
Finas pulseiras americanas a 4*, 6* a
8*000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama a
12*000, 17*000 e 19*000 o par, alguna
de corea.
Ditos para janellas a 7*000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800
1*000.
Ditos para sof a 2|J000.
Capellas com veo para noiva a 6$000
8*000.
Lindos enxovaes baptisdos a 8* 10* s
12*000.
Toncas de setim para baptisado a 3*, 4*
5*000.
Grinaldas e ramos de seda, o qne ha ds
melhor.
Lindas fitas n. 12 para chapeos^
Luvas de seda, cano comprido a 2* o par.
Ditas de seda para creanca a 1*000.
Dita para moca a 1*500 o par.
Espartilhos para creanca a 4* e 4*500.
I Ditos para senhora a 4*, 4*500, 5*000
6*000. -
Linha de machina a 60 rs. o carritel.
Linha de machina a 600 rs. a duzia.
Lindos leques de surah a 4*000.
Ventorolas de penas de todas as cores,
gosto moderno.
Lindos sortimento de ramos e cachos de
flores para enfeitar chapeo e vestido.
Granee sortimento de cestos para senhora
a 2*, 2,500 3*000, 3*5C0, 4*000, 4*500,
5*000 5*500, 6*000 e 7*000 urna.
Caixas de papel amisade a 400 rs.
Lindo sortimento de guarnieres para toilett
de diversas cores.
Renda hespanhola preta com vidrilho.
Lindos lencos todos de laberintho a 500 ri.
Albuns de pellucia de diversas cores.
Livros de missa a 1*500, 2*000, 2*50t
3*000, e 3*000 cada um.
Lindas luvas de seda com salpicos e coa
listas, gosto moderno, a 2*500 o paz.
Grande sortimento de extratos dos mais-
acreditados fabricantes.
Toalhas para banho a 1*300.
Toalhas para rosto a 300.
Toalhas para rno a 160 rs.
Babadores com inscrijocs e paizagem a
500 rs. e 4*0000 a duzia.
Espelhos grandes com molduras finas de
cantos redondos a 4*000 e a 6*000 urna.
Bengalas flauta.
Grande sortimento de luvas de seda arren-
dada, com palmas canno comprido a
1*500, 2000* a 2*500.
Rna Duque de Caxias n. 103^
.
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Veira, sitio lo*
go depois das casas novas da direita, vende-s
todos os das leite puro de vaccas taurinas e aa
trra, garante-se a quaiidade do leite._____
McaBim
WOMUS,
^r* CLERY fendt-u em toda nrt*
Gasemira para vestido a 280
i s. o covado
Casemiras decores modernas para vestido,
padrees ultima novidade, a 280 rs. o covado :
na ra do respo n. 21.
Deixem-me, pois, viver, so
fazem
favor, e prometto-lhes que viveremos per-
fectamente !
Cabeca de Urso n2o se contentou com
esta simples afirmativa.
Antes de conceder hospitolidade
toucador de< gaita de folies, antos de lbjk
mandar servir a menor parcella de urso,
ou mesmo um simples cha de hervas, ou
gd james, exigir circund-
as expUcacOes qtt
para q
jUnaria-
t mente
reco-
en-
eSo! per
Ola !
de Urso co
de chefe,
quem s, se aoaj* ou
se mereces viver.
Com um milhio de cachito
gados exclamou WcoUu Nicola
cantado, nao se talla melhor em
neau! francez, bom francez!
c Nao me engaoaajMg pouco !.
lcs-Vermelhas, meus lindos bailarn
cem vezas vesso amigo, e
T^
[ irib drfk Mbounis
SBBBBBBBS^ rf'^^^SHBSS* ^
A C mo do Canad pelos francezes
dcixo* TOdos vestigios, nao s entre
os descendentes* dos primeiros colonos,
mas tambem entre os indgenas.
Durante as lougas guerras com os ingle-
zes as margeos do Ssint-Laurent, e em
Acadie, ulu grande numero de povoa53es
bra9aram calorosamente a causa dos fran
cezes, marcharam em seguimento dos seus
exercitos, reconheceram Montcalm pelo
chefe dos seus chafes, e habituaram-se por
bastantes vezes aos seus usos.
Actuatmente existera no Alto Canad
muitas tribus indianas, cujo idioma pnmi-
IfedMi. perdeu, e qae fallam a linguafran-
uito menos corrompida do que a
irgneze* ou Normandos.
$ natureza interessante
reproduz quasi todos
.S. Pedro e Mique-
poder dos fran-
nonal.
dato da poca
ideases eram subditos
dam-se sempre dos seus irmos da Fran-
5a, cuja religiao abra^Mam, sem comtudo
renunciar i existencia irfre e nmade de
seus avs.
Os gaspeanos ou miemaks (souriquezes)
habitovam, como outr'ora, a costa orien-
tal do Canad e ilhas visinhas.
Hoje, aquellos que eram christSos refu-
giaram-se na Terra-Nova.
A tnbu expatriada seguio de longe o
exilio dos coloaos francezes de Acadie, e
quer que os seus despojos mortoes dur-
mam sob a mesma trra que a dos seus
companheiros brancos.
Ao voltor da primavera, urna esquadri-
lha de pirogas indianas uem atracar s
pratos dos pescadores francezes de baca'
lbao; sao os naturaes que descem e;n pe-
gnnacp, ave S. Pedro, conduziildo com-
ns mortos e recem-nascidoa.
Com nma cruz de mrfdeira na inSo, di-
rigem-^T para a cidade, entram as casas
dos aahitantes, e sadam-n'os como ir-
maos, o bedem-lhes de bebo^, de comer, e
para repusarem sob os seas toctos. To-
das as casa.s les sao abertos.
Os pescadores acolhem' com alegra os
seus hospedas, povos simples, que nao es-
queceram n^rn as trad95es, nem a lingna
dos seus anjgos senhores.
. Depois, to&os juntos, dirigem-ee para a
capella.
Os filhos os selvagens sao baptisdos
pelo sacerdote catholico.
O ofBcio mum pelos "fallecidos, e dingein-se pro-
cissionalment e ao ceraiterio, para inhuma-
rem em trra bento os indgenas fiis,
mesmo depoisSdo ultimo suspiro, s suas
nobres sympatfjias e aos seus sentimentos
. lei-
lacao do passado nao se apagou
-acSes dos selvagens.
tio lobga separac2o, recor-
Vinho de mesa

