Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18709

Full Text
AMO Lili --- IO1EBO m
PAH.1l A CAiTT.OL E LIGARES OSDE MAO SE PAGA PORTE
Por trea mozes adiantados
Por neis ditos idem......
Por um auno ideai......
Cada numero avulso, do mesmo dia.
6,5000
12^000
244000
5100
dARi-FM 15 i DEZS11 fifi 1B86
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adiantados.............. 130501
Por nove ditos idem................. 20
Por am anno dem................. 27|J008
Cada numero avulso, de dias anteriores........... 100
> /^

1
V
\
1
I
V
)
Propricirat* be Manca /tfluetra be Jara & f\)os
O Sr. Ameile Prlnce A C.'
Je Paris, silo 09 nossos agente*
exclusivos de annumloi e jmi-
bife cftes da Franca e Ingla-
terra.
-oaae-
Aviso
Acs Srs. subscriptores deste Diario avi-
sa a respectiva direegao que, do 4. de
Janeiro prozimo era diaote, far-se-ha a ar
recadaeao das assigaaturas pela forma sc-
guinte :
Na cidade do Rocife e lugares para onde
aao se paga porte. GjOOO por trimestre,
adiantado ou durante o 1.* mez do reesrao
trimestre, 6500 nos 2. e 3." mezes.
No fin do trimestre ser suspensa a re-
messa do Diario aos que nao tiverera sa-
tisfeito 0 se debito.
Fora da cidade, nos lugares para onde
se fazem as remessas pelocorreio, 13#50O
por semestre, pago as raesraas condigBes
cima.
Aos que quizerem pagar o anno adian-
tado, faz-se-ha o abata de 1^000, para to-
dos os assignantes.
TELEGRAMAS
BUENOS AYRES, 14 do Dezembro.
Ilouic iii'chmi noTOl e 13 obiton
de cholera, de ltontem paro boje,
no territorio da Repblica Argen-
tlna.
PARS, 14 de Dezembro.
i'oi Momeado ministro dos nrgo-
clos eatrangelroM o Sr. Flotaren.
LONDRES, 14 de Dezembro.
O TIMES, oceupando-ae esa um ar-
tigo de poltica estrangelra. acensa
a Franca de provocar o armamento
de todas as grandes potencias da
Europa.
1
Agencia Havas, filial em Pernambueo,
14 de Dezembro de 18%.
IHSTRUCClO POPULAR
SEBVICO PA3IIMLA3 SO DIASIO
RIO DE JANEIRO, 14 de Dezembro, s
11 hora e 30 minutos da narihi. (Recebi-
do 1 hars c 20 minutos da tarde, pelo
cabo submarino).
Foi exonerado do cargo de Inspe-
ctor da /tlfandega da Farabyba. o
Dr. Codecelra. e nomeado parasnb- >
stitnll o o commendador Sllvlno E.
Carnelro da Caoba.
Foram nomeados l.*jj escriptn-
rarios :
Da Tbesouraria de Pazeada do Pa-
ra, o Dr. Codecelra <
Da Tbesouraria de Faaenda do
.maconas. Trujano Chaves.
Fol nomeado *. cscripturarlo
da airandega ua Parabyba. Aprlglo
Mlndello.
Foram exonerados da Alfandega
da mesma provincia os empregados
EmygdioTrlndade.SecundlnoFando
Marllnbo.
Especial para o Diario)
ROMA, 13 de Dezembro, tarde.
As eseqnlasselemnew peloSr. Mln-
gbetll. exequias que se realisaram
boje, estlveran imponentes.
O principe Amallen. Duque de Aos-
ta. representou H. H. o rei Humberto-
Todos os ministros e uma grande
p:n < dos memliros fio Senado e da
Camnri dos Deputndos assistiram
nos fiiiiciai*.
Foi enorme ngmultido que acom-
pantaou o cortejo.
BUENOS-AYRES, 13 do Dezembro.
Xas ultimas 3 I boras, deram-se *3
rasos notos de cbolera e O bitos,
em todas as regides Infeccionadas,
da nepubllca Argentina.
HISTORIA ANTIGA
(Extrahid)
04 BIBLIOTHKCA DO POVO B DAS ESCOLAS
CAPITULO XI
OS BOUA NOS
(Omclusao)
Pompeu vio-ae obrigado a retugir se no Egypto
onde foi asaaasinado no momento de deiembarcar,
por ordem de Ptolomeu. Depoia de em frica bater
Juba, qne sustentara o partide de Pompeu, e de
derrotar os filhna deate em Hespanba,Cesar re-
colheu a Roma, onde foi recebido com grande ova
qo, e onde sobre ana cabeca foram accamuladas
as mximas honras.
Bem depressa se urdi, porm, nma cxmaplracao
contra a sua vida. Foram autores della Bruto,
Casaio e outros patricios ; e Cesar morrea sob o
punhal de Bruto.
Livrea os romanes de Pompeu e de Cesar, pa -
rrcia que iam recuperar a antiga liberdade ; mas
Stxto Pompeu, reclamando os bens de seu pai,
tornou-ae o flagello do mar ; Octavio, procurando
vingar Cesar, soprou a guerra na Thrssa!<>, e An-
tonio amotinou o povo contra os asaassin>s de Ce-
aar, fazendo com qne ellos fossem ezpulsos de
Roma.
Antonio, Lepido e Augusto constituirn! se em
triumvirato para vingar a irorte de Cesar. Octa-
vio e Antonio mrcli*ram contra Bruto e Casaio,
que sustentavam o senado, e deizaram Lepido em
Roma. Eocontraram-ae oa dois exercitoa inimi-
gos na Tneasalia ; a victoiia este ve a principio
indecisa ; mas depoia Casaio, sendo repellido, per
suadio-ae qne o meamo tinha acontecido a Bruo*j
e suicidou-se, Isso produziu a derrota de Broto
que tambera se matou, pata nao cahir as roaos
dos inimigos.
A harmona entre 09 triumviros nao se manteve
muite tempo, Lepido foi desterrado para nma
ilba, onde morreo. Antonio e Augusto desavie -
ram-se e romperam hostilidades, acabando a con-
tenda tela batalha de Accio. Antonio, vencido,
suicidouae ; e o Egypto foi reduzido a nma pro-
vincia remana.
Doze annos depois de se haver constituido o
triumvirato, via-seOtavio senbor absoluto do gran
de imperio romano. Depoia de ter eatabelecido a
paz na trra c no mar, fechou o templo de Jaco,
em signal de paz g 'ral. Senbor de tudo, tendo
as suaa maca a torca militar, investido as func-
coes de todas as magistraturas do estado apezar
de conservar as formulas republicanas, tomou o ti-
tulo de imperador, com o nome de Augusto. Pouco
depois, declarou que a entregar os poderes as
mos do senado e do povo ; mas, tendo disposto
convenientemente aa coisas, obteva que em nome
do b ro publico, Ihe conservaaacm o poder por mais
dez annos.
Nao tendo filhos que pudessera ser herdeiroa do
imperio, declaiou como tal a Tiberio ero, que
adoptou por filho. Deu o commando de oito legies,
enviadas ao Rheno, a Germnico Casar, filh > r>
Di uso, e fez com que Tiberio o adoptasac. Veio
a morrer na idade de 76 annos.
Foi no seu reinado que, no anno 753 da tunda-
cao de Roma, nasceu Jess Christo em Bethlem,
cidade da Palestina.
O imperio romano tentn continuar o dominio
universal. Succederam-ac uns aos outroa oa im-
peradores, muitos dos quaes foram tyrannoa, e
inuitcs morreram assassinados. O imperio foi suc-
ceasiva'mente cntraqnecendo. Tres invasoea lhe
deiam o ultimo golpea dea Wisigodoa, a doa Vn-
dalos e a doa Hunos.
Por surta do imperador Theodoaio, o imperio
fura dividido entre seus doua filhos : Arcadio teve
em partilha o imperio do Oriente ; Honorio o do
Occidente. Foi este o que cabio perante a inva-
eao U'aquelUs barbaros, no anno de 476 da era
christa, fechando com esse acontecimento a Histo-
ria Antiga. O imperio do Oriente logrn acompa-
1 nhar ainda o periodo histrico da Idade Media.
ARTE FFICiiVi
Govcrno da provincia
IIi;I.A S'OH IO com qne o :xui. Mr. Dr. Ignacio Poaquim de Son
za l.co. 1. Vlce Presidente, cntregou a admlnls-
(raco da provincia, em lo de XoTeinbrodel,>6,
ao i:\in. r. Presidente Dr. Pedro Vicente de
.tzevedo.
(Concluso;
ENGENHOS CENTRAES
CENTRAL SQAR FACTORIES OF BKAZIL LIMITED
Preientemente explora essa companhia quatro engeDnos, no Cabo,*Escada,
Cuyarobnoa (Agua Preta) e Bom-Gosto (Palmaren).
Mocu na safra finda 4.651:033k de cann^s, produziodo 2.975:270 de a3sucar
e 575,258 litros de agurdente, obtendo a porcentugem mxima do 5.06 /o de peso
das canoas, resultado este devido molestia que contint a grassar no Cabo, desarranjos
que motivaran) a falta d'agua em Bom-Gosto e a iraperfeigao do machinismo adoptado,
que est longe dos rnelhoraroentos, boje conhecidos.
A companhia tem contractado com 21 proprietarios o fomoeiruento de cannas
de f9 propridades agrioolas, que sao servidas por 7190m de trilLos de 0,61 de bitola.
Possue 8 locomotivas e wagons apropriados.
O producto do assacar foi 553:983^120
de agurdente .... Gl:0660"0
A desprza ro de.
615:019^190
858:2950300
Dficit .... 243:246^110
Pelo dec. n. 9,632 de 28 de Agosto ultimo foram considerados caducos es
oonlractos celebrados com essa companhia para a fundacio de engenhoa centraos nos
municipios de Gojanna e Jxboatao.
/
NORTH BRAZILIAM SCCAR FACTOBIES OF BRAZIL
Por outro dec da mesma data, n. 9,633 foraii declarados caducos os
contratos teitos com essa companhia para a fundacao de engenhos nos municipios de
Itamb, Nazareth e Iguarass.
ENGENHOS CENTRAES PROVINCIAKS
Tendo Andado em 24 de Abril o prazo marcado no edital de 26 d Marjo,
chamando concurrentes construccao e explorarlo de crjgenhos centraes, na forma dos
arts. 16 a 18 da lei provincial n. 1,860 de 11 de Agonfo de 1885, foram apresentadas
propostas dos seguintes cidadaos Jos da Silva Loyo Jnior, Andr Maria Pinheiro,
Jos Franklin de Alencar Lima, Arthur Goncalves Ferreira Cascao e da firma com-
mercial Cardozo & Irroao.
Ouvi sobre ellas o inspector do Thesouro Provincial, e, considerando que a
do primeiro dos proponentes melhor consultava os interesses da provincia, mandei
que com elle se celebrasso o devido contracto, mediante as clausulas constantes da
portara.
Ainda, porm, nao est assigoado o contracto, porque o proponente repugna
pagar o sello correspondente totalidade da importancia d'elle, allegando diversas
razoes, que nao fjram aceitas pela respectiva repartirlo fiscal.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
Esta companhia de navegiicSo costeira tara feito com regularidade as viageus
do contracto, inclusive as do presidio de Fernando de Noronba, e folgo cm declarar que
por intermedio do sea digno gerente, o Sr. Clemente Lima, foi sempre solicita em
attender, durante a minha adminstratelo, s requisijSes de interesse publico.
COMPANHIA RECIFE DRAINAGE
E' fiscal d'esta companhia o cidadao Antonio Vctor de S Barrete
Segundo os apontamontos por elle apresentados, foram, de 1 de Abril at
esta data, coilocados mais 22 apparelhos, supprimidos 3, e vcltaram 3 ao favor do art.
17 da innovaclo do contracto de 18 do Dezembro de 1865.
Foram remettidas ao Thesouro Provincial as con tas relativas ao semestre
ultimo, na importancia de 131:4560506.
CANaL DE GOYANNA
Estao longe de satisfazor as exigencias da innovacSo do contracto do 8 de
Agosto de i879, as obras d'esta empreza.
Ero 27 de Abril indeferi o requerimento do concessionario ; confirmando,
d'este modo, o acto do meu antecessor, de 29 de Marco, em que negou a conoesaao
de tres annos de prorogarcao para a comlusao das obras, impoz a multa de 1:0000000
alm de cutras, e a restituico de 5:0000000, que, por adiantamento, lhe havia sido
mandado entregar em 15 de Junho de 1878 para as obras de barragem do rio Capi-
barib-mirim.
Em 5 do crrente, tendo ouvido o engenheiro chefe da reparticao das Obras
Publicas e o inspector do Thesouro, decid uma treplica do concessionario, declarando
qne nao procedem as razoes por elle aiduzidas, no interesse de ser revogado o acto
d'esta presidencia, de 29 de Marco, mantido no despacho de 27 de Abril, nem caso
de arbitramento o que est claramente eatabelecido na inuovacao do contracto, de 8 de
Agosto de 1879.
Outrosim, tendo se eatabelecido na clausula 21.a da alludida innovacao, que
teria ella desde logo completa e plena execucSo, o.que excluio approvagao por parte
da Assempla Legislativa Provincial, e tendo sido, em cumprimento da clausula 19.a,
expedido o regulamento de 16 de Setembro de 1884 e nlo procedendo, por isso, aa
CQBflidereocs do parecer do Dr. procurador fiscal, Resolv tambera que o conaessionario,
dentro o prazo do 15 dias, contados da data d'essa decisao, pague ao fiscal do gj-
verno o que estiver a dever, proveniente da gratificf.cSo marcada no art. 19. do citado
regulamento ; recolhendo de ora era diante ao Thesouro Provincial, era trimestres
adiantados, a gratifiacSo correspondente aos tres meses seguintes ; ficando salvo a esta
presiden ia o diceito de suspender, no caso contrario, a cobranga das laxas de trans-
porte de mercadorias no canal.
REPARTICAO DAS OBRAS GERAES
E' chefe d'esta repartilo o eDgenheiro Alfredo Lisboa, o qual, teado seguido
para curte, a chamado do Ministerio da Agricultura, Commercio e Obras Publicas, em
23 de Junbo, regressou e reassumio o exercicio de seu cargo a 27 de Agosto.
Foram, a falta de verba, suspensos os trabalhos da ponte Buarque de
Macedo, em 21 de Abril; continuaram em 1 de Julho para sercm novamente suspen-
sos era l de Agosto.
Durante o primeiro periodo foi construida a sapata do 6." pilar, e depois foi
feito o mesmo pilar at a altura da 8.a fiada e terminou-se o assentamento da cantara
correspondente a 9.a fiada.
De ento em diaute nada ma s se tem feito a nao ser a conservacSo do
material.
REPARTICAO ENC ARREGAD A DaS OBRAS DE OONCERVAgO DOS
PORTOS
Est como director d'esta repartiyo o engenheiro Alfredo Lisboa.
O servico tem sido feito as fi reas da exiguidade da verba orgaraentaria.
m 20 de Setembro, conced 3 mezes de licenga ao coadjuvante de 2.a classe
Libanio Presidio de Carvalho.
COMPANHIA DO BEBERIBE
Acbam se em andamento as obras de melhoramento do abastecimento d'agua
a esta cidade.
Dos apontamentoB, que me forneceu o engenheiro fiscal Jos Joaquira de
Mello Cahu, consta estar o edificio, em que tem da ser sentadas as machinas, em
altura de receber a coberta.
J foram importadas as caldeiras e diversas connexSes das bombas e sao espe-
radas estas brevemente.
Est concluida a obra de alvenara do reeervatorio e coilocados nao s os
dous encanamentos d'este como o principal para esta cidade. Sao novos os do bairros
do Rcife e Afogados, metade dos dos bairros de Santo Antonio, S. Jos e Boa-Vista.
Tolos esses encanamentos sao prvidos de hydrantes para incendios.
Acharase concluidos ps reparos da 5 casas para collocacad de chafarizes.
A companhia pretende collocar um apparelho para irrigaco da cidade.
COMPANHIA DE SANTA THEREZA
I
De conforruidade com a lei n. 1,245 de 1873, compete a Cmara Municipal
de Olinda a fisc; sacao da illuminaco a gaz d'esta companhia; porm a vista de
reclamacoes da p licia contra o ruo servico, um dos meus antecessores usou da attn-
buicao constante da clausula 13 da innovacao de 9 de Agosto de 1877 e incumbi
Reparticao das Obras Publicas aquelle servico; d'onde teiu resul ado a imposicSo de
multas a companhia, desdo Junho do anuo passado, p-L.s irregularidades encontradas
na illuminacao.
Em 12 de Julho expedi novo regulamento pira o servico da illuminagao, em
sub.-tituicao do de 12 de Agotto de 1873, que fijar im vigor em relaco ao servigo
do abastecimento d'agua aquella cidade.
A 13 de Setembro autorise o engenheiro chefe ra Repartigao das Obras
Publicas, a dividir o permetro da illuminago e noraear mais um guarda para o
servigo.
Tendo o gerente reclamado contra as multas que foram impostas do Junho
Novembro do anno passado, pela falta de regularidade do servico da illuminagao, era
29. de Setembro findo, autsrisei o inspector do Thesouro Provincial a dispansar as
multas referentes a trez laropeSes particulares, durante o periodo de a 7 do citado
mez de Junho.
EXPOSigO SUL AMERICANA EM P.ERLIM
O Ministerio da AgrLultura, Commeroio o Obras Publicas, era aviso circular
de 26 de Jan iro d'este anno, deu conhecimento a ^ta presidencia do projecto da
Sociedadc Central de Geographia Commercial de Berlim de abrir em Julho uma ex-
posigo do productos Sul Americanos, destinando uma saegao ao Br.jil, afira de ser
colligida a raaior quantidade o variedado de materias primas que all foss-ra sujeitas
a analyses scientificas o experirnentagoea industriaos bara como reunir productos,
dados e informigSai que tornassem nosse puiz conhecido por spreciagao exacta das
produegoes e riquezas nuturacs, condigd^s cliraat-lgicas pelo que, o.meu antecessor
dirigi ero 27 de Fufereir circular s carearas municipaes chamando attengao para
o asiumpto.
Com excepgSo da cmara da Gloria do Goit, nenhuma eorrespondeu afease
appello. mmfjp/t
Tendo o mesmo Ministerio em circular de 17 de Maio, novamente raanifes
tado o grande interesse em que o Goveino Imperial considera va tal ExposigSo, sobre
a qual igualmente officiou-roe o Centro de Lavoura o Commercio da Corte, incumbido
de superintender os trabalhos relativos ao paiz, e constando desses documentos, que
a Exposigiio hava sido transferida para 1 de Setembro, remetti as cmaras muaicipaes.
em 10 de Junho, e em additamento a citada circular de 27 de Fevereiro, copia do dito
aviso e do officio do Centro da Lavoura e Commercio, assim como Associagao Auxi
liadora da Agricultura.
Nomeei tambero, era .17 de Julho, uma commissao coroposta do Visconde da
Silva Loyo, Barao do Snrinhaem, coromendadores JoSo Fernandes Lopes, Joseph
Krause e Antonio Gomes de Miranda Leal, tenente-coronel Jos Fiuza de Oliveira e
cdad2o Andr Maria Pinheiro para adquerir o material possivel; o que, nao obstante
a estreiteza do tempo, foi cabalmente e a suas expensas, satisfeito pela oomroissac
apresentando 39 volumes contendo grande numero de amostras e objectos conseguidos,
os quaes seguirara para Southampton a 4 de Agosto, com enderego, ao Barito de
Paraguassii, cnsul do Brazil ero Hamburgo, afira da encaminhal-os a Berlim, encar-
regando-se gratuitamente do transporte a Companhia Royal Mail Steanr.
Igualmente era 17 de Julho dirig me s sociedades dos Artistas MechanicoB
e Liberaes e Auxiliadora da Agricultura e a Associagao Commercial Agrcola, no
intuito de auxiliarem, pelo melhor modo, esse commentimento; porm, apenas a ultima
remetteu alguraas amostras de madeiras, que tiveram o conveniente destino n'aquelia
occasiao.
Tendo o secretario da Legagao Brazdeira, em Berlim, solicitado que conse-
guisse dos expositores dos diversos objectos a oessao d'elles Sociedade de Estudos
Brazileiros fundada em Pars, por intermedio da digna commissao, a quem me dirig
em 9 de Setembro, foi generosamente satisfeito esse intento.
Alm de ter agradecido a cada uro dos merobros da digna commissao, o im-
portante servigo qua prestaram, tive a satsfaglo de transmittir-lhes os louvores que o
Governo Imperial pelo Ministerio da Agricultura mandou que lhe fossem tributados.
Ao digno director do Arsenal de Guerra louvci pelo concurso que o mesmo
Arsenal prestou ExposigSo fornecendo aperfeigoados productos de suas officinas.
SECRETARIA DA PRESIDENCIA
Contina esta reapartigo cargo do digno secretario o bacharel Pedro Fran-
cisco Correia da Oliveira.
Constituida de ura pessoal habilitado e activo a Secretaria leal e' zelo3a no
cumprimento de scus deveres, dando prompta e satisfactoria execugao ao avultado
expediente, de que incumbida.
Por portari* de 31 de Margo deste anno nomeei official de gabin.ta o bacha-
