Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18893


This item is only available as the following downloads:


Full Text
OXUE
*3'
$
v^
Mi
A5000
120000
Troprkdadfe de Marwd figueirm
F bbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbH'1^-*
om......
de diai anteriores
38fc
Os Srs. Amede Prn-
ce & ()., de Pars, sao
os nossos agentes ex-
clusivos de annuncios
e publicares naFran-
$&e Inglaterra
cionr
JoBl
Iba, itfHustro
negocios e
'tendido efi^
de Janeir
Wo de 1889, ^
imperio.
Coma rub

SSSVI50 FABTICUUB 10SUBI
RIO DE JANEIRO, 1 de Outubro, s
3 horas e 20 minutos da tarde.
O conselheiro Visconde de" Maraca]
' reassumio o exercicio do cargo de minis-
tre da guerra.
A junta apuradora do 19." districto
da provincia de Minas Geraes mandn a
2. escrutinio os candidatos mais votados
conselheiro Francisco de Paula Mayrink
(L) e Dr. Badar (O).
Seguio para o norte no paquete na-
cional o novo presidente da provincia do
I Cear.
SSSVIS JA Attm SA7AS
(*) ROTTERDAM, 29 de Setembro.
Bozeram-se em grvt os operaries das
doas d'esta cidade.
Calculase em cinco mil o numero dos
grvistas.
Houve um conflicto entre os previstas e
a tropa encarregada de manter a ordem, a
qual vio-se obrigada a fazer uso de suas
armas, dando logar a haver alguns feri-
mentos.
Agencia 'Havas, filial em Pernambuco,
1 a Outubro de 1889.
(*) Por ter sido publicado ste telegram-
ms unido ao de Lisboa, devido a equivoco,
reproduzimol-o no logar competente
Nota da Aescia.
IHSTRDCqa POPULAR
A LIIISBAISIA mXBXLU
NOS
TKMPOS GaLONIAKS
POR
V&*V^9 fl.***!.
A btlterAtara Brazilelra do temi
XVI a o camera do XIX
Ef-BOCO HISTOBICO
n
(CV-itinuajao)
Leva-nos a cata dcduccSo a lenda de Como
tffartceu a noe, que nao pode ser senq um
fragmento genesiaco dos habitantes do continen-
te americano, e que, como os Vedas on o Gnesis
dos bebreus, se refere a urna epocha em que to-
dos eram felize3, a um fructo prohibido e a um
episodio de amor, do qual resultou por ultimo
urna desobediencia que acarretou o castigo e a
iegradacao da creatura. N; transcrevemos toda
a lenda, mas o seguiote primeiro periodo :
No principio nao havia noile. era sempre
dia. as sombras dormiam no fundo das aguas
nao bavia animaes, todas as cousas fallavam.
Ha por ventora mais poesia na IradiccSo gene-
siaca dos Vedas '1 Percorrendo as paginas que
encerrara os vestigios de um passado to lumino-
so, parece-nos que estamos iendo os captulos
do Pentateucho ou os versculos os Vedas, essas
urnas do pensaoieoto humano que constituem o
laoode unio entre D<>ub. e o homem ; 6 como
que nm vagido da eleraidade, que ficou gravado
- na mente da creatura no dia da sua degradaco.
A poesia, pois, entre os indios era urna forma
especial de seus cantos de guerra, tambem em-
pregada as raanifeataces de suas palxes. eren-
cas, legendas e episodios, que ora vo exhu-
mando das tradics os esenptores brazileiros e
ataviando as com as galas da hoje tao rica poesia
nacional masdeixando Ihes todo o sabor, toda a
eriginalidade e todo o seutimento, que nellas im-
primiram aquelles poyos primitivos.
(Contmia)
PARTE 0FP1CIAL
Actos do poder exscutivo
DECRETO N. 10,353.de 14 de se-
tembro de 1889.
Manda executar o ajuste feito entre o
Brazil e Portugal sobra a propriedadm
das obras litterarias e artisticas.
Bei por bem ordenar que seja executa-
o do Io do prximo Novembro em dian
te o ajuste constante da daclaracao firma-
da nesta corte em 9. do corrente mez de
Setembro pelo qual os gocemos do Bra-
zil e d Portugal concordam em que os
autores de obras li iteraras escriptas em
ortuguez, e das artisticas de cada um
s paizes, gozein no outro do mea-
to de propriedade que as leis ahi
ou as que forem promulgada
autores na-
rnerf oonse -
estado dos
tenha en-
io do Rio
o mez do Setena-
do
o Im-
gestade el-rei de Portugal e dos Algarves,
animados do mais vivo desojo de estreitar
e consolidar os vnculos de amizade que
unom os dous paizes, concordaram em
que os autores de obras litterarias, escri-
ptas em portuguez, e das artisticas de
cada um delles, gozem no outro, em re-
lacSo a essas obras, do oesmo direito de
propriedade que as leis ahi vigentes ou as
que forem promulgadas, concedem ou
concederem aos autores nacionaes.
Este accordo comecar a vigorar desde
o primeiro dia do mez de Novembro do
corrente anno.
Decorridos dous annos desde a data da
assiguatura, cada um dos dous governos
ter o direito de fazer cessar os effeitos
do mesmo accordo, prevenindo o outro
com um anno de antecipacao.
Em f do que os abaixo assjgnados,
devidamente autorisados pelos seus res-
pectivos governos, fzeram lavrar a pre-
sente declaracao e a firmaram e sella-
ram.
Feita em duplicata no Rio de Janeiro,
aos 9 de Setembro de 1889.
(L. S.) Jos Francisca Diana. .
(L. S.) D. G. N'jueira Soares.
Governo da provincia
EXPSDIE.NTK DO DI.V 12 DE AGOSTO DB 1889
Actos :
O presidente da provincia re30lve, de accordo
com a proposta do Dr. che fe de polica em offi-
cio de hoje sob n. 995, detnitir Francisco Mau-
ricio da Hotta e Genuino Barbosa Lima de
Aguiar dos cargos de 1 e .) Bupplentes do de-
legado do termo de Rom Jardim.Communicou-
se ao Dr. chufe de polica.
O presidente dafprovinda resolve, de accordo
com a proposta do Dr. chele de polica em ofi-
cio de hoje, sob n. 994. scipprimir o districto
de S. Vicente do termo de lioin Jardim, Picando
o respectivo territorio annexado ao districto do
que fui desmembrado Conmunicou-se ao Dr
cliete de polica.
o onoibivo presidente da provincia re-
solve exonerar, a pedMlo, o capitio Jos Gemi-
niaoo de Araujo Pinhair do districto Iliterario de Nossa Seubora j xa.
-Comraunicou se ao inspector geral da instruc-
cio publica.
= O cooselheiro presidenle da provincia re-
solve nomerr Prancisco Florentino Lcite para o
lugar de delegado do districto Iliterario de La-
goa de Gatos.Communicou-se ao inspector ge-
ral pa instrueco gublica.
O presidente da provincia resolve nomear
Jos Coelho i.eile para o cargo de adjunto do
promotor publico da comarca de Iguarass.
Fueran se as necessarias eommumeaces.
O presidente da provincia resolve exone-
rar Mauoel Vianna de Souza Barro3 do cargo de
collector provincial do municipio de Grvala
Commuoicou se ao Tbesouro Provincial.
O presidente da provincia resolve nomear
Prancisco Jos da Silva e Jos Eudoxio Goncal-
ves para exercerera os cargos, o i de collector
e o 2 Je escrivao da collectoria provincial do
municipio de Grvala.Communicou-se ao The-
souro Provincial.
0 presL.entc da provincia, de conformida-
de com a proposla do administrador dos or-
reios era ofliclo de hoje, sob n. 868 resolve no-
mear agente do correio de ScrinWem em subs-
tituirlo de Flix Pacheco de Menezes que falle-
era, Beojamim de Senna Martins. Communi-
cou se ao administrador doi correios.
Oflicios:
Ao commandante das armas. Conmunico
a"V. S. que, segondo consta do aviso do minis-
torio da guerra de 31 de Julho lindo, foi appro-
vado o acto pelo qual ticou a disposicao dcsta
presidencia o tenente do 14 hataihao de infan-
ria, Francisco Evaristo de Souza.
Ao mesmoApprovo o acto de V. S. de
que trata em o sen offlcio n. 1,696 de 10 do cor-
rente mez, que tica assira respondido:
- Ao inspector da Tbesouraria de fazenda
Em additameuto ao meu oOicio de 31 de Julho
tindo, declaro o V. S. para sea conhecimento,
que pelo ministerio da marinba, segundo cons-
ta do aviso n. 1,891 de 30 do mesmo mez, foi,
na mesma data, exonerado Jos Cando Caval
cante de Albuquerqjue do lugar de orofessor da
Encola de Apreudizes Marinhelros desla provin-
cia, e nomeado para substituil-o Joaquim Este
ves Al ves.
Igual ao commandante da Escola deApren-
dizes Marinheiros.
Ao mesmoDeclaro a V. S., de conformi
dad com o aviso do ministerio da agricultura e
obras publicas sob n. 14, de 30 de Julho ultimo,
que o director engenheiro enefe do prolonga
ment da estrada de (erro doj Recife a S. Fran-
cisco, Luiz da Rocha Das tendo sido cna:nado
corte por teiegramraa daquelle ministerio e
passado o exercicio ao 1 engenheiro Jos Anto-
nio Rodrigues Vianna all continuar emexer
cicio nos termos do citado aviso.
Ao mesmo Coaimunico a V. S. para os
lius convenientes, qfc-o juiz de direito da pro-
vedona de cabellas e residuos da comarca do
Recife, bacharel Francisco Doraingues Ribeiro
Vuiraa assumio no dia 10 do corrente, \\.\ qua
lidade de substilulo reciproco, o cxercicio I
vara de orphaos e ausentes, por liaver dado
parte de doente o respectivo juiz de uireito.
Ao mesmoComraunico a V. S.- para os
lins convenienles, que Hermelindo Vieira CabraJ
assumio no dia 30 de Julho findo o exercicio do
cargo de promotor pu'ilico interino da comarca
de Tacaral, ncmeado nelo respectivo juiz de
direito. *_ ;
Ao mesmoInclusas envo a V. S. doas
propostas para a compra das canoas do proprfo
nacional, engenho Suassuna, alim de serem la-
f
nacional, engenho I
vrados os devidos contractos com Mauoel
xier Carn'eiro de Albuquerque e Joaquim
vier Cartieiro d nos termo
l'do corre
de Jo*;
como
seo I
Xa
contractos respectivos, dos quaes V. S. en
me ha cos*Communicou-se ao engenheiro
Gregorio raaumaturgo de.Azevedo..
Ao mesrd. Para os ns convenientes
transmiti-Sj V. S. o incluso decreto de 30 do
corrente mez pelo qual foi nomeado o lento sub-
stituto da Faculdade de/Direlto-Dr. .Albino Gen
calves Meira de Vasconcello para o lugar de
16016*da 1 cadeira do.J5 anno da mesma Facul-
dade.
Ao director d: (ierra. Srva-
se V. S. ir tt existe Ba companhia de
^^Hm^^p! >e arsenal o menor An
Wtlio '''flTiSBBBBBBBBBBBBfri lS%1 ~SM'" 0 JQGlui
ria.IWfflWTl V. S. para seu co
nhecimento que segundo participacao da direc
loria da agricultura da secretaria de estado dos
iiegscios da agricultura, commercio e obras pu-
blicas, em officio n. 1, de 5 do corrente, foi por
despacho do dia 1 ipprovaso o contracto cele-
brado pelo ex inspector especial de trras e co-
lonissco desta provincia com Demetrio Carne-
ro Rodrigues Campello, para o fornecimento de
alimentacao a' immigrantes, durante o corrente
anno linanceiro.Commuoicon-se Tbesouraria
de Fazenda.
Ao inspector do Tbesouro Provincial.Re-
metiendo a Vmc a inclusa conta na importan-
cia de 0300 sobre o qual cssa inspectora pres-
tou a informacao n. 201 de 21 de Junbo lindo e
relativa despeza feita com o eaterra.T.ento do
cadver do guarda cvico Angelo Coriolane da
Motta, autoriso-o a man Jar pagal-a, levando di
ta importancia a conta do crdito aberto para a
guarda cvica por portara de3 do corrente mez.
Communicou-se ao Dr. chefe do polica.
Ao mesmo. Autoriso Vmc. de accordo
com a sua informacao de 7 do corrente mez, sob
o. 287, a fornecer ao administrador da Casa de
Detencao 160 vidros para os caixilhos das janel
las e mesanlnos d'aquelle estabelecimento.
Comraunicou se ao Dr. chefe iepolcia.
a o escrivao de pas encarregado do regis
tro civil na parochia do Santissirao Sacramento
de Santo Antonio do Recife.-Para os flns con
venientes remello a Vmc. a inclusa copia do
termo de bito do D. Mana Adelaide deAlbu
querque, esposa doDr. Jos Maria de Albuqucr
que e Mello, fallecida a bordo do vapor nacional
Alagos, em viagem da Bahia para o Rio de Ja-
neiro.
Ao engenheiro director das obras militares
do porto.Tendo sido arrematada acollocagiio
da superstructura metal!ica da ponte Buarque
de Macedo,informe Vmc. se nella trabalham ou
fazem servico os empregados dessa reparticao e
se as respectivas oflhinas obrigam se a fazer
gratuitamente trabalhos de qualquer natureza
para aquella coliocaco.
Ao engenheiro em chefe do prolongamento
e estrada de ferro de Caruar.Declaro a Vmc
que segundo o aviso do ministerio da agricultn
ra, commercio e obras publicas sob n. 13 de 30
de Julbo ultimo, nao pode ter lugar actualmen
te a construeco de nma estacao dessa estrad i
de ferro na freguezia de Afogados conforme fot
solicitada por proprielarios e moradores d'alli.
Ao engenheiro riscal da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco. -Declaro a Vmc. pa-
ra o fazer constar superintendencia que por
aviso do ministerio da agricultura commercio e
obras publicas sob n. 12 de 30 d Junho ultimo
Tie foi apuro vado o acto idesta presidencia de
1 daquelle mez ordenanda a suppressao de. um
trem de carfn nu.- *-* "la.de fepfOn
das e quintas feiras.
Ao fiscal da compauhia locomotora per-
nambucana. A' requisicao da Cmara Munici-
pal do Recife de 31 de Julho ultimo, sob n. 58
e atiento ao rao estado da coliocaco dos trilitos
dessa empresa, de modo a embaracar o transito
publico, de conformidade com a aformaco de
Vmc. era officio de 8 do corrente, cumpre-lne
intimar a mesma empresa para, nos termos do
seu contrato, reparar todos os trilitos de viacao
a ella pertencentes. marcando-lhe Vmc. para o
comeco desses reparos o praso de 15 das a con-
tar de 15 do corrente e desentulhamenlo dos tri
Ihos e para sua concluso o de 45; no caso con-
trario far aviso previo secretaria de obras pu
blicas para fazer executar esses t'abalhos por
contada mesma empresa conta da caugao que
tem ella em deposito no THesouro Provincial. Do
que occorrer participar opportunameute' a esta
presidencia. Fizeram se as necessarias com-
municaces.
Ao I." juis de paz do 1. districto da paro-
chia d Santo Antonio de Jacarura. -Corape
tindo a Vm;., nos lermos do nico do art. 10
do regu'.amei.tomnnexo ao decret n. 5881 de 27
de Fevereiro de 1875, presidir a junta do alista-
mento militar dessa parochia, assim Ih'o declaro
para seu donhecimento e devidos lins.Commu-
nicou-se ao juiz de paz de Santa Cruz do Brejo.
Portaras:
Os Srs. agentes da Companhia Braziieira de
Navegacao a Vapor facain trausportar provin-
cia da Babia por conta do Ministerio da Guerra
o 2. cirurgo do corpo de s..Je do exercito
Dr. Euclides Alvcs Requiao, que segne para all
de conformidade com as ordeos do referido Mi-
nisterio. Manlou se a Thesouraria de Fazenda
ajusiar contas e coimnunicou-se ao comman-
dante das armas.
Os Srs. agentes da Companhia llrazileira
de- Navegacao a Vapor mandem dar passagens
de r at o Rio de Janeiro, na primeaa opporlii-J,
nidade, a Jos de Albuquerque Slraes do Ama;
ral por conta das gratuitas a que o governo tem
direito.
O Sr. superintenJente.da Estrada de Ferro
do Recife ao S. Francisco de passagens, por
conta-da provincia e com direito a bagagem, da
estaco de Cinco Pontos a de Una, s pracas do
corpo de polica Rufino de Souza Araripe e L.iu-
rindo dos Santos Correia que v3o destacar em
Caohotinho, providenciando quanto ao transporte
da raulher da praga Santos Correia.
dem ao encarregado da estaco de Pal-
mares.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETARIO
Oflicios :
Ao commandante das armas.S. Exc. o
conselfieiro presidente da provincia manda com-
municar a V. Exc. que transferio^vtra o dia 17
do correule a viagem do vapor Fernando de
Noronha.Fizerara-se as necessarias communi
cages.
- Ao inspector da Thesouraria de Fazenda
0 Exm. Sr. conselheiro presidente da provincia-j maria!
man Ja remetter a V. S. dez ortfs, sendo nove
do Tbesouro Nacional de ns. 113 u 111 e urna do
Ministerio da Guerra de 26 de Julho ultimo
Ao Dr. 1." secretario da Assembla 1/
laliva Provinciaf. -De ordem do Exm Sr. cosi-
selheiro presidente da provincia devolvo a \
um exemplar da Resolugo enviada com o seu
o Hiero u. 142 de 8 do corronte mez, que deixou
de ser 3auccionada pelos motivos expoatos na
na ResOlugo.
Ao inspector do Tbesouro Provincial.O
Exm. -Sr. conselheiro presidente da provincia
la commooicar a V. S.. nvo
tes, que a
indo part
homeou em i
AocoMj
Exm
manda coma
offlcio n. 90
dem so J
abonada aoj
dos Sanios/
da Madre 1
liase.
lente destino
rara o offiio de Y
filo corpo de polica.-'O
Rdenle da provincia
, om resposta ao seu
Ijcorrente, que expedio or-
incil no sentido de ser
corpo Antonio Carlos
destacou para o Brejo
de cusa que Jne corape-
Internacional do Bra-
i presidente da provin
lebimeqft-do offido de
ocumeotos qPflsJHIBBP
8. n. 46 de 6 do correte.
DESPACHOS DA nttSIOENCIA DO DIA 27 DB
SETEMBRO DE 1889
Albino Femandei 4 C.Como requer.
Elpidio.de Cartalho Raposo.Como re-
quer, marco o prazo de 30 dias.
Felismino Thonaz de Aguiar.Informe
o Sr. ongeuheiro Gregorio Thaumaturgo de
Azevedo.
Francisco Ferreta da Silva. Informe
o Sr. ent^nheiro fiscal da Companhia
Recife Drainage.
Isaal Esnsty.1 forme o Sr. engenhei-
ro fiscal da Compaipia Recife Drainage.
Jos Pereira di Araujo Informe o
Sn director da Cobnia Isabel.
Jos Joaquim ds Sant'Anna.Informe
o Sr. Dr. chefe delpolicia.
Jos Joaquim Aves & C. Sir, com as
restrico3es do estyl*.
Joanna de Jesns Neves Quaresma
Daarte.Informe i Sr. engenhejro fiscal
da < ampanhia Recifi Drainage.
Joaquim Irineu da Chagas Rezerra. -
Informe o Sr. engeibeiro Gregorio Thau-
maturgo de Azeved<
Jos Pedro Alexaldre Bezerra.Infor-
mo o Sr. engenheio Gregorio Thauma-
turgo de Azevedo. I
Leonor Porto.(jomo requer.
Bacharel Miguel! dos Anjos Barros.
Deferido com offic de hoje Thesoura-
ria de Fazenda. i
Mariinho Lopes da Costa.Informe o
Sr. Dr. cnefe de poicia.
Reis & Santos.Mrn, "com as restric-
{Ses do estylo.
Antonio da Costa Ribeiro.Sim.
Maria Rosa Perei Como requer.
Abaixo -ssiguadoa, encarregadqs pelo
povo de promover una sprjscwjjw) para
frotar unrvapoc, que tato jWMjt1i*li h un
presidio de rerqando d iBW]
o cidadSo Antonia Chrispira de Qiivrn.
- a. -,ta ^aatp^CflP^oes, indeUsfiao.
Maooel. Jc*iutn;;' B#rbos.fhforme o
ir Dr. directF?a Instruccjlo Pnblk^
Antonio Juvinti da Fons.eca.T-A p-'
ciacSo e processjdo direilb do sowKcante
devem ser feitaaterante es,ta prsfdencia,
nRo bastando a dfcretacSo de uauo.
Maria Perciliaja Vilella das Stos.
Como fequer.
Enthalia Froe de'Oliveira.Sim, su-
jeitando-se com-dicargos do Regulamento.
j 28
Anna Laijrioda \orejSo Barbosa.Sim, obser-
vando se o dispostd no art. 2o da lei n. 2 O 20/ de
15 de Julho do corrtnte anno.
Anna Umbelioa de Miranda-Nomeie se.
Antonio Nobro ddAIraeida e CastroSim, com
ordenado. ..,,-.
Antonio Joaquim'de Albuquerque Mello seito
Informe o Sr. inspector geral da Instrucco
Publica. .
Agostinho Jos .03 Santos Jnior- Informe o
Sr. inspector gera; da Inslrucgo Publica.
Francisca Lsdo/ina Ribeiro Bacellar^- Sim,
na forma da le 2,020 de 15 de Julho deste
anno. .,
Hermogeces francisco da Silva-Ao Sr. enge-
nheiro Grerk>Tnaumaturgo de Azevedo para
examinar averade do allegado e altender
justa petigti-
Hermilla florista da Cunba SallesComo re-
Iria Nogara ba Cunha Leile -Informe o Sr
inspector gefal fa Inslrucgo Publica.
Joo Vicete Ferreira CoelhoInforme o Sr.
director engpnnpiro em rhefe do Prolongamento.
Joacna"M*ia Pain Informe o. Sr. director da
Colonia Izel. .
Luiza Afflwin de Druramond Informe o Sr.
;n3pecior ge-al da Instrucgo Publica^
Maria do ^mparo de Mello Rundel Informe o
Sr director ida Instrucgo Publica.
Manocl Joaquim da SilvaCumpra o precei-
luado em dejpacho do Exm Sr. gowrnador do
bispad e votte.
Mari Joseoha Pesson Ayres Informe o Sr.
insnee: M ieral da-Instrucgo Publica.
RavOunao Bernardo LasaerreAprsente pro-
posta je lbe convier. Se o supplicante possue
inoinhi era garantida a sua manutengao e des
de qu se estabeleca nova situagao para a in-
dustria dfltte so trata.
Weicslfc Piolo de PairaInforme o Sr. in3
pecto/do tfceaouro Provincial.
>4S| Pina-Informe o Sr. director da
(ocisca Lobo BarrosGomo re-
ier. '
^b Maia c Silva Jumor-.-. visla
Repartido da Pocla
2.a seceso.N. 1.193Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 1 de Outubro de
1889.llm.e Exm. Sr.Participo a V.
Exc. que foram hontem recomidos Casa
de Detencao, os seguintea individuos :
A' ordem do subdelegado do Recife, Flix Xa
vis/ de Sanl'Anna e Adoipho Lins de Araujo por
embriaguez e disturbios.
A' ordem do do 1." districto de S. Jos Gal-
dio dos Santos Gloria, Anacl'-to Jos, da Cruz,
Julia Mana da Coaceico. Maria Saturnina da
^^Skto, Vicente Ferreira d
"rosmaes, Adrdpbo A|

'rielo de S. Jos?, Seve-
rino Pedro da Silva e Manoel Leocadio da Silva,
por embriaguez e disturbios,
A' ordem do.do 1." districto de Afogados, Jos
Reinaldo Pereira da Silva, por crime de deflo-
ramento, 5 dis^osigo do Dr. delegado do 1.*
districto da capital.
A' ordem do do 1. districto da Boa-Vista, Ro-
mano Jos Nogueira e Rosalina Maria da Con-
ceigo, por ofTensas moral publica.
A' ordem do do 1.* di-trelo da Graga, Heme-
terio Tavarea e MaximianoCarneiro, por embria-
guez e uisturbios.
Commuoicou-me o delegado de Palmares,
Sue no dia 27 do mez Ando encluara a prisao de
os Bezerra dos Santos, que fazia parte de urna
quadrilha de ladres de cavallos ha muito tempo
organisada naquellc termo.
Segundo intormacoes, Jos Bezerra crimi-
noso de morte no termo de Atalaia da provincia
das Alagoas e est pronunciado no de Pesqueira
desla provincia como inenrso as penas do art
257 do cdigo criminal.
Pelo subdelegado do 1.* districto da Boa-
Vista, foram remettidos ao juizo competente os
inqneritos policiaes a que procedeu contra os
individuos de norae Desiderio Basilio de Luna
e Florentino de tal, este como incurso as penas
do art. 205 do cdigo criminal e aquelle as do
art. 19, 2.a parte da reforma judiciaria.
Pelo subdelegado da freguezia de Santo
Antonio, foram apprehendidas a diversos desor-
deiros e remettidas a esta repartigo 17 facas de
pona 3 caivetes, 3 espetos, 2 compassos, 2
revoWers, 1 navalha e 1 bayoneta.
Dous guarde a V. Exc. Illm. e Exm.
Sr. conselheiro Manoel Alves de Araujo,
mui digno presidente d'esta provincia.
O chefe de polica, Oeroncio Dias de Ar-
ruda FaleSo. .
Estado.
zenda
A fid
como o'-i
Srs. Hol__
e n'uma43 p'r
o se o'parecer da se'cco de fa~
tres dias.
tico, em Londres, continuara
nternacional, a ser regida ploe
erdmann ; e corre que em Saris
gas de Portugal tambern se esta-
Thesonro ProvIueI.il
DESPACHOS DO DIA 30 DE 8ETEMBEO DE
1889
Luiz Moreirn da Silva. A' Recebcdoria.
Jos Lsopoldo Bourgard, Pedro Secundino Bar-
bosa da Silva, Rodolpho Ulpiano da Cmara Pi-
mentel.Ao contencioso.
Francisco Pedro Bolitreau, Enedina de Castro
Moreira, Antonio Luiz Baplista, Rufino Susano
Guio de Miranda, J03 Dias da Silva Guimares,
Manoel Martins FiuzaeJoo Joaquim da Costa
fceitc-A'Conladoria.
* a"K-erem de CWffo Paiva efiz,-i.Entregue-se.
rain fornecidos
ra ser e
os meclicaraen
es pela Enfcr-
rme o Sr.
o Publica.
5Informe o Sr. m
rovincial.
JriRues EsteresComo
loa.- Informe o
isonro Provincia
raesAoSf. inspector
joaDeferido,
lochaSim.
i Figueiredo
-Como requer
i;ncia de Pernam-
1889.
O porteiro,
IsUaTSBV^S* Pnhlt..
DESPACHOS i O Drs. 28 DE SETEMBRO DE
1889
Fausta Felicia da Cunha Rozal. Encami-
ahe-se.
Lilioza Silvina de Oliveira e Silva. Curapra-se
e registre-se a apestilla de 28 do corrente.
30
Jos Theodoro Cordeiro de Barros.Cumpra-
se e registre-se a apostilla de 23 do correte.
Adoipho Astolpho Lins de Albuquerque.En-
camiuhe se.
1 de Outubro
Tenente coronel Manoel Gongalves Ferreira
Costa.Cumpra-se e rgistre-se.
Digna de Santa Rosa e Maria Paulina Alves dos
Santos. -Encarainhe se.
Julia Maria de Caldas Rocha e Francisco Ale
xandrino de Caldas Rocha.Cumpra se, regis-
tre se e marco o praso de 15 dias para entrar
no gso da licenga.
belectSo, flliaes.
Com a dhorainagb i flanco Colonisadur r
Agricola inslallou-s no mez de Setembro* findo,
na praga do Rio de Janeiro, om importante esla-
befecimento bancario, com o capital de .....'.
12.ffte:O0OiO00. dividido em 60.000 acgOes de
da ucna. -W
_3(Se aloln
ter3se para o deseorolvimeote de Brazil, per-
povoahter
Fundado em poca 'B99Wfil' "para
d'esta ordem, dispondo d-pessoal habilitado, au-
xiliado por favores do Estado, sao obvias as van-.
tagen.s nnanceiras que deve proporcionar to im-
portante instituigo.
A subscripeo para um tergo do capital foi
aborta n'um dia e encerrada n'ontro no Banco
Comraercial; e os Srs. subscriptores fizeram logo
urna entrada de 20 ou do 10 % por aego.
No dia 23 de Setembro findo, teve lugar a ses-
so de instaliaco.
Abri a sesso o Sr. commendador Antonio
Jos Gomes Brandao, que agradeceu a prova de
cooliaocadada pelos subscriptores, subscrevendo
ISo avullado capital, e concluio propondo para
presidente da assembia o Sr- vinconde de S.
Luiz do Maranho, que acechando a presidencia,
convidon para secretarios os Srs. commendado-
res Bitlencourl da Silva e Jos Joaquim Coelho.
Lidos 03 estatutos e a certido de deposito de
10 /. do capital, pelos accionistas foram ractid-
eadas as diaposigoes da lei orgnica do banco e
nomeados para a sua primeira directora e con-
selho fiscal os Srs.:
Commendador Antonio Jos Gomes Brandao,
presidente; Dr. Carlos Pereira de S Fortes,
vice-presidente; commendador Cietano Pinheiro
da Fooseca, secretario; e para o conseibo fiscal
os Srs.: commendador Jos Marques de Carva-
Iho, Dominique Level, Jos Luiz Fernandes Vil-
lela, e supplentes os Srs. : Leonardo Caetano de
Araujo, Joaquim Pinto Cardoso de Menezes e Jos
de Araujo Coelho.
Pelo Sr. presidente foi declarado iustallado o
Banco e em acto seguido assignada a respectiva
acta de instaliaco.
ADESTRAS e artes
Entre as mais fecuudas, vantajesas e uteis as-
sociagoes que acabam de se orgauisar oceupa
lugar saliente o Banco onslruclor do Brazil.
As operagOes que este banco se propSc reali-
sar sSo complexas e represeolam a melbor appli
cago possivel de capital, visto que directamente
visain a augmentar e facilitar a produego do
O capital do Banco Constructor ser de 50 mil
contos dividido em 250 mil aeges de 200# cada
urna, sendo que sero consideradas inl-gralisa-
das quando realisados 50 /0.
Os.encorporadores desse Banco sao os Srs. con
selheiros Francisco .de Paula Mayrink, Baro do
Alto Mearira e Dr. Joo da Malta Machado, e o
cooselbo director que funecionar por seis annos
ser assim constituido:
Presidente, seua.lor Visconde de Assis Martin?;
vice presidente, Dr Alfonso Celso de A. Figuei
redo ; directores, Dr. Joo Carlos Mayrink, cora-
mendadores Domingos Silverio Bitiencourt e Jos
Pereira da Koclu Prannos. *
Abri se e cncerrou se no di > 23 de Setembro
prximo passado a subscringo do capital de
30 0O:000S desse Banco. Desde as 9 horas da
manila a raultido ile subscriptores dispotava lu
gar na frente do edificio do Banco de Crdito
Real do Brazil e ao abrirera se as portas irroai-
p.'u. na portia de conquistar a vez.
O Banco teve de fechar as portas depois de
meio dia.
A gubscripcao, como prevnraos, foi preencln-
da em breves instantes.
Aperar de se ler p > que a su
gao se encerrara des
omsia de 230.000
gida a ieeilar as as.
que so aciiavain
Xa Historia da praga do Ro c
iplo de to cstrondoso su
ment de a', como o c
Constructor do Brazil.
:ilu a
^^^^|a foi
^biiIps
ihcio e a
Em 1.a se-so rcui
o Sr. Vi
oresidente o Sr. 15
tmmendador M
Consta que b
I Banco
O nosso cnsul geral em Antuerpia, Dr. Luiz
Pires Garca, dirigi ao ministro de estrangeiro
iuformages sobre a diminuigo da safra do as-
sucar; e-no interesse de vulgarisal-o em orien-
lag&o dos productores e commcrciantes do paiz,
passamos a consignar por trechos as referidas
nformgOes officiaes:
' Essa alga c por alguns exclusivamente ai-
tribuida influencia de um syndaeato de espe-
culadores. E' possivel, mesmo -oroyavel, que
a especulago tenha contribuido para elevago
do "prego do assucar: outra causa, Vpetp, mais
poderosa deve tel-irpromovido, como 'sejs o d-
ficit na produego do assucar, calculado em
330,000 toneladas. _..
Em geral e parlicurarmente em ^Mncr,-yja
cultivadores da beterraba, que nao especulam
por certo, nem lucram com a alta actual, enlre-
^ft8.0roJte.cl-^-4e 3Uas celbeitas no mez de
genhos. que em 4 mezes, mais ot"ttfSfr8}^6Q^
vertem a beterraba era assucar bruto e o ven-
dem, a proporgao que o fabricara, aos refinado-
res. Sao estes que em Fevereiro possuem as
tres quartas partes pelo menos do assucar bru-
to. Sao igualmente os refinadores pouco nume-
rosos e dispondo de grandes capitaes, os que
podem meihor dirigir as cotagOes do assocar.
A qualidade correle, o mascavado, de 88 por
100 kilos era colado em 31 de Outubro de 1888
entre 34,50 e 36,30 francos nos tres mercados
reguladores europeus, Londres, Magdeburgo e
Paris. Esses precos elevaram-se a 51,25, 56 e
56,17 francos em Margo ultimo. Nesta epocha
do anno, exgotada em grande parte a nrovisao
de assucar de beterraba. o assucar de arana
que principalmente o subslitue as transaccoes
do commercio. .
Avalia-se actualmente era 5,000,000 de tone-
ladas a produego universal de assucar, da qual
2 700 000 de assucar de beterraba e 2,300,000 da
de canna. Sao a Franca, a Austria, a Blgica,
algunas provincias da Russia, e sobretodo a Al-
lemanha, que produzem o assucar da beterraba.
Cuba o uiaior productor da canna, seguindo-se-
ihe Java as Aulilhas britannicas o Egypto, a Ma-
niiha, o Brasil, as posses fraocezas das Anti has
e da Reunio, Estados-Unidos e em menor esca-
laJGranada e Malaga na Hespanha.
Quando a produego do assucar delncteate
em Cuba e Java, difficmente ella compensa-
da pela de outros paizes. E justamente oque
parece ter acontecido na ultima colheita, em
que as intemperies fizeram diminuir em mais de
metade a quantidade do assucar nesses dou3
grandes centros de produego.
As existencias de assucar apresentavam. pois,
em Marco ultimo urna diminuigo de 330,000 to-
neladas, comparativamente ao mez de Outubro de
1888. At Outubro prximo nao se poder contar
com randes lemessas de Cuba e Java. Os pre-
cos elevados faro naturalmente diminuir o con-
sumo ou provocado a reraessa de assucarea de.
outras procedencias.
O Eeonomist publiiou ltimamente um peque-
o quadro comparativo sobre as quantidades e o
prego do assucar em Inglaterra, no uieiado do
mez de Marco, durante os ltimos quatro annos
de 18 6 a 1889, da qual se deprehende que as
importacOes de assucar u'esse paiz foram g-
menle de 104.700 Uueladas de 1 de Janeiro at
11 le Maio de 1889 outra 108,500 no mesmo
periodo de 1887, e 181,500 no correspondente
d--1886 Do mesmo modo os stocks de assu-
cares exigientes na Inglaterra nao eram seno
I3o,0.M) toneladas em Maio de 1889 contra 311,000
em Maio de 1886.
A differcQga porlauto, enorme entre 1880 e
181U.
Eis ahi a principal causa da alta recente-dos
assucares, cansa prevista e explorada lalve
pelos especuladores. Seriara deveras necessa-
rias soturnas colos-aes pura monopolisar ou oc-
eopaf inteiramente um producto to conside-
3,000,000 de tonelada.; de producco an-
,,,1 am un valor de cerca
de 2,000 000,000 de fi anc .,
E.n qnanio todos os objcc.tos fcaMM
o ass-i.W p.docoutrano tem baixauo constan
tcment de proco de 'Vi ^^L
raba Nos ltimos 10 annos vaha elle um tergo
metade menos que
,gmenb>.
nnre-






de iJutuDro ^e
89
paes
dos engt
fecoar.
aainbuc
TIAMIPCOES
00!


an
sasa
Dei
(Pd,da. E' sabido que onaM*rttitt'<-egttw pfl
framma da fedeMMdaf4Mvincias, adaptada
alias por liberaes caosuioea, mas o que ponaos
sabeui e nos ousaaae rewtar, u fa-da misa
reportagem, 6 qaebiBH prctend AanoH
Assembla Geral a 4a Constiiuieo, era trate
las provincias e sao-alaBaove _
nana, de conformldade com o art. ITO da mes-
ma Constituico. Para esse lira tem o governo
tai esludas um projecto completo.
Esse projecto afrouxa m peuco, muito pouco.
M laces que jungem as provincias corte, ao
poder central, que tudo faz e desfaa. e poderia
sattsfcuer ha- de* armos s asprateos derlas."
Hoje nridamos que consiga tanto.
Para que os leitores possaui julgar, aqu da-
nos na integra o projecto em elaboraeao.
Art. i.' A Aserabla Geral Legislativa re-
uJ ya *
Art. I.* Os presidentes de provincia, serio
nomeados pelo governo imperial d'eotre cinco
cidados eleitos pelas respectivas Assemblas
gislativas.. Sero cons'derados vice-preat
entes oa quatro outros cidados, na ordem em
ue designar o decreto de nomeacio.
5 i.* Servirlo oa presidentes de provincia du-
raste quatro aunos, a contar do da da posse.
Os vice-presidentes substitul-os bao em anas
faltas ou impedimentos, at completarse o qua-
trieonio.
{ 2. Os presidentes de provincia a vice-preai-
daotes otante podere ser destituidos :
I. Por^kentecca do tribunal competente, que
os. condana* perda da cargo, passada em jul-
gauo, de coalormidade com a legislaco em
. Por iocapaeidade physica o a moral,
l. Por desobediencia as ordeos do governo
imperial sobre negocios que nao sejam de mero
inters**municipal ou provincial.
leste ltimo caso porm a destituico ser
precedida de audiencia sua, pata justificar-se, e
do conselho de Estado pleno.
| 3. O governo podara ioverter a ordem de
precedencia, dos vice presidentes de provincia,
seas conveniencias do Estado o exig rem.
^ 4. S em qualquer das hypotheses do J 2
ns. I a l eageiar-se a lista de que trata o art.
1, assumirao o govetna da provincia o com-
maodunte das armas, onde hjuver; na falta
dea te o chufo de polica, e em sua falta o inspe-
ctor da Tnesouraria de Fazenda geral, at que a
Asaembla Legislativa, que para esse fim ser
convocada no praao mximo de 30 dias. orga-
nise nova lista, da qual nao podero razer parte
os cidados que houverem sido demittidos.
Art 3. primeira lista quintupla ser orga-
nisudapelas Assemblas Provinciaes em seguida
eieieao da mesa e commissoes, logo (rae se
reunirein depois de promulgada a presente le.
As subsequeates sel o-ho no anuo em que
terminar o qualrieenio, convocada para esse
fim as mesraas Assemblas com a devida ante -
cetencia. se for necessario. .
| !." Cada meuibro da Assembla Legislativa
votara em tres nomes, conslituindo-se a lista
com os cinco que obliverem maior numero de
votos.
{ 2. O decreto de nomeacao do preaidente e.
designaco de precedencias entre os vice presi-
dentes ser expedido dentro do praae de 60
dias, a contar do em que deva chegar capital
do Imperio a aullieulica enviuda pelo presidente
da Assembla, que exigir recibo da reparlico
dacorreie expeditora.
} 3. Nao se effeetuau Jo a noaieacao, ao ci-
dado mais votado, e, na jgualdade da votacao,
ac-maia ho deferir juramento e dar posse a
Asaembla Legislativa Provincial, se estiver
fuaccionando, e na falta a Cmara Municipal da
capital. Os deraais membros da lista sero os
vice-presidentes, na ordem da votaco ou da
idade.
I Nao se reunindo a Assembla Legislati
vadVovineial no dia em qne for convocada, ou
ne procedendo por qualqner motivo orgaoisa-
eao da lia*, ordenar o governo que continu o
Fireaidente oo soppleute em exercicio, at que a
Isla se organise.
0-letnpo ssim decorrido .ser coatado ao
qualrieaoio.
Art. 4." Compete aos presidentes de provin-
cia, alin das a4trjpjtfie?,uiit thfcOOtWfflJ ct
mesmo anno :
| i.* O provimento de lodos os oficias de jua-
nea e suauenso dos respectivos fuuccionarios,
guardadas as formalidades presenptas pelas leis
geraes e as provinciaes em vigor;
2* A nomeacao, suspenso, demissae e apo-
teataco dos empregados subordinadas aos di-
versas ministerios, que as provincias tenhaai
exercicio, excepto :
l Os membros das relacGes e tribunaes supe-
riores ;
II. Os ebefes de repartico, ito compretaen
desdo, porm, o secretario do governo provin
cial;
ni. Os militares do exercito e marraba;
IV. Os che fes de ser-icos technicos, como es
Iradas de ferro, empresas de uavegacao, estabe-
lecimento3 agrcolas ou. industriaes costeados
pelo-Estado ;
V. Os que dependerera de accesso
VI. Os directora, lentes e professores de es-
tabeleciocntos de instrueco superior, secunda-
ria ou protisi j.ial, creados pelo Estada ;
VA. Os coramaiidantes superiores e dos cor
pos da guarda nacional ;
8 A diapaaicado j.2' nao compreueade os
empregados, cuja oomeacao, suspenso edeitis
sao pertencam por lei ou regulamealo geraes a
funccionanos subalternos.
14* No exereicio das attribuicdes conferidas
pelo f 4* deste artigo deverao os presidentes de
prosiocia cingir-se as dispostces das lels ge-
raea e dos regulamentos ou instrucces expedi-
dos pelo governo imperial.
Art. 5.a Revogam-se as dispose5es em con-
trario.
i J 9 do iclonal,
is provinciaes guardar as dis-
>eg, coocernentes s espe
BJBturcza das penas e molo do
a 4 otribuicio conferid
Idicional podem as

distin
8

rVtdootier^^B
mao-Ixado de pracas. respeitado o prece^H
arl. M da ConsUtuijo.
Art. 9. O proaasso para damusa e suapaa
cional e arts. 4.#, 5." e 6.- da lai fle W de Maio
de 1840, deve ser estahelecido por lei geral.
Art. 10. as atlribui$6es das assemblas pro-
vinciaes tlxadas nos arts. 10 e 11 do Acto Addi-
cional nao se inclne o dimito :
S 1. Oe legislar sobre assumpUM especial-
mente concernenles industria, salvo a conces-
sao de favores tendentes & sua promoco e des-
envolvimento;
| ." De conceder] privilegios, que no-se re-
firam striclaraente aos objectos especilicados no
8. do mencionado art. 10; sean prejuiso de
quaesquer obras n empreaaa qne pertencerero
admlnistraco geral do Estado.
Art. U A palavra importaoo do art II do
Acto Addkioaal comprebeude tanto a dos pal-
ies estraogeiros como a de urnas para outras
provincias-do Imperio.
Art. 11. Iocluera-se na prohibico do art. 1*
do Acto Addicional, para oa effeitos declarados na
art. 16, os projectos que importaren derogacAo
de lei geial, aohre asiumpto da mteresse ge-
ral.
Art. 13. A palavra *rse<0*ar do art 45-do
Acto Addicional significa que o projecto de lei,
reenviado ao presidente em aualquer das duas
nypotbese8 no mesmo artigo figuradas, deve ser
publicado o mandado exucutar nos termos do
art. 18.
Art. 14. As palavra noca rfurgn do art 16
do Acto Addicional querera diier que a assem-
bla provincial deliberar de novo sobra o orije
cto em urna so discusso.
Art. 15. A clausula do art. 15 do Acto Addi-
cional, se for adoptada tal quat ou modificada
no sentido das razes pelo presidente allegadas,
nao obsta que a assembla provincial modifique
o projecto, a nao ser para conforma!-o em tudo
com as razoes do presideute da provincia.
Se, porm. o presidente negar a saneco, fun-
dando se ao mesmo lempo no art. 15 e no art.
16 do Acto Aliicioml, pode a assembla pro-
vincial, modificando o projecto no sentido das
rzoes deduzidas no art 16, reenvial-o ao pre-
sideule na forma e para os efleitos do art 13.
Art 16. Denegada a saneco no caso do art
15 do Acto Addicional, nao poda o presidente
da provincia reconsiderar o projecto, quando I he
for reenviado, para recusar-lbe a saneco, por
motivos deduzidos do art. 16.
Art. 17 Os dois tersos da que trata o art, .16
do Acto Addicional sao. dos membros presantes
na sesso em que se deliberar sob a lei nao. sane
cionada.
Art 18. incumbe so presidente da provincia
publicar as leis e resolucSes de que trata a L'
parte do art. 13 do Acto Addicional, salvo sem-,
pre o remedio esta'belecido no final do art. 19-
Abrangendo, porm. asas leis e resolucOes ob-
jectos nao comprehendidos na excepcio do art.
13, procedern presidente nos termos dos arts.
15 e 16.
Art Ifc'-A wuldade conferida ao preajdente
da provincia no art. 24 3 do Acto Addicional
nao applicavel a leis e resolucoes j aaaccio-
nadas. m; 3 s mencionadas na exposico do
art. 13.
Art. 20. A attribuico qne pelo art. U 3.
do Acto Addicional compete ao presidente de
provincia, nSo pode ser exercida obre parte s
mente do projecto de lei.
Art. SI. So depois de decorrido o prazo do
art. 19 do Acto Addicional pode a assembla
provincial ordenar a pudicaco da lei, como
dispoe o final do mesmo artigo.
Art. 22. Ficam revogadas as disposiefies em
contrario.
Reforma adniaUtratlra
(Do P, da corte)
Aos projectos de reformas que o gaverso tem
em estudos c j publicamos, pdenos accrescen-
tar o da reforma da adrninistracSo. Este ser
provavelmente muito alterada, pois difcilmente
o chefe do poder execotivo far as concessoes
comidas no seu texto, mas por e nquanto o que
o governo submetteu ao placel da corsa a se-
guinte '
Art. 1. A assembla geral legislativa resolve :
Art. 2.* A palavra poZwa'a do art. | 4* do
acto addicional comprehende tambera a polica
juaiciana preventiva e repressivu, relativamente
aos delictos e contravences a que, pelas leis
geraes, nSo esleja imposta pena maior de mulla
at 1001. pnso, degredo oa deste,ro at au sem
ella, etres mezes de casa de carrecjo, em offi-
cinas publicas, onde as fi.ouver, guardada sem-
pre a ordem do procesao eslabelecida pelas leis
geraes
Art. 3* Na altribnisao do citado art. it | 4*
do acto addicional, compreliende se igualmente
a itntituico da milicia cvica, obrigatorta e gra-
tuita, para auxilio da polica local da paroebia e
municipio, sem organisaco militar e eamman
dada por officiaes eleitos pelos praprios mili-
cianos.
Art. 4 A attribuico conferida pelo art. 10 |
1* do mesmo acto addicional comprehende a no-
meacio dos juizes de 1* instancia, temporarios
ou vitalicios, devendo porem recanir sobre pes-
soas qne se mostrarem habilitadas, segando as
provaii estabelecidas em lei geral.
Art. 5,* a attribuico conferida s assemblas
provinciaes pelo act. 10 5" do acto addicional
eovol'e o direito de designar o jaiso pelo qual
devem ser processadas e decididas as osasas da
fezem.a provincial, guardadas porem as farraa-
lidadt's egtabelecidas pelas leis geraes.
Art 6* Na attribuico conferida as assemblas
provinciaes de legislar sobra oassssmptos meo
aion*109 nos || S', 5, 6, T, 8 e 11 do art. 10
do aclo addicional, compraheada se a facaldsda :
O castell da aperan?
(TBi vsnnrpc n)
_ ..i.'.. -f-_^t;u^imaaimprsso, que
nos cansa, ua passeio no campo.
O ar impregnado d'esse perfume balsmico,
que se desprende dos prados, nos delicia e en
canta.
O baloucar constante dos arvoredos frondosos
e o pipilar sonoro dos maviosos cantores do es-
paco, fazem nos reviver muitas vezes o coraco
despedacado pela dr e aborrecido pelo borbori-
nho das eidades.
E foi assim, elevada na contemplado de urna
d'essas tardes de verdadeira poesa quando a na-
tureza magestosa se ostenta va em toda a sua
plenitudc, que eu, obscura apreciadora dos mya-
teriosos prodigios da Creaeo, sent minb'alma
de.-ligar-se completamente da illusao perennal
em que viva e transportar-Be a ama regio alta-
mente collocada.
Na vastissima extenso d'aquelle formoso pa-
norama, e, pouco mais ou menos, a vinte passos
de distancia, vi idealmente construido entre mi-
litares de cabaaas espalhadas, um liudisiimo cas-
tello, cujos jardins em flor embalsamavam o am-
biente.
Era elle cercado de magnifica vegetaco ; mas,
destacava se perfeitamente ao looge, pelos Hu-
cnsoa eooloraos de sua primorosa arebitec-
O aspecto deslumbrante e attrahente, que
naitinha, quando j neo bavia seqaer um vislum
bre crepuscular nos offerecia a luz brilbante e
averraWbada, com qne era illuminado. impossi-
vel sria descrever.
Agradavelmente impressionada por todo quao-
lo aos raeus olos se assava, tentei aproximar
me e penetrar n'aqueUa sumptuosa habitacAo.
Efectivaraeote transpuz o liraiar das vastas
escadarias de pedra guarnecidas de acosa bera
e fui dar np interior de nm gabinete elegante-
mente preparado; onde, reclinada no espaldar
de um delicado divn, que o adornava, eslava
pensativa orna graciosa e interessante menina,
cujo porte altivo e senhoril me embellezou.
Ao sentir meas cautelosos passos, ella, a mi-
mosa florinha da existencia, pavorosa e inquieta :
exelamou:
Quem s c de ende vens ? >
E o coraco, que adivinnava todo aquelle mys-
terio, disse-lbe:
Eu son o typo fiel da desventura, que, de
joeluos. te vera supplicar a palma symbolica do
martyrio 1 >
*
N'essa grandiosa divagacSo decorreram Beis
annos, tres mezes e dous (fiag, at que no fim
deste periodo Judcado de flores perfumosas;
mas, orladas de e.spinbos de desgostos, emergi
d'entre as ruinas enfumacadas do rastello ideial
de minhas doradas phantasias aquella mei
ga bella, e encantadora vlso, completamente
traiisformaa i ^B^a racbitica e des-
figurada m semblante denota geral
enfraquecimerii -. I Mr poder permitlir
mais que BfiloAeatos de vida.
E sabes^^^B^Qfem foi aquella seduc-
i aermiftla virgem d'outr'ora, c,
rachitica e desfigurada
taha cruel, ingrata e falla-
, Amelia Qusmoi.
BENOMLVAQAO

nJ'iibii
dem al
uOMsf

alm de
ifres pro-
ores OiOJH
stituigSo
ai
inba-
3 3e 16
licajo da
da, com "o
jverno im-
esidcncia
adi Jos da
tro e Joan-
Itiflcaco de
_j de Junlio
ctTec-
asjH
.-. Vi
hontem a 3* sesaaeaaenaratoria sob a
ca do Exm. Sr. Bario de Itapisauma, tendu
5irerido os Srs. rhaelante da Cmara, Lopes
ido, Eliziario de Moraes. Juvencio Mariz,
Irineu Mace lo, Sosres de Amorim, Baro de Ita-
pisauma, Esteva da S a Jos Hara.
Alm deates Srs. deputados esto profflptos
para tomar parte nos trabalfios os Srs. Costa Ri-
beiro, Da ..-o de Caiar, Jos Ma-
Considerando
redundarem em
viuciaes amuninpa
cepjOes pesso
seu acto addicional; e li;
jf^tjsjdaiBando pa p
._ eocontraro r
iiitados para o pub
Resolve, de accordo
do acto addicional, s
referida resoluco que
presente acto, ao conbeci
perial. -Alces de Araujo
Acta ojactaea Pi
da provincia de 28 de Si
Foi concedida aos prol
Silva Pessoa, Mana do Rj
oa Carolina de Araujo
que trata o art. 2 da lei n.
lido, visto contarera raaj^H
tivo exereicio no magiste
fpram oncedidos -s^1^
3TU..IU,
sua Baude onde Ihe convier.
Era 27 e 28 de Setembro tiaeram despacho
as seguintes peticoes -
Directora da Socudade Cougrtsso Dramtico
kTeae/ieeiUe.Sim, observadas as condicOes de
uceio do edificio e despesas, excluida a de con-
tribuico, deveodo dar o espectculos a que
comprometteu-se o sea I i lda oaatinado Santa
Casa de Misericordia sem prejuizo de outras
concessoes que se fajara.
Dr Felippe Nery tollaco.Interpretando a lei
q. 1.924 a de n. 1,415 mandado que sej tnelbo-
ruda a aposentadoria do supsneante, nos termos
restrictos da qne fra conaelido ao r. Soares
de Azevedo, cuja pensfio en de 2:000*000, abo-
ne se ao supplicante, de cnfornfidade a lei in-,
terpretativa igual penso.
Caawlhe de compras 4a Btepartl-
oiaa Mari ata aPor (feliberaco desse con-
selho a concurrencia aberta para hoje, relativa
ao fornecimento de sobreialentes e materiaes
aquella Reparlico, foi trai jferide para o dia 7
do correte. ->
Besiatra eral de fcypottaoca do
Becir<9 Tomou houlem sse dos cargos de
ellicial do registro geral di hypolbecas e tabel
iio de notas desta comarcan Sr. major Joo Sil-
veira Carrfeiro da Cunha, ulimamente nomeado
Kra exercel-03, em ubsttuicao do finado- Dt.
Igencio Infante de Albuqietqi e Mullo
Ambos os cartorios- contiuam a funecionar na
raesma casa, ra do Imprador n. 42.
HoriaUdadr No t-miterio pnblico de
Santo maro foram sopultaios em Setembro :
* i Corpos
De 1889 30
De 1888 301
De 1887 i *
-Se 1866 2K
De 1885 H
A media diaria dos entcrAmentos em Setembro
lindo foi de 10,13.
Os das de maior numro de entet ramentos
foram : 27 em que liouve.inte ; 2 e 1 em que
bouve dezesete; e 11 em qe uouve quatorae.
Os dias de menor numro deeotecramentos
foram : 14 e 29 em queiouve quatro; 26 em
que bouve seis; e 6 e 8 en que boure sete.
Banco lalernactaml da Braall -Se-
gundo declaraso de gorelte da caixa filial do
Banco Internacional, em Plrnambnco, continua-
r a mesma caixa a funccjmar com aquelle no-
me at que receba aviso lo Rio de-Janeiro de
estarem concluidas as foraalidadesxigidas por
lei para poder o referido Ipnco fuocotonar com
o titulo dethmo Jacional o Brasit.
Recekedarta ITovtacial -Foi proroga-
do aiA5 do corrente o prsx de^afamento,
?em Sta, na Recebeoria PmBiw da con
iribaicSo devlda peles servic* d companhia
Inutit&***,* Offlclaew da Oaarda
nacional Amanfaa, s 6 l/'Shoi* da larde,
devenyaunir^e em assemblanasl os socios
do Inlmulo Beneficente do Oficiae da Guarda
Nacional, para tratarem de ne ocios de inters
se social.
BleieCa de conrrarts
hora da tarde, devem reunirse
os coufrades da rraandade de
do Rosario, erecta na igreja
Santo, para procederem el
funeconarios para o anno
i8990.
Feta na capella d
Tendo-se ultimado os exercicioi
so, que celebraram-8e na cai
em uliuda, lera logar oo domin;
crranle, a respectiva festa.
Esta constar da missa solemie com sermo
pelas 10 horas da maob, e Je Deum s 5 da
tarde, aps a coosagraco dosiaaeoinos, sendo
a mesma missa cantada a tres scerdmes.
Broca lnleriiacloB.il a Brasil.
Oe accordo com o resolvido pela respectiva
caixa matriz, a filial desia cidtde ftiDccionar
d'agora por olanle sob responsaUlidada do Ban-
co Nacional do&miU, "era que- fu^dio-s* aquelle.
PriiSo de erlnalnoao.Apta pohoia de
Palmares foi preso no da V de Setembro ulti-
mo, Jos Bezerra dos Santos, que (asa parte de
urna quadnlba de ladrees de cavaltos, organisa-
da n'aquelle termo, ha muito temp ; e sappde*
se por iof irmacoes qne o mesmo pewrra erl-
minoso de morle.na provincia de AJagoas ejacha-
se pronunciado no art. 157 de cdigo criminal
oo termo de Pesqueira.
JPaaaameaaaNdsabbado anoto deizoav
de existir D. Mara Guilherraioa d'Alfepquerqu
Accioli, snccurabindo a ama fraqu*zaongeoita
na idade de 75 anuos.
A finada era unta respeitavel matrhna, cujas
virtudes a recoramendarsin vnieralta.de lo-
dos que a conbeciam; e durante sua Vida mos-
irou um animo varonil, superior s vltissitudes
de que foi ella combatida, a ponto de, enviuvan-
do por um triste evento, e finando em eoadicties
precarias com cresclda prole, p;
dar Ihe urna educa gao, qne o pereane elogio
da iluistre tinada,
Era mi dos Srs. Adolphq, \ndoli,
Henrique de Miranda Henriqnes
rio Targini Acc :cioli e
Manoel Henriqne a> que ora
Ihe prantcam justamente a perda.
A' seus dignos ftlhos, entre os qoaen
bons amigos, os nossos pezames.
Boa Jaral naDessa localidadej
nos, que, eob a presidencia do
juiz de direito, funecionra o Tri
fra encerrada a sessao, sendo
jul^amento 13 reos.
Deates ferara absolvidos 4 e
demnados, sendo 7 a gales perpetuas, 1 a 8 an
nos e ootro a 1 anao de prisao.
Teem sido abundantes as ebuvas, e as que
cahiram no dia 28 foram preca^^^Brelam-
pagos; o que deixa suppor teren ; .;e esteu-
dido aos sertoes prximos.
Smente fazem-se esperar,
ticiaute, as chuvas de empregos
pelo Dr. Coimbra, perduran
asa aecca
MedniUn de pratn
tiado de 'ariz aos Srs. Alies. 1
nos foi honlem mostrado
brir dos mesn
la de |
Trazi a urna
nossos industriaes, de boa
mol-a a
nos con
xito q
rente o alie
* '; Diraitoa da consumo
,.. O de 20 /.
! '! Addicionaes de 15
5" Expedante de 5 %.
1 Armazeaagem .
iCapataiia. .
Imposta da fumo, 40
Despacho maiitmo
Imposto de pharoes
Ditos de dcas
Direitos de 9 /,
Ditos de 7 %
Ditos de 5 /,
18 mezes.
70 anu o, S. Jos
Herraino, Pernambuco,
queimadui
Maj^^^HUfiertino de Gonveia, Pernamba-
co. U annos. firaca ; /ebre biliosa
Henrique 6om# da Silva, Portugal. 37 annos,
-solteiro, Boa-Vista ; endocardite.
Aka, Pernambuco, U mezes Boa-Vista:
eclampsia.
Joao^Pernambuco, 3 mezes, Boa-Vista : ceri-
brHe.
Mas Francisca, Pernambuco 30 aflnos, viuva,
Boa-Vista ; ttano.
UM POUCO DE TUDO
Sello por verbas
Dito adhesivo
Transmissao de 5
Maltas .
Fundo de emanelpafAo.
Deposites de diversas origens
Contribuico de caridade. .
2* 8ecco da Alfandega de Pernambuco, 1 de Outubro de 1889.0 chefe de seccao. Cicero B.de
Mello.^-0 escripturnrio, Oiien Coelho da Silva.
Amanh, 1
em mesa geral
ossa Sennora
latriz do Corpo-
ico dos noves
romissal de
lllagrea. -
I do mez doloro-
|a mencionada,
i prximo, 6 do
A AaHpa du Sdngae-Esto em distri- -
H& Os. 9 e 10 deste romance
OrazifcWo,-* ^Blator o Sr. M. Monteiro La
3*
U
3*
3*(
3*
3
3*
3*
U
u
3*
3a
o no
ettidos
anda
lrje^nos...
Bmni:n O nosso digno collega Dr. Jos
IaMoro%laTil/rs~Jnior, illustrado redactor do
Norte, edmmunicou no3 que, tendo verificado
que o infejiz Ricardo Guimaraes nao deixara fi-
mos, nem era casado, encerrara a subscripgo
que abrir no esenptorio d'aquelle jornal em pro
ttiessa familia.
E remelteu-nos aquelle Ilustre collega a quan-
Ua de .364, a que j tinha chegado dita subscrip-
Sfio, para ser distribuida por nos a viuvas po-
res e honestas.
Agradecendo a fineza do encargo, vamos de-
sempenhal o pela seguinte Corma:
A' D Laa Tavares, ra da Roda n. J5
A' D Joanna PigH roa, dem
Af D. Eudoxia Saldanha, ra da Gloria n.
70
A' D rsula Tavares, raa da Glorian. 70
A' D. Joanna Silva, raa do Padre Nobrega
A' D Eleuteria Lima, raa do Carroo
A' D. Uermellinda Sette, ra Visconde
de Alboquerque n. 64
A- D. Mara Antran, em Beberibe
A' D. Mara Joaquina Lopes- Moreira, ra
Velba de Santo Amaro
A' D. Joanna ires, ra de Santa Rita n. 13
A' D. Mara Mugdaleoa Nascimento Pires
Pateo do Terco n t
A'i. mbelina C. Viraes Dntra, ruada
Aleara n. 17
A'O. Sveria Rufina dedeeus, ra da De-
Tribuaal do Jury do Beelfe Hon-
lem nao bouve julgamento neste Tribunal.
A's 11 horas da manb, presentes os Srs. Dr.
Francisco Domingues Ribeiro Vianna, presidente
do Tribunal, Dr. Henrique Milet,!* promotor pu-
blico e capio Miranda Franco, escrivSo privati-
vo do jury fez se a verifleaco das cdulas e a
chamada geral dos jurados sorteados.
Apenas compareceram 32 jorados, sendo mul-
tados em 20*000 os que faltaram e sorteados os
seguintes supplentes :
Freguezia do Reeife
Thom Gomes Vieira Lima.
Fia? Jos dos Santos e Silva.
Freguesia de Santo Antonio
Manoel Angosto da Cunha.
Abdon Lustosa de Vascqnceilos.
Manoel Uchoa de narros Campello.
Jos Vicente Gomes de Soma.
Cu3gy Juvenal do Reg.
Frrguezia de S. fos
Felippe Benicio da Castro e Silva.
Freguezia da Boa- Vista
Agostinbo Jos de Oiiveira.
Ttjomaa Lins Soriano. "
Fregaejia da Graca
Galdioo nicero de Miranda.
Manoel Pedro de Soma Braga.
Frederico Chaves.
Freguezia de Afogados
Jos Joo da Motta Jnior.
Freguezia dt Poco
Manoel Muniz Tavares.
Joaquina de Stqueira Carneiro da Cunba.
A sesso flcou adiada para hoje s 10 horas.
cavaltaelroa da E pacta a Os socios
do Club Carnavalesco Cavalheiros da Epoctia,
reuneB-se no dia 6 do vigente mez em sua sede
social, ra d'Aurora o. 33. s 6 1|2 horas da
tarde, em sesso1 d'assembla geral para trata-
rem do aue determina o art. i.* de seus estatu-
tos aas disposicoes geraes.
Pealamos da Beelfe.Houve no dia 29
de Setembro seesio deste Clnb carnavalesco,
sooapreaidencia do Sr. Julio G. da Resurreicao
Amanni;
Pelo agente Brito, s 10 1/2 horas, ra da
Pruiceza Isabel n. 9, de nm puno, movis e ou
tro3 objectos.
Pelo agente Pestaa, s H horas, no largo
do Corpo Santo n. 27, de predios e terrenos, trez
pianos, movis, ele.
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra Dr.
Joaquim Nabuco n.. 8, de movis, loufas, ele
Pelo agente Gusmo, as 11 horas, fabrica
de cajurnbeba, de todos os perlences da mesma
i, fabrica.
Mlsaaa fnebre SerSo celebradas :
. Hoje :
A's8 horas, no convento do Carmo, oa ma-
triz da Escada e no engenho Giqui, pela alma
do coronel Marciomllo da Silveira Lins : s 7
1/2 horas, na igreja do Espirito Santo, pela alma
de D. Luiza Caminha de Amorim; s 6 1/2 ho-
ras, na igreja do Terco5, pela alma do alferes Ber-
nardiuo Alves Neiva.
Amanh:
A's 5 horas, na matriz da cidade do Cabo, pela
Ima de MuooeLda Foaseca Capibaribe; s 7 1/2
horas, na igreja da Santa Cruz, pela alaa do al-
feres Damin Lopes Pereira Guimaraes.
Directora das obra* de conserva
rfo loa i*orios de Pernanbaeo-Reci-
te. 30 de Setembro de 1889.
Roletim meteorolgico
Horas Barmetro a 0- Tanso do vapor i
' m
6 m. J2"^6 761-17 17.42 5
9 25"-7 762-00 1904 76
12 28'-1 761-2 18,61 66
37t. 27-9 759-61 18,12 63
6 26-4 759-44 18.27 71
A excitayao do cerebro, dia um insigin
escrlptor. reage" sobre os ervos e esto-
mago, sobre o figado e o systema nervoso
orgnico.
Os pensamentos bem nutridos e re Sa-
pect'i florido s3o poucos. Tristes philoso-
ph et severi, foi a phrase d Varron; e
tambem nos oa vemos paludos sealo me-
lanclicos e afectados de dyspepsia. A
pallidez dos pensdores e a precoce bran-
icara lembram o vulcSo coberto de nev.
A acebedo cerebro urna especie de
combustSo vital; elle expede fogo e calor,
e assim agindo se consom como o carvSo
sobre a grelha do fogSo. Quando se o
prov regularmente de" combustiv'el, isto
da comida, do sorano do repouso, o tra-
balbo intellectual salubre ; mas quando
;o combostivel escaaso, pela dyspopsia,
a falta de exereicio ou a insomnia, o tra-
blho intellectual exhaare e com o lempo
destroe o organismo. *
O atlado Jorge Stephenson sabia quan-
to da propria pesada. Urna vez tendo
acbado o seu amigo Lindlev fatigado e
exhaurido pela excessiva applicacao aos
estudos de eugenheria (que tambem urna
fadiga intelleetual), disse Ihe : t Lindley,
vejo o qneres fazer; procuras tirar trinta
scellins em vez de vinte da tua libra es-
terlina e eu te aconselho a renunciar a
esse intuito. >
Quando as faculdades do organismo hu-
mano sSo exercitadas as devidas propor-
cSes e as funccSes vitacs se acham em
perfeita concordancia, o'resultado a boa.
sade. Galeno disse: A boa sade
sy.metrica. A doenfa disformidade (Sa-
nitas est symmetria, morbus autem ame-
tra). Mas, nos applicados que ambi-
bicionam estar entre os primeiros, o cere-
bro e os ervos se excitam desproporcio-
nadamente ao restante do organisrro,
dahi deriva a falta de symeria e tambem
de boa sade. O homem torna-se um gan-
glio ; nervoso por toda a parte, no ce-
rebro, no coraco no estomago, na pelle e
tambem nos dedos dos ps. O orgSo mais
delicado c mais potente t rabal ha muito
em quanto que se atrophia a energa mus-
cular.
Sem dt-.vida os resultados do trabalho
intellectual sao muito apreciados porque
com elle se cliega ao poder, riqueza e
de-
excessivo, a
Temperatura mxima28",7S.
Bita mnima 22*,00.
Evanoraco em 24 horasao sol: 7".0; i som-
ora: 8"3.
Chuva4-8.
Direeco do vento: SE de meia noite As I ho-
ras e 3 minutos; S at 2 horas e 45 minlos ;
SSW at o horas e 38 minutos; 8E at 7 boras e
15 minutos da manh; SE at meia noite.'
Velocidade media do vento: 2",4 por te
urdo.
Nebulosidademedia: 0,47.
____^ Boletim do porto_________
b o expediente passou-se ordem do dia,
eendo marcado o praio de 60 dias para os Srs.
socios atrazados entrarem com as suas mensa-
lidades.
Foi proposBr-para socio effectivo o Sr. Fran-
cisco Flix de Sanl'Aona.
Levanlou-se a sesso s 8 Doras da noite, sen-
do marcado o dia 20 do corrente para discusso
do regiment interno.
Banco de PeraaaataueoNa caira filial
do Banco Nacional do Brasil, segundo aviso pu-
blicado n'outra seceo deste Diario, acba-se
aberta, at 15 docorrente mez, a inscripyo para
as pessoas que quzerem ser accionistas do
Banco de Prnambuco, creado por accordo com o
Sr. Visconde de Figueiredo, e para o qual gran-
de parte do capital j se acha subscripto.
0 capital, como se sabe de 8:000.000*000,
divididos em acc/ies de 200*000.
0 fundo do banco ser raetallico, e elle emit
tlr moeda, oa forma da recente lei bancaria.
As entradas sero de 5, 10 e 15 */-
Nervico militar Entra hoje de superior
do dia o Sr. capito Silva e de ronda de visita
um offieial de cavallara.
0 2o batalho dar as guardas da Detenco
Alfandeg-i e Thesouraria de Fazenda com o res-
pectivo oficial, o 14* as do Brum, Enfermara e*
Thesouro Provincial c o destacamento de caval-
laria a de Palacio.
_ Foi hontem apresentado no Tribunal do
Ratz com! Jury o soldado do 14* batalho de infantaria Jos
Dias
30 de Setenta.
1 de Outubro
Horas
7ao-da.amnh
1 56 da tarde
8-11.
222 da manh
Alturi
2-23
(K73
2-.20
0-.74
Causa de BeiencaoMovimento aos pre
sos da Casa de Detenco do dia 30 de Setembro
de (889.
Existiam 4Ji ; entraram 17; sahiram 9; exis-
tem 442.
A saber:
Nacionaes 384; mulheres 23 ; estraogeiros 33.
-Total 442
Arracoados 394.
Bons 378.
Doentea 14-
Loucas 1.
Loucosl. -Total 394 *
Movmento aa enfermara
Teve baixa :
Vitalino Jos dos Santos.
Teve alta :
\ Manoel Antonio Vieira. .
Hospital redro O movmento deste
satabelecimento de caridade, no dia 29 de Setem-
bro foi o seguinte:
8
t
1
566
as respectivas enfermarlas
eico
^^D aos
bbbBu-
Mtnl-jniln
Joaquim dos Santos, atlm de ser suomettido a
julgamento.
ExUtetn na enfermara em tratamento 17
pracas dos corpos da guarnico.
L.eiiaesEtTectuar-se bao os seguintes :.
Hoje:
Pelo agente Martins, s 11 horas, ra do Im-
perador n. 16, de um sobrado de 2 andares.
Entraram
Sahiram
Flleceram
Existem
Foram visitadas
Dlos Drs.:
Cysneiro s 11, Barros Sobriabo s 7 3|4, Mala-
quias s 91(4, Ponina] s 10 horas.
Nao compareceram os Drs.:
Hoscoso
Berardo.
Estevo Cavalcante. '
Simoes Barbosa.
O cirurgio dentista Numa Pompilio nao com-
pareceu.
O pharmaceutico entrn s 8 1(2 da manh e
^ahios 3 12 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrn s 61|2
la manb e sanio a 1 hora da tarde.
Lotera da ram-Pari- 1> parte di:
31' lotera, dessa provincia, cojo premio grande t
60:04OO0, er extrahida no dia 4 do Outu-
bro.
A 4 parte, da de 250:000000, ser extra-
hida a o dia .. do correte.
Crande latera do Haranhao -A 8*
serte da i* lotera, dessa provincia, cujo premio
nde 300:o00#000 ser extrahida no dia 14
Cemlterlo rnbllco-Obituario do dia 30
de Setembro do 1889.
Alfredo, Pernambuco, i mez, Boa-Vista ; c
valsos.
s honras! O trabalbo
masiada pressSo, o consumo do cerebro,
destroe frequentemente as mais lisongeiras
esperances, de sorte que quando o deso-
jado triumpho est seguro, deixa em re-
sultado m sade e debilidade permanente.
NSo faltava urna certa verdade obser-
var;3o de Frederico o Graade, quando di-
zia que o homem parece naturalmente maja
adaptado a ser postilbao do que philoso-
pho. O trabalho intellectual moderado
iniubitavelmente salahrp, o. t.i>ru
utciieccuat excessivo precisamente o
opposto. Todos aquelles que fatigam mui-
to o cerebro, sejam elles mathematicos,
philosophos, legistas, pregadoros, escrito-
res ou homens de negocias, o fazem com
desbarato da sade phisiea. Os productos
do esceasivo trabalho mental, como a pe-
rola na ostra, sao frequentemente acompa-
nhados de doenca, se com tudo. nao sao
o effeito verdadeiro e especial de urna des-
ordem do organismo.
Em estado de sade, a irritabilidade
nervosa do organismo se distribue igual-
mente entre os orgos vitaes; tanto para
a digestSo, tanto para a nutricio, tanto
para a circulacao e tasto finalmente para-
reparar as perdas; mas quando a maior
parte desta irritabilidade absorvida pelo
cerebro, o orgao do pensamento, devem
necessariamente. soffrer as outras partes do
organismo, as quaes se perturbam ou
parcialmente se suspendem as funeces.
O estomago o primeiro a sentir os of-
feitos da commogao mental e da ancieda-
de. E disto derivam a dyspepsia, os des-
concerto8 biliosos, a gotta e as varias doen-
ca.8 que affligem os sedentarios laborado-
rea intellactuaes
E por isso, todos aquelles que cancam
excessivamente o cerebro, arruinam *
sade. Quando cultivado muito csclu-
sivamente o svitema nervoso, todo o or-
ganismo para, e sertindo-nos anda das
palavras de Galeno, diremos que est per-
turbada a sjmetria dos orgaos, nao eetSo
mais em harmona, nao existe mais entra
elles o equilibrio, e cessa toda regulari-
dade no desempenho das suas fancgr3.es.
E dahi a prostracao de estomago, a buli-
mia doctornm 1
Os homens poderSo.a vir a ser ricos a
celebres, mas o que zerao faltando-lhes
a saude ? Aos trabalhadores intellectuaes
nao difiicil ganhar o pao, porm sim o
digeril-o. Vogel, fazendo urna compara-
gao curiosa, disse : c Os estmagos tor-
nam-se fracos como o matta borrao. >
Voltaire fallando do presidente Henaut,
tao ricamente dotado da natureza e da
fortuna, exelamou : < NSo importa, na*
pode digerir. O mesmo Voltaire escre-
veu lord Chesterfield : Mylord Har-
tington me asaegorou que toarles muito
bom estomago, ane vale mais do que um
bom par de orelnas. NSo sei qual destea
mal- les peior; se o ser ceg, surdo, o
nSo poder digerir.
*
A sala da PolombeRa, disse a Riforma
de Boma de 12 de Maio, apezar da so*.
soflrivel amplitnde, difScilmente pode con-
ter a numerosissima multidSo que affluia
a ouvir o honrado De Renzis, que falloa
da Mulher no teculo vindouro.
O orador disse qne nos nossos dias 4
impossivel deixar de discorrer sobre a
mulber, que tanta influencia tem sempra
exercido, na civilisaclo dos povos> e que
hoje considerada por alguna como fonta
de todo bem, e por outros como a causa
de todo mal.
Mas, como a mulhcr J tem estad
-4
V

*
I
%r


7
w
i.



V.
av
CS
lhe
Tr
,3o justamer
o conseguimento da pridaae legal en-
tre o homein e a mulher.
O orador nSo se preoccupou das diffe-
rencaa physiologicas, porque o espirito
dist; nctivo do homem que forma a aua
snperbridade sobre todos o animaos,
e a este respeito a mulher pode bem con-
eiderar-se como um homem aperfeico.ido-,
e portauto capaz de aspirar e conseguir
todas as ideas poasiveia da mente hu-
mana.
Porat o orador teme que as tenden-
cias hndiernas coosigam dar no scalo
vigsimo urna ranlher que saiba tambem
tudo e leia tudo ; mas nevrotica, injecta-
da de morfina, e que ter fihos achaca
dos, n amar (ivez o marido, mas fu
gira da maternidade ; e esta mulher, d-
bil de constituicio, marrer talvez na du-
vida de urna existencia futura.
Talvez o typo' da mulher do porvir,
esteja no conjuacto das diversas ideali-
dades.
Elevem 1 intellectual da mu-
lher ; mas qnando lhe tiver-mos dados todos
os direitos, aoa ficar a resolver o proble-
ma do corceo, pois que nao confra es-
quecer que a fnalidade necossaria da mu-
lhor est na Familia.
Eu, disse o arador, daroi o mea voto a
qualquer direito de reconhecimento mu-
lher, mas facamos com que a poca futu-
ra seja melhor que a presente, que a
poesa tao depreciada encontr ainda um
posto no coracSo da mulher.
A brilhaute conferencia oi coroada
por urna verdadeira ovacSo, e recebida
com aa mais sinceras congratulares da
maioria das senhoras presentes.
SPORT
Do pareo GoldCup, na corrida de h*je
no Prado Villa Isabel, na corte lorain reti.
rados os animaes Paladino se Troya.

*
Estar na corte sei.da trabalhado Hu-
f uenotte, para correr no Gold-Cup.

*
O Sr. Viallaba, proprietario dos ani-
mis Hamleto e Cleopatra requereu a di-
rectora ^do Derby Club do Rio de Janeiro
o sentido da suspensfio do pagamento
egua Celina do premio Grande Derby Na-
tional, at que seja veritcada a sua iden~
tidade por exame da respectiva idade.
Tuquoque Brute 1
Tambem por l ha dessas cousas V
de i*uas eipe
xar de ser reputadoscasas p
lentos e tm un -ente
vicioso, e sao otan E,
acatas ondicSea, os sous directore
donos esto sujeitos a saneca do a
do cdigo crimind.
Funccionam n'esta cidade, aob a de-
nominacao de Book-Maker, entre outras
muitas diBseminadas por varias ras" e at
nos proprios prados, as seguintes princi-
paes casas: m
I. Book-Maker Bank, & roa do Ou-
vidor n. 155, debaixo da direccito de Ma-
noel Vicente Ribeiro Jnior.
c 2.a Central Book-Maker office a mes-
ma ra do Ouvidor n. 159, tendo por di-
rectores Eduardo Marques Lisboa e Ror
dolpho Kort.
3.* Sportsman Bank no l*go de S.
Francisco de Paula n. 8,. sendo os donos
Ferreira Jnior & C. s
Contra estas casa"de8igaadas. e as de-
mais existentes se levanta o clamor pu-
blico, pela falta- de lealdade as suas tras-,
aecoes; e a urna d'ellas j se move "
pleito judicial par* restituido de nao p*-
quena qnautia fraudulentamente retida em
seu poder.
O inquerito a que procedi, e que jun
to remetto a V. Exc., afferece testemu
nho ampio e completo do que deixo dito,
notadamente os depoimentos de fls. 10 e
13.
t Em conclusSo, submetiendo o meu
juizo ao esclarecido criterio de V. Exc,
minha opiniSo que os directores ou do-
nos dos estabeleei montos alludidos devem
ser intimados para em prnzo marcado fe-
char essas casas, sob pena de aprehensao
de todos os instrumentos de sua crimino
sa industria, e consequente processo.
E em pode legalmente erabaracar a
accSo da polica o argumento de um d'es-
ses directores, de ser seu estabelecimento
urna sociedade commfircal com contracto
registrado; porque o registrr da Junta
Commercial nejihum effeito jurdico pode
produzir contra a terminante e expressa
disposicao do art. 287 do cdigo commer-
cial, que prohibe a existencia e foneciona-
ment de sociedades commerciaes cujo fim
nao seja claramente lcito.Deus guarde
a V. ExcIUm Exm. Sr. Dr. Jos Bas-
son de Miranda Osorio, chefe de polica da
corte.Bernardino Ferreira da Silva.
Tribunal da Relami
SE3SA0 ORDINARIA EM 1." DE OUTBRO
DE 1889
PRESIDENCIA DO EXM: SB. CONSELHEIRO
QIKTINO DE MIRANDA
Secretario, Dr. Virgilio Coelko
A's horas do costme, presentes os Srs. aes-
embargadores em numero legal, foi aberta a
aessao depois de lida e approvada a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
os seguintes
jrjLQAMENTO.8
Habeos-corpus
Pacientes :
Antonio Marinbo Falco.Concedeo-ae a sol-
tura contra os votos dos Srs. desembargadores
Oliveira Anurade e Toscano Barrete.
Antonio Po'iciano Pereira Filbo. Negou-se
a soltura, unnimemente.
Angela Maria da Conceitao Indeferio-se,
unnimemente.
Bsltannino da Cunba Coala. Mandou-se ou-
vir o Dr. chefe de polica contra os votoe dos
Srs. desembargadores Oliveira Andrade e Alves
Ribeiro.
Recurso eleitoral
Da Floresta Recorren te Fausto Serafm de
Souza Ferraz, recorrido Serapiao Goncalves dos
Santos. Relator o Sr. desembargador Tavares
de Vasconcellos.Prejndicado.
Recursos crimes
Do Conde Recrreme o juizo, recorrido Ri-
valdo de Araujo Soares. Relator o Sr. desem-
bargador Toscano BarreteNegou se provimen-
to, unnimemente.
Do RecifeRecrrante o juizo do comraerci,
recorridos Manoel Martina Capilo e outros. Re-
lator o Sr. desembargador Pires Ferreira.Con-
llrmou-se a deciso recorrida, unnimemente.
r>c/W nm, v*hh a ommHJ Do Recife-Recrrante o juizo do commercio,
t A cada jogador que exbibe a somma recorrjdo Emilio Roberto. ^Relator o Sr. desero-
i O Dr. 3. delegado da corte, encarro-
ado de inquerir sobre os Book-Makers,
afresentou ao Dr. chefe de polica o se-
guirte relatorio :
Rio de Janeiro, 12 de Setembro de
1889.IUan. Exm. Sr.Em cumprimento
da ordem de'V- Exc, para syndicar da
aatureza e qualidade das operacSes que
effectuam as casas de apostas, conhecidas
pela denomiuac&o de Book-Maker, venho
prestar e eme conta das nfornm^Sca co-
midas.
c Exibtem n'esta capital tres socidades
Jockey Club, Prado VilUa Isabel e Derby
Club, regularmente constituidas para o
melhoramento da iaca cavallar, e que se
oceupam especialmente da organisaclo de
corridas Me cavallos.
t A' imitacSo do que se pratica em
Franga e Inglaterra, em associacfes con-
generes, crearam estas tres sociedades hip-
picas fluminenses, alm do premio estabe
cido para os donos dos cavallos vencedo-
res as corridas, mais o jogo de apostas
denominado poule.
Na phraseologia technica, ou em ter-
mos do Sport, a poule & reuniao de to-
das as sommas com que entram os jo
gadores apostando pelo triumpho de um
dos cavallos.
convencionada nc pavilhao da directora,
se entrega um bilhete, contendo o nome
e um dos cavallos inscriptos officialmente
para a corrida, e em favor do qual pre-
tende apostar o mesmo jogador.
c Se o cavallo cajo nome corresponde
ao do bilhete, o primeiro que chega raa
u meta, ganha o jogador, por bilhete que
posse, depois de deduzida urna porcenta-
gem de 10 [0 em beneficio do Club, a
quota resultante da somma dos valores das
apostas, divididas pelo numero de bilhe-
tes vendidos com o nome do cavallo ven
cedor.
Parecendo de grande vantagem para as
sociedades hippicas este jogo supplemen-
tar, que as auxilia a cobrlrem o valor dos
premios concedidos aos donos dos cavallos
vencedores; a polica brasileira, acompa-
nhando n'esta emergencia a longanimidade
da policia europea em sua jnsta proteccSo
aos celebres gentleman riders de seus Jo-
akey-Clubs pela grandeza de seus intuitos,
So se tem opposto a esse novo modo de
augmentar a renda de taes soaedades,
que aiuda por es&e motivo, antes de effe-
tuar qualquer corrida e em virtude de
deliberacSo do poder competente, pagam
imposto geral, de 525 aicipal. de 670500.
t A animados, porm, por essa toleran-
oia da polica, incitados pelos ensrmes lu-
cros a explorar com o jogo, em proveito
proprio e tirando o barato, no tardou que,
asBim como havia succedido as cap taes
europeas, especuladores industriosos, es-
tranhos as sociedades hippicas, se lem-
brassem de fundar agencias ou casas de
poules n'esta cidade.
Da mesma sorte que em Franca, es-
sas agencias se tm gejieralisado de modo,
que tem despertado a attengao publica e
preoecupado seriamente a polica, pelas
repetidas queixas trazidas ao seu coi
ment.
c assim como n'.ease paiz
to amatada gao e dajtj
loso respeito ^^^^Hf^
do a autoridad
>1
bargador Monteiro de Andrade. Negou-se pro-
vimento, unnimemente.
Do RecifeRecrreme o juizo do commercio,
recorrido Luiz Abranches de Figueiredo. Rea -
lor o Sr. desembargador Alves Ribeiro.-Negou-
se provnemo, unnimemente.
Appellaces crimes
De Crranles-Appellante Joaquim Ignacio de
Souza Cordeiro, appellada a justica. Relator o
Sr, desembargador Monteiro de Andrade.Con-
lirmou-se a sentenca contra o voto do Sr. des-
embargador Tavares de Vasconcellos.
De Barreiros-Appellante Jos dos Santos Mal-
ta. Relator o Sr. desembargador Tavares de
Vasconcellos. Mandou-se a novo jury, unni-
memente.
AppeUacao civel
De Nazareth Appellante Laurino de Moraes
Pinheiro, appellado Cbristovio das Merc Gon-
calves Guerra. Relator o Sr. desembargador
Silva Reg. Revisores os Srs. desembargadores
Toscano Barreto e Del fino Cavalcante. eonOr-
inou-se a sentenca contra o voto do Sr. desem-
bargador Di'llino Cavalcante.
PA8SAGENS
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro do Andrade :
AppeUacao civel
De OlindaAppellante bacbarel MatToel Anto-
nio dos Passos e Sirva, appellada a Baroneza de
Taearuna.
Do Sr. desembargador Monteiro de Andrade
ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
AppeUacao enme
De Mamanguape Appellante o juizo, appel-
lado Pedro Vianna.
O Sr. desembargador Pires Goncalves como
procarador da corea e promotor da jstica dea
parecer nos seguintes feitos :
Appellacoes crimes
Do Conde Appellante o juizo, appellado Ma-
noel Ciaudino.
De Pedras de Fogo Appellante Altiao Jos
Rodrigues, appellada a juslica.
AppeUacao civel
Do Conde Appellante D. Constanca Mara
Freir Mariz, appellado Pedro Corris de Amo-
rim.
Conflicto de jurisdiccao
Entre os iuizes municipal e da provedoria do
termo de Gamelleira e o juiz de direito da pro-
vedoria do Recife.
Do Sr. desembargador Alves Ribeiro ao Sr.
idesembargador Tarare de Vaaconcello-
Apiiellaco crime
De Nazareth A
Maranno
i^^^BL^^II
kppi
Da Parahy
argador A
Do Recife Aggravante o Dr
feito1 da faseada, aggrsvada D. Auna Feitosa da
Conecao Ros.
AppeUacao crime
Ao Srv desembargador Oliveira Andrade :
Do Bonito ADpellante Jos Pereira da Silva,
appellada a ju
Eacerrou se a ssstao i 1 hora da tarde.
IHDICAvES TE1S
r,n'
Mdicos
Dr Castro Jeme medico e operador.
Pratica a lavagem do tero quando e co-
mo aoonselhada. Consultas das 11 t
3 da tarde em sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da Orus) n. 28, 1.'
andar. Telephone n. 389
O Dr. Matheut Vat, medico, tem o sen
escriptorio a ra do Barao da Victoria
n. 51, 1. andar, onde- d consultas d
meio-dia s 2 horas .da-tarde Reside
ra de Gervasio Pires n. 27. Encarrega-
do tratamento das molestias de olhes.
'elephone n. 427
dico-cirurgica. Especialidades r molestiae
Sulmonares .partos. Ra do Mrquez de
ilinda n. 27, 1. andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Fort* (Poco da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da manha e i
tarde. Teleshone n. 392
/-r. Ribeiro de Britto d consultas de
meio da s 3 horas da tarde, no podn-
dar a roa Duque de Caxias n. 46, 1. su-
do ser procurado para chamados na nua
residencia ra do Hospicio n. 81. '?e-
lephoac n. 303.
Dr. Joaquim Louieiro medico e partB-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
1." andar de 12 s 2 da tardej residencis
no Monteiro.
Dr. Cerqueira Li.ite, tem o sea escripto-
rio na ra Nova n. 32, do malo da s 2
horas e desta hora em diante roa Barao
de S. Borja, n. 22. Especialidades-
molestias de crianca senhoras e' parto.
Telephone n. 326, da casa de residencia.
Dr, Alvares Gutmaraew, ohegado ds
corte, dedica-se medicina em geral, e
com especialidade s molestias do cora-
cao, pulmoes, figado, estomago e intesti-
nos e tambem s affecco'es das enancas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jess
(antiga da Crua), n. 45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1.* andar da casa
ra do Bario da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Seto de Setembro n. 54, en
trada pela ra da Saudade n. 25.
Oecellsta
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
pis hospitaes e clnica de Pars e Lon-
dres, consultas todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio e resi-
dencia ra Larga do Rosario n. 20
Advagados
O bacharel Bonifacio de Arg&o Farie,
Bocha contina a advogar. Escriptorio
ra do Imperador n. 46.,T^\andar.
O bacharel Witruvio Pintb Bandnrm,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1.- andar.
Silveira, advogade. Escriptorio rus
do Imperador n. 69.
J. A. de Mageihae Bastos. Duque de
Caxias n. 66, 1." andar..
O Dr- H. Milet contina com seu es-
criptorio de advocada, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambem poder ser pro-
curado sobre negocios concernentes 1.'
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro Portea contina a advo-
gar. Escriptorio roa do Imperador
n. 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'ora ra da
Matriz da Boa-Vista). Telephone n. 362.
Drogara
Faria Sobrinho A C, droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Tinta de escrever
A melhor a tinta Victoria, vende-se a
500 rs. meia garrafa e a 800 rs. urna gar-
rafa inte ira na Livraria Com tempornea
de Ramiro M. Costa, ra Io. de Marco n.
2, loja de erragens de Albino da Silva
& C, ra da cadeia n. 42; loja de ferra-
gen s de Brandao & C, ra Duque de Ca-
xias n. 46.

itajee das'
publicares 4 mm
CoBtestaeo neeess
proposito do attentado Clirispim,.
tecimento que to dolorosaoien
toda a gente, menos aos llustrcs
Provincia, que o encampanan, a propos
grande attentado, dizemos, se ha pregado as
mais exdruxulas e absurdas tlicoras, no intuito
de innoceniar ouao menos justillcar os seus
torea, e como si isto ainda fosse poueo, como se
nada valesse para os antigus defensores de todos
os direitos populares o terem renegado tods 0
seu passado, afii eslo a langar mao do insuitOj o
mais baixo, das alevosas, as mais torpes, contra
todos os que lomaram aos hombros a defesa do
eidadao, victima da inaior prepotencia deque te-
mos noticia n'estes ullimoa tempos 1
Hootem foi escolbido pela A Provincia, para
alvo dos seus dosios o honrado negociante de V
nossa praca Sr. Domingos Manoel Martina, por
se ter prestado a ser thesoureiro da commissao
encarregada de angariar donativos para ser fre
lado um vapor que fosse a Fernando de Porcuna
buscar o jockey desterrado t
0 r. Martins hoje um homem cheio de de-
feitos e de vicios, se vai aos prados, embora te
nba quasi sempre por companheiro ao Dr. Jos
Maranno e seja seo socio, para faxer tribofes, e
tudo isto porque defende ara jockey, que jdes-
cobriram ser pessoa torpe, segundo os romanos;
mas que, ha bem pouco lempo, na assembia pro-
vincial mereca a defesa de alguem muito che-
gado a A Provincia I
0 Sr. Domingos Martins est muito aj
todos os botes de calumnia e si ase
lhe assac.
mam quaesquer fados que o,
M^ COC fdl-'ld ?i ..:..--. ,lt;L x\, i
Queaf

Procura H El 1 rra$ar,
Astusiai
P'rafiu l^^^BSiaari
Pasaba,
Desde a
Dota
0S2C Ipudor savia,
Qu.nan ^^K#f>
;
k^kWa- lorprensa.
^Bde,
Remar ^^Hiimrtnilp
Aigooa ^Bmmpnu.
Se usa ^^. oso calcas.
110 ha< ^^bondes,
viscjndes
^^^Bifalsas:
^Hemoos remotos.
^Bria fas mencao.
^B> de eleicao,
fcaam, que furtam votos
^fcsu
sor Deas ele i tos,
i dtenos,
f;
Dus 1
Na arca c
Tin ha vido de tber,
Tinba tomado pifio.
Desde que ba eleicoes,
E' isto cousa assentada
Que na falsiticacoes.
Tramoias e relhacada.
Entre os gregos e romanos
Foi mesmo um lourar a Deas 1
Faziam bridar aos ceus
Seus artifleios e engaos f
Cnegavao) mesmo os maganos.
Da cabala aa norria,
A dar papaleas, empregos,
Fazer vorjtortos, cegos,
Gente que ojio existia,
E litlos dejfldalguia
S nesses tmpos nao davam,
Porque ainda nao se uaavam,
Como se usm hoje em dia

Si Aristide o dilecto
De Athenas, escreve alli
Para um aaaipabeto
Urna chapa oatra si;
Se Phocion capaz
De inspirar hes affeicOes,
Que gauba titra os rivaes
Quarenla e etico eleicOes,
Embora mndasse a sorte
Na que fez qmreata e sois,
Trazendo lhe tsse revea
Urna sentenca de morte ; -
Em Roma ferie a cabala,
Quebrain se irnas tambem,
Tem menos vftos quem falla
Que o que miis tramoias tem,
Compram-se rotos a esmo,
Cabalara miradores,
Gal ba logra a eleitores,
E Appio volaem si mesmo ;
T Tiberio, o maganto,
Fea, ao sen pvo illudindo,
Circulare? ga|antindo
Liberdade na eleicao ;
Tinba o carafer faceto
Esse velo, tritra ardil I
Tal qual coma no Brazil
O Viscoade Grita. ameca,esbraveja,
Ioliuda-a todi a gente
Por c qualquer presidente,
Seja MafM QU nao scia,
Tefia^o'fti f^eironoCO,
Seja de l'ra ou da trra ;
roto*, aInglaterra,
Paz ftWftttiP, joga o ideo ;
T t igreja nao escapa
Da geral aecuscao,
Fez trapicas na eleicao
Xisto^jflue fot-papa !
Si embicas eleiloraes
Fosse o mundo examinado,
E fosse je approvado
Quem tricas soubesse mais,
O Candlao de Oliveira
Teria a fota primeira,
Nota d'offime cum laude,
Pois teai |aeg dedicacOes
Por inopias de eleicoes.
Que ate fez se- pai da fraude !
Tudo se iem inventado,
Tem-se sido executado
Em materia de eleicao I
Sera assombro, portento,
Descebrif um novo invento
Qualquer imagiaacao.
Pois, pflis aedescobno,
Nao i amo nem mysterio,
E' caso real e serio.
Ha umita gente que vio,
Ha mesmo quem ja sentio
O-efleitu da deacoberla.
Tanto ea 6 real e certa,
Tanto ola esta feituj ;
E cabe a gloria do achado
Ao dejjplado pretenso
Dr. Lairenso de Sa.

^^aom certeza,
a redondez
1 da fama o berro,
titor de gloria,
. nome ua historia,
o arro;-
apaceiro aUlha,
^^^^^Haaravilha,
^^^^^mvm de f,
tsjLn vil instrumento
,'QtO,
iojo at local o I
mudado esta,
e sa
I ral,
estelara,
lura
ntsnto eleiioraU
^^^^Knde o meu paimo,
I enthusiaamo,
Itudo aqu encerr.
m urrah 1 sstrondoao
maravilhoso
t-ptiade ferro!
Po Sotado.
Go ja nna
Ao Dr- chele de polica
Continuam as autoridades policiaes de Goyan-
na a fazer brilhataras, e a impor a mudanca dos
eleitores, que n&o qaiseram votar no Dr. Joaquim
Tavares no dia 31 de Agosto passado.
Acha se n'esta cidade o professor publico Pe
dro de Lemos, ameacado de surras dos Deolin
dos, JuliOes e outros, por nao ter querido acom
panbal-os no dia da eleicao e como se demora o
eonselh'nro Manoel Alves de Araujo em castiga! o
com a remocao para Ouricury ou Cabrob, como
garanti ao Dr. Joaquim Tavarej. as autoridades
policiaes de Goyanna acabam de dar-lhe man-
dado de despejo, com prazo limitadissimo.
O prpfessor, segundo nos consta, declara que
nao voltar e estimar at que o Sr. presidente
compra j a promessa feita de sua rmoco, pois
em ftiyanna nSo ha garantas para rringuem e os
JuliOes e Dolindos mandam na vontade do pre-
sidenle e do chefe I
A que estado chegarners ? I
Como se transformoa o Dr. Geroncio 1!
Abdo.
j>agavel
|nidac&o)
__i cem todos esses escripto-
gracchos que tantas tolicdas
se
Mr as aasercoes que con-
^^H[a respeito
ibiica em
m mo-
odiosos do
ES
sensatei.
Lrtta, sol fjsiisistsn I
je ine flutque
i disso i
regam a palav
reta, carac ,j^.
Mohabs diz : Indv.
VieinA escreve : ndote. -earaetFr propio a
cada um, inclinago, cte
AtiLSTE (Diccionario Contemporneo) assim se
exprime: -carcter, condicS especial, tendea
cia caraeterstit.-a, e c
Em vista u essas pro vas chega e c as bolo o
escriptor qu assu.nind i uns ares de qualquer
coma, esOevee o artigo Impagmel, publicado no
Jornal dxr Redftie hootem.
Carlos d'Aubeville.
Promo^a merecida
0 illastrado i.' enflmVelto, Vr. Cerano Al-
berto de Castro NsfiilmaMft, ase serve actual-
mente de director'des ferro-vis do Prolnga-
melo de S- Francisco e de Cornari, entre outras
actos de juslica qoe ba pratieado, e que tem
aureolado sua correcta administraco, salienta-se
mais notadamente o da remocao do agaote de
Tigipi, Sr. Joao Carlos Cavalcante de Albnquer-
qu De feito, quemecrupul isa e insuspeita
mente -quizer esnrerilhai Snai lia sido o -bom
procedimenra- do aetoal sgernv da estaeo Cen-
tral, cujo passads cosatitSe urna trsdico hon-
rosa, tert em reaoltado'liear sabendo qoe -e 9r,
[Joo Carlos, alm de ser um emprrgado modelo
de probidade e de cordura, allia mais a isso o
ser um eidadao digno por multes ttulos que o
nobilitam e assim o salientam na confianja de
lodos qoantos o tem convivido.
E' assim ene tendo servido na qualidade de
agente de Tapera, Morenes t Tigipi em todas
essas collocacoes de samma resoonsabilidade, e
as rqaass peraianceoo por mais de qoatro an-
bos, sero|we selmpoz pela inteireza no cumpli-
mento dos deveres a seu cargo, e tambem pelo
cavalheiriss com que se houve para com qoan-
tos o commuBiearam, e sem qne con isto tivesse
desmerecido nos sena zelos pelos interesees p-
blicos.
Quem aa im se exhibe e angaria sym^athiai
geraes, tem em si mesmo a m'.or recommen-
daco, e pelo que tornase credor da mais signi-
ficativa compeBsaco.
Foi isto o qir deu cansa a essa promocao, pela
qual felicitamos o Sr. Joio Carlos Cavalcante de
Albequerque, pois assim foram devidamente
aquinboados os seus mritos comprovados.
Recife-i-iO-89.
Myself.
o aeg
BSEOS lima, nasci-
i. da Luz, comar-
, pretende alistar-se como
i fe.
renda; MORA
EPTBClfvAMhNTE onde sua esposa;
piofe8sora publica, e ELLE JBADO des-
de muitos unos; ALL EXEBCE O CABflo
DK sBDELEGAtf, como 1.- snpplehte.
NSo tem offlcio nem beneficio ; nao exer-
ce endastria nem prefL
E' marido daprofessora e nada mais.
NSo podendo alli qUaliEcar- se eleiter por
lhe faltarem os requisitos dajei, pretende
elle aliatar-se no lecfe T&QCVOO JK)
CMBirtOS que pro vem morar elle nesta
o idade
Sera um escndalo.
Aftendam os dignos magistrados a que
JoSo Baptisia de Barros Lima Mo&A NA
LUZ onde 6 JUBADO e onJETEXERCE CAB-
60 policial ; sempre MOBOU sa Ltz, e
n8 tem renda, nem outro meio de pro-
var requisitos de eleitor.
Cumpre que os magistrados do Eecife
se seautelem
Pao d'AUtense.
Ao eleilorado da provincia de fer
Nao se commenta!
A pessoa qne, n'esta capital; o corres pon-
dente d'O Paiz da corte, teve a coragem precisa
para transmiltir, para esse jornal, os seguintes
telegrammas:
Recife 1 de Setembro.Cbcgou hoje, a esta
cidade, o r. Joaquim Nabuco, que teve nma re-
cepSo condigno- nailon da AssociaCo Commer
cial e do Palacio da. Presidencia. Em ambos os
discursos nSo aadsmutu a sua ponrio peranU o
gabinete.
Hoje de manha foram distribuidos, com pro
foso. avulsos anonymos convocando o povo para
um tneeting no Pateo do Carmo, adra de pedirem
ao Dr. Joaquim Nabnco para iatervir em favor
do jockey Cbrispim.
O mesmo doutor deciarou nao poder intervir,
visto tratarse de negocio particalar. Esta declara-
cSo prococou manifestacoes hostit.
Recife 16 de Setembra.Cusougeral desagra-
do o proceder do Dr. Joaquim Nabuco. *
Propositalmeote griphei certos tpicos d'esses
telegrammas por caborem e perfeitamente a el-
lea a igumas das mullas indiciosas considerac&es
que so leem. no ii d'A Provincia d'este anuo,
no artigo Q'ianta mentira em relaco a outros te
legrammas que, para a corte, d'aqui transmittio o
correspondente da Gazeta de Noticias
Dr. Barros Sobrinho.
Taqi
uaretinga
Em resposta ao artigo do Sr. Dr. Prxedes Pi-
tonga, publicado hontem, em contestaco no-
ticia da Revista Diaria sobre a miasa que houve
n'aquella localidade em accSo de grasas por nSo
ter lia vi do derramamento de sangue, temos a
declarar que effectivamente rezou-se a miasa e
pelo motivo allegado.
Si no dia da eleicao nao houve movimeoto de
tropa, como assevera o Sr. Dr. Pitonga, foi lato
devido altitude enrgica do Revm. vigario
Tejo, chele do partido da opposicao, e ainda ao
facto de se aehar presente o Sr. Dr. Pitangao
refein das desordena que se praticassem e das
pertarbacOes que se aonanciavam para intimidar
os fracoa.
O que nao poder contestar o Sr. Dr. Pitonga
que, sem motivo plausivel, augmeotou se as
vesperas da eleicao o destacamento e que este
com toda a ostentacao poz-se em pi Je guerra,
tocando corneta, fabricando cartuename; emfim,
pondo em accao um grande apparato bellico com
o fim"de ver se os conservadores se amedron-
lavam. ., ,
Si o Sr. Dr. Pitonga pretenden tirar partidp de
toes arreganhos, embora fosse illudido em sua
espectativa, que muito que as senhoras, maes
de familias, se impressionassero e depois de
passada a eleigo rendessem gracas a Deas por
ter esta corrido em paz ?! ?
Urna testemunha.
Exu, 4 de Setembro de 1889
s eleioSes correram aqni sem ne-
nbuma alteracao da ordem publica; mas
sob a maior presaRo por parte das autori-
dades, que de todos oa recursos lancaram
mao para assegurar o trumpl ndi-
dato do Sr. Barao de Caiaj
O juiz de direito Dr.
des Tavares de Ho|
enormemente nesta
landp ds, casa em
ameacaado-oso on
53es( quando no
. de lsqueira!
T3tna cousa ver,
pois que se: inauguro
directo, a primeii
eleicao feita debaixi
sao! O dia di de
aniqailaaento da le ij
berdade do roto, i
; wODlv IStO c uiot
dir, retrogradamos
Approxima-se a eleicio aara deputados pro-
vinciaes e faa>e preciso qoe cada eleitor tome
na devida consideraco que os orcametrfos pro-
vincial e municipal foram o maior escndale
dos modernos tempos.
E' preciso qoe se saiba, que toda a escilaco
que louve, deu em resultado se levar em conta
o estado de abatimenio em qne se acba o com-
mercio desta infeliz provincia, foreando-se-o
pagar mil ris por cada peso qoe teaba de afe-
rlr, ito de tres em tres mezes, contando sedo
de urna gramma ao de una kilo, qaaado sempre
se pegou por ternos I
O que parece que isto querer acabar com
o pequeo negociante, vieto qoe as pequeas ta-
vernas luctem cem muitos difficuldades para
man ter sen pequeno-commercio.
Se ao menos of deputados Be fornecessem
celias, seria fcil descontar estos despezas da
impostes ; mas nao sendo assim, preciso que
08 candidatos velhos fidUem imaldicoados para
o povo e para o eleitorado. que paga com-O-se*-:.
suor esses ex6*cs e eebsujamenles.
Entre os conmercianies e os proletarios exis-
te quem techa muio criterio e humanidae
para represtnisr melhor a provincia, por estar
mais par das necessidades do povo.
A cmara municipal nao deixou de ter grande
responsabiJidade, pois confeccionoa sea orca-
mento sem attender aoa interesses de aens mu-
nicipes, e atteedendo aos interesaeadeseus
amigos.
Recife, f de Outobro de 1889.
AsemtineUa.
&$&~
-%-.
*
^S5
S. MT5K0 IsOJISMfiaO
MEDICO ECTPERADOR
i
ESPECIALIDADES
Pebres, affeccoes nervosas, car-
diacas, pulmonares, hepticas,
aypbiliticas e molestias de
mancas
CONSULTORIO
18-BUA MRQUEZ DE OLINDA-18
%
^s.
PHOSPHATINA FALIERES. Alimento ssCriaacss
ADVOeADO ^
O bacharel Salosliaoo Jos de
Oliveira pode ser procurado, para
os misteres de sua proflssao.
ra Estreila do Rosario n. 10,1.
andar.
Aviso aos bomos leltorcs
Os nosaos leitores que viaitarem Pana
durante a ExposicSo de 1889 j sabem
que poderlo 1er oa ultimes exemplarea de
nosso jornal chegadoa aquella cidade no ms-
criptero dos nosaos correspondentes, Srs.
Amde Prince A C, 36. ra Lafayette,
onde podem mandar dirigir qualquer cor-
respondencia, pedir quaesquer informajSes,
dar ordens de compras, etc.
Alm d'isso, levamos ao conhecimento
dos nossos patricios que afora o servico esta-
belecido no escriptorio da ra Lafayette,
n. 36, os mesmos Srs. Amde Prince 4
C, acabam de organisar urna sala de lei-
tura e de informagSes na Exposicllo mes-
ma, no pavilhao da repblica de Guate-
mala cujo comm8sario geral dignou-se dr
por graciosamente urna-vasta sala com
varanda s ordens dos nossos correspon-
dentes.
AconselhamoB mu vivamente aos nos-
sos amigos e leitores que se aoharem em
Pars, que visitem a casa Amde Prince
4 C. na sua sede social, 36, ra Lafayet-
te, bem como na installacao que possue na
ExposicSo no Pavilhao^e Guatemala que
ha de ser, gracas as extensas relceos dos
nosaos correspondentes, o ponto da re-
uniao dos numerosos estrangelros residen-
es em Paris.
m&
O Dr. Ermirio Cootinfeo, de
volta de sua viagem A Europa, onde
se dedicou especialmente ao escu-
do das molestias do systema ner-
voso, tem seu consultorio Praca
do Corno Santo n. 5, defronte do Te-
legrapno Nacional
Consultas de urna as tres horas da
tarde.

Tosse coatvulsa! eoquelucke!
NSo deis i. crianca senao o Peitoral de
Cambar.
^mtindo a
resoltados ial
Dr. Barreto Sampaio,medi^,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia a 3.oras; da tarde,
1* andar da casa n. 51 roa do
Bario da Victoria, excepto nos
domingos e dias san tincados.
Boaiisasia ras flantis ftstuOl
Entrada pela roa
Wtm
-!r
I


Do
rataUaaodO!
m-
K^^BBB


I
I tfxm i-J 111 Ii I
LO
f
I
ferce dirigir toda su corresponaencia,
pedir informes, dar ordena de compra,
te.
Pero, avisamos a nuestros compatriota
que ademas del servicio instalado en su
oficina, 36, ru Lafayette, loa Srs. Am-
de Prince y C. han orgonizado un otro
bnete de lectura y de informes en la
[posicin misma, en el Pabelln de la
Repblica de Guatemala, en donde el Sr.
eomisaiio general a puesto a la disposicin
de dichos Srs. una grande sala coa ter-
rado.
Aconsejoinos vivamente a nuestros ami-
gos lectores que vayan a Pars, de hacer
una visita a la casa Amde Prince y C,
tanto en su residencia, 36, ru Laft.yette,
como en su instalacin en el Pabelln de
Guatemala de la Exposicin, que resulta-
r, ser por el hecho de las extensa rela-
ciones de nuestros corresponsales, el cen-
tro de reunin de los numerosos estrange-
ros presentes en Pars.
o Ferrelra Do-
mlaguc* Carneiro
Roa Estrella do Rosario n. 10, /. andar \ )
Eocarrcga-se de quaesquer causas
n'esta cidade e as comarcas prximas,
A especialmente uas de > no d'Alho eTim-
11 baba, para ende viaja frequen tmente.
no LS^^^^H
Leonor Porto
i / Roa Larga do Rosarlo uu-
i i ntero
V SEGUNDO ANDAR
( ) Contina a executar os raais difficeis
< >flgurinos recebidos de Londres, Pariz,
(J Lisboa e Rio de Janeiro.
j Priva em perfeicSo de costuras, era
>em brevidade, modicidade em preijos e
) fino gosto. '
sFari.
Vas urinarias, molestias das se-
nhoras, operacSes elctricas
8L CABIOS BETTESCOUST
MEDICO E OPERADOS
com ortica de paws e londrcs
Estreitamento da urethra curados ra-
dicalmente pela electrolyse, sem ddr
hydroceles sem injeccao (cura radical);
feridas e uteeras chronicas, coaigaran
ta de car rpida ; pedras da bexiga,
fstulas e bemorrhoidas; syphilis, go-
norrbas, pelo methodo das instillaces ;
molestias da garganta e do peito pelas
atnmospheras medicamentosas. Con-
sultas e operaces das 12 as 3 horas da
tarde.
RDA DO MRQUEZ DE OLINDA N. 3i,
2" ANDAR
rail* o* pobre.
Elixir eafcera de Meg-ro Dr. antn
Bmm. HMlyaade esa Parla e ap
provado pela Inspectora Geral
de Hycieae.
(Premiado na ExposicnO)
Continuamos a prevenir o publico que o ver-
dadeiro elixir cabeca de negro o da formula
do Dr. Santa Rosa, que como garanta tem em
sea favor os attestados passados pelos mais dis-
tinctos mdicos, desta e demais provincias do
imperio, por pharmaceuticos, desembargadores.
advogados, eogenheiros, eommerciantes, erapre-
eados pblicos, lentes da Faculdade, artistas,
etc.
Fique, portento, o publico sabendo que o eli-
xir fabricado na ra da Cadcia, pharmacia de
Hermes Souza Pereira. Successores, ama imita-
cao do nosso.
Deposito do verdadeiro ra do Rom Jess n.-
:
Cirurgio Dentista
DB. ROBERT P. RAWLDSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra BarSo do Victoria 18, l_an-
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
Baebarel Antonio Wirn-
vio Pinto Bandeira
Pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1 andar
Taberculose pulmonar
Cura garantida pelo Peitoral de Cam
bar.
MEDICO HOMEPATA
Dr. Balth&w da Slveira
Especial idadefebres, molestias
das crian cas, dos orgSos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-e a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Auxilios lavoura
Pereira Carneiro & C. continuam, autorisados
pelo Banco do Brasil, conceder emprstitos
lavoura das provincias de Alagoas, Paranyba
e Rio Grande do Norte, mediante as condicOes
de que os interesados serio informados no es-
criptorio ra do Commercio n. 6, das 11 horas
da manha s 2 oa te
COMMERCIO
Revista do Mercado
RkCIFX. 1 DE OCTUBEO DE 1889.
O moviroento limitou se a transaeces no mer-
cado de cambios e isso mesmo em pequea es-
cala.
Os precos dos assucarcs continuam a bai
xar-
Cambio
Os bancos mantiveram no baldo a taxa de 27
3/8, offerecendo, porm. saccar a 27 11/16 sem
icnarem tomadores.
Em papel particular bouve pequanas transac-
;5es a 27 7/8.
No Rio honve nego:io em papel particular a
27 15/16.
Lettras escassas. #
TABELLAS AFFIXADA8
S* "^ ""^ *z
* I "3 g-
^ 2. 3 55.
e.
5
a-
u
8-
cr
o
3
I

-i
o
1
9
i
. .
s
... 1* : 36 >

JL
S

l" nqf.
2 g %
s s
Ct O ~ J_.y6
s
"i *
n
f
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n. 18, 1* andar.
Consultas de 8 as 10 da manha.
Chamados (por escripto) A qualquer hora.
TELEPHONE N. 226
Frederieo Chaves Jnior j
Homoepatha
M RA B.AR0 DA VICTORIA 39/
Prlmelro andar f
Hennq
Hern
Hermii
Horaci
Jos P
Jos Maris
Jos Rayniundo Ribeiro
Jo2o Avelno Coste.
Joaquim Jos da Si!
Julio Clementino de Farj
Liberi Aoisio Mai
Ludgero Cavalmnte
Maximiano da
Posstdonto Canuto Piuza
Simeao Pereira da Co-
Thomaz Das Fernandes.
Tiburcis Vctor de Mello Santo]
Fregueziaia Vmi
Antonio Jos Goncalves Tote.
Agostiobo Jacome lieterra Pest
Candido leraclio Carneiro.
Celestino de Sa Cavalcante.
Honorio Rodrigues Berech
Joao Maciel da Rocha.
I Joo Paes de Moura.
Jos Crcino de Paula Ferreira
Jos Machado d'Oliveira Costa.
Manoel Souto de Araujo.
Manoel Tiburcio Carneiro.
Manoel Bezerra da Silva.
Pedro Berlholdo de Araujo.
Secundino Amaro Carneiro.
Freguezia de S. Loun
Antonio Caetano da Silva.
Bcrnardino Bezerra Cavalcan
Clariado Thcotono Marques
Jos Xavier de Mello.
Jos Joaquim Alves de Sanl'Ai
Jodo Baptista Barbosa de Azevedo.
Jo&o Claudio Martins Pereira.
JoSo Luiz Botelbo.
Joaquim Garca dos Santos.
Joaquim Bernardo de Souza.
Virgilio Delgado de Bnto.
E para constar maadei passar o presente. Re-
cife, Io de Qulubro de 18t.
Eu, Antonio de Burgos Ponce de Len, escri-
vao, o escreri.
Antonio Dominaos Pinto.

.o para os pagamentos de
nal compriment das clausulas,
n estipuladas no mesmo.
| 5. O contracto so poder ser feito
com quem melhores vantagens offerecer
na concurrencia.
| d, A nao ser no caso do paragrapbo
antecedente, a actual empresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponente.
J 7. O novo contraetante sera obriga-
do i indemnisacSo, a que a provincia i
sujeita por forca da clausula dcima ter-
oeira do contracto em vigor, devendo dita
indemnisacao ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e cando o mtenla
e obras da empreza bypothecados pro-,
vincia at que esteja realisad/i a indemni-1
s'acSo ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
J 8. O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
U." Opreco da illuminacSo, quer pnbli-
ea, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o metro cubico de gaz, fazendu-
se urna redueco de mais de 30 |0, para
Fazenda
i
w
A dvogado
Miguel Jos de Almeidu Pernamboco tem o sen
escriptorio de advocada ra do Imperador n.
81, onde ser encontrado todos os dias atis, das
iions da 9 raanh s k da Urde.
EDITAES
Alistamento eleltral
5o DisnucTO ,
O Dr. Antonio Domingos Pinto, juiz de
direo do 5' districto criminal do Re-
fe, por Sua Mage tade o Imperador,
etc.
Faz saber aos cidados abaixo mencionados
que as sua? pcticOes para sua incluso no alisla-
mento eleitoral, tiveram j segainte despacho :
Junte a prova de renda ao prazo de 10 dias.
Recfe, Io de Oulubro de 1889.Domingos
Pinto.
Freguezia do Poce da Fanella
Antonio Moreira Filbo.
Antonio Adolpho Gomes.
Antonio Moraes da Coste.
Anatolio Augusto Pereira de Carvalbo
Bol
sa
COTA^OES OFFICIAE8 DA JUNTA DOS COE-
EECTOEE8
Recife, 1 de Outubro de 1889
Nao houve cotaco.
OpnisiUente,
Candido C. G. Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
Paata da Aklfaodega
SEiliNAB 30 DE SBTBMBSO A 5 DI OUTCBIO
DB8U9
Vide o Diario de de Setembro
Algodao
Continua frouxo o mercado, nao constando
vendas.
A exportacAo, feita pela alfandega em Setem-
bro fiado, at o da 28, altingio a 689.439 I/* ki-
los, sendo 803.4181/2 para o exterior e 486.001
para o interior.
As entradas verificadas no referido mes ja co-
nhecidas sobem a 3.888 saccas, sendo por:
603 Saccas
173
i 151
168 c
123
2.660
arcacas.
Vapores .....
\nimaes.....
Via-ferrea de Caruar.
/ia-frrea de S.Francisco..
v~ia.fcr?ea deLimoeiro .
Sorama.
5.888 Sueca?
MKcar
precos pagos ao agricultor, por lo kUos, se-
gundo a AssociagO Commercial Aiicoia, foram
)8 seguintcs:
Usinas...... 3SO0 a 3S00
Bronco..... iy a 4000
Somenoa..... '0 a 3200
ICascavado purfado 2/200 a 25400
Bruto especial 21000 s S200
Rruto bom li'oo a Itoo
Bruto baixo 1/400 i Uo'O
Ketame..... 900 a 1*100
A expertac*. l alfandega em Setem-
bro Onda, at o dia 28, sabio a 1.378.932 Kilos,
liilzo dos Feltos da
Maelonal
EscrivUo Reg Barros
Parante o Sr. Dr. Juiz substituto dos Feitos da
Fazenda Lindoloho H'sbello Corteia d'Araujo se
vender em praca publica no 4 d|> corrente mez
de Outubro pelas 11 horas da mtnhS dopois da
audiencia os bens seguintes :
Um cofre de ferro prova de fofo, que se acha
no predio n. 79 roa do Viscodo de Cmara-
gibe, avahado por 200, pcrtencmte a Antonio
Pereira da Cunta (hoje sua viuvj).
Outro cofre de ferro prova debgo queseacha
no primeiro andar do predio i. 16, ra do
Bom Jess avahado em 2004, pertencente a Se-
bastio de Barros Brrelo.
Urna machina a vapor com toaos os seus per-
tences que se acha na serrana lo Caes de "api
baribe n. 2, avahada e;n 200*, pertencente a
Francisco dos Santos Macdo.
Urna armaco de pinho pintida, um balco,
urna c?rteira de araarello, doascaixes, um relo-
gio de paredee urna pipa vazia jintada de verde,
tudp existente no estabelecimeri do Caes de 32
de Novembro n. 77, avahados d;los oojectos em
53*000, pertencentes a Joaquim Ramos A C.
Quatro espeluca grandes com moldara doura-
da, tres cadeiras proprias pan barbear e um
redogio de parede que se ada m casa p. 28 da
Praga da Independencia, avahad* ludo em 5'5000
pertencentes a Joao de Barros Filcao.
Cujos bens foram penh^radoi pela Fazenda
.Nacional e sero vendidos para seu pagamento e
cusas.
Recife, 1." de Outubro de 1889.
O soliatador,
I.uiz Mchalo Botelho.
5.* seccSo.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de .\bril de 1889.
Por esta secretaria se rae publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. rice-presideate
da provincia e nos termos do x do art.
Io da lein. 1,901 de 4 de Juoho de 1887,
3ue, tehd-se concluido por roeiode laudo
e arbitro desempatador, a qnestSi de ava-
iaao do material da empreza di iliumi-
ai# gaz desta cidado, fie* aberta
os eetabelecimentos do caridade e benefi-
cencia, e reparticSes publicas.
- 10." O systema mtrico, si fr mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
lo do gaz.
11.a A luz ser clara, brilhante cuenta
substancias estraabas, que possam pre-
a illuminacSo e a hygiene publica.
12. A intens idade media da bz ser
equivalente a de dez velas do espermacete,
das que queimam sete grammas por bora,
correspondentes a 120 grSos inglezes.
J 13." As horas de illuminacSo publica
aerao fixadas pelo presidente da provincia
ao principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor do seis, nem mator
do de*, devendo neste caso haver urna
redcelo no preco do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
$ 14." O contraetante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados podores para tratar e
definitivamente resolver as questocs que
se Buscitarcm, quer cun o gverno,
quer com os particulares, tcando sujeitos
todos os seus actos s leis e regulamen-
tos e jurisdiiicao dos tribunaes judicia-
ros ou administrativos do paiz.
15." O contraetante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gasmetros, se bouve necessidade,
nos lugares qne o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corto do imperio ou em alguma Osrl^'sli^dTs^deAgo^pTnrMBOdo!
a concurrencia, com o prazo d seis me-
zos, contados d data do piesetpoedital,
para contracto da dita illuminasao, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
3.' Nenhuma proposta serirecebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento" de haver feito no fhesouro
Provincial deposito da quantia de
Couros
Couros salgados, 345 ris, e os verijcs. a 210
ris.
Agurdente
Cota-se a 112*000, por pipa de 480
25:000
itros.
sendo 338.1
interior.
As entradas verloMU
confabcidM, sabe.
Barcacas
Via-ferrea ri
Via-ferrea d
Via-ferrea do Limoeiro
Someta.
orior e 830./82 para o
ferido mez, j
saceos, sendo por:
4.916 Saceos
2 536
605
10.49$
3.963

3Iel
,60/900 por pipa de 480
Alcool
Cota-se a 220*000 por pipa de 480 l|tros.
.\avios descarga
Barca norueguense Solid, carvao.
Barca norueguense Spes, ferragens.
Barca noruiuense N. r. Welsen, carvio.
Barca norueguense Byfaged Christense, tarvao
Barca nacional Mara Angelina, xarque.'
L>?ar nacional Loyo, xarque.
Hatacboalleino F-cerick, xarque.
Patucho norueguense KJain, xarquo.
Palacho diuamarquez Hansine Marie. xaique.
ExporiacSo
RECifh 30 D iETBMBno DB 181
Para exterior
No vapor ihglcz Vandick, carre
Para Liverpool, P. Carneiro 4 C. ~66l saccas
com 43,706 kilos de algodo ; G. de Millos lr-
inaos 31 saccas com 2,4i kilos de algocao e 46
barricas com 2,877 kilos Je borracha ; B. Mee
(liara & C 50 saccas com 4,077 kilos degxvlao,
10,000 kilos de p brasil c 14 370 silo< de la-
taiuba ; N. J. Lidstone 500 -accos cam; 30,00
kilos de sement de algodo.
'Pura o mleror
No vapor allemao Petropolit, carreiarara :
Para Santos V. da Silvoira 300 saca
30,000 kilos de assuear mascavado ,
C. 220 saceos com 13,300 kilos de assuc
cavado
Para Rio de Janeiro, A. ie Lemo3 i
com 15,000 kilos de feijao
No hiale nacional S. Cruz, car
Para Aracaty, A. Guimues 2&V.
2 470 kilos de assuear Branco.
Na barcaca Rosahna, carregou
Para Natal, A Flores 52 caixas o
de genebra.
Rendlmentos pnb
MEZ. DB OCTLMBO
Alfandega
Renda geral :
Do dia 1
Rehda provincial :
Do dia 1
Somina total
Segunda seceo da Alfandega de
1 de Setembro de 1889.
O thesoureiroFlorencio Dol
O chele da seccaoCicero B. j
Rceebedorla. geral
ia 1
Reeeoedorla s>rovioe
'odi
pital da Europa.
16. O pagamento &a illuminafiio pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attencSo oscillacito do cambio.
17. O contraetante poder organisar
companhia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos e obrigacoes do contracto.
18." Para as dospezas com a fiscali-
sacao do servico de illuminacao o contrae-
tante concorrei" annualmenle com a quan-
tia de 3:000KKX), que sero recolhidos ao
Thesouro Provincial.
19.a O presidente da provincia esta-
belecer as multas e mais condicSes, no
intuito de garantir a boa execuco do con-
tracto, quer com relacSo a illuminglo pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contraetante ter de pagar actual em
preza, conforme o 7 cima citado, >
quantia de 994:917^528, de accordo con
a avaliacao feita pelo arbitro desempata-
dor em 18 de Marco ultimo, visto deduzir-
se da de 998:7770528, total da avaliasilo,
a importancia de 3:860(5000 paga em-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com lara-
peSes, collocados fra do permetro do
contracto. O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveira.
cidade por seu gei
Diario de Pernambuco de boje a pu
co do edital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminacao mediante as clau-
sulas oo mesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisacao da empreza
actual a quantia de 998:7770528, por
quanto foram avaliadas pelo arbitro desem-
patador as obras da mesma empreza,
quantia essa que dever ser paga pelo
aovo contraetante, vem pelo prsente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliacao no pode servir
de base para tal 'indemnisajlo, por ter
sido ilfegal e irregularminte feita, ben>
como que contra ella j protes ou, quer
perante o Erm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo-dos feitos da
fazenda, tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr. procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que deva em tempo op
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, deliberen fazer a
presente publicado para scieneia dos in-
teressados.
Reeife, J do Maiode 1889.
Gerente.
Oeorge Windsor,
tPufzo dos Felfos da Fezenda
Nacional
EtcrivSo Reg Burros
Perante o Sr. Dr. juiz substituto dorFeitos da
Fazenda Lindelplio Hisoello 'Concia de Arauje,
se vender em praca publica no da 4 do vindouro.
mez de Oulubro pelas H horas da manha dopois
ila audiencia os bens seguintes ;
Urna ca-a terrea de lijlo e cal sita na ra
Real da Torre n. 12. freguezia dos Afogados.com
sitio cercado em bom estado com boas ac.-mmo
daces avallado por 900/000, perteucente boje
aos herdeiro3 do Dr..Pedro Alfonso de ello.
Oulra casa de lijlo e cal sila oo largo da ce-
laco da Vanea ErVgaesta do mesmo norne, em
bom e.;lad > avaliado por 2:100/000, pertencente
a Joao Cario* P.'-reira da Silva.
Mai3 outra casa terrea de tijolo e cal sita
ra das Trinriieiras n. 32, freguezia de Sanio
Antonio, cm bom estado avallada ern 1:300000
pertenctiite a Dionizio Antonio Salgueiro.' *
Urna iii'i'ugna sita na estrjda de io9o de Bajro
freguezia da Boa-Vista avaharla por 1305000 per
tcncente a Joao Chrysostiino das Chaga?.
Cujos bens foram penhorados pela Fazenda
Nacional, e sero*eodiaos^a*ra seu pagamento e
costas.
Recife, 25 de Selembro de ISSD. -
;. O so.ilador,
Luis Macluido Doldho.
| preside

ihia e
nambaco
Assembla Legislativa Provincial decretan e en
sauecioiei a resoloco seguinte :
Artigo 1. Flca o presidente da provincia au-
torizado a contractar com Eduardo deHoraes
Gomes Fenoira, ou com quem melbores vanta-
gens offerecer, a fundacSo e creacao de um moi-
nlio a vapor ou qualquer outro motor, destinado
a moer grao de trigo e preparar a farinha, com
a capar.idade de moer diariamente, pelo menos,
7.500 kilogrammas.
l. Para i exploracaO e uso da industria da
que trata este artigo, conceder-se ha privilegio
por 10 annos.
% 2. Dentro de dous annos o contraetante
obrigado a montar os e>labi leidmentos precisos
e a dar principio aos trabalhos da fabrica, em
cojo servico ser obrigado a admittir at 18 or-
phos, para Ibes ministrar o ensioo da industria
alimentando os, e dous annos depois dando-Ibes
salario equivalente ao que trabalharcm.
Art. 2." Ficam revogadas as disposigOes em
contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a
quem o coohecimento e execucaO da presente
resolucfio perlcocer, que a curnpram e facam
cumprir tao inteiraraente como nella se contm.
O secretario da Presidencia desta Provincia a
faca imprimir, publicar e correr.
Palacio da Ppresidencia de Pernambuco, em
2fi de Marco de 1889, 68." da Independencia e do
I Imperio.
L. S. botocenoo MiBQeS db Abaujo Gors.
Sellada e publicada a presente resolueo nesta
Secretaria da Presidencia de Pernamfinco, aos
26 de Marco de 1889
O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveira.
5.' Seccao Secretaria da presidencia de Per
nambucoEm 3 de Setembro de 1889
Por esta secretaria se faz publico que flca
aberto o pra;Ode 50 dias, a conlar desta lata,
para o receoirneuto de propostas ern carta .'dia-
da do3 concurrentes construccao de urna es-
rada de ferro de que trata a lei provincial infra
Banco de Pernambuco
Cap'ltal S.OOO:000*000. com cmla-
Ao. nendo o neH fundo, melnlllco
cm arrei de 200*000.
Ejicestabelecimento tem boa parte de seu ca-
pital subscripto, e, de accordo com o Exm. Sr.
Visronde ile Figueiredo, fundador do Banco Na-
cional iloBrazil noKio de Janeiro, ficar extincia
a filial daquelie aesta praca, logo que esteja fun-
dado o Banco de Pernambuco.
As entradas sao de S % no acto da subscrip-
to, 5 % quando l'or annnnciada a assignalura.
As -sub;eqceutes entradas nao poderao ser
jnaiores de 15 % cem intervallo nuncamenor de
60 dias.
A subscripco est aberta na caixa do Banco
Nacional do Brazil desta praca at o dia lo de
Outubro corrente, se antes n5o se achar pre-
cnchida.
Do dial
Recife Dralnage
1:74W340
aterrado uniclpal de S. Jone
O movimento deste mercado no dia 30 de Se
tembro foi o seguinte :
Enirarnm :
, 47 1/2 hus pesando 6.069 kilos.
313 kilos de peixe a 20 ris i/-2o0
5 cargas com firinha a 200 ris lOO
10 ditas de fmetas diversas\ 300r3 35000
8 taboloros a 200 ris 1J600
14 suinos a 200 ris 2 800
2o mtalos com legumes a 200 ris 4 000
Foram oceupados:
27 columnas a 600 ris 16200
1 escriptorio a 300 ris 3OX1
' 28 compartimentos de fannna a 500
ris I4000
23 ditos de comidas a 500 ris H500
73 ditos de', egu mes e fazendas a
400 ris 29 .-200
16 ditos de suinos a 700 ris 11 2 ,
8 uilos de fressuras a 600 rMs 4*800
44 talhos a 3 83o..
1931860
6:04540O
0:239^260
Rendimento do cu 1 a 29 do cor-
rente
F01 arrecadaJaftquido al hoje
Precos do dia:
Carne verjUWe 2<~>0 a 400 ris o ko
Car 20 a i risidem.
Suinos de 06O a 6i0 ris idem.
farinha de 400 a 6 0 ris a cuia
Milho de 36o a 4(i0 ris idem.
no de 800 a 1*200 dem.
Huladouro publico
Neste cstabelccimeto foram abatidas
consumo de hojo 87 rezes pertencentes a'diver-
eos marchantes.
1
Vapores a entrar
MEZ DE OUTUBBO
Europa....... Petropolis........
Norte......... Jfanrtos..........
Europa....... Equateur ........
Norte......... Mmnce........
Bul. ....... AUianca.........
Sul........... Alagoas..........
Europa....... VUle de Cear-
Sul.

2
4
i
a
6
7
9
Buenos-Ayrts...... 10
bul........, Yule de Santos.
Santos e esc .
Buenos Ayres.
e esc...
Sul..-.
Santos e esc.
New-York....
Norte.
Vapores a sabir
MEZ DE OUTUBBO
Petropulis.........
Equateur..........
Una..............
Vanos...........
Advance ..........
Allianca
as
as
a
as
Alagos ... 8 as
10
as 10 h
a lo
n
S h
1 h"
2 h.
Hh.
llovimenlo do porto
idas nem sahidas no dia
1 do
O secretario
Francisco L. Mariuho de Souza.
LEI N. 2.086
Manoel Alvcs de Araujo, do conselho de Sua
Jlagesta'le o Imperador, bacharel formado em
ciencias sociaes c jurdicas pela Faculoude de
S. Paulo, eomuiendadur da Imperial Ordein da
Rosa c presidente ila provincia de Pernambuco
Faco saber a todos os seus habitantes que.a
Assembla Legislativa Provincial dicretou e u
aoccronei a resoluco seguinte:
Arrigo 1." Fica concedido o engenheiro New-
ton Cesar Burlamaqui ou a quem melhores van -
tagens offerecer privilegio por 60 annos para a
constroccao, uso e goso de urna estrada de ferro
ile bitola estreita, que partilo da Si-rra Dous
irmaos, na extrema desta provincia com a do
Piauhy, v terminar na villa de Petro'ioa. pon-
to marginal do Rio S. Francisco
1 A zona- privilegiada ter 10 leguas para
fcada ladodoeixo da lmha, Bem que seja isso,
ein tempo alguaa empecilbo a que a qualquer
outra e.strada de ferro, parallela ou nao a de que
cogita a presente concessao, possa a pcovincia
azer concessao de zona privilegiada. No caso
de futuras concess&es, so a zona privilegiada da
estrada a que refere se a actual lei for invadida
pela de qualquer ootra estrada de Ierro conce-
dida mais tarde, pela provincia, ser o espaco
de Ierra que entre as duas estradas mediar divi-
dido ao meio, ticando urna metade delle como
zona privilegiada de cada urna das referidas es-
tradas.
g 2." Em igualdade de condigOes o concessio-
aario tera preferencia para nonsirucco, oso e
goso de futuros ramaes convergentes.
3. Ficam isentos de direitos e impostas
provinciaes e municipaes os eailic03, as machi-
nas e materiaes necessar os para a conatruccao e
exploracio da linha principal e dos ramaes que
forem construidos.
4.* O concessionario sera ob igado a cons-
truir linha telegrapliica para uso publico e par-
ticular da referida estrada e ramaes, gosando de
igual isenco de direitos impostes.
g o.' Fica coacedida a garanta de juros de
6 / sobre o capital que for empregado effecii-
vamente as obras, calculado o prego mximo
do kilmetro, em 23.0305 e p"lo praso da dura-
co do privilegio, findo o <|ual reverter para a
provincia a estrada com todas as suas obras,
machinismos, materiaes e linlias telegraphicas,
e bem assim cada um dos ramaes que tenham
sido construidos, logo que tenham sido oxpora-
dos por igual tempo,
g o. A garanta de juros so se tornar cffec-
tiva no caso de ser levada a elTeito a concessao
da estrada de ferro de Amarante na provincia do
Piauny a erra Dous Irmaos, qual se prende a
presonte concessao, perd: ndo o concessionario o
direito referida garanta se obtiver o governo
geral, subvengo Kilomtrica, quantia dejaros
ou qualquer outro favor equivalente.
g 1.' A provincia ter o direito de embarcar
gratuitamente a sua forca publica, autoridades c
respectivas cargas.
8. 0 concessionario poder transferir em-
presa ou companhia, que orgunisar o presente
privilegio com todos as seas favores e obriga-
C-.'S.
g 9. Dentro de 5 annos da data to contracto,
devero ser apresentados os respectivos estados
definitivos e 03 respectivos orccmenlos detalha-
dos c ter comect) de cxoeuco as obras, cadu-
cando a concessao, se dendro desse praso nao
forem ditas obsas comecadas, salvo caso de for-
Ca maior, devidamente provado.
Art. 2." Ficam revogadas as di^poiices em
contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades a
quem o conbecimento e execuco da presente
resoluco pertenoer, que a curnpram e facam
cumprir t5o inteiramentc como nella so coni-
tm.
O secretario da presidencia da provincia a faca
imprimir, publicar e correr.
Palacio da presidencia de Pernaabuco, 8 de
Agosto de 1889, 68' da Independencia e do Im-
perio.
L. S. M. AltS dti Araujo.
Sellada c publicada a presente resotucao nesta
secretaria da presidencia de Pernambaco, aos 8
,stode 1889.
0 secretario
Francisco L. Mar Mo de Sou-:a
Secretaria da Presidencia de Pernambuco,
era 23 de Setembro de 1889.5. seccao.Por
osla Secretaria se faz publico, de ordena do Exm.
Sr. conse.llieiro presidente da provincia e de ac-
cordo com a lei provincial n. 1974 de 26 de Mar-
o ultimo, que', a requerimento de Eduardo de
es Gomes Ferrcira.-acha se aberta a concur-
rencia, com o prazo de 50 dias, a contar de hoje,
ara apresenlaco de propostas em carta fechada,
fundaco de um moinho, n ncia, des-
tinado a moer o gr ar a fari*
nha de conformidad inta.l
Banco Internacional
do Brasil
De conformidade com a autorisaco recebida
da Caixa Mutrig. no Bio de Janeiro, este Banco
funeciouar de hoje em diunte sob o titulo de
Banco Naciona do Brasil
que assumc desde j a responsabilidade e con-
iinuacao dos negocios do antigo Banco. Recife,
1 de Ontubrodc; 1889._______________________
Edificio da Faculdade de
Direito
Nao tendd comparendo para assignar con-
tracto o proponeme ao fornecimento de pedra
em blocs, sao chamados novos concorr.nles para
apresentarem proposlas em cartas fechadas no
dia 7 do correte, s 12 horas do dia, no Palacio
da Presidencia.
Recife, 1. de Outubro de 1689.
G. Tbavmoturgc de Azevedo.
Praso de 30 dias
N. 119.O Sr. Dr. inspector gpral manda fa-
zer scienle s professoras Francisca Alves de
C.nrvutlia o Augusta Etvlra Uohoa Humeadas por
portara da presencia da provincia, de 25 de
correte, para regerem effectivamente as cadei-
rs de ensino primario de Agua Branca e Pa-
bellas, que, a conlar daque la data, liies tica
mercado o praso de 30 dias para assumirem 0
exercicio de suas respectivas cadeiras.
Secretaria da InstruccSo Publica de Pernam-
buco, 28 de SeUrmbro de 1889.
O secretario,
Pergentino Saraiva de Araujo Galvao.
Gonseiho de compras da re-
particao de marialia
De ordem do film. Sr. capitio lenle Manoel
Augusta de Car tro Meoezes, inspector deste ar-
si nal e carto do porto desta provincia, faco
publico para conliectmeoto do quem interessar
possa, que em sessSo de boje do conselho de
compras desta repartieao, deliberan o mesmo
couselho adiar para o dia 7 do correte, a con-
currencia anaunciada pelos jornaes desta cida-
de, para o fornecimenb de sobresalentts e m-
teriaes, que deveria ter lugar a 2 deste mez.
Inspecco do Arsenal de Marinha de Pernam-
buco, 1 de Outubro de 1889.
O secretario,
Antonio dd Silva Azevedo.
Imperial sociedade
D05
Artistas Mechanicos e Li-
beraes

De ordem da directora, convide a todos os
senhores socios, no goso de seus direitos, para a
assembla geral. sexta feira 4 do corrente, s 7
horas da noite, devendo esta se effectuar com o
numero de s jcos que comparecer.
Recife, 2 de Outubro de 1889.
i.uiz dos Piazcrcs,
2 secretario.
Recebedoria de rendas inter-
nas geraes
Impoxfo predial
O administrador da Recebedoria faz publico,
que no dia 31 do corrente mez trmica o praso
para a cobranca, iivre de multa', do imposto
predial a que esto sujeitos os predios perten-
centes corporaces de m2o mora, companhias
ou sociedades anonyrras e a qualquer sociedade
pa, beneficeate ou religiosa, relativo ao 2'se-
mestre do exer;icia correnta> depois do que ser
cobrado com a multa de 10 0,0.
Recebedoria, 1 de Outubro de 1889.
Alexaadre de Souza P. do Carmo
"... M ||M.|| -~ -, .....
Thesoufo Provincial
De ordemdoliln. Sr. Dr. inspector do The-
souro Provincial, declaro aos senhores funecio-
narios pblicos provinciaes, que araanh effec-
tuar.se-ba por esU repartigo o pagamento de
seus vencimentos at o mez de Abrildo corren-
te snno.
Secretaria do Tiiesouro Provincial do Pernam-
buco, 1 de Outubro de 1889.-0 official,
Lindolpho Campello.
Instituto BeueiceDte dosOITiciaes
da Guarda nacional
j se teedo realisado a assembla geral no
dia 26 do passado, veno de ordem do Ilim. Sr.
presidente, convidar aos senhores socios a se
reunirem no d;a,3 6 1/2 horas da tarde, atirn
de tratar-se dos iotereuses sociaes, funecionando
:iumero ojie enrapar
determina o art
Ser
.utos.
1 mrai 1 de Ou^^B


.ddNlttl>:*.'?&-'> --* Hn^nl Ajrtbawnn^aan
GRKAT WESTERN F BMZIL MILWAY C. LIMITED.
AVISO
1AlgoJSo do inferior.om fardos pesando nanea menos de 180 kilogrammas
o n2o excedendo em volume tres decimos de um metro -cubico, ser transportado
com abatiment de 20 0 sobre os frotes da Tarifa 9 ciaste I *
2 -Algodao em caroco nao sendo incluido na classificicSo das niercadorias
ser em virtude do art. 94 do regulamento transportado as condic3es da tarife se-
guinte: at segunda ordem.
alma do consoc
va, c(
amigos do falle
de caridade.
Secretaria do Iuslituto. i de
0 secre
Gaspar Antonio
mesmo
ntonio da Silva Ju-
/UI1I<
OS.
3*
v,
o
o
o
s *-
"5. OD
a O
fe
aaiova7Kv,o
Ci
CC
oSkhhjut 'S
3r
w
ce
3
i CO

VH'.IIX
fe > e>a *
2?88
) OS
YlKVg
PS
5 cocccoqscco;*
88SS88?
ohhvo oa VOOJ1
i-KCCOti

l CO
!8
W CC I
:8
fe
aaNTHO OdKVO
1- *-* 9~ -* tO
" 3
i CC
i CO <
'CO
fc
<-
oaiaowrc


o
a
~..........
oococioococccsccas^
8888888888
I
HajHiaoTax

i->e>CiO>WCitOi-Ctf.O
CC
:888
en 4^ te
:888
I
nxaavzrs
W
i-* t-> i-* i-* ? te
Q;.C*-tt>aocseofc*-Cn-it*
8888888888888

T0038 TODYT
H- ^- MMH H H t>5
h-rf'.oswi-'Occi-'if.cc-itcrf.
3. CO CO
288
(00
o'
M i
rf- IC *-
88:

vkavara
"wr.atiiwtOwaMOf-S'
5 8:
Olibffil
;888
to I
I
v5NTTnv
., i ,_. ti M fC M
te
i
2 ce
?8:
. en cft os iu os i
88888:
5-
vzaaaa
cctoocoqpC5CCito*>..fcM'^'
888888888888888
S5
?B.IYaHU
1 Transaccoes cima de 3.000 kilogrammas no mesmo wagnaerSo co-
bradas proporcionalmente.
2 O algodlo em carolo deve ser ensaccado em saccas bem fechadas.
3Ser depositado fra dos armazens da Companhia e ser coberto com en-
cerados, pqrin, sem responsabilidade da Campanhia por prejuizo com ebuva ou fogo.
3Os wagona devem ser reqnesitados conforme o art. do regulamento e ficam
-njeitos s disposicOes dos arts. 44 e 45 quanto carga.
Jason Riqby,
Superintendente da Companhia.
Prado Pernambneano
i
PROJECTO DE INSCRIPgAO
Para o pareo
GRANDE PREMIO PERNAMBUCANO
Na corrida que se realisar no dia 1. de Janeiro de 1890
SEGUNDO AMIYERSARIO
DA
DAUGUBACiO DESTB PRADO
S500 metrosAnimaes de qualquer paiz. PREMIOS: :OOOAOOO ao
primeiro, 1:500*000 ao segundo, S00000 ao" terceiro,
e 400*000 ao quarto.
Inscripco 4003000
Pagamentos em duas prestacSes, sendo a primeira no acto da nscripcao e a
segunda no dia 24 de Dezembro de 1889.
Nao sendo realiaada a segunda preatacSo fica considerado como tendo feito
forfait, para o animal inscripto,
Nlo se realisar este pareo sem que se inscrevao* cinco animaes de proprieta-
ros differentes.
A inscripcao encerrar-se-ha no dia 5 de Dezembro as 6 horas da taj-de na Se-
cretaria do Prado.
Francisco de Souza Reis,
EREXTB.
Recife, 21 de Agosto de 1889.
Companhia Loc<
tora Pernambucamv
AMembla geral
De conforraidade com o art. 14 dos e
desta companlua, convido aos senhores
nistas a reunirem se em asscmblea .'eral
8 do prximo mez de Outubro. ao uieio^H^
pateo do Carino o. t, escriplorio, para Ibetj
a presentado o batane e mr.is documen:
rentes ao estado da companhia, e resot^^^H
meibor sonre assumpto de inleresse da meso
companhia.
Recife, 2i de Setembro de 4889.
Andr M. Pinheiro,
Secretario adhoc. .
Capitana do Porto
Aos Srs. propietarios e consignatari
navios
. De ordem do Illin. Sr. eapilo-tcnenle ^^H
do porto- d'esta provincia, fago publico solugao consulla feita por esta Ca^^H
Porto S. Exc. o Sr. conselueiro ministro da fia
rinha, nonhuma embarcago, quer nacional qjjer
ctranjrera. esta isenta da obrigaya), qnando
pretenda sabir do portd, do proviainente tirar o
Pa'senesta reparticao, o qual devc^^H
apresentado ao Sr. oflicial externo da polica,
como prova exigencias regnlamentares.
Os infractores ficam sujeitos s pepas previs-
tas no Regulamento de 19 de Maio de 1816.
Capitana do Porto de Pernamboco, 1 de Oa
tabro' de 1889.
O secretario,
Mario Chaces. .
Companhia de Segaros
AGENTE
Miguel Jos Alves
IV. Iva o Ion Jeras-N. f
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguios a nica companhia
aesta praca que concede aos Srs. segurados isemp
gao de pagamento de premio em cada stimo
anuo, o que equivale ao descont annual de cer
ca de 15 por cento em favor dos segurados
Companhia
,BK
Seguros contra Fogo
EST: 1803
EdifictM mercadoriai
Taxatbaixa*
Prompto pagamento de prejuizot. .
CAPITAL
Rs. i,000:0006000
AGRNTK
nRO\v\K k. c.
N. 5BAD0C0MMERCI0N. 6
SEGKOS
MARTIMOS comba fogo
Companhia Phenli cr
nambiiciaa
RDA DO COMMERCIO N. 38________
L3ndon & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commereio n. 32
Sacca por todos oa vapores sobre as cal-
zas do mesmo banco em Portugal sendo
em Lisboa ra dos Capellistaa n. 75. Na
Porto, ni dos Jnglezea.
J
Aviso
O Banco Internacio -
nal do Bra/il
eentinuar par ememanto as suas tri.nsai.cOes
sem raudanca de titulo, at receber avi o do P.i i
' Jaspor lei para poder principiar a funecionar
sob o titulo de Raneo Nacional do Rrasii o que
ser opportunamente publicado.
P rnambuco, 30 de Setembro de 188S.
WMiamM. WebtUr,
Gerente.
J. C. dot Santos,
Contador.
^
Companhia de Edifica cao
Sao convii lados os Srs. Accionistas da extlncta
Companbia (le Ediftcacfto, a comparee pscrwtorio de Moura Borges C, ao largo do
Corpo Santo, das 9 horas da tnaaha as i da tar-
de munidos de snas acc5es,aBm de receberem
aqaantiadW300poracc4o,qn3nto txu no
"Recife, *) de Setmbro de 1889.
loaqaira de Oliveira Borges.
Irmandade
DE
N. S. do Rosario da matriz
do Corpo Santo
Elelco
Convido pelo presente a todos os nossos ir-
mos para se reunirem em nosso consistorio
quinta-feira 3 do correte, 1 hora da tarde,
afim de em mesa geral: procedermos eleigSo
dos funecionarios para o anno compromissal de
1889 1890. 0
Recife, 1 de Outubro dj 1889.
O escrivo,
Nuno A Ivs-da Fonseca.
Recebedoria Provincial
O administrador da i.ecebedoria Provincial
faz publico para conbecimento dos respectivos
contribuintes que, de ordem do Illm. Sr. Dr.
inspector do Tuesouro, fica prorogado at o dia
15 do corrente o praso marcado para o paga
ment, livre de multa, da enntribuicao devida
pelos servicos da Companhia Drainage, do 1
semestre do anno de 1889.
Recebedoria Provincial de Pernambuco, 1 de
Outnbro de 1889.O administrador.
Luiz Cesario do R;go
SEGURO CONTRA FOGO
Royal Insurance Companj
de Liverpool
CAPITAL .000:000
AGENTES
- R. DE DRUSDA & C.
13Ra Mrquez de Olinda13
Compattljia t>t &t%\\xo$
comA o
NORTHERN
de i.oodres e Aberdaen
Posifo tinanecira ('Dezembro de 1885^
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados 3.134,348
lie celta annual :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
O AGENTE,
John H. BoxtneU'
iudemivisadora
(ioiopanhia de Seguros
^ MARTIMOS E TERRESTRES
Esiabelecldarm 1*55
CAPITAL 1,000:000|OOO
SIXISTROS PAGOS
At 31 de Dezembro de 18 4
Martimos.. 1,110:000#00G
Terrestres. 316:000Q00
44Ra do Commereio44
O prcurador* dos feitos da fazenda
provincial, tendo recebido do tbesouro a
relacao abaixo transcripta dos contribuin-
tes que deixaram de satisfazer o paga-
mento das annuidades devidas Compa-
nhia Recife Drainage, dos predios situados
na freguezia de S. Jos, relativamente ao
1. e 2\ semestre do exercicio
1886 declara aos mesmos contribuin
lhes fica mareado o praso de 30
contar da publicado do presente
pa**a dentro delle pagarem a im
de seus dbitos, com guia da
contencioso, certos de que lindo
praso ser feita a cobranca ex!
mente.
Recife, 17 de Setembro de 188
Joao Francisco Teixeira.
RelacSo dos contribuintes que deix
satisfazer o pagamento das ann
devidas a Companhia Recife
dos predios situados na rregaeziaj
Jos, relativamente ao 1.* o 2
tro do exercicio de 1885 a 18
Lomas Valentina n. 21. Antoni*
Diogo da Silva
Coronel Suaaauna n. 162. Ant nio Valentim da Silva Barroca
Antonio Pedro Caval-
lante de Albuquerque
a n. 51 Alexandre Rodrigues
[os Anjos
quez do Herval n. 150. An-
nio Augusto Ferreira Lima
n. 207. O mesmo
Cardoso n. 52. Antonio Jo-
sephina Doubourg
Das n. 8^. Augusto Cyriaco de
-Oliveira Villas-Boas e outros
Padre Nobrega n. 70. Anna Ma-
ria da Luz
[Dita n. 72. A mesma.
Dita n. 73. Antonio Jos Bueno
Jnior
Vidal do Negreiros n. 30. Anna
Felizarda de Souza e Silva '
Dita n. 50. Antonio Moreira liis
Dita n. 66. Antonio Jos da Sil-
va do Brazil
Dita n. 84. O mesmo
Dita n. 86. O mesmo
Dita n. 202. Antonio Moreira
Reiz
Dita n. 204
Dita n. 119
go Mello
Frei Henrique n. 18. Anna Joa-
quina Theotonia
Dita n. 13. Antonio Jos da Sil-
va do Brasil
Aseumpolo n. 48. Anonio de A-
zevedo Villarouco
Domingo Theotonio n. 37. Anto-
nio Moreira Reis
Dita n. 41. O mesmo
Dita n. 47. 0 mesmo
Dita n. 49. O
O mesmo
Anna Amelia do Re-
mesmo
Padre Floriano n. 6. Antonio Pe-
reira Mendes
Dita n. 66. Antonio Jos da Costa
Dita n. 73. Antonio Climaco Mo-
reira Temporal
Jardim n. 2. .Antonio de Oliveira
e Silva e outros
Dita n. 33. Antonio Soares Pinto
Forte n. 2. Antonio Duarte Ma-
chado
Antonio Henrique n. 7. Antonio
Diogo da Silva
Nogneira n. 4. O mesmo
Din. n. 8. Antonio Climaco Mo-
reira Temporal
Dita n. 12. Antonio Diogo da
Silva
Trafessa da Rna Nova de Santa
Rita n. 13. Adolpho da Fonse-
ca Bancks
S. Jos n. 68. Antonio Pereira
de Mendonca
Dta n. 11. Antonio Marques de
Oliveira
Dita n. 25. Antonio Moreira Reis
Pescadoras n. 6. Antonio Joa-
quim de Moraes e Silva
Travessa da Praia do Forte, n. 1.
Antonio Moreira Reis
Dita n 3. O mesmo
Dita n. 5. O mesmo
Dita n. 7. O mesmo
Praia de Forte n. 4. O mesmo
Yf i ranga n. 11. O mesma
Imperial n. 1. Andr Affonso de
Carvalho
Travessa do Pocinho n. 35. Bar-
tholomeu Francisco de Souza
Dita n. 37. O mesmo
Dita n. 39. O mesmo
154151
150151
430207
150151
150151
150151
150151
270162
150151
150151
150151
150151
150151
150151
150151
300302
280138
150151
180028
150151
150151
230300
150511
150151
150151
150115
150151
20877
150151
150151
150154
150151
150151
20877
180028
150151
150151
270Q75
150151
70521
150151
150151
150151
150151
160151
150161
150151
150151
150151
150151
150151
150151
M. S. S. C.
Ovapor Advance
E' esperado de NewYork-
at o dia 5 de Outubro
to o qual depoU da de-
mora necessaria seguir
para a
Baha, Rio de Janeiro o Santos
Para passagens carga, eucommendas e di-
nheiro a frete. trata-se : com os AGENTES.
Ovapor Allianca
E' esperado dos portos d
sul at o dia 6 de Outu-
bro o qual depois da de
mora necessaria seguir
para o
Par*, Barbados, *.
MartlDJque e Mew-
l
jL ISaraahio,
Thootaz,
York.
Para carga, passagens, encommendas
abeiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commecior8
V andar
e di-
De i piano, l mobilia de junco a Lniz XV coa
encost de palba, l sof, 1 poltrona e 6 cadeiras
de guarnico estufadas de crep, l guarda-ves-
tidos moderno, i cama franceza, i lavatorio com
Sedra, 1 (oillett, 1 commoda, i aparador grande,
ditos menores, i mega elstica de 4 lab as. t
tnarquezOes, i marqueza, li cadeiras de janeo,
11 ditas de amarello, t mesa de louro. 1 cabide,
1 quartinheira, quadros, jarros, 4 lant-rna, lou-
capara almoco e jantar, candieiros para keroze"-
oe, i espingarda de fogo central e l dita de re-
pecao, copos, clices, garrafas, 'compoteiras,
tapetes, bandeijas Onas, ftcas, colbere, 1 jarra,
1 banca e trem de cozinlia, que sero vendidos
Eir* ordem do Sr. Jos Francisco da Silva, que
i para o Rio de Janeiro.
tuiata-felra, 3 de Outubro
As 10 12 horas
A' ra da Princeza Isabel n. 9
Leilo
Companhie de Messageries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Equateur
Commandante Moreau
E' esperado da Europa no
dia 4 de Outubro e se-
guir depois da demora
necessaria para
3ahia, Rio de Janeiro, Buenoa-Ayte* e
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
iasses que ha lugares reservados para esta
igencia, que podem tomar em quatquer tempo.
rrevine-se aos Srs. recebedores de mercaao-
ias que s se attender a reclamacOes por tal-
as, nos volumes, que forem reconhecidas na
)ccasiao da descarga, assim como deveraoden-
to de 48 horas a contar do dia da descarga das
dvarengas, fazerem qualquer reclamacao con-
'ernentes a volumes que porventura tenham se-
ruido para os portos io sul, am de poder-se
lar a tempo as providencias necessarias.
Ele paquete llluminado las
elctrica.
Para carga, passagens, encommendas e di-
theiro a frete: trata-se com o
AGElTEf
Auguste Labille
9 Ra do Commereio 9
CHARGEURS REUNS
(Contina).
Recebedoria Provincial
Tendo sido designado para proceder na fre-
guezia de Santo Antonio a collecta dos diversos
imposlos provinciaes- relativos ao exercicio de
18ft, assi m o declaro aos respectivos contri
buinte., que na forma do regulamento de 4 de
Julho de 1879, deverao instruir as reclamatoes
rerbaes que fnerem fem vista de documentos
comprobatorios. Darei principio ao trabalbo de
que me acho incumbido no dia 30 do corrente
mez, pelas ras do Imperador, i de Marco, Du
que de Caxias e caes 22 de Novembro.
1. seccSo da Recebedoria Provincial, 88 de
Setembro de 4889,
O Inncadcr,
Joaquim Tranquilino de L. Duarte.
Cepanilla
DE
Xavegaco
.jinha quinzenal entre
Pernambuco, Babia,
Santos.
O
Francesa
a vapor
o Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro e
vapor
Ville doCear
^;
Commandante Lainej
E' esperado da Europa at o dia 9
de Outubro, seguindo depois dain-
dispensavel demora para a
MARTIMOS
Royal Mail Steam Packe
Company
O vapor Elbe
Commandante Armstrong
Espera-se da Europa at o dia i 1 de
Outubro, seguindo depois da demo-
'ra do cpstume para
Macelo, Baha. Ro de Janeiro
Santos, Montevideo eBuenos-
Ayre.
Para passagens, fretese encommendas trta-
le oom os AGENTES.
O paquete Tagus
Commandante P Rowsell
E' esperado do sul no dia 13 de Ou-
tubro, seguindo depois dademora
necessaria para
Lisboa, Vigo, Santbampton e Antuerpia
Reuccao de paesagen*
Ida Ida e coito
i' Lisboa i* classe t 20 30
V Southampton classe 28 42
Camarotes reservados para os passageiros de
>emarabuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
om os
AGENTES
Imorim Irmos & C.
N. 3Ba do Bom JessN. 3
Bahia, Rio e Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelee
fpores desta linha, queiram apresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
qualquer reclamacao concernente volumes que
porventura tenham seguido para os portos do
sul afim de se podei dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
'"iPara carga, passagens, encommendas e di-
oheiro a frete: trata-se com o AGENTE.
Ville de Santos
Commandante Tairquery
Espera-se dos portos do sol at
o dia 10 de Outubro, seguindo
depois da indiapensavel demora
o Havre tocando em
Llaboa.
Entrar no porto
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
e offerece excellentes commodos e ptimo pas-
sadio.
As passagens poderao ser tomadas de ante-
mSo.
Recebe carga, encommendas e passageiros
para os quaes tem excellentes accommodaedes.
De urna mobilia de Jacaranda com 12 cadeiras
de guamicao, 4 ditas de bracos, i sof, 2 con-
tlos com pedra, urna mobilia de amarello com
12 cadeiras de guamicao, 2 ditas de bracos, i
con8olos e 1 jardineira, 1 tapete para sof, 2
candieiros de luz dupla, para kerosene, 1 lu9tre
para dito, 2 pares de jarros tinos, 1 par de es-
carradeiras finas de porcelana, 3 langas para
cortioados, 1 sof de Jacaranda, 1 consolo de
dito com pedra, 1 toilette de Jacaranda, diversos
vasos rasos para toilette, 1 mesa elstica de 6
taboas, 1 guarda-Iouca envidrando, 2 aparadores
torneados, cadeiras de junco, ditas altas para
enancas, ditas com balanco para enanca, 8 qua-
dros para salla de jantar, 1 banco de ferro, copos,
compoteiras, fructeiras e tacas para champagne
de crvstal, garios, facas, colheres. porcellanas
para almoco e jantar e mais objectos pertencen-
tes a casa de familia.
|uiata-fe!ra 3 de Oataoro
A's 11 horas
Na casa sita ra Dr. Joaquim Nabuco
n. 8, na Capunga
O agente GusmSo, antorisado por urna familia
que mudou de resjijencia far leilo dos objectos
cima mencionados.
Agente Pestaa
Leilo
Por mandado e assistencia dos Exms. Srs.
Dr;. juis de orphos e substituto da fazenda.
I casa terrea, de pedra e cal, edificada na ra
Alegre n. 8, em Agua Fria de Beberibe, com 2
salas, 3 quartos, cosinba, quintal, cacimba em
bom estado, terreno proprio, servindo da nase a
offerta de 300, pertencente ao inventario de
Idalina Vianna Lins r
Um terreno com 120 palmos de frente e 75 de
fundo sito travessa da ra do Principe, perten-
cente ao espolio de Felicia Mari a da Conceico.
Urna casa terrea na estrada do Jiqni a Ja boa-
to n. 305, em terreno proprio, com 2 janellas e
1 porta de freute, 2 salas. 2 quartos, cosinba
interna e grande quintal, serviodo de base a of-
ferta de 250*000.
Quinta-feira, 3 do corrente
A's 11 horas em ponto
No armazeni travessa do Corpo Santo
________________n._27__________________
Agente Pestaa
Leilo
De 3 pianos, mobilia de Jacaranda, carteiras,
marquezSo, cadeiras avulsas, consolos de ama-
rello, mesa redonda, loucas. vidros e muitos
outros objectos que sero vendidos ao correr do
martelio.
Quinta-f i Ira 3 do corrente
A's 11 horas em ponto
No armozem travessa do Corpo Santo
n. 27
Leilo
Para carga, passagens, encommendas e di-
iheiro a frete: trata-se com c
AGENTE
Angoste Labille
9 -RA DO COMMEBCIO-9
COHPaiAXA PEB.\M*niC.4Y4
DS
tfavegacSo costelra por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyha, Natal, Maco, Mossor, Araca-
ty e Ceard
O vapor Una
Commandante Monteiro
Segu no dia 3 de Outubro s 8
horas da tarde. Recebe carga at o
dial
ak
Encommendas, passagens e dinheiro frete,
t B 2 horas da tarde do dia 3.
ESCRIPTORIO
Jo Caes da Companhia Pernambucanu
n. 12
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Manos
Commandante o 1 tenente Guilherme
Waddington
E' esperado dos portos do norte at
o dia 4 de Outubro e depois da de-
mora indispensavel seguir para of
'portos do sul.
As encommendas serSo recebidas no trapicru
!arbo3a at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
8 rata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Alago as
Commandante Joao Maria Pessoa
E' esperado dos portos do: sul at o
da 7 de Outubro e seguindo depo
ida demora indispensavel para os
portos do norte at Manos.
As encommendas s sero recebidas na agen
a at 1 hora d tarde do dia da sabidx
Para carga, encommendas, passagens e valo
es trata-se com os
AGENTES
.Pereira Carneiro & C.
6*=i2ua, do Commercco=6
1 andar
de 24 sellins, 4 pannos de feltro, 9 caixas com
louca esmaltada, camisas para homem, casemi-
ras, 6 caixas com cadeiras de pao, botes, fazen-
daa, ferragens e miudezas.
Qnlnta-fclra, 3 do corrente
A's 11 horas
Agente Pinto
armnzem rna do Bom le-
sna o. 43
No
Leilo
LEUDES
Leilao
Do sobrado de 2 andares, n. 24, da ra
do Visconde de Inhanma (antiga do
Rangel) espolio de Victorino Jos de
Suza
Qnarta-felra, t de Outubro
A-s 11 horas
No armazem ra do Imperador n. 16
O agente Martios vender em leilo por man-
dado e com assistencia do Exm. Sr. Dr. iuiz de
direito da provedoria de capellas e residuos o
sobrado de 2 andares e soto interno, n. 24 da
ra do Visconde de Inliauma. edlticado em ter-
reno proprio e pertencente ao acervo inventa-
riado do Tinado Victorino Jos de Souza.
lentes podem examinar o referido
obrado.
De movis, piano, espelbos ovaes, quadros, li-
vros fogo de ferro, trem de cosinha, ferra
mentas para jardim, divergas plantas em vaso,
vaccas turinas e da trra, cachorros de raca,
ncos, pombos e passaros. .
exta-feira, A do corrente
A'S 11 HORAS
Na ca=a sita na estrada dos Aflictos confronte ao
Becco do Espioheiro
CONSTANDO:
De urna mobilia de Jacaranda com 12 cadeiras
de guarnico, 4 ditas de bracos, 2 ditas de ba-
lanco, 1 sof e 2 consolos com pedra, t grandes
espelbos ovaes, 1 piano do fabricante Cari Scbeel,
1 cadeira para dito, 4 quadros dourados, 2 jarros,
4 figuras de porcellana. 2 escarradeiras, 1 tapete
para sof, 2 cadeiras de junco com balanco, 6
tapetes para porta, 3 capachos, 1 tapete para
piano, 1 lustre de cryslal com 5 bicos para gaz
carbnico, 1 forro de esleir para sala, 1 mobilia
de vime com 1 sof. 6 cadeiras de guarnico, 2
ditas de bracos, 2 consolos e 1 jardmeira. ^ toi-
lette com pedra, 1 cama franceza, cpula e corti-
nados, 1 cabide de parede, 2 despertadores, 1
lavatorio e guarnico, 3 quadros, 2 tapetes, 1
guarda-roupa. 1 commoda, 1 santuario, 2 ser-
pentinas, 1 grande estante envidracada, 1 relogio
de nikel, 1 caixa de msica, 1 porta relog o, 2
redomas com vistas, 1 Ihermometro, 1 bengala
com estoque, 3 mappas, 1 cabecada de metal
principe, 2 pares de espo"*s de prata, divert-as
obras, de C. Cant, Rlm o Registro Natu-
ral, Thesouro Homecer .iico, Dante e ontro3
auclores e 1 botica bomecepatnica.
Doxe figuras de trra cota, 2 vasos com pal-
meira, 1 roarquesao largo, 3 camas para cianeas,
1 espelho, 3 quadros, 2 cabides de parede, 1 bi-
det, 1 cadeira privada, 1 mesa e 4 tamboretes
toscos, 1 lavatorio de ferro com bacia, 1 camino-
da. 1 marquezo estreito, 3 camas de lona 9 ca-
deiras diversas, 1 cabide, 2 mesinhas. 1 caixa.
para machina, 1 mesa elstica com 5 taboas, 1
guarda louca, 2 aparadores torneados, 1 dito de
armario, 1 sof, 16 cadeiras de junco, 2 etageres
grandes. 1 mesa grande com pedra, 1 quarti
nbeira de marraore, 3 cadeiras de balanco para
meninn, 2 cadeiras para crianga, 7 quadros, 2
relogios de parede, 4 cadeiras de vime, 3 im-
portantes espingardas para caca, appar Mo de
porcellana para cha. dito de louca para almoco e
jantar, copos garrafas. Clices para vinho c
champagne, compoteiras, galheteiro. licoreiro,
fructeiras de alabastro, facas com cabo de mar-
fim. giirfos de electro-plate, bules, bandpjas do
electro pate, paliteiro de dito, 1 frucu-ira de
chrystal, mesas de cosinha, 1 fogo de ferro,
trem de cosinha, 2 bancos j>ara jardim, Arru-
nenlas e carriubo, bombas e encana mei to,
d'a;:iia, 2 importantes vaccas turinas de rae?,
gneos, pombos e 10 passaros em gaiolas. i sel-
liiii aovo para carneiro, vasos com plantas e
muitos outros objectos.
O igeote Gusmo, autorisado pelo lllra. Sr.
Carlos Lourenco Gomes, em viagem para a Eu-
ropa com a sua Exina. familia, far leilo dos
objectos cima mencionados. *
A's 10 hora3 e 20 minutos partir um bond da
linha de Fernandes Vieira, que dar passaem
gratis aos concurrentes ao leo.___________
2. eo
Da cisa de sobrado da ra do Dr. Joaquim
Nabuco n. S8, edificada em chaos pro-
prio*
. saboado, & do corrente
A's 10 horas em ponto




1
aas


1
I

ao
cu
em pres*
provedoc
Y1U
JLivi nacin* ea de
De import.intee aninues
corridas
Constando dos animaes: Pharizeu. Bureas, i
cavallo novo castanbo que anda nao orreu/l
dito de sella, esquipador. i eguas da provincia,
sellas, sellius cabecadus e inais pertenois.
ahhado 5 do corrate
A's l hora*
No largo do Copsmercio (Lingueta)
O agente (usruo auiorisado pelos proprie-
tarioa da Taitersoll Pemumbucana far leilo
do animaes cima mencionado*.
Leilo
ente Britto
De prediovse terrenos
0 agente cima mencionado e na presenca do
Illm. e Exm. Sr. Dr. jai de direito da provedo
na e a reouer imenlo do IIim. Sr. Dr. promotor
de capeilas, levar a teiio o patrimonio da ir
mandade de Nossa Senhora da Boa-Viagem, a
saber:
Predios
Urna casa terrean. 1 com sotSo interno, na
frente da igreja, com 3 salas, 4 quartos, cosinha
fra, tendo no sotao 4 quartos e urna jauellu para
0 oitio.
Duas ditas ns. 3 e 5, nada urna com 2 salas. 3
quartos, saleta e cosinha fra.
Duas ditas ns. 7 e 9 com 2 salas, 2 quartos,
saleta e cosi bu lora.
Urna dita n. 13 com 2 salas, 3 quartos e cos
aba fra.
Seis ditas tis. 15,17, 19, 21, 23, 25, cada urna
com 2 salas, 2 quartos e cosinha fra.
Urna dita n. 27, com 2 salas 4 quartos e eost-
cha fra.
Duas ditas ns. 29 e 31, cada urna com salas
e 2 quartos.
Urna dita n. 33, com 2 aalaSj 2 quartos e cosi-
oba fra.
Urna dita n. 35, de esquina, com 2 salas, 2
Quartos, saleta, cosinha fra. com*porta e janella
do oitao.
ma dita do lado opposto n. 6, com 2 sala e
1 quarto.
Urna dita n. 8, com 2 salas e 2 quartos.
Urna dita n. 10, em minas, teudo o terreno 20
metros e 40 centmetros de frente e 52 metros
de modo. -
Terreos
Um terreno ao lado da casa do Sr. Barao de
Souza Leao, ao combro da praia,!com 46 metros
de frente e SO de fnndo, com algumas casas de
" taipa e palha e cerca de 400 ps de coqueiros.
Um dito onde est edificada a casa do Sr. Ba-
rio de Sousa Leao, com 15 1|2 metros de frente
e 60 ps de coqueiros.
Um dito com 17 metros de frente e 60 de fun-
' do, com coqueiros, e fica ao lado da casa do Sr.
Barao de Soasa Lato.
Um dito cora 8 metros e 90 centmetros de
frente e 60 de fundo.
Um dito com 4 Ii2 metros de frente e 60 de
fundo, onde esta edificada a casa de D. Arcban-
gela M. dos Aojos.
1 dito devuluto com 5m.,90 de frente e 60
de fundo, contiguo mesma casa
1 dito devoluto com 10 ca.. 80 de frente e 60
de fundo, com coqueijos e outros alvoredos con-
tiguo a casa; arromada.
1 dito com 5 m., 70 de frente e 60 de fundo,
o'nde est educada a casa de Antonio M. Leite
Braga, com coqueiros.
1 dito cora 11 m., 30 de frente e 60 de fundo,
onde est edificada a casa do actor Lyra, com
coqueiros etc.
1 dito na ra de. S. Jos, com 26 ro., 90 de
frente e 33 de fundo, onde est edificada a ca
sa de taipa de Jos F. Accioli, cercado e bem
plantado.
1 dito ns mesma ra com 10. m, 60 de fren-
te e 28/30 de hado, dividindo com trras de
y. Arcbangela M- dos Aojos oceupado por fuao
Garcia.
1 dito com 531/2 m., de (rente e 140 de fun-
do, com coqueiros, larangeiras, sapotiseiros e
moitos outros arvoredos, todo cercado, oceupa-
do por D. Arehanfela M. dos Anjos.
1 dito com 58 metros de frente e 62 de fundo,
devoluto, na 2; travessade S. Jos, plantado com
mandioca, etc."
i dito, devoluto, com 69 metros de frente e 33
de fundo, com diversas phinucoes, juuto ao de
Joao F. Accioy, lado de oeste.
I sitio com 58 metros de fren la 139 1/2 de
fundo, ao lado da igreja na estrada que vem.da
estacao, oceupado por Antonio Saraico
i terreno na-ra da Aurora com 207 metros de
frente e 23 1/2 de fundo, oru plantaro de man-
dioca e baixa de capim. oceupado por Deodato
da Silva.
i dito na rea da Aurora com 25 metros de
frente e 23 1/2 de fundo at o rio onde est edi-
ficada a casa i taipa de D. Joanna de tal, com
plantaces, etc.
1 dita na mesma roa, com 48 1/1 palmos de
frente e 700 de fundo, oceupado pelo coronel
Maximino P. Vianna, tendo urna grande casa
edificada.
1 dito na mesma roa com 22m,80 e 700 pal-
mos de fundo, onde est edificada a casa da
viuva de Joao Ducba.
1 dito, na mesma ra, com 45 metros de frente
e 700 palmos de fundo, onde est edificada a
casa de Joao t. de (Niveira.
1 dito, na mesma ra, com 62 metros de frente
e 700 palmos de fundo onde est edificada a
casa do Sr. Barao de Santa Cruz, leudo bastantes
arvores fructferas.
un
Ira e*cal, perlen-
Barfio de Sen-
t e nodo at ao
Itfoo com 81 metros de frente e liada
comtiro da praia, devoluto.
lito com 21 m,60, de frente o fundo al ao
coman da praia, com 34 ps de coqueiros, oc-
eupado per Antonio Rufino de Ohveira.
lito com 3t metros de frente e fundo at ao
combro da praia, com 150 ps de coqueiros, oc-
eupado por Modesto-Bapsta.
1 dito com 12 metros de frente e fundo at ao
combro da praia, com 35 ps de coqueiros, oc-
eupado por Candida da Silva
1 dito, devoluto, com 57 1/2 metros de frente e
fundo at ao combro da praia, com 70 ps de
coqneiros.
i dito com 230 palmos de frente e 400 metros
de fundo, com 106 ps de coqueiros, oceupado
por Fajnpwco Diaa de Sousa, onde teto urna pe-
quena casa.
1 dito em. seguida coro" 700 palmos de frente,
para o mar, fundo 400 metros at o rio Jord&o,
com 250 ps de coqueiros.
1 dito, devoluto, medindo pela frente do mar
511 1/2 metros e fundo at ao Rio lord ao com
2,00 ps de coqueiros.
1 dito, devoluto, em seguida demarcando com
trras da Piedade, com 202 m. de frente e fundo
al ao Rio Jordo.
1 dito, na ra da GameUeira, oceupado por
Bento Feij, cora 279 m. de frente e 77 i/1 at
ao Rio Jordo, teudo urna casa e 159 ps de co-
queiros.
1 dito com 47 i/2 m. em frente e 62 de fundo
com 3 casas, sendo 2 de pedra e cal, oceupada
por Celerioa M. do Espirito Santo, e tendo 56
coqueiros.
f dito com 12 m. de frente e 62 de fondo,
com casa de taipa, 15 ps de coqueiros, oceupa-
do por Manuel P. Rodrigues.
1 dito, devoluto, enesgado principiar da es
trada de Setnbal al a cerca, com 142. m. de
frente 16 1/2 de fundo, com 16 coqueiros.
Os Srs. prelendentes podem desde ja exami-
nar ditas casas e terrenos oleilo lera lugar ao
Sabbado 5 de Outubro
ta ML
alma n. 4,
bsracada de lodoe qualquer o;
Reaife, 1 de 'utubro de Ib
__________________Branda*
Ao commercio-
Manoel Joaquira Aires da Costa, declara ao
corpo commercial desta praca e fnra d'ella que
desde 28 de Junho do correle anno, deixou de
faxer parle da firma Figueiredo Costa A C., con-
tinuando os negocios desta firma, d aquella data
em diante de uaica responsabiHdade do Sr. Au-
gusto de Fitrueira Costa
Recife, 30 de Seteoibro de 1889.
Manoel Joaquim Atoes Costa.
t nMsatSWuaqiiaes:
Tese e Tsica
NA RA DO IMPERADOR N.
A'n II
16
Leilo
Da grande fabrica Apollo, constando de todas
is mercadorias para preparar fumos, officina de
ligarreiro, de eharuleiro, de ferreiro, de funiiei
ro, todos os perlences, prelos, typos e raais per-
lences, machinas para cortar papel, litbograpbia,
ama fabrica bem montada para leos, machinas
i vapor para mov ment das oficinas differentes,
materiaes e bemfeitorias em todo o estabelecimen-
to pertencente agrande faDiica Apollo.
Teroa-feira de Outubro
A's 10 e 1\2 horas
O agente Gusmo, autonsado por mandado do
Illm. Sr. Dr. jui do commercio, a requerimiento
do Dr. curadnrzHscal da mesma massa fallida de
D. Mara Amelia da Cunda, tara leilio da grande
e importante fabrica cima mencionada, perten-
cenle referida massa fallida.
Os pretendenles que qnizerem examinar a dita
'abnca podero entender-se com o mesmo agen-
te ; garntese o predio ao comprador da fabrica
tita ra do Hospicio.
Leilo
Da fabrica Gajurubeba, constando de prensas,
depsitos, praparados j promptos, vasilbames,
*0 pipas coro extractos de jurubeba, canalisacao
t todos os raais perlences.
Ouluia-ft-ira IO de Outubro
A's 11 horas
O agente Gusmo, autonsado por mandado do
Ulm. e Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commer-
eio a requerimento do Dr. curador iscal da mas-
sa fallida de D. Mara Amelia da Cumia, far leilo
da bem montada fabrica de Cajurubcba, perten-
cente mesma massa fallida, cuja fabrica sita
ra Luiz do Reg.
Garante se a casa ao comprador; est avaha-
da am 12:157*800.
Os preteodente qoe qiizerem examinar pre-
viamente podem entender-se com o agenle.
i-
asa
'EITORAX.
AVISOS DIVERSOS
Alnga seo le- ndares ra da Roda
D. 17, com grandes comtaodos,' em bom estado
de-conservacio ; a trata.- na ra do Rangel nu-
mero 65.
Ao commercio
Os abaixo assignados declarara ao corpo do
commercio desta praca e fra d'ella, que, e Sr.
Manoel Joaquim A lves dar Costa, se acha comple-
tamente desligado desta firma desde 28 de Junho
do corren te anno. da qual sanio pago e satisfeito
do inleresse que nella auferio, continuando a
mesma firma representada exclunivameote pelo
socio Augusto Figueiredo Costa.
Recie, 30 de Setembro de 1889.
^_________ Figueiredo Costa & C. *
Cerveja saudavel
A LA ROSA ALEMANA nio contm cidos.
Diversos attestados de chimicos e mdicos jus-
tifican] que a cerveja marca MOCA LA ROSA
ALEMANA um soberano alimento. Os attesta-
dos ficam a disposco do respeitavel publico.
Tem venda em gross) Machado & C, ra do
Vigario n. 19, a retalho; Albino Fernandos & C,
ra Mrquez de Olinda-u. 2; Jos daCaslaiCa-
seiro k C, ra da Cruz n.iS; Ramos Ferreira
& C, ra Mrquez de.Olinda n. 80; Lopes*
Araujo, ra do Livrameoto o. 38; Vasconeellos
Sobnnho. 4 ., ra da Aurora o. 81; Pocas Men-
t es A C, ra estreita do Rosario n. 9 ; Manoel
Jo'juim Al ves Ribeiro & C, travessa das Cruzes
n. 66 e Pereira Fexreica 4 C, ra do Imperadot
n. 40.
Vioho puro do Douro
Chegou de conta propria ama nova remessa
deste especial vinho para a Mercearia Compara-
tiva, o qual se torna recommendadp por ser pu-
ro de uva, sem a menor composlco.
Pedimos aos Srs. apreciadores do bom vinho
a visitar o nosso estabelecimento, com o que
muito nos honrarao ; somos positivos, nao eos-,
turnamos fazer como esses que diariamente
ah andam annunciando, comprando no Recife
e diieodo que recebem-n'o.
A elle, apreciadores.
A' ra Larga do Rosarlo n. o
Marques Sobrinbo & C.
Serafina ou harmonium
Vender com quatro registros, aovo e pro-
prio pan sala ou igreja ; na ra Nova n. 13.
Vende-se
urna casa na ra do Motocolomb n. 71, em Afo-
lados ; a tratar na estrada nova de Caxang,
na taverna do Sr. Enedino.
*
O correspondente da Gazeta
de jNoticias Provincia
O publico deve estar inleirado do que pubti-
cou a Provincia com relaco aos telegrammas
dirigidos para a corte, ignora porm que
Alvim dfe Chance
receberam cortes de vestidos de voile bordados
a seda
Leques de penna com palbetas tartaruga-
Novos modelos de collariohos.
Meias de seda para borneas e senboras
Camisas de flanella pell de ovo.
AltIbb A Chutee
RA PRIMEIBO DE MARgO N. 19
Boa Viag-em
Alnga-Sf urna casa de construccJo moderna t
bem asseilda, com bastantes commodos e mo
bilbada, sitio murado e bem arborisado. COK
Sortao 'le ferro, e situada na meloer localidad*
a meocionada povoaco ; a tratar no largo do
Corpo Santo n. 4. 1- andar.
De AN AC AHUITA
lnedio Vegetal da Natore para o alli.
fo e cura de todos as molestias
- Po Peito o dsj Palm8e3.
Taverna
Vende-
da, com
para
urna pequea taverna bem localifa-
neos fundos, propria para princi-
commoios para pequea familia :
aces, ra da Concordia n. 165.
Vaccina
fae da melhor, na botica franceza de
Bouqaanrol Frres, ra da t:rnz n. 22, Recife.
Criado
?se de um criado ; no largo da Penna
ni Jaboato
Allji-se uessa apraslvel cidade, por festa ou
aoqo. a casa n. 61 ra do Imperador;, defronfe
da do commendador Machado ; tornando-se re
coramendavel pelo local e seus commodos e se
achr IfBpa, com dous lindos jardins, cacimba,
tanque, aeua encanada para a coeinba, quarto
paracnados, lalrina, gallinheiro e grande quin-
tal at o rio Jaboato ; a tratar na mesma.
Attencao
Pergunta se aos Srs. Dr. Maia e Taborda, em
que ponto esta a questo do eogenho Peres com
oa credores, e em que carcter acha so nelle o
celebre Luiz Rocha, bem contiendo na Compa-
nbia Peraambueana. lato deseja saber
Um conseohor.
iii || | |.....mu||

Coronel Marrioaillo O* llvelrav
Alnga-se a leja com armacio, o 2- e3
andares da roa da Imperatris n. 6 : a tratar na
ra Matriz-da Boa-Vista ti. 18, i andar.
Precisase, com urgencia, de boas costu-
raras no largo do Arsenal de Marraba n. j.
Em GameUeira. 2- districto de S. Jos,
vende-se urna casa de taipa com 2 quartos, co
berta de telha, e quintal, por 500*000; a tratar
com o propnelario da mesma, no mesmo lugar,
Joao Correia de Mello.
Lava-se e engomma-se roupa de senhora
for preco maitoem conta; no Caminho Novo n.
28. Na mesma casa fazem-se bandeijas de bo-
los para casamento e baplisados, e tambera fa-
lem-se ramos de rosas para enfetes de salas,
toilettes e bandeijas. As encommeodas, no caso
de querer, deixa-se escripto o nome da pessoa
e morada.
Cailellas de Moite de 8#cc#rf
1 dito, na mesma ra, do lado opposto, com
26m,60 de frente e 23 i/2 de fnndo, cercado, com
baixa de capim, devoluto.
i,dit0'na meama rua> c 362 metros de frente^wtojoairo.
e 23 do fundo, confina com o rio Jordo, de-
voluto.
* 1 dito, na estrada que vem da estacao, com
30m.&0 de frente e fundo at ao rio, oode esto
edificadas as casas de Jo3 Pereira dos Aojos.
1 dito com I7m.i0 de frente e fundo at ao
rio com diversos arvoredos, tendo um porto em
ruinas.
1 dito com 10m,90 de frf' e 112 i/2 de fun-
do, onde est edificada a ca- 'a viuva de Joao
Ducha.
1 dito com 11m. 10 de frente e 112 i/2 de
fundo, oceupado pela viuva de Francisco Canuto.
i dito com 11 m 80 de frente 112 1/2 de
fundo oceupado pelos berdeiros de Joao Raposo.
1 dito em seguida, faxendo esquina para a ra
da GameUeira, oceupado por Joao Accioly, tendo
de frente 99 metros e de fundo 23 1/2. com mui
tos arvoredos.
1 dito na musma ra, com 9 m. de frente e
fundo at ao combro da praia com coqeiro% etc.
i dito com f m.,70 de frente e fundo at ao
combro da praia, oceupado pelos berdeiros de
Juo Calado, tendo 2 casas de pedra e cal, eo-
queiros.
1 dits com 10 m. de frentese modo at ao
combro da praia onde esto edificadas 2 casas
de Marina M. da Conceico.
1 dito com 23 m. de frente e fnndo al-ao
combro da praia, cercado, com 100 ps de co-
queiros, oceupado por Modesto Bapiist
i dito com 45 m. de frente e fundo at ao
combro da praia oceupado, pelo Sr. Visconde de
Tabatinga, que nelle tem urna boa casa.
L'm dito com 10 m. de frente e fundo at ao
nombro da praia, oceupado por Bemvinda M. do
Espirito Santo.
l'm dito com 6 m., 90 de freotege fundo at ao
combro da praia com 28 pes de coqueisos, oceu-
pado por Miguel de Sant'Anna.
Um dito com 8 m. de frente e fundo at ao
combro da praia com 35 ps de coqueirss, oceu-
pado por Manoel dsSant Anna.
Um dito com 12 m. de frente e fundo at ao
combro da praia cora 35 ps de coqueiros, occu
pado por Manoel Eduardo Sant'Anna.
Um dito com 28 m. de frente e fondo at ao
combro da praia com 2a ps de coqueiros, oceu-
pado por Julio de Mello, qoe tem nelle urna boa
casa.
Um dito com 10 m. de frente e raudo at ao
combro da praia cora pee ele coqueiros, oceu-
pado por Sabina M. da Conceico.
Um dito com tt-m. da fren* m fuado at ao
I
Cesnpra-se cautelias do Monte de Soccorro d
qualquer Joia, briibantes e relogk; paga-m
bem na Praca da Independencia n. 22, loja d
CARDUZO k IRHIO
A RTJA BARAO IX) TR1UMPHO
N. 100 A 104
Tem para vender tri-su'phi-
to de cal, que nao s faz aire-
jar muito mais o assucar, co-
mo evita o grande gasto de
cal no fabrico do mesmo.
f*'
* O methor dentlfrtcio '
Apa de Plippe
mprtfilt oom
Odontaliaa
f E?lMnt24,r\ra|SI
Fazenda criar
Vende-se urna propriedade nesla provincia,
com duas leguas de trras, demarcadas, limi-
tando com o serto do Cariri, e as melnores
condicoes de criar gados. Tem trras proprias
para plantaces, e urna extensa vasanto mar-
gem do rio para cultivo de eannas, fructeiras,
etc. A industria pastoril presentemente da
maior vantagem : refazer gado ter o triplo ou
quadainlo no praso de dous a tres anno*. Ao
pretendente, se nao for pratico, se facrtarto to-
doaosi malos de fundar a tsenla : a tratar no
caes de lamo n. 24*A, onde tambera se veodam
dous burros novos.
Para engenhos
Lopes & Araujo, vendem
A precos sem competencia,
garantindo a boa. qualidade,
os artigos abaixo mencio-
nados*.
Gal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Potassia da Russia em caixas
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttand.
Graxa em bexigas.
Ra de LivraneDto n. 38
Telephone 316
ao ra. rxontxsTAKioB de eavAiios
UNGENTO STEVENS
O nico subBlltulii'io a cautcrlsacJo dos cnriUos
pelofoRO. t-st mar-, Uliso pre arado o nico
reme lio ver I. '..ramate tfcAz para curar ludia
e il 11 esquer AIImim ill flltu i OTiO*, ItlTMttitn U
$Wai3 e jdpnrftt U tul MUnii. O unoi d
Snitoo ooBttniM sito ib todo as e*r-
4a*. liaras dos prlaolpa.es estabeleaS*
meatos de carall.o em Inglaterra e Bvropa.
Nuici delxa nodoa aiKUiua. E' mister ezperl
m>.nu io para flear courncldo do seu Talor.
vemu-se en cavren com ai compleme* imdictictt
- W'V oscu rmpreoB. m pertuou4*
""' n^^aftSiwHr......."
>i|liHulM sa PrnimoMOO : T- U. ti 8LT4S*
Ceciliano Mamede de Almeida manda celebrar
una missa pelo descanso eterno d'alma do sen
retado amigo coronel Marcionillo da Silveira
ias, na igreja matriz da Escada, s 8 1/2 hoias
d; manbi de quarta-feira 2 de Outubro, trig-
simo da do passamento ; e para esse acto de
rehgiio, convida aos prenles e amigos do fi-
nado_______________________________
t
VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sob bases sclentlflcas
' pbysiologfcas pava o Do de
beneficiar os cabelle*, restaurar
a cor, impedir queda, e promo-
ver sea vico e abundante erescl-
mento.
Esta apurada e excelleatepreparaco,
sem duvida o melhor remedio at boje
conhecido para os diferentes defeitos da
abeUadora, mereoca-tntian ttnaon de
todas as pessoas qoe tm tido a infelcl-
dade de perder em parte este mais rico
ornamento natural da physionomia.
Com o sen emprego intellige < te tem-se
conseguido resultados realmente sorpren-
dentes. Em mnitqs casos, porm nao
sempre, a propria calvicie tem sido carada
permanentemente.
Sempre se consegue fazer parar a queda
dos cabellos; emquanto que para o pentea-
a das senhorss, o objecto mais ntil
mala agradavel qne se pode empregar.
FBBPABaPO pelo
DR. J. C. AYER & CA,
Lowell, Mass., Est.-Unidos.
I A' venda as lojas de armaxtnho e per*
tunarlas.
QKrOSrrO OKBal .
Precisajaede um ama para cosinhar e lavar,
que d coanecimeoto de sea conducta ; narns
da AurorirT). 67, arnlar terreo.
I
Itencft

Ama
Precisase de urna ama para cosinha de pones
familia ; rw ra do Pire3 u. 31. _______
Ama
Para coatnhar, precisa-se ca ra Velha nuine
ro 137.
Ama
Precisa se de urna ama que cosiuhe beni. para
casa de familia ; a tratar na rna do Hespido
numero 41. ... i .. ,
Ama
\ ma i
Precisa se de nma cosinbeira para casa de
pouca famtHa ; na ra do Livramento n. 22, 2
-. i i
andar.
I.ulaa Caminha de Amorlm
Luiza F. da Costa Agr, compungida pelo fal-
ltciment de sua presada prima e comadre Luisa
Caminha de Amorim, convida aos seus prenles
e amigos a assisiirem as missas que por alma
  • rtnte. stimo dia do fallecimenlo, na igreja de
    Espirito Santo, as 7 1/2 boras da macha. For
    ete acto de reiigiao e caridade se confesa
    decida. ..." ^ t

    Alteren na na I o Mpea Ferelra
    IfUlmareii
    Jlariaj de Jess Pereira Gnimaraes convida a
    todos os prenles e amigos para assistirem as
    missas Que mauda rezar pelo eterno repouso de
    seu seapre lembrado esposo Daraio Lopes Pe-
    reira Gtimaraes, na igreja da Santa Cruz, as 7
    i/2 horis da manh do dia 3 de Outubro, trigo
    simo de seu passamento, pelo que desde ja se
    eternasaente agradecida.
    t
    Coronel
    da tlTelrst
    Uto
    Lia
    4) Baro de Utisga, sua mulher e lbos, man
    dam celebrar na capella do engenbo Giqui, no
    dia 2 de Outubro, as 7 boras da manha, orna
    missa por alma de seu sempre lembrado irmao,
    cunhadb e tio, o coronel Harciodillo da Silveira
    Lins, trigsimo dia de seu passamento, e convi-
    dam para assistir a esse afto de reiigiao e ca-
    ridade a todos es seus parantes e amigos, pro-
    testaodo desde iaeua eterna gratidao.
    Ama
    Precisa-se de um ama que cosinhe bem ; a
    tratar na ra do Rangel q. 9, .padarja.
    Ama
    Precisa-se de um'amaqoe cosinhe bem : no
    largo das Cinco Pontos n. 128. ;
    Ama
    Precisa-se de um ama para cosinbar e com
    prar ; na rna Nova n. 20, loja.
    Ama
    Precisa-se de urna ama para coslnbar; na rna
    do Sebo n. 57.
    Ama para cosinhar e fazer
    pequeo ensaboado
    Preeisa-se de urna ; na praca do Conde d'Eu
    n. 26, sobrado amarello.
    O grande e importante estabelecimento de
    Pocas Mondes 4 c. fio ra estreita do Rosa-
    no n. 9\ cci.iiifin a igreja, acab.i de reo ebe
    urna grande reinessa do acreditado e ef peciaJ'*
    Vinho Maduro
    O nico que, sem ajninima coufeco^BiUK
    portado oeste rr reado, e s se vende no referi-
    do eetabeleciroentu. Este precioso nctar "e
    Iprna cada vez mais procurado aqu. Qnerena
    saber porque 2 Vajam ; o vinho Maduro, sendff
    como feito unicaueute da uva madura-, tem
    as 8epinte8 varllagens que as ontras qualidades
    de vinho nao teui; facilita sem a menor pertor-
    baco ai dipesles do estomago, anda mesma
    omais enfraquecido, dando-llie vigor, pois nutre -
    aolhos vistos as pessoas .debilitadas, ed forcat
    s que as tiver arrumadas-pelo uso de bebidas
    viciadas
    Ueceberaos laotbeni-
    Requeijao
    em latos, de procedencia de engenhos, cujea
    propri.'tarios capricharn em liein trab; lhar nest
    artigo, afim de terem a primazia sobre tanto
    outros siaiilaies, cuja-*composicfio duvidosa,,.
    Em outros artigos como semntes de hoitatif
    e flores, linpuas stecas do R w Grande, ubjectosde
    vane e t< mancos do 'orto para hoiLens e senbo-
    ras, para7isio to pouco temos competidor,
    nossa casa especialista, e as pessoas que dista-
    se queiram cerlijicar podem comparecer, om
    o que "muito nos honrarao. Aps urna u)fini-
    da de de artigos de primeira onlem, que achar-
    se em exposicao. acresce a amenidade do trato
    com que timbnimos tratar todos os que nos
    honram com a eui> peesenca, junio a modicldade
    de precos sem rival.
    Ba estreita do Boearlo n. O, Jnnto
    a igreja .
    Po^as Mendes & C.
    ANEMIA, CHLOROSE
    EHPOBRECIMENTO 00 SANGUE]
    ! COIES PULLIDAS, COSVALESCdQa ,
    4 Osado bu Rospitaes de Pai
    UiKK BirUll U HOIRA.Uiamlill
    V
    '

    ''-Jal


    1GQTTAS Coflcealradas
    Mol aaomitaiaaa.diiraTB f mea
    4VINHO ROBN
    4 Toni-/lu!rlt/ro ftecont-
    2 tituwf
    a GRAGEAS ROBN
    tunfiraiomuit
    *
    Medaihta
    Ptria, Nijrra
    Barcelona I
    Bruxalias (17 M)
    SemsAboraljrumde !
    erro, evaencialmeata
    sUiBimilaTel.otouioDa [
    ju ---^6.'. que no otf I
    preatam aqualqaar tfv
    taUsWoto ferruginoso, ec
    rrsQlUos o Dais rpidos e
    constante*, sem nunca occa-
    siousr dejree de estomago nena
    constipado (r rito de reotre).
    lsK:to 'tnl: P6- HOBEI, eaBNrrya (Cber)
    Sin Pernambuco : rras* U. U SU.TA P*|
    Professora de piaa
    Urna senhora perfeitamente habilitada e com
    pratica de ensino. offerece s Exmas. familias
    os seus servicos como pianista : pode ser pro-
    curada i ra do Queimado n. 74.
    G'aldeireiros hngaros
    Tendo chegado a esta cidade de'Per-
    nambueo, procedentes da Europa, a bordo
    do vapor austro-hngaro Mc.nduya, seis fa-
    milias de hngaros, compostas -de habis
    artistas em fabrico e conferios quaesquer
    de caldeireiro, e igualmente de qualquer
    obra e concertos em machinismo de en-
    genho, offerecem seus servicos a quaesqner
    pessoa que possa precisar d'elles; achan-
    do-se promptos a qualquer chamado ea
    seu estabelecimento no sitio da Jaqueira
    PcMite de UchSa.
    Alujase
    a loja, pnmeiro e segundo andares do sobrado
    ra uque de Caxias n.tS, asseiado.. com
    bastantes commodos para familia, eneanamenlc
    de gaz ecandiciros : urna casa terrea na tra
    veesa da Ponte de L'rlio. u. i; a bastante gran
    de, com 6 quartos, i salas, gabinete, sitio todo
    murado, margena do rio Capibaribe, com agua
    da companbia do Beaeribe, e boa agua potavel,
    com bomba, deposito e banheiro; a tratar junto
    ao mesmo sitio com seu proprietaro, ou oa pa
    daa a rna Duque de Caitas a 30.
    Cora,
    t
    arcloalllo da Silveira
    Lisia
    A viuyt,' lilhos, genros e oras do coronel
    Marcioaitfo da Silveira Lins, convidam aos p-
    renles e amigos para assistirem a missa que
    mandan celebrar pelo repouso eterno do seu
    sempre chorado.esposo, pai e sogro, na matriz
    da cidade da focada, s 8 horas da manha do
    dia de Outubro, trigsimo dia do seu fallec-
    ment,- e anrecipam os seus agradecimentos.
    Afuga-se
    a loja n. 25 ra estreita do Rosario, propria
    para qualquer i-egcio, est limpa e e muito
    fresca; a casa o. 47 a ra Vidal de Negreiros cu
    pateo do Terco, com bons commodos, bom quin-
    tal e cacimba, a tratar na ra Duque de Caxias
    numero 89.
    r*
    .
    -
    .
    Aos propnetarios *
    Orna pessoa residente nesta cidade deseja fa-
    zer urna reoda de um sitio com fructeiras, baixa
    de capim, casa de morada e pa-a um peqnena
    negocio, junto a esta cidade ou de alguma linha
    frrea ; que.ii tiver envit cartas ao Sr. Ribeiro,
    na travessa das Cruzes n. 16, que achara con
    quem tratar
    Criado
    Aluga
    -se
    o primeiro andar da casa ra da Aurora n. 81,
    junt a estac&o da estrada de ferro de Olinda,
    com grandes commodos para familia, gas e
    agua encanado; a tratar com Sebastiao de
    Barros Barreto, roa do Vigario n. 31.
    Aluga-se
    t
    Cosinbeiro
    Precisase de um cosinbeiro ; a tratar na ra
    de Paysandft n. 19 (Passagem da Magdalena).
    Manoel ala Fooncea Cajklbarlbe
    Os empregados da E. F. R. S. F., residentes
    no Cabo, aundam rezar na matriz desta cidade
    no dia 3 do correte, s S hons da manh, urna
    missa pelo eterno repouso do seu companheiro
    Manoel da Fonseca apibaribe, para o que con
    vidaai aos Habitantes deste lugar que quizerem
    se prestar a este acto de caridade*
    t
    loa Antonio H arques
    Benigna Marques da Silva, seu esposo e lilhos
    mandam rezar missas por alma da seu tinado
    pai, sogr e av, Jos Antonio Marques, na ca
    peUi em 4 do con ente.
    urna casa de pedra e cal junto estacao de
    Agua Fra, na estrada do Beberibe, tendo 3 sa-
    las 3 quartos, cosinha, despensa e banheiro,
    no sitio tem diversas fructeiras ; a tratar na roa
    dos oelhos n. 10.
    Aluga-se ou vende-se
    um grande sitio nos Afictos, com ama boa
    casa de morada para familia, cocheira e muitas
    arvores fructferas, muito saudavel e perto da
    linha frrea de Caxang e bonds de Fernandes
    Vjeira; a tratar na rna Nova n. 1S.
    Alugue! barato
    0 S. andar da ra Visconde de Itaparica n. 43.
    Ra da Roda ns. 58 e 60.
    Ra Visconde de rtaparica n. 43, armasen).
    Largo do Mercado loja n. 11.
    Becco do Campello n. 1,1*. andar. .
    Visconde de Goyanna n. 167, com agua e gaz.
    Loja do sobrado do becco do Calabouco n. 4.
    A tratar ra ac Commercio n. 5,1* anda)
    esenptorio de Silva Guimares A C.
    Precisa-se de um criado
    Caxias n. 70,1 andar.
    na ra Duque da
    ' Cosinbeiro
    Precisa-se de um cosiheiro ; a tratar no ar-
    mazem do caes do Apoifb n. 47.
    "MDANC\
    Cunha Carneiro C. mu-
    daram o seu escriptorio da
    travessa do Corpo Santo,
    n. 23, para a ra Mrquez de
    Olinda (unliga da Cadeia)
    n. 36, 1. andar.
    t
    *
    Attencao
    Ama
    Precisa-se de urna ama que saiba cosinhar e
    qne durara na cas do emprego; na ra da Con-
    cejeaba. 4, i- andar.
    Superior'vinho de Al-
    cobaca
    O acreditado e antigo armazem do Lima par-
    ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
    de receber urna nova remessa oeste especial
    vinho, escolbido propriamente pelo chefe desta
    casa, tornando-se recommendado por ser puro
    e de boa qualidade. Joe Fernandes Lima & C
    rna Barao da Victoria numero 3, Telephone383!
    Tamarindo
    Compra-se essa fructa em gran'e e pequea
    porfo : na botica roa hrga do Rosario nu-
    mero34._________________________
    Caixeiro
    pPrecisa-se de um caixeiro com alguma pratica
    de taverna, de idade de I i i 14 aonos; a tratar
    na roa de S. Jorge n 89.

    T
    Anrella Penna r>rreira da Silva
    11 anniversario
    ubro, 2 de 1889
    i
    Aluga-se urna casa propria para estabeleci
    ment, com artnacao, em um dos melhoreapon
    toe da freguezia de Afosados, a qual acaba d<
    passar por urna grande recufleecao ; a tratar n
    pateo da Paz n. 96.
    tailbermina de Albu-
    lueraiae Aeeiolr
    "~ Miraade. Henriques Aocioly, Ma-
    de Miranda Accioly, Francca
    Jy, Gregorio Targini Accioly,
    loly, Tbemirt E. Accioly, Enea*
    Aneoiseft Accioly, Frederico
    Accioly, Maria Jos'Accioly, Dr.
    Gouvela, sua mulher e tunas,
    Accioly, soa mnlher e lbos,
    Intimo datara a tedas aquellas
    panhtram os restos mortaes
    mai, sogra, avetia, D. Mara
    e Accioly, sua ul-
    ronvidam aos seus parantes e
    lem as missas que se tm de
    4 de Outubro, ? 1 horas da ma
    da Boa-Visla, stimo dia da seu
    centeio
    Mello 4 Bisel, avjsam ao respeilavel
    que todas-as teiras e isextos-feras, tem
    boroso pi; ra laxga lo Rbsarfo a. '40.
    AZULEJOS
    Para frentes de casas, cor-
    redores, banheiros, cozinhas,
    agougues, etc.
    De valor de 100$OOOomi-
    Iheiro a 54#000.
    Rna do Bario da Victoria n. 41
    A's maes de familias
    QUERIS VOSSOS FILHOS SEMPEE SABIOS t
    Administrae-lhes o xarope ou as
    Pilulas Yermipurgalivas
    DO R. CALASADfS
    ptimas preparagoes de mastruz
    e rhuibarbo, para a expulsSo completa, sea
    dores nem incommodo, dos vermes
    intestinos ou lombrigar
    (das cbeahcas b dos adultos)
    SEIS AKNOS DE SUCCESSO
    Estas excellentes preparacSes nao no
    cessitam de purgativos como auxiliare*
    visto seren purgativas por si meamas.
    As pessoas que tm vermes sentem -
    licas, tem constantemente diarrbas, india-
    posicSo, sensacXo do cerpos que Be movis
    nos intestinos, endurecimento do ventre, t
    s veros, vmitos. Rangem os dentes, quan-
    do dormem, aigumas e pessoas expellea
    vermes com as fezes oa com as materiat
    dos YomitoB. As eriancaa apreaeatam ai
    papillas dilatadas e inapetencia.
    As jululaa levam impresso o nome da
    BE. CALASANS slo cr de rosa.
    i eatxa de pilulas liJHC*
    vidro.de varope liNBfc.
    NS PRINCn'AES DROGARAS E
    PHARJACIAS

    *






    Outbro de 188S
    A
    a
    Os proprietarios deste novo '-stabelecimenlo^ pr^vnem
    Exmas. familias e ao respeitavl publico, que aeabam de receber
    nm grande e variado sortimento de novidades do melhor gost
    Sarisiense, que sero, em vista do estado favorayel do cambio, ven-
    idas por presos excepcionaes. *
    Todos os dias das 8 horas da manh s 8 da noite.
    Qual hoje a melhor cousa do Brazil ?
    E1TRAL DE CAMBAR!
    E POR QUE ?
    se as eguites
    casas
    ngel n. 73, 2- audar, dom bou
    juio fresco e pe'rio do mercado
    igo n. 60, com duas galas rauito.boas,
    cosinha fra ; ra da Roda n 46, loja
    m pequea familia : a tratar na rat
    ^^^rn. 16-A yontarosa
    J
    Vinho Collares
    genuino
    Em ancortas
    ro superior, reiuettido para consumo
    alar, por preco sera competencia. Vende-
    J trapiche da Compantua, largo do Corpo
    Santo_a. ,9-____________________________
    Quareota por cento
    hincha sem igual
    rende-se a loji de louca a ra da Imperatri;
    K dando-se ao co nprador o abate de qua
    1 por cento ; a pessoa que qnizer dirija-sf
    a. seasaa.
    Sement de carrapato
    npra se em grandes e pequeas quantida
    e pelo rcaior preco possivel ; no armaxen
    imercearia de Gomes Alves 4 C, ra Vida
    Jegreiros n. 86, antigo pateo do Terco, o
    fabrica de leos vegetaes ra da Auroi:
    numero 163.
    yin
    Porque cura de urna forma rpida e radical as molestias do apparelho
    roaqaidao, asinina, bronchite, coqueluche, lsryngite, tsica pulmonar, etc.
    Alm d'isso, o o .Peiiteral de Caaakaurfc de urna apparencia agradavel e delicioso
    um remedio preferido para as enancas, senhoras e todas as pessas de palladar delicado,
    respiratorio: tosse de qualquer especie, coryaa,
    sabor, qualidades que o tornam
    Est approvado pela Exnia. Junta Central do Hy gieno Publica, auctorisado por decreto imperial, premiado com duas me-
    Jalbas de ouro de 1* classe, rodeadoQdos melhores attestados mdicos, de innmeros certificados de coras importantes realisadas
    ni toda parte.
    0 PECTORAL DE CAMBAlijPF' REMEDIO GARANTIDO

    Por isso, precisa haver todo o cuidado com as falsificares e mitacSes: o verdadeiro que fabricado no grande estabe-
    lecaaento agrico-industrial do PARQUE POLOTENSE, expressamente creado para esse effeito, em Pelotas, provitcia do Rio
    " Jl^J^traj^ alm d marea da fabrica, a firma de sea autor e manipulador ~
    V>Bde-se em todas as pharmacias e drogaras
    Alvares de Sama Soare.


    -


    23
    Presos: frascos 2#500,-l[2 duzia 13$000 e duzia 24#000.
    SlO AGKNTKS E DEPOSITARIOS 6KRAES
    FRANCISCO MANOEL DA SILVA efe C
    IMPERIAL DROGARA
    liua Mrquez de Qlinda
    Antigo estabeleciniento de ferragens
    DE
    GMAKAES & 0,
    86 Ra Dique de Caxias86
    <8>rani>e soxtxmero fcefeagen*, cntelams,
    imio* orxos artiga* a s&bex:
    Cobre em folha.
    Perro sortido.
    Cimento Portlant
    e outros marcas.
    Bombas de ferro e bronze
    Canos de ferro e chumbo para
    encanamentos de alta presso
    Machinas e vapores
    para algodo.
    Cndieiros elctricos.
    Foges econmicos.
    f.Este estabeleciioento fundado em 1851, tem na sua
    longa existencia a garanta mais segura dar os que pro
    uirarjem honral-o com a sua confianca.
    PBBflOS. SEM COMPETENCIA
    Descontos do costume
    t

    Cosinheira -
    Precisa-se de ama cosinheira para casa de i
    quena familia ; a tratar na roa Duque de I
    xias a 77-A, loja.
    Casa para alugar
    Terrea, fresca, com agua, ra do Paysand
    passano a ponto to Chora-menino) n. 11 ; a
    tratar ua mesma ra n. 19.
    JUNTO AOLOIIVRE!
    20Ra 1. de Marco20
    Benda hespan hola, todas as cores a 25000.
    Cachemiras lisas, duas largaras, a l^OOO
    o corado.
    Cachemira de listras, Jduas larguras, a
    a 1)9000 o dito.
    fichas de 1.1 bordada a ljJOOO um.
    Cambra i a Victoria a 24800 a peca.
    Caiahraia com salpicos a 3)5800 a peca
    Cacas com lencos, para presentes,
    3*000.
    Loras de seda a 2000 e 20000.
    fTaneas de cores para camisas a 280 rs. Fostlo, de cor par roupa, a 800 rs. o
    o evado,
    lebas de cores a 2*000 e 2*500
    Espartilho couraca a 4*000 e 5*000 um.
    .{aurir brancas a 2*000 ama.
    'Madapollo americano a 6*000.
    Toalha* para banbo a 1*500 ama.
    Camisas de flanella a 3*500, 4* a 5*000.
    Sztrato Rita Sangal a 2*000 um.
    Dito Port-Veine a 1*500 um.
    Velbutina preta a 700 rs. o corado.
    Afat^qa branca a 400 rs. o dito.
    Dita p*ta a 300, 500 e 700 rs. o dito.
    Panno da Costa para nvza.
    Atoalbado- bordado a 1*000 o metro.
    Sox arrendada a 400 e 440 rs. o ovado.
    Itaaces de braiixuite a 1*8(0 e 2*000 oo,
    Cobertores escuroa de U a 1*700 um.
    Tosvlhas para rosto a 3*500 a dnaia.
    Cortea de seda para collete a 5*000 um.
    Cortes de fustao para collete o 2*500 um.
    Baptista de cores a 120 rs. o aovado.
    Marinas de efires a 440 rs., duas larguras.
    rs. o
    Etamine lisa a 500 rs. o eovado.
    Sargelins, todas as cores a 200
    eovado.
    Lenfos brancos a 1*200 e 1*800 a duz.a.
    Ditos de seda com a Torre Eiffel.
    Tapetes grandes a 13*000 um.
    Guarnilo de crochet a 7*000 urna,
    ferino preto a 800, 1*000 1*200, 1*400
    1*800 o eovado.
    Leques transparentes a 2*500 um.
    Cortinado bordadla 6*500 o par,
    OjCovado.
    eovado.
    Bicos brancos e de cores a 1*800 e 2*5001
    Colchas de fustao a 4*000 urna.
    Crotones a Derby Club a 240 e 280 rs.
    o eovado.
    Fostlo branco a 360 e 600 rs. o dito.
    Qrinalda para noiva a 7*000 ama.
    Collarinhos e panhos de cellaloid.
    Setins, todas as cores 800 r
    Las maconas a 400 rs o eovado.
    Palitots de seda palha a 8#000 um.
    Palitots de alpaca preta a 4*500 um.
    Palitots de toile p .rdo a 4*500 um.
    Palitots de alpaca de cor a 4*500.
    Ceronhos de bramante a 16*900 a dfliia.
    Pecas de esgui&o de .algodJo- a 3*500.
    Guardanapoe de linho a 2*200 a duoia.
    Chambres para homem a 6*000 eJ6*000
    sfeias fio d Escocia a 1*500 o par.}
    Brim pardo a280, 320,400e 500 rs. o cov.
    Cachemira de quadro a 280 rs. o dito.
    Bramante
    de linho e de algodSo.
    Para banhos salgados
    ostume' para senhora a 10*000. j Costumes pon meninos a 5*000.
    JXtoapaia baaooa 8*00a | Boleas de palha para o messao fim.
    ESPECIALIDADES
    ^ardap/ para senhora 10*000. IGuarda-p para homeos 6*000.
    "kw** cortes de casemira para calcas. [Lindos cortes de casemira paia costumes
    Extratos, meias, entre-meios bordados, baleias, aspas, sabonetes/collarinhos,
    pmhos, regatas, principe de Calles, cretones para oobertas e outros muitos artigos.
    Da-se amostras sem penhor e manda-se levar'quaesqoer amostras em casa
    llaExmas. familias.

    CASA DE CONFIANCA
    DE
    FNDCAO ]E SINOS E1BR0NZE
    LUIZ DA CRiTz MOSQUITA
    66ra do Baro do Triumpho66
    re n para vender o seguinte:
    flaehlnas de cobre para azer espirito de destillar e restillar.
    Alambiques de cobre do antigo e novo systeraa com esquenta garapa.
    Nerpenliaas de cobre e de estanho.
    Carapucaa de cobre.
    Talxas, taixos e caldeiras do oawiu.pr.
    Boatbas de todas as qualidades de repuebos, aspirantes'e continuar.
    ToraeJraa de bronze a madeira da todos os tamanhos.
    Castos A cobre, le chumbo o de ierro.
    Repardelras, paasadeiras e escomadeiras de cobre o de ferro estanhado
    Cobre cm lencol e rmelas.
    Sola ingleza e do Rio.
    C'adinhos patente e"de lapis.
    Sluos de 1 libra at 110 arrobas.
    E muitos outros objectes
    ENCARREGAM-SE de qualquer concert e obras Jde encommenda, garar
    |!ido presteza, perfeicfto e precos mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
    v^iD a praso oa dinheiro com dasocato.
    o Imperador oo Brazil e o Re dos Belgas.
    A. VERDA.DEIRA.
    A6DA de BOTOT
    ' o nico Dentitricio approvado <
    pela ACADEMIA de MEDICINA de PARS
    0 melhor calmante contra as Dores.de Dent*
    Rooommandado especialmente com os POS do BOTOT oosa fl"fni
    para o* cuidados da bocea,
    09, Roa St-Honor, Par, < lodu u bou Dracirta*, fi ifMulat I
    Grageas Deiviazire
    Approvada pelct Tmpeotoria de Hyoleno do Brairil
    CASCARA SAGRADA
    Vardadairo Reatadlo
    lUoatrtt i Primeo do Vantra hobrtuaJ.
    lODRETO-FERRO^CASCARA
    O mala activo dos Ferruginomom
    TTmo produzindo m Prim&o da Vaasro.
    |.Oa li iisal 1 iTOaSH *. .1."aW.V>\ 9 OX
    a Wun, Pe*
    EMADERMCAO MIRANDA

    I39-KA BOE B 0AXA8*39
    Este antigo estabeleciniento, hoje completamente reformado com machinas
    mais aperfeicoadas e movidas a vapor, acha-se em condicSes de executar qualquer
    trabalho em

    -'i
    .
    ^X IT-B -! -A
    NBIAN
    B A
    BRAXA
    N U B I -A N
    N. U B. 1 'N
    LIQUIDA IMPERMEAVELX
    IBUA-fiE SEM EBOOVA0
    O mmg-nlco LUSTRO d'aata trraxai
    oonterro-m duranta um* Huasa,
    - aeja qoaJ fr o tempo. .
    BALM0HAL GL0SS Cemn mlroa tlastia para as ktUmarits Senbcras. I
    \PA3TAVNCYlf03A, em cajxa de tolh* de dandraa, tal otwjl
    O mil jfui ao Bxercito Inglex.
    TM NUBIAN MUUH COWMI HUtV Lint, kOWMM B. O.
    AamtM .sena* um PBtUIABnnCO :
    Qulmai-a a Pwimii.
    .NiU B I A N
    BRONZE
    DE
    AMARAL Se G.
    OS MDICOS SDBSTITUEM COK XITO
    o OLEO de F1GAD0 de BACALHO assim como o VINHOde QUINA
    ELIXIR DUCHAUflP
    COI EXTRACTO DE FlfiADO DE BACALHO COI QUINA E CACAO
    Sate C&EME de CACAO ton poOeromo Depurativo
    e inetnpararel Corroborante.
    VED DA POR ATACADO : DITCHAAXP, 15, RU DE POITOU, Pi
    Deposiurios em ^srsaimai: jrajr as. aa, bclvo. o ~.
    lafWEo
    ;sSSi
    Oleo de Figado de Bacalhau
    do Z>' JOX7COXTX
    lodo-Ferrugtfwso de Quina e Casca de Laranja amarga
    -------------ii i ai-------------
    Este medicamento fcil de tomar, nao provoca nauseas, I
    e de cheiro agradavel. Pela sua composi^o, possue todas as
    qualidades que Ihe permittem combater :
    a ANEMIA, a CHLOROSE, ss AFFECQES do PEITO
    a BRONCHITE, os CATARRHOS', a TYSICA
    a DIATHESE ESTRUMOSA, ESCROPHULOSA, etc.
    Era vista.do sea emprego fcil, da sua ac^ao multplice ,
    segura, da economa para os doentes, os mdicos reccitam-n'o
    de preferencia i qualquer outro medicamento similar.
    DSPOBXTO OSK*2j
    PARS, 209, ra Saint-Dema, 209, PARS
    vshmsbxs n tocas as raocvASS mamucus no uamatt
    NFIAR DAS FALSiriCACOES E IMITAOOSS
    CARflOZO tt IRMAO
    do Baro do Trionpbft bs. 100, 102 e
    Deposito ra do Apollo ns. 2 e 2 B
    Tenaara veoder o seguate:
    VAPORES de diversos fabricantes pr*fogo directpara o ou fogo ^de aseen
    tamento.
    MOENDAS de todos os tamanhos.
    RODAS d'agua.
    RODAS do espora e angulares.
    CBIYAOOES de dfferentes tamanhos.
    TAIXAS de ferro batido e fundido.
    LOCOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e-4 candios.
    ARADOS americanos.
    BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo^encanamento e finalmente
    todas as ferragens precisas para a agricultura dosta provineia.
    Ef da, mediante ajuste previo oa urna mdica 6omissao qualquer machinismo.
    MACHINAS de descarocar algodlo.
    VARANDAS de ferro fundido e batido.
    CONTRACTAM fornecimento de apparelhos para nrtaaa, garanundo a bes
    qualidade e bom trabalho dos mesmos, o que pdem provar com o bom resultado
    obtido com as duas USINAS montadas ltimamente a saber:
    Santa Filonilla e Joao Alfredo
    Vendem a praso ou a dinheiro com descont.
    Em oasa de todos os Perfumistas o CaboUoireiros
    da Fraoa a do Extrangeiro
    Cartas, raemoranduns, recibos, circulares, memoriaes, despachas, cartoes de
    iodicacoes, mappas, precos cortantes, acyoes, bilhetes de loteras e rotulas de todas
    sa qualidades em preto, ouro ou
    '
    : "3

    xt-
    Si
    Broehuras, cartonados, encadernacoes, lfvros em branco para o commercio e
    repartieses, tendo para esto fim urna exoellente machina de patatar*
    uABT&ES BE VISITAS
    "ariado-sortimento em cartoes para visitas, participacSes e convites de casa-
    mento, bailes), menns, elicitacoes, etc., etc.
    Livros de recibos de aluguel de casa, papel de impressao, tintas, ventisca a
    mais artigos para tjpograaphla e lithographJa.
    Manoel J. de Miranda
    -
    one i&4
    4-------------------------
    >

    MEI0-SECOL0 DE EXITfl 51 PREMIOS
    29 Medalhas de.furo e Diplomas de Honra
    INDISPENSAVEL
    durante a estopa calmosa
    EXCEL. LENTE
    TMfOBK PARA A
    HORTELAO PIMERTA
    RECOMMENDADO '
    pelos mais Afamados Mdicos
    PAltA CURAR AS
    Indigestos,
    D6res de Estomago, _
    o corfo, dos nrrot, fiSs** ^55 Toilette e os Dentes
    da cabca, ate. v wmmnlmM \
    Gran fie Preservativo nos tetngps de Epidemia
    Fsbrid em LYON, 9, coun d'HerbouTlle. 0#^aNSNa>' Casa em PABU, 41, roa Ricbar.
    EUR 0 N0K DE RICQLS RECUSAR AS FALSIFICACttS
    SQlSIOja PemamiwM $ FEAS" M. ti SliVi V mUiu u PkanucM 1 Srof uUt atnOtakS.


