Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18790

Full Text
& LSI
i**P

i-
DOMDiGi
DE
RNAMBUGO
Propriedade de Manoel Figuei6e de Faria db Filhos
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE

Por tres menes adiantadoa.
Por seis ditoa dem......
Por no auno iem......
Cada numero avulso, do mesmo dia.
6)9000
12*000
23000
(5100
Os Srs. Amede Pmnce & C.
de Paris, sao osh&ogAfiiles ex-
clusivos de annuncioaypublica-
oes na Franca e InsrJfeerra.
PARA DENTRO E FORA DO ESTADO
Por seis mezes adiantadoa. 135500
Por nove ditoa dem...... .20(J000
Por um anno dem...... 26*000
Cada numero avulso, de dias anteriores. 0100

-4
TELEGRAMMAS

82SVIC0 PABKCLAS BQ S!ABXD
RIO DE JANEIRO, 22 de Fevereiro,
a 3 horas e 30 minutos da tarde.
Foi exonerado o actual chele de policia
do Estado do MaranhSo, sendo nomeado
para substittrl-o o Dr. Augusto de Mello
Rocha.
Foi romeado 2." escripturario da
Thesouraria de Fazenda do Estado do Rio
Grande do Norte, Francisco Herculano da
Silva.
Foi tambem nomeado 1. escriptu-
rario da Alfandega do Rio Grande do
Norte, Antonio Celestino Pinheiro.
RIO DE JANEIRO, '2 de Fevereiro,
s 5 horas e 30 minut03 da tarde.
Nao ha novidades politicas, nem moti-
vos que ficam presumir modificacao
governo provisorio.
Tudo est calmo.
Reina paz e tranquillidade.
no
ar-
indicam o
socialista no Paria"
ESSTI3C 2A A&SNCIA ILUt
PARS, 21 de Fevereiro.
Urna explosao de fogo grisou acaba de
produzir se as minas de Decize; alm de
importantes estragos matcriaes houve cer-
ca de quarent? victimas.
BERLIM, 21 4e Fevereiro, tarde.
Ospn'meiros resultados das elai^o'erp
lamentares para o Reiohstag
progresso do pa-tido
ment.
Ha numerosos empates as cleic3es.
BERLIM, 2! de Fevereiro, roite.
Os rcsuludd das eleicSes para o Rei-
hstag, conhecidos fat agora, alo os se-
guintes:
Ele tos:
Conservadores
Liberaes naclonaes
Partido catholftco
Progressista31
Socialistas
Diversos v
Ballotage8 (empates)
15
7
50
9
14
22
82
Agencia Havas( filial em Pernambuco,
2i de Fevereiro de 1890.
INSTRUCCiO POPULAR
::;::: kslio&sapsico
DA
LITTEMTUM BMZILEIRA
NOS

f EM^-QS COMMttAM
i
Padre Jom dft i%<-liieta
Nao foi o primeiro i nperi
cob to benemrito bnzileir
oinendo coasul dj Li-dZil
^ue j >-(].ao era Je grande
maior f.cga das transacgOe
por intermedio daquella prag
talvez raaiores honras para "
dor ingrato para
; Hypolito foi lago
Londres, logar
ndiinento, pois a
ercanlls se fazia
I reservando Ibe
pleta remunera-
de seus grandes servigos. Infelizmente a sorte
do eminente publicista foi pie cruelmente ad
tersa, danto Ibe a morte a 11 de Setembro de
1823, Isfo quasi um anao dia por dia da inde-
pendencia do imperio.
A apoaricao do Correio Ijirazunie em 1809
encerrando o periodo da liltratura dos lempos
coloniaes, inaugura o do imperio.
Nascen Jos de Ancbleta na ilba de Tenerife
no anno de 1530, e segundo sdus numerosos bio
graphos. era filho de pais ooqres e tal vez abas-
tados, pois aos 16 annos foi atondado para Por-
tugal com o tunde matricular/se na Universida-
r>e Coimbra. Apenas chegau entrou para o
collegio dos Jesutas daquella cidade para con
luiros seus estudos prepan torios.
(Contina)
PARTE OFF
1C1AL
Ade'Pern
atiende ao
Ivs Bezerra, pro

averno do Estado
buco
EXPEDIENTE DO OA 5 DS FS^.'BBinO DE 1899
Actos :
O marechal governador do Estado
ue requ< reu Jse Gasemiro A
fessor pub'ico effeclivo da cadjeira de iostruego
primaria do povoado Bebedoro, e lendo em vis
taa informacao prestada pela) inspectora geral
la Instruccao publica em officio d. 52, de 31 ae
Janeiro ultimo, resolve conceder ao peticionario
tres mezes de cenga. com o-denado, a contar
do Io do correte, para tralarldesua saude onde
Ibeconvier.
O marechal governador
m vista o termo de exanic a
4o officio do inspector do ir
de 3 do rorrete sob n. 18, d
ver Jop Joauuim Zacbarias obiido approvacao
de conformidadecora o rt 3da1 Decr. n. 1,324.
de 5 le Fevereiro de 1854, pata servir de 3o
nacbinista de barcas a vapor, determina que se
ipeca ao mesmo a competente ebria de babili-
tago na forma das instrueces oe baixaram
o Estado, tendo
nexo por copia,
nal de Manaba,
qual consta ba-
cem o Decr. n. 2,600, ds 2 de iuaho de. 18(50.
Ofliciou-se ao inspector do Arsenal de Matioba.
0 marecbal governador, atteodendo ao que
requereu o (mgeoheiro ebete do 2o districto da
repartigio de obras publicas, Luiz Antonio Cu-
valcunte de Albuquerque, e tendo em vista o al
testado medico exhibido, resove coaceder-lbe
tres mezes de liceoga, com ordenado, na forma
da lei. pira tratar de sua saude onde Ibe coa-
vi er
t fiados:
Ao Dr. ebefe de polica.Covm que infor-
mis sobre o assumpto do incluso officio, que
ser-me ba devolvido, no qual o juiz de direito
da comarca de Flores pede que seja augmenta-
do o respectivo destacamento com iracas tira-
das nos de Tnumpbo, Villa 'Brlia, Afogados e
outras localidades, visto o avultado numero de
presos existentes na cadeia da mesma comarca.
Ao inspector da Tnesouraria de Fazenda.
Segundo declarou me o ministerio da nuerra em
telegrainma de boutem datado aos officiaes ho-
norarios do exercito em coaunisso militar deve
ser abonado o sold da tabella de 1873, a con-
star do Ia de Jaoeiro ultimo ; u que vos commu-
oico para os devidos effeitos.
Ao mesmo.T ansmilto-vos, para os fina
*onvenientis, copia do ulli o do juu de direito
da comarda do Brejo, relativo ao exercicio do
respectivo promotor.
Ao mesmo. -Coraraunico vos que o juiz de
direito Manoel Mana Tavares da Silva em 26 de
Juoeiro lindo assumio o exercicio de suas lunc-
ges na enmarca de Cimbres.
Ao mesmo.Communico vos que o juiz
municipal dos termos reunidos de Cimbres e
Alagoa de Batxo, bacharel Alfredo Seraphico de
As sis Carvalbo reassumio o exercicio de scu
cargo em 26 de Janeiro lindo.
Ao mesmo.Commuoico vos que o juiz
municipal do termo de Caruar. bacnarel Luiz
Zacbarias de Lima a sumi em 23 de Janeiro
Mudo o exercicio do cargo de juiz de direito in-
terino da respectiva comarca, em coosequencia
de se acbar licenciado o juiz effeclivo.
Ao mesmo.Commuoico-vos que o bacha-
rel Luiz Alfonso de Oiiveira Jar Jim assumio o
exercicio do cargo de promotor publico da co
merca de Ingazeira em 26 de Janeiro linio. Na
mesma data deixou o exercicio de promotor pu-
blico interino o cidado Joao Bibeiro do Valle
Jnior.
Communico-vos que o promotor publico da
comarca de Cimbres, Dacharel Antonio de Sa
Cavalcante de Albuquerque reassumio o exer-
cicio de seu cargo em 20 de Janeiro lindo.
- Ao mesmo.Communico vos que o bacha-
rel Henrique Mariins interrumpen, por motivo
de.uioles.ia, o exercicio do cargo de promotor
publico da comarfa da Escada em 31 de Janeiro
Uuijo. t ^
Ao mesmo.Commdnico-Vos que o cida-^
dito Antonio Joaquitmdos Santos Maogabeira em
2 de Janeiro lindo assumio o exercicio de pro -
motor publico interino da comarca de Boa
VisU.
Ao mesmu.Communico-tos .q je o adjun
to Felippe Feroandea Coelfao assumio o exerd-'
co do cargo de pro notor publico da comarca de
t'e4:>liu# eu i 4*4apeiro iodo. n.
Aoniesmo. Communico-vos que o bacba
re Joaquim Baymuodo da Cimba Lobo assumio
o exercicio do cargo de promotor publico inte-
rino da comarca da Escada em 31 de Janeiro
lindo
Ao mesmo.Communico-vos que o bacha-
rel Jos Marianno Carneiro Leo assumio o exer-
cicio do cargo de promotor publico da comarca
de Floresta em 18 de Janeiro finio.
Au mesmo.Providencial para que a in-
spectora especial de trras e colonisaco seja
entregue a quantia de 157000. para pagamento
do pessoal constante da folba junta, empregado
na hospedara da Jaqueira e ncleo colonial de
Suassuna na segunda quizeaa do mez de Janei-
ro ultimo.Commuaicouse ao inspector de tr-
ras e colonisaco.
Ao administrador dos correios. Declaro-
vos para os tos convenientes que o Ministerio
da Agricultura, segando telegramma de 31 de
Janeiro ultimo suspeodeu provisoriamente a
execuco do art. 322 das instrueces das repar-
tieses dos correios com relacSo ao pagamento
de tropas.
Igual aos commandantes do corpe de po
licia e do 2 e I i batalhOes de infaotaria.
Ao director do Arsenal de Guerra. Coa-
forme soliciiaes em officio n. 88 de bonlem da-
tado, autoriso-vos a transf rir para a companhia
ue operarios militares desse Arsenal ni forma
dos arts. 177 e 178 do regalamento de 19 de Ou-
tubro de 1872 os sete aprendizes artfice? con
stantes da relaco annexa ao citado officio.
Ao inspector do Arsenal de Marinha.De
claro vos que na peticao de Antonio Jos a
Costa Arauo, sobre que versa vossa informacao
n. 10, de 20 de Dezembro ultimo, profer, boj,
o seguinte despacho:
Tem sido executado, com observancia das-
clausulas do contracto, o ser "ico de regularisa
cao e conservajo do relogio do torreao do Ar-
senal de Marinha, segundo as informales dos
inspectores do mesmo Arsenal e da Thesouraria
de Fazenda ; podeado o pericionario apresentar
se em concurrencia, quando sta for opportuna-
mente annunciada. >
Por esta occasiao recommendo-vos qus no fu
turo contracto para o concert e regularisacSo
do relogio do torreao desse Arsenal, que dever
ser por concurrencia publica estabelecaes a
c ausula de obrigacio do contractante para con
cortar tambem os relogios ou cbronomelros dos
navios da armada, conforme me solicita o in-
spector da Thesouraria de Fazenda em officio n.
29 de 29 de Janeiro fiado.
Ao commandante do corpo de polica.
Approvo os alistsemos dos paisanos de quem
trata o vosso officio de hontem datado, sob n
137. .N
Ao presidente e membros da lotendeacia
Municipal do Becife.Com a copia inclusa do
officio n. 12 de 3 do correte mez do director da
Secretaria da extincta Assembla Legislativa
Provincial respondo ao que a Intendencia Moni
cipal dirigi me em 31 de Janeiro lindo sob n.
17, relativo ao pedido da remessa do projeclo
de regulamento do cemiterio p abuso de Santo
Amaro.
Aos mesmos.Para os lins conveoientes
communico Intendencia Municipal do Becife
que no leqaerimento do lenle Jos Fraocisco
Tdha de Mendonca, sobre o qual versa a sua io-
formacSo u. 18 de 31 de Janeiro rindo, profer
boje o seguinte despacho :
Dinja-se Inteadeacia Municipal do Recife
solicitando o pagamento de castas, que estiver
no caso de ser realisado.
Ao director da Sociedade Propagadora da
I'S'rucco Publica da parochia la Boa Vista.
Em resposta ao vosso officio de 3 do correte
mez declaro-vos que rica desigoado o dia 8 do
correte s 6 horas da tarde, para a distribu-
cao dos diplomas das alumnas dessa Escola, que
complctaram o curso.
Aos agentes da Companhia Hrasileira de
NuTgacao.Kecommendo vosqoe provid n ieis
no sentido de ter passagem de r por conta oo
Ministerio da Agricultura, no vapor MaranhSo
que parte hoje paraos portos do Sul, o meoor
Honorio de Albuquerque o qaal tendo sido mor-
dido por um cao hydrophobico, se^ue para a
Capital Federal alim d ser medicado no Institu-
to Pastenr.Communcou-se ao Dr. ebefe de po-
licia. .
Ao escriv de paz encarregado do regis-
tro civil na parodjia do Brejo da Madre de Deas.
Declaro-vos, em resposta do vosso officio, sem
data, boje recebida, que ao jaiz de paz em ex-
ercicio d'essa parochia cuinpre impor multa
aquelles que, ten Jo obrigacao de dar regs
tro algum oascimento, casamento ou bito, ao
lizerem as declaracOes competentes dentro dos
prasos marcado no regulamento annexo do de
creto o. 9886 de 7 de Marco de 1888.
fiesta dita especo ordens a Cmara Munici-
cipal para que nao se proceda a cnterramenlo
sem a certido a que alluJe o art. 74 do citado
regulamento.Offi;iou se a Camaral Municipal
respectiva.
Circular :
Aos escriv&es de paz encarregado do re
gistro civil.Chamo a vossa attencao para as
pisposicOes do regulamento annexo ao decreto
n. 9886 de 7 de Margo de 1888, na parte relativa
cobranca drs emolumentos pelo registro, an-
noiacao ou averbacao de qualquer assento e
certido ; e recommeodo vos a sua liel obser-
vancia, anm de evitar reclamagOes que lm che-
gado a este governo. '
Portarlas :
Os Srs. agentes da Companhia Brazileira
de Navegaco facam transportar ao Estado da
Babia, por conta do Ministerio da Guerra o ca-
dete alumno da Escola Militar doCear, Alfredo
Jos da S Iva Pires que aqu deserabarcou por
doente.--rCbramunicou-se Secretaria do Com-
mando das Armas.
dem por conta do Ministerio da Marinha.
at o Esialo do Bio de Janeiro, os voluntarios
Francisco de Salles Oiiveira e JoSo Nepomucen*
lo Nasciraento. com destino ao batalhao naval:
Communicou se ao inspector do Arsenal de
Marinha.
dem dem por conta do Ministerio da Guer-
ra o paisano Antonio Goncalves. criado do atie-
res Artbur Gomes de Carvalbo.Communicou se
Secretaria do Commaado das Armas.
0 cidado gerente da Companhia Pernam-
bucana de Navegaco mande dar passagem de
r at Aracaj, na primeira viagein deste mez,
ao eogenheiro Luiz Antonio Cavalcante de Al-
buquerque, por conta das de que trata o decreto
n. 10.208 de 16 de Margo do anno passado.
dem dem de prda at a l'arahyba a Dn-
linda da Silva Corre i Leonel e a urna sua Olha.
dem para Fernando de Noronba, por conta
de Albino Fernn Jes & C com destino ao ge-
rente da Emureza de exploraco de phospbato
de cal os gneros alimenticios e diversos artigos
de que trata a relaco, aqu junta, assignada
pelo secretario do governo do Estado.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife a S. Francisco d passagem por conta
do Estado, praca de policia Luiz Roberto Ma
ribondo, que destaca para Palmares,
dem dem da estaco de Cinco Ponas a de
Una praca de polica Joo Hara Petra fiilten
cauri, que deslaca para Panellas.
dem ao encasfegado da estaco de Pal-
mares para dar passagem d'ahi al a de Qui
papi. ^
1 lm as estradas de ferro do Recife ao
S. FrarfcTsco e do Prolngamelo, por conta do
Ministerio di Guerra e em carro de 2,' classe ao
ex corueieiro Leonel de Souza Ferraz, que tendo
sido iic.u:'o do aoco do er.u-cito a 26 de Ja
neiro ultimo, por concluso de tempo recolhe se
a comarca de Garanhuns d'onde natural.Com-
mnicou-se a secretaria do commando das ar
mas.
O cidado engenheiro chefe da estrada de
ferro do Becife a Caruar mande dar passagem
at S. Joao dos Pombos, em carro de 2. ciasse,
por conta do Ministerio da Guerra ao ex soldado
Jos Joaquim da Silva que tendo sida excuso do
servija do exercito, 29 de Janeiro lindo, por
concluso de tempo se recolhe aquelle lugar de
onde natural. Communicou se a secretaria do
commando das armas.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Becife a Llmoeiro d passagem por conta do
Estado, da estaco do Brum a de Alagda S-cea,
a praga de policia Zacharias Jos do Nascimento
que destaca paraGoyanna, providenciando quan-
to ao transporte do tardameato que ella por ah
conduz.
BXPBDIB.VTB DO SECRETARIO
Officios :
Ao ebefe da directora da agricultura da
secretaria da agricultura commercio e obras pu-
blicas. Bogo que vos dignis remetter a esta
secretaria alguns exemplares do relatorio da
commjsso encarregada de estudar a diffuso
applicada canna de assucar. apresentado ao
conselheiro Rcdrigo Silva por Pedro de Carvalho
P^es Leme presidente da referida commisso, e
bem assim oulros do esludo da fabricaco pelo
processo da diffuso da Usina Duquerry emGua
delupe organisado pelo engenbeiro Luu Castilho
alim de serem dstnbuiJos a alguns agricul-
tores d'este Estado que pretendere explorar sse
processe.
Ao mesmo.De ordem do marechal gover-
nador do Estado envi vos quatro exemplares
impressos do relatorio com que o cidado Baro
de Caiar passou a admioistraco d'este Estado
ao cidado conselheiro Manoel Alves de Araujo
no dia 17 de Jultio do anno passado
Ao inspector geral da instrueco publica.
O marecbal governador do Estado manda com
municar-vos que no requarimeato da professora
Julia liara Caldas Rocha, sobre o qual versa a
vossa informacao n. 57 de 31 de Janeiro lindo,
proferto hoje o seguinte despacho :
Subsiste a portara de Novembro de 1889,
em virtude da qual foi prorogada por 30 dias a
licenca que obtivera a peticionaria. Facam-se
as davidas communicaedes. *
Mutatis mutand ao inspector do Tbcsouro
do Estado.
Aos ageotes da Companhia Brazileira de
Navegago.O marecbal governalor do Estado
ficou inteirado por vosso officio de hontem d
haver chegado, s 6 horas da uianbS, dos portos
do norte o vapor Maranhao, o qual seguir hoje
para os do sul, s 5 horas da tarde.Commuai-
couse directora do commercio.
- Ao director gerente interino da Companhia
Pernambucana.Df ordem do marechal gover-
nador do Estado aecuso o recebimento do officio
de hontem, no qual communicastes que a viagem
do vapor Ptrapama aos portos do none tica trans-
ferida pasa ainaiib, em censequeocia de eo-
commendas de merca lorias solicitadas pelo va-
por MaranhSo
Ao Dr. propiotor publico da comarca de In-
gazeira. O marecbal governador do Estado, in-
teirado do assumoto de vosso officio de 26 de
Janeiro Hado, recommeodo-vos qje enviis para
esta repartico a certido de vosso exercicio.
Ao Dr. promotor publico da comarca de
Floresta.O marecbal governador do Estado, in
teiraio do assumpto do officio de 18 de Jaaeiro
fiado, recommeodo vo3 que remettaes para esta
r -partjgo a certido de vosso exercicio.
Ao vigario dafregiezia de Nossa Seobora
di Saade de Tacarat Manoel Simplicio do Sa
craniento. O marecbal governador do Estado
maHda ii-'cLirar-vos, em soluco ao vosso ufli io
de 12 de Dezembro do aono pausado, que. as con
tas da quaotia recebida oo Tnesouro do masruo
Estado para as obras da matriz d'essa freguezia
devem ser prestadas ao dito Thesouro, oos ter
mos dos arN. 234. 238 e 239 do regulamento de
2 de Julho de 1877. .
Ao presidente da Intendencia Municipal de
Bexerros.O marecbal goveruador do Estado
manda commu.jicar vos que tca sciente do as
sumpto de vo;so officio de 26 de Janeiro nado,
relativo deslgnago do da para a oosae dos
membros do consclho de ioteodencia d'esse mu-
nicipio.
I
Por e9tecretaria se publica, de ordem do
marechatfp campo goveruador d'este Estado, o
edital iafrada secretaria do goverao do Estado
da Paranjfc, abrindo concurrencia por espago
de 90 diaWpara apresentagSo de propostas re-
fe reutes;4%cala de vapores transatlnticos pelo
porto daCabedello, no dito Estado.O secreta-
rio, Antonio Ignacio de Maquila Neres.
Opia.J*or esta secretaria se faz publico, de
ordem dOHiiado governador do Estado, para
coahfiriiMato de quem interessar possa, que
dentro ftigjraso de 90 dias, a contar d'esta dala
se cc:.itaaipropostas para que os vapores trans-
atJpni,itoam escala pelo porto de Cabedello,
oeste raefllo Estado, de menos una vez por
o as referidas piopostas, que sero
contracto, celebrado com quem me-
as offerecer, copter as condigOes e
houverem de accetar os respecti
les.
do Governo do Estado da Parabyba,
neiro de 1890.-O secretario Epitacio
o.
mez,
redB
lhor
clarjsul
vos n
Seore'
em 27 de1
da Siha
EM
DIA
A'iaixo
ibo coma,
dirmto da.
muaif
PM
entrega
INTO AOS DESPACHOS DO
3 DE JANEIUO DB 1890
signados d-j moradores em Caobo
de S. Bento.Informe o juiz d
comarca de Beato oaviado o ju:z
, promotor publico.
Igusto Fraakto Moreira da Silva.A
ucSa u. qaautia de que se trata facaltativa
e nao a permitte o estado precario dos cotrej
publico.
Anto*iaTJo3 Moreira0 supplicaote deve
provar qu a casa n. 2 do becco do Pocinbo nao
melhor^rije condigo nem pro lirio ni a i r ala
guel quarlo foi elevada a decima no exercicio
del880ai88l.
AntoalflOlo Carmo Almeida.Requeira pelo in
teresse dajempreza quem de direito, visto como,
seguada a clausula 5.a do contracto de 11 de
DezembMgde 1385, celebrado entre, o reque
reote e Jos Leopoldo Bourgad, s a e3te ou ao
sea procurador cabe requerer aos poderes pu
blico. *#
Grispiado Amaral. informe a commisso
encarregaaa de rever orgamento. ,
Clau lio-Dubeux.Como requer.
Companhia de Beberibe.Encamui/i se de
veudo ser pago o porte no correio.
Caudido Firmino de Mello Leito.Informe o
inspector do Thasouro.
D:mqges Jos Ferreira 4 C Eocaminhe-se
devendo os supplicantes pagarem o porte Ba re-
partig dos correios.
Dcmetno Carueiro Rodrigues Campello.
Quant ao oagameoto de 8OUO, cumpra o des
pacho de 20 de Dezembro. Quanto ao levanta
mente da fiaaga deferido com o officio de hoje a
Tbesonraria de Fazeoda.
Eulalia Mara de Almeida Siotos e AntOHia
Oljrapia fellez.Inf rme o director do Arsenal
de Guerra.
Flor^w* Joaquina de Mello Moateoegro
Bondyfq^ eowdaiffto encarregada de .rever o
orgamento de Estado.
Francisco H. de Araujo Lima.Passe portara
acceitando a desistencia.
Francisco Jos de Araujo Mello.Complete o
sello.
Galioo Jos da Silva.-O peticiouarto deve
dirigir o seu pedido ao Mioisterio da Guerra a
quem cabe resolver. .
Juventina Amelia Carneiro de OiiveiraRe
mettido ao inspector do Thesonro do Estado
para attender nos termos de sua informacao
o. 83 de 27 de Dezembro ultimo.
Joaquim de Souza Vianna Ferreira.Nesta data
sobmetto ao conhecimeoto do Ministerio da
Guerra o pedido de que trata o peticionario.
Jos de Mello Albuquerque Montenegro.Re
mettido a Intendeocia do Recife para proceder
como eoteader melhor.
Jos Antonio de Almeida Cuaba. Nao ha o
que deferir, visto o acto de 26 de Dezembro de
1889 que coaservou o peticiouario ao lugar de
director da secretaria da extiucta Assembla Le
gislatrva Provincial.
Jos Elenterio de Azevedo.Maoteoho o des
pacho exarado u'esta data em outro requer
melo do peticiooario sobre ideolico pedido. _
Jos Eleuterio de Azevedo.Aguarde decisao
do tribuoal competente sobre umaaccio propos-
ta pelos negociaotes Heorique burle C contra
a extincta Cmara Municipal do Recife e o peti-
cionario, pelo extravio de 272 couros vendidos
pelo marchante Souza Fradque aquelles neg
ciantes. .
Joo Patricio Raogel -Aprsenla o peticiona
rio no Thesouro do Estado os attestados dos alo
gueis 'da casa de que se trata, alim de serem
MK0B.
Julio Clemeotiuo de Camargo.Ao Dr. chefe
de policia para ioformar.
Joao Fraacisco do Rosario.Ao Dr. chefe de
policia para informar. .
Jacintho Leopoldioo da Silva. -O peticiooario
s poder ser attendido pelo Ministerio da Fa-
zenda n .
Senborioba Amelia Gomes.O menor foi ad
mittido na escola de aprendizes marioheiros por
ler sido para esse Hm apresentado pela peticio-
naria, como se v do officio do Dr. chefe de po
licia le 11 de Juoho de 1889, dirigido ao com
maodaote da escola de apreodizes .marioheiros
Theoriilla Augusto de Figueiredo.- Venha por
intermedio do D:\ chefe de policia.
Thomai Lins Caldas. Opportunamente se
mandar continuar a obra.
Dr Vicente Ferrer de Barro3 Wanleriey
Araujo.A petigo de que se trata foi eocami-
nhada ao Ministerio da Fazenda em 8 do cor-
rente. ,
Jjo Bernardo Late.Ao inspector especial
de ierra: e colonisago para informar.
Joo Biptisia WanderleyInforme ojuiz de
direito da comarca de Palmares.
Manoel Gongalves Agr.Informe o inepector
de Thesouro ao Estado.
Manoel Theophito de Araujo Lima. -Iuforme o
engeoheiro fiscal da estrada de ferro do Recite a
Ulinda e Beberioe.
Miguel Correia de Queiroz Barros.Nomeie-se.
Prenle Viaona k C.-Informe o-dvctor do
Arsenal de Guerra.
Valentim Ainncio Ferreira.-Informe o ospe
ctor do Thesou.-o'do Estau'o.
DESPACHOS DA MCRKTABIA DO GOVERJi,
UO ESTADO DE PKEKAMBDCO, 14 DB JA-
NEIB,'.) DE 189U
Antonio Jos Bruno. -Ioforme o iospector do
Thesouro do Estado.
Dr. Albioo Gougalves Meira de Vascoocellos.
Informe o uispe;tor da Thesouraria de Fa-
Constantno^Alves da Silva.Nesta ri>ta suh-
metto ao conhecimeoto de deciso do Ministerio
Ja Marinha o pedido de que se trata.
Domiogos Aui-tricliano Mafra.Informe com
urgeucia o Sr. iospector do nrseoal de Ma-
rinha.
Felippe de Si Albuquerque.Iaforme o ci
dariodirector das obras publicas.
Gustavo Eroeslioo da Cuoha Galvo."oocedo
tres metes. '".
Hermeliudo de Albuquerque MelloInforme o
director' d .secretaria da extincta Assembla
Legislativa.
Hermilla Lydia Alcoforado de LimaRequei-
ra por intermedio do inspector geral da instruc-
go Dublica.
Ignacio Francisco de Barros Leite. -Aguarde
o concurso.
Ildefonso Marioho de Araujo.O regulamento
d*- 18 de Janeiro de 1888 exige o coocurso para
o provimento das cadeiras de ioslrucgo prima-
ria.
Padre Joo Jos do Espirito Santo.Alm de
nao ter o | 49 do art. 2 da lei o. 2,009 marcado
quota para as obras de que se trata, accresce
que as circumstaocias financeiras dos cofres do
Estado no permittem que se use da autorisago
contida oa mesma lei.
Joo Baptista de Vas'oocellos.-O estado ef-
feclivo do cqrpo de policia est completo.
Juvpoco de Oiiveira FrancaComo requer.
Jos Joaquim Alves & C Sim.
Luiz Neubases.informe o inspector do Arse-
nal de Marinha.
Maria Francisca da Conceigo.Sim, pagando
as comedorias.
Miranda 4' Souza.Remettido ao director do
Arsenal de Guerra para attender.
Maria Jos Pessoa Ayres.Informe a juata
medica do Estado
Maria da Couceigo Paes Barreto.Informe o
director da Colonia Isabel
Capito Manoel Duarte Vieira. Ioforme a C-
mara Muoicipal do Cabo.
Manoel Jos Vieira.-Informe o jaiz de direito
da comarca de Palmares.
Pedro da Cos'a Cabral-Iforme o inspector
do Thesouro do Estado.
Res & Santos.Como requer
Salastiaoo das Chagas Lobato. -Nao ba que
deferir.
Tito dos Passos Almeida Rosa Filho Iofor-
me o iospector do Arsenal de Marinha.
Tiburtino Jos dos Santos Sim.
Bacharel Vnlpiaoo da Cuoha Reg.Deferido
com officio de hoje Thesouraria de Fazenda.
O mesmo. dem.
DESPACHOS DO DIA 21 DE FEVEREIRO DE
1890
Augusto Guedes Correia Goadira.Ao Dr. jaiz
de direito da comarca de Itamb para informar.
Antonio. Jos Bruno. Ioforme o iospector do
Thesouro do Estado.
AdelaHde Rosalina Bitteocourl Barbosa. Ia-
forme o iospector do Thesoaro do Estado.
Cnriolaoo Herculano Paes Brrelo.Ao Dr.
chefe de polica para ioformar.
Francisco de Hollanda Cavalcante de Albu-
querqueEstaado a obra examinada e teodo si-
do recebida definitivamente em 10 do correte,
snlicie o supplicaate o rngamento do valor da
rosponsabilidade do estylo. visto ter-se lhe pas-
sado o devido certificado pela repartigo com-
petente.
Flix Gomes Ferreira.Ao Dr. chefe de poli-
cia para informar.
Jos Carlos Vital.Sim, com recibo.
Joaquim Pereira Borges.Indeferido, vista
da inhrmagad do eogeoheiro director da repar-
tigo da conservago dos portos.
JjjianQJi Carol i ni de .AraojsJFigueiredo.In for-
me o regedor do (>vmnasl'peroamDrfl5rno. "*
Jos Braz da Silva.-0 lagar de pharmaceuti-
co do presidio de Fernando de Noronha est
prvido.
Manoel Jo Giogalves Braga.Iaforme o in-
spector do Thesouro do Estado.
Maria Lins Cavalcante de Almeida Juote os
doenmeotos a que alinde o rt. 9 do regula
ment de 30 de Setembro de 1887.
Marcellino Santiago Leito de Vascoocellos.
Informe o director da olonia Isabel.
Manoel Severino deLim*.Dirija se. queren-
do. ao commandante do corpo de policia; nao
ha lugares vagos.
Numeriano Augusto de Mello.Ioforme o io-
spector do Thesouro do Estado.
rrei Paulino da Soledade.-Ioforme o iospe-
ctor da Thesouraria de Fazenda.
Secretaria do governo do Estado de Per-
nambuco, 22 de Fevereiro de 1890.
O porteiro,
H. M. da Suva.
(Repartido da Polica
2.* seccao.N. 42.Secretaria de Po-
4cia do Estado de Pernambuco, 22 de Fe-
vereiro de 1890.
C dado participo-vos que foram hootem re
colhi dos Casa de Detengo os iodividuos de
nomes Antonio Bezerra Nogueira, conhecido por
Cassaco, Gaudencio Alves Teixeira, Joo Coelbo
de Meodciga e Francisco Manaoho de Arauj J.
Foi tamb m rerolhido o sentenciado militar
Heliodoro Loareoco, remettido pelo iospector do
. rseaal de Mariana.
landei hoje para o Arseoal de Guerra, abui
de serem iautii\sad03, 9 grauadeiros, 5 pistolas
e 2 revolvers appreheodidos diversos desor-
deiros.
Nesta data recommeodo aos delegados, chefes
do servigo policial em seus termos, que fagam
seus subalternos eotrar em exercicio dos cargos
respectivos, pois e do eoucurso de todos que ha
de resultar vautagens ao servigo.
Teudo pela mobilisago da forga policial, ten
tidj por meio da distribuigo regional, mais
elementos de aegao as autoridades locaes, re
commtndo-lhes que agilemse de modo a impe-
dir a vagabundagem, a prohibir essas caravanas
de ciganos. que verdadeiros bohemios prcor-
rera os municipios em lodos os sentidos furtan-
do trocaodo cavallos, veodeodo corsas inuteis
e na geoeralidade armados.
Devem os delegados, de accordo, em sua res-
pectiva regio policial auxiliarem-se no servigo,
de modo que em casos urgentes possam concaa-
trar forgas,de8locadas dos.destacameotos e orga-
uisarem temporariamente partidas volantes para
os Has policiae8, como sejam prender crimijo-
sos, dispersar reuoibes illicits, apprebeoder ar-
mas deiezas e coagir vadios ao irabalho, a to-
ni'arem ama oceupago deceote qualquer.
Ootrusim, recommeodo aos delegados que se
absteoham o mais possivel de intervir em as-
suuiptos de diieiio privado, ae immiscuirem-ce
eui que.iOes oe ierras, como abusivamente teem
alguns paticado, com queixa justa de'pacien-
tes.
Todos conbecem o rgimen agrcola deste Es
ta io, que faz do iraoaihador um quas-i servo da
gleba e nao justo que o fuacr-iouario policial,
principalmente o Kildado de policia, seja
transformado em cobrador de foro- ou em ofb-
cial de justica para execugo de despejos : ou
ta a iiiissao ua polica.
Continuo a chamar a attengao das autori
dides poiiciaes pa.a o cot".udo das seguales
circulares expedida? por esta repartigiio :
De 17 de Dezeuibv- _d.. recaaimendinao
que uj consio am que sejam apprcheadidas e
prohibidas quaesijuer pu dieas*" diarias ou pe
riodteas, nem perseguidos os seus distribuidores
ou vendedores, deveodc, nos casos, excepcio
naes oa dDusivoa, agualdar ordens expressas
desta i beMura.
'f- 22 do mesmo mez. roc-mmendaodo qae
ie'h .m mu'to em adeiiciio a? diaposicea u
ar s. 203 e 209 da le o. 1 1:9 oas po.-iuras mu-
oicipies, empregaodo todas as dilgeocias n-
cessarias par* appreheosao das armas defezas,
sendo os seus possuidores puoidos rigorosamen-
te de accordo com a lei.
De 22 de Janeiro do corrente anno, no sentido
de promoverem par todos os meios a repressid
da vagabundagem, obrigando os vadios e vaga-
bundos a terem urna profisso decente e licita e ,
fazendo os que a sso o5o se sujeilarem, a as-
signarem termo de bem viver para serem rco-
Ihidos cadeia no caso de infraego,
De 31 do referido mez de Janeiro, recommea-
dando que provideociem oo seotido de serem
os meodigos e especialmeote os cgos recolhi-
dos ao Asylo de Meodicidade ou outro qualquer
eslabelecimento a cargo da Santa Casa de Mise-
ricordia, impediodo que dilos mendigos andem
a esmolar pelas ras e pontes desta capital, sal-
vo aquelles que forem portadores de um carto
foroecido por esta repartigo aos que se acha-
rem em coadiges de implorar a caridade pu-
blica.
Da mesma data cima, recommeodaodo a ap-
preheosao de lodos os menores encoolrados em
abandono, afim de serem eotregues aos jnizes
de orphos para dar Ibes tutor e oceupago.
De 12 lioalmeote deste mez, em additameoto a
circular expedida em 22 do mez findo, chaman-
do a atteago para diversas disposigoes do C-
digo do Processo acerca da vagabuodagem e do
modo de proceder coaira os mesmos.
Nesta data propooho para subdelegado e .
suppleotes do districto de Cachoeiricha do ter-
mo de S. Beato, os cidadaos Joo Elias de Mel-
lo, Jos Rodrigues Jacobioa, Ricardo Fraocisco
Teixeira de Pauia e Luiz salostiano dos Santos
Para delegaoo do termo de Triumpbo propo-
nho igualpente o cidado Izidoro Ivo da Silva
Mascaren has.
Sade e fraternidade Ao marechal
Jos Simeao de Oiiveira, mui digno go-
vernador provisorio do Estado de Per-
nambucoO Chefe de policia, Antonio
Antunes Ribas.
Thesouro do Estado de
Pernambuco
DESPACHOS DO DIA 21 DE FEVEREIRO DE
1890
Portara de licenga de Antonio do Reg Bar-
ros Henry Forster C, officio do ajudante do
procurador fiscal de Itamb.Ao cidado Dr.
contador.
Officios do director das Obras Publicas, sob o.
14, contas do commandante do corpo de policia
referentes ao mez de Janeiro ultimo.Haja vista
ao Dr. procurador fiscal.
Jos Carneiro de AndradeDirija se ao cida-
do commandante d corpo de policia
Modesto Florentino Hermeto dos Sautos Car-
valboD se.
Joo Googalves Coimb-aIoforme o cidado
admioistrador da Recebedoria.
Antonio Duarte Machado. Ao administrador
da Recebedoria para cumprir o despacho da
Junta.
Jos Piauhylioo Gomes de Mello, Americo de
Audrade Alonada, major Sebast:o Aotouio do
Reg"Kulunitc, Companhia Hcroambucuna de
Navegago Costeira por Vapor, capito Joio Cli-
maco Correia de Araujo, officio do collector da
Escada. idem do regedor do Gymnasio Pernam-
bucauo, idem do commao Jante do cerpo de po-
licia sob o. 154, Seixas Irmos, officio do com-
mandante do corpo de pelicia sob o. 248.Ao
cidado Dr. cootador.
Aotooio de Medeiros CarneiroInforme ao
administrador da Becebedoria.
Francelina Sabina do Monte.A' secgo do
Contencioso para fazer as precisas notas.
Companhia de Santa Tbereza.Nao pode ter
lugar o que preteode o peticiooario em.vista das
ioformages.
Officio do iospector da Iostrucgo Publica sob
n. 26.Ao cidado Ihesoureiro para os devidos
flos.
Teoeo te coronel Laodelioo Maooel de Azevedo.
Haja vista o Dr. procurador fiscal.
Recebedoria do Estado de Per-
nambuco
DESPACHOS DO DIA 21 DE FEVEREIRO DE
1890
Aotooio de Souza Cabral, Jos Bayrauado Pe-
reira Bello, vigario Joo Augusto do Nascimeot
Pereira, Maooel Jos de Magalbes e Victorioo
Domiogos Alves Maia.Ioforme a 1* secgo.
Jos Torres Campos de MedeirosInforme o
cidado chefe da 1 secgo.
Lucio Jos de Albuqoerque Mello.A' 1* sec-
go para cumprir o despacho da Illma. Junta do
Thesouro.
_ 22-
Joo Gongalves Coimbra e Joo Ferreira & C.
A' 1,' seccao para os fios devidos.
AndrAffonso Isabel Certifiqese.
-WSSSPy^W-----
Inspectora geral da Instrueco
publica do Estado de Pernam-
buco.
DESPACHOS DO DIA 22 DE FEVEREDJO DE
1890
Luiz Gonzaga de Moraes Jnior.Eocami-
nhe-se.
Guilherraina Maria da Conceigo Padilha.
Sim, mediante recibo.
Amali' Prudencia Alves de Lima. -Eoc-.mi-
nhe-se.
INTERIOR
SUL IX) BItAZIL
Pelo vapor costeiro Principe do Grao Para, eo-
trafio hootem do sul, tivemos as se^iuintes ooti-
cias :
Kslaiio de sergipe 9
Datas at 16 de Fevereiro : ._____,
Regresara a 12 de sua excurso a Laraogei-
ras o governador Dr. Felisbello Freir.
O Estado de Sergipe assim descreve sua recep-
go n'uquella cidade : .
S. Exc. apoitou aquella cidade as b l/z no-
ras aa manh, seudo recebido uo porto de
desembarque por graude massa de povo.
. Havia eotliusiasmo da parte da.nonulagao,
que se mamfestava chsia de regosijn pela visita
d'aquelle que por tactos aonos a honrou com
a sua conviveocia.
Girndolas e girndolas estrujara os ares,
obscurecidos pela densidade do fumo dos fo-
gactes.
S. Exc. foi levado at a casa em que ho3pe-
dou se, serapre acompanbado pela muhido de
povu. que mais e mais se engrossava.
Lauto jantar foi Ibe offerecido em casa do
Sr. capito Antonio Narctso. .
A' noite, na Crsa ua intendeocia municipal,
te ve logar um espleodido baile, que demorou-se
a' 4 i.-2. horas da madrugada debon-em.
- a Uda folha, de 13, d esta noticia :
O lUntie governador do Estadw reuni hon-
tem no palacio de sua residencia diversos capi-
taiistas, possuidores de apolices da divida pu
blica geral.. para o fim de tratar da orga.iaagao
; '
m
^-j