rel Jos Novaos de Souza Carvalho, que corresponleu minha coufianga.
Em 11 de Outubro findo nomeei Francelino Augusto de Hollanda Chacn
para servir o c^rgo de porteiro, vago pelo falleciraen'.o de Joaquim Leocadio Viegas.
CONCLUSO
Nos relatnos dos meus antecessores e particularmente no que toi apresentado
Asserabla Provincial pelo Exra. conselheiro Jos Fernandes da Costa Pereira
Jnior, que precedeu-me, encontrar V. Exc. dados mais completos e minuciosos sobre
os diversos ramos de servigo a cargo da administragao.
Terminando fago sinceros votos para que V. Exc. seja muito feliz na admi-
nistragSo que boje enceta, como de esperar da sua llustrago e experiencia.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exro. Sr. Dr. Pedro Vicente de Azevedo,
presidente da provincia de Pernambueo.Ignacio Joaquim de Souza Leao.
EXraOIESTB DO DIA 26 DE NoTEMBBO Df t886
Actos :
O presidente da provincia, atteadendo ao
que requereu o juiz do direito da comarca de Flo-
res, bacharel Francisco Domingues Ribeiro Vi-
anna, r- sol ve conceder lhe tres mezes de I cenca,
com o ordenado, para tratar de sua sade.Fica
lhe marcado o praso de quarenta dias, para entrar
no goso da mesma licenca.
Officios :
Ao inspector do arsenal de marinha.Decla-
ro a V. Exc. em resposta ao seu officio n. 595, de
23 do corrente, que a bomba desse arsenal dever
por occasiao de incendio ser posta dispo=icao do
director das obras publicas provinciaes, a quem
compete, pelas nstruc-coea de 8 de Janeiro de
1855, dirigir o trabalho relativo a extiuccois de
fogo.
Em
m quinto aquelle funecionario nao se apresan-
tar no lugar do incendio o respectivo trabalho
ser dirigido pelo official do exercito ou armada
mais graduado que se acbar presente, e, em sua
falta, pela pessoa que for designada pelo chefe de
polica, segundo determin&m as citadas Inatruc-
ces.
Ao brifadeiro eommandante daa armas.Em
resposta ao officio desse commaudo de armas, de 22
do corrente, sob n. 568, declaro a V. Exc. que, se-
gundo consta de iuformacoes da tbesouraria de fa-
zenda, ser realisado logo que chegoe a distri-
buico de crditos, esperada no pr ximo vapor do
Sul, o pagamento da despeza feita eom a compra
de capim para a cavallmda da companhia dp ca-
vallaria de 7 a 13 deste mez, tempo ein que (Jei-
xou de haver fornecedor contractado de tal ge-
nero.
Ao mesmo. Remetto a V. Exc. para seu co-
nhecimento e devidos fias, cpi do officio que di-
rijo hoje ao inspector do arseual do marinha, re-
lativo ao trabalho deextiuceo de incendio.
Mtitatis m'itandis ao Dr. chefe da policit,ao
director ao arsmul do guerra para ixecuco da
prtc que lhe disser respeito e ao inspector d tha
.ouraria para fazer c listar ao da altandega.
Ao crnselheiro presidente do tribunal da re-
laco.Transmiti a V. Ere. os requeriiueutos cm
que ao tribunal da relacao pedem ordem de Hube-
as-Corpus os sentenciados Jos Vicente da Silva
Primeiro e Herculauo Francisco de Britto.
Ao provedor da santa casa de misericordia.
Em vista do que re resentou-me o cnsul de S.
M. Britannica nesta provincia, em iftieio de 23 do
corrente mez, constante da tradcelo junta, eirva-
se V. Exc. de providenciar hfim de que, s-m at-
testado ou requisicao d mesmo cnsul, nao eej-im
admittidos nos hoapitaea a cargo dessa santa casa
'.ripeantes do navios ingleses surtos no porto.
Ao inspector da thesooraria de fazcuda. De
conformidade com a ordem do thesouro nacional
de 21 de Agosto ultimo, n. 182, mande V. S. ef-
fectuar o pagamento da quantm da si-te mil nove-
cent que tratara as iuelusaj contaa, foita com o enter-
rameoto do saldado Joao Gomes de Oliveira c u
coi-n-ta H-inoel Bezerra di Silva, do 2- baialho
ne inf.-.n'Hna, fallecido na enfermaiia militar, >ni
Abril s Maio ultimo.Communiconse ao briga-
deiro commandante das armas.
Ao mesm :'Jommnnieo u V. S para o-
Cns convenientes, que o juiz da direito da caar-
es de Caruai, bacharel Ai'osfnho do Carvalho
Dias Lima, a 8 do corrente mi z e or motivo do
moleatia, interr.mp u o exercicio do seu cargo,
reaasumiudo-o no dia 15.
Ao mesm:.Cominunico a V. S., para 03
fina convementea, que o juiz municipal e de cr-
phitB do termo de S. Beiit), bacharei Joaquim
H >mem d^ Siquiera Cavalcanti, deixou o exercicii
de seu c.i rijo para assoinir o da jais de direito in-
terino da comarca da Caruar.
Na anima data paasou a exercer aa funecojs
de juiz municipal d'aqurlle termo o respectivo 1
supp'ente coronel Luiz Paulino dj HollanJa Va-
lenca.
Ao mesmo. Coinraunico a V. S. para o*< fin
convenientes, que o juis municipal o de crtalos
do termo do ^. B uto, bacharel Jo.-iqnini Homem
da Siquiira Cav.lcaut', reasumiu a 15 do cor-
rente mez o exercicio do seu cargo, deixando o do
iuiz de direito interino da comarca de Cmara.
Ao inesSBOtf-Commuaico a V. S. para ob fina
con ven i' ntna, qoa o projnotor publico da comarca
deCaniA Daobare Eitevao Carnein Cavalcanti
de Albuquerqae Lacerda, a 9 do corrente uicz e
por motivo de mokatia interrompeu o exercicio de
KO cargo, reas.uuiindoo no dia 14.
Ao mesmo.Co jimunico a V. S. para os fins
convenientes, que o juiz municipal e de orphaos
doa termos reunidos de Cimbrea e A lago i de Bai-
xo, bacharel Francisco Caracciolo de F re tas, a
27 de Outubro findo, entrou na goso de tres mezes
de licenca que, para tratar de sua sade, obteve
d'esta presidencia provisoriamente, e sem venci-
mentos, em 23 do referido mez.
Ao mesmo.Como nico a V. S. para os fins
convenientes, que o capitao honorario do exercito
Joaquim Agripino Furtado de Mendonca aaaumiu
o exercicio do cargo de director do presidio de
Fernando de Noronha a 19 do corrente mez.
Ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar in-
demnisar aos interesaados. depois do praso do art.
44 do regulamento de 13 de Novembro de 1872,
os valores de quatro eaaravos constantes da in-
clusa relacao, libertados em audiencia do juiz de
direito da comarca de O.inda de 18 do corrente,
por conta da 7* quota do funda de emanci-
pa (So.
Ao inspector de hygieneInforme Vmc. so-
bre o incluao pedido de medicamentos para a phar-
macia do Preaidio de Fernando de Noronba.
o engenheiro chefe da Reparticao das Obras
Publicas Provinciaes.Coapetindo a Vmc. pelas
instruccae8 de 8 da Janeiro de 185 >, dirigir o tra-
ba ho relativo extinecao doa incendios, lecom-
mendo-lbe que, quando houver sigjal de fogo,
compareca com os engenbelroa e trabalbador reparticao a seu cargo, ao lugar do meamo, dande
assim fiel execucao as determinaefes cootidas na
citada Instruccao.
Outrosim, declaro a Vmc. que nesta data expeco
ordem para que, em taca eccasioes, as bombas dos
arsenaea e da alfandega sejam poatas A aua dispe-
sicao, afim de prestarem o auxilio que lhe for pos-
aivel.
Ao engenheiro director da reparticao cncar-
regada da cunaervafio dos portes.A' vista do
qua Vmc. rxpSa em officio de 13 do corrente, sob
n. 177, autoriso a vender em hasta pjblica o casco
da navio em couBtruccSo destinado a receber os
machin8mo8 do uma draga velha desaa reparti-
c5o e bem asaim estea, uma caldeira nova e ou-
troa o^jecto; que por aeu estado, nao se presta-
ra m ao servico da mesma rep-.rticao.Communi-
ecu-ae Thesouraria de Fazeuda.
Ao mesmo.Approeo os dous contractosque
p~>r copia, me foram apresentadoa por Vmc. com
officio de 23 do corrente, nm celebrado com O.
Delphina do Naacimento Dantas, ror seus procu-
radores O'yat Jardim & C, para o arrendamento
do predio n. 59 da rna Nova de Salta Rita, pela
quantia mensa! de 83j2*0, afim de ser para elle
transferido essa repartibao, e o outro feito com
Adriano Augusto de Alo.eida Jord igualmente
por seus procuradores Olynto Jardim & C, pela
qu.ntia de 25i, para o arrendamento dos 2 ta-
ibeiros sitos no fundo do ir dio n. 61 da mesma
ra, para uelles funccionarem us officinas de car-
pintero e calafate pertencentea dita reparticao.
Remetteu-se copia dos "contractos Tbesoura-
ria de Fazenda.
Ao mi smo Approvo o contrasto celebrado
em 4 lo corrente, com Jos Domingues .Vlaia, %
que aa refere o officio de Vmc. de 24, sob n. 823,
pira o arrendamento de d~ua armazens de aua
propricdadH ai tos o Caea do Ram ia, pela quan-
tia de 1:6002 aonara, afim de serein alli estaba-
le-ddas as fficinaa do machinas pertencentea a
essa ropariiv-ao. R-:inetteu-ac copiada outracto
Tbesouraria de Fazenda.
ao juiz de paz presidente da junta do alia-
tamento militar da parochia de N> Conceicao de Alag i de Baixo. Declaro a Vmc.,
psra os fina convenientes, o em respaila ao sea
ufoio de 1 do crento, que o Dr. chefe de polica,
por officio n. 1113 do 23 deste mez, participo me
ter se dirig o terminantemente ao respectivo de-
legado da polica no sentido de lhe aer>-in forue-
cidas aa listaa de que trata sen citado officio.
Ifotat mufandis ao de Santo Am>ro de
Jaboati i em respoita ao (.fficio de 30 dv Ouiubro
findo e offi-io do Dr. ebefe de polica de 23 do coi-
reute, u 1144.
Id m ao de N issa Senbora d* Lis, em res-
p ista h.i c ffieio de 28 de Outubro findo, officio do
Dr. chefe de polica, Uo 23 do correat', n 1145.
A' junta claS5ificad..ra di iscravos do muni-
cipio de Cimbrea.Por estar de aecordo com as
', ulcimaa Inatruecoes expadidaa por et* Presiden-
cia a esea junta, approvo a uva class'ficacao que