.<
Quem nao poder beber o qne bom Che^u
nova remessa, que se vende pfelo mdico prego
de 7*000 o garrafao de tres caadas (voltando o
casco); na ra do Amorim n. 60.
Para os feslivaes
A' ra da soledade n. 56, preparam-Se,
com limpesa, mestria e commodidade em
precos: bolo, pao-de-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides de doces d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentos e baptisdos, etc.
Recebem-se as encommundas quer para a
cidade, quer para fora d'ella.

rolgiosos.
A' beira de
mente .fechado
lham e'-oram
Modesta cr
vasto tmulo,
gar onde jaze1
dos filhos chri
Lenope.
Deste mo
f e a cari
cendentes
descendente
Mas, infe
lacoes de li
um profundo fosso, lento-
indianos e pescedores ajoe-
las almas dos defuntos.
plantada sobre aquello
indica ao estrangeiro o lu-
para sempre as ossadas
s da antiga
familia
%
de
, os mais piedosos lacos, a
e, unem^inda hoje os des-
[os naturaes de* Acadie, e os
dos seus antigai. colonos,
mante, com respeito s re;
beca de Urso e os seus companheiros
nSo sao em cousa alguma semelhantes
aos piedosos gaspesiaos da Terra Nova.
Como elles fzem ^realmente parte da
grande familia de Lenape ou Algouquino-
Mohgano, que, segundo Vater, era a mes-
ma que a dos Chippaways-Delwore, ainda
numerosos no Canad.
Como os gaspesianos da Terra-Nova nao
fallam a lingua lannape, adoptaram a fcan-
ceza.
Pode, porm, dizer-se que sSo selva-
gens em toda a extens2o da palavra.
Niolau Nicolardot, yelho navegador,
que tinha visto e aprendido muito, que de
cousa alguma se admirav?., e tinha pouco
vulgar pTes?2ca de -espirito^, record
perfeitomente de ter sido testemd|J
ceremonia de S. Pedro e Miquel<5|
cantador episodio, de que todos ob.
menores sSo de escrupulosa exastidl
Porfanto, 0 estimavel navegador fi
menor admirado possivel, rceonhecendo O
seu idioma natal na bocea de Cabeca de
Urso. al
(Jontenton-sc cm ficav encantad, eatis-
feito, contente, o que lhe era bastante ha-
bitual, como j sabemos.
Mas nto perguntou a razao porque
digenas que fallavam francez se encon
vam na extremidade septentrional (
brador, no mais completo estado 9
baa, queat3o que c imprtente T*a4
para acabaos de tirar a esto JM
toda a apparencia de inverosimilhaag
Depois da tomada de Quebad 759,
urna das tribus atrazadas d'entradj lellas
que tinham abracado a causa francesa,
foi batida e feita pedacos nr-i arredores
do forte Rupert, por urna partida de Ha-
rons, alliadoB dos inglezes.
Alguns rapases, muito novo;- ainda pan
conhecerera a fundo as trad 15003 de m
pais, foram os nicos que sobrevif^
ao (/>rticinio, e refugiaram-se ero u
archipelagos desertos da bahia de
James. t
Nao tinham mulheres ; foi ter
exped5ao aventura, ao territorio
seos declarados inimigos.
tConthi.: .;-e3a)
\ 1 '
guagem e de origem, Ca-
1*to d(
ftario ra

1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EK5D5DTAW_Y498GY INGEST_TIME 2014-05-19T20:41:07Z PACKAGE AA00011611_18898
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES