Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18829


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AUNO LXVI .NMJBO 209
DOMINGO M DE SETEMBRO DE 1890
DIARIO DE PERNAMBUC

Propriedade de Mano el Figueirda de Faria efe? Filhos
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
*

Por tres meses adiantados. .
Por seis ditos dem......
Por um anuo idem......
Cada numero avulso, do meamo da.
6,5000
12)1000
230000
,5100
Os Srs. Amede Prihce & C.
de Pars, sao os iiossos agentes ex-
clusivos de annuncios epublica-
$oes na Franca e Inglaterra.
PARA DENTRO E FORA DO ESTADO
Por seis mezes adiantadoa. 130500
Por nove ditos idem. 20000
Por um auno idem...... 26,5000
Cada numero avulso, de das anteriores. 100
n|
TELEGRAMAS
'
V
#> '-
U&7!;0 PABTICULAB SO SXAfilC
RIO DE JANEIRO, 13 de Setembro.
Foi promulgado por decreto o novo re
gulamento dos Arsenaes de Marinha.
* Os membros do governo, reunidos
hontem sob a presidencia do generalissi-
mo Deodoro da Fonseca, assigoaram urna
declaracSo de inteira solidariedade com as
medidas promulgadas pelo mesmo genera-
lissimo, chefe do governo povisorio.
BERNE, 12 de Setembro.
Declarou-ae hontem urna iosurreicao em
Belsona, cantXo de Tizzino.
Foi invadido o palacio do governo, e
presos tres membros da junta, sendo mor-
to outro a tiro de revolver.
Os insurgentes formaram governo can-
tonal. O povo adherio.
1 ''j*A populacao est calma.

LONDRES, 12 de Setembro
Hontem em Southampton deram-se va* I
rios conflictos promovidos pelos parodistas,
das doeas.
Interveio a infantera e houve muitas
victimas.
IHSTRDCtfO POPDLAR
05 ICONSTnOS IS7ISI7EIS
POB
ARSTIDB8 ROGER
PRIMEIRA PARTE
UBI eiearsSoao Invlslvel
capitulo ni
0raUo ramlnho
(ContinuacSo)
Se nos deixassemos poseuir de demasiados de-
sejos, e nao tivessemos cuidado en tudo quan
to vem apreseatar se ao nosso microscopio, ver-
nos-hiamos inevitavelmeote illudidos e mystifica
dos a cada instante.
A luz, o ar. a aeua, os corpsculos que em
toda a parte fluctuam em voita de nos, mofa -
riam dos nossos esforcos cjm orna especie de
descaramento, e dar nos.hiam a idea mais falsa
do mundo invisivel.
A fbula dos astrlogos, que viam na la um
rato escondido no seu telescopio, realisar-se-bia
mil vezes, com relacao a dos ou'ros, e camioha-
riamos constantemenle em um ddalo de erros e
falsidades.
Assim, pois, os viajantes intrpidos, que que-
rem aventurar-se sem guia nos campos infinitos
que vamos explorar, devem, antes de entrar em
campanba estudar detidamente os ardis, embus-
tes e dissimulaces dos burladores.
Nao se trata de ir tomar por um monstro ama
impureza qualquer, que se lixe no objectivo, urna
mancha, ou urna risca, que alterem as lentes do
ocular.
E" mister evitar que a luz, mal dirigida pelo
espelao, que os esfjme nos bordos, os illumioe
demasiado no centro, e os faca reverberar ou
scntillar a vista.
O raio luminoso de ve ser suave e puro. Deve-se
procralo no azul do ceu, ou melbor anda, nos
flancos opacos dessas grossas nveos brancas
que camiobam to lentamente pela atmospbera.
De noite pode urna viva lampada substituir luz
do dia ; mas deve desconfiarse da chamma tre-
mola do gaz, que fatiga muito a vista.
(Contina).
'


PARTE OFFICIAL
T

*v
-
<;ovrno do Estad* de Pernambuco
3.a Secco.Palacio do Governo do Estado de Pernambuo.
am 11 de Setembro de 1899.
O (Mtembargador Barao de Luceoa, governador do Estado de
Pernatee:
Considerando ser exorbitante o quantum marcado na tabella
organizada m virtude do art. 3 da lei n. 787 de 11 de Abril de
1848, para pagamento da ajuda de casto a que tm direito os offi
ciaes do corpo de policia que sabirem em diligencias extraordi-
narias ou deetacarem foca da capital ;
Usando das atlribuicoes que Ibe confere o decreto do govbrno
provisoria o. 7 de 20 de Novembro de 189;
Art. 1* Os cfficlaes do cdrpfllte policia que sabirem em dili-
*:

" 1
eeucias extraoriiaarttf kpsj-'wp carem em logares nao servidos
. por estrada'dtsTjpWnr navgwcao, perceberao urna yjuda da custo
para atlafem, na seguate proporco :
De la 5 leguas 5*000
* 6 a 10 10*000
* 11 a 16 12*500
17 a 20 * 15*000
| 21 a 23 s 17*500
26 a 30 20*000
31 a 35 22*500
9 36 a 40 25*000
a 41 a 45 27*500
46 a 50 30*000
51 a 60 3i*500
61 a 70 1 35*000
a 71a 80 40*0)0
81 a 90 45*000
9 91 a 100 t 50*000
101 a 110 55*000
111 a 120 60*000
* 121 a 130 65*000
131 a 140 70*000
a 141 a 150 a 75*000
151 a 160 m 80*000
161 a 170 * 85*000
171 a 180 90*000
181 a 190 * 95*000
a 200 por diante 100*000

-
Arl. 2 Ficam revogadas as disposices em contrario.
O secretario do governo faca publicar o presente decreto, ex
pediudo as ordena e communicaces necessanas.
Baroo de Lacena.
3 secco.Palacio do Governo do Estado de Peroambuco, em
12 de Setembro de 1890.
O desembargador Barao de Lucena, governador do Estado,
considerando:
1. que de conveniencia aos crditos do Estado pagar, com
a possivel promptido, a divida fluctuante, presentemente elevada
a quantia muito superior a 3.000:000*000.
2.* que urna grande parte da mesma divida representa obri-
gaces de contractos celebrados entre o governo e fornecedores,
com a clausula de immediato pagamento, que se tem deixado de
repisar por falta de numerario nos cofres do Tbesouro;
3. que uao provavel que possa este governo effectuar, com
a brevidade desejada, qualquer operaco de emprestimo de quan-
lia bastante para a soluco dos compromisos do Estado para com
seus credores, e,
Usando das attribuicoes que Ibe cooferem o decreto n. 7 de 20
de Novembro de 1889, e o art. 2.* da lei n. 1927 do 15 de Noven-
bro de 1888 com relacSo a importancia de 1.100:000*000.
Decreta.
Art. i." Fica o inspector do Tbesouro do Estado autorisa do
emittir apolices ao par, do juro annual de 6 / devendo a emis-
sio representar quautia equivalente importancia da divida nu-
cante; ,.
Art. Io O pagamento poder ser feto directamente em apoli-
ces, si nisto convierem os credores.
Arl. 3. Ficam revogadas as disposices em contrario.
O secretario do governo faca publicar o presente decreto, ex-
pedindo as ordena e communicaces necessanas.
Babo de Lucena
IXMDlENTB DO DU 28 DE AGOSTO DE 1890
Actos:
O desembargador Barao de Lucena, governa
* dor do Estado, decreta :
Art. 1. O fornecimento para o fardamento de
guardas cvicos ser feito de accordo com o dis-
posto no decreto deste governo, de 26 do cor
rente.
Art. 2. Ficam revogadas as disposices em
contrario.
O secretario do governo faca publicar o pre-
sente decreto, expedindo as communicaces e
ordens Decessarias Remetteu-se copia ao Dr.
rbete de polica e ao inepector do Tbesouro.
O desembargador Birio de M-iceoa, go
vernador de Estado, tendo em vista os officios
as. 472 e 507, de 14 e 28 do correte mes, do
inspector geni da instroccao publica, resolve
exonerar, pedido, o cidado Dr. Francisco Ro-
mano de Brito Baatos do logar de delatado do
di8tric'.o litterario de Tamandar, e nomear para
substiluil-o o cidado lente coronel Tbomaz
Lins Caldas.Communicou se ao inspector ge-
ral da inetroeco publica.
Officios:
Ao Dr. chefe de policia.Respondo ao vosso
officio o. 1,680 de 25 do correte, declarando
vos que, em nome deste governo, louveis o de
lgalo de policia do termo de Nazareth, Dr.
Francisco Leopoldo de Araujo, pelo relevante
servico prestado a este Estado e bumanidade,
por ter vaccinado e revaccinado a duas mil pes-
soas, dando este servico legar as desappareci
ment da varila naqoelfa localidade.
Ao inspector da Tbesooraria de Fazenda.
Communico-vos que em 15 do correte reassu
mo o exercicio de sea cargo o juiz de direito
da comarca de Jaboatao.
Ao mesmo.Em vista do telegramma jun-
to, por copia, autorizo vos a maodardes abonar
ao capitao do 2 batalb&o de infantaria Jos Joa-
quim de Aguiar, 2 mezes de sold, para ser des-
contado na forma da le.
Ao mesmo.Autorisovos a maodardes pa
gar ao pbarmaeculico Alfredo Ferretra a quao
tia de 348*400; importancia dos medicamentos
foroecidos de 13 de Jonbo ultimo a 20 do cor
reate, para desinfecco das casas dos variolosos
indigentes no 2 districto da (reguezia da Graci.
segundo os documentos jan tos. corren do a des-
peza pela verba Soccorros pblicos.
Ao mesmo. Aflm de mandardes passar a
devida qmiaco, remetto-vos os recibos juntos,
presentados pelo corrector geral C. C. G. Aleo
forado, de gneros comprados para foraecimao-
tos aos indigentes da comarca de Garanhuns, aa
importancia total de 1:680*960, de que trata o
meu officio de 11 do correte. Commnnicou-se
ao interessado.
Ao inspector do Thesouro.Convem que
informis si dos tales recolhidos pelo porteiro
desta secretaria nao coasta que teobam sido pa-
gas as meosaliJales do apparelbo telephonico
collocado na mesma secretaria, attioentes aos
mezes de Setembro, Outobro, Novembro e De-
zembro do auno prximo passado.
Ao mesmo.Convem qoe informis com
urgencia se foi paga a retribuico do apparelbo
telepbonico collocado no predio da extincla As
sembla Provin; ial, refeseote aos mezes de Ju-
nbo a Outubro do anoo passado.
Ao inspector geral da instruccSo publica.
Iateirado das consideraces judlcioaas constan-
tes do vosso officio n. 498. de 26 do corrate.
decan-vos em resposta. que aguardo a relacao
dos p-ofessores as condices alludidas ao pre
dito officio, coavindo que sejam desde j suppri-
midas todas as cadeiras superfinas, c u que nao
teem a frequencia legal, atiento a exiguidade
dos cofres do Tbesouro.
Ao vice-provedor da Sanfa Casa de Mise-
ricordia do Recife.Mediante as coadic.s co-
stantes, do termo aanexo por copia, ao vosso
officio n. 75 de 27 do correte mez, approvo o;
contractos celebrados com los Paulino da Silva
e Augusto Tbeopbilo da Cuaba Pern para ser
virem os lugares este de mordomo e aquelle de
amanuense do Asylo de Mendicidade.
Ao engenheiro fiscal da Companbia Ferrj
Canil.Para vosso coohecimeoto declaro que
defer boje o requerimento do gerente dessa
companhia, a que se refere a vossa inforinacao
de 22 do correte com a clausula de serem reti-
rados os trilhos da linha semi circular, que se
pretende estabelecer na pequea praca dos caes
do Apollo, assim que estiver coocluida a rampa
da ponte Buarque de Macedo, do lado da mesma
praca.
Mutatis muandis ao engenheiro encarregado
das ebras publicas geraes.
Ao bacharel Ceslo Tertuliano F. Quin
tella. procurador da empreza telephonica Bour-
gardReitero o pedido da informaco que foi
exigida em 30 de Julho ultimo a empreza tele
pbonica Bourgard, de que sois procurador, rela-
tivamente ao motivo porque nao collocou os
appareloos gratuitos da mesma empreza nos
quarteis do 2* e IV batalbes de iufantarla coa-
forme foi determinado em Juobo de 1884.
Ao director da secretaria da extiDCta As-
sembla Provincial. Convem que informis
com urgencia si o apparelbo da empreza tele
pbonica collocado no predio da extincta Assem
bla Provincia! foncciooou regularmente de Junbo
a Outubro do atino passado.
Ao delegado da inspectora geral das trras
e colonisaco n'este estado.Devovlo ire folhas
de pagamento de empregados e opermos-"#aaj
obras do ncleo colonial Suassuoa e hospedara
da Jaqueira, referentes primeira quizena deste
mez, que acompanharam o vosso officio de 18,
alim de serem reformadas conforme as notas de
algarismo a lapis que si leem margem da
columoa das Observaces.
As referidas folbas deverao ser devolvidas com
as de novo organisadas.
Ao juiz de paz, presidente da junta de
aiistamento militar da paroebia de S Antonio do
Recife. Em solucao ao vosso officio de 19 do
corrate, declaro que, seguodo coasta de infor-
maco do Dr. chefe de polica de 26 deste mez,
sob o. 1,687, j foram dadas as providencias no
sentido ae serem apreseotadas a essa junta a
listas de que trata o nico do art. 14 do decreto
o 5,881 de 27 de Fevereiro de 1875, e, por esta
occasiao recommeodo vos que, caso oo sejam
novameDte fornecidas ditas listas, commuoiqueis
a et te governo o nome das autoridades negli
gentes, alim de a est-.s serem impostas as multas
de que trata o art. 122 do citado decreto
Ostro sim. de accorlo com o vosso citado ofh'
ci e aviso do Ministerio da Guerra, de 21 de
Agosto de 1875, dirigido ao presidente da Bahia,
reccmmendo-vos que designis novo da para
rcuoio dessa juola, que deve ser a 19 de Se
tembro vindouro, visto haver lempo parareu:::5o
da junta revisora, iue ser a 10 de Novembro
do correte anno-
Portaras :
Declaro Intendencia Municipal de Cimbres
que, leudo sido orgaoisado o alistameolo eleilo-
ral desse municipio de accordo com os limites
dos respectivos districtos de paz, nao pode ser
attendido o pedido dos habitantes do quarteiri)
de An ia Grande, constante do officio de 16 do
correte mez da mesma intendencia, accrescendo
que a alteraco solicitada pode dar lugar a coa
fus&o c irregularidades oa eleico a que se tem
de proceder oo dia 15 de Setembro vindouro.
Os Srs. represeotates do Lloyd Brazileiro
oeste Estado manden) dar passageos at capi-
tal federal, por conta do ministeri dagoerra, ao
alteres do 9 o regiment de cavallaria Candido
de Serpa Pinto; e bem assim a sua irm viu>a
Mara Serpa Pioto Pessoa e a um criado de nome
Joo Manoel Brrelo.Expedio se ordem ao io
spector da Tbesouraria de Fazenda para mandar
ajustar costas e commuaicou-se ao commaodan-
te das armas.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco d passagem de Una
Cinco Pootas a 2 soldados do corpo de policia
que se recolhem ao corpo, correado essa despe-
za por conta do Estado.
dem idem as estradas de ferro de S. Frao
cisco e Sul de Peroamburo a duas pracas de po
liciaque vao destacare-a Quipape s mulheres
das musmas.
EXPEDINTB DO DR. SECBBTABIO
Officios :
Ao commandante das armas.De ordem do
desembargador Baro de Luceoa, governador do
Estado, commuoico vos em resposta ao vosso
officio o. 1288 de 26 do correte que nesla data
sobmeltido coosideraco do ministerio da
guerra o .ssurapto do citado officio, relativo
compra de 30 livros para a esenpturacao do for-
necimeoto de vveres ao 2.' batalbao de iofao-
taria.
Ao delegado da inspectora de trras e co-
lonisaco De ordem do desembargador Baro
de Lucena, governador do Estado, acenso o re-
cebimento do officio de hontem, no qual commu-
nicastes haver sido nessa data ioslallada a re-
partidlo ao voseo cargo creada pelo decreto n.
603 de 26 de Julho ultimo e empossados o enge
nbeiro Antonio Vicente do Nascimento Feitosa,
como ajudante da delegada e o cidado Antonio
Graciado de Gusmo Lobo, comooffiuial, comea-
dos por portarla do ministerio da agricultura de
1 do correte. Commuoicou se ao iospector da
Tbesoarana de Fazenda. '
DESPACHOS DO DIA 12 DE SETEMBRO DE
1890
Aatonio Rodrigues de Lima.Os autos de ap
peitaco j forara remetlidos para o Tribuual da
Relacao, seguodo ioformou o Dr. juiz de dfreito
do Cabo.
Autoaio Ferreira da Silva. Os autos de ap-
pellago J foram remettidos para o Tribunal da
Relacao, segando ioformou o D\ joiz de direito
io 2 districto criminal.
Antonio Bonifacio Ferreira de Mallos.Infor-
me o Dr.jotz de direito do 2* districto criminal.
Antonio Zicarias do Carmo. Nao ha o que
deferir, porque o peticionario ter de concluir a
ena em 10 de Dezembro de 1893, segundo io-
Drma o Dr. juiz do 2 districto criminal do Re
cife.
Augusto Peres.Informe o administrador do
theatru Sama Isabel. *
Antonia Mariada Conceico.Deferido, com o
officio desta data ao provedor de Saata Casa de
Misericordia do Recife, a quem a oeticionaria
dever apreseatar a menor Olympia, afim de ser
recoibida Casa dos Expostos.
Francisco Rodrigues da Costa.Informe o Dr.
juiz de d.reito da comarca de Gravat.
Francisca Amelia de Castro Meoezes.Sim.
Gaspar Antonio dos Res. Aprsente se
Junta .t.edica, para ser iospsecioaado.
Jjf Francisca de Souza. Ao Dr, juiz de di
reito da comarca de Bezerros para atteoder, de
volvendo este requerimento.
Joo Bernardo Laoatv. Complete o sello e
volte, querendo.
Joo Jos Ribeiro de Moraes.De accordo com
as informaces dos inspectores geral da Iastro-
epo Publica e do Thesouro do Estado, o peti-
cionario s tem direito aos veocimenlos marca-
dos pelo art. 180 4o do regulamento de 18 de
Janeiro de 1888.
Joo Meodes dos Sintos. J se provideociou
no sentido de ter o devido andamento a appel
laco, segundo inlorma o Dr. juiz do 2 districto
criminal.
Jerooymo Perera Lemos. Nao ha o que de
ferir, porque o peticionario concluir a pena em
29 de Novembro de 1891, segundo informa o
Dr. joiz do 2o districto criminal.
Alferes Luiz Bezerra dos Santos.Informe ao
Sr. iospector da Thesouraria de Fazenda.
Manoel Vicente Ferreira.Informe o Dr. juiz
de direito da comarca de Nazareth.
Mauoei Firmiaoo de Almeida Pesca.Informe
o Dr. chefa de polica.
Manoel Francisco Botslbo Aguarde se para
requerer Intendencia Municipal o ordenado,
quaodo essa corporaco estiver definitivamente
organisada
Manoel I naci Perera. Deferido, com officio
de boje ao Dr. chefe de policia.
Oliodioa Petrooilla de Barros.Informe o in-
spector do Tbesouro se sao devidos peticiona-
ria os vencimentos dos mezes de Marco, Abril e
Junbo de 1887, e, no caso afirmativo, se a divi-
da se acha escriplurada.
Prudencia da Silveira Guimare?.ladefe-
rido.
Rufino Manoel Felippe. Informe- o Dr. juiz de
direito do 2 districto cri ninal do Recife.
Vitaiioo Cordeiro Lias.Informe o iospector
da Thesouraria de Fazenda.
Tenente Walfrido Carneiro da Cunha Miranda.
Deferido, com officio desta data ao inspector
do Thesouro do Estado.
13
Augusta Elvira Ucba.Sim, nos termos da le.
Bartholomeu Ferreira Neves.Remettido ao
Sh capitao do porto para atteoder.
Elias Coelho da Silva-Informe o Dr. juiz de
direito do 2* districlo criminal do Recite.
Fraocisco Seraphico de Assis Carvalbo.Por
decreto de 12 do correte autorisei o Tbesouro
do Estado a emittir apolices ao par, do juro an-
nual de 6 /o na quanlidade precisa para pagar a
divida fluctuante.
Gerente da Estrada de Ferro do Recife a Ca-
xangSim, nos termos do officio desta data ao
engenheiro fiscal respectivo.
Ioaoceocio Meodes Lopes de Meodonca.Por
decreto de 12 do correte autorisei o Thesouro
do Estado a emittir apolices, ao par, do jaro ao-
oual de 6 7. oa quantidade precisa para pagar
a divida fluetuante.
Joo L,aodeliao Doradas Cmara. Certiti
que se. !__ ,
Maooel do Nascimeato AlmeidaProvideocia-
do, com officio desta data ao iospector geral da
lastrueco Pablica.
Maooel Camemello Paula Lias. Ijforme o
inspector da Thesouraria de Fazenda.
Rita dos Saat03 Leal.Apreseote-se a Juola
Medica para submetter-se a iaspecco de saude.
Secretaria do Estado de Pernambuco,
13 de Setembro da 1890.
O porteiro,
11. M. da Silva.
Repart?o da Polica
2.* seocao.N 208Secretaria de Po
licia do Estado de Pernambuco, 13 de
Setembro de 1890.
Cdi.io goveroador.Participo vos que
foram hontem recolhidos Casa de De
teoco os iodividuos Je oumes Eduardo da Sil-
va Saolos. coohecido por Patacho, Aatonio Vi-
eir da Silva. Joaquiu Pereira da Silva Bemtevi,
Guilherme Joo dos Santos, Elyslario Elesbo,
Joaona Baptista Ramos. Mara da Glora, Ber
nardioa de tal,|Maria|Izabel, Maximiano Jos Ig-
oacio aLuiz Alves Lima.
Commuaicou-me o Dr. delgalo do termo
de Nazareth, que no dia 11 do corrente, s 10
horas da manb, tendo ido urna farca de policia
ao engenho Tematape, para effectuar a priso
de Carlos Antonio Leite ordeoada pelo subdele-
gado do i* districto, por ser aquelle iodividuo
crimiooso proouuciado ao termo de Alaga Nova
do Estado da Parahyba e achar se tambem indi-
ciado em crime de morte no referido tetmo de
Nazareth, o mesmo Leite e um seu filho trava-
ram lucia com a forca, da qual resultou a morte
de Leite.
O delegado abnu ioquerito sobre o tacto e pro-
cede a outras diligencias da lei.
Pelo subdelegado do 2 districto do S. Jo-
te, foi remettido ao Dr. Juiz de direito do 3o
districto crimioal o ioquerito policial a que pro-
cedeu contra Jeronymo Jos de Freirs, Antoaio
Rodrigues Feraaades, Manoel Andr do Carmo
e Jovina Rosa da Silva, os dous pnmeiros como
autores e os dous ltimos como cmplices aa
ferimente3 praticados oa pessoa de Antooo
Fraocisco de Seona.
Sade e fraternidadeAo cidadlo des
embargador Bar2o de Lucena, muito digno
goveroador do Estado de Pernambuco.
chefe de policia, Antonio de Olinda
Almtida Cavalcante.
ecebeduria do Batallo de Peraaoa
ftwea
DESPACHOS DO OA 12 DE SETEMBRO DE
1890
Aatonio Azevedo 4 C, o Custodio Aotuoes
Guima'es.A' 1* secco para os fias devidos.
Manoel Perreira Bartholo, Mara Joaqutoa da
Iacaroacao e Mara Francisca de Mello.
- 13 -
JosFransisco Ferreira.Junle coahecimento
de quitaco do 1 semestre do imposto do seu
eitabelecimeato, afim de poder ser atteodido.
Romo Gil C-Deferido, de accordo, com
as infoimaces.
01 ESTOES SOCHES
5
Qnestes de direito constltn-
ekmal
vm
SancgSo e veto do Governador
Na organisaco do poder legislativo nao se
deve preterir a questo relativa a-sauceo das
leis.
A oossa constituigao. pois, como fazem todas
as outras, ba de di-por acerca d'esse requesio
esseucial a toda le, estabelecendo regras de pro-
ceder entre o poder que delibera e o que saoc-
ciona as deliberares.
Quando oo tenha o p der execntivo o direito
de propor ou lembrar projectos, oo se Ihe po
der negar o de sanccional os on nao.
A saoceo um acto positivo, sem o qual a de
liberacao das cimaras nao pode ser convertida
em lei. Se.porm, o represeutaate do poder exe
cativo, por algum razo, ao convem que a de
liberacao se converta em lei, impede o por nm
acto negativo, chamado veto.
O direito de veto as repblicas perfeita
mete justificado e se acba em pratica em todas
ellas.
A propenso que ten o poder legislativo de
invadir os direitos e de absorver os poderes dos
outros departamentos, escreviam os autores do
Federalist, justifica o direito de veto couferido ao
chefe do poder executivo.
Alm d'isso, coovm que cada um lo?; ramos
do governo tenha armas coDStitncisnaes para se
defender, e sem o veto o poder executivo nao po-
deria defender se contra os ataques possiveis dos
outros poderes.
Accresce que aquelle direito offerece mais urna
garanta contra ama lei m, e acautela a com*
munho social contra o espirito faccioso ou tur
blenlo das ossemblas.
0 veto oo significa urna virtude superior oo
poder executivo, mas smeote que o poder legis-
lativo Oo infallivel.
Essas sao em summa as razOes com que os re-
dactores do Federalist justificavam a prerogativa,
dada pelos constituales amsricaaos ao chefe do
poder executivo da repblica.
Mas, como sabido, o veto usado uas repbli-
cas nao absoluto, porm simplesmente aspen
sko, ficando em ultima analyse o poder legisla-
tivo com o direito de reconsiderar a deliberago
vetada, e de afinal convertel-a em lei.
E' curioso saber que durante noventa e seis
anuos de rgimen constitucional, s'.o at Ce
veraud em 1883, o pode.- execotivo oos Estados-
Unidos usou do veto 128 vezes, das quaes 20 por
Johnsou e 40 por Graat; Cleveraod, porm, s
por si usou d'aqoelle dir to 304 vezes, s odo
que, escreve J. Brytce, amor parte d'esses vetos
de Cleveraod cahiram sobr bilis que co cediam
penses a pessoas que serviram aos exercilos do
norte duraate a guerra da Seccesso.
Nos Estados-Unidos o direito do veto uao ex
elusiva attriboicc do presidente da Repblica.
A3 constituices dos Estados particulares tam-
bem o cooferem ao3 seus goveroadores, e al aos
presideotes dos coaselhos muaicipaes (myors),
como em New-York, Baltlmore e outras cidades.
E' notavel o temor qoe existe dos Estados Uni-
dos da prepoaderaocia do poder legislativo so
bre os outros poderes.
J em seu lempo Madison escrevia ; E' prio
dpalmeote contra o poder legislativo que o povo.
mostraodo justa descoofiaoca, deve esgotar o ar-
senal das precauces polticas.
Os poderes legislativos, execntivo ejudi
ciario vo ter todos oa asserobla representativa,
dizia Jefiersoa. Concentral os as mesmas mos
equivaleria crear o governo desptico, ao qual
nenhuma atteuco pode trazer o facto de termos
muitos senbores.
E' certo que a oppresso collectiva de muitos
despotas pesar tanto quanto a de um s, impor
tan do dos pouco que sejam' escolhidos por nossos
votos. Combatamos, oo para estabelecer uVu
(iespoti8mo electivo, mas para fuodar um governo
livre. e to bem ponderado queaenhum dos de
legados do poder publico pospa ultrapassar os li
mite3 de sua espbera sem ser logo deudo pelos
outros. (Cit. pelo Federali3t p. 383.)
E3sa suspeita contra as intemperaocias das as
sembias alada boje predomina nos Estados
Unidos.
as differeotes legislaturas locaes as delibera
ges esto represadas por diversos freios : 1
esto sujeitas os a reviso de um'.seoado modera
dor; 2* devem cooformar-se com a constituico
e leis fedraos, e com as 'o Estado, 3o ficam
ainda dependentes do poder judiciario ocal e
federal se excedem os limites coostituciooae?,
4o finalmente o voto do governador que tambem
lha serve de controle
Inspirando se na opiniao publica todas as con
vencos que oos Estados da LTiiio tem refor-
mado as suas constituifies, e todos o tem sido
oesses ltimos 30annos, ao passo que as refor
mam em seutdo cada vez mais democrtico, ao
mesmo tempo augmsntam os meios de obstar os
excessos possiveis do poder legislativo, sem que
disso ae queixa o espirito democraci. E pelo
cootrario, oo raro ver a iolpreosa americana
deplorar que o poder executivo dos Estados,
alm do veto, nao tenha tambem o direito de
dissolucao I
A conslituico do Estado do Misscuri de 1875,
emeodada em 1882, alm do veto do governa
dor, recorreu a inrervenco do poder judiciario
para reprimir as exuberancias da sua legislatu
ra. O expediente adoptado merece ser conhe
cdo.
Reputando as minoras como contrarias sos
excessos do poder, aquella constituigao coa fe
rio Ibes o direito de os corrigir do seguinte
modo : Se as minoras das duas cmaras pro
teslam contra um projedo de lei, e esse protesto
e apoiado por certo numero de votos, o giiver
oador deve oppor o seu veto ao projecto votado.
Se o numero de votos insuficiente, S mem-
oros da minora podem ainda formular sob ja-
ramento um protesto esCripto, que aaoexado
ao projecto volado e com elle sujeilo ao gover-
oador do Estado.
Finalmeate, se aio obstante o governador
saacciona o projecto, ou a cmara, apezar do
veto do esecativo, o torna a votar. 3 dos signa-
tarios do protesto conservara por 30 das a la-
culdade de levar a quesio ap supremo tribunal
local provocando um inquerilo judiciario robre
o acto. Se o tribunal reconbece ser justa a ar-
guico articulada, declara nuilo o acto legisla-
tivo.
Ao passo que as moaarchias coostituciooaes
o veto cabio em desuso, oas repblicas, em vir-
tude da diversidade de sua constiluiso poltica,
toroou-se pratica geral.
as mooarchias os ministros representam urna
commis3o executiva da maioria do parla melo,
poriaoto, os actos desle, em regra, se confor
mam com as ideas do gabinete, e portanto ante-
cipadamente com a approvaco tacita da cora,
de cuja coofianca o ministerio depositario. De
sorte que se a opposico coosegue vo ar um pro-
jecto cootra a voutade do ministerio, este ou re
tira se, ou appella para o corpo eleitoral, tornan-
do se escusada a intervengo do soberano me-
diante o veto.
as repblicas, porem, o chefj do execntivo
o nico r< sponsavel pela execuco das leis,
oo podendo nem demitlir-se, nem dissolver a
cmara, e aotevendo as difficuldades praticas e
os incoo venientes do projecto votado, impeda
que elle se converta em le mediante o veto.
Quantas cautelas na grande repblica ameri-
cana cootra as ia emperaocas das assemblas;
entretanto em Peroambuco ha quem se lembr
de constituir urna s cmara, pondo a en t* c
tete com o poder execotivo I
Mas, a Ilustrada oommisso oo cahir eta
to grande erro,
Bias.
INDUSTRIAS E ARTES
1 ---..- ..^_j-^-
Por estados do Conde E. "dVrief&ry-.
dados a estampa na Revue de Deiue Mon-
des, conhece-se que os Estados-Unidos
produzem 30 por 100 dos cereaes que
consom o mundo. O Brasil exporta caf
na rasSo de 50 por 100.
Em 1880, a colheita deu 4,000 milnSea
de dollarea ou 8 milhoes e 600 mil contos
de ris, ao cambio actual de 2*9150 o dol-
lar, havendo 5 mi.hSes de propriedades
com 10 milhSes de trabalbadores e 30 mi-
lhoes de almas.
O capital empregado era avalia em
2,500,000,000 dollara.
Tambem o pre90 dos cereaes deseen a
algarismos nfimos, incapaz es de cobrir as
despezas de transporte oas estradas de
ferro. Oe outra parte, a escandalosa pro-
teccSo dada s pretendidas necessidades
da industria nacional levautou demasa la-
mente o preco dos instrumentos agrarios
e da ferrameota, e a moltiplicidade nuvem,
diz o artigo, de intermediarios (os cele-
bres commissarios) ainda mais aggravaraza
essas pessinas condicSes eco-nomicas.
Em 1886, a colheita de algodao do Te-
xas sub'o a 80 milhSes de dollars e nada
meos de 8 a 9 milhSes ficaram as mos
dos taes intermediarios.
Emfim, em um valor de 50,000 milhoes
de francos, que se avalia a propriedade
territorial, a divida hypothecaria era supe-
rior a 14,000 milhSes.
Com a habitual egnergia, boscam os
americanos alalhar todos esses males, ten-
do creado a liga da lavoura, que j conta
3 milhSes de socios e declarou guerra for-
mal s estradas de ferro, acs syndicatos
agrcolas, aos bancos e sociedades de de-
psitos e crdito usurario.
Julga a liga poder mandar ao parlamen-
to nada menos de 45 valentes represen-
tantes seus; que advoguem os verdadei-
ros interesaos da agricultura, segundo os
moldes mais progressistas e justos, com-
ba tendo tenazmente todas as classes para-
sitarias do trabalho agrcola, ou reduain-
do as s proporgSes normaos que devem
ter no seu carcter de simples intermedia-
rios.
Ontra associaclo numerosa, Os cavalhei-
ro do trabalho, erapenha todos os esfor-
cos no mesmo sentido.
Estes estados que acham-se no volume
d'aquella revista do 1. de Julho ultimo,
apesar se cooceroirem agricultura da
grande Repblica e crise por que ella
est passaodo, tem suas referencias ao
Brasil, em alguns pontos lhe sao applica-
veis, em todo caso contem o3o pequeo
ensinamento nossa lavoura.
#
Apresentou o conde de Araruama o re-
latorio da Companhia Engenho Central de
Quissaman, e delle constam dados refe-
rentes safra de 1889, infelizmente ator-
roeutada pela intensa secca que entilo
reinou e por grandes inceodios que de-
vastaram extensos canaviaes.
Aps doze safras regulares em que a
media annual do supprimento de canna foi
de 44,000,000 de kilogrammas, baixou no
ultimo anno o orneclmento a 8,606,890
kilogrammas, que produzirSo 591,180 em
assucar e 96,480 litros em agurdente.
O valor destes productos foi de ris
184:824)9675 contra a despeza de ris
241:2710193, resultando o dficit de ris
42:075*234.
O rendimento obtido em asssucar foi de
6,87 i0, tendo sido de 7,53 a maior por-
centagem at agora alcancada pela impor-
tante fabrica que, fundada sem garanta
de juros, e n2o havendo entrado no rgi-
men deste favor sen2o por motivos de forca
maior, representa enrgico esforyo da ini-
ciativa individual, tanto mais digno de
applauso por haver precedido no Brasil
todas as tentativas deste genero.
A referida porc ntagem sacchariana
de todo o ponto mesquinha e o presidente
da companhia reoonheee o facto, dando
noticia da diligencia com que tem procu-
rado colligir informagoes seguras acerca
do processo da d ffusao e do prego do ma-
terial necessario transformoslo da fabri-
ca para applicaglo deste methodo.
A despeza avultada e, para delibera-
cao definitiva, aguarda o mesmo presiden-
te dados que reposa iudispeosaveis a com-
mettimento de tal natureza.
ltimamente em frente de Casilhas foi
sorprendido o Tejo com o sentir deslizar
oas suas aguas nada menos que um velo-
cpedo, que com effeito, um apparelho
da aspecto original e extico.
Imaginem a forma de dois peixes liga-
dos os dorsos por um estrado ou tombadi-
lho qoe apresenta duas cavidades onde
est o machinismo, o qual, movido pelos
ps dos individuos que oceupam esse ea-
paco, imprime o movimento a ama roda,
collocada ao centro do tombadilho, e cujas
ps, entrando na agua, dSo andamento a
este phantastico baroo, cajos lomes alo
;'*
*
-
'