rjniiuo

V.


ns n ii




Diario de Pernamboco^uarta-leira 15 t Dezembro de 1886

l
\





ifm Vaies. enriaran) com o offieio de IHdo
Se, kvjo rectibdo, para applieaaao da 7
tde toaba de emancipaco.
i especialmente a attencao do collector
re dessa junta, para o disposto no 7o
i le d. 3270, de 28 de Setembro de
wnwalo da nova matricula as providencias
toas*. 33 e segumtes do regulamento n. 5135 de
134a Novembro do 1872; o que ter em vista o
taaPeetor, depois do piaso do art. 34 de al
(lamento, Htteadeodo igualmente para a
oicoUr do Tsaseuro Nacieual de 16 de
de 18F-3, ,reer4a -em circular do inspector
ii* de-Faseada, do 22 de Juina ultimo
?s*.2D; en rlude da qual compre, por ins-
i calar, vurificar-ao aacondievea physic 13
araqoer ileiettos dos libeitaudos, porquanto
i da ta baln do 3* do art. i da citada
le jinent': os pe mettidos para a nova
mas nao autorisam libcrtacoea por
a fondo de emancipaco, sem a observan -
iraii recommendacoes.Reme t te a-se copia
sMwkipal respectivo.
. Ao juiz de direito da comarca de Olinda.
> V. 8. que n'esta da* man Je i indemni
i kttei'tssados, depois do prazo do art. 44 do
aagaJMamlo de 13 de Novembro de 1872, os valo
taaravos enastantes da reluci, em dupli-
. au seu officio de 19 do crrente, lib r
i JWem audiencia.especial d'esse juizo, por
,0a % quota do fundo de rmaocpaoao.
ix>vcm que V. S providencie afim de
0tgfms* foROas do ;aldo de 373i26a da dita quo-
-a mrjft ignalm'iate alforriada o escravo Jos, me
0*4*31 ranos, filbo de Joanoa e irmao de Ca-
-MM~m>, agora libertados.
Aojuis municipal e de orphos doe termos
i* de Palmares a Agua l'reu.Informou
fase m> officio do 4 do corrente, que admitlidas
SMisiti cese juio as reelamaedea perinittidas no
tpt. 3B do regulamento de 13 de Novembro de
WT*. ii caaraves slauoel e Bcrtholeza, casad. i no municipio de Agua Preta e perten-
differentcs seiibores, requereram por cu-
arcife, tu' iuclusao na elassificacao, pir .
-jetem libertados por cent* da 7a quota do fundo
^aacipHco; e em vista dos documentos fo-
-e'l* ittendidos par Vra Iu'orma igualmcii-
x^ie, i vista de disposta no %rt 97 do dito regu-
ifl~. providenciara pira que o promotor publi-
j da wmmi procedease como fosse de direito
MaSjra 4 Miihorcs d'esnes escravos; e que, leudo
trihasneacia d'iaso, compareeeraui e apresenta-
M cadas de liberdade de ambas, mediante pies-
Aa> de servieos por dous anuos, sen lo urna en-
MHM ser nm d'ellei e appensa aos autos. A is-
9>9fpoa-ne verbalraeute o curador, allegando que
IM coBstituintt s tm permanecido cm injusto
yniwinn, i i '"i innii n'n peder aceitar-Ibes li-
1usiftn condicional.
A* vista d'isso consulta Vine, si ive ser raanti-
J badusoo de Manoel e Bertboleza, ou sement
i-ittm, cajo senhor nao eutregou a carta de lber-
.ejianio salvo ao outro o direito de litigar
i a- pcestacao de servieos e proceder quanto
jcwtkt, na forma do citado art. 97, ou si de ve
aoctairasaioi, consiierauio-.s livres, em virtude
j$m ssalli. que forana lidas p r diversas pewoas
-** faietm dar testemunbo da que occarreu.
Aoac o&cio de 16 do crrente veio anaexac-
~ da antos das reclamacoes, como esta presi-
m m .miiii'ril. e d'elles consta a ida Je dos es-
Jaacw.
Paad~ aolucao, declaro Ihe: Io que o direito
ravos d0 foi preterido as applicac,oes
i do funda de anrocipacao, desJe que o
91 do regulamento vigente eata modificado
i iposii,.s dos avisos de 19 e 26 de Janeiro
outroi inuitos; 2o que, pelo tacto de te-
> riles libertados conicioualmeute, isto ,
ervicoa por dous anuos, nao o podem
jcjr sl fonda de < mancipseaa, vista do dispos-
C b*>art. 32 (j l" do regulamento citado; 3* que,
i de frustrar-se o designio, por parte dos
de consrvalos como eseravee, dan lo
ihberJa le condicional, dev -m ser as cartas
slciaenle notadas por t*bMlia e arebiva-
b> cnttorio para sercm entregues oppartuna-
>jk* libertados, tomada pjr termo, cun tea-
ai aeclaraclo ios senharec, pudendo
itr os servicos contratados c m outrem,
art. 61; 4 finalmente, que, contra os
e* de Manoel e Berlolcza, curapre preceder
i do art. 97, si verificar-se que ellcs por
rara de dal-os ciassiticacae.
te
bojuiies du direito erceptuados os da co-
kk>& eife.Para poder prestar os e~clarc-
i exigidos pelo Miuist- rio dos Negocios da
i bviso de 29 de Outubro findo, recom-
> j V___que i-forme:
i.* Qam os ter esjB0aac criacao de varas municipaes, decla-
sero de juradus qualificados nos dous
v> sauce, a distancia da ole da termo da da
> a a/m eativer aunei > meos de cajiinuiiica-
^t^ fifalifitu approximadi e numero de paro-
=biaativer ;
S(tscaos termos cin que j bavendo juiz
vsbbbbmv ewovem, pela sua decadencia, que s< ja
aBBfassBtdB a respectiva vara nninieipil, deCla-
xii sHasrro de jralos qualificados nos dous
saos, a distancia de sua sede du do ter-
vaitaaV* os ib'ios de commuuicacao, a ,opula-
> affnairaada c o numera de parocbius que ti-
As* junes do direito c aos juizes municipaes
t* avpfcioa.Tem se verificado, por occasiao da
*a* a undo de cmancipacao, que, em ulguns
desta provincia, di col lectores das reu-
aceordum camos seubores dos escravos
obre '>8 maxiov s precos da tabella da
2ja;l. 1* da le n. 3270, de 28 de Set rabr.,
nttenderem a que eases precos sa
os p .rmittidos para a nova matricula,
foim nem devem ser admittidos era nh-
cp*7 porque o $ 7 do art. 3 da dita le de
i ae toatimn'ii em vigor as providencias
31 e aeguiutes do regtriansfttou. 5135, de
*a> tHov1 labr.o de 1872, qurr por si r ndecrmn-"
**j9 aatvssidade de reconhecer se, por inspeceo"
condi^oes pbysicas e quaesquer defeitos
*s-sil i?, de ai-cordo com a ordem circular
e> Nacional, de 16 de Julbo de lb~ i
esse de evitarem-se, quanto for p lesvnl,
oaTenientes, que gravam seriamente a
bsado, cm proveito de ulguns senborcs de
va, e tendem a-diminnir o numero de Iiber-
adesv dii^)-me a V... lembraudo a couvenieu-
-S *- tn easos semelliautes, n:io bomalog^r aes
>:aJc*', ob arbitramentas caprichosos, que dos-
asaV dar-e, providenciando como aconselbam as
aaJiiji-F TigenteB,
*> aue V. .. dar ao assumpto a importan
ts> ar e!/c merece.Kemettru se copia ao iuspec-
a 4a Theaoararia de Kazcndu.
Pusbria :
(> Sr. agente da Companhia Brasileira de
Jsieguyia a Vapor faca transportar A corte, por
M de Ministerio da Marinba, no vapor Cear,
Jn^aOu do norte, o enfermein Carlas Lapes No
Hj iba Sosa, que para all segu i dispoaico do
awytsi general du marinba, segunda declara o
jate da escola de aprendizrs manoh'iros
Beio n 235, de bontem datado.Communi-
eommaonantc da escola de aprendices
acaraba iroa.
SIPEDIESTE DO SECHETABI3
Oaancr
Ao agente da Compinbia Babianir.-O Lxm.
$& aatMaVate da proviucia manda aecusar o rece-
do officio em que V. S. participa que o
ttmriaho Visconde, chegado boje da Babia e
bk icgressar para os meamos por'os no da
'^d corxente, g 4 horas da tarde.
Ao en/eiiheiro ebefe da liepartieao daa
Pnblieas.U Exm. Sr. presidente da pro-
fica lo n. 21I. de bav. r V. S. mandado la vrar
O recebimento previsorio da obra de repa-
sa da* aoutes do Aterro, ra Bella o Acougue,
aa Xw 'ormoso, e passar o csrtifieado de paga-
aatattaia aae tem direito o r. spectivo arrematante.
imMITt DO DA 27 DE HOYEJIBRO DE 1886
*:
Ao-presiden te da provincia do Paran.Re-
a>r e agradece, oa ejemplares de relatorua en
-m9 po* V. Exe. com ofiieio, a que respondo, de
$ak*xreBie mea
Ao-iatpeetoi do Arsenal de Marinba.O Mi-
da Marinba, em aviso de 15 do corrente,
que, do conformidade com o regula
de 2 de Muio de 1874, foi nomeada Joaquim
t Silva Cabrul para o lugar de eacrevente da di-
:>-** da oificiaa de machinas desae Arsenal.
^aja laao constar a V. Exc. para seu conheci-
aaeaSDw--G Boiiini:ou-se ao inspector da Thesou-
maaa tr Fazenda.
iA ecminan Jante das armae.Deferindo o
oa^aaaciawao da anidado do 14 batalho de infan-
Javiay Aatoaio Jos Joaquim Caruedro, antoriso V.
S4B,*Tistu da ana inforiaaco n. 575, de bontem
datada, a cooceder-lhe baixa do servico do exerci
to, mediante aubetituicio.
Ao inspector de saude do'porto.Para os
fina convenientes transmittn a V. S. os avisos, por
copia, ns. 5167 e 5168, de 23 do corrente mez, em
que o Exm. Sr. ministro e secretario de estado dos
negocios do imperio declara que firam tecbe.dos os
portos naciona^s, excepto o de Lazareti da liba
Grande, a todos os navios procedentes da. Rep-
blica Argentina e de quaesquer portos infecciona-
dos do chalerarBiuruua e prohibida a iinporUcaa
de trapos, pelles, pellos, conrea curtidas, tecidoi
niniiea em bruto e carnes salanlas, em fardo* ou
eco iLanUs, de procedencia argentina o i oriental -
Ao BTaWBCt ir da Theaouraria, de b'aaenac,
Remetto a V- :S, para Oo deviioa fina, copia 4o
aviao eireuUr do Ministerio da Agricultura, Boa-
merci e Obcaa Pnblteaa, de 18 do correase, u. 2,
relativa di1tr1bui9sja.de crdito pira as despe
aas com a cooatriicvao do pioloaaaaa.cnto.da aatra
da de ferro do li-xife ao 8. Fraueiaeo e do Recife
a Caruar, durante o actual exereicio,
Aa mesma. Remetto a V. S., paraos de-
vidos filis, copia do avisa circular do Ministerio
da Agricu'tura, Commercio e Obras Publicas, de
17 da corrente, n. 1, cancernente distribuicao de
creditua para o actual exereicio.
Ao mesmo.Communino a V. 8., para oa
Dos convenientes, que o juiz de direito da comarca
do Brejo, bacharel Luiz da Silva GusraJa, a 7 do
orreute me o par motiva de molestia, iaterrom-
peu o exereicio de seu cargo, reaasumiu io-a no da
10.
Oatrosim, declaro-lh-: que lic.nn justificadas as
faltas de exereicio dadas durante aquello periodo.
Ao mesmo.Communico a V. S, pata os
fins convenientes, que o juiz municipal do termo
do Brt'j 1, bacharel Eiitropiu G-mealves de Albu-
querque Silva, a 7 do correte, interrompcu o ex-
ereicio de seu cargo, pira asaunir o de juiz de di-
reitc interino da respectiva cemarca, feudo deixa-
d* este no da 10 do referido mes, afim de reaesu -
miro de tuaa tuiccoes.
Ao inspector de hygieae. Para os fins con-
venien'es transmuto a Vine, o aviso, por copia, n.
5167; de 13 do corrente, em que o Exm. Sr. minis-
tro e secretario de estado dos negocios du imperio
declara que, at ulterior dei'beraeao, sea absolu-
tamente prohibida a impirtacao, nos poitos nacio-
naea, de trinos, pelles, p.dlos, couros curtidos, te-
cidos animaos cm bruto e carnes salgadas, em
fardos ou em manta-, de procedencia argentina ou
oriental.
Ao inspector do Tbesouro ProvincialEm
additamento aa oificio destu presidencia de 7 de
Outubro ultimo, determino a Vine, que d sua or-
dens para que 6OJ1 feito diariamente o recolhimeri-
to dos impostos provinciaes arrecadados pela Al-
fandega, infarinunda-me, cmn urgencia, sobre o
estado da fianca da respectiva tbesaureiro, bem
como ee zouvm aos interesses da provincia ser
conservado ou augmentado o quantum deesa nanea.
Ao direotor do Arsenal de Guerra.Constan-
do de parlicipacaa da intendencia da gu-rra, de
15 du corrente. s<>b n. 1012, terem sida embaroados
no franapirte Purs, esperado do sui, 15 vobunes,
destinados a esta provincia, coutendo o c 11 htame
mencionado no incluso couliecuncnto; assim o de-
claro a Vine, para os devidos rins.
Outrosim, a referida participica) diz qnfl no re-
fer lo transparte vem uiais vinte d 1113 valules
contendo carluxames deatiuiiai p.-avincia do
Ra liraii'le do Norte, os quaes devera) ser op-
portunamente remeitidos para aquella provincia.
Aos directores da Cenpinliu d 1 Seguros
Phenix Pernainbueana. Autora) pe o arr. 13 d
