Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18777

Full Text
SBXTA-
7 DE FEVEREIRO DI 1890
PERNAMBUG

PARA A CAPITAL LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
Propriedade de Mano el Figueira de Faria db Filhos
PARA DENTRO E FORA DO ESTADO
Por tres mezes adiautados.
Por seis ditos idem......
Por um anno idem......
Cada numero avulso, do mesmo dia.
6^000
120000
2%000
0100

Os Srs. Amede Prine& C.
de Pars, sao os nossos agentes ex-
clusivos de annuncios epublica-
coes na Franca e Inglaterra.
Por seis meses adiautados. '. 135500
Por nove ditos idem. 20iK)00
Por um anno idem...... 260000
Cada numero avulso, de dias anteriores. 5100
TELEGRAM1AS
Ssv;d pabiicus i: siabio
RIO de JANEIRO, 6 de Fevereiro, s
3 horas e 25 minutos da tarde.
Foi promovido brigadeiro graduado, o
coronel do exercito nacional Joaquim Jos
de MagalbUes.
Foi r. orneado quartel mestre general
do exeraito, o brigadeiro Francisco Carlos
da Luz.
Foi nomeado commandante geral do
corpo de estado-maior de artilharia, o ma-
rechal de campo Candido Jos da Costa.
.SBvIJO A m:iL 2A7AS
BRUXELLAS, 5 de Fevereiro.
No correr de um discurso pronunciado
na Cmara dos Deputados, o ministro dos
negocios estrangeiros declarou que nenhum
atado existe entre os governos belga e
allemao e que a Blgica conservar em
toda a occasiSo a su a neutralidade.
BERLIM, 5 de Fevereiro.
S. M. o Imperador da Allemanha ende-
re90u ao principe de Bismarck um rescri.
pto propondo a reuniao de urna conferen-
cia que seria encarregada de resolver a
questao operara e que tenciona convidar
oficialmente a tomar paite n'esta confe-
rencia os gevernos francez, inglez, belga
suso.
PARS, 5 de Fevereiro.
* Acreditase que urna conferencia nter.
nacional vac realizarse em Bruxellas com
6 fim de estudar o litigio entre a Inglater-
ra e Portugal.
Agencia Ha vas, filial em Pernambuco,
6 de F vereiro de. 1890.
*
IRSTRDCqO POPULAR
A LITirAIWA SaAZZLSISA
NOS
TKMPOS COLONXAKS
POB
a\ Ulteratnr* Braalleira do cculo
XVI ao cometo do XIX
KBBOgO HISTHICO
VI
(Coatinuacao)
Qaal o astro do dia,
Sue as altas montanhas se demora,
epois que a luz brilbaat e creadora.
Nos valles j sombra,
Apenas apparece ; assim ae prende
O nomem natural, e o estro ccende.
De tresdobrado brome nha o peito
Aquelle impo ty.anno,
Que primeiro, enru0'jnioo torvo aspeito,
Do oieu e mu o grito deshumano,
Fez soar em seu damno ;
Tremeu a socegada naiureza,
Ao ver deste mortal a iouca empreza.
Megros vapores pelo ar se viram
Longo tempo cruzando ;
1S que bramando mil trovoes se ouviram
Do seio seu (aneando
Os crueis erros, e a torrente impa
Dos vicios, que combatem noite e dia.
Cobriram se as virtudes
Com as vestes da noite ; e o lindo canto
Da i musas se trocou em triste pranto.
E deide ento s ruJes
Evgenbos cantam o feliz malvado.
u nos roubon o primitivo estado.
Ien:e-se ne-ta poesa a santa indignagao de
na alma generosa, imagem da liberade ade-
ado por cima das cadeias que o rodeavam, e
Fugiano se nos bosques e nos des. ros ou as
lestes alturas, onde ao menos o pensamento
tncoura o*quazes que o lortuieui, ou tyraa-
prumptos a cortar a cabeca de quem os con-
; nm ser superior emlim, que na pureza da
Mknospbera a que se eleva, arranca da sua Iy.-a
poeta, em acentos sonoros e sublimes, urna
cusacao tremenda que repercutida atravez das
ladea, ba de ser o niaior castigo d'aquella si-
taacio condemnada e stygu.alisada pela historia.
Accusado de franc-macon perante o Santo Of-
icio e encerrado em eeus immundos calaboucos,
joven Caldas soll'reo todas as torturas e vea-
les, e todos os interrogatorios que aquelles jui-
ses sem entranhas impunham as suas victimas ;
evendo sua liberdade condicional pou.a idade
pois sabio deseas mas morras para cumprir ape-
nas -lis mezes de recolhimento e penitencia no
onvento dos Padres catecbistas de Riibafolles.
Sua permanencia entre estes religiosos, qne o
totarem com muita sondcde, e o estudo das
agradas escripturas a que dorante ess tempo
te dedicou com afliDco, iofluiram por tai forma
Ja seu espirito qne o determinaran! a abracar a
Vreira ecrlesiastiea, peneamento este que com
bdcou aos directores do convento, os quaes
MBBf guiram a sua plena liberdade antes de cum-
prir toda a sentenca.
(CotUma)
PARTE OFFICIAL

Governo da Provincia
RELITORIO com que o Eim. Sr. onselhelro Haaoel Alves
de Araujo entregon a administrarlo da provincia
ao i:xm. Sr. Dr. Sigismundo Antonio Goncalvs
em 14 de Xovembro do l ****.
(Continuadlo) |
RESOLUCOES NAO SANCCIONADAS
Deixei de sanccionar as seguintes Resolu^Ses d'essa Assembli ;
A Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco resolve:
Artigo nico. As apolices de 5 /0 de que trata o art. 2. da lei n. 1853, de
22 de Julho de 1885, passarSo a ser de 7 /0; para o que ser augmentada a verba
respectiva.
Revogadaa as disposicoas em contrario.
Pago da Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, 29 de Julho de
1889.
Burdo de Itapitsuma,
Presidente.
Francisco Phadante da Cmara Lima,
1.* secretario.
Juvencio Taciano Matiz,
2. secietario.
Volte Assemblia Legislativa Provincial.
Nao consulta o estado fiuanceiro da provincia a maior taxa de juros que pre-
ceitua a presente resolucSo.
A provincia obrigou-se a auxiliar a Estrada de Ferro do Ribeirao ao Bonito,
com a subvencSo kilomtrica de 9:0000000, e pelo ultimo relatorio publicado, ja,bavia
ella pago 117:000)9000, e agora, que a lei geral n. 3,397, de 24 de Novembro de
1838 em seu art. 7. 1., procurou proteger a empresa e alliviar os cofres pro-
vinciaes, concedendo-lhe garanta de juros, nao parece justo e opportuno sobregarre-
gar a Fazenda Provincial com pagamentos superiores s contribuicoes anteriores a
citada lei, obrgando-a a maior taxa de jurs do que a estipulada.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 5 de Agosto de 1889.
M. Alves de Araujo.
A Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco resolve :
Artigo nico. Fica o presidente da provincia autorisado a aposentar o empre-
gado da Santa Casa de Misericordia do Recfe, Francisco de Souza Reg Monteiro
com seus accuaes vencimentos.
Revogam-se as disposicSes em contrario.
Paco da Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, 29 d Julio de
1888.
Barao de Itapismma,
Presidente.
Francisco Phadante da Cmara Lim,
1." secretario.
Juvencio Taciano Maris,
2. secretario.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
A lei n. 581, de 9 de Junho de 1862, que approvou o compromisso da Santa
Casa de Misericordia dispSe no seu art. 2 que os empregados de qualquer cathego-
ria que percebem ou perceberem retribuido annual, s serlo admittidos por contracto
e no art. 2. 3." que nSo Ibes serao appicaveis quaesquer disposicSes das lea que
concedem aposentador! as e jubilacSes aos funccionarios provinciaes. Se a aposenta -
dara urna vantagem com que contam os empregados provinciaes, nao podem d'ella
soccorrer-se funccionarios, que encontram positiva prohibicSo na lei orgnica qae Ibes
deu existencia.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 6 de Agosto de 1889
. M. Alves de Araujo
A Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco resol ve :
Art. 1. Fica o presidente da provincial autorisado a mandar pagar ao pro-
fessor da cadeira de allemao, no Gymnasio Pernambucano, os vencimentos integraes,
desdo 23 de Fevereiro de 1874 at 22 de Junho de 1881.
Art. 2. Revogam-se as disposicSes em contrario.
Paco da Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, 22 de Maio de
1889.
Barao de Itapissuma,
Presidente.
Jos Mara de Albuquerque Mello,
1. secretario.
Francisco Phaelante da Cmara Lima,
2. secretario.
Voite Assembla Legislativa Provincial-
Sem deaconhecer que o professor a que se refere o projecto, fosse nomeado e
demittido vigorando a lei n. 369, de 14 de Maio de 1855, que em seu art. 150 o
declarou vitalicio;
Reconhecendo que semelhante vitaliciedade independente de qualquer condi-
cSo, e a ella nao se applica a clausula de cinno annos que regula a condicSo dos pro-
t'essores de instruccSo primaria ;
Attendendo a que a palavra vencimentos, nao deve ter a comprehensivo lata
de ordenado e inde nnisaco pro labore para o presente caso;
Attendendo a posicSo do cofre provincial, que teria de concorrer individua-
mente com o pagamento de gratificares onde nao se du excrcicio : Neg sancc&o
ao projecto, que, fugindo s praticas administrativas, viria onerar a situacSo econmi-
ca da provincia, sem motivos que o justifiquem, pela lat tude de seus termos.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 12 de Agosto de 1889.
M. Ivls de Araujo.
A Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco resolve :
Art. 1/ Fica em vigor, por mais tres annos, lavrando-se novo termo, o acto
celebrado pelo Thesouro Provincial em 15 de Julho do corrente anno e em virtude
de ordem da presidencia da provincia, relativo ao disposto nos arts. 70 e 71 do re-
gulamento de 8 de Novembro de 1873.
Art. 2. Revogam-se as disposicoe6 em contrario.
Paco da Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, 23 de Outubro de
1889.
Bario de Itapitsuma,
Presidente.
Jote Mcria de Albuquerque Mello,
1. secre:ano.
Francitco Phaelante da Cmara Lima,
2." secretario.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
Este presidencia j recebeu proposta em condicSes mais favoraveis ao actual
contracto, e assim, nSo convem aos interesses la provincia obrigal a a um contracto
por tal forma prorogado.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 26 de Outubro de 1889.
M. Alves de Araujo.
A Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco resolve :
Art. 1. Os premios da grande lotera extraordinaria da provincia, em favor
dos ingenuos da colonia Isabel, recolhidos ao Thesouro e que nSo* foram reclamados
no praso legal, sero pagos ao thesoureiro das mesmas loteras, Francisco Goncalves
Torres, como retribuicao aos prejuizoe que elle soffrera com a Ilegal liquidajao
d'ellas.
Art. 2.' Revogam-se as disposicSes em contrafio.
Paco da Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, 23 de Outubro de
1889.
Bardo de Itapitsuma,
i Presidente.
Jos Maa de Albuquerque Mello,
1. secretario.
Francisco Phaelante da Catatara Lima,
2.' secretario.
Volte a Assembla Legislativa provincial.
A presente Resolucao foi, por acto de 28 de Maio ultimo, julgada insconatitu-
cional; voltando novamente a sanccao, nao pode ter o curso legal, e ser levada ao
conhecimento da Assembla e Governo Geral, por nao ter sido votada por dous ter
coa de membros dos Assembla Provincial.
Palacio da Presciencia de Pernambuco, 4 de Novembro de 1889.
M. Alves de Arauj.
Pernambuco, em 26 de Agosto
FACULDADE DE DIREITO
Ne da 19 de Agosto ultimo foi lancada com toda a solemnidade, em presenca
de Sua Alteza o Sr. Conde d'Eu, a primera pedia do edificio destinado Faculdade
de Direito d'esta cidadc, concorrendo a esse acto as primeiras autoridades da provincia
e cerca de tres mil peesoas.
N'essa occasiao li o acto pelo qual nomeei os Srs., Visconde de Tabatinga,
conselheiro Manoel doNascimento Machado Portella, Dr.-Jes Hygino Duarte Pereira,
Dr. Miguel Felippe de Souza Le2o' e engenheiro Luiz Jos da Silva, afim de se
encarregarem da administrado das obras do referido edificio. Dispendeu se com esse
trabalho a importancia de 6826760, que foram pagos pela Thesouraria de Fazenda,
conforme ordenei. A referida commisso exped instruccoes para o servco da cons
truccSo do edificio constantes do seguinte acto :
- -'.'* S<$So Palacio da Presidencia da
de Is89. l,*,*
c O conselheiro presidente da provincia, attendendo a conveniencia de bem
definir a misso da commisso nomeada em 19 do corrente, para administrar as
t obras do edificio da Faculdade de Direito d'esta cidade, resolve determinar que se
< observem as seguintes instruccoes :
< Art. l. A' commisso incumbe :
t | 1. dirigir a execucSo das obras, confrmelo plano e o orcamento fornecido
* pelo Ministerio do Imperio.
< 2. Inspecionar e fiscalizar por um de seus membros as obras que se
executarem.
t | 3. Enviar presidencia o orcamento do material que for requisitado pelo
t engenheiro encarregado da construccSo,
t % 4. Dar instruccSas a este e ordenar a compra do material, as condij8es
i do orcamento que Ihes ser devolvido pela presidencia, depois de convenientemente
o examinado.
5. Chamar por si, ou ordenar ao engenheiro, que, por meio de editaes,
f chame concurrentes para o fornecimento do moterial exigido.
| 6." Abrir as propostas que se apresentarem, escolhendo as que offerecerem
mais vantagens ao Estado e envial-as ao presidente da provincia para realisar-se o
contracto.
t 7. Impor aos arrematantes e empreiteiros as maltas em que incorrerem,
c com recurso para o presidente da provi.cia.
8. Processar e visaras contasque forem apresentadas e de ver m ser pagas
pela Thesouraria de Fazenda.
9. Dar ao engenheiro as precisas instruccSes para execucSo da obra.
Art. 2. Compete ao engenheiro :
< % 1. Executar todo o trabalho de que for encarregado pela commisso.
| 2. Escolher o pessoal qne lhe for subordinado.
| 3. Expedir e fazer publicar todos os editaes segundo as ordens que rece
c ber da commisso.
c | 4. Ter sua guarda e vigilancia o material destinado ao edificio.
| 5. Solicitar da commisso o material que for preciso para o regular
andamento da obra.
' t | 6. Enviar ao presidente da provincia por intermedio da commisso a folha
< de operarios, empreiteiros e fornecedores.
Na meama data nomeei o engenheiro Gregorio Thammaturgo de Az.vedo para
dirigir a construccSo do edificio, percebendo a gratihcacSo mensal de 350#00.
A Thesouraria de Fazenda remetti as propostas, enviadas pela referida com-
misso, dos concurrentes ao fornecimento dos materiaes para a construccSo do edificio,
afim de que fosseni lavrados os respectivos contractos, e determinei a 18 do mez findo
que fosseui consideradas sem efieito as propostas d'aquelles que, no praso de oito
dias, nSo apparecessem para assignar o contracto.
As pessimas condicSes do predio onde funcciona a Faculdade de Direito deter-
minara o maior empsnho de minha parte em apressar quanto possivel a construccSo
do novo edificio.
* SANTA CASA DE MISERICORDIA
A Santa Casa tem & sen cargo sete estabelecimento : o Hospital Pedro II, o
de variolosos, o de lazaros, o de alienados, o asylo de mendicidade, o collegio de
orphSos e a casa de expostos, contando o primeiro 584 doentes, actualmente ; o segun-
do 10 ; o terceiro, 47 ; o qttrto 214 ; o quinto, 237 individuos ; o sexto, 200 ; e o
stimo, 324 creancas e mocas em educacSo-
De accordo com a proposta do provedor designei o Dr. Ignacio Alcebiades
Velloso para servir o cargo de director do servico sanitario do Hospital Pedro II, vago
pelo fllecimento do respectivo funcionario Dr. JoSo Pedro Maduro da Fonseca.
Approvei o contrac'o celebrado com Jos Marques Corroa para exercer o
lugar de procurador dos predios da Santa Casa, na cidade de Olinda.
(Continua.)
cto feto com os fornecedores de cannas, copia
do contracto de compra dos apparelbos destina-
dos a dita Usina, lista de taes apparelbos e copia
da inforuiaco prestada pelo inspector do The-
souro do Estado em 20 de Outubro sob n. 450,
parecer de 17 deste mez, proferido pela commis-
so nomeada para emittir juizo sobre elles, a
planta do local da Usina e a apolice do seguro
da compaobia Indemnisaaora, afim de que deis
parecer sobre a preteoco do pagamento da pri
meira prestaco de 50:0J0j,a vista do contracto
de 4 de Julho do dito anno.
Ao director do presidio de Fernando.
N'esta data coacedo permissao para a barca alie
.ua Eitel Fritz conduzir para a ilba Rata os ope
ranos Marcil Crrela e Jos Fernande* de Souza
e os materiaes destinados eos trabalbos da com
panbia de exploraco de pbospbato de cal na
mesma lha.
Porlarias :
Declaro Cmara Municipal de Alagoa ie
Baixo, que Oca approvada a deliberacSo constan-
te de seu offlcio de 16 de Oeiembro findo, rela-
tiva a cobranca, por administrajao, dos imposto
de-se municipio
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recfe a S. Francisco d passasem por conta
do Estado da estacao de Cinco Poitaj at a de
Agua-Preta a urna praga do corpo de polica que
vai all destacar.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife a S. Francisco d passagem por conta
do Estado, da estacao de Cinco Pontas at a de
Palmares, a praca do corpo de polica Jos Hu-
m do Nascimento, que vai destacar em Tilla
Bella, providenciando sobre o transporte da mu
Iher da referida praga.
dem ao encarregado da estacao de Palmares
para mandar dar passagem at Garanbuns.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife a S. Francisco, d pa?sagem por con-
ta do Estado, da estacao de Cinco Pontas at a
de Una, a duas pracas de polica que vo desta-
car em Villa-Bella.
dem ao encarregado da estacao de Palma-
res pa-a dar passageurat Garaflhuns.
0 Sr. superintendente da estrada de torro
do Recife ao moeiro d passagem por conta
do Esta 'o da estacao do Rrum at a de S. Lou-
rengo a trez pracas do corpo de polica que vao
rlli destacar.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao Limoeiro, oaand* dar passagem,
com direito a bagagem, por conta do Estado,
da estacao do Brum at a de Timbadia, ao ;ol
dado do corpo de policia Manoel Carneiro de
Araujo, que vai all destacar, providenciando so-
bre o transporte da mulher do referido soldado.
BZPEDIBNTB DO SECRETARIO
0ffi;i03:
Ao Dr. chefe de polica.O brigadeiro go
vernador do Estado manda communicar-vos que
o vapor Una, seguir para o presidio de Fernn
do de Noronna no dia 13 do correute, ao meio
dia. .
Igual ao juiz de direito do ir districto en
roinal do Recife. Fizeram se as necessari :s
communicaces. n
Ao commandante do corpo ile^oucia.o
brigadeir* governador do Estado manda com-
muoicar vos que, era vista da proposta do Dr.
chefe de polica o. 39, de 8 do corrente mez, no
meou pur portiria de boje datada, o alferes do
corpo, 8)b vosso coinmanlo, Manoel Gabino da
Silva, para exercer as funocOes de delegado do
,errao de Ingazeira.
Aos membros tncarregados de exm nir
V o ve rao do Estado de Pernam
buco
EXPEDIENTE DO DIA 10 DI JANEIRO DE 1890
Acto:
O brigadeiro governador do estado, attendendo
ao exposto pelo inspector da Thesouraria de Fa-
zenda em oilicio de 8 do corrente, sob n. ti, re
solve de accordo com o art. 8.* do decreto n.
10 349 de 14 de Setembro ultimo, nomear o Ur
Jos Austregesillo Rodrigues Lima, para, na
qualidade de delegado deste go remo, dirigir
a commisso perante a qual se tem de efTecluar
o concurso para o preenchimento dos lugares de
2.* entrancia das repartieses de fazenda, de con-
formidade com a autorisaco cootida na oraem
do Thesouro Nacional n. '1 de 30 de Novembro i
do anno prximo passado. Fizeram se as ne I
cessarias communicaces.
Officios :
Ao encarregado do consulado da Repblica
Dominicana.Accuso recebldo o oicio de 4 do
corrente mes, em que o Sr Samuel Wolff encar
regado do consulado da Repblica Dominicana
me participa que, ausentando-se deste estado, fi-
car encarregado da gestao do mesmo consulado
o Sr. Gustavo Krause.
Renov ao Sr. Samuel WoIC os protestos de
minba estima e coosideracSo. -Responden se ao
Sr. Gustavo Krause e b'zeram se as necessarias
communicnces.
Ao inspector da Alfandega.Nesta data
concedo permissao para a barca allema Eitel
Fritz conduzir para a ilha Rata os materiaes
destinados aos trabalbos da compaobia de ex
ploraco de pbosphato de cal na mesma ilha.
Ao inspector da Thesouraria de Fazeada.
Commonico vos, para os devidos flns, que o juiz
municipal e de orphaos do termo de Bora Con
selho, bachalel Miguel dos Anjos Barros, entrou
hontem no goso da licenca que lhe foi conced la
por portara le 7 do crreme. .
- Ao inspector do Thesouro do Estado.
Para os devidos flns, remetto-vos copia da p< ti-
nao e uo ckspacbo nelia exaradu boje, na qual o
bac arel Maifcel Hentiques Wanderey, nomo
ajudante do procurado;- do9 feitos da fazenda do
estado no municipio de Palmares, por portara
de 59 de Novembro ultimo, solicita serdwffensa
do do pagamento da novo titulo e do de novos e
velhos direitos.
Aos presidente e uiembros da Intendencia
municipal do Recife.Coneedo-vos autorisaco
para abrirdes a verba do art. 2 g 13 do orga-
mento 'pprovado em 28 de Novembro ultimo, um
crdito na importancia de 2:383*084, afim de
occorrer ao pagamento de vencimentos, at 31
de D.zcmbro do corrente anno, do amanuense
apo;entado da contadoria desea intendencia
Joaquim de Gouveia Cordeiro. Assim floa res-
pondido o vosso officio n. 5 de hontem datado.
Ao inspector da saude do porto.Tendo
este goverqj* conhecimenlo de que est gras
sando na Erop i e nos Estados Unidos da Ame
ri<"a do Norte epidemia deaomiuada- recommendo vos providenciis para (fue sejaiu
convenientemente desinfectados os navios pro
cdanles doa portes infeccionados daquela epi
demia, indicando ao mesmo tempo ouirasVpedi
da que JuUardes convenientes. 1
A' > oranjissao encarregada de examin
cofttra.to*. dg engenhos centraes.Envo-voi
rejueriraeotds d.T^ndido Dias e Olympio
S e Aitouqderqtre, de 30 da Setembro, 13
Novembro e 17 de Dzembro do anno passado,
portara da presidencia de 11 do dito mez de
Novembro, a descripjo dos apparelbos da usina
Guerra, com lies contratada, copia do contra
dar parecer sobre os contractos para fundaco
de engenhos centraes e retinaras subvencionados
pelo EstadoDe ordem do brigadeiro governador
do Estado,reraetto-vos as plantas do local da uzina
Trapiche a descriptiva dos apparelhos e da tona
servida pela mesma uzina e bem assim a lista
dos apparelhos, a diseripeo do processo do fa-
brico do assocar, approvada era 17 d Janeiro
do anno pascado, as ioformagOes prestadas pe-
lo engenbeiro fiscal effectivo e pelo inspector do
Thesouro do Estado em 3 e 23 de Dezembro ul-
timo e o requerimento em que Cardoso peder o pagamento da 2' presUc&o de 100:00X3*
a vista do contracto celebrado no referido The-
souro, alim de dar o parecer de que trata a por-
tara de 6 de Dezembro.
Aos ageutes da Gompanhia Brazileira.0
brigadeiro governador do Estado Scou inteirado
por vosso offi'io de 8 do corrente de ha ver che-
gado nesse dia s 6 horas da manb, dos portos
do norte o vapor Pernambuco, o qual seguio hon-
tem s 5 da tarde para os do sol. Communicou-
se a directora do commercio.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro
do Recife ao Caxang.O cidado governador
do Estado manda aecusar o recebimento do offi -
ci de 7 do corrente. com o qual enviastes os
3,000 passes impressos gratuitos a que obliga-
da a compaobia dessa estrada de ferro.
EXPEDIENTE DO DIA 11 DR JANEIRO DE 1890
Acto:
O brigadeiro governador do Estado, atten-
dendo ao que requeren Vicente Ferreira de Arau-
jo Lima professor publico de Miringabas e tendo
em vista a informaco prestada pela inspectora
geral da instrueco publica em officio n. 3, de 2
do corrente e o parecer da junta medica, resol-
ve conceder ao peticionario 3 mezes de licenca
com ordenado, para tratar de sua saude onde
lhe convier.
Officios :
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda
Remetto-vos a importancia de 239J subscripta
por diversos cidadios do municipio de Quipap
para pagamento da divida nacional, segundo de-
clarou me a respectiva cmara em officio de 14
da Dezembro lindo.Communicou-se a cmara
municipal de Quipap.
-* Ao director do Arsenal de Guerra.Resti-
tuindq o incluso requerimento e mais papis de
Francisca Mara da Conceico. que acornpanha
rain o officio dessa directora de nonfera datado,
sob n. 21, autoriso vos a mandar alistar na com-
panhia de aprendizes artfices desse Arsenal,
quando houver vaga, o manor Luiz, filho da pe-
ticionaria* urna vez que se ache elle as con-
dieces dos arts. 163 e 166 do regulamento de
19 de Outubro de 1872.
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia
do Recife. Declaro-vos que ficam approvados
os orcamentos de receita e despeza annexos ao
vosso officio, a que respondo, n. 286. de 9 de
Dezembro findo.
Ao Dr. juiz de direito da comarca da Glo-
ria de G lita. Remetto vos o incluso abaixo
assignado de moradores dessa cidade, afim de
que pres'eis as informacoes que estiverem a
vosso alcance.
Ao gerente da Companhia Pernambucana.
Providencial para que a viagem ao presidio de
Fernando de Noronha seja transferida para o dia
15 do correte, s hora do costume.Fizeram-
se as necessarias communicaces.
Sortarias :
5 gerente da Companhia Pernambucana man-
de,dar passagem de rtMacei. na segunda
viagem deste mez, aos portos do sul, a Antonio
Jos Pereira da Assumpo. por conta das gra.
tuitas a que o estado tem direito.
dem at Natal, na segunda viagem ao
norte, ao bacharel Jos Francisco Muniz, juiz
municipal do termo de Acary.
0 Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao Francisco d passagem por con
ta do estado, da estagao das Cinco Pontas de
Una, a duas pracas do corpo de policia que re-
gressam para o destacamento de Sertozinho
Ao Sr. encarregado da estagao de Palmares para
mandar dar passagem at Mayaral
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao Limoeiro d passagem, por conta
do estado, do Brum at Nazareth, a 3 soldados
do corpo de policia que vo all destaca
Iden, idem at Verteutes ao cabo de polica
Rodolpho los Santos.
dem, idem at Timbaba, com direito
bagagem praga do corpo de policia Francisco
Borges Vieira de Mello ; providenciando sobre
a ."i n i la, n'all a esta cidade, da mulher da re-
ferida praca-
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Officio :
A' commisso encarregada de dar parecer
sobre contractos de eogenhos centraes subven-
cionados pelo estado-De ordem do brigadeiro
governador do estado, remetto vos, em addita-
mento ao officio de hontem, o contracto cele-
brado por Gaspar de Menezes Druramn 1 cota
diversos agricultores para fornecimento de can-
oas ao eogenho central Trapiche, e bem assim o
requerimento do mesmo Gaspar de Menezes, em
Iue se acba lancado o despacho de 28 de Janeiro
o anno passado, approvando o referido con-
tracto.
EXPEDIENTE DO DA 13 DE JANEIRO DE 1890
AclOS : '
O brigadeiro governador do estado resolve
nomear o 1. esenpturario do Thesouro, Felippe
Emilio Menna da Costa, e o 2." escripturario da
Recebedoria, Joo Cetario de Mello, para exa-
minarem a escripturaco e conlabilidade da In-
tendencia Municipal do Recife, organisarem o
balaoco dos tres ultjmos exercicios e propore;H
as reformas que julgarem convenientes ao aper-
feicoamenlo do servico ; ficaodo assim sem ef-
feto a portara de 7 do eorrente, pela qual fo
rain no rae 3 dos para o mesmo tira os 2.* e 3.*
escriplurarios da Thesouraria de Fazenia, Joo
Feniandes Barros e Antonio Jos da Silva Sar-
ment Filho.Fizeram-se as necessarias com-
DBBDicacoea.
O Brigadeiro Governador do Estado, atten-
dendo, ao que requereo Elisa Candida de Fi-
gueiido Mello, professora da cadeira de eosiuo
primario de Pedra Tapada, tendo em vista a in-
formaco n 11 de 8 do corrente mez do inspec-
to- ,'eral da Instrueco Publica e o attestado
medico exhibido, resolve conceder a peticiona-
ria tres mezes de licenca com ordenado Dar
tratar de sua saude onde lhe convier.
0 Governador do Estado, resolve aceitar a
disistencia, que faz Horoncio de Araujo Lima
da serventa vitalicia dos officios de partidor e
distribuidor do termo de Nazareth e determina
que se expecam as ordens necessarias para
provimeoto dos referidos officios.Commum-
cou se ao juiz de direito da comarca.
O brigadeiro governador do Estado resol
-e prover o cidado Miguel Corroa de Queiro
Barros na serventa vitalicia dos officios de par-
turar e distribuidor do termo de Agua Pretas
Commraunicou-ae ao juiz Mmuoicipa do termo.
- O brigadeiro governador do Estado, tendo
em vista a pronosta constante de officio n. 34
de 21 de Dezembro findo do inspector geral da
Iustrucgo Publica, resolve nomear Francisco
Miguel Caldas para o lugar de delegado do dis-
tricto Iliteraria de Afogados de Ingazeira. em
substituico do actual, que fica exonerado.
Ccramunicou se ao iospector geral da Instrue-
co Ptblica.
Offi-ios :
Ao iospector da Toesotraria de Fazeada.
Maodae lavrar termo de contracto para torne-

'(
i
.

. ,
f i

m
LbtS' '
I



.



v
'
-.

I"'
%
I HUMO




I
,
2
Diario de Pernambuco-Sexta-feira 7 de Fevereiro de 1^90
cimento de gneros alimenticios e diversos ar
titfos necessarios ao supprimento da atnoxa
fado do presidio de Fernando, durante o priinei
ro seme>tre do corrate anuo, coai os can ap-
restes tijas proposSes foram prefrridae.pebi
junta de Fazenda. c constara da retaca qufli
acorapunbou o vosm officio e 10 de Deaawb
ndo, sob n. 519 exceptuadla das rels--ila* consulto voa,
propostas, que dev >lvo, os cobertores de la ea-
caroada e os lengoes de linho.
Ao mesmo- Reaaetto vos capia
do promotor publico da comarca de Oon u y
sobre o processo instaurado cootra Manoel Fran-
cisco de Sonta Leo, ex colleclor Interino do
Ex e G anito. ao qual vos referales era ofQcio
de 8 de Novembro ultimo, sob n. 444
Ao mesmo.Communico-vos que o juis de
direito da comarca de Bezerros bacbarel Sebas
o do Reg Barros entrn em 11 do correne
do gozo di licenci de 25 das concedida em 7
deste mez.
Ao mesmo. AUendendo ao que em 9 do
correnle re^uereu Demetrio Cameiro Rodrigues
Campello. e de accordo com a vossa informago
em oflicio de 2 de Dz-mbro ol o, sob o.
548, recommendo-vos que mandis entregar
lbe a quantia de 4004 existente nessa thesouraria
1 come garanta do seu contracto para foroecimen
to d-cumedeias a erri.ia'ite-, visto haver ex
Eirado o dito contrato em 31 diquelle mei.
omnuinicon se ao director geral das Obras Pu-
blicas.
Ao mesmo.Gommunico vos que o adjua-
to Joto Lenidas da Cruz, assumio o exeexio
do cargo de promotor publico da comarca de
Salgneiro em 19 de Dezembro lindo.
Ao mesmo.Coraraumeo vos que o bacha-
rel Joo Augusto de Alb iquerque Marauhao as-
sumio o exercicio do d go de juiz de direito
da comarca da Gloria de Goit em 7 do cor-
rente .
Ao me3mo.Gommunico vos que. do correle mez, o bacnarel Jos Brando da
Ro lia assumio o exercicio do cargo de joiz de
direito da comarca de Agua-Preta.
Ao mesmo. Communico vos. para os fias
convenientes, que no da 3 do corrate mez o
ba< harcl Joaquira Ayres de Almeida Freilas pas
aou ao substituto legal o exercicio do eargo de
juiz de diteito da comarca de Panellas, visto ter
acceitado a sua nomeago para igual cargo na
comarca de Areias, do Estado da Parahyba de
Kort'-
.u mesmo Commuoi -o vos que o bictia
re Francisco Caraciolo de FreiUs assumio no
da 24 de D -zembro findo o exercicio do cargo
de promotor publico iatenao da comarca de
Cimbre noneado pelo respectivo joiz ae di-
reito.
Ao, in.tsmo.Coumunico vos que o hacha
re Stunuol Manas as mez. ejercicio do cargo de juiz muaicipal e de
orpaos dD termo de Agua Preta
Ao inspector do Tnesouro do Estado.A
Joao Lras Cavalcante de Albuquerque, contrac
tente dos reparos da ponte de Afogados, raaodai
pagar a importancia da 1' e 2" prtstagii" do seu
ootracto vista dos certificaaos passados pela
repartigo das Obras Publicas, urna vez que a
aoorosidade na cooclusao de taes reparos mol
vadapela bita de meios do dito contractanle.
Ao mesmo.A Henrtque Florentino da
Silva Sao iago, cootraclante dos reparos e pi
tora da Escola Modelo, mandai pagar, na pri
neira opportunidade. de accordo com a vossa
infornwcao era oflicio de 28 de Dezembro ult:-
no. sob o. 94 e rom o certificado junto, a qoan
(ia de 1:2054867. importancia de seu contracto,
Saga previamente a presta ao de responaabiH-
a.le.Gommunicou se a reparticao das Obras
Publicas.
Ao director do Arsenal de Guerra. A'vista
do aviso do cidadao ministro da guerra de 21 de
Bezembro lindo, autoriso vos a mandar fornecer
4 pharmacia da enfermara militar d'este Estado
ma prateleira e do s armarios enveroisados.
Communicou se secretaria do ~ommando das
Armas e Thesouraria de Fazenda.
Ao comrcandante do corpo de polica.Re
metiendo-vns os inclusos papis constantes de
rffi croa do Thesouro do Estado, sob n. 79 e 85
de i<) 27 de Dezembro ultimo, a respeilo de
aju las de custo. recommendo vos que me infor
meis se os ofliciaes mencionados nos ditos ofTi
cios seguiram effectivamente para os destaca
mr-nios determiaados.
Ao mesmo.Approvo os alista Tientos dos
paisanos de quem trataes em vosso oflicio de 10
do corrente, sob n. 104.
Ao-inspector de hygiene.Recommendov
Matatis mutandis ao encarroado da estacan
de Palmares para mandar da.' psagem al 3a
ruofluns.Goaunaiiicou *e ao r caefe de poli-
fia.
OJMos:
Deerdem de eiao g.....* do Estado,
ge na probadartidade da auginea
lar-ae de.-taaBea*B de Abasia de Baixo com
qu.troou cinaa pravas, uraas das localidad**
do aflieiH'visiabas, oodaa irauquildado publica se teaha
-conserrado iaatteravel, afi n de atteader se a re-
ajaiste/ao do delegado do termo da mesma dno-
m:naci, acerca do qual prestastes vossa infor-
mar i em offi to n. 50 de 9 do correte mee.
A'Thesouraria ae Fazenda0 brigadeiro
governador do Estado provideociou de accordo
com a vossa requisico em oflicio de boje sob
n. 37.
Ao director do Arsenal de Guerra.0 bri-
gadeiro governador do Estado manda commuai-
car vos que tiesta d la eaviou ao ministerio da
faeenda a petigo do tsente reformado do ex
erci'.o Henrique Carneiro de Aimeida, de quem
trata vosso oflicio de 19 de Dezembro ultimo n.
236 cimpriulj qu*, pelo mesmo tenente seJ!
pago na repart.40 dos correios o reepeerrvo
parte.
Ao Thesouro Jo Estado.J brigadeiro go-
vernador do Etado maada commuaicar-vos,
qae, na petigo de Joo Patricio Rangel, de
quem tarta vosso oflicio de 7 do correte, n. 9,
proferio boje o segrate despacho :
Aprsente o peiioiouano uo Thesouro do Es
lado os attestados dos alugueis da casa de que
S-: trata, atim de serem pagos.
Ao Dr. joiz de ditsito do Jd8tricto cri
minal Ja comarca do Reee. O origadeiro go
veruador de Estado manda commuuicir vos que
no vosso oflicio n. I de 11 do corrente mez, pro
ferio boje o despacho segrale : Ao director
do presidio de Fernando de Noronhi pura s tis-
fazer a requisigae.
Ao juiz de direito da comarca de Agua-Pre-
ta. O brigade ro governador do Estado, intei
rado do assuinpto do vosso oflicio, d* 11 do cor
rente mez, recommenda-vos qae remetais a esta
secretaria a cerUdo de vosso exercicio.
Ao director da secretaria dt extincta as
sembla provincial. De orlem do brigadeiro
governador do Es.aio, proviJeuciai para que se
aprsentelo1 aesta secretai ia tres dos serventes
abi exisieutes ; um dos quaes passar a servir
na repartigo especial de trras e colonisago,
percebeodo a diaria nao superior a 14000 paga
pela dita repartigo, cessaado assiai o onus do.-
cofres dei'te Estado Gommuntcou-se ao ins
oector do Tnesouro do Estado.
Ao colleclor do Estado da Glora do Goi U.
O brigadeiro governador do Estado, manda
remetter vos copia do parecer do procurador fis
cal do Thesouro do mesmo Estado a respeito de
cobranga de imposlos ; licaudo assim respond
do vosso oflicio de 19 de Novembro ultimo.
Ao gerente da M)uipaohta P:rna:ubucana
de Navegagao Co'teira por vapor.0 brigadeiro
governador do Estado manda communicar vos
que concedeu uermisso ao despachante da Al
fandega Claudio Dubeux, afim de ir a iiha RaU
para assis.ir ao desembarque de diversos arli-
gos consignados empresa de exploragSo de
phospbato de cal.
Ao director do presidio de Fernando de
Jiorooha. Q origadeiro governador doEsUdo
manda commno car vos que concedeu permi-so
ao despachante da alf nJeg Claudio Dabeux.
afim de ir at a itha Rata, para as-istir ao des-
embarque de diversos artigo- conaignados em
preza de exploragao de phospbato de cal.
Joaquim Elias de Albuquerque Reg Barros.
Diga o peticionario qual o cargo que Bicharel Lu DemetriaftiaaSinatte*.-Iotorme
o inspector do Thesouro da Esta.
Eogenlwiro Luiz Antonio Cavajeante de Alba-
qnerque.Paase portara na fraaireqperida.
L'iiz deHollaodaCavalcBte.Nio ha rogares
vagos.
Laurino JastMiianoFenreiea Damallea.l'iforme
o juiz de direttu da cumas de ViBa Halla.
i ;apuao Mantel Joaquim as Ti eras ariubo.-
D>e certidao.
Modesto Los do AmaraJeMwtto. Opetrciona-
rio nao tem di re o as cusas (reclamadas por es-
tarcen prescriptas, segundo informa a Intenden
cia Municipal do H cife.
Maria Jos Pes-oa Ayres. im, a contar de 16
de J neiro fin do.
O advogado Olavo Gorrea Crespo.-0 filbo do
peticionario s poder ter baixa por incapacida
de reconhecida em iospeegao de iao.de, ou por
concluso detempo.
Sebastiao Antonio do Reg Barros.Informe o
inspector do Thesouro do Estado.
Secretaria do Governo do jEetado de
Pornambuco, 6 de Fevereiro de 1890.
O porteiro,
H. Macid da SU va.
Kr|>arlco da Polica
2.* 8eccSo.N. 28.Secretaria de Po
icia do Estado de Pernambuco, 6 de Fe
vereiro de 1890. Cidadao.Participo-vos
que foram hontem recolhidos Casa de
Detenco os seguintes individuos:
Jos Bernardo de Sant'Anna, Jos Luiz, conhe-
cido por Luduvino. Manoel Soar-s da Silva, Pau-
lo Rodrigues da Silva Rocha e Cosme iiamiao de
Sant'Anna.
Communicou-me o delegado do fermo da
Victoria, que no dia t do corrale, se apresen
tara voluntariamente para ser re;olbido cadeia
o individuo denome Jos oarioho de Souza, pro
nnn^iado no art. 193 do cod. crira.
- Nesta data exijo inforroaees do delegado
do termo de Oiitida sobre um artigo iu-erto na
Provincia de huje. sob a epigrapbe Qut auiori-
dade!, no qual se faz acccusagOesao subdelega-
do do districto de Maranguape.
Sade e fraternidade Ao marechal
Jos SimeHo de Oliveira, mui digno go-
vernador provisorio do Estado de Per
aambueoO Chefe de policia, Antonio
Antones Ribas.
DESPACHOS DA SKCKETAKIA
DO ESTADO DE PERNAMBUCO, 4 DK
vos que remetais, com toda urgencia, secreta Vpa?ticao dos correios.
DO GOVERS
FE
nwu de 189o
Abaixo assignados, moradores na villa de Pa
nellas.Nao tem lugar o que requerein, visto
baverem sido considerados sera effeiio os act. s
de 2ti de Outnbro do anno passado.
Abaixo assigoaOos. preteridos de serem ma
tnculados na Escola Normal.Informe o inspe-
ctor geral da instruego publica.
Abaixo assignados, estanelecidos com kios-
ques nesta cidade Informe a Intendencia Mu
iiutipal do Re^ife
Antonio Jos Ferreira Moo'.eiro. Encaminhe
se, pagando o supplicaole o porte ua repartigo
do* correios.
Beroardino dos Santos Rozas D se.
Carlos Gibson. -Sim, pagaodo o porte aa re-
COttMSPOMWIAS
de Janeiro de
ria d'este governo cincoenta tubos cepillares con
teado lympha vacciniea.
Ao director das obras militaresAutoriso
vos a mandar publicar, por trez veres nos jor
naesde maior ci-culagao, o edital que acompa
ahou vosso oflicio do 3 do corrente, sob n. 399.
devendo a respectiva despeza correr por conta
4o crdito mandado vigorar no corrente exerci
co, pelo decreto de 30 de Dezembro (indo. Com-
municou se 4 Thesouraria de Fizenda.
Ao director geral das Obras Publicas.Au
tori-o vos, conforme pedistes no offieio de 6 de
Dezembro ultimo, sob n. 167, a mandar fazer por
administraglo os repiros urgentes da ponte de
Caxaoga, na importancia de 1:3784850, de ac
cordo com o orgament hoja approvado.Com
municou se ao inspector do Thesouro do Es-
tado.
Ao juiz municipal do termo do Cubo. -
IYa ismitio vos, paia a deida ex cogi, copia
do decreto de 18 de Dezembro findo, pelo qual
foi cnmiiiutada na peoa de um ann-o de gales e
mulci de 5 % do valor roubado a de quatro an
o o rceio de gales e muKa de 121/2'/, do mes
no valor a que foi condenmado o reo LaureWino
Vita lino de Mello por sentenga proferida pelo
jury dVsse termo em scssSo de 5 de Junho de
im.
P.-rtarias:
A' Intendencia Municipal do Recife. Sen
do designado o dia 16 de corrente para te-
logar a manifestagao com que o governo resol
veu rfliiboira qoe em-resnsijo pelo adveito da
Repiibhea Bra-iterra nos fez 1S.1 yalbaramente
a Repblica visrnha do Parnuy, retomaren lo
aessi intindencia rom particular solieitude e
esfirco de todos os som nerahros para que
aquella prova e apreco e agradeeiajento, que
nos comp e, se.a traducida do modo o mais con
jgoo e solemne qu puder ser.
laiaesenm a ateoK'nr.ii convidar espe
cialmente todos os mumcipes a conservarem 'I
luminaxias oa aoile. daquel'e d:a as fachadas d'
suas casas, e a onctirreui por exterioridad-s
anlogas para que aqoe.le acto demonstre tao
eloquenteiuente quaoio possivel a uossa grati
dfe.
O cidado gerente da-Companhia Peraam-
buc. aa. rrqciigo do inspector da Thesoura
ria de Panada. pasagens de r at iih
Rata ao vapor que segu,' a 15 do corrente pa*i
a presi lio de Fernando 10 i* escripturario da
Alfandrga desta idale Antonio Leouardo de Me
ezes Amorim c ao gua/da Manoel Jos de Ol
veira Lima, e de p i a dous iiia~inlieiro- da
aics.t.-a Alfkode^a; co rendo a d.'.spexa por coa
la dii Conipenhia Bra-i'e.ra Ph*oato de Cal.
Goniiunicou aeao direcior do presidio.
O cidadaa gerente da Compaunia Peroam
buc :a mande dar transporto al o presidio de
Fernando de Noronha. por conta do Miatefo
da guerra s pragas que all vio destacir e cuin-
prir asila, consiaotes da rehigao junta por cofia
C'ai uunicou se ao secretan.' do cuinmua-o
das armas.
. 0 cidadao gerente da Companhii PerniWi
burana de Nave^cao faga transportar para o
presidio de Femando de Norono, por conu do
fisle.de, ao- 46 sentecia/los de que l'ata rea
ao aqu juil- e a respectiva escolta.Fizeram
se u uecessarias commumeages.
O ci ledao gerente da Coiupanbia Pernambu
cana de .Navegagao faga irausporiar para o pre
sidio de Fernando de Noronha, por conta do
rainbterio dos negocios dajustiga, o sentencia-
do Antonio Ferreira, cuja admissao naquelle e-
tab Utcimento fui autonsada por Aviso do mes
no ministerio de 12 Novembro lo anno lindo.-
Kx[edio-8e ordens ao i,r%i;tor do presi lio paia
receber o referido sentenciado.
O Sr. superialeudeole da entrada d) ferro do
Recife ao S. Francisco mande dar transsorte,
Er conta do ministerio da guerra, at Gime!
ra. a duas pragas de linha que vao buscar o,
de.eit r do 2 baiulho de iafaniaria Gabri i de
Souza Leite, providenciando quanto ao reg esso
das ditas pragas e do desertor.
0 Sr. superintendente da estrada de ferro
do IWcife aojS. Francisco d passagem. por ern
la do Estado, da eslagao de Cinco footas al a
de Una, urna forga do corpo de policia que vai
destacar em Cabrob
Atieres Elias Bautista da Sil-a Costa.Seja
concedido.
E la do Jos Aatunes P< reir.Remeltido ao
comraandanle superior da guarda na onal da
rotnarca do Recite para attender.
Joviniana Januaru Dornellas. Informe o di-
rector da Escola Normal.
io- Oslas de Paula Homero. -Attendido.
Joao Flix dos Santos.Informe o comman-
daule do 2o batalhan de infantaria.
Joaquim Silvino de Andrade.-Informe o pro-
vedor da Santa Gasa de Misericordia do Recife.
Osi-phina Amalia de Al >uquerque Machado.
Inderendo, vista da informagao do inspector
geral da Intendeocia
Jo iquim Francisco de Miranda Deferido com
o offi;io.desta data ao inspector geral da instru
cgao publica.
Jos Joiquim de Axercdo. Encaminhe se. d^
vendo ser pago na repartigo dos correios o
competente porte.
Leontina Pimeotel Aagelino Iaforaie o in-
spector geral da instruego publica.
Mara Augusta Cocino le ira de Vasconceo?.
Enciminh: se, deveodo a peticioaaria pagar
na repartigo dos correios o porte.
Maria Dignadas Dores.Informe o director da
colenia Isabel.
Kacliarel Miguel dos Aojos Barros.-Jaslifico.
Siman de Ase vedo Campos.Deferido com o
oflicio de I: i je Thesouraria de Faseoda.
AGUAS-BELLAS, 23
1890
Comprimentando a digna redaego do decano
da Imp ensa Pernambucana, desejoque o novo
anno marque Ihe nn epocba iaieiraiiienie ven-
turosa.
Para nos sertanejos que vo dissipwdo se
as esperaogas. tendo diante dos olhos um qna-
dro todo desolador: a secca.
A tome, a sede, a nudez, qus constitaem o
corlejod'aquelle fia gal lo, o que estarna; vendo
por toda parte : araisena em seu auge e nada
m is.
De lodos os cantos parlem lamentos e impre
cages, quT bem demoostcm o desespeno em
que vive a populaga* menos favorecida.
Prcseulemeote atguas vo anda alimonlando-
se de substancias venenosas, taes como o eas
quete, br, palmito, mucun ; mais tarde porem
quaodo eaaaa substancias forem dfsenrolveodo
os seus effeitos perniciosas, o que ser desta
pobre genle, a quem filia inieiramente outro re
curso ?
Os mantimentos esto por pregos extraordi-
narias, e, a proporgio qoe vio escatseando, vo
tumbem subindo de prego, sendo me-mo im os-
sivel para esse que a muilo osto reduzidos ao
casquete.
A continuar o terrivel flagello s6 os poderes
pblicos podero livrac da norte centenas de
patoMO,
Contiaua a reluctancia do -.ovo em dar os
esclarecimenl >s precisos para o registro civil,
notando se qae, durante o anuo findojrapenas
foram registrados 78 oDitos, 46 nascimenias e 9
casasaentos.
N > dia primeino do corrente cicio do cargo de juiz municipal deste termo
o Br. Rodolpho Carvalho, por ter sido nomeado
juiz substituto da comarca de S. Lonreogo aa
Main.
Magistrado honrado, carcter dislincto e dop
tado de urna intelligencia robusta, o qoe po
demos dtzer nos estrelles limites de amasarla a
respeito do j nz qoe durante dous anuos destri-
buio jasiipa nesta comarca e d'onde re'iroasc:
srm deixar a aais leve desaffeico.
Nos9os parabens aos habitantes de S. Louren-
go da Matla pela honrosa
ram.
He certo lempo para c nota-se a drferenga de
um dia na chegada dos estafetas, e da se como
A popnlac&o di Capital Federal den plena sa-
tisfagio as Sr. ministro da Faseada. ao eonse
lhaawr. P. Mayrink, ao Dmm -o Commeraat
MWBviimm. Est fundad cot lodos os ee-
onatos deaoccessos o Banca aos EsUdos-sioos
darVaalt
O appeio feito aos capitana foi atteadido ; a
popalacSe coi reu ao encontr la iostiiuieae que.
dirigida cooi o criterio ojk deve merecer to
alevantatfae propsitos, ser hib padrie de glo
ria para a alta inteiligeaeiu qoe a coneebeo.
para o grande patriotisoM ae a pez esa pla-
tica.
Nao valeram oem as sinistras prr phecias das
cassandras argentaras; nfto prevaleceram as du-
vidas tnanifesUdas pelos distmetos collegas que
nos combateram com a finura adamautina das
suas armas valorosas ; o publico ouvio a voz da
razio, atienden as exigencias de origem patrio
tica e den a sua mais cabal adheso magestosa
concepgao que encontrou em FraoMsco de Paula
Mayriak o sea brago forte, a columna inabala
vel toda construida do bronz do mai3 alevanta
do civismo e ornada dos maie floridos festOes da
tenacidade inquebrantavel e da mais justificada
audacia.
O Brasil reqoer progresso e a rotoa o seu 1
antagonista mais conhecido; o Brazil pede o
mais positivo altruismo e nao per certo o egos-
mo que se lbe possa emparelhar.
0 que preciso trabalhar; ba trabalh > para
todos ; o nosso paiz vastissimo e es' inexplo-
rado ; veobam os nossos irmos dealmmar:
no nos separara mais as creocas, nao nos sepa-
ram direitos unem nos antes os deveres com
muns e o interesse geral pelo bem da patria de
todos nos; a rastituieao qoe acaba de formar se
feila para auxiliar a todos que cooperaren! oa
noiniroa parcella sequer para a grandeza e a glo-
ria desla grande e bospitaleira patria ame-i-
cana.
INDUSTRIAS E ARTES
Albino Feroandes 4 C.Sim.
AUo.oJos da Qaata Arwjo- Vendo sido
est-'cuudu, com observancia das claesvlas do
contracto, o st-rvico ae regalarisaga e con
surracu- do reKigio du trrela d Arsenal de
Munn'lia. segundo as informagoes dos ia-pecfe.res
do me.-ui arsenal e da Thesouraria de Fazenda
pode o suppJicaote apresenlar-se em coocur
reneia, se quizer, qaaado esta for opporlaaa
ni ii e annuaciaAa.
Antonio Padilhi de R-zende Pereira. Enca-
minhe se, deveodo ser pago n* repartigo dos
Correios o compelen la ponte.
Aniooio Franctuco da Silva GuimarVs. En
trege se, madiante reeia.
Antoaia de Bt-"go-> Ponce de Len.Sim. me-
iliaai recibo.
Antonio do Reg Sanos. Ao Dr. chefe de
polica para informar.
Anoriio Borges Galvo U Iij. A' InL-nd.-a
cia Muuitipal do Recife para procede- como jal
gir cotiveownie.
Baro do Lin.r.eiro RvmeUido a* i aspector
do Thesooro do Estado paca mandar juntar pe
liga da que trata o despacho deste gover.io de
- de Dezembro o aaou passada.
G-impauhia do Bdherioe. Sim.
Padre Estaotslo Ferreira de Carvalhn. I..
forme o inspector da Thesoura ia de-Fazendi
Epid! Joi da Silva Aauvedo. Aprsente
sua patente.
Jio de Arauj >. Ao inspector do Thesouro
do Estado para informar.
Joo Mendes dos Santos. Remeltei s ao di
rector do prefiio de Fernando cora a in!orma-
go aqu jun'a do juiz do 2. districto criminal.
J s Alves da S.lva Porto- Ao Dr ebefe de
policia.
Joviuo Barroso de Mella.-Agoacde o cou
curso.
Teiunte Jos Francisco Telha d Meodonga.
Dtrij i se a lotead- ncia Municipal do Recife sol
citan .o o pagamento de cusas que estiver nn
caso de ser renlisado.
Julia Mara Laidas Rocha.Subsiste.a porta
ria de lo de Novembro de 1889 em virtnde da
qu il fot p.orogada por 30 das a liceaga quc'o!
uvera a pwtid maria.F..gam se as devidas Com
municacOes.
J os Ni olo^erreira G unesInfonne a Inten-
dencia Municipal de Grvala.
Jos Goedes do Siquetna.0 governo ''o Ea
Udo nCa iispe do passagem em vapor da Com
panliia B szileira.
Josepha Eopbrosiaa da Circumciso Pcssoa. -
A peticionaria deve habilitar se, na forma das
instituiges de 17 de Janeiro de 1B87.
Jos Rufino Chinaco da.SiIva.Eocamiche-se.
devendo o peticionario pagar o porte na reparti-
go dos Correios.
raza: disto a nova agencia de Lagoa do Emyg-
Jio. Para nos semelhanle razo 6 improcedente,
De urna carta do Dr. Luiz de Castilbo extracta
mos a re-peito da industria siccharinn, os se-
guintes tpicos, cuja leitura se recommenda por
sua materia e ideas expostas.
A causa do estado precario a que cu -gnu a
possa industria assucareira. que alias dispjo da
melhor materia prima do mundo, est hoje ja
Oastante clara : a deficiencia da ex'raccao.
Contendo as canoas urna media de 11 /. de as
sucar, aas nossas fabricas mais bem providas de
..pparelhos apenas extrahe-se 7 /.. ao pas o que
na Europa com a beterraba por materia prima
ebeea se extraeco de 12 e al 13/. I
E' verdade que esse aperfeigoamento o resul-
tado de perseverantes edispendiosos estulosque
s de alguns anuos comegaram a fructilicar; mas
porque nao aco'ip.inhamcs nos esses eslorgo
pots que somos tao interessalos no desenvolvi-
menro da indus'.na que tem fido a nossa princi-
pal oecupagt?
Tullamos a aii.-nu inte de sermos um paiz novo
onde s malares aperfeigoameotos s sao iotro
duzdos- medida das neci^ssidaies; mas avsa
ne es'idade ha muito que man festou se, a in
dustria tem at perdrdo bastante no seu crdito
e, entretanto, na la temos feito para progredir.
Nos Estados nidoi. onda a canna de assocar
esl longe de lera importan ta que nos olferece,
lem-'e procedido a estu los muito serios dos
aperfeigoamentos da ex'.racgo.
Em Java urna empresa assucareira fez installar
em urna das suas fabricas a diffuso e arriscou
urna safra iuteira s experiencias
Na Guadeloupe lamben urna associago de ere
diu, possuidora de frabicas de assucar, mandn
praoeder a eapeneaea d'ease processo ew urna
das suas fabricas, a Djqoerry e o resultado
fai adopta! o tamo -m na sua usina Poiote Si-
man naMilinica.
Hoje procede-se a installago da diffuso e mais
ape.feigoameDlos em Cuba, Mauricia e outros
paizes onde a canna de assucar como aqoi a
MES promelledora foate de renda.
A diffuso foi intro iuzida no B azil ha j al-
guns anuos, e a gloria de ter sido o primeiroque
tal eilec'.uou compete ao Dr. Manoel Caetauo da
Silva Lara. qae a io>tailou no engenbo cenlrat
(fe.Biacuby ; mas a de ter divulgado a sua appii
cagi, j por artigos na-impreosa, j peta solici
tagio de eslodos por protts*ionaes por parte do
go*eroo, canea* bario de Baratos, ene, alm
*e tudo, nao hesitua em arriscar n'i< propria fertuna, empcegada em grande parte na
UsHia Barceftos onde, soa sua responsabilidade,
sob-vtudo moral, fonm fe-tas as experiencias
qus depois se est"nderam a Bracuhy, tendo sido
t-ssas experiencias o verdadeiro ponto de partida
para os estudos a que ss tem dedicado depoi><
d'isso os demais interessados. sendo ainda por
solicilago d'esse distincoddadSoqnec governo
mandn preceder na Guadeiupe ae estudos das
experiencias da diffu-o e ootrosaperfeigoamen-
to introdnzidos na fabricaco, pelo qae ao B
rio de B rcellos cabe com toda a jusiiga o ttulo
de benemrito da industria assu areira do Bra
zit.
Com effdilo, do coi.hecimento dos resultados
cquislco que fizc- da diffuso en Duquerry co heu ae immediato
| fructo. porquanto a distiacta directora da mais
i np irtante fabrica que possuimos. o engeiho
central de Qaissam, sezupre atienta aos progres
po-que nao tocan lo mais os estafetas em Gara quo pro
nhuns como d'antes, viagem. anexar d'aquella uoricag
nuva ag;'..icia, devta ser seaao mais corta, ao
menos a mesma desde que o estafeta saltando
em i'anbotinoo segu direito para Palmeara,
Corrente, Ligoa do Emygdio e Bom CooseHio.
Para isto chamamos a ttteRcaodo digno admi
nistraOor dos correios.
Ni dia lo abri fe a escora ds S3X masculino
com 40 a I omnos e este numero d'aquella data
em diante tem sido sempre augmentado.
1 sos que ludustna podem trazer rexl itroveito,
coiaprebeo lalo immediatamealc as va ug iva
que proviro dos novos processos de extraego e
-So, resolveu logo installar a diffuso, a
qual v u sea a menor duvida inaugurar urna
oova era de prosperi-lade para aquella empresa.
Tamhem por seu lado o Baro de Barcellos nao
ticou nem poderla frear satlsfeito com os louros
coJhidos na sua jornada: brevemente colher
novo muinpbo con a ioatallaco da sua nova (*
brica Ajriies qae vai ser insta I la da com
lodosos aperfeigoamentos al hoje coahecidos e
diepostos os seus app irellios e machinismos de
eseote- se aquella escolada falta de movis modo a produzr a ranor economa na faonca
sen lo pienso que o professor para mtlbor
acomraodar os seus al um aos tome easpresiados
aos particulares, baocos e cadetras. come por
veze* j i tomos presenciad >.
Nao poder e digne inspector da lslrucco
Publica p.-ovdecia i respeito ?
E'isaxleoKiiu arccsilade.
T. ve ram lagar os &->fcqo da Padrneira quer
comca4o no dw 23 de Dezembro, terrainacam.
no dia do correnle.
Houve grande concurrencia e sentimos que
pequeas desarcocaa entre a msica, i|ue se
prestara g*aos, dsse logar a que na hoovesse
missa cantada.
Este facto contrisloo nos bastante e nio me-
aos ao digno parocho. quem nio fultaram es
Rirgos ara maior brilban-ino da fesla.
Seguiose a festa de S. Sebastiao, ooe lermi
oou no dio 20 do corrente, sendo- aa novenas
cinta ios do principio ao fim, com murta perfei-
gao, per algumas mogas que a isio se presUram
de iii!o boa vontade, distinisoiiido se por sua
voz har-aoniosa urna ulna do nosso anaigo Sera-
tiai. Marques.
Basta por hoje.
PIUCAS E LMIIUIO
ata
I) vemos, pore o. bu u a nosso pezar, confessar
que sao estas as daas unkas empresa que bas-
tearamsi bandeara do progresso d"eotre o nu
mero- cen.sid>rav#t Oos dv-rnais interessauns r\Tte
a industria coiita no proprio Estado do Rio de
JaneiiO.
E porq ie ?
Porjue. a uis fallara hoje os recursos gastos
com a enorme carga de'material qoe se pode di
zer otisolet e a outros qoe ora desejam orgaiusar
empresas novas, foga Ibes o capital pela descon
tianga que Ihes incutie o insuccesso d'esses mes-
mob defeituosos appaielhos e proces-os
E' esta a verdade e eis a causa por qie a ia
dustria assucareira no p le supportaro impos-
to com que deve concorrer para as rendas do
Estado.
Hasta, pot n. considerar que, conseguindo se
siraplesmeote o insignificante augmento de 1 /
na extraego em urna fabrica de. cupavidade de
30.000 toneladas, .-ero 301K000 k i logra m mas de
assucar que ao prego de 15 res daro 4o:000 ;
quamia esta superior quota do mas elevado
imposto que se possa imaginar.
No vizinlm Estado da Paruhyba fuudou-se, nao
ha muito, urna Associago Commercial.
O lim da Assoepgo reunir o corpo do com
mercio da praga em seu centro, para combinar
e promover por todos os meios ao seu alcance
Oa intercsses geraes.de seu coumercio.
A direcgn cleita comxjfie se dos Srs. Fruncs
co de Bro Lyra, presidente ; Joaquim Garca de
Guaira, vice-pros-idenf j-An'onio de Sou:a Car-
valho e Alexandre de Furia Godinho, secretarios;
e Antonio finio Guedes de Paiva, tbesoureiro.
*
Pela seguinle nota de exporUgao comparativa
v se a extensao. da proJucgSo de cereaes na Re-
publica Argentina durante estes des ltimos
anno?.
1878
Trigo-k lo/" 2.517.438
Milho / 17.061.044
Fa i<>ha / 2.919.793
Fuielo 2.661 686
Aveia ,- 30698
Linho / 104.279-
i *
EmAau commercio com a Franca, importa a
Repojmcu lYrgenliua somma annual de......
t2t 000.liOO de francos, e exporto a de.. ...
126 000.000.
REVISTA DIARIA
Reparticfto da luxlrucco Publica
Foi lioniem refiistrala nesta repartigo a por
iaria de 1 do corrente raez. pela qual conceden
o cidadao governador do Es'aio 30 das de ti
cenga com ordeua.lo, acontar de 16 de Janeiro
nudo, ao pTofcssoroa tadeira do sexo masculino
de Pedra Tpana, Fclippe Benicio Moreira de Fi
gueiredo.-
Foi tarabeai boutem registrada na mesma
repartigo a portarla de Io and-rat-, concedendo
tres mezes de licenga, com ordenado, ajtomegar
de 16 de Janei'O prximo (Indo, a professora da
cudeira mixta de Tacarat, Mura Igaacia de Je-
so?.
Kt>riirira'o -A paiavra cantas, hontem
publicada na portara de Io do crente^ que
proroiia o prazo do art. 1 da lei n. 2,040 de 2
de Afio-to de 1889leia-sev-csWi.
i nulo Acadmica Funcoona esso so
ci ade aiuauha em sessa para emposar a
40.222.888
1888
178 910000
ICO 020-499
6.392 422
''^^fl^nova directora e eleger as cotnfliisses tis-
6- caes.
Iiiieo do cIvoi-Tero luaar is audic.i
cias rtesse juizo as If^horas dos dios designa-
dos, emqWOro durarem aseessfies do tribuna!
do jury, era cuja presidencia acba se o'ropoti
vo juiz.
importante eaptawa- E: a do celebre
criminoso Mauoei de Abel, realieada na fregne-
do Dr. che-
casas d'alli.
Sobre a fundago do nova BancoT faxemos o
sofuintej extractos de um artigo do Diana do fia de S. Joa, por cerco de ordem
Commercio- fe de policia e vrrejo de diversas
sendo elle encontrado na de um Capitalino de
tal.
A referida captara devida esforgos de sob*
delegado do 2* diatncto da Boa Vista, cidadao
major Ciu'ra, que por isso credor de elogios,
principalmente si coasiderar se que ora esse
celebrisado e omito protegido faz o numero de
8 criminosos proaaaaiados qne tem mandado a
Casa de Deteoc&o.
O arllata Ne dia 4 do corrate tai destri-
buido o i- 1 do 3 anno desee peridico, orgao
da classe representada em sua denominago, e
cuja objectivo como diz, a defesa das ctasses
operaras.
Agradecemos a visita.
Soeledade Becreatii-a JuvenlNde
- E-ta acreditada associago nao deixa por sua
vez passar desapercebido o carnaval este amo,
e por isso abre os seus sal ts no sabbado 15 do
corrente para n'elles ter lugar um explendido
baile carnavalesco.
Os esforgos empregados pelos assocados e a
boa fama de que merecidamente gosa a referida
sociedade sao segura garanta d qire o baile
que vai ter lugar proporcinala aos dilellinles
una Boite toda ebeia de encantos.
Somos gratos ao amavel convite
Blarao da loavor-A carta que o cidadao
co .su! de^Portugal dirigi ao cidadao Argemiro
F. Icio, e de que hontem rizeraos mengo em
urna local com a epigraphe desta, assira con-
cebida :
Consulado de Portugal em Pernambuco, 5 de
Ftvere-.ro de 1890.
Cidadao.
Teobo a boara de aecusar a recepgo do
vosso oflicio desta data, noqnal compartilbando
da justa indignago do po-'o portuiruez contra o
i.noliio procedimeno da Inglaterra, vos dignis
offerecer a Portugal os vossos servigos neste Es
Udo e parte dos vossos vencirneutos de funecio-
nario publico, dado o caso de qualquer romp
m ntp entre as duas nages,
Profundamente peonorado pelo vosso gene-
roso offere imento, qoe bem mosira quanto o
nobre e brioso povo brasileiro sabe amar e man
ter as tradicges de sua raga, vos envo os raeus
sinceros agradecimentos, certo que o governo
do mea paiz. a quem larei parte de to expon
tanea offerta, suber em nome do povo portuguez
toiLar oa do .ida conta mais eeta prov.i de uIV cto
s possivel entre os corages de duas nages ir
ms.Sau le e frateraidade ^Ao cidadao Arge-
miro Falcao, muito digno funecionao do Tele-
giapho Nacional. i. Joaquim Salgado. Vice
cnsul encarroado do consulado.
iriiNiuM Mecnanicoa e i.iiicrucs-
Hrje, as 6 1|2 oras da tariie, deveui reuuir se
era assembla geral os membros da Sociedade
dos \ elisias Mecli mi os e Lberaes.
Eeeola Vormal N. prxima segunda-
i- ora, 10 da correle, e pelas 10 h.e\ s do da,
ti rao lui-'ar na E-cola or oal os exames extra
rdinarios des alumnos da mesma escola sobre
as materias em que foram prejudutados no lim
do anno passado.
Obran publica* AmaOb a repartigo
das br,;,- iHinlut. deale Estado rec^b>- proposias
para execugao de reparos: da ponte de Naz.re
Ib orgados era 1:957*725; do pontilho sobo
riacho Cane*, na estrada de G avala, orearos
em MMPOM; de diversas pimtes na eslr^aa da
Victoria, oreados em 2:939 20L ; e dos boeiros
de Cxmoinas, Maues e Hulhes, orgados e u..
1.1725072.
Nolla do. lelcsraph >< -L no Jor
nal d Commercio do B:o de lancino:
Esl promplo na casa da raO'da o trabalh*
de inovago que alii foi erap-ehendido pelo Sr.
I)r. Eanes de Souza, director desse estabeleci
ment relativo aw s^los dos telerrapbos
Vai elleem brv.ee apresentar ao Sr. direct r
eral dos telegraphos. capito de fragata I. Nv-
poiooceno Biptista, os specimens ji gravados e
estampados as ofQcinas d'aquelle importante
estabelecimeoio Esta iauovago j foi apresen-
ladaao Sr. ministro da agricultura Dr. Demetrio
Ribeiro e ao 1." tenente Jos Augusto Vinh es,
ex director dos telegraphos. que a approvaram.
A pratica dessa medida, novissima entre nos.
co sistiri no segrate, que nos communicado
{tele Sr. director da casa da mee la :
O individuo que quizer mandar um tele
grarama proceder do mesmo modo por que faz
expedinatt ama carta. En vez de dirigirse
como at agora, todas as vezes que tiver neces-
si i ade, 4 repa tigo central dos telegraphos para
abi escrever o seu telegramma, e para recebe r
o competente recibo, pode, en sua casa ou em
qualquer ootro lugar em que se achar, escrover
sre telegramma com o numero de palavras que
oteuder e puder pagar, e, em vez de ir repar
lirio central ieval-o para ser expelido, obtendo
um recibo, elle collocar pr si mesmo o sello ou
os sellos competentes e os inutilisar todos com sua
as*ignatura%
E-ta prali -a de ioutilisar os sellos com sua
a-sign; tura, como as estampilhas, urna ga
rantia para o expeditor. Feita a entrega ou a
collecta dos telegrammas, o encarregado da re-
cepgao deve examinar se os eHos e9lo em re-,
srra, do mesmo modo por que se faz com as
Cartas. Se sufcientes, carimba-se. e expede aec
telegramma ao telegraphista, como o empregado
do correio faz seguir a carta competentemente
S'llada ao seu destino; se nao sellado, natural-
mearte nao o expede; se insutficientemenle sel
lado, o enviar ao telegraphista esm a declara-
go de insuficiencia e emquanto esta importa ao
sen destinatario, isto a quanto esta monta
com a multa necessaria. Para que o receba seu
destinatario mistr ir orm a clausula de in
sHffiaente, afim de que este pague o excedente
como sello de laxa decido.
llavera para is-o sellos de tres valores, quer
para a expeiicao, quer para a taxa derida. Efttes
sellos constituiro duas ctasses diversas: ade
ieil is directos e a de laxas devidas, como nos
sellos do correio. Os valores dos sellos das
laxas directas, a seu torno, se rppartirao em tre3
irrupos, tal qual como as estampilhas do the
sosas; de cajas dknensesse aproximara, afas-
tando se njaso dos seHoi do correio.
Ihvea os-de centenas, de ris (d-; 100, 200
e S00 rs.J, 03 de auHrares aV rr ( 54>eoe de deseuas de miftrars df ris (l*J,
20 e 50J.)i; sendo portanto os de minia valor
iiKi 19. e os de mximo valor 05 0 mesmo se
dar com os sellos indin*3tos ou das laxas devi
ios, que terSo alias le menas os valores de deze-
3 d-f mil ris, que 9opessoirestacathegoria
por improvaveis a mesmo por serem inaceita-
veis os de muito altos valores. Distingue se
estas- tres classes oo grupas de valores pelos di-
versos destinos e pe103 especiaes dizeres Os
de centenas de res serSo de pequeas diraen
scs (coate as estampilhas do thesouro de cen
lenas de ris). Tero como emblema Mercurio
(em homeoagem ao commercio), ao lado do es
cudo daBepublica. Os s milhares de ris terao
a imagera da R publica ao lado do mesmo es-
cudo. Erafim os de dezenas de milhares de ris
tero o brazo offi ial republicano.
Todos 03 sellos d03 telegraphos, quer di
recios quer da taxa devida, tem ura felxe de
ralos que caracterisam a electricidade, mas em
poslgo diversa para cada grupo especial. Os
valores diversos de centenas, de milhares r das
dezenas de milhaws de rcis se distinguen! nns
Jos outros pelas eres, que si> differentes para
cada- ura delles exactamente, eoiucidindo estas
pelos idnticos valores com es dos sellos de cor
reio e das estampilhas do thesouro.
Ha oisso. como nos selioi e estampilhas, as
letras do thesouro, e como haver mais tarde no
papel-raoeda e nos bilhetes de bancos verda-
aeiras integrages e differeociaces respectiva
mente eos grupos e aos valores.
Para o u-o geral e efn?.az destes sello? apre-
sentamos o segointe coraogaranta de sua prali
cabilidude:
1." As tabellas dos pregos e de outras indi-
cagej devera eer previamenta espalhadas, esta
helecendo as taxas diversas para os diversos
poatos da Repblica.
Ellas devem achar-se as cstages e vagone
dos trens de forro, nos bools, as repartiges
publicas e nos annuntios dos jornaes; exacta
mente como os pregos das passagens dos trens
9 (os servigos do correio e das estampilhas do
thesouro.
2." Todas as estacones da estrada de ferro da
R-pubtica devem ter caixts de reepeo de tele
grammis; do mesmo modo porque en diversos
poutos ha caixas do correio.
As caixas dos telegra>h03- para o deposito
dos tategratsmas devem.ser, como as do correio,
revistadas a horas certas; especial mente na es
tacoes da estrada de- ferro dfpoitda pnradd cad trem
3.' Reunidos ou. rjpat55o ocatral, ou na
competente agenda do local, iacnmbida de ex
pdiges lelegraphicas, sero revistados, classi-
tcados e expedidos os telegrammas.
4. Quem quizer enviar pela repartigo cen-
tral ou pelas agencias competentes o seu tele-
gramma, pode, all apreseniaodo-o directamente
e- sellando o ou entregaodo-o sellado, extgir a
sua remessa inmediata sem esperar pela collecta
das caixas telegraphi.as. s deixaodo de ser
feita naturalmente a exp> digo immedlala quando
estiver interrompida a liaba ou quando o ser-
vico pab'ico urgente exigir a sea demorada pre-
tartcao.
5 Os sellos dos telegraphos devero ser
encoolrudos na reparticao central e as estacei
diversas, assim como nos locaes habilitados sua
venda, como habitual mente se d para os sellos
ras estampilhas.
6. Os g-llog de tatas devidas sero como 08
do ro-reio, de exclusivo uso da reparticao dos tele-
grafios; nao podeodo possuil os ueuhura parti-
cular, evitando-se assim o abuso de qualquer
especulador que queira auferir id devidas taxas.
7. Os carimbos paaa ioutilisago dos sellos
dos lelegraphos lm a indicago do da, mez e
anno, como os do3 sellos do correio, isto tanta
para os sellos uredos como para as tusas de-
vidas.
8. Os telegrammas podem ser fc-cristes em
qualquer papel, como as cartas; podendo ser
collocados na* caixas ou enbvgues s compe-
tentes repartiros* en agencias com envolucroa
ou sem estes.
Tribunal do jury do ttecire Anda
hontem nao pode ser installada a 1 sesso ordi-
naria deste Tribunal por s haverem compereci-
do 23 juizes de facto.
A's ll h ras da inanh. achando se presentes
o Dr. Joaquira da Com Ribeiro. juiz de direita
do Io dnticto, o Dr Henrique Augusto de Al-
buquerque Milet, Io promotor publico e o capi-
to Florencio Rodrigues de Miranda Franco, es-
en vo privativo do Jury, proeeiea se a verifici-
eio dai cdalas e a chimada geral dos jurados
sortead s.
Foram mulla lo-em 20S os jurados que fal-
taran] e sortea tos os seguales supplentes :
Freguezia do Recife
Manoel Joaquim de Al.uei a Moeda Jnior.
Joo Licio Marques.,
Jos Pedro AlexaBdrio ) Becerra.
Freguezia de Santo Antonio
Isioaol de Oliveir. Guimires.
Jos Vicente Gomes Torres.
Manoel Au.usto da Cunba.
Jovino Cassiano M na e Silva.
Freguezia de S. Jos
Manoel Rodrigues d.s N ves
Fnguezia da Ba-Vista
Telemaco Cavuicanie de Mello.
Fran isco Augusto Araujo.
Miguel Foatoura.
Antonio de Medeiros Mifra.
Joo Carlos avalcante de Albuquer jue.
Manoel do Ni-eimento Silva Bisios Jnior.
J s Joaquim Pereira.
Rellarmiuo Gonga I ves Albuquerque.
Antonio Pereira Bastos.
Dr. A-lolpbo Alves Sime? Barbosa.
Dr. Arlhur de Barros Falco de Licerda.
Freguezia da Graga
Msguel Angelo do Nascimenlo Fetosa.
Joa A-sumrgo Oliveira.
freguezia oe Afogados
Joo Cli ysestomo de Oliveira.
Archias Lindclpho da Silva Mafra.
Manoel Luiz dos Sant s.
Freguezia do Poco
Vicente Ferreira da Costa Miranda.
Fui addiada sesso para hoje s 10 horas.
(Servlco militar-Hoj superior uo da a
capiloe Viro Velbo c para ronda de visita
um subalterno de i-avallara.
O IV batalho dar aguarnigo di cidade e o
2 o cflicial.
Ordenou se : qoe se aprsente,hoje defeea-
cia do cirurgio mor do exercito atim de ser ins-
peccionado de saude o cJadao alferes do 14
ae infaotaria Viceo.e Magno Nunes.
Que passe a promplo de emprega lo no quar-
tel general o anspegada do 2 de infantaria An-
tonio B rnardo Cavalcante.
Alistaran) s; corao voluntarios 10 individuos.
Komeaco-No Povo, peridico publicado
na ctdade d Prin:ipe, Estado do Rio Grande do
Norte, t se :
Foi nomeado juiz municipal do Acary,o nos
so particular amigo o bacharel Jos Ferreira
Muniz.
Nossos parabens ao nomeado. e ao povo aca-
ryense. que encontrar no Dr. Mnniz, par de
urna intelligencia brilhante, um espirito alta-
mente jusliceiro.
Iiaia do oireiio de uaaii-No dia i
de Janeiro deixou a villa de Rio Novo, em de-
manda da capital, o Dr. Jos ilimaco Lobato,
que naquelle municipij exercerao lugar de juiz
municipal, e ltimamente foi nomeado juiz da
direito da comarca de Guama no Estado do
Para.
O D -. Lsate, deixou em Rio Nova as ana
gratas recordages, quer como juiz, quer como
hornera social, quer anda corao Iliterato.
E n sua reinada da v Ha deram-lheos habitan-
tes de Rio Novo significativas provas de conside-
rago e estima que lhe3 mereceu o Dr. Lobato,
acompanhando-o at certo ponto fora da mesma
villa, cerca de 50 cavalleiros que anda Ihe vie-
ram facer essa manifeslago daquelles sentimen-
tos geraes nltima hora.
Nos que conhemos a3 qualidades do Dr. Lo-
bato, rjconhecemos tarabem o quanto taes de-
monstrages tm o cumie de devidas
Congreamo Instructivo Pernambu-
cano Keumo se hontem pelas 10 horas da
raanh, em assembla geral extraordinaria essa
suciedade Iliteraria, e procedendo se a eleigo
da nova directora, fieou a mesma assim consti-
tuida :
PresidenteTito Franco de Mendonga (ree-
leito.;
Vice-presidentes Opiato Eusiaquio Carajui
e Estevo de Lellis e Souza Pontes.
Secretarios loii G. Maia da Silva c Francis-
co Au-iusto P. la Costa Filbo.
Orador -Luiz G Mouteko de MjI.'o (resleito.)
Vice orador Gabfiel Lima.
Thisoureiro-fihrem Esdras.
BibliothecarioEloy de Souza.
Commisso de syndicancia
Relator -Opiato Carajur.
MembosMaia e Silva e Costa F.iho.
Commisso de tlwses
Relator-Luiz Gomes M. de Millo.
Membro3Estevo Lellis e Ephrem
Bra seguida eteigo forara approvadas
duas propostas nn sentido, urna de langar se'na
acia un voto de profundo pezar pelo infausta
nas amento do insigne vate pernambacano
Victoriano Palbares; e outra de noraear-s* urna
commisso para hoje, ao meio dia, comprimen-
lar o marechal goveriador deste Estado pola sua
promogo.
A nova directora deve ser empossada na
quinta feira prxima, no mesmo lugar e s ho-
ra? do costume.
Koialo do ParaPelo vapor americana
Listabon, entrado hontem do norte, livemos fo-
Ihas do Estado do Para at 1." do corrente mez.
L-se na Irovincia do Para, de 31 de Janeiro :
Ao cahir da tarde de hontem, soubemos que
licou realisado o empreslirao de seis mil e qui-
nhentoi contos de ris ao Thesouro d'este Es-
tado. >
L-;e na meema folla de 1 do corrente :
A grande nago amiga, a patria das mxi-
mas liberdadl'B e o corago dos largos progre-
dimentos-,-os Estados Unidos da-America da
Norte,acaba de reconhecer a Repflbltcu Bra-
zil ira.
Damos esta festiva nova estuantes de jubila,
pelo contentaraento que ella em nos suscita.
Gloria ao paiz irmo!
A noticia do recoahecimento da Repblica
pela Unio norte americana chegou ao noss
conhecimento em virtude do seguime telegram-
ma, que nos foi communicado gentilmente pule
Sr. Dr. Justo Chermout, governador d'este Es-
tado :
. Washington (via Recife). 31.
Governador do Para.
Repblica reconhecida. -Jos Gurgel do Amm-
ral Valente, enviado extraordinario e ministra
plenipotenciario do Brazil era Washington.
Renlerain em Ja eiro :,
A Alfandega 6I6-.009S217
A K-eebedoria 171:390A5M
O" .apologista CbriNslo Brnilcii-o
Pelo honrado ir. George B. Nind (bramos ge-
tilmente offertados os 4 primeiros nmeros, qua
al:angam a 25 do passado, desse p*riodico que
publica se-no estado do Pr' W elletlrgaO'da
igreja meibodi8ta episcopaf no Brftztl; 9endo seu
reaacor e proprietario o Revdm. Justus H Nel-
son, e team}' por misso a propagan la da iooa
moral, das doutrinas evanglicas.
r
I
t .


X '

I

>


II I I ^
mmiii f
U.SI. ... -. .. ~
^f^^
c
\-


V
v
.


M
A
%
Diario de Pemambneo-Sexta?
*Ki etse peridico tecen?a?9igoa toras
ftido Sr. Nina, nolosiimto Unte, i raa do Ba
rao da Victoria n 25. i." andar.
Canhonclra I*tler4UdeEile vaso da
armada nacional, que satura hontem 3 5 horas
4a manh;l, con de. tino a Fernando, arriboo as
10 horas ao porto do Recife, onde entroo, peo
facto de tpr aberto agua.
Vai fai-r ti precisas repiragdes, depois do
tue seguir ?ua vi; gem.
a>tr-elo"la du ora d- rouerv<
;ao d < porltf de Pcrnambaco-Rei
fe, 5 d Fevereiro de 1890.
- Bolcttm meteorolgico
66 W
66
Horas 1 3 u 8| l 1 <;i-oui(-lru a *0 Tensao do vapor
i P -


6 m. r.6 759-69 20,01 77
9 29,4 760 59. 20,27 66
11 ao-6 ;60-13 21.18 65
3 t Z9,4 758-70 1993 66
1 28\l '5829 19,71 70
Tetnin-ratura maxim-t3l,*S-5.
Dita miniina 26, 00
Evaporaco em il horas : a sol 8,"0 ;
somora 3."6.
Chuva nulla.
Direccao do veno : SE *com interrupces
ESE e lurante todo* dia.
Velocidade inedia o veato~2 "15 por se
gasto
Nebulosid.ide inedia0,"43.
Je

Boletn! do porto
1
Sal
Dias
tunu

1. M. 5 4* Feverciio 10-28 da nu-oh
P. M i 5-16 a tarde
R. M 11 12 .
P. M 6 de Fevereirol 5 -42 da manh
Ai tu
0-,5
2-47
0-.47
2-,46
L.eilco EtT> ciuar se nao os seguiutes :
Huje :
Pelo agente i>into. s il horas, era frente ao
armazem n. 45 da ra do Bom-Jesus, de um ca-
briole! americano, 2 cavallos, e urna vaeca tou
ria cora cria.
-r Ainann :
Pelo agente Gosmo, as 11 oras, do cavallo
Bonjour e de nina catia grande com 6 remos e
mais pertences.
Mi*na funebrn-Serao celebradas :
Ainaoha :
A's 8 horas, na matriz de Santo Antonio, pela
alma de Rosa Emilia da Fonseca e Oliveira ; s
7 horas, em S Goncalo pela alma d i D. Joaona
Francisca Basto adeira ; s 8 horas, na Con-
ceigao dos Militares, pela alma de Francisco Jus
tiniano de Cas: o Rebello ; s 7 horas, na ma
triz de S..nio Aatonio, pela alma de D. Mara
Januana de Pava Mjreira ; s 8 horas, ni ma-
triz da Boa-Vista, pela alma de Francisco Jusli-
niano de Castro Rebello; s 7 1/2 horas, na Con
ceigao dos Militares, por alma de Manoel Caeta-
no da l'az ; as 7 1 4 horas, em S. Pedro Martyr
deOhoda, pela alna de Levino Muir ; s 8 ho-
ras, na Cunceico dos Militares, pela alma de
Francisco Jusiniano de Castro Rebello.
Paia(teiros Sabidos para o sul ao vipr
nacional Maranhoo :
Amelia Lodo da Silveira. Mara Magalhes da
Silveira. Jos Magalhes da Silveira, Joaquim
Fernandes da Silva, Francelino Leopoldino de
Castro, ex cabo Cypriano Francisco da Silva, sua
senhora e 3 lilh >s, cadete Emilio de Carvalho
Montenegro, Jos Armando.daCunha, Jos Gome.
de Oliveira Edmundo Lopes de Mendonca. Ray-
munlo B. da Serra Martins. Dr. Jos Igna io da
Silva, Dr. Matheus Va de Oliveira, sua senhora,
1 filho e 1 crala. Mara B da silva, Alfredo
Freitas, Mara do Bomlim, Roberto Francisco No-
gueira, desembargador Luiz de Albuquerque
Martias Pereira, ir. Francisco A. de arvalho
Moura, Jos da Silva Costa Neto, Dr. Joe Los
de Albuquerqae, Dr. Joo Ribeiro de limo, Ar
ttiur Dantas Barroca, Dr. Antonio Nogaeira Pe-
nido e sua senhora, Rosa Clemtntma dos Anjos.
Mara Fiavia Carneiro da Cunha, Antonio A. Xa
Tier da Fonseca, Apoiooio Peres, Manoel Joa-
quim Fernandes, Joo E. Souza Vianna, teen
te Manoel Pereira de Souza, Victoriano Borges
Pereira, teen e Sdney Schifler. sua senhora, i
ibos e 2 riadas, aleras Artbur G. de Carva-
lho e 1 cralo, Joanna Mana d
Antonio Marques, Esperanza, Vctor E. II lia
sileiro, 88 pragas do exercito e 11 pessoas de
as familias, 31 pregas de polica e 2 pregas da
armada.
Sanido para a Parahyba no vapor ingles
(anuir :
nionio Jos Gomes.
S.hidos para os portos do norte no vapor
nacional Pirapama:
Deolinda da Silva Correia, Leonel e ama tiltia,
Eugenio Haeberlia, Jacintho P. de Mello, Josepba
Primo de Sonza e 1 filho. D. Emilia Pires Per
reir e 2 lilhos, D. Francisca Freir, Eugenio
Lauro Maciel Montero, Jos Mar la Pontes, Can
dido Ferrcira Guimares e 1 Hlbo, Antonio Joa
quim Goucalves Fraga, Sergio Ferreira Maciel
Pinheiro.
6642 943 6645 646
9948 94 690
Estao premiados coa 200*000 os seguintes
nmeros:
8221 8222 8i23 894' 8226 8227
828 8229 8230
Todos os nmeros terminados em 98*testo.
miados cora 2OM000, excepto o da sorte gradi
Todos os nmeros terminados era 44 estao pre-
miados com 200*0^0, excepto o da sorte imme-
diata.
Todos os nmeros terminados em 8 estao
premiados com 11)0*000, excepto os terminados
em98.
Todos os nmeros terminados em 4 esto
premiados com 1 em 44.
A seguinte lotera corre no da 12 de Feve-
reiro com o plano de 120:000*000.
"1'itih o iirau-Para- A 3 parte, da
'3' lotera, cujo premio er <-xtra&ida no dia 12 le Fen-reiro
Molerla da corte A 3* parle da 254' lote
a, cujo premio maior de 10:000*000 ser ex
rabila anianh 8 de Fevereiro
liuteria cvlruordlnarln da capital
federalA 3' parte esta grande lotera,-cuja
sorte grande de 100:000*000, -era detiaitava
mente extrahida no dia 22 do correte.
Cemlterlo pafcllcoObituario do dia o
de Fevereiro :
Arcelina. Pernambuco, 18 mezes, S. Jos;
bronchitc.
Antonio Maximino de Medtiros, Pernambuco,
33 anuos, sjlteiro. Boa V!-ta ; syncope.
Brasilia, ernarabuco, 1 mez. Boa Vista ; con-
vulsoes.
Manoel, Pernambuco, 2 mezes, S. Antonio;
darrbea.
Antonio, Pernambuco 5 mezes, Boa Vista ;
peneumonia.
Urna enanca do sexo femenino, Pernambuco.
Boa Vista : asphixia.
Manoel, Pernambuco, 5 mezes, Boa Vista;
convulfOes.
Hygino, Pernambuco, 21 dias, S. Jos; icter
cnlile. ^ _
Luiz-, Pernambuco 13 d4p Recife ; deWr-
dade.
Francisco, Pernambuco, 10 mees, S. Jos:
convu'Oes. ,
Florencia Maria da Conceigio. Pernambuco
50 aonos. golteira, Graga ; paralysia.
UMPOCODE TDO
rfl*#tito pt-
^Tter
ae
Tiy
3
jo litigio, qut
de eiiiigr.intes;
Bar o rrosso pan N
rgctfyto brasiteir
via dado entejo
cidade e a de Gmov
1nteng5es do govern
i sorte dos iramigran-
odo lisoojeiro para nos,
temos intro luzdo nete
ramo de servigo.
um
em
vae
Na avenida Parmantier, em Pars, mora
casal, que tem um tilho de nove aonos.
O marido operario, a mulher trabalha
obre de costure para a- lujas, e o pe jueno
todos os i ias para a escola.
N'um dos uliimos dias a mae foi entregar ob a,
e por volla das 4 horas o nosso homemzinho
voltava da escola e cahio-lhe a alma aos ps,
quando urna vizinba, dando lheachave da porta,
Ihe disse que sua me havia sabido.
O rapaz nao ia dos mais desteu idos e alm
d'isso tem urna pronibigo expresa de mexer
no artigo phosphoro a noile avuinba-se a pas
sos de gigante e o rapazito comegou a ver a pt r-
spectiva de nao ver nada ; isto d Mear s es
curas e szinho em casa.
Luciano, que assim se chama o rapazito, re-
solveu ir trincar pare a ra, apezar do fro pe
neirante, que Ihe tornava rubras as orelhas e o
nariziio.
Nlsto approxima-se urna dama, elegante, rao
rena... um appetite I
Que fazes tu aqui, meaino ?
Ura, esiou espera da mam... en moro
tqui e nao est ninguem em casa.
Pois eo la obem preciso fallar mam e se
tu queres subimos porque a jui Taz fri I
O rapaz concordou e la suoir-'m o.-- dois.
A morena, s.-im que se apanhuu em casa do
pequeo, deu-lhe dinheiro para ir comprar bon-
bons.
Luciano Qcou radiante com a generosi iade d'a-
quell i nospede inesperada.
Agora o epilogo d'esia scena.
Quando o pejueno voltou nao encontrou a mo
rena e nao encontrou a maior parte dos objectos
que estavam em casa.
Os paes do p< queno foram depr a sua queixa
no coramissanauo, mas em Paris hi taes mo-
renas I

Falla se dos bonds movidos pela electrici-
dade.
Eu se fosse governo, nao consenta isso
A referida ordem de 13 de Margo foi expedida
por occasiao da epidemia que, no comego de
1888, iavrou nesta cidade e as de Santos e Cam-
pias e natural que tenha concorrido para pro-
trabir a pronibigo o facto de baverem*sido re-
patriados por aquelle tempo alguraas centenas
de italianos que foi impossivel localisar de
promplo em S. Paulo. Taes motivos cessarato.
A sade publica tera-se mantillo, ha mmtos me
zes, as mt inores condigdes e, por outro lado,
notorio que a lavoura p^ulista est reclamando
bracos estrengwros queaccndjuvem noseu mo-
viraento de eip&so.
NenQuma razlb ha, pois, para que o governo
italiano persista na excepgo que estaPeleceo a
respeito do Brasil, contrariando a tendencia que
-vid n'emente encaminha os seus compatriotas
paia o nosso paiz. A permanencia de semelhan
te rgimen obriga numerosos italianos a procu
rarem lora da Italia portos livres a'onde possuiu
emigrar para o Brasil e isto aggrava-lbes a sor
le, ao mesrao tempo que desfavorece a navega-
ran italiana, justamente queixosa do quasi mo-
nopolio que u'ahi resalta pare a oaveggo es-
traniieira.
Nos primeiros 11 mezes do ultimo anno rece
beu a Repblica Argentina, por 757 vaporea.
237,909 im mi gran tes, pela maior parte italianos,
au [)a-s'i que o Brasil, em todo o anno, ap- as
impurtou 63,161 conln. 131,000 que recebera em
1888. Esta enorme diCf- renga assignala o dam
no que nos tem acanelado o excepc.onal rgi-
men adoptado pelo governo da Italia e aceres
centaremos que semelhante poltica nao de
certo a que melhor quadra aos interesset wlia-
oos. O governo da Italia mullo esciaiwdc
pare que possa ser suepeitado de considerar
como causa de depauperamento a emigrago da
populago superabundante e, quando nos seus
conselhos triumphasse este preconceito, pouco
ou nada valeria constraiiger a emigrago para
um paiz, tendo o constrangimenlo o nico effei
to de fazer engrossar a crrente encaminhada
pa a outras regies.
PERNAMBUCO
English Bank ot Rio de lanci ro
(l.iniK .1)
Capital do Banco em 50.U00
acsSes de 20 cada urna 1.000,000
Capital realisado.......... 500,000
Fundo de reserva......... 150,00
balando da caixa filial em pernambuco,
em31 de j neiho de 1890
Activo
Letras descontadas............. 41:175*860
Emprestiraos e coritas cauciona-
das...................... 457:364*410
Letras a receber............... 4 3:149*24
Garantas e valores depositados. 159:t:l>00
Mobilia, etc., do t>anco......... 1:820 680
Diversas contas.............. 1.384:77i*0 0
Caixa....................... 365:559*690
3.102:971*850
Passivo
Contas correles
simples.......527:488*120
Depsitos a prazo
tixo com aviso e
por letras. .. 1.848:841*990 2,376:330*110
Letras a pagar................. 6:895*590
Ttulos em caucio e deposito. 139:131*90 >
Diversas contas.............. 560:614*250
3,102 971*850
S. E. & 0.
Pernambuco, 6 de Fevereiro de 1890.
A. / P. Clarkson, manager.
/. A' Eddowes, accountant.
SPORT
^Rio de Janeiro.
PaixSo. PetrW p0r que ?
Caaa de UetencattMovimento Qos pr> -
js da Casa de Deiengao co Recife, estad
de Pernambuco, em 5 de Fe verano de 18SO
Exisuauj 539 ; entraram 5; sahiram 42; ezi
.em 502.
A sai>er:
Nacionaes 504 ; molberes 28; eslrangeiro* 7 ;
-Total 539.
Arragoados 432.
Bons 398
Doentes 23.
Loncos 8.
Loucas 3.
-Total 432.
Movimento da enfennaria
Teve alta :
Marcellino Jos da Costa.
Tiveram baixa :
Manoel Rodrigues da Silva
Antonio Luis aa Silva.
Hospital redro II O movimento de te
iStabelecunento decardade, no dia 5 de Fe
aeiro foi o seguinte :
Entraram 10
Sacl-ain 4
Fallecern) 0
Existen 417
Foram visitadas as respectiva* enferman s
jelos Drs.
Cysneiro s 8 3/4.
Barros So >n ano s 6.
Be-ardo 9.
Ferreira Velloso s9 3/4.
Malaquias s 10.
Pontual s 9.
Estevo Ca val can te s 10.
Simoes Barbosa s 10
O Dr Moscoso nao comparecen
0 cirurgio dentista Numa Pompilio nao c
parecen.
O pOarmaceutico entrn s 8 1(2 da man
ahio as 2 da tarde.
O ajudante do pbarmacentico entrn s 7
.'ahio '8 6 horas da tarde
Lotera do trio Para-Eis os premios
da 8.* serie da 31.* lotera do Grao-Para, ex-
trabida em 5 de Fevereiro de 1890:
* *.',0:000*000
6644 30:000*000
8225 10:000*000
5723 4:000*000
8652 4:000*000
Esto premiados com 2:000*000 os seguintes
nmeros :
122 1247 5960 7110 7553 7785
Esto premiados com 1:000*000 os seguintes
nmeros:
207 3744 5301 5430 6318 7668
3509 4084 5417 5691 6898 9665
appoxjmacu*s
8697 2:000*000
8i99 2:000*000
6643 1:200*000
6645 1:200*000
8224 600*000
8226 600*000
Esto premiados com 600*000 os seguintes
nmeros :
8691 8692 8693 8694 8695 8696
8697 8699 8700
Estao premiados com 400*000 os seguintes
nmeros: t
Porque asusta os cavallos.
Ora esta I Assusta como ? Nao tem ma
china, nao tem fumaga, nao tem cavallos. nao
tem nada...
E' por isso mesmo : os outros cavallos as
sustam-se porque principian) a imaginar o que
ter sido feto dos seus allegas.
*
Foi comraemorado em Paris, ltimamente, por
grande numero de surdos m idos, o centenario do
padre Michel de l'Epe, inventor do systema que
os ensina a lr e a conversar.
Formados em cortejo dingiram-se ra The-
reza. levando frente um estandarte com a ins-
i-ripco : Centenario do padre de l'Epe, liberti-
dor dos surdos-modos, e visitaran) a cata onde
aradle grande benemrito leccionou os seus
primeiros discipnlos e onde depois n.orren em
1889.
Marchavam quatro a qoatro, levando cada gru-
po a sua coioa.
Na ra de Rivoli hava muia gente pelas ras
e jancllas, assislindo ao desfilar do cortejo.
Foram depois igreja Saint Roch, onde est o
tmulo do padre de l'Epe.
A commisso das inscripgOes histricas mao-
dou col locar sobre a fainada da casa da roa
Tbereza dua.- placas de marmore commemera
Uvas.
O director do instituto nacional de surdos mu
doL receben, por occasio da ceremonia, muitos
telegrsmmas de institutos estrangeiros, associan-
do se commemorago.
Sobre o tmulo do padre de l'Epe foram de
postas militas coroas.

Prximo da ilha de Andr, na Turqua, fez se
ba pou o, no fundo do mar, um importante acba-
do, constando de alguns cofres, pesan 1o 645 ki-
los cada um e contendo perto de 50 000 moe .as
de ouro e prata. com a data de 1666, onde se
vm inscriptas vanas paiavras hesp. nbo as.
Ao lado dos cofres foram encontrados seis ca
n.nO s de bronze.
E' natural que este ihesouro que por tanto
tempo permaneceu debaixo d'agua provenba de
algum navio de guerra hespanhol que all tives-
se naufragado.

A Gazeta de Pttbourg. tem um assignante cujo
nome nao cessou de figurar nos seas assenta-
menlos ha 103 aonos.
Em 1786 Natbaniel Montgomery tomn pela
primeira vez urna assignatura qoe foi continua-
da pelo filho.
ircumstanca curiosa, o prego da assijnatura
era a principio pago em gneros, o pai Montgo
mery dava por um anno um alqueire de centeio,
um alqueire ae batatas e um per.

O sello real que deve apparecer pendente as
cartas regias e qoe varia cora os menarebas, sera
no presente reinado composto do escudo real
sustino latteralmente com as serpes da casa de
Braganga.
No reinado do Sr. D. Pedro V o scudo real
eslava envolto no manto real, e no reinado do
Sr. D. Luiz era cercado de ramos de carvalho e
de oliveira.

N'um tribunal.
E' talvez a SO.' vez que o reo, um rapaz dos
seus 30 aonos, se aprsenla no tribunal, por va
dio. O juiz perguntou Ihe :
Desde quando nao trabalha ? desde quando
se entreg u a vadiagem ?
Deede que morrea minha mi, urna santa
mulher I responde o reo, enxugaodo urna lagri-
ma no canto do olbo.
E o juiz, um tanto cominovido :
E que idade liona quando sua mi morreo t
Dezeteis mezes, Sr. juiz f

Dizem nos eu carta de Genova que o nesso
ministro junto do governo da Italia, tivera re-
centemente occasio de conferenciar com o Sr.
Crisp, quanto ao< negocios da emigrago para
o Brasil, sem qu* fosse conbecl lo o resultado
da conferencia nem houvesse apparecido qual
qutr modificaco no rgimen estabelecido a tal
luiap Guana-iera ^ta-_
m rm 1.000 metosTt iotl em 70 sPjrtm
dos; Cruz-iro em 69; Monitor em 66 e 67 1,2.
Em I.jOO : Pbariseu em 87-
Em 1.4 0: Biitz e Guarany em 100; Phariseu
em 97; e Tenor em 86.
Era 1.700 e 1.750 : Mistoll em 98 e 117.
Assumio a presidencia da sociedade sportiva
do Hippodromo do Campo Grande o Sr. Manoel
Lopes de Souza Carvalho, por incommodo de
saude do digno presidente o Sr. Joaquim Inno
cenco Gomes.
#
Aegoa Elza f i comprada para urna fazenda
de criago pelo Sr. Paulo Soares, na capital fede-
ral.
Acharase venda na capital federal os seguin
tes animaes de corridas, bem conhecidos dos
s lortsraen :
Gang Awa, 3 annos, ingleza, por Marden e
Agnes
Pierrot, 4 annos, nacional, por Tangible e Va-
lenga.
Arnyntos, por Saint Len e Mascotte.
Leooiine, por Saint Len e egua de meio san-
gue do Rio da Prata.
O jockey Thomaz segu no ultimo vapor para
o Rio de Janeiro, onde j se acham o Pedro de
Souza e o Bal bino.
*
Dorante a estagSo sportiva fluminense do au-
no 1889 ganharam os seguintes aniraaes premios
na impo'tanciaabaixo notada :
Hogueootte 44 100*000
Sotta 38.640*000
My Bot 20 570*00
Vivaz 15.112*000
Feniana 12730*000
Tenor 12207*000
Suavtia 11.0^0*000
Therezopolis 11.725*0 O
Troya 11.6.*00
Phiegethon II610* 00
Clan-Chitan H.165*Ki0
Aguia 10.T80000
Sal valor 10 3 OtOOO
Claretto 9 8<0*i)0i)
Elle 9 660*000
Kread-Winuer 9.515* 00
Munilor 9.390*000
Breas 8 600*000
Rene 8.460*000
Dayoreack 8 440iOO
Zig 8050*000
'.teio Mavignier.-~Clnica mi
tico eirorgica. Especialidades : mole, JulnsoaareB e partos. RuftdaMr^-.< *
Jlinda a. 27 r,* ^^^ eomaitaa um V
2 horas e na Casa Porto (Poco da Pa
e'la) das d as 9 horas da manhS o
arde- TeleaAone n. 392
li'vosado
O advogado Jet Antonio de Magalhes
Bastos raudon o sen escriptorio para a ra
l.J de Marco o, lj. 1." andar.
O baehard Joaquim lhiago da Fonseca
:em seu esajfiptorio de advogado raa do
Imperador n. 14, l. andar.
O baehard Bonifacio de Arago Farie
lacha continua a adrogar. IJscriptorK
oa do Imperador n. 46., 1. andar.
O baehard Petronilho de Santa Cruz OH-
ueira, encwrega se de levantar empresti-
raos peranta o Banco do Brazil para auxi-
io da lavoura. Escriptorio ra do Impe-
rador a. 69, 1. andar. Residencia sitio
na Jaqueira, prximo estacSo.
OccullSta
Dr. Ferreira. com pratica nos prmci
aes hospitaes e clnica de Pars e Lon
dree, consultas todos os dias das i-
orasdao meio-dia. Consultorio e re?i
lenca i raa Larga do Rosario o. 20
" Dr. Barreta Sampaio, occulista, d tfon-
mltas de 1 s 4 horas no 1. andar da
usa ra Barao da Victoria n. 51. Resi-
lencia a ra 7 de Setembro n. 34, entra
ia pela-ra da Saudade n. 2.
n rogarla
^Fajia oriho A C, droguista por at
;aa, ra do "^Mrquez de Olinda u. 41.
Francisco Manoel da Silva & C.t deposi
arios de todas as especialidades pharma
euticas, tintas, drogas, productos uhim*
:as e medicamentos homeopticos, na d
Vfarques Olinda n. 23.
Tlata de escrerer
A melhor a tinta Victoria, vende-se t
00 rs. meia garrafa e a 800 rs. u.aa'gar
"afa inteira na Livraria Comtemporanei
de Ramiro M. Costa, ra Io. de Marco n.
2, loja de ferragens de Albino da Silv
i C, ra da cadeia n. 42; loja de fer...
^ens de Brandlo & C, ra Duque de Ca
tas n. 46.
PUBLICARES A PEDIDO
cujo csvaiheirlsmo nao pomos, em duvida, espe-
ramos fn S. Bxc. sabe** entapia** m bat I
e (tgaamente ik> mUiarom. asiasfio (4 refor-
ma) sea corte, nem arejazu de direitas sdoui-
BltOS
Crean mesao^ue o aineate ods^ao, a
terioso. pratico, oa perfeito tino adntiaistralivo,
e em qu.-m sobrara habilitacOes, sabir se ha
psrfeitamente bem de tao important cometti
ment, dando um novo atento e vida aos digno.-.
preceptores dessas sentis crianeas, futuros sus
tentaiul>s da Venesa Amaricana.
Io de Fevereiro de 1890.

Seu Cajofa do Derfey
Os horaes dize que roc jingle-gongle as
mios de Timb-parlino, Arara-Lcuro, e Lhico
Torro.
Jingle jongle seu puxa perfla pira cima, deixa cahir, e tremelica
abeya com hapj arto
Quem empresta dinheiro, seu Cajuja, para pa
gar o homc que leva todo o dia com o livro
aberto ? e Qpm mil iis, seu Cajuja ? voc
muio franco com o que nao seu, sen Cajaja I
Ora, sen Cajuja,, onde leva voc essa oabeca
para que est furado ?. S o doutou barrigudo,
que voc protegeu por ser primo de Ounco, po
dia Ihe cura ; esse dtutou diz a todo mundo
que voc um tolo, e que j receben dividendos
de cinco ana)s : est vendo, seu Cajuja ?
Quando voc nao soube segura o que era seu,
seu Cajuja, como quer segurar o que dos ou
tos ?
Pagrio com os oossos tlins, llin?, os confra
Meoe, as marradas do Ricar, do Casimi, que
lamoem criado da familha de Ourico, ao Jos
talhado, a outros Tot5e3 Canjanjas : e tudo
isto, seuCajuji, porque voc tem o ervo da
carota meio alambicado.
Pou Ibe um conselho, .-eu Cajuja, passe cebo
qnanto antes, e repens algum lempo com um
caustico nancea, e eatregue essa botica aos do-
nos, porque voc bota-a a gaita emquanto Chico
Torrao' bola g/mado pela sala. Este iiosraado
trazmicrobi, seu Cajuja.
Esse escriptorio est muito caro, veja um mais
baratinbo, seu Cajuja, eu nao dou raen voto para
voc pdr o Derby no Raneo, emquanto voc
muito fraco, os Canjanjus-governa voc-
Diga aos Canjanjas que vo bugiar. que pao
de cebo, nao linguica, e voc v plantar bata
taste cuidar n'outro mister, qu desse j deu o
panno d'amostra.
Adeus, seu Cajuja.
^OCXXV5 X reforma
prl-
1HDICAC0ES DTEIS
fledleos
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio ra Nova n 32, onde pode ser en
contrado do meio dia s 2 horas e fora
destas horas ra do BarSo de S. Borja
n. 22. Espe calidadesmolestia de enan-
cas, senhoras e parto. Teiephone n. 326
da casa de residencia.
Dr. S Pereira, ra da imperatriz n. 8,
d consultas medico-cirurgicas todos os dias
das 8 ao meio dia, menos nos domingos e
dias santificados.
Dr. Castro Jetas medico e operador
-*ratica a lavagem do tero quando e oo
no aconselhada. Consultas das 11
i da tarde em sua risidencia ra d<
3om Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.'
uidar. Telepaone n. 389
Dr. Joaquim Lautaro medico e partei amargura observa semelhante
o, consultorio ra do Cabug u. 14
I." andar de 12 s 2 da tarde; residencii
io Monteiro.
da instrncfSo
i arla
Circulando a noticia de que em breve tempo
ser reformada a nstrucQao publica primaria,
vimos pelo presente < h un ir a attenco dos po
deres do Estado para este ramo do publico ser-
vido, certamente um d-s mais importantes, mas
que infelizmente tem sido to descurado entre
nos, nesta trra do Brasil.
E' este, rao grado nosso, nm dos especimens
do brasileirocuidar de preferencia de cousas
que na realidade nao os devia preoecupar lano,
se nao mais tarde, ao passo que frequenteraente
tica a margem aqnlllo que devia merecer toda a
no-sa attengo cuidado e desvelo
Quando tratava se frenticamente da abonero
dos escravos, que alas tambem applaudimos, e
que todos corran) pressurosos para depositar o
grao de areia na melle monumental eolosso, ou
vimos de um pobre mestre escolar: E' o.elhor
ser boje escravo uo que ser professor qublico,
E descutio com tanta proficiencia a questc que
nos con vi n 'eu de que a classe nao tratado com
a devida consideragao que tem incontestavel
direito.
Quando em 1877 se distribua os soccorros
publicis aos flaxellados da secca, o governo da
Parahyba supprimia cadeiras pretexto de falta
de dinheiro, deixando seus serveotuanos avul-
sos e sem Venciraentos, nao se Ihes picando
ao ra 'nbs os mezes em atraxo; e se algum desses
infelizes se apresentava no Thesouro solicitando
alguraa ecusa por conta de dez e doze mez^s
que se lhes estava devendo, recebia em paga
mais ou menos estas paiavras :
Nao ba dinheiro nem para outra gente. >
Resultou disto que os poores professores ca
jas ctdeiras foram suporimidas (e nao eram
poucos) formaram nm novo grupo de indigen
tes em mais criticas e melindrosas condicts do
que os pri neiros ; porque aquelles, coitados, j
se haviam entregado a todo, e com o maior des
embarazo estendiam a rao colhendo s esraol
las, e estes unimos, cuja altivez, dunda da
ertucacSo e hbitos que oj pnvavam de descer
osdegros Infamantes da meodicidade, sentan)
se verdadeiramente humilhado, ludibriados; e
preferiam morrer fome do que e -molar.
E s a Procidencia, por assim dizer, os pede
salvar das garras aduncas da parca faminta de
que j se julgavam >ictimas.
. E o geverno de enio, quera chegavara esses
ilu.i ores, cerra va os ouviuos e com a mesma
cara anra cominuava negar o pagamento dos
professores appellando para terapos mais pro
picios.
E agora perguntamos : ser licito e decente
tamanha ogerisa contra esta nobre classe, j to
sujeita a duras prova(6es e vicis-iiules, e que
tanto devia merecer os oossos cuidados ?
Vede como na Alleraanba na B Igica, na Ja
glaterra e em outros pases pago e tratado um
professor de instrueco elementar ? E assim deve
ser porque sao elles os primeiros prepararen)
esses rebentos da nova geraco, mais tarde ci-
dadaoi aptos para os comicios sociaes.
A heroica provincia de Pernambuco, boje Es-
lado, nao deve destoar de suas antigs e honro
sas tradice*, tanto mais quanto te u boje sua
frente espintos altruistas, su.-ceptiveis aos gran.
des raelhoramenios de que tanto precisa nossa
chara e idolatrada patria, e ceito os nc negaro
A Instrueco primaria necessita eCTectivamen-
te de reforma ; mas de urna reforma equitativa,
rusoavel e conseotanea com a le do bom censo
Conservar as garantas con ti das oos regula-
mentos vigentes, se n&o for possivel amplial as,
dando-lhi-s mois latitude ; augmentar o ordena-
do que assegure ao professor urna tal ou qual
independencia, eis o que urge fazer.
Todos sabem que o operario ou qualquer ou-
tro industrial que tenha rendnn -mo pro labore
derramar contente todo o seu uor, empregara
mesmo esforcos tilanuos desde qje tenha cer-
lesa de qae o salario recompensara o seu labor:
Do mesrao modo o pro'essor publico cootan-
do com a justa recompensa de seus esferens, ten
do certesa de que os sacrificios que empregar
Ibe daro accesso e garantas, rudo fara no ra
tent de cumpnr bem e fielmente com os deve
res do cargo.
No magisterio de Pernambuco ha muita iHus-
trago e verdadeiros apostlos da instrueco pu-
blica, tolgamos de reconhecer.
A iproveiie se a spiido des'es homens, pa
gando se Ins nm ordenado que os tire do esta
do precario em que vivem. e com isto muito se
gndara. Nao dinvnuindo o ordenado de pro-
fessores. como acaba de acontecer, segundo nos
informan, que se melhora o ensino publico, e
era havera nieto economa se nao de palitos.
Qoe arratijo far noventa n il res a um pro
fessor, que en a seus ho nbros pesada familia
como o dvsta localidade d'onde es -re vemos is
to ? Nenhura porque mal e muito mal Ihe che-
gava cento a cinco mil ris quando este era o
seo ordenado, depois cem mil res e ltimamen-
te nvenla I
Nao pode o professor publico em observancia
ao regulameuto tratar de outro meio de vrdn
alheio instrueco e, conseguinlemenie, ?
deste mortificante trahelbo tem elle o pao quo-
tidtano, que deficiente s ve-es, e de inferior
qualidade como acontece, nao satisfaz, como era
para deaejar, a todos que tomara dede parte.
E nao ser isto cruel e humillante para o po
bre pal de familia qna t'lsiemente e cheio de
parciraonia sem
poder dar remedio ?
Agora que as'cousas mudaram e se acba
frente gennm os negocios do Estado o abalisa-
do patriota, brgadeiro jos smelo de Oliveira
Gratidao eterna
AO DR.
Alfredo Lisboa
M. |
Festa de Santo Amaro das
Salinas
Scientifico aos devotos do Glorioso Santo
Amaro das Salinas que a festa Jo mesmo santo
ter lugar no di 23 do correte, devendo a
bandeira ser hasteada no dia 20.
Rogo, de ordem da mesa regedora, todos os
eleitos que >.m le concorrer paro a mesma, e
bem assim aos demais devotos em geral. que se
di nem tomar em consideragao o pedido das
respectivas comraisses que sahiram a arreca-
dar o bolo de cada ura.
Consistorio, 6 de Fevereiro de 1890.
A. M. da Silva.
Secretario.
Attenc,ao
O major Jos Francisco Bello, proprietario do?
engentaos Teatugal e Queimadas da comarca de
Rarreiros. protesta por este meio, (ja o UHdo
feto judicialmente^, contra a hypotheca que o
Banco do Brasil acceitou sobre o engenbo Passa-
gem Velha, por isso que a escripiu a de limites
que Ihe servio de base raanitestaraente frau
dulenta e atentatoria de seus direitos como a
seu tempo pro vara ; poden do desde logo offe
recer contra ella o juizo do actual proprietario
do referido engenbo hypothecado, que j deu
em audiencia um depoimenio jurado, que consi
dera dolosa e falsa a mesma esrriptura, de que
ingenuamente se serve.
Oolro8m avisa a quem interessa* possa, que
nenhum negocio faga cora o engenho Mangui
nbo daquelie mesmo termo e do mesmo dono do
Passagem Velha, porquanto, como este em rea
gao ao engenho Tentugal, aquelle nao tem deter-
minado em relago ao Queimadas, os seus limi-
tes, devendo se aguardar portanto, a deciso
final da competente acgo que se Ihe promove.
Barreiros, Janeiro de 189n.
(Est sellada e reconhecida a firma.)
Jos Francisco Bello.
X. 39V
A difterea^a entre a vida e a
aaorte
Esta a distinccSo entre a S- lsaparrilha
de Bristol e todos os medicamentos mer-
curiaes; estes envenenSo o sangue, aquel-
le o purifica e vigorisa. Quando as semen-
tes da morto se teem introduzido as veas
com o uso das beberagens mineraes, nada
pode deter a marcha da victima at qua-
r s tnrdas da sepultura, nao ser este
ai ti doto contra cases venenos. O mesmo
acontece quando o virus d'uma molestia na
tural, trabalhando no systema venoso, se
desenvolve debaixo da forma de ulceras
escrofulosas, cancros, tumores, carbnculos,
inflamares brancas, abeessos, erupcSes,
e todas as dermis terriveis enfermidades
externas; pois este grande remedio opera
chimicamente sobre o sangue viciado e so
bre os mais fluidos animaes, transforman
do os quasi milagrosamente em correntes
puras e nutritivas, levando a sade e o
vigor todos os org'os por onde circulam.
Acha-se venda em todas as partes do
mundo, em todas as principaes boticas e
lojas de drogas.
La Rosa Alemana
E' o nome d urna qualidade de c neja
branca que, pila primeira vez vem asta
Estado.
A cerveja La Rosa Alemana nao con
tem acido ou producto chimico.
A preparadlo da cerveja La Rosa Ale-
mana chegou ao mais alto grao de perei-
$3o. E' SUBLI.V1E, muitissimo agrada-
vel ao paladar, finalmente urna combi-
nacSo do substancias poderosas para a boa
alimenta co. As mais afanadas cerveja
nao trazem o nome do tabricante. Entre-
unto o proprietario da cerveja La Rosa
Alemana tendo conquistado o segredo da
sua saudavel cerveja registrn a marca
com a sua firma no rotuio. -
E como teve a honra de requestar a
sympathia publica e para que a cerveza
La Rosa Alemana contine a goz r de
conceito do respeitavel publico, amiudadas
veaes manda examinar sua tan&y* pelas
celebridades chimicab.
Diversos attestados de chimicos e dou-
tores em medicina jastificam que a cerveja
La Rosa Alemana muito saudavel e um
noberaoo alimento, cujos documentos ti,-
cam disposigao <^o respeitavel publico.
Diz o Dr. Vernier: Tenho por rauitas
yezea examinado no laboratorio pnbjico a
cerveja La Rosa Alemana e nao encontr
materia chiraica e sim urm gigantesca pie-
parac' de substancias que representam
umt valiosa riqueza para a alimeutacSo.
A cerveja La Roa Alemana goza de
grande conceito na Europa e um Ilustre
cavaeiro desta praca, ha pouco ebegado
do estrangeiro, animou o fabricante a ex-
pertal-a convencido de ter grande acceita
cao aqu.
Teem venda em grosso e a retalho:
Machado & C, ra do Vigario n. 19;
Albino Fernandes & C, ra do Mrquez
de 'lindan. 2; Jos da ('osta Caseiro
& C ra da Cruz n. 13; Lopes & Arau-
jo, ra do Livramento n. 38 ; Vasconcel-
os Sobrinho & C., ra da Aurora a. 81;
R. Ferreira & C, ra Mrquez de O'inda
n. 50; 09a Mendes & O., ra Estreita
do Rosario; Manoel Jcaquini Al ves Ri-
beiro, travessa das Cruzes ; Pereira Fer-
reira & C, roa do Imperador ; Joaquim
christovSo & C, ra do Ci.bug, Jos
Fernandes Lima & C, ra Nova ; Salga-
do & C, ra das Cruzei no 20 ; Antonio
Almei a Rabel lo, ra da UniSo n. 2; An-
tonio Souza Duarte Ferreira, ra da
UniSo ; Antonio Jos Martins, praca Con-
de d'Eu n. 2 ; Luiz Jos Salgado, praca
do Conde di Eu; Marcelino Martins Ges-
teira, ra do Vigario n. 6 ; Azevedo Maia
& C, ra da Imperatriz; Manoel de Oli-
veira Menor, ma do Visconde de Govin-
na ; hotel da Magdalena; Ivo Sobrinho &
C., Goyanna ; Francisco Nunea Monteiro,
G"yanna; Custodio Figueiredo & C., Pa-
rahyba ; Fonseca Irmos & C Parahyba :
Benvenuto & C, Parahyba.
-'



.,':
9v. aoarc$
be ldlo
Medico formado pela
Faculdade do Rio de
Janeiro, tendo-se dedi-
cado com especialidade
therapeutica moderna
das molestias de plk
e syphilis, na Policlni-
ca geral da corte, cargo
do Dr. Silva Araujo,
onde servio como seu
ajudante ; d consultas
de meio dia s 3 horas,
no 1. andar da casan.
15 do largo do Corpo
Santo, e recebe chama-
dos a qualquer hora em
sua residencia, ma do
Visconde de Coyanna
n. 185.





COLLEGIO
De \. S. da Penha o. 37,2o andar
BITA DA AUROBA
Sob a di recvo de Augus-
ta Carueiro
Os trabalnos l ctivos desie esubelecimen o
de i: struc o primaria e secundaria, para o
s< xo feminino, principiarao a 7 ue Jane.ro
Advocacia crime
RIBEIRO DA SILVA, defende perante o
jury de Palmares, Aiua-Preta. fiamelleira,
Esi-ada, Jaboatao, Narareth. Victoria, Tim-
bauba e oas comandas visinhas s vias
frreas. I
Pode ser procurado roa Io de Margo
n. 7 A.Livraria Parisiense.
Toase convulsa! coqueluche
Nao deis crianca senlo o Peitoral de
tambar.
|j Frederico Chaves Jnior jj
Homoepatha
-i I
:^5
.
39 RA BARAO DA VICTORIA
Primeiro andar
t '
BronehKe aguda ou chronica
O Peitoral de Cambar o melhor rr-
nedio.
i Oculista
Dr. Barreto Sampaio, e-culisiu,
ez-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, de volta de Ba via-
gem Europa, d consultas de
1 s 4 horas da tarde, no Io
andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Teiephone 285.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Teiephone 287.
Auxilios a lavoura
Pereira arneiro & C. continnam, autorisaUos
oelo Banco do Brasil, conceder emprestimns
i lavoura das provincias de Pernambuco, Ala
goas,Parahyba e Rio Grande do Norte, madiai
as condicoes de que os iDteressados serao infor-
mados no escriptorio roa do Commercio n. 6
das il horas da manh s 3 da tarde.


* r


I
*"r'
I"
1
I
I
-1.
*-I

COLLEGIO PBYTAND
Estrada de Joao de Barros, n. 27
Eite estabelecimento particular de educacSo e entino tem operado grandes re
formas em seu prog-amma ds ensino e em sua economa, collocando-se na altura de
collegios particulares das principaes cidades da Sur opa. E' assim que, alm da in-
atrucclo intellectaal. pby-.ca e domestica, methodica, perfeita e completa, ministrada
por um corpo docente illnstrado, e pelo director o sua familia, o Lollegio Prytano
fornece aos seus educandos internos, mais as seguintes vantagens, desconhecdas e
nao offerecidaa em neohum dos collegios da Repblica, quer pblicos quer partcula
rea : todos oe objectos de etcripturacao, tratamtnto medico em qu.alqu.tr doenca UM ENXO
TAL COMPLETO DK ROPA DIARIA, HE CAMA E DE BAHHO, CALCADO, etc, ; e tudo pela
mesma pensao de 600000 annuaes, paga pelo contribuate em qualquer outro inter
nato do Pas.
O Coegio Pry'a-.o recebe alumnos internos, seiu-internos e externos Est
localisado em um dos mais saadaveis e aprzireis arrabaldes da capital, em im gran
de predio de vastas e sadias acomnodacSes, comum espacoso e Dem arborisado po-
mar para recriios; agua encanada, e Iluminada lampadas de gaz carbnico de sys-
thema mui recente. Est situado na Estrada de Joo de Barros, n. 27, muito pr-
ximo da estaco de Principo, da via-ferrea do Recife a Olinda; fica perto da linha de
bond de Fernandes Vieira e tem na vaianda para maior saliencias urna grande ta
boleta em o dstico do Coegio.
Ha no estabelecimento Estatutos impressos, que esclarecem e nao deixam du
vidis. Abre suas aulas no da 15 de Jai.eiro prximo de 1890.
Podem dar informales e explieac5es detidasBobre o Coegio Pry'aneo, os ci-
dadlos : Drs. Adolpho T. V. Jirne, Augusto C. Vaz e Eduardo Silveira; e os neg
ciantes Joaqum Medeiros, Alpio Rosado, da firma Guerra & Fenandes, Odilon Du-
arte & IrmS > e Antonio Rodrigues di-. Souza & C. Em mao desses cavalheiros en-
contrar se hao estatutos impressos do Collegio.
Recife, 28 de Dezerabro de 1889.
O director,
Tranquilino O. de M. Leao.
Tubereulose pulmonar i
Cura garantida pelo Peitoral de Cam-
bar.
&9*z

%
0 Dr. Ermirio Coulinli.
de volta de sua vagem a Europa, on-
de ae dedicou especia I mente ao es-
tudo das molestias do systenia ner-
voso, lixou sua residencia e consul-
torio ra da Aurora n. 5.
Consultas de meio dia as 2 horas.
TELEPHONE N. 3f>7
%
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAYv'LINSON, for
nado pela Universidade de Maryland no
Sstados-Unidos, tem aberto o seu cnsul
torio, na ra Baraodo Victoria 18, Io an
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
!(
,&
Mudanca de escriptorio
Miguel Jos de Almeida Peto imbuco, procu-
rador dos feitos da fazenda dete Estado e advo-
gado, mudou o seu esciiplorio para o i.' andar
do predio n. 4o. a raa o imperador, onde ser
encontrado das 9 horas da manti s 4 da tarde.
julio soases :: :r:::
PR0FES808 PARTICULAR
Lecciona primciras lettras, em casas
particulares a ambos os sexos, quer na
cidade,quer fora delta, por pregos -a-
soaveis.
P)de ser prorur. d> 'o los os lias das
3 horas da tarde em diwi'e, no bcco
das Barreiras n. 23, deuouta do Dr.
Curio.
Garan'o um rap'.do alia tamenlo.
Inglez e Francez
Cursos ra da Aurora, n. 37, 2." an-
dar.
j j Leonor Porto
i i Raa Larga do Rotarlo nu-
mero <5
SEGUNDO ANDAR
Contina a executar os mais difhceis
figuriaos recebidos de Londres, Pariz,
Lisboa e Rio de Janeiro.
i Prima em perfeiciU) de costuras, em i
|!cm brevidade, aiOtlici.la.te em pregos e
I i fino gosto. ____ L^
Dr. Alfredo Gaspar
MEDTCO
Operador, parteiro trata com especial)
ade de molestias de sonru-ras e creancas
Consultorio e residencia ra da impe
-atr n. 18, Io andar.
Consultas de 8 s 1<) dn toan ha.
Chamados (por escript') qualquer hort.
TBLEPIIONB K. 226

i
cea
COMERCIO
Revistado M oreado
Rsciff, 6 i>' pev aniso du 18-0.
Pouco movimenlo na p-aca, consta ido tran
saeces nos mercados de can.Lies e no de algo
dao.
Balsa
1OTAC0B8 OPFICIAKS DA jrTVTA DOS COR
RETOKE8
Recife. 6 de Fevereiro .le 8T0
Acc6es da Companhia do IMieribc, do valor de
100* a 1304 cada urna.
Na Bolsa ven.leram-se
75 aeces da ComDanhia no Beterfbe.
u i.n-.idcnte,
Antonio Leona o Rodngues.
f scrrrtario.
Eduardo Du:>m\.
Cambio
PRACA DO RECIPE
Os bancos abriram com a x- cando, porm, no correr lo d.a a 24 l/H e alinal
a 14 1/4 achando, ao fechar do da, pouco di-
nheiro a esta ultima taxa
Papel particular foi offerc Ido a 2-. 1/2, exigin-
do os bancos 24 5/8.
PRACA DO RIO DE J NED20 *
0 cambio subi para 24 1/. bancario; houve
negocio em papel par icuUr a 24 3,8 e 24 i/i.
TABELLA? HlVui)*
2
9
< 3'


n S
i I
i
S- 3

9
.
C
B
*

* 2^- va > Vt J-
9i*

MEDICO HOMEPATA
Dr. Balih&iu. da Silveira
Especialidadefebres, molestias
das criancas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.^
Dr. Silva Leal
CLNICA MEDICO CD1RGICA
Consultorio e residencia roa do LivramenU
n. 6 1 andar. Consu tas das 11 as 3 horas ii,
tarde. Chamados a qualquer hora, por ecripto
Professora
Urna senhora perfeitamente habilitada e
com bastante pratica de ensino propoe-se
a leccionar em collegios e casas particu
lares as seguintes materias: portuguez,
francez, msica e piano, a tratar na ra do
Visconde de Albuquerque (antiga da Ma-
triz da Boa Vista) n. 20.

EDITAES
2* Secco.Secretaria do governo do Estadu
de Pernambuco, em 4 de Fevereiro de 1890.
De ordem do marechai governador do Estado
faco publico para os deyidos effeitos, o edital
abaixo transcripto, pon Jo em coocurso o oflicio
de escrivo de orphoi ausentes e de Io tabelio
do termo de Iguarass
0 secretario
Antonio Ignacio de Mesquita Neves.
0 Dr. Hisbello Florentino Correia de Mello, juiz
de direito desta comarca especial de Iguaras-
s do Estao de Pernambuco, em virtude da
leietc.
Fago saber pelo presente edital que acba-se em
concurso com o prazo de 30 das, cinta Jos da
data do presente edital de accordo com o art. t
do decreto n. 3322 de 14 de Julho de 1887, o of
licio de escrivo de orphaos, ausentes e de I*
tabclli&o de notas deste termo e comarca Je
Iguarass, creado pelo decreto de 30 de Janeiro
de 18j e lei provincial n. 1.127 de 18 de Juoho
AI godao
Cota-se o de 1" sorte do serto a 11.00.
A exportaco feta pela alfandega neste mez at
o dia 4. constou de 989.420 kilos para o exterior.
As entradas verificadas at a data de h >je so
bem a 4.269 saccas, sendo por :
Bircacas..... 80 Sacras
Vipores..... ..
Viimaes..... 1-832
V,a-ferrca de Curuar. 269
Va-ferrea de S.Francisco. 537
Va-ferrea deLimoeiro 9t
Somma.
v
Issucar
Os precos pagos ao agricultor.
,-ando a Associacao Commerciai
>s seguintes:
Jsioas.....
3ranco.....
$jmeno3.....
Miscavado purgado .
ratos.....
Rtame.....
i.269 Sacca*
por 15 kilos. *-
Agrcola, foram
4M00 a 45tKJ
3.5700 a 4.-310
24600 a 28'Kj
1*600 a 1*700
1*300 a 1*6*10
1*090 a 1*100
A exportaco felta pela alfandega neste mez at
at o dia 4 constou de 2.050.815 kilos para o inte
or.
As entradas verificadas at a data de hoje f o
bem a 19.161 caceos sendo por:
jarcacas..... 8. lo8 Saceos
Vapores.....
mimaes .... 1.196
Via-ferrea de Caruaru. 1.504 *
Via-ferrea de S. Francisco. 7 871
Via-ferrea do Limoeiro 43J
Somma.
19.!61 Saceos
Cllfll
Coaros salgados 380 ris, e es verdes a ?20
res.
fiuardeaie
Cota-se a 100*000, por pipa de 480 litros.
Aieool
Cota-se a 190*000 par pipa de iO litros.
Sel
CoU-se a 35*000 por pipa de 480 litros.
Pasta da Alfandega
1IEIA5A Di 3 Di A 8 DI KVtBElBO DI 1890
Vide o Diario de. 2 de Fevereiro
barias t descarga
Barca allem Sckuam, varios geaeros.
de 1873, vago pelo rallcimeuto do respectivo!
gerventuario Maximiaoo F ancisco Duarte Jnior.
Os preieodeotrs a serventa vitalicia do mes-
mo officio devem apresentar-se devidamenie ha-
bilitados no praso referido observando em tuda
as disposic,oe$ do decreto n. 9.420 de 28 de Abrr
de 1885.
E para que chogue ao conhecimento de todrs
mandei passar o presente, que ser affixado no
logar do costume e publicado pela imprensa.
Dado e pausado nesta villa de Iguarast sede
da comarca do mesmo nome, aos 28 de Janeiro
de 1890.
E mais nao continha em dito edital, aqu fiel
mente copiado do propro original ao qual me
reporto. *
Eu Jtfio de Sonza Costa escrivo interino o es
crevi e assigno. -Joao de Souza Costa.
Certifico que afixei o edital ao que dou f.
Eu porteiro dos auditorios desta vil a de Igua
raci- interino o escrevi e assigno.
Villa de I?uarassu 28 de Janei-o de 1890.
Joaquim Xavier Dias de Albuquerque.
O cidadfto Dr. ebefe de polica manda pu-
blicar, para que sejam estrictamente observados
em toda sua plenitude, 03 artigos 70 e 71 das
posturas municipaes, que prohib.-m o entruuo
com quaesquer substancias que podem damni-
ficar a sade, como sejam : agua, ca, farinha
do reino, maizena, zarco, vermclho e outros
pos ^emelhuntes :
Art. 70. Fica prohibido neste municipio o
brinquedo de entrado com gua ou outra qual-
quer substancia, de qualquer maneira que se
empiegue : 03 infractores pagaro a multa de
13*000 e solTreai oito dias de prisao.
Art. 71. Fica prohibida a venda de limas
de cheiro : os infractores, alm de as perde
rem, pagara) 4*000 de multa.
Manda, outrosim, declarar o mesmo cidado
Dr. cuefe de polica, que dos habitntes dc-ste
municipio espera que se cohibro da pratica de
to nocivo brinquedo, tornando todava corro
qne, com todo o rigor e vigilancia, serao em
pregados O uecessanos raeios para que sejam
geralmente reEpeiladaa as disposices cima ci-
tadas.
Secretaria de Polica do estado de Pernambu
co, 1 de Fevereiro de 1880.
O secretario,
Antonio Jos da Costa Ribeiro Jnior.
5." secgo. Secretaria do governo do Es-
lado de Pernambuco 5 de Fevereiro de 1890.
Por esta secretaria se publica, de ordem do
marechai de campo giver.iador (leste Estado, o
ediial infra, da secretaria do governo do E.-tado
de 90 da para apre-:ent.cao de propostas re
ferrles escala de vapores transatlnticos pelo
porto de C.ibedello, no dito Estado.
O secretario, Antonio Ignacio de Mesquita Neves
Copia -Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do cidado governador de Eslado, para
conhecimento de queui interessar possa, que,
dent do praso de 90 dias, a contar desta daia
seacceitun propostbs, para que os vapores trans-
atlnticos facam escala pel-j porto de Cabedello,
ueste ute>4DO E-tado, de menos urna vez por
mez. devendo as referidas propostas, que ?erao
reduzidas a contrallo, celebrado cora quem me-
Ihores vantagens offerecer, conter ascondiees
e clausulas, que houverem de acceitar~os respec
tivos proponentes.
Se retara do govorn? do Eslado da Parahy
ba, em 27 de Janeiro de 1890.
O secretario, Epitacio da Silva Pessoa.
Edital n. 12
( Praso de 30 das )
Pela inspe loria de.-ta Alfandega se faz publi
co que s 11 horas do dia 7 de Margo prximo
vindouro rao arrematadas porta desta re
particao as mercaduras contidas nos volumen
abaixo meiiciouado nos termos do lilu'o o cap
talo 5o da cousolidaco das leis das Al/ande^as
e nesas de ret las. se seus djnos ou consigna-
tarios nao as dcucharera e as relirareu dentro
du praso de 30 das a contar da dala deste
eiiial. sob pena de, (iodo o mesmo praso, su-
rera tendidas por sua coma sera que Ibes fique
direito de allegar conlra os effeitos desta ven
da:
Armuzem n. 1
Maro i L M e contra marca II & S, quatro cai
xas ni, 3459,621, vin-'a do ll^vre no vapor fran
cez VUle do Rosario, eulradis em 6 e 7 do Ju
nbo de 1889, con^ignaas' a Keis k Sh's, cen
leudo tSO'espingarda* de um cano para caca.
Marca diamante :>99, H R em cima 4 C em
baixo, urna da o. 9394, de Ilamburgo no varo
aUeoo buenos Ayres, eui 19 irfem. conlendo bar
mouieos de mao. pesando 107 kilogi-aratnas.
Mard W e contra marca O H, urna dita n.
3294, idem em 21 dem a Joao Walfrdo de Mu
Jeiros. coutendo palpel para escrever sera dou
radura pesaado 140 kiloaraiomas.
L' na dita a. 529J, idum idem ao mesmo, con
tendo papel para escrever stm douradura, pe-
sando 131 ki logra ramas.
L'ma dita n. 5:93. dem idem ao mesmo cu
tendo papel sem douradura pesando 140 kilo
grammas.
Marca M & C um pacote u. 3198. do Havre no
vapor fraucez Vle do Ceur. em 59 de Abril
idem, a Mandes & ''., conlendo amo.tras de fa
zenda sem valor.
Marca J K e contra maica T J, urna cai xa n
1673. idem nj vapor francez, Vtlle de Sjh Nieblas
em 13 dem, a Tbeod. J;st, coutendo auiostias
sem valor em rttalhos.
Marca A & F. ana dita n. 47 idem idea a
Rafea norueguense Coltertor, carvao.
Bar.a uiracguense DronningLouise, carvSo.
Uarca sueca Balder. cirvao.
Brisjne por BgS>l Boa S rte, varios gneros.
Escuna lorutffuense Geftone; xerque.
L0o'ar insiea Volador, v.riss gneros.
Lugar ingles Comande, baraltiQo.
Patacho lio laudez Ciara, xarque.
Pata> hon. ciooal M Patacho inglez Bella Rosa, b calho.
Patacho inglez Misllctoe, bacalhio.
- mportaeo
L,,'ar iuglez Talbot, entrado de Terra Nova
era 5 do crrente e con.-igaado a Blackburn
Needham A '... manifestou :
Bacalhao 2,'.50 barricas e 740 meias ditas aos
consignatario >.
iporta(,;o
ASCITS, B Dk FRvrrrIeo DB 18S0
Para o exterior
Nao houvc exporiagao.
?ara o mterior
No vapor americano llianca. para Santos,
carregaram :
Maia i l'.ez-.rade, 40 pipas rom 19,200 litros
de ulcuul.
Para Rio de Ja eiro, carregaram :
11 Pvwaoa, 200 saceos com 12,000 kilos de
assucar mascavudo.
Cotia & Fenandes, O (.00 cocos, frusta,
No l^ar nacional Zequ^ha, para Santos,
carregaram :
A u. nra Irmos & C. 30 pipas com 14,400
itrcs de agurdente e 100 barris cora 9 600 ditos
de dito, 1,530 saceos com 93,000 kilos de assu
car brauco e 3,000 d.tos com 216,000 ditos de
di o mas avado.
-No vapor francez Entre Tos, para Santos,
carregaram :
M. Borgos 4 C, 12 pipas com 5,760 litros de
alcool e 3 Jilas com 2.400 ditos de agurdente ;
P. Pinto 4C, 13 pipas com 7,200 litros de
alcool.
F M. Duarte de Azevedo, 1,0^0 saceos com
60,00o kilos da assucar mascavadj.
S. Guimarae 4 CM l,<00 saceos com 60,000
kilos de ars.our branco u 900 ditos com 54,000
ditos de dito raascavado.
Amorim I.naos 4 C, 300 saceos cora 18,030
kilos de a?sucar branco e 1 200 ditos com 72,000
ditos de dito mascavado.
Para llio de Janeiro, cirregaram :
F. M de Moura, 50 pipas com 2i.0O0 litros de
agurdenle.
8. Guimaras 4 C, 50 pipas com 24,000 litros
de agurdente.
P. de Oliveira Maii, 10 pipas com 4,800 litros
de alcool e i0 ditas com 4,800 ditos de agur-
dente.
Para Babia. M. A. Senoa & C. 70 barricas com
3.300 kilos de assucar refinado e 50 saceos com
1.730 ditos de dito matcavado.
J. M. B. Vieiri, ratendo 3 i/2 kilsgramnws de
quadros de annuncios.
Marca V CP, urna dita, n. 294, idem idem,
a Veras C, conlendo:
41 kilogrammas de caucas de papelao pa-a bo-
ticas.
5 ditos de seringas de borracha.
6 duzias de suspensorios de algodao para escro-
tos.
6 ditas de bolea de algodao.
1 dita de suspensorios de seda.
6 ditas de fundas hermiuiorias cobertas de pe
le, simples
6 mamadeiras completas.
5 kilogrammas de bucas de porcelana, n. 4, pa
ra uso de pharmacia.
6 Seringas de molla.
5 kilogrammas de fio de linho para feridos.
2 machinas elctricas.
1 duzia de porta pedras de osso.
12 agulhas de Pravaz, e amostras de pequeos
artigos para pharmacia.
Armazem n. 2
Marca MAC, urna caixa n. t, vinda de Liver-
pool no vapor inglez Edictor, em 3 de Junho,
idem, a Maooel Cardoso Ayres, conlendo :
40 kilogrammas de tinta liquida em buides para
escrever.
4 ditos de peonas de ac para escrever.
6 ditos nos envoltorios de obras do cobre e suas
ligas simples.
5 ditos nos envoltorios de lacre nao especificado
e amostras sem valor.
Arm.'-zera n 3
Marcar A M V, urna caixa n. 4, vlnJa Ntw
York no vapor americano Mlianca em 24 de Se
tembro de 1888) a A. M. Veras 4 C, conlendo
24 kilogrammas de perfumaras.
Marca F M da S 4 C, urna dita a. 2912, idem
em 26 de Abril de 1689, a Francisco Manoel da
Silva 4 C, contento 37 t|2 duzias de venlaro
las de papelao.
Armazem n. 5
Marca diamente e*A no centro, ura cesto n.
1 30 vindo de Liverpool no vapir ing'ez dar
em 4 idem, a Lopes Albeiro <* C cinteado
amostras de louga n. 1 e 2
Tfarca diamante J V no ceutro e P ao lado, urna MfcFranciso BjajUio '. da Cunlia.
Com
Sociedade
nos
artistas Mechanicos e Li-
beraes
Seganda convocacao
De ordem do director sao convidados todos os
socios que se acham no goso de seus diteito-
rcunirem-se em ssembla geral ordinaria, no
dia 7 do correte, s 6 12 horas .'a tarde.
Secretar a da Sociedade dos Artistas Mi-chani-
cos e Lioeraes, 5 de Fevereiro de 1890.
0 1 secretario,
___________ Joaquim L. Teixera.
Sociedade dos Artistas Me-
chanicos e Liberaes
Em assemb a geral de 30 do mes lindo, pro-
cedeu essa associago eleicao da respectiva
directora, para o anuo social de 190 a ib91; e
em resultado da votaco, licou a mesma direc
toria assim compdsta:
Director
J. J. Telles Jnior (reeleito).
Adjuntos
Joaquim Francisco Collares (reeleito).
Jos Antonio Vieira da Cunha.
Thesoureiro
Flix Venancio de Caitulioe (reeleito).
Orador
Francisco Augusto Pereira da Costa (reeleito).
Secretarios
Joaquim Lopes Teix-ira (reeleito).
Luiz Jos dos Prazsres (reeleito).
Procuradores
Rodrigo Lauriano da Costa.
Maooel Francisco de Souza.
Conselheiros
JoSo Baptista da Silva Prxedes.
Augusto Ruth (reeleito)
Juo Jos de Jess Americo.
Joao Nepomuceno da Costa (reeleito).
Thomaz de Aquino Leal.
barrica n. 173/188, dem em 8 idem, a Jos de
Araojo Veigas 4 C, conteni amostras de louga
os. 1 e 2.
Marca diamante B no centro e D C em cima,
urna caixa sem numero, idem em 4 idem, a Do
mingos Cruz 4 C. conteni cartazos annuncios
de uina cor, pesando 5 kilogrammas.
Marca diamante B no centro e F 4 I em cima,
urna dita sem numero, idem, idem, a Fernandes
4 Irmao, cootendo cartazes annuncios de urna
cor, pesando 5 kilogrammas.
Marca F C 4 C e contra marca II > P u na
dita sem numero, idem, dem, a Figueiredo C.
contendo carlazes-annuucios de una r, pesan
do 5 kilogrammas.
Marca GRiF, urna dita sem numero, idem
idem. a Gongatves Rosa 4 C, contendo carta
zes-anouncios de tima cor, pesando 5 kilo
grammas.
Marca S A, urna barrica n. 33,54, idem ern 9
idtm, a Soares do Amaral fc Irrao, contendo
amostras de lougas ns. 1 e 2.
Marca V, orna caixa n 1, idem em 10 idem, a
W. Vaughard contendo cigarros medicinaes pe
sando 104 kilogrammas.
Urna dita n. 2, idem idem, ao mr-^mo, con
tendo folhmhas de 1889, pesando 18 kilogram-
mas.
Marca diamante 3 no centro e S B A, um.i
dita sem numero, idem em 4 idem, a Souza Bas
to, Amorim C, comen lo cartazes annuncios de
urna cor, pesando 5 kilogrammas.
Armazem n. 7
Marca A L C, urna caixa, sem numero, idem
no vapor inglez Edictor, em 31 de Maio idem
ordem, contendo 2 quadros com molduras de
madeira, simples, pesando 2 kilogrammas.
Sem marca, urna dita sem numero, de torna
viagem no vapor americano Alhanga, em 20 idem.
vasia, que devia conter farinha de milito.
Mar;a E 8. dez voluraes de madeira ns. 1/10
de Liverpool no vapor inglez Edictor em 31 ideiu
nao consta do manifest, formando um carro e
seus perleoces para conduegaode ssucar.
3" secgao da Alfandega de Pernambuco, 6 de
Fevereiro de 1890
0 chefe,
Domingos Joaquim da Fonseca.
Escola .Normal
Kxamei extraordinarios
De onformidade com o despacho do general
governador deste Estado, designo o da 10 do
correte, as 10 horas da manh, para tereni lu
gar os exames extraordinarios dos alunos deag4
ta escola as materias em que foram prejd cu
dos no fien do anno ultimo lindo se prorareoj
que foram appnvados na raa i ar parte daquclla
que coostituem o programla de cada anno des
t^ curso.
Escola Normal, 5 de Fevereiro de 1890.
O director,
Dr. Maooel Enedino Reg Valenca.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Na secretaria da Santa Casa rea bem-se pro-
oslas pa -a arrendamento do predio n. 33, ra
larquez de Olinda, com aruazem propro p:ra
{ualquer estabelecimento commerciai, com
runde reduegio no prego da -enda.
\.s propostas sero apreciadas pela junta em
ua sessao prxima.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia di
lecife, 30 de Outubro de 1889.
0 escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
No vapor nacinil Maranhao, pira Rio
Grande do Sul, carregaram :
P. Carneiro 4 C, 1,450 voluraes com 123,200
kilos de assucar branco.
Para Babia, carregou :
J. G da Cunha Peru. 2 :aixas com 232 kilo-
de doce.
No vapor nacional S. Francisco, para Bi
hia, carregaram :
Pohlman 4 C, 400 saceos com 30.030 kilos de
assucar branco e 100 ditos com 7,500 ditos di-
dito mascavado.
S. Brito Amorim C, 110 saceos com 0,500
kil03 de assucar refinado.
No vapor nacional Pirupama, para Cear
carregaram :
M. Bo'ges 4 C, 180 saceos com 13,500 kilos
de assucar branco, 5 barris com 480 litros de
alcool e 26 taboas de amarello.
F. Alves C, 100 saceos com 7,500 kilos de
assucar branco.
Maia & Rezende, 5 barris com 480 litros de
alcool, 55 volumes com 6 011 kilos de assucar
brauco e 21 barricas com 1,800 dito3 de dito
mascavado.
immissao de contas
Manoel Gmcalves Agr (reeleito).
Goilherme Spieler (reeleito.)
Miuoil dos Santos ViHaga.
Arsenal de Marinha
Di ordem do atbo capifio lente Frederi-
co Guilherme de. Souzi Serrano, iusp clor deste
Arsenal, fago publico para coiiiie.imento de
qnera in'eressar que, em observancia ao dispoa
to e^i cilicio do cidadi governador dete Esti
do, datado de 5 lo eo rente, recebe ae propo t'.s
em cartas fecli-da?, na secretaria de-t- inspec-
cao at s 1 lur.is ita maunA, dj di 12 ilo cor
te, para cootraei ir o concedo e regal'rs.ig.ao .'
re.og.o do lorr o -leste Arsenal, e os e: as diversas dependen 'iaa desta esiabelecimen-
to; e bem assim o < n -ei tos dos re igios i u
chonoraetrosdos navins da rmala, por lempo
de dous annos. cojo pai.r>in<; ito sera feito em
(juatro presiages pela Tociourana de Fazenda
deste E-tado
Inspecgfto do Arsenal de Har nha do Estad?
de Pe.natnburo, 6 de Fevereiro do 1890.
O secretario,
Antouud* Suca Azevcfo.
AVISO
Com o fina de mellior regularizar o
Hcnlco interno e le i;ccortlo cons a
-rnlicis uilniitticlH e NCguida em (o
iia* ji* pracaa commerciaen, tendo
nido ouvido o (l:;ii prculdcnle da
Amnocmco Coaanaercial Bcncficentc
renolveram oat Kaucow efttabeleeido
ii-*tu prara. ubnlxo meucionadOM,
ecbnr o expedieute don Becenimen-
to c Pagamento* s 3 borati da
tarde, a comecar do dia 3 de Feve-
reiro prximo futuro, do que sclen-
tificam ao llluxtre corpo do com-
mercio e a todait a* peasoas que
mntei m reUci'ien rommerciae
com > meMtuoN Banco*
Recife. tsde Janeiro de 1S90.
(4i**lgnadoM) :
Pelo JLondon & Brazilian Banlr
i.uiileif. William H. Bllton, gerente.
Pelo EngllHb. Bank of Rio de Ja-
neiro, !.i:iiit" gerente.
Pelo Banco de Peraamnuco. Wil-
liam H. IVebMtert gerente.
Pcl<> Banco Sul Americano. F. A.
Pacbeco. tcerente,
Commando das Armas
A ex praga Antonio Florentino Leite chama
da ao quartel aeneral, alim de rpvertcr s filei
ras do execito por ter deseit do o seu substi-
tuto o soldado do 14 batalno de infaniaria
los Paulino Evangelista, cmforme o termo de
responsabilidade que assisnnu nesU secretaria.
Secretaria do Commando das Armas do de Pernambuco 5 de Fevereiro de 1890.
O Tenentc, Jos C. Maciel da Silva
Secreta ro.
Recife Dralaagc
Do dia 1 a 5 700J804
dem de 6 4
790.804
Mercado aiualcipal de S. Jos
Ulohelro
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Pirapama, para :
Mossor 2.000*0(10
Reudlmentos publico
MEZ DB FEVERBIBO
Alfandega
Renda geral :
Do dia 1 a 5 134 254 f 489
dem de 6 36 455*715
170:7IO204
Renda do Estado de Pernambuco :
Do dia 1 a 5 29:52302?
dem de 6 5:700*076
35.223*098
Somma total 205:9334332
Segunda secgo da Alfandega de Pernambuco,
ode Fevereiro de 1890.
O thesoureiroFlorencio Domngues.
O chefe da seccoCicero R. de Mello.
Reeebedoria
Do dia i a 5 6 233*823
dem de 6 778*034
geral
7:011*857
Reeebedoria do Estado de
Pernambuco
DodialaS 4:124*193
dem de 204*361
------------- 4.328*354
O movimenlo deste mercado no dia 5
vereiro foi o seguintc :
Entraram :
2o bois pesando 3 519 kilos.
1263 kilos de peixe a 20 res
17 carga com farinha a 200 rs.
2! ditas de fructas d versas a 300 rs.
32 columnas a 600 rs.
68 tabolei.'os a 200 rs,
11 suinos a 200 rs.
1 escriptorio a 300 rs.
62 compartimentos com farinha a 500
rs.
28 ditos de comidas a 500 rs.
99 ditos de legumes c fazendas a
400 rs.
17 ditos de suinos a 700 rs.
9 ditos de fressuras a 600 rs.
13 ditos de camaroesa 200 rs.
28 tainos a 2*
de Fe
235300
3*400
6*600
19*200
13*600
2*200
300
31*000
14*000
39*600
11*900
5*400
t#680
36*000
Rendimento de 1 e 4 do crrente
231100
877*820
1:108*920
Precos do dia:
Carne verde de ... a 480 ris o kilo.
Suinos de 500 a 520 ris idem.
Carneiro de 64') a 800 idem.
Farinha de 480 a 60'J ris a cuia,
Milho e 480 a 520 ris idem.
Fciio de 900 a 1*200 idem
Vapores a entrar
MEZ DE FEVEKEDIO
New-York___ Lissabon.......... 7
Europa....... Entrerios.......... 7
Europa...... Nerthe............ 8
Sul.......... Pernambuco........ 7
Europa....... John Eider......... 9
Sul........... VUle de Montevideo.. 10
Europa....... Don.............. 13
Sul.......... Atrato............ 13
Norte......... Alagos........... 13
Europa....... Vle de Rosario..... 14
Europa....... Hamburg...........15
Sul........... Mitlekowits..... 15
Sul.......... Para.............. 17
Norte......... Espirito Santo..... 24
Sul........... Jano........... 27
Vapores a sabir
HEZ DE FEVEKEIBO
Montevideo .. Entrerios......... 7 as 2 b
Baha e esc. S.Francisco....... 7 as 5 h.
Hippodromo do Camp
Grande
A directora deste hirpodromo recebe propoa*
tas em cartas fechadas at ao meio dia le 13 do
corrente, para o awndaraento dos botequins :
na secretaria do mesmo hippodromo, ra do Im-
perador n. 5S, 1- andar.
Secretaria do hippodromo do Campo Grande,
6 de Fevereiro de 1890
^^____^_ Francisco da Costa Foffo.
Obras publicas
De ordem do cidado engenheirc director,
em virludc da autorisaco do cidado general
governador de3te Estadrxde 20 do correte, fuco
publico que no dia 8 de revereiro prximo vin-
douro recebera se propostas era cartas fechadas,
competentemente selladas, para execuco das
seguintes obras :
Reparos da ponte de Nazarelh, oreados em
1:937*725.
dem do pontilho sobre o riacho ranos, na
estrada de Grvala, na importancia de 5 060*.
dem de diversa* pontes da estrada da Victo-
ria, na de 2:939*200.
dem dos boeiros de Campias, Maus e Bu-
Ihes, na de 1:172*072. \
As propostas devera ser assignadas pelos lici-
tantes, com ae firmas "iconhecidas, e detento
declarar o prego pelo qual s-2 obriam a pxecu-
tar a obra, como o local de sua residencia e as
habilitaces que possuam para dirigir os traba-
Ihos, as quaes sero abertas ao meio dia em
presenca dos proponentes.
Nao sero aceitas a^ propostas nos seguintes
casos:
1." As que excederem dos procos dos orea-
raentos.
2." As que nao forem organisadas de accordo
cora c presente edi'al.
3." As que nao offerecerem as garantas exigi-
das.
4." As que se bas'-arruj sobre os procos das
propostas dos outros concurrentes
3. As qie forem apre-entadat por pessoas
que ji tenhara deixado de cumprir contractos
celebrados cora a roparlicao.
Os orcamenlos e mais condig5es dos contra-
ctos achara se nesta secretaria, onde podem
.-er examinados pelos pretendente3.
Para concorrer praca cima de ero os lici-
tantes depositar iiesta repartico as seguintes
quaotas :
Di 97*886 para a priraeira obra.
Do 25U000 (Sp a segunda.
D; 146*960 pura a tercefra.
I)<* 38*604 para a quarta.
Todas estas quanlias sj equivalentes a o %
ilos valores dos respectivos orcarnentos, como
determina o art. 42 do ;egulamento de 30 de
Outubro de 1889.
Secretaria da direccoria geral de obras publi-
cas, 22 de Janeiro de 1890.
O engenheiro ajudante,
l ?S! lVg yufzo dos feltt s du fazenda na-
cional dcste Estado de Per-
nambuco.
(Escrv) Reg Barros)
Perantn o Sr. D\ juiz substituto dos feit's da
(aseada, Benicio N-tlsoa Tavares da Cunha Mello,
se vender em praca publica no dia 7 do mez
de Fevereiro, pelas onze horas da manha, depois
da audiencia, os bens seguintes :
Urna olaria sobre pilares de tijollo e cal, co-
berta de telha, sita Uta do Retiro, <-ra born es-
tado, avahada por ura como e duzentos mil rl,
pertencente a Evaristo Mendes da Cunha ate*
t-do. -'-
Um sobradinho e olaria contigua situados nos
Coe.lhos, avahado ludo em oito contos e noventa
e um mil ris pertencenlcs a Anicnio Carneiro da
Cotilla.
Una casa terrea de tijollo e cal, com um ran-
cho ao lado, sita no lugar denominado Iputinga,
freguesia da Varzea, tudo coberlo de telha, ava-
hada por oitcnta mil ris, pertencente a Antonio
Francisco dos P.-azeres, sendo todos os bens
vendidos para pagamento da fazenda nacional e
cus tas.
Recife, 29 de Janeiro de 1890.
O solicitador,
Luiz Machado Botelbo.
-


;
i *
I
.'
SANTA CASA
CASAS I'ARA ALL'-UAkl
dem da Guia n. 25, idem 16*000
dera do Encantamento n. 9, I. andar loOOO
dtm idem a. 3, loja li*00
dem do Bom Jess n. 29, loja 18*000
dem idem idem, 1." andar 20*303
dem do Amorim u. 23, idem 12*500
i!em idem idem, 2o andar 12500
dem Imperial n. 151, casa terrea 30*''00
la da Moda n. 45, armazem lfl?5660
[den idem n. 47, 20*000
dem do Vgano n. 25,1." andar 30*000
dem idem n. 27, loja 16660
tdem da Senzala Vclba n. 132, loja 15*000
!dem idem n. 49, idem ____________16*00
Arrematacjo
No di* 7 de Fevereiro ser arrematado o en-
genho Jaguaribe, sito no termo da Escala, ava-
hado por : 0 000*000 : quem quizer fazer ac-
quisico de urna boa prepriedade, ebegada a
occasio, muito commodo por distar da cidade
meia legoa, terreno muito frtil, e contiguo ao
engenbo centr 1 de Firmesa; a praca ser ni
casa das audiencias s 9 horas da manh, do
:n licado dia cima mencionado.
*
5



r

*-


.
Montevideo.. Nerthe............ 8 as 2 h.
Norte........Pernambuco....... 8 as 5 h.
Vaiparaiso ... John Eider........ 9 as 10 h.
Fernando___Jacuhype.......... 12 as 12 b.
Sul.......... lagoas........... 13 as 5 h.
Havre e esc. VUle de Montevideo. 11 as 4 h.
Monlevido Don............. 13 as 11 h.
Southampton. Atrato............ 14 a3 11 b.
Santos e esc Vtlle de Rosario... .loas 4 b.
^autos e esc Hamburg.......... 16 as 3 b.
Norte........ Para............. 18 as 5 h.
Sul.......... Espirito Santo...... 24 as 5 h.
Norte.......M>nos.......... 27 as 5 b.
BANCO SIL-AMERIC W
Capital 20,000:000^000
38 Ra do Commercio38
Dcsconta letras e contas assignadas.
Adianta dinheiro sobre cauco de ttulos e
mercadorias e abre contas corren tes cem garan-
ta dos mesmos effeitos.
Recebe em Deposito ttulos e valorea.
Faz movimenlo de mundos de praca a praca e
concede cartas de crdito, abono e Manca.
Paga em conta corrente de movimento 3 "/, ao
anno.
Recebe inheiro a prazo fixo cu por aviso.a
juro convencionado.
E faz outras operacoes baocariag.
Movimento do porto
Navios entradosuo dia 6
I juiue (Chile) 112 dias, barca allem Bri-
Ibant, de 1,165 toneladas capito H. Ratb,
equipagem 16, carga sa'itre; a Borstelman
&C.
Terra-Nova31 dias, brigue inglez Talbot, de
187 toneladas, capito S. Putt, equipagera 10,
carjra bacalhao ; a Blackburn, Needham & C.
New York e escala-26 dias. vapor ing ez Lis-
bonense, de 1,035 toneladas, commaadanle
John King, equipagera 34, carga varios {ene-
ros : a Johnston Pater & C.
Navios saludos no mesmo da
Ce ir e escala Vapor nacional Pirapama,
commaodante Francisco Raymundo de Cam-
ino, carga vario gneros.
Fernando de NoronhaCanhoneira nacional Li-
berdade, commandante l" tenenle Monteiro
de Barros, carga municOes de guerra.
Obtervacda
O vapor chileno Huennul, nao sabio hontem
para Montevideo, como por engao foi publi-
cado
;:i


-

*^^^~


]


-..-







ario de Pemambuco-Se:
PRADO PERMMBICANO
s*-*
PROGRAMMA DA 10a CORRIDA
QUE SE REALIZAR
Domingo, 9 de
Fevereiro
i." pareoEnsoto800
metrosPequiras re Pernambuco al 1,28 metros
loOOOOao Io, 30000ao 2." e 15*000 ao 3.
da altura. Premios
IlYDEMfWISAIlOR
Companhia de Seguros
MARTIMOS E TERRE3TRES
Katabelecidaem 1S55
CAPITAIi 1,0OO:000#000
SLNISTROS PAGOS
At 31 deDezembrodelSSA
Martimos.. 1,110:OOO^OO
Terrestres. 316:000#000
44Ra do Commercio44
CONTRA FGGO
fhe Liverpool & Loodon & Globc
INSURAITGE CO./TPANY
iiLinim, mmi & c.
Ra do Commercio n. 3
Coipanhia de Segaros
3
JOS
AGENTE
Miguel Jos Alves
>. Ba do Bam Je-iu-\. 9
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Xestes ultimes mcoios c a nica cooipanhi
esta praca que coi.cede aos Srs. segurados semp
,4o de pagamento de pivmio em cada setBC
rano, o que equivale ao descont annual decer
:a de 15 por cenlo era favor dos segurados
Roulanger..
lvela.....
Capet3... .
Borracha .
Barnave ...
Odalisca. .
Morcego.. .
Bom Jardi:n
AlazSo...
Russo
Castanho ,
Pedrez
Castanlio-
Pimpa...
Alazao...
Rodado ..
Pernarab. 58
* 56
52
58
58
50
* u
* 58
Encarnado c preto .
Branco n ene.......
Encarnado e branco
Aun verde.........
Ouro e branco.....
Branco
Azul e ene.
Coudelaria Arraial.
Antonio F. da Costa.
Tnorruz M. do Abreu.
Jo5o M. de Abreu.
Alberto A. Seixas.
Albino F. de Azevedo.
Heibeit J. Perman.
Estevao de G :smao.
i.- pareo-Inicio 800 mtrosAnimaes de Pernambuco que nao tenbam ganho premio,
mos : 200*000 ao Io, 40000 ao 2' e 20*000 ao 3o
Pre-
8
'.'
10
il
12
13
1 i
3.
Hrcules.
Talispher...
Piraj .....
Migoon
Trijuei ro ...
Potos.....
Palinho.....
Djn, ex-Ma-
rat.. .:..
Vivaz......
Plulao......
Humilde-----
19 de Ju lio.
Colosso
Canguro .
o Rodado
Russo .
Zaino-----

Gastante.
Rodado -.
Castanho.
R .dado -
Castanho
Rodado .. ..
Uaio.......
Perncmb.. 53
58
58
u 55
m 5i
1 58
c 58
58
* 58
m 58
58
58
m 58
9 58
58
Verde e amare!lo. .
Encarnado e tranco..
Amarcllo e azul.....
Preto c ouro........
Ouro e preto........
Branco e azul ma.-inno
Lyrio e ouro .......
Azul c branco......
Preto e branco.....
Branco e eacanardo..
Amarcllo e encarnado
Azul e araarello.....
Encarnado e branco..
Jos Caetano Pinto.
Jos N. da Silva.
Jos-L. deSouzaFilho.
Bento B. da Fonseca.
Josu A. da Nobrcga
Joaquirn Ramos.
Hermino F. de Souza.
Coulelaria S. Jorge.
Franklin R. Ramos.
Manoel J. de Andtade.
Vicente do Nasciraento
Francolino Jnior.
Joaquim C. de H. O
Sydronio I. de Mello.
pareoProgresso1,100 metrosAniraaes nacirnaes atmeio sangue.
ao 1, 80000 ao 2 e 50*000 ao 3
Premios : 300000
Gallileu-.
Minerva.
Aymor .
Aitila...
"'Maestro. .
Alazao.....
Douradilha.
Castanho ..
Turdillio neg
Turdilho.
S.Paulo... 56
54
58
I 51
58
Preto e ouro.......
Azul, ene e branco...
VerJee amarcllo.. ..
Azul, branco e fac. ene
Encarnado e branco..
Coudel. Fraternidade
Coudelaria Cruzeiro..
Coud. Independencia.
Coudelaria Venturosa.
Sydronio I. de Mello.
i. Parco. Consolaoo -800 metros Aranaes de Pernaa.buco que nao tenham ganho este
auco. Premios : 200* ao 1, 40* ao 2. e 2D* ao 3."
1
|
3
4
o
6
7
8
9
lu
II
Cndor.....
Hercules..
Transclave.
Bonaparte .
Gerfaut.. .
Mgnon....
ublin .
Humilde-----
Lucifer .
Colosso.
Monitor.....
Baio .
Rodado.
Cardao -
Rodado .
Zaino. .

Cardao.
Rodado .
Russo
Pcrnamb.. 60
a 58
5s
58
58
56
60
58
C 5<
* 58
m 60
Azul e branco.......
Verde e amarello-----
Branco e encamado.
Violeta e b-aoco.....
Verde e rosa ......
Amarello e azul.....
Encarnado e branco..
Branco e encarnado.
Azul c encarnado___
Azul e amarello. ...
Encarnado c branco.
Rufiuo Cardoso.
Jos Caetano Pinto.
J- Nogueira da Silva.
Joaquim L. da Silveira
Coud. Independente.
Bento B. da Fonseca
Henrique Guibson.
Vicente Nascimento.
Actooio Uchoa.
J. C. de H. Cavilrante
Coud. Pernambucana.
5.* pareo- Emularo-1,000 metros Animaes de Peroambuco. Premios : 200* ao 1.,
40> ao 2.-, c 20* ao 3
1
_
:t
k
'i
Sans-Souci...
Good- mor-
ning....:.
Cauby ......
Viliage.....
Monitor.....
Baio........
Rodado
Castanho
Mellado.....
Russo......
Pernarab..

58
58
M
N
Ouro e branco ......i Anua L. J. de Oliveira.
Azul e branco......R. Cardoso.
Azul e encarnado .j Alfredo Marques.
Branco e preto lo-6 Joaquim Das.
Encarnado e branco Coud. Pernambucana.
Pareo -Grande premio -ESTIHIXO- 1,600 metros Animaos estrangeiras. Pre-
mios : 800* ao i, 200* ao 2*#100* ao 3
Apollo
B:azil .
Ves per
E;lM. .
Diana..
Alazao.
Zaino...
Alazao.
R. da Prata
Franca ...
Inglaterra.
Franca ...
SS
64
59
54
54
I Salilo eouro......
Verde e amarello-..
Branco e ouro.......
Ouro e verde em lulas
Azul e preto........
Dr. Joao de S.
Coud. Independencia.
Coudelaria EmulacSo.
Coudelaria Eiffel.
Coudelaria Nacional.
7. p-reoExtra-800 metros. Eguasde Peroambuco. Premios: 150* a 1*. 30* a 2e 15* a 3.1
Ida .
Odalisca
Slclla...
Sybilla..
Fantina.
Coruja .
Rodada .....
Panpa......
Zaina.......
Castanha-----

Rodada .....
Pernarab.
6o
52
62
53
58
58
I Lyrio e ouro........
Encarnado c branco.
Azul e branco......
IAzul e encarnado-----
Branco e encarnado..
Coudelaria S. Jorge.
Albino F. d'Azevedo.
Rufino Cardoso.
Thom Alves Arxa
M. P. d'Albuquerque-
Henrique Guibson-
OBSERVaCOES
Os animaes inscriptos para o primeiro pareo devem
achar-se no ensilhamento as 9 1[2 horas da manha
Os forfaits serao recebidos at sabbado, 8 do cor-
rente, as 3 horas da tarde, na secretaria do Prado.
PREQOS
Gcraes.......
Entrada e archibancada
Entrada, archibancada e cnsilhamento
Cart3es de familia at 5 pessoas
Ensilhamento.....
Dille renca para archibancada .
1000
2,5000
3000
55000
25000
1000
Recife, 5 de Fevereiro de 1890.
O SECRETARIO,
Jos Gomes Gauches.
SEfilRO CONTRA F060
Koyal Insurance Company
de Liverpool
APITIL 9.000:000
AGENTES
R. DE DRUSINAAC.
13Ra Mrquez de Olinda13
Companljia ^^> &t{juro*
csisa ?os:
HORTHERH
de Londres e Aberdaea
Posifo Gnanccira (Dczembro de 1887;
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumulados 3.421,000
**cceita annual :
De premios contra fogo 607,000
De premios sobre vidas 197,000
De uros > 143,000
O AGENTE,
John H. Boxinett.
London & Brasil i an Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as ca
jo do mesmo banco em Portugal sende
m Lisboa ra dos Capellistas nv 7.'). N;
'orto, ra dos Jnglezes.
m ni in
E. IFICIOS E MERCADURAS
TAXAS BAIXA8
Prompto pagamento deprejuizos
SEM DESCONT
A COMPANHIA
IMPERIAL
DE L.O.XDRES
EST: 1803
CAP Rfl. 10,000:000*000
AENTESBHOWNS&C.
N. 5-RA DO COMMERCIO-N. 6
SEGUROS
SARITIMOS CONTRA FOGO
Companhia Phenlx Per
ambacana
RA DO COMMERCIO N. 46______
Praso de 30 dias
Pela inspectora desta alfandega se Taz publi-
co que s II horas do d;a 31 do mez de Marti
viudouro seio arrematadas porta desta re
partico, a.s mercador as abaixo mer-cionada,
nos termos do tit. 5- cap 5- d* onsoliducao das
l.'is das alfaudegas e mesas de rendas, se os
seus donos ou consignatarios nao as despacha-
ren) e as retirar em no referido praso de 30 dias,
a contar da dala i ste edita sob pena de, (indo
o mesmo praso, serem vendidas por sua corita,
sem que loes fique direito de allegar contra os
effeitos desta venda :
Armazem n. 2
Marca SA, um gigo D. 60, viudo de Liverpool
no vapor inglez Scholar entrado em 18 de Mar-
co de 1889, consignado Soares de Amaral lr-
mo, contendo peas de lonca n. 2, pesando li
quido legal 240 kilog amraas.
Um dito n. 66 i de louca n. 2. peso liquido legal 228 kilog am
mas.
Um dito n. 62. idem idem. aos mesmo?. prcas
de louca n 2, pesando liquido legal 247 kilo
grammas.
Um dito n. 63. idem idem, aos mesmos, pecas
de louca D. 2, pesando liquido legal 240 kilo
grommas
Um dito n. 64, idera idem, os mesmos. pegas
de louca u. 2, pesando liquido legal 233 kilo-
gratnmag.
Um dito o. 1, idem, em 19 idem, aos mesmos
pecas de louca o. 2, pesan lo liquido legal 202
kilogrammas.
Um dito n. 2, idem idem, aos mesmos, pecas
de louca a. 3. pesando liquido legal 2 2 kilo
grammas.
Marca SA, um dito n. 3, idem idem, aos mes
mo '. pecas de lotci n. 2, pesando liquido legal
205 kilogrammas.
Um dito ;. 4, idem tdem, aos mermos, pecsr
de louca n. 2, pesando liquido legal 04 kilo
grammas.
Um dito n. 5, idem i lera, aos mesmos. pecas
de lauca o. 2, peyendo li juido legal 222 kilo-
grammas.
Um dito n. 6, idem idem, aos mesmos," peyas
de louca u 2, pesando liquido legal 162 kilo
grammas.
Um di ti ir. 7, ide.u idem, aos mesmos, pecas
de louca n 2, p ando liquido legal 159 kilo-
grammas.
Um dito o. 8. id' m idem, aos mesmos, pecas
de louca n. 2. pesando liquido legal 159 kilo
gr. ramas.
Um dito n. 9, idem id.'m, tos mesmos, pecas
de louca n. 2, pesando liquido legal 159 kilo-
grammas.
Um dito n 10, id m idem, aos mesmos, pegas
de louca n. 2, pesando liquido legal 161 kilo
grammas.
Armazem n. 4.
Marca CM.. um pacote n. 1, vindo de Hambur-
go do vapor allemac Ru>, entrado em 5 de Abril
dem, consignado orJern, contendo amostras
sem valor.
Marca GC- C, um dito n. I, idem idem, Gon
c. Ivs Cunba & C, contendo amostras de fazeo-
ds em retilbos, sem valor.
Marca ERS, 6 caixas ns. 4084, 086, 4088/91,
idem idem, Eugenio Samico, contendo 511
kilogrammas, peso liquido legal de fra.cos de
vidro ordina-io, b-anco, sem rolha e sem bocea
esmenlbada.
Marca FGtfcC e contramarca P, um pacoto 8m
numero idem, nc vapor alli-mo Cremcn. en 23
idem, O Ferreira Guimares C, contendo 1250
grammas de torneiras de m.deira de qualmer
qualidade, e amostras sem valor.
Marca diamante e J no centro urna caixa n.
40, idem no vapor atlemSo Rio, em 5 idem,
arvalho Juniar & L-'te, cout Ddo 4 sofs pe
quenos de madeira ordinaria chase loogue, 2
cadeiras de madeira ordinaria com assento de
palha, de abrir e techar, sem br?cu8, 4 armaces
de madeira ordinaria ou cbides para descancar
bandeijas. pesandQ 18 kilogrammas.
Marca diamante e J no centro, urna dita r>. 41,
idem idem. aos mesmos, contendo 9 cadeiras de
made ra ordinaria com assento de palbinha, de
abrir e fechar, i em bracos, 8 ditas de madeira
ordinaria com assento de palha, com bragos.
Marca di. mante, 1099 no centro, FL em cima
e GP em baixo, tres ditas ns 3260/62, idem no
vapor allemao Cronon, em 23 idem, icares de
Amaral Irrao, contendo 198 kilogrammas, peso
liquido legal de capsulas de estanto para gar-
i afa?.
Marca SCCe contramarca RB, nraa dita n. 356.
iiem idem, bampaio Coelho, contendo 54 ki-
logrammas, peso liquido leal de colla nSo es
pecifleado.
3." seccao da Alfandega de Pernambuco, 30
de Janeiro de 1890.-0 clicfe,
Domingos Joaquim da Fonseca.
Concurso de segunda en-
trela
riientuuraria de Paseada do Estado
de PernambocOi 1 de Janeiro de
SOO
De oidem do cidadao inspector, faco publico
3ae tica marcado o praso de 60 dias, a contar
esta data, para ter lugar uesta tbesobraria o
comurso de segunda eotrancia, autorisado pela
ordem do Tbesouro Nacijual n. 11 de 30 de No
vembro ultimo, o anal ser regulado pelo de-
creto n. 10,349 de 14 de Setembro prximo pas-
sado, que dispc o seguinte :
Art. 2-
As maenas d) concurso para os logares de
primeira cntrancia serao:
Grammatica da lirgua nacional (orthographia,
aDalyse e redaccSo);
Grammatica das linguas ftancez* ingleza
(leilura tradueco e analyse) ;
Ari'hmetica e s as applicacOes ao ccmmercio
e as repartieres de f zonda ;
Algebra at equages do segundo grao :
Escrlptursco mercaatil por ptriidaj dobra-
ds.
Art. 3-
As materias do concurso para os empifgo
de segunda entrancia serao :
Legislacao de Fazenda ;
Pratica de repartigao.
O exame se far, falvo a bypohese do art.
28, por umqueslioaario que sera publicado pelo
Theeouro. V9B
Art 8
Os actuar 8 empregados de primeira eniaa
c a dOo poder&o ser nomeados para lugares de
segunda sem dar prora plena de que sabem, nao
s a pratica da repartigao em que serv'em, mas
tambera as materias designadas no art 2
Os que se nao habilitarem dentro de dous
annof, contados da data deste decreto, eonside
rar s bao desligados do servigo d- Fazenda.
Outrosim, os candidatos de ve rao requerer a
inscripeao deteusnomes commissao respec
(iva, lnstruindo suas peti;Oes com os seguintes
documentos:
i.* CertidSo das notas que tiverem no ponto
de sua repartiOo ;
2. Atte8tado do competente chefe sobre asna
aptidSo prra oservico publico ; de conformida-
de com 0 art. 10 do citado decreto.
Thesouraria de Fazenda do Estado de Pernam
buco, 7 de J.neiro de 1890.
O secretario di junta,
Dr. Antonio Jos de Sint'Anna.
Pede-se aos Senlio-
res consummidores
que queiram fazer
qualquer communica-
^o ou reclamac.o, se-
jaesta feitano escrip-
torp desta empreza
ra do Imperador n.
29,]onde tambem se re-
cebera qualquer conta
que queiram pagar.
Os nicos cobrado-
res externos sao os
Srs. Hermillo Fran-
cisco Rodrigues Frei-
r e Mahoel Antonio
da Silva Oliveira, e
quand for preciso o
Sr. Antonio Martins
Carvalho.
Todos os recibos
desta empreza deverb
ser passado em tales
carimbados e firmados
pelo gerente, sem o que
nao tero valor algum.
George Windsor,
Gerente
Companhe de Mssagees
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Nerthe
Commandante Lecointre
E'esperado da Europa no
dia8 de Fevereiro e se-
guir depois da demora
aecessaria para
lahia, Rio de Janeiro, Buenoi-Ayret e
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em quatquer tempo.
?revine-8e aos Srs. recebedores de mercado-
rias que s se attender a reclamagOes por fal-
tas, nos volumes, que forem reconhecidas. na
o xasio da descarga, assim como devero den-
t de 48 horas a contar do dia da descarga das
a varengas, fazerem qualquer reclamagao con-
serven tes a volumes que porventura tenham se-
griido para os portos do sul, alim de poder-se
dar a tempo as providencias necessaras.
Estes paquetes sao lllnmlaado
OS elctrica.
Para carga, passagens, encommendas e di-
n ieiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Auguste Labille
3 Ra do Commercio 9
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO NORTE
3 vapor Pernambuco
Commandante Antonio
Almeida
Francisco de
E' esperado dos portos do sul
at o dia 7 de Fevereiro e se-
gurado depois da demora indis-
pensavel para of portos do nor-
te ate Manaos.
As encommendas s sero recebidas na agen
ci 1 at 1 hora da tarde do dia da saluda.
Para carga, passagens,- fencommendas e valo
res rata-se com os AGENTES.
PORTOS DO SUL
O vapor Alagoas
Commandante JoSo Mara Pessoa
E' esperado dos portos do or
te ate o dia 13 de Fevereiro e de-
pois da demora indispensavcl
seguir para o portos do sul.
as enurninenda8 sero recebidas no trapiche
B a-bosa at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagens e vale
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
S=Rua do Commtsrcio=6
1 andar
Leilo
Do cavallo de corridas denominado tBon-
jour, o qual j tem ganho premios nos
prados do Recife.
Da catraia grande denominada Joanna
Baptta, com seis remos, corrente e
amarra propria para embarque de pas-
sageiros.
Sabbado 8 do corrente
AO MEIj DIA
Por interveocJo do Agente
Gusmao
Agente Britto
Leilo
De 1 piano, movis, loucas e vidros
0 agente cima, autorisado por urna familia
que mudou se deste Estado, far leilao do se-
guinte :
1 mobilia de junco. 1 dita de junco, 1 toillette,
cama de Jacaranda, 2 guardas vestidos, 1 corti-
nado, 1 meia-commoda de amarello, 1 cabide e
lavatorio de amarello, 1 quartioheira, 1 cabide
de columna, 1 cama para menino, 1 berco, 1
marquezao francez, 1 guarda comida, 12 cadei-
ras de junco, 1 mesa elstica grande, 1 dita pe-
quena, i guarda-comida, 3 camas de ferro, 1
guarda louca, 2 apparadores, 1 quartinheira de
parede, i caixa de msica, jarros, bandeijas,
compoteiras, tapete, espelho oval, chicaras, pi
res, copo3, garrafas para vinho, calicea e mais
objectos que estarSo patentes no acto do leilo.
Sabbado, 8 de Fevereiro
Ra da Imperatriz n. 17, 2- andar
A's 11 horas
AVISOS DIVERSOS
de um feitor ; na ra do Pay-
Precisa-se
sand n. 19.
Precisa se de urna ama que saiba lavar e
engommar, para pouca familia ; na ra Relia
numero 45.
Precisa-se de urna ama para comprar e co-
siphar; no 2- andar do largo da Canto n. 16.
Precisa se de um criado para casa de duas
pessoas em Baberibe ; a tratar na ra Marauez
de Olinda n. 51,1- andar.
Pre:isa-3e de urna ama
ra da Palta n. 61.
para cosinhar; na
Precisa se de urna ama to somente para
engommar; no Pago da Patria n. 5.
Baha,
MARTIMOS
tOHP*\flll HEBMHB(CA\A
DE
avesacSo cosleira por vapor
P0R.10S DO SUL
Hacei, Penedo, Aracaji e Baha
O vapor S.Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia 7 de Fevereiro as
5 horas da taale. Recebe car-
ga at o dia 6.
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
t as 3 horas da Urde do dia da partida.
ESCRD7TORI0
.i Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
COMPANHIA PEK.V4MHICA.Vl
DE
Vavegacao costelra por Vapor
Para Fernando de \oroohu
O vapor Jacuhype
Esteves
Commandante
Segu no dia 12 de Fevereiro as 12
'horas da manha. Recebe carga at o
dia H.
Passagens at s 10 horas do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Ao ene* da Companhia Pernambucana
n. 12
ompanhia Bahiana de Na-
vegacao Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Baha
O.VAPOR
Mrquez de Caxias
Commandante Bernardos
E' esperado dos portos cima
at o dia 13 de Fevereiro, e de
pois da demora do cosame re-
iSressar para os mesmos
i'ara carga, passagens, encommendas e dinhei
-o a frete trata-se com o
AGENTE
;edro Osorio de Cerqueira
17Ra do Viga/rio 17
Pacific Steam Navigation
Company
STRAIT30FMAGELLAN L1NE
O paquete John Eider
Espera-se da Europa at o dia
9 de Fevereiro e seguir de-
pois da demora do costume para
Valparaso por
Baha, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di
aheiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Wilsoo, Sons & C, Limited
14RA DO COMMERCIO14
toyal Mail Steam Psickei
Company
O vapor Don
Espera-se da Europa at o dia 13 d
Fevereiro, segurado depois da demo
ra do costume para
. Rio de deo e Buenos-Arres
Para passagens, fretese encommendas trata
se com os AGENTES.
O vapor Atrato
E' esperado do sul no dia 13 de Fe
vereiro, seguJndo depois da demora
ecessaria para
S. Vicente, Lisboa, Vigo, e Southamptoii
Reduccao de paseagen
Ida Ida e volt..
A Lisboa 1 classe 20 i 30
.4 Southampton 1' classe 1 28 42
Camarotes reservados para os passageiros dt
Pernambuco.
.--ara passagens fretes, encommendas, trata-s*
con os
AGENTES
\.morim Irmos & C.
N. 3Ra do Bon JessN. 3
Para Rio de Janeiro
Segu uestes dias a barca nacional Betty. j
lem parte ta carga, e para o resto que falta,
trata se aa ra Mrquez de Olinda n. 2.
LEILOES
Leilo
De 1 cabriolet americano de 4 rodas, novo u
quasi novo com lanternas e arreios paral ca-
vallo, 2 cavallos de e lia com andares.
wexa-feira. 9 do corrente
A's 11 horas
Agente Pinto
Em frente ao armazem da ra do Bom Jesu3
n. 45.
Por occasio de um cutro leilao de movis,
candieiros, quadros, espelhos e cadeiras avnlsas.
Leilo
De 80 fardos de estopa em podados e cer-
ca de 800 saceos de estopa usada, pro
prios para carocoa de algodSo,
Sexta-felra, 9 do corrente
Ai 11 horas em ponto
No armazem da ra do Mrquez de Olin-
da n. 48
Em continua^ao
Mobilia3 de junco, ditas de Jacaranda, pianos,
mesas, cadeiras avulsas de junco, camas, mar-
quezOes, fazendas, raiudezas, loucas, vidros e
outros artigos.
Por intervencSo do
Agente Gusmao
Agente Brito
Leilao
De marquezes, cadeiras de amarello e junco,
camas francezas, lavatorios, jarros, vidros e lou-
cas e outros muitos objectos existentes no arma-
zem da raa do Imperador n. 2.
Mexta-felra 9 do corrente
Ao correr do martello
A' 11 hora em ponto
Leilo
De urna vacca tourina com cria (nova
e boa)
Hoj, s 11 horas
Em frente ao sobrado da ra do Bom Je-
tus n. 45
Agente Pinto
Precisase de um criado para vender na
ra ; a Iratar na ra larga do Rosario n. 6, loja.
Mugase o sobrado da ra da Ponte Velha
n. 75, com commodos para familia, tem agua e
gaz encanada; as chaves para correr acham-se na
taverna junto, e a tratar na ra de Santo Ama-
ro n. 8. A de n. 28 ra do Baro de S. Borja,
com bastante commodos para numerosa familia,
com agua e gaz en aada ; est limpa; e tam-
bera a de n. 18 da mesma ra : as chaves para
correr acham se na taverna junto: tratar na
to de Santo Amaro n. 8.
Aluga te o 1- andar n. 278 ra Coronel
Suassuna ; a tratar na casa Preaile 4 C, ra
Baro da Victoria n. 69, ou no Chora menino n.
12, sobrado junto a cape la.
Alugam se duas arlas com commodos, sen-
do urna com frente para a ra Duque de Caxias,
e a outra para o largo de Pedro 2. a tratar na
loja ra Duque de Caxias n 79.
Alugan-fe duas casas novas ruada Casa
Forte, tendo cada urna oquartoj, 2 gran les sa-
las, Cffsinha fra quintal murado, agua encana-
da e banheiro c, m choviscos ; a tratar na ra
Duque de Caxias n 30, pade-ia d; Beiro c Al-
meida.
Alugam-se casas catadas e pintadas nos
undos de S Goncalo, a 8 000; a tratar na ra
la Imperatriz n. 76.
Alugam-se o 1- e2- andares da casa n. 43t
ra Visconde de Innama, com agua e com-
modos para familia; as chaves no andar terreo.
ff Alugam se a casa do largo do Paraso n 3 e o
Io andar da ra do Padre Floriaoo n. 69, para
ver as chaves na loja, a tratar ra do Apollo
n. 11, sobrado.
Aluga-se o 1 andar do sobrado n. 3 da ra
das Flores, com agua, a tratar na ra do Crespo
n. 12, Io andar.___________
Lava se e engomma-se com perfeico e
mais barato que en outra qualquer parte ; na
ra da Imperatriz n. 58. ^^
O Dr. Emygdio Montenegro declara que
nada deve a muguen), e pede ao commercio o
favor de nao entregar aublquer mercadoria nem
mesmo aos :eus embregados, eem dinheiro.
Vende-se urna mobilia de Jacaranda, em
perfeito estado, muitos ps de arvore da Fortu-
na, craveiros e crotons, por seu dono ter de
fazer urna viagem, tambem alugam se commo-
dos para qualquer senbor que precise urna com-
modidade em urna casa de gente que est acos -
turnada a tratar de hospedes, ou com a comida
ou sem ella ; no Caminbo No 'O n. 128 achara
com quem tratar ; o lugar muito fresco e
an.eno.
Sabbado 8 do corrente mez tem de ir em
praga peran'e o Sr. Dr juiz substituto do civel,
iara ser arrematado a quem mais der e maior
anee offerecer, os baos e gneros penhorados a
Joo Lacale de Caetane, por xecuco que lhe
move Francisco Greco Fermiguel, e vo pela
terceira vez i praca com o abatimento de 20070;
dita praca lera ios
pelas:
Pergunta se ao Sr. Manoel Torquato de
Araujo Saldanha se n5o vem dar urna explica-
co do seu procedimento, na padaria do pateo
do Tergo ? Hoje j sao 6 do mez.
Na ra da Imperatriz n. 26, 2- andar, pre-
cisa se de urna ama que cosinhe e engomme
para dnas pessoas.
Vende-se um bom guarda-roupa, novo, de
amarello, oD-a do Bentzen, e com dous gavetOes
embaixo ; assim como um lavatorio de pedra
om espelho e gaveta ; a tratar na ra da Impe-
ratriz n. 7, loja de piano.
Grande kiosque
Vende se o afamado e bem afreguezado kios-
que confronte a escola modelo, por proco com-
modo, e o motivo dir se na ao comprador : a
tratar com Silva Azevedo & C, ra Maro,vez do
Herval n. 73. ou no mesmo.
Engenho
Ven le se o engenho, Horisonte sito na comar-
ca do Rio Formoso, distante da estaco deGa
melleira tres leguas, movido a vapor, est de-
marcado judicialmente, com proporcOes para
safrejar de dous a tres mil pes, visto o sc-u
estado de conservaco. Tem alem de todas as
obias, que sao de pedra e cal, diversas casas de
lavradores cobertas de taina. Quem deseiar
mais esclarecimentos, dirija-se ao procurador
Joo Elias e Moura, morador em Beberibe, ou
no mesmo engenho com o propietario.
praca ter fugar na sala das audiencias,
; 11 horas do dia referido.
Perdeu-se
urna passadeira de ouro com branles, na tar-
de de 2 deste mez, na festa do Poco ; pede se a
quem a encontrn o favor de entregal-a ra
Duque de Caxias n. 94, que ser recompensado.
Cosinheira e servido interno
Precisa-se de urna cosinheira. e outra para
servico interno, no sitio do Caldeireiro n. 4" : a
trata- na na da Imperatriz n. 49. 2- andar, de
meio dia at 3 horas da tarde.
Caixeiro
Precisase de um rapaz de 18 annos de idadi-
mais ou menrs, que tenba alguma pratica de
fazendas e molbados e fiador de sua conduc-
ta ; para mais informacOes, dira se travessa
do Lima n. 1, Cinco Podas.
f




.
-
.
m
m
-
w
MU". I
" '
^^i


Permimbuco-Sexta-feir 7 de Feyefeiro de 1890



1
j


i

'
V
1-

Nova remessa de g-
neros italianos
Maoteiga de 1 qualidade.
Queijo Reggiano e Parmigiaao
Aieite doce em garrafas e latto.
Femel branco, verdadeiro.
Veruiomh. Cora, Mar mi e Rossi.
Viutaos. Gngnolioq, Bracbetto, Barolo, ebiolo
Mal vusa
Macarrao branco.
Vende se na roa Mrquez de Olinda n. 39.
A u
ercio
O abaixo asignado, tendo comprado livre e
eseinbrracado de qualquer onus aus Srs. Manoel
Moura & (*., o eeu esiabrlto:mrnto, sito a tra-
vessa no Queimado ns. 5 e 7, s eniica a quem
e jolgar coin direilo que se aprsente no prazo
de 3 das a contar de boje.
Recite, 2 de Fevereiro de 1890.
Velloso & Nogwira.
Manoel Ferreira Madeira e eua familia, Gui-
Inerme Patricio Beserra GaTalcante e sua amilia
pedem, encarecidamente, as pessoas de sua ami
de o religioso favor de irem assistir, na igreja
de S. Goncalo, a urna missa de stimo da. que
nandam celebrar as 7 horas da menh de 8 do
torrente, pela alma de sua prez idissima mai e
togra D Joanna Francisca Bastos Madeira; ante-
ipauJo seos agradecimentos aos que se digna
rem comparecer.
Aproveitam a oecasiao para tambem manifes-
rem seu profundo reconhecimento benvola
irmandade do mesmo S. Goncalo, pelo modo
agradavel por que se houve no enterramento da
alludida tinada.
Francisco Ju*ii-iiano Bekello
Elisa Usel de Olivis, tr. Virgilio Tavares de
liveiraeeua mulher. Dr. Matb-us VaxdeOli-
veira e sua mulher (au3eotes), cunbada e sobri-
bos de Franci.-co Jnstimano de Castro Rebello,
fallecido na capital federal, tendo de mandar
retar urna missa de stimo da pelo repou-o
tern i de sua alma. Da igreja da Conceigo dos
Militares, sabb -do 8 do correle, s 8 horas da
anua, e convidam aos prenles e amigos da-
uelle tinado para assistirem a esse acto de re
Helio cari >ade. ______________,^___
I
Jas Apolinm-io da Hilia Ollvt ira
D. Esther Sophia Pacheco e Oliveira, seus
Hhos, e Alvei da Costa & Filho agradecem cor-
ialmente a todas as pessoas que se dignaram
acampanbar os restos mortaes de seo sea pre
prantado marido, pai, erapregado e amigo Jos
Apolioario da Silva Oliveira a sua ultima mora
da, especialisando os nonios aos disimulos ci
aduos Manoel A!ves Lessa, Jjse Daniel Pereira
de Aiev'edo e Alindo dos Santos Almeida.
aquelleg pela dedicaco ruin que se prestaram
durante a terrivel molestia que o acomnx'tteo e
ste pelos servicos prestados por occatio do
fallecimento, e de novo os convidam e aus pa-
rentes e amigos para assistirem as missas que
nandam celebrar na segunda feira, 10 do cor-
rente, s 8 horas da maoh, na Ordem 3.a de S.
Francisco, tornando-se cada vez mais gratos por
sta prova de religiao e caridade.
t
Mara Jaiinaria de l'aia Horeira
Antonio Jos Moreira, seos filhos e prenles da
uada, agradecem do intimo d'alma a todas as
pessoas que se dignaram acompanbar sua ul
lima morad sua esposa, mae e parenta, Mara
Januana de Pana Moreira. Os mesmos de no
to rogam encarecidamente s pessoas de soa
amisade o religioso favor de assistir as missas
do 7 da que mandam celebrar s 7 bcras da
nanli do dia 8 do correnle na matriz de Santo
Antonio, aotecipando desde j seu eterno reco
ibecimento aos seus amigos por este acto de
religiao e caridade.
t
Bona Emilia da Fonseca Ol eir
I.* anniversano
Amelia de Oliveira, Francisca de Oliveira, Ma
na do Carm de Oliveira Constantina de Oliyei
ra, Emilia de Oliveira e Antonia de Oliveira,
onvidam aos seus prenles e as pessoas de sua
amizade para assistirem as missas qoe mandam
rezar pela alma de sua sempre pranteada mai.
losa Emilia da Fonseca Oliveira, n, matriz de
tent Antonio do dia 8 do correte, s 8 horas
da manha. peoliorando desde j os seas eternos
agradecimentos a todas as pessoas qoe assisti
sem a este acto de caridade e religiao.______
t
D. Bosallaa Fuado de alen
doea
MarcelinaFurtado da Silva Cabial, seu marido
finos, convidam a seus pa entes eamigo para
assistirem a missa que por alma de sua s. mpre
terebrada irm, cunbala e ta, Rosatioa Furtado
deMendooca, mandam res.r na igreja da Peoba,
olas 7 boras da manba de 40 do correte, agra-
-iecendo desde j .o que M iligoarein compa-
recer a es-e; ctb de religioe candade
t
de Castra
Francisco luM-niau
Bebeilo
Domingo- Joaquiiu da Fonseca, possuido de
iiocero p-zar, mana celebrar missas na matriz
da B a V sta. s 8 bor.s dascanco eterno de seu primo e amigo Fruncs-'
o Justmiano de Castro Kebello. fallecido no Rio
ao dia do correte mez ; roga a seos amigos
queiram asustir a es^e acto de caridade e reti-
gio._______________________________________
t
Com monda ti or Fr nrlsco dastf-
dImm de Castra Rabel lo
Uva amigo do f.i ie idu cosa ndador Francis-
ao Jusiiui.iiin de <; su.. Rubedo manda eaar
ama mis-ia de Malino dia pHo repeuso etrnodo
Ha alma, na igreja d.; Co iC-i(,o dos Militares
sabnado 8 do corrent-, s 8 horas da tiiunh, e
convida aus par nte e amitos daquelle fallec
do, para assistirem a est acto de caridade.
Manuel l'ariano da Pai
Os filhos. netos e mat .. ulia de Ma iOel Cae
tan da Paz, agradecm a >s amigos e prenles
que se dignaram'-uniuzr ao cfiuilerio publicu
(adaverde -eu sempre eaat)aM*a pai e av e
e novo os convidam pura a8*istirem a> >uissas
Sue ero rezadas na igreja da oni-eij i aos
lilitart-s. sabbado 8 i frrente, s 7 I/i horas
da maftfri, sKim < L.elno Marra
Domingos Mafra agra< eoe u todas as pessuas
que tzerni o caridoro obseqaio de aiompaobar
as resto-i mor taes de seo prelado lllh' Levinu
Mafra a sua ultima murada, e de novo as con vi
daaouvirem a mis,-;: do w-tnuo dia, que ter>
logar La matriz de S. Ped-oMarljr, pelas 7 1/4
horas da manh do da 8 do correte, pelo qoe
e confessar eternamente grato, (linda, 6 de
FeTerein de 1890.__________________
VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sob basca scienttficas
e physiologlcas para o flm de
beneficiar os cabellos, restaurar
a cor,impedir a queda, e promo-
ver seu vico e abundante cresci-
mento.
Esta aparada e excellente preparacio,
sem duvlda o melhor remedio at boje
conhecido para os differentes defeitos da
cabclladura, merece a Intima attencSo de
todas as pessoas qoe tem tido a infellci-
dade de perder em parte este mais rico
ornamento nataral da physionomJa.
'Con o seo cnprego luetligentetem-Be
conseguido resultados realmente sorpren-
dentes. Em mnitos casos, porm nao
sempre, a propria calvicie tem sido corada
permanentemente.
Sempre se consegne fazer parar a queda
dos cabellos: emquanto que para o pentea-
ao das senhoras, o objecto mais utll a
mais agradavel que se pode empregar.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA,
IiOwell, Mass., Esk-Unidoa.
A' venda as lajas de armarinho e per-
ftun arias.
DEPOSITO O ERA/ .
- -- rf-
Preea se de urna cf-sinbeira em casa de pou
sa familia, e ce urna menina de II a 14 annos
para andar com meninos, d se-thes ordenado
ou tom; se conta, dando se o que precisarem ; a
tratar no caes da C mpanhia Pernambucana n
4, armazem.
Ama
Na ra do Brum n. 82, andar, precisa se
de urna ama para osinhar, para casa de peque-
a familia, preferindo se que dorma em casa.
Ama
Precisa sr de urna acn pira cosinbar e lavar
para duas possoas. e que dorma em casa ; a
tratar na roa da Cadeia n. Si, 3 andar.
Ama
Preci?a-s de urna ama de eite qoetenha bom
comportamento ; na ra da Gloria n. 76\_____
Ama
CJPrecisa-se de urna ama ; na ra do Queimado
n. 33, 1- andar,
Ama
Precisa se de nma ama para cosinhar. para
"ttas pessoas na roa do i.aldeireiro n, 4, so-
brado.
Ama
I're,-i-;;-.-e de una ama para cosinhar e com
prar, para ca*a < e pouca fa ilia. que durma em
casa; na ra Mrquez do Herval n, 79. _
A na.
Precisa-se de urna ama para cosinhar ; oa ra
do Maiqoez de Olinda n. 64, 2' andar.
Ama
Precisase de urna anja que cefinhe e engom
me com perfeico, para duas pessoas ; na fabri
ca ra da Florentina n. 36.
Ama
Precba-se de urna ama que ra ia bem engom
mar, para sercige de casa de familia ; na roa
Mrquez do Herval, antiga Concordia n. 104.
Ama
Na ra Baro da Victoria o. 6, precisa se de
orna ama para comprar e cosinhar, e tonar a
direceo de :asa de homem solteiro.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de leite ; a tratar na
roa da Uoiao o. S.
Ama de leite
Precisa se de orna ama de li ite qoe tenba bom
e ahondante leite que seja limpa e fsadia, que
s ja livre e degempedida. e n3 i tenh> lilhos ;
qu^m estiver nestas conditoes dirija se roa do
Hospicio n. 6 para tratar
Alug"a-se
por barato prego o i e 2 andares do sobrado
oo caes de Apollo n. 75 ; o 1- e 3- andares do
sobrado roa do Bruin n. 84 todo i com grande
ac ommodages ; a tratar na boti?a roa larga
do Rjsario n. 34, das 9 d -j anh s 5 da Urde.
Ali^am-se
as duas pequeas casas travessa da roa Bella
ns 14 e 16, esto pintadas e caiadas de novo ; a
tratar na ru.i larga di Roaaiio n. 34, botica.
\ lu
g"a-se
roa das Barreiras oo de M: ciel Martins, a casa
n. 9, com boa vista ; est caiad i e piolada e tem
bons commodos e quintal grande a tratar na
botica roa do Ro ario n. 34, das 9 horas da
uianlia s 5 da tarde.
Alugnie barato
Roa da Roda os. 58 e 60.
Largo do Mercado loja'o. 17.
Becco do Campello o. 1,1*. andar.
Loja do sobrado do becco do Calabonco n. i
Roa do Nogueira n. 13.
Viscoade Goyaona a. 163 com agua e gaz.
Travessa do armo, loja o. 10.
Becco do Tambi n. 21.
A tratar a ra de Commercto n. 5,1- anda'
e-enptono de Silva titnnwaes C.
Lledr depuralivo vcgcl! lodadc
do aedir* UuJatella
Este notabilissimo depurante que ven
precedido de tao grande fama infailivel ni
cura de todas as doencaa syphiticas,
crohilosas, rheumaticas e de pelle, com
tumores, ulcera, dores rheumaticas, oa
teocopaa e nevratgicas, blenorragias agu
das e chronicaa, cancros syphiliticos, in
Hama(,Se viceraes, d'olhoa, ouvidos, gar
garitas, intestinos, etc., e em todas a>
molestias de pelle, s mples on diathericas
assim como na alopecia ou queda do ca
bello, e as doencaa determinadas por sa
turac&n mercurial.
Do-ee gratts folhetoe onde se encon
tram numerosas experiencias feitas con
este especifico nos hospitaes pblicos <
mnitos attestados de mdicos e documen
tos-particulares.
Faz se descont em casa de
FAR1A SOBRINHO d C.
Ra Mrquez de Olinda n. I
C'aixeiro
Preci3a-se de um menor para caixeiro de ta-
verna ; na merceana Pnatemp. na Capunga
ssese0 omirj^
PARA O CABELLO.
Augmenta, Aformosea
FAZ CBE&CEB O CABELLO
com assombrosa rapidez.
MARAV1LHA CURATIVA
DO CP.PIM
Dr. Humphreys de Nova York.
A Verdadeira Maravllha do Secuto.
APPEOV ADA LICENCIADA
yela. Iopectorla Geral de Ilynlf nc do
Imperio da Brasil.
A HrTlh Cn retira remedio prompto
para as Pisaduras, Machuoaluras, Contosoes, Tor-
oeduras. Corladuras, ou Laoerac&ds. Alllvla a dor,
estanca o saturad, fax parar a mflammaco. tedas
a lBcoacao. lira o descoramenio, e (azaarar a ftida
como por encanto.
A Marvilha Caratlva alllvlo promptoe
cura rajjia para Quelmaduras. Escaldaduras, e
yuelmauura do Sol, e superior a qualquer outro
remedio.
A Maravllha Caratrra lmpagavel para
tudas as Bemorrnaglas, seja i> Naris, das Oenalvaa.
dos Pulmoes. do Estomago, eu ar Hemnrrhoklas ou
Aimorreimascura sempre e nunca falla.
A MaraTlIha Dar Dor de Denles, de OurWos, da Face. ssMJaMD
5a Face e Nevralgia.
A Mererilha Cnrniita oreenrso pronipto
e precioso para Dures rheumaticas, Altijao, Dor e
jUgldea as Juntas oa Pronas.
A Maravllha CareUva o grande remedio
para Esquinencia, Angina. Amgdalas Ir-hadasou
Imlsjoniadassempre segur>, sempre efflcaz.
A Meravilha Curativa de mnlto vatar
como lnleccao para o Catarro, a L^ucorrnea ou as
Flenp Brancas, e outros corrimentos debilitantes.
A Maravllha Carativa lmpagave! para
ciu-ar ulceras. Chagas antigs, Apostemas, Panarl-
clos, Callos, nfa Joanetes e Tumores.
A Meravllbe Carallva remedio prompto
para Diarrtiea simples, e de Dlamieacnronlca.
A Maravllha Curativa exceneni* as
Estrebaiias e Cavallarlcas. para Torceduras. Dores,
Pisaduras e Esfoladuras, ContusOes, LaceracOes. c.
Especialidades do Dr. HrjmphreyB.'
Benedios Especficos.
Dnguent Maravllhoaa.
leniedios Syphilit iens,
KrBirdlos Vi-terinarioa.
O Manual do Dr. Humpm-eys 144 paginas sobre as
Enfermldades e modo de cralas se di gratis, pede-
m ao seu boticarto-ou i
HDMPHKEYS* MBUICINE CO.,
1H Fultae Street, lBW YORK.
nico depsito para vendas em
grosso na imperial drogara de F.
Manoel da Silva & C. ra Mr-
quez de Olinda n. 23.
R. de Druzina efe C
a visam ao corpo com-
mercial e ao publico
em geral, que o Sr.
Joaquim Antonio
beiro deixou de ser
seu empreado desde
16 de Janeiro ultimo,
dia em que ausentou-
se allegando doenca.
especficos
DO CELEBRE
Dr. Humphreys de Noya York.
Em uso mala de SO annos, simples, seguros, pffi-
cazes e baratee. A venda as Drogaras e Phar-
maclas prlnclpaes e mais garantidas do Mundo.
o. tlt'BA
1 Pebre*, Connetao, Inflammoces............
2. Febree Clica causadas pov iArmbrIgas
s. Clico, Choro elnsomola das Crianzas......
*- Diarraea de fMancas e Adultos..............
5. Drecateria, D^resde Barrica. Cc'Ioqhfiiosa
6. Celeriaa, Colera-Morbo, Vmitos............
7. Teste, CoBStlpacao. RouquldAo. Bronchlte..
S. Hordc DentesedeCara.eKevralgla.......
. Dor de alirn, tnchaqiua. \ iTllgem.....
10. Dispepsia, IndlgeslOo, Prlso do \ entre.....
11. Suppres.-io da Kegra Esoass* ou Demo-
ra-la ...-.................................-
12. I.eurorrheo, Flores Brancas, Resra profusa
13. Croup, TceUouca.DlmcuJdadfideisprar
14. Herpes, Erupcoes, Eryslpela.................
15. Rheuitiuritini, Dores rheumaticas...........
n>. Sez^es, StiiHlia, Fijbre mtenurttene.........
17. lleiuorrlioiduf, Aimorreimas, Internas ou
'i i, M'pCes ou aangrentos,...........
1. OpLibalUlia, Oinos fraoosyu.lnialt.mados.
19. Catarro, agudo ou chronlco, Defluxo........
20. Co4jaclH'*ha, Tos^-esjiasmodlca..............
31. Asma, -niracao d:racnltosa.................
22. gappan.vHO dos V 'os. Sardes ...........
23. Enero!iiIilh, luchAeoes e Ulceras.............
24. Debllidade gera., oa physlca.............
2B. Hydropeala, A^iniulacves finidas...........
26. Eojoa ae Mar, ..ausoa. Vmitos.....^
27. Molestias onrinarlas, Clcalos ou Pedra
na Bezlga..............................v/i"
28. Impotencia, Debllidade nervosa semlaal..
29. Chagnlnhasna Bocea, ou Aphta .........
80. Incoutinenciu. de Ourlua. ourlnur m- t: .
Caraa .......,...........................
81. Wenasi-aacrt* detoiaae. tramo -----
32. Molestias do Coracie, Palpita.;-*, *:
88. Epy lepada, Mal cadudo. fiaUacoral, Baile de
M. Diphthera, Mal maligno de Garganta......
85. ConRestdes Chronlras, DdrdeCabeca ..
O Manual de Dr. Busaphre vs, 144 paginas sobre
as Kuf ernildades e o modo d : cural-as, seda gratis,
pedo-se ao seu b jilearlo ou a
Hl'MPHBEYS' MEDICIKE CO.,
108 Faltn Street, NEW VHKH,
nico deposit o para vendas em
grosso na imperial droga ra de F.
Manoel da Silva & C, ra Mar-
aquea de Olindafn. 23
Ao cidadao Antoaio Witru-
vio de Medeiros
Tenba a bon lade de vir ra do Rangel n.
73, a negocio qu<; n8o ignora, nao com parecendo
serei mais extenso.
Perdeu-se
um al fine'.e de gravata de praia, era vejado de
diamantes da ra da Assumpcio, Peona, Li
vrameoto, estreita e larga do Rosario, Cabug,
N iva a entrar na Camba do Carmo ; quem en
contrar fag favor de entregar na Camba do
Carmo n. t4, que se gratificara.__________-
Aos harateiros
Bernardino Campos t-ndo recebido gran-
de quantidade de fazendas finas, e moda de gos-
tos nni-rimos, convidam a seus bous freguezes
a virtm em seu estabelecimento ra 1. de
Marco n. 1, onde encontrarao ludo que pode
baver de chice bom, por pregos insignificantes
como sejam : zephiros, variado soitimento e de
gostos esquesitos, fazenda de 800 rs. por 32" rs.
o covado ; cambraia da China; completa novda
de de as diversa, de 8t0 a 400 rs. o covado ;
merinos de cores, cretoaes francezes, etamines,
cambraias lisas e com salpicos, fichus, cuitas e
casemiras pretns e de cores, jr ndes sortimen
tos, e multas ou ras fazendas que seria enfa
nonho mencionar. Vinham certificarse da
verdade que aqui tica dita e aproveitem em
qnanto ten no,
Uuo-te laoilrai em pea bar
Ra 1 de Marcj b. 1
Ra Mrquez de Olinda
Sr. Luiz Ferreira da Cruz j est disposto a
pagar sua letra? J faz anuo e meio.________
Cosinheira
Precisase de urna cosinheira ; ama Velha
numero 137.
Quai hoje a melhor cousa doBrazil?
PEITIBAL DE CAMBARA'
E POR QUE ?
ronlae cura e omf forma rpida e radical as molestias do apparelho respiratorio : tosse de qualquer especie, coryza,
aquido, aathma, bronchite, coqueluche, laryngite, tisica pulmonar, etc.
Alm d'iaso, o Pe toral de Cambar de urna apparencia agradavel e delicioso sabor, quadades que o tornar
a remedio preferido para as enancas, senhoras e todas as pessoas de palladar delicado,
Est approvado pela Exma. Junta Central de Hjgiene Publica, auctorisado por decreto imperial, premiado com duas me-
dhas de ouro de Ia classe, rodeado^doa melhores attestados mdicos, de in mineros certificados de caras importantes realisada
a toda parte.
0 PECTORAL DE CAMBARi^TS REMED0 GARANTIDO
Por isso, precisa ha ver todo o cuidado com as falsificaeoes e imiUcSes : o verdadeiro que fabricado no grande estabe-
iimento agrieo-industrial do PARQUE POLOTENSE, expressamente creado para esse effei'o, em Pelotas, provitcia do Ri
rande do Sul, traz, alm da marca da fabrica, a firma de seu autor e manipuladorI. Alvares de Souza Moars.
Yende-se em todas as pharmacias e drogaras
Precos: frascos 2#500, 1|2 duzia 13$000 e duzia 24^000.

23
SAO AGENTES E DEPOSITA BIOS GEBAES
FRANCISCO MANOEL OA SILVA efe C.
NACIONAL DROGARA
- I .ua Mrquez de Olinda -
23
Setins de c6res a 400 e 700 rs.
Las e flanellas, todas as cores, a 320 rs.
Tarlatanas, todas as cSres, a 00 rs.
Velludilhos e velbutinas a 600 rs.
Uaze de seda, prateada, 3 cores, a 1^000
Luvas, todas as odres, a 10000.
Luvas trocadas de seda a 200 rs.
Ganga lizas a 200 rs.
Meias, phantasia, a 500 e 700 rs.
Bombaixaa de cores, novidade, a 10000
Leques a 500 re.
Crotones de urna s cor a 240 ra.
E muitas fazendas que se vende m mais
barato
Loja das Listras Azues
61Ra Duque de Caxias61
Casas alagara
Scientifico au publico e ao
commercio que o cidadao
Joaquim Goncalves Ferrei-
ra de Souza deixou de ser
meu empregado.
Recife, 31 de Janeiro de
1890.
Manoel Jos de Bastos Mello.
A o commercio
Manoel loc da Silva participa que nesla dula
comprou ao Sr. Antonio Martina Perora, o esta-
belecimento de mulbado9. sito > esiacao do Car
mo (Olln a) livre e dsembaracado de qualquer
onus; q> em sejlgarcom direito ai mesroo
estabelecim nto. queira apre.-entar se do pru.-o
de trec das, a contar desta data. Olinda, 4 de
Fevere ro de 1890.
mais deToWcEraT
TIHTBA DIVISA
UOm SO SSEVXATISltO
DORES E DeDENTES
PBEPAKADO DNICAMENTE
POR CALASANS & C.-----NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheum
tiernos, inchac3e8, dores aciaticas, nevra
gias, dormencia, etc., empregaiido-se ei
fomentacoes sobre os lugares affectadoi
Cura o ber-beri, as paralysias e aa dore
de dentes.
Todos os frascos levam direocSes par
uso d'eBte medicamento admiravel.
Preco 1)5200. Descont de urna dus
em diante.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C. ra
Mrquez de Olinda n.23
A o publico e ao com-
mercio
Manoel Martina de Oliveira Vat socio da ex
ti neta lirma que nesla pruna gyrou at 31 de
Desem iro hado, oa razAo Ae Matbias & Coeiho,
no estabeiecimento de morhados so largo ua
Asse oblea n. 17 (Forte do Mallos) identifica .o
publico e ao commercio qoe na lita oata foi
vendido ao Sr. Antonio de 01 veira Soares o
mesmo estabelecimemo livre e desembarazado
de qualquer obs, do qual jolga o vendedor
nada dever ; e bem assim, que desde a mencio-
nada data retirou-se do mesmo estabeleciraento
o Sr. Miguel Anlunes Uelbo, pelo nao cumpn
ment de seus de veres.
Advogado
O Dr. A. Clodoaldo de Soasa nradou o sen es-
criptorio para a ra do imperador n. 32 pr meiro
andar, onde pode ser procurado de 10 da ma
nb as i da tarde.
Residencia Ra Imperial n. 148
___________ TelepioBen. iQ2._____________
Excedente morada
Aloca se barato, ra do HospiUI Pedro 2-. ,
no lursr dos CvIbos, una 6 11 obradada,
com agua, muilos commoiios. omito Tresca e
Soto do hautio salgado ; a tratar com J aquiu
oreira .eis, das 8 s 10 boras da manba, o
qual alaga tambem all casas de 6i,-M e lOA.
Cautelas do Monte de So
corro
Compra-se Cautelas do Monte de Soc-
corro de qualquer joia, brilhantes e relo-
gios, paga-Be bem na roa do Cabug n.
14. n. Loja de relojoeiro.
Charutos a Martins
Jnior
Hoje em dia s se pode fcnar os charutos
cima mencionados, o publico s encontrar esta
marca na fabrica Vendme, roa Barao da Vic-
toria n. 39.
COMPANHIA
Ijiivnr ua nmumiiriiii
RA THEOPH1.0 (Rio de Janeiro)
Capital......1.000:0008000
Esta companhia acha se estabelecida ra Theophilo Ottoni n. 4, 1. andar e
tem os seus trapiches de deposito ra da Sade n. 52, 54 e 94, sendo seu objecto:
Comprar, vender e receber commi&sao, com preco fxado ou rujeito s con-
dicoes do mercado, qualquer partida de agurdente, alcool, laranginha c mel;
Adiantar dinheiro pobre safras de agurdente e alcool a lavradores e engenhos
centraes ou aos seus committentes, a juro razoavel ; quelles mediante contrato de
penhor mercantil ou abono e a esaes subre o valor dos gneros que consignaren!,
computado pelo estado do mercado e depositados nos trapiches da companhia, con
preco marcado, at que o mercado permita collocal-os, segundo as ordens dos com-
mittentes
Alugar ou vender, mediante convengan, qualquer partida de cascos vasios para
conducjSo de gneros;
Armazenar agurdente e alcool, de oonta alheia ou o que, com preso estabele-
cido esperar melhor collocaco no mercado mediante o preco de lOO at oito diaa
de estada oa passagem em seus trapiches, e 25500 por mez ou fracco, cada pipa,
durante o primeiro mez e lO 0 do segundo mez em diante ; com garanta effectiva
de seguro e p-quenos concertos, para evitar vasamentos ; por conta da Companhia;
Dar .sabida a qualquer partida de pipas para embarque em transito pelos seus
trapiches mediante 50 > rs por pipa cheia e 20 rs. por pipa vasia desde que nSo
demore a expedicHo alm de horas.
Comprar, vender e receber commissSo todo e qualquer artigo que lhe con-
venha, mediante autorisacao do conselho fiscal
A Companhia remette precos correntes impressos c informacoes exactas de
estado domercado de agurdente, gratuitamente a quem pedir.
^ODONTIE~
SABO DEOT1FKC0
DR
DO
RIEDEL
A melhor preparacao hygienica para clarear e conservar
Approvada pela junta de hygiene do Rio de Janeiro, com a marca registrada
para todos os Estados Unidos do Brazil.
YENDK-SK AS SEGUINTES BASAS:
Maia Sobrinho & <'.
Castro Medeiros & C.
Duarte & C.
Pedro Antunes & C
JoSo Bezerra & C.
Netto ampos & ''.
Manoel Joaquim Ribeiro & C.
Maia e Silva & C,
Barbosa & Santos.
Barros & C.
Deposito
Numa Pompilio.
Nunes Fonseea & C.
Manoel Vieira Neves.
Manoel Cardoso Jnior.
Manoel Oolaco & C.
Papoula & Bastos.
Ribeiro & Almeida.
Antonio D. de Lima & C.
Sabino Pinho & C.
Jlo Ramos.
por atacado:
.


-.
THE O. JTJST
Largo do Corpo Santo

fUNDIClO DE FEM
BRONZE
DE
CAHIIIIZO O- 1KMA0
Roa do Barao do Tnniupho os. \M, 102 e 104
Deposito ra do Apollo ns. *2 e 2 B
Tvm para vender o eguln:
VAPORES de diversos fabricantes para logo dircitpara o ou fogo de asse*
imento.
MOENDAS de todos os tamanho.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
' RIVACOES de differentes taannos.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LOUOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS Americanos.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanamento e finalmente
todas as ferragens precisas para a agricultura desta provincia.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
CONTRACTAM fernecimento de apparelhos para usinas, garuando a Mi
uJidade e bom trabalho dos mesmos, o que podem provar com o bom resultado
'btido com as duas USINAS montadas ltimamente a saber:
anta Filonilla e Joao Alfredo
Vendem a praso ou a dinheiro com descont.
. -
1 Ulf
I


I
i



I

.


-


iiiaro de PeFDambm.o--Sexta feira 7 de Fevereiro e? 1890
LUJADO POVOfl
HRa do Crespo11
Com este titulo acaba de abrir urna loja de fazenda ra do Crespo n. 11 e
tea proprietario convida o publico d'esta cidade e de fra a apreciar o seu BELLO
ortimento. Muitas de euas razendas sao recebidas directamente.
GRANDE IVOVIDADE
Descont 10 / para as compras a re taino de 20|J000 para cima.
Chitas de 180, 200 e 220 rs. o covado.
Las lisas, imitacSo de cachemira, a 200 rs.
Ditas lavradas, idem idem a 240 n.
Zephir com 75 centmetros de largura de 800 rs. por 220 rs.
Ditos com 70 idtm idem de 200 rs.
Ditos com 60 idem idem de 160 rs.
Corte de caaemira inglesa de 3 dem de casineta de cor de 10100 a 10400.
dem de fustao para collete a 2400.
Um completo sortimento de fichs, chales, capas nara senhoras, espartilhos,
teias e casemira, chaviot, diagonal, pretos e de cores, brins bra_co ede cores, cami-
sas, ceroulas, toalhas, bramante, atoa hado de linho, panno da Costa, camisas de
flan ella e muitos outros artigos que enfadonho mencionar.
NA L"J\ DE FAZENDAS
21RA DO CRESPO -21
pininos,
GLHERME CARNEIRO M CUMA
r
-.-.V,
GOTTA, RhEUM^TISMO, iiOSUBS
Solugo do Doutor Clin !
Latinado da Faculdade de Uedicina da Para. Premio Uontyon. *
----*-.------
AVerdadeira Sol_$ao CLIN ao Salicylato de So_a enifrefra-sfi para curar: "
As Affeccoes Rheumatismaes agudos e chronicas, o iheurnaamj gottoso, B
as Dores articulares e musculares, e todas as vezes que necessarlo calmar os |
sofirimentos occasionad'/S por estas molestias.
A Verdadeira Solugao CLIN o melhor remedio contra o Rheumatismc.
a Gotta e as Dores.
14_ Um expllcacio detalhada acompanha cada fraaco. /
Exigir a Verdadeira Soiucao de CLIN & Cie, de PARS, que ae encontr em t
_________cota dos Droguistas Pharmaceutico* ...... *
PARA
o
CARNAVAL
idi
dit<
Merino francez, urna largura, todas as
cores, 12 pura, 280 rs., o corado.
Dito, duas largurrs, cor azul, a 400 rs.
o covado.
L3s diversas com listras e quadros de
seda a 400 rs. o covado; fazenda de
800 rs.
Merino de cor, duas larguras, com lis-
tras, fazenda de 20000, a 800 rs. o covado.
Etamines arrendados, Iavrados e de lis-
tras, fazenda de mua phantasia, a 400rs.
o covado, cores lindas.
Mantilhas hespanholas, cremes e pretas,
30000 ama.
Brim de linho, padroes mimosos para
criancas, a 600* rs. o covado.
Linho pardo para vestido, escaro e cla-
ro, de 360 e 440 rs. o cavado.
Zephirs finos para vestido, ramagem
grande, a 500 rs. o covado.
La adamascadas com salpicos de seda
a 500 rs. o corado.
Seda lavrsdas, de listras e de quadros,
a 10000 o covado.
Chitas, soTtimento completo, de 200,
240, 280 e 320 rs. o covado.
Cretones franceses verdadeiros, a 320,
360 e 400 rs. covado.
Cachemiras lisas para-vestidos a 200 rs.
o covado.
Me i as brancas cruas e de cores para
homens, senhoras e criancas, todos os pre-
collarinhor
e 1_ e seda, de 10000 *
Camisas franceza9
de linho.
Fichns de U
60000 nm.
Lencos brancos de algodSo, linho, bom
de seda e seda pura, beanoos e de edrea
Oravatas e mantas, sortimento com
pieto.
Leques de papel nmito rindos, 320 r*
um.
Eapartiihos para senhoras e meninas
todas as qualidades e precoa
Lencos chinezes, de seda, para rap.
Collarshos de linhj para homem t
10000 a duzia.
Fustao branco lavrado e com Adres *
400, 500 e 10000.
Peitinhos de vidrilho a 10000 um.
Capas, visites e romeiras, de oachemi
ras, gorgorao a vidrilho, torios os presos
Bramantes de linho e algodSo.
Toalhas adamascadas para mesa 20OO(
urna.
Guardanapos de linho e algodSo, de
30000, 40000, 50000 e 60000 a duaia.
Setim Maco, todas as cores.
Surah do torla.i as cores, seda pura.
Merino preto, la para, de 640, SUO
10000 e 105(10 o covado ; baratissimo
Bretanha de linho 27 varas por 120COO
Modopolao algodSo grande variedade em
presos.
Cortes de casineta, cores fizas, a 10000

Completo BortimeDto de chapeos, capotas e gorros de fantasa em todas ai
faida les.
Fitas, rendas e bicc de seda e algodSo de todas as cores.
Flores, plumas, pasearos, aigrttes e bijouterles para enfeites.
nttwMA" .3 .".- <> csntim, os mais mo-lernosr para homens e merinos.
rt: >- .i *.>i.>d .>* vio-teas as pitni.nir.il n<>vi ___ : .tr;!'.r>*
|eaarOj le -.e i k
Raphael Das & Co
2 lado Baro da Victoria 2
seo
eos.
E muitos outros artigos que vendemos por qaalquer preco.
Na RA DO CRESPO N. 21 LOJA DE
OLIYEIKA CAMPOS & C.
>____<__#_*_*_>__ W
i 3.o

-f g
K3* iMuAH
'Go
.:'./ .-.- i ::-w.
't 1
C*4
lf r^-
_rfi#ft com fcocoxat.
.i l_Sk Kii raso? agraufii, iatlSo rigorosamente rfwwnr.
j m v*m _> ffl#i___ de Sil (Una abunst)
l.RUOSIT- kmi. : '.. pOii .C!, Wt4.BMCr JT^OO
AtHueur r-- f'itir'trptf^, ***vv^w^r'Ja*f

'i ib j1
W
000
(JijVfOAOLOU^RE)
Veludi ho com flores a 5 o rs. o
Setineta dourada a 4oo rsr diio.
Vebuiina preta a 5oo rs. o dito.
Gmigtr, t'das as rores, a 24o rs.
Meias de core i a 4oo rs. o par.
Setins de cores a 800 rs. o covado.
Cachemira encarnada Jisa e de listras, a
o dito.
Velbutinas, tod^s as cores, a 800 rs. o dito.
Guarda-pos para homens a 6$ooo.
Ditos p ira senhoras a 1 o$ooo.
oxr.A.
Loja das Tres Portas
20Ra 1. de Marco 20
DR
AMARAL & C.
'LINIMENTO GNEAI
Para os Cavadlos
I EmprsjAdi 00a j maior xito as cavalharipas reaes de SS HH. o Imperador do Brazil, o Re da <
i Bclgjca. o Ral dos Paizes-Bklzol' o Rel-cta SJtonla I
FABRICA DE LI1/R0S DE ESCRIPTURACAO
CQanoel J, de CQiranda
3-- EA -- DUQUE *- DE CAXIAS *- 39 *
NUMERO TELEPHONICO 194
Cosinheiro
Precisa se de um cosinheiro ou cosiobeira; 4
ra do Propresao n. i.
Casi
a
lugar
para
0 1 andar da roa larga do Rosario n. 37 es-
quina defronte da reja, com gr-ndes salase
quarto-. pmprio para grandes reuniOes ou es
criptonos ; a tratar ni paviu.ento terreo.
E BR0NZI
$prFesao do $Tg DA QUEPA. ? ^O PELLO
. S> etle precioso Top.co c o nico cue
' suDsmuco caaettr o cc!im radlcakiionle
Mtn poueos da- as rnaanaeiraa. novas
> e antigs, as TMWfln.rss. CostasSen.
jTiWIH e InQap J. la persas,
MtfVHra.vao. so&re-Ca..Kia, irrnqoesa o ZSo-
TH>rTi*aiHetito das pqrnns dosjpotros. etc., sem
Poccasionar nonhuma ekogn, n |me."-no uuran:c o Ira1;.'.. ;.: .
:p*-#-Fari: PhirmsH* Grrma'BLaLTy
35 gimas de cExito
S E .ML RIVAL
09 resuifcv'os esWAiiMittnriJs ^re-tem'
obtidb uas 't<;v-".c Affec(Bea del
'9eit0. Os Citar-tos. 3roncbftU,<
Koinstiar la tiargautr. Optal-1
ma, etc., s!o dio logar cojcarrcncia.
A curm faz-u -ora a mtn em 3 minuto, sem I
ur c &!n curiar, ne -e ipnr o pello.
T ur. St-Konor. 275, c r L 'a 5 Piaroawu.

i4-m& Mna un
liarbiuc^ a vapor
Mocadas.
Hodas (fagua.
aixa^undidas e batidas.
TaixA^ batidas e?n enva^o
Arados
J CONBTTPAgdr-S e MOLESTIAS do PEITO ^
SlAROPE "**" BRI AMT|
W/f, PhevrAaet Bm*N7, U. n* w Mflb, WH9.
*s oeiet>rWil \atma de rtiia *omnjenctlii ha Mi a "
UlXOPS MAirr como o n-.<-dicaaiamo peivorai t f **'
\U mtmmu mwmwcuDi <* tuaoxom, CuuMfn-/-n. OIMnta. C.
JTaran ntmmfm unta,DaTa- con MniiuHir ama oami n. toliot i
B*r6fiirK n rorAS vs primmpabs PH*nMAn*r
mm~-m-mmi*'*mm*^kWkmWme\WajP33CmiX !Trj"51i.-.-^JWBgV'~.
m'DlOAO DE SINOS
DE
LUIZ DA CRUZ MESQIT
66ra do Baro do TriumpboG6
Tetxi para vender o seguate:
nachinan de cobre para facer espirito de destillar e restillar.
Alambiques de cobre do ant;go e novo sistema com esquate garapa.
Serpentinas de cobre e de estanhu.
(arapncas de cobre.
Tafia*, taixoe cakleiras do- obre.
Bombas de todas as qualidades de repaohos, aspirantes e continuas.
Tornelras de bronze e madeira de todos os tamanhos.
C'nos de cobre, de chambo e de ferro.
Hepartldeiras, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro estanhado
Cobre em lengol e arruelaa
Sola ingleza e do Rio.
Cadinhos patente e de lapis.
tinos de 1 libra at 110 arrobas.
E muitos outros obyectos.
ENCARREGAM-SE le qoalqaer concert e obras de- enconimenda; garan-
tido' pns'eyp, rerfcic?o e presos mdicos, para que tem nessoai habitado
Vli.\lli a oraso ou dinheiro com descont.
NOVO THERMOMETRO
PJ5SDSCO de LON BLOCH
1 O MAIS 8EN8IVEL HE TODOS OS SYSTEMAS COMHECID
Todoo .
i lostramciiitos I
Mlgnatara :
G&nfh**^^ 9
PARS, 2, roa di l'Entreptt. 2, PARS
i BmiANOKIRu, KM TOD1
1
PRlNCIriES CASIS.
5r>. Compra-te
ria David.
ratacoe vefhos
na ra do Cabug n. 14, relojo*
Noivos
OBazar do Recife. ra arqnez de Olino
n. 11, recebeu grandes e bonitos espelhos pan
ornamentos de salas denuivados, a prco s-n
competencia.: no Bazar do Kecite de Domingo
M. Martin
Cosiiibeira
Precisase de urna ama para cozinhar,
,no 3." andar do predio n. 42 da ra Du-
que de Casias, por cima da typographia
do Diario.
Para cuidar de enancas
Na ra da Aurora n. 133, precisa-se de duas
amas para cuidar de cnangaB e mais servigos de
casa de familia, paga se bem. _______
H
ai-
pa
Caixeiro
Precisa se de um caixeiro com pratica e ba-
bilitHcao, para urna casa qut vende em greso,
dando fiador de sua conducta ; a tratar a'ftN
Vidal de Negreirot n.|156
Compra se urna casa de 3 a 5 quartos, dealre
da cidade ou arr; baldes ; a tratar na ra Barac
da Victoria n. 15, loja._________________
Casa emOlinda
Cede ?c a quem precisar de banbos salgados,
urna casa na praia de S. Francisco, perto do
mar a casa tem cimroodos para grande fami-
lia ; a tratar no escriptori) do Ditirio.________
2. andar para alugar
Aluga-sc o segund andar do predk
q. 4 da ra do Vigario Thenorio a tra-
clar no pavimento terreo da mesmo,
Cozinheira
Compra se urna harpa com movimiento e en
bom estad' : na ra Ni va n. 13.
Precisa se de urna boa tusinbeira para fam>
lia que esta temporariamente em Casanga;
trata no esc iptono da companhia de bonds
Patacoes
Comprase pataroes e outras moedas de pia-
la ; no arroazem a ra do Commercio n. i.
TINTURARA
211- -Boa de Mattiias dAlboquerque, ulica tudas Flores23
Tinge e hmpa com a maior perteigao toda a quahdade de estofo e fazendas em
pecas ou em obras, chapeos de feltros ou de palha, tira o mofo de fazendas: todo
trabalho feito por meio de machinismo aperfei$oado, at hoje conhecido.
Tintura preta as tercas e sextaa-feira, tinta de cores e lavagem todos oa das.
de
POR MSJO 00 BMI'HG i DOS
Elixir, ^ e ^sw&tst d-eo^tifricsi^s
RR. PP. BENEDICTINOS
da. ABBADIA r>s "SOT_JT_.A.O (Gieonde)
DOM MAGCIELOKNE, PWiOR
I IVIedallias de Ouro : BE.UXELLA3 1880
AS UAie D18T1270TA8 BBOOltPENBAe
I1VVEWTADO *-m~^- peuo prior
L0NDR33 1884
NO ANNO
Fierre BOUR6A.TJO
O uso quotidiano do Elixir Dentifricio dos RR PP. Benedictinos, com dose
de algumas gottas com agua, prevem e cura a carie dos denles, embranquece-os,
fortalecendo e tornando as gengivas perfaitameute sadias.
Prestamos um verdadeiro servico, assignalando aos nossos leitcre^ esleantigo e
utilissimo preparado, o melhor curativo e o nnlco preservativo contra as
Affeccoea dentarias.
aLIXS : ".'56. 5' l', 14'. IV. i l'I5, J'5, 3He. r SHA : 1'7S, V;S.
Agente geral : SEOUI3V, BORDEAUX
Aoba-se em todas as Perf.imarias, Plutrinacia* e Drogaras acreditadas do mundo intelro.
VINH0DEEXTRACT0DEFGAD0pEBAp3f
Vande-se
em t&Us priidjaes FbT-naola
t Drogaras.
K tSSS
Bcpooitc j-'-ral
:.*.ti-3e.Ti3
91, &Bbourt Uentmar ,:, 2i
Alugam se a casas n. 8 ra da Unio e n
4 ra Condo' da Ria-Viata; acatar com os
Srs. Negxeiros, praca da Indepeniencia.
Klo ha aennum remedio mais efSeat tiara a
enra e preservado das enfermedades do ligad,
hepatites dos paizes quentes, apteem ou hypocoa-
dria, clicas biliosas, que as
Perolas de DmsB i Dr QertaB
(Ether therebinthinado;
Segundo os testemunhos dos mdicos malf
lllustres.
O Ether therebinthinado tem a indiscutavm
propriedade de acalmar a atrase clicas e m
vmitos que Uto frequentemente acompanham at.#*f>
culos biliarios e certas neuralgias hepat^ma^H
(TrouBsean).
< Este antgo remedio de Durande, que teflfjfro-
mettido dissolver os clculos biliarios, tem caW^rM
tua prometa, posso afjirmairo (Frofasw B*>
ebard).
Dotes : As perolas de Durande do Dr Cleisaa
preacrevem-Be em numero de 6 a 10 por di*, Ai
preferencia hora da refeicSes ou com asa
chicara de caldo, tisana, etc.
abr.: Casa L. Frere, 19, ra Jacob, Paris.
>txefro

Predta -i- ;.- n caixeiro un platica da li
vero.'. 12 a '4 :!>: o que ae fiador de N
i con. ..i; na ru Vioonde de Goyanoa n. 7A
!
O VINHO de Extracto de Figado de Bacalhao, preparado pelo Snr. GHEVRIER, PharmafeHfo d ciasse,
em Paris, psff ao mesmo tempo os principios actives do Olee do Pifado de Bacalhao s ns ppoprtedftdeH t.!in a| euricaa dos
preparados aicoolcos. E' precioso para as pessoas cujo estomago t&o pode supportar as sustetaneiaa gmafl O seu eTeito,
-joej o do Oleo do Pi?*do de roalliftO, soberano contra as Escrfulas, Racbicismo, Anemia, Ghlorose
Bronchite s tod:3 r.s M-oIostias do Peito.
Sitio
VI NHOde EXTRACTO de FIGADOoE
Denoslto geraV ;
PARIZ
21, Faubourg MontmartrBy 21
tifie "A'nrmaclii i
C IX*:.' .av .
Alnsa-f-p ou wniie se um sitio no Poco da
Panella. jaolo a.ca*- do >r Loun- -tj, todo mu-
rado o >'OD tw-ian < f ''ira'- dando fm
boa casa com <;>usnoo* para trvnde fan
qnartos indepe d-nies par. ciiados, coch
I boa agua, perto d>s b.mhus ; quero preten
I dinja-se so caes da Companhia PernambucSaa
o 4, arn azem ______
r*r nte
Precifa se de perfeitas costureir."-?, pagas
b"m ; na ra Barao da Victori; n. 15, primeir'
andar.
A CREOSOTE de FAIA suspende o trabalho destruidor da Tsica piiltnvnnr, porquo <1i!>:: .-.!- a exneetor_#r
dewparte o aottetite, fea cessar a febre, supprime os suoreg. Os seus offeiLos combinados com os do.0l50.de femado a.Sacal_aO-
f_7/-m Ar, ^nrwwn *_. i_rt:vut_to da Ficrado de Hacalnao Greo*oia*.i^ _s _H^':."_T__rw o remedio por
(azem do VI-HO d* ___-_cto de Figado de Bacalkaa Crecsoia^o.
OHCsUenoia contra a TI&EA declarada ou komiiiaite.
**c
____.
AzuUjcs
Com lindispiroas cores e desenos variadsi-
mos, encentra se para vender um grande sorti-
mento de*se artigo: proprio9 para frente de ca-
sa, corredores, cosinbas e banbeiro?; por pre-
go8 3em competenc a na ra do Visconde de
Goyanna n 45.
IH

'





i
i
1

,
L
i
L
i.
a


' ni 1 iv !
--- -*-"

T X
tni inr wpi. ,B||P
\.


8
Diario ue IVrnaratmco-SexIa-feira 7 de Fevereiro de 1890
I
-


..
-.
I
i

-i
-
->
-i
Presido vicia ifcr:
Appro7o pslt Ilustrada cata de
HygisM PnWier. da Cent.
Auctorisado por Decreto Imperial
de 2o de Junho de 1883.
COMPOSICAO
de
Firmino Candido de Figueireoo.
Empregado com a maior eBicacia no
rhtumatismo de qualquer natureza,
em todas as molestias da fe/le, as
" Uuccrrlu'as ou flores brancas, nos
soffriir.ent') occasionados pela impureza
Jo sangue, e finalmente as differentes
formas da syphilis.
Dse Nos primeiros eis das urna
colher das de cha pela inanlia e outra
noite, puramente ou diluida em agua
e em seguida mudar-se-ha para colhc-
res das de sopa para os adu',t->s e rae-
tade para as crianzas.
Rgimen Os doentes devem al>-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
duroso; devem usar dos banhos frios ou 1
momos, segundo o estado da molestia. .
If-
i-
ESPOSITO CSNTBaX ;
Francisco Manuel da Silva & C. >
23 Ra Marques de Olinda f-
Pemambuco I
Y
jry-.jr^V*4-^+V+4-^_^^^
YENDAS
Carnaval
0 Baza- do Recife, ra Mrquez de Olinda n.
(i, recbeu grande sortimerj lo de mascaras de
todas a> qualidades vende-se em grande^ e
pequeas quanlidad^s a precos muito razoaveis:
na afamada lojade miudezas Bazar do Recift, d-
Domingo M. Martins. ^^ __________
Attencao
Vende-se farello do Rio da Prata, com 4i ki
los, a iiUO ; na ra Mrquez do Herval n. 73.
Paulino
Ra do Imperador n. 28, an-
tigacasa de campos
Tera sempre o io pe rante vinho Palhele ser-
cerveja Paulino Bier e o delicioso vinho Musca
telaos copos. Doce sceo de caj, em calda
estiangeirjs, licor de canella de rlela pimenta
e o grande licor de cervejas ; um completo sor-
timento do que ha de mais lino e puro.________
Tainhas
Vende-se em barris e quarloias, na ra de Pe
dro Aflbnso ns. II e 3. ____________
Cimento
A 5*800 a barrica ; venem Fonseca Irmaos-
Na Equidade
Kua de norias n. 15
Vende se maesas novas para sopa a 320 rs. a
libra man'.eiga ingUza a "t rs. a lata de libra,
e muitas outras mercadorias que se vendem ba
ratissimas, garantindo se ao coisummidoj: que
nejta casa sempre verificar que ba sincendadt
em pesos e medidas, e gneros das melbores
qualidades._______________________
Boa
casa
Vende-se a anliga caixa d'agui, situada na
roa do Pires, esquina i!a ra do Atalbo, muito
apropriada para urna boa casa ; a trat r no es
criplorio dacompanhia do Beberibe._________
Farello superior, 42 kilos
S500 o sacco
Vende se no Largo do Mercado n. 1S.
Boi e carroca
Vende se por barato preco; a tratar ia praca
Mrquez do Herval n. 3, antiga da Concordia.
FOLHETM

ODODEIGSE
POR
:::;;: ::::::
PRIHEIRA PARTE
HERMINA
(Continuacao do n. 28)
VI
t Julga, entSo, e faze o que te aconse-
lhar a consciencia.
t Mas lembra-te de que a mesma mao
implacavel e homicida que deahonrou tua
pobre mai e lhe destruio toda a felicidade,
assassinou depois o hornera a quem ella
adorara e cujo nome tu usas.
Recorda-te finalmente de que houve
um homem que te lancou na orphandde
con taes requintes de urna vinganca sel-
vagem, que todas as torturas que lhe in-
fligisses, nSo bastariam a castgalo.
Esse homem chama-se... o conde de
Colmar.
Adeus, mu filho... adeus, filho do
mee coracSo. .. adeus !.. lembra-te de
que alo para ti o meu ultimo beijo e o
raen ultimo pensamento
A. B.
Temos um veho crime impune, disse
o inspector susoando. Mais Urde trata-
remos Bato. <$*nto ao Sr. de Colmar,
parece-me um patife que passafria m mo
quarto de hora se eu o apanhasse.
O Sr. Diniz leu anda cinco ou seis car
tas sem importancia, duas das qtiae> as-
signadna Paulo Lur.di.
Metteu urna destas na sua carteira e
emaacoi de novo o resto com todo o coi-
dado.
Para engenhs
Lopes & Araujo, venden
a presos sem competencia
garantindo a boa qualidade.
os artigos abaixo mencio-
nados.
Gal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Potassia da Russia em caixar
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttand.
Graxa em bexigas.
Roa do Livramento n. 38
Telephone 316
as Lislras zoes
A (brande Novidade
PARA MODISTA
WA\E il l\* AMERICANOS
Com molas para augmentar ou diminuir a
grussura do corpo.
Qualquer senhora a agr ou gorda pode fa-
zer seus vestidos sem necessidade dt
provar.
Fecha-se como qualquer chapeo de sol.
PlftO 1*000
Mosquiteiros Americanos
Com armaco de differentes lmannos.
a 10*000e itOOO
Estantes para Msica
Para amadores ou profissionaes; fecha-se e
fica de tamanho de urna flauta ; muito
fcil para condcelo.
_______ggggg 5*000
Celluloid
Colarinhos Peitos e Punhos
Lindos modelos, muito til aos viajantes
Precos S#OOQ temo
Rdogios Espertadores
om movimento, e figures muito lindas para
mesas ou para presentes a 60000, 8(5000,
100000._______________________
Oleados para Mesas
Quadrados ou de qualquer tamanho que
se deseje.
AJtOO cada quanlrdo
Retratos a Oleo
Com lindas molduras em alto relevo, o que
ha de mais lindo para um presente e
para sala de visitas.
a SoAOOO e mai* preco*
Qua'quer familia que desejar ter um lin-
do e perfeito retrato bastante mandar
um retrato em carto de visita no im-
porta que seja antigo, basta dizer a cor
dos olhos e do cabello para chegar um
retrato desejado.
Para ver, e fazer encommendas
Dirija se Loja das Listas Azues
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Leite puro
Na estrada de Joo Fraandes Vieira, sitio ic
o depois da3 casas novas da direita, vende-s
todos os dl.'s leite puro de vaccas tourinas t
erra, garante- se a qualidade do leite.
Rudimentos de grammatica
ingleza pelo Dr. Barros
Sobrinho
A' venda, na praca da Independencia n. 2i, e
em todis as livrarias, menos na da ra do Im-
perador n. 46.
Especialidades
PASTILHAS HTC1ENICAS PARA
AC ENDER 0 F0G0, supprimiu-
do o immondo kerosene e dan-
do n'um instante um fogo inten-
so, a caixa com 20 pastihas 100 rs
OLEOGRAPUIAS : Io. A importan-
te obra pnma de Victor Meirel-
le : A Primeira Missa no Bra-
zil, grande quadro histrico da
desroberta do Brazil, medindo99
X 76 centimttros de valor real de
15 ponco3 ejemplares) 6000
2 SCENAS DE CORRIDAS, qna-
dros de cavallos admiravelmente
desenliados e proprios para sa-
las. 26 diferentes, um 1^000
3 RETRATO DE SADI CARNOT,
presidente da repblica france-
sa, o melhor ainda publicado 1*000
CAMISAS DE FLANELLA para ho-
mens, urna de 2# a 54000
PERFUMARAS, artigos para presentes. Quadros
e albuns para retratos. Carteiras para cigar-
ros e charutos. Cigarreiras e charuteiras de
mbar e espuma verdadeiros. Bengalas. Pa
Beluiia. Lencos de linbo a 44500 a duzia.
eias. Espartilhos. Leques. Bonecas e bro-
quedos diversos! Fitas. Bordados. Luvas de
seda pretas e de cores e outros mnitos artigos
de miodezas.
Main barato do que em outra qual-
quer parte
NA
Rainha das Flores
Ra do Ba rito da Victoria n. 4 1
A correspondencia de Brancaa aman-
te de Natty, compunaa-se de um certo nu-
mero de cartas do Sr. Moulic, urna de lias
agradecendo-lhe, bem como a Linden, os
servicos que lhe haviam prestado e outras
manifestando lhe o desejo de se juntar com
elles, habitando a mesma casa.
Tinham todas de quinze a dezoito me-
zes de escripias
Alm disso havia tres ou quatro buhe
tes de Irma Chapuia, costureira da du
queza de Reynold, e em que se tratava de
Herminia, e dous car.o s da propria me-
nina Herminia.
as costas de um delles escrevera ella
a lapis :
t Pego menina Branca que se n3o es-
queja de trazer os chapeos na segunda-
fe ira de man ha.
E n'outro:
c Se puder ser lhe til para alguma cou-
sa, cont a menina Branca com a minha
sincera sympathia.
A duquezinha, murmurou o Sr. Di
hz, conhecia sem duvida Branca e Natty
por intermedio de Paulo Lundi, ou entSo
conhecia este por influencia daquelles ; ve-
remos isso.
Depois guardou tambem na sua carteira
um dos cartes de Herminia.
Tinha acabado de por em ordem todos
os papis, quando o seu continuo entrouno
gabinete e lhe entregou urna pequea ma-
la, um guarda p e urna pequea caixa
sidamente atada, dizendo-lhe :
Est l fra um mogo de fretes, qu-j
diz que o senhor o espera.
Bem, j sei. Que espere um pouco.
O inspector abri vivamente a caixa e
tirou dola um bilheto assignado por Le
rat e coneebido nos segumtes'termos:
O mancebo est gravemente, mas nSo
mortalmente ferido. Vai elle memorando,
grabas sua solida constituicSo.
O assassino, provavelmente, est per-
dido ; no emtanto, n2o se desespera de o
tazer voltar a si, o que calvez nao se con
siga antes de tres ou quatro dias.
Ah v2o todos os objectos pertencen-
tes ao terido e que o escrivSo me entra
goou. 1
Etssee objectos eram : um livro de ne-
tas, um porte-monnaie contando cento e
sessenta trancos, um caivete e um relo-
gio de prata com cadeia de onro.
Na carteira achou o Sr. Diniz um re-
trato a aquarella, una maravilha de deae-
Boyal Bleod marca VIADO
Este excellente Whisky Escocez pre
fervel ao cognac ou agurdente de cana
para fortificar o oorpo.
Vende-Be a retalno nos melbores arma-
zens de molhados.
Pede Rojal Blead marca Tlado,
cujo nome e emblema sSo registrados pan
todo Brazil.
_________ BROWNS & C, agentes.
Pao centeio
Mello & Biset tendo recebido nova rcmessa de
farinba centeio, avisa aos seus fregnezes que
continuara a fabricar este delicioso pao centeio
todas as tercas e sexlas-feiras ; na ra larga do
Rosario n. 40 _______._______^_^^_^__
Vinho puro de Santarem
Ba quinta do Barra!
Os proprietarios do Armazem Central, rui-
do Cubug n. 11, avisam aos seus distinctos fre
gaezes e ao respeitavel publico que receberaa
nova remessa deste especial vinho, o qual s<
recommenda por ser puro da uva, e s se reta
Iha em eu armazem.
Joaquim ChristovSo 4 C.
Telephono 447
Livraria Contempora
nea
Inntriinientoi* de Btnslea
BomDardao. bombardino, barytono, tromp
trombone, helicn, saxaphone. carrilon, bonV.
caixa, pratos.clarinitas. flautas.rabecas, violcV
realejos, caixas de msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de salas, qnartos, gabinetes, corred
res.
Molduras
dourad s, pretas e douradas para quadros.
Malas
para viaeem, diversos formatos, especialmeu1
para roupa de senbon e camarote.
Novidades
para presentes, escriptorio, toucador, etc., etc
RAMraO M. COSTA & C.
Una Piimriro de H*r(* 9
PI4NO
Vende-se um ptimo pia-
no, quasi novo, do autor Fe-
lippe Henrique Herv; a tra-
tar na ra da Imperatriz n.
7, loja de piano.
otecuum
MOHUIS. _________
P*^ OLERY VMde-M en toda a irU
nho e de colorido, que o fez soltar um
grito de espanto.
A menina de Reynold exclamou
elle.
E era com effeito Herminia, extraordi
nanamente parecida e adoravelmente bo
nita com os seus cabellos louros, o seu
sorriso anglico e os seus olhos azues.
Dar-se-ha caso, murmurou o polica,
que o ferido seja...
Tirou duas cartas do livro.
Ambas estavam sobrescriptadas assim :
c Sr. Paulo Lundi, 10, ra de Flora,
no Mans.
Diabo! ponderou o Sr. Diniz ;' elle
efectivamente.
E abri a primeira carta, que era de
Natty Linden :
t Meu caro Paulo.
D treguas por um da aos teus poe
ticos amores, e vem desesnear no seio da
nossa boa amizade.
< Esperamos te, meia noite em ponto,
no restaurante Magny, sala n. 5, em a
noite de 22 de Dezembro Nao faltes,
porque nenhum d: nos te perdoaria.
Isto complicase, disse o polica es-
tupefacto, ambos amigos ntimos e ambos
atacados ao mesmo tempo. E depois, co-
mo que, sendo esperado na ra Contres-
carpe, este pobre diabo foi deixar-se apu-
nhalar na ra Ebl ?
O Sr. Dinis morda os labios de impa-
ciencia, quando, ao abrir a segunda carta,
exclamou sobresaltado : -
Eureka!
Era urna pequea folha de papel de
iinho com um monogramma composto de
um 11. e um R ; nessa folha, em calligra
phia aristocrtica e fina, liam-se as se-
guintes palavras :
c Meu caro Sr. Paulo.
c Ameaca-nos um grande perigo. Ve
nha depressa, e dir-lhe-hei tudo ; s o se-
nhor poder salvar-me. A nossa vida de-
pende talvez desta entrevista.
Espero o amanh", meia noite e meia
hora, esquina da ra Ebl, junto ao bou-
levard.
Deve estranhar este meu convite, mas
pcco-lhe que nlo me condemne antes de
ouvr me.
Hertntnia.
^ue diabo resmungou o inspector
sorrindo. Comeco a perder-rae no meio
de tantas cousas.
Para engenhos
GUIMARES & VA LENTE, parteci-
pam aos seus freguezes e IIIms. Srs. de
engenho que, como sempre, tm grande
deposito dos artigos abaixo mencionados,
garantindo tudo de primeira qualidade t
presos sem competencia a saber
Cal nova de isba,
Dita de Jaguaribe.
Cimento portland.
Oleo de mocot.
leos americanos
especiaes para machinismos.
Azeite de coco,
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em lata.
(5 gal3es.)
Kerozene inexplosivel.
Graxa em bexigas.
Gaxeta de linho.
Potassa do Russia.
(em caixas, barriquinhas, latas grandes
e pequeas.)
Formicida Capanema.
6--Corpo-Santo6
ttenco
3
Para oa docnim. ow de aade e prin-
cipalmente as rrianra
D. Jeronyma Cousseiro participa aos seus nu
meroso.' freguezes e ao publico em geral, que ja
se acba expesta venda as suas bem conbecids
fculas de araruta e matarana por ella prepara
das, da nova safra do auno prximo passado, nos
seguiutes estabelecimentos dos cidadaos :
Va-concellos & Sobrinho, ma da Aurora n. 81.
Moreira Ribeiro & C. ra da Imperatriz n. 2.
Paulo Jos Alves & C, ra Barao da Victoria
numero 60.
Zeferino Valente & C, caes 22 de Novembro
numero 44.
A. M. Veras A C ra Buque de Caxias n. 37,
pharmacia americana.
Pereira da Silva Lisboa, ra do Imperador
numero 14.
Manoel Jos Vieira & C, ra larga do Rosario
numero 14.
Botelho Rezende & Filho, ra da Bora (Espi-
nbeirO).
Bom emprego de ca-
pital
Vende-se a casa da ra do Padre Floriano n.
41, com outra annexa ra do Capitao Henri
que. a 1.a com taverna na esquina, e a 2.a para
morada, tendo quintal e cacimba ; rendem am-
bas 3005000 ananaes, e sao o florecidas pe
3:500/000, e talvez se.acceite ainda menos : a
tratar com o corretor OUveira Rodrigues na
praca do Commercio, ou na ra Mrquez do Her-
val n. 122._________
Gereaes por pre^
commodo
tomo aejam : milliu, feijau e fKvait
Neves Pedrosa & C. teem para vender a rea-
II.j ou em porc&o os artigos cima, ra da Pe
nba n. 33, assim como tambem vendem farello
de 43 kilos a saccr. por 2/500
Para cobranzas
Urna pessoa habilitada e que d garantas, se
offerece para fazer cohrangas de alaguis e ou-
tras quaesquer; quem pretender procure no
escriptorio do Diarto, que se dir, quem .
Taverna
Vende-se urna taverna bem localisada na fre-
guesa de Janto Antonio, propria para princi-
piante por ter poneos fundos ; para informacoes,
na ra do Fogo n. 18.
E accrescentou, de sbito :
Mas, realmente, que significa esta
nova embrulhada? Porque que Her-
mina de Reynold apraza urna entrevista a
este rapas para a meia noite e meia ho-
ra, e sabe de :asa s duas hora da tarde!
Onde estove ella naquelle intervallo, e
por que nSo comparecen no sitio e hora
que marcou ? Vejamos de novo... E' isto,
nSo me enganei; aqu est bem claro :
amanbS, meia noite o meia hora, e a
marca do correio de 23 de Dezembro.
Que diablico logogrypho esto 1
Sr. Diniz, interrompeu de novo o
continuo entreabrindo a porta, o homem
que est espera, insiste em fallar-lhe ;
diz que vem da avenida Breteuil.
J! exclamou o Sr. Diniz, levantan-
do a cabeca; manda entrar, Simo.
O moco de fretes entrn.
-- J encontrou o trem 1743? pergun-
tou o inspector com vivacidade.
Sim, senhor.
E ento?...
O cocheiro diz ter conduzido a tal
senhora ra Girardon 12, urna porta de
jardim, onde alguem a esperava.
E ella ficou l ?
O cocheiro jantou mesmo em frente
e nSo a vio salar.
Muito bem. Quantos homens em
pregou ueste aervico?
Dous, apenas ; por acaso passei logo
depr>8 ao caes d'Orsay, onde estacionava
o n. 1743.
Aqui tem cincoenta francos ; estou
satisfeito com o seu servico.
O moco cumprimentou, [e o Sr. Diniz,
mettendo na gaveta tudo quanto Lerat Ine
mandara, tocou a empainha.
Sim3o, disse elle ao continuo^que
appareceu, diga a Luxeuil e Renard que
venham j ter commigo.
Dez minutos depois, o Sr. Dinis salta-
va com es seus dous agentes para o coup
de JoSo Brunet, gritando lhe :
Ra Girardon, Montmartre A ga-
lope !
JoSo Brunet excitbu valentemente o seu;
cavallo, e d'ih a vinte minutos o coup
chegava entrada da ra Fontane do
But.
Namos, Sultn! E' preciso galgar
isto. .. grtava o cocheiro que, como ver-
dadeiro filho de Pariz, torneara a grande
ladeira da roa des Sales.
A FLORIDA
Fitas lavradas com um palmo de larg
ra a 20000 o metro.
Papel de arroz de todas as cores.
Chapelinas modernas a 550O0.
Rendas hespanholas de todas as odttB
pretas com c sem vidrilhos.
Lindas guanicSes de vidrilhos pretos par a
casaco.
Grande sortimento de gules, pahuas e
rozas de vidrilho preto.
Bicos matisados de urna s cor como se-
am, granad, azul, rosa, beije, palha, chum-
oo, salmn, terracote e muitas outras cores.
Sabonetes perfumados a 500 rs. a du .*
Lindos desenhos para talagar^a.
Lencos de seda a 500 rs.
Bicos de seda e de algodao com e sem
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodao.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 30000 e 4000
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 50f.
600 e 800rs.|apeca,
dem com 3 e 1[2 metros, de qua'quer
argura a 10200.
Lencos de linho em caixinhas a 30OOC a
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Finas pulseiras americanas a 40, Si e
80000 o par.
Cortinados todos de crochel para cama a
120000, 170000 e 190000 o par, algc ns
de cores.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiraa a 800 e
10000.
Ditos para sof a 20000.
Capellaa com veo para noiva a 60OO e
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 100 e
120000.
Toucas de setim para baptisado a 30, 4 e
50000.
Gnnaldas e ramos de seda, o que ha de"
melhor.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 20 par
Ditas de seda para creanca a 10000.
Dita para moca a 10500 o par.
Espartilhos para creanca a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50000 e
60000.
Linha de machina a 60 rs. o carritel.
Linha de machina a 600 rs. a duzia.
Albuns de pe Hacia de diversas cores.
Livros de missa a 10500, 20000, 20501
30000, e 30000 cada um.
Lindas luvas de seda com salpicos e coc
listas, gosto moderno, a 20500 o paz.
Toalhas para banho a 03OO.
Toalhas para rosto a 300.
Toilhas para mao a 160 rs.
Babadores com inscrijSes e paizagem a
500 rs. e 400000 a duzia.
Espelhos grandes com mulduras finas de
cantos redondos a 40000 e a 60000 urna
Bengalas flauta.
Grande sortimento de luvas de seda arree
dada com palmas canno comprido a
10500, 20000 a 20500.
Ra Duque de Caxias a. 105
Superior vinho de A.1-
cobaa
O acreditado e antigo armazem do Lima par
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
de receber tuna nova remessa deste especial
vinho, e8colhido propriamente pelo chefe desta
casa, tornando-se recommendado por ser purc
e de boa qualidade. Jos Fernandes Lima 4 C.
ra Baro di Victoria numero 3, Telephone323
Engenho venda
Vende se ou permutase o engenho Cumbe de
baixo, nm dos melbores da freguezia le Igua-
rass, com matas e boas trras para safrejar
3,000 pes de assucar, tem estrada de rodagem
para o porto de Itapissuma, Re;ife e Para, moe
co.ii agua de um grande acude ; a tratar em Ja
boatao, Largol3 de Novembro n. 82.
Ao entrar na ra Girardon, inclinou-se
para a portinhola e perguntou :
Que numero, patrSo?
Para! respondeu o Sr. Diniz apean
do se e fazendo signal aos agentes para
que ficassem na carruagem.
A ra Girardon, de ordinario pouco fre-
quentada, esta va naquella occa-.io absolu-
tamente deserta, em consequeucia do ne-
voeiro e da pandega da noite anterior, que
retinham ainda em casa os pacficos habi-
tantes daquelle bairro excntrico.
O inspector examinou attentamente a
porta do jardim, sobre a qual estava gra-
vado o n. 12, e assegurou-se de que a fe-
chadura era vulgar, daquellas que se abrem
fcilmente com urna gazna.
Satisfeito com o seu exame, baten de
rijo.
Ninguem respondeu.
Bateu segunda pancada mais forte, e
depois urna terceira, tSo violenta que fez
estremecer a porta.
Continuavam a nao responder l de den-
tro.
Luxeuil, chamou o Sr. Diniz.
m dos agentes apeou-se do coup.
O que vou faSer nlo tlves muito
legal, murmuravao inspector. Deixal-o!...
Para mandar chamar o commissario nSo
perda menos de urna hora, e quem sabe,
se nesta occasiao, esaa hora nlo vale tanto
como um anno? !.. Luxeuil, accrescen-
tou elle em voz alta, trata-se de abrir esta
porta
Isso urna brincadeirA de cranos !
respondeu o agente oom todo o laconismo,
tirando do bolso urna trramente de serra-
Iheiro.
E, com effeito, em menos de dea se-
gundos a porta gyrava nos gonzos.
Prompto, Sr. Diniz.
Muito bem. Renard fica na carrua-
gem e tu vens eommigo. Voss, cochei-
ro, tem me assim ar de um rapaz forte e
talvez nlo seja de mais c dentro. Venha
tambem comnosco.
Joo Brunet, muito satifeito, saltoa da
almofada e entrou no jardim ee*a e Sr.
Diniz
Caminhando sem ruido at prximo da
casa, o Sr. Diniz deu urna volta roda
della, notou que estava fechada com ex-
traordinario cuidado e convencen-se deque
as duas fachadas lateraes nSo tinham por-
tas.
A parte epposte ae jardim deitava to
Alerta com a Revohicao
roa Duque do Caxias n. 4 8
I E' BARATISSIMO
Sur de linho a 4.0 rs. o corado.
Etamines de todas as cores.a 3CO e 400
rs. o covado.
Leonis com listras de seda a 320 e 400
-rs o covado.
Zephir finos a 120, e 160 e 200 o co-
vado.
Merinos de urna s cor com duas larguras
a 400 o covado.
Oasomira com quadros de seda para ves-
tidos a 10 o covado, fazenda de 20COO.
Ditos com toque de mofo a 800.
Merino setim a 10500.
Organdis muito fina a 80 a pea, fazenda
de 160.
Cortes para vestidos, ultima moda a 70
um.
Ditos bordados a 100000 um.
Ditos bordados brancose creme a 130,14,
e 150 um.
Casacoa de seda francezaa 20 um.
Cort'nados bordados la 60 o par.
Ditos de crochet a 80 100 o par.
Fichs de retroz de prata a 10 um.
Cortes do brim para ca'ca a 10 um.
Luvas de seda a 10 10500 e 20 o par.
Mantelletes de seda pret a 50 e 60 um.
Colchas de todas as cores a 20, 30, 40 e
50 urna.
(-'bertas forradas a 20500 ama.
L >nces de bramante a 10600 um. *
Atoalhado de algodo a 10 o metro.
Dito de linho a 20 e 20500 o metro.
Bramante de 4 larguras a 10, trancado e
liso.
Toillets para baptisados a 80000, 90000
e 100 um.
Bordados e entremeios a 700 rs. a peca.
Sargelim de todas as cSres a 200 rs. o
covado.
Toalhas felpudas a 30, 40, 50 e 60 a du-
zia.
Pannos da '"osta para mesa a 10200 o co-
vado.
Madapolao americano a 60 a peca com 24
jardas.
Casemira de todas as cores para cos ti-
mes, a escolher, a 20 o covado.
Cortes de casemira de 30500 a 70 um.
Camisas de meia a 10 urna
Ditas de linho e algodao a 20; com colla-
rn ho.
Toalhas para crianca a 120 e 160 urna.
FustSo de c6res para costumee a 500 o co-
vado.
Pannos de crochet para cadeiras a 500 rs.
um.
Ceroulas francezas, a 10000 urna.
Atoalhado de linho com toque de mofo a
20400 o metro.
Dito de algodao a 10200.
Algodao trancado para toalha a 10OCO o
metro.
Espartilhos couraca a 40000, 50000 e 60.
Lencos de algodao brancos com barra a
10200 a duzia.
Lencos de linho a 20500, e 30 a duzia.
Nansuk fina a 120,160, 200 e 240 rs. o
covado.
Chitas brancas e de cores a 200 e 240 e
covado.
Organdis de 800 a 400 rs. o covado.
Setineta lisa de todas as cores a 240 rs. o
covado.
Cortes de fustao para collete a 500 rs.
um.
Ricos cortes de vesidos de 6Ct por 250 e
300, pretos e de cOr?s.
Costumes de Jersey para criancaa a 70
um.
E muitos artigos de molla e phantaaia,
que s cem a vista, assim como em sus
officina de alfa;ate preparase qualquer
costume em 24 horas e por preco sem com-
petencia.
Na Revolado
HENRIQUE DA SILVA MOREPiA
No povoado da Torre
Vende-se urna casa neste povoado, de peone
cal, ra do Bom Gosto ; a tratar na ra do Im-
perador n. 4$, loja de bahus do Sr. Guima-
rSes.
if
bre urna pequea horta, que a chuva en-
chera de poyas e barrancos.
horta, como todo o recinto, terminara
por um muro elevado, ao qual se encosUr
va um alpendre de madeira, em ruinas,
que devia servir para guardar a ferramen-
ta do jardineiro.
O Sr. Diniz chamou Luxeuil com a
mao.
Vais repetir, sem fazer bulha, a mes-
ma operaco de ainda agora, disse elle ae
agente; depois, ficas aqui porta olhande
direita e esquerda ; a rectaguarda nSe
precisa ser vigiada porque nao ha por all
sahida possivel. Caso um ou mais ho-
mens queiram fugir, tu deves prendel-os,
s se for preciso atia sobre ellles. Ests
armado ?
O agente mostrou o seu revolver.
E voss, cocheiro, visto que tem boa
pulso, venha commigo,
S o que lhe digo, patrSo, que a
apanho algum, fica-me as unhas.
Vamos, Luxeuil, concluio o inspee'
tor.
O agente deu nova mostra da sua habi-
lidade abrindo esta segunda porta come
abrir a primeira.
O Sr. Diniz, seguido por JoSo Brunet,
entrou no vestbulo.
O inspector comprehendeu logo pri-
meira viste que as paredes e o tecto eram
acolchoados.
Ola disse elle com os seus botdea.
Voltmos entSo aos ninhos de amor de
tempo da Regencia ?
Approximou-se cautelosamente de urna
das portas e collocou o ouvido ao ponto de
junccSu do batente com a hombreira.
Nadal
Atravessou o vestbulo e repetio do lade
opposto a mesma experiencia.
Mas, apenas encostou a cabeca na por-
ta, poreceu-lhe ouvir ao longe um grite
dilacerante.
Concentrou todas as suas faculdades au-
ditivas naquelle pequeo intersticio por
onde o grito lhe chegara aos ouvidos.
Houve um profundo silencio de momea*
tos ; depois o Sr. Diniz ouvio distincta-
mente estes palavras:
Soccorro !... Soccorro 1...
fira verdaderamente aflictiva a vos i
quem assim bradava.
(Continuar se-ha)
Tj> te mane roa lo Dufue de caxias *. 1

-


V