Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18767

Full Text


v
ANNO LXV NUMERO .92
PARA A CAPITAL E LIGARE* ONDE NAO SE PACA PORTE
Por tres mezes adantados.
Por seis ditos dem.....
Por um anno dem.....
Cada numero avulso, do mesmo di*.
60000
120000
230000
5100
QUINTA-f EJ J^UBBIL DE 1889
PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adiantados ....
Por nove ditos idem.....
Por um anno idem ...
Cada numero avulso, de das anteriores
134500
20|JKX
260000
100
DIARIO DE PERNAMBUCO
Tropriedade de Manvel SHgueiroa de Varice # S%U)03
TELEGRAMHAS
S22VIJ0
?as::::l". so :::"
latli





67 i
BAHA, 24 de Abril, s 4 horas da
tarde.
Da eleigao a que se proeedeu hoje nes-
ta provincia para a formacao da lista tr-
plice, da qual deje ser tirado um senador
qnrSOtfsfitua ~flnSefl> "Harao de t^otegipe,
sSo conhecidos at agora estes resultados:
1." DISTRICTO
Duas sceles da S
Barao de Guahy 200 rotos
Conselheiro Carnero da Rocha 188
Dr. Araujo Ges 158
Conselheiro Freir de Carvalho 149
Conselheiro Moura 140
Conselheiro Sodr 138
Teixeira Soares 14
Duas secedes da I letona
Bario de. Guahy 136
Dr. Ges 103
Conselheiro Freir 99
Conselheiro C. da Rocha
Conselheiro Moura
Conselheiro Sodr
Conceicao da Praia
Barao de Guahy 47
Conselheiro Q> da Rocha 38
Conselheiro Sodr 31
Conselheiro Freir 31
Dr. Ges 27
Conselheiro Moura 26
Teixeira Soares 1
2.* DISTRICTO
Pilar
Barao de Guahy 121
Dr. Ges 91
Conselheiro Freir 86
Conselheiro Moura 61
Conselheiro C. da Rocha 55
Conselheiro Sodr 29
Mares
Barao de Guahy 75
Conselheiro Freir 75
Dr. Ges 59
Conselheiro Moura 43
Conselheiro C. Rocha 35
Donsclheir Sodr 26
3." ofarsiCTo
Marafjogipe
Conselheiro C da Rocha 48
Baria de Guahy 46
Dr. Ges 37
4. DISTRICTO
Maii de S. J0S0
Conselheiro Sodr 41
Dr. Ges 35 t
Conselheiro Moura 33
Conselheiro C- da Rocha 29
Bario de Guahy 27
Conselheiro Freir 24 *
Rosar o
Conselheiro Moura 7> *
Conselheiro Sodr 62
Dr. Ges 52
Bario de Guahy 42
1 oaselheiro C. da Ro ha 35
Conselheiro Freir 27
6. DISTRICTO
Caravellax
Conselheiro C. da Rocha 70
Conselheiro Moura 64 *
Conselheiro Sodr 60 c
Barao de Guahy 34
Dr. Ges 27 .
Conselheiro Freir 23
8." DISTRICTO
Pojuca
Dr. Ges 30 ,,
Barao de Guahy 23
Conselheiro Sodr 22 *
Conselheiro C. da Rocha 17
Conselheiro Freir 8
Conselheiro Moura 8 *
Resumo dos collegios conhecidos :
Bario de Guahy (C) 751 votos
Dr. Innocencio Ges (C) 633
Conselheiro Carneiro da Ro-
cha (L) 601
Conselheiro Freir de Carva-
llo (C) 522 .
onselheiro Moura (L) 517 >
Conselheiro Sodr (L) 476
Dr. Teixeira Soares (Ri 15
LONDRES, 24 de Abri!.
Annuncia-se que o Conde Brawnlow aca-
ba de ser nomeado Vce-Bei da Irlanda.
PARS, 24 de Abril.
O Sr. Conde de Saint-Foix, ministro ple-
nipotenciario e enviado extraordinario de
Franca em Montevideo, foi nomeado na
mesma qualidade no Mxico.
O govemo italiano chamou Roma o
seu embaixador junto Repblica Fran-
ceza.
Acredita-a* quAMeja com o fiTr &0*1
tarapresen9a don^atiend Conde Menabrea
na abertura Solemne da Exposieao Uni-
versal.
WIESBADEff, 24 de Abril,
S. M. a Imperatriz d'Austra-Hungria
acaba de chegar aqui.
BRUXELLAS, 24 de Abril.
O general Boulanger parti para a In-
glaterra.
VIENNA, 24 de Abril.
Desordens de certa gravidade acabam
de produzir-se aqui; foram provocadas
pelos cocheros de transways que fizeram
parede (grve).
Ha um grande numero de feridos c mui-
tas prisSes foram effectuadas.
Agencia Ha vas, filial em Pernambuco,
24 de Abril, de 1889.
IHSTROCCiO POPDLAR
AS GRANDES l\YE.\C0ES
ANTIGS E MODERNAS
NA8
Sciencias. industrias e artes
POR
XIV
O i*po
(C ontinuagao)
Agora cora prebende-se bem que se o lirante,
preso interiormente i haste do embolo, pegar
superiormente na manivella do eixo motor de
urna officina, a acgo <:oniiuu;i do vapor dar em
resultado o imprimir a este eixo um inovimenlo
continuo de rotarfio. Este movimeulo pode de
pois, por meio de tambores e correas ou de en-
frenagens, ser traiismiltido s machinas distri-
uidas pelas diferente repartiges de urna fa
brica.
Muitas machinas a vapor sao construidas pela
simples applicagSo do principio geral que expo-
semos. Cnamam-se machinas de alta presso,
e redozem se a um cylindro metallico. dentro do
qual vem o vapor comprimir alternadamente os
lados oppostos do embolo, e sahir em seguida
para a atmosohera.
Nao obstante, ha outro mcio de aproveitar a
forga clstica do vapor. Todo o vapor pode con-
densarse, isto vollar ao estado primitivo,
quando fr exposto a urna temperatura inferior
a do lugar onde foi formado.
Partindo d'este principio, em vez de deixar
perder o vapor que acaboudc reagir sobre o em-
bolo, condensa-se aquelle vapor no interior da
machina, e agora explicaremos como esta con-
densarlo produz um effeito mechanico.
(Continaj
PARTE 0FF1C1AL
toverno da provincia
EXPEDIENTE DO DA 9 M ABRIL DE 189
Actos:
O presidente da provincia resolve. de con-
formidade com a proposta do Dr. chefe de poli-
ca, em officio de iiontcm datado, o. 350, Momear
o capito Jo3 Al vea da Silva para o lugar de 1*
supplente do delegado do termo do Bonito, em
substituigo de lose Bellarmino Pereira de Mello,
que foi nomeado official da guarda nacional.
O presidente da provincia resolve, de con-
formidade com a pro posta do l>r. chefe de poli
ca, em oflicio de hontem datado, exonerar, a
Eiedido, Abilio Priamo Lina de Albuqucrque do
ligar de 3 supptente do delegado do termo do
Bonito; e nomear para substituil-o o cidadSo
Jos Joaquim Ferretra da Silva.
O presidente da provincia tendo em vista
o requerimento do professor da cadeira de Pal-
meira de Garanhuns, Jos Augusto Porto nar-
rara, sobre o qual versa a iaforinago u. 100 de
6 do corrente do inspector geral da Instruego
Publica, e attendendo que em vista do quadro
ltimamente approvado de conformidade com o
art. 40 do regulamento de 18 de Janeiro de !888
foi considerada provisoria aquella cadeira, re
solve, nos termos do art. 42 do citado regula
ment, designar a 2* cadeira de enaino primario
do sexo masculino de S. Jos d'esta cidade aliin
de nella ter exercicio o peticionario na qualidade
de professor adjunto. Communicou-se ao in-
spector geral da lnstiucco Publica.
0 presidente da provincia, de conformidade
com oart. 41 do regulamento de 18 de Janeiro de
Ib>8, resolve supprimir a cadeira de ensino pri-
mario do sexo masculino de Palmeira de Gara
nhuns, vaga pela designago do respectivo pro
fessor Jos Augusto Porto Carreiro para profes-
sor adjunto da 2* cadeira de ensino primario do
sexo masculino da freguezia de S. Jos desta
cidade.
Oflicios :
Ao tenente-coronel coxmandante daa ar-
mas interino. -De accordo com a indicacao de
V. S., feita em officio de hontem. sob n. 732, de-
signo o major do r'batalho de infantariu JuliSo
Augusto de Serra Martina para presidir a com
misso que, na forma do aviso-circular do Mi-
nisterio da Guerra de 23 de Janeiro de 1884 tetu
de dar em consumo no dia 6 do corrente, s 11
horas da manba, na enfermarla militar diversos
medicamento?, drogas e utensilios pertencentes
a ease estabelecimehto.-Na mesma data desig-
nou-se o ajudante interino do Arsenal de Guerra
e expedio-se ordem ao iuapector da Thesouraria
d>- Pazenda para designar um empregado#de fa-
zenda aflu de fazer parte da commisaao.
- Ao inspector do Thesouro Provincial.Nao
ha vendo motivo para objecgo mande Vine, pa-
gar a Francisco Tavares da Silva Cavalcante
contractante das obras de reparos da ponte da
ra do Rio era Goyanna, da ponte grande da
Varzea de Uruah e do ultimo pontilho da Var-
zea de Pao Amarello a quantia de i.320*'60 im-
portancia das mesmas obras de conformidade
com o^certiflcado junio, passado pela repartlco
das Obras Publicas era 5 do correnle sendo pre-
viamente recolhida a prestago de responsabili-
dade.Communicou-se ao director geral de
Obras Publicas.
Ao administrador do iheaUo Sauta Is.
rrentc, aflm de ser datada e as
signada por Vine, e ordeno-lhe que reaielta-ae
a follia do theatro. a que se refere e que ctjpsti-
tue despeza das companhias informando preci-
samente quanto dispende urna companhia dra-
mtica regular em cada noite de espectculo-
Conto urna resposta em 48 horas, parecendome
nao serem precisos onze das, quantos decorre-
ram da data do meu oflicio de 26 de Marco de
sua resposta a 6 do aprrente.
Ao director interino do Arsenal de Guerra.
Restituindo os inclusos requerimentos de Ju-
lia Maria da Conceicao e Rosa Linda Nunes do
Valle, autoriso Vmc. a mandar admiltir na
companhia de aprendizes artfices, quando bou-
ver vaga os menores Jos e Jos Nunes do
Valle, filhos das peticionarias, urna vez que se
acham elles as condicoes do respectivo regula-
mento, segundo consta da informago dessa di-
rectora de 6 do corrente, n. 443.
Ao juiz de paz mais volado do dstricto de
Santo Antonio da Pedra.Respondo ao seu ofli-
cio de 19 do corrente mez declarando que, nao
havendo incompatibilidade na accumulaco, mas
smente no exercicio simultaneo dos cargoa de
vereador e juiz de paz, segundo o aviso do mi-
nisterio do Imperio, n. 92, de 9 de Fevereiro de
1880, nao pode Vmc. exercende o cargo de ve-
reador do municipio da Pedra, presidir a eleicSo
a que se tem de proceder nesse districto para
um depulado geral.
Portaras:
Os Srs. agentes da Companhia Brazileira
de Navegacio a Vapor mande dar passagens de
r, at corte, por coula do ministerio da fazen-
da, no paquete esperado do norte no dia 14 do
corrente. ao confereule nomeado para a alfan-
d%a da mesma corte, Tnomaz Antonio Ramos
Zany, e s pfssoas de sua familia constantes
da relacao nominal junta por copia; sendo a
proa a passagem do criado, conforme solicitou-
me o inspector da Thesouraria de Fezenda em
officio de hontem, n. [147. ommunicou-se ao
inspector da Thesouraria de Fazenda.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco d passagens por con-
ta da provincia e "com direito bagagem, da
estacao das Cinco Pontas a de Gamelleira, a duas
pragas do <"orpo de polica que rao destacar no
termo de Barreiros.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETAR!!'
OfOcios :
Ao Dr. chefe de polica. Sua Exc. o Sr.
presidente da proviocia manda declarar a V.
..*ein resposta ao seu officio de 4 do corrente
mez, ii 335, que deixa de anprovar o contracto
feito pelo subdelegado do districto de S. Jos da
Bu.i Ksperanea para locago de urna casa para a
prisao e quartel, por ser elevado o prego esti-
pulado de 10# mensaes ; convindo por sso que
aquella autordade procure outra pela qual nao
se pague mais de 5*000.
Ao mesmo. Sua Exc. o Sr. presidente da
provincia manda declarar a V. S., em resposta
ao seu officio de hontem datado, n 349, que nao
pode ser attendida a requisico do delegado do
termo do Ex.
Ao mesmo.Sua Exc. o Sr. presidente da
provincia manda declarar a V. s. que o assump-
to do oflicio de hontem datado, n. 353, deve ser
resolvido por V. S. como entender mais acer
tado.
Ao Dr. juiz de direito do 2o districto crimi-
nal do Recife. Sua Exc. o Sr presidente da
provincia manda com m un tea r a V, S. que no
seu officio n. 128 de i do corrente mez. profe-
rto hoje o despacho segninte :
Ao director Jo presidio de Fernando de No-
ronha par? satisfazer a requisigao .
Atr Io secretario da Assembla Legislativa
Pro\ncial.-Dc ordem de S. Exc. o Si presi-
dente da provincia transmiti a V. 8., para os
fina convenientes, os inclusos artigos additivos
de posturas e o balango da receita e despeza do
exercicio de 1887 a 1888 e o orgamenlo para o
de 1889 a 189o da cmara municipal de Panellas.
Ao director das Obras Publicas.O Eim-
Sr. presidente da provincia lirn inteirado pelo
officio n. 32, de 4 do corrente, de haver V. S.
mandado lavrar termo de recebimento definitivo
da obra de reconstruego do pontitlio de Ara-
ripe de Baixo na estrada do Norte, de que con
tractante Luiz Antonio da Silva.
Ao mesmo.O Exm.-Sr. presidente da pro-
vincia ficou inteirado pelo officio de 5 do cor-
rente sob n. 35, de haver V. S., mandado lavrar
termo de recebimento provisorio das obras de
reparos daa pontea da ra do Ro em Goyanna
da varsea de Uruah, e do pontilho da varzea
de Pao Amarello, das quaes contractante Fran-
cisco Tavares da Silva Cavalcante.
Ao gerente da Companhia Pernambucana
de Navegago.De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia aecuso o recebimento do offi-
cio de 6 do corrente, no qual V. S. participa que
essa companhia expedir os vapores S. Fran-
cisco, no dia 12, para os porto do sul at a
Bahia, Jaguaribe no dia 13. para os portos do
norte at Fortaleza, ambos s 5 horas da tarde,
e Una para o presidio de Fernando de Noronha
no dia 15 ao meio da. Fizeram-se as necesaa-
rias communicagOes com referencia a partida do
vapor para o presidio de Fernando de Noronha.
Ao juiz municipal do termo de Caruar
De ordem do Exm. Sr. presidente da provincia
communico a V. S. para fazer a notificagao, nos
termos do decreto n. 8266 de 8 de Outubro 1881,
constante do irapresso aqui junto, que foi remo-
vido da comarca de Caruar para a de Alcntara
na provincia do Maranho por decreto de 30 de
Margo lindo, o juiz de direito Miguel Bernardo
Vieira de Amonm sendo-lhe marcado o prazo de
4 mezes para assumir o exercicio de suas func-
ces.
Ao promotor publico da comarca de Tim-
haba 0 Exm. Sr. presidente da provincia re-
cominenda a V. S. que envi a esta secretaria a
certidao de seu exercicio.
EXPKDIENTE DO DIA 10 DE ABBIL DE 1889
Acto:
O presidente da provincia attendendo ao
que requereu o Revd. vigario da freguezia de
Noasa Senhora do Rosario da Varzea, padre
Marcellino Vieira da Silva e S. resolve, de con-
formidade com o despacho junto, de 8 do cor-
rente do Revm. governador ilojbispdo, conceder
ao peticionario 3 mezes de licenya eom a res-
pectiva congrua.
Omcios :
Ao tenente-coronel coramandaute das ar-
mas interino.-Deferindo o reqHerimento do sol-
dado do 2.- batalho de infantaria Luiz Jos Cr-
rela de S, sobre que versa a informaco d esse
con mando de hontem datada sob n. 755, auto-
riso V. S. a dar baixa do servico do exercilo a
referida praga, uina vez que o substituto ajaen-
tado eateja as condic5ea da lei.
Ao inspector da Thesouraria de FaS
Recommendo a V. S. que, si nao tiver
gao a oppor, mande pagar a inclusa conta"
a na importancia de oOOO relativa
de expediente feita pelo tenente Jos
de Aguiar, quando exerceu o cargo de
dante interino da 2.a companhia do 14.
de infantaria cumulativamente com o
r da escola regimental do mesmo ba-
de que trata o officio do commando das
de hontem datado, n. 751.Comuium-
ao coniniandante das armas.
Ao director interino do Arsenal de Guerra.
Autoriso Vmc. a mandar satisfazer o incluso
pedido de diversos utensilios necessarios a sala
ecia, dos conselhosv: secretaria do com-
uraias Fizeram-ee as necessarias
nica ges.
- Ao director geral das obras publicas--De-
ferindo o requerimento de Henrique Florentino
da Silva Santiago, autoriso Vmc. a contractar
com elle de accordo com a sua nformago de
hontem da tada, sob n. 36 a execugao dos reparos
urgentes do pontilho do riacho Agua Fria, na
estrada nova de Beberibe, mediante o abate de
6 -j, no orgamento de 1:516*850, que. descontada
a importancia das obras determinadas em Julho
do anno passado na importancia de 1X0*000, fica
reduzida a 1:336.850 excluido o mencionado
abate.Communicou-se ao inspector do Thesouro
Provincial"
Portaras:
O Sr. gerente da Companhia Pernambu-
cana de Navegago faga transportar por conta
do Ministerio da Guerra a provincia da Parahyba
o capito do 27 ba'alhao de infantaria Damiao
da Costa Leito e bem assm sua mufcer Doro-
tha da Costa Leito, seua filhos Hermogenes de
10 annos de idade. Maiianna de 9 annos. Alice
de 7 annos, Joo de 6 annos, Olegario de 4 an-
nes, Fernandina ue 1 anno e Mara Jos de 1
mez, e um criado de nome Antonio.Officiou-se
ao inspector da Thesouraria de Fazenda para
mandarjajustarcontas ao referido capito e com-
municou-se ao commandantc das armas.
OSr. gerente da '"ompanhia Pernambu-
cana mande dar passagem de r ate Natal a D.
Mara Claudina Xavier da Cunha por conta das
gratuitas que o governo tem direito, no primei-
ro vapor que seguir p*ara o norte.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife a S. Francisco d passagens, por con-
ta da provincia e com direito a bagagpm, da es-
tagode Cinco Pontas a de l'na a seis pragas
do corpo de polica, que regressam para b ter-
mo do Bonito, d'onde vieram conduzindo tres
sentenciados.
Igual no prolongamento da estago de Palma-
res a de Barra de Jangada.
dem da estago de Palmares a de tinco Pon-
tas a cinco presos e a escolta que os conduz
composta de quatro pragas [do corpo de polica.
dem com passagem de ida e volta em carro
de 1* classe entre as estages de Cinco Pontas e
Escada. ao engenheiro da repartigo das obras
publicas Antonio do Reg Neto, que sai exami-
nar a obra da ponte sobre o rio Ipojuca all exis
tente.Communicou-se ao director geral das
obras publicas.
EXPEDIENTE DO DR. SECBETABIO
Oflicios :
Ao 4 secretario da Assembla Legislativa
Provincial.Q Exm. Sr. presidente da provin-
cia manda communicara V. S. para os fins con-
venientes, que por acto de Jhontem suspendeu a
publicarlo do aecreto dessa Assembla. enviado
com o seu officio n. 27 a que respondo, do 1* do
corrente mez.
Ao mesmo.De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia respondo o officio de V. S.
de hontem datado, sob n. 33, declarando que
por portara de 19 de Junho de .1885 foi proro-
gado por 3 annos o prazo concedido para a fun-
dagao de urna fabrica de papel nesta cidade con-
forme determinou o art. 11 da lei n 1,810, de
27 de Junho de 1884 e que nao foi ainda decla-
rada a caducidade da le que autorisou a dita
fabrica.
Ao engenheiro encarregado das obras mi-
litaresS. Exc. o Sr. presidente da provincia
manda aecusar o recebimento do officio de V.
S., sob ii. 308, de 8 do corrente em que participa
estarem concluidos os reparos mais urgentes do
quartel do 2" batalho de infantaria, sendo des-
pendidos 2:2461010 e nao 2:439*301 conforme o
orgamento verificaudo-se o saldo de 193*285.
DE
Grande, na occasiao em que o operario
Manoel Joaquim de Sant'Anna, achava-se
desatando um andaime, succedeu cahir
sobre o ladriio. e ficar com as duas maos
quebradas e ferido na testa.
O subdelegado respectivo tomando co-
nhecimento do faci, fez transportar o
offendido para o hospital Pedro II, afin
de ser medicado.
Procedeu-se a respeitonos termos da lei.
Pelo delegado do termo de Ipojuca, foi
remettido ao juizo competente o inquerito
policial, procedido contra o individuo de
nome Jeronymo Leonardo da Silva, por
crime de homicidio, na pessoa de Manoel
Pereira de tal, conhecido por Manoel Ge-
rente.
Deus guarde a V. Exc.Illm. e Exm.
Sr. Dr. Innocencio Marques de Araujo
Ges, muito digno presidente da provin-
cia. O chefe de policia interino, Daro
Cavalcante do Reg Albuquerque.
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 33 DE ABKII. DE 1S89
Administrador da Casa de Detengao, Fernn-
des de Oliveira C. e Francisco Tavares da Sil-
va Cavalcante.Informe o Sr. Dr. contador.
Euclides Fouseca. Henrique Florentino da Sil-
va, Santiago e Emilio da Silva Costa.A" conta-
doria para os fins devidos.
Antonio Joaquim do Souto Lima.A' contado-
ra para fazer as devidas notas.
Pedro Tertuliano da Cunha, Joo Evangelista
da Silva Gabriel Cursino, Delplino Lopes da Cruz
e AI ves da Silva 4 C Ao contencioso para cum-
prir o despacho da junta.
Francisco Manoel do Reg. -Cerlifiquc-se.
Recebedoria Provincial
DESPACHOS DO DIA 24 DE ABRIL DE 1889
As petigoes de Soares Quintas & C,
Papoula & C, Papoula & Bastos, Manoel
Machado Botelho & C, Jlo Euthimio de
Bnto Macedo, Henrique Vogelcy, que fo-
ram publicadas no Diario de whoje, foram
indeferidas, e nao deferidas, como por en-
gao se publico.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 23
ABRIL DE 1889
Abaixo assignados proprieiarios e moradores
no lugar Salgadinlo. Informe o Sr. engenhei-
ro fiscal da estrada de ferro do Recife a Olinda
e Beberibe.
Alferes Antonio Joaquim Coelho dos Santos.
Informe o Sr. inspector da Thesouraria de Fa-
zenda.
Conimendador Fructuoso Das Alvos da Silva.
D-sc ao supplicante copia da informago do
engenheiro fiscal.
Flix de Jess Maria. Expega-so ordem para
regressar.
Capito Felippe Fernandos Coelho.Informe
o Sr. rom mandan te superior da guarda nacional
das comarcas de Ouricury e Boa-Vista.
Coronel Joaquim Veriasimo do Reg Barros.
De-se ao supplicante copia da informago do
engenheiro fiscal.
Atieres Manoel Francisco Mendes Diniz.Con-
cedo.
Rita Francisca dos Anjos Chlcon. -Venha por
intermedio do inspector geral da instruego pu-
blica.
Tenente Wiberto Brrelo de Mello Reg. In-
forme o Sr. comman lante superior da guarda
nacional da comarca do Recife.
Innocencio de Almeida.O documeato junto
nao satisfaz e nao est sellado regularmente.
Munoel Figueiroa de Faria 4 Filhos. -Deferi-
do, com officio desta data a Thesouraria de Fa-
zenda.
Maria Benedicta dos Prazeres. lodeferido.
vista da informago do commandante das ar-
mas.
Manuel Feliciano da Silva. -Faga-se nova no-
meago.
Manoel Candido Feruandes Peres.Coacedo.
Maria Salom dos Santos Dacia.- Concedo.
Secretaria da Presidencia de Pernambu-
co, 24 de Abril de 1889.
O porteiro,
F. Chacn.
Repartlco da Polica
2.' seccao.N. 408Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 24 de Abril de 1889.
Illm. e Exm. Sr. Participo a V. Exc.
que foram hontem recomidos Casa de
Detengao os seguintes individuos :
A' minha ordem, Jos Joaquim dos
Santos e Manoel Rodrigues dos Santos,
como sentenciados vindos de Fernando de
Noronha.
A' ordem do subdelegado da freguezia
de Santo Antonio, Luiz Jos de Lima e
Joo Martina ou Mathias, por disturbios.
A' ordem do do Io distrinto da fregue-
zia de Afogados, Thomaz Pereira, por dis-
turbios.
Comniunica o subdelegado do districto
de Belin, que hontem, por volta de 5 ho-
as da tarde, no Hippodromo do Campo
DIARIO DE PERNAMBUCO
UECIFE, 25 DE ABRIL DE 1889
A adminlstraco da provincia
Findou hontem a adminislrago do Exm. Sr.
Dr. Innocencio Marques de raujo Ges, quedei-
xou a cadeira presidencial desta provincia para
ir continuar na Assembla Geral a destmpenhar-
se do mandato legislativo, como representante
do 8" districto da provincia da Bahia.
Destinguido coma merecida coofianga do go-
verno imperial, que, por carta de la de Decan-
ta) passado, designou-lhe o difflcil e honroso
posto de presidente desta provincia, S. Exc, o
Dr. Innocencio Ges acceitou a alta misso,
que Ibe fra confiada, co.isiderando-a urna op-
portunidade mais de prestar ao seu paiz o sa-
crificio de seus interesses polticos e privados e
es servigos que era dado esperar de seu patrio-
tismo, luzes e experiencia
Tomando posse do elevado cargo em 3 de Ja-
neiro do correnle anno e tendo necessariamente
de circumacrever a sua adminislrago a quatro
mezes de praso mximo, pareca que S. Exc.
nao teria :empo nem incentivos para preoecupar-
se detalhadamente dos negocios da provincia,
que vinha administrar. Enganaram-ae, porra,
os que, levados pelas apparencias e pelo que
comunmente sucrede, assim pensaram.
O Dr. nnoceacio Ges desmentira desta vez
os seus honrosos precedentes de dedicago a eau-
sa publica, de honestidade e de trabalho, se
nao tivesse procurado, como conseguio, vencer
pela sua inquebrantavcl energa e forga de von-
tade as difliculdades que a escassez de tempo
poda trazer-lhc no tumprimento de sua misso
Hornera affeito ao trabalho, de carcter avaso
a quaesquer tergiversages no desempenho do
seu dever, nao podia deixar formar se e affagar
em seu elevado espirito a perspectiva commoda
e agradavel de urna administrago que se ca-
racterisasae pelo Iflfctjr (aire, lauser passer.
Aos caracteres, formados, como o Dr. Inno-
cencio Ges, na pratica conscienciosa do dever,
repugna sempre qualquer sentimento, que possa
ser uspeitado de falha dos principios impostos
pela dignidade e lealdade, como norma, aos que
sao chamados ao servigo publico.
Foi sera duvida inspirado em to louvavei
sentimentos. que o Dr. Innocencio Ges desde
os primeiros dias de sua administracio esfor-
gou-se e nao poupou fadigas para conseguir in-
teirar-se das necessidades a que aos diversos
ramos dos servigos provinriaes devia acudir com
a eflicacia da acgo govcrnaraental.
Manter e fazer respeitado nos termos marca-
dos pela lei o principio da autoridade, como
medida de ordem e seguranga geral, acaulelar e
melhorar as fiuangas do thesouro, desenvolvere
auxiliar as forgas productoras da provincia, taes
foram os principacs e dominadores intuitos da
administrago que hontem findou.
Na falla presidencial, derigida a Assembla
Provincial por accassio da installago desla e
nos seus actos administrativos o Ilustre admi-
trador revelou e demonstrou a subida couside-
ragao e interesse, que Ihe mereciam os negocios
da provincia.
No regulameuto da instruego publicanoton a
uecessidade de algumas reformas que sem pre-
judicar a diffuso do enaino traten economa
aos cofres pblicos.
Sobre o importaate BSMUtpto das linancas s
Exc- com todo criterio suggerio medidas ten-
dentes a acabar com os dficits organicr.tarios.
que infelizmente continuara a pesar sobre o the-
souro.
Atiento e cuidadoso estudo dos diversos ser-
vigos explorados pelas companhias existentes
na provincia liabilitaiaiii-n'p^aJIar minuciosos
e8clarerimentos de incont
ulilidade.
Convencido da uecessidade de se facilitar os
raeics para a colonisago e immigrago realisou
a compra de urna grande propriedade em Jaboa-
to para o estabelecimento alli de um nucled co-
lonial.
Outros raelhoramentos pblicos foram inicia-
dos, romo o projectado edificio da Faculdade de
Direito com a compra do terreno preciso, a aber-
tura da ra do Imperador que se prolongar at
de Pedro Anonso, pendo demolida parle do
edilicio.em que se acham a Thesouraria de Fa-
zenda e o Arsenal de Guerra.
Para a realisago da abertura dessa ra foram
j ordenadas as obras necessarias no Convento
dos Carmelitas para alli funecionar provisoria
mente Faculdade de Direito.
Particular mengo merece o applaudido acto
de 21 de Margo, que conjurou a crise de que es-
tava ameagada a populago da provincia e es-
pecialmente a desta capital a respeito da falta
de um dos gneros de primeira neceasidadea
farinha de mandioca, queestava sendo largamen-
te exportada e escasseando nos mercados, apesar
do crescido prego.
No exercicio da importante attribuigo, que *
aos presidentes de provincia confere o acto ad-
dicional relativamente sanego e puhlicago
das resolugesdasAssemblasProvinciaes, oDr.
Innocencio Ges, no nico proposito do reapetto
a lei e da defesa dos intereases provinclaes, teve
uecessidade de devolver Assembla Provincial
alguraas resoluges por esta vo:adas. Razes
inspiradas no bem publico e no cumpriraenteda
lei fundamentaram taes actos da administrago.
De grande alcance foram inconleatavaunente
os servigos que preatu o lluatre administrador,
obstando que fossem executadas resoluges da
Assembla. que abertamente sacrilicavan o in-
teresse publico ao favor eaffeigo poltica p par
ticulag de que loi frisante exemplo o orgamento
iunioipaJ.
Co*qid .poltico o Dr. Innocencio Ges nunca
regateos ao seu partido a forga moral e presti-
gio, qne a adminislrago pode dar, mas tambera
nunca sacrificou a justiga. anda mesmo quando
esta entrava em colliaab com as conveniencias
polticas. *
E va i neste admira vel proced ment o seu
niaior mrito e elogio.
Accssivel a todos, que o procuravam, affavet
e delicado, sabia captar sympathias pelo seu cor-
recto procedimento at entre os adversarios" po-
lticos.
No partido conservador deixa sinceras dedi-
caces e geraes adhesoesprova irrecusavel do
acert e tino, que derigiram a sua administra
gao. *
Anda hontem mesmo por occasiao de deixar
a cadeira presidencial e em presenga de rfescido
numero de amigos entre os quaes notavam se
deputados geraes e provinciaes, desembargado-
res, magistrados, lentes da Faculdade de Direi-
to, chefes de repartieses e outras muitas pessoas
grada o partido conservador desta provincia
signilicou-lhe a maior estima e considerago,
olTerecendo-lhe urna Iembranga, que conatou de
duas grandes bandejas de prata massiga, um
servigo do mesmo metal para almogo, um rico
licorciro de prata dourado e cbristal tino e um
carto de ouro em que lia-se a seguinte inscrip-
gSo : Ao Exm. Sr. Dr. Innocencio Marques de
Araujo Ges o partido conservador de Pernambuco
Todas as pegas tinham gravadas em anagram-
ma as iniciaesA G.
Em nome do partido conservador o nosso dia-
tincto comprovinciano, Exc. Dr. Juvencio de
Aguiar leu na mesma occasiao as seguintes elo-
quentes palavras:
Exm. Sr. Dr. Innocencio Marques de Arau-
jo Ges.Acabis de passar a administrago
desta provincia s mos experimentadas do
Exm. Sr. Dr. Ignacio Joaquim de Souza Leo,
digno Io vice-presidente.
Chamado a desempenhartna cmara tmpora -
ria, os altos deveres de representante da pro-
vincia da Bahia, a qual, por sso, tem bastantes
motivos para desvanecerse, dentro de poucas
horas dl's vos ausentar d'enns. Este faci nao
poda ser, e efectivamente nao indiffereote ao
partido conservador de Pernambuco.
Reccbido, como fostes, com esperangas e en-
thusiasmos, que eram perfeitamente justificados
peloa vossos crditos ; rodeada sempre a vossa
administrago da mais completa con ti anca e de-
cidida adheso, esse mesmo partido vem agora
significar-vos seu reconhecimento, traduzir suas
saudades, e dizer-vos seus adeuzes.
Era difficil, muito difficil, a misso que vos
foi confiada e que hoje findou, de administrar
urna grande provincia, urna das mais importan-
tes do imferio ; nem isto devia ter escapado
lucidez do vosso espirito e s liges de vossa
experiencia ; nem por outro motivo o governo
imperial recorreu vossa illustrago, ao vosso
criterio e vossa proliciencia.
Soubesles vos tirar da diflicuIdade de um
modo honroso para a vossa j bem firmada re-
putago i, o governo imperial deve hoje applau-
dir-se pela sua escolha ; e o partido conserva-
dor de Pernambuco vio justificado o entnusas-
mo e reatisadas as esperangas cora que vos
acolheu. '
Com effeito, succedendo urna administrago
amiga, assoberbada a provincia por serias difli-
culdades c pendentes de andamento e solugo
assumptos e servigos da maior importancia, a
wws* administrago. terminando, deixa o parti-
do cada vez mais animado e fortalecido, diver-
sos servigos bem encaminhados, outros conai
deravelmnie melhorados, e no luminoso relato-
re com que foi aberta a actual sesso da Assem-
bla Provincial sabios e prudentes conselhos,
be i pensados alvitres e conscienciosos studo
dignos de serem devidamente aproveitados.
-Fostes urna seatinellaescrupulosa esevera m.
lei. Os adversarios nao puderam levantar quei-
xas fundadas contra vossa -.dminisli
desrespeito aos seus direiios e recusa ; i
devida ; os amigos, que nunca v#s liz.

-


2
Diario de Pernambuco---Qiiinta-feira 25 de Abril de 1*89


sarraioidas, vram bi:m ncolhidas e
6asfeitas suailtgitimas aspiracCes. a provincia
gento so niantida no*iegimcn legal ; e o povo,
ese juiz severo e imparta*; que sabe nos no-
mentes solemnes eteraMe toda a sua altura,
cerrar os ouvidos as sugaestoes alheias e obede-
cer smente as suas proprias nspiracOes. rece-
bendo directamente ma^aihao -danwca soliai-J.
lude, tuve o seu di* eoNtasiaMK) -VMconlw
cimcio, e hateu |irias -sabesiria *#vos'
deliberaccs e eowgia*ptnWte:n attitu le.
Si alguraas vejeaos aknjHioaMl* caaioiio vos
sangraram os p*raJguatt-i'otiiriedale vos
raagooa o espirito, otgm* -iiijusttu vos loa,
consol-vos o seguinjNaasaaceitcaidw-ttebollo d*
Silva, o apurado prosador portuguez. historiando
a vida de ura dos vultos polticos do Portugal do
principio d'este secuto: gloria, mesmo a mais
mura e a menos disputada, traz sempre espinhos.
Sao aiitmuii n* n........hwim's,- nltmm mi o
rato mau deprava. Si a luz do sol as donra pri-
nuifiousios tfdu wiif' ii escaeecem utais tarde.
por ism mesmo expiat*a Pr t*o; islo a#>ra, que estis despido da
auloridade. que s goveraais pelas fundas syiu-
paUim que soubestes inspirar, o partido con-
serrador. wn nome de seos legtimos Dteress-vs
aolicitarmioie amparados, em nome da provine;:;
bi'iicli'ktda v do povo agradecido, vera assesu-
rar-vosseu profundo reconhecimento, e, dizen-
do-vos um suudoso adeus, fazer \olos sinceros
para que ventos felizes vos conduzam e a fortu
na vos eleve al toda a altura a que lera direito
os V08STJ8 mereciraerHos.
. Pora que esses sentnentos e esses votos,que
nao sio simples paluvras de cortezia e conven-
cao, senao Mlfaritr a vos justamente devldo e
e por v> allimantfl "'erecido, esiejam sempre
presentes ao vosso coraco, como ticara \ossa
lembranca na memoria do partido conservador
d'esta provincia, elle vos offerece este mimo.
. Acetai-o ; e todas as vezea que. longe d'esta
ierra, desprencruoado dos negocios pblicos e
des 1 urea da vida, no rerainso calseo da lar,
junio a inieressaiite e idolatrada; esposa, essa
disMiuUasima senhora que tanto suube insinuar-
se sytr.pnihica mente, na sociedade pernajabHca-
na, hneardes para elle as voseas vistas, lem
braiv>s ^ partido-conservador de Pernambuco,
fM ero. pouco vai cerral-os, para abracar vos sau-
dosa, !eBilirai-vos dos muitos amigos que aqu
deixais, porque elles nao se esque.cerao de vos.
E' este o nico mereeimento d'este mimo;
aceitai o
Profundamente sensibilizado e sem conseguir
esconder a emogo que o doiqmava, o Dr. Inuo-
cencio Ges espondeo, agradecendo a prova de
aflecto tflre esta manifestado trazia, e em seguida
abracoua todo.-.
Dua bandas de msica torarcm antes e depois
d'esse acto
Embarca boje as 8 1/2 horas da manh Mtffc-
que.'.c Alliance o Ilustre representante da pro
virn-ia da Babia, escoltado pelus syrapathias dos
amitos amigos que aqui formou e peta agrade-
'.imentes da provincia reconnecida.
Boa tiagem
Tentaram fazer Jos Alcxandre Sonre lan-
car o ue-* curta* tkiha ingenio, dando'Nie*
beber azeite doce em grande quantidade.
Prevenida a polica, compareceu ao lugar: o
2* delegado, o escrivao e os mdicos da polica,
Drs. Bruno Biltencourt e Navegantes, que pro-
cederam exaaie, declarando ser gravissimo o
estadb do Sr. Soares.
Apre.-entaram-se depois os Drs. Roxo, me-
dico assistente, e Jpo Ucbda.
Swunil4Maaf4MBV)ai^'QMiiMHBHg se havar
sf#*Bpr.Mlwn*rr m .IrltwlaftejawtBorphinaiBa i
enMaenaSMitu'.
DI7: 4
ui noo e!ivienaa3KK'ria(ra-se hoje.
I Deu-s; a-a du Sr. eserno -Baiidii'
estrada du-S. Jos n. 28, entre a ra do i'iry e
a travessr - A vic^wa fb*-uin sarinho AK|uelle geatwr,
de nome Lo 4ia de t4 annrwriiihte. -
Luiz fra ha das victima de um desastre
n'um bond da Companhia l"rli;;na, estr;:da de
S. Jos, conforme noticiamos, bavendo soffrido
um ferimento de que ja estava quasi restubele
cido.
Achiva Assumio bontein a aJministrayao da pro-
vincia na qualidale de i* vice-presidenteoExm"
Sr. Dr. Ignacio Joaquim de Souza Lean.
Con'.u'cedopa fundo dos negocios pblicos, S.
Exc. traz anda urna vez para a direeeo proyin-
cial | sua experiencia, zelo, esclarecido juizo c
(lediceo pela sua provincia.
(' >mo de outras vezes, S. Exc ha-de sabir-se
bem. propugnando pelos bgitfmai inteMBaesa
provincia a que deve a sua solcitude. eomo de-
gado do gverno imperial, como chefe da adnn-
nistraeo provincial e principalmente como um
dos illuslrl lilbos d'esta trra.
Dr. Henrique Mende"?, concebida nestes termos:
Vinhode Malaga quinado 300 graminas
Lacto phosphato d? cal 6
Acido arsetttew cent.
Tintuia de nos-vmica 2 graaua
lycerina pura 50
Una senhora residente na mesmacasa e qoe
se acha-paralytiea, tinha" manda Icr aviar urna
receita do D>. Luiz Babia, composla de 500
grainmas de sulplnm'to de. potas^a, que deveria
us r externamente, ajiplicala com agua .em ba-
nhos regalares.
Foi da carrafa de-te vn.> lio que n infeliz
menino totnou irvsaoadamente jdlfJMtU bi t o
remedio de seu us.
Sorvend um clice s 114/1 horas, fallecen
ao meio du.
Compareccram ao lugar o 1 delega lo
licia e os Drs. Barao de Batallar, Uf O: tro,
Guimaraes e No\tes.
Hnranha
Nao recebemos foiMt aessa provtncin.
inibj
Datas at 10 de Abril :
.Nada referem as folhas que mcreca mengao.
EatflMM^ae Devendo sahir hoje para o
sut o paquete americano Alliance, S. Exc. o Sr.
Dr. Innocencio Marques de Araujo Ges, presi-
dente desta provincia, embarcar as 8 horas da
manhS, no Arsenal de Marinha, para seguir at
a Bahia, onde, tomo ja dissemos, se demorara
alguns dy aoto** scr">gm* a iPtejjeHm
de tomfiafW'MIIJBPW'ibaWiaiW |MU latRMM^
aiito*wmmmw>i**u*m Par^poMMt
da nn-sMiiiJHMb' d***re* prapdt-de
Dr. chef*de*aj<||rti.de H*i 'Mfteatto pa o
lugar de (MplMte do'ilfkippdu. do tenMr de
Pao d'Alho Francrsco'Ifira:>Liiiia OMMri.
actual snbttelvgaB1 do t diafteto do mmiHO
termo, em- substnieo*d Jos tiemmiino de
Araujo Fifliwiro pte nevesiite n teme.
Por pofOMn davmeatiwwllbpgitopiwijaidt 9i
fot-eToneratto o alfeTes-nrrCorp-o> P51T?ia II
defonso Carneiro da "Cunha Albuquerque do
cargo de subdelegado do distncto de Capoeiras
do termo-do Honito.
vor portara da presidencia da mesma data e
proposta do Dr. ciiefe de polica da mesma data,
um-ranwdicvreceiU-d Sai- e>Mora'Jora-()edMl,o-cat'i>*' *?* Buf Ura- '
Cahral do lugar de subdelegado do Io disirktto
da freguiia de S. Jos desta cidade, e nomeadu
.bsttuil o o actual 3o supp.etite- Jo:o An
ionio da Silva l'ereira ; e para os lugares de 1".
2a e 3- supplenh's do mesmo subdelegado R*m
nonieados ^0> cidadaos Francisco Barreta te
Gusmio, Alexandredos Santos Selva e Heliodoro
Candido Ferreira Babello, na ordem em que se
adiani.
Carpo d PolicaPor portara da presi-
dencia da provincia da unsuia data fbram refbr-
inados com a penso a que tiverem direlio de

.\o'cia* do norte do Imperio
O paquete americano Alliance, houtem cliega-
do do norte, tronxe as segaintcs noticias :
.iBiaionan
Datas at 7 de Abril.
E'o afanaos preparava-se um sumptuoso bai-
le. .'.iOnrido ao jiresidente da provincia, De.
Joaqtnni rfe Oliveira Maclralo:
O bailS'era promovido porne^omntes daquel
la pra;rdieve ter lugaraodi.i 27 do corrente.
Foi suspenso o inspector de hygiene pwbb-
ca Dr. Julio Mario da Serra Freir, e demittido,
a bem ha morahdade publica, de medico do in-
stituto oVedonmdos.
Para
Datas at 18 de Abril.
Lemos na Provincia do Para
De il :
O vapor Antrltn, <*begjrdo hontem da Euro-
pa, (rouxr'iMMiciaide que est encalhado na r.o-
ra Secca, entrada deite portos um brigoe no-
iucgiui, earregado de carvao de pedra.
C.o.-Ui que o navio tem nratico a bordo e
vinlia .consignado Compaobia de Gaz Pa-
raense.
De 14:
Pouco antes de urna hora da tarde de hon
tem. na casa em que reside Vicente Atlelino Pin-
to, ra do Bosuon. Si, deu-se um facto bas
tante .lamnotavei.
Tendc-.chcgado hontem no vapor Santarem
o praticante de leme Adolpho Vleme Goncalvcs,
foi para essa easa, onde reside com sua mJi.
l'm irai delle, Pedro da Silva Cunha e
Couto, aJii o foi visitar. Adolpho, ento, em
conversa narrou-lbe que o commandante do va-
por Santarem, Sr. Moita, tentara suicidsr se com
um revolver, sendo Ihe isso obstado pelo ma
cbinisJa do navio.
Na descripeo fazia inenso com um revol-
var novo que empunhava e que estava armado
com duas balas.
Quando fea girar o rodete, que estava per-
ro, aconteceu descarregar se este, indo o proje-
otil cravar se no baixo ventre de Pedro.
rromptamente Adolpho corren a procurar
um medico, comparecen o ao lugar o Dr. Lima
Pilbo.
Apresntou-se o Sr. subdelegado Molla, que
fe proceder o coi po de delic'o, sendo peritos os
Drs. Clemente Soares e l'ereira de Barros ; es
ferimenimijpram jotgados graves
de solleirl^atie;i!i: ne um -' \;\> t
Booth Line.c reside a pi-.ica i'edroll.
Adolpho requere,
De 6:
OSr. Joae Alex in lie Soares, ciiefe da liruia
J. Alexandre Soares C, estabelecida com ar-
mazem de estivas ra da Imperatriz, tentou
snicidar-se hontem, envenenando-se.
Pela manh pedio o Sr. Alexandre Soares
ao Sr. Abilio Ferreira Barbosa, socio de Soares
Jnior C, estabelecidos travessa Sete de
ietembro com armssem le 'nolba de trineo da casa em que o mesmo reside a es-
tada de S. Braz n. 42, dizendo que quera ah
ir descansar um pouco.
Este pedido foi promptamentc sati feito
Qoando, porera, entre al e as 2 horas da
tarde, o-eaixeiro de Soares Jnior & C, JoSo
Antonio RiJaro, sahindo em cobranca, entrou
aa resiuencia de seu patro estrada de s.
Braz, encontrou ahi deitado sobre o k-ito Jos
Alexandre Soares, dormindo profundamente:
tedtou acordal o. e isso foi-lbe impoesivel vjoo-
egi
Correo a communicar ease facto ao Sr. Abi-
lio, q**tarigio-4e 4 casa-M m%mtt
Correspondencia do Uir2o de
Prrnanbnro
MARAN'HAO, 20 de Abril de 188.
Eacerrou se no dia>9 do corrente AsaeMMa
Legislativa Provincial, sein nada ter feito qw a
recomniendasse grutidao dos maranttenses.
Apenas, a benefete de inventario e como elo
quente testemanho da [(oiiiK-a do ramenlo J que
sempre ettiveram adstiietos os tteres do Sr. Go-
mes de Castro, deixou-nos a corporaeo legista-
tira nma calhamacada de discursos baloafo', ol-
lensivos da pawqwlifle e Querendo uetnrpar a grandiosa obra de re
constraecto social bmprenendida pelo patritico
gabinete de 9 de Vareo; i'MuHeMtn que nadado
mehor poderiam fazer do que votar Bina le de
ineios que trouxesse cemo consequenca mais
completa paralysaeao da lavoura que. luta er.er-
gieameott para re rganisar-se. E, diga-je a
veidade, si tal lei fosse sanecionada. leril a'^en
te do Sr. Gomes de Castro conseguido plena::,60
te o seu lim. Tributados forteim-nto os gneros
de prodaccao das ou'.ras pro.iik'ias. uso facto,
(icaria extincti) o couMucrc-w iiiier-proviiicial que
a nica f inte de receita do nosso Thesouro.
Era muo natural-qeeas pro-irria- '|U>.' a
nossa coiMoTOi#m -uswi.lo do-drreitd uVrttor-
so, laucan lo po:- bre os venero,* qui |,ara la exportamos, beha
sem o escoadouro natural das fartas sabrs da
nroduceo danossa-lavoura- E desde"-que p.ira
nos a exportacio se tornasse diflicil, inevit ivel
seria a baixa no preeo dos gneros; e imnossi-
bilit:d-' a lavoura de pagar quaesquer salarios.
era fatal sua ruina.
Sobre estad que se estava preparando'-para
tripudiar o Sr. Gomes de Castro, que desde a pu
bl cacao da urea lei de 13 ele Maio prognoslica
nossa total anniqillacao, oflerecendo avidez
dos mediocres e dos timoratos o novo elixir de
longa vida:a indemiiisoco.
Nao con'ava. porm, este esperto vulgar
com a perspicacia do Ilustrado Sr. Moreira \\\
res, que deode a abertura dos trabadlos legisla-
tivos oinheceu lira os sinistros planos. Admi-
nistrador experimentado, sabe perfetamente o Sr.
.Moreira Alvos, que todos os reformadores easa
dos provocan sempre o despeito e a colera dos
espiritos mediocres, que por este ou por aquee
motivo nao podeni acompanhar aquolle*;. Con-
tava, porlaulo, S. Exc. que tera de luctar ar,ui,
nao s com seos adversarios naturaes. mas ainda
com os que naturalmente haviam de 'procurar
desnaturara patritica obra do Ilustre conse'hc -
ro Joao Allredo, e, porlanto, sen mostrar se
sorprebendido, sein falsas hesitaces e ten
vaos terrores, contentou-se com rebater o gol-
pe qoc Ihe procurava vibrar a Assembla, usan
do do meio legal offereetdo pela' lei. negotl
saDcco ae projecto de orgamento, basean-
do-se no preceito constitucional que veda as as-
semWas -provinciaes legislar sobre impostos de
importacSo.
Qaiz ainda a Assembla Provincial invadir as
allribuices do presidente da provincia. quereB'
do dar nova organisaco a forca policial. Mas
islo, seja dito de passageni, per ura' movel poueo
iligno: para pn:judicar a um oflicial nomeado
ltimamente p*?lo -r. Moreira Al ves. Por incons
litucional tambem nao foi sanecioauda somelhan-
te le. Para conhe> er-se que de modo diverso
nao podia proceder o diguo administrador da
piwwcia, basta BftMtaf sobre as seguintes pi-
lavras do Pata, procwando justilieai* a Assem-
bla :
LofO no comeco ila sesso deste anoo, a
commisso ncarregada de confeccionar.o novo
projecto, inquer'o do presidente da provincia,
por meio de Exc. j se tinlia ulilBado4aautori*aeK) conce-
dida na lei do anno paseado, ao que respondeu
o governador que nao julgava conveniente a re-
forma.
N'estas condice? a Assembta nao deva cot
liar ao presidente urna autorisaca < que elle re-
cusara, nem devia desistir da reforma que ella
jo'giva indispensavel em vista das circurastan
cas do Thesouro.
Decretou a, pois.
Pelo projecto foi conservada a coin|)aubia de
guardas urbanos, tal qual existia, reduzindo se a
duas as tres tompanhm.* do-corpo de polia, tetn
dinunuitao da proco de pret. mandando-se que
para preenclier os lagares de olliciaes e inferio-
res do novo quadro l'ossem anrovei'ados os ac-
tuaes, prelenuos os qoe por le j eslivessenr
sein direito a reloruia.
REVISTA DIARIA
jpromoveu o distincto e conheeido artista lyrico
o Sr. Gtovantii Scolari. auxiliado por algns de
accordo comas disposicoVs em rigor0segttlflK ft?? JJ" *, SffPfffi f,
offieiaes do Corpo 'de rolici, ^J JW ai trabalba sob a direccjto do Sr. H
Teneote Martel-mestre. Antonio Jos de S*~' 'V, i,,?;t, ,, --*
... ..i,,.. Os artistas em treral deram nvmwssSI
za e Silva.
1* comftauhta. -Ten-nte, Manuel Raynert) de
liarlos
Alfercs, Manuel Jos Ferreira Costa.
t'oral'promovidos :
O alfeves Ja companhia Jos Pelippe Gomes
Jnior fio'pflsto d tenoitfe-quartcl-mestre.
(i ,ili"','.- 3 > Companhia Maftoel Teixeira da
SilVa ao posto du teWetrtC da I- companiia.
O sargento qoartel-tneslre Joao Pinto Caval-
cante. ao posto de alferes da I companhia.
O sargento Sevcrianode Siquera Barbosa, ao
posto de alferes da 6* companhia.
Foram nomeados :
Para os postos de alferes da 2a e o* coir.pa
ninas Porfirio Pope Ginio e Olegario da Luz
';an:arelli. ,
Protmotorc publi -.;% l'jr portara
da presidencia ua provincia da mesma data foi
exonerado rfbacharel Lpiciuio DdmfngUeS Lins
do cargo de promotor publico da comarca do
Brejo, por ter sido ne-neado juiz municipal do
termo Su mesmo nome ; e oomeadd para subs
titnil-o o bachare! Joo Carlos Maydaek Pires
Nabueo.
Por portara da mesma data foi demitlido Ti-
burcio de Oliveira Souza do cargo de adjunto
do promotor de Bierros.
inMi-ii'ao pnklia -Por portara de 23
do corrente. foi removido o -professor da cadeira
de emiti primario de'Hio Doce da comarca do
Brejo. lose Francisco Florencio de Souza para a
do edro da de Caruarfi e desta, Vicente da Sil-
va Monteiro. para a de Preguica da de Palmares,
e o desta crancisco de Paula Lins de Carvalho
pura a i!o Rio Doce.
Oft-Sai il- sablAclpA' seu pedido foi
le.-pensado do lugar de oflicial de gslnete da
Presidencia da Provincia, por acto de 23 do cor-
rete, o bacbarel Manoei lernardo Caliuon So-
brinho.
.4c1on da Pi'eMitl<>nt'la da Provinrla
Por actos de 9 do corrente mez :
Foi no-neado o capiulo Jos Alves da Silva.
para o lugar de 1'' supplentedo de egado do ter-
mo do BofltCo, em substituicio de Jos Bellarmi-
ho Pendra de Mello qoe foi nomeado oflicial da
guara nacional.
Foi exonerado a pedido, lio Priaino Lins de
Albuquerque do lugar de 3o spplcnte do delega-
do do termo do Bonito e nomeado para sobstituil-
o Jos Joaquim Ferreira da Silva.
Foi designada a 2' cadeira da freguezia Be S.
Jo.- do Recife, para nella ter exercici como
professor adjunto, o profesor publico d Pal-
uieira de Garanhtms Jos Augusto- Porto Cr-
reiro.
Foi supprimida a cadeira de ensino primario
de Palmeira de Garanhuns.
Por oflcio da mesma data autorsoir-se o The-
souro Provincial a pagar a Francisco TaVards da
Silva Cavalcante. arrematante de obras, a quan-
tia de r320SI60 de couformida le cora o certifi-
cado da Reparticjo das Obras Publicas.
Por acto de 10 do mesmo mez, foram concedi-
dos 3 meses de licenca ao vigario da Vanea pi-
an. Marcelino Vieira da Silva e -a.
Por officio da mesma data mandou-se a Thesou-
ria de Fazenda pagar a quantia de 55000 a enle Jos Joaquim de Aguiar de despeza que
fez na escola regimental do 14 batalhao de m-
fantara.
Il^O^rlrto-^E'j conheeido todo o re-
sultado da votado no t" districto desda pro-
vineia na eleicftb para nreenctrimenlo da vaga de
seus-amii.'os amadores da arte e professores desta
cidade
Pouco depois das 9 horas, achanoVse presen-
tes diversas senhoras e cavalheiroi -leve come-
go o concert, cujo programla foi satisfactoria-
mente desempenhado pelas pessoas que nelle to-
maram parte e que foram mudo applauddas,
subiesahindo entretanto a grandiosa rr.eloa*te~
// Mtnem ea engracada HHrnntin U4fn4
i'WStfc'-cantadas |ielo Sr/SeoliK** o PeWfjoaW" flor,
Roy Blas, |X'ra piano, flaMi e viono. BU" qfltV
toBttram parte os professoresrC'.CIarliWtj'Jdlto-
Alves du Silva e o hbil amMMlBfJr. i'MNAo e
MelW? ,
Os acompanlramenlos a piati#rWP'a:ii*1P'cuW-
dos pelo Sr. professor C. CiartiitWB
A's lOH* horas teiminWWo cwWfto.'it*io os conviWH* sa(isfeit(>s. -(ie%4MBM^piisj|sjBLd
rcalisaW"*' soiiee daniiinW'iliruilTWiada'r*'
Eis o programma observado :
Meierbeer 1" II Monaco, grandiosa meloda
para voz de, baixo, pelo Sr. Scolari. TUo Mattti
2 Una notte Samore, duettino, pelos Srs. Sco-
lari e professor Rosa. Apolnni Grande aria
(com cOro liebre*, pelo Sr. Scolari. 4' Pout
pourg Ruy Blas para piano, flauta e violino
pelos Srs.C Ciarline, Joo Alvese Dr. Paulino
de Mello. Donizeite5" Engranada aria cmica
Udite o rustir, do Dr. Dulcamara na oper.i Eli-
xir d'itmre, pelo vr. Scolari. Campana 7*
Mimoso e iuiere:'s:oi!e coro La Storh di Hftftta,
Vognhtik'la notte bella.
Agradecernos ao di.MinctO e a:navel Sr. Scolari
o convite que nos enrou para' assistinnos a sua
agraditvel lesta.
Clrc*'CMIWOMite liontem houve espec-
tculo nesse circo, lendo recebido ramios ap-
nui'Stre
occorridas com as pracas- destacadas no presidio f
de Fernando, bem como a guias de soccorri
ment das que de l se recolheram a 23 do cor-
rente.
Oirerteria das obran de romerva
cao do* Porto* de PernambucoReci
fe
i. 23 de Abril de 1889.
Boletim meteorolgico
artfmWro a
O
Ten sao
do vapor
*M
761
m
761
fltpfl
759-9S
9
01
111,53
20,'
20i
21,39"
t

75
66
65
7
74
Temperatura mxima- 30".30.
lina mnima 26",25.
Lvaporaco em 24 horasao sol: 8".9; a som
Ora : 3.8.
Chow>ngWa'.-
Direccao do vento : SE com intetrup1 Oes de
S>E e S durante todo o dia.
Velocidade media ;l" mato : im 93 por se
lundo
Nebiilosidiide miia: OJMi
Boletim aos seustrabalbos, sobrcahindo o- japonezes e
a symfntBita Estrella do Mar. que foi perdifer-
.-;:.- rafes bisada.
A concurrencia foi regular.
Para hoje est annuuciada una importante
fuHCCao onde estram oovos artistas.
Wefciwir*!-1-Quando unte hontem tarde pro-
cuiavu no ll;ppodromo'do Campo'GifiiWn-o ope-
rario Joaqoni de Sant' n:ia, desatar um affdai
me, que havia sido feil pan certas obras da
coberta, succetfeu cahir de altura maior de 15
metros o meWBO operario sobre o ladrilho, que-
brando ambas as tnaos e forrado se na caliera.
0 suWelegiido de lclin, totnou 'tOtiheriiuen-
to do facid e providciteiou a tal respeito, remet-
iendo o olTendido'para o hospital Pedro Honde
est senta medicado.
ivwi.eki pBbltooi-tvdra 13 do mez vii;
douro serio in-ragura.las as obras do pasgeic
publico 13 de Miio qu" se ptojecta levanta:' m
Larg do Hospicio.
guiadaseommt-ses n/iivad-s para agenciar
donativos, den h eiiem principio aos seua tra
balites na frecuezia doi'.e-ii'e. arrecadando no
coinmercio quantia superior a 3:000i.
E' de esperar que as outras comtbiss
contrein o mes :o apoio as di'-ersas classes de
hessa s icielade. desd- q:;- 3b trata de ura rae-
lliorameirto que a todos aoroveta.
Befebariaeral Termina 30 dd
corrente rntz o praso para a cobranza, livre de
multa, do imposto predial a que eato sujeiios
os predios perlenccntcs c irporacOe" de mo
morta. corapanhias e sociedades anonvmas e so
Ceda*es pias. referindo-se o mesmo imposto ao
Io semestre rio corrente exerci'io lnancero.
Tbeuro Prottlncia'lNessa repart-J^'
cho paasc boje os venciraenlos do mez de Mar-
go lindo dos professores de 2 entrancia.
liiHliOila '.trrbvofoKicb E'" sessao
ordinaria l'unccona h je o Instituto Arclieologi-
co e leoraplticoivrnambuc.-.no.
Uon:,-> <5o JiM-corra Foi transferido para
15 de Maio ; r ximo o Ieila0dc cuutellas do
Monte de'Soci'Orrb que devia elTectuar-sehoje.
E*eJ**:**l*o Com este tralo come-
cou no dia 15 deste mez a publicar se na cida-
So!isiiJ'*i orinen-Ha hoje as seguin
tes :
Do Gremio dos Professofes Primarios, s 11
h iras da manh, em sessao ordinaria.
Da Sociedade Litteraria 24 de Maio, as 6 ho-
ras da tarde, em sua nova sede ru do Boni-
liio n. ."il. afi de ser lid* o PettWrlo da receita
e despeza do tnez de Marco, apresentato pelo
thesoureiro.
Da Sociedade Unifio e Leilras s II horas da
manhi. no 2" andar do predio n: 75 da Prca Pe-
dro II, em sessao ordinaria.
Do Cassino Familiar, em assembla geral.
para" trat ir-se ile negocios urgentes, funecioan-
do com o numero que comparecer
ilade de Goyanna ura quhzvnArio, orgao da So-
ura deprrt'to geral.
Vi a 2 escrutinio os Srs. Dr. Joao Augusto
do Refm Barros "e- cooselherro Mael do >'as-
cinento'Mathado'POrUlla
O re;to da votacao i est*r-
Tar
Dr. Joo Augusto
Conselheiro Portella
Coronel Apolinario
Dr. Joo > ugustO'
ConseIh"iro Portella
'oronelApohnario
MMfc
16 votos
10 .
67
23
8
Tal era o projecto que decretando a dispensa
de alguns offleine* p zendo urna redueco de!0* nos vencimeu-
tos dos oflicnies re tante-. tia::a provincia
una econ ai i tperior a 13 enntos. gjeie nao era
para despresar ro ttram 'vkcm a ftte
gsttw
A tirada b mita nao ha duvi. m
lame itc e do 'u>' disj
ail. 11 tonal.
Como r ole do po ter popular- s as-
semldas provinciaes compete noicamentc x;u'
tolero de pracas e niarcar4!u uran-
ios; dar-Ibes orgaoisaedo, porm, isso ^0> ex-
clusiva com"- liaste do poder
executivo.
3 i a admiii -t.i no ca ber o
iinlliir :neio de cr :: ibuir a forca
policial do mori i ai- "ai-eii'oieo rom :is no-
O da '' Btnbi r.ou para
Hcnn 'o da
provincia. Porw.-casiao do S. Exc.
foi alvo de ru losa mamfestac&o p r oarl
sens amigos, qoe (foram levar ,. bordo era um
vapor brlhantemente emliandeicado, levan W
coni; igo u.na banua de msica.
Htutem embarcou o Sr. Gomes de Castro, es-
collado pelos seas dous alferes.
Vao mrenos o^ horneas.
Devem embarca hoje os Srs. Drs. Silva
e Das Carneiro.
Falleceu hontem o Dr. Rayinundo Joo de Mo
raes Reg, juir. de direBn de'Pastr* Bons.
Pedra
Dr. Joo Augusto 29
Conselheiro Portella 24
oronel Apolinario 2
Agitas Bellas
Coronel Apolinario 104
Besultado final:
I)r. Jobo-AuguslO'cL) :J00'
Conselheiro Portella (C) 196
Coronel Apolinario (O) 180
Aembla Provincial Hontem nao
houve sessao por terem comparecido apenas 16
Srs. deputados.
A renntio foi' presidida pelo Exm.' Sr. Bario
de Itapissuma.
OSr. 1. secretario "proced leitnr do se-
guirte expediente:
l'm ollici do secretario do governo, remet
tendo o balarico da receita e despezado exerci-
ci do !87 a 1888 e o orcaentd'parale der 1889
a 1890 acompanhado do respectivo relatorio da
Cmara Muni*iftil de Olinda. A' comuOBSo de
orcamemo municipal.
Outro do do Para, agradecendo a refte??a dos
annaerdesta assembla de 1*8 e remetiendo s
lei- daquella provincia de 887.-Inteirada.
Foi a imprimir sob n. 37 um projecto, prece-
dido de parecer da commisso de posturas ap-
provaudo arligos de posturas da Cmara Muni-
cipal de l iriilo
Era segt ida dissolveu se a reunio.
Repreitentantei a naeao *- No pa-
quete americano Alianre embarcara boje para a
corte os Exms. Srs. Visconde do Rio Formoso e
Dr. Alfredo Correia de Oliveira, deputados pelo
s0 c 13 dislrirto desta pro"iucia.
ventos os conduzam at o Rio de Ja-
Miro.
JSo mesmo paquete segu, viudo do 1'ariB
o conselheiro Samuel Wallace Mac Dowel, depi-
lado por<'ssa provincia.
G\amM prlrnarlo*Hoje pelas II horas'
lo da se nu::.rao na reparticao da Inspectora
Geral da Iiistruu; o Publica, as commisses no-
Bjeadas p :em parocer sohre os exarnes
prodt oumnos das escolas prima
em 1886 e 188?.
Pi-etipote ilontein, I hora da tarde, de-
no do neo presente que foi offereeido ao Exm.
. !. tv pe trigGt lio Dr. Ma
'. ; Cdinon Solirinlio lne foi lam-
: offerl.ida, como testeniunho de 'afleigao,
i ra eserivamoaa de pmta e urna bella
la e p'oua de ooro, objectos de aprimorado
helio trabalho artstico.
Fertaates auradeceu o Dr. Bernardo Cal-
iuon em um peqoeoo mas bem elaborado dis-
curso, respondendo aoDr. Marcolino Dornellas
Cmara que llie dirigi a pnlavra em nome dos
referidos amigos.
c sneerto weolaa-t Como fra annuncia-
uo. realisou-se ante-hontem a noile, no sali do
Club Carlos Gomes, o concert vocal e iustru-
mentalj arre, em sua"despedida" desta prOVtttcia;
eiedade Recrio Artstico c Luterano.
Desejanios-lhe longa e prospera vida.
* 0 uosso batalliar, lemos no seu artigo-pro-
gramma, ser no campo das bellas lettras onde
muitos hroes leem assignalado a sua passa-
gem com umtraco luminoso ; nao teremos a
mesma f>rca. mas sentimos o prazer'de gastar
os nossos 9sforcos nessa lula.
0 que nos implV ao grande mundo da
imprens a vontade ardeite do aperfeicoa-
mento das oossas breas-, do desenvolvimento
dos nossos passos ; a sede da instruCgah qoe
nos devora a nos mocus. cujo ruido reclamante
do futuro sentimos ciegar aos nossos ouvidos
encarrogaodo-nos de um dever ..
- Nos nossos arruines nao se moero a male-
dicencia era a critica desarvorada : cifra- e
tudO'Cm estudor e aprender.
0 publico nos prestando o seu bom aooJhi-
mento, ser mais um servico prestado moci-
dad'- que se empenha pelos grandes comraettj
memos e pela sociedade.
Alni dsso. cousa de interesse commum
temos deliberado applicar os lucros pecuniarios,
que porventura nos adveutiatn, em auxilio do
nosso Gabinete Litierario, que, luctandonctnar
prOcelloso da indifiereaea, nao tarda sossobrar
Si o que offerece-nos ]>eos nossos W visos nao
restitue ao estado de venturas, pelo meno*fazeL
mos tolher a ilesgnava que se Ihe antolba at
que cheiue a verdaieira taboa de sfemete:
ciultCoamerrial KnScrpeEsta* so-
ciedade procedeu sua eleicao oa aova drc
ra a qual licou assim composta e tomou posse :
Director -Boaventura Castro Maia.
Vice-direitor -Antonio Florencio Gongaives
Braga.
Io secretarioAntonio Arth.ur A. Soares.
2 ditoAugusto Jos Carneiro.-
ThesoureiroAntonio branles Gouveia.
Adjunto do Uiesoureiro Julio Augusto Secca-
des.
FiscalJos Joaquim Andrade.
Hbliotbeeario xffonso Moraes Pinhsiro.
Vogaes Antonio Jovino da Funseca Jnior e
Romualdo Braga.
Examos de contaf Joaquim Jos Amorim,
Jos Maia Sobrinho e Joaquim Maia Sobrinbo.
Ficaram marcados os das de quarta-feira
para tt-rem lugar a sessoes da directora
Cidade do 'abo-Desta cidade, em data
de hontem aos remetteram-o 6egjinte
Gragas solicitude e espirito religioso "do
Revm. padre Joo Bapt3ta da Silva, digno coad-
jutor tiesta frffuczi. a semana santa nao passou
desapercibida "como nos ltimos trez" anns.
Foi assim' que na quinta-feira hottve mssa,
communhao e notte exposiefio do Santo Se-
pulchro e sermo.
Na sexla-feira houve o acto da paixo. ha-
vendo igualmente anoite serrarlo; no sabbado
de alleluia e no domingo da rsurreica, que
terminou por urna bonita pro'Cissao.
" Acha-se funecionando o jury deste termd em
sessao extraordinaria, tendo sido hoje submet-
tidos a julgamento dous processos que tiveram
o seguiht"resultado :
Antonio Quirino Pereira, pronunciado uo
artigo 205 db cdigo criminal; foi absol
por ter o jury n-conhecido pof unanimidadequ
t crime foi commettido em legitima deft'zi.
Lmz de Franfa, pronunciado no artigo 193
do roesmO cdigo fii condemnado no mnimo d >
artigo 192.
.. Ainda ha 4 processes preparados para -e> :ni
julgaitos nessa sessao.
Foi aqui recebida com geral pezar a noti-
alleciniento do capito Antonio de Pati-
Souza Lea>, Jidegidode pottera desa
mo, eque suecumbioa urna congesto fulniin in-
te, nesa cidade para onde tinha ido pela ma-
nh.
?ervic-o militarEsto designados boje
para superior do da o Sr. rapitao edro Wlho,
e para ronda menor um subalterno de caval-
laivi.
A gnar ii.'" 6 dada hoje pelo IV batalnao
de infantaria.
No i aililav *i-.:,. -"ii '
iiieuto 18 v corpos da guaruicao.
Foi entregue ao 14 batalnao de nfantana
a relaco de p a:'lamento pextenc-
as ex pracas Jos ,'ereira das Neves e Horacio
NuneSda Silva
Funcciona hoje no quartel general o con-
reino de guerra a que est sujeito o soldado do
14 batalhao de infantaria Luiz Femabdes de
Oliveira.
Foram removidos do xadre,z do 2 batalhao
de infantaria para a fortaleza do Brum, 13
presos.
Aos 2o e 14 batalhOes de infantaria foram
hoaWln entregues as relacoas de alteracoes
a 2
o =
Dia
%' de Abril
44'e Abril
Hora*
1142 da manh
6 16 '! 't--
0-^a niIMh
(i '
Altor;.
2-.06
"-79
2-02
0-.90
rrn n m
d is Plores u. 3, em sessao
os segrales:
Do i lab Luterano Martios Jnior, s 2 horas
da tarde, travessa
ordinaria.
L.etfoe EiTectuar-sc nao
Ib je:
Pelo agente fcin'o. s ti horas, ra do
Bonflesiis o. 4'i. d- unsiio no Barro, |>iano,
movis, oi.'ca, etc.
Plb'agenf Gu.-mo. s 11 horas, ra do
Bom Jess n. 8, do estabelecimento de bilnares
ah existen'e.
Pele a;_.'ii' Sveira. ao meio dia, ra do
Imperador n. 45. de urna casa terrea.
Amanhft :
Pelo agente Martins, s 11 horas, na travessa
da ra ilo Nogueira o. II, de movis e muitos
outros objectos. .
Pelo ageste Pinto, s 11 horas, ra da Praia
n. 46, de movis, livros c varios objectos.
Pelo agente Giismo, s ti horas, ra Mar.-
piez de Ottffd n.'18. de varias qualidades de
videiras.
stMvtk fWMVs SeYd1 cdeWbda* :
Hni" :
A's 7 horas. Ha igreja da Santa Cruz, pela al-
ma de Francisco Philomeno dA Costa Mello; s
8 horas, n;t iureja de Nossa Senhora da Saude
pela a'ma de Luiz Augusto
no Poco da Panel la
Rebi Mavignie:'.
Amanlfi :
Vj7 horas n-i matriz da Boa Vista e na ca-
paila do cemiterio, pela alma de Francisco Jos
Gal vao.
PassageiroM Chegados do norte no va-
por americano Alliaitea:
F. Bruno, Joaquim Freitas, Ignacio Hasselman.
Firnandes D. de Mello, A. Chairr e Eneas Mar-
fin.
canta de netenejrur-^Movimento dos pre-
sos da Cusa de ctencao do dia 23 de Abril de
i 889.
Existam 443; entraram 11: sahiratn 5; exis-
tem 449-
A saber:
Nacionaes'408 ; mullieres 18; e.rrang'iros 23.
-Total 449.
flrragondos4!9.
lons "398.
Doentes 20.
Lsuco 1.Total 4'9.
Movimento da enfermara
Tiveram; baixo:
Pedre Jos da Rocha.
Joao Valerio da Silva.
Jofio redro de Araujo.
Teveulta:
Jos Joaquim Marcelino.
Foram visitados os presos deste -estabeleci-
mento por 206 pessoas, sendo 76 hoirtens e 120
mulherci:
n'op1 ral Pedro -O movimento deste
estabfWment de darrdaide, no dia S2de Abril
fo: o seguinte :
Entraram 25
Sahiram 34
Fallcera'm 7
Existen 579
Foram visitadas as respectivas enfermarlas
pelos Drs.:
Moscoso s 81|4, Cvsneiro as 9 Ii2, Barros So-
bnnTO s rirVittirSr*nW /ralaqWHs Ss 9 -lfi,
Pontual s 9, Estevo Cavalcanle s 10, SimOes
BarDOsa s 9 (4. ...... _.
0 cirurgia*dtr>M* um PottplfsF s 7 Ij2
0 pfiarmacoutice entrou s 81|4 da manfla e
sabio s 3 l[i da tard.' ......
. 0 ajudante do pharmaceutico enfroa s 7
da manfla e sabio s 3 1[2 horas da tarde.
botera do Cira o Par-EiS OS premios
da-5." serie da 27.' lotera do GraoTHir, ex-
trahda em 24"ae Abril de I88f
4160- 60:000*000
771 8*00*008
502 3:000*000
6066 1:200*000
7131 1:2005000
AWOXIMAgOES
4159 600*000
161 600*000
770 300*000
772 300*000
501 180*000
303 180*000
Esto premiados com 600*000 os seguintes
nmeros:
849 2229 2994 7047
Esto premiados com 300*000 os seguintes
nmeros :
1371 1931 2195 3864 4188
Esto premiados com 120*000 os seguintes
nmeros :
4151 1152 4153 4154 4155 4156
4157 415 4159
Ksto premiados com 60J0U0 os seguintes
nmeros :
772 773 774 775 776 777
778 779 780
Esto premiados eom 305000 os seguintes
nmeros :
501 503 504 505 506 507
508 509 510
Todos os nmeros terminados em 60 esto pre-
miados com 6000i), excepto o da sorle grande.
Todos os nmeros terminados em 71 esto pre-
miados cora 60$0d0, excepto o da sorte imme-
diata
Todos os nmeros terminados em 02 esto pre-
miados com 30*000
Todus ot, (lOmeft/S (ei ;1. <*
premiados com 30*000, excepto os terminados
em 60.
Todos os nmeros terminados em i esto
premiados con 3 5000, excepto os terminados
A seguinte latera corre no dia 29 de Abril
cora o plano de 60:000*000.
morera do cram-Para-A b- parte da
27' lotera, dessa provincia, cujo premio grande
60:0004000, era extrabida no da 29 do cor-
rente (gegunda-elra). ***.-.
cemierfo PittllM- Obituario do da 23
de Abril de 1889 :
AntoTrfo de Pauta fle Soua Leo, Pernambu-
co, 36 anuos, casado, S. Jos ; hemorrbagia ce-
rebral.
Um feto, Pernambuco,>>fogados.
Claudino, Pernambuco, S. Jes : ttano infan-
joo Francisco dos Santos, Pernambuco 16
annos, solteiro, Boa-Vista; bronebite.
Benedicto. Pernambuco, 40 aoaos, solteiro.
Graow- epilepsia.
TMWaizia, Perflimbucef 80 amos, viuva, ?.
Josf cachexia senil.
Joaqoim -los de Sant'-Anna, Pernambuco, 50
annos? solteiro, S.Jos; epilepsia.
Ura feto, Pernambuco, S. Jos.
Um pou cowd ert a d o
A n'esa^civiliBiWo-'erf! guando parte o
rebultado do trabalho passado. Tudo que
ha de grande no campo da moral, da in-
tellig' ncia, da arte e da scicncia, por
obra dos trabalhadores que nos teem pre-
cedido. Cada goroao-o. a sua contribui-
cao aos tributos do passado; e o patrimo-
nio do saber e- da scieneH transmittido
com as utilidades s gera^Ses successivas.
Os trabalhadores ntellectuaes, os pri-
meiros por mrito e por ordem ?, consti-
tuein a verdad eir aristocracia o traba-
lho. S2o os capitalistas da sociedade, os
hoinens de caput ou eabeca; porque nao
sao as posses nem a condioto, mas o ta-
lento-e o trabalho, que enferem o mais
alto grao social, e representara a fooca
motriz da humanidade. Em todas as ida-
des a..potenca intel!eetual operosa estece
sempre testa da sociedade. Tora en-
contrado difficuldades e obstculos, ser
perseguida, condemnada, banida e appa-
renteroente apagada, comtud as grandes
almas dos mortts' nos goverram ainda.
Soeftites-, I'latao, ("artesio e Locke vivem
tambem hoje na ph losophia ; Humero,
Virgilio Dante c Sliaskespeare na poesa,
Aristteles, Gahleu, Newton e Lavoisier
na ciencia ; em qiianto que os scus rege-
dores contemporneos, tyrannos, cnsules,
presidentes e res ou imperadores, esto
quasi todos cabidos no esqitecimento.
Os grandes homens da antiguidade, ic-
erescenJo os productos da mente j rea-
lisados, enriqueceram a heranea da nossa
raca. Ajudand a sua obra individual ao
trabalho eollectivo das geracSes prece-
den:es, tern merecido seren designados
entre os maiores bemf'eitores da humani-
dade. Ein alguns homens a nelinacuo ao
trabalho tornou-se urna paixo, quasi um
div.no furor. O campo do trabalho pare-"
ceu-lhes cao exteminaeo e a vida tao bre-
ve em confrontacao, que nao perdala um
s m:nutu sein tirar d'elle o maior provei-
que podiam.
O^trabnlho tornou-se neccssaiio sua
felicidade, seaao sua exsitenc;'., e ab-
srvou toda a sua natureza.
Por Bronsson foi diio que pareca ao
mesmo tempo tudo accao e tudo estudo.
Homem |trabalhador, inf.itig.ivel nao pe-
dia jamis estar seni nada fazer. Bacon
nchou na seienciu um campo de trabalho
agradavel no occaso da sua vida
Miguel Angelo era verdaderamente insa-
ciavel de traba!he. Dizia elle que o adop-
tar o malho era eonsa absolutamente in-
dispensavel sua sade. Tomav.i apenas
um pequeo descario e se levantava
raeia-noi*e para retomar os trabalhos do
da. A' sua grandissima [temperauoa elle
mesmo attribuia ter podido continuar a
tmbalhar na idade avanzada. Quando
nao podia mais andar, fez-se puchar em
um carrinho de rodas em Belvedere para
admirar as estatuas, e tambera quando fi-
cou ceg provou satisfazles a exarainando-
Ihes com o tacto as syinetricas formas.
Leonardo de Vinci se mostrou igual-
mente laborioso e deligenle. Foi desenha-
dor, pintor, esculptor, ciimico, mechani-
co, cscriptor, architecto engenheiro ; era
homem de vastissmo intelleeto, e talvez o
genio mais universal que o mundo tenha
jamis coflhecido (1). Ticiano igualmente
levou a trabalhar at idade bem adian-
tada ; quando Vasari foi visita!-o o achou
com o pincel na mSo, e tinha oitenta e
nove annos; continuou a trabalhar por
mais dez. Canova, distendido sobre o seu
leito de morfe, consumido das fadigas e
da idade, drzia que a sua maior dr era
nao poder mais trabalhar, e exclamara:
Pois nao farei mais Venus '?
Na ipplicacao, Vandyke era infatigavel
e muitas vezes conseguio fazer em um s
dia um retrato perfeito. tima vez Jack-
son, artista inglez pintou,, n'un a longa
jornada de verao, cinco retrato? verdadei-
ramente acabados; verdade qne se tra-
tou d'uma aposta. Tenier, o meco, traba-
lhou to furiosamente a ponto de poder di-
zer cassoando que se bem que os ss qua-
dros fossCm de pequeas ditoebsoCs-.'quent'
tivesse querido recolhel-os todos ji:::tos se-
ria obrigado a preparar urna galera da
extensao de duas leguas. Continuou a
trabalhar, conservando intactas as suas fa-
culdsdes, at depois de oitenta annos.
Sir Josu Reynolds teve para o .aba-
lho'a paixo do verdadeiro artista. At
ao dia em que, aos setenta e seis annos,
a doenca nao o constrangeu a deixar o
pincel, esteve diariamente na sua officina
desde as dez s quatro, trabalhando, dis-
se elle ::. vsfno, a furiosamente, como um
jornaleiro que tem de ganhar o pao.
Quando urna vez foi obrigado a ir ao
campo para visitar um amigo, vo'tando
eontinuou no trabalho com grandissima
avidez e provou a impressab de ter fica-
do privado do seu nutrimento natural.
Nicolao Poussin disse qu c quanto mais
envelhecia, tan o mais se senta inflamraa-
do do desejo de exceder-se a si mesmo e
de chegar ao mximo grao do perfeicao.
u verdadeiro hoteem de genio nao est
nunca plenamente safsfejto da sua obra.
A toimienta-o e s vezes o merlo de vst
incapaz de transfundir no trabalho das
suas u?aos o ideal de perfeicao, que. elle
tem na mente e na imaginazko.
Emquanto um visitador admirava urna
estatua que o escultor flamengo Duques-
(1) So se podesse por em dnvida, disse
o gr. Hallara, nSo o facto de que Leonar-
do de Vrmr, foi o pruuerro Lomem do *e-
culo XV, porque isto indubitave!, mas
a sua originalidade em tantas descobertas,
que talvez nenhum homem e especialmen-
te em taes circumstancias, tenha jamis
feito, urna s hypotbese seria permittida
e asss sustentavel: que algumas partes
da sciencia physic tinham j ebegado a
desenvolvimento que os livros do tempo
.oao' lembram (Introduction to tke
ture of Europe.)
L-.


i
fl
v
i
i

<
.:


Diario de iPernambuco-tQuintaifeira .25 de Abril de 1889
?:J

Wj tinha entlo terminado, o artista ex-
clamou tocando cora ,o ind t Ah, se visseis a estatua que st aqu! >

-Umiagle*;, proprieorio da, auno*,.aca-
ba de inrenar um proceaso -arioso de
dirigir os navios na Mancha,. atrav.ez dos
I mais espesaos nevoeiros.
Mr. Thompson, o seu norae, prcpie
que se mergulhe no mar, de um ,porto a
outro, dous cabos, leves, mas resistentes,
ao longo dos quaes escorregue um annc
de cobre ligado a outro cabo multo tino,
cuja extremidade se prenda ao vapor.
O cabo que liga o. annel i embarcacao
sercollocado popa, e um marinhoiro
vigiai a direccao que elle vai tomacdo.
Emquanto m ergu bar veri ical mente, a der-
rota boa; logo que se desvie para um
outro lado o navio sahe da sua proa, e
basta .um movimento de leme para lh'a
endireitar.