'
t- -

i
i' -
-
; -
f.

-i
I
i






2
Diario de Pernambtco-Domingo 23 de Feyereiro de 189&
i


-------------------------------* i
de um banco de emisso para este Estado, sob
as bases decretadas na ultima le que rege estes
estabelecimentos.
Exposto o lii da reuaia, S. Exc. declaran
que ia inlerpor o sen vamenlo'perante o go-
Temo provisorio, pan que se poaesse-leva**
effeito a idea da creago d*-um binco eai Ser
gipe, abrindo se para este Estado urna excepeo
igual a que se abrk para S. Paulo.
Tratndose de iniciar a subscripoao do ct
pital preciso, foram obtidas asgnaturas no Ta
lor de 157:000*000, sobretsahindr entre ellas as
tosQ^Fonseca 40:000*000
Baro de Aracai 30000*000
Antonio Gomes de C. 22:000*000
Lucindo do Prado 20:000*000
Jos F. Passos 10:000/000
Correram em paz as [estas do Carnaval.
__Noticias de Iiabaiana dizem ser horrivel a
miseria da populago.
Sobre isso escreveu a citada folha :
A agua escasseou completamente, e a pouca
que se encontra, ainda de pessima qualidade,
apanhada 2 e 3 leguas distante.
A popultco do interior esta se alimentando
com raizes de paos e mel de cabata, que custa a
carga IOOOOl- .
. E- urna situaco deploravel esta, para a qual
chamamos a attenco do honrado governador do
Estado, pedindo que lance suas vistas para a po-
pulacho dos centros que esta a morrer de sede e
fome.
Estado de alagoas
Datas at 21 de Fevereiro :
Correram em boa ordem as festa3 do Lama-
val, que foram muito apreciadas. _
- Em Anadia fallecer o tabelliao e escnvao
de orphos da cidade de Pi de Assucar, Baldo
mero Pereira de Carvalho Gama.
CORBBSPOiWKClAS
Do Di arlo
FERNANDO DE NORONHA19 de
Fevereiro de 1890.
Ao meio dia de 17 de Janeiro, ancorou
no porto de Santo Antonio o vapor Una
da Uorapanhia Pernambucana, cnduzindo
tres Srs. empregados da Alfandega e 2
mar.uheiros, para verificarem a descarga
dos roateriaes vindo da Europa, para a
mpreza exploradora do phospbato de cal
da ilha Rata, os quaes recolheram se a
dita ilha, e mais 18 pracas de linha escol-
tando 54 presos civis e 2 militares; sen
do aquelles recolhidos Aldea, e estes
fortaleza dos Remedios.
O referido vapor regressou para essa
capital a 20 daquelle mez, e nelle foram
20 sentenciados que concluiram suas sen
tencas, escoltados, por pracas. e maisfilhos
e mulheres, e indo entre estas 4 que ten-
do vindo no supradito vapor, a titulo de
casadas com os presos, illudindo assim a
boa f do governo do Estado de Pernam
buco, foi aqui verificado nao serem taes,
mai que vieram at:az da fortuna.
No dia 16 de Janeiro cahiram as primei-
ras chuvaB, prenuncio de invern, e no
dia seguinte deu se principio s primcira-
plantacoes de milho, feijao e mandioca,
visto estarem promptos todos os rogados
nacionaes. Tenao, porm, cessado as
chuvas, para voltarem em pequeas quan-
tidade ; aconte ceu perder se bastante semen-
te. A inconstancia das estacles e com
ella a escassez dos inverno3 de 87 para
c, tm feito com que as colheitas nos
annos precedentes tenham sido quasi ut-
as. At aprsente data tem se plantado
1,231 tijellas de milho, 10 de feijao e
50,000 roletes de manivaa, tudo de pro-
dcelo da ilha.
A's 2 Ii2 horas da manhS de
rente mez, aportou ao presidio
neira de guerra Liberdade, que
viagem de instrucgiio e deixou 10 presos,
apoeiras remettidos dessa capital. Em
Janeiro vieram 59 capoeiras do Rio de
Janeiro, enviados pelo governo central,
no transporte de guerra Madeira.
O movimento do presidio no anno de
1889, foi o seguinte :- ?opulao3ono
dia Io de Janeiro era de 1,963 pessoas;
vieram para o presidio 10 empregados
civi8, 4 mulheres, 14 filhos, 4 criados, 5
9 do cor-
a c;inh >
veio em
aggregados, ti officiaes, 3 mulheres, 13 fi-
lhos, 5 criados ; 176 pracas de pret, 10
mulheres e 17 filhos ; 15 mulheres casa
das com sentenciados, 7 n2o casadas, 32
filhos, 4 aggregados e 153 sentenciados.
Nasceram: 1 filho de oficial, l de
praca de pret e 17 filhos de sentenciados.
Retiraran] se para a capital: 7 emprega-
dos civis, 2 mulheres, 5 filhos, 1 criada
e 5 aggregados; 6 ofHciaes, 2 mulheres,
8 fil s, 2 -eados, 179 pracas de pret, 21
mulheres, 35 fihos ; 16 mulheres casa
das de sentenciados, 11 nao casadas, 34
filhos, 7 aggregados e 1 sentenciada.
Falleceram : 2 mulheres casadas de
sentenciados, 1 nao casada, 9 filhos, 1
aggregada e 77 sentenciados.
Pelo que, ficaram existindo no dia Io
de Janeiro do corrente anno de 1890:
civis: 13 empregados, 9 mulheres, 25
filhos, 3 criados, 3 aggregados; milita-
res : 5 officiaes, 5 mulheres, 13 filhos, 3
criados, 69 prajas de pret, 108 mulheres,
16 tilhas casadas de sentenciados, 40 nao
casadas, 34 filhos e6 aggregados, 1,161
sentenciados e 25 sentenciadas, total: 1849
peosoaa-, menos 114 do qte no anno de 1888.
Ammaes de dominio nacional: em 1
de Janeiro de 1889, existiam 921. Nas-
ceram : 6 bezerros, 102 borregos, 159 ca-
britos 15 burros. Vieram da capital :
133 bois, abateram se para consummo da-
enfermaria 93 bois, 10 novilho, 1 vacca,
48 ovelhas, 48 borregos, 11 cabras e 86 ca
britos.
Morreram : 52 bois, 8 bezerros, 2
novilhos, 15 vaccas, 1 carneiro, 13 ove-
lhas, 72 borregos,, 22 cabras 130 cabri-
tos, 2 burros e 9 cavallos. Venderam-se
aos empregados 22 cabritos.
Ficaram existindo no dia Io de Ja-
neiro de 1890: 3 touros, 4 bois, 6 be-
zerros, 33 novilhos, 32 vaccas, 4 carne-
ros paes, 159 ovelhas, 133 borregos, 4
bodes paes, 79 cabras, 109 cabritos, 1 ju-
mento, 21 burros, 34 cavallos, 2 poltroneas
e 20 egnaa. Total: 644; menos 277 de
que no anno de 1888.
Os particulares, abateram e expozeram
a vinda os seguintes animaes de sua pro
Sriedade : 18 carneiros, 3 ovelhas, 47 be-
es, 49 cabras, 78 poicos, 73 porcas
Total : 268.
Predios : Existem no presidio os se-
guinte., nacionaes: 54 de pedra e cal co-
bertos de telha, 25 cobertos de zinco, 3f
cobertos de palha; de taipa cobertos de te-
lha 3, e cobertos de palha 94 e de adobes
cobertos de zinco 2. Particulares: de
pedra e cal cobertos de telha 56, de zinco
20 e de palha 251, de taipa cobertos de
palha, 104, de adobes cobertos do zinco 1,
cobertos de palha 130. Total 774.
Os pescadores dos empregados civis e
officiaes da guarnigo, pescaram em todo
, 169 cambubas, 8 voa
34 chiras, 268
e 1 sirigado.
gara-
Total
o anno : 653 agulhoes, 23 albacoras, 2,772
bicudas, 2,445 charos, 26 chareletes, 183
cacSes, 119 gatos, 52 gallos. 2,80 gara
jubas, -13 moras, 11,539 piraunas, 520
pirambus, 493 piras, 225 pargos, 1,182
vermelhas, 3 eavallas, 445 cangulos, 575
mariquitas, 8 raas
dores, 5 cara unas,
paos, 5 dourados
24,240.
Os presos pescaram para sustento de
suas familias e para venderem na palhoca
aos companheiros: 47 agulhoes, 4 albac
ras, 302 bicudas, 1,795 charos, 14 cha-
reletes. 3 cacSes, 9 gatos, 9 gallos, 18,476
garajubas, 8 moras, 1,028 piraunas 577
pirambus, 218 vermelhas, 14 polvos, 1
raia, 125 ubaranas, 2,613 saberes, 9 can-
gulos, 25 cambubas e 24 mariquitas, ao
todo 25,240.
- Em roda da ilha e a vista do telegra-
pho ptico passaram os seguintes vaporas
e navios : do norte para o sal, 22 paque-
tes, 41 vapores de carga, 16 galeras, 33
barcas, 3 brigues, 12 lugares, 4 patachoj.
Do aul para o norte, 24 paquetes, .36
vapores de carga, 5 galeras, 31 barcas, 4
lugares, 6 brigues e 5 patachos. Total 242.
Os pluvimetros collocados em diversos
pontos aa ilha, desde 1 de Abril, recebe-
ram at 31 de Dezembro, 490 milmetroa
d'agua de chuva.
Existem na ilha es seguintes arvoredos
fructiferos: 52 amendoeiras bravas, 5,487
bananeiras (que nao d3o frncto porque
cortaram-se no anno passado para os ani-
maes) 3,783 coqueiros (a maior parte dos
quaes nao dao tractos por causa da secca
de quatro annos seguidos) J carnaubeiras,
1,092 cajueiros (porque os grandes mattos
que existiam mandados plantar pelo coro-
net Alexandre, quando commandante, fo-
ram destruidos sem necessidade em 188b),
12 castanheiras do Para, 14 cajazeiras, 37
dendezeiros, 43 figueiras, 22 fructa pao,
188 goiabeiras, 44 laranjeiras, 12 limoei
ros, 6 limeiras, 11 mangueiras, 103 ma-
moeiros, 1 macarandubeira, 34 oitiseiros,
246 pinheiras, 49 parreiras, 41 romanzei
ras, 14 sapotiseiros e 2 tamarineiros. To
tal 11,296.
Em todo o anno de 1889 plantaram-se
2,200 coqueiros e grande quantidade de
cajueiros, amendoeiras e castanheiras. A
secca desse anno, porm, nao permittio
que nascesse senao um tergo, ou menos
ainda.
No corrente anno de 1890 j se planta-
ram 3,602 ps de arvoredos de diversas,
qualidades, e tm se arborisado as mar
gens de todas as estradas e aceiros dos
rogados e bem assim os altos de leste, ao
lado do porto de Santo Antonio, cujas
mattas tendo sido, com prejuizo da ilha,
destruidas, tecresce que tem sido causa da
nao attraccao da chuva, de cuja parte vn:
as melhoras e mais certas.
Enfermaras.No da 1." de Janeiro de
1889 existiam em tratamento 32 doentes,
baixaram 681, tiveram altas por curados
623, falleceram as enfermaras (inclusive
os volantes por causa do beriberi), 66 e ti
cavam existindo no dia 1. de Janeiro de
1890 24.
Fra das enfermaras falleceram mais
24 pessoa, entre presos e paisanos.
Doentes na Aldea a juizo medico.Em
1. de Janeiro de 1889 existiam 10, pas
saram a doentes 823, a promptos .931 e
ficaram existindo em 1 de Janeiro de 1890
apenas 4.
No decurso do anno de 1889, deu-se
principio a edficacao de urna nova Aldea,
no logar Dous Irmaos, em Samba Quixa-
ba, cujo edificio de grandes properc5es e
bem edificado ser inaugurado no dia 1.
de Marco prximo.
As respectivas obras estiveram abando-
nadas desde 26 de Agosto at 24 de No-
vembro, sem razio conhecida, e bem assim
a da capella de Nossa Senhora do Rosario,
para os presos, cuja edficacao reclamavam
do governo decahido, o qual mostrou-se
tardo em satisfazel-o, tanto que aqui man
dou um engenheiro planear e orear a obra
e nisto ficou.
Acha se a dita capella, em va de con-
clusao, faltando receber apenas a coberta,
o que tem sido difficil aos presos.
Fez se metade da estrada do Pico,
actualmente em prosecucjio : urna casa e
um armazem de pedra, cobertos de zinco
e de palha, no Porto do Cachorro, os quaes
eram de^esteios somente e cobertos de
palha, eoncluio-sea estrada para o Xaren,
melhoraram-se as outras estradas, abrio-so
urna cacimba em Samba Quixaba, da qual
bebe-se a melhor agua, e concertaram se,
cavaram-se e pintaram-se quasi todos os
predios nacionaes.
Muito e muito mais ter-se-ia e dizer-se ia
ter feito, se nao fra, em primeiro logar,
a falta de regular alimentacSo dos presos,
a qual pessima e mesquinha, e depois -
pouca vontade de uns, a grande compla
cenca de outros e a como que inveja de
alguna.
As colheitas de milho e de feijab no
anno prximo rindo foram quasi nenhumas,
devido a falta de chuvas no tenpo pro
prio.
A do algodao, porem, foi esplendida,
em comparadlo com todas as que tm ha-
vido desde que se cultiva esU planta no
Presidio : porquanto, se at entlo nunca
passou de 35 fardos de 4 e 5 arrobas cada
um, agora excedeo muito dieso, sendo que
no vapor Jacuhype, portad jr desta noticia
seguem 120 fardos.
A safra do carrapato,. que foi grande,
ficou quasi toda no campo, s se tendo
aproveitado a pequea quantidade que
deu para fazer 5 barris de azeite.
Houve em todo o anno de 1889, 23 ba-
ptisados e 5 casamentos, um dos quaes de
um oficial da guarnijao, com a vuva de
um outro oficial.
O movimento do mez.de Janeiro pr-
ximo findo, foi o seguinte :
Alem do 59 capoeiras a que cima me
refer, rieram mais no vapor Una da Com
panhia Pernambucana, que faz a viagem
mensa!, 54 sentenciados, 7 mulheres e 49
filhos; para aqui destacaram mais 2 pracas
de linha, acompanhadas de 2 mulheres e
mais 2 sentenciados militares.
Nasceram, 1 filho de 1 praja da
guarnic&o, e mais 5 filloa de sentenciados.
Falleceram os sentenciados Manoel F-
lix da Paixab e Walcacer Jos Rodrigues.
Na enfermara, existiam 32 doentes,
baixaram 42, tiveram alta 49 e ficaram
existindo 25.
Dea animaes nacionaes nasceram 6 bi
aerm, 4 borregos, 21 cabrito* e 8 burra*.
Morreram: 1 bezerra, 4 ovelhas, 6 bor-
ragosH.'
Abatram'***para csaanmo asia enssr-
mana,^l novilho, 2*velli y 2 hbrrcgoB e
2 cabritas.: .
Vendewaa a mproBBaa.- 1 cabra: a a i-
caram existindo 3 toorosy-i 4 bois, 11 be
Berros, 32. novilhos^c32 vaoeas,at^ carne i
roa, 146 ove haaj. 129. borregas,-*4 bodes,
78 cabras, 128 cabrita-1 jumento, 24
burros, 34 cavallos, 2 potrancas e 20
eguas ; ao todo 652.
Os pescadores dos empregados e offi
ciaes pescaram os seguintes peixes : 30
sgulboes, 52 bicudas, 167 charos, 29 ca-
jSes, 52 cangulos, 2 cirigados,
192 garajubas, 100 niariquitos,
raunas, 99 pirambus, 41 pargos*,
12 raas, 98 vermelhas e 7 ubar
2257.
Os presos am geral pescaram Jp^ra sus-
tento de suas familias, 56 chareus, 2143
garajubas, 20 piraunas, 3 pirambus e 53
vermelhas, total 2575.
Os presos abateram e exposeram a ven-
da na palhoca : 4 ovelhas, 3 poTcos e 6
porca's, total 13.
A' vista do telegrapho ptico passaram
do norte para o su!, 3 paquetes, 7 vapo
res de carga e 2 barcas, e do sol para o
norte, 2 paquetes, 7 vapores de carga, 1
galera, 6 barcas e 1 brigue, totai29
Os pluvmetros recolheram na media,
77 millimetros de chuvas ; nSo ipbstante
foi intenso o calor, pelo que sfcfKram
asphixiados 4 animaes.
Retiraram se do Presidio para capital:
1 aggregado do oficial da guajpicAo, 3
pracas de pret, 1 mulher e 5 filhos, 6
mulheres casadas com sentenciados, 4 nae
casadas, 12 filhos e 20 sentenciados.
A' 14 do corrente mez de Fevereiro,
ancorou b* Porto de Santo Antonio o va-
por Jacuhype da Companhia Pernambuca,
trazendo a seu bordo 12 prajas do 14.
bataihSo, escoltando 33 sentenciados, aos
quaes acompanhavain 4 mulheres e 0
blhos. ^
Regressa o dito vapor hoje 19^;evando
a seu bordo a senhora 1 filha do capitSo
Francisco Teixeira de Carvalho, e bem
assim 12 pracas e 12 sentenciados que
concluiram suas penas, acompanhando-os
4 mulheres e 8 fi:hos.
Na tarde do dia 16 do corrente mez, foi
assentada pelo director major Justino da
Silveira, al.* pedra do Hospital da Con-
ceigo, cujo acto foi imponent*.
A necessidade no Presidio de setelhanto
estabelecimento, geralmente sentida por
todos que all vao ter e pelos quo'visitam
este mesmo Pres dio, sendo para lamentar
que as paseadas admioistraedes no te-
nham njfite ponto cump-ido o seu dever,
s esperando do governo a ordem ; nao
tomando em cousideragao as constantes re-
clainacoes do illustre medico Dr, Car-
nauba.
Presidio vendeu neste mez 530 saceos
de carosos de algodao, 20 de sementes d a
carrapatos e 3 barris de azeite do mesuio
carrapato, produzindo urna renda que vai
j'intar a que produzirem os 120 fardos de
la de algodao, a qual quizeram aqui com-
prar a razao de 50100 os 15 kilos, livre
de toda a despesa para o governu,, j| nao
foram vendidas por estar affoctf TC&e-
souraria de Fazenda poder ou nao vender-
se aqui mesmo ou ser remettida para a
capital, alvitre este que tomou o director
em falta de solucao.
REVISTA DIARIA
B
r, Or^sssiento da Basada u Segundo o pro.
jecto apresentado ao cidadae governador do Es-
tado.dViPernambuco pela commissao incumbida
de revwo orcamento vigente, sao assim orea-
das :
AReceita 3.457:300*000
A despeza 3.400:000*000
Saldo
57:300*000
A receita provm das seguintes fontes :
Impostos de exportaco
Impostos de industrias e profls-
sOes
Imposto de consummo
Impostos de transmissao de pro-
priedade
Impostos diverses
Total
830:000*000
312:000*000
1.229:300*000
178:0005000
908:00000
3.457:300*000
Instruccao secundaria
lostruccao primaria
Auxilios diversos
Obras Pubcas-
Casa de Detenco
Corpo de polica e guarda cvica
IlluminacSo v
Culto
"Thesouro
Recebedora
Alfandega
Collectorias
Pessoal inatictivo
Poblicacoes e impressoes
Juros da divida publica
Kclituiges
Companhia de seguros, confor-
me o contracto
Eventuaes
192:000*000
41:740*000
655:852*300
186:576*574
10.009*000
145:436*440
59:503*200
22:363*564
58:001*920
232:322*720
18:000*000
600:000*000
3:000*000
20:100*000
4.219*816
3.400.000*000
H.YHC4S E G0M1EKCI
5:010*928
9:169*3'*1
9:l69*3il
60:00'*000
39,989*524
Sezundo o relaiono do Bancj Lisoa & a;o
res, coui referencia s operaefies do ann3 finuo,
a cjnta de lucros e perdas aprsenla um gano
liquido na importancia de 213:044*824.
Nese resultado inclue se a quanlia de ,.....
14:941*382, saldo do anno .niterio-; e aatida
do mesmo resultado a de 29:66*690, corres-
pondente 9 despezas geraes,- liquida em saldo
de 203:348*1 '4.
Para avolumar a eonta de lucros concorreu
nao so o bom xito da emissao da segunda se-
ne das ajyOes do Banco, que motivou a aoteci-
pa^io do pagamento das presucoes, mas. para
em tudo ser venturosa a gerencia, at duas sor-
tes de 4:5 as estradas, foram distribuidas ao Banco.
Do referido saldo por proposta da direceo, de
accordo com os es.atutos, fez-se esta distribu-
cao :
Comas em liquidaco
Fundo de reserva
Porcentagem devida a direepao
Dividendo do 2 semestre
Cunta nova
0 dividendo do 2* semestre foi de 3 por cen-
to, mas o annual distribuido corresponde a ? por
cento sobre o capital.
O fundo da reserva acha-se elevado a quanha
de 34V:671*U)3, equivalente a 8 por cento do
respectivo capital.

Em Cajur trati-se de organisar urna empre-
za para a coostruccao de um ramal frreo que,
pariindo aaquella lacalidade, v eocontrar a li-
aba Mogpua em Hocca.
Todas as aeces do projectado ramal j eslao
tomadas, seguudo consta.

O relatarlo do Banco Nacional Ultramarino de
Portugal evidencia um augmento mnito notavel
oas suas transaccoes, pelo expansivo desenvol
vimento que felizmente vo lomando os nego-
cios coioniaes.
Sao de todo o ponto interessantes os esclareci-
mentos e coudices que neste documento se con-
teetn
Os lucros lquidos do anno elevaram-se a
quantia de 193:614*474, para quepropem a se-
guiute applicaco :
Para pmortizaces diversas
Para fundo, de reserva no ultramar
Para fundo de reserva na sede
Para dividendo de 3 00j
Saldo para conta nova
4:135*610
15:000*000
15:* 0*000
108:000*00 i
51:509*2t>4
Quem espera mais ?
>js rupart.rOes postaes da Gri Bretanha, du
rante o ultimo anno, bou re um movimento de
1,555,0)0,000 de carias.
B\ alguma causa, mas nao todo i nos Esta
dos Unidos da America o numero de cartas ex-
Msdidas foi superior era muito repeitavef ci-
fra ingleza.
Isto poslo, segundo as mais recentes estatisti-
cas da unio postal universal, verifica-se que o
servigo resppctivo de varias nages do globo,
faz-se nos Estados Unidos em 44,500 reparti-
ces postaes, na Inglaterra em 15,000 na Alle-
inanha em 11,000. na Fran$a em 6,000, no Japo
em 5 000, na Russia e India ingleza em 4,500
cada urna, na Austria em 4,000, na Hespanlia em
2,600, na Suissa em 1,800, nos Paizes Baixos em
1,300, na Noruega em 1,000, em Portugal em
900, na Blgica em 850 e na Dinamarca em
560.
De um relatorio do director dos crrelos aa
Gra nBrttanha colhe-se ainda que cada pessoa
do Reino Unido recebeu termo medio. 41 cartas,
dos Estadot-Unidos 34, da Suissa 20. di Alle-
manna 16. da Franca 16, da Blgica 15. da Di
namarca 12, da Austria 9, da Italia 6, da Suecja
6, da Noruega 5, da Hespanha 4 e de Portugal 3.
Os rustos e japenezes nao receberam, segun-
do o meamo termo, mas de urna carta por indi-
viduo ; e os indianos igual numero por dnas
pessoas.
O que vai dito aceite-se sobre a boa f da es-
tastca. *
As taxas de exportarlo sao estas : 4 0[0 sobre
o assucar e o algodao; 5 00 sobre alcool, agur-
dente mel, borracha, bagos de mamona, cera
de carnauba, cocos, chifres, ossos, unb.s, ma-
deiras, sola e coarinhos cortidos ; 2 0(0 sobre
courinhos seceos, espichados ou salgados ; 10 00
sobre couros seceos, espichados ou salgados ;
20 0|0 sobre couros verdes; 2*500 por carga de
algodfio, 10* por carga de courinhos, e 4* por
carg.i de couros, que pelo interior forem dirigi-
dos aos E.Uados visinhos.
Os impostos de industrias e protisses abran-
gem : contribuiyes Hxs (tabella A); 50 0|0
sobre o valor locativo das casas de vender joias
no Recife ; 40 0|0 dem das casas e escriptorios
de coramissdes e censignagoes; 30 0(0 dem dos
armazens de fazendas, ferragens, miudezas, esli
vas, drogas, fumo, ca ne, mas^ames, cal de Lis
boa, shipchandlers, e lojas de fazendas. chapeos,
calcados, miudezas, ferragens, movis, louca'
msicas, instrumentos, drogas, selins, livros, pa
pe. c;ra, machinas de costura, relogios, fumo,
estivas, roupa feta, chapeos de sol, etc.; 20 0|0
idem dos armazens de assucar, alfandegados, de
recoiber, de depsitos das casas commerciaes, de
compra e inspeceo de algodao, de sal, de mate-
riaes para construeco, das-fabricas de qualquer
qualidade, dos estabelecimentos nao comprehea-
didos as taxas anteriores ; e 20 0|0 idem das
casas de commercio industria e proftss'O fra
da cidade do Recife.
Os imposto de coasumo sao : 6*000 por cada
ra abatida nos municipios, excepto o de [tam-
b, onde se cobrar 3*000; 40*000 por patente
par-a relalbar agurdente ou alcool paro ou traos
formado em licor, no Recife ; 20*0 0 idem fora
da cidade ; 100 rs. por alqueire de sal importa-
do ; 100 rs. por kilo de fumo em folha ou em
p;300 rs., idea, idem, em corda; 600 rs.
idem, idem, desliado ou picado; 1*000 por cen-
to de charutos e 200 rs. por cento de cigarros;
2000 por cento de charutos eitrangeiros; 1*000
por kilo de fumo eatraageiro em nualquer ouira
fjrma; 10*000 por carga de fazenda, 5*000 pjr
carga de miudezas, e 2*000 por carga de ferra-
gens gneros de estivas ou outro "qualquer
morcadjria de procedencia eslrangeira, recebi-
das pelo interior dos Estados visinhos; 12 /
sobre o valor dos direitos aduaneiros nos des
pachos de tecidos de algodao cr trancado, cal
gados, roupa feita.collarinhos, pannos, peitos de
camisas, chapeos, obras'de seleiro e marcineiro,
velas stearinas e de espermaceti, sabo, perfu
marias, vinhos espumosos, cerveja e ouiras be
bidas alcoolicas e fermentadas, obra3 de ouro
prata ou imiaco, armas de fogo e plvora ;
6|o so^"e os direitos de importaco de todos os
mais artigos despachados para consumo ; e 3 (
sobre o valor olficial das mercadorias iivres de
diroitos geraes de consumo-
Os impostos de transmissao de propriedade
abrangem : 1[, sobre herangai e legados entre
os herdeiros necessarios ; 15"[ de sello de he
ranga de todos os herdeiroa ab mtatato at o 3o
grao; 10o|os^bredoac0e3; 20|o.sobre o valor
dos predios rsticos ou urbanos alienados; 2"|0
sobre o producto dos leilOes ; 1 |0 da transieren
cia de acgOes de companhias e sociedades ano
nvmas; e 2 i0 da transferencia de contractos
com o Estado
Os diversos impostos comprehendem : 50 rei
por tonelada de vapores e navios mercantes! as
cionaes ou estrangeiros, que carreguem ou des-
carreguem no porto, pagos por cada viagem, na
occasio da sabida, excepto as barcacas de me-
nos de 50 toneladas; 2*000 por tonelada de al-
varenga ou canoa de carga e descarga ; 10*000
por dia de effectiva carga ou descarga de navios
e vapores mercantes de mais de 100 toneladas
que atracarem aos caes ; 5*000 por dia em que
nd se eflectuar carga ou descarga ; 5 / sobre
premios de loteras maiores de 200*000; 5 so-
bre os vencimentos dos offiiiaes do corpo do po-
lica e guarda civica, fiscaes de companhias e
emprezas anonymas, e empregados gerae3 que
perceberem porcentagens pela arrecadago dos
impostos do Estado; 10 0/ sobre premios as
corridas dos prados ; 10 ,', de novos e velhos di-
reitos ; 15 7o sobre os vencimentos dos emprega-
dos do Estado aposentados, jubilados e reforma-
dos, e sobre a3 gratifleages extraordinarias de
que gosam os empregados activos ; 20 "/ sobre
a renda dos bens de raiz das cprporacOes de mo
morta; decima urbana, na razo de 10,; cs-
tampilbasido Estado; emolumentos das reparti-
eses do E3tado com o augmento de 30 / emo-
lumentos das patentes da guarda nacional; in-
demnisacr dofardamento das pracas de polica
e guarda civica na razo de 100 ris diarios :
multas por infraccJto ; juros de 9 % pela inde
vida retenco das rendas ; bens do evento ren
da e venda dos proprios do Estado ; restituigoes,
etc.; divida activa; imposto especial sobre os
estabelecimentos para o servico de extineco de
incendios; beneQcios e premios de bilhetes
prescriptos ; auxilio dos cofres geraes ; e calca-
mento.
Releva acrescentar que a commissao, al-
tendendo reclamagoes antigs, eliminou os
impostos sobre saceos e barricas de assucar, os
interprovinciaes, os de dizimo e barreiras, os
addicionaes de 10 e 6 % sobre todas as imposi-
cOes do Estado, e o sobre o valor das bypothe-
cas, dimipnindo atcm d'isso os impostos por to-
nelada de alvarenga. sobre rez entrada e aba-
tida para consumo, e outros.
A eliminacao dos primeiros importa n'uma
reduegao de 685:500*000.
A despeza distribue se assim:
Secretaria do governo 76:580*000
Secretaria da extincta Assembla
Provincial
SecreUria da lostrucgao Publica
Gymnaaio
Escola Normal
Bibliotheca
18:060*000
22:140*000
55:666*666
30:596*800
10:240*000
Intendencia* municipaea Por acto
de 21 do corrente do marechal governador do
Estado, foram dissolvidas as Cmaras Muoic-
paes de Salgueiro. Villa Bella, Leopoldina, Ca-
li rob, Ouricury, Floresta, Boa Vista, Bom Con-
selho, Taquaretinga e Gloria de Goit, e nomea-
do constlbo de Intendencia para cada um dos
referidos municipios, composto dos seguintes
cidados :
Salgueiro
RomSo Pereira Filgueira de Sampaio, servin-
do de presidente, Jos Rodrigues Vieira e major
Jos Matbias Dantas.
. Villa Bella .
Baro de Paje, servindo de presidente, Braz
Nunes de Magalhes e Manoel Lopes de Barros.
Leopoldina
Dr. Miguel Goncalves Lima, servindo de pre-
sidente, Antonio Carlos da Silva Peixoto e Ray-
luundo Ferraz de Gouvea Granja.
Cabrob
Coronel Fortunato Francisco dos Santos, ser-
vi ido de presidente, tenentc coronel Jeronymo
Pires de Carvalho Trapi e major Solonio Soa-
res de Mello.
Ouricwy
Antonio Marinho Falco, servindo de presi-
dente, Elias Gomes de Souza e Raymundo Ro-
drigues Coelho Damasceno.
Floresta
Jos Googalves Torres, servindo de presiden-
te, Fau3to Se-atim de Souza Ferraz e Joao Mili
tao da Silva Barros.
Boa- Vista
Coronel Manoel Jacome bezerra de Carvalho.
servindo de presidente, Jos Cypriano de Amo-
rim e Pasto Manoel Rodrigues Coelho.
Bom Conselho
Coronel Augusto Martiniano Vilella, servindo
de presidente, major Antonio Franci-sco de, Men
donga e capito" Tertuliano Pancracio Villa
Nova.
Tiiqiuvetinga
Dr. Francisco de Faria Crasto. servindo de
presidente, tenente coronel LandeliDO Manoel de
Azevedo e Antonio Barbosa de. Souza Araujo.
Gloria de Gnil
Claudino Pinto da Motta Nunes, servindo de
presidente, ioaquim Alves Barbosa e Vicente
Maria de Hollanda Cavalcante.
Para a de Altinho foi noraeado intendente
Jos Nicoderns de Pontes, em substiluigao do
tenente-corouel Joo Guilherrae de Azevedo Ly
ra que pedio dispensa.
Para a de Limoeiro foi noraeado intendepte
o lenle Jcs Rodrigues Bezerra, em suostitui
gao do capilo Antonio Jos t'estana.
(ummi>u de vuine Em 21 do
corrate o cidado inspector geral da Instru:go
Publica nomeou urna commissao composta do
professor da Victoria e dos Drs. Ehsiario Au
gusto de Moraes e Antonio Osario Ribeiro para
na referida localidades examina:- em 'ortuguez
e anlhmetica Franciso Cintra de Lima, candi
dato ao provimento de oflicios de jusliga
Conrercncla Realisa-se boje, 1 hora da
tarde, a annunciaoa conferencia do illustre IV.
Martins Jnior, acerca da. proclamago da repu
blica no Braj-il. e espetsBunenle em Bernam-
buco.
Banquete-No dia Io de Margo prximo, s
5 horas da tarde, ser offerecido ao cidado Dr.
Jos Izidoro Martins Juaior. pelos seas confra-
des do Club 22 de Julh), um banquete poltico,
que ter lugar no grande hotel Internacional.
Informam-nos que para esse .banquete, alm
de muitos republicanos da capital, esto coovi
dados outros cidados do interior do Estado.
Colonia portuguesa A commissao
central executiva da colonia portugueza deste
Estado, nomeou mais para fazer parte a com-
missao de Anegados e Magdalena, os seguintes
cavalheires:
Bento Domingos Serra e Manoel da'.unha
Brando,
Para a da ra Mrquez do Herval e praga do
Capim o Sr. Manoel Gomes da Cunha e em sub
stituicao ao Sr. Francisco Xavier de Sima, o Sr.
Jo5o Francisco Leite.
E' presidente da commissao da ra do Baro
da Victoria o Sr. Raphael Baptisla Marques Dis,
e nao como ,-alno publicado.
Da comraisao da ra Duque de Caxias mem-
bro o Sr. Joaquim Barbosa Tavares e nao como
sabio.
Becreativa Commerclol Em assem-
bla geral extraordinaria, funcciona boje, s 4
horas da tarde a socieda-.e Recreativa Commer-
ial. para eligo da nova directoria.
renta de Santo Amaro das Salina*
Hoje, na capella de Santo Amaro das Salinas,
celebra se a festa do respectivo padroeiro, coas-
tendo de missa solemne s 11 horas do dia, pre-
gundo o Revd. Manoel Antonio Alvares daCuuba,
e ladainha s 7 horas da noile, precedida de
sermo.
A' tarde, no largo da capella, haver bazar de
prendas e jogos gymoasticoj e acrobticos, es
tandoo mesmo largo ornado e embandeirado. :
A' noite, depois dos actos religiosos, ser quei-
mado na gnnde fogo de artificio, e o largo ser
illuminaio luz elctrica.
.-rbj- Club de Peraamboco-Ama
nh pelo meio dia rene-se essa sociedade spor
tva com o flm de tomar conhecimento de urna
proposta qe interessa a situago tinanceira d
mesma sooiedade.
mnna Esperanea-E' um peridico re
ceme da fabrica de cigarros dessa denominagao
de distribuigo gratuita e cujo 1. numero foi-
nos remettido pela fabrica editora, a qual agra-
decemos o obsequio.
A forma de annunciar os seus productos si nao
nova ou original, tem o merecimento na dis-
tribuigo extensa do peridico de fazel-os geral-
mente conhecidos e ainda com o juizo emittido
sobre elles pela imprensa em apreciago da qua-
lidade dos mesmos productos.
O espirito Yank irradia, e delle se impregna
a fabrica Minha Esperanea. cojos cigarros dessa
marca sao assim preconisados.
Americanismo puro ou os cigarros-Minba
Esperanea.
Sermiei quaremnae -Na actual qua-
resiua haver em todos os domingos s 5 horas
da tarde va sacra e sermo na Ordem Terceira
de S. Francisco de Olinda.
Servico militar E' hoje superior do dia
o cidado' capuae S Barretto, fazendo a ronda
de visita um subalterno de cavallaria, e dando o
2. batalho a guarnigo da cidade e o ofQcial.
Tocam no jardim do Campo da Repblica, das
5 horas da tarde s 9 da noite, a3 msicas do
corpo de polica e do Arsenal de Guerra.
ipresentou se antehontem, por ter con
cluido a licenga cm cujo goso se achava para
tratamento de sua saude. o cidado capifo ajo
dante do 22.a de infamara Jos Joaquim de
Aguiar ; o qual deve estar prompto para embar-
car coa. destino Capital Federal, no vapor es-
perado do norte, devendo por isso ter sido hon-
tem desligado do numero de addido ao 2." da
mesma arma.
Ali8taram se como voluntarios 2 individuos.
Ser amanha superior do dia o cidado ca-
pito Manoel Anselmo, fazendo a ronda de visita
um subalterno de cavallaria, e dando o 2.* bata
Ihao a guarnigo da cidade, o official e o com-
mandante da guarda de palacio, que ser dada
pela forga de artilharia.
Sociedade Iiitterarla 15 de >> ve in-
oro No dia 15 do correte procedeu essa so-
ciedade a eleigo da directoria, no trimestre de
Fevereiro a Abril.
O resultado fot este :
Presidente e vice-presidente-Laurentino Mo-
reira e Paulino Freir.
1:700*00, Secretarios-!0 Elysio de Mello e 2 Auxerici*
6182i0*0O01 V'anna-
.D Orador e vlce-orador Sergio Magalhes e Da-
0 niel de Mello.
ThesoureiroErnesto Ratis.
ProcuradorPedro Ratis.
BibliolhecarioAugusto Wanderley.
Na mesma sesso foi sorteado para o jury his-
trico o personagemCalabar,e foram nomea-
des para a aecasago Redro Ratis e para a de-
fesa Elysio de Mello, sendo marcado o dia dt
hoje para sesso ordinaria, qne deve reunir-se s
horas do costume.
Belotlo do Arsenal de Marinna -
Acaba o Sr. Antonio Jos da Costa Araujo, digno
prossional e proprietario do Regulador da Ma-
rtnha, de contractar com o governo o servigo de
relogio da torre do alludido Arsenal e suas de-
pendencias.
O mesmo Sr. Araojo j era o encarrerado de
igual servigo as differentes vias-ferreas ex-
cepgo feita da de S. Francisco
E agora que acha-se incumbido do relogio do
Arsenal, que sob sua direcgo entendida se pre-
star aos seus fins, deveremos ter urna observa-
gao exacta e d'ahi reguladas as hora-) uoiforme-
mente.
Foi, por certo. um bom alvitre esse que foi to-
mado, e que livra o referido relogio de ser urna
inutilidade.
Club de duibo Na quarta feira. 26
do corrente, funcciona este club, s horas e no
lugar do costume.
Tranafer-ncia provisoriaE' a que
acaba de ter lugar com relagao ao estabeleci-
mento dos Srs. Jos Fernandes Lima 4 C. que
do n. 3 passou para o n. 9, mesma ra Baro
da Victoria.
E' urna deslocago simplesmente temporaria
por ter a casa d'onde se transferio o estabeleci-
mento de entrar em obras.
Becommendacao -O Dr. chefe de polica
recommendou aos delegados dos termos policiaes
que fagam os respectivos subalternos assumir o
exercicio de seus cargo?.
A iotengo do dign chefe de vantagem in-
tuitiva, isto que a ninguem escapa a inconve-
niencia das interinidades e reconhece-se que de
concurso de todos resultar! vantageas reaes
para o servigo com repereussSo proveitosa para
a sociedade.
Menores abandonadosPela chefatura
de polica foi recoinmendada aos delegados a
apprehensao de menores que forem encontrados
em abandono, aHm de serem entregues .os jui-
zes dos orpbos para dar-lhes tutor c oceu-
pago.
Instituto dos Advocados -Faz sesso
amanh esse instituto, no lugar e horas ordi-
narias.
DissldentesRene se hoje s 4 1 2 horas
da tarde em sesso esse club carnavalesco, para
tratar de negocios de importancia social.
Belogio elctrico Na cstago da Brazi-
lian Street Railway Company, ra do Sol, foi
prximamente collccado um re ogio elctrico,
regulado pelo S.\ Antonio Jos da i osta A-aojo.
Es-a pega receben movimento do Regalador da
Martnka, casa de relojoaria d'aquelle senhor,
ra Larga do Rosario, por meio de fio elctrico;
e isio se produzindo por periodos de minutos em
ic.utos, o referido relogio automticamente os
assignala in contuienti no respectivo disco ho-
rario
Cotac5es as do assucar que hontera de-
mos Iiouv entrao as referentes uo branco, que
deve ler se 3*900 a 4*i:00; ao somenos idem
2*80' a 2*900; ao mascavado purgado idea
1*800 a 1*9,0 ; e no bruto idem 1*300 a 2*000.
HonrosoA directoria da >ociedade Unio
Republicana, fundada no Rio Grande 'o Sul, e
de que fazem parte as principaes notabilidades
polticas e luteranas d'esse Estado, dirigi
nossa patricia D. Mana Amelia de Queiroz o se-
guinte honroso cilicio:
LiberuadeI^uldadeFraternidade. Unio
Republicana.
Sendo um dos mais dedicados empenhos da
directoria da Unio Republicana, fundada empe-
lotas (Estado do Rio Grande do Sul) augmentar a
bibliotneca popular que creou em Julho de 1889,
enriqueceado-a com obras de real merecimente
e provada ulilidade, tanto no seero litterario,
como no scientifico, resol vea dirigir-se aos au-
tores nacionaes, solicitando uto exemplar das
produoces que ca la um naja d?.{Io estampa,
pare, assim meltiormente conseguir a realizags
b:illiante do seu desidertum, no que concorre
igualmente para tornar ma-s conhecidos os fruc-
tos da menlalidade brazileira, pela natural divut-
gago que d'elles far.
Assim. pois, havendo V. Exc. publicad
urna obra de alta estimativa Iliteraria e poltica
a-Conferencia proferida no Club Republicana
Frei Caneca a 13 de Outubro,justamente apre-
ciada pela critica competente e dcsapaixonada, s
representando ella o producto do labor de ura
espirito culto e talhado a grandes commettimen-
tos as lettras patrias, appalla a directora da
Unio Republicana para ol patriotismo de V.
Exc. e sympathia que Ihe rn^reaea instituirles
de fins alevanlados como esta, a pede-lhe respei-
tosamente a remessa de um exemplar da obra d*
que V. Exc. autora,exemrilar que vira honrar
as suas estantes e muito aproxeitar utilidad*
[lUblica, a que se destina a bialiotheca da Unio
Republicana.
Certa de que V Exc. se dignar attender a
este reclamo, prestndose J concorrer para a
realizago de um esforgado ef patritico intento,
a direotoia da Unio Republicana aprsenla Un
desde j b testemunho da maier gratiJo e da
mais pronuociada sympathia/de cnvolta com o*
protestos de sua aomirago/ e do sea elevad
aprego.
Exma. Sra. D. Maria/Amelia de Queiroz -O
1* secretario, Alberto Ijtidr gues.
Tribunal do JuryFunccionou bontem
este tribunal no jrfgamento dos reos Atnerico
Vepucio de Azevdo e Ignacio Paes de S^uza
Gama, pronunciadas no art. 269 ci cdigo c-i-
minal, por despacito do Dr. juiz de direito de
2." districto, e acensados de haveretn, na noite
de 7 de Julh de 18B9, penetrado no estabeleci-
mento coramercial dje Antonio Jis.Maia&C,
silo roa do Baro lia Victoria ns. 3i=e 36, ti-
rado para si contri a vontade de seus donos,
mediante violeociasl 69 doctas e 10 chapeo* de
massa, 200 de palha ;do Chile, 21 bonets e 2 re-
volvers, tudo no valor de 2:8S4* e pertencente*
aos ditos commercianles.
A's 11 horas da manb, presentes 36 juizes de
faci, foi aberta a selssao sob a presidencia do
Dr. Joaquim da i ostl Ribeiro, juiz de direito d
l. distncto criminal, qus mu ton em 20* os se-
guintes jurados quelf:iltaram :
Antonio Martins Vianna.
Bellarmino Alves Aoucha.
Jos F uit oo Porto!
Jos Cesario de Meljo.
Dr. Lauro Castello pranco.
Manoel Maria de Arjaojo.
Francisco Antonio Menezes.
Capito Joo Paulo Rosa Cesse.
Malhias Tavares delAimeida.
Dom'ngos Pinto da (Motta.
Eduardo Manoel Viesas.
Jos Francisco dos Sun os Miranda.
Dr. Miguel Jos de AJmeida Pernambnco.
Philorneno Getalio crreia Ce Araujo.
Aleixo Rodrigues de'Moura.
Augusto Cesario de Mello.
Beilaruino da Cunh* Cortes.
Francisco Jos da (.ciMa.
Francisco Zacaras d.Mer?es.
Pedro Osorio de Cenqneira.
Francisco Augusto tie Araujo.
Jo Joaquim Pereira.
Jlaudino Isidoro dos Santos.
Narciso do Reg Barros.
Joaquim Ignacio Cor rea.
Occupou a tribuna da aecusasoo Dr. Cois*
Florentino Henriqu es de Souza, que foi Hornea-
do promotor ad bocj por ter dado parte de doea-
te o 1. promotor Ilr. Henrique Mllet, e adiar-
se funeciooando no faorteio para a prxima ses-
so do tribuaal o 2j, Dr. Frota Vasconceilos, e
fra da comarca o ajljunto dos mesmos, Dr Ar-
thur de Albuqaerq'ie.
O Jury de seoteorja compoz se dos segointes
juizes de facto : T
Joo Baptista Cesan.
Miguel Angelo do ascimento Fetosa.
Camillo Lelis Peixoto.
Diogo Baptista Ferpandes.
Dr. Maooel Netto Carneiro Campello.
Antonio Francisc de Mello.
Genuioo Auguslo/1 Peixoto.
Francisco Jos d* Moraes e Silva.
Christiano da Gama Lobo.
AtTonso Honorato Bastos.
Dr. Manoel do INascimenlo Machado Porteila
nior.
1
m--

'..
-





i
*
,

*


Diario de Pemambuco--Dqi
ue
!


.
*



> -

Francisco Placido Botel.ho.
Deferido ao jury de geotenga o juramento le-
gal, foa se o iatefrogatorio aos reos e aieitura
do processc da formacSo da culpa.
O Dr. Celso Florentino," basendo a accusago
as proras dos autos, pedio a coodemaacfto dos
acensados as penas do. art. 69 do cod c-im
m vista das aggravantes, estabelecidas ao art
16 Ji 1* e 17" do dito col. que con -orrera na.
pratica do cnme
Deduiio a defeca do reo Vespncio o D.- Adeli
ao Antonio de Lana Freir Jnior to rt.Igna
ci Paes o Dr. Jeronyoio Materno Pereira de
Carvalho.
De ac:ordo com asdecisoes do Jury, foram os
reos absolvidcs e condeinnada i municipalidada
as castas.
O Jury n?gou por unanimilade de votos a au
toria do crimc
TVrminoa o julgamento s 5 horas da tarde.
Anda hontem no pago da municipalidad-^ pro-
cedeu se s 11 h< ras da manha an sorteio dos
48 jurados que teem de servir na sesso ordi-
aaria do Jury, convocada para o da 7 de Abril.
Foram sorteados os cidado* seguintes :
Freguezia do Recife
Carlos Ferreira Martins Ribeiro.
Joaquim Duane Rodriga s.
Freguezia de Santo Antonio
Dr. Jos de Miranda Curio.
Jos Alfredo de Carvalio Jnior,
aniel Ferreira Ramos.
Joaquim Goncitves Lima
Pr. Jooquira Cavalcante Leal de Barros-
Jos Francisco Moreira.
Ab lora Lustosa de Vasconcelloss.
Freguezia de S. Jos
Joao Francisco de Albuquerque
Joao Henrique da Silva.
Jos 'lhris|iin:ano da Silva.
Joao Fernn! Vianna.
Antonio L"ocio de Carvalho.
r. Alberto Jos de G'S Telles.
Joaquim Gomes de S Leitao.
Capilo Pedro Velh. de S Barretto.
Jos iJoelho da Silva Araoj o.
Frtguezia da Boa-Vista
Dr. Luiz Ferreira da Costa Porto Carreiro.
Dr. Antonio de Siqueira Carneiro da Cunha.
Antonio Gomes de liveira e Silva.
Antonio de Meieiros Mafra.
Joo Soares Pacheco.
Antonio Jos de Moraes Sarment.
Dr. Antonio Luiz de Mello V'eira.
Jo Luiz Goncalves Pessoa Jnior.
Francisco Cecilio Fernandes da Silva Guimaraes.
Dr. Manoel S'bastiode Araujo P-drosa.
Eneas Targioo Aocioly.
Antonio Bezorra Cavalcante de Albuquerque.
Miguel Arcbanjo M ndeilo.
Tbomaz de Carvalho Soares Brandao.
Dr Caetano Mana de Parias Nevos.
Domingos Bruno.
Dr. Jos Bandeira de Mello.
Dr. Jos Horacio Costa.
Dr. Augusto Carlos V'.iz de Oliveira.
Freguezia da Grara
Regino Ferrsira ae Carvalho.
Joao Pinhciro Catle.
Manoel i oelho Cintra Ranialho.
Francisco de Paula e Silva Jnior.
Mauoel Paulo de Albuquerque.
v Jos Rodrigues da Silva Barroca.
Clodoaldo Cao ^amelle Pessoa.
Jos Thomaz Cavalcante Pessoa.
Freguezia do Poco
8atyro Seralim da Silva.
Francisco de Oliveira.
Freguezia da Varzea
Joao Bezerra Chaves.
i! ii du amatar e o* banco do
riiiiMiiiiM'!) iiu< lia l>o* taesassumptos o lluslrado Sr. gercuti- dr nossa
SocR'dade Auxiliadora da Agricultura acaba de
dirigir nos a carta infra.
Sociedade Auxiliadora da Agricultura, em 21
de Fevereiro de 1890.
Srs. redactores. De 14 de Janeiro, dala de
minha ultima carta, para c, nao se deu, na po
sico do assucar nos mercados geraes, modili a
rao alguma que parega autorisar oulra cones
pondente no prego d'aquelle nosso principal ge-
nero de exportagao.
A te operatura hmida e quente. que caracle-
risara o u ez de Ni vembro, persisti em Dezem-
bro e Janeiro e duninuio sensivelmeute o rend-
ment industrial das beterrabas ensilotadas; mas
0 exc-sso cultural fra tal, que riera per isso a
importancia da safra de 188990 deixar de
9er superior a de 1888 89 em cerca de WO rail
toneladas, isto mais 100 mil toneladas alem
das que eram previstas em Dezembro. Como,
porem, a especulagoj filara baixar os pregos
at alem dos limites que autorisava o augmento
com o qual cootava se, semellianie.,accresciuio,
alias acunnanhado por notavel angmenlo no
consumo, rrao updfa determinar nova- buxa.
O nosso numero tem conservado em Liver-
poil. al as ul unas data^. a cotagao de 12
sch. por quintil e em New York a de 5 c. 18
por libra, pregos que corresponder aqu, para o
agricultor, a 15280 com o cambio de 27 d. e com
o actual de 21 d. a U400 por lo kilos.
Nao ha, por ora, probabilidade alguma Je
baixa nein de alga nos mercados reguladores
antes de lins de Maio ou principio de Junho ;
mas os pregos locaes podem e devem subir
muito, por causa da baixa do cambio de nossa
moeda nacional, tornada inevitavel pela cessagao
da correte de capitaes estrangeiros, e que ha de
reconduzil o ao nivel correspondente ao balango
de nossa conta de iransaeges com o exterior,
deducgao feta dos emprestimos quer do gover-
no quer de companhias e particulares.
O Sr. con.-elheiro Ruy Barbosa na exposgo
ao chefe do governo. que preceleuo decreto au
torisando os novos ban os de emisso. tomando
por exemplo o exercicio de 188887 com o se-
mes re addicional, avalia em 50 mil cootos o
dficit d'aquella conta, e comparando-o com a
importancia de nossa cirmlago monetaria con
clue, que a taxa do cambio em 1888 caso, o dei
xassem entregue a si mesmo, tea sido de 22 e
nao de 27 e mais de 27 a que chegou artificial-
mente nos a'timos mezes do anno.
Semelhante concluso nao tem base alguma
identifica : pois nao existe relagao necessaria
entre a somma das transacces e a di; instru-
mento de permutas com cojo auxilio ellas tem
de realisar se, e menos anda entre esta e a im
portancia das dividas ou compromissos qae de
vem ser attecdidos. A relagao existe, sim, mas
entre a importancia de tais dividas ou com
promissos e a da exportagao de gneros ou mer-
caduras que constitue o nico ou quasi nico
meio normal de Ibes fazer face; mas esta mes-
ma relagao nao implica em caso algum a propor-
cionalidade matbemalica ; e no caso de des-
equilibrio, a baixa, como mostrou acertadamen-
te Sir Goschea na sua obra sobre os cambios
estrangeiros, nao limitada senao p?Ia possibi
lidade que possam ter os devedores de adiar os
seus pagamentos no exterior.
A maior oq.metior urgencia dos pagamentos
p fu*tor essecial que determina a maior ou
rnegur PEMiMh ti>m: e. WS-fouacgiiinu; o
prcco dorlqesmos-. isTo, o'canibio. "Dita ur-
gencia fanrco da tantas vriaveis, que nao se
Ihe po.le appucar ealculq alfum e abenas pre-
sunjpgOes tiradas da xperJwcia d'aquelles an
noa'em que o pwcesso najara! 4a liquidago
das tra.isacgOes (jo paiz com o eoterior nao< fm
perturbado por eradas iliosarde capitaes es-
trangeiros, determinadas ^or emprestimos qner
do governo, quer de companhias e particulares.
Ve-s* d'ah, que"" escolha do exercicio*de
^.aprt
w
cird
de
reriagOeS deate
permaneca
188687 para fundamentar-,
generorito oi feriada, pois
naquelIC'AMjMWti a inlluencirdo emprestimo
defi fAbfi pelo fallecido Ccnselneiro Belisario em 9 de u
Inoro de 18^6 s*dos. proprios algarismos do Sr.
Ruy Barbosavi-se^ ^uetvenficara se n'pquelle
mesmo exerciejo urna jmtiada de capital es
trangeiro na uni>orl^iaJMe 20 mil cootos. Sup-
%4 SM^^LPt08 no Havcr e accr5*'
a verba 'uSSeve, pelo menos 10 b>
paia-queell.. possarepresantar,al "
[1 cantos (BPes que vao annnalmen"
,'v oi tune e akfflendos de
,r& lquidos
as mu i|iiiniii n i||Mb|3lin france;
mies etejk e gatoa^|HHlpflias bra
^xleor, cheg$An1a8|H.detlcit
to?, cojop' reprw^flWauo #parte
promissos
poder>m s
perturbadortlf vi
recurtp| normaes
ima, que nao se pode esibele-
a taxa de cambio que corres
le dficit; mas tomando por
^irajao os exercicios de i88485
fue nao houve influencia alguma
ue as vesperas anda do
o Sr. Belisario o cambio oscillava
immedu;oaa de de 18/d., e como de entao
para c os aossos compromissos externos, longe
de diminulrem teem augmentado, (pois temos
qu pagar os juros de todos os capitaes estran
tiros iotwduzdos de-1887 paraca), temos mu
ta orobabilidade de nao no* affastar da realidade
cousideranJo a taxa de 18/d.. como correspon-
dente ao estado real de nossas transacgOes exter-
nas^ a mais favoravel qae possa sustentar o cam
bio, emq janto o actual governo conservar se lid
ao compromisso que tomou de nao promover urna
alga anificial, o que alias nao seria hoje muito
fcil dado o retraimento dos capitaes euro
peos. ,
Com o cambio de 8 e a mesma cotagao que
tem hoje o nosso n. 9, nos mercados de Liverpool
ede New York, (lseb. por quintal e5/c 1/8 por
libra), os nossos agricultures receberiam 1840
porcada 15 kilos de assucar bra .o regular, prego
hoje retnunerador para o maior numero e que
comparado ao de l200 ou l#2i0 corresponden-
te ao cambio de 27 constitue um premio de cerca
de 50 /
Bstou j de ha muito convencido, de que l
anegaremos antes que Bode o corrente anno de
1H90. e as desacertadas medidas lioanceiras e
monetarias do Sr conselheiro Ruy-Barbosa #le
ram robustecer a minba f na rhegadi infallivel
d'este auxilio a infeliz favoura da canna, mais
real e eflicaz que todos aquelles com cujo pro
mettimento tem se procurado embalal-a de de
1888 paraca, s tem benificiado (isto mesmo par-
camente), a quem menos precisava ms em com-
pensagao proporcionaran) materia .azada para
os bombsticos ditliyraiibos dos folliculanos
oflieiaes e officiosos.
A nossa safra de assucar de 188889 uem
chegou aos dous tergos da anterior a lei de 13 de
Maio; a qu estamos colhendo nao de suppor
que muito exceda du metade; e naturalmente os
rendimenlos pu lieos e particulares i*em escs
seado na mesma proporgao. Em toafllictivas cir-
cumstancias, quanJo o auxilio dos p deres pu
lili -os cifra se nos ridiculos emprestimos offere-
cidot pelos Srs. Pereira Carneiro, & C, em nome
do Banco do Brazil, mediante con lic -.- impossi-
veis para o maior numero de nossos agricultores,
muito m agrada poder acenar-lhes com a pro-
bajilidade de um premio de cerca de 50 % ac-
crescido dentro em breve ao prego local de seu
genero e devido exclusivamente a Divina Provi-
dencia, sem que iniais.ro algum possa revindi
car Ihe a autora.
E' cerlo, que semelhante premio nao s por
si sufliciente para reconduzir a nossa producto
de assucar ao nivel que attingira antes da lei de
11 de Maio, pois s approveilar aos agricultores
que teem podido continuar com as suas planta-
goes, e a nica solug&o racional do problema
a reconslituigao do capital dos rendeiros e [afra
dores pela eetividadeda indemnisagao consti-
tucional d > valor dos esravos aforriados no da
13 de Maio. Ao maior numero d'esles nao appro-
veia auxilio algum sob forma de emprestimo,
pois nao ha emprestimo possivel a quem n8o of-
fer ce trarantia e a restituigo de seu capital o
nico meic de habilital-os a reassumir com sala
nado i os trabalhos productores a que entrega
vam se sob a anterior forma de trabalbo.
esvairada pela perspectiva de Ilusoria popu
larilade, a Monarchia expirante anoiquilou-Ibes
o nico capital que possuiam, sem se lembrar
que, alm da iujustiga clamorosa que pratica va,
alacava em sua fonte as forgas vivas da prodacc&o
nacional. Pertence a Repblica reparar, n'este
como em outros assumptos, i s erros da Monar-
chia, e o re onl:eciment ofcial d'esta obrigago,
qaando nio fo*se possivel a indemnisagao imme-
diata,maior inlluencia tena a bem da establidade
da forma republicana.que o apoio precario do ex-
crcito e da armada, a grande naturalisagao, a se
parilo da i^rea e do estado e o casamento ci-
vil I
Voltando s medidas linanceiras e monetarias
do conseibeiro Ruy Barbosa, consubstanciadas
nos decretos de 17 de Janeiro e com particul ri-
da le no que autorisa a fundag&o de Bancos de
emissao cujos bilhetes serio garantidos por apo-
lices da nossa divida publica interna, confesso
que cansaram-me o mais completo desapnta-
melo Depois de ler a primeira parte da expo-
sigSo ao chefe do Estado, que precedeu os cima
citados decretos, e applaudido a clareza com
que o llustre conselheiro mostrou a impossibili
dade em que nos adiamos de manter urna circu-
lagao metallica ou mixta, a dependencia abso-
luta era qae se acha o cambio do balango da con-
ta de transacgOes com o exterior, e a necessida
de em que estamos de augmentar o nosso insuf
licier.te meio circulante dando por base as etnis
ses bancarias, na falta do ouro cuja conservago
seria impossivel, os ttulos de nossa divida pu
blica. esperava que o Ilustrado autor da ex-
posigio suppriminio, na lei de 24 de Novembio
le 1888, as exigencias c excrescencias qu: ha-
viam tornado desvantajosi a fandagao dos Bal-
eos ora lasiro de upolices, nos dotasse com urna
circulagj fiduciaria conversivel era moeda le-
gal, qualquer que esta seja, como a dos Bancos
nacionaes dos Esta los-Unidos da America do
Norte, que embora criticada pelos economistas
da escola orthodoxa tem a sea favor una expe-
riencia de um quarto de seculo.
En lugar desta circulagao, que alias nao re-
puto isenta de graves defeitos, e sendo aceita nos
cofres pblicos perde com islo grande parle do
desejavel elasterio. o decreto de 17 de Janeiro
danos um papel bancario mcouversivel e por
conscjuinte idntico ao papel moeda embora te
nlu outra denominagao, sem elasterio algum e
cujas emisses, abandonadas ao criterio de esta
belecimenlos bancanos podero elevarse a 450
mil contos, isto quasi qae ao triple da actual
circulagao de papel moeda. Obrgados a partilbar
os seus lucros rom o governo, que conta com tal
partilha para resgatar completamente a nossa
divida fundada interna, os bancos emissores ati
rar-se bao a todas as esperulagdes que autorisa
o decreto, e como estas abraogem o campo in
teiro dacommercio e da industria (n. 10 do art.
2 *) nao t rio as emisses outro paradeiro alm
de falta ou exagerado prego das apolices que
preciso depositar.
Estavamos, portmto, ameagados. em virtude
do decreto de 17 de Janeiro, com o triplicamento
em prazo breve do nosso meio circulante ncon-
versivel, e sem garanta alguma de ser emprega
do semelhante augmento de capital flucluante de
modo tal que Ihe correspondesse augmento per-
manente lo numero das transacgOes ; e nao
preciso ser mutto versado em economa poltica,
para comprebender as funestas consequencias de
tao despropositado augmento da rculago. E'
verdade, que a opposico dte-minada por seme
Ihante esquecimento Jos preceitos da sciencia,
obrigou o Sr. Ruy Barbosa a limitar por ora (de
creto de 31 de Janeiro) as emisses a 200 mil
coatos, como preceituara a le di 24 de Novem-
bro d- 1888, e com esla'limUagao desapnare;e a
probabilidade de cataclysma linanceiro, machera
por isto laes emisses deixaro de precipitar a
baixa de cambio, sendo licito receiar, que ellas
o facam descer at o limite que boje attinge na
Repblica Argentina, e em qae a alga dos precos
nao se limite aos artefactos e gneros i nporta-
dos e abrangendo os de produego nacin*!, sa-
iarj|fe ele. tornase verdadeiro fiagellj.
(Jianto ao flm pria:i,wl que o Sr. Roy Bar
quer attingir com a; engeiihosas disposi^oes do
decreta de 17 de Janeiro (retrate da.ri*$da in-
tern^.^iff creio que o possa C^anjum s coa
diefles feifc aos haneqf wgiaaaes ato; frdue
para ^olseguir lucros afficietes-4erjioj Hdo^
a em|raenrJimentos aleatorio % arMsowoc que
dentro ejn breve acar/etarto a sua liquldagab
forgada, ejfhr conseguinte a perda total do cap
Miaa fnebreSerSo celebrad
Amanh : ,
A's 7 horas no convento do Carmo pe* alma
de Jos Caetano Bapfista dos Santos ; 8 no-
ras, na matriz ta Boa Vista, pela alo} de D.
Annada Silva Ferreira.
Terca-feira : ..
A's 7 horas, na igroja dos Remedios, pela alma
de D. Tnereza de Jess Fonseca.
r:iMact-lroM Chegados do sul no vatror
nacional Principe do Grao I ara :
Dr. Jos Dantas de Magalhaes e I criado, Dr
Heitor de Souza, Dr. Joao Baptista da Costa Car
valho, Luiz Pedro de. Medeiros, Miguel da Silva
Villar, Edmundo Lessa, Julio Lessa, Eduardo
Lobo Armando Paiva, Manoel Miguis, Maaeel
Machado, 'oreira e Auna Ros* dos Santos Silva.
Otreki na im obra* a*- comer'
o<> dn poriiHi de PeroambucuRet'l
fe, 21 de Pevereiro de 1890.
Boletim meteorolgico
5-o o
Horas Barmetro a 0 Tensao do vapor * a a
6 m. 26,3 738-/6 19,53 75
9 28,8 759-36 20,24 69
12 29,6 759-33 20,77 67
3 1. 28,9 757-85 20,08 67
6 1 28,3 757-86 19.56 68
tal dos accionistas, que neste caso oceupam o
ultimo lugar na ordeno preferencia! de paga
ment aos credores do banca.
Entretanto, a subscribo pora oBtncoda
Regiao d6 Centro ha sidomHKJae coberta pelos
capitalistas ou especuladores do Ra; decrer
com tudo que s com vistas na especulago, e
nao com a ioiengo de ficarem com as accogs,
salvo si elles eslo convenc los de q e qualquer
e nissao deve deixar lucros
Aqu liodo, Srs. redactores, e at breve.
De Vs. Ss. venerador e amigo obrigdo. Hfn-
rique Augusto Mile.
ijei*e-Effectuar-se-h8o os segaintea
Amanba r
Pelo a
que de
jarga do
verrfa e
Pelo
quez de
Ten
s 11 ho
de bas pr
n. 1, 6s R
B.i
us n. 6!
ario._
. etijtfntes.
md.as 11 horas,%roa Mar
_ i*, de gneros de estiva.
TerjJ* feira : i
Pel agBOWfStepple, as Ituoras. ra no
Imperador o. 39, de caiasXerreai
Pelo aofHte Brito, i 10 i/2 bpras, ra Bu
que de Caxias n. 89, Je urna armagio envidra-
cada e fazendas ah existentes.
Temperatura mxima30,00.
Dita'minima25,"75.
EvaporagSo em 24 horas : ao sol8,-5 ; a
sombra5.-4.
Chuva-1,-2.
Direccao do vento : E de meia noite it 1
ora e 20 minutos da rnanh ; SE com alguma?
interrupg&es de ESE at 7 horas e 5 minutos ;
E e ENE alternados at meia noite.
Veioddade media do valo3,-02 por se
gacdo.
Nebulosidade media0,"36.
- Boletim do porto
II 11 i Das Horas Allu-i
a. m. <>. m. B. M. P. M. 21 de Fever. 22 de Fever. 0-13 da tarde 6 -23 016 da manh 6 -43 0-,29 2-81 0-.30 2-,57
as re8peclivaa enfermaras
ain le oeicnca ;.vi;vimeio uoo
sos da Casa de Detengao do Recife, estadi
le Pernambuco, em 21 deFeverairo de i8i0
Exisuam 449 ; entraram 16 ; sahiram 9; exir
em 456.
A saber:
Nacionaes 416 ; mulherea 27 ; estrangeiros 6 ;
-Total 449
Arracoados401.
ions 375.
joenles 13
Loncos 7.
Loucas 6.
-Total 401.
Modmento aa enfermarla
Te ve alta :
Aprigio Francisco Elias.
Teve baixa :
Jos Ferreira Leite
Honpitat Pedro II -O movraenT.j de ste
stabelecimento de caridade, no da 20 de Fe
leiro foi o seguinte :
Entraram 17
Sabiram 2
Fdleceu 1
Existem i 413
/oraro visitadas
.dios Drs.
Moscoso s 8.
Cysneiro s 10.
narros Soonuno s 6 3/4.
Malaquias s 10.
Pontual s 10 1/4.
Berardo s 10 1/2.
Sstevao Cavalcanie s 9 1/4.
O Dr. Simes Barbosa nocompareceu.
) cirurgiao dentista Nurna Pompio s 8 1/2
horas.
O pharmaceutico entrou s8 1[2 da munh e
vi ao s 5 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrou s 7 12
e 3-iHio *s 2 oras da tai- e.
Lotera da capital federal -A 255*
lote ia, desta capital cujo premio maior de
50:004000 ser extrahidano da 28 de Margo.
IiOterla extraordinaria da capital
federalA 3' parte testa grande lotera, cuja
sorte grande de 100:000*000, ser definitiva-
mente extrahida no dia 17 de Maio prximo
vmdouro.
Uoteria do Oram-Par-A 3a parte, da
35 lotera, cujo premio ;rande de 60:000
ser extrabida uo da 26 le Fevereiro (quarta
feira)
Cemiterlo publicoObituario do dia 21
de Fevereiro :
Joaquina Francisca Leite. Portugal, 35 annos,
casada, Boa-Vista; tuberculose.
Beato Ferreira Nuaes de Souza, Pernambuco,
18 annos, solteiro, Boa Visla; febre palustre.
Eugenio, Pernambuco, 1 mez, Boa-Vista ; im-
paludismo.
Felemon, Pernambuco, 11 mezes, Olinda ; gas-
tro enterite.
Zacaras da Costa, frica, 65 annos, solteiro,
S. Jos; ttano esponaneo.
Eutropia Mara da Paz, Pernambuco, 17 an-
nos, solteira, Boa-Vista; tuberculose.
Crispim, Pernambuco, 6 mezes, S. Jos; athre-
psia.
Maria, Pernambuco, 2 mezes, Graga ; espasmo.
Mara Soarea, Pernambuco, 7 mezes, Recife ;
vermss intestinaes.
Um bomem, 45 annos, Santo Antonio ; esma-
gamento pelo trem.
Jos Urbano, Pernambuco, 50 annos, casado,
Boa-Vista; anemia
Charles H. Wanner, Estados Unidos, 42 annos,
casado, Boa-Vista; delirium tremens.
Maria Amelia da Conceig&o, Pernambuco, 28
annos, solteira, Boa-Vista; cachexia sypbili
tica.
Francisca Maria de Jess, Pernambuco, Pan-
nos, viuva, Boa Vista ; cancro uterino.
Jos Ignacio de Vasconcellos, 60 annos, Gra-
ga ; anemia cerebral.
DE DOMINGO A DOMINGO
ns briosos o actual
nosso meio socia
tatepunham ao nosso
Felizmente para
regime vai extirpan
muitos obstculos que
progresso.
Aps as enrgicas medidas tendentes re-
presso da vagabundagem, obrigatoviedade do
trabilho, moralisago de cectos habjtusTo hon
rado magistrado, que tao hbilmente dirige a
oduiinistra$ao poli
conveniente' ac '
queja se te urr
asrososlprt) to
por'nos, nesta rfi
tos caoalmeate.
Dcstii columna
com
te-JIdib/' eatendeu
praica abusiva
rajutr
pfevi'
os semMK ir\ da
goniva, das limas, etc. como nocivP4ni|ie &
tteni^torio dos nossos fcriQS. 4-
N'o domingo do Carnaval, .no anno passado,
escrevemos no final desta secgo :
A selvageria, .0 desrespeltoe a Insensa
tez nao coosenura*, pie realce^, as festas que
um panhado de individuos bem Heiicorados
eslo promovendo. \
Expondo as impressOes que experimentarlos',
Hu-iMiih-i un d'iininTi AOffninte iinpllp -
ngo-se um brioqedo tao es
tupido, quanto-preurtitral e contra o qoal j.ha-
'lam sido empregadas (anda que improbVua-
0-medid de rigor por parte de^algumas
atordades superiores-no regime decahido, nos,
que nos empenhatamos pela extinego dessa
saturnal vergonhosa, devemos sentir um orgu
inexprimivel po terem sido-sutisfeitos os
nossos ardenfissimos desejos.
L.erto, de hoje em diante, o Carnaval assumir
o seu de/ido papel, contribumdo, nos tres das
que ihe sao consagrados, para as mais cordiaes
e fraucas expaoses de alegra por parle deste
ouMico qae bemdiz, agradecido, as medidas or-
o-iras emanadas d'aquella autoridade e postas
ei.i execugio pelos seus zeloss auxiliares.
A mascarada que se ostentou as ras, durante
os tres das, em que o zabumbanie estrepito dos
maracat-. confunda se com o estridulo vozear
dos mais enthusiastas. s nao foi luxuosa
como devra ser e como o na Babia, no Para e
principalmente no Rio excedeu comtudo na ele-
gancia, na ver ce e no numero a de alguns annos
anteriores.
Clubs perfeitamente organisados e despejando
a valer baforaias de fino espirito appareceram
chainandoa attenco puolica e captando as sym-
pathias geraes.
Distingui se em primor, em laxo, na agudez
da critica, o club Cavalheiros da poca que pro-
vocava, na sua passagem triumphante, as mais
sinceras manilestagOes do enthusiasmo publico.
As cnlicas eram linas, espirituosas e as alle-
gonas soberbas e elegantes, mxime a que re-
presentava a Torre Eifel ladeada por cinco jo
vens representando as cinco partes do mundo
que nos conhecemos.
A' noite, o ffieito era deslumbrante, por causa
dos fogos cambiantes accesos em todo percurso
nao s,pelos que eompunham o club como por al
gumas familias, que queriam assim manifestar
a sua admirago a esse grupo guapos e prazen-
teiros rapazes que tobem compreheniem a ne
cessidade da elevagao do nivel do Carnaval en
Ir nos.
Charaou tambem a attengo publica um carro
allu-ivo questao do rapto das criancas, ponte
Buarque deSfacedo, outras questOes que emocio
narara no anno tndo a almapernambucana.
Os clubs dos Catadores, das Vassourinhas, da
Caninha Verde, dos Cninezes e outros cujo nome
ora nos escapa, merecem salient lugar no his-
trico das festas consagradas ao t eus Momo
**
O Internacional e o Carlos Gomes, por outro
lado, attrahiram a lite da sociedade. pernambu-
cana, organisado bailes em que a riqueza da de-
corago de suas sedes, a gentileza dos seus di-
rectores, a ordeno observada em todo o decurso
das daogas etc., faziara o deleite dos quautus l
se achavam.
Que o Carnaval de 1891, neste EsUdo, escu-
dado nesses salutares exempl.s, busque eolio
car-se no nival dos melbores deste paiz.
Carlos d'Aubecle.
SPORT
Os
fc
nrelhoramentos
1
qoe o Bram peia gua 8i
is eom qae u natureza o do
ipa" o Waeiro logar entre
i Meridional.
lit0 Para haver essa supre-
ites^rvel direito, encontrou
governo qo* graca3 in
to do exercito e da armada,
revoluto de 15 de Novera-
Is consen aneo com a razao
oiragOes d'um povo livre e
Dcrby Club de Vernamburo
E' hoje a 4.* corrida do D?rby Club de Pernam-
buco.
Ser com certeza concorrida.
O programraa nao mo e a inscripeo conta
bons parelheiro?.
Attractivos nao faltara.

0 soneto nao nosso : vejam bem.
A veia nao J nem para poeta de agua doce.
E' mesmo de Alfred Duval, o francez que ver-
seja em porluguez... ?

Dizem que em certa corrida,
Em atrio prado de alm,
lii'u besta conhecida
Perdeu carreira. Pois bem.
Agora de nos fallando,
Relativo a bagageiros,
Eu nao troco, inda voltando.
Por elles nossos sendeiros.
Se era bom sangue puro,
Nao era velbo madu-o ;
Se era lo bem tratado .
Decreto bem de ita vez:
Nuqfia mais cavallo ingle
iw rlr''nos.-o praJo.. -
Ninguem contest
tuago e pclis riqUe
tou tem di.-eitoeroc
os paisee-da Amert
Luctando desde
macia a que tem Id
sempre embaragoa
trepidez e ao herot
foi substituido com
bro por um onlro m
e com as grandes
inependente.
As reformas porqueVem passado de entio para
c fazem crer que, livrte d'aquelles empecilhos
muito em breve elle conseguir um logar dis
lincto entre as naees eulVas.
O governo, porem, por mV-lhores que sejam as
suas inlengoes nao poder >pr si e rednzidoaos
meios a sea alcance, cuidar a(e todos os melho-
ramentos que o paiz reclama : ps particu ares
cabe concorrer, na medida das lbvj;as de cada
ura, para que se inicie urna serie deimelhora-
mentos materiaes que tragara embellezurento
para a patria e utilidade para todos.
Conservar-se o povo inerte diante das refor-
mas que o governo do paiz vai introduiindo,
om erro e um erro gravissimo porque com ella3
s lucra o proprio povo
Este estado mais do que os outros, ha muito
clama por melhoramentos dessa ordem.
Esses melhoramentos entretanto j podiara ter
sido iniciados sem necessidade de gran les dis-
pendios para os particulares
Urna quantia multas vezes ridicula que cada
nm offereca, nennuma differenga far, mas reu
nidas muitas d'essas qaotas em mo d'uma cora-
misso podero chegar somraas avultadas,
sufhcientes para a construegao d'uma obra d'ar-
te, d'um jardim, para a abertura d'uma praga
etc.
A nossacidade cujas bellezas naturaes seos
tentam a cada passo, chamando a attengo do
mais descuidado viaj.nte e trazendo-lnes muitas
vezes at a idmirago, se torna merecedora de
sacrificios de nossa parte. Os rendiraentos mu-
nicipaes nao sao taes que Ihe possam fazer real-
gar as bellezas naturaes que em quasi lodos os
seos pontos se conhecem.
D'aqui a necessidade de nossos auxilios para
que sejam convertidas em realidades os projec
tados melhoramentos.
Convengam-se os particulares de quesera seus
auxilios irapossivel a qualquer governo fazer
tudo quano a commodidade publica exige.
A' falta de zelo que manifestavam sempre nos
negocios pblicos e a incuria de sua parte em
ludo quanto exiga o bem estar social levaram o
governo Iransaeto i comraetter a serie de des
i andos e desalios que todos presenciamos.
Agora porianto que urna nova aurora surge
para o Brazil necessario que todos nos, reco
nhecenlo o papel que nos cabe desempenhar e
i'ssumindc urna paradla da responsabilidad!' que
a cada ura deve caber, procuremos oroparar ura
futuro meliorpara a nossa patria etrabalhemos
pelo bem estar de nossos descendentes.
Ante aquelles que mais ti/erem trabalhado,
concorrendo d'esta modo para o progresso social,
curvar se nao os vindouros : para elles que se
rao reservadas as beogos do futuro.
CHRONICA JDDICIARIA
Junta Commcrclal do estad.de
e*ernambuco
ACTA DA SESSO DE 20 DE FEVEREIRO
DE 1890
PBKS1DENC1A DO CIDAOlO ANTONIO GOMES DE MIRAN
DA LEAL
Secretario, o cidadao Dr. Julio Guimaraes
A's 10 hora3 da manh declarou se aberta a
sesso, estando presentes os cidados deputados
Junto Bastos, Beltro Jnior, Herminio de Fi
gueiredo e supplente Paula Lopes.
Lila, foi approvada a acta da ses.-o antece-
dente.
Fez-se a leilur do seguinte
EXPEDIENTE
Oflicios :
De 17 do corrate, da Junta dos Corretores
desta praga, remettendo o boletim das cotages
oflieiaes de 10 a 15 do presente mez. Archvese.
Ide 11 de 1 do corrente, do cidado Joaquim
Antonio de Souza Ribeiro, communicando que
assumio a presidencia da Junta Commercial da
Capital Federal, pelo fallecimento do respectivo
presidente.Accuse-se a recepgao e archive-se.
dem, de 19 do correle, do presidente do
Hyppodromo do Carapo^ Grande, solicitando a
nomeago de dous accionistas para compor a
commisao fiscal pela exoncrago pedida pelo
Dr. Estevo Cavalcante de Albuquerque e Mar
colino de Souza Travassos.O Sr. presidente, na
forma da lei, nomeou os accionistas Dr. Jos
Eustaquio Ferreira Jacobina e Scbastio Lopes
Guimaraes.
Diarios Officiaes de n3. 29 a 39. Sejam ar-
chivados.
itiitiuio-se A rubrica o livro copiador de
Bailar Oliveira & C.
DESPACHOS
Petiges:
De Carlos de Arruda A C, para que se regis-
tre a marca de urna das qualidades de cigarros
do seu commercio, com a denominagao Flor
da ItaliaVista ao fiscal.
De Gomes de Oliveira & C, para que se ar-
chive o contracto de sociedade em nome cone-
ctivo que sob dita firma celebraram Antonio Go-
mes de Oliveira e Joao Rogerio Nunes da Silva,
corjxp capital de <(B7J280. para o commercio
de calcados nacionaw e estrangeiros ra Du-
Duque de Caxias n. 109Archive-se, na forma
4a lei.
Xi'da mais havendo a despachar, o Sr. com
mendador presidente encerrou a sesso s 10
hnr.ia-g LA di manh.
l -JA
'^sseiribs no domingo seguinte quelle
O desopilante e doidivanas Carna{al foi,
pois,' para ee.a cidade um comoleto nawagio
das folias fericas e bnlhantes, urna completa
saturnal era qoe misturaram se todos os
oleres, confundiram se todas' ascondigOes,
laram se toAaos seuraentos. >
. ...... o E andou blm avisado o velbo BoTo
em nao ataviar-se com as suas^istosas'fealas,
visto como teria o desj^azer de^r-se abafado,
aspbyxado, submergido pelas ondas "dep, a
expruar se rvltas, invadini|o todas asmas.
...... Essafoi a nota alegre.ir
aos baifes d j jV^rnacjMw/ e Car]
uraa' tempofada qdf feria espleai
bouvesse lauro p e taita desverg
M*,e, ponan; que, gragaa ac
^^ftag&o ao-*eip.fluolico de qae
vm tem dado o nobree integro cidaj'
PUBLICARES A PEDIDO
lo eldadSo mil dJgno mi deHe
eiro Or. .^ut onio da mil va
enho do. ajto da imprensa agradecer ati dis
tineto ciijp.D Antonio ,*i jljir8r|eira, pe-
las manaKp lbanas e oavalhfiroa^ com qoe
sempre o*tratoa (qu*wles estaSftie'Ih 9I0
proprias' ffispensando-iBe pequeas faltas.
fo p riodo, du jmu traamento, 'de micba.se-
nhora e dosAeujnhnocentes fiIhinhosi'jjfejf.sem-
pre sobejas pRyae, de um perito pos-
suidor, (al das qualidjes aciara menciaoa-
das, de iima*irecidHWurada inteigencia.
Gracas a-Provideuaia sisA* do. mpi digno e
vejo o reslaoelecimento
llustrado clnico, Me
nto'
QueJiM mesmo aceitar stas poucas bobas IU"; ra-
sera C'DMXo) ,Wias da gratiWo, e p'erdoar-lie
se, coa eoiitemotio de dieoffendo sua modes-
tia saUentauflo-lbe as boa qualidades.
Fago vdpoi fervorosos ao-Todo Poderoso para
que IhyTjonserva a ekistdUplior loogos anno*.
Em.seguita apresento-lWTrjifcu fracos e dimi-
nutos* serVicos, onde a sorie queira me destinar.
Recife, 22 de-Fevereiro*e 1880.
Aninw Vas Ckaga$%Rodngues Machado.
Ao cidado go ve mador
Telegramma no Diario de hoje annun-
cia ter sido publicado um decreto do Go-
verno Provisorio, concedendo berdade
para venda, na Capital Federal, de bi
lhetes de quaesquer loteras.
E nem era possivel esperar outra cous
d'um governo, cuja bandeira Liberdade
e Progresso.
Pois bem. Da mesma forma que o Go-
verno Provisorio entendeu conceder am-
pia liberdade venda de bilhetes de lote-
ras na Capital Federal, de esperar que
o digno cidado a quem se achara confia-
dos os destinos deste Estalo, faga des-
apparecer o decreto de 20 de Janeiro,
que, sob um pesadissimo imposto, que
importa a mais terminante prohibijao,
restriagio ajiberdade de erominercio qutan-
to vendal^Toiahetes de loteras de ou-
tros Estados.
Sim. Da mesma forma que na Capi-
tal Fedaral se recbenlo bilhetes de loteras
deste Estado, nao pode haver razio que
justifique a continuagao do imposto, ou
antes a prohib;3o do decreto de 20 de
Janeiro; isto nao pe de haver raza o para
continuar prohibida neste Estado a venda
de bilhetes das loteras da Capital Federal
ou de qualquer outro Estado.
E tanto mais de esperar que aeja,
revogado esse decreto prohibitivo, quanto
at a presente data nSo consta haver The-
soureiro que se encarregue de fazer lote-
ras neste Estado, o que alias ser mui
tissimo dimcil de encontrar, attenta a di-
minuta porcentagem de 4 j, estabelecida
no mesmo decreto.
O imparcial.
S. Bento
Ao cidado Dr. Inspector do iiic
ouro do Estado de Pernambuco
Pergunta-s: o collector das rendas do Estado,
Francisco de Hoilanda Valenga, recolheu ao co-
fre desse Thesouro a quantia de 2.33H560 do
imposto que devia ter pago o fazendeiro Joaquim
de Alraeida Valenga, morador nos suburbios des-
ta villa, por ter importado do Estado da Parahy
ba, em das de Julno do anno prximo passado,
602 cabegas de gado de sola para refazelo n'es-
te municipio f
Um San Bentista.
Canal de Gojanna
De proposito temos guardado silencio,
nao articulando urna palavra em roslajao
aquello canal, e principalmente contra o
seu actual fissal o Sr. Erasmo, esperando
que S. Mee. se compenetrasse do que
ser-se fiscal de urna empreza alias impor-
tante, coAo. soe ser o Canal de Goyanna.
Como, porm, o Sr. Erasmo fiscal
que nao fisoalisa, por iaao mesmf que gfl-AJ0S0 Carlos Cavalcante de Albuquerque
rs.quaes os' deveses que s&o innerentes a voa Antonio de Barros Wanderley.
cargove seres, bast*ndo^h qujUP c
de, cada mez Ihe chegue ao*t3eH
fino
Man
mil ofSrs, que Ihe sao dados pmaratia Deo,
chama mais a attencSo do digpo deposita-
rio e do Ilustre advogado do Banco o Sr.
Dr. Methodo, que tem interesses imme-
diatos, para que representen a quem de
direito competir, afim de ser* aquelle se-
nhor destituido do referido cargo, fazen-
do a reoahir em pessoa que melhor o pos-
sa exrcer. *
Pois boje que a ordein de.
A.o publico
Tendo lido iiontem urna declaradlo fei-
U pelo Sr. Jlo Luis Paes Barreto, a
quem nao- tenbo a honra de conhecer, pro-
prietario do engenho Paul ou Diligente, de
Palmares, na qual invoca meu testemunho
sobre a declaracSo dos limites da ditapro-
priedade, exacta a dalaracao dos limites
da dita propriedade do Sr Joao Lina, o
que vorifiquei em 1883, accrescentando
que o engenbo Trombeta com Diligente
tem 1,200 metros a contar da Capoeira
do Martins pela margeno direita do rio
Una cima, at dividir com trras de Ja
paranduba, e 1,200 de fundo, at encon-
trar trras do engenho S. Caetano e San-
to Antonio, tocando o engenho Trombeta
ao lado de baixo e Diligente do lado ci-
ma, dividindo com Japaranduba e S. Cae-
tano, parecendo-me que nao attingira a
vSUnto Antonio, que divide com Trombe-
tas, a' Recife, 2Me Feveriro de 1890.
& J. de Mello Cahu.
Ao publico
A Empreza Telephonica BotUjgard, ten-
do feito a mudan9a das linhas pai\a 0 novo
edificio e precisando mudar grand ^uan-
tidade de linhas que se acham estragadas,
trabalho este que pela sua natureza d lu-
gar a muitas interrupcoes, peda aos Srs.
assignantes desculpa de qualquer falta que
occorrer durante o trabalho.
Estado de S. Paulo
CAMARGO & ALMEIDA coramissarios de caf
e mais gneros do paiz, ra do Rom Retiro n.
44 C, desojando estender suas relagOes commer-
ciaes at a praga de Pernambuco, recebera assu-
ar em cominissao ou de conta propria, bem
como qualquer genero que sejasusceptivel de
ser exportado e delle haver procura na capital
de S. Paulo, assim como salisfar&o a qualquer
pedido dos gneros dessa procedencia.
Eleicao
Vieira
DOS DEVOTOS QUE TEEM DE FESTEJAR A
EXCELSA SENHORA DA ESC'ADA, NO DIA
24 DE NOVEMBBO DO CORENTE ANNO.
Juiz por eleicao
Lievino da Silveira Lins.
Juiza por eleicao
D. Maria Silveira de Jess Barbosa, espo-
sa do capiiao Jos Joaquim Barbosa.
Juizes por devocao
Tenente-coronel Honrique Gomes de Bar-
ros e Silva.
Capitao Manoel Rodrigues da Silva C-
mara.
Capitao Gongalo Jos de Mello.
Negociante Joaquim Luiz da Costa Ri-
beiro.
Negociante Eduardo de Carvalho
de Souza.
Negociante Antonio Das Cmara.
Joao Nicolao de Lyra.
Juizas por devocao
A Exma. Baronesa de Suassuna.
D. Isabel dr Souza Leao.
D. Liberata Ferrerra Vieira de Souza.
A esposa do Sr. capitao Antonio de Lima
Ribeiro.
A esposa do negociante Antonio Francisco
de Araujo" Costa.
A esposa do negociante Bellarmino Can-
dido da Silva.
A esposa do negociante Jos Maria Mos-
coso da Veiga Pessoa.
Juizesioemfeitores
Henrique da Silveira Lins.
Dr. Aquilino GlomeB Porto.
Revdm. Joao Baptista de Araujo.
Revdm. Joao Carlos de Moura.
Juizas bemfeitoras
D. Mara Sancho Bezerra Cavalcante.
D. Elpidia Josephina da Silva Fernandes.
|rA esposa do major Antonio Campos de
Albuquerque.
A esposa do capitao Joao de Barros e
Silva.
Juiz perpetuo
0 Revdm. vigario Francisco Raymundo
da Cunha Pedrosa.
Juiza perpetua
D. Joaquina Francisca de Senna Salles.
Escriv3o por .eleijo
Goncalo da Rocha da Silva Netto.
Escriva por eleicao
D. Zulmira Etelvina.de Faria.
EsprivSo por devojao
Tenente Romao Populo de Andrade Lima.
Escriva por devocao
D. Anna Margarida Cavalcante de Albu-
querque.
Procurador geral
Francisco Dionisio Guedes da Fonseca.
Procuradores
Alferes Hermogenes Sancho Bezerra Ca-
valcante.
Alferes Bernardino de Senna Ribeiro.
Alferes Jos Marqoes da Silva.
Alferes Manoel Eulogio da Silva Velho.
Alferes Antonio Joaquim Alves de Barros.
Wenceslao Henrique de Paiva.
Hylonio Urbano da Silva.
Joaquim Sebastiao do Rogo Barros.
Placido Borburema.
Vicente Ferreira de Barros e Silva.
Antonio Ito do Reg Barros.
Manoel Aleixo Martins Brayner.
Thesoureiro
Guilherme Muniz de Souza.
EscaA, 19.de Feveire de 1890.
Vigario, Fran'citq Raymundo da Cunha
Pearotffi.,
<.
Ao commercio
ao progresso, na torra de Nunes
. Jos Antonio .Pilra>* onic representante da
firma Jos Antonio Pilro & Irmao, communica
a| mao4 a0 respeitavel corpo do commercio j|*B desde c>
Macha-' lde laneipa do corrente anno admitiio para
do, e J0S0 Alfredo, nao mais
lugares e nemyt3o pouco se
se inveojum
conaerVam
flroojpregados s ordens dos maddge*, J
ha familia hoja oa Manaes Carneiros teem horror* Tama
de. ^-:nera>
Goyanna, 19 de Fevereiro.
O iuquinha.

Tuberculose pulmonar
Cura garantida pelo reitral de Cam
bar.

sua tasa
H ns. 3;
jedo Pilro e
tiando o neg
Bcam todos respOn
Recife, 21 "de Fe
iat Praga da lade-
os Srs. Fran.'HCO df
"iliveira Maia, con
firma, da- qu;ii
90.
Cnsul
a. 6 1
tarde.
Leal
CDMJRGIC^
-a rna do IJMmento
11 stbo^
hora, por esc



-} -
'

.
-
i,
1 '
,
.

'*- %
: ;
.
.
- '.
-~

;
-

i

.
.

'
-

. "
'






v S
M
1
m
:
' 11V'
r\
B
1
*

1
i
~i 3
jm
|


i

-r.
i
.1



B

.
r *

"ano

Ultima descoberta de na sabio
Extracto Duplo de Avellein Mgica
(Witch Haxel) do Dr. C. 0. Bristol.O
autor deste novo e maravilhoso reme lio,
o Dr. C. C. Bristol, cujo nome conheci-
do em ambos os hemispherios, de um a
outro extremo do planeta, como autor das
celebres Salsaparrilha e l'ilulaa de Bristol,
as quaes tantos devem a saude e a vida,
nos climas do globo ; o sabio medico chi-
mico e naturalista, occupado sempre em
novas descobertas medico-bota?: icas, depois
de intelligentes e repetidos ensaios, veio a
acbar se possuidor de urna nova e admi-
ravel combinacSo curativa, baaeada as
maravillosas virtudes da planta americana,
eonbecida boje na sciencia sob a classifica-
eao botnica de Hamamelis Virginica, pl,
ta indgena d'America Septentrional p,
mitivamente empregada pelos odios
curativo de toda molestia de carcter
flaromatorio, tanto intTuo como ax*
Oran
^w^co-
23 de Feyereir de
1890
na
Depart
p 'illfl
*\ Xova Ham-
Irargoj
j A PbLfco
A adminis**) deslo (Aa rstabelecimento
industrial e re r tfoasa summamen
te para com o ilustr-do. sai, r brioso publico
desU capital, peta !'poi(.;rdade com que af
fluio aos fesMQi nos qtmtjro uias do carnaval
deste anno. f i
E, sendo enormissim:. 'a concurrencia, alta-
mente louvavel o rr. e correcto por que
se bouveram s
nntenc&o d '
da. pelo t '
D v>
na-
- i
Dobuu
idades para a ma-
JWem nada foi altera-
IHK-r.te grata.
m diante, e apedi-
ide pemambucaua,
uj aiversOes, eitre as
Bem aos
Collegio de N-- da Piedad
2Ja .1. xi/mro em Olinda
n.
Dlrt*a flargarlda Airea
Vlanna
Est collegio de educacSo paro o sexo
ieminno e meninos de tenra idade, abri
as suas aulas no dia 15 do mez passado
continua a admittir alumnas internas, meio
pensionistas e externas, mediante urna
mdica pensao.
A casa em que elle^funcciona, rene to
das as condicSes hygienicas, sendo ba
a alimeutacao que se d s jovens educan-
das.
A par da educaclo physica, a moral e a
intellectual estao cargo da directora e
de um corpo docente habilitado.
Ensiaam-se primeiras letras, linguas por-
tuguesa, franceza e ingleza, arithmetica,
geographia, msica, piano e canto, alm de
costura cha, bordados; etc.
Sao professores do collegio os Drs. Joao
Baptista Regueira Costa, Cicero Odn Pe-
regrino da Silva, a Ex-na. D. Angela Gui-
maraes e o maestro Candido Filho
WBB-^
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especial!-
aade de molestias de senhoras e creancas
Consultorio e residencia ra da impe
ratriz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 as 10 da macha.
Chamados (por escripto) 4 qualquer hora
TELKPHONE N. 226
._ jDUs-feiras
Esplendido tailes e patlnacao, e tudo isto com
entrada gratis /
paia o que, se acba mensalmente contractada a
excellente banda de msica do Arsenal de Guer-
ra.
Servico de Restaurant sem ore a coatento.
Bebidas geladas e refrescos, tudo de Ia qua
lidade.
Portas francas e livres entradas a todas as
pessoas que se acbarem regularmente vestidas.
Pede se que, para boa ordem do servigo, que
tanto importa a commodidade do respeitavel pu
blico, que seja mantido o regulameuto policial.
AVISO
A administraco deste estabelecimeuto fran
queando suas portas ao publico para todos os
festejos que all se promovam fora dos das de
carnaval, o faz no intuito de conciliar seus de
sejos ue bem servir e ser agradavel, mxime
na poca iificil que se atravtssa e n'uma cida-
de que a primeira do norte dos Estados-Uni
dos do Bras I, e em que este estabelecimento 6
o nico que esta as coodicc-es e capacidade
como ponto de distracces.para todas as classes
sociaes, 'jiesmo as m nos abastadas.
A.' -.iVa Hamburgo!
AoCaf Jarifau!!
E viva a briosa e Ilustrada mocidade pernam-
bucaua !
Auxilios lavoura
Pereira arneiro & C. continuam, autorisado.-
pelo Banco do Brasil, i conceder emprestimo
a lavoura das provincias de Pernambuco, Aia
goas.Parahyba as condices de que os ioteressados serio infor-
mados no escriptorio ra do Commercia n. 6
das 11 horas da manli s 2 da tarde.
Cirurgiao Dentistj
DR. ROBERT P. RAWLINSOi
mado pela Universidad de Maryl,
Estados-Unidos, tem aberto-'O aea./i
torio, na ra Barao do Victoria 18,
dar.
Consultas da 10 as 4 horas da ta.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, eculusta,'
ex-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, de volta de sua .via-
gem Europa, d consuIU (
1 s 4 horas da tarde, no \
andar da casa n. 51 roa de
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e das santificados.
Telephone 285.
Residencia ra Sete de Sctem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Telephone 287.
MEDICO HOMEPATA
Dr. Baltl.su.ur da Silveira
Especialidadefebres, molestiaE
das criancas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Pr e s ta- se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
ELIXI
Mil.
*"
0 Dr. Ermiro Cootioho,
&
COMMERCIO
Revista do Mercado
RiCIFK, 22 1>K FEVEBEIBO DE 18S0.
Pouco movimenlo na praca, constando entre
tanto algumas transaccOos no mercado de cam-
bios.
Bolsa
d. per
OMFAQOM OFFICIAB8 DA JUSTA DOS COB
BETOBES
Recite, 12 ae Fetereiro de 8<0
iambio sobre Londres, 110 d/data 24
1*000, do banco.
u nresideote.
Antonio Leona 'do Rodrigue?.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
Cambio
PBAQA DO RECIFE
Qs bancos vollaram para a taxa Je 24 d., offe
recendo todas saccar a 24 1.16 se apparecesse
dmheiro.
Os tomadores exigirn 24 1/8
Papel particular foi passado a 24 -'1/16 e ao fe-
char do dia foi procurado a esta tara. ,
PBACA DO BXO DE JaN'EIBO
Os bancos abriram a 24 1/8, saccando o Lon-
don a 24 3/16 sobre a caixa matriz.
Papel particular foi passado a 24 1/4 e 24 5/16.
Lettras escassas.
TABELLAR AFFIXADAS
^5
rouchlc aguda ou chroica
O Peitoral de Cambar o melhor rr-
medio.
Couro
Covm salgados 370 res, e es ?erdes a
ris.
.gurdente
Cota-se a lOOiOM), por pipa du 480 litro.
Alcool
Cote-se a 200OOO por pipa de 480 litros.
Mel
Cou-se a aaiOili) por pipa de 480 litro
\'av(o* descarga
Barca nacional Belts. varios genaros.
Barca americana Fred W. t arlon, algodao.
Barca sueca Balder, carvSo.
Barca allem Schmm. varios gneros.
Bngue mglez Talbot, baCdlbo
l'alaco nacional U. Atina, farello.
220

de rolta de sua vagem Europa, on-
de se dedicou especialmente ao es-
udo das molestias do systema ner-
voso, lixou sua residencia e consul-
torio ra da Aurora o. 85.
Consultas de meio dia s 2 horas.
TELEPHONE N. 367
Inglez e Franeez
Cursos ra da Aurora, n. 37, 2.* an
dar.
fteeebedria
Do dia t a 21 40 92U545
dem de 22 4:57389S
gcral
45:4954i0
Reccbedorla do Estado de
Pernambuco
Do dia 1 a 21 22:8 U54-7
dem de 22 3074145
23:38692
DEPURATIVO M S-VNGE
Approvado pela Exma. Junta de Hjgiene e preparado por
JXXAJO X3JL SXX/V\A> SXX>V3ersrLA.
Chiraico e Pharmaceilico
PELOTAS RIO-GRANDE BRASIL
Este elixircomposto de vegetaes de reconhecido mrito, em
pregado com vantagens as molestias seguintes:
Escrophulas, rheumatismo, gonorrhas, rachitsmo, impingens, ulceras, tumores,
sarnas, bobas, manchas da peJle, carbnculos, flores brancas, boboes, commentos dos
ouvidos, fstulas, cancros venreos, inflammacoes do tero, inflamma^oes de olhos, es-
pionas, affec^oes syphiliticas.
A sua efflcaeia attestada por filustres medieos que o reputam superior aos ntedicamen
tos anlogos. Leiam com attenco os attestados mdicos que em seguida publicamos e teroa
prova de que o nico depurativo infallivel do sangne o-^miiir de Xogueira, Salsa, C aroba e
Guayaco.
ATTBSTADOS DO ILLSTRADO GORPll MEDICO DA PROVINCIA
O abaixo assignado, doutor em medici-1 tonio A. AssumpcSo. Est recx>nhecido precioso Eltxie de Nogueiba Salsa
pela faculdade do Rio de Janeiro, con-1 na formada lei pelo tabelliao Luiz Felippe Caeoba e Gaiaco com muito bo'm xito.
decorado pelo governo portuguez, medico
do hospital da Beneficencia Portugueza
desta cidade, etc.
Attesto que as molestias de fundo sy-
philitico, em suas diversas e variadas for-
mas, a applicajao do preparado denomi-
de Almcida.
e tenho aconselhado aos meus clientes qua
j o Jizem com toda a confianga e esperanca,
Eu abaixo assignado, doutor era medicina jpos a sua preparajao preenche perfeita-
pela faculdade do Rio de Janeiro, etc., mente o no&so desidertum. Vou empre-
etc. < 'garas pilulas ferruginosas de mea grande
Attesto que empreguei o Elixir de No- collega, em todos os casos em que se fi-
dado Elixir de Nogueira. Salsa, Caroba e gueira, Salsa. Caroba e Guaiacu, prepa- zer sentir a necessidade do eroprego dos
Guaiaco, do Illm. Sr. Jo2o da Silva Sil- rado pelo distincto pharmaueutiuo JoSo da ferruginosos.
veira, tem sido de maravilhosos resulta- .viva Silveira, em um caso de ulcera sy- i Continu V. S. a trilhar o mesmo ca-
dos. O re/erido verdade sob a fe de philitica, dando este medicamento resul- : minlio com toda a dedicac3o, para um da
meu grao. tado o mais favoravel. ichegar meta dos seus desejos e receber
Pelotas, 30 de Abril de 18SG. Dr. Pelotas, 5 da Maio de 18S6. Dr. Joa- i o competente premio do seu insano e es-
BarSo dos Santos Abrcu. Est reconhe- quim Rasgado. Est reconhecido ua fr- ; pinhoso rabalho.
cido na forma da lei pelo tabelliao Luiz ma da lui pelo tabelliSo Luiz Felippe de ; Rio Grande, 8 d Abril de 1886.Dr.
Felippe de Almeida. Almeida. I Nicolao A. Pitombo.Est reconocido
na frm da lei peto tabelliao Luiz Felip-
Eu abaixo-assignado, Dr. em medicina Eu abaixo assignado, doutor em medicina. pe de Almeida.
pela faculdade do Rio de Janeiro, con- i pela faculdade da Baha, memoro da!
decorado pelos governos de Allemanha, i sociedade franceza de ophtciraologia e I Attesto que tenho empreado na minha
Portugal e Italia, medico do hospital de da sociedade zoolgica de Franja, etc., i clnica o Elixib de Nogueiba, Salsa, Oa-
Misericordia desta cidade, etc etc. etc boba e Gaiaco, preparado pelo Sr.
Attesto que tenho empregado muitas Declaro que o Elixir de Nogueira, Sal- pliarmaceutico Joao da Silva Silveira, ob-
vezes o Elixir de Nogueira, Sabsa, C&Tdba sa, aroba e Gaiaco, do pharmaceutico: tetido sempre os mais brilhntes resulta-
c Gaiaco, preparado pelo Sr. Joao da S1- Jlo da Silva Sveira, prestou-ine reaes, dos, principalmente as molestias de ori-
va Silveira, como um poderoso agente em servicos nos casos de syphilis terciaria e gem syphilitica.
casos de infccySo syphilitica ldiathese em todas as affecyocs de fundo escrophu- j O referido verdade e por me ser pedido
escrophulosa, parecendo-me supeaior aos loso. | passo o presente que affirmo in fide medi-
analogos que nos vem do estrangeiro. Por' Porto-Alegre, 5 de Maio de 1886. 'ci.
me "ser pedido passo este cuja verdade Dr. Vctor de Brito Est reconhecido nal Jaguarao, 27 de Abril de 1886.Dr
affirmo em f de meu grao. forma da lei pelo tabelliSo Luiz Felippe Estevao de Sonsa Lima.Est reconhe-
Pelotas, 6 do Maio de 1886.BarSo j de Almeida. I cido na forma a lei pelo tabelliao Luiz
de ltapitocay-Est reconhecido na forma ,'Eu abaixo assignado, doutor era medicina Felippe de Almeida.
da lei pelo tabelliao Luiz Felippe de Al- pela faculdade do Rio de Janeiro, etc.,
Recffc Dralnage
Do dia i a Si 3:2371434
dem de 22 1:003*9*8

'
Algodao
Cota se r de i* sorte do serlo na razio de
7*000 7/100 por 15 kilos.
A exnortacao feta pela alfandega neste mez at
o d>a 20 constou de 1.409.216 kilos, sendo.......
1.238.030 para o exterior c 151.186 para o inte-
rior.
As entradas verificadas at a data de h.ije so
bem a 21.870 suecas, sendo por :
3.i45 Saccaa
176 -
6.902
1627
3 246
8.71
Bircacas.
Vapores ......
Ammaes.....
Via-ferrca de Garuar.
Tia-ferrea de S. Francisco.
Yuirferrea eLimoeiro
Somma-
21.870 Saccas
Assucar
Os precos pagos so agncultor, por 15 kilos, se-
gunde a Associago ommercial Agrcola, foram
ot se?uinte3:
Usinas .
8Knco .
Somenos.
Mascavado purgado
srutos .
Rtame .
41030 a 4300
3*900 a 45*
2/iOO a 249 -0
U8X) a 14P00
300 a 1K)
O*!*!-!
Iniportacio
Vapor nacional Principr do Grao Para, entrado
dos porto do Sul em 22 de andante e consigna-
do a Pedro Osorio de Cerqueira. manifestou :
Barns 20 a Guimaraes & Valente.
Panno de algodao ?70 a Rodrigues Lima & C.
Lugar ingles Belle ofthe Exe, entrado de Terra
Nova e consignado a J. II. l'erman.
Bacalnau 2,592 barricas e 1,730 meias ditas
ordem.
Exportaco
BSCIF, 21 DB FBVKRKIKO DB 1890
Para oexlertor
ao vapor inglez Aulhor, para Liverpool
carregaram :
J. H. Boxwell, 600 saceos com 45,000 kilos de
assucar mascavado.
Borsielman & C, 332 saccas com 22,778 kilos
de algodao.
Blackburu Needhan C, 120 saccas com-----
104,i 1 kilos de algodao.
Para o ulterior
No Tapo- americano Alltanca, para Para,
carregou :
V. da Silveira, 100 barricas com 6.037 kilos
de assucar branco.
No vapor nacional Jacuh\pc, para Batur,
canviMram :
Poblmau & C, 1,500 saceos com U2.5Q0 kilos
de asquear mascavado e 10 barns com 1,600 li-
tros de mel.
No vapor americano Adcance, para Santo?,
carregou :
J. H. BdxwbD, 20 pipas cem 9.600 litros de
alcod.
No lugar nacional Loyo, para Pelotas, car
regou :
I. L. de Azevedo, 2,000 eoco3, frocti.
No lu^ar inglez Eldra, para Pelotas, car
recou :
M. Amorim, 150 barricas com 15,300 kilos de
assucar branco e 50 ditas com 5,100 ditos de dtt >
mascavado.
No lugar noruegaen3e kts, para Santos,
carregaram :
Niemeyer Cahu 4 C, 625 saceos com 37,500
kilos de assucar mascavado.
patacbo boliandez Clara, para Pelotas,
carregou :
A. C da Silva, 710 volomes com 56 738 kilos
de assucar branco e 90 ditas com 8 5?5 ditos de
dito mascavado. *
Na barca nacional Belly, para Rio de Ja
neiro, carregaram :
Amoriui Irmos & <:.. ''J meios desoa e35
pipas com Iz.i 00 lili os de agurdente.
M. L. de Sa, 40 fardos com 3,000 kilos de
algodao. *
, Na cter Oliveira, paca Mossor, carrega-
ram :
I. J. da Silva Caer pos, 15 barricas com 710
kilos de assucar branco, 2 ditas com 120 ditos
de dito refinado e 8 ditas com 480 ditos de dito
mascavado
M Viega C, 30 catxas com 240 litros de
genebra.
*Ui7
Mercado municipal de S. Jos
O movimento deste mercado no dia 21 de Pe-
vereiro foi o seguintc :
Entraram :
25 1/2 bois pesando 3.756 kilos.
1823 kilos de peixe a 20 ris 36*460
10 cargas com farinba a 300 r>. 2*ou0
4 ditas de fructas d:versas a 300 rs. 14200
34 columnas a 600 rs. 20*400
62 taboieiros a 200 rs, 2*400
8 suinos a 200 rs. 1*600
1 escriptorio a 300 rs. 300
71 compartimentos com farinha a 500
rs. 35*500
27 ditos de comidas a 500 rs. 13*500
99 ditos de legumes e fazendas a
400 rs. 39*600
17 ditos de suinos a 700 rs. 11*900
9 ditos de fressuras a 600 rs. 5*400
21 ditos de camarOcs a 200 rs. 4*400
25 tainos a 2* 504000
meida. etc.
Attesto que tenho empregado, sempre
Gervasio Alves Pereira, doutor em medi-com magnifico resultado, e Elixir de
cia pela faculdade do Rio de Janeiro, i Nogukiba, Salsa, Caboba e Gaiaco, pre-
cavalleiro da imperial ordem da Rusa, parado do Ilustrado chimico pharmaceuti-
etc, etc. I co Joao da Silva Silveira, nos casos de I g CQ DreDara(j0 r
AKesto que tenho empregado contra a escrophulas e molestias de origem svphiliti- i i T. j o
__i i pr j xi oi i v re e- 3 i- ]V i Jo pharmaceutico Joao da silva Silveira,
escrophula o Elixir de Nogueira, Salsa,; ca, o que affirmo em fe de medico. I J* -, '
i- l ni ,n j r j ioo r t. pelo que o considera um excellente pre-
uaiaco, preparado pelo phar-1 Pelotas, Io de Maio de 188b.Dr. Rav- r i ,
c t 4 i cs-i vi j -ir 3 s n i -I Durado, superior aos que importamos do
br. Joa da !si:va bilveira, imundo V. da Silva.Est reconhecido *
O abaixo assignado, doutor pela facu'dade
do Rio de Janeiro, Io cirurgiao do cor-
po de sadc do exercito.
Attesta que tem empregado com excel-
Ilentes resultados o Elixu de Nogueira,
i aroba e G
maceutico o
com bom resultado e por isso o reputo i na forma da le pelo tabelliao Luiz Felip-
ura excellente remedio para combater as i pe d Almeida.
molestias de fundo escrophuloso. O refe-
ido verdade e por rae ser pedido passo
) presente sob a f de meu grao.
Pelotas, 29 de Abril de 1886. Dr.
estrangeiro.
O referido verdade pelo que passa n
presente que affirma in fide medici.
Illm. Sr. Jo2o da Silva Silveira, Jaguarao, 5 de Maio de 1886.Dr.
pharmaceutico e chimico em Pelotas. i Diogo Fernandes Alvares Fortuna. -. Esti
E' com o mais subido prazer que venho reconhecido na forma da lei pelo tabelliao
Gervasio Alves Pereira. Est reconheci- aecusar o recebimento do seu prezado fa- Luiz Feiippe de Almeida.
do na forma da lei pelo tabelliSo Luiz Fe- vor de 5 do corrente acampanhando um
lippe de Almeida. j frasquinho com 50 pilulas formuladas pelo Eu abaixo assignado doutor em medicina
consummado e distincto pratico, o Ilustra-'. pela faculdade do Rio de Janeiro.
Eu abaixo assignado, doutor em medici- j do commendador Dr. Miguel Rodrigues Attesto que tenho empregado em mi-
na pela faculdade do Rio de Janeiro, Barcellos, e preparadas com toda perfei- nha clnica, e sem com excellente resulta-
medico do hospital de Misericordia des- i cao e nitidez por V. S. Na verdade nao do, principalmente as affeccoes de ori-
ta cidade, etc. | posso deixar de elogi*l-o pelo relevante ser- gem syphilitica, o Elixir db Nogueira,
Rendimento de 1 a 20 do Crreme 4:
234*660
420
Precos do dia:
Carne verde de 200 a 480 ris o kilo.
Sainos de 520 a 560 ris idem.
Carne i i-o de 6 40 a 800 idem
r arinha de 480 a 560 ris a caa,
Milho le 420 a 430 ris idem
Feijio de 900 a 1*200 idem.
4:7344080
Attesto que tenho em; regado o Elixir ] vico que V. S. tem prestado e ha de pres-
de Nogueira, Salsa, Caroba e Gaiaco, \ tar sciencia medica. Entendo que o
preparado do distincto pharmaceutico Joiio ; meu nobre amigo digno de todas as
da Silva Silveira, nao s na clnica civil- attences e merece ser auxiliado por to-
como na do horpita!, com o mais espan, dos os clnicos desta proviucia e fra
dido resultado, o que affirmo ser verdade. de;la.
Pelotas, 5 de Maio de 1886. Dr. An- j Declaro-lhe que tenho empregado o seu
Salsa, Coroba e Gaiaco, preparado do
Sr. pharmaceutico Joao da Silva Silveira.
O que affirmo sob a f do meu grao.
Hervai, 7 de Julho de 1886.Dr. Jos
Adolpho Rodrigues Ferreira.Est recof
nhecido na forma da lei pelo tabelliao
Luiz Felippe de Almeida. *
r
Vapores a entrar
HEZ DE FEVERETRO
Norte......... Espirito Santo ....
Norte........ Ptrapama.........
Sul........... Allianga..........
MU.......... Yule de Pernambuco;
sul........... Brania........
Europa...... Vle de Baha.....
Europa....... Esnol. .......:,.,. 26
Europa....... Szechenye......./. 26
Norte......... Adcance.......... 27
Sul-
m$ ...i.......
A exportaco rol ta pela alfandega nesta mei at
o dia 20. constou de ia3 para j exterior e 10.308.499 para o interior.
As entradas verifle-tdae at a data de hoje to-
bem a 121.673'accos sendo por ;
oarcacas .... 42.436 Saceos
Vapores.....^H
Animaes....
Via-fertea de Caruarfi.
v'ia-fcrrca de S. Francisco.
Via-frrea do Limoeiro w .
Beudiuientos pblicos
MSZ DC PEVKRBIBO
Alfandega
. tenda geral :
Do a 1 a 21 598:108*921
ldem.de ti 2656S311
Somma.
121 73 S cees
624:677/242
Renda do Atado de Pernambuco :
Do dia 1 a SI 124109*284
, dem de 2 10009*710
134:118*994
Somma total 758:796*23^
Segurifla seceo da Alandega de Pernambuco,
22. de Fvereiro de 1890.
O. tbesoureiroFlorencio Domingues.
0 chefe da seccaoCicero B. de Mello.
Vaporea a sahlr
MEZ DE FVEREIRO
Bania e esc... P. do Grao Para... 24 as
Sul.......... Espirito Santo...... 24 as
New-York-----AlLanca .. /.''..... 25 as
Bahia e esc Jaculiype.......... 26 as
Lverpool..... Bntania ... r 26 as 10 Ir
santos e esc.. Esnol............. 7 as 4 hf
Norte.......Mmts.*.,....... 27 as ff-M
Santos e esc Advanee .*........ 28 as i>tal
Banco Sttti^ricaoo
38Ra do Coimerclo-3
Compra e vende saques sobre Bahia, Rio de
eiro, Santos, S. Paulo, pampinas e Para, e
uaesquer operacOes, di crdito sobra as
mas pracas.
-4- jp
Banco Sul-Americao(f.
38 -Ra do Commercio3 8
Sacca por todos 03
Portugal em Lisboa,"
do mesmo reino.
Amigo e Sr. pharmaceutico Jo5o da Silva Silveira.Em contestacao a sua pergunta, relativa aos resultados que tenhe
obtido com a applicayao do ELIXIR DE NOGUEIRA, SALSA, CAROBA e GUAYACO, tendo a satisfaslo do communicar-
lhe o seguinte:
Fazem seguramente cinco annos que emprego na minha clnica o aeu j tao reputado Elixir em muitas affecccs de
natureza svphilitica e em algumas de fundo escrophuloso, tornando-se mais notorias as virtudes curativas deste preparado as
primeiras 'aquellas affecedes.
Com o seu uzo prolongado nunca observei as perturbares gstricas qne sem appareccr quando applicamos outros me-
dicamentos congeneres, tornando por isso segura e fcil a sua administracSo at as creancas.
Nito hesitarei em recommendal-o com confianca nos estados pathologicos supramencionados, sendo como a nobre mis-
sSo do medico contribuir para o allivio e bem estar da humanidade que soffre.
Autorizo-o a que faca o uso que lhe convier d'esta minha declaracao e disponha do amigo obxigadoDr. Alvet
feuiao.
t'
NC08 DEPOSITARIOS EM PERNAMBUCO

Francisco
da Silva k C.
iPre^os: Duzia
23Ra de Mrquez Oliada23
30$OQO
Vidro
3^000
UE
ares sobre Banco H
e outras localidad/ti
Hoviuie
Navio ei
Bahia o escalas,
Principe do
ladas, comn
o 'do porto
\dno dia 22
i vapor n,
, de 500 *,
Julio Cesar da.1.a-
:a*
cerda, equiplfeni ?8, carga varipi
eros a Pedro serio de Gerquelr*/..'
Navios MMpof no mesmoaia.'>
MaceiVapor-giglez Author ^ayinn
dante a
eros.
New YorkBllgue inglez Talbot
Sandars Pujt, em lastro.
4
ven, carga varios ge-
ENFERMJDADE E' EST^A QUE
N.OS.ACOMMETTE?
Como o ladrSo que nos ataca noite,
,ella acommette-nos s oceultas. Os afligi-
dos desta doenca tm dores de peito, de
lados e, algumas vezes, de costas. Nao
uerem fallar, e sentem, necessidade de
ormir. Percebe-se na boca "Hm sabor d.s-
radavel principalmente pela manh2. Os
entes cobrem-se de urna especie de ma-
teria viscosa; e o appetite desaparece. O
pacienle sent como que um grande peso
no estomago, e, s vezes, urna censacSo
de, vazio no mesmo orgSo. Na boca do
estomago ha muita fraqueza ; e a nutricao
na%w-oduz satlsfacao ^Iguma *-Os olhos
empapam-se e as maos e os ps esfriam^
pecie de tontura na cabeca quando se le bre cada um -daquelles o%Sos, e tambem
vanta sbitamente. Ha prisao de veBtre ; 80brQ 0 estomago/ Sos casos de Dys-
a pelle torna-se secca e quente alternati-; pett^^8endo este o verdadeiro nome da
vamente; o sangue acha-se espesso e iner-! enfermidade) todos os citados orgaos desor-
te ; a cor do branco dos olhos amarelien- d'am-se ao aiesmo tempo, e pracisam de
tajea uriaa quasi nonhuma e muito J unja medicina^ue possa obrar sobre to-
corada, deixando %n deposito no vaso. Ojdos elles simultneamente. O Xarope
afligido muitas vtees obrigado vomi- j Curativo de Seige! Mduz um effeito ma-
tar os alimentos que toma, e estesvomitos gico cm esta elasse de padecmentos dando
deixam-lhe na boca um gosto urnas vezes um allivio quasi inmediato, O Medica-
anfargo e outras vezes adocicado. Este.merito vende-se por' t^os os Pharmaeeu-
estado de coisas frequentemente seguido! ticos e Boticarios do 'mundo inteiro, e pe-
de falpitayoes do coracSo. Enfraquece aj 103,: roprietarios, A/'J. Whjte (Limited)
vist%do diente, e elle parece ver nodoas' lT^arringdbn Road Londres E. Ci lu-
dante dos olhos, sentindo um grande can-! laterra.
Sajo e debilidade. Estes symptomas ap-| Dep^itarios nairovincia de Pernambu-
6em cada um por sua vez. p.zem' CQ atcado Francisco M. da Silva& C.
nt fin *_..-., i
capitSo

e tornam-se iscosos. Algum tempo depois que o teryo da noSsa populacho soflre da-|na ^(j^Je de Pernambuco.
principia urna toase, secca no comeco e, quella enferraidade sol alguma das suas.
em seguida com urna expectoracao esver-' formas. Indubi avelmente, os mdicos sem- Vendedores retamo, na cidade de
dinhada. O^oent* queixa-se de um can- pre s'enganarara sobre a natureza. da cita-
caco iflterminavel, e, quando procura dor- da molestia. Alguns trataram-n-a como
mir pa"pouco, nenhum allivio sent. Logo (affecsSo do figado ; outros. como doenca
depois, p enfermo torna-se nervoso e ras-' dos rins; mas, nenhum tratamefc consc-
civel, e o seu espirito nao Vi senao trfctes guio cural-a, porque o remedio devia se
presagios.- Elle sent vertigens
- urna ip-. susceptivel de
obrar harmoniosamente so- Silva.
Pernambuco, Barthotomeu C, J. C. Levy
& C. A. M. Vera* & O Rouquayrol Fr-
res, Faria Sobrinho en Palmaros, A. C. de Agujar; e em 8.
Joa.i da Igreja Nova, J. A. da Costa e
J

i,.
I
I

l

. }
K

.
i
^
c



r

',. i
Diario de PemambucoDomin
Toiie convulsa! coqueluche
Nao deis criacca enao o Peitoral de
Cambar.

Advogado
ss. l :::::alsc as ssza
Hudou o seu escriptorio para a ra do
mp-rador n. 32. pr meiro andar, onde
pode ser procurado de 10 da mariha as
Ida tarde.
Residencia Ra Imperial n. 14S
Xt TelepaoBC n. 102.
Sfe------------------------&&
JULIO S0ABE5 SS AZS7SS0
PROFES80B PARTICULAR
Lecciona primciras lettras, era casas
particulares a ambos os sexos, quer na
cidade, quer fora delta, por precos ra-
sca veis.
Pide ser procar.ido lodos os dias das
3 horas da larde em diante, no b?cco
das Barreiras n. 23, defronte do Dr.
Curio.
Garante um rpido adiadamente.
de Intendencia
de Olinda,
cm
Municipal
virtde da
Advocacia crime
RIBEIRO DA SILVA, defende perante o
I jury de Palmares, Agua-Preta, Gamelleira,
| Escada, JaboatQo, Natareth, Victoria, Tira-
/bauba e as comarcas visinhas as vias
l frreas.
Pode ser procurado a ra Io de Marf;o j
|n. 7 A.-Livraria Parisiense. >

Porto
Rosario nu-
mero S
SEGUNDO ANDAR
Contina a executar os mais difficeis j
Ifiguriaos recebidos de Londres, Pariz,<
) Lisboa e Rio de Janeiro. (
i Prima em perfeicio de costuras, em j
Vem brevidade, modicidaue em precos e
(j fino gosto.
es

Leonor
Ra Larga do
O conselho
da cidade
lei etc.
Faz constar a quem interssar possa
que estar em hasta publica para ser ar-
rematado por aforamento, nos das 27 do
corrente, 6 e 13 de Marco prximo vin-
douro, o terreno sito na travessa de S.
Pedro Apostlo, por traz do ayougue pu
blico, tendo as seguintcs dimensSes: lado
do Nascente (frente) 22 metros e pO cen-
tmetros, fundo 17 metros e 30 centmetros
a encontrar os p.r does do acougue pu-
blico, sob a base de* 20 ris o palmo,
sendo o proponente obrigado a trazer dita
travessa em completo asteio.
Os pretenden! es podero comparecer nos
referidos dias do Paco da Intendencia
Municipal deste cidade.
E para que chegue ao conbecimento de
todos mandn, publicar o presente edital
pelo Diario e atxa- na porta do edificio.
Paco da Intendencia Municipal de Oim
da, 20 de Fevereiro, de 1890
Dr. Albino Gongahes M. de Vasconccllon.
Presidente.
Jote Afarcolino da Fonteca Mj.nguinho.
O advogado Jos Antonio de
Magalbaes Bastos, voltou para o
seu antigo escriptorio ra
Djque de Caxias, n. 66, 1."
andar.
EDITAES
3 de Fevereiro de 1S86 a Inspectora Gera
Hygiene faz publico. |n-lo prazo de 8 dias, que o
cidado Salus'iano B.zerra de Pon tes J lie dirigi
aseguinte petlcao, com documentos que satisfa-
zem as exigencias do art. 63 do citado regula
men o : .
Diz Salusjiano Bezerra de Pontes, qoe, ten-,
do a n<*cessaria pralira de botica, vem solicitar
de V. Exc. a necessaria licenca para que pos3a
abrir um sstaheleciniento dessa naturtza na
vi)l.i i.'e Ouricury. do Estado de Pernambuco
Tomo ver V. Exc. dos documentos juntos,
nao .-o o supplicante se mostra habilitado para
a tim requerido, como prova a falta de botica
naque'.la localidade, em lugar central, e alias
papuloso.
o documento que respeilo offerece. um
attisia'lo da respectiva Cmara Municipal. E
assiin pretnchidas as mais formalidades legaes.
que no caso se requerem, o supplicante pede
defenmentn.E. R. M. >alustiann Bezerra de
pmtes. Crie. 20 deOuiubrode 18S9 Sobre
uro MaOfrilhi de 200 rs.
E declara que. se nesse prazo, nenbum pilar
maceutico formado lh* communicar ou a lispe-
cfnris de Hjjii ni- do Estado de Pernambuco, a
resolui;.io di* est-ibelcivr pharmacia na citada
lucal.ii..dc,-i.oiixder aopralico a licenja reque
ridu.
1 ispectona Geral de Hy-jien-, 9 de Janeiro de
1890.Dr. Pedro Affamo de Carcatho, secretario.
cidado Dr. Jos Emjcdio Goncalves Lima,
jui?. municipal e do civel do termo de Ipojuca,
comarca do 'labo. Estado de Pernambuco, em
v.riude la le, etc.
Faco saber aos que virera o presente edital de
viSle dias. que. por este juizo tem de ser arre
malario por quem mais der, oo-aia 27 do cor-
rele m?z, depois das audiencias dsie juizo,
engi'.nho Fernandes e seus pertences, moente
e corrente, com todas as suas bemf> itorias. e
nove casas para moradores, sitas neste termo,
penhoraito a Joo Xi'ie.- de Cerqueira Brito e
ana mulbtr, em execuco que contra elles move
a F.i .crida Nacional como iadores d. ex tnesou
*eiro >l.: T:ie..-ourana de Fazenda deste Estado,
b charel Edcardo d^ Barros Falcao de Lacerda,
ujo engenho e seus perlences foram adjudica-
dos Fazenda Nacional por napjiaver licitantes
a prim ira, segunda e tercerra pracas: e de
novameo'.c levado praca a requerimetto do
r. procurador fiscal e dos fetos di fazemla
com o aba'.imento da quarta parte da avaliaco
re 20:000*010. pela quanlta de 13000*.
E para que chegue ao cjobecimemo d%iodus,
mando! passar o presente ediial.que serali.vsdo
ao loi;ar do cosame e publicado pela imprensa.
D:i;!o f passado nesta villa de Ipojuca aos
d d as de evereroflle 1890.
Em Ju Genuino Ferr '
Obras Publicas
De entera do cidadcengenheiro director e em
vinude da auio:iacao d-j cioaJ.) iiiarechal go
veruador d'esle Estado, conlida em oflici) do 13
do corrente, fago publico que no da 13 de Marco
prximo viudoaro recebem-se propostas, em car
tas fechadas, competentemente selladas e com as
respectiyas firmas reconhecidas, paraaexecucao
tes reparas de acude do povoado de Lagoa do
Carro, na comsrea de Nazareth, oreadas em
2206*703.
As propos'as deverQo declarar o preco pelo
qual se obligara os licitantes a executar a obra,
como o local de sua residencia e as babititacOes
que possuam para dirigir os Irabalhos, as quaes
seto ^bertas ao meio da em presenea dos pro
ponentes.
Havendo duas ou mais propostas em completa
igualdade de condices, sero chamados os pro
ponentes para declarar quaes as modificacOes
que fazem alim de celebrar se o contracto com
aqueile que fizer modificacOes mais vantajosas
Nao scrao acceitas as propostas nos seguales
casos :
Io As que excederem dos procos do orea
ment.
2 As que nao forem organisadas de accordo
com o presente edital.
3o As que nao offe ecerem as garantas exi-
gidas.
4* As que se basearem sobre os pretos das
propostas dos ouiros con urrtntes.
3* As que forem apreseutads por pessoas que
ji tenham deixado de cumprir contractos cele
brndos com a reparticao.
O orcamento relativo a obra, as clausulas ge-
raes e et-peciaes do contracto e mais conoic,6es
sero franqueadas n'esta secretaria ao exame dos
concurrentes.
Para concorrer praga cima deverao os lici
Untes depositar n'esia reparticfto, na vespera do
da da arrematagao, das 9 as 3 horas da tarde, a
(juantia de 110*333, equivalente a 5 % do valor
do respectivo orgamento.
Secretaria da Uirectoria de Obras Publicas, em
19 de Fevereiro de 890.
O eogenheiro yodante.
A. Reg Nbtto.
S. R C.
Mocledade Recreativa Commerclal
Assembla extraordinaria em23 do corrate
De ordera do cidado pr>'Sidentt-, sao convi-
dado a compareierem as 4 horas da tarde de
dr.miogo 23 do dual, os cidad.los consocios,
aOm de procederem a eleigo da nova directora.
Secretaria da Sociedade Recreativa Commer-
dal, 21 de Fevereiro de 1890.
O 1 secretario,
Armonio Vieira
1 erco. Ket rolara do Coiornu
do Etado de f'eraantbnco, 19 de
Fevereiro de is-.M
Por esta secretaria se faz publico a qnem o-
leressar possa, que, por portara de boje, do
marechal Governador do Esudo. foi prorogado
por mais tres mezes, para to tos os ofliciaes da
guarda nacioml. nomendos de 13 de lulho de
1889 at 12 de N'jveinbro do mesmo anuo, a
contar da presente dta. o praso para os refer-
aos ofliciaes solicitaren) as respectivas patentes.
O secretario,
Antonio Ignacio de Mosquita Neves-
' onvidamos aos senhores subscriptore- desta
gul amento que baixmcoro o decreto n. 9 334 de I compauhia para, de ac rdo com os arta. 9 e K
de 'dos estatutos, realisti
Companhia Alagoana
de Fia^o e Tecidos
aren at o da 28 de Feve-
reiro a nona entrada na razo de 10 0/0 do valor
de suas acgOes, o Banco de Pernambuco.
Macei, 6 de Fevereiro de 1890.
Os d rectores,
Jos Teix ira Machado.
Jo.- Januario P. de Carvalho.
Propicio Pedroso Barreto.
eM esc vo, escre,
Jos EmygdTo Goncalvis I
DECLARARES
Barreo
m

de Cre
Real de
"Bernamt)uco
A adrainistracao deste Banco,
de con
fjrmidade com o ar. 16 do decreto de 17
de Janeiro do corrente anno, que refor-
aou a le n. 3050 de 4 de Novnlbro de^j
1S82, faz se ene aos senhores accioniatbs
que em sua sede, a ra do Commercio
a. 34, se acham dispoi'cSo dos meamos
a copia do balanco, a relacao nominal dos
accionistas e h lista das transferencias das
acgo durante o anno findo.
Recie, 22 de Fevereiro de 1890,
Os administradores,
, Manoel JcSo de Amorim.
Luiz Duprat.
Antonio Fernandes Bibeiro.
Irremati^ao
No dia 7 de Fevereiro ser arrematado o enge-
nho Jaguaribe, sito no termo da Escada, por
20:000* ; qoem quizer fazer acquisigo de urna
boa propriedade, chegada a occasio Muito
commodo por distar meia legoa da cidade, ter-
reno muito frtil e contiguo ao engenho central
de Firmeza.
A praga ser na casa das audieucias pelas 9
horas da manna do indicado dia cima.
Pica transferida essa praga para o dia 12 do
correte, por impedimento do juiz suDslituto que
funcciooou no feio.
Nao podendo ter lugar a praga designada para
o da 12, foi de novo transferida para o da 23
do correnle as mesmas horas.
Thesouraria de Fazenda
VENDA DE CALCADO
D.i orden) do Sr. inspector e de conformidade
com o offl :io do cilad) Goveruador du Estado,
de 18 do correrte, sero ver dido- em basta pu
blica no da 27 do corrente. 11 horas da ina
uh, perante a jubu de Fazenda desta Thesou
taria, 12,513 pa'es de sapatos faoricados no
presi lia de Fe'roand} de Noronha os quaes se
achara deposita os oo Arsenal de Guerra, on e
podero ser examiua los pelos infressados.
Thesouraria de Fazenda do Estado le Per
nrraboco, 2l de Fevereiro de 890
O secretario da junta,
Dr. Antonio loi de Sant'Anna.
Obras publicas
De ordem do cidado eogenheiro director e em
vinude da aotorisagao do cidado marechal go-
vernador u'ose Estado, de 19 do orronte, 'go
publico que no dia 15 de Margo prximo vindou
ro recebera se propostas em cartas fechadas para
a execucao dos reparos da ponte do Pontal na
litis de itamarac. orgados om 4:063*187.
As propostas devera s^r competentemente sel-
ladas, assignadas pelos licitantes com as firmas
recoohecidas e devei&o declarar o prego pelo
qual se obrigam a executar a obra, como o local
de ua residencia e as habilitagOes que possuam
pura dirigiros trabalhos, as quaes sero abertas
ao meto dia.em preseDga dos proponentes.
Havendo duas ou mais propostas em completa
izuiildade de fODdigOes sero chamados os pro-
neiiies parar declarar quaes as modilicagoes
e fasem alim de celebrar-se o contracto com
uelle que maioaes vantagens t-ffereerr.
Nao sero acceitas as p.-posps nos segurates
casos:
1.* As que excederem dos pregos do orca-
mento ;
2.' As qoe nao forem organisadas de accordo
com o presente edital;
3 As que nao offcecerem as garantas exigi
4.* As que se basearem tobre os pregos das
propostas dos outros concqnenies ; >
S. As que forem a presentadas por pessoas
que j teobam deixado de cumpnr contractos
celebrados con, aTepartigo.
0 orgameoto a mais condigoes do contracto
acbam-se n'esta Secretaria, onde po emser exa-
minados pelos preteadeotef.
Para concorrer prag cima, devero op lici-
taotes depositar n'esta repartigo. na vespera do
dia da arrematagao. das 9 s 3 horas da tarde, a
quautia de 203*259, equivalente a B0|o do valor
do respectivo orcamentg.
Secretaria da Dlrec'oria dal Obras Publicas
em ti de Fevereiro de 1890.
0 engeohoiro ajndante,
A. RrgoNctto.
dp. Fevereiro de 1890
-
A REALISAR SE NO
Dia 23 de Fevereiro de 1890
Xornc
>
i
=
=
I
Pelln

Mtlura 0
Itd.
X
-----.
Cor da vesti-
raenta
I*roprletarlo
i Pareo-Connolaco-800 melros-An'mars de Penamhoco que nao tenham ganho
nos prados do Recife em 1890. Premios: 1500W) ae i.', 3 ao 2." e ISiOOO ao 3.'.
Hercules
Don, ex-Ma
rat.......
3Pekoin......
Bonaparte. .
3T lispher.
Donavan.
Pombo Preto.
I'hariseu------
Tury........
Good m o r-
ning.......
PelitMaitre .
Rodado
Castanlio
Rodado

Castanho.
Zaino
Castanho..
Mellado .
Rodado...
Peni
53
55
55
57
55
57
57
55
55
55
55
Verde e amarcllo ...
Lyrio e ouro.........
Verde e encarnado...
Ene. preto branco.
Grenteouro........
Escarate c ouro.....
Branco..............
Branco e preto......
Branco............
Greoat.............
Azul e encarnado
Jos Caetano Pinto.
Couiielaria S. Jorge.
Luiz Hermilindo.
Joaquira L. da Silveira.
Jos N. da Silva.
Fredeiico Allwood.
Coudelaria Victoria.
Gabriel H. Araujo.
A. Jos Pereira.
Rufino CardoBO.
Jos M. de L. Duarte
PareoPrado da Estancia1.808 metros.
Premies : 250*000 ao i., 50*000
Animaes nacionaes at
ao 2." e 25*000 ao 3-
meio sangae.
Favorita.....
Cometa... .
Fluminense.
Galilo ....
Minerva
Mandarn .
Ra* Blas
Zaina.....
Alazao......
Alazo.....
lio? il lio...
Alazo-----
Rio de Jan. 54
S. Paulo... 56
5G
56
54
56
56
Aznle ouro..........
Preto e ouro........
Prtfo e ouro.........
Azul e ouro.......
Ail,brancoeencar..
Rosa e preto .......
Antonio Ramos.
A. C. Albuquerque.
Joaqun) da Rocha
Coud. Fraleroidade.
Coud. Cruseiro-
Cruzeiro
Coud. Paulista.
i. pareoProaperidade830 metros. Animaes de Pernambuco que nao tenham ganho
noDerby em maior distancia. Premios: 200*000 ao Io, 40* ao i
C0I0880......
Despnta
Humilde....
Pluio.......
Bonaparte...
Maranguape.
Boa-Vista. ..
Rodado.
Russo pedrez
Hodado

Alazo-----
Baio.......
55
55
55
JI 55
57
M 59
m 55
Preto e bonct ene___
Brinco e bonet ene...
Brtnro e encarnado.
Preto e branco......
Ene. preto e branco .
Azul e araarello......
Branco.............
e 20*000 ao 3.
J C. H. Cavalcante.
T. do Nascimenlo.
Mknoel i de Anlrade.
Joaquira L. da Silveira.
Beoio B. da F. Filho
Jos J. dos S. Jnior.
4. Pareo Emuiaro -800 metrosEguas de Pernambuco.
2* e 15* a 3.a
Premios : 150* a 1>, 30* a
Odalisca.....[
-lella......
Ida.........i
Fantina. !-*
Coruja......1
Pampa.....
Zaina......
Rodada ...
Castanha..
Rodada. .
Pern ... 53
m 53
m 55
53
53
Encarnado o. branco..
Grenat.............
Lyrio e ouro-.
Branco.......
Coruja ......
Antonio J. Mories.
Rufino Cardoso.
Coudelaria S. Jorge.
...... M. P. de Albuqueque.
Delinque Gibsjn.
5 Pareo Veloeldade1
200 metrosEgnas eslrangeiras.
a 2.' e 40*000 a 3".
Premios: 400*000a I. 80*
Cynira...
Vesper ..
Dondon .
Africana
Alaz.
Zaina negro-
Zaina......
Inglaterra.
R. da Prata
54
58
5
56
Preto be e encarnado.
Ouro e branco.....
E. e ouro era listas. -
Rosa e preto.......
. L. G. Penna Jnior
Coud. Emulago.
Coud. Alliaoga.
Coud. Paulisla.
6.* PareoAalmaoo-1 000 metrosAnimaes de Pernambuco.
40* l0^e 20* ao 3o.
Premios; 200* ao Io

liMaranguaps.
2 Sans-souci...
3
i
S
Cauliy
Tupy........
Pombo Preto.
6'Ba-VitU....
Alazo......
Baio........
Castanho
Bajo.........
Zaino.......
Baio........
55
JI 55
55
55
55
Ji 55
Azule araarello......
Ouro e branco......
Azul cencarnado.
Encarnadoe branco-
Branco..............
Bento B. da F. Filho
D. A. L. L. de Mullos.
Alfredo Marques.
Francisco C. Kuzende.
Coudelaria Victoria.
J. J. dos Santos Jnior.
7# Pareo -Ialernaciouai-1 450 metros.Animaes de qoalquer paiz. Premios : 400*
ao 1, 80* ao 2, e 40 ao 3.
11 Africana.....
2 Salvatus...
3 Eiffel.....
8
I
4
1 Zaina.....
Alazo.-
IZaino-----
[R. da Prata
Franga...
54 iRosa e preto.........iCoud. Paulista.
56 Azul eouro..........h oudelaria Cruzeiro.
5V IV. e ouro em listras. Coudelaria Eiffel.
Os animaes inscriptos para o 1* pareo devem acbar-se no ensilbamento s
9 1(2 horas da manbS
O primeiro paieo sera realiaado s 11 horas, impretc velmenta.
Os forfaits s serSo recebidos at tabbado 22 do crrante, at 3 horas da
tarde.
O expediente desta corrida encerrar-se-hi sabbado, 22 de Fevereiro de 1890
s 3 horas da tarde.
0 SECBETABIO,
Jo?/- **e 0'fr/"*i: Cofre.
______________________:________________________>__________________________________
CAMPO GRANDE

PROJECTO BB.IS
Para a 1 I corrida a realizar-se
Mar^o 4eU890
Dominsro 2 de
i EMULAGO 800 (raatroS Eg'as -Jde J^epiaambuco, podendo
'too PEKMKJt: 150)5000 ao pr-
ao tercelwfe .s',
piaes de,Pernambue que nao tenham
orno. PREM
ao tercej
..i ao segundo e
Ov metros Aiim
o primeiro, 60
neo .PREMIOS :
tercero.
pnaes deflaieio
o secundo e '300
.
Animaes pu|g>87quc nSo tenham
PREMIOS : aOOifeiOO ao primeiro,
:-o. \ *.
ANBE 4.600 metros. Ani-
s:.'.5tO)50bj ao primeiro, 100*000
entrar pequiras at lm, 30"1 n
meiro, 30(5000 ao segundo e^
*. PAREO ENSAIO 800 metros..
ganho n'est^s 4 mezes no H\
meiro, .WOO*66 segundo e
S. PAREO IMPRENSA 1 100 me
* 200)5066 ao primeiro, 40,
4. PAREO TR1LH0S URBANOS
sangue.. PREMIOS: 300^
ao terceiro.
5." PAREO VELO JIDADE 850 m
ganho em 1890 no Hipp
40(5000 ao segundo 20(5JO0a
O.0 PAREO HIPPO0RMO )0 CA5
moes de qualquer-^aiz. p:
ao segundo e 50)5000 ao te
*. PARE ANIM \QO 850 metros
' nham ganho em distancia supe'Hir^ a 930 metros Aos!
premios : 2005000 ao primeiro, terceiro. ,
Observado
Nenhuin pareo se realisar sera q>e se
animaes de tres proprietarios differentes.
Nao serio acceitas as propostas o^ie nSo^ii
entradas.
A directora reserva o direito de alterar a
A inscripclo encerraf-Be-ha^terca feira, 25 ^
ha secretaria do Hippodromo, ra do Imperador ijlK>, 1. andar
Recife, 21 de Fevereiro de 1890*. \
O SECRETARIO, \
Souza* Carvalho. |
#OU imaes da Perna
Bo qne nao te-
adf a do Recife.
2O0OCO
vam corrra
ao
merlos cinco
acampanhada^*3resPec''va8
aacao dos pareaiK
rente, s 6 T^sT*8 ^a tas^e
jriipal d
O Conselho da Intendencia Muo#Tp" de Olinda
em virtade da le. Se
Faz constar a todos os possuidores tfe terre-
nos foreiros a esta Intendencia, nao s os que
ee acham situados no muni :ipio de Olinda, como
nos outros municipios, qut Ihes fica marcado o
praso de 30 das, para virera a secretaria desta
mesma Intendencia recolberem todos seos d-
bitos provenientes de foros, sob as penas da
lei.
E para qne cheeue ao conhecimeoto de todos,
mandn aflixar o presente edital, na pb*rta do
edificio e publicar pelo Otario.
Pago da Intendencia, Municipal de Olinda, 13
de Fevereiro de 1890.
Dr. Albino L. Heira de Vasconcelos,
Presideute.
Jos Marcolioo da Fonsec Maoguinho,
Secretario.
Companhia de Sepros
AGENTE
Club 22 de Julho
Sao convidados todos os socios a rennirem se
quarta feira 26 do corrente, no lugar e horas do
costume afim de tratarse de negocios tenden-
tes ao referido club.
De ordem do presidente do Monte Pi Be
nebeante de S. Joo Bapiisia, coavido os socios
a comparecer m oo dia 25 do correte, s 7 bo
ras da noite, afim de tratar-se da. eleigo da
nova dire^oriaO secretario,
_ Francisco Augusto de Miranda
Edital n. 19
(Primeira Praga)
"Niela inspectora d'esta alfandega se fax publico
que s 11 horas da dia 25 do corrente mez, se-
ro arrematadas porta d'esta repartico, as
mercaduras abaixo declaradas :
Urna carta, marca J. B. & C, contra marca C.
W., n. 1440, yinda de Hamburo no vapor alie
mo Petropolit, entrado em 2 de Oulubro ultimo,
contendo 170 kilogrammas de bolas de vidro de
eflr, abandonada aos direitos por Joo Bezerra
4 C.
Um gigo, marca J. M., n. 178. vindo de Liver-
pool no vapor inglez Holbein, entrado em Janeiro
ultimo, contendo louga de p de pedra, n. 1, pe-
sando liquido legal 178 kilogrammas, abando-
nado aos direitos por Jos de Macedo.
Um caixa, marcaB. D. & <'.., n. 6233, de Ilam-
burgo no vapor allemo Montevideo, entrado era
16 de Janeiro ultimo, contendo laminas de vidro
com ayo. sendo parte d'estas laminas quebradas,
abandonada aos direitos por B. de Orusioa di C.
2' secgo da Alfandega de Pernambuco, 22 de
Fevereiradel890.
O chefe,
Domingos Jo->quim da Fonseca.
Thesouraria de Fa-
Miguel Jos Alves
N. VRuado Bom lesas l". V
SEGUBOS MABITIMOS E TEBBESTBES
Nestes ltimos segaros a nica companhia
esta praga qne concede aos Srs. segurados semp
.o de pagamento de premio em cada stimo
rano, o qne equivale ao descont annal de cer
a de 15 por cento em favor dos segurados
SEGUROS"-
martimos contra foco
Companhia PhenixPer
nambucinn
BA DO COMMERCIO N. 46
zenda
itivida* le exercictoN flndos
Da ordt m do cidado inspe :tor, fago pnblico
que esta thesouraria acba ^^ habilitada pela or
dem da directora de contabilidade do Tsesouro
Nacional de 5 do corrente, para eOectuar o pa-
gamento das seguintes dividas de exercicios
ln os, abaixo mencionadas :
Joo Vasco C; bral de Algonez
Manoel Card iso Ayres
Dr. Sigismundo Auionio Gongalves
Manoel Alves de Siqueira Caipora
Fielden Brothers
Baymundo Olympio Paes
Jos Xavier Faustino Hamos
Tnesouraria de Fazenda de Estado de Pernam-
buco. 22 de Fevereiro de 1890.O sesretario,
Dr. Antonio J. de Sant'Anoa
EDIFICIOS E MEBCADOBIAS
TAXAS BAIXAS
Promvto pagamento de prejuizos
SEM DESCONT
A COMPANHIA
IMPERIAL
DE LONDBES
EST: 1803
CAP R8. 16.000:000^000
AENTESBROWXS&C.
N. 5-RUA DO COMMERCIO-N. 5
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
tas do mesmo banco em Portugal sendo
im Lisboa ra dos Capellistas n. 75. No
'orto, ra dos Inglezes.
SEGURO CONTRA FOfi
Royal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL 2.000:000
AGENTES
R. DE DRUSINA & C.
13Ra Mrquez de Olinda13
. 50*00-0
1300O
3.780*640
15*000
156*600
29*162
365*160
Companhia de Segu-
ros Phi nixPcrnam-
bucana
Nos termos e para os effeilos do art. 16 do
decreto de 17 de Janeiro passado, a administra
gao annuncia estarera disposigoMos associa-
dos, na sede da companhia, as copias do balan*
go, da relagao nominal dos a:cionistas e da lisia
das transieren ias de arges.
Becife, 22 de Fevereiro de 1890.
Os administradores,
Luiz Duprat.
Manoel Gomes de Mattos.
Manoel da -uva Maia.
SEGUROS
CONTRA POGO
The Liverpool & London & Globe
INSURANCE CD./CPANY
slacsbsi mim & C.
Ra do C(
ommercio n.
MARTIMOS
2.a pra$a
Pela inspectora desta alfandega se faz publi-
co que s 11 horas do dia 24 do correte mez,
serio arrematadas porta desta repartico, duas
malas com diversas oercadorias (tilas e tecidos
de seda) que faziam parle da bagagem da pas-
sageira Julie Lesbie, vindas da Europa no vapor
inglez John Eider, entrado neste porto em 20 de
Novembro ultimo, cujas malas forara appreben-
didaspelo conferente Adolpho Gentil.
3, seccSo da Alfandega de Pernambuco, 20 de
Fevereiiorle 1890,-0 chefe,
Domingos Joaquim da Fonseca.
Derby Club de Per-
nambuco
De accordo com o art 16 2- dos estatutos,
sao convidados os senhores accionistas a se
reunirem era assembla geral no dia 24 do cor
rente, ao m -io da, na secretaria da sociedade,
a roa do Jmperador u. 2a, I- andar, afim de
tomarera conbecimento de urna proposta sobre
nleresse finauceiro da sociedad-.
Secietaria do Derbv Club de Peroambnco, 17
de Fevereiro de 1890.
0 secretan i.
Jote de Olaeira Castro.
Empreza da estrada de ferro
de Ribeirao a Bonito, es-
criptorio central no Re-
cife
De accordo com o estatuido no art. 16 do de
creto do governo promisorio de 17 de Janeiro
(indo, se declara que neste escriptorio se acha a
disposig&o dos senhores accionistas, o balango
das cjntas da empreza do anno prximo passa-
do, a relagao dos entrares accionistas e a lista
das transferencias de aeces vencidas no mesmo
anno. Becife, 10 de Fevereiro de 1890
Jos Beliarmirio Pereira de Mello,
Gerente.
INDEMNISADOR
Companhia de Segaros
MARITMOS E TERRESTRES
Entabelecldaem I*5."
CAPITAL 1,000:000^000
SINISTB0 PAGOS
At 31 deDezembrodel884
Varitimos.. J,110:000$00G
Terrestres-. 316:000$000
_.4tRa do Commercio44
Companljia be Seguros
cohiba rss:
NORTHERN
de Londres e Aberdaca
'osigo financeira fezembro #1887;
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumulados 3.421,000
Acceita annual :
De premioB contra fogo 607,000
De premios sobre vidas 197,000
De uros 143,000
O AGENTE,
Joh: I!. BoxineH.
COMPANHIA PRRXAHRl'C.tVt
DE
iaTegaeSo coslelra por vapor
FOB'iOS DO SUL
Macei, Penedo, Aracaju' e Baha
O vapor Jacuhype
Commandante Esteves
Segu no dia 26 de Fevereiro as
5 horas da tarde. Recebe car-
ga ateo dia25
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
t as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
Pacific Steam Navigation
Compan}
STRAITSOFMAGELLAN LINE
O paquete Britania
Espera-se do sul at o dia
26 de Fevereiro e seguir,
depois da demora do costa-
rae para Liverpool por
Lisboa, Bordeaux e Plymouth
Para carga, passageiros, encommendas e di-
obeiro a freie : trata-se com os
AGENTES
Wiison, Sons k C. Limited
14RA DO COMMERCIO14
Companhia Brasileira de
Navegado Vapor
PORTOS DO SUL
Tapor Espirito-Santo
Commandante (.'arlos Antonio Gomes
.E' esperado dos portos do nor-
\e au o dia 24 de Fevereiro e de-
,po8 da demora indispensavel
,,'efruir para of portos do sul.
na eiicammeiidas sero recebidas no trapiche
B .rbosa at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, passagens, e ncommendas e valo-
res rata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Manos
Commandante o Io tenente Guilherme
Waddington
E' esperado d03 portos do sul
ate o dia 27 de Fevereiro e se-
truindo depois da demora indis-
pensavel para o^ portos do nor-
te at daaos.
as encommendas sft serio recebidas na agen-
ci atA 1 hora da tarde do dia da 3ahida~
?ara carga, encommendas, passagens e valo
res '.rata-se cem os
Pereira Carneiro & C.
f)=Rua do Comrn-rcio=6
, Io andar
ompanlna Bahiana de Na-
I vegacao Vapor
alacei, V illa-Nova, Penedo, Araca-
]' Estancia e Baha
O VAPOR
Principe do Gao-Para
Commandante Lacerda
Seguir para os
portos cima
indicado no dia
125 do corrente s
_______ '4 horas da tarde
Para carga, pasagene, encommendas e dinhei-
o a frete trata-se com o
AGENTE
*edro Osorio de Cerqueira
17tta do Vigario 1?




e .
1
i: .?


.
.



fe
.




1





'

v




'' ^


*.


*


'


-

/




.


~

.











I








%

S_




; >1-



^
'*^-

.
,,.,, ->rr?


I



i
Diario de Pernambucb-Bomiiigo 23 de Fevereiro de 1890
CHARGEURS REUNS
a vapor
o Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro r
DE
*avegacao
f,inh> quinzenal entre
Pernambuoo, Baha,
Santos.
O vapor
Ville de Baha
Comm andan te Esnol
E' esperado da Europa at o ia
26 de Fevereiro segurado depois
ia indispensavel demora para a
lia, riio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelo-
vapores desta liona, queiram apresentar dentro
de 6 das a contar do da descarga das alvarengas
qualquer reclamacao concernente a votumes qn*
porveutura teaham seguido para os portos do
snl am de se poder dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, enconunendas e di
oheiro a frete: trata-se com c
te Labille
tUA DO COMMERCIO-9
Mail Steam Packei
Company
O paquete Trent
Espera-se da Europa at o dia Id
'Margo, segurado depois da demo
ra do costume para
R.ihhi. Rio de Janeiro, Santos.
Montevideo e Ruenos-Ayres
Para passagens, (retese encommendastrata
se com os AGENTES.
Urna mobilia de janeo brerico com i sof, 9
I consolos, i cadeiras de bracos, i de bataneo a
12 de guarnicao quasi novas.
Entrada:
Um sof, 2 eadeirai de bracos e 12 cadeiras
de guarnico de janeo e i relogio.
Segunda sala
Urna mobilia de Tnonet Luir XV com 1 so-
f, 2 cadeiras de bracos, 2 de bataneo e 12 de
guarnicao, 2 candieiros, 2 espeibos, cadeiras
avulsas e 1 relogio.
Sala de jantar
Urna mesa elstica, 2 apparadores, 12 cadei-
ras de junco 2 de bataneo, 1 relogio, copos,
garrafas, compoteiras, frncteiras, taleres e co
loeres.
Qoartos
Urna cama franceza de Jacaranda. 1 marque-
zao 1 rama para menino, 1 lavatorio, cadeiras
avulsas e inultos outros movis.
Quarta-feira 56 do torrente
Agente Pinto
Na casa de azulejo da ra do Baro de S. Bor
ja n. 24. ein que morou o Exm. Sr. Visconde de
Jaguanbe.
Royal
O
Tamar
vapor
E* esperado do sul no dia 2 de Mar
vereiro, seguindo depois da demor;
necessana para
Lisboa, Vigo, Santhampton e Antuerpia
ReducoSo de passagens
ida Ida e voito
A Lisboa 1 classe l 20 i 30
A Southamptoni* classe i 28 1 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pe.-nambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
con os
AGENTES
\morim Irmos & C
N. 3Rua do Bon JessN. 3
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor AUianca
E' esperado dos portos o
sul at o dia 24 de Feverei-
ro o qual depois da de
mora necessana seguir
para o
Para. Barbados, s.
Martinique e \eu-
aranho.
Thoma/.
York.
Para passagens carga,
heiro a frete. tratase
encommendas e
com os GENTES.
di-
Ovapor Advance
E' esperado de NewYork-
at o dia 27 de Fevereiro
o qual depois da de-
mora necessaria seguir
para a
Baha, Rio de Janeiro e Santos
Para carga, passagens, encommendas e di-
ne.ro a frete : trata-se com os
Henry Forster & C.
8Rua do Commecior8
1* andar
LEILOES
Agente Brito
Leilao
Da taverna e gneros sita rua Larga do
1 osar.o n. 1
O agente cima, a mandado do llustre cldadao
Ir. juiz de direito espeeial do commercio e a
requerimento do cidado Jos Joaquim Samarcos
levar a ieilo a armaco e mais gneros exis-
tentes na taverna sito rua Larga do Rosario
o. 1, em um so lote, ou retalbadamente.
feiegunda-feira, *4 do eorrente
A's 101/2 horas em ponto
Leilao
de 50 caixas com ceblas novas, 2 caixSes
com figos em cestinhas, 1 pipa e 8 bar-
ris com vinho branco, e muitos outros
gneros de estiva.
Hegnnda-feira, SI do correte
A's 12 horas
No armazem da rua do Mrquez de Olin-
dan. 48
O agente Gusmo, far Ieilo dos gneros ci-
ma mencionados, em lotes a vontade dos com-
pradores._____________
Agente Stepple
2. leilao definitivo
De muito boas czsas terreas em boas fre-
guezias de Santo Antonio, e Boa-Vista
Terca-feira *5 do eorrente
A's 11 horas em ponto
No armazem rua do Imperador n. 39
0 agente Stepple por mandado e assistencia
do Exm. Sr. Dr juiz ie direito privativo de or
phos e austntes, a requerimento do tutor da
menor Mana Isabel de Mor.es Viegas, levar a
leilao :
Duas casas terreas de ns. 24 e 26, rua de
Paulino Cmara, outr'ora Gamboa do Carmo
com commodos para familia.
Ouas casas terreas de ns. 3 e 41 rua da
Conceicao, freguezia da Boa-Vista; todas estas
em solo loreiro.
Os Srs. rretendents desde j podem exami-
nar as referidas casas.
Agente Britto
Leilao
e l armaco envidracada e fazendas existentes
na Ioja a *
Ru.--. Duque de Casias n. 89
Em continuacao
Terca-feira, se. do eorrente
Ao correr do martelo
A's 10 1J2 hora
Leilao
de importantes mofis de juco e de ama
relio, louca fina de pocellana, vidros, 1
excedente piano e 1 fogao inglez de
ferro.
CONSTANDO :
de urna houia mobilia de junco cor de oogueira
i-od 12 cadeiras de guarnico, 2 di .as de bracos^
2 ditas de balance 2 conslos com pedras'e 1
sof, 1 excellente piano forte, 1 cadeira para o
mesmo e 1 < airado, 4 pares de jarros tinos, 1 par
de lanternas, 1 rico candieiro para gaz kerosene
com 2 mangas. 4 etageres entllenlos, 1 tapete
grande no\o pan sof, 5 ditos para portas, 1 dito
para cama, 2 cadeiras de baluDco de mogno es
tufadas, 1 pequea jardineira'cora pedra. 1 boni-
ta cama franceza com cu pola, para casal, 1 bom
toilel, 1 bidet com pedra, 1 excellente guarda-
vestidos de amarello, 1 commoda e 1 mesa com
estante envidracada para livros.
Um bonito gnarda-louca de amarello, 1 mesa
elstica de 4 taboas, 4 aparadores de columna, 6
cadeiras de junco, 6 ditas de amarello, 1 relogio
de parede. i etageres, 2 camas f anecias de ama
relio, 1 lavaiono com pedra. 1 banca para es-
cripia, 1 cabide de columna, 4 ditos de parede, 2
candieiros de gaz, 1 mesa para machina, 1 quar-
tinheiro de columna.
Urna mesa elstica pequea de 3 taboas, 1
guarda louca pequeo, 1 apparelho de porcellana
pan cha 1 dito de dita para jantar, copos, cali
ees, compoteiras, garrafas mesa de cosinha, ba
cias para banho, 1 pratileira para cosinha, jar
r5es, 1 taboa para engommado, 1 fogo inglez de
ferro e i trem de cosinha.
Urna mobilia de amarello com censlos de
pedra, 2 trausparente3 e diversos globos para
gaz carbnico.
Uuarta-feira, do eorrente
A's 11 horas
No 2.- andar do sobrado n. 43 da rua do
Barao d Victoria, por cima da botica do
Dr. Sabino, entrada pela rua da Flores
n. 24.
O agente Martins, autorisado por urna familia
que se retirou para a Capital Federal far Ieilo
dos movis e mais objeclos existentes no 2. an
dar do referido sobrado, os quaes se tornam re-
commendaveis pelo pouco uso e ptimo estado
de conservaco.
AVISOS DIVERSOS
Precisa se comprar urna pequea casa em
urna das melnores ras da freguezia, por onde
passem os trunos urbanos ou perlo del les, com
tanto que esteja em bom estado e nao seja de
preco alto : quem quizer fazer negocio dirija se
a esta typorapiia em carta fechada, com as
iniciaes K R para ser procurado.
Precisa-se le urna boa cosinheira ; na rua
do Vigario n. o armazem.
Aos Rvms. sacerdotes
Vende-se por preco razoavel, as segura -
tes importantes obras religiosas, todas no-
vas, perfeitamente novas:
A Biblia Sagrada, em sete grossos vo-
lumes, traduzida em portuguez por Anto-
nio Pereira de Figueiredo.
Um Breviario Romano, em quatro volu-
mes, edicelo de luzo.
Catechismo de Perseveranca, em sete
grossos volumes, pelo padre Gaume.
Diccionario Universal das Heresias, Er-
ros e Schismas, em umgroaso volume, tra-
dcelo do padre Antonio (iones Pereira.
Theologia Dogmtica, por Gousset, em
dous volumes.
Theogia Moral, pelo mesmo autor, em
dous volumes.
Compendio de Theologia Moral, por P.
Gury, em dous volumes.
Explicacao Litteral e Moral das Epsto-
las e Evangelhos, pelo padre A. Guillois,
em um volume.
Manual do Sacerdote, por J. Schneider,
em um volume.
Caeremomale Juxta Ritum Romanum,
em um volume.
Sentido dos Ritos e Ceremonias da Mis-
por A. F. Cardoso, em um volume.
sa
Memoria do Clero Pernambucano, em
um voiume, pelo padre Monte Carmello.
A' tratar nesta cidade, rua Sete de Se-
embro n. 20.
Ao publico e ao com-
mercio
Os abaixo assigna los participam que muda
ram o seu estabelecimenio da rua Baro da
Victoria para a rua da Imperatriz n. 12, e espe-
ram a mesma proteccio de seus amigos e fre-
guezes, que encontraro irnos sortimentos de
frragens e cuidaras por prejes commodos.
Jos Antonio de Souza & C.
tfilho

Perfeito e em boa saccaria, vende-se por me
nos do que em outra qualquer parte ; no arma-
zem n. 26 da Companhia Pernambucana.
Convento do Carmo
Deixou de ter cobrador dos foros do convento
do Carmo do Becife desde o dia 20 do correte
mez o Sr. Mnoel Candi o Viegas. Carmo do
Becife 21 de Fevereiro de 1890.Fr. Alberto de
Santa Augusta Cabral de Vascoacellos,
Vigario provincial.
Attencjio
Vende n se duas casas terreas cora bons com
modos para familia, rua do Socego ; a tratar
na rua da Santa C.-uz n. 36.
Precisa-se de ama boa
tar na rua da Soledade n. 82.
cosinheira ; atra
Precisa se de urna ama para cuidar de
enancas ; no Cdminho Novo, defronte da es
taco.
Precisa-se de um caixeiro com pratica e de
boa conducta ; na rua Visconde de Inhama n.
41. amiga do Bangei
Precisa-se de um copeiro
sand n. 19.
na rua do Pay-
Precisa-se de urna ama para comprar e co
zinbar, rua de Pedro AHonso n. 33, 3 andar
Aluga i-e o i- e 2- andares do sobrado
rua de Bemtica n. 7 ; a tratar no mesmo, pav
mi-nto terreo, oo defronte a. 6. Aluguel com-
modo.
Aluga-se a casa n. 83 roa du Hospicio,
em bom estado e commodos para grande fa-
milia.
Alugam se casas caladas e pintadas nos
undos de S Goncalo, a 8*000; a tratar na rua
ia Imperatriz n. 76.
Alugam-se o 1- e 2- andares da casa n. 43t
rua Visconde de Inhama, com agua e com-
modos para familia; as chaves no andar terreo.
Faz se negocio.com a loja da rua doCabu-
g n. 2-C, propria para miudezas, deposito,
joias ou outro qualquer negocio, ptima locali
dade ; a tratar na mesma.
No corredor do Bispo n. 21, precisa se de
urna ama para andar com urna criancinba.
0. D A. A. A., ha mais de cinco mezes que
manda esperar e ainda se est a espera.
Protesto
O abaixo sssignado protesta contra a venda
do estabelecimento de molhados sito na estrada
do Espinheiro, pertecceate aos Srs. Ferreira
Piaca 4 C visto que sou lambem credor. Re-
cife, 21 de Fevereiro de 1890.
Antonio Fernandes Ramos.
Ao commercio
0 abaixo assignado declara que desde o dia
19 do eorrente deixou de ser seu empregado o
Sr. z i doro Al ves Pitlo, pelo que nao se res
ponsaiilifa por qualquer transacgfio feila pelo
mesmo. Rccife, 22 de Fevereiro de 1890.
Manoel Alves Pitlo.
\o commercio
Antonio Geraldo Cocino participa ao publico e
com especialidade ao commercio, que desde
esta data deixaram de ser seus em pregados os
Srs Rnflno Hermogenes do Reg Freir e Ma-
noel Ferreira dos Santos Pimentel. Limoeiro,
20 de Fevereiro de 1890.
Sitio
Vendo se um sitio rom proporces para urna
familia regular, com todas as commcdidades de
transporte, perto da cidade, sadio, bastante ter-
reno e bem arborisado a casa nova ; infor-
maces rua da Unio n. 54.
Cosinheira
Precisa se de urna que cosohe bem, seja ma-
triculada e que durma em casa dos patrdes, para
rasa de familia, na rua Conde da Boa-Vista, n
24 F, porto de ferro.
Rua Mrquez de Olinda
Sr. Luiz Ferreira da Cruz j est disposto a
pagar sua letra? J faz anno e meio.
0 Sr. Joaquim Heoriques de S Barreto
ficou de apparecer, boje j sao 21, e nada; lan
ca semo deste meio porque nao se ple fallar
na repartidlo e nem se acha em casa.
Attencao
Compram se algumas acedes da companhia da
estrada de ferro do Becife a Oiinda e Heberibe ;
na rua Direita n. 81, fe dir quem quer.
Morada excellente
Aluga ee barato, na rui do Hospital Pedro 2-,
no lugar dos Coelhos, urna casa assobradada e
OHtra terrea com frente de azulejo, com agna,
grande quintal murado, mmto fresco, prximo
do banho salgado, e commodos para familias
numerosas ; a tratar das 8 s 10 horas da ma-
nb, com Joaquim Morcira Res, que all aluga
tambem casas de 6 7, 8 e 104.
Attencao .
O agente ''estaa est autorisado a vender os
cavallos de corridas seguinies : 8ouianger, Mo-
narchisfa, Capricho, osca, Vareta, Tivoly : a
tratar com o mesmo agente na travessa do Cor-
po Santo n. 27, armazem.
Trompa
Vende se urna Trompa-Sax em bom es-
tado, do fabricante Ttbouville, por meta-
de de seu preco ; a tratar no Pateo de
S. Pedro n. 18, das 6 as 9 horas da
manhS e a tarde das 4 as 6,
JLeilo
De movis, espelhos, mobilias de junco,
candieiros a gaz, piano, louca e vidros
A saber:
Sala dj visita-
Urna mobilia Luiz XV com 1 sof, 4 cadei-
ras de bracos e 12 cadeiras de guarnico, dun
ekerqoe8, piano forte com lanternas e estrado,
1 espelho oval donrado grande e perfeito, 2 can
dieiros gaz.
Attencao
03 proprietarios do antigo e acreditado arma-
zem do Lima, sito rua Baro da Victoria n. 5,
partecipam ao respe'tavel publico e aos seus dis-
tinctos freguezes, que transferirn! temporaria-
mente seu armazem para a mesma rua ao n. 9,
cofltinnando da mesma forma a receberem suas
ordens rara Ihes servir com o costumado e habi-
tual desempenbo.
Jos Fernandos Lima &C
8SVA SASD JA 7ZCT0BZA8
Telephone n. 323
ugene Klein
Beparaco de joias e caixa de relogio
travessa da matriz de Santo Antonio n. 4.
na
Para engenhos
GUIMARAES A-AVALENTE, parteci-
pam aos seus freguezes e Iilms. Srs. de
engenbo que, como sempre, tm grande
deposito dos artigos abaixo mencionados,
garantindo tudo de primeira qualidade e
presos sem competencia a saber
Cal nova de Lisboa,
Dita de Jaguaribe.
Cimento portland.
Oleo de mocot.
leos americanos
especiaes para machinismos-
Azeite de coco,
Dito de carrapato.
Dito depeive.
Pixe em lata.
(5 ga!3es.) '
Kerozene inexplosivel.
Graxa em bexigas.
Gaxeta de linho.
Potassa du Russta.
(em caixas, barttquinhas, latas grande*
e pequeas.)
FormicidawCapUnema.
6--Corpo-Santo6
UKado ~~
DOENpAS
-DO
ESTOMAGO
- ~. DO
PISADO.
al STOk
sao o niel.1! .,r Ptirjaatc e o Remedi<
ti35 pfi'u ditos male:
!
FUn -ICAL: A BILIS
. tai aro ra -:- akoetOc
A. DISPEPSIA.
Bolas de buhar
(8 untas)
Vend"n se na loja de msicas e instrumentos
rua iova n. 13.
Hmta attenoio
So becco dos Ferreiros n. 6, pregueia-se e
recortase babados de todas as larguras.
Boa cosinheira
( Somente para es das uteis )
Precisa se de urna, que compre e durma fra
do esiabelecimenio ; na rua Nova n. 13.
Valiosa riqueza
Mcito respetosamente apresentam">s vossa
reconhecida prudencia e profunda sabedoria a
noticia de que a cervejal^a Rosa A Imana -
infallivel na cura da encltaqueca e ataques he-
morrhoidaes e corrimenios : 4 venda Machado
& C, em grosso e a retalho em todos os estabe-
lecimentos.
ftnw Prata
Arthur & Desiderio com-
pram e pagam bem.
w Rua do Cabug3
Para ourives ou cigarreiro
Vende-se um balco com dous fiteiros e duas
taboletas ; a tratar na rea das Trincheiras n. 3.
Gasa
Aluga se por prego mdico urna boa casa
fita na rua Luiz do Reg n. 33, com quintal ex-
tenso e arb rifado ; a tratar no largo do Pom-
bal n. i.
Attencao
Vendem se parles dos engenhos Tamoat-
meirim e Coqueiros, sitos na comarca da Victo-
ria : bem como o sobrado dt um andar n. 57 da
rua Imperial da mesna cidade ; a tratar na rua
larga do Rosario n. 10, 1 andar.
t tina da Mil va Ferreira
A familia da finada Anna da Silva Ferreira
convida aos p< rentes e amigos para assistirem a
missa, que pelo descanco eterno d'alma da mes-
ma lin. da manda jelebrar na matriz da Boa-
Vi ita, pelas 8 horas da manha de se^umla feira
24 do eorrente, trigsimo dia do failt cimento.
Felippe Mara Beaaone
Alfredo Bessone, llortei ci Bessone, Arcenia
Ressone Ouarte, Guilhe'me Ruarte, Clementina
Bessone de Almeida, Lulza Ferreira de Almeida,
Jos Bessooe Duarte e Carlos Bessone uarte,
agradecem cordialmente a todas as pessoas que
fizeram o favor de acompanhar ao cemiterio pu-
blico de Olinda, os restos mortaes de seu extre-
mosissimo pai, sogro, iino, cunhado e av, Fe
lippe Mara Ressone, sua ultima morada ; e de
novo as coovidam para assistirem as missas que
por sua alma se nao de rezar na igreja de S. Se-
bastiao em Olinda, s 7 horas da manh do dia
26 do eorrente por cujo acto de caridade se
confessam suramamente gratos.
arla da Penba Maciel Sobrelra
Silvino Sobreira. Felismina Sobreira e seus
filbos. do intimo d'alma agradecem a todas as
pessoas que se dignaram acompanhar ao cemi-
terio publico os restos mortaes de sua extremo-
sa runa e irma. Mana da Henha Maciel Sobreira,
e de novo coovidam as mesmas pessoas e as da
amizade da fallecida, para assistirem a missa
que mandara rezar na igreja da Penha, s 7 1/2
horas no dia 26 (quarta feira), stimo do seu
passamento. A' todos eterno reconhecimento.
t
Candida
ornea de Ollveira
Baato
! anniversario
Domingos Teixeira Rasto. seus Glhos, genros
e oras, convidara aos seus parentes e pessoas
amigas p. ra - rezar por alma de sua mulher, mi e sogra,
Candida Gomes de Oliveira Rasto, na igreja da
Soledade, s 7 1/2 horas do da 26 do eorrente,
1- anniversario deseo fellecimento. Confes-
sam se agradecidos.___________________
t
Candida Lourenga de Luna vem agradecer a
todas as pessoas que acompanharam os restos
mortaes de sua sempre lembrada tia. Joaquina
da Conceicao Luna, ao cemiterio publico desta
cida.de e de novo as convida e a todas as pes-
soas de sua amizade, para a missa do stimo
dia, na igreja de :S\ S. do Carmo, do dia terca
feira 25 do correte, s 7 horas da manh em
ponto, pe > que se xinfessa inteiramete grata
Precisa se de um criado para sitio ; arralar
no Monteiro, cas do Sr. Candido Al oforado, ou
na rua da Imperatriz n. 49, 2- andar, t meio
dia s 3 horas d
e.
i
nanos
No ardazem da rua de Pedro Affonso n. 6, hi
para vender grande porc&o de importantes ca-
narios belgas esllemes, cojas pregos razoaveis
se farc conforme a qualirade dos mesmos.
Thereza de Jess Fonseca
O major Jos Marcelino Alves da Fon
seca e seus filhos, agradecem do intimo
d'alma a todos os seus parente3 e amigos,
que tveram a bondade de acompanhar
at o cemiterio de Santo Amaro, os restos
mortaes de sua muito presada e estremecida
filha e irmS Theieza de Jess Fonseca,
e os convidam para ouvirem a missa que
pelo eterno descanco de sua alma, man-
dam resar no dia 25 do eorrente mez,
pelas 7 horas d, manha, na igreja dos
Remedios; e por este acto de religiao e
caridade se confersao summamente pe-
nhorados._____________________________
ProfeMor nauoel Pigaelra tic
I Hrnpii'ii
Jos GoDcalves de Oliveira'"e sua familia con-
vidam aos seus parentes e amigos para assisti-
rem a urna missa que mandam rezar na capella
de S. Jos, roa do Sol em Olinda. no da 24 do
eorrente, s 7 horas da manh. trigsimo da do
pas-a'mento de sen runfiado, irmao e to, Manot-1
Figueira de Menezes, pelo que se' coDfessam
agradecidos. x________________________
REMEDIO DO DR. AYER
CONTRA
AS SEZJES OU MALEITAS.
O Remedio do Dr. Ayer, descoberte
vegetal que nao contm a quina nem o
arsnico, nem to pouco outro ingrediente
nocivo, um remedio inallivel e prompto
para toda a qualidade de f'bres intermit-
ientes ou maleitas. Sena effeitoa aio per-
manentes e cortos e nenhom mal abso-
lutamente pode advtr do sen emprego.
Da mesma forma toma-se o melhor
remedio possivel para todas aquellas
doencas que provm dos rffeitos dos
miasmas, qne se desenvolvem nos lugares
pantanosos e Infectados, e que geralmente
caracterisSo-se pelas affecc5es do
figado e do baco.
O Remedio de Ayer curar sempre,
mesmo nos casos peiores, toda a vez que
fr empregado convenientemente e se-
gundo as direc55es.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYiilR & CA.,
IjOwelL Mass.. Est.-Unldos.
Precisa-se de urna ama para
teo do Livramento n. 36.
cosinha ; no pa-
Ama
Precisase de urna engommadeira e que lave,
pira casa do familia ; a tratar na rua Sete de
Selembro i. 12, antigo becco dos Ferreiros.
Ama
Precisa-se de urna ama para cuidar de urna
crianca; no largo da Graca, casa caiada de
amarello.
Ama
frecisa se de utua ama para casa de familia
composta de duas pessoas somente, para cos
nhar e sabir rua ; na rua do Caldeireiro n. 4,
sobrado.
Ama
No becco da Lingoeta n. 6, precisa-se de urna
ama para casa de pequea familia, para cosi-
nbar.
Ama
Precisa se de nma cosinheira ou cosinheiro
bom, para casa de familia ; a tratar na ruado
Cabug n. i4. fie meio dia at 2 horas._______
Tratamenlo radical em 6 das
DAS
BLENORRHAGIAS AGUDA
o
GHROlfIGAS
(VULGO PURGAR O)
DO IIO ti I l OU DA HILHEB
E laeorrhas ou flores brancas
Pllulas Resino- Balsmica
E
lnjm:lo nt-Bleoorrhagca
PREPARADOS POR CALASAN& & C.
PB0DUCTO8 APPROVADOS PELA
INSPECTORA GERAL DE HYGIE1TK
Urna serie de brilhantes e innmeras ex-
periencias, coroadas sempre de bom xito
durante dez annos, assignala a estes don
medicamentos, usados com a dieta e dosa-
gens prescriptas, o primeiro lugar entre ot
medicamentos estudados e preconizado*
para curar estas terriveis molestias.
As pilulas s3o supportadas pelo estoms-
go o mais- delicado, pois.que ellas nao im-
pedem nem difficultam as func95es desto
orgSo.
A injeccao anti-blenorrhagica n2o ab-
solutamente irritante e por isso nao tem
inconveniente das actualmente empregadv
e nao produz estreitamentos.
Nao publicamos o grande numero de
cartas, attestados e agradecimentos que te-
mos recebido para nao offender aos nossoc
clientes, muitos dos quaes sao pessoas mai-
to conhecidas e altamente collocadas.
Empregada como artigo de toilet parti-
cular excellente preservativo contra aa
molestias secretas.
Modifica e fez desapparecer o mo cheirc
das regras.
Preparados por Calasans & C, Phar.
macia Imperial, Baha.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C, rua
Mrquez de Olinda n. 23.
Precisa-se
ranero 137.
Cosinheira
de urna cosinheira ;
na rua Velha
0 melhor m
;,-,
Ama
Na rua da Soledade n. 52, precisa se de urna
ama para cosiuhar e maisservicos de casa, e de
um me mno para criado.
Ama
Precisa-se de urna ama para andar com crian-
zas ; a tratar na rua la Uuio n. 13.
Amas
Na rua Mrquez do Herval n. 61, sobrado,
precisa-se de urna cosinheira e de urna criadi
nba oara andar com um menino.
Amas
Precisa-sa de urna para engommar e outros
servicos, e urna outra pan comprar e cosinhar :
na rua da Unio n. 13.
Amas
Precisa se de urna cosinheira, e cma ontra
para andar com duas criancas ; na rua Conde
da Boa-Vistan. 70, ntigo CaminhnNovo.
Aluga-se
o 2-andar eparimento terreo do .-obrado sitp
rua do Imperador n. 27 ; a tratar na rua For-
mosa n. 8.
A luga-se
o sobrado da rua Servasio Pire3 n. 18, com
agua e gaz ; a tratar com Temporal Filhos,
rua do Bom Jess n. 57.
Cosinheira
Precisa se de urna cosinheira; na rua Viscoa-
de de Goyanna n. 4.
Aliso
Paulino de Oliveira Maia, nico importador
neste estado do importante cognac l'haton,
tendo encontrado em diversas casas retalhadoras
as garrafas d'elle com outro cognac ordinarissi-
mo fabricado nesta cidade, vem declarar ao pu-
blico e especialmente aos apreciadores do Pha-
ton, que devem exigir as garrafas que forem
cercadas por urna rede de lino rame de lalae
arrematada no fupdo da garrafa cem urna pasto
de chumbo e com urna chapa lambem de
chumbo no meio da dila garrafa com a mar-
ca da casa Landau Fils, de Boidcaux, a rolha
marcada a fogo com o mesmo distico, urna
capsula de chumbo verde e amarello com a
eguinte gravacao no alio : Landau Fils (e
um passaro no mar) Bordeaux, sendo o' rotule
quadrado com igual inseripcao e no gargallo
ma etiqueta verde cem duas estrellas.
VERMIFUGECOLMET
CHOCOLATE com SANTONINA
IKFALLIVEL para destru ai LOMBSIGAS
Isle Vermfugo reooinmei.dsd pela (ll
ai sitar tgradivel e cdisenaco 1:1 definida, f/
Exigir t asmnatura ;
Paria, 26, rua da Templa e nal principies PhanaariaM-~]
Alugam se
duas casas em Onda, sendo urna na rnade S.
Bento n. 3, e oujra na rua Barao de Tacaruna n.
27 ; a tratar em Olinda com o Sr. Francisco Pa-
checo Soares, rua de S. Bento n. 17, e no Be
cife, rua Haaquez de Olinda n. 41. armazem.
Algam-se
as duas pequeas casas travessa da rua Bella
ns. 14 e 16, esto pintadas e caiadas de novo ; a
tratar na rua larga d i Rosario n. 34, botica.
Aluguef barato
Rua da Roda ns. 58 e 60.
Largo do Mercado loja n. 17.
Becco do Campello n. i, 1. andar.
Loja do sobrado do becco do Calabouco n. 4
Rna do Nogueira n. 13.
Visconde Goyanna n. 163 com agua e gaz.
Travessa do i armo, loja n. 10.
Becco do Tambi n. 21.
A tratar rua de Commercio n. 5,1- and
escnptorio de Silva Gmmares & C.
Attencao
0 Sr. Francisco Manotl da Silva GusmSo pre-
cisa apparecer rua Duque de Caxias n. 25.
Compra-se
ra David.
Pataces velhos
na rua do Cabug n. 14, relojoi
Vende-se
urna mobilia de jac; randa, composta *de 12 ca-
deiras de guarnico, 2 de bracos, 4 consolos com
lampo de pedra, 1 fofa, 2 cadeiras de lona, 1
mesa de amarello elstica, 2 aparadores da mes-
ma madeira, 1 sof. 2 eapreguigadeiras, 1 guar-
da louca de amarello, 2 comn das de Jacaranda,
1 toilet de junco. 10 cadeiras de junco, 1 cadeira
de amarello, de balanco, 1 mesa para jogo. 3
marquezOes, 10 quadros proprios para sala, 1
mesa de pinho para jantar, 1 lavatorio de jaca
randa com pedra. 1 dito de amarello. 1 mesa
para cosinha, 1 dita pequea de amarello, 3 ca
deiras de amarello, 4 caitas de lona, i resfria-
dera, 1 guarda-comida, 1 mesa de amarello
para escrever, 2 consolos de Jacaranda com tam-
po ae pedra ; a tratar na rua da Inperatriz n.
14, 3' andar.
Para cobra nc, as
Urna pessoa habilitada e que d garantas, se
offerece para fazer cohrancas de alaguis e ou
tras qoaesqwer; qnem pretender procure no
escriptorio do Dwrto, Ferrador
Joao Ferreira Gomes, ferrador da coudelaria
Temeraria, ferra cavallos de corrida a 64000, e
nao a 500u, dinheiro vista.
Especialidades
PASTILHAS HYGIENICAS PARA
ACi ENDER O FOGO, supprimin-
do o inmundo kerosene e dan-
do n'um instante um logo inten-
so, a caixa cem 20 pastilbas *'M> rs.
OLEOGRAPHIAS : i. A importan-
te obra prima de Vctor Meirel-
les : A Primeira Missa no Bra-
zil, grande quadro histrico da
descoberta do Brazil, medindo99
X 76 centmetros de valor real de
154 (poucos exempiares) 600t
2o SCENAS DE CORRIDAS, qua-
dros de cavallos admiravelmente
desenhados e proprios para sa-
las, 26 differentes, um lOO
3 RETRATO DE SADI-CAttNOT,
presidente da repblica france-
za, o melhor ainda publicado l00t
CAMISAS DE FLANELLA para bo-
mens, urna de 2, a 500ft
PERFUMARAS, artigos para presentes. Quadros
e albuns para retratos. Carteiras para cigar-
ros e charutos. Cigarreiras e charuteiras de
mbar e espuma verdadeiros. Bengalas. Pa-
pelaria. Lencos de linho a 42500 a dezia.
Meias. Espartilhos. Leques. Bonecas e brin-
quedos diversos. Fitas. Bordados. Luvas de
seda pretas e de cores e outros muitos artigo
de miudezas.
Mal* barato do que em outra qual-
quer parte
NA
Rainha das Flores
Roa do Baro da Victoria o. 41
Licor depurativo vegetal iodads
do medieo <|niuella
Este notabil8simo depurante que vea
precedido de lao grande fama infallivel na
cura de todas as doencas syphiliticaB, es-
crofulosas, rheumaticas e de pelle, come
tumores, ulceras, dores rheumaticas, o*v
teocopas e nevralgicas, blenorragias agu-
das e- chronicas, cancros syphiliticos, in-
flamacSes viceiaes, d'olhos, ouvidos, gar-
gantas, intestinos, etc., e em todas a*
molestias de pelle, simples ou diathericaa,
assim como na alopecia ou queda do ca-
bello, e as doencas determinadas por aa-
turacSo mercurial.
Do-se gratis folhetos onde se encon-
tram numerosas experiencias f'eitas coa
este especifico nos hospitaes publieoa a
muitos attestados de mdicos e documen-
tos particulares.
Faz-se descont em casa de
FARIA SOBRINHO & C.
Rua Mrquez de Olinda n. 91
- -nix
PARS 84.rnaLacooi3aMii. 0 Sir. MALLET
deseja comprar sellos de
todos os paizes do mun-
do, es pecialmente os raroa
e de eralsses antlgaSi
Dein como os sellos dff.
Portugal de 500 e 1*000,
BogT*-se o favor de Bdcar ot
presos e quuitidtde u o*
----- goderemetterasunostrasca
I ________ | embnilboaitJmplUtm4o^(|MM
. *
"i

~MaH


jJiario de PernambueoDomin^g 23 de Feverero 4e '$9
>i

25-Rua de Mathias d'Albuquerque, anga ra das Flores2S
Tinge e hmpa com a maior perfeicao toda a qualidade de estofo e fazendas em
cas oa em obras, chapeos de feltros ou de palha, tira o mofo de fazendas; todo o
trabalho feito por meio de machimsmo aperfeicoado, at hoje conhecido.
Tintura preta as tercas e sextas feira, tinta de cores e lavagem todos os dias
I

UnuXk fli iupcur IjflM l la** m krull.
QUINA E FERRO
Chlorose, Anemia, Debilidade
Cura das Febree
rviHOSTITU,4D3>OSSIAN HENBY
i:tm i* 4etUr.it Mtidaa m &tU, Am* aOHiitttec m fico'.a ar Urank
A fo;i7 reuna, n'este preparado, dos dous Inicos por excelencia, a QTrnra,
c o rE:^^o. constltae mn precioso medicamento contra a CJt/orase, "*"
palUJttm, Anemia. Florea branca: Conatituicoeu fraco, rtc.
PARS, BAM & FOUR5IIER, 43, ra d'AnwtarAam.
Dfnoii'anoi etr. >rr*ini&lir F3AN" H. "a SILVA 4: O.
-



I
.
-


f.
!%
->
r
240 rs. o ce v .do
Cretones lisos, francezes, cores fixas, pechincha! por 240 rs. o covado.
Cambraia de cor, florzinbas e ramagens, a 240 rs. o dito.
Canibiaias com menos larguras a 160 rs o covado.
Lautines de cor, padroes lindos com um metro de largura, a 320 rs. o dito.
Cachemiras lisas e achamalotadas para vistido a 200 rs. o dito.
Variedade de artigos que se vendem por todo preco.
21RA O CRESPO 21
OLVERA CAMPOS & 0.
A YAPOK
--------*---------
FABRICA OE LIVROS DE ESCRIPTUMCAO
IMMMAOAO + MtTAVAO
(Hanoel J. de randa
- 39 -*- EA *- DUQUE -*- DE CAXIAS 39 ?
NUMERO TELEPHONICO 194
;
%
-53
" Curis: pe," CIGARROS .SSPZC ""
Oprtremnen Tovse JOeJHmitts iterralgioo
LICENCIADOS PILA IHSPKCTOBIA D HVWlfKK OO IMPEKIO rM> ;:KAZIL
Asplra-se a fiimaca que penetra no pcitu. acalma o systeiua nervoso,
facilita a expectoratjao e favortsa as lunccOcs dos orjros respiratorios.
Attenco
o
Para cobranca de aingoeis de predios e ho-
norarios demedeos sfferecese um homem bas-
tantemente coBheeido nesta praca, e que tam
bem presta flanea em predios para garanta das
cobrancas que ttser. fiesta typograpbia se dir
quem .
Boa aequisicao
Aluga se a casa ra do Rangel n. 63 e ven
de-se a armacao nella existente, propria para
averna ; a tratar no largo da Alandega ame
ro-A
%
Venda om atacado. J. ECPIC, CO, reo St-Lazare, ern Parts. &xva~*c esta aastgr-'
* PvnMbuto : FRAHCco U. da SILVA C-. naa tfiiuc aai ftiMMurina **>*W
500,800 e 11200 o covado
21RA DO CRESPO21
Merino preto trancado, duas larguras, 15 pura, de 500, 8C0 e 1*000 o covado-
Dito lavrado, preto, com ramagem, padrees de voe a 1)5200 o dito; fa-
jen* de 254 0.
Cachemira preta para casacos, duas larguras de 25000 e 25500 o dito.
Na RA DO CRESPO N. 21
Oliveira Campos & C
.

)
r/sr.r-r.'-j; "
8
>
aan

Ar~*s; '-""^5;
K&
w ''. -".
< -'W
.. _
mM
t*
LIQUIDO IMFE'RMAVEL
- SI2MA'.SC'OI.-l.neawperbo'ptrocoiiscmnwporuiiiaKruiajiawntoi
- -. :t o larniusetaSMMai .. : : AtanaitiiMa
Uvanilo e o lustr r-ia :i :i iri ei r i < -i-m- nao. Nftu deterin o rouro u nao immfh. 11
vestilos. Nucan m:;nulact :i-ing C: V", G1 SaltronHill Lond^n. Inglator.a
Ver.de-se em te .. o. ; arte.
MEIO-SECULO Di! XITO 51 PREMKJS
29 Medalhas de Ouro e Diplomas de Honra
ALCOOL
H0RTELA0 PIMENTA
RECOMMENDADO
pelos mais Mamados Mdicos
INDISPENSAVEL
durante a eslafo calmosa
EXCEU.ENTE
TAMBEM PARA A
Toilette e os Dentes
Indigestes,
Dores de Estomago,
do Coragio, doa ervos,
da Cabcca. etc.
Gratule Preservativo nos tempos de Epidemia
Fabrica cm LYON, 9, cours d'Herbouville. *\S^e^SvS\*^S,*v*' Casa em PARS, 41, ra Richer.
EXIGIR 0 NOME DE RICQLS RECUSAR AS FALSIFICAQES
D#m1Uu im fematabuco : FBili" H. ii SILVA t C" e em Utu u Puirauclai 1 3r*farias urtditaial.
LOJA DO POVO
IIRa r, de MarcoII
Com este titulo acaba da abrir urna lojade fazenda roa 1. de Mar^o n. 11 e
mb proprietario convida o publico d'esta cidade e de (ora a apreciar o seu BELLO
rfcmento. Muitas de suas fazendas sao recebidas directamente.
GRANDE 1YOVIDADE
Descont10 j, para aa compras a retalbo de 20000 para cima.
Chitas de 180, 200 e 220 rs. o covado.
Las lisas, imitacilo de cachtmira, a200 rs.
Ditas lavradas, dem idem a- 240 rs.
Z>;pbir com-75 centmetros, de Largura de 800 rs. por 320',.
Ditos com 70 idem-idem de 200 rs.
Ditos com 60 idem idem de 16 'rs.
Corte de casemira ingleza de 35500 e 650C0.
dem de casineta de cor de 1^10' a 15400.
dem de fustSo para collete a 254CXJ.
Um completo sortimento de fichas, chales, capas para enhoras, aportilhos,
aeies e oasemira, .cheviot, diagonal, pretos e de cores, brins brances e de cores, ca-
ieas, ceroulas, toalhas, bramante, atoalhado de lmbo, panno, da Costa, camisas de
flanelk: e muito outros artigas que enfandoaho roeneioBar.
GUILHERM CABNEIRO DA CCNHA
OleodeFIgadodeBacalhau
do 3E*P 30XJOO-CJ3K
teo-Ferruglnoso de Quina e Casca de larenja amarga
Este medicamento fcil de icmar, r?o provoca nauseas,
Ce decheiro a;:radavel. Pelasua compoiio, possue toocs as.
qualiiiacies que Ihe pl*nittcni cocibater :
a ANEMIA, a CHLOROSE, r. AFFECCE3 do PEITO
a BRONCHITE, os CATARRHOS, a TYSICA
a DIATHESE ESTRUMOSA, E3CR0PHULDSA, etc.
Em vista do seu em prego faci!, da sua accao multiphce e
segura, da economa para os doontes, os mdicos receitam-n'o
de preferencia qualquer outro mcdicamciito similar.
PARS, 209, ra Saint ^enis, 209, PARZS
TNEiwe tm too*s as wjmhvmm phamucus W-limil
CONFIAR DAS FALSIFIOACOES E IMITAQOES
OS MDICOS SBSTITUEM COM XITO
o OLEO de FIGAD0 de.BACALHO assim como o VINH0 de QUINA
ELIXIR DUCHAMP
COI EXTRACTO U FWA00 OE BACALHAO COM 0ttW*A E CACAO
Emte CMC JE ME de CACAO um poder orno Depurativo
0 invontpmvmvei Corroborante.
m ATAQAOO : DUOKAMP, IB, RU DI POITOU, PARIS^
iiio 11 m
PELO
Dr. Abilio Cesar Borges
BAIStH DE HA \lf IMS
NOVA EDICO
Correcta e augmentada de 32 pequeos-e interessantes artigos sobre conhe-
cimentos elementares muito uteis para enriquecer a memoria e a intelligencia dos
meninos com grande copia de termos e de ideas, e para despertar nos mesmes o es-
pirito de observacSo.
NOY PRIMEIRO LIVRl DO MESMO ALTOR
Completamente reformado e o terceiro livro, a venda com grandes abate-
cimentes na
Livraria de F. P. Boulitreau
Suceessor de .. Laport fc t.
46-"--U*ia & Imperador- -46
Com lindissimas cores e desenhos variadiss;
mos, encontrase para- vender um grande sorti
ment desse artigo, proprios para frente de ca
sas, corredores, cosinhas e banheiros; por pre
eos 3em competencia na ra do Yisconde de
Goyanna n. 45.
Cinco porcento
Cobran se atagaeis de casas com 5 0/0 e di
vidas 00 interior da provincia com 10 0/0, dan
do se garanta a ambas ; na ra da Palma mu
mero 49.
Cosinheiro
Precisa se de um cosinheiro ou cosinbeira : j
ra ao Progresso b. I.
VENDAS
Vendem se dous cabriolis de duas rodas
com arreios. e um deiles todo preparado de me-
tal principe muito fino, um cyliadro de padaria
e masseira, e outros utensilios para a raesraa :
traa se em Olinda, estrada da Flores la, casa
da plvora.
Vendem-se na ra Real dt Torre n. 21.
terrenos ao3 palmos ou em lotes, assim como
pipas, toneis e cobos.
FrelJo superior, 42 kilos
'oo o sacco
Vende se no Largo do Mercado n. 12.
VERDADEIROS
AGUAeP^BOTOT
Os 'Wh'cos Dentirficios
approvados pela ACADEMIA de MEDICINA
Branqueam os Dees. Fortificam as Gengivas.
DEPOSITO : 17, Ru de la Palx, PARS.
AMtigmenle: 889, Ru Saint-Honore.
DESCONI'IAR-SB DAS FALBIPICAqOES
^CHAM-SB SAI PRINCIPIS P RD G A R I A S X f M R F U A R 1 A S ,
Grageas Demazire
^Ajpprov-aclas r>elB. Xnataootoria a Hyssane do Brazil
CASCARA SAGRADA
VarttmMro Remedio
i a frisa o de Venare habitual.
lODIRETO^E^OCASCARA
rnala motivo dos Fetvuffimoaom
.Voproduzntio a Priaio de Ventre.
Deposito geral: PHARWAGIA G. DEMAZlEft, 7!, avenue de
Em Prrunmbm: FHAN- M. la SILVA a C*.
Da Loja das Tres Portas
em caixa, por
(AO 20)-
Urna Oti. 2(55UU.
Urna pega de esguiao de algodo bom por
3500.
Urna peca de cambraia Victoria regular
por 20800.
Urna grinalda e veo para noiva por 7J000,
86 (X) e 90000.
Um espartiiho fino com um toque de mofo
de 120000 por 50000.
Unat duaia ie meias fina para homem
por 50OOC, 60000 e 70000.
Um chambre de cretone, cores fixas, a
40500, 50000, 60000 e 70000.
Urna Guarnicao de crochet branco e ma-
tisado por 70000.
Um. colcha de c6r por. 20000.
Urna sahida de baile por 20000.
Um covado de cachemira de listra de 25
por 10200 (duas larguras).
Un-a duzia de ceroulas de bramante de
algodao por 140090.
Um corte de cambraia bordada por 180OCO
( branco)
Um covado de cretone voile por 400 rs.,
barato.
Urna toalha para banho 10500.
Um covado de fustao branco, padrSos bo-
nitos, a 360 e 600 rs.,
Urna duzia de toalhas para rosto por
30500, 4 $000 e 5000.
Um leque transparente por 20500.
Urna peca de madapolao americano com
24 jardas por 60500.
Um covado de flaueUa branca por 400 rs.,
de 1S.
Urna peja de bico branco, cor lisa, roati-
sado e creme por 20500 e 30000.
Urna duzia ne camisas allemSes por 360,
com e sem collarinho.
Um cortinato de croohet para janella por
70000.
I-!

(AO 20)
Urna peca de cambraia de salpicos brin-
cos e de cores por 40COO.
Um metro de atoalhado de linho pardo
con matizes brancos a 30000.
Una duzia de meias de senhora, em caixas
demadeira, por 120000.
Um corte de linho bordado com matizes
d cor por 130000.
Um covado de fustao para roupa de ho-
nem a 800 rs.
Urna duzia de lencos com barras por
10300, barato.
Um covado de chevioth preto 20000.
Urna camisa de flanella, qualidade regular
a 20500.
Um metro de bramaate de linho, quatro
Itrguras a 106OOi
Um covado de gaze arrendada de urna so
cr por 500 rs.
Um covado de la amazonas por 400 rs.,
bonita.
Um casaco de Jersey ricamrnte bordad*
por 60000.
Um vestido para menino 40000.
Um palitot de seda palha 80000.
Um palitot drt alpaca preta 40500.
Uai guarda-p para homem 60000.
Um corte de metim em cartees, alta no-
vidade a 70'JOO.
Um metro de bramante de algodao, qua-
tro larguras, a 101OC e 15200.
Um covado de brim pardo 280 rs.
Um ovado de crep para coberta 600 rs.
Um covado de crep de II 240 rs.
Um covado de renda hespanhola cou nm
meti de largura 20000.
Um covado de panno da Costa 10COO,
10200, 10600 e 10800.
Um metro de atoalhado branco lavrado por
10200.
Um guarda-p para senhora 1000^0.
Um palitot de brim pardo 4050;'.
Extractos de diversos fabricantes.
Kalendarios com perfumarlas.
Caixas com perfumaras.
Roupas para banhos salgados.
rra-vxiD^iDaes
F tr.s de todas as cores^e largnras.
Boicado. e ntremelos.
Luva8 de seda.
Flaitons de edres.
20Rua 1. de Marco20
Jiiul- ao Leuvre
AMAFtAL & C
DIGES'fOES
, 0IFFICEIS
Oyspepsia
Parda
D0NCAS*ESTOMGO
ELIXIR GREZ
GASTRALGIA
ANEMIA
{d Appetlt]^________________________________
TNICO-D rtVO oom QUINA, COCA MPSINA
[ADOPTADO EM TODOS OS HOSP1TAM Mwllllni do OvTO Pfpiniaa cto H*nr
I ais Mtz- S4. nta La arasm .odas a* Maraaelas
Vmitos
Otar ni u
enromen
Pao centeio
Mello A Biset tendo recebido nova re messa de
farinba centeio, avisa aos seas freguezes que
continuam a fabricar este delicioso pao centeio
todas as tercas e sextas-feiras ; na ra larga do
Rosario n. 40.
A Igreja e o Estado
Vende-se a obra completa de Ganga
nelli sob o titulo cima, encadernada, por
'>'00, e diversos volumes ; no escripto1
deste Diario se dir quem vende.
iperior vinho de Al-
coba^a
1 creditado e antigo armazem do Lima pa/
:,. ao publico e aos seus freguezes que acahs
vber ama nova remessa deste especia!
i'o, escolbido propriamente pelo ebefe desta
-.. tornando-se recommendado por ser purc
boa qualidade. Jos Fernandes Lima & O
:iro da Victoria numero 3, Telephone323
Deposito da Companhia de
lo e Tecidos de Per-
nambuco
Neste deposito ra do Bom Jerus n. 42,
vndese per pregis nzoaveis e condicoes da
praca. brins i\". alendo rln cores ealgndaosinhos
de diveisat qualidade.-, > t ..ri'.fiii fin de algudao
em novelios.
No povoado da Torre
Vende- se ama casa neste povoado, de peora a
cal, a ra do Bom Gogto ; a tratar na roa do Im-
perador n. 45, loja de babus do Sr. Guima-
rtfes.
Sitio
Aluga-se ou vende se um sitio no Poco da
Panella, junto a casa do Sr Loareiro, todo ma-
r Jo e com bastantes fru:teiras dando frncto,
boa casa com commodos para grande famflla,
qnartos independentes par criados, cochelfa,
boa agua, perto dos banbos ; quem pretender,
dirija-se ao caes da Companhia Pernambucana
n. 4, arnazem.
ASSCAB
Na refinacao do Salguei-.
ral, alm do melhor assucar
refinado, encontra-se tam-
bem o afamado assucar das
usinas, Colonia Isabel
Santa Filonilla, Car'-
Ass.
Presos resumidos.
22Ra Direita22
Gereaes por preco-
comino do
Como ejam : tu Uno, reijaU e ruvii,
Neves Pedrosa & C. teem para vender a refa-
Ihoou em porco os artigos icima, ra da Pe-
nba n. 33, assim como tambera vendem farello
de 42 kilos a sacca por 24500
Agua marayilhosa
Com a applicago desta agua, quem soffrer de
espinhas, pannos sardb3, femdis e vermeihidao
do rosto, ficari perfeitamente curado, rtconjie
cendo a, desse modo, como nico especifica
efficaz. Alem desses effeitos, tem ella a pro-
ptiedade de, tornando a cutis limpa, dar-lne a
cor natural. A cda vidn quecusta ii, acom-
panba a respecti 'a indicacao do uso.
Abaixo as pomadas
Vendem Farias Sobrinho & O, rua Mrquez de
Oliod n. 41.
Fiacac
Venda vantajosa
Vende-fe o pnlacs'c ao I? lo da iiycja do
Bomfi'n, trn Olidda, rom mui-oi enramlos,
fresco, r.oa v'sl, lera um perjueno iio cora
muitas frurteims e cacimba 'ora agua abundan
te e boa. T,;mbem p faz neyoeio com quom
quelra fazer os reparos que p-eci.-a, dc-con^ndo
no alrgucl : quem preten ler entenda se com o
lllm. Sr. Sebastio Manoel do Bego Barros, ra
oa Imperador n, 81.
Vende-se um ptimo pia-
no, quasi novo, do autor Fe-
ippeHenriqueHerv; a tra-
tar na ra da Imperatriz n.
14, loja de camisaria.
2. andar para alugar
Aluga-se o segiwd) andar do predi'
n. 4 da ra do Vigario Thenorio a tra
ciar no pavimento terreo do mesmo,
Cosinbeira
Precisa-se de urna ama para coainhar
no 3. andar'do piedio n. 42 da ra Du
que de Caxias, por cima da rypographit
do Diario.
Casa em Olinda
Cede-se a quem precisar de banhos salgados
urna casa na praia de S. Francisco, perto di
mar. a casa tem cjmmodos para grande fami-
lia ; a tratar no escriptori) do Huno.
\ ANEMIA, CHLOROSE
EKIPOBRECIENTO DO SANGUE
\ CORES-PALLIOAS, GOIVALESCEICA
4 Dsailo nos HcrpUaes se I'ans
* SR-jSE DIPLOMA 3 BOlRA.UidKslitt
GQTTASC
Mufcronrmica*,'.'!-------. .
JVINBO B0332;
4 loul-NulnUfQ Recont-
J tltulntt
GRAGEAS F0E!N
CcncciztT
dr
tmpntc ma lo
Ktdl!tlot .
Peni, Hirr \
Barcelona
Bryzliat (87 8S]
Sem labor agum de I
erro, eiiwciaimaote
aulmlUvl, occaiioa a
ou pessu qna oio M
prostam a qualquer tra-
tanento lerruaiooso os
rrioltadoa o maia rpidos e j
constante, aem canea occa- [
sionar dores de estomago era
constipa^Ao (pnslo de ventre).
ktaitogenl: ?i-18811, atMrfU (CW)
Bm Perntmbaoo : fui" U. U ULVA 9*1
Cozinheira
Precisa se de urna boa cosinbeira para fanv
lia que est temporariamente em Cfxang;
trata- no esc.-iptorio da companhia de bonds.
os i a. ntonxBTajuos o* oa^raxa^
UNGENTO STEVENS,,
O ubi'.-o MibstUuln'o a cauterisa^q dos caywlo
pelo Cono. Lhl- mra\1lliso preparado 6 o nttct
remudlo verladelramente cfflca P curar toa
s tiunesqucr AOncm tumna m tnm.unrmMUMt.
Uritata o BUIkxmi di ^"*"-ti-*5~B5
asnino a continuo xito em taoaa aa oot-
td,!,,. ttmrm a no principa. aatabatoel.
meatos de caralloa em Zarlatarra o Baropa
Nunca delia nodoa alguma. E mlster expen
menta lo para flear conrencldo do seu valor.
VtiuU-tt em atucat com om comptunut <*"-
aara a *u mpr-go. mn yortiif
arnteaejaela Bracartt* por H, a tl'EVcnS. aaAlM
. Para Laa, lr (litlaUcra
akaaj
a P*wr.t<>a : FRia" a. SLUAff*
Bom emprego de capital
Vende-se a grande propriedade conhecida por
Arnazem do Rufino, sita ra da Conceicao n.
4, concertada, caiada e pintada de novo, rea-
dendo lOoOOO meusaes ; a tratar com Ferreira
Guiraares 4 C, a ra Duque de Caxias n. 81,
ou na Capunga. ra das Pernambucanas n. 38.
Mercearia Comparativa
Chegou para < ste estabelecimenlo urna nova
remessa do ja muito acreditado e especial
Vinho Duuro
o qua! se torna recommendado por ser puro de
uva das melhores procedencias do Douro, e s
se retalba neste estabelecimento, ra larga da
Rosari i n. 20, Marques Sobrinho A C.
Vapor para engenho
Vende-se urna machina a vapor de torca de
quatro cavallos. e em bom estado ; a tratar na
loja de Oliveira Campos 4 O, ra 1- de Marco
numero II.
Mercearia
Vende-se a da Caaba do Carmo n. 2 ; a tra-
tar na mesma^___________________________
v ioho puro de Santarem
Ika quinta do Barral
0- nroprietarios do Armazem Central, ra
lo Cabug n. 11, avisam aos seus distinctos fre-
oe/.e eao respeitavel publico que receberam
nova remessa deste especial vinho, o qual.se
-ecommendapor ser puro da uva, e so se reta-
lia ea -H!U armazem.
Joaquim ChristovSo & C.
Telephone 447
Leite puro
Na estrada de Joao Feraandes Vieira, sitio io<
eo depois das casas novas da direita, vende-ai
todos os das leite puro de vaccas tourinas e d
erra, earante-se a qualidade do leite.
Atten^ao
Vende-se farello do Rio da Prata, com 42 ki-
los, a 24400.; na ra Mrquez do Herval n. 73.
Livraria C ontem pora-
nea
inatrumentn de atnilca
BomDardao, bombardino, barytono, tromps
trombone, helicn, saxanhone. carrilon, bombo
caixa, pratos,clarinita8. nautas:rabecas, violoa,
realejos, caixas de msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de salas, qnartos, gabinetes, corredo-
res.
Molduras
douradss, pretas e douradas para qoadros.
Malas
para viacem, diversos formatos, espacialmeati
para rcupa de senhora e camarote.
Novidades
para presentes, escriptorio, toncador, etc., etc.
RAMIRO M. COSTA & C.
Boa Prlmelro de Barco n. 9
WHISKY
Eoyal Blend marea YUDO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de mol hados.
Pede a ovni Blend marca Vlr.do,
cujo nome e emblema sao registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes. _
Cautelas do Monte de Soc-
corro
. Compra-se Cautelas do Monte de Sae-
corro de qualquer joia, brilhantes e rele-
gios, paga-se bem na roa do Cabug n.
\4* E. Loja de relojoeiro.
. .


'
:

;

,... i -
)



r
1
1
i

I
I
I
I
I
I
I
I

I
L*l'rt.ni>^M
ico-Doininffo 23 PALACETE ERNESTO AMORIM
:E. CHALINE <& G
53-RUA BH40 DE S. BJ-53
PERNAMEUCO
Situado a IS minutos do ISecife na linha de bonds da Magdalena
Acaba de sbrir-se este estabelecimento que, em vista dos sacrificios dos proprietarios
deve ser o primeiro n'este genero no norte dos Estados Unidos do Brazil.
Os proprietarios nao pouparam cousa alguma para que os servicos da Hospedara
eRestaurant approximem-se o mais possivel dos da Europa e dos Estados-Unidos da
America do Norte. Contrataram para a direcco technica um especialista, o Sr. Otto
Kern, ex-inspector no Hotel* Continental'em PARS, e o servico da cozinha confiado a
um chefe de cozinha francez queja exef ceu a suaprofisso na MA1SOIN DOREE e casa Gru-
ber, eParis.
O Hotel Internationaltem um salo de leitura e correspondencia para os seus hospe-
des, aonde se encontrar almdas olhas diarias do paiz, as publicaces mais lidas da Euro-
pa e America do Norte, os avisos martimos e toda sorte de informaces.
O regulamento do Hotel International dos mais severos e garantir toda morali-
dade
que
deve ser observada n'uma Casa de Penso de primeira ordem.
PRECOS MDICOSBEBIDAS DE PTIMA QUILIDADE
D penso mensal nicamente aos moradores do Hotel, mas fornece
/
AVULSOS

A dinheiro de contado a
fixo e a la carte.

prego
O Hotel Internatimal encarrega-ae^de FESTAS E BANQUETES Para os quae8 esta amirarelmente montado etem salas especiaes

para este fina.
Desembarque dos passageiros eexpedicao das suas bagagensa direcco organisouum servido que com a pratica nao aerxara
nada a desejar. m
Os proprietarios contam ccm a proteccao de todos e esforcar-se-ho sempre para manter o seu estabelecimento na altura desta
bella* capital do Estado de Pernan buco.
Recife, 22 de Fevereiro de

E. CHALINE
C.
F0LHET1M
0D0DETGKE
POR
mu tsssisb
MXIVDA PARTE
SROR MARA JOS
(Continuayao do n. 43)
Oh mea Deus! gemea ella com
desespero,a misericordia ser entao urna
palavra vS ?
O Sr. Diniz copadeceu-se daquella d6
la winante e accrescentou :
. Felizmente esse mancebo pode ser, p
coste o Sr
do npcu.
A Sra. de Morlac sobresaltou-se de no-
vo.
Esse mancebo, disse o senhor, que
idaie ter elle ?
- Cerca de vinte annos.
Vinte annos!exlamou a .infeliz
seakara, debulbada em lagrimas.Perdoa-
me, mea Deas, o ter duvidado de vos !
Tranqaillise se, mi ha senhora, pro
segaio o inspector, depois de um breve si-
lencio,eu esqueco a p -ofisso qae exer-
50. Teja apenas em mim um homem que
jorai descobrir toda a serie de crimes
ooBBsiettidos pelo miseravel cojo nome a
seubora asa.
t Venho pedir Ihe urna confisso, mas
para captar a sua confianca serei eu o pri-
meiro a confessar me.
t Esquecendo os meas deveres, resol-
vera-me a occupar-me ssinho deste tr-
plice cnme, com o qual se relaciona
rinda tal vez nm outro, e para chegar ao
mea fim, nao dei aos meus chefes nenhum
dos esclarecimentos que pude obter.
t E' um erro, bem se, mas de que d3o
tenho temor80s, porque, gracas a elle, vai
a senhora poder abrir-me o sea coracSo.
c Eu sou um homem honesto, minha se-
nhora ; Ufaba fiihos a quem adoro, como
a senhora bavia de adorar os seus,disse
o policia, certo de commover assim a Sra.
de MorlacPois bem, juro lhe, pela vi-
da dos meus fiihos, que se a senhora me
ajudar a encontrar o autor dos attentados
qae j conbeco e daquelles que quasi adi-
vinho, punil o hei eu mesmo sem que a
mais leve deshonra possa manchar o no-
me qae elle lhe transmittio.
Senhor.
Alm disso, continuou o Sr. Diniz,
animndose cada vez mais, revolvere o
mundo, se tanto for preciso, para lhe res-
tituir os fiihos que a senhora perdeu !
Oh senhor... diga... o que exige
de mim! murmurou sror Mara Jcs,
quasi desfallecida.
Nada quero que possa parecer urna
delacSo ou causar lhe um remorso.
O meu officio descobrir os crimino-
*
Moulm, arrancado influencia I sos, ea para isso, nao preciso senao dos
meios de que disponho; nao a magoarei,
pois, forjando a a contarme o presente ;
so o passado que ea lhe peco me relate^
A Sra. de Morlac dirigi ao Sr. Dio
um o'har impregnado de bnlbo febril
Seja, senhor E' a minha honra qae
quer que Iba entregue... entregr-lb'a hei,
e dar-me hei por feliz se em paga deste
sacrificio eu pudor ver ainda meus fiihos,
os queridos entes que ha tanto tempo cho-
ro...
O inspector, maito commovido, inclinou
se para a grade e disse :
Razio tem o Sr. Moulin em a vene-
rar, minha senhora. E eu renov o meu
juramento de conservar a seas fiihos um
nome honrado, seja por que prega for.
Obrigada.
Quira entSo ouvir.
n- i
O Sr. de Croix Nyvon era um aatigo
capitao de fragata.
Reformado, a seu pedido,-em seguida a
urnas febres persistentes, ganoas n'uma
longa estacao em Madagascar e qae lhe
tinham alterado profundamente a laude,
retirara se com sua mulheV e sua filha
Eliana para urna pequea propriedade que
possuia as proximidades de Blois.
Alm destas pessoas, a familia contava
um quarto membro, Henrique Van Lin-
den, um be(Jo e garboso rapaz de vinte an-
nos, que viera da Batavia para comple-
tar os seus estudos e aprender o francez.
Filho de um colono da ilha de Java, li-
gado ao Sr: Croix Nyvon por urna amiea-
de quasi fraternal, Henrique aceitara a
hospitblidade que o official ihe oferecera.
E bavia dous annos que vivit naquella
tranquilla e encantadora manso.
Eliana tinha apenas dezeseis annos e
era bonita a valer, dessa belleza potica e
serena, que impSe logo a adoracSo.
Os dous joVens tinham, portante, que
se amar, e amaram se.
E o pequeo cuttag^e Croix NyvonH
tornou se um ninho de amor.
Eliana e Henrique, muito navos aicda
para comprehenderem Q|tra forma amo
rosa que nao fosse o platonismo, deixa-
vam-se inebriar naquella vida cheia de
encantos, emquant qae o Sr. e a Sr;. de
Croix Nyffcn somata ate'gostando a 'tsiici-
dade reservada a sua nina, quando Van-
Lioden, despertando emfim realidade,
pediese ofHcialmente a sua mao.
Urna dupla desgraca veio enntfbhr
aquejle co tSo puro.
O aiitigo capitao morreu, em seguida a
um aaeesso quasi repentino da affecyao
que o tortura va.
E nao tinha ainda passado um mez quan-
do Henrique, chamado por seu pai. tove
de partir para Batavia, onde, segundo di
zia o Sr. Van-Linden, na ana carta, gra-
ves acontecimentos reclamavam a sua pre-
senca.
Depois do desespero da eterna separa
9S0, as lagrimas ia despedida, em seguida
o isolamento Eis o que a Providencia
reservara Sra. de Croix Nyvon e a Elia
aps tantos das felizes !
na
Junte se a isto qae a mediocridada en
trara no pobre lar, porque o governo ape-
nas abonara viuva a quarta parte do sol-
do de seu marido.
E Java to longe da Franja, que de-
correram quasi tres meses sem que vies-
sem noticias de Henrique.
Chegaram, finalmente, essas noticias.
Seu pai, velho, desanimado, quasi ar
ruinado por urnas poucas de ms colhei-
tas successivas, puzera-o testa das suas
p!antag5e3, dizendo lhe :
< Est imminente urna catastrophe, e
eu j nao tenho o vigor nem a energia ne-
cessarias para a conjurar. Tenta fazel-o,
meu filho, e que Deus abencoi os teus
esforcos.
Aceitei, accrescentava Henrique, por
elle e por Eliana; vou trabalhar sem des
canco, afim de restituir a meu desgraeado
pai a tranquillidade de seas ltimos dias'e
de" adquirir o direito a reclamar em breve
o cumplimento das promessas que Eliana
e eu tantas vezes nos fizamos mutuamen
te. Tenha confianca em mim, minha mSi,
e t tambem, minha noiva; antes de muito
tempo, juro-lhes, Jtornar-me-hao a ver, e
para nunca mais nos separarmos.
Henrique continuava no mesmo tom
por umae quatro paginas. Tinha a f e
o amor ; convenca, porque estava con-
victo.
E as duas raulheres esperavam resigna
das.
Dous annos decorrerau:, ao cabo dos
quaes apgareceu um homem que soube in-
siuuar-se ardilosamenta no animo das po
bros desamparadas.
Era o conde de Morlac.
Vibinho, dizia elle, ainda qtl o seu cas-
tello ficaSBe a seis leguas de distancia, no-
tara a radiante belleza de Eliana, achara
o meio de aer-lhe apresentado e desde en-
tao fazia-lhe aasiduamente a corte.
que o si
A Sra. de Jroix-Nyvon, como mi pro-
vidente, tratou, para o que dsse e viesse,
de colher informa5es.
Soube que o Sr. de Morlac era muitis-
simo rico, de boa nobreza, e que pasaava
por ser apaixonado pelas sciencias exac-
ctas,mas ao mesmo tempo accrescentava-se
que elle gosava de m reputa^ao.
Dotado de nm carcter violento e iras-
civel, corriara a respeito delle varias his-
torias encandalosas, talvez exageradas pela
bisbilhotice da provincia, mas das quaes
foryoso era inferir que o Sr. de Morlac se
tornava am homem perigoso.
Por qae ser que a mulher est sempre
disposta a rir dos perigos que lhe apun-
tara ?
Quem souber explicar esse mysterio,
encontrar a desculpa que a Sra. de Croix-
Nyvon poderia allegar mais tarde.
Seduzida pelas maneiras do Sr. de Mor-
lac, que oceultava um scepti cismo amargo,
sob as mas brilhantes exterioridades, en-
cantada pela conversacSo sempre inte-
ressante, pelo seu espirito caustico, pela
sua erudievao de sabio e de quem tinha
viajado muito, a mSi de Eliana, confiando
demais na sna perspicacia feminina, dei-
xoa qae o perseverante visinho se fosse in
sinuando na sua intimidade.
E o Sr. de Morlac, com urna evangeli
ca paciencia, comejou a urdir a teia em
que havia de apanhar a cobijada presa.
As cartas de Henrique, muito raras e
lacnicas, limitavam-se a narrar as suas
luctas, decepyoes e esperanyas longinqaas,
e a Sra. de Croix-Nyvon va, aterrada, que
o triste apaixouado pareca estar muito
longe de conseguir o que de-:ejva.
, Eliana, com ama confianca fantica, cria
e esperava.
Mas passou o terceiro anno sem que
Van-Linden pode3se vencer a adversidado
que o peraegu a, e a Sra. de Croix Nyvon
achava-se j muitissimo alcancada com os
seus credores, conseqaencia obrigada da
pobreza que se qaer oceultar.
Um dia, estando Eliana aaaente, o Sr.
de Morlac confessoa viuva o profundo
amor que havia muito tempo professava
por sua filha.
.
f V
'. *'
k.




i
A Sra. de Croix-Nyvon fingio-se muit
admirada, se bem que realmente houvessa
previsto e quasi tivesse provocado aquella
confidencia.
Todava alleg, u os compromssos ante-
riores de Eliana, e disse ao conde que na
poda responder sem combinar com a fi-
lha.
Que fez ella para arrancar a reeordacSa
do ausente daqnelle coracSo, que s vivia
da esperanca de o tornar a ver ?
Que argumento empregaria ?
E' esse o Begredo das mais habis.
O caso foi que urna bella manha Biois
despertou ao som de alegres repiques da
sinos.
0 aonde de Morlac desposava, com gran-
de pompa, a menina de Croix Nyvon.
Anno e mel depois, Henrique de Vaa-
Linden chegava urna' tarde ao cottage e
encontrava all apaas a viuva do capitSo,
que ao reconhecel o soltou ama exclama-
c3o de espanto.
A' forja de energia e de perseveranca,
Henrique dominara a sua m fortuna, e,
j rico, apressava-se a ir reclamar a ma
da mulher a quem amava como sempre.
A Sra. de Croix-Nyvon nSo poda dei-
x*r de lhe confessar a verdade; assim o
fez, deixando a Eliana todo o mrito do sa-
crificio, que ella conaummara, da sua ma-
ciiade e do seu amor.
Henrique, como verdadeiro crioulo,dei-
xou-se priireiro arrebatar por urna dessaa
violentas coleras que matan um homem oa
o fazem cahir, desanimado, aos ps de
qaem a provocou.
Ameayou, gritou, soluyou, e porjfim dea.
fea-se aiiidi em desculpas.
Mas a partir do dia seguinte, s um pen-
sameoto o preoecupava : tornar a ver
Eliana e provar-lhe qae a adorava mais da
qaa nunca.
A Sra. de Croix-Nyvon adi vicha*- e
quiz impedil-o de satisfazer esse dsmo ;
tanto valia tentar por obstculos a/ queda
do Nigara. ^
Continuar afl^a)
Tyn .4o Diario roa do Dn|ae de Caxiaa c *
r