Citation
Diario de Pernambuco

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
newspaper ( marcgt )
newspaper ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
This item is presumed to be in the public domain. The University of Florida George A. Smathers Libraries respect the intellectual property rights of others and do not claim any copyright interest in this item. Users of this work have responsibility for determining copyright status prior to reusing, publishing or reproducing this item for purposes other than what is allowed by fair use or other copyright exemptions. Any reuse of this item in excess of fair use or other copyright exemptions may require permission of the copyright holder. The Smathers Libraries would like to learn more about this item and invite individuals or organizations to contact Digital Services (UFDC@uflib.ufl.edu) with any additional information they can provide.
Resource Identifier:
002044160 ( ALEPH )
AKN2060 ( NOTIS )
45907853 ( OCLC )

Full Text
- -J
PARA A CAPITAL JE LICAREK 0\DE ?AO SE PACA PORTE
Por tres mezes ndiantados. .... 4* ........ 61JOOO
Por seis ditos idem................ 12fJ000
Por um auno idem................ 230000
Cada numero avulso, do mesmo da..... ... 100
ERCA-FEIRA 9 DE ABRIL DE 1889
_ i -. .. ______________________________ t
PARA DEATRO E PORA DA PROAIACIA
Por seis mezes adiantados.............
Por nove ditos idem................
Por um anno idem. ...........
Cada numero avulso, de dias anteriores .........
13*600
200005
260000
.5100
DIARIO DE PERNAMBUCO

Trcprkdade. de Manoel SHqueiroa de ^aria 3%U)vs

Os Srs. Amede Prn-
* ee & C, de Pars, sao
os nossos agentes ex-
clusivos de annuncios
e publicapoes na Fran-
ja e Inglaterra.
* 5
IBSTRDCCiO POPULAR
AS GRANDES IWE^OES
TIGAS E MODERNAS
' AS
Scisncias. industrias e artes
POR
L9IX 3? 2 45 3J 22231
XI
O mirroM'upi
(ContinuagoJ
Amicroseopo photo elctrico emprega se para
pfiectar a; imagens as aulas de physica e chi-
min, e tambem as conferencias scientitica,
onde quasi sempre 6 iinpossivel utilisar a luz
otar para rom o microscopio deste nome mos-
trar i lodos os espectadores una nfiaidade de
phepomenos naturaei to ocllos como curiosos.
XII
O barmetro
O ai um gaz incolar e invisivel, o ar pois
um corpo ; ora todos os corpos o.sao pesados,
jWoiisi'unite o ar neeessariamente pesado.
que o raciocionio indica, demonstrado com
certeza pela experiencia.
Tcne-se ura vaso de \idro, de forma espherica,
. prvido de urna torneira metal lica. Estando este
balo cheio de ar, por ter estado na atmsplie-
ra, prenda-se pelo gancho, que o termina, a
outro gancho soldado na face inferior da baca
de urna batanea, e na outra bacia eolloquera-se
pesos era quantidade sufflciente para equilibrar
o Desodo balao cheio de ar. Tendo-se estabele-
cido o equsono desprenda-sc o balo, e depois
levanjk^pa machina" conhecida nos laboratorios
de phystcu peto nome de machina pneumtica, a
qual serve para- produzir o vacuo, extraase lhe
todo o arque contem. Feche-se a torneira do
balao para irapedir a entrada do ar, e suspenda-
sa^rvamente nejo seu gancho bacia da balan
ca. .Notar .-. -!ii cnto que o equilibrio que ti-
ffilloar qu-i.ido o balo eslava cheio de ar,
BWnai> da estando vasio. Tan o restabelecer
^Kessario tirar certo numero de pesos. Estes
at*o- i'iJispensaveis para reconstituirem o equi-
librio destruido, representam evidentemente o
peso do ar extrahido de dentro do balito pela ma-
china pneumtica. Por tanto o ar pesado.
Pode executar-seesta experiencia de um modo
inverso e chegar mesma concluso. Cemece-
se por fazer o vacuo no .balao por meio da ma-
china pneumtica, feche se. a torneira para obs-
tara en irada do ar, prenda-se este balao vasio
dear na parte i'Xerior da bacia da balanza, e
conSitua-sc esta em equilibrio por meio de pe-
sos Convenientes, collocados na bacia opposta.
Mo isto. abra-se a torneira do balo para
deixar entrar de novo o ar exterior ; immedia-
tanwnte desapparece o equilibrio ; a bacia que
contem o balo com o seu peso de ar, desxr,
pouiao poder j ser equilibrada pelos pesos que
esUto na outra. Para reconstituir o equilibrio
aewsari" por inais pesos n'est'outra. Se a ca-
panttade Heces-ario para o equilibrio ser 1 graroma e 3
dedgrnmma- : se i capacidade fr de 10 litros,
o peso que se deve collocar do outro lado sao 13
gramtnas. Por tanto n ar pesado, e pesa 1
gram,3 por litro
' Continaj
ro, o baeharel
Luiz; Teixeira de Barros;
para o de Ouricury, em Pernambuco, o
baeharel Lourenco Caetano de Albuquer-
que ; para os de Imperatriz e Porto Fran-
co, no Maranhao, o baeharel Jos Mara
Gonjalves Pereira.
Fo aposentado o official da secreta-
ria de polica da provincia do Maranhao,
Joao da Rocha Santos e nomeado para esse
lugar Francisco de Carvalho ^t*SV"*.
Foram nomeados : **
O teen te Joao" Nqwu^
para o posto de tenente-cormiej
talhao de infantaria da cmiarQ^deLimoe-
ro, em Pernambuco: o teneute Feliciano
Alvares da Costa para o de tenente coro-
nel chefe do estado-maoir, da comarca de
Macap, no Para, e o alferes Joao Lopes
da Cunha. para o de tenente-coronel com-
mandante do 29. batalh.to de infantaria da
mesma c marca.
Por portara de 29 foi designado
para organisar o archivo da justica o 1.
official Alfredo Deoclcciano da Silva Ta-
vares.
Ministerio da Agricultura
Foi concedida ao engenheiro Brotero
Frederico de Macedo Soares a exonera-
filo que pedio do lugar de 1. ajudante da
eommissao incumbida das obras de melho-
ramento do rio S. Francisco, e promovido
para o mesmo lugar, sobre proposta do
respectivo engenheiro chefe, o conductor
Joao Feliz Peixoto de AzeVedo Sobrinho.
Foi tambera promovido a conductor da
referida commissSo o auxiliar Antonio Ju
lio de Gouva Proenca.
Ministerio da Fazenda
Foi exonerado, a seu pedido, de direc-
tor do consefho fiscal da Caixa Econmica
e Monte de Succorro da corte o Sr. Vis-
conde de Tocantins, e nomeado para subs-
tituil-o o Sr. Barao de Itacuruss.
Foi oxonerado, a seu pedido, do car-
go de membro da junta administrativa da
Caixa de Amortsayao o Sr. Visconde de
Tocantins, e nomeado para substituil-o o
Sr. Visconde da Cruz Alta.

PARTE OFFICIAL
Ministerio do Imperio^
Chracm-foi elevado a conde o Sr. Vis-
conde de TGantins.
tfFoi agraciado com o ttulo de baro do
b Apa o brgadeiro Antonio Eneas Gus-
tavo Galvao.
CondecoracoesForam agraciados com
o* graos de cavalleiros das ordens: de 8.
Bento de Aviz, o tenente da armada Jos
Lopes Pereira Bahia, e da Rosa, Manoel
Pereira da Silveira Jnior.
Inspectora geral de hygiene-0 enge-
nheiro Eugenio de Andrade, que servia no
'Ministerio do Imperio, foi por aviso do 22
do corrente desligado d'cssa repartieSo e
nomeado engenheiro da inspectora de hy-
giene.
Btttulo di ImperialFoi concedido o ti-
tok> de imperial a Veneravel Ordem Ter-
cera'do Nossa Senhora do Monte do Car-
Mi nlsterlo da Instlea
Foi aposentado, a pedido, o Sr. desem-
bargador da RelacSo de Goyaz; SerapiSo
Eusebia de AssumpcSo.
- Foram renrovidos :
^H|iz de direito Bruao Jansen Pereira;
a peatdo, da comarca de Alcntara de 3."
entrancia, no MaranhSo, para a vara da
provedoria da cap tal da mesma provincia,
ae igual entrancia.
) juiz de direito Miguel Bernardo Viei-
U de Amorim, da comarca de Garuar,
Eje 2.a entrancia, em Pernambuco, para a
' de Alcntara, de 3.a, na provincia do Mara-
termo da Estrella para a de Petro-
t na provincia do Rio de Janeiro, o
J^el Sebastiao Benevennto tVieira de
ntfbo, a pedido.
iForam exonerados, a pedido : o ba-
^^^dro Paulo Antigono, do termo
em Goyaz; o baeharel
'aula Cavalcante, do ter-
em S. Paulo
P

; para
GoTerno da Provincia
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DA 6 DE
ABRIL DE 1889
Apolinario Florentino de Albuquerque
Maranhao.Concedo a lieensa e no-
meio para substituto Jos Carlos de S,
escrevente juramentado.
Capitao Antonio Dias Alves da Silva.
Prejudicado a vista da informacao do
commandante superior da guarda nacional
da comarca da Escada.
Adriano Augusto de Almeida Jordo.
Deferido com officio de hoje ao Thesouro
Provincial.
Felden Brothers.Remettido ae Sr.
inspector da Thesouraria de Fazenda
para attender.
O mesmo.Remettido ao Sr. inspector
do Thesouro Provincial para mandar ef-
fec uar o pagamento requerido, nao ha-
vendo objeejao a oppor.
O mesmo.Remettido ao Sr. inspec-
tor do Thesouro Provincial para mandar
efFectuar ao pagiimento requerido, nto
havendo objeccao a oppor. .
O mesmo. Passe-se.
Henrique Florentino da Silva Santiago.
Informe o Sr. director geral das obras
publicas.
Joaquim Doradlas da Silva. Coelho.
Deferido.
Joao Paulo de Miranda. Oppor tuna-
mente ser attendido.
Mara Antonia de Jess.D-se.
Maria Adelaide de Carvalho Oliveira.
Eutreguc-se, medante recibo.
Pedro Jos Carvalho e Souza.Mante-
uho nieu despacho anterior.
Vicente Penna de Albuquerque Nasci-
mento.Ag*;arde concurrencia, visto nao
ser urgente a obra.
Secretaria da Presidencia de Pernambu-
co, 8 de Abril de 1889.
O porteiro,
P. Chacn.
--------------Maee.--------------
Repartleo da Polica
2.1 secglo.-N. 348Secretara de Po-
lica de Pernambuco, 6 de Abril de 1889.
Illm. e Exm. Sr.Participo V. Exci
que foram recolhidos (.'asa de DetencSo
os seguntes individuos:
No da 6 :
A' minha ordem, Francisco de talf como
alienado at que tenha o conveniente des-
dino; Maximiano Gomes de Mendonfa,
vndo de S. Lonrenco da Matta, como va-
gabundo.
A' ordem do Dr. delegado do 1." dis-
tricto da capital, Manoel Olympio da Sil-
va, Pedro de Mello Mascarenhas, Manoel
C.'audino Pereira Dantas, Victoriano Igna
ci Severo e Amancio Jos Mara, por
disturbios e uo de armas defeza.
A' ordem do subdelegado da freguezia
de Santo Antonio, Antonio Oliveira dos
Santos, Manoel Andr Pereira da Silva,
Jos Arantes dos Res, Eduardo Hortencio,
Antonio Pinto Bandeira, Antonio Pereira
da Silva, Miximiano Pereira de Carva-
lho, Pedro Francisco Carvalho de Lima,
Porfirio de tal, Jos Francisco dos Santos,
Silvno Jos Caetano, Manoel Sevenno de
ampcao, Juvencio Bezerra de Mello,
Theophiio Francisco de Assis, Sebastiao
Antonio da Silva, Severo Jos Francisco,
I Vicente Ferreira de Paula, Cypriano de
| Souza Viegas e Antonio Pedro, como va
| gab-.ii: ^Ajtadfalentos.
ulegado do 1." diBtric-
Gouvea Cn-
Dr. Joaquim
to da freguezia de S. Jos, Antonio Firmo
Xavier e Alfredo Ricardo dos Santos Sel-
va, por disturbios^
No dia 7 :
A' minha oriem, Joao Loureno da Sil-
va, como vagabundo: Herculano Francis-
co Xavier de Sant'Anaa, como desertor
do exercito; Joaquim Teiles de Menczes.
Manoel Ignacio de Lima, Antonio Flix
da Silva, Vicente Ferreira de ^-ajo-e
Vicente Gomee d Costa, coohofMo por
Vicente de Lima, vindos do termo de
Goyam a, estes cerno criminosos e aquel-
los como sentenciados ; Jos Barbosa de
Lyra, conhecido por Jos Bucho e Fran-
cisco Soares de Gusmao, vindos do termo
de Tacarat, como criminosos.
A' ordem do subdelegado da freguezia
de Santo Antonio, Jesuino Alves Correia
da Silva, Eloy Alves da Silva, Luiz Au-
gusto do Rosario, por disturbios e Luiz
Machado de Araujo, por offensas moral
publica, minha disposicllo.
Pelo delegado de Goyanna foi-me re-
mettido eom officio de 2 do corrente, e
se acha recolhido na Casa de Detenoao o
criminoso de morte Vicente Gomes da
Costa, conhecido por Vicente de Lima, o
qual declarou no auto de perguntas a
que respondeu, haver feito um assassina
to em Gravat de Bezerros.
O referido crim noso foi capturado m
trras do engenho Goyanna Grande, de
propriedade de Veriato de
nha Brrelo, cunhado do
Tavares de 3Iello Barreto.
Communca e cdadao Jos Veira de
Mello Franco, ter no dia 6 do corrente
assumido o exercicio do cargo de delegar
do do termo de Pao d'Alho.
Participou-me o delegado do termo de
Jaboatao, que no dia 30 do mez passado
pelas. 5 horas da tarde, em trras do en-
genho Moienos daquelle termo, travando-
se de razes os individuos de nomes ^Au-
gusto Mendes da Silva e Pedro Hilario
amalho, dellas resultou sahircm ambos
feridos levemente, sendo preso eia fla-
grante Pedro Hilario Ramalho, e logran-
do evadir-se Augusto Mendes da Silva.
Aquella autoridade tomou conhecimen-
to do facto e abri sobre elle o competen-
te inquerto, que j teve o destino legal.
Communicou-me o delegado do termo
de Goyanna, que na noite de 24 do mez
prximo findo, em trras do engenho Mi-
randinha deqiielle termo, Silverio da Sil-
va Vindano, dous filhes deste, de noraes
Jos da Silva Vindano, Antonio da Silva
Vindano e um genro do mesmo Silverio,
de nome Jos de Amida Gomes, assas-
sinaram eom um tiro e diversas cacc-
tadas a Luiz Antonio de Moura, e
espancarara brbaramente a Maria Vic-
torina da ConceifSo, amasia da victima,
logrando evadirem-se logo aps o cri-
mt), sendo preso posteriormente o de
nome Jos de Amida Gomes.
Acerca do fac o procedeu-se nos termos
da le.
Deus guarde a V. Exe.Ulm. e Exm.
Sr. Dr. Innoeencio Marques de Araujo
Ges, muito digno presidente da provin-
cia. O chefe de polica interino, Daro
Cavalcante du Reg Albuquerque.
landeza Mphim, salvando-se os passageiros e a
tripolagao.
Ser aberto no dia 1 de Mao o Congresso Ar-
gentino.
.-2! de Ma
O premier
0 Chile ad
Montevideo,
O presidente
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA C DE ABRIL DE 1889
Contas do porteiro desta reparticSo.
Ao Sr. Dr. contador para os devdos fins.
Officio da directora geral das obras
publicas. Tnforin e o Sr. Dr. contador.
Officio do Dr. procurador dos feitos.
Volte a seccilo do contencioso.
Manoel do Santos Gomes, Ignacio
Jos de Barros, Antonio da Silva Veris
simo, Antonio Augus o da Silva Res e
Cosme Baptista Viegas.A' scelo do
contencioso para cumprir o despacho da
junta.
Marcelino Cunlia. Haja vista o Sr. Dr
procurador fiscal.
_------------~---------------
Reeebcdoria Provincial
DESPACHOS DO DIA DE ABRIL DE 1889
"Manoel Ferreira Bartholo, Jo3o Antonio
Goaende, Francisco Geraldo di Silva Bar-
roso, Bernardino Jos da Silva Maia, An-
gelo Custodio 'do Sacramento, Antonio
Francisco 'Areias, Almeida Costa & C,
Albino da Silva Leal, Caetano Cyriaco da
da Costa Moreira & C, Valentn Rodri-
gues dos Prazeres, Manoel Nunes da Silva
e Gabriel Curcino.Informe a 1.a seccao.
Joao Ferreira & C.:Stisfa5a a exi-
gencia da 1.a seccao.
6
Arehanja Mura Sebastiana Cavalcante,
A. M. Veras C, Gomes & SUva e Joao
Evangelista da Silva. Informe a I." sec-
c3o.
Jos Lopes Ferreira Maia.Satsfaca a
exigencia da 1.a seccao.
, RECIFE. 9 DE ABRIL DE 1889
Xoticias do Hu
0 paquete nacional Alagos, entrado hontem
foi portador das segrales noticias, alm das
offiaaea que vao publicadas na secle compe-
tente :
Parifico e nio da I*ral
as folnas da corle encontramos os seguintes
teli^'raminas :
Buenos'Ayres, 29 Je Mareo
A policia appreliendeu grande numero de bi-
Ihetes de lotera e eff>-ctuou a prisao de alguus
cambial
l'm delegado socialista belga visitar esta re-
publica, alim de examinar a h de im
migrau m paga pelo gover,
no argentino.
Dorante um tempor.il foi a pique a barca nol-
63 /..
,coi i vengo san i taria.
le Marco
repblica recusa conceder a
demissSo pedidltoelo Sr. Gonzalo amirez do.
cargo de minist, uruguavo na Repblica Ar-.
gentiaa. ^ MMa-^
Tfuenas-AjB Ne Marc^fB
A ('.anarMHMal des Mr^rW* bolsa
reunida hoje eSrosemblea resolveu pedir a sua
demisso collectiva.
Anvinl deve haver urna retnttp seral alim
de cleger urna nova cmara.
Julga se que chefe de polica da capital, co
ronel i'apdevila, te-ciona apresentar-se candida-
to ao minist'rio da guerra e da marinha.
Montevideo. 9 de Margo
0 Dr. Gonzalo Ramrez, ministro do Uruguay
em Buenos-Ayres, pedio sua demisso.
Valparaso, 30 de Marco
Falli a casa Lechcvafier.
A exportaco aqu est paralysada.
Buenos-Ayres, 30 de Margo ,
0 premio do ouro 59 %.
0 Sr. Gonzalo Ramrez, que acaba de exone-
rar se do lugar de ministro uruguayo aqui, deu
um banquete de despedida.
A provincia de Santa-F contractou com o seu
Hale um emprestimo de um e meio milho de
pesos.
0 Sr. Antonio Garca foi nomeado governador
da provincia de La Rioja.
Montevideo, 30 de Margo
0 governo vai mandar construir" urna univer-
sidad
0 Sr. J. E. Guide assumo a direegao interina
da legarSo argentina
Rio Grande do Sul
Xas mesmas folnas encontramos o seguate te-
legramma :
Porto Alegre, 29 de Margo
A Assembla votou em 3* discusso a conces-
sao ao Visconde de Figueiredo para o Banco de
Crdito Real.
. Foi a decisao bem aceita, seudo um grande
raelhoramf-nto para a provincia.
Parti hoje o deputado conselheiro Andrade
Figueira.
Sania < ulnariun
Anda as referida folhns encontramos este
telegramma :
Desterro, 30 de Margo
Fallecen boje de urna pneumona dupla o ma-
jor Joao Brrelo Picaneo da i esta, commandante
do 23 batalho de infantaria.
Sobre o fallecido diz o Jornal do Commercio da
corte o seguinte :
Assentando praga em 9 de Margo de 186o
foi promovido a 2 teneute em 1868, a ." em
1809, por actos de bravura, a capitao graduado
em 1871, a effeclivo em 1873 e a major em Janei-
ro deste anno.
Servio por muitos annos no 1 butalhao de
nfantaria e tt>raiundou a 8J companbia.
Promovido a najor parti para Santa Cama-
rina e ah assumio o co-.Timando do 25 bataHiao
de infantaria, cargo que exerceu por maito pou-
co tempo.
Era condecorado com o oflicialato da ordem
da Rosa e tinha o haDito de Aviz e a tnedalha de
mrito militar.
0 major Pcaogo era muo bemqusto pelo3
seus superiores e caraaradas e estimado por to-
dos os que o conheciam. .
H. Paulo
Datas at 30 de Margo
Pessoa de elevada posigio recebeu de dis-
tincto cavalheiro residente em Santos a seguinte
carta toda ebea de espontaneidade, e que do-
cumento valioso dos excellentes resultados pro-
duzidos pela bella iniciativa tomada por Sua Al-
teza o Sr. principe Conde d'Eu.
Eis a earta i
Amigo e senbor.-Com muito prazer recebi
a sua estimada carta de 19, e de coragao lhe
agradego o seu cuidado para coramigo. Na ver-
dade, meu amigo, tem sido um horror a epide-
mia que tem grassado nesta infeliz cidade e nao
sei o que seria de nos se aqu nao tivesse vindo
o principe Conde d'Eu. porqm antes da sua vi-
sita nada se tinha feito para combater a peste.
A populage em geral esta grata ao Conde
que foi recebido em Santos "pela gente sensata
com todas as demonstragoes de respeito e sjm-
pathia. O que tem dito em contrari alguns jor-
naes de todo o pooto inexacto. A primeira
vez que aqui veio o Principe e todos o espera
vam na capitana, apresentou-se elle na Miseri
cordia, onde se demorou cerca de 2 horas (e nao
minutos, 4;omo disserao) percorrendo as eofer-
marias, dirigindo-seaos doentes, consolando-es
e mostrando por tudo o mais vivo interesse.
Na Benehceacia Portugueza, segundo infor-
mages que me foram daas pelo vicepresiden-
te daquella inst'tuigao,.foi o Principe solicito em
pedir todos os esclarecimentos, mostrando o
maior empenho em minorar o soffrimento de
tantos infelizes e dando indicages uteis.
. Na sua segunda visita esta cidade o povo
o rcebeu com vivas ao Imperador e Princeza.
Apenas um grupo de quinze ou viute mocinbqs
postou se em orna esquina e deu vivas repbli-
ca, quando elle passava acompanhado do preai-
dcate da cmara. Esta a verdade e a quem
disser o contrario pode dizer que mente.
O que lhe posso garantir que depois da
visita do Conde e da chegada da eommissao de
soccorros, isto aqui licou mais animado, embora
continu com forga a epidemia. Tive muita
vontade de procurar fallar com o Principe e
muito mais depois que. lhe lembraram a idea de
de msntar se urna enfermara nn ('.armo, onde ao
lado forre o ribeiro mais pesiife.ro de Santos.
N5o rae foi, porem, dada a occasiao.
Nesle momento acaba de adoccro presiden-
te da cmara, um dos homens que mais tm tra-
balhado nesta horrorosa quadra.
Por actos de 22 e 23 a presidencia da pro-
vincia de S. Paulo deliberou abrir sob sua res-
ponsabilidade, e nos termos ao decreto de 1 de
Fevereiro de 1862, crditos na importancia de
la:000000 para seren appl\cados em Santos ao
tratamento de indigentes accommettidos de febre
amarella.
A Thesouraria de Fazenda, telegraphou innne-
diutaraenle Alfandega de -antos para que fos
sem entregues a quantia de 10:000*000 com-
missaode soccorros e a de 5:000*000 ao presi-
dente da eommissao sanitaria, Dr. Arauio Ges.
-t Ao presidente da Cmara de Santos foram
enviados mais os seguintes donativos : Pedro
Egydio de Souza Aaranha 100* ; Pedro Augus
to Rebello enviou 12 frangos para os doentes do
lazareto.
- A' disposigo do presidente da cmara
acba-se na collectoria geral a quantia de 9:300*.
quota essa destinada pela provincia para o trata
ment de iudigentes.
No dia 24, na foseada do capitao Antonio
Luiz arlos de Toledo, municipio do Bananal, o
liberto Adolpho, pormotiv s de nutre, a
nou a mao dr pilao o liberto Bernardo, quando
Horas depois, sendo o capitao Toledo sabedor
do crin e tendo-se evadido o criminoso, fe?
sabir ao encalgo do mesmo seu llho alferes
Leoncio, o qual efi'ectuou a pristo a tres leguas
de dir-tancia do lugar do delicio, sendo recolhido
o criminoso a cadeia.
O Jornal de Commercio da corte publicou
os seguintes telegrammas :
S Paulo, 30 de Margo.
Falleseu esta noite o Dr. Theophiio Dias, poeta
novel.'sobrinho de Gongalves nias.
Sepita-SR hoje as 4 horas da tarde.
Estece pouco concorrido o enterro do Dr.
Theqphilp Dias
Na capella do cemiterio, depois da^erimonia
Igiosarproferio um discurse o Dr. Rodrigo Lo-
___xS0* nPuidilIflR) de casa para o carro
fnebre pelos vrs. conselheiro GaviSo Peixoto,
Drs. Antonio Carlos e Albuquerque Lins e um
antigo companheiro do finado. Da porta do ce-
miterio para a capel la pelos Srs. Dr. Rodrigo
Lobato, pelo Federalista : Gaspar da Silva, pelo
Diario Mercantil. Lisboa Jnior, pelo Diario Po-
pular; e Hippolito da Silva, pela Provincia.
Agradou muito hontem a D. Sebastiana.
30 de Marco.
Encerrou-se hoje o exercicio de 1888. Por
falta de aviso previo sobre a alteragSo que soffivu
este ramo de servigo publico, ha grandes pre-
prejuizns, se nao fr prorogado o prazo.
A supracitada folha diz o seguinte sobre o
fallecimento do Dr. Theophiio Dias :
A litteratura nacional acaba de soffrer sen-
sivel perda.
Falleceu hontem em S. Paulo, conforme nos
communicou o lelegrapho, o Dr. Theophiio Dias,
que em numerosas produegoes revelara possante
lntelligencia e illustragao variada.
Era sobrinho do poeta Gongalves Dias. Xas-
ceu na cidade de Casias, provincia do Mar,
nho.
Em sua provincia natal fez parte do exercito
e vindo para esta corte foi empregado na secre-
taria do agricultura. J com alguma idade foi
para a academia de S. Paulo onde se bacharelou
em 1881, defendendo theses e tomando o grao
de doutor em 1883. Foi membro da assembla
provincial de S. Paulo em dous biennios e fez
concurso para o lugar de lente da academia.
Era casado com urna tilha do conselheiro Mar-
tim Francisco.
Publicou Lyra dos Verdes Annos e Cantos
Tropicacs aqui na corte e em S. Paulo Fanfarras
e a magistral traduegao em verso do Axhuverws
de Quinet, que deoomioou Comedia dos JJttue*.
Tinha amda grande numero de poesas valsas
e trabalhava em um grande poema americano.
Foi redactor em S. Paulo de muito jornaes.
Deixa a familia na miseria.
Rio de Janeiro
Datas at 31 de Margo.
S. A. R. o Sr. Conde d'Eu reassumira no dia
.'10 o commando geral de artilharia.
0 Jornal do Commercio diz o seguinte :
Consta que o governo recebeu communica:
gao da Santa S declarando aceitar a renuncia
do cargo de arcebispo e primar do Brazil solici-
tada pelo Ma.quez do Monte'Paschoal.
Consta-nos que o chefe d policia da pro-
vincia da Bahia, Dr. Domingos Rodrigues Gui-
mares, vai exercer o lugar de juiz; da provedoria
na mesma provincia.
Consta que foi aposentado no cargo de di-
rector da directora do commercio da secretaria
de Estado da Agricultura, o Sr. BarSo de Gui-
marftes e promovido para aquelle Ingar o chefe
de secgao da directora da agricultura Sr. com-
raendador Joaquim Maria Machado de Assis.
O Sr. Dr. Raycundo Teixeira Belfort Roxo,
inspector geral das obras publicas, apresentou
ao Sr. cooselheiro Rodrigo Silva, mmistro da
agricultura, em data de 27 do corrente, o se-
guinte relatorio sobre os trabalhos executados
pelo Sr. Dr. Frontn :
Cumprindo o aviso n. 12 de 21 do corrente,
qne me incumbi de llscalzar a expcuc&o do
contracto celebrado com o engenheiro Dr. Andr
Gustavo Paulo de Frontn, em data de 16 do
mesmo mez. para obras provisorias do abastec
ment d'agua desta capital, venho apresentar a
V. Exc. o resultado da minha eommissao.
As obras execuladas pelo engenheiro Dr. Paulo
de Frontn, em virtude do seu contracto, con
sistem em repreza c duas calhas de zioco assen-
tadas sobre o terreno era niveis difterentes,
desde as cachoeiras da Serra Velha e alto da
Serra Velha reunidas na mesma repreza. at o
reservatono do Barrilo, va urna extensao total
de seis kilmetros approximadamente.
No dia 25 as aguas canalisadas para o suppri-
aiento provisorio m^iam, em ambas as calhas,
cerca de 10,000,000 ae litros em 24 horas, con-
vindo notar qu? em tempo de secca as cachoei-
ras ua Serra Velha e alto da Serra Velha repre-
sentam, segundo as medices do engenheiro
Gotto em 1874, o volume de 8,300,000 litros, c
segundo as mediges da directora das obras do
novo abastecimento d'agua o de 9.070 000 litros.
As aguas canalisadas pelo contractante actual-
mente nao sao precisas para o abastecimento da
regiao da cidade, a que erain destinadas, por
haver sobras dos amigos mananciaes, e nao
foram anda recebidas no reservatorio do bar-
rilo por estarem barrentas, cm razo de des-
moranamentos produzdos pelas ultimas ebuvas.
A calna que tinha por fim trazer as aguas da
cachoeira de Cantagallo, calculada pela direc-
tora das obras do novo abastecimento d'agua
em 1,650.000 litros em tempo de secca, licou in-
terrumpida por causa de um desses desmorona-
mentos.
As obras sao de carcter excessivameule pro-
visorio como permittia o exiguo prazo de seis
dias .estipulado no contracto, sendo incontestavel
que nao podero resistir a ebuvas abundantes,
sem eflcaz consohdagio, que as transformar
em obras definitivas, nao ne parecendo neste
caso inteiramente justiticavel o projecto adop
lado, visto que foi para conJiges muito dille
rentes, como sao as (lo abastecimento provisorio
em occasiao de urna secca que a.neagava prolon-
garse. .
Quanlo acs terrenos c raanan;iae,s adquiridos
e utilisados sao exclusivamente os da cachoeira
da Serra Velha, a que se refere a clausula 4." do
contracto.
O contractante dcixou de canalisar as aguas
da cachoeira do rio S. Pedro, a que se refero a
mesma clausula e pretenda em subsfmgo ca-
nalisar as do Macuco e Cantagallo, o que de certo
teria levado a effeito dentro do prazo estipulado,
a julgar pelas obras executadas, se nao tivessem
occorrido chuvas abundantes, que iuutilisaram
parte des trabalhos durante a execugSo.
Attendeado a esta circumstancia imprevista,
que se pode codsiderr forga maior, |e clausu-
la primeira do contrato proponho a V. Exc. que
sejam aceitas as obras executadas, paga a pres-
tacao de 50 0005 da clausula 13", restituido, po-
tar,-
rm, o material nao empregado e fornecido pela
inspectora das obras publicas, em virtude da
clausula i* Jo contracto, e que se nao se tiver
intil i-ado.
Devo tarabea) communicar a ^. Exc. que o
eontraianic se encarregou da couse vagao de
todas as Obraa gratuitamente at o dia 24 do
prximo mez, ou durante 30 das.
Sob a epigrapne Horrivel d o Monitor Sam-
pitta, de 28 a seguinte noticia :
a No na 10 du corrente deu se. no municipio
de Araraaras rivel facto que abarse nar-
ramos :
. Devido secca de tre mezes,
que tem a--i.i I e os municipios vizi-
nhos, g 'sfavam uesruindo ca-
fezaes, rogas p ites, etc. Nes.
se dia mao 11 injjadio as to-
gas e maia- I r* de proprie-
dade do najor 1- entunes de Figuei-
redo, sita na freguezjp da S. SebastiSo dito do
municipio.
O referido major Fortunato sahio logo pela
raanh em compauhia de dous alagados, para
atlhar o incendio e trabalharam at hora de
aluiocar, c a essa hora dirigram-se para casa e
almogaram. 0 infeliz major Fortunato, impa-
ciente 'elo justo motivo de ver o prejuizo que
eslava, soffrendo, logo que tomou algum alimen-
ta, de novo Mo a atalnar o foco dizeado aos
empreg.i panhasseag
Quanel^Sn>ori, chefaram, log aps,
ao lugar do incendio, com terrivel espectculo
depararam ? O infeliz major tinha sido suffoca-
do pelo fumo, estava cnido e, tendo as cham-
raass se aleado s roupas estava a expirar, to-
do queimado; apenas balbuciou Valha-me Je-
Jesus t
O finado, comquanto, septuagenario, era vi-
goroso e de actividade pouco vulgar ua idade
em que estava.
" De carcter austero, de rigidez de principios,
fervoroso adepto da escola conservadora e de
theorias proprias. com as quaes era inflexivel,
dizia : antes quebrar, que torcer.
Era um dos mais abastados fazendeiros da-
quelle municipio" no qual era tido em muita con -
siderago
- Falleceu na corte o antigo negociante des-
ta praga Antonio de Babo Ribeiro e Souza, pai
do Sr. Antonio de Babo Ribeiro e Souza Jnior
chefe da 2a seccao da contadoria da marinha.
Os rendiuientos das repartiges scaes em
Margo foram :-
4,579:033*373
3,922:454*23?
581:312*611
531:777*932
159:787*931
219:374*671
Alfandega
No mesmo mez de 1888
Reeebcdoria
No mesmo mez de 1888
Mesa Provincial
No mesmo mei de 1888
Babia
Dalas at 4 de Abril.
- Abiira-se no dia 3 a 2' sesso da Assembla
Legislativa Provincial, lendo e relatorio o de
zembargador vice presidente da provincia, de-'
pois do que passou-se eleigio da mesa, que
licou assim organisada:
PresidenteDr. Joo Dantas.
I* vice presidente -Vigario Agripiuo.
2" vicepresidente -Alexandre Herculano.
3o vice-presidenteCoronel Thc-mistocles.
Io secretario -Antonio Bahia.
2" secretarioDr. Joao Evangelista.
- Da cadeia da villa do Bom Jess dos Mei-
ras evadiram se os criminosos de morte Boa-
ventura Pereira da Cruz. Francisco. Antonio Vi-
anna, Victorio Barbosa Teiles e Manoel Cordeiro
da Silva.
A culpa daevasfio, con^aj-ecahe obre o com-
mandante do destacamerifl
A's dez horas da noneTfe 2. na capital fal-
leceu, victima de urna leso cardiaca, o telegra-
phista de Ia classe Felismino Jos Pereira de
Paula Reis, encarregado fia estago telegnphica
terrestre da capital.
O Uado deixou viuva e nove filbos 3ma||res,
aos quaes nada mais lega do que um noraHon-
rado.
Era muito bemqusto peles seus chefes ecom-
panheir, s de trabalho.
Contava 48 annos de idade e sepultou-se, ao
dia 3 tarde, no cemiterio da Quinta dos La-
zaros.
Fallecern) tambera na capital, com 52 annos
de idade o negociante Paulo Augusto de Olivei-
ra, e com 71 annos o capitao Joaquim Damasio
da Silva.
Alagoa
Datas at 6 de Abril.
- S. Exc. o Sr. Dr. Milton, presidente dd
provincia, acompannado de seu olicial de gabi-
nete, visitou hontem o thesouro provincial e a
thesouraria de fazenda, percorrendo todas as
secges de ambos os estabelecimentos.
Ao passo que impressionou agradavelmentc a
S. Exc. o predio da thesouraria pelo seu estado
de asseio, nao poude dissimular o seu desagra-
do pelo estado do edificio em que faocciona o
thesouro e serve de pago assembla provin-
cial.
Consequentemente manifestou S. Exc o sea
pesar por nao lhe ser possivel realizar as obras
de qne carece o dito predio, que consta nSo ter
desde 1859 recebido sequer uraa mo de tinta.
Sendo aquellas obras de alguma impo-tancia,
nao podem ser feitas com os recursos ordinarios
do orgamenfo p lo que devenios esperar que em
sua prxima reuniao a assembla vote os meios
necessarios para efiectual-as, caso nao queira
gastar muito maior quantia d'aqui a ponco
tempo.
S. Exc. resolveu ltimamente mandar fazer
mais estas obras na capital:
Concert da ladeira do Bebedouro, ha muito
tempo reclamado e que se tornava urgente em
consequencia da eslagao invernosa que se ap-
proxima, e poderia destruir completamente ess
melhoramento, que custou alias grande somma
provincia.
Reparo da ponte dos Fonsecas, estragada1 em
parte, tendo a empreza de bonds, conforme
j publicamos tomado a si metade da despeza a
fazer-se.
Limpeza, e nintura e avivamento das inscrip-
ges, da memoria existente na praga de D. Pe-
dro n.
Tambera S. Exc. dera as necessarias pron- .
dencias alira de serem mmediata e convenien-
temente soccorridos os atacados de varila em
Pencdo AlaguS e outros pontos.
O Trab'lho, de P3o de Assucar, de 16 da
passado noticia :
Qdarta-feira da semana prxima passada, urna..
canoa que descia de Piranhas. com destino a
Entre Montes, no lugar Sinirabu, foi de encontr
urna pedra e naufragou. V
Neste desastre morreram afogados Candida
Martins Lisboa e duas mulheres.
Os cadveres das victimas foram encontrados
no dia seguinte e transportados para Entre Moa-
tes, onde foram sepultados.
O Orbe de 4 d'este mez noicia nos seguintes
termos o fallecimento do Dr. Marianno Joaquim
da Silva :
Ante-hontem, pelas 7 horas da manhfi, fal-
leceu n'esta capital odeputado geral, represen-
tinte do 3o districto d'esta provincia, Dr. Maria-
no Joaquim da Silva.
Pernambucano de nascimento. desde sua foi;-
malura na antiga academia deOlrada, veio resi-
dir n'esta provincia, onde sendo sempre poltico
activo, exerceu diversos cargos importantes n'es-
ta capital, mereceodo a confiauga dos seus cor-
religionarios.
E' um hornera de espirito culto e. ptimo
rogado.
- Tendo era seus primeiros annos de vida
blica abragado o partido conservador, al
nou-o pouco depois para se declarar iil
0 parado liberal alagoano recb
terrivel golpe com o passamento do representante
do 3 districto.
- O seu entrramelo I
de de segu'nda-feira campal
numero de amigos polticos d
Notamos a presenga d
da provincia qne pegou na
0 Dr. Marianno d
mua i|unl damos p
teza.
do cli
Com
"I

'
I





2
Diario de PemambucoTr^a- 9 de Abril de l*H&

n


i Jfa--
"ro.
Ao acompanhou a sociedadB
EMherpe .\lagoana. dizendo algu-
palavras juitoasapultuia oSr. Mauoel Lau-.
Jnior.
\otlvias da Europa
O paquete ngtea ^jenr aoBBBon*
tem ra portada* de follms deyLi-Utuicaopn
a 27 do passa-lesu d laaap aitn dnnaa^s 4a qu
as traziiias petoaaqiintairnaaKz Qmwqu*
Eis a resenbadas pnncipaes noticias, salao a
de Portugal, coanJantaaaa carta do nessooorres-
pondente de UBOa. publicada soUa.rubrw.fi'x
terior:
RelaiivameatfestatweinoiiiWWii-nogHt'/oU- .que esbmaHrmuUo desamuiados ron o>
6 dos quaes no n
ai n da materos
governo passara de 16 imlhCi
ministerio da gu<
nimstroda fazen.la reclama
economas.
Frasea
Continua, o ministerio Tirard a oppr^i derida
encr^ia aos manejo* dos boulangisbts que sao
declaradamente auxiliados pelos monarchicos,
de quem sao instrumento inconsciente, segundo
se diz.
as peiquiaa .fintea iitnt iMaaaees da bausa
diMiaamam awwe encairaanio docuoeantos
cnaiteis-de que e*taso*tedade se cotutifira
'uina-Ofyanisada co ijuracao,. pewnpta para se
pi' em-oampo. quando' chenasse o momento op-
portuno aliiu de dar golpe morad as adunes
nsiiraiges e proclamar dictada geueral fioir-
langer.
A actisidadtea firmeza mosteadas pelo actual
hjover.aoi tem do o app lause tos republicanos.
Nao erio
deslro-
Os eitabeleciraentoscommeruiaes fecliaram as
haviJo desgranas pes-
porlas.
Receta se que tcnba
soaas.
Ha poaccs dws partiram de Barcelona cora di-
recc; a Mudrid os delegados dos professores de
nstrucgio primaria, que foram reclamar do go-
verno o pagamento dos seus ordeaados,
as estagOes intermediarias aggregarara se-
thes putras commis^Ges.
O comitf hespaiilio! na exposigo de Pars
perguutou ao governo se Ihe era permittido cpl-
focar a bandeira nacional no pavilho, crabora
oo seja ofliciai'a representaefto da Hespanha.
O cousclho de ministros resolveu aflirmativa-
(nente, comtanto que sobre a bandeira se tra-
casse o diatiso de secgo hcspanhola.
^0 Sr. Berger. director da exposigo universal,
apresentou a 22 ;o Sr. Tirard, presidente do
consetho de ministros, os Srs. D. Matias Lonez
senador, e Vonlera-gro. deputado as cortes, pre-
sidente e delegado peral do comit de Madrid.
A Repvblira orgo do partido federal, que
apoia o Sr. Pi y Margal!, iniciou de novo o as-
supipto da liga republicana, encaiecendo a sua
necessidade para conseguir o triumpbo da rep-
blica.
A Jiutira. que representa o Sr. Salmern,
aceita a idea e promette Ihe o seo apoio.
. O Liberal applaude-a. porque er" que, dividido
o partido republicano hespanhol em dous gran
des e poderosos agrpamelos, o federal, que
lem porchefe o Sr. Pi v Margall.c o progressis-
ta, capitaneado pelo Sr. Kuiz Zorrilla, a estes
dous bomens corresponde fazer a liga; obser-
vndose torera que a Repblica representante
do priajeiro a propoe, e o Paiz, orgo do ultimo
se conserva silencioso.
Este silencio e muito commentado nos centros
republicanos.
Na reunio dos socialistas para comraemorar
a prochimngo da communa de Paris, leu a apo-
loga desta o mmpanheiro Iglezias e disse que a
revolucao social em Hespanha, ser maior, dei-
tando-sc a mao a quanto haja nos bancos e ca-
sa?. e qneimando-se o livro da divida publica.
Di *al, de Madrid, que algumas ae-
nboras da aristocracia receberam, era pravas de
prensa, as suas respectivas- biographias com
ameagadas com a publ-
v-se nao entregaren) certa quautia em di-
Advinha-ge fcilmente, que essas cartas con-
. .es e insultos da peior especie,
t casos de Chanage tera conhecimento
ci nador civil, a quem pensan dirk
'Tendidas, para que seja per-
la v wttire ekanteur.
i te da Repblica Argentina par
Sevilba, demorando-se afgu
is em Gercz de la Fratera, onde fallara
s da cmara do commerek), a
lo commercial entre a Hespa
\rgentina.
liara as principaes cjdades
da repblica
igum tem-
fe do
precitado correspanaate o
A 20 do crreme a rainha Victoria vi-itju
Fueulerrahia.
0overnador civil, o presidente da deputacao
provinwl, o presidente da cmara municipal de
Zum eWconsul inglez receberam a soberana na
estagao de^s. Sebastian que eslava apiuhada de*
povo.
A rainba Vieloria e a sua comitiva entraram
logo as carruagens, que as conduziram a Fuoci-
lerriibia,,,cujas iirinrjpaes ras aliuivessaram.
A can&oaera bespaobola Ttjo salvou a passag.nn
da regia comitiva, que r.gn-ssou aFranga por
Zum-e Beuovia passanJo a parte internacional.
Era San Sekasti conlinuavam os preparativos
pararjeeber *s soberanas.
Aonunciava-se parao'da a viada de nume-
rosos visita ntes estrangeiros. A 26 chegaram
all os funccwaarios francezes que. ve o cuajpri-
nentar a raioba Victoria ^m uome do governo
da Repub! 4
Docdidamcote rFSr. S u-asta acompanhara a
ainbaTegenle.a San Sebastian. O infante D. An-
tonio e a infanta D Eulaia partiram para Biar
ritz aicompriineatar a rainha Victoria. Suas alte-
zas (.'Stariom de volta <*in Madrid no dia 26.
No dia 27 do corrente, a rainha Victoria, en-
contrir-.se na rom a rainha regente de Hespanha
-Un Seba:tiau. Nao haver os festejos que
niuitis desejavam. Aoeaaa um almogo intimo no
,io d" Avete e em seguida um baile decam-
ponezas organisado pelo ymetamiento. Ao ca-
hir ila noite a rainha Victoria seguir paraBiar-
ritz.
O coiuelha de mini-tros resolveu qui o Sr.Sa-
ga-ia e. ministro dos estrangokos vao receber *a
rainba Victoria frouteirsi.
Parti a 2a para San Sebastian em comboio es-
pecia!,a rainha regente, acompanhada pelos Srs.
Sag*ia e marquez de la Vega de Arinijo. R"-
^ressar a Madrid no dia 29.
Em San Sebasiian tinham-se acabalo a 26 os
preparativos nos aposentos destinados s rainhas.
A rainba Victoria oceupar os quart.os-em que
eeteve o verao passado a ramlia regente, e a re-
jente aquelles onde habitou o rei D. Alfonso
XIII. >s sulOes foram adornados com 3:000 ou-
Hjelias e de Nlce veio um milbo de violetas que
serao opal lia Jas na entrada at a sala de
throno.
A regente chegar," iqui boje s 10 horas, indo
logo assistir ao Te-tem*. Prepara-se-lhe recep-
olio entbusiastica.
Na cath.^dral de Seviiha houve a 2i um incen-
dio, que leitruio urna pequea capella cora dois
quadros de mrito : mas felizmente foi logo do-
minado.
Em Barcelloiia-effectMOU-se um comicio de..
10:000 pessoas para proteslar contra o novo c-
digo civil, conshleranuo-o contra as lea ctalas.
Foi approvado pelo congresso a proposla de
lei sobre a reeleico dos vereadores.
A commisso presidida, pelo tiuque de Vera-
guas reuni se n > dia2.J para discutir a emenda
do deputado Torre Vilineu va, propondo a ele i
vagao dos direitos sobre trigos e farinhas proce
denles do estrangero, sendo regeitada por 17
votos contra 12.
Oseu.autor formular novaraente a emenda
sob a forma de vol! ser presentado ao governo pela commisso
a Garia.
Houve conseUio de ministros no dia 23 consa-
grado ao exame dos orgamentos e questOes rea-
tivas, cmara municipal.
^terquez de Tnves, referindo-se aos Boatos
da croe, perguntou ao ministro dos negocios es-
trangeiros o fundamento delles.
O ministro respondeu negando o motivo para
mudaneas uo gabinete, sobretudo estanoo pen-
Jente a resolgo de graves problemas econ-
micos.
Continuara as conferencias dos personagens
polticos para trataren) de afTrouxar a tenso de
relagOes ntreos rs. Sagasta e Marios.
E' crenga geral que a mse ministerial hcar
adiada para meado de Abril.
Os ministros acabaran de organsar os orga-
inentos dos seus respectivos ministerios com
grandes conomias.
O viajaote explorador hespaiibolLorella,como
representante do cardual Lavigerie, offereceu ao
cardeal arcebispo de Toledo a presidencia da
junta hespanhola da liga onti-esclavagista.
Cabio a 23 sobre Barcelona urna violentissim.i
tempestade.
6s navios surtoaao porto prcetsaram de rei
forcar as suas amarragoesi
Os grandes pedriscos fizeram muitos
gos.
que as congas podrrea? lam lomando.
A necessidade do procedimento que est usan-
do o ministerio actual parece justificada- pela
forga e pela onsa.lia que haviam ganho os cons-
piradores dos difTerenies matizes com a fraqueza
u u complacencias do actual gabinele.
ro-ejuem.emreiultado os iutrimgalflriftn do
juiz deinstruccSo ajs deputados coinpromctldos
n'a^'lla assoeiagSo.
^s Srs. Tuiquet,-Laisant, Gallian, NaqueteDe-
rourele mantiveram-se na mesma atiiiude de re-
serva, iniciada pelo deputado Laguerre.
Silencio absoluto c a mai* formal resistencia
em assignar qnabuer folha do piocewx
Bis como o Figuro e o T.mps resamemoplano
dos dois bomens sobre e* quaes coimrgeti ac-
tualmente as attencOes d^todos os quese int-
ress-anfa serio pelos delhios da Franca.
Esses-artigos'r.rrjim nxs suaa linhas princi-
pies o plano dos dois prelendjotes, o.general
Bulahifr e Conde de Pariis.
Quanto ao general elle procurar manter se
cuidadosamente no terreno da repblica e da te-
u'alidmle.
Apoiar as prjimas eleiges todos os candi-
datos que houverem acceitado o seu proprainma,
isto o que chama a repblica nacional; nao
oppor nenhum competidor ao- aotBaea deputa-
dos da dircita, mas fari a mais acesa guerra aos
opportuoistas.
Calcula-e que assim ir cmara urna raaio-
ria de 300 votos conserradore-,
Feito isso e constituida a Cmara, oSr. Cariiol.
obngado a organsar ura ministerio lindo da
materia, ha de chamar o Sr. Boulaiger qoe w
recusar a acceitar tal mis-So.
Todos os memoro^ da direi i que forera chu-
mados se recusaro igualmente.
Se se formar um ministerio d esquerda, a
maiona. denubai-o ha imiiK'diatam'iile. O pro-
-idele da republira n5o ftoiter recorrer dis-
solugao. porque issoaggravaria as circumbUnoiai,
irritando os eleitores.
A consequencra ser a exonerngo do Sr. Car-
not, a reunio do congresso e a eleico do >rr
BouKingei- para presidente da repblica.
D'aqui ao liai o eamiono fcil, Uavcr um ple-
biscito emquesero piopostosaopaiza?seguin-
tes quesitos :
1. Queris a conservag da concordata ?
2." Queris irmSs de caridade nos hospi
taes ?
3. Queris os memhros das [congregag*S' re
li-iosas as escolas f
4.e Queris curas as parochias ?
Haver urna enorme maioria, que responder:
sim e o Sr Houlanger ticar. com todo o apote
dos clericaes e senhor absolnlo dos destinos da
Franca
Vejamos agora qtral o plano do Conde de Pa-
rs, seawido o mesmo articulrsta.
O pomo que mais preoecupa este preiendeule,
e a que tudo subordina o augmento numrico
da direita monarernca oa futura cmara, nico
meio de se restabelecer Irgalmente a monarchia.
Pretende que se nao perca nenburaa das ca-
deiras actualmente oceupadas na cascara por
aquelle parlnto, e aspira a quese ganhem ainda
mais cem.
O geueral Boulanger ser* o anxiliar, graga* ao
qua! so poderi eooseguir es-e desi'leratum.
Se for elcitopor cem circuios, ar depois ele-
ger candidatos monarchicos em sua substitui-
go.
Os 30"> reaccionarios que assim terilo assento
na 'lamara, e cuja grande rnaioria ser monar-i
chica, dictarse a lei aos 2K) republicanos.
Sera votada a Becessida'le ta reforma daCons-
titoicao. reunir-se-ba o congresso, e este, alte-
rando apenas alyuns artigos das leis fundamen-
laes, restabelecer a monarchia, sem graode per-
turbagionem perigwo abalo.
Esto bem tragados os dois planos. Smente
certo que as coisas podiriam caminhar como osj
dois pretendeotes as prevm na parte em qae
o plano commum, isto 6. est o ponto de con-
seguir levar materia da colligag&o amara
dos Deputados; mas que d'abi i>or orante cada
um d'elles puxara para seu lado, e ambos ve-
riam os seus esforcos mallogra lus
Estas conjeA-turas diz um jornal oo sao bhq-
!as de abjeegao; certo, porra, que uo Ibes
falta ura axande fundo de erdade, de onde pare
ce resaltar que mais de urna vez metade>da es
pecie humana andaa illartir eutra metade.
Os jornaes inglezes publicara a seguinte carta,
dirigida pele general a niisso Huti.bitigs. n pro-
posito de um artigo de lord Charles Bercsford,
inserto na Xineterntk Crntury, e em que o articu
lista aflirmava que a guerra fazia parta da politi
ca futura de Boulaoger.
Piriz, li de Mapca.
Agradeco a sua carta de II, pode crer que to-
dos aquelles que asseguram querer eu a guerra
no futuro, onde attribuemaintengoes completa
mente falsas. J tenho desmentido, por mais
de urna vez, varias asserges idnticas a esta,
affirmando nelo contrario que o raeu maior de
sejo ver a Frauga em boas relages com todos
os estados visinhos. Quero a oaz c com ella o
trabalho e a economa. General Boulanger.
Foi acolhida com grandes manifestagoes a af-
rmago de Botila iger de que pretende que se
conservem as tradiges religiosas.
A' vista de tal d i crer nas prximas eleiges
os candidatos boulangistas tenharn o poderoso
auxilio do elemento.catholico. A sua infraen
cia grande, principalmente nos districtos ru
raes.
Os jornaes esqnerdistas nao dissimulam a in
quielagao que tal facto Ibes inspira. Os mnis-
teriacs acorrselham o govetnoa realizar a depu-
rago administrativa, isto a declarar suspen-
sos os prefeitos e ou'ros funecionarios suspeitos
de contribuirem na affixago de cartazes bou-
lan-istas. Muitos prefeitos teem ido uestes l-
timos das Par.z, afim de colber influentes po
uticos que Ibes garantamaconservae^io dos-seus
lugares.
O governo francez resolveu apressaradiscus-
so dos orgamentos, afim de suspender as ses-
soes e evitar escndalos promovidos pelos ata
ques que se cruzam entre a imprensa ministe-
rial e a boulangista.
0 tribunal do commercio, esttuindo sobre u
requerimento apresentado por accionistas \para
a d'ssolugo da sociedade do Comptoir fSi
pie. decidi que nao ha motivo para sentenciar
n!u a dissolurlo da sociedade, nem a nomea-
go d'um liquidador; mas nomeou administra-
dores provisorios os Srs. Mazean eMontcbicourl,
com o poder de convocaren) a assembla grral
dos accionislas para estatuir sobre a dissolu-
go.
O projecto de lei tendente reforma da cma-
ra dos deputados franceza. contem as segrales
disposkjes fundaraentaes : legislatura por seis
annos er 'invaeo triennal de metade da cma-
ra A co imisso parlamentar ouvio ha das o
Sr. Constans. ministro do interior, aue, era no"
me do governo, se declarou favoravel ao princi-
n'o da renovaco parcial, no sentido da propos-
ta Dupuv. .
O Sr. Antoine. o depulado demssiouano ue.
Hetl Alsacia Lorena. na Reichstag, entrn em
Pa.-Ii s l e !' i ao ministro da justiga urna carta
pintes termos: .
uei a" ao I
r:ausu!a'do tratado de
aos al^aeian
ceza*. 'refiro seguir a sorte
meas compatriotas e luctar cora elle
nosso- M. .
Exilado ha dous annos, mpos3ibihtado -le
puz o uieu mandato de deputado por Metz.
VOlto Franca.
Tenho a honra, Sr. ministro, de solicitar a
minha reintegracSo como france*, era virtude
do art. 18 dojjodigo civil.
- vezas por cau-
acClurtFranga,
serviro militar Allemaiiha, pois que riz a cara-
pacha de 1870 como tenente da Moselle, e
rido no cerco de Thionville.
Dgnese aceitar a impresso dos meus sea#-
tiraoHtos, ett.
. O decre o de reintegragao foi logo submati-
do ao presidente da repblica que o assignu.
Os jornaes francezes levantavam um coro pa
triotico. ao descrever a enthusiasiica recpgo
fH pitoaiain ominmin itortmi '
na pum, aaaaaaw caaaaoiowppareceu
eontiouaadMem|B>nnienos e vebeatenteaH
5lj nuil Wttatr" a puro barafuslava para su
poJer. jparoaiBiar tde M. Entorne n abragal-O
tluvesdjacijraes iraponontissiraos : de Mi Ger
ville Rnudieicputado |K)r.fiuadulupe, qne em
nome ui^ariranenkiBBianiraalu a sua. oongia
'ulaco: de M. Nutrbtiyc/uai dos membros da
i I niiaial iar"" xnaia eatnaadoatem Pnriz; de
inijadM. fi aarhi hi nonm osieatudantes; e de M
Emile Richard, do conselho municipal em no
me da cidade de Pariz.
Commovidissimo, o Sr. Antoine respondeu
era terraoapalrjrtics e vehementes, protestante
o seu acrisolado affecto Franga.
Todos os discursos foram seguidos de vivas
>iauihamm <%<& RepuMica.
O banquete dado a 22. noite era Paris pelo
Sr. Antoine contava 48 convivas, entre os quaes
diversos, notadas e senadores.
O Ilustre ampbytrio explicou que Jvem para
a|Franga a dizer aos francezes que deixem de se
despedagar entre si porque, a Alsacia Lo*rena
sotfre com.asas deuni.-;.
0 deiiutadode Metz detatatura regular e de
vigofo.-acouatrucgio,, cabellos gnttUus, cou-
tr.:slaado com o bigode negro e farto
O oiar^ ntelligeute e a pliysioaomia sua|>a-
thica, ruvelandii franqueza e^eneigia.
Oi seusMHSao siiiiplwe allavcis ; perce-
be se que.'jpHKeia a aiTe&o e qie -abe en-
carar o dei*r como-urna coB3a.lialuralissi.ua
Nota-se agora nas suas palavras certa hesibi-
gct. pjoveaumte da escolliaa quese forgad i
afim Je naajjjjompromutter ou aggravar a situa-
go .los.alsaciauus. *
O correspaudeut.' em Berlim para o StandanL,
fiz notar.que osjo1"11111-1 allemes tratara de resto
a demissuo de M. Antoine.
Aflirmam, porm, alguus jor.iaes que .docu-
mentos appreheiidiilos Liga dos Patiotas com-
promettera de tal rorma o depulado demissioua-
rio que ser ihc-hiairapossivcl-continuar a entrar
no Reichstag.
Os juniaes francezes classilicam de calumnia
aquella ass reo.
A divida lia tuanle da Franga tem augmentado
coasidoraviiliiiente, vendoseobrigado u governo
a contrahir u n empiestimo.
O gou'rno, porm .noq.uec tratar do assumpto,
ante das eleiges.
C iraprehtiidese...
paree: seren
JUnciIUIi
Aguarda a abertura da nova cmara.
Uizsequeoempr sliraoserde milequinheii-
tos mitades de francos !
O l'iuxl Qfjkud acaba de promulgar a le qui-
prohibe apregoar-se o assumpto dos jornaes
Era vii lude d'^iquella lei. os vendeilores so podem
apregoar os ttulos dos jornaes.
J esl elaborado o prognamma das festas da
Exoasigo Universal d Pars.
As despezas tolacs sao avahadas era tres mt-
IhOesjde trancos, assira destribuidos : ,um inilhao
pelo estado, outro pela muniipalidade de Paris
e outro pela adminisU-2g.da exposigo.
Eis o programina :
'estas re5de Maio** Versailes DespezaDOve
contos.
Festa (h 6 de Miiu em Paris.Inauguraco, ib
InraineOeg publices, etc. Despeja oi loalros
F<:<>as de udeJalhoeoi Pam. -Orgamento ha-
bitual de 36 contos e elevado este anno a 108
contos. despeza a cargo da muneipalidade c do
Es'ado. ,.
Festtu do Palnrio da Inditsiria de 16 de Jaliw a
31-leAgmto.- Coneertos inrernactenaes, quatro
batnraeti seguidos de bailes, baile offei-ecido
os operarios da exposicoe aossyndicatoope
rarios/etc.Despezar quatro coraos pela muni-
cipalidade e nove contos pelo Estado, que conce-
der '-'raluihimoute moveise tapegarias.
Festntdt Setembro. -*-. oncurso de orpheons,
etcDes|ieza, 27 contos, metade pelo municipio
metade pelo Estado.
Continuara era Franga as gretes operarras.
pon*m com menor inteosidade. .
Eai Pereii-lrtes os operarios' percorreram as
ruas-a cidade cantando a Marselbeza e levando
sua Ir-na um /rmsu'empunhaiido urna ban-
deira trico ar.
Em llailleul ajr< juga-se terminada.
Era Lile eiscentos operarios reunidos conliarara
aos seus delegados a raisso- de se entenderem
com os seus patres respectivos
Uraa gr've de operarios de carruagens de
Soinmedrene (Meuse), que durava havia perto
.1.' dous mezes terminou, depois de alguns in-
cidentes.
A' 19 de Margo em consecuencia de alguraas
tentativas infructferas de conciliago. um certo
numero de operarios, acoaipanhadosde raulheres
e|Jecriancas, entraram forga em casa do
uiesire. da fabrica onde frzeram varios estragosi
arrombando as portas e as janeHas.
Foram presos quatro operarios como cabecos
de motim.
Pouco depois os gremios chegaram a um ac-
cordocomos pairees, pecomegando os trbateos
Os anarchistas .1'ArmcntWrcs e Boubaix re-
uniram-se no anniversario do da t8 de Margo
Una das ri-soteges lomadas foi chamar os ope-
rarios revolta/visto julsareo nio poder liayer
eonciliaeo, no conllicto travado entre o capital
e o trabalh i.
Foram tomadas varias providencias em conse-
quencia destas r-solueics.
A cmara dos- deputiidos, por occasio de se
regular o orgamento definitivo'le 1876, approvou
urna proposta do8r.Fernand l-aure ndente a
autorisar a acgo judicial contra o ministro que
em 1876, sem autorisago da cmara, raanaou
preparar u'i cambte especial para transportar
D. Carlos de Bourbon desde Pan a Boulogne.
A cmara ^los deputados approvou o projecto
le sanearacnto do Sena.
O Siecle deemente os rumores de desuecordo
entre os miaistros.
sniu
O caso das bombas explosivas desooberto era
Zurich adquire. de dia para* dia, maior impor-
tancia, e originar provavelmente uraa acgo
diplomtica da Ruaste.
Kst-se eirectivaraente, em presenga d'uraa
conspirago organisada contra a pessoa do
azar.
Zurieh um foco de an-jrchistas cosmopolitas,
um refugio certo de revolucionartee de todos os
paizes.
Mas o elemento nihilista, paloco e ru9SO
Birn?*in e Dembski, victimas dosengenhos ex-
plosivos que preparavam contra o imperador
Alexundre pertenciata ambos escola polytbe
clnica de Zurieh; era ah que estudavam chi
mica com o designio de a appligar fabricago
das bombas.
Foi. por um acaBO, verdadeiramentc extraor-
dinario succedido durante nina experiencia, que
se descobriu a conspirago. Birnstein e Dembski
fabricaran) nito bombas e ensaiaram duas, que
deram os resultados esperados.
A terceira. porem, rebentou, mantando Birns
tein e ferindo horrivelmente Dembski, o qual
vive, n'utn estado desesperado.
Nao se sabe o que foi l'eilo das outras cinco
bombas.
Os engenhos tinham a forma easdimencOes
d'uraa loranja grande ; corapunham-se de duas
partes iguaes, ligadas uraa oulra, e estavam
carregadas de nilroly-cerina.
Birnstein e Dembski pertenciam a urna socie-
nade secreta, os Proletarios^cujos associados
pela raater parte polacos filiados no nihilismo.
A Russia enviou notas diplomticas ao conse-
lho federal de Berne a proposito desta conspira-
go : quer acabar d'uma vez para semprc com a
toleraneia que e. rtas autoridades coustonaes dis
pensara aoc nibi.-tas.
Procumm-ne activamente as cinco restantes
'> destinada!
imperadar lenciona fazar
este veio em C
Foram pretw dona comulices de Birnstein e
N6o lizeram confissao alguma.
lalti
apresontago do novo ministerio italiao
fiarlaraento apenas deu origern a uraa ioterpel-
aco do depulado Bonglu, que censuroua ao-
lugoda crise, estianhou que o Sr. Crisp lie
com as duas pastas, do interior e dosestran
ros, e conderanou tamfcem a conservago do uo
nenio da rasla da fazuida era duas (a
do thesouro e a das (mangas) e a creago do mi-
i leu-Ihe conforme pode
itar uteirainente a critica do
-ario.
s dous niinistros da fazenda xetiraram os di-
verse nrojectos de le que haviam sido' motivo
da queda dos seus antecessores, e declararan)
que procuraro chegar ao equilibrio do orga-
tmmlo simplesmente por meio de, economas,
reparam ijao-^aando csse "irm-TirtinHiiti. i jipaiawi i
aotengev *** recorrer asoatnnpreeesso.
O 8r Crisp apresentou awiara.am prajacto
queaatorisa o governo a- altarar por 'decreto a
paulandas alfandegas. Tera nssa iirovirtmicia
p-.Hta* o facilitar as negaeaajses so*n:-a Franca
queporfero assim -er levada aoiaabo sanwu-
tervenoo do parlaraanto. A .'inclaaaaga -ser
concedida seni dillioalilade. p rque pubiiaax-st se iironunowmtede londo eloqaau
i f i>elawestab(decifflia*BaJaajis rsfcajBaaaam
a Franga.
Ainda urna nova nrova disso houve ultima
mente por occasiSo da recpgo oflicial dada pelo
Sr. Mariani,_ representante da Franga junto do
QuirinaL l'.ompareceram nella, pode dizer se,
todos oSpersonagens importantes da corle, alui
de tedoo-awneopohtiiuaai|iuliiaei a.
EsU recpgo, que por via deregra um facto
ceremonioso sera importancia/leve n'aquelle (ha
o carcter de urna verdadeira raanifestago na-
cional. E' que os italianos reeonheceiun j lia-
ver pra c.ilo um acto iuseii-ato. renunciando
um tratado de, coaimurcio que era rantajoso para
o seu paiz, e isso cora o uni fin de dar a Bran-
ca urna prora da sua ra voatade para com ella.
EinRoma eslava pendente un duello'entre o
Sr. Cavalloiti, deputado radical o tenentr gene-
ral Carvetlo, secretario geral do rainisierte da
guerra, que foi insultado poraqwtle na ramara
lutados,
m resultado-desse cidenfe realisou-se a 21
depois do meio Jia ni duello a espada.entrn os
Srs. Cavaljotli e lente neneral Conveli lican-
do este feudo na parte anterior d'uai dos bracos.
Dizera os jornaes que o fenraeuto levar dez
das a curar-se.
O r. Givallotti sabio iHeso.
Da Gazeln dii Culoniu extrahimos ai resumo as
seguintes iriformaces aeerca do novo protecto
rado italiano na frica Oriental.
O sultanato de Hobbia e limitado ao- norte
com os territorios do sulto Osuno de II ilul.
com quera esl em reiages dedependeniviu. Ao
sul termina no cabo Asonad os dous sultanatos
limitrophes teem tratados especiaes desde 1685
cora a coiiipauhia allem* de frica Oriental, em
virtude -diis quaes po hiin sustentar exercitos,
constroir fortilicages. cobrar m|iost.is liscaes.
raounpoiisar diversos artigoade commercio, ex-
plnrar,ninas, ter propriedades territoriaes, usu-
fructo de florestas a co.rentes' lluviaes e outros
direitosi|)olilioas e commerciaes de gruodeviUor.
o terapo em que se concluio o tratado, 26 de
Novcmbro Ka 188o, o goteecno italiano offereceu
iin)ortantes compensacOes ao governo allemao.
a trocu dos direitosdeaoberamu-que a compa-
uhia aileui exercia no suUauaio de Hobbia.
Iii3liit<-ri-a
O Sr. Phater. candid.rfo gladstoniauo. foi elei-
to dep itado de Gorlon por votos a.loo contra
4,3110 .Vados ao Sr. liatch. candidato eou-'rva-
dor^ A maiona gladstuniaiu quisi dupbeoa a
ila ultima eleigo.
Na sesso de 22, a cmara rej -itou por .US
votos contra 211 amoi.fio d9 Sr. Brallau^b par.i
se redunrem 300 libras sterlinas1 no ordenado
do Sr. Balfour coran secretario da Irlanda.
Duraute a sessio suscitaran) se vivos inci-
dentes cora respeito Irlanda.
O correspondente do Times em '.erlim des
mente queo-conde. Herberto de Bismarck ve-
nhaa.L.mdres para nejjaciur auuiaMtancsi an-
glo-allem.. i> Times demonstra a impossibili
daifc.da a lieso da Gr-BreJanha a inplice al-
lianga mas o principe de Bisraarrk labe que
esla, coirstderada como liga de paz, te ve-o
a^oipunoral. da ingunaam.
A visita do impei-ador Judlierrae corte br.i-
t.iuiiica deve cITectuar-se no lim de Julho ueste
anuo.
RMtM foru de duvida que os rogtees- nao
quurera es!', uder o cabo submarino atMaga-hm,
como allirmara os raarroquinos, panudarem for
ga a sua indignacao.
A esqaadra ingteza actualmoute em Tnger
pretendorapimas cona-rtar a portmo ie cabo j
existeolc..
Os marroquiuis. pnrem, cada da esto mais
preoecupados. principalmente por causa das
jgjiveauobes Bandadas tomar pi las autoridades.
Estas-uolictes. sao Jadas por um correspon*
dente.em Tnger .do .Impon ial, de Mudrid,; e
que diz ter caibido aquellas informagOes de um
individuo altamente collocado na poltica local.
Bera para lamentar que aobstinagao dos mar-
roquiao**ii]'i)o deixar desembarcar os ingle-
zes venlia a dar lugar a uinverdadeiro conflicto.
Sobre a questao raarroquina, Sir James Fe.--
gussoo secretario poltico dos negocios estran-
geltos respondendo ao Sr. Fowler, na cmara
dos commuua disse que nao pode coramunioar
pormenores das reclama (Oes dirigidas a Mao-
cos e accrescentou.:
0 sultao JMoley Hassan tem feito esforcos
pra retirar a sanego dada ao cabo submarino;
mas nos nao Ihe recoubecemos direito a reti-
ral-a. Nunca admittimos a soberana do sulto
sobre o cabo Juby; mas, apezar de tudo, o sul-
tao pretende exercer afli autoridade, e os seus
soldados atacarum prfidamente os era pregados
da socieilade iugteza, matando um e ferindo
dous. Nao faremos, toda via, exigencias que
possam redundar era extorso on rajusliga.
O Sr. Kedmond, Reputado nacionalista, pro-
poz no orgamento a reduceo das mil libras ster-
linas que. constitaeui o ordenado do procurador
geral Sir Ilichard Webster, .advogado do Time*
contra o Sr. Parnell.
Depois de urna discnssfio tempestuosa a pro-
posta foi rejeitada por 286 votos contra 205.
Os jornaes olliciaes de Londres negam que se
trate da adheso da Inglaterra a trplice allian-
ga. Esta potencia continuar a manter rana at-
litude ainigavel mas reservada, para cora aquel-
las alliangas.
A vinda a.Londres do conde Herberlo de Bis-
raarek teve smente por flai tratar das questoes
pendentes de Samoa e Zanzbar.
Na cmara des lords o marquez de Salisbury
respondendo a lord Abcrdeen, disse que ainda
nao ouvio fallar na priso do Sr. Hoss, vice
cnsul inglez na regio r'e Nyassa, e que a si-
tuago da Iuglaterra e de Portugal na regio do.-H
lagos contina a ser objecto de troca de opi-
nits entre os-dous govemos, nao conrindo por
isso insistir mais sobre o assumpto mas resul-
ta das informages recebidas em Inglaterra que
nenhum dos obstculos que se oppoem a pros-
peridade da sociedade dos Lagjs Africanos foi
levantado pela aego porlugueza.
Reseondendo a lord Mac Donald, o marquez
de Solisbury disse ainda que a poltica de Por-
tugal, corao'dasoutras potencias, deve consistir
era impedir introducgo de armas e raunigoes
no interior de frica.
A Inglaterra nao pode, pois, geralmente fazer
objeeges a essa poltica ; comtudo fez obser-
vages a Portugal para perraittir a Sociedade
dos Lagos Africanos o importar livremenle ar-
mas e raunicOas. Lord Salisbury disse sentir
3ue i'ortugaf nao se apressasse a acceder ao pe-
ido que era bazeado cu considerarles huma-
nitarias.
Noentanto, pirges consideraveis de armas
teem sido introduzidas pelos portuguezes, e <*s
agentes da Sociedade dos Lagos Africanos nao
solTrera raoraentaneameute com os obstculos
postos importago duS acmas e munigOes pelas
alfandegas portuguez is.
Allt-.iianhn
Como se sabe a Allemanliatem envidado todos'
os seus esforcos, desde 1871, para que as dnas
provincias que pertenciam Franga, Alsacia e
Lorena, adoptem a lingua allem.
Era vo se deram iasti os professores.
em vo se fez uso de ameacas. A Alsacia e Lo-
rena sentem atada vibrar-Uies na alma a
rula Fr
Bm vis' o govsroe acaba -Je resolver
reformar a todos os professores que desde 1871
nao lograram aprend r a lingua alterna, accres-
indo que tal ignorancia provea ou de com-
pleta tecapacidade ou de ra vontade.
: bert de Bismarck parti para Londres, de
i9 de celebrar cora o impera lor ama larga con-
icia. a que se attribuc rauta importa i:
Diz o Jornala'' Stayeiueaue o estado-raaior al-
i snbmetteu ao ministro da guerra ura pla-
no de nova defeza a construir em volta de Mayen-
ce e em outros pontos da Alsacia-Lorena.
Para a execugo de tal plano sao necessarios
menos 42 railhes de marcon, isto ,..
2.090.000 libras aterlinas.
Aquelle jornal, que tido por competente em
ss3trhrptos,'raiutares, diz que deve felicitarse o
lomaior por ter pejpsado na possibilidade
d'um insucces80 nos primeiro3 recontros e nas
consequcncia.s que d'elle poderiam advir. A es-
peranga da victoria nao deve excluir a.prudencia
alias as nossas chances nao senara to grandes
como em 1870. Dizeudo era abono da verda-
de.
O restabelecimento da autoridade da corapa-
nhia allem na eosta oriental da frica lorna-se
cada vi'z mais proble natioa
A principio pareca quo^a expediefio que pre-
para o capitn ivissonaoB' seria bastante para
intimar as tribus indi gen as-o obrigar o sultode
Zanzbar a collocar-se abertaraente dolado dos
allemes.
Hoje, poem, tudo leva inieiv
vengo mtar, tarda e insaflicajote, scwnpr)-
uietter. ainda matr giawnnauw^doqsa os '
les ciris da OBSBpauhi.i,-et-wterasws*?'*
dos europeus u'aque!I.is regies, sem o menor
proveito para a grande causa humanitaria de que
Bismarck se consiituio o comprador.
A uwI ra -II ii n gr ia
De Vicnna participara a demisso apresentda
por Kaliioki de niraisifo dos negocios eseaagoi-
ros, em eodseqrnmcia de dissidi-ncia cora o chele
doaabinete rere.i das questOes da ftrecia.
Os estudantes hngaros oaniiaaaram a 21
noite a< suas inanil'estaces conira o governo do
Sr. Tisza. Forara presos uns cem dos mais tur-
bulentos.
A .'i iie-noite, reiie'.iram se as raanife itac&es
e arruagas. A polica dispersou a inul'idio e fez
muitas prisOes.
A arcliiduqueza Esfephania, viuva do archidu-
que 'Vi-.lolpho, protojonista de dramas de Mayar-
me, acaba de mandaran papa; umu lembranc;
do fallecido principe, acompanaada dtema arta
autorapha imito allecluo-a.
AjaHiiva consiste n'nm mosaico antigo de gran-
de vaBpfeuotaTel belleza qn- o archiduque Ito-
lolphnieomprar.i por oci-asao da sua viagem ao
Oriente. O mosaico representa (nns pouco-
anj :s voando para o eco. |
Ritsni,
Alchinoff.
Dizem-telegraramas de. S. I'etersburg qui. ao
ahaga* l Russia, Atchianff sse mandado jara
urna lantrda la (lisiante, e formaJnieute intimad.i
a entraroO;vgadj, lo se-Jangando em empreza-
alguma.
Ser raesrao provavel que spffra urna punico
BSais rigorosa, se o inquerito, que o ioiperador
mandn- fazer sobria todos os seus ac'.os, Ihe lar
desf.ivoravel.
Vai se 'iperand.i g-adualraente na opiniaodn
publico russo una reareo contra Atchinoff, luz
um jornal (ramas, ao.mesmo lempo que diminue
a exiatago cansa.la pelo incidente de Sagallo.
Esereveo conwf]Krtidcntc era 3. Petcrsburgo,
lo Mitin, de Pariz :
AjgUOrf tornaes, sob o impulso d'esse resen-
titnenta, tinnam tomado, cagaunaue, o partilo
do avoctureiru,cuja coapaailidade baje re-ouhu-
ein, e que fui demonstrada pelas rcrelafoos
sueoesfi.as fullas dep ii< sobre as causas roaos
da sua eajaedifUi
S o Soncenu Trmps e a Grajdanine continuarn
n'uma cani|ianlu que no euitanio.- dirigida.
mais i-outra o governo frau.cz, do que contra a
nagio.
Atchinoff, acompanhadi pelos caucasianos que
fOrmavam a sua escolta particular e p**lo arch-
inanilra. Paissy, embarcurain j para Sebasto-
po1 n'ura navio de guerra.
L'in ielugr;imraa de S. Petr.rsbugo para o Daily
Chrooicle, de Londres, depois de dar tambera a
OOtfcna docastigo-infliiigidoa Atchinoff, fornece
os seguintes osclareeiraentos a respeito do aven-
tureiro.
Julga-se aqu: e com algum fundamento,
qui"este aventureivo nunca Marcea Aby.-sinia
e assegura-se que; logo qucacxpedico mbar-
cou.na praia do mar Vermelho, Atchinoff se re-
cusava a ir mais para diante.
O archimandrita Parss queixa-se de que At-
eliinoff tvpsse levado a eapBdieaa a perder-se.
Os horneas tinham tao tasufflcteiites nsanti-
mentos, que se viam obrigados a comer biscai^
los, e quando estes faltaram os cossaces come-
garam a apossar-sc dos gtdos dos indgenas, o
que, naturalraontevfez rebentor logo conflictos
cora os francezes.
Ura despacho de Vienna para o Standard
menciona o boato de que o gran-duque Viadmi-
ro all esperado na prosima semana, e que vai
aulorisado a propor as demarcacoes das respec-
tivas espheras dos interesses da Russia e da
Austria nos Balkans, mas o Standard suppe
prematura a noticia.
O emprestirao russo e conversa pelo valor de
700 railhes ser emittido no dia 29 em Paris.
Foram expulson do territorio russo 32 prus
sianos. 21 austracos e 1 inglez, em virtude do
atrase de 1887.
Maara*a)
O eomelno da regencia esmenle a. existencia
d'um tratado secreto com diversas questOes po-
lticas internas e externas.
O correspondente do Times em Vienna refere
uma-conversago que teveo-ex-rei Mian, aqual
Ihe expe as causas da sua abdicago wr n&O'Cn1
a Ser*u-capaz do regimeaconstitucional e con-
fessa que elle propno se nao sentia com a m-
nima disposicao para ser soberano constilucio-
nal; enlendeqoe ointeresse da Servia bascar
a sua poltica sobre a amiaade da Austria, n
Noticias circumsUnciadas da Servia informara
que o rei Miln foi vivamente instado para con-
servar o poder.
Os ministros, uns aps WlRW, appellaram'em
vo para o seu patriotismo e para a sua cora-
gem.
Miln receben duas cartas nesse sentido : uraa
do imperador Francisco Jos e outra do impera-
dor da Allemanha.
O imperador da Austria, relatava simplesmen-
te, mas com energa, todas as razes, que a seu
ver o devain decidir a conservar a corda.
A carta de Guilherme II tinha sete paginas ;
nao fallava como soberano mas como amigo.
Entretanto a resolugo do rei Hilan foi inaba-
lavel.
Os tres nsvos regentes sao os Srs. Ristitch,
Protich e Belinarcowich.
O Sr. Ristitch 6 um estadista eminente e poli-
tico experimentado.
E' russophilo, visto ser-lhe necossaria esla
qualidade para ser o primeiro do seu paiz ; mas
tornar-se-ha austropbilo se por acaso uraa liga
gSo com a Austria-Hnngria Ihe assegnrar
der.
o po-
0 general Protioivfoi o encarregado do rapto
do filho rainha Nathalia.
Chegou s altas dignidades que actualmente
oceupa, gragas aos servigos de toda a especie
que preston ao rei Miln.
O geueral Beliaarcowicli S o mais digno des-
te tres personagens,
Tem sido sempre fiel aos seus amigos e s
suas convieges.
Intimo do metropolita Michel, o autigo arce-
bispo da Servia, amigo dedicado da Russia, le-
gislador integro e soldado distincto,
Succedeu um caso curioso e desagradavel ao
Sr. Vasitirrich, enviado da regen;ia da Servia
junto da rainha Nathalia : tendo esquecido em
elgrado a chave da cifra para se corresponder
cora o? regentes, nSo pode decifrar os despa-
chos que receben.
Isto retardar a partida do rei Miln, que n.o
ha de querer sabir da Servia sem ter a certeza
de que a rainba Nathalia nao voltar para a sua
corte.
HarroeoM ,
Cada vez se accenta mais o boato de que
certa potencia (que oo pode ser outra seno a
Allemanha) influe era Maocos para resistir
Inglaterra.
As ultimas noticias s5o gravissimas.
A esquadra do Mediterrneo, que actualmente
se acba em Porlsmuth. recebeu instrucgOes do
governo inglez para seguir para o estrato deGi-
hraltar. .
Expira brevemente o pri.so dado pelos ragie-
zs ao sultn para decidir se na questo da amar-
Nodiatia'esternezchegeaa man 3 flWo
ministro pienipotenciario de Hcpanha em lan-
ger. o Sr. Figueira. acorapanhado do secretario.
Sr. Campillo Embarcou a 2a.
Os jornaes francezes eomegara a chamar a at-
tengo sobre c procedimento da Inglaterra na
questo de Marrocos.
Parece que os marinheiros que desembarcaran)
perto do cabo Espartel procuravara um siti bom
para aowrrarem o cabo, nas nao conseguirn) o
seu intento em vista da attitude dos
em cumpnraento das ordens do sulto,
a todo transe impedir que
trra.
Chegou-a l'almas, a-2JI, ua.a canhom
gleza vinda do cabo Juby.
Havia tranquillidade na feitoria inglez, man
os mouros tinham roubado ura rebanho p
cente feitoria.
Dizem de Tnger que o sultao deMarascosdetl
resposta satisfactoria ao pedido.do goUnPlH
alez sobre a questo do cabo submarino, que
der ser concertado sem estorvos quando;
necessario.
A questo do cabiabv ser regulada e
gociayo parte.
Segundo as infonnaces de Mofiamed Berani
provenientes de Lindurman, o chile Senussi con-
quistBU o Uarfur e o Kordofau, expulsando de l
os derviches.
As iiii-snias itifuraiaoOeA wstteveram queEmia-
pachtouteu em JowsotttaiiwaseOO derviches, to
gamio ;)i s i Moliamed Berani diz que Ivnin.mcba lieava de
boa sauoe, e que toda a sua gente eslava com
elle na provincia de Balirel Chuzal, acnmanhaa>
ilo-o tambera algons viajantes europeus.
Cbina
As pessoas chegadas iiltimaraente da China
trazem pnrawn res acerca dos. tumultos que
boave no mez passado em Cliinkiaux, porto
ilnnez.
No dia 5 um polica interven n'uma desordeafr
entre chinas mandando embora um dos desoa
dciros, que foi loga queixai se estago de pon-
ra de que lora maltratado pelo agente da auto-
ridaiie.
Como na estaco Ihe nao dessem grande im-
portancia, visto que o medico asseverara que o
queixoso oo tinha no corpo o menor vestigio de
violencia, o china, a nouca distancia da estago
deixou-se cahir sbitamente, lingindo-se morto-
A populaca que acompanliara o queixoso pro-
rorapeu era grande gritara, clamando que-O
bina fra raorto pelo polica.
a^slagao foi logo as saltada e demolida pela
nnnterosa: populaca. eniquiiBj>is poneos p lelas
e o respectivo comunssario fugiam pelas portas
de detraz. f *m
Do edtete nao fi.rn podra sobre pedra.
Animada peia falta de resistencia, a populaga
abauooou-se a mais largo (Vito e os pagos do
CousuUri uiuieeipal.-Osconsulados in-iiz e ame-
ricano e varias nutras residencias de' europeus
foiiuu uccessivaiaenle us.saltadas e algumaajn-
ceu liadas.
Foi arrazada una capella e incendiada outra.
Do archivo do consulado inglez nao esc
um so p>ipul.
Os soldado- indgenas, .enviados pelas a
dades chinas, reqaisigo do cnsul ingl^
nao fizeram causa comiiium cora a populag
mittirara ao menos que ella satisfizesse o^
raaos instiiiclos.
Os europeus puderam salvarse fuginds
borlo do Ki mjyu um pequeo vapor
onde, depois de c rtada a ponte de atral
ii'.aram livres do assaRo dos revoltosos.
No i lia seguii'e passaram para, o Sijankiag que
que chegou a Siun^liae em 7-
Em C.'iiukiaiig licaram apenas os cnsules- in-
glez e americano ciis tre europeus. as res-
peclivas farautes-partiram no Xganhing para
Sli^i.-hae. /
O cruza/lor ing\cit.M"linc, enviado d'esteintimo
porto, chegou..: Chiiikiang no dia 7 e encontrn
j ludo era socecd.
O marquez Treng. apenas teve noticia dp suc-
cedido. apressou-se a telegranhar para aaan-
ghae, pedindo s autoridades europeas, que no
uiandasseni a Cbinkiang nenhum vaso- de-guer-
ra, Kirquo.a Clima teria forga bastante para pu-
nir os revoltosos.
0 pedido nao foi satiseito e & data das ulti-
mas unoticias estavam em caminho d'aquelle
portR a requisigao dos respectivos ministros, ou
can-ules, navios de guerra inglezes, francezes,
americanos e a caomrarira portogueza Tejo, qae
sahiratie Macan no dia 13^
anaaaa>
O Japao. que nestes ltimos annos tem feito
extraordinarios progressos e oaminha na van-
guarda da civilidade, acaba Jo colloear-se. per
ura acio do seu governo, a par das mtes tivillsa-
das-naedes- da Europa.
Eis alguns trechos d'essa oonslituigo, que es-
tatu a lberdade de cultos e da palavra.
Com respeito ao imperador(diz a actual con-
slituicao:
O imperador inviolavel.
Exerce o poder legislativo com a autorieajte
do parlamento,
Sancciona as leis. manda-as promulcnr e eje-
cutar, convoca o conseibo de estado, abre, fecha
ou proroga as cmaras ; declara a guerra, tuva
paz e cooclueos tratados : proclama o cstaMOsde
sitio, sendo a suspenso de garantas deiriiii-
naila pela lei;-concede-amnista, perdo,Bm-
mutago de penalidades e rehabilitaran.
Com respeito aos subsidios:
A casa de qualquer subdito japonez, eaB&pto
nos casos dispostos pela iei. nao poder soy vio-
lada serao seu conseotimeoto.
0 sigui das cartas inviolavel, assim como-a
proprwdado do cidado nao podendo ser priva-
do dos seus bens,- en emprego e hierarchia, ou
da sua lberdade nenhum subdito japonez^em
que tenba sido processado.
Todos os japoneses leem a lberdade dr/com-
munirarem os seus pensamentos pela palavra
on pela imprensa.
Dentro dos limites que mantenliam n jiaz e a
ordera permettida a lberdade de culto, assim
como a de reunio e de petieSo.
As renoies publicas e os meetings sao aberta-
raente auctorisados.
Com respeito aos cultos observa a lei que no
permettida a intolerancia de uns para coraos
outros.
Esta nova constuicao do Japo conforme nos
informa The Ja/tan Herald Muit Summary, ornl
de lokobama, e bateada o systema allemo.
Ficara estabelecidas urna cmara de paresfhe-
reditaria para o Io tergo, electiva para o 2o aajo-
meada pelo Mikado p ira o ultimo : e urna cma-
ra de communas composta de 300 membros.
O parlamento tem funeges legislativas efisea-
lisa as linancas dentro de certos limites.
Osjuizes sao inamoviveis e so podem ser de-
mettidos por le especial.
Ha cinco annos que no Japo se pub<
voluraoso annuario estatistico em lingua japoF
sa e a dous annos que se publica um resumo
desta obra em japonez e em francez.
Conforme esie documento o Japo tem actual-
mente 38.307:177 habitantea.
Desde 1879 que o augmento da populaco tem
sido de 0.92 por 100, nella contam-se 2.807 no-
bres e 1.515:945' antigos guerreres.
A densidade de populaco de 100 habitantes
por kilmetro quadrado, mas em algumas prorl-
cias a populago relativa attinge a 157 habitantes.
Como o Japao mais agrcola que industrial o
numero de cidades com mais de 100.000 habitas
tes limitadissimo.
Contam-se S, que sao : Tokio, Osai
Nagoya e Hanagava.
Ainda ha 40 aunos o Japo tinha le
ras.
Hoje urna potencia cujo cdigo peni
servir de modelo a Europa.