Linneu, o creador da sciencia .botnica,
foi aprendiz de sapateiro-aa Suecia.
Jos Prendell, que ha poucos annos
morreu em Londres, comecou por sapa-
teiro, estudou o veio depois de ser um sa-
bio muito distincto.-
' David Perens, celebre profoasor de
theolgiu, na Allemanha, foi tambera
aprendiz de sapateiro.
Benedicto Balduino, um dos homens
mais sabios do seculo XVI, coraecou pelo
officio de seu pai. Foi sapateiro.
Foram sapateiros:
Giford, escriptor elegante do'presente
seculor-r Hianifred, -autor de muitas obras
estimadas ; Winkenlmon, sabio antiquario
allemao; Joo Branett, secretario da so-
ciedadc dos antiquarios de Londres ; Fox,
fundador da seita dos t quakers ; Ro-
gerio Scherman, estadista americano.
#
* *
as escavacSes feitas na Baslica de
Oamous-el-Karita em Carthago, sob a di-
reccao do arcluologo P. Delatta, foi des-
coberto um importante marmore.
Representa o anjo do Senhor, annun-
ciando aos pastores a grande nova. Era
"numero de tres, acham-se sob a pressao
do terror vista do anjo. A lado vm-se
earneiros, 'cabras, diversos animaes.
Nao se podia melhor traduzir a scena
do appariyao do anjo, tal como dcscrip-
a por S. Lucas.
Essc magnifico baixo-relevo remonta'ao
seculo VI, e attribuido ao iuesmo ar-
tista christab que fez a bella virgem de
Cathargo.
*
Em New York, a patria das ideas ex-
traordinarias e singulares, James Masson,
o antigo postilhao de diligencias, morador
em Marley's, Station, a 20 milhas da Ca-
lifornia, den cabo de si por modo que en-
vergonha a todo3 os suicidas que se en-
forcam, esfaqueam se ou se matara com
petrleo ou com pos de matar ratos !
Sentn se tranquillo sobre um barril de
polvOKi e lancou-lhc fogo com o ultimo
charuto 'que" estava saboreando !
Voou feito pedamos por tal modo, que
neiu um dedo se Ihe pode aproveitar.
#
*
O bolefim da Sociedade Geographica de
Paris, publicado ltimamente, traz urna
noticia dada pelo Sr. .Fules Marcon sobre
as ultimas pesquizas, por elle feitas.. rela-
tivamente origera -do norae America.
J em 1875 publicou elle urna moBOgra-
phia eobre esse assumpto, a qual excitou
grande copia de trabalho de investigacao
de liocnnientos histricos antkpaissimos,
relativos ao Novo Mundo.
A noca popular de que a America foi
a8sim chamada em razSo do nome chris-
tSo (de baptisino) de Americo Vespucci,
, diz elle mteirnraente infundade, e ehe-
ga a tal eHi!lnsSo do segrate modo : 1.
Amerrique o nome indiano das monta-
nhas existentes entre Juigalpa e Li-
bertad, na provincia de Chontalcs, que se-
param o lago Nicaragua da Costa do Mes
quito. Essa palavra na lingua Maya si-
gnifica terreno ventoso, on paiz onde o
vento sopra 2." nome de baptismo
de Vespucci era Alberico, em italiano e
em hespanbol e Albericus era latim. 3.
Este nome pode estar sujeito a nm grande
numero de variantes, como se d no ka-
lendario italiano c hespanhol, e quanto
aos nomes dos santos daquella poca;
mas em parte alguraa v-se urna vanante
to assentada como Americus, Aniariga,
Amerigio, Amergo, e nenhnm diminu-
tivo usado u* Italia ou na Hespanha do
aorne Americo u Alberto. 4." Aaes de
1507, quando Jean Basin de St-Di pu-
blicou o nome, nao se encontra em docu-
mento algum manuscripto. ou irapresso de
autoridade conhecida e de reputacSo in-
con testa ve 1.
' O Sr. Marcon pretende que a ana thee-
ria sobre a or geni, do norae ? America
foi aceita na Hespanha, c na America
Hespanhola, e que na Italia soflrwi; algu
ma opposicSo, mas nao deixou "de ter o
apoio do eminente gecgfapho italiano Gui-
do Cora.
Nao ha duvida que Colombo e Vespu-
c, navegaram ao longo da -costa do Mos-
quito ao sop da serra Amerrique, e este
nome foi referido pelovOfficiaes c marojos
deSB8 expedicSes ; e Schoner, o geogra-
plie, declara em 1515,'que este nome j
errt/popiiler ni; Europa.
F/ fra de duvida que Vespuci assigna-
8C Amerigo, m voz do seu nome de ba-
ptismo. era una cuico da sua carta so-
bre a sua-terceira viagem; .mas em datr:
iieve t- iiana, sed-Alberico.
.: A que tem na assignatura o nome
n-* foi publicada era 1506 porni, 0 >>'
Marcon declara que east* orne nunca foi
variante "*ia nomeAlberico, mas shn una
adaptacao do -}c Ameriqne, dada aoNovo
Mundo, feita ao de Vespucci, afini de
designal-o raai part cularmente, do mes
rque aetalmente se diz na ln-
glatrrra Chimte-Gordonpara particu
UtmKf'O orne do genurai Gardon, aqnelc
que succuuibio em lucta com os puvus
..ientaes. ftftn de partictdaris.tr-Ihe as fei-'
te bcroicoa. A memoria do Sr. Mar
era, referente geographia do Hi seeu-
i nao est terminada.
.-^Weekly- editorial de
ie Janeiro de 1889.)
IHD1CAQES BIE1S
Mdicos
Dr. Cerqueira Leite, tem o' sau escripto
re aberto roa Duque de Cosm n. 74, das
12 as 2 horas da tarde, e deeta hora em dian-
te em sua rssidencia ra Bare de S.
Borja n. 22. Especialidades molestias
desenhoras e enancas. Telephenen. 326.
Dr. Jomquim Louieiro medico e. partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
l.,juidar de 12 as.2 da tarde9 residencia
o Monteiro.
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pratica a lavagem do tero quando e eo-
mo conselhada. Consulta das 11 as
3 da tarde em sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da ('ruz) n. 23, 1.a
andar. Telephone n. 389
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1.a andar da casa
roa do Barao da Victoria, n. 51. Res!
dencia ra Seto de Setembro n. 54, en
trada pela ra da Saudade n. 25.
' r. Ribeiro de Bnto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no 1." an-
dar a ra Duque de l axias n. 46, poden-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Alvares Guinutraes, chegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com especialidade s molestias do cora-
cao, puhnees, ligado, estomago e intesti-
nos e tarabem a ffeccoes das criancas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio^pa ra do Bora-Jesus
(antiga da Crui)pi. 45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
Oecullsta
Dr. Ferreira. com pratica no3 princi-
paes hospitaes e clnica de Paris e Lon
dres, consultas todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio c resi-
dencie 9 r".!a I^rgs- d" R/*aar>" ?>- yO
Advocados
O bacharel Witruvio Pinto Bandetra,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1." andar.
O Dr. H. iet mudou o seu escripto
torio de advocacia, para a ra do Impera
dor n. 46, 1- andar, sala da frente.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor e oficina de carapinu
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende madeiras de todas
as qualidades, serra madeiras de conta
alheia, assira como prepara obras de cara-
pina por machinas e por precos sera dom-
petenciaPernambuco.
Drogara
'aria Sobrinho & C, droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manad da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Despedida
Innoeenci Marques de Araujo Ges^no ten-
do podido despedirle pessoalmente de todas as
puisoas. que o bouruiam oom visitas e obse-
quios, aproveila-se d todos offerece sens pretimos no Rio de Janeiro
pura onde seguir.depois de alguns dias de
demora na Baha.
R-cile, 2i de Abril de 1889.
. butocencio Marques de Araujo Ges.
Mana fallido de Csipituliao Hodri
mi-i a* pmm ar c
f Constando-nos que o fallido Capitulino
Rodrigues do Passo espalha terem.os ava-
liadores da massa retirado mercadorias no
acto da avalia?ao, vimos protestar enrgi-
camente contra semelhante aleivosia pro-
pina nicamente de um fallido que procu-
ra equilibrar as faltas de seu bataneo com
iinptutacbes calumniosas.
Nos abaixo assignados fomos avahado-
res da massa. A avaliaclo teve lugar em
presen9a do fallido, do depositario provi
sorio- boje effectivo o Sr. Eugenio Goe-
tchel, e do procurador do Dr. curador fis-
cal. Nada tiramos, nem mesmo fumamos
um.cigarro pertencente a massa e appel-
lamos para o depositario e o escrivao do
feito que estavao presentes e cortamente
nao consentiriao em prevarica^ao da nos-
sa parte.
Nao pertencemo8 a confraria alguma, e
nao nos medimos pela bitola de fapitulino
Rodrigues do Passo.
Recife 24489.
Antonio Barboza Cordeiro
Flix Nogueira Cabral.
O Mrquez de Herval
Ao Monte Pi" do Voluntario* da
Patria
Morreste pela patria. Que destino !
Morreste como hroe. Que grandeza .'
A vossa historia assombra a natureza.
Eras um homem, e hoje s um tropho.
Suprema gloria : choram-vos cantando.
Velhos, mangas, nobres e plebeos !
Julio Soares de Azevedo.
Abril-89 .
A eoroa da formonur
Veis esse formoso eal>ello que solt ao ar em
Erofusos e sedosos ricos, encanta a vista e em-
alsaraa u ambiente ? Essa 6 a coroa com que
a prodign mai natureza Ctoge a fronte das for-
mosaa.
Queris conserval-a. realcala e mesmo adqui-
ril-a si a ndo pos^sues r
Pazeis usoliberd e constante do Tnico Orien-
tal para o cabello, e veris em breve realisudos
vossos desejos.
Esta exquisita preparacSo conserva sempre o
cabello limpo, perf. mado raacio brilbante.
\MU0E> A PEDIDO
brande rennlo social ao rnse-
oho fi. Fraaelseo da comarca
de Xazareih.
>'o dia zl do correntc, em trem da via-ferrea
do Limoeiro, seguio da cidade do Recife para o
engenho S. Francisco da comarca de Nazareiti,
de propriedade do te.nente-eo onel Francisco Sa-
turnino i'avalcante Wandcrley, o Exm. Sr. des
embarcador Joaquim Jos de Olivera Andrade,
o Sr. Dr. Cumargo, o Sr. Adolpho Bessone, dis
tincto e honr.ido negociante daquella praca e
outros mais cuvalheiros notaveis.
O Exm. Sr. desembargador, na qualidade de
intimo e velho amigo e compadre do tenente-co-
ronel, ia visital o; os outroc. uns como amigos
do tenene-coronel Saturnino, l'a/.iam o mesmo,
outros, porm, obsequio*ameTite, acompanlwvam
o llustre magistrado.
Ao desembarcarem na estaco de Alagoa do
Carro, j all eram esperados pelo referido te-
nente-coronel e grande numero de cavalheiros
notaveis.
O IUm. Fr. tenente-coronel Francisco Saturni-
no vvanderley, um dos membros beiu sajientes
do partido conservador desta comarca, agricultor
honrado, de maneiras Ihanas e affavei*, multse
regesijou coro a visita do seu muito estremecido
amiiro e compadre, e em signal de tamaito rego-
sijo all se achava cerrado de inmensos amigos,
todos citladaos qualilicados desta comarca.
Entre elles conheceftos o nosso sympalhico e
intelligenle amigo Dr. Herculano Bandeira de
Mello, eapiiao Antonio Tavart's de Araujo, capi-
lo Aggeo Mues Bandeira de Mello, capito
Affonso de Hollanda de Albuqucrque Maratiho,
capitio Paulo Cavalcante de Albuquerque, genro
do tenente corouel Saturnino.
Fmalaienie grande numero de cavaltieiros lo-
dos uotaveis, e immensa massa de povo circula-
va a estaeao, e no semblante de todos se lia vi-
sivel prazer.
Na plata-forma da estacao se acbava postada
a competente msica mandada vir pelo tenente.-
coronel Saturnino: na occasio em que se enV-
ctuou o desembarqne foi o Exm Sr. desembar-
gador esTitado nos bracos dr seu velho amigo
e compadree cordatlmente romprimenioua todos
os cavalheiros presentes ; durante todo o traje
cto toca va a msica differentes e agradaseis pe-
cas e subiam ao ar muitas girndolas de foguetes.
Depois dos demais comprimenlo- seguio o Exm.
Sr. desembargador para o engenho a. Francisco
em companhia do tenentedHonel Saturnino,
arom na uados de mais deufl llieiros ; s II
11 lioras da manha foi anniWBosa a sna-chega-
da no referido engenho por urna salva ros e grande quant'idade defbgos do ar. Aoen-
Irarcm na residencia do tenente-coronel, foi o
Exm. desembargador coberto de flores e abra-
cado por sua anillada a Exrua Sra. D. Olympia
Hervina Caralrante filloa' do tenenteooronel
Francisco Saturnino ejrirtoosa esposa do espito
l'aulo Cavalcante e corrrprimeiitado por toda
mais familia, diversas senhoras e cavalheiros
que alli se acnavam, remando sempre a mdnor
ordem em todo o correr da frsta; tanto-no almo-
co como no jantar, queiindou a t hora da ma-
nha, foram sempre erguidos calorosos brindes
pelo Exm. Sr. deserbarf:ad<>r Andrade ao seu
amigo o -compadre tenente-rtronel o a toda sua
familia
A diversos amibos seus pnfser.teae da cidude,
como o Sr. major Domiui'osJBraga, o Exm. Sr.
Barao de Tracunhem e ontro? mau e 'ambean
lo Sr. tenente-coronel ao sup. :nigo, ma-
gistrado modelo e espiono*/ laqwlla festa, o
tnesmo se n-produzio, c de la los cavalheiros
presentes ao pernambucan.- le. ao ma-
gistrado ilU" 1 em sabido "Hi honradez
e criterio e l*ueriBp nl-.;U.i a. toga
que o orna.
Finalmente sendo K \v-- ..tiihsVo fc.xm.
Sr desembargador oaecrrou feMa com um
hrinde d houra ao iv\. fiai-
nente peniambucaiio o Ex:.; ir. nor.CMViro
Joo Alfredo Crrela de 01;. -idente do
cons;'lho de ministros, seu intiX' ;h*siissuio
araiio,Doque oi enthiisiii^iiaii.- ni-mpon-
di*o e a msica toiou u h>; naK>ttiida
a festa que nos deixou sumios; rowUoes c
que tambem estamos ccr!.> o R.: >. >r. ib-sem-
bargador voltou estiafeil rww1 <\ae
liidia par', todos.
Aiada s 5.horas da n ..nos.
com o tenente-coronel 1 ..ltaeiros
at a estacao do Campo GrainV,. .-mk\ depois
das mais cordiaes desped> ti os
companheiros para a cia'o'i tv
Elixir depura-
tivo vegetal.
Formula de Angelino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Inspectorio Geral de Hy-
giene Publica do Rio de Janeiro era 20
de Julho de 1887.
Este depurativo de grande eflicacia as mo-
lestias syphiliticas e impureza o sangue ; assiui
como em todas as molestias das senhoras.
Tem curado radicalmente muitas pessoas aC
comuiettidas da terrivel molestia berioeri.
MODO DE USAR
Os auultos temaro qu-itro eolheres das de
sopa pela manh e quatro noite. As criancas
de 1 a 5 annos tomaro urna colher pela* manhfi
e outra noite, e os de 5 a I i annos tomaro
duas eolheres pela manh e duas noite. De-
vero tomar bauhos fri ou inorno pela manh e
noite. Hesguardo regular.
Encontra-se venda na drogara dos Srs.
Francisco Manoel da Sil va & C.. ruu do Mrquez de
Olinda n. 23 e pharmacia Oriental ra *tr"'-
ta do Rosario n. 3.
0 autor deste preparado poue ser procurado
na ra do Harto da Victoria n 37, onde ser en-
contrado para dar toda e qualqur explicaco
que for precisa.
111 i rindo rom a*. ralsiNraeOett
Beriberi
X. 36
IUm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Tendo sido accommettido da terrivel molestia
Beriberi, em Fevereiro do corrente anno, a po<
to de ficar paralitico e. depois de empregur to-
dos os recursos mdicos e sem resultado, acon-
selliaram-me que com urna viagem ao sul (ca-
ria festabelt'cido, o que effectuei incontinente
al- ao Rio de Janeiro nao podendo passar dalli
por falta de recursos; e consultando a di Tersos
mdicos, tizeram-me recolher ao hospital, com
seis mezes de tratamento melhorei um pouco ;
tanto t|ne regressei esta provincia; com pou-
cos dias, fui de novo atacado da mesma mo-
lestia, eis que aconselharam-me que lomasse o
seu elixir purificador do ?angue, c com o uso de
tres garrafas me considero salvo.
A presente declaraco faco em f de verdade
e lumbem a bem da hnmanidade, c de tudo uto
qoe acabo de xpr pode V. S. fazer o uso que
lite convier.
Seu respeitador e criado.
Recife.de Outubro de4887.
Angelo Gorioluno N. 57
IUm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Alu-sto que estando soffrendo da terrivel mo-
lestia beriberi; e tendo esgotado todos os meos
esforcos coma medicina, nao tendo obtido re-
sultado algum: depois tomei o seu preparado
elixir depurativo do sangue. que tomando duns
garrafas, j hoje me ado restabelecido de to
terrivel molestia.
Faca deste meu attestado o uso que Ihe ap-
prouver.
De Vmc. attento criado e obrigado.
Recife, 16 de Setembro de 1885.
Tkomaz Dativo do< Sanios
S. 88
Illm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Amigo e Sr.Tendo- eu soffrido por espaco
de oo annos de urna gonorrhea obroica, e de-
pois de te** atad o de todos os. recursos mdicos
sem clelles obter o menor alhvio at,s meus sof-
finownios, a cunselho de ota arr.igo recorr ao seu
elixir purificador do Rungue, e Uve a felicidadc
de Destas lindas, que s conten verdades, podo
Vmc fttm'ro uso que Ihe coTrier.
De Vine, criado e brigado.
' Recife. 4a de Setembro da 1888.
Raphael Kvergislo Hibrnn '.-.am.
(Estavam selladas e i-eeonlieeidas as firmas
nm tabeUio).
Aguas alcalas iniaeraes de Ion-
dariz em Pontevedra, na Hes
paoia
ESPEOALUiADES
para molestias de estomago, taes como: dispep
sia gastralgia, catharro circnico do estomago,
ulceras simples, '
Molestias dos intestinos, taes como : en falta-
mente do ligado, ictericia, clculos biliares, diar-
rha chrooica, etc., etc.
Molestias das vas urinarias, taes como: dias-
teses-uricas, catharro vesical, diaiietes sacarina,
albuminuria e gotta. *
as anemias, cnlorosis, psoriasis, prunigos,
dores artrticas e mutras muitas molestias.
As aguas alcalinas de Mondariz nascem de ro-
chas graniticas na temperatura de 180 centgra-
dos, sao claras, incolores de cheiro parecido um
pouco aos de ovos cosidos, sabor alcalino, pro-
duzindo-um ligeiro sabor picante oa occasio de
tomar-se. Ellas sao clasificadas no numero
das alcalinas e-bi-carbonutadas de soda.
Estas aguas acbamse venda no estabeleci-
menlo do Sr. Antonio Affonso Simoes, sito ra
Visconde de Goyanna n. 1 (quateta cantos), em
Boa-Vista, e no escriptorio do Sr.JoSo Ramos,
na Praca da Independencia n. li.
Aviso a nuestros lectores
Los de nuestros'lectores que vayan a
Pars mientras la Exposicin de 1889, es
tan ya avisados que podran leer los lti-
mos ejemplares, recebidos en Paris, de
nuestro peridico, en la oficina, de nues-
tros corresponsales los Srs. Amde Prin-
ce y i'., 36, ru Lafayette, donde pueden
hacerce dirigir toda su correspondencia,
pedir informes, dar rdens de compra,
etc.
Pero, avisamos a nuestros compatriotas
que ademas del servicio instalado en su
oficina 36, rne Lafayette, los Srs. Am-
de Prince y C. han orgonizado un otro
gabinete de lectura y de informes en la
Exposicin misma, en el Pabelln de la
Repblica de-Guatemala, en donde el Sr.
comisario general a puesto'a la disposicin
de dichos Srs. una grande sala cou ter-
rado.
Aconsejomos vivamente a nuestros ami-
gos lectores que vayan a Paris, de haoer
una visita a la casa Amde Prince y C,
tanto en su residencia, 36, ni* Lafayette,
como en sn instalacin en el Pabelln de
Guatemala de la Exposicin, que resulta-
r, ser por el hecho de las extensas rela-
ciones de nuestros corresponsales, el cen-
tro de reunin de los numerosos cstrange-
ros presentes en Paris.
<1)
Dr. Alfredo Gaspar
MED'
Operador, parteim trata oam especiali-
dnde de molestias de seofaoraa c ereanas
("onsnitorio e reside i da irape-
ratriz n 18, Io andar.
Consultas do 8 s 10 da manha.
Chamados (porescrpt<>i qualqur hora.
TELEPHOKE N. 26
Entre amigas
Como passas, minha amiga?
Vou indo bastante adoentada ; ha al-
guna dias que vejo-me atormentada por
urna forte tosse, que me desespera.
Ora, isso cousa que nao te deve
dar cuidado, principalmente se tomares o
Peitoral de Cambar, de S. Soares, que
o melhor remedio para as enfermidades do
peito e aquelle que mais promptos resul-
tados opera.
O Peitoral de Cambar vende-se em
casa dos agentes Francisco Manoel da
Silva & C, a na Mrquez de Olinda
n. 23, e as prineipaes pharmacias e dro-
garas da capital.
O Sr. Dr. Luiz de Araujo
Tenho empregado em minha clinica
o Peitoral de i ambara, do Sr. J. Alvares
de Souza Soares no6 casos de molestias
broncho-pulmonares, colhendo sempre re-
sultados muito satisfatorios.
P086O mesmo, em virtude desses bons
resultados, garantir a eflicacia deste me-
dicamento, principalmente quando estas
affeccBes tiverem tomado o carcter de
chronicidade.
Isto verdade e o juro soba f do meu
grao.
Anta (provincia do Rio de Janeiro), 18
de Agosto de 1888.
Dr. Luiz Jos de'Araujo Filho
| Bacharel Antonio \\itrn- '
vio Pinto Bandeira j
< Pode ser procurado ra do Imperador
1 | n. TI, i andar I I
Dr. Firmo Xavier
medico e operador
D consultas das II as 2 hora* em seu con-
sultorio a ra da Imperatriz n 30 Io andar e
tem sua residencia na cidade do Cabo, onde po-
de ser procurado das 6 da tarde as 9 da manh-
Vias urinarias, molestias do tero, 7 l
operacoe8 elctricas
SS. CifiLQS SITTSSCOST j'
ESPECIALISTA f!
cora pratica de pabis e londrks
Estreitamento da urethra curados
dicalmente pela eloctrolyse, sem d_
hydroceres sera injeccao (cura radical);
II
os ra- W
i dor; ()
{' hydroceles sem injeccao (cura radical); j
ftidas e ulceras chronicas, com garan- ( \
tia de cura rpida ; pedias da bexiga, f )
j fstulas e heraorrhoidas: syphtlis, go- t i
I norrneas, pelo methodo das instilees; J (
i molestias da garganta e do peito pelas 1 (
l athmospheras medicamentosas. Con- v '
[ sullas e operacOes das 12 s 3 horas da j
tarde. < >
[ RIA DO MRQUEZ DE OLINDA X. 34, (I
2 ANDAR ()
^
Kcttideneia na Torre
Dr. Joo Paulo
Espccialistaem'partos molestias de se-
nhoras e de criancas, com -pratica nos
hospitaes de Paris e de Vienna d'Austria.
eoaaolUs e 1 s* horas o na resi
dencia ra do Barao da Victoria n. 59,
1.* andar. Chamados qualqm r hora.
T MEDICO HOMEPATA
(v Dr. Hallitazar da Silveiraj
Especialidadefebres, molestias
das criancas, dos orgaos respirato-
rios o das senhoras.
Presta-se a qualqur chai uadu para
ora ila capital.
AVIMO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabiae,
ra do Bario da Victoria n. 43,
onde se indicar sua resideucia.
O Sr.'Dr. Serafina Araujo
Dru Secafiot. Jos Rudrignes de caronjo,
''ormado em medicina pekt Faculdadeda
Bahia, cavalleiro daordomida 'llosa, etc.
Atiesto que o Peilorai'de tambar, pre-
parado pelo Sr. Jos Alvares de Souza
Soares, um excellentei-medicomentoj em-
pregado com muito bons resultados, as
molestias broncho-pulmonares. E por ser
verdade, paasei o presente, qoe assigno em
f''do meo grao.
Dr.: Serafim. Jet Rodrigues da Araujo.
(Pelotas.)
--------------.*.-------------
Vttenqao
Os abaixo asignados, aeientificam a
seus amigas 'e-freguozeai'qne semseu
antigo estabelecimedto sito ra dorBa-
r3o da Victoria n. 3, (antiga ra Nova)
que recbenlo .saas ordens, para Ibes
servir com o eastumado o ludwtual de6-
empenho; e nonham-toutro estaboleci-
mento ..tem, quet, proprio e quer tilia!,
alm do cima referido.
Recife, 5 de. Abril de 1889.
Jos Feruandts Lima & C.
Oculista
Dr.' Brrelo .Sampaio,-medico,
cu'iata, ux-ehefe > de dinica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meie dia s 3 horas da tarde, no
1 andar da casa n. l roa do
Barao da Victoria^ excepta nos
domingos e- dias, santicados.
Residancia ruaScte de Setem-
bro n. 34. Entrada -pela -ra da
Sandade n. 25.
~awm^>-^ -J>silS
\vl.o aos oosso* leltorcs
Os nossos leitores qae visitarem Pars
durante a ExposicSo de 1889 j sabem
que poderao 1er os ltimos exemplares do
nosso jornal chegados-quea cidade no es-
criptorio dos nossos correspondentes, Srs.
.Arode:&-mee onde podem mandar dirigir qualqur cor-
respondencia, pedir quaesquer. informacoes,
dar ordens de compras, etc.
Alm d isso, levamos ao oonhecimento
dos nossos patricios que afora o servido esta-
belecido no escriptorio da- ra Lafayette,
n. 36, os mesmos' Srs. 'Amde Prince A
C, acabam de organisar urna sala de lei-
tura e de informacSes na Exposico mes-
ma, no pavilhao da repblica de Guate-
mala cujo commissario geral dignou-se de
por graciosamente nma vasta isala com
varandas ordena-doe nossos coorespon-
dentes.
Aconselhamos mui vivamente aos nos-
sos amigos e leitores que se acharem em
Haris, que visitem a casa Amde rrince
ik C. na sua sede social, 36, ra Lafayet-
te, bem como na installacao que possue na
Exposico no Pavilhao de Guatemala que
ha de ser, gracas s extensas relacSes dos
nossos correspondentes, o ponto da re-
uniaodos numerosos estrangelros residen-
tes em'Pars.
Deelara^o
0 abaixo assignado declara e avisa ao publico
em geral e aos pais de seus alumnos que n'esta
data disssolveu a socieda le que tinha com q Sr.
Laurentino Antonio Cetario deAzeiedo,no Instituto
Qaartoze de Setembro, retirando se o socio Lau-
rentino e ticando o abaixo assignado eocarrega-
do do Instituto, que p,.ssa a denominarse Coi-
legio Treze de Abril, continuando a funecionar
mesma casa a ra dn Rangel n. 73, i* andar e
com quera smente entender-se-ho os pas dos
seus alumnos.
16-41889
Joo Francisco de So"sa.
" -,-
Herm. Petensea-Sc G';:;^r.
Eeijchenstr.. 29/3.1
mtm
' Partkipatn aos.i8ea9uin(mDsa8 arnwiBijqae
para facilitar aos compradores;de >urtBa-n*ir lom
coaifiletadoem suacasajumuieo arrtoataHo de
amostras detodososartigos allemes, oque re-
commendam aos seas amigos que acabam de
visitar a-Eoropa.
.*-------------------------
Cinrrg-io Dentkta
DR. ROBERT P. BAWLINSOipfoi-
raado .pela Univeifsidade de Ma-rylandimos
Estados-Unidos, tem ooecto.o sea camal-
torio, na ra Bario do i Victoria : dar.
1 Consultos das 10 s A horas da taede.
EDITAES
0 Dr. Manoel Caldas Barrete; juiz de di-
reito da comarca especial de Palmares,
por Su' Magestade o Imperador, a
quein Deus guarde, etc.
Faco saber aos qae o presente i edital
do 20 dias de pregao e tres-pracas vi-
rcm, que por este juizo,. findos. que se-
jam os ditos pregSes e pracas," temado ser
arrematado a quem mais der e maior jan-
ee offerecer, no dia 23 de Maio prximo a
1 hora da tarde, na casa da Cmara. Mu-
nicipal da cidade de Palmares, em audien-
cia especial do juiz de orphaos, o arren-
damento, por um triennio do engenho Qa-
raorisinho, sito no tormo de Agua Preta,
moente e corrente, motor a vapor; a re-
querimento do Dr. curador geral de r-
phos, tende por base a- avaliafHo aunual
de 1:600K)00.
N2o se admitte licitante que nao estej:i
legalmentc habilitado com nanea idnea.
E assim ser o dito engenho arrendado o
quem mais der e maior lance offerecer na
dia e hora cima indicados.
E para que a .noticia chegue ao conhe-
eimento de todos, mando ao porteiro do
juizo affixe o presente no lugar do costu-
me, e que passe a respectiva cerfdao.
Eu, Pedro Severo da Costa. Leite, es-
crivao, o escrevi.rManoel Caldas Bar-
reto.
E mais se nao continha em dito edital
aqu fielmente copiado, ao que me re-
porto e dou f.
Palmares, 11 de Abril de 1889.
O escrivao,
Pedro Lucio da Cesta. Leite.
DECLARARES
r^ioaca>
Ao Dr. chefe de polica
Os abaixo assignados nao tendo nesta
cidade outros inimigos, srenSo os Srs. Jos
Joaquim Pereira de Mondonga, Adolpho
Pereira de Mendonca, Laurentino Pires
de l "arvalho e Pedro Tiburcio de Olivei-
ra, e sabendo que os mosmos senhores
procuram aggredil-os, os fazem responsa-
veis por tHdo qiuinto possa acontecer-lhes.
Recife, 22 de Abril de 1889.
Mara F. Araujo > ello.
Bacharel Belizario Alves de Britto.
Monte de soccorro
Roga-se aos Srs. directores do Monte Pi de
Soccorro desta cidade que se dignem de adiar
at 15 de Maio prximo o leilo que fci annun-
ciado ; porqeantoalguns portadores de cautelas
querendo rcmir os objectos empenlrados, s
n'esse da esttrrSo habilitados para isso.
A exemplo de outros adiamentos esperamos
ser attendidos pelo que nos conf-ssamos desde
j summomente gratos aos muito dignos Srs.
directores.
Recife, 23 de Abril de 1889.
Hititos portadores de cautelas.
Collegio Meira
Este collegio abri suas aulas desde Ja-
rieiro prximo fiado.
Ensinam-se nelle todos os preparatorios
qae constitucm o curso preparatorio as
facilidades do imperio, e o seu pessoal do-
cente o mais habilitado que se pode de
sejar.
Contina a funecionar a aula primaria
que poder receber alumnos da maia ten-
ra idade, pois dirigida por duas filhas do
director, das quaer urna alurana do 5.-
anno da Faculdade de DtratD.dt> Recife.
Desde o 1." do corrente est aborta a
aola de allemao, em que so-enjiinar a tra-
duzir e a fallar essa lingua.
O profeasor respectivo ser o Sr. Sidney
Schiefler.
Os estadantes, que quixeremfreqaentar
esta aula, pagal-a-hSo -separadamente da
measalidade do collegio.
O director do collegio Meira espera o
mximo apoio dos paes de familia que de-
sejam o real aproveitomooto de seus filhos,
pois que tem sempre tido. por -programma
dar aos alumnos, que lhes sao confiados urna
verdadeira instrucco a par de urna boa
educagSo moral.
O resultado do3 exames feitos nofim do
anno pnssado a prova m4s evidente em
favor do colle-po Meira.
Dos cincoenta e cinco exames feitos pe-
los alumnos deste collegio, inclusive um de
allemao na Baha, apenas tres foram in-
fructfero:-.
Recebem-se alumnos internos, meio-pen-
sionistas e externos.
Ra do Imperatriz n. 63, 2.- andar.
Recife, 18 de Marco de 1889.
O director,
Aecenaio Vinervino Metra de Vasconcellos.
Secretoria da Inslrucco Publica t*
de Abril de ism>
Intimacao de sentenca
N. 73Em retificacao ao edital n. 71'de
22 do corrente, faco saber, de orden-'do
Sr. Dr. inspector geral, professora Joa-
quina Alves de arvalho Veras,: removida
da Praia dos Carneros para a cokmia Iza-
bel, que por sente^a do mesmo Di.^ns-
pector, lavrada em 16 do corrente,: foi
ella absolvida no processo disciplinar qae
Ihe fora instaurado por denuncia do ^dele-
gado litterario de Palmerra de GaraTtdnms,
do que se deve dar por intimada.
O secretario,
Pergentino Saraiva de Araujo- Qalxao.
Prolon-amento da Eotrada de Fer-
ro do Beclfe ao **. Franeloco
De ordem do Illm. Sr. director enge-
nheiro em chefe fa?o publico que a partir
do dia 1.* de Maio prximo vmdooro e
at segunda ordem, os trens de carga no
prolongamento da Estrada de Ferro: do
Recife a S. Francisco serio somente "*em
numero de tres por semana; subindov de
Una para S. Jeao as segundas, qnartas-e
sextas feiras e regressando as 'tercas,
quintas e sabbados.
Secretaria do prolongamento da Estra-
da de Ferro do Recife ao S. Francisco e
Estrada de Ferro do Recife Carnar,
24 de Abril de 1889.
0 secretario,
A. G. de Gusmao Lobo.
Monte de Soccorro de
Pernambuco
De ordem do conselho fiscal faco publico qoe,
para attender a justos e razoaveis pedidos diri-
gidos pela imprensa por parte dos interessados,
tica transferido para o dia 15 de Maio vradonro o
leilo annunciado para amanb (25), podendo os
portadores das cntelas annunciadas,-oolofcas
ou refrmalas at a vespera do referido leilo.
Recife, 24 de Abril de 1889.
O g<-rente.
Felino D. Ferreira Goeiho.
Rccebedoria de Rendas "in-
ternas Ceraes
Imposto predial
0 administrador da Recebedoria Jaz potiliro
que no dia 30 do corrente mez termina o prazo
para a cobranca livre de mnlta do imposto' pre-
dial a que este sujeitos os predios pertoncentes
cerporacoes de mSo morta, companhia&oa so-
ciedades anonymas e a qualqur sociedade.pia,
beneficente ou'religiesa, relativo ao i semestre
do exercicio corrente, depois do que ser co-
brad d com a multa de. 100.0.
Recebedoria, 3 de Abril de 1889.
Alexandre le S. Pereira do Carmo. ,
Secretaria da InstruccSo Publica, 20 de
Abril de 1889
Pra-to de 30 e 60 dias
De ordem do Sr. Dr. inspector cgorol
da mstruccao publica, e em virtadefidc-
acto da presidencia da provincia de 17.do
corrente mez, fajo saber aos profesaore
pblicos, Francisco Lucio de Castro e
Manoel Antonio Leite que
vidos, o primeiro para a
poldina, e o segundo para a de Jafob, de
Tacarat : que na mesma data foi notnea-
do para : cadeira do sexi> masculino do
povoado i o P090 da Panella, o alumno
mestre, titulado pela-Escola Normal Ar-
thunio Vieira.
Fa5o tambem saber a D. Amalia Dur-
valina de Barros Marinho, que dentro do
prazo de 60 dias contar daquella mesma
data, deve vir a esta reparticSo assignar o
con racto da cadeira do sexo feminino d.
Agua Preta, e assumir o exercicio dentro
do mesmo prazo.
aos doua prmeiros professores remo-
vidos, fica-lhes marcado o prazo de 6<'
dias, dar assumirem o exercicio de >
novas cadeiras, e ao nomeado o prazo de
30 dias para o mesma fin.
O secretario,
Pergentino Saraiva d

i:

I





Diario de PernambucoQuinta-feira 25 de Abril de 1889
Iistitoto Archeologice e eogra-
phieo Pernambucano
Quinta-feira, 25 do coTente, hora do costu-
me, ha ver sessao ordinaria.
.^Secretaria do Instituto, 13 de Abril de 1889
BaptistaRegueira,
1 secretario.
Secretaria da presidencia de Per-
nambuco em 20 de Abril de 1889.
5.* seceso.
Por esta secretaria se faz publico para
conhecimento de quem interessar que o
Exm. Sr. 'presidente da provincia manda
em cumprimento da lei n. 1917 de 22 de
Marco ultimo, cbamar concurrentes, com
o praso de noventa dias, contados da data
do presente edita!, para a exploracSo de
onze engenhos contraes, sendo seis detypo
maior e cinco de typo menor, sob au ba-
ses constantes dos artigos 1.* e2.- da ci-
tada lei, concebidos nos seguintes termos :
Art. I.- iFica o presidente da provincia
autorisado a contractar com quem nelho-
res vantagens offerecer a fundacSo c ex-
ploracSo de onze engenhos contraes sendo
seis de typo maior e cinco de typo menor,
sob o plano, condicSes e auxilios constan-
tes do artigo 16 da lei provincial n. 1860
deJ1885.
| 1." Dos de typo maior dous serio fon-
dados no municipio do Bonito e os outros
no de Iguarass, Ipojuca, Cabo e Muri-
beca. Os de typo menor sern fundados
noa municipios de Itamb, Bom Jardim,
Victoria, Jaboatao e no valle do Auiaragy
da comarca da Escada.
| 2.- Serao considerados de typo maioi
os engenhos eentraes que noerem em cem
dias de vinte e cinco a trinta milhSes de
kilogrammas de canna, e de typo menor
os que durante o mesmo tempo moerem
de dose milhSes e quinhentos mil kilo-
grammas a quinze milhoes de kilogrammas
Art. 2.- As concessSes para a fundacao
e exploracSo dos engenhos de que trata o
artigo antecedente s poderlo ser feitas i
agricultores que residam na zona onde te-
ham de se estabelecer as respectivas fa-
bricas, exceptuado o de Ipojuca que pode-
r ser contractado com o requerente Joa-
quim Ignacio Pessoade Siqueira.
O artigo 16 da lei n. 1860, de que tra
ta o presente edital, assim concebido :
Art. 16. Fica o presidente da provincia
autorisado a contractar com o commcrci
ante da praca do Recite Jos da .Silva
Loyo Jnior ou com quem melhores van-
tagens offerecer a fundacSo e exploracao,
nesta provincia, de quatro engenhos con-
traes com capacidade para safrejar cada
um de 25 30milh3es de kilogrammas de
canna sendo cada qual do casto de......
600:0005000 ou oito com capacidade
para safrejar cada uro de 12 milhoes e
quinhentos mil a 15 milhoes de kilogram-
mas de canna sendo nesta hypothese o
custo de 300:0000000 sob as seguintes
oondicoes :
1.a A provincia concorrer com a quao-
tia de 200:000(5000 no Io caso, e de------
100:0000000 no 2o em apolices bo juro de
7 |0 para cada um desses engenhos, sen-
do os juros pagos ao portador pelo propo-
nente ou por quem tomar a si o estabele-
oimento dos referidos engenhos e recolhi-
dos ao Thesouro no im de cada semestre.
2.* O pagamento ser feito pela provin-
cia em duas prestares, a primeira quan-
do forem presentados o conhecimento do
embarque, factura e apucc do seguro dos
materiaes cujos documentos serio eiidos-
sados ordem e ticaio em poder do
Theouro rovincial em caucao da quan-
tia que receber o coutractante, a segunda
depois que se acharem os emnoa mate-
riaes no local em que fOr estabeJecida a
fabrica.
, 3.a A provincia ter bypotbcua sobre
todas as fabricas para garanta apolices, sentando, porem, durante 10 an-
uos, o assucar nellas fabricado do imposto
de exportacao e ouiros 'quaesquer provin-
oiaes ou municipaes que existam ou forem
oreados posteriormente.
4.a A provincia ter durante as obras
um engenheiro riscal p >r ella nomcado j
eujo ordenado ser pago pelo proponerte
m por quem o substituir.
3.a A amortisacSo das apolices sdr fui- i
ta a razSo de l"j, aonualuicnte, a con-
tar do anno segnintc ao em que tiverem >
*>mecado a trabalhar os referidos enge- j
nhos, tic-ando livre ao proponente o dirci-
to de fazer maior amortisseSo se assim
Jhe convier.
Far-se-ha urna emissSo de apojices com
a clausula de serem resgatadaa annual-
mente e per sorteio.
6.a O contractante nao poder fazer
cessSo de seu contracto senao a agriculto-
res.
7.a O proponente ou quem contractar,
ser obrigado a apresentar ao presidente
da provincia urna planta dos apparelhos
ou machinismos mais aperfeicoados desti-
nados aos engenhos, a qual s ser appro-
vada depois de ser examinada por uina
cominissao de engenheiros, nomeada pilo
mesmo presidente.
8.a O contractante dar annualmente no
Thesouro Provincial nanea dos juros que
tiver de pagar a provincia pela emisnao
applicada das apolices nos engenhos con-
traes.
O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveira.
S-i retari da Innrucco publica. *
de Abril de i*so
Intima^ao de senten^a
Jf. 71. Faz-se saber pelo presente edital e 'le
ordem do Sr. Dr. inspector geral, professora
publica Joaquina Mafalda Alves de Carvallio Ve-
ras, removida da povoacao de Brbedouro para
Jatoba ern Tacaran), que por sentenca do mesmo
Dr. inspector, lavrada em 16 do corren te, foi
ella absolvida no processo disciplinar que Ihe
fra instaurado por denuncia do delegado lite-
rario do dito povoado Bebedouro, do que se deve
dar por intimada.
0 secretario,
Pergentino S. de Araujo GaUo.
Prado Pernambucano
De conformidadp cora o 2o do art. 16 de nos-
sos estatutos e em virtude do 41 do art. 10 sao
convidados os accionistas desla sociedade pan
urna reunalo de assembla geral extraordinaria
iara se tratar de reforma dos estatutos que ter
ugar domingo 28 de Abril corrente, ao ineio dia
aa secretaria do Prado Pernambucano, ra do
Imperador n. 83, 1* andar.
Recife. 23 de Abril de 1889.
Francisco de Souza Res,
Secretario
S. R. C.
Sociedade Recreativa Csmmercial
Soiree trimestral em 5 de Maio
O senhores socios que qneiram tirar conviles
para esta soiree dewm procural os em poder do
1- secretario
Ingresaos com o recibo do mei de Maio, 09
quaes podem ser procurados em poder do Sr.
tcesoureiro.
Aggregados nao se adraittem.
Secretaria da Sociedade Recreativa Commer-
.-il, 23 de^bril de 1889.
0 1 secretario
iranio Guimares.
COMMERCIO
Revista do Mercado
Rkcife. 24 PE A1SKIL 1>1 KSS.
0 movimcito limilou-se a pequeas iransac-
ocs no mercado de caninos.
A posicao do mercailo tic algodao tnefhonM
com a retirada das leitras I anearas, sentando
os possuidoros cu.'ii una ta lacio superior a
1500.
Bolsa
LWTAgOES OFF1CIAES DA JUNTA DOS COB
mnowii
Recife. 24 c Abril de 1880
Obrigaces prefercueiaes da Companhia Pe mam-
bucana, de200a 1OS000 cada urna.
Cambk) sobre s. Paulo, 10 d v. com 7/8 0/0 de
de descont, hontem.
Na Bolsa Wmleram-se
65 obrieaco* nrefereuciaes da Companhia
Pernambucana.
Offereceram end*r
173 flgaces preferen-
ciaes dufempannia Pcr-
JiambucJ*Hi 197*808
o presidente,
Caodi !e <;. G. teoforado.
O secretario.
nanio Dubeux
Cambio
Os bono un com a inesma laxa uV liOn-
tem, 27 i 2 d., r-alisando pouras !ran*sc5oes.
AsS&oras .U tarde toram retira las as ta-
bellas-
Pela maulu" trausar-
eesempap': particular a 27 1116. reiirautlo
do mercado os sacca dia.
No Rio bai\aram j- i ira a laxa de
27 i/J.
Hoove f par lar
AI jodii
Sao condtou ven* +
A exsortaco f.-ita |v
i da 22, at'ing
rior IfCW
Correio Geral
Halan a expedlr-e hoje
Pelo vapor americano Alliiinra, esta adminis-
traco expede malas para os portas da Bahia e
Rio de Janeiro, rerebendo inipressos o objeetos
a registrar at 8 1/2 horas da man ha, e cartas
ordinarias at 9 hora ou 9 1 2 com porte duplo.
A'lministraco dos Correios de Pernambuco,
23 ile Abril de 1889.
O administrador,
Alfonso do Reg Barros.
Companhia de Edifiracao
Assembla geral ordinaria em
8 de Maio de IMS9
Tendo a maioria dos Srs. arcionistas da com-
panhia de EdiOcacao que eoorortefaiB convo-
cacao da assembla%-eral ordinaria marcada, iwr
ordem da directora da eompanhia. |iara o dia 22
do mez corrente. re-olvido que tal assembla se
nao podia por Ilegal illivtuar nesse dia, ristb
nao naver decorrido aimla i-i.!, o prazo de um
mez determioado pelo art. 16 da lei n. 3130 do
4 de Novembro de 18 rcsolyeu a directora
que fcasse como se nao lora feita a cooTOcacfto
a anunciada para aquelle da 22 e que se fizesse
publico que se devim os Srs. accionistas reunir
era assembla geral ordinaria no dia 8 de Maio
prximo futuro, as II horas da manha, no es-
riptorio da companhia, Praca Pedro II n 77,
. andar, assembla esta ern que se ha de tratar
de tudo que segundo a supracitada lei. eos esta-
tutos da companhia tem cabiim uto Delta.
Cbama-SS a attencao dos Srs. accionistas pira
os paragraphos 1, 2", 7" e 8" do art. I"> na < i'a-
da le n. 3150 de 4 de Nowmbro de 1882.
Recife, 24 de Abril de 1889.
Ricardo Mt-uezes.
Gerente.
Kcrretaria da in*iriio-o Hull< ;
93 de Abril de iss!
Jmheafo de ausencia
X. 72. -- Do ordem do Sr. Dr. inspector ({eral,
c oin \sta do officio do delouado lillorario de
Moni Jardim datado de 9 de Abril corrente. pelo
presente intimado o profegsor routractado de
tlhc-os. Andr de Albquerquc Mello, a vir no
praso de 18 dias, dar as razes de sua ausencia
d'aquclia cadeira, sem communicaeo feila ao
(lito delegado litterario e sen liaver presnrJiMo
o disposto no art. 17 das insiruceoes de 24 de
Maio de 1887 e sob as penas do art. ."10 das mes
mas instrucres.
O secretario,
Pergentino Surnicu de Aruiijo Galnui.
As entradas verificadas al a data do hoje so-
!em a 14 327 accas, sendo por:
Barracas..... 1.386 Sacias
Vapores -370
nimaes..... 3-W3
Via-ferrea de Caruar. .* 719
Via-fcrrea de S. Francisco. 1.660
Via-forrea de .imociro S.lS*
Monte de Soccorro de
Pernambuco
41* leilo de jolas
Este estabelecimento fara leilo no dia 13 do
Maio por intermedio do agente Martina, ora
sua sede, ra do Bom Jess n. 32, s 11 horas
Ja manlii, dos objeetos que nao forem resgata-
daa at a\espera, constantes das egoinp
te!!as,\encidas de Agosto a Novembro do 18-37;
a dinheiro de contado :
11997 1 Volta de ouro com medalha, 2 pulso-
ras, icordVs, 1 Irnucsliin, 3 pares de
briacOB, 1 allinete, 2 aunis, 4 inoedi-
nhas ouro de lei, urna salva de praia
de lei.
15818 l Corrente e cilo para relogio, 1 par de
argolOes, 1 allinelo de ouro para retra-
to e 1 medalha ouro do lei, 2 relogios
de ouro.
13933 1 Corrente de ouro cora cabellos para re-
|*tgk>, 2 pares de brincos, 2 dilos do
rozetas, I eurdao, 2 voltas de trance-
ln!, ouro, teteias, 3 botos, 2 encasto
res e I anne! ouro de lei, 2 moedin!i;is
de ouro, dollars, 1 relngio de ouro. i
paliteiro, 3colheres para cha, de prata.
16027 2i Colheros para sopa, 24 ditas para cha,
3 conchas grandes, 24 garfos, ii cabos
para facas e I par de trinchantes, lu ;o
de prata de lei.
16302 I Salva pequea. 1 ttgella, 1 copo. 17 eo-
llien-s para :pa o l i ditas para rh
piala baixa.
16133 1 Escrivaniriha, prata baixa.
16458 I Medalha de ouro. conteudo brilliante.
16691 1 Salva, 2: eolberes para sopa, 17 dilas
para cha c i dita para assucar, prata de
lei.
16699 6 Botes de curo com brillantes.
16703 1 Par de rozetas de ouro com brilhanles.
16708 I RelOfio de ouro de lei.
16713 I Brocho de ouro com eamapbcn
ral. 1 corrente c sineti de ouro para rc-
logio.
16713 i Salva, piala de lei.
16717 1 Par de rozetas de ouro ctra esmeral-
das circuladas ue brilhanles, 1 par de
brincos cora dilos, I par de bri eos
com brilhanles, pequeas romanadas,
1 cruz com brilhanles u i lio de pirlas.
16720 1 Pulseira, I inedalhi, 3 pares de brin eos e i ilito de rozlas, ouro de iei.
16711 I Adereco de ouro, corriendo 1 pulseira.
1 broche, 1 par de rozlas cravfjaaas
de brilhanles e diamantes, 1 volta de
ouro conteudo I peca ciavojada com
brilhanles e diamantes.
16713 1 Annel de ouro com um brillian'e peque-
o, 2 brilhanles sob-papel, t allinete
com 4 ditos e 3 rubins, 2 allL.otos, 1
pulseira. 2 medalhas, 1 volta doouio.
2 correles para relogio, 1 corlu I
bentinho de ouro, 1 cruz ouro de.loi, I
moeda de ouro.
16747 1 Corrente de ouro para relogio e -' trau
celins, ouro de le.
16719 1 Par de brincos, l anncis c 1 cruz, ouro
ile lei.
16730 1 Cordao, I allinete, 1 par de brincos,
dito de rozetas ouro de lei.
16738 1 Corrente de ouro para relogio, ouro de
lei
16763 5 Pulseiras de ouro 2 voltas, I medalha,
1 corrente e medalha para rolcuio, I
broche, 2 pares de i.rincos, ouro de lei.
16777 1 Traucelim ouro de lei, 1 emblema do
Espirito Santo e 1 liga, ouro !>aixn.
16797 i Par de rozlas de ouro com 2 biilhan-
les pequeos.
16810 2 Botoes de ouro com brilliaites.
16801 1 Reloio ouro de lei.
16808 2 Pulseiras, 1 allinete, par de mu-tas.
2 aunis ouro de lei, 1 traucelim, 1 an-
nel. I cruz, ouro bai\o.
16810 1 V'idta de ouro, 1 medalha,! relogio, ou-
ro de lei.
1682' I Correle de ouro de lei para relogio.
16838 1 medalha de ouro de lei com nix.
16813 I Par de rozetas de ouro com brillantes
e 1 annel com ditos.
16830 I ulseira de ouro com brilliantes c sa-
phyras.
16833 1 Trano lira, I volta de dito, 1 moeda de
ouro cora laeo, 1 pulseira pequeiu, ou
ro de lei.
16838 I Volta de Irancelim, I ro/.eta, lantiel
ouro de lei, 2 pares de brincse freruz
ourodelii.
16862 1 Confio. 1 medalha 3 aunis. 2 bote?,
1 leteia, ouro de le, I par do brincos o
1 annel, ouro baixo.
16863 I Par de rozetas d-ouro combrilUinies.
t pulsen;;, I dita de broche, 1 mir de
brincos cravejadoa de petlas, ouro de
lei.
16873 I Trancciim e I liga, ouro de lei. i
16873 I Relogio ouro do lei.
10878 I Trancciim 2 wkipies, curo de !ii.
16883 3 Paras de brincos, I dito de rozetas. I
cordao e I annel ouro de lei.
16893 2 Pares de brincos era vejados de brilhan-
les pequeos.
16898 2 Paros de brincos, li aunis e 3 Imlos,
ouro de lei
16907 1 Medalha com diamantes, tj botes i"pm
perolas. ouro de lei, 2i fcarfes, 31 ca-
bra com facas, 2 pares de triocbanies,
ludo de prata de lei.
16911 1 Pulseira, ouro de lei.
.16915 1 Annel de ouro com I brilhante.
16917 I Pulseira. ouro de lei.
16922 I Loco de ouro de lei.
16931 12Coihercs para sopa, prata baixa.
Iti.'l! 2 Broches, 2 pares de brincos. I dito de
roseta, l trancciim, I medalha c 1 vela,
16917
16952
161153
M07I
16979
16982
16981
16983
16987
16992
17026
17031
17032
17033
17036
17011
17012
17013
1703]
I7>58
17062
17070
17082
17 00
17091
17099
17102
17112
113
111
17117
17131
17139
17111
17161
17101
17166
17167
17108
17 09
[ 7:185
1719
17215
17216
1723:
17*39
17240
17251
I726
1726!i
17270
1727:;
17280
16910
ouro de lei. J7283
2 Voltas de Irancelim, 3 teteias de ouro, |^2 1
3 pares de -osetas, 3 anneis, ouro de
lei, 1 braeeilele cora coral, ouro baixo. |
1 Traucelim, ouro de tei.
1 Annel de ouro com 1 pequeo brilhante
e 1 par de brincos, ouro de lei.
Par de brincos, 1 volta de ouro, 6 an-
neis, 1 teteia, ouro de lei.
1 Pulseira, 1 allinete, 1 par de rosetas,
ouro de lei
1 Corrente dupla com medalha para relo-
gio, ouro de lei.
2 Pulseiras, 1 corrento, 1 allinete, 1 tran-
cciim, 1 par de brincos, 4 pecas de dito,
1 par de rosetas, ouro de lei, 1 pulseira,
ouro baixo.
1 Pulseira ineompleta, 1 volta ue ouro, 1
cordao, 1 medalha, 1 Hete, 1 par de
brincos, ouro Je lei.
1 Relogio de ouro para seahora.
i Annel de ouro com 1 brilhante. *
I Annel de ouro com 1 brilhante, 1 pul-
-eira, I volta de ouro e 1 medalna, ouro
de lei.
1 i iuz de ouro com um crucificado, ouro
de lei.
i Trancem e 1 cordao, ouro de le, j
cruz, onro baixo, 1 salva e 2 casiicaes
de prata.
l Paliteiro e 12 colheres para sopa, de
prata.
1 Gargantilna, 1 volta de ouro, i tran-
celim, 2 cruzes e 1 par de brincos, ouro
de lei.
1 Pulseira, 1 par de brincos, 1 trancciim
e deaal, ouro de lei.
I Relogio, ouro de lei.
1 Corrente para medalha (para senbora),
1 pulseira, 1 par de brincos e 1 dedal,
ouro de lei, 1 relogio de ouro para se-
nhoia.
1 Corrente para relogio, 2 pares de brin-
cos, ouro de lei, 10 moedinhas de ouro
em botoes.
1 Correte e 1 sinete para relogio, ouro
de lei.
2 Hiles, 2 pares de brincos, ouro de
lei.
1 Annel de ouro com brilhantes pequeos
e i relogio (de sonhora) de ouro.
I Corrento, 1 corrente para relogio fal-
lando chave, 1 moeda de ouro com ar-
gola o 1 relogio de ouro, tudo ouro de
lei.
i Corrente e medalha para relogio e 2 an-
neis, ouro de lei.
1 i'uls. Ira, 1 par de brincos, 1 huela e 1
annel ouro de le, 1 volta de cordao e 2
teteias. ouro baixo.
1 Volta do ouro com medalha, 1 medalha
de ouro com ajo e 1 annel, ouro de
lei.
1 Relogio de ouro de lei.
I ar de rosetas de ouro cora brilhantes
pequeos e 1 grampo de ouro.
1 Corrente para rclo.io, 1 par de brinco,
2 aunis e 2 relogios, ouro de lei.
1 Relogio de ouro de lei.
.} Trancelins, 1 cordSo, 1 redoma e 1
cruz, ouro de lei, I cordao de ouro
baixo.
1 Relogio, ouro de lei.
1 Par de rosetas de ouro com 2 brilhan
tes, 1 cruz com ditos, 2 aunis com di-
tos e 1 lio de perolas.
1 Anne! de ouro com brilhantes peque-
no;, 1 trancelira, 1 medalha, 1 allinete,
3 |)ares de brinco, I dito de rosetas, I
peca de pulseira e 5 anneis, ourc de
lei!
I Relogio de ouro (cor arbola de prata).
1 Par de botoes. ouro de lei.
Pulseira, 1 allinete, 2 trancelins, I cor-
dao e 1 medalha pequea, ouro de
le.
I Corrente para relogio, ouro de lei.
1 Corrale e sinete para relogio, ouro
de lei.
1 Hroefae de ouro para retrato, contendo
I corrente de brilhantes, 1 par de brin-
cos com brilhantes, 2 botes com ditos,
meis com ditos.
i Cruz de ouro rom 7 brilhanles peque
nos, 1 par de rosetas cora 2 brilhantes.
I dito com 6 ditos, 2 anneis rom bri-
lhanles e 2 lios de perolas.
I Par de rosetas de ouro com 2 brilhan-
les, I annel com 3 ditos, 1 cruz com
dito, 1 lio de perolas c 1 pulseira com
diamanto, ouro de lei.
1 Relogio. ouro de lei.
I frrenle para relogio, ouro de lei, 2
moedinhas era bolao e 1 relogio, ouro
de tei.
1 Auuel de ouro com I pequeo bri-
lhante. I volta de ouro e 3 anneis, ouro
de lei, I volta de cordao, 1 annel c 1
par de boles (incompleto) ouro baixo.
I Corrate e medalha para relogio. 1 trau-
eelim I cruz. 2 pecas de brinco. 3 le-
icy.is de ouro. 3 anneis e I par de bo-
loi-s ouro de lei.
2, Pares de rozetas com brilhantes peque-
* nos. i cruz ana ditos. 1 pulseira. I
volts de ouro com medalha. zcerrenies
[i ra rrlogi.-, I volta de Irancelim o 1 re-
oglo de ouro para sonhora, ouro de
le
I Par de rosetas de ouro com brilhantes
1 annel com 3 ditos e 1 dito cora I
dito.
I Volta de trancelira. 1 medalha e 2 pa-
ros de brincos ouro de lei.
1 Correle para relogio. ouro de lei.
2 C-irrontes, 2 medalhas de ouro para re-
logio, ouro de lei.
3 Pulseras, 1 medalha e 1 dedal de ouro
de lei.
12 Colheres para sopa, 12 ditas para cha e
2 concitas grandes prata baixa.
2 Pulseiras, 1 volta de ouro, 2 botes e I
alneite, ouro de lei.
1 Coco de prata ara agua.
I Traucelim, 1 par de rozlas ouro de lei,
2 colheres para sopa e I dita para cha,
de prata.
Somma -
1* 327 Saniis
Assncar
Os preces pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
cundo-i Asseciajo Coanerc:::: Agrcola, foram
os seguintes:
Brancos..... 28O0 a 34700
Sorneno..... 2000 a 24100
Mascavado purgado 1*500
bruto. '. IS;f00aU400
Rtame..... 1*100 a 14200
A exportace, feita pela aUandcga ueste mes at
e da22, subi a 3.415.527.3 kilos, sendo 2.971.515
para o exterior e 2.271.012.5 para o interior.
As entradas verilicadas at a data de hoje so-
liera a 51. i:i3 saceos, sendo por :
llarcacas 17.197 Saceos
Vapores..... ......
Animacs. 2072
Vi.-.-ferrea deCaraar. 3.019
Via-fcrrea de S. Francisco. 2' 881
Via-forrea do Limoeiro 2036
Somma.
SI.433 Sacros
i uros
("oase es sw gados seceos :, 370 res na base
(le 12 kOS
Agurdeme
Cota-se a 88*000, por pipa de 18' litros.
Alrool
Cota-se a 1635000 por pipa dW) lilros.
Uel
Cota-se a 50*000 por pipa de 180 litros.
Paula da alfandcga
ixwsk 22 27 de \k\ i. de 1S'j9
Vidc o otario d\ 21 de
Sarrio carga
nacional Zequinha. para Pelotas,
do nacional Ininerial, para Villa Nova,
nacional Monteiro 2", Para Rio Gr;;
ul.
.Vivios a descarga
Barca sueca Elba, rurvao.
Barca nacional Mara Angelina, xarqne.
Barca norueguense Madona, earvo
Barca licspauhola Cuinlanciu, carvao.
Barca noriit-guonse Dagiwir, carrito.
Litigar ingltz ohi, b.iculho.
LOar illglo.1 Ilt"iirl,r. kiealllO.
Lunar portuguez Temerario, xarque e gorduras.
Patacho liespanboi -locen l'nra, xarque.
Patacho hollando/, i'.ngclttt. \urque.
Patache Daciooal /sera Coereii, varios gentvos.
I m po rl ac o
Vapor americano Attian enterado de
New-Vork c escala em 24 do corrente e
consignado a Henry Forster & C niau-
festou:
Dren ;>'' barricas ordein, 20<' a .Sei-
xas & C.
Banha Obarris a Fernandos da Costa
& C, 2~< a Joaqun) Duarte SiiuMes & (J.,
50 -a Costa & Medeiros, 150 a Joaquim
Ferr ra de Carvalho & C, 25 a Figuei-
redo Costa & C, 150 a Joao Fernandos
de Almeida, 100 aos consignatarios, *> a Domingos Cruz & l"., 20" i Paiva Va-
lente & i.., 50 a Jos Jouquini Alvos
C., 50 a Domingos Ferreira da Silva i Cj
50 a Goncalves Rosa & F^rnandes, 25 a
Silva Marques 4 C., 20 a Lopes Alheiro
& C., 30 a Soares & Fernandos.
Candieiros G caixas ordem.
Drogas 50 voluntes a Francisco Mar-
noel da Silva & C., 17 a Paria SobHnbo
i C.
Fago* >la China 10 amanados l Silva
Marques & C-, 10 a Pereira de Faria &
C-., i" a Soare & Fernandes. 10 a Joa-
quin l'erreini do Carvalho & C, 23
Araujo cattro & C
Furinha de trigo 125 barricas a Gomes
de Mattos JrmiTos, 750 a Pereira Carnal"
ro & C, 50 orde
Dl aixas a Costa Li-
ma & c.
Fer, i eonsign
Graa Sauaa & Forato-
des.
Kerosene 14 caixas ordem.
liarais 1 caixito a Gomes de Mattos
IrmSaa, .' ordem-
Jlcrcadoria.s diversas 12 volumes a B.
Duarte Cunpo0 & C, 33 oi-dem, 2 a F.
da Silva Maia, 1 a G. de Mattos IrmZos,
2 aos consignatarios, 1 a Barbosa San-
tos, 14 a Ferreira Guimarilcs & '*., G a
Miranda Souza.
Maizena ."m caixas a Joaquim Duarte
SimSes \: C, .V a Figueired'. Costa & C.,
25 ordein.
I s di nutricio lt) caixas a Joo Ramos.
I'erluinarias > caixas a F. Manoel da
Silva.
Toiicinho 20 barris a Gon2alvcs Rosa
t Fernandos, Id a Guimares Rochat&C.,
3> a l'aiva Va-ente G., 5 a Lopes de
Tfsgnlharn >t C., 15 a Joaquim Duarte
Sinioes o; (.., 15 a Soares & Fernandes
15 a Figueiredo Costa & C., 15 a osta &
Medeiros.
xportaco
UCR 23 DI abkil dk 1889
Para o exterior
No lugar inglez Sunliemn, carregaram :
Para .Scw-Yerk, II. Forster & C 500 sarcos
com 37,300 kilos de assucar niasi avado.
Para o interior
No palacbo nacional Alano, carregaram :
Para Pololas, P Carneiro lt C. 450 barricas
mu i2,930 kilos de assucar branco e SO dilas
ioiii 'i 310 dilos de Jito mascavado.
No vapor americano Altiaiiea, i arregou :
Para Rio do Janeiro N. M. do'Eirado 138 bar-
ricas com 8,280 kilos do assucar branco e 223
ditas rom 13,380 ditos de dito mascavado.
NO vapor nacional Sergipe. carregaram :
Pura Balna. K. Caseto & I'ilbo :>) barris com
8,1-00 litios de niel ; A. M. Jartins 18 barris
com 2,b80 litios de mol. .
_ >o vapor nacional Mwankia, c^rregaiam :
l'araBatlia, S- A. Senna i C. 60 barricas com
3,tKN) kilos de assucar refinado.
N-j iiiatc nacional Rom Jess, carregaram :
Para Aracaty, P. Alves C. 40 volumes com
3 313 kilos de assucar branco e 40 saceos com
3,000 -lilis de dito mascavado.
Dinheiro
BECEBIBO
j vapor nacional Sergipe, para
17289 1 CordSo, ouro de lei.
17 90 1 Trancelim, ouro de lei.
17292 1 Pulseira, 1 par de brincos. 1 cruz de
ouro cravejada de diamantes, i salva, i
paliteiro, 13 colheres para cha, prata
de lei.
17293 1 Pulseira, 1 broxe, 1 par de brincos de
ouro de lei, contendo brilhanles
17294 1 Annel de ouro com brilhantes, 1 dito com
um rubim e circulo de brilhantes.
17293 4 Casticaes, 1 prulo thesoura (para vella)
Prato de lei. 1 vaso de prata baixa.
ar de rosetas de ouro com 2 brilhantes
c um boto com i dito.
17303 1 Pulseira, 1 alfim te, 2 pares de brincos;
1 luneta, 1 trancelim, 2 anneis ouro de
lei, I gargoutilha, I pulseira e I alline-
te, ouro baixo.
17304 I Allinete. 1 pulseira l par de brincos, I
dito de rozetas incompleto ouro da lei,
4 colheres para cha.
17306 1 Par derozelas de ouro com 2 brilhanles,
1 medalha de ouro com i dito, 2 pul-
seiras ouro de lei.
17309 1 Pulseira, 1 par de argoles e .2 voltas
de traiieeliui. ouro de lei.
17310 1 Par de rozetas de ouro com 2 brilhanles,
1 cruz de ouro com dilos pequeos,
i tio de perolas, 1 vapor. 1 pateiro, 2
castigaes pequenos, 0 colheres para sopa,
7 ditas para cha, de prata.
17311 1 Broxe de ouro coin perolas, 1 volta
de trancelim, 1 emblema da Coneeico,
1 medalha. pequea, 1 uioeJinha de ou-
ro, tudo ouro de lei.
17313 lCordao, i medalha, 1 allinete, 1 cruz.de
ouro de lei.
'7317 1 Salva de prata de lei.
17318 1 Par de castigaos prata de lei.
17319 1 Par de rozetas de ouro com perolas, ru-
bim, 1 medalha ouro de lei.
17320 1 Jarro e bacia e 1 salva grande, prata de
lei.
17321 1 Belogio de ouro para sonhora.
17322 18 Colheres para coa, prata de lei.
17323 1 Cordao. 1 alliuele
i!,
ar de rozetas ouro
W dito. 2 pares de
2 moedinhas, tudo
de lei.
17324 1 Trancelim, 2 volt
rozetas, 1 annel e
ouro de lei.
17323 1 Corrente para relogio ouro de lei, 1 re-
logio de ouro e 1 figura de prata.
17327 2 Anneis de ouro com 2 brilhantes. 1 dito
com I esmeralda e pequeos brilhantes.
13 Irancens, 2 conloes, I pufceira de
requintes, 2 pares de boles, 1 cruz. 1
annel ouro de lei, 1 par de rozlas e I
cruz cravejadas de diamantes.
17328 1 Annel de ouro com 1 brilhante.
17331 2 Medalhas e 1 annel com diaraanle ouro
de, lei.
17336 l Volia do ouro de le.
17338 3 Pares de brincos, 1 dito de argoles. 1
volta do ouro e I medalha ouro de lei, 1
col he ira de prata.
17342 I i'ulcoira ouro do ei.
173i5 1 Cruz de ouro com 0 brhantes e 1 volta
de trancelim.
17344 1 Brocho de ouro com brilhantes.
17349 1 Paliteiro e 13 colheres para cha, piala
de lei.
17330 1 Corrente dupla para relogio onro de lei.
17332 1 Trancelim grosso, -' ditos linos. I cor-
dao e 1 medalha, 2 cruzes ouro de lei, I
trancelim ouro baixo.
17333 1 Pulcei-a de ouro cora 1 brilhante peque-
no, 1 trancelim e 1 corrente de ouro para
relogio, ouro de lei.
17303 I Annel e 1 allinete ouro de lei.
17358 1 Allinete, 2 medalhas, 2 pares de brincos
e i volta de cordao, ouro de lei.
Recife. 7 de Marco de 1889.
,0 gerente,
Fe''iio D. Ferreira Coelho.
Companhia de Edifi-
caco
AtMmbla eral extraordinaria no
da 8 de Malo de 1889 em negni-
niciilo ordinaria marcada e aa
uunciada para ee meamoalla.
Para attender quanto possivel aos inte-
resses da companhia e communidade
dos Srs. accionistas, resolveu a directora
da companhia que, em seguimento as-
sembla geral ordinaria que hoje annun-
cia-se para o dia 8 de Maio prximo fu-
turo, renase nma extraordinaria, no
mesmo local em que se ha de effectuar a
ordinaria. Netta assembla extraordinaria
descutir-se-hilo a conveniencia ounSo con-
veniencia da liquidaco da companhia, se-
gundo a proposta do parecer assignado
pela maioria da commissao fiscal e publi-
cado nesta folha no dia o do corrente mez,
e a possibilidade ou impossibilidade de
do resorganisar a companhia segundo o plano
gerente, distribuido em avulso pelos Srs.
accionistas, o qual ha de ser pelo mesmo
apresentado oficialmente na reuniao or-
dinaria do dia 8 de Maio prximo futuro.
Chama-se a attenio dos Srs. accionis-
tas para os | 4.*, 7.- e 8.- do art. 15 da
le n. 3150 de 4 de Novembro de 1882.
Recife, 24 de Abril de 1889.
Ricardo Menezes.
\ Gerente
Obras publicas
De ordem do Illm. Sr. engenheiro di-
rector geral, em virtude da autorisacao de
S. Exc. o Sr. presidente da provincia de
15 do corrente, faco publico ooe no dia 5
de Maio prximo futuro, ao meio dia, nes-
ta directora, recebe-se propostas em car-
tas fechadas, competentemente selladas,
para execuc.lo dos reparos de que neccsi-
tam: o boeiro sobre o riacho Aoss, e a
Curva do t axito, na estrda da Victoria,
oreados em $19?,OQ0
O oi^amentoe mais coiuliooos do con
tracto acham-se nesta see-et.ira, onde po-
dem ser examinados pelos Srs. pretenden-
tes.
Para concorrer i praca cima deverao
os licitantes depositar no Thesouro Pro-
vincial a quantia de 82j>450, equivalente
a 5 r, do valor do ornamento.
Secretaria da directora geral das Obras
Publicas de Pernambuco, em 20 de Abril
de 1889.
O engenheiro secretario,
Li'iz Antonio Cava/cante de AWtiupuraue.
Secretaria da luMrucro Publica.
3 de Abril tic 188
Praw de 90 daos
N. 73. De ordem do Sr. Dr. inspector geral
faco saber a almona niestra ululada pela Es-
cola Normal Bemviiida de Souza Castro Feitosa,
que Ihe tica mareado o praso de 30 dias para
:- lo
10
asotanar o eontracto da cadeira de ensiuo mi\i
de bamelleira de Buique e assiuuir o exerena
da inesma.
O secretario.
Pergentino Saraica de Araujo Galvo.
ftendimentos pblicos
M.'CZ DE AUKlL
Alfandcaa
Ron.!a aerai
Do dia I a 2.1 370.900*083
dem de 24 27:267.j!)i
Pede-se aos Senho-
res consummidores
qualqner eonimunica-
q on reclamago, se-
aesta feita no escrip-
torio desta empreza
ra do Imperador n.
29, onde tambeni se re-
cebera qualqner conta
que queiram pagar.
Os nicos cobrado-
res externos sao os Se-
nliores Hermillo Fran-
cisco Rodrig-ues Frei-
r e Manoel Antonio
da Silva Oliveira, e
quando for preciso o
Sr. Antonio Martins
Carvalho.
Todos os recibos
desta empreza deverao
ser passado em tales
carimbados e firmados
pelo gerente, semo que
nao tero valor algum.
Greorge Windsor,
Gerente
9 melhor t- msi fcil meio de pre-
venir o futuro para m e para <>
*ens o segura de vida na Nota
York
(Xew-York Life Insurance Company)
Companhia de seguros de vida e montepo I s
Estados Unidos da America.
Capital realisado :
I84,000:000000
Deposito no Thesouro Nacional :
200:0005000
Para prosoectos e informaces. com o Sr. Theo
Christiausen, correspondente da companhia em
ernambuco, ou com Julio Guimares, agente
jeral.
Renda provincial
Do lia 1 a 23 68:ii**i3
dem de 2i 3:199i::i2
Segunda s
1889.
Jk
007:l73ti8H
71-324*998
2i compartimentos de farinha a SOO
ris
22 ditos de comidas a 300 ris
89 ditos de legumese fazendasa 400
ris
18 ditos de suinos a 700ris
9 ditos de fressuras a 6JH) ris
38 talhos a 2*
!2iK
II000
3.*>'oVI0
12G00
3100
rt;ow
mma total 678:198*682
Alfaadegu. 2i de Xbl de
i thusonreiro-Florencio Domingnes.
i chele Ja seegio Cicero 1). de Jscllo.
Rcccbedoria Cieral
Do dia 1 a 23 28:l072'ti
dem de 24 3:48933o
I:0oti806
Recebcdoiia provaclal
De dia I a 23 6I:38MB8
dem de 24 408*083
02:438I4I
Recife Uralnage
Do dia 1 a 23 9:138*383
dem de H t:016*i8^
10:155*071
Uatadoiiro |iiibco
.N'esle estabelecimento foram abatidas para o
consumo de hoje 81 reres perlenceules a diver-
sos marchames.
''roaos
345*800
Mercado Municipal de Joc
O movimento deste mercado no dia 25
Abril foi o seguinie :
Entraram :
23 1/2 bois pesando i,:l".r> kilos.
124 kilos i' peixe a 20 ris
19 cargas com farinha a 200
reta
3 ditas de fruclas diversas a 390
ris
8 taboleiros a 200 ris
20 suinos a 200 t
29 matul lOris
Poram oceuparf'
27 columnas a 600 rws
1 escriptorio a 300 ris
de
i|480
3*800
900
1*600
4*000
900
00
187*080
Rendiniento dos das I a 24 do cor-
rente 4.623*760
Foi arrecadado liquido at boje' 4:811*340
Procos de dia:
Carne verde de 400 a 360 rcis o kilo.
arinha de 360 a 640 rcis a cuia.
Carneiro de 720 a l reis dem.
Suinos de 360 a 640 reis idein.
Milho de 380 a 440 rcis dem.
Fe:;ao de 900 a i*60j idera.
Vapores a culrar
MEZ DE ABRIL
Sul........... liuticia............ 2-j
Norte......... Marunhd'i......... 23
Europa....... Vie de Cear...... 23
Europa....... Seca............. 26
Sul........... Para............. 27
Sul........... Tomar............ 28
Vapores a sakir
MEZ DE ABRIL
Havre e eso Vilte de Maceta..... 23 as 4 ti.
Sul.......... Creinon........... 25 as 4 h.
Ilio o, esc------Maranliao......... 23 as 5 h.
Sanios e esc Ville de Ceara..... 26 as 4 h.
Santos e esc. Aira............. 26 as 4 h.
Bania e esc. Sergipe.......... *q -di ; ii.
Aracaj..... Mandahn'......... 27 as 3 h.
Manos e esc. Para............. 28 as 5 h.
Antuerpia ... ramor............ 28 as 4 h.
Hoviuienlo do porto
Navios entrados no dia 24
Xew-York e escala 22 dias, vapor americano
itUanr.a, de 2203 toneladas, cominandante
ackes, equipagem 70, carca varios gneros ;
a Henrv Forster 4 C. ,
Pelotas23 dias, barca nacional Martamtnlia,
de.238 toneladas, cupito Francisco Bias Cos-
ta, equipagem 10, carga xarque; a Bailar
Oliveira & C.
Sahidos no mesmo dia
Utissia Barga noruegi.
A. Jacobsen, carga aigodo
11 ha Rata-Barca france; A.
Macie, em lastro.




Diario de PernambucoQuinta-feira 25 de Abril de 1889

LARGO DO ARSENAL DE GUERRA
HOJE --quinta-feira 25-HOJE!
A's 8 1[2 horas da noite
ia ecuestre, gjmnastica, acrobtica, coreo-
japoneza, funambulesca, equilibrista facelica e mmica
EMPRESA E DIRECC AO DE
HONORIO PALACIOS
IMPONENTE FOWAU! ESPECTCULO ATTRAHIOTK!
Esifrea de novos artistas
X=>^OG3R.^XWXXVX^ NOVO
ASRAINHAS DO TAPETE-a fanrilia *\!,.%< B:Wtnmanu, parto imito
activa n'esta funceo presentando novo c di ricis traballms.
Os palhajos amenisarao o espectac i!o sobresahindo entre cllcs o impngavel
NN
joni o seu inexgotavel alforge de pilherias.
FNCCO ATTRHBNTE!
PROdRAHMA l;*MMB?H.|:
AO CIRCO CHILENO! A CIRCO!
NOVIDADES TODAS AS NOITES
EXERCKIOS ARREBATADORES !!
CONTINA O ENTHUSIASMO
A porta do CIRCO abre-se as 7 horas e 3|4 da noite.
PREVO
Camarotes com 5 entradas.....105000
Cadeiras......... 2(JO00
Gcraes........ 1)5000
O secretario,
mco iramcnui
DO
Jo XiuvcOkoO XJL>
Capital
-<*o.ooo:ooo |
dem realisado 19,000:0006;
A caixa filial deste Banco funcciona l
.-ua do Coinmercio n. 40, sacca, vista ou j
aprazo, contar os seguintes corresponden-
tes no cstrangeiro.
LONDON.. | Banco Interaacional
Ido Brasil,
London office.
( l.ondon A C oriuly
( Banking Company L.M
PARS......(Banque de Pars dfc des
(
F. P. da Rocha.
SEGUROS
MARTIMOS (0\TRA foco
Conpanhia Phenlx Per-
nainbucana
RA DO COMMERCIO N. 38
SEGURO CONTRA FOGO
Rojal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL 9.000:000
AGESTES
R. DEDRUSENA&C.
13Rua Mrquez de Olinda13
Hambuigo..
Berlim.......
Bremen.....
Frankfurt
sur Main...
Antuerpia..
Roma........'
Genova......,
aples.....i
Milito e mais)
340 cida-
desde Ita-
lia...........
Madrid......
Barcelona ..
Oadiz........
Malaga......
Tarragona.
Valen cia e ;
outras ci-
da des d a
Hes pa nha
e ilhas Ca-
narias......
Lisboa......
Porto e mais
cidades de
Portugal c
ilhas A.....
BuenoB Ay-
res .........,
Mon tevido
NovaYork.
Pays-Bas
Deutsche Bank.
Bank d'Auvcrs.
* Banca Genrale e sua
agencias.
Banco Hy precario de
Espaa e s;:as agen-
cias.
Banco de
sitas agencias
Portugal
The London &. River
Plata, Limited.
G. Amsink & C.
Compra saques sobre qualquer praya do
imperio e do cstrangeiro.
Recebe dinheiro em conta correntc de
movimento com juros na razo de 2 /0 ao
auno e por letras a prazo a juros conven-
cionados.
O gerente, W iUiam M Wettber.
London & Brasilian Bank
Lirnited
Rua do Cotnmercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre ascai
xas do mesino banco em Portugal, sendo
em Lisboa, rua dos Capellistas n. 75. No
Porto, rua dos Inglezes.
SEGUROS
CONTRA FOGO
The Liverpool i London k Globe
XITSUP-AIToS 3C.J.PAN x
ms8xm% r:::::::: c.
Rua do Coininercio n. 3
Companhia de Segaros
AGENTE
Miguel Jos Alves
V *Rjiji do Rom JrHii^ \. 9
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ultiuios seguios a nica companhia
aesta praca que concede aos Srs. segurados isemp-
co de pagamento de premio em cada stimo
mno, oque equivale ao descont annual de cer-
:a de 13 por ceuto en favor dos segurados
Companljia >c Seguros
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
l'osigao iinnncrirn (l)czembro de 1885)
Capital subscripto
Fundos aceumulados
Reeeita annual :
De premios contra fogo
De premios sobre vidas
De juros
3.000,000
3.134,348
577,330
191,000
32,000
O AGENTE,
John H. Boxindl.
IlfDEMNISAD ORA
Companhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
Etabelerlda em 1S35
CAPITAL 1,000:000^000
S1XJSTR0S PAGOS
At SI deDezenbrodelSS*
Martimos.. 1,110:000#000
Terrestres. 316:000^000
44Rua do Commercio44
SANTA CASA
CASAS PARA \ I I VII
Rua da Moeda n. 49, armazem 240000
dem do Vigario Tenorio n. 27. laja 2404000
dem idem n. 22. 2." andar tftOOOO
dem idem idem, andar 1804'XX)
dem idem n. 25, ) .- andar 36000
dem do Mrquez de Olinda, obrado
n. U 2:131 000
Idem do Bom Jess n. 29, I. andar 2iOS0Q0
dem de Domingos Jos Martms u. 1-"M,
loja e Io andar iOOWOO
Idem de Thom de Souza n. 14,1" andar 200JOOO
S. Lourenco da Malta casa terrea tiOiOOO
Ilua do Mrquez de Olinda n. 33,
sobrado l:20O;JO00
dem do Padre Kloriano n. ta,
EM terrea 200*000
Idem de S. Rento n. 3 em Olin-
da, idem 240*000
Estrada de Paruamcinm sitio 42OSOO0
MARTIMOS
Com|)aiihiaBahana d
\ t'^acao ; Vapor
e
Na-
o
Companhia
Imperial
DE
Seguros contra Fogo
E8T: 1
Edificio* e m- rcador'as
Tacas baixas
Prompio pagamento iva.
capital
Rs. 1,>:>0.00
ag:
BROIV A C.
N. 5-RUADOCOMMEK ON.
Macci, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Baha
vapor Sergipe
fwmmandante Rebello
Segu para os porto-! cima
no dia 26 do correte as 3
boras da tarde.
Pira carga, passagens, encommendas e dinhei-
ro a frete trata se na
AGENCIA
17Rua do Yigario 17
Pedro Osorio de Ccrqueira
Paciic Sl;e m Navigation
Company
STRAITSOFMAGELLAN LINE *
O paquete Galicia
Esperu-se do sul at c dia
23 do correntc e seguir.
depois da demora do cestu-
me para Liverpool por
Msboa, Bordean\ e lljmoi:lh
Para carga, passa-reiros, encommendas t di-
iheiru u fietel: trata-^ecom os
' AGENTES
Wilsiiii. Sons k C, Limited
14RUA DO COMMERCIO14
Companhie de Messagerres
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Orenoque
Commandante Mortemard
E' esperado dos partos do
sul no dia 2 de Maio,
seguindo depois da demo-
ra docosume para Lor-
clcaux, tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos Srs. passageires de todas as
classes que ha lugares reservadas para esta
agencia, quepodem tomar em qualquer tcinno.
Faz-ae abatimentu de !" 0(.0 c/m favur das fa-
milias compostas de i .-ssoas ao menos c que
pouarem 4 passagens inieiras.
Por cxcvpco, os criados de familias que to-
uiarem bilhetus de proa, go/.am taiubem deste
ubatimento.
Os vales poslaes so se do at o dia 30 pagos
de contado.
Para carpa. pa>sagens, encommendas e di
nhcinTa freie : tra a-se :om o GENTE.
O paquete Equateur
Commandante Morpau
E' esperado da Europa no
dia 3 Maio Je segui-
r depois da demora ne-
saria para
Janeiro, Buenos-Ayrus e
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
ilasses que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer lempo.
Prcviac-se aos Srs. recebedores de mercado-
rias que s se atteudera a reclamacOes por fal-
tas, nos volumes, que forem reconhecidas na
occasiSo da descarga, assim como devero den-
tro de 48 horas a contar do dia da descarga das
alvarengas, fazerem qualquer reclamacao con-
cernentes a volumes que porventura tenbam se-
guido para os portos co sul, aftm de poderse
dar a tempo as providencias necessarias.
Estes paquetes o illuminnlos a
luz el'cirira.
Baha, Rio de
Companhia Brasileira de
Navegagao Vapor
PORTOS DO SUL
*0 vapor Maranho
Commandante o eapitao de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
E' esperado dos portos do norte a'i
odia 25 de Abril r depot ;u de-
mor indispensavel gira pura os
portos do >ul.
As encommendas sern rcrebidas no trapiche
Jaroosa at i hora da tarde do dia da sabida
Para carga, passagens, encoinmendus e .alo
res trala-se com i,s AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Commandante Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos pertos do sul ate o
dia 27 de Abril e seguindo depois
da demora indisnensavel para os
os do iiwrte a: Manos.
A.' enco-iiifiidas so sarar c cebidas naugen-
c.a ai 1 llura da larde dftia d.i sahida
Paracirgu, eii.-cnmenBi*, ia>sagens e valo-
x-s tnita-se ioin os
AGENTES
Pereira Carnciro & C.
6=Rua 'ir> Coinmurcio=6
1 andar
LE1L0ES
Oiiinla feira. 25. o de Imns movis e mais
obiectos de casa oe familia existentes no arma
zem do sobrado da rua do Bom Jess u. 45.
Leilo
Grande ieilo
De urna yaridade" de videiras como se-
jam: uvas moscatel', malvasia, fcrral e
outras especialidades chegadas da Eu-
ropa pelo ultimo vapor, e 1,000 ps de
cacao da3 Auxilias
Sext-iera L2(Sdocorrente
A'S 11 ROBAS
No armazem rua do Mrquez de Olinda
n. 48
Em continuac.ao
De lindns 'niobiiias novas an.-triacas, ditas
usadas de ja; aramia, ditas de aroarello, ditas de
pao carga, pianos de diversos .ibric otes, ca-
bsm franceta, marquesflus, bcrj 'uarios,
commodas, aparadores, abides. quartuihciras,
qundros a olio, espelhos, jarres, loucas finas,
para almoco e jaolar, conos, talberes, papel al-
inai.o. dito para carta, vinhos linos do Porto en-
'.ulos, dito Bordeaux, cognac, licores e
garra
mu
os outros orjectos que serSo vendidos
Ao correr do martello
Por intcrveneio do agente
AVISOS DIVERSOS
Aluga-so barato a casa n. i rua Princeza
Isabel, com bastantes commodos pira collegio
ou para grande familia, com agua gas e muito
uretra ; a tratar na rua da Aurora n. 83.
Aluga se i asas a 8O0O no becco (os Con-
los, junUt de S. Goncallo; a tratar na rua da
mperatriz n. 56
Aluga-se ou vndese o silio do Mondego
n. I3, rua Visconde de Goyarma : a tratar
com L. de Moraes Gomes Ferreira.
a vapor
o Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro e
Para carga, passagens, encommendas e di
nheiro a frete: trata-se com o
AGENTE
AugusteLabille
9 Rua do Commercio 9
CHARGURS REUNS
Companhia Franrfia
DE
lavcgaco
-.inha quinzenal entre
Pernambuco, Bahia,
Santos.
O vapor
Ville do Cear
Commandante Lainey
E'esperado da Europa at o dia 25
de Abril, seguindo depois da in-
dispensavel demora para a
Bahia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelo
vpores destn linha, queiram apresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
qualquer reclamacao concernente a volumes que
porventura tenbam seiruido para os portos do
sul afim de se podei dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsabisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di-
oheiro a frete : trata-se om o
AGENTE
Anguste Labille
9-RUA DO COMMERCIO 9
De 1 piano, 1 mobilia com 1 sof, 2 consolos,
2 cadeiras de bracos, 12 de guarnieao, 2 de ba-
lanco, candieiros a gaz, quadros, espelhos,^aran-
dellas mesas de abrir para jogo, mesas com ga-
vetas, jarros para flores e 1 esteira forro de sala.
Urna serafina, 1 mobilia de junco. 2 carteiri-
nhas, 12 cadeiras de junco prelo, 2 consolos el
esteira forro de gabinete.
Urna mesa para janlar. I aparador com padre.
' guarda louca envidracado, 12 cadeiras de jun-
co branco, 1 lindo candieiro deaaspeosSo, louc;a
e vidros.
Urna cama de erable, 1 dita de ferro e colxio.
1 dita com lastro de mola, i lavatorio, cadeiras
com assento de pao, e muitos outros movis de
casa de familia.
Urna ronpara 6 classes, e 1 fugao grande de
ferro.
Quinta-feira 26 de Abril
A's 11 horas
lia e que re[a boa cosimVira na rua de Gerva-
sio Pires n.
Precisa-se fallar ao Sr. Manoel Joaquim de
Mattos, rua do Pilar n. 56.
Precisase de urna boa copeira ; a tratar
na rua da Soledade n. 82.
Vo
Agente Pinto
obrado da rua do Bom
Jesiis n. 4
Rojal Mail Steam Packet
Companhia
O vapor Neva
Commandante G. M. Hicks
Espera-se da Europa at o dia 27 de
Abril, seguindo depois da demo-
ra do eostnme para
arel. Babia. Rio de Janeiro
e Sanios
Para passagens, fretes e encommendas trata-
se com os AbEXTES.
O
Lisboa,
Tamar
vapor
E' esperado dosnl no dia 28 de
Abril e seguindo depois da demora
necessaria para
Vlfo, *ouhaiH|(nii e
Antaerpla
Leilo
' Do estabeleciniento de bi-
Ihares
Silo rua do Bom Jess n. 8 antiga da Cruz
tiiinta-fcira 9& do eorreate
As 11 horas
Constando:
De 2 excedentes buhares com seus perteneys,
Sleiros. vinhos, cervejas, licores, cognac, qua-
dros, espelhos, cadeiras. cabides, relogio de pa-
rede, jarros, marquezoes, mesas, consolos, lou-
cas, copos, clices, garrafas, candieiros, encana-
mentos e registro para gaz carbnico e muitos
outros objectos.
O agente Gusinao, autorisado far leilo dos
objectos existentes no estabelecimento cima
mencionado em um ou mais lotes a vontade
dos corcqradores. Garante-se as chavas.
En contlnuaeSo
Do 1 cavallo alazfio rosilho, andador, 1 vacca
tourina.' 1 novilha tourina e 2 cavallos
carro.
para
Leilo
Reducc3o d*. passagens
Id* Ida e colla
A" Lisboa 1 otate i 20 t 30
A* Southampton 1* classe ti* l i2
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Emquanto vigorar a quarenten imposta na
Repblica Argentina, aos vapores a navios pro
cetes do Brasil, os vapores desta companqia nao
aceitarlo passageiros nem carga para liueuos-
Ayres.
Para passagens, fretes, encommendas. trata-se
com os
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Rua do Bom JessN. 3
Red Cross o Steamers
Vapor Cearense
E' esp<:rado dos portos do Para
e New-York at o dia 10 de Maio
e seguir depeis da necessaria
demora para os portos cima.
Para carca e enconuuendas trata-se com os
CONSIGNATARIOS
Johnston Pater efe G.
RUA DO COMMERCIO N. 18
C1P1\IIII IER.V41IB( CA>A
DE
\aTcgaro eostelra por vapor
- PORTOS DO SUL
Macei. Penedo e Araeaju'
O vapor Mandahu
Commandante Alcides
Segu no dia 27 do corrente as 8
horas da tarde. Recebe carga al o
dia 16.
|fc
Encommendas, passagens e dinheiro frete,
ale s 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORlo'
Ao Caes da Companhia Pernambuctum
u. 12
Risco niaritinio
David Lowson, capilao do navio inglez Attrt
de Rucorn Inglaterra, de porte de 1-50 toneladas
de registro, actualmente ancorado oeste porto,
precisa sobre o casco, mastreago, vellame e
apparelho do mesmo navio, da quantia de du-
zentas libras sterlinas, para os concertos c for-
necimenlos que habiliten] dito navio a proaeguir
em sua viagem. As propostas pelo adiantamen-
to da quantia cima >l>idas no consula
do britanmeo at.; 3 horas
correle mez do Abril de IK^
Da casa c sitio do Barro, (resuena dos Afoga-
dos, que foi do fallecido Jos T. Gomes, com 800
palmos de frente e 1000 palmos de fundo, com
arvorese outras bemfeitorias.
<|nfnta-felra. ". do eorrente
Ao meio dia
Agente Pinto
Rua do Bou Jess n. i o
Agente Silveira
Leilo
Da casa terrea rua do General Seara
n. 1 (antiga do Jasmim) freguezia da Boa
Vista, em terreno proprio-
tiiiiifa-fcira. 95 do eorrente
As 11 horas
No armazem na do Imperador n. 45
O agente Silveira por mandado c com assis-
tcncia~do Exm. Sr. Dr. juiz de orphos e a reque-
rimento do tutor do menor Alfredo da Silva
Braga, levara a leilaoja casa cima mencionada,
lendo 2 salas. 1 gabinete, 2 quartos, sotto, cosi-
nha e cacimba propria.
Os Srs. pretendentes podem examinar.
Leilo de predios
Quinta-feira, 2o do corrente
a A's 11 horas
No armazem rua do Imperador n. 45
O agente Silveira devdamente autorisado le-
var a Icilao a casa terrea rua de S. Miguel n.
164 freguezia de Alcalos, com porta e janella
de frente, 2 salas. 2 quartos, cosinha externa,
quintal murado com 170 palmos de fundo e 170
a murar.
Urna dita a mesan rua n. 108. tenslo 2 janellas
e porta de frente, 't quartos, 2 salas, cosinha ev
' murado^ com 170 palmes de
terHa. quintal
fuado.
Agente Silveira
Na rua da Matriz da Boa-Vista n. 9. preci-
sa-se de urna ama para engommar roupa de se-
nhora e de meninas c que durma em casa dos
patres.
Vende-sc urna machina distillatoria para
fazer esmrito, um alambique de novo syster
para agurdente, ambos a cobre e em perrei
estado, cubas para fermentaees venosas, tachas
de ferro de differentes lmannos, grelba para
bocea de fornalha, portas para rorOes. rodal e
rodelas de ferro para entrren.igem, pecas de
transmissOtis. lindas, para jum-cOes, etc., etc.; a
tratar na rua Real da Torre 21, ou na roa
Joaquim Salmeo n. 30.
Austricliano de Arruda Cmara, retiran-
do-se para a comarca do Intr em vista do esta-
do de sade, e nao podendo despedir-se de seus
amigos e freguezes, vem pelo presente pedir
desculpa e ofterecer seus prestimos em aquelle
lugar, .iproveita, para prevenir, que dtixa como
seu procurador a Floriano Pcssoa Valenca.
Recife, 17 de Abril de 1889.
AaBtricliaiio.de Arroda Cmara.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
. .-
I
Coron-i DominsuK Alvev
Halli.iis .
A junta administrativa far celebrar na igreja
do Paraizo, pelas 8 horas -'a manliA do dia 29 do
corrente. urna missa cantada pdas expostas,
por alma do ex mordomo corouel Domingos Al
ves Matheus, trigsimo dia do seu tallecimcnto-
Para assislir a esse acto, convida aos paren-
tes e amigos do fallecido.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 24 de Abril de 1889.
O escrivo.
______________Pedro Rodrigue* d* $-iza.
Leilo
De movis, livres. tapetes, cadeiras avulsas,
1 encllente machina de coslora, 1 liteiro, 1 cor-
tinado, I candieiro a az, 1 commoda, 1 guarda
louca, 1 marquezo. 18 volumes de hislona uni-
versal, 1 revolver, l linda eolxa muitos outros
objectos que sero vendidos ao correr do mar-
tello.
Sexta-felra Agente Pinto
No sobrado da ruadaPraia n. 46, casa do
esquina
A's 11 lloras da manha,
Leilo
De movis
Sexta-terra. '2G do corrente
A's 11 horas
Na cata n. 11 da travessa da rua da Manguoira
na freguezia da Boa-Vista
Espolio de lose Francisco Gomes
Constando de mobilia de amarello, serpenti
as. tapetes, jarros, ctagers, ") importantes qua
aros de movimento, escarradeiras, caixas de m-
sica, cadeiras de bataneo, cama franceza. mar-
3oez6es, guarda roupa, cabides. relogio, camas
e lona, 1 mesa de ps torneados, 1 dita para
jnntar, bacas, ca sao com ferramenta, banheiro
de folha, bolsa de viagem, banco para corredor
e muitos outros mov irao vendidos
Ao correr do martelo
Pelo ajenie Marlins
nha, 1
ment.
GRANDE LiQfTIDACO
Na Loja das Estrellas
So-Rilo Duque de xis--S8
Telephone n. 8 lo
Este bem conhecido estabelecimento acaba
de passar por urna grande reforma,
sende ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
I de serem despachados todos oa sena
freguezes com mxima brevidade
possivel, resolveu fazer grande II-
qulda^o a^ lodos os saldos que
icaram de balango, por menos
50 [. do seu valor, cujos artigos
passamos a demonstrar:
rticos de le
Esguiio, peca, a 3^500.
Madapolao com nm metro de largura de
lU por 7,J000
dem idem americano de 8)5 por 5)5O0C.
Algodao marca T, especial, muito largo,
de 70 por 50000.
Bramantes, pecas, por 70000.
Atoalhados, lindos deaenhos, duas largu-
ras, a 10 e 10200 o metro.
Guardanapos de 40 por 20000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 500 o me-
tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 10500 o dito.
Lenfos brancos e com barras de cor a'10,
e 10200 a duzia.
Toalhas de fustSo, qualidade superior,a
30 e 40000 a duzia.
Cretones para coberta a 240 rs.
Precisa-se de urna am:; para casa de fami-' Colcnas acolchoadas, brancas e de cores a
20000.
Lences de bramantes a 20000.
Chales escocezes a 10000.
E outros muitos artigos que deixam de
ser mencionados e que se vendem com
igual abatimento
Teeldos de alta novldade
PARA VE8TIDOS DE SENH0KA3
Linhos pardos para [vestidos a 300 e 320
Sedas com quadros e listras de 10800 por
^ 800 rs.
Setir.s de seda, todas as cores, de....
1-3200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 por
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 rs.
Nonsuks, desenhos fnovos de 240 por
120 rs.
Cretones claros e escuros com lindissimos
deaenhos de 440 por 240 rs. 1.800
PECAS!
Merinos de quadros, grande variedade de
padrees, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
pechincha !
Fust5es de cor, de quadros e outros dse
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs
Sedas Felippmas, de 500 por 200 rs.
E muitcs outros tecidos para vestido,
em algodao, linho, 12 e sedas que se ven-
dem como o mesmo abatimento de 50 {t.
Confecco
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de 800 por '50 e 300.
Ditos para armar de 60, 80 e 100.
Ditos brancos bordados em ca-tito, alta no-
vidade a 80 e 100.
Ouarn53e8 de colariuhos e punhos para
senhora por 10 e 10200.
Capotas (preparadas na corte) de 200 por
90 e 100
Gollinhas e punhos para menino de 3 a
8 annos.
Vestuarios e roupinhas para crianjas, por
50, 60, 80 e 100, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 20 e 30.
Enxovaes para baptisado com collares ele-
triebs por 50.
Luvas de seda meio b-aco e qualquer ta-
manho a 10500 o par.
dem idem de Escocia a 10 e 10500.
Sobretudos impermeaveis de borracha de
700 e 800, por 300 e 400.
Capas e pellerinas de cachemiras ottoma-
na ricamente enfeitadas de vidnlhos a
250 e 300.
dem idem de renda, seda, damasco e
gurgurao, tanto para phantasia como
para commodidade a 380 o 400.
Velludos de seda e algodao de muitas co-
res.
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de seda, algo-
dao e linho, com um metro de largara.
Setins Maco de todas as cores a 750 e
800 rs.
E muitos outros artigos de coufeccoes
como sejam mantilletes de blonus, sabidas
de bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muitos mais, que se ven-
dem com o mesmo abatimento de 50 \.
Para horneo*
Casimiras inglezas com duas larguras, de
30500 por 10200.
Ditas cor de caf e azul, de 20500 por
800 rs. "
Cortes de seda paracollete, de 120000 por
30000 e 30500.
Ditos de velludo e fustSo a 10 e 10200.
Meias inglezas com fio de seda, de 120
por 60000 a duzia.
Paletots, de 70 por 40000.
Camisas com um pequeo toque de mofo
a 10600 urna.
Collarinhos, modelo moderno, a 50000 a
duzia.
Camisas inglezas com collarinhos e pu-
nhos, sem collarinhos e sem punhos a
360000 a duzia.
Brins pardos de linho a 240, 280, 320,
360 e 400 rs.
Dito branco de linho n. 6 a 10200 a vara.
Lindos cortes de casimira ingleza, de 60
80, 100 e 120 a 40, 60, 80 e 100000.
Sobretudos impermeaveis de borracha, para
homens, de 700 e 800 por 300 e 400.
neroulas francezas, de 380 por 240000
a duzia.
Paletots de seda, completos de felto3 d
casemira, malas para viagem, e boleas e
tapete e um completo e variadsimo sor-
timento de cheviots, casimiras francezas,
inglezas, pretas e de cores de padrees in-
teiramente novos e que se vendem com o
mesmo abatimento de 50 [0 de seu valor.
Retalkos
Aproveitcm a grande quantidade e
pelos precos, em sedas pretas e de cores,
gorgorees, setins, las, merinos, zephyros,
linhos, chitas, inadapol5e*s e algodaosi-
nhos.
E muitas outras pechinchas que s se
encontram na
Loja (Iris Estrell;
Jomo Canario Plrmino Honnir
Luiza F. da Costa Ag a. Luiz G Agr Fran-
cisco de B. G Agr, Candida Miquilina Barroso
e Carlos A. Firmiao Uonleiro, sob a oreaste da
mais acerba dor, convidam aos seus amitroa e
aos de seu finado tilho, irmflo, sohrinho e pai,
Joo Cancio Firmino Montero, fallecido na cun-
de de Pesqueira, assi?iirem as missa- que pelo
repouso de sua alma fazcm celebrar sabbado 27
do correntc, stimo dia de seu pasamento, s 8
horas da rnaaba, na Veneravel Ordem 3.* 4o
Carmo. Por este acto de reli^io e cridade se
confessam agradecidos.
i
i "ruin is <> B>iiiioni<-no la Coala
Mello
A viuva, irmaos, irmas, to. sobrinbus e pri-
mos, feridos dolorosamente pelo infausto passa-
mento de seu mu presado esposo, rmao, so-
brinho, tio e prime, Francisco Philomeno da
Cosa Mello, agradecemdo intimo d'alnw a todas
as pessoas que se dignaram acompanhar os res-
tos moraos at a ultima morada e de novo con-
vidan a todos os prenles e amigos d'aquclle ti-
nado para assislir algumas missas que por sua
alma mandam celebrar na Igreja da Saua Cruz,
pelas 7 horas quinta feira 25 do corrente, 7o dia
do seu passamento pelo que se confessam eter-
namente agradecidos.
t
Lua AuguNlo Rubini Hatianier
Dr Simplicio Antonio Harurnier, seas innaos,
tios, esposa e cunliado (ausi'iiie). agrad* ;em a
todas as pessoas a prova da amisade que lispcn-
saram a seu prezadissimo pai. innao r sogro,
especialmente at o seu ultimo momento, como
tambem as que acompnnhnrnm o corpo .. sua
| ultima morada. Bogan; de itevu a ea.i'iade de
I assi-iucm as missas. que pelo seu eterno rjpou-
so, niauaam celebrar na igrtja ik* N*. S da Sade
do Poco da ^anella quinta-feira o do errante,
s 8 horas da manh.
f
Antonio J>- de Mello < Vih;i
Francisco Jos de Mello Costa e sua mnllier
Luiza Alcntara de Mello Cosa, mui e innaos de
su prezado irmao, cunhado e flio. Antonio
Jos de Mello e .'silva, 'onvidam aos parentes a
amigos a assislirem a missa que mandam rezar
pelo seu eterno repouso. na matriz de N S. ;a
Graca.. no dia 7 do corren le, s 7 horas da ma
aooiversario do .-cu infaosto
-i-
t
l'rnm-iwro Jos CiaRit.
A viuva (ausente) lilhos, netos, oras e genro
do lioado Francisco Jo.- Galvo, convidam a
todos os seus parentes e amigos para as-istirem
as missas que mandam resar na matriz da Boa-
Vista e capclla do cemiteno, as 7 horas da ma-
nh do dia 26 do corrente, 1- anniversario do
seu nassamento.
aria de As lhas. netas e neto- da tinada Hara de
Jess Teixeira Franco, eonviii-m aos seus pa-
rentes e amigos para assistirem algo
que mandam celebrar oa matriz de Santo Anto-
nio, sabbado 27 do corrente, stimo dia do seu
passamento. e desde j amecinan:
Tambem ser celebrada
matriz da cidadeda Victoria.
1
[


a


6

Oi^iot .de Pemaaibucor--^ttiatatfe!a 3&r.4e A-brUrilc> 18W)
O cavaUo Rio Preto
Desappareeeu ca ooitc de 13 (ara :4 do cor-
rente, do cercado *lo engenho.Mo ojo ; este ani-
mal, aeado deor ppet,-lps r neos e ferrado
ooqiarlo direio com os ferro* dos, engenhos
PoCoranido>e.*lo\ij ..fluetD > uwmntrar ou
defle ti ver noticia exacta.,., p/iderk -di -igir-se
ma 4." de Marco n. 47,1 andar, ao Dr. Laurino
de-Moraes Pinheiio, ou ao engento Morojo ao
^Mfcpropraetarie^.jque #er^euepamente gra-
fiwdo._ ___
Professora
na- se*bor ;'compelenien8nie habilitada,
pwpde-sealecetonar em conegio? asas par-
ticulares-as seguirles materia-* : portuguez,
francez, msica e piano ; a tratar na ra Vis-
m&H'e AUmqaerque n. .
Se sofres ^r^WM|iefes
U8A KoO*Vftl*R-f-HAS
3 SM SEfA
)AS
Molestias de |>elle
im-
SYPHILTCAS
Darthros, sarnas, ldras antigs,
pirigens, bobas; gammas, cancros, rheuma;
tismo e morpha.
Com os prodigiosos
XAROPE E NGCfNTO
DE
Hydrocotile Calasans
Ap-.cacao fcilUso- aem-peYigo^Et-
fetos prompt> -dieta -raoavel.
Contra faclos^ nflo ha arpronf^tos
Estes remedios s3o os mais eomniodos
do mundo. Envia-se gratuitamente, pelo
correio, direcc5es para oso d'estfts medi-
camentos admiraveis.
Preco do ungento 1*200 o frasco.
Prego do-xarope 3*000 a garrafa.
Preparados por Calanans & O.
macia Imperial, Babia.
Deposito no Reelfe
Francisco Manoel da Silva & C.
Ra Mrquez de Olitida n. 23
Aluga-se
na ra Direita, :obrado n. 43. as seguir.;- 9
sas :
Ra da Gloria n. 96, com quintal para a roa
da Alegria.
Ra da Amizade n. 4', Capunga.
Wta dita n. 30,-idem.
Tratessa duFundiciio n. 4, Fra de Portas.
Travessa da Pyndooa n. 5, est cakida e" pin-
tada.
Phar-
Massa fallida de CajuilHio Ro-
Jrjgaes Um i C.
Constando-ule tjue o falli-
do i Capitulino jRdfigiBes
do Passo, autorisou a procu-
radores seus a receber dbi-
tos activos da massa com
recibos ante-datados, peco
fftodos os devedores que nao
pa^em conta alguma se nao
com recibos visadospormim,
oupelo depositario da mas-
sa, v Sr. Eugenio1 Goetchel.
Previno-Hies, utroaim, (que
anda sou curador fiscal por
nao haverem conseguido at
a presente data minha disti-
tuicao deste cargo e estou
dispostoa liquidar taes tratis-
accoes em juizo competente.
Recife, 24 de Abril de
1889.
Dr. Ienrique A. A. Milet.
i------------------------------------------------------------------
se
Engenhos arrendar
No dio 2 "de' Malo vindouro irao ptaca por
trieunal arrendarnento os engenhos: Lindi Flor
p Ca\ia. perante ajuiz de orphaos de Carriel-
leira, comarca da Escada. Os pretendentes po-
dem informar se no cartorio da villa de Gamel
leira, ou' na Ecada com o Dr. Aquilino Porto.
Festa de S. Gonc,alo,na i^re-
ja dos JPrazeres de Mara
ca-
No dia 1- de Maio (qunrta-feira)
a festa do Glonoso S. Goneato na igreiaiicima,
e para este fim convida-se
votos e irmaos.
se celebrara
jreja cima
a todos seus fiis de
DE
c.
HERMES DE SOUZA PEREIRA &
..susoassc^as
Acaba de reabrir-se esta importante phttriliaoia sita ra do Marquz de Olinda n. 27, depois de passado por urna transformado completa. Est em condicoes de satisfazer todo e quaJquer pedido, nao s concer-
nente manipulacao do receituario, como a venda de preparados nacionaes e estrangeiros, dos quaes a casa se acha
rigorosamente sortida.
Esta casa sendo por demais eonhecida pela sua seriedade, os eus proprietewos esperam do distincto upo
medico e da popula^ao em geral, a continua^ao da proteccao que sempre lhes a reconhecida lealdade com que costumam tratar os negocios de sua profissao.

Z
21-1! .U

SRI-21
O \ ,'tendo de receber bre-
Telegramma
' V e j a m e a d m i x e ja!
de Caxias podt
abaixo mencin
R.
Juizes por eleigao,
>melia Ferrefra Bartollo.
Pedro Ferreira Bartollo.
t
TViienl-roronM itixrirliilio ilc Cat-
iro Barrr-to
Mara ravalcante de S Brrelo, riuva, tilhos
e aoras do fallecid- ffnente-coronef Austridmo
d 'Castro S Barreto, rrtndm relar missas por
oua-lma no dia 24 do corrente, na matriz de
Palmares, as 8 honis rta maBtrS. 2o annTeTsro
do seu passamento ; e coBfidum aos parentes e
amigos do fallecido para assistirem a esse acto
de religiao c cridcile. antecipando os seusagra-
decimentos.
Aluga-se
duas encllenles casas terreas,; sitas ra da
Ventara'n*. *** 32 ao pe da -estarito; do Capan.
ga ; mitra sita- travessa dos-Gnftrapes n-%>
toftas em rxwir estdc" e por preces- comirodos.
Para as duas primtiras trata-se no sobrado
grande ao pe da npnte; c para1 a ultirria na ra
Mrquez de Olinda n. 34.
'Ama para eogom-
mado
No sitio n. 5 da estrada de JoSo Fernandes
Vit-ira. se precisa de urna ama para engommar.
Vende-se
una ou duas taVermis a vontade do'eomp-ador.
'beiu.afrcrucrzadas/'rua Imperial n-. 279.
veniente itmsoriHiientO de artigosttovos de altanoi^kkidejreSoiiveTam
fazer umagratie redue^onos presos dos artig-os abaixo^menciona-
dos, para os quaes chaniam a attenjo das suas Exmas. freguesas.
Mantas hespanholas^ de seda prta
A
.
OleodeFigadodeBacalhau
oti-Ferrugitmo de Quina e Casca de Larttfa amarga
Este medicamento Cicil de tomar, nao prc^-tca1 nruseas,
le declieirc agmdavcl. Pela sua comr'osicao jfcss todus as
quaJitiadcs que lhe pjrmittcm ebrbater :
a ANEMIA, CHLOROSE, ai AFFECCES do PElTO
a BRONCHITE, os CATARRHOS, a TY3ICA
a DIATHESE ESTRUMOSA; SROPHLOSA, etc
Em vista do sen emprego fcil, da sua aceao multplice $J
asegura-, da economih pira os doentes, os medico reccitam^n''j
de preferencia qualquer oirtro rrrcdicm'ent similar.
PARS, 09, ra Saint-Orris,'09, PARS
Tt.Ni-SE tM TkS As l"KIlCtPE* PtlAlUACUS 'DO UHf+EllSO
DESCONFIAR DAS F A L S I F I C A C O E S E IMITACOES
|Linhos para Vestido^ padrees'modernos a 160 rs. o cavado.
Cretones francezes, -cores claras, a 260 rs. o dito.
| Merinos de cores, rJbfes' rarguras, a 500 rs. o dito.
Ditos decores, lavrades, de;2|50O0 a t#090 o dito.
Las de cores, desenhos de cachemira, de 900 a 600 rs. o dito.
Merino de quadros de 320 rs. o dito.
Fnstao branco de 400 e 500 re. o dito.
Mursona 4wanea para casacoe-C"900 re. o dito
Zephir de cor, listas e quadros a 500 rs. o dito.
Ditos arrendados, lindos gostos, a 600 rs. o dito.
Ditos de listas arrendados, alta novidade, a 800 rs. o dito.
Etamines'arrendados, de c6res, de 800 a 500 rs. o dito.
Flor de Italia em quadrinhos, a 500 rs. de 900 rs.
Moreolinas de cor, de listas, a 400 ts. o dito.
Cortes de cambraia bordados transparente e tapado, de 15S000
e 20^000 por 90000 12*000 cada um.
-i nao, padrSs em quadros,1 a-440 rs. o' cc*v*ado.
Sanznkes padrees mimosas, d 280 rs. o' dito.
Percales miudinha se pannos finos, a 200 rs. o dito.
Merino preto-fino,-de 2<5>000 a 1*000 o covado.
Setim Maco de todas cares, a' 900 rs. o dito.
Brim fin^-pardo para vestido, a 4'Xt rs. o covado.
Cambraia Victoria transparente, fina, a 35000 a peca.
33000-uma.
de-' 4*000, 5*00,
0*000
Espartilhos, o que ha de melhor,
7*000 um.
Fichs de cor arrendados, de 1*000 um.
Capiuhas hesp^iholas de cor a 2*000 urna.
Fichs de sedp*wito lindos, a 3*000 um.
Sargelim diagonal, todas as cores, a 240 rs. o covado.
Casacos de cambraia branca bordados, a 3*000 e 4000 nm.
Luvas de seda, todos os tamanhos, de 2*000 a 3*000 o par.
Lences de linho do Porto/ as>4*000um.
Ditos grandes para cama franceza, a 6*000 um.
Colchas de cor, de 2*000 a 5*000 urna.
Fichs, sortimento completo, Len90s de linho com barrinha a 2*0 Camisas francesas, de 24*000 e 36*000 a duzia.
Meias cras pant'fcorrien, do 4*000>-5*000 c 6*000 a duzia.
Ditas brancas cras e de cores para senhoras.
Ditas brancas cras e de cores para criancas.
Chambres de cretonc. de 5*000 e 6*000 um.
Cortes de casemira de cor, de 6*000 a 8*000 um.
Cortes de fustao para collete, de 1*000, 1*500 e- 2*000 u.
Camisas inglesas de franella,''MCpura, a"5*00 una.
Alera de outros .avtigns que deixamos de' mencirmnr.
21Rua do Crespo-291
DAO
/
mw

l^itoral de Cambar
U II1J Vil
DESGOBKRTA E PREPAKAfiiO
DE
J. ALVARES DE SO'T'ZA SOARES
Voio r poderoso Medicamento enmtn as Molestias do appare-
relho respiratorio:
Tosse, cryza,' laryngite. aphonia, coqueluche,
grippe, bronchire, frsthmn. pneumona, homptysia, plithi-
sica pulmonar, etc., etc.
'"^qjprovado pela Bxma1 Junta 'entral de rTrgiti JPbblita, aforisad por de-
creto imperial de 30 de Jimho d 1884, rodeado de valiosos attestados mdicos e
orrtos ontros de pesbas enfadas, elogiad" unnimemente pela- imprensa c apremiado
cWri das nledalhas'de oirro d pVineira t'lnsse pela Academia Nacional de Paris e
jury da Exposi2o BrasHerra^Allcnia de 1881-
Com fabrica- especial no estftbeecnento Agrico-Industrial do PARQUE
PELOTENSE; expTfesBauente creado para esse efeito em Pelotas.
Fabrieacao por mi WJM frascos
de S. SOARES sempre loi, e ser o principal remedio 'paYa; as molestias' 'do'lrynge,
Hbronchos e os pulmSes.
A bronohite, asthma, molestia do peito, rouquidao, coqtieluche e qualquer-^tosse
' sao peffeitaraente curadas com o verdadeiro remedio PEITORAL DE CAllBttRA ,
de S. Soares, approvado pela Exma. Junta Central de Hygiene Publica' do- Bmsil,
premiado eoni duas raedalhas de onr; e rodeado de valiosos attestados mdicos e de
Innmeros de pessoas curadas, tanto nesra provincia como em outras do imperio.
Precos: fraseos 2*500, 12 duzia 13*000, duzia 24*000.
VehiJe-se em Casa dos uniCosagentes e propnetarios geraes Francisco Manoe
da Silva di C, ra Mrquez de Olinda n. 23.
DE
S o 55 A rna Duque
vtender pelos precos que
ttsmos.
Aftor da China, novidade em padrees, *
'900 ts. o covado.
FustfSes brancos a 360 e 500 rs. o ce-
vado.
Velbutinas de todas as cores a 800 rs. c
covado. E' barato!
Casa-os e capas para senhoraa, o qu
ha de mais novo e barato.
Cortes de- seda, padrSes lid-js-1 prego
razoaveis.
Madapolao com 1 metro de largura
6* a peja.
Zefiros a'80, 170; 200. 24^ e'400 rs.
o covado.
Ditos bordados a 800 rs. o covado
Tccidos arrendados a 400 c 500 :-s. c
covado.
Brins de cores a 320 rs. o covado.
Cortinados de crochet, cousa chic *
preco barato.
Cambraia Victoria a 2*800 a pega.
Dita batista a 120 rs. o covado.
Sargelins de todas as cores a 200 rs. t
co-vado.
Guardanapos bons a 1*800 a duzia.
Las modernas a 240, "280 e 320 rs. o
covado.
Rendas hespanholas a 2* o metro.
Luvas de seda a 2* e 3* o par.
Espartilhos couraca a 4*, 5* e 6* um
Merinos pretes e de cores, urna -vare
dade immensa em precos e qualidades.
Setns de todas as cores a 800 rs. o co
vado.
Toalhas felpudas, grande reduccSo ea
precos em vista da grande quntidade.
Enxovaes parabaptisados o que a de
mais moderno e por pouco pi-eo,- 0*000
Colchas de crochet muito chic.
Camisas inglezas com e sera eollarihho
Atoalhado para mesa a 1$ e 1*800
muito fino.
Collarinhos e punhos de linho e algodlr
e por prego barat.
Babados e ntremelos, grande sorti
ment.
Madapolao pelle de ovo por 6* a pega
Esguiao pardo e chumbado a 400 rs. c
covado.
Urna grando variedade em lencos.
Grava tas e meias para homens.
Cretones para coberta o qne ha d raais
barato e bom.
Mantilhas de renda a 5 urna.
Leques de setim muitc chic.
AgfWO, Ou t \WMTXW '.IwTlC I Linn bordado com -quadros a 8C< I rs. c
preparado por covado, muito bonito.
Chitas escuras e'claras a 240. 2>.'e
Bmfymhom.uC.
si < < i:hsoiii:s
Esta cabalmente provada a efBcacia d
agriao-para a cura daj-motestias ttiftenes
aO'orgosda respiracS e juntando a essa
preciosa planta as nao menos conhecidae Jo
e Cambar do norte, CHJoeeffeitos balsmi-
cos tm sido observado por longo- fempo,
ItWms-se o nosso xarope de agriao. jo e
! Vi-MtoaK DO JfOJ te o primeiro recommen-
dado para a cura- da diversas nwle&tias' ro.

-,_-t-. ^
--
ir zaptm
C i
lie.- -
-'i..iy :r ,
-.
-. fe* r .

- > -1 j i: "... i _- (!( >'
' l.VMdS *#
i
'; 'da* vias respiratorias, desde a "pharyngite
mal da g.-Mahta at 'a tubfcrcnlose,
irimgendo as diversas bronchites, cathar-
Pfts e pleurisins.
MNanomeroa attesiadas que teuws-de
Jairas con^egiidas por esse poderoso pre-
' t(WfWirHf(STPtf>ffSnrt! re^ofrlmendar o seu
de prefertoMcfa n'%|alqMer outm.
ireposlto s'eral
PHARMACIA E-DROGARA
34-^'* LARGA- DO ROSRrO-^84
pemahitco
Veqde-se err< easn dos agentes Frntfcisco Manoel da Silva & C ruj' co
Mrquez de Olinda u'. 23y c era diversas pharmacias e drogaras.

'>W6HP$r'
zmmmms
sC'vn^7 ? ttn*9'juat*mbT *wr.*i


iva ti



. ;:'
...a

,:i;\!9!^ta-3sirta[fef
%t
'#,<

res i
[A. do I
IfttfZJLftBEIrfMftNS WPw
Tir;c:iiPTA. i.. isss C03W&
Fal n.3S L. FRERS, 19, ma-aGob, PARIZ

3 :


i
i."
Uuie
i\eiii6r cJi-s
'Ai.
d:
SE@yiN
ni tvln u bou Pvfumtriat, P>*ra
BOBOSALA
ROBERTO WEfSS
FR -T'*:'IENO
Chamamos os Ossos de-
| redores "pa ra 1 iquidareai- as
I rmportuir-ins de seus -debi-
l'los at o dia 2b do cor-
n'ivtc Sote" }>t'na de doclarar-
mos os noiiies -Tibios jornaes.
RecilV-; 11 de Abril ^dt?
188.
320 rs. o covado.
Cretones trancados, finos, a 3?0 is. t
covado, para acabar.
Cascmiras de cSres e' pretas uiir ^raads
sortimento em qualidades e precos.
Casinetas, o que hade mais- bonito,
400 e' 500 rs. o covado.
Tapetes grandes e pequeos po,r. preco
razoaveis.
(i'nnoline p*eta e bj-atcaa 1*600 ,> rae-
kx(,kxhki,;,, e r,mmw ${)) \ ^ ('41 XUlUH
afo
< 4i\ns .r. t r.nntf
rimrnln C?pf(*i-,| por loi lOfi 1. i '! *
!-:i[i-)i'>if.v asin) como
< ADKliNHA COM RODAS, VA< KS. DE
TAIPAES LOCOMOTIVAS. Gl
P.ii'.nsfi: agripla, pl.-inl'coos, tfll^ens, mir^
nipos mililnve.". re.
m K1PORT!
i:04l 'i EMPHKGO b.\
MUTAMJA
0 E.l! T. POR
.:-sn--<- Ja ('Ai-VH:if-:, %u>a
|MS M'.ll.l.- -. 8 NKVlfAUJIA
abellcireiro de
RMO
C Una ti Imperatriz ao
Brins pardos a 320, 400 e 500 rs. o
covado.
Cortes de vestid de cachemira c<>u[ w
drilho o que ha'ida gosto.
Ditos de liaoa -para'vestidos >be*ddo
E' barato.
Cambraia branca, berdada-, o que ha ds
imais gosto e poVpre50 aarjlarvel a 8000 *
'pe9a.
Dita com salpieos a 46 e 5*000 a peca
Coiehas argentinas a 6iWM):uma.
Drtaa de 2*; 9*, 4*-e*&*000.
Bramantes da algodao. liaho-'dodc
os precos.
Grande sortimento em fichs de core
e arttos.
Grinaldas para uoivas.
Luvas o lqaes para 'ittfaas.
Bicos de corea muito chic.
Alera do que.acabemos de anr.uncia:
itemoe una quntidade de artlgo$qti* af.
vendo-se, se acredita, pelo que pechun qu
com pare cara.
D2o<9 amostra aem penhor.
SniKtta lisa de> todasaa^eore*'' i 'V.%
i. t-'ovado. -SGo: muito largas.
Ronpa feita e por medida.
55 -RA DDQUE DE CAXIAS K
FEH\4M)ESfttMEVE00C,
Cosinheiro
Prl"c;sa-sedeumborna,>udante : *hf".-"do
Caminlio Novo.
Vendedor de plantas
Precisa-se da .pa*~-veB*r plan-
tas : a tratar ra Barfio da Victoria n. 5i, nova
agencia de movis.
'
I
''


w-de PenoambucoQuint^etra 25 der A+iril de 1889
Ifi^*"1"
Si 0 melhos? Alimento


4 Machinas a vapor
MoCnds.
Rodas d agita.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem crava^ao
Arados.
DlGESTOES
DIFFICEIS
Dyspepsta
Parda
(tB-A-pparttte
DOEKAStoEIOMGD
ELIXIR GREZ
GASTRALGIA
ANEMIA
' omttos
Diarrha
chrontca
TNICO MCteSTVO oom QUINA, OOOA PCP8INA
ADOiTAO EM TODOS os HospiTAES etodHlhae de Ouro e Diploma* de Honra
PARS OREE, 34. rii La rtiyre. n toda* M PStHMClM
SRAXA LIQUIDA IMPEIHM-AHll
O 1ro IJ'SrEO eTastn cr-a.-r.- .
ante unjo secJia, I
se.ia q:.-il fr o fs?,nr>.
a^ BuLman' StffSS Ge* a ft <*W i ,'uj 5 >>;\^ A3RK.] .->:: xacoVAa
iPAo/A UlJ!MJ$A, ., .:2 gtMlE
2>E
EZixzfi, T*&-e F*astn d.en*ilricios
**NT
a.

'.#=-
f* de diHirar!!!
Os presos abaixo mencionado*
f a n t o dio L. o n v r e
Un lindo corte de vestidocom bordado por 100000.
Um covado de batiste nwito fina a 240 rs. r barato.
Urna pe9a de esguiao de algid&o com 10 varas por 30800."
Urna rica colcha imitaeao de crochet por 65000.'
Umajasca de biee matizad" por 20500 e 30000. S vendo.
Urna fruzia>de Cainisas-arilenifts por 350000.' E* pechlhchfl.
Um bonito corte de tetineta com guaraicilo por 60500.
Un ovado de Amaeonas a 440 rs., imitado de" seda.
Um covado de cachemira de listras, ou tis&ft, a 10200.
Urna" s:.-hida do b^ile com bordado a 10000.
Um covado de'percale, cores fixas, 200 rs.
mi de tecidosKlefantaTO, ultima moda, a 800 rs.
Um corte" de ca&emira'mgleza por 50500. E'barato.
Um :nc!ro de renda hespanhola, toda as cores, por 30000.
Urna duzia de seroulas de bramante por 15fi0U0-
Um covado de linn matisado por 500 rs.
Um fich do la. o que ha de melhor, por (50000.
Urna peca de madapolfto americano, com 20 varas, 60500:
Um paletot de gorgurina, imitacSo de s*da, por 40500.
Urna linda colcha de damascado algodao por 60500.
Um covado de zophyr, o quo ba de bonito, por 200 e 240 rs.
Um espartilho eouracu com bordados a 50500.
Urna guarniylo de crochet com matizes por 70000.
Urna duzia de meias inglezas de 90000 por 60000.
Urna duzia de lencos, om caixas, por 20500.
Um covado de merino liso, duas larguras, por 440 rs.
Um paletot de seda paiba por 7 500.
Una camisa de flanella americana por 50000.
Urna pega de cambraia ictoria por 20800.
I Tina peca de bordado muito uno por 700 rs.
Urna peca de cambraia bordada-por 40000.
Um tapete grande para sala por 130000.
Um cavado de sargelim diagonal por 200 rs. E' do melhor.
Um covido de iustfio branco por 360 rs. Sao bonitos.
Um par de luvas de seda, todas as c9res, por 20000.
Um covado de cretone, cores claras, a 240 rs.
-Completo sortimento de regatas, punhos, collarinhos, entre-meios, leques, ex-
tractos, bolsas, costumes para banhos salgados, bicos lisos e brancos, renpas feitas e
Officina de alfaiate
N ra Piinrcirn de Narco n. 20
c.%/* os.
TTM.
BBKSSIoi'
IlFAIJJfE
11 era te Jo O cfcsb de
RHUMATfSMO
ImptiraMo Sangce,- toSMf-tetol
fulas,-- lcepas/' gif
e toda afFeccfio do naturas*
eruptiva ou venrea
-i A-
PEIT0RAL de CEREJA
Do Dr. Ayer.
ab cnffrmlAtdeft- milis dolorosa da garganta
t don polmo-, ontinarlumt-nti- de-nvdlvelB-se,
tendo porprnclplo baei4pequeas,cujo resulta-
dos nao sao dlfficls de curar se proropf ament se
tratio com o remedio conveniente. Os Refri-
ado I as Toases dio reciprocamente o resultado
de Larinritla, Aathrrm, BronchMla, Aflec-
Co Purnaorirtr r a Tl.lrm.
Todas as familias que tem crianzas devem ter o
Peitoral 4 Oereja do Dr. Ayer
i-m casa para o asar em caso de necessidade.
A perda de nm so dia, pode em muito* casos
accarretar siria- cuuaequencias. Por tanto n2o
e dere perder tempo precioso, experimentando
remedios de erncucla -uvidu.-a, emquantd que
a enferinidude *e n>wlora do ystemae se arraiga
profundameiie, '-nio qa se necessita tomar
nesse instante, o remedio mals certo e activo em
seu effelto, e te remedio sem duvida al?uma
o Peitorai. i>e Cebbjta ik k. Avkk.
FREPARAUO PELO
DR. J. C. AYER & CA,
Lowell, Mas., Eat.-Unidos.
DEPOSITO i; Kl: u.
Alu^a
-se
o 2- andar da casa ra tia Aurora n. 8t, junto
a estaco da estrada de ferro de Oiinda, com
grandes commodos para familia, az e agua en-
canados ; a tratar no escriplorio de Sebastiao
de Barros arreto, ra do Bom Jesns n. 16,
primeiro andar.
Aluga
-se
a sala da frente e gabinete do 1 andar do so-
brado ra Duque de axias n. oi ; a tratar na
loja.
DE BRISTOE
0 Remedio de FamiHa ^or'oXGfSIenci f
*uPVI
Aluga-se
:-,. 1-

%
,
de SOULAC (Giroids)
? MtftPkuk <*J O:- -: Imam SSO Londres 1884 \
tAXS EUEVADAS RECOMPON A
- 0 ,-. i;..:o do Erxit DentUricio
i".. i- p. Benedictinos, com dosa (e
itfa c.mii ;.pn.i, provun e cura a cae
n u.vei*,' foi'Bih!i*:ilo-e tor-i
iiaut-:.! itatniiiite f.tilias.
i ... mu verdadiro eorvifo, ::-sifna-I
- i lfiti.r.s c.-t ali; e iitilis-'
a\rf raelhor cardtivo eo unioo
i.crvativo coutrh as Affeeeoes dea-
Mtitarias''"
r'Jtgente geral: SEGllfN, BORDEAUX
l.lMUkM'Wid
rf;
<'
Achate em toda* as boas Perfumaras, Phsrmacias e Drogaras-
3!
Anti^o estabeleeimento' 'de Terragens
DE
W^-fen Dnque de Ca\ias-8
WT^tX^e jsrortfifflmto ^efrrageit, cutelaiiae,
e xnvkit&s antead artigofi a $aber:
Cobfe emfolha.
JPerro sortido.
Cimento Portlant
e outros marcas.
Bombas de ferro e bronze
Ganos de ferro e chumbo para
encanamentos de alta presso
Machinas e vapores
? para algodao.
Candieiros elctricos.
Foges econmicos.
Est estbelcimento fundado em' S'SI, ten na sua
onga existencia a garanta mais segura dfara os que pro-
curar em'hnral-o com a sua confianza.
PRESOS 8BM COMPETENCIA1
Descorites do costume
Vinho e Xar ope ^ Dusart
A0 LACT0-PH0SPHAT0 DE CAL.
Approvados pela Junte d'Hygiene do Rlo-de-Janeiro
O Laeto-Phosphato de cal, que entra na composicao do VINHO e do XAROPE
d OUSART, o medicamento mais poderoso que se connece hoje para restaurar
as torcas de cortos doentes.
Consolida e endireita os ossos das creancas Raehitioas, torna activos e vigorosos
oa Adei-Mcentes mollea e lymphaticos.e os que se achao fatigados em consequencia
de rpido crescimento. Facilita a cicatrisacao daj cavernas do pulm&o nos Tisieos.
Sendo administrado s mulheres durante a gravidez ehus atravessao todo o periodo
da gettacao sem a menor fadiga, sem nauseas, sem vomito?, e d&o a luz a creancas
fortes e vigorosas.
O Laeto-Phosphato de cal administrado s ama e s maes que -. riao os fllhos,
torna o leite mais rico, mais nutritivo, e preserva as creancas da diarrha e de outras
molestias, que se declarao durante o crescimento. A dentigao opra-se sem fatigar a
creanca, sem que apparecao convuls5es.
O VINHO e o XARon de Laeto-Phosphato de eml de OUSART despertao o
ppetite e levanta* as Torcas dos convalesoentes e devem ser empregados em todos
os casos em gue o corpo humane se acbar fatigad ou exhaurido de forgas.
Deposito e.-w Parir, S, rti* Vvlenno
o pavimento terreo do predio sito ra do Bom
i Jessn. 15, proprio para escriptorio'por ter gra
des, gabinete, etc.: a tra>ar na mesoia ra n. 4,
','scriptorio.
Alug*ue? barato
Baixa verde n. 3.
Becco da Bomba n. 8 loja.
Baixa Verde ns. 1-C.
Ra Viseonde de Itaparica n. 43, armazem.
Ra Vital de Negreiros n. 45.
Ra. do Bom-Jess n. 37, 3o andar.
Ra do i'aldbouco n. 4 loja.
Ra do Coronel Suassuna (quarto) n B.
Ra de S. Jos n. 74.
A tratar ra do Commercio n. 5, 1 andar,
esenptorio de Silva Guimares 4 C.
Precisase de una ama perfeita cosinheira.,
paga-se bem, para casa de familia ; a tralar na
ia do Hospicio r. 41.
Ama
Precisa se de una cosinheira para casa de
pouca familia ; na na do Livramrnto u. 22, se-
. gundo andar.
HilUSRK
59Ra Duque de Caxias59
Amas
Precisa-se de duas amas, sendo urna para co-
sinnar e outra para engommado ; na ra Pedro
Alfonso n. 58 antiga da Praia.
s
i.
.Lm.
sisA^-
da Franca a do Sxtrs.rceirc ^p\
Fe

-a *m'
r
A VMltDJkDMUUL

AGUA de B0T0T
' o nico Dentifrcio approvado
pela ACADEMIA DB MEDICINA qe PARI8
0 me/ho'calmante contra as Dore de Dentes
Reoom mondado aspcolalmenta oom os 9*69 de, BOTOT coso Quina,
para os cuidados da boooa. __^ u
aaO, Rae Bt-Bomer, Parte, tmfittu bem DwprtM. hrimmtie OrtilssAa.
ASTNMA & O&TIKRHO
Cranos pelos CIGARROS ESPIC
Oppresaea Tame Defirinos A'evralgiao
LICENCIADO PELA MSPBCTOEIA D> nvetENE Do IMPERIO DO RAZ1L
Mftra.se a rumaca que penetra no pefto, acalma o sy=tem* nervoso,
tecui u a expector-ao e avorlsa as roncgOes dos orgSos respiratorios
Venda em atsorto J. O. =O.J~",st*?f?i 5" *^+ ***<***.* ****-
rVawlM : FKAHC B. 4a SILVA tCi,)ai mmcipm rharaMOM U. ;
Cortes de crtnes em cartSo com figurino e enfitos, a 8(5000.
dem de -achimiras bordadas, a 25^000, slo de 40|J000.
Setm preto, a 1)5000, 1)5200 e 10800 o covado, verdadeiro Maco.
GrOsdenples pretos, verdadeiro Len, a 20200 o dito.
Merinos pftOs, duas larguras, a 500, 800, 10000 e 10500.
Mantilhas pretas, a 1*200, 30000 e 50000.
Casacos de cachnira pretos, a 300000.
Fil bordado, a 800 rs. o covado, para veos e enfitos.
Velludilhos de todas as cdYes, a 800 rs. o dito.
Zefiros di- cores, a 80, 100'e 160 rs. o dito.
Linons de cores, a 200 rs. o dito.
Tecidos diversos em edresj a 240 e 300 rs. o dito.
FnstSes brdncos bordados, a'360, 400 e 460 rs. o dito.
Lindas setinetas, a 200 rs. o dito, aproveitem.
Crotones magnificos, un snetrode largura, a 280 rs. o dito. .
Chito, boiu sortimerito em 'cores firtnes, a 200r8. o ditc.
Rendas austracas para'vestidds a/500 rs. o dito.
Cambraias bordadas, a 40500, com110 jardas.
dem Victoria, a 20500 e 30000", cora 10 ditas.
ltfadpolSo superior, a 60000, 'com 24 ditas
Algottbes nacionaes, a 30000 e 30500 com 20 ditas.
Ricais giikrrcSes de crochet, a 70OO e 8000a .-,. ,
Talnas'de labyrn'tho para baptisados a 250000 e 300000.
dem grandes para rosto a 40000 a duzia.
Ceroulius de bramante, a 120000 a dita.
Meias inglezas superiores a 30000 e 50000.
Camisas inglezas e francezas a 300000 e 360000.
Cortinados bordados a 60000 e 80000 o par.
LenciJes de bramante a 10800.
Cobertas de ganga, dona pannos a 20800.
Redes superiores, a 100000, sao de 150000.
Painos para mesa a 10100 e 10400 o covado.
Atoalhados bordados, a 10200 o metro.
Bramantes de algodao, a 700; 900 e 10000 o dito.
dem de puro linho, a 10600 o dito.
Casimiras em cortes, a 20000, 30000 e 50000.
Sargelns diagon'L a 200 e 220 rs. o covado.
As vendas em grosso tem o descont de
Cozinheira
Precisa-se de urna ama que cosinhe bem, para
'asa de pequea familia, que durma em casa
dos patroes; aa ra Conde da Boa-Vista n. 24-F,
portao de ferro
Engenhos
Arrcndam-se os engentaos Cachoeira c Bocrn
da Matta da comarca da Victoria, a tratar na ra
do Imperador n. 50,1. andar.___________
AOpinino
Nesl typoyiaphla eompra-se o), lli da. fo-
lba intitulada .4 Opiuiuo, de 880, 'que se pnbli-
cou nesta'oidatle.
Cosinheira
Precisarse de urna'qu co-
sinhe bem no 3. andar, da
tvpogrphia do Diario,
Preci
bem fi.a osrvic
/fiif,-,!.) P.ifn?',,., n- ,.i ,-. !
; &v<) eosip-htira t jjue tam-
de'cnnras, nracasa d pe
aliena ranlt. paga'-'e i cfn ; iratar ba ruh de
fiabUi n."16. loja.