Ici n. 1860 de 11 ae Agosto do 1885 a contratar
com as directoras Jas Coinpaubias de Segur >s
Martimos e Terrestres, Iudemnisadora, i'beuix
1'ernMuibucana, Ain; bit.-ite, estabelee.idas nesta ci.
dade, o aervieu de 1 xtinc<;ao de incendio, media ate
aa claueulaa na rnearaa le eatatuidas, e 'en ia tido
occasiao de peasoaluiente verificar o quanta este
servico deficiente e a urgente naeessida le que
tem a provincia de tornal o efficaz para o fim de
evitar os grandes prejaizag a quaest exposta urna
eidade importante Como cstu do Recife; convido a
Vs- Ka. na qualidade de representantes de urna das
sociedades de seguros a oti'erecerem de harmona
cum as outras cueiedade, bases rasoaveis e nos ter-
mes da citada lei para um accordo com esta presi-
dencia de ondepoaaa resultara orgauisacao de urna
companhia de bombeiros pelo menos com o mate-
rial QMti necessario, e iustruida para o bam d cmneuho do servico, cm o que Vs. Ss. concorre-
r') para que teuba effeito um importanta melho-
ineuto publico.
Jiutatis mutandis aos directores das companhias
Indemuiskdora e Aiaphitrite.
Portaras :
O Sr. agenteda Campanb:a Brasileira de Na-
vegaco faca transportar para a provincia da Pa
rahyba, a bordo do paquete Espirilo Santo, e por
contado Miuiaterio dos Negocioa da Juetica o pre-
so Vicente Fernandea Peixoto e as piscas de poli-
ca da referida provincia Jas Mariano de Lima e
Manoet Bernardina de Senua, que o escoltara.
O Sr. agente da Companhia Brasileira de
Navegacao mande dar transporte proviucia da
Parahyba, por conta do Ministerio da Guerra, no
vapor Espirltj Santo procedente do sul, ao cabo
de esquadra da companhia de infautaria d'aqaella
provincia Manoel Vicente de Lima, que d'illi veio
escoltando uro desertor.Communicuu-ae ao coli-
man Jante das armas.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
faca transportar proviucia de Aiagij, por eouta
do Ministerio da Guerra, na primeira opportuni-
dade, cinco caixes me.dn lo todos treze milduzeu-
tos e noventa e tres decmetros cbicos e um far-
da pesando s< sienta e s-te kilos, contend > artigas
de t-irdamcnto destinad 3 a com pan tu a de iufan-
tiria d'aquclla proviucia.('ommuncju-se ao di-
rector do Arsenal de Guerra.
O Sr. Gerente da Compaubia Pernambucana
mande transportar gratuitamente, com passagem
de l at a Parahyba na vapor que seguir para o
uorte a 5 de I >ezembro vindouro, a Lauro S.ares
du Pinlio, provideucaudo eobre a volta do mesmo
opportuuarn.nte.
^^^ KXFKD1EKTB DO SECBETiKIO
Olncio;
Ao csminandante das armas.i. Exc. o Sr.
presidente da provincia m inda c< mrrunicar a V.
Exc. ter expedido ordem para serena recomidos ao
Arsenal de Guerra os artig s mencionados no pe-
dido que acompanhou o su cilicio n 574 de 25 do
coi rente.
Ao inspector da Thesonraria de Fatenda.
O Exm. Sr. presidente da provincia manda retaet-
ter a V. S. para os devidos fins cinco ordena do
Thesouro Nacional de ns. 21o a 244.
EXPEDIENTE DO DA 29 DE XOVEHBR0 DE 1886
Acto :
O presidente da provincia, attendendoaoque
requereu Deluairo Se'go de Furias, professor con-
tractado da cadeira de cnsino primario de Cabrob,
e ten lo em vista a ntormaco n. 510 de Sete.r bro
ultimo, do inspector gerol da Instrucco Publica e
o parecer Junta de Media Provincial, resol-
ve conceder no peticionario, 3 mezes du licenca
com a res lectiva gratificando para tratar de sua
saude ende Iba convier, devmdo deixar subatitut
pago a sua custa nos termos do art. 7 g 5." das
Instroccoes de 29 de Janeiro de 1884.
O presidente da provincia, atteudendo ao que
requerej Eugenia Mara Vicira de Mello, profe-
sora da cadeira de cnsino mixto em Campo Grande
e tendo em vista a infurmaco n. 3>4 de 11 do
correte, do inspectorgeral da Instrucco Publica,
resolve conceder peticionara, a contar de 16 de
Oezc-mbro findo, dous meses de licenca eom orde-
nado para tratar de sua saude onde Ibe couver.
O presidente d provincia, de conformidade
com a proposta do. Dr. chefe de polica, em i lucia
n. 1151, de 27 do corrrn'c u ez, resolve exonerar
o alferes do Corpo de Polica Joaquim Servulo
Vieira da Paz do cargo de 2. suppleute do dele-
gado da termo de Pao d'Albo, por ter mudado do
domicilio, e nomcar para substitu!-} o cidado
Francisco Carneiro da Silva.Cominuuicou le aa
Dr. chele de polica e ao com mandante do Corpo de
Polica.
Olficios:
A inspector do Arsenal de Marinba.Com
aviso do Ministerio da Mariuha, de 13 do corrente,
foi enviada esta presidencia o titulo de noineacao
do Joao Sabino Pereira Giraldee, para servir de
fiel do abnoxarife desse Arsenal.O que declaro a
V. 8. para seu c nbecmento e afim de fazer cons-
tar ao ratceasado.
Ao Dr. ebefe de polica.Convem que V. 8.
providencie, no sentido de ser prestada pelo admi-
nistrador da Casa de Detenco a informaeo de que
trata o aviso circular do Ministerio da Justican.
287 de 28 de Jucho de 1S65, acerca do comporta-
ment do sentenciado Flix Francisco da Cuaba,
qne intepoz recurso de graca da multa de 20 % do
valor n ubado, o qual Ibe foi imposto pelo jury
desta capital em 4 de Marco de 1882.
Ao Dr. juiz de direito do 2." distiicto cri-
minal.-Transmiti a V. S. a inclusa certido do
processo do reo Frlix FianciscodaCuuha, cootorme
requiaitou em officio n. 33 de 26 do. corrente me, Haaa garanta te effectue por meio de hypotheca
afim de prestar a respectiva iniormacao com a qual
ser devolvida a alludida certido.
Ao Dr. inspeetor da Saude da Porto.Para
os fins convenientes transmiten a V. S a inclusa
copia do telegramma do Sr. Ministro do Imperio,
declarando fechados os portos braaileiroa aos Davios
procedentes do Paraguay.
Ao inspeutor da Theaouraria de Fazenda.
Sirva-se V. S. de devolver secretaria desta pre-
sidencia a patente do 2. cirurgio do eorpo de
saude do exercto Dr. Eutychio Soledade, a qual
toi rasaetUdakaa-essa Thesouraria em cilicio desta
preaideuciaiie 8 de Junho de 1877.
Ao masa. -Declaro a V. S para oa fias conve-
nientes, qu'\ -segundo consta o aviso do Minis-
terio da Mariaha de 13 do corrente, foi nomea-
da daio Sabino Pereira Giraldea |para aervir de
fiel JsaHiscnoaaTite 4o Arsenal de Marinba desta
Ao mesuaot^teinetto a V. S., com os mais
papas-o inclusoM-QfjMeriiaeuto em pie Joo Luis
de Oliveira Mello, pede pagamento da quantia de
900^00 proveniente do vator de seu eserrvo Jos,
que se acha cuiao praca no 14. batalho de iufen-
tari com o suppasto nome de Joa Joaquim do
Nascimento afim de que o peticionario, conforme
determina o avia i do Miuialocio da Gu-:ra, de 1 ti
do carrrente, satisfaca o que o procure lor da Cor*
Soberana c Fazeaia Nacional, exige no parecer
que ucompaulia os n-feridos papis.
Ao mesmo. Remetto u V. S. copia do aviso
do Ministerio da Agricultura, de 15 do correte,
sob a. 24 em soluco representa cao do juiz de
direito da comarca de Timbauaa em oificio de 20
de Julbo contra o facto de haver o respectivo col-
lector geral matriculado esmo escravo maior de 60
anuoi o individu) de nome Flix, qne j hava sido
declarada liberto por esse juiza.
Segunda esse uviso applcav I ao eaea vertente
a doutrina do de 5 de Outubro ultimo, sob n. 19,
expedido pelo uvsmo ministerio a acerca de igua
facto cccorridoem Jabaatan, conforme declarei a V
S. uo uieu ofli do de boje acompanliado de copia do
aviso, s-.b n. 21 trrnbem de 15 do andante sobr
arr> lamento do escravos a titulo de sexageuiiiiua
n> muaicpio de Ipojuci.Ctimutumcou se ao juiz
de orpha-s de Tiuibaba.
Ao meain >.Remetto a V. S., par os fins
canven'tuteb, c?pia do aviso do miniatirio da
agricultura, sob u. 21, de 15 do amate, pelo
qual foi deferido o requermeuto do Dr. Ambrosio
Machado da Cunha Cavalcante, reclamando con-
tra a inclusa) na lista ds sexagenarios, organi-
sada pelo collector geral do municip o de Ipjuca,
de giiis escravos de noraes Theodora, Benedicta,
Jos Generoso, Antonio e Damio.
Segundo o aviso o facto de qiH a-'- trata deve
ter uoa termos do de n. 19, de 5 de Outubr ulti-
mo, a mesma soluco que teve o occorrido em Ja-
boatao e a que so refereui o nlicio d-sta presiden-
cia, de 12 de Outubro e a iuforin-ic:i.o dessa ins-
pecturia, de 18 de Junho, n. 419, no intuito de
ser rectificada admimstrativiMueiite o equivoco
mediante a exhibifo das matriculas dos escravos,
excepto quanto aa escravo Damio averbalo em
1874, a resp"ito dequein alm da mais se deve
proceder a justifteaco de identiua.de de pessoa
pelos motivas expresaos no incluso aviso.
Ao meaoo- Para cunpnment do aviso
circular do ministerio da agricultura, commeico
e obras publicar, de 15 des te mez, sirva-se V. S.
de expedir com urgenca as mais terminantes )r-
dens aos collectores daa rendas geraes, no senti-
do de remetterem no mais curto pruso possivel,
as relacoes do) antg-s escravos, que, por terem
attiuiido a idade de 6) annoa, te-m paseado a
enidii;i) de libertos, na forma da lei n. 3,270, de
28 de Setembro do auno passado.
Outro8uj, sirva-se V. S. de remetter, como
exige a ineson circular, urna reloco -i s mur.ici-
piss desta provincia, eom declaraco dos que se
achato para o effeat) da matricula de escravos de-
baixo da jurisdiecao de urna e ostuco fiscal fim
de evitarem ee com tae3 esdarecimeutea, quaes-
quer lacunas na organisayaa dos dad^s eetatiati-
c s relativos quclles libertos.
Ao inspector do Thessuro Pravincial.In-
teirado da que Vnio,,expo8 no officio de 18 do
corrente, sob n. 266, declaro-Ihe, pata que faca
uoustar ao empresario do canal de G yanna, .
para execuca-a por parte deasc Thesouro, no que
Ihe coucerne, que elle deve dar curaarimento
s deciaea deata presidencia de 5 tambem
do corrente, as quaes esto de accordo eom
a clausula i' da inirivaco de 8 de Agosto Je 1879
e regulamento de 16 de Setembro de 1884, exae-
dida para execucao da dita innovaco, noa termos
da clausula 19a desta ; tanto mais quanto o se-
questro a que eile se refere no oflfcio anuexo ao
que respondo, por parte (lo Banco Industrial e
Mercantil do Rio de J-ueiro de 9 deste mez,
segundo communicou-me a reparticae das obras
publicas e conseguiitemente posterior a infraeco
da citada clausula 4> e pagamento ao fiscal do
governo e nada test com o que est resolvido.
Ao mesmo.De conformidade com sua in-
formaeo, n. 265, de 19 do corrente, mande Vmc.
entregar ao tbesaurero da repartico das obras
publicas a quantia de 8:641 000, constante do
pedido junto, afim de occorrer s desbezas a car-
go da mesma repartico dorante o mea de Setem-
bro ultimo.Commuaicou-80 a repartico das
ubras publica*.
Ao mesmo.Mando Vmc. forneeer ao quar-
t. i do destacamento do 2" districto de S. Jos,
desta capital, nma mesa, doas cadeiras e um tin-
ter), conforme solicita o Dr. ebefe de polica.
Asaim tica respondido o seu officio n. 269, de
19 do carrete mez.
Ao director do Arsenal de Guerra.Devol-
veudo a Vmc. oa inclusos papis que vieram an-
nexo* aa seu oflicia.u. 709, de 27 do corrente, au-
tonso-o a admittii na campanilla de anrendizes
artfices desse Arsenal, quaudo houver vaga e for
julirada capaz, o menor Joo, filho de Ignacio Lo-
ba de que trata a peticao junta aos referidos pa-
pis.
Ao promotor publico de Cimbres.Informe
Vmc com urgencia sabreo estado do processo man-
dado instaurar por esta presidencia em 5 de Junho
deste anno, contra quem estivesse em culpa, pelo
facta de haverern si io reduzidoa escravidao os
individuos Francisco e Eugenia.
Ao juic municipal e de erphos de Buique
D, claro a Vmc, cm res poeta do seu officio de 8
do correte) aes, que uo ha quota parasatisfa-
zer se a despeza resultante do exsme medico a
que se procedeu na pesaoa de Francisco Umbu-
eeiro.
Convoj lembrar a Vmc. que nos termos dos
arta. 258 e 259 do regulamento de 31 de Janeiro
de 1812, os profiasionaes sao abrigados a presta-
rein-8e gratuitamente a fazer os eorpos de del-
eto.
Ao juiz do orphos de Ipojucu.Remetto a
Vmc. para fiel execucao copia do Aviso do Minis-
terio da Agricultura, Ccmincrcio e Obras Publi-
cas, de 15 do corrente, boi n. 24, pelo qual fji
deferida a peticao du Dr. Ambrosio Machado da
Cunha Cavalcante, reclaman lo contra a ocluso
dos escravos Thoodora, Benedicta, Jos jeneroao,
Antonio e Damio, na lleta dos sexagenarios desse
municipio organisada i^elo respectivo collector
geral.
De conformidade com o citado Aviso deve t :r a
mesma soluco pela ideotdade do easo, firmada
no ao 5 de Outuoro ultimo, sob n. 19, expedido
pelo mesmo Ministerio acerca de escravos liber-
tados no municipio de Jaboato por se julgar te-
rem attingido a idade de 60 ancos, retifieando se
administrativamente o equivoco mediante exhib
cao das matriculas, cumprindo entretanto que no
caso vertente somente a reapeto do escra\o Da-
mio, ave'bado em 1874 se preceda alem do mais
juatitlcaco de ideatidade de pessoa pelos moti-
vos expresaos no prdito Aviso.
E' ainda anlogo ao facto recorrente o expendi-
do no Aviso tambem de 15 deste mes, sob o. 23,
referente ao arrclamcnto de Jiboato e com ap-
plicaco directa a igual facto praticado no muni-
cipio de Timbaba pelo collector das rendas ge-
raes. Commuuicou-seao secretario d* secretaria
da Agricultura.
Ao juii de direito de. Ourieury. Reitero a
exigencia costida em cflkia de 14 de Agosto ulti-
mo, no sentido de Vmc. prestar informaeo, do
de que trata o Aviso circular do Ministerio da
Justica, n. 287, d 28 de Junho de 1865, com refe-
rencia ao recurso de graca iuterposto por Antonio
Soares de Queiroz, da pena de gales perpetuas,
que Ibe toi imposta vista da deciso do jury do
termo de Ourieury em sessa de 5 de Junho do
suprsdito anno.
Portaras :
Declaro Cmara Muuicipal do Brejo que
fieam approvadas as arrematares dos impostos
constantes dea tenaos annexos ao sea officio, a
que respondo, de 8 ae Outubro findo.
Previno Cmara que se os arrematantes dos
referidos impastos nao Gzerem deposito de quan-
tas pecuniarias ou de ttulos de divid publica
para garanta de seas dbitos, dever exigir que
legalmente constituida pelos meamos arrematantes
ou sena fiadores.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana,
mande transpoitar gratuitamente a r, at Penedo,
no vapor que seguir para os portos do sul a 10 de
Dezembro vindouro, o Dr. Joo Gmlherme da Sil-
va Monte.
Mutatis mutandis, mandando transportar r
at o Aracaty, ao Da. Jos Gamillo Linbares de
Albuqueique e sua seniora.
EXPEDIENTE DO 8BCI1ETABI0
Officos.:
Ao agente da Companhia Brasileira. O
Exm. Sr. presidente da provincia manda aecusar
0 recebimento lo officio de 27 do corrente eso que
V. Exc. participon que o vapor Espirito Santo
ebegado s 7 horas da inaols d'aquelle da, dos
portas do aul, aeguio para -alo aerte bontaoi s
1 saise da tarde.
.-Ao^Dr. chefe de pciiasa.-^De rdcoi dodfim
Sr. presidente da provincia, eommunico a V. S.
que autorisou-se boje o inspector do Thesouro
Provincial, a tornecer urna mesa, duas cadeiras t
um tiateiro no quartel do destacamento do 2a dis-
tricto de S. Jos desta capitai, cantarme are
quisco constante do sru efficio n. 1071, de 3 du
cor. en te.
A' commisso liquidadora da Estrada de
Ferro do Recife ao S. Francisco.O Exm. Sr.
presidente da provincia, manda declarar a V. S.
qne uesta data tveram o conveniente deatino os
documentos quo acompar.haram o seu oificio de
25 do corrente, sob n. 119.
Ao director do Presidio de Fernando de
Noronha. De ordem do Exm. Sr. Dr. presidonte
da provincia, declaro a V. S. que ao seu officio
n. 11 de 20 do corrente mez, nao acompanbarain
os documentos a que alinde o requermeuto devol-
vido por V. S. do sentenciado Antonio Beato da
Fcufeca.
OESr.VCUOS DA PBE8IDENCIA DO DA 11 DE
DEZEMBRO DE I86
" Abaxo assignados, vereadores da cmara mirii-
pal de Bom-Jrdiin.Informe com urgencia o Sr.
presidente da cmara municipal do Bam Jardirn
Arthur de Liina Campo3.Sim, dentro da pro-
vincia.
Antonio Joe de Barros.Providenciado.
Argemira Guhermini Fe tosa Breck.eufield.
Sim.
Diomedes Braugner L;us.Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Antonio Jeronymo de Oliveira. Informe o Sr.
inspector da Thesouraria de Fazenda.
Bacharel Eduardo de Barros Falca de L-.cer-
da O quartel do corpo de polica ma etlerece
condiccoes de priso civel.
Francisco Angosto Paes Barretto.Sim.
Fortunato Fraueisco de Souza. Informe oSr.
commandante das armas interine.
Francisco Gordcro Faleo Brasil. Sim, com
msfade do ordenado na firma d> art. 40 da lei n.
1,810 de 27 de Junho do 1881, em vigor pelo dis-
posto no art. 30 da le u. 1,860 de 11 de Agosto
de 1885.
Isabel Lea da Silva.Sim, pagando os foros
em divida e procedidas as dili^eaciaa do eylo.
Joo Vasco Cabrai. tn-, payan lo o porte.
Mara Luisa do Rogo Barros Gomes.Sim, pa
gos os diieitcs fiscaea c procedidas as diligencias
do eatylo.
Mana Liurenca de Nizarctb.Informe o Sr.
commandaute das arin is interino.
Manoel Alves da Silva Maia.Requeira a quem
Competir.
Manoel Nones de Soasa, ciuhecido poi Manoel
Rosas.im, pagando o supplicante as coinme-
dorias.
Frincisia MariA da Coaceico.Sim, pagando
a supplicante as commedorias.
Silveira 4 C.Iaformc o Sr. inspector do The-
souro Provincial.
- 14
Francisca Goncalvea TorreaSim, naa termos
do art. 14 do reg. de 4 de Novembra findo, ficando
o thesourciro nbrigado a depositar no Th'souro
Provincial, ou no Banco do Brasil, visto estar na
parte na corte a maior do dmheiro apurado essa
coma da provincia, na conf .rmidade do art. 7 do
regulamento de 27 de Abril de 1SV1 a importan-
cia dos bilhetes vendidos e das que ae tcvretn ven-
dendo at a epoeha, da extraeco, devendo a pri
mera entrad, da quantia ora existentes e da
que ento existir, ser feita impreterivelmente at
30 do crrente mez, e as outras igualmente no din
30 de cada mes, prestando o Thes:ureiro im
mediatamente em seguida emitas do astado da lo
teria, cuja veracidade ser fiscalisida nos termos
du instruccoes vigentea e dos que, em relaco s
loteras, sero expedidas por este governo, tudo
sob as penas legaeg oa regulamentares.
Este adiamento ser definitivamente ultimo e
nico.
Os bilhetes nao vendidos ficaro par cocta do
thesourciro, sem respensabilidade slguma da pro-
vincia (art. 8o do regulamento).
O caso de nao extraeco da lotera importa para
o thesoureiro a obrigaco de restituir os respecti-
vos valores aos portadores dos bilhetes, a perda
de todas as vantagens e liquidaco da loreria,
orno preceituam oa arts. t5 a 17 do citido regu-
lamento de 4 de Novembro findo.
Secretaria da Presidencia do Pernam-
buco, em 14 do Dezembro 1886.
O porteiro,
Francelino Chacn.
Antoaio Augusto de Magalhaes, Galdino
dos Santos N"unes de Oliveira e Svunders
Brothers & C.Informe o Sr. contador.
Antonia Gongalves de Azevedo. Infor-
mo o Sr. Dr. administrador do Consulado.
Jos Soares do Amar.il. Certifiqua-se.
Consulado Provincial
DESPACHOS DO DA 14 DE DEZEMBBO DE
188G
Wanderley & Bastos, Jos Franeisco de
Mello Reg, Manoel Jos Pereira, Sebas-
tiao de Oliveira Rezende e Carpinleiro Pe-
res & C. Informe, a 1* seceo.
Fonseca Irmaos dC, e Joaquim An-
tonio Rodrigues SDbrinho. Sim.
Dr. Francisco de Assis Rasa e Silva. -
Deferido com relaco ao Io semestre do
corrente exereicio, vistas ns inforraacoes.
Jos Antonio de Araujo Livrarae^to e
outro. D feri lo com relaco ao Io semes-
tre do corrente exereicio, vistas as in'or-
msfSes.
Jeronymo Francisco Ferreira. Deferido
de acor lo com as informacSes.
Braga & C. Em vista das informacoes
nada ha que deferir;
Rodrigues Saraiva & C. A' Ia seccao
ptra os devidos fins.
INTERIOR
DIARIO DE
Repariico da Polica
Seceo 2N. 1218.Secretaria da Po-
lica de Pernambuco, 1 4 de Dezembro de
l8S6.-Illm. e Exm. Sr.Partecipo a V.
Exc. que foram bontem recolhidos Casa
de Detenco os seguintes individuos :
A' inhiba ordem, Josina de tal, como
alienada, at qun tenha destino conve-
niente.
A' ordem do subdelegado do Recife,
Jos de Leraos Vasconcellos, por distur-
bios.
A' ordem io de Santo Antonio, Ame-
lia Fernandes de Albaquerque, Joao Fran
c:"sco Pereira, Silvestre Ferreira e Anto-
nio, menor ; aquelles por disturbias, o este
com destino escola, de aprendizes mari-
nheiros.
A' ordem do do 2o districto da Boa-VU-
ta, Antonio Jos de Sant'Anna, por dis-
turbios, disposiQo do Dr. delegado do
districto da capitil.
Communicou-me o subdelegado do 2o
districto de S. Jos, que bontem s 7 ho-
ras da noit! no lugar Coqueiros do mesmo
districto, Vctor Pereira Jnior, achando-
se embriagado, sentara-se nos trilitos da li-
nha de Caruar, quaado descia do Jaboa-
to a machina n. 10 dirigida pelo ma:hi-
oista Antonio Nunes, e sendo pela mesma
alcancado ficou feri-io em diversas partos
do corpo.
Foi recolbilo ao hospital Pedro II, afiai
de ser tratado.
A autoridade respectiva tomou conhe-
cimctito do facto e abri inquerito.
O machinista chegando prximo esta-
cao, evadir se.
Em offiio de 24 de Novembro ultimo
cemmunicou-me o cidado Jos Feb'ppe
Gomes Jnior, quo na mesma data assu-
mira o exereicio de d-legado do termo de
Ourieury,
Dous guarde a V. Exc. Illm. eExm*
Sr. Dr. Pedro Vicenta de Azevedo, muito
idgno presidente da provincia. O chefe de
polica, Antonio Domingos Pinto.
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DA 14 DE DEZEMBRO DE
1886
Francisco Jobo Cavalcanti. Regstre-
se e facam-se as notas.
Luis Carlos da Costa Vilella, Joaquim
da Rocha e Florentino Cableante de Al-
buquerque.Haja vista o Sr. Dr. procu-
rador fiscal.
Francisco Goncalves Torrea, director da
Colonia Isabel, Dr. procurador dos feitos.
RECIFE, 15 DE DEZEMBRO DE 188G
noticias do norte d imperio
O paquete nacional Pai, entrado bontem do
norte, trouxe as seguintes nat.icias :
Amazonai*
Datas at 2 de esembrra :
Uomecara a ser publicada urna nova falha dia-
ria sob o titula Rio Bronco.
Diz s orgao conservador e dealarou se em np
posya ao presidente da provincia, Dr. Ernesto
Chaves, enjos actos critica com severidade.
O Commercio do Aimzonas refenndo-se a um
conflict) bavido no quartel de polica, rscreveu !\
27 de N vembro :
Ante-Uontem home serio conflicto entre pra-
cas do cipo policial uo recnt. i do proprio quar-
tel.
() cas i nssim no9 foi relatado :
> Um sida lo exprobavaa um cabo por ter este
portalo-se inconvenientemente. O calaa julgou-se
ufleudida e, sem mais demora, arranca as divisas
e engalfirilia-so com o soldado. U sargento do da
acade riza do3 rious; palavru aisa palavra, 0U-
tros so dados intervein, e trava se a lucta, que foi
useistida pelo cuuimaudaute e offieiaos Jo corpo.
< O resultado prcMJ se qual devera ser: Gwi-
mentos, contutCcs, etc.
No logar den -minada Repblica no alto
ro Purn, liocca oo l'auiny, foi assaasin ido cm
dous tiros de espingarda Vicente Monteiro Caval-
cante, negociante n'aquelle rio.
O rase fui praticado por dou3 famules da vc-
tima, que di-pois de o roubarcm. fugiram.
Heguindo Vicente Monteiro no enailQ) dos dous
ladres, Mtw quo se achavam escondidos no mat-
to, desteeliaram os tiros que cansiiain-lbe a mor
te iustantaneament'.
Os assasrin-.s amia nao haviam sido captura-
dos .
Fi ram nomeados :
Director da Instrucco Publica, padre R-.ymun-
do Auaaocia do Miranda.
Administrador da Kecebedora de R-mdas, Dr.
Manuel de Oliveira Miranda.
Director do Instituto de Educandos, Dr. Joao
Mustiado de Afiliar e Mello.
I'ar
Datas at 5 de Dezembro :
Continuava funeciouar u Asscmbla Provin-
cial .
Em sua sess'c de 29 de Novembro foi apoado
o seguiute projecto :
A Assemb* Provincial da Para, resolve :
Art. 1. Fica o presidente da provincia auto-
risado a despender por couta do prozimo exereicio
at a quantia de 20:000000, com as despezas a
fazer com sequieicao de productos e riquezas na-
tnraes que se destinarem figurar na Exposicao
Universal de Paris de 1889.
Art. 2. Fieam sentos dos diretos provin-
ciaes e municipaes todos os objectos que se desti-
narem i. esse fim.
Art. 3." levogara-se as dispasicoes em con-
trario.
Escreveu o Diario do Grao Para de 1 do
corrente :
c IIontem o activo subdelegado de Nazareth,
Sr. J. L. Gomes, ten '. denuucia da ezisteucia de
um pag as proximidades do largo de S. Braz,
para i dirigio-se s 11 horas da imite, acompa-
nbado do respectivo escrivao e 10 pracas do cor-
po de polica.
Mandou cercar a casa, e, ouvndo no interior
um bulicio constante, pelo filamento da j .nidia.
poude ver um portugus, que era o denunciado,
camiuhar pela sala, sustendo na mo direita um
pequeuo arebote e fazeodo mesuras e gesticula-
coes irrisoriamente ridiculas.
Mais adiante, empunbando um enorme cigar-
ro e em trajes menores, urna preta que diz ser
amazia u'esse Dag, soprava n'um apito e d^poie
tomando uns ares de orculo ou prapheta, fazia
n'um t un parvo e bocal, varias prediccoes, e de
tempos lempos uuuuucianlo a prxima chegada
da ooftra grande.
A cachaca (isto nem preciso dizer-se) era
esgotada com urna avidez desbragada par aquel-
es dous industriosos.
" A referida autoridade, depois de intimar que
abrssem a porta, o que fizeram com bem visivel
surpreza, deu-lhes voz de prisio e conduzio-os
para o quartel do polica.
Foram apprebeodidos varios objectos da pro-
fissao do pag, entre ellos urna caveira humane,
um frasquinho de cachaca, peunas de ave, ossos
de animaes, etc.
Procede-se inqueritos.
Lemoj na mesma falla de 5 :
Teado passado esta folha i exclusiva pro-
priedade do uossa preclaro ebefe, Exm. Sr. sena-
dor Siqueira Mondes, delberou tS. Exc. confial-o
a nava direccao, constituindo ao mesmo lempo
redaccao n va.
c Outroeim, determinou S. Exc, que si j i o
Diario do Gro-Par, desta data par diaote o or-
gao do partido conservador nesta provincia.
Da redaccao, na qualidade de seu chefe, in-
cumbe-se o nosso amigo Dr. Democrito Caval-
cante d'Albuquerqui, que fixou resideacia nesta
capital.
< Da parta econmica e administrativa incum-
bo-se o nosso correligionario Julio Cesar Ribeiro
de Souza.
Excusado parece garantir, que a folba se
mantera n< attitude grave e eria, que o seu fim
exige.
t-'cmpre foi a divisa do partido a que servi-
mos de org) conformarse em todas as suas ma-
n festacoes cam os dictames da moderacao e da
decencia.
Rendeu a alfandega em Novembro........
854:887*597.
Maranbo
Datas at 8 de Dezembro:
Silo destituidas do iuteresse as noticias desta
provincia.
m Foram nomeados :
O bacharel Ral Raposo Barradas para o cargo
de promotor publico da comarca de Alcntara.
Os hachareis Raymunlo Alexandre Vinhaes e
Jos Pereira du Graca Aranba, para iguses car-
gos, este na comarca de Guimares e aquelle na
de Vianna.
Ceara
Datas at 11 de Dezembro :
Sao tambem de menor interese as noticias des-
ta provincia.
Foi publicado o orcamento provincial para
o anno de 1887.
A receta oreada em 1.049:900000
A despesa era 1.042:781*436
Fallecern): cm Baturt, o fazendeiro Dr.
Antonio Pereira da Silveira Castello Branco; na
Imperatriz, o major Josa Manoel Alves ; na capi-
tal, o capitao do corpo de polica Casimiro Fer-
reira Chaves.
Rio Grande do Norle
Nao rejebemoj tolhas desta provincia.
i'arahyba
Datas at 13de Dezembro:
Constaui as noticias da carta do nosso corres-
pondente, publicada na rubrica Interior.
Correspondencia do Diario de
Pernambuco
PARAHYBA, 13 de Dezembro de 1886.
Ventla-se no foro desta capital urna questao
grave e importante, porque quer saber-se ao
certo se o fallecimento da menor Joanna de tal,
occorrido, 24 de Novembro findo, na povoaeao
de Uab;dello, foi natural, ou, como se diz, em con-
8equencia de brbaro espnncamen'o, attrbudo a
sua madrasta Francisca Rufina de Assp, preven-
tivamente presa e recolhida a cadeia publica.
O fume cadaveric procedido no dia seguinte
aa fallecimento da intVhz Joanna, em o hospital
da Sauta Casa de Misericordia d-sta cdade, ne-
iihuma luz trouxe para esclarecimento da ver-
dade, e, ao contrario, nos consta que os peritos
nada encontrarai.i que podesse servir para firmar
juiza seguro e conscicncioso sobre a natureza
e causa de tal acontecimento, propendendo, entre-
tanto, para sofFrimentos phisicos da victima.
Sepultado, porem, o cadver, comecaram a cir-
cular, eom insistencia, boatos de qne Joanna fal-
lecer de um brbaro espancamentique lbs infli-
gir sua desnaturada madrasta.
E-sis boatos tarsin inris tarde confirmados com
os depoimeutos contestes do inquerito policial,
aberto pela respectiva autoridade local.
Denunciada Francisca Rufini de Assis, como
autora de tito grave e repulsivo delicio, requereu
a p-omot'-ria publica nSo e a [sua pri sao preven-
tiva, como a exbumaeaa e autopsia do cadver da
menor Joanna, o que teve lugar 4i 6 horas da ma-
nila de 8 do eorreute msz, no cemtena publico,
com s caut<-lla3 proscriptas pela scieucia em
casos ties.
O cadver, como era de prever, foi encontrado
em estado de completa dccompos:cio, vist) haver
sido enterrado ha 15 dias, privados tssim os pe-
ritos de um campo mais fcil e v.-.so para as suas
investigacoos e sjodieaneiss e circuinseriptos ao
exame do rsqucKto, cojas pecas constitutivas fo-
ram desarticuladas e examina jas minuciosamen-
te, encontrand9-se na parte direita superior ex-
terna do frontal tima depreaso bastante visivel,
interessando a lamina ossea, a qual apresentava
a forma, de um angula agudo, em direccao antero-
p sterior, medinlo, em um do3 Jad s, urna polle-
gada de cumprmei to e um ouro mi ia pollegada.
Nada encontraram internamente, na regiao cor-
resp ndento, tendo silo tornada em grande cousi-
deracia, porem, a caloraco rosea dffusa que apre-
sentava a dara-mater na base do crneo, colora-
cao que deuotava a existencia de uin estado in-
flainati-rio, nao remoto.
Arlbumacio e exame tveram lugar na pregeu-
ea do juiz municipal snoplente cm exereicio Dr.
D.uio Gomes da Silveira, do promot ir publico Dr.
Thomaz Miudello e do chi''a d polica, Dr. Si-
mos Dallro, que e.-p ii'ancainentc se apresenteu
no cemiterio c muito auxiliou aquelle trubalho.
Serviram de peritos os Drs. Paulo Licerda e Lima
Filh .
Cora o j isto e merecido accesao do noes in-
tegro juiz de diicio, Dr. J. ito avaloan'e de Al-
buquerque, ao lugar de desciuba'gidor da Iula-
co de sumMo, ficou van a esmarca desta ca-
pita', que acaba de per dignamente precnehida
com a remotilo para i Ha do distincto juiz de di-
reito da comarca do Conde, Dr. Antonio da Triu-
dud.i Aiituncs Meira II nriques.
Por felegrair.rr.a aa corte, de hontem datado,
tivemos a grata nat:'.'ia de ter sido reeutregue no
lugar d inspector da alfaudega 'wdela provincia,
o Sr. eommendador Silvino da Cunha, do qual, por
inriu n- ia do Sr. senador Mera de Vascoiicellos,
hav a sido partidariamente esoulhado pilo Sr.
Paranagu, entila ministro da fazenda.
Fui nomeada juiz de dtreilo da comarca de Sou-
za, nesta provincii:, o Dr. Miguel Pexot) de Vas-
c.-ne.ll,s, actual inspector do Thesouro Provin-
cial, e designada a comarca da C.-nde, para nel-
la tur exereicio. o juiz de, direita Dr. Frederico
Peregrine 0 iruciro Monteiro, ex ebefe de polica
do Amazonas.
Um f^cto b m desiigradavil ec deu Da perta
do n eso tbeitio na noite de, 10 do corrento mez.
O l?r. Jesun) da Silva Pigueiredo, terminado o
espectculo, tai p' se aehava, entre outras, vendendo doce e na occa-
siao de tirar do bolso do palitot dinbeiro para
aquelle fim trouxe deonvolta um revolver, o qual
cahiudo sobre o chao, disparou-se, eiopregando-
se a bala na perna de urna das referidas negras.
O ferlineuto foi julgado, segundo as informan),
grave, acbando-se preso o Sr. Jesiiino.
Terminou, no dia 3 do corrente, o praso de
60 dia?, para as h.bilitaedes dos pretendentes aos
officos de Io tabellio e escrivao do civel e crime
desta capital.
Apresentaram-se cinco candidatos, e cada um
delles, eslava certo, aspira anomea^o provisoria,
qne dev r dar-se instes poucos das.
Falleceu repentinamente victima de um in-
sulto apopltico o Sr. Autoaio Ferreira da Costa
Camboim.
At o seguinte vapor.
KtVISTA DIARIA
embla Proviucinl Funcciouou
hou:em sob a presidencia do Exm. Sr. Dr. Jos
Manoel de Harros Wanderley, tendo comparecido
32 Srs. deputados, sendo aberta a sesso ao meio
dia.
Foram lidas e approvadas sem debate as actas
da sessao de 11 e da r.uuiao de 13.
O Sr. 1 secretario procedeu leirura do seguin-
te expediente:
Urna peticao de Luiz Cordeiro de Benevide', re-
querendo que se sutorise a Cmara Municipal da
Victoria a pagar-lha o que esta a dever-lhe de
custaa.A' cominissaa de orcamento municipal.
Foram li Jos, apoiados e julgados objectos de
deliberacao, indo a imprimir os^seguintes projec-
tos :
N. 105. Reduzindo a um districto de paz a fre-
guizia de Nossa Senhora da O' dos Praztres de
Marangnape.
N. lvJ' Ceocedenda is.info do pagamento de
imp stos provinciaes c municipaes e outros lavo-
res ao Banco de Crdito Real de Pernambuco.
Oraram os Srs. Jos Mara e Drummond, envi-
ando este mesa um requerimento para oppartu-
namente ser ido e discutido.
Passou-so ordem do dia.
Rejeitou-seo requeiimento do Sr. Jos Mara
de adiamento da 2 disculso do projecto n. 103
deste anuo (prorogativa do orcamento provincial)
vista do que coutinuou a referida discusrao.
Oraram os Srs. Jos Marn e Joao de Oliveira.
Fiada a bora veio mesa e toi approvado um
requerimento do Sr. Goncalves Ferreira pedindo a
prorogacao da seeso par 4 horas.
Continuou a orar o Sr. Joo de Oliveira e, fin-
da a prorogacao sem haver terminado o' sen dis-
curso, veio mesa e foi approvado outro reqnerij
ment de prorogacao da seseo por mais 4 horas,
tambem do Sr. Goucalves Ferreira, continuando
o seu discurso aquelle Sr. deputado.
A' bora em que damos esta noticia (8 da noite)
ainda se acha ua tribuna o Sr. Joao de Oliveira.
Facilidad de DireiloEis o resultado
dos actos de boutem :
.o anno
Landelino de Souza Lino, plenamente.
Manoel Juvenco de Sabaya, dem.
Jesuiuo Barral da Foneeca, dem.
Virgilio Bandeira do Mello, dem.
Alexandre Collares M ireira Netto, dem.
Jos de Assis Collares Moreira, dem.
Arthur Tbeodulo dos Santos Porto, dem.
Jos Lino de Souza Filbo, dem.
Francisco Martiniano de Oliveira, idem.
Luiz Laurindo Res Lima, simplesmente.
Jos Tiburcio do Nascimento lavares, idem.
\Ii.-ael de Souza, dem.
Eugenio Antonio Goncalves Pires, idem.
Dous reprovados,
Exame* preparatorioHoje, s 4 ho-
ras da tarde, baver exames de francez.
Eis o resultado de :
Anthm etica
Inscreveram-se ll
Approvadas plenamente
Approvados simplesmente
Re.provados na escripia
Reprovados
Levantaran) se da escripia
Escreveu \.oa'.o diverso
Nao comparecern) s chamadas
14
33
26
17
15
1
45
I

I
I
i

y
;

i

it
-.-',

* 'i
Geometra
Inscreveram-se
Approvados plenamente 15
Approvados simplesmente 25
Reprevados na escripia 15
Reprovados 6
161
101

DitBivn


'." WP&B--'*
MkMiMABBIi
^B"^*-"**"***-**a^M
1/
Diario de PernambiicoQuarta-cira 15 de Dezembro de 1886
3
/
i. vantarara-se dt seripta
Nao coinpareeeram s chamadas
Algebra
Inscreveram-se
Approvado com diatiuc;o
Approvado plenamente
Reprovado na escripia
Reprovado
Retirou-as d* escripia
N.o comparecern) s chamadas
9
31
1
1
1
1
f
i
101
12
12
liUt-GLTADO OERAL
Inscreveram-se 264
Foram appruvados 89
Reprovadose nao comparecidos 175
------264
lajeen de Arte o oniclo* As 11 dj
dia 12, presente S. Exc. livma. o Sr. bispo dioce-
sano, gr*n le numero ce senboras e pessoas gra-
das da nossa aociedada, leve coraeco o acto da
missa ei honra da padmeira da sociedad* dos Ar-
tis as Mechamos e Liberaos, celebrando o Kvin.
padre Dr. Jo. Affouso de Lima e S, seer itaro
do bispado.
Terminado o acto, e chegada de 8. Exc. o Sr
presida) a te da provincia, leve eomego s.'sso
magna, a qual foi declarada aborta pelo director
da sooir-dade, apa nina alocuoo. tocando n'csta
occasio as buidas inaiciues o hyrauo nacional,
sendo execntn lo anteriormente o hymno s artes,
pela bauia d polica.
Fallaran dep na us Sis. P. A. Pereira da Costa,
orador dr sociedade, que fez o histrico de todo o
m.vimcut do Lyceu de Ar'ea e Oflicios, relamo
ao auno tiudo; Thomas Eapiuca, por parte do Ga-
biuete Portugus de Leduia ; Dr. Camerino Fa-
cundo e Castro Mo:i' zja S bnnh', por parte do
corpa docente do Lyeei ; Dr. Maximiauo Lopes
M lohado, representando o Instituto Archeologico
e Geograpbico Pernainliucano; Dr. Cosme de S
Pereira, que tez utna confereucia sobre urna neva
industria, o cha de anacardio, (fbrea de cajueiro)
de igual competencia com o cha da India; orador
da Sociedade Nova Tbulia; padre Dr. Manool Ca-
valcaat.' d- Aesis Bezerra de Men-zes ; Dr. An-
tonio da Silva Guiraares; Dr. Liiidolph) Caui-
pelto, por parto da Asaociaco dos Funcciouarios
i-'ubiiovs Proviociaes; orador da Aasociacao dos
Einpregados no Comuiercio; do Ciub Marcellino
Cleto; do Club Literario Ayrrs Gama : Seuna
Barb sa, ac ideinico Jos Braziliano e Dr. Jos
Horacio Costa.
Terminada a seaso foi o cstabelecimento fran-
queado ao publico e abc:t* a exposico agrcola c
industrial e inaugurado o museo artstico.
A' licite grande concurrencia de visitantes af-
fluio para o cditneio, que estava brilhantemeute
i Iluminado.
No rouseu figurara movis antigos, de primoro-
N trabalho artstico, vasoa de poreellana, faiauoa,
tainalte e trra cotta do Jap', China e Europa;
bron:es e estatuas de gesao e madeiri, quadros a
oleo, etc., etc., e urna bonita coileceo de molus-
cos, canchas e eutroa cbjeclos do mar.
Ni sali da exposicao, Iluminado por dous fo-
cos de luz elctrica, figurara productos artsticos
e inlustriaes, Variados e bellamente acabados.
Acto loutavelO Sr Jorge Clemente de
Borba Cavalcaute, levado pelo nico intuito di*
radar preito idea eiaaucipadora, libertou sera
onus e gratuitamente, no dia 8 do corrente, oa seas
escrar.s. unin quo possuia, de nomes Viriano, de
.28 anuos de dado, Luizi, de 95 anuos, Luciana, de
18 auno?, e Mara de 17 taiuoi, todi mojos e ro-
baste*-
Foi um acto meritorio e digno d8 npplauso.
Folleeimento Uomuiunieam-nca de Be-
cerros que, no da 8 do corrate, falleceu de pade-
cimientos internos, D. Maria Taciaua Vicira de
Mello, na idade de 28 anuos.
Era urna seuhora preudada c estimas!. Dcixou
i filhinhos.
A > seu diguo esposo o Sr. Joaquim Manoel
Vieira de Mello, uoasaa condolencias-
Casa de nclencoPor portara de 13 do
corrente do Dr. chefe de polica :
Foi promovido guarda de Ia classe da Deten-
cao, o de 2-' classe Joo Luiz liibeiro de Faria ;
Foi nomeado guarda de 2a classe, Manool Mar-
ques de Abreu Porto.
A f|ii*strto reliKiowa-Para a Livraria
Franceza, ra Primeiro de Ma: co n. 9, acaba de
ebegar a grande obra, ltimamente publicada no
Maraoh-'n, sobre a Quesldo Religiosa perarUe a
Sania S ou a misado Especial Roma em 1873
de d'.cumcutos publicados e inneaietos, pelo
Exm. Sr. D. Antouio de Macedo Costa, bispo da
di s cese do Para.
E' um grosso volnme de 420 paginas, de ntida
impreaaao e coatendo todo o histrico e muitcs
comentarios sobre a qu-'Stao religiosa, que tanto
affligio este paiz.
A questao estadada luz de documentos im-
portaut-'S e discutida com proiaciencia pelo Ilus-
tra 1) 'r- V-l'i 4J" & uin doa luminares da igreja
catbolica no Brasil.
E' livro que