Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18768

Full Text
ANNO LIV NUMERO 93
PARA A CAPITAL E LIGARES 0\Di: MAO SE PAGA PORTE
Por tres mezes achantados....
Por seis ditos den*.....
Por um anu) dem.....
Cada numero avulso, do mesino dia.
60000
120000
230000
0100
SEXTA-FEIRA 26 DE ABRE DE 1889
PARA OEXTRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis meses adiantados ,........... 130600
Por nove ditos idem................ 200000
Porum annoidem. ............... 260000
Cada numero avulso, de dias anteriores.......... 0100
I
DIARIO DE PERNAMBUCO
Tropriedade de Manoel SHgueiroq de &aria # 3%fyos

*

I

I
\ ""
f
Os Srs. Amede Prin-
oe & C, de Pars, sao
os nossos agentes ex
elusivos de annuncios
? publicacoes naFraj^
ea e iglatffra.
TELEGRAHIAS
:::,;:;: mmm so ansio
BELEM (Para), 25 de Abril, s 11 ho-
ras e 46 minutos da manhu.
Aate-hontem S. Exc. o Lr. Miguel Per-
nambuco, negou sanecao s resolucoes da
Asserabla Provincial que decretavam a
receita e desposa (orcamento provincial)
correspondentes aos exercicios de 1889 e
1*90 por conterem disposieoes prejudiciaes
aos interesses da provincia e outras mani-
festamente inconstitueionaes.
NATAL, 25 de Abril, 1 hora e 40 mi-
nutos da tarde.
Chegou hoje aqui o vapor Jaguartbe da
Companhia Pernambucana e segu agora
para esse porto.
RIO DE JANEIRO, 25 de Abril, s
3 horas e 55 minutos da tarde.
Foi aposentado com as honras de minis-
tro do Supremo Tribunal de Justica, o
desembargador da Rehilo da Babia Joa-
quim de Azevedo Monteiro.
Foi transferido para o com mando su-
perior da guarda nacional do municipio do
Limoeiro o coronel commandante superior
do municipio de Taquaretinga Simplicio
Santos.
Por decreto de honteiu do Poder fixe-.
cutivo foi declarado o curso forjado para
as libras esterlinas pelo valor de S089O.
IHSTRPCqO POPULAR
4$ GRANDES INVENTES
ANTIGS K MODERNAS
AS
Sciencias. industrias e artes
POR
xiv
O vapor
(C ontinuacJoj
Se este vapor, que j foi empregado, se diri-
gir por um tubo pura um espago continuamente
enfriado por urna corralo d'agua, o vapor, ao
chegar a este espaco, condensa-se e paasa un
un (lialameiito ao estado liquido : era yirtude de
tal condensarSo faz-seo vacuo noiulerior do cy
h.i'lro Como o pislo nao acba resistencia por
l>aixo, obedece fcilmente pressao do vapor na
face superior r desee ate ao fundo do cylindro.
Hepetindo contantemente este jogo alternativo
tchegada do vapor abaixo do embolo, condensa -
gao d'aquelle em um vaso separado, entrada de
outro vapor para cima do embolo, sua condnsa-
lo e o mesmo assim sempre) produz-sc urna
i't> vaco e descengo continua do embolo. Esta
segu da especie de machinas chamara se machi-
nas di condensador, ou de baixa presso.
Amigamente divii.iam-se as machinas a vapor
em machina de baixa e de alta pressao. ou me-
llior. em machi as de condensador esem conden-
sador. Hoje j se nao usa tal diviso. Atten-
dendo a seu uso. dividem-se em quatro classes :
Io machinas lixas, para fabricas; 2o machinas
para a navegagSo : 3* locomotivas ; 4- locomo-
bile?.
Machinan a vapor lias
Vamos estudar successivamente cada urna
deslas cathegorias de machinas a vapor", sob o
ponto de vista histrico e descriptivo:
Os antigos ignoravam absolutamente que hou-
vesse no vapor d'agua, levada a alta temperatu-
ra, urna forca elstica utilisavel como agente
motor E' exclusivamente a sciencia moderna
que se deve a creaco destes poderosos appare-
Ihos mechan i eos.
Vimos, quando se faliou do barmetro, que foi
no seculo XVII. pelos esforcos de Otto de Gue-
rick e Pascal, que se descobrio o grande pheno-
meno do peso do ar, e se provou at a eviden
cia a pressao que a atmospliera exerce sobre to-
dos os copos collocados na superficie da trra.
Por una applicacao do principio desta pesso
que se iiuaginou a primeira machina a vapor
que funcciouou na industria.
O Ilustre Huygl'ens tivera a idea de construir
uma'machina motriz fazendo arder plvora por
debaixo ele um cylindro percorrido por um em-
bolo : o ar contiao ueste cylindro, dilatado pelo
calor resultante da combusto da plvora, sahia
para fora por urna vlvula : formava-seentopor
bnixo do do emboto um vacuo parcial, isto uip
ar muito rarefeit. em virtude do que, a pressao
do ar atniospherico actuando sobre a parte supe-
rior do embolo, e sendo imperfetamente equili-
brada pelo ar rarefeilo por baixo do embolo,
.pitava a este at ao fand" do cylindro.
Por conseeuinte se se houvesse ligado ao em-
boto urna cadeia ou corda que viesse passar em
iilta de una roldana, podiam-se erguer pesos
cados un extremidade da corda e produzir,
este modo, um verdadeiro cfteito mechanico.
ando foi experimentado, o apparelbo pre-
ule nao deu bom resultado, em razao da
pequea rarefraco do ar tonudo por baixo
raboio Foi ento que sardio a esperanzosa
i de substituir a plvora, como tneio de fazer
icuo debaixo do embolo, [telo vapor d'agua
que se faisia condensar neste mesmo espaco.
Coniprthendc-se, dfc facto. que se no cylindro
percorrido por um .embolo, bem encostado su-
perficie iuterior d'aquelle cylindro, se fez entrar
urna corrente de vapor d'agua, este attendendo
sua forra elstica, obrigar o embolo a subir
at ao ciino do corpo de bomba. Agora, se por
qualquer processo. por exemplo, fazendo arrefe-
cer a face extenor do cylindro, se provocar a
coodensaco do vapor da agua, quando e3te es-
tiver condeosaao ticar vasio o cylindro, porque
o ar foi d'cllc expulso pelo vapor d'agua e
como este tainbem desapparece quando passa a
liquido, nada lica neste espago :, o vacuo. Ora
io a pressao djgjfcexlir pesa ou todaa
massa na fraB^iertopdo enrooTo; r- P"tti"
prssto nfio seja equilibrada por cousa alguma
(pois fez-se o vacuo dentro do cylindro por bai-
xo do embolo), ha de. precipitar "este embolo at
ao fundo do cyliudro.
Por conseguinte bastara introduzir e conden-
sar -uccessivameute vapor d'agua no cylindro
para imprimir ao embolo que o percorre m mo-
vimento alternado de ascensao e descenso ; e
se for urna baste fixada ao embolo e posta em
communicacao com o eixo motor de urna machi-
na, pdese em virtude do movimento continuo
dessa haste, imprimir um movimento de rotaco
ao eixo e produzir toda a casta de trabalhc me
chanico.
O apparelho que acabamos de descrever foi a
primeira machina a vapor que se imagiou. Foi
proposta pin 1690 por um sabio francez. o immor
tal Ddz Papin.
Este homem illu-ire. que nasceu em Blois a 12
de Agosto de 1645 e fallecen por volta de 1714,
mostra-nos um dos mais tristes e notaveis exem-
ples do genio lutando com urna adversidade
constante Protestante e fiel a sua f religiosa,
expatriou-se, como milhares de seus correligio-
narios na epocha da revogaco do edito de Nan-
tes por i.uiz VIV, em 1685 "e foi no estrangeiro,
em Inglaterra, na Italia e na Allemanha. que
ipalisou o maior numero de seus inventos, entre
os quaes sobre todos, a machina a vapor.
(Contina)
PARTE 0FFIC1AL
Cioverao da provincia
EXPEDIENTE DO DIA II DF. ABP.II, DI 1881
ACtOS :
O presidente da provincia, temi em ruta
o ofiicio do coinmandanle do 38" batallio de in-
famara da guarda nacional da comarca de Bom
Jardim, datado de 15 de Marco findo. resolve, de
conformidade com o aviso circular, do Ministe-
rio da Justica de 30 de Dezembro de 1886 e art.
65 da lei n. 602 de 19 de Setembro de 1850, pri-
var do respectivo posto o capito da > compa-
nhia do mesmo hatalhao Elias Jos de Aguiar.
Communicou se ao commandante superior.
O presidente da provincia em execuco da
lei n 2395 de 10 de Setembro de 1873 resolve
nomear Manoel Chrislovo da Silva Pinto para o
posto de capito da 5a companhia do 38 satalho
de infamara da guarda nacional 4a comarca
de Bom Jardim.Communicou-se ao comman-
dante superior.
O presidente da provincia resolve, de con-
formidaue com a proposta do Dr. cnefe de poli-
ca em ofiicio n. 362 de hontcm datado, exone-
rar Manoel Brandao Cavalcante do cargo de 2
supplente do subdelegado do districto de Loreto
nemeando para substituil o o cidado Ildefonso
Feneloa de Alboquerque Mello.
O presidente da provincia resolve, de con-
formidade com a proposta do Dr. chefe de poli-
ca em ofiicio n. 362 de hontcm datado nomear o
cidado Antonio Rasteiro para o lugar vago de
3' supplente do subdelegado do districto de Lo-
reto.
O presidente da provincia resolve, de con-
formidade com a proposta do Dr. chefe de poli-
ca em ofiicio n. 363 de hontem datado, exone-
rar, a pedido. Man >el Rodrigues Ferreira Telles
do cargo de 2o supplente do subdelegado do Io
diMricto de Paneflas.-Communicou-se ao Dr.
chefe de polica.
0 presidente da provincia resolve, de con-
formidade com a proposta do Dr. chefe de poli-
ca ero ofiicio n. 364 de hontem datado, exonerar
Gaspar Cavalcante Peres Campello do lugar de
subdelegado do Io districto do termo de Seri-
nlifiem. nomeando para substitiiil-o Antonio Pe-
ni ra da Rorha.
i utios:
Ao lente coronel coui candante das ar-
mas interino.Faco confiar a V. S. para os de-
vidos flnsque a vista da sua informaco de hon-
tem sobn. 767 conced por despacho desta data
ao alferes do 2 batallio de infantaria I.uiz Be-
zerra dos Santos tres mezes de licenca para tra-
tir de sua saude nesta provincia.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Em ofiicio n. 450 de 9 do corrente participou-me
o director interino do arsenal de Guerra haver
na mesma data designado o alferes adjunto F-
lix Antonio de Alcntara para assumir interina-
mente o cargo de ajudante interino do mesmo
Arseual, at que cesse o impedimento do res-
Kctivo funccionario tenente Jo9 Francisco de
ula Vellez. 0 que declaro a V. S. para seu
conhecimento e devidos fins.Respondeu-se ao
director do Arsenal de Guerra.
Ao mesmo. Participando me o inspector
interino do Arsenal de Marinha em officio de
hontem sob n. 52, haver, de conforiudade com
a autorisaco do Ministerio da Marinha, contrac-
tailo com o gerente da Companhia Pernambuca-
na pelo prego de 730*000 o frete do vapor
daquella companhia que tem de ir proximamen
te ao presidio de Fernando de Noronha para
larer escala pelas Roccas, ah'm de levar roanti-
nientos para os pharolciros e combustivel desti-
nado ao pliarolalli existente, assim o declaro a
V. S. para os devidos lins. Respondeu-se ao
inspector do Arsenal de Marinha.
o mesmo -Commuoico a V. S. para osfins
convenientes que o bacbarel Joaquim Velloso
Freir de Me.idonca, em 6 do corrente assamio
o exercicio do cargo de promotor publico da co-
marca de Timbaba, para oqual o noineei em 26
de Marco Qndo.
Ao mesmo.-Commuoico a V. S. para Os
fins convenientes que o bacharel Domingos de
Abreu Vasconcellos em 31 de Marco findo assu-
mio o exercicio do cargo de promotor publico
interino de Timbaba para o qual foi nomeado
na mesma data pelo iuiz de direiio dessa co-
marca.
Ao mesmoMande V. S. pagar as inclu-
sas contas na importancia total de 2:349*540
pn-veaiente Je despeza com a substtluico do
antigo encanamento d'agua do Arsenal de Mari-
nha de que tratara o inspector do mesmo arse-
nal e fiscal da Companhia do Beberibeem offi
cios de6 e 10 do corrente. Commurcou-se ao
inspector do Arsenal de Marinha.
Ao commandante do corpo de polica. De-
claro a Vmc. em reposta ao seu ofli io n. 276,
de 9 do corrente mez. que prohibmdo expressa
mente o art. 21 do regulamento de 8 de ovem
bro de 1873 as graduacOes de oilieiaes inferio-
ra a pracas, nao posso conceder a autorisaco
que solicita afim de graduar quando entender
necessano, quatorze pracas. por ser insufficien-
te o numero de inferiores para enraman dar des
tacamentos.
Ao director interino do Arsenal de Guerra.
Mande Vroc. fornecer ao 14 balalhao de in-
fantaria duas guantas de madeira, de conformi-
dade com o incluso pedido feito pelo respectivo
commandante.Communicou-se ao commandan-
te das armas.
Portaras :
Devoivo cmara municipal de Caruar os
documentos annexos ao seu oficio de 14 de
Agosto do anno passado relativos ao contracto
de urna casa de mercado celebrado com o coro-
nel -ntonio da Silva Florencio.
Fica assim satisfeita a requisii o constante de
ofiicio da mesma cmara de 8 do correite mez.
O Sr. gerente da Companhia Pernambuca-
na faca transportar a provincia das Alagoas, por
capta do Mjmterift.ia Guarra o alferes do 26'
ranHSo de rntntam Jos vlegas da Silva e bem
assim sua raulher Vicencia Viegas da Silva e fi-
lhos Theodoro de 13 annos de idade, Dogoberto
de 3 annos e um creado de nome Manoel. Offi-
ciou-se ao inspector da Thesouraria de Fazenda
para mandar ajustai contas ao referido alferes e
communicou-se ao commandante das arm.s.
O Sr. gerente da Companhia Peroambuca
na mande dar passagem de r at Macei ao ba-
charel Vicente Leiris Ferreira Landim por conta
das gratuitas a que o governo tem direito no
primeiro vaper que seguir para o sul.
0 Sr. gerente da i ompanhia Pernambuca-
na mande dar passagem de proa at o presidio
de Fernando de Noronha, por conta das gratui-
tas a que o governo tem direito a Elvira.Oiympia
de Jess, mulhcr do sentenciado FelixTje Jess
Mara, e a dois lllhos Hermenegildo de 13 airaos
de idadee Jos de 12.Communicou-se ao direc-
tor do presidio.
O Sr. gerente da Companhia Pernambuca-
na laca transportar para o presidio de Pernando
de Noronha, por conta de Pereira Ferreira C,
os gneros alimenticios e diversos artigos de que
trata a relaco aqu junta assignada pelo secre-
tario interino do governo desta provincia.
O Sr. gerente da Companhia Pernambuca
na rara transportar a provincia do Ro Grande
do Norte, por conta do Ministerio da Guerra,
um caixo medindo 476 decimetros cbicos, con-
tendo artigos de fardamento para voluntarios,
destinados ao deposito de artigos bellicos all
existentes.Communicou-se ao director do Ar-
senal de Guerra.
EXPBDIF>"TE DO DB. SKCRETARIO
Officos :
Ao Dr. chefe de polica interino.S. Exc. o
Sr. presidente da provincia manda communicar
a V. S., em resposta ao seu ofiicio de 9 do cor-
rente mez sob u. 357 que ha forea disponivel
para satisfazer a requisico do delegado do ter-
mo de Limoeiro.
Ao 1.* secretario da Assembia Legislativa
Provincial.De ordera de S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia remettoaV. S. a informaco junta
por copia, de 9 do corrente, prestada pelo Revm.
governador do bispado sobre a petico do Revd.
vigario da freguezta de Santo Antonio desta ci-
dade, de que trata o cu officio n. 16 de 22 de
Marco ultimo.
Ao Dr. juiz de direitj do 2. districto crimi
nal da comarca do Recife. 8. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia [manda communicar a V. S.
que no seu officio n 129 de 4 do corrente mez
proferio hoje o despacho seguinte :Ao director
do presidio de Fernando de Noronha para satisfa-
zer a requisico-
Ao gerente da caixa filial do Englisb Bank
of Rio de Janeiro, Limited,n'esta cidade.De or-
dem de S Exr. oSr. presidente da provincia ac-
cuso o recebiinento do officio de 5 do corrente,
com o qual V. S. enviou copia autheiitica do ba-
tanete das operaces effertuadas por essa caixa
filial durante o mez de Marco ultimo.
Ao fiscal da Companhia Recife Drainage.
De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia, communico a V. S. que no requerimento de
paquete
o ameri-
tara
'do porto de Belui o
taranho no mesmo dia em que sahio
cano, nada adiantou dessa provincia.
Maranbo
Datas al 20 de Abril.
No dia 9 foram encerrados os trabalhos da as-
sembla provincial.
As denuda noticias constara da carta do,nosso
Albino Leitelde Fana a que-se refere a sua in- correspondente hontem publicada.
fArmiP'iA iia liAnlam fm (w-.ni i.vnti>ri<(f\ e\ iiixrilin. __- _.
Aquellajptoridade toraou conhecimen-
to do facto; "fz proceder a vistoria pelo
Dr. Mello IJoroes, que considerou grave
os feriinentos.
rocedeu-se a respeito nos terijos da
lei.
Deus gutide a V. Exc.Illm. e Exm.
r. Dr. Ignacio Joarquim de Souza LeSo,
muito dignb vice-presidente da provin-
cia. O c^gle, de polica.interino, Daro
Cavn/cnnfeno ego Albuqiterque.
------------^--------------
Thesouro Provincial
DE8PACHO DO DIA 24 DE ABRIL DE 1889
Jos Antonio Ferreira.Ao contencioso para
officiar aojuizo no sentido das inforraacOes.
Ramos Ferreira & C.A' seceo do conten-
cioso para informar.
Jos Piuza de Oliveira.-Ao contencioso para
os fins devidos.
Vicente Ferreira de Araujo.A" contaderia
para os fins devidos.
Antonio Guilhermino dos Santos. Informe o
Sr. Dr. contador.
Reeebedorla Provincial
DE8PACHOS DO DIA 23 DE ABRIL DE 1889
Medeiros & C, Agostinho 4 Irmos, Couceiro
4 Irmos. Eugene Goetschel, Wolff & C. Ar-
thur A Desiderio. Deferido.
Joo Nepomuceno Ribeiro Jnior.Informe a
1." seceo.
Luiz Jos Salgado 4 C. A' 1." seceo para os
devidos fins.
24
Bachareis Luiz Ferreira Maciel Pinheiro e
Jos Isidoro Martins Jnior e Vctor Neesen.In-
forme a l.1 seceo.
Gabriel Curcino.A' 1." seceo para os devi-
dos fins.
Joo Jos de Araujo.-Cumpra-se.
InstruccSo Publica
DESPACHOS DO DIA 25 DE ABRIL DE 1889
Maria Rita de Aguiar Fonseca.Justifico as
faltas de 11 a 18 de Marco prximo passado.
Eplugenia Maria de Almeida Gomes.Cum-
pra-sc e registre-se.
Telesphoro Lopes de Siqueira.Cumpra-se e
registre-se a apostilla de 23 do crente.
Luiza Eudoxia Baptisla.-Enraminhe-se.
RECIFE, 26 DE ABRIL
\ oficia*
0 paquete
do norte, trot
Datas at
Nada re
menco..
Tendo sal
norte do imperio
onal Maranhao, entrado hontem
as seguintes noticias:
tmaionn
, Abril:
s folhas que mereca especial
formago de hontem, foi hoje proferido o seguin-
te despacho:Prejudicado por estar feita a obra
segundo inforraou o fiscal da companhia.
Ao engenbeiro fiscal da estrada de ferro
do Recife a Caxang De ordem de S.Exe. o Sr.
presidente da provincia remello a V. S. 62 passes
impressos para iademoisacao de igual numero
de passagens concedidas pelo Dr. chefe de poli-
ca nos carros d'essa estrada de ferro durante o
mez de Marco findo.
Ao engenheiro chele do prolongamento da
estrada de ferro do Recife'ao S. Francisco.De
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
remetto a V. S. os papis a que se refere a sua
informaco de 10 do corrente sob n. 2, afim de
que se sirva de declarar o que ha acerca da es-
taco de Areias na estrada de trro do Recife a
Caruar.
Reparticio da Polica
2.* seccao.N. 410Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 86 de Abril de 1889.
Illm. e Exm. Sr. Participo a V. Exc.
que foram hontem rcuolhidos Casa de
Detencao os seguintes individuos :
A? ordem do Dr. delegado do 2o distric-
to da capital, Joo Baptista do Sacramen-
to, por uso de armas defeza.
A' ordem do subdelegado da freguezia
do Recife, JoSo Francisco de Mello, por
crime de furto ; Manoel Gregorio do Es-
pirito Santo, por disturbios.
A' ordem do da freguezia de Santo An-
tonio, Dionisio Manoel Ferreira, preso em
flagrante, por crime de ferimentos gra-
ves; Jos Francisco dos Santos, por dis-
turbios e uso de armas defeza; Joaquim
L'>pes dos Santos, Manoel Jos de Olivei-
ra, por disturbios : Manoel Jos das Dores
Francisco Antonio Alves, por crime de
furto.
A' ordem do do 1" districto da fregue-
zia de S. Jos, Jos Pinheiro do Nasci
ment e Antonia de tal, por embriaguez
e disturbios.
A' ordem do do 2o districto, Antonio
de Souza Santos e Antonio Francisco de
As8s, por disturbios.
A' ordem do do 1 districto da fregue-
zia da (iraca, Theotonio Marinho de Bar-
ros, por disturbio, minha disposicao.
A' ordem do districto do Peres, Miguel
Joo Gongalves, por disturbios.
Hontem, s 11 1(2 horas da noite na
ra de S. Francisco da freguezia de San-
to Antonio, foi ferido com urna tacada
Antonio Augusto de Souza Lobo, por um
individuo que logrou evadir-se sem que
osse conhecido.
O subdelegado tomou conhecimento do
facto, fez transportar o offendido para o
hospital Pedro II, afim de ser medicado,
e diligencia descobrir o autor do crime.
Anda hontcm, pelas 4 horas da tarde,
travndo-se de razoes os individuos de
noraes Patricio da Silva Rainha, Dionisio
Manoel Ferreira e Francisco Pessoa da
Silva, dellas rcsullou sahir ferido com
tres tacadas o de nome Francisco Pessoa
da Silva por Dionisio, que foi preso em
flagrante.
Plauh;
Dessa provincia tambem nada adiautou o pa-
quete Maranluio.
Cear
Datas al 22 de Abril.
Sob o titulo Poros Artesianos, escrtveu a Con-
stituieo de 21 :
J'a foram iniciados os trabalhos da empreza
americana que tem de construir pocos artesianos
nesta provincia. Comecou-se a fazer perfuraco
do terreno para o primeiro poco na Colonia' hris-
tina acerca de 85 kilmetros desta cidade, e ja
tem a escavaco. segundo estamos informado,
mais de 100 palmos de profuodidade.
Estamos perto de ver a realisaeo do afa-
mado systema de pocos de que devenios espe-
rar os mais lisongeiros resultados. Nao se pode
desde logo afiancar que a agua ser encontrada
sem muito trabalno, e at pode acontecer que
seja preciso abandonar a primeirajtentativa para
escolher um tereno mais apropriado ; porm
em todo o caso ser certo o bom xito do em-
prehendimento e teremos de ver e:n breve posto
em pratica entre r.s um dos meios mais vanta-
josos de produzir a agua, fazendo a brotar das
profuudezas da .erra.
De nossa parte temos muita f" nos pocos
artesianos, e pensamos que era a difuso del le?
na provincia um dos meios mais efficazes para
combater os effeitos das seccas.
Com mais ou menos trabalho a empreza
americana concluir os pocos de que se incum-
bi e conforme os resultados praticos, que cer-
tamente serao vantajosos, o systema se desen
volver convenientemente, j por intervenco do
governo. ja por iniciativa particular.
i. Era idea de um filho Ilustre desta proviu-
cia, o Exm. Sr. conselheiro Araripe, isto desde
muitos annos, que os pocos artesianos seriam de
urna utilidade consideravel para esta provincia.
Desde o lempo do senador .Menear que aquelle
benemrito rerense pugnava por esta idea, con-
siderando os pocos artesianos como urna neces-
sidade para todas as regiOes assoladas pela sec-
ca.
Cbegou a epocha de ser realisado aquillo
que naquellcs remotos lempos a muitos pareca
um sonuo. Vamos aflnal e em breve tempo ter
pocos artesianos.
- Nada mais encontramos as folhas que me-
reca menco.
Rio fcrunde do Xorie
Datas at 23 d<- Abril.
Constara as noticias da tarta do nosso corres-
pondenie, publicada na rubrica Interior.
Parahvbn
Datas at 24 de Abril,
Nao encontramos as folhas recebidas noticias
dignas de transcripeo.
INTERIOR
Correspondencia do Diario de
. Pernambuco
NATAL, 23 de Abril de 1881.
Frailamos razao quando escrevendo a nossa
ultima, hesitamos em annunciar o invern fran-
camente manifestado na provincia e portante
desvanecidas as approhenses que se nutriam
de secdb, mas, nao podamos deixar de guardar
a QdeliJade de noliciarista que nos impozemos,
c assim tivemos de dar noticia das chovas que
tinham apparecido em reaniniaco que se ob-
servava na populaco.
Com to favoraveis auspicios, o pobre larra-
dor procurando o trabalho e inunindo-se dad se-
mentes que lbe fattavara, trataram de fazer suas
plafiacOes em que landavam suas esperanzas,
mal, infelizmente para enes, suspendern] iu-
temuieute U choras, e as plantacoes ti vera ra
de ser quasi totalmente devoradas pela lrgala,
que se desenvolveu em larga escala, e coineca
j o desanimo a lacrar no espirito de todos.
Triste e dolorosa alternativa, essa em que se
debatem as provincias do norte, ameacadas com
a constancia do tempo !
Pelo que chega ao nosso conhecimento, o de-
sanimo que vai lavrando geralmente, faz-nos re-
celar que Hquemos em situaco mais desagrada-
vel do que aquella em que temos estado.
O pequeo lavrador, esgotados todos seus
rscursos j nao poder luctar contra a calami-
dade e muitos, seno todos, nao tem ao menos
com que oBter outras .scpientes para novas
planta-Oes, se ainda tiveraos chuvas.
O que vimos de dizer, se refere mais parti-
cularmente a parte da provincia chamada agres
te. e quanto ao sertfio, faltara nos noticias segu-
ras pelas quaes possamos julgar cora preciso,
parecendo-nos que por l, o invern tem sido
mais constante.
E' nesta cruel emergencia, que o poder pu
blico vira era auxilio do povo, 3 certamente nao
Ihe faltar este recurso da parte de um governo
sabio e providente, que felizmente dirige os des-
tinos da naco.
Pelo que diz respeito a esta provincia, no ha
motivo para desanimar e ao contrario, temos
no Exm. Dr. Jos Marcellino da Rosa e Silva,
um administrador Ilustrado e criterioso, provi-
dente em tudo quanto interessa ao bem publico
e, a quem nao faltam as luzes necessarias para
conjurar a crise, que porventura tivermos de
pausar e asim, os rio-grandenses se podem con-
siderar felizes.
Se tivermos logo novas chuvas, ser bastante
que o governo mande distribuir sementes a po-
pulaco, nos pontos da provincia em que isso
for reclamado e assim evitar maior dispendio,
do que se tiver de prestar soccorros, sendo cer-
to que, muitos ou quasi todos deixaro de plan-
tar, se nto tiverem o recurso de obter semen-
tes.
Estamos cerlos que o Exm. Dr. Jos Marcelli-
no, hade cogitar de tudo e a provincia agra-
decida, bem dir seu nome registrando-o em
urna das paginas de sua historia como o de um
administrador a quem devero a sua vida e
prosperidade futura.
Nesta cidade realizara se os actos da semana
santa, com a pompa e decencia compativeiscom
as uossas Torcas. Muas familias do interior,
vieraui para a capital, assistr aos piedosos ac-
tos, que foram seinpre muito coacorridos.
Grca8 ao zelo e dedieaco do prestimosojuiz
municipal supplente do termo da Macahyba, ca-
pito Antonio Olynto Barbalho, realizou se a 12
do corrente no lugar Guanduba do mesmo ter-
mo, a importante priso do celebro faccinora
Antonio Manoel, conbecido vulgarmente por
Xibarra. um dos sentenciados que se evadir a
28 do passado da cadeia desta cidade.
A deligencia foi dirigida smente por aquelle
distincto cidado, a quem cabe a gloria de ter
prestado este relevante servieo a sociedade, li
vrando-a das garras deste face inora, que era o
terror da nopulaco.
Falleced na noite de 12 do corrate nesta cida-
de, a respeitavel matrona D. Thereza Maria Coc-
ino, na idade de 72 annos. A illustre fina-
da era mai dos capites Apolinario Barbosa J-
nior, secretario da polica e oflicial-maior da
secretaria da preferencia
Na villa de S. Miguel falleceu repentinamente
o professor publico Hrculano Jusselirio da Silva
Lisboa. ,
Tedo sido exonerado a pedido, o amanuense
da secretaria da instrueco publica, foi nomea-
do para substituil-o o cidado Jos Ricardo Lus-
tosa Cmara. .
Regressou a 10 do corrente de sua commUso
a cidade de Mossor, o honrado chefe de potteia
Dr. I ito Livio Vieira Dortas. deixande all os ni-
mos completamente pacificados
Nos poucos dias que se demorou naquella ci-
dade, foi S. S. alvo de attencoes das pessoas
mais gradas do lugar, captando a estima de to-
dos, e houve-se no deserapenho de sua commis-
so com muito zelo e dedieaco. deixanoo com
Eletamente desvanecidos os receios de pertnr-
aco da ordem e tranquil lidade publica.
Cheg'iu ltimamente a esta cidade, urna com-
panhia equestre e equilibrista dirigida pelo co-
nhecido artista Joo Gomes, que tem propor-
cionado populaco horas de agradavel dis-
trao.
Na cidade de Macei, falleceu o negociante
portuguez Manoel Kibeiro da Silva Ramalho,
all residente ha longos annos.
\o tribunal dos tactos
Escripto expresamente para o Echo
do Sul)
Antes de laucar a luva aos reoublicados da
minha provincia, seja-me rermittido relembrar
as catiees da minha infancia, essas ternissiinas
cances de principes encantados envoltos as
malhas de armadura dourada a desferirem no
bandolim ranto ao lorreo de um castello feu-
dal os queixumes de sua alma apaixonada.
Tem tanta suavidade a voz da mi extremosa
quando chamando para junto de si o Ulh tenro, passa-lhe nos cabellos negros a mao ca-
rinhosa, e comeca a desliar esse rosario de len-
das com a pnrase sacramental: Era urna
tez
E o pequeni'o todo embebido as palavras da
mam espera pelo fim de todas as lendas. o hy-
mineo por entre rufos de tambor e chuveiros de
Odres, do principe de armadura dourada com a
morena princeza da Mauritania.
E eil-o a gravar na memoria as prophecias da
bruxa andrajosa efedorenlaescancarando a den-
tuca n'um riso de mo agouro, os queixumes do
principe disfarcado em mendigo, o fulvo olhar
do dragSo estallando os ossos em convulsoes de
raiva, e os beijos da princeza to doces como o
beijo da aurora quando rasga a madrugada.
Como tudo isto suave'
E no emtanto essa mi extremosa nao se leni-
brou de fallar n'um homem tambem encantado,
de capacete phrygio banda e panga abarro
de Cap
tadf!
Que
,ue mi! Que monstro !
Pois desde o berco, Srs. republicanos, des-
de o berco que eu comecei a adorar a raonart-hia.
com os seus principes, os seus bandolins, as
suas fadas e os seus palacios.
Mais tarde educand'o-me no paiz dos mestres
da phosophia e do direito, sem outro guia que
0 desejo do saber, comecei a engatinhar no do-
minio vasto da ciencia, e quando consegu pr-
me de p sera outro auxilio que o proprio dis-
cernimento, abracei-me com o Comte, o Ficht o
Schoppenhauer, o Voltaire. o Goethe, Spinosa c
outros, entrei a aprofundar os segredos do di
reito, e sempre consultando novos autores rema
tei pesquizando as bases desses chamados prin
cipios republicanos, liberdade, igmildade e frater-
nidad*, lembrando-me at que ao consultar ura
Manual do Comelheivo, apredi a fritar ceblas
Danton. e batatas Robesp erre !
E B meu pesar, desandei a mais homrica das
gargalhadas, qutndo os meus ronheciraenlos
usando remecher o fundo das panellas da cosi-
nba republicana, fiaeram-mc deparar apenas fel
e raneo ^o coiitrario do que eu esperava, o que
era,urna boa fritada digestiva. l essa estre-
pitosa gargalhada con.seguio abalar as notas vi-
brantes do martello que n'um velho relogio col-
locado no alto da igrqja de S. Marat annunciava
pausadamente meta noite.
E a gargalhada cessou e o tempo nao parou
1 mando avante a monarehia como porta estan-
darte.
Ptu-me entao a scisniarcom a breca! Sea
monarehia to ruim cousa na opinio dos pala-
dinos demcratas, como possivel que o tempo.
este eterno destruidor a respeite e aperfelcoe?
Aqui anda bruxaria I ,
E d'punha-me a folhear Vctor Hugo e Thiers.
quando a minha criada, ama gorduchada allem
cora ventre de nove mzes, bamboleando se as
pernas emperradas, apresentou me ao lado di
gm prato de um (agosta, o ultimo manifest de
Boulanger, um dos adunes dolos do republica-
nismo francez.
Sangue de raorcego Ou m deafe apregoado
seculo das luzes, quaudv ludo progresso, tudo
arrojo, tudo sciencia, a repblica, esse exem-
plo de systema governativo, retroceda mil e uo-
vecentos annos e nivelava se repblica ro-
mana !
Por entre o Irovejar das palmas arrancadas
pela voz aviuhada de Paulus n'um esfumacado
caf-concerto, e o vozear estridulo da canalha
as pracas de Pariz, erguia-se em nuvens de
fumo de cachimbo o vulto de Boulanger, a per-
sonilicajo da repblica!
Ha rail e novecentos airaos, a repblica ro-
mana erguendo nos hombros um guerreiro afa
raado, esta va cora certeza mais adiantada I
E segunda edico da tal estrepitosa garga-
lhada teria rebentado, se um cheirinho de la-
gosta, a lagosta da rochonchuda allem. nao me
deaviasse as ideias para o nec pin* ultra da liber-
dade republicana que e ha de ser sempre urna
boa ceia de ceboliohas recheiadas, saladas de
camarOes, pastis ostreados, bom Sauterne, me-
Ihor Bourgogne e como remate odorfero na-
va na
Entremos agora abertamente em campo.
Ataquemos de rijo os principios em que assenta
a doutrina republicana.
Na i:aaldade de direito f
Mentira!
0 Creso que fechar na mo o voto de mil elei-
tores embra crimine com um rles typo da cr-
pula, nao ser julgado com a mesma igualdade.
lj< Wilson o foi diro os republicanos.
Nao o teria sidodigo eusem o protesto do
parlamentares monarenistas como Cassagnac e
outros, que procurarara derrubar a repblica
em Franca com a queda de Grvy.
Se nao fra a imprensa monarchista, o tribunal
do Sena estara boje transformado era urna banca
de jogo.
Na fraternidade ?
Mentra !
Christo, esse grande e bondoso philosopho,
apregoou-a como utopista que era.
A fraternidade nem soquer poder medrar no>
bordis, aonde a sorte compartilhada na mesma
nudez descarada, e aonde a proporgo do gozo e
do dinheiro sempre a mesma.
Na liberdade?
Mentira !
Nos Estados Unidos da America do Norte, na
Franca. Suissa e repblicas hespanholas. se al-
gum monarchista ousasse desnudar a individua-
lidade poltica de um presidente da repblica
seria aprisionado!
Aonde est a liberdade da imprensa'.'
Se algum monarchista}ouzasse proclamar eui
plena praca as suas conticOes, seria algema-
do !
Aoude est a liberdade da palavra ?
Se, pois, os thuribularios d'esse moderno sys-
tema de governo besuntam com escarros o alco-
ro das suas fdoutrinas, que coofianca poderlo
infundir aos verdadeiros patriotas, aquelle- que
sdesejam oengrandecimento da patria, e jamis
a obesidade da panca de um homem. que os pon-
tapes do acaso, o sangue das ras e o dinheiro
dos proletarios collocaram em primazia sobre os
demais hom?ns?
Afamados principios republicanos 0 votit-
tl se nicher f ..
Na panga, sempre na panga*
Analysarei agora os feitos dos republicanos, e
basta que o faga muito superficialmente.
Os principes de liourbons com o Sr. conde d-
Paris frenle luctaram pela liberdade dos Esta-
dos Norte-Americanos com essa valenta cava-
Iheirescajdos teraposj medievacs emque eram
moda os torneios, relembrando com a sede da
gloria o bizarro arrojo de seus avs esgrimindo a
chuga na justa eucarnigada para receber como
premio o sornso doce de urna mulher.
Lnclarara com esse ardor que levanta os povos
n'um brado de enthusiasmo.
E que fizeram os Srs. presidentes da repbli-
ca em pro! desse arrojo e d'essa dedieaco?
Trataram-n'os iudiftereutemente, com essa fleu-
gma estupida e brutal que elles affectam como
signal de superiondade, para cora os homens de
sangue aznl.
E dizera os republicatius que a iudifferenca e
o orgulho sao aitributos dos monarenas !
avante!
Amarello eescaveirado o cholera invada o sul
da Franga-jcnuodoando as pragas e h^spitaes com
vmitos e illarriia.
E no Eliseu, o Sr. Grvy recostado em fofo
divn junto janella do seu mignen gabinete
azul, mastigando um Regaba da Noblesse e arro-
tando beatficamente o oi-egras e o salmo do
seu jantar real, dignava-se lancar a vista amor-
tecida pelas libagoes do Chamberlin e Marsala,
l para o sul, aonde morriam lentamente as ci-
dades cholericas, entregando-se meditagophi-
losophica do triste tim da pobre huraanidade.
E o Sr. duque de Chartres que tambem tem
palacio, tambem tem conforto, tem mulher c fi-
nios, arrastando as consequencias funestas da
peste, lembrando-se apenas que como merabro
da familia dos Orleans, tinha a dar o exemplo
de sublime abnegago, escovou a farda que
constantemente the comprime o peito de soldado
e de francez e nosjeatres dos hospitaes foi reani-
mar os doentes, consolar as mes, e vuivas, der-
ramar bengaos, e a mao do lidalgo essa mo leal
por mais d'uma vez aparou n'um rles ourinol
de vidro barato, os vmitos de um cholenco que
expira va.
Sempre avante t
0 Sr. Guzman Branco, presidente dajrepubca
de Venezuela, que galgou o poder por sobre urna
escariara de corpos mutilados e bayonetas que-
bradas depois que ouvi tinir no cofre a respei-
tavel somma de algus milhoes de pesos retirou-
e para a republicanamente lidalga Pars, e l foi
aristoi-ratisar se, apresentado. como verdadeiro
lidalgo esplendidos four-inhands no Bois de Bou-
logne, celando s 2 da madrugada no La Paix,
iusiallando seera Diep.ie pelo vero n'uma os
teutaco de psckutt ctlleggiatura, e por ultimo
cedendo a mo demcrata de sua filha ao mais
arruinado dos lidalgos, o duque de Moray I
Sunlissimas convicgOes!
Anda avante!
O es-presidente de repblica, o Sr. Santos, em-
poucos anuos na chegada do governo oriental
eaibarcu para a Europa, amontoando em letras
sbreos banqueiros de Londres vinte milhes
de pesos, fortuna que nunca possuio, nem ha
de possuir o nosso estremecido ruoiiarcaa, esse
bom velho, esse santo homem. que ha 30 anuos
rege monarchicaraente os destinos deste enorme
Brazil -
Ao tratar se nos Estados-Unidos da America
do Norte da cabala para urna eleico de presi-
dente, com % mesma impetuosidade dos ros de
Ohio, correa] os dollars aos milhoes comprund
votos, e ennspurcando as coovieces. quando dos
corredores soturnos das minas de carvo os uii-



Si
M


Diario i


alto.
rom a pul'-erisacao
ijo mineral o seu pao de cade dia.
o aqu.
citar, faHain muito
i a Torca policial para 1893 em
U t3Sfctfra$a, >*&* qjttftltctK&) ajCiW
lo necMe:
y. 39. Orccmenlo municipal para 1888 a 1890.
Em geni ida dissolveu se a reuniao.
npreitenlaolP da naclo No p)Oue-
te nacional Maranhao seguem de viagem pira a
i Tte, onde veo tomar parte nos trabalhos parla-
mentares :
Amazonas Dr t brindo Chave?, oeputado ge-
Nao posso prever ouem seja o p.dadiiio dem-
crata que innianao-ievante a luva que boje alj-
ro ao republicanismo.
Comtudo de prever que a ?ui res|>osla ve-
nha salpicada dean)aveis epitheto:. como, jesu-
tas, sirntavo^tmiente, ma. A*[
Desojo evianaM* en gaste.-4|n]iiiH'l*aa**lB*i[ Pmm iw^w f/) Spwa Mentende
por isso aprHHB-mtiMtodt'Mrar lpBemi^H>Apuiri de religiao Bantenctnanesstagrupsasannajwsiaw Mmmlto QrpotMkak {anaics consalliriro
que renegai4f)cnriMunHBio nanmlieana n'analt'.otas- tic &slrojLalftaan*gucs da.t**fct e
madeiro, e let.iSHanac apodreaa*pelnav^ij*n Hibetna da-Uinha;
paaatoEtatt* ai
.** xmm.
tero.ansa
babosos dassfcwta*.
Reputo CHE* u
e nao acrediaSnaan tu
anjos da t'rrm.
Sou um sdwanrijiiooa.
O meu Deus^niiLicJli upa rege
cfaestraBO Universo inlinito. teiu un altar ergui-
do na ininlia ron-ciencia.
E jdro que nunca prostiiui essa adi racao com
espalhafatos. E' muda, siucera.
O meu Deus pertence a philosophia c nao ao
Seo clero estova antigaipenle ligado manar-
cbia, boje nao est mais. Sinlo uie pois, feliz
em declarar-a* fanticamente monamnisia.
A defeza desta causa tio sania que boje gos-
totainento tomo, nao asalariada.
Sou de opinio qi.e o hornera nao deve deixar
inactiva a sua menlalidade.
Se pode ligar duas palavras, se paONk, M IMB
convieces. laca a reluzir na arena da lucio en
rol de u;u id'-al qualquer.
E aqu me tt'-m. esperando, oa meas ialuslres
advrsanos. *
Mario db Aiitagxo.
REVISTA DI vHIA.
Kiabarqne-Na paquete americano Allian-
M seguio hontem, elTeetivamente, para a provin-
cia da Baha, o Exm. Sr. Dr. Innoccicio Marques
ce Araujo GOes, digno presidente dn F*ernam-,
buco.
. Ese. sabio de palacio as 8 e i/2 horas da
manha. acompanbado por numerosos amigos,
entre os quaos diputados geraes e provinciaes,
desembargadores, magistrados, clteL'-de polica,
Dr. 1* vice-presidente da provincia, chele das re-
pariicps e umitas oulras pessoas aradas, indo
lodos em carros at o Arsenal de ILtrtnha.
All esperavam no niuitos oulros amigos e
grande maesa de novo que o virtoriou, dirigin
do Ihe a patarra, ero nome do me^tno aovo, o
Sr. iu.ardu Guimares, que hriudou a S Exc.
com im riqmtsimo ramalbete de flores artiti
ciaes, ornado com urna linda Ota em que se lia *
Ao Sr. presidente Dr. Intwcencio Marques de
irn jo (oes. afferece o poro peinambtirano em 24
U- AbrH de 188t>. .
S. Exc o Sr. Dr. Innocencio Gocs agradeceu
itaiMBocido aquella manifestaco de apreco do
povo. c despediodo-se de alguus amigos embar-
cou no escaler que devia leval-o pa a bordo do
paquete, sendo acomjiunhado por muitos outros
amigos, que tomaram lugar em divo-sos outros
escaleres.
No Arsenal fez as honras militares urna guar-
da do l i batalho dj iufantaria, e tocaram to-
as as bandas demusica da guarnkao da cida-
de e as dos Arsenaes de Marbiha e (tierra.
No paquete .Uliattce despediram-sc de B Exc.
os amigos que at 'alli o acompantiaram; e s
10 horas singrou o paquete, salvando nessaoc-
casio a fortaleza do Brum.
Venios galernos conduztm S. Exc. ao porto
do seu destino.
Eis as palavras do Sr. Ricardo Guituares :
Exm sental-o em vosso embarque, cumpro miaba mis-
sao fdzcndo vos cutre ja deste bouquet, com que
elle entendeu, falt de lempo, pre.ientear-vos
uta recompensa do beneficio que Ihe fizesk-s o
da prohutaisao da exporlaco da.fariidia.
Desrulpai se o curto espaco de tem(io no
perattio que se lizeste urna dajBs:.raci eioquenle : esU, que rtcoalieofoios insufiji-ien*
te, servir apenas |iara atlestar ao fulcro que a
populaco desla cidade tem un coraco bastan-
te largo pan neile agazalhar a memoria dos ail-
ministradores man que, ao coulranio de
muitos que o teta administrado, saben captar as
suas svmpalhias e para prevar que nao l'oi de-
balde a sement que aqu veio lanrarS. Exc.
-' En, pois, em nome deste povo vos compri"
ment v vos entrego c-ta offei-ui, a qual.vos pe-
co Miui'leis come lemuranca '!o muio qae me-
recis.
F;>maud Ji'Awoiiha Km vista das
informaces ltimamente vind.:s do presidio de
Femando de Norcnha, relativamcn'e ao osla lo
saniUro, que muito precario. dican.t'ii'.os e dietas apropri idoe ao iratamento
dos que alli tem sido atacados de Imriberi e ou-
tras molestias, S. Exc. o Sr. Dr. Ignacio Joaquim
de Souza Leao, diano vice presideuti-gda provin-
ia, em exercicio, deliberan mandar ao citado
liri'siuio, e:n vingem extraordinaria, nm vapor
da Cowpanbia l'cniambucana.
Ksse vapor ueo/'/io. partir boje, as S
horas da tarde e coadtttiri um medii;o," iUver-
das ambulaicias com medicamentos, e viwres
para dietas dos doentes. levando a^m disso ins-
iru Toes adeqdadas situayo precaria do pre-
sidio.
Sao acerudis.-iii .s rasas providencias, (wis
realmente doiorosa a situacao ha muito lempo, naodiove, o que ten grande-
mente contribuido para o pessimo e.-tado sani-
tario e defficieucias de genen>s alimenticics na
Un*
lurMiiu da raiiuha V presideni.ia da
provincia foi dirigido o seguinle oflicio:
Paqo da Cantara Municipal da Villa de Aguas
Helias, em 16 de A bril de 1889. lllra. Exm. Sr.
V Cmara Mui)ic;pal de Aguas Bellas nao poden-
do ser indiferente ao acto humanitario de V.
Exc, prohibiudo a exporUigo da farinha de
mandioca para fora da provincia, eujo monopo-
lio traria cousequencia desastrosas, m amo paru
este municipio que ja principiava ; srniir os
effeitos da CSpecuiac&O daquelles qui' so^isain
os seus prepiioa iteressea, i que nt trepidam
em Iroco de unu meii duzia de contol de
reduzir miseria e fume um povo iilrro. em
jeesao de boje mand^u inserir na acia um voto
ile loavor a V la Ilustrada administra-
do que tem feito a isla provincia, pencinal-
mente por aquel acertado arto
Dei: -! I:;i Esi :. Si". Dr.
lnnoc.nc:o Mari|U
gno president
ijue.% *'* 'Albuquerque. presi lente.-~VaatM /(o-
drir/ites Pereira:- Han t Ramo* 4 Saint latUt.
Nicolao Batera rfi Sru. mt .!:
Santos.
Aaemb!a tVviiifial Ib
houve sessao por terem comparecido apena
Srs. deputados.
A reuniao foi [iresidida pelo Exm. Sr. lf
delta pissuma.
O Sr. 1 secretario procedeu a ieitttra do se-
^uinte expediente :
ca do Jtarannaa, temerVodo om exexpai
leis promalgadas naquilla provincia, no aoi
i887 e declarando qne na prnei a opjiortu
de serao rem rentivaa ao de 18*:
archivar.
7-ntro do inesmo. ac< usando o recebimento de
um exemplar do desta Assemble
anno de 1888. Inleirada.
ma pelico de Joaquim P.jreira de Atoeidu,
proprietario da casa de laipa sita travs-
Relm n. 2 A, requerendo ser isento di im|sio
de decima A commiatisdo legjslaco.
Foram a imprimir os se^ninles proje.tos apre-
sen tados pelas coauniaaOfti:
Mmiiky-.hr. JapionRoaai.-dintailo
i Cmm--hm. Torrw-PortHgiiUrputad eral.
'-PaBaa-oa-de 11 daicoMantedaez:
F i|awadi-d>:iwantct>c poto **u'<
38 batafMRrdn guarfn nacional de Bom Jartttln
Elias Jos de Aguiur.
Foi nomeado Manoel Christovo da Silva Pin-
to para o posto de capitao do 38 batalk&i da
guarda nacional de Bom Jardira
Foi exonerado Manuel BrandSo Cavalcanle do
iruo iln ti mftptonU tta^itadaaipaa V-'ii
trido do 1.relo e nomeado para substitu! o Il-
defonso Penelon de Albuquerqne Mello.
Foi nomeado 3 supplente do subdelogado do
iksliicto do Loreto Antonio Rasteiro.
Foi exonerado a pedilo kfuaotl. Budn^ues
Ferreira Telles do cargo de 2o supplente do sub
delegado do 1 districo de fimcilas.
Poi exonerado Gaspar Canjeante Peres Cum-
pello do lugar de subdelegada do i" dialiicto
de Seriiihacra c nomvado para snhslito-o An-
tonio Pereira da Rocha.
Por clcio Ja mesna data manJou-se a The-
sourafia de Faxenda p:gar a quantia de.......
2:3493840 da despeza le.ita coa) a.subu-tutiico
do cncan mento d'agua do Arsenal de arinha.
KalH'ciuraitw AiUehoniein. falloceu de
congefftSo t erebraJ Alfredo Jos Antunes 'u-
maraes, socio que foi dacxtioctaJIrua coinaer-
cial Alfredo Guimares & >'..
Tinlia 58 anuos de idade. e era um houem
probo bom amigo e exemplar nai de Ttmilii.
In&'liz no seu commercio, faeceu em grande
penuria, legando apenas u:u nopie honrado 'aos
IV lilhos que deixana oaiinanade.
Paz a sua alma
Finada Aii'.e-bontem. s II horas da imi-
te e na ra de S. Francisco da freguezia da San-
to Antonio, foi ferido com urna facada Antonio
Augusto de Sonsa Lolio por um individuo a
Suein nao potule conhecer e que logrou eva-
ir-se.
O offendido foi transportado para o hospital
Pedro II, am de ser medicado, diligenciando o
-nbdel"gado da treguezia. que tumou conlicci-
meuto do beto, descob' ir o autor do enme.
F<*rim'iiio Anda aute-hoiMem, as 4 ho-
ras da lar e e na mesma fregiiezia, tnivando se
de razOes os individuos de nome Patricio da Sil
va Rainha, D.oiiisio Manoel Ferreira e Francisco
Pessoa da Silva, ri'.sultuu deJI.is sabir ferido com
tres tacadas o de nomo Francisco Pessoa por
Dioni-io, que foi preso em Sagrante.
M-ndo vistoriado o offendido pelo Dr. Mello
Gomes, foram por este declarados gravea os feri-
mentos, procedendo a autoridade^ policial nos
termos da lei a respeito do facto.
Para a Kurii \i paquete >nglez Ha-
licia segu boje para a Euro Candas de Casiro, pbotograplio desta cidade.
que, accaaUDettido de benlieri, vai procurar ali-
vio seus soffrimentos no velho coutuienle.
Desejamos-lhe fi liz viagem e promfito resta
belecimento.
FaHermenta- Pedem nos a publicacao
do Sfguite:
No dia 30 do Diez prximo lindo tinou-se na
villa de Santo Anlomo da Gloria, provincia da
Baha, o Sr. capilo Antonio L mrinoo de Moura
t-e:reir. Era natural da cidade doPenedo, e ii-
Iho bgilimo do alferes Manuel do RosariuFer-
reira e de/ Anna Josepba da r.onceicao e uinao
do Revd. conego vigario Lino Mjityr de S. Jos
Ferreira. pai extremoso do Revd. padre Emilio,
vicario de i.ahrob. e do professor Adelino ar-
ty;- de S. lose erreira,alferes Joviaiano de Mou-
r Ferreira e Ernesto Odilun oe Moura Ferreira,
Anua Josepba da Conceico e Clotilde de
Moara.Lima.
Bsaraera aempre com honradez todos os car-
gos de que fo~a investido pelo governo de sen
paiz e por eleig.rio popular.
Deus o tenba na mauso dos justos.
Wot'iedadc Ullcraria i.onriilii's
Oia Reuuio-se, hontem. ansa suciedade. em
sesso ordinaria.
Disserlou sobre a tbese que ihe coube por
sorle o Sr. Man-x-1 de Souza Galve Filha de-
monstrando, com o trabadlo apresniitado, adian-
tados conhe.iimentos.
Bala convoi-iida a asseuibla geral ordinaria
para qutnta-feiru prxima. :ifi:n de Irutatv-e de
assamptos de importancia e proceierse a elei-
gao da directora que leiu de servir durante os
netos de Maio a Julho.
Serviro militarEslao designados boje
para superior do dia o Sr. majar lves e para
ronda menor um oflicial de cavallaria.
A guainicio da cidade dada hoje pelo 2
batalhio de iufantaria.
Na enfenaaria mililar existem 49 praras
dos corpos de. guarnig.lo em tratamenlo.
0 2 batalho Ja iufantaria reioetteu para
o anartel docommaudo das armas as guias das
pracas : Antonio Jos da Silva, Jos Joaquim de
Sanl'Ania, que emliarcaram para a corte afecta
das de beriheri.
Ao 14- batalho de infaularia foi mandado
designar um Sr. capitao |>ara destacar para o
presidio de Fernando.
Foram dispensados do ser'.ico por 6 dias o
Sr. candi da 14* bataHl de infantera Fran-
cis< Antonio de S Barreta, e por 30 dias o Sr.
alferes do 2* batalho da metma arma Joaquim
Quirino Villarim.
Sob a presi'lencia do Sr. n.ajor Justfno Ro-
drigues da ilrrira, funecionou hontem o eonso-
lho de cnerca a que responde o soldado do bafcuhio de infaotaria Lina Pcrnandes de <>ii
veira.
lir>riora dan obran
tonio Jos de'Mello e Silva ; as 8 horas. vna.o*>*nBii "l> menos positivo, diecatamos como
lemloreeira doCarmo, pela alma de JoSenGan. playaiaiogos, como medico, o. carcter sa-
*aJSSSffiChegados do norte* no va *"* da a l.tteratura,,f6ra dos seus
por brazileiro Maranhao : ,*ntr,08 caracteres mai secundarios, ou que
Miguel
r<"a*"'<-
Juan Dyrsen, edro A. dos Santos,
oa
laia- dar- fioaata-
Siavliaaattaelhaitaj ntte laKendeatCri
i aM.Janana LinanfreaB Aires e aaaaase
ra,.aaaaMaalutnoa>alii i (iwnes defcftlaticav,,
CsanlBf'aaaie, CypianDa.ft.do Aiaaaa.
quiaiJan^alieode*ne*Bnnciso vcaaaksi, Je-
roaBjpna/Cianaezo.damrcaniHBi Jam dn-arvalho.
ll imnm NiaaDcveninnaod Nant, Saiaaatio do
RaaaaalaUaBnuia. Janr JaBjamihuda Maaaas. Au
aaafc SoaaaM-aaa*. gtafcaaiiaaajnM, iir-cdo
A.'Hia e Silva, Daro d Sarros Waoderley,
ua senboi a e 1 lllho, Leonor A. Cardozo Pinto
e 1 lilha, Rotilio de Oliveira, Jos Lucas V. de
Sooza Ranvan Jnaria 0. da Silra, JoaquiaiE de
Souza Gouveia e 4 retirantes cearenses.
Sabidos para o sul no vapor americano
BaNfa
Obe
emos os
Amanha
aim^dV^Ma^a^us^eSr^r^^ chro-,0g'a d <*
7 horas, na matriz da Graca, pela alma de An-' nmanaacismo, e em campo
mais
do
node
venham n'elles impressos
e genio o
historeos da lilteraiuraJ que este pouco ihe podero er utaiapejo
lao das senhoras. Nao trahe jamis os
segredos do proprio corafSo e muito me-
nos os do coracao das clientes; discreto e
taciturno e at mesmo tmido em publico ;
eloqaentissimo, audaz e tambem temera-
rio s por si.
Deixa que 03 colegas queimem as pes-
nacionali-
es-
n.io
mais ro
Dr. Iunoc-;ocio Marques de Araujo Gts. 1 so
biinho e 3 criados, Alberto Portado de.Mendon-
,ca. Di Clt Berthand. Dr. Fraueisi de P. Silva
rimo Sitiador Alvaro B. I!. Cavulcaute. Olym .
pi F. Loup, Dr. Manoel Bastos de oliveira For-
tnala Guimares, W. J. W. Haney, Baro de
Lii'-ciia.
. Cana, de Oeun^o- Moviinenio dos tor-
sos da Casa de Oetonco do dia 24 de Abril d
ism.-
Exisnam. 449; entraran) l-'i; sahiraai 7 ; ea-
tem 37
A saber :
Nacion.-vt's 416; inulher( 18: nrtrangptrofllsa' nado' tio callosa s caricias do chicote,
que preciso dar. com. o cabo paca fazeba
L-^fenossa Iitteraara ajaaaro
oaaaa|!as) nevrosicru-etdimqnM:
ue chamare moaaaaaaaH e paaaB
Qaaaaritalistas do^ariananaa q
e liar hamavam tiUiimm co
Uyioven c seaaaM. aaaai
naaaniano que o v4aaaaa>naBBBai
e se pode amar tambem com
quasi nunca obsceno, porque
busto.
O hoiuein velho, pelo contrario, mui-
tas vezes.obacejio,. a. ni) iaJlar. iiriatninnn ,
te menos caato do que o,jopen. N'elle
a acc3o vem a ser de chocalbioes eiem
lugar da paixSo de que nSo oapae, apro-
senta' a larcivia, ou > fraqueza com trethis-
mo.
Aaaiui a jbos*. Jjtteratura, que procu-
ra no estranho ni upprimento A bello e
do simples, que n3 conrentam m.iia aos
nossos ervos fatigados, e que audaz,
impdica, grotesca, e mmtnn vc/.esi tam>
bem mu-struosa. A nossa pollo se tem tor-
>IKfrtl04 427
lios 404.
Doentes 22.
Lenco U -Total 427.
Mov Bien to dn eBftsnaaria
Tiveram baixa :
Ga'diuo Jos dos Santos.
Ji.-tiniano Felrx de Jess.
Te ve alia :
Severino Jos de Oliveira.
4>i>itnX Pedra -0 movimente de>lt
estabelecimento de daridade, nodia2Jde AbrD
foi o eguinte:
Entniram 24
Sahrnun 13
Fallecern) i
Entelen) / 589
Faram visitadas as respeetiv;;.- eufecinan .s
petas Drs.: '
Motwosos8 )|4, Cymeiroa* 10 I|t, .tanrostio-
brinho s 7, Malaquias s 9 l|4, PontuaL s ho-
ras.
.\'o comparecern] os Drs.:
Barardo.
E*rvao Caedcunte. .
SiinOes BocnoRi.
O cirurgio dentista Numa Pompilio nao com
parecen
O pharmuceutico entronas 8 I [4 damanhe
-;:!iio asida tarde.
0 ajudaute do pbarmaceutico entrou s 7
la rnanhe sabio s 4-horas da tarde.
Ijor4a-*w wawnaar A 0 parte da
7' loiuria, dessa piwrincia, cujo prvinio grande i
6a:tXH)i.000. era ex tratada no dia 29 do cor-
rento (segttHda-feira).
Ctoattrriu Hjahlico biluariododia 24
de Abril de 1889 :
Maria Clemcnlina dos Santos, Peroawbuco, 2 I
annos, solteira, Boa-Vista; tubrculos pul:no
nares.
Candido, Pernambuco, a annos, Santo ntonio:
^ f^i^mnws e.
Smttw "Jaria >U Co:.i:eigao. Cear. V) ;ur: .-.
mmtt HaanWstaa; tufcercnlai puliaorures.
reseniir. Outr'ora baaava dar ctalos
com o chicote, hoje toma-se necessario o
cabo e-qao stja bem duro e forte e apjili-
cado sem.misericordia..as partes raais
eosiveis do bosboi oorpo.
*
le euDucrvii'
cao Jm Porln^ il Rernamlwoo-Bi'f i<
fe; 24 de Abril de 1889.
* Roletim meteoiTologico
Uai pouco de tu do
S3a se asaustem os nossos leitores, por
que, amda que se trate de microbios, a
cousa no oflferece perigosj antes como se
ver, parece altamente brfeficiosa ao or-
ganismo.
Existeiu microbioa digestivos, e nada
se deve extranhar se algn dia se oa ven-
der as pharmacias. Os seahores Pasteur
e Duclaux ehainaram a attenco dos rae
dicos, ha tempo, para- a importancia que
tinha o microbio as fnnecOes digestivas.
O Sr. Abelons quiz ir mais adiante, o
no fundo do seu laboratorio fez experien-
cias com os racimo microbios buscando-os
em seu estomago. A sonda Ihe descobrio
dezeseis classes e bculos, dos quaes sete
sao conhecidos, n.o respondendo os nove
restantes a neTthuTivtypo, se bem vivem no
ar ou sem elle.
('abe perguntar se estes microbios teera
moa funceao utii. O senhor Abelons os
pz em presenca de materias alimenticias,
observando que aiguns d'elles dissolvem
rpidamente a albmina, outros a fibrina e
ou ros o gluten e os ha tambem que flui-
dificam o atnedo. Quando se os coUoca
om frente d'nm alimento qualquer o-ata-
cam vivamente at transformal-o.
Des tes curiosos ensaios deduzio o pro-
eaeor Abelons que os microbios exercem
una aeeia real sobre as materias alimen-
ticias, que absorvemos, se bem creia que
o verdadeiro tbeatro de suas funcoSes n3o
o estomago, e sim os intestinos.
*
-
Barmetro, a 0 Tenate do vupjr
?=- a
6 m. 24-2 760-60 19,81 89
y ~9 761-57 22.11 *74
-j 29--9 760-9t 22,00 H
3 t 29 7.J1C80 21.28 69
i 28'~2 760-23 21,69 77
T 'inpe-atura mxima 30",00.
Dita miuna 24*,00.
Evar.orat.ao em 1 horasao sol: tt-.; a son>
D!"> : 2"-.$.
CliuvanuUa.
Diircco do vento : S de mein noite at 6|nras
e 10 minutos da manh; SSJ&at 10faorane8
minutos SE at meia noite.
Caimana aneante 5 horas pata nianM.
83
lia: O.i.
a.