*


'
V;

V
J
I

I
.V


2
Diario de Heniambueo-Domingo 14 de Setembro de 1890

i
i

u c*uda dos paisas que, pan iuo
movedicas.
Navega oom veiocidaee o origieali
barco que paree* ter aaido oa inspirante
incoherente e pjttoresca da um japona*.
A primeara iaapressao foi le qae o oe-
locipede aquatico era mn eatteanhe bibtlot
A's experiencia* 4bo asawname can-
cars de peoo
Produsiram ellas um encllente resurta
do, provando porem que ba necessidade
de algumaa moditicavoes, que serlo resol
vidas
O vel cipede, a que foi da-.o o nome de
Jucha, comporta mais que duas pessoae,
e. desaparecidos a guua nen ementes veu
civeis, tornar se ba um liudissimo barco
de recreio.
Este invento fracto dos portoguezes
Augusto Lou:eao da Costa e Antonio
Rodrigues Villas, aquelle empregado no
estaleiro do Sr. Sampaio, este operario da
alfandega de Lisboa.
*
Fizeram se experiencias n'nma eidaie
de Hespanha de urna machina, inventada
por um individuo de nome Bonet, ctrjo
nm consiste em determinar a locomoclo
um vehculo em qualquer direccao, me-
diante um appsrelho singelo e de peso
insignificante.
A nachina figura um velocipede de 3
rodas munido de urna pequea caixa se-
melhante a um regulador do gas e impri-
midlo movimente as rodas por um pro
ci-.-so, que aa folhaa locaes descrevem mi-
iBUciesamente, baseado na carborisaclo
do *r. *
E' urna invencXo maravilhosa destinada
a alcaacar imm^nso oucoesso.
De-
REVISTA DIARIA
otoii alaWslaas0 governa ior o o Estado,
em ti do crrente, sub propesta do Dr. ch fe de
polica exonerua os cidadaes Ignacio Xavier do
Cuvh i Rabeilo. Ponp<-u Jacorae e o major Ma
noel Camello da VViga Pessoa, dos carteos de
Bob Mesado e e t* suppleates do S dislricto
de Nossa Senhora do 0' do termo de G yaona, e
m'wou par.i substituios na trdsra em que da
colocados os cidadi os Antonio Ribeiro Campos,
Pedro de Araojo Goncalves Guerra eChry-pi-
aiaooJos d AibuiMerque
Por portara do overnador do Estado, de
4.4 do corrate, tul nomeado o bacbarel Jos Al
ves Lima amaoueoae da secretarla da junta coni-
mercial. ,
Km li do eorren'e, o ge remador do Esta
.do, sob pro>oeu do Dr. ebefe de polica, exone-
ro; a pedido, o cidadaoHeleoiorode Paula Per
reir Rabillo Jo carleo de sub lelegado do di
trelo de Allianc-a. do termo de Naiareth, e no-
eou para sub-tiaail o, o cidailaoFranciseo Agri-
pmo d Reg Birres.
Na mesma dala e sob proposta do Dr. enere
de polica exooeoM o coronel Jerony no de Al
boquerqu U ranbao do cargo de delegado do
termo da Luz e oaneoo para subsiituil o o te
nenie do corpo de polica Antonio Cadena Biq
deira de Mello,
Por portara do governador do Estado, do correte e piop.sta do Dr. ebefe foram exon rartos, a pedido, o* ridaiius Joa
Kiiiu 6 un** Ctrtoso, Joaquim Nun-s Pereira e
s Basilio los P.asos, dos cargos de i, 3
upplentes do ubtMegado do distrito de Pal-
metra ~do termo de Garanhuos.
Va mesma data o governador do Estado.
oh proposla do Dr. chafe de poiicia noraeou
para o lagar vago de subdelegado do i districto
de Afogados, o ci.ia la > Lino francisco das Cha-
gas.
Na mesma dita, sob proposta do Dr chefe
de pone a o governador do Estado nomeon para
e lugar vago de i* sopplentedo delegado de Ja-
.boatao o Dr. Lat Feriado deOtiveir* Cabral.
ta mesma dala sob rrroposta do Dr. ebefe
de polica, o governador do Estado exooerou o
cidados Joao BaptwU de Carvallo e Manoel
Antonio de Oliveira Brando, dos cargos de 1 e
3o supplentes do delegado do termo de Jaboatao
e nomeou para suostituil os os cidadSos major
Francisco Xavier .ioocalvesda Roa eFraocis
co de H> lauda Cavai-aole de Al ouquerque.
Norte do Brasil Pelo paquete americano
Allicmca, hooteui entrado do norte, tiveaies fu
Ibas do Para m 6 e do Muranhao at 8 de Se
temb-o, e do Piaunyal 27 de Agosto.
as do Para nada encontramos.
Na- do M.iranho apenas encontramos es
ta local a'ONitconal de 4 :
No da 27 de Agosto ultimo a 1 hora da lar
de, reaniram se os memoro* da comtniseao, no
m ada pelo Sr. uovecnador de ote. Estado, que se
compee dos Srs. Ds. loaqoim de Sousa Andra-
de, conselheiro Borradas. R.beiroda Caoba, Pa
ibro L-al e Agripioo Aievedo, para tratar Ja or
fanisacao do projecto da Coiistiluicao do osso
stado.
N'essa reunio flcou deliberado que a com
mis>a i se reunisse todas as quartas-feiras i
hora da tarde e que o Sr Dr. FabioLeal ficas-e
incumbido de organisar o plano geral do pro
ieclo decoasli'uicAu, ueaccorao com a da cap
tal federal o qua! seru presante a deliberacao
aa di'a commi.ssio.
Foi ainJa res olvido qoe se reqoisitasse do
goveroo mais al^uus membros para compore a
essa commissao
H otem o Sr. Dr. Fabio L3.al apresentou o
geu trabaIbo que foi lido e sera sujei o a dis
oosso para oqee vai ser pnMicado.
O "'r. S oa Aolrade de opiniao que o: pro
iectoda nossa coLSUluico, d-ve comprebeader
o mais que for possivel dtsposjcoes da constitoi
So federal, tomando sua forma, copiando a em
ios os pintos qee jatgar coavenieole. Apre-
seatoo nm extracto das dispesicOes da Constitu
' c) federal que julga poder-se apphcar a do
nosso Estado. .
Funcciona como sf crelano dessa commissao
o Sr. Ovidio da Gama Lobo, empregado da se
creta na do governo
De-menle so de S. Luu do Marannao a no
ticia. que ba dias demos, Hados n'uaia folns dal
li, de estarem grassaodo febres de mo carcter,
inclusive febre amarella. Ao contrario disso
ais o nosso informante, muito oom actualmen-
te o estado sannai io da capital.
A' capital do Piauhy, chegra 22 de Agos-
Jo, e 23 assnmira o Roverno do Estado, o ca-
-vHe de engenbeiras Dr. Gatuno Besooro.
T. -.bem asaamira o sxen-i io do careo de
chefe de .polica, o Dr. Alvaro Teixeira. de Sorna
Heudes.
Igualmente fora empossado no cargo de se-
"cretariodo goveraadt r, o Dr. Hercillo Lupercio
de Souza.
A chapa catholica do Piaehv era esta :
Para senadores: "Drs. Jesuino Freitas, New
ton Bortamaqni e Manoel Rotrigaea de Carva
Para depntados :Drs. Ricardo Teixeira Filbo,
loao Paalo da Silva Brito, UrDano Pereira >.
A-auio e Jesuino Lustosa da Cunba.
O partido demcrata resolver ab3ler-se do
pleito eleitoral de t5e Setembro.
Os officiaes do 33* baUlulo de infanlana off;
receram um baile ao governador Dr. Betours,
o da a6 de Agosto.
BraMBll rsaUe Eracyolopedia
' O illustra .o Sr. .iarho do Rio Braoco teve a
etiteza de mimosear nos com om exemplar
a obra- ut nemu -par E. Uvamtur otee la
tMibonUum > M M de Ro BraMO, Eduardo
Prado, i'Omtm, Henn Gatuxx. P. Maunt *
Trouestarl i Zaborowsky ; oora qne acompa
abata de um albou du bsu., txeatti ton a
Hrtctum 4 J. M a Suva Pmrmho, Barn de
Rio Braoco. .
xirahida da Grande Eocyclopedia, que, soD
es auspicios de urna brabante pbalange de es
criptores de diversas nacionalidades, est tumo
poMicada em Pars, aovmenquestao, ainu
aue lendO'somsoie 9sV pagua* a texto, m foUo,
OiO"Cu8 coBScieoouiso tranatbo que se tem dado
^estampa relativamente ao Brasil, pois COat^m
todas quantas mfoimacOes se posea desejar,
oer no ponto visto histrico, geographico, eili-
ograpbico e astronmico, quer no referente a
sua organioacao poltica a social, aoa seus iote-
mata vahoaos elementos a critica.
E' pasa, urna ora de gtande mi
scieotlftco e Iliterario, e comedal tem
ciada geraimen, mereeend encoeaiOB fjm
cises o illodraao 8r. Barft. do Rio Bncaco, eeu
principal collabo-ador, plo uiUiiOBjaeoBtor
reo para qu sabase ella i&j coaptata, <*ao
era de deet-j 3ue a aeompanha, e que conm sta" geraes
as pnocipaes cidades do Brasil e espedaes de
ediflcios uotaveis pontos de vista mais dignos
de nota, de jardins. flirestas, etc, e de obias
No proprio volme do texto esto intercala
dos mappas geotrrapbicos e iopograpbico<, dia-
Kiammas do mov nenio commercial. d>s renda--
uubli -as e do movimento da maiiK acao, e ou-
tros trabalhos gaphtcos de valor -soeeco.
Ao Sr. Baro do Rio Branco agradecemos o
mimo que nos fes de nm exemplar de lao i:ite
ressante obra.
Fcala de crldade B' hj e que lermi
na, no largo do Arenal de Guerra, o Baiar de
Prendas em beneficio do hospital de Santa
Aiieda e das viuvas nece.siUdas.
O largo do Arsenal estar emoaodeirado
all tocarao duas bandas de msica. A' noite
sera o mi-smo largo lluminado lu elctrica e
de gaz.
Na barraca, a!m das preo las sorteadaj. ha
vera lel'ao das nao reclamadas e ae va-ios oh
jectos offerecidos pelosi)arra#a*r s. All tam
bem terto offerecidos sorvetes, bebidas e doces,
mediante retrih-.-icao, que reverter para o-, be
neflciados peL h-sta.
Varrlna p sJWaosi H >ntem na inspeclo
na de hygiene foram vacclaad is 6 p^ssoas.
Oc^uparam se n'ess i servico o Dr. inspector
sen ajudanle.
Club Cumuerclal Bu erpeEsta so
cifedade iecie iva fas ooje o seu sarao do cor
ren'e mea
Beiima llloatrada Recebemos o n. 600
degsa revista nomnense. Esta picante de es-
S. Francisco das Cuaxaa Qaarta
fe a 17 do coiienie mea, o* ieri-eiros fraocis
canos aelebram, na >u-< igreja, a Testa Ha.- cha
gas de S. Francisco, constando de mi-sa solera
ne as 11 horas da inraiii om sermaipeo
Revm. padre Augusto Pranklio More, a da Silva
e Te-Dnum s 7 doras da noite, c m sermao peto
Revd. fre Augolo da I nma ulada GaBOaifJto
Al VCS
Das 6 e 1/2 s 9 horas da ntite estarlo fran-
cos a visilaca) publica os edificios do hospital e
igreja.
Em todos os actos desde as vesperas soiem
oes. tocar a banda de msica do corpo de po
licia _
A orebestra da fesia regida pe'o professor
Soares Rosas, cantando o, solos os melhorts ar-
tistas
O templo e o hospital serSo Iluminados as
noiies de 16 e 17.
flanco Ibero Ami-rlcaua Somo-5 infor-
m dos de que o Banco loero Am ncana, nolavel
estaiMlcjimento de crdito nao ba muito creado,
ac*bi iH eslabelecer urna agencia nesta cdade.
escollieii lo para esse II o a respeitavel casa cota-
mer.ial dos Srs. Maia & tezenie. roa do din
mercio.
Nao poda ser mais feliz a escolha, pas aquel
la tirina gosa de exeellente reputaco, conquis-
tada por irabalbo percistente e honradez con-
stante.
Folgamos com oestabeleciaienio da agencia do
itanco Ibero Americano, no Estado de Pemam
buco.
Ordem Tercetra de liosas Seabora
do t'armt do Bectre P.-las 4 horas da
ure era hoje lugar na respetiva igreja a bej
cao das imneos de Santa Theresa de Jess,
Nos>;i S'-nbora do Carmo Saiit> Elias, San'o
E'iseu S. J >e e du Sen mr Cru ilicado, perlen
cent 8 a caoella aaor dessa venerav.-l mem
visto ter-se terminado o douramento della.
Esse acio idigiaso ha de ser devtdamente
coneorr.Jo ; e a elle nao raltaro os paran yin
phos di.j mencionadas unigens, para maior bri
iba iti.mo e esplendor de'ifto imprtame cere
monta.
Ileviirao de Nosta Kenbora da atoa
oneOs assoclaoa, que compoem esga de-
veco, procedem hoje eleicao da nova mesa re
gedora no auno comp'omissal de 1891 a 92.
Tilulo > L-Uoraen H ije das 10 horas
da man .k s 4 da Urde, a ra do Visconde de
Camaragioe n. 65, faz-3e entrega de mulo*
dos eleitores da Boa-Vista, que ain la nao os pro
curaram e por conseguinte bao eslao de po3se
deiles. __
O inoculo Em distnbuic) o n. 3a.
Lua e marte-Urna forca de polica, i ido
capturar no engenho Tamataupe, do termo le
Nazareth, pela m-nlia do da 11 do corrate, n
Carlos Antonio Lsite, de ordem do subdelegado
do district. daquelle termo por achar se pro-
nunciado na Parahyba e indiciado n> crime de
murie em Nazareth u mesmo Leite, ste ajudadu
por seu tilxio resisti prisao e travoa lata com
a forca.
Desse cheque foi elle victima e canio morto.
A aut ridade abri inquerito e procede a ouiras
diligencias acerca do facto.
A Patria -Hontem distrbuiu-se o n. 13,
cuja recepeo cusamos agradecidos.
Moeledade Beereatlva Mocldad-
A's 3 horas da larde rene se boje, em sessao or-
dinaria de assembla geral, para proceder a elei-
ca da nova directora.
a ralladores da faaeada O calmo
desses lunccionanos a ra 15 de Novembro, o
34.
Bello Jardim -As mesas eteoraes desse
disincio de paz, que ciimpa se de duas seceftes.
ficaram o'gaoisadas deste molo :
1- seccao Presidenif, rpitas Ivo Rodrigues
L'os de Albuqoerque e m- s nos, Jos Manoel
Rubalinbo, professor Adolpho Aslolpho, caoito
Honorio Honoiino Coraeiro de.Xiawno e Marce-
lino Barbota da Silva Mello.
2* -*rcoPresidente, ma^ir Paulino Auspicio
Carneiro da Silva ; e sarios, professor Frede
n-o Eu-lvioo Al ves Maciel, Mariaooo Tox de
Cauto, Jao de Deas da Fouseca e Manoel Rodri
gues da o-i.i.
Falleciaaento Fuiou e o Sr. Joao Fran
cisco Pereira, cujo cadver bonlema larde fo
dado a sepuliua no cemiieno de Saulo Amaro.
Damos os uossos psames ao scu gearo o Sr. r
ArgemiroFalco. A
miro sallltarE' boje saperlor fio da.
o cidado capitfto Gelaaio, e faz a roa-Ja de
visita o cidado alferea Maraes.
0 2* batalhao dar a goaraicio da cidade,
menos a guara de palacio, qoe ti dada pela ba
tena de artillarla.
Aroaati superior do Jia o cidado cap
lo Xavier, e far a ronda de visita o cida-
do alteres Reg Barros.
O IV batalbo dar a gjarnico daewade.
tms^fr^ Vaeolakeo asnslOSf>ai -Peles
Drs. director e seu sub&iuuio aauli;.r vacci-
oaram se hontem nessi> inss*a-.o31 pessoas.
No mesmo instituto forana diatnbuides 25 tu-
bos de lympha vacciniea animal.
TUBuaal da Jury do aalfia Hon-
tem oaoboave julgiinento ueste TriUuuul a falta
de jurados em numero legal.
A's It horas da manila, procedeu te a wnli
cacao das ce iu a-< a chamada ({eral a ene api-
as rosno:) i rain 32 jurados.
Fjraoi multados eu lOiOOU os que deixa am
de co.up irecer e sorteados es segaiotes sop
penles :
Freguezia do Real*
Jao Vicente Ferrer* Coeibo.
Anienio i'imo Bierra de Aaavedo.
Joaquim Domingos de Carroe.
Freguruia de Santo Antonio
Pedro Fran ase i Jos Santos Costa.
Sebastio Jos Gimes Penna.
Gaspar Amonio Jorge.
t regaa de S. Jote
Job Pereira a- a*.
Jalo Rufino B-.rbo8..
Freaueiia da Boa- Yola
Florencio o niojtues da Sua.
BsQOt'l A :e:oli de Muora Gon lim.
Luiz VValfi'do deCarvalho.
JiO) Binilfla i o NisciuleBto.
Frtgneita da Grata
Aalsion C.cero de Mnauda.
Jt Nicolao Ferr-;ra Gjaws.
Baro -. Soasa Lo.
Fregmesia do Pop
Vicente F-:reir aa i.osta Miranda.
A sesso flcou adiada para amacha as 10
horas. ,.
Bello acta deearldade-Realisando-se
X' de esperar os aa tam Un lia (altarn a
ealefeeoeieio, una es gae o Tieoellmado espe-
ra aprotrtCfifco daoaus eusopaariuias, ouicos de
quera espera.
Aecordea Cora este titulo o festejado poe-
ta alagoaoo Dr. CyridiaoDurval acaoa de publi-
car om volme impressas as uffi'iuas preusa Popular, no Estado da Baha, e contendo
inspirados soBPtos 9 poe- asdasia lavra.
O volme que temos sobre a nussa banca de
irabalbo atiesta os coditos Iliterarios do uotavel
ly ico, ebeio de vividas inspiracoes.
Rebelde ao Bliar-se propriamente a ama das tbeoriae poe-.
ticas, o Dr. Cyndiao Durval propende para o ly
risrao sent mental, mas sai lio. ae Joao de i>eus.'
Deulre aa suas prodni\oes devem >s uestacar ;
o magnificoHymno. imitulado fluinm dedicado;
a noeaa antiga capiala legendaria Ondana
qual elle deecieve magistralmenteas impressOes
e. que experimenta qnem despreyenidamen e mer
uuiba urna vista indagadora as bellezas da ve
Iba Duarta, na pbraae d< poeta.
G a ios pelo mimo da offerta de um exemplar,
felicitamos o Dr. Cyridio Durval por sua bri-
Ibaille exnibic i.
O TmmoyoPublicou-sc o n. 11 deste pe-
ridico bu uorislico. llustrad) Esii chisioso.
dala Uluatrado de fieuebra Remet
ier .ioi nos de NeV York, u Guia illutrado de Ge-
nebra por E Jeaumaire, em inglex, e publicado
pela Associaco do .ommercio e idusiria.
Ccmo td.-s os seus pales, d esse guia raino-
cii.gas nformacOes sobre Geoebra. na Suissa,
fazeDdo subresabir as priucipaes curiosidades
qu- devem ioteressar os viajantes. E' oro do
de 45 gravnras.
Agradecemos o mimo.
uirecion aas aras ae cusm-r*.
c j pMtrtoa sse PeruaahoroR
fe 12 de Sombro de liiuo. ^
ho.etun meXeiiroklltlCi________'
lio do jttAbasor Jobo .Soares de
resses ecoaoalaos e Hoanaonoi, ao soa-desen .-----------------
voitunento material o moto, swespeitojlBicujas .aoweda, Ama do askopaat n JMdreaap P>J
esphora* d os ais segaras dados, oabaae os ata uni 'hodoaoo baaBoh ojsjre aoib a
aBtBBasjBiOBBr epatada as Extoas. faBihaL,.
dssoaouasv*spocsta (palqaat, aa en'raa do
otMbsao onde elle ao achata com aa opas graba

tkJO:noo*000, aaoAopstaoida ao daJa de
Beteaoro fquaru feitaJ.
daoterta do lavan Pasa -Jtfe oapremios
da 3.* serie da 431' lotera do Gt6oot, ex
rbida em 13 de Setetcbro de 1
Hoiasi
1I
os*
Barmetro a
leoso
Bjdo\apor
c
6
6 m. 23,8 760-O0" 17,99 81
9 25.9 761*e 18,11 73
It 28 1 761-30 18 di 66
3 t. 27 9 759 67 17.96 68
6 25 4 700 40 18,42 7d
retuperainra mximati/00.
ita mnima22'.75
..iiiva uulla.
Direccao do vento : SE s 6 e 9 horas; E as
12 e 3 b iras ; >E s 6 horas da tarde.
.,ial(|i|(|(t4* uelllll0."31.
Operacaea elrurpleaa -Foram .pra'.k-.-
das no hospital Pedro II, uodia 13 do correte, as
seguale :
celo Di-. Rayroondo Biodeira :
Ampuiacao do p-nis pelo procesao de -Guyol,
indicada por can-auoma da glande.
Raspagens e cautensacao a tbermo cauterio,
de ulceras na regio inguinal e scrotum.
Pelo Dr. Arnebio:
Posihotomia a t ermo cauterio, indicada por
cancros >ypbiliticos.
Pdo Dr Rangel:
Posihotomia pelo processo de Rtcord, indica-
da por nhyrausH e cancros.
Pelo D. Easebio Costa :
- l'osiiiotomia pelo processo de Ricord, indica
da por pbymosis e raneros venreos.
lnt<-u .teo unen io do da 12 de S-lem-
bro
-alou do oa anterior
Detpendeu-se no dia 12
Eai poder do procurador
No Banco Sul \mencauo
BoU60
26:0d8*u:0
26:*78*080
l:072#7
25:8054380
6:805*380
19:000*000
25:8054380
Casa de Oeleacao -Movimento dos pre
sos da Casa de Deteuco do Reclfe, Estado de.
Peruamboco. ero 12 de Setembro de 1890.
Existiam 505, entraram 14, sauiram 17, eiis-
um 502.
A saoer:
Nacionaef. 466 Buteaoea k\ .irarureiros 28.
-ToUI 502
Arra^oauo.- 437
iJoas 423
Daaauai 12.
Loncos 2.
-Toia! 437.
Uovunemo ua eniermaru
Teve baxa:
Bel larraioo Jos dos Santos.
Teve alta :
Joaquim Ferr ira de Barros.
Leilao Etlei:iuar-se-u o segualo :
Terca fera :
iVIo agente Gusmo, s 11 horas, ra Mar-
qa-zde O i-ida (2 andar n. 56)de movis, amos-
tras de terrageas. lougas, chapeos de ptlha e
leltro. c eotros muitos objeetos.
Hiasaa ruaebreaSarao celebradas :
Amaoh :
A's 7 horas, na matriz da Roa Vista, pela alma
de D. Auna Joaquina da Costa Giuraoa.
Terca-feira :
A's 8 horis, ba matriz da Boa Vista, pela alma
de Alberto Lopes de Barros ; s 8 horas, na igre-
ja da Saeta Cruz, pela alma de Manoel Luiz Ri-
bero.
PaaaagelraaSabidos para os portos de
sul no vapjr nacional Alagoas:
Antonio Meira Lima. W. S. Aboot, Fiancisco
Pereira da Silva Antonia de Moraes, Fortaoato
Jos d' Andrade, sua senhora, 4 fiihos e 1 cria
da, Felisraioa, Saaooel Esoat, Cylina Pereira da
Silva, Mara A. da Silva, Dr. Jobo E. Ferreira Ja
cobuta, Manoel A. Mello R<3go, ana senhora e 3
futios, Antonio da Silva Cont, Antonio Coelho
beiro Ha nos, Gertr udes Mara da Conceico,
bino Jos Fontes, Irimeu Maia, Jos Belame,
Jo* Augusto Dias, 3 aprendizes marinhetros.
Antonio Ferreira, Ernesto Figneiredo, sargento
Vicente Marques dos Santos, Justino da Silva
Gomes, Dr. Alfredo F Das e 1 ttlho.
Honpltal de avala Agaesla-0 aiovi-
ueuio d.-ste estabeleeimenlo tpara variolosos)
do dia ti de Setembro, foi o segointe:
txistiam sj0
Entraram ti
Falieceram
Existem "'*
Uo*;. I tal Pedro 110 movimeiito deste
e=tab;lecimento de caridade, do dia 11 de Setem-
oro foi o seguinte :
Entraram 9
Saiiram 17
Existem 479
Foram vieitadas as respectivas enfermaras
pelos Drs. :
"o seos o s 8 l|
Cysnelro s 11.
Ferreira Velloso s 9 3|4.
Berardo s 11.
Malaquias s 10.
Hayuondu Bandeiras84|3.
Si anea 'arbosa s* IjH.
Pontua! s9 1|4.
Matbens Vaz as 9 t|2.
Esiovo Cavalcante s 8 l|4.
O cirurjiiSo dentista ama Pompilio s 8 1|2
horas.
O nanua'-eutico eotrou s 9 i|4 huras da ma-
nlii c subi s % da tarde.
0 1* ajenante do pharmacentico entreu s 73|4
du manb e s;hio s 6 da larde.
0 2< dito entrou s 6 3|4 da maab&e sabio 3
6 di awa-
L.oicriu do Estado de Pernambuv
A r9^-serie da loieria deste Estado,- ser ex
trabida irapretervrtmente no dia 23 de Setembro
uerca feira), Ibera da Urde, no consistorio du
igreja de Nossa Seabora da Rosario, de Santa
Antonio.
..ttrrim. do Balado do Ciraia-a*a>a
A 4" sarie da 42* lotera cajo premie gran-
de de 60:00)14000 ser extratuda no dia 20 de
Setembro (sabbado).
Loieria ao asaraabao A 3* ferie
da 3* lotera deste Estado, cojo premio grande
7082 60:MO<)0b
7 .45 6 MtztfOOO
1514 3:180*000
78*6 i.-fJMdOOO
7905 l.zbOpOOO
artHOXlaUCOBs
7081 t KWOt*)
70.S3 60UW00
7344 3004000
7316 3>*t(H>
1511 180*000 .
io'5 180*000
E-to premiados com 600*00 os seguales
umeros:
2212 2307 5585 7682
Esto premiados com 300*000 os seguidles
nmeros:
29 1614 2497 581 7096
Estao premiados cora 120*000 os seguintes
aiuneros:
7)81 7083 7 84 "03.1 7 '86 7087
7088 7089 7o90
Est&o premiados com 60*000 os seguales na
meros :
7341 7342 7343 7)44 7346 7347
7348 7349 7350
Estao premiados com 30*OuO os seguinles nn
meros:
1511 1512 1513 1515 1516 1317
15>8 1519 1520
Todos os nmeros terminados em 82 esto pre
miados com 60*000, excepto o da sorte grande.
Todos os nmeros terminados em 45 eslo pre-
miados com 60*000, excepto o da sorte imme-
iiaU.
Todos os nmeros terminados em 14 estao pre
miados com 30*000.
Todos os nmeros terminados em 2 esto
premiados com 30*000, excepto os terminados
e.in 82.
Toii09 os nmeros terminados em 5 esto
premiados com 30*060, excepto os terminados
em 45.
A i-cgvinte lotera corre no dia 20 de Setembro
com o plano de 6n:000*00O
Ceaaiterto putuieo Obituario do di:* 11
de Seieraoro le 1890 .
Jovita, Pernambuco, 7 mezes, S. Jos, vanla
confluentes.
Amonio Ostago, Pernambuco, 24 anuos, sol-
teiro, Recife luberculos pulmonares.
Martba Mara Maciel, Pernamboco, 50 aaaos.
viava, S. Jo- leso Cardiaca.
Benedicta Ramos de J-u?. Pernambuco, 70
anuos, viuva, Recife, syncose cardiaca.
Marianno Marques de Parias, Pernambuoo, 16
anuos, solteiro, Boa-Vista, varilas confluen-
tes.
Anb.osina, Pernambuco, 6 mez.s, S. Jos, va
rilas.
Ernestina, Pernambuco, 6 meze?, Santo Anlo
nio, vanlas.
Joao Caeano da Silva, Peroambuc-a, 25 amios,
solleiro, Santa gueda, varilas
Mara do Monte de Jess, Ponanbu:o, 26 an
nos, snlteira. Sania Agoeda. varilas.
Josepha Mara da ConeeicSo. Pernambuco, 21
antros, si tetra. San a gueda, varilas
Josepha Bispo Marcal. Pe. nambuco, 36 aanos,
ca.-a Ij. Santa gueda, varilas.
Maria I-abel, Pernambuco, 7 annos, Graga,
varilas c-i .lijen es.
Mana, Pernambico, 8 anuos, S Jas, diarrba
ch'onica
Servlo, Pernambuco, S. Jos, vai iotas.
Scverina, 'eroambuod, 21 das. Smta Age
da, vanlas.
-12-
Jos Bonifacio F. Luna, Per wmbuco, 15 an
nos. so teiro, Sanio Antonio ; y trrha.
Aihu i-, Pornarabuco, 6 mezes, Graca ; entero
citiile.
Manoel B^rnar-iino de Settna, Pernambw.0. 27
anuos, soiteiru, Afogados ; varilas cooflueotes.
Amero Jos Anta a, Parah'bi, 30 anoos, sol-
teiro, Boa Visla cyrihose do ngato.
M noel Jovioo de Sau'Aona, Pernamboco, 46
tonos, casado, S Jos ; tarselos pulowaares.
Caetano, Pernambuco, 8 meses, S. Jas ; va
rilas
Marra, 'ernamoneo, 2 anuos. Boa Vista ; va
rilas.
Joaqoiii', Pernambuco,2anuos, Aak>iio;
varilas.
Joanna, Pernambuco, 2 owot. Gr.51;
rilas.
Anna Seraphloa Gomes, Piinamboeo, 10
nos, solteira.Saota Agela ; vanlas.
Felicidate Pernamtwco, 2i anno3, easada,
Santa gueda ; varilas
Jos Anton.o Quirioo, Pernambuco, 23 snno3.
solteiro, Santa gueda ; varilas.
Manoel Joo. Pornamhuco, 35 annos, asolleiro,
Santa agueda ; varilas.
Francisca Mana da Conceico, Pernimpuco,
25 ancos soiteira, Santa Agueda ; varilas.
Manoel Jerenymo d'Oliveira, Pernambuco, 9
annos, Santa Agueda ; varitas.
Joaima Bap'.isia do Na-cimento, PonatOtliu ,
26 anuos, vmva, Boa Vista ; tuu; reios pulrao
oa res.
Jovila Maria da Conceico, Pernamboco, 20
aanos, solteira. Boa Vista ; febre perwciosB.
Antonio Jos Boiz, Parahiba, 15 annos, sol
teiro, Boa Vist ; asdte.
Demetro .a Silva. Pernambuco, 41 auoos,
casado. Gfaca ; dyarrha.
Joanna, Pernarabuco 30 dias, Recife ; bera
psia.
va-
an-
COMUNICADOS
Candidato inonarehista
O Sr. Joaquim Nabuco que, n'um manifestu ba
m-zes publicado na imprensa, manifestara se in
diado restauraco da men^rchia no Brasil,
acaba agora.-conformepor noticia telegraphica
saoe-se j uqai e p.r deelaraco feita de publi
co quando ha pouco por aqui passou para a Ej
b>j),de mauifustar se decidido parliianio da
monarchia.
Uji espirto to levantado, tio illas*, lo
afeito ao eer maia palriotieas, pena que se ensotnhre assm
tornando-se o aranto de urna restauracao que
est ioteiramcute fra dos votos do povo brazi-
leiro I
0 distinelo pernamhocauo considera que a re
publica urna ingratidla, isto enlloca cima
da patria a familia imperial e esquece que ana
'erra natal fui a prineira, nesla vasta regifto do
Brasil, qoe pensou em ser repblica,-que pela
repblica vio derramado o saogue de seus Albos
tao patriotas e to illusires I Esqueceu qoe o.-t.
lerra-o.ide prineiro se maaifeitou o espirito re
publicaru e oode essa manifestacfto produzio
murty-ci em tres diversas pocas histricas,
guafdava essa tradico de honra e de patriotismo
c.m > um ialis.ii.u e vio jubilosa efremente de
entbusiasmo raiar a 15 de Norembro a .urora
anterista por Gaueoa e seos companbeiros de
martynoI O Sr. Nabuco reaegoua mais glori>
sa das iradicous da ierra que Ibe foi barco e co
mo que reuunuiou at o seu titulo palrouymico,
dtminio de si o carcter de Periambucaao.
A restauruco a aalilhese da tradicional as-
piraco pernamburana regada oatr'ora oom o
saogue de seos hroes,a aspiraco posee de
urna patria republicana e lire I
A resbittrac&o da monarebia (.So falianiloj
na graniee horrorosa reaeco que ha da neces
saramente traie e na gaerra civil que ha de
por forca provocar) .nao patritica, na. se ins-
pira 110 sentimento nacional e a par deesa po
lilica que anda se inculcando de catholica, a po-
ltica mais antipatnica e mais funesta a que se
possu sctoalmente servir.
E' de pasmar que espirito lo callo e de lo
elevados >603 esteja rasfcjar assm tao baixo,
quando toaos estavamos acostumados a vel o
alar se a altaras dignas de sea genio, quando
todos noatacostiimaeaaios a ver brilhar tto alioe ^Be eat reaery^i. a0 meBmi) Congreaao,
fascioapte*eo prodigioso talento I
Os aznttoseefltboaustas do Dr. Joaquim Na-
buco, sjw paraelle pleiteav m um logar no coa
gressooaastitBtste, estao hoje tolbidos de Ibe dir
seus votos e de trabaUtar por elle. O que era
sen candidato brazileiro ootahiUssiaM alias, nao
pode aais merauer o suflY gioe dos peruamoo
cuos, oom estes nao bao de querer pleitear com
easa candidatura a volta do rgimen monarchico,
a negaco do nassado grarioso de Pernambuco.
Pernambuco. qie pnm iro oeste Br.izii. quiz
a republi 'a nao p le querer, ao quera muir
cha restaurada.
Reci ui*in se u'outra parle arautos e baledores
para a restauracao (que felizmente o paz inuini
repellei; o loga; mau improprio para isso a
ierra qoe ptaniou u sement da repblica e que
tem em seus fastos as lumoos>8 datas de. 1710
18r7 e 1824 pbenaes da liberdade qne anda Ihe
niumioam o prese.ntt' e projectam-se vividos t
eopkodeotes-por-todo o seu 'futuro.
tbuc.
I" a. lid o c a th ulico
Para que no Brazil um partido catholicoT Para
defender a reltgio, dizem. E defendel a contra
quera Si o partido s agora fundou se e si al-
lega como atteotado a separaco da igreja do
estado, o casamento civil e a incompatibilidade
poltica dos clrigos, evidentemente o pirulo
catholico um partido contra o goveroo
Mas da ndole do christiani-mo a snbmisso
omnis anima poUstattbus sublimioribus subdita til,
e nio a luta e a guerra. 1 aoristo mandou ao dis-
tttpu'ra a nado embainhar a espada Ens.noo a
obediencia ao galerno, o pagamento do imposto,
a eub.'uisso.
Oj que se apregoam seus sectarios nao lo
mam Ihe a lico sublime, airara-se lula contra
o goveruo ; e, em vez de pregar a caridade, pre
conisam a politicagem I
Fazem da religibo urna mundanice ; Chri
lo aconsejtiou a f as -uas leis: elies dearoa'
flam do valor moral e -ocial dellas e querem
defeadel as com o predominio poltico. A reh-
gio de docitru. de paz, de caridade, convenida
em credo poltica e profano !
Os borneas querendo defender a Deus...
Os depositarios da le oivin descremes do
poder delta, querem forlitical a (ousada p li Ij
com as tricas partidarias I Poem em c. asa o que
nao pode e.-t ern litigio, ievam a religio s
urnas, temerarios e sem f 1 Envolvrm ee as
paixes rriiaolcs, nos desvario.- cabalistas, L
em guerra, creara adversarios, os bomens que
teem a m so de conf aternisar a todos I
Querem fazer caridade, querem pregar a paz
e coidura, atirando-se ao torvelmbo partidario
Defander a igreja, salvar a religio, proteger a
Dos... qoe loocora !
Cbnsto nao manda a seus adeptos e sacerdotes
cabalar, uem fazer opposice,nem faaer Hicis,
polticas. Eile ensin-. a caridade, o sacrificio, o
r-speo autondade
Pobre rel'giao a que precisasse desse recurso
mundano I E envolvem o papa nessa miseria. -
0 goveroo ja f publicar a communicacooflic.al
que recebeu de nosso ministro plenipotenciario
em Roma, asseverando que Sua Saotidade nao
abeucoou nem approv^ o partido catholico agora
creado aqu. Donde se mostra qoe esse novo
partido t'omecou especulando com urna mea ira.
E assm que se defende a religio I
Que espectculo mais triste e mais vergonbo-
so do que essa cabala cleno/al que os noraens
de balioa esto faieodo as igrejas, no pulpito,
as reuaiOes publicas que promover, ao seto
das familias, por toda a parle ?
Que maior vergoaba para 03 bomens da reli
gio do amor ao prximo, da mansido, do sa
cririeio, do desinteresse, do que eslarem os viga
ros e oatros sacerdotes a pregar que o governo
quer acabar com o sacramentos, queimar as
imagens, arrazar 03-templos !
Q te maior miseria do que bomens que tem
receiii o favores do guverao, que pelo prestigio
offlcial lem se feito polticos as localidades
ondeexere m fuucces eoclesiasticas, pratiquem
a deslealdade de voltar agora contra qnem Ihes
ministron elementos e Ins deu influencia, cases
meamos elementos e afluencia ?
Deslcaldide sem davina essa, iucompativel
cora o proceder de bosB*ns de bem I E tudo
isso em nomo oa religio, em nome do co 11!
O governo agota pintado pelos vigarios e
mais padres e saussectarios como urna obra de
satans e em vez de se acooselhar penitencia,
se aconselba eleico, se promove cabala I
A arma do sacerdote e do cbnsio a resig
naco, o soffrimento, seu preceder deve ser
e inspirado na virtude e na abnegaco; esta
a le de Chrilo.
Mas dizer que importa aos inerisw do co que
seja eleito o.Dr.; Fulano ou o pidre Sicrano, e
que a religio vai desapparecer (toftaea ella ?j
porque os padres nao podem ser eleitores nem
deputados, isto todo, menos religio; isto es
peculaciio |
Nao sa abure pois do espirito religioso do po-
vo. Os exemplos de cordata e moderaco ca-
bera perfeitamente nos sacerdotes. Os que se
dedicara seensts do co, so podem mostrar se
dignos de sua sablioe misso arredaodo-se das
paltes terrenas. Mo levera a poHtica para a
igreja. Cbristo nunca foi ebefe de partido e nao
pregou a rebelda, seno a submissio (salva a
f) levada at ao martyno.Omn ammapotes-
lalibus sublmtom Batatal tit.
A absteagao
Em face das eireomatuaciaa excepcao
naes do Brasil e da improcedencia do
motivos qae arrastaxam a illustrada redac
95o do Jornal do Recife repetidos dei
acerto8, a situacSo em que irreflectida-
mente collocar .m s-, tornou so cada dia
maia insustentavel.
Forcada a recorrer a mero exercicio
de lgica, a discussSo estril de tactos,
cujos disvirtuamentos nSc podem honrar
nem aproveitar ninguem Ibe iggmvou
a situado; e de erro em erro recorre
agora edictoriaes que nio abonan a sua
imparcilidade, a aaa perspicacia e a sua
ele? 9S0 de vistas politices.
Em sua edijao de 12 -do correte, o
Jornal ser vi < se de pala vras sem impor
taiioia externadas pelo Sr. Dr. Anstidea
Lobo, em horas de mo humor, e ainda
de urn facto, sem valor moral, denun-
ciado-pelo 8r. D'avla, para torear a op-
portunidade de offereoor aoa seus labores
injustas apreciac3es sobre as codicSee
a qae se vai realiaar a eleico do nosso
congresso constituinte
Amesqainhando a miaalo "elevadissima
formula a seguinte interrogoslo:
< Era vista desees abasos descommunaoa
oomo estranhar se a abateicao aconselhada,
upremo protesto de oonsciencia indignada
contra a corrupoao e o violencia, como
ac raselhavam oa republicanos inflexivem
dia'ite doa pleb ctos napolenicos? 1
Notando de paaaagem que a digna re-
daejao do Jornal >&<> ae pode equiparar
a> republie no injlexivei diante dos ple-
biscitos napolenico, porque ettre as cir-
cuinstancias da ? ra 19a, n'aquello te rapo,
e as circumstancias esoeciaes do Bran
ni) h paridade, responderemos:
O. alludidos fautos, nlo adulterados,
mas estudados imparcialmente em seu me-
rec meato real, de modo nenhura autori-
sam o conselho da abstenerlo.
Se. a illust ada redaoeto do Jornal de
Recife est, somonte agora, convencida
teamente de que o governo provisoria
tem cummetdo abasos descora manaes,
nao pode de xir de nutrir a onviccao da
que el>e tem faltado ao cumprimento da
seus deveres patriticos, e e nesta hype-
these Ihe assi-tiria o direito do pr fligar
os abusos e de censurar o governo que
os praticon.
Sendo assim, e se a oircumspeota e il-
lustrada r daecao do Jornal poasue no-
coes exactas do que sejam devores pa-
triticos, to 1 penosos para o goveras
provisorio, como para cada um dos bra-
aileiros que de novo se queiram asaociar,
p gresso cons.ituiute nlo pode nem deve
fuii'ir ao rigor da lgica.
Se o goveroo provisorio esquece ca
seus deveres patriticos e abusa o c pxt
real, > nico juiz do governo, nlo adquire,
p >r isto, o direito de abusar igutOTmente,
esqu cendo o eu imperioso dever patrio
tico de elege.r os seus representantes, com
os pooerea n cessarios de reparar os ma-
les praticados pelo gover o proviso ;o.
So a digna redscolo do Jornal acoa-
selba aos seus compatriotas o esqueci-
mento do m is aportante dis seas de-
veres p.-it; ioticos, uo presente momento
histrico; claro que perde o direito de*
censurar o ^07erno por tor pralicado
que ella aconselba.
Mas, se a honrada redaccSo, por amor
da patria, pretende conservar e usar de
aeu direit de censurar o esqaecimente
dos deveres patriticos do governo ou do
tjueiu quer que seja, nlo pode nem deve
acuu-ciar a abstencao do voto, um ac-
tuaes circumstancias da patria, sem mos-
trar se deploravelmette Ilgica e inco-
herente.
Nlo vi a patritica redacelo do Jornal
para onde a arrastaria a lgica do gra-
viaaimo erro da abstencn eeoaaeihado
pela mais f \!sa e injustifcavei coherencia
oom o primeiro erro da poltica odiosa o
excliis vi.-t-i patrocinada pelo dist neto
republicano histrico, o Ilustrado Sr. Dr.
viartius Jnior ?
Parece claro qoe, untes da coocar-se
no ; terreno da oatra revolucao e da
anarchia, a .singuein iasiste o direito da
abster-Sj ou de aco.'itelhar a abstenga
o voto, sem cahir no.maior de todos os
erres po iticos.
N tigujia ser capaz o duvidar do
patriotismo e da honradez da illustrada
redacelo do Jornal, cumpre-lhe mostrar-
so digna de to horros i conceito, aban-
doaaiido o caminbo do erro, e auxil ando
ou collaborando com o honrado e patrio-
tico r. Bario de L iceua, em sua poli-
tiza de paz, de conciliario e de harmona
de todos os parnambucanos, sem excepeio
de nenhum, em beHUB^mais acertada a
preerivel organisaglawWlitica do nosso
estado. m
L.oibre-ae. que, deapsua organisaclo
poltica boa ou m_, resultarlo necessaria*
mente, em boas ou ms cond coes, aa
futaras adm/n8trac5e8, os futuros gover-
no3 e 03 futuros destinos do estado de
Pernambuco.
Compramos todos nos os H03S03 deveres
patriticos, e antes de tudo aojamos pro-
videntes.
Ignotus civis.
Eleico
No dia 15 do correte proceder-s ha
em todo o Estado a leiclo dos represen*
tantes ao congresso, que dever reunir se
em 15 de Novembro vindouro, ca Capital
Federal.
E' de esperar que todos os ci iidAoa,
tendo em vista o grandioso rito dessa
cieielo, que vem tratemos a c>r*o!id< ele
da nova tima de governa, coccorr^m s
urna-, dando assim mais urna prova do
patriotismo qae Ihea reconhecido e que
tanto oa distingue.
A chapa dos candidatos, e que consulta
todos os matizes poticos, a seguinte e
para ella pedimos o concurso de todos oa
concedadlos :
Para sonadores
Marechal Jos Semelo de Oliveira.
Capi.tao tenente Fredenco Guiihermu do
Souza Serrano.
Dr. Jos Hyg no Dsarte Pereira.
Para deputados
Major Dr. Vsente Antonio do Espirito
Saato.
Major Dr. Jlo de Si que ira Cavalcante.
Dr. Joaqun Jos de Almeiia Pernaau*
buco.
Dr. Annibal Falcad.
Dr. Raymundo Bandeira.
Luiz de Andrade.
bellarnr.no Carneiro.
r. Antouio Alves Pereira de Lyra.
Dr. Jos Marianno Carneiro da Canha.
Dr. Andr Cavalcante de Albuquerque.
Dr. Jos Nicolao Tolentino de Carvalhe.
Dr. Jos Vicente Meira da Vaaconcelloa.
Dr. Jlo Ju venci Ferreira de Aguiar.
Dr Joao Barbalho Ucha Cavalcante.
Conaeiheiro Francisco de Assis Rosa
Silva.
Cooselheiro.Antonio Qonoalves Ferreira.
Dr. Jlo Vieira de Araujo.
SPORT
erado PcrnaBHaeaata
Hoje faz a sua corrida na Prado do Luca.
S4o estes as nossoa paioites:
1. par.o. Hertoles-Jkpiaue-aliaoie.
:i. pareo.fbatiseu -IMspoerBerliai.
3.*>iiipreo. VillagaUautirtyKiaaton.
4 preo.ZiugataVoaper-rIreae.
.0 ;pan;o.--Huwu--Jjuaapar4o-- Lucifer.
6. pareo.Brazii-Rapid.
7. pareo.CometaPindaro.
-
1
a^aJ
I

i
II -



**L\
/
tJ


M
m
W!>

Wf^f 1/leH
O Pt-ho iU Bi*ci no uta Si do correte, te ido ja publicido o res
pectivo pn+ua E-te cansa ae seis psreue, porqae fechara a
alludida* nerrioY com a ascensto do aeronauta
Stanley Spencer.
A nscnpco d'essa co-rida eacerra-se terca
fera prxima.

Resnlve a directora do Derby Club a swpen
sio ate ulterior deliberado, do disposto do I
art- 3 do respectivo cdigo de corridas.

Sato se que nas corridas das sociedades spor-
tivas nao raro, levantan se altercacfles por parte
de apostadores, cojas esperances falbam peto
resultado da corrida.
Eutio mais ou menos alterados censuram on
voc feram contra tnbofes de propnetarios ou
jockeys contra o juii de partida por nao tel-a
dado real ou sappostami ote em boas coadicoes,
e ea.fiai contra os junes de cnegada, aos quaes-
accusam de parcialidade na classiocacao dos
animaes que entram no vencedor em bolo e cu,a
exacta apre.-iaco da precedencia so pode deter
minal a a linlia directriz do ponto de mira, que
do pavilbao vai ao poste do vencedor.
As sociedades sportivas, pois, devem procurar
meios que evitern aes incidentes e nao dtn
azo suspeitas injustas.
Neste .-cutido, na capital federal, o Sr. Geral
do Peeei acaba ae idear para dar a parida nm
apparelbo simples e engenboso, segundo o qual
excluido o ajudaate do Starter, e este coi loca
te n'uma especie de tribuna le uto metro de elo
vaco. dominando os animaes a qne tem d/dar
o 3ign.il de partida, sem ler em mao a bandeira,
3ue acba se cobre nm poste 30 metros adianle
a setta de sabida e do mesmo Starter.
Ch gado o momento propicio para a partida
por -cbarem se os animaes em condic^a disto,
o Starter que tem o dedo sobre nm boto eleciri
co, caica o e de improviso cabe a bandeira auto-
mticamente impeliida por ama correle elctri-
ca, ao mesmo tempo que i por alguns segun-
dos um forte tympano collocado na alludida tri
buna, em cavo vio scbam-se, adaptadas as pilhas
gera toras da electricidade e os tos conducto-
res.
A Semana Sportiva pronuncia-se pela vanta
gem do apparelbo, e accentua a nas segoiotes
palanas :
A impossibilidCe da indecisa^ dos joizes,
visto como ama ves calcado o boto elctrico,
arriada a bandeira automaiicamene e tangido o
tympaoo, o que operado com a rapidez do re
lampago ao ha meio de voliar atrs; a altenco
dos jockevs convergida para um ponto ubico, a
bandeira, e nao como actualmente distribuida
e: tre os adversario?, o gesto, a physionomia e a
attitude do starter; o sigaal nico e irrevogavel
visto e oavido por todos os assistenles ; a cello-
cacao do jaiz de modo a dominar os animaes e
esiudar assim com seguraoca o momento fatal ;
lude isso nos ioduz a crer que a questo das sa-
hidas est resolvida por raeio do novo apparelbo
se os juises eecolbidos forem calmos, reQectidos
e bons observadores, e se houver iodo o rigor
contra os jockejs que infringirem a disciplina
das partidas, extremamente simplificada pelo
novo invento
< Outra grande vaniagem das sabidas por meio
da electricidade o habito que forzosamente ad-
quirir o cavallo, animal de instinclo apuradla
timo, aprendendo no fin de pouco tempo a f r
mar o pulo de partida ao 3om vibrante da campa
elctrica.
MDICAfJES OTIS
Mdicos
O Dr. Simplicio Maoignier. Clnica me
dico cirurgica. Especialidades : molestias
pulmonares e partos. Ra Marques de
Olinda n. 27, l. andar, consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa-
nella) das 6 s 9 da manha e tarde.
Chamados por escripto. Telephone n. 392.
O Dr. Lobo Motcoso d consulta em
ua casa ra da Gloria n. 39, das 10
COMMERCIO
Rerospecto commerelal do mez
de Agosto de
O balanco geral do mez prximo fiado de
AfNia foi, como era de esperar, e sempre acon-
tece uos meses de interreguo das saffras, bag
Unte pobre.
A exportaco derrsceu nao s em relaeao
aos metes anterires-do aono, mas tambem com
paradamente #do mez d Agosto do annne
passado.
A importacio foT tambem menor encarada por
auboie ses lados; e os demais factores do mo
Tmenlo ressentira n-.-e dessa influencia.
Os seguintes dados o provam :

As seguintes cstacOes publicas arrecadarain
Alfandega e Hecebeoria Gtral
Agost de 1890 693:792*008
. de 1889 763.548*632
llenos em 1890
Agosto de 1890
. de 18
Mais em 1890
69:7564634
Correio Geral
20:162*889
10:551*614
9:610*275
Renda do Estado de Pernambuco
Acost de 1890 137:783*962
6 de 1869 104:206*271
Maio em 1890
33:579*691
0 seguate qua iro das rendas comparadas da
alfandega em Agosto de 1890 e 1888, mostra as
difiere.ijas SavMas na arrecadaco, cumprndo
observar qe, a renda de goa* do anno pas-
sado, nao tguram as receitas da extincta recebe-
dona :
I 1
3
3
3
1
B
a
3
o
-3
-
a
--
H
O
g
a
5
>
O
O."
m
X t< rt> =
lilll
2- "G o Ti
r I
. E.
. i.
c
co
a 1
Si
o-, c
oc e
ce**
OkCB
CO *
n
fugpww
Sesoa
3
OS
I U M
i o ca*
go-* ceo>r
3
O Bovimenia de diuieiro, nob a
lidade das companhias de vapores
a praca do Bucife foi este :
Entrado:
Agosto de 1890
. de 188
Mais em 1890
respoosabi
que servem
506:195*420
304:763*57
horas da manhS 1 da tarde. Achandv
se fova do serrino publico offerece se para
acudir a qualquer chamado com prompti-
dA'i par tora da C'dade. Espeeialidade :
operares, parto* e mereatias de senboras
0 de meninos.
Dr. Statheui Voz, medico. Consulto
rio : ra do Imperador n 42, 1." andar,
''oosultas das 12 ti 2 horas da tarde.
Residencia, ra do Prea n. 27. Eacar-
rega-se de tratamento das molestias de
Un.
Dr. Ctrqnru Leite, tem e seo escripto-
rio roa Nora n. 32, osde poda ser en
"onrtrajde do meio dia s 2 horas e tbr
destas boma ros do Bario de S. Borjc
o 22. Eape sielidadesmolestia de crian
V 1 senhoras e parto. Telephone n. 32
1. casa de residencia.
Dr. S Pereira, roa da imperatris n.
d onsultas medico-ciruTgicas todos oe dia*
das 8 ao meio dia, menos nos domingos e
das santificados.
Dr. Freita GfuimarSe$, medico, tem
se consultorio na roa Duque de Oaxiaa
a. 57, >. andar; di consultas no* das atis
das 11 1 hora da tarde e reside no Ca-
ueiro n. 4, onde attende a chamados em
qualquer hora do dia e da noite. Telepho
ne n. 292.
Dr. Joaquim Loureiro medico e partei
o, consultorio ra do Cabug a. 14
i. andar de 12 a 2 da tarde; residenc:>
,0 Mocteiro.
Dr. Castro Jesw medico e operador,
Pratica a lavagem do tero quando e co
je aconselhada. Consultas das 11 i
i du tarde em su risidencia ra >
3om Jess (antig da Crus a. 23, 1.'
indar. Telephone n. 380
Dr. Jo3o Pauloespecialista em par
os, molestias de senhoras e de criancas,
com pratica nos hospitas de Pars e de
Vienna d'Austria, d consultas de 1 s 3
horas da Urde, raa do Bario da Victo
ra n. &), l. andar, o reside na eetrad*
dos Aflictos a. 30, junto estaclo do Es
pinheiro. Chamados a qualquer hora. Te
lephone n 467, na residencia.
.drogados
O baeharel Joaquim Ihiago da fosases
tem seu escriptorio de advogado raa d*
imperador n. 14, l. andar.
i>ccallwta
r. Ferrara, com pratica uos pciau
laes hospitaes e clnica de Pars e Lou
ires, consultas todos os diaa das
:oraaao meio-dia. Consultorio e reai
lncia ra Larga- do Boaario c. '20
Dr. Barreta Sampaio, oceulista, d cor>
mltas de 1 s 4 horas nj 1. andar d
;aaa ra Baro da Victoria n. 51. Res.
iencia a ra 7 de Setembro n. 34, entr*-.
ia pela ra da Saudade n. 25.
Drogara
taina tiobrinho dt C, droguista por ai
sado, ra do Marques de Olinda n. 41.
Francuco Manoel da Silva dk C, depos:
arios de todas as especial i dad s >harni'>
jaulioai, tintas, drogas, producw cbim>
na e medicame.iios iiomeupatic: ra di
'(arquea de Olinda u. 'o.
A Netre Dame ale Par
Previne se as Ezmas. familias que cha-
garam j muitos artigos de apurado gusto
escolhidos por Madame Koblet actualmente
em Pars. Exposiylo diaria. Kua do
Cabug n. 1 A.
Diario de f^ernarobueo-Domingo 14 de Setembro de 1890
i miimmim^im y ii i i
Sahido .
686:640*840
637:856*250
48:784*590
263:300*003
80 *000
401*700
6:76^*)00
25:000*000
267274*140
3:000*000
3:200*000
117:003*000
Agosto de 1890
. de 188S
Mais em 1890
A expedicao em Agosto prximo Rudo foi
para:
Rio de Janeiro
Babia
Alagas
Fernando
Parabyba
Rio Grande do Norte
Cear
Maranhao
Para
0 balanco das entradas e sabidas mostra utna
differenca de 180:445*420 em desfalque da
praca.

Foram saccadas para o exterior :
Sobre Londres : .
Agosto de 1890 300:000 de 22 3/4 a 23 1/8 d.
. de 1880 l 180:000 de 26 7/8 i 27 1/4 d.
Mais em 1890 120:000
Sobre Pars:
Acost de 1890 fr. 250:000 de 412 435 res,
de 1889 fr. 150:000 de 360 a 355 -
Mais em 1890 fr. 100:000
Sobre Hamburgo : __ ,.
Agosto de 1890reich. 45:000 de 508 543 ris.
. de 1889 40:000 de 432 a 437 .
Mais em 1890 5:000
Sobre Portugal : ,?_ _1.. _. .
Agosto de 1890 rs. fort 38:000* de 229 i 260 /.
. de 1889 35:000* de 195*198*/.
Mtis em 1890
3000*
Os valores saccades. calculados pelas respecti
vas taxas medias foram : -
Em Agosto de 1890 3:l:SSftS
. de 1889 1:600:100*000
Mais em 1890
1:818:332*000
201:421*841
Se, porem, foreiu tacs valores calculados pelas
taxas medias de 1889, lerse-fct: -
Em Agosto de 1890 ^f&SSLl
> > de 1889 1:600:200*000
Mais em 1890 ^^TWWOO
A difterenca entre os dous valores do 1890, na
importancia de 570:658*000, representa pre-
juiio para o commercio na verba diftfrencas de
cambio.
Os saques para as pracas do pais que entre
tem relapes mercantis com a do Recife, effec
tuaram-e aos seguintes premios medies :
Agosto de 1890 1889
Rio Grande do Sal 2 l/jj ------
S. Paulo -
Rio de Janeiro */ '
Babia ------
Ceara ------
daranho ,,.
Para */ W
Os descontos de leUras regularam i
Em Agosto de 90
Eo Agosto de 89
9/.
/.
Na Sotes foram apenas negociados os segwn
tes ttulos :
Aeobes de ferro-vas&) dos Tnlbos Urbanos
de Olinda, do valor de 200*. ao par.
Acedes de companhias de srgnros 10 da Irdem
ni ora, do valor de 200* 320*000 ou oam
60 /. de premio. *.-**.* k-
cedes de outras enprezai-M da Gompanbia
do Bcoent>e. do valor de 1001, 105* oo cem o
agio de 5 #/i.

O movuacnto do porto foi este :
fnlraram do exterior
24 vapores, lotando 41:282 toneladas.
13 navios 5:684
airara dos portas do deritr
28 vapores, lotando 30:796 toneladas.
10 navios 1:481
PBLICACES A PEDIDO
A. proposito da eleicao
de amanh
' manbl o dia, e momento solemne
em que a nacaV tem de depositar nas ur-
nas os aome de seos escolhidos para com
porem o Congresso encarregado da con
struecAo da BepnMica dos Estados Unidos
do Brasil.
Espiramos que das urna seabir snffra
gaoo de modo brilbaate o neme de Lua
de Aodrade
Pernambucano, nao por adopeo mas
le nascimeoto, dedicado a urna prooes&o
qual a de jornalista, cuja escolba s por
si d testeroaaho de amor da patria, e na
qual nao edram nem adquirem nome
senSo os talentosos e dedicados a grandes
causas, abolicionista enthuaiasta e ardente,
nao h&vendo jamis nutrido em seu peito
outr<4 f p'ilitica senao a repablicam, por-
que no merecer os votos do altivo e
iadepende.nte eleitorado de Pernambuco
o nosso ti- nrado e digno compatriota ?
Ser porque elle amigo extremoso de
Ruy Barbosa e um de sens mais prest-
rnosos auxiliares ?
Mas nlo de boj. que Luis de Andrade
honra-ae com a iotimdade do afamado
estadista que oceupa a pasta da fazenda;
nlo de boje que collabora com elle na
redaclo do Diario do Noticia*.
J era son amigo e companheiro fiel e
dedicado desda Junho de 1889, quando o
Viaconde de Ouro Preto assumira o go-
verno do imperio ostentando forca e pode
rio ; j o era de mais tempo, desde a
segunda phase do ministerio Joo Alfredo.
O Ilustre candidato que tantas sympa-
thias nos merece nao pos d'aquelles
qne apresentam se como c-.for5.1do3 (ida
dores de urna causa no momento em que
esta revela-se vencedora.
Se, porm, os la50s que o prendera ao
digno ministro da fazenda constituem mo
tivo para sua repulsa das urnas d'este Es
tado, esas r< pulsa antes de ferl-o tsria de
ferir a outros.
Nao estamos fazendo intriga, ao contra-
rio procuramos espancar a'guma que se
techa feito surdna para sorprehender a
bda f do eleitorado.
Nunca quizemos acreditar no boato de
que Lua de Audrade e mais nns dona can-
didatos da chapa tero de ser cortados no
intuito de facilitar a eleicSo de a'guns que
estilo fra d'ella. entretanto eerto., e a
imprensa d'esta cidade acaba de annunciar
que em urna reunio de eleitores do 2."
dutricto do t'reguezia de S. Jos tomou-se
a deliberaba o de retirar da chapa o norae
do AndraUe pa-a sabstituii o pelo de Na-
buco
Isso revela que ha o proposito*de preja-
dicsr esse cindidato, proposito posto em
pratiaa com bastante artificio e raalignida-
de. Beconhecendo se a odiosidade de pro-
por a excluso de certo e determinado
nome, pois, que isso importa fazer do elei-
torado instrumento de desaffeicoea alheias,
cubri se a pulula com a substitu9S0 de
um nome, a que condecido o apego e a
devotasao do eleitorado d'esta capital, es-
Dando para total das entradas
74 embarcaces, lotando 79:093 toneladas.
E. tendo sido o total era Agosto de 1889, de :
76 embarcagoes, lotando 70:960 toneladas ;
V-se que entraram menos 2 embarcacOes, lo-
tando mais 8:133 toneladas.
Sahiram para o exterior
15 vapores
II navios
Sahiram para o interior
33 vapores
8 navios
Dando para o total das sonidos
67 embarcacoes.
E, tendo sido o total em Agesto de 1889, de :
84 embarcagoes;
V-se que sahiram meaos 17 embarcages em
Agosto prximo Ando.
XPOBTACO
0 mercado de exporiacao et va no decurso
do mes uiui o frouxo.
As eDtrada3 foram 1 estivamente pequeas.
Baixaram es preces do assucar, agurdente e
alcool em relaeao aos de Agosto de 1889 ; e, i>e
os do algodao, mel e couros deraa excedentes,
nao foram elles sufficientes para elevar o com-
puto total dos valores em face do menor accer-
vo exportado.
Com effeiio o computo das valores exportados
em Agosto lindo apresenta urna differenca para
menos de 134:341*180 do que em Agosto de
1889.
Eis os slgarismos da exportaco :
Assucar
O mercado deste artigo conservou se apa
tbico.
Entraram :
Em Agosto de 1890 8.9o7 saceos
. de 1889 7.3M .
Maiscm 1890 1804
Regularam as por 15 kilos
Branco 3 supenor
. 3* boa
> 8* regular
* 4* sorte
Somenos
Mascavado purgado bom
> regular
Os precos medios foram :
Em Agosto de 1890
. de 1889
de 4*400
de 4*300
de 4*100
de 3*800
de 3*100
de 2*200
de 2*0Oi
a 4*600
a 4*400
a 4*00
a 3*900
a 3*306
a 2*300
a 2*209
3*478
3*500
Menos em 1890 _*_!?**
Foram exportados: L'
Em Agosto de 1890 -Ext 36.617 kilos
B -Interior 2.995.604
Total 3032.221 .
Em Agosto de 1889 2 105.745 .
Mais cm 1890 9i6.476 .
0 valor exportado foi:
Em Agosto de 1890 663:070*740
, de 1889 491:340*500
Mus em 1890 171:730*240
Algodao
O mercado deste artigo estove muito froaxo.
Entraram :
Em Agosto de 1890 7.116 lardos
, de 1889 8.817
Menos em 1890 1.701
venden se por 1S kilos :
Do de 1* -qualidade de 8*000 a 8*400
Do mediano de 7J000 a 400
Do de 2* qualidjoe de 6*000 a 4*400
Foram estes os preco3 medios:
Agosto de 90 7*200
. de 1889 6JW90
Mais em 98 **
Foram exportados :
Em agosto de 1890Ext. 92.146 kilos
-Interior 293 82
Total
388.918
pecialmente o do l.'dlstricto Entretanto,
quero sabe da misado estrerta que Hga
estes dous Ilustres cidadaos, Andrade e
Nabuco, e conhece os sen timen tos delicados
cavalheirosos do segundo, pode aseve-
rar qua elle jamar tecertaria o accTesci-
10 de alguna votos com o sacrificio do
amigo, Nabuco tem dado sempre exemploa
de respeitar os laces adquiridos, a misa-
de fera durante a campanha abolicionista.
Vote o eleitorado em abuoo, se esta
sua vontade ; mas, paTa abrir eapac/o na
chapa, ha n'ella outros nomes que podem
ser riscados com maisjastica; o eleitorado
esc lha por si, e desprese suggestS s
aheias.
Sj muitos consideram que o cabalar
mesmo em favor de algam candidato, a
nao ser a cabala s claras, feita pela im-
prensa, precedimento que deveser banrdo
de nossos costumes, o que nlo ser essa
cabala oceulta e sordina que tem por fim
a exc-luslo?
N'esta cortamente maior o desrespefto
ao cidadSo eleitor, de quem se procura
fazer instrumento de m vontade ou de
desafie i co.
Haja ou 080 fundamento n'esses rumo-
res que correm, esperamos que o digno
eleitorado gabera proceder com justi.a e
digni lade, pondo se cima de pequeas in-
trigas.
Becife, 14 de Setembro de 1890.
Um pernambucano.
pefa RevolucSo de 15 de Novembro, me
presento ao eleitorado pernambucano e
especialmente a vos que sois um de seus
membros preenrinenles
Com toda estima e considentelo.
Voseo patricio e amigo obrigado,
Dr. J0S0 Vuira de eravjo.
Ao eleitorado pernambu-
cano
Nao tendo sido materialmente posaivel
drrtgir-me especialmente ao elntorado
desta capital e comarcas adjacentes, con-
forme desejava e proced com relaeao ae
do nt-rior do Estado, publico a circular
que exped p -ra os lugares onde me foi
possivel fzel o:
Circular
Becife, 18 de Agosto de 1890.
t.idado. Honrado pelo partido repu
blicano, que apoia neste Estado o gober-
n provisorio, oom um lugar na chapa de
deputados ao Congresso Nacional, orga-
nisada com audiencia dos chafes poltico 1
de todos os matizes e de accordo com o
generoso e patrie tico pensamento do
actual Go/ernador, de harmenisar e uni-
fi :ar a familia pernambucana, solicito o
concurso de vossa prestigiosa influencia
e dos vossos numerosos amigos a favor da
minha candidatura; considerando dever
de honra pedir vos ao mesmo tempo a
vossa adheslo incondicional para toda
chaps, attendeudo ao valor e signifioaco
dos verdadeiros interesses republicanos
que vos deve inspirar e exprime a leal
combinacio a que alindo.
Nao son um homem deseo ? hecido neste
Estado: magistrado vitalicio, deputado
provincial, presidente de provincia e pro
fessor de Invito, ha um quarto de secle
que presto servicos trra nata' e ao
mea puz, dispensando se-me men$3es
honrosas, embora benevo'as, at no es-
trangeiro.
.'ora essas modestas credenciaes, tendo
acceitado opportnnamente como faeto ple-
namente consumado o rgimen constituido
Ao eleitorado
Honrado com a renovacio da conflanca dos
amigos e com a inelusao do meo nome na cbapa
para depntadOB ao roturo Congresso Constituiote,
organisada por accordo dos elementos polticos
que para esse fim se combinaran], nao me pos-
sivel, em vista das immensas proporgoes do elei-
Inrade d'esie Estado, dirigir-me particularmente,
como desejava, a cada um dos Srs. eleitores, afim
de solicitar o apoto de sea voto em favsr de mi
oha candidatura. Recorro por isso imprensa.
Nao lenbo ueeassidacte de exffciiir um pvogram
ma. Com a maior pubiicidade, nas columnas
d'este mesmo jornal e com a respoosabilidade
de miaba aesiauatara, >a psbiiquei nma serie de
artigos, nos quaes externei com toda a franqueza
e independeneia o mea asedo de ver a nova si-
ttMcao poltica, aberta para o paii ao dia 15 de
Novembro do anno Ando.
Corresponder 4 conflanca poltica mais urna
vez em tnim posta, e concorrer com mea voto
para que a recoastracc&o da patria se faca pelos
moldes mais coa venientes e ao influxo das melno-
res ideas e doutrinas, preparando e apressando
assim a organisacio do Estodo de Pernambuco e
a definitiva realizagao de sua autonoma, para o
que devem convergir os cuidados, a solicitnde,
os esforcos e o patriotismo dos pernambucaaos:
eis as minhas aspirsgOes.
Espero a manifestarlo solenne das urnas, e,
seja ella qual f0*. nao esmorecer&o nem o fervor
dos votos que face pela coosolidacao da Repu
blica Brazlleira, nem os meos eothusiasmos e
esforcos pelo progresso e engrandecimento d'este
Estado.
Recife, 12 de Setembro de 1890.
J. JCVKNCJO Fhrbeira b'Asbiab.
Club Republicano da co-
marca de Olinda
Acta da tessao da directora do Club Re-
publicano da comarca de Olinda, S de
Setembro de 1890.
Presidencia do Dr. Ernesto de Aquino
Reunidos os Srs. Dr. Ernesto de Aquino Fon
seca, Jos Faustino Porto, Jos Elias de Moura e
Antonio Pereira Simoes, s 7 horas da noiie do
dia S de Setembro na casa o. 9 da ra de S.
Francisco, em Olinda, foi pelo Sr. presidente
aberta a sestao.
Explicando o Um da reuniao, disse o S-. pr-
ndente que, sendo successivamente inlerpella-
dos os Srs. directores pelos diversos assocados
do Clnb sobra a attitode que o mesmo deveria
tomar nas prximos eleicbes, tinha acbado de
bom alviirereonil-ose por semelbante assompto
em dbcuso.
Considerado este, fieou deliberado que o si
lencio at enlao guardado pela drectora expri
mia francamente a sua orientago a respei o.
Nada, determinadamente, Ibe competa acn
selnar no presente momento, deixanoo aos so-
cios do Club toda a liberdade na votagao; }&
que, pela necessidade urgente de se constituir
legalmente o goveroo da repblica seria impo-
ltico levantar Ibe obstculos ; e por isso que a
organisago de urna chapa de opposigao seria
de resultado plenamente nullo.
Os lireore3, isoladameote, tm aconselbaia
que cadaquat vote, pesando 0*01 ai aasooBsabl-
lidade de seu voto, a o que podera tambem di-
ter a directeria.
Sricas erra-a. abssaasioi: satia de m poiir
tica ama aoeosi^io ssstemaUca ostensiva.
Em seguida, com me morando se e fallecimea-
to do tbesoureire da directora, Alfredo Peregri-
no Camello Pessoa, foi reset'vMo qee 00 trigsi-
ma dia do fatal acontecieteate, a 24 do corra-
te, em liomeoagern as suas crencas e s da
seus albos 8e mandosse celebrar urna missa aa
eapella de BeDeribe, assistinda a ella a directa-
ra, ) sendo peta imprensa convidados a familia
do finado e os socios do Club.
Provisoria e accumulativameutfi ficou encane-
do da caixa do tbesonreiro o Sr. secretario Jos
Elias de Moura.
Eu, a. Pereira Simfies, i* secretar do Ctas-,
e>crevl a presente acta que vai por todos ob di-
rectores presento assignado. -
Sa a das sessOes do Clnb, em Obnda, S de Se-
tembro de 1899(As8ignados).
Ernesto de Aquino Fons'ca, presidente.
Jos Faustino Porto, vice presidente.
Antonio Pereira Simoes, i9 secretario.
tose Elias de Houra, 2 secretario e tbesoureire
interino.
Ao publico
Tenho necessidade de dizer daaa pala-
vras ao respeitavel publ.co, acerca do qua
pblicos no jornal A Provincia um Sr. Jos*
da Silva Ramos, que se diz baeharel em
direito.
Qoem tiver lido o que eaexevi, relativa-
mente a acousacSos que me tem feito
aquella jornel, analysando a minha adnri-
nistracao policial, (iste someate, depoia
que pretendeu se entregar a polica aos
Srs hachareis) ver- que eu fisxia aiiusowa
alguem que pretenda fuer pro1mBde sub-
delegado e que andana pelas esquinas a di-
aer sondices e multas vezes em estado de nee
poder deliberar, sem precisar declinar ne-
mes, e nem dizer o que me referia, poja
quem conhece os moradores de Santo-
Amaro, sabiam logo, que s a nm certo
determinado individuo, essas phraaes
eram applicad,s ; hoje, porem, augmento a
todas as mais, as seguintes, que nao co-
nhecia na occasiSo em que eu escrevi aa
que publiquei, porque s agora me dia
noticia ... < que pucha carro de persona-
gen polticos, trazendo cava do collete a
faca de ponto, arma indispensavel a qual
quer capunga.
Eis ah. A Provincia hontem nao po-
da atinar a quem se referam aquellas a
estas phrasea, e hoje, esse Sr. jos da
silva ramos incumbe se de diaer-lhe qua
elle mermo.
A esse Sr. direi somente o seguinte,:
Li todo o seu aranzel qne muito o honra,
e mostra o TAL al ; /*" permita s
responder Ihe ao seu AVISO visto como o
mas... fica para responder lhe, queo
quer que techa TO FiltA EDCCAgio.
Ando a todas as horas da noite e de
dae squando quizar levar a effeie
a sua ameaca, faca-o ; mas... nao se ar<
rependa, pols j tenho ensotado a mais de
um lacaio a ter educacSo.
Ao Ezm. Sr. governador do Estado e
Dr. chefe de polica apresento o nome do
baeharel jos da silva hamos, que lhes
indicaram para subdelegado de Santo
Amaro*
E basta.
A tout seigniur toute hotmeur.
Santo Amare, 13 de Setembro de 1890.
S. Cintra,
Em Agosto de 1889
Menos em 1890
O valor exportado foi:
Em Agosto de 1890
de 1889
Meaos em 1890
1.437.738
1.052.030
185 149*140
575.104 #800
389:9554360
Agurdente
0 mercado deste artigo estere algam tanto
animado.
Entraram : .,
Em Agosto de 1890 95 pipas
. de 1889 124 .
Menos em 1890
29
Veaden-se a pipa de 961 4 100*000, seado os
precos medios :
98 111*000
Em Agosto de 1899
de 1889
Meaos em 1890
Feram exportados :
Agosto de 1890Ext.
Interior
Total
Agosto de 1889
Mais em 189 >
O valor exportado foi
Agosto de 1890
. de 1889
Mais em 90

13M00

1.040 litros
614.260
15.300
465.369
149.931
125:6164400
107:5864630
18:0294770
O mercado desteartigo, como o da agurdente
esteve regular.
Entraram : .
Era Agosto de 1890 7p pipas
, de 1889 t
Mais em 90
45
Regularam as vendas por pipa de 188*000 a
2154000, i
, jeodo os precos medios :
Agosto de 1890
de 1089
Menos em 90
ram exportados :
no de 90 Ext.
Int.
Total
Agosto de 1889
Mais em 90
0 valor exportado foi :
Agosto de 1890
. de 1889
20U500
215*000
134500
litros
76191
76.191
52.601
31:978*000
23:495.415
Mais em 90
8:4824*85
Mel
0 mercado deste producto fot sempre apa-
""vendi sea pipa de 304000 554000, sendo
os prtcas medios :
Aosto de 1*80
de 1889
Mais em 90
Foram exptrtados :
Agosto de 1890.-Ext.
Int.
Total
de 1889
Mais em 1890
O valor exportado foi
Agosto de l
52*500
5o*000
2*500
litros
10725 <
10 725
7.040
"Tot
-=
1:1764000
de 1889
Mais em 90
7164000
460*000
Couros
O mercado destes artigos foi de somenos efi-
cacia.
Entraram :
Agosto de 1890
> de 1889
2.478
2.974
Menos em 90
496
420 ris
Regularam as vendas por kilo
Dos espichados
Dos seceos salgados de 360 370
Dos verdes le 226 I 245
Foram estes os precos medios :
Espichados Seceos Verdes
Agosto de 90 420 365 0 233.5
. de 89 385
Diffe- (mais 38
rencas (menos
Foram exportados :
Agosto de 90- Exterior:
Espichados
Seceos
Verdes
Total
Agosto de 80
Menos em 90
0 valor exportado foi :
Agosto de 90-Espichados
Secos
Verdes
362,5
"15
212,5
o
14.692 kilog
63.580
105.000
Agosto de 89
Menos em 90
Total
175.272
248.236
62-964
6:174*640
23:936*700
24:727*500
54:838*040
65:498*430
10:659*790
A demais exportaco feita pela Alfandega con-
stou do seguinte :
Bcrracba Ext.
Caf Ext.
Carosos de algodoExt.
Int.
Total
CapilInt.
1 arrpalo Ext.
Cera de carnaubaInt.
Cocos (froctas)Ext.
Int.
Total
7.100 kilos.
88
60.000 kilos
388.200
"448~200 .
72 litros
18.640 kilos
2075
5.000
80.100
85.100
Courmbos e pellesExt. 93.555
DocesInt. 305 kilos
Drogas e medicamentos -Ext. 1 vols.
Int. 122
Total
Es panado res-Int.
Farinha de mandiocaExt.
Int.
Total
Feqo -Int.
Ferro velboExt.
Fio d'algodaoInt.
GeoebraInt.
Mudeiras Int.
Metaes Ext.
Ouro veiboExt.
Pao Brazil-Ext.
Pa esa ros seceos Ext.
Prala ve I haExt.
RapIlt.
Sal-Int.
Sebo-lu.
Sementes d carnauoaInt.
SoUa-fct.
Taboca-Ext.
123
1 sacco
13940
- 13.944
<
i tons.
saceos
litros.
tabees
1
oitavas.
1 kilos.
t
oit.
kilos.
litros.
kilos.
'
I matos.
kilos.
O valor de toda exportaco, calculado, pelos
respectivos precos medios, foi este ~
Assucar
Algodao
Agurdente
Alcool
Mel
Couros
Borracha
Caf
Caragos de algodao
Capil
Carrapato
Cera de carnauba
Cocos
Cournhos e pelles
Doces
Drogas e medicamentos
Espanado-es
Farinha de mandioca
Feijo
Ferro velho
Fio de algodao
Genebra
Mad.-iras
Melaes
Ouro velho
Pao Brazil
Passaros seceos
Prata velba
Rap
Sal
Sebo
Sementes de carnauba
Sola
Tapioca
Total approximado
Em Agosto de 1889
Menos em 1890
603:07O*7IB
188:149*440
123:616*400
31:978*009
1:1764000
34:8384640
9.307*3
604O00
7:7684809
284800
2:35**000
824*800
6:808*(H)0
93:55**069
305*000
2:320*000
444900
f: 704*000
50000t
250*000
1:0001000
1*794600
140*00*
27O40OB
9:832*400
5:000000
500*00
465*900
2:289000
2701000
10:0854000
6004000
7204000
ooooo
1.275:2*3*970
1.409:623419
134 3414180
1WOBTACAO
0 mercado da mportagao foi copartcipe da
frouxidao do de exportaco.
Em geral foram menores as entradas do que
em Agosto de 1889, e as vendas eflectuaram-se
por orejos mais elevados.
Ms entradas pode se avaliar o seu deccesso
pela renda comparada dos direitos de imperta-
cao. Taes direitos foram arrecadados em Agos-
to fin 1o em auenos 52:4924253 do que em Agosta
de 1889. m
E os seguintes algarismos confirma m o acert
tanto era relaeao s entradas, qaanto em refe-
rencia aos precos de venda :
Em gneros alimenticios, bebidas alcoolicsa
e fermentadas, accepipes e condimentos entrar
rasa :
Albos197 canastros, vendendo-se a maun-
ca de 50 60 ris.
Ameixas12 caixas.
Arroz 735 saceos, vendendo-se os 15 kilo* de
24401 24500.
Azeite de olireira-138 caixas. Venden-se e
gal&o de 2*8(0 34200.
Bacalho4.085 barricas e 70 tinas. Ven-
de se a barrica de 124000 184000.
Bagres76 volumes.
Banhade porco-1 765 narria, vendendo-se
kilo de 795 828 ris.
Batatas99 caixas, vendendo-se de 3*000 -
44000.
Biscoutos 70 volumes.
Caf-3:555 saceos, vendendo-se os rallas/-
de 84500 124000. o*
Canela20 velumes, vendendo-se de 142S0*
14300o kilo. '
Carne de conserva1 volume. ,
Ceblas-296 caixas, vendendo-se de i0*w)a
Cerna-692 caixas e 5 barricas. Venden-aa
a duzia de garrafas oa botijas de 64000 A 11*.
Cevada 30 volumes.
Cb -169 volumes, vendendo-se de 1*500 a
4*500 o kile.
Champagne14 volumes.
Chocolate2 volumes.
Cidra293 vobuaes.
Cocos -4:500. -
Cognac366 caixas.
,.<
J
1


I
I


Diario de Pernambuco--Domingo 14 de Setembro de 1890

f
v


i
i

Conferencia poltica
O Club Republicano Federalista 2 de
Fevereiro convida a todos os seas associa
los e mais habitantes de Tigipi, e de
atrs localidades limitrapbes, para aasis
tirem a segaada conferencia poltica, que
ter hoje lagar no novo treatro. as 6 ho-
ras da tarde.
Ser conferenciador o engenheiro Luiz
de Castio Goncalves, orador da directoria
do club.
Salla das sessSss do Club Republicano
Federalista 2 de Fevereiro, em Tigipi,
14 de Setembro de 1890
Prxedes da Silva Gusmao,
Presidente.
Luiz de Castro Goncalves,
Ooad r.
Abilio de Albuquerque Cmara Lima,
Io secretario.
Barra de Jangada
A ooimumIo abaixo assignadi, eaa no
me. dos eieitores indepeadentes do distri-
to de Barra de Jangada, convicta da ver-
dale alterada pjr sug^estS.'s de terceiro,
resol ve votar na chapa official, e n3o na
publicada no Diario de 11 do corrate.
Barra de Jangada, 13 de Setembro de
2890.
Antonio Accioly Wanderlcy.
Francisco Lapes da Silva Lima.
Jos Pedro de Lima.
Jos Genuiuo de Oliveira.
Eleic,ao
Do Martyr S. JoSo Baptista, no 2.8 dls-
tricto da freguezis de S. Jos, que tem
de se festejar em Outubro na igreja do
Senhor Bom Jess dos MartyrioB.
Juiz por eleicSo
O H!m. Sr. Dr. Sergi > Ephigenio Dias dos
Santos.
Juiza por eleicSo
A Exma. Sra. D. Mara do Carmo.
Juiz par devocSo
O Illm. Sr. Maooel Gomes Paiva.
Jaiza por devocab
A Exma. Sra. D. Rosalina de Castro
Abren.
Juizcs protectores
Os Illrrs Srs. :
Dr. Miguel de Fgueirda Faria.
Ricardo Jos Gomes da Luz.
Francisco Cavalcante Pessoa.
Dr. Jos Marianno Carneiro da Canha.
Francisco Vianna de Carvalho.
A c mmissSo ncarregada
Fabio da Costa Pereira de Farias,
Presidente.
Tiburcio Valeriano das Neves,
Vice presidente.
Jovino Bazilio de Sant'Anna,
ThesO'ireiro.
Melchiades das Chagat Moura,
1. procurador.
Jos Onofre do Reis Marinho,
2." procurador.
Chamamos a attencSo para o annuncio
da Equitativa, Sociedade Mutua de Se,
guros de Vida dos Estados Unidos, a qnal-
eomo nos affirmam, a mais importante
a mais popular Companhia de Seguros
de Vida do mundo.
Est; Companhia estabeleceu algum
tempo urna succursal no Rio de Janeiro e
pretende em breve estabelecer urna Agen-
cia n ste Estado.
A mesma nao deve achar difficuldade
em f >zer negocios avnltados aqui.
Nos damos as boas vindas A Equi
tativa e esperamos que um dos nossos
conterrneos seja norneado agente.
Segurar a nossa vida um dever que
temos para com a nossa familia.
Per n ambuc ano -s!
A Gazetn da Tarde
Sado a esse criterioso e conceituado
orgao pelo seu anniversario amanhS 15 de
Setembro, e pela attitude brilhacte que
tem assumido at hoje, como orgao livre e
independen te da imprensa pernambucana
14-990.
S. Paroza
O dia 15 bate dos porta I
Considerai que nicamente daqaelle da que
dependern o futuro de no-sachara patria e o en-
graodecimento od nosso heroico Pernambuco (
Ide s urnas, e com o vosso voto fazei sabir
triomphantes oa candidatos qoe mais se recom-
mendam pela firmeza de suai> conviccoes, pelo
brilbo de sen talento e nexcedivel boneitidade !
Vele o cidadao Bellarmino Carneiro, sem as-
cendencia nobre ou tidalga I Filbo de familia
pauprrima, e que atravessou a vida a conquis-
tar pelo trabalho, com honra e sem hum.Ina-
nes, a elevada consideracao social de que goza
e o posto hoorosissimo que na sociedade oc-
cupa !
Amparai, pois, a sna candidatura, qne a de
um operario que appareceu sem proteccao nem
amparo dos poderosos (
Unamo nos. po.tanto, e, secundando a con-
tenga que para o bem intencionado governo
deste Estado merece aquelle distincto cidadao,
orramos s urnas levando em uossas chapas o
nome immaculado de BELLAHMINO CARNEI-
RO I
Recife, 12 de Seterabrs de 890.
Muito* ptrnambucanos.
Aos
meus conterrneos
Avaliadores privativos
Os avaliadores privativos nomeados por decreto
de (0 do correte, tm o seu *scriptorio ra
15 de Novexbro n. 31.
Cominos 5 saceos. Vendeu-se am 15 ki
toe de 11*000 a 13*000.
Gravo da India-3 saceos. Vndense os 15
kilos de 9* a 2*200.
Doces1 volume.
ErvilbasI volme.
Fannha de mandioca15.517 saceos Ven
dense de 4*000 a 4*100 cada sacco.
Firinba de trigo-16.841 barricas e 1.500 ?ac-
eos. Venendo-se a barrica : da americana da
17* a 18*000 ; da de Trieste e Hungra de 22*
a*000.
Feyao 139 saceos, vendendo-se cada um de
10*000 a 11*000.
Fructas46 volumes.
Gerims1.000.
Ginger-le5 volumes.
Gomma de mandioca332 volumes, vendendo-
se por 15 kilos de 4*000 a 5*000.
Grao de bico1 volme.
Honra doce5 volumes.
Legumes 30 volumes.
Leite eondensado26 volumes.
Lmguas77 volumes.
Maizena -100 caixas.
Manteiga1.816 e i/i barris e 482 caixas.
Vendeu-se por kilo : da franceza em barril, de
1*613 a 1*678 ; e de diversas em latas, de 1*831
a 2*280.
Massas alimentares 494 caixas, vendendo-se
de 5*500 a 7*000.
Milho2 315 saceos. Vendeu-se o kilo de 70
a 75 ris.
Passas 12 volumes Vendeu-se a caixa de
9* a 12*000.
Peixe de conserva22 volumes e mais 6 000
avolsos.
Pimentada India--83 volumes. vendendo-se o
kilo de 1*100 a 1*200.
Presuntos19 caixas.
Provisoes-JOt caixas
Qaejos 487 caixas, 4 tinas e 4 volumes.
Vende-ara se os flameniros de 2*900 a 3*200.
Sal-284.800 litros e i.200 alqueires. Veo
dea se por 100 litros do nacional de 1*400 a
1*500.
Salames1 volume.
Sardinhas150 caixas, vendendo-se a lata de
1/4 de 280 a 340 ris.
Tapioca 132 volumes. Vendeu-se por 15
kilos Ifl 4*003 a 5*000
Toucinho-463 barris e 2 caixas. Yendeu-re
por 15 kilos de 10*500 a 11*500.
Vinagre 39 barris. Vendeu-se a pipa: do
de Lisboa de 145* a 160* ; e do nacional de 50*
a 80*000.
Vinbo-182 pipas,'.96I barris e 1.631 caixa?.
Veadeu-se a pipa : do de Lisboa de 220* a
2tt* ; do da Figueira de 210* a 250* ; e do
aaonal de 100* a 120*000.
Xarque-1 180:175 kilos e 9.108 fardos. Vcn-
ea-se por 15 kilos : do do Rio da Prata, de
fc*0 a 6*200; e do nacional de 4*5u0 a 5*600.
Wiskev2 caixas.
AO ELEITORADO DE PERNAMBUCO
Retirado de Pernambuco, desde minha
juventude, ha 33 annos nSo ti ve a venta-
ra de um ensejo para prestar tradicio-
nal trra do mea berc> os servicos lcaos
que de coracao Ihe dedicara, si residiese
em seu matjrjial reg 50, como tenho
prestado longe della em prol da commu-
nho brasileira, guiando me sempre pelas
recordc8es gloriosas da trra dos meus
maiores.

Entraram mais pela Alfandega os seguin-
tes artigos:
AJcatraoi volme.
Alpiste -230 volumes, vendendo-se por 15
kos de 3*700 a 3*800.
Aseite de peixe20 volumes.
Barricas e barris vasiosi-698 e mais 509 vo
tuses desmanchados,
larrilha110 tambores.
Borracha269 volumes. Vendeu-se por 15 ki
1M de 19* a 20*000.
Brea-705 barricas. Vendeu se cada orna de
>* a 12*000.
Cabos146 volumes.
Cal400 barricas.
Calcados28 volumes.
Carocos de algodo-113 volumes. Vendeu-
t por 15 kilos de 260 a 280 ri.
Cavallos eegoas-4.
Garrapato100 volumes. Venden se por 15
kios a 2*000.
Carvao de pedra -4 846 toneladas. Vendei-
M a tonelada de 16* a 20*000.
Garri animal10 volumes
Gans diversas36 volumes. Veodeu-se por
*W< ae carnauba de 5*000 a 7*000
Gkpos-48 volumes.
(Baratos11 caixes.
fjtambo-em canoo 7 barricas ; em folhas
B9 vdaawa.
GbMBlo-l 054 barricas, veodando-se cada
asa de 7*000 a 8*000.
CobreI3 volumes.
Coke22 toneladas.
Cordas2 volume?.
Cournhos e pclles 407 volumes e 4.110 avul-
sos, vendendo-se o cento de 50* a 145*000.
Couros de boi-2478.
Drogase med amentos593 volumes.
Bnxofre90 volumes.
Estanho-29 volumes
Esleirs -109 volumes
Estopa113 volumes.
FerroEm arames 58 volume p.
Era arcos : 930 feixes.
Em barras : 2 568 c mais 1.122 feixes.
Em canos : 1 e 113 vo umes.
Em correles: 11 narrias.
Em enxadas : 23 barricas.
Em ferragens diversas: 723 volumes.
Em fogoes, fogareiros e chapas para elles:
245 volumes e pecas.
Em f.'Illas : 9.
Em folbas de Flandres : 484 cunbetes.
Em formas paraassucar: 14 volumes.
Galvanisado54 volumes.
Em ps: 40 feixes.
Em pregos : % volumes.
Em rodas : 4 pares.
Em laxas : 36.
Em trilhos*: 673.
Em machinas e apparelhos diversos : 1.130 vo
lumes e peca?.
Fio de algodao e linho83 volumes.
Fumo444 volumes. Vendeu-se por 15 kilos de
15* a 26*000.
Garrafas, frascos, botijas e garrafes 29
volumes e mais 300 avulsos.
Graixa7 barris, 2 caixas e 5 205 kilos. Ven-
den-se por 15 kilos a 5*500.
Joias8 volumes.
Kerosene -26.100 caixas. Vendeu-se a lata de
3*350 a 3*450.
Linlias -172 caixes.
Linhaca5 volumjs.
Lona 16 fardos.
Louca295 volumes. Venden se o gigo da
ingJea ordinaria de 80 a 120*000.
Madeiras55 travs, 158 encbamis, 9.000
acbas de lenha e 412 pedacos diversos.
Marmores e pedras -25 volumes, 615 lages e
742 pe iras de an-oltar.
Mercadorias diversas-1 332 volumes.
Movis-33 volume*.
Ocre-3 volumes.
leos diversos -.105 volumes.
Palha de carnauba550 iclhos.
Papel 50 caixas e 950 fardos. Vendeu-M a
resma do de embrulho de 620 a 1*450.
Penna d'aves2 volumes.
Perfumaras21 volumes
Posphoros412 caixes Vendeu-se a grosa
de caixiobas de 2*3j a 2*500.
Pianos4 volumes.
Piassava800 volumes.
Pipas vasias721.
Plvora 85 volumes. vendendo-se a barrica
de 19* a 20*000.
Potassa200 barr*.
Saceos vasios31 fardos.
Salitre -125 barricas.
Sebo 40,barris e 20 caixas. Vendeo-se os 15
kilos de 4* a 6*000
Senientes120 volumes.
Soda-31 tambores.
Sola1 213 raeios e 1 volme. Vendeu-se o
meio da nacional de 1*500 a 3*500.
Tamancos27 fardos.
Tecidos diversos2 298 volumes e mais 917
fardos dos de algodo do paiz.
Tijolos6.550 prova de fogo e 25 caixas para
faccas.
Tintas495 volumes.
Trapos -18 volumes.
Typos3 volumes.
Vellas 114 volumes Vendeu-se o pacole
das estrangeiras, de 500 a 800 ris ; e das na-
cionaes, a 252 ris
Vidos153 volumes.
Vimes -500 vootn-s em obras.
Zarcj33 vMuines.
Zinco2 volumes.
Assim, pois, recolhido minha obBcu-
ridade nenia capital, 110 espinhoso servico
da profissao que abraoei, fui agradavel-
mente aurprehendido pelos jomaos do
meu Recite vendo-me apresentado aos
eleitores da trra natal, pela bondosa es
pontaneidade dos meus irmaos de armas
do Club Militar dessa capital, para me
aer conferido mandato dos meus patricios
do Cong-esso Nacional.
Sem a velleidade de merecer a honra de
que fui alvo, faltara ao dever de cava-
lheiro e pernamb.-.cano, si nSo confesssse
o muito que me galardoou o conceito a
meu respeito dos Ilustres membros do
Club Militar, e de Justus que os preceden
no Diario de Pernambuco de 20 de Julho
ultimo.
E tanto mais sinto me lisongeado por
essa fineza, quando certo a ninguem ter
pedido, por nao aer menos veri di jo que
pedir confianfa confissSo de nSo me-
recel a.
Longe d'exhibir programma ao eleito-
rado de Pernambuco, como procedem os
que 8upplic a synthetisar o que sou e pens, no in
tuito de todos procederem conscieaciosa
mente no attinente pro posta dos meus
irmos de armas, em vista do inabalavel
que em mim reside.
Na crenca de que o rgimen decabido
poda fazer a felicidade da minha Patria,
fui monarchista at 1886, quando o ga-
binete de 20 de Agosto creou a Questau
Militar, que terminou com a mocSo do
senado em 18 de Marco de 1887...
Nessa occasiSo, desliguei me, sem res-
triccSes, em espirito do rgimen dec*hi-
do. porque o modas vivendi de fami-
lia nao me permittisse abandonar a vida
publica, soffri em perseguicSes o que a
outrem nao desejo, ao ponto de, com sar
casmo, burlar se-me o diretto perfeito e
eseripto promoc2o, fazendo-se-me pre-
terir pelo systema do nepotismo.
Na maior eFervescencia das iniquida-
des do governo contra minha classe, di-
rigi-me algumas vezes a um nosso grande
conterrneo, esse incorruptivel cidadSo a
quem venero por seu carcter, para der
ramar lhe no coracao os amargores que
me transbordavam em prol da causa de-
mocrtica.
E urna das vezes, com o recato que
me devia presidir em face de um estadista
de nobre e frrea tempera, perguntei ao
llustre patricio : < V. Exc. nSo acha que,
as condicSes de nossa Patria, tendo o
ezercito descansado armas, a Repblica
est porta ? >
4o que respondeu me o librrimo con
terraneo eu, Sr. Pimentel, sem de
longe ser capaz de atraicoar o mea lugar
no Imperio, nutro vivas sympath as pela
Repblica; mas nSo espere aua apparicSo
porque somos oriundos de portugueses
cujo lemma morrer pela lei, pela grei
e pelo rei. 1
Nessa respoata do Ilustre filho dos
roes dos Quararapes, etc., fallando a
patricio que, entretanto, era soldado,
valeceu o estadista em sua lealdade,
cuitando externar todo o seu pensa
ment, pois, nao ha duvidar, o eminente
he-
um
pre
03-
Boisa
>OTA$5E8 OFF1C/AES DA JUNTA DOS t'OB-
BETORE8
Rfcift 13 ae Setembro de 890
plices provinciaei, juros de 7 0/0, valor de
i.0 0*, ao par.
Ditas ditas, joros de 7 0,0, valor de 500*000,
ao par.
Ditas ditas, juros de 7 0/0, v*lor de 50*, ao par.
Acees da fabrica de flago e tecidos de Pernam-
buco, valor de 100*, ao par.
Obrigaces preferenciaes do Derby Club de Per-
nambuco, valor de 100*, joros de 8 0 0, ao par.
Na Bolsa veuderam-se
1 aoolice provincial de 1.000*.
i dita dita da 500*.
2 ditas ditas de 50*.
10 acedes da fabrica de naci e tecidos de
Pernambuco.
22 obrigacOes preferenciaes do Derby Clob de
Pernambuco.
o presidente,
Antonio Leona -do Kodnguns.
O secretarro
Eduardo Dubeox.
Banco Sul-Americano
Este banco acaba de effectuar a 4a chamada
de 10 /. sobre o seo capital de 20.000:000*000
ticando assim at hoje com o capital realizado
de 8 000:000*000.
Cambio
PRA9A DO BECIFE
A taxa de 22 1 8 bancaaio foi boje geral, com
poneos tomadores.
Popel baocario foi repassado a 21 5/16.
PBAQA DO RIO I)K JANEIBO
Taxa naneara omcial 22, saicando alguns dos
bancos a laxa mais favoravel.
Papel particular 22 1/4 e em Sanios 22 5/16.
Algodao
Nao constoo vendas.
A exportacao feita poia alfandega nesle mez at
o dia 12, consloo de 64.690 kiloa, sendo 21.098
para o interior, e 43.5S2 para o exterior.
ministro bem conhecia que atrophia
realista dos nossos nclitos avs lusitanos
oppunham-se o abrasado sangue e o es-
pirito livre do Indio do Brazil em nos,
felizmente, 'preponderantes. E eu, que
j assim penaava, dando a Repblica
porta, tivo a felicidade de ver a queda
dos governos pouco mais de dous annos
passados apen s.
Eis, pois, como e porque sou republi-
cano convicto, sem a pretencao de ser
histrico como uns, ou ante-historicoB como
outros parece apregoarem se.
Do exposto se deduz que sou ligado
aos chefea da revolucSo por modo insus-
peito, visto tel os acompanhado em todos
os terrenos, coio notorio.
En tendo que nos trabalhos da Consti
tu inte deve se ter todo o cuidado para
consorciar a mxima autonoma dos esta-
dos indisselubilidade da Federajao, visto
como eou unionista intransigente.
Neste intuito, entre outros po tos, pens
que a magistratura deve ser federal e n2o
regional; ella o cerebro, guarda dos di-
reitos e deveres da communhSo concre-
tisa los as leis do Congresso, como o
exercito e a armada nacionaes sao o pode-
roso brajo do nosso querido collosso re-
nascente das ruinas em que o abyamaram.
Nao fcil que o brazileiro, passando
de um estado a outro, soffra acjej diffe-
reatss da lei Bem que sinta enfraquecer-se
a imprescindivel cohesSc fraternal.
E, nSo ha duvidar, ou o Brazil se diri
gira ao seu grandioso destino integrado,
ou ficar reduzido a miseras Republique-
tas, mais precarias do que algumas do
Pacifico.
Pens que da unidade legal s deve
exceptuar se as ampias prerogativas dos
municipios, como equilibradores democr-
ticos, e mais ainda para seren centros de
resistencia a tyrannetes, que possim appa-
recer de futuro.
E' conviccSo minha tainbem que, urna
vez approvada a ConstituicSo e consoli-
dada a Repblica, cumpre ao Coogresso
cogitar da sorte das clasaes trabalhadoras;
essa honrada gente, d'onde procedo, que
r-rtaa dores soffre em si encio, pelo egois-
iu> dos mais esperto, e que nem sempre
sSo os mais dignes entre nos.
Em summa, parece-me urgente a con
feccSo do cdigo penal para o exer ;ito e
a armada, por eer, o que possuimoB, dos
lempos coloniaes, urna vclharia indigesta,
contradictoria e esparsa em um ocano de
avisos insensatos dos ministros do antigo
rgimen.
No conjuncto do exposto tenho me este-
reotyp ido aos olhos dos meus conterrneos
que nao me conhecia m por ven tura.
Si as condicSes immuta veis do i leal
que, em su.", puresa, concentro no espirito,
merecer eu o mandato do honrado eleito-
rado pernambucano, terei niaso a maior
honra ; e, por meu turno, procurarei mos-
trar-me na altura da credencial que me
tr conferida pelo glorioso Estado, onde vi
a luz, quaesquer que sejam os sacrificios
de mim exigidos pelo dever jivico.
De outro modo, porem, fico satisfeito
com a simples gentilesa dos meas dignos
companheiros do Club Militar, o que,
alias, nSo pouco ao mea reconhecimento.
Curityba, AgOBto 12 de 1890.
Joronel Antonio Gomes Pimentel.
Aos propfie taos
Urna pessoa competentemente habilita-
da e conhecida, encarrega se, por con
tractoB ou empreitadas, da constrac$ao ou
concertos de qualquer obra e de qualquer
naturesa que seja, grande 011 pequea, na
cidade e arrabaldes, por mdicas condi-
c3es; e bsm assim se encarrega de caia-
58es, pinturas, cacadas, muros, etc., etc.;
tratar na ra do Cotovello n. 139, e
attende a qualquer chamado. Tambem
trata de mudancas e condueles de mate
riaes para qualquer obra, para o que dis-
p3e de boas carrocas e gado.
Chapa eo 11 binada
PAB SENADOBE3
A
Dr. Ambrosio Machado da Cunha Ca-
valcante.
B
Dr. Bernardo Jos da Cmara.
Dr. Joaquim Saldanha Marinho.
PABA DEPTADOS
A
Dr. Albino Goncalves Meira de Vas-
concellos.
Dr. Antonio Hermenegildo de Castro.
Dr. Antonio Gonjalves Ferreira.
Dr. Antonio Alves Pereira de Lyra.
io publico
Tendo eu sciencia de que algumas pes-
soas aproveitam as garrafas vasias com
etiquetas de vinhos de minha caaa, para
venderem outros vinhos a titnlo do Bom
Palhcte e Bom Collares que rece-
bo directamente e bem assim outras qoa-
lidades, chamo a attencSo do publico e es-
pecialmente dos apreciadores de meus vi-
nhos, para que nao se deixem Iludir e
aviso os de que s devem considerar como
verdadeiros os que comprarem em meo
proprio estabelecimento ; a muito que nSo
vendo a casas retalhadoras e por isso in-
sisto para que os senhores compradores
notem o que deixo dito.
Recife, 16 de agosto do 1890.
Paulino de Oliveira Maia.
1.
2.
Bario de Arariba-
Bellarmino Carneiro.
P
Dr. Francisco de Assis Rosa e
Silva.
Dr. Jos Izidoro Marti ns Jnior.
Dr. Joaquim Jos de Almeida Pernam
buco.
Dr. Joo Barbalho Uchoa Cavis?nte.
Dr. Jos N-colo Tolentino de Car
valho.
Dr. Jo2o Vieira de Araujo.
Dr. Jos Vicente Meira de Vascon-
celos.
Dr. Major Joo do Siqueira Cavalcante.
Dr. J0S0 Juvencio Ferreira de
9.
10.
11.
Aguiar.
Luiz de Andrade.
Dr. Major Vicente do Espirito Santo.
Bel
<:ou-ae a 55*000 ptr pipa di 480 litros.
As entradas verificadas at a data de hoje
bem a 5.728 saceos, sendo por:
larcacas ....
Vapores.....
uiimaes....
Aa-ferrea de Caruarft.
ia-ferrea de S. Francisco.
'ia-ferrea do Limoeiro 2.066
so
5.0 Saccas
1.962
430 <
Somma.
5728 S orj
*eucir
M seanintes:
aranco..... 3*200 a 3*88
iomenos..... 2*700 a 2*&00
iascavado porgado 1*600 a 1*700
Brutos..... 1*200 a 1*400
aetame..... *900 a 1*100
A exportacao feita pela alfandega neste mez at
odialS, do constoo de 1.767.675 kilos sendo 126
para o exterior e 1.767.549 para o interior.
As estradas venBcpdaa at a lata de boje so-
bem a 4.334 saceos, sendo por:
iarcacaa.
/apores .
inlmaet.....
/ia-ferrea de Caruarft.
/ia-ferrea de S. Francisco.
''la-forrea de Limoeiro
Revista do Mercado
Bacn, 13 rs bstiiibro di 1890.
O movimeole limitoo se a traouccoe* no aer-
eado de cambios.
Conrea
Coaros salgados 370 ris, e
U.
2 390 Saceos
296 '.
103 <
570 .
975 1
4.334 Saceos
os verdes a 245

Agurdente
Cota-se a 88*000, por pipa de 480 ittroi.
Alel
Gota-te a 200*000 por pipa de 480 litros.
\avos 4 descarga
liar a nacional Mara Angelina, xarque.
liarca noruegense Leviatkan, cariao.
ba ca iugleza Selma, carvao
Barca maleza Gloami, carvao.
Birca ooru?g ense oronae carvao.
Barca norueguense P. S. Muiich, carvao.
Barcj norteguease Suez, carao.
Birca noruauense Cuvitam Dau, carvao.
Barca rasra Jrpan, madeira.
Bngue allemo EdUh A/ary, carvao.
Urijue nglcz Endymion, carv'o.
M-una a'lcma ohann xarque.
Escuna nacional Pelotas, xarque.
Galera inglesa Argonene, trigo em grao.
Lugar uacinnal Luyo, xarque.
Lugar .'U.'co Cari x:.i que.
Patactio noraeguense Rabbi, xarque
Patacbo sueco Siri, xarque.
Patacho bollandez Apene, xarque.
Patacho noruezuense Henrik Wcrgeland, xarque.
Pauta da Alfandega
*tMAU DF 15 a 20 DI SETEMBRO DE 1890
Assucar retinado (kilo) .... 260
Assucar branco (kilo) .... 220
Assucar mascavado (kilo) ... 100
agurdente ....... 170
Alcool (litro)....... 390
*rroz com casca (kil.oi ... 80
lgodao (kilo)....... 446
Bagas de mamonas (kilo) ... 120
Borracha (kilo)...... 1*100
Carocos de algodio..... 20
Couros seceos espichados (kilo) t 395
Couras seceos salgados (kilo) 335
i.ouros verdes (kilo)..... 200
Cacao (kilo)....... 400
Ccf bom (kilo) ...... 800
Caf restolho (kilo) ..... 600
Carnauba (kilo ... 400
-arocos de algodao (kilo) ... 226
arvo de pedra de Cardiff (ton.) 16*600
Kanniia de mandioca (litro) ... 60
Folhas de aborandy (kilo/ 300
Genebra (litro)....... 200
Graxa.......' 380
Jaborandy........ 200
Mel (litro)........ 80
Milho (kilo ....... 65
Pao Brasil (kilo)...... 35
Phosphato de cal (valor da lonetaia) 10X000
boia (meios)....... 2*600
Sement de carnauba (arroba) 15
i.iuoriafao
BECirr. 12 D SETEMBBO DI 1890
rara o extenor
No vap >r francez Paranagu, para o Havre,
carregaram :
V. Nees?n, 200 saccas com 15,000 kilos de
algodao.
A. Libill.;, 768 saccas com 28,592 kilos de
algodao e6 volumes com 370 kilos de borracha.
H Burle & C, 2,100 kilos de pbospbato de
cal da liba Rata.
fura o interior
No vapor americano Aduanes, para Santos,
carresaram :
II. Borle 4 C, 400 saceos com 24.000 kilos de
assucar branco e 100 ditos com 6.000 ditos de dito
mascavado.
E. C. Beltro & Irmo. 200 saceos com 12 000
kilos de assucar mascavado.
M Borges & C 1,100 sacas com 66,000 kilos
de aseucar mascavado.
> No vapor nacional Alagos, para Rio de Ja-
neiro, carretnram :
M. Cruz & C, 150/2 de sola.
Bartbolomeo & C. Successores, o| caixas com
vinbo dejorubeba.
Para Baha, carregaram :
J. T. Le te, 7 caixas com 180 kilos de doce.
J. de doce.
No biate nacional Brasileira, para Macei,
carregaram :
A. D. Simoea & C, 10 garrafes com 110 litros
de genebra.
No biate nacional Aurora, para Maco,
carrecaram :
M. Amorim, 17 volumes com 176 litros de ge
bnera.
Seminario de Olinda
Previne-se a todos acuelles que se
acham em debito, pe* estada de seus
filhos, no Seminario, que procurem salda! -o
quanto antes si nSo quizerem ser ojai-
zadoa.
Na cidade -lo Recife podem entender se
com o Dr. Jos Diniz, ra 15 de
No ve rubro (antiga Imperador) n. 55 1.
andar, e em lnda com o reitor.
Goltnaraes & Valeote, .00 saceos com farioha
de mandioca.
E. C. Beltro & rmSo, 3 barricas com 305
kilos de assucar branco
No biate nacional D. Antonio, para Araca-
iv, carregaram :
P. Pinto 4 C, 46 barris com 1,380 litros de
mel.
Na barcaca B Fict, para Mar?gogy, carre-
traram :
F. da Costa A C, 1 sacco com lo kilos de
assucar relioado.
Readlmeato poblleos
Haz Da SETEUBBD
Alfandega
Renda eeral :
Do dia 1 a 12 348.892*832
(dem de 13 93:522*494
442 415*356
Renda do Estado de Pernamboco :
Do dia 1 a 12 8:937*509
dem de 13 9.193*524
Para deputados a Consti-
tuate.
Dr. Annibal Falcao.
Desembargador Manoel Clementino
Carneiro da Cunha.
3. Dr. Felippe de Figueiroa Faria.
4> Dr. Jos Mara Ramos Gurj5o.
5. Dr. JoSo Juvencio Ferreira de
Aguiar.
6. Barao de Caiar.
7. Dr. JoSo Francizco Teixeira,
8. Dr. Ambrosio Machado da Cunha
Cavalcante.
Conselheiro Joaquim Correa de
Araujo.
Dr. Manoel da Trindade Peretti.
Dr. Jos Mariano CWrneiro daCa-
nha.
I?. Dr. Gaspar de Drummond.
13. Alfredo Falcao.
14 Dr. Joaquim Jos de Almeida Per-
nambuco
15. Coronel Elias Comes de Soaza.
16. Dr. Joaquim Tavares de Mello Bar-
reto.
17. Dr. Joao Augusto do Reg Bar-*
ro?.
Mudanza d'escriptorio de
advogado
0 advogado Luiz Lopes C-stello Bran:o avisa,
qne mudoq o s=u escriptorio para o Io andar do
sobrado n. 14 da antiga travessa da ra das Cru
zes, boje Duque de Caxias, onde poder ser pro-
curado s hora3 do costume.
3 de Setembro de 1890.
Luiz Lopes Castello Branco.
Dr. Bastos de Oliveira
Medico operador e parteiro, -tem o seu
consultorio a ra do Mrquez de Olinda
n. 1, Io andar, onde pode ser procurado
todos os dias uteis, das 12 s 3 horas da
tarde.
Chamados a qualquar hora em sua re
sidencia, ra do Hospicio n. 46.
Telephooe n. 365.
CardiffBarca ingleza Glouwains, capi-
tSo L. P. Xorup, em lastro.
Mercado Municipal de 8. los
O movimentodeste mercado no dia 12 de Setem-
bro foi o seguinte :
Entraram :
43 bois pesando 6,087 kilos.
685 kilos de peixe a 20 ris
9 cargas com farioha a 200 rs.
27 ditas de fructas diversas a 300 rs.
31 1/2 columnas a 600 rs.
74 taboieiros a 200 rs.
o sainos a 200 rs.
i escriptorio a 300 rs.
63 compartimentos com/arinha a 500 31*500

Somma total
68 131*033
510:546*389
Segunda seceso da Alfandega de Pernamooco,
13 de Setembro de 1890
O thesooretroFlorencio Domingues.
0 chefe da seceoD. J. da Fonseca.
Reeebedorla do Estado de
Pernambuco
Do da 1 a 12 39:576*471
dem de 13 4:073*057
43:649*528
Recife Urainage
Do dia 1 a 12 43 226*174
dem de 13 2:686*940
Uinhero
BECEBIDO
Pelo vapor nacional Alagsas, do
Niemeyer Cahn 4 C.
London 4 Brasilian Bank
Rodrigues Lima C.
Banco Sal Americano
Machado Lopes 4 C.
Daarte 4 C.
Dr. Jos Pedro de Almeida Pernambu.
45:913*114
norte, para:
20 000*000
16.868*700
9.657*180
2505*800
2.000*000
2.000*000
,0 177*000
28 ditos de comidas a 500 rs.
96 ditos de legumes e fazeodas a
400 rs.
14 ditos de sumos a 700 rs.
9 ditos de fressuras a 600 rs.
14 ditos de camaroes a 200 rs.
45 tainos a 2*
Rendimento de 1 a II
14*000
38*400
9*800
5*400
2*800
91*000
250*500
2.779*480
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Alagos, pira
Macei
Rio de Janeiro
1 000
5.200*000
MovJmeato do porto
Navios entro.dos no dia 13
Memel (AUemanha)78 dias, barca allemS
Martha Brockelman, de 480 tonela
das, equipagem 12, capitao A. Every,
carga madeira, a Fonseca Irmaos & O.
New York e ccala22 dias, vapor ame-
ricano cAllianca de 2205 toneladas,
equipagem 70, commandante D. E.
Gnffitta, carga varios generes, a Henry
Forater & C.
Babia e escala 8 dias, vapor nacional
Jacuhype. de 382 toneladas, equipa-
gem 30, commandante Joaquim Jos
Esteres Jnior, carga varios gneros,
Companhia Pernambucana.
Montevideo 28 dias, patacho allemSo
Antlope, de 170 toneladas, equipa-
gem 8, capitao C. Soeckern, em lastro,
a H. Lundgren & C.
Navios talados no meimo dia
HavreVapor fraocea Paranagoa, com-
mandante Deliens, carga varios ge
eros.
3029*980
Precos do dia:
Carne verde de 200 a 480 ris o kilo
Sainos de 560 a 640 ris dem.
Carneiro de 640 a 800 dem.
Farinha de 320 a 480 ris a cuia.
Milho de 309 a 340 ris dem.
Feaode6O0a700idem.
Companhia te Seguro*
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
'osigao ti nance ira (Uezembro de 1887j
Capitel subscripto 3.000,000
Fundos accumuladoB 3.421,000
Aeeeita annual :
De premios contra fogo 607,000
De premios sobre vidas 197,000
De uros > 143,000
O AGENTE,
John H.Boxindl.
SEGURO CONTRA FOGO
ioyal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL .000:000
AGENTES
R. Drusina &. C.
13 lina narqnez de Olinda-13
Vapores a entrar
MEZ DE SETEMBBO
Europa...... Vle de Cear..... 15
Hamburgo---- Pernambuco....... 16
Sul........... Espittto Santo..... 17
Norte....... Capua *........... 20
Liverpool..... Actor............ 20
Sul.......... Pernambuco....... 2f6
Norte........ Marankao......... 26
Europa....... La Plata.......... 27
Sol......... Trent............. 29-
Vapores a sabir
MEZ DE SETEMBBO
Sanios e esc.. Allianca.......... 14 as 3 h.
Bahiaeesc .. Mrquez de Camas 16 as 4 b.
Sol......... ViUeie Cear......16 as 5 n.
Fernando Beberibt...... ... 17 as 12 h.
Norte........ Espirito Santo...... 18 as 5 b.
Sol.......... Maranhao ........Mas 5 h.
Norte........ Pernambuco....... 27 as 5 h.
Buenos-Ayres. La Plata..........27 as thS
Suothampton Trent.............29 as 3 h



xm--
r,
, '
13*700 *
1*800
81108
18*900
14*800
1*000
300 -
'





--
I
>
.


'
Diario de Pernambuco-Domingo 14 de Setembro de 1890

i



ri
'
V I
I t
Cidade de Pelotas
Atiesto que o Peitoral de Cambar,
preparado pelo Sr. Jos Alvares de Sousa
Soares, um exceller.te nudioamento,
empregado com muito bons resultados as
molestias broncho-pulmonares.
Dr. Seraphim J. R. de Araujo.
(A firma est lecunhecida).
Manual Mercantil
Acaba de sahir Iub a undcima edicSo
diano Carvalho, consignando todas as alte-
raco'es dadas as leis e usoo commerciaes
do Brazil at 1890.
Este livro, o mais em voga no commer
ci brasilero, como prova o numero de
edicoes esgotadas, vende se cm todas as
livrarias da Capital Federal e dos estados
do Brasil. Brocbura. 5*000,
Barra Manga
O Peitoral de Cambrr, importante pre-
parado Illm. Sr. J. A de Souza Soares,
de Pelotas, possue propriedades balsami
cas pronunciadas, e exerce influeneia be-
nfica em todas as affecco"e8 catarrhaes,
principalmente as do appareiho respira-
torio e genito urinario.
As affec3es catharraes dolarynge, dos-
bronchios da bexiga, quando primitivas,
cedem promptamente ao uso reiterado do
Peitoral de Cambar.
As secrec5es muco-purulentas, aympto
naticas da tuberculose pulmonar, modi-
ficam se ventajosamente, torrando mais
desembaracado o campo da hematose pul
monar.
E', portento, o Peitoral de Cambar,
um heroico meio preventivo e um auxiliar
no tratamento da tysica
requente no Rrazil. a
pulmonar, t3o-
Dr. Uriat da A. Silveira,
(A firma est reconhecidi.)
AS VICTIMAS DAS FEBMS
O Elixir anil-rebrii Cardoio. apprc-
vado em 21 de Margo deste anno pela Inspectora
Geral de Hygiene do Rio de Janeiro, vera boje
apresentar-se hamanidsde sorTredora do mon-
do inteiro, como taboa de salvaco que ao infe-
liz naufrago Ihe enviada pormo omnipotente!
O Elixir anti r<-ferll Cardoao. appli-
oado em muitissimos casos de febres, tetn, como
eor milacre, levantado do leito da dor a comple-
op moribundos.
Este remedio, com posto smente de vegetaes
e inteiramente inoffensivo, anda mesmo na mai;
mimosa e tenra chanca.
As senboras, no estado da paridas, oo no pe
i odo de incommodos naturaes, podem salo
8m receio algum.
Depsitos
Drojam dos Srs. Kranciscj Miuoel da Silv
& C, ra Mrquez de Oliod i n. 23.
Pharmacia Martins, a ra Duque de Casas
n 88.
Pharmacia Oriental, a roa Estreita do Rosarte
n. 3
Pbarmacia Alfredo Ferreira, a ra do Barao da
Victoria n. 14.
Pharmacia Imperatriz, ra da Imperatn
n. 49.
n-poii<> geral ca rasa do autor
Hanoel Cardoao Jnior. & ra
atreUa do Boaarlo m. 1*.
Attestados
Scieotifcamos ao respeltavel publico que alm
dos attestadoa a que damos publicidade hoje,
foram corados 400 variolosos.
Pedimos aos incrdulos para irem examinar
os tratados pelo Elixir anti febril.
Dos inoumeros attestadoa qoe temos, damos
em seguida principio a sna publicscSo; e isto
bastar para que sejam conhecidas as virtudes
Jo Elixir anti febril Cardoso.
N. 71
Recite, 10 de Agosto de 1890.
Illm. Sr. Manoel Cardoso Jnior.
No intuito de lhe agradecer o obsequio
que me prestou, fornecendo me gratuita
mente o Elixir Anti febril Cardoso, pro-
ducto de sua manipulacSo, p^ra applical-o
no tratamento de um meu amigo, venbo
expor lhe com verdade o resultado e feliz
xito, que com adnirac^o tirei na appli-
5S0 do mesmo elixir.
Tendo o meu visinh 1 e amigo Luis de
Franca Barros Pimentel, de 40 annos de
idade e morador a ra da DetencSo n. 33
H, a 31 de Julho prximo passado, sido
accommettido por urna febre violeotissima
acompanhada de grandes vmitos succes-
ivoe. dr de cabeca e por todo o eorpo,
ue o levaram a um extraordinario estado
e prostracao e delirios, a ponto de cau
sar grandes receios a sua tamilia ; e como
nada tivesse feito*-'ceder o esade em que
se achava, e nem mostrasse elle menor
signal no carpo que determinasse serem
varilas, e por j se passarem 6 dias ces-
-segranda estado receei que fosse urna fe
bre de mo caractor, e por isso acn se
Ihei e appliquei o remedio que V. S. tao
genorosamente me forneceu.
Procu.ei faser a applicacao do medica-
mento na altura do mal, e por isso dei
logo na primeira dse 30 gotas do elixir
em urna colherada d'agua, e preparei d
ses na raz2o de 15 gotas para serem da-
da* de 1 em 1 hora, resultando que 3
horas depois, as varilas eram manifestaa
pois o meu amigo principiou a ficar cober-
rt:> deltas; e logo em seguida declinou a
febre, desappareceram os vomito* e deli
ros, e diminuto o sen estado de prostra-
$lo.
Aconteceu, porm, que, tendo elle con-
tinuando a tomar as dses na prescripcSo
cima, no fias de dous dias desconfion por
ver qne as bexigas nSo cresciam nem em
numero neiu em tamanho, e por isso man-
dn chamar o Sr. Paula, tratador hornee >
pathico, que o examinando declaro u ha-
verem bexigas deprimidas e qao eram
ms, pelo que applicou remedio para que
estas aahissem.
D'isso que acabo de dizer {tive sciencia
e fiqnei satisfeito porque eu via, que o
meo amigo j esUva n'uma grande e
avsntajada melbora, comparado o sen an-
terior estado, e mesmo por nSo ser eu en-
tendido em curativo, pois ficava elle en
trege aos cuidados de pesaos habilitada
para o seu tratamento.
Mas, qual nHo foi o meu espanto e so
mesmo tempo alegria, logo no da seguin-
t* ao da mudanca do remedio, quande ssi
procurou um dos filho do meu amigo
doente, de nome Manael de Barros Pj
mentel, empregado na casa de cabellere
ro do Sr. Geroncio a rus 'o Cabug,
ara me dizer qoe o remedio ltimamente
applicado nada tiaba conseguido,, pois as
Tariolas estaram seccando, e o pai -
sentia o menor incommodo que se podes
se desconfiar deasa seeca repentina.
Fui ver o diente, o fiquei de veras sor-
prendido a vista da realidade, nSo me
restando, entretanto, m.nor davida que o
phenomeno era o resultad do seu prepa-
rado Anti febril. E como nao se tiznase
preciso para e completo restabeleciment
mais que de um depurativo, aconselhei e
t arsnico e j nesta data em que dou
a V. 8. este testemunho publico, isto ,
11 dias de todo o curso da terrivd moles-
tia, o meu amigo s p.cha de p e-se pre-
parando para sua vi Todo o expoeto a pura verdade e de
muito fcil syndicancia, e pego aqui li-
cenpa para lhe dizer com toda a franquezo,
que nao um reclame que eu procu
ro fazer em favor do seu preparado,
raes sir, em be > da humanidade siffre
dora, que muito deve entristecer diente do
egosmo mal comprehendido; assim dos
incrdulos, po' tere at hoje dospresado
o benficos effeitos do remedia que cora
certeza, visto os numerosos exemplos, te
ria evitado a propagacao da peste, na alta
escola em que o vemos, c o grande nume
ro de victimas que os jornaes aununc.am
toos 03 dias.
Agora rstame agradecer lhe a gentile-
za de me haver fornecido gratuita
mente o remedio com o qi'.al pide salvar
um amigo, e psdir que contines facilitar
aos necessitados, como at hoje tem feito,
afim de que esses ao abrigo da proteccao
de V. S. escapem a accae do inimigo que
com certeza os leva a morte.
Nada mais do que de V. S.
Venerador, obrigado e amigo,
Joo Quintella de Fontes Braga.
N. 72
Afogados, 8 de Agosto de 1890.
Ao cidado Manoel Carioso.
Tendo sido no dia 8 de Agosto atacr.do
de varilas o meu fi!h > de nome Miguel
Bra8liano dos Santos, com 5 annos de
idade, e me achando falta de recursos, e
sabendo que o Sr. Antonio Francis:o das
Chagss dava o milagroso E ixir Anti-
Febril ; fui na sua casa, roguei lhe que
tratasse por candada o meu filhinho, to
mou iogo em considerado o tratamento
que achase restablecido da terrivel mo-
lestia, rogo vos aos Srs. para offerecer este
att estado.
Moradora no Qiqui, dita ca:adepalha.
Sua humilde criada.
A rogo de Carolina Joaquina Maris da
ConceicSo.
Joo Leito dot Santn.
DERBY
BE
N. 73
Afogados, 7 de Agosto de 1890.
Cidadao Manoel Cardoso Jnior.
Tendo no dia 11 de Julho bid ataca-
dos de varilas os meus li nos de nomes
Bernardina Caetana Los, com 15 annos
de idade, Lenidas Francisco de Deus,
com 12 annos e JoSo Francisco de Al
meida, com 8 annos, vendo me bastante
constrangida sem saber o qne tizesse, eis
quando enviado pelo Creador appareceu-
me em minha casa o Sr. Antonio Francis-
co das Chagss, aconselhoa me que fizesse
uso de seu Elixir Anti-Febril, applicando
elle proprio repetidas dozes de seu tSo
maraviihoso remedio, que em menos de
um mes se acham todos restabelesidos.
OfFerecendo-lhe esto afim do Sr. Ma-
noel Cardoao darlhe o uso que lhe con-
vier, declaro que moro na ra de S. Mi-
guel s. 9 e spproveito a occasiao para
assignar-me de Vmc.
Sua humilde criada e obrigada
A rogo de Joanna Francisca Caetana
Lins.
Joao Francieco Regia L.
N. 74
Torre, 1 de Setembro.
Sr. Mannel Cardoso Jnior.
Supponho presUr nm tervico aos cr-
ditos, alias j bem firmados, do seu Elixir
e sobre tudo ao publico, noticiando que
foi elle por mim applicado a urna variolosa,
pobre mulher minha visinba, reputada j
| moribunda.
A varila foi confluente. A accJo do
remedio, quando mais enrgica se lornou
fui no periodo de suporacSo das pstulas
acompanhada de delirio, impossibilidade
de tomar slimentacSo, extremidades frias
e inercia e resfriamento da parte inferior
do corpo.
Convindo, pode utilisar se deste como
entender.
Accrecento que a doe ite hoje quem
trata de outros variolosos da tamilia.
Seu venerador e amigo
Jeronymo M. Ptreira de Larvalho.
N. 75
Ao cidadao Manoel Cardoso Jnior.
Tendo sido acommettidn de varilas
minha filha Elisa, de 10 mezes de idade,
que a conselho de um amigo tiz applieagiSo
do sen Elixir, d'onde tirei uro esplendido
resultado, tanto que as varilas urnas en-
cheram e outras porporcXo que iam
sahindo iam quebrando, seccando, portanto
e tenho a agradecer ao Sr. Cardoso o
prompto tratamento do seu E ixir.
Pode o Sr. Cardoso fazer deste meu
attestado o uso que lhe convier.
Ra de Santa Thereza, n 9
Recife, 18 de Agosto de 1890.
Raymundo Mar a 3fore;ra.
Estao sellados e recoihecidos.
nao
DEGLARACOES
Devedores da Fazenda
Por esta seccao se faz publico qu; tica marca-
do o praso de oitj dias. contados da data da pre
sent declaraco, para os devedores da imposto
de industrias e proQssoes. relativo ao exercicio
de 1890, virem pagar os seos dbitos amtgavel
mente, cerios de que se nao o flzeruin, serao as
respectivas certidoes enviadas ao juizo dos fe
tos para a cobranca executiva: Alfredo Pinto
& C. 63*230 ; banco Iodostrial, 34*500 capel
la de Nossa Seohora da Con'- ga) de Deberibe,
20*067; Dr. Eugenio de Barros Falcao de Li-
carda, .director do Hippadromo, 57*300; Fran-
cisco da Cesta Fofo, oirect.r do Hippodromj,
57*500; Jjaquira Iaoocencio Gomes, director e
presidente do Hippodromo, 71*873; Jos Telxei-
ra & C, 40*250 Joo Carolioo do Niscimento,
40*150; Joao Pranklin do Espirito Santo 28*750,
Jos Francisco do Reg Mello, 83*100 ; Jos dos
Santos Selva, 7*762 Loaren-^ Gomes Procopio,
88*100: Manoel Tiomat de Qoeiroz, 33*650;
Marques &C, 1*395 ; Raymundo Percira di Ma
g4lba>s, 6*127; Tavares Martins & C, 63*250;
lavares & Barbosa, 27*311. _
Seccao do Contencioso da The.-ooraria de Fa
zenda do EsUdo de Pernambuco, 12 de Setem-
bro de 1890.
0 1." escnplorsno,
Jos Gome da Suva.
CLUB
PBRHABIBirGO
PROJECTO M NSCRIPCAO
Para a 14.a corrida a realizar-se em 2i 'de
setembro de 1890
Concluir corrida com a ascenco
DO
Arrojado aeronauta
e paraquedista o Sr. STANLEY SPEN0ER no seu bnlo procurando mais urna vez
satufazer aos pedidos do generoso povo pernambncano.
*
f. T^''*! CONSOLACAO OOO metros. Animaes de Pernambuco, qHe
nSo tenham ganho no Derby em 1890 e eguas de Pernambuco. Pre-
mios : 200)5000 ao primeiro, 40)5000 ao segundo e 20)5000 ao terceiro.
" ^lkW PR:VDO DA ESTANCIA 1. metros. Animaes nacionaes
at meio sangue, que nS tenham ganho no Derby n'estc ultimo mez.
Premios: 300/5000 ao primeiro, 606000 ao segundo e 30)5000 ao
terceiro.
3 "SV^S EMULACAO -f.SOO metros. Animaes de Pernambuco Pre-
mios : 200(5000 ao primeiro, 40)5000 ao segundo e 20(5000 ao terceiro.
*" 1\^^.S ANIMAR 10 l.OOO metros. Animaes do Pernsmbuco que
nSo tenham ganho em distancia superior a 850 metros n > Derby. Pre-
mios : 200)5000 ao primeiro, 40(5000 ao segundo e 20(5000 ao terceiro.
*- ^V&^S INTERNACIONAL l.OOO metrvs- Animaes de qualquer
paiz. Premios : 400)J0C0 ao primeiro, 100(5000 ao segundo e 40030
ao terceiro
?>s"%i^S PROSPERIDADE l.OOO metros. Animaes de Pernambu
co que n2o tenham ganho em distancia superio- a 800 metros nos pra-
dos do Recife e cguas de Pernambuco. Premios: 200(5000ao primeiro,
40(5000 ao segundo e 20(5000 ao terceiro.
Observacoes
Nenhum pareo se realizar sem que se inscrevam e corram pelo menos tres
animaes de proprietarios differentes.
A inscripeo encerrar-se-ha ter;a-feira, 16 do corrente, s 6 horas da tarde
na secretaria do Derby C'ub, ra Duque de Caxias n. 22, 1.* andar.
O SECRETARIO,
Manoel Medeiros.
fegta fer pregado pelo illnstrado
?M. Sr. vilano da Boa Vista, padre
sermSo da
orador o Re
Augusto Franktm Moreira da Silva, e o do Te-
Deum nelo na> m-'oos Ilustrado pregador o
Revm. Sr. frei Augusto da Immaculada Concei-
cao Alves: que a banda musical da polici, sob
a batuta do n.atstro Candido Filbo, tocarn na
vesperae dia, antes e depois de todos os actos,
e que a msica d'orchestra, sob a regencia do
maestro Soares Rosas, acompanhar todos os
actos religiosos, sendo os solos ejecutados pelos
melbores cantores deste Estado.
Finalmente, que os edificios do hospital e con
sistorio eslarao francos visitacao publica, no
dia 17. das 6 e 1/2 s 9 hora- da noite, s pes
suas que ee apresentarem decentemente vesti-
das.
.4r/sr Augusto d'Almeida,
Secretario interino.
SEGUROS
CONTRA FOCO
he Liverpool & Lendon filobe
INSUHANGE CD.flPANY
ELAcssm. mim & c.
Ra do Commercio n. 3
34*600;
Thesouraria de Fa-
zenda
De ordem do cidado Dr. inspector e de ac
cordo com a ordem da directorio geral de con
tabllidade do Thesour> Nacional, de 2 do corren-
te, faco publico qoe acba se sta thesouraria
babilitada a pagar as seguintes dividas de exer-
cicu n'ncos :
Cardoso 4 I-mJ 6*200
Jos Paulo lo te I to 6*0
Henrique J. A. Ferrei-a 50*000
Primitivo L de P. Amaral 14*000
Francisco T. de O. Figueiredo 9JK0
Companbia de Beberibe 127*000
EuseDio Brandao Rocha I9*2n0
Arthur C. Castello Branco 108OO
Nereo da Silva Guimaraes 22*< 00
Joaquim V. A. Moreira 12*800
Wilson Sons A C.
Vicente Silva
Jeronymo Gomes da Fooseca
Oatrosirx. pela ordem daquella directora, de 5
do correte, acha-scesta thesouraria igualmuite
habilitada a liquidar e pagar a divida provenien
te do arrendamento feito pela Alfandega dos
armazens qu. serviram de deposito de gneros
inflimmaveis pertencentes so Vis:oode do Li
v ramelo.
Tnesuuraria de Fazenda do Estado de Per-
nambuco, 12 de Setembro de 1890.
secretario da junta,
_____________Dr. Antonio Jote de Sant'Atina
Secreta-ia da veneravel confraria de 3.
Benedicto, erecta no convecto de Santo
Antonio dos religiosos franciscanos des-
ta cidada do Recife.
I'cr ordem da mesa regedora, lenbo a subida
honra de convidar a todos os carissimos inoaos
que se acharem de accordo com o art. 34 do
oosso compromiBso, para urna mesa conjoncta.
Tic ter lugar no dia 16 do corrente, s 5 1/2
horas da tarde, para tratar a bem d a interesses
dcsta corporaco.
Capitulo em mesa, 13 de Setembro de 1890,
O secretario,
Joo Firmino Gomes de Oliveira.
Dita armazem n. 64 30*000
Vigario Tenorio 1" andar n. 25 25*000
Dita 2o andar n. 25 20*000
Dita leja n. 27 15*000
Domiogos Jos Martins, terrea n. 16 20*000
Dita n. 118 16*666
Dita 1 andar B. 132 15*000
Dita 2a andar n. 132 15*000
Companbia Pernambucana loja n. 30 15*000
Burgos, terrea n. 21 14*000
Lapa n 2 14/000
Becco do Abreu 2 andar n. 2 8*000
oador da Deteoco n. 4 6*000
Irmandade
DE
N. 8. do Dmn Parto, ererla na tgreja
de 8. Jone de Riba-Mar deele Ee
tade
De ordem do irmo juiz, convido aos irmos
sfi^inm Que estiverem no goso do seu direito a com pare-
S. R. M.
8oeledade JBecreatlva Mocldade
De ordem do cidadao presidente, convido a
todos os as80Ciad08 a coinparjcerem na sede
desta sociedade no dia 14 do corrente, s 3 ho-
ras da tarde, afim de reunidos em assembla
geral ordinaria, elegermos a nova directora.
Secretaria da Sociedade Recreativa Mocldade,
12 de Setembro de 1890.
O 1- secretario,
Martiniaoo Crnz.
,>,> cetem no domiogo, 14 do corrente, pelas 10 ho
' ras da macha em nos so consistorio, am de
reunirmo-nos em a=sembla geral para cleger
nios os novos funecionarios que tm de reger o
anno compromissal de 1890 a I8y|.
Recife, 10 de Setembro de 1890.
O secretario,
________________Manoel Leo de Mello.
Delegaciada Inspectora Ge-
ral das Trras e Colorii-
sacaO
Nesta delegada recebem-.se, at o dia 20 do
correte, propostas em carta fechada, p*raa
onstrnccSo de 50 casas de colonos, nos lotes
rsticos do ncleo Saassona, na comarca de Ja
boaiao.
Os pretndanles podero desde j vir examinar
nesta reparticao as plantas, desenos eorcamen-
tos, assim como informar-se das demais condi-
c&es do contracta.
Delegacia da Inspectora Geral das Trras e
Colonisacao, em 9 de Setembro de 1890.
O delegado,
Manoel Augusto Ferreira da Silva.
AVISO
Os eleitores que entregaram seos ttulos
commisso municipal revisora do alistamento
eleitcal do municipio do Recife, podem vir rece-
be! os nesta secretaria em qualquer dia til das
10 horas da manta s 4 da tarde.
Secretaria da Intendencia Municipal do Recife,
em 26 de Agosto de 1890.
O secretario,
Joaquim Jos Ferreira da Rocha.
Pela secretaria da Intendencia Municipal
da Recife se faz publico, de ordem do presidente
la mesma Intendencia, que do i' at o dia 14
de Setembro, no pavimento terreo do Paco Mu
Obras de melbora ment do
porto
No escriptorio da empresa de obras publicas
no Brasil, ra do Corasercio n. 13, recebe se
do dia 15 do correte m diante, propostas para
mcipal. das 10 horas da manbi s 4 da tarde, fornecjmeoto de qualquer quantidade de sisas
em todos os dias uteis, o secretario entregira
aos proprios cldados alistados eleitores uu aos
seus procuradores especiaes o seu titulo de edi-
tor do districto de paz da freguezia de Sanio
Antonio somonte, devendo i s dos outros distric-
tos do municipio ir recebe! os do 1 juiz de paz
do seu respectivo districtu, confirme re.-oiveu
em 9 do corrente o ministro e secretario de es-
tado dos negocios do interior.
Secre'aria da Intendencia Municipal do Rerife,
30 de Agosto de 1890.
O secretario,
Joaquim Jos Ferreira da Rocha.
Derby Club de Per-
nambuco
A directora desta sociedade previne aos se-
nbores oroprietarios de animaes nacionae* e
estrangeiros, qoe at ulterior deliberarlo li-a
sem vigor o 2 do art. 23 do cdigo de corri-
das do Prado da Estancia.
Secretaria do Derby Club de Pernambuco, ti
de Setembro de 1890 -0 secretario,
Manoel Medeiros^_______
Arrematac.o
No dia 16 do corrente, depjis de flndi a au
diencia do Esm. Sr. Dr. juiz de orphSos. t n de
ser arrematadas em praca pnlhca, conforme o
ediUI ha lias publicado, a< casas da iui uos
Pires n. 54, a da roa Visconde de Goyannan.
46 e a do becco do Quiabo n. 12 p^nhoradas
porexecucao da viova eheideiros de Antonio
Casimiro de Gonve'a, ontra Mathia3 Lopes da
Costa Haia, escrivo Dr. Postes- ______^
Correio geral
Malas a expedir-se h>je
Peio vapor americano Allhnca, esta adin u
traclo expede malas para os porros daBihia
e Ris de Janeiro, recebendo impressos e objectof
a registrar at 1 1,'2 hora do dia, e cartas oidi
narias at i hora da tarde, ou at a entrega das
malas com porte duplo.
idministracao dos Correios de Pernambuco.
14 de Setembro de 1890.
O administrador,
A{[onto do Reg Barros.
Na secretarla da Santn Ciaaue mi
aerteardta uiu|m ue aa evdlniea
casas i
Ras :
Sete de Setembro n. 24 40*0u
Restauracio n. 25 15*000
DiU n. 27 15*000
Amorim 1* andar n. 23 15*000
Dita 2" andar n. 23 15*000
de madeira de lei de Om, 20 x Om, 20. Oaa, 25 x
Om. 25 e Om, 30 x Om. 30 de esquadria e de di
versos comprimenlos ai 16.o.
Os proponentes deve'So declarar o preco por
metro corrente rrn relacSo a cada esquadria,
indicando at que compriwento refere se cada
preco.
SO sero acceilas vigas de 1 nbenba preta,
massarandubaesspucuia, que sejam bem linbei
ras e de quina viva.
Recife, 1 de Setembro de 1890.
1. Braz da Cunha,
Representante da empresa
Instituto Vaccinieo
Municipal
O Insliiuto Vaccinieo Municipal fuocciona em
urna das calas do o ivimento terreo da c isa da
Iutenden :ia, lodos os dia* uteis, das 10 horas da
rnanna o meio da. (en'to feitas a? vaccina55;s
com Vccina sntinal em dias previamente an
nunciados, ella ser tiradi directamente do tni
mal pira as pessoas.
Convido aos municipfs a que al'i comparecam
para serem vacciiiados, uai meio securu de
premuniren -e coniraa peste da rariola.
D confo-midaie com o art. 4* da postura que
torooy obriatoria< neste municipio a vaccina
gio e a revac Jinacao, o vaccinidos devem apre
sentar s nolis'iiuw entre o 6.* eoo* da,
depois da vaccinaeo, aura de serem verificadas
as vaccina-i e dado o atic.tado do resultado del-
las, na falta incorre.-ao n i multa de. 53000.
Iir M. Bastos de Oliveira.
Director do Iostituto Vaccinieo Municipal.
Veneravel Ordem 3a do Se-
raphico Padre S. Fracis-
co, em 13 de Setembro
de 1890.
Dn ordem do noso charisslrao irmo ministro
convido a todos os Srs. candidatos approvados
para emrarem de irmios, c aos nossos charissi
raos Irroaos novicos approvadc-s para proressa
rem, a comparecerero onseostrosno da dequar-
ta-feira, 17 do corr.ntc mez, pelas 10 horas da
manha, n^ igr para re'alizarera ^uas entradas e prolissoes.
Igualmente convido a todos os nossos charis-
simos irmSos em geral. a comparecerem no
dia 16, plas-6el/2 da noite, no d;a 17, pelas
10 horas da manha e 6 8 1/2 da noite, iara, re
v?s.ido3 de seos hbitos, assistrem as e.peras,
missa solemne e Te Deum baudamui, qvo se ce-
lebrarlo em commemtracao i Impress das
Chagss ao nosso Sinto P.iriarcha S Francisco.
Ao reBpeitavel poblico fazemos scienle qne o
PBBNOAS
Em prol hs \iuvtts ueces-
siladas e do hospital
de Sania Agreda
Ultima fnU
NO LARGO DO
ARSENAL DE GUERRA
Onde tocaro succes-
sivamente duas ban-
das de msica,
Ka tarde e noite de doming.i
14 d$ Stmbr
Nao tendo todas as
pessas que receb*e-
ram bilhetes do Bazar
de prendas em favor
das riuvas e variolosos
mandado buscar os
premios correspon-
dentes aos nmeros
dos mesmos bilhetes,
a commisso entarre-
gada d') mesmo bazar
deliberou effectuar
urna ultima festa no
largo do Arsenal de
Guerra, como fim de
effectuar a enrrega,
sendo que perdero o
direito as mesmas
prendas aquellas pes-
sas que nao as retira-
ren! naque'le dia e se
rao vendidas com al-
guns objectos ultima-
mente offerecidos por
alguns barraqueiros,
devendo seu produelo
ser despendido com os
pobres emesmolas de
l $000, sendo encarre-
gado desta distribu-
Ignez Angelina Mar-
tins da Silveira, sogra
do muito digno inspe-
ctor do Arsenal deMa-
rinha, a qual marcar
dia, hora e lugar em
que deve effetuar-se a
entrega distas esmo-
las.
Na tarde e noite de
domingo, 14 do cor-
rente ser offerecido
da barraca denomina-
da Caridade bebidas,
sorvetes e doces, sen-
do o producto liquido
aplicado s e smolas aos
pobres.
~MM"
MARiTliOS CONTRA FOfiO
C^panhla Phealx Ver-
aataem
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
cas do mesmo banco em Portugal sendo
m Lisboa ra dos Capelstas n. 75. No
'orto, roa dos Jnglezes.
Companbia de Segaros
AGENTE
Miguel Jos Alves
N. 5 Ra do Bom Jeu-.\. V
SEGUROS MARITfMOS E TERRESTRES
.Vestes ltimos seguros a nica companhia
.esta praca que concede aos Srs. segurados semp-
o de pagamento de premio em cada stimo
tino, o que equivale ao descont annual de cer-
a de 15 por cento em favor dos segurados
SEGUROS CONTRA FOGO
EDIFICIOS E MERCADORIAS
TAXAS BAIXAS
Prompto pagamento de prejuixos
SEM DESCONT
A (OMi'lUIl
IMPKftAL
DE LONDRES
Estabelecida em 1803
CAPITAL H$. 16.000:000^000
AGENTES BROVVNS & C.
N. 5-RUA DO COMMERCIO-N. 5
m D ElVimiSADORA
Companhia de Segaros
martimos e terrestrf
Estabelecida em i 55
Estado fluanceiro en 31 de De-
zembro de 1888.
Capital i,0U0:000#000
Fuodo de reserva 110:376^000
Sinistros pagos 1,776:683^000
44Ra do Commercio44
MARTIMOS
Pacific Steam NavigatioD
Compan}
straitsopmagellan LDE
O paquete John Eider
Espera-s da Europa at o dia
2i de Sffi :nbro e seguir de-
pois da .!mora do costumepara
Valparaso com escala por
Baha_ Rio de Jrmeiro Montevideo e Bue-
nos Ayre-
Para carga, passageiros, .oommesdas e di-
ibeiro a fre^e: trata-*<* '""i m
agentes
Wson, S.-rs k C, Limited
l4--'nA DO COMMERCIO14
Companhia de Navega^ao
Norte e Sul
O vapor Juno
E' esperado da
Inglaterra at o
dia 22 do corren-
te, seguindo de-
pois da indispen-
vel demora para o Rio de Janeiro em direitnra.
Recebe carga baldeiar no Rio de Janeiro,
para Rio Grande, Pelotas e Porto Alegre.
Tem ptimas accommodacoes para passagei-
ros e Iluminado a Inz elctrica.
Para carga, encommendas, passageiros e valo-
res trata se com os
Consignatarios
Pereira Cameiro & C.
6RUADO COMMERCIO'?
1" andar
Lloyd Brasileiro
PORTOS DO SUL
V^apor Espirito-Santo
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
E' esperadu dos portes do spi
at o dia 17 de Setembro e se-
guindo depois da demora indis-
ensavel para oeportos do nor-
te at Mansos.
As encommendas sero recebidas at 1 bxira
da tarde do da da sabida, no trapiche Babosa-
no lar.o do Corpo Sant] n. li.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
e8 trata-se com os ____
AGENTES
Pereira Cameiro & C.
6=Rua do Commerev>=^6
1 andar
JCAPIA
COMPANHIA PEBM
DE
faTegaeSo eostelra por vapor
Para Fernando de Noronha
O vapor Beberibe
Commandante Fabio Rio
.*)Lbs. Segu no dia 17 de Setembro s U
Hlhoras da manb2. Recebe carga at o
^^^dia 16 e passageus at s 10 boras
da manh do dia da sahida.
ESCRD7TORIO
Ao tan da Companhia Pernambucana
n. 12
ompanhia Bahiana de Na-
vegacao a Vapor
Micei, Villa-Nova, Penedo, Aracs-
i. Estancia e Babia
O VAPOR
Mrquez de Caxias
Commandante Jos Beriiardes
Seguir para o
porU>8 cima
a indicados no dia
17 do corrente s
4 boras da tarde
Parscsrga, passsgenB, comaendas e dinbei-
t a frete trata-se como
AGENTE
Pedro Osoriode Cerqueira
17Ba do Vicario-17

r"{
i

.i
1
s







Diario de Pernambuco--Domingo 14 de Setembro de i 890


rifa
-
i
BEL
CHRGEURS REUNS
CmH
if*.
D
Lixha qoiMnal entre
Pernambuco, Baha,
dantos.
O vapor
ra
a rapor
o Havre, LisW
Ro de Janeiro <
Ville do Cear
Commandante Lainev
E' esperado da Europa at o illa
15 Oe Setembro seguindo depois
da mdispensavel demora para i
A Francia
Acaba de reoeber pelo ultiajp vapor o
que de maior novidade tem a populoea e
grande cidade de Paria, oe mala importan
tea artefactoii da ultima moda.
Papel bordado com muita fantasa, propric
para cartas.
Cromos de seda e de oleographia.
Caizas de msica com maniveila para Id
2 e 30Ut 0.
Caizas de msica, com corda, fechadas
com 1 a 3 arias para 7, 8, 9, 10 e
125, proprias para presentes.
Ricos enxovaes para baptisado a 7d, 8d
90, 104 e 120O<^
de Janeiro e Santos i dem muito finos y- : 165 a 204 um.
1 TimaosinhoB com Bombra com fitas e biooi
de CHmbraia transparente a 34 e 34500.
m grande sortimerito de porta-tranca
para 500, 14.e ljfr&b.
Grampos dourados e nta perolas a 200 e
500 rs. um.
dem de celuloide e dourados a 200 e
300 rs. am.
Estofo para desenlio de talagarca a 34000
Bandeiras de 11 dos Estados Unidos do
Brasil a 1450 34000 e 44000, confor
me o tamanho.
Grande sortimento de bolsas de pellica e
de chagrn para 2, 3, 4 e 54000, para
senhora e meninas.
Carteiras cem estojo a 3, 4 e 54000 e
14500 e 24000.
Grande sortimento de bicos de algodlo t
de seda, brancos e de cores,
ivros de sor-tes a 300 rs.
Albuns de pellucia e de cbagrin, gosto
moderno, imitando um feqtfe.
dem para cromos, poeaias e ohumm.
Espadmhae para criaoca.
Bolyas de courb para cobranca.
De predios Da Boa Via ge m I Naval has de Roger Am&o americanas ele
(arta felra. i I do corrate ctrcas e de 2 laminas, e afiadores com
Ao meio dia a m&ssa propria para afilar.
No armazem rua Estreita do Rosario ^moa de flores para baile e casamento
**. de 14500 a 44OO0 um.
0 agente cima, por mandado e com asusten- Q (jaJjelleira engenheiro invento a 500
ca do Exm. Sr. Dr. juiz de direito do civel. e a B
requenmento de D. Prescilla Mara de Jess,' -
invernaran te do espolio de Joao Francisco Cal- (aloes e bordados de cores,
lodo, levara a leilao as seguintes casas : I Bordados de cambraia de 600 a 15500 a
Urna casa n 7 A, aro.de Setubal, terreno'
foreiro.
Urna dita a raesma ra n. 7 B, em caixao, ter-
reno foieiro.
Metade da casa ra da Aurora d. 22, foreiro.
Uma dita a mesma ra n. 28, terreno propno.
Roga-se aos Srs. importadores de carga pela
/apores desta linha, queiram apresentar dentre
le 6 das a contar do da descarga das alvarengae
raalquer reclamaao concernente a volumes que
porveutura tenam seguido para os portos de
I afini de se poder dar a tempo 33 prov
Jencias neceasarias.
Expirado o reierido praxo a compaobia ao
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommefatas ai
ibeiro a rete : traU-se com o
AGENTE
Aigisie Labille
y -RA DO COMMERCIO -JJ
LE1L0ES
Domingo, 14, deve ter lugar o leilao dos
obiectos oflVrecidi's para o bazar de prendas _.
eostentes ni barraca de caridade no largo do i *
Arsenal de Guerra.
Agen
te Silveira
3 leilao
peca.
Leilao
Saboneles para tirar nodoas de caaemiraa,
sedas, las e outras fazendas finas de
800 ris.
Genios e pince-nee finos, dourados, bu-
falo e nickel.
Tinteiros para viajantes.
Espartilhos para 4, 5, 6 e 74000.
Collarinhos e punhos de borracha.
Caetas de vidro a 500 r>s.
24C00.
Sabonetes para tumbo com desinfectaste
a 40t ris.
Em continuacao
Terca-felra. 16 do corrate
A's 11 horas
Vo 2- andar do obrado ra Mrquez de ?j^?fc' ^ A.l
01 inda n. 56
CONSTANDO
De importantes mobilias de junco, Jacaranda Fa'8ei8 ame"can8s Par *> > b e
e mogno, pianos, cama para casal, esplbo oval. 84000.
quadro, mesa elstica com 6 taboas, mesas para A&neis e brincos com pedra imitando bri
fumante., e uma gjande quantidade de amostras; |jan#;e
de ferragens. miuaezas, loucas, vidros, pulsei-
ras de prata, broches de ditos, chapeos de pa
Iba, feltro e pello de lebree muitos oulros ob-
jectos ue ic ttaiaem para fechamf nto de factu-
ras.
POR INTERVENgAO DO AGENTE
Cusmao
AVISOS DIVERSOS
RA DUQUE DE CAXIAS N. 103
Alugaru se casas caiada e pintadas sou a
nos fuds de S. Goncalo, a 8# ; tratar na ra da
mperatr z n. 76.
jais ue oirei'o Joao Baptista Gitirana
Costa e'ncarrega-ae de conlrabr empresmos
com o banco de-Crdito Real de f'eruambuco
para os senbores agriruliores deste Estado,
adintando as despesas, mediante mdica retri-
buicao. Pote ser procurado ra Baro de S
Borja n. 48.
" pegoToSr7FraDciseo Jos da Cesta jerrei-
ra, praticante do Correio, >ice tenba a bondade
de vir entregar me as segumtes notas do Tbe
souro Nacional, da estampa seguinte : sene 8.'
sob o n. 60047, ontra 60648, e seguem outras
que o senbor receben desde 25 e Sete;- bro de
1889, e at agor nat o Wm ito ; se oestes tres
das nao \ier i ra da Palma u. 109. procurara
os recursos na autoridade.
__Mara A. S...... ____
a ra da Imperatris d. 36, i- andar, pre
param-se bandejas para bailes e casan entos,
presantes de Hambre, perfis, empadss, bolos de
diversas qualidades, muito bem teitos, bollnhos
para cb. Na mesma casa precisa se de uma
perfei'a engommadeira para roupa de bomem
Cosinheiro
Prf cisa-se de um cosiobeiro ; na ra de Pay
aad n.19.
Attenco
Especial sopa de Tartaruga se encen-
tra hoje no Restaurad Gomes, ra das
Larangeiraa n. 10.
Assim como acbam se em pr-paros di-
versos acepipes da arte culinaria para o
grande dia 16 de Setembro.
Boa idea
Ra das Larangeiraa n. 10.
Telophone n. 250.
Vende se barato
Farello, saceos coro 42 kilos,
Hilbo novo, coia, rs.
Dito velho a 280 rs e
Largo do Mercado
n. 12
14800
320
340
Vende-se
a taveraa bem afreguezada, no becco do Lobato
o. 14, a o motivo se dir ao comprador.
Taverna
Vende se uma b-m afregoezada taverna no
pateo do Terco n. 55, est livre e desembaraca
da, e o motivo da venda se dir ao comprador.
Romances francezes
A 500 rs. o voluine, ven-
de-sem no eacriptorio deste
> Diario.
Hovo Progr$sso
Este importante estabeleci ento, aberto
Ya O|o|ft|n| SIVlfl *"a pouco ao respeitavel publico, acaba de
*~*"JJ"* *"* *^a> receber pelo vapor austraco Orion, os
Ra do Cubilar n 14 seguintes gneros italianos que tornam-se
. O recommendaveis pela sua boa qualidade.
Este novo estabelecimento de relojoana, Macarrgo brtnco e anuren0 patinas,
acaba de receber um grande sormento de | vnhoB. Vermouth, Malvasia Espumante,
relogios de ouro, prata e mkel, da impor-1 lbrnB Nebiolo, G.ignolino, Moscatel,
^te!abn(aamericanoWalthanMa88,ver,B|irol0( Barbefa eo a, ^^ de
dade.ra especiahdade em perfeicSo e re- ()& em lindos frascos..
gulamento.nfallivel,e8evendemporpreSosi Licor Aniget (Cordial Campan) Anis
mdicos. Aas:mcomo relogios de parede e Latante Fernet branco verdadeiro, site
de cima de mesa, com despertador o que
ha de mais elegante.
Convidam-se as pessoas que quizerem
um relogio de confianca a virem a este
estabelecimento que capricha em vender
relogios dos melhores fabricantes, com o
un de bem servir os seos amigos e fre-
gueses.
Ra doCabug n. 14
doce de 1.a qualidade, mortadella de Bo-
lonhe, Asparagi^ Funglii e Piselli em con
serva, confeitos, bitter e manteiga.
Cujas mercadorias o respeitavel publico
encontrar ra da Imperatriz, n. 1, por
precos limitadissimos.
Vendas em grosso
com o competente descont
A EQUITATIVA
DOS
ESTADOS-UNIDOS
Sociedad Moloa de Segures de Vida
The Eqitable Lipb Assubancb Society of thb U. S. 120 Bboadway. New-Yoek
Funccionondo no Brasil tob o dtc. n. 110 de 31 de Detembro de 1889
Deposito no Thesouro Nacional
Seguros vigentes em 1 de Janeiro de 1890 .
Novos seguros effeelaedos eu 1889.....
Eitcedente _t ; ,.....
Propot^ao do activo sobre o passivo 127
tVC'ClRML PARA O BR %/,ll
71-RUADOHOSPI-CIO-71
RIO DE JANEIRO
2CO:000^000
131.761,805
36,513,554
4,754,380
lo
Hfppodrorno do C am-
po Grande
Lembramos commissSo fiscal que na vaga
do secretarlo deste, preencha com o cidadao
llorats, proprieUrio do animal Trpido, para
secreUrio da director a ^pois asflm fica a mesttia
composta de hotnens honrados.
Muilos propietarios.
\0VA KERMES E
No vasto Caf Jardim
DA
FABRICA IVA HAIbWtO
Os proprietarios d'este importante estabeleci.
ment, nico ponto de reuniao do heroico povo
d'esta capital, fazem publico que no domingo,
ti, s-- val all encelar, e agora com o apoio e
valiosa proteegao das familias, que instare por
tao til distraccao, novas
Barraquinhas
sob om rgimen de nova ordem de cousas.
Grande e bem montado
BAZAR DE PRENDAS
Variedade de brinquemos do mais apurado
gosto e utilidade.
Hestaurant
Bllhares, etc., etc.
Luz elctrica a chegsr breve.
Odem e Progresso, eis a divisa.
Oommodidade e asseio.
Entrada gratis
Importante aeqoisico
Vende se a importante padaria da rna Bella
n. 31, em Palmares.
Fabrica diariamente des arrobas de pao, e des
mancha dnas barricas para bolacha. 0 retalbo
do baico regula lOiOO diarios.
0 alugoel commodo e garanten se as chaves
pelo tempo qoe se quizer.
' Para mais informagoes na Tsbacaria Miranda
i ra da Florentina c. 26, e na ra Direita com
Lopes & Araujo.
Vinho Maduro
Pelo ultimo vapor recebemos uma importantt
remessa do delicioso vinho maduro, aoalysadt
pela ionta de hyeiene da Capital Federal.
O VINHO MADURO, puro da uva, o melho
que tem vindo ao mercado, = neste estabeleci
ment se encon:ra
SEMENTES NOVAS de fiorr.s o bcrtacas co
todas a qualidades.
AZEITE puro de oliveira em latinbas de meic
oum litro.
Em bebidas Moas, como sejam : champagne
cidra, vnoos Bordeaux, Porto, Douro, Chamber
tim, licores de diversas qualidades, nao tem
rival.
Queijos de todas as qualidades e o apreciad!
equeijao em latas.
Emnm, completo sortimento de gneros dt
primeira qualidade para unza boa despensa e o
precos sem ccu. petencia
Ra estreita do Rosario numero 9
Pocas Mendes & (.
Telrphonr94 V
t
>. *aejaiM a Cosa
tHUrmum
Manoel Flix Gitirana, Joao Bautista Gitirana
Costa, Antonio Francisco Pereira Gitirana, Mara
Claodina Gitirana, Emita Griraua dos Santos,
Fr*ncieo Antonio de Ohveira Sanios, Mara de
Freitas da Luz Gitirana, Anna Clara Serrio Gi-
tirana, Elisa da Los Gitirana, Jo.- Gitirana, Jos
Cesario Gitirana, Maria Prescilla Gitirana, Hera
clio Gitirana, Antonio Gitirana, Heliodoro Gitira
na, Virgilio Gitirana, Rodolpbo de -iDuquerque
Araujo, Petronillo da Santa Cruz Oliveira, Mari
Gitirana de Araujo, ulia Santa Crus Oliveira
Gitirana, Anna Pereira Gitirana, Manoel Flix
Gitirana Pilho e Antonio Flix Gitirana, agrade-
cen! do inttmo d'alma s pessoas que se digna-
ram accmpanar ao cemiteno publico os restos
ra irtaes da sna prezada mai, sogra e av, e de
novo convidam a todos os prenles e amigos
para assistirem as missas que por sna sima
ra dam rezar as 7 horas do dia 15 do correte,
stimo do sen fallecimeoto, na matris da Boa
Vista igreja da Gloria e as matrises de Palma-
res, Bonito e Qolpap. .
t
Legnel
Professor Jos Slcolo
ra Costa
Joio Baptista Regueira Costa e sua mulher,
Gaspar do N- Regueira Costa e sua mulher, An-
tonio M. Requeir Costa. Francisco A. Regueira
Costa (aosente), Anna M. Regueira Costa e JoSo
Harbalho UcbOa Cavaleante. agradecem a todos
aquelles que acompanbaram ao cemiterio publi-
co os restos mortaes do sen presado irmao e cu-
nbado o professor Jos Nicolao Regueira Costa,
e de novo os convidam para assistirem as mis-
sas que serao celebradas em repouso de sna al-
ma na quarta feira 17 do correte na igreja do
larmo do Recife. 7* dia do seu fallecimeto.
A merlo Lope* le Barros
0 Dr Barros Sobrinho, sua mulher, seus fl
lbos, seu pai, seus irmaos e suas cuchadas,
agradecem do intimo d'alma a todos os que fi-
zeram Ibes o grande obsequio de acompanbarem
at ao cemiterio os restos mortaes do seo muito
estimado ti I no, irmao, neto e sobrinho, Alberto
Lopes de Barros, e convidam a todas as pessoas
de sna amizade para assistirem as missas que
por alma do mesmo mandam celebrar na matriz
da Boa Vista, s 8 horas da manha de terca-fei-
ra 16 do corrente, stimo dia do seu prematuro
fallecimento, e antecipam-lhes o seu reconheci-
mento.
Cera
Vende-se na roa do Cabug n. 2, segundo a
qualidade, de 1J00O a 14300 a libra, e sendo de
arroba para cima faz se na de 3.* o descont de
30 0/0 e na de 1.a de 20 0/0. Pedimos, portento,
a toda- as pessoas que precisaren] deste genero
a virem verificar a qualidade, pois dessa forma
que podero avahar qoal a melhor. No mesmo
estabelerimento tem um completo sortimento de
fazendas qoe se vendem por precos sem compe-
tencia, para liquidar.
A's maes de familias
QDKBEI8 VOS808 FILHOS 8EMPRE BADI08
Adminstrae-lhe o XAROPE ou ai
Pillas Vermipurgativas
DO DR. CALASANS
ptimas preparacSes de mastitis
e rhuibarbo, para a expulsio completa, sem
dores nem incommodo, dos vermes
intestinaes ou lorobrigas
(DAS CRANLAS E DOS ADULTOS
8EIS ANNOS DE SUCCESSO!
t Estas excellentes preparares nSo ne-
cessitam de purgativos como auxiliares
visto serem purgativas por si mesmaa.
As pessoas que tm vermes sentem c-
licas, tem constantemente diarrhas, indis-
posicSo, sensato de corpos que se movem
nos intestinos, endurecimento do ventre, e
s veses, vmitos. Rangem os dentes, quan -
do dormem, e algunas pessoas expellem
vermes com as fezes ou com as materias
dos vmitos. As crean cas apresentam as
papillas dilatadas e inapetencia.
As Diluas levam impresso o nome de
DR. CALASANS e sao cor de rosa.
I caixa de pilulas 1#8C4
1 vidro de xarope ld2CG
AS PRINCIPAES DROGARAS E
PHARMACIAS
Atten^ao
Maaosl IiHlai Ribelro
A viuva Anna de Sonsa Ribeiro e seus filbos
Joaquim Celso Luiz Hibeiro (ausente), Silvio Sa-
tyro Luiz Ribeiro, Rita Marcellina de Sooza Ri-
beiro, Francellina Bonifacia de Souza Ribeiro e
Gervasio de aboya Luiz Ribeiro, convidam a
todos os seus prenles e amigos para assistirem
a cma missa que por a>mi de seu estimado es-
poso e pai, M noel Luiz Ribeiro. na igreii da
Santa Cruz, pelas 8 horas da macha do dia 16
de Setembro corrente, e desde ] ficarao sum-
m-mente agradecidos a lodos aquelles que as-
sistire i a este acto de reli iao e caridade.
Rila Romana os Praiere*
Francisca Cesar dos Samo* e Maria Cesar dos
Santos, mandim rezar por alma de sua sempre
lembrada e prezadissima mi, Rita Romana dos
Prazeres, uma missa na igreja do Poco da Pa-
ueila, pelas 7 bjras da rianha do dia 17 do
corrente mez, trigsimo anniversario de seu pre-
maturo fallecimento.
1 mtureiro
Precisa-ge de um bom lintoreiro para divar
gas cores; a,tratar na ra da Cruz n. 42.
De Sorocaba
Declaro que soffri muito terrpo, faxendo
uso de medicamentos sem resultado, e,
usando tres dias apenas daInjeccSo M.
Morato sarei completamente de uma
ebronica gonorrha que me atormentava.
Faca uso deste como contter.
Antonio F. Fontoura.
Est reconhecida a firma pelo tabelliSo
Agentes depositarios em Pernambuco
Francisco M. da Silva & C, rus Maquee
de Ohnda a. 23.
Jos Pinto Tav&res Arauba, faz eciente ao pu-
blico que. do da 13 do cor ente mez de Agosto
por diante, ter diligencias para passageiros, a
partir da cidade de Goyanna pa a a es la gao de
Brauna, s 9 horas da manh dos dias quarta e
quinta, sendo o ponto de portida ra do Ma-
rti ha Deodoro (amiga Direita) da mesma cida-
de. na pharmacia do Sr. Francelino Ferreira
i'.respo, onde tendera seas passagens a preco de
8*000 ida e volta, devendo ser a volta de Brau-
na para Goyanna as il horas e 20 minutos da
manha nos das de sabbado e domingo.
Os Srs. passageiros da cidade do Recife en-
contrarlo passagens venda em casa do Sr.
Antonio Augusto dos Santos Porto, na praca da
Independencia n. 37.
Outrosim tem na mesma es'acao de Brauna, I prPCi8a.fe de om criado para casa de familia ;
a qualquer hora; carro avulsos a disposicao de a lnttr na rua Doque de c^xias 84.
quem queira a lugar por conta propria lanto para '
Goyanna com para Iumb e Filar da Parahyba,
te;
Preciosa descoberta
Impeilidos por um vivo sentimento e grande
sati.-fdcao participamos ao respeitavel publico
que a cervejaLa Rosa Alemana continua fa-
zendo milagrosos progressos.
Maes de familia de sita importancia e consi
deraedo garantem por experiencia propria que
dousdiaB depois do parto flzeram uso da cerveja
La Rosa Alemana apparecedoo-lbes abun
dante amamentaclo para seus extremosos fllhos.
Grande razio tiveram as celebridases chimicas
e dootores em medicina sbreos importantes
attestados a saber:
Diz o Dr. P H. Wernier :
Tenho por moitas vezes examinado no labo
ratono publico a cerveja La Rosa Alemana
e nao encontr materia cbimica e sin uma gi-
gantesca preparado de substancias que repre-
sentaos uma valiosa riqueza para a alimentacao.
A' venda em todos os esiabelecimentos de mo-
lhados.
NICOS IMPORTADORES
Hachado, Pinto & C.
Hortelao portuguez
Precisase de um bortelao que en ter. da de .-eu
mister ; a tratar na rua Baro da Victoria nu-
mero 9.
Criado
mediante ajuste ; e tem tambero diligencias d
passagens de ida e volta para Goyanninba a
preco de 4000.
Goyanna, 7 de Agosto de 1890.
Lopes & Araujo
Para egenhos
Continuara a ter em seu estabeleciment gran-
de deposito das mer:artorias abaixo declaradas,
onde os Hitos, seubous de ngenhos poderoj
se euppri- para u nova safra, a precos sem com-1
petencia.
Cal nova de Lisboa.
Dita de Jaguanbe.
Oleo de moclo.
Azeite de coco.
Dito de peixe.
Dito de carrapato.
Pxe em tas.
Graxa em bexigas.
Gaxta de linho.
Polassa da Russia.
Rna do Livramento n. 38
Vinho puro de Santare;
Da quinta do Barral
Os proprietarios do Armazem Central, i a.
ao Cabug n. 11, avisam aos seus disiinctc- Ir
guezes eao respeitavel publico que recebe.;n
nova remessude-sie especial vmio, o qua; s.
recommenda por ser puro da uva, e so e "';
Iha em *eu armazem.
Joaquim Chriatovao 4
Telepfcone 447
0
Ccsinheira
Precisa-ee de uma, qoe taiba co.-inhar com
perfeigao ; na rua Mrquez Jo Herval a. 10.
i ra do
Aluga-se
a cara terrea da roa do Cal ieireiro n. 90, caiada
e piolada de novo ; a tratar na rua hrga do
Rosarlo n. 30, Bazar Pernambucano.
Precisa se de um criado para compras, mrn-
dados e out.-os serricos, para o Monteiro, casa
junto da residencia do Dr. Loureiro : a tratar na
mesma ou na fundicao do Bowman, roa do
Brum. ^^
Criado
Precisa se de um criado ; na tab caria Miran-
da, rua da Florentina n. 36.
Boa arquisigo
Vende se uma averna entre Cordeiro e Iputin-
ga, teodo por dislicoo Vencedor do Cordeiro.
PETTO RAL de GEREJA
Do Dr. Ayer.
Mm *Bfermidde mili doloromu da nrgaata
C *0 pumSea, ordinariamente denenvlvem-ie,
tendoborprlndplo bases pequeas, odUh resolta,
dos nio sao dlfflofls de curar se promptameote M
trato edm o remedio conveniente. Of BeaDrl-
ados e as Toaaea dio reciprocamente o resultado
de Larlnjltls, Aathma, Bronchitls, Affeo-
cao Pulmonar e a Tsica.
Todas as famUms que tm erlaneas derem ter
Peitoral de Cereja do Dr. Ayer
fa para o osar em caso de neoestidade.
A peras de um so da, pode em muitos casos
accarretar serlas conequendas. Por tanto alo
se deve perder tempo precioso, experimentando
remedios de emeaela duvidosa, emquanto qoe
a enfermldade se apodera do systema e o arrain
profundamente, entio que se necesslta tomar
nesse Instante, o remedio mala oerto e aetlvo eo
sen etTelto, e este remedio sem duvida alnms
o rarroAL oe Ckbej a do Uk. Atbb.
PBEPABADO FELO
DR J. C. AYER & CA,,
sLowell, Mass., Est.-Unidos.
DEPOSITO OCRaL
MPLORl
-DE-
Murray Lanman.
o M41S EXQUEsrro
DOS
Perfumes do Toucador.
Perfuma o Corpo e
Vivifica a Mente
NO BANHO.
Superior a Agua de Colo-
nia pela delicadeza de seu
aroma e a durabldade de
sea perfume
HO LEH^O.
Ama
Precisa se de uma ama para cosiobar em casa
de familia a tratar na rua do Cotovello nume-
ro4._________________________________
Ama para meninos
Precisa se de uma. de boas cestumes, para
tomar conta de dous meninos ; a tratar na roa
do Cabug n. 14, de meio dia at 2 huras.
Dous milagres
Illm. Sr. D. Carlos -Toraei o seu re
medio o Elixir M. Morato e foi com
elle que pude sarar das boubas que soffria
ha muito tempo e que descorocoava por
nunca melhorar ; um meu visinho que
tambem soffre j largou de tudo que lhe
receitaram e esta tomando o seu mesmo
remedio.
Agradecido pelo conselho e sou obriga
dissimo.
Santos.
Albino Jos Couto.
Illm. Sr. D. Carlos. Eu e todos de
casa, faz muito tempo, que sofiremos hu-
mores de boubas, com dieta sem resulta*
dos. Fizemos uso agora do Elixir M.
Morato, propagado por D. Carlos, e
sarmos completamente.
O remedio, alm de ser muito bom,
ainda tem bom gosto, pois as coiancas
bebiam com facilidade, misturado com
agua.
Sap.
Firmino Agu
Pao centeio
Mello & Bisel tendo recebido nova remessa dt
farinba centeio, avisa aos sens fregueses qut
continuam a fabricar este delicioso pao centn
'.odas as tercas esexlts-feiras ; na rua arga dt
Rosario u._40.___________________________
libras esterlinas
Vendem-se na rua do Com-
mercio n. 26, 1. andar.
Precisa se de uma que saiba cozionar com per-
feicao ; rua do Livramento n. 24, loja.
Ama
Precisa ?e de uma ama para cosiobar en-
gommar ; a tratar na rua larga do Rosario nu-
mero 9, relojoaria.
Ama deleite
Precisa se alugar uma ama de leite ; na rua
Marcilio Dias n. 131, 1- andar.______________
Ama
Precisa se de uma ama para cosinha ; na pra-
ca da Boa-Vista n. 32, 2- andar.______.__
Ama le leite
Precisa se de uma que tenba bom leite
e seja sadia : a tratar na rua do Hospici
n. 6.
Ama
Precisa se de orna ama para cosinha ; no pa-
teo do Paraizo n. 14.
Piecisa se de uma ama que compre e cosinn*
com perfeico para casa de homem solteiro ; na
rua Barao da Victoria o. 6
Amas
Na rua da Aurora n. 109 E, precisa se de orna
para cosinbar e comprar e outra para lavar
ngommar.
A's alma* cariciosas
Maria Candida Wanderley Autran, viuva do
empregado publico Candido Autran da Malta Al-
buquerqne, moradora na travessa da Piedade n.
5, ttndo em sua coropanbia tres mogas solteiras,
de quem nico arrimo, achando se gravemente
doente dos olhos, sem enebergar mais, vem im
plorar das almas caridosas um soccorro pelo
amor de Deus, para poder manUr se.
Josinheira e copeiro
Precisa se de uma excedente cosiobelra e de
um bom copeiro, matriculados eque deem altes
tados de conducta ; "a rua da Auroran. 37, se
gundo andar.
Compram-se
Diari js, Jornaes e Provincias (papis) em bom
estado, grandes e pequeas quantldades ; em
casa de Franco & C, pateo da Penba n 8..
Simples car tao
8. andar do u. SS
Luduva Conrado mudou-se da rua do Pires
para a de 1 de Marco, onde contina a preparar
bouquets para casamentas, capellas mortoarias
e mais artigo cor.ceromtes a sua prorissao de
floriato.______________________________
Oleo Silva
O verdadeiro restaurador do cabello, expen
mentndose o seu benfico resultado dentro de
30 dias de uso successivo. As suas virtudes
sao: evitar a queda do cabello, promover o seo
crescimento e destruir as caspas, a par de um
perfume agn'.davel.
Vendem:
Fabrica Garuaran, rua Larga do Rosario n. SO.
A Florida (miudezas) rua Duque de Casias
n. 103. a
0 Novo Mondo (miudezas) rua Barao da Vi-
ctoria n. 24.
Proco1$000
AJuguel barato
Visconde de Goyanna n. 159.
Rua do Bom Jess n. 47, 2a. andar
Rua de Lombas Valentina n. 4
Pedro Affonso, armazem n. 46.
Roa Aguazinbas em Beberibe n. 7
Rua Itaparica n. 43 1 f andar.
Travessa do armo, 1' a n. 10.
Largo do Mercado n- 17, loja.
Rua do Calabouco n. 4, dem
A Iraiar a rua de C. .mercio n. 5, I anrt
cor;e?ro Cautelas do Monte de Soc
corro
Compra- so Cautelas do Monte de Soc-
corro de qualquer joia, brilhantes e relo-
gios, paga-so bem na rua do Cabug n
n. 14. Loja d relojoeircK_____________
F. J. da Costa Ferreira
Pede se ooSr. Francisco Jos da Costa Ferrei-
ra, praticante do Crrelo, qoe nao abuse da pro
tecgao que diz ter. veBtaa restituir o que receben,
o5o se trata de divida, pense bem eveja que j
existe urna ordem.
Ama
Precisa se de uma ama para cosinha ; a tratar
na rua Duque de Caxias n. 86, 3- andar.
Amas
No sobrado n. 61 da rua do Mr-
quez do Herval, precisa-se de uma am
'iue cosinbe bem, e de uma criada para
,.dar com criaDfas
Ama
No Corredor do Bispo o. 21. precifa se de uma
ama para andar com enanca t queira sahir da
cidade._____________
Copeiro
Precisase de um menino para o servico de
copeiro ; a tratar na casa n. 5 da estrada de
Fernandes Vieira.
.Hoya! Bleid maro* VIAiM.
Este escolente Whisky Escocea pro-
erivel ao cognac ou agurdente de c;j,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalio nos meikores arma
sens de molbados.
Pede Royal Blcut marca Tladt)
cujo nome e emblema sao registrados pan
todo PrasiJ.
BROWNS & C, cites.
Kommsl_
Vende-je em toda i or"
Pinho, pinho, pinho
Nao ha mais falta, ebegou um grande carrega-
mentrie pnu, o verdadeiro pinno Suecia, ufe
primeira quelidade, proprio nara coostrneca,
venae-sc na bem ennhecida sePraria a vapor, r
Clima' o la Sil/a.ao caes 'i de Novembro nu-
mero 24.
Criado
Precisase de ura criado ; na rua do Livra-
mento n. 24, fabrica a vapor.
Caixeiro
Precisa-se de nm caixeiro com bem pratica;dr
l>: l< o ; na rua AcpUta n. 238.
Attetujao
Moreira & irmao. fuccessores pr prietaii^sdo
amigo e acreditado eslabelecimento de molbados
sito rua Pedro Alfonso n. 62, participara ao
respeitavel publico e aos seus distini tos fregue-
ses, que mudarom o mesmo estabelecimeoto
para a mesm* rua n. 43, onde esperara receber,
como d'antes, as suas ordene.
Moreira 4 Irm5o, Successores
Rua Pedro Affonso 43
Agua maravilliosa
Com a applie^-f. j desta agua, quem soffrer de
rSiDlias, pannos, sardas e vermelhidao do ros-
to, ficar perfeilamen'.e curado, reconhecendo-
desse modo, corro nico especfico efficaz. Alm
desses effeitos, tero ella a propriedade de, tor
aando a cutis limpa, dar lbe a cor natural. A
cada vidro que rusta 1 jOOO, acompanba a respe-
ctiva indicc^ao do uso.
nico deposito
Drogara de Faria Sobrinho di C, roa
Mrquez de Ohnda n. 41
Gapunga
Est par alogar a casa pequea n. 32 roa da
Amizade; a traa r na rua Direita numero 45,
sobrado.
Criado
P ecia se de nm criado ; no lar go aa Penha
n. 33, hotel.________________________'
Compram-se patacoes
portuguezes, heepanbes, etc., etc.; a tratar a
rua do Commercio o. 32, pagase bem.
Biscoutos de Viena
Esplendido e variado sortimento, em latinbn
e paco'.es, o que ba de mais novidade neste ge-
nero, acaba de receber o
Armazem do Lima
9 Rua BarSe da Victoria 9
^^^ Telephone-33 ^^
Monte de soccorro
Desencaminbou-se uma cautela n 19963, d
um annel de brilbante, pesando um quilate, per-
tenreiil.; a Antonio dos Santos. Pele se a rjuem
acbar, o favor de entrega! a roa t* de Maro
n. 19, leja, que ser gratificado.
Engommadeira e avadeira
Preci-a se alogar uma mulher para o se.'vfc
de eogomm r e lavar, para urna casa de familia
estrangeira ; a tr; tar no sitio dos qualro leBes,
em Fernandes, Vieira.

- .
_^4


-f


NA LO JA
TROVADOR
sor estar perte do balauco 'quid.iu srgnlatrs

.

A
y-
;

.1
r*

/
Colarinhos de linho a 3i)'0 a dut a
Cambrai* de lpicos a 400O a peca.
Bah d de baile a 1000 e 1*500.
Espxrtilbos a 4 t-01 um.
MeihB para hoinem a 3 Etamint rendada a 440 re. o cuvado.
Linn de ramagem a bOU rs. o dito.
Oxford s 200 e 240 rs. o dito.
Lis de quadro a 32U ra. o dito.
Cachen iras de listra, duaa larguras
1OU o dito.
fletins de cores a 800 rs. o dit
Oobertaa de gang a 30UOO
Brim pardo a 3'U rs. o dito.
Camisa de fUn.-lia a 1(9800
Cortes de fucto para coilete a 2&, 20500
e300>.
Ceroulas de bramante a 14000 a duzia.
Tapetes grandes, para sof.
Fichus todos os pit-coe.
Calbrala Victoria a 208O a peca.
Colch-s de cores a 20l)0, 30000, 4.J0O0,
50 0. e 60000.
Madapol3o americano com 24 jardas a
7 O a peca.
Baptista de cores a 160 rs. o covado.
Chitas percales a 24 > rs o dito.
Toile de l& a 800 re. o dito.
Zephyr de ramsgen. a 600 rs. o dito.
Zpbyr de quadro a 200 rs. dito.
La Amazonas a 400 rs. o dito.
Brim de coree a H20 rs. o dito.
Camisas alleroaes a 3600O a duzia.
S> tB> do Jt.pao a 240 rs. covado.
Lencos bandeira* a 50 rs.
: ali'ot de seda palha a 8(9000.
Dito de alpaca pr- ta a 4#5< 0.
Dito de alpaca de cor a 46500
Esgutao pardo a 400 ra. o covado.
FouUrd de \g< dao a 500 o dito.
ortr de casemira a 5*500, 7000, 80000,
90000 e 0000.
i retoes voil- s a 400 o eovado.
Bicoo lisoa e matieados.
F tas de seda, todos oa nmeros e crea.
Guarda p para homem.
Guarda p para senhora.
Baleias a 241 rs. a duaia.
Regatas de cores.
Brm de linho de cor.
Metim de cor a 400 rs. o covado.
lio dados e ntreme\of.
Renda bespanhula a 30000 o metro.
Portn-embruihi a 80 rs.
Mirin preto de 1000:), 10200, 10500 e
10800 o covado.
Panno da osta a .OOO, 10200, 10500 e
10800 o dito.
Sobre tudo de panno.
Nanzuk finas a 280 rs. o covado.
Impermeiaveis a 500 rs.
Luvas de seda a 20000 e 20500.
l_ ol'etes de flai el a.
Cortes de casemira para temos.
Las mescUdas a 6 0 rs. o covado.
Las lavrada. a 600 rs. o dito.
Atoalbado brinco, Lvrado, a 102CO e
10800 o metro.
icario de Pern am bu e o-Domingo 14 de Setembro de i 890
Toalha para rosto a 305' 0 a dita.
Toalha para bariho a 108CO urna.
Perfumaras
leos, extractos, tnicos, p para dectes, eabonetes, pasta Rymondcnt, abotoa
duras, caixas para presentes, objectos de bronze para presentes e minios outros
artigos.
Para banhos saldados
Custume para hoinem 80>'OO, dit para senhora 1 0000, uto para menino 50000.
2 ua 1. de Mango 20
maral & C.
PbMrmmeimm
v*
Licencite pela ospeoUii geni eBy^^4ompsjrU do Bru
YAROPE-7FD
X^fc (Co&ei&a, Tol, eto.) sgpy U^ I/
A *c;io da t'odeinn pura se aoha oanvlataffs "cornial "&>'T&i e d
Agua de lxn,r* oerejtz, que ftzem do IAROPE do Ti' KED
( f*>B;la Sed), o peltoral msis enrgico em todos os estol de :
fiftOOBRB, TOMES RESFR1AMENTOB, PNEUMONAS, COQUEi.U-.mae ,
i CATARRO. WSOXMLU TEMAZE8. DORES ABDOMINALES. Me. >
Peitoral de Cambar
MEDIO GARANTIDO
Os innmeros e valiosos attestados medico e pirticulara
favor d'egte preparado, do Sr. Souza Soares, de Pe'otas; os mais altos
premiosn,edalLs de ourocom qu foi du-ti&guido; a sus amm
ci por urna sabia junta, como a de rjygene pwbliv d,o Mjp d< 4*
neiro; M aatorieaojlo de teu uso em todo o Brazil ror decreto do
gOVfMto central; o teu consummo extraordinario e sempre progreasi;
a sua fabrica especial fundada no grande, ^atabelecimento Agrcola In-
dustrial do Pirque PtloteflEe^expressamente criado pra ess em Pelotas, honrado com a visita,de taris par*vn'geris #vM>in*(.6 e
cstrargeiras, sao mi-recimentoa que a os adquirem preparados uiuito
importanted e recopheAidameflte efteazes cua o Peitoral de Cambar,
lon.ando-s um remedio garantido.
YvndoT*,, aj pEOcp.diQ 20500 o fra;co, 130OCO meia duzia e
240k)U<) a duaiay em todas as boas puarmacias e drogaras da capital.
"Sao unic w agentas e depositarios no Estado de Pernambuco
Francisco M. da Silva & C.
PiA MARQULZ DE OLLNA

A Loja balando separou cs se^uintes artigos que ven-
de por metn e do seu valr
AS1BK8:
Fazendas da Urf
Nauauk, desenbos modernos, a 120 rs o cqnne.
Percales, liodisoimos deaen os com pequeo toque de mofo, de 400 ra a 160ra.
o oovado.
FuBtSes, desenhos lindiasimos, de 360 rs. a 140 e 160 rs.
Tuaylea eacocezes, de 50.> rs. a 120 e 160 ra. i
Crotones, desenhos de voiles, de 400 a 240 rs.
MadapolSes americanos com pequeo toque de mofo de 80UOO a 50000.
Bramante com quatro largaras de 10200 a 600 ra. o metro.
Dito dito de linho de 205' 0 a 10600.
Dito de urna so largura a 320 rs.
Ganga Gr,.pton para coberta de 500 a 240 rs.
Fazendas de phantasia
Voles, lindis8mos desenhos, a 16U e 200 ra.
Barejes escoceses a 80 rs.
Merinos de la, pretos e de lindissimas edres, de 800 a 240 ra. o covado.
Cachemiras de quadroa a 240 res o covado.
Etamine, branca e preta, de 10200 a 240 rs. o covado.
Seda lisa e com Matas de 1060) a 640 e 800 rs.
Cortes de vestido circa8ian!t com chapeo de eol de 200000 por 12000.
Ditoa de cambia brama bordados e de cores de 1601)00 a 60000 e 7000
cada udj.
Setitu de todas as cores ;. 7(W rs o covado.
'ito dos Alpes de 40 rs a $>..' rs. o covado.
L no de todas as core e 505) rs. a 20O rs.
repe oa China, borda'o, todns as cores, de 600 rs. a 200 rs.
Para rumens e meninos
C.swts Pjlwp, rura ,n do 40r,O() a 20l)O e 2-*500.
rins tic odres e pardos, de 80>J rs. a 240 e 320 rs.
Camibae brancas com um pequeo toque de mofo a 10600 urna.
Ditas de flaitaa a 20OX).
Brim bianco superior de 20OCO a 8G0 rs. o metro.
Brim de libo de cor, padroes novos, de 20 00 a 10000 o metro.
Cortes de oaaemira ingleza de.6000 i a 25oO.
Dito paro coilete de fut*o e velludo, de 40500 a 800 rs. e 10500 um.
Ditos de brim de linho, novida'c, a 20200
Camisas inglezaa para homem de 540000 a 360000 a duaia.
Ditas de meia para homem, com mangas e -em ellas, de 200000 a 80e 120
Ditas de la com MstrasIoternacionaesde 505: 0 por 30500.
Artigos diversos
Me as de cor para meninos de 60000 a duzia, a 10500.
Ditas para bemem, brancas e de cor de 50000, 600.0 e 80000, a 30000, 40000
e 50OCO ra.
Lencos imita cao de linho braucoe dje cor de 30000 ,e 40010, a 10200 rs. a
duzia.
Toalhas felpudas de 60000, a 30000.
Ditas alcochoadas de 4000) a 25500.
Guardanapos de 4d000, a 20000 a duaia.
Meias cruas para senhora, com um pequeo toque de mofo, brancas e de cSr
de 140000, a 50000, 60000 e 70000 a duzia.
Casacos Jersey para senhoras e meninas a 30000 e 400' 0.
Luyas de seda de todas as cores de 20500 a 10000 e 10200 o par.
Loques de fa. uia a 400 e 10000 rs.
Espartilhos couraca de 60000, a 40000.
Sahidas para baile a 500 rs.
Babado brancos o de coi es a 500 rs. w
ntremelos bordados a #20 i.
Cortinados para cama a 60000.
Colchas de fustao brancas e de cores a 20000.
Cobertores a 700 ra. um.
Chales de casemira de 50000 e 60000, a 20000,
Um completo sortimento de algodSes nacionaes,
vendem por procos sem competencia
Retalhos de algodSes, chitas, lans e sedas.
Emuitos outros artigos que se vende grande abatimento
I^oja das Estrellas
56BS8-RA DE DE CASIAS-58 B 58
Telephoue n. 2l0.
1
e 30000.
broncos e de cores,
que Be
i
1 '
1300
Myrtol dp Dr Linarix
O Myrtol Linarix apresenta-se sobre a forma de Glbulos enipregado^ com
O naior s'uccesso contra as
AFFECQOE8 CH ROICAS DO PE ITO
Deluxos, Bronchites, Catarro, Asma, com oppressfio e Palpitagoes.
Os GLBULOS de MYRTOL LINARIX tamao-se na dose de 6 por dia :
2 pela mania, 2 ao meio dia, 2 ncute.
Todas as pessoas que tomao os VERDADEIRCS GLO,RULOS DO
D* LINARIX o luiunimis em rear.ihecer que r.et/jirio mai* ".cumeuie.
Kxija-tt os Verdadeiros Glbulos Linaris de Cl^N "; f"u: < PABIZ
que se encoirda as drogaras e as pltanuactas.
Ue.
J
TONINO
ANJLt?PTrPP
RfcCON,TiTUWU&
.O ThUxj
.q>as.wetrgwaue devei>>
fn pregar os.fiinvalaiceDtas,^
m patatas Maas,
ai Mulharat, at Crianza dhis
u Paaaat
tracas da frnstituifio.
OVMHO OC VIALa Assocli
a CbloroM, TiBtea, a Djs\
i iired>apU*- -'
mi
feUz
asasi
COM QLMNA
SUMO DE CARNE
L1H0SPHATOCAI
C'ontpoao
oom tvbstsnoias necaaairiaa
mdittaoxmai* ee l
formacao a no. tq
da.Carne
muscular a dos Systemtt
napaaaaa e ossoeoe.
aaaariaM.
aidadecriUct,JLj
K t um*' W*t*. todo* aquenes esUOos O"1^
Umeoto nerrso, a6e quaes os temperamentos de hOje (
harnuuHa J. VIAL, rtus de liourbt,
t'
,Oil
uva a o i >
nimariu.
U
.aria
s <

^100!
o
iB-foii
ItijcaM'
&*P*1$*
r.-*/
be
ZVUaZO?*
250:000*00.0
Hi 1M) GlOPAtA
Prwaio maior I20:0a0$0^0
U&m do Grao JPara
Premio naior 60:08d|00
JExrHc^A' alternadaRitiU* *^A>s<^ ^h|>
iis. ii !L*'tes a ^t>nda *!*
.Ha-
(
Nl;> <'mS
/1
/aiinjoH
WejAlba TrBVTTwr
0 OLEO CHEYRIER
4 amirtama* /'. AicaMo..
ton ice lnlum'cc, o ou multa
tustSflt u proorledida to
0 OLEO de PICADO
DE BKAUO FERr.UtlfcOiO
4 t un Ic ort atracan rjut perm/lt
tdmlnlttear o Tmrro tem pro.
duilr Prltfo de Venir, nun
laooatmotfo.
llPtsmplea MUS
II, ru as f itk'-lHUiirtn, 11
BRANCO.LOIRO
ERRU&1N0S0
^S
* %! Or*tm i- l"td
DIPLOMA DE kfoirUJ
BkCKlTiDU rOE TOPAS AS
Oeleferidades Me
dk r ii am;a e da hjhop
Mi
HIOLESTIUS DO PHTO. ,
AFrtCCOES ESCftOFULOSaS]
CHLOROStS.
ANEMIA. DEBIUMBE,
TSICA PULMONAR.
^^"V" BRONCHITES, RACHITISHO
1*_-D>","*C,W'
r-\^
VinhodeCoca
UCBNCUB08 PELAIHapaCTOalA D8 HtOlBNE DO MlKaiO OO BRAZU-
1
i
%
GRAGEAS
_ gmim. Hubaau .1
UONAOM* fONTWX, forio pauirat i^obrinsa %
a. Cm:
FOEfiM
IINJECQAO;
\HM4amtat\e
>U rdou (!*); e qne dptari>- pea -A'srpiteM.
M mxm bl* mtnr> imtijstu am raMmajo mida i
A INMtOOAo WOHVrm svam* tonmamnmdt, oea auxanm in **> aanMt\ --.-4.
II "!! lili------- **
\
fA"'* PARIZ
Sogredo d* JtLventtide A ^ Segredo a* Juventude
AGUA LAFERRIRE M m OLEO LAFERRIRE
Para o Toucador. Para POS LAFERRIRE ^ W ESSENCIAS DIVERSAS
Para i tollo. ^*Wk\\Wat\\\^ Para o Lenco.
PRODUCTOS HYGIENICOS pan eotneriar a Belleza do Rosto a do Corvo.
nnonel ! VERDADEIROS GRAQSqeSAUDEoqDTRANC
UCBNCIADOS PKI.A INSPECTORA GERAL D HTGIESE DO IMPERIO DO BRAZ3,
> Aperiente, Etomachlc, lurgatlvo, Oapurativo. _. _
*ntra a Taita de ppetlte. a ob.tr*&o. a IWWNi, as JarOttasm,
* at:. conitoetdee, etc Dose ordinario 4. i a 3 artos.
' Desconnar a- lalsiflcacos. Kxlglr o rotulo junto imprimido em rrancez
e com tetro* fc *<^a^tacu(to Q ge||# f Iqfo fa Fllncaitei
cada urna letra de uina cr diilerente e
Mm PARS. P&armacia XXSMf. 'MV"
Charose. Anemia Calarroaulmenar, Bronclte clwanlca,
ftharro na texgi, Phtisica, Tosse conoulsa, Dysaensia, Palfei&'\
Pgraas senvnaes, Catnarros artigos e compiicaaos, et-
:=**l<,Td enain, 1V en VA8XZ- o na prto^ipaes PhoraiaoW
LOJA DO POVO
H Ha l* te Marco H
GRANDE WOVIDADE
Esta nova loja contina a ter um grande aori;ment e sempre pechincha, ODA
pre90s ningnem lhe pode exceder, capticha na exactidSo da qualidade e as medidas
de suas fazendaa, que podem ser compradas por qnalquer criaba.
fazendas s5o recebidas directamente da Europa.
Muirs de sol
Descont de 10 [, em compras de 20d000 para cima^
brande sortimento de fazendas de phantasia para S. J.ao e S. Pedio.
Voile de 1S e algodSo, lindos desenhos, a 240 ra.
Las iniitac&o de cachemira a 240 rs.
Chitas V PC, 220 e 240 rs. o covado.
SetineUs ole cores, desenhos liodos a 300 rs. o covado.
Zephyros lindos a 1*0, 160 e 200 ra. o covado.
Cortes de casemira de 3*500 e 6*000.
dem de costumes e de casemira de cor 12d. dem dem idem pret* niia, t. 1*^000.
Ricos casacos de Jersey, bordados, a 60000.
Toile de seda de 10600 o covado a 650 rs.
Granadino de seda, de 1(5800 o covado a 800 ra.
Merino preto a 500, 700, l)JO00 e 10200 o covado.
Dito de cr, liso, a 400 rs. o covado.
PARA GftIANGAS
Redes de cSres, pechincba! a 3000.
Vestuarios de Jersey, a 60000 e 70000.
Capiobaa e jaquetas de malha para crianca, a 10000, 10oOO e 20000.
Bnns de cores, covado --00 rs. .
Merinos lavrados, lindos deaenhoa, toalbas ivlj&Au, rtwiias oran p9qtt0
defeito para torto oa preops, grande sortimento de lenco* de se4a a.400, 800 e lOOO,
lencos de algodao com barra grande a duaia a 10600, bramante *ie nho e algodao,
toalhados, cortinados, colchaa, fiqbus chai?*, s.c-Jus, ASlins bf
oiles, lindos desenhosNovidados !
iu:w o .ue c*res o
LIQUIDO I MIERMEAVJ1-
Kmpregt-te SEIESCO TA, c b tempoa, obre o cac..do, os arrcios e todos osrtlgos fubricailos..lo oooropreto. A laroatira-si'
lavando e o lustro torna a apparoccr de si-meemo. Nao deteriora o eoaro e n&o nu.ncha o,
\ Tertidot. Nnbian manufactoring C, V, G Sallron HU Londcri, Inglaterra
"Vende-ae em toda, a. -parte
til W*
Dm
BTA KH,
i.rtfiS
'aminas capsuias utu
hlXk M>W
BOU*
,m*efl osmpletM para trau^e)m
mr*mdmmjsm^
Kl TODA WmClPAfc PM*aAC1*B.
iu Mtre i
tY-arumm, a
Mercearia
Vende-se a mullo afreguezada mercearia da
rna da Concordia n 465 : a tratar na ue.-nia.
TVP0GR4PBIA
APOLLO
Montada com todos
os utensilios prpprios
para a x^euQao ^e
quH-lqjLier abra tjpo
Centro Sportivo
A'ruadp Gon>mr3mo n. 29
Avpia branca, sacco de 80 kilos JMOOO.
Peno iDglez. fardo de iO) kilos 16*000.
Alfafd em fardos pequeos a 60 ris o kilo.
Plalas, depurativas, furtituativas e aperili
4eMer ojpaisafan^aonjBtpiiDimn^ivtjmii
Chicotes de balis a
Embrocation (bUck.
naud a 2A000.
Selins inglezea, peso SOO
para grandes premios.
Vendem
xture) e lirumeat fte-
grammas, propriss
Attenc&o
Os proprietarios do aoligo e acreditado ar
sem do Lima, sito ra Barao da Vi loria ja;
participam ao respeitavel publico e aos "$
distinc^os frefroezes, que trjipsferiram tempe
iamente sen armazm para a mesma ra O,
contii uando da mesma forma a receberem i
orneas para lUes jenir, MkS J^j^Dado e
bitual desempenfia.
Jos Fernandos Lima i (1,
Roa BarSo da Victoria n. 1
Telephone323
Sitio
VeQft.Aim-bojn sio^te coaueiros, nolugai
JaDga, em Pao Amarello, aasul da fortaleza :j
. (. .. y,. -" JaDga, em Pao Amareno, aa sui aa ioriaiea :
^rrph|ca, desde a maisljgj nA^rsa.Maciei,^jnwco mwCom
fcil mais diffiVil.
S-PRAC4 DU0\MiDh-o
Junto Companhia
de Bombeiros
"'i ni I i. Mi J.
VENDAS
- ~


&e
-"-5^

Vende se a tavema da rna do Progssc n.
W, propria para priocipi.nte ; a ratar Sosa c
! dono na ra do Payeaud n. 30, ou na aiesaa.
r vende se a casa com sitio d::IW-a a t*s
' Visconde de Oovanna. edificada em tereato pA-
" prio, com mtiic ouu) odo-, aoiao corrido mkt
**' Tanell. s para o oito, frente de azulejo, puro
f--
aneil.s paraooit--.
srdim o lado qarfs fra, agua encanada,
todo murado ; trpt Be
horas em dunte.
na mesma ca'a, das 3

Vende se o glande armaiem de car.yao v-
dalmperatriz n. 77 ; atrafjr
gelal. rito ra
i no mesmo.
%.
I:
! rasimT
*>tpr ',T*f r,''n'" :
uno. I
Vende-se

ttticikVteVet
urna boa machina de auawar, um jepartimeals
de i'ia^l para .escviRtorio e um importa
cofre prova de fogo, e que foi daaotiga tneso-
raria das loteras ; a tratar na ra Marques e
Olinia n. I, primeiro andar.

7-'(



;
'A.



l-
'


Diario de >ernarnhu;o--Dominro
I



*


r
1
~*m
.':nihvo de 1890
DE ARNAZEM
m
LOLVRE
FRANCISCO GURGEL & IRMO
Esta importante loja de modas, completamente reformada, tem n'estes ltimos dias recebido um variadissimo sortimento de
tecidos de phantasia, escrupulosamente escomido por um dos socios actualmente em Pars, os quaes dam-nos urna perfeita idea da ultima
pha^e da moda, em meio das variadas mutacoes dos progressos sociaes. Os seus proprietarios nao p^upam esfor ao publico em geral e especialmente s Exmas. familias a quem rog-am a fineza de suas visitas a to importante estabelecimento.
Naimpossibilidadede mencionar-se todos os artigos deque se compe este incomparavel sortimento notam todava os seguintes:
Ricos enxovaes para baptisados e casamentos
Lindissimos tecidos de phantasia para bailes, theatros, passeio, etc.
Bonitos cortes de J, seda, linho, e levantine; inteiramente novidade.
Sedas pretas lavradas e e Surahs pretos e de cores de differentes qualidades.
PRECOS RESUMIDOS
RA 1. DE MARQO 2T. 20 A
Rendas e bicos de difieren tes larguras e qualidades.
Riquissimas capas e pellerinas, pretas e de cores para senhoras.
Guarnientes de novos modelos para vestidos.
Luvas, leques, chapeos de sol, espartilhos, aludas de theatro e urna
infinidade de meias de seda, fio da Escocia, algodo, etc.

IIR, CABIOS BBraKCOBRT
SILSIPIIIILII I CAROBI
GRANDE BKPURATIYO 110 SANGUK
Elixir anti-rheumatico, anti pyph.litico e empregado em todas as molestias de
pelle, erys pella, darthros oa empigens, beri-beri, anthrazes ou carbonalos, cancros
venreos, fendas canc-rofas, ulceras, gonorrheas chronicas, boubas, bubSes, escrfu-
las e todas as doencas que dependem da impureza do sangue.
Este remedio suprior a todos os outros do seo gonero, o que est provado
pela preferencia e acceitacSo que Ihe di o publico.
Um frasco 3^000, urna duzia 30#000.
gjfflft gg flfflWEMl MU 1 JnMMP'
TONI O FEBRIrUGU K ESOBSTRUENTE
Empregado na debilidade geral, d<>encus do estomago, convalescencas depois
do parto, febres palustres, molestias do ligado e baco, falta de appetite, anemia, calo-
rse, cores paludas ou falta de sangue e doencas nervosas.
E' um r< consumite de energa, aromtico e agradavel ao paladar.
Um frasco '] 5. urna duzia 30>000
[ mias, menstruales difficeis, debilidade geral, cores paludas e todas as vetes que se
j quer fortificar o organismo e dar desenvolvimento ao systema osseo e muscular.
Convm s pessoas ou senhoras que criam para tornar o leite mais nutritivo e robus-
tecer as enancas. Ette remedio superior a todos os tnicos estrangeiros que se
annunciam por'abi.
m frasco 3#000, urna duzia 30#0O0
Xarop 4 jaramacarn composto
GRANDE PEITORAL
Tratamento e curativo de todas as molestias do peito e da garganta, defluzo,
.osaes simples e convulsas, coqueluche, constipares, asthma, bronch.te, catarrho
jhronico e tsica pulmonar e do larynge.
E' o primeiro peitoral que se conhece at hoje na medicina.
Um frasco 2$500, urna duzia 24#000
imiK m t
boticas.
Vndese em todas as casas de drogas,
DEPOSITO GERAL EM CASA DE
HENRY FORSTER efe C.
INJECCA BETTENCOURT
AHTI-BLEHOKBHA&IA
Gura radical e m seis das
Empregada com ptimo resultado oes corrimentos agudos ou chronicos da
irethra ou vagina, leucorha oa flores brancas. Este medicamento de urna grande
sfficacia,
Um frasco 1#500, urna duzia 15#000.
VINHOfOMCO
Com lacto-pho-phato de cal e ferro, coca, cascas de laranjas amargas e quina.
O melhor remedio que se tem formulado pela combinado destoB heroicos
medicamentos. Empregado no tratamento das molestias do peito, do estomago, ane-
FOLHETIH
aaia mMM
POB
Palio D'alCREHOKT
TERCE1RA PARTE
A filha adoptiva
(Ctatinuaolo d> n. 207 j
Tin
? OOEOA DE E8PINH08
Diana fasia Ihe perder litteralmente a
sabec, e elle nao achava cada suficiente
ente bom para a sua futura ora, a quem
enchia de presentes, jias, movis, tudo
yanto em aumina ella podia ph.ntasiar,
sean follar nos emprestimos que, para com
a marquesa, cont:nuavaa> cada vez mais
remetidos e mais avuliados.
Laura, porm, diante de taes prodigali-
dades, sobresaltou-ae.
Escuta, disse ell? um da ao marido,
tu ests procedendo como se tudo quanio
temos nos pertencesae.
Roselin sentio um calafrio.
Pertence a ti igua mente, replicou
ee muito admirado
crefo que.,.
0lo crs a verdade, e tens a memo*
ra tfuru.
Que queros di*er ?
Eaqueceste a quem devemoa a nosaa
fortuna, e os cincoenta mil francos do des-
eo n hecido da ra Clignancourt e as condi-
cSes que Ihe fizemos ?...
NSo, mas...
, Nao ha mas. Nos recebemos o di
jnheiro debaixo das condic5es seguintes :
Henriqueta tornar-se-hia nossa commandi-
! taria e nossa asBOciada se mais tarde ella
se cas sse com o nosso filho, os negocios
seriam communs. Do contrario nos nos
compromettiamos a liquiiar a nosaa sita-
cao e a dar Ihe a metade de nossa fortu-
na. E' i88o que preciso fazer.
Sou da tua opiniSo, e nSo tenho a
menor vontade de suhtrahir me s condi-
c5es impostas outr'ora. AmanhS, se qui-
zares, iremos casa do nosso tabelli2o.
Obrigada, Roselin ; n"o imaginas o
prazer que me das. Ah tu continuas a
ser o homem honesto e bom que en amei.
Chegaste a duvidar disso, Laura?
Lteus ir livre. .. Mas essas mu he
r s, com o seu titulo, o seu palacio, as
suas palavras douradas, to transtornaram
de tal modo a cabera...
Fazes mal em ter zelos dellas. Pode
ha ver para mim no mundo outra amiga,
outra cunselheira, outra gide que nSo tu ?
neveras ?
Devras.
Ento prova-m'o.
Q_ preciso faz?r para isso?
Disseste-lhes que Souriquette nao
era nossa filha T
Nao pronunciei palavra a tal res-
peto.
Pois bem, continua a calar-te, ests
onvindo ? Ella ter a metade da nossa
foriuu por esenptura publica, essas mu
Iberes julgarSo simplesmente que ella a
tem como seado |nossa filha, isso nao mu
dar nada de tacto e as impedir de met-
fora isto, porm, ter 0 naris em negocios que, nlo sei que
insunctivo secreto me diz, nSo devem co
onecer.
Fara o que quiseres. Mas Mauricio
nlo Ibes ter fallado j nesaa situacao par-
ticular ?
D URAITDS FtlRIHCAEIOH DO SANGUE ,.
O emprego da CAROBINA de ve dirigir-se a combater as seguintes molestias:
as diversas formas das doencas chronicas, os desengaados, soffrimentos do tero,
ifTeccoes cancerosas, beri-beri, escrfulas, tumores brancos, ulceras chronicas, e flec-
hes venreas rebeldes, paralysias, molestias do corceo, da garganta, rheumatismo
ohronico e gottoso, molestias de pelle, assim como todas as enfermidades derivadas
da impureza do sangue. f
Um frasco 3#000, urna duzia 30#000
nicos exportadores
COMPANHIA M PRODUCTOS MEMCIMES
31-RA DOS OURIYKS-31
RIO BE JANEIRO
Vendas em grosso e a retalho em Pernambuco
Francisco Manoel da Silva & C.
Vndese
E. DH DBDSINA & C.
Obras de vimes
Recabemos aeste ultimo vapor grande e com-
pleto sortimento, come aejam :
Cestas para compras, tamanhes diversos.
Bala ios para roupa engommada.
Balaios para roopa suja.
Co8tureiro.
Actales.
Bonitos bercoselindas ca.
POQAS MEnDES C.
Rua estreita do Rosario n. 9
Junio aarigd
Superior vinho de Al-
eo ba^a
Ptguntar lhe-hei, o melhor meio
de saber.
Justamente chegava o joven ofcial.
Laura, com todas as cautelas que Ihe
inspirava a sua delicadeza, diante de um
affecto que nSo quera offender, communi
cou Ihe a conversa^So que acabava de ter
eom o marido.
Pela primeira ves contou-lhc a historia
do desconhecido e dos cincoeuta mil fran-
cos, levados ra Clignancourt.
J deviam ter regularisado estas
cousas, disse-lhe8 o mancebo, e j amacha
preciso irem casa do seu tabelliao,
afim de que tudo fique prompto antes do
nieu casamento.
E' essa a nossa intencilo, disse Laura,
mas eu quera pedir-te que nao dis3esses
nada a tal respeito a toa futura familia, se
ainda o nSo fizeste.
NSo o fia, respondeu elle, corando
muito.
A Sra. Vallauris proseguio :
Achaa algum inconveniente em que
se creia, pelo meaos at o casamento della,
que Henriqueta verdudeiramente tua ir-
ma ?
Mauricio pareceu tomar urna resoluc3o
sbita.
Escutem, disse elle, melhor que
lhes abra o meu coracjfo. Sabem se eu
amo Ignez... Ella, por seu lado, me ama
tambem; mas com um absolutismo, um
celo, um despotismo, que tm a sua ori-
gem no modo por que foi educada, mais
ou menos, como crianza heia de v juta-
des. Como a rapariga boa, o futuro o
o correr dos annos amenisarSo tudo isso.
Por agora, nao obstante, creio nao dever
excitar as suas susceptibilidades, e pou-
po-a o mais que possivel. Assim, pois,
estou persuadido de que, se ella nao jul-
gasse que Henriqueta minha verdadeira
irmS, nSo supportaria a idea de verme
em contacto com ella. E' urna fraqueza
muito grande, e inda mais aborrecida...
Mas quem a desoulpar senlo eu ?...
Entio alo Ihe diaseste urna palavra
O acreditado e autigo armazem do Lim par
ticipa ao publico e aos seus fregueses que acab>
de receber urna nova remessa deste especia
vinho, escollado propriamente pelo chefe deBU
casa, tornando se recommendado por ser puro i
de boa qualldade.
Jos Fernandes Lima 4 C, ra Baro da Vic-
toria n. 9
Telephone 323
a proposito da nossa situacSo relativamen-
te nossa filha adoptiva ?
Nem palavia; ella me julga sim-
ples e verdaderamente seu irmo.
E a marqueza ?
Igualmente. Entretanto, devo con-
fessar-lhes que esta j me fez perguntas
singulares.
Sobre que ?
Sobre a semelhanca que Henriqaeta
poderia ter com qualquer dos membros da
nossa familia. Achando que ella nao tem
nada da tua pessoa, mamSi, ou do papai,
a Sra. d'Argolles me tem perguntado mui-
tas vezes e com certa insistencia, se Hen-
riqueta nSo se parece com algum ontro
prente nosso.
Que tens respondido?
Que, conhecendo muito poucos mem-
bros da nossa familia, nao podia respon-
der-lhe ao certo.
Bem, continua a calar te.
Podes contar com isso. Mas tu, pa-
pai, presta ^attencSo igualmente por tua
parte.
Nao tenhas receio, filhinho, sobretudo
quando estou prevenido nao se me des-
prega a lingua.
No da seguinte Koselin e a mulher fo-
ram casa do ttbelliao, ao qual explica-
ram a sua situacao, pedindo Ihe o mais
profundo segredo.
O Sr. Grin encontrou a solucSo que
elles procuravam, mas foi Ihe necessaria
para a esenptura a passar a assignatura de
Henriqueta, que, contando dezoito annos
de idade, poda ser emancipada para s oc-
caaiSo.
A Sra. Vallauris encarregou-se de ex-
plicar-lbe a cousa.
Como fizera com Mauricio, disse-lhe tu-
do quantose havia passado outr'ora.
Quando Ihe falln no desconhecido, a
rapariga derramou abundantes lagrimas :
no seu corac&o, como na sua memoria, tu-
do com effeito se gravava profundamento,
e Souriquette nao se havia esquecido de
cousa algum*.
Kerozene.
Dito iaexplosivel (luz dia-
mante).
Phosphoros.
Breu.
Velas de stearina.
Alcatrao da Suecia.
Cimento em 1^2 barricas e
inteiras.
Soda caustica com 70 graos.
Sebo e graxa do Rio Grande
I do Sal, em pipas e bar-
ricas.
ama do Encantamento n. 9 e
Caes do Apollo n <7
Pensou entilo naquelle rosto triste, incli-
nado sobre o seu: nos beijos ardentes que
Ihe havia dado aquello homem, que a aper-
tava nos bracos, cobrindo-a de lagrimas ;
na miniatura loura que elle Ihe havia en-
tregue e que representava evidentemente
sua mSi, como elle era seu pai...
Quando, porm, a Sra. Vallauris Ihe
contou que alguna dias depois elle t'nha
voltado, levando os cincoenta mil francos,
com os quaes ella e o marido se haviam
estabelecido e feito fortuna, entao a rapa-
riga ergueu os bellos olhos para o co,
emquanto que um hymno ardente de re-
conhecimento e de amor cahia-lhe dos la-
bios.
Oh meu pobre pai! exclamou ella'
tu foste tal vez bem culpado para commigo'
mas soffreste, e eu te perdoo.. abensSo-
te at, urna vez que a tua generosidade
me permittio que pagasse a minha divid
a e3ta boa gente, que eu adoro e que
hoje a minha nica familia.
E cabio nos bracos de Laura.
MamSi adorada, balbuciou ella no
meio das suas lagrimas e dos seus beijos,
que nao appareca nunca entre nos a questSo
de dinheiro. NSo quero de ti senSo o teu
amor, o teu cora$2o, a tua ternura... NSo,
nada de escripturas de tabelli&es, de docu-
mentos. .. Tudo isso, fica sabendo, profa-
narla o nosso santo affecto.
E eu, minha filha querida, nSo agra-
de 50 os sen ti ment s de que das proras,
porque s exactamente a rapariga que eu
ideei, que eu quiz... Sim, s superior a
todos esees clculos, j sei. Entretanto
ireciso estas onvindo? preciso que
acas o que te peco.
E como a rapariga meneasse a cabeca
loura.
NSo somonte porque prometti fazer
de ti nossa associada, que essa escriptura
assignada, disse ella. Ha para isso outra
razio tambem, que quero oonfessar-to, a
ti, minha confidente, minha amiga, e que
te decidir, assim o apero.



SabSo maravilloso para limpam
taes de todas as qualidades, mar-
mores, madeiras, trens de cosinha,.
soalhos, paredes, pinturas, etc., etc.
SabSo indispensavel em casa de-
familia; poupa tempo e trabalho.
SAPOJO
NSo se usa para lavar a roupa.
perfumaras, ferragens, armazeas e
Una Mrquez de Olinda n. 1
Armazem de cerveja, vi-
unos, champagne, licores,
cognac, agua mineral, con-
servas, etc., etc. nico
deposito da afamada cer-
veja Phoenix de Dortmund
e do chocolate Ph. Suchar
de Neuchatel.
Agencia da grande fabri-
ca de charutos Dannemann
&C, S. Flix (Baha).
Os productos d'estas ulti-
mas duas fabricas foram pre-
miados com a medalha de
Ouro na Exposi$ao Univer-
sal de Pariz, em 1889.
Vejamos qual a razSo, redarguio
Henriqueta um pouco paluda.
O casamento de Minou nao me agra-
da. Dei o meu consentimento, porque elle
e teu pai, hypnotisados ambos, assim o qui-
zeram, e porque vi que toda opposicSo de
raciocinio era impossivel para com elles.
Mas essas mulheres, a marquesa d'Argel-
les sobretodo, nSo me inspiram confianga
alguma. Dizem que ellas se acham cri-
vadas de dividas. Que ser de Mauricio
as suas mSoB ?
Henriqueta estremeceu.
A tal ponto, disse ella, que chegas
{a tremer por meu irmSo?
Explico-me mal. NSo tremo por sua
honra, nSo, e espero, estou certa at, de
| que com os seus principios e com o seu
'carcter nada desta vida o far desviar do
caminho do dever. Em compensacSo, po-
ro n, em tudo quanto se refere a interesse
o a dinheiro, Mauricio ingenuo como urna
criancinha. NSo saber nunca defender-
se, e arruinal-o ser a cousa mais fcil
do mundo, sobretudo se teu pai e eu vier-
mos a morrer, o qu: pode acontecer. Ora,
nSo quero estar exposta a essa eventuali
dade. NSo quero que a tua generosidade
e a tua indifferenca os deixem ambos des-
armados dianto da Sra. d'Argelles. Em-
quanto que, estabelecendo claramente oa
teus direitos, tu que ficars senhora da
situacao, ao menos quanto metade, e erra
isso meu filho poder sempre ser salvo.
Os labios de Souriquete brilharam como
lucilas.
Assim, 'ella podia ainda dedicar-se a
Mauricio, trabalhar para elle, consagrar-
Ule a sua vida, reparar o mal que os ou-
tros certamen te Ihe fariam.
Est bom, mamSi, replicou ella, nao
insistas, comprehendi-te, ass-gnarei a es-
criptura.
(Continuai)
, *- i -. .i f.'
Typ. Dtano, Ru? "uque tiCaxjM n. 41 -


>.
y-M



v-
.



\i
iji^iO.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMCK8RYWG_QXLVBQ INGEST_TIME 2014-05-19T18:38:17Z PACKAGE AA00011611_18829
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES