Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18776

Full Text
ANNO LXVF-- NUMERO 30

QUKTA-FEIRA 6 VE FEVEREIRO I 1890
I


DIARIO DE PERNAMBUCO
Propriedade de Manoel Figueira de Faria efe
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE

Por tres mezes adiantados.
Por seis ditos idem. ...*..
Por um anuo dem......
Cada numero avulso, do mesmo dia.
6J000
12^000
23?000
6100
Os Srs. Amede Pxince & C.
de Pars, sao os nossos agentes ex-
clusivos de annuDcios e publca-
les na Franca e Inglaterra.
Filhos
PARA DENTRO E FORADO ESTADO/* .
Por seis mezes adiantados.
Por nove ditos idem. .
Por um anno idem. .
Cada numero avulso, de das anteriores.

13,5500
206000
260000
0100
TELEGRAMAS
MB7I33 mmiLZ 20 2IASID
RIO da JANEIRO, 5 de Fevereiro, a
3 horas e 30 minutos da tarde.
Foi n orne ido contador da Thesouraria
de Fazenda do Estado de Pernambuco Ar
chanjo Abrantes.
Confirmam-se as noticias honten
mandadas por consta, com as seguintes
aiterac3es :
O engenheiro fiscal da ferro-via do Re-
cie ao S. Francisco, o engenheiro FeJp
pe de Figueira Faria, e o da do Recite ao
Limoeiro o engenheiro Paulo Jos de Qli-
Severj volleaodo
As azas deaegridai, nao Ibe pinta
nublado futuro era ne?ra tinta
D males mil o bando,
Qie de*e>pectro3 cingindoa vil figura,
Do sab tnroam a morada dura.
Eu vejo amolle somao sussurrando
Dos olho3 pendprar-s
Do frenxo caraiba qtre'encostando
Os membros sobre a relva, sem turvarse,
O sol v levaotar-se,
E as onaas, de Tnetfs entre os bracos, ,.
Entregar-se de amor aos doces lagos.
O' razo, onde habitas ?... na morada
Docrime turnia,
Paluda, mas cruel paramentada
i om as rounas do vicio ; on na ditosa
Cabana virtuosa
Do selvagem grosseiro ?. Dize -. aonde ?
Eu te chamo, philosopho t responde.
CContma) *
Tetra.
O governo do Mxico reconheceu a
Repblica dos Estados Unidos do Brazil.


"
:savi;:: a&esgia svas
HAYA, 4 de Fevereiro, tarde.
O ministerio neerlandez pedio a sua de-
missao collectiva.
PARS, 4 de Fevereiro, i tarde.
Corre o boato de que o Sr. Constans
ministro do interior, ser nomeado gover-
nador geral da Argelia.
MADRID, 5 de Fevereiro, pela manhS.
Acaba de fallecer de urna congestSo ce-
rebial o Duque de Montpensier.
VIENNA, 5 de Fevereiro, pela manhl.
Consta que o governo blgaro desco-
brio urna trama contra a segoridade do Es-
tado e j foram efectuadas diversas pri-
s8es.
Agencia Havas, filia! em Pernambuco,
5 de Fevereiro de 1890.
-aa
IHSTROCqO POPPLAR
i litts?.t:ba SSAZZLSIBA

NOS
-
1'
t


*
'.
vV
TKMPUS UOLONIABS
POB
A Ll Iterwt ura Braillelra do fcnlo
XVI ao comeco do XIX
BSBOgO HISTRICO
VI
(CoatinuacSo)
Dos ceus desee brilhando
A altiva independencia, a cujo lado
Ergue a razo o scep.ro sublimado ;
Eu a onco dictando
Versos jamis ouvidos : reis da trra,
Tremei a vista do que all se encerra.
Que monto de cadeias vejo aleadas
Com o nome brilhante
De leis, ao bem dos borneas consagradas t
A natureza simples e constante,
Com penna de diamante,
Em breves regras escreveu no peito
Dos humanos as leis, que lhes tem feito.
O teu firme alicerce eu nao pretendo
Sociedade santa,
Indiscreto abalar; sobre o tremendo
Altar do cclvo tempo,' se levanta
Urna voz que espanta,
E apouta o denso veu da antigoidade,
Que luz esconde a tua longa idade.
Da dr o austero braco
Simo no afilete peito carregaa-me,
E as trmulas entranbas apertar-me.
Ob ceus I que immenso espago
Nos separa d'aquelles doces annos
Da vida primitiva dos humanos I
Salve dia feliz, que o loro Apollo
Risonho allumiava,
Quando da natureza sobre o eolio
Sem temor a innocencia repousava,
Do despota ao aceno enfurecido,
Que inda a trra nao tinha conbecido.
Dos frvidos Elhontes debrugado
Nos ares se sus.una.
E contra o lempo de furor armado.
Mete dia alongar por gloria tinha :
Quando nuvem mesquinba
Da desordens seus raios eclipsando,
A noite foi do Averno a fronte aleando.
Sabio do centro escuro
Da trra a de?grenhada enfermidade,
E os bracos com que, unida crueWade,
Se aperta em lago duro,
Estcndendo, as campias vai talando,
E os miseros humanos lacenrando.
Que augusta imagem de explendor sabido
. Ante mim se figura I
Nu ; mas de graca e de valor vestido
6 homem natural nao teme a dora
Feia mo da ventura :
o rosto a liberdade trai pintada
seus serios prazeres rodeada.
Deeponta, ceg amor, as seltas tua :
O paltido ciume,
Uho da ira, com as vozes suas
Jum peito livre nao accende o- lums.
mu vao bramindo espume,
Que elle indo apoz a doce natureza
la faotazia os erros nada presa.
PARTE OFFICIAL
Aetos do poder exeentlvo
DECRETO N. 188, DK 27 DS JANEIRO DE 1890
Fixa a-despeza do ministerio dos negocios do inte-
rior para o exercicio de-J890
O generali8Simo Mauoel oodoro da Fonseca,
chefe do governo provisorio, constituido pelo
exercito e armada em nome da nacao, conside-
rando que, vista das varias moditicaces ulti
mmeme estabelecidas nos diversos ramos do
servico publico a cargo do ministerio dos nego-
cios o aterior, torna-se iodispensavd alterar,
de accordo com taes modicacoes, a tabella ex-
plicativa das despezas do mesmo ministerio para
o exercicio de 1890, decreta:
Art. 1.* A despeza do ministerio dos negocios
do interior, para a qual o art. 2 da le n. 3,397
de 24 de Novembro de 1888 volou no exercicio
de 1889 o crdito de 9.228.321*097, que o decreto
n. 108 de 30 de Dezembro de 1889 mandn vigo-
rar no de 1890, ser, dentro do mesmo crdito,
hxada na quantia de 8.793:394*100, distribuida
pelas seguintes rubricas:
g 1. Subsidio ao chele do Estado 120:000*000
2 Despeza extraordinaria com
o estabelecimento do chefe do _
Estado 60:000*000
1 A. Despeza com o estabele-
cimento dos ministros 21.-000*000
2. B. Secretario geral do con-
seibo de ministros 6:000*000
3. Secretaria do senado 75:400*000
S 4." Secretaria da cmara os
deputados 114:700*000
3. Ajudas de cusi de vinda e
volta ios deputados 45:000*000
6 Secre-ana do Estado 181:460*000
g 7.* Estados confederados 306:040*000
g 8.* Ajudas de custo aos gover-
nadores e secretarios dos Es-
tados 80:000*000
9.o Culto publico 631:910*000
10. Seminarios episcopaes 99.000*000
i 11. Pessoal do eosino das facui-
dades de direito 205.895*000
l^Secretarbs e* bibliothecas r ^
das faculdades de direito 57:964*000
13. Faculdades de medicina,
pessoal do ensino 406:400*000
14. Secretarias, bibliothecas e
laboratorios das faculdades de
medicina 395:223*000
13. Escola Polytechnica, pes-
soal do ensino 200:300*000
16. Secretaria e gabinetes da
Escola Polytechioca 154:206*000
i 17. E-cola de Minas de O uro
Preto 82:800*000
18. Inspectora da instruccao
primaria e secundaria da capi-
tal federal, pessoal e material
da instru cao primaria 720:560*000
$ 19. Pessoal e material do Intr-
nalo do Instituto Nacional 228:130*000
20. Pessoal e material do Ex-
trnate do Instituto Nacional 163:840*000
21. Escola Normal 95:200*000
i 22. Directora geral de estatis-
tica 333:000*000
8 23. Academia das Bellas-Artes 181:360*000
f 24. Instituto Nacional de Mu-
sica 101:320*000
i 23. Instituto dos Meninos C-
gos 131:761*000
26. Instituto dos Surdos mudos 73:949*000
i 27. Asyio de Meninos Desva-
lidos 191:764*000
28. Observatorio do Rio de Ja-
neiro 103:620*000
29. Archivo Publico 34:240*000
30. Bibliotheca Nacional 102:380*000
g 31. Eslabelecimentos subsidia-
do? pelo Estado 140:400*000
S 32. inspectora geral de hy-
giene 543:000*000
S 33. Inspectora geral de sade
dos portos 367:180*000
S 34. Lazaretos e bospitaes ma
minios 46:342*500
| 35. Soccorros pblicos 200:000*000
i 36. Limpeza da cidade e praias
do Rio de Janeiro 631:560*000
8 37. Laboratorio do Estado 50:000*000
g 38. U.-ras 600:000*000
S 39. Eventuaes 300:000*000
Art. 2. Pica revogada a tabella explicativa a
que se refere o citado art. 21 da le n. 3,397 e
substituida pela que vai junta ao presente de
creto.
Sala das sesses do governo provisorio da Re-
pblica dos Estados Unidos do Brazil, 27 de Ja-
neiro de 1890, 2* da llepublica. Manotl Deodoro
da Fonseca.Aristutes da Sveira Lobo.
de cavallariao tenente do 11 Candido Dulcidio
Pereirb alferes do 6 de cavallaria Telemaco
Pedro de Castro Carceler. -v
Para A 14 batalhao de infantaria o alferes do
i\ Urstfllno Augusto Villas Boas.
ParaUbalalho de infantaria o alferes do
33 Arttar Prente da Costa.
Para o 21 o tenente do 34* Valentim Pereira
da Guia fe para o 31 o lente do 26* Joao Can
dido do Aguiliar Bello.
Foram transferidos na arma de infantaria :
Para o {2 batalhao o capito do 34 Joaquim
Machado de Souza, para a 3* companhia; para o
16 batalhao o capito do 32 Sebastiao Goocal
ves du Giste,J>ara a 4a companhia; para o 2o
batai ~ c cpitao do 34" Militao Tliomaz Gon
nhados lhao, o apito dff33 Joaquim Lourengo da Sil-
va Ramos, para a 3a companhia ; para o 32 ba-
talho,.o capito do 16" Francisco de Paula Cas
tro, para a 2* companhia; para ajudante do re
ferilo 31 batalhao, o capito da 2* companhia
do mesmo batalhao Antonio unes de Salles ; pa-
ra o 33 batalhao, o capito do 31 Lourenco da
Suva Ramos, para a 4* companhia; para o 34* o
capito do' 12* Pedro Jos de Lima, para a 2*
companhia; ejiara o 17, o alferes do 35 Artbur
Prente da Costa.
Ministerio da Fazenda
Por titulo de 22 de Janeiro foi nomeado 1
escrjpturario da Thesouraria de Fazenda do Es-
tado de Sergip/) *2 escripturcrio da inesoia re-
partico Josiuo da Soledade Luz.
0 ministerio da fazenda dirigi acs gover
nadores d03 Estados o seguinte aviso circular,
com data de 24 de Janeiro :
< A bem da regularidade da coucessOes de
isenco de direitos de consumo em favor dos ma
tenaes destinados i construejo de obras dein-
teresse municipal, recomtnendo ro a rielobser
vancia-do art. 4 das instrueces de 26 de Abril
de 1887. convindo que a referida isenco nao se-
ja*solicitada a este ministerio por telegraminas,
como s^^n muitas vezes praticado, ma3 por.
materiaeSJicessarios s obras, e com as forma-
lidades estabelecidas as ditas instrueces,
para que possa o thesouro exercer a fiscalisago
que por lei Ine compete. Ruy Barbosa .
!^-
Ministerio da Jnstiea
Ficou sem etfeito o decreto de 18 do correle
pelo qual fe nomeado juiz de direito da contar
ca de Posse, do Estado de Goyaz, o bacbarel Jo-
s Machado Piuheiro Lima.
Fui designada a comarca de Itaparica, de
3' entrancia, no Estado da Babia, para nella ter
exercicio o juiz de direito Firmmo Lopes de
Castro.
Foram norneados juizes de direito da co
marca de osse, de 1* entrela, no Estado de
Goyaz o bacharel Francisco Isidoro de Almeida ;
da de Eutra Ros, de 1 eutrancia, no mesmo
Estado, o bacharel Arlhur d'Avila Rtboucas, e
da de laruiiua, ue 1* eutrancia, ns Estado do
Marauho, o bacbarel Augusto de Mello Rocha.
Fui elevada 3* enirancia acotcarca delta
parica na EsUdo da Babia e creado o lugar de
juiz municipal do termo e marcado o ordenado
de 1:200* anuuaes a promotor publico.
Foi declarada de 1* eutrancia a comarca de
Bnue-Rios uo Esudo de Goyaz, creado o lugar
de juiz municipal e de urphaos do termo e mar-
cado o ordenado de 1:600* annuaes ao promotor
publico.
Fui declarada de Ia entrancia a comarca do
Mirador no estad > do Maranbao, e creado o lu-
gar de juiz municipil do termo e marcado o or
denado de 1:400* annuaes ao promotor pu
buco. ..
Foi elevada a 3' entrancia a comarca ds Ma-
rianaa no Estado de Minas Gtrass.
^Ministerio da Agricultura
Foram transferidos:
O engenheiro ACfonso Carneiro de Olive ira
Soares, do lugar de chefe de seceo da estrada
de ferro de Porto-Alegre a Uraguayana para o de
chefe do trafego ; o engenheiro Henrique Chris-
tino da Silva Guerra, do lugar de chefe do trafe
go para o de chefe de seceo com os vencimen-
tos que lhes competiris.
Ministerio da Snerra
Foram transferidos : para o 9 regiment
^^, Ministerio da Mariana
Ffffeoaieado capito do porto de Sania Catha-
rina, opito-tenente Joo Antonio de Miranda
Nielsen.
Foi exonerado do lugar de capito do por-
to do Estado do Rio Grande do Norte o capitSo-
tenente Floriano da Costa Barreto.
Governo da Provincia -
RELlTOitio eom que o K\m. Sr. conselheiro Manoel Uves
de Araujo entregou a admlnlstracSo da provincia
ao Exm. Sr. Dr. Sigismundo Antonio Concalvs
em 14 de Novembro do 1889.
(Continuacdo)
THESOUBO PROVINCIAL
Eu 27 de Agosto rindo proroguei, por mais tres mezes, a licenca em cujo
goso se acha o bacharel Manoel Otees Viegas, pagador do Thesouro Provincial, nos
termos da lei n. 1,094 de -1$ de Haio deste anno.
Attendendo ao que requereu me o bacharel Oaldino Teizeira Lias de Barros
Loreto, ex terceiro escripturario do Thesouro Provincial, resolvi, por acto de 26 de
Outubro fiado, mandar que o supplicante fosse addido ao dito Thesouro de accordo
com a lei n. 2,057 de 18 do alludido mez.
Em 29 desse mez conced ao 1. escripturario do Thesouro Provincial, Thom
Joaquim do Reg Barros seis mezes de licenca com vencimento na forma da lei,
para tratar de sua sade onde lhe convier.
RECEBEDORIA PROVINCIAL
Em 23 de Agosto findo exonerei, a pedido, do cargiji de 3. escripturario in-
terino da Rerecebedoria Provincial Jos Machado de Oaveira.
A 23 de Setembro conced ao continuo da mesma repartilo, Julio Lumachi
de Hollanda Cavalcante de Albuquerane, dous meses de licenca, com or leado, na
forma da lei, para tratar de" sua sade. ?
Por acto de 2 de Outubro resolvi, de accorda com a lei f. 2.045 de 6 de
Agosto do corrente anno, conceder a Feliciano do Reg Barros Pessoa, aposentacao
no cargo de lancador da Recebedoria Provincial, com a pensio annoal determinada
pelo art. 2. da mesma lei, e nomeei para exeroer o dito cargo o cidadao Manoel
yF8' COLLECTORIAS.
De 26 de julho ultimo at esta data fiz as seguintes nomeacSes :
De ajudantes dos Feitos da Fazenda Provincial nos municipios :
De Iguarass, bacharel Francisco de Carvalho Qoncalves da Rocha ; de
Petrolma, Manoel Francisco de Souaa Jnior ; de Ouricury Joaquim Jos Ribeiro ;
de Salgueiro, Manoel da Cruz de S Roria ; de Tacarat, bacharel Perminio de Araujo
Lima ; de Boa-Vista, Antonio Joaquim dos Santos Mangabeira ; de Cabrob, Cipriano
Gomes de S Quirino ; de Gamelleira Francisco Coelho de Moraes ; de Cimbres,
bacharel Antonio de S Cavalcanti de Albuquerane ; de Salgueiro, Juvencio Vieira de
Sampaio : de SerinhSem Manoel Pereira da Rocha; de Santo AntSo, bacharel Antonio
Cesario Ribeiro; de Bom Jardim, bacharel Jos Climaco do Espirito-Santo e de
Triumpho, JoSo Lopes da Costa.
De collectores provinciaes dos municipios :
De Cimbres, Antonio Valeriano Bezerra Cavalcanti ; de Oravat Francisco
Jos da Siva ; de Taquaretinga, tenente-coronel Landelino Manoel de Azavedo; de
Triumpho JoSo Martina Vieira ; de Correntes, Pompeo Leite de Veras : de Muribeca,
Jos Mara da Cruz; de Aguas Bellas, JoSo Correia Mauricio Lima e de Bom Jardim,
Philomeno Noberto Gomes de Souza.
De escrivSes dos municipios :
De Cimbres, Joao Francisco dos Santos Souza ; de Limoeiro Manoel Germano
de Miranda Satyro; de i tamb, Antonio Florencio Ramos de Azevedo ; de Gravat
Jos Eudoxio Qoncalves ; do Brejo, Galdino Tavares da Souza ; de Ingazeira, Seve-
rino Jos de Caldas ; de Triumpho, Jos Barbosa da Silva; e de Muribeca, Jos
Juliao de Mello.
THESOURARIA DE FAZENDA
Em 10 de Agosto findo conced, em virtude de autorisaco do Exm. Sr. Mi-
nistro da Fazenda, ao 3. escripturario da Thesouraria de Fazenda, Manoel Antonio
Sydnay tres mezes de licenya com ordenado para tratar-se de beriberi fra da
provincia.
A 20 do dito mez conced ao 2. escripturario JoSo de Arroxellas Jayme
Galvao quarenta das de licenca na forma da lei para tratar de sua sade dentro da
provincia. .' -
Por acto de 13 de Setembro conced, em virtude de autonsaao do mesmo
Exm. Sr. Ministro, ao 1. escripturario Lu Emygdio Pinheiro da Cantara tres nezes
de licensa com ordenado na forn* da lei para tratar se de beriberi onde lhe
conviesse
ALFANDE9A .
Em 16 de Setembro conced, de acord com a autorisaco do Eam. Sr. Ministro
da Fazenda, ao 3. escripturario da Alfandega, Ezequiel de Lima e S, tres mezes de
licenca com vencimenfos na forma da lei para tratar-se de beriberi fra da provincia.
Em 25 de Outubro exonerei Francisco Pachaco Soares do cargo de fiel de
armazem da Alfandega e nomeei, para substituil-o, Francisco Pereira Vianna.
IMPOSTO DE 20 RES SOBRE CARGA EM ESTRADAS DE FERRO
Para ser devidamente cobrado o imposto a que se refere o 24, art. l. da le
de reamente n. 2009, exped em 12 de Setembro findo as seguintes instrucsSes.
e 3.a Secyao. Palacio da Presidencia de Pernambuco. Em 12 de Setem-
t bro de 1889. .
O conselheiro presidente da provincia, para regular a arrecadasSo do imposto
decretado do artigo 1 J 24 da lei n, 2009, de 1 de Julho do corrente anno, resolve,
nos termos do 5 4. artigo 24 do Aceto Addicional, expedir as seguintes
INSTRUCCOES
Art 1." O imposto a que se refere o 24, art. 1. da lei de oryamento *.
2009.20 res por volume de carga ou bagagem, trasportada palas -estradas de
ferro, ser arrecadado pelas gerencias das mesmas estradas, exceptuadas as estra-
das de traccao animal somente. -4t .
Art. 2. A cobranca desse imposto effectuar-se- com a do frete relativo aos
c volumes de carg* ou bagagem, despachada em quaesquer eatacSes terminaos ou
t intermediarias das referidas estradas- -**
8 1. A bagagem nao despachada e conduzida livre de frete pelos passa-
geiroeser isenta do imposto que se refere o artigo 1. destas Instrucc8es, do
mesmo modo que a carga conduzida livre de frete pelas referidas estradas.
Art. 3. A carga que por sua natureza nao se poder despachar por volumes,
t como telhas ou tijolos, por ser o respectivo frete regulado por unidades de peso
previamente determinadas as tarifas das mesmas estr. das, pagar o importo de
c conformidade com o numero de taes unidades, ou fracs5es destas, como se tormas-
sem outrus tantos volumes. ..
J 1. O frete de wagons nao obstar a que a cobranca do imposto se realise
por volumes ou unidades de peso,, segundo a natureza da carga.
Art. 4. O producto mesal do imposto ser recolhido ao Thesouro Provin-
cial, at o dia 10 do seguinte mez, acompanhando urna relacSo da bagagem e da
carga transportarla durante o mez, com designaclo do numero de volumes ou de
" unidades de peso relativa a urna e outra cousa.
t Art. 5. As gerencias das estradas de ferro adoptarao o systema que lhes
parecer mais conveniente e fcil para a escripturaclo mensal e annual da cobranca
t do imposto, em livro especial, que ser,pago pelo Thesouro Provincial, -e a elle
recolhido no primeiro mez do seguinte anno financeiro.
1. Pelo servico da cobranga^ de accordo com as presentes instrucj^es e
t ordens do presidente da provincia, perceberao ellas 5 i0 do que arrecadarem em
c cada mez.
Art. 6. A relajo de que trata p artigo 4., ser antes de sua remessa ao
Thesouro, coBltenientemente examinada e vitada, pelo ftagenheiro riscal de comea-
ce do governo geral ou pro^ncfal. *
Art. 7. Fcam revogadas as disposicSes em contrario.
(Assignado ) M. Alves de Araujo.
ELEICES
De conformidade com o art. 24 f 1. do Acto Addicional Constituido Polr
tica do Imperio e a lei provincial n. 1.966, de 12 de Marco ultimo, convoque!, po-
acto de 3 do mez findo, a nova Assembla Provincial para o da 1. de Junho de
1890, e expedi as convenientes ordens as cmaras municipaes para que se proceda
a 12 de Dezembro vindouro a eleiclo de deputados mesma Assembla, que tem de
funecionar no biennio de 1890 a 1891.
E n vista de reelamacSes designei para reuniSo de eleitores os seguintes luga-
res : a capella de Santo Antonio de Bebedouro para- os eleitores do respectivo dis-
tncto de paz; o edificio da Cmara Municipal para os eleitores do 1 districto de
paz de Ipojuca; a capella de Nossa Se ahora da ConceicSo do povoado de Campos
Fros para os eleitores do 2. districto de paz de Agua-Preta; o recinto da igreja de
S. Miguel para os eleitores do povoado da B6a-Viagem, e os do 3. ao 8. quartei-
rao da parochia de Afogados; a escola publica ifegida pelo profesSor Chyistovlo de
Barros Gomes Porto para os eleitores do 3.? e 5." quarteir5es do 2 districto de paz
da mesma parochia de Arogados; a capella do povoado Camboa para os eleitores do
2. districto de Pao d'Alho e a capella de Trsgueiro para reunilo dos eleitores do
districto do mesmo nome.
Em vista de representaco do inspector geral da InstruccSo Publica e dos
motivos expostos pelo iuis de direito do 4. districto criminal em officios de 31 de
Julho, 2 e 5 d Agosto findo, determinei as providencias constantes da seguinte
portara :
4.a aeccSo.Palacio da Presidencia de Pernambuco, em 6 de Agosto de 1889.
i O conselheiro presidente da provincia, attendendo ao que representou o
inspactr geral da" InstrcfSo'-Publica em officio n. 172, de 25 de Julho findo, sobre
a necessidade de ser designado outro edificio para reuniao dos eleitores da 5.a sec$ao
da paroebia do Sstttissimo Sacramento da Boa Vista, em substituicao a casa n. 183
em que outr'ora funecionava a escola publica da ra do Visconde de Albuquerque, e
tendo em visU os orfios de 31 do referido mez e de 2 e 5 do corrente do Dr. juiz
de direito do districto criminal, dos quaes se verifica que, em consequencia da
revisan ltimamente procedida, excede de 250 o numero de eleitores da 7.a scelo
eleitoral da mesma parochia, resolve, de conformidade com o disposto nos art. 94 e
95 do decreto n. 8,213 de 13 de Agosto de 1881, dividir a referida parochia em 7
seceos* para reuniSo e trabalho das assemblas eleitoraes, pela forma seguinte :
t A 1.a scelo, que se reunir no edificio da Assembla Provincial, compor- '
se-ha de todos os eleitores do 2." districto (quarteires 1 a 10) e dos eleitores do 1.
quarteirai do 1. districto.
A 2.a seccio, que se reunir no consistorio da igreja no Rosario', eompY-se-ha
dos eleitores do 2. e 3. quarteiroes do 1. districto.
A 3.a seclo, que se reunir no consistorio da igreja Matriz, compor-se-ha
dos eleitores do 4." ao 8. quarteiroes do mesmo districto.
A 4.a seclo, que se reunir no consistorio da igreja da Santa Cruz, com-
por se ha dos eleiteres do 9. ao 12. quarteiroes do mesmo districto.
A 5.a'eccSo,--e reunir da casa O- 4 da ra LeSo Coroado onde fime-
ciona a Sociedade Propagadora da Instruccao Publica, compor-se-ha dos eleitores do
13. ao 16." quarteifo'sB do mesmo districto.
i A 6.a scelo, que se reunir no consistorio da igreja de S. Goncalo, com-
por-se-ha dos eleitores do 17. ao 19. e 25." quarteiroes do mesmo districto.
< A 7.a scelo, que se reunir no consistorio da igreja da Soledade, com-
por se-ha dos eleitores do 20 ao 24. quarteirSes do mesmo districto.
t Fica assim sem effeito a portara de 26 de Junho de 1886, relativa a desig-
naclo de edificios para reuniao dos mesmos eleitores.
c Dei as neoessarias ordens afim de terem lugar as eleicoes para preench-
ment de vagas de vereadores dos muicipios de S. Bento, Nazareth, Salgueros e
Ro Formoso.
(Continua.)
Governo do Estado de Pernam-
buco
EXPEDIENTE DO DU 7 DI JANEIRO DS 1889
Actos:
O governador do Estado, attendendo ao
que solicitou o conseibo de Intendencia Munici-
pal da cidade do Recife em officio n. < de 2 do
corrente mez, resolve nomear o ." e 3." escrip-
turario da Alfandega e da Thesouraria de Fa
zenda, Joao Fernandes de Barros e Antonio Jos
da Silva Sarment para examiaarem a eacrin-
turacao e contabilidade da mesma Intendencia,
organisarem um balanco dos tres ltimos ejer-
cicios e proporem as reformas que julgarem con
venientes ao aperfeiepamento do servico.Com-
municouse a Thesouraria de Fazenda.
O governador do Estado tendo em vista
haver aa omarca jle S. Lourengo da Matta,
composta da freguesa da mesma denominacao
e da de Nossa Seuhora da Luz, mais de cincoenla
i uradosr conforme foi apurado na ultima revisao
que teve lugar em Pao d'Alho e no Recife, re-
solve crear foro civil no termo de S. Lourengo da
Malta, que se compbe das referidas freguezias.
0 governador do Estado tendo em vista a
proposta constante do officio n. 9 de 5 do cor-
rente mez da Inspectora Geral da Iostrucgo
Publica, resolve crear mais um districlo lute-
rano na freguezia do Santissimo Sacramento da
Bda-Vista, com a denominagio de 4." e os limi
tes seguintes: ra dajmperatnz, praga de Ma-
ciel Pinheiro, Aragao lado do sul, ra Velha e
caes de Capibaribe at s Barreiras comprehen-
dendo os' Coelhos, ra de S. Goncalo e do Vis-
conde de Albuquerque.
Outrosim, resol e nomear delegado Iliterario
do mesmo districto o ci^lado Dr. Joao Bap'ista
Regueira Costa Commnrucou-se ao inspector
da Iostrucgo Publica.
O governador do Estado attendendo ao que
requereu o padre Firmino Brant Rocha, coadjuc
tor da frsguezia de Iguarass, n'este Estado, e
tendo em vista o attestado medico que exhibi,
resolve conceder ao peticionario 3 mezes de
licenca, com a respectiva congrua, para tratar
de sua sade. onde lhe convier.
0 governador do Est ido tendo em vista a
proposta do inspector do Thesouro, comida em
officio de 4 do corrente, n. 7, resolve nomear o
promotor publico bacbarel Manoel de Barros
Bezerra Cavalcanle para exercer o cargo de aju
dante do procurador dos feitos da fazeada do
mesmo Estado no muaicipio de Bezerros, ficando
assim exonerado do dito cargo o bacharel Jos
da Silva Ramos.- Communicou-se ao Thesouro
do Estado. ,
O governador do Estado attendendo ao que
requereu o juiz de direito da comarca de Bar-
reiros, bacharel Sebastiao d Reg Barros, re
Slve conceder-lhe 23 dias de liceoga com orde
nado para tratar de sua sade ; devendo entrar
uo goso da me3roa liceoga na prazo de 20 dias.
O governador do Estado attendendo ao que
requereu o juiz municipal e de orphos do termo
de Petrolina, bacharel Jos Moreira de Pinho, re-
solve concsder-lhe 30 dias de licenga com os
vencimentos, a que tiver direito, am de tratar
de ana sade.
Dever entrar no goso da mesma liceoga no
prazo Je 50 dias.
O governador do Estado attendendo ao que
requereu o juiz municipal e de orpbftos do termo
de Bom Csnselbo bacharel Miguel dos Aijos
Barros, resolve conceder lhe 90 dias de licenga
com os vencimentos a que tlver direito para tra-
tar de sua sade; devendo entrar do goso da
mesma licenca no prazo de 30 dias.
O governador do Estado tendo em vista a
proposta do Dr. chefe de polica em officio n. 9.
de 3 do corrente, resolve considerar sem effeito
a nomeagao de Antcnio Bertholdo Galvo para
o lugar de 3.a supplente do delegado do termo
de Quipap.Communicou-se ao Dr. chefe de
polica.
O governador do Estado tendo em vista os
officios do director do Arsenal de Guer-a e do
inspector da Thesouraria de 'Fazenda de 31 de
Dezembro Modo e de 4 do correte n. 259 e 10,
j reolre vista da autorisaco constante do tele-
! gramnia expedido em 5 d'este mez, pelo Minis-
! terio .da Guerra, abrir o crdito d importancia
; de 4:391*525, sendo 4:308*125 verba do 7.
Arsenaese.83*400 do. 19. Armamento do
dito Ministerio, exercicio de 1889 alim de ter
lugar o pagamento dos vencimentos dos opera-
rios do mencionado Arsenal coocernente ao mez
de Dezembro citado.Remetteu-se copia a The-
souraria de Fazenda e communicou se ao Arse-
nal de Guerra.
O eoveroador do Estado, tendo em vista os
officios do commaadnnte da Fortaleza do Brum
e do inspector da Thesouraria de Fazenda de
18 de Dezembro ultimo e 3 do corrente, ns. 79
e 8, resolve, de accordo com o decreto n. 2884
do Io de Fevereiro de 1862, abrir um crdito da
importancia de 42*052, verba do 27 Diver-
sas despezas e eventuaes do Ministerio da Guer-
ra, exercicio, de 1889, afim de occerrer ao pa-
gamento do pret dos sentenciados e calcetas da
mesma fortaleza, concernente primeira quin-
zena do alludido mez de Dezembro.Remetteu-
se copia a Thesouraria de Fazenda e communi-
ou-se ao ronvnan Jante da Fortaleza do brum.
Officio3 :
Ao Sr. Antonio de Castro Feij. Cnsul
de Portugal.Accuso o recebimento do offici*
n. 1, de 4 do corrente, em que oSr. Antonio
de Castro Feij, cnsul de Portugal, me parti-
cipa que ausentando-se desta cidade, no goso
de licenga ficar encarregado do consulado
Sr. Joo Joaquim Salgado, chancellar vics cn-
sul.
Renov ao Sr. cnsul, os protestos de minha
estima e considerago.Fizeram se as necesa-
rias communicagOes
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Remeti vos a inclusa conta-na importancia de
84*500 relativa feria de 30 de Dezembro fia-
do a 5 do corrente mez, dos empregados que 11-
caam administrando e vigiando as obras do edi-
ficio destinado a Faculdade de Direito do Reci-
fe afim de que, depois de processada mandis
satisfazel-a.
Ao inspector do Thesouro do Estado. -Nos
termos de vossa' informago n. 114 de 30 de De-
zembro ultimo, mandis pagar ao superinten-
dente da estrada de Ierro do Recife ao S. Fran-
cisco a quantia de 9*280, constante da inclusa
conta, pro'eniente de passagens concedidas nos
carr js da mesma estrada de ferro ao engenha-
ro das Obras Publicas Francelino Amenco de
Albuquerque Mello, durante o mez de Agosto do
anno passado Communicou se ao superinten-
dente da estrada de ferro do Recife ao S. Fran-
cisco.
i


.







BHU
^:r


.