-.'. il
r =
M- e-i '
M.
M-
-

Abril
Aii.il i
o 88
7- 7 .
142
; 31

- 18
" -i
2' 16
."H",
Pe as II bo-
da rti
i roa d.i Praia
ibjectos.
qaestUlinda n. IR 'levaras qualidad"
vi ile iras.
Mi** fundar'< -- So celebradas:
- Hoje :
matriz da B
iella do ceraiterio, pela alma
ralvao.
O peso medio do corpo humano nc
homens de 130 libras, e as mulheres 110.
O medio da estatura d'nm. bomem forte e
proporcionado de cinco pes e quatro
pollegadas. Un>- ^.llegada de estatura
equivale duas libras de peso. O peso
especifico do corpo maano floctua entre
0,850 a 1,030. O corac&o da mulher pesa
260 grammas e 330 (10 1/2 on^as), o
do hornero, o medio de d'uraas 292
grammas. N idade de 50 a 80 anuos, o
coracSo adqnire seu peso mximo.
A quantidade de sangue no corpo hu-
mano equivale a dcoima terceira parte de
seu peso, uns cinco quartilhos, -ou 11
12 lrbras. O homesr morro quando tem
perdido a quinta parte de seu sangue. Oa
ventrculos do caracho expellem seis oncas
de s-mgne cada coatrac^ao, uma pr
sao de um quarto deathmosphent.
O sangue corre o corpo dnas vezes por
minuto, euipukad i polo coragSo em Mi
contr.
Un veneno netivo, introduzido directa-
mente numa veta, causa a morte ein 15
segundas, c si so uijacu na pelle levar
untos ein produzir seu mortal
effeito.
mili ra tro cubico de sangue oon-
Icin .i. I de eeulas no homem e
i... :a-da*TOuller. Por cada ce!-
lola i /J(X) vermelhas. O medio
cellulas vermelhae de
-'gada f di bniMM de
1,2500C de pollegada. O peso especifico
langae 1,055.
Opa recem-nascidos de 150
110 durante o primeiro anno,
ts annos, 85 entre 7 e 14 an
nos.
O media do pulso no homem adulto
de 72 pulsacSes porjuinuto e da 80 na
^ *
A respiracao uma quarta-partamenos
la que o puteo.
A nossa litteratura (pordoe.a-noa a ir-
reverente coraparag2o) o cabo de um
chicote velho e gasto,, quo niio tem mais
nunhauna aegao nas cerdas e nsinho-.
O'-boiaem procura sobretudo nos livros
que l argumento d'uinocao o se se esper-
guiea lumio Homero ou Pindaro, porque
o bom vinho, o rabim e o ouro dos cachos
d uva nao Ihe baaatSo mais e elle tem ne-
cessidade de absintho e do cognac.
Alguus livr.M, algiunas pessoas e ni-
guas dramas cstao j alem-'da fronteira
do cognac e do absintho e es pleno jno'-
phynitmo, c sabe-se esta nova, doenca tem
j:noocssida!o de uma especial divisao no
usylo do3 aenndos d;i Europa e da Arae-
riea.
Alein do morphynisino nio ba seoo a
raorte, aquella suprema niveladora, que
tudo sepulta e esconde no seio da trra,
onde tudo se renova e renasce.
A este nervosismo da litteratura moder-
na obedeeem cegamene os escriptores
mndernosj aduladores pueris das muki-
does, obedeeem os edictores industriaes ;
mas soffrem a sua infiaencia tambem os
boinens- de genio, e' os que se gabo de
contradictores ou juises dos seus tempos ;
tat bem aqu'e.s que cn:ao formas novas
de bello oaeavo novas minas as rocJuis
do deseonhooido.
Vctor Hugo certamente o Miehelan-
gelo da litteratura frunceza deste sculo,
mas nervosico e muito, a sua nota-pre-
di iecta.
E sera chegarat a portado hospital dos
i'oudos em Beaudelairs e eem entrar no
limiar do alcoice com Catulle Menas, nSo
sito porventtiran nevrosicos Mussct,' Sar-
dou, Duraas filho, o proprio Renn no seu
ultimo drama
E o Z sicos, elle; que tez entrar na litteratura
tambem o sentido ernbryonal do olphato,
fazeado fallar os queijus, e as audacias
das suas pinturas avancado sempre tanto
de modo que a nudez para elle a nota
mais pdica e mais nao Ihe resta senio
eunumsrar os cabellos do i oorpo humano
e abrir as suas caridades, pnra-fazor-nos
a anatomia Htteraria'?
Mas nao saiamos da Italia. Todos nos
repetimos que Masoni o pap da nossa
litteratura, mas repetimos isso corno se re-
pete mcchanicajnentc a reaa latina da
manha sem entendel-a.
Todos sabemos de memoria os uumes e
ta*bem roBiton versos dos quatr > c!a<;
eos e delles tamos os seus vorumea-na
nossa livraria, mas quando queremos coui-
move-nos, e gosar, nao sao aquelles os
livros a que Janeamos mao.
N2o digamos nomes, porque n'um livro
modestode physologia diz-se qne nao se
ivros da afi
o panak oaaaan aaaaapo ne
laaanalhoa. Oceapa, earetan
siiam i-horas, estudando o e o r-
lbanos, aa.auas fraquecas phi-
en^. sabaanio bcnai ^ne clla-j
o.aaaaSavaBa}ueiaaaBre aav po
cjaaaiaaBa.
aaaa afiwaaniacia- -"fitetrr ir
caminho, que mais cedo que qualquer ou-
tro conduz o medico aos primeiros postos
da hierarchiahypocratica.
\*& Rdaf^ao
Consftndo-me quependemde decisao recursos
eleiloraes, que se diz pertencera comarca de
Floresta, tareco orientar aos Exms. > rs. desem
bargadores de cartas, que agora inesmo recebi
de pessoas alli residentes, e as quaes se denun-
cia a fihilirafr de, ilumnnI os junios nos autos
utore|j gjgg recurana. e a^iasHaianfao de outros docu-
INDICACES TEIS
..tSftlico.s
/ir- Cerqueira M-,lti\ tem, o seu-escripto
rmaborto ra.Duque de Gaxias n. 74. das
12 s 2 boraa da tarde, desta-hora era tlian-
te ein sua rssidencia ra Barao de 3.
Borja.n. 22. Espenialidades molestias
desenhoras e criuicas. Telephoae n. 326.
Jr. Joaquim J^o&ro medico e partei-
ro, consultorio ni*^o Cabug u. 14,
1. andar, da 12 na da. tardo: residencia
noiiMonteiro.
Dr. astro Jasas medico e operador.
Pratica a lavngem do otero quando e co-
iio coitselhbda. C..i.aultt,B d. tda# tarde em sua rieidoncia tu, do
om Jess (antiga -da rnz) n. 23, l.1
andar. Telphnne n. 381)
Dr. JJtnriitlo Bunjtmo d coiis*iltas'de
meio-dia s 3 horas no 1.a aaadar da casa
ra do Bariio da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Scte de'Setembro n. 54. en
trada" pe!;; ra da .audade n. 25.
r. Ribeiro e lir to- d consultas de
nanas dia s SWioras da tarde, no !." p.n-
dar a ra Duque de ; axias n. 4G, poden-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
iepbone n. 303.
Dv, Altares (tmartee, ebegado da
corre,. dedica-se medicina em geral, e
com e>;|ecin!iilade s molestias do-cora-
cao, pulmoes, ligado, estomago e intesti-
nos o tambem o uuecc8es das criancas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 28 e
te:a consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da. Cruz), n. 45,. onde tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 3S1.
; list;s
Dr. Farrelm. com pratica n03 princi-
paes liospitaes e cliuica de Paris e Lon
dr es, ooiuultas todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio o resi-
ntos, qne .de venen eataanjuntos, foram retira-
em, eninalanlo, faier uma insinuacao aquem
par que saja, no 4taapare.de uma fraude para
i I nadir aoa honrados julgadores ; peco-lhes que
fwnminem os autos, os danoaientos existentes, e
naanaunos ajan.-.foranai lawaatos pois tambem se
chanta nnnlaricnna^varaostermos de remessa
A .acnBaunsl.
3nles deslcs termos di -ve-so attender ao des-
pacho do Dr. juiz de direito da comarca de Jalo-
na, visto como para ahi trouxe os putos o Sr.
coronel Fausto, e os con'luzio posteriormente
para Floresta, conslando d'ubi o 11 ue cima re-
fer. -
A verifteaco do que se me denuncia pode ser
feita por tneio de simples exame, no estudo dos
autos, como foro os honrados julgadores. sem
pievenco creada por artiyos de imprensa e
oulros iiiekis pouco decentes.
Recife, 25 de Abril, de 1889.
Dr. Clodoaldo Lopes.
Despedida
Nao tendo podido despediisme pessoaImente
d/isfliousimigos eipurentes, pela rapidez de
minha viagem, o fago por esle meio, pedindo-
Ihes .esculpa e alfcrv: cnlo-llies os meu.; servi-
ros na corle, onraond" sis" Iiojm.
Recife, 23 de Abril de 1889.
o ile Lacena.
.'n.
Ia Riionrirt
9l>
O bachard Witruvio Pinte Bamimra,
pode ser procu/rado ra do Imperador
n. 71, 1." andar.
O Dr. U. Mic mudou o seu oaaripta
torio de advocada, para a ra do Impera
dor n. 16, 1- andar, sala da frente.
ferrarla a vapor
Serrara a vapor e officina de carapato
de Francisco dos Santos Macado, caes do
Capib'aribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende, madoiras de todas
as qualidades, serra madeiras de cont
aibeia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por presos sem dom-
petenciaPernambuco.
Drogara
Furia Sobrinko & '.'., droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
. tari os de toda as especialidades pharma-
ceottcas, tintas, drogas, productos chimi-
cas <- medicamentos bomeopaticos, ra do
Marques de Olinda n. 23.
Co'ilicto
Est imniiiicnle --se que a esta hora j nao
rehentou um cosQicto entre os Srs, lenentes
coronis .'nlonio Florencio Pereira do Lago e
Feliciano CaJiope Monteiro de Mello, ocmman-
d.'inle do Ii batalho de iufantaria.
Segundo hiformates muito superlieiaes, que
nos foram ministradas por pessoa que uuvio uma
onvei.-a a esse respeito, constamos qne essa
divergencia nasceu de urna reprehenso infligi-
da pelo Sr. tenente-eoronel Caliope a um oifn-
cial oa seu balalhaot que a todos quer impor-se
pela sua altivez, aiada a tima ignorancia sem
nome. e qoe se inculca como illuslraco Va-
moa buscar esdarccimenios em fonte segura
para oppottur.amcnle discutir o assumplo.
Cnligula.
m

mm
PKZAMES
A' familia Cusma Lobo pelo
25 anniversario do
fallecimeutodaExnp Sr'.
D. llarcolina le GuMzno Lobo
A sen pai o hrigadeii Fran-
cisco batran Pereira Lobo
e irmos o
Dr. Frincis'o Leopoldinode
Cusrnio Lobo e o
capilo Antonio Cr..ein:lo de
finsrao Lobo.
$ 26 de Abril de 1889.


1
31

-mUfiiCOES A PEDIDO
deve levantar questes pessoaes, nem
pl-as na banca de criticos; mas diremos
soinente que ceg aquelle qne nSo aoha
evidcntissimo o carcter nerrosico da noa-
sa lrtte^atura', italiana, da considerada a
mais svmpati*a, que exerce ama influen-
cia potente e qaotidiana sobre o peosa-
mento e corar-"- > de todos.
Ums exeurplo e basta para todos. O
Ctore do De Amicis um dos xitos Ili-
terarios mais incontestaveis dos nossoB
tempos; tem paginas sirblimes ; um tra-
balho d'arte que escrrpto para os meni-
nos, fez chorar tambem e muitos, queja
ha muitos annos nao sojovens. Pois bem,
aquello livro, perde-nos o i Ilustre Edmun-
do, uro livro nervosico, ensopado de ne-
vrosisnro desde a primeira pagina at a
Ultima e que fazendo chorar e solucar at
infinito os nossos meninos, contribuir po-
tentemente' para tornar sempre mais ne-
vrosica a gerac^, qne vira depois da
noasa.
Mas nos meamos, que temos tanto es1-
cripto para o povo, estamos taivez saos de
todo nevrosismo
sam-no os outros
nos nossos livros i Di-
porqne ningueiu pode
ser juiz de si proprio: mas como physio-
logo observador creio que p>ssa ser total-
mente irnpossivel, que s ten han? os podido
fngir aquelle ambiente, que nos penetra
pelos olhos da mente e pelos poros da pel-
le e com o ar qne respiramos e os sorrisos
e solncos qne atraveasSo o ar fremen-
te, phosphorejunte', que nos acaricia ou
n > flagelta eadn hora do dia e em c
minuto d'uma hora.
) ni Janan bello gant,
ductor. Veste moda, e om um gos-
to finissini" Tras sompre luvas, e se as
tira devagar, para dar tempo que Ihe
admirem os dedos brancos e subtis, nao
acostumados a tocar senao pellas alvissi-
mas de mulheres.
Paz a corte a todas, as
vens e s bellas para conqustalas ; s
velhas e s feias para que Ihe procurem
clientelas, altas e lucrosas. Pouco cuida
dos clien es do sexo forte, porque sabe
senhoras, sjo-
Hassa fallida de C'apltulino Ro-
drigues do Passo & C.
Os Srs. Antonio Barbosa Cordeiro c Flix Xo-
guetra Cabral cootestam que tivessem tirado ob-
jectos pertencentes massa fallida de Capituli-
no Rodrigues do Passo & C.
Affirmo e allirmo mui cathegoricamenteque os
Srs. avaliadores tiraram para si ponteiras, bol-
cas, cigarros c uma escava de roupa.
Infelizmente, estavamos no estabelecimento
apenas os Srs. avaliadores ecu e do fado nao
lavrou-se nenltuma prora litteral.
E' intil invocar-se o testemunho ros Srs.
major Frafiklin e Eugenio Goetcoel.
Estes respeitaveis cavallieiros nao se achavam
presentes ao acto da avahaco, neni isto exi-
gido por lei.
Pessoas cima de qualquer suspeita podem
declarar ajuc o estabelecimento soaai eslava en-
tregue aos seus avaliadores ou antes a um del-
les, porque o outro, tendo necessidade de adiar-
se no cartono emyjue e empregado para inatl-
lisar algura servico requerido em segredo de
mstiua fez se representar (!!) por terceiro, que
nsuftOB-me, quando intentei convcncel-o de que
aquillo nao era roupa de (ranees.
A imputacode faltas no balanco social nao
passa de uui desabafo inepto.
O estabelecimento foi balanceado e inventa-
riado, antes da faUencin, por dous peritos Ho-
rneados pelo Dr. juiz especial do commercio. a
requerimento de um credor e socio solidario da
firma fallida : e os avaliadores, que assignoram
de cruz a publicacao, a que respondo, dizem em
toda a parte, quenoontraram mercadorias tm
maior porco do que a inventariada pelos peri-
tos Via n na e Gomes !
A publicacao do Dr. curador (is;al nada tenho
a responder, porque inteiramente falsa a ac-
cusacQo, que se me faz
Dita publicacao tem por fim. apenas destruir o
effeito da peticSo por riitm dirigida ao Dr. juiz
imando contra a nonr
do i'i cnraor Hscal, pois sendo advogado de
Joao Vctor Alves Uatheus nao promover a co-
branta do qae este deve mas.-a nem far eflec-
(ivaS ua soliil.iriedade Ora. um curador
n sttw coudicOes, nao pode defender os inter
da pjuiasa, em detrimento de sea constituir.
D'uhi a necessidade
1 fraudo.
:iiin o, devo ainda tornar saliente qoe
ciaaa l^positario da massa do d
las D ias : e quando o mesmo fez sen:ir
o seu procediaienio irregolar.
foi trata > nenos delicie:
: 23 i.- v ril i
gyjSgSOg^ ----------
' C'ompinhla de BoMbelros do
Olegario Alves da Luz Caotarelli, ex-j
panhia. tendo sido nomeado a!
de l'olici;i le se despeje
iflfciaes e pragas da mesma Comiia-
nliia. agradecendo-llies as atteiieoes que ?e:n
pie Ihe dispensaran).
irpa onde vai servir aqui ou fora d'aqui
olferpee-lhes o sen diminuto brestimo.
Reeife, 25 de Abril de 1889.
Formula de Angelino Jos
dos Santxos Andrade
Approvado pela Inspectorio Geral de Hy-
giene Publica do Rio de Janeiro em 20
de Julho de 1887.
Este depurativo- de grande elicacia as mo-
I lestias sjmhiliticas e impureza do sangue ; assim
como em todas as molestias das senhoras.
Tem curado radicalmente nuitas pessoas ac
commettidas da terrirel molestitt beriben.
MODO DE USAR
Os adultos temaro qutro ealnerea das de
sopa pela manha e quatro noite. s -"ancas
de 1 a 5 annos tomaro uma colher | !;>. manM
e outra noite, e os de 5 a II an-'< tomarao
dnas colheres pela manha e dnas A oile. De-
vero tomar banhos fro ou momo 1 'rs manbS e
noite. Hesguardo regular.
Encontra-se venda na drogara dos Srs.
Francisco Manoel da Silva & C.,. ra do Mrquez de
Olinda n. 23 e pharmacia Oriental n' ra f-strei-
ta do Rosario n. 3.
O autor deste preparado pone ser procurado
na ra do Karo da Victoria n. 37, onde ser en-
contrado para dar toda e qualquer expiieacao
que fon precisa.
Cuidad* com ao fnlif<-arde*
Beriberi
N\ 59
Ilim. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Pernambuco, 16 de Julho de 1885.Tendo sido
acommellido em Maio prximo passado da ter-
rivel molestia Beriberi, reconhecida pelos dis-
tinctos mdicos < Illms. Srs. Drs. Teixei.a. Pun-
tual, Arfriao < Andrade Lima, os qnr.es me acon-
cemaru.-f que com prestesa lizesse uma viagem
por mar, como meio mais protnpto de melhorar
o mal que rpidamente se ia desenvolvendo
Atacou-me semelhante molestia com dormencia
desde os dedos dos ps al aos joelhos, appare-
cendo mais a inflammago as pernas com ia-
seDsibilidada e dormencia, tambem as mos,
tendo grande cancaco nao s no andar como
tambeni subindo e dcscendo escadas e desani-
mo geral em todo corpo, cantonando de tal for-
ma a molestia a galope e sem recurso para em-
prehender a viagem recomtnendada pelos ditos
facultativos: tjnefxaado-mc a um amigo do meu
se.'hou qae, sem perda de
femp o: irado, que nao s tem
obtido vaotageas fiesta terrivel molestia como
em ontras ao que resatvi-niQ a tmalo. 0013
Deas me tem sida de grande uliidade
1- cora duas garrafas me juliro salvo
de tao horriv I softimento, pois tenho '"a satis-
faro de Ihe connnnnicar o grande effeito do
reptrado que tao til tem sido a hu-
manidade s<'ffredora.
1 aquelles que tiver.-m tal moles-
tia ojo itru" allivio de uma gar-
rafa por alante.
Potter Vmr. lser aso desta minha carta co-
' tm
lo seu preparado e
se mal que''fthne.men-
te lem affliirido a humamd ile.
De Vm'c. atiento eobrigado.-Eslevc Alexan-
D irnetlas.
N. 1
lllra. Sr. Angelino Jo? de.
Tendo urna pessoa de minha unizade sido
atacada da terrivel molestia beriberi. recorrenaTo
a scienca-dos mdicos, os qui ha-
jue sem perda de tempo da
tomar banhos salgados, estando por espaco de

t>

1
i
k.
' -
r


Bimo dehPernaittbuttoSfexte-fcmi2t>tde; Abril de ft

\
;

HPP
Os
nflfesumi o uso dos banhts para
t'Tininava a inaLpitia rebelde, jio>diMfa
alauma, esiaarft^iorarta Imam < ewrma
solveua reuman u. rdr! Chefaa:* y
raeu coiilit'i iaawna-ffTaari*i noiaauda do -atu. ws amiga* e .firaguawee, qua ao era seu
elixir depuraraKlHfmipiM ns:nari di* ligo estacaban meato sita i. na do Ba-
pedido da mam pwn.m aate *,;****. ^ ViSnai que com duaaBjvrtftiiMNMMi-
\ten$ao
abarco aaaigwios, sciaatificam a
compielamen!"
gasto ii gapi-iiar frezentai-uiil reta,
re.-tabetrcer-se com a bagatella do 104. Por-
tanto dou-lhivosi;mu *innerea paca be na pela
sua feliz descoftertu qinrtao ntit ttm sido a nu-
maniaade sotrredofa.
BmiH.noii a* letra aae so 'eeiU#m a-fcura
verdadc podcr fazer o uso queJie'apprauver.
Recife, 22 de Janeiro de 1884.
Manoel A. Silva Costa.
N. 61
Dlm. Sr. AaseJinojos dos-Santos Andrade
Recife. 17 de Janeiro de 1833. E' de mu de-
ver participar-lbe que ti ve o mus prempio
Tantajoso resultado com a appliacao que fie-do
seu elixir a urna minha litha menor de Sanos
de idade.
Ella soffria de-dvsener urna garrafa ticou rsUbelecita.
Pode V. S. fazer o uso que lhe aoprouver des-
ta minlia ilerliiracao.
Sou de V. >. amigo obriirado e criado
Antonio Pedro de Souza Soarei.
(Estavam selladas e reconhecidas as firmas
pelo labelliao).
' rl da ViHoM a. 3, (angannu Nova)
' qno receljeradsuas ordens, para lhes
a costaunado
ter
vAio^aarvir-Bo
empenho; e nenhum outro estabeleci-
msnto tm, quei proprie e quer filial,
alm do cima, referido.
Hecrfe, 5 de Abril de rW9.
Jote Ftrnandea Lima & C.
m
Razm que Air.iHii'do afamado Fnico Oriental-
a mais eliieaz e exquisita de todas as prepara-
cOcs de sua classe : limpa, pe/fuBia/augBtfBt,
prosBmvlie'Surmosan o bello, extirpa
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, ex-chefc de clnica do
Dr. d Wecker; d consultas de
meto dia s 3 huras da tarde, no
Io andar da casa n. 5 r rna-do
Barita sia Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Reaidencia~rua Scte de "Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Segundo a carta que nos escrevem nos-
sos correspondentes, os Srs. Atnde
Prince & C, o Pavilh&o da Guatemala
PILULAS-OBERliairVAS.-DA MAI
fi8JGF8L
.V T 8. A
Gonstipaco inaccSo do ligado, etc.
DessemelhaMe.
nas catiuntiioaa; esta* pilulas unto fiaem
com que uma pessea-ae sinta peior antes
t haatita jdaawlde sentir melhar. Produzein o sea effeito
com brandura mas completamente, nao
sendo acompanliado de accidentes desa-
gradareis, taes -como nauseas, aperros do
ventre, etc., etc.
As Pillas Operativas da Wli- Seigel
sSo a medicina de familia a mais til que
se tem deseotoerto. Limptnn as ntranbas
de todas as substanoiae irritantes, deixan-
do-as em oondicao saudavel. Sao o nie-
lhor remodio-que existe contra- a peste*dws
nossas vidas-Gonstipayaa-.-emaceaJo ^do
figaoVov
Esta prlulas impedem febres e toda a
sorteda deancaa, pelo simples faci de-
xpallirem toda a materia venan osa da*
sua\isa, |^ 11 i ii i wwiii ...... iim, j~
a caspa, as serosidades e todas as demais aftve- onde elles acabam de orgamsar uma s
coes da elle cabelh da, fortalecendoo cerebroe
estimulando o crescimento do cabello.
Produz os mesmos admirayi-is eflsitos obre a
barba e os bigocles ; aos qu.ies comoianioa
brilho e a ductilidade da seda, ao mesmo tempo
que ern uma profuso verdaderamente riental,
---------. ..fr*.,j_.
Aguas alcalinas niineraes de Mon-
dar em Pontevedra, na Hes-
pantia
ESreCULIDADES
para molestias de estomago, taes como : dispep
sia gastralgia, catnarro clironico do estomago,
ulceras imples,
Molestias dos intestinos, tacs come: enfart-
meulo do figado. ictericia, clculos biliares, diar-
rMa chronca, etc., etc.
Molestias das vias urinarias, taes como: dias-
teses-uricas, catbaTo vesical, diabetes sacaiia,
albuminuria e gotla.
as anemias, chlorosis, psoriasis, Drunigos,
dures arlriticas e mutras muitas molestias.
As aguas alcalinas desfondan nascem de ro-
chas granticas na temaarrtuw de 180 centgra-
dos, sao claras, incolores*i!e cheiro parecido uin
Souco aos de oves cosios. sobor alcalino, pro-
uziudo um ligi-iro s;.borpii tote na occasio de
tomar-se. Ellas sao classiiicadas no numero
das alcalinas e bi-carbonatadas de soda
Estas agua*-acbam se venda no estabekci-
meoto do Sr. Antonio Affonso Siuioes, sito ra
Visc&nde de Goyanna o. 1 (quatro cantos;, em
Ra-VTSta, e no escriptorio do Sr. Joao Ramos,
na Praga da Independencia n. li.
de lcitura de todos os principaes jonaes
das Americas do^Mntro, do Sul, das An-
tiihaa e do Kxtrefeo-Oriente uma cons-
truc9ao de madeira muito bonita.
Este pavilh3k> acha-se situado direita
da Torre Erffel, pelo lado direito e de-
fronte da parte cental do Talack) das Ar-
tes Liberaes. Est perto de todas as sec-
c5es das Repblicas Americanas e do Im-
perio do Brasil cujos riquissimos palacios
nao de constituir, por sem duvida, uma
das maiores attraccSes da Exposicao.
entranbaej Opermn coroivigor, mae^ua-
vemente e sem. causar dr alguma.
Se uma pessoa apanhar um refriado e a
qual sdnda.a refesida pethjio aposentada
ao distribuidor do juiao Horacio- Pires
rGalvJto este a disttribuio ao escrirto Pedro
Tertuliano da Guaba. Sendo por-este de-
signado ia a hora.para a inqtH5ab das
teste muohas ; teadph os SHpplicantes pro-
vado a ausencia dos referidos herdeiros
da finada D. Anua Joaquina de Miranda
Brito allegada na peticao supra transaripta,
o eaerivSc*de meu'cai^o me ftfz'os autos-
conclusos sellados e devidamenre prepai-
dos e nelles dei e profer a minha gentea-
ca do theor seguinte: Julgo provada a
ausencia dos herdeiww'de- D. Ann Joa
quina de Miranda Brito em lugar ao. sa-
bido, expaca-se o edital para a itacao
com o praso de -3fll- dias. i Jiaeifo. 15 'da;
Abril de 1889. Joaquitn da QMta-Ribeiro.
E nada mais nreis se cotmha em dita
ininha sentenca aqui.transcriota ein cum-
primento da qual o escrivao de-raen >cargo
fez passar o presente'-edital 'defcitac3o
eom o praso de 30 dias pelo qintl se cl-
na< e cita e hui -po citadba os referidos
herdeirosaa predica finada-D. Alina Joa-
qaina de Miranda Brito por todo- conte-
ameajar uma febre, e sentindo dores de ido da peticao supra .transcripta.
Aos
nossos
patricios recommendamos em boa sade.
cabeca,'C09ta e meiabros do 'corpa, uma
ou duas dses da Piluks Operativas da
'M3i Seigcl expedirao o refriado, impe-
dindo a febre.
Lingua grossa acompanhada de um gos-
to sal obro, e a causa de materia -impura
no estomago. Urna poucas deaes das P-
lalas -Operativas da Mai Seigel lioaparao o
estomago, removendo o ino gosto, res-
taurando o apetite o com elle trar bd
sade.
Muitas veaes succede^juedoenoa ou ali-
mento meio apodrecido, cansa nausea e
diarrha. Se te limpar as entranhas d'es-
ta impureza eom uma dose das Pilulas
Operativas da Mai Seigel, estes effeitos
desagradaveis desapparecerao, resultando
Cuidai a vossa sau<
le!
lestia terrivel, conhecida pelos nomes de
Tsica, ConsumpcSo, doenfa do peito,
ete.
Nao pretendemos affirmnr que o Peito-
ral de Cambar, cure aquella molestia,
porque at hoje tem sido impoesivel cu-
ral-a quando chegada ao ultimo periodo ;
porem, podemos assegurar, que todos os
doentos que usarem do Pcitoral de Cam-
bar, no primeiro e segundo periodos,
logo acharao, coin toda a certeza, grande
allivio e depoi a sua cura completa, por
oeio de um trataiaente' prolongado e per-
sistente.
O Peitoral de Cambar nao limita a sua
accao benfica s doencas do peito cura
tambein muos* d*ffxos', bremebitex e t&s-
ses que, asIharsuSifc rezes, quitado des-
presadas, sao a eausa das affeccoes pui-
monft7e8.
Este remedio acha-se venda em casa
dos agentes Francisco Manoel da Silva
& C, raa Mrquez de Olinda n. 23,
que o vendem a 2$500 o frasco.
)j lackarel Antoiio Witro- '
vio nio Bandeira
encarecidamente que visitem no PavilhSo
de Guatemala a installacao dos nossos
correspondentes, Srs. Amde Prince &
O, devida ao obsequio do Ilustre com-
missario geral do Guatemala.
Collegio Meira
Este collegio abri suas aulas desde Ja-
neiro prximo rindo. %
Ensillan* se nelle todos os preparatorios
que constituem o curso preparatorio as
taculdades do imperio, e o sen pessoal do-
cente o mais habilitado que se pode de
sejar.
Contina a funecionar a aula primaria
que poder receber alumnos da mais ten-
ra idade-, pois dirigida por duasfilhas do
director, das quaes uma alumna do 5.-
anno da Faculdade de Direito do Recife.
Desde o 1.* do cor rente est aberta a
ula de allemao, em que se ensinar a tra-
duzir e a fallar essa lingua.
O professor respectivo ser o Sr. Sidney
Schiefler.
Os estndantes, que quizerem frequentar
esta aula, pagal-a-hSo separadamente da
mensalidade do collegio.
O director do collegio Meira espera o
mximo apoio dos paes de familia que de-
sejam o real aproreitainentode seus filhos.
pois que tem sempre tido por programma
dar aos alumnos, que lhes sao n IB fiados urna
verdadeira instruccXo a par de uma boa
educacao morah
O resultado do3 exames feitos nofim do
anno passado a prova mis evidente em
favor do collegio Meira.
Dos eincoenta e cinco examee-eitos pe-
los alumnos deste collegio, inclusive um de
allemao na Bahia, apenas tres foram in-
fructiferob.
Recebem-se alumnos internos, raeio-pen-
sionistas e externos.
Ra do Imperatriz n. C3, 2." andar.
Recife, 18 de Marco de 1S89.
O director,
IrceJieio Minerviuo Meira de Vasconcdlot.
As Pilulas Operativas da Mi Seigel,
impedem os ms efifeitoe qne produ
zem o comer e beber em excesso. Uma
boa dase ao deitar -da cama tarna um*l
pessa hbil e inclinada para o trabalho- do
dia seguinte.
Como estas Pilulas sao cobertaa de uma
carnada de assucar tomam-se com agrado.
O gosto desagradavel to commum maior
parte das pUula d esta forma evitado.
Eatoe punas *recetamendam-ee espeeiffl-
mente s mulheres, podando ernpregar-se
para facilitar toda obra da natureza, e
para remover todas essas obstruccSes qno
sao a causa de tantas doencas a que est
sujerto o sexo no mirado -inteir.
Acham-se venda em todas as boticas
e lojae'de medicinas, era toda a parteHtf
mundo e etn casa dos proprietarios A. i.
White, Limited, Londres.
Depositarios na provincia de Prnam-
buco por atacado: Francisco M. da Silva
4C.,na cidade de Pernambuco.
Vendedores retalho, na cidade de
Pernambuco, Bartholoaieu A C, J. C.
Levy & C, A. M. Veras & C. e T. S.
Silva; em Palmares, A. 1*. de Aguiar e
em S. JoSo da Egreja Nova, J. A. da
Costa e Silva.
EITAES
E para que chegue ae conhacimento de!
todos mandei passar o presente que ser
publicado pela imprensa affhcario'-no' ras-
gar do eos turne.
Dado e passado nesta cidade "do Recife
aos 16 dias do mez^de Abril do armo de*
1889. En Pedro Tertuliano da Canha es-
crivao e subscTev.-
Joaqnim da Costa" Hbetro.
'O Dr. Manuel Caldas Barreto, juiz de di
reito da comarca especial de Palmare,
por Sua Magestade o Imperador, a
quem Deus guarde, etc.
Fago saber aos que o presante edital
de 20 dias de pregao e tres pracas vi-
rem, que poreffe jmao,J fiados que se-
jam os ditos preg3es e pracaa, tm de ser
arrematado a quem mais der e maior an-
ee offerecer, no dia 23 de Main proxim> a
1 hora da tarde, na easa- da Cmara Mu-
nicipal da cidade de Palmares, ern audien-
cia especial do juiz de orphJtos, o arren-
damento, por um triennio do engenho Ca-
morisinho, sito no termo de Agaa Preta,
moente e corrate, motor a vapor; a re-
queriroento do Dr. curador geral de or-
phaos, tende por base a avaliacSo annutttl
de 1:600(J000.
Nao se dmitte licitante que nao est'eja
legalmente habilitado com flanea idnea.
E assim ser o dito engenho arrendado o
quem mais der e maior lance offetecer" da
dia e hora cima indicados.
E para que a noticia chegue ao conhe"
eimento de todos, mando ao porteiro do
juizo afixe o presente no Ingar do fcogtu-
me, e qtte 'passe a respectiva certidio.
u, Pedro Severo da Costa Leite, es-
crivao, o escrevi.Manoel Caldas Bar-
reto.
E mais se n3o continha em dito edital
aqu fielmente copiado, ao que ron re-
porto e don f.
Palmares, 11 de Abril de 1889.
O escrivao,
Pedro Lucio da Cesta Leite.
7 0'parai cada, um desses -engenho, sen-
do os juros pagos ao-portador "pelo'propo-
oente ou por quem. tomar.a sii'e estakeltr
cimento dos referidos .engenhoe e .recomo-
dos ao Thesouro no -fim do ada semeetra:
2.* opagaweWto -ser fefto pela provin-
cia m. duas .prestiyoes, a primoira quan-
do forem apresentados o conheeimento do
embarque, factura e apolice do -seguro, dos
raateria88 cjob documentos serSo endos-
sadoa ordem e fioarSo em poder do
Thesouro^l ro.vineial..em.eauoao da quaa
tia que receber o contraetante, a segunda
depois que se acharem os 'meBmr'S rnate-^
riaes no local em que <8r .estabeloeida.*.
fabrica.
3.* A provincia itera hypotheca sobre
todas as fabricas para garanta de suas
apolices, iBentaado, porem, dorante 10 ali-
os, o assucar. nalla abrieado do imposto
de exportacao e ouiros "quaaBqnerprovin-
ciaeson municipae qncexiatmn eu forero1
ereados posteriormente.
4.a A provincia ter durante as obras
um engenheiro 'fiscal por ella momeado
cajo- ordenado ser pago pelo proponeifte
oa por quem o substituir.
3.a A amerisacao, das- apolioes ser-f'ei-
ta a razao de 10[0 annualmente, a con-
taii do anuo BegumWao'ettrque trverem
oomefado a trablhar os referidos enge-
nhn, fioando hvre-AO'proponcnCe a direi-
^to de fazer maior amortsagSo ee assim
lhe convier.
Far-se-ha uma eraissao de apolices com
a clausula de -erara rescatada annual-
mente e por sorteio.
6.a O contraetante n3o poder fazer
cetsao de seu contracto senao a agriculto-
res.
7.a O proponente ou quem conlrctar,
ser obrigado a apreentar ao presidente
da provincia uma planta dos apparelhos
ou machinrismos raais aperfeicoados dosti-'
nados ao engenhos, a qual s ser appro-
vada depois deser examinada por ama
cotnmisso de engenheiros, nomeada pele,
niesmo presidente.
8." O eontfractnute dar annualmente no'
Thesouro Provincial fianza dos juros que
tiver de pagar a provincia pela cmissSo
appiicada das apolices aos engenhos cen-"
traes.
O secretario mterino,
Manoel JoaqMn SUveira.
< Pode ser procurado ra do imperador
\ i a.n, i'Vn'dr"
He rm. Pe tersen & O. Lrr.
H'&icherrstr 29/31
II H1M R*iO
Paftiei'pan aos sens nuuVrUsos amigos qne
para lvaCiHtt^ aesT.-^mpniMresyte ultramar tem
compleftBJo-eai sua eaar tmr-risD sflini nto *de
amostras de iodos os artigos allemaes, oqae re-
commenam aos seus amigos que acubarn ae
visitar a Europa. A .
!!
II
Vias urinarias, molestias do tero,
operacoes elctricas
::, ::a:: nmmm
ESPECIALISTA
compratica de pars e i.ondms
Estreitamento da uretlira curados ra-
dlcalneilU' pela ch'ctrolyse, seaifr;
bydroccle< sem injeccSo leura radie
feridas e ulceras nroBicafi, fOcn garal-
a de cura rpida MHjdras da brxiga, ( J
, fistlas ehcruorrlilas. svpbii.-. jo- (i
iiorrhas,pelomeHart***Mtirt?.- H
) molestias da garffatfta e do p-.') pclis | (
I l atamoftphenrs rrM^rtrnmerWw:*. fon- l
( sultas e operages das l : bants da \
< tarde. >
( RL'A DO MRQUEZ D OLINDA N. :l';, ()
> l KctH<-n^ta n Tftrre > /
Dr.-Jodo Paulrr
Epciastaein partos molestias de .ve-
ntoras e de criaacas, com pratictv nos
hospitaesde Parise de Tienta i'Austria.
consultas de 1 s boNa\to'M ra1
dencia ruado Bario d*'Victoria n. ">','.
1.- andrr. Chinftdds qualquer h ra.
cxxxtan^ak^afcattir
. ( MEDICO IKJMEOPATA i
(WMtbaz* da Wm\\
\\ B*pecalidade--feres, m^esias i]
Hl. criar.f": -rao= respirte- <\
.' e das senhoras. I j
m *. )
Todos oa cbsiinado dc.tm -se. i
II tW* phannacia i na do Bar) da Victoria n. 43
I \ ndicar sua residencia.
Dr. Alfredo Gaspar
MEEttCO
Openidor, parteiro trata cora especiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manha.
Chamados (poreseriptoj qualquer hora.
TELEPHNE N. 226
EX -OSITIOX UNIVERSAL DE 1889
Sfigun nos escriben nHestros correspon-
sales, los rs Xmd&c Priaee y C
el Pabelln de Guatemala, en donde han
organizado un gabinete de lectura de los
principales peridicos de las Amerieas del
Centro, del Sud, de las Antillas y der Ex-
tremo-Oriente es una construccin de ina-
cra, de las mas lindas.
Est situado dicho pabelln a mano-
derecha de la Torre de Eifiel, dellado
derecho y en frente de la parte central
detPalacio de-los Artes liberales. Se en-
cuentra a proximidad de todas las seccio-
nes de las-Repblicas do las Americas y
del imperio del Brazil, quienes han cons-
ftrttldo palacios que rivalzau de riqueza, y
que sern una de las mayores atracciones
de la Exposicin.
EnBbrte*m*a, fc*rtiehr*ene -m **
tros compatriotas que visiten, en^l Pa-
bellmde Guatemala/la'WsteReion que han
O Dr Joaquim da Costa Ribeiro, juiz de
direito do civel desta cidade do Recife
e seu termo capital da provincia de
Pernambuco por Sua Mageatade- Impe-
rial e Constitucionar o Senhor Dom Pe-
dro II a quem Deus guarde etc.
Fajo saber, aos que o presente edital
de citajo com o praso de trinta dias vi-
rera ou delle noticia tiverem, que por par-
te de Walfrido Carneiro da Cunha Miran-
da e sua mulher me foi dirigida a petijao
do theor seguinte:
Illm. Exm. Sr. Dr. juiz de direito do
civel.Wattrido Carneiro da Cunha Miran-
da e sua mulher D. Mara Carolina Ribei-
ro Miranda consenhores e copossuidores
da propriedade Brum, sita em Caxang,
frcgaeza da Varzet, a qual, apesar de
ser de natureza divisivel, tem sido pos-
suida em commum, querendo obviar os
inconvenientes resultantes da commuahio,
vem fequerer a V. Exc. digne-se de man-
dar citar os respectivos consenhores a sa-
ber: barSo de Muribeca, Dr. Francisco
Pinto Pessoa e sua mulher, Dr. Joao do
Reg Barros, Dr. Manoel da Trindade
i rtti e sua mulher, tenente-coronl Fran
cisco Goncalves Torres, Pedro Francisco
de Pauta Baptista e sua mulher, Joaquim
Franeisce Ribeiro e sua mulher (estes1 com
a drida venia por serem sogro e paes
dos supplicantes), Jos Rodrigues Bara-
ho e saa mulher, D. Francisca Margari-
da Gestiner Plesseman, madarae Melanie
8ohhser, Romana Maria da ConceicSo e
seus filhos, Francisco Lins Caldas, e Pe-
dro Lins Caldas (este menor de rinse-e
tannos) ttodosmoradores na fregueaaj
da Varzea, Joao Alfredo Thoni e sua mu-
lher, moradores actualmente em Ponte de
Uchoa, e be ni assim os herdeiros da tina-
da D- Anna Joaquina de Miranda Brito,
cujos nomes e residencias os suppbcantes
ig*oram, o Dr. curador geral de isentes
90 tutor do menor, afim de na priraeira
audiencia deste juizo louvarem-se e ve-
rem os supplicantes louvar-se em peritos
Ufu proced3o-a divivo da sobredfta pro-
accordo com os ttulos que
Recebedoria de Rendas In-
ternas Ceraes
mrirro la'EMrnitH d*> tvr-
r o HfifV ao *i. Frn icinco
De ordem do Illm. Sr. director enge-
nheiro em chefe fago publico que a partir
do dia 1.a de Mas prximo vindouro e
at segunda ordei, os trena de carga no
prolongamcnto da Estrada de Ferro do
Rcife a S. Francisco serlo somente em
n limero de tres por semana; snbndo de
Una para S. J2o as segundas, quartas e
sextas feiras e regressando as tercas,
quintas e sabbados.
Secretaria do prolongaraento da Estra-
da de Ferro do Reciffe ao S. Francisco e
Estrada de Ferro do Recife Caruar,
24 de Abril de 18S9.
0 secretario,
A. G.de Gusmio Lobo.
(3)

Remedio soberano
O Peitoral de Cambar, de S. total**,
cura de uma forma admirSvel quakfnr
rouquidao e perds de voz.
< >:< agentes
Francisco Manuela* Silva & .
Rrta do Mrquez de O i da n 23.
Dr. Firrao Xavi*--
Medico e pe-ador
D consoltte (i:.- ti as 2 llora* enr -
(uitorro rw da ta
tetn sua residencia :i cidade do -'bo. onrt>'
i- nrci'urado da- 6 da lar '' as '.' da hji
-la-ot.-.-' '------------
Crureriao "Dentista
DR. ROBERT P. RAAVLINSON, for-
.hddo pela L"ni%-ersidade de Maryland nos
dos-Unidos, tem brto o -en cnsul-'j
tirio, na ruaBaraod) Victoria 18, 1'an-
dar. m
Consultan ita 10 s ~ horas da Urde.
hecho nuestros correspotwates,- Hrir/tM-
dCl"rhM,e .r dad del seor comisario "geneWrt de'^aa-'os supplicados deverao apresentar ames
tmala. ma audiencia para serem juntos aos autos,
sedo a cita<;ao para todos os termos
deaceSo at final julgamanto, sob penada
revelia, c as despezas rateadas na forma
da lei. Os suppl'tCTint* reqtterem outre-
sim a V. Exc. digne-se denomear curador
a lide no menor, e mandar que o escrvl'
i quciit esta f>r distribuida-paSfie m*dfl-:
do parsT ckacSo dos supplieados residente
tora da cidade e carta de edictos para tw
residentes em lugar incerto e nao sabido.
niarcanilo dia e hora para a justificaco
de auf-encia'pedem a V. Exc. defer
t. E recrteJo raiv'>. Recife 20 de
"Otmro- llego Iinptitta esta va sel-
lada eom uma estampHha dedusentos fn
egariamente innrilisaa.
Eftada utais se continha em dita peti-
cao aqu transcripta, a qual sendo por
xaminada nella dei o despacho do
ti em- seguinte; Distribuida. Como'reque-
-em : e para curador'in litCffi'o Dr. Luna
Jnior. Recife 23 de Margo de
1889. Ribeiro
E nada mais se continha em dita des-
pacho aqui copiado, em cumprrment
Imposto predial
O administrador da Recebedoria faz pulili- o
que no da :)Odo cnente mex termina o prazo
para a cobranca IWre de multa do imposto pre-
dial a que estad sjeifos os predios perteucenics
corporages d mo morra, compnlnas ou so-
ciedades anonymas e a qualquer sociedade pia,
beneficente oureligicsa, relativo ao t semest1^
do exercicio corrente, depois do que ser co-
bradD com a multa de 10 0 0.
Recebedoria, fle Abril de 1889.
Alexamfre le S. Pereira do Garmo.
~ Secretaria da presideacia- de Per-
nambuco em 20 de Abril de 1889.
5." seccao.
Por esta secretaria se faz publico para
conheeimento de quem interessar que o
Exm. Sr. "presiaente da provincia manda
em cumprimento da lei n. 1917 de 22 de
Marco ultimo, chamar concurrentes, eom
o praso de novesta dias, contados da data
do presente edital, para a expIoracSo de
onze,engenhos centraes, sendo seis detypo
maior o cineo de typo menor, sob as ba-
ses constantes dos artigos 1.- e2.- da-ei-
taa lei, concebidos-nos seguintes- termos :
Art. 1.' Fica o presidente da provincia
autorisado a contractar com quem melho-
res vantagens fferecer a fundaco e ex
ploracao de onze engenhos centraes send
seis de typo maior e cinco de typo menor,
sob o plano, condicoes o auxilios constan-
tes do artigo 16 da lei provincial n. 1860
del88.
| 1.- Dos de typo maior dous serao fon-
dados no municipio do Bonito e os ootros
no-de Iguarass, Ipojuca, Cabo-e Muri-
'beca. Os de typo menor serSo niodado
nos municipios de Itamb, Bom Jardito,
Victoria, Jaboatao e no valle do Aoaaragy
da' comarca da Escada.
| 2.- SerSo considerados de typo maior
os engenhos centraes que moerem em eem
dias de vinte e cinco a trinta mHhoes de
kilogrammas de canna, e de typo menor
os que durante o mesmo tempo moerem
de dose milh5es e quinhentos mil hdo-
grammasa quinze milh5es de kilogramibas
Art. 2.- As concess3es para a fundaclo
o eJspkoracao dos engenhos de que trata o
artigo antecedente s poderao ser fe i tas
agricultores que residam na zona onde te-
'uhm de se e8tabfe*cr as respectivas fa-
bricas, exceptuado o de Ipojaea que pode-
r ser contrastado com o requerentc Joa-
qun Ignacio Pessoa de Siqueira.
O artigo 16 da lei n. 8W>,'de qne tra
tu o presente edital, assim" concebido:
Art. 10. Fica o presidente da p ovincia
autorizado a contractar com o co: merci
ante da praca do Recife Jos da Sirva
Lojo Jnior ou cora quero melhorfs \-an-
tagens offerecer a fundacao e exploraclo,
nesta provincia, dr quatro engenhos cen-
traes com capacidade para safrepii' cada
km de 2) BOmilhoes de kilogrammas de
canna sendo cada qnal do custo de......
6OO:O(X)5O00 oa oito com capacidade
para safrejar cada ira de 12 milhoes e
quinhentos mil a 1? railhoes de kilogram-
mas de canna sendo nesta hypothese o
custo de 300:000 Vt'.f> sob as seguintes
condi'ocs :
1.a A provincia coacorrer eom a qium-
Prado Prnambticano
De conformidade com o 2o do art. 16 de nos-
sos estatutos e em virhlde'do 5 11 do art. to ?m
coavidadosos accionista desta sociedade pora>
uma reuniao de assembla geral extraordinaria
pura se tratar de refurnm dos estatutos que ter
lugar domingo 28 de Abril ebrrenle; ao meio dia
na seerftaria do'Kraoo Pernambucano. ra lo
Imperador n. 83, Io andar.
Recife. 23 de Abril de 1889.
Fnmdteo de Smm Beis.
Secretario
TBidC Aferr .te *^S *
Prasode 80 dias
' N. 73. Daesdea bt9r Or.'lfflpMIor ge. I
feco saber a alumna mestra titdlaaa pela Es-
cola Norma* feoinufcdettaasti#'et09a.
que lhe Pica, marcado o praso da 30 dias paiu
assignar o contracto da endeira de ensillo mixto"
de Gainclleira de Buique' e asumir o excrticio
da mesma.
O secretario,
Pergeniino Saraivade-AranjiGaltao.
iiK. '/i
ede- se aa* Sealio^
res eoisnmnaidttres
que qUetraii fazer
qualquer C0H*&um~
c oureebuiiaQfiVise-
jaesta fehano eserip-
to^io -desta empreza
ra do Iaiperador n^^
29, onde tambem sei^e-
cebera qualquex* cwtta;
Os nicos cobrado-
res externos sao os Se*-'
hores Herm4oPran-
cisco Rodfig'ues Fre-
re e Manoel Antonio
da Silva Olfveira, e
quando for preieis a
Sr. Antonio Mrtins
i^arvalho.
Todos os recibos
destaempFezadeTero-
ser passado em taloes
carimbados e firmados
pelog-erentersem o que-
nao tero valor algrim.
George Windsor^
Gerente
Contraria
DE
S. Jos d Agona lio
convento do Carmo
De ordem do irmo provedor, convido a todos
os nossos i roaos para eomparecerem em nosso
consistorio, pelas 10 hora* da manh de domin-
go 28 docof rente, pdre em mesa geral elegermos
os novos funceionarios que teeru-de rager esta
corporaeo no -auno caajpromissal de 1889 a
1890.
CoosmIofo da coifraria -de S. Jos d'Agooia,
25 de Abril de 1889.
0 seeretario,
J. Miiuri-io de Alentar.
Companhia de Edifica^ao
Assenbl* geral ordinaria em
9 de Malo de f SSf
Tende a maioria dos Srs. accionistas da com-
panhia de Edificacao que concorreram convo-
caco da assembla ge ral ordinaria marcada, por
ordem (ht direotoria da companhia. pa*a o dia 22
do mez corrente, resolvido que tal assembla se
nao podia por Ilegal effeaiar nesse dia, Tiste
nao haver decorrido ainda todo o prazo de um
mez determinado pelo art. 16 da lei n. 3150 de
4 de Novembro de 1882 ; resolten a directora
que Pcasse romo se nao fqra feita a convocacio
annuociada para aquelle dia 22 e que se fiesse
publico que se devem os Srs. accionistas reunir
em asse.-bla geral ordinaria no dia 8 de Maio
prximo futuro, s 11 horas da manha, no es-
criptorio da comprahia, i Praca Pedro II n 77,
1 andar, assembla esta em que se ha de tratar
de tudo que segando a supracitada lei, e os esta-
tutos da companhia tem cabimento nella.
Chama-se a attenco dos Srs. accionistas para
os pararaphos l, 2o, : c 8 do art. 15 da cita-
da le n. 3150 de 4 de Novembro de 1882.
Recife, 24 de Abril de 1889.
Ricardo Meneies.
Gerente.
rxx
Capital *mmm:ooo*
dem re alisad o 1 .000:000*
A caixa filial deste Banco fuaeciona
ra do Commercio n. 40, sacea, Vista- OU
a prazo, contar os seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LONDON.. {Baoro Internacional
do BrasU,
London -nice.
( London *ft Coanly
( Banking Company L.w
PARS......(Banqne de Paris t de*
(
so*-r.-ira da lu*traio rmttUcm.
*a de .toril de -i*
Juxttfkaro dr amencia
N. 72. -- De ordem do Sr. Dr. inspector geral,
e em vista do officio do eftbado luterano de
Bom Jardim datado de 9 de Abril roTente. pelo
presente intimado o professor contractado de
Ghs, Andr de A4laqrque Melio, a Tir no
praso de 15 dias, dar as razoes de sua ansencia
daquella cadeira, sem communicago feita ao
dito delegado lilterario e sera haver preenchido
o disposto no art. 17 das instrucces de 24 de
Maio de i887 e sob as penas do art. W das mes-
mas instrucres.
0 secfetro,
PergentUto Saraita dr Ar.,njo fnlrao.
Hamburgo..
Berlim.......
Bremen.....
Frankfurt
sur Main...
Antuerpia..
Roma........\
Genova..
aples.....
Milito e mais
340 cida-
desde Ita-
lia...........
Madrid......
Barcelona ..
Cdiz........
Malaga......
Tarragona.
Valen cia e /
outras ci-
da des d a
Hes pa nha
e ilhas Ca-
narias......
Lisboa......
Porto e mais
cidade de
Portugal e
ilhas.......
Buenos Aj-
res .........,
Man tevido
NovaYork.
Paj's-Bas
Deutsche Bank.
t
:
Bank d'Anvers.
Banca General
agencias.
e e suas

Banco Hypotecaro de-
Espana e suas agen-
cias.
Banco de Portugal e
suas agencias.
The London & River
Plata, Limited.
tia de 200:000*000 no Io cafo, e de.
IfMvnoo/jOOO no 2o em apolices ao juro de
Gabinete Portugiiez
de Leitura
Avrso
Em virtud'1 do falleciment do socio benem-
rito Alfredo Jo Antunes Guiojartes, lica sus-
penso o rspediente da bihlitheca at sabbado,
inclusive. Pcrnumboco, 2t> de Abril de 1889.
O bibliolhecario,
Uniz Trindade.
llippodronio dofanano rande
A directora do prado cima previne aos Srs.
accionistas que os bilhtes que sulicitarem para
a porrida do dia 28 do corrente, sero todos ca-
rimbados, differentes dos que forem vendidos
porta, que rio temo carimbo c serao de cor di-
versa d'nquelles.
Este aviso tem por lim prevenir abusos que
infelizmente se tem dado.
Vbril de 1889.
G. Amsink & C.
Compra saques sobre qualquer praca do
imperio e do estrangeiro.
Recebe dinheiro em conta corrente de
movimento coa juros na razao de 2 /0 ao
anno e por letras a prazo a juros conven-
cionados.
O gerente, Mlliam M Westber.
- i i -----------------------......-...............-----------------------.,,. -.........
Obras publicas
De ordem do Illm. Sr. engenheiro di1-
rector geral, em virtnde da autorisaeao Se
S. Exc. o Sr. presidente da proviucia de
lodo corrente, foco publico que no dia 5
de Maio prximo futuro, ao meio dia, nes-
ta directo' a, recebe-se propostas em car-
tas fecha< ..s, competentemente selladas,
para exec;:g3o dos reparos de que necessi-
tam: o bueiro sobre o riacho Moss, e a
Curva do t axito, na estrada da Victoria,
oreados em 6490,000
O oicamento e mais condicSes do con-
tracta acham-se nesta secretaria, onde po-
dem ser examinados-pelos Srs. pretenden-
tes.
Para concorrer praca cima deverao
os licitantes depositar no Thesouro Pro-
vincial a planta de o2450, equivalente
a 5 [0 do valor do orcamento.
Secretaria da directora geral das Obras
Publicas de Pernambuco. em 20 de Abril
de 1889.
O f o secretario,
Lutz Antonio Cavulcante de lbuquerque.