    pars, e,
    <6sdtlSriimxtsp8cial
    PBIPAJUDO COM BtSUUTHO
    PAV, Perfumista
    Rvlov dla Paix, 9, FAJ&X& /
    DIFFICEIS
    Dyspepsla
    Per da
    do Appetta\
    DIGEST0ES
    D0i!(C*5*ES;0MAG0
    ELIXIR GREZ
    Toaueo DiocsYi vo
    fADO K TODOS OS HOSHTB
    GASTRALGIA
    ANEMIA
    Vmitos
    Dtarrha
    ehreniea
    PKPaiNA
    BOSHTiss swrfailias da Ooro o IWpteoia da Honr*
    PABIS QEZ. WmU Sre.era.sosisaos a* Marsisatas |
    Curados pelos CIGARROS E3P1G
    Oppressen Toase Oefiuar.oa \evr algias
    LICENCIADOS PELA IMBPECTOaiA DI HYOLENI. DO IMPERIO DO BKAZIL
    Asplra-se a fumaca qoe penetra, no pello, acalma o systema nervoso,
    aclifta a eipocloragao e tarorlsa as funecoes dos orgaos respiratorios.
    Venda m alneado, J. ESPIC, CO, roa St-Lazare, am Paria. Bxva-tt ata attton"
    * rmtmbuat i TBJ>jQn t*. 0a. txuth. C*. "
    i PnnoJ tbmiTOMota lu^no-"
    Hotel doMastro
    Estabelecimento montado com todo asseio a
    commodos para os viajantes, como seja: boa
    dormida, bom tratsmento, e coebeira para os
    anirnaes qne o fregus levar, existente na Hnssi
    nba junto i estacao, para o qual chamamos a
    attencSj do publico.
    Criado
    Precisa-ae de um criado que entenda de todo
    o 8ervico de jardim e sitio, sendo de boa con-
    ducta : a tratar na na da Guia n. S, 1 andar.
    Para eoria.br
    No 3." andar do predio n. 42 da
    Daqae de Caxias, por cima do Diario aV
    Pemambuco, precisa-se de urna ama qne
    saiba cozinhar bem.
    Para criado
    No sitio n. 5 da estrada de Joao Fernando
    Vieira se precisa de nm menino de iO 12 aa
    nos, para criado e




    aa-48
    fiado
    M Tender
    em outra qual
    !{ ks Listras Azaes
    Heeeben
    \ I >UQUE DE CAXIAS N. 61
    Cortes oim \drilhoi.
    U teeido arrendado urna s
    jr a \4i-<0.
    do 15 muito largo com ra-
    idm{i'iis a ^00 rs.
    Creps de lindas coras para vestidos a 600
    rea
    Surak de lindas cores tecido novo em seda
    a 14300.
    Sedas com listas largas o estreitas todas
    as cores a 900 e 10400.
    Corts do vestidos braceos todos borda-
    des ultima moda.
    Cambraias organdjs de qtadros brancos e
    cromes a 700 rs.
    Beoda austraca tecido aborto todas s co-
    res a 400 rs.
    Cortes de Zofiro com 16 lj2 covados a 40000
    decido bordado.
    Madapolio lavado pecas com 10 varas a
    30500.
    Morim com um metro de largo pacas com
    12 jardas a 40000.
    Mosqueteiros americanos com armadlo se-
    melhante a cortinados muito lindos para
    ornamento de gabinete a 100, 120 e
    15*000.
    Terldos baratos
    Chitas finas a 200' 6 240 rs.
    Cassaa de urna cor a 120 rs.
    Nanzuc de lindas cores a 240 rs.
    Brim esguilo pardo infestado para vesti-
    dos ou roupas de meninos a 320 rs. o
    ~la. _
    Sftm fla" cniifiKjecidos de
    200 rs.
    Llns de quadrinhos a 160,200 e 240 rs. o
    covado.
    Merino refiwtados do todas as corea a 480.
    Espartilbes iagleaes a 45000 e 50000.
    Bramante del larguras a 700 rs. e10000.
    Tecidos de linbo muito bonitos padrdes a
    I 200e 246o covado.
    Bicos brancos e de cores para toto o pre90.J
    Baleias a 240 rs.
    Arco a 120 rs.
    Fitas da exposico ultima novidade.
    Luvas de seda a 10OO e 20000.
    Leques transparentes e de peonas
    Relogios despertadores
    14000 e fc-0000.
    Sabanetes finos a 500 rs.
    Pentee fantazia para cabello a 400 rs.
    Meias finas para homem senbora e mini-
    nos.
    Fichs de renda e prateados todos os pre-
    cos.
    Bordados com 4 li2 metros cada peca a
    10000 e 10OO.
    Grinaldas com veos de blond seda.
    Cortinados Bordados de cores a 10600 o
    metro (novidade).
    Crochet para cortinado a 800 rs. o metro.
    Sargclimdetodasas 'oses a-400 o 200 rs-
    Crinolina, cor de chumbo e cor de caf a
    360 o metro.
    olxas de fustio de cores a 2J&0.
    muitaa. faaendas baratajljBe se ven/
    de com desftonto -a qqem comprar de 200
    para cima.
    QnaJqOerjaessoa qne coitfpai fazenda
    nesta casa, mo sendo do agradb'para quem
    " fbr comprada^trocase a contento.
    RA DUQUE DECAXI&SN. 61
    Cofres de ferr
    Carlos Siaden iem para, leader cofres de so
    perier qtniidade. mais barato do que em outra
    qualqu*r parte. Rna Baranda Victoria n. 48
    ;om movimento a
    enos 90 V0 do que
    parte, cono seja :
    Madapolio americano com 1 metro de lar-1
    >ra a 60000 a peca.
    Algodloainho muito largo a 40 a 60000 a
    peca,
    tas crotones, modernas, a 200, 240,
    280 e 320 o covado,
    Zophir de quadroa, jjadro'es modernos, a
    120, 150 e 200 rs. o covado.
    Cretonas modernos, ultima moda, 320 rs.
    o covado.
    Atoalhado com flores a 0OOO o metro.
    Brim pardo trancado para roupa de ho-
    mem a 500 rs. metro.
    Dito de cor e fustio a 600 e 600 rs. o co-
    vado.
    Dito de linbo para calca de 40000 a vara
    por 20500.
    Casimira preta e de edr para costumes a
    10200 e 20000 o covado.
    Cortes de fustio para collete a 500 rs.
    um.
    Ditos de velludo bordado a seda a 20000
    um.
    Camisas brancas para homem a 20000
    urna.
    Tolhas brancas para crianca a 120 e
    200 urna.
    Colchas, adamascadas de 20000, 30000,
    40000 e 50000 urna.
    Cobertas forradas para casal a 20500 e
    20800 ama.
    Lencol de bramante com urna largura a
    10800 urna.
    Cortinados bordados para cama a 60000 o
    par. ^^
    Pannos de crochet para oadeiras a 500*rs.
    um.
    Cobertores brancos de 12 com' pequeos
    defeito a 20000 um.
    Cortes bordados para vestidos, ultima mo-
    da,, a 801)OOJi90OOOaJO4--124QOO^eBi,
    lindaa-ttfiTom'listras do seda a 400 rs. o
    covado.
    Dita; lisas e de quadros a 200 e 940 rs.
    vado. -
    Lindos flcha de retro*, prateado a dou-
    rados a 10000, 10500 e 20000 uta.
    Lavas de seda, todas as cores, para senho-
    ra a'10000, 10500 e 20000 o par.
    Casacos de Jersey >para senhora, aborda-
    dos, o 60000 um.
    Costumes de Jersey para crianca 4
    5annos a 70000 um.
    Cachenea para homem a seuhoaa a 10500
    n 20000 um,
    Bicos brancos e de crese 10800 e 20000
    a peca.
    Saias bordadas para senbora a 30000 urna.
    Renda hexpanhola com um metro de lar-
    gura a 20000 o covado-.
    Bordados e entre-meios a flw, 600, 700 e
    800 rs. a peca.
    Grinaldas com veo de seda a 80000 urna.
    Collarmhos e punhos de borracha, a 10800
    o par.
    Lenco de linho, especialdade, a 20000,
    30000 e 40000 a dusia.
    Ditos de seda com a exposico de Pars a
    500 rs. um
    Leqaes de pf >el com bonitas estampas a
    500 rs. un.
    Lindas manta e'gravatas de todas as qua-
    - lidades da 600 a 20000.
    Espartilhos de couracs* a 40000,^0000 e
    ColajKahos punhos de senhora, para aca-
    bar, a 500 rs.
    Casabraia da saipos a 40000 a peca.
    , JL muito asHros artigos que ~w vi^a, assim como roupa por medida em
    W*fiieina, para istotem peritos officiaes.
    Sena lewhjto
    * oa Daqaie > Callas .48
    ilENRIQEDA LVA MOREIRA
    e
    rs.
    nos a 200
    Meias casenhras pi
    a 400e 60
    Hollanda parda para
    dito.
    a]
    o dito.
    Linhos de quadrinhos
    200 rs. o dito.
    Percales finas a 200 e 240
    Atoalhado Bordado, quasi 2
    gura, a 10000 e 10200 o
    Bramantes, 4 larguras, su;
    e 10000 o dito,
    dem de puro linho a 10600 o
    Riquissimas guanticoea de crochet 1 e
    81000.
    Toalhas para mos a 10200, 00 e
    40000 a duzia.
    Meias ingieras para homens a 2 100 e
    30000 a dita.
    Camisas superiores idem a 240 a 800000
    a dita.
    Seroula bordadas a 120000 e 180000 a
    dita.
    Cambraia Victoria e transparente i 90300
    e 30OQCV com 10 jardas,
    dem bordadas chics a 40000.
    Superiores algodSes da corte a 35000 e
    Madapolio americano a 60000,
    jardas.
    Flanella de cores para camisas a 286 rs.
    o covado.
    dem americana, azul, para palitots a
    10200 o dito.
    Casmiras de todas as qualidades a 10400
    10800 e 20000 o dito.
    Para aa Kxaaaa. nolvaa
    Lindissimas'grinalds e veo para 89000 e
    140000.
    Ricas colchas de crochets e fustio a 80000
    e 60000.
    .Bonitos cortinados bordados.. _,~56,
    70000" e 80000.
    Linn branco bordados a* 460 rs. o covado.
    kJkJ
    publico que at-
    encionados :
    inda de phantasia,
    Pe, a 240 rs.
    Amor di \ '.na, a 200 rs.
    rendados, o qne ha de mais no-
    vo, a 800 rs.
    Vest ersey, ultimo rosto, a 100
    el
    Renda oriental a 600 rs. o covado.
    ones para coberta, 500 rs. o eovado.
    Par.no de crochet, todos os tamanhoe.
    iladapdlSo largo a 60000.
    Flanella azul, muito lisa, a 10200 o co-
    vado.
    Fich de phantasia a 10000.
    Lava de seda a 20000 e 30000 o par.
    Guardanapos a 10600 a duzia.
    SargeEn de qualqner cor a200 rs. o co-
    vado.
    Qriaaldas para noivas, fcousa chic e ba-
    rata
    Nunzucka, grande sortimento."
    Cambraia Victoria e transparente a 20800
    a peca.
    Cortinados bordado a 60000.
    Flanelas para camisa a 320 rs. o covado.
    Setins, qualquer cor, a 800 rs.
    Renda da China a 200 rs. o covado.
    Fustoes braceos a 320, 400 e 500 rs.
    /estuarios para [baptisados, o que ha de
    mais novo.
    Camisas francezas, com collarinbo, por
    20000!
    Grande sortimento de setins lavrado a
    10000 o covado.
    Crinolines a 400 rs. 6 metro.
    Zefiros a 160 e 200 rs. o covado.
    Merinos, sortimento grande, a 500 e 800
    rs. o covado.
    Cambraia suissa, a 70000 a peca.
    Cambraia com salpicos brancos e de cores
    a 40000 a peca.
    ALO,
    PARIZ N'A
    AZEVEDO, JJb^^BC.
    16Ra do B. da Victoria16
    200 Tephone 200
    Tendo recebido directamente da Europ
    grande sortimento de fazendas e modas <
    que ha de mais novo a presos sem oosr
    patencia.
    A saber ;
    Capas de surah, senda e merino.
    Renda preta, diversas qualidades. .
    Etamines, pretbs, de II e l seda.
    Damasse de seda pura.
    Merinos pretas de 800, 10000 e 102OL
    Cnnoline preta e branca a 400.
    Sargelim, todas as odres, a 206 rs.
    Bramante de linho a 10600, com H
    palmos.
    Toalhas pora banho a 10000 e 105OO
    Chachemiras com 2 larguras a 800 r*
    Ditas de l e seda 2 larguras a 10000
    Madapolio trancado a 90000 a peca.
    Dito globo a 70000 a dita
    Dito camiseiro a 70000.
    Dito Bda-Vista, verdardeiro, a 60000.
    Fichs de 11 e seda 10000.
    Brins de liaho coi es fixes a 600.
    EspartilhoB couraca a 40000 e 60000
    Colcha de fustio a 20000 e 30000.
    Capellas para noiva com veo bordado
    60000.
    Toalhas de cores para rosto.
    Rendas, comprimento de saia a 10500
    Renda de 11, preta, para quaresma.
    Pao verde para buhar.
    Tapetes para sof a 130000.
    A verdadeira esteira para forro de sais
    a 10000.
    Camisas de flanella a 50000.
    Cortinados de crochet para cama .-
    100000.
    Chitas* de cores a 200 rs.
    Bftbadcjs. ntremelos a 600. 8Q 6 iCWO -Grsteat*-rcir2-fcrgTrs8 4007~-------
    Baleias com forro a 390 a duzia,
    i FLORIDA
    GaiSes, palmas e rosas de vidrilho.
    Bicos de seda e de algodlo com sea
    vidrilho.
    Mantilhas de seda e de algodlo.
    Contas lapidadas para vestido.
    Franjas de seda com e sem vidrilho.
    Renda hespanhola.
    Collarinhos para homem a 30000 e 40000
    a duzia.
    Bordados de cambraia tapada a 400 5001
    600 e 800rs.apeca.
    dem cora 3 e 1(2 metros, de qualqus
    argura a 10200.
    Lencos de linho era caixinhas a 30000
    dita.
    Meias para homem, duzia a 40000.
    dem para senbora, duzia a 40000.
    Finas pulseiras americanas a 40, 60 s
    80000 o par.
    Cortinados todos de crochet para cama a
    120000, 170000 e 190000 o par,algunj
    de cores.
    Ditos para i'anellas a 70000.
    Pannos de crochet para cadeiras a 880
    10000.
    Ditos para so a 20000.
    Capellas com veo para noiva a 60000
    80000.
    Lindos enxovaes baptisados a 80 100
    120000.
    Toncas de setim para baptisado a 30, 40
    50000.
    Grinaldas e ramos.de seda, o que ha de
    melhor.
    Lindas fitas n. 12 para chapos.J
    Luvas de seda, cano comprido a 20 o par.
    Ditas de seda para creanca a 10000.
    Dita para moca a 10500 o par.
    Espartilhos para creanca a 40 e 40500.
    Ditos para senbora a 40, 40500, 60000 s
    60000.
    Linha de machina a 60 rs. o carritel.
    Linha de machina a 600 rs. a.dnzis~ _
    Libras strnas
    na ruajdo Com-
    -
    Vende-se libras sterlinas
    merco, armaaem n.8.
    F0LP5TIM
    fsi iiy ii hiih
    POR
    31X1.S MASV
    -
    SXGNDA PATftTS
    a mu SE U JIZ
    (
    Continua9 Jo do n. 22 2)
    IX
    Mas, havia disi
    juiz do instruecloj
    norar que tivesse c
    formidavel que corra,
    vam ainda persuadidos qi
    fanuava a ter confianca na eneixr viril
    da sua amante; sem davida estawan lon-
    go de acreditar que i a tentarlo! acto de
    loucnra desesperada.
    Foi pelas dez horas da noite, quaudo
    todos dormiam em Saint-Claude, que ella
    aahio para ir ao hospital.
    Acontecia-lhe muito a tniuda^ no aos
    seos collegas, ser chamado '1 ^H^ara
    m enfermo em perigo ; entilo faz i a atre-
    lar seu carro, ia sem piSlvenir a Suzana e
    ao general e algumas-jaaxes s Toltava na
    madrugada do dia segnint
    Nessa noito sabio tambem de carro, foi
    fra de Saint-Claude, den tima volta de
    cerca de urna hora no campo. Deizou
    seu cavallo e o carrinho atraz de um bos-
    quete, junto estrada e voltou precipita-
    damente.
    Entrou no hospital sem que o porteiro
    fareeesse admirado e foi ccllula de Mag-
    alena, dopois de haver afastado o enfer-
    nar, bastante
    ima abor:
    da
    Setim branco, superior, a 800 a 10000 o
    dito.
    Popelinas de seda a 800 10000 o dito.
    Setins Mace, todas a cores, a 800 rs. o
    dito.
    Leos de seda e de linho para 20800,
    em lindas caixinhas.
    Lences de bramante a 10800.
    Coberta de ganga, forradas, com 'dennos,
    a 20500 e 20800 urna. \
    Colchas de cores a 20000 e 30000.
    Tapetes para portas a 30500 e 50000-
    Pannos rara mesas, de cores modernas a,
    10000 10200 e 10600.
    PARA BAPTISADOS
    Ricas toalhas de labyrintho de 300 a
    350.
    Fustdes bordados brancos a 400 e 500 rs.
    o covado.
    Casmiras pretas e de cores de todo o
    precos, cheviots, merinos, damascos para
    pianno, cobertores, redes a 40000 urna, e
    nma infinidade de artigos que serlo,lenv
    brados na presenca. dos dignos leitorefe.
    LO JA DE
    PKRKRA & MAJSALHlKS
    -------------------------------------------------------
    Para os festhaes
    A' ra da soledade n. 56, preparam-se,
    com rrmpesa, mestria e
    Waco-! bolo, plo-d^Ibi, cangiejv,
    leitd, ptrami^pfl ao aoooa J ovos^,
    bandeijas para casansentos e b
    Reccbem-se as encommundas
    cidndey $aer para fora d'ella.
    Vende-se
    ama bonita armacSo de amarello, en'
    propria para qualquer negocio ; a tratar.na
    ca do Cande d'Eu n. 13.
    NIo pareceu ter preaetjsndo na ohega-
    da, nlo se mexeu e nlo e%ueu os olhos,
    que eooervava obstinadamente fixos as
    postas dos ps. *
    Elle fechou a porta, langou em umu ca-
    deira o mbrulho do vestuario, que occai-
    tra aab sua capa e precipitou-se
    ella, com os brago estendidos, trem
    - Magdalena Magdalena !
    E alo- respondendo ella, approximou-se.
    sentou-se e reuni as mos da louca eirtre
    as soks, fez pender a cabeca e tentn bei-
    jar nof cabellos.
    Has a moca desprendeu-se com indiffe-
    iLiii,i/'s.siiillii ii olnando para elle como
    se o ole oonhecesse e foi cahir em urna
    cadeira no fondo da cellula.
    Inquieto, elle approximou-se de novo,
    mas Magdalena recuou.
    Nada, temas, Magdalena, estamos
    sos, intoisajHwte sos. Eu vim porque
    preciso qa^Bjjamos. Tu nlo pedes ficar
    aqu murto ternpo. Os horrive tratos a
    que teHm sabmettido aqu, enfraquecc
    ram tua sade. Nlo podi
    Irahir-
    s m
    preparci par a tua fuga,
    ldito hospital... Meu
    no campo, a alguna kilo-
    nMtret Estaremos esta noite mes-
    m'a t..ra da ^Hafia e nada mais tora que
    temer nadal ouves, minha amada Aca-
    bar tua exiencia de transes e de an-
    gustias qu .sei. Meu atnor aug-
    tou aindr. cora tudo p que soffreste
    a^jBsWnteira nlo bastar
    para prova^H sno profundamente te
    amo e como'flMau dedicado. Olha, as-
    segur s^eu lado, tive momen-
    tos dcatroze: tormentos. Senti-me bu-
    milhado e soffri vergonha, qundo pensa-
    va as fadiga9 dessa simlaclo contra as
    quaes via debater-se a tua coragem. De-
    via acensar-me publicamente para p6r um
    um a eemel nnte tortura ? O que me re-
    teve ? Nlo o sei. Tal vez o meas de>ser
    intil o meu sacrificio o arrastar-te
    migo; talvez tambem o desespero dvOJsn
    pai e de Susana, qne sao os nicos seres
    no mundo lepois de ti... Mas
    prec tu nlo podes
    mais hesitar. ir
    L? no exi Car-
    VthlkO puro de
    Da quinta do
    Os preprietarios do Aunajam Cen
    do Cabuga n. 11, avisara aos'Sus disi
    guasea eao respeltaYel pblfeb qne r
    novamaessaueste especial viano, o
    recoBfuiend por ser puro, da uva, eso!
    Ib em dea armasen].
    Jnaquim Christovlo & C.
    Telephone 447

    a pe9a.
    Lencos de seda, muito bonitos e baratos.
    Cachemira combinaclo com listas de seda
    a 10400 o covado.
    Bramante de quatro larguras a 800 rs.
    a vara.
    Man til i as pretas a 40500. '
    Atoalhado, lindros padroes a 10 o metro.
    Espartilhos com couraca a 40000, 60000 e
    60000.
    Colchas brancas e de cores a 20, 30000,
    40000, 60000 e 60000.
    Grande sortimento de fichs de cies para
    todo preco.
    Cassa baptista a 120 rs. o covado.
    Chitas brancas e escuras a 240 rs., s se
    vendo a boa qualidade.
    Crotones muito bonitas a 320 e 400 rs. o
    covado.
    Meias para homens, senhoras ]e criancas,
    grande sortimento.
    Comisas de meias a 10000.
    Orando sortimento em merinos pretos.
    Cortes fde fustio para coleto, alta novida-
    de, a 10000.
    Camisa de flanella franeeza a 30000 nma.
    Brim de linho de cor a 500 e 600 rs. o
    covado.
    Tapetes para cama, sof e porta; barato !
    Velbutinas, qnalqner edr, a 800 rs.
    Cassinetas, maito bonitas, a 400 rs. o co-
    vado.
    Cortes de cachemiras, em cartlo, consa
    chic.
    Ditos de cretone muito bonitos a 80000.
    Ditos de casemira de cT a 40000, 60000
    e 8000: .
    Alm de outras muitas fazendas que
    impossivel mencionar.
    D-se amostras sem penhor a qualquer
    pessa.
    *a Rna Duque de Callas 55
    Fernandes Azevedo & C.
    ie me
    -"BaajBBWWi
    falta q a esperance que quasi pw-
    (fpreza, com medo, vend
    'parecia:-nlo
    iva-se c'Jil|Po olhos |
    Magdalena, o qne tens? Porque
    fueres olhar paramim? Offcndi-te? '
    ' la : dize-me alguma coosa.
    Ella- levantou-sef dea alguns passOs ao
    acaso n cellula/ arrastaodo os {
    se.MBaaaee possuida por fadiga
    dorsjflH s>. vagamente e po%se i
    rolar.
    Depios parou diante de Francisco I
    mais e examinou-o, olhando fixamen
    para elle", sem dizer urna sd palavra
    Era to singular o ol ar,t que o mo9o
    empaJeceu, passou a mo pe
    Mfl ^^V o que succedu V
    MagdassjpKcomeou no quarto o seu
    passeio circular Sempre cantarolando.
    Elevando ella a voz, distinguanse ^er-
    feitamente o que centava :
    Vinho de mesa
    Quera nao poderi beber o que bom I Chegou
    nova remesss, que se vende pelo mdico preco
    de 7O0O o garrauo de tres caadas (roltando o
    casco); na na do Amorim o. 60.
    Vmica, ujtet njoatoo.
    . Vi gue wPfBMfessa ;
    " Qua n'es-tu berdi raegn'
    . Vot que seye ta mtresi
    Um discurso incoherente sahia dos seus
    labios, emejuanto ella assim corria, agi-
    tando os brecas com largos gestos desor-
    denados.
    Eu ped que elle viesse... Elle nlo
    me escutou, nl veio .. e, entretanto,
    eu tinha flores... rosas, dhalias, cravos
    e grande porcao de heliotropo... Ah I eu
    ia fazer-lhe grande esta, porque o estava
    esperando. Felizmente estou casada...
    tenho filhos... Nlo quero, mais ir casa
    de ninguem, porque daria lugar a falla-
    ra mal de mim... Vou peacar no rega-
    to que corre l em baixo, junto do mon-
    te, perto da serrara e darei tudo o qne
    tenho aos pobres. Oh ha de ser muito
    alegre, .e E depois quando eu morrer,
    quero que ponham sobre', o meu tmulo
    chrysantemas; muitas, muitas em cima
    de meu caixSo, para que a torra nlo faca
    barulho... e de noite as cigarras hao de
    cantar era volta de mim e eu acorapa-
    nhal-as-hei.
    Vim sai, pitet montn,
    Vini que tze tu caressa.
    Que nes tu berdzi montn
    Pour que seyc ta metressa ..
    Ditas sem forro.
    Seda de cores a 800 e 10000.
    Extracto Rita Sangal a 20000.
    Velbutina de quadro a 800 e 10900.
    Guarnigoes, pretas, de vidrilhos.
    Bicos de seda, brancos.
    Caixas com extractos para presentes.
    Rendas hespanhola a 400(10.
    Capachos de edeo.
    Luvas de seda a 20000 o par.
    Meias de seda para homem.
    Dita de dita para senhora.
    Flanelas de cores para roupas.
    Panno da Costa para mesa.
    Vestuarios para baptisado,
    Colchas, de crochet com flores.
    Crep ingle para enfoite*
    Grande sortimento de chapeos de so.
    Setineta para coberta a 600 rs.
    Cortes de collecte de seda.
    Dito de fustio de cores.
    Dito de casemira de edras.
    TELEPHONE 200 .
    Leite puro
    Na estrada de ioao Fernandes Vieira, sitio lo-
    go depois das casas novas da direita, vende-s
    todos os das leite puro de vaccas tonrinaa e di
    trra, garanfu-se a qualidade do leite.
    Boyal Blend marca YUDO
    Este excellenta WSisky Escocez pao-
    ferivel ao cognac ca agurdente de cana,
    para fortificar o' corpo.
    Vende-se a retamo nos melhores arma-
    zens de molhattos.
    Pede Roy al Blend marca Vlado,
    cujo nome e emblema sao registrados para
    todo Brazil.
    BROWNS & C, agente.
    Frello superior
    25700 .o sacco
    Vende-se no armazem de Arcelino Lima C,;
    Caes d'Assembla n. 24, garantindo-3e 48 kijo-
    g rara mas cada sacco.

    Franoioo datajiei, tomOU-li.
    bra9os, puxou-a contra o seu pe.
    gesto arrebatado.
    Magdalena para que continuar
    te de mira esta sinistra comedia ? N
    to bem que nlo ests louca? Porque
    fingir em minha presenca ?
    j que estamos sos a que es*
    risco de seres sorprendida?
    os momentos, cara Magdale
    ciso fugir. Trouxe-te urna
    enfermeira... Veste-a e parta:
    Os olhos de Magdalena
    dos e adormecidos.
    as maols do rosto havia u;
    intenso.
    Alguraas vezes deixava de
    8ens0labio
    nalmente, por uma^
    adquirido, como so
    sido suspensa a p
    De sbito po-se a ril
    hadas, com um r
    agudas que
    . reacisco como laminas
    Tratarei de impedir que os sapos se
    I eheguem; elles slo muito rijos, os sapos,
    i tenho medo dells..." goato mais das
    ^^Hiarras ou das pqueuas pererecas ver-
    ^Hptlo bonitas, to bonitas e que se oc
    Can sob as hervs... Mas antes, vm
    ^fcner ma grande viagem...
    Desesperado, acreditando-se victima de
    horrivel sonho, Francisco Hormais cala-
    va-se .
    Seus olhos espantados nlo perdiam de
    vista Magdalena.
    Elle sentia que lhe fugiam as ideas.
    Quiz fallar, chamou a moca, mas nlo
    continua vam
    anente
    LU
    -uaguaie-
    igem
    garganta contrahio-se-lbe. *
    mncioii urna nica palavra que
    horriveis angustias :
    9
    re-
    I l
    , tomado 8e>eubito tremor, dei-
    cahir na cadeira que Magdalena
    Farei urna grande viagem, tenho
    r uraa miasto... de parte do
    . Foi urna promessa que fiz
    para Boncboux, quando me
    e primeiro a Besancon, depois
    depois a AUemanha, a Italia.
    mui serraras
    te e toda a minha fortuna vou
    dal-a aos pobres... Eu son tambem muito
    forte... urna noite quando a tempestade
    tinha derrabado muitos pinheiros, en que-
    brei-os l no monte... Tive medo por
    causa do barulho... Estou- vendo d'aqui
    muito bem... era um pinheiro ds grossu-
    ra de urna laranja... que tinha o bom
    gosto da madre si Iva.... agarrei-lhe no
    tronco, arranquei-o do chSo e atirei-o na
    torrente... Um grande sapo, seguro em
    um ramo, me olhava e me mettia medo...
    Quiz enxotal-o ; elle ia embora, mas vol-
    ta va sempre... Porque foi que meu mari-
    do poz esse sapo' no pinheiro?...'elle
    queria-me mal; eu sei bem ; entSo pre-
    ciso que me protejam e me defendam
    delle... Nlo quero que elle me prohiba
    cantar.
    Era deraais para Francisco, elle nlo po-
    da continuar a ouvil-a.
    Magdalena, Magdalena, exclamou
    elle, com a voz abafada... volta a ti e
    reconhece-me. Nlo fallemos mais. Coor-
    dena tuas ideas. Lembra-te do nosso
    amor e do lacos que unem nossa vida...
    E calando-se ella de repente e olhando
    para elle com ar de curiosidade, elle teve
    um momento de esperanca. Abracou-a
    com seus bracos trmulos, beijou-lhe os
    cabellos, sorrio-lhe, procurando attrabir
    seus olhos, cujo oihar jrago'e morto assns-
    tava-o.
    N3o verdade que tu te lembras ?
    Eu sou Francisco, aquelle que amas tan-
    to, que nunca devias abandonar, pelo qual
    soffreste tanto, pobrezinha. Nlo aflastes
    teus olhos de mim... Faco-te medo ago-
    ra ? Oh! isso nlo possivel. Tu tens con-
    fianca em mim. O amor que me dste,
    correspond a elle mil vezes. Magdalena,
    reconhece-me... Nlo sorrias desse mo-
    do., tu me assustas... Nlo me repulas,
    pois sei que me amas... Vem, minha
    amada, fajamos juntos, muito dopressa; a
    calma que acharemos longo daqui e os
    cuidados de que te cercarei, -curar-te-
    hlo. Vem, Magdalena. E' tarde j...
    Meia noite j den... Est nevando.. ..
    Meu carro te espera... Um pouco de
    coragem e de confianca e acabarlo para
    sempre esses terrores e esses combates...
    Vem, Magdalena, veste-te depressa e se-
    gue-me... Poderia um enfermeiro lem-
    brar-se de entrar aqui e estaramos per-
    didos. Respndeme. .. Ests mais cal-
    ma agora ?
    se desprendera de suas mlf
    Lindos leqnes de surah a 40000.
    Ventajlas de penas de todas as cores,
    gosto moderno.
    Lindos sortimento de ramos e cachos de
    flores para enfeitar chapeo e vestido.
    Grande surtimento de cestas para senhora
    a 20, 2,500 30000, 305CO, 40000, 40500,
    50000 50500, 60000 e 70000 urna.
    Caixas de papel amisade a 400 rs.
    Lindo sortimento de guarnieres paratoilett
    de diversas cores.
    Renda hespanhola preta com vidrilho.
    Lindos lencos todos de laberinthb a 500 rs.,
    Al bu na de pe 11 uc i a de diversas corea.
    Livros de missa a 10500, 20000, 2050
    30010, e 30000 cada nm.
    Lindas luvas de seda com salpicos e cora
    listas, gosto moderno, a 20500 o paz.
    Grande sortimento de extratos dos inais
    acreditados fabricantes.
    Toalhas para banho a 10300. .-.
    Toalhas para rosto a 300.
    Toilhas para mo a 160 rs.
    Babadores com inscricoes e paizagem a
    500 rs. e 400000 a dnzia.
    Espelhos grandes com mulduras finas de
    cantos re fondos a 40000 e a 60000 urna.
    Bengalas flauta.
    Grande sortimento* de luvas.de seda arren-
    dada, com palmas canno comprido a
    10500, 20000 a 20500.
    Ra Duque de Caxias n. 103
    . Vendas somente a dmheiro, por bartissnoe
    precos.
    Maciel & Guimarels
    Grande e variaste orment
    DB
    MIUDEZAS, PERFUMARAS E ARTIGOS DE
    MODA
    Em grossoearetalho i
    24-Ria Visconde de Inhauio^-24
    Ancn do Bango'
    Pernambuco

    ra a janella, as costa curvadas como se
    procurasse vor ou onvir.
    Francisco, com a respiraclo suspensa,
    nlo tentou detel-a.
    Ella deu done ou tres passos, estendeu
    as mos e recuou assustada.
    O que ha, meu DeuB ? disse o mojo.
    Tu o vs bem, disse ella com essa
    mesraa voz breve e atrapalhada, que tinha
    havia pouco, nm sapo que se oceulta l
    em baixo atra? da janella... elle quer
    entrar neste quarto para perseguir-me,
    mas nlo o quero. Impede que elle en-
    tre... os caixilhos esto furados, elle vai
    atravessal-os e eu tenho medo... E' feio
    um sapo ; ir sujar as minhas flores...
    Francisco tomara-lhe de novo as maos,
    acariciava-as febrilmente, murmurava-lhe
    ao ouvido palavras de docura infinita, Iem-
    brando-lhe suas recordacSes agradaveis,
    sua paixlo, os transportes desse amor-cri-
    minoso que os reunir mais estreitamente
    do qne se foram lagos legtimos. As lem-
    brancas afHiam em quantidade, nesse hi-
    tante desesperado. Eram principalmente
    s que mais deviam tocar a alma de Mag-
    dalena que elc recorra. Appellava para
    o seu coraclo, para a sua ternura, paro
    essa dedicarlo de que lhe havia elle dada
    tantas provas e de que era tambem victi-
    ma-
    Magdalena apanbara urna fite, que vi-
    rava e revirava caprichosamente, entre os
    dedos, sem que seus olhares deixassem a
    bocea de Francisco Hormais. Nlo falla-
    va ; mas em tic nervoso machinal, seus
    labios imitava o movimentos dos labios
    do joven medico.
    Quando elle calou-se, nlo tendo mais
    forca para fallar^ aterrada por esse ultimo
    golpe, poz-se a rir silenciosamente, depois
    voltou ao couplet dessa canelo que tinha
    outr'ora cantarolado aos ouvidos de Tho-
    maz Lhoir e que, por singular capricho
    de sua loucura, era a nica que lhe volta-
    va ao espirito :
    Que n'est ta berdzi megooe
    Pour que seye ta m'.ressa
    Entlo Francisco dexou-se cahir no lei-
    to, oceultou sua cabeca no travesseiro era
    qne, hay meaos, Magdalena tinha sepul-
    tado seus dfisesperoB e seus terrores secre
    tos, e sbitamente desatou em solu
    Admirada, a louca olhou para el!

    1


    Aa nonlur


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EF71JLG4I_NIOI0O INGEST_TIME 2014-05-19T18:42:16Z PACKAGE AA00011611_18893
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES