Citation
Diario de Pernambuco

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
newspaper ( marcgt )
newspaper ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
This item is presumed to be in the public domain. The University of Florida George A. Smathers Libraries respect the intellectual property rights of others and do not claim any copyright interest in this item. Users of this work have responsibility for determining copyright status prior to reusing, publishing or reproducing this item for purposes other than what is allowed by fair use or other copyright exemptions. Any reuse of this item in excess of fair use or other copyright exemptions may require permission of the copyright holder. The Smathers Libraries would like to learn more about this item and invite individuals or organizations to contact Digital Services (UFDC@uflib.ufl.edu) with any additional information they can provide.
Resource Identifier:
002044160 ( ALEPH )
AKN2060 ( NOTIS )
45907853 ( OCLC )

Full Text
w
AUNO
MERO 46
i
QUARTA'FBDU W FEVEREIRO BE 1890

*
Propriedde de Mane el Figueir
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PA^| PORTE
S Por tres meses adiantados. 6JDK)
Por tres meses adiantados.
Por seis ditos dem. .....
Por uoi anuo i^em. ....
Cada numero avulso, do mesmo dia.
15
23fOO0
5100
TELEGRAMMAS
s*
B7ico runcuu. do -zi&z
lO DE JANEIRO, 25 de FeVeseiro,
o toras e 45 minutos ^birde
i." falso o telegramas, e Montevideo
: annun:iou ter o goreruA orienta! des
i erto urna conspirado contra o governo
visorio dos^EstadojUnidos do Brazil.
) Jornal do Commercia dedarou hoje
ra detcobrir quem foi que, sob a as-
stura do seu correspondente d'-quella
i idade, expedio o reterido telgramma.
jt Foram nomeados para a Alfandega
do Estado *to Rio Grande do Norte :
1. escripturario, Raymundo Oiveira;
Thesoureiro Gaspar do Reg Monteiro.
Foi tambem nomoado 1. escriptu-
rario da Alfandega do Estado da Parahy-
ba, Belmiro Loyola.
3SS7I5S 2A ASSSSIA 2-7-3
MONTEVIDE'O, 24 de Fevereiro,
tarde.
Sr. Quintlno Bocayuva declarou que
r para o Rio de Janeiro no dia 5 de
Ha..o.
L SBOA, 24 de Fevereiro, noite.
sordens de certa importancia acabam
di*, dar-se em Cezimbra, todava as autori-
ind.f- locaes consegujram comprinilas.
as desordens sao devidas a motivos
ulares do logar.
MA, 24 de Fevereiro, noite.
Corre o boato de que um grande nume-
ra i!e,a socialistas da Brescia deve >artir
".vmente para fundar ama colonia ita-
1 ia no Brazil.
ilS, 25 de Fevereiro, tarde.
Duque d'Orleans foi transferido para
a de Detencao de Clairvaux.
oRLIM, 25 de Fevereiro, t rde.
O resultados quasi completos das elei-
para o Reichstag, sao os seguintes:
L eitos:
Conservadores 64
Liberaos nacionaes 16
Partido Catholico 94
Progresa i st s 23
Socialistas 20
Diversos 30
Ballotages 141
A encia Havas, tilia! em Pernambuco,
5 c Fevereiro de 1890.
IHSTRDCClO POPULAR
SKAIQ B!BLI0^A?S!C0
DA
LITTKR4TURA BiUZILEIRA
HOS
COJLOKUUE3
$
..-.
i
1
(Continuacao)
F-sbbelecidos os preliminares da paz, Nobre
a paruo em basca dos prisin* iros, e o padre
Anchieta fieou em refens, como fiador das neg
aac6"s cntaboladasn* -sua vida responda pelas
dos Timoyos que estovara com os rolnos.
' Nao receia que o matera, diz Joaqoim Ma-
oel de. MaCedo, seo nome um escudo. Anche
ta prestigioso entre 03 indios ; mas exposto
aos coatumes selvagens, impudicicia innocen
te. qu* era como honra devida ae hospede, elle
fez voto a Virgeui Mi Immaculada de, descre
ver em seu louvor um ,poema, se sabir trium
abante de to perigosa pro vacio. Na yerdade
nao poda ser ella mais positiva ; Anchieta era
ainda moco, e as indgenas mais bellas da tribu
eram conf-""rae o uso selvagem postas s sua dis
jKisico Nunca talvez fosse humano algum to
ardcoiemente provocado.
Diz se que para dar desde logo cumprimento
3U3 promessa. pois sabe que ha de sabir tri-
umphante da luta com a carne, Anchieta passeia-
ra ao "e-:po:tar do dia e ao cahir da tarde,
keira-mar, compondo os versos do poema e es
revendo-cs na areia, para melbor retel os na
nemoria. Asim esersveu elle em latim urna
serie de caticos cui louvor da Virgem Santi -i
na, que se consfrvan; ainda boje inditos. Este
poema ou qne melhor nome tenha. corapO'--'e
ae quatro mil cento e setenta versos, bem me
trincados, segusdo affirroam os que o leram, e
ma boa lincuag-rn de Cicero.
Eii 1565 Aadeta acompanba E t icio de -,
fuoflauor da cidade do Rio de Janeiro, na ex-
ediv,o cuulia os franeczes que 9e haviam apo
eradu e encastelado em urna ilha que por esse.
motivo se ticou chamando de Villegaignon. nome
lo ctufe do.invasores, a qual s ach.i situad..
u bahi;i je Guauabara como a denominavam os-.
ndgen-'~. ou do Rio de Janeiro, "orno 2 bapin
ou o .i u descubridor, persuadido o pr;..i
que efsa barra era a embocadura de um rw
Nefesa jornada memoravel em que se b-teram
ralentemente eoropeus e indgena*, sendo este.*
ns alllados aos francezc3 e outros 09 portu-
grzes, nao foram menos valiosos os servicosj
prestados por Anchie(a, pois nao sd servio de
interprete aos indios do Espirito Santo e S. Vi
cente que vieram em auxilio dos primitivos do
iqinauores, como era qtptm Wms os anima va ao
c mbate. \
M {CoKma)
DIARIO DE PERNAMBCO
----------* 1f&frf'^1--------*-------
REIFE, 26 DE F.v*ERETRO DE 189
DianH da neefe98iTarJe de fazer face urna
despeza que, embora os cortes operados em
differentes verbas, attingia. 3:i00.000*000,
sentiose de certo a commissao de orcamento
tanto mais embarazada quanto, tendo reconhe
cido a necessidade de suprimir diversos impos-
los, que represe.itavam no orcamento vigente o
quanto de 688:000*000, careca de preencher
este v^coo, sem gravar consideravelmente os
contribuinles.
O problema era tanto mais difficil quanto, in-
contestavelmente.^nem poia ella saccorrer-se
descomedidamente ao imposto de exportayao,
atientas as condices deprimente dos princi-
paes productos do Estado, nern pod^a tambem
avclumar o imposto de consumo (importaco ou
gyro commercial), em face das justas e nunca
interrumpidas reclamucGes do commercio de
Pe;nambuco contra esse imposto, fatal as rea-
cOes mercaotjaa praca do Recife com as visi-
nbas que teoA'a como seu interposto commer-
cial.
Domis, a maiora da commtsso, uns como
com mereja ntes, outros como membfo's que fo-
ram da extiacta Assembla Provincial, e outros
anda como jornalistas, tinha opiniao conhecida
desde longos anoos (187i) contra o imposto
de consumo, pela extiicgao do qual sempre
pugnaram, e nao era tamb -m favoravel em these
conservacao dos impos'.os de exportaco, que
todos conheciam nocivos ao iacremjnto da la-
voura.
Mas, reconhecida a necessidade de abolir os
impostos sobre os productos dos outros Estados
da Ufio-Brazileira, como damnosos que sao as
reluges econmicas e polticas que devem exis
lir entre elles ; reconhecida a necessidade, ao
menos imperiosu, de extinguir o imposto de 100
ris por sacco ou barrica de assucar senio o en-
volucro de procedencia estranha aui Estado, im-
posto qie simultneamente grava a produeco
do assucar e prejudica a industria nacional.
endo apenas de proiec;o escandalosa 'ama
fabrica de tosidos, Ijjuffloiooto para supprir O
mercado com o seu producto manufacturado*;
reconhecida ainda a necessidade, inadiavel, de
extinguir-se os impostos de dizi.nos e barrei-
ras, por vexatonos que sao s industrias pasto-
ril e de transporte, e sem produzirem para o
Estado resultado valioso, prestando-se entre-
tanto grandes abusos ; reconhecida, analmen-
te, a necessidade de abolir o imposto sobre hy-
pothecas, isto a corda ao enforcado, e os im-
postos addiciooaes de 10 e 6 %, recurso extre
mo e fcil ue orcameotos mal estudados e por
assim dizer improvisados o que restava com-
missao de orcamento, senao, sallando por cima
de todas as suas opiniOes, ater-se s duas priu-
cipaes fontes de rendaimpostos de exportaeo
e de importaco ou consumo, embora gravan-
do no menos possivel a respectivas mercado
as t
Se chegou a parecer a alguem que do odioso
imposto de gyro devia sabir o quantum necessa-
no a coorir o dficit reconhecido no vigente or.
camento, era fcil realizar o seu intuito : indi'
asse o ao honrado gove.-nador do Estado, e, se
este nisso conviesse, prescindira da nomeac&o
ae ama commissao orcamentaria, apparelho in
til para a circunstancia, mxime composta,
como foi essa commissao, de homens de opiniao
conhecida na especie.
Nao se tendo, porm, suggerido esse alvitre,
e dada a oomeaco da commissao, appellando-
se para o patriotismo de seus membros, nao se
devia esperar destes senao que saenficassem,
tanto quanto podessem, as suas opinies, sem
comtndo immolal as completamente seno em
caso de extrema salvaco do Estado ; o que nao
se da va, como pro va o trabalbo a presenta.lo.
A commissao, guiando se pelos principios
que, em ligeira syalhese, Scam exposto3, e ten
do como norma de proceJer repartir com a pos-
sivel equidade os sacrificios que o Estado exigia
de todos os seus habitantes em pro do equili-
brio do orcamento fez oque homens bem inten
c onados e movidos pelos melhores intuitos po-
diam fazer em taes conjunturas : no altar da
patria sacrilkou as suas opinies, e manteve os
impostos de exportaeo e importaco.
Exorbiton, gravando em excesjo a exporta
cao ? Exorbitou gravan Jo de meaos a impor-
taco? Ninguem o dir ssieote e consciente-
mente. Vejamos.
O assucar exportado, pelo vigente orgamento,
paga 3 / e paga mais l'0 ris por sacco ou
barrica, alm de 6 /o.addicionaes; o que, como
j dspaos, impo-ta em 4 ".'.. A oraraisso ele
vou esta taxa o imposto, .-uoprlraiudo o de 100
ris por sacco ou barrica; o que p5 em toda
evideucid que o principal "producto do Eslado
uv l\jl gi&.uuu ulCOJ lio <|'<- Jatna.a.
U aHioio exportado, pelo actual orcaraeuto
pa/a 4 *.'fcijrtfo"*a o* refluido addicionas. A com-
'*>fcA4 7. E '/vj: j.:i;.'m.
porm. Je irnlipiisi. o a.goJj n.qujuoiia-
veii^ute ai'ha-te em melhores coa.l c.- do que
o assucar. Alan de que a sua cultora e prepa o
exigem menos sacrificios do que a planta da
canna e u* tranfqrmacao em a9uear, aerresee
;;; : nais i. vi ;-.
ras en cuja raiiu s&-< pagos os direiios do Es
ta . Os Srs^ Amede Pri
Je Pars, sao os nossos ageu.es
elusivos de annuocios e piijjica-
'^oes na Franca e Inglatbjt S^
_ iJr
rl
de F&r2:i *&s Fabos.'-^ |
^ABA DENTRO E.FOSA.'iX) ESTADO
^asrdente e ajcool que, pelo vigente orea
meato pigam 2 "/ e mais os addiciooaes de 10
e 60'u, foranWaxados pela commissao -em o !/
Essa aggramao, porm, nao prejudica cssu in-
dustria actualmente prospera tal ponto que as
osloas centraes acham vantjgem em comprar
assucar para transformar em alcool.
aga30,,, quiu-
'/. quaodo pro
contar os addi-
II- $ Uxa m
ncipios que esta
- A solla,*pel
jo deste
cedenie de o
cioaaes. A commis
5%, un accdrlfo com os
tuio.
Re-i zio, porm, a commissao a taxa sobre
couriohos seceos, expichados ou salgados para
2 /, quando actualmente essa taxa de 10 /,
afora os addiciooaes. A razao disso foi evitar a
fraude. O exorbitante imposto de 10 */<,, nao
senao possivel fazer recolher interpostos lis
caes os conrinhos procedentes de outros Esta-
dos, daya logar que todos ou quasi tolos os
exportadlos de Pernambuco. fossem considera ios
como em'-transito.
Os demais impostos considerados pela com-
missao na rubricaimpostos de exportaeo -
sao de somenos" relevancia, e por assim dizer
nao sofTreram alteracao. ,
Segundo o vigente orcamento, os impostos cas
sificados como de industrias eprofissoes, iaclusive
os chamados de reparticao, estilo oreados era
1 O.OOOi. Entretanto, a commissao, considerando
que os commerckates de grosso em sua maioria
escapavam a essa imposico.daodo se como razo
disso cstarem sujeitos ao de gyro, que alias
de grande repercusso e recahe sobre o con-
summidor, estabeleceu novas classes para o
langamento desses impostos, e, baseando-os oo
valor locativo dos predios em proporgo im
portancia d03 negocios n'elles feitos, elevou o
scaquantum i 312:000* ; o que vai pe3ar effec
tivameute e sem repercussQo sobre o com-
mercio.
Nos impostas de consummo, a delenda Cathargo
dos que veem no ayro commercial o tapa bura
eos dos orcameotos, a commissao elevou 6* o
imposto sobre rez abatida nos municipios ; mas,
extinguiodo o imposto de entrada das rezes dos
outros Estados, o de barraras, o dizimo cobra
do ns fazendas de criaco de Pernambuco e os
11,6/. de addiciooaes, em vez de damnificar,
melhorou as condicOqs dos criadores de gado
e dos consuminidores de carne verde.
Nos mesrtos impostos de consummo, a cora
mi38ao transfornou em imposto de patete, na
razo de iOJ no Recife r JI Nii int
ta.'u o imposto
dente onsumrada. A ommissao, informada
de que em t889 foram collectados 616 estabele-
cimentos de vender esse artigo, sendo o todos
pelo total de 300.000 litros, o que dava apenas
urna pipa e 7 litros para cada um, convnceu-
se de que, por causa da elevaco da iixa, o im-
posto era defraudado e de dacilima arrecada
gao, e pois nao duvidou propor aquella trans
formago.
Ainda nos impostos de consummo figuram :
os sobre fumo em suas varias especies, quali-
dades e procedencias, os quaes foram ligeira
mente aggravados, sem damno para o consu
midor nem para a industria, e os impostos so
bre cargas de fazendas, etc., viadas dos Esta
dos visinhos pelo ioterior, como correctivo aos
abusos possiveis no pagamento das taxas do
gyro. E figurara, finalmente, estes ltimos im
postos, sob sua verdadeira e real denominaco,
e na razo de 6 e 12 /. sobre o valor dos direi-
tos pagos na Alfandega pelas mercadorias im
portadas, acrescendo todavia mais 3 "' sobre o
valor ofcial das mercadrias livres de direitos
geraes de consumo.
Nos impostos de traosmisso de propriedde a
commissao respeitou o que achou estatuido ; nos
impostos classttcados diversos, fez, porm, a com
misso algumas felizes ioaovaces, taes como: a
redueco para 2* do imposto por tonelada de al-
varenga de carga ou descaega no porto; a sabsli
tuicao do actual imposto de tonelagem sobre navios
pelo de 50 ris por tonelada, pago em cada via-
gem; a creac&o do imposto de caes na razo de
10i por cada dia de carg ou descarga dos navios
atracados aos meamos caes; e a creaco do im-
posto de estampilnas do Estado, na razo de
50 / do que pagara us documentos obrigados ao
sello gcral, sendo o mesmo sello extensivo aos co-
nhecimenlos das ferro vias de valor maior de 2
e na raio de 100 ris por cada um, ficando abo-
lido o imposto acual sobre cargas e bagagens
das mesmas ferro-vas.
De fcil arrecadago e prompta fiscTsaco,
ess-.'s no vos impostos se justificara, alm da ne
ces3idade que sao chamados a satisfazer, pela
sua incidencia sobre aqoelles quem aproveita
sua applicaco em celaeo ao objecto tributado ;
e a redueco dos impostos de tonelagem, que,-
de alvarengas e canoas, quer de navios e vapo
re, torna os mais equitativos e beneficiara o tra
fego gerai do ponto.
Eis de que modo tirou se a commissao orea
mentara da.improba tarefa que lhe fo comrott
lija, chegaodo a orgir a receita em 3.457:300#.
comprindo observar que a proveniencia d'esse
total esta :
deficientes e rmn&sa's, seca gravar algnma cousa
urna das dvas ,|pants capitaes da receita :'oim
posto de expo:
Dante^da
sao tirou se
lindo o sacrifll
o commercic,
ral todos os \
e todo os i
O icnTi^
suppo.-tavel.r
lativa, peni
r scis'mezes aianudos. ( 13|J500
' nofe ditos ylem...... 20^000
um anno- dem. ,. .. 26)5000
da numero avulso," de das anteriores. ^ 100

bido que wtes .pffiulam 8 /. qondo muim
oo total i portado.
Iraoostos de e.xpor'aco
D'tos de md steias e profiss6e3
M\ o de consumo
D -o de trabsmieso de pro-
priedde
IM;. diversos
8JOO0O0OO
312:000 000
1.229:300*090
178i000000
908:00*J0
3.457:300*000
N io poda razoavelmente a commissao de or
gaujt-nio faz-r mais, nem melhor. Se outros o po-
d-m faz"r, que o f-cam : a rota 6 franca. Mas
Im Je cofesoar todos que, dadas as condi^oes
do problema taes como as vio e encarou a com
mir-ao, nao era oem fcil conseguir um orea-,
ment equilibra lo em um Sstado depauperado
e em dficit constante, devido administracCes
de imp rtacao.
que a commis-
jipante da diffieuldadfe, repar
pot lodosa grvaBdo em parle
^Oira parto a lavoura, e em ge
'".clores, ttos os 'consunjido'r.'s
arlos,
"inj, -apartido, tfir^a-se nwl<
?t*s doloroso.
Ao invz d'ieo, se fosse gravada smente *
importacoist.>o commercio, seria urna s
ciasse supporter os novos encargos pblicos,
alias motivadaa^por favores e desperdicios feitos
por quem nao yartence a essa ciasse, que afina!
ticaria reduzida ao papel do legendario bode ex
piatorio.
Sabemos que se argumenta dizendo que, seo
do o imposto de consumo de extrema repe-cur-
so, nao covamercio qtem o paga, porm
8101 o coasumidar.
Assim em (tese. Mas, na hypothese de Per-
nambuco. que stnpre foi un interposto commer
cial para os Estados viiinhos, as condiejes se
modificara, porque o augmento do impoeto de
consumo aqui afcsta (ej tem granlementeafas-
tado) do mercado do Recife os interesses dos Es
lados visinhos; o que. trazendo grandes re3tric-
g6es ao mercado de Pernambuco, prejudica nao
s ao seu coniui. rcio, mas taunera ao proprio
Estado.
Foi para eviUf es3e terrivel esc'.ho, contra o
qual alias ab mittio pugnamos, que a commis
sao procedeu pela forma indicada ; e por isso
merece os nossos applausos e liamos que colber
os de todos os eapinlos sensatos que se nao dei
xa:. prender as malhas sophisticas aargacas
do fisco.
Esteja tranquilla a commissao
0 seu trabalho pode nao viogar; ma3 a sua hoo
ra est salva, e todos Ihes ho de faz-.r justiga.
gen'ep importadas,, ^orq^e, eomo"
ga,* o resultado sar-* o mesmo.
: a queda do cambio encarece os
rtWosi faz elevar tambera os pre.
itos caes, e uS vantagens eolhi-
produ:torgs do de sobra para
mes paguem as dtfferengas de 'prego dosj
gaoeros que consemem. '-
Estas esasuerages, mutafis mutanis, se ap
ipcam ac productor do algodo e ese>rodut
'< que^ c*bruo aqaeles oi'.ro. e mais 'difo.u*
S
e orcamento
Impostos de exportaeo
Para que o rtassoillustrido collega d'A Epocha
se convenga do quanto sao aventurosas e^era
base as suas refl.ix6es de aontem sobre o que
escrevemos a rwpeito do projecto orgamentano,
sugeito ao crterioio exame do go ve mador do
Eslado, vamos ,; que em rpida synthese, lgumas daquelliis re-
flexoes. i
Nos haviamAA'o que, s*aniio o vigente or
gamea'lo, 'eijp^z */. a taxa do imposto sobre
e -AtfMflf fcm*OJr.,i'>
zer"^wr)##0(^^ra u lo,
que esses productos supportariam bem es3e aug-
mento de onus, attento o seu grande valor vena'
actual, e que tende a crescer'devido taxa cam
bial, cuja qujda era fatal uestes aanos mais pr-
ximos.
O collega retorquio-nos dizendo que a posigo
da agurdente e alcool a mesma do assucar, e
que arabos aque'les productos valem, em rea-
gao produego geral, o mesmo que vale o as-
sucar.
Contra esse asserto protesta o seguinte qua
dro comparativo dos valores medios aonuaes dos
tres productos no.ultimo decenio :
PBfgOS MEDIOS -
A.N.NOS Avjttcar Agurdente Alcool
Por 15 kilos Por pipa Por pipa
1880. 3*0.1 60*000 140*000
1881. 3i250 86*000 1454000
1882. 3*38l 75*500 150*000
1883. 3*H7 77*500 160000
1884. 2*355 65*500 145*000
185 232'H 52*UO0 107*500
1886. 2*74i 65*^83 12ZS500
1887. 1*103 51*333 1022300
1888. 2*177 64*041 114*374
1889. 2*842 91*420 180*670
Por ah se v bem claramente que os pregos
da agurdente e alcool variam em proporgo d-
versi dos pregos do3 assu tares; e fcil de com-
prehender que, sendo a maior parte- daquelles
productos consumida no paiz, os factores dos
seus pregos sao as necessidales locaes.
Urna prova plenissima, porm, de que o valor
da aguardeole e do alcool nao guarda absoluta
relatividade com os dos assucares pode ter o
collega no facto de comprarem as usinas cen-
traes as3ucares para transfrmalos em alcool.
So essas abricas oo.achassem vantagem nessa
transformacSo, nao a fariam.
Acrescenta A Eppcha que, se g-ande o valor
veaal desse3 productos isso nada importa, por
que, sendo o imposto ad talorem, e nao fixos
cr;sce em importancia com esse valor venal, e
com elle diminue, sendo a proporgo sempre a
mesma. *
Nao tanto a3sim; e para mostral-o bastar-
nos ha um ex"mplo. Suppoaha-se que o alcool
seja vendido por 100*000 a pipa, deixando um
lucro ao agricultor da 15*000, se elle nao pagou
imposto, Pagando este na razo da 5 [ ad oa-
lorem, o sea lucro se restringir 10*000. Se,
po'era, fdr a pipa do mesmo alcool vendida por
20J* 00, o lucro, afora o imposto, sera de 30*,
etxeluindo o irapo3to de o*\a, ou 10*000, ser
de 20*000; isio o duplo do que era no pri-
meiro caso.
Isto quer dizer que, sendo as despezas de fa-
ricago, transpone, etc as mesmas em ambos
os caso3, a alga do prego deixa maiores lucros,
e portauto torna menos sensivel o imposto, aioda
nesmo sendo este aggravado, como propoz a
commissao de orcamento.
Desde que o collega convra em que os pre
gos da agurdente a alcool Ura-se elevado, e
promettea conservar 9e assim, claro, que a re-
ferida aggravagia 4 {aposto nao prejudicar a
productor.
Nem vem a ptllo o argumento sobre o encare-
elles, depeoleodo do cambio", sao beneficiados
pela baixa d'Ste; e pois pode igualmente sup-
portar a aggravagio da taxa do imposto, sem
receio de que 3eja restringida a respectiva la-
voura, que alias tem um bom mercado de coa-
sumo de seus productos as fabricas de tecidos
do sul do paiz, para onde- tem continame.iie
crescido a exportago respectiva.
lepois, em relago ao algodo, cumpre que o
ollega attenda a que a ng|ravago do iraposio
nao foi de 100 |0, mas sira inf rior alguma cou
sa, pois que o algodo paga actualmente, alera
de 2|0 da taxa, raiis os 6^ addiciooaes para
a Santa Casa de Misericordia.
Fosse, porem, de 100 '{, o algodo est era
melhores condigOes a loifos os respeitos do que
o ajsucar, e pois nennuma razo ha para que
pague menos imposto do qu elle, isto 4 '(o.
sem addicionaes, que quanto paga o assucar
pelo vigente orgamento.
J
PARTE OFFICIAL
Govcrao do Estado de Pernam-
buco
EXPEDIENTE OO DA 8 nE FE\"EREIBO D% 1890
Actos :
O marecbal govefoador do Estado atienden Jo
ao que requereu o padre Z-derioo Ferreira Vel-
loso, vigario collado da freguezia de Nossa Se
nhora da Grag d'esta cidade, e tendo em visia
a inforraag.1 prestada pelo inspector da Thjsou-
rana de Fazenda em ofticio de 6 do crreme
n. 101, resolve, nos tarmos do decreto n. 2884
do 1. de Fevereiro de 1862 abrir um crdito da
imoortaucia de 238*709, verba -Culto publico
do Ministerio do Ioterior, exercicio de 1889 em
liquidago, afim de occorrer ao pagamento da
congrua vencida pelo mesmo vigario de 8 de
Agosto a 31 de Dezembro do aono pissado.
Remelteuse cop.a a Tbesouraria de Fazenda.
O marechal governador do Eslado alteo
dendo ao que requereu Alolpho Bassoni de Al
meida, alferes da 2.' companhia do extincto 18."
baulba< de iofautaria da guarda nacional e
teodorem vista a informaco dojwcuqadate su-
perior da comarca do Recife, de 24 de Janeiro
do. so:- o 377, resolve designar c l.batalho
. 'a'esja- arma para amelle ficar aggregdo o
peticionaip.Cou,muaici-se ao commandante
superior.
O marechal governador do Estado resolve
nomear o bacharel Aquilino Gomes Porto para
fazer parte do conselho ue Intendencia Munici
pal da Escada, emsubstituigo de Joo Correa de
Queiroz Monteiro, que pedio dispensa d'aquella
ucumben-ia.Gommunicou-se ao Dr. Aquilino
Porto.
O marechal governador do Eslado resolve
reduzr a 1*4'J0 a diaria que actualmeute per
cebem os serventes da secretaria da extlncta
Asserabla Legislativa Provincial, addidos s re-
partices publicas d'este Estado.
Ofncios:
Ao ministro biazileiro era Londres.Trans-
nitto vos um exemplar do batanete da receita
e despeza da estrada de ferro do Recife ao >.
Francisco, correspooleote ao semestre de Julho
a Dezembro do aoao passado acompanhado do
devido desenvolvimeoto e de copia da acta da
sesso em que procedeu sea liquidago dascon-
tas referentes ao indicado penod Coramuni
con se aos mambros da commissao encarregada
da liquidago das coutas da referida estrada.
Ao governador do Estado do Cear.Ro-
go vos que providenciis no sentido do ser me
transmittida a certido do proeesso do sanieu
ciado Jcaquira Jos Valentim, que interpoz re-
curso de graga da pena de gales perpetuas, im.
posta em 1868, por deciso do jury do termo do
unta n'este Estado.
Para o recurso ser encaminhado coovem que
a referida certido veoha acoinpaohada de in
formago do juiz da condemoaglo, ou d'aquelle
que o tiver substituido no cargo, conforme pre-
ceituam os avisos do Ministerio dos Negocios da
Justiga de 28 de Junho de 1865 e 22 de Outubro
de 1886, sob ns. 287 e 63.
Ao governador do Estado do Maranhe.Ro-
go-vos que provideocieis no sentido de seren me
enviadas as certidOes dos processos dos senten-
ciados Joo Baptista Ferreira e Possidonio, que
ioierpozoram recurso de graga da pena de gas
perpetuas, que foram impostas, ao primeiro em
3 de Margo de 1852 por ileciso do jury do termo
de Caxias e ao segundo era 10 de Setembro de
1878 por deciso do jury do termo do Codo, am
bos n'esse Estado.
3onvem que as certides veoha a acompanha-
da3 de informales dos juizes da coademiiago,
ou d'aquelles que o tiverem substituido no car
go, conforme preceituam os avisos do Ministerio
dos Negocios da Justiga de 14 de Junho de 1885
e 22 de Outubro d; 1886, sob ns. 287 e 63.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda
Commanico-vos que o bacharel Jos Mariau-
no Carneiro Bezerra Cavalcante assumio o exer-
cicio do cargo de Juiz municipal e de orpaos
do termo de Aguas Bellas em 2 do corrente.
Ao mesmo. -Communico-vos que o promo
tor publico da comarca da Escada, bacharel
Henrique Martins, reas3umio o exercicio de seu
cargo em 6 do corrente.
Ao mesmo Para os deviJos flus, junto a
quantia de 995*550, importancia attingida pela
subscripgo que por iniciativa do commandante
do corpo de polica foi aberta entre os officiae i
e pragas do mesmo corpo, afim de auxiliar a
extinego da divida interna do paiz conforme
me foi enviado pelo dito commandante em offi
co de 7 do corrente, sob n. t42.-Cbmaiunicou
se ao commandante do corpo agrade.- ndo seu
acto de patriotismo, e o dos officiaes e pragas
Jo mesmo cono.
Ao director do arsenal de Guerra. Man
dai fornecer ao commandante do corpo de poli-
ca dez cinlures e igual .numero de sabres
Comraunicou-se ao commaodante do corpo.
ao inspector do Thesouro do E tado.
Declaro-vos, para os fias convenientes, que a
diaria do servente da ecretaria da exiiucta As-
sembl.Legislativa ProvinSid, Nstor Corbmia
no do Soccorro, de.veri rorrer por conta dos co
fres geraes, emquanto estiver addido repart
gao da inspaclona.especial de trras e colooi
sago. .
utrosim, declaro-vos que por aeto de hoje
reduzi 11*W0 a diaria dos actuaes servenjes
d'aquella secretaria, designados para servirem
as repzrtigoes publicas deste Estado.
%o administrador dos Correios. Jnformai
quando foram nomeados os praticaiRs dessa
repartigo. Victoriano Borges feeira e Jo 'Can-
dido Foiiseca de Medeiros, procedeodo do mesV
mo modo quanto s* nomagoes c demissOes de
vossa attribnigio para a devida matricula no ar-
chivo da Secretaria deste Goveroo.
Ao commandaate do corpo de polica.le-
c^mmeiido-vos, em respesta ao vosse offi.io de*
o dq carrete, sdb o. 140, que exclua3 do esta-~
dojeffectlvo do co-po o soldado Ignacio Servlo
dos Santos. *. ^ T.
Ao inspector da inStrucfb publioa. De
cooformidade corfl o artigo 43, u. 5, do ecreto
n. 10,201 de 9 de Margo de 1889,, providencia^.,.
Dsrra. aue.geia examinado em cegraphia, histo-
ria da^r.tettafcu-ithQietica,*) faeooLThomaz de
Aquioo Frertas, que deseja matricular- e na es -
cola naval.
Ao Dr. juiz de direito da comarca de Igua-
rass.Recommendo vos que providenciis, no
sentido-de ser m.Hransmittida a certido do pro
cesso do sentenciado Ludgero Francisco Caval-
cante Serpa, que interpoz recurso de graga da
pena de 11 annos e 8 meses de priso, imposta
em 16 de Abril de 1885 por deciso do jury do
termo de Iguarass.
Convra que a c rtido venha acompanhada
de informago do juiz da condemnago ou da-
quelle que o tiver.substituido no cargo, confor-
me preceiluam os avisos do ministerio dos ne-
gocios da justiga. de 28 de Junho de 1863 e 22
de Outubro de 1886, sob ns. 287 e 63
Ao juiz de direito da comarca de Agua-
Preta.Convm que me apreseatsis a certido
do proeesso do sentenciado Jos Felippe de Fi-
gueirdo que interpoz recurso de grag da pena
de gales perpetua, imposta em 21 de Margo de
186S, por deciso do jury do termo de Agua
Preta.
A refe ida certido deve ser acompanhat-'n '"
informago do juiz da condemnago ou daquel;:
que o tiver substituido no cargo, conforme pre-
ceituam os avisos do ministerios dos negocios da
justiga, de 28 de Jnoho de 1865 e 22 de Outubro
de 1868, sob os. 287 el53. -*.
Portaras :
Para resolver sobre o assnrapto de seu of-
licio de 6 do corrente, iiez, recommendo in-
tendencia muniaparle pmoeiro que me decla-
re, discrimioadaraente, qual o credilo preciso
afim de occorrer as despezas coastaates do fiaai
do predito officio.
Os Srs. agentes da Companhia Brazileira
de Navegagao a vapor mandem dar passagem.
al o Estado da Pdrahyba, por conta do minis-
terio da guerra, ao anspegada do 27 batalho
de iafantaria Joo Sebastio de Olireir. -Com
municou-se secretaria do commaodo das ar
mas.
O Sr. superiotendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Fraocisco d passagem, por con-
ta do Estado, da estago de Cinco Pontas a de
Una, a urna pragd de polica, providenciando
qurato ao transporte de fardameato que ella
i.onduz para o destacamento de Alagda de Baixo.
Mutatis mutanis ao encarregado da esta-
go de Palmares at Garaobuns.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do lecife ao Limoeiro, d passagens, por conta
do Estado a praga do polica Jovioo Xavier Car
nero da Cunha qu? destaca para Pao d'Alho.
dem dem a urna praga de polica que des
taca para a cidade de Li noeiro -
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Officios:
ao commandante do corpo de polica. 0 ma-
rechal Governador do Estado manda communi-
ear vos que oesta data dirigi se ao Thesouro
do mesmo Estado sobre o pagamento da quaatia
de 73*600, importancia das ragdes a sentencia-
dos, de que trata vosso offi; o de 3 do corrente,
sob n. 134.
Ao eogenheiro fiscal da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco O marechal gover-
nador do Estado nesta dala submetteu a decisi
do ministerio da agricultura, commercio obras
publicas o assumpto a que se refere o vosso of-
(icio de 25 de Janeiro ultimo, sob n. 5.
Ao Dr. juiz municipal do termo de Aguas
Bellas.O marechal goveroador uo Estado, in-
teirado do assumpto do officio de 2 do corrente,
recommenda-vos que eavieis para esta reparti-
go a certido de vosso exercicio.
Ao director do presidio de Fernacio de
Noronha.- De ordem do marechal goveroador
Jo Estado declaro-vos que deixaram de acom-
panhar o vosso officio n. 22 de 13 de laneiro
tindo, rs petiges de graga e respectivas infor-
inages, dos sentenciados Estevo Rodrigues
Costa Lyra. Joo Francisco da Costa, Felippe
Nery Santiago. Theobaldo da Costa Velloso, Ma-
ooel Corris Das de Mocera, Clemente Jos do
Nascm rato, Joo Jos Saturnino, Jos Ignacio
de Carvalho e Felippe Santiago, e bera assim as
dos sentenciados Antonio Luiz Telles de M rae-
do, Joo Baptista Ribeiro de Araujo, Manoel Mi-
randa e Miohael Giacomo, que, com a= compe-
tentes ioformages deixaram de acompanhar
vosso officio de 18 do referido mez, sob n.
26. O mesmo marechal governador Jo Esta-
do manda devolver vos a petigo de graga do
enlenciado Jos dos Res do Espirito Saato e a
informago que. com referencia a elle prestastes
em officio n. 12 do j citado mez de Janeiro,
visto de oeohumTdas duas pegas constar a data
da condemnago.
Ao cidado Joo Correia de Queiroz Mon-
teiro. O marechal governador do Estado man-
da comraunicar vos que nesta data concedeu a
dispensa pedida em vosso officio, a que respon
do, de 26 de Janeiro lindo.
EXPEDIENTE DO DIA 10 DE EVEREIRO DE 1890
Actos:
. O marechal governador do Estado ten lo
em vista o exp sto pelo tenente-coronel Manoel
Martins Fiuza," em officio de 5 do corrente, re-
solve conceder-lhe exraerago do cargo de. the-
soieiro das loteras do mesmo Esta lo. para o
qual foi nomeado por portara de 27 de Dezem-
bro do anuo prximo passado.Fizeram-se as
necessarias communicag6es.
O marechal povernador do Estalo resolve
aomear o Dr. Francisco Cornelio da Fonseca
Lima para fazer'parte do conselho de intenden-
cia municipal de Agua Preta, em ub3tiluigo
do coronel Joaquim Verissimo do Reg Barros,
que nao acelou aquella iocumbeacia.Fizeram-
se as necessarias communicages.
O marechal governador do Estado resolve
aomear o engeaheiro Alfredo Feroandes Das
para exercer nterin;mente o cargo de auxiliar
da inspectora especial de trras e colonisago
do mesmo EstaJo, de conformidade com a por-
tara do Ministerio da Agricultura, Commercio e
Oatai Publicas, ae 18 de Dezembro ue 1888. -
Fizeram sea- necessarias communicages.
O marechal governador do Eitado, tendo
em vista a proposta do Or. chafe de polica,
constante do officio n. 264 le 8 da corrente mez
datado, resolve exonerar o cidado Feliciano do
Horisonte Brasileiro, do cargo de Io supplent*
.o delegado do termo de Pao d'Alho.Commu-
uicou-se ao Dr. chefe de polica. '**
Officio :
id Ao conselheiro presidente da Relago do
Recife.Solicito o vos30 parecer a respeito ao
assumpto das represeutages, aqui juntas, dos
esenves do civel e do jury e execugoes cnmi-
naes da comarca desta capital.
Ao inspector da Thesouraria de Fazeoda.
Autonsovos, de accordo com a ioforraaco
constante de vosso offioio desta data, sob n. 109,
a mandar Torneeer pelos pharmaceuticos Fran-
cisco M.raocl da Silva* C. os medicamentos
I .
"*t|

:. J

t~Vi
'

I-.
1~-
i
1

1-




"
J


2
Diario de Pernambuo-Quarta-feira 26 de Fevereiro de 1890
s-S
utensis pedidos para a pharmacia do presidio
de Fernando d> Noronha.
l'evolven.lo-vos as propostas que acompanha-
nm o citado" officio, recommendo-vos que pro-
videnciis de m.do que taes artigos siipai ao
seu destino impretenveimentu na primoira op-
portuuidade.
Outro sim, declaro vos que expedi as ordens
necessarias afim de que pela pbarmacia da en
fermaria militar sejam reuieltid< dio os medicamentos e uteas da-'ique trata a
relajeo qa me foi prsbite petoidckgado do
cirurgiao mor doexerco. Communicou-se
inpectoria (Wbygiene.
Ao mesmo.Communico vos que o bacba
re RodolphoCarvalhodeixou, ein 5 do corrente
mez, o exercicio do cargo de juiz municipal e de
orphaos lo termo de S. Lourenco da Malta, e
assumio immedtat. mente o de substituto do
juiz de direito da comarca do mesmo borne.
Ao mesmo.Eiu ofli;iu n. 1 de 7 do cor
rente participou me o Io tenente da armada
Arodizio Fernandes de- Barros haver na mesma
data assumido o exercicio do cargo de comman-
dante da Escola de Aprendizes Marinbeiros desle
Estado para o qual foi nomado por aviso do
Ministerio da Marinba u. 156 de 14 de Janeiro
ni timo.
O que vos communico para os devidas litis.
Respondeu-se ao referido commandante.
Ao inspector do Thesouro do Estado.Em
soluco aos oDcios desse Tnesouro de 30 de Ou
tubro e 30 de Dczeranro ultimo, sob ns. 451 e
106 autoriso vos a maodardes levar a coala do
rdito de 3:000*000 votado no art. 1 17 da lei
n. 2009 do Io de Julho do anno prximo passa-
do, para compra e remonta de livros. a quantia
de 1:3364400 despendida pela Bibliotbeca do
Estado com assiimatura de joruaes, remonta de
Rvros e acqu!sio de ties estantes, e dassilicar
despendi cora expediente atJunhooa im-
portancia de 443*600 por coqta do crdito de
1:800*000 cantignado na lei n. 1884 de 30 de
Abril de 1887 que' esteve prorogada at o pn
neiro semestre dedilo aono; assim coovm que
me infrmela quaalo resta a pagar do segn lo
semestre do exercicio de 1889, com referencia a
verba-Expediente.
Ao mesmo. -Attendepdoao que solicten-
me a Intendencia Municipal de.I-iuarass era
officio de 31 de Janeiro rindo e tendo em vista a
vossa informaco n. 101 de 7 do corrente, re
commeudo vos providenciis para que o col-
lector das rendas daquelle municipio proceda ao
xarae da escripturaco e contabilidade da refe
rida Intendencia, oraanist; um balanco dos tres
ltimos ejercicios e~ propoi.ha as reforma qoe
ligar convenientes ao aperfeicoamento dow
vico. CommuDicou se a Intendencia Municipal
Ao cidado gerente da Sociedade Auxilia-
. ora da Agricultura de Pernambuco.Remello
vosi para que vos sirvis de informar, sendo
possivel, a traduccao de um officio que en 8 do
torrente dirigi me o cnsul dos Estados unidos
da America solicitando esclarecimentos pedidos
pelo }:overno de sua nago, acerca da cultura de
assucr ealgodo. .
Ao director geral das obras publicas.Au
tori-o vos a mandar fazer pelo actual contra-
stante da obra de reparos da ponte sobre o rio
Pirapama, no engeuho Novo do Cabo, como pro-
puzestes no officio de 28 de Janeiro ullimo. sob
n 15 o ac:rescirao de obras constantes do diio
flici, na importancia de 846*040.Commum
ou se ao inspector do Tbesouro do Estado.
Ao Dr. iuiz de direito. .lo districlo cnmi
aal da comarca do Recife.-Convem que prov
enriis no sentido de ser me apresei.tada a
e.-tido do processo do sentenciado Nicolao
Meados Gomes da Silva Casco. que nterpoz
recurso de grasa da pena de 4 aonos e 6 mezes
de prisao cora trabalho e mulla correspondente
a metade do lempo imposta por decisio do juiz
esta capital em sesso de 4 de Margo de 1887.
Portaras : .. ., .. .
Os Srs agentes da Companbia Brazileira
de Navegaco facam transportar ao Rio de Ja-
eiro por conla do Ministerio da Mannha o i"
lenle da armada Ignacio Luiz de Azevedo
Costa qne segu dar al a disposigao do quar
tel general de marinha.
Ao referido official acorapanba sua familia
eomposta de sua mulher D. Maria Luiza de Aze-
vedo Costae lilhos Ral de 13 annos de idade,
Joo de 11 annos. Maria da Gloria de 10 annos,
Pedro de 7 annos e Gastn de 7 mezes.Com-
municou se ao commandante da Escola de Apren
dizes Miriobeiros.
O Sr. superintendente da estrada-de ferro
do Recife a S Francisco d passagem, por coota
do Estado, ia estaco de Una a de Cinco PonUe,
a .cinco pragas dr polica u seis presos que tm
de vir recolher se a Casa de Detenga.
EXPEDIENTE Do SECRETARIO
Officio: _, -
Ao inspector do Thesouro do Estado.O
marechal governador do Estado manda declarar
tos que o cidadao Joo de *ouza Costa nomeado
no i do correle para exercer o cargo de es
rivao da collectoria de I^ua^ass nao deve pa
car no vos e velhos direitos, nos termos do art.
14 da lei n. 244 em 16 de Juubo de 1849, urna
vez que ja os lenba satisfeilo ante-iormenie
exoneraco constante da porua de 11 de Ju-
lbo de 1889.
EXPEDIENTE DO DU 1 i DE KEVEREIBO DE 1890
O marechal goverador do Estado resolve
reconduzir o bacharel Hon rio Hermello Crrela
de Bnto no lugarde juiz municipal e de orphaos
do lermo de Goyanna, por lempo de qualro au
os, na forma da le.Communicou-se ao juiz
de direilo da comarca.
Ollieios: ....
Ao eouselheiro presidente da Kelacao do
Recif-Fico iuteirado, pelo vosso officio de 8
do correte, de ter nessa dala o Viscoode de Ja
cuarioe assumido o exercicio do cargo de des
mbargador dessa Relajo.-Coinaiunicou-se &
Thesouraria de Fazenda.
Ao inspector d Tnesouraria de Fazenda.
fommumeo-vos que o juiz de direilo da coinar
a de Bezerros bacharel Sebastiao do Reg Bar-
ros, reassumio o exercicio de seu cargo em 5 do
torrente.
Ao mesmo.Reiommendo-vos que depois
de proce*sardcs mandis catisfazer a idc;u- .
onta na importancia de 87*000, relativa a fcwia
dos empregados que de 3 a 9 do trrenle mez
stiveram administrando e giando as obras do
dificio destinado a Faculdto de Direito.
Ao mesmo. Remeti vos para os devidos
fas copia do aviso expedido pelo ministerio da
Snerra, etn 28 de ezembro prximo passado,
eclarando que as gratilicagoes abonadas ao ci
ior"iao mor de *riada Dr. Antonio de ouia
Daolai e ao i' cirurgrio Dr. Fernando Ferreira
Barreto, a que se refere vossa ioforiuaco, de 5
de Novembro, sob n. 430, devem correr pela
verba mencionada no d.to aviso.
Ao mesmo. Declarando o ministerio da
nerra, em aviso de 29 de Janeiro ultimo, que
xado em 600 rts o .alor das etapas das ^ra-
tas dos corpus da guarut^o d.-ste Estado duran
le o actual semestre, e em 1*200 o da forragem
dos animaes dos mesmos corpos, que devera, de
accordo com o qu>' est mrcalo para os da ca-
pital federil, ser de 5'kilogrammas de alfafa, 4
de milbo e 1 1|3 fexe de capim, 1 kilogrammo
de farello e 6 mililitros de sal; assim vos coa-
munico para vosso conhecimento e devidos tina.
Fizeram se as necesarias communicaces.
__, Ao mesmo.Dclaro-vos, para o tim de se-
rem dadas as precisas ordens, qae o ministerio
da fazenda, segundo commuuicou-me um tele
gramma de bontem reintegrou Fabio Rio no
commando do cruzador Meduza.
Ao director de Arsenal de GuerraSegn
do consta do officio da intendencia da guerra, n.
89 de 29 de Janeiro ultimo, foram embarcados
no'vapor Pernambuco esperado dos porto* do sal
17 voluraes con ten do medicamentos e mais ai li-
aos destinados a pbarmacia militar aqui exis-
tente. ..
O que vos communico para os devidos nns.
Communicou-se a secretaria do commando das
armas.
Ao administrador do theatro Santa Isabel.
Attendtndo ao que requeren o professor de
msica Antonio Martius Vianna na petico sobre
que informas tes em officio de 8 do correte, con
edo o salao desse iheatro para um concert que
Sreleo de der o mesmo professor na noite de 13
o crtente mediante a contnbuic4o do estjlo e
mais despezas inherentes.Fizeram-ae as ne-
esEarias communicaces.
Ao director das Obras Publicas.De ac-
ordo com a iuformaco qae prestaste no offi-
io de bontem, sob n. XI, consinto em que ad-
mittais gralaitamente Alfredo Lopes Ferreira
nessa reparticAo, como praticanle de deseobo,
em despendi para os cofres do Estado.
Ao director do presidio de Fernando de
Koronha. Tendo em vista o exposto pelo in
spector da Thesooraria de Fazenda, em officio
junto por copia, recommendo vos qur providen-
ciis no sentido de terem regresso da Ilha Rata
pan esta capital os- empregados e os dous ma-
nnheiros de que trata o mencionado officio, os
quaes devero vir a bordo do vapor ojie ama
nha segu para ene presidio.Communicou-se
Thesouraria de Fazenda.
Ao presidente da Intendencia Municipal de
palmares.Agradecendo vos, bem como a vos-
sos companheiros de Inlendeacia ns congralo
laques que me dirigistes em fficio de 6 do'cor-
rente, fa'co votos pela prosperidade do munici
pi de Palmares, que se acha entregue vossa
solicitude e reconbecida competencia.
Portaras:
Os Srs. agentes da Companhia Brazileira de
NavegacSo facam transportar ao Rio de Janeiro,
por conla do Ministerio da Guerra, o alferes do
2." batalbao de infantera, fiarlos Angosto de
Almeida Soares, que vai acompanbando ncru
tas e um delertor. Mandou-sj a Thesouraria
de Fazenda ajustar coutas ao referido alferes e
communicou-se secretaria de Commando das
Armas.
. Os Srs. agentes da a^ompanbia Brazileira
de Ha vegacto facm transportar ao llio de Ja
neiro, pot coala do Ministerio -da Guerra, 133 re
c-utas e o so.dado desertor do 23.* infantaria, Antonio Vianna dos Santos, constan
tes das inclusas relates.
Os Srs. agentes da Corapanhia Pernambu
cana mandem dar passagem de proa at o pre
sidio de Fernando de Norooha, a Alexandrina
Mara da Coiiceigao, mulber do sentenciado Se
ranm Leite de Lima, por conta das gratuitas a
qoe o governo lera direito. Communicou se ao
director do pre-idio.
O cidadao gerente da Corapanhia Pernara
bucana de Navegjo d passagem- para o pre
sidio de Fernando de Noronha. por conta 8o Mi-
nisterio dos Negocios da Justica. aos presos
Bernardino Gomes Duate, Jos Ribeiro l'orlu
gal, Matbias Noxe, Paulo Otivil, que 'vieran, do
Kio de Janeiro para cumprir sentenca por crime
de moeda falsa.-Officiou se ao juiz de direito
do 2. districlo criminal e ao director do presi
dio de Fernando ** Noronha.
O cidano gerente da Corapanhia Pernam-
bucana faga transportar para o- presidio de Fer
nando de Noronha, por conta dos negociantes
Marques Sobrinho & C., os seeros alimenticios
de qde trata a relaco aqui junta assignada pelo
secretario do governo do Estado.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recite a S. Francisro d passagem com direi-
to a bagagem, da estacao de Cinco Ponas a de
Frecheiras, ao cabo de esquadra do corpo de po
licia Ciementino Jos Maria da Silveira, que des-
taca para o districlo de S Jos da Boa Esperan-
ca, conduzindo sua mulher.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife a S. Francisco d passagem por conla
do Estado, da estaco de Cinco Ponas a de Una,
a ma praca d polica, providenciando qnanto
ao transporte do fardamento que ella conduz pa
ra o destacamento de Aguas-bellas.
Uutatis muiandts ao enearresrado da estago
de Palmares al a i i Ganaobuae idam idem.
O 8r. snperintendente da estrada de ferro
do Re:ife a S Francisco d passagem por conta
do Estado, da estaco de Cinco Pontas a de Una
a nma praca de polica que deslaca para a villa
do Bonito.
Mutntis mutand-s ao encarregado1 da estaco
de Palmares al Quipap, dem. dem.
O Sr. supenn endent da estrada de ferro
do Recife a Limoeiro d passagem por conta do
Estado da estacao do Brum a deTunbabaa
praca de polica Joo Baptista de Andrade, que
regressa para o seu destacamento no termo de
I lambe.
O Sr. supenntenlente da estrada de ferro
do Recife a Ltmoeiro d passageos, por conta do
Estado, a um 2 sargento e um soldado do corpo
de polica que destacara para Taquaretinga.
tem, com direito a bagagem da estacAo
do Brum a d'^quella cidade, a cinco pracas da
polica que deslacam para Vertentes, co:iduz n
do urna d- li.i- sua mulber.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Officios :
Aa inspector da Thesouraria de Fazenda
O marechal governador do Estado manda remet-
ler vos as duas inclusas ordens do Tribunal do
Tbesouro Nacional ns. 13 e 14.
- Ao inspector do Thesoura do Estado.-0
marechal governador do Estado maida commti
mcar-vos para os devidos tios, que na pctic&o
de Aurelia do Prado Ribeiro da Cunha Souto-
Maor professoa puolica de Rtbeirao, lavrou ho-
je o segu ule despacho :
Os actos de 26 de Outubro foram conside-
rados sem effeito pelo de 20 de Novembro ; ser
vinlo de fundamento a essa resolugo haver si
do excedida a auioris-igo contid > na lei n. 2031.
Provida a peticionara em 26 de Outubro e ao-
nullada a sua nomeacAo por esse fundamento,
nudos sao tambem todos os actos que d'aquelle
decorreram ; cabeiido a peticiouaria receber do
Tbesouro do Estado os emolumentos aue pagou,
e devendn o seu vencimeuto ser regulado como
o dos professores que se achara dentro do praso
para lomar conta das cadeiras para que forara
removidos *.
Ao mesm-.i.-O narecbal governador do
es'ado manda comroonicar-vos, para os devidos
flns, que hoj proferio o sega inte despacho ni
petico de Belmira Mara de Jess Iuiapioa. a
respeito da qual este Thesouro prestou as in
formagOes de 12 de Novembro e 10 de Dezemoro
ltimos, sob ns. 487 e 48 :
A divida de que se trata nao pode ser liqai
dada, porquanto refere se a subvenr.o que con
siderada como auxilio ou favor noobriga o es
lado a alisfazel a, no caso de nao compon .rea,
as suas rendas.
Ao commandante do corpo de polica.O
marechal governador do estado manda comraum
car vos qae boj i dirigi officio ao Tbesouro do
Estado sol) a ajuda de costo ao alferes desse
corno, ao qual vos refers em officio de hontem,
sob o. 144.
Ao director geral de obras publicas.O
marechal governador do estado manda aecusar o
recebimento do officio de honteo., sob n. 21, em
uue commuunicaes Uav r mandado passar certi-
ficado de pagamento da 3 e ultima prestaco a
que lera direito o contractante da obra de repa
ros do empedramelo da estrada da Victoria,
Francisco de Hollanda Cavalcante de Alboquer
querque, na importancia de 3:26874o.-e lavrar
termo de recebimento provisorio.
'. Ao mesmo.O marechal governador do
estado ticou inte rado pelo vo-so olli ;:o de lon-
lem, sob o. 24, de baverdes mandado lavrar ter-
mo de recebimento definitivo da obra de reparos
do empedramento da estrada de Jaboatao e d
movimeoto 'e trras da estrada da Victoria, ex
pedido certificado de pagamento e prestago d--
responsabilidad na importancia de 131*978 ao
contractante Francisco de Hollanda Cavalcante
de Albuquerque.
ao capno de eogenheiros Joo Claudioo
de Oliveira e Cruz. -O marechal governador lo
estado declara vos que ticou ioteiralo pelo offi
ci n. 1 de 7 do corrente de haverdes assumido
na mesma data o exercicio do cargo de director
das obras militares para o qual fostes nomeado
por portara do Ministerio da Guerra de 14 de Ji
neiro ultimo.Communicou se ao inspector da
Thesouraria d; Fazenda.
Aos agentes da Corapanhia de Navegaco
a Vapor.De urdan do marechil governador do
estado aecuso o receoimento do officio em que
communicaes que o vapor Alagoas chegou boje
s 6 horas da raanh dos porios do norte e se-
guir para os do sul amann s 4 da tarde.
Communicou se directora do commercio.
Ao directo' do presidio de Fernando de
Noronha.O m..rechai governador do estado
manda communicar vos que nesta data cencedea
permiss&o afim de ir para a ilha Rata ao opera-
rio Joaquim Alves de Aramo, que se destina ao
servico da empresa ae exploraco de phosphato
de cal. i
Tenente Arcelino de' Oliera Souza.Designo
o 1* Jtatanao-da guarda in na I do servico de
resarc para aulle lloar.-flgpregad o peticiooa-
rio.
Amalia Prudencia Alvos ale Lima.Como re-
quer.
Aagveta Elvira Uhoa.Ioforme o inspector
geral da-Instrucco Publica.
Braga c S lafueme oiaspector da-Thesoura
ra de'Eazeoda.
Otraesino.EnjamiDhei'f i devendo ser pago o
porte no cerreo.
Bernardo Francisco Sanliafo.Ao inspector
do Tbesouro do Eslado para informar.
Bernardino da Costa Camping Jnior.Encami
nhe se, devendo ser pago o porte no correio.
Camilla do Carmo Torres.Tbdeferida.
Hermina Jos de Azevedo ^edra.Aguarde o
titulo.
Capito Joo Theodomiro aa Costa Monteiro.
Ao director da secretaria da extincla Assenbla
Provincial para entregaros documentos mediante
recibo.
Bacharel Jos Emigdio Goocalves Lima.Sim,
com os veoeimentos a que ti Jos Mirabeau de MelloMariz.Informe o ins-
pector do Tbesouro do Estelo.
Jos Antonio Alves.Agaarde requisico do
juiz municipal do termo de Floresta.
Jos de ;alasaos Vieira dftSouza. -Ao Dr. juiz
de direilo da comarca de Iguarass para infor
mar.
Bacharel Joo Franciscoj*ereira.Deferido
cora o olli -ao de hoje ao Tbepuro do Estado.
Julia Ayres de Almeida Freilas. Informe o
inspector geral da Insiruccao Publica.
Lydia Alves da PunRcacAo BezerraNao tem
lugar o que requer, visto satos!irem os motivos
que determi-Kiraai a eUd^o,do acto de 20 de
Novembro do anno passado. *
Maria dj NaliviJade Ferrsfra -l-Ao director da
secretaria da extracta Assembl Provincial para
entragar, mediante recios documentos, se bou-
ver.
Maria Oliveira da Paz. -Informe o provedor da
Santa Casa de Misericordia ci Recife.
Marcolino de Souza Travasso.luforme o ins-
pector do Tbesouro do Estado.
Rodrigo Camino 4 C -Informe o inspector
da Thesouraria de Fazenda.
0 mesmo.Eocaminhe-se, devendo ser pago o
porte no correio.
Secretaria do governo do Estado de Per
nambuco, 25 de Fevereiro de 1890.
O porteiro,
H. M. da Silva.
CORRESPONDERAS
DESPACHOS DA SECKETABIA DO GOVEENO
DO ESTADO DE PEENAHBCCO, 24 DE PE-
VEREIBDE 1890
Abaixo assignados, habitantes no districlo da
delegacia de Canbotinho de S. Bento.-AoDr.
iau de direito da comarca de S. Bento para in
formar, ouvindo o juiz municipal.
Alexandre Agripino do Nascimento. 'Informe
o Br.afcefe de polica.
AaflBo Facundo de Castro Meneses.Ao ins-
pector d Tbesooraria de Fazenda para infor
nur.
brob-
Repartlco da Polica
2.* seccao.N. 44.Secretaria de po-
icia do Estado de Pernambuco, 25 de Fe-
vereiro de 1890.
Cidado. Participo vos que forara hontem re
colhidoo a ".asa de Detenco os individuos de
nomes Antonio Petronillo Uibano, Pedro de tel,
Joo Flix da Silva. Martimano Jos de Sant'An-
nae redro Braz Barbilho.
Communicou me o delegado do termo de
Quipap, que s 2 horas da madruga la de 23 do
correte, os ladrOes, em numero de 5, penetra-
ran!, por meio de arrombaraento, no estabeleci
ment do lenente-coronel Francolino Guilherme
de Azevedo, sito no povoado Apua Branca, dei
xando difeflectuarem o roubo. pjr ter desperla
do um c.ixeiro que all dorma, o qual gritando
por soccorro, deu luaar a que os ladroes se eva
di.-sera antes de serem reconhecidos-
A tal respei'o proceden te na forma da lei.
Anieiioiiiera. tarde, foi preso em flagran-
te no termo do Cabo, por haver ferido gravemen-
te com urna facada, a Aleixo de (al, eaorador em
trras do engenho Pantorra o individuo de norae
Mano. I Sirid.
Contra o de.inquente abri se inquerto.
O ci lado Napoleo da '.osla Moreira reas
sumi boje o exercicio do cargo de subdelegado
do istricto da Torre.
Foram transminidos os seguintes tirulos de
autoridades policiaes enviados a este reparti
pela secretaria do governo deste Eslado :
Flix Julio TeiXiira Lima delegado de Ca
brob. -
Joo deS Aranjo, delegafe^te ^eleo de Ca
ob. ?'T^*.
Capito Martiniano Leite ..a.\Vla,delegado de
l'et-olraa *
Coronel Manoel Jacome Bezerra de Larvalho,
delegado de Boa Vista.
Major Jos Matbias Dantas, delegado de Sal-
gueiro.
Euphrasio Ildefonso de Alcncar, delegado de
Leopoldina.
Francisco Xavier de S, delega lo de Taca
ra lu-
jse Sebastiao Pereira da Silva, delegado de
Belmonte.
Lniz Alexandre de Aleacar, delegado do Ex.
Pedro Goocalves Cavalcante, delegado de Ja
toba de Tacnrai
Capito Manoel Ramos de Barros Molla, dele-
gado de Aguas Bellas
Vicenie de Paula Felino dos Santos, delegado
de Grvate.
Joaquim Porphirio de Almeida, V supplenle
do delegado de Gravat.
Alferes Demetrio Hermilio da Costa, subdel-
galo do Io districlo da Gloria do Goit.
Francisco Antonio Missano eTolentino Henri-
que Noueira, lei supplenies do subdelega-
do do Io districto de Correles.
Lino Evangelista dos Res, Agostinbo Alves
Pereira Castor e Francisco Caroeiro de Carva
Iho, Io i' e 3* Hullenles do 2 districto de Cor-
rentes
Joo Manoel da Silva Simoes Joaquim Firm
no de Aranjo, Manoel Nunes Barbosa e Francia
co Jos de Goes, subdelegado, Io, 2" e 3o sup-
pleotes do 3* districto de Correles.
Acaba de raa communicar o delegado do
termo de S. LourSigo da Malla, que hontem
tarde, no lugar Camorim, o trem da via-ferrea
de Limoe'ro esmagou um bomem de idade avan-
cada, rujo cadver, depois de vistoriado, foi se
jultado no cemiterio de Pao d'Alho.
Procede se a telrespetto na forma da le.
Pelo delegado de termo da Gloria de Goit
foi remettido ao juizo competente o inquerto
policial a que procedem contra Jos Joaquim de
Saat'Anna como incurso as penas do arl. 2a7
do Cod. Crira.
Sade e fraternidade Ao marechal
Jos Smelo de Oliveira, mui digno go-
vernador provisorio do Estado c
nambuco-O Cnefe de polica,
Antunee Ribas.
Antonio
de
Thesouro do Estad*
Pernambuco
DESPACHOS DO DA 23 BE FEVEBBIBO DE
1890
Bacbarek Manoel Gomes Viegas, Antonio Izido-
ro de Souza Barbosa, officio do inspector da los-
truego Publica, sob n. 28; dem do director do
Arsenal de Guerra, sob n. 112, Jos Luiz de Sou-
a, JoSo jflhanazio Lins Cavalcante de Albuquer
que, Antonio Jos Brum, Adelaide Rosalina Bit
tencourt Barbosa, Manoel Jos Goocalves Braga.
Ao cidadao Dr. contador.
Jos Pauto Bj le I iio, Jos do Reg Lima, Her
mehnda Amelia de Araujo Ribeiro. Francolino
Augusto de Hollanda Chacn.Ao cidado por
teiro
Jos Alves Das.Informe o administrador da
Recebe loria.
Jos Orias de Paula H>mem. A' Secjo do
Contencioso para cumprir o despacho da una.
Antonio Vicente Pereira de Andrade.dem.
Mara Clara de Mello Figueira, Antonio Firmo
de Oliveira, cilicio do Dr. chefe de polica, sob n.
1,231 de 8 de Outubro ultimo, officio do coilector
interino de Itaquaretiaga, Jos Feliciano Cabral
de Vasconcellos.Haja visto o Dr. procurador
riscal.
Recebcdorla do Estado de Per-
nambuco
DESPACHOS DO DA 25 DE FEVEBEIRO DE
1890
Mara dos Aojos, Aicnanja Mara dos Anjos.
Rita de Cassia de souza Leo e Amaro Emiliano
da (kiste Soares.Informe a i. lecco.
Jos de Azevedo Antunes Guimiraes.Certifl
que se o qne constar.
Joo Das Moreira & C. A' I.* seceto para os
tins devidos.
o Diarlo de Pernambuco
VILLA DE S. LOURENCO DA MAT-
TA, 24 de Fewreiro de 1893
Gaofiado na vossa acqoieseencia, venbo tor
nar-me missivta mensa! desta villa para o velho
orgio da imirensa pernambucana, embora seja
u wndos seus mais obscuros lilhos. Promet-
lo-vosaio affastar me ura s momento da ver-
dale, narrando sem odio ou preVencp alguma,
os factos de interesse publico que se forem dan-
do n'este velho e pequeo tor rao : tudo de ac-
cordo com a posic&o sobranceiri qoe tendes as
sumido al hoje as lides da imprensa.
Est esta villa s tuada 4 leguas pouco mais
ou menos da capital, cujo percurso se faz era 53
minutos trem ; banhada pelo soberbo Capiba-
"ribe u outro i pequeos riachos, ar inieiramente
salubre ; urna boa estrada de rodagem, que fa
vorece prompto transporte cavallo ou a carro
at Caxang em pouco mais de urna hora ; e fi-
nalmente sua populaco de ndole pacifica e
amante da o: dem.
Alm de muitos engenhos de fabricar assucar,
tem mais urna grande fabrica central, talvez a
maior deste Estado, que, distante apenas raeia
legua, aprsenla ao observador una dislracco
admiravel. As cannas sao coaduzidas para a
fabrica por machinas ; e a raesraa Lbrica tem
macliinismos apoi feicoaios. magnifica luz ele-
ctriza, e representa em movimenio um panorama
elegante e apreciavel.
O sol tem sido abrasador, com lado dizem o
entendidos na agrcoltura que este.anno a safra
ser grande, em virtude de lesera plantado com
abundancia e estarem as cannas boas
A Pj-ovidencwJMvina e o patritico governo
central, protejara de aluda classe agrcola,
principal fente de riqueza do oosso paiz.
Os gneros alimenticios vo encarecendo e a
fera tem se tornado pequea
Acha-se na vara de juiz de direito d'e?ta co-
man Dr. Gongalo de Faro, de cujas luzes e
patriotismo, muito temos a esperar ; sobretudo
tendo por auxiliares, mocos intellinentes e Ilus-
trados, como o os Ors. Rodolpho Carvalho,
juiz substituto, e Ausberto dos Ramos, promo-
tor publico.
0 conselho de Intendencia Municipal tem func
cionado semanalraente : desagradando, porra,
aos negociantes, cojos impostor foram augmen-
tados considera vel mente ; sendo esta, urna das
razOes de estar a feira dimiouindo e carestiando
os gneros.
A tranquillidade publica presentemente vai
inalteravel.
Na prxima missiva tralarei circumstancida
mente dinfactos occorridos.
ao revoir.
REVISTA DIARIA
iiii-iil nii-w mtiuicipiaeM I* >'' porta-
ra de 24 do corrente do governador do Estado
foram dispensados, a pedido, os coronis Sebas
tinho Antonio Accioli Lins Wonderley e Fran
cisco Vaz Cavalcante Je intendentes munici paes
de SerinhSem e Pedra, e noraeados, para sub
st tuil-os, o bacharel Honorio de Barros Waii
derley e o capitio oo Tenorio de Albuquerque,
ta ordera era que esto collocados.
Documento valiowoSer lido de certo
com prazer pelos que prestara atlengao s cousas
publica* a segrate transenpeo que fazeraos da
pag. 9* do Relalorio da Associaco Coramercial
Beaelicente referente ao anno econmico de 87
88, e lido em sesso de sua assemnla geral de
13 de Agosto de 1888.
Eis essa pagina, que tem interesse de acluali
de :
O Jornal do Recife de 4 de Janeiro deste anno,
dando noticia da propaganda, que fjzem os jor-
naes do Gear para que os commerciaoles do
cenlro daquell proviocia facain suas compras
na Fortaleza de preferencia ao Recife, disse em
artigo de futido sob a rubricaInteresses locan:
Ha algum tempo, que a nossa praca commer-
cial se isola Amigo emporio commerctal,
onleas provincias raitrophes vinhamseabas-
- tecer de todos os gneros de iraportaco neces-
sarios ao cotisaaitno, hoje esta quasi redoaida
s neeessidadesUocae3,*e u noucas localiiades,
que eomnosco aioaa tinao..era reUcfes cora-
merciaes.
O incentivo para a emancipago das provin
cas vizinlus foi o i no j-;ole consummo, sobre
o qual as c >u lemiacO > mais severas tjrna.ii-
t se brandas diante dos effeitos econmicamente
desastrosos que produzio para Pernambuco.
A praca do ^ear era um dos nossos raelho-
res frfguezes pela abundancia das *orapras e
pontuahdade nos pagamentos. H^Ast em
quasi sua lolalidde perdida para id. A re-
giio do Araripe, que abrange as cas do Crato e Jardim, enlretm ainda relaces
cora o commercio pernambucano, mas ja se
opera unrmovimento de separagao e aggrega-
(o dessas localidades praga da Fortaleza
At aqui a aprec.iac.ao dos factos com que esta-
rnos em perfeito accordo : agora a injusiiga ca
morosa darredaeco do Jornd aonosso commer-
cio, contra o qual aproveitamos a opportuoidade
pira prostestara.
O commercio de Pernambuco deve ver que
as snas relagOes, mesmo com pracas inferiores,
esto a terminar. As assemblasproviuciaes
assim o quieram, e o cwanirionoo.iou6e rea-
gir em lempo e proficuamente.' (Ao:. n. 11.)
O commercio de Pernambuco lutou tenazmen-
te durante innmeros annos consecutivos contra
a permanencia de urna imposigo desastrosa,
raostrfcu a. evidencia, que os ioteresses, qae ad-
vogava, eram os legtimos e viUes interesses da
provincia, continua a luter vencido mas nao
convencido, e aecusado de nao ter sabido rea
gir I Sinceramente lastimara s. que no lempo
da luta renhida o Jornal do Kecife nao nos tives-
se ensinado o modo proficuo de reagir I...
humeara colimada Por portara
de hontem, reselveu o.D. inspector geral da in-
struccAo publica coulirmir a.nomeacao de D.
Julia Jacelina Borburema de Burgos, para reger
i uterinamente' a cadeira ao Brejo dos Padres,
vaga actualmente.
Exoneructo de professor prima-
rlo -Por portara de boutera datada, resolveu
o Dr. inspector geral da instrueco .publica exo-
nerar o cidadao Ovidio Fernandes Rodrigues
eoelho, que rege actualmente a cadeira de Ca-
cboeira do Roberto, a qaal, em virtude do des-
appareciraento do professor fffectivo, deve ser
convertida emmixta -e, como tal, so pode ser
re i da por mulher.
nemoc&oEm officio de 22 do corrente
mez communicou o marechal governador do Es-
tado ao Dr. inspector geral da instrueco publi
ca que. por portara da mesma data removeu a
professora Mana Ignacia de Jess, da cadeira
da villa de Tacaratu para a de ensino mixlo de
Bello Jardim. visto haver conveniencia para o
servico publico.
Urignaruo de cadeiraEm officio de
24 do andante communicou o marechal gover-
nador do Estado ao Dr. inspector geral da in
struego publica que considerou sem elcito a
portara de 25 de Outubro do anno findo. na
parte que removeu a professora Amalia Pruden
cia Alves Lima para a cadeira d.- Carnahyba,
sendo determinado que a mesma professora reja
a cadeira de ensino mixto de Camutanga.
Servleo militarHoje superior do dia
o cidado capito Silva, e faz a ronda de visita
um subalterno ae cavallaria.
0 2 baialbo dar a guirnigo da cidade,
o official e o commandante da guarda de Pala-
cio, que ser dada pelo destacamento de arti-
Ibaria.
Foram nooeados os cidados capito Jos
Placido Lucas Biom, Frncisco Leobaldo Augus-
to de Moraes, e alferes Pedro Nolisco de Souza,
para a com nisso que tem le, no dia 27 do
corrente, s 11 horas da manh, na enfermara
militar examinar o estado de inservibildade de
diversos objectos a cargo da mesma enferma-
ra.
Alistaram se como voluntarios 12 individuos-
oaledade aacalv-en OlaReune-se
amann em sesso essa sociedade Iliteraria, -no
lu^ar ehora do costume para tratar de assom-
ptos de interesse social.
A PatriaEst em distribuico o seu n. 8.
Brinde A officialidade do corpo de polica
deste Estado, no intuito de significar a alta esti-
ma que dedica ao seu digno commandante, o Sr.
tenente coronel Antonio Ignacio Xavier de Al-
buquerque, aproveitou o dia de hoje, aniver-
sario natalicio do mesmo commandante, para
presenteal o em demonstrado daquelle senti-
mento com o seu retrato a oleo, que mandou
tirar na pbotographia dos Srs. Heosehel & c.
Esse retrato esteve hontem emSxposico n'um
estabelecimento commercial a ra 1 de Marco,
onde foi apreciada a sua execuco artstica.
Si a inspiraco dos offerentes a louwel, si
ella deram ongem sentimentos honrosamente
coofessavuis, certo tambem que no alv da ma-
mfestaco concorram qaalidades que a autori
sam, e faxem n*o crdor do apreco que os offe
rentes assim externara.
ooied.de 15 de \ov.-mbro-Essa so-
ciedade luterana faz araanh sesso ordinaria.
Ter lugar o jury .histrico*) personagera Ca
labar.
Petiagoglca PernambucanaPor de
lberaco da ssembla geral do Club' Litterario
Ayres Gama, sendo elle dissolvido, ergueu-se de
hire os seus alicerces a nova associaco, cujo
ti teto encima esta noticia.
Os tins de3sa sociedade revelam-se da propria
denominago, e por isso nao carece de deca
ral o.
A direceo provisoria compOe se dos Sn. Ar-
thunio Vieira, presidente ; Servlo Beda e Ely
sio de Mello, secretarios ; e Rutilio de Oliveira,
orador.
A primeara sesso preparatoria est marcada
para o dia i de Margo.
O Binculo O escriptorio da redaeco
desse peridico foi transferido para a ra Baro
da Victoria, predio o. 39, sala posterior do re-
spectivo 1 andar.
Vapor Espirito Manto Chegou hon-
Uin dos porios do norte esse vapor, contra o
.ivslwLe pela hora adianlada.
Bra consequencia disto, nao podemos dar as
noticias de que porador; o que todava ama
nh fareraos.
Ferlmeato nave-No dia 23 do corrente,
em trras. do engnho Pantorra, do termo do
C bo, ura individuo de nome'Minoel Serid lerio
gravemente com urna facada outro chama lo
Aleixo de tal, sendo preso era flagrante.
Eimatamenlo No lugar Camorim. do
termo de S. Lourenco da Malta foi, ante hontem
tarde, esmagado elo trem da ferro va do Li
moeiro um homem de avaucada idade, e cujo ca-
dver, depois de vistoriado pela competente
autoridade, foi sepultado no cemiterio da cidade
de S Lourenco.
Club ir.io Branco Este club carna-
valesco elegeu no dia 23 do corrente sua nova
directora, que licou assim composta :
PresidenteMiguel -irchanjo.
Vicefwesidente-Lupicinio Basto.
DirectorSimpticiano Pessoa.
Thesoupeiro-Jos Soares.
1." procurador Umbclino.
2. procurador-Btnto Rama'ho.
3." procurador-Maymutido.
Fiscal.interinoSimplicio.
1. secretario -Abilio A. A. Mello.
2 secretarioPaulo Oliveira.
Tribuaal do Jury do neeiffeCora a
presenca de 36 juizes de facto funecioaou hon
?-.m este tribunal, sob a prtsilencia do Dr. Joa
3uim da Costa Ribeiro, jui'. de direito do i.
istricto.
A's 11 horas da manh foi aberla a sesso e
sub i eltido a julgamento o reo Jos Francisco dos
Santos L-jite, pronunciado por despacho do Dr.
juiz de direito do 5.* districto no art. 205 do Cj
digo Criminal, por haver em 2o de Setembro de
1888, na freguezia doPgo da Panella, ferido gra-
vemente a Pranceliuo da Cosa Ferreira.
O jury de sentenca compoz se dos jurados se-
grate* :
Manoel Maria de Araujo.
Jos Pedro Alexanirino Bezerra.
Antonio Francisco de Mello.
Christiano da Gama Lobo.
Antonio Pereira Bastos.
Joo Baptista Cesar.
Francisco Placido Botelho.
Miguel Angelo do Nascimento Feitosa.
Manoel Roberto de Carvalho Guimares.
Chnstovo de Barros Gomes Porto.
Antonio Caraeiro Rjdrigues Campello.
'Telemaco Cavalcante de Mello.
O Drv Henrique Milet, 1 promotor publico pe-
dio a conderaaaco do aecusado no grao mximo
do art. 205, do Cdigo Criminal, por terem con-
corrido na pratica do crime as circumsiancias
aggravantes do art. 16 g| i., 4. e 6." do dito
Cdigo. _
Deduzio a de/e.ia o cidado Joaquim Francisco
dn Mello Santos.
O jury reconheceu a autora do delicio com is
circum tancias attenuantes do art 18 1 e 4."
negando-as aggravantes articuladas no libello e
a gravidade dos ferimentos.
Em vista aestas decises foi o reo condemna
do a um mez da prho e multe correspondente a
raetade do tempo, grao miuimo do art. 201 do
Cdigo Criminal.
Em seguida e perante o mesmo conselho rol
submettido a julgamento o reo Antonio Elias de
S prenunciado no art. 219 do Cdigo Criminal
por ter em Setembro de 1888, deflorado a menor
Rosalina, tuba natural de Francisca Teixeira de
Jr>ftUS
0 Dr. promotor publico pedio a condemnago
do reo no medio das penas do dito art. 219.
A defeza foi produzida pelo Dr. Jeronymo Ma
lama Pereira de Carvalho, advogado dos presos
pobres.
De accordo cora as decises do jury, que ne
gou por unanimidade de votos a autora do de-
licio, foi absolvido o reo e condemnada a munici-
pal idade as cusas.
Foi leantada a sesso 3 3 horas da tarde e
adiada para hoje s 10 horas.
Directora da obra* -de eoaieri*-
cae dos pono de PernambncoReci
fe, 24 de Fevereiro de 1890.
Boletim meteorolgico

5
0
412
as respectivas enfermarle l
floras
6 m.
9
12
3 t.
6
Jo
25,4
28,8
29,7
29,2
28,3
Barmetro a
0
Tenso
do vapor
758-33
758-791
758-30
736-67j
756*6l!
-30,"23.
o

I
a
19,65
20,08
21,13
20,77
21,54
81
67
68
67
75
Temperatura mxima
Dita mnima2,'00.
Evaporaco em 24 horas : ao sol8,"4 ; a
sombra4,"5.
Chuvanulla.
Direceo do vento : E de meia noite it 9
horas da manhi ; E com interrupges de ENE
at meia noite.
Velocidade media do vento3,-19 por se
guedo.
Nebulosidade media0,"32.
Boletim do porto
pracas de linba. Braziliano Jos da Cunha Ca-
valcante e Albuquerque.
Vindos dos portos do norte no vapor bra-
zileiro Espirito Santo :
Frederico Sampaio, Jos Figueira de Saboya,
Antonio Ramos, Oledenos Soares, Pedro Pereira,
Antonio Joaquim Goocalves Fraga, Augusto C-
mara Correia de S, cnsul Augusto Cohn, An-
tonio Jos Gomes. Manoel Teixeira de Carvalh
Bastos, Jos Augusto Alvares de Carvalho. pa-
dre Antinio Ayres, Jos Pereira Neves Bahia,
Francisco Jos Rebello Filho, Dr. Balduino Har-
draann, Dr. Jos da Coste Cordeiro, Ambro-
sina Maia, Maria Eliza Vero, 1 cadete, sua se-
nhora e 1 hlho, 3 cadetes e 1 irmo, Luiz Ara-
nha, Alfredo do Nasciraeoto. Jos Joaquim Fer-
reira Maia, Antero Antuaes, Jos Pereira Raaos,
Anastacio Barroso Valente, Aniceto Cruz e sua
senhora, Jos Moreira da Rocha. 1 indigente, i
immigrantes, 1 preso e 2 pragas de polica.
caaa de OeirnraMovunemo uos pre-
sos da Casa de Detenco do Recife, estad
le Pernambuco, em 24 de Fevereiro d^ t8S0.
Existiam 472 ; entraram 5; saturara 27 : exis-
em450.
A saber:
N'acionae? 431; molberes 34 ; estrangeiros 7 ;
-Total 472
Arrajoados 422
Bons 398.
Doentes 14
Loucos 6.
Loucas 4.
-Total 422.
Movimento aa enermaria
Teve baixa :
Flix Jos de Oliveira.
Hospital Pedro II-O movimento desta
s'abelecimento de caridade; no dia 23 e Fe-
vereiro foi o seguinte:
Entraram
Sahiram
Fdleceu
Existem
?oram visitadas
>jlos Drs.
Moscoso s 8 1/2.
narros So .nato s 7 1/4.
Nao corapareceram os Drs.:
Cysneirc
Malaquias.
Pontual.
Berardo.
Hstevo Cavalcante.
Simes Barbosa.
0 oirurgio dentista Numa Pompio ; 8 1/4
horas.
O pharmaceutico entrou as 8 Ij2 da mai.h
iio s 2 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrou s 7 1/4
e s ihio s 5 horas da tarde.
Grande lotera dan Alngoa-Por te-
legrararaa recebido desle E-lado allirma se que
corre delinitivamente amanh. 27 do corrente, a
grande loieiia de 2 0.0.0OJ*! 00.
No caso de transferencia o possuidor receber
o dob^o por cada biihele.
Molerla da caplial federalA 255'*
lote ;a, dcsla capital cujo premio maior de
30:00*000 ser exirahidano dia 28 do corrate.
Lotera extraordinaria da capital
federalA 3* parte lesta grande lotera, cuja
sorte grande de 100:000000, ter delinitiva-
mente extrahida no dia 17 de Maio proxime
vindouro.
...i -ra do ram-ParA 3> parte, da
35* lotera, cujo premio grande de 0:000J,
ser extrahida hoje 26 le Fevereiro (quarta
feira).
Cemiterio publicoObituario do dia 24
de Fevereiro:
Manjel Moreira Rosa, Pernambuco, 33 annos,
viuvo, S. Jos; tuberculose.
Henrique Fer: ando da Costa, Portugal, 35 an-
no.-- casado. Graca; uremia.
Vicente Teixeira Coimbra, Pernambuco, 43 an-
nos, casadi, Apipucos; accesso peroici so.
Rita Maria de Mendonga Figaeiredo Pernam-
buco, 35 annos, casada, Re i fe ; tuberculose.
Ignacia Maria dos Praseres, Pernambuco, t
anuos, casada, S. Jos; insufficencia nitral.
Amalia, Pernambuco, 4 annos, Santo Antonio;
marasmo.
Mara, Pernambuco, 42 dias, Recife; ente
ralgia.
Henrique, Pernambuco, 1 dia, Santo Antonio,
aspbixia mucosa.
Mara, Pernambuco,Recife; inviabilidade.
Jovino Jos da Silva, Pernambuco, 38 annos,
solteiro, Poco; esraagamento pelo Irem.
Joanna, Pernambuco, 11 mezes, S. Jos; con-
vulses.
Aona Maria da Conceico, Pernambuco, 10 an-
nos, S. Jos; febre perniciosa.
Maria, Pernambuco, 7 dias, S. Jos; ttano in-
fantil.
Maria da Penhi, Pernambuco, 3 mezes, Graga;
gastro-enterite.
Flix Jos de Sant'Anna, Pernambuco, 32 an-
nos, solteiro, Boa Vista ; diarrha.
Severina Mara Estolano, Pernambuco, 70 an-
nos. viuva, Boa Vista ; cacbexia senil.
Victorino da Silva, Pernambuco, 20 annos, 30I-
teiro, Boa Vista ; abeessos tuberculosos.
CincletJ Auxencio Pinto, Pernambuco, 22 an-
nos, solteiro, Boa Vista; tubrculos pulmona-
res.
M POUCO DE TUDO
'

H



^k.-
h es 11 la Das Horas Altura
P. M-B. M P. M-B. M. 24 de Fever. 25 de Fever. 8 -12 da manh 2-12 da tarde '8-16. 2-22 da manhS 2".32 0-.82 2-33 0-,92
-EUectuar-se ho os segrales
lielloea
Hoje:
Pelo agente Martios, s 11 horas, ra Ba-
ro da Victoria n. 34, de movis, piano, porce
lanas c vidros.
Pelo agente Silveira, s 11 horas, ra do
aperador o. 21, de tres partes de um sobrado-
Amanb :
Pelo agente Pinto, s 10 e meia horas, ra
Baro de S. Borja, de movis, pianos, louca e
vidros.
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra Mr-
quez de Olinda n. 48, de vincos, mindezas,
etc., etc.
Miaaaa fnebre-SerSo celebradas :
Hoje :
A's 7 horas, na igreja de S. Sebastiao em
Olinda, pela alma de Felippe Mara Bessone ;
s 7 e 1/2 horas, na igreja da Penha, pela alma
de D. Maria da Penha Maciel Sobreira ; s 7e
1/2, na igreja da Soledade, pela alma de D. Can
dida Gomes de Oliveira Bastos ; s 8 horas, na
igrejadaConceijo dos Militares, pela aima do
major Miguel dos Anios Alvares dos Piazeres.
Pa*aelroSahidos para o norte ne
vapor Jaoonype i ,
Dr. Fernando Porrino de Andrade Lima e sua doma,
senhora, Maximiano Santiago e 1 filba, Claudino R oa Deixea '
Sebastiao da Silva, Arlbtr Gomes de Mallos, I 0B I*'16" f
John Burns, membro do conselho de
comit de Londres, protestou centra a
recepcSo enthusiasta qae se quer fazer a
Stanley.
Diz que fez larga permanencia em fri-
ca e portanto pode fallar com autoridade
sobre. qnestSes- africanas.
i Stanley, diz John*Burns, nio fez coi-
sa alguina em pro ida- c:viliaaca, na sua
viagem em soccorro de-Emin.
Emprehendeu nicamente essa expedi-
co oo o fim de obter 160.000 tonela-
das de marfim, para favorecer o egoisma
mercantil da corapanhiaingleza > ca in.
Foi com este nico intuito que Stanley
sacrificou em frica tantas existencia!,
fez alvejar as florestas as ossadas dos
seus companheiros, mandou matar sum-
mariamente todos os que prejudicavam os
seus projectos e expoz aos maiores peri-
gos centenares de existencias, comprchea-
do a sua, com um frisante herosmo da
fatuidade.
Se Stanley fez de passagem Importan-
tes descobertas geographicas, foi por .ca-
so, porque nenhum pensamento scicntii-
o ou humanitario o guin nesta expedt-
9X0.
Fea sempre aos indgenas crueldades
injustificaveis e inuteis.
Os procesaos de Stanley teeo feito ae-
rar de vergonha mais de um explorador
africano, i
Afinal o conselho resolveu nSo decidir
cousa alguma sobre a recepcSo a Stanley,
a fim de evitar discussoes tao ineonv*-
nientes sobre urna personalidade tSo im-
portante.
Escreveu urna vez Julio Cesar Ma-
chado :
Era em um dia de mudanca ; o adre
Marcos, que tinha um aquarium magnifi-
co, com salamandras e outros peisinhoi
recommendava aos gallegos, encarregados
de levarem os movis para a sua ora
residencia, a maior cautella. ,
Chegado casa nova, foi lego examinar
so o local estava intacto, mas os pcixi
nhos haviam desapparecidos.
Padre Marcos cobrio se de suor... Da*
se-lhe um dos mogos :
Fui en, qne me incumb da m-
-4



Diario de PernaHibiic0>--Qiiarta-feira 26 de Fevereiro de 1890
ass
3
1





^ .

'




.
i.
i 1

.

Estao aqu! Por cautela disse o
'fattego, tirando da algibeira das calcas
' na serio de embrulhinhos...
Eram os pe i x es !

"m corcunds tocia rasgado elogios a
Mu finado pai.
Era excellente pesaaa, nao ha du-
Tida, mas pessimo architeoto : adverti
alguem qne o ouvia.

N'um botequim:
Um freguez que veio al mocar depois
de esperar tenpo infinito, chamou um
triado que passa e diz-lhe :
Ha quanto tempo est vjc neste
stabelecimento ?
Ha seis semanas.
Entao desculpe tel-o chamado. An-
da c nao estava quando eu pedi o al-
mo ;o.
#*
E' de G. F. Q. esta poesa :
* belra-mar
(a' paulo de almeida)
Vai, corre, va, dize-lhe que peoso
Constantemente nella e que maldigo
Todas a aguas deste espago immenso.
(Fblinto DE ALMEIDA).
fir'za qu'acoitas ao sabir do da,
Transportando me lenta urna saudade,
Tai alm deste mar immensidade.
Indagar onde est gentil Maria !
Narr,. se a vires, toda ess'agonia,
Essa tebre de amor qu'entao m'invade
O triste feito mea, e a persuade
Que com elia se foi minha alegra !
Tai, clere me traze urna lembranca,
Um suspiro, se quer urna esperanca,
Que nao pode viver quem ama ausente,
Tolta depois serena e carregada
Das saudades, dos ais de minha amada,
Que me daro vigor, qu'estou doente.

A influenza epidemia assira chamada ni Eu
ropa e que /. seu apparecimeDto na visinha
Repblica do Prala, desperta entre nos appre-
enses e justos temores.
Influenza de c, influenza de l, influenza por
toda a narte... pela cidade.
Madama influenza est verdaderamente em
asa?
Alguma cousa de semelhacte ha pelo menos ;
iru muitos: urna febricola de dous ou tres
ias que quebra os os>os, enerva, abaie, causa
ama dor 'rontal entre os olnos que se tornam
vermelhos, e a nuca, com urna tossesinha pro
aria de constipagio em tom d rouquido, cha
ve de baixo. timbre de voz de per ; eis aqui
as tragos salientes da senhora de que recebe-
rio a visita lambem aquelles que pagaram o obo-
losinho a favor dos pobres.
Parece quasi um pouquinho com urna outra
Madama de que not vero e no outono na pennsula Balcnica e na
Asia menor, isto Madama Dengue.
Em Constantinopla, onde dam Ihe o nome de
febre de tres das, tambera d ella presentemen
te muito que fallar de si; porque, alm de al
guns symptomas de Madama Influenza, traz
igualmente urna erupgo cutnea ; e se alguma
vez Madama Influenza apresentar manchas sobre
apelle. Madama Dengue tem n'as sempre. De
aorte que ambas, em algum caso, s tem exis-
ten :ia. na consciencia.
Em summa esperamos licar livre della, e nao
devemos nem mesmo nella pensar, porque a in-
luenza, est provado que de na'.oreza heoig-
la, seudo que os accommettidos difli Imenie
suci'Uinbem a media da mortalidad^ nao passa
e i por mil.
***
A raca de cavallos puros satigue lupin
a nica familia que raelhor se formoa e
fixou em Franca.
Estas liohA tomadas ao diario do
Commercio, tem por fim mostrar as nos
sos criadores como se chega a constituir
nina familia de puros sangue que tem a
sua singularidade n'uma orde 11 real.
Se ha um s descendente da raca lupin,
entre um pelotSo de cavallos de puro sangue
ser fcil reconhecer por que em nenhum
outro se achara tanta elegancia unida a
maior forca galopante: a ossatura mais
desenvolvida que nos outros, os membros
sao mais iortes, o peito mais largo e
mais arqueado, ao passo que toda a car-
ne intil e todo o peso embaracoso slo-j
reduzidos s mais simples expressSes.
Em algumas palavras, eis o segredo da
superioridade dos puros sangue criados
por M. Lupin : sao creados para a luta e
precisam muito menos entrainement do
que os seus rivaes ; por consequencia o
entraineur nao obrigado a forcal-os no
exercicio, elles pedem muito melhor sup-
portar 03 esforcos de corridas,' mesmo car
regando muito peso, nao estando com
muit s carnes : o seu corpo athletico
um composto de msculos e ervos.
Tem-se os visto militas vezes trium-
phar em kandicaps, carregando pesos que
um cavallo pesado nao poderia nunca sup-
portar.
Ha 50 annos que Mr. Lmpin cria ca-
vallos, e anda nao tevd'senjLo um mo,
e isto dasde os seus principios-
Este indigno de ser puro sangue cha
mava-se Faustus ; nao teve successors.
M. Lupin te va um cavallo courneur;
era Amalfi que, apezar da sua enfermi-
dade, ganhou o Pnx du Jockey Club em
1851.
O lugar escolhidc pelo criador da raca
lupin para estabelecer o seu principal
hars foi Vancresson,
do hyppo-
a doze ki
E' de Alfred Durval:
MISA MINIIA...
Estou com a mente cstrgada
Nao posso pensar... mas pens:
Nao sei se foi co'a inglezaia
Que perdi de certo o senso.
Estou assim paralytico
Quasi que mesmo no manso
Mas... se virar me p'ro ttico
Adeus, inglez ; adeus, rango I
Brigar, ole com inglez
E' ter comido por dez
E' ter milhares rangos...
Porque luctar com Oyece
Sempre fatal. Acontece
Brigar com duzias de gongos.
**
N'uma vasta floresta dos montes Cumberland,
ao Estado de Fennesse na.America, est se con-
struiodo por urna companhia de accionistas, com
am capital de 2o milbes de dollares, urna nova
oidade.
Muitos milhares de operarios estao agora pre-
parando o terreno para os alicerces, naturalmen-
te urna grande parte da floresta acha-se devas-
tada pela derruba.
A cidade deve estar prompta no prximo ve-
rio e contera urna cmara municipal, dous tri
koaaea de justiga (segundo parece os fundado-
res prevm que os habitantes da sua cidade se-
rao assassinos ou se entregado rapia peior
que n'um bosque) sete igrejas, oito escolas, cin-
aoenta officinas e alguns centenares de casas
privadas.
Alm disso. coBStruir-Be-ho tambem hoteis,
bibliothecas, theatros e um palacio justamente
para concertos (horror 1). dous bospitaes, e fi
aalmente urna estacao ie via frrea, projectan-
o-se ainda na proximidade da aova cidade, a
formaeo de um lago, que servir para banbos e
regalas.
E pensar que tudo isto deve fazer-se em seis
nezes I
SPORT
De accordo com o dsposto no 2." art.
66 di cdigo de corridas, reselveu no cor-
rente anno a directora doPrado Per-
nambucano privar ao Sr. Thomaz Mauricio
de Abren de iascrever animaes no mesmo
Prado.
#
1
O 3r. H. Perman fez acquisico dos
animaes ^olosso e Desposta pelo pre90 de
1:000)5000, segundo se diz.

Minerva, a deusa da sabedoria, toube
como ganharam no Derby em sua ultima
corrida.
Ganhar, segundo Moraes, fazel o como
deixaram fazer a deosa.
Recommenda se o uso do mencionado
diccionario, que imprescindivel urna bi-
bliotheca hippica

E queriam immigracSo chineza !
Vejam s um mandarim, que nos veio
para c, como inutilisou o fluminenae 1
Tanto ojou ao filho da Carioca, que
elle l ficou com o Gallileu, sem poderem
fazer ambos oa seus cumpri mentos a ven
tedora Minerva, que nascera logo feita
a partida.
Boa saiida, melhor chegada.
dromo de La Marche, isto ,
lometros de Paris.
Forma urna especie de oasis coroado de
bosques, como fcil encontrar em quasi.
todas as regioes da Gallia cornada.
O creador de tantos e tao grandes lau
reado6 das corridas de opiniao que se
pode obter bons animaes de puro sangue
em quasi todos os departamentos da
Franca ; trata-se de obter ar fortificante
que dilate os pulmSes, muitos prados on-
de se possam fazer pastar ao mesmo tem-
po bois, vaccas, carneiros e cnvallos,
arim de dar lugar ao natural engordamen
to e dar a comer aos yearlings bastante
aveia para lhe endurecer os ossos, dar
lhe msculos solidos e desenvolvidos.
Vm-se em Viroflay, o menor dos dous
hars de M. Lupm, os potros de quinze
mezes comerem dezeseis litros de aveia
por dia.
E' fcil, pois, comprehender como el-
les supportarao sem casto as prximas
fadigas da dressage e as exigencias do
entrainement.
O exemplo de M. Lupin tem um gran-
de alcance ; e prova que fra das capellas
h'ppicas, edificadas pelo egosmo de al
gumas regiSes, onde se tem querido eri-
gir um monopolio da criacSo, pode se
esperar o mais completo bom xito.
Ulppodroino do Campo Grande
jjEiicerrou-se bontem a inscripeo da corrida
que se effectuar domingo 2 de Margo.
1." pareo Emulacaj800 metros.
. Barnave, Ida, Pekin, Fenianno, Stella, Boa-,
Idea, Coruja, Boulanger, 19 de Junho.
2.' pareoEosaio 800 met^s.
Utspot, Pharizeu, Conforme, Maranguape,
Boyal, Humilde.
3," pareo -Iraprensa1.100 metros.
Tupy, Village, Good-morning, Sans-souci,
Florete.
4." pareoTrilhos Urbanos1.400 metros.
13 de Maio, Chiroo, Mandarim, Danubio, Tor
pedo, Minerva,
5 pareoVelocidade850 metros.
Faceira Piramon, Templar, Pindaro, Delega-
do, Corga 2.
7." pareoAnimaco930 metros.
Bonaparte, Turco, Colosso, Pluto, Marangua
pe, Humilde, Pharizeu. Cauby.
Fica aberta a inscripeo para o pareo Hippo-
dromo do Campo Grande at hoje s 3 horas da
tarde
Nao podero correr os pequiras que nao se
apresentarem hoje s 4 horas da tarde no Hip-
podromo.
CHRONICA JDDICIRIi
Tribunal da Relacao
SESSAO OBDINABIA EM 25 DE FE VE RE-
BO DE 1890
PRESIDENCIA DO CIDADAO DESEMBARGADOS
QDTINO DK MIRANDA
Secretario, o cidadao Dr. Virgilio Coelho
A's horas do costume, presentes os cidados
deserabargadores em numero legal, foi aberta a
sesso depois de lida e approvada a acta da an-
ticedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
os seguintes
JULQAMENT08
Recursos crimes
. De OlindaRecorrente o juizo, recorrido Mi-
noel Pe 1ro da Silva. Relator o desembargador
Tavares de Vasconcellos. Negou-se provimen-
to, unnimemente.
Aggravos de peticao
Do Recifeagravante Benfdicto Jos de Ma-
ria, aggravada Clemeotina Hermelinda Mana
Meira. Relator o desemburgdor Deltino Caval-
cante. Adjuntos os desembargadores Visconl"
de JaguariDe e Almeida Santos. -Negou-se pro-
vimento, contra o voto do desembargador Al-
meida Santos..
Do RecifeAggravante Manoel Pereira de An-
drade, aggravado Jos Ferreira Pinto de Maga
lhes. Relator o desembargador Pires Goncal
ves. Adjuntos os desembargadores Visconde de
Jaguarlbe e Pires Ferreira. Negou-se provi-
raento, unnimemente.
Do Recife Aagravantes Oliveira Tavares &
fi., aggravados Augusto de Fiueiredo & C. Re-
lator o desembargador Al ves Ribeiro. Adjuntos
os desembargadras. Oliveira Andrade e Pires
Goncalves. Deu-se proviinento, unnimemente
Do Recife Aggravante Bibiano Gomes Andr
Avelino, aggravado < juizo dos feitos da fazen
da. Relator o desembargador Visconde de Ja-
guaribe. Adjuntos os desembargadores Tava-
res de Vasconcellos e Pires Ferreira.Negou-se
provimenlo, unnimemente.
Aggravo de instrumento
De Taquareiinga -Aggravante Serafim Gomes
Barbcsa, aggravado Manoel Florentino Bezerra
Cavalcante. Bplator o desembargador Pires
Ferreira. Adjuntos os desembargadores Silva
Bego e Alves Bibeiro. Deu se proviinento. una
nimemente.
AppellacOes crimes
Do Recife Appe-llante Antonio Leandro Ra
mos. appellada a justica Relator o desembar-
gador Silva Reg Conlirraou se a sentenca,
unnimemente, .
De S. teoto. Appellante o juizo, appellado
Isidoro Antonio T"ixeira. Relator o desembar
gador Silva Rego.-Mandou-se a novo jury, un-
nimemente, com urna censura ao juiz de direito
que presidio o julgameoto Jo&o Maria Bego
Do Caup Appellante o juizo, appellado Ma
noel Serid. Relator o desembargador Silva
Reg. Mandou s a novo jury, unnimemente.
AppellacOes commerciaes
Do Recife Appellantes a viuva e herdeiros
de Francisco Manoel de Sopza Oliveira, appella
dos Tavares de Mello Gehro & C. Relator o
desembargador Tavares de Vasconcellos. Revi-
sores os desembargadores Oliveira Andrade e
Silva Reg. Connrmou-se a sentenca contra o
voto do desembargndor Oliveira Andrade.
Do Re rife Appellante Joao Melecharek, ap-
pellalo Em lio Soarts. Relator o desembarga
dor Monteiro de Andrade. Revisores os desem
bargadores Alves Ribeiro e Tavares de Vascon-
cellos. Conbrqiou-se a sent-nca, unnime
mente.
Appcllaco civel
De Panellas AppelIJnte Jos Soares da Silva
Lyra. appellado Jos Matheus de Oliveira Gui-
mares. Relator o desembargador Alves Ribei
ro. Revisores os desembargadores Tavares de
Vasconcellos e Oliveira Andrade. Deu-se pro-
viinento a appellacao, unnimemente.
PAS8AOENS
Do desembargador Deltino Cavalcante ao des-
embargador Pires Ferreira :
AppellacOes civeis
Do Pilar Appellante Francisco Ignacio Car
doso, appellado Francisco Ignacio Cuidoso J-
nior.
De Olinda Appellante D. Francisca Xavier
de Moraes, appellados Prente Vianna C.
Appellacao commercial
Do rilar Appellante Joo baptisia Correia,
appellados Casimiro Jos da Silva e outro.
Do desembargador Pires Ferreira ao desem-
bargador Monteiro de Andrade :
AppellacOes crimes
Do BecifeAppellante o juizo, appellado Cy-
priano Das do Espirito Santo.
De Campia Grande Appellante o juizo, ap-
pellado Ro?endo de Arruda Cmara.
Do desembargador Monteiro de Andrade ao
desembargador Alves Ribeiro:
Appellacao civel
De Pombal Appellante Manoel Joaquim re-
reira, appellado Francisco Jos da Costa Pi-
nho.
Appellacao crime
De Cajazeir. sAppellante o juizo, appellado
Antonio Ferreira da Silva.
Do desembargador Pires Goncalves ao desem
bargador Deltino Cavalcante:
Appellac) commercial
Do Recife Appellante o Baro de Mattosi
nhos, appellado Vicente Ferreira da Costa.
Ao desembargador Alves Bibeiro :
Appellacao civel
Do Recife Appellante Jos Jicintho de Oli
veira, appellada a Companhia da Estrada de
Ferro do Recife Caxaog.
Appellacao commercial*
De Macei Appellantes Costa Moreira & C ,
appellado Felino da Costa Muscarennas.
O desembargador Pires Goncalves como pro-
motor da justica deu parecer nos seguintes fei-
tos :
AppellacOes crimes
De Bom ConselhoAppellante Agostinho An-
tonio de Menezes, appellada a justica.
De Bom ConselhoAppellante o promotor pu
buco, appellado Laurentino Pereira Sobral.
Do desembargador Alvas Ribeiro ao desem-
bargador Tavares de Vasconcellos:
Appellacao crime
De Palm ai es Appellante o juizo, appellado
Joo Gouveia da Silva.
Do desembargador Tavares de Vasconcellos
ao desembargador Oliveira Andrade:
Do Bom ConselhoAppellante o promotor pu-
blico, appellado Jos Soares de Brito.
Do desembargador Almeida Santos ao desem-
bargador Visconde de Jaguaribe:
Appellacao crime
Do Recife Appellante Antonio Francisco da
Silva, appellada a justica.
Com vi3ta ao desembargador promotor da jus-
tiga:
Appellacao crime
Do BecifeAppellantes o juizo e Manoel Jos
de Mello, appellados Amonio Gomes de Souza e
a justica.
Com vista s partes :
Appellacao .civel
De AtalaiaAppellante Manoel Gomes de Mes-
sias, appellados o padre Jos da Silva Machado
e outros.
dist ribcicSb** .
Recursos crimes
Ao desembargador Oliveira Andrade:
Do Recife Recorrente o juizo, recorrido M
guel Rufino de Carvalho.
Ao desembargador Silva Reg :
Do RecifeRecorrente o juizo, recorrido Ray-
mundo Hilario da Costa.
Ao irtsembar^ador Almeida Santo:
DeB.'Bento Recorrente o juizo, recorrido
AntoiMJo Bezerra.
Aggravos de peticao
Ao desembargador Tavaies de Vajconcellos :
Do Becife Aggravante Virginio Horacio de
Freitas, aggravado o juizo.
Ao desembargador Oliveira Andrade :
De Jaboato Aggravante Jonquim Xavier
Carneiro da Cunta, aggravados Luiz Goncalves
da Silva at Pinto. ^
Appellacao commercial
Ao desembargador Oliveira Andrade:
Da Parahyba Appellante Luiz de Albuquer-
que Maranho, appellados Wilson Sons & C.
Encerrou-se a sesso 1 hora da tarde.
O bochar el PetronUho ie Santa Cruz OU-
oeira, encarregaae de levantar empresti-
moB perante o Banco do Brazil para auxi-
io da lavoura. Eacriptorio ra. do Impe-
rador n. 69, 1. andar. Residencia aitio
na Jaqueira, prximo estacao.
OccuUsia
Dr. Farreira. com pratica nos prinoi-
jaes hospitaes e clnica de Paris e Lon
dres, consultas todos os das daa V
lorasdao meio-dia. Consultorio e resi-
tencia, ra Larga do Rosario o. 2.
Dr. Barreta Sampaio, oceulista, d con-
sultas d<" 1 s 4 horas no l.9 andar da
*asa ra Darao da Victoria n. 51. Resi-
lencia a ra 7 de Setembro n. 34, entr-
is pela ra da Saudade o. 2.
Drogara
Faria Sobrinho jado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi
arios de todas as especialidades pharma
euticas, tintas, drogasr productos chmi
&8 e medicameutos homeopticos, ra d<-
Varquez de Olinda n. 23.
Tinta de eserever
A melhor a tinta Victoria, vende-sc a
iOO rs. meia garrafa e a 800 ra. uaia gar-
rafa inteira na Livraria Comtemporanei
de Ramiro M. Costa, ra Io. de Marco n.
3, leja de ferragens de Albino da Silvs
i C, ra da cadeia n. 42; loja de ferra-
ens de Brandan & C., ra Duque de Ca
iias n. 46.
Ao cidadao governador
Os operarios do Arsenal de Guerra deste Es-
tado, veem pello presente dar urna prova de gra-
tido e reconhecimento ao illustrado e justiceiro
cidadao marechal Jos Simeo de Oliveira, pelo
acto de justica que destribuio para com os mes
mos operarios, ordenando que fossem pagos os
vencimentos diarios dos mesmos, relativos aos
das 16 e 27 de Janeiro prximo papsdo consi-
derados feriados pelo governo.
Continu o sympathico e bravo militar em seus
acertados actosde verdadeira fraternidade, certo
de que, s poder ganhar adhesOes de todcs
aquelles que sao apreciadores da magnanimida-
de que ornam os sentimentos nobres do gover
nador deste Estado.
Recife, 26 de Fevereiro de 1890.
soas sensatas, tm despertado repalsa dos
dtsordeiros e dos que fLseram sempre
desee elemento o teu meio, sob a falsa
allegacAo de que sendo o governo repu-
blicano, o governo do povopelo povo, taes
medidas restrigem & liberdade individual.
Este modo de entender alem de ser
demasiado corruptor, levara a sociedade
par o estado da anarcha, o que por ne-
nhum modo pode pretender um povo mo-
ralisido.
Se o governo tem pratcado algum acto
digno de censura nao sao por certo os que
alguns querem laucar a sua conta, pois,
com os jomaos da Capital Federal pensa-
mos que o governo tem antes peccado pela
brandur do que pelo r gor.
Que nio devem ser detpreaados certos
indicios, dil o bem o telegramma de hon-
tem que denuncia o desvobrimento de
urna conspiracao as repblica* Platinas.
Quem conbeoer a ousadia do Viseando
de Ouro Preto e seus lugares-tenentea,
nao se aurprender com semelhante no-
ticia.
Esbocados ligeiramente os nossos re-
ceios, mister pois, que todos se acau
telena contra os falsos sectarios da rep-
blica e que nao s o governo e seus agen-
tes jamis possam dizer como o cap tao,
eu n2o cuidei; estejam todos attentos para
os menores factos' e estudando-os tire
cada um as consequencias necessarias
afim de que a repblica seja solidariamen-
te construida sobre bases de granito tao
solidas que nenhum receio lhe causem os
ventos contrarios.
Em outro artigo proseguiremos.
Tfiiers.
Mdicos
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio ra Nova n 32, onde pode ser en-
contrado do meio dia s 2 horas e fora
des tas horas ra do BarSo de S. Borja
n. 22. Espe Calidadesmolestia de crian-
cas, senboras e parto. Telephone n. 326
da casa de residencia.
Dr. S Pereira, ra da imperatriz n. 8,
d consultas medico-cirurgicas todos os das
das 8 ao meio dia, menos nos domingos e
das santificados.
Dr. Castro Jess medico e operador
Pratica a lavagem do tero quando e co
aio aconselhada. Consultas das 11 s
i da tarde em' sua risidencia ra de
3om Jess (antig* da Cruz) n. 23, l.<
indar. Telephone n. 389
Dr. Joaquim Louieiro medico e parte:
ro, consultorio ra do Cabug u. 14
l. andar de 12 a 2 da tarde; residencia
;o Monteiro.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me
'ico-cirurgica. Especialidades : moler .as
oulmonares e partos. Ra do Marq- dt
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas uas 11
13 2 horas e na Casa Forte (P050 da Pa-
je lia) du 6 s 9 horas da man ha e i
arde Teleshone n. 392
Dr. Ribeiro de Britto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no 1. an-
dar a ra Duque de Caxias n. 46, puden-
do ser procurado para chamados, na sua
residencia, a na do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Alves Owmaraes, dedica-se me-
dicina em geral, e com especialidade s
molestias do coracao, pulmSes, figado, es-
tomago e intestinos e tambem s affecjoes
de criancas. Reside ra de Fernandes
Vieira n. 23, e tem consultorio na ra do
Bom-Jesu8 (antiga da Cruz), n. 45, onde
d consultas do meio-dia s 3 horas. Te-
ephone n. 381.
Advogados
O baeharel Joaquim Ihiago da Fonseca
:em seu escriptorio de advogado ra do
Imperador n. 14, 1. andar.
O baeharel Bonifacio de Aragao Faria
Rocha continua a advogar. Escriptorio
roa do Imperador n. 46., 1.* andar.
Ao cidadao Dr. Jos Maria
de Albuquerque Mello
Recife, 23 de Fevereiro de 1890.
Recebi a carta que em nome e pela redaeco
'A Provincia me dirigistes, com a data de 22 do
corrente mez, cujo theor o seguinte :
1." A que horas entrou V. S. na Nova Ham-
burgo no dia 16 do corrente. e quanto tempo ah
se demorou ?
2." Porque motivo, deixando aqoelle eslabe-
lecimento, preferio ir dirig.r o pollciamento no
theatro S. Anto.iio, quando havia neste menor
concurrencia do que n'aquella cervejaria, mxi-
me estando no mesmo theatro o Dr. delegado do
Io districto t
3." Durante o tempo que esteve V. S. na Nova
Hamburgo, ahi vio os Srs. Drs. delegado do 2
districto e seu supplente ?
4. No caso afirmativo, nao exacto que esta-
vam elle sentados no jardim, junto a urna mesa,
em companhia de outras pessoas, tomando bebi
das, isto durante todo o tempo que all perina
nereram
Em resposta declaro-vos, que sobre o facto de
que tratis j disse a verdade na carta que res
pondi aos cidados Drs. Francisco Guedes Pe-
reira e Luiz de S Lima, publicada no Diario de
Pernambuco o. II de 22 do corrente mez ; e,
quanto ao meu procedime&to como autoridade
pocia-1 na Nosalamburgo e S. Antonio decla-
ro-vos'que s reconhego competencia para ar-
gir me sobre elle as autoridades que me sao
superiores ; a cujo intermedio fica-vos livre o
direito de recorrer.
Concedo-vos livre uso desta minha resposta
Saude e fraternidade-
Antonio Martmiano Veras.
Manoel Bacellar de Oliveira
ao Sr. Fa nrino AlvirH
De uma vez por todas declaro ao Sr.
Faniino Alvim, socio da firma Alvim
& Chance, que nada lhe devo individual
mente como S. S. propala, dizenfio que
me emprestou dinheiro para tazer descon-
tos nos ordenados de trabalbadores das
obras da Alfandega de 1877.
Tenho em meu poder recibos que pro-
vam ser S. S. quem descontava, com os
juros de vinte POE OBSTO, ts ditos orde-
nados e, por ter sido eu administrador
d'aquelles trabalhos no passo ser respon-
savel por nao ter S. S. sido pago por
aquelles a quem descontou.
O recibo que existe em poder de S. S*
s me obrigaria se fosse eu quem tivesse
de effectuar os pagamentos aos trabalha
dores, como est declarado no mesmo re-
cibo, mas como assim nao aconteceo e
cada um delles recebeo em pessoa na
Thesouraria de Fazenda, como poder ve-
rificar, le nada vale tal recibo.
Si S. S. nao fj bem succedido no seu
negocio peior para si.
Assigne-se e tenha mais escrpulos em
faltar a verdade e nao esteja a fazer-me
imputacSes calumniosas.
Recife, 25 de Fevereiro de 1890.
Res nostra agitar
Hoje que o systhema monarchico, no
Brasil, est definitivamente transformado
no governo republicano, tendo se assim o
imperio tornado em Estados Unidos do
Brasil, sem que tenha at o presente
apparecido urna opposicSo seria, siquer
e que todos os braaileiros ao menos appa-
rente, parecem cooperar para que as
novas instituicSes florescam, nesse mar
de rosas de quietismo, pensam muitos que
se deve abandonar a au e deixar que os
ventos galernos a levem a sou destino.
Ser, porem, este estado real ?
Nao ser esse quietismo um simples
ardil ?
Estamos intimamente convencidos de
que a fundacSo da repblica no Brasil
foi um acto providencial, caso a providen-
cia podesse ter acyao nos negocios terres
tres, para esse vasto paiz que se estende
do Amazonas ao Prata e que nao era mais
possivel viver um povo nos moldes de-
primentes em que vivemos at 15 de No-
vembro e por acreditarmos que a republi
ca foi um grande bem e que ficamos
apprehensivos a respeito de certos factos
que muito podem comprometter o seu fu
tufo.
Se, como se diz, todos acceitaram a nova
forma sem contestajao ou protesto, por
que de quando em vez espalham-se certos
boatos, ora passados na Capital Federal,
ora nos Estados, .que teem sempre por fim
ou implantar o terror ou desmoralisar o
governo ?
Isto a nosso ver, quer dizer, que o go-
verm tem inimigos, mas, inimigos artei
ros que fingem prestar-lhe o 8eu apoio,
que o aconselha, mas, que conspiram e que
aguardam a opportunidade para melhor dar
o bote.
E' para estes que se deve voltar a
attencao dos homens que 'estao a frente
dos negocios pblicos, quer sejam deste
ou de qualquer outro Estado-
Para que nSo pareca que somos visio-
narios ou que como D. (uixote tememos
a propria sombra, citaremos um facto que
d bem a medida das nossas appre-
hensSes.
J prximo est o alistamento eleitoral
e para o geral dos homens, tal ficto vai
passando desapercebido, ao passo, porem
que ha pessoas que sendo at empresa-
dos pblicos, j se preparam e aconse-
lham a outros menos instruidos para que
aprendam a assignar o nome e assim pos-
sam tornar se eleitores, concorrendo as
prximas eleicdes, para com 03 seus votos
opporem-se aos desejos que por ventura
venha a ter o governo.
Ninguem contestar que as medidas
postas em pratica pelos agentes do gover-1
no se tm merecido oa applausos das pes-1 gao do ovoj organisado antes d fecuodaco
Notas de sentimento
Deas e a Repblica
IV
Continuemos com os nossos correligionarios
repunjicaafts que sao utheus e que por isto me
lamentam por ser eu republicano religiosa.
E' com os corpos orgnicos o do boinem prin
cipalmente que temos visto, que o organismo so
pode ser o producto da vontade e da ntelligen-
cia, que a materia nao a tem ; que a theuria do
transformismo 6 urna hypothese arbitrioabsur
da; arbitrario, por que com ella se pretende
responder sem demonstrar, absurda por que ne-
nnum ser tem o poder de transformar se n'outro
ser por torca ou vontade propria.
A materia transformada ou pela aeco do
tempo actuando sobre os principios que cada
corpo contm, ou pela approximaclo, contacto
ou mistura dos corpos, que produzem ora insta-
taneamente, ora lentamente, phenomenos que os
inodicam.
Esses phenomenos e transformacea, eeitos
necessarios das forjas ou virtudes de que do
tada cada especie, sempre foram, desde que ha
memoria, como sao e serio sempre, como a
exploso da plvora, ao contacto da falsea, do
dinamite, resulta lo de qualquer choque, da faisca
elctrica pela approximacao de urna ua outra
nuvem ou de outros corpos que tal phenomeno
provocara.
Mas a miteria nao se modifica para fazer de
si o hornera, nem o gato, o bol ou o cao, a pan-
tera a zebra, o jambo, a manga o beija flor, o
pavao o jasmim, a rosa, a nogueira o condur,
a cicupira o cedro; por que todas estas obras
constituidas orgnicas da materia bruta, sao to-
das feitas com summa intelligencia, vontade e
arte ; que s a intelligencia pode combinar a or-
ganisago, jiroduzir a harmona, o equilibrio.
Para a materia produzir a organisago dos
corpos seria preciso, como j o indiquei, que
ella tivesse personalidade; se tal fra ella nao
poderia modificar se, fazer de si dotando se de
forcas proprias, cousas diversas; por que ne-
nhum ente pode fazer de si outro ou outros entes.
S um ser estranho pode agir portante sobre
outro ou outro3; s urna vontade pode actuar
sobre outra ou sobre corpo inerte ou com vir-
tude ou forca de que composto ou dotado cada
corpo.
Os diferentes principios da materia, formados
em corpos differentes, cada principio em quanti-
dade differente para tal corpo formar, e anda a
combinaco deste3 corpos com outros no qt>e
consiste a transformaco da materia, nao feita
pela accao de toda ella, mas de quantidade certa
de cada principio que se. contm nella; phe-
nomenos estes, transformaces que sempre se
daro todas as vezes que esses principios se en-
contrarem ou pela aeco do homem ou por outras
forcas.
Sas estes principios que exiatiram sempre na
materia formaram, como sempre bao de formar,
different<;s corpos.
. Nao a materia po's torasda como individuo
e menos personalidade que se transforma por
suas partes; mas sao estas partes aue 3e com-
pem e decompe em corpos e de corpos varios
em priocipios, pelas forcas ou virtude de cada
um, indepeudenle do todo que se dedomiua a
materia.
E', em urna pa avra, a aeco de um corpo ou
corpos sobre outro, que o transforma e nao caJa
um a si s pelos principios que contm.
Se a materia fosse um individuo, n poderia
fazer de si cousa alguma, como cada urna de
suas partes, principios ou corpos todos de prin-
cipios combinados, nada faz,de si; obedece
forca de que dotado, que neCessariamenle dada
a occasio, pela aeco de outro corpo, produz-se
o phenomeno. '
No entanto nao ha na materia principio que
produza o corpo organizado pela transformago
at chegar ao homem, passando por todas as
outras especies, como explicam a vinda do ho-
mem trrana idade em que ella chegou ao
estado de poder elle viver na sua superficie.
Vemos o pedaco de pao, o pe mesa ou o la-
garto, o gafanhoto, a lagartixa, o calangro. ca
ualeo. tij ass, crocodilo----o macaco, o
orongotango, o homem, e assim cada planta dis
tincta; mas nao vemos nenhum ser orgnico
transformando-se a outra organisada especie
nem em va de transformago.
O que vemos nao a transformago de espe-
cie alguma, mas o desenvolvimento pela fecunda
de cada especie, prodnzindo sempre amesma es-
pecie, ou apenas modificada pelocro.-amento.
E estes corpos orgnicos que j veem taes do
ovo de cada especie, sao feitas com .. me.'hanica
sabia e sublime? que to mal descrevo, porm
bastante para se ver como ella s pode ser for-
mada pela forca ratelligente de urna vontade im-
mensa.
Nunca poderia animal algum transformar so
00 homem, que elles, mais ou menos brutos se
deseovolvem a sua percepeo, alguns que a tem
to fraca, pela educacio que lhe d o homem.
Fra disto todas as especies sao hoje, como o
foram ha scalos desde que ha memoria dellas.
O tiinho do checheo e do ferreiro, como nenhum
homem capaz de fazer, unindo pedacos de pao
sem alguma materia de liga e do lamanho ata
quasi de um metro, o outro, um tecidp de pare-
de muito grossa, pendurado as po itas dos ra-
mos de grandes arvores. ambos feitos sob os
priocipios de urna sabia mechanica para todos os
tins e principalmente para a defea dos inimigos
e das intemperies, sao hoje, como sempre o fo-
ram, sem alrazo nem progresso.
Como estas todas as especies de ovos e dos ou
tros animaes, como principalmente a abelha,
em sua vasta vanedade, que sao todas como
sempre o foram.
A organisaco nao pertence pois materia
bruta.
Os pedantes do positivismo, s qu rem o posi-
tivo, porque a metaphisica especulativa e nada
positivamente afiirma
E queris, pode haver nada mais positivo do
que mechanica dos corpos organisados ?
Nao 1 ositiva esta mechanica ? Como nao
vela ?
Logo nio produeco da materia que nao tem
intelligencia para produzir obra intelligente a
portanto s filha da vontade. Logo a mechani-
ca celeste nao pode to pouco deixar de ser obra
de urna vontade intelligente. Queris nada mais
positivo do que a intelligencia. a memoria e a
ventade 1
Seja embora exacta a theoria hypothetica da
Lapas se.
Sejam os mandos creados pelo correr de secu-
los ae seculo&pela approximacao dos moleculos
las partculas movidas pela attracco ; mas es-
capole se Laplasse quando falla dos primeiros
movimeotos das nebulosas em rotago. iem di-
zer como nem donde veio a forca motora
Essa forca .porm, como nao pode deixar da
ser, ta ttntade ou antesa vontade intelligente
que orgaoisou todos os corpos orgnicos como
fo.-mou toJa a mechanica celeste
Essa firga a propria vontade, porque s t
vontade a forgatoda ella provinda de urna
vontade suprema, que imprime todas as virtudes
ou dons, physicos, instihetivos ou inteltectuaes
e moraes aos differentes seres que 4eHas sao
dotados.
fijeste poder, esta forga, essa vontade. essa
Welligencia o que chama se Deus, u'10 real
quanto positivamente visto na produegao de
suas obras, to subida quanto profundamente,
inlinitamente' sabias, alm do quanto o bemem
pode alcangar. '
rs donde vem este poder, quem o creou f
questo que n'outro ar'.igo vamos ver.
Recife -Fevereiro, 1890.
Affonso de Albuquerque Mello.
Fatalldadc!!...
Aos que me ebegoaniquilo I
oude pene:ropertubo t
Entrei na Municipal
brevemente esphacelei a,
A Provincia de outros tempos
em poucos annos matei a.
Nao m'escaparam os magons,
e a pobre magonaria
me abrindo os bragos de mi
com tramoyas dissolvi a.
0 proprio culto, ni templo,
no Monteiro profanei;
nada foi, em S. Jos
por votos assassinei.
Apeguei me aboligo
fiz de ideia pilhagem
muitos escravos forrei
em paga da rapinagem.
Nos Prados tambem entrei
e garailte, 5o se mofe,
com toda pericia e arte
ioaugure o trtbofe.
Fui juntarme aos demcratas
muito em breve esbandalhei-os ;
aos Lees fing de amigo
at escandalisei os.
Os de aqui commerciantes
com manbas aspbixiei
promettendo melhoral-os
s mais impostos criei.
Profes-o na grande ideia
escravo da monarchia
em 16 de Novembro
no pago d'aqui trahia.
0 amigo Epaminondas
que mlnhas labias ouvio
nao me escapou, na citada
sacritbado cahio.
Com ps de gato ladro
ao povo ent procurei
e falso ainda lhe fui:
ao Chrispim recrutei.
Tambem fui inglez um dia
e um pobre portuguez
em plena ra, luz clara
linou-se por urna vez.
A lista do3 thesi ureiros ? 1...
Oh I esta me causa horror ?
Seus nomes na minha mente
me mettem medo e pavor
m do correiomatou-se
por mim posto em grao tormento
co'a caixa fugio um outro
um tal lo Prolongamento
Inda outro no correio
por ser ea.trabalhador
encartei, mas oh t desgrana
que arranjei p'ra o fiador...
Nao parei, segu avante
e pensei ser novo Creso,
e por tentar a fortuna
resta um q'inda est preso!

E meu& amigos de outr'ora
Nicolao, Nery, Rosendo,
Manoel d'Abel e outros mais
como esto hoje soffrenJo!


Oh
se eu podesse pela trra a dentro
metter rae'nm dia ..
a humanidade toda ao chao prostrada
gragas renderia!..
Quidind*.

Estado fde S. Paulo

CAMARGO ic ALMEIDA commlssarios de caf
e mais gneros do paiz, a ra do Bom Retiro n-
44 C, des?jando estender suas relages commer-
ciaes at a praca de Pernambuco, recebem asso-
car em commisso ou de conta propria, bem
como qualquer genero que seja su-ceptivel de
ser exportado e delle haver procura na capital
de S. Paulo, assim como satisfaro a qualquer
pedido dos gneros des9a procedencia.
O advogado Jos Antonio de
MagalhSes Bastos, voltou para o
seu antigo escriptorio ra
de Caxias, n. 66, 1.*




t-
r.
-

;'



-



-
?

''9
1
.
\ .
Duque
andar.
{



v
i
<




fu-? "'.
Diario de Pernambuco--Quarla-feira 26 de
de 1890
Caricaturas J
Ao commercio
Jipa* que des amba para velhice ,0 ^^ ^
bem.-i ndigo rtoeftano. Estt.et.ica um jo e aneiro do correle mo afi
g* la.
emum com jo-to
mas
i. i- outro.
lastituiu o Club do "/( Foi aV
Hcionista. M 8 n. hora da prova<,'2->
abandonou o Sr. Joaquim Nebuco pelo Sr.
J. Mariano. QuestSo de evonias.
Cnsul, ed'ctor de medalhks de oitva,
po8sue ama ra, a das Creouhs.
Adora a veterinaria.
Firme em poltica, republicano antigo,
marembou entre o Conde d'Eu e o Silva
Jardim.
O Numes porm, puchouo para a
guarda negra e elle ficou.
Hoje um sebastianista como o Pcrei
ra Jbttior, o Gamba e o Pal.
AcrediU na volta de Izabel a carola !
Bandeira do Cabelieira.
De resto, um commerciante apr veita
Tel.
Eso.
Em poltica... Cruzcs! Muda con-
forme o vento!
J. Romes.
2
Torna-se notavel pelo chapeo de Mnni-
Iha e pelo caximbo.
Entrou no Cup'tn, do sol. Especula
arrancando dentes.
Sustentou a Nabuquice at o ultimo
furo.
Mas um be lo dia o Sr. Marianno pu-
cbou os cordeis e rocu o Quincas com
bigodes e tudo.
Quiz allegar o seu republicanismo anti-
go, maa o Martins destorceu.
Fez elle muito bem, porque o guarda
negra, conhece-se pela pista.
E' sebastianista como o outro e confa
muito na volta do Conde d'Ee.
Foi um dos que concorreram para a
U '.holeza do Carneiro Villela.
Se a farca fez ti a sea a culpa nao foi
delle.
Pertence tamben: ao Club do Martetto
e gyra constantemente entre o esenptorio
'Aprjvincia e a cocheira do Marra, seu
inimigo hontem, mas seu amigo hoje ;
ambos alimentam a mesmo ideal poltico.
Foi emb ndeirado pele Jos aqnem deve
muitos obsequios de oitiva.
E' condecorado com todas as medalbas
do Ramea.
Numes.
Jos Antonio Pilrto, nico, representante da
urina Jo^ Antonio Pilro & Irmo, commonica
jue desde o
aneiro crreme amo aamlliio para
socios de sua casa rnnim<>rciil a Praea la lude
.wwdeociii ns. 31 33 e 33 o- Srs. Fraii ico de
Azi .-lio Pii;>' I.' quim d'OiiM'ira Mua, con
i.nu..(.-.lo o tieg .i i .-nu a Mitiga fl. ma, da qual
caiu todos r<-sp n.-avets.
Recife,, Jt de Fovureiro de 890.
Mgica verdad el rain vil fe
E' nos seus effii'.os a portent-.sa planta
americana conhecida na sciencia sob o no-
rae de Hamamelis Virginica e no vulgo
pelo de Aveleira, pLnta da qual extrahio e
eombinou tao admiravel como scientifica-
mente o eminente sabio Dr. C. C- Brietol,
o Extracto Duplo e o Unguento de Ave-
leira Mgica. Estes maravilh sos reme-
dios ailiviam e enram imraediatamento
toda a especie de feridas, queimaduras,
tumores, chagns chronicas, carbunclos,
golpes, coniuses, dor de dentes e de ca-
beca, neuralgias, e toda a doenca ou din-
externa. E' tambem o txtrato um reme-
dio admiravel em cases de rheumatismo,
hemorrhagia do nariz, inflammacSo da gar-
gan'a, catharro, irordeduras de insectos,
etc. Nunca faina no curativo radical da*
almorreimas, ulceracSes iaternas, vomito*
de sangue, molestias dos rins e herma-
rbigia pulmonar. O Extracto Duplo da
Aveleira Mgica ao m^mo tempo um
remedio interno e exrerno que pode ser
asado cm pannos ou friccei s, ou tomado
interiormente em doses de meia colherinba
duas ou tres vezes ao dia.
As mesmas propriedades e virtudes poa -
ue o Ungento de Aveleira Mgica do
Dr. C. C. Bristol para uso externo ao-
mente. 2
Collegio Meira
Este antigo collegio continua a funecionar na
ra da Imperatris o. 63, abrndo saas aulas no
dia 7 do corrente mez de Janeiro.
Sen director solicita aos pais de familia, que
d ispjaru o real aproveitameoto de seus filhos, o
obsequio de attender ao que vai exposto.
Alem dos preparatorios para a matricula as
Faculdades de Direito, ensinar-se ba tambem a
fallar, escrever e traduzir a linga franceza, a
ingleza e a al lema, sendo professor desla o Sr.
Algernoo Sck.efler.
0 lado moral da educago de seus alnmnos,
do mesmo modo que o intellectoal, merecer-lbe
ba sempie o mximo ioteresse.
0 resultado dos exames prestados no flm do
anno prximo passado. na Fatuldade de Direi-
to, pelos alnmnos deCollegio Meira-sqa
prova mais eloquente. e ao mesmo terxpo, a in
formacao mais criteriosa das vantagens que
ofl'erece dito collegio.
Assim que, dentre os 80 exames que pres-
taran) ento os alomos, apenas 8 turara mal
succedidos, merecendo 6 delles distiuccao, sen-
do pleniflcados 31 e simplificados 35.
uentre as discpulas que hbiltaram-se a
prestar exame : D. Adelina Cabral e D. Carolina
Siraes foram approvadas com distineco em
inglez e plenamente em francez ; D. Maria da
Exaltaco Cabral n D. Adelaide Cabral Hzeram
aquella dous exames, e esta um, sendo pleni
cadas nelles.
Continua a funecionar a aula primaria que
poder receber alumnas da mais tnra idade,
pois dirigida por duas Albas do director, das
quaes urna a bacharel Maria Augusta Coelbo
Meira de Vascon;ellos.
Admittem se pensionistas, meio pensionistas
e externas.
Entre os exercicios prsicos que tanto con-
vem saude. ensinar-se na esgrimir espada.
Tambem poderao aprender msica os alumnos
que quizerem.
O ensino de msica, o de allemo e o praaco
das linguas franceza e ingleza sero mediante
juste previo.
Recife, i de Janeiro de 1890.
* O director,
Ascencio Minervino Meira de Vusconcallos.
Collegio de Nossa Senhora
da Piedade
Na Ladeira do Varadottro em Olinda
n. 31
Directora Ha-garida Aires
Vi atina
Este collegi.i de eduoy-iu paro o aox"
femininn e meninos de tenra idade, abri
as tilas aulas no dia 15 do mez passado
continua a admittir alumnas internas, meio
pensionistas e externas, mediante ama
mdica pensao.
A casa em que elle funeciona, rene to
das as coodicSes hygienica, sendo bsa
a alimentacao que se da s jovens educan-
das.
A par da educacao physiea, a moral e a
intellectual estSo cargo da directora e
de um corpo docente habilitado.
Ensioam-se primeiras letras, linguas por-
tugueza, franceza e ingleza, arithmetica,
geographia, msica, piano e canto, alm de
costura cha, bordados, etc.
SSo professores do collegio os Drs. JoSo
Baptista Regueira Costa, Cicero Odn Pe-
regrino da Silva, a Exraa. D. Augela Gui-
maraea e o maestro Candido Filho
HOTEL REIMO
Porto
DIARIA 900 RES
Toase conIsa coqueluche
Nao deis crianca senao o Peitoral de
Cambar.

Advogado
WB
su. l :::::::: ss::::..
Mudou o seu escriptorio para a ra do
Imperador n. 32 pr meiro andar, onde
pode ser procurado de 10 da manb s
ida tarde.
Residencia Ra Imperial n. 148
l TelepaoBe n. 102.
i
,
\\
Porto (
Rosarlo na-j ,
i
ANDAR V
os mais difficeis j
de Londres, Pariz,< J
) Lisboa e Rio de Janeiro. ()
i Prima em perfeicao de costuras, em j l
'em brevidade, modicidaae em precos e
flno gusto.
Leonor
, Roa Larga do
mero
SEGUNDO
i Contina a executar
Vflaaritioa recebidos
*%&
w&--------------
0 Dr. Erniirio Coutinho,
de volta de sua vagem Europa, on-
de se dedicou especialmente ao es-
udo das molestias do systema ner-
voso, lixou sua residencia e consul-
torio ra da Aurore n. 85.
Consultas de meio dia s 2 horas.
TELEPHONE N. 367
ft&t:
*
Tobercalose pulmonar
Cura garantida pelo Peitoral de Cim
bar.
ttronchlte aguda ou chronica
~ O Peitoral de Cambar o melhor rr-
medio.

|i
Oculista
l
fj
I
;
Ao publico
A Empreza Telephonica Bourgard, tea-
do feito a mudanca das linhas para o novo
edificio e precisando mudar grande quaa
tidade de linhas que se acbam estragadas,
trabalho este que pela sua natureza d lu-
gar a muitas interrupeoes, pede aos Srs.
aasignantes desculpa de qualquer falta que
occorrer durante o trabalno.
COMMERCIO
evista do Mercado
RaCIFE, 25 UE FEVEEEIBO DK 1880.
Iluuve pouco movimento no mercado de cara
bios, e quasi nada foi feito em artigas de pro-
ducc&o do Estado.
Cambio
PBACA DO KECIFK
A taxa bancaria foi 24 d. nominal, bavendo
pequeo negocio a 2'i 1/(6.
Papel particular foi passado em pequea es
cala a 24 i/4-
PRACA DO RIO DK J iNEIEO
O mercado nao soffreu alterai;o, sendo a taxa
ban aria nominal 24 1/8, bavendo transaceftes a
24 3/16.
Kapel particular continuou a ser escasso a Si!
3/16.
TABELLAS AFFIXADA8
- >
Z a- I

a

te
CKi
2.
I
c
T
cr
o
Si
a
31
s
a
O

"9
i
ti

9
s

ss
3
> s
Sb
,M 9
"

!
s-
^ ^1
MEDICO HOMEPATA
Dr. Baithu,,. da Silveira
Especialidadefebres, molestias
das crianjas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-ae a qualquer chamado para
ra da capital.
AVISO
Todos os chamados devem Ber di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
) k ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde ee indicar sua residencia.
Dr. Silva Leal
clnica medico cirubqica
Consultorio e residencia roa do Livraraento
b 6 I andar Consultas das 11 s 3 horas da
tarde. Chamados a qualquer hora, por eicripto.
Caubio sobre Lisboa, 90 d/v. 123 0/0 de premio,
do banco, bontem.
Dito sobre dito, vista 126 0/0 de premio, do
banco, bontem.
o oresideote,
Antonio Leona 'do Rodrigues.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
Algodo
Cota-se o de 1* sorte do serlo na razao de
7OUOa7*100 per lo kilos.
A exoortaco feU pela alfandega BCtia mez at
o d 1.738.669 para o exterior e 151.186 para o inte-
rior.
As entrada verificadas at a data de h.je so
bem a 230j saccas, sendo por:
Bircacas..... 3.39a Saccas
VVutares..... 1'6
Viimaes..... 9-J70 .
V a-ferrea de Caruar. i.723
Va-ferrea de S. Francisco. 3 461
Tu-ferrea deLimoeiro 6.927
Somma.
25.i 52 accaj
4ssucar
Ob pre08 pagos ao agneultor, por 15 xtlos, se-
cundo a Associajao Commcrcial Agrcola, foram
)s sepuintes:
Usinas .
Branco
Somenos.
Mibcavado purgado
Rstame .
4i010 a 45 3*9u0 a 4*5iK!
2&M a JiiO
1J8J1 a lVtO
1<:W0 a 1&H)
lOO a UU
Dr. Barreto Sampaio, enlista,
ex-chefe de climca do Dr. de
Wecker, de volta de sua via
gem Europa, d consultas de
1 a 4 horas da tarde, no Io
andar da casa n. 51 ra do
Baro da Victoria, excepto nos
domingos e diaB santificados.
Telephone 285.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ru da
Saudade n. 25.
Telephone 287.
-!
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLDSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nof
Estados-Unidos, tem aberto o aeu cnsul
torio, na ra Bario do Victoria 18, Io ar
dar.
Consultas da 10 s 4 hora* da tarde.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali
iade de molestias de senhoras e creancas
Consultorio e residencia ra da impe
ratriz n. 18, ,1o andar.
Consultas de 8 s 10 da manhii.
Chamados (por escripto) 4 qualquer hora
TELEPHONE N. 226
gurdeme
CoU-se jlOOjOO, por pipa de kS'i litros.
Aleool
Cota-se a 200*000 por pipa do 480 litros.
Mel
Cota-se a 55OO0 por pipa de 480 litros.
\aIos t descarga
Barca nacional Belt\. varios neneros.
Barca americana Fred W. < arlon, algodao.
Barca sueca Balder, carvo.
Barca allema Schuam, varios gneros.
Brigue laglez Talbot, baclhao
Patacho nacional U. Atina, farello.
Pauta da Alfaadega
8BMANA UE 24 DB FEVEBBlBO A 1 DE 1IABXO
OB 1MI0 :.
Vide o Diario de 23 de Fevareiro
Importaco
Hiate nacioual Aurora //, entrado de Macan,
em 24 do corrente e consignado a Carlos Auto
nio de Araujo.
Sal 350 aiqueiris ordem.
Sois
a
JOTCES OEFICIAE8 DA JUSTA DOS COE
RETOBES
Recife. 23 de Fevereiro de 1800 J
Aexrxtrtago ftita pela alfandega neste mez al
o dia 22, constou de 11 5o:.22 kilos, .-endu io.l72
para o exterior e 11.506.054 para o interior-
As antraaas verillc.ilas at a data de hoje so-
bem a 136.722 .ecos sendo p^r:
Harcacaa ....
/aores .....
Animaes. .
Via-ferrea de Caruarfi.
Via-frrea de S. Francisco,
/ia-ferrea to Limoeiro
49.832 ;: 5.776 "
7.461
63 074
8.39
Somma.
136.722 ^ eco
Couro
Cambio sobre Londres. 90 d/v. 24 d. pnr 1*000,. Couros salgados 370 ris, e es verdes a 220
ao banco, bontem. ria.
is.jiortaco
aicn, 24 de fbvbbbibo di 18S0
Para*> exterior
N j vapor americano AUianga, para New-
Yji-k, carregou :
J. C. Levy, 4,150 pelles de cabra.
Para o tntertor
No vapor nacional Jacukypc, para Bab:,
i carregaram :
! Amonm Irmaos & C, 100 barricas com 11.500
I kilos de assucar branco.
A. C. da Silva 100 saceos com farinha de
mandioca e 20 ditos com 1,200 kilos de feijao.
Para Penedo, carregaraiu :
S. B Amorim >t C, 200 saceos com farinha
de mandioca.
Par Aracaj. carregaram :
Amorim Irnios & C, 1.000 saceos com fari-
nba de mandioca.
No vapor nacional Espirito Santo, para Vic-
toria, cirregarara :
P. Carneiro 4 C 50 saceos com 18,750 kilos
de assucar mascavado.
Para Babia, carregaram :
M. A. de Senna 4 6. 80 buiricas com 5.7TO kilo3
assucar refinado.
P. Carneiro C, 3S5 saceos com 31,506 kilos
de feijao.
Rio de Janeiro, carregaram
amorim Innaos C. 850 saceos com 52,0.0
kilot de assucar mascavad-j.
Auxilios lavoura
Pereira arneiro 4 C. continuam, antorisado;
lo Banco do Brasil; i conceder einprestimos
i ..ivoura das provincias de Pernambuco, Ala
,'<>. I'.Tabyta i r.ui virande do Norte, mediante
if omnc6*> Je que os i o te restad os rao iDror-
awil s no escriptorio ra do Couimcrcio n. C
la 11 IiuMb u mauna s 2 da urde.
Elixir depura-
tivo vegetal.
Formu a de ngel ino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Inspectorio Geral de Hy-
giene Publica do Rio de Janeiro em 20
de Julho de 1887.
Este depurativo de grande eflicacia as rao
leatias sypbiliticas e impureza do sangue ; assim
como em todas as molestias das sennoras.
Tem curado radicalmente muitas pessoas <*
commettidas da terrivel molestia beriben.
MODO DE USAR
Os adultos tomarao quatro comeres das
sopa pela manh e quatro 1 ooite.
as criancas de 1 a 5 ao ks tomarao ama co
Iber pela manha e outra noite, e as de 5 a 11
aonos tomarao duas colberes pelamanh e duas
noite.
Deverao tomar banhos frios ou momos pela
manha e noite.
Resguardo regular.
Encontrase a venda na drogara dosbr.
Fiaucisco Manoel da Silva & C, ra do.Marquez
>! Oiuli. D. 23.
0 autor deste preparado pode ser procuraao
na ra do Bario da Victoria n. 37, onde ser en
contrado para dar toda e qualquer explicago
que for precisa.
N. 104
Illm. Sr. Anceliao Jos dos Santos Andrade. -
D'entre os remedios usados para o rheumatismo
e varias molestias venreas, nenbum com tanta
rapidez produz cu.a como o Angelino, preparado
ae Vmc.
Accommettido em um braga, de rheumatismo,
o qu jI tornara-se rebelde a muitos medicamentos
empregades, ftassei felizmente a eombaiel o :oi)
o Angelino, e, antes de esgttar o quano frasco.
liquei radicaimenle curado.
umi'ie me, pois, por amor da verdade. e dit
ver de bondade, dar o meo testeruunbo sobre o
prodigioso effeito dense excedente restaurador
di saude.
De Vmc. reapeilador venerador e criado,
Francisco Xivier dos Sanus.
Recire, 13 de Agosto de 1888.
N. 105
Illm. Sr. Angelino J.ise dos Santos Andrade.
Tendo sido ac:ommet ido ha orea de tres annos
passados de una empingem de mocaiactcr que
bastante me ncommcdava, depois de ter espu-
tado todos os recursis mdicos sem delles ol)ter
o menor Unitivo aos meus soff'imentos ; amigos
me acouselharaiu o seu'.-lixir pnrificado- du san-
gue, sem perda de ten p mandei o buse; r, e
com o uso de alguiuas garrafas mt resUibeleceu
de meus soTriinentos,
Deste meu escripto fa: o uso que Ihe aprou-
ver.
De Vmc amigo venerador e. obrigado,
B'-mvenuH) Cavlcanle di- Albuqueiqe.
Recife, 20 de Dezemoro de 1887.
N. 106
Illm. Sr. Angelino Jos dos Sanios Andrade.-
Ti'O.lo sido accommettido ha cerca de tres aoms
passa'los, de dures rheumaticas e urna eruicj
ua pelle. e dejo s de tef fe"0 us> de alguns ni"-
diramentos sem nenlmm resultudo, e leudo em
ultimo tusar recorrido ao seu preparado d'iio
tmn idoElixir Vegetal Purincado* do.Sangue.
en rontrei logo linivo aua meus goffnmeutoii;
pir s''.r a pura tardada dirijo-lhe a presente que
Vnii-. pnder fazer della o uso que Ihe ^prouver.
De Vmc. ajiigo atteneiom ecriudo.
PransCti M-irmis Gomes.
Recife, 4 de Dezembro de 1887.
EDIT&ES
__ O cda3o Dr. chefe de policia man-
da' declarar que do dia 15 do mez de
Mxrg prximo em diante, estar a berta
nesta repart jilo a matricula para os ga-
ntiadores e moyos de recados, da 11 h< ras
da manha s 2 da tarde, as eeguodas,
quartas e sextas-feiras.
Secretaria de pul cia do Estado de Per
au buco, 13 de Fafrereim de 1890.
O secretario,
Antonio Jo: da osta R&eirj Jnior.
2" Scelo.Secretaria do Governo do E-tado
de'Peruambuco, em 21 de Fevereiro de 1890
De ordem do marechal governador do Estado f.i
50 publico, para os de:idos efleilos, o edital
abaixo transcripto, pondo em concurso o provl
menlo dos ofticios de contador e partidor do ter-
mo de Agua Prela.
0 secretario
Aotonio Ignacio de Mesquita Xevcs.
P. >. Menezes, 23 caixas com 50 dzias de
frasco? de elixir can c ti* negro.
No vapor inglez Comet, para Rio Grande
do Su carregoo : ~. .
Uiyise CosU, 300 barricas com 32,100 kilos
de assucar orauc 1.
No vapor nacional, P. do Grao Para, para
Villa Nova, carregaram : *_ .,, ,
a. Stein 4 C, 100 saceos com 6,000 kilcs de
milito.
Para Pendo carregaram:
M. Tavares, 30 barricas com 1,800 kilos d
assucar branco. -
A. Stein, 40 saceos coro 24 030 Kilos de milho.
Na barca nacional Belty. para Rio de Ja
neiro, carreoaram :
S. Guimares 4 C, 16 barris com 2,560 utros
de mel. _. _
f No lugar inglez Creyhounl, para Rio Grau
le do Su., carrewram : J-
A. Taborda, 700 saceos com 52.500 knos de
assucar branco.
A. Guiu-arSes, 600 barricas com 54,312 knos
le assucar branco.
No l^ar inglez Eldra, para Pelotas, car-
regaiam :
Burle 4 C, 236 saceos com 17,700 kilos de
assucar brinco.
d. Lunrtgrih 4 C, 203 barricas com 21,507
kilos de assucar branco.
No hiate nasiool Apoij, para Uossor,
carregaram :
S. B. Amonm 4 C, 30 sacco3 com 1,800 kilcs
de milbo.
No cter iaguarary, par Maco, carivga
r. m :
. C. B> ltrc v Irmao, 5 barricas com 492
kilos de assucar branco.
BHnhelro
Pelo vapor nacional Jacuhyp. para :
Peoeao 20.000J000
Arac.jd 10.39i00)
Rendlmcatos publico
MBZ DB FEVeBttlUO
Alfandega
Reuda geral :
Do dia 1 a 24 C47.368*436
(dem de 25 25:i68936
67:637;372
* Renda do Estado de Pernambuco :
Do dia 1 a 24 139:031*766
dem de 25 3:1154b6
111147*23*
Somma total 8i4:784oOi
Edital
O Dr. Jos Brandao da R comarca de Agua Pela, lisiado de Pernam-
buco, cm virtude aa lei, etc. 4
Paco saber aos qu- o presento edital virem e
d'elle noticia tiverem e a quero intertssar possa
qur, d confjrmidii^ie com o aH. 1." do decreto
n. 3.322 i.j li ae sIij d.i 1887 >;m viMOiM^a
lei, lica marcado o prun dt- 30 .1 .as. acoti'arile
hoje. para novo o concurro de urvvtai^ 11 djs of-
flicios de contador e partidor desta airoarca, ciea
do pela lei provincial 0. 1,405 de 12 de Maree de
1879, que se acha vago por fallecimenlo do ser
venluario Joaquim Marques da Porciuocola.
Assim, pois, recommendo a quem pretender
que se aprsenle no prazo a;ima indicado e oue
inslrua sua petico com exame de suficiencia e
mais documentos exigidos pelo decreto n. 9.420
de 28 de Abril de 1885 e maia legisiaco em vi-
gor.
E para que ebegue ao conhecimento de todos,
mandei pausar o presente qu^ ser affixa lu na
porta da Intendencia Municipal desta villa, o
d'elle se extrabir copla para ser remettida ao
cidado governador deste Estado, em virtude de
art. 157 do decreto citado, com certido do dia
em que foi -fli.vudo palo porteiro dos audito
rios.
Dado e passalo tiesta v lia d'Agua Prela, co-
marca do mesmo nome, em 12 de Fevereiro de
1890.
Eu, Pedro Severo da Costa Leite, escrivao de
orphaos. o escrevi. Jos BrandSo da Rocha.
CerfGco que aflixei boj-', 12 do correnti-, s
12 horas do dia, na porta da intendencia Muni-
cipal, c edital para o concurso dos officios de
contador e partidor desta comarca, e para con-
star passei o presente.
O porteiro des auditorios-Joaquim Jeronymo
de Carvalbo.
Subscrevo eassigno.
Afiua Preta, 12 de Fevereiro d 1850 O es
crivao de rphaos, P Leite.
O Dr. Sigismundo Antonio Goncalves,
juiz de direito especial do conmercio
desta cidade do Recife, do Estado de
Pernambuco, em virtudu da lei, etc
Fago saber aos que o presente edilal virem
ou delle notiria tiverem, qu* por parte de Joa
qu:m Salvador Pessoa de S.queira CavaJcaatu,
me foi dirigida urna petico do theor seguinie :
Pdicg. Illm. Sr Dr. juiz de direito do com
raercio.-Joaquim Silvador Pessoa de Siqueira
CavaJcante, credor de Manoel Castor de Siquei
ra Uavalcante e Fran'-isin Lns de Siqueira
Cavalcante, daquautia de 6154660 da 1 tra junta
e juros, estando a mesma a presciever quer o
supplicinte interromper po' meiu de protesto
juncia!, para o que requer que mande lomar
por termo seu protesto e intimar os suplicados
por edital. visto aelurem se em lugar incerto e
nao sabido.
Pede d ferimento. E R Me.
Recife, 20 de Fevereiro de 1810. -Tln.naz S.
de Almeida Barros.
Sellada legaltneute, na qual profer o des;ia
cbo ilo theor tvguinte:
Despacho.Distittiuido c autoudo, com re-
quer
Recife 20 de Fevereiro de. 1S90.Sigismundo
G.mea I ves.
Em virtud deste ineu d;-pachn fi)i a mesma
ne tica o prsenle ao distribuidor do jnizoque o
iiistribuio ao escrivao do primeiro oilicio. deste
meu j'iizo, que lavrou o termo de protesto do
tbeor ^e(^ulnle:
Termo de protesto. Aos 20 de Fevereiro de
I8'.10, ne-ta eidai'e 00 Ri'cifj, em meu eariorio,
veio o solicitador Tnuiu.z -uismundo i!e Am-i
da Barros pro uraoo- uo supplicaute e disse
peranie mica e as lestemunhas abaixo assiima
das, que redozia a teru; 1 o protesto cousunte
da.pctigo qul lica fazendo parte de presente
termo. B 'I" como jtsuiui o disse assit;nou com
as lesiemunlia- atiaixo.
Eu Ji- Fratl 11 l Alnacar Lima, escrivao o
e-cii vi. moma/. S. de A;meida Brros, Francis-
co Man ;el de Almeida Jnior, Balthazar Jos dos
R'is Fdho.
E mais eoo conti:iha em dito tenvo d'- pro-
ti-sto aqui copiado, tendo o justiricaoie proiluii-
iio a justtlicacio lYCOOMietHiada pela lei. o res
P'.-ctivo escrivao me fez os autos concluso; sella-
da e preparados, nos quaes profer a senlenca
do liieor seguinln .
S-nienca. Jnlgo oor sentenca a justilicaclo
proilzid por Joaquim Salvador Pessoa de Si-
quei/-a Cavaloant- da ausencia em limar incerto
e nao sabido le Mmoel Castor de Siquei a Ca-
ralczn e e Francisco Li-is de Siqueira Cavalrn
le, ru-l* que e t' se os por editaos com o prazo
da lei. Gv*tafe ex causa.
Recife. 21 d Fevereiro de 189.1 -Sigismundo
Amonto Goopalvfcs.
, Em virtude desla minha senienc o respedi
vo escrivao fez passar o prei<.nte edital, pelo
qnal chamo, citoe bei por intimado-' os justifica
tfos Manuel Castor de Siqm-ini Garateante e
F.ancisco Lias de Siqueira Cavalcante pura com
parecerem anle. este juizo no prazo de 30 ilias,
itim de allegaren) seus direito.
E para que chegu* a conhecimento de tolos,
mandei passar o pre.s-nle que ser publicado
nela imprensa e ailado nos lunares do costu-
me.
Eu Jo: Fraikln de Alcncar Luna, eserivao o
esnevi.
Recife, 21 de Fevereiro de 1890,
Sigismundo Antonio Gonf.lres
2 seceo.Secreten-i do governo do E.siaoo
de Pernambuco em 2i de Fevereiro de 1890
De ordem do marechal governador do E-tado
fago publico, para os devidos effeitos, o edital
abaij.0 transcripto, pondo em :oncursoo provi
ment do3 1 IR :ios de partidor e distribuidor,
contador e partidor do termo de Garanbuns.
O SiCretario.
Antonio I,'jacio de M*?qu'ta Revea
Seaonda secgo da Alfandega de Pernambuco
25 de Fevereiro de 1890.
O the8oureiroFlorencio Domingnes.
0 chefe da seceoCicero b. de Mello.
Uo dia 1 a 24
dem de 25
Re -e be doria
51.039 815
10:348**59
geral
61:383J074
Reccbedorla do Estado de
Pernambuco
Do dial a 2i 26:409224
dem de 2" 801*740
O Dr. Rilo Rodrigara de Miranda, juiz de direi-
to da comarca de G irauhuns, Estado de Per-
nambuco, na forma da lei, etc.
Fago saber aos q e o presente edital virem e
delle notica tiverem, que d* cooformidade. com
ti artigo Io do di-creto n. 3 352, de 14 de Jolbo de
183". em virtude do ifbVta do awivchal gover
n idor deste Et-d, di- 2!l ie Janeiro liado, lica
i.ar.:uto n praoo di 30 :ias 1 contar se de hoje
para o concurso de provimento dos uflicios de
partidor e distnhnidor, contador e partidor des-
te termo de Garanbuns, creados pela le deste
Estado, o. 504, de 29 de Maio de 1861, que nun-
ca toram vitaliciamente prvidos, acbaodo se o 1*
oceupado pelo cidado Hcent* Ferreira Loatosa
e o 2 ido cidado Antonio LoureBCu de Mello
Jnior, ambos provisioriamente,
Assim, pois, recommendo a quem pretender
que aprsenle se no praso cima indicado, e
que iustrua sua petico com exame de suficien-
cia e mais /iocumentos exigidos pelo decreto n.
9,420. de 28 de Abril de 1885 e mais legislagae
em vigor."
E para que che ue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente, que ser affixado na
porta da intendencia municipal desta ciaade, e
delle se exir-hir copia para ser remetiida ae
cidado governador deste Estado para o lia
mencionado no artigo 157 do decreto citado com
certidio do dia em que foi affixado pelo porteire
de auditorios
Cidade de Garanhuns, 11 de Fevereiro de
1890
Eu Izidoro Florentino de Vascoocellos, escri-
vao do jury o subscrevi.Jiilo Rodrigues de Mi-
randa.
Certifico, eu ofOcial de justica e porteiro das
audiencias, abaixo assignado, que hoje aflixei
na porta da inteudencia municipal o edital pelo
praso de !) das, convidando coocurrencia para
0 concurso 'ios officios de justica de partidor e
distrbuidor. contador e partidor desle juizo a
que ludu dou f.
Cid.de ie Garanbuns, U de Fe-ereiro de
1890.0 olli-ial e porteiro, Ignacio Pereira da
Orh?
E mais se nao continha m dito edital e certi-
do aqui bem e lielmeiue copiados dos proprios
orioaes, aos quaes me. reporto e dou tV.
Cidade de Garanhuns, 11 de Fevereiro de
1890.
E:n f de verdade.Escrivao do jury, Izidoro
'"lorenlino de Vasconcellos. -Nilo Rodrigues de
Miranda. __________________
1 si'icn. *><. retarla lu (overa*
do Estado de l'eruambnco, 19 de
Fevereiro de IS90.
Por e.-ta secretaria se faz publico a qnrm in-
u-ressar mssa, que, por portara de boje, do
marechal Governado.- do Estado, foi prorogado
por mais tres mezes, para to .os os officiai'S da
guarda nacinil. no.iieados de 13 de lulbo de
1889 al li de Njvetnnro do mesmo anno, a
lontar r|* presente dita, o praso para os referi-
dos offieiaee solicitarm asresnectivas patentes.
0 secretario,
Antonio Ignacio de Mesquita Neves.
0 cidado D:\ Jos Enrjgdio Goncalves Lima,
juiz muiiic.ipai e do tvel do termo de Ipojuca,
comarca do Cabo. Estado de Pernambuco, em
v rlude da lei, etc.
Fago saber aos que virem o presente edital de
viute dias. que por este, jwso lem de ser arre-
matado por qu.-m mais der, no uia 27 do cor-
rele ni 'i, (ii-pois das audiencias deste juizo,
o engenho Femaude? e shus parteoces, moente
e. corrente, com '.odas ;S suas bemf itorias, e
nove casas para miradores, sitas ueste termo,
p.enhorado a J >o Xi-ier d>-. Cerqaeira Brito e
Boa mulhir. em execugo que contra elles move
a F.tenda is'acioual como adores d- ex ibesou-
leuo d.. Toe.-ouraria de azeivla deste. Estado,
b earei Eduardo d Bario Falco de L^cerda,
cojo engenlio e seus perlences foram adjudica-
dos F..zenda Nacional por bao liaver licitantes
nprimeira, segunda e. t rceira pracas. e de
novameiite levado praca a rcqueri.-.ieLto do
nr. procarador s-.l edosfeitus di fazeoda
rom u ahaUmeato da juarta uarui da avaliaco
de 20:0tK)0J0, pela quaiiiia de 15:0005.
E pira que cliegue ao coiilKcimtnto de todos,
mandei passar o presente edital que scraafixado
no lugar uo coslum; e publicado pela mprensa.
Dado y pausado nesta villa de Ipvijuca, aos
sei das de Fevereiro de 1890.
Eu, Jo. Genuino Feneira esc nao, escrevi.
Jo; Kmvgdio Goncalves lama.
Club 22 de Julho
Sao conviJados toilos O: socios a reunirem se
duarta fera 26 do corrate, no lugar e horas do
costume alim oe tratar se ue negocios tenden-
tes ao referido club.
27;21096i
Recite Dralaage
Uo dia 1 a 24 5.960252
dem de 25 1:039*438
. 6:999iSl9.<
Mercado Hunlclpal de *> Jas
1 movimento desle mercado no da 2i do Fe
vereiro foi o seguinte :
Entraram :
28 boi pesando 3 690 kilos.
824 kilos de peixe a 20 res
16 cargas com farinha a 200 re.
9 ditas de fructas d versas a 300 r.
33 columnas a 600 rs.
72 tabolei-os a 200 rs,
7 suinos a 200 rs.
1 escriptorio a 300 rs.
65 jompartimeutos com farinha a 500
rs.
28 ditos de comidas a 500 ra.
98 ditos de legumes e fazendas a
400 rs.
17 ditos de suinos a 700 rs.
9 ditos de fressuras a 600 rs.
5 ditos de camaide a 200 rs.
30 lalbos a 2*
165430
3*2vX)
2*700
!98(I
144fKl
1*400
300
32500
14*000
Capitana do porto
de ordem do cidado capi'ao do porto deste
Estado, faco publico, para scieocia dos interes-
8ados, que. p irecen-Jo liav.T discordancia entre
os avisos do Ministerio da Marinha sob as. 387
e 388 de 20 de Dezembro do anno linio, que
respondem -> consultas f-ilas pelo capilo do
porto do Rio Grande do Sul sobre ;t exeeucito do
aviso do me-mo Mtnist^rio n. 10.411 de 26 de
Oulubro do anno prximo passado, referente s
vistorias as embarcacOes nacionaes, ficam as
barcagas e mais emDarcaces de cabotagem e
longo curso isea as dos impostos resultantes las
re eridas vistorias, al que resolva a respeito o
cidado ministrd da marinha.
Capitana do porto do Estado de Pernambuco,
25 de Fevereiro de 1890.
O secretario,
Mario F. Castro Cbavt6.
Vapor* a enti-;.r
MEZ DE FEVEUEIK
Norte........ Pirapama......... 26
Europa...... ViUt de Baha..... 2
Sul........... AUianca......----- 26
Sul.......... Olinda......... 26
Sul........... Cometa........... 26
- ul........... Britakia.......... 26
Europa....... Esnol .......... 26
Europa....... Ssechenye......... 26
jHone......... Admnce.......... ti
Sul........... Hamos
Vapores a sahlr
MEZ DE FEVEREIRO
Sul.......... Espirito Sanio...... 26 as

V
> F
.
<*
' '

Lvcrpool..... Brania ...
New-York -
Hamhurgo ...
santos e esc
Sul..........
Norte.......
Santos e esc .
AUianca
Olinda.......
isno........
Vil/e de Babia.
Mondos......
Advance......
26 as
26 as
27 as
27 as
27 as
27 as
28 as
B neo Sul-Aiu..-ricaao
38 -Ra do Commercio3
Compra e vende saques sobre Bbia, Rio de
Janeiro, Santos, S. Paulo. Campias e Para, e
faz quaesquer operaces de crdito sobre as
me.-mis pragas.
Banco Su'-American.)
38 -Ra do Comaacrclo38 ',
Saosa por lodos os vapores sobre o Banco de
Portugal em Lisboa, Porto e outras localidades
do mesmo reino.
Hovimeato do porto
39^200 Navio entrado no dia 25
,.1-*?;H! Santo-28 dias, patacho noracauense .Rio. de
?4'" 151 tonelad.-s, capitn 0. J. Berg, equ.pagem
60^000

Renlimenlo de 1 a 21 do Correte
Prejos do dia:
Carne verde de 200 a 480 ris o tilo.
Suinos de 520 a 560 ris dem.
Carneiro de 640 a 800 iuem
arinia de 50J a 600 ris a cnia.
Milho le 40o a 430 ris idem
Fco de 900 a 1*200 idem.
222. :280
5:190.5400
5:4I2.680
7, em lastro ordem.
Mela* e escala-13 t|2 dms, vapor nacional
Espirito Sai o, de 1,999 toneladas, com-
mandante Francisco Auionio de Almeida, equi-
jiagem 60, carga varios gneros; a Pereira
Carneiro & C.
Navios sakidos no mesmo ata
Baha e escala Vapor nacional Principe do
Grao Para, coraman.iante Julio Cesar de L'.-
cerda, carga varios gneros.
Babia e escala Vapor, nacional Jacuhyp,
I com mandante Joaquim Jo6 Esteres Jnior.
' cawa varios gneros.
\
\






T




'
Diario de Pernambuco-Quarta-teira 26 de Fevereiro de 1890
Praso de 3w dias
Pela ifgm-coria desia Ifandega se. fot pabli
coque 8ill horas O d -t 3 (lo ui.r. de Maryt
vindouro BJU arrematadas aporta destare
par!i,ao as tnercatlor as abaixo ine nonadas,
no- termos do lit. '-> cap 5- d. onuli.l.c&u das
-is I,- albadtga* .im-saa de rendas. os
cus duios oa cnsigna'.urios nao a.- despuma-
rem o as ietiraern no referido praso de IR' dias.
a cootar da da:a i ste edita sob peas, de, lindo
o oiestno praso, seretn ven idas por =ua conta,
sem que Ibes fique direito de allegar contra 08
effeitos desta venda :
Armazn n. 2
Marca SA, um gigo n. 60, vindo de Liverpool
no vapor inglez Scholar entrado em 18 de Mar-
co de 1889, consignado a Soares de Atnaral Ir
mao, con ten do pesas de lonja n. 2, pesando ti
quido legal 240 kiiog aminas.
Um dito o. 66 idem dem, aos meamos, pijas
de louc n. 2. peso liqu.do legal 228 kilog am-
inas.
Um dito n. 62. idem idem. aos mesrao. ppcs
de iouca o 2, pesando liquido legal 247 kilo
firaniniaS.
Um dito n. 63. idem idem, aos me9mos. pecas
de Iouca n. 2, pesando liquido legal 2i0 kilo
grotnmas.
Um ilo n. 64, idem idem, os mesmos. pecas
de Iouca n. 2, pesando liquido legal 233 kilo
grammas.
Um dito n. 1, idem, em 13 idem, aos mesuro*
pecas de longa n. 2, pesan 1o l.quidu legal 20
kilogrammas.
U.ii dito i!. 2, idem idem, aos mesmos pecas
de lonja 8. 2. pesando liquido legal 2 2 kuo
grammas.
Marca SA, um dito n. 3, idem idem, aos mes
mo i, pejas de Iouc n. 2, pesando liquido legal
203 kilugramraas.
Um dito 4, dem tdem, aos me rao, nej* r
de Iouca a. 2, pesando liquido legal SOi tno
grammas.
Um dito n. 5, idem i lem, aos mesmos pejas
de Ijuja n. 2, paseado lijuido legal 222 k lo-
grammas.
Um dito n. 6. idem idem, aos mesan, nejas
de Iouca n 2, pesando liquido legal 162 kilo-
raumas.
Um din n. 7, ide u ide.T, aos mesmos, ppjas
de louja n 2, p-sando liquido legal 15a kilo
grammas.
Um dito n. 8. id. m idem, aos mesmos, pecas
de louja n. 2, pesando liquido legal 139 kilo
gr. lULUaS.
Km dito n. 9, idem id.'m, tos meamos, pecas
de lonja n. 2, pesando liquido legtl 139 kuo-
grammas.
Um dilo n 10, id ni idem, aos mesmn*. pecas
de tonca n. :, pesando liquido legal 161 kilo
grammas.
Armazem n. i-
Marca CM um pacole n. i, *indo de Himbur-
CO ni vapor allemac Rio. entrado em 5 de Abr'
idem, consignado ordem, conteni amorras
sem valor.
Marra GC C, um dito n. 1, dem dem, a Goo
j Ivs Cunha C, costeada amostras de fazeu-
d. em retilhis. sera valor.
MatcaERS, 6 caxas ns. 408V, *08G, 4088/91.
ideo idem, a Eugenio Samico, i-ontenno 311
klogrammas, piso liquido legal de fra eos de
vidro ordina-io, b anco, sein ro:tia e sem toc^a
esmerilbada.
Marca FGtt e contramarca P, um pacolo s ni
numero idem, nc vapor ll- ino Cranon en 23
idem, a Ferreira Guunarsi-s C, contendo 1250
grammas de torneiras de m- dtsira de qual jyer
qualidade. e amoi-tia* sem valor.
Marca diamante c i no ceoim urna caixa n.
40, icem no vapor aileniao Ro, em 5 idem,
arvallio Juai r 4 L t', cont ndo 4 solas pe
q'jenos de maieira ordinaria chase longue, 2
cadeiras de madeira ordinaria cora assento de
palba, de abrir e fechar, sem br eos. 4 armajoes
ce ii, deira o diara ou r- bids para descancar
Dand. ij.s. pesando 18 kilo.r ramas.
Marca diamante e J no centro, urna dila n. 41,
idem idem. aos niesraos, cometido 9 cadeiras de
iuade ra ordinaria com asseofaj de palbiuha, de
ab:ir e fecbar, em bracos, 8 ditas de madeira
ordina ia com as.-ento de palba. com bracos.
M.;rr.: di. ntaiite, 1091) uo centro, FL em cima
> Gl' era baixo. tres ditas os 3260/62, idem no
vapor alterna.) Vremou, em 2:1 dem, roarea de
Amara: Inno, culenJo 198 klugr;:mmas, peso
liquido legal de capsulas de estanto para gar-
rafal. .
Maira SC'.e entramare! RB urna dita n. 366.
i lem idem barausto Coelho, contendo 54 ki-
iOgr.mm.is, peso liquido leal de colla nao es
peeifcado.
3.' secco da Alfnuiega de Pcrnatubuco, 30
C Janeiro de I8'.(0. 0 Clieft,
Domingos Joaquim da Fonseca.
Obras Publicas
De ordem do cldadaoeugi-li'-iro director e em
vinude daautn.'HJCdo du ctdaiao mareclial go
vernador d-es'.e Esi-ilo, comida em cflioi > de 15
do (orrenl, fnen i-oblieo qm* UO d a 15 de Mrju
prox mo vindooro ici eS.i'i m' |>i Li r nwpei-.tivas nVuUS Bki990B*Cida-<. oa:a a i-m:i'U*i
i'O leparos do ajude o> p mi.d.' de Lg'W do
Carro, na corntroa de Nazareil, oreadas em
2:206*705.
As propos'as devero declarar o prejo pelo
qual se obligara os licitantes a execuiar a obra,
como o loeal de sua residencia e as JvibilitajOes
que possuam para dirigir os trahaihos, as quaes
seraoi*be.tas ao meio da em presenja dos pro
ponentes.
Haveudo duas ou mnis n/opostas em completa
igua'dade de condijoes, sero chamados os pro
oooentes para declarar quan as moditicajOes
que fazem aflm de celebrar se o contracto com
aquelli; que lizer modilicajOes mais vantajosas
Nao scro acceias as proposlas nos seguintes
casos :
Io As que excederom dos prejos do orja
raen lo.
2o As que nao forera orgaoisadas de accordo
com o presela edital.
3* As que nao oQereceiem as garantas exi-
gidas.
4* As que se basearem 90bre os pre os das
propostas dos ouiros con orreuu-s.
5 As qoe forciu apres:'ntadas por i>essoas que
ji tenham deixado de cuiuprir contractos cele
brapU s com a repiriijo.
O o; jmenlo relativo a obra, as clausulas ge-
raes e especiaes do rootractfl e rnais con.-ijO-s
seit franqueadas n'ejla secretaria ao exame dja
concurrentes.
Para concorrer a praca cima deverjo es lici
Untes depositar n'esia "repartjao, na tespera do
lia da arrernalajao, das 9 as 3 horas da tarde, a
quanlia de 1104335, equivalente a & */ do valor
do respectivo orjameoto.
Secretaria da Directora de Obras Publicas, em
19 de Fevereiro de i890.
O engenlieiro ajudante.
A. Reg Nelto.
Banco de Crdito Real dei
Bernambuco
Indemtiisadora
Sos termos do 1 do art. 23 do- esUitutos a
. j--> j.i> l j I djiawtoria iSonvida nos Srs. uc.i >i.-Un a rtUitt*
A administrac> destoBanco, deicon-l ^ S(. em aemb|a K,.,al rd .,...,. ,, nic;o
f.-rmidarie com o art. : do decreto do 17 dwdell dcil.,;.. vnd..um. ua .-:> !.* .o i;,ia
de JaHeiro co cfiroute ann<>, que rofir-' nfcia. A n u.: i ic:u p;r li.u fl.l'h -rar sobre as
UMtu t. li n. 30J ot 4 de Nvembru do 4D'*' WUi. *oc,al l.do tm 31 de D.l.rabrj
,..;-, t prximo p ssailo.
1882, iaz aceu e aos secherca acc^ii.st.s ; Jecife> 2i de evercro de J830
que em sua sede, a ra do Commercioj
n. 34, se acUam dispos-cSo dos meamos
a copia do bataneo, a relaclo nominal dos
accionistas e lUta das transferencias das
acj3ea durante e anno findo.
Kecile, 2 de Fevereiro de 1890.
Os administradores,
Manoel J o de Amorim.
Luia Duprat.
0
S. fi. J.
Sociedade Recreativa Ju-
ventude
Antonio Fernandes Ribciro i Sarao bimestral em 9 de Marjo em solemnisajo
---------------;--------z------_i >ao 11 anniversario da installajau de sua bi
Corapaiihia Alagoana
de Piacao e Tecidus
oavidamos aos senhores subscriptore de ta
compauhia para, de acci rdo com os arts. 9 e 10
dos estatutos, realisarea al o dia 28 de Feve-
reiro a nona entrada na razao de 10 0,0 do valor
de suas acjoes. Ban:o de Pernambuco.
Macei, 6 de Fevereiro de 1890.
Os d rectores,
Jos Teix ira Macnado.
Jo.- Januario P. de Carvalho.
Propicio Padrote Barreto.
*
Juizo dos Feitcs da Fazenda
NacioDid desle Estado de
Pernambuco
i:.scriio siego Barros
Peante o Sr. Dr. juiz substituto dos
Pcitoa da Fazenda se vender no dia 28 do
corrate m-z pelas 11 horas d* man ha
epois da audiencia os beaa seguintes :
Um c fre de ferro prora de t'ogo com
am ra Rali.mtepertencen e Alfredo
GuiraarU's A C, avahado por 1400 Umn machina a vapor com seus perten-
ces que se acha na serrara do Caes de
Oapiiaribe n. 2'd, psrtcncente a Francisco
dos Sanios Macedo, pelo prejo de......
1:8000J.
Una arojaeSo com baicilo, doua cabides
da columna, ama carteira e urna mesa gran-
de, tudo de amarello em boa estado, que se
acbam na ja i!e uliai.ite, rlia do Baiao
da V ctoria n. 4S A, pertencente a Rodri-
gti3 & C, avahado tudo por 800' :0.
Urna ^rra9lo de los.ro, um ba!c3o e
diveisos dcpos.tos para secco sendo 5 des-
tes envidracados e urna balanza, cora con-
ch-b de madeira que tudo se acha na
t&yerna ra D. Mar:a Cesar n. 2, per
ntes a Antonio Gomes Salgueiro, pelo
de 45,5000.
Bi-v>m cofre de trro pro va de fogo que.
le acua no 1." andar do predio n. 16
roa do Boai Jess, pertecente a Sebas
tui'/ de Barroj Barret;. pelo prego de...
18 000, bens que foram penhorados
para pagaraeo o da Fazenda Nacional e
easts.
Rec.fe., 25 de Fevereiro de 1890.
O soli<:itad-'r,
Lu'iz Machado Bottlho.
Iiidemnisadora
Adiando se vaga? 20 a' ji>s desta ceinpanhia
de ns. 31 a 35, 261 a 270, 2^6 i 290 por ter fal-
lecido o re-peciivo accionisia, a direcioria nos
lermus do art. 15 do- estatutos as rentera, para
0 qae convida aquem as pretender, dirigir snas
pro; otas por iotermedio de corr-tares geraes
ao e^eripto-io da mesma cemparbia at o meio
dia 'i' i d^ .'Jareo vindouro.
Keci.'e, 21 de. Fevureiro de 1890.
Os directores,
Joi.quim AIvcs da Pouseca
ntunio 'ta Conba Ferreira Bailar
Jo-f Ferreira Maquts.______
\rremat: gao
Na dia 7 d> Fevreiro ser arrema'sdoo rn^-e
na J.-.'uatibe. silo no termo >ia Banda, por
20:OfX) ; qucn quizer fazer ; oqnisico de uina
bt propriea^e. chegada a o casia i Muito
connaod.i p.r dislar ineiu lesna da jCitlsdV, ter-
r-no maira frtil e contiguo ao eogcDho central
(.- Fiemirzn.
A prac ser na casa das auiieucias pelas 9
1a -ha do indicado dia cima,
a traoserida es
te, ; : impedimento do juiz substiluto que
1 'i :onoi: n i f. i o.
pod< '-er lugar a prrja designada para
o u a 12, i.i da novo transeia para o dia 25
do .j.rente as mesmas horas.
Obras publicas
De ordem do cidad&o eogenbeiro director e em
viriude da autorisajao do cidado na re tul go
vernador d'est Estado, de 19 do orrente, lajo
publico que no dia lo de Marco prximo vindou
ro recebem se propostas era cartas fechadas para
a exer.ujio dos reparos da ponte do Pontal na
illia de Itamarac, oreados em 4:065t87.
As proposlas devem s -r competentemente sel-
ladas, assignadas peles licitantes com as ti .-mas
reconheciaas e doveio declarar o prejo pelo
qual se obrgam a executar a obra, como o local
de sua resideucia e as babilitajes que possuam
para dirigir os trabalhos. as qiaes serao abertas
ao meio da em presenja dos prooonenles.
Hiveudo duas ou mais propostas em completa
igualdade de condijoes sero chamados os pro-
[onentes para declarar quaes as modicajes
qu'^ fazem alim de celebrar-se o condado com
aqnelle que maiores vantagens offerectT.
Nao sero acceitas as propestas nos seguintes
casos:
I." As que excederem dos prejos do orja
ment ;
2 As que nao forera orgaoisadas de accordo
com o presente edital ;
3'* As qae uo offeecerera as garantas exigi
das ;
4." As que se basearem eobre os prejo3 das
propostas dos oulros concurrentes ;
5.* As que forera a presentadas por pessoas
que j lenbam deixado de cumpnr contractos
celebrados coiu a repartijo.
O orcamento e mais condires-' do contracto
achara se n'esta secretaria, oude po lem ser exa
minados prij prelentcntes.
Para concn er A praja aCiSB*, devero os lici-
tantes depositar n'esta repartijo. na vespera do
dia da arremalajf.o das 9 as 3 horas da tarde, a
quantia de 203i59, equivalente u o*. do valor
do respectivo ori.ameuto.
Secretaria da Directora das Obras Publican
em 21 de Fevereiro da 4890.
O aogenheiro ajudante,
A. Reg Nelto.
Thesouraria de Fazenda
YENDA DE CALCADO
De ordem do Sr. inspector e de conformidade
com o oficio do ci ladao Gobernador do Estado,
de 15 do correrte sero vendido- em hasta pu
blca no da 27 do corrente. < 11 horas da ma
uh, perante a junta de Pateada desta Thesou
raria, J2.5I3 paus de s^patcs fabricados no
presi lio de Fernando de N ironha os quaes se
achara deposita os no Arsenal de Guerra, on le
podero ser examinados pelos ioteressados.
Thesouraria de Fazenda do Estado de Per
nrmbnco, 21 de Fevereiro de 890.
Orecrelarioda junta.
Dr. Antonio Joi de Sant'Atina.
Correio geral
Malas a expedir-se hoje
Pelo vapor brasjleiro Espirito Santo, esta
adminisirajao expede malas para 03 portos do
sol. rcci'bendo impressos e objeelos a registrar
at 2 hora* da tard\ e cartas ordinarias at 3,
ou at a entrega das malas, com porte duplo.
idministrajo (ios Correios de Pernambuco,
26 de Fev>reiro de 1890.
O administrador
Alfonso do Reg Ranos.
C"*sS
-----

lscriptorio central da em-
prezi da estrada de ferro
de Ribtiirao a Bonito, no
Recife.
ASSEBLEl GEBAL ORDINAUIA
No-> termos expressos nos arts. lo n 16 do
deceto do gDVBfDO provisorio de 17 de Janeiro
Jefic anno. :-o convidados os S s. accionistas a
se re.unirein eai assemb ca geral ordinaria no
Ma 12 Je Man; > prximo, a I hora da larde, na
sede desta empreza, n. 74 Io audar a ra Doque
de Caxlas, alira de *r lido o relatorio dos fis-
caes, o balaojo e miis documentos do anno
findo
Kecifc, 25 de Fevereiro de 1890.
Os direciorep,
Jos Bellarmino Pena de Mello.
Francisco Lipes Gaimar 8.
Sebnslio Al 'es da SHva
Comp.-inhia de Segu-
ros Ph nixPiTnam-
bucana
N>.s. termos e para os effeitos do ;:rt. 16, do
decreto de i7 de Janeifo passado, a administra
gao aR'.rancia estarem di-posigao dos associa
dos, na sede da comaauhfa, as copias do balan-
jo, da relajo nominal dos axionistas e da lisia
das iransfren i;s de accBes.
Bccife, de Fevereiro de 1890
Os administradores,
Luiz Oupr.
Mano 1 #GoQ3es de Mattos.
Manoel 'da -i'va Maia.
Thesouraria de Fa-
zenda
Divida ac exerclclos iludo
De ord> ra do cidado inspe *w, fijo pnblico
que esla thesouraria acba ^^ habilitada pela or
era da directoia de contabili ade do 1't.eaou^o
Xacioual de 5 do correnie, para elTectu.tr o pa
gaiuento dts seguintes dividas de excrcicios
tin os. abaixo mencionadas :
Joo Vasco C bral de AUtoiiez 50|o" 0
Maooel Card iso Ayrcs 135tK)0
Dr. Sigismundo Vntonio Gonjalves 3 7806iO
Manoe: Aiv. s de Siqueira Caipora loiOOO
Fiemen Brothers lStifiOO
Raymundo Olympio p3'*s 295162
Jo.- Xavier Faustino Ramos 365l6'J
Tif>raria de Fazenda do Estado di- Pernam-
buco. 22 deFevercir) de 18900 recetario,
Dr. Antonio J. de Saai'Anna
Edital n. 11
(Prazo de 30 dias)
Pela inspectora desta alfandega se faz pu-
blico, que s 11 horas do dia 5 do mez de Marjo
prximo vindouro. serSo arremat, dos porta
desta repartijo as mercadorias contidas nos
votomes abaixo mencionados nos 'raros dos
ttulos 5* capitub 5 da Consolidaj i das leis
das alfandegas e mesas de rendas se seus donos
' u con.-igi-ataos, uo as despacharem e as re-
tiraren) dentro do prazo de 30 dias a contarda
data deste edital, sob pena de, lindo o mesmo
prajo serem vendidas por tuteonta sem que
llie- fique direito de allegar contra os i llenes
desta venda:
Armaiem 3
Ma-ca CMi-' l caixa n. i, vn la de New
Y.nk no vapor ara t.cano Finance, (mirado era
16 de Noverabro de 1887, consignada ordem
contendo 12les ovas de cabello cabos de ferro
para porta de ra.
Mem, 1 dita, n. 2, idem, idem, contendo pejas
de ferro para fogo, peso liquido 6 kilogram
mas.
Marca AJS. 6 ditas, ns 853 8. do Rio de Janei
ro no vapor nacional Espirito-Santo, cm 11 de
Julho id m, naj consta uo manifesio, contendo
papel pautado para escrever. pesando liquido
legal 995 k.kgrammas.
Armazem 4
Marca MS1 3, 1 pacote. sem numero de Ham
burgo no vapor allemo Uruguay era 16 de Abril
idem, aMaia Sobiiuo & C, contendo amostras
sera valor.
Marca X. 1 caixa, n. 2630 do Havre no vapor
fram ez Vdle de Mace em 6 de Main idem a
Luz Amonio Siqueira cjnt.ado amostras, sem
valor.
Marca HSi>, 1 dita, n. 666, idem dem, a Her
raes de Souza Pereira, 100 vidros cora poz de
seidlitz, pe-ando liquido legal 25 kilograramas,
granulos meilicinaes era caxas de papelao, pe
saudo bruto 3 1/2 kilograraiuas, livros impressoc
brochados pesando liquido 8 kilogrammas.
Marca MVN. 1 pacote, n. 14. de Haraburgo no
vapor alleraau Lissabn, em 1G dem ordem,
amostras sem valor.
Marea FMS&", 1 dito, idem id'.'in, a Francisco
Manoel da Silva & C amostras sem valor.
Marca C. 1 caixa, n. 34 i lem,. era 20 idqn. a
H. Siolzemb:k 4 C, conteni amostra* de
loma
Marca FAJ, 1 dita, n 3', idem idem, aos mes-
mos amostrai de Icuja.
Marca HSPAC, 1 dita n. 14, do Havre no va-
por fmncez Vitte do Cear, em 25 dem, a H -r-
mes de S uza Pereio & C, contendo partas me
d einaes pesaado liquido 11 kitogrammas, raz
de altha, pesando liquido 37 kilogrammas, ex-
tractos medicinaes t:o esoecitkados peso li-
quido 7 kilogrammas. granulos medicinaes era
caxas de papelao. peso bruto 500 grammas.
sabio medicinal | eso bruto nos involionos 53
kilogrammas.
Marca .-&<:, 1 dila, n. 586. de Hamburgo no
vapor allemo T'jucu, em 19 de Outubro dem,
ordem, amostras de cerveza.
Letreiro Haia Irma o, t pacote, do Havre no
vapor franccz Vttle de Ciar, em 30 de Novera-
bro idem, filas de seda, pesanuo liquido 400
grammas.
Marca MJ4C cm cima, TH, 1 caixa, n. 6083
de Hia.burgo no vapor allemo Tquca, em 20
de Outuor idem, ordem contendo 300 chapeos
de feltro simples, para cabeca.
Marca KAC, 1 dita, n. 8837. dem r.o vapor
illemo ratanai.ua. era 19 de Dezembro dem
ordem. conundo velbutina, peso liquido 32 ki-
logrammas.
Marca MJtCez cima. Til cm baixo, 1 dita,
n. 6513, dem dem, a Maia Irmas & C, conten
do 216 chap s de feltro, simples para cabeja.
Marca M J & C em cima e T H era baixo urna
dita n 6 845, dem, em 20 dem, aos raetfflOf,
contendo t62 hapos de l simples, para ca
beca.
Leireiro Faucircdo 1 pacote, idem no vapor
allemo Petrcpolu, em 23 id'.m, contendo amos
Iras sem valor.
Letreiro Couto Santo 1 dito do Havre no vapor
fiaocez Vi lie de Rosario cm 18 de Maio de 1888,
contendo semeotes sera valor.
Letreiro Gonjalves Irmao 2 ditos, deHambur-
Kono vapor allin.o Hutnburgo em 18idem, con-
tendo amostras sem valor.
Marca O K 4 C 1 dito dem, contendo amos
tras sera valor.
Marca diamante. 341 no centro, D C em cima
e G P em baixo. 20 caxas os. 6il0, 16, 1', 20,
28. 30, 36, 37\ 39, 40, 19, 26. 27, 29, 18, e 38, de
Liverpool no vapor inglez iAariner, entradas as
14 primeiras em 27 de Junl>o, e as ultimas em
I de Julho de 1889, ordem, contendo 465 kilo-
grammas peso liquido lega] de cha da ludia e
245 kdogrammas peo |iqui o de obras nao
classicadas, de f Inas de Flandres, pintadas.
Armazem 5
Marca M S G I dixa sem numero, de Ham
burgo no vapor allemo Campinis em 3 de Ju-
nho idem, uo consta do manifest, amostra:
pequenas.
Marca D. A R i dita n. 851 idem idem a Thend
Ju^'., coulendo2i pires de sapato? decouro. de
mais de 22 cent., 156 pares de botinas de couro,
de mais de 22 centmetros.
Marca H S 1 dila n. 293 dem, nao consta do
manifest, COfttendo amostras.
Marca S G C 1 dila n. 10,0.15 i Jera i lem a
Sitnpaio Coelho ..,contendo 40 laminas de
vidro com ajo at 3 mili, de espessura, at 20
dec. (4) de superficie, medrado 632 dec. (4)
Marca A O 4 C 1 ceto n. 12, de Liverpool no
vapor inglez Mor-iw em 19 idern contendo
amostras de lonja ordinaria, n 1,
Trapiche B i rao do Livramento
Marca JCV, 2 coro.s em cima e Porto em
baixo 140 caxas do Porto nc patacho naci -nal
Joven Concia em 3 de Abril idem, a Silva Gu'-
inares 4 C, contendo 140 duzas u'e grrulas
com vinhq secco, medindo de liquido legal 9!>8
litros.
Os diectores
Joaquim a I ves da Fonseca.
Ag onio da C. Ferreira Bailar.
Jos Ferreira Marques
Recebedoria de rendas in-
ternas geraes
impon w lart-irinne profls*Sen
O aooMiis.'-.v i; na ,. leu'.-ooiia faz tioblico ',
que al uuil U ni CvfCUle PI .-era CcHibradoj
por esta .-epariicaj. Iivie e multa, o imui stj '
de industrias e proli.es, relativo aol- remes
tre di ex.rcicio cor-ente de 1890. depois do que
ser cobrado com a multa de 10 0/0.
Recebedoria, 24 de Fevereiro de 1890.
AlexandredeS K reir do Carmo.
iliotheca.
Convites nesta se retara ; o ingresso o re
cibo do raex de Fevereiro. Nao se admitte ag
frenados.
Secretaria da Sociedaic Recreativa Juventude,
lo de Fevereiro de 1890. O Io Secretario,
.____________ M. J. Baplista.
'JO administrador da Recebedoria do Es-
judo faz p ibl Inspector do TJtesouro o para conhecimen
to dos inteiessados, qua no periodo di 30
dina uteis contados de 20 do corrente, ser
effectuado por eota reparticXo, conforme a
relajao abaixo, a cobranza independente
de multa daa annuidades e mais servidos
da Recife Drainage < ompany relativo ao
2." semest.-e do exercicio de 1889.
Recebedoria do Es'ado d8 Pernambuco,
17 de Fevereiro de 1890.
Luiz Cesario do Reg.
UKLiyA A QUE SE RKr-EK". O EDITAL
SOPEA
Freguezia de S. Pedro Qongalves do Recife
Ras Marques de Olinda, Bom Jess,
Alvares Cabral, Oommercio, Bispo Sar-
dinha, Torres, Thoin de Souza, D. Mara
de Souza, Vigario Tenorio, Barretto de
Menezes, Mariz e Barros, Burgos, Amo
rim, Moeda, Tuyuty, Companhia Pernam-
bucana, Madre de Deqs, Domingos Jos
Martins, Mascates, Restaur3jEo, D. Maria
Copar, Visconde de Itaparica, Pharol,
Areial, S. Jorge, Vital de Oliveira, Gua-
rarapes e Baro do Triumpho.
PrajasAssembla, Chac e Pedro I.
TravessasVigario, Madre de Deus,
Campello, Domingos Jos Martins, Corpo
Santo, Antigo Porto, Bom Jesas, Apollo,
Areial, Para Fundicao, Occidente, Guara-
rapes e Praja de .uedro I.
LargosAlfandega, Corp. Santo e As-
sembla.
Beccos-Abreu, Noronba, Largo, Pind
ba, Tapado e Paschoal.
CaesCompanhia, Brum e Apollo.
Freguezia de Santo Antonio
Roas-Imperador, ?"meiro e Margo, txt^fa9 lS'"fS
Duque de Caxias, Cabug, Barao da Vi- na,. f^io Q comnrador n0
ctoria, Trincheiras, Laraigeiras, Largo do
Ro:ario, Estreita do Rosario, Francisco
Jacintho, Joao do Reg, liba do Carvalho,
Conselheiro I iretti, Netto de Mendonja,
Major Agostinho Bezerra, 28 de Setembro,
BarSo de Villa B^lla, Santo Amaro, Pedro
Ivo, Mathias de Albuquerque, Paz, Pau-
lino Cmara, Fogo, Livraraento, Penha,
Visconde de Iuhauma, Pedro Affonso,
4.a praca
Pela inspectora desta Alfandega se faz publi-
co que s 11 horas do dia J7 do corrente mez,
ser arrematada porta desta repartijo. urna
caixa marca diamante, lli no centro, FL em
cima e GP em baixo, sem nn ero, vinda de
Hambnrgo no vapor allemo Hamburgo, entrado
em 2i de Janeiro de 1889 consignada Silva
Fernandes & C coctendo 100 ki ogrammas, peso
liquido, de madeira em folbas delga as.
3.* secgo da Alfandega de Pernambuco, 24 de
Fevereiro de 1890-0 chefe,
Domingos Joaquim da Fonseca
Tliczouraria de Faz oda
Vendas das fazendas naclonacs
do Para
De ordem do cidadao inspector e de
conformidade com a ordem do Thesouro
Nacional n. 14 de 30 de Janeiro ultimo,
fajo publico que esta Thesouraria acceita
propostas at o dia 28 de Maro.) prximo
futuro, nos termos do edital da secretara
da Fazenda, infra transa ipto, para a com-
pra das fazendas nacionaes do Estado do
Para mencionadas no mesmo edital.
< De ordem de S. Exc. o Sr. Ministro
e Secretario dos Neg ios da Fazenda,
faco publico que recebem se propostas em
carta fechada, para a compra das fazen-
das nacionaes constantes da relagao abai-
bo, situadas no Estado de Para nos seguin-
tes termos :
I
* As propostas podeao ter entregues
at no dia 28 de Margo de 1890 n'esta
secretaria, ou as thesourarias de Fazen-
da dos estados do Amazonas, Para, Ma-
ranhao, CearA, Pernambuco e Bahia.
II
As propoatas deverao especificar o
prego que se offerece por metro quadrado
das trras de cada urna das fazendas e
seus retiros, pelas bcmfe'tonas que tive
rem, no estado em que se acharem, e por
cabeca de gado que contiverem.
III
t O pagamento das trras e bemfeito-
rias ser foito no acto de passar-se a es
crptura, o que se realizar dentro de 30
dias, contados da data em que se publicar
officialmente em cada um d'aquelles Esta-
dos a proposta acceita; ou parte vista
e parte a prazo, mediante hypotheca, con-
forme as condicoes que forem offerecidaa e
souro Nacio-
nal; ficando o comprador, no caso de im-
pontualidade sujeito perda da quantia
que ti ver pago e re;cis2o do contracto
Ccmpanljia > Seguros
imu rss:
HOBTHSBR
de Londres e Abcrdaen
'osifao tinaoceira fDezembro de 1887J
3.000,000
3.421,000
Capital subscripto
Fundos aecumulados
Aecelta anual :
De premios contra fogo
De premios sobre vidas
De uros
607,000
197,000
143,000
O AGENTE,
John II. Boxine.
Companhia de Segaros
AGENTE
Miguel Jos A Ivs
IV. VRuado Bom Je*n*-V V
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Xestes ltimos seguros a nica compancia
esta praga que concede aos Sre. segurados semp
o de pagamento de premio em cada stimo
-uno, o que equivale ao descont annnal de cer-
a de 15 por cento em favor dos segurados
"SEGM"
HAR1TIH0S CONTRA FOGO
Companhia PhenlxPer
nambncaaa
RA DO COMMERCIO N'. 46
I1IIHII ifM M
EUFICIOS E MERCADORIAS
TAJAS BAIXAS
Prompto pagamento de prejw'zoe
SEM DESCONT
A COMIVtXIII t
IMPERIAL
DE I.OMmiS
EST: 1803
CAP Rs. 10,000:000^000
AENTEsBIiOWNSkC.
N. 5-RUA DO COMMERCIO-x\T 5
IHDEMJVISADOR
Companhia de Segaros
MARTIMOS E TERRESTRES
Exlabelcridaem lSS
CAPITAL 1,000:000^000
SDUSTROS PAGOS
At 31 de Dezembro de 1884
Vlaritimos.. 1,110:000|00G
rerrestres. 316:000|000
44Ra do Commercio44
"SANTA CASA
pagamento do gado ser effsituado pela;
mesma forma que o das trras e bemfei-.
torias e conforme o numero das rez^s que
for ntregue segundo a contagem a que se ;dem jdem n o 0ja
proceder.
F3SECASAS PARA ALIGAR
16*000
IV
As prop stas serao acompanhadas de
prestada no The-
Thesouraria de Fa
zenda dcada um dos mencionados Esta
dos, nao inferior a 10 /0 do valor das mes-
mas propostas.
c E-ta secretaria e as thesourarias de
fazenda dos Estados pres'.arao aos inte-
ressados os dados estatisticos que teverem
sobre as mesmas fazendas.
VI
Ao governo fie* o direito de retirar
da concurrencia at ser p^ssada a escrip-
tura de venda, a tazenda ou retiros que
lhe parecerem necesarios tundacSo ou
ao desenvolvimento de qualquer estabel -
cimento publico geral de agricultura ou
creafSo.
Nova da Pra.a Marcho Das, Henr.que certidaorde rnma ^^
Dias^ Lomas Valentina*. Coronel Suaasu- souro Nsconal ou na i
na, Santa TWa, 24 e Maio, Felippe zfinda H oada um aog ,
On*rao, Mrquez do Hervat e (. adea
'Av\n.
Caes22 de Novembro.
CampoPrinceza
TravessasQutimado, Cruzes, Mrquez
do Recife, da liua Bal'a, Calabou^o, Ma-
triz, Floro, Carmo, Samba, Livramento,
Arsenal, 1. e 2. da Praia, Carcereiro,
S. Pedro, Viracao, Lobato, Poucinho, do
Be;co do Falca e Concordia.
Beccos -da Ra Bella, Calabouco, Ma-
triz 1.'-, 2. e 3. da i amboa, Falco e
l. e 2. da Cadeia Nova.
Largos Paraizo, Carmo, Peaha, S.
Pdro a Praceta
PrajasIndependencia e Pedro IF.
Fretuezia de S. Jos
RasMarcilio Das, Lomas Valentinas,
Coronel Suassuna, S. Joao, Felippe Ca-,
marSo, Mrquez do Herval, Dias Cardoso, Arary com''
24 de Maio, Passo da Patria, Padre No-
brega, Cadeia Nova, Vital de Negreiros,
Frei Henriqne, Dique, Assumpco, Do-
mingos Theotonio, Padre Fl-rano, Chnsto portai_a
v3o Colombo, Jardim, Forte, Autoni > nyr, ^Q)Poaibas.
Honriquc, Nogueira, Santa Cecilia, Santa
Bita, l'adre Mana, Praia de Santa Rita,
S. Jos, Hescadores, Praia do Forte, Ypi
ran;a, Imperial e L':iz de Mendonja.
TravessasMartyrios, Ramos, Poucinlio,
C.ldeireiro, Gaz, Forte, t'rata, Singado,
Copiares, e da Rua Nova de Santa Rita,
S. Jos, Praia do Forte, Peixoto, Matria
de S. Jos e Lima.
BeccosPalma, Caldeireiro, Gaz, As
idem do Rom Jess n. 29, loja
dem idem idem, 1. anar
idem do Amorim n. 23, idem
dem idem idem, 2o andar
dem Imperial n. ISAcasa terrea
?ua da Moda n. 4o, armazem
dem idem n. 47,
fdem do Vigario n. 25, 1.'andar
dem idem a. 27. loja
Rua da Guia n. 27,
dem da Moeda o. 49.
idem da Alegra n. 46,
dem do Encantamento n. 11, 2. andar
Idem da Companhia Pernambucana n.
30, loja
idem do Amorim n. 60
htem da Madre de Deus n. z.
Quadro da Detencao n. 5,
14*000
18*000
iOlOO
12*300
I2/S500
:!0*()00
16*660
20*000
:)0*000
16660
18*000
OiOOO
30*000
16*606
15*000
20*000
12*5#0
6*000
Superficie das fazendas e seus retiros
Metros quadrados
os
pos
fS. Jeronymo
- S^nta Cruz..
266.618.790,68'
-"}*;
Samahuma.
131.396.804
Bumpfo, 1. e 2. d.t Rua Nova de Santa
Rita e Matriz de S. Jos.
LargosForte e Mercado.
F'eguezia da Boa Vista
RasImperatriz Conceicao, Visconde
de Pilotas, Tambi, Visconde de Albu-
querque, Aurora, Ponte Velha, Conde da
Boa Vista, Riachuelo, Uniau, Saudades,
7 de Setembro, 7isconde de Camaragibe,
Carnario, Rosario, Gerv.isio Pir.ja, Dr.
Vilhs Boas, Socego, Prnc:pe, Santa Jruz,
S. Goncalo, Coelhos, Hospital Pedro II,
General Seara, Coronel Lamenha, Conse
lhoiro Aguiav, Bcrao de S. Boria, Desem-
bargador Nones Machado, Visconde de
Goyanna e Attrajao.
Travessas Gervasio Pires, Atalho,
Coelho, Birreiras, Veras, Qui>bo, Jo3o
Francisco, Mangueir:, ''ampinas e Palacio
do Bispo.
LargoCampia.
Becc eS. Goncalo, Coelhos e Cacimba
dos Prazeres.
Fragas Jonde d'Eu e Santa Cruz.
CaesCapib^ribi.
Juizo substituto dos feitos
cia fazenda
Fmcrtvo Torre Bandeiin
No di i 28 Uo corre te, depois da au iieoeia,
Sem marca 60 caxas, de Lisboa no vapor' rao a j.rac.i por venda, os oreios abaixo de
f-ancez ViUed'.Ce.r c;u 27 ideqi, a Antonio. clarados, penliorados por exec-jao da fazenda
Rodrigues ia Costa comeado azslfj s de louga,|de=ie Estado.
pesando liquido legal 2.700 kln^ramaisa. Bean
Marca sinete MA R no cviifro 2 barris del Sobrado de. dous aniares a rua do Amorim n^
auinto no vapor francez Vdle de Bihia cm 28 n)m 4 metros e 80 <:entimetros de frente, 7
deMaioi'om a Fernandas 4 Inn.'i-, contendo metras e 90-ce'.i'.imetros de fundo, e em cada
vmho commum medindo liquido legil 177 litros, um dos andutes 1 sala, 2 quartos, rosinha nter
Marca A C C 10 caxas, do Havre dem V- em rao estado, avaado mi 200*
idem a Araujo Castro 4 '.; contando manteiga Casa terrea na mesma rua n 38, com peta e
de vacca, pesando nos lalas 260 kilogramma-. janella, salas, 2 quartos. cosinha ora e quin
3 Si'ccoda Alfandega de Pernambuio. 4 de : tal 4 metros de frente. 20 metros e SO r.entime-
Fevereiro de 1890. tros de fundo, avallada em 300*. ambas perten
0 chefe, I cenes a Manoel Jos de Agniar.
Domtvgcs Joaquim da Fonseca. Recife, 24 de Fevereiro de 1890.
!Assac.....1161.913.950.60
28.833.720
com os
compos
S Migiel,
com os
campos ( (
Gu aj a r j Onrobeira ... i
com so campos .. (Genipapoc.. (
S. Lourenco..........
Retiro?
Melros quadrados
Santo Andr........... 43 764.732
Pucoval............... 47.987.191,56
Sant'Anna............. 46.356 55
S. Macario (sitio da la-
voura).............. 9 915.103
Calculase em 12.0C0 oabecas o gado'
vaceum exiitente as fazendas e retiros.
Secretaria do Estado dos Negocios da
Fazenda, 27 de Janeiro de l9UO ofi-
cial maior, Augusto F. Colin.
Thesouraria de Fazenda do Estado deL
Pernambuco, 14 de Fevereiro de 1890.
O secretario da junta,
. Dr. Antonio Jos dr. Sant'Anna.
SEfiFROOTMloe
:1oyal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL 2.008:000
AGENTES
R.DEDRUS1NA&C.
13Rua Mrquez do Olindall
London & Brasilian Bank
Limited
Rua do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as ca
.as do mesmo banco em Portugal sende
m Lisboa rua dos Oapellistas n. 75. No
>orto, rua dos Inglezes.
rirr
Roy al Mail Steam Packet
Compahy
O paquete Trent
Bspera-se da Europa at o da 1 d >
Margo, seguindo depois da demo-
ra do costume para
Baha, llio de Janeiro. Santos,
Montevideo e Buenos-Ayreo
Para passagens, fretese encoramendas trata-
se com os AGENTES.
O vapor Tamar
E' esperado do se! ?o da 2 de Mar
vereiro, seguindo epois da demora
necessaria para
Lisboa, Vigo, Santharnpton e Antuerpia
Reducqao de passagem
Ida [da e vol'.a
A Lisboa 1 classe 20 30
A Southampton l* classe i 28 a 42
'Jamaretes reservados para os passageiros de
Pe-nambnco.
?ara pMsagens f.-tes, cncommendas. t-^a-se
xrn os
AGENTES
Amorim Irmaos & C.
N. H Rua do Bon JessN. ;<
Pacific Steam Na viga ti on
Company
STRAITSOFMAGELLAN LDE
O paquete Britania
Espera-se do sul at o dia
26 de Fevereiro e seguir,
depois da demora do costu-
me para Liverpool por
Usboa, Bordean* e Plymonth
Para carga, passageiros, encommen-la e di-
nbeiro a freie: tratase com os
AGENTES
ffilson, Sons & C, Lifflied
14_RUA DO OOJMEROIO14
SONTftAFOGO
he Liverpool k LomKn k tibte
INSUHANG3 X.IPA^Y
SLACSBfSS. SSSSSAX Si G.
Rua do Commercio n. 3
ompanhia Bahiana de Na-
vega^ao Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Babia
O vapor Guahy
Com mandante Viegas
E' esperado dos portos.aei
at o dia 3 de Marjo regressa^
do para os mesmos depois
demora do costume.
Para carga, passagens, eocommendas e dinhei-
o a (rete trata-se com o
AGENTE
Jedr0 Osorio de Cerqueira
17Rua do Vigario- 17
i. '
< .;/.r.



;
~.

-*vr
i

da


Diario de Pernambuco-Quarta-feira 26 de Fevereiro de 1890
CHARGEURS REUNS
Conpanhla Frfei
DE
XayegacSo a vapor
Liaha qninaenal entre o Havre, Lisboa
Pernambuco, Baha, Rio de Janeiro r
Santos.
O vapor
Ville de Baha
Commandante Esnol
E' esperado da Europa at o dia
26 de Fevereiro seguindo depois
Ja tcdispensavel demora para a
, itiu de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelo;
rapores desU linba, queiram apresentar dentrc
4e 6 das a contar do da descarga das al vrenlas
fnalquer reclamaco concernente a volumes qut
aorventura tenham seguido para os portos de
sol afim de se poder dar a tsmpo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o relerido prazo a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di
afceiro a frete : trata-se cora o
AGENTE
Angoste Labille
9RA DO COMMERCIO-9
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Allianca
E' esperado dos portos o
sul at o dia 26 e Feverei-
ro o qual depois da de
j mora necessana seguir
I para o
aranho. Para, Barbados, H.
Thomaz. Marilnlqne e \ew
York.
Para passagens carga, encommendas e di
iheiro a frete. trata-se : com os AGENTES.
Ovapor Advance
E' esperado de NewYork
at o dia 27 de Fevereire
o qual depois da de
mora necessaria seguir
- para a
labia, I de Janeiro e Manto
Para carga, passagens, encommendas e di
heL'o a frete trata-se cora os
Henry Forster & C.
8Ba do Commecior8
1* andar
No 2.a andar do sobrado n. 43 da roa do
BarSo d- Victoria, por cima da botica do
Dr. Sabino, entrada pela ra da Flores
n. 24.
O agente Martina, antorisado por urna familia
que se retirou para a Capital Federal far leilao
dos movis e oais objectos existentes no 2." an
dar do referido sobrado, os quaes se tornam re-
commendaveis pelo pouco uso e ptimo estado
de conservacao.
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Manos
Commandante o Io tenente Guilherme
Waddington
... .,~-V-
E' esperado dos portos do sul
at i dia 27 de Fevereiro e se-
'uindo depoif da demora indis-
fcpensavel para o.- portos do nor-
te at Mauaoa.
As encommendas so sero recebidas na age-'
ca at 1 hora da tardo do dia da sahida.
Para carga, encommendas, pass;igens e vale
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commarcio=6'
(OHI'tMIIt PEBKA
DE
!<%>*
VavegacSo costeira por vapor
PORTOS DO SUL
Tamandar e Rio Formoso
O vapor S.Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia 27 do corren
te s 5 horas da manh Re-
cebe carga at o dia ...
Encommendas, passagens e dinheiro frete
as 3 horas da tarde do da 26.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
LEILOES
O leilao de movis, louca, vid ros espelhos
e candieiros a gaz annunciado por intervenco
doagente Pinto, na casa-da ra do Baro de S.
lorja, em que morou o Exm. Sr. Visconde de
Jaguaribe, deve ter lugar na quinta-feira 27 do
torrente.
Sexta feira 28 deve ter lugar o de ronpa
feita, e movis de armazem da ra do 'om Je
sus n. 45. ____________ ____
Agente Silveira
3 leilao
Das
do
21
3 partes do sobrado a travessa
Poeinho n- 26
Hoje s 11 horas
va armazem ra do Imperador ti.
O agente Silveira por mandudo e com assis-
tencia do Illm. Sr. Dr. juiz de direito de crpbos
a requerimentoda inventarame de Sebastiao Jo
t Gomes Penna, levar a leilao as tres partes
do referido sobrado
Leilao
de importantes movis de ju-co e de ama
relio, louca fina de po-cellana, vidros, 1
excelente piano e 1 fogao inglez de
ferro.
CONSTANDO :
de urna bota mobilia de junco cor de nogueira,
com 12 cadeiras de guarnico, 2 di '.as de bracos,
2 ditas de balanco, 2 conslos com pudras e 1
sof, 1 excelente piano forte, 1 cafleira para o
esmo e 1 estrado, 4 pares de jarros tinos, i par
de lanternas, 1 rico candieiro para gaz kerosene
om 2 mangas. 4 etageres entalhados, 1 tapete
grande novo para sof, 5 ditos para portas, 1 dito
para cama, 2 cadeiras de balanco de mogno es
tufadas, 1 pequea jardineira com pedra. 1 boni-
ta cama franceza com cupola, para casal, 1 bom
toilet, 1 bidet com pedra, 1 excelente guarda-
restidos de amarello, 1 commoda e 1 mesa com
astante envidracada para livros.
lm boaito guarda-louca de amarello, 1 mesa
alaslica de 4 taboas, 4 aparadores de columna, 6
aadeiras de junco, 6 ditas de amarello, I relogio
de parede, 2 eiageres, 2 camas francesas de ama
Kilo, 1 lavatorio com pedra. 1 banca para es-
aripta, 1 cabide de columna, 4 ditos de parede, 2
aandieiros de gaz, i mesa para machina, 1 quar-
tinbeiro de columna.
(Jma mesa elstica pequea de 3 taboas, i
fuarda louca pequeo, 1 apparelho de porcellana
pan cha 1 dito de dita para jantar, copos, cali
es, compoteiras, garrafas mesa de cosinha, ba
aias para banbo, 1 pratileira para cosinha, jar
roes, 1 taboa para engommade, 1 fog&o inglez de
Ierro e 1 trem de cosinha.
ma mobilia de amarello com conslos de
pedra, 2 transparentes e diversos globos para
gaz carbnico. ,
tnarta-feira. de corrate
A's 11 hora
Leilao
De movis, espelhos, mobilias de junco,
candieiros a gaz, piano, louca e vidros
A saber:
Sala d*. visita
Urna mobilia Luiz XV com 1 sof, 4 cadei-
ras de bracos e 12 cadeiras de guarnicao, dun
ckerques, 1 piano forte com lanternas e estrado,
1 espelho oval dourado grande e perfeito, 2 can
dieiros gaz.
Urna mobilia de junco branco com 1 sof, 2
consolos, i cadeiras de bracos, 2 de balanco e
12 de guarnigo quasi novas.
Entrada :
m sof, 2 cadeira:. de bracos e 12 cadeiras
de guarnice de junco e 1 relogio.
Segunda sala
Urna mobilia de Thonet a Luiz XV com 1 so-
f, 2 cadeiras de bracos, 2 de balanco e 12 de
guarnigo, 2 candieiros, 2 espelhos, cadeiras
avulsas e 1 relogio.
Sala de jantar
lima mesa elstica, 2 apparadores, 12 cadei-
ras de junco. 2 de balango, 1 relogio, copos,
garrafas, compoteiras, fructeiras, talheres e co
mana.
Quartos
Urna cama franceza de Jacaranda. 1 marque-
zo. 1 ama para menino, 1 lavatorio, cadeiras
avulsas e muitos outros movis.
Qulnta-feira. 19 do corrate
Agente Pinto
Na casa de azulejo da ra do Baro de S. Bor
ja n. 24, em que morou o Exm. Sr. Visconde de
Jaguaribe.________________________________
Leilao
De 1 pipa e 5 barris com] vinho branco (resto
de urna factura), sabonetes finos, extractos, es
pelhos ovaes, quadros, candieiros, lampeoes,
jarros para llores, bataneas grandes para assu-
car, papel para embrulho, movis de junco ama-
rello e Jacaranda, novos e u.-alos, diversos far-
dos de estopa usada em pedacos, rara de 800
saceos proprios para sementes de algodo, lico-
res finos, Vermulh Rhum, Wisk e muitas ou
tras mercadorias que sero \endidas sem mi
tes para feicbamento de contas.
Quinta-feira, 27 do corrente
A's 11 horas em ponto
No armazem da ra do Mrquez de Olinda
n 48
Por intervencao do
Agente Gusmo
Leilao
de grande qaantidade de gneros, coire,
carteira, relogio de parede, balanca de-
cimal, fiteiros, utensilios e 2 importan-
tes sabias da matta muito cantadores,
existentes na taverna sita ra de Hor-
tas n. 41.
ftc&ta-feira. tS do corrente
A's 11 horas
O agente Gusmo, antorisado, far leilao dos
gneros e mais objectos existentes na referida
taverna, para liquidago, em lotes, a vontade dos
compradores.
AVISOS DIVERSOS
Caixeiro
Precisase de um caixeiro com pratica. ou
seta ella, de molhados, que seja de boa conduc-
ta, de idade de 12 a 14 anuos : na roa Velba
numero 77.
Na freguezia da Boa Vista
Precisa-se comprar urna pequea casa em
urna das meihores ras da freguezia, por onde
passem os trilhos urbanos ou porto delles, com
tanto que esteja em bor estado e nao seja de
prego alto : quem quizer fazer negocio dirija se
a esta typorapbia em carta fechada, com as
iniciaes R R para ser procurado.
Precisa se
mais servigo
andar.
Precisa se no becco dd Espinheiro n. 5, de
urna ama que cosinhe eengomme com perfeigSo,
e que seja matriculada.
de urna criada para cosinha e
na ra de Apollo n. 43, segundo
Precisa-se de um criado
fim n. 13, em Olinda.
na ra do Bom
Precisa-se de ama boa cosinheira ; a tra
tar na ra da Soledade n. 82.
Precisa se de urna ama para cuidar de
criangas ; no Caminho Novo, defronte da es
tago.
Precisa-se de om copeiro ; na ra do Pay-
sand n. 19.
Precisa-se de urna ama para comprar e co
zinhar, ra de Pedro Alfonso n. 53. 3. andar
Precisa se de urna ama para todo o servigo
para urna pequea familia no 2 andar do largo
do Carmo n. 16.
iuga-se a casa da ra da Conceico da
Torre n 2; a chave para ver est na taverna
defronte ; a casa d > largo do Paraizo n. 3 e o 1
andar da ra do Padre Flonaao n. 69 : a tratar
na ra do Apollo n. 11, sobrado.
Aluga se o 1- e 2- andares do sobrado
ra de Bemfica n. 7 ; a tratar no mesmo, pav
ment terreo, on defronte n. 6. Aluguel com-
modo.
luga-se a casa n. 83 ra do Hospicio,
em bom estado e commodos para grande fa-
milia.
-- Alugam se casas caladas e pintadas nos
nudos de S Goncalo, a 84000; a tratar na ra
id Imperatriz n. 76.
Alugam-se o i- e 2' andares da casa n. 43t
ra Visconde de Inbama, com agua e com-
modos para familia ; as chaves no andar terreo-
N ra do fires n. 30, precisase le amas
para cosinhar, lavar e engommar.____________
Ha para alugar boas casas terreas no lugar
Torre : a tratar na loja n. 1 ra 1 de Margo
(Crespo).______________________________
Faz-se negocio^com a loja da ruadoCabu-
g n. 2-C, propria para miudezas, deposito,
jotasou'outro qalquer negocio, ptima lecali
dade ; a tratar na mesma.
No corredor do Bispo n. 21, precisa se d
urna ama para andar com urna criancinba.
O. D A. A. A., ha mais de cinco mezes qu
manda esperar e anda se est a espera.
O Sr. Joaquim Henriques de S Barreto
ficou de appjrecer, hoje j sao 21, e nada; lan
ga se mo (leste meio porque nao se ple fallar
na reparligao e nem se acha.em casa.
Attenco
Compram se algumas aeges da companhia da
estrada de ferro do Recife a Olitfda e Ueberibe ,
na roa Direita o. 81, ;e dir quem quer.
Diogo Augusto dos Res participa que o
Sr. Manoel Ferreira Leite deixou de ser seu cai
xeiro desde o dia 22 do corrente.
' Pego pessoa que por diversas vezes tem
chamado um Sr. Santos Lima, afim de appare
cer, teoba a bondade de declarar se com o
abaixo asignado que s refere, qual o negocio e
onde habita para ser procurado, e por favor
diga quem Recife, 22 de Fevereiro de 1890
tose Francisco dos Santos Lima.
Morada excelente
Aluga se barato, aa ra do Hospital Pedro 2\
no lugar dos Coelhos, urna casa assobradada e
outra terrea com frente de azulejo, com agua,
grande quintal murado, muito fresco, prximo
do banho salgado, e commodos para familia-
numerosas ; a tratar das 8 s 10 horat da ma-
nh, com Joaquiaa Morena Res, que alii aluga
tambem casas de 64 74, 84 e 104.
oSr. Jos Francisco
dos Santos Lima
A pessoa que chamou urna vez o Sr. Santos
Lima, poda fazel o ; caso baja ne essidade cha
mar se ha o Sr. Jos Francisco, ese quizer saber
o negocio dirija se ao Pago da Patria, lado es
querdo, 5 casa, que abi encontrar o procura
dor legalmente constituido.
;,y Armacao
Vende se urna pequea armacio com seus
pertences. propria para taverna,. por prego ba-
rato, assim como um moiaho e torrador para
caf ; a tratar na ra .mperial n. 133.
Aproveitem !
Vende-se barato um excelente cavallo ainda
novo, russo, tamanbo regular, sellado e enfreia-
do, anda de baixo a meio, esquipa, etc. O mo -
tivo da venda o dono querer mudar de resi-
dencia e nao poder leval-o : paravel-o e neg
cial o, o pretndeme poder didfeir-se para a
Capungi. sition. 32, no becco do Corrimboque.
Criado
Precisa-se de um menino de 13 a 14 annos,
para vender na ra ; na estrada de Joo de
Barros n. 33.
Gelo
Henri Fouqueau tendo recebido urna
nova machina para fabricar gelo, avisa
acs seus numerosos fieguezes que nao
haver mas falta de dita mercadura, visto
que a nova mac ina est em condicoes de
gelar o mundo inteiro.
Caes de Capibaribe. n. 14 Deposito
ra do Cruz, n. 35Entrada pela ra dos
Tanoeiros,
Attenc,ao
Os proprietarios do antigo e acreditado arma-
zem do Lima, sito ra Baro da Victoria n. 5,
partecipam ao respeitavel publico e aos seus rtis-
tinctos freguezes, que transferiram temporaria
mente seu armazem para a mesma ra ao o. 9,
continnando da mesma forma a receberem suas
ordens rara Ihes servir com o costumado e habi
tual desempenho.
Jos Fernandes Lima k G
8SA BA:D 11 VICTOKA9
Telephone n. 323
Eugene Klein
Reparago de joias e caixa de relogio ; na
travessa da matriz de Santo Antonio n. 4.
Diarios ejornaes
Compram-se diarios e jor ;aes velhos ; na ra
larga do Rosa io n. 27.
Gasa
Aluga se por prego commodo o sobrado de
dous andares n. 155, na ra Imperial, prefere-se
alugar lodo a urna so pessoa : quem o preten
der dinja-se ra do Imperador n. 36, escrip
torio do Dr. Moraes Silva.
Ao commercio
Os abaixo assignados declaran) que nesta data
compraran) aos Sr.. 3eltrao Ferreira C. o sfu
estacelecimento de molhados, sito ra de S.
Jorge n. 131, livre e desembaragado de lodo e
qalquer onus. e quem se juig.tr com direito ao
u esmo, aprsenle sua reclamago no praso de
tres dia,-, depois desla data.
Recife. 25 de Fevereiro de 1890.
Lopes Primo 4 C.
rom4/s_
*r* OLERY
VMde-se em tada i oart
Cosinheira
Precisa se de urna cosinheira
de de Goyanna n. 4.
na ra Vi3Con
Sitio
Aluea-se ou vende se um sitio no Pogo da
Panella, junio a casa do Sr Loureiro, todo mu-
raJo e com bulantes fru :teiras dando fructo
boa casa com commodos para grende familia
qnartos independentes pan- criados, cocheira
boa agua, perto dos banhos ; quem pretender,
dirija-se ao caes da Companhia Pernambucana
n. 4, anrazem.
Ra Mrquez de Olinda
Sr. Luiz Ferreira da Cruz j est disposto a
pagar sua letra? J faz anno e meio.
Milita att$ii$0
o becco dos Ferreiros n 6, pregueia se e
recorta-se babados dt todas as larguras.
Valiosa riqueza
Muito respetosamente apresentam s vossa
reconhecida prudencia e profunda sabedoria a
noticia de que a cervejaLa Rosa Almana-
infallivel na cura da enchaqueca e ataques he-
morrhoidae8 e corrimentos : venda Machado
& C, em grosso e a retalho em todos os estabe-
lerimentos.
duro $ Prata
Arthur & Desiderio com-
pram e pagam bem.
w Ra do Cabug3
e_n**flj,
ita vezes, olto yezes
Aos Rvms. sacerdotes
Vndese por prego razoavel, as seguin
tes importantes'obras religiosas, todas no-
vas, perfeitamente novas:
A Biblia Sagrada, em sete grossos vo-
lumes, traduzida em portuguez por Anto-
sio Pereira de Figueiredo.
Um Breviario Romano, em quatro volu-
mes, ediccao de luxo.
Catechismo de Perseveranga, em sete
grossos volumes, pelo padre Gaume.
Diccionario Universal das Heresias, Er-
ros e Schistoa3, em um grosso volume, tra-
ducgSo do padre Antonio (iones Pereira.
Tueologia Dogmtica, por Gousset, em
dons volumes.
The jlogia Moral, pelo mesmo autor, em
dous volumes.
Compendio de Theologia Moral, por P.
Gury, em dous volumes.
Explicacao Litter^l e Moral das Epsto-
las e Evangelhos, pelo padre A. Guillois,
em um volume.
Manual do Sacerdote, por J. Schneider,
em um volume.
Caeremomale Juxta Ritum Romanum,
em um volume.
Sentido dos Ritos e Ceremonias da Mis-
sa, por A. F. Cardoso, em um volume.
Memoria do Clero Pernambucano, em
um volume, pelo padre Monte Carmello.
A' tratar nesta cidade, ra Sete de Se
e mbro n. 20.
Cosinheira
Precisa se de urna que cosinhe bem, seja ma-
triculada e que durma em casa dos patres, para
rasa de faixilia, na ra Conde da Boa-Vista, n
24 F, portao de ferro.
\o commercio
O abaixo assignado declara ao publico
e ao commercio, que nesta data deixou,
por sua expontanea vontade de ser em-
pregado na casa dos Srs. Diogo Augusto
dos Reis.
Recife, 24 de Fevereiro de 1890.
Manoel Ferreira Leite.
Muita attenc,o
No Becco dos Ferreiros n. 6, pregueia se e re-
corta m se babalos de todas as larguras._______
Precisa-se
De meninos para vender com taboleiros, a tra-
'ar na ra Estreita do Rosario n. 36. venda.
ivr
I
MEDALHA DiE O'JHO
DA ACADEMIA NACIONAL
DO D0UT0R
VI VTtN
com EXTRACTO de
FIGADO de BACALHaO
Hala efficor aluda do que o oleo escuro. De labor
muito agrada vel. Sem delxar perceber o meacr tnogosto.
receltado por tedos os mdicos para o
Itachitismo, Escrophulas, Anemia, Tislca,
Catarrho Pulmonar Constipages.Chlc roe,
Molestias do Fclto etc.
Em (odas as Pk&rmacias
PARS, Boulevard de Straebourg, 50 >
ii mi w\
se dissipam as enxaquecas e na-
vraigias em alguns minutos com
emprego das Parolas de terebinthina do
Dr alertan.
Tres ou quatro d'estas parolas produzea
obq alivio quasi instantneo, de modo tai que
a primeira dse nao flzer affeito quiai
itil repitil-a.
Cada irasco contm 30 perolas, toi-na-s
pois insignificante o preco do curativo da
Boa nevralgia ou enxaqueca.
Gomo a essencia de terebinthina deve aar
Ktificada com o maior cuidado, 6 mistar
dsaconfiar das imiUcdes e exigir coi
garanta de origem que em cada vidro se
afirmadeGlertan.
m Paria, casa L. Frare, roa Jaoob, tft
Ferrador
, JoSo Ferreira Gomes, ferrador da coudelaria
Temeraria, ferra cavados de corrida a 6000. e
nao a 5^00;, dinheir i a vista.
Ao commercio e ao publico
Antonio Balthazar de Freitas avisa
que, desde o dia 1 de Janeiro do corrente
auno, nssigna se Antonio Balth;.zar Alves
de Fieitas.
Pernambnco, 20 de Fevereiro de 1890.
Antonio Balthazar Alves de Freitas.
tfilho
Perfeito e em boa saccaria, vende-se por me
nos do que em outra qalquer parte ; no arma
zem n. 26 da Companhia Ferna-i bucana.
Cosinheira
Precisase de urna cosinheira ; na ra Velba
aumero 137. ________
Tralamento radical em 6 to
DAS
BLENORRHAGIAS AGUDA*
ou
CHROIVICAS
(VULGO PURGAgO)
DO IHMII:h OU DA 111 I IIIH
E lacorrhas ou flores brancas
Plalas llcslno -Balsmicas
E
Injecco Aat-Blenorrhagca
PREPARADOS POR CALASANS & C
PRODUCTOS APPBOVADOS PELA
INSPECTORA GERAL DE IIYGIENK
Urna serie de brilhantes e innmeras ex
periencias, coroadas sempre de bom exitt
durante dez annos, assignala a estes dou>
medicamentos, usados com a dieta e dosa
gens prescriptas, o primeiro lugar entre ot
medicamentos estudados e preconisadot
para curar estas terriveis molestias.
As pilulas sao supportadas pelo estoma
go o mais delicado, pois que ellas nao im
pedem nem difficultam as funceoes destt
orgao.
A injecao anti-blenorrhagica nao ab
solutaniente irritante e por isso nao tem c
inconveniente das actualmente empregadae
e nao produz estreitamentos.
Nao publicamos o grande numero dt
cartas, attestados e agradecimentos que te
mos recebido para nao oflfender aos nossot
clientes, muitos dos quaes sao pessoas mui
to conbecidas e altamente collocadas.
Empregada como artigo de toilet part
cular excelente preservativo contra at
molestias secretas.
Modifica e faz desapparecer o mo chein
das regras.
Preparados por Calasans & C, Phar
macia Imperial, Babia.
DEPOSITO NO RECD7E
Francisco Manoel da Silva & C, ra
Mrquez de Olinda n. 23.
Eicor depurativo Tegelal odade
do medico Qulntella
Este notabilissimo depurante que ven;
precedido de tao grande fama infallivel m
cura de todas as doencas sypbiliticas, ee
crofulosas, rheumaticas e de pello, com
tumores, ulceras, dores rheumaticas, os
tcocopas e nevralgicas, blenorragias agu
das e chronicas, cancros syphiliticos, ic
flama95es Vicentes, d'olhos, ouvidos, gar
gantas, intestinos, etc., e em todas a*
molestias de pelle, simples on diathericas
assim como na alopecia ou queda do ca
bello, e as doencas determinadas por sa
turacSo mercurial.
Do-se gratis folbetos onde se encoc
tram numerosas experiencias feitas con
este especifico nos hospitaes pblicos i
muitos attestados de mdicos e documes
tos particulares.
Faz-se descont em casa de
_ FARIA SOBRINHO <& C
Raa Mrquez de Olinda m. >1
l'ataces velhos
Compra-te na ra do Cabug n. 14, relojo.
ria David.
INFALLIVEL e RADICAL
no curativo de todas as affeccOes bronchiaes:
Md de Garganta, Tosse e Tsica
PEITOBAL
De ANAC AHUITA
_ Remedio Vegeta! da Natureza para o alii-
vio c cura de todas as molestias
Do Peito e dos Ftmdes.
Amelia Carneiro fioncalves Lima
0 bacharel Jos Emigdio Goncaives Lima, te-
neate-coronel Braz Carneiro Lins e Mello, Ha-
noel Carneiro Leao, Ismael Carneiro Lins e Mel-
lo, D. Anna Isabel Lins e Mello. Manoel Gongal-
ves Lins, Francisco Gongalves Lima. D. Leopol-
dina Goncaives Lima, ausente, agradecen) cor
dialmente a todas as pessoas que se dignaram
acomnanhar ao Cemiteno Publico os restos mor-
taes de sau extremosa esaosa, irm, cunhada e
ora, a ultima morada, e de novo convidam as
mesmas pessoas e aos parentes e amigos as
si8tirem as missas que mandam rezar na Or-
den) Terceira do Carmo e no engenho S. Braz,
da comarca do Cabo, s 8 horas de 28 do cor-
rente mes, 7" dia do seu passamento, e desde j
se confessam gratos por mais este acto de cari
dade.
Joaquim FranclNCO Lelte
D. Rosa Soares Leite, Joo Francisco Leite e
sua mulher cordialmente agradecem a todos os
seus parentes e amigos que se dignaram acom
panhar at o cemiterio publico os reatos mor-
taes de seu sempre embrado esposo, irmo,
genro ecunhado, Joaquim Francisco Leite ; e de
::ovo os convidam para assistirem as missas do
seiitrici dia, que sero < elebradas na matriz da
Boa-Vista, s 7 horas de sexta feira 28; e por
este acto de caridade e religio se confessam
eternamente gratos.
lenlo Ferreira Xunei de Soasa
Antonio Fr n.isco de Souza e sua mulher,
agrajecem do intime d'alma todos que acom
panharam at o cemiterio publico os restos mor-
taes de seu sempre chorado Qibo Bento Ferrei-
ra Nunes de Souza ; e de novo onvidam aos
parrotes e amigos para assistirem a missa qne
mandam celebrar na matriz da Boa Vista, pelas
8 boras do dia 27 do corren'.e, pelo que se con
fessam gratos a todos.
f
Felippe Hara Benaone
Alfredo Bessone, Horte: ci Bessone, Arcenia
Bessone Duarte, Guilherme Duarte, Clementina
Bessone de Almeida, Luiza Ferreira de Almeida,
Jos Be.-sone Duarte e Carlos Bessone Duarte,
agradecem cordialmente a todas as pessoas que
fizeram o favor de acompanhar ao cemiterio pu-
blico de Olinda, os restos mortaes de seu extre-
mo8ssimo pai, sogro, imo, cunhado e av, Fe
ppe Mara Bessone, -uu ultima morada; e de
novo as convidam para ass)stirem as missas que
por sua alma se ho de rezar na igreja de S. Se-
bastiao em Olinda, s 7 horas da manh do dia
26 do corrente por cujo acto de caridade se
confessam summamente gratos.
f
Alexandre Manoel de Souza \n-
gueira
Alexandre de Souza ogueira, Josepha Can-
dida Nogueira e seos flbos convidam a todas as
pessoas de sua amizade para assistirem a missa
que pelo eterno iepouso d'alma de seu sempre
lembrado pai, sogro e av Alexandre Manoel de
Souza Nogueira, fallecido oo Estado do Bio
Grande do Norte, mandam rezar sexta feita 28
do correte, stimo dia do seu passamenlo, s 7
i/2 lioras da manh, na igreja matriz de s. Pe-
dro Martyr da cidade de Olinda, confessando se
desde j summamente gratos.
Xa
3 aiiniversano
Custodio Francisco Hartins
Mana Honoria Tavares Martins, seus filhos e
genro, convidam a lodosos seus parentes e ami-
gos para assistirem s missas que pelo eterno
repouso de seu sempre chorado esposo pai e
so ro, mandam rezar na igreja do Corpo Santo,
s 7 1(2 horas da manh, do da 28 do correte,
pelo que desde jase confessam eternamento gra-
tos.
t
VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sob bases scienttficas
e physiolojTu-as para o fim da
beneficiar os cabellos, restaurar
a edr, impedir a queda, e promo-
ver aw vico e abundante cresd
meaiao.
Esta apurada e excelente preparado,
sem dnvlda o melhor remedio at hoje
conhecido para os diferentes defeitos da
cabeUadura, merece a intima attenco d
todas as pessoas que tm tido a infelici-
dade de perder em parte este mais rico
ornamento natural da physionomia.
Com o seu emprego intelligente tcm-sa
conseguido resultados realmente sorpr-
dentes. Em muitos casos, porm bm
sempre, a propria calvicie tem sido cunda
permanentemente.
Sempre ge consegue fazer parar a qwe^K
dos cabellas; emquanto que para openUm-
ao das senhoras, 4 o objecto mais til
mais agradavel que se pode empregar.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA,
Lowell, Mass., 12st.-Un idos.
A' venda as lejas de armariuho e pep>
fumarias.
DEPOSITO GKKAJ .
.-.. OSA* *! -t*"

*
Precisa-se de urna ama para cosinha ; no 1
t-o do Livrameito n. 36.
Ama
P.-ecisa-sr de urna boa cosinheira. pajra-sa
bem, para casa de familia ; a tratar na ra Du-
que de Caxias n. 93, ou ra Conde da Boa-Yia-
tan. 24-A._______________________________
Ama
Precisa se de urna cosinheira e que durma *
casa ; na ra dos Guararapes n. 94.
Ama
Precisase de urna ama que cosinhe ; nal
de Fernandes Vieira n. 21
Ama
Precisase de ama ama para servigo de an
de f. milia, que durma em casa dos patroes; &
tratar na ra Imperial n. 92, 1 andar. ^^^
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinha, no Patea
do Livramento n. 36.
Ama
Precisase de urna engommadeira e que tan,
para casa d- familia ; a tratar na ra Sete t
Setembro i. 12, antigo becco dos FerreiroSj
Ama
Precisa se de uuia ama para casa de familia
composta de duas pessoas somente, para cosi-
nhar e sahir ra ; na ra do Caldeireiro o. 4.
sobrado. ^^_______
Ama
No becco da Lingoeta n. 6. precisa-se de ata
ama para casa de pequea familia, para coai-
nhar._____________________________________
Ama
Precisa se de urna cosioheira oa cosioheiw
bom, para casa de familia ; a tratar na raa
Cabug n. i4. de meio dia at 2 horas, ______
Ama
Na rna da Soledade n. 32, precisa se de ama
ama para cosinhar e mais serviQos de casa, e da
um mtnino para criado.
Antas
Na ra Mrquez do Herval n. 61, sobrada,
precisase de urna cosinheira e de urna criadl-
nha oara andar com um menino.
Amas
Precisa-se de duas, sendo urna para constatar
e a outra para sala ; a tratar na ra Duque da
Caxias n. 62 e 64.
Amas
Precisa-sa de urna para engommar e oultaa
servicos, e urna outra par i comprar e cosinhar:
na ra da Unio n 13.______________________
Amas
Precisase de urna cosinheira, e ima oofen
para andar com duas criangas ; na ra Conde
da Boa-Vistan. 70, ntigo Caminho Novo.
Ama deleite
Precisa-se de urca tratar na ra de Pedn
Alfonso n. 9
Al uga-
se
na ra Direita n. 43, sobrado as seguintes casas:
N. 40, ra de Aguas Verdes, com bom quintil
e cacimba.
N. 4, travessa da fundico em Fora de Portea.
est iimpa.
Ns. 11 e 20, travessa do Corpo Santo, esta '
soto, est caiada e pintada.
Aluga-se
o andar terreo do sobrado ra da Imperairi
n. 20 ; a tratar na ra do bom Jess n. 11, 1
andar, com Capitalino de Gusmo,
Aluga-se
Candida Gome* de Oliveira
Baatio
1- anniversario
Domingos Teixeira Basto, seus filhos, genros
e oras, convidara aos seus parentes e pessoas
amigas pira ssistirem as missas que mandam
rezar por alma de sua mulher, mi e sogra,
Candida Gomes de Oliveira Basto, na igreja d
Soledade, s 7 1/2 horas do dia 26 do corrente,
I anniversario de sen fellecimento. Confes-
aam se agradecidos.
laasaHiBnMnajw
M;ijor Miguel dos aojos Alvares
dos Prazeres
Miguel dos Anjos Alvares dos Prazeres,
Ernestina Castelio Branco A. dos Praze-
res, Tbacillia Ca3tello Branco' A. _doa
Prazeres, Durval Castello Branco A. dos
Prazeres e Manoel Ferreira, filho ora,
netos e amigo do finado major Miguel dos
Anjos A dos Prazeres tendo de mandar
dizer missas por alma do mesmo finado/
pelas 8 horas da manh de 26 do corrente,
7. dia de seu passamento, na igreja da
Conceiclo dos Militares, pelo presente
convidam a todos os parentes e amigos
para assistirem a esse acto de religio e
caridade, por cujo obsequio desde jhypo-
thecam sua gratidao. .
o 2-andar e pavimento terreo do .'obrado site
ra do Imperador o. 27 ; a tratar na ra Par-
mosa n. 8._____________________________^^
A luga.-se
o sobrado da ra Servasio Pire3 n. 18, cas
agua e gaz ; a tratar com Temporal Filaos, 4
ra do Bom Jesus.n. 57. _
Algam-se
as duas pequeas casas travessa da ra BeMa
ns 14 e 16, esto pintadas e caiadas de novo ; a
tratar na ra larga d > Bosatio n. 34, botica.
A Jugue! barato
Ba da Roda ns. 38 e 60.
Largo do Mercado loja n. 17.
Becco do Campello n. i, 1*. andar.
Loja do sobrado do becco do Calabouco a. %
Ra do Nogueira n. 13.
Viscoade Goyanna n. 163 com agua e gaa
Travessa do t armo, loja n. 10.
Becco do Tambi n. 2i.
A tratar ra de Commercio n. 5, 1 anda?
tsenptono de Silva Guimares & (L_______
Para cbrenlas
Urna pessoa habilitada e que d garantas, a
offerece para fazer cobrancas de alugueis e os-
tras quaesquer; quem pretender procure aa
esenptorio do Diario, que se dir quem .
Attenco
OSr. Francisco Ma.iotl da Silva Gusmo
cisa apparecer ra Duque de Caxias o 25."

%

y

..


I
- -
k ,-




.
bH la ,**^


iiario de, Pernambuco-Quarla-fe'ra 26 de Ferereiro de 1890
tinturara
25-Roa de Malbias d'AlbuqiH^ aBti&a rua das Mores~25
Tinge e hmpa coro a maior v*^*0*0*** qu*lldade de estofo e hm^eic
poja ou em obras, chapeos de f>8 ou d Plha/ *? ?ofo de "en" ***<>
taabalho feito por meio de monismo aperfe,?oado; atl hoJe fonhecido.
Tintura pVeta as tenr* e sextas fera, tinta de cores e lavagem todos os das
/

rindita pli bupctirii fe InUw fe tapvto 4* IririJ.
QUINA E FERRO
Chlorose, Anemia, Debilidade
Cura das FebreB
y|NHQSTiTuuoosossiAN HENRY
ffitU *t ctUtxt* iiH m co! o. iara
A fe'l' reiiniSo. n'esto piwparado. dos dous tnicos por exc-->llfncia, a quuiA
e o T"E.~jL~3.0. consume um precioso medicamento contra a Vklorooe, Mfeet
.ill.U.ts, Aueiniu, Floren trancan, ConntitntfSem fraean, etc.
PARS, AIN FOUlWtER, 43, rua d'Amsterdam.
Depositarios em fwwiiil"'"! FRAN" M. (la SILVA i r
f
240 rs. o covado
Gretones lisos, francezes, cores fixas, pechincha! por 240 rs. o covado.
Cambraia de cor, tiorzinhas e ramagens, a 240 rs. o dito.
Cambraias com menos larguras a 160 rs o covado.
Lautines de cor, padrees lindos com um metro de largura, a 320 rs. o dito.
Cachemiras lisas e achamalotadas para vistido a 2C0 rs. o dito.
Variedade de artigos que se vendem por todo prego.
21- RUA DO CRSSPO21
OUVEM CAMPOS & C.



i


500,800 e IS200 o covado
21RUA DO CRESPO21
Merino preto trancado, duas larguras, la pura, de 500, 8C0 e 10000 o covado'
Dito lavrado, preto, com ramagem, padrSes de voile a 1)5200 o dito; fa-
Mlida de 254' 0.
Cachemira preta para casacos, duas larguras de 25000 e 20500 o dito.
Na RUA DO CRESPO N. 21
Oliveira Cu nipos & C
A YAPOE
-------m--------
FABRICA OE LIVROS OE ESCRIPTURACAO
INSARIRNACAO MUTACAC?
Qanoel J. de {Diranda

^39
<*>
RA -* DUQUE DE CAXIAS 39 -i
NUMERO TELEPHONICO 194 ~


Na Loja das Tres Portas
(Aviso aos (gregaezes
Os PEODUCTOS da
i
f
307% rua de St-Honor, JPA.RIS
Taescomo: ORIZA-SIL, ESS.Q^IZA, QRIZA-LACT, CRME-0RIZA
ORIZA-VELGUTS, GRtfA-T02s.CA, GRiZALIKE, 8ABA0-0RIZA
DEVEM 0 SEU GRANDE XITO jEM COMO 0 FAVOR 00 PUBLICO :
1 Ao cuidado perfcito com que estao sendo fsbricados;
2* A' sua qualidade inalteravel e suavidade do seu perfume.
MS, CWW SE FAZ HMMFIC9ES OESTES PRODUCTOS ORIZA
com intuito de v/Ver ass/m a custa da fama te jof gozam,
pomos de sobreaviso os freguezes nof za que se nlo
deixem engaar.
H VEWUDEIROS PRODUCTOS se endem im todas as uk cazas d PSrfusjirii c Orcgiria.
MANDA-SE DE PARS O CA1ALOOO IL LUSTRADO *RANC-OS PORTE
LOJA DO POVO
f 1Rua l, de Marcoti.
Com este titulo aoaba da abrir urna loja de fazenda rua 1." de Marco n. 11 e
sea proprietario convida o publico d'esta cidade e de fra a apreciar o seu BELLO
ftamento. Multas de suas fazendas sao recebidas directamente.
GRANDE NO VID ADE
Foile de pura seda de 10800 a 650 rs. o eovade.
Descont10 [, para as compras a retalho de 20(>000 para cima.
Chitas de 180, 200 e 220 rs. o covado.
LSs lisas, imitacao de cachemira, a 200 rs.
Ditas lavradas, dem idem a 240 rs.
Zephir com 75 centmetros, de largura de 800 rs. por 320 rs.
Ditos com 70 idem idem de 200 rs.
Ditos com 6 i idem idem de 16) re.
Corte de casemira ingleza de 30500 e 6|$0G0. .
dem de casineta de cor de 1510 a 10400.
dem de fuRtao para collete a 20400.
Um. completo sortimento de fichs, chales, capas para senhoras, 'epeetilhos,
mmxst, e casemira, cheviot, diagonal, pretos e de cares, brins branco e de torea, ca-
aS; ^rmilas, tosllias, bramante, atoalhado de bobo, paao> da. Cesta, -camisas de
e'fa e'rettos outros artigos que enfandonho mencionar.
{JTJTXHERME CAMERO DA CJNHA
fK<>
RIIS
ewrj
wm Mero no e*piw*-o dos
Elixir, P e Pasta dentifricios
RR. PP. BENEDICTINOS
daABBADIAde SOUL.AC (Gironde)
DOM MAOUEXONNE, Prior
* Medmlha de Ouro: Brunlles 1880~Londm 1884
AS M AIS ELEVADAS RECOMPENSAS
nnnut
no >.\no
1373
Pelo Prior
Pierre BOUmflAVD
r>t-
O um) quotidiano do Elixir Dentifricio
dos RR. PP. Benedictinos, cora dose de
alpuinaf srnttas com agua, preveo e cura a cae
doa dentes, embranqueceos,-fortalecendo e tor-,
cando as gengivasprfeitamesta-sadias.
Prestamos'um verdadeiro serrico, assicna-j
lando aos nossos litor-js este antigo e utilU-
simo preparado, o melhor curativo eo nico
preservativo contra aa Affeccoos den-
tarias.
Agente geral: SEGUIN, BORDEAUX
Acht 90 em todas m Perfumarlas, Pbarmacias e Drogaras do molido i 11

CAPSULAS THEVEMOT
Tratamanto das doencas do peito
a todo os degrAoa.
[ Alcatro.
Alcatro Creostate e Tol.
lOOTormiO (Etber iodofonaado).
Creosota iooformaia.
Creosota de Tala.
Olea den gado de oacaJhu creosotado.
Balsmicos creosotados.____________
/

D PERHAlOtrCO :
OSEM SABOR
r~ ace va.-**, o. ck
(AO 20)
Urna duzia de lencos fiaos, em caixa, por
20500.
Urna pe^a de esguiao de a'godao bom per
30500.
Urna peca de cambraia Victoria regular
por 20800.
Urna grinalda e veo para uoiva por 70000,
80000 e 90000.
Um espartilho fino com um toque de mofo
de 120000 por 50000.
Urna duzia de meias finas para homem
por 50000, 60000 e 70000.
Um chambre de cretone, cores fixas, a
40500, 50000, 60000 e 7-5000.
Urna Guarnic&o de crochet branco e ma-
tisado por 70000.
Um colcha de cor por 20000.
Urna sahida de baile por 20000.
Um covado de cachemira de listra de 23
por 10200 (duas larguras).
Urna duzia de ceroulas de bramante de
algodSo por 140000.
Um corte de cambraia bordada por 180OO
( branco).
Um covado de cretone voile por 400 rs.,
barato.
Urna toalha para banho 10500.
Um covado de fustao branco, padrSes bo-
nitos, a 360 e 600 rs
Urna duzia de toalhas para rosto por
30500, 45000 e 5,5000.
Um leque transparente por 20500.
Urna peca de madapolao americano com
24 jardas por 60500.
Um covado de fiauella branca por 400 rs.,
de la.
Urna peca de bico branco, cor lisa, mati-
sado e creme por 20500 e 30000.
Uma duzia ne camisas allemaes por 360,
com e sem collarinho.
Um cortinato de crochet para janella por
70000.
Extractos de diversos fabricantes. I F tas de todas as c es e larguras.
Kalendarios coro perfumaras. I Bordados e entremeios.
Caixas com perfumaras. I Luvas de seda.
Roapas para banhos salgados. ( Platons de cores.
20Rua 1. de Marco20
Junio ao Lomee
AMARAL & C.
(AO 20)
Uma pega de cambraia de salpicos bran-
cos e de cores por 40000.
Um metro de atoalhado de linho pardo
com matizes brancos a 30000.
L ma duzia de meias de senhora, em caixas
de madeira, por 120000.
Um corte de linho bordado com matizes
de cor por 130000.
Um covado de fustao para roupa de ho-
mem a 800 rs.
Uma duzia de lencos com barras por
10300, barato.
Um covado de chevioth preto 20000.
Uma camisa de flanella, qualidade regular
a 20500.
Um metro de bramante de linho, quatro
larguras a 10600.
Um covado de gaze arrendada de uma so
cor por 500 rs.
Um covado de la amazonas por 400 rs.,
bonita.
Um casaco de Jer3ey ricamrntc bordado
por 60000.
Um vestido para menino 40000.
Um palitot de seda palha 80000.
Um palitot d alpaca preta 48500.
Urc guarda-p psra homem 60000.
Um corte de metim em cartSes, Jaita no-
vidade a 70000.
Um metro de bramante de algodSo, qua-
tro larguras, a 10100 e 10200.
Um covado de brim pardo 280 rs.
Um covado de crep para coberta 600 rs.
Um covado de crep de l 240 rs.
Um covado de renda hespanhola con um
metro de largura 20000.
Um covado de panno da Costa 10000,
10200, 10600 e 10800.
Um metro de atoalhado branco lavrado por
IJBOO.
Um guarda-p para senhoia 100000.
Um palitot de brim pardo 40500.
I0NDI1A0 BE 8IN08 B BRONZB
DE
LUIZ D4 CRUZ MESQUITA
66rua do Baro do Triumpho66
Tewa para vender o seguate:
tlachinas de cobre para fazer espirito de destillar e rastillar.
Alambiques de cobre do antigo e novo systema com esqnente garapa.
Serpentinas de cobre e de estanho.
Carapneas de cobre.
Tallas, taixos caldeiras de cobre.
Bombas de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Tornelras de bronze e madeira de todos os tamanhoa.
C'nos de cobre, de chumbo e de ferro.
Repartideir as, passadeiras e eaeumadeiras de cobre e de ferro estn hade
Cobre em lencol e arruelas
Sola ingleza e do Rio.
Cadlnhos patente e de lapis.
filaos de 1 libra at 110 arrobas.
E mnitos outros objectos.
ENCARREGAM-SE le qualquer concert e obras de encommenda, gar sa-
lid i presteza, perfeiclo e precos mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
TE.\DE a oraso ou dinheiro com descont.
ODONTINE
SABAO DENTIFRICIO
DO
DR, RIEDEL
A melhor prepara^ao hjgienica para clarear e conservar
Appro7ada pela junta de hygiene do Rio de Janeiro, com a marca registrad!
para todos os Estados-Unidos do Brazil.
YENDE-SE MSSEGMNTES EASAS:
Maia Sobrinbo & C.
Castro Medeiros & C.
Duarte & C.
Pedro Antunes & C.
Joao Bezcrra & C.
Netto f'ampos & C.
Manoel Joaquim Ribeiro & C.
Maia e Silva &C,
Barbosa & Santos.
Barros & C.
Numa Pompilio.
Nunes Fonseca & C.
Manoel Vieira Neves.
Manoel Cardoso Jnior.
Manoel Colaco & C.
Papoula & Bastos.
Ribeiro & Almeida.
Antonio D. de Lima & C.
Sabino Pinho & C.
Joao Ramos.
Deposito por atacado:
THE O JUST
Largo do Corpo Santo
un
NEVRALGIAS
Pilulas do Docteur Moussette
as Verdadeibas Pilulas Moussette acaimao e curao as
Neuralgias mais rebeldes, a Enxaqueea, a Gastralgia, a Seiatiea, as Affeofoes
rheumatismaes agudas e dolorosas que resistirao a qualquer outro remedio
As VERDADEIRAS PILULAS MOUSSETTE devem ser tomadas as
refeicoes. No primeiro da tomar-se-ha tres pilulas; pela manhS, ao almoco e ^o
jantar. Si nao se tiver experimentado al 1 i vio tome-se auatro pilulas no segundo
da, duas pela marina, uma no almoco e outra no jantar. E' preciso nao tomar mais
de quatro pilulas Moussette por da.
Exija-te a* Verdadeiraa Ululas Moussette de CUN C", de pariz
que te eompro em toda ai drogaras e pharmaejas.______________
OS MDICOS SBSTITUEM COM XITO
o 0LZO de FIGAD0 de BACALHA0 assim como o VINH0 d QUINA
ELIXIR DUCHAMP
COM EXTRACTO'K R8lD0 0*0*#*tnO 0 CHE ME de CACAO um pod eruto Depurativo
e ifteomparavel Correbm-ania.
V-sOA POR ATAtADO : DTJCEAIVIP, 16, RU DE POITOU, FARIS^
Seposiurk em StmimsMl t IIAI* v> ia iva a c-
BRONZE
.
1E
CARDOZO ffiMAO
Rua do Baro do Triumpho ns. 100, 102 e 104
Deposito rua do Apollo ns. 2 e 2 B
Tem para Tender o *egnlnte:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo direjtpara o ou fogo de asse
ment.
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
CRTVACES de differentes tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e lundido.
LOCOMOVE1S de 2 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americanos.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo enoanamento e fmalment
todas as ferragens precisas para a agricultura desta provincia.
ENCARREQ-AM SE de qualquer concert e mandam buscar por encommei
(a, mediante ajuste previo ou uma mdica commissao qualquer machimsmo.
MACHINAS de descarocar al?odao.
VARANDAS de ferro fundido* batido.
GONTRACTAM fornecimenta de apparelhos para usinas, garantmdo a bfi
tculidade e bom trabalho dos mesmos, o que podem provar com o bom resaltad'
btido com as.duas USINAS montadas ltimamente a saber:
Santa Filonilla e Joao Alfredo
Vendem a praso o a dinheiro voat descont.
Completo sortimento de chapeos, capotas e gorros de*fntasia em todas ai
qualidades.
Fitas, rendas e bico de seda e algodSo de todas as cores.
Flores, plumas, passaros, algrttes e bijouterles para enfeites.
Chapoe e feltro e castor, os mais modernos, para homens e meninos.
Recebe por todos os vapores as primeiras novidades de artigosj de seo
l. nerc de negocio.
Raphael Dias & C.
2 Rua do Baro da Victoria 2
44-hlA B4R40 DO TRI11PB-44
^fachinas a vapor
VIoendas.
~ Rodas d'agua.
Faixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravacal
Arados
2. andar para afargar
Aluga-se o segando andar do predi
n. 4 da roa do Vigario Thenorio a tra
ctar no pavimento terreo do mesmo,
Cosinheira
Precisa se de uma ama para cozinhar
no 3. andar do predio n. 42 da rua Du
que de Caxias, por cima da typographi*
do Diario.
Casa emOlinda
Cede-se a quem precisar de banhos salgados
uma casa na praia de S. Francisco, perto dr
mar, a casa tem commodos para grande
lia ; a tratar ne escriptori j do Diuno.
Attenco
Para cobranca de alaguis de predios e h#-
norario3 de mdicos offerece se um homem
tantemente coahecido nesta praca, e que i
bem presta fianca em predios para garanta das
cobrangas que fizer. Nesta typographia se dil
quem .
fami-
Cozinheira
Precisa se de ama boa cosinheira para fem
lia que est temporariamente em Caxanga; >
trata no esc.-iptorio da coapanbia de honda
Boa aequisiejo
Alaga se a casa roa do Rangel n 63 t ven
de se a armacSo nella existente, proptia pra
uvero; tratar no largo da Alfndega nume:
rot A.
Adminittnco : PARIZ, 8, Bouletanl Hontnartn.
ORNDtGBILLE.- Alfrcpfe lvmphateis, Doen-I
as las rias di(estTas,0batrncoe di> ifudo.' do haco, I
lostro^or riwtraes, Concrecoes calculosa da bile. I
HOPITAL. Alfoccftes das ias digestivas, Inwimii- [
dos do estomago. Digestao dilfic. Ioa|ipetescia, |
Gastralgias, Dispepsia.
CLESTINS. >ffc5os dos rins, da >eica, Arec,
Concrcpoesdasoannas.Gota, Oiabetea,AlbaaiMru.l
HAtTTERrvE.Alleccoesdosrinj.da beiija, Ares, I
Concrecoes das oirtnas.GotaDiabeles, Albanimrta. |
EXUA-SE 0 WS FOSTE DJ CAPSULA
En Perntmbuco, u Agaas das Fontes de Vicfcj,
scinia noracadas. ebio-H em casas de
fITt-rTt lrf,35jad> CHla,-Ao.fMtl W I
1
rrr

j


" -.-:.
9


I
I.
1/
\:
.
i
Diaric
YENDAS
erriaaiosxcoyaarta-fe
Vendem se na ra Real d. Torre n. 11
terrenos aos palmos ou em lotee, asiim como
pipas, toneis e cubos.
Farelio superior, 42 kilos
'niie-se no Largo Pao centeio
Mello 4 Bisel tendo receido nova rf messa dr
laricina centeio, avisa aos seas freguezes que
continnam a fabricar este delicioso pao o*cteio
toda as tercas esextas-fdras ; na ra larga ao
Rosario n. 40.
Attencao
Vndese farello do Rio da Prata, cok 41 ki
los, a 2400.; ca rua Mrquez dj Herval n. 73.
Livraria Gonterapon>
nea
Infttroinento* de mulita
Cocauardo, bombardino, banrtono, troc.
trombone, helicn, saxaphone -carrilon, bom-:
catea, pratos claricitas flautas.rabccas, viole
realejos, caixa9 de msica, etcM etc.
Papel pintado
para forro de sala3, quartos, gabinetes, correfr
res.
Molduras
douradrs, pretas e douradas para quadros.
Malas
para viarero, diversos formatos, especialme-
para rcupa de senbora e camarote.
Novidades
para presentes, escriptorio, toncador, etc., eu
RAMIRO M. COSTA & C.
na Prlmetro de Barro n. S
PrtjLf. wjo pjistivo
Approvaio pe'i Illustrada Jsrta do
Hygiene Pa'ulicn 4a Corte.
Auctorisado por Decreto Imperial
de 20 de Junho de 18P.3.
COMPOSICAO
de
Firm'mo Candida tie Figueiredo.

Empreado com a maior efficach no
rheumatismo de qualquer natureta,
em todas as molestias da f*Ue, as
leucorrhJas ou flores brancas, nos
soffrimentos ocasionados pela impureza
do sangite, e finalmente as differentes
formas da syphihs.
i
Sup
erior vinho de Al-
cobaya
O acreditado e ar.go armazem do Lima pt,
ticipa ao publico e aos secs freguezes que acah.
de receber urna ceva reinessa deste especia
vinho, escoltado propriamente pelo chefe de*u
casa, tornando-se recommendado por ser pu-
e de boa quadade. Jos Fernaiides Lima 4 C
rnaBaro da Victoria numero 3. Telephone32'-
Dse Nos primeiros cis das urna
colher das de cha pela man lia e outra
SI noite, puramente ou diluida em agua
.j e em seguida mudar-se-ha para colhe-
.-es das de sopa para os adultos e me-
tade para as enancas.
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
duroso; devem usar dos barikos fros ou
momos, segundo o estado da molestia.
DEPOSITO CEKTSA1
i Frr.ncitco Manot-1 da Silva & C
Droguistas
23 Eua Mrquez de Olinda
Pernambuco
Para engenhos
Lopes & Araujo, venden
a presos sem. competencia
izaran tindo a boa qualidade
os artigo? abaixo mencio-
nados.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peix.
Pixe em latas.
Kerosene inexplsivel.
Potassia da Russa em caix.*
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttend.
Alerta com a Revoluto
ru Dnqne de Caifas n. 48
E' BARATISSIMO
Sur de linho a 4,0 rs. o covado.
Etamincs de todas as cores a 3G0 e 400
rs. o covado.
Leoais com listras de seda a 320 e
rs o covado.
Zephir finos a 120, e 160 e 200
vado.
400
o co-
Graxa em bexigas.
Vende-se
urna uwbilia de jarrando, composta de laca-
deiras de guamicio. 2 ue_nracos. 4 consol^ com
lampo de pedra,"! sof," 2 cadeiras de lona, 1
mesa de amareH--1 elstica, 2 aparadores da me?-
ma madeira, 1 sof, 2 e.-preguicadeiras, 1 guar
da louca de amarello, 2 commi das de Jacaranda,
1 toilet de junc, 10 cadeiras de junco. 1 cadelra
de amarello, de bal;.nco, 1 mesa para jogo. 3
marquezes. 10 quadros proprios para sala, 1
mesa de picho para jantar. 1 lavatorio de jaca
randa rom pedra, 1 dito de amarello. 1 me para cosinha, 1 dita prquena de amarello, 3 ca
deiras dcimaiello. i caaas de lona, 1 resfria
deira, 1 puarda-cerniria, 1 mesa de amarello
para tscrevtr, 2 consolos de ja< arand com tam
po de pedra ; a tratar na ra da Inperatriz n.
14_3j andar.___________________________
A rreio de montara
Vende se um todo cuarnecido de prata, obra
tina e de luxo ; a tratar na Iqja n. o, ra Ba
rao da Victoria.
Sitio
Vende se u sitio com prnporgoes para urna
familia regul: r, com todas as commodufades de
transpore. pf rto da cidade, sanio, bastante ter-
reno e bem arb visado, a casa nova ; informa
c6es rna da niao n. 54.
Canarios
So atmazem da ra de Pedro Alfonso n. 6, h.
para vender graBde porcSo de importantes ca
Barios belas eallemaes. cujas precos razoaveis
se farac conforme a qualkude dos mesmos.
Taverna
Vende se a taverna sita ra da Concordia n.
141, propria para principlante; o motivo da ven-
da se dir ao comprador ; a tratar na mesma.
Para ourives ou cigarreiro
Vende -se um balco com dous flteiros e duas
taboletas ; a tratar na rna das Trincbeiras n. 3.
Attengo
Vendem se partes dos engenhos Tamoat-
meirim e Coqueiros, sitos na comarca da Victo-
ria ; bem como o soBrtdo do um andar n. 57 da
ra Imperial da me^ma cidade ; a tratar na ra
larga do Rosario n. 10, 1 andar.
Attencao
0 agente 'estaa est autorisado a vender os
cavallos de corridas seguintes : Boulanger, Mo
narebista, Capritbo, osca, Vareta, Tivoly : a
tratar com o mesmo agente na travessa do Cor
po Santo n. 27, armazem.
. zu
lejos
Com lindissimas cores e desenhos variadissi
moa, encontra-se para vender um grande sort)
ment desse arligo, proprios para frente de ca
sa3, corredores, cosinbas e banheiros ; por pre
08 3em competencia na ra do Visconde dt
Goyanna n. 45.
rOLHETII
ODODETIGKE
Para en^enhos
GUIMARAES & VA LENTE, parteci
patn aos seus freguezes e Illms. Srs. de
engenho que, como sempre, tm grande
deposito dos artigoB abaixo mencionados,
garantindo tudo de primeira qualidade e
presos sem competencia a saber
Cal nova de Lisboa,
Dita de Jaguaribe.
Cimento portland.
Oleo de mocot.
leos americanos
especiaos para machinismos-
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito depeixe.
Pixe em lata.
(5 ga!3es.)
Kerozene inexplosivel.
Graxa em bexigas.
Gaxeta de linko. ,
Potassa dn Russa.
(em caixas, barriquinhas, latas grandes
e pequeas.)
Formicida Capanema.
6--Corpo-Santo6
Gereaes porpreejo
commodo
Como ejm : milbo, fejao e fa va.
Neves Pedrosa & C. teem para vender a reta
Ih 1 ou em porco os artigos ; cima, ra da Pe
nba n. 33, assim como tambem vendem farello
de i2 kilos a sacca por 24500
Agua maravilhosa
Com a appiicaco desta agua, quem soffrer de
espinhas pannos sardes, femdts e vermelhidao
do rosto, ficari perfeitamente curado, rtconhe
cendo a, desse modo, como nico especifico
eficaz. Alem desses effeitos, tem ella a pro
piiedade de, tornando a cutis limpa dar-lbe s
edr natural. A c. da vidr> que custa l, acom
panba a respecti 'a indicaco do uso.
Abaixo as pomadas
Vendem Farias Sobrinho & C, ra Mrquez di
Olipd n. 44.
Rna do Livramenlo n. 33
Telephone 316
Aviso
Paulino de Oliveira Maia, nico importador
nesle estado do importante cognac Phaton.
tendo cnrontraiio em diversas casas retalnadoras
as garrafas d'elle com ootro cognac ordinarissi
mo fabricado nesta cidade. vem declarar ao pu
blico e especialmente aos apreciadores do Pha
ton, que devem exigir as garrafas que foreni
cercadas por urna rede de fino rame de -lato
arrematada no fundo da garrafa com urna pasta
de chumbo e com urna chapa tambem de
chumbo no meio da dita garrafa com a mar
ca da casa Landau Fila, de Boideaux, e rolha
mrreada a fogo com o mesmo distico, urna
capsula iie chumbo verde e amarello com a
seguinte gravag3o no alto : Landau Fils (e
nm passato no mar) Bordeaux, sendo o rotulo
quadrado com igual inscripc8o e no gargallo
urna etiqueta verde com duas estrellas.
Especialidades
PASTLHAS HYGIENICAS PARA
AC ENDER O FOGO, supprimin-
do o immundo kerosene e dan-
do n'urn instante um fogo inten-
so, a caixa com 20 pastilhas 100 rs
OLEOGRAPHIAS : Io. A importan-
te obra prima de Vctor Meirel-
les: A Primeira Vlissa no Bra-
zil, grande quadro histrico da
descoberta do Brazil, medindo99
X 76 centimetros de valor real de
151 (poneos exemplares) 6*000
2o SCENAS DE CORRIDAS, qua-
dros de cavallos admiravelmente
desenhados e proprios para sa-
las. 26 differentes, um 1000
3 RETRATO DE SADI CAANOT,
presidente da repblica france-
za, o melhor anda publicado 1000
CAMISAS DE FLASELLA para bc-
n-ens. urna de il a 5*000
PERFUMARAS, artigos para presentes. Quadros
e albuns para retratos. Carteiras nara cigar-
ros e chanUbs. Cigarreiras e charuteiras de
mbar e espum#verdadeiri. Bengalas. Pa
pelara. Lencos de linho a 4*500 a duzia.
Meias. Espartilhos. Leques. Bonecas e brin-
quedos diversos. Fitas. Bordados. Luvas de
seda pretas e de cores e outros amitos artigos
de miudezas. *f
ain barato do que em oulra qual-
quer parte
NA
Rainba das Flores
Roa do Baria da victoria n. 41
Mercearia
Vende se a da Camba do Carmo n. 2 ; a tra-
tar na mesma.
Roya! Rlend marea VIADO
Este excellente "Whisky Escocez pro
t'erivel ao cognac ou agurdente de caon
para fortificar o corpo.
Vende-se a reCalho nos melkores unm>
zens de molbados.
Pede Rojral Rlend marca Vladu
cujo come e emblema aSo registrados pan
todo Brazil.
BROWNS A C, agentea.
Cautelas do Monte de So<
corro
Compra-Be Cautelas do Monte de Soc
corro de qualquer joia, brilhantes e relo-
g08, paga-se bem na ra do Cabug n
|4. n. -Loja de rlojoeiro.
ta em lugar seguro e foi logo a Bloia ti-
rar informacoea.
Qaando voltou ao caatello, j aabia que
Eliana estivera para casar com o Sr. Van
Linden.
POR
F
mu :::::::,
Ktil\DA PARTE
SROR MARA JOS
=^=
(Continuac2o do n. 45)
II
De resto, nada de comprmettedor; pro-
testos de affecto e de dedicacao, saudades
e atlusSes a um passado longinquo, e a
noticia de que quem escrevia aquellas li-
nhas estava na pista de urna m accio,
taires um crime, commettido pelo nico
enke que o seu corajab podia- odiar...
O conde meu amo, naturalmente !
coaetsio Jamin. Quanto aos amores nao
pasMm por emqaanto de criancices. Mas
qnem t ver ver.
t Tanto mais que, pelo que vejo, isto
j Merior ao casamento.
Yreciso saber quem era nesse tem-
pa apaixonado da menina de Croix-Ny-
von.
Jamin arrecadou prudentemente a car-'
E' o mesmo, pensou elle. Ah! yol-
tou... Tanto peior para meu amo... mas
tanto peior tambem para os outros...
Eliana, longe de desconfiar que. o seu
segredo fosse conhecido e acompanhada
por Baptista Moulin, que de certo tam-
bem de nada suspeitava, foi no da seguin-
te fazer as suas compras cidade e apro-
veitou a occasiao para deitar urna carta
no correio.
Jamin, que a segua, inscreveu aquello
detalhe na sua carteira.
Quando chegon a resposta, sempre por
intermedio lo mordomo, Jamin teve von-
tade de se apoderar della, mas receiou es-
pantar a caca e deixou-a chegar ao poder
da condessa.
Continuou aquella correspondencia du-
rante muito tempo, e o'' spi&o j se ia
convencendo da probabilidade de se reali-
sarem as suas esperanzas.
Efectivamente Hennqne,estimulado pela
separagao, espicacado pelo desejo, cada vez
mais ardente, de tornar a ver a mulher
amada, nao conservava j a mesma mede-
ra$So.
O seu amor traduzia-se em phrases ca-
lorosas, em declaracoes apaixonadas em
gritos de raiva contra o obstculo que se
ergua entre elle e Eliana.
Oeixava-se arrebatar pelo desespero,
pela colera, para depois pedir humilde-
mente perdi, e terndinava sempre repe-
tindo: Esse homem capaz de tudo, e cu
estou procurando a prova. No dia em que
a obtiver, porque hei de obtel-a, parti-
rei para Bloia, e entao...
^ Ah 1 ah pensava Jamin. Meu mo,
Trompa
Vende se urna Trompa-Sax em bom es
tado, do fabricante Thibouville, por meta-
de de seu preco ; a tratar no Pateo de
S. Pedro n. 18, das 6 as 9 horas da
manha e a tarde das 4 as 6.
na verdade, n3o nenhum santinho. Mas
que diabo espera este rapaz descubrir !
III
Merin*8 de urna s c6r com dnas larguras
a 400 o covado.
Case-mira com quadros de seda para ves
tidosa 1)5 o covado, fazenda de 20000
Ditos com toque de mofo a 800.
Merino setim a 1(J50.
Organdis muito fina a 8 de 16)J.
Cortes para vestidos, ultima moda a 7,5
um.
Ditos bordados a 100000 um.
Ditos bordados brancose creme a 130,14,
e 150 um.
Casacos de seda franceza a 20 um.
Cort'nados bordados'a 60 o par.
Ditos de crochet a 80 100 o par.
Fichs de retroz de prata a 10 um.
Cortes de brim para caifa a 10 um.
Luvas de seda a 10 10500 e 20 o par.
Mantelletes de seda preta a 50 e 60 um.
Colchas de todas as cores a *0, 30, 40 e
50 urna.
Ovbertas forradas a 205OC nma.
L-nces de bramante a 10600 um.
Atoalhado de algodo a 10 o metro.
Dito de linho a 20 e 20500 o metro.
Bramante de 4 larguras a 10, trancado e
liso.
Toillets para baptisados a 80000, 90000
e 100 um.
Bordados e entremeios a 700 rs. a peca.
Sargelm de todas as cSres a 200 ra. o
covado.
Toa I ha i felpudas a 30, 40, 50 e 60 a du
zia.
Pannos da osta para mesa a 10200 o co-
vado.
MadapolSo americano a 60 a pep,a com 24
jnrdas.
Casemira de todas as cores para costu-
mes, a escolher, a 20 o covado.
Cortes de casemira de 30500 a 70 um.
Camisas de meia a lo urna
Ditas de linho e algodao a 20, com colla
rinho.
Toalhas para crianca a 120 e 160 urna.
FustSo de cores para costumee a 500 o co-
vado.
Pannos de crochet para cadeiras a 500 rs
um.
Ceroulas francezas, a 10000 urna.
Atoalhado de linho com toque de mofo a
20400 o metro.
Dito de algodSo a 10200.
Algodao trancado para toalha a 10OCO i
metro.
Espartilhos couraca a 40000, 50000 e 60
Lencos de algodao brancos com barra a
10200 a duzia.
Lencos de linho a 20500, e 30 a duzia.
Nansuk fina a 120, 160,-300 e 240 rs. o
covado.
Chitas brancas 9 de cores a 200 e 240 o
covado.
Organdis de 800 a 400 rs. o covado.
Setineta lisa de todas as cCres a 240 rs. o
covado.
Cortes de fustSo para collete a 500 r
um.
Ricos cortea de ves idos de 6<~ t por 250 e
300, pretos e de crss.
Costumes de Jersey para criancas a 70
um.
E muitos artigos de moda e phantasia,
que s com a vista, assim como em sua
oficina de alfaiate prepara se qualquer
costume em 24 horas e por preo sem com-
petencia.
Na Revolado
HENRIQUEDA SILVA MOREIRA
Venda vantajosa
Vende-se o palacete ao lado da igreja do
Bomlim, em Olidda, com muitos commodos,
fresco, ooa vista, tem um pequeo sitio com
muitas fructeiras e cacimba com agua abundan -
te e boa. Tambem se faz negocio com quom
quelra fazer os reparos que precisa, descontando
no aloguel ; quem pretender entenda se com o
Illm. Sr. Sebastio Manoel do Reg Barros, ra
do Imperador n, 81.
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os nroprietarios do Armazem# Central, ru
do Cabug n. 11, avisara aos seos distinctos fre
guezes e ao respeitavel publico que receberaa
nova remessa deste especial vinho, o qual st
recommendapor ser puro da uva, e s se reta
Iha em en armazem.
Joaquim ChristovSo & C.
Telephone 447
4 FLUIDA
Fitas lavradas com
rua -jalmo de larg.
ra a 20000 o metro.
Papel de arroz de Vas as ^es.
.napelinas modernas a OOO
Rendas hespanholas de too., 8 c3res
pretas com o sem vidrlhos.
Lindas guaaicoes de vidrlhos prw, oa. a
casaco. ^5
Grande sortimento de gal3es, p
rozas de vidrilho preto.
Bicos matisados de urna s cor como se
*am, granad, azul, rosa, beije, palha, chnm-
oa, salmn, terracote e muitas outras cores.
Sabonetes perfumados a 500 rs. adu ;
Lindos desenhos para talagarca.
Lencos de seda a 500 rs.
Bicos de seda e de algodao com e sem
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algod|o. -
Franjas de seda com e sem vidrilho
Renda hespanhola. *
Collarinhos para homarn a 30000 e 400
a duzia.
Bordados de cambraia taada a 400 50>
600 e800rs.a peca.
Idem^pom 3 e Ij2 metros, de qua'quer
wgura a 10200.
Len08 de Unte em caixinhas a 3000= a
dita*'
Meias para homem, duxia a 40000.
dem para senbora, duzia a 40000.
Finas pulseiras americanas a 40, (: e
80000 o par.
Cortinados todos de crochet para cami a
120000, 170000 e 190000 o par,alg. ns
de cores.
Ditos para ianellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 80'-.' e
10000.
Ditos para sof a 20000.
Capel las com veo para noiva a 60QO e
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 10_ e
120000.
Toncas de setim para baptisado a 30, 4 e
50000.
Orinal das e ramos de seda, o que ha de
melhor.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprdo a 20 pa
Ditas de seda para creanca a 10000.
Dita para moca a 10500 o par.
Espartilhos para creanca a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50000 e
60000.
Linha de machina a 60 rs. o carritel.
Linha de machina a 600 rs. a duzia.
Albuns de pellucia de diversas cores.
Livros de missa a 10500, 20000, 2050!
30000, e 30000 cada um.
Lindas luvas de seda com sal picos e co=
listas, gosto moderno, a 20500 o paz
Toalhas para banho a 10300.
Toalhas para rosto a 300.
To; I has para mSo a 160 rs. /
Babadores com inscric/Ses e paizagem a
500 rs. e 400000 a duzia.
Espelhos grandes com mulduras finas ce
cantos re iondos a 40000 e a 60000 nma
Bengalas flauta.
Grande sortimeirto de luvas de seda arre:
dada com palmas catino comprdo a
10500, 20000 a 20500.
Havia j dez annos que Eliana tivera o
seu segundo filho.
Henrique, retido em Pariz, segundo elle
dizia, por graves motivos, nao tornara a
ver a condessa mais que urnas tres ou qua-
tro vezes, durante curtas visitas que fize
ra a Blois, e em seguida s quaes parta
precipitadamente.
Jamin, cujos apoutamentos comecavam
a adquirir importancia, presenta que se
approximava o momento de operar.
E nem Eliana nem Baptista adivinha-
vam a tempestade que Ihes pairava inmi-
nente sobre as cabecas.
Urna amanhS, o espilo, fsempre alerta,
recebeu ao mesmo tempo duas cartas do
crioulo.
Nao se atrevendo a subtrahil-as ambas
notou que urna vinha marcada^3a expe'
dicSo e a outra 6,*
Foi desta ultima que se apoderou, juf-
gando que devia ser a mais importante
E, com effe:to, apenas a abri soltou
um grito de espanto.
O contedo era o seguinte :
Minha querida.J hoje lhe escrevi,
ma: cao grave o quu teno a participar-
Ihe, que nSo posso esper.r para amanha.
Tenh a prova, entende bem ? a prova
que ha mais de um anuo pedia a Deus.
< Seu marido um miseravel!
Repellido em.outro tempo pela meni-
na d>- Kersaio, tomo indigm,, e ferido em
duello pelo duque de Keynoid, seu riva
o Sr. de Morlac jurn vingar se.
< Encontrci e comprei o homem que
ministrou o veneno ao duque Joao de
Reynold, um tal Lamblin, que tenho en-
cerrado em minha casa, de onde s sahir
para ir depr perante o juiz de instruc-
5S0. Mas nada quiz fazer sem o seu as
sentimento. Rogo-lhe, pois, me responda
na volta do correio.
* Ora, este crime de seu marido, Elia-
na, a reconquista da sua liberdade, a
nossa uniSo 1 E' a ventura a que temos
adquirido tantos direitos Que me impor-
tara as exigencias do mundo, se a senhora
a promettida do meu coracSo, o meu
bem, a minha vida... Os seus filhos sao
os ineus, como tudo o que seu me per
tence mim.
< Permita me, pois, que ponna termo
ao sen martyro, e em Batavia encontra-
remos finalmente o esquecimento das nos
sas dores e a felicidade eterna.
< Urna palavra, urna s palavra sua, e
por me hei em campo.
c Em nome <'o nosso amor, nao hesite
em escrever essa palavra!
Seu, inteiramente seu,
Henrique.
assucah
Na refinacjio do Salguei-
ral, alm do melhor assucar
refinado, encontra-se tam-
bem o afamado assucar das
usinas, Colonia Isabel
Santa Filonilla, Car'-
Ass.
Precos resumido?.
J22Rua Direita22
Deposito da Companhia de
Fiacao e Tecidos de Per-
nambuco
Neste deposito rua do Rom Jess n. 42,
vende se por precos r;zoaveis e condicoes da
praca, brins d'- algodao de cores e algodaozinbos
de diversas qualidades, e tambem fio de algodao
em novelos.___________________________
A Igreja e o Estado
Vende-se a obra completa de Ganga
nelli sob o titulo cima, ene ademada, por
250000, e diversos volumes ; no escripto-
rio deste Diario se dir quem vende.
A LOJA DAS LISTRAS
A rua D qua de Caxias n. 61
/EN )E MAIS BARATO
K d descont a qii'-ni comprar
de SO$oo para claa
Vende pelos seguintes precos r
LSs de quadrinh") a 160 e 2u0 rs.
Zephyr de quadrinhu a 100 e 200 rs.
Percales claras e escuras a 200 e 240 rs.
Cassas de nma s cor a 100 rs.
ri preto com duas larguras a 440 rs.
J^emiras e merinos enfeitados a 400 rs.
I*%e zephyr de quadrinhos bordados a
Fichus de i,cda e pateados a 500, 800 e
lOOO. r
Esguao pardo p^a vestido a 320 e 360 rs.
Brim pardo liso pai^ roupa de meninos a
240 rs. r
Cortes de casineta de c^8 a 10000 para
homem.
Colchas de fu-tao de lindas tires a 103CO
e 20000.
Cortinados bordados para cama e^aneH* a
50800 o par.
Toalhas para menino a 10503 a duzia.
Guardanafos a 1800 a dita.
Bramante de 4 largiras a 640 e 10000.
Lencos brancos finos a 10200 a duzia.
Espartilhos finos a 40000.
Crinolina branca, preta t de cores a 400 rs.
Baleias a 200 rs. a 8uzia.
Arco de ac i 100 rs. o metro.
Bicos brancos, de cores e matisados, todos
os precos.
Rendas pretas e com vidrlhos a 10000.
Mantilhas pretas hespanhola a 40000.
Etamines de cor, phantasia, a 4G0 rs.
Tecidos de linho muito finos e lareos a
400 rs. 6
Cachemiras pretas arrendadas a 20000.
Sedas de cores com listras ou ramaeens a
^ 10400. ^
Surah preto e de cores a 10400.
Setins maco de todas as cores a 00 rs.
Cortes de vestidos de cachemiras bordados
a 150000 e 200000.
Cortes brancos todos bordados a 15000.
Cambraias bordadas e cem salpicos, finos
a 40000-
Cortinados de crochet de cores parajanella
eu cama a 10400.
Meias de seda para senhora a 30000.
Penteadores bordados a 30000.
Camisas bordadas para senhora a 55000.
Vestuarios marujo para meninos a 50000.
C..pellas com veos para noivas a 60000 e
80000.
Setins brancos, muitos finos, a 800 rs.
Luvas de seda brancas, pretas e de co-
res a 20000.
Meias arrendadas, brancas, para noiva a
10500.
Novidades
Mosquiteiros com arma05o a 150000,
Estantes para msica, para amadores, a
I 50010.
Oleados para mesa de qualquer tamanho
a 40500.
Relogios americanos esoertadores a 70000
80000
Sabonetes finos a 500 rs.
Collarinhos e punhos declluloide a todo
preco.
Fitas de seda, todas as cores e todas as
larguras desde 320 rs.
Retratos a oleo
Com lindas molduras douradas em alto re-
levo, e muito lindo para um presente ou
para sala de visitas.
a v r.Sooo e mal preco
Qualquer familia que desejar rT um lin-
do retrato bastante manda: .ai carta*
de visita nao importa que > ja antigo,
basta dizer a cor dos cabello o cor dos
olhos para chegar um retrato desejado.
Para ver, e fazer encommt das
Dirija se Loja das Listras Azues
61 RUA DUQUE DE CA) AS61

PIANO.
t Ora, tendo a joven duqueza morrido
de parto, o miseravel exerceu a vinganca
sobre o marido, empregando para isso o ve
neno.
Com mil diabos I' exslamou Jamin
aterrorisado. Ah Sr. conde, que mui-
to ing->t -f se nao m- paga bem caro esta
descoberr*! Mas como nunca bom con-
fiar demasiado na g<-nero tomemos as nossas precaugoes.
O espi&o copiou cuidadosamente a carta
de Van Linden, juntou o original car-
teirn de t>puatauioBtus que orgauisara, e
IjUiepois de ter accresceniado urnas breves
Tubas s suas notas, lancjpu tudo na caixa
do correio, subsoriptado
Morlac
Bem 1 disse elle..
pela exploslo.
a* Sr. conde de
*
Agora esperar
Quarenta e oito horas se paasaram du-
rante as quaes Henrique, com o coracSo
angustiado, espern a resposta de Eliana,
nao podendo achar desculpa para o inex-
plicavel silencio della em presenca das for-
tes raz5es que elle invocara.
Finalmente noite, nSo podendo mais
conter se, febril, presa de um terror que
augmentav&va de hora em hora, decidio-ae
a-ir pessoalmente pedir Sra. de Morlac
autorisacSo para cump.-ir a terrivel missSo
que se impuzera. v
Ao partir, recommendou a Rene, seu
c iado, que vigiasse rigorosamente Lam-
blin, e nao o deixasse um segundo s.
Henrique habitava um pequeo rez do
chao, na rua do Helder, e onvertera o
seu quarto de vestir em prsao do antigo
criado do duque de Reynold.
- Rene jurou executar fielmente as or-
dens recebidas e Van Linden dirigio-se
para a estacao do caminho de ferro, onde
tomou o primeiro comboio.
Teria decorndo urna hora, quando mui-
to, apoz a partida do crioulo, um violento
toque de sineta fez estremecer o improvi-
sado carcereiro.
Foi abrir e vio na sua frente um oo
mem de certa idade, elegantemente vesti-
do, mas com aspecto severo e altivo.
O senhor Van Linden est em casa ?
perguntou o visitante.
Nao, senhor, meu amo parti para
fra e estar dous ou tres das ausente.
Ausente! Mas eu vi o esta tarde
elle n;o me failou em tal cousa !... Ests
certo de querelle sah;o de Pariz ?
Ha urna hora, se tanto.
O de^conhecido pareceu vivamente con-
trariad* ; mordeu os labios com despeja*
e depo s, domnando-se, accrescentoa :
D me o preciso para escrever;
quero deixar lhe nm biihete.
Rene mandou entrar para o quarto de
Vende-se um ptimo pia-
no, quasi novo, do an'.or Fe-
lippe Henrique Herv; a tra-
tar na rua da Imper;-riz n.
14, loja de camisaria.
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo-
go depois das casas novas da direita, vende-
todos os das leite puro de vaccas tourinas s d;
erra, garante-se a qualidade do leite.
a sala
Henrique o individuo a quem considerava
amigo de seu amo, accendeu um candiei-
ro e forneceu-lhe todo o preciso para es-
crever.
Entretanto o desconhecido pesquisara
o aposento com escrupulosa attencao, com
urna cur03idade digna de um agente de
polica.
A casa era quadrada e tinha o vestbulo
ao centro.
De um lado ficav a cozinha e
de jantar.
Do outro, o quarto onde elle se achava
e, a seguir, urna outra divisSo tendo urna
nica porta junto cabeceira da cama.
O conde de Morlac, pirque era o conde
que, apenas recebera a caria de Jamin,
correr ao encontr do pergo, o conde de
Morlac nao hesitou um instante.
E' alli, pensou elle, que est encer-
rado Lamblin, e o seu carcereiro ignora
de cer'o quem elle e quanto vale.
Entao pegou n'uma tolha de papel, tra-
cou algumas linhas e metteu-as n'um en-
veloppe, que fechou.
^Feito isto, poz a carta sobre a mesa,
bem vista, e erguendo a voz de maneira
que o ouvissem no quarto visinho, disse ao
iado :
Has de dizer a teu amo que seu
amigo, o conde de Morlac, veio visital-o ;
sobretudo nao te esquecas de lhe dar este
biihete apenas elle venia; trata-se de um
negoci muito urgente para elle e para o '
leu amigo Lamblin. ,
I Esteja descalcado, senhor, nao me
esquecerei.
O r. de Morlac
sahio
o at ao patamar.
e Rene acompa-
(Conutfiuar-M ha)

)

1
-
.



u


* I
Tji' .mo /iiorio ruado Duque de caxias r. 42
A
*