1 /


Diario de PernambucoSexta-feira 26 de Abril de 1889

-.;<


16699 6
16703 1
16706 1
16713 1
Monte de Soccorro de
Pernambuco
41- I el lio de jolas
Este estabelecioicoto far leilo no da 15 do
Maio por intermedio do agente Martins, em
sua sede, ra do Bom Jess n. 32, s 11 horas
a manh, dos objectos que nao forem resgata-
dos al a vspero, constantes das seguimos cau-
tellas. vencidas de Agosto Novembro de 1882;
a dinneir de contado :
14997 1 Volta de ouro com medalha, 2 pulsei-
ras, i cordes, 1 trancelim, 3 pares de
brincos, 1 alfinete, 2 anneis, moedi-
nhas ouro de lei. urna salva de praia
de lei.
15918 1 Correte e cinete para relogio. 1 par de
argolOes, 1 alfinete de ouro para retra-
to e 1 meda'ba ouro de lei, 2 relogios
de ooro.
15933 1 Correte de ouro cora cabellos para re-
bgio, 2 pares de brincos, 2 ditos de
rozetas, 1 cordao, 2 voltas de trance-
lim, ouro, teteias, 3 botes, 2 encasto
res e 1 anoel ouro de lei, 2 moedinhas
de ouro, dollurs, 1 relogio de ouro, 1
paliteiro, 3 eolhercs para cha, de prata.
16027 24 Colheres para sdpa, 24 ditas para cha,
3 conchas grandes, 24 garlos, 24 cabos
para facas e 1 par de trinchantes, tudo
de prata de lei.
16302 1 Salva pequea, 1 tigella, 1 copo, 17 co-
lheres para sdpa e 14 ditas para cha,
prata baixa.
16453 1 Escrivaninha, prata baixa.
16458 i Medalha de ouro. contendo brilhantes.
16691 1 Salva, 23 colheres para sopa, 17 ditas
para cha e 1 dita para assucar, prata de
lei.
Botes de curo com brilhantes.
Par de rozetas.de ouro com brilhantes.
Relogio de ouro de lei.
Broclie de ouro com camaphen de co-
ral, 1 brrente e sinete de ouro para re-
logio.
16715 Salva, prata de lei.
16717 1 Par de rozetas de ouro com esmeral-
das circuladas ue brilhantes. 1 par de
brincos com ditos, 1 par de br eos
com brilhantes. pequea? coinmendas,
1 cruz com brilhantes e 1 lio de pcrolas.
16720 1 Pulseira, 1 medalhi, 3 pares de brin-
cos e 1 dito de rozetas, ouro de lei.
16744 1 Adereco de ouro, contendo 1 pulseira,
1 broche, 1 par de rozelas eravi>ja1as
de brilhantes e diamantes, I volta de
ouro contendo, i pega cravejada com
brilhantes e diamantes.
16745 1 Annel de ouro com um brilhanle peque-
no, 2 brilhantes sob-papcl. 1 alliuete
com 4 ditos e 3 rubios, 2 alli..etes, 1
Sulseira. 2 medalhas, 1 volta de ouro,
correntes para relogio, 1 cordao, 1
bentinho de ouro, 1 cruz ouro de'Jei, 1
moeda de ouro.
16747 1 Corrente de ouro para relogio e i tran-
;elins, ouro de le.
16749 1 l'ar de bri.icos. i anneis e 1 cruz, ouro
de lei.
16750 1 Cordao, 1 altraete, I par de brincos, 1
dito de rozetas ouro de lei.
16758 1 Corrente de ouro para relogio, ouro de
lei
16763 i Pulseira; de ouro 2 voltas, 1 medalha,
1 correte e medalha para relogio, 1
broche. 2 pares de i.rincos, ouro de lei.
Trancelim ouro de lei, I emblema do
Espirito Santo e 1 liga, ouro lixn.
l'ar de rozetas de ouro com 2 briihau-
tes pequeos.
Botes de ouro com brilhantes.
Relogio ouro de lei.
Pulseiras, 1 altinete, i par de recetas,
2 anneis ouro de lei, 1 trancelim. I .an-
nel. 1 cruz, ouro baixo.
16810 1 Vulta de miro, 1 medalha, I relogio, ou-
ro de lei.
Correte de ouro de lei para relogio.
medalha de ouro de lei com nix.
16845 1 Par de rozetas de aura com brilhaucs
e 1 annel com ditos.
16859 I ulseira de ouro com brilhantes e sa-
phyras.
16855 1 Tranc lim, 1 volta de dito, i moeda de
ouro com lago. 1 pulseira pequea, ou-
ro de lei.
16858 i Volta de trancelim, 1 roseta, I aniiel
ouro de lei, 2 pares de brincos e 1 cruz
ouro de lei.
16862 1 Cordao. 1 medalha 5 anneis, 2 bulos,
1 toteia, ouro de le, I par de brincos o
I annel, ouro baixo.
16865 1 Par de rozetas de ooro com brilhantes,
I pulseira, 1 dita do broche, I par de
brincos cravejados do peclas, ouro de
lei.
16873 l Trancelim e 1 figa, ouro de lei.
16875 I Relogio ouro de loi.
16878 1 Trancelim 2 i-elogios, ouro de lei.
16883 3 Pares de brincos, 1 dito de rozetas, I
cordao e 1 annel ouro do loi.
16895 2 Pares de brincos entejado* do brilhan-
tes pequeos.
16898 2 Pares de brincos 6 aunis o 3 botes,
ouro do lei
16907 1 Medalha cou) diamantes. 6 botos com
perolas. orno do loi, 24 garfos, 24 ca-
bos com lacas, 2 pares de trinchantes,
tudo de prata de lei.
16911 1 Pulseira, ooro de lei.
16915 1 Annel de ouro com 1 brilhante.
16917 1 Pulseira, ouro de lei.
16922 1 Laco de ooro de lei.
1693112 Comeres para sopa, prata baixa.
16939 2 Broches, 2 pares de brincos, 1 dito de
roseta, l trancelim, 1 medalha e i dvela,
ouro ue lei.
16940 2 Voltas do trancelim, 3 teteias de ouro,
3 pares de .osotas, 3 aunis, ouro do
lei, 1 bracellete com coral, ouro baixo
1 Trancelim, ouro de lei.
16947
1952
1
16985
16987
16992
17026 1
17031 I
16777
16797
16810
IMM
IKON
16821 I
16838 1
COMERCIO
RIO DE JANEIRO, 25 de Abril
hora e 50 minutos da tarde.
Annel de ouro cora 1 pequeo brilhante
el p?r de brincos, ouro de lei.
16953 1 Par de brincos, 1 volta de ouro, 6 an-
neis, I teteia. ouro de lei.
16972 1 Pulseira, 1 alfinete, 1 par de rosetas
ouro de lei
16979 i Crrante dupla com medalha para relo-
gio, ouro de lei.
16982 2 Pulseiras, 1 correntao, i alunte, i tran-
celim, I par de brincos, 4 pegas de dito,
1 par de rosetas, ouro de lei, 1 pulseira,
ouro baixo.
16984 1 Pulseira ineompleta, 1 volta de ouro, I
cordao, 1 medalha, 1 alliuete, 1 par de
brincos, ouro de lei.
Relogio de ouro para senhora.
Annel de ouro com 1 brilhante.
Annel de ouro com i brilhante. I pul-
seira, 1 volta de ouro e 1 medalna, ouro
de lei.
Cruz de ouro com um crucificado, ouro
de lei.
Trancelim e 1 cordao, ouro de lei, \
cruz, ouro baixo, 1 salva e 2 castigaos
de prata.
17032 1 Paliteiro e 12 colheres para sopa, de
prata.
17033 1 Gargantilna, 1 volta de ouro, 1 tran-
celim, 2 cruzes e 1 par de brincos, ouro
de lei.
17036 1 Pulseira, 1 par de brincos, i trancelim
e dedal, ouro de lei.
17041 1 Relogio, ouro de lei.
17042 1 Crrente para medalha < para .-onh ir.u,
1 pulseira. 1 par de brincos e I dedal,
ouro de lei, 1 relogio de ouro para se-
nhora.
17045 1 Crrente para relogio, 2 pares de brin-
cos, ouro de loi, 10 moedinhas de ouro
era botes.
17051 i Crrente e I sinete para relogio, ouro
de lei.
17058 2 'llinctos, 2 paros de brincos, ouro de
lei.
17062 1 Annel do ouro com brilhantes pequeos
o 1 relogio (de senhora) de ouro.
17070 I Correntao, 1 crrente para relogio fal-
tando chavo, 1 moeda de ouro cora ar-
gola e 1 relogio de ouro, tudo ouro de
lei.
17082 1 Correte e medalha para relogio e 2 au-
nis, ouro de lei.
1 Pulsara, i par de brincos, 1 luneta o 1
annel ouro de lei, 1 volta de cordao e 2
teteias, ouro baixo.
i Volta de ouro com medalha, 1 medalha
de ouro cora ac e I annel, ouro de
lei.
1 Relogio de ouro de lei.
1 lar de rosetas de ouro com brhaates
pequeos e I grampo do ouro.
17112 1 Correte para relogio, I par de brinco.
2 anneis e i relogios, ouro de lei.
17113 1 Relogio do ouro do loi.
17114 i Tranceln*, I cordao, I redoma o I
cruz, ouro de lei. cordao de ouro
baixo.
Relogio. ouro de lei.
l'ar d.' rosetas de ourn com 2 brilhan-
tes, I cruz com ditos, 2 anneis cora di-
tos e 1 lio do pcrolas.
17119 1 Annel de ouro com brilhantes peque-
os, i trancelim, i medalha, 1 altinete,
3 pares de brinco. I dito de rosetas, 1
peca do poiaera o 5 aunis, ourc de
loi.
Relogio de ouro (com arpla de prata).
Par de botes, ouro do loi.
17164 Pulseira. I alliuete. 2 trancehns, I cor-
dao e 1 mcJalha pequea, ouro de
lei.
Corronte para relogio, ouro de lei.
Corrente e sinete para relogio, ouro
de lei.
17168 I Hrocbe de ouro para retrato, contendo
i corrente de brilhantes, 1 par de brin-
cos com brilhantes. 2 botos cora ditos,
nueis com ditos.
17:09 1 Cruz de ouro com 7 brilbaules peque
nos, 1 par de rosetas com 2 brilhantes,
1 dito com 6 ditos, 2 uimcis com br-
lhautes o 2 lios de perolas-.
17185 1 Par de rosetas de ouro com 2 brilhan-
tes, I annel com 3 ditos, 1 cruz com
dito, 1 lio de perolas e 1 pulseira com
diamante, ouro de loi.
Relojfio. ouro de lei.
Corrento para relogio, ouro de lei, 2
moedinhas em botao c 1 relogio, ouro
de lei.
17216 1 Annel de ouro com 1 pequeo bri-
lhante. 1 volta de ouro c 3 aunis, ouro
de lei. 1 volta do eordio, 1 annel o 1
par de boics (ueompleoi ouro baixo.
17233 1 Corrente e nudalha para relogio, 1 tran-
celim 1 cruz. 2 pocas de brinco. 5 le-
17240
17254
17264
17269
17I90
17091
17099
17102
tuyas de ouro, 3 anneis e i par de bo-
tes ouro de loi.
17*39 2 Pares de rozetas com brilhantes peque-
os, i cruz com ditos, 1 pulseira, i
volta de ouro com medalha, 2 correntos
para relogio, 1 volta de trancelim e 1 re-
logio de ouro para senhora, ouro de
le
Par de rosetas de ouro com brilhantes
i annel com 5 ditos e 1 dito com 1
dito.
I Volta de trancelim, 1 medalha e 2 pa-
res de brincos ouro do lei.
1 Corrente para relogio. ouro de loi.
2 Correntes, 2 medalhas de ouro para re-
logio, ouro de lei.
17270 3 Pulseras, 1 medalha e 1 dedal de ouro
.de loi.
17273 12 Colheres para sopa, 12 ditas para cha e
2 conchas grandes prata baixa.
17280 2 Pulseiras, 1 volta de ouro, 2 botos e 1
alfineite, ouro de lei.
17283 i Coco de prata para agua.
172*4 1 Trancelim, 1 par de rozetas ouro de lei,
2 colheres para sopa e 1 dita para cha,
de prata.
17289 1 CordSo, ouro de lei.
17 90 1 Trancelim, ouro de lei.
17292 1 Pulseira, 1 par de brincos 1 cruz de
ouro cravejada de diamantes, 1 salva, 1
paliteiro, 13 colheres para cha, prata
de lei.
17293 1 Pulseira, 1 broxe, 1 par de brincos de
ouro de lei, contendo brilhantes
17294 1 Annel de ouro com bnlhunlcs.l dito com
um rubira e circulo debrilhaiites.
17295 4 Castigaes. 1 prato thesoura (para vella)
prato de iei, 1 vaso de prata baixa.
17297 1 Par de rosetas de ouro com 2 brilhantes
e um boto com 1 dito.
17303 1 Pulseira, 1 alfimte, 2 pares de brincos.
1 luneta, 1 trancelim, 2 anneis ouro de
lei, I gargontilha, 1 pulseira e 1 alfine-
te, ouro baixo.
17304 1 Alfinete. 1 pulseira, i par de brincos, 1
lito de rozetas incompleto ouro de lei,
4 colheres para cha.
17306 1 Par de rozetas de ouro com 2 brilhantes,
1 medalha de ouro com 1 dito, 2 pul-
seiras ouro de lei.
17309 1 Pulseira, 1 par do argoles e 2 voltas
de trancelim. ouro de loi.
17310 1 Par do rozetas do ouro com 2 brilhantes,
1 cruz de ouro cora ditos pequeos,
1 lio de perolas. 1 vapor, 1 patoiro, 2
castigaos pequeos, 6 colheres para sopa,
7 ditas para cha, de prata.
17311 1 Broxe de ouro com perolas, 1 volta
de trancelim, 1 emblema da Concoigao,
1 medalha, pequea, 1 moeiuha de ou-
ro, tudo ouro de lei.
17313 lCrdao,l medalha, 1 alfinete, 1 cruz.de
ouro de loi.
'7317 1 Salva de prata de lei.
17318 1 Par de castiges prata ile lei.
I73t9 1 Par de rozetas de ouro com perolas, ru-
bim, 1 medalha ouro de lei.
17320 1 Jarro e bacia e 1 salva grande, prata de
lei.
17321 1 Relogio do ouro para senhora.
1732218 Colheres para cha. prata de lei.
SEGURO CONTRA FOGO
Rojal Insurance Companj
de Liverpool
CAPITAL. .000:000
AGENTES
R. DEDRUSINA&C.
13Rua Mrquez de Olinda13
Companhia de Seguros
AGESTE
Miguel Jos Aires
> 9Rua do Bom Jen* -Hf. *
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguios a nica companhia
nesta praga que concede aos Srs. segurados isemp-
;3o de pagamento de premio em cada stimo
rano, o que equivale ao descont animal de cer-
ca de 15 por cento era favor dos segurados
17117
17131
'141
161
17166
17167
P323 i
17324 1
17325 I
17327 2
17328 1
17331 2
17336 i
17338 3
17342
17346
17344
17349
17350
17352
17355 I
1719'
17215
1
tKKiirnr
lis preyos
raa puyos ao agnculiur, por lo kilos, se-
i Assm ia.-au CtNwm-rctl Agrcola, foiam
, .'Udo
; )> seguiilcs:
| Broncos .
>oinono .
Mascando purgado
hrolo.
fltame .
?* Ha grande
falta de faino, pelo que eui
elle subido de prego.
Ha muita procora.
Revista do Mereado
Recife, 25 ut .iuuil de 1889.
28'J0 a
2AO00 a
I .300 a
1*100 a
3*700
24100
l*o0
1*400
1*2 JO
A exporlaeao, feim pola alfandiga ueste mez at
o da 23. subi a 5.362.19,5 kilos, sendo 3.009.01o
para o exterior o 2-353.175,5 para o interior.
As entradas verificadas at a dala de hoje so-
boui a 51.435 saceos, sendo por:
O mo\ i monto
apenas alguma
bios.
Coi anda pequeo, notndose
actividade no mercado de cam
Bol
sa
CTAc5E8 OEFIC'IAES DA JL'XTA DOS COK
RETOBES
Recite. 25 de Abril de 1889
Nao houve eotago.
O presidente,
Candido C. G. Alcoforado.
O secretario,
Eduardo uboux
Barcagas
Vapores.....
Aniraaes ....
Via-ferrea de CaruarU.
Via-ferrea do S. Francisco.
Via-ferroa do Limoeiro
Soturna.
17.i97 Saceos
072 '.
"V.i
25 881
2.036
51.435 Saceos
17363
17368
Recifo,
Cordo. I alfinete, 1 par de rozetas ouro
de lei.
Trancelim, 2 voltas do dito. 2 paros de
rozetas,! annel e 2 moedinhas, tudo
ouro de lei.
Correle para relogio ouro de lei, 1 re-
logio de ouro e i figura de prata.
Anneis de ouro com 2 brilhantes. 1 dito
com 1 esmeralda e pequonos brilhantes.
13 iranceus, 2 cordOes, 1 pulceira de
requililcs. 2 pares de botos, 1 cruz, 1
annel ouro de loi, 1 par de rozetas e 1
cruz era vejadas de diamantes.
Annel de ouro com 1 brilhante.
Medalhas e 1 annel com diamante ouro
de lei.
Volta do ouro do lei.
Pares de brincos, 1 dito do argolOes, 1
volta de ouro o 1 medalha ouro do lei, 1
colheira de prata.
1 ulceira ouro de lei.
Cruz de ouro com 6 brilhantes o 1 volta
de trancelim.
Brocho do ouro com brilhantes.
Paliteiro e 13 colheres para cha, prata
de lei.
Corrente dupla pura relogio ouro do loi.
Trancelim grosso. ~ ditos linos, 1 cor-
dao e 1 medalha, j cruzes ouro de lei, l
traucelim ouro baixo.
Pulcera de ouro chd I brilhante peque-
o, 1 Irancolim u I cot ente de ouro para
relogio, ouro do loi.
Annel e 1 altinoie. ouro de lei.
Alunle. 2 medalhas, 2 pares de brincos
e 1 volta de cordito, ouro de lei.
de Marco do 1889.
O gerente,
Fe'in I). t'rrreiiu Coelho.
Companljia fce Seciuros
conta re::
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
l'osigao fin.-i neo ira ("Dezembro de I885J
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados i, 3.134,348
Receita animal :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre ?idas 191,000
De juros 32,000
O AGENTE,
John H. Boxindl.
8
-UROS
CONTRA FOGO
The Liverpool \ London k Globe
ntfSURATCCE
FTYn ,T"D L "vr'V
Rua do Commercio n. 3
c.
II*DEMNISAD ORA
Companhia de Seguros
martimos e terrestres
EMtabelecida em 1955
CAPITAL 1,000:000^000
SLMSTROS PAGOS
Ate 31 deDezcmbrodelSSA
Martimos.. 1,110:000^000
Terrestres. 316:000,^000
44Rua do Commercio44
LARGO DO ARSENAL DE GUERRA
Companhia equeslre, gimnstica, acrobtica, coreo-
grfica, japoneza, funambulesca, equilibrista facetica e mmica
EMPRESA E DIREC^O DE
! HONORIO PALACIOS
SABBAD0--27 de abril-SABBAO
mXKM E VARIADO ESPECTCULO!
SQRPREHENBENTE FNGCAO '
Onde e\hbir-sehao novos edifficeis trabalhos, entre elles
se distinguir o
X3COXVX3SXVX GPOaOJTOSGTXX,
Que colloca-se dentro de um enorme canhUo e pelo signal dado pelo insigne artista,
sahir do dito canho com os olhos vendados, procurando o seu companheiro que o
espera a toda a altura do pavilho.
E DE ADMIRAR! VER PARA CRER
NOVAS ENTRADAS DE CLOWANS
O NN
Prcnictte n'usta noite metter a cara e dar massadr..
Tomam parte tambera neste espectculo as svmpathicas
ESTRELLA DO MAR,
ERT1ELLA DO SUL,
ESTRELLA DO NORTE,
ESTRELLA DO BRASIL
im;.o*
Camarotes com 5 entradas.....4(>000
Cadeiras......
Geraes ....
As 8 1['2 horas da noite
24000
13000
r.
O ^secretario,
P. da Rocha.
Companhia
Imperial
SEGUROS
martimos comba fogo
Companhia l'hruix l'cr-
nambueana
RL'A DO COMMEHQO N. 38
Couros
Gofe-M s MlgaM seceo a 370 res,
de li kilos
m bti
re-
C nmhio
Os banco* ubriram com a tasa de -2.1 i 8.
tirando logo para i" lA e i" 1/8
Papel particular foi passado a 27 3/8 e 27 5/16
em pequea escala e ao fechar do ilia havia
pouco papel ofterecido a 27 I 4.
No Rio a colaco para papel
1/4.
bancario foi 27
Por telegratnma receido pela manila du corte,
oube-seter sido decretado o valor do sob-rano
a M81H)ou a'i par.
llgodao
Nao coosliu vendas. O de 1* aorte do serbio
vale6*0u
Agurdente
Cota-se a 88WC0, por pipa de tc litros.
Alcool
Cota-se a 163000 por pipa de i8) litros.
Nrl
Cota-te a .jOMXK) por pipa de *N> litros.
Pauta da alfandega
SUMAN* DF 22 A 27 DE AIIB1L UE 1SS9
Vide o Diario de 21 de Abril
A exportadlo feita pela alfandega ueste
at o da 23. atlingio a l.8io.600,o kilos, sendo
1.730.150,5 para o exterior e 115.450 para o in
lerior
Aavios carga
Lugar nacional Zequnihn, para Pelotas.
Patacho nacional Industrial, para Villa Nova.
Patacho nacional Hnntciro 2*, Para Ble Grande
do-Sul.
Aavios descarga
Bdrca sueca Elba, carvao.
Barca nacional Mana Angelina, xarque.
Barca uorueguense Madmia, carvao
Barca hespahola Constancia, carvao.
Barca nomeuucnse Dagmc*, atrito.
Lugar ingl( Ratina, bacalio.
ILi-'ar ioglc'i Hlmichc, liucalho.
Lugar portuguez Temerario, xarque e gorduras
, Patacho nespanliol 'ocen Pura, xarque.
Patacho hollando/ Emuetta, xurquo.
Patacho nacional /ocen Cotreia,
Paro o interior
No patacho sueco Alm un, carregaram :
Para Pelotas, Auiorim Iudos & C. 73 pipas
com 367*10 litros de agurdente.
No vapor americano lllianita, cariogarain :
Para Santos, P. ki-Miro 4 C. 73 pipas com
36,000 litros de agurdente e 1,000 saceos eoln
60,000 kilos de assucar brance; Araorim Irmos
& C. 675 saceos com 10,500 kilos de assucar
mascavado e 375 ditos com 22,500 ditos de dito
branco.
No vapor nacional M-uanko, carregaram :
Para Rio de Janeiro A. Guimares 800 saceos
com 48,000 kilos de assucar branca ; M. Menezes
100 saceos com 6,00) kilos de assucar masca-
vado.
No vapor nacional Sergipe, earreyaraiu :
Para Bahia, J. P. Lapa 30 barris com 4,800
litros de mcl ; F. M. de Moura *6 barris com
2,904 litros de mel ; A. Olivcira 5 caixas com
60 kilos de doce.
No vapor nacional Mamnlio, carregaram :
Para Rio de Janeiro. B. V;eira 9,000 cocos,
l'ructa ; A. de Olivcira Maia 3,000 cocos, fructa.
Para Bahia, J. t. da Cuuha Peine 3 barricas
com 240 kilos de doce.
Rendimentos publico
mkz de ara.
Al[andeija
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios c maxador'ns
Taxas baixas
Prompto pagamento de prejuso*.
CAPITAL
RS. I .000:000*MM
AGENTE
IIHOMNS O C.
N. 5-RUA DO COMMERCIOX.
P
*
E
BBT CLUB
RNAMB
U
co

=^spji
Bank
London & Braslian
Limited
Jiua do Commercio n. 32
Saeca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco eui Portugal, sendo
era Lisboa, rua dos Capellistas n. 75. N Porto, rua dos Inglezes.
800
HHOOO
I 300
iOO
2*01 K) I
res
10 dilas com feijo ;; 2iHi ri-
3 ditas com niiilio a 200 res
11 talwleiros a SOr-is
10 suinos a 20o ris
29 matulos com Icgume* a 2W ris
Foram oceupados:
27 columnas a 60 ris 10 i200
1 escriptorio a 300 ris 300
27 eoinpartiiueiilos de farinia a 30 >
ris 13*500
30 ditos de comidas a 500 ris 15*000
82 ditos de legme*c ftoendasa iuo
ris .12*800
18 ditos de suinos a 700 reis 12*6'ni
9 ditos de Iressuras a 600 res 5*400
34 lalhos a 2* 08*000
Rcn-lu ioral
Do da 1 a 24
dem de 23
607:173*684
28:501*2:18
Renda provincial
Do da 1 t 24
dem de 23
21-324*998
1.221*748
635:077*922
75:546*746
-Soumia total 711:224*668
Segunda secco ua Alfandega, 25 de Abril de
1889.'
O ihcsoureiro Florencio Domingues.
chefe da seocio Cicero B. de Mello.
Rcccbedorla
Do dia i a 24 31:656*806
dem de 23 746*938
fteral
As entrada* verificadas at a data de huj so-
kein a 14 327 -. :,!o por:
Barcacas.
Vapores ...
inimaes.....
Via-ferrea de Caruai u.
Via-ferrea do S.Fran
Va-fer:ea i!e Liumeiro
. Soiiu. .
1-380 Sacia;
I.370
3.433

Importadlo
Barca nacional M'irinmnnha entrada de Pel-
las em 24 do anclante e consignada a Bailar Oli-
veirat C, manifestou :
Xarque 220,9::5 kilos a ordi
rfiportaco
MCI. 24 DK '.na;t D&ifl*i
na o.
Nao honve exporlai
32:403*714
Rccebedorla provincial
Do dia 1 a 24 62:438*141
dem de 25 225*696
M:M3837
Recife II rain age
Do dia la 24 10:150*071
dem de 25 ;.iis268
10:658*339
M'r< ai! Municipal ue M. Jos
O mowmenio dcsie mercado no dia 24 de
Abril foi o seguiute :
Entraram :
30 bois pesando i,693 kilos.
108 kilos de peixe a 20#9 8*160
ls com Ijrinha a 2t>0
rfa 114200
4 ditas de fructas diversas 300
Rendimenlo dos tlidi J a 23 do cor-
rente
197*460
1:267*360
1:164 820
Foi arrendado liquido al hoje
Precos do dia:
Carne verde de 28 > a 180 res o kilo.
Carneiro de 720 a i* reis ideui.
Suinos de 500 a 640 reis idem.
? ariuha de 5 0 a C40 reis a cuia.
Milho de 4f)0 a 440 reis idem.
"lo de 800 a ii20udeiu.
Hatadouro publico
Neste estabelecimentofoiam abatidas para o
consumo de hoje 65 rezes pertencenles a diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
.MKZ DE .ABRIL
Sul.......... Galicia............ 26
Europa....... ViUe de Ceor...... 20
Europa....... Seca............. 26
Sul........... Para............. 27
Sul........... Jamar............ 28
Para a 11.a corrida
A realisar-se em 5 de Maio de 1889
IIM'Ii ilili ^lllilifl
I- ^\%^%CONSOLACAO 800 metros. Animaes da provincia que an-
da nao tenliam ganho no Dcrby nesta ou maior distancia e nos ou-
troa prados do Recife, em distancia maior de 850 metros. Premios
2505000 ao priraeiro, 505000 ao segundo e 2r>5000 ao terceiro.
* fli-llit VEUXIDADE |.ou metros. Cavallos Dacionaes at meio
sanguc. Premios : 3005000 ao prmeiro, 0050(
a> terceiro.
-* IV'M^ftPBOSPERIDADE 8n> matm. Animaos da provincia quo
anda nilo tenham ganho em nenhum dos prados do Recife em maior dis-
tancia. Premios: 2505000 ao prmeiro 505000 ao segundo e 255000
ao terceiro.
* to*-GIA!E PREMIO OTER\ACI0Y4L 4.800
Animaes de qualquer paiz. Premios: 1:0005000 ao
2005000 ao segundo e 1006000 ao terceiro.
*. *\%*% PROVINCIA DE PERNAMBUCO I nt metros. Animae-i
da provincia. Premios: 2505000 ao prmeiro, llOdOOO ao segundo e
255000 ao terceiro.
!.' 9%liia CONCORDIA -!. metros. Animaes atj meio sangue.
Premios : .'5005000 ao primein, 605000 ao segundo e 305000 ao terceiro.
*. ^\1i^% IMPRENSA PERNAJD3UCANA l.*00 metros. Animaes da
provincia (pie no tenham ganho em maior distancia no Derby. Premios :
2505000 ao prmeiro, 505000 ao segundo e 255000 ao terceiro.
Observares P
Os pareos GRANDE PREMIO INTERNCIONAL, Velocidade e Concordia,
nao se realisarSo sem que inscrevain-se e corram pelo menos cinco animaes.
S serao aceitas para cada pareo as qninze propostas que prmeiro forera
lidas.
Nao se realisar o pareo que nao contver tres animaos de proprietarios diffe-
renies.
Cada enveloppe a poder conter nina proposta e ser recusada aquella que
nio vier acompanbada da importancia da inscripcao
A inscripcao incerrar-se-ha segunda-fera, 29 de Abril s 6 horas da tarde,
na secretaria do Derby praga de Saldanha Marinho n. 2, 1." andar.
metros.
prmeiro,
Recife, 25 de Abril de 1880.
O GERENTE,
III \IIIM U SCHITKL.
Vapores a sahir
IHM DE AiiKIL
antos c esc. Y Ule de Ceara'. 26 a? i h.
Santos e esc. .Vera............. 2G as i b.
Bania e esc... Sergipe......... 26 as 3 h.
Aracaj Mambihn ......... 27 as 5 b.
Mantos e esc. Para............. 8 as 5 h
Antuerpia... Turnar........... 28 as ib
No vi ment do porto
Navios entrados no dia 20
afanaos e escala13 dias: vapor nacional Mar-
tihim, de 1,999 toneladas, cominandante Pedro
llyppolilo Duarte, cquipagem 60. carga va-
rios gneros; a Pereira Carneiro & C.
i'.ardil35 dias, barca inglesa Rom of Ueoon,
de 388 toneladas, capitao A. Dawo. equipagem
12, carga Jcano de pedra : a Wilson Sons
4 C.
Sahidos no mesmo dia
Santos c escalaVapor americano Mliance.com-
mandante E. C. Baker, carga varios gneros.
Hio de Janeiro e escala-v'apnr aacional Jfar nhao. commandanle Pedro Hyppolito Duarte,
carga varios gneros.
Rio Grande do Norte -Lugar ingiei Sumbeaa,ca-
pillo Richard Woolgar, carga assucar.
Companhia de Edifi-
caco
tkscinblrii eral exlraordiimrla no
dia S de Maio de IS8 -m mcm-
mcnio a ordinaria marrada e au-
uunciada paraenwo nu-suiu da.
Para attender quanto possivel aos inte-
resses da companhia e communidade
dos Srs. accionistas, resolveu a directora
da companhia que. em seguinento as-
sembla ge ral ordinaria que hoje annun-
cia-se para o da 8 de Maio prximo fu-
turo, reuna-se urna extraordinaria, no
mesmo local em que se ha de effectuar a
ordinaria, Nesta.assenibla extraordinaria
descutir-s-hao a conveniencia ou nao con-
veniencia da liquida<;ao da companhia, se-
gundo a propasta do parecer assignado
pela maioria da commisso riscal e publi-
cado nesta iojha no dia 5 do corrente mez,
e a possibilidade ou iinpossibilidade de
do resorganisar companhia segundo o plano
gerente, distribuido era avulso pelos Srs.
accionistas, oqual ha de ser pelo mesmo
apresentad* officialmente na reuniao or-
dinaria do dia 8 de Maio prximo futuro.
Chama-se a attenco dos Srs. accionis-
tas para os g 4.-, 7.- e 8.- do art. 15 da
le xr. 3150 de 4 de Novembro de 1882.
Recife, 24 de Abril de 1889.
Retardo Alen
Gerente
S. R. C
Sorietlade necroativa Conamcrcial
Soiree trimestral em 5 de Maio
Os senbores socios que queiram tirar convites
para esta soiree dewm procura I os em poder do
i- secretario
Ingressos com o recibo do mez de Maio, os
quaes podem ser procurados em poder do Sr.
tnesoureiro.
Aggregados nilo seadmittem.
Secretaria da Sociedade Recreativa Commer-
cial, 23 de Abril de 1889.
O 1 secretario
_________Araujo Guimaraes.
SANTA CASA
CASA* PARA ALUCIAR
ttua da Moeda n. 49, armazem 240*000
Idem do Vigario Tenorio n. 27, laja 240*000
dem idem n. 22, 2. andar 180*000
dem idem idem, 3 andar 1804300
dem idem n. 25, l. andar 360*000
dem do Mrquez de Olinda. sobrado
n- 44 2:131*000
dem do Bom Jess n. 29. 1." andar 240*000
dem de Domingos Jos Martins n. 136,
loja e i andar 400*000
dem de Thom de Souza n. 11, Io andar 200*000
S. Lourcnco da Matta casa terrea 60*000
Rua do Mrquez de Olinda n. 33,
sobrado 1:200*000
dem do Padre Floriano n. 98.
asa terrea 200*000
de S. Bento n. 3 em Ojia-
da idem 240*000
Estrada de Parnameiruo ti* 420*000
"/

'

-,






io de PerjajnbucoSexta-feira 26 de Abril de 1889
---------
5
mn
mma da 16.a corrida
QUE SE KEALZAM
Domingo, 28 de Abril
*on*e
Idade*
PeUo*
Naturalida-
des
Peno*
< r da vestlaaeata
Propriefarto
1 Pareo Eumc
-(I* lurraa) 800 metros.Animaes da provincia que nSo tenham ganho premiosnos prados do Recife.
Premios : 200*000 ao Io, 50*000 ad 2 e 20*000 ao 3o
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
6
i
A ral anlia.....
ognac......
Vinho Branco.
Farrabraz 2o. *
Thisbe.......
Dakar ......
Hippogrypho
Zambo........
Siroco ........
Cyclone.......
Chatain......
Regedor.....
Bom Jan!un.. .
Arreda......
Ja-parte.......
Vampiro (ex-
Borburema)..
4 annos.
5 .
4
3
3
5
4
4
3
4
8
4
5 .
4
6 -
Russo.......Pernambuco
Busso pedrez.
Baio........
Pedrez.......
Castanho.....
Rod. castanbo.
Castanho.....
Cardao.......
Rodado .......
Russo pedrez.
Castanbo-----
Rodado ......
Castanbo......
Alazo........
Hudu'lu
sa
H
S3
K
M
.*
53
53
M
53
55
53
55
53
55
55
kilos
Grenat...............
Grenateouro........
Encarnado e branco -
Encarnado e azul.....
Rosa e preto..........
Preto, ouro e eacossez.
Azule ouro .........
Encarnado............
Azul e ouro..........
Encarnado...........
R. S.
Bostock.
M. M.
P.A.
A. G. S.
F.
C. O.
F. R. R.
S.B.
S. B.
F. C
J. M.
S. A.
M. A. C.
Jos Luiz de Souza Filho.
A. S
Io PareoItawaia(2a turma)800 metros. Animaes da provincia que nao tenbam ganho premios noa prados >io Recife.
Premios : 200*000 ao 1, 50*000 ao 2- e 204000 ao 3
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
18
i ti
Maiidro......
2 Kiss-me......
Piraruc.....
Ron-jour (ex-
Duvido) .. .
Pipi..........
Rocambole
Roy.........
Royal.........
ero........
Amarylles,...
Petit-maitre...
Piramon......
Horisonte.....
Jaguarao.....
Granito.......
Bostock.......
5 annos.. Baio..........
8 Russo........
Pedrez.
Zaino .. -
Alazo.-
Cardao ..
Alazo.-
Russo ..
Rodado...
Castanho
Rodado..
Castanbo
Alazo-- -
Baio.....
Rodado
Castanho
[Pernambuco.
55
55
53
55
55
53
53
53
50
55
55
55
55
55
55
53
kilos.
Verde amarelle........
Marrn e encarnado.....
Grenat e ouro...........
Azul e branco............
Preto e encarnado........
Rosa e ouro-
Preto e branco...........
Branco e encamado......
Encarnado e amarello
A. A.
Coudelaria Dous Ata0S.
J. L. S. S.
A.
G. M.
C. P.
Antonio Martins Pereira.
Coudelaria Musical.
H. G. L. G.
Coudelaria C. de Venus.
J. B.
J. C. L. '
Jos B. C.
A M. S.
O.
D. P.
* PareoTraa i iba non -1.200 metros. -Eguas at puro sangue. Premies : 350*000 1', 1' 0*000 l'f 35*000 3*
Favorita. .
Olga.......
i Mimosa..
Minerva
Ipha.....
Estephania
Cvnira.
anuos.
Zaina.....
Castanha .
Alaza......
nuradilha-
Alaz.......
Castanha...
Alaz .. .
S. Paulo.....
Inglaterra.
54 kilos.| jMaia A Chrysostomo.
51 Branco e ouro............ IM. N. P.
48 Grenat e azul............. Bastos.
3i 'Azul e grenat...........Coudelaria Cruzeiro.
34 jOuroe branco.............i Djalma Moreira.
61 Azul e ouro...............F. Correia.
61 Encarnado, branco e preto.. (Penna Jnior.
3o PareoPrairmit mio metros -Animaes da provincia.Premios : 250*000 ao Io, 00*000 ao 2 e 25*000 ao 3
Corsario
Templar____
A ruma r y
Provinciano
Trlha ------
0 annos..
3
5
5
3
Rodado .

Abuo.. -
<
Gastante
Pernambuco.
37 kilos
57
85
35
53 .
Azul e branco......
Violeta e ouro......
Azul e grenat......
Encarnado e branco.
I. F. S.
J.M.
F SiquciraJt Bastos.
AaJ. de Moraes.
R.
PareoExerleae*a-1 450 metros Animaes da provincia que aiuda nao tenham ganho nesta ou maior distancia em
ncnlium dos Prados Testa capital. Premios : 300*000 ao 1, 80*000 ao 2 e 30*000 ao 3
i
-_>
1
i
a
ti
7
>
9
*0
11
li
13
14
Vec........*
Orion.........
Serido........
Cyclone......
Barnave......
General......
Azamr........
Flautista.......
Roy.........
Fanfar.........
Pirapama......
Florete......
Pombo-Prcto..
Rei de Ouro...
Potosi .......
o annos..
4
5
4 .
4
5 -
4
8
4 i
b *
6
5
5 -
4 .
4
Castanho
Pedrez ...
Castanho
Rodado ..
Castanho.
Rosilho
Baio...
Castanho.
Alazo ..
Rodado
Castanho.

Cachito...
Castanho.
Pernambuco.
Encarnado e preto
Verde e amarello.....
Branco e azul .......
Azule ouro..........
Encarnado e azul.....
Branco e preto.......
Rosa e ouro..........
Preto, ouro e escossez.
Verde e rosa.........
Encarnado e branco..
Azul e branco.........
Grenat eonro.........
5* PareoHippodromo do Ca
P (Uraade1.609 metros. Animaes de qualquer paiz
125* ao 2", e 30* ao 3o
Virginio C. Leo.
M. A.
M. G. M.
S.B.
S.N.
J. B.
J. L. S. F.
Coudelaria Musical.
Antonio Martins Pereira.
R.C.
J. G. O. F.
M. L. J
F.G.
Bostock.
Premios : 5O0* ao !,
Price......
Coapon.....
Hamilcar. .
A.pasia.....
Salvatus___
3 annos..
I
5
3
i
Zaino..
Alazo.
Preto...
Alaz .
Atazae.
Inglaterra..
Franca.....
Inglaterra. .
Franca..
48 kilos.
54
54
46
51 -
Azul e ouro
Ouro e branco
Azul e ouro...
Azul e grenat
tV Panli
iareaa PrruHmbiirana -l.300 metrosAnimaes naciouues al meio sangue
150*000 ao 2. e 40*000 ao 3.
A. Marque--.
Djalma Moreira-
F. Correia.
Guimares & C.
F. S. B.
Premios: 400*000 ao Io,
Risette.......
Minerva.....
Mandarim .
Alpha ......
Olga ......
Corcovado
5 annos..
V
5 '
6
4
4
Zaina.........
Duumdilha...
Rosilho........
Alaz ........
Caslanha .....
Rio de Jaoeiro..
S- Paulo........
52 kilos
49
54
52
49
55
1 (Monitor.......
2|Good-roornng.
jiTcmplar"
Rio de Janeiro...
7" Pareoa>iln>M -1300 metrosAnimaos da provincia.
Periiarabaco..
Azul e ouro............
Azul e grenat...........
Violeta e ouro..........
Ouro e branco.........
Branco e ouro.........
Encarnado e.ureto.....
Premios: 300* ao Io, 75* ao 2- e 30* ao 3
Coudelaria Brazileira.
Coudelaria Cruzeiro.
J. B.
Dialma Moreira.
M. X. P.
Coudelaria Pajeando.
o annos.-
5
5
Russo .
Rodado.
1
54 kilos. iRosa c preto..............Coudelaria Pernambueana.
54 Grenat................... R.Cardoso.
54 lAzul e branco............ M. ____^_
(*) Montado por amador.
OBSERVARES qK t \ ,ih.
Pede-ae aos Srs. proprietarios o obsequio de tcreni seus aminaes s 9 horas da manna no ensilhamento,
vibto como impreterivelmente ser cumprido o horario.
Os animaes inscriptos para os outros pareos devem achar-se no ensilhamento 1 hora antes da determinada
para o parco cm que tm de correr. .
Os jockeys que nSo estiverem matriculados na secretaria do Hippodromo nao poderlo correr, cumprindo-lhes
aoresentar as respectivas cadernetas na occasiao da pesagem.
Os forfmts serao recebidos na forma -lo artigo b2 do Cdigo de Corridas.
HORARIO
Corrida*
I.0 pareo
2."
11 horas
4.
."
G.
1."
8.
11 e 50 minutos
12 . e 40
e 30
2- . e 20
a . e 10
4 i
4' . e 50
Recife 25 de Abril de 1889. .
O secretario, Jos Eustaquio Perrewa Jacobina.
MARTIMOS
Companhia Bahiana de Na-
vega^ao Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Baha
Si
Rebello
o
vapor
f'nnaandaau
erg'ipe
Segar para os porto1 cima
no da 20 do crrante s 3
horas da larde.
Para carga, passagens.encouimendas e dinhei-
ro a frete trata-se na
AGENCIA
17Ra do Vigario- 17
Pedro Osorio de Cerqueira
COHPA^HIt Pi:a\HBICAM
DE
\avegario costelra por vapor
PORTOS DO SUL
Macei, Penedo e Aracaju'
O vapor Mandahu
Commandautc Alcides
Segu no dia 27 do correte s 5
horas da* tarde. Recebe carga al o
dia 26.
Encommendas, passagens e dinlieiro frete,
at s 3 horas da tarde do dia da trartida.
E.SCRIPTORIO
Ao Caes da Companhi Fc.riuivihue.anu
n. 12
Pacific Siv m avigation
Compauy
STRAITSOF51.AGELLAN LE\TE
Paquete Sorata
Espera-se da Europa at o dia
5 de Maio c seguir depois
da demora do co? turne para val-
San liso por
e Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di-
dheiro a frele : Irata-se com os
AGENTES
Wilson, Sons & L, Limited
14RA DO COMMERCIO14
Companhie de Messa^eries
Mari ti mes
LINHA MNSAL
O paquete Orenoque
Commandante Mortemard
E' esperado dos portos do
sul no dia 2 de Maio,
seguindo depois da demo-
ra do eos ume para Lor-
deaux, tocando em
Dakar e Ushoa
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo.
Faz-se batimento de 15 OuJ em favor das fa-
milias compostas de 4 peesoas ao menos e que
pagarem 4 passagens inteiras.
Por excepeo, os criados de familias que to-
marem bilbetes de proa, gozam tambem deste
abatimento.
Os vales postaos s se dio at o dia 30 pagos
de contado.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro'a frete: tra'a-se enm o GENTE.
O paquete Equateur
Commandante Moreau
E'esperado da Europa no
dia 5 Maio de e segui-
r depois da demora nc-
cessaria para
Baha, Rio de Janeiro, Buenos-Ayret e
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em quatquer tempo.
Previne-se aos Srs. recebedores de mcrcado-
rias que s se attender a reclamajes por fal-
tas, nos volumes, que forem reconhecidas na
occasiao da descarga, assim como deverao den-
tro de 48 horas a contar do dia da descarga das
alvarengas, fazereui qualquer reclamago con-
cernentes a volumes que porventura tenham se-
guido para os portes do sul, afim de poderse
dar a tempo as providencias necessarias.
Eates paquete* o
lux lectrfra.
Risco martimo
David Lowson. capilao do navio inglez Alert
ile Roeom luglalerra, de porte de 130 toneladas
de registro, actualmente ancorado neste porto,
precisa sobre o casco, mu-ieucSo, vellama e
apparelho do mesmo navio, da quantia ile zentas libras sterlinas, para os concert e for-
necimentos que habililem dito navio a proseguir
em suaviagem. As proposi.is pelo adaitunnn-
to da quanlia cima se rao recebidas no consala
do liriannico at 3 horas da tarde do da 27 do
crrenle mez de Abril de 18X9.
LEILOES
eilo
De movis, livros, tpeles, cadeiras avulsas,
1 excellente machina de costura, 1 tileiro, 1 cor-
tinado, 1 candieiro a iraz, I commoda. 1 guarda
louca, 1 marquezo. 18 volumes de histeria uni-
versal, 1 revolver, 1 linda colxa e muitos outros
objectos que sero vendidos jo correr do mar-
tello.
Hextst-teirsk do corrate
Agente Pinto
No sobrado da ra da Praia n. 46, casa de
esquina
A's 11 horas da manha
Vende-se ou permu-
ta-se
Na villa de Iguawsu, ha quatro legojs da
cidade ae Olimla, vendein se quatro casa ter-
reas, sitas ra das Trinciieiras, sendo duas de
taipa e duas de pedra e cal, tendo urna d-essas,
a que faz esquina com a rao dos Prazeres, 95
palmos de frente, urna taverna com duas portas,
e a competente armaco, em um oprimo ponto
para negocio, e compartimentos para residencia
e hotel; sendo as o ilras tres com bons commo-
dos para familia, situadas em frente dessa, cer-
cadas dearvoredos e de posicSo fresca, e salu-
bre ; assim como negocia-se tambem urna
cheira que tica contigua a esta; casas, urna dili-
:encia em perfeito esiado, que faz viagen-s de
'linda a Iguarassu, plantas de capim, cercado,
etc. ; ou permutase por urna casa terrea sita na
cidade do Recife. Quem pretender dirija se ao
caes 22 de Novembro n.mero 24, armazem de
pinho.
Atteugo
Pmeisa-ae de urna rapariguinha de cor, prefe-
rid do-se orpha, ou mesmo urna que nlo tenha
prenles e que saiba (ase algum servico inter-
no, para casa de pouca familia, mediante qual-
uer convenco ; a tratar na ra do Rangel n.
h ^'Jindar, collegio de Santa Lucia.
Criado
Precisa-se de um criado : na ra da Pavsan-
d n. 19. '
Precisa-se de um
sand n. 19.
Cosinheiro
cosinheiro ; na ra do Pay-
Leilao
De niows
Sexta-fewa, 2 do corrente
A's 11 horas
Na casa n. 11 ila travessa da ra da Maugneir
na IregoesHl d: Boa-Vista
Espolio di' Jote Frunc*} lijiif*
Constando de mobilia de am>.relio, sei|itnti
as, tapetes, jarros, etagers, 3 importantes qua-
Oros de movimenio. escarradeiras. caixas de mu-
sica, cadeiras de bataneo, cama lianceza, mar-
Suezes, guarda roupa, cabides, relogio, camas
e lona, 1 mesa de ps torneados, 1 dita para
jantar, acias, eaixao com Urameota, banheiro
de folha, bolsa de viagem, banco para corredor
e muitos outros movis que serao vendidos
Ao correr do martelo
Pelo agente )h.y\\\\s
Iluminado* a
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete: trata-se com o
AGENTE
AugusleLabille
* 9 Ra do Commereio 9
Royal Mail Steam Packet
Companhia
O vapor Neva
Commandante G. M. Hicks
TaknSSv Esperase da Europa at o dia 27 de
lAbril, seguiudo depois da demo-
ra do costnmepara
aeelo. Baha, Rio de Janeiro
e saatos
Para passagens, fretcsc encommendas Irata-
se com os AGENTES.
O vapor Tamar
E' esperado do sul no dia 28 de
Abril e seguindo depois da demora
necessaria para
2^
Lisboa, vlgo. ouihaaipioat e
Aaiuerpla
Reduc^So de pasageiui
Ida Ida e toUu
a' Lisboa 1 classe 1 20 30
A'Southamptonlclasse S l 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Emquanto vigorar a quanvitena imposta na
Repblica Argentina, aos vapores e navios pro-
cetes do Brasil, os vapores desla companipa nao
aceitarlo passageiros nem carga para Buenos-
Ayres.
Para passagens, fretes, encommendas, Irata-se
com os
AGENTES
Amoriin Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JesnsN. 3
Companhia Brasileira de
Navejaqao Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Commandante Antonio Ferreira da Silva
ggM jl E' esperado dos pertos do sol at o
TfilAs. dia 27 de Abril e seguindo depois
2|h 2lda demora indispensavcl para os
^^portes do norte al Manos.
As encommendas s serto recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde de dia da sabida
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res irata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commereio=6
1 andar
Aluga se casas a 84000 no becco dos Coc-
hos, junte de S. Goncollo ; a tratar na ra da
\ mperatriz n. 56. ______ _______
luga-se ou vndese o sitio do Mondego
n. 153, ra Visconde de Goyamia : a tratar
com L. de Moraes Gomes Kernira.
Precisa-se de urna ama para casa de fami-
lia e que seia boa cosinheira ; na ra de Gerva-
sio Pires n. 22.
Precisa-se de urna boa ropoira ; a iratar
na ra da Soledade n. 82.
Vndese um sitio cora boa casa de vien-
da, mais duas casinhas no laxar da entrada nova
de Beberibe (Agua Pria), coufendo um bom par-
reiral e arbonsado com muilas frui-leiras de di-
versas qualidades; a tralar na u.i Duque ue
Caxias n. 30, padaria dos Srs. BrirSo 4 Almei-
da, oa no raesm > sitio com aec jiroprietario Jos
Felippe da Fonseca Taborda.
Grande leilao
De urna variedade de videiras como se-
jam: uvas moscatel, malvas a, ferral e
outras especialidades ehegadas da Eu-
ropa pelo ultimo vaj cacao das Antilbas
Sexta-ieira 26 do corrente
A'S II HORAS
Na armazem ra do A/arquez de Olinda
,i. 48
Em continua cao
De lindas mobilias novas austracas, dilas
usadas de Jacaranda, ditas de amarello, ditas de
pao carga, pianos de diversos fabricantes, ca-
mas franc.e7.as. marquezes. bereos. santuarios,
commodas, aparadores, cabides. quartinheiras,
quadros a oleo, espelbos. jamv, loucas linas,
para almoco e jaular, copos, talberea, papel al-
mago, dito para caria, vinnos linos do Porto en-
garrafados, dito BordeauN. cognac, licores e
muitos outros objectos que sero vendidos
Ao correr do marte)lo
Por intervenjao do agente'
_ AVISOSDIVERSOS
Aluga-se barato a casa n. 4 ra Princeza
Isabel, com bastantes commodgs pira collegio
ou para grande familia, com agua gaz e muito
fresca ; a tratar na ra da Aurora n. 85.
Massa fallida de Capituliuo Ro-
drigues Passo C.
Constando-me que o falli-
lido Capitulino Rodrigues
do Passo, autorisou a procu-
radores seus a receber dbi-
tos activos da massa com
recibos ante-datados, peco
a todos os devedores que nao
paguen conta alguma se nao
com recibos visados por mim,
ou pelo depositario da mas-
sa, o Sr. Eugenio Goetchel.
Previno-lhes, outrosim, que
ainda sou curador fiscal por
nao haverem conseguido at
aprsente dataminha disti-
tuicao deste cargo e estou
dispostoa liquidar taes trans-
ac^oes emjuizo competente.
Recife, 24 de Abri) de
1889.
Dr. Henrique A. A. Milet.
Vendedor de plantas
Precisa-se de urna pessoa para vender plan-
tas ^a tratar ra Baro da Victoria n. 54, nova
agencia de movis.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Cabo
i
O abaixo assignado avisa a ti dos os interes-
sados que nSo contina cultivar as trras do
engenho Rosario, e assim nao se responsabilisa
pela renda do u csnio engeiihu tiesta data em
diante. Cabo, iS de Ahrilde 1889.
Columbo Latino Vuua de Souza.
E' bom
eiao
que
Pedimos aos nossos fruezes em atraso que
venham liquidar suas cuntas al o fim do cor-
rente, sob peua de verem seus nomes por exten-
so e declarando o debito.
Oliveira & Irmo.
t
i
Coronel Domingo* 11\ >
MwtbMIN
A junta administrativa far celebrar na igreja
do Paraizo, pelas 8 horas <'a manha do dia 29 do
correte, ama missa cantada pelas expostas,
por alma do ex mordomo coronel Domingos Al
ves Matheui, trigsimo dia do sea fallecimento.
Para assistir a esse acto, convida aos paren-
tes e amigos do fallecido.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 24 de Abril de 1889.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
.
Joo Caario Firmino Moateiro
Luiza F. da Costa Agr. Luiz G Agr, Fran-
cisco de B. G Agr, Candida Miqnilina Barroso
e Carlos A. Firmino Monteiro, sob a pressao da
mais acerba dor, convidam aos seus amieoa e
aos de sen finado tilho, irmo, sobrinho e pai,
Joao Cancio Firmino Monteiro, fallecido na cida-
de de Pesqneira, assisiirem as missas que pelo,
repouso de sua alma fazem celebrar sabbado 27
do corrate, stimo dia de seu passamento, s 8
horas da maah. na Veneravel Ordem 3.* do
Carmo. Por este acto de religio e cridade se
confessam agradecidos.
'
t
Coronel Jone Ibumu/. tunrahe
D. Brgida Flora de Oliveira Goncalves con-
vida aos amigos e companheiros d'armado fina-
do sen marido o coronel Jos Thomaz Goocal-
ves a assistirem as missas que por sua alma
manda rezar na igreja da Conceico dos Milita-
res, na segunda-feira 29 do corrente, s 8 horas,
Io anniversario de seu fallecimento, e antecipa
sua gratido a todas as posssas que se digna-
ren! assistir a este acto de cridade.
Engommade ira
Precisa se de urna boa ensrnmmadeira e que
tambem lave : em Fernaudes Vi-ira n. 11.
Ama
Precisa-se d urna ama para
lar na rea Pedro Alfonso n. 9.
cosinhar; a tra-
Ama
Precisa-se de urna boa engomraadeira; na ra
Duque de Caxias n. 42, por ma da lypogra-
phia do Diario.
Ama
RedCross of Steamers
Vapor Cearense
^- E' esperado dos portes do Para
e New-York at o dia 10 de Maio
e seguir depeis da necessaria
demora para os portes cima.
Para carga e-encommendas rata se com os
CONSIGNATARIOS
Johnston Pater efe G.
RA DO COMMERCIO X. 15
Precisa-se de urna ama para todo servico, para
urna familia de duas pessoas ; no largo do Pa-
raizo n. 14 se dir.
AJuga-se
a casa sita ra Viscoinie de Goyanna n. 58,
com agua e gaz, tendo bastantes commodos para
frande familia: a tratar na ra Velha h. 87, das
horas da manila s 4 da larde.
t
Antonio Francisco Jos de Mello Costa e sua mulher
Luiza Alcntara de Mello Costa, mi c irmos de
seu prezado irmio, cunhado e lilho, Antonio
Jos de Mello e Silva, convidam aos parentes e
amigos a assistirem a missa que mandam rerar
pelo seu eterno repouso, na matriz de N. S. da
Graca, no dia 27 do corrente, s 7 horas da ma-
nha, |- anniversario de seu infausto passa-
mento. ____
f
Arithmetiea
DE
Cotinger ou Kotinger
Precisa-Be comprar um voluu, o Pe
dro IJ, n. 73, Io andar.
Coronel Jone Thomaz. -ihiihIk-n
Lenidas Tito de Loureiro manda rez*ar urna
missa pela alma do inado coronel Jos Thomaz
Gongalves na igreja da Concnjao t'os Milltaaes,
s 8 horas do dia 29 do corrente, Io anniversa-
rio de seu passamento, e convida aos amigos do
finado, seus companheiros d'arma e sua iami-
Mara de .leii Teixelra Franco
As lilhas. netas e netos da finada Mara de
Jess Teixeira Franco. co.ividm aos cus pa-
rentea e amigos para assistirem algumas missas
que jnandam celebrar na matriz de Santo Anto-
nio, sabbado 27 do corrente, stimo dia do seu
passamento, e desde ja anienpam a sua gra
tic'o. Tambem ser celebrada urna i
matriz da cida'i



6
Diario .e iiternaibufcro^^Se^tofiii*a<^6 de -AMil je >K^D
I
I
3
^
W
Agrio, loa e Cambar 4o torte
SUCCIHIWtKCT
Esta cabalmente provada a efiuocia do
agnJkKfftw MKtra Ua,nolfitt&8 artillantes
aoaorj>:fto*da respiraao e juntando a easa1
preciosa planta as nao menosconhec idas Jos
e Cambar do norte, cujos ffeitoe balsami-
coitnj toa comk& do joi te o primen-o reconmicn-
pharrngit
ou mal da garganta at a tuberculote,
abrangendo as diversas brqnchites, cathar-
ros e pleurisiasi
Os innmeros.i*tt*atada8 quedemoside
cuew consegfidas por esse podetoeo ^pre-
parado nss-autorisam a recommendar o .sen
uso de preferencia a qualquer outro.
Deposite eral
PHARMACIA E DROGARA
34ba lam* do rosario34
im;u\ubi(u
,dUIEST
A SALVAQO
SALfTBfcrC:,
di:
:W ...
HERMES DE SOUZA' PEREIRA
S103ESSCB.ES
Acaba de reabrir.-se esta importante pharmacia sita ra do Manquea 0kmR-m-^7^dmtpom^.ter
pascado por urna transformacHo completa. Est em condicoes de satisfazer todo e qaalo^erpedidofwrowtwweer-
das^vias*!r**^^ feftte ^masiipukc^o -do Teceituario, como a venda de preparados nacionaes e estmageires, dos quaes aaaefca
rigorosamente sentida. \
Esta casa .eiido per deuiais coftheeiria pela suaseriedade, os ss proprieterios esperam^todistiiwtia'CK'p
medico e da porttilag5o-Hi geral. a continuado da proteccao que sempre Ins dispensaram, para o que nfiinitnni
& reconhecida Jealdade com que costumam tratar os negocios de sua profissao.
XaBJU3Qe3 TJE SOXJZ^, DP3ED.3eXDR,Jk. & C. SUCCESSORES
3^--3 !?*% ai-A .& 0^.SZ BE <9&-3R9-37
UmUlFJVHTlIMUR
o maior beneficio da existwsia
Para Mh.t esw dora inp-limnvcl empregaes o SAL
PYRETICO de LAMPLOUGH:qne awmmrft* o Val
om ^r raUjft^ stelborando il>i# a|r)tA >cd-
bararan.f o o /^niKMjfo, o h'tynuo, m Ria e
o* Intfjt i mi*
tirara rwtM
tres*B febris, r ofrezca ido-o
mi.iu|iht olMriKtf JE' ERTBjO GRAMSO Ba8ZRVADrV GRAMBE-REMEDIO ednlra i nir pafl.' das Molesli
O
us
~**flf~*" ahliiM I climat ihpityf % eflic^i
ciriosKubr asaairlli>cur.ras l>*il. b I
We, estaquea, enjn, vi.iuil
_ uga.iaexuas,
bilis dureu de venlre,
ladiaeatao, iiwluaies, col.ai-ipjjrU. crmnijqs* avlesas
da taifa, talle a#Mdbc^(i>>, *.
O D' W. 8TEVENS ceta: Apis a u.lqpfao fif*
Se', as (obre tnvrlifcx**. vm Antilirt y 4o
m ai 4 rorrorosaf.
ODiW DOW8ING r.-'.^ti: T-*ho emprimado
>-- SVu traiaif.iJ.' 'te 4aiumute r*re mrnSrtlto,
c folgo tstnnwt.'ar que uo Ure hui s iudu rxito.
aijjipujav: ^l .voa em oma (raaRA .
LOMep alr'ur.i ii.i A bauia
TB9WA&,C -COOPXRv Ssqnira. EagB*tiro a* -
Ri-tle-Jant'Jr, mcjvt-0 :
Tubo eavtaflA flaiaate ZO.stwpu.voC'+>-. i
lancino, PtaiUnUertMi iio eaaumae:ts lodos us limsu Sal Prrttico Jf'-*~l'T11i
miito^yo-oluii/*.ai'iii*7'i(.(*as,*ui*TlrJ>. (
precitado *le metltoi para aqtteUeletrfpo.TenhueiupregHitlu mullos opfar\QfUit
mnuvtojawos au i e mi> iv-nr WK marrAuc dealf.'
de urna semana da /ebf amarilla JtoUMjirtm
d'aiueUes oue fomaVo Sil- Mira M UMIMW FuBto branco de 4U0 e
mowrAii. bwi saauo- lofftrta M ftbre aniartUa, .
$e rulo levemente.
21-UA I>0 CU
0UVE1RA
TelegTamma
Vejam e admireca
de Caxias po
abaiso mencio
' X tendo de receber kre*4
v emente um sortimento de artgt)snovos iteatotnovidade, resolveram
azer urna grande reduc^o nosprejcosdo^ artigos abaixo meneiona-
< los, para os quaes chaina ni a attencao das srateJSxmas. freguezas.

i&tisr
'jaiinos lo me i esse Sal regrtUrmentetodm
i mondas, dura/ile todo este Xewtpo nunca Umti \
o#ttirdft'ttemt nem tio potito*onsuitei taedXcc.
itmitlrei o sal aot meus filhos, e nunca precitei 4*
wwifur vir o medico para e/fes, drjiois de najcereao.
Licenciado pala Zospectoria de Hygieae
do Imparlo do Brasil. j
GOMO EMCU^GUUA
MUTAMBA
PREPARADO EM TOXICO K Pi'MAbA POR
X. 3SX.SXJG
(aranti'-si' s. cura d.i ( ai.vkjk, yin.\
DOS CABELLOS, CASPAS u NK Vl \1.( ,iak na
cabeca.
Vende-se na loja de eabelleireiro de
ODILO &BMO
ORa da ImpcratrizO
1 Lihos paja vestido -pada-fes modernos a 160 irs. o covado.
-Veto** imaK9m<, maes iam,- aiO rs.m dito.
Mermaste e6res, duas larguras, a 00 rs. o dito.
] ISatos de ci-mi laivrados,i*fl(5a05* 1,J000 o dito.
:. Lab de cores, desenhos de cachemira, de 900 a 600 rs. o dito.
Marin de quadvofi de 380 rs. o dito.
500 rs. o dito.
Mursolma branca para casacos a 500 rs. o dito
Zephir de er, listas e quadros a 500 rs. o dito.
Ditoa-aireodados, lindos gostos, a 600 rs. o dito.
Dito* de listas arrendados, alta novidade, a 800 rs. o dito.
Ktamines arrendados, de c6ree, de 800 a 500 rs. o-ditos
K13r de italia m quadnvbos, aOO rs. de 900 rs.
Mursolinas de cor, de listas, .* 400 rs. o dito.
Oortes de- e 20*5000 por 9,J000 e 12 L nao, padroes em quadros, a 440 rs. o eovado.
Nanzukes padroes miniosus, de 280 rs. o dito.
Cereales miudinha se pannos linos, a "SOOixs. o kv>.
.VUrin ppeto fino, de 2*5000 a 1,000 .mi,.
Setim ilaeo de todas corea, a 900 -rs. o dito.
Brim fino pardo para vestido, a 400 rs. o covado.
Cambraia Victoria transparente,.fina,.aS4fiO0ia pc$a.
laio uio nmam
42 Premios
Mantas liespanbo'las, de seda preta 3f$000 urna.
Espartilhos, o que ha de melhor, de 4'3000, 5*00, 6^000
74000 um.
Fichas-de t6r wfendados, de 1<5000 um.
Capinhas hespanholas de cor a 24000 urna.
Kiehus.de seda, muito lindos, a 34000 um.
Sarge4v ii^oaal, todas as cores, a 240 rs. o covado.
Casacos da .iairii branca bordados, a 34000 e 4000 um.
Luvaa-deeda, toados tamanhos, de 24000 a 3#000 o par.
Lences de linio do-Porto, a 44000um.
Ditos grandes para cama franceza, a 64000 um.
Colchas-de cor, -de.. 24000 a 54000 urna.
Fichs, sortimanto'eooipleto, de 24000 a 65000 um.
Lenco de linho oonrbarrinha a 24000 urna duzia.
Camisas franeezas, 'de 244000 e 364000 a duzia.
Meias cras para nenien, de 44000, 54000 e 64000 a duzia.
Ditas brancas-cras -de cores para senhoras.
Ditas brencas ora'* de cores para crianzas.
(Uhambres de crotone, de 54000 e-6*0B0 nm.
Cortes de caaemira de cor, de 64000 a 84000 um.
Cortes-de fustSonpara edllete, de 14000, 15500 e 24000 Um.
Camisas inglesas de franella, 12 pura, a 54000 urna.
Alm de outros arfigos ,que deixamos de tnoncionar;
21-Rtia do Crespo--21
v a o s:
ALCG0LHI
.
HbOOVme t>Apa>
ajiai Hlustra?o lledicas
a contrjl' >
ndigostes, Dora itt-tttomgpp (
de cara**. 4tmnt, de Can***, tic.
DORANTE m CUARS
OPTMO TASJBEM i-*Ha
oTOUCADOReosDENTi
Onaae rmerratlro em lempo
Tralamittft.cillM m Has
DAS
luso uRiA q hM*ewmm
o
CHROIXICAS
(VULGO PURGAgO)
D> mmi ii o ii ni i.iii;k
E da leueorrlia ou jibwss brancas
Muas Resino Balsmica
E
lnjeec* Aiil-BIenorrliagca
; PREPARADOS POR CALASANS & C.
PRODUCTOS APPROVADOfi PELA
IN8PECTORU (i ERAL DE JITGIESE
FaOartioa em LYA.O,
O, Oerarm (fHcrhonWJia
,, partencias, ct
4d*4rant*- dez anaos, assignala a estos don
>i'iaedicamt;ntos, usados com a dieta e dosa-
as prescriptas. o primeiro iugar atre m
'*er
Vtgt-M o uone d< ^*^QLS
k Pwtmbmo : FfliN" M. cjsjfyi.va C
I em luda a Vis./lumzl!
'- "f ~-:
Ptoral de Cumbms
O Pejtoral de Cambar asta recanhoci-
d" coma urea,deaobeirta de iwagr-.ii impor-
tancia Sao. amnerotiistoimas as curas opera por essejnajraxilliosux) rry .'>vtd'f
i &mm dFsoiza se abes
Soto e poderoso medicaMea.o contra as Molestias do ppare-
relho respiratorio:
Tosse, covza, larva^ite. aphonia. coqueluche,
grippe. bronchte, asthma, pneumona, homoptvsia>phtl-
sica j)iiluia|Kir. etc.. etc.
Approvado pela Exma. Junta'<>f#m^de Hygiece PubUca, autorisado por -le-
v.,w;irL^^l T^81"*8^' ^-.Huip^ldW.^ Jt.nha.de-18W/wtedo de valiosos attostados mdicos e)">.
0-hanit.j* outros de peesoas enfadas, elogiado unnimemente pela imprenaa e pmniaaoj Brins-oardosa 320, 400 e 500 n.
com duas medaihas de owro de primeira classe pela Academia Nacional de Par> < ">v-'d<..
jiW.ii.!; Exposeao Brasile.ra-AUema.de 1881- i (^ de vestirlo de cachemira com v.
'n,., .L*$.,lahnc* esPecal ao estalwlficimento Agrico-Industrial do PARQUE drilho r. que a de gasto.
hbricac^ j)ttmw& 20.000 frascos barato
S o 55 ra Duque
vencer pelos precos que
oanios.-
Amor da China, novidade era padrSes, >
4-200 -rs. o covado.
FustfJes brancos a 360 e 500 rs. o ct-
vado.
Velbutinas de todas as cores a 800 rs.
covado. E' barato!
Cas,. ;is e **pas para senhoras, o qtw
ha'de'mars novo e barato.
Cortes de seda, padroes lindos e precia
razoaveis.
Madapolfio eom 1 mete de largura
65 ff-peja.
Zefiros a 80/170, 200/240 e 400 r
o covado.
Ditos bordades a 800'rs. o covado
Tecidos -iirrcndados a 400 e 500 rs. .
covado.
Brins de cores a 320 rs. o covado.
Cortinados de crochet, cousa chic .
preco barato.
Ca'mbraia Victoria a 25800 a peca.
Dita batista a 120 rs. o covado.
Sargelins de toda as cores a 200 rs. >
co--vado.
Guardanapos bons a 14800 a duzia.
LSs modernas a 240, .-280 e 320 rs. .
covado.
Rendas' hc-spanholas a 24 o metro.
Luvas de seda a 24 e 34 o par.
Espartilhos couraca a 44, 54 e 65 um
Merinos pretos e de efires, urna vari
dade immeiisa em precos e qualidades.
Setns de todas ias cores a 800 rs. o <*
vado.
Toalhas felpudas, grande reduccSo en
precos em vista da grande quantidade.
Enxovae -parabaptisados o que ha ri-
mis moderno e por pouco preco, 10500G
Colchas de crochet milito chic.
Caramas ingiezas com e sem collarinho
Atoalhado para mesa a 15 e 1580C
muito lino.
CoHariabos e-puDhos de linho e algodl.
e por preco barato.
Babados e entremetes, grande sort
ment.
Madapoloo pelle de ovo por 64 a pee.
Esgulflo pa^uVc chumbado a 400 rs. <
covado.
Umn gmodo variedade em lencos.
Gravatas e meias para homens.
Cretonas para coberta o que ha de'mal-
barato e botu.
Mantillas de renda a 55 urna.
hOkffmtk wia muito chic.
Linn "bord/do "com quadros a 800 rs. i
covado, muito bonito.
Chitas, --canas t dar, a 240, 280 .
320 rs. o covado.
Cretoaes trancados, finos, a 320 rs,
covado, para acabar.
Casemiraa te cores e pr-etas um grande
sortimento em qwdidades'e preeos.
Casinetas, o que ha de mais bonito, >
400 e 500 ts. o covado.
Tapetes grandes e pequeos por preco
+TBWav8s. '
Crinoline preta e branca a 14600 o m*>
GKANDB LlQUIOAC.0
Na Loja das Estrellas
36~-Ru Duque de Cxis58
. Telephone n. tO
bem conhecido estabelecimento acaba
de passar por urna grande reforma,
sende ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
de sercm despachados todos os seus
freguezes com mxima brevidade
possivel, resolveu fezer grande Ifr-
.laidaco di iodos os saldos que
fioasam di; balan9o, por menos
50 [. do-aeu-alor, cujos artigos
k- pangamos a damoastrar :
Arttgos de le
Esguiao, peca, a-34&00.
Madaaaiiio com nm metro de largura de
lao^or 74080.
dem dem americano de 85 por 55000.
AJgedao marca .T, especial;, muito largo,
de 75 por 54000.
Bramantes, pecas, por 75000.
Atoalhados, lindos desenhos, duas larga
ras, a 15 e 15200 o metro.
Guardanapos de 45 por 24000 a duzia.
Estapa- de Unho para bordar a 500 o me-
tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 15500 o dito.
Lenjos brancos e com barras de c6r a_15;
e 15200 a duzia.
foalhas de fustao, qualidade superior,
4*e- 45000 a duzia.
Orerwres para coberta a 240 rs.
Colchas acolchoadas, brancas e de cores s.
Lenges de bramantes a 25000.
Chafes escocezes a 15000.
E outros muitos artigos que deixam de
ser mencionados e que se vendem com
igual-batimento
Tcetdos de alta novidade
PARA VESTIDOS DE SEKH0RAS
Linhos pardos para vestidos a 300 e 320
Sedas com-quadros e listrae de 15800 por
800 rs.
Setins- de seda, todas as cores, de...-
14200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 por
240 rs.
Tsale de Vichy, de 240 por 160 e' 80 rs.
Nor.suks, desenhos fnovos de 240 por
120tb.
Cretonas claros e escuro com lindisanos
desenhos de 440 por 240 rs. 480:
PECAS!
Merinos de quadros, grande varjedade it
padrSes, -de *500'-pw*?'!0 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
pechineha !
Fustoesde r, de qnadros e outro'dese
nhos multo lindos, de 500"por 160 i?
Sedas Felippinas, de 500 por 200 rs.
E muitcs outros tecidos para vestido,
em algodSo, linho, 12 -e sedas qae se Ven-
demeoroo o mesmo abatimento de 50 [t.
ConfeeeSo
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de 805 por 55 e 304.
Ditos para armar de 65, 85 e 105.
Ditos brancos bordados em carto, attil no-
vidade a5 e 105.
Guaroicoes de colarruhos e ponhns par
seihora por 15 e 15200.
Capotas (preparadas na corte) de 205 por
95 e 105
d;3
Gollinhas e punhos para menino
8 annos.
Vestuarios e roupinhas para eviaueas, por
55, 65,"-85 e 105, e Jersey, casemira r.
de brim.
Saias bordadas a 25 e 35.
Eflxovaes para baptisado com collares ele-
trieos por 55-
Luvas de seda meio b-aco e -ptalqiHsr ta-
manho a 15500 o par.
dem idem de Escocia a 15 e 1550'.
Sobretodos impermeaveis de borracha de
705 e %0&, Capas' e peiierinos de cachemiras ottoma-
na ricamente eafeitadas de vidnlbos a
255 e 305.
dem idem de renda, seda, daronsteo e
gurgttrSo, tanto paa phant'sia come
para oommodidade a 385 i 40.
Velludos de seda c algodito de MW'eftfal co-
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanhols de -sedti> tlgc
com ubi metro -h lacgara.
cores"'a 750 e
o e linho.
Tratamento Reconstituate
V COM EXTRACTO 1

c/e.iJWfWMo de Uacaik/tM j
ftiinu t Caeu 1
d.t
Cada frasco
ELIXIR oontm os
print.p.os capurativoii e
.. djum lit.-o 09 olo
do timado da bacall-.u
um iitroalaa'rf .d0*aa.
d*esta} Tem sobra
As pilulas sao >npportadas pelo edtosaa-
|u*vaac i S ajis,delicado, pois qu* elb*- nao iuj-
fo~'y ,.liftet'*,*tni!ui diffieultam as funcajSes das"
*OTg3o.
A iajecjao anti-bhstionrhfgie* ab-
aolutauente irritante e por isso nao teu y!
inconveiUsf da ictiujlmonie enii'g.-^
e no produz estreitamentos.
lao publicamos o grande numeiv do
cartas, .atte*todo e agradocimentos qui? te-
mos recebido para nao offender aos Bossoff
clientes, muitos dos quaes sao pessoas mu- j
to conhecidus e altanvente collocada<>,
Empregada como artigo de toHct part:-!
cu!ar e exceWente pre-i: .ativo contra .-
molestias secretas.
Modifica e faz desapparocqroniDt-Le.i"-'
das regras.
Pneparatlos p-r GdawM & C, '?.;-
aoin Imperial, Baliia.
DEPOSITO NO KEGKK
Francisco Manuel d S-Jva .V C
Maique? de Oi'.da r,. '-!'..
\-udv se
Matfj-.ez de m**M*mm
tA-flAO*iE^WGiWA4V
*J*^ raj... :'.!* 0
l
tigp.do da bacalhu a van-A
1 tagam de accelarar as J
1 func9o* do eitomafo
1 em lugar de ae perturbar, T
>de.rtaroapp#tlM
.,t
Este Jfedawento, de sabor, e
muso agraijivcis, obteve o melhor suc-T
cesso em Fana para combater : |.
ANEMIA. CHL.ORSE.
AF-FECfiS? dos BJRONCQ&.^
e a FHAQUE2A das CRIANCAS
a--9--m-i*
Depsito geraJ em PARS :
traAK, 11, rua a# yoLtou
Km Pernavunteo
en* "'^ m. da filt.y.
COM --*
PumUHub L. JftJSSOX cotu Ch tndate
Entap *9<90hMt, i -nabar agndaval, estio rigotBiwraiema oaaaUt.
Ca4i Ptttilht ctmttm U tunugnmmMid K. (tmi oolhorfiaX
r rep jgt: LffliBff. 2!, Itsib de mim^;*KWm, vm ftPSrts.
i sk iooaa's4rlaarcinkf iiiARMeia<
Lmn at*
un
r
PFlFMMJUl&lli)^
FoasMMsUras das Corte da Biapniaba.
d:i *rao!a a dn Bcdloivda.
j SABCNETES EXTRAH1W8'
preferidos 'pela clase-alegante.
Oiasos e oiieir sJB8tina .Vagua.rbrmio
jro verdudeiro ba.itao de ler;. Os siais
reeomraendados sao :
Sabonate de Kananga dg Jtofikt
Saonou i Mira***,
Sdbonata da Atraca,
SdDonata da toiak da China,
jlajggtOsejnJ^ABIS : 8, Roa ViTiaaae.
-UrLa*-
Setins Maco de todas as
800 ts.
E muitos outros artigos de confeccoes
como vejan maotilietes *e- Wosds, sahidas
de bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muitos mais, que ae ven-
dem com o mesmo abatirento de 50 [r
Para heaaeas
Casrinirasinglezas com'duas largura, de
34500 por 14200.
LDiBJs-.ujBr^de ta*enila(}e 24&00 por
800 rs. r
Cortes de seda paracoilete, de 124000'por
35000 e 34*00. ^
Ditos de velludo e fnstao a !* 1*20.
Meias ingieras com fio de "ae?da, de 125
por'64000 a duzia.
Paletots, de 74 por 44000. .
CaaiBa- eonmr>plequno' trique de mofo
a 14600 urna.
Collarinhos, modelo moderno, a 55000 a
duzia.
OawwMB iaglBaag~ewp uwMm'UfJUs' ~e"pu-
nhofe, seni coUrrnhos*' e sem punhos *
364000 a duzia.
Brins pardos de linho a 240, 280, 320,
380 460"rs.
Dito brasdb de ftnfrd n.'6 I590& a vara
e-wwto-B, M nanriHii pala ,ue pettoru q- Lindo* cortes de casJWrfra itgtfza, de 65
:cinparecam. R: mx tOA A> Aic aa.imwatra arar wn a*i*j-
riptinetas Usas de toda.aB'v>r-
rs. -amnwdoi'SiWiniu'ti.'iiiii,';.^.
1o:.;i fcita <-^nr (wti.-^.
Cambraia raraaxa, ia*rtladu, que'ha'd:
, bmm gasto-e peetafecQ razaavel a 85OO0
ipeca:
Dit* mi-A aal^swas 45e 54000 a pee*
JsieWttNaaMtoaa a 8*900 una.
Ditos de L', 34, 45 e 55000.
Bramantes de algodSo e ficho de todo
i OS MVi'i..,.
Grande sirrtfmeato em fichiis de core
; prf t'> i
Grinaldas pai-a uoivas.
Luvas. e lequ^spara neivas.
Bicos A!m da que acabniao de innunaia
i tomas una quantidade de artnjtst-iflft*1 s
ENGENHEffiO K CONSTRUCTO

ROBERTO WMB6
Kiab>,k'tiiBiMl'; esfxial'por forneoimeiii e ^miiiluw dp
raiw(KjfivwM*. e Saeaacat.'rfoi cofljpletcis para |. inpijoe i
aawraiaamo
'ADEIR-INHA COM WtJ^liC, VAGONETEfi, DE
TAIPAES LOCOMOTIVAS, GRAS. ETC.
uso : aprlgoln. pl.-.ni ^ocs. orrnzen, min;is
, moryas militares, co.
s:\port !
:,? ~li:A Di'QUE I)F CAXIAS--*
O caval o Rio Preto
lipariTeij nu noitc Je 13 >ura 14 :
reafe, lo ceiVedl do i uff i he Mo ojo -
>r preta. 2 ps brancos o;
)-aimi*>i!ii9-i;im a? fcri
. ffiicm o encnrrtrr ou
i exacta, poderi dir{ir-sc
e Marro n. 17. 1- uidar, ao l)r. Lfjurino
de Monjes f'inheiro. tu ao engenho Morojo ao
tificado.
85, -105 e 125 a 4*J'*; '84 te 10500DL
8o<*5tl*s irtrperntVais*deb(rracha. para
r#>oH#m de 704'e'80'poT30^' 404.
fftClUfc ''lTinceza-s,' (i S8& "por 215000
a duzia.
Paletots de seda, completos de feitos i
casemira, malas para viagem, e boleas e
tapete o um completo e variadissimo sor-
tiaiento de cheviots, casimiras franeezas,
ingiezas, pretes e de cores de padrSes n-'
teiramente novos e que se vendem com a
mesmo abatimento de 50 i de seu valor.
Retallaos
Apn veitem a grande quantida-'e e
pelos procos, ein edas pretas c d. ..reR,
gorgorees, setins, las, merinos, s"yhyv ,
tinaa, chitag, iuad*pol(5es e ai0odaoai-
nhos.
E mu tas outras pechinchas que s se
encontram na
Loja das Estrellas
56, 58Roa do Duque de Casias56, 58

-


-.-'

V^",


U'^Sf&l%ifr4fI'\3t&>+
Diario de PernambucoSexa*eira 26 de AJbnl de 18&&
-wa tuuo Bfl IMMPM-M
Machinas av Moendas.
tt0c)itsd*iLgiia.
'Tai xas fundidas e batidas.
E' de j^dffloiu!!!
.h
menei* ****&*>*
Tai-xas batidas
Arados.
sean enavaeao

saie; para tooc"
**fc*

*J_,L0JAP
I
(
:!el paratm:.!edc:.onwwedopeito; tambempO
- :..-. K r.p-i. ; r"m n ntn e o rta-wnatitBi i **ra via.1: ai eatalBS
i*t rci^bocaeijual ^h I
-
-.". H Se I |

..Vt^-V




. : Safril Y



kili



-<;
.. -.-

S0:
Gara
4f:

%
lIlSTOJ
it n t o (kt..l>. stvv r e
UarlinVeortte de vestido com bordado-p->r 1&0OOO.
Um ee-rado-de batiste omito' fina a .240 rs. 'barato.
Urna'peca de esguifta deaJg d&o com 10 varas por 30200.
Urna-rica colcha- imitaeao de crcbet
Urna peca de bico matizado por; 20500 i vendo.
Urna diuro-de -camisas alleras por 0O. E' peehineba.
Um bonito* corte de setfleta con guarnicAo por 60500.
Um-aovadode 12 Amazonas a 440 rs., imitaeAo de seda.
Um corado de cachemira' de listra,>ou lisas, a 10200:
Urna sabida'de baile conrbardado a 1#G90.
Um' cc-vado-de peroale, cores fixas,- eKhi.
Um corado de tecfclos defhntazia, ultima moda, ;; 360 ra.
Um eerte de e*scmrra iirgleza por &W K hcuo.
Um'mefro de renda hnRprtrhola,.todas as cores, por 30OtX\
Urna duzia de seroulas de bramante por ISmOt'
Um cavado-de linon'inatizHdo por 500 rs.
Um-flebu do' 15. o qire ha-de melhor, por 6001
Urna peca de-rnadapolao americano, com 20 varas, 60500.
Um p:tletot. de-gfirgaritia, iaritacfio de seda, por 405! >i>.
Urna linda1 colcha de damasco de algodao por 60"iOO.
Um oovnaVde zephjr; o que: ha de bonito, por 200 e 240 rs.
Um espartilho'eonraga com bordbdos a 50500.
Urna gnanfieao de-crochet com matizes por 70000.
Urna duzia de mefasrngrezaB de 90000 por 60000.
Urna duiia-de lencos, em carxas, por 20500.
Unvcofade de-merino liso, duasdargwrasv por 44t) rs.
Um paleto* de sda^patha por 7fl500>
Umacnmisa de Armella americana por 50000.
Urna peo de cambraia Victoria por 20800.
Urna peca- debas-dado rmrita- fin por-700 ra
Uma"pefade cambraia bordada por 40000.
Um tapete' grande para sala por 130000.
Um covado de sargeiim-diagonal por 200 rs. E' do melhor.
Um covido de fusto bronco-por. 36 rs-. Sao bonitos.
Um par de lavas de seda, todas os cSres. por 20000.
Umoovadode cretone, cores claras, a240 rs.
Contplot tractos, bolsas, costumes para banhos1 salgados, bicos libos e braueoe, roupaa feitr.s e
Ofticina de alfaiate
Pa raa frhneiro ex-
AMAMAL
SrV

C
trarenimi .iinn r' -
> "-ry.'.-oaiPllA INS1TXTORI* GKBAL !)E HYGIENK W) IM'i'ERlO DO BRA;l_
* Aparientcs, Cslcmaatilca4i nr!(stl * '.oura-YatlfTi to uppetste, :\ obsntrcS*; a'Htrtrtujnf ca, as'Vertttcca*!
* a-- (|9iiscst6es, ce liosa vmMuurir : I. % .1 t/rcs
m OcscoBluii- a 'xigir o i-otu.n unto imprimido e-n rrancc^
e BHB4.!toMi*ji<**v>j,2}?.. o Selio da .Ub*> d&s Pelricantus
c&da-iima letra de un* <$. dlertite a
Eli. Vharm&L'is
Kviiu* wrMtMi f HC.iaiiffktnudaL
GRAGEAs^d&FeiTO Babnteau
L'unado do lostituto da Fnrf.: / mi W T:-iioe'(oa
i O emprego em mediciiru dir Berro Rabuteau S baaeaa :ia Sciencia.
As Verdadeiras Grageas de Perro Raboteen Sfto recetaBteWdadas nos casos de
| Chloro*e,Aer>i: t,l'.lutn.i (lores,Corrimento, Debilidad*, Eigal imenn, Com- -leseMIttH
I /-..-.jf.'.-(;-i iv .i',.-;i;- 'y, /.'' : .. .,-tv m de
i.ri'jMiS'vi-iKiH i> mece >d;i a n:\tureza. Tdmar 4 a 6 [rrage;'.s clor dia.
' ,'.i ('.inxlipat/iii nem EJxii- Fe.-o r.n!mtea reeoatnendadn ;uc no ,hh.'-i i n^olir
' engalle as gragnas. Um cax de licor aos repas
Xarope da Ferro Rabutuau p-\ \ an us <;:;.,::<;us.
H2!
y/n.7 tafllicocSa drtRltiHta tcooipinkt cica frasco.
Exigir o Verdadeiiro Ferro Rabut.eau de CLIN & C"3, de PARS,
eucontra em cata doi- Droquiftas e Pharmaceulicos.
qao M i
' litigo esidb^tecimenio de fiTa^ens
DE
FEHkBIU GMRAE:
86 -loa Dique de Ca\ias--H{;
raniit sortanento beferragens, nrtelarias,
r muitj? ontios artiftos a sab^r:
Cobre em folha.
Ferro sortfdo.
iurento Fortlant
e outros marcas.
Bombas de ferro e bronze
Canos de ferro e chumbo para
encanamentos de alta presso
Machinas e vapores
para algodao.
Candieiros elctricos.
Fogoes econmicos.
Este estabeleciment fundado em 1851. tem na sua
longa existencia a garanta mais segura dar os que pro-
curar em honral-o com a suafDnfanca.
PRESOS SEH COMPETENCIA
Descontos do costume

11 A Ai-a-frnft- a%
59Ra
Duque de Ca
IR
i aso.i
H)
Cortes de cretoBe em carto eom figasrioo e eufeitos, a 8^u00.
dem de -achimiras bordadas, a 256000, sao de 400000.
Setim preto, a 1)J000, 1(5200 e 1^800 o covado, verdadeiro Maco.
Grosdenaples prctos, verdadeiro Len, a 2#200 o dito.
Merinos pretos, duas larguras, a 500, 800, 1J000 c 1)5&00.
Mairtima^pretas, a 1^200, 3i5000 e 5(5000.
Casaeosde cachimira pretos, a 30#000.
Fil bordado, a 800 rs. o covado, para veos e enfeitos.
Vdludilbos de todas as cores, a 800 rs. o dte.
Zefiros' do cores, a 80, 100 e 160 rs. o dito
Linons de cores, a 200 rs< o dito.
Teqdoa diyersos em cesa, y 240 e .'XK3 rs, o dito.
Fust8e8 brancos bordados, a 360, 400 e 400 rs. o dito.
Lindas setinetas, a 200 rs. o dito, aproveitem.
Cretones magnficos, um metro de largura, a 280 rs. o dito.
Chitas, bom sortimento em cores-firmes, a 200 rs. o ditr.
Rendas austracas para vestidos a"500-rs. o dijo
Carubraias bordadas, a 4(55r,0, cora 10 jarda?.
[den VieUoria, a2j5600 e-3(5000, com"10'dit.
Modapnlao' superior, '645009,''com 24-'dRas
Algo5e naoionaes, a-3(5000 e 3(5500 com 20 ditas
eBeguarBg58"de crochet, a 7(5000 e 800-*.
Toalhas de labyrlntio para bflptisados a 2~ e 30iJ00t>.
dem grandes para-rosto a-4(5000 ai duzia.
i^eroulas'de bramante, a 120000 a dita.
Meias mgienas' superiores a 3vf"OO efti>j000:
Caroiaaa aglesas e framezas a 30(5000 e 366O00.
Cortinados bordados a 60000 e 8060 o par.
Lences de bramante a-(108OO.
U*brU*. dri fiwgs, ,doJ paou* *'20HOO.
Redes superiores,..a 1O0DOO) sio de lr>0OOO.
Pannos para mesa a 10100 e 10400 o cot:
Atoalhadea bordados, a 10200 o suetro.
Bramantes de algodao, a 700, 900 e 10000 o dito.
dem de puro linho, a 10600 o dito.
Casimiras -em cortes, a 20OOG, 30000 e 50000.
Sargclins diagonal, a 200 e 220 rs. o covado.
As vendas em grosso tem o descont de 14
PEREIRA 4 HAGALflES
^
PEOLAS oe PEPSINA PURA DYALISADA1
de CHAP0TEATTT, Pharmaceutico.
Foi o Afir Chapotxaot o primeiro cbimico que oonseguio preparar e ornooer ao
mdtoo e aos doentea, am parolas redondas, urna pepsina pura, nao contando, nem
amido,nema*tuccirdeleit*,nem gelatina.Z' Cinco ?sea mais aerlviiqueapepsina que
figura na ultima edicao da Pharmacopea francesa e digere 100 vezes seu pezode carne.
8oa acefio da maior efflcacia; duas prclas tomadas depois da comida basti
pan favorecer e activar digestao, e fazem deaapparecer a* na de um qaarta da
hora as enxoqneoa, a drae da cabaoa, os booaloa e a somnolencia, q
alo a ooosequencia da urna mi dlgestfio.
Cada perofa leva impresso em negro o nome CHaPOTEADT.
PARS, 8, Ru Yirlenna, tadst flrajaWw t
a

TOJECTION GADET
Cura certa em 3 (lias sem ontro medicamento
PARS 7, Bmmtevard Denain, 7 BABJS
Depsitos em todas as principoes Pharmacia e Drogaras*
Attendam
Urna mhora perfectamente habilitada a lec-
cionar portuguez efrancez assim como todos os
trabalhes em bordados e flores de todos os gos-
tos e especies offerece-se para ir a casa das
familias que nao qnizerem mandar suas fUhas
para as aulas: astim como tambem ira rcjidir
ni casa de aJguma familia abastada que queira
para mais commodidade de suas filhas. Alian
ca-sc conducta honeeta, prudente e raoralisada:
quem precisar pode dirigirse ra do Baro da
victoria toja de fazendas Pariz na America nu-
mere 16.
ATWN8QN
mmmm\mm
Bxocde Mdu ai outn ;
pfcime cujultitr
LQQAO (Se QDIK1S0 de mm:.,
sam rival par* f^rt-ilcer e cd
os oA-betlos.
QftTaati.Ji uoEcr.
AfiU FLORIDA DE ATDHSOS i
perfume ex^rpeton... asa i 70; tillado da mais exqui
encentras* em Ca
ciante* e Fabrica' 1*1
, J. A E- ATKINSOrt
34, Od Bond Sti-eer., Londres _
""-.fcrlf.i i: a" Rnm i.raaea,"
aotra an "
con aedcraoo Bat.'taJiHaoV. .
Casa para alagar
0 9' e 3- andares da ra I aria do Rosario n.
37, esquina defronte da igreja, juntos ou spa-
melos ; a.tratar no pavimento torreo.
J^8* Attendite
Jos Samuel Botelho avisa ao respeitavel.'p u
Olico que anda continua a fabricar bouquets do
mais afamado goslo, para casamento ou outro
qualquer acto, assim como capellas mortuarias
Je perpetua a tratar na ra Xova n. 20, loja de
raiudeas, ou na ra da Cadeia do Recife n. 43,
(oja de seileiro.
Fabrica Bourgard
Cria-se fumo a 40 rs. o kilo.
CAPSULAS be GRIMAULT i P
MATIOO
wt*am p^" ^as^^s
ntiatfdUHaiMal
*meto U titi aw-
m tltmm U ftyilll -
namaiUo tnnUUval par oaia
1 mmfTqfkt
Aproveitem n cambio
Carlos Siaden receben pelo ultimo vapor gran-
de sortimento ile camisas ingieras de superior
qualidado, assim como camisas de meia, de la e
meri.-' .des, assim
como grande sor. nrius para me-
ondendo por pi egos sem com-
petencia.
'de- im-
pureza do Sangrue.
E' urna loucura andar a fazer expe-
riencias com mistaras inferiores com-
postas de drogas ordinarias ou de plantas
indgenas cuja efflcacia nao confirmada
pete sciencia, emqaanto que a molestia
cada vez vai ganhiarto terreno.
Lancem mi, sem demora, de um re-
medio garantido cuja eficacia seja tacto
assignalado e inquestionavel T
O Extracto Composto Concentrado
db SALSApAnKiLHA de Ayer conhecido
e recommendado pelos mdicos mais in-
teUigcntes dos paizes adiaatados. ji
durante 40 nnos.
Centena de milhares de doentcs
tm colhido beneficios do seu emprego c
sao outras tantas testemunhas da sua
efflcacia positiva e incomparavel.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA.,
T-owell, Mass., Kst--Unidos.
">
'Ahoga-se
na roa Direita, -obrado n. 'i5, as seguinteB ca-
sas :
Ra da Gloria n. 96, com quintal para a ra
da Alegra.
RuadaAmizade n. 4", Capunga.
Dita dita n. 30, idem.
Travessa da Fundico n. 12, Fra de Portas
Travessa da Pyndoba n. 5, est caiada e pin-
tada.
O OLEO PURO
mmtomuata
UmATS a KEMP
produz efeitoa anlogos a os da
Entolsifl,. Ipuplwspies
dos niesmos sniores) no caso de
ser preferido o traftp.mento nesta
fo-rtaa pa;a o culul, o cioa iiioom- a
modos
do Mi, a Gaigaia e os^Pniin5. _
'Terreito
Rom para coudelaria ra Mrquez do Her-
vI 80 e 8a ; paraiver, na ca*j ao p, e a tratar
na ra Mrquez de Glindan. 13. Tem cocheira
Hilcllas k MoBte de Mum
Cuerpr'-ee cautelhw do Monte de Soecorro de
'lualquer joia, brrTiatites e reTOgios; paga-se
httm,ni Praca da'radependenciui n. 2, loja de
rp!nio**iro
Aluga-se
duas excellentes casas terreas, sitas ra da
Ventura ns. 24 e 32 ao pe da estaco da Capun-
ga ; outra sita travessa dos Guararapes n. 2,
todas em bom estado e por precos comrcodos.
Para as duas primt-iras'* irata-se no sobrado
grande ao p da ponte ; e para a ultima na ra
Mrquez de Olinda n. 54.
Alu ora-se
o 2 andar da casa ra da Aurora 11. 8t. junto
a estagio da estrada de ferro de Oiinda, com
grandes commoaos para fa-uilia. gaz e agua en-
canados ; a tratar no escriptorio de Sebastiao
de Rarros i arreto, ra do Rom Jess n. 16,
primeiro andar._________
-Aluga-se
a sala da frente e gabinete do i andar do so-
brado ra Duque de < axias n. 54 ; a tratar na
loja.
Aluga-se
o pavimento terreo do predio sito ra do Rom
Jess n. lo, proprio para escriptorio por ter gra
des, gabinete, etc.: a tratar na mesma ra n. 4.
escriptorio.
Alugrie- barato
Raixa verde n. 3.
Reeco da Romba n. 8 leja.
Raixa Verde ns. 1-C.
Ra Viseonde de Itaparica n. 43, armazem.
Ra Vital de Negreiros n. 45.
Ra do Hom-Jesus n. 57. 3o andar.
Ra do i'alabouco n. 4 loja.
Ra do Coronel Snussuna (qrtarlo) n R.
Ra de S. Jos n. 74.
tratar roa do Commercio n. 3, i- andar,
escriptorio de Silva Guimares & C.
Precisase de urna ama perfeita cosinheira,
paga-se nem, para casa de familia ; a tratar na
ra do Hospicio n. 41.
Amas
Vv
Precisa-se de duas amas, sendo urna para co-
iuuar e outra para eogommado ; ua ruu Pedro
AITonso n. 58. ant'ga da Praia.
Ama para engom-
mado
No sitio n. 5 da estrada de Joao Fernandes
Vi"ir;i. se precisa de urna ma -para eno.^mmar.
GirU\het>m
Precisa-se de urna ama que cosinlie bem, para
casa de pequea familia, que durma em casa
dos patres ; na ra Condrila Roa-Vista n. 24-F
portas de Ierro ____________
Engenhos
Ariondam-se os cngonbes.Cacfaoeira e Rocca
da Malta da comarca da Victoria, a tratar na ra
do Imperador n. 'M, 1." andar._____________
A- OpiniSo
S arta typoprapliia murori'se o n. Ii4,du fo-
Iha-inlWada A 0a*Bt>, d.-WSO: que se pBhli-
u*.tK'ftt;i otd ( <;3!lietra
Precisa-se de umaqe co-
sinhe bem uo 3. andar, d
typographia do Diario,
Cosinheira
Precisa e de ama boa corinbeiri e fue lam
bem faca e servico de compras, para1 casa-de pe-
Saena familia, paga-se bem ; a traanla na do
abug n. 16. loja. ________________
Agosdnlio & Irmos
Collar de Ouro
S-A Ba do Cabula i -A,
Como flzessemo8 urna grande reforma em o
D08BO estabelecimento, tizemos tambem reduc
cao nos precos de nossas joias de ouro, prata e
briibantes. Pedem a seus amigos e fregueses-a
virem comprar lindos objectos com pouco di
nbeiro. ompra-se ouro, prata e briibantes em
obra aeradas, e pata'a bem r-anearUa-
teis-, Obras e oaf ef*aia*aaa_0MMk.4
AFLIIBID4
Esta bem conhecida casa, previne aos
seus numerosos freguezes e freguezaS que
contina a servil-os, como dantes, em to-
das as suas mais extraordinarias exigen-
cias, para o que substituio a sua antiga
arma9So por outra que mais expansiva, of-
ferece muito maior aceommodacoes as in-
nmeras fazendas de que se acha hoje
provida, aonde s Exnias senhoras encon-
trarlo tudo quauto o rigor da moda exigir
para um toilette completo, desde o maior
chiquisme at as mais simples
Venham verificar por si mesmo para
acreditarem.
Para a quaresma
Galoes, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e de lgodo com e sem
vidrilho.
MantMbas de> seda-e dvalgASo.
Con tas-lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Vollarinhos para homem a 30000 e 40000
a duzia.
Lencos de linho em caixinhas a 30000 a
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Lindos leques transparentes de gaze a
30000 um. <
Grande sortimento de porta-retractos de
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 40, 60 e
80000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, de
20500 a 30000 o par.
ortinados todos de crochet para cama a
120000, 170000 e 190000 o par,algtms
de cores.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 e
10000.
Ditos para sof a 20000.
Flastons e regatas de gosto.
Espelhos cora tres palmos- de comprimento
a 40000.
Capellas com veo para noiva a 60000 e
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 160 e
120000.
Tucas de setim para baptisado 30, 40 e
$50000.
Gnnaldas e ramos de seda, o que ha de
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bieos brancos e de cGres a 20000 a peca.
Ditos de seda brancos e de cSres.
Lindos ramos de flores a 40000 um.
Collarinhos e punhos clluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
(Extractos e leos de diversos fabricantes.
Linha de machina,, claque, a 40 rs. o car-
ritel.
Pastas a 10000 e 20000.
Porta-lettras e porta-aedulas a 20000.
Arquetes para chapeos e chapelina3 a
10500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 20000 a
par.
Ditas de seda para creanca a 10000.
Dita para moca a 10500 o par.
Grande sortimento de jarres para toilette,
sanct'.iario e consollos.
Lindos lencos de 6eda, gosto moderno.
Grainpos dourados para segurar cabellos.
Ditos ditos para enfettar cabeca e segurar
chapeo.
Espartilhos para creanca a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50000 e
60000.
Grande sortimento de sabonetes de 200 a
10500 um.
Estojo com faca, garfo e colher, proprio
para creanca.
Bengalias com flauta a 10500.
Meias de la para homens e senhoras.
Ltinhap dowrads par *"?* orocAsat
Lindas fitas para taclia a 0, 30 e 40OW>
o metro.
Lindos leques de setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim e
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 20000.
Lindos desenhos para talagarca,
Finas carteiras para algibeira de
3 e 30500 urna.
Baa-Dw|He de Caxias d. 105
uu Minuta P*.
10, u
Atten^o
No armazem da ra do AmArinp n. (o, vest*
e superior vinho de mesa pelo mdico preco de
7# o garrafao de 3 caadas (voltando o casco).
A elle antes que se acabe.
Engienhos arrendar
No di* de Maie vindouro irao a praca par
trien nal arrendamento os egeubos : Lioda Fiat
xias, peranteoiuiz de orph
arca dafiscada. Oapr > pe-
'deWHforniar m neearterio da vilMt deSamel-
leira, ou na Escada com o Dr. Aquilino P
-




8
Diario de Pemaibuco-Sexla-feira 26 de Abril de 1889

i
I
li
Vinho puro de
Da Quinta do Barra 1
Chegou a primeira remes su deste especial vi-
nho para o Armaiem Cen ral de gneros alimen-
ticios a ra do Cabug n. II. o ijual se torna re-
oommendado pela sua pureza e boa qualidade.
manda-se era casa dos dist.nctos fregueses livre
de frete, para qualquer ponto du cidade
Roa do C'abii^n. 11
Telephone n. 447
Joapim Christovao 4 C.

Ama
Na ra de -^iinla Rita n 83. se precisa de duu3
a:na?, sendo unra pura cosinha e outra para car-
regar meninos.
20$000
Alnsa-se a casa n. 16-C ra do Kiacliuello
(Boa Vista) antiga do Destino, a de n. 16-D. por
1800; as cliaves acharase junto n. 16 e
trata se na ra da Guia n. G2.
Papel de forro
de sala, gabinete e corredor,, esplendido ;arti-
nunto na livraria Contempornea.
Quadros
com bellissimas oleofirapliias, obiectos para
adorno de sala e para presentes, tudo encontra-
se na livraria Contempornea, ra 1- de Marco
numero .
Malas deviagem
pora roupade seuhora e de liomem. propria de
i- marote e caminho de ferro, bolsas, chapelei-
r i, binculo?, etc. etc.. artigos muito bon3e
baratos na livraria CoHtemporanea.
Instrumentos de msica
fara banda e orcliestra, 'realejos, caixinbas com
, 2 e 6 pecas, para cruraca ; na livraria Con-
tempornea.
Attenc,o
Kos Quatro Cantos dacidade de Olinda. casa
dos Srs. Carneiro & C. precisa-se fallar com ur-
gencia com a Exma. Sra. D. Candida Mara Fer-
reira, a negocio de scu interesse. Nao podendo
ella ir, pode deixar nota da casa em que reside,
afirn de ser procurada.
MAIS DE 10:000 CURAS
2H:i 10 nSS71CATZS2
DORES EDeDENTES
PKEPABADO NICAMENTE
POR CALASANS & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheunia-
tisinos, inchases, dores aciaticas, nevral-
gias, dormencia, etc., empregando-se em
fomentas3es sobre os lugares affectados
Cura o beri-beri, as paralysias e as dores
de dentes.
Todos os frascos levara direccfcs para
uso aVeste medicamento admiravel.
Pre90 15200. Descont de urna duzia
em diante. ____
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C ra
Mrquez de Olinda n. 23______
Professora
Urna senhora competentemente habilitada,
propoe-se a (emanar ira collegios e casas par-
ticulares as seguir.tL-s materia : portuguez.
Irancez, msica e piauo ; a tratar na ra ^ is-
eunde de.Albuquerque n. 20.
F0LPST1I
SEM MI
POR
SO" NO MUNDO
(ContinaafSo do n. 9 2)
CAPITULO IV
>0 llO V|. 11 4. I
Langou um olhar rpido at os cantos
ius escusos da inmensa sala, e, vendo
[lie todos, mdicos e internos, tinhain sa-
hi'lo, dirigi se ao pequeo quartoque 03-
eujam no corredor ao lado.
Ao cabo de alguns segundos voltou com
.) .kvental erguido, trazendo um volume
.-,< .ft'rivelraente pesado.
O volvme devia ser vivo, porque me-
MJa-se.
Ao ehegar junto ao leito, escaparani-se
(.1 aven tal pequeos gemidos de iinpa-
icia, c sem que a enfermeira |podessc
, .itel-o inais, Pompn saltn sobre a ra-
ma de Clotilde.
Oh! meu pobre co, murmurouesta.
emquanto o animal, louco de alegra, co-
bra-a de caricias, nao te perdeste entto ?
Encontraram-se :io seu lao, minlia
tillia, disse a enfermeira, a* banco do bou-
levar Rochechouart, onde os agentes d<
policia a descobriram pela manhii sem
st-rtidos, trazendo a para aqni Lanboi-
.sii-re...
0 ve milite doente, sem du-
la ?
Rosa aorrio.
Uiu pouco, respondeu ella. Mas
:igora est acabado. Qunto au cosinho,
mais que o cnxotassera. por mais que
itn deixal-o entrar n . ment, elle refugiou-se sera duvida em
ara canto, porque no dia seguinte
1 no hospital, logo que foi aberto, e
direitnho sua cama. Enxotou-se
V'osinheirai
Precist-se de urna cosinbeira que seja perita
e nao sala ra. para rasa de fam lia ; a tratar
na ra do Cabug 11. 14, 1 andar. d>- meio dia
at 2 horas.
AlimentoiCriangas
Para remediar a fraqueta das crlancas, desenvolver
as suas forras e preserval-os das tenlas da idade
tenra. os prlnUpaes Mdicos do Pars, membros
da Academia de Medicina le Parts, leceltao cora
ptimo exito o verdadelrs
Bacabomt M Araba* di Delaagrenier, ii Varia.
Este gradavolalimento,composto com substancias
vegetaes nutrltlvasefortalecedorasdlvicle-se aa eco-
nomia luda, e, pelas suas proprledades aniHepUcas,
mel liara a composlcSo do leite das senhoras que ama-
mcnlo, e acorda as torcas lnguidas do estomago.
51, ru TlTleiM, hato. friwltM m rtaraatU i lud uWi*.
('aixeiro
Precisase du um caixeiro que tenha pratica
de molhados : na ra de Santa Therera n 30.
i
REMEDIO-'
L E R
Pooultn* m FRANCA, r IVS/'."',
HESP'HH, no 8RA211.
or.dt sao sutor:ssdos psU J\irti te H/iefl8
atedeselo Leauraif e e-
conatitiiinte dacdb toda 8 fbcllMadO
para so irelai n6, por prei.c uarlo, e
se rurar em [un Utnpo.
E^sa m.tlic ao expulsa rr>.[iidaii:(*nte
os inimores, bilis, humores riscosut vi-
ciado.-- iiie; ccasloiiam econaervwn as
inoicsii :=. \ iirtfiea o sa:iuc e a pede
as re*; li*''..is.
Extracto concentrado do Reme-
dios lquidos podn'I 1 suisl tu.i os :
pan a uessoas que iIvitcuj ropo-j
.naiic a [lar.i o.- br,aiil '.i'j'i'.Jos.
Sao InfaUiv.t: .nitra : istlima,
; nfiu i7i'.. Gala, Khe 11 mii Tiiiiion-H, Vlm-iiH, 1'eiWn rfo
1 apprtltr.Fcbren, Vanaeitoi-i.no- '
\ Irstitim il > Fiyatlo, 1 mi:ij- it\.
I f i-##/-/.*n*>lii?x. .?/fi'*J*:if ele
NAO SE DEVE ACEITAR-
I noalqu.r pro lucU> qne nu l"cr o vn<\- rero la *a
Ph'' COTTIN, geara io sr. Le Boy J
Ra rio Scinf.Bt, PARS?
DLI-OMTO Eil TOPAS AS PUARUAClli- d)
%ES*e*$i^SfflBrSeB
Cosinheira
Na ra Formosa n. 8, precisa-se de urna ccsi-
nlieira quedurma em casa.
VENDAS
Vende-sc urna machine distillatoria para
fuer esoirito. un alambique de novo systema
para agurdente, ambos d". cobre e em perfeito
estado, cubas para fermentaces venosas, tachas
de ferro de diflerentes tamanhos. gtelha para
bocea de fornalha. portas para foges. rodas e
rodetas de ferro para engrenagem, pecas de
transuiissoes, lindas, para junecoes, etc.. etc.; a
tratar na ra Real da Torre a. 21, ou na ra
Joaqc'ui Nabuco n. 30.
Hoyal Blend marea YUDO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalno na melkores arma-
zens de molhados.
Pede Roy al Blend marca Vlado,
cujo nome e emblema alo registrados par*
todo Brazil.
BROWN? & C, agentes.
Pao centeio
Mello 4 Bisel, avisam o n^speitavel publico,
que todas as tercas e sexus-leiras, tem este sa-
boroso pao; ra larga do Rosario n. 40.
de novo o pobre cao Tudo foi intil; s
se o mata8sem. Elle caisou-me entilo pie-
dade, tomei conta deUe, comquanto seja
isso prohibido, e reconniiendei-lhe que se
escondesse e ficasse caladlo. E' tSo intel-
ligente, o pobrezinho, que comprchendeu-
mc, creio eu. Ha per.o de um mez que
o recolhi e ninguem sea aiuda pela sua
presenfa.
Clotilde cobrio-o de caricias.
Va, meu boui Pompou, volta para
onde te guardou a nossa boa amiga D. Ro-
sa, que to dedicada; e quando eu ficar
restabelecida, ella me te restituir. NSo
nos separaremos antto :nais, meu Pom-
pn, podes ficar certj -listo.
O cSo agitou a cauda, c, tendo-o Clotil-
ee atirado novamente no avental de Ro-
sa, elle lancou um ultimo olhar de ar-
dente ternura doente e deixou-se levar
sem a menor tentativa de resistencia.
No dia seguinte, conforme o medie ha-
via promettido, urna -enhora de cabellos
louros, de ar muito ineigo, appareceu de-
pois da visita na sa! onde estava Clo-
tilde.
Ella devia ser freq'tuntadora daqnelles
tristes a3ylos do soffriment', por que acer-
cava-se de todos os leitos, perguatava pe-
las melhoras de cada doente, diriga a to-
das, urnas aps nutra-, palavras de bon
dade c de animaeito. *
A urna dizia que o murido estava em-
pregado, trabalhava e eonduzia-se bem.
A outra que os filhos estavam no asylo du-
rante o dia e cram tratados durante o
resto do tempo por urna visinha bondosa.
Mais adiante promettia soccorros e tra-
balho para quand> a enferma sahisse do
hospital.
' lotildc via-a agora approximar-se e dis-
tingua a melhor.
Estava vestida de preto, muito simples-
mente, mas notava-S' -!he evidente ar de
distinecao, e, comquajito fosse urna senho-
ra dos leu trinta e cinco nnnos, era de
soberana belleza.
Ao avistal-a, pareen a Clotilde ver ca
minhar -Magdalena do< Anjos, com o seu
andar fiexivel. t" ele-inte as suas sua-
ves ondulacocs.
(.) cometo da moe i .ilou-Ihe no peito,
e todo o seu ser iwatia-se attrahido para
.lia e aos seus labio- i-escurados acudia
nstinctivamente doce palavra de on-
tr ora :
MaiiKii .'. .
A senhora estava g-ra detrontc do lei-
to da orpha : approxiaj lU-ao e olhou-a um
instant* com extremt interesse.
Nos seus oihos azul-escuro liavia at
mais do que o interesse, hara um sen-
timento exquisito, prod'izido tafo pela
AO TORRADOR
Lima Coutinho & C.
RA DUQUE DE CAX1AS-43
Dclronte da Praclaha da In-
dependencia
Este novo estabelecimento intitulado
AO TORRADOR rende sem competen-
cia, como as Exmaa. familias podero
analysar pelo seus presos.
Lanzinnas de quadros a 60 rs. o corado.
Ditas de ditos a 200, 240 e 280 rs.
Merino de quadros, bonitos padrSes a
300 rs.
Ditos lisos enfestados a 480 rs.
Baptista e nanzuch finos a 140 e 240 rs.
Mariposa branca e de cores a 240 rs.
Chitas finas cores fixaB a 200 a 240 rs.
Ditas forlaidine a 240 rs.
Cambraia branca bordada a 40500 e
45800 a peca.
Dita Victoria, fina, a 20800 e 30500 a
Pe?a-
Seda de JapSo, lindissimos padrSes a
208 rs. o corado.
Dita da Persia, lindos padrSes, a 180
rs. o corado.
Sargelins de todos as c8res a 160, 20q
e 240 rs.
Setinetas lisas, largas, a 360 e 400 ts .
Merinos pretos finos a 800, 10000,10200
e 10500.
Colchas para cima a 10800, 20000 e
S>S000.
Cortes de casemira de cor a 20500 e
30000.
Casemira preta, duas larguras, a 10800
20 e 20200.
Madapolao superior com 20 raras a 40
50000 e 50500 a peca.
Dito americano, superior, a 70200 a
peca.
Bramante de algodlo para lenes a
700 e 10000 o metro.
Dito de linho superior, com 10 palmos
de lagura a 10600, o metro.
Guardanapos de linho e algodSo a 20 a
duzia.
Toalhas felpudas a 30 e 40500 a duzia.
Atoalhados para mesa, lindissimos pa-
drSes, a 102Oe 10800 o metro.
Dito trancado, airo, a 10000 o metro.
Lencos brancos com barra de c6r a 10200
a duzia.
Ditos superiores, de linho e algodSo, a
20200 a duzia.
Enxoraes para baptisados, completos, por
todos os preos.
Entremeos e babados bordados por todo
preco.
Bicos de todas as cores para enfeite de
vestidos.
Baleias cobertas e descobertas.
Arcos cobertos para anquinha.
Camisas brancas para homens e meni-
nos.
Ditas de meia para homens e senhoras
Manda-se fazer roupa por medida e da-
se amostras de todas as fazendas.
Lima Coutinho & C.
Engnho
Vende-se o engenho Pagao, distante tres le-
goas da esta^o da Escuda e menos de tres da
estacSo da Victoria. O engenho pode safrejar
1000 pacs de assucar, as trras estilo descansa-
das, tem bastantes varzeas e bom cercado, me
com o rio Pirapama, a casa de caldeira e de tt-
jolo e pedra, a casa de purgar c a de vi venda
sao de taipa. Este engenho bem conhecido
pelo bom assucar que fabrica ; quera pretender
compral o pode diriair-se ao mesmo engenho
ou ra do Imperador n. 81, 1 andar.______
pdr* *#lEBY Vende- em toda i Mrt
Vende-se
a taverna siu a ra do Hospicio n. 6, a qual tem
commodos para famila e o aluguel barato, o
motivo da venda se dir ao comprador : a tratar
na mesma.
piedade, talvez pela commseracao, mas
certamente impregnado de ternura.
O Dr. Graniers, ininha filha, disse
ella ao mesmo tempo com una voz que
pareceu a lotilde tSo suave como as har-
monas do co, comiminicou-me hontem
que a sua febre tinha desapparecido. E'
verdade ?
Obrigada, minha senhora, respondeu
a orpha, nao sinto nada mais, parece-mo
at que voltaram-me as fftrcas de hoje de
man ha para c.
A's palavras de Clotilde, a caridftfci da-
ma tinha estremecido como que attugida
por urna descarga elctrica; as suas bellas
eioes cobriram-se de extraordinaria pal-
ldez e nos seus olhos accendeu-se urna
chamma.
Meu Deus mnrraurou ella camba-
leando, singular!...
Olhou para Clotilde com extraordinaria
fxidez e de repente balbuciou, muito bai-
xo, t3o baixo que a moca, cujos ouvidos
estavam alias cheios anda das xoadas do
quinino, nao a ourio.
Estou douda Seria possvel ?...
Depois mais alto, porm como se tivesse
sido necessario um esfo^o para ligar o
pensamento:
J se levantuu ?
Vou tazel-o hoje pela primeioa vez,
minha senhora.
Ese nio commetter imprudencias
restabelecer-se-ha rpidamente, porque na
sua idade as forgas roltam depressa. O
que rai fazer quando aahir do hospital ?
A moca corou riolentamente.
NSo sei, respondeu ella.
NSo tem parentes ?
Nao, senhora, sou s no mundo. Fui
criada em um asylo orphanelogieo de pro-
vincia, depois empregaram-me e, ora aqui,
ora acola, chegue aPariz.
Onde nio encontrn ninguem ?
Urna costureira, com a qual traba-
Ihei c que zangou-se commigo.
EntSo n3o conhece ninguem em Pa-
rte ?
NSo, senhora, ninguem.
Tudo teto era dito tilo ingenuamente,
to sinceramente, que a dama caridosa nio
teve'a lembranfa de desconfiar aquella
que tinha dionte dos olhos. f
E depois, o bello ohar da doentinha
era tSo pur, tSo leal, que nunca no cora-
cao de urna mulher honesta poderla ani-
nhar-se urna suspeita contra a pobre aban-
donada.
Entao, disse a dama, sabe traba-
lhar ?
Sim, senhora. dizem at que sou ha:
bil.
A LOJA MAIS BARATURA
PARIZ NAMERICA
AZEVEDO, IRMaO & C.
16Ra do B. da Victoria16
200 Tdephone-200
Tendo recebido directamente da Europa
grande Sortimento de fazendas e modas o
que ha de mais novo e precos sem com-
petencia.
A. saber ;
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de 11 e 13 seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 10000 e 10200.
Crinoline preta e branca a 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 10500, com 10
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 10500.
Chachemiras com 2 larguras a 800 rs.
Ditas de l e seda 2 larguras a 10000.
Madapolao trancado a 90000 a peca.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camteeiro a 70000.
Dito Boa-Vista, rerdardeiro, a 60000.
Fichs de 1S e seda 10000.
Brins de linho cies fixes a. 600.
Espartilhos couraca a 40000 e 50000.
Colchas de fustSo a 20000 e 30000.
Capellas para noira com reo bordado a
60000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 10500.
Renda de II, preta, para quaresma.
Pao rerde para bilhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sala
a 10000.
Camisas de fianella a 50000.
Cortinados de crochet para cama a
100000.
Chitas de cores a 200 rs.
Crotones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 1,5000.
Extracto Rita Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
GuarnicSes, pretas, de rdrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 20000 o par.
Metes de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite"
Grande sortimento de chapeos de sol.
Setineta para coberta a 600 re.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fusto de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
Vende-se
urna ou duas tavernas a vontade do comprador,
bem afreguezadas, ra Imperial n. 279.
Para iornaes
Papel formato Diario, 500 folhas
Dito dito Jornal, 400 folhas
Dito dito Provincia, 400 folhas
Vende-se na fabrica Caxias
7J500
5*000
44500
Mercearia
Vende-sc urna mercearia das melhores nos
arrabaldes da Boa-Vista ; paia iiilbnnac6es, na
roa do Socego n. 33. taverna. ____________
A 2#500 "
Vende-se o frasco do Pcitoral de Cam-
bar, de Souza S .ares, em casa dos agen-
tes e depositarios geraes Francisco Ma-
noel da Silra, ra Mrquez de Olinda
n. 23.
Muito bem. Vou oceupar-mc de si,
e quando ficar boa ter trabalho.
A moja ergueu as mitos postas.
Oh! minha senhora, disse ella, co-
mo lhe agradecerci ?
Mostrando se boa moca, honesta e
corajosa: prorando-me que digna do
interesse que rou tomar por si.
Fui honesta na desgraca, minha se-
nhora ; dizendo-me que alguem rea por
por mim, tere ainda muito mais forcas.
Urna ora onda rubra colorio de re-
pente o rosto pallido da conralescente.
Minha senhora, disse ella, quizera
pedir-ihe um favor.
Falle, minha filha.
Quer ter a bondade de dizer-me o
seu nome, para que eu o repita as rai-
nhas ora5es ?
A desconhecida sorrio, muito enterne-
cida.
Sou urna dama caridosa, nada mais,
respondeu ella simplesmento.
Mas Clotilde insisti.
Comprehendo que a senhora se oe
culta para fazer o bem, disse ella : a san-
ta religiosa que me educou dizia-me sem-
pre que isso era proprio das grandes al-
mas. Mas eu sinto que rou dcrcr-lhe tu-
do. Vou por conseguinte gostar muito
de si, muito !... O que se d com a cari-
dade esmmum, de todos os dias, nSo se
dere dar commigo. Supplico-lhe, minha
senhora, diga-me o seu nome !...
A desconhecida pareca dominada por
profundo e exquisito alroroto moral, cuja
causa real ella propria no sabia expli-
car.
A insistencia da orpha" n3o a irritava,
ao contrario.
Aquello olhar mais azul do que o co:
aquella bonita bocea tao fina, um tanto im-
periosa; aquelle rosto pallido, porm fir-
me e puro, tudo isso agradava-lhe, attra-
hia-a, cnternecia-a mesmo.
Seria por que estiyesse diante da maior
miseria que existe; urna crianca s no
mundo ?
Seria por que a doente, na sua grasa
de mocidade e de pureza, desprenda de
todo o seu ser urna sympathia irresisti-
vel?
Talvez.
Talvez tambem urna outra razSo mais
profunda, mais intima, mais mysteriosa,
agitasse t2o extraordinariamente a caridosa
senhora.
O caso que ella nSo resisti suppli-
ca da moca, e muito baixo, de* modo a
nSo ser ouvida seno pela pessoa a quem
se diriga, disse :
Chamme Chaniers!...
Sempre aovidades de Pars
RVOLUgO DE 48
A' ra Duque de Caxias n. 48
N'este estabelecimento de fazendas
nSo s costumam annunciar a realidade,
como tambem vendem por menos 30 "/
do que em outra qualquer casa, como j
havemos provado aos nossos freguezes.
Nan8uk de todas as efires a 120 rs. o
covado.
Cretones a prado, fazenda especial a
240 rs. o dito.
Setineta preta com pequeo defeito a
240 rs. o dito.
Merinos pretos a 800, 10000, 10200 e
10500 o dito.
Cambraia com salpicos brancos e de cores,
a 40000 a peca.
Setins de todas as cSres a 800 rs. o co-
rado.
Cortinados para cama a 60000 o par.
Capellas com reos para noiras a 80000
urna.
Espartilhos de couraca a 30000, 40000 e
50000 um.
Saias bordadas, noridade, a 30000 urna.
EsguiSo com duas larguras a 30200 a peca.
Fichs de retroz de todas as cores e pre-
tos de 10000 para cima.
Pannos de crochet ara cadera a 10000 e
para sof a 20000 um.
AlgodSosinho com 20 jardas a 40000 e
40500 a pesa.
Madapolao Boa-Vista, rerdadeiro, a 50000
a pefa.
Merinos lisos e de quadros a 200 rs. o
corado.
Cortes para restidos em cartao, noridade,
a 70000, 90000, 100000 e 120000 um
Mantilhas pretas de seda a 50 e 70 urna.
Zefiros encorpados com 70 centmetros de
largura a 240 rs. o corado.
Renda da China a 240 rs. o dito.
Lensos de cores, imitado de seda, a
10800 a duzia.
Organdis, fazenda de phantasia muito lar-
ga, a 400 rs. o corado.
Sargelim de todas as cores a 200 e 240 rs.
o dito.
Enchoracs para baptisados de todos os
presos.
Brins de linho de cores fixas e garantidas
a 600 o corado.
Bramante branco para lenss a 800 rs. o
metro.
Toalhas para rosto a 200, 300, 400 e
500 rs. urna.
Cobertores finos de 12, com pequeo sujo,
de 50000 par 20500 um.
Cortes de fustlo para colete, garante-se
as cores, a 10000 um.
Cambraia suissa de 140000 por 70000 a
peca
S na Revoluto de 48
HENRIQUE DA SILVA MORETRA
E' vender barato
Feijao a 1$000 a cuia.
Farinha a 500 rs. a dita.
Milho bom a 400 rs. a dita.
12.
S quem pode vender no Largo do mercado n.
Gomes Ferreira efe G.
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo-
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite puro de vaccas tourinas e da
trra, garante-se a qualidade do leite.
Boa arma^o
Vende-se urna armacao de amarello. nova,
balco, cabides, bancas, armages ingleza, lus-
tre, encanamecto de gaz e registro, nm cofre de
Milners, do estabelecimento de fazendas, sito
ra do Rangel n. 13-A. com on sem as mercado-
rias, garantiodo-se as chaves ao comprador. A
casa est desembaracada de impostos.
A Loja das Listras zoes
A' RITA DUQUE DE CAXIAS N. Cl
Veh.de mais barato
Fazendas pretas
Cachemiras arrendadas de duas lar-
guras tecido noridade, a -20000 e 20500.
Her nos pretos infeitados de pura U
a 800, 10000 c 10200.
Crep* inglez para enfeitos de vestido
a 10200.
Rendas hespanhola de seda a 50000.
Gorgorao de seda pura de 20000 a
40000.
Velludos de seda, lisos, com pintas
e ramagens, a 40000.
Velludilho bordado a contas, lindos
desenhos a 10600.
Fil de seda bordado a 10200,
Veos e mantilhas com rendas a 40000
e 50000.
Capas e visitas, de gorgorito, de ren-
das ou cachemira, enfeitadas a rendas com
rdnlho a 250000 e 300000.
Ricos de seda com lindos desenhos de
40500 a 60000 a pesa com 10 metros.
Teeldos de noridade
Cortes de vestido bordados, em car-
tao, de lindas corea a 100000.
Vestidos brancos bordados para noi-
ras a 180000.
Teeldos arrendados cores creme, rosa,
azul celeste c branco a 400 rs.
Jallos phantasiados, tecido com umi-
ta largura a 500 rs., em listras e qua-
dros.
Setins de Maco, todas as cores e
mais salmSo, lilas e bronzeado a 800.
Cambralas brancas bordadas a 40000
a pesa.
G'Jzes de seda com fios prateados e
donradoscores: rosa, azul e creme, a
10000.
Madapolao transado, pesa com 20
raras a 60000.
FAZENDAS ESPECIAES
Ratlstes de cores finas a 120 a
240 rs.
Chitas finas claras miudinhas a 200 e
240 rs.
Cretones francezes, rerdadeiro
320 rs.
M orloi de listras azues madapo-
lao fino largo com 20 raras a 60000.
Hadapolo americano muito Largo,
sem ,omina a 80000 a peca.
Bramante de 4 larguras a 700 a
10000 o metro.
Guardanapos superiores a 10800 a
duzia,
Cortinados bordados a 50500,70000
e de crochet a 10)5000.
Croehet para^of e cadeiras de bra-
cos, um completo 60500, para sala.
Mosqulteiros americanos com ar-
macao a 120000.
Alcatifas para forro de salas e gabi-
nete a 10200.
TECIDOS MAIS BARATOS
Merinos de duas larguras, qualquer
cor a 440 rs.
Linos lisos e de quadrinhos a 80
100 rs.
Rico branco e de cores desde 600
a peca at 20500.
Colchas de istSo de cores a 20000
e 30000.
Toalhas acolcboadas a 30000 a duzia.
Luvas de seda, bordadas, qualquer cor
a 20000 e 20500.
Leques de pennas e traasparentai
de 10500 a 60000.
E muitas fazendas que se d por qual-
quer preso.
D-se descont a quem comprar de
200000 para cima,
Troca-se a fazenda rendida se por qual-
quer motiro nao for de muito agrado para
quem for comprada
Lujas das Listras zoes
Oh.' obrigada, minha senhora. E
roltar ?
Depois dfamanh3, sim. E outras re-
zes mais at que roc esteja restabele-
cida.
E entSo ?
Entao. arranjar-lhe-hei, assim o es-
pero, um lugar onde irei rel-a de quan-
do em quando, se ficarem satisfeito com-
sigo.
Quando descia a escada do hospital,
Adelia, muito commorida, murmurara :
Ha desesete annos que perd o meu
Jorge!... E amo-o de tal modo, que ve-
jo-o anda por toda a parte. Pois nao
que acho que aquella mocinha parece-se
com elle. .. qne ella tem os seus olhos, a
sua bocea, a sua voz sobretudo ?... $j
Emquanto que na minha Georgin, no
emtanto sua filha, nSo vejo nada, absolu-
tamente nada delle !...
Ficou poneos instantes pensativa : de-
pois, dando alguns passos :
Estou douda!------murmuren ella,
sim, douda, deixando me impressionar por
esta forma!...
E Adelia tomou novamente o caminho
de Belltville, onde contnuava a ser a usi-
na, onde Georgina crescia cuidada por Su-
zana e por ella, e onde sob os desvellos in-
telligentes de Pedro de Saures, grasas a
ella tambem, Roberto tornara-se nm ho-
mem.
NSo fallarei a ninguem sobre a mi-
nha pequea protegida, disse ella comsi-
go antes de transpr o limiar da sua casa.
Tudo isso nSo passa de ideas um tanto
extraragantes, mas preciso guardal-as
commigo. SSo tao suaves!... fazem-me
viver no passado !... Clotilde ser minha
s... Ninguem em casa a conhecer,
ninguem por conseguinte rae dir que eu
sonho !...
CAPITULO X
A ruUillacu
Emquanto Clotilde crescia sob a aza
maternal de Magdalena de Boves, soffria
depois, lutava, trabalhava, e, finalmente,
cahia n'un leito de hospital, onde Adelia
Chaniers acabara de encontral-a sem co-
nhecer a sua orgem, nem sequer o seu
nome, os diversos habitantes da usina de
Belleville tinham tdo revezes tambem e
lutado e sofirido igualmente.
A vida nJlo afinal de contas, urna lu-
ta perpetua, um combate de morte?...
Os negocios que pareciera a principio
querer voltar antiga prosperidade depois
da guerra, decresceram pouco a pouco.
Os movis sobretudo reeeberam profun-
do golpe; a America, essa vlvula f8o
ampia para a nossa exportacSo, fabricara
agora tambem.
Tinliam-se fundado officinas na Nevo
Mundo, officinas fabulosas, com um'numc-
ro incalcularel de operarios, e que produ-
ziam um numero mais incalcularel ainda
de pesas.
O Sr. de Sauves poz-se entio em rela-
S5es com esses fabricantes e propoz-lhes a
sua madeira esculpida.
Aceitaram-na a principio e foram-lhe
feitas encomraendas bastante considera-
ueis.
Essa felieidade, porm. nao durou muito
tempo.
A casa mais forte da America, depois
de urna encommeuda de experiencia, nio
renovou as suas ordens.
Segunda e terceira seguiram o seu
exemplo, e isso com o laconismo e a sec-
cura que os cidadaos da livre Uni3o usara
m todos os seus negocios.
O Sr. de Sauves, dolorosamente admi-
rado, escrereu, pedio explicares, propoz
deecontos e outras vantagens.
NSo lhe responderam.
Pedro e sua irma, que contnuava a par-
tilhar com elle a direc^ao da casa, senti-
r m-se entao mortalmente inquietos.
Pois nSo era a propria vida da sua in-
dustria que perigava ?
Nessa. mesma poca morreu a Sra. de
Romilly.
Hara quatro anEOs que Euzebo Fres-
nay tinha morto sua mulher n'uma crise
de embriaguez mais intensa do que as ou-
tras ; dezoito mezes que a Sra. Lureau ti-
nha sido esraagada por um mnibus de-
fronte da esta cao do Norte.
O marido da leiteira, desesperado, e
nao sendo capaz de dirigir ssinho o pe-
queo commercio que a pobre mulher ha-
vi fundado, liquidou-o.
Posauia economas, vendeu as raccas,
as gallinhas, cedeu a sua casinha e parti
com seus filhos para Aurergue, seu torrio
natal. .
Pedro que nunca dissera irina que a
filha de Eugenio Oages tinha sido lerada
para a Normandia pela Sra. Cureau, mas
que sabia sempre, por uns e por outros, e
sobretudo pela Sra. de Romilly, do que
era feito da orpha, rise entSo completa-
mente sem noticias della.
JfcDemais, estara de tal maneira conven-
cido de que Eugenio a houvern abando-
nado para sempre, e que,- se fosse vivo
ainda, nSo procurara mais tornar a reta,
que pouco a pouco a utilidade de rigiar a
filha para obter noticias do pai apagou-ae-
lhe do espirito.
(Contvnuar-se-ha)
i
'
V

y
1
TypT dp*sjmj Dque de Caxias n. U.
V