tf)
v


I '"

I
w
EXTERIOR
Correspondencia 4o Di
Pernambuco
PORTUGALlisboa, 27 de
1889
Parece ter entrado aqui de vez a primavera.
A'gtins das lindissiraos tem convidado a popu-
lago de Lisboa a sahir para espairecer nos ar-
redores e at nas provincias. Cintra esteve
cheia de visitantes nestes dous ltimos dias
santos.
No ampo Pequeo houve em ambos certamen
(match! de football, pleiteando-se a conb1
que afina! ficou empatada, entre os gru
tuguez do sport de Lisboa, e o ingle? J_
:.os.quasi todo-"
gao do caon teiegraplnco
Grande numero de can
e ereongas, cavalleiros e ,
recinto onde se jogava ofoothm
A 23 do corrente, chegou
selheiro Mariauno de Ca>
portuguez sendo apresea^H
r eral d
'"idOS


Diario de Pternambui Eena-feira 9 de Abril de'1&8/Q



as boas viudas m oome do ioverno
Marianno de arvalho parte boje de Pa-
ndo estar ein Lisboa untes mi di
en que se reabrir o parlamento. O Sr.
feyres'sou.
lentece que o Sr. Marianno Pina tenha
ido para Pars na qualidade de secretario par-
ticular do ex-mitiistro da fazenda para os tru-
Jtlhos ila sccgo portugueza na exposigo.
Parti j para aquella cidade o Sr. Rapliacl
^^Hnallo i-ioheiro, que vai dirigir as obras de
|Bratnientugo dano-.a exposigo agrcola .
> Ante Itotitein notile o governo recaben
telegrajiimas de l'aris parlicipando-llie. que na
Hfew d'ap/W havi ara terminado os dbale* que
"durarara dous dias. e que recharam p I inaco da sentenga da prinieira instancia, sobre
a queao do celebrado emprestimo de D.
. Miguel.
Assim foi mandado levantar o 'mbargo que
os portadores do emprestimo de D. Miguel ti
ntiam posto em cusa dos banqueiros que con
tractarmn o ultimo emprestimo portut-'u-z.
is calumnias e os pasquias allixados por pi-
tas as esquinas de l'aris, tiveram assim o cas-
tigo merecido
As senteagas dos tribunaes tranezes, tanto a
i do tribunal >o Sena como a la Ow a veio confirmar, bastaran] para provar ao mer-
cado francez a bita de verdade e de justica em
que-se hastia toda aquella conrpaulia de difla-
macors. centra o crdito portuguez.
Conferenciando o D0880 governo com a com-
misso portuense que promove memorias de
condigo econmica para a industria da tecela-
gem, prometteu, entre outras providen-.ias, ne-
gociar un protocolo ao tratado de commercio
com a Franca, que baja de beneficiar e proteger
essa industria.
n lii :vo do Governo publicou a 2i do crren-
te imrtigaj em suppletm-iito um decreto refo-
Tiendado pido ministro da fazenda, eontendo,
alm dos considerandos os dous seguintes ar
BSgos:
Artigo 1." Os dircitos sobre os trigos es-
trangeiros e os das farinhas de trigo sero, a
contar de 26do corrente mez. oe 19 ris por ki
lograra na para aquelles e de 27 res por kilo-
gnunma para estas.
S rt- -" Exceptuara-se das disposiges do
artigo antecdeme os trigos e farinhas que na
Otes mu data estiverem nos portos portuguezes,
eaquelles que tiverem partido em viagem di-
.fita dos paizes productores para os mesnios
partos at a data leste decreto, os quaes conti-
nua:;":!) payando os direitos fixados no decreto
V5 de Dezembro prximo passado .
o priraeiro considerando, diz que tendo-se
accenluauo, desde 15 de Dezembro de 1888,
baja dos pregos dos trigos e farfollas america-
nos, qu'' motivara a alterago nos direitos de-
cretada nV.quella data, havendo os mesmos
ecos descid. com relago aos trigos, de 104
3 4 a 90 e segu declarando as estages que
foram ouvidas. a" saber: os conselhos supeno
res do commercio e agricultura e o conselho de
Su is tros.
O decreto bascado as autorisagOes conce-
didus ao governo pela carta de lei de 19 de Ju-
ItJaflo atino lindo.
LjB Distribuiram-s os relatnos do governo
da coniDanhia geral do cre'lito predial portu
guea e contas de gerencia, no exercieio de
1888
A corapanhia ve-se que te;u prosperado, nao
obstante as contrariedades umitas vezes prove
nientes aos credores para reembolso dos seus
capitaes.
s lucros obtidos durnnte a gerencia de 1888
forara de 142:7443612 (fortes), lucro sapenor
em 10:9Q2idl ao havido em 1887.
A companhia, que d um dividendo de 10 p. c,
livre de imposto, por arfio de 225500. tem um
crdito fortemen te consolidado, e para o man
ter e acertseentar, segundo o mesmo relatorio
diz, nao preciso mus do que continuar a vul-
gariscr c propagar a utilidade das suas ope-
rares.
Diziu uro jornal hontem noule que ti-
nhara obido um sucesso verdadeiramente ex-
traordinario os qaatro emprestimos feitos pelo
Sr. Visconde de Kigueiredo para as provincias
da Babia, PernanVmco e Minas fiemes. A ope-
racSo foi ooberta a razo de 7 /, isto aos
que subscreveram cora 100 ob'igagas apenas
'Be* coube sed'
t) llostre'Visconde acaa-sc actualmente em
Hbidres donde segu para Berlim, evefldo
. chagar a Lisboa em meiado de Abril prximo.
HtAlguns jornaes teem se oceupado ultima-
aate das eoncessOes de miu 9 deMonicaera
territorio nosso na frica Oriental. Os conees
sumarios ii'ii Iem ;; trasii.issam as conossOes
pe matar paite a svndicatos inglezes e. d'alli
o%Br?4vo de que a gioheih se vai abetiau-
do absretalfio, etc. .
*npera se que. depeis de abertOO parlamen-
to, se fagam a tal respeito algurnas ntcrpclla-
coes ao governo
Das explicages, porm, que j tero dado as
fbihas governamenlaes deprehende-se que ou a
. cmpanhia Mozambique tem leito aquellas
cetficias, ou taes concesses sao feitas pela
companhia de Ophir.
Na primeira hv pothese possivel que a com
paoliia de Mozambique tenha exaggerado as
a^sieOes da" sua concesso, que 6 a repro-
o ejtacta da concesso de Ophir feta pelo
inheiro Chairas, quando ministro da mari-
fe ultramar.
Sa segunda hypolhese. como a companhia de
H0nr se pode considerar morta e bem morta,
HBpicm pode tomar a serio as cedencias, que
ella por ventura tenha f'o.
ijaesquer contractos llegans serio julgados
Ptaollos e assim (carao punidos os abusos se os
tem havido.
No paquete de f> de Maio prximo devem
seguir para o Massabi, afim de concluir-se a de-
^Bitago das nossas froBteiras, em virtude do
tratado com a Franca, os commissarios, primei
ros tenentes da armada Kduardo de Oiiveira e
Augusto Cesar d Moura Cabral, que ha pouco
regressaram de igual commisso da provincia
da Gui.
w Por infonnacao directa de Londres consta
reiver sido feita a segainte declaraefio pelo mar-
qu"z do Salisbury presidente^ do conselho de
ministros da Gr Bretanha na cmara dos lu' ds.
acerca da questo do Nyassa :
Com reiagao posicao de Portugal pend'-in
negociacOes referentes a nossa utawcfo n'aqueile
distncto e dos portuguez.s : reputo por isso,
inconveniente a diseassao ueste raemento so-
bre esse assumpto. Xenhum obstculo levan-
tado pelo governo portuguez ao desinvolvimento
da Companhia Africana dos Lagas: nao temos,
pois, motivo para queixas k face da lei inter-
nacional
pnhum esforco ser poupado para assegu-
ito de salutares emprezas aos negacian-
nnicos n'aqueile districto, mas essa re-
> coustitue territorio britannico nao est
protectorado britannico. e qualquer acyo
M cumpra exercer deve ser limitada por.
rcumslancia .
Parliram hontem para Lourenco Marques a
do excllente vapor Jfoor, da Mala Real
a o celebre explorapor portuguez Serpa
to-
^Mpam a bordo o novo ministro da marinha,
elheiro Prederico Ressauo Garca) o di-
ireflBgeral de ultramar conselheiro Costa e Sil-
va. wsconde de Paco d'Arcos, superintendente
do araeaal consetheire Sampaio. Pouco depois
chegava o vapor Conductor com a flammula da
Sociedade de Geographia na qual iam, e entre
outros cavalheiros. os Sr*. pre4dente da direc-
jSo conselheiro Francisco Maria da Cunha. o
secretario perpetuo Luciano Cordeiro. Palermo
de Faria, 8" secretario, Campelld. Ivens, los dois
benemritos exploradores) Carlos Bocage, Pequi-
tCj Baracho. !-autosVieira da Silva. Ferreira de
D. Egas Momz, conselheiro Henrique
(ex ministro da nwnnka) H. Fait,
etc.
pecebidos no portal pelo coramandan-
. immediato e mais oflkralidade, de
liforme.
o ministro da marinha eutrou. o com-
dQ'Hoor deuordem para ser icada no
" a4andeira portugueza.
ido Champagne aos si-
la marinha', saudando o
que a sua
toda a
corf^^^Besep.ido tambera o melhorxito
aqueU. Ttagera.
r. Luciano, que levantou
\tmrr- pondldos por todas as ..pessoas
or fin o Sr. major Serpa Pinto, agradecendo
as manifestacOes de sympatla que acabava
de. receber, disse, pouco mais ou menos o se-
gutnte:
Agradeyo ao Sr. Ressano Ciarcia a prompti
dSo com que no curto espap de quatro dias
conseguio, coadjuvado pelo digno supa/inten
dente do arsenal, que eu pudesse seguir viagem
arornpanhado do material indispens.ivel. alira de
cumprira missio de que fui incumbido. Ode-
sejo grande ; eoragem nao rae falta ; portanto.
canto currresponder aos desejos do Estado e do
paiz. .
A' Sociedade de Geographia egualmente
agradeco os bons desejos que manifesta pelo bom
xito d'esta viagem e o qaanto se empenha para
auxiliar todas as emprezas. Finalmente, nao
posso deixar de saudar Antonio Maria ardoso,
sobre quera convergen) agora todas as attencoes,
e que iz com que. nos achemos aqui reunidos,
nao podendo tamban Mquecer Ivens. e Capello.
que aciain aqui |)reseiTles '
Terminou brindando ao capiliio Griffin. De-
pois os visitantes percorreram o navio, admi-
rando as coininodidades que elle offerece. Pr-
ximo da hora de partir, o Sr. conselheiro Res
sano Garcia retiro-se e os que o acnmpanha-
vam. aos escalfres, lendo passado ao Conductor
os restantes cavalheiros.
Ash 1 2levantou ferro o paquete Jfoor, indo
ao seu rato at Belra o Conductor, d'onde a
cada momento sahiam calorosas arclamacoes.
O Sr. Serpa Pinto dever ciegr a 17 ou 18 de
Abril a Loorenco Marques, onde o aguardar
um navio do Estado.
)iz se que leva carta de prego.
Foi indigitado para govi-riudor geral da
India o general commandante da 2* divisan mi-
litar o Sr. Vasco Guedea, jue por mais de urna
vez tem exercido cargos importantes Jtt nos-as
;0es. *.
O governo geral da lauta Ifira otTerecido pri-
meramente ao Sr. conselheiro Henrique de Ma
cedo e depois ao Sr.' conselheiro Francisco Ma
ria da Cunha.
Ambos recusara m.
Vao muito adiantados os trabalhos para a
construeeo de um estabelcei'mento balear no
Estar, perto de Cascaes, por onde passar
a litiha frrea que se est assentindo de Lisboa
aquella villa.
Esto j abertas varias ruasatravez do pinhal,
as quaes commiiBicam entre si os parques, que
rodeiam os chalets.
Esl-sc tambera construindo um lago de
2.000 metros quadrados de superficie, que pro-
vavelinente ser limcntado pelas do mar.
A aiesma companhia projecta estabelecr em
Cascaes um mercado para abastecimento uos
I riisls do Estar.
Em breve comecam os trabalhos para a con-
strueco do hot I Casino.
Pelo ministerio da guerra foram enviados
aos imperadores d'Austria e Allemanha e" rvi da
Palia, exemplares do Almanack do exercito, l-
timamente publicado, ri'-amente encadernado,
tendo no rosto as armas reaes porluguezas.
O? jornaes do Porto do a m>ticia do falle-
cimento, no hospital de alienados d aquella cida-
de do juiz de direito Jos Julio de Oiiveira Ba-
ptista, irrao do De. Baptista, governador civil
da Guarda
Morrea em Lisboa o bario de Albufeira,
coronel relormado.
-- Falleceu no Porto o conselheiro Mauoel
Bento da Rocha leixoto, chefe do partido rege
oe.-ador era Ponte da Barca.
Na sala azul do edificio da Sociedade de Geo-
grapbia de Lisboa houve, ha poucos dias, urna
reuuiao preparatoria da Sociedade Portugueza
anti-eselavista. destinada a representar o nosso
paiz na cruzada humanitaria que em toda a
Europa se est pregando contra o esclavagismo,
e de que o cardeal Lavigerie est sendo o Pedro
Eremita.
Tomou a iniciativa dos convites para a rcunio
a direceo da sociedade, e estiveram presentes
os Srs. conselheiros Barros Gomes. Henrique de
Macedo, Costa e Silva, Pinheiro Chagas, Pereira
Sampaio. Barbosa de Bocage. Francisco Maria
da Cunha, Luciauo Cordeiro, Henrique de Car*
valho, Serpa Pinto, Moraes Sarment. Carlos du
Bocage, DiojO Patrone, Ferreira'de Almeida, Pa-
lermo de Faria, Fernando Pearoso e Mendes
Guerreiro. Justillcaram a sua amencia os Srs
ministro da marinha, Jayme Moniz. La'.mo Coe-
4ho e Julio de Vilhena.
Presidio o Sr. conselheiro Francisco Maria da
Cunha, tendo direita o Sr. Barros Gomes e
esquerda o Sr Barbosa du Bocage ; serviram
de secretarios os Srs. Luciano Cordeiro c Ha-
lermo de Faria.
Depois do Sr. Barros Gomes e o Sr. Serpa
Pinto terera explicado o fira da reumao e de-
monstrado a conveniencia do ^so paiz se as-
sociar ao movimento enropeu cordra o esclava-
gismo. nomeou-se un omite organisador da no-
va sociedade, que li :ou composta da mesa da
Sociedade de Geographia e dos Srs. Henrique de
M.icedo, Pinheiro Chagas, Costa e Silva e Carlos
du Bucage.
Di liberou-sc lambem communicar a el-rri as
resolorei tomadas.
O digno par Miguel Osorio; que ha muito
seacha enfermo na sua quinta das Lagrimas em
Coimbra. tenciona fazer a expensas suas os fes
tejos da raiulia Sania Isabel no caso de se res-
tabeleeer completamente ; assim o dizis um
iorn-l de Coimbra, que pouco?. dias depois
foi redondamente desmentido. 0 certo que
este anno nao se lizeram aquellas festas.
Foi concorridissima no lia 24 a exposiyo
de camelias e outras flores no Palacio de Crys-
taldo Porto. Entre os exp tes, distinguem-
se os Srs. Alfredo Tail e Marques Loureiro e a
Sra. baroneza de Seixo.
Na Assocjco Catliolica, d'aquella cidade,
o Sr. conego Barroso fallou especialmente sobre
a cathechese e educaco intellectual do negro,
fazeodo sentir a necessidade de mandar para a
frica mulle-res que instruam a preta em mis-
teres famiuinos.
Era Lisboa, hontem, com um dia esplendi-
do Bosve urna festa de caridade no Jardin Zoo-
lgico.
Inaugurou-se o bazar promovido pela com-
misso de soccorros a viuvas e o-phos dos prp-
l'es-ores primarios.
Fina inlage magnifica de objectos da mais
delicada factura artstica entre mil outros sim-
ples e modestos, installados no antigo locil do
restamaiit. c sobresahindo n'umadecorago sin-
ge-ia e de bom gosto.
Ao balco, vendendo sortea, viam-se atravs
da muiliuo que se acotovelava junto do bazar :
Suas Altezas a duqjueza de Braganca e sua r-
ma a princeza Helena de Orles e mais as
Sras. : D. Maria Emilia Seabra de Castro, D.
Julia e D. Henriqueta de Castro, D. Maria Emilia
Brandao Palha, D. Alice Navarro, madame
pint0- ^
A's quatro horas, quando os Srs. duques de
Braganca rctiraram-se, a multido era extraordi-
naria. A essa hora chegou S. M. a rainua,
acompanhada do Sr. infante D. Alfonso. Tocou
o hjmno real e a guarda de honra feita pelo ba-
talho escolar, e formada porta do jardim,
apresentou armas.
No bazar, a soberana foi recebida pela com-
misso promotora. O bazar nesse dia rendeu
quantia avultada.
Sao consideraveis e dignos dos maiores
elogios 03 rnelnoramentos, que, sob a sabia di-
receo do Sr- Rodrigo Bergu (Cantagallo) se
teem reatizado e estSo em projecto no impor-
tante estabelecimento tbermo-balnear das Cal-
das da Raioha.
O aformoseamenlo do passeio da Copa, as mo-
dilicagOes e embellezamento therajal de todos os
progressos indicados pela selencia sao obras
cuja realizacao se deve ao zelo incansavel do
novo director.
A commisso encarregada d aquelles memora
mentos, e aue composta dos Srs. Dr. Amando,
Dr Jos Felippe, Dr. Ferraz de Macedo, Dr. Ma-
noel Gomes, do artaxo e do eagenheiro Pires
approvou todas as proposta? apresentadas pelo
Sr Bergu. e dirigio-lhe os mais sinceros e me-
recidos lou> ores.
A cmara municipal de Lisboa pedio
nova companhia do gaz para iluminar luz el-
ctrica o monumento dos Restauradores, na Ave-
nida da Libcrdade. ,..,,
J foram encommendadas Sociele des hauts
fourneaux et fonderiet du Val d'Osne duas gran-
de tacas sustentadas por aereas, para oraa-
mentacao das fontes monumenties, que a cma-
ra municipal vai comtruirjn praja e D. Pedro
(Roci) em Lisboa. ,
Vai ser prohibido o uso das peonas de cn em
es; qne. Itnnaa de si
guardados na Torr do Tombo, por estar averU queceu-me dizer-lhes que tamtiem.fra, em tem-
pe, administrador da.Imprensa NacionaL
Na segunda recitaem S. torios do OtheHo
de Verdi o enthnsiasmo da "publico igualo.u
iquelle com que esta opera foi acorhida na pri-
meira.
iz-se que. a banda .da..guajda municipal
deL3boaeado re.'iraento 4 obtero licenca
[dos ministerios a que esto snjutt, para irem
ao concurso das bandas militares, que ha^le
realisar-se era Paris no dia 22 de Setembro pr-
ximo.
Tem-se sentido na ilha do Fayal fortes aba-
fos de trra, que tem apavorado aquelles insu-
lanos.
Durante o carnaval ninguera folgou as ras,
nein creio que em uas casas. Sabirain nesses
dias procisses de penitencia, enchendo-se os
templos de gente assustada que devotamente ia
orar.
A~E:npreza litteraria e typograpluca do .Port--
vai edictarluxuos^mente a-colieccSo de discur-
sos de Antonio Candido.
A ediceo ser adornada com o retrato de al-
guns dos personageus a que e*MS discursos se
referem.
A casa ediclora de Lisboa do acreditado li-
vreiro Antonio Maria Pereira, acaba de publicar
a collecgo de discursos do conego Al ves Men-
des.
A sua magnifica oracao pronunciada quando
foram trasladados paran monumento dos Jeru-
nymos (em Bolera) os restos mortaesde Alejan-
dro Herculano tem tido j tres edigOes consecu-
tivas.
L.
guado que. passados nnos, aJeitura de taes do-
cumentos se torna impossivel por seaeharem to-
dos cortados no lugar da escripia.
Diz-se que o actual ministro da guerra, o ge-
neral CasIrO;..ipreseiitariemcorte.uina proposla
de lei para estabelecer o limite de id a Je aos ofi-
ciaes do exercito. (foraeca a ventilar se esta
qnesto na.impn>flsa, e a verdade* que se re-
puta geralmonti' degritnde necessidade urna.pro-
videncia legialativa ueste sentido, bem como da
que cstabelecease urna escala geral para as re
formas epara a concurrencia dos serviyos.
Ha um grande numero de ofciaes superiores
invaiidus que se dislarcam e caracterisam tanlo
quauo podem para que So se denunciem os
seus achaques e v-tlrice, e que, se de um mo-
nn-nto a cama publica Ibes exigisse servijo ac
tivo na milicia, taes urgencias os encontrariam.
como na realidade sao, isto quasi invlidos,
estropiados, obesos outros, montando diffi'il-
meota a cavailo. incapaxes emfim para as ladi-
nas dp urna campanha. Islo assim nao pode
continuar porque alm dos inconvenientes gra-
ves aue d'ahi resultam,.anda na o de estarem
impedindo que os validos, os novos. enconlretn
na promocaoe no accesso, ajusta recompensa do
seu prestimo.
Hontem manifestou-se pela 1 hora e 35 minu-
tos da madrugada no Porto um incendio violen-
tissimo na importante fabrica de Salgueiro, de-
vorando compartimentos, machinas, carpinteras,
tinturara, ameac^ndo passar ao deposito onde
havia fazendas no valor de 40 contos de ris
fortes.
A fabrica eslava segura em diversas compa-
nhias estrangeiras.
So calculados em 30 contos os prejuizos cau-
sados pelo incendio.
A companhia vai abrir um inquerito sobre a
cansa do fogo, persistindo com ludo a sunpo-
sico Se que foi devido a qualquer rebite de ierro
ein braza-que saltassc para os montes de mas-
sarocas, que estavam prximos das caldeiras
que na vespera os serralheiros estiveram a con-
certar. 0 deposito de fazendas escapou, mas
arden todo o deposito de drogas. A reconstruc-
co da parte incendiada levar mez e raeio
Trabalhavam na fabrica uns 400 operarios.
Mais oulro grande incendio Este foi em Lis-
boa no aterro da Boa-Vista junto ao caneiro de
Alcntara, n'um grande barraco onde estavam
diversas oflicinas pertencentes s obras do porto
de Lisboa.
Occupavam aquellas oflicinas tornos mcha-
meos e muita ferramenla, urna vasta superficie,
de cerca de 1.800 metros quadrados.
Originou-se o fogo no descuido de um guarda
Acudiram logo 30 marinheiros do quartel de Al-
cantara commandados por um sargento com pe-
trechos e urna bomba. Era seguida foi chegando
todo o pessoal e material de inceudios e o seu
novo inspector o Sr. Augusto Ferreira c dous
subinspectores.
No barracan achava se installadas a machina
da luz elctrica, que a empresa Hcrsentulilisa
'iara os seus trabalhos nocturnos das obras do
porto. O foao comecou entre a fnndigfio e as
oflicinas de carpinteiros de moldes
Salvaramse os livros do escriptoric, apenas
As ofli inas de ferrara, fundigo, serralheria
etc., tudo se perdeu tambera.
Trabalhavam as oflicinas uns 300 operarios.
Sao calculados os prejuizos em 30 contos de
ris fortes. Na vespera do incendio, o Sr. Her-
seute chegra de Paris. Nada daquillo estava
seguro.
Poucos dias antes havia ardido urna draga di
mela empresa, salvando se a custo um guarda
que l licava de noile.
A AssociacSo dos Adrogados (instituida em
Lisboa em i838,) na sua ultima sesso langou
um voto de sentiraento pela morte do conselhei-
ro Jos Maria B Tges, seu prestantissimo socio
e coilaboralor da Gazela dos .{drogados, resol -
vendo tambera qne o socio Dr. Vicente Mou'cro,
amigo intimo do finado, fizesse o elogio histri-
co do mesmo, o socio Dr. Franco de Castro li-
..h: o do Sr Valeriano Pires. Estes elogios
serao lidos em sesso solemne.
As sessOes do ongresso Jurdico celebrar se-
ho na vasta sala da Academia Real das Scien
cias. A primeira sesso verificar-se^lia no dia
22 de Abril prximo.
Na ultim sesso da Academia Real dasScien-
cias. o Sr. Conde de Valencas (Dr. Luiz Jurdim)
propoz um voto de sentiraento consagrado me-
moria do archi-doque Rodoipio, cuja tnorte dra-
mtica anda est na memoria de toda a gente
O herdeiro do liirono da A'istria-Hungra, que
era um naturalista muito distinctj, tinha as hon-
ras de socio da Academia Portugueza.
A proposta foi approvada.
Neasa mesma sesso, o Sr. Dr. Theophilo Bra-
ga, espraiando-se em obsenaces histricas de
grande alcance, propoz que a Academia tom
parte na commemoracao do centenario da revo-
luro franceza, de que ella era lillia.
A proposta do Sr. Theophilo Braga ser dis-
cutida u'outra sesso. .
A sesso solemne da Academia Real das Scien-
cia3 ein honra de Alexandre Herculano realisar-
se ha no da 5 de Maio. O elogio do grande
escriptorser lido pelo Sr. Pinheiro Chagas.
Na prxima sesso da Academia ser ouvido
oSr. conselheiro Jayra Muniz, como relator do
n'L'ulamento para aadjudicaco do premio insti
tudo por S. M. el-rei, sobre a reforma de que
o mencionado regulamento necessita.
No dia 3 'de Abril ha ver urna bnlhante
leaeju solemne no salode Gil Viamte do Pala
ci deCrystal, no Porto, era commemoracao do
infante D. Henrique
Tomaram prteos Srs. Eca de Queiroz, pi-
nheiro Chagas, Antonio .Candido, Rodrigues de
Freits, Anthero do Quental, Oiiveira Martins, e
Anselmo de Andrade, por convite da Sociedade
de Instrucco.
O Sr. Joquim Gongalves, memb-o da commis-
so do monumento far o efogio histrico do in-
fante. Guerra Junqueiro e Luiz de vagalhes
recitaram odes, e Manoel Duarte d'Almeida ura
soneto.
Espera-se tambera que Joo de Deus, Latino
Coelho, Alberto Sampaio e Azevedo Caslello
Branco tomaro parte n'aquella esplendida ses-
so litteraria.
O salo Gil-Vicente ser ornanientido com luxo
e no pleo formar-se-hao artsticos tropheus com
o material de guerra da corveta Sagres.
O distincto horticultor Marques Loureiro
promptilica-se bizarramente a fzer a ornamen-
taco flora!.
A' sesso assistem apenas os socios da Socie-
dade e suas familias.
0 philologo sueco Vising diriga ltimamente
ao Sr. Luciano Cordeiro urna carta pedindo-lhe
informacOes biographicas acerca de Camillo
Castello Branco e promettendo traduzirem sueco
o Amor da Perdicao, o que, se mais urna glo-
ria para o grande prosador portuguez, nao o
menos para a nossa litteratura.
Ha 17 dias que nao come o celebre jejuador
Succi.
0 seu estado regular. Peza cerca de 9
kilogrammas menos, bebe agua pura.e agua de
Vidgo, que prefere de Vichy de que usava as
suas lorigas abstinencias.
A Academia das Bellas Artes de Lisboa reque-
reu ao governo a cedencia do convento de Santo
liberto, s Janellas Verdes, quando for suppri-
inido, para alargamento do musen nacional de