Grageas Demazire
pela. Iiupaatoria de HyBlene do TS
CASCARA SAGRADA IODRETO-FERRO^CASCARA
Verdadeiro Re-medio O maJe activo doe Ferrugmomoe
i a Prieio da Ventre hahltuul. I Nao prodanindo a Priemo de Tfentre.
OBgcrsJto g?n: PMRIAOia fi. OElAZi^BE, 71. mm U Mm, fim
Em Ptnumiu* : FBA- U. d 8ILVA C".
Approvdas
Contra i
Attendam
Urna senhoia pcrfeianientc habilitada a lec-
cionar portugnez e francez assim como tidos os
trabalhos em bordados c flores de todos os gos-
tos e especies, offerece-se para ir a casa das
familias que nao quizeretn mandar suas filhaa
para as aulas ; assim como tambem ir re>idir
na casa de aiguma familia abastada que queira
paramis commodidade de suas fllhas. Aman
ca-sc contfucta honesta,.prudente e mora!
quem precisar pode dirigirse ruado Baro da
victoria loja de fazendas Pariz na America nu-
mere 16.
JCP* Attendite
Jos Samuel Botelho avisa ao respeitavel'pu-
olico que ai|ida continua a fabricar bouquets do
afamado goslo, para casamento ou outro
qualquer acto, assim como capellas raortuarias
de perpetua; a tratar na ra Nova n. 20, loja de
raiudezas, ou na ra da Cadeia do Recite n. 43,
toja de selleiro.
A go stini 10 ik Irraos
Collar de Ouro
a-Ar- Boa do Cabu(6 S-A
Como nzessemos urna grande reforma em o
nosso estabelecimento, tizetnos tambem reduc-
co nos precos de nossas jbias de ouro, prata e
briihantes. Pedem a seus amigos e freguezes a
virem comprar lindos objectos com pouco di-
nheiro. ompra-se oqro, prata e bfilhaqtes.em
obras servidas, e paira-M bem. r.oncerta
reteiio', 'obr de oaro e prat cxe^6Mi&*.
) licenciado pela Inspectora Qen
de Ejgine do Imperio do BraxlL
XaropeZed
[0t C0DE1NA e TOLO)
O Xaroaa Xad empr^a-ae coatass
britefla A>to, Tesis das Tusen, Tsm
fommsu (Coquducbey.Vrimebitss.CoiuHpefiMi
Catorrbos s Insomnsas Dsrsisltntss,
Mais, ti, tm Draaot, al
Terreno
Bom para coudelaria ra Marqnez no Her-
v&l 80 e 82 ; para ver, na casa ao pe, e 4 tratar
na ra Mrquez de Oiinda n. 25.- Tem coelteira
Cftdtdias do Moite de Soceorn
Comprase cautellas do Monte de Soccorro de
qualquer joia, brilhantes e relogios; paga-se
bem na Praca da Independencia n. 22, loja de
rplnjo^irn.
AFSfMDA
Esta bem conhecida casa, previne aos
seus numerosos freguezes e freguezas que
contina a servil-os, como dantes, em to-
das as suas mais extraordinarias exigen-
cias, para o que substituio a sua antiga
armac2o por outra que mais expansiva, of-
ferece muito maior accommodaco'es as in-
nmeras fazendas de que se acha hoje
provida, aonde s Exmas senhoras encon-
trarao tudo quanto o rigor da moda exigir
para um toilette completo, desde o maior
chiquisme at as mais simples
Venham verificar por si mesmo para
acreditarem.
Para a quaresma
Gal5es, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e "de algodao com e sem
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodao.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para horaem a 30000 e 40000
a duzia.
Lencos de linho em caixinhas a 30000 a
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Lindos lequeB transparentes de gaze a
30000 um.
Grande sortimento de porta-retractos de
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 40, 60 e
80000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, de
20500 a 30000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama a
120000, 170000 e 190000 o par,algutis
de cores.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadei.-as a 800 e
10000.
Ditos para sof a 20000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de comprimento
a 40000.
Capellas com veo para noiva a 60000 e
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 100 e
120000.
Toucas de setim para baptisado a 30, 40 e
60000.
Gnnaldas e ramos de seda, o que ha de
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de efires a 20000 a peca.
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramo de flores a 40000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricantes.
Linha de machina, claque, a 40 rs. 8 car-
ritel.
Pastas a 10000 e 20000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 20000.
Arquetes para chapeos e chapeh'nas a
10500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 20000
par.
Ditas de seda para creanca a 10000.
Dita para moca a 10500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette,
sanctuario e consollos.
Lindos lencos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos.
Ditos ditos para enfeitar cabega e segurar
chapeo.
Espartilhos para creatina a 4-5 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 4-5500, 50000 e
60000.
Grande sortimento de sabonetos de 200 a
10500 um.
Estojo com faca, garfo e colher, proprio
para creanja.
Bengallas com flauta a 10500.
Meias de IX para honiens e senhoras.
Liahpt< delirada* par? &' srochst-
Lndas fitas para taclia a 0, 30 e 'I0OUfc
o metro.
Lindos leques de setim para wasaiccnto.
Grande sortimento de leques da sotim e
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 20000.
Lindos desenhos para talagarya,
Finas carteirs para algibeira i !0 4
3 e 30600 ama.
Roa Duque de Caxias n. 103
0me Mor entfrrielo
Fabrica Bemrjgrard
Cortase fumo a 40 rs^> kilo.
Aproveitem n cambio
Carlos Sinden recebeu pelo ultimo vapor grau-
de sortimento de camisas ingleas de superior
qualidade, assim como camisas de meia, de l e
merino, meias de diversas (rulidade, assim
como grande sortimento de vestuarios para me-
amos, que est vendendo por precos sem com-
petencia. ________
Casa para alugar
0 2- e 3- andares da ra larga do Rosario n.
37, esquiRa defronte da igreja, juuto*s" oa sepa
raaos; a tratar no pavimento terreo.
amoragada com a
Odontalina
-Sf* KIUSI1, WMDEII0_CMBII U ftKtt
:;; :&?^,H ronfea --
Atteic,o
, No armazem da ra dq Amorim n. 60, veade-
9e superior vinho de mesa pelo modlcoprec/
71 o garrafao de 3 caadas (voltando o ^^^H
A elle antes que se acabe.


I
'




iario de Pernambuco-Quinla-fera 25 de Abril de 1SS9
-Qui
-

i


.

Criada
Precisa-se de urna criada que eatenda do ser-
vio-domestico e saiba ensaboar ; na ra da Im-
16. 1 andar.
Vinho poro de Sanlarem
Da Quinta do Barral
Clu-gou a primeira remesu dcste especial vi-
iho pera o Armazcm Centra! de generes alimen-
ticios a ra do Cabug n. II, o qual se toma re-
oommendado pela sua pureza e boa i.ualidade,
mauda-se em casa dos distinclos Breguetee livre
di' >ete, para qualquer poni ila cidade.
Ra do Cabula n. 11
Telephone n. 447
lini ChrisioYo & C.
.,*&-%<%
^V (olegim (ragucia >
FRANfilPANNi
Opoponax Psidinm
Oarlaalmt Otraala
VentU-u em oJai
j^|* tu t*r*umaria g
' ^tfc. tDngariat -o*'
Gosinheira
5 Sen
Na ra Formosa n. 8, precisase de urna ccsi-
nheira que durma em casa.
20$000
Aluga-se a casa n. 16-f. ra do Itiuchuello
(loa-Vista) antiga do Destino, a de n. 16-D. por
I8JS000; as chaves acham-se junto D. 16 1$ e
tratase na ra da Guia n. 02.
AOS Srs. ROPa.ir:lAIOS de CATAIMI
UNGENTO STEVENSh
0 nico substltuiodo a cauterisa(;So ios ca vallo.
poli. o, st nnravimso prciarai.0 e o nico
rom'.li verladolramente orOcaz para cura- todas
e fin esquer Afltctes uftnu n catalli, HHMMi i
ymau c Dalocaffts di tMU a ulira. *0 annoi de
upiiaj e continuo xito em tolas as cor-
ri4is. tiaras nos prlnclpaes estabelecl-
mentcs de cavallis em Inglaterra e Europa.
Nunca delxa nodo;, lignina, r mster experi-
ni. nu lo para flear convencido do Seu valor
\'endc-s< mi eaucaM eam a* cimptttntr i/i/if.iie.
rttra O s''u rmprrffo. rm p'i-.'Uf/ue;
UaiciKeule pinar nlo p-.r H. R. STSVEN8. m Jico-TtWnnu*
9, Pul. Lae. Londres llngUierra
fepusiUrios ea Pernambucc ; tW t. l LTifcC-
Papel de forro
de sala, gabinete e corredor, esplendido sorti-
mento na livraria Contempornea.
Quadros
com Lellissimas oleographias. obiectos para
adorno de sala e para presentes, tudo encontra-
se na livraria Contempornea, ra 1 de Marco
numero 2.
Malas deviagem
para roupa de senhora e de homem, propria de
camarote e caminhu de ferro, bolsas, chapelei-
raf, binculos, etc. etc. artigos muito bonse
baratos na livraria Contempornea.
Instrumentos de msica
para banda e orebestra, realejos, caixinhas com
[,te6 pegas, para enanca ; na livraria Con-
tempornea.
Arithmetica
DE
Cotinger ou Kotinger
Precisase comprar um volme, praca de Pe-
dro II, n. 73, i" andar.
Caixeiro
Precisa-se deum caixeiro que tenha pratica
de molaados : na ra de Santa Tnereza n 30.
Nunca falha!
Os effeitos do Peitoral de Cambar ina.
nifestem-se, na maioria dos casos, durante
o uso dos primeiros vidros.
Este remedio eicaz para as enfemii-
dades do larynge. dos bronchos e palmitas.
Francisco M. da Suva & C.
Agentes em Pernambueo.
Attenc,o
Nos Quatro Cantos da cidade de Olinda. casa
dos Srs. Carneiro A C. precisa-se fallar com ur-
gencia com a Exma. Sra. D. Candida Mara Fer-
reira, a negocio de seu interesse. Nao podendo
ella ir. pode deixar nota da casa em que reside,
atim de ser procurada.
FOLPTIM
Ama
Na ra de Santa Rita n. 83. se precisa de du&3
amas, sendo ama para cosinha e outra para car-
regar meninos.
Cosinbeira
Prccisj-e de urna cosinbeira que seja perita
e nao saia ra, para casa de familia ; a tratar
na ra do Cabuga n. 14, 1 andar, de meio dia
at 2 horas.
VENDAS

I
c
&!.:?
r+~
I
I
I
nrll
a a.-- a- o
S ~ <* a
lili*
Ry> al Bleud marca YUDO

Bste excellente Whisky Escocez pre
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vndese a retoino nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Rnyal Blend marca Vladn,
cujo nome e emblema sao registrados par
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
AO TORRADOR
Lima Coutinho & C.
43RA DUQUE DE CAXIAS43
Defroste da Praclaha da In-
dependencia
Este novo estabelecimento intitulado
AO TORRADOR vende sem competen-
cia, como as Exmas. familias podero
analvsar polo seus prejos.
Lanzinnas de quadros a 60 rs. o covado.
Ditas de ditos a 200, 240 e 280 rs.
Merino de quadros, bonitos padrSes a
300 rs.
Ditos lisos enfestados a 480 rs.
Baptista e nanzuch finos a 140 e 240 rs.
Mariposa branca e de cores a 240 rs.
Chitas finas cores fixas a 200 a 240 rs.
Ditas forlaidine a 240 rs.
Cambraia branca bordada a 4(5500 e
45800 a peca.
Dita Victoria, fina, a 2*800 e 30500 a
pefa.
Seda de JapSo, lindissknos padrSes a
200 rs. o covado.
Dita da Persia, lindos padrees, a 180
rs. o covado.
Sargelins de todos as cores a 160, 20q
e 240 rs.
Setinetas lisas, largas, a 360 e 400 rs.
Merinos pretoe finos a 800, 1(5000,1^200
e 1*500.
Colchas para cama a 10800, 20000 e
jtgOOO.
Cortes de casemira de cor a 20500 e
30000.
Casemira preta, duas larguras, a 10800
20 e 20200.
Madapolao superior com 20 varas a 40
50000 e 50500 a peca.
Dito americano, superior, a 70200 a
peca.
Bramante de algodo para lenjes a
700 e 10000 o metro.
Dito de linho superior, com 10 palmos
de lagura a 10600, o metro.
Guar daa pos de linho e algodSo a 20 a
duzia.
Toalhas felpudas a 30 e 40500 a duzia.
Atoalhados para mesa, lindissimos pa-
drSes, a 10200 e 10800 o metro.
Dito transado, alvo, a 10000 o metro.
Lenfos brancos eom barra de cor a 10200
a duzia.
Ditos superiores, de linho e algodao, a
25200 a duzia.
Enxovaes para baptizados, completos, por
todos os precos.
Entremeios e babados bordados por todo
preso.
Bicos de todas as cores para enfeite de
vest'dos.
Baleias cobertas e descobertas.
Arcos cobertos para anqumba.
Camisas brancas para liomcns e meni-
nos.
Ditas de meia para homens c senhoras
Manda-se fazer roupa por medida e da-
se amostras de todas as fazendas.
Lima Coutinho & C.
.'------------- _.
SEM MAI
POR
paulo mmoKi
SO' NO MUNDO
(Continaselo don. 9 1)
CAPITULO VIII
.4 lua pe* vida
No seu intimo envergonliava-sc da vida
que le va va, e nunca prociron ^rrastar
Clotilde a um caminho que chava mo ;
ao contrario.
E's honesta, dizia-lhe ella muitas
vawa ; nSo fasas como cu. nSo -c lucra
nada com isso !
Entilo, dizia a orpha, joro je nao
voltas ao bom caminho?
NSo posso! O habito. E depoisto-
das essas bellas cousas, os bailes, os thea-
tros, tudo isso diverte-me tanto!
E cnsinando pequea a usa- no seu
trabalho do chic pariziensc que lhe fal-
tara, cantarolava todos os estribilhos da
moda, que apanhava no ar con admiravel
facilidade.
Com as suas lisoes Clotilde : n !-.--
admiravelmente perfeita no sea trabalho.
Era ella quem fazia tudo, naturalmente.
Hcrmancia apenas incumbia-se de !
var e trazer a obra c de r- ber di-
nkeiro.
A naoca, apezar da sua en r-ne
ia, nao se lamentara.
Depois da morte de Mag do Bo-
, eraaquelle at o tempo /- da
sua vida.
A sua companheira, que i.
boa, oHiava parr. que nada li --o.
Era muito desordenada pa im sol-
do de economas, mas entre--.i. i as illu-
da mosa, repetindo Ib int-
rnente :
NIo te atormentes ; q;*n(io passar
u averno, n2o sahirei mais, i cono, por
tua vez, estars completamente desem-
barasada, arranjaremos operarias eganha-
remos muito dinheiro.
E voltava mais desenfreadamente do
que nunca s suas noitadas de orgia, em-
quanto Clotilte Aova eternamente so no
aposento, entre o trabalho e o pobre cab-
zinho, que tratado por ella, consagrava-
lhe louca adoraclo, como sabe alias ado-
rar essa rasa muito cominum em Pariz, a
mais intelligente de todas.
Hermancia inha-lhe j entinado a ir to-
dos os dias ver o seu Petit Jovrmd na
vendedora da esquina.
Quasi sem ensino, elle coineeou a car-
regar a lata de leite de Clotilde, e dentro
em pouco acabou por descer szinho todas
as manhs, para ir buscar em casa da lei-
teira o almoso daorpha e o seu.
Essa vida, muito modesta, muito sim-
ples, durara muito tempo sem que a mo-
ca procura88e modifical-a, se urna nova
complica$o nao occorresse ainda na sua
existencia.
A sua companheira, at entSo muito
descuidosa, apaixonou-se de repente por
um escrevente de cartorio, com quem en-
contrn se urna vez no Elyseu Montmar-
tre.
Em alguns dias o sen capricho assumio
as propones de urna paixao louca, e ella
nao descansou emquanto nSo levou-o ao
aposento que partilhava com Clotilde.
Em primeiro lugar, procurava elevar-se
aos olhos do seu apaixonado, mostrando-
lhe que tinha um commodo seu, o qnal o
asseio meticuloso da orphS fazia pa^cer
muito bonito ; depois como levava a vida
a fallar nelle, queria que a sua compa-
nheira o admirasae.
Esta achou-o vulgai-, estupido e enfa-
tuado ao ultimo ponto ; emquanto o escre-
vente, ao contrario, experimentara pela
mocinha urna admirasSo que dissimulava o
menos possivel.
Hermancia tinha bastante experiencia
para que nito adivinhasso este sentimento :
invadio-a profunda raiva.
Bj coutra aquelle que s alraejava occasiao
de trahil-a, toda a sua colera recahio so-
bre a pobre nios*, cuja ingenua innocen-
etfl alo bavia percebido eousa alguma.
Do dia jwra a noite Hermancia mudou
completamente para com Clotilde.
Fez-lhe scenas terrivei-, tratando a de
ingratae i hypocrita.
Os protestos da rapariga, longcde acal-
mal-a, exasperavam-na. e ella diriga-se a
toda a parte, ao cubculo da porteira,
casa dos negociantes do quarteirao, repe-
tindo :
E' tima desgrasada, deve-me ludo,
A LOJA MAS BARATEIRA
pariz America
AZEVEDO, MMaO & ( .
16Ra do B. da Victoria16
200Tilephme200
Tendo recebido directamente da Europa
grande sortimento de fazendas e modas o
que ha de mais novo e presos sem com-
petencia.
.4 saber :
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de la e 13 seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 10JKK) e 10200.
Crinoline preta e branca a^OO.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 10500, com 10
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 10500.
Chachemiras com 2 larguras a 800 rs.
Ditas de l e seda 2 larguras a 10000.
Madapolao trancado a 00000 a pesa.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camisero a 70000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 60000.
Fichs de 13 e seda 10000.
Brins de linho coi es fixes a 600.
Espartilhos couraca a 40000 e 50000.
Colchas de fustSo a 20000 e 30000.
Capellas para noiva com veo bordado a
60000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 10500.
Renda de 13, preta, para quaresma.
Pao verde para buhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sala
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama a
100000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cSres a 800 e 10000.
Extracto Rito Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
Guarnisoes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite'
Grande sortimento de chapeos de sol.
Setineta para coberta a 600 re.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustSo de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
Eagtttb
Vende-se o engenho Pago, distante treb le-
goas da estaco da Escada e menos de tras da
estacao da victoria. O engenbo pode safrejar
2,00 paes de assucar, as trras estao descansa-
das, tem bastantes varzea* e bom cercado, me
com o rio Pirapama, a casa de caldeira de li-
jlo e pedra, a casa de purgar e a de vvenda
sSo de taipa. Este engenho bem conhecido
pelo bom assucar que fabrica ; quem pretender
compra! o pode dirigir se ao mesmo engenho
ou ra do Imperador n. 81, 1 andar.______
fcfltOTl
nmtis,__
^1^ ^LPIY VMd-ie em toda i lurtt
Vende-se
a tarerna siU ra do Hospicio n. 6, a qual tem
commodos para f.imil a e o alugae barato, o
motivo da venda se dir ao comprador
na mesma.
a tratar
e procura roubar-me o homem que eu ado
ro. Felizmente nSo conseguir nada. ..
Imaginera, urna sirigaita daquellas... mas
n3o ser por falta de vontade da parte
della!...
Clotilde chorava a principio; depois,
dentro em pouco revoltou-se, e a sua al-
tivez nao quiz mais supportar as in]lirias
e as humilhasoes que lhe irrogava a sua
louca companheira.
Morava em casa della havia alguns me-
zes, era verdade; mas n orpba nSo teria
por ventura pago a sua divida, trabalhan-
do como urna negra, nao recebendo um
sold, e fazendo entretanto quasi ssinha
todo o trabalho, cujo preso a outra guar-
dava para si ?
Clotilde perguntava a si propria o que
deveria fazer, quando urna noite a sua
companheira tratou de liquidar a sita-
S&o.
CAPITULO IV
\n bOMpilHl
Havia cerca de duas semanas Herman-
cia nao voltava para casa seno a horas
avansadas do dia, agitada, nervosa, mais
m e mais intoleravel do que nunca.
Despia-se, dorma algumas horas, ia le-
var o trabalho, buscar outro e receber o
dinheiro, se era sabbado, depois tornava a
sabir, aps urna nova saravada de inju-
rias, e Clotilde n3o a via mais sen3o vnte
e quatro horas depois.
E entretanto o trabalho nSo diminua ;
ao contrario, nunca os pacotes haviam s-
do t3o volumosos; iir-se-hia que conti-
nham trabalho, n3o para urna pessoa, mas
para tres.
E a pobre abandonada, que asperava
sempre ver a companheira voltar a me-
lhores sentimentos, restituir-lhe a sua boa
amizade de outro'ra, e que reconheceria
entilo o que ella fazia, trabalhava, traba-
Ihava sem descanso, atm de n3o descon-
tentor a casa e conservar o traba'lio.
Velava at muito tarde da noite, tendo
por nica companhia o c3o, que ia deitar-
se na barra do seu vestido, quando sen-
tia-ae fatigado de brincar com um pedaso
de papel ou de pao.
Levantava-se muito cedo, sentando-sc
logo machina, que fazia trabalhar todo
o dia, parando nicamente para comer um
pouco de carne fra.
Mas essa vida de extraordinaria fadiga,
sem ar, com insuficiente alimentasao, n3o
poda durar.
Efectivamente urna singular fraqueza.
urna extraordinaria languidez invadi ten-
tro em poucO a rapariga, alquebrando-lhe
o memoro, destruindo-lhe as forsas.
Sempre novidades de Pars
4
REVOLUCAO DE 48
A' ra Duque de Casias n. 48
N'este esteDe'ecimento de fazendas
nao s costumam annunciar a realidade,
como tambem vendem por menos 30 "/o
do que em outra qualquer casa, como j
bavemos provado aos nossos freguezes.
Nansuk de todas as cores a 120 rs. o
covado.
Cretones a prado, fazenda especial a
240 rs. o dito.
Setineta preta com pequeo defeito a
240 re. o dito.
Merinos pretos a 800, 10000, 10200 e
10500 o dito.
Cambraia com salpicos brancos e de cores,
a 40000 a pesa.
Setins de todas as cores a 800 re. o co-
vado.
Cortinados para cama a 60000 o par.
Capellas com veos para neivas a 80000
urna.
Espartilhos d courasa a 30000, 40000 e
50000 um.
Saias bordadas, novidade, a 30000 urna.
Esguiao com duas larguras a 30200 a pesa.
Fichs de retroz de todas as cores e pre-
toe de 10000 para cima.
Pannos de crochet para cadeira a 10000 e
para sof a 20000.um.
Algodaosinho com
40500 a peca.
Madapolao Boa-Vista, verdadeiro, a 50000
a pesa.
Merinos lisos e de quadros a 200 rs. o
covado.
Cortes para vestidos em cart3o, novidade,
a 70000, 90000, 100000 e 120000 um
Mantilhas pretas de seda a 50 e 70 urna.
Zefiros encorpados com 70 centmetros de
largura a 240 rs. o covado.
Renda da China a 240 rs. o dito.
Lensos de cores, imitas3o de seda, a
10800 a duzia.
Organdis, fazenda de phantasia muito lar-
ga, a 400 rs. o covado.
A'
Pao centeio
Mello & Biset, avisara ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
boroso p5o; ra larga do Rosario n. 40.
Para jornaes
Papel formato Diario, 500 folhas 7*500
Dito dito Jornal, 400 folhas 5*000
Dito dito Provincia, 400 folhas 4*500
Vende-se na fabrica Caxias
A Loja das Lislras zoes
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Vende mais barato
Fazendas pretas
Cachemiras arrendadas de dus lar-
guras tecido novidade, a 20000 e 20500.
Merinos pretos infeitados de pura 13
a 800, 10000 e 10200.
Crep inglez para enfeitos de vestido
a 02OU. |
Rendas hespanhola de seda a 50000.
Corfioro de seda pura de 20000 a
40000.
Velludos de seda, lisos, com pintas
e ramngens, a 40000.
Velludllho bordado a contos, lindos
desenhos a 10600.
Fil de seda bordado a 10200,
Veos e mantilhas com rendas a 4000"?
e 50000.
Capas e visitas, de gorgorito, de ren-
das ou cachemira, enfeitedas a rendas con
vidnlho a 250000 e 300000.
Bicos de seda cora lindos desenhos i
40500 a 60000 a pesa com 10 metros.
Teeldos de novidade
Cortes de vestido bordados, em car-
t3o, de lindas corea a 100000.
Vestidos brancos bordados para noi-
vas a 180000.
Teel dos arrendados cores creme, rosa,
SoTardas a 40000. J ^*te anco a 400 rs.
v ju Hnhos.pBaUfasiar.los, tecido com nani-
ta largura a 500 rs., em listras e qua-
dros.
Ketins de Maco, todas as edres e
mais salmao, lilas e bronzeado a 800.
Cambraias brancas bordadas a 40000
a pesa.
C'jzes de seda com
douradoscores : rosa,
10000.
Hadapolo transado, pesa com 20
varas a 60000.
FAZENDAS ESPECIAES
Batistes de cores finas a 120 a
240 rs
Chitas finas claras miudinhas a 200 e
240 re.
Cretones franceses, verdadeiros a
320 rs.
Jlorim de listras azues madap
13o fino largo com 20 varas a 60000.
Madapolao americano muito larg.
Sargelim de todas as cGres 200 e 240 rs.
o dito.
Enchovaes para baptisados de todos os
presos.
Brins de linho de cores fixas e garantidas
a 6U0 o covado.
Bramante branco para lenss a 800 rs. o
metro.
Toalhas para rosto a 200. 300, 400 e
500 rs. urna.
Cobertores finos de la, com pequeo sujo,
de 50000 par 20500 um.
Cortes de fustao para colete, garante-se
as cores, a 10000 um.
Cambraia suissa de 140000 por 70000 a
peca
S na leMi.iirao de 48
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
fios
azul
prateados e
e creme, a
Mercearia
Vende-sc urna mercearia das melhores nos
arrabaldes da Boa-Vista ; pata informacOes, na
rnn do Socego n. 33, taverna.
Aos asthmaticos
Se padecis de asthma, usai o Peitoral
de Cambar, que remedio de effeitos
surprehendentes e duradouros.
Urna larde, terminado o seu trabalho do
dia, antes de accender o lampeao para co-
meyar o ser3o, desceu, deixandoo c3o no
aposento, atim de ir casa de urna herva-
naria visinha pedir um remedio.
Guarda a casa, meu querido, disse
ella a Pompn, est escuro e eu poderla
perder-te. Voltoj.
E desceu com urna moeda de vinte sol-
dos smente no bolso.
Quando voltou, meia hora depois, por-
que havia muito gente na casa da herva-
naria e foi preciso esperar a sua vez, ella
encontrou a fechadura da porta mudada e
esto fechada.
Muito admirada, tornou a descer, din-
gio-se porteira e quiz perguntar o que
aquillo significava.
A portinha, urna mulher m, a quem
exasperava a conducto regular da moya,
recebeu-a com urna enxurrada de insultos
e grosserias e disse-lhe que Hermancia,
indignada e justamente, accrescentou
ellapelo seu procedimento, expulsava-a
do seu commodo.
Afim de n3o ser exposto a alguma sce-
na escandalosa, ella deixara Pariz por um
mez.
A porteira accrescentava que, se Clo-
tilde protestasse, ella chamara o guarda
policial para que desembarasasse a sua
casaque, Deus louvado, era honeste
de semelhante peste!...
Humilhada at o mais intimo da sua al-
ma, offendida com semelhantes palavras,
com suspeitas t3o baixas, Clotilde, sem
pronunciar palavra, fugio para fra.
Fazia urna dessas frias noites de Feve-
reiro, hmidas e lamacentas, em que os
passeios acham-se sujos e escorregadios,
que a nev que flucta no espaso penetra
at 08 OS808.
Com a cabes escaldada, a febre aug-
mentada pelo golpe inesperado que rece-
bera, mal podendo mover as peinas, a in-
feliz mosa encontrou n3o obstante forcas
para arrastar-se at o boulevard Roche-
chouart.
Ahi cabio sentada sobre um banco, e,
apezar da sua natural energa, a coitedi-
nua poz-se a chorar.
Era tarde, oito, horas, e nSo tinha na
algibeira seno os poucos sidos dados
pela bervanaria em troco da moeda com
que havia pago o remedio.
O que fazer ento ? o que seria della?...
onde passara a noite'r1... a quem dirigir-
se ?..
A's visinhas ?...
Mas Hermancia devia de certo tel-a ca-
lumniado por toda a parte. E Clotilde i
prefera morrer a soffrer outra scena se-1
E' vender barato
Feijao a 11100 a cuia.
Farinha a 500 rs. a dita.
Milho bom a 400 rs. a dita.
S quem pode vender no Largo do mercado n.
12.
Gomes Ferreira db C.
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira. sitio lo-
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite puro de vaccas tourinas e da
trra, garntese a qulidade do leite. __
Boa arma^o
Vende se urna armaco de ama relio, nova,
balco, cabides, bancas, armages inglezas, lus-
tre, encanamento de gaz e registro, um cofre de
Milners, do estabelecimento de faiendas, sito a
ra do Rangel n. 13-A. com on sem as mercado-
rias, garantiodo-se as chaves ao comprador. A
casa est desembarazada de impostes.
melhante aquella em que a porteira aca-
bava de fazer-lhe.
Pela primeira vez na sua vida, entre-
tanto, j t3o cheia de revezes, tolvez por-
que o golpe actual fosse o mais rude de
todos, tolvez porque minasse-a a febre, a
pobre mosa senta a coragem abandnala
e oceultou a cabesa as raaos, dizendo
comsigo que a vida era um fardo dema-
siadamente pesado.
S no mundo !...
Melhor sera estar mora !. ..
Urna respirasao arquejante, urna cousa
muito fra, colloeando-se rontra a parte do
seu rosto que as m3os deixavam a desco-
berto, urna lingua tepida passando sobre
esse canto da sua pelle escaldada, fizeram-
n'a estremecer.
Pompn murmurou ella, aportando
contra o coras3o o pobre animalsinho, que
conseguir alcancal-a.
Um bico de gaz permittia ver a cabeca
intelligente d >c3o; distinguir os seus olhos
negros, de ordinario petulantes, tSo cheio
de malicia e que transbordavam entilo de
ternura c de affecto.
Jurar-se-hia que elle dizia sua amiga:
Olha, estou aqui para amar-te, no te
deixarei mais.
De facto, ao cabo de alguns segundos
elle deitou-se sobre o banco, ao lado da
moca, communicando-lhe o calor do seu
corpo, muito encostado a elle, esperando
que lhe approuvesse sahir d'alli.
Porm a pobrezinha n3o senta senSo as
dores agudas de sua cabesadoente aos tre-
mores de fri que haviain-na agitado todo
o dia succedera um calor ardente, insup-
portevel; as tmporas batiam-lhe como
martellos de fora, alquebrava-a urna extre-
ma fadiga, que fazia-lhe perder o senti-
mento de tudo, at do que a cercava; em
torno della o ruido de boulevard tornava-
se confuso, indistincto, emquanto o ca rao
dos reverberos faziam-se vacilantes e dan-
savam em volte, fcmultiplicando-se ao infi-
nito.
Pouco a pouco at isso apagou-se e Clo-
tilde perdeu os sentidos.
Quando voltou a si, pareceu-lhe que
tinha dormido muito, muito fempo, dias e
mezes, annos talvez.
A reeerdas3o das ultimas phases de sua
existencia havia desapparecido completa-
mente de sua memoria.
Urna extensa fila de peqvenas camas cn-
voltes em cortinados brancos estendia-se a
perder de vista.
Ella julgou-se ainda no convento.
Oh! exclamou, como o dormitorio
est grande hoje!
Operou-se um certo movimento, e, de
repente, a mosa sentio-se corar de vergo-


sem ,omn a a 80000 a pesa.
Bramante de 4 larguras a 700 e
10000 o metro.
CSuardanapos superiores a 10800 &
duzia,
Cortinados bordados a 50500,70000
e de crochet a 100000.
Crochet para sof e cadeiras de bra
eos, um completo 60500, para sala.
Ilosquitelros americanos com ar
masSo a 120000.
Alcatifas para forro de salas e gabi-
nete a 10200.
TECDDOS MAIS BARATOS
Merinos de duas largura, qualquer
cr a 440 rs.
Linho lisos e de quadrinhos a 80 e
100 rs.
Bico braneo e de cores desde 600
a pesa at 20500.
Colchas de fustao de cores a 2000^
e30000.
Toalhas acolchoadas a 30000 a duzia.
Luvas de seda, bordadas, qualquer o8r
a 20000 e 20500.
LeqneS de pennas e transparentes
de 10500 a 60000.
E; muitas fazendas que se d por qual
quer preso.
D-se descont a quem comprar de
200000 para cima,
Troca-se a fazenda vendida se por qual-
quer motivo n3o fr de muito'agrado para
quem fr comprada
Lojas das Listras Azues
na e de pudor offendido : alguns mocos,
ao centro dos quaes via-se um homem de
cabellos brancos, de rosto intelligente e
olhos mito bondozos, cercavam-lhe oleio.
Instintivamente a mosa puxou o lensel
at o queixo.
O velho pegou-lhe meigamente na mo.
Entao, minha filha, disse elle muito
affectuosamente, eis-te finalmente razoavel
hoje.. e foi-se embora de vez aquella
maldito febre, nao verdade?
A febre, oh! sim !.. ella tivera-a terri-
vel, quasi mortal.
E onde ent3o esteva Clotilde ?
Ora, onde havia de ser? No hospital, o
asylo dos pobrea e dos abandonados quando
estao doen tes.
Algumas lagrimas subirani-lhe aos olhos
lmpidos.
N3o chores, minba tilha, continnouo
doutor com a sua voz affectuosa; voc
est livre deperigo, e amanh, se mos-
trar-se razoavel, mandar-lhe-hei alguem
para cuidar de si. Nesse interim, D. Rosa
disse elle voltendo-se para urna moca de
rosto intelligente, que trazia na cabeoa a
touca branca das enfermeiras de Pars,
trate bem desta bonita menina. Veja se
a distrahe, confio lh'a.
Effectivamente, terminada a visito, fei-
t08 os Curativos e dados os remedios, a
enfermeira Rosa voltou cabeceira de
Clotilde.
A senhora va tomar o caldo e o vi-
nho que o doutor prescreveu, disse ella,
visto que n3o tem mais febre. Depois
disso far-lhe-he urna sorpreza.
Qual ? perguntou a mosa erguen-
do vivamente a cabesa, muito fintea, mui-
to dolorida ainda, mas invadida do suave
bem estar pelo qual comesa a convales-
censa.
E' curiosa de mais ; obedeca-me
primeiro. .
A orph3 deixou-se servir pela enfer-
meira, cujas ralos adestradas ajudavaaa-
na, amparavamjia, ergniam-na sem que
eila sentisse cousa alguma.
Termraon-se finalmente a priineira re-
fes3o.
Clotilde, fatigada pelo csfor$o, cahio no-
vamente sobre os travesseiros.
A minha sorpreza disse ella com
os olhos brilhantes.
Vou buscal-a. Mas preciso cer-
titicar-me primeiro se nao est ninguem;
do contrario reprehender-me-hiam.
(Continuar-se-haJ


H
Typ. do Zario;raa Duque de Caxias n. 43