2
Diario de Pemambuco-Quinta-feira 6 de Fevereiro de IP90








Ao-di rector do Arsenal de G ierra.Con
forme consta do of&cio o 205, de 30 do D-zeu
bro fiado, foram embarcados do vapor Mara*ku
quatro vulumes cosiendo raedicamaolos deati
nados pharma.na militar deste Estado ; a que
vos comuiUDico vos paraos devidos las.
Ao director da Faculdade de Direito do toci
e. -Para os devidos i ff utos reinetto-tes a par-
taria de 19 do crreme mez, Jo Governo Previ-
sorio da Repblica, sobre o entalid rculo de
urna poca especial de exames .eraos de prepa
ratorios lo i de Juohoa 13 de Jntoo docorwte
anno.
Ao Dr. Joao Severiano Carneiro da Cunha,
Eresidente da Intendencia do municipio de S-
ourago da Malta. -Recomraendo-vos qne pro-
videnciis em ordem a que seja installado 'o
dia 10 do corrente mez, o municipio de S. Lou
reco da Matla. creado pila le n. 1863 de 13 de
Junho de 1884.
Para vosso conbecimento, declaro vos que,
depoi' de prestardes o juramento devido, pe
rante este governo, dveis no dia iadicado com-
parecer n'aquelle municipio alim de deferirdes
juramento aos demais membros dessa latenden
ca, lavrando-se auto de installago o qual con
tera a lei de ereago do municipio, a designa
D dos limites, o Juramento e posse da Inlen
ncia, que devero apos o respectivo acto no
asear os sene empregados e ordenar a arreea
dago dos imposto.
Outro sim. recommend" vos que me resellis
o ornamento da recetta e despesa para o corren
te exeretcio e betn assim copia do referido au-
to de insiallacao.
Portaras :
Os Srs. gerentes dacompanhia de Brasi-
leira facaiu transportar ao E-tado do Rio Grande
do N>rte, por conta do Ministerio da Guerra, o
ex-cabo de esquadra Manoel .Joaquim do Nasci-
rneoto, visto tei tido baixa do servigo do exer-
cito por concluso de tempo.
O cidado gerente da i.ompaohia Peroamtau-
cana de navegago, mande dar passagens,'por
conta do Estado, al Petiedo, a bordo do vopor
S.Francisco que para alli segu amanha. aos
cabos do corpo de polica Aotcuio Pereira Leite
Cam.-lb e Sabastio Telles de M-nezes, que vao
destacar no ter.no de Boa Vista, providencian lo
quanto ao transporte das mulbores dos referidos
cabos.Ofliciou-se ao governador do Estado das
Alaas para o transporte dos mesmos at Ja-
tob.
0 Sr. superintendente da estrada de Ierro
do fterife ao S Francisco d paasageus por conta
do estallo, da estacan de Cinco Pont3 a de Una.
ao lente do corpo de policia, Liurentino Flix
de Ohveira L ma commandao.e do destacamento
de Flores a a urna praca que vai alli deslaear.
Mututis tmU^nditao e;icarregadoda estacad
de Palmares at Canttotinho.
O Sr. superintendente da estrada de ierro
do IWifeaoS Francisco d pissagem com di
Mito a bagageui, por conta do estado, da estacan
de Cinco Poutas at a de Una as pragas do corpo
de polica Antonio AlexaoJrc Corrua e Paulo Je
ronyino do Nascimento, que vio destacar no
termo de Batane, providenando quanto ao
transporte das mulheres das meocion 'das pragas.
Mutatit mut indis ao encarregndo da esta
$ao de Palmares para dar passagens at Gara-
nbuns.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do R tife ao S Francisco d passagem, com di-
reilo a b gagem, la estaca i de inco Pontas a de
Timira-iss, a um cabo do co po de policia que
vai de-tacar em S. Jos de looju.-a, correndo est.i
espesi por conla do estalo.
1 l.-m id-in, at Frecheiras a; cabo do corpa
de uoiicia Liurentino Lo.ies da Silva que vai
destacar em i'edra Brauca.
dem i-Jera de ida e volta al o cab) a duas
pragas que vao escollando um criminoso.
O Sr. superintendente da estraia de ferro
do Recite a L moeiro mande dir passagem.. com
dir ito a bagagera. da estago dt Uui a de Tim
baia. por conta do estado, a praca do corno de
polica Anioni) Baptista de Mullo, sua mulher e
um liiin ramo-.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
OfficiOS "
Ao inspector da Tncsouraria de Fazenda.O
gov -mador Jo estado manda remetter vos a in
clusa ordem do tribuoal do ihesouro da 27 de
Dezcmbro filo u- 2i .
Ao Dr. Googalo Paes de Azevedo Faro juiz
de direiio Horneado para a comarca de S. Loo-
rengo da Malta O governador do estado man la
declara- vos, para os tius convenientes, que a
iustalligo da comarca de S. Lourengo da Malta
devera ser effectuada no da 13 do correle mez.
Ao Dr Artnur E oy de Barros Pimentel,
juiz de ireilo nomeado para a comarca de
Xnumpbo.O governador do estado miada de-
clarar vos, para os devi os elreitos, que a instal-
lago da comarca deTnumpio devera eff.fttuar
se no dia 2o do correle mez
EXPBDieSrU DO DU 8 DE JANEIRO DB 1890
ictos:
O brigadeiro invernador do estado, tendo em
vista a portara de. 2 do correle mez que no
nv-ou cinco eiados para co oporera aiot-nlen-
cia municipal de S. Lourengo da M.itta, e recon
sideando que se trata de um munxipio que
agora se tosUlla, o que ai com que os diversos
rain >s da administragSo municipal possam ser
geri los com maior proveito psra o bem pubM 10
por um menor numero de cidadss, resotve con-
siderar 8"tn effeiio a mesma portara, na parte
em qna n imeou o lenente-coronel Liurengo d
S Albuquerque e o caoitao Antoiio Gomes
Tavare.s de araojo p ra faz-rem parta diqu lia
intendencia, que ftcar assim composta dos ci
adftoe banfeareia Joao S;veriano Cirneiro da
Cunhi, seivindo de presidente ?rancico de
Paula Correia de *raujo e tenente coronel Jos
Daarte ae AltiuquTque Maranho R^metleu se
copia ao presidente da iniendenc;a.
OHetm :
o governador do estado das A'agoa..Em
ad lila ento ao nieu oftuo de bontem datado,
rfgo vos que provitencieis comreligioao trans
pone das mulheies dos cabos docj'po le poli-
ca .moni'! Pereira L-ite Camello e Sebaslio
T..lles de Meez-s, le Noa* at Jatob.
Ao inspector da Pliosou-aru de Fazendi.
Tendo em vista a vossa informacao de 2 do
crreme, sob n 1, a r-s^to do pagamento n-
KTido por Prancisce J-ostiniano d'- Castro Ra-
lo, inpreitfiro da* otr.. do protoagamento
da estrada de ferro do Recite a\< S- Francisco e
das da estraila de ferro do Recite a Caraarn, re '
coKHmaoj vos que me info-ineis si o dito paga-
mento esta n- es) de ser effectuado pelo rredito
de 1 15-1:00 *030, onsigaalo ua ordem do the-
gouro sob n. 183. de de Outubro ultimo, urna
vez qu" "sse ;redito especi.ilme.ited-wtinado a
obras do prolongamemo e o lito palmelo lera
referencia com ubras da segunda das menciona-
das estradas de ferro.
P..ra o allu lno lin, tsmln vos aquella infor
dIm'.) com pana ida dos papis, que a ella vie
rain annex< s.
Ao meamo. Communico vos. para os de-
vidos lins, que cu 21 de D-zembro tlndo, o pro
motar publico d comarca de Uimbres, bacbarel
Anton'O de Si Cavalcante de Albuqierque. en-
trn no goso da liecsca, que por portara d'este
preme de 10 do referido mez Ihn foi conce
dida.
Ao mesmo.Comrauni'j) vos, para os de-
vidos tos, que o ba:narel Prxedes Brederodcs
de Mendong Vasconcellos assomio no da 2 do
corrente m?z o ssercteta do carao de promotor
publico da comarca de A^uas-Bellas.
Ao mesmo.Declaro-vjs, para os flus con-
venientes, que o 2 juiz subslilolo da comarca
do Recite, bacbarel Jos Pedro de Almeida Per
na aburo, deixon Q- da 3 do corrale o exerc
co de sea cargo, por ter si lo nomeado por D.-c.
de 26 de Deze.nDro fiado juiz de direrto da co
marca de A^ry, no Estado do Rio Glande do
Norte
Ao director do- Arseual de Guerra.Manda
fornecer ao 14" batalbo de infamara, de confor-
midade com o aviso uo Mioisterio da Guerra, de
13 de Dezeinbro findo. a bandeira e utensilios,
onsiantes das niclusas notas de 11 e 12 de No-
vembro, organisadas na reparligio do quartel
mest'-e generalCommuoicou 83 ao inspector
da Thesouraria de Fazenda e ao secretario do
coamiando das armas.
Ao inspector do Tbesoaro do Estado
A Joao Luis Cavalcaute Je Albuquerque. con-
traciaate dos reparos da ponte dos Afogados,
auda pagar na primeira opportuoidade, de ac-
aordo rom vussa ioformago da 4 do corrale,
aob o. 8, a quauia de 3:8334333, correspondente
i 3 prestago do sen coturada paga previa-
mente a presagio de responaabilidade. Com-
monicou se a rspartigao das Obras Publicas.
Ao mesmo. Para o tim de ser presente
commisso, da qual fazeU parte, eocarreaada de
rever o orgamento, sb a. 2125 de 3 de Novem-
bro ultimo, remello vos a petigao de Joviniaoo
i Manta, profeaaor de aacripiuragao ercantii ao
Gymnasio Peraambucauo, em que reclama sabae
o* vencimenlof 400 peroabe.
A ates a AiMiana m* a fornecer, nos
ios da vosa i n fu i- Mafia, n. Mi de 3A de
moroiaa*.84 laaa liaiaageysi'ada*pi'ta
ekeaaiurade polati eai affjc d : i t le .Vawin
M ultiaaa, sob a. 140 sii la am para o ponto
dos empragadaada Caaa da Beleacao e outro
#ara reaialro da reipesva eerraepoodeaota.
Commuoiaou se ao Dr. ofaefe de polica
Ao provedor da Santa Casa.Em resposta
ao vosso officio, n 292, de 18 de Dez mbro fiado
declaro vos que a redueco dos veucimeat s des
empregados d'essa Santa Casa deve ser feita a
contar do Io do corrente mez
-. Ao director da Faculdade de Direito Para
os devidos elT ilos. co nmunico-vos que o governo
provisorio da Repblica, segundo decl irou o ci
dadlo ministro dos negocios do interior, en aviso
o. 741, de 30 deDezembro findo. resolveu que
at ulterior deliberaco nao se continu a obser
var o disposto no art. 3o do Dec. o. 9847. de 2 de
Outubro de 1886, explicado pelo aviso de 9 do
mesmo mez e anuo; devendo ser admittidos a
prestaros exam,s de preparatorios para qae se
acbavam inscriptos n'estapoca os estu James aos
quaes nao tenba sido permittido fazel-os em vir
tule d'aquella disposigo.
Ao commandante do corpo de policia. De
claro-vos que approvo o alistamento no corpo
sob vosso commando dos paisanos a quem vo<
referis em officio n. 94 de 3 do corrente mez.
- Ao mesmo.dem idem ao offi-io o. 97 de
bontem datado.
Ao presidente e mais membros da laten
dencia Municipal do Recife.R-.m-.tU) vos o in
clnsc officio do Tnesouro do Estado de 28 de
Dezemb-o prximo passado, sob n. 93, a respei o
do pagamento empresa de illumimgao a giz,
afi.n de que me informis com relacao a desp za
de 96*100, de que trata o dito ofli :io que vai
acompanhado de outro; pipis
Ao preside .te e vareadores da Cmara Mu
nicipal da VictoriaDeclaro vos que fkam ao
.provadas as arreraatages doo iinoostos constan
tes de vosso officio n. 26 de 16 de Dczempro
fiado.
Portaras :
O Sr. superintendente da es'r.ida de ferro
do Recite ao S Francisco mande dar nassagem
de ida e volta, at a estago de Palmaras, a um
official e vinte e duas pracas que para alli se
gu -m lioje em diligencia.
O cidado gerente da Companhia Pernam
bucana de Navegago faga transpor;ar. por conta
de Albino Feroandes A C, para a ilha Rata.com
destino ao g 'rente da Conoanhia Brazileira de
Phosphalo de Gil o.; gneros canstantes da rea
gao junta, assignada pelo secretario do Es
tado.
O cidado gerente da Companhia Pernam-
bucana de Navegacao mande dar passagem de
proa, at o presidio de Femando de Jioronha, a
Mara Joaquina Ja Conceigo, mulher do sealea
ciado Manoel Joo Torres, a um filho de 3 anoos
de idade e a urna cunliada de nomc Sabina Mana
da ConceigSo. por eonta das gratu tas a que o
governo km aireilo.
dem, idem quanto a Antonia Al^xandrina
de Almeida Pedroza, mulher do sentenciado
Joo Francisco de Almeida t'edic-za e a 3 fi los
menores.
I lem, idem, quanto Mara Joaquina da
Conceigo. uiulh t do senteniiado Joo Thomaz
da Silva e a u ni (ilha menor- Com relacao a
todas olficiou-se ao dinctor do presidio de Fer
nando de Noronha.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Oflicios :
Ao conmaudanlc do corpo de polica. O
governador do estado manda communicar-vos,
para os fins convenientes, que Beata data pro-
ier.0 o seguiote despacho era vosso oflicio di 5
de novemb.o ultimo, n. 23. sobre aboao de
ajula de custo a officiaes desse Cjrpa : Re
mettiio ao inspector do Tbesouro para a Hender
ao pedido do comman Jante do corpn de podida.
vista de sua informago n. 112 de 30 de De-
zcrabro rindo.
Aomesm. O govemalor do estad > man
da communicar vos que nesta data autorsou o
Tnesouro do mesmo esta4o a pigir as ajudas
de cusi de que tratara os vossos otficus de 23
e 26 deNovembio ultimo, sob ns. 6 e 13
Ao director g"ral das Obras Publicas.-O
governador do estado ficou inteirado, pelo vosso
officio de hontem, sob o. 2 de haverdes mai
dado lavrar termo de recebimento definitivo da
obra de r-p iros do boeiro sobre o riacho Xass
e da curva do Caxito, ma estrada da Victoria, e
expedito certificado de pagamento da prestago
de responsabilidade, a que lem direito o arre
utan'**, na lmp>rtancia de 642251.
Ais agmtes da Companhia Brazileira.O
governador do estada manda a-cusa" o recebi
memo do ofiino de hontem, no qual crmmun
<*astes que o vapor Maranhao chegou dos portas
do sol as 6 horas da manb e seguir para os
do norte at Minaos boje, s o horas da tarde.
Coramunicou se directora do Correo.
Ao gerente da Companhia Pernambucan
O governador do estado manda acensar ore
cebimento do oflicio de 4 do corrate, na qual
coramunicastes que o vapor S Francisco segui
ra para os portos do sul at a capital do estado
da Rabia boje, s SJaeras daarde.
Ao rae.smo.Dj ordena do governador do
estado coraniunico-vos que coacedeu se Iicenca
pira ir ao presidio de Fernando de Noronha o
operario Margal, destinado aos trabalhos da
Companhia Brazileira Pbospnato de eal, na ilha
R.ta.
Aa engenheiro Francisco de Souza R-;is,
riscal do engenho central Trapico'.Dj orlem
do governador do estado, pego vos que devol
vais a esta secretaria, com brevidade. os docu
mentos 1 dativos ao engenho central Trapiche,
de qu^ contactante Gaspar de Menezes Drum
mond, c que vos foram fornecidos para dar pa
recer sobre a capacidad.: dos appareihos do
mesm i in,reaho, nsM consta do recibo exis
te; no archivo desta secretaria.
EXPOlEYTr DO DA 9 DTJ JtBIO DE 1889
Actos :
O governador do estado, atlendealo ao que
requerm o juiz de direito a comarca de Cara*-
r, bacharel Jos da Cuulia Teixeira, resolve
onceder Hip dous m"zes de licenca cora os ven
cunemos a que tivcr direito, afira de tratar de
sua saniefora deste estado.
D ?ve entrar no gozo da licenca ao prazo de
20 d as.
O governador do estado, altendcndo ao
que requeren o jaiz municipal e de orphSns do
termo de Flores, bacbarel Manoel Joaquim M.
chado Jnior, reslve ntorogar por ura mea e
sem vencimenlos, a licenca em cojo gozo se
acba, para tratar ae sua fale.
O governador do estado, atteadendo ao que
requereu o pronotor publico da comare de Ta
quaretinga, hachirel Tobas Gabriel de Oliveira,
resolve conceder Ihe doos mezss de liceaca cora
ordenado para tratar da. sua sa le, devendo en-
trar no gozo da mesma licenca no praz > de 20
das
O goveraador do estado, alteodeado ao que
rcqaereu, o bacbarel Simael Manins, nomeado
juiz municipal c de-orpqos deAgoaPratae
lendo em vista a iaformag.no prestada pel*i*
spector da Thesouraria de Fazenda, eiB'dfwo
de bonlem datado, n. 16. resolv abrir, na- ter
mos do decelo n 2 884 do 1.* le Fe venir > de
1(162, um crdito da importancia de 1331928,
verba Ajula de cutp, do Mioistedo da Juuti
ga, exereicio correte, aflm de occorrer ao pa-
gamento da ajud-i de casto que compete ao mes-
mo bacharel para o eu transporte e primeiro
estab lecimeoto, caleniado pela abella qne
a um;iauriou o decreto a. 9,30*, de 27 de Sedera
b-o de 1884.Remelle se copia ao inspector
da Tuesouraria de Fazenda.
O B igideiro governador |do Estado, ten lo
em vista os offi-'tos dos inspectores do Arsenal
de M.iriona eda Thesouraria de Fazou.la de 2 e
9 do corrente, os. I e 20, resolve, no9 termos do
Decr. n. 2,84 do 1- de Pevereiro de 1862, abrir
ura crcdito da importancia de 48J957 a verba
Contadora, d i loinisterio da Minnha exer
cicio de 889, afim do escrivo do aImoxarifado do mesmo Arsenal,
las Faustino da Silva Jjeques, relativos ao mez
deDezembro ultimo.Remellen se copia aoias
pector di Tuesouraria de Fazenda e conzajani-
cou se ao inspector do Arsenal de MarioUa.
OBeio :
Ao inspector da rhe30uratia deFaztnda.
Teudo ea vista as vossas informscoes da 1 deste
mez e de hoje datadas, sob ns. i e 19, antoriso-
vos a mandar pagara Frwicisco Jastintano de
Cas ro Rabello a quantia de 204:6354894, prove-
niente de obras necutadas relativamente a es-
traaa de ferro do Recifs a Caruar, coaforme os
cinco certifleada qne vas aanalvo.
PartMias:
Declaro a Oasaara aaicipal de Maz iratft -qua
1 apprai a aatevaitagao dos agostas a qae ael
refere o arraws alineaos aaseu oficia, a que
respandu, e 28 de Deaamnta Itirao.
O Sr. superint. ndewte 4a estrada 'e Ierro
do Recita ao & rancaca poaka dispongto do
subdelegado de Calende oh pasngeastUna
.in;o Pintas, eorread por canta do Esta*.
A Sr. susanatea late da cazada e ferro
dn Rjcife ao Frarreeo di passagens de ida e
volta, por coila do Estado, da estago de Palma
res de .inco Pontas ao alteres commandante
do respectivo destacamento e a iraa praga que
o acompanha.
dem idem da estago de Cinco Pontas at
a de Palmares a dezeseis pragas do corpo de po-
lica, que vo destacar em Afogados de Iuga-
zeia.
dem ao encarregado da estago de Palma
re3 para dar pissagens al Candotinho .
_ o Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco d passagem por coa-
la do E-ta o, da estago de Cinco Poatas ate a
de Palmares, ao alteres do corpo de poficia Fran
cisco dos Passos Baptista, que vai destacar em
Villa Bella-
Idem-ao encarregado da Estagio de Pal-
mares para dar passagem al Garanhum.
lien idem as estradas de ferro deS Fran-
cisco e do prolongamemo, ao alteres do corpo
de policia Manoel Gabino da Silva, qne val des
tacar em Afolados de Ingazeira.
EXPEDIENTE DO SECRETAR!}
Oacios :
A > director da secretaria da extracta Assem
bla Legislativa.De ordem do brigadeiro go
v mador do Estado declaro vos qae no vo^so of-
:lic i o. 7 de 31 de Dezeinbro lindo, foi pro-
i indo o seguate despacho : .
He netn lo ao inspector do Tb souru para
ss fins couvenientes, ticando abnalas as faltas-
dada- pelos empregados constantes da elago
junta.
Ao tachan I Maaoel Augusto Ftrreira da
S Iva. -O brigaleiro governdor Jo Es'ado fi-
cou inteirado de, baverdes assumido honlun o
exercicio do argo de iospector e8pciil de tr-
ras e eoloiMsaco, para o qual fostes nomeado
por parlara do raiuisteno da agricultura de 2't
de Ddzemoro ultimo, Corarauaiou se ao ins
pector da Thesouraria de Fazenda.
Sade e fraternidade Ao marechal
Sinaeao de Oliveira, mui digno go-
rr provisorio do- Estado de Per
aanMaHOO Chefe de aaiicia, Antonio
Anmmm Riba.
i
DESPACHOS DA SECBETAEIA DO GOVEKNI
DO E'fADO DE I'hKN'AHBUCO, 3 !>* FE
VEBEIl) DB 1890
Abaixo assignados, neaociantes est; b decidos
nesia capital.Passe portara, prorogaido per
noventa das, a ornar do primeiro da da exer
cicio vigente, o praso de que trata o art. Io da
le n 2040 de Agosto de 1889, limitando se o
abale aos 40 ; das casias, a que. ge refere a
mesma lei.
Abaixo assignado3, moradores na freguezia de
Afogados. Nao ha o que providen dar, visto
constar de iuformaso verbal de director ;eral
de ot> 'as publicas que de boa qualidade o ma
u-rial appli ado aos reparos da ponte de Afoga
dis, segundo elle pode allestar de visu proprio.
e que certa demora na execueo '!os concertos
uevida a irapossibilidade de desviar de todo o
transito para a pome de Magdalena.
Cupilo Amerit'o de Anlrale Almidn.Re-
medido ao inspector do Tnesouro do Estado
para attender, de accordo com sua informago
de 1 do corrente sob a. 88.
Aatonio Mtttias Viannu. -Iodeferido.
Bacbarel Ayies de Albuquerque Bello.Ao io
spector da Tuesouraria de Faz .oda para infor
mar.
Augusto Xnv-ier Carneiro da CunhaInforme
a Ioteudencia Municipal de iaboato.
Antonio Jos Dourado da Silva.Entregue se,
mediaote recibo.
H-*rmioa do Nascimento Pvreir.n Teix'ira.
Informe o director da colonia I,bol.
Horacio Baroato Accioli. Coacedo com as
precauges devidas.
Jos Sergio Bacellar de 0 iveira.-loforme o
cidado inspector especial de trras e coloni
saco.
Bacbarel los Juho Regu-ira Pinto d Souza.
D tendo com oflicio de hoje Thesouraria de
Faznda
Antonio Joaquim di Soulo Lima.I-jforuie o
I inspector do Tnesouro do Estado.
Baebarei Joo Augusto de Albuquerque Mara-
na.Informe o iuspector da Tuesouraria de
Fazenda.
Jo8o Birbosa de Souza Ao Dr. juiz de direi
lo da comarca de I>amb para informar.
joo Benigno Pereira do Lago.Deferido com
com o offl -io de.-ta data ao inspector geral da
tnstrucgo punlica.
Joaquim Christovo % 6.Stm
Jos de Souza Aguiar it CIabrme o inspe
tor da Taesoarana de Fazenda.
Luiza Uavalcaote de Oliyeira.Indeferido, em
vista do disposto no art. 10 do regnlamento da
eolonia Isabel.
Manoel Ftnreacio de loraes Peres.Sm.
alaria Amelia da Trindade -Ao cidado in-
spector do Tbesouro da Estado oara informar.
Olympio de Barros Alves da Fonceca;Infor-
me o cidado inspector especial de trras e co
lonisago.
Pedro Alexandrino da Costa Cabral. Seia
adndo a repartigo das obras publicas do Es
tado.
Aoaixo asignado, alumnos da Escola Normal.
Nesta data officio ao director da Escola Nor-
mal para atteaderaos peticionarios si esti.erem
as cooliges da lei o. o. 1968 de 1889
Eitbalia Maria daj Mercs.Ncsla data oflicio
io directo- da Escola or nal para attender a
p -ticiunana, se est:ver as condiges da lei n.
19i58 de 16 de marco do anno passado..
Francelino Augus.o de Hollanda Chacn.De-
ferido cora officio de boje ao Tbesouro do Es
trdo.
Secretaria do Governo do Estado de
Paanantbuco, 5 de Eorvereiro de 1890.
O porteiro,
H. Macid da SUua.
rlcpsrtl^Se da Folela
2.*- see^Xo.N. 27.Secretaria de Po
oca do hlstado de Pernambueo, 5 de Fe
vereiro de 1890. Cidadio.Partieipo-vos
tue foram bontem recolhidos Caaa de
Detengan os seguintes individuos :
A'ordem do subdelegido do Recite, Sabraa
Lu.z i de Alhu juc-que, alienada, cora deslino a
sylo da Tamarioeira ; Severino Sebastio do
Espirito Simo, Ignacio Olavo le Paula Machado,
Jos Lopes de Barros e Joaquim Mutbias do as
cimento, por embriagjaee e disuraios; Jos
T e i loro Lamberty. J Jos do Rosario, AqIo
uie Gongalvea da SiKa, Jos Sebaslio Jos Ai-
touio da Si.va e GaflherTnirn Maria da Conceigo,
cuno desordeirna.
A' ortemrdJ do Io dis'ricto de S. J s. Fejippe
Marques da Silva, par embriaguez e disturbios.
A' ordem do.do 1" districto de Afogados, Jo5j
Rodrigues dos Santos, eemo desordeiro.
A' ordeu ac do i- districo da Graca, Maaoel
Francisco de Paula e Mrnoel Viceate. por em-
briaguez e disturbios.
No da 29 do mez linio, s3 ho as da ma
drugada e no logar denominado Sant'Anna do
te.-ilio de Pao d'Alfeo, foi assaltada por um grup)
de lualferiores a casa de residencia da cidado
Joaquim Tavares de Mello, a quem assassinarara
bar .anuiente, sendo tambera ferila gravemente
E uilia Thereza de Jeras.
CorameMidoe esses crirae-, os malte 'ores sa-
quearam a casa e conseguiram evadir se condu -
zindo diversos oojeetos de ouro e lodo dinheiro
qne encontraram..
A tal respeito procedeu se nos termo3 do iu-
qu-rito policial.
O cidado Joo Hermano- Couriaos assumio
o ex ;rcieio do cargo de subdelegado da fregue-
/.ia da Varzea.
Coraraunicou-rBe o delegado do te^-rno do
Clao, que no di 1 do carrete, por volta de 4
horas da tarde, foi atropellado pelo trem da via-
ferrea de S. Francisco, prximo cidade do abo
o individuo de nomc Joao Baptista Nepomaceno,
que estando embriagado, atou s ao no Pia-
pama, resultando dosse acto de imprudencia
ficar ferido gravemente.
ecebedoria do Estada de
l"ernalmco
DBWACHOS DO DIA 3 DE FEVSBEIRO DB
1890
Silva A C.Indeferido era vista das informa-
gOes.
Francisca Liopoldina de Assis Lima Firmo
Carneiro da i.unha. Deferido em vista das ra-
in formagOes.
Quinno Jos de Lima. Deferido.
Maria Joaquina das Dores.Sim, em vista das
nformage8..
_ 4_
Luiz de Paula Lopes.A casa n. 17 ra da
Santa Cruz tenia sido cousiderada em obras
durante o 1. semestre do exeretcio corrate,
acha-se collectada para pagar somente o 3 se-
mestre pelo que nao procede a reclamago do
peticionario; quanto porm, a do n. 60 da ra
do Rotarlo requeira opportunamente para poder
r attepdido.
Jos Pernandes fcima Em vista das informa-
gOes nada ba que deferir.
Souza Nogoeira & C, Christina Maria da Con
ceigo e Vctor Neeen.A' 1. secgo para os
fins devidos.
- 5
Manoel Pereira da Costa e Silva e Craraer Frey
A CA' 1* secgo para os fins devidos.
M noel Domingues da Silva.A' 1 secgo para
attender.
Manoel Feroandes Velloso Francisco Joaquim
Das Informe a 1* secgo.
Inspectora geral da Instrucco
publica do Estado de Peraasn
buco.
DESPACHO DO DIA 5 DE PEVEBEIBO DE
1890
Maria Amelia de Mello Figueiredo.Abone.
Joo Presciliano da i.osta.Como requer.
Ephigeoia Maria de Almeida Gomes, professor;>.
publica.Em face do lo do art. 3 do regala
ment de 18 de Janeiro de 1888 esta inspectora
nao pode conceder prazo qua exceda a 90 das
Pedro Pereira -'e Souza Lius. -Como requer.
O Sr. Quintino Bocayuva respoaaeu por im
proviso.
Fiada a sesso, foi offereeida urna mesa, pelas
co nmisfe8, na qual tou arara parte o minis-
tros Zebatios e Carcano.
Depois convidaran! o Sr Quintino para visitar
ao presidente da repblica.
O Sr. Quintino Bocayuva so firmn o que de
cidio o governo, sem modificago. O tratado
ficar secreto at a reunio do Coagresso Argn.
tlao e da toaslituiaie Brazileira.
INTERIOR
EXTERIOR
Rio da l'rala
Foram publicados nu Rio de J raeiro os segjin
tes telt^gram as :
Uiwnis-Ay-es, 28 de Janeiro.
Urna commisso popular convidou a populago
p^ra assislir cliegada do Sr. Quintino Boca yo,
va, que se eff-'ctuara amanha, s 9 horas da
mai) ta.
Do Rosario telr-g-apharara ao Dr. Z mallos,
felieilando-o pela colugoda questo das Missdes.
Era Cardova preparam-se gran les testas para
a recepcSo do Sr. Quintino Bocayiva e sui co-
mitiva.
Foiempaslellada a tyoographia do jornal op
posicionista El Pueblo, do Rio Qualro.
Falli o banqu-uro Ferrari, ex-director do
Banco Nacional, cora ura passivo de dous mi
Ih5"s de pesos.
MonltoUeo, 28 de Janeiro
Quiolino, Zeballos e comitiva visitaram hon
tera o Ria:kuilo, a Pat'igonia e Traj'tno'
A cmnraisso da im prensa enlregou a Quinti
no o alfraui com aedicaiona e assignaturas de
escripiores e iamalrstas nicionaei.
Q iinlino oflereceu esta tu .ni a um alraogo
sua comitiva, aos commandantes e officiaes do
Riitchufto e Trajano.
O miBi>tro francez visiiou Quintino, que, ron
-ua comitiva, embarca sta tarde, no /apor Eolo
:om destn a a Buenos-a y res
Al a bordo iro acompanhal o os represen
tan tes do governo oriental, commisses da im
prensa d.iqui e brazileira, corpo diplomtico e
autoridades civis e militaros.
A Trajano nao segu para Bucnos-Ayres, por
desarraujo na maciiina.
O Dr. Perienec desempenhou a commisso d^-
que foi incumbido, pre alec^edo a proposta do
lar. Nono de Auirad; sobre desinfectantes e in
s lectores sanitarios.
' Para desempenhar igual commisso junto bo
depiriamento de hy^ieoe de Bunos-Ayres, se-
gu boje para i-lli o Dr. Perttnce.
Buenos-Ai/res, 29 de Janeiro.
Chegou hoje o Vulcano e b indeirado em arco
e passaado pelo aacoradouro foi saudado pela
esnuadra argentina.
Foram a bordo, em e3caler de gala, receber
Bocayuva o pnfeiio martimo, o Dr. Luiz Vsrel
la, o coronel Quirno, ajudante do presidente, i ti -
xendente, Fialho, Torres, Callado e outras pes
soas.
liocayuva esp -rava acompanhado de Zebiitos,
Fras, Solier, Guido e a comitiva das Miseoes.
trocndose os mais affectuosos comprimeatos.
S -girara depois do escaler para a Prefeitura.
No caes esDeravam commissOes pop lares,
msicas de artilh -na e engenheiros. quatro ba
Cilhoes de linha, officiaes e marinheiros da Pre-
."eitura marilima.
As ras Caogallo e Cuyo estavam ornadas.
A comitiva seguio pelo Passeio de Julho,
Praga de Maio, ras de San Martlm e Cangallo,
indo airas da columna vate earros.
Bocayuva e comitiva hospedaram se do G~an
de Hotel.
Bncayava chegou a urna das janellas do hotel
e fallera ao poyo, declarando que tomara o exem
po da Repblica Argentina para formar o povo
fir.z.ih ti o, e agradecen a araizade dessa nagio.
Apresentarara se depois muitaa notabilidades,
Centro Republicano Brazile diversas sociedades.
A's 3 hora i, foi Bocayuva visitar Pellegrini,
nao apreseniando credenciaes. per ar uiistro
das relacOes exteriores.
A' noite boove sesso no theatro Oar .bia, on le
fa lram Bocayuva e Varella.
Depois de aoaah a partida para.CorJova.
Todos os joroaes saularam Bocayuva.
Consta que elle nao ir ao Paraguay, preten
deudo na volta ir a Uruguayana
A direceo dos telegraphos franqneou a Bo
cayuva todas asjinhas
- Em Montevideo deu se um grande incendio
em um deposito.
- 29 de Janeiro.
No theatro Ourubia houve urna sesso em
honra ao Sr. Qaintiuo Bocayuva, que comegou s
hora da n'jite.
A orchestra tocou a ouvertura do Guarany
Tomou a palavra o Dr. Vareila, qu em brilhao-
le discu so saudou o ministro Bocayuva como a
Miicarnaco da idea demcrata, vaticinou a fel ci
lado que aguarda s Brazil e que apagou desde
hoje a idea do passado
Nao i.a mais hespanlies e brazilli -iras ; todos
sao innas : acabaram os o iios pela questo d *
limites; exalta Bocayuva como publicista poli
tico e recorda a parte que elle tomou na abe
lgo.
Eouncia o que a repblica moderna, lembra
as lutes da n-velago franceza e o sanga- que
elia custou ; a America, parin, comprebendeu
a verdadeira idea da liberdade.
Disse quelle ministro que nao se deixe illu
dir; o horneas nada sao os principios sao tu
do.
A Rovoluga do Brazil nao 6 tacto solado,
a cooseiuenciada idea da repblica no mundo.
Demoastra a grandeva da revalocao brazileira
e 8 etfeiio por ella p.-oduudo na Europa.
Todos os horneas procurara a liberdade. o
povo americano ser verdadeiro ibreiro da re-
publici, porm nunca conquistador. Analysa o
iiiiii politico americano, nem mais nem menos
do qu qu ilqucr e igual a todos,
Todi-. duera que a revoiugo brazileira era
atente, porm inevitavel ; elojia. entretanto, o
.sr. D. Pedro de Alcntara, primero cidado do
Biazil cahidopor lei fatal araericaaa. PwdeaoB
aewtentes para peaem-s de p e sandarem e
15 de Nevembro.
Sauda a America Republicana, que sabera en
sinar o velho nrandu. Pede ao Sr. Quintino que
declare ter encontrado aqu urna aova familia e
arxrescentou : podero vh- outrae geraede, po-
rra a allianga de povo .a povo ser imraortal
como a medalha que a representa.
SUL DO BRAZIL
'elo paquete inglez Elbe, tivemos hontem as
seguintes noticias :
Eatado do icio Grande do al
Datas at 23 de Janeiro : -
No dia 21, na xarqueada do Sr Paulino
Leite, o empregado Candido, depois de urna li-
geira altercago com seu companheiro Siraes
Lopes, ferio o com urna facada abaixo da espadua
direi'a.
O criminoso foi preso em flagrante.
O Echo io Sul, jornal do Rio Grande, nar
ra o estado de a nar -bia em que sa acba actual-
mente a vla de santa Victoria do Palmar, en
trege sanha e s correras de urna horda de
bandidos que, commette .do ronbos e a.-sassi-
natos, trazem a populrgo em contluuo sobre-
salto-
L'quidou a sociedade Prado Rio Granense,
tendo sido os terrenos e bemfeitorias vendidos
em leilo-
Eatado do Paran
Da'as al 23 de Janeiro :
.* Foi apresentada, no ia lo, ao governador do
Estado urna proposta para a construego de urna
estrada de ferro que, partalo Cstro, se dirija foz do T bagy. ponto termi
nal da e.-trada de ferro Sorocabana. na margera
do Paranapan-ma.
Compreende a proposta um plano de col
nisagao para o valle dos rios Tibagy e lapo,
plano que abrange todas as :.t-c -ssi-.iadcs da co
Ijnisagao.
Fica aspira formada a lde da vingo frrea no
estado, vindo a s--r a estradas) trago de ligago
enlre a esirada de ferro Sorocabana e a aciual
estrada de ferro do Paran, reumndo-se era Cas
tro projectada pelo engcnhe:ro Joo Teixeirb
Suares, e na fu* de Tibay aquella que acaba
de ser concedida ao Sr. Wig.
Os propouen'.es sao os engenheiros Joo P.
Gr.nli.lgh e comraeu-.lador Prescili-no da Silva
Correa.
0 rendiraenio d.i alfandega de Paranagu
no quinque.nnio de 1885 a l80. conforme os
q.ia Iros e balangos raensaes remcttdob tile
souraria de faze ida, f ii o seguio!--':
1885
1886
1817
188S
1889
20li::i6n831
27:2'i5*IJ4t
436:07738
5i0:8i7793
64J:4fO118
IM ido de Hiutv tit-rac
Sobre ura conflicto travado no dia 26deJi-
neiro na estago de B-mlica, encontramos o
seguate n) Pharol, de Juiz d Fon em data de
J8 do correle :
Ante hontem, s 3 horas e 43 minutos da
tarde, recebeu o cidado delegado d nolicia
deste tarrao ura telegranoia traasinittido da
visinha estago de Be lica, pelo Sr Jaaquira da
Cosa Mesouita, coniraunicando lar havilo na
fizen la da Boa-Vista, situada prximo qu:lia
estago e de propriedade Ja Cimpanhia Orga
abacio tgricol.i Mineira. grave confelo en.re
italianos e brasileiros, sendo aquelles colonos
empreados na m.-sra-i fazenda.
0 rferilo telegramraa pedia o compare:;
meato da aulori.lade, asseverando que os ani-
mas continuavam exltalos e que os prora olo-
res do conflicto mostravam se dispostos a resis-
Ur fvi-ga p iblte i.
A' vista deste telegramraa, a auto.idade,
acompanhada do escrivo, capo coram-indan
te do destacamento, oito pragas e um official de
justiga para all se dirigi era carros de praga
Na estago de beralica encontrn o delegado
airea de 50 pessoas armadas e dispostas a au
xilial o na diligeoc a. Tomando um trem es
pee.al, composto de urna machina, um carro de
2.' classe e lastro, segui) o delegado para a re
feida fazenda, que es'.a margera da I rali i de
ferro e onde ba um estribo. Chegando fazen
da, onde j se achava restabelecida a ordem. e
delegado raaadou intimar as ptssoas que alli se
acra vara a se entregaren! prisao.
A esta intimago respondeu o Dr. Marcos
Galuzzi. administrador da fazenda, o qual entre-
gou-se a prisa) e exhonou seus patricios a
procederem do mesmo modo, sendo assim presos
21 individuos, 12 horaens e 9 raulheres.
A autoridade regressou a esta cidade, onde
ebegou s 9 h iras da noite, trazendo, alm dos
presos, tres individuos feridos, dous dos quaes
faram encontrados na estago le Bemlica e um
na ca.-a em que reside, margem da linba de
ferro.
Segundo declaragoes feitas pelo Dr. Marcos
Galuzzi, deram se os factos-do segrate modo :
Desde muitos mezes exis'iara serias diver-
gencias entre os colonos italianos e individuos
de nac nalidade portuguea e brasileira, di
vergencias essas que o Dr. Marcos Galuzzi diz
ter procurado destruir, ora dissuadindo os di
vergentes, ora tomando medidas teodectes a pa-
cifl cal-os.
Mudos desses iudividuos, comquaoto traba-
Ihassem aa fazenda, nao eram empregados da
Companhia Org nisaco Agrcola Mineira, visto
terem sido contratados por conta exclusiva de
Joaquim da Costa Mesquita, proprietario do ar-
mazara da mesma fazenda.
Instigados contra es colonos e contra o Dr.
Galuzzi esses individuos.foram se tornando hos-
tia aquelles, provocndoos frequentemente, a
principio, pjr quesIOes de nacionalidade e, ol
timamente por motivos que se referiam almi-
nisiragao da fazenda.
Aate hontem essas divergencias tomaram um
carcter mais serio, a ponto de deterarinareni o
conflicto que noticiamos e cuja causa occasion al
foi o seguinle:
Por ordem do Dr. Galuzzi era costume dis-
tribuirse diariamente entre os colonos ft.lanos
o leite tirado s vaccas da fazenda ; antehontem
porm, os individuos, a que nos- temos referido,
julg"aio (ine esta distribuigo era injusta, deli-
beraran! oppor se a que ella se rizesse, apossin
do se, para isso, de todo leite tirado.
Alarmados poresse facto, os italianos foram
communical o ao Dr. Galuzzi. que, descontiando
de que o movel de tndo isto eram as instigagoes
do Sr. Mesquita, procuran tranquillisal os com
a promessa de que ia dar providencias no sent
do de fazer s>h:r da fazenda os revoltosos.
Procurando entender-se com o Sr. Mesquita
o Dr. Marcos Galuzzi, encnntrou o no amazera,
onde se acbavam tambera aluns lib?rtos, tra-
vanlo-se orsia occasio. entre os italianos qoe
acorapaaharam o Dr. Galtozzi e os referidos li-
bertos o coraeco de cooflicto, que te ia termioa-
do sem grvida*?, se mais tarde o Dr. Galuzzi e
;n*is dous companbeiros nao tires jem sido as-
saltali s na estraia por seis libertos armados de
girrucna.
Repellidos pelo Dr. (" iluzzi e seos compa-
nbeiros, tres dos assaltantes foram feridos na
luta, fugindo os outrosa sens perseguidores.
No dia 25, desencadeou se violenlissirao
temporal sobre a povoago de Caxarab, cahiu-
do sobre a residencia do 9r. Luiz Feroandes,
agente consular portuguez, uma-faisca elctrica,
que matou ura lil o seu e quatro empregados.
Durante o asno passado entraram no Esta-
do 3,?i72 imraigrantes seado por cwnta do go-
verno geral 1,274 e, por eoata da Associago
Promotora 2 578.
Besad* de M. Paulo
Dadas at 29 de Janeiro :
No dia 28, reuni se em Santos a colonia por-
tuguesa. O theatro Rinli achava se litteralmeii
te cbeio, avahando se em numero superior a mil
os assistentes. Foi approvada urna moco, au
torisanda a expedico de tele.grammaa ao gover
no. acamara munlcip de Lisboa e ao majar
Serpa Pinto.
Foi approvada tambern a proposta da ouVt
de urna espada aomajor Serpa Pialo. .
Assist o canto refteseotante da commisso
eatecutiva de S. raulooseareUfia Eduardo Sa-
lamooae.
Capital Federal
Datas at 30 de Janeiro-:
L se no Diario Official de 29 :
Tendo sido ama das folhas da manha de
bontem, 23, Iludida na noticia que den sobre a
pretenia crise ministerial, coa vera declarar :
E' inexacta a existencia de qualquer des-
accordo entre o Sr. mini-tiro da agricultura e 0
da .iizenia, quaaio ao dec eto de 17 do correte,
O Sr. ministro da agricultura, palo contrario,
est, como todos os membros do governc, abso-
lutamente solidario com o seu collega de fazen-
da, oeste como em outro qualquer assumpto de
deliberago ministerial.
E' inexacto, outrosim, que o Sr. mimstro.da
agricultura houvesse tentado solicitar a sua de-
raisso, c, portaoto, que houvesse subordinado
a sua acquiescencia a continuar nc-goveroo
condigno de modificar o ministro da fazenda o
decreto relativo aos novos bancos de emisso.
Ao Sr. mioislro da fazenda ninguem abso-
lutamenle propoz semelbante alvitre.
Nem de tal hypothese cogita o governo pro-
visorio, que oo resolveu alterar, nem alterar
esse decreto, conveocido, como se acha, de ouo-
ca ter servido melhor do que oesse acto os io-
teresses do paiz. *
L-se oo Jornal do Commercio de 29 :
Trata-se de reformar o regulamento dos te-
legraphos lo Estado, introdnzindo melno-ramen
103 reclamados pelo importante Mtico, e op-
portuna portante a occasio para fazer sentir
a Conveniencia de baixar as laxas at o nivel
necessario a estimular o desenvoivimento do tra-
fego, fonie nica da qual o Estado pode esperar
compeneaeo dos sacrificios que lhe tem custado
e ha"de unida costar a rede lelegraphica
E-ta compeu3ago teai-se manifestado so-
bremodo vagarosa e mesquinha, n) havendo
at agora a renda dos telegraphos, pelo menos
a renda palpavel ou a arrecada la por effeito do
servigo particular, produzido em nenhura anno
nem sequer o^quivalente do forte cusiera.
Qaanto mais se alarga a rJe, mais frouxa
mostra se a porce.itageui da re'-eita pira a des-
p-za, de maneira que, se prejCindissemos do
anestimavcl concurso qu a todos os ramos da
administrago presta o telegmpho seria de ra-
zio considerar este servigo por un dos mais ca-
ros da aleada administraiva.
Essa mesma renda arrecada la pelo telegra-
pho nao proporcionalmente produzi la pelas
uumerosas estages no grao correspondente
importancia das localidades.
A coutribuig io de muitas zonas qnasi im-
.weptivel, e, a nosn v-r o faci explica-se
p -la dureza das tarifas que al agora lem o isla
do>a que a.- connUTiicagO -s d: tal naiureza seha-
jam consiituilo ver.ladeira necessidade publica.
E'sera.duvida o espirito de bem entendida pou-
paiica que radiz o publico a p-ivar-se muitas
ve.es da vantagera das communicages rpidas.
Ofjecto i- este mu digno de ser con adera-
do. Estamos qne. baratea-la a co-respo,idencia
lelegraphica. o zelo pe i augmento da renda
s r posto em niPihor cuminlio do que manten-
do preces notoriamente elevados que abrigam a
so recorrer ao telegrapho as casos m que
lo ioso nao ciliar a despeza.
Elfeciuj-se forte reduego e, ao cabo de ai-
gura lempo, a cslalislica do inovimenlo lelegra-
plncoaccusai cora certeza progresado ascenden-
te minio mais activa io que aquella qne al ago-
ra um podido verilicar-se.
Ni liremos que a renda se eleve de promp-
to cima da actual.
Pelo contrario t-m-s por ce to que, se a re-
ducgo for sensivel, qual nos pare-e necessario,
a depressao da receita ser a consequencia im-
mediaU.
Tal era toda a parle o effeito conseculivo
as reduccOesdas tarifas.
O piienoraenn, porm, ser momentneo,
nao durando senao pelo tempo oecessario a tor-
mr-se bem couhecida a imiiorlancia pr,iicada
reforma as mltiplas re'ac5es la vida.
Dentro de algura lempo o desenvoivimento
do trafeg > (i que tambis faci universalmen-
te observado,1 ser suficiente para cobrir o d-
ficit passageiro e Iraca- a receita era progresso
sjgura e forte.
Enlado du Babia
Ditas at 2 de Feverciro.
y i referem as folhas digno de ola.
EMtado de Sergipe
O gov.-rnador d-ste estado coucedeu privi-
legio pira a construego de urna via-ferrea da
capital villa do Cachoeiro do Itapemirim, po-
dendo prolongar se al os limites do estado de
Minas Geraes, e subvengo por 10 anno?, e pri-
vil-gio por 15, companhia que estabelecer na-
vegacao por vapor no Rio Doce.
Foi publicado no Rio de Janeiro este tele
gramraa :
Ar acaj, 28 de Janei o.
Cbe$>u a-eoBUBisso de eogenherroa enaarre-
gadas da-cnaHrBego da estrada de ferro-de Ara-
caj a Sirno Dias.
0 chefe de polica que est em diligencia no
interior, lem capturado muitos ladrss de caval-
los e outros criminoso).
O governador do Estado dissolveu todas as
cmaras raunicipae3, D: meando intendencias
cranoslas depessol idneo e mais influente em
cala urna das loedidudts.
Augraeota a conanga no governo do Estado.
FLUYAS E COMERCIO
Conforme foi annunciado em jornoes do Rio
de Janeiro acha-se aberta no escriptorio do Cor-
reo do Povo a ioscripcu de aeges pa a a] As-
sociago AnonyraaCorreio do Povoque se
.vai installar.
O capital desta associago de 230:00000,
realisado en eotradas de 20 [ sobre o valor das
aeges, que de 1005000.
E' a primeira vez que o mechanismo das so-
ciedades ooonyraas se epplica as eir.prezas jor-
nalisticas.
Todas as que se tCn fundado pelo concurso
de varios cidados i a tomado o padro ua^ so-
ciedades era coramandita.
Associjgo annima respeitadas e altendidas
todas as exig:nclas legaes, com tol.m as regu-
laridades e jodas as garantas que a le exie e
prescreve, esta a primeira que sa cxmsiiUie
'com o iitnilo de desenvolver e faz t p ogredir
urna erapreza jornalistica.
Nao se trata agora dos qumkoes. dos cfasslcos
quinhoes, bae de quaoto jornal por ah s.- fu-
a. Trata se de urna aMociaeo anonyraa com
todas as garantas "legaes e raerec tdora, portan-
te da mxima conlianca, que se traduz na af-
flueneia ile acciooislas que absorveram ji a me-
tade do capital.

A subscripgo do capital para incorporacSo
do Banco dos Estados Uoidos do Brasil consti-
tuio um verdideiro successo, attingindo 03 pe-
d ios de negos a soturna superior a 200 mil
contos nominaes.
Acba se. pois, organisado o primeiro Banca
do Brasil, e satisfetlo o oosso alan que vio co-
roado ue successo a doutrraa que sustenumos,
diz um jornal do Rio de Jaoeiro.
IMSTBIAS E A1ITES
A-aba de ser publicado o relat.iio aposen-
tado pelo Sr. Dr. F. Draenert acerca dos vintos
nacionaes que se acharara na primeira oxposigia
desle producto, organisada sob a direceo da
Centro da Iadustna c Commercio de Assunar.
E' trabalho chein de iateresse para os viticul-
tores, coaleado iodicaedes uteis para a oascenta
industria, cuja coatribuicao tau'.o ptomette
formaga da riqueza nacioaal.
Dd capitulo relativo s analysea dos vlnhos
expostos consta que os de Moate ttoaiio, muni-
cipio de Pelotas, do Estado do Rio Grandod
Sul, mostrarara exceder cm qualidade a todoa
os que nao forato^tificialmente adagados, fa-
zendo presumir que aquella circumscrjpgo da
Brazil alcangar por este aspecto o primeiro lu-
gar entre todas as outras regioes brazileiras pro-
ducteras do artigo.
ET para notar que j no seu Relatorio sobre
viticultura no Brazil, publicado era 1888 havte t
Sr. Dr. F. Draenert posto era relevo como sa
apropriadas para a viticultura as coiMfigoes cli-
matricas do Rio Gran le do Sui.
No emtanto, esta primazia ate agora asegu-
rada ao Rio Grande do Sul pelas condiges na-
turaes poder ser disputada pela escollia. dt
boas vides e pelos cuidados poslos aa vinillca-
go que, particularmaote em. S. Paulo, tende a
melhorac

O grande induitrial Rrupp acaba de adquirir
na Pensylvania numenosos terRorios.
O graode fandidbr pretende estaBelccer urna
fabrica monstro na America.
'- ?


.
i

i

rJ
(
^^^
\ i


'J/A1W

Diario t\e PernanhiicoQuinta^feira 6 de Fevereiro de
Os eelabelerimpntcs de Essea portrato, nao
pasaaro de suecoi-sae*.

Ao Sr. A. Eloy la Cmara e conxnaadater
Mahrino Res, na qualidade de presidenta e se-
cretario do Centro da Industria a do Coramereid
do Assucar, dirigi o Sr. ministro da agrien!
tura o avi-o seguale, era data de W de Janeiro
ultimo :
D. posse do vosso officio .le 4 do comente,
pelo qual me asseguraes a contriouico do vosso
zelo para o estado das questdes referentes io
dustia sachar na, agraleco-vos essa provade
patriotismo bem c< mo as palavras com que me
signiticastes o vosso aproen e apoio resoluco,
em que me acho, de fomentar por todos os me os
ao meu alcance o desenvolviraento de serae
lhante ramo industrial, que ;o mportaate p;i
pe tem repr neniado e destinado a represea
tar na eona unia do trabalbo nacional.
O meu prasameuto nao nicamente pro
mover pelos moos lejaes a fund-co de enge-
nhos ceir es para fabrico de assucar e de alcool
de cania, tornando assim uiilisavel no raaio*
grao possivel a riqueza saecbarifera da ca-ina.
aperfeicoando os productos para que possaui
competir vantajosamente cora os simila'es de
diverja? p-o-eiencias, e permittindo 4 lavoura,
assim J s .reoecupada da tarefa industrial da
fabrieaco, concentrar a soa actividade no tra
baldo itropriam>-nte rural, to digan de provocar
a applicaeao de fieuldades esclarecidas pelo es
ludo. pWa ob*ervago e pela exiierieneia.
O qu- por Me lado tem si lo emprehendido
e conven ernprehender era muito maiorescala, a
espeito da industria assucareira, deve fazer se
tambera applicavel a outrns produ ios, entre o<
quaes raenciooarei o algodo e eslou ce rio de
que brabera para este ramo de interesses poderei
ccolar com a vossa col laboradlo, que inuito pro
melle causa do eneran ("Cimento nacional pela
exp.nso do t rabal lio e da riqueza.
Sade e fraterni lale. Demetrio Ribeiro. *
REVISTA DIARIA
Praroiarau di praiu-O governador
do Es'a;lo haixou o segrate acto:
3* Secco.Palacio do 5overiio rio Estado
de Pernambuco em i de Fevereiro de 1890^ -
0 Manchal Governador io Estado, leudo em
Tura o ex pos lo por negociantes esiab lecidos
nesta pr ca e pelo inspector do Thesouro do
mesmo Estado em offi io de it de Janeiro ulti
mo, sib n. 20, resol ve prorogar por 90 dias, a
contar do primeiro dia do exereirio vigenie. o
Srazo de que trata o artigo Io da leii, 2040
e 2 de Agosto de 18*9; limitndose o jate
de 40 las contas, a que se refere a raesraa
le.Jos Simeo de Oliven a.
Victoriano Palnaren-Victima de mu
congesiao cerebral que, ;oilo consectario da do-
lorosa e fermidade que o irazia prostrado na
longos annos o accotnmeltera no domingo ul
timo, failectu honten < 6 huras da tarde, o bem
Mohecido poeta e dislincto Iliterato Victoriano
Jos Marinho Palhares contando 50 annos de
dade.
Filho de Joo Carlos Marinho Palhares, ^ue
por muitos annos foi administrador da typogra
phia deste Uiuro, Victoriano Palhares nasciu
em Pernambuco, e aqu fez os seus eslulos de
humanidades, de envolvendo-se Ibes desde en
lo o otro potico, que foi n'elle um verdadeiro
dom.
De grande capacidade intejleclual, de espiriti
aberto a todos os elevados estmulos e comraet-
timentoi Victoriano Palhares coraprebendeu e
bem externou lodos os grandes sentires da alma
humana, cultivando a poesa em todos os seus
matizes e .-eudo verdaderamente eclctico.
Onde, porm, sua lyra vibrou sons aoaviosis
simos, Je extrema docura, e grande ixtensao.
foi na poesa sentimentalista. Bista citar a pro-
posito o seu mimoso livrinho As noites da vir~
gem. urna prosa de suavisslmos perfumes, 'e um
lyrismo dulcissimo e elevado.
Por oceasiao da guerra do Paraguay, qaando
em Pernambuco brilhavam tambera Castro Al ves
e Tobas Borreto, o raallogrado e dislincto per-
nambujauo sou ie cantar com bizarra os feitos
gloriosos do exercito e impulsionar cora as suas
ma culas e->tropne$ patriticas, todos os boos
sentimentos do povo, para fazel-o compatilhar
das dre e das alegras da patria.
as paginas deste Diario, correm impressas
muitas de suas prodoeces poticas dessa e de
oufas temporadas ; e era volumes reuni elle
muitas outns, geralmente apre:iad receo da forma, riqueza dos tons e preciso das
imageos.
Entretinto, esse poeta, que era to querido
das massas, sobre as quaes sabia agir, antes que
ae Ibe extinguisse a luz vital, leve um lento
bruxolear.
Casando se, e seotiodo a necessidade de tra-
balbar oela familia, fez-se funecionario publico ;
e, no anligo Consulado Provincial, de cojo pes-
soal fez parte, as voltas cornos mais que prosaicos
algarismos da arrecadaco fiscal, foi pouco e
pouco perdendo o gosto pelos trabdbos littera-
rios, que s de longe em longe ibe suscilaram
bellos lampejos.
Foi na soa cadeira de fonecionario publico, que
o apanhoo a cruel enfermidade que, obrigando o
aposentar se, aos poucos foi matando o
Aquelle bebo talento foi aos bocadinhos se ani
quilando, at que atioal pagou o tributo a mor
te, despreodendo-se-lhe a alma do seuenvolocro
material, .para ircaminho desse infinito azul cora
que tanto sonhra ella.
E a triste e desolad verdade que, se eraPa
lhares um moco pobre qoando casou, agmentou
a sua pobreza com a familia, composta da espo
sa e tubos, os quaes apenas lega um norae lau-
reado de poeta e urna honradez immaculada.
Sobre a campa desse bom e sincero compa-
nheiro de labores, pois quemuitocoliaborou elle
para o Diario, esolnamos urna saudade orvaha
da cora sentidas lagrimas
Deus receba em seu seio o nobre espirito do
chorado poeta pernambucaoo.
O seu cadver est depositado na igreja
ma'.rlz da Boa Vista, onde, boje pelas 4 horas da
tarde, terao lugar os ltimos suffragios por sua
alma, sendo depois conduzido ao Cemiterio de
Sanio Amar-
os amigos do infeliz poeta sao convidados para
assistirem esses actos.
Cama da oedaL-se o'O Pai'z, do Rio
de Janeiro, de 30 de Janeiro:
Realizou-se hontem, conforme fra rann
ciado o inicio da cuubagem das moelas da Re-
publica, misso -le. coube aoillustre engenheiro
Dr Ennes de Souza, direct^da Casa da Moeda.
A ceremonia comecou sTi horas da manti,
achando-se presente o Sr. generalsimo heodn
. ro da Fonseca, chefe do governo provisorio, os
cidados ministros da fazenda do interior e da
marraba, a grande numero de cavalbeiros e se-
nhoras da alta sociedade fluminense, pois, em-
bora nao houvessem silo feitos convites, as por
tas do estabelecimento foram franqueadas ao pu-
blico. .
O grande salao em que esta a omcina de cu-
nhagem acbava-se decorado ligeira mas agrada
velmente, tendo as machinas de cuobar os se
guiutes disticos : Homenagem ao chefe do gover-
no; A iraorensa, aos operarios; Ao Dr. Ennes
de Souza; Ao ministerio republicano; Aos em
regados da moeda.
Ao lado das machinas toca va urna banda de
msica.
Fanccionaram ellas ao mesmo tempo ao m-
fora n de ouro, do va-
l e de 500 ris ; de
res; de cobre de 40
pulso de poderosa machina que pelo imperce-
ptivel barulho que faz, bem merece o qnalittca-
livo de silenciosa.
As machinas cunnam urna moeda por segun-
do, ae4o o sea movmento perfeitaiiecte equi-
vaieie so de un- relogio.
Ora cada machina, por conseeuinte. cuoha
sessenia moedas por minuto, cu 3 600 por hora,
ou 36.000 em dez oras de trabalbo ; sendo seis
o numero de machinas, temos que a Casa da
Moeda pode cunbar diariamente 216.000 moe
das.
V se por esses dados, apaohsdcs rpida-
mente na visita hontem feita, a vantagem de um
> s'.abelec.ment as con Jic6es da Casa da Moeda,
sempre melhorado p rector.
As moedas cuohadas
lor de 20< ; de prata de
nick-l, de 200 ris e 100
ris.
As priraeiras foram entregues ao Ilustre
chefe do governo.
Concluida a ceremonia, fez se a visita das
importantes officinas do estabeleciment >, haven
do era todas empregados encarregados de minis-
trar inforruuccji's aoJ visitantes.
No laooralorio cbimico, o mais importante
do Rio de Janeiro, disse-nos o Dr. Ennes de Sou
za, o publico observou os apparelhos destinados
argenteaco e douraco, que funecionavam no
momento.
Em todas as i-alas, como di-sernos, havia
empregados e chefes e officiaes de gravura do
estabeiecimento, que punhara o viLlante ao par
do que dizia respecto sjqao.
o pavimento superior, foram impressos sel
los de varios valores e cores em presenca do Sr.
ministro da fazenda. que se raostrou verdadera-
mente satisfejto com o que observou.
Conn irlo Anglo-PorIuuei O Pniz do
Ro de Janeiro publicou este telegramma:
Lisboa, 8.
Vietima da epidemiainfluenzaacha se ha
lois eias de cama El-Rei D. Carlos.
O seu estado, porm, nao inspira cuidados
af mando os rae tiros da real Camiira que den-
tro era pouco estar completamente restable-
cido.
Afim de evitar tumultos nesta cidade dif
cuitando anda mais as negoriaces entre os re
presentantes de Portugal e Inglaterra, o governo
resolveu telegraphar a Serpa Pinto prohibindo o
seu regresso patria no momento actual.
Aquelle llustre explorador vae ser enviado
era misso especial costa occidental da frica.
Por emquanto iynora se qual o lim da mis
s3o a que o governo parece ligar alta impor-
tancia.
O mesmo governo insta pela arbitragem na
quesio anglo portugueza, declarando o conse-
Iheiro Serpa P.uentel que Portugal sahir della
triumpnaate.
Qoanto s negociaces entre Portugal e Al-
lemanna ainda sobre quest5es de territorios na
frica Oriental, coi rre aqu com visos de verdade
o boato de que as duas partes coutractaotes che
garam a um accordo sobremodo favoravel aos nos-
sos interesses.
as negociacOes entaboladas entre a Ingla-
terra e a Allemanba sobre anavegagao do Niger.
H ~iii;:r. k acaba de obler mais um brilban e
triumpho diplomtico, que vem facilitar muito a
oossa quesio com a Gr Brelanha.
A imprensa liberal ingleza contina a c m-
bater enticamente e com grande vantagem a
poltica aventurosa e improductiva de Salisbury
na Afri -a Oriental.
Serviro militarHoie superior do dia
o cidaio c pito Silva e tazronla de visita
um suiali reo de cavallaria
O 2o butalho dar a guarnico da cidade e o
ofOcial menos a guarda de Palacio que ser da
da pela forja de a: tilhena.
Ordenou se que no dia 7 do correte, seja
apresentado a delegada dodrurgio mor do ex
ercito alim ile ser inspeciooado desaude, para
poder effectuar o engajamento que preten-
de, o cabo de esquadra do 14 ae infamara
Francisco Ta^.
Declarou-^e que o ministerio da guerra por por
tarta de 16, concedau um mez de licenca ao 2
cadete e 2 sargento do 14 de infantaria Leopol
do Fernandes de Albuqueque Senna, para tratar
de sua saude no Estado da Parahyba, conforme
i-ommuoicou a repartico do Qurlel General em
o IB -io de 27 todo do mez prximo passado, sob
n 632.
Al.siaram-se corao valunta-ios o individuos.
Em viaxem -No paquete Maranho seguio
para a Capital Federal, vindo do Rio Grande do
Norte o Sr. Silva Figueir, secretario do gover-
no d'aqoetle estado e redactor chefe do Jcrnal dos
Economistas.
O Sr..Figuei: vae, no goso de licenca, visitar
sua familia.
iie.-ejamos-lbe prospera viagem.
oc-taoire e fcrlmnto Cerca de 4 no
ras da larde do i. do correte, prximo cidade
Cabo, um trem da ferro va de S. Fraociso aro
oelloj o inliiduo de nome Joo Hptista Nepo
iruceoo que. achando-se embriagado alirou-se
ao rio Pirapama. Usando ferido gravemente.
Fallecimenle-No dia 3 do correte linn
se a i. Mana Jannaria Moreira, esposa do
Sr. Amonio los Moreira. negocainte d'esta praca
com lo|a de fazeodas a ra do i uque de Gaxias.
A finada que era urna dtgna senhora por suas
virtudes desee ao tmulo arada na fior da idade,
deixand urna filhinha em lenra idade e quando
mais carecia dos ^eus cuidados e da ternura raex
cedivel de me.
Nossos pezames ao honrado viuvo.
Deopejo pnllio-A propo ito do que
honteo publicamos acerca doobjecto d'este Ulu
lo. procurou nos o cidadao Joo Joaquim da
Costa Leite, proprielario da ilba Suassuna, e ma
nifeslou-nos que nao poria duvida em acqu'.es
cer, que n'aqnella localidade se flzesse o despejo
dos lixos desta cidade, sob certas cc-ndises rea
Uvas ao servico.
Seria para aesejar que a Intendencia Munici
pal aproveitasse essa disposicio e entrasse em
accordo com aquelle proprielario para o referido
tim. fazendo assim um relevante servifo a esta
capital, que efleclivamente delle bem carece em
proveito geral.
Gymnaolo Pernambacano No dia 3
leve logar a abertura das aulas u'esse estabeleci
ment de instrueco.
Foi resada urna missa na capella do estabele
cimento, com assistencia do corpo docente, con-
vidados, diversos paes de familia e grande nu-
mero de alumnos.
O orador do Instituto foi o Dr. Joo Baptista
Regueira Cosa, cuja oracSo de sapiciencia occu
pon se da educaco em geral, fazendo o histori
co da instrueco publica desde os temos colo-
niaes at a fundacio do nosso Gymnasio e con-
cluindo por dirig r *e aos alumnos cujos estirau
los nobremente sobe despertar.
io perde o tempoAssim se podr
dizer de quem como nos tizer urna visi a ao novo
eetabelecimento do cidado Joo Ramos, silo a
praca da Independencia.
All encontrar o visitante tudo que de mais
agranavel pode desojar em artigos de luxo par?
toilet e usos de higiene, nolando-se entre os
muitos a-tigos urna bella colleco de quadros e
PStlIllPtlS
Est igualmeote o estabelecimento prvido de
urna grande quantidade de vinbos e licores finos,
que certamente contentar aos mais exigentes.
t niio Artiotlco-Bepublicana Hoje,
s 7 12 horas da tarde reuae se esssa Socieda-
de em sesso ordinaria, para tratar de negocios-
de importancia social.
Club' epufcHcan Parocalal do
- sistencia de grande noraero de asso<:iados.
Saordem de assumpKs de que tratou-se, e
dVotre muitas medidas de interesse social que
foram assenladas, sobresahio a nomeaco de
urna commisso para a reviso dos respectivos
estatutos _,
Esa commisso ficou comporta dos >n. ve-
licio Buarque, corao relator. Aprigio da Silva e
Manuel Pautaleo da Costa Monleiro.
ubdeleitacia Bo* Viola-O hon-
rado cidadio, subdelegado dessa freguezia, para
as devidas providencias e regulansaco das res
pe;tvas raedidas, -olicita daqu-les que possara
ser victimas de algum furto i u roubo, a part
cipaco raraediata cora urna nota assigoada dos
objeclos subtrabidos.
Club 9* inlboHoje faz sesso esse
Club, convidando para itso os respectiToa asso-
ciados.
Palia d'afuai.ommunicam-nos :
. Os babitantes.do Jistricto da 6raca, m-
xime os da zona comprehendida entre o Espi
nheiro e Campo Graode, aterrontados com a
falU absoluta p'agua potavel, por se acharen as
cacimbas ou pocos, de onde se supprem desse
Jao neces8ario elemento de vida, completamen-
te seccas, em consequeacia das irregnlaridades
das estacOea oestes dous ltimos annos, pedem
enrgicas providenciaa.de quem quer que as pos-
sadar, afim de nao menerem de sede, ou de-
sainpararem seas domidlios; visto nao ser fcil
quasi todos mndala vir da Sol dade pela
grande distancia, e portanto elevadissimo pre-
co
rana ment Por telegramma particular
sabemos ter fallecido na 'Capital Federal em 2
ao correte o commendador Francisco Justiano
de Castro Rabello, que durante alguna annos
residi entre i s.
Era o fioado homem inlelligente, trabalhador,
sisudo e suraraamente candoso, pelo que a sua
memoria jamis ser esquecida, pois que ella
se apba registrada em diversos actos de philan-
tropia, entre outros os prestados a Colonia Or-
phanologica izabel, da qual se coostitniu verda
deiro protector.
A sua Exm. familia nossaa condolencias.
outro -Era seu en^enho LimiU, termo do
Bonito, suecunbio no da 4 do correte urna
coogesto cerebral o coronel Ciaudioo Correia
de Mello.
O finado era um cidadao prestante e homem
I iborioso, que na vida agrcola, a torca de traba-
Iho, coostituio se urna posico de independen-
cia, que o melhor elog:o do sen carcter.
Deixa viuva e filhos, aos quaes soube impri-
mir a virtude e o trabalbo.
Nossas condolencias a afflictiva familia.
Aoaoclaco Medico Pbarmaceutl
tico Pernambncana Faz hoje em soa
sede e s horas do costume essa| Associaco a
sua prraeira sessio ordinaria do corrente anno.
Jalao Plaubycnoe -Ante hontem, sob
a presi lencia do Sr. Dr. Sigismundo Gancalves,
presidente honorario, funecionoa em sesso or-
dinaria a Sociedade Unio Piauhyense, para
proceder eleicSo de sua nova directora, que
Bcou aspira com posta :
Presidente honorario -Dr. Sigismudo Goncal-
ves.
PresidenteDr. S* Antunes.
Vice presidente Dr. JoSo Freitas.
t Secretario Dr. Je uino Lustosa.
2 idemJos Gayoso.
O-adorLenidas e S.
ThesooreiroOlympio Costa.
BbliotbecarioJoo Dias de Fre tas.
Tribunal do Jury do Becife Func-
cionou hontem este tribunal em sesso prepa-
rara sob a presidencia do Dr. Joaquim da Costa
Ribeiro, juiz de direito do 1" dislricto criminal.
Compareceram 21 juizes de facto, sendo sortea-
dos os seguiotes supplentes :
Freguezia de Santo Antonio
Jos Pedro de Assis Campos.
Aleixo Rodrigues de Moura.
Ibomaz Ferreira de Caryalho.
Francisco Jos da Costa
Dr. Ignacio Alcebiades Velloso.
Freguezia de S. Jos
Jos Irineo Ferreira Rabello.
Fnguezia da Boa-Vista
Antonio Carneiro Rodriguej Campello.
Jos Cesar Paes Brrelo.
Francisco Ignacio Prato.
Francisco de caula Prudencio Machado.
Dr. Luiz Rodrigues Villares.
Francisco Paula de Lima.
Luiz Epiphanio de Souza.
Dr. Joo Felippe de Mello Albuquerqoe.
Antonio Mana de Miranda Seve.
Toomaz Teixe a Bastos.
Jos de Barros Piraeotel.
Bonifacio Antonio Borba.
Dr. Aprigio Ferreira Chaves.
freguezia ae Afogados
Pedro Oso.-io de Cerqueira.
Joo Goncalves Torres.
Bellarmino da Cuoha Corte.
Francisco Zacaras de Moraes.
Freguezia do Poco
Jacintho Heodoro Al ves Cavalcante.
Oarail o Flix Peixoto.
Antonio Luiz do Amaral e Mello.
Augusto Cesario de Mello. .
Foram multados em 20*000 os seguintes
jurados que deixaram de comparecer :
Manoel Antouio Gongilves.
Mathias Tavares de Almeida.
Tnoir.az de Carvalho Soares Brando.
Silvino Antonio Rodrigues.
Dr. Francisco Gomes Prente.
Jos Cesarlo de Mello.
Dr. Lauro Castello Hraneo.
Major Ernesto Jos Felippe Santiago.
Henrtque Bernardes de Oliveira.
Joaquim Bernardo Falco.
Joo Moreira de Araujo Livramento.
Jos Francisco da Fonseca Galvo.
Joaquim de Siqueira Carneiro daCunha.
ugusto Fraocisco dos Beis.
Antonio Loureiro da Costa.
Andronico Lobo.
Alfonso do Reg barros.
Antonio Jos Felippe Santiago.
Clodoaldo Cito Camello t'essoa.
Ernesto de Vasconcellos-
Francisco de Paula e Silva.
Tenente Jos da Cruz Santos.
Jos Cavalcante de Albuquerque.
Joo Pi da Silva Valeoca
Jo.- Nicolao Ferreira Gomes.
Joo Ferreira Mendes Guimares.
Iiol'o Buptista Feroandes.
Jos Faustino Porto.
BelUrmino Alves Arxa.
Antonio Jos Duarte.
Antonio Gomes de Mallos.
Luiz Epiphanio Maurica.
Dr. Joo Sobra > de Lima Pinho.
Joaquim Bernardo Faieo.
Odorico Correia de Araujo.
Barode Petrolina.
Domingos Pinto da Motta.
Henrique de S Lello.
Ju-tmo t asado Lima
Jos Francisco dos Santos Miranda.
Miguel Jos da Motta.
Dr. Miguel Jos le Imeida Pernambuco.
Ptiilomeno Getulio Correia de Areujo.
Vicente Ferreira Noore Pelioca.
A sesso ficou adiada para hoje s 10 horas.
Entrada de aitncar e ulgodo
Por mar e trra vieram para o mercado do Recue
em Janeiro:
Assucar



De
18CS
1889
1888
1887
1886
De
Algodao
1890
889
18-8
1-87
1886
Digno de louvorO
226.041 saceos.
30 807
433 171 >
274.043
192 800
22.t25 saccas-
32.493
29.421
31.287
15.549 >
, cidadao Argemiro
F Ico, digno empregado do Telegrapho Naci
oal, officiou ao cnsul portuguez neste Estado,
offerecendo a Portugal os servicos e parte dos
seus venciraentos como funecionario puulico, no
caso de qualquer rompimento entre este paiz e
a Inglaterra.
O cnsul portuguez respondeu ao cidadao Ar-
gemno Falco agradecendo to generosa offerta,
que bem mosta quanto o nobre e brioso povo
brasilero sabe oresar as IradigOes da sua rata
e o ffecto que une os ce races de duas nacfles
irrns.
Villa de >'uwa benbora do O* de
CoyannaEscrevi ram-nos d'essa villa em 3
do correte.
ijoiitem, cerca de 4 horas d tarde, convite
do cilado Quinlino Malta, reunio-se na'casa
o 3 da roa do Vigario d'esta villa grande nume-
ro de cavalbeiro8 a senhoras, no intuito de se
tratar da fundaco de u na sociedade litteraria,
que, em honra a Repblica, fi ou definitivamente
con -tmida comadeoominaco de-Club Littera-
rio 15 de Nove obro -e cuja directora foi eleita
pelo modo segrale :
PresidenteQumiino Pereira Malta.
Viw presdeme C ipito Hermioo Augusto P.
Babello. .
1 Secretario Josquim Soares Fernandes oe
2." SecretarioJoaquim Antonio da Fooseca
Galvio.
BibliothecarioFrancisco Saturnino P. Malta.
OradorManoel N. de Araujo Baceilar.
ThesoureiroGap to. Jos Amanera P.Malta.
ProcuradoresJos de Freitas Cordeiroe te-
nente Silvino de Paula P. Rabello.
Foi aoutera um da de festa e regosijo n esta
villa. Lia-se em todas as phisionomias o enthu
siasmo e contentameoto pela realisacao d'esse
emprebendimento.
iraadega de Peraambtaeo Damosm seguida o mappa demonstravo do rendimento
da Alfaodega -de Pernambuco, no mez de Janeiro de 1889 comparado com o de igual, mea do
DRNOtHRACO DAS RINDAS
Importaqao
Direits de consumo .
Augmento de 50 % -
Addiciooaes de 10 "/,. .
Expediente de 5,/,. .
Armazenagun .
Capatazia......
Imposto de fumo, 40 /
Despacho martimo
Imposto de pharoes.
Dito dedcas .
Expoi-tacdo
Direits de 9B/.
Ditos de 7 % .
Ditos de 5 %
fn(rior
Sello por verbas. ,
Dito adhesivo.....
Transraisso de 5 /
Extraordinai ia
Multas .....
Fundo de emancipaco. .
Depsitos
Depsitos de diversas origens
Contribuico de caridade. .
Sommas .....

1889
878:604*512
i
|
6:067*591
11:999*321
3:418*074
*
o:940000
1:366*800
2:062*978
4*410
31:262*935
70500
*
4*000
743*335
45:162*848
563*195
3:642*319
990:903*319'
1890
730:094*006
41*040
14:I12*:95
5:858*4(0
9:970*051
2:843*9:17
2i*000
5:260*000
1:777*200
2:398*870
4:987*364
2:072*111
99*800
*
*750)
1:248*639
38:553*395
1:469*520
3:468*078
824:279*556
DIFPBBNgAS
Para mais
*
41*040
14:112*395
*
*
*
25*000
*
410400
335*892
4:982*954
*
29*800
*
*
511*30'
*
9061325
21:357*110
Para menos
148:510*507
*
*
209*191
2:029/270
574*137
*
6801000
*
!
29:i90#824
*
*
3*250
*
6:609*453
174*241
187:980*873
RECAPITULACAO
DBNOMl.NAQAO-DAS RENDAS
Importago......
Despacho martimo. .
Exportaco......
Interior........
Extraordinaria.....
Depsitos.......
Total.....
I
900:089*499|
7:3'**800
33:330*3231
74*000!
45:897*183
4:205*514
990:903*319
762:943*S29
7:037*200
9:458*345
100*550
39:802*034
4:937*598
824:279*556
*
*
*
26*350
*
732*084
758*634
137:145*670
269*600
23:871*978
*
6:095*149
*
167:382*397
DiffereDca para menos.
166:623*763
2* secco da Alfandega de Pernambuco, 4 de Fevereiro de 1890.O chefe de secco, Cicero B. de
Mello.O escripturario, Francisco Lopes Cardim.
Directora da obras de eonoer**-
-ao dos portos de PernambucoReti-
re, 4 d j Fevereiro de 1890.
Boletim meteorolgico
- . 9 -3
Horas - 3arometro a s Tenso do vapor i
6 m. 26,6 759-69 20,48 78
9 29,6 761-26 21,64 69
12 30-.2 760-74 22,00 69
3 t. 30,1 '59-49 21,33 67
6 i 759-65 21,39 74
Temperatura mxima31,00.
Dita mnima -26,- 00.
Evaporago em 24 horas: ao sol 8,-3 ; 4
sombra3.-7.
Chuva- nulia.
Direcco do veno : SE com algumas interrup-
(Oes Je ESE e E lurante todo o lia.
Vclocid-de media do vento2,-52 por se-
gundo.
Nebulosidade media0,-47.
Boletim do porto
3
Dias
Horas
B. M. 4 de Fevereiro 1016 da manh
p. m.i j 446 da tarde
B. M.j .11-13
P. M. 5 de Fevereiro 5-15 da manh
Aku'S
0-,62
2-,42
0-,48
2-,37
Leiloes -Effectuar-se bao os seguiotes :
Hoje:
Pelo agente Gusmo, s 11 horas na raa da
Aurora n.-43. de movis, loucas, vidros ele.
Pelo agente Stepplc, s 11 horas, na ra da
Princeza Isabel n. U, de movis, loucas vidros
ttc _
Pelo agente Martins, s 11 horas, rna do Ba-
rio da Victoria n. 46, de movis, loucas, vidros,
6 tC
Pelo agente Pestaa, is 11 horas, travesa do
Corpo Santo n. 27, de movis e outros objectos.
Amanh :
Pelo agente Pinto, s 11 horas, em frente ao
armazem n. 45 da ra do Bom Jess, de um ca-
bnolet americano e de 2 cavallos.
Mlssas fnebresSero celebradas :
A's 7 horas, na igreja do E3pirito-Saato, pela
alma de Francisco Cardoso Simas ; s 71/2
horas, na igreja da Gloria pela alma do Dr. Joa-
quim Gomes de Oliveira e Mlva.
Sabbado: ... .
A's 8 horas, na matriz de Santo Antonio, pela
alma de Rosa Emilia da Fonseca e Silva .
PaMagetro-o Cbegados do norte 00 vapor
americano Allutnca :
J. Rotschild, Samuel Ribeiro. W. H. Warner,
J. H. Scott, Rodolpho Limo, A. Silva, Joaquim
Pins. _,
Chegados do sul no vapor raglez Elbe :
Gustavo Pereira Pinto, Vicente Alves do Soc-
cor-o Goncalves Pinto Magalhes: Marie Villan,
John Eigers.Guiiherme Duarte Nascimeoto, Dr.
Invenco Senna.
Sabidos para a Europa no mesmo vapor :
Arthur Ribeiro Faria. Erama Sidley e Francez
R Kerr (menor) Antonio Joaquim da Silva Lis-
boa, Job N'icolls. MartinEller e G Mattson.
Operacoes cirurgics -Foram pratica-
das 00 hospital Pedro O, as segrales :
Pelo Dr. Estevo Cavalcante :
Raspagem e causterisacio termo cauterio n
dicadas por ulceras syphiliticas.
Pelo Dr. Arnobio:
Amputaco pelo methodo circular no terco su-
perior radicada por ulcera grangreoosa na perna
esquerda.
Pelo Dr. Berardo :
Exlraceo de cataracta era ambos 03 oraos.
Tarsorraphia com retilho ovalar e transplan -
taco dos bordos de ambas as palpebras recla-
mada por hychiasis parcial das palpebras do
olbo esquerdo.
i;aoa d*> OetencatMnvimento aos pr
s is da Casa de Deiencao do Recife, estado
de Pernambuco, em 4 de Fevereiro di 890
Bx'R'iau, 543 ; entraram 16; saniram21; exia-
:em 538
A saher :
Ncionaes 507 ; mulberes 29; estrangelros 7 ;
-Total 543
*rracoHiioa 443
Bons 409
Doenten 23
Loucos 8 -
Loucas 3
-Toul 433.
Movimento aa enfennaria
Tiveram baixa :
Isidoro Antooio Teixeira.
Seraflm Leite de Lima. ^
Tiveram alta :
Jos Germano Dias. *
Antooio Pereira Bastos Mangabeira Sarar.
tluapitai Pedro U movimenio de. le
istabelecimento de caridade, no dia 4 de Fe
aeiro ''o o segrate:
Entraram
Sabiram f
Palleceram *
Exi8tem "
'orara visitadas as respectivas enferm;.i*!is
eios Drs.
Cysneiro s %
Barros So 011 10 s 6 3/4.
Berardo r 10 3 4.
Malaqnias s 10 3/4.
Pontual s 9.
steWio Cavalcante s 9.
Simoe8 Barbosa s 10 1/4
O Dr Hoscoso nao comparecen
O cirurgio dentista Huma Pompio s 9 3/4
horas.
0 pharmaceutico entrou s 8 lt4 da niana 3
.lio s 5 1/4 da tarde.
O ajudante do pharmaceatieo entrou a?. 7 1 4
ahio > s 2 1/2 horas da tarde.
Lotera do ram-ParA 8* parte, di,
Jl* lotera, cujo premio grande de 250:000*
ser extrahida no dia .. le Fevereiro.
A 3' parte d 33' lotera, dessa provinai
;ujo premio grande 120:000*000, -cr extrabi
la no dia .. de Fevereiro.
Lotera da corteA 2" parte da 254' lote
a, cujo premio maior de 10:000*000 ser ex-
trahida no dia 8 de Fevereiro.
Cemiterio publicoObituario do dia 4
de Fevereiro :
Mara Januaria Moreira, Rio Grande do Norte.
30 annos, casada, Santo Antonio; peritonite
aguda.
Um feto. Pernambuco, Santo Antonio; nasceu
morto.
Bibiano Gomes, Pernambuco, 45 annos, viuvo,
Gr ca ; -ci lise heptica.
Manoel, Pernambuco, 1 dia Santo Antonio;
Inviabilidade.
Brasilino, Pernambuco, ljmez, Boa-Vista ; ane-
mia.
Josepha Maria da Conceico, Pernambuco, 20
annos, solteira, Boa-Vista ; varilas confluentes.
Maria da ^onceijo, Pernambuco, 38 annos,
solteira. Boa Vista; epilepsia alcoolica
Sil vina Maria, Pernambuco, 60 annos, viuva,
Boa-Vista ; leso da aorta.
Jacoro Heniksen, Russia, 46 annos, solteiro.
Boa-Vista; leso cardiaca.
Eoile Scheinder, Franca, 33 annos, solteiro,
Boa-Vista ; gas:ro enterite.
Francisco de Moura Marinbo, Graca ; paralysia
geral,
Ma-tba, Penambuco, 1 anno, Graga; ttano.
Manoel de Souza Leo, Perdambuco, 19 ao
nos, solteiro, Boa Vista ; febra intermitente.
SPORT
Antes tarde do que nunca.
.Voltamos presenca do honrado escriptor da
secco sportiva da Epocka, pedindo-lhe desculpa
pela demora.
O collega leve a generosidade de sagrar nos
mestre.
Nao leve mal. pois, que procuremos respon-
der s objecees doutrina do compendio, le-
vantadas nessa sabbatina pelo habilissimo pro
vecto, que sempre ter o nosso voto de distin-
ceo em suas pravas.
A cadeira era regra solidaria con a doutri
na do compendio : nao a creou, mas esposa-a. e
este titulo tem de sustental a.
*
A nossa volta este assumpto, como se com
prebende fcilmente, nm trabatho de inte-
grafi**0- i
Como tal, pois. iniciamol o accentuando, que
nao mais que urna finura da posico de ar
guente a discordancia de apreciaco sobre a
victoria do Sans-Souci, que nos empresta o col
lega, averbando de opinie dame:ralmente
oppostas o que escrevemos ento
Ora, o que j deixamos dito a respeito do
pareo, na parte deste escripto publicada no do
mingo ultimo, exclue essa averbago de discor
dancia e opposico entre si dos dous tpicos,
que o collega tomou sua rilica com sacrificio
4o sentido agagico dos proprios tpicos.
E. certamente, si os tivesse apreciado por
corabinaco, sem ter cedido ao appetite de iso
lal-os para a concluso que tirou e com a qual
nos intima urna reconsideraco, teria cnegado a
outro muito diverso resultado.
Com effeito, haveria attendido a que n'um dos
tpicos alludia-se por simples txemplificaco
um pareo com as circumstancias oceurrentes de
animaes parados na raia e-nio acudindo par
tida. outros mal corridos, e arada outros emfira
esgolando se em lucia real ou apparente; ao
passo que no outro assignalava-ae distinctaojen
te a victoria do Sans-Souci, que sendo parte
d'aquelle pareo, fizera boa corrida, sabendo e
podendo ganhal- a, quanllo outros por ventura
obedeciam a 8'inha e cumpriara o triste fadano
da combinaco.
D'ani com taes premissas, consequente que
a concluso se nao contem as mesm is pre-
missas ..
E urna vez que ella nao a necessana, a dis-
cordancia attnbuida nao lem tambem existencia
real; assim como objeccSo de algibeira, na
giria escolstica, e dito aqu sem querer meiio-
drar ao collega por forma alguma, em razao do
muito que nos merece e da consideraclo de que
credor, por ser-nos o discipulo amado.

Triste rosiclo a do defendente t
Post 1 a ouvir o que lhe arguem, hade dar Ibes
resposla satisfactoria, a tiles cuja argmco
vontade.
E' a nossa situacSo respectivamente ao honra-
do escriptor, a qu nos referimos.
E8tee8creveu-.- o collega faz referencia ao
jogo de Ida e Stella, e nos lem bramos lhe, que,
apezar de ter sido conhecido e sabido que o
primeiro animal ia perder para o segundo, nem
por isto o jogo do pareo enfraqueeeo e antes
pelo contrario elle subi de urna forma seotivel.
sendo c melbor de todos oj pareos
Outro Unto nao acon.eceu no Prado Pernam-
bucano, no mesmo pateo de egua3 onde nao heu-
ve tr bofe e onde tambem o jogo limitou-se a
quantia muito insignificante.
Sempre mal comprebendidos I
O que ah accenluoo o collega nao se autorisa
por forma alguma em nossas palavras anterio-
res, nem representa o nosso pensamento.
Da tradueco legitima deste ou do estudo lit-
teral d'aquellas, \ se seme sforco, que a refe-
rencia nao foi nao po fia serao jogo: e ao
contrario alludia ao escndalo da corrida, teve o
por ot jecto. a es factor de desconllanca, que
se quer curar cora palliativo.
Bspalhou se. certo, a previa victoria de
Stell ; mas isto recurso nao raro de melbor
ratera do animal que'leve regularmente ganhar
em partos de cominnagao.
Levan lou se esse reclame, com effeito ; mas
nao criara na .- ua verac dade, nao admittiam a
possibilidade de SU lia ganhar a Ida, que tam-
bera pela mesma forma era assignalada como
segundo, quando em definitiva esta coilocacao
coube a Invicta.
N'esla predisposigo de animaes, na recusa de
ad misso de tnbofe onde o collega affirma lhe a
existencia e boje nos mesmos a confessamos, cao
era muito que se manifestasse animaco as
apostas; e a contrario sensu que esta se retratas-
se na seguinte corrida no irado, pela lico an-
terior, quando j nao havia igual sengao de es-
pirito, e diversamente dominava a desconfianca
pela-crenca que arraigouse de algum tribofe,
ainda mais justificada na circunstancia de s.-rern
as melhores eguas do pareo de forca i-ual, e
d'elle nao fazer parte a Ida, que llie era a su-
perior.
O collega d nos, porm a segurang de que
nao bonve tnbofe. Acceitamol a por sua pala-
vra, si nao tambem porque gauhou na competen-
cia um animal que seria capaz de co 1 seguir a
victoria regularmente.
No entretanto, importa distinguir entre o facto
nao bouve e a possrbidade de liavcr. Nao heu-
ve, porventura, em razao das proporjes do jogo;
poderta ter bavido si outras fossem us mesmas
proporcOes, qiB chegassem cora ensanchas a
compensar os cheques-iscas. que nao raro tomam
aponta como um chamariz.,
A isto 0 que o collega nao pode dar a sua ga-
ranta, nem alguem a dar jamis, quando as
combinacoes agilam se e movem se sem cessar, e
fazem urna atmosphera que no turf nos circum-
da e nos cii um ambientg irapostivel vida de
profanos.

O trecho citado nao podemos, >>, aecdtar
como um postulado e menos admitljr a conse-
qu ndi que o collega lhe afieicda.
Quer o colleaa, das circumstancias que arts-
ticamente enfeixuu, e cujo no pensamos liaver
desfeito, de luzir o caosaco, que requer um refa-
zimento ao seu ver, e nao a desconfianza cuja
existencia aflirmamos como causa doabatimento
do nosso turf.
E ainda, corao complemento do alludido tre-
cho, foi lhe addicionado esto outro, consoante
perfeilo ao mesmo tira, antecedente armado
idntica consequencia :
O que facto que as dignas directoras
teem tomado providencias enrgicas contra as
combinacoes de jorkeys ou pro rietarios e nao
teem obtido seno rehilado negativo, e vimos
as duas ultimas corridas onde nao bouve cora-
bi 11.,<,o -s, o jogo comiiiuar a ser insignificante.
iii j ch gando us lucros para as despezas da
corrida.
O collega aventura se muito n'essas asseve-
racfoes :
Falla de combinaoes as duas corridas do
Derby e Irado a que allude, muito arrojo de
imagraaco ou de poetisar a idea que sustenta I
Providencia0 enrgicas nao podem ser de ef-
feito negativo, quando tomadas convenientemente
e com animo de tornal as effeetvas. Cremos que
as dignas directoras se inspirara em senlimei-
tos de moralisaco, e as providencias coase-
quentes que tomaren], sob formas diversas, in-
cessan.es, todo dia e a cada pareo mesmo, sero
a alfirmaeo do resultado desejado : a privaco
do direito de cidade. ao tribofe.
Acabem se as combinacoes.
O animal que vai para a raa, paca tocar e
dar na corrida 1aoto quanto o perraittam euas
forcas: nao ha direito em prescrever-lhe collo-
c .cao a priori.
Isto um abuso um acto de improbidade qua-
lilicada da paite de quem quer que seja; e a
respectiva pratica lira aposta o carcter aleato-
rio para i nprimir-lhe outro diverso, que pode
cahir sob a sanego penal.
Acabem se as combinacoes, ne pereat turf.
E quando isto se conseguir, semelhanga da
Therais raythologica, que deixava a ierra per-
vertida e se remootava ao Olyrapo, a coulianca,
que desappareceu do nosso turf, se restabelece-
r. a elle voltar tambem, e fara rejuvenescerern-
lhe as forcas como effeito d'essa grande e nica
providencia, que as circumstancias exigem.
*
A via foi ionga.
Podel a hiamos mesmo qualificar de penosa.
Mas a amabilidade do collcga foi nos tambem
urna compensaco.
Sua gentileza registramol-a agradecidos, coma
um facto do confradismo jornalislico.
Prado Pernambucaoo
Na terca feira ultima encerrou se a rascringo
para al.* corrida, que ter lugar no dia 9 do
corrente.
Gis o resoltado da mesma rascripQn:
!. pareo Ensaio800 metros :
Boolanger, Invicta, Barnave, Odalisca, Borra-
cho, Capeta, Bom Jardim e Morcego.
2. pareoInicio- 800 metros :
Hercules. Talispher, Piraj,Trigueiro,Mipon,
Poiosi, Patinho, Don, ex Marat, Vivaz, Pluto,
Humilde, Collosso, Cangur e 19 de Junho.
3." pareo Progresso 1100 metros :
Aymor, Minerva, Atiila, Galliteu e Maestro
4 pareoConsolaco-8 0 metros :
Hercules, fransclave, Bonaparte, Mignon, Ger-
faut, Ba-Vista, Dublin, Cndor, Humilde, Lu-
cifer, Collosso e Monitor.
5." pareo-Emulaco-1.000 metros:
Sans-souci, Good mornrag, Cauby, Village e
Monitor.
6. pareo-Grande PremioEstimulo1 609
metros:
Vesper, Brazil, Apollo, Dianna e Bufet.
.
'
3 #




'
'







r

*
-
- :

. 7." pareoExtra800 metros :
Ida, Odalisca, Stella, SybjHa. Fantina e Co-
ruja.
INDICARES TEIS
no
Ci
d
n.
cas
da
Mdicos
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
ra Nova n 32, onde pode ser en-
contrado do meio dia s 2 horas e for*
[estas horas ra do Bar2o de S. Borj
22. Espe nalidadesmolestia de crian-
, senhoras e parto. Telephone n. 32S
casa de residencia.
Dr. S Pereira, ra da imperatriz n. 8,
d consultas medico-cirurgicas todos os dias
das 8 ao meio dia, menos nos domingos e
dias santificados.
Dr. Cauro Jesua medico e operador.
-"rauca a lavagem do tero quando e 00-
aconselhad. Consultas das 11 s
tarde em sua risidencia ra do
Jess (antiga da Orua) n. 23. t.*
Telephono n. 380
Dr. Joaquim Loweiro medico e partei-
consultorlo ra do Oabug. u.
andar de 12 s 2 da tarde; reaadenc 1
Monteiro.
no
3 da
om
radar.
o
t.
10


Diario de Pernambuco--Quinta-feira 6 de Fevereiro de 1890
'<
tr.

Dr. Ribeiro da Brut d consulte* dt
meio da s 3 horas da tarde, no 1. an
dar a ra Duque de Cosas n. 46, poden
do ser procurado para chamados na sus
residencia ra ao Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Alvares Quimarcles, dediea-se me
dicina em geral, e jota especialidad s
molestias do cora jio, pulmSes, figado, es
tomago e intestiaos e tembem s affeccSes
de enancas. Reside ra de Fernandes
Vieira n. 23, e tem consultorio na ra do
Bom-Jesus (anttga da Cruz), n. 45, onde
d consultas do meio-dia s 3 horas. Te-
lephone a. 381.
O Dr. Simplicio Mavignier.~Clinicst me
dico-cirurgica. Especialidades : moloc-at
Slimonares e partos. Ra do Maro,u de
linda n. 27, 1. andar. Consultas uas 11
s 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da manhS o i
tarde Teleshone n. 392
drogados
O advogaao Jos Antonio de Magalhaes
Bastos mudon o seu escriptorio para a rui
1." de Marco n. 18. 1. andar.
O baehard Joaquim Ihiago da Fonseca
tem seu escriptorio de advogado ra do
Imperador n. 14, 1. andar.
O baehard Bonifacio de Aragao Faria
Rocha contina a advogar. Escriptorio
ra do Imperador n. 46., 1." andar.
O baehard Pdronilho de Santa Cruz Oli-
vara, encarrega-Be de levantar empresti-
mos perante o Banco do Brazil para auxi-
io da lavoura. Escriptorio ra do Impe-
rador n. 69, 1." andar. Residencia sitio
na Jaqueira, prximo estacao.
Occullsta
Dr. Ferreira. com pratica aoe princi-
paes hospitaes e clnica de Paria e Lon
dres, consultas todos os dias das t
horasdao meio-dia. Consultorio e resi
daera a ra Larga do Rosario d. 20.
Dr. Barreta Sampaio, oceulista, d con-
sultas de 1 s 4 horas no 1. andar da
casa ra Barao da Victoria n. 51. Resi
dencia a ra 7 de Setembro n. 34, entra*
da pela ra da Saudade a. 2.
19 rogarla
Faria Sobrinko & C, droguitjta por at
cade, ra do* Mrquez de Oiinda n. 41.
Francisco Manad da Silva & C, deposi
tarius ele todas as especialidades pharma
ceticas, tintas, drogas, productos chimi
cas e medicamentos homeopticos, roa d(
Mrquez Oiinda n. 23.
Tinta de escrever
A melhor a tinta Victoria, vende-se i
500 rs. meia garrafa e a 800 rs. una gar
rafa inteira na Livraria Comtemporanei
de Ramiro M. Costa, rua Io. de Marco n.
2, loja de ferragens de Albino da Svj
& C, rua da cadeia n. 42; loja de ferra
gens de BrandSo & C, ru- Duque de C>
xias n. 46.
PUBLICARES A PEDIDO
O Dr. Amaro Bezerra
I
Desde o ultimo pleito eleiloral, que se ferio
neste Estado, que o Sr. Dr. Amaro Bezerra, por
si e por seus agentes, abri contra mim urna hor-
rivel propaganda de di/famacao, a que por digni
dade propna e em respeilo ao publico, tenbo
deixido de dar a conveniente resnosta. Mas a
prudencia nao e orna fonte iaexgotav-l e a ag
gressiio s vezes d tal sorte que o hoinem tem
indeclaiavel necessidade de acceilar a lucia e
repellir o aggressor.
E' 0 que se da bojecommio : oa obngado a
dizer ao Sr. Dr. Amaro Bezerra urnas taas ver-
dades, amargas incootesiavelimnte que ?ervi-
rao para deshvelar Ihe a mascara e expol o, tal
como ao publico, ao paiz inteiro.
Antes, porm, de dar-me a cese trubalho de
disseccao, tenbo necessidade- de o:tar a celebre
questo do ultimo pleitj elettoral. que se pro
cedeu no 2o distncto desle Estado. ,
Em obediencia vottade prepotente, ao orgu
Ibo e caprichos de mltao do Dr. Amaro Bezerra,
os seus agentes, representantes de un comino
coostituido por pretendenles chamicos e indivi-
duos, que sobraram, proeuram assoalhar, com
toda a baixeza de mercenario*, c >m perversidade
inaudita e um servilismo, que bein caracterisa
a individualidade de laes instrumentos, que u
vend ao Ur. Miguel Castro aelerao do 2 dis-
tncto-----
Eslava no proposito de nao lomar em consi-
derado semelbante misea M.s desde que
oD-. Amaro Bezerra, por publicaces, que tem
feito e est fazendo, nao hesita em encampal a,
prestando-lhe sua responsabilidade. emendo
que devo, ao menos em attenco ao publico,
que acato, explicar os factos e tornar patente a
calumnia, apontando jusra da sociedade o
calumniador-----
Eon 1883, pouoo depois do f.llecnneo:o do Dr.
Euchdes Deocleciano de Albuqa^rquo, de sau-
doja e hoorosissima memoria, e que oceupava o
lugar de sub chefe do partido liberal, chegaado
o Dr. Amaro Bezerra esta capital, onde, pela
Revista do Mercado
RiCIKE, 5 DK KEVEREIRO DE 1810.
Houve negocios no3 mercados de cambios e de
algodo.
Bolsa
COXALES OFFICIAES DA JUSTA DOS COR
EETOEES
Recife, 5 de Fevereiro de 13'0
Aecoes preferenciaes da companhia dos Trilhos
Urbanos do Recife a Oiinda e Beberiise, do
valor de 200*, ,urosde7 0,0 ao wr
Cambio sobre o Rio de Janeiro, 10 d/v. cem 3.8
0/0 de descont.
Dito sobre dito, 15 d/v. com 1/2 0/0 de des
cont.
Cambio sobre New York, 3 d/v. a 2*040 rs. o
doltar.
Na Bolsa venderam-se
8 aeces preferenciaes da companhia dos Tri-
lhos Vrhanos do Recife a Oiinda e Bebcribe.
27 ditas idem dem idem.
OjDresiden'e,
Antonio Leona do Rodrigues.
0 secretario,
Eduardo Dubeux.
Cambio
PEA9A DO BECIFE
Os bancos mantiveram a taxa de 24 d., haven
do negocio > 24 l,* pela manh e urde a 24,
entrega at m de Marco.
Nao houve negocio em papel particular.
PEAgA DO BIO DE JNEIRO
A taxa offl nal foi 24, saccaudo, porm, o Lon-
don sobre a caixa matriz da Londres a 24 1/8.
Algodo
Vcnden-se o de sorte do sertSo a 7*050 e
7*100.
A exportaco feita pela alfandega ne3te mez at
o da 3, constou de 989.420 kilos para o exterior.
As entrada verificadas em Janeiro flnd), su-
biratn a 22.125 saccas, sendo por :
B iracas..... 2 351 Saccas
Vapores..... 47
circomstanci a de estar para abrir se a assembla
provincial, eocontmu as influencias liberae* dos
dous dislrictos desla entao provincia, proenrou
e conseguio congregal-as para o fim de se de
terminar o coreligionario qus devia substituir
na sub cuea do partido o malogrado mogo e
honrado cidadao, que a morte tao prematura-
mente arrebatara aquella importante investidura.
Reunidos os membros proeminentes do parti-
do, re8olveram, una toce, que o Dr. Euclides
fos6e substituido por mim, na sob-cheia do
pirtid e coDseguinlemente na direccao do
mesmo. ...
A intervenco do Dr. Amaro Bezerra foi igual
a de qualquer outra das influencias liberaes, em
que pese aos que, affeitos ao servilismo. aco3-
tumados canga, veem em S. S- um como que
Jupter Tunante, ou Alli-Pach, embora de Vau
deville.....
Nao foi o Sr. Dr. Amaro Bezerra auem, me
tomando pela mao, collocou me na posicao. em
que rae mantive at o momento ioolvidavel da
revoluco de 15 de Novembro. Digo al o
inolvidavel momento da levoluco de 15 de No
vembro porque de ento esta parte, dissol-
vidos os velhos partidos, entrei com os mrus
numerosos e prestantes co-religionarios, excepto
o pequeo troco da camarilha que ticou com a
fartnha do Visconde de Ouro Preto, para o glo
rioso partido republicano, chefado por um moco
de talento, de pa.riotismo, illastrado, norte-rio
grandense pelo na3Cimeulo e pelo coraco. que
denodadamente pleiteou a causa da repblica,
neste Estado.
Pelo tacto indicado, v se bem, ffcou minba
acco poltica limitada cooperacao com os
meu3 amigos na obra patritica da coosolidi-gao
das novas instituices. Na minhaidadejcan
gado de tantas lucias, minha nica ambicao o
meu nico estimulo ver lirmado o rgimen
republicano e feliz a mitiha trra. Para iste
tr.ibalharei, em quanto Deus me der vida e po ler
mover me, sem reconhecer a necessidade, a que
nunca me eubraetli, neo me gubmetterei, de
pedir licenca o ;Dr. Amaro Bezerra, fazer Ihe
cun aturas e cantar-Ihe obenedicite, como muitos
que atina! acostumaram-se ominosa tutella
Recebendo tamanha conanca do meu partido,
deixei meus haveres, meus commodos e minha
familia na cidade do Principe, do Serid.e, fazen
do enormes sacrificios, conservei me nesta capi
tal, com pequeas interrupcOesT al Jullio do
anno paseada, tempo em que nao poiendo sup-
portar imposicis do Dr. Amaro Bezerrj, que
antepunha suas conveniencias pessoaes sos n-
teresses geraes do partido, retirei me para o 2o
districto, onde dei combate a S. S-, icflingin
do Ihe esmagadora derrota, que ao mesmo tem-
po ura exemplo qualquer usurpaedo, que se
prepare e tente alear o eolio I
Foi o Sr. Dr. Amaro Bezem derrotado por
mais de 500 votos, nao obstante ter a seu lado
a soldadesca desenfreada de ura presidente do
cil e desbragado, a farinha e o diobeiro dos indi-
gentes, de que meoccnprei na serie deartigos
que pretendo publicar
Derrotado, lerido no que tem em mais alto
grao no orgulho, que o enche e faz tmpar,
cerno a giboia, o Dr. Amaro Bezerra relirou se
desle Estado para a capital da L'mo, deixando
aos seus suissos a triste missao de deprimir do
meu caracier, dando para pomos de partida de
toda a diffamaco :
1." que sou um ingrato, revoltando me contra
S. S., que imagina-se meu creador;
2 que commetli o crime de alta traicao, nao
acceitando as iroposicoes de S. S., que, no seu
desmedido amor proprio julgou possivel fazer
passar o partido, a que pertenciamos, pelas for
cas candnas ;
3.' que vendi a eleico do 2." distncto ao Dr.
Migue; Castro que S. S. desejav evitar fosse
seu companheiro, per ser dos candidatos do Dar
lido o uni'.o que Ihe poda fazer sombra ..
Em artigo? subsequeates, me oceuparei de
cada um destes pontos e entao moslrarei que o
Sr. Dr. Amaro que um ingrato, porque nao
correspondeu somma de sacriheios, que tiz
pelo partido e por S. S., definiendo o em todas
as occasiOes c at tratando de seus negocios par
ticulares; que traidor, porque foi infiel ao
mandato, que o partido Ihe conleno, fazendo-o
chefe, resolvendo negocios da raaior importan
cia, sem audiencia e sem consentimento de seus
amigos na provincia : finalmente que fui S. S.
quem negociou a eleico do 2. districlo, contra-
ciando com o chefe do goveino de entao, o Vis-
conde de Onro Preto, a eleico do ex presidente
da Parahyba, Dr. Gama Rosa, como o declarou,
no sertao. alto e bom som, o Dr. Paula Primo.
F.sppro deixar provadas evidencia as propo
sices indicadas e terroinarei^ste, demonstran
do, com o juizo do proprio Dr. Amaro Bezerra,
qu ni sou o homem perdido, unprestavel, de
quem fallam os seus iussos.
Em 25 de Juina de 1884 era elevado oconeci
to que o Dr. Amaro Bezerra fazia a meu respei
to, cjmo s v do de S. S.. que tem a nata indicada :
Remello Ihe a carta junla para o nosso ami
go Francisco da Costa, indo aberla, para que
voc a veja e escreva no sentido, em que ti ver
assentado, quanto candidaturas para o 2." dis
trelo. A cempanka sua, e porlanlo a delibera
cao com a respectiva responsabiltdade, pois que.
ninguem melhor que voc pode avaliar as conve
nienuas do partido no presente e no futuro.
Quero que tenua a iniciativa, reservando me para
tppnrtunantenle auxiliar seHs planos e esforcos.
m Julho de 1884, reconhecia-me o Dr. Ama
ro Bezerra a competencia e o direilo de apanbar
as aspiragocs do 2. dittricto e resolver por raim
a queslo das candidaturas; em Julho de 1889,
nega-me at o direito de apreseoiar sna consi-
deracao a candidatura escolhMa pelo dislricto,
come provarei com a publicaco de docamen
tos I
. Em carta, que me dirigi em 29 de Novembro
de 1885, 'aliando me da candidatura do Dr. Mi-
guel Castro, diz-me : quanto questao (de
candidaturas) voc mesmo avaliar o partido,
que. se pode tirar, etc. etc
Portante, anda era Novembro de 1885, o Dr.
Amaro Bezerra, reconhecii-me o direito de re
solver sobre candidaturas.-. depois do
V imaes..... l *
V:a-ferrea de Caruar. 1-322
Va-ferrea <>e S. Francisco. 2953
V.4-frrea deLimoeiro tu. 117
Soium. 22.125 Saccas
Em igual mez de 1885. 32-493
Menos em 1890 10.308
MiTtur
Oa precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
cundo a AssociaeSo Commercial Agrcola, oram
>s sepuintes:
Usinas..... "O* a 4*500
ranco..... 3*700 a 43JO
Smeno'..... ***>'* a 2*800
Miscavado purgado 1*600 a 1*700
irut^s ... 1*300 a 1*600
Rtame..... iiOOO a 1*100
A exportaco feita pela alfandega neste mez at
at o dia 3 constou de i 903.815 kilos para o inte
or.
As entradas veritic idas em Janeiro findo, tu
biram a 22.768 pceos sendo por
rtarcacas
Vaporea.....
Vnunaes....
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea do Limoeiro
Somma.
Em igual mez de 1883
Menos em 1890 .
80.149 Saceos
526
12.215
11.604 <
103.182 r
18.365
226 011 Saceos
303.807
79.766
Couros
Couros salgados 389 ris, e rs verdes a ?20
rea
Agurdente
Cota-se a 100*000, por pipa de 480 litros.
Alcool
Cota-se a 190*000 por pipa de 480 litros.
Hel
Cota-se a 55*000 por pioa de 480 litroa.
Pauta da Alfandega
MAPA DI 3 DI A 8 DI MVlHIlHO DI 1890
Vide o Diario de J de Fevereiro
contracto Ouro Preto acbou o Dr. Amaro que eu
nao traba o direito de sustentar as- aspiracoea do
dislricto...
Em U de Desamuro do mesmo anuo, dizia-me
o Dr. Amaro Bezerra :
Depois que tinha enviado para o Correto as
cartas de hontem,. rcebi a correspondencia vin-
da pelo vapor Pemambuoo, entre qual i sna
presada, ionga e judiciosa carta de 29 de No
vembro.. Qae grau coinpensaco encontre ael
la pelo primor de lealdade, Irabalho e sacrifl
dos de dedicacao, relativamente a tantos outros,
que agora se retrahem t Mas o mundo assim
e pelo contraste que o merecimenlo flca em
relevo. Sua carta alm disto um documento
que atiesta irrehsavelmente suas aptidoss de espi-
rito e a competeiiaa com que est frente do
nosso partido, posicao em que nao me fiz favor
collocaodo o (aqu S. S. ja se engaoava em ten
favor e raaito de proposito. ); pelo contrario
prestei um grande servico ao partido, esforcan-
do-me para que voc o acceitasse.
E' esta a espontanea e sincera opinio dos
noss s amigos cooselheiros Dantas, Lima Duar
te e Candido de Oliveira, aos quaes mostrei sna
caria, e que Guaram admirando o, dndome ao
mes.i tempo e ao nosso partiio os parabens
por te molo dirigindo-o. Reconheccndo (equem
como eu o poder fazer ?) o seu alto mrito e
rendendo Ihe esta devida homenagem, pode ter
por sua parte merecido orgulho ao receber com
esta o meu abraco, de envelta com 03 encomios
dos referidos arauos.
Era assim em Dezembro de 1885... Ento
esta vamos dtbatxo eu, equi na provincia, lu
tando com os adversarios, soffrendo necessida-
des, separado le u inba familia e exposto a todos
os incommodos e atribulaces da opposico, de
fendendo o Sr. Dr. Amaro e zelando at seus in
teresses particulares. O Sr. Dr. Amaro Be-
zerra, no Rio de Janeiro, no seo de sua fatoilia,
dispondo de recursos, na privanca de amigos
cooselheiros
Era assim em Dezembro de 1885... em Julho
de 1889, eu nao passava de um ingrato, traidor,
de um homem venal, soineote porque nao me
subuielti as imposicOes do Dr. Amaro Bezerra....
Louvado seja Nosso Senhor Jess Cristo-..
Quantum iie mutatus ab tiloI...
Coniina).
Nati*, 1 de Fevereiro de 189J.
Jote Bernardo de leleiros.
Echo da Exposicao de Paris
de 1889
A importante casa de perfumara L T. Piver
de Paris, tem obiido o Premio Grande a Exposi
cao Universal, a mais alta recompensa que foi
adjudicada.
T0J0 o mundo approvnr a marca dedistin-
cec concedida a esta casa cujas preparages
tao tinas, lio apreciadas sao repartidas pelo
mundo foteiro, fazendo a maior honra a no3sa
industria nacional.
A' Expo.-icau ue 18J7, o Sr. A. Piver fra Fei-
to cavalleiro da Legio de Honra, e official da
mesmo ordem aquella de 1878.
Cmara de Oiinda
Nao 6ei perqu (mas um facto hoje de to
des conhecidoi o Sr. tencnte-coronel lienrique
GibsoH, no Diario de 28 do passado, untendeu
jtirar-se contra mim a proposito de uns ar'igos
que alguem, que toma o psandonymo de Veri-
tas, ha escripto no Jornal ^Recife. e. seja dito.
em abono da verdadeuada do qui V>ritas al
hoje tem asseverado em relaco ao lente- o-
ronci Gibson. nda, absolutamente, desloa da
verdade, conhecida e sabida nao em Oliada
como em outra qualquer pane aoude a vida
lesse Sr. Grasen conhecida.
Se o S: Gibscn peiisou que ainda urna vez se
realiza ia o rifao latinoaudaces fortuna juvat
e veio c.m ura semelbinte fi:u aiacar me tao
inslitamente, enganouse perfeitainente, por-
que me acha armado de um bom martello para
quebrar os denles da calumnia que ouse olTeu
der me em minha reputaco.
Melhor avisado andana o Sr. Gibscn se, em
vez de mandar cscrever contra mim por ura reo
de polica, que tem contra si mandado de pri-
sao, expedido pelo Dr. juiz de direilo de Oiin-
da. por um facto muito vergciihoso, qual um
roubo feito irmandade de Nossa Senhora das
Mercs, se preoecupasse de preferencia eoi ta-
Usfazer a certos chamailos que tem (cebido
pelo Diario de Pernambuco e em respola a Ve
ritas com outros modos e meios que nao fosseni
oficinas a lerceiro, que nada tem qnc ver com
ajuste de contas de S. S. com Ventas.
Dito isto, passaremos a responder ponto por
ponto ao libello do Sr. tenente-coronel Gibson
na parle que nos diz respeilo, e vamos lazi l-o
com documento? inconlestaveis, que muito bem
poderao ser apreciados pelo publico.
Conhecemos que nos doloroso ler de trazer
certos factos ao couecimeoto d'aquelles que
porventura ainda nao conheccm o Sr. Gibsoo,
a,as urna vez qus S. S. assim o quiz, assim o
tenha, e o publico lucrara alguma cousa, por-
que ha de ver no chao a mascara desse tai tufo
que anda se apregnando de hornera de bem.
Em guarda, tentnic-coronei, ei de seguil o
como a sombra ao corpo, para que de urna vez
para sempre S. S. aprenda a respeitar aquellts
a cujodesdem nao ebegam os seus vis doestos.
Continua.
Dr. Joo de S Cavalcantt de Albuquerque.
Manoel Rodrigue Bazerra, empregado de l*
ciasse no Arsenal de Maripha de-te Estado ten
do deparado ua parle policial, cora a pri*ao de
ura cidado de norae igual ao seu, vera por meio
deste salvar a sua repulago e boa f para cora
todos que o conbecera.
Recife 5 de Fevereiro de 1890.
Eterna gratidao
O abaixo ossignado vera do alto da imprensa
patentear o seu eterno agradecimento a diversos
apostlos da caridade. residentes neste Estado,
por actos de caridade tao importantes, que o
autor deslas lionas nao sabe como expressir-se.
Mas, como ha factos que nao po lem Mear no es-
quecimento, apeza de ferir a modestia de quem
os praticou, eu menciono para a huraanidade
8offredora, o nome dos meus beenfeitores, aos
quaes beijo as oaos.
Principio declinando o nome do benemrito
Sr. Dr. Castro Jess, digno de todo respeilo e
coosideracao, nao so pea firmeza de carcter,
como pelo seu magnnimo coracao, por ser eu
hornera pobre, dualmente desempregado e nao
sendo natural desta Ierra, teria que, por forca
irresistivel, levar minha consorte enxerga da
Casa de Misericordia, se nao fosse tao distrncto
medico, que, sem conbecel-o, procurei-o guiado
por DeusI
Igualmente retiro rae ao distinctissimo Sr. Dr.
Alfredo 3aspar. un dos primeiros parteiros
deste Estado, que, sera in'eresse algnm, levou
em nosa casa 6 tongas horas da noite, empre
gaudo o recurso da sciencia para salvar (:omo
salvou) minha muiber le um perigoso parto.
Hoje, que ella s j acha quasi restablecida, e
eu com o espirito mais calmo, visto aehar me
empregado, grecas ao Sr. Dr. Carlos Alberto,
para mira de eterna memoria, venho render a
minha cierna gratidao a todos que me soccor
reram nesta incansavel I uta pela vida.
Peco desculpa se, com isto, oliendo a modrs
tia destes ornamentos da caridado, offerecendo
como prova de reconbeciraento o meu grato co-
rucio, visto nada mais possuir; e finalmente
peco rogando ao Tolo Poderoso pela prolouga-
cao de tao uteis existencias.
Recife, 5 de Fevereiro de 1890.
Maximiano Flix Baha,
(Hoje empachante da Estrada de ferro de Ca
ruai.)
-------------- 1
Rccordaees e infantis
A' F.LICIO BAKQUE
Nao sei, nem posso saudoso
Despertar a minha lyra,
I oa que cante churoso,
Que um canto delira.
A ininlia mente se agita,
A pobre acorda crepita,
E o echo alm vai morrer ;
A minha vida era lilha
D'um canto ; a mao nao dedilua
E minha e p'ruuca geraer I
Gemer, quando magoas opprimem.
Um peilo d'amor cansado 1 !
Quando s dores exprirnem
saudades de amor passado ? !
Gamer, cantar solucando.
Em noites de la durando
Recordacoes Juven3
D'aquelles gosos sonhados.
D'aquelles sonhes gosados
Enire ixorenas geulis ? !
E choro se o vento passa
Gemendo coramig > alea ;
Se a la nos ciuius p'.Tpassa
Descendo aos bosques tambero.
Se opacas nuven* resvaiaiB,
E leutainente se etp Ihara
N amplido horisuiital ;
Seouc os pungentes gritos
Assusladores, malditos
Di3 aves negras do'mal !
Pois, neslas horas tardas
Que mais nao podeai viver,
Senli lio doce alegra
Arrebatando o ra-: ser
Que em febre d'utn peilo ardeate
Deilava a fronte dormente
No eolio d'utn ch-rubim ;
Sonhanrio com ineus amores
Dorma por enlre flores
No meio do seu jardim '
! !
Pao d'AIho, Janeiro de 1890
Jos A. Cesar de Vasconcellos Jnior.
:s
X. 399
vida e n
\'avio.<* a descarga
Barca al!em5 Schuam, varios geaeros.
Ilarca noruegoense Collevtor, caryao.
Barca norueguense Dronning Louise, carvao.
Barca sueca Balder carvo.
Brigne por ugutz Boa S rte, varios genero3.
Escuna aoru't raense Gefione; xerque.
Logar inglez Volador. v.ri83 gneros.
Lugar inglee Cortsande, bacalho.
Patacho no.landez Clara, xarque.
Patacho n:cioual Mangan 2-, varios gneros.
Patacho inglez Bella liosa, b. calbo.
Patacho inglez Mistletoe, bacalho.
Inportaco
Vapor americano Allianca, entrado de N^w-
Yoik e escala, em 4 do andante e coosigoado a
H. Forster 4 C.
Agulhas 1 caixa a ordem.
Amostras 3 volume crdetn,
Banha 25 barris a Paiva Valcnte & C, 50 a
Fernandes & Irmos.
Candieiro8 e pertencea 5 volamos a B. Duarle
Campos ft C.
Droga 3 volumes a Manoel Alves Barbosa Suc.
cessor, 3 a G. Mirtina C, 15 a Faria ,cobriuri#"
i C-, 4 a F. Manoel da Silva & C.
Estopa de calafetar 2 fardos a C. C. da Costa
Moreira C.
Linha i caixa & ordem.
Maizena 100 Caixas a Araujo Castro & C.
Mercaduras diversas 2 volume3 ordem, 1 a
E. Goncalves CascSo.
Perfumaras 12 caixas a Antonio Duarie Car
neiro Vianna, 25 a Nones Foareca 4 C.
Remos 3 amarrados a Caelano C. da C. Moreira
* C.
Tecidos diversos 3 votamos a Monuard Haber
1C
Toucinbo 30 barris a Fernaades & Irmuos.
Vidros 19 volumes a Manoel Alves Barbosa
Successor, 19 a G. Martin i & C.
Cargado Mirantiiio
Bagas de mamona 179 saccas a Guimarcs
A Va:ente.
Farinha de mandieca 1000 saccas aos mesmo3.
Milho 500 saceos a M. G. da Rosa.
Exportaco
flCiri, 4 DK FBVBBBUO Da 8S0
Para o exterior
Nao houve exporlaco.
Para.o interior
No brigue p( rtu^uez Boa Sorte, para Ma-
nos, carregou :
H. Oliveira, 20 pipas e 60 barris coa 15,086
litros de agurdente.
A dlffereaea entre
uto rte
Esta a distincco entre a S.lsnparrilha
de Br8tul e todos os medicamentos raer-
curiaes; estes envenenao o sangue, aquel-
lo o purifica e vigorisa. Quando as semen-
t da morte se teem introduzido as veias
coto o uso das beberagens mineraes, nada
pode deter a marcha da victima at qua
ti bordas da sepultura, nSo ser este
antidoto contra cases venenos. O mesmo
acontece quando o virus d'uma molestia na
tural, trabalhando no syatema venoso, ae
desenvolve debaixo da forma do ulceras
escrofulosas, cancros, tumores, carbnculos,
inlkmacoes brancas, abeessos, erupcSes,
e todas as deraais terriveis enfermidides
externas; pois esto grande remedio opera
(mmicamente sobro o sangue viciado e so-
bre os mais fluidos animaes, transforman-
do os quasi milagrosamente em correntes
puras o nutritivas, levando a sade o o
vigor todos os orglos por onde circulara.
Acha-se venda em todas as partes do
mundo, era todas as principaes boticas e
lojas de drogas.
No vapor francez Entre l-ios, para Santos,
J. H. Boxwell, 650 saceos com 39,' 00 kilos de
assucar bronco e 500 ditos com 30.000 ditos de
dito mascavado. '
No vapor nacin l Maranliao, para Rio de
,'aneiro, carregaram :
B Trrelo Jnior, 100 saceos cora 6,0JO kilos
de assucar branco e 90o ditos cora 5i,000 ditos
de dito mascavado. _.,
M. Amorim, 300 saceos com 18,000 kilos de
asaacar mascavado
A. de Oliveira Maia, 5,000 cocos, fructa.
Na barcaca Julinha, para Parahyba, carre-
gou :
J. P. Lapa, 1 caixa com 60 kilos de doc?.
Rendlmentos pablieos
IUZ DC rEVEBBlHO
Alfandega
Renda geral :
Do dia 1 a 4 100:405181
dem du 5 33 8494304
13425489
Renda do Estado de Pernambuco :
Do dia i a4 21:271*880
dem de 5 8::514142
29:523*022
Somma total 163:777*511
Segunda aeccao da Alfandega de Pernambuco,
5 de Fevereiro de 1890.
O tesoureiroFlorencio Domiogues.
O chefe da seccSoCicero B. de Mello.
Rceebcdorla gera!
Oo dia ia4 4:78530J
dem de 5 1:448321
6.2334823
Reeebedorla do Estado de
Pernambuco
Dorala4 3,863>676
dem de 5 233*272
--------------- 4:103*948
Recife Dralnage
*)o dia 1 a 4 520^304
dem de 5 290J745
721*049
CQLLEDID PRVTAN6D
Estrada de Jao de Barros, d. 27
Este ostabeleciraento particular de educacSo o ensino tem operado grandes [re-
formas em seu prog'amma d3 ensino e em Sua economa, collocando se na altura de
coegios particularo8 das principaes cidades da Europa. E' assim que, alm da in-
struceSo intellectual. pby^ica e domestica, methodica, perfeita o completa^ ministrada
por ura corpo docente llustrado, o pelo director o sua fami.ia, o Lollegio Prytanio
fornece aos seus educandos internos, mais as seguintes vantagens, desconhecdas e
nao offerecidas cm nenlium dos collegios da Repblica, quer pblicos quer particula-
res : todos os ohjectos de escripturacSo, tratamtnto medico em qualquer doenca M enxo-
VAL COMPLETO DE BOOPA DIARIA, E CAMA E DE BANHO, CALCAD.), Ote, ; O tudo pela
mesma peneao de 6O0iO0O annuaes, paga pelo contnbuinte em qualquer out-o inter-
nato do Paiz.
O CoUegio Pry'ar.So recebe alumnos internos, semi-internos o externos Est
localisado em um dos mais saudaveis e apraziveis arrabaldes da capital, em ira gran-
de predio de vastas e sadias acomaoda^oes, com um espacoso o oem arborisado po-
mar para recreos; agaa encanada, e Iluminada lampadas de gaz carbnico de sys-
thema mui recente. Est situado na Estrada de Joao de Barros, n. 27, muito pr-
ximo da ostagao s Principo, da via-ferrea do Rocife a Oiinda; fica perto da linha de
bond de Fernandes Vieira e tem na vajanda para maior saliencias urna grande ta-
boleta em o dstico do CoUegio.
II no estabeleciment Estatutos iinpressos, que esclarecem e nSo deixam du-
vidis. Abre suas aulas no dia 15 do .Ja-;eiro prximo de 1890.
Podem dar inforraac^es e explicacSes detidas sobre o CoUegio Pry'ano, os ci-
dadSos : Drs. Adolpho T C. Jirne, Augusto C- Vaz o Eduardo ilveira; e os nego-
ciantes Joaquim Medeiros, Alipio Rosado, da lirma Guerra & Fainandes, Odilon Du-
arte & Irma1 > e Antonio Rodrigues de Souza & C. Em mo desses cavalheiros en-
contrar se hao estatutos impressos do CoUegio.
Recife, 28 de Dezembro de 1889.
O direstor,
Tranquilino G. de M. Leitao,
COLLEGIO
De B. S. da Penha n. 31,2o andar
ROA DA AURORA
a dlrecco de Augus-
Sob
ta Carnelro
Os trabalhos lectivos deste estabelecimenlo
de i.-siru&.ao priraafia e secundaria, para o
s xo feminino, principiaro a 7 de Janeiro
Tuberetelosc pulmonar
fura garantida pelo Peitoral de Cam-
bar.
La Rosa Alemana
E' o nome do urna qaajtaade de c rveja
branca que, psla primoira vez vera a esta
Estado.
A cerveja Li Roa Alemana nao con-|
tem acido ou producto chiraico.
A p.-epi-.racjv) di cerveja La Rosa Ale-
mana chegoa so hihs alto g'.o de perfei-1
co. E' SUBLIvlE, muiriisimo agrada-'
vel ao palada-, finalmente uisa combi-j
nacSo de substiicciaa p-jJcrusas para a boa i
alimenticil'. A? mais afamadas cervejas '
na trazem nome d'> fabricante. Entre-!
tanto o propriotario da cerv. ja La Rosa
Alemana tcado conquiatad o tegredo da
sua saudavel cerveja r^gistrou a marca
com a s.:a iirma no rotulo.
E como teve a honra de requestar a
sympathia publica e para que a cerveja
La Rosa Alemana contino a goz r de
conceito do respeitavel publico, amiudadas
veze3 manda examinar a sua cerveja pelas
celebridades chimica.
Diversos atistalos de chimicos e dou-
torea em medicina justrEcam que a cerveja
La Rosa Alemana c muito saudavel e ura
soberano aliraent, cojos documentos fi-
cam disposiyau do respeitave! publico..
Diz o Dr. Veroier: Teoho por militas,
vezes examinado no laboratorio publico a
cerveja La Rosa A'ernar.a e a3o encontr
materia cbimica e sira urna gigantesca pic-
para^io de subsiancias que representara
urna valiosa riqueza para a aliracntacTio.
A cerveja La Ro;a Alemana goza de
grande conceito na Europa e um illustre
cavalleiro desta praca, ha pouco chegado
do cstrangeiro, aniraou o fabricante a ex-
psrtal-a envenado de ter grande acceita
cao aqu. '
Teem venda em grisso o a retalho:
Machado & C, rna do V-gario n. 19;
Albinp Fernandes & C, rua do Mrquez
de ('linda n. 2 ; Jos da < losta Caseiro
& C rua da Cruz nr 13; Lopes & Arau-
jo, rua do Livramento n. 38 ; Vasconccl-
los Sobrinho & O, rua da Aurora n. 81;
R. Ferreira & O., rua Mrquez de Oiinda
n. 50; loya Mendos A C, rua Estrcita
do Rosario; Manoel Jcaquim Alves R-
beiro, travesea das Cruzes ; Pereira Fer-
reir & C, rua do Imperador; Joaquim'
OhristovSo & C, ruado Ctbug, Jos "^^"^^^^^^^^^^^^^^^^^^~*
Fernandes Lima & C, rua Nova; Salga-1 xosse convulsa coqueluche
do & C.j rua das Cruzei no 20 ; Antonio) ,, ,je8 cranca scnSo o Peitoral de
Almei.^a Rabello, rua da Uniao u. 2, An- (Jambar.
da
r. (Slauare$
be ilelb
Medico formado pela
Faculdade do Rio de
Janeiro, tendo-se dedi-
cado com especialidade
therapeutica moderna
das molestias de pellt
e syphilis, na Policlni-
ca geral da corte, cargo
do Dr. Silva Araujo,
onde servio como seu
ajudante ; d consultas
de meio dia s 3 horas,
no 1. andar da casan.
15 do largo do Corpo
Santo, e recebe chama-
dos a qualquer hora em
sua residencia, rua do
Visconde de Coyanna
n. J85.

tonio Souza Duarte Ferreira, rua
Uniao ; Antonio Jos Martina, praya Con-
de q'Eu n. 2 ; Luiz Jos Salgado, praya
do Conde di En ; Marcelino Martins Ges- i
teira, rua do Vi gano n. 6 ; Azevedo Maia
& C, rua da Imperatriz; Manoel de Oli-
veira Menor, rua do Visconde de Goyac-
na ; hotel da Magdalena; Ivo Sobrinho &
C, Goyanna ; Francisco. Nunes Monteiro,
Goyanna; Custodio Figubiredo & C, Pa-
rahyba; Fonseca Irmaos & C Parahyba :
Bjnvenuto & C, Parahyba.
Mercado Municipal de *
u movimento deste mercado no dia 1
vereiro foi o seguiute :
Entraram :
i bois pesando 3.149 kilos.
1J43 kilos de peixe a 20 res
6 cargd co:o fariuha a 200 r?.
35 ditas de fructas d versas a 300 rs.
32 columnas a 600 r.
1 escriptorio a 300 rs.
67 taboleiros a 200 rs,
12 suinos a 200 rs.
58 compartimentos com farinha a 500
rs.
28 ditos de comidas a 500 T3.
99 ditos de leguines e fazeodas a
400 rs.
9 ditos de fressuras a 600 rs.
17 ditos de suinos a 700 rs.
6 Compartimentos de camares
a 200 rs.
28 tainos a 2*
({ Frederico Chaves Jnior H
omoepatha
(>39 RUA BARAO DA VICTORIA 39 j
| j Prfmeiro andar (
Bronchite aguda ou chronlca
O Peitoral de Cambar o melhor rr-
ui odio.
Jas i
de Fe-
24 i 900
i 200
OfoOO
19(6200
300
13*400
2*400
295000
14*000
39*600
5*400
11*900
1*200
oG*000
Norte.......
Baha e esc...
Montevideo .
Valparaso..
Fcrnanuo
Sul.........
Norte.......
Sul.........
Norte......
Pernambuco
S. Francisco
Nerthe.......
John Eider. ..
JacuJiype.....
Magoas......
Para........
Espirito Santo.
Minaos......
7 as
7 as
8 as
9 as
12 as
13 as
18 as
24 as
27 a3
5 b.
5 h.
A h.
Rendimento de 1 e 3 do crrente
229J0OO
648i80
877*820
Precos do dia:
Carne verde de 400 a 480 ris o kilo.
Carneiro de 560 a 640 idem.
Suinos de 500 a 560 ris idem.
Farinha de 480 a 60.) ris a cuia.
Milho -ie 480 a 50 ris idem.
Feijao de 900 a 1*280 idem
Vapores a entrar
MEZ DE FEVEREIRO
Sul.......... Pernambuco........ 6
New-York___ Lissabon.......... 6
Europa........ Entrerios.......... 7.
Europa...... Nerthe............ 8
Europa....... John Eider......... 9
Sul........... VUle de Montevideo.. 10
Europa....... Don.............. 13
Sul.......... Atrato............ 13
Norte......... Alagos........... 13
Europa....... VilU de Rosario..... 14
Europa....... Hamburg..........' 15
Sul..........- Mttlekowits..... 15
Sul........... Para.............. 17
Norte......... Espirito Santo..... 24
Sul........... Mandos.......... 27
Vapores a sanJr
MEZ DE FEVEKBIKO
Cear e esc... Ptrapama......... 6 as 5 h.
Montevideo .. Entrerios..... 6 as 2 b
Banco Sul-Ainericano
38 Rua do Coamerelo-SS
Compra e vende saques sobre Bshia, Rio de
Janeiro, Santos, S. Paulo. Campias e Para, e
faz quaesquer pperaces de crdito sobre as
mesmas pracas.
Banco Sul-American
38--Rua do Commrelo38
Sacia por todos 03 vapores sobre o Banco de
Portugal em Lisboa, Porto e outras localidades
do mesmo reino.
MoTlinento do porto
Navio entrado no dia 5
BuenosAyres e escala13 diss, vapor inglez
Elbc, de 1,732 toneladas, commaadante S. Ar-
rastran, equipagem 106, carga varios gneros ;
a Amorim Irmos & C.
Navios sahities no mesmo da
Rio de Janeiro e escalaVapor nacional Haro-
na/, conmandante Pedro Hypolo Duarte,
cara varios generas. -. '
Parahyba -Brigue naciundl Prazeres, capitao Joao
Rodrigues dos Santos, carga farinha de man-
dioca.
Southampton e escala-Vapor inglez Etbe, com-
mandanle S. Armstrong, carga varios ge-
neras.
PelotasEscuna noruegoense Ge/ion, capitfto Th.
T. Wigg, carga assucar
Parahyba Vapor inglez Marmer, commandaute
E. Browns, carga varios gneros.
Sin tose escalaVapor americano A llianca, cora-
mandante J. Beers, carga varios gneros.
MontevideoVapor chileno Huemul, commandan-
te J. Humeaux, em lastro.

i
<
I '

.
4

.Aja
i
m


I
\.
*


i



-
i
-
J
,,/
Diario de PernambucoQuinta-feira 6 de Fevreiro de 1890
V
Despedida
J{Retirando me amanhi para Europa, e nao po-
sado espedirme peesoalmedte de meus ami-
gos g freguezes, fuco pelu presente, offereceado
meas fracos servicos. em Portugal cidade de
Braga.
Aproveito a opportunidade para communicar
ao corpo commercial que (cara como meus pro
curadores 03 Sra. Manoei tunes da Fon seca,
Antonio Ago3tinho do* Sautos e Jos de Souza
e. Mello, Meando este Da gerencia do meu esta-
belecimento.
Recife, 1 de Fevreiro de iSOO.
Francisco Xavier Ferreira.
Inglez e Francez
Cursos ra da Aurora, n. 37, 2.'
an-
EDITAES
Cirurgrio Dentista
DR. BOBERT P. RAWLDSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tom aberto o Beu oons'-il
torio, ca ruaBaraodo Victoria 18, Pan
Jar.
Consultas daa 10 as 4 horas da tarde.
r
Leonor Porto
Ra JLarga do Rosarlo nu-j
mero O ) i
SEGUNDO ANDAR Y
Contina a executar os mais difceis | |
..guriaos receidos de Londres, Pariz.J
) Lisboa e Uio de Janeiro. ( )
i Prima em perfeicao de costuras, em; 1
< iem luevidade, mouicidae em precc-3 e: >
( ) uno gusto.

Professora
Urna senhora perfeitiroenc habilitada e
com bastante pratica de ensino prope-se
a leccionar em collegios e casas particu
lares as seguintes materias: portuguez,
francez, msica e pian:, a tratar na ra do
Visconde de Albuquerque (antiga da Ma-
triz da Boa Vista) n. 20.
Auxilios a lavoura
Pereira arneiro 4 continuam, autorisado
pelo Banco do Brasil, i conceder emprestimos
a lavoura das provincias de Peroambuco, Ala-
goas.Parahyba e Rio Grande do Norte, mediante
as condic&es de que es ioteressados serao infor-
mados no eseripiorio ra do Commercio n. 6
das 11 horas da manb s 2 da (arde.
m&=
-^m
0 Dr. Eroiirio Coutioht>,
de volta de sua vagem Europa, on-
de e dedicou especialmenle ao es-
tado das molestias do systema ner-
voso, lixou sua residencia e cnsul-
torio ra da Aurora n. 65.
Consultas de meio dia s 2 horas.
TELEPHONE N. 367
jSGSl
Mudanza de escriptorio
Miguel Jos de Almeida Pernimbuco. procu-
rador dos reitoa da fjzenda deste Estado eadvo-
cado, inudou o seu escriptorio para o 1.* andar
do predio n. 4o. S ra o Imperador.^ondc ser
cneon'rado dvs 9 horas da manlia s 4 da tarde.
Oculista
Dr. Barrete Sampaio, oculista,
ex-chefe de clnica do Dr. de
Wccker, de volta de sua via- 1
gc:n Europa, d consultas de
1 s 4 horas da tarde, no 1
andar da casa n. 51 ra do
BarSa da Victoria, excepto dos
domingos e dias santificados.
Tclephone 285.
Residencia ra Sete de Setein-
bro n. 84 Entrada pela roa da
Si "dado n. 25.
Telephone 287.
O cidado Dr. chele de polica manda pu
blicar, para que sejnm estrictamente observados
em toda sua pleoitude, os artigos 70 e 71 das
posturas municipaes, 'me prohibm o entruoo
com quaesquer substancias que podem damni-
ficar a sade, como sejam : agua, ca, urnha
do reino, maizeoa, r.urco, vermelho e outros
tpa semelhantes :
Art. 70. Fica prohibido neste municipio o
brinquedo de eutrudo com agua ou outra qual
quer substancia, de qualquer maneira que se
emprepue : os infractores pagaro a multa de
13*000 e soffrcao oito dias de prisao
Art. 71. Fica prohibida a venda de lima
de ebeiro : os infractores, alera di; as perde
rem, pagar) 4*000 de multa.
llanda, outrosim, declarar o mesmo cidado
Dr. chefe de polica, que dos habitantes deste,
municipio espera que se cohibrao. da pratica de
tio nocivo brinquedo, tornando todava certo
que, com iodo o rigor c vigilancia, serao era-
pregados o nace89ri03 meios para que sejam
geralmente respeitadas as disposieoes cima ci-
tadas.
Secretaria de Policia do estado de Pernambu
co, i de Fevreiro de 1890.
0 8ecretr>rio.
Antonio Jos da Costa Rbeiro Jnior.
2* Sergao.Secrclaiia do governo rto Retado
de Peroambuco, em 4 v Fcvireiro de 1890.
De ordem d-. marocha).g ivcroador do Bstadfl
fjco publt o para os devide.-. tlTeitus, o edital
abaixo transcripto, pon;o en concurso o offi.o
de esoivo ile orpfaao< ausentes e de Io labelio
do leruio do Iguarassu
O secelano
Antonio Ignacio do Mes-quita Nevts.
O Dr. Hisbello Florentino Correia de Mello, juiz
de direiio desta comarca especial de Iguaras-
s do Estado de Peroambuco, em virtude da
lei etc
Faco saber pelo presente edital que acha-se em
concurso com prazo de 30 dias, cinta dos da
data do presente edttal de acrordo com o art. 1
do decreto n. 3322 de 14 de Julbo de 1837, o of
licio de esrrvao de orpliaos, ausentes e de 1
tabillio de notas desle termo e comarca de
Iguarass. creado pelo decreto de 30 de Janeiro
de 18 e iei provincial n. 1.127 de 18 de Junho
de 1873, vago pelo fallecimenlo do respectivo
serventuario MaximianoF anciscoDuarle Jnior.
Os pretendentes a serventa vitalicia do mes
mo oflicio devem apresentar-se devidaraenie ha-
bililados no praso referido observan lo em tud >
as disposices do decreto n. 9.420 de 28 de Abril
de 1833.
E para que chegue ao conbecimento de todos
mandei passar o presente, que ser aflixado no
lugar do costume e publicado pela imprensa..
Dado e pa.-s.ido nesta villa de IsuarassA sede
da comarca do mesmo nome, aos 28 de Jjneiro
de i8-:0.
E mais cao conlinba em dito edital, aqui Re
men!e copiado do proprio original ao qal me
reporto.
Eu J.io de Souza Costa escrivio intprinoocs-
crevi e assigno.Jjao de Souzi Costa.
Certifico que nflixci o edital ao que dou f.
Eu porteiro dos auditorios desta vil a de lgua-
ras interino o escrevi e assigno.
Villa de Iuaraes 28 de Janero de 1890.
Joaquim Xavier Dias de Albuquerque.
Escola Normal
Examen exlraordlnartos-
De ronformidade com o despacho do generil
governador deste Estado, designo o dia 10 do
correte, s 10 horas da manha, para terem lu-
gar os exames extraordinarios dos alumnos des
ta escola as materias em que foram prejudica
dos no lia do anno ultimo fiado se provarcm
que foram appnvados na iuar parte linqu'-llas
que loastituem o programma de cada anno des-
te corso.
E-cola Normal, 5 de Fevreiro de 1890.
O director,
Dr Manoei Er.cdino Reg Valenca.
Commando das Armas
A ex praca Antonio Florentino Leite chama
da aoquartel genera!, alim de reverter s fllei
ras do exeicito por ter deserUdo o seu substi
luto o soldado do 14. bataloo de infantaria
Jos Paulino Evangelista, conforme o termo de
responsabilidade que assignou nesU seiretaria.
Secretaria do Commando das Armas do Esta-
do de Peroambuco, 3 de Fevreiro de 1890.
0 Tenente, Jos C. Maciel da Silva
Secretario.
DECLRALES
,
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali
dade de molestias de senhoras e creancaa
Consultorio e residencia na da tepe
ratriz n. 8, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manh.
Chamados (por escripto) qualquer hora
TEIJPHONE R. 226"
S
MEDIOf HOMEPATA
mm da Silveira
I
Especialidadefebres, molsstat
as enanca, dos orgaos respirato-
rios c das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
.Todos os chamados devem serdi-
I ( rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
\ .' ra do BarSo da Victoria n. 43,
II onde se indicar sua residencia.^
Dr. Silva Leal
CLUICA MEDICO CIRCBGICA
Cotisuitorio e residencia rna do Livramento
n b' 1" andr. Consultas das 11 as 3 horas da
tard" Chamados a qualquer iiora, por escripto
jl:q soAfiss :: l:z::::
PEOFES80R PABTICOLAB
Lecciona primeiras lettras, em casas
particulares a ambos os sexos, quer na
cidade, quer fora della, por pre$os ra-
soaveis.
\ Pide ser procurado lodos os dias das
/ 3 horas da tarde em diante, no becco
, \ das Barreiras n. 23, defronte do Dr.
I ( Curio.
[ I Garante um rpido adiaatamento.

AVISO
Com o flm de melnor reffularlwar o
erilco Interno e le nrrordo con a
pradcaadmiltida e lesuidaem to
das an pracas cammcrrlae. tendo
sido ouvfdo o digno presidente da
AdRoclaro Commercial Beueflcente
rcsoiicram 01 Banco* eatabelecidon
nenia prora, abaixo mencionado*,
recbar o espediente do* Receblmen-
to* c Pasamento* a* 3 bora* da
tarde, a comecar do dia 3 de Fev-
reiro prximo futuro, do que eien-
tificam ao illustre torpo do com-
mercio e a toda* a* pen*oa* que
msnterm r e I a cO e commcrclae*
com o* meamo* Banco*.
Bectfe. S9 de Janeiro de I M<>.
(A*sin;nadoM) :
Pelo London <& Braailian Bank,
Limited. tVilliam H. Bllton. (crcnlc.
Pelo Ensllnb Bank of Blo de Ja-
neiro, liimlted. .4. *. P. Clarkon.
gerente.
Pelo Banco de Pernambueo. \ ii-
liam H. Webntr-rs gerente.
Pe Banco Sul americano. F. A.
Pacheco, gerente,
Faculdade de Direito
De ordem do cidado Dr. director, ligo pu-
blico a rectilic^ci do horario das aulas do cur-
so de preparatarios.
Na 6." sala
Historia Geocraphia e Chorograpbia, das 9 s
10.
Rhetorica, das 10 s 11.
Phi osophia, das 11 as 12.
Latiiu, de i s 3 horas da tarde.
os geraes
Francez, das 10 as 11.
Inglez, das 11 as 12. '
Arthmeti:a e geometra das 12 a 1.
Portuguez, de 1 as 2.
Secretiria da Faculdade de Direito do Recifc,
3 de Fevreiro de 1890.O secretario,
B. Arago Faria Rocha.
Prazo de 30 dias
Secretaria da ln*f rucc&o Publica do
Ratado de Pernambueo. 3 de Fe-
vreiro de iso o
N. 3Da ordem do cidado Dr. inspector ge-
ral, fago saber aos professores publico* remo-
vidos por portara de 31 de Janeiro (indo Pedro
Pereira de Souza Lemos. de Goyanna para Bom
Socceseo, em Olioda ; Francisco Marques da
Trindade, de Surubim para a t.' cadeira de S.
Jos desta cidade, como adjnnto; e as pro
fessoras Mara Liberata da Silva Forles. de Bello
Jaidim para Nizareth do Cabo ; Joaquina Alves
de Carvalho Ver8, por permuta, de S. Joo de
Garanhuns pa a a "Colonia Isabel, e Agostinha
Ferreira 'o Amara 1 e Si va, desta para aquella,
qne Ibes fica marcado o praso de 30 dias, a con
lar desta dala para assumirem o exercicio de
suas novas caleiras.
O secretario,
Pergentino S. de Araujo Galvo.
8.R. J.
Sociedade Recreativa Ju-
ventude
Sarao carnavalesco em 15 de Fevf reiro
Convites nesta secretaria ; ingresaos em mo
do thesoareiro.
SecreUria da Sociedade Recreativa Juventude,
31 de Janeiro de 1890. O Io Secretario,
M. J. Baplista.________
Sociedade
obs
artistas Mechanicos e Li-
beraes
Seganda convocago
De ordem do director sio convidados todos os
socios que se acham no goso de seus direitos
reuoirem-se em assembla geral ordinaria, no
dia 7 do correte, s 6 1/3 horas da Urde.
Secretar a da Sociedade dos Artistas Mechani-
cos e LiDeraes, 5 de Fevreiro de 1890.
O 1 secretario,
Joaquim i>. Teixeira.
Thesouro do Estado
de Pernambueo
De ordem do cidado Dr. i sector desta
epartico, fa^o publico que no dia 15 docor
rente lagase a ciasse de aposentados e ju-
bilarlo', relatiramenle aos :eus veacimentoi do
mes d" Dffiembro do ana i iroximo lindo.
Fagadoria do Thesourp do Estado, 5 de Fev-
reiro ..e 1890.0 escrtvHo,
Alfredo Gibson.
Obras publicas
De ordem do cidado ^ngenheiro director,'e
em viriude da autorisago do cidado general
governador de3te Estado, de 20 do crreme, fago
publico que no dia 8 de Fevreiro prximo vin-
douro recebem-se propostas em cartas fechadas,
competentemente selladas, para execugSo das
seguintes obras :
Reparos da ponte de Nazarelh, oreados em
l:9o7725.
dem do ponlilho sobre o riacho Canos, na
estrada de Gravat, na importancia de 5:0604.
dem de diversa pontos da estrada da Victo-
ria, na de 2:939*200.
dem dos boeiros de Campias, Mius e Bu-
IhOes, na de 1.172*072.
As propostas devem ser assignadas pelos lici-
tantes com as firmas reconhecidas, e devero
declarar o prego pelo qual se obrigam a execu
lar a obra, como o local de sua esidencia e as
IiabililagOes que possuam para dirigir os traba-
Ihos, as quaes ecro abertas ao meio dia em
presenga dos proponentes.
Nao scro aceitas m propostas nos seguintes
casos:
1. As que excederem dos pregos dos orga-
mentos.
2. As que nao forera organisadas de accordo
com o presente edital.
3. As que nao offerecerem as garantas exigi-
das.
4. As que se basearem sobre os pregos das
propostas dos outros concurrentes.
S. As qie forera aprestada? por pessoas
que j tenham deixado de cumprir contractos
celebrados com a repartico.
Os orcamentos e mais condigOes dos contra-
ctos acham se nesta secretaria, onde podem
ser examinados pelos p re en dente 3
Para concorrer praga cima devero os lici
(antes depositar nesta repartigo as seguintes
quantias:
De 97*886 para a primeira obra.
De 233*000 para a segunda
De 146*960 para a terceira.
De 58*604 para a quarta.
Todas estas quantias sao equivalentes a 5 %
dos valores dos respetivos orgamentos, come
determina o art. 42 do 1 egulamenlo de 30 de
Outubro de 1889.
Secretara da direc'.oria geral de obras publi
cas, 22 de Janeiro de 1890.
O engenhero aiudante,
A. Reg Neto
fafzo dos fcit clonal deste Estado de Per-
oambneo- ,
(Escrivao Reg Barro)
Perante o Sr. Dr. juiz substituto dos feitos da
fazenda. Bsnicio Nelsoo Tavares da Cunha Mello,
se vender em praga publica no dia 7 do met
de Fevreiro, peas onze horas da manb, depois
da audiencia, os bens seguintes :
Urna olaria robre pilares de tijollo e cal, co-
berta de telba, sita liba do Retiro, em bom es
tado, avahada por um cont e duzeetos mil ri,
pertencente a Evaristo Mendes da Cunha Aze-
vedo.
Um sobradinbo e olaria contigua situados nos
Coelhos, avallado tudo em oito contos e noventa
e um mil res pertencentes a Antonio Carneiro da
Caoba.
Urna casa terrea de tijollo e cal, com um ran-
cho ao lado, sita no lugar denominado lputinga,
freguezia da Varrea, tudo coberto de tena, ava-
llada por oitenta mil reis, pertencente a Antonio
Francisco dos Prazeres, sendo todos os bens
vendidos para pagamento da fazenda nacional e
Recife, 29 de Janeiro de 1890.
O solicitador,
Luiz Machado Botelno.
lsliioto Archeologico e Geogra-
phico Pernambucano
Quinta fera 6 do correte, hora do costume,
baver sesso ordinaria.
Secretaria do Instituto, 4 de Fevreiro de
1890.
Baplista Regueira.
1- secretario.
SANTA CASA
CASAS PARA ALUJAR
idem da Guia n. 25, idem 16$000
dem do Encantamento n. 9, 1." andar 15*000
dem idem a. 3, loja 14#0'0
dem do Bom Jess n. 20, loja 18*000
dem idem idem, 1." andar 20*00;
dem do Amorim n. 23, dem 12*500
dem idem idem, 2o andar 12f 500
idem Imperial n. 151, casa terrea 30*'00
ua da Moda n. 45, armazem 16*660
idem idem n. 47, 2000
dem do Vigario n. 25,1. andar 30*000
dem idem n. 27, loja i6660
(dem da Senzala Velha n. 132, loja 15*000
dem idem n. 49, idem 16*000
Quadro da Detengo n. 2 8*000
dem idem n. 5______________ 6*000
Arrema l a c,o
No dia 7 de Fevreiro ser arrematado o en
genno Jaguaribe, sito no (ermo da Escala, ava-
hado por 0.000*000 : quem quizer fazer ac-
qu8go de urna boa prepriedade, chegada a
occasio, muito com m t o por distar da cidade
meia legoa, terreno muito frtil, e contiguo ao
engenbo centr.I de Firmesa; a praga ser ni
casa das audiencias s 9 horas da manb, do
indicado dia cima mencionado.
Club 22 de Julho
Sao convidados (odo3 os socios a reunirem-Be
boje 6 do corrente, para tratar de negocios rea
tivos ao referido club.
O procurador dos feitos da fazenda
do Estado de Pernambueo tendo recebido
do thesouro a relaco abaixo transcrip-
ta dos devedores da Companhia Recife
Drainage, relativa ao 1. semestre do
exercicio de 1885 a 1886, da freguezia da
B6a-Vista que deixaram do pagar no tem-
po competente, declara aos mesmos deve-
dores que Ibes fica mareado o praso de 30
dias, a contar da publicacSo do presente
edital, para dentro delle pagarem os d-
bitos, com guia da secc3o do contencioso,
certos de que findo aquelle praso procede-
r a cobranca judicialmente.
Recife, 13 de Janeiro de 1890.
O procurador dos feitos,
:il!guel Jos de Almeida Pernanibuco.
Viegas
y).
Club Carlos Gomes
Sarao Carnavalesco
A commissao encarregada deste sarao convida
aos senhores socios subscriptores para munirem-
se deseus iogresses e convites que possam de-
sejar. na sede do mesmo clan, das 7 as 9 hars
da noite.___________________________________
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Na secretaria da Santa Casa recebem-se pro-
jostas pa-a arrendamento do predio n. 33, ra
arqnez de Olinda, com armazem proprio psra
(ualqner estabelecimento commercial, com
(rande redcelo 00 preco da -enda.
as propostas serao apreciadas pela junta em
rna sesso prxima.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
\ecife, 30 de Outubro de 1889.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
RelacHo dos devedores do segundo semes-
tre do exercicio de 188o a 1886, da
freguezia da B6a Vista, quo deixaram
de pagar no temp complente:
Dita n 9. Manoei Uon$alves Fer-
reira da Costa
Dita n. 41. Mara Isabel
de Moraes
V8Cnde de Albuquerque n.
Marcolino Freir Gaineiro
Ponte Velba n. 36. Manoei F.
Antonio Villaca
Dita n. 68. O mesmo
Dita n. 27. Manoei Mesquita Car-
doso
Sete de Setembro n. 1. Manoei
Joaquim Moreira
Dita n. 3. O mesmo
Dita n, 5. O mesmo ,
Hospicio n. 39. Manoei Gomes
Viegas Jnior
Rosario n. 15. Manoei Ferreira
Antuues Villaja
Dito n. 17. O mesmo
Gervasio Pires n 53. Manoei
Martins Lourenco
Dita n. 54. Martins Lopes da
Costa Maia
S. Goncalo n. 23.. Manoei Gen-
til da Costa Alves.
General Seara n. 12. Miguel de
Figueiroa Faria
Travessa do Quiabo n. 12. Ma-
thias Lopes da Costa Maia
A'egria n. 8. Maria Joaquina dos
Santos Abreu
Dita n. 10. Manoei de Carvalho
Soares Brando
Leio Coroado n. 28. Maria da
Luz e outro
Dita n. 3. Manoei Cardoso Ayres 15jJ096
Dita n. 5. Maria Joaquina aos
Santos Abreu
8. Borja n. 26. Maria Bernardi-
na Monteiro
Dita n. 28. A mesma
Travessa do Palacio do Bispo n.
20. Miguel Archanjo de Fi-
gueredo
Dita n. 22. O mesmo
Dita n. 26. O mesmo
Visconde de Goyanna n. 8. Maria
da Cunha Dourado da Fonseca
Dita n. 46 Mathias Lopes da
Costa Maia
Dita n. 93 Manoei Jos Guedes
MagalhSes
Dita n. 97f Manoei Gomes Vie-
gas Jnior
Hospicio n. 26. Nabor Carneiro
Bezerra Cavalcante
Dita n. 51. O mesmo
Praa do Conde d'Eu n. 14. Or-
. dem 3.a do Carmo
Concec3o n. 48. Ordem 3.a de
S. Francisco
pita n. 50. A mesma
Dita n. 52. A mesma
Dita n. 54. A mesma
Dita n. 56. A mesma
Visconde de Albuquerque n. 46.
Ordem 3." do Carmo
Riachuelo n. 6 A. Olympia C-
de Moraes e Silva
Travessa do Quiabo n. 3. Ordem
3.a de S. Francisco
Dita n. 5. A mesma
Ditr n. 7. A mesma
Prafa do Conde d'Eu n. 12. Pr-
xedes Francisco Martins e ou-
tros
Tambi n 7. O mesmo
Tambi n. 7 Patricio Jos Ta-
vares de Vascoeellos
Ponte Velha n. 81. Profira Rosa
de M. Guimarae8
Travessa da Campia n. 1. Pr-
xedes Francisco Martins e ou-
tro
S. Goncalo n. 8. Rosa de Olivei-
ra Monteiro
Dita n. 10. A mesma
Imperatriz n. 6. SebastiSo Mar-
ques do Ha8Cmento
Ponte Velha n. 82. Seminario de
Olinda.
Rosario n. 10. Silvana Maria de
Lima
Caes da Ba-Vista n. 1. Templo
dos Inglezes
Imperatriz n. 24. Umbelina Can-
da Silva Azevedo
Ponte Velha n. 20. Umbelina
Leoncia Borges Deniz
Visconde de Albuquerque n. 70.
Vicente de Paula Oliveira Vil-
las Boas
Ditv n. 49. Viuva de Zacharias
Lopes Machado
Dito n. 65. Wenceslao Henrique
da Paixao e outro
Aurora n. 29. Vicente de Paula
Oliveira Villas-Boas
Dita n. 43. Dr. Virgilio de Gus-
mSo Coelho
Ponte Velha n. 45. Viuva e her-
deiros de Antonio Jos da Cos-
ta e Silva
Praca da Santa Cruz n. 20. Os
mesmos
Dita n. 22. Os mesmos
Caes da B6a-Visto n. 4. Dr. Vir-
gilio de Gusinao Coelho
Dito n. 6. O mesmo
Riachuelo n. 4. Dr. Vicente Pe-
reira do Reg
UniHo n. 8. Dr. Virgilio de Gua-
rni Coelho
Hoipieio n. 7. Vicente de Paula
Oliveira Villas Boas
Dita n. 9. O mesmo
Dita n. 15. O mesmo
Dita n. 17. O mesmo
15*096
15,5096
150096
155096
15^096
150096
150096
540205
150096
15096
150096
15(5096
150096
170974
150096
150'. 96
150096
150096
150096
15009o
150096
808C6
150096
150096
150G96
150U96
150096
150096
150096
170974
300193
150096
150096
150096
150096
150096
150096
170974
150096
150096
150096
150096
150096
300193
150096
150096
150096
150096
150096
150096
870679
300193
150096
150096
420289
150096
150096
150096
150096
300193
1060735
150096
150C96
150096
170974
150096
150096
150096
170974
150096
150096
150096
Dita n. 19. O mesmo 150097
Dito n. 21 O mesmo 150096
Dito n. 23. O mesmo 170974
Santo Cruz n. 34. Viuva e her-
deiros de Antonio Jos da Cos-
ta e Silva 180158
Leao Cordado n. 8. Vicente de
Paula Oliveira Villas-BOrs 150096
S. Borja n. 43. Viuva e herdeiros
de Antonio Jes da Costa Leite 153096
Dito n. 45. Os mesmos 154096
Dita n. 47. Os mesmos 190412
Visconde de Goyanna n. 109.
Viuva e herdeiros de Francisco
Jos de Almeida 150096
Hospicio n. 11. Zeferino de Al-
meida Pinto 170974
SeccSo do contencioso do Thesouro do
Estado de Pernambueo, 13 de Janeiro de
1890.
Manoei do Mascimento Silva Bastos,
1." oficial.
London & Brasilian Bank
Limited
Rita do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
cas do mesmo banco em Portugal sendo
m Lisboa ra dos Capellistas n. 75. No
'orto, ra dos Inglezes.
Cmpanljia te S$tgxos
COHIBA FQG-0
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Josso financeira (Dezembro de !887y
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados 3.421,000
Keceita aanual :
De premios contra fogo 607,000
De premios sobre vidas 197,000
De uros 143,000
O AGENTE,
John H. Boxinett.
SililKlM IIMIIA FAGO
ftoyal Insurance Compan\
de Liverpool
CAPITAL 9.000:000
AGENTES
R.DEDRUSINA&C.
13Ra Mrquez de Olinda13
Companhie de Messageries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Nerthe
Commandante Lecointre
E'esperado da Europa no
dia 8 de Fevreiro e se-
guir depois da demora
Hecessaria para
ihia, Rio de Janeiro,' Buenos-Ayres 0
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
cla3se8 qne ha lagares reservados para esta
agencia, que podem tomar em quatquer tempo.
Previne-se aos Srs. recebedores d mercado-
ras que so se attender a reclamacOes por fal-
ta 1, nos voluntes, que forem reconhecidas na
o xasio da descarga, assim como, devero dec-
ir 1 de 48 horas a contar do dia da descarga das
a varengas, fazerem qualquer reclamacao con-
se mentes a volumes qne por ven tura tenham se-
gai4o para os portes do sol, afim de poder-se
dar a tempo as providencias necessaras.
no llluminado
e di-
EIFICIOS E MERCADURAS
TAXAS BAIXAS
Prompto' pagamento de prejuizos
SEM DESCONT
A COMPANHIA
IMPK
EST
lE LONDRES
1803
CAP: Hs. 10.000:0004000
AEXTES BROWNS&C.
N. 5-RA DO COMMERCIO-N. 5
tea paquetes
am elctrica.
Para carga, passagens, encommendas
n ieiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Auguste LabiJle
9 Ra do Commercio 9
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO NORTE
0 vapor Pernambueo
Commandante Antonio
Almeida
Francisco de
E' esperado dos portas do sul
at o dia 7 de Fevreiro e se-
gurado depois da demora indis-
pensavel para of portas do nor-
te al Manaos.
As encommendas s serao recebidas na agen-
cu at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=^3
le andar
INDEMNISADOR
Companhia de Segaros
MARTIMOS E TERRESTRES
Eatabeleclda em 18SS
CAPITAL 1,000:000^000
SINISTROS PAGOS
At 31 de Dezembro de i 8 84
.Martimos.. 1,110:000#00G
Terrestres. 316:000^000
44Ra do Commercio44
SEGUROS
CONTRA FOGO
The Liverpool & London & Globe
INSURAITCS: CD^PAITY 3
SLACBsm hsisa:. & c. "-
Ra do Commercio n. 3
Companhia de Seguros
|i4diaflie &t ptalti
AGENTE
Miguel Jos Alves
N. 9Rna do Bom SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguros a nica companhia
.esta praca que concede aos Srs. segurados semp-
io de pagamento de premio em cada stimo
^ano, o que equivale ao descont annual de cer
a de 15 por cento era favor dos segurados
SMJ&08
martimos contra fogo
Companhia Phenix Per-
nambacana
RA DO COMMERCIO N. 46
Pacific Steam Navigation
Company
STRATTSOFMAGrELLAN LINE
O paquete John Eider
Espera-se da Europa at o dia
9 de Fevreiro e seguir de-
pois da demora do costume para
'Valparaso por
Baha, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di-
oheiro a freie: trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sons C, Limited
14RA DO COMMERCIO14
ioyal Mail Steam Packet
Company
O vapor Don
Espera-se da Europa at o dia 13 de
Fevreiro, segurado depois da demo-
ra do costume para
Baha, Rio de Janeiro. Monte vi
oo e Buenos-Arres
Para passagens, fretes e encommendas trata-
se com os AGENTES.
O vapor Atrato
E' esperado do sul no dia 13 de Fe-
vreiro, segurado depois da demora
necessaria para
S. Vicente, Lisboa, Vigo, e Southampton
Z_ Reducc&o de passagens
"Hf Ida Ida e volta
*V Lisboa 1* ciasse 20 t 30
A Southampton Ia ciasse t 23 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambueo.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
eos os
AGENTES
\morim Irmos & C.
N. 3Ra do Bon JessN. 3
COMPANHIA PERSiAHBfCA-VA
DE
avegaeSo coslelra por vapor
POR'tOS DO SUL
Bacei, Penedo, Afacp e Babia
O vapor S.Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia 7 de Fevreiro as
5 horasala tarde. Recebe car-
ga at o dia 6.
Encommendas, passagens-e dinhei,os afrete,
it a3 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
A.0 Cae da Companhia Pernambucana
n. 12
CHARGEURS REUNS
Compantatn
DE
rt'avegacao
Liona quinzenal entre
Pernambueo, Babia,
Santos.
Francesa
a vapor
Rio de Janeiro e
O vapor Entre Bios
Commandante Grequer
COXTANflU PEBNAMBtUCANA
DE
%'avegaco costelra por Vapor
Para Fernando de Noronha
O vapor Jacuhype
Commandante Esteves
Segne no dia l de Fevreiro as H
Choras da manha. Recebe carga at o
'dia 11. V>J
Passagens at as 10 horas do dia da sahtda.
ESCRIPTORIO
Ao caes da Companhia Pernambucana
n. 12
E' esperado da Europa at o dia
6 de Fevreiro, seguindo depois
da indispensavel demora para a
Ro de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga peles
va oores desta linha, queiram apresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das al varengas
qualquer reclamacao concernente a volumes que
Borveutura tenham seguido para os porto3 do
sul afim de se poder dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido praio a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nh;iro a frete: trata-se com o
AGENTE
Angoste Labille
9-RUA DO COMMERCIO -9
COHPBTANA PBSAMBICAVA
DE
avegaeo costelra por vapor
PORTOS DO NORTE
iarahyba, Natal, Maco, Mossor, Ataca-
ty e Cear
O vapor Pirapama
Commandante Carvalho
Segu no dia 6 de Fevreiro as 5
horas da tarde. Recebe carga at o
Idia.
y
Encommendas, passagens e dinheiro frete,
a s 3 horas da tarde do dia 6.
ESCRIPTORIO
io Caes da Companhia Pernambucanu
_______________1U12__________________
Para Rio de Janeiro
Segu nestes dias a barca nacional Betly. j
tem parte da carga, e para o resto que falto,
trata-se na ra Mrquez de Olinda a. 2.
i
r*
r *
I "*
i '


.


6
Diario de Pernambueo--Quinta4eira 6 de Ferereiro de 1890
















LEILOES
Leilao
p-l- 1 caixi de msica, jarros, bandeijas,
compoleiras, tapete, espelho oval, catearas, pi
res, copos, garrafas para vinho, clices e mais
objeclos que estarao patentes no acto do leilao.
\o commercio
De movis, magnifico p ano allemXo espe-
lho, qnadros, porcelanas, vidroa e li-
vros de medicina. .
Qalnta-feira. do corrente
A's 11 horas
Ko l* andar do sobrado sito roa da Au-
rora n. 43
Constando :
Urna mobilia do jueco raedalhao completa e
tampo de pedra. 1 magnifico piano allemao qua-
si novo, do fabricante Hould 4 Sons. 1 cadelra
de encost para menino, 4 quadros, 4 atageres,
1 espelho, "t pare.- de jarros. 8 esi-arrad^iras, 1
tapete para sof. 6 capuchos de palha, 1 caoiei
res para kerozene, 3 langas e pertenec para
cortinados, 1 cama francesa pai a casal, i cupu
la para a me?ma, i importante toilet, i lavatorio
com pedra. 1 banca de cabeceira de cama com
Kdra, i iruarda vestido 1 marquesao largo, t
ratono te amarello, i cabide. 1 guarda vesti-
dos pemem, 1 marquesao estrello, meiacommo-
da, i cabide de parede, I lavatorio com jarro e
bada, 1 mesa elstica com 6 taboes, 2 appara-
ores. 12 cadeiras pretas de joneo, 4 madres,
1 relogio da parede, apparelhos para almocp e
jantar, copos, clices, corapoteiras, garrafas, ta-
Iberes, colheres, diversos livros de mednina e
amitos outro3 objeclos que estarao patente no
acto do leilao.
O agenie Gnsino, autorisado por urna fami
lia que mudou se para fra do Estado, far le
lo dos objectos cima mencionados, os quaes
farao transportar todos para o sobrado cima
referido. _______________
A gente Stepple
Leilao
De movis, 4 espelhos, qutdros, loucas e
mais objectos
*Qnn.a-felra, 1 do eorrente
As' 11 horas em ponto
Em casa n. 11 ra Princesa Izabel
O agente anima autorisado por urna familia
me relira-se deste Estado para o do Para, leva-
r a leilao, urna importante mobilia aLuiz XV,
com encueto de palbinba a medalhSo, outro dito
e Jacaranda, tambem completa, i epeltao, jar-
ros lanternas, quadros, 1 bora relogio de pare-
de, lavatorios com pedra, dito ?em pedras, ta
petes para so a e portas, mesa com gavetas,
mesas redondas com pedra. etageres, camas pa-
ra casal marquesao, camas p ira enanca, sorve-
teira, cadeiras de junco, cabidef, arandellas Bl-
gica, vasos fantasa para flores, sof escarradei
ras, copos, copos ditos com p de caleces, vi
dros grandes com tampo, ban leiras, chicaras,
louca para jantar, dita para almoco, galbeteira.
trem de cosinha com pouco uso, e outros mui-
tos movis que estarao patente no acto do le
lo.
Sabbad, 8 de FeTerelro
Ra da Impr->triz n. 17, 2' andar
A's 11 horas
"
AVISOS DIVERSOS
AMA Precisa se de urna, para todo ser-
vico de casa e f.milia ; na ra do Aragao nu-
m e roM.___________________________________
Precisa-se de um menino qoe seja fiel, para
vender em taboleiro. A tratar em Fernandes
Vieira n. M.___________________________.
Precisa-: e de um felor ; na roa do Pay
sand h. 19.
Precisa se de urna ama que saiba lavar e
engommar, para pouca familia ; na roa Bella
numero 45.
Precisa-se de urna ama para comprar e co
8inh>4r : no 2- andar lo largo da Cerno n. 1*.
Precisa se de um criado para casa de duas
pessoas em Babenbe ; a tratar na roa Mrquez
de Ofinda n. 51, i- andar________________
Precisase de ama ama para cosinbar ; na
ra da i al-ua n. 61. ______________
\luga~se o sobrado da ra da Ponte Velba
n. 75. coui commodos para familia, tem agua e
gaz encanada ; as chaves para correr acham-se na
taverna junto, e a tratar na rna de Santo Ama
ro n 8. A de o. 2* ra ao Bario de S. Borja,
com bastante commodos para numerosa familia,
com agua e paz en aada ; est limpa ; e tam,
bera a de n. 18 da mesma ra : as cnaves para
correr acbam se na taverna junto : tratar na
lo de Santo Amaro n. 8.
lnga se a casa tenea. na Capunga, ra
Joaquim Naburo. n. 30, defronte da estacao,
com agua e cinceitada de novo, com acommo
dacOes para grande familia : tratar na mesma
ran 28_____________
Leilao
De bons movis com pouco uso, 1 piano,
espelho oval, louca e vidros
Constando :
De urna bonita mobilia preta a Luiz XV com
consolos de peora, urna dita de Jacaranda a ba-
ISo com consolos e jardioeira co pedra, 1 bim
piano, 1 espelho oval, 2 pares de jarros fino
lanternas. tapete para sof 6 ditos para portas,
urna excellente cama franceza. 1 bonito toilette
1 lavatorio com pedra, escarradeiras, cabide de
eolumna, 1 dito de mola, 1 colcho, candiciros
tlectncos e urna banca de amarello para advo-
cado.
Urna mesa elstica de amarello de 5 tboas,
mito bem acabada, 1 guarda comida de arma
rio,aparadores, cadeiras de junco, urna m>r
Iueza, ban juionas, duas venezianas, lavator o
e ferro e bacia; 1 lear, 1 marquezo estreito
louca de jantar, dita de aluoco, copos, clices
garrafas, mesa de cosinha. trem de cosinba e
eutros muitos movis que eero vendidos
Ao correr do martello
Quinta-Jara 6 de Fevereiro
A'S 11 HORAS
No 2o andar do sobrado n. 46 da ra do
Bario da Victoria
O agente Martins fara leilao por ordena de tima
familia que se retira p-ra o Estad j do Para, dos
movis e mais objectos existentes no referido so-
brado, os quaes se lornam recommendaveis por
lerem apenas mezes de uzo.
Agente Pestaa
Leilao
De um piano de armario. m< ia mnbilia de pao
arga, 1 espelho le crystal oval, 5 harmnicos,
meia comraoda de amarello, candiiros com abat
jours, 1 secretaria de amarello 1 carteira. 1 relo-
jio de parede, 1 dito pai>a cima de mesa, 1 re-
partimento para escriptorio, marquezo largo,
ama de Jacaranda, 2 ditas de amarello e muitos
ontros objectos que sero vendidos para fecna-
mento de contas e ao correr do martello.
Quinta-felra. do corrate
A's 11 horas em ponto
No armazem sito travesa do Corpo Santo
n.27
Leilao
o 1 cabriole! americano de 4 rodas, novo u
quasi novo com lanternas e arreios paral ca
vallo. 2 ravallos de s lia com andares.
exta-felra, 9 do corrate
A'b 11 horas
Agente Pinto
Em frente ao armazem da ra do Bom Jess
n. 45.
Por occasi&o de um culro leilao de movis,
andieiros. quadros, espelhos e cadeiras avqlsas
Leilao
De 80 fardos de estopa em pedamos e cer
ca de *00 saceos de estopa usada, pro
prios para carocos de algodao,
Sexta felra, 9 d*> corrate
A's 11 horas em ponto
No armazem da ra do Harquez de Olin-
dan. 48
Em continuacao
Mobilias de junco, ditas de Jacaranda, pianos,
mesas, cadeiras avulsas de junco camas, mar
^uezo8, fazendas, miudezas, loucas, vidros e
utros ariigos.
Por intervencao do
Agente Gusmao
Agente Brito
i .eilao
De marquezoes. cadeiras de amarello e junco,
camas francesas, lavatorios, jarro?, vidros e lou
ms e outros muitos objectos existentes no arma-
zem da ra do Imperador n. 2.
fteita-felral do corrate
Ao correr do martello
A's 11 horas em ponto_________
Agente Britto
Leilao
De 1 piano, movis, loucas e vidros
0 totete cima, autorisado por urna familia
fue mudou se deste Estado, fara leilao do se-
funte:
1 m- bilia de junco. 1 dita de junco, 1 toillette.
ama de Jacaranda. 2 guardas vestidos, 1 corti-
nado, t meia-commoda de amarello, 1 cabide e
lavatorio de amarello, 1 quartioheira, 1 cabido
de columna 1 cama para menino, 1 berco. 1
marquezo francez, 1 guarda comida, 12 cadei-
ras da junco, 1 mesa elstica grande. 1 dita pe
quena, 1 g arda-couda, 3 camas de ferro, i
foarda louca, 2 apparadores, 1 quartinheira de
ge-
tauoel ot da Silva participa que nesta data
com proa ao Sr. Antonio Martins Pereira, o esta-
belecimento de molbados, sito a estacao do Car-
ino (Olin a) livre e desembarazado de qualquer
onus ; qi em sejulgar com direito ai mesmo
esUbelecim nio, queira a presentar se no praso
de tret dias, a contar desta data. Olinda, 4 de
Fevere ro de 1890.________
Noya remessa de
eros italianos
Manteiga de 1.a qualidade.
Queijo Reggiano e Parmigiano
Ateite doce em garrafas e latan.
Fernet branco, verdadeiro.
Vermouih. Cora, Marini e Rossi.
Viubos. Grignolino, Brachetto, Barolo, aebiolo
e Malvasia
Macan ao branco.
Vende se na ra Mrquez de Olinda n. 39.
Precisa-se de um caixeiro que tenba pratica
de taverna de 14 a 16 annos de idade e d fiador
de sua conducta a tratar no largo do Pilar n 21.
Aluga te o 1- andar n. 78 ra Coronel
Suassuoa ; a tratar na casa Preaile 4 C, ra
Baro aa Victoria n. 69, ou no Chora meBino n.
12, sobrado junto a cape la.__________________
Aluga se a grande, casa caiada e pintada
com grande sitio arborisado e todo murado, sito
ao becco do Padre Iuglez, as chaves no mesmo,
a tratar no armazem n. 25 travessa do Corpo
Santo.________________________________
lugam se duas s?las com commodos, seo
do cma com frente para a ra Duque de Caxias,
e aoutra pra o largo de Pedro 2 ; a tratar na
loja a ra Duque de Caxias n 79.____________
'luga u--e duas casas novas ruada Casa
Forte, tendo cada urna 5 quarto;, 2 gran es sa
las, cosinha fra quintal murado, agua encana-
da e banbeiro c m ehoviscos ; a tratar na ra
Duque de Caxias n 30, padaria d Beiro e Al
meida.__________________
Alugam se caBas catadas e pintadas nos
undos de S Goncalo, a 8*000; a tratar na ra
la Imperatriz n. 7(i._________
-^Alugam -se o el- an dares da casa n. 43t
ra Viscoode de Inbama, com agua e com
modos para familia; as chaves no andar terreo.
.logam se a casa do largo do Paraso n 3 e o
andar da ra do Padre Floriano n. 69, para
ver as chaves na loja, a tratar ra do Apollo
n. 11, sobrado._____________________________
Aluga-se o Io andar do sobrado n. 3 da ra
das Flores, com agua, a tratar na ra do Crespo
n. 12, Io andar ___________
Lava se e engornma-se com perfeicao e
mais barato que ea outra qualquer parte ; Da
roa da Imperatriz n. 58_______________
Pede se ao s7.~Manoe F. raujo Saldanha que
appareca no pateo do Terco, padaria; j hoje sao
3 do mez.
O Dr. Emygdio Montenegro declara que
nadi deve a ninguero, e pede ao commercio o
favor de nao entregar qu. iquer mercadoria oem
me-mo aos teus em .regados, sem dinheiro
Vndese urna mobilia de jacarando, em
perfeito estado, muitos pes de arvoie da Fortu-
na, craveiros e croloos. por seu dono ter de
t'.i/.'T urna viagem, tambem alugam se commo-
dos para qualquer senbor que precise urna com
modidade em urna casa de gente que est acos
turnado a lrtar do hospedes, CU C-Jn a igoiida
cu i m ella ; no Caminho No com quem tratar ; o lugar muito fresco e
aceno.
Ao cidadao Antonio Witru-
viodeMedeiros
Tenha a bon lade de vir ra do Rangel n.
73, a negocio qu no ignora, io compareceodj
serei mais extenso.
Para cobrn^as
Urna pe.-soa habilitada e que d garantas, se
ufierece para fazer couraocas de alugueis e ou-
tras quaesq .er; quem pretender procure no
escriptorio do Diirw, que se diri quem .
Perdeu-se
um alfinet; de grvala, de prata. craveiado de
diamantes da ra da AssumpQito, Pe: ha, Li
vramento, estreita t larga do Rosauo, Cabug,
N iva a entrar na Cimbda do Carmo ; quem en
centrar fac favor de entregar na Camba do
Carmo n. 24, que se gratificar. ______
Aos liarateiros
Bernardino Campos '. t*ndo recebido gran-
de quantidade de fazendas Anas, e moda de gos-
tos lini-rirnos, convldam a seus bous freguezes
a virem em seu estabelecimento ra 1. de
Margo n. 1, onde encontrarn ludo que pode
haver de cbice bom, por precos ins'gnicantes
como sejam : zephiros, variado sortimento e de
gostos esqueaitos, fazend-> de 800 rs. por 3 rs.
o covado ; cambraia da Cbina; completa novida
de de 's divers s, de 2t 0 a 400 rs. o covado ;
me inda de cores, cretoaes francezes, etamines,
cambraias lisas e com salpico;, fichas, chitas e
casemtras pret-.s e de cores, gr odes so-timen
tos, e multas ou ras fazendas que seria enfa
lonho mencionar Venham certiflear se da
verdade que aqu fjca dita e aproveitem em
quanto leu po,
ito-r amuatra* tena penhor
Ra 1 de Margj u. 1____________
Ao publico e ao com-
mercio
Manoel Martins de Olivema Vai. socio da ex
tala firma que nesta praca gyron at 31 de
Dezem )ro lindo, na razo de Malinas & Coelbo,
no estabelecimento de molhados no largo da
Asseubla o. 17 (Forte do Mattos) scientifica .o
publico e ao commercio que na lita data foi
vendido ao Sr. Antonio de Oliveira Soares o
mesmo estabelecimento. livre e desembarazado
de qualquer obs, do qual juiga o vendedor
nad. dever ; e bem assim, que desde a mencio-
nada data retirou-se do mesmo estabelecimento
o Sr Miguel Antunes Id eltio, pelo nao cumpn
melo de seus deveres.
Setins de cores a 400 e 700 rs.
Lia e flanellas, todas as cores, a 320 rs.
Tarlatanas, todas as eSres, a 00 re.
Velludilbos e velbutinas a 600 re.
Oaze de seda, prateada, 3 cores, a 1)4000.
Luvas, todas as cores, a lfJOOO.
Luvas trocadas de seda a 200 re.
(ianga lizas a 200 re.
Meias, phantasia, a 500 e 700 re.
Bombaixas de cores, novidade, a 1(5000
Leques a 500 re.
Cretonea de urna s cor a 240 re.
E umitas fazendas que se vende m maie
barato
Loja das Listras Azues
61Ra Duqua de Caxias61
es locatar os de kiosqoes
A emprezaria de kiosques desta cidade avisa
aos locatarios dos mesmos. que se acham em
atrazo, que !hes Oca marearlo o prazo de 8 dias
para solverem seus dbitos, lindos os quaes, se
proceder cobranja e despeo judicialmente.
Para isto podem entender se com o Sr. Julio da
Silva eves, ra do Pilar n. 14._____________
Advogado
11 Dr. A. Clodoaldo de Souza mudou o seu es-
criptorio para a rua_do Imperador n. 32 pr meiro
andar, onde pode ser procurado de 10 da ma
nh s 4 da tarde.
Residencia Ra Imperial n. 148
Telep:oBen. 102.
Vaccas de leite
Vende se em Sanl'Annade Dentro, no sobrado
grande, cinco vaccas, duas das quaes recente-
mente pandas. O mesmo sobrado aluga se.
C aixeiro
Urgente
Precisase de perfeitas costureiras, paga se
bem ; na ra Baro da Victoria n. 15, pnmeiro
andar.
Muita attengo
O abaixo assignado, tendo arrematado em lei-
lao, por mandado e assistencia do Exm. Sr. Dr.
juiz especial do *omm icio da comarca de Olin
da as dividas da massa fallida de Falmeira &
rmo, pede a todos os devedores, a virem enten
der-se com o mesrro a ra do Imperador n. 39,
das O horas s 3 da 'arde, afim de liquidar os
seus dbitos; se assim nao flzerem, serio men
donados os nomes de cada um nos jornaes.
Recife 3 de Fevereiro de 1890.
Lourenfo Altes de Souza.
Azulejos
Com lindissimas cores e desenbos variadissi-
mos, encontra-se para vender um grande sorti-
mento desse artigo, proprios para frente de ca
sas, corredores, cosinhas e banheiros; por pre-
cos sem competencia na ra do Viscoode de
Goyanna n. 45.
A ercio
O abaixo assignado, tendo comprado livre e
destmbrracado de qualquer onus aos Srs. Manoel
Moura & C, o fen estabeltcimento, sito tra-
vessa 'O Queimado ns. 5 e 7, suentifica a quem
se julgar com direito que se aprsente no prazo
de 3 dias a centar de hoje.
Recife, 2 de Fevereiro de 1890.
Velloso & Noguetra.
Manoel Ferreira Madeira e sua familia, Gui-
Iherme Patricio Bezerra Cavalcante e sua familia
pedem, encarecidamente, s pessoas de sua ami
zade o religioso favor de irem assislir, na igreja
de S. Gongalo, a urna missa de stimo dia, que
mandam celebrar s 7 horas da menh de 8 do
correle, pela ala de sua prezidissima mal e
sograD Joauoa Francisca Bastos Madeira; ante-
cipando st-us agradecimentos aos que se digna
rem comparecer.
Aproveitam a occasio para tambem manifes
tarem seu profundo reconbecimento benvola
irmandade do mesmo S. Goncalo, pelo modo
auradavel por que se houve no enterramento da
alludida tinada.
Francinco Jii.ii de Castro
Bekello
Elisa Usel de Olivein, Dr. Virgilio Tavares de
Oliveiraesua mulher. Dr. Math. us Vas de Oli
vana e sua mulb-*r (auseutes), cunhada e sobri-
nhos de Francitco Jostiniano de Castro Rebello,
fallecido na capital federal, tendo de mandar
rezar urna missa de stimo da pelo repon-o
eiern i ue sua alma, na igreja da Corieeico dos
Militares, sabb. do 8 do corrente, s 8 horas da
inunda, e convidan aos prenles e amigos d
quelle tinado para uvoi^iirom o case acto de re
ligio cari ade^_________^_____________
ILlcdr depurativo vegetal iodade
do medico luintella
Este notabilissimo depurante que ven
precedido de tao grande fama infallivel na
cura de todas as doencas syphiliticas, es-
crofulosas, rheumaticas e de pelle, comt
tumores, ulceras, dores rheumaticas, oa
teocopas e nevralgicas, blenorragias agu
das e chronicas, cancros syphiliticos, in-
ilaniaces viceraes, d'olhos, ouvidos, gar
gantas, intestinos, etc., e em todaa ai
molestias de pelle, s-mples on diatbericaa
assim como na alopecia ou queda do ca
bello, e as doencas determinadas por sa
turaco mercurial.
Diio-se gratis folhetos onde se encon
tram numerosas experiencias feitaa con
este especifico nos hospitaes pblicos
muitos attestados de mdicos e documen
tos particulares.
Faz-se descont em casa de
FARIA SOBRINHO A C.
Ra Mrquez de Olinda n. 21
Charutos a Martins
Jnior
Hoje em dia s se pode fumar os charutos
cima mencionados, o publico s encontrar esta
marca na fabrica Vendme, ra Baro da Vic-
toria n. 39.
Contra
PifiTACuES SDFPOCACflES
PERTEBACGES fe CiWgiO
IITSRaiTTENCAS AST8MA
i todos os irTommortos consSeruloB como
preludios ilaa
OS.E3TIAS DO OOMOAU
Ot Ma toem/iii. o impreco do*
Granulos Mmoniaes
:PA

-'. Medianm
t
Jarla Jnniinria de Palva Horeira
Antonio Jos Moreira, sens Albos e prenles da
tinada, agradecem do intimo d'alma a todas as
pessoas que se dignaram acompanbar sua ni
lima morada sua esposa, me e prenla, Mara
Jaouaiia de Paiva Moreira. Os mesmos de no
vo rogam encarecidamente s pessoas de sua
amisade o religioso favor de assistir as missat
do 7 da que mandam celebrar as 7 bcras da
manli do dia 8 do corrente na matriz de Santo
Antonio, antecipando desde ja seu eterno reco
nhecunento aos seus amigos por este acto de
religiSo e caridade.
-
Rota Emilia da Fon-era Oli t eir
1. anniversano
Amelia de Oliveira. Francisca de Oliveira, Ma
ria do Carmo de Oliveira Constantina de Olivei
ra, Emilia de Oliveira e Antonia de Oliveira,
convidam aos seus parentes e as pessoas de sua
amizade para assi>tirt m as missas que mandam
rezar pela alma de sua sempre pranteada mi,
llosa Emilia da Fouseca Oliveira, n. matriz de
Santo Antonio no dia 8 do corrente, s 8 horas
da manb, peohorando desde j os seus eternos
agradecimento3 a todas as pessoas que assisti
rem a este arto de caridade e reheiao.
t
de
en
D. Bo-alina Faado
doea
Marcolina Furtado da Silva Cabra!, seu marido
e fi hos, convidam a seus pa entes e amigo para
assistirem a missa que por alma de sua s. mpre
lembrada irm, cunhada e lia, Rosalim Furtado
deMendonca, mandam resar na igreja da Penha,
pelas 7 horas da manba de 10 do corrente, agra-
decendo desde j ao que >e dignarem compa-
recer a essetetode religioe caridade.
t
de CaMtro
rranclaco JnM'nlano
l-Id-l lo
Domneos Joaquim da Fouseca, possuido de
sincero p>zar, man la celebrar missas na matriz
da B a Vista, as 8 hor=s da manb de 8, pelo
descanco eterno de seu primo a .migo Francis-
co Just-niano de Castro Rebello, fallecido no Rio
no dia 3 do corrente mez ; roga a seus amigos
quetram asmtir a e^se acto de caridade e re-
gio
..noel Caetano da Paa
Os filhos. n;tos e mais 'ainilia de Manei Cae
tan da Paz, agradecem aos amigos e parentes
que sr dignram conduzir ao cemiterio publico
o cadver de >-eu sempre lembrudo pai e av : e
de novo os convidam para assistirem as missas
que terko rezadas na igreja da Coocelcjlo dos
Militares, sabbado 8 do corrente, s 7 1/2 horas
da maehS, stimo dia seo passamento.
Levlno narra
Domingos Mafra agr >ece a todas as pessoas
que Qzeram 0 caridoso obsequio de acompanbar
os restos moitaes. de seu prezado filho Levino
Mafra ana ultima morada, e de novo as con vi
daaouvirem a missa do stimo* dia, qde ten
lugar La matriz de S. Pedro Martyr, pelas 7 1/4
horas da manh do dia 8 do torrente, pelo que
se confesfar eternamente grato. Olinda, 6 de
Fevereiro de 1890.
feUUv-to fiocr/ire ra AeaA
le. har\M.
txi'x-nt *naic**TvH*
eswsito cm: rt- atfe, t m css-ara. fis
! Pvmmtmeo : T' A.N'- jSI "A *C. >
'!<>OOOaOCOGaOc^G\'KOC^}W:OC9r
Casas 9 alaguis
Scientifico ao publico e ao
commercio que o cidadao
Joaquim Goncalves Ferrei-
ra de Souza deixou de ser
meu empregaejo.
Recife, 31 de Janeiro de
1890.
Manoel Jos de Bastos Mello.
\ luga-se
ra das Barreiras ou de Meciel Martins, a casa
n. 9, com boa vista ; est caiada e pintada e tem
bons commodos e quintal grande a tratar na
botica ra do Ro ario n. 34, das 9 horas da
nanh s 5 da tarde.
Patacoes
Compra-se patacoes e outras moedas de pra-
ta ; no armazem ra do Commercio n. 4.
A o commercio
Joo Jos de Mello avisa ao publico e especial
mente ao commercio, qoe encontrando mais de
urna pesse a com nome igual ao seu, resolveu
d'ora em d ante assignar-se JoSo Jos de Souza
Mello e pede quellas pessoas que tees tran
saeces comsigo, a virem ou mandarem, a contar
desta data, renovar a assigoatura no praso de
oito dias. ru do Coronel Suissuna n. 151. ta-
verna, eob pena de nao responsabilisar-se d
pois de findo.este praso. Recife, 1 de Feverei-
ro de 1890.
Caixeiro
Precisa-se de um menor para caixeiro de ta-
verna ; na mercearia Pnntemps, na Capunga
Alugnel barato
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Largo do Mercado loja n. 17.
Becco do Campello n. 1, Io. andsr.
Loja do sobrado do becco do Caiabouco n. >>
Ra do Nogueira n. 13.
Visconde Goyanna n. 163 com agua e gaz.
Travessa do armo, loja n. 10.
Beccn do Tambi n. U.
A tratar ra de Commercio n. 5, 1- ano*
a?cnptorio de Silva Guimares & C.
MAIS DE \ 0:000 CUBAS
OTE SO ESEMTISMO
DORES E DkDENTES
PKEPAKADO NIOAMENTE
POB CALA8ANS & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheumi
tismos, incba^Ses, dores aciaticas, nevrai
eiaa, dormencia, etc., empregatdc-se ei
fomentacoes sobre os lugares affectado-
Cura o beri-beri, as paralysias e as dore
de den tes.
Todos os fraseos levam direccJJea par
ubo d'e8te medicamento admiravel.
Preco 1^200. Descont de urna du
em diante. ____
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C. ra
Mrquez de Olinda n.23
t
TTM.-
IKFALLIYEI
^HBBn_||^HB^ cm todo o caso *
RHEMTISMO
impurezas e Saugae, Erap-^ss, Bscrfr
fulas, luceras, SipMIis
e toda aff3c?5o de natureza
eruptiva ou venrea
SiLSAFABHlLflA'
1 DE BRISTOL
) Remedio do Faailia uor excellencia!
MARAVILHA CURATIVA
DO CELEBRE
Dr. Humphreys de Nova York.
A Verdadeira Maravilha do Seculo.
APPRCVADA E LICENCIADA
pela Inspectorl Geral 4e Uyeienc do
Imperio de Drazil.
A MaravHha Carativa remedio prompto
para as llaaduras, Machucadunui. Contusvcs, Tor-
ceduroa. Corladuras, ou Laceracoes. Alllvia a dor,
pstauca o sangue. fai parar a fuflammai?lo. reaua
a lnchaoao. tira o descoramento, e faz sarar a ierlda
como por encamo.
A. MaraTtlha Carativa alllvlo promptoe
cera rani.ia pora (Juebnaduraa, Escaldaduras, e
yuelmadura do Sol, e i superior a qualquer outro
remedio.
A Hararilba Caratlra impagavel para
todas as Hemorrhaglas, si.jadoNarlx,aaGenKlvas.
do* PoUnoes. do BMomago, oo at Honlbrrtioidas ou
Almorrelmascura sempre c nunca faina.
A Maraviltan Carativaumaniioprompto
Sra ijor de Denles, de OutWos, da Face. Inuhacao
FaceeNevralgla.
A Maravilha Curativa < o recurso prompto
e precioso para Dores rheumaticas, Aleijao,Dore
Rigidez as Juntas ou Pernas.
A Maravilha Carativa o mude remedio
r.ira F.squlnencLi. Angina. Amygdalas taenndasou
uiammadassempre seguro, sempre efca.
A Maravilha Curativa 6 de multo valor
como tajto ira o catarro, a Lenenrrhea ou as
Floree Brancas, e outros corrimentos debilitante.
A Maravilha Curativa 6 lmpagavel para
curar Ulceras. Chagua outlgas. Apostemas. Palirt-
elos. CaUos, Frteiras, Joanetes e Tumores.____
A Maravilha Curativa arenlo prompto
para Diarrl.ea simples, c de Dlarrhca chronlca.
A Maravilhn Curativa cxcelknte.na
Fjttrebarlas e Cavallarlcas, para Torceduras Dores,
fKillllMII Esf oladuros. Contusoes, Lacerasoes, &c
Especialidades do Dr. Humphre73.
Semrdios Especiflcos,
Uugueoto Mnravllhcrao.
Remedios r>yphilltlcoe,
Krmcdios Veterinarios.
O Xanual do Dt. Humphreys 144 paginas sobre as
Enfermldades e mododecural-asse digratls, pede-
fe ao seu boticario ou
HCMPnREYS* MEDICINE CO.,
109 Faltn Street, NEW YORK.
nico deposito para vendas em
grosso na imperial drogara de F.
Manoel da Silva & O. ra Mr-
quez de Olinda n. 23.

Para a cura efficae e prompta da*
Molestias provenientes de im-
' pureza do Sangue.
E' urna, loucura andar a fazer expe-
riencias com misturas inferiores com-
postas de drogas ordinarias on de plantas
Indgenas cuja eficacia nao confirmada
pela sciencia, emquanto que a molestia
cada vez ral ganhando terreno.
Lancera mao, sem demora, de um re-
medio garantido cuja efflcacLi seja facto
assignalado e inquestionavel!
O Extracto Composto Concentrado
f. Salsaparriuia de Ayer conhecido
e recommendado pelos mdicos mais in-
teligentes dos paizes adiantados, j4
durante 40 annos,
Centenas de milhares de doentes
tem colhido beneficios do seu emprego e
sao outras tantas tcstemunhas da sua
efilcacia positiva e incomparavel-
preparado pelo
DR. J. C. AYER & CA.,
T.owoll, Mass., Esfc-Unldos.
deposito aM
i A
l \
V
. .;
Precisa se de umac sinheira em casa de pon-
sa familia, e ce urna menina de l a 14 annos,
para aodar com meniooa, da se-lhes ordenado
ou tomi se corta,dando seo que prerisarem ; a
tratar no caes da Ctmpanbia Pernambucuoa n.
4, armazem. _____
Ama
1
Precisa-se de urna ama
n.33, 1- andar,
na ra do Queimado
Ama
R. de Druzfna efe C
avisam ao corpo com-
mercial e ao publico
em geral, que o Sr.
Joaquim Antonio Ri-
beiro deixou de ser
seu empreado desde
16 de Janeiro ultimo,
dia em que ausentou-
se allegando doenca.
especficos
DO CELE3HE
Dr. Humphreys de Nova York.
Em uso msis de SO annos, simples, seguros, efli-
csa roaclaa priclpaes e nmli* r:arantidas do Mundo.
Ko. CU HA
1. Febre.",ConccsUo, InaammacSes..^........
2. Vebr*.;e CttltmanwlM porl.ombriinis....
8. Clica, Cnoro e Insmala dasicrlancas......
4. Diarrbi-H de Crlancas o Adultos ........
5. I) vki'nlr rin. Df res de Barriga, Colicahllios
6. Colerina, Colera-Morbo, Vmitos....._.
7. To^r, Constlpat.io. Kouquidao, Xironcnlte..
8. llordp ncntescdcCara,cKevralKla.......
9. Dor de Cabeca, Enctmoueva. Venigem.....
10. Dispepsin, ludlicstAo, Pri.lo do ventre.....
U. ttuppreiisao daTKegra. Escassa ouDemo-
12. LcnrrTBCRWorBruacis, Rem profusa
li Crocp, Tosbekojca, Dluljulii^dedeJesplrar
14. Herpe, Erapcoe... F.rystocia..... ...........
15. Rb<'ii;ualisu>o, liarosrhcuinailcas..........
15. Kezi>c?, Slaieltn. Perire tntermlttento.........
17. Hemnrrboidna, Almorrelas, lniernas ou
externas, iui pU^ ou san,rrentas.......... .
18. Onhth.-ilmia, olhos fraoos oiLiiiflamniadoa.
19. 30. i_iim4ibi Toce ewwinnoaien..............
31. Ama. -rfraj.lodimeuitaaa.................
22. Siiiijiarbyrto dn>; f 'osjSurdcz ...........
29. EhutoIu!,:, Ir.cliarOes e Clcwaa.............
24. Debilidadeuc.-it., ou phraici^.............
25. llydropela. A''ir,clae,s laida...........
26. Knioo de Mar. .,'ausea. \ouiitoa......_r__
27. Jlolesliasonrinarlas, Clculos ou l"edra
na Bexlga..............................v'V
28. Impotencia, Dtlillidade nervosa, seminal..
29. CbasminliE.- na l-cea, ou Aonta _. ...
8a Incontinencia uc Ourlna. Ourlnar;na
Cama ........................"............
81. Mcntitruacio .I:.1:-oi. Prurito
^. -&____>___*i_ t\ ....^n t!.,i|qi.m
Precisa se de nma ao.a para cosinhar. para
duas pessoas ; na ra do i.aldeireiro n, 4, 36-
brado.
Ama
Precisa-se de urna arra para a sinhar e com-
prar, para casa c e pouca fa ilia, que durma em
casa; na ra Mrquez 'lo Herval n, "9.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosir.har
do Mrquez de Olinda n. 64, 2- andar.-
na rna
Ama
Na casa n. 30 da ra do Pire?, precisase de
duas amas que durmam na mesma casa.________
Ama
Precisa-se de urna an/a que cosinhe e engom-
me com perfeigao, para dus pessoas ; na fabri-
ca ra da Florentina n. 36.
Ama
Preca-se de urna ama que f ai ia bem engom-
mar, para sercice de crsa de familia ; na ra
Mrquez do Herval, antiga Concordia n. 104.
Ama
Na ra Baro da Victoria n. 6, precisa se de
nma ama para comprar e cosinhar, e loaar a
dimgo de jasa dfrhomem solteiro.______
Ama de leite
Precisa fe de urna ama de lite que tenba bom
e abundante leite. que seja limpa e |sadia, que
st-ja livre e desempeiiida. e nao tenha tilnos ;
quem estiver nestas condicflea dirija se ra do
Hospicio n. 6 para tratar
Aluga-se
i
8 Molestias do Coi nqilo, PalpltacrVa. etc..
_ py lepHia, Mal .i.:iuco, Gottacorai. Baile de
S.Vto.
S4. nipbtheriH, Mol uinlltrno de Garganta......
as. ConscstCes Cbraisiciw. DrVrdeCaueca .
O Manual do Dr. numpbreys, 144 paginas sobre
as Enfermidadese o modo de cural-as.sed^ jera, is,
pedee ao seu boticario ou i
HCMPHREYS' MEDICINE CO.,
109 F_ltoa Street, NEW YORK.
nico deposit o para vendas em
grosso na imperial droga ria de F.
Manoel da Silva & C, rna Mr-
quez de Olindajn. 23
por barato prego o 1 e 2 andares do sobrado
no caes de Apollo n. 75 o i- e 3- andares do
sobrado ra doBrum n. 84 todos com grande
acrommcdagOes a tratar na botica ra larga
do Rjsario n. 34, das 9 d u-anba s 5 da torro.
Alsram-se
as duas pequeas casas travessa da ra Bella
ns 14 e 16, estao pintadas e caiadas de novo ; a
tratar na ra larga d i Rosario o. 34, botica.
Excellente morada
Aluga se barato, ra do Hospiltl Pedro 2-,
no lugar dos Coelhos, urna casa assobradada,
com agua, muitos commodos. muito fresca e
junto do banho salgado ; a tratar com l aquim
Moreira '.eis, das 8 s 10 horas da manba, o
qual aluga tambem alli casas de 6, S e 10._
Cautelas do Monte de Soc-
corro
Compra-ac Cautelas do Mcnte.de Soc-
corro de qualquer, joia, briinantee e relo-
gios, paga-se bem na ra o Cabug n.
14. n.Loja de relojoeiro.
O MICROBIO
DA
Blennorrh*rgia
(i radicalmente aniquilado pelo emprego da
INJECGAO CADET
DEPOSITO GERA.1.:
PASTB, noofcr-ard Denaln, 7, PARS
Vt i Hooi quq sen/e .'a embru'ho a sarfa
rmn :'a Injeefo Cadet.
Depsitos :d t:-.-.s ai principa" Pharmachs Brufl.
TI *TA
DE
tODOS OS DIAS

2S--Rua de fithi s d Albuquerqne, antiga ni i das Flores25
Tinge e limpa cm a maior perteico toda a qualidnde de estofo e fazendas em
pegas ou em obras, chapeos de feltros ou de palha, tira o mofo de fazendas; todo C*
trabalHo feito por meio de machinismo aperfeicoado, at hoje conhecido.
Curados pelos CIGARROS ESPiG
Qupre*MeM Toase S>efluxos Aevralyiaa
^^ L1CKKCIAOOS PELA 1 SPECTOE1A DE BTSIKHE DO IMPERIO DO yrtAZIL
nira.s< \ fiunaca que penetra no peto, acalma o systema nervoso,
JX" eipcctora<:3o e favortsa as funecocs dos orgos resrritortoa
w,-rt- -m Zm, J. ESPIC, CO, > St-_ar, em Parta. Bxva-- (a atagn^
Venda am aooa ^ fvntmtlim'. rRANCc M.
i
A

i


-

m
.>

-,.

i '
'
\r
m
I


tV
1 iraPB. j


I'.
I
Lfiario de PemambueoQuita-feira 6 He'Feyereiro 890
.V-
L0JAD0P0V0
HRa do CrespoH
Com este titulo acaba de abrir urna loja de fazenda a ra do Crespo n. 11 e
eu propnetario convida o publico d'esta cidade e de fra a apreciar o sen BELLO
sortimento. Muitas de cuas iazendwa sao recebidas directamente.
GRANDE NOV1DADE
Desmonto- 10 /0 para as compras a retalho de 204000 para cima.
Chitas de 180, 200 e 220 rs. o corado.
LKs lisas, mitayo de cachemira, a 200 rs. *
Ditas lavr das, idem dem a 240 rs.
Zephir com 75 centmetros de largura de 800 rs. por 320 rs.
Ditos com 70 idtm idem de 200 rs.
Ditos com 60 idem idem de 160 rs.
Corte de casemira ingleza de 35500 e 61JOOO.
dem de casineta de cor de 10100 a 10400.
dem de fustao para collete a 26400.
Um completo sortimeoto de fichas, chales, aapsy fam %schora, espartilhes,
eia e casemira, chaviot, diagonal, pretos de cfjres, femas Wvms e* cures, cami-
sas, ceroulas, toalhas, bramante, atoa hado de linho, panno da Costa, camisas de
flanella e muitos outros artigos que enfadonho mencionar.
GnJBDEBMB CARNEIRO M CUMA
NA L"J\ DE FAZENDAS
21RA DO CRESPO-21
panhos, collarinho
vah El ci rs
II Cl II Uv

ACABO-SE COM AS DURES DE DENTES!
PELO Tjrao IDO
Elixir, P e Pasta Dentifricios
sos
RR. PP. BENEDICTINOS
da ABBADIA de SOULAC Gironde)
Dom MAGELONNE (Prior)
OIELHOR CURATIVO
Dnico PRESERVATIVO
DAS
Affccgoes Dentaras
<
tism
$
Icci
INVENTADO DO ANNO
1373
m
PELO
mit
Prior Fierre BORSAD

EXTRACTO DA NOTICIA
A forma! de FIERRE B0UR3AUD e tew procesaos primitivo fio escrupulosamente retpeitadoa.
E*te Elixir dos notaos Padres Roza das proprlcdad*** mals preciosa.-. Pii'Vcm a carie dos denles que
torna alvos ao me~mu tempo que os consolida. Rxpce o sangue das pengiras qne tonifica c reforja
discipa to-!a incha.ao. Purifica o balito sanea a bocea cm que deixa orna frescura deliciosa e duravcl.
Prever e cura as dures de garganta, as rouquldoes, inflammacOes, as aphtas i irriut.-oes ^e to^A sp^ci*-
N'ama pulavra, o osoquotidlauo do Elixir
dos JLJt. PP. Benedictinos -
gura a tan le p-rpetua da GarffSUita
e da Bocea. Como vg-se, o especifico cinco
Tezes secular dos n oraos Revereutos Padrea
nada tem de commum com os productos
nicamente agradareis espal hados no com-
mercio; dMles distitignc-Kc tanto por soas
virtudes preventivas como por sua
accac curativa energioa, rpida e
certa.
--------------- AGENTE GERAL

A.8EGUIN, BRDEOS
S5
Acha-se em todas as Perfumarlas, Pharmacias e Drogaras do mundo lntelro.
ci x.1 n KW'


PARA
* ,
O

CARNAVAL

co
vado.
dit

(JIJiVlO aOLOUVBE)
Teldisho com flores a 5 o rs. o
Se fineta dourada a 4oo rs, dito.
Telbutina. pretit a 5oo rs. o dito.
Oang'a, todas asidores, a 24ors.
Meias de core a 4oo rs. o par.
. Sefns de cores a Rio rs. o covado,
Cachemira encarnada, lisa e de i ist ras. a
o dito.
Vejlbutinas, tod *s as cores, a 800 rs. o dito.
Guarda-ps para bomens a 6$ooo.
Diios para senhoras a lo$ooo.
XtfsA.
000
i

das Tres
20Ra I. de Marco--20
DE
MARAL &
gescobera giiteressantissima
(r>*.rvr::T_.3C3iAr>.A. i
AttESiKHOW M5AIX0
Basta a]nar kvanatk os oii^dos /<;../ (nr
pebfbies OR3SA tmraS
.P8E5h:;t.d&5 v.uwo h Ffflp de upij (l Sfta ctaag) \
BSu esi'tpar kvanenfe os cbrfos tmri htFtfni-4 )
(a Gutlc, Rcapa, Jhepal para QttKtM, etc.)

% LECKEtAXIB, Fon** da Gvts o Basis
2C?; RA SA1NT-KONOR, PARS
Ytr.de-s-; em tbdn primlpsM Pertomitin, Phornaoiss Drogara o
mrnntK-nv. o*. nir!s o catalogo ii.(.csrn\.o rt'Awo ni p->tk
KmxnS*Snrmm~rm------------rr~
?
I
Merino francez, neos, largura, todas as
cores, 1S pura, 280 rs., o cavado.
Dito, duas largurrs, cor asul, a 400 rs.
o corado.
Las diversas com listras e quadros de
seda a 400 rs. o covado; fazenda de
800 re.
Merino de cor, duas larguras, com lis-
tras, fazenda de 2000, a 800 rs. o covado.
Etamines arrendados, lavrados e de lis
tras, fazenda de muita phantasia, a 400 rs.
o covado, cores lindas.
Mantilhas hespanholas, eremos e pretas,
3^000 urna.
Brim de linho, padrSes mimosos para
chancas, a 600 rs. o covado.
Linhp pardo para vestido, escuro e cla-
ro, de 360 e 440 rs. o covado.
jph
de.
La adamascadas com salpicos de seda
a 500 rs. o covado.
Sedas lavradas, de listras e de quadros,
a 1)5000 o covado.
Chitas, sortimento completo, de 200,
240, 280 e 320 rs. o covado.
Cretones francezes verdadeiros, a 320,
360 e 400 rs. covado.
Cachemiras lisas para vestidos a 200 rs.
o covado. |
Meias brancas cruas e de cores para
homens, senhoras e crianoas, todos os pre
Zephrs fiaos para vestido, ramagem
grande, a 500 rs. c covado.
Camisas francesas,
de linho.
Fichas de 12, e- 1S e seda, de 1000
6)9000 um.
Lencos broncos de algodSo, linho, born
de seda e seda pura, broncos e de cores
Gh-avatas e mantas, sortimento com
pleto.
Lcques de papel muito lindos, 320 r>
um.
Eapartilhos para senhoras e meninas,
todas as qtialidades e precos
Lencos chinezes, de seda, para rap.
Collarinhos de linhj para hornera t
1)5000 a duzia.
I Fustao branco lavrado e com flores s
400, 500 e 10000.
Peitinhos de vidrilho a 1)5000 um.
Capas, visites e romeiras, de cachemi
ras, gorgorSo s vidrilhos, todos os precos
Bramantes de linho e algodio.
Toalhas adamascadas paro mesa 2J00(|
urna.
Guardanapos de linho e algodao, de
3)5000, 40000, 50000 e 60000 a duzia.
Setim Maco, todas as cores.
Surah de todas as cores, seda para.
Merino preto, 1S para, de 640, 800,
10000 e 10500 o covado ; baratissimo
Bretanha de linho 27 varas por 120COO
Modopollo algod3o grande variedade en
precos.
Cortes de casineta, cores fixas, a 10000
eos.
E muitos outros artigos que vendemos por qualquer preco.
Na RA DO CRESPO N. 21 LOJA DE
OLIVERA CAMPOS & C.
Completo sortimento de chapeos, capotas a gorros de fantasa em todas a*
foalidaies.
Fitas, rendas e bicc de seda e algodao de todas as cores.
Flores, plomas, pasearos, algrttes e bijoate?les para enfeites.
"!h4 > 3i f.- in ca^;.,r, os cnais molernos, para homcis o ase: 'ios.
'>'!vi >- -.- !>>r,:.a *i pr>iiT-..\is kflrf .-;. ;: Afic^t (fe eo
Raphael Di as & C
2 Hua do liara o da Victoria 2

VINHO
KK*ltfo
para
reconstituir
regenerar
0 organismo
arruinado t debellar
Anemia, Chlorol, Pobreza
de Sangue, Fluxo Branco, Debi-
lidad*, Amenorrhea, Molestia*
^ Figado, etc. ----------------------
PARS, Boulevard de Strastourg,
* em toda* as phorma jblm.
Tnico Febrfugo Regenerador
QTJXNA "OOOA
istraatt Caras
s
Hypophosphtto
50
JOHANNO
+
M-Hil 4R40 ftO'TIIUlNI-44
'darhias a vapor
Moendas.
Rodas
.



d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravasao
Arados,


Molestias Nervosas
Capsulas do Doutor Clin
Laureado da Faculdade da Medicina de Paria. Promb Montyon
As Capsulas do Doutor CLIN ao Bromureto de Camphora empregao-se
as Molestias, as de Cerebro e contra as afleccoes seguintes:
Asthma, Insomnia, Palpita9des do Coracao, Epilepsia, HalluoinacSo,
Tonteira, Hemiorania, Atisc?6es das -rmm nriaaria* t para esisaar toda
especie de excitacao.
un Urna explioacio etathada acompanha cada Frasco.
Exigir as Verdadeiras Capsulas ao Bromureto de Camphora de CLIN & C'S
de PaRIS, qw se eneontro em casa do Droguistas et Pharmaceuticos.
FHIIIOI
BRONZE
BE
CARDUZO tt IRMAO
do Bario do Tnumpho ns. 100, 102 e 104
Deposito ra do Apollo ns. 2 e 2 B

i para Tender o seguate:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo dir jipara o ou fo*o
de asso:
(amento.
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
( RIVACES de differentes tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e fundido. M
LOUOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americanos.
BOMBAS de todas as qoalidades com o respectivo encanamento e finalmen
toda3 as ferragens precisas para a agricultura desta provincia.
ENCARREOAM SE de qualquer concert e mandara buscar, por encommet
la, mediante ajuste previo ou urna mdica commissao qualquer machinismo.
MACHINAS de descarocar algodao.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
CONTRACTAM fornecimento de apparelhos para usinas, garantindo a U
lUkdade e bom trabalho dos mesmos, o que podem provar com o bom resultao
Jbtilo com as duas SDAS montadas altimamente a saber:
Santa Filonilla e Joao Alfredo
Vendem a praso ou a dinhsiro com descont.
LiBiii
ADMINISTRACAO :
tAKIZ, 8, BsnleTard Moatmartre, PAJUZ
PASTT1.HAS DIGESTIVAS rahricadas cm
victay qpm os Saes ex. rbidos das Poetes. Sao
de gosldagradavelo a sua icco certa con-
tra a Azis e a DifestSes di/tOeH-
Jtl N VICHI P*BA BHUO. ni roto para um benso, para nr, pessoas que#pao podom U s Vteby.
Par sottar as imuafdts eaiatr em todos s productos a
MAA.RCA -DA OOAI.*03B VIOHV
Ek Permxmbueo. m ProJerto. teta* ttbto-tt' a* t SUl2e ft KOECML.1IV,
S. rr. i Ora.: Auo. LAtMLLE. ^___
f3
FABRICA OE LIVROS DE ESCRIPTURACAO
ENOADKRNA^Aa PAUTAQA0
CQanoel L de Biranda
i

MH39
EA -* DUQUE Hfcj- DE C AXIAS *- 39 *
NUMERO TELEPHONICO 194
u.
lU SUI 'filil
LNDIfiO DE SINO 8 E
BR9NZ
ll>
UM DA CHUZ MESQJTA
66ra do Baro do Triuuipho-f
f*e>u para vender o seguate:
Machinas de cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
Alambiques de cobre do ant'go e novo systema com esquente garapa.
Serpentinas de cobre e de estanho.
Carapncas de cobre.
Talia. taixos caldeiras de cobre.
Bombas de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Xorneiras de bronse e madeira de todos os tamanhos.
Cnos de cobre, de chumbo e de ferro.
Repartidelras, passadeiras e escumedeires de cobre e de ierro estanbado
Cobre em lencol e rmelas
Sola ingleza e do Rio.
Cadlnhos patente e de lapis.
Sinos de 1 libra at 110 arrobas.
E muitos outros objectos.
ENCARREGAM-SE le qualquer concert e obras de encommenda, garan-
ti do'presteza, perfeicao e precos mdicos, para o que tem oessoal habilitado.
VENDE a oraso ou dinheiro com descont.
-

Sitio
ea-se ou enae se um sitio no Poco da
Panella, junto a cas2 do 8r Lonreiro, todo mu-
rado e com basianej fru:teiras dando fructo
boa casa com commodo3 para grande familia,
qnartos independente par;, criados, coeneira,
boa agua, perto dos banbos ; quem pretender,
dirija-se ao caes da Companbia PerDambncana
n. 4, aritazcm.
Compra se urna casa de 3 a 5 quartos, dentro
da cidade ou arr.baldes ; a tratar na ra Barao
da Victoria n. 15, loja.^______________________
Casa emOlinda
Cdese a quem preciar debaooos salgados,
ama casa na praw d S. Francisco, perto do
mar. a casa tem c mmodos pana grarfde rami-
lla ; a tratar no escriptofi j do Divrto._____
2: andar para alugar
Aluga-se osegond andar do predi
o. 4 da rn^ do Vigario Thenorio a Ira
ciar no pavimento terreo do roesmo,
Cozinheira
Precisa se de urna boa cusinbeira para fem1
lia que est temporariamente em Caxang;
trata no esc iptorio da companbia de bonds

Alogam se a casas n. 8 a ra da nio e l
4rnaConde da Boa Vista; a tratar com o
Srs. Negreiros, praca da Independencia.
Para cuidar de criarcas
Na ra da Aurora n. 133, precisa-fe de duas
amas para cuidar de craneas e mais servicos de
casa de familia, paga se bem.

Cosinheiro
Precisa se de um i-osinheiro ou cosiobeira
ra do Piogresso n. 1.
Sobrado
Aluga-se o 3* andar do soDrado n 43 da rus
do- Imperador, pintado de novo com muita
acommodages para grade familia, pois tem
al m do 2o andar com 2 sotSos e cinco grande
quartos, mai3 um grande sotao independen-
te rom sala de janlar, cosinha e 8 quartos,
agua,
do.
com
a, gaz e cano para esgoto. por prego commo-
A tratar na ra Mrquez de Olinda n. 84.
Casp para alugar
0 l- andar da ra larga do Rosario n. 37. es-
quina defroDte da i?reja, com grandes salas e
quartos. proprio para grandes reunioes ou es-
criptorios ; a tratar m pavimento terreo.____
Pataces velhos
Compra-te na ra do Cabug n. 14, relojoa-
ria David.
N
1TOS
0 Bazar do Recife. ra larquez de Olindi
n. 11, receben grandes e bonitos espelbos par
ornamentos de salas deooivados. a prego sem
competencia no Bazar do Recife de Domiflgoi
M. MartiQs ______________
Cosinheira
Precisase de urna ami para cozirhar;
no 3. andar do predio n. 42 da ra Du-
que de Caxias, por cima d typographia
do Diario.
smti'
EXPOSITION j amr^TSTS
M.iilU 'Or^pCnHXs.CheTiliA'
LE* FLUS HUTLS RCOUMHSS
OLEO deIOIRA
E. GOUDRAY
EIPECI*LEIITMEPR(iaaF*rj>AFlimOURMCAKtUI
Reommendinios este prodneto,
essderado pelis celebn-iada medie,
pelos seos principios de quina, ^^
sao nitis poderoso regenerador que M vf*m.
Aimsos Recokmendaoo
PERFUMARA DB LACfBINA
leesaaei 60TAS CONCENTRADAS para o lenco.
A6UA DIV1MA dita agua S uuse.
im TI808 UCHAM-SE HA FAIIKA
pars 13. m d'Enjkiei. 13 pars
tjiusito* ea todas ss PernunirUs, PsdoIs
s Casellereros da America.
m$................'
o ha mais FeM
As Perolas de Sulfato de Q-
. nina, de Bromhydrato do Q-
nina,de Chlorhydrato,Valerianato de Quimas,
etc., etc., do D" Clertan contm cada uaw
dez centigrammas (dois graos) de st j>
Quinina chimicamente puro, de fabricaca
franceza, e preparadas por um processoappra-
vado pela Academia de Medicina deParix.
Pebaixo de um envolucro gelatinoso, de>
gad.. '.rinsparente e mu factl de digerir, a
Quinina se conserva infinitamente sem Usy
racCio, e se engle sem deixar o menor amargor
na 'meca.
Cada frasco contm trinta perolas, equira-
Ienrto~:i tres giammas de sal
dt Quinina. __
Cada dn tem a marea: D '
em caia perol" elido impre sas aspalairat: Clertan, Par
Ven.!'r ^ viaj-) cn qaui toil.is u.vh'trmaeiaa.
PA I \ E Tr.DA I0H ATA ADO :
Casa L._Frere, ra Jacob, 19, Parlfc
( aixeiro
Precisa se de um caixeiro com pralica e na-
bilitacSo, para urna casa que vend em gresso,
dando liador de sua conduela; a tratan a roa
Vidal de Negreiros n. 156. m
H
Compra se
bom estadi ;
arpa
urna barpa com mpvimento e em
Da ra Ncva D. 13.
Caixeiro
Precisa se de urr caixeiro com pratica de ta-
veroa, d IJ a 14 annos. que d liador de sua
conducta; na ra Visconde de Goyanna n. 71.
mf
>

i

.













-
-!
}
H

-:

-i
Approvado pe!i IUtutnda Jacta de
Hygene Ptblica la Corte.
3| Auctorisad'o por Deczeto Imperial
de 20 de Junho de 1883.
COMPOSI^O
de
Firmino Candido de Figueiredo.
Empregado com a maor efiicacia no
rhtumatismo de qualquer nahirea,
em todas as molestias da pelle, as
leucorrhJas ou flores brancas, nos
soffrircentos occasionodos pela impureza
do sangue, e finalmente as differentcs
formas da syphis.
Dse Nos priroeiros seis dias urna
colher das de cha pela raanlia e outra
a noite, puramente ou diluida em agua
e em seguida mudar-se-ha para clhe-
.-es das de sopa para os adultos e mc-
tade para as criangas.
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
duroso-, devem usar momos, segundo o estado da molestia.
DEPOSITO CENTBAI
i Francisco Manoel da Silva & C.
Droguistas
23 R Mrquez de Olinda
Pernambuco
_________ ...... f-
VENDAS
Carnaval
O Bazar do Recife, ra Mrquez de Olinda d .
ti, reobeu grande sortimento de mascaras de
todas as qualidades ; vende-se era grandes e
pequeas quantid:d.:3 a precos muito razoaveis:
na afamada loja de miudezas Bazar do Recift, de
Domingos M. Mariins.
Attencao
Vndese farello do Rio da Prata, com 4! ki-
los, a 2400 ; na roa Mrquez do Herval n. 73.
Paulino
Ra do Imperador n. 28, an-
tigacasa de campos
Tem sempre o aportante vinho Palhete ser-
cerveja Paulino Bier e o delicioso vinho Musca-
telaos copos. Doce scco de caj, em calda
estrangeiros, licor de canella de ortela jumenta
e o grande licor de cervejas ; um completo sor-
timento do que ha de mais lino e puro._________
Tainhas
Vende-se em barris e quarlolas, na ra de Pe
dro Alfonso ns. 11 e 3._______________________
Cimento
A 5*800 a barrica ; vendem Fonseca Irmaos-
Na Equidade
tu a de Ilorla* n. 1S
Vende se massas novas para sopa a 320 rs. a
libra t manteiga iogtria a 720 rs. a lata de-libra,
e muitas outras mercadorias que se vendem ba
ratissimas, garantindo se ao consurxmidqr. que
nesta casa sempre verificar que ha sinceridadt
em pesos c medidas, e gneros das melbores
qualidades._____________________________^
Boa casa
Vendc-se a anliga caixa d'agoa, situada na
ra do Pires, esquina da ra do Atalbo, muito
apropriada para urna boa casa ; a tratar no es
criplorio da companhia do Beberibe.__________
Farello superior, 42 kilo
2O o sacc*
Vndese no Largo do Mercado n. 12.
Boi e carroca
Vende se por barato prego ; a tratar na praca
Mrquez do Herval n. 3, antiga da Concordia.
FOLHETII
0M0 DE TIGRE
POR
mu TESSISS
PRIHEIR4 PARTE
HERMINIA
(ContinuagSo do n. 27)
V
; Bem, muito bem, murmurava o Sr.
Diniz, que de sasfeito nem se impacien-
tava com a lcDga lenga do pobre. Te^m
entao a certeza de que a menina de Rey-
nold esteve aqui hontem ?
A plena certeza. Chegou perto das
duas horas e demorou-se poneos minutos.
A' saluda, den-me eineoenta cntimos e
disse-me com a sua melodiosa voz: Reze
por mira, Francisco. >
E nao vio para que lado ella se di-
rigi ?
Se vi !... Tenho tanto prazer em a
contemplar, que a segu com os olhos
pelo boulevard fura, at ella desappare-
oer.
O Sr. Diniz agradeceu ao vendedor de
imagens e .caminhou na drecelo indica-
da, Uto para* estajSo de Oeste, segui-
do distancia pela sua carruagem.
A' esquina da ra de Svres vio um
moco de fretes sentado.
O inspector approximou-se delle e fec-
lhe as mesmas perguntas que acabava do
dirigir ao paralytico.
O acaso servia o as mil maravilhas, por-
que precisamente aquello moco ira o en-
csrragado pela menina Reynold de lhe
airan)* um fiacre.
Pea djescr|>gAo que o Sr. Diniz lhe fes,
o hornera reconheceu logo a joven.
Para engenhos
Lopes & Araujo, venden
a presos sem competencia
garantindo a boa qualidade.
os artigos abaixo mencio-
aados.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Potassia da Russia em caixa?
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttend.
Graxa em bexigas.
Roa do Livramento n. 38
Telephone 316
as Lstras Azaes
A Grande Novidade
PARA MODISTA
MAM; lll\* AMERICANOS
Com molas para augmentar ou diminuir a
grussura do corpo.
Qualquer senhora ir agr ou gorda pode f a-
zer seus vestidos sem necessidade de
provar.
Fecha-se como qualquer chapeo de sol.
_______Pre^o ZA&OOO
Mosquiteiros Americanos
Com armacao de differentes tamanhos.
a 10*000e l*OOQ
Estantes para Msica
Para amadores ou profissionaes; fechase e
tica de tamanho de nma flauta ; muito
fcil para condcelo.
Preco ZOOO
Celluloid '
Colarinhos Peitos e Punhos
Lindos modelos, muito til aos viajantes
I'nrim r.OOO um terne
Rdogios Espertadores
om movimento, e figuras muito lindas para
mesas ou para presentes a 64000, 80000,
104000-_______________________
Oleados para Mesas
Quadrados ou de qualquer tamanho que
Be deseje.
A 4#500 cada qaadrado
Retratos a Oleo
Com lindas molduras em alto relevo, o que
ha de mais lindo para um presente e
para sala de visitas.
a *5*000 e mal preco
Qualquer familia que- desejar ter um lin-
do e perfeito retrato bastante mandar
um retrato em cartao de visita nSo im-
porta que seja antigo, basta dizer a cor
dos olhos e do cabello para chegar um
retrato desejado.
Para ver, e fazer encommendas
Dirija-se Loja das Listas Azues
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo
go depois das casas aovas da direita. vende-*.
todos os das leite poro de vaccas tonrinas a
erra, garante-Be a qualidade do leite.
Rudimentos de grammatica
ingleza pelo Dr. Barros
Sobrinho
A' venda, na praca da Independencia n. 24, e
em tods as llvrarias, menos na da roa do Im-
perador n. 40.
E em que siti encontrn vosseme-
c a carruagem ? perguntou o inspector.
A dous pasaos d'aqui.
NSo se embra do numero ?
Isso nSo me lembro. 0 certo que
havia n'aquelle momento s tres carrna-
gens na estacao, e o cocheiro fez-me notar
que tomava o servico s duas e trinta e
cinco minutos:
Muito bem ; pensou o Sr. Diniz, qce
accrescentou em voz alta : Pois, meu ra-
paz, trata-se de encontrar o tal cocheiro.
Venha commigo.
Na estacao, o fiscal de servigo vio no
registro os nmeros das tres carruagens
estacionadas s duas horas e trinta e cin-
co ; s urna tomara freguez aquella hora,
a de n. 1,743.
Como hei de eu dar com o cocheiro ?
perguntou o Sr. Diniz.
Dirigindo urna nota particular aos
escriptorios de aluguel, poder velo ama-
nhu de manha.
Isso muito tarde. Olhe, se elle
apparecer aqui. peco-lhe que o mande ter
commigo com toda a urgencia.
O Sr. Diniz dea o seu cartao ao agente
e voltou com j# moco para junto da sua
carruagem. ."
Agora vossemec vai reunir uns vm-
te collegas seus, porque' preciso que den
tro de duas horas estejam prevenidas as
estacSes de tren de Pariz. Dea francos
para cada homem e um luiz para o que
me apresentar o cocheiro.
Hei de ser eu, fregus ; assim lh'o
prometto.
Seja. Podo procurar-me na minha
reparticSo ; aqui est o mea endereco.
Mas trate me disso depressa.
E suhindo para a carruagem, mandou
rodar para a prefeitura de polica.
VI
Ao chegar repartilo o Sr. Diniz en-
controu na ante cmara o Dr. Yamloffe
Joao Brunet, que o esperavara.
Apertoa cordialmen'e a mo do clnico
e introduzio-o, dizendo :
Espere um pouco, qie ea j o atien-
do.
Apenas entrou no seu gabinete, o ins
pector poz sobra urna mesa o chapeo e o
pardests, e, offerecendo urna cadeira ao
doctor, perguntou lhe com anciedade :
entfto, os nossos doentes ?
Especialidades
PASTILHAS HYGIENICAS PARA
AO ENDER O FOGO, snpprimin-
do o immundo kerosene e dan-
do n'um instante um fogo inten-
sa, a caixa com 20 pastilhas 100 rs
OLEOGRAPtttAS : Io. A importan-
te obra prima de Vctor Meirel-
lej: A Primeira Uissa no Bra-
zil,grande quadro histrico da
descoberta do Brazil, medindo 99
X 76 centimetro de valor real de
154 (poucos exeraplares) 6000
2 SCENAS DE CORRIDAS, qua-
dros de cavallos admiravelmente
desenliados e proprios para sa-
las. 26 difieren tes. ura 1/lXM)
3" RETRATO DE SADI CARNOT,
presidente da repblica (ranee-
za, o melhor ainda publicado lOOO
CAMISAS DE FLANELLA para bo-
mens, urna de it a 5^000
PERFUMARAS, artigos para presentes. Quadros
e albuns para retratos. Carteiras para cigar-
ros e charutos. Cigarreiras e cbaruteiras de
mbar e espuma verdadeiros. Bengalas. C-
pela ra. Lencos de linho a 4*300 a dnzia.
Meias. Espartilbos. Leques. Bonecas e brin-
quedos diversos. Fitas. Bordados. Luvas de
seda pretas e de cores e outros muitos artigos
de mindezas.
Haln barato do qne em ontra qual-
quer parte
NA
Rainha das Flores
Ruu do Baro da victoria n. 41
SEf
Roya! Blend marca VIADO
Este excellente Whisky Escoccz pre
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corno.
Vende-se a retalho nos melkores arma-
zens de molhados.
Pede Roya! Blend marca \Iado.
cuio nome e emblema sao registrados pare
todo Brazil.
___________BRQWNS & C, agentes.
Pao centeio
Mello & Biset tendo recebido nova remessa de
farinba centeio, avisa aos seus fregueses que
continan) a fabricar este delicioso pao centeio
todas as tercas e sextas-feiras ; na ra larga do
Rosario n. 40.________________________^^^
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barra!
Os proprietarios do Annazem Central, ra
do Cabuga n. 11, avisara aos seus distinctos fre
guezes e ao respeitavel publico que receberam
nova remessa des te especial vinho, o qual se
recommenda por ser puro da uva, e b se reta
Iha em seu armazem.
Joaquim ChristovSo & C.
Telephone 447
Livraria Contempor-
nea
Instrumento de mailr
BomDardao. bombardino, barytono, tromp.
trombone, helicn, saxaphone. carrilon, bombe
caixa, prat03.clarinitas. flautas.rabecas, violSe
realejos, caixas de msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de salas, quartos, gabinetes, carredt
res.
Molduras
douracir s, pretas e douradas para qnadros.
Malas
para via*em, diversos formatos, especialment
para roupa de senhora e camarote.
Novidades
para presentes, escriptorio, toncador. etc., eU
RAMIRO M. COSTA & C.
Boa Prlnoelro de Harro n.
PIANO
TT
Vende-se um ptimo pia-
no, quasi novo, do aut lippe HenriqueHerv; a tra-
tar na ra da Imperatriz n.
7, loja de piano.
^r *?|_ERY VM*e-ii ea tria 1 mtU
Respondo por clles, disse simples-
mente o mancebo.
Por todos tres ?
Pelos tres; Natv e a sua companhei-
ra poderSo amanhS considerar-se livres de
pergo, e a convalescenca ir depressa.
Quanto ao Sr. Moulin, a sua avancada ida
de dif&culta um tanto o tratamento, mas
isso importar apenas um estorvo de al-
guna dias.
E j podem fallar ?
Oh! isso ainda nSo, ponderou o me-
dico, sorrindo ; mas o pulso j aprecia-
vel ; a circulacao do sangue vai-se gene-
ralisando, as manchas do corpo desappa-
receram, e d'ahi a pouco estar o pergo
completamente conjurado.
O Sr. Diniz estendeu novamente a mSo
ao medico. *
Nos, os empregados de policia, somos
pouco dados a ezpansSes; mas, crea, sin-
to-me feliz de poder-lhe significar toda a
minha sympathia
Yaraloff corou a este cumprimedto e in-
clinou-se, balbuoiando :
Oh senhor m }
Sm, insisti o Sr. Diniz, enthusias-
mado ; o senhor fez ma curanue eu jul
gava impossivel, com um teunt e urna
modastia que me garantem q eu saber.
Que^me fazer ainda out favor mais im-
portante ?
Rafeu ao seu dispr.
Eu jurei, e note que sou teimoso
como um bretao, por a limpo nm outro
caso singularissimo-; pe^o lhe me ajude.
ainda nisto.
De todo o meu coraco.
Perfeitamente. Kerhoel est acom-
panhando os doentes. O senhor leva este
bilhete, que lhe-Jar entrada (e o Sr. Di-
niz escreveu algmas paiavrasno seu cartao
de visita) e vai ao hospital do Gros-Caillou,
onde visitar dous feridos que aii para l
mandei esta noite. Eu nSo r^vido da
sciencia dos mdicos do hospitar, mas eiles
podem talvez nao fazer muito caso desses
dous desgrasados, por quem eu me inte-
resse mmtissimo.
Vou l immediatamente.
E pey lhe o obsequio de me infor-
mar logo sobre a sua opinio acerca do
estado delles e do tratamento a negujr, pa-
ra, no caso de ser precisa, eu faieY com
que lhe seja confiada a cura delles.,
Dar-lhe-hei a resposta d'ajui a duas
lloras.

P ara engenho s
GUIMARAES & VA LENTE, partec-
pam aos seus freguezes e Illms. Srs. de
engenho que, como sempre, tm grande
deposito dos artigos abaixo mencionados,
garantindo tudo de primeira qualidade e
presos sem competencia a saber
Cal nova de Lisboa,,
Dita de Jaguarbe.
Cimento portland.
Oleo de mocot.
leos americanos
especiaes para machinismos.
Azeite de coco,
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em lata.
(5 gaI5es.)
Kerozene inexplosivel.
Graxa em bexigas.
Gaxeta de linho.
Potossa dv Russia.
(em caixas, barriquinhas, latas grandes
e pequeas.) %
Formicida Capanema.
6--Corpo-Santo6
Silhes inglezes para
montara
Vendem se dous cilbGes in?lezes em bom es-
tado, quasi novos, e por prego commodo ; na
ra Nova n. 13.
Attenco
Para o* doentes. os de aatkde e prin-
cipalmente as crlaneas
D. Jeronyma Cousseiro participa os seus nu-
meroso.' freguezes e ao publico em geral, queja
se acha exposta venda as suas bem conhecids
fculas de aramia e matarana por ella prepara-
das, da nova safra do anno prximo passado, nos
seguiutes estabelecimentos dos cidadaos :
Vaiconcellos & Sobrinho, 1 na da Aurora n. 81 -
Moreira Ribeiro & C. ra da Imperatriz n. 2.
Paulo Jos Alves 4 C, ra Bar&o da Victoria
numero 60.
Zeferino Valente & C caes 22 de Novembro
numero ii.
A. M. Veras & C, ra Duque de Casias n. 57,
pharmacia americana.
Pereira da Silva Lisboa, ra do Imperador
numero 14.
Manoel Jos Vieira & C, ra larga do Rosario
numero 14.
Botelbo Rezende 4 Filho, ra da Hora (Espi-
nheiro).
Bom eniprego de ca-
pital
Vende-ae a casa da ra do Padre Florano n.
41. com outra annexa & ra do Capitao Ilenri
que, al.* com taverna na esquina, e a 2.* para
morada, tendo quintal e cacimba ; rendem am-
bas 500*000 ananaes, e sSo offerecidas por
3:5004000, e talvez se cceite ainda menos : a
tratar com o corretor Oliveira Rodrigues na
praca do Commercio, ou na ra Marques do Her-
val n. 122.
Cereaes por pre90
. commodo
Como sejans : milbo. feljao e fava,
Neves Pedrosa 4 C. teem para vender a reta-
lho ou em porco os artigos cima, a ra da Pe
nba n. 33, assim como tambera vendem farello
de 42 kilos a sacca por 24500
Ferro gusa
A companhia do Beberibe vende cerca de 50
toneladas de ferro gusa
Agradecido.
A proposito, accrescentou o doutor
Yamloff pegando no chapeo, como me lem-
brei de que podia ir alguem da sna parte
casa de Natty fazer urna busca, e afim
de ajudar a justia as suas pesquzas,
reuni tudo o que me pareca til. Aqui
estao, pois, os papis de Linden, qne elle
por precaucao mettera neste enveloppe e
com esta singular inacripcao :
t Papis para queimar, se en morrer
sbitamente.
Efectivamente, exquisito isso '
notou o Sr. Diniz.
Juntei-lhe as cartas recebidas per
Natty e Branca nos ltimos tres mezes,
calculando que talvez o senhor, com a sua
habilidade, consiga achar por meio dellas
aqui i lo que eu me julgo impotente para
descobrir.
O Sr. Diniz poz o maco de papis sobre
a sua secretaria e acompanhou o mance-
bo at porta, dizendo :> .
Ha de fazer-se a diligencia, doutor.
Ainda urna vez obrigado, e at breve.
J080 Brunet levantou se ao ver o inspec-
tor de policia entran.
Prompto, mea senhor, dsse elle per-
filando-se como um soldado em continen-
cia.
O Sr. Diniz noton aquella attitrtie.
Antigo militar, hein ?
Sm, sentar, do 2o de spahis, 3* es-
quadrao, 4'' companhia, com umlouvor em
ordem de diviaao, urna ferida grave e tres
campanhas.
Total : um bello homem. Beo^flsen-
te-se, cocheiro. Onde tomos o seu fre-
gu-, desta noite ?
Joao contou, com todos os de talajes, de
q-;e modo o mancebo louro o interrogara
e reproduzio as observagSes que fizera,
emquanto o esperava na avenida de Bre-
teuil.
E' 380, pensava o Sr. Diniz. O
jardim do duque estende se at avenida.
Depois disse em voz alta :
NSo notou que alguem o seguase ?
Isso que eu lhe nSo posso dizer,
por causa do nevoerro que fasia. Parece-
me, comtudo, que o rapaz deve ter encon-
trado os assassinos na ra Ebl.
Onde o esperavam sem duvida ?
Ciio.que sm.
1 E suppSe que elte vinhfc do carehiho
de ferro ?

wrr
A FLUWDA
Fitas lavradas com um palmo de larga-
ra a 2(J000 o metro.
Papel de arroz de todas as cores.
Chapelinas moderaas a 5000.
lendas hespanholas de todas as c^res
pretas com c sem vidrilhos.
Lindas guanicSes do vidrilhos pretos pa; a
casaco.
Grande sortimento de galoes, palmas e
rozas de.vidrlho preto.
Bcos matisados de urna s' cor como se-
am, granad, azul, rosa, beije, palha, chum-
00, salmn, ten-acote e muitas outras cores.
Sabonetes perfumados a 500 rs. a du i
Lindos desenlio* para talagarc^a.
Lencos de seda a 500 rs.
Bcos de seda e de algodSo com e sem
vidrilho.
Maniilhas de seda e de algodao.
Franjas de seda com e sem' vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 3(5000 e 4#00
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 5C0
600 e800rs.la peca.
dem com 3 e Ij2 metros, de qna'quer
argura a 1^200.
Len$os de linho em caixinhas a 34000 a
dita.
Meias para homem, duzia a 45000.
dem para senhora, duzia a 44000.
Finas pulseiras americanas a 44, 6| e
84000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama a
I24OOO, 174000 e 194000 o par,algtns
de cores.
Ditos para ianellas a 74000.
Pannos de crochet para cadeiras a 80C e
14000.
Ditos para sof a 24000.
Capellas com veo para noiva a 64000 e
84000.
Lindos ensovaes baptisados a 84 104 e
I24OOO.
Toucas de setim para baptisado a 34, 44 e
54OOO.
Grmaldas e ramos de seda, o que ha de
melhor.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 24 par
Ditas de seda para creanca a 14000.
Dita para moca a 14500 o par.
Espartilhos para creanca a 44 e 44500.
Ditos para senhora a 44, 44500, 54000 e
64000.
Linha de machina a 60 rs. o carritel.
Linha de machina a 600 rs. a duzia.
Albuns de pellacia de diversas cores.
Livros de missa a 14500, 24000, 245CC
34000, e 34000 cada um.
Lindas luvas de seda com salpicos e ees-
listas, gosto moderno, a 24500 o paz.
Toalhas para banho a 14300.
Toalhas para rosto a 300.
Toslhas para mao a 160 rs.
Babadores com inscricSes e paizagem a
500 rs. e 440000 a duzia.
Espelhos grandes com mnlduras finas de
cantos redondos a 44000 e a 64000 ama
Bengalas flauta.
Grande sortimento de luvas de seda arren-
dada, com palmas canno comprido a
14500, 20004 a 24500.
Roa Duque de Caxias i.i03
Superior vinho de A.1-
cobaca__
0 acreditado e antigo armaiem do Lima par-
ticipa ao publico e aos seos fregueses que acaba
de receber ama nova remessa deste especial
vinho, escolhido propiamente pelo chefe desta
casa, tornando-se recommendado por ser puro
e de boa qualidade. Jos Fernandes Lima 4 C.
rna Bare da Victoria numero 3, Telephone323
Engenho venda
Vende se ou permutase o engenho Combe de
baixo, nm dos melhores da freguezia le Igaa-
rass, com matas e boas trras para safrejar
3,000 pes de assucar, tem estrada de rodagem
para o porto de Itapissuma, Re:ife e Para, moe
com agua de om grande acode ; a tratar em Ja
boato, Largol3 de Novembro n. 82.
Sopponho que sim, porqne trazia
urna mala e um guarda-p.
Esse detalhe ignorava eu. Deixe-me
o sea numero, porque talvez torne a pre-
cisar do senhor.
Jlo apresectou o seu lvrete ao 3r. Di-
liz, que tirou um apontamento delle.
O seu cavallo bom ? perguntou o
inspector, tornando a entregar-lhe o li-
vrete.
Hoje trago Sultn, mais veloz, po-
rm menos forte que Laghouat.
Pouco importa. Quero signnifijcar-
lhe a minha satisfacSo pelo seu proced-
ment e portanto fique l emijjaixo mi-
nha dispo8cao. -"""
7 A:8 ordens, patrSo.
Sao nove horas e vinte minutos,
concluio o Se. Diniz, consultando o relo-
g'O-j
QVando JoSo cumprimentoa e se reti"
rou, troaxeram um telegramma para o Sr*
Diniz.'-
Abrio-o.
Era do Mans, e concebido nestes ter-
mos :
Na riba de Flora, n. 10, mora um pin-
tor ainda novo, o Sr. Paulo Lundi. Parti
para Parra' hontem noite, no comboio
das sete e /eineoenta e cinco.
* Mesnabd. >
Pauflo Lundi! rapeto o inspector,
pensativo Onde ouvi euj este neme?...
Ah I,.. 1 'oi Kerhoel que o proferio.
Era o ionvidado, cujo talher ficou vago
mesa d 1 restaurante.
Mas o bilhete da Fanny ?... Que dia-
bo pode h&ver de commum entre esse ra-
paz e a menina Herminia, se esta sahio
s duas horas e elle chegou meia noite ?
Diabo !j O caso complica se, em vea de
se esclarecer.
O Sr./Diniz pegou no mago de papis
que lhe levara o Dr. Yamloff e abrio-o,
marmurpudo:
comtudo forcoso que acJw o
meada. Entretanto, vjanos se o
fez boa colheita.
palhon os papis sobre a secret-
primeire lugar havia um passaporte
lido a tNathaniel van Linden, natu-
Batavia, nascdo em 1845, estudan-
medicina.
Eate passaporte, visado pelo cnsul frao-
Alerta com a Revolugao
ra Duque de Caxias i. 48
E' BARATISSIMO
Sur de linho a 4'.'0 rs. o covado.
Etamines de todas as cores a 300 e 400
rs. o covado.
Leonis com listras de seda a 320 e 400
rs. o covado.
Zephir finos a 120, e 160 e 200 o co-
vado.
Merinos de urna s cor com duas larguras
- a 400 o covado.
Casomira com quadros de seda para ves-
tidos a 14 o covado, fazenda de 24000.
Ditos com toque de mofo a 8C0.
Merino setim a 14500.
Organdis muito fina a 84 a pega, fazenda
de 165.
Cortes para vestidos, ultima meda a 74
um. ,
Ditos bordados a 104000 um.
Ditos bordados brancose creme a 135,14,
e 154 um.
Casacoo de seda francezaa 24 um.
Cort'nados bordados a 64 o par.
Ditos de crochet a 84 104 o par.
Ficns de retroz de prata a 14 um.
Cortes de brim para calca a 14 nm.
Luvas de seda a 14 14500 e 24 o par.
Mantelletes de seda preta a 55 e 65 um.
Colchas de todas aa cores a 2^, 35, 45 e-
54 urna. .
(".-.bertas forradas a 24500 ama.
L :nces de bramante a 14600 um.
Atoalhado de algodo a 14 o metro.
Dito de linho a 24 e 25500 o metro.
Bramante de 4 larguras a 15, trancado e
liso.
Toillets para baptisados a 850CO, 95000
e 104 um.
Bordados e ntremelos a 700 rs. a peca.
Sargelim de todas as cores a 200 rs. o
covado.
Toalhas felpudas a 35, 45, 55 e 65 a du-
zia.
Pannos da Costa para mesa a 15200 o co-
vado.
Madapolao americano a 65 a pega com 24
jardas.
Case mira de todas as cores para costu-
mes, a escolher, a 25 o covado.
Cortes de casemira de 35500 a 75 um.
Camisas de meia a 14 urna
Ditas de linho e algodao a 25, com colla-
rinho.
Toalhas para crian ya a 120 e 160 urna.
Fusto de cores para coatumee a 500 o co-
vado.
Pannos de crochet para cadeiras a 500 rs.
um.
Ceroulas francezas, a 15000 urna.
Atoalhado de linho com toque de mofo a
25400 o metro.
Dito de algodao a 15200.
AlgodSo trancado para toalha a 150C0 o
metro.
Espartilhos couraea a 44000, 54000 e 64.
Lencos de algodao brancos com barra a
14200 a duzia.
Lengos de linho a 24500, e 34 a duzia.
Nansuk fina a 120,160, 200 e 240 ra. o
covado.
Chitas brancas e de cores a 200 e 240 o
covado.
Organdis de 800 a 400 rs. o covado.
Setineta lisa de todas as edres a 240 rs. o
eovado.
Cortes de fusto para collete a 500 rs,
um.
Ricos cortes de ves'idos de 601 por 255
304, pretos e de coras.
Costumes de Jersey para enancas a 74
um.
E muitos artigos de moda e phantasia,
que s com a vista, assim como em sua
officina de alfaiate preparase qualquer
costume em 24 horas e por prego sem com-
petencia.
Na Revoluto
HENRIQUE DA SILVA MOREHtA
Nopovoado da Torre
Vende-se orna casa neste povoado, de pedra e
cal, rna do Bom Gosto; a tratar na roa do Im-
perador n. 45, loja de babas do Sr. Guima-
raes.


j
1 1
p
-
cez e com destino a Pariz, tinha a data d-
6 de Junho de 1873.
Depois em um jornal, metade impresso
em hollandez e metade em francez, no alto
de urna das columnas via-se o seguinte ti-
tulo marcado a lapis vermelnoPro-
cesso Linden.*
..Finalmente um grande enveloape aber-
to, onde se viam ainda vestigiotpde lacre
preto.
Nesse enveloppe havia um mannscrpto
muito volemoso, em calligraphia de mu-
Iher, fina, elegante e miuda, com este
titulo na capa :
A MEU FILHO
Em seguida urna carta amarrotada 9
cheia de pequeas nodoas semelhantes s
que as gottas d'agua ou as lagrimas dei-
xam sobre o papel depois de um certo lap-
so de tempo.
E, por ultimo, um lengo de cambraia
marcado com om E e um V entrelazados
e guarnecido de renda rasgada em diver-
sos lagares ; o lengo apresentava tambem
vestigios de mordeduras.
A carta era assignada : Tua pobre mSi,
Emmy van Linden.
Segredoa. de familia e provavelment
testamento, disse comsigo o Sr. Diniz, co-
megando a 1er.
Mas medida que o seu olhar percor-
ria o manuscripto, o inspector franzia
sobr'olho e ao chegar ultima palavra
nao pode reorimir a sua exclamagSo favo-
rita :
Diabo!
c Mea filho, meu bem amado Nathaniel,
diaia a carta, quando leres isto j eu terei
ha muito deixado de existir.
Hao de dizer-te, mas quero que o su-
bas mesmo por mira, que eu morri no meio
das mais homveis dores que pdem afli-
gir urna pobre mulher, urna mi, mora
para ti, victima do mais odioso trama !...
Morta, legando-te, a nica cousa que posJ
so deixar te no mundo, esse Tengo qut
abalar os meus ltimos gritos de agona,
a minha bengao... o meu coragSo e a mi-
nha vida.
Mais tarde, se um dia fdres homem,
caso nSo te alcance o odio a que eu sao-
cumbo, l a confisBao que eu junto a esto
adeua supremo.
(Continuargeha)_____
Ttb- d0 diario roa do Duoue de Caxias n. U
.
I
I
m
-..