Bellas Artes e Archeologia.
Pnblicam-se aetualmeste em Coimbra tres
jornaes acadmico.-, qual d'elles mais faganhu-
do :
Ob Insubmissos, a Bohemia Nova e o .Yero ca\
nem l
Para se'bater com este ultimo, annuncia-se
para breve o apnarecimento de um outro peri-
dico intitulado Antes pelo contrario.
Puem Indunt
Ha poucos dias o Sr. Dr. Eduardo de Abreu,
medico distincto, deputado e um dos talentos
mais brilhanrtB da gerar^o nova, mandou para
a cmara municipal de Lisboa 18 exemplares do
Eurico ou o Preshytero de Alexandre Herculano,
vertido em francez pela Sra. viscondessa das
Nogueiras, viuva do fallecido ministro de Portu-
gal nos Estados Unidos.
Estes exemplares foram reraettidos s biblio-
thecas municipaes.
N'uma das ultimas sessOes da mesma c-
mara, o Sr. Dr. Magalhes Lima, qne verea
dor, e redactor principal da folha republicana
O Secuto, propoz e a cmara approvou, qne fos-
sem depositadas no jazigo. municipal os restos
mortaes do sabio puMictsta, ha raonco. fallecido,
Oiiveira Marreca, assim como nm voto de-senti-
menlo pela perda de tSo prestantB"cidadao.
Quando jenmnerei na. minha ultima as di-
versas commisses de seryieo pnnlicO" en o fimdttprwmra,soe^rfetafiamom^''
vuras urna estampa de moldes e bordados1* um j{0 |Ugar Aldela, 'pirtencente a
figurioo colorido. ^ Tfljucnpapor.uma nt Aminlta brrgo
epatado fallecido" Na actual le- nt aj^fca, no.dij 1 do corrente, ea prin.
AMftenUbin Pro* Inda! Funccionou
hontem sob a presidencia do Exm. Sr. Baro de
Caiar tendo comparecido' 24 Srs. deputados.
Foram lidas e approvadas ser debite as actas
da sesso de 5 e da rcunio de 6^
O Sr. 1." secremrio procedeu .: leitura do se-
guinte expediente :
tn oflicio do secretario do governo das Ala-
goas agradecendo a remessa dos Annaes de
1888. Inteirada.
Outro do mesmo remetiendo um exemplar
das leis c regulameutos d'aquella provincia de
1886 a 1S87. -A archivar. .
Urna petico de Aristides Honorio Bezeria de
Menezcs, porteiro da Bibliotheca Provincial, re-
Juerendo um anno de licenca.A' commisso
e petigoes.
Foram a imprimir os seguintes projectos. pre-
cedido o primeiro de parecer da commisso de
peticoes:
N. 27 mtorisando o contractar-se com Ro-
drigues. Oiiveira A C, urna fabrica de chitas,
morras broncos e estampados e caserairas.
N. 28Autorisando a recous'ruir-se o antico
agude chamado da Naco, na villa de S Bento.
N. 29Creando duas cadeiras mixtas ulna no
Jupv e outra em Canhotifiho
N! 30-Creando um districto de paz denomi-
nado Cachoeirinha, no termo de S. Bento.
Foram a imprimir dous pareceres da commis-
so de exarao de leis nao sanecionadas sob
ns. 22 e 23, adoptando, taos quaes se .achara, a
de 1888 que reduz a um s districto os dous do
Ex e a de 1889 mandando perlencer ao termo
comarca de Caruar o districto de Camplos.-
Approvou-se depois de orarem os Srs. Correa
da Creta e Cernelio da Fonseca, urp requeri-
mento d'aquelle Sr. deputado pedindo inforraa-
C6es sobre estar ou nao pronunciado o tenente
de polica, Manoel Raynero de Barros era Ouri
cury em crirae de homicidio.
Passou-se ordetn do dia.
Entrando era 3." discusso o projecto n. 20 de
1886 foi approvada a emenda substitutiva (pos-
tu-as de Flores).
Rcgeitou-se em 1.a discusso o projecto a. 85
de 1883 (ponte entre o Barbalho c Caldeireiro).
O Sr. presidente nomeou aos Srs. Inneu Ma
cedo. Juiio Tenorio e Cornelio da Fonseca para
se entenderem cora urna commisso da irman-
dade do Senhor Bom Jess das Chagas que es-
tava na ante-sala.
Encerron-se a 3.a discusso do projecto n. 94
de 1888 (orgamenlo provincial) sendo apoiadas
mais 20 emendas de ns. 21 a 40 bem como um
requerimento do Sr. Jos Marianno, de ada
ment da discusso at screm lmpressas ditas
emendas, nao se volando por falta, de numero. .
Adiou-se a 1.* discusso do projecto n. 223 de
1884.
A ordem do da : I.* discusso dos projectos
ns. 223 de 188t, 83 de 1883, 71 de 1887,101,
109 e '20 de 1*8, 5, 6 a 25 de 1889; 2.' dos de
ns. 69, 126 e 131 de 1888. 4, 18 e 20 de 1889 :
3.' dos de ns. 33, 94,103,108, 135 e 136 de 88S
e 17 de 1889, t.' discusso da emenda approvada
em 3.a ao projecto n. 20 de 1886. Discusso do
parecer n. 20 deste anno da commisso de leis
nao sanecionadas.
Acta* da presidencitt da provincia
- Por actos de 21 de Marco lindo :
Foi nomcado Silverio Joo Neporauceno Bes-
tos para o posto de capito da 3" companhia do
5o tataltiao da Guarda Nacional do Recife.
Fcratn nomeados para a Guarda Nacional da
comarca do Cabo os seguintes ofciaes :
4" corpo de cavallaria
2* companhia
Capito, Antonio de Paula Souza Leao.
27* b'italliao de infantaria
i. compahia
Tenente, Sent Jos Ferraz de Azevedo.
28 batulhau de infintari*
4.* companhia
Capito, Francisco Manoel do Reg nrrelo.
Tenente, Joaquira Lins de Siqueira Rocha.
Foi considerada sera effeito a portara de 13
de Fevereiro de 1882, que nomeou Bertoiino Ro
drigues de Macedo capito da 6< companhia do
^batalho da Guarda Nacion.il de Ouru-ury e
Boa Vista, visto nio ter prestado juramento.
Foram nomeados para o 22 batalho da Guar-
da Nacional de Ouricary e Boa-Vista os seguin
tes olliciaes :
o' companhia
Alteres, Jos Rodrigues de Souza.
6-companhia
Capito, Jos Luiz Gomes
Foi nomeado o capito Trajano Alves de Men-
donca. para o cargo de Io supplente do subde-
legado do 1 districto da 1 delegacia de Seri
Foi exonerado Jos Vieira de Mello Franco do
cargo'de subdelegado do 2" districto de Pao
d'Aho e nomeado para substituil-o Joo Lr-
ueiro Cavalcante de Albuquerque.
Foi exonerado Manoel Ribeiro da Silva do
cargo de 3o supplente do sub lelegado do 2o dis-
trito de*o d'Alho, e nomeado para substituil-o
Manoel Carjeiro da Cunha.
Foi nomeado 3o supplente do juiz municipal
de Villa Bella Andrelino de Souza Martins.
Foi nomeado 3* supplente do juiz municipal
de Petrolina Antonio de Azevedo Araponga.
Por oflicio da mesma data mandou-se pagar
ao superintendente da estrada de ferro de S.
Fraocisco a quantia de 4*640 de passagens con-
cedidas na mesma estrada de ferro.
JorualintaA bordo do paquete nacional
Alagos passou hontem o distincto jornalista
cearense, Joo Lopes Ferreira, redactor chefe
do Libertador que se publica na Fortaleza.
Agradecendo ao nosso estiraavel collega a Ti-
man que nos fez, desejamos-lne, prospera via-
gem.
Capriebo de lailruo Com este titulo
tncontramos no dador da. cidade da Victoria,
de 6 do corrente, a seguinlc noticia :
No dia 2 do corren completou justamente
um anno que os gatunos procuraram, pelo te-
Ihado. penetrar n casa do Sr. Oiiveira Maciel,
ex-proprietario deste jornal, afim de conduzi-
rem alguma cousa, o que nao poderam fazer por
ter despertado pessoas da casa e espantado os
ladres ; entretanto sabendo elles que o Sr.
Maciel tem um cavailo que dorme no comparli-
menlo que serve de cosinha, v>ram solemns*r
o anniversario da primeira tentativa, procuran-
do arrombar urna parede que deita para o quin-
tal, arim de conduzirem o animal tiveram, po-
rm, de abandonar o trabalho que j ia um nou
co adiantado. por serem presentidos pela dona
da casa. ?
Soffregos pla presa, ainda voltaram na noi-
te de 3, porm desta vez pelo telbado, sendo in
fructfera a tentativa por serem novamente pre-
sentidos. .
N4o ha duvida, os rapazes sao caprichosos.
A Untado Deste excelente peridico de
modas parisienses, que publicam na corte es
Srs. H- Lombaerts o n.frdo 18 anno. Tra alm demuiUe gra-
giplatra tem pago o doloroso tributo': Paaahy-
ba do Norte, com a morte do Dr. Elias- Prederi-
co de Almeida Albuquerque; Pernambuco, co:n
a ''os Drs. Antonio francisco "orreia de Araujo
e Bento Ceciliano dos Santos Ramo3 ; Alaga,
cora a dos Drs. Felinto Elysio. Franeisco Ilde-
fonso Ribeiro de Menezes e agora Mariano ra
Sil".a ; Bahia, com as do Dr. Pedro arneiro da
Silva, Baro da Villa da Barra e Luiz Aceiuli
Pereira Franco ; S. Paulo, com a do conselheiro
Martim Francisco Ribeiro de Andrada ; Paran,
com a do r. Manoel Eufrasio Correia ; Rio-
Grande do Sul, com a do Dr. Severioo Ribeiro
Carneiro Monteiro e do Dr. Miranda Ribeiro ;
Matto-Grpsso, com'a do capito-tenente-Ewzebio
Jos Antunes.
Ao todo 14.
A situara do Thesouro No Jornal
doGinmereib datorte leoios o seguinte :
Tendo sido paga hontem a importancia de
2,OO0:0uO*-de bilhetes do Thesouro, est redu-
zida a divida fluctuante d<'Sta origcm insigni-
ficante quantia d 77:5004, constante, na mnior
parte, de bilhetes vencidos musaiuda nao apre-
sentados a pagamento.
Em-^l'du Marco de 1888. srgundo o ultimo
relatorio da'fazenda, a importancia dos bdhe-
tes do Thesouro em circulago era de. .. V..
31.330:000000.
Consta-nos timbetn qu'\ oreadas todas as
despezas que tena de sor effectuadas em Lon-
dres no decurso deste anno, dndose larga oar-
gem para eventuaes, pode o Sr. ministro contar
com cerca de um luubo estirlino, saldo do ul-
timo emprestimu exrerno, no principio do anuo
futuro. _
Acham sena Caixa de Anrortisacao para ser
enviados ao Thesouro *.30:XWr.> de notas
substituidus, e a caixa da ibesouraria geral do
Thesouro fechou hontem com quantia superior
a 1 000:000 4W0.
Publicamos com satisfco esles dados que
demonstrara ser altamente songeira a situaco
do Thesouro Nacional.
Patente de Invenro Na forma da
lei de 15 de Outubro de 1882 esto concedidas
as seguintes patales para uso, gozo, beneficios
e vantagens durante o praso de 15 anuos :
Aor. Orazio Luyo, medico residente em
Nova-York, para machinas'dynamo e motores
elctricos aperfeicoados
A William Legrand Card norte-americano,
para melhoramentosque declarou haver intro
duzido em apparelhos destinados a eliminar
raetaesdas suas malrizes ou gengas.
A Conrado Struve, engenheiro norte ame-
ricano*, residente nesta capital, para oappareihn
3ue declarou ter inventado com o !im de puri-
car o 237. e regular a sua presso.
A' Henry Forbes Julien, engenheiro ingh-z.
residente em Johannesberg da frica austral,
pan u:n trataraento aperfeicoado de mineriQS
aurferos e argentferos.
A l.udwig Kcylin, allemo industrial e re-
sidente em Berlim para novo methodo de fabri-
caco de chumbo e de balas.
A Lu.lwig Mond < Cari Langer, subditos
britannicos e residentes na Inglaterra, para um
systema de bateras ao qual impuzeram a deno-
minaco de Bateriwdt gaz. aperfei$oaia$.
Taes patentes s3o concedidas de accordo com
os desenlio? erelatoriosidepositados' no archivo
publico- do imperio ; sm responsabilidade do
governo imperial quanto a novidade e utildade
da invencao e resalvados os direitos de tercei-J.
ros.
i >rapanliia Pernambnraun de \a-
vefaeo-Por decreto de 16 do passado, ex-
pedido na forma da le n. 3,397 de 24 de No-
verabro ultimo, art. "", foi autorisadaa celebra-
eo do novo contrato com a Companhia Per-
n.imbucana de Navegaco pare continuago do
servico a seu cargo. Alem de urna viagem men-
sal do Rocife ilha de Femando de Noronha,
abrange o mesmo servico duas outras. tambem
mensaes, na hnha do norte, entre o porto do
Recite e o de Fortaleza com escalas pelos da
Parahyba, Natal, Macao, Mossor e Aracaty e*
outras tantas na linha do sul, do Recife a Ara'
caj, cora escalas pelos portos de Macei e ,Pe-
nedo.
Vigorar o novo contracto at 23 de Setembro
de 1897, mediante stlbvenc4oanoual de 1 i:dw>.
paga em prestacOes mensaes.
MedUlaa e dcauarcarao de lena*
O ministerio dos negocios da agricultura diri-
gi em data de 30 do passado ao inspector ge-
ral de trras e colonisago o seguinte aviso :
arecendo a este ministerio em geral ele-
vado o custo das inedicoes e deraarcacoes de
terrenos. erTectuadas alm dissosem a indispen
suvel presteza pelas commissOes de engenbeiros
subordinados a esa inspectora, cbamo a sua
atlengo para a eonveuieiicia de tentarse a
execuco. ..dJaquelies servicos pelo .ysleina de
resiiectiva applicaco,
der bom resultado.
de Japaratuba-
empreitadas parciaes medante concurrencia pu-
blica e segundo bases organisadas por Vmc. e
previamente approvadas, especilieaodo-se mi-
nuciosamente os trabalhos >a elfoctuar, a forma
da liscalisaco a que devam ticar ujeitos, con-
digoes dos pagamentos, garanta a exigir dos
contractantes e o mais que interessar para o lira
pro posto.
Cumpre, pis, que nesse sentido Vmc. su-
jeite cora a possivel brevidade a este ministerio
ura projecto de clausulas, indicando ao mesmo
lempo a localidade ou localidades preferiveis
para a experiencia da
que se generasar, se
Rodrigo A. da Silra.
Engeabo central
Pelo Dr. Leandro Ribeiro de Siqueira Maciel,
na qualidade de procurador do concessionario,
coronel Antonio Luiz de Araujo Maciel, foi as
signado o competente contracto para construc-
go no municipio de Japaratuba, da provincia
de Sergipe, de ura engenno central destinado ao
fabrico de assucar e de alcool de canna, me-
diante garanta do juro annual de 6 por cento
sobre o capital de 750:0005. Deve.r a fabrica
ter capacidade para trabalhar diariamente 300
toneladas de caima durante cada safra de cem
dias e er apparelha la com machinismos dos
mais apcrfuicoados.
Foram outrosim approvados os contractos ce-
lebrados pelo concessionario para forneciraento
de cannas ao engenho central, considerando-sc
justificada a existencia de agua e de combusti-
vel na localidade em quantidade sufliciente ao
consumo da fabrica.
Tarifa de cercaemE' merecedora de
applauso, diz o Jornal do Commercio da corte,
a solicitude com que o Sr. ministro da agricul-
tura, altendendo a escassez de cereaes, que co-
m'eca a manifestar-se, apressou-se em providen-
ciar no intuito de diminuir o custo do transpor-
te desses gneros tanto pela |estrada de ferro D.
Pedro II, como pelas embarcacOes das compa-
nblas de navegago subvencionadas pelo Es-
tado.
Os avisos para este fim expedidos hontem sao
os seguintes :
GabineteRio de Janeiro, 29 de Marco de
1889. } .
< Posto que sejam bastante mdicas as tari-
fas dos cereaes transportados pela estrada de
ferro D.PedroII, resolv, em attengo escas-
sez de taes gneros, autorisar V. S. a reduzil-as
provisoriamente. Quanto aos cereaes estran-
geiros, embora estes paguem taxas mais ele-
vadas, para o lira de proteger a pequea lavou-
ra nacional, sero agora reduzdas mesma
taxa d'aquelles, e com igual limitacaode tempo.
Deus guarde a V. S. Rodrigo A. da Silva.
Sr. director da estrada de ferro D. Pedro. O.
Gabinele.-Rio de Janeiro, 29 de Margo de
1889.
Coovindo acudir escassez de cereaes,
fica V. S. autorisado a entender-se com as eom-
panhias de navegacio subvencionadas pelo Es-
tado, para o tim de obter que reduzam, provi-
soriamente, ojespectivo frete, no mnimo de 30
por cento. ,
.. Deus guarde a V. S- Rodrigo A. da Suva.
Sr. inspector das linhas de navegago subven-
cionadas nesta corte.
Co.vanna Da Poltica Liberal, semanario
que se publica em Goyanna extrahimos as se-
guintes noticias :
No dia 1* do corrente foi encontrado na mat-
ta d Goyanna Grande, estendido no caminho
que conduz ao lugar denominado Cruz d'Alma,
o cadver de um noraem desconhecido, de edr
escura, indicando a idade de 40 annos, pouco
mais ou menos, vestido de camisa e calja de al-
Pelo exame a que mandou proceder a polica,-
nao se descobrio vestigio algum de rime.
us peritos do como causa provavel da morte
urna confeato pulmonar.
nao se contentando, coro a tunda de Hagan
passou na visinha, tocou Ihe fogo casa e por
nm triz nao ficuu assada a pobre, da-.sinh lia
ricas!
F)i preso no dia 1 por denuncia de que-era
criminoso nu Ri'i'ife o individuo de, oorae Vioen
te Gomes da Costa, coiihecido por Vicente de
Lima.
Conduzido a presenga do subdelegado, e. sen-
do interrogado, respondeu com o maior desem-
baraco, que nao tinha mono o criado do Dr..Jos
Marianno. conforme se dizia: que oseucrime
era ter assassinado, com mais quitro compa-
nheiros, cujos nomes dechnou, a Antonio*Jos
no teraao de Bezerros.
Vai ter o conveninte destino.
Colonia- orpimnoiosica lsaUel Re-
cebemos hontem umexemplar do relatorio apre-
sentado ao Exm. Sr. presidente da provincia de
Petn.ambuco Dr. Innocencio Marques-.de Araujo
Ges pelo director da Colonia Orphanologica
Isabel Revm. Fr. Fidelis. Maria de Fognano rais-
ionurio apostlico capuch'oho em 30 Jfc Janeiro
deste anno, relativamente au anno tinao em 31
de Dezembro de 1883, dcimo quinto da funda-
gao do mesmo Inst'tuto.
Agradecemos.
ANsanftinato e eupaocamenlo-Ema
noite de 24 do mez prximo lindo, em trras do
engenho Miraiidraha de Goyaana, Silverio da
Silva Viodan, dous. filhos seus de nomes Jos
e Antonio da Silva Vindano, um grnro de nome
Jos de Arruda Gomes, assassinaram. cora um
tiro e diversas acetadas a Jos Luiz Antonio de
Moura, cuja, amasia de iionm Mara Victorina.da<
.Cocceigo espaneanambacbaramente.
Dentre os criminosos, que se-evadiramr logo
a pos a perpetrafae do crink, toi posteriormen- <
te preso Jos de Arruda Qjfces.
. BeereatHa ManBWawiitEm SPS-
so de 6 do corrente, proce.leu-se a eleicoida
directora desta sociedade, ficando assim orga-
nisa la :
Presidente Fernando Barroca.
Vire-presidente Custodio de Mendonga.
1 secreta-oManoel Gomes.
2 dito-Eduardo Barroca
ThesoureiroMamede de Albuquerque.
ProcuradorCarlos de Oiiveira. *.
Fiscal Candido Motta.
Syndicos Paulo Almeida, Dionisio Maiae 'dol-
"pho Cox.
Director de scena Leopoldo Cirne.
Hoje, s 6 e 1/2 horas da tarde,. esta directo-
ra deve reunir-se em sesso ordinaria, na sede
social.
Batalbadorr dan Flore Esta, socie-
dade reurao-se no sabbado s 7 horas da noile
em sua sede provisoria ra de Sun'a Isabel
n. 5, para discutir os seus estatutos, os quaes fo-
rara approvados e em seguida procedeu-se a elei-
go sendo eleitos os seguintes senheres':
Presidente Jos dJOlivpira Guimaraes.
Viee-presidelite-Ludgvro Jard m da Costa.
! Secretario-Maoel dos Santos Cavalcante
Barros.
2. Secretario -Antonio Ayres de Almeida Frei-
tas.
Thesoureiro Hermogenes Irecleto Camargo.
ProcuradorSeraphira Jos de* Santos.
CommUso de contas tedro de Assis, relator,
JosA Bento de Souza e Francisco Pedro de Assis.
O Sr. presidente marceno dia H s 7 horas da
noite para a posse dos eleitos.
estotro civil de Olidae*e*p*e
No me* de Margo ultimo foram registrados.em
Olinda e Bebenbe:
Nascimentos 13
Casamentas- i
bitos 30
Criminoao^de morte-Na Casa de Deten-
gao acha-se recolhido Vicente Gomes da Costa,
conhecido por Vicente de Lima, ltimamente
capturado em trras do engenho Goyanna-Graa-
de. Vicente comraetteu ura assassinato em Gra-
vat de Bezerros.
Frriram-oe -Pelas 3 horas da tarde de JO
do passado, era trras do engenho Morenos do
termo de JaboatSo, travaram-sc da razes Augus-
to Mende3 da Silva e Pedro Hilario Raialho.
delles resultando sahirem ambos levemente fli-
dos. Aquelle evadio-se, mas o segundo foi.preBO
em flagrante. ^
Manta Casa de Misericordia-*Eis o
pessoal soccorrido nos diversos estabelecJHien-
os cargo da Santa Casa de Misericordia no
mez de Margo ultimo :
Hospital Pedro U
Dito dos Lazaros
Dito de Santa gueda
Hospicio de Alienados
Asylo de Mendicidade
Coflegio de Orphs
Casa dos Expostos :
A saber:
Em criag'o fra do estabelecimento f 119
Em educago uo estabelecimento (206
627
3
218
17i
199
325
Total
1.582
MiMceltanea Philosophica e Sscio-
losicaFomos hontem obiequiados com. um
exemplar do livro sob o titulo cima, preciosa
obra posthUma do Dr. Aprigio Justinian da Sil-
va Guimaraes, nosso comprovinciano, eque aca-
ba de ser impresso nesta cidade.
Alera de urna ad venenen escripia peloSr.Dr.
Hildeberto A. Guimaraes oceupa-se o livro, que
tem mais de 200 paginas dos seguintes as-
suraplos :
I Evolugo das opiniOes. U RazOes de duvidar
da doutrina de Crate. IH VidaEsphera psy-
chicaSentiraento religioso. IV Biologa e So-
ciologaElemento moral educago e instruc-
go. V O progresso e a evolugo -Theoria de
Spencer. VI Spencer e a sociologa. VU a psy-
chologianova VIII Socialismo na AllemanhaSan
simonismoNihilismo. K A questo do somno.
X A vida ulterior. XI O papel do pensamento
na medicina. Appendice. Discurso.
Na livraria do Sr. F. P. Bolitreau ha exempla-
res venda.
Agradecemos aofierta.
Servico militarEstao designados hoje
para superior do dia o Sr. major Alves, ede
ronda menor o Sr. tenente Leobaldode Moraes
guaruigo da cidade e dada hoje pelo 2"
batalho de infantaria.
Existem em tratamento na enfermara mi-
litar 42 pragas do3 corpos da guarnigao.
Foi mandado addir ao 14 batalho de in-
fantaria o Sr. cadete alumno do curso' prepara-
torio da escola militar do Cear Arthur Henri-
que da Silva, que em viagem do Rio de Janeiro
para aquella provincia desembarcou ne3ta por
doente conforme o attestado medico que apre-
sentou. .
Ao 2 batalho de infantaria foram devol-
vidos, rubricados por S. Exc. o Sr. tenente-co-
ronel commandante das armas, os ttulos de atlis-
tamento dos soldados Joaquim Jacintbo da Cruz,
Jos Antonio da Silva, Antonio Ramos da Silva
e Ignacio Paes Barreta.
Passaram a promptos de empregados na
fortaleza do Brum, o cabo de esquadra Joaquim
Gomes de Albuquerque e o anspegada Antonio
Manoel do Nascimento, passando substituil-os
a cabo de esquadra Jacintho Heleodoro Braga e
anspegada Antonio Francisco Alves.
Foi entregue ao 14* batalho de infantaria
a guia de soccorrimento do forriel Joaquim Fer-
nandes da Costa, que veio da corte transferido
para o mencionado batalho.
LetlfiesEffectuar-se nao os seguintes : ,
Hoje :
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, a ra
Visconde de Itaparica n. 61, do hotel ah exis-
tete- .. i
Pelo agente Martins, s 11 oras, ra da
Imperatnz n. 36, de bons movis, tangas e vi-
Pelo agente Modesto Baptista, as 11 horas,
ra Estrena* do Rosario n. 36, de urna armacao
para miudeza3
Peto agente Gusmo, s 11 horas, ra Mr-
quez de Olinda n. 48, de polvos seceos, erviUaas
e cacao. a
Amanh :
Peto agente Gusmo, s 1 i horas,
Imperatnz n. 14, de urna armago para
miudezas. ,
HiMfta fnebreSer celebrada :
Hoje :
A's 8 horas, na matriz da Boa
de D. Maria Honorata Regei
de Souza.
PansageiroaChe gados d
brazileirn Alagos :
Dr. Bulo*bu CarneiraA^^^H
ra, Elias Augusta T
Cesare 1 cnada, John
B
m


H






y
inoel A- R- pM, <>l*.v da
oes Pereira Pinto, Manoel Po Perei-
Antao Ferreira, Antonio Bastos Pinto,
arlos Teixeira, Carlos Rebello, Francis-
5iacomo, Thouiazia Amelia da Trindade, Ma-
rtas MoUer, Jos Fenurades da Costa, Guiseppe
Catoli, sua senhora e1 ttiho. Joao Lobo da Silva
- Francisco Gomes da Slveira.
Chegadosdp sul na vapor braiileiro S.
Praacisco :
Krmelinda de Souza, Aprigio Jos Vieira, Ti-
burcio Valerio do Prado, Joao Goncalves Perei-
ra, Francisco Rodrigues Soeiro, Manoel Pereira
Hachado, Antonio Feliciano da Silva, Francisco
Joaquim da Costa, Francisco Meo des da Fou.se-
ca, Joaqun da Silva Tavares, Maria P. Macha-
do, Jos Gomes da Araujo, Jos Nunes Barboza,
Bernardo P. do Nascimento, Felisraino P. Nas-
rimento, Joaquim Martins da Cruz, Vicente Fer-
reira Lima, Pedro Vai de Moraes, Verissimo
AWeSFerraz. Joao Vieira dosReis, Candido V.
dos Reis, Jesuino Jos de Lima, Jos Gomes Se-
verino, Jos Maria Gomes, Octaviano Jos do
Nascimento, Antonio Das Ferraz, Jos Francisco
de Araujo, elvino de Mello Lisboa, Gilberto
Gomes Cruaploaquim Das da Silva, (1 pracas
de polica, 2 mulneres e 5 presos.
Chegados da, Europa no vapor inglez Acn-
ragua:
Ailtonio Candido V. Xavier e Mana da Con-
eicSo.
Sabidos para o sol no mesmo vapor :
Antonio Jacintbo, Hyppolito Sentenase e sua
senhora,'Marcitnillo tins, Edmundo Oliveira,
Brico La Balsa, Cassiano Lopes, Campos Fran-
ca e Felinto de Carvalbo.
BMrectorla da* obra* de conwera-
ci do* Porto* de Pernmkuea Reci-
le. 7 de Abril de 1889.
Boletim raejajorologicofl
Horas
12
3 t.
6
"*n
aafcor
27-1
SB-8
29*.-6
29-9
28*1
Barmetro a
O*
760-91
76-28
761-29
760-23
760-72
Tensao o
do vapor E
s

~LJ
20,18 75
20,58 69
19,62 n
20,46 65
19,71 70
Temperatura mxima38,25.
Dita minima 26,50.
Evaporacao em 24 horasi?o sol: 8-.5; a som
bra: 35.
Chuvanulla.
Direcgo do vento: SE e ESE variaveis de
meia noite at O horas e 53 minutos da raanha;
SE at meta noite.
Velocidade media do vento: 3- 27 por se-
gundo. ^
Nebulosidad).' media: 0.55.
Boletim do porto

P. M
B M
P. M.
B. M.
Oa
7 de Abril
8 de Abril
Horas
838 da manh
3 t da Urde
9-35
345 da manba
Altura
1-93
0-,95
1-.79
i-,06
Ca*a de DelencoMovimento dos pre-
06 da Cuia de Deteucao do dia 7 de Abril d
Existiam 494; entraran; 16; sahiram 13 ; exis
tai 415.
A saber:
Nacionaes 456; mulheres 17 ; etrangejros 22
Total 495.
Arracoados Mi
Bons 3*9.
Doentes 21.
Louco 1.Total 411.
Movimento da enfermara
Tiveram baixa:
Antonio de Souza Almeida
Flix Gomes Ferreira.
Tiveram alta:
Jos Manoel de Souza.
Jos Francisco da SUva.
Foram visitados os presos deste estabeleci-
mento por 250 pessoas, sendo 100 homeus e 150
mulnerec.
Oprrarrx <-iruri;i<-u -Foram pratica-
cadas no hospital Pedro II, no dia 6 do corren-
te, as segui utes :
Pelo Dr. Malaquias :
Poslbotomia reclamada por parapbimosis e
cancro.
COMERCIO
Revista do Mercado
Recite, 8 de abril de 1889.
0 movimento na praca foi quasi nullo.
Todos os mercados manliveram se na mesma
aosicao.
Bolsa
OOTACCeS OFFJLlAES DA JUNTA DOS COB-
RETOBES
Rfdfe. 8 ae Abril de /88D
Algodao do sertao 1- sorte, 6*400 por 15 kilos,
sabbado.
O presidente,
Carnudo G. lcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux
_____ ?
* Cambio
Estando interrompida a communicacao tele-
*Mphica. tanto na linha terrestre como na sub-
Knua, entre este porto e o do sul, o mercado
de cambio coo,servou se. pa-alysado, sendo no-
minaes as cutaces de 27 5 8 bancano e 2713/16
papel particular.
Do Rio, as ultimas noticias, com data de 5 do
correte, dio o papel bincario a 27 7/8, frouxe.
TABELLAS AFFIXADA9
?
4
-<
c -
5 t = ~*v~
5. 6 = 5- = =:
2. 53
M
1 I
"SI O
t
3
9
*
Pelo Dr. Berardo:
Extracgo de catarata senil dura pelo proces-
so de Wecker.
oapltal' redro n O movraento deste
estabelecimento de daridade, no dii 7 de Abril
foi o seguinte:
Entraram 6
Sahiram 4
Fallecern)
Existem 610
Foram visitadas as respectivas enfermarlas
pelos Drs.:
Moscoso as 7 l|2, Barros Sobrinho as 6 1|2, ho-
ras.
Nao compareceram os Drs. :
Cysneiro.
Berardo.
Malaquias.
Pontual.
Estevao Cavalcante.
Simoes Barbosa
O cirurgiao dentista Numa Pompilio nao coin-
pareceu.
0 pharmaceutico entrou as 81(4 da manhS e
sabio as 4> da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrou as 7 114
da manha e sahio a 1 hora da tarde.
Lotera de Oraa-Pari-A 5* parte da
24* lotera, dessa provincia, cujo premio grand*
120:000i000, eraextrabida.amanh.'i 10 do cor-
rente. ..,-
Omiirrlo PublicoOb.luano do da 6
de Abril de 1889 :
Maria da PurificacSo Pereira Gusmao, Pernain-
buco, 70 annos, viuva, Afogados; senilidade.
Jos, Pernambuco, 3 mezes, S. Jos; convul-
Arthur Martins da Costa, Pernambuco, 10 an-
nos. Boa Vista ; hepae.
Joaquina Mana da conceigao, Pernaa buco, 23
annos, *olteira, Recife ; hemorrhagia.
Luiz Francisco Ribeiro, Pernamtuco, Graca ;
tubrculos pulmonares.
Izabel Velloso da Silveira, Pernambuco. 40
annos, solleiro, S. Jos ; clica heptica.
Carolino, Pernambuco, 6 annos, S. Jo9; tu-
brculos pulmonares.
Benediclo-de Souza Leile, Rio Grande do Nor-
te, 39 annos, casado, Boa-Vista ; pneumona.
Manoel Luiz d'Albe, Pernambuco, 47 annts,
viuva, Boa-Vista; anemia.
7 (
Manoel dos Passos Gomes, Portugal. 24 annos,
solleiro, Recife; angina pectoris.
Davina Maria do Costa Avellar, Pernambuco,
58 annos, viuva, Boa-Vista febre remitente.
Maria Anglica dos Prazcres, Pemanbuco, 25
a-.nos, solteira. Santo Antonio; tubrculos pul-
monares..
Josepha, Pernambuco. 4 mezes, S. Jos : en-
tero colite
Bento Mendes da Silva, Pernambuco. 85 an-
nos, casado, Boa-Vista ; ente ite.
Pedro Alexandrino de Medeiros, Pernambuco,
26 annos, solteiro, Boa-Vista; bronchite.
Casticiana, Pernambuco, 60 annos, solteira,
Boa-Vista; diarrha.
Lourenco, Pern mbuco. 8 mezes, Santo Anto-
nio; espasmo.
Narciso, Pernambuco, 22 dias, S. Jos; diar-
rha-
Um pouco de tu do
A vinicultura atravessa ainda no Brasil
phase incipiente, posto que a industria
despuntado coi rara pujana e, nos lti-
mos tempos, haja recebido, sobretudo na
provincia de S. Paulo, inipulsao forte
diante da qual nSo licito duvidar do
grande fiituro reservado a este ramo de
trabalho nacional. Xostas circumstancias
s3o para inspirar vivo interesse, nSo s
aos immediatamente interessados, mas a
todos os espiritos que se preoecupam cora
a expanso das formas productoras, todas
as observad-oes judiciosas que tendam a
melhorar os methodos da vinificacSo, a
aperfe9oar a cultura da videira por dis-
creta escolha das variedades e selecco
bem dirigida, e a dissipar preconceitos
que nao combatidos as suas causas, po-
dem vo ar a prematturo descrdito os nos-
sos productos desta natureza, incutin desanimo aos plantadores e fabricantes,
obstando tentativas novas e dando aos noi-
sos formidave8 competidores do artigo ar-
mas de combate contra as quaes n2o nos
ser fcil a defeza quando chegar o tem-
pe de entrarmos verdadeiramente na lien
do supprmento dos mercados.
de PernambucoTerca
A exportacao feita pela alfandega neste mez
at o dia 5, attingio a 448.4T1 1/2 kilos para o
exterior.
As entradas verilicadas at a data de hoje so
bem a 5.439 saccas, sendo por:
Barcacas..... 8* Saccas
Vapores 90o
nimaes..... 1-973
Via-ferrea de Caruar. 181
Via-ferrea de S. Francisco. 212
Via-ferrea deLimoeiro 1.201
Somma-
5.459 SlCCM
O vapor inglez Cassius, levou 2.363 saccas
para Liverpool.
Assuear
Os presos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
rondo a Associajao Commercia! Agrcola, foram
os seguintes:
Brancos .
Someno .
Mascavado purgado
bruto.
Rtame .
Colonia Isabel:
Branco 1* .
. 2* .
. 3' .
Someno -
Mascavado
Usina Pinto:
Branco !
f
Someno .
Mascavado .
34108 a 3*800
1*900 a 2*1(0
U400 a 1*500
1*100 a 1*200
*800 a 1*000
4*100
2*8*0
1*500
3*900
l*ti)
4*000
2*300
3*000
1*500
A exportaca, feita pela alfandega neste inez al
o da o. subi a 1.171.031 kilos, sendo BS.I.5M
para o exterior e 339.432 para o interior.
As entradas verificadas at a data de hoje so-
bem a 12.925 saceos, sendo pon:
Barcacas ....
Vapores.....
Animaes....
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea do Limoeiro .
Acerca deste interessant
de pessoa de alta competencia na
eialidade a comniunicacJlo seguinte que,
estamos cortos, ser devidamente consi-
derada pelos viticultores de S. Paulo e
de todas as nossas regi3es vinbateiras, es-
timulando-os no seu. mesm interesse e no
internase geral da industria i applicar
escolha da videira a attengSo toda particu-
lar que a materia exige :
Sr. Redactor.A oliciinda com que
o Jornal do Conunerdo se tem oceupado
da industria, indunem-me a dirigir-lhe
estas linhas, com o fim de coiubater a
aprecia^So errnea daquelli s que enten-
dem que o gosto particular dos vinbos
que nos chegam as vezes de S. Paulo
como amostras (gosto que mis chamam
de trra e outros de morngo) carcter
inseparavel de qnalquer vinho paulista,
seja qual for a variedade ou especie de
videira com que o mesmo vinko seja fa-
bricado. Raras sao as pessoas que nao
acham desagradavel tal gosto e inuitas en-
tendem quo naquella catinga (venia sit
verbo) ha raz&o para duvidar de que ja-
mis obtenhamos no Brasil vinho nacio-
nal e legitimo de uva que mudavel e
agradavel a um terapo, posaa deseuipe-
nhar na alimentaoilb publica papel impor-
tante.
Semelhante opluio totalmente er-
rnea. Aquello sabor caracteristico (isto
em todo a parte) dos viuhos pruvenien es
de um grupo de videiras norte americanas
denominado VUis labrusca, e, lamentavel-
mente, a vilicufcra paulista tem-se ba-
seado at hoje, para assim der, na vi-
deira Isabella, que membro do grupo
Labrusca. Podemos dizer, sem rece o de.
nos afastarmos sensivel mente das pro-
porcSes reaes, que 99 [0 das parreiras
existentea em S. Paulo pertencein va-
riedade Isabdla, e, portanto, se os vinhos
paulistas offerecem por via de regra,
aquelle gosto, porque todos provC'in
desta parreira, alli tSo gencralisada.
< Os Norte-Americanos c os inglezes
tem para aquella catinga o vocabulo foxy,
que alguns, dizem derivada de (rapo-
s&), e que o Dr. Luiz Barrcto, de
S. Paulo, traduzio por avidpinado. Isto
mostra que se trata de caracteristic > ge-
ral do vinho da parreira Isabella, e de
outtas do grupo Labrusca, posto que a
mim nio me pareca existir nenhuma rela-
cSo entre tal catinga e a da raposa.
Ainda ltimamente provei aqui no Rio vi-
nho que trazia o rotulo de S. Miguel dos
Acores e que desde a primeira gotta, na
razao de tal caracteristico, se manifestou
como producto do grupo Laetutra e prova-
velmenje, da uva Isabella. nao peculiar a S. Paulo, mas conhecido
em toda a America do Norte, c em d ffe-
rentes paizes da Europa, e em toda a
parte onde aquella parreira cultivada e
utilisada na fabrica do vinho.
t Urna vinifieaeSo racional conseguir
eliminar quasi totalmente dob vinhos da
Lacustra aquelle principio desagradavel,
e todos sabemos que a viniticacfto se
acha ainda entre nos em estado eui-
bryonario, do qual lia de certamente
tiral-a a stacao Ecolgica Ule S. Paulo,
cuja fundacao constituir padriio de honra
para a solicitude do govcino imperial,
pela pro8peridade econmica.
A parreira Isabella produz fcil e abun-
dantemente e o que explica a sua quasi
absoluta predominancia na inte"
provincia de S. Paulo onde alias o conso-
lheiro Antonio rado e varios plantadores
possuem magnificas o variadas colleccoes
de videiras das de mclhor quadade. A
parreira Isabella pertcnce a lamia La-
^mmsmmmtmmmmm^Bmm^m^im^msmm
354
410
Ni
400
550
.350
80
200
16
MJOQO
mediocre em rela^ao ao vinho, e
nada comparavel ao nobre grupo Vitis
aestivalit, do qual fazem parte variedades
tao vantajosamente reputadas quaes a
uthiana. Norton's Virginia, Herbemont,
aues, (Lenoir) e outras. Os vinhos pro-
cedentes destas videiras So tm aquelle
gosto foxy ou awlpinado e j em expes-
c8es internacionaes da Europa tem al<-an-
eado triumpho no certamen com vinhos
e-uropeus de reputayao assentada
O esaencial, pois, que os viticulto-
res de S. Paulo e osde todo o Brasil tra-
tam de substituir a Lacustra pela Aesti-
valis, pondo summo cuidado na escolha
das variedades.
4.946 Saceos
......
796
1.845
4.M17
521
SHwaa.
12.923 Saceos
-- t
-fc. ^ -A*
-o s p e
.8 5 o-5
*-1*
1
t Al^oao
Pelo vapor allemio -Cassius,. carregado por
J. H. Boxwell, levou 13.500 saceos com assuear
mascavado para Liverpool.
Coaros
Cota-se os salgados seceos a 370 res, na base
de 13 kilos.
Agurdente
Cota-se a 88*000, por pipa de 480 litros.
Aleool
Cola-*: a lt)3*000 por pipa de i80 litros.
el
Cot-se a 50*000 por pipa de 480 litros.
Pauta da alfandega
(CHINA 8 i 13 DE ABRIL DK 18^9
ir relinado ikilo).....
Asaucar branco (kilo) ....
Assuear mas lulo)
Aloool (litro
Arroz com caac
Alffodao (kJ
ES
220
20!)
86
348
50
356
160
800
Couros seceos saleados (kilo) .
Courus seceos espichados (kilo) .
couros veriles (kilo) ....
Cacao (kilo)......
1 af bm .kilo)
Ca i-estolho (kilo; ....
achaca (litro i ...
Carnauba kilo).....
i arocos de algodao (kiloi. .
iTarvo de pedra de Cardiir ton.)
Farinha de mandioca (litro) ... 80
Folbas de jaborandy (kilo/ 300
Genebra (litroi...... 200
Mel ilitro).......' *70
Milho ikilo........ 60
Pao Brasil i kilo)...... 35
Taboados.de amarello iduztu) 100*008
\vio-i a carga
Brigue poituguez MH>m para o Porto.
Vapor iuglez Aibhrook, para Liverpool.
A'avlos a descarga
Barca ueca Elba, carvao.
Barca nacional Maria Ang'limi. xarque.
Barca norueguense Mad-ma, carvao
LOgar inglez Vidonia. bacallio.
Lugar inglez Aureola, bacallio.
Lugar inglf s Rosina, bacallio.
Lugar americano Editar .1. Sanche;, varios ge
ncros.
Patacho, hespanbol -locra Pr Patacho ailerao Aaton. xarque.
Patacho hoMandez Engetta. xurijue.
Patacho nacional Moiileiro 2; larkM pfooeres.
Patacho nacional hukprti, varios ^eneros.
Talache nacional Jucwn Cmwtm, vanos gneros-
lin-ort;eo
Vapor nacional Jaguarihe, entrado dos
portos do irorte, em Odo corrente e consi-
gnado a Compahia Fernambucann, mani-
festou :
Algodao em rama 184 saccas a Borstel-
mann dt C, 650 a Julio & Irmao.
Capim 2 fardos a Aquilino Ribeiro.
Cera de carnauba 10 sceos a .Souza
Nogueira & C.
Jaborandy 1 fardo a Prente Vianna
& C.
Panno de algodao 10 fardos a Julio &
Irmao. Pelles de cabra 21 fardos a Bors-
telmann & *'., 16 ordem.
Sola 18 volumes a Ramo-: Gepj.ert d
C, 200 1^2 a Gomes de Maltes rmaos,
400 a Prente Vianna &.C.
Vapor nacional S. Francisco, Mitrado
dos portos do sul, em 7 do corrente e con-
signado a ompanhia Pornambucana, ma-
nifestou :
AlgodSo em rama 131 a raeni.
Charutos 2 eaix3es a B. de Druzina
&C.
Couros seceos salgad'
Fumo em folha 25 lardo; a Joao Fran-
cisco Leite.
Pelles de cabra 107 faris. a fd
Rezende, 120 orden, 12 a i i
C. Panno de algodao *;'1 ..-dos a Silva
GuimarSes &:., 20 a L Sjy
queira, 20 a Ferreira & Ii i
Tamancos 1j fard'
: C., |9 a Soares
maos, 1 a Bailar-Oliveira
SPORT
elevando-se. o movimento geral a im-
Dcrby Club de Pernambuco
Realizou se antehonlem. com urna concurren-
cia regular a 9* corrida.
0 joao das poules, comquanto o programma
nao fosse dos mais attrahente, esteve bastante
animado,
portante cirro de 64:9304000.
0 diveriimento correu i-in boa ordem.
Damos abaixo o resultado das corridas :
*
1" pareoEmularao.800 metros.Eguas da
provincia.Premios : 150*, 35* e 15*.
Ao signal de partida Ida tomou a pona, que
conseivou at ao distanciado. Ahi Slella, inuii-
laila por Jos Marcellino, consegue emparelbar
a I la eganhar visivelmente a corrida em 63".
Assim, porra nao eotenderam os arbitros da
corrida, sendo Ida classiGcada em Io, Stella em
2" e Fantina em 3
Entretanto nenhuma reclamayao f i feita, de-
vido ao facto de ter Slella vendido smente 2
poulfs de 1 lugar e adiarse, portaato, solada,
discrico dos julgaores.
Poule de Ida em 1", 29* ; era 2", 17*00'.
Poule de Stella em f, 59*200.
Movimento geral, l:425r000.
#
2* parcoConsoldcao800 metros.A nimaes
da provincia que anida nao haviam ganho no
Derby uesta ou raaior distancia, e nos outros
prados do Recife em distancia maior de 850 me-
tros. Premios : 2503, 50* e 25*.
Potos, montado por Jos Mendes, sahio na
vanguarda e na vanguarda chegou ao renceor
em 59".
Pierrol foi bom 2o e Cyclone 3o.
Nao correu Rosa de Ouio. ,
ioule de Potos em Io, 465400 ; em 2", 19*.
Poule de Pierrot em 2o, 14800.
Movimento geral, 8:150*000.
3' pareo Provincia de Pernambucu. 1.609
metros. Animaos da provincia. Premios :
300*, 60* e 30*000.
. Arreada a bandeira Arumary. montado por
Turner, tomou a pona, cedendo-a G00 metros
depois a Templar.
Antes da recta de chegada Arumary retoma a
pima e chega folgado ao vencedor em 126".
Templar foi 2 e Mouro 3".
Nao correu Vassallo.
Poule de Arumary em Io, 8* ; em 2', 6*000.
Poule de Templar em 2o. 6*400.
Movimento geral, 12:310*000.

4" parcoGRANDE l'KEMIO 25 DE MARCO.
1 400 metros. -Animaes de menos de meio
sangre, Premios : 800*, 200*, 100* e 80*000.
Favorita, dirigida por Hiuds, sahio na van-
guarda e nessa posigo se conservon al ao ven-
cedor, ganhando a corrida em 102".
No distanciado Cometa consegue collocar-se
no 2o tugare assim passa pelo reiicedor. seguido
<.e Aymor : mas C imeta havia vendido apenas
16 paites ile 2 lugar, eslava as mesillas condi-
(cs de Slella no 1" pareo, isto sem defenso-
res, e fcil foi classilicar Aymor em 2e aquel
le em 3'.
Nao correram Fgaro e Hamlet.
Poule de Favorita em Io, 6*800; em 2o.....
5*600
Poule de /ymor em 2". 6*900.
Movimento "geral 10:920*000.
*
5.* pareoInt'rnacional1.609 metrosAni-
iiiaes de qnalquer paiz.Premios : 600*. 120*.
GOiOOO.
Dado o signal, em pessimas condi^Oes, quan-
do Aspasia ainda se achava de frente para a
cerca de meo, sahjo Vesper na vanguarda, se-
guida de Diana, Hamilcar, Salvatus e Aspasia.
Vesper. que at aqui ainda nao leve compet-
Paquete nacional Algoas, entrado dos
portos do sul em 7 do corrente e consi-
gnado a Pereira Carneiro & C, manics-
tou:
Agua de Seltz 20 caixas a Joao Ramos
11:.
Caf 60 saceos a Lopes de Maga 1 hiles
& C, 30 a Soares 4 Fernandes, 233 a
Dmuingos Cruz & i.., 178a Joaquim Fe-
reira de Carvalho & C, 10 a Figueiredo
Costa & C, 120 a Maia f Rezende.
Chapos 4 caixoes diversos. bara-
tos 4 oaixoes a Almeida Machad.) & C, 3
ordem., 1 a R de Druzina & C. Cal-
cados 1 caixao a Thomaz de Carvalho
A C.
Drogas 14 volumes a Francisco Manoel
da Silva & C.
Farinha de mandioca 500 saceos or-
dem. Fumo 14 volumes a Joaquim Ber-
nardo do Reis d C.J
Mercaduras diversas 22 volumes a or-
dem.
Panno de algodao 30 "fardos a Ferreira
35 a Ol uto Jardim di C, 75 i ordem.
Sola 5 rolos a diversos.
Xarque 60 fardos a H. Burle & C.
sxportaco
rkcot, 6 ds amo. de 1889
Para o extertor
.No vapor iDglez Demure, carregaram :
Para Liverpool, F Casco 4 Filho 187 saceos
com 13,090 kilos de assuear mascavado ; N. Ca-
hu 4 C 190 saceos com 21,750 kilos de assuear
mascavado.
No vapor inglez Ashbrook, carregaram :
Para io Bltico, Borstelmann 4 C. 2 com 15,854 kilos de algodao.
Para o interior
No vapor nacional Alagoas, carregaram :
Para Manaos, P. Carneiro & C. 45 barricas com
2,320 Kilos de assuear branco e 5 ditas coai 210
ditos de dito mascavado; Silva Reis 4 C. 25 bar-
ricas cem 1,485 kilos de assuear brance, 2 pipas
e 10 barris com 1,920 litro$ de agurdente ;
Amorim Irmaos 4 C. 88 barricas com 59,455
kilos de assuear branco e 50 barris com 4,8 O
litros de agurdente ; H. Oliveira 30 barris com
2,888 litros de agurdente e 40 barricas com
2.050 kilos de assuear branco ; J. Borges 70 har-
neas com 4,751 kilos de assuear branco : P. Pin
to 4 C 65 barris cora 6,240 litros de agurdeate.
Para Para, B. Oliveira 4 C. 2 pipas com 960
litros de agurdente J. Borges 200 barricas
eom 15.039 kilos de assuear branco ; Amorim
Irmaos 4 C 25 saceos com i 875 kilosWe assu-
ear branco e 40 latas com 600'kilos dw assuear
relinado.
para Maranho, B. Oliveira 4 ". 10 saceos com
750 kilos de asucar branco.
No vapor nacional Para, carregaram .
Para Rio de Janeiro, A. Oliveira 4 C. 1 caixa
com 20 kos de peonas e 10 saceos ,com 500
kilos de cera vegetal.
No vapor inglez Cometa, ctrregaram :
Para Ceara, P. Carnsiro 4 C. 10 barricas com
1,000 kilos de sebo; B. Oliveira & C. 150 sac-
eos com 11,250 kilos de assuear mascavado.
Vo patacho nacional Industrial, carre,
ra Villa Nova, J. de S Leitao 1,000 ss
40,185 kilos de sement de alqodo.
Na barcaca Jagva aro :
:a Natal,;;E. ',. Beltrao A Irmao 12
720 kilos" de assuear retinado ; F
ao 12 garrafooe eom 192 litros de eeoet
dor em nosso turf, reuni mais urna victoria s
muitas que tem conquistado, chegando ao ven-
cedor em 110".
Diana, que corre sempre bem quando tem um
oulro animal na frente, obteve o 2o logar,, sendo
Aspasia classilicada em 3.
Salvatus chegou em 4" lugar, cabendo as hon-
ras da biigagem a Hamilcar.
Nao correram Castiglioni c Ernani
Ponle de Vesper, dirigida por Manoel Virgilio,
em I-, 7*200; em 2, 6*900.
Ponte de Diana eur Sr, I3*3"0.
Movimento geral 16:120*000.
*
6. pareo- Velocidade900 metrosAnimaes
nacionaes .-ft meio sangue. Premios : 300*,
I5n* e 30*.
Corcovado puxou a corrida, cedendo pouco
depois a pona a Olga, montada por Turner, que
CltCgoa ao vencedor em 61".
Corcovado foi 2 e Risette 3".
Nao correu Aymor.
Poule de Olga em Io, 7*500; em 2, 7*700.
Ponle de Corcovado em 2, 503900.
Movimento geral, 8:240*000-

7o. pareo Prouperidade Animaes da provin-
cia que ainda uao haviam premios no Derbv em
mamr distancia.Premios: 230*, 50* e 2o*.
Ao grito do starter, Good-morning, montado
por Jos Marcellino, pulou na ponta, que conser-
vou at ao vencedor, gangando a corrida em 69"
Oriinge foi classitlcado em 2o lugar c General
om 3o.
Nao correram Flautista, Meteoro e Lindness.
Ponle de God-morningem 1, 28*300: em 2o,
13*701.
Poule de Orange em 2 285900.
Movimento geral, 7:765*00.
O Dr. H. Met mudou o seu. escripto-
torio de advocada, para a ra do Impera-
dor n. 46, 1- andar, sala da frente.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor e officina de carapina
de Francisco dos Santos Macedo, cats do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende madeiras de todas
as qualidades, serra madeiras de conta
alheia, assiin como prepara obras de cara-
pina pbr machinas e por procos sem dom-
petcnciaPernambuco.
Drogara
Faria Sobrinho & (-'., droguista por ata-
cado, ru do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C..f deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
PUBLICARES i PEDIDO

Mil louvores ao i:\ui. Sr. pre-
sidente da provincia de Per-
nambuco.
Bemdita hora era qu foi maneado presidente
desta provincia, o Exm. Sr. Dr. innoceucio
Ges v
S. Exc. guiado pelos dictamos de sua escla-
recida razao. salvou esta provincia da crise me-
donha que a ameacava I
Esse acto de tanta energa e justiga, pOe em
relevo grande mrito que tem S. Exc. para o
desempenho da elevada missao,{que llie foi con-
contiada.
A noticia de haver falta de vveres as pro-
vincias do norte, acendeo a a cubica de muitos
que, levados por este sentimento, vivem a fre-
jar a ilesgraca de seus semelhantes, de onde Vi-
sam grande e enorme resultado, como o abutre
que procura com avidez a presa para saciar a
fome que o devora. Foi assiin que derrama-
rain deseiias de contos de ris pelo interior da *
provincia Os encarrej-ados de tao srdida os-*,
peculaco, ao chegarcn as diversas localida-
des, com os olhos ingetados pela acejio da ga-
nancia que os dominar lirando doa bolsos r-
los de cdulas, como que atirantando a popula- I
cao pobre gritavara: quem tem farinha apr-
sente, porque tenlio dinbeiro para comprar 100, ^
200, 1000 saceos, e pago o duplo, o triplo etc. fP
1WDICACES OTIS
Mdicos
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto
rio aberto rua Duque de Caxias n. 74, das
12 s 2 horas da tarde, e desta hora em dian-
te em sua rssidencia ra Bario de S.
Borja n. 22. Especialidades molestias
desenhoras e criancas. Telephone n. 326.
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-
m, consultorio ru do Cabug u. 14,
l." andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
meiotia s horas no 1. -andar da casaj E|l) g^ia propuiihan grandes lucros a quem
ra do Barao di Victoria, n. 51. Resi-T
dencia ra Sete de Seteinbro n. 54, en-
trada pela- ra da Saudade n. 25.
Dr. (astro Jess medico e operador.
Pratica a lavagom An tero quando e co-
mo aconselbiuU. Consultas das 11 s
3 da tarde cin sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1/
andar.
r. Ribeiro de Br to d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no 1. an-
dar a ra Duque de axias n. 46, poden-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr Alearas Guimwaes, chegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
cora especialidade s molestias do cora-
co, pulmSes, ligado, estomago e intesti-
nos e tambera s iJFeccoes das criancas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 26. e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. 45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas Telephone
n. 381.
Occullsta
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
paes hospitaes e clnica de Paris e Lon-
dres, consultas todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio e resi-
dencia ra Larga do Rosario n. 20.
Advogados
O bacharel Witruvio Pinto Bandeira,
podo ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1.- andar.
Dinhciro
RECEBI0
Pelo vapor nacional Alagoas,, do Rio de Ja-
neiro, lian:
Martins Fiuza C. i.0004000
Beruardino Lopes Alheiro 2.0003000
Rcndimentos pblicos
HEZ DE ABHIL
Alfandega i
KenJa geral: >
Do dia la 6 181:693*568
dem de 8 24:394*985
Renda provincial :
Do dia 1 a 6 18:240*057
dem de 8 2:565*309
m---------
Somma total
Segunda seco da Alfandega,
I88P.
206:088*553
20:805*366
226 893*919
8 de Abril de
n thcsoureiro-Flerencio Domingues.
Ochefe daseccJoCicero B. de ello.
i
Rccebedorla eral
Do dia 1 a 6
dem de 8
9:479*917
2:319*106
11:799*02.!
Reccbcdorla provincial
Do dial a6 3:36!*-82
dem de 8 49:648*848
53:018*730
Recife Dralnage
Do dia 1 a 6 3:000*442
dem de 8 2:068*881
5:069*323
Mercado Municipal de S. Jo.
0 movimento deste mercado nos dias 6 e 7
de Abril foi o seguinte :-
Entraram :
50 bois pesando 9,783 kilos.
595 kilos de peixe a 20 ris 11*900
99 I|2 cargas com farinha a 200
ris 19*900
7 1(2 dita com milho a 200 ris 11500
8 ditas de fructas diversas > 300
ris 2*400
19 taboleiros a 200 ris 3*800
45 uinos a 200 ris 9*000
48 matulos com legnmes a 200 ris 9*600
Foram oceupados:
54 columnas a 00 res 32*400
2 escriptorio a 300 ris 600
48 compartimentos de farinha a 500
ris 24*000
45 ditos de comidas a 500 ris 22*500
169 ditos de legumes e fazendasa 400
ris ^ 67*600
36 ditos de suinos a 700 ris 23*200
v 18 ditos de fressuras a 600 ris 10*800
58talhosa3* 116*000
Rendirnento dos das 1 5 do cor-
rente
Fot arrecadado liquido at hoje .
Procos de dia :
Carne verde de 400 a 560 res o kilo.
Carneiro de 720 a 1* reis dem,
de 360 a 640 reis dem.
a 800 reis a
i00 a 440 reis dem.
W a t*609 dem
357*200
906*060
1:263*260
se encarrega*se de ajuslar ou fazer grandes com-
pras tteciivamente nao tardou formarse a
grande propaganda de exterminio a mandioca.'
Os pobres lavradoies, era quasi sua lotalidade
irabecis, que s vm diante de si o presente, sup-
pondo urna grande felicidade. continuaran! na
sua faina triplicando a factura da farinha, sem
excepeo da mandioca nova que nackeslava ain- '
da em condices de ser desmanchada.
Era um horror!
Xas feiras j nao se enrontravam vveres; al-
guina cuia de farinha que apparecia, era por
eleva-lissimo prego, visto ramo, os agentes de
tao infernal propaganda haviam coutractado em
tolas as ollicin'as ou fabricas, a compra de toda
ella!
A cor.linuaco de semelhante ganancia, traria
em pouco tempo a miseria para esta provincia
pois o furto, a fome e todas as desgrasas, appa-
receriam nevilavelraeulc, visto como a popula-
cao pobre e ignorante, levada pela ambicio de
vender a farinha por tao elevado preco, langaria
nio de toda sua plantacao (como tive occasio
de presenciar a um individuo) e reduzl-a-hia a
diuheiro suppondo felicitar-se; entretanto que
seria isso a sua completa derrota, mxime es-
tando nos como estamos ameacados de urna
secca! E' provavel que se .oanifestem opinies
contrarias ao acto ie S. Exc, mas nao encon-
trarao echo, certamente, pois, eraanarao ellas
smente de meia duzia de especuladores, e que,
por isso, serao abafadas pela grande maioria da
populacho munfica e desenteressada, que pre-
fere o amor do prximo, ao ouro adquirido por .
to repugnante commercio!
Avante I Exm Sr., e ter os applausos da pro-
vincia inteira.
Sou liberal, no que preso-me em pronunciar,
mas nenhum interesse me far deixar de dar -'
Cezar o que de Cazar.
Um acto humanitario como o que acaba de
praticar S. Exc, nao pode deixar de ser aplau^
dido por todo hornera honesto e benemrito 1
fpaaaaBaaaaaaMBBMaaaaaaaM^Baa^aaaaaaa^BipB -
.Wafadouro publico
Neste estabelecimento foiam abatidas para o
consumo de hoje 78 rezos pertcncentes a diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
XEZ DE ABRIL
Europa....... Ville de S. Nicolao 11
cul........... Finance .......... 11
Europa....... Elbe ............. 12
Sul........... La Plata.......... 14
Norte......... Mandos......'.---- 14
Sul___....... Vtlle de Macei..... 15
Europa....... Cremon........... 15
Sul........... Pernambuco....... 17
Norte......... AWiatifa.......... 18
Norte......... Marunhao......... 24
Europa....... eca............. 26
Su!........... Para. ............ 27
Sul..........Turnar............ 28
Vapores a sabir
MEZ DE ABKn,
f'antos e esc. Vle de S. Nicolao.. 12 as
New-York Finnce........... 12 as
Buenos-Ayres. Elbe.............. 12 as
Antuerpia La Plata.......... 14 as
Rio e esc ... Mandos....... 14 as
Havre e esc Ville je Macei.. .. 16 as
Sul.......... Cremon .......... 16 as
Manaos e esc. Pernambuco....... 18 as
Santos e esc.. Allianca.......... 19 as
Rio e esc ... Maranho......... 24 as
Santos e esc. eca............. 26 as
Manaos e esc. Para.............28 as
Antuerpia ... Tomar.----....... 28 as
Moviniento do porto
Navios entrados no dia 7
Liverpool* escala18 dias, vapor inglez Acn
gua. de^,625 toneladas, co i mandante A."
milihon, equipagem, 94, carga varios gneros
a Wilson Sons A C.
Rio de Janeiro e-escala7 das, vapor naci
Alagoas, de 1,999 toneladas, comma'dan
Joio Mari Pesoa, equipagem 60, carga va
ros gneros; a Pereira Carneiro & C.
Babia e escala7 i|2 dias, vapor nacional S.
Francisco, de 382 toneladas, commandante
Jaaquim da Silva Pereira. equipagem 30, car*,
ga varios gneros: a Compahia Pernamou-
caua.
Cardiir-43 dias, barca hespanhola Constancia,
de 425 toneladas, cjpilo Domingo Parral,
equipagem 11, carga carvao de pedra; a or-
dem.
Sahido no mesmo dia
Valparaizo e escalaVapor inglez Aconcagua,
commandante A. Hamilthon, carga varios g-
neros.
Navio entrado no dia 8
New-York e escala27 dias, vapor inglet Lis-
bonense, de 1,035 toneladas, commandante
John Kng, equipagem 35 carga varios gene-
ras ; a Johnston Pater C.
Sabidos no mesnio dia
Manaos e escalaVapor ndcional Alageos,
mandante Joao Maria Pessoa. cars
gneros.
BlticoVapor inglez Ashbrook "
William Pottinger*carga al
CearaVapor i
W. "

I
* ~
Thomaz
r


Diario de Pernambuco---Terca-feira 9 de Abril de 1889
t
tt .uaoifi'slr.0 -ook. pron
inuior apreco e dedicarlo.
Garanhuus, 22 de Marco do 1889.
Cm liberul justiceiro.
A portarla de 11 de tarro
Sr. redactor.-- Julgo dever pedir a V.
S. o obsequio de publicar as seguintes
linhas :
Na questao da farinha, considerada sob
o ponto de vista da consttucionalidade ou
nSo constitucionalidide do acto que a de-
tenninou, o Jornal do Recife de, 3 do cor-
rente avancou nina proposicao que nSo
Eleic/To
Dos devotos e devotas que hSo de concor-
rer para a festa do glorioso patriar haJ
S. Jos, na eape'la do Senhor Bom Je-
ss Menino, ew Itamarac. no anno de
1889 a 1890.
Juize* por eleicao
Os Ilhns. Srs. :
Dr. Silviao Cavalcante de Albuquerque.
Vigario Francisco Vieira das hagas.
Major Luiz Sepiao de Albuquerque Mu-
ra nho.
Tenente-coronel Manoel Cordeiro Caval-
podedeixar de ser contestada, segundo o!.-, can,e ".
queeft admittido pelo n..ssodir.ito admi- fP,ta "
nistrativo.
Diz o Jornal: As Ifcnitacfies eonstitu-
cionaes a liberdade comuiercial estio con-
sagradas em leis ordinarias. Abra o eolle-
ga qualquer ltvro de direito administrativo
e ver todas estas restriccSes compen-
... diadas
Entretanto em Veiga abrai, compen-
I dio d direito administrativo a paginas
223, 5.* do cap. I.- sob o titule Polica
i. do Estado, onde sao especificadas diversas
attribuicoes desta polica le-se :< Necessi-
dade de cuidar em que baja abundancia i.
de gneros alimenticios e do seu commodo *?"** ***** We* de Albuquerque.
Tenente Mathias Jayme Galvjlo.
Juizas por eleico
As Exmas Sras. :
D. Anna Correa Quedes Goudim.
D. Anna Joaquina da Costa GuimarSes.
D. Thereza Correa Bezerra de Menezes.
D. Claudina de Assis Souza e Silva.
D. Mara, filha du c.-iptao Hermenegildo
das Virgens Lima.
Profcssora Idalina Maria da Conceicao
Lima.
Escriviu jiDi-devo^aa
Os I l.us srs. :
O1,
Herin. Petersen & C.
Reichenstr 29/31
HIIIBIRU)
Particpalo aos seus numerosos amigos que
para facilitar aos compradores de ultramar teo
completado em sua casa um rico sortimento de
amostras de todos os artigos allemes, o que re-
commendam aos seus amigos que acabam de
visitar a Europa.
preco. A liberdade de commcrcio do im-
perio, e conseguntemente a liberdade de
circulacao dos gneros alimenticios, nSo
pode ser too ampia e Ilimitada, que os
productores, negociantes eu fornecedores
estejao isentos de toda a prohibicao, quan-
do as especulares tendem a desviar os
vveres do mercado publico, ou encarecer
por ineio do monopolio, por que o mono-
polio deve ser empeddo pela accao da
polica administrativa nos tempes e luga-
res em que elle pode ter resultados pre-
judiciacs; o art. 2 do regulamento de 31
Janeiro de 1842, declarando ser com-
petencia da polica administrativa geral o
exercicio das attribuicoes conferidas, pe-
)MCamaras Municipaes pelo tit. 3 da lei
de 1 de Outubro de 1828, sobre o abaste-
cimento e salubridade dos mantimentos-
recashece o principio estabelecido e a ne-
cessidade da intervencao da polica admi-
nistrativa em circunstancias diffiecis para
s subsistencia- O que a isto dir o
Jornal!
Bpi portante inexacta a sua proposicSo.
A portara presidencial sobre exportacab
da farinha, foi um acto que consisti no
exercicio de urna attribuiciio legal, e por
autoridade competente.
. Amicus Vertas.
L >pes da Paz.
Vugusto de Mora es Pra-
Guedes Sidro-
de Al-
BARREIROS
Ao <1 i si i n<* I o amigo Esfevo
Doudo Castello

Estevao Castello o doudo
Faz cousa de admirar,
Levantando pela imprensa
Falso de repugnar
Tomando dinbeiro alheio
i Para isso publicar*
Diz at pela imprensa
Que no da em que apanhou
Deu urna vaia tremenda
No dstincto commendador
Sem isto terse passado
Poi i isto nao faz borror ?
Bem disse o doudo Castello
No di a em que se formou
Que esteva cheio de sabedoria
Em seu tudo exterior
Offendendo assim os lentes
Este meco insensador.
Aprendeu dar couce e poupa
E tambem murros de mao
'orno fez a pouco teropo
Com o velbo Dominga-i
Fazendo momos de urso
E cousas sem connexao.
O tenente ahi est
Para manter as desordens
Para fazer conhecer a lei
A certos typos grosseiros
Mostrando a Constitu cao
De um monarcha verdadero.
Acimitarra est dreita
Que entortou nos canoeiros
Talvez se torne a dobrar
Em ti mais Santos Pinhero -
Para nao andar com repblica
Aqui dentro de Barreiros.
Barreiros, 1 de Abril de 1889.
Fdlppe Carnario.
----------------s85a<=>---------------
Pro'essor Mauoe
l'rofossor Albcrt'
dies.
Tenente Antonio Fe
nio.
Alferes Manuel Felippe de Souza.
Jos Pinto de Sjuza Rocha.
Capitao Izidero.
Manoel Cavalcante Gadelha.
Joz Ferreira de Amorim.
Tenente JoSo Antonio Cavalcante
buquesque.
Capitn Jos Benigno do Amaral.
Joaqum Alves da Motta.
Jos de Azevedo Lages.
Escr.vaes por devoco
As Exmas. Sras. :
D. Serihorinha Mara das Neves.
D. Francisca Ferreira Guedes.
D. Flora Guedes dos Santos Cavalcante.
D. Jara Laura da Silva Dantas.
D. Maria Pereira da Conceicao.
D. Claudina Pereira da Conceicao.
D. Rosa consorte do Sr. Luz de Franca
Embaixador.
D. Antonia, consorte do Sr. Joaquira Ro-
drigues da Silva.
D. Joaqnina Adelina da Santos.
D. Anna Zobina da SUva Dantas.
A cominissao encarregada da festa
Os IHms. Srs. :
Jos Odilon Ferreira Guedes
Geraldo Jos Nunes.
Francisco Monteiro Marinho Falcao.
O thesoureiro
Maurino de Paiva e Silva
O vigario,
Francisco Vieira das Chayas.
A ttengo
Os abaixo assignados, scientiheam a
seus amigos e fregueses, qne s em seu
antigo estabelecimedto sita' ru do Ba-
ro da Victoria n. 3, (itntga ra Nova)
e que recebero s,uas ordeus, para lhes
servir com o cosfumado e habitual des-
eipenho; e nenhum oulro estabeleci-
qiento tem, quer proprio e quer filial,
alm do cima referido.
Recfc, 5 de Abril de 1889.
Jos Ftrnandes Lima & C.


A Exma. Sra. D Emilia de Albuquer-
que Mello, filha do lllm. Sr. Jos Tales
de Mello, v hoje cingir mais urna estrella
luminosa no horisonte de sua vida, assigna-
land o seu annversario natalicio.
No lar tranquillo e honrado, onde ella
adeja espalhando o encanto e a doenra
vjbrain doces emogoes, e todos seacercam
:ardm de urna existencia risonha, para
lar a flor gentil e mimosa que hoje alli
abrocha.
E' justo, pois, que traga a sua homena-
i modesta urna amizade sincera, e urna
uirajo sentida: Ella ahi vai envolta
as toscas phrases.
fe, 9 de Abril de 1889. _____
,--------------staoos------------
.Freguezia da Luz
-ente declaramos que, por ra-
lerios e polticos, deixamos de per-
^^^Lrtido liberal, e paseamos fa-
e do partido conservador.
T a da Luz 4 de Abril de
' Lefio de Castro,
de Castro.
\. i
Universal as suas applicaces, lano quanto
infalivel em*seus clleilos, o Extracto de Ave-
K'ira Mgica do Dr. C. C. Britol. o qual, empre-
gado quer externa, quer internamente, segundo
o caso um remedio verdaderamente assom-
brosj para o auxilio inmediato e cura radical
dos eguintrs niales :
ExternosMachucadelas, contuses, golpes,
cortaduras, feridas, tumores, ulceras, queimadu
ras, mordidelas, in-olacOes, carbnculos, crup-
ces, deslocacoes, f'-i-iura-i, escortayoes, picadas
de ins"ctos, panaricio. mal da garganta, de olbos
e de uvidos, dor de lentes e de caneca.
Internos Hetnon hagia pulmonar, vaginal e
nazal, lumbago, afleccoes dos ovarios,'tonsilitis,
vmitos de sangue, varicosis, puxos, mal dos
rins, estreitamento e retencao da urina, leucor-
rhea, diarrhea, clicas, menslruacao penosa,
constipafiao, coqueluche, asthma e catarrho de
toda a especie.
E' iarallivel, assombrosa em seus efieitos e
especialmente efficaz era casos de almorreimas e
rheumatismo.
lo IIo ti i .(rielo cl-sln provincia
Sou candidato eleieao geral na vaga
dexada no 11 districto desta provincia
pelo fallec ment do meu presado amigo,
Dr. Bento Cecilano dos Santos Ramos.
A minha apresentao assenta princi-
palmente na esperanca em que estou, de
que essa a vontade do districto ao qual
confio minha eleico em nome das ideas
conservadoras, acreditando aindauma vez
que meus patricios e amigos salvaro a
elei$ao do da 22.
Recife, 6 de Abril de 1889.
Apolinario' F. de Albuquerque Maranhao
--------------^------------
Jni/o de orphios de Ganellelra
ESOENH08 A PRA^A
No da 16 do corrente iro praca por
triennd arrendamento os engenhosLinda-
Flr, Flor do Limo e 'axias, sitos na
comarca da Escsda, termo de Gamelletra.
SSo de ptima produeyao, tm muita mat
ta e de fcil transporte para os productos.
As condijSes do arrendamento constam
do edital de praya affixado na porta da
Cmara de Gamelleira e do respectivo
cartorio.
Por todos os motivos offerecem vanta-
gem.
Dr. Firmo Xavier
Medico e operador
D consullas das II as I horas em sen con-
sultorio ra da Imperatriz n 30 1" andar e
teni sua residencia na cidade do Cabo, onde po-
de ser procurado das 6 da tarde as'9 da manlia.
O Sr. Dr. Luiz de Araujo
Tenho empregado em minha clnica
o Peitoral de (ambara, do Sr. J. Alvares
de Souza Soares nos casos de molestias
broncho-pulmonares, colhendo sempre re-
sultados multo satisfatorios.
Posso mesrao, em virtude desses bons
resultados, garantir a efficacia deste me-
dicamento, principalmente quando estas
arTecces tiverem tomado o carcter de
chronicidade.
Isto verdade e o juro soba f do meu
grao.
Anta (provincia do Rio de Janeiro), 18
de Agosto de 1888.
Dr. Luiz Jos de Araujo Jfilho
.___.-r^geo---------
Dr. Nstor Cav*aJcante
Medico
JFFERECE OS SEIS SERVICOS EM PALMARE
Aguas alcalinas mineraes de Uoo-
dariz cm Pontevedra, na Hes-
panha
ESPECALIDADES
para molestias de estoma*, tu*** como : dspep
sia .astralui, catnarro clircuico do estomano,
ulceras simples,
Molestias dos intestinos, taes coran : enfarla-
mentodo itndo, ictericia, clculos biliares, diar-
rhea chronica, etc., etc.
Molestias das vas urinarias, tan? como: dias-
teses-uricas, catha-ro vesical, diabetes sacarina,
albuminuria e golta.
as anemias, chlorosis, psoriasis, prunigos,
dores artrticas c (nutras omitas molestias.
As aguas alcalinas de Mondaria nascem de ro-
chas granticas na temperatura de 180 centgra-
dos, sao claras, incoloros de clieiro parecido um
pouco aos de ovos cosidos, sabor alcalino, pro-
duzindo um ligeiro sabor" picante na occasiao de
tomar-se. Ellas sao classificadas no numero
das alcalinas e bi-carbonatadas de soda.
.Estas aguas acbam se venda no estabeled-
mento do Sr. Antonio Affonso Simes, sito ra
Visconde de Goyanna n. i (quatro canlosj, em
Boa-Vista.
CuMai avossasaude!
Infelizmente bem commum urna mo-
lestia terrivel, conbecida pelos nomes de
Tsica, ConsumpcSo, doenca do peito,
ete.
Nao pretendemos afirmar que o Peito-
ral de Cambar, cure aquella molestia,
porque at hoje tem sido impossivel cu-
ral-a quando chegada ao ultimo periodo ;
porem, podemos assegurar, que todos os
doentos que usarem do Peitoral de Cam-
bar, no primeiro e segundo periodos,
logo achanto, com toda a certeza, grande
allivio e depois a sua cura completa, por
meio de um tratamente prolongado e per-
sistente.
O Peitoral de Cambar nao limita a sua
accao benfica s doencas do peito cura
tambem amitos defluxos, bronchites e toa-
ses que, as mais das vezes, quando des-
presadas, sao a causa das affeccoes pul-
monares.
Este remedio acha-se venda em casa
dos agentes Francisco Manuel da Silva
& O, ra Mrquez de Olinda n. 23,
que o vendera a 20500 o frasco.
Dr. Joo Paulo
Especialista em partos molestias de se-
nhoras e de criancas, com pratica nos
hospitaes de Pars e de Vienna d'Austria,
consultas de 1 s 3 horas em sua resi-
dencia ra do Baro da Victoria n. 59,
i." andar. Chamados qaalquer hora.
AVIjWPjUBBTROS LECTORES
Los de nuestros lectores que vayan a
Paris mientras la Exposicin, saben yaque
jodian leer los ltimos nmeros de nues-
wb peridico recibidos sea en casa de los
Srs. Amde Prlnee y C, sea en
el gabinete de lectura instalado por dichos
corresponsales, en el Pabelln de la Repbli-
ca de Guatemala, en donde e' comisario para pagamento do que deve a mesma fa-
genentl de Guatemala ha puesto graciosa-
mente a k disposicin de dichos HrS.
Amde Prinee y C, una sala con
terrado.
fazenda os rphos de Seraim Clemente da
Souza e Silva.
A casa terrea n. 6 na ra de Fr. Hen-
rique, medindo 3 metros e 75 centmetros
de largura, 8 metros e 50 centmetros
de comprimento com porta e janella de
frente, 2 salas, 2 quartos, oainha fora e
quintal pequeo murado,ava!iada em 400(5
zonda clementnu de Furias Tarares.
. t-ara evitar toda confusin, los amigos
nuestros que se hagan dirigir la corres-
pondencia a la casa de los citados Sr.
Amde Prloee y C. debern hacerlo
30 ru Lafayette, en donde estar espe-
cialmente organizado ese servico. (2)
-------------^-------------
Agrad ecimento
AO ILLM. 8R. DR.'CARLOS UETECdRT
Pelo presente declaro a queva possa in-
teresar que achando-mc doente de um es-
treitamento da urethra indcaram-me o Sr.
Dr. Bettencourt e, prociirando-o no seu
consultorio, fui operado pela electrolyse,
sem dr, ficando loga bom e radicalmente
curado do estreitamento.
Agradeo do alto da imprensa a impor-
tante cura que fez-me este Ilustre faculta-
tivo e que archive mais este attestado nos
seus triumphos diarios.
Recife, do Marco de 1889.
Laurentino Jos da Silva.
i j Medico operador parte.ro u
1 I H na larga do Kosa r i o 11 ) (
(Por cima do Annelde (Juro)
Hr.S
tas
em
i
I!
Onde tem *onial(orlo e r<-si-
dencia i podendo ser encontrado e
recebendo chamados a qualquer hora
do dia e da noile.
Especialidades : Partos, lebres, moles*
de senboras c los puhnOes, syphilis i
geral, cura rpida ecompletae ope- | I
lamentos e mais solfri- [,
racOes de estreitamentos
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados
fora, qualquer distancia.
Telephone n. 394
para

terrea,] mei'agua sita a ra do
MU1IVNCA
o
Manoel da Cunha Lobo
mudou o seu estabelecimen-
to de fazendas para o novo
predio n. 35 da ra Mrquez
de Olinda, contiguo a antiga
casa.
Recife, 30
1889.
Pensao Acadmica
Esta casa de Pensao situada no ameno
bairro.da Boa-Vista, ra da Imperatriz
n. 15 2o e 3o andares, contina a receher
pensionistas, que mediante a.mensalidade
de 50(5, tero com o maior asseio e regu-
laridade, comida abundante, commodos
agradaveis, excellente banho e criado.
MEDICO HOMEPATA j
Dr. Baltliazar da Silveira
Especalidadefebres, molestias
das criancas, dos orgos respiratr-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital. <
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria
onde se indicar sua residencia.
!
UI OilUlllU,
toria n. 43, \
sidencia.
Oculista
de Marco de
% viso aos nossos leliores
Os nossos leitores que visilarem t aris
durante a Exposico j sabem que pode-
ro 1er os ltimos nmeros recem-chega-
dos do nosso jornal que em casa dos Srs.
Amde Prince & C, 36, r a Lafayette,
qaer da sala de leitura pelos nossos cor-
respondentes estabelecida na exposico
no Pavilho da Repblica de Guatemala
cujo coramissario geral dignou-se de por
graciosamente urna sala com varanda
disposico dos mesmos senhores.
Para se evitar qualquer confuso, os
nossos amigos que quizerem receber a
sua correspondencia em casa dos Srs.
Amde rince & C., devem mandar diri-
gil-a ra Lafayette, n. 36, por ser a
sede do serviQO especialmente organisado
para isso.
Dr. Alfredo Gaspar J
MEDICO
Operador, parteiro trata cora especali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da mantia*.
Chamados (por escrpto) qualquer hora.
TELEPHONE N. 226
Bacharel Antoeio Witra-
vio Piolo Bantleira
proct;
71. 1
, roa do( Imperador
'ai:
HVias urinarias, molestias do tero,
operacoes elctricas
\) ESffiUIALISTA
1 j com pratin de pa-us e lonoris
/ ) Estreitamento da urethra urados ra-
) ( dicalmente pela elt^ctrolyse, sem dr;
hydroceles sem injecco (cura radical);
feridas e ulceras chronics, com garan-
ta de cura rpida ; podras da bexiga,
!/ fstulas e hemorrhoidas: syphilis, go-
) norrhas, pelo methodo das instillacoes;
) molestias da garganta e do peito pelas
athmospheras medicamentosas. < in-
sultas e operacoes das 12 as 3 horas da
tarde.
RA DO MRQUEZ DE OLINDA X. ,
I \NDAR
R^ldencfa Torre
Dr. J. Correia de Bittencourt, oculista
residente na corte, ex-chefe de clnica
ophthalmologica dos Drs. Wecker e Panas
em Paris e do professor Hirscbberg em
Berlim, tendo regressado de sua excurso
s provincias do norte, demora-se alguns
mezes nesta capital, no exercicio de sua
especalidade.
Consultorio e residencia ra do Baro
da Victoria n. 23 Io andar. Entrada pela
Camboa do Carmo.
Consultas das 12 s 3 da tarde. Gratis
aos pobres.
3*
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
Baro da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.

Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra BarSod>> Victoria 18, Io an-
dar.
Consultas das 10 s 4 boras da tarde.
ED1TAES
Juizo dos feitos da fazenda
No dia 12 do corrente mez e depois da
audiencia do Sr. Dr. juiz substituto da fa-
zenda se ha de arrematar a quem mais
der oseguinte:
A casa n. 232 na ra do coronel Suas-
suna, medindo 4 metros e 60 centmetros
de largura, e 18 metros e 10 centmetros
de comprimento com porta e janella de
frente, 2 salas, 3 quartos, cosinha fra,
quintal murado e cacimba, avaliada em
800/5000 para pagamento do que deve a
Fazenda Provincial Claudino Correia de
Mello.
Urna frente de casa, de pedra e cal a
ra do Mrquez de Herval n. 245 A com
1 diviso para porta, e 4 para janellas,
com 1 portan de madeira na frente, sem
rebouco, medindo 14 metros de largura, e
19 metros e 5 centmetros de comprimen-
to, tendo todo terreno murado com 1 te-
lheiro para coxeira, avaliada m 2800000
para pagamento do que deve a mesma fa-
zenda Evaristo Mendes da Cunha Azevedo.
A casa terrea n. 8 na travesea de S.
Jos, tejdo 4 metros e 10 centmetros de
largura, JB metros e 65 centmetros de
I cpmprimew), com porta e janella de fren-
salas, 2 quartos, cosinha fora e quin-
tal pequeo e murado avaliada,em 800000
para pagamento do que devem a mesma
A casa
Socgo i. 17 A tendo 5 metros e 30 cen-
tmetros de largura, e 5 metros de com-
primento, com 2 janellas e 2 portas de
trente, 2 saltts. 2 quartos, cosinha fora,
quintal murado e cacimba avaliada em
500KX)0 para pagamento do que deve
a mesma fazenda Bcmardino Ignacio Gui-
marSes, outr'oia .los Soares de Oliveira.
As casas de t.iipa ns. 34 e 36 na estra-
da Nova, freguc/:ia dos Affogados, tendo
cada urna 2 metros e 90 centmetros de
largura e 8 metros e 70 centmetros de
comprimento, porta e janella de fi-'-nfr, 2
salas', 1 quarto, cosinha interna e quintal
cercado avahadas por 1000000 ou 50 cada urna para pagamento do que devem
a mesma fazenda Maria Claraj de Jess e
Alexandrina de Souza Gomes, outr'ora
Bernardino de Brito Maia.
A casa terrea n. 16 na ravessa dos Re-
medios tendo 4 metros e 60 centmetros de
largura e 7 metros -e 20 centmetros de
comprimento, de tijollo e oal, com 1 porta
e 4 janellas de frente, 2 salas, 5 qurtos,
sendo 2 externos com janellas para a fren-
te, cosinha fora e quintal em aberto, ava-
liada em 6000000 para pagamento do que
deve a mesma fazenda Antonio Caldas da
Silva.
A casa de pedru e eal h. 15 a ra de
S. Miguel, tendo 2 metros e 50 centme-
tros de largura e 12 metros e 60 centme-
tros de comprimento com porta e janella
de frente, 2 sallas, 2 quartos, cozinha f-
ra, quintal em aberto e cacimba, tendo o
solo proprio, e estando a casa arruinada,
avaliada em 3000000, para pagamento do
que deve a mesma fazenda Joo de Bnto
Correia.
A casa de taipa arruinada sita na
estrada do Arraitu n. 48, medindo 6
metros e aez ".entimotros de largura e
15 centmetros de comprimento, com
2 janellas na frente, 1 porta do oitao, 3
sallas, 2 quartos, e um terreno arborisado
calculado em 150 palmos de frente e 300
de fundo, avahado em 1500000, para pa-
gamento do que deve a mesma fazenda
Joaquina Maria de Siquera, Joutr'ora Se-
nhorinha Germana do Espirito Santo.
A casa de taipa n. 4, na Estrada Nova
freguezia dos Afogados, medinde 5 me-
tros e 10 centmetros de largura, e 8 me-
tros de comprimento, cam 1 porta e 2 ja-
nellas de frente, 2 sallas, 2 qurtos, cozi-
nha fra, quintal cercado e cacimba, ava-
liada em 15000* K), para pagemento do que.,
deve a mesma fazenda Angela ustodia
do Sacramento, outr'ora Anna Feliciana
de Brito.
O sobrado de 2 andares na ra do Vis-
conde de Iuhauma, arruinado, n. 71, me-
dindo 2 metros e 70 centmetros de largu-
ra, e 17 metros e 7 centmetros de com-
primento, tendo o 1 andar 2 portas de
frente, 2 sallas .'sendo urna para cozinha)
e 3 quartos, o 2" andar com os mesmos
commodos e sotao interno, o pavimento
terreo sem repartimento e com quintal,
avahado em 1:8000000, para pagamento
do que deve a mesma fazenda Jorge Ca-
roll ou Clara Clementina da Fonseca.
A casa terrea n. 27 na ra de S. Jos,
arruinada, tendo 3 metros e 76 centme-
tros de largura e 14 metros e 78 cent-
metros de comprimento, porta e janella
de frente, 2 sallas, 2 quartos, cozinha f-
ra, quintal murado e cacimba propria, ava-
liada em 8000000, para pagamento do
que deve a mesma fazenda Fortunata Fre-
dovina da Conceijo.
A casa terrea n. 111 na ra do Viscon-
de de Albuquerque, medindo 4 metros e
30 centmetros de largura, e 15 metros e
56 centmetros de comprimento, com por-
ta e janella de 'rente, 2 sallas, 3 quartos,
cozinha, quintal e cacimba, avaliada em
1:2000000, para pagamento do que de-
ve a mesma fazenda Mariano Figuera
Duarte.
Recife, 8 de Abril de 1889.
O solicitador da Fazenda Provincial,
Rotilio de Lima.
O Dr. Jos Antonio '"orreia da Silva,
cavalheiro da Ordem de Chrsto, com-'
mendador da Real Ordem Militar Por-
tugueza de Nossa da onclcao da Vil-
la Vicosa, juiz de direito de orphSos
da Comarca de Olinda, por S. M. o
Imperador, a quera Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital
virem e delle notiea tiverem, que, por
parte de Joaquim Antonio de Miranda,
me foi digida a petijao do theor seguin-
te:
lllm. e Exin. Sr. Dr. juiz de orpbaos
de Olinda.Diz Joaquim Antonio de-Mi-
randa, que havendo arrematado perante
V. S. a propriedade Tab, sita na fre-
guezia de Taquara, provincia da Parahy-
ba, e pertencente ao espolio do coronel
Joo de S Cavalcante de Albuquerque,
requer o supplicante, para garanta de seu
direito, que V. Exc, depositado o pro-
ducto do bem que o supplicante arrema-
tou, mande, de accordo com a Ord. livro
4 titulo 6, passar editaes, chamando todos
aquelles a quem for obrigada aquella
propriedade, para, no prazo que Ibes for
marcado, pugnaran pelos seus direits.
Nestes termos pede a V. Exc. deferi-
mento E R. Me.Ohnda, 27 de Feverei-
ro de 1889.Joaquim Antonio de Miran-
da. (Estava sellada.)
Em a qual petico profer o despacho
do theor segrate:
Feito o deposito como acaoo ae verificar,
passe-se o edital as condicoes alludidas,
com o prazo de 30 dias, ficando assim de-
ferido o presente requerimento, que ser
junto aos autos. Olinda, 27 de Fevereiro
de 1889.Correia'da Silva.
E mais n3o continua dito despach
aqu fielmente copiado, epor forcado mes-
mo despacho, o respectivo escrivo fez
passar o presente edital, pelo qual e seu,
theor sao chamados aquelles a quem for
obrigada a mencionada propriedade Tab,
para, no prazo de 30 dias pagarem pelos
seus direitos. '
E para que chegue ao conhecimento
de todos, mandei passar o presente, que
ser affixado no lugar do costume e pu-
blicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade de Oftda,
aos 28 de Fevereiro de 1889.
Eu Joo Theodomiro da Costa Montei-
ro, escrivo do civel no impedimento do
de orphaos, o escrevi.
Jos Antonio Correia da Silva.
DECLARARES
Escrivo Reg Barros
Perante o Sr. Dr. juiz substituto dos
feitos da fazenda Jos Salazpr da Veiga
Pessoa, se vender em praa publica no
dia 12 do corrente mez de Abril, pelas 11
horas da manha, depois da audiencia do
meBino juiz osbens segnintes :
Urna casa terrea de pedra e cal n. 11,
sita a ra da Igreja da Boa-Viagem, com
janellas e 2 portas de frente. 2 sallas, 5
quartos, cozinha exte na e quintal em
aberto, edificada em terreno proprio, pelo
Sreco de 1:6200000, portencente a irnian-
ade de Nossa Senhora da Boa-Viagem.
Urna casa terrea de pedra e cal, com
sotao, sita a ra da Amelia, freguezia da
Graca, com 4 sallas, 4 quartos internos e
5 quartos fra. e no sotao 2 saloes, e 4
janell'S nos otSes, edificada em terreno
proprio, pelo preco de 1:8000000, perten-
cente a Antonio Jos de Azevedo.
Um sobrado de 3 andares n. 74, sita a
ra de S. Jorge freguezia do Recife, ten-
do no pavimento terreo 2 portas e 1 ja-
nella de frente, 2 sallas, 3 quartos, cozi-
nho fra e pequeo quintal murado, no Io
andar 3 portas de frente e varanda de fer,
ro, 2 saas, 1 gabqete, quatro quartos,
cozinha fra e um quarto, e nos mais anda-
res as mesmas accommodacoes, edificado
em terreno foreiro a maripha, pelo prego
de 10:8000, pertencente a Francisco de
Mello Cavalcante de Albuquerque.
Urna casa terrea n. 121 A, de pedra e
cal, sita no lugar denominado Ipotinga.
na Estrada Nova de Caxang, com porta
e janella do frente, 2 sallas, 2 quartos, e
quintal m aberto, edificada em um ter-
reno cuja natureza se ignora, se proprio,
foreiro ou arrendado, pelo prego de 3000,
pertencente a Leoncio Pereira de Souza.
Cujos bens se acbam penhorados, e vo
ser vendidos para pagamento da fazenda
nacional.
Recife, 3 de Abril de 1889.
O solicitador da fazenda nacional,
Luk Machada Botelho.
Estrada de ferro de Peraambii-
eo do Reelfe ao S. Francisco
Aviso
Em virtude do art. 76 do regulamento tiesta
estrada, s 10 horas do dia 10 do corrente e na
estacao do Cabo, se veudero os seguintes ob-
jectos : 7 saceos farinha. marca JA; saceos
sal, A P; 1 dito, B C ; 1 bah roupa usada, J R
S ; 1 dito, M S ; 1 dito,F C; 2 caixas roupa usa-
da, J F A;- 1 caisao ferragns, JBL; 1 caixao
machina de costura usad-*, J G B; 1 pacote cra-
vos de ferro, F G ; barns, ancoras e barricas
vasias e outros objectos de pouco valor.
Cabo, 3 de Abril de 1889.
Wells Hood,
Superintendente.
Veiieravel irmandatte do Se-
nhor Boin Jess dos Pas-
sos
De ordem do innao provedor, convido a todos
os nossos irmaos a coraparecerem em nossa igre-
ja matriz do orpo Santo, no domingo 7 do cor-
rente, pelas 2 1/2 boras da tarde, ahm de encor-
porados, acompanharmos a procissao do Encon-
tr, que tem de sabir da igreja da Santa Cruz,
para a qual fomos convidados.
Recife, o de Abril de 1889
0 escrivo,
Manoel Moreira Campos Jnior. ,
Companhia de edifica-
cao
Assembla geral ordinaria no da 22 de
Abril de 1889
De ordem da directora, communico aos se-
nhores accionistas da companhia de edificaco,
qne ba de realisar-se a assembla geral ordina-
ria deste anno no da 22 do corrente mez, pra-
ga Pedro 2- n. 77, i* andar, s 11 horas da
manh. Nesta sssembla ler-se bao o parecer
da commisso fiscal e o relatorio da directora,
relativos aos negocios sociaes em 1888 e cum-
prir se ha quanto nos estatutos prescreve-se
acerca das assembla* geraes ordinarias. Reci-
fe, 5 de Abril de 1889
Ricardo Menezes,
Gerente.
A rsenal de Marinha
AH s anual o de i o uu< arios para
o batalhao naval
De ordem do lllm. Sr. capito-tenente Rodrigo
Nuno da Costa, inspector d'este Arsenal e capi-
to do porto d'esta provincia, faco publico qne,
em observancia circular do Ministerio da Ma-
rinha n. 581 de 21 de Margo ultimo, acha-se
aberto o alistamento de cidados as circumstan-
ciasde terem praga no batalhao naval, perce-
bendo cada um, alm dos respectivos vencimen:
tos, o premio de 400*000, de conformidade com
o art. 3o da lei n. 3367 de 21 de Agosto de
1889.
Inspecco do Arsenal de Marinha de Pernam-
buco, 3 de Abril de 1889.
0 secretario,
.Monto da Silva Azevedo.
Veneravel
Ordem 3.
do Be-
de >. f. do tarmo
rife
De ordem da mesa regedora desta ordem, con-
vido aos nosso3 carissimos irmos compare-
cerem em nossa igreja, com os seus hbitos, do-
mingo 7jdo eorrente, pelas 3 horas da tarde,
afiai de encorporados. irmos acompanhar a pro-
cissao do Encontr d Senhor, da igreja da San
la
Secretaria da veneravel ordem terceira de N
S do Carmo, o de Absfl de 1889.
0 secretario,
Jos Castor.
Banco de Crdito Real de
Pernambuco
Este estabelecimento, de conforraidade com o
art. 84 dos estatutos, paga o sea o. dividendo,
relativo ao semestte findo em U de Dezembro
do anno prximo passado. a razo de o 0/0 so-
bre o valor das entradas reamadas do capital,
ou 5JO00 por aeco, todos os dias uteis, t-
as 10 horas da manh s 4 da tarde, em sua si
ra do Commercio n. 34.
Recife, 23 de alargo de 1889.
0 gerente,
____________ Joo Fernandes Lopes
Ljco de Artes e ()ffi<
De ordem do lllm. Sr Dr. din
todos os senhores p
cao, na quarta-feira I
ras da tarde
Ret:
'
I

&
~-


.-'*<&'* &n
">3^
^H
^i
*i*^sl*^y>^^
Diario d<
lllIU
feira 9 de> Aferil de IJWB
PROJECTO DE INSGRIPGAO
Para ag^.a corrida que de ver tr lugar no
dia.. &Me Abril-de-1889
i.'
PAfiEOi^nllarmoaJa 900 metros. Animaes da provincia que nao tennam
gauboem 1889, a'esta'oH maior distancia. Premios : 25CtOOO ao piymeiro,
5G#000 ao seguado e 25|000 ao terceiro.
PA&BO^MBoMpensa^1.200 metros. Aniraaes nacionaes de meio sangue
. que-ainda nlo gauharam em maior distancia. Premios: 400^000 ao pri-
saeiro, 8Q000 ao segundo e 400000 ao terceiro.
PAREO.''de *IDeJliO1.400 metros. Animaes de qualquerpaiz que
ainda nao tenham ganho nos prados do Recife. Premios: 500#000 ao pri-
meiro, 10O#000 ao segundo e 506000 ao terceiro.
PAREO lauprensa Peraombucana1.200 metros. Animaes da provin-
cia que ainda nao tenham ganho n'esta ou maior distancia este anno.
Premios: 300,5000 ao prinieiro, 605000 ao segunda e 300000 ao terceiro.
PAREOPrado PeraaatjMIcailo1.700 metros. Animaes de qualquer
paiz. Precios: 6005000 ao primeiro, 1200000 ao segundo e 605000
ao terceiro.
PAREOI.' de Julho 1.100 metros. Animaes nacionaes de menos de
meio sangue. Premios : 3005000 ao pVimeiro, 605000 ao segundo e
305000 ao terceiro.
PAREO Derby Club de Pcrn.-MMjmc 1400 metros. Animaes da
provincia.* Pr^nios: 350|W00ao primeiro, 1005000 ao segundo e 355000
ao terceiro.
Observares
So.serSo aceitas para cadar pareo quinze propostas. Cada enveloppe dever
conter urna s proposta, e caso appure<;a-mais de urna, s ser aeccita a primeira
que fox lida.
Newhum, pareo se realisara, sem que se inscrevam animaes do tres proprieta-
rios differentes.
A inscripcao encerrar-se-ha erea-felra. 9 do corronte, s 6 horas da
tarde na secretaria do Prado.
A directora pede a attengao dos Srs. proprietarios para o 1." do art. 21 do
Cdigo de Corridas.
Recife, 4 de Abril de 1889.
# O SECRETARIO,
Francisco de Sonza Reis.
2.
is
4.
5.c
6.
7.
^a; inspectora iiesta Alfandega se faz publi-
co que, as 12 horas do dia-JQ. do corn-me tuez.
sero arrematadas era pnco. portada tnwwmo-
ria desta repartigo, as seguales me.-i
1 eaixa de-boiiilki, diversos pedagos deman^
guejr. e parte da^bomUa.
i ualaV de ferro.
6 cadernaes velos.
40 pedafos de ferro idem.
1 agulha de niariar idem.
i virador idem.
3 chapas de ferro idem.
2 rodas de guindaste idem.
i braco de bomba idem.
1 ancora idem.
1 pedago de torrente idem.
Diversos pedagos de zieo idem.
i pao de pinho, lino.
1 trove idem.
6 ptdagos de paos.
3." seccao da Alfandega de Pernanibuco. 8
de Abril de 18890 cliefe,
Domingos Joui^um da Fonseca.
Imperial Sociedadedo*,.4rtli*ta* He
hiiniriM ftUbcrae*
De or4Wlo Sr. director, convido a todos os
nossos associados, no goso de seos direitos, a
se reunirem em assembla geral, na terga-feira
9 do corrente, s 6 i/1 horas da tarde, devendoJ,
a mesma se elfecluar com o numero de socios
que comparecer.
Secretaria da Imperial Sociedade dos Artistas
Mchameos eLiberaes, 6 de Abril de 1889.
Joaquim Lopes Teixeira,
2- secretario.
THE A TRO
Quarta-feira, 10 de Abril
Grande espectculo em beneficio da viuva Joaquina D. da Silva CoeMio,
honrado com a presenga do Exm Sr. presidente da provincia.
Depois d'uma brilhaute ouvertura, subir i scena pela segunda vez n*esta
poca o imponente e muito, appandido drama militar de grande apparato em 5 actos
e 7 quadros, original do talentoso escriptor portugnez Borges d'.%veMar e
intitulado :
*
ou
EPISODIOS DA REVOLU^AO DE 1809
Tojoam, parte n'esta peca em obsequio a beneficiada os distjnctos amodores do
CLUB DRAMTICO FAMILIAR, A. de Moraes, T. perraz, Baptista e Tabyra.
O importante papal da viuva D. Thercza de Noronha,. est confiado a inteli-
gente artista D. ROSA MANHONCA.
Destribuleo do drama
Loiscm, general francez, maneta
Thotniers, coronel francez ...
Henrique Maldonado, lente portuguez .
Barao de Alpedriuhas
Pedro Paulo,. t argento portuguez
Roque, soldado portuguez
Durand, escravo .
Rolier, soldado francez .
General portuguez.
Jost", criado.
Simao, homem do prvo.
Negreiros, homem do povo
Um burguez. .
Um conjurado
Um official francez
I)ous.-portuguezes N
Urna sentindla
D. The%sza de Noronha.
Luisa, sua tilha .
A. PE, MOEAE.S
P. .Fekeaz.
A. PEBE8.
Jos bebnardpu
Teixeiba
Lyra.
Pacheco.
Jos Pacheco,
res.
Juicio.
Baptista.
Noj,asco.
Jos Silva
jarros.
N. N.
Tito.
D. R-iManhos^a.
D. IIONOKISA.
D. Amelia.
N. N.
Alice, escrava
Catharina Rolica, Othilia e Dolores
Soldadas portuguezes e francezes, conspiradores, povo, musitar mulhere, etc.
Aecio passa-se na villa de AMarante em 109.
TTULOS DOS QUADiiOS
1."Licio aos Jacobinos
2.as gafras do.nilh;ifre.
3.Tudo pela padria !
7.'
4."Portuguezes e francezes.
5."A cega.
| 6.Urna ida do sargento.
-O campo ds batalha.
O ultimo .quadro representa o campo da balal'>a perto da villa AMARANTE.
As tropas.alnadas, com os generaos Sveira a Beres'ort, a.trente, derrotam o exer-
cito francez.
Grande quadre fina' da bataJLa, toques de tambores, c.cla-ins, ribonibo de
canhSes, e'c.
MISE-EN-SCENE DO ACTOR
X's s horas en ponto.
A excellente banda do corpo da polica, preencher os intervallos com bri-
lhantes pecas musicaes do repertorio de seu distiecto mestre o Sr. Candido Filho.
A beneficiada espera do caridoso publico pernambucano a sua valiosa protec -
cao e ir em um dos intervallos nos camorotes comprimentar e agradecer as familias
que honrarem a sua festa.
, AVISO
Haver trem para Appucos e bonds para as linhas prncipaes.
Bilhetes venda ho dia do espectculo na bilhetaria der Theatro.
A'S8HDRAS
Club Cupim
Deven do ter lugar no da Vi de Maio prximo
a distrbuicao das mi'dalhas deste vidadas todas as pessoas que foram socios e que
com tanta abnegado e tantos sacrificios Ifaba-
Iharam em tavor da emancipato dos cscravisa-
dos do Itruzil a se-reunirem no dia ii do cor-
rente s 4-no.-as 4 Io andar, aliin de tratar se qessa aistribuico.
~Cfai. Concordia
Ausserordentliche Hauptverammlung
Dieivstag, den S> april 1889
Abeads 8 ohr
Beschlussfahig mit jeder auzahe mitglieder
laut i 'i der Statuten.
Traktanden : Neuwabl des Prasldenten.
Diverses.
Das Directorium.
P(wnpanbia BraBeira de
Vav^ajrjaoi Vapor
PORTOS DO. NORTE
?) vapor Peiraambueo
Commandante Antonio Francisco de
Abneida
E' esperado dos pertos do sul al o
dia i.7. de AbuU e seguindo (fepois
da demora Indispeosavel para os
portos desiorte at Manos.
As encommendas s erao recebidas naagen-
m atea bora da taede-do dia da Bohida.
Para carga, encoinroc-adas, pausagens e valo-
res trata-so- com os v
AGENTES
_ J
PORTOS DO SL
O vapor Manos
Commandante o Io tenente Guilherme
Waddington
E' esperado dos portos do norte at
odia 14de Abril e depois da de-
mora indispensavel seguir para os
portos do sul.
As encommendas serao receidas no trapiche
Barbosa at 1 hora da larde do dia da sahida.
Para carga, pa^sagens, encommendas e valo-
res trata-se com os AGENTES.
Pereira Carneiro & C.
6*=Rua do Commercio=6
1 andar
RojaJ Mail Steam Packet
Companhia
O vapor Elbe
Comman dan te
Armstrong
^
m
CHARGEURS REUNS
DE
Xavufiae a. rajior
jinha qninzeBal eptre o ; H^yrc^. Lisboa,
Pernambuco, Baha, Rio de Janeiro e
Santos.
O vapor
VilledeSan Nicols
Commandaute Henry
E'esperado da Enropa at o dia 11
de Abril, segoindo depois da in-
ispensavel domora-naraa
Babia, Rio. de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha de 6 dias a-contar do da descarga das alvarengas
lualquer reclamaiSo concernente a volumes que
porventura tenham seguido para os portos do
sul alim de se podei dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido prazoa companhia no se
rosponsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encoinmeadas e di-
nheiro a frete : trata-se com o
AGENTE
kguMe-LMHe
9- RA DO COMMERCIO -9
Espera-se da Eurona.at o dia 12 de
Abril, seguindo depois da demo-
ra do costnuie para
Baha. Rio le Janeiro sanios
Para nssagens, fretes e eooommeodas tr-ata-
se com os At.E-NTES.
te para sof, 2 oscurradeiras. 6 capachos de pa-
Iha, 1 cama fpaneexa de Jacaranda, l banca de ca-
i, i lavatorio* l ntacquesfiu larj-'O,
cabidef du,ama/ello,, 1 mvstnlw. i maiquezao
estreito. 1 mesa gratul'para jantar, 2 apparadu-
res. 18-cad<'iras austr;a'-as com assento de pao,
2 mobilia torneada v p^etfga. 12 ooctetranoa-
triacas com assento de palha, 2 cadeiras de oita
com bracos, i ditas de dita coi bataneo, 2 es-
preguigadeiras, 1 mea pequea deuimarello, 1
relogio de parale, 2 quadros a oleographia. 1
apparellio de porcelana -"in flon-s, pura jantar,
1 dito para ahupco, frui-t'-ira-. .'arralas, compo-
teras, licoreiro, copos, clices, talheres, colhe-
res, bandeijas e muitos outros objectos de casa
de familia.
O agente Gusmo autorisado p"lo IHm. Sr. con-'
ferente d. Alfandega T. A. Ramos Zany que retira-
se oom a sua Exma. familia para o Rio de Janei-
ro, ,far leilo'dos. objectos cima menciona-
dos. '-_,_______^_
Leilo
De chapeos, chales de la, fichs, vestidos
para meninoB, fatiotas dla, bonets, ca-
misas de mcia, casacos de mulher, las
preta, collarinhos, luvas, roupa feita e
3 caixas com raiudezas.
Ouinta-feira 11 de Abril
A's 11 horas
Vo armazen da ra do Bom
fesus n. 45
0 agente Pinto levar a leilo por liquidaco
e porconta de um corrcsiondente de Europa dif-
ferentes volumes cum fazondas de lei as 11 ho-
ras do dia cima dito uo armazem da ra do Bom
Jess n. 45. ^
,--------------.-----------m. --------1-------1---------
Agente? Pestaa
Lt?>Jo
de urna armaco. pesos, batanea, medidas, cafl-
teiros. registro de gax'f cutwobjfieicg. twrea de
imposto? e propriospaiaum principiante: muito
bar;a!o..
Ao correr lo mareUo
Quinte.-leira^ 11 do corrente
s 11 horat damanh
O
La Plata
vapor
Commandante A. H. Dyke
E' esperado _do sul no dia 14 de
Abril e seguindo depois da demora
oocebsarta para
S. Vicente, Lisboa, Vigo, Southampton e
Antuerpia
Reduccao de passagens
Ida Ida e volta
Y Lisboa .i ckisso 20 t 30
A'Soutliamptonl classe S .42
ramarotes reservados para os pasageiros de
Pernambuco.
Emuuanto vigorar a qnarentena imposta na
Repblica Argentina, aos vapores e navios pro
ectes do Rrasil, os vapores desta compaaqia n5o
aceilarao passageiros nem carga para Bueaos-
Ayres.
Para passagens, fretes, encommendas, tratase
'.oiii os
AGENTES
morim Irmos & C.
N. 3-r-Rua do Bom JessN. 3
United States and Brazil
O vapor Finance
. E* esperado dos portos no
sul at odia 12 de-Abril
o qual depois da demo-
ra necessana seguir
para o
Barbados. ** T-fcomaz e
Xew-Vork
Para carga, passagens, encommendas e
nheiro a frete : trata-se com os GENTES.
Para.
di-
O vapor Allianca
E' esperado dos portos do
norte at o dia 21 de Abril
o qual depois da de-
*mora oecessaria seguir
para a
Baha, Rio de Janeiro e Mantos
Para carga, passagens, encommendas e di-
nbeiroa, frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Cotnmerdo8
1* andar
COHP.WUIA
Liga Qperaria Pernambu-
eana
Deordem do conselho administrativo deste
centro convidoiaos Srs. associados a reunirem se
em assembla geral, no dia 10 do corrente quar-
ta-feira as 7 horas da noute, para assumpto de
interesse da classe, que se prende ao progresso
ao corporacip.
Secrtaria da Liga. Operara, 9 de Abril de
18*9.
Jose'Cslasan84e Figueiredo,
1" secretario.
Recife Drainage
A companhia faz publico, para conhecirtento
intereasados. que collocou no mez de Marco
sado, os apparelhos abaixo decla-
rado^
Recife
e D. Maa Cesar n. 42, appare ho n....
udar. '
a-11, apparelho a. 8,070,
Ra
10.994.
ipparelao n.
e 1889.
F. H7iitintMh.
Faculdade de Direito
De ordem do Exm. Sr. conselbeiro director
interino sSo intimados a comparecer nesta Fa-
culdade no da 10 do corrente, s 11 horas da
manh, os estudantes Heleodoro de Almeida
Brito, Jos Leopoldo Pereira Lima, Francisco
Olympio de Ly.u e Estephanio Barroso da Silva,
para allegarem o que tiv- rem em sua defesa no
processo acadmico que se Ins tem de instaurar
glos motivos constantes da portara do mesmo
xm. Sr. director, de 5 do corrente.
Seeretaria da Faculdade de tdreito do Recife.
5 de Abril de 1889.
0 official servindo de secretario,
Manoel A. dos Passos e Silva
PUH\tllRllM.\l
DE
.t'avegaco eosteira por Vapor
Para Fernando k \oronha
O vapor Una
Commandante Seraphim ,da Silva
Segu no dia 13 de Abril s 12
horas da manh. Recebe carga at o
'dia 14.
Passagens at slO horas do di da sahida.
ESCR1PTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
Piloto
\
0 brigue hespanhol Soberano chegado hoje da
America precisa de um piloto para sua viagem
al Buenos-Ayres; quem se julgar habilitado di-
rija-sy ao escriptorio de Amorim Irmos 4 C.
LEUDES
-4 0 agente de leilOes, Francisco I. Pinto,
pode ser procurado das ft horas da manh s 4
da taiide, no armazem n. io da ra do lom
Jess; onde j esteve. eui 1860; e daquella Iiora
em diante em casa de sua residencia ra do
Viscunde de Goyanna n. 135.
Leilo
de 4 fardos com polvos seceos, 9 earrafik-s com
ervilhas partidas chfgadas no ultimo vapor e
diversos ps de cacas arborio, viudos das Anii-
Ibas.
II<". do correaje
A's 11 horas
No anniizt-'ii ; ra Macquez de Olinda
n. 48
Gm ciniinsicao
Ao eorrer do marielto
De "(i du/.ias de ferros para plaioas, 14 ditas
de ditos dobrados para plainas, 8 ditas de fer-
ros guilherme. 7 dorias de travadeiras, redes,
colchas, tainos, movis, pianos, loucas, vidros,
quadros,.jarros., caadieiros para pndurar e de
cima de mesa, resmas de papel paulado, meias
para homens e muitos1 oulros artigos.
Por intervencSo do
Afete Cunnao
Leilo
Leilo
A -2,5500
Vendc-se o fuasco do Poitocal; de Cam-
bar, do &ouj5m S lares, em casa dos agen-
tes e depositarios gerae Fi-miicisco Ma-
noel da>Silra, na Mrquez de-Oimda
" L':;- -
Mi......GLZ1
DE
Dos exportadores Ribeifp
da Costa & C- approvada e
legalisada pel# Exma*. junta
de hvsiene do Rio de Janei-
ro, nica que. actualmente
pode ser despachada as Al-
tandegas do Imperio do Bra-
sil conforme a deliberoslo da
raes na Exma. anta em 26
de Outubro de 1888, ven-
da em todas as
pliannacias e drogaras.
Vende-se
A quarta parte doengenhA Riacho do Padre
sobre o >a!onlc vinte coritos Je reis.-s.jim romo
as segui.'ilcs bL-iifcitrias .do mesm '.n^enho.
urna casa de vi venda de ijolo e cal. eona (tropor
gei pard gra ide faimai; lendo um termw em
roda c mais cinco casas para iavmdom cohertas
d telha.
O engeiiho dista urna legua da rstai.o de
Cuyanilmca, e cortado po estrada de ferro da
fabrica central do mesmo norae.
Quem pretender dirjase ao Largo do Corpo
Santo n. ti.
de duas apolices geraes ns. 32 e 1,338, ds 0003
cada urna, urna dita n. 2,28fi, de" 400. quatro
ditas ns. 3,037, 36& 6,626 e 6,629, de 205 cada
urna, e urna casa terrea sita no pateo de S. Pe-
dro n. 11, com duu< jaiifcllas, urna porta (Ut
frente, ') quartos, cosinlia fra, quintal muradP
e portao para a ra do Coronel Suassunu, pe-
quer.osotao interno.
Quinta-feira 11 do corrente
As 11 horas
No armazem da rua do Bom Jess n. 40
O agente Alfredo Guimares, por mandado do
Illm. e Ex;n. Sr. Dr. jais d direito da provedo-
ria de capellas e residuo, levara a leilo as
apolices e a casa terrea cima mencionadas,
bens pertencentes ao espolio do linado conego
Manoel da Vera Cruz.
I IV
eilao
prncipaes
c.
ya
moco habilitado prope-se a leccionar pri-
ini-iffls letras, portuguez, francez platica e Iheo-
ricamtnte c anthmetica, em quaiquer cugeabo.
I'ara informages dH-ijan se rua MarcilioDias
n. 81, escriptorio, ou- rua do Imperador n.*81,
t andar, escriptorio (sala de detraz).
.''3SPIUTD OE FERRO
.-. LERAS, Doutor em Sclencias
Cu.....i prlt J'inlt da Hfll**i do MMMMMl
Est ferruginoso o nico que
f ;m t;w raiBpQiijic 36 t
1::; v.tr.sdosossosedosangue.E*muito
'./.:/. contra a anemia, a pobresa
De 2 carteiras, 1 cofre, 1 banco para o
mesmo, 1 copiador de cartas, 1 meza.
4 cadeiras, 1 cabide, 1 quinto el dcimo
de vinlio.
Sexta-feira. 12 de Abril
A's 11 horas
Xo armazem a. 19 '
O agente Pinto levar a leilo por mandado
do Exm. -r. Dr. juiz de direito especial do com-,
mercio os objectos acii-a mencionados. arrcstaJSr. Agostmho v eira de Miranda deixou
; le sa-gue/M dores de-estomago
s: paloez, as pardas brancas e as
'' :"'Oivlons e irregularidades da
:.-.'.rua'-ao...Agradavel pelo seu
ispecto e pelo seu sabor, sempre bem
iiccefw pelo estomago, muito acon-
-ihado pelos mdicos, s senhoras.
I da mogas e s creancas delicadas.
Km PARS, S', Roa Vtvienne.
\o commercio
Alfredo Lopes & C, participam que o
M
lados como pertencentes a Joao Fclisberto da
Cruz Braga e existentes na casa da rua do Viga-
rio n. 1, propriedade de Jos Fernandes do
Monte.
MISOS DIVERSOS
Aluga-se o pavimento terreo e 11 andar c
sotao do predio s:to .praca do Conde d'Eu u.
26. com irommodos para familia, e o sobrado da
rua Barao de S. Borja n. 26, com commodos pa-
ra numerosa familia ; a tratar na rua da Auro-
ra n. 8o.
Aluga-se o so rado n. 46 rua da Boda
com bons-ooownedop e muito fresco, todo pinta
do de novo, e forrado a papel as .salas ; a tratar
na rua do Cahug n. 16, loja.
co
ANUA
Thesouraria do correio de
Pernambuco, 1. de Abril
de/1889
Captas com valor t
No praso de iriata das serlo devolvidas s
suas procedeocias as cartas abaixo muncionada,
cujos destinatarios nao as tem reclinado:
Antonio Evaristo da Cruz Gouveia.
Florencia Bodriguas da Silva,
i Carneiro & C
0 Thesgureiro,
M. Martinj Pires.
I'KUVAMIUCWA
DE
Xavegaro eosteira por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maceo, Mostoso, Araca-
ty e Gear
O vapor Jaguaribe
Commandante Jlonteiro
Segu no dia 13 do corrente s
5 horas da tarde. Recebe car-
a at o dia 12.
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
COHP.i\HI.4
PFHVUIDIC.V.\t
DE
Xavegaeo eosteira por vapor
PORTOS DO SUL
Macelo, Penedo, Araeajii e Baha
Ovapop S.Francisco
Conunanqlflnte Pereira
De bous ovis, lauca e vidros
Sendo :
Urna bonita mebilia de junco com conslos de
pedra e cadeiras ue balance, com pouco uso, 2
pares de lanlernas, 3 parea de jarros linos, i ta-
pete pura sof, diversos quadros. eandieirosde
i-. 1 toillet de jacurand, 1 importai.v cama
francesa de umarello, colcho, coni^ -. 1
guarda vestidos dea*na*lo. l toilli't de amar-
lo, 1 lavatorio de. uito 1 .marquezo, 1 commoda
de amiiiTtlo. cabide de columna,* dito de p-
rede 2 esiarrad^iras e 2 espelbos.
I ma mesa elstica de 3 taboas, 1 guarda lou-
ca de amarello, 6 cadeiras de junco. 10 ditas de
araarello, 4 ctagers, 1 espriguicadeira, 2 con
solos, 1 sof de amarello, 1 banca com 2 gave-
tas, 1 dita pequen, 1 relogio de parede, louca
de jantar, dita de almogo, copos, clices, talhe-
res, 1 larriio. bacias de metal, 1 fogareiro e um
trem de cqsinba.
Ferea-feira S do corrente
A's 11 horas
No 2a andar do sobrado da rua da Impera-
triz n. 36, onde morou o tenente Leoncio
0 agente Martins far leilo por ordem e conta
de urna familia, que se retirou para o sul do im-
perio, dos movis existentjs em dito sobrado.
Ao eorrer do nartello
Leilo
Terca-feira do corrate
A's 11 horas
AV rua estrella do Rosario n. 36
De urna armagao propria para loja de miude-
zas 1 carteira, 1 mocho, 1 lustre de vidro para
gaz carbnico, diversos paos para cantearos e %
camas de ferro.
Agente Modesto Bautista
A!uga-se um bom. sitio com .boa casa, can-
da e,pintada, no Arraial (Casa Amorellaj^ a tra-
tar na rua Pedrn Alfonso n. 12.
Aluga mi casas a 8*000 no becco dos l
hos, jun'.;' de S. Goncallo; a tratar na rua da
imnifuly. u. 36.
Aluga-se ou-vende-se q sitio do Mondego
n. l.*:;. rua Visconde de Goyanna : a tratar
com I., de I'recisa se de u:n cosinheiro ou cosipheira
de boa conducta, que dunna em casa ; na^Ponte
de Ucha, sitio de Luia de Moraes Gomes Fer-
reira .
nesta data de ser seu eaipregado.
Recife, G de Abril de 1839.
Attenco
Xo armazem da rta do Amorim n. 60, vnde-
se superior vinbo de mesa pelii mdico prego de
7 o garrafo de 3 caadas (voltaudo o casco).
A elle antes que se acabe.
Junerxiia
Lo xeia ercera lapa au pednir jimarbelos a
apeque be 16 rae bixem qravcl-y. Usmeqaje |
illa
reos as biys os bez ca jama a os ainbo za rarce
Ka gamelha b roqo. Yslirere ke nelio Gqr /
au Zarkoaa. Yssou birke am neukitar lo dim
zo umno Kosqo anhaze. Yoraza i qeo f'difi.^^.
8-4-89. I
Frecia a.' de utnamullter de conduca id-
nea, que se preste a fazer aiguos servigos, dan-
do-sca comida e aigum ordenado rasoave : no
Caminio Novo n. 128.
I'rccis-i-sc de um criado para sitio ; a tra-
tar n;t estadio da Jaqueira.
CU' EROPrecisi'-se na rua da Aurora
aaaM.>ro 31.
Ama
Precisa-se de nina ama paca cuidar de urian-
as e fazer oulros servigos : a tratar na rua do
imperador 77. loja de linos.
Ama
II-Marn la Purificara* Pereira de-
Ciiiuno
Jos Geminiano de Araujc Pinhiio. baehare!
Vauoel Raymundo de Araujo : inheiro. Luir. Eu-
genio de -riiujo. Joaquina Silviua. de Araujo
l'iidieiro (ausente).' Rosa Curneirc d- Araujo
Pinheiro, agradetem do JBlirao da alma i todas
as pessoas que se dignaram acompanlisr ao ce-
merio publicos restos mortaes de si uunca
esquecida e prezada mi e-sogra D. i.;iada
Purilicaco Pereira deGusnio : e coime ra de,,
novo a todos os seus prenles e amvgC: ;ir.ra
prestaran ainda urna vez o acto de,cindi
d em assistir as missas que nundam ci 'nar
na igreja da Santa Cruz s 8 horas da ma;;.;, o
na capea do engento Covas, s'. horas do dia
quinta-fcira II do corrente. stimo do seu fai
lecHiiento, e desde j aatecipam sua gratido
por mais esta provn de consrideraco memoria
da finada.
1
t
Precisa-se de urna ama que saiba cosinhar e
engommar, para casa de pequea familia e que
durma em casa dos patrocs ; na rua Barao de
S. Borja n. 39.
Aluga-se
o pavimento terreo do predio sito rua do Bom
Jess d. 15, proprio para escriptorio por ter gra-
des, gabinete, etc.: a tratar na mesma rua n. 4,
escriptorio.
Gaixeiro
. Ka rua Duque de Caxias n. 52, precisase con-
tractar um caixeiro com habilitagOes de escrip-
torio para fra da cidade.
Leilo
De bon movis, loucas, vidros e um im-
portante piano
Quarta-felra* IO do corrate
A's 11 horas
Segu no .dia 12 do corrente as
horas da tarde. Recebe carga at o
M
, % 1. andar do aabrado m rua da
peralrlm m, 14
? r CONSTANDO DE:
tima mobilia austraca a medalhao com 12 ca-
deiras de guarnigao, 2 ditas de reos, 2 ditas de
[n. 12

4 jarros, 1 candieiro para, gaz (keroaene), 1 tape-
Criado
Precisa-se de um rapaz de 14 a 15 annos : na
travessa do Corpo Santo n. 27.
Caixeiro
O. Mara Honorata Regueira de
Baato Pinto de Sonxa
0 bacharel Manoel Nicolao Regueira Pinto de
Souza e seus filhos convidam aos seus parentes
e amigos para assistirem ss missas que raan-
dam calebrar por alma de sua prezada consorte
e mai, D. Mana Honorata Regueira de Bastos
Pinto de Souza, pelas 8 horas da manh do dia
9 do corrente, na igreja matriz do S. S. da Boa-
Vista. 1- anniversrio de sen fallecimento, e
desde j se confessam agradecidos. .________
fe'" ""-'
t
Manoel l-ai de Franca Caldas
I." ANNITKBSARIO
Francolina M. de Franca Caldas manda resar
missas pela alma de seu sempre lembrado es-
poso Manoel Luiz de Franga Caldas, no dia 12
do eorreste as 8 horas da manh, as matrizes
de Escadn. Boa-Vista do Recife e igreja de S.
Jos da BoaEsperaoca, 1.'annWersario de seu
passamento e para assisfil-as convida aos paren-
tes amigos e antecipa-se agradecida.
Precisa-se de um caixeiro com bastante prati-
ca de molhados de 14 a 15 annos ; a tiatar no
becco do Pocinho n. 7.
Hotel
Na estago da Russinha, da via-ferrea de Ca-
ruar, acha-se montado cas melhores condigOes
um hotel contiguo referida estagto, onde os
senhores passageiros encoftlraro boa acommo-
dago e modicidade em presos, assim como tem
urna excellente cociaira aara tratamento de
animaes.
Aprov,eitm ^.cambio
Carlos Sinden recebeu pelo ultimo vapor gran-
de sortinento de cajaifM inglezas de superior
qualidade, assim como-camisas de meia, de 11
merino, meias de..-diw*as quadades, ass.
coma grande sortimento de vestuarios Para
mnos,.que est vendendo por
pelew.
f
Jone da Silva Unalbo
Manoel d'i Silva Carvalho convida aos seus
amigos para assutirf m a missaque por alma de
seu prezado irrao Jos da Silva Carvalho, man-
da celebrar na matriz de Santo Antonio,
ras da manh do da 11 do corrente, trigsimo
do pasaameoto delle, pelo que se confc-
mamente agradecido.
Jo da i7T
Manoel da Silva Carvalho, ferido
mente pelo infausto e prema
aeu muito presado irmao^
missa no


1889
Uior Alimento
Para as CRIAN CAS
^.WJURXO, e, A.'TXIN'U VICTORIA, PA1U
D^KitwMitoaeasiftlKi^rttarMtai*
mu'
pelos CIGARROS ESPIG
OpprenHv* Ts*e Deflujcos Aerralgao v
:vcr*r*09ELA IX8PECTOB1A DI ITVSIEKK BO MPEAIO DO 3RAZIL
af: Ira no pefto, acalma o sy*tema nervoso,
fac -:t.'i ayxpeclorai-o e l'avi.rlsa as frmccesdos orgaos respiratorios.
UQ*lyi.HuOi J. OCP;iO, rao. Ut-A-asar*. cm Parta. if*t;a-*r a "
" Pm.whux : IbWKk M. da ILVA a ca. n *nnc 'ujwu **"-

DE
**t.
Elixir, F e Pasta, dentifricios
coa
MI. PP. BENEDICTINOS
A TSRDABXIRA.

DE
' o (/n/co< Dentifricio approvado
PELA ACADEMIA de EDICINA qe PARS
0 melftv nfmsrrte contra as Dowa-dB Dentes
Reoom mendadoi BSpeei4mnt oom os POS ^e BOTOT *)
para os cuidados da bocea.
6, Jfue St-Hoaore; Para, e em fm bou DrogMaa, Pnftaute OAbafeMHai.
Pelo Prior
Pierre SOVKSauS

Vinho e 2ar op e u Dusart
AO LACTO-PHOSPHATO DE CAL
ApproYados pala Junta d'Hygiene do Rio-de-Janeiro.
O Laeto-Phosphato de cal, que entra na oomposicao do VINIIO e do ;
de OUSART, o medicamento mais poderoso que se conbece hoje para restaurar
as torcas de certos doentes.
Consolida e endireita os ossos das cranlas Rachiticat, torna activos e vigorosos
os Adolescentes molles e lympliacos e os que se achao fatigados em consequencia
de rpido creseimento. Facilita a cicatrisacSo da_s cavernas do pulm&o nos Teos.'
Sendo administrado as mulheres dorante a gravidez ehas atravessao todo o periodo-
da gestaco sem a menor fadiga, sem nauseas, sem vmitos, e dao a luz a creancas
fortes e vigorosas.
O Laeto-Phosphato de cal administrado s ama e as maes que vTao os fimos,
torna o leite mais rico, mais nutritivo, e preserva as creancas da diarrha e de outras1
molestias, que se declarfio durante o crescirnento. A dentico opra-se sem fatigar a
creanca, sem que apparecfio convulsOes.
0 VINHO e o XAR9PB de Laeto-Phosphato de cal de OUSART despe.-t&o o
appettte e levantao as forca? dos convalescentes e devem ser emr.repados em todos
os casos em que o corpo humane se echar fatigado ou exhaurido de forcas.
Deposite en Part, 3, ra Vivtetin*
daABBADIAde SOULAC (Gironde)
DQM MAGVBLtftnm, Prior
3> Jffcflalitait dff&urat Bruxelb*1880 Londres 1884
AS MAIS ELEVABAS RECOMPENSAS
no AS.-,o Iwi 0
O KBo nuotidiiwe dos RR. JPP. Benedictinos, com dose de
alpiinias pottas coin ligua, pnm-in o^ura a carie
dim entes, v:iibraii<|tirtreos,"fortaleedDdo e-tor^-i
Mudo as gengivas purleitaaente sadias.
yrutfrtaos um vordadeiro servido, assira-.l
t adk Srtma kterua rnttu antigo o utilis-l
, o melhor ourativo o o nico
' preservativo cqutra u Aieccjles den-
; tarias.
Agente geral: SEGUIN, BORDEAUX
cka-te em roete tHu Ptrtumtriu, Pharmeeits e Dngsrims.
REMEDIO DO DR. AYER
COXTBA
AS SEZOES OU ADMITAS.
O Rewemo b 1)r. Ayer, descoberte
vegetal que nao centm a (nina nem o
arsnico, nem tio ponco ontro ingrediente
nocivo, ora remedio infallivel e prompto
para toda a qualiclade de ftorta intermit-
ientes ou maleitas. Seus efleltos sao per-
manentes e certos e nenhum mal abso-
lutamente pode advir do seu emprego.
Da mesma forma torna-se o melhor
remedio possivel para todas aquellas
doencas que provin dos rffettos dos
miasmes, que se desenvolvem nos lugares
pantanosos e Infectados, e que ^oralmente
caracteriso-sc pelas affeccSes do
ngado e do baco.
O Remedio i>e Ayer curara sempre,
mesmo nos casos peiores, toda a vez que
f5r empregado convenientemente e se-
gando as direcces.
PREPARADO PELO "
DR. J. C. AYiZR & CA.,
Lowell, ILass.. Kst.-Unidos.
>
t
-Antigo estabeleoimento de ferragiens
is:
FERREIRA GMRAES & C.
86Ra Duque de Caxias80
j (Ehranfce -sotmtto iferrageit, cuttlarias,
t muitos ontros arttgos a sab^r:
Cobre emfolha.
Perro sortido.
Cimento Portlant
e outros marcas.
Bombas de ferro e bronze
Canos de ferro e chumbo para
encanamentos de alta presso
Machinas e vapores
para algodao.
Candieiros elctricos.
Foges econmicos.
Este estabelecimento fundado em 1851, tem na sua
Jonga existencia1 a garanta '.mais sefiura para os que pro-
teirarem honral-o com a sua conganea.
PRECOS SEM C
Descontos do costante
'4:i4BAR4O!r0TRHM4
Machinas a vapor,
Moendas.
Rodas d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem crava^ao
Arados.
Grageas Demazire
-A-ianro-T-sua ipala. Zjajpeotoria de Hylae do Brazil
CASCARA SAGRADA 10DURET0 FERRO^CASCARA
Vcrdadeiro Re-liedlo
Coatrm a Prin&o de Ventro habitual.
O matm activo dom Ferraginotom
Nao prodamindo a Prtmo da Vootra.
tovm getf: MMHBIA 6. DEMAZiERE, 71. snm Win, **
ftnumbuo: FRAN" M. da SILVA Of.
'A csaa fc _cdor os Pcnuai3tas a CsiUstreirati
dfi frnrws'o do ."XtL-aJapEi-^
_tB>
PREPAR.O'J COXi DZSMOTSO *
rJ&^s?, Perfumista
cLs la 7=3.13=, 9, .-PAS^S'
rn
DIGESTOES
OIFFICEIS
Dyspepsia
Parda
\b Appettte
DOENCAS dotSTOMGO
ELIXIR GREZ
GASTRALGIA
ANEMIA
Vomitas
Diarrha
chronica
TNICO DIGESTIVO cosa QUINA, COCA PSNINA
[ ADOPTADO SM TODOS OS HOSPITASS MeKH f ha de Oaxo DpiomoM de Honra
| PAMS 0RCZ, 3*, ru La Bmytra.* MMW n 9%$Hmnt*m* I
Alu2
^a-se
o 2- andar da casa ra da Aurora n. 81, junto
a estaQo da estrada de ferro de lioda, com
grandes commodo para familia, gaz e agua en-
canados ; a tratar no escriptorir de Sebastiao
de Barros Barreto, roa do Bom Jesas n. 16,
primeiro andar.
Alug-a-se
a casa da ra das Barraras n. 10 ; a tratar na
ra Duque de Caxias n 46.
Ahrga-se
o 2- andar do predio n. 30, a ra Mrquez de
Olinda : a tratar no 1 andar da ra farga do
Rosario n. 22.
Aluguel barato
Baixa Verde ns. 1-C.
Ra Visconde de Itapariea n. 43, armazem.
Ra Vital de Negreiros" n. 43.
Ra do Bom-Jesus n. 87, 3o andar.
Ra do Calaboufo n. 4 loja.
Ra do Coronet 8ua?suna (quarto) n. B.
Ra de S. Jos n. 74.
A tralar ra do Commercio n. S, 1 andar,
esenptorio de Silva Guimaraes & C.
3^ 2531JS
Na ra vellia de Santa Rita a. 89, precisase
de urna ama para comprar, cosinhar e mais ser-
vico domestico de urna casi de pequea familia.
.Ama
Precisa-se de doas amas, sendo urna para co
sinha e outra pu-a engoauaar ; a tratar na ra
Pedro Affouso n. 11, ou 'rua Vidal de Negreiros
n. 128.

59Ra Duque de Caxias59
M E H
?
Cortes de cretones em cartSo com figurino e enfeitos, a 8(>00.
dem de cachimiras bordadas, a 25^000, a&o de 400000.
Setim preto, a li&OOO, 1|}200 e ld800 o corado, verdadeiro Macao.
Grosdenaples pretos, verdadeiro Len, a 2(5200 o dito.
Merinos pretos, daas larguras, a 500, 800, 10000 e 10500.
Mantilhas pretas, a 10200, 30000 e 50000.
Oasacos de cachimira pretos, a 300000.
Fil bordado, a 800 rs. o covado, para veos e enfeitos.
Velludilhos do todas as cores, a 800 rs. o dte.
Zefiros de cores, a 80, 100 e 160 rs. o dito.
Linons de cores, a 200 rs. o dito.
Tecidos diversos-em cores, a 240 e 300 rs. o dito.
Fustoes brancos bordados, a 360, 400 e 460 rs. o dito.
Lindas setinetaa, a 200 rs. o dito, aproveitem.
Cretones magnficos, um metro de largura, a 280 rs. o dito.
Chitas, bom sortimenk) em cores firmes, a 200 rs. o ditc.
Rendas austracas para vestidos a 500 rs. dito.
Cambraias bordadas, a 40500, com 10 jarda.
dem Victoria, a 20500 e 30000, com 10 ditas.
Madapolao superior, a 60000, com 24 ditas
AlgodSes nacionaes, a 30000 e 30500 com 20 ditas.
Ricas guarnigoee de crochet, s 70000 e 8000 .
Toalhas de lbyrintho para baptisados a 250000 e 300000.
dem grandes para rosto a 40000 a duza.
Ceroulaa de bramante, a 120000 a dita.
Meias inglezas superiores a 30000 e 50000.
Camisas inglezas e francezas a 300000 e 360000.
Cortinados bordados i 60000 e 80000 o par.
Leaces de bramante a 10800.
Cobrtas de ganga, ou* pannos 20800.
Redes superiores, a 400000, sao de 150000.
Pannos para mesa a 10100 e 10400 o covado.
hados bord dos, a 10200 o metro.
Bramantea de algodao, a 700, 900 e 10000 o dito,
dem de puro linho, a 10600 o dito.
em cortes, a 20000, 30000 e 50OOO.#
. a 200 e 220 rs. o covsd
tem o descont de 14
EIRA WIVi,lT?rff
BARATAS
Cachemiras pretas.
Crep preto e inglez.
Bkos pretos de seda.
Stins Maco pretos.
Regatas de setim preto.
Luvas de seda preta.
Casemiras pretas.
Crenolina preta.
Merinos pretos.
, Fichus pretos.
M ra Primeiro de Iare o. 20
CAttA DE COA'PIAM'A
AMAR AL & Q
. U B '! A N N IP B IAU
Ama
Precisa-se de urna ama que cosinhe bem e
faca mais servico de urna easa de pequea fa-
milia ; na ra da Matriz da Boa-Vista n. 26, pri-
meiro andar.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosimiar, para
casa de familia : na ra Duque de Caxias n. 54,
loja.
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba cosinhar e
engommar, e que fique morando em casa para
l'azer companbia a urna senhora ; a que estiver
em condicoes e der conhecimento de sua con
docta, dirija-se ra Visconde de Goyanna n.
1, taverna, que paga-se bem.
A o publico
Rogase ao Sr. Maneel Ramos Chaves o favor
de vir praca do Conde d'Eo n. 8, a negocio
que S. S. nao ignora. .
Bagres e tainhas
Em barris de 1/5, chegados no ultimo vapor
do Rio Grande do SnJ, vendem Costa 4 Fernn
des ra do Commercio n. 28, Recife.
Cosinheira
Precisase de urna ama para cosinhar e mais
algum servico, em casa de pequea familia ; na
ra da Aurora n. 81,1- andar.
Cozinheira
Precisa-se de urna ama qoe cosinhe bem, para
casa de pequea familia, que dunna em easa
dos patroes; aa ra Conde da Boa-Vista n. 24-P,
ortao de ferro
KBIAN
6AXA LIQUIDA IHIPERMEAEL\
EMPREaA-SB 8HM SSOOVA8
O magnifico LUSTRO d'esta graxal
conservase duranta urna semana,
se ja qvtaJ tr o tempo.
BAL MORAL GL0SS G AW4IOA*" BElt SCOtTAe
PASTA UNCfUDSA, caixae de lolba de aadree, ai qx*l\
entregue ao Exercito Inglez.
THt NUBIA" MAMUFt COMW L., 8 A S. Hlltr Lttlt. LOXD.J1 K. O.
Agentan grrae em PERHAHBUCO :
^Gujmara Pel*yy
A-.N
Aviso aos Srs. marchantes
No engenho Sete Ranchos, freguezia da Esca-
da, existem 40 bois gordos para serem ven-
didos, quem o qnier comprar, poder ir ?l-os
eatwHter-Kcom. o Barao do Umoeiro. ao seu
OMBBG Pecacloa, m Jabertt. gstfis e;
cellentes para o agougue, e prefere-se a quera
os comprar todos.
T.
Cosinheira
Precisa-se de ama boa coMnbeira o
bem faca o servico de compras, para c
Juena familia, paga-se bem : a tratar
abug n. 16, loja.
Jeitor
Precisa-3e de um feitor par
tio .; a tratar na ra Duqt;
andar, das 10 horas da manhi
Cautellas de Monte de Socorro
Compra-se catrtelras do Home de Soeeorro fie
qualquer joia, brilhantes e relogios; paga-sr
bem na Praga da Independencia n. 22, loja de
relojoeLro,
Serrara a vapor
Caes do Capbaribe
Tem para vender diversas balancas sendo urna
ra para engenhos contraes ou estradas de
er de grande forca do pe?o. Tettdi
s bombas grandes de dilTerentes modelos
por Drcos comraodos.
Cosinheiro
de um cosinheiro ; na ra do Pay-
ii n 4Q
fZieenoiadopel*bsptetTl ffen
de Hygine do Importo do BraiLL
XaropeZed
OZameS
hritefdes ia "Peto,
[De C0DEIMA e TOLU)
_ emprega-je coa .
Tesse dos TUm, Tet*
convulsa ^tuucbi),Trorichita,CoHsHpe4amt
Catar rhes e Insomnios fiersistema.
raios. as, im Droaot, b *m na
En^ommadeira
Precisa-se de urna perfeita eigommadeira : a
tratar no largo do Paraizo u. 14.
P 0 me/or enrtclo
m
ampregm* com
Odontaiina
o aurii m mu
PWMHtmx
^
-QjS-^^
E
lmiaV
i ix'o o c.tso Ce
RHEUMATISMO
Impuras do Sangae, Erapufles, Esc-
Mas, Ulceras, SipMlis
o toda affeccao 4e natureza
eruptiva ou venrea
ULSPBRLIA
DE BRISTOL
0 Bamedio de Familia por-excelleicia
Casas
Aluga-se a cosa terrea n. 64 ra do Hospicio,
com bons commodos, e outra i roa de Joo Fer-*
nandes Vieira n. 60 ; a tratar na roa Baro a~
Victoria n. 3.
Cosinheira
Precisa-se de urna que co-
siuhe bem no 3. andar, Ja
typographia do Diario,
Bolsa perdida
Pede-se encarecidamente pessoa que achon
urna bt-lsa de couro Dreto, contendo grandfe por-
ciodecontas e bilhetes, o favor de leval-af roa
do Imaerador n. 2. que ser gn ..cada com ge-
norosiifade.
G riado
l'rccisa-se de um criado ; na ra do Paysanda
numero 19.
A
Esta bem conhecida casa, previne aos
seus numerosos freguezes e freguezas que
contina a servil-os, como dantes, em to-
das as suas mais extraordinarias exigen-
cias, para o que substituio a sua antiga
armayao por outra que mais expansiva, of- -
ferece muito maior accommoda5oJB as in-
nmeras fazendas de que se acba hoje
provida, aonde s Exmas senhoras encon-
trarao tudo quanto o rigor da moda exigir
para um toilette completo, desde o maior
chiqu8me at as mais simples.
Venham verificar por si mesmo para
acreditaren!.
Para a quaresma
GalSes, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e tde algodSo com e se
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodao.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 30000 e 40000
a duzia.
Lenos de ^linho-em eaixinhas a 30000 a
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Lindos lequcs transparentes de gaze a
30000 um.
Grande sortimento de portV*Btractos de
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 40, 60 e
80000 o par.
Ditas de pnantasia, gosto moderno, da
20500 a 30000 o par.
Cortinados todos de crochet para- cama a
120000, 170000 e 190000 o par, algmw
de cores.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800
10000.
Ditos para sof a 20000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelho8 eom tres palmos de comprflBcnto
a 40000.
Capellas com veo para noiva a 60000 e
80000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha de
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 20000 a peca.
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos enxovaes baptisados a 80 100 e
120000. i
Toucas de setim para baptisado a 30, 40 e
50000.
Extractos e leos de diversoa fabricantes.
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car-
ritel.
Lindos ramos de Adres a 40000 uro.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a'280 rs. a duzia.
Pastas a 10000 e 20000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 20000.
Arquetes para chapeos e chapelinas A
10500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a'20000
par' rw>
Ditas de seda para creanca a 10000.
Dita para moca a 10500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette,
sanctuario e consollos.
Lindos lencos de seda, gosto moderas.
Grampos dourados para segurar cabellos.
Ditos ditos para enfeitar cabeca e segurar
chapeo.
Espartilhos para creanca a 40 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50*00 e-
60000.
Grande sortimento de sabonetes de 900 a
10500 um.
Estojo com faca, garfo e colher, proprfc
para creanca.
Bengallas com flauta a 1050"'.
Meias de 12 para homens e senhoras.
Linhas douradas para fazer crochet.
Lindas fitas para fachada 0, o j e 40000
o metro.
Lindos leques de setim para easamento
Grande sortimento d leques de setim c
de papel de todas as cores. mM
Suspensorios americanos a 200
Lindos desenhos partan
Fina carteiras para algibe
e 30500 urna.
Ra Duque de m
Bicos, le,
pra se na ra

i


'i-





k
I
' .
I

a de magna mpor-
>offredora.
lo mmierosissiruas as caras operadas
esse maravilhosoro preparado.
te**
Sesoflres porque queres
DSA E CONVEXCER-TE-HAS
CURA RADICAL
e
SEM- DIETA
DAS
Molestias de pello
SYPHILITICAS.
Darthros, sarnas, ulceras antigs, im-
pingens, bobas, gommas, cancros, rheuipa-
tierao e morplu'-a.
Com os prodigues
XAROPEE UNGENTO
DE
Hydrocotile Calasans
Applicag2o fcilUso sem perigoEf-
fetos promptos, dieta razoavel.
Contra fados nao lia argumentos
Estes remedios sao os niais comniodos
do mundo. Envia-se gratuitamente, pelo
correio, direegoes para uso d'estes medi
camentos admiraveis.
Prego* do ungento 10200 o frasco.
Preco do xarope 30000 a garrafa.
Preparados por Calazans & C Phar-
macia Imperial, Babia.
Deposito no Reeife
Francisco Manoel da Silva & C.
Rua Mrquez de Olinda n. 23
a TAOT t Tt -ITSJ oonqumujij mi wmwHij
duM^Sai) Kupooi m-innj ____
*Briu-rp- ic 'SK3 A3J.5 "H ,'B "*> cpnriii ainswnni.i
*9&aojpvi a.uwdiuoj *t> utoo roxioo wa 99-spu\
jppu nos op oppaOAaoo jbod bjcI o naun
(J9i3\o jajs;tu 3 iimSiB opoa vxjap uun wdoji2 a ojji3ui ma mumbo ap roiu-ia
-?oaioqms3 savdfonfjd ion a '< sv^vii 'svpjj
-joo t epo* nu otpco onnnaoo a enmelo
p somni o f iJm i ptl i >iihN|i ti ttftfVMum 'ti?": niurt" MI Jonl <>'
sr-'. jjno Bjed zwap ajuannu; pjoa o:- u'.uai
ooftin o a opEJBrtajd ospqniBj""! '"J3 'P'""u c;ad
soinsABO sop (>5?iesTJ9inK) opuniin*-!''- M;un o
SN3A3S oiNanoMi
m Caixeiro
l'recisa-se de um caixeiro de 1-1 a 14 anuos,
que tenba pratica d" molhados c que di- fiador
de sua conducta ; a tratar ilT ra da l'nio nu-
mero 2.
FRANGIPANNIU
OpopcnaxPattlua II "-*.l|
Qarisaima Cera&ia // 11 O
---------- // S s*c"-2
V* Vemtr-x em tolai -, // "2a =
Clin
Prado Pernainbucano
0 proprietario do cavallo Boldao scientilira ao
publico que este nao Ihe perience mais.
i
FOLFTIH
SEM MAI
POR
?:i B'AIUSlKOffT
4
S' NO MUNDO
(Continua 5 ao don. 7 8)
CAPITULO IV
rio ou vivo
Pouco a pouco o seu coragao atormen-
tado serenou ; a terrivel chaga feita na
sua sensibilidade de homem de bem cica-
trisou-se, e elle disse coraigo que quan-
o se escapava do horrivel perigo que
araeagara devia ser para a plena e com-
pleta rehabilitaglo, para a febeidade tran-
quilla, isenta de toda a suspeita, de toda
a sombra, de que era digno de gozar
ii e seufilho.
1 a coragem.
bou trra da livre America,
que nada devia resistir sua
kinteliigente. energa ineansavel
dtriken volver procmra de Eugenio
neo cora effeito chegou a
e a casa da ra Auber lhe
mo sendo a cidade para
tra-mestre de Pedro ha-
MMggia usina que o havia
||iBBf francez chamado Nico-
[ual o Sr. de Sauves
recominen*dacao.
pouco de inglez que sabia,
|p esperava chegaivaos seas
tarde da estrada de
dade, a
boa coznheira
casadepouca familia:
a tractar na rua da 8o-
ledaden. S2.
Papel de forro
de -;i!a. gabtneie e corredor, esplendido sorti-
raento na livraria Coutetnporanea.
Quadros
coiii bellis-imas oleofraphiaa, obiectos para
adorno de sala e para presentes, tudo encontra-
se ua livraria Contempornea, rua 1- de Marco
numero 2.
Malas deviagem
pan* roupa de senbpra e de homem, propria de
camarote e caminho de Foto, boljas, chape lui-
rs, binculo?, etc. etc. artigos muito bouse
baratos na livraria Contempornea.
Instrumentos de msica
para banda e orchestra, realejos, caixinhas com
, 2 e 6 pecas. >para enanca ; na.livrari Con-
tempornea.
Apolice perdida
Previne se que se estraviaram do poder do
abaixo assignado dua apoliees provindaes de
lOiOOO cada urna, de ns. 381 e 382, de juros de
7 0/t>, pertenceWs a D. Elvira Ferreira Campos
de Andrade. Reeife, 21 de Marco de 1889.
O procurador,
Adolpho Ferreira de rahi e Silva
Terreno
Bombara coudelaria rua Mrquez do ner-
val 80 e 82 para \er, na cae a o pe, e tratar
na rua Mrquez de Olinda n. 25. Tem coeheira.
Engsnho
Arronda ?e um engenho de pequeas
c5cs, d'afiua, e com safra cria '
do Bom Je?u- ii. 23.
peq
da;
propor-
a tratar na rua
Attendam
Uuja senliora perfeiramcnle habilitada a lee-
cionar portuguez e francez assim como tidos es
trabalhos em bardados e flores de todos os gos-
tos e especies, offerece-se para ir a casa das
familias que nao quizerem mandar suus filhas
para as aulas ; assim como tambe n ir re.-id ir
na casa de aljiuma familia abastada que queira
para mais cmmodidade de suas fiibas. Afiaii
ga-sc conducta honesta, prudente e moralisada :
quem precisar pode dirigirse ruado Bariio da
Victoria loja de fazendas rail na America nu-
mero 16.
Attengo
U abaixo assi^'iiado, teiulo visto seu nome na
lista dos devedores da rr.issa fallida de Jos Ja-
cintho de Medeiros, e n : devendo, como prova
com o seu recibo que si. lab em seu poder.
R.cife,2 de Abril de 4889.
Eduard") Marques Monteiro.
VENDAS
Vende se palmeiras inuito boniLas e crotons
para enfeitar jardins e ferem-M ramos naturaes
e artifieiaes ; Caminho Hoto n. 128.
\ os capitalistas
Veode-se os bem conhpr.idos *. extensos ar-
mazens n. 51. caes do .Voftil), incluino dous
sobrados ns. 1 6 e 108 rjra de Domingos Jos
Martins. .., jM. a. *.,*
B8tBWMle*Dll*l)(>ff'cinndotcm frente dtf
nova ponte Buarqne fe Macedo e tem capacida-
de para 9.000 a 10,000 barricas de tiirinlia de tri-
go on obtra mercadura era proporcao.
A' tratar com Malhecs Atuta t C, n. 18, rua
do Commercia.
Cal de Lisboa
Vndese boa cal : na rua Visconde de Itapa-
rica ii. 12. on'r ora rua do Apollo.
Bom empreo de capital
Vndese duas casinhas o rua do Mangue ns.
24 e 28 por preco commo.i ; a tratar na mes-
ma rua n. 36.
Tomou um carro e fez-se transportar a
Tolonnade Hotel, jne -im dosseus com-
paiiheiros de viagem lli havia recommen-
dado, e cinco minuto: depois o cocheiro
parou o vehculo em frente a um colossal
edificio de cinco andares, cuja porta prin-
cipal era precedida de una perystilo as-
sente sobre columnas
Pedro entrou n'uro ^r.mptuoso vestbulo,
o hall, accessivel a todos, ao publico co-
mo aos hospedes da caaa, e depois de ter
passado entre duas pilha^ de malas, diri-
gio-se a um escriptorio, onde acliava-se
sentado sobre um alto asteada um perso-
nagem de ar muito importante, que, sem
descerrar os dentes, apresentou-lhe um
Hvro aberto e urna penna.
O Sr. de Sauves nao teve neccwidade
de explicayoes, cscreve". o seu nome abai-
xo do ultimo inscripto.
O outre nem seque r olhou para elle
poz um numero ao lado ? apoiou o dedo
no botao branco de urna ampainha elc-
trica.
Appareceu immediataejente um negro,
um soberbo rapaz da eor do azeviche e
olhos de urna docura particular.
O homem do escriptorio estendeu lhe
urna chave e disse-lhe aa ^eguintes pala-
vras :
Twe hundred aml nve.
O negro deu por se. '.urno signal $ao
ascensor, e ao cabo de dez segundos Pe-
dro de Sauves efa introdnzido no quarto
n. 205, segundo andar.
O negro accendeu o gaz e passeu pelos
movis o espanador que lhe pendia da cin-
tura.
Esse instrumento, que na America sub-
stitue a escova, inseparavel dos criados
e sobretudo dos negros que, desde pela
manha at. noite, tem-n'o as mitos e
passam-n'o por toda parte pelos movis,
pelas roupas, pelas pcnsoas que entrara e
sahem.
De repente, terminado o seu pequeo
trabalho, o negro inclinou-se, e, com ver-
dadeiro desembaraco pariziense :
O senhor carece di alguma coqwi ?
perguntou elle a I
Este, que desde j artida de Sou-
thampton nao ouv senao quasi ex-
clusivam nte o i xoeriinentou, ao
ouvir essas pouca ras em francez,
urna singular imp alegra intima.
O sobque d< quanto um pou-
co pronunciado c todos de sua ra-
ga, poBsuia urna pureza q/,ie provava lon-
xtad em Fracc..
Sauves vo!tot;-se vivamente pa-
i exclame jc falla fran-
Chffrou a
abo para o Ara
ticios a ru do Cabua% n.
jommendado pela sua pun
manda-se em casa dos disl
de frete, para qualquer po
Rua ao Cabusr n. ]
Telephone n. 447
Joaquim Christovao & L
LVlereearia
Vende-se urna mercearia das inelhores nos
arrabaldes da Boa-Vista ; paia infbrmaci's. na
rua dit Socego n. 33, taverr.a.
Sempre novidades de Pars
REV0LUC0 DE 48
A' rua Duque de Caxias u. 48
N'este estabe'ecimento de fazendas
nao s costmnam annunciar a realidade,
cerno tambera vende m por menos 'M "/
do que em outra qualquer casa, como j
havemos provado aos nossos freguezes.
Nansuk de todas as c6res., a 20 rs.
corado.
Cretones a prado, fazenda especial a
240 rs. o dito.
Setineta preta com pequeo defeito
240 rs. o dito.
Merinos pretos a 800. 1,5000, i 200
10500 o dito.
Cambraia com salpicos brancos e de c5res,
a 4^000 a pe$a.
Setins de todas as cores a 800 rs. o
vado.
Cortinados para cama a 60000 o par.
Capellas com veos para neivas a 80000
urna.
Espartilho3 de couraga a 30000, 40000 e
50000 um.
Saias bordadas, novidade, a 30000 urna.
EsguiSo com duas larguras a 30200 peca.
Fichs de retroz de todas, as cores e pre-
tos de 10000 para cima.
Pannos de crochet para cadeira a 10000 e
para sof a 20000 um.
Algodaosinho com 20 jardas a 40000 (
40500 a pega.
Madapolo I>0a-Vista, verdadero, a 50000
a pega.
Merinos lisos e de quadros a 200 rs. o
covado.
Cortes para vestidos em cartSo, novidade,
a 70000, 90000, 100000 e 120000 um
Mantilhas pretas de seda af50 e 70 urna.
Zefiros encorpados com 70 centmetros de
largura a 240 rs. o covado.
Renda da China a 240 rs. o dito.
Leicos de cores, imitacao de seda, a
1IBOO a duzia.
Organds, fazenda de phantasia muito lar-
ga:
a 40:J rs. o covado.
Sargelim de todas as cores a 200 e 240 rs.
o dito.
Enchovacs para baptisados de todos os
pregas.
Brins de linho de cures fixas e garantidas
a 6'X) o covado.
Bramantcjbranco para lenjs a 800 rs. o
metro.
Toalhas para rosto a 200, 300, 400 e
500 rs. urna.
Cobertore tino de la, eom
de 55400 par 20500 um.
Cortes de fustao para colete,'-garante-se
as cores, a 10000 um.
Cambraia suissa do 140000 por 70000 a
peca
S na Revoluto de 48
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
EZFAMERCA
^AZEVEDO, IRM*0& i .
3 Rua do B. da Victoria16
200 Tdtphone-200
no recebido directamente da Europa
grande .ortimento de fazendas e modas o
que ha de mais novo e presos sera com-
petencia. ,
1 A saber :
ns de.surah, senda c merino.
da preta, diversas qualidades.
amines, pretos, de l e 13, seda,
'amass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 10000 c 10200.
( rinoline preta e branca a 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
% Bramante de linho a 10500, com 10
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 10500.
Chachemiras com 2 larguras a 800 rs.
Ditas de l e seda 2 larguras a 10000.
Madapolo trancado a 90000 a peca.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camiseiro a 70ffX).
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 60000.
Fichs de 12 e seda 10000.
Brins de linho coi es fixes a 600.
Eepartlhos couraca a 40000 e 50000.
bichas de fustao a 20000 e 30000.
Capellas para noiva com veo bordado a
60000. >y
Toalhas de Sres para rosto.
Rondas, comprimento de saia a 10500.
Renda de la, preta, para quaresma.
Vano verde para bilhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sala
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama a
100000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 10000.
Extracto Rita Sangal a 20OQO.
Velbutina do quadro a 800 e 10900.
Guarnigoes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40000.
Capachos de c6co.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfoite'
Grande sortimento de chapeos de sol.
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
Vende-se
o estabeleciraento de molhados sito rua do
Bom Jess n. 29, antiga da Cruz, esta bem sor-
lido e afreguezado ; a tratar no mesmo.
Armacao 4f
Vende-se urna armago de amanillo enver/ii-
ueno sujo, aada e emidracada, propria pira qualqr nego-
cio, rua Visconde de Inharaa, outr'ofa Ban
gei n. 19. e garaate-se a chave da dita casa. Na
mesma acharo com quera tratar.
A rmac,o nova
Vende se a armarib, fazendas e mais utensi-
lios, inclusive um cbfre de Milners. do estabele-
cimento sito rua do Bangel u. I3-A, garantin-
do-se as chavps ao comprador.
Bilhar
Vende-se um novo e em perteito estado, com
todos os pertences. do systeuia moderno, e do
fabricante Tujaque; a tratar no armazem n. 38
da rua do Apello.
cez ; isto -me extremamente agradavel.
Como se chama?
Abrahao Drigny.
Drignj... um nome francez.
E eu sou francez exactamente, se-
nhor. Nasci na Guadelupe, de onde sahi
muito mogo para servir em Pariz ; dah
dirigi-me para iova-York, e depois para
aqui, onde se ganha mais dinheiro. Se o
senhor deseja, posso pedir para ficar ex-
clusivamente ao seu servigo durante todo
o tempo que passar em Philadelphia.
Considerara isso urna felicidade pa-
ra mim. O que preciso fazer para ob-
tel-o ?
Entender-se com o gerente sobre as
condigo'es.
O gerente o hornera do escriptorio
l em baixo ?
NSo, esse o porteiro; mas elle me
mandar chamar o gerente, ae o senhor
quizer.
Bom, farei isso amanha de manha.
Pedro olhou para o negro.
A sua fronte era desenvolvida, os seus
olhos doces e leaes, o conjuncto, apezar
dos labios salientes, sympathico, e denota-
va urna creatura boa, talvez capaz de ras m
\ lambique
Vende se um alambique de tamanho regular e
em perfeito estado, com a competente raspadei-
ra, propria para engenho; a Iratar na fabrica de
vinagre i rua Baroo doTnumpho n. 75.
ladelphia por causa dos mcus negocios,
pois sou fabricante em Pars e quzera
introduzir aqui os meus productos, mas
tanibem com o fim de procurar o meu an-
tigo contra-mestre, o qual deixou-me com
o fito de ganhar mais. Ora como tenho
imperiosa necessidade delle, n2o hesitara
em pagar-lhe o que elle quizesse. Nao te-
ria eertamente feito esta viagem para pro-
cnral-o; mas urna vez que estou na mes-
ma cidade que elle, quero tentar chamal-o
novaraente para a meu servigo.
Os olhos leaes de Pedro de Sauves, a
sua voz do inflexSes ridentes e sympathi-
gos de dedicagZo.
Diga-me, Abrahao, continnou o Sr.
de Sauvts, voc conhece bem Philadel-
phia ?
Oh! sim, senhor. H seis annos
que aqui estou, e tenho servido de cice-
roni a muitos francezes como o senhor.
E" capaz de ajudar-me a procurar
urna pessoa? i -
Abrahao ergueu para o Sr. de Sauves
os olhos admirados nos quaes reflectiam-
se todas as suas impress5es.
A 8yrapathia do criado ter-se-hia enga-
ado, e em vez de achar-se em presenga
de algum gentleman francez, esses gran-
des senhores tao elegantes, tao altivos,
que negro adorava, estara diante de um
vulgar agente de policia procura de al-
gum criminoso mais vulgar inda?...
Pedro apercebeu sa da hesitag&o e da
desconfianga do seu interlocutor.
Mas o que o que tem, o que se
passa? perguntou elle.
O negro teve um largo sorriso, sob o
qual tentava oceultar o seu embarago, c
mostrou todos os dentes.
E' que... balbuciou elle n2o encon-
trando as palavras.
Vejamos, disse Pedro, ap
como voc desconfia das minha:
ges.
L isso pode ser, dt se o
quizesse explicar-se.. .
cas, nfliiiram novamente no coragao do
negro, ingenuo como os seus iguaes, todos
de primeira impressao, iocapazes de resis-
tir ao que os impelle e falla-Ibes a cora-
g2o, ou seja o bem ou seja o mal.
A sua physionomia illuminara-se nova-
mente, o seu doce olhar brilhava.
Farei tudo quanto quizer, senhor,
disse, menos o trabalho de espiSo.
Est combinado. Por nos-hemos a
caminho amanhS cedo.
Hoje o senhor n2o quer ceiar.
Jante em viagem, no wagn-restau-
rante e n2o tenho appetite.
Nao que chr?
N2o, obrigado.
De repente, antes de sahir do quarto,
AbrahSo parou.
Permitte-me, senhor, que lhe per-
gunte como se chama o seu antigo con-
tra-mestre ? disse elle.
Eugenio Gages.
Drigny reflictio algns instantes.
Nunca ouvi fallar nelle, dsse inge-
nuamente.
O que n2o de admirar.
Oh! vem tinta gente aqui e de todas
as categoras... E a usina paraba qual
elle entrou, senhor, sabe o nome do seu
proprietario ?
Sei, o Sr. Nicolao Jussieu.
No rosto do negro brilhou urna ex-
pres82o triumphante. '
Pedro estremeceu.
Couhece-o ? perguntou elle.
Sim, quando o Sr. Jussieu chegou
America, ha cinco annos, hospedou-se neste
hotel. E' um bordalez amigo de pessoas
da minha trra.
Que qualidade de homem esse Sr.
Jussieu ?
O mais honrado e o melhor que se
c desejar.
Elle me receber bem t
pode contar com isso !
ote rauitl cedo Pedro sta-
ISXO
ei* por estes
p r e c s
Z,efiros muito largos a 160 rs. o co-
vado.
hitas batier.es rt"120 rs. o covado.
Popelines de cores a 180 rs. o covado.
Se telas muito largas a 360 rs. o co-
vado.
Las finas a 200 rs. o covado.
Ditas.de quadros a 240 rs. o covado.
Setim muito bom a 10200 o covado.
Bramante de linho com 4 larguras.
Dito de dito e algod* a 10400 a vara.
ambraias com salpicos ds cor e brai-
cos a 40000 a pega.
Toalhas felpudas a 300 rs.
Cortes de vestido em cart&o com todos
os preparos a 80000.
Fichs felpudos, muito grandes, a 500.
Madapolo americano a 50000 a pega.
Meias casemiras de cores proprias para
roupas de menino a 10000 o covado.
Cambraia Victoria com 10 jardas a
20800 a peg-.
Merinos pretos a 800 e 10500 o co-
vado.
Flanel a branca a 500 rs. o covado.
Camisas francezas a 20000.
Ditas de cretone a 10700.
Colchas de cores a 10800.
Cortes de Duraque para colete.
Ditos de fust3o para colete.
* Ditos de casera ira para calca e para
costume, o mala moderno que ha no mer-
cado.
Grande sortimento de chales de casemi-
ra por pregos baratissiraos.
Dito dito de gravatas para hemem, pu-
nhos e collarinhos, chapeos, ceroulas, ca-
misas de meia e muitos outros artigos.
Vende-se em grosso com desecnto de
14 V
Yeniam ver para crer
A casa tem por signal bandeira encar-
nada com 13 no raeio.
Venham com f, n2o tenham receio.
RUA VISCONDE DE 1NHAUMA
13 .
Goneahes Santos &C-
Movis
Vende-se urna cama para rasal, um marquezo
e um bergo, tudo era bom estado : a ver e tra-
tar na praca do Conde d'Eu n 7.
Pao eenteio
Mello 4 Biset, avisara ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
noroso pao; rua larga do Rosario n. 40.
Engenho Fago
Vende-se o eqaeaba Pagiio. d'stante tres le-
goas da cidade da Victoria. 0 engenho pode sa-
frejar at 2,000 paes, as trras estfio descanga-
das, lera bastantes vaneas e bom cercado, me
com o rio Pirapama ; a easa de caldeira toda
de tijolo e pedra, a casa de purgar e a de viven
da sao de taipa que com algum concert podera
durar ainda por muitos annos. Este eagenho
bem conhecido pelo assucar que fabrica: quem
pretender cmpralo, pode dirigir-sc rua do
Imperador n. 81. escriptorio de commisses.
Roya! Bknd marca YIADO
Este excellente Whisky Escocez pre
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Roval Blend marca Viado,
cujo nome e emblema sao registrados par?
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
Seda preta
de superior qualidade a 3WO0 o covado; ven-
dera N'oronha & C, rua da Imperatriz n. Ii,
alfaiataria. *
Nao havia pregado olhos toda a noite,
comprehende-6e.
Achar-se t2o perto do assassino de Jor-
ge, do mseravel que tinha morto aquelle
rapaz tao honrado, t2o bom. t2o amado de
Adelia ; daquelle que nao smente havia
levado o luto e o desespero ao seu lar ou-
tr'ora t2o feliz, mas que puasi o deshon-
rara, a elle Pedro de Sauves !...
A esse pensamento, apezar da calma e
da forga de vontade do engenheiro, todo o
seu sangue fervia, accommettiam-n o im-
petos de indignagao, que constrangiam-lhe
a garganta : nSo poda dominar os seus
ervos era a sua colera.
Vinte vezes levantou-se, prestes a cha-
mar Abrah2o, querendo correr casa do
Sr. Jussieu com o negro, n2o pensando
mais sen2o em pedir-lhe a morada de Eu-
genio Gages.
Vintt vezes a sua forga de vontade e a
sua energa venceram os seus impetos.
N2o, devia calar-ae, conter-se, caminhar
prudentemente, de vagar : Eugenio Ga-
ges tinha urna intelligencia superior; dar-
lhe o alarma seria perder para sempre a
esperanga de urna vinganga possivel.
Pedro tomou ent2o a deitar-se, e espe-
rando o da, poz-se a pensar no passado.
Lembrava-se das suas innmeras bon-
dades para com aquelle homem, que to-
mara sob sua protecgSo.
Pensara em fazer aquella intelligencia
voltar-se para o bem, tranformar o indivi-
duo n'um operario honesto e til, bom ma-
rido, bom pai de familia !...
E julgava tel-o conseguido quando o
crime foi commettide.
O crime!...
Momentos havia em que duvida ainda
que Eugenio Gages fosse capaz de tornar-
se um assassino !...
E apezar das aflirmagoes do Dr. Lat-
teux, certificando que os cabellos encon-
trados na mSo do morto eram exactamen-
te os do contra-mestre; a despeito do que
dizia Suzana; a despeito de tudo quanto
Adelm pensava e aoreditava ; apezar so-
bre tu do da sua propria conviegao ao re-
cordarle da singular despedida que lhe
fieera Gages na vespera de sua partida
para a America, quando Pedro fura vi-
sital-o na pequea casa da rna Pixr-.
court; apezar de tudo, o engenheiro dizia
corasigo :
Quando estiver eom elle, quando o
ouvir defender-se da minha aecusagaa, en-
t2o, e s entSo ser feia a minha opi-
ni2o: nSo guardarei mais urna duvida
contra elle, ou ficarei sabendo que
verdadeiramente o ass;
Quando acabava
pega
com
20
A Loia das taEl
RUA DUQUE DE CAXIAS K
Vende mais barato"
Fazendas pretas
Caehemlras arrendadas de duas lar-
guras tecdo novidade, a 20000 e 20500.
Merinos pretos infeitados de pura ll]
a 800, 10000 e 10200.
Crep inglez para enfeitos de vestido
a 10200.
Rendas hespanhola de seda a 50000.
Corgoro de seda pura de 20000 a
40000.
Velludos de seda, lisos, com pintas
e ramagens, a 40000. w
Vcliudlho bordado a contas, 1
desenhos a 10600.
Fil de seda bordado a 10200,
VOS fc mantilhas com rendas a 40000
e 50000.1
Capas e visitas, de gqrgorao, de roa
das ou cachemira, enfeitadas a rendas com
vidrilho a 250000 e 300000.
Bieos de seda com lindos dosenliosae
40500 a 60000 a pega com 10 metros.
Tecidos de novidade
Cortes de vestido bordados, em car-
t2o, de lindas corea a 100000.
Vestidos brancos bordados para noi-
vas a 180000. |
Teeldos arrendados cores creme, rosa,
azul celeste e branco a 400 rs.
Llnhos phantasiados. tecido com mni-
ta largura a 500 rs., em lstras c qua-
dros.
Setins de Maco, todas as cores e
mais salmao, lilas e bronzeado a 800p
Cambraias brancas bordadas a 40000'
a pega.
ii.if.es de seda com fios prateados e
douradoscores: rosa, azul e creme, a
10000.
Madapolo trancado,
varas a 60000.
FAZENDAS ESPECTAES
Batistes de cores finas a 120 a
240 rs.
Chitas finas claras miudinhas a 200 e
240 rs.
Cretones francezes, verdadeiros a-
320 rs.
liorim de listras azues madapo-
13o fino largo com 20 varas a 60000. ^
Madapolo americano muito largo,
sem f,omrr.a a 80000 a pega.
Bramante de 4 larguras a 701
10000 o metro.
CiuardanapOS superiores a 10908 a
duzia,
Cortinados bordados a 50.500,70000 '
c de crochet a 100000.
Crochet para sof e cadeiras de bra-
cos, um completo 60500, para sala.
Mosquiteiros americanos com ar-
magSo a 120000. -
Aleafifas para forro de salas e gabi-
nete a 10200.
TECIDOS MAIS B A BATOS
Merinos de duas larguras, qualquer
cor a 440 rs.
Linhos lisos c de quadrinhos a 80 e
100 rs.
Bieo braneo e de cores desde 600
a pega at 20500.
Colchas de fustao de cSres a 20000
e 30000.
Toalhas acolchoadas a 30000 a duzia.
Luvas de seda, bordadas, qualquer c6r
a 20000 e 20500.
Leqnes de pennas e transparentes
de 10500 a 60000.
E muitas fazendas que se d por qual-
quer prego.
D-se descont a quem comprar de
200000 para cima,
Troca-se a fazenda vendida se por qual-
quer motivo nao fr de muito agrado para
quem fr comprada g^
Lujas das Listras Azues

?
duas pancadas foram vibradas na porta do
sea qnarte. i
Entra, dsse Pedro promptamente.
Appareceu entSo o bom rosto de Abra-
hao. ^
De dia, parecen ao Sr. de Sauves qu
a physionomia do negro era lhe ainda mais
sympathica do que na vespera, cofa o seo
bom olhar doce e os seus grossos labios
risonhos.
O gerente incumbio-me de fallar-lhe
as condigo'es, disse elle.
Ah bem, quaes s2o ellas ?
O senhor dar dez dollars por vinte
e quatro horas pelo carro, cocheiro e IB
por contra peso.
Pedro fez urna careta.
E' caro disse elle.
O senhor experimente por alguna
dias, e, se demorar-se muito, elle far sV
vez algum abatimento.
Est combinado. Mas por tal preco
terei direto ao meu vehculo a qualquer
hora ?
De da ou de noite, sim, senhor.
EntSo aceito. O carro estprompto?
Sim, senhor ; ha sempre carruagens
promptas as cocheiras.
Bem, ponhamo-nos cntSo a eme-
nho. .
Alguns instantes depois, urna victoria
descoberta, muito bem apparelhada, entre-
va na fiieira sobre os trilhos de Ierro que
cortam Philadelphia em. todos os sentidos,
e sobre os quaes passam todos os vehica-
los, carros, carruagens, (lacres e tramways,
desfilando uns atrs, dos outros.
Como as ras dessa immensa cidade sao
todas parallelas, os vehculos n5o se cru-
zam nunca Tenha-se de ir em tal ou qual
direegao, ao norte ou ao sul, os cocheiros
seguem tal ou qual rua. e, apezar da enoPj
me circulagao, nao ha em Philadelphia a^|
glomeragao ou atropello de vebnhlos, e
que urna grande simplificagao pos rra-
jectos.
Abrahao tinha dado ao cochJ^Ra mo-
rada do Sr. Jussieu e preparaUB-se para
trepar bolea.
Pedro, porm, fez-lhe um signal.
Sente-se no banco aqui
disse elle, conversaremos,
plicar entSo o que virmos.
O negro, muito lisonjeado, ni
que lhe fosse repetido o c
Antes de chega
das usinas, d:
ras em que aea-
tos banca

'l
_
P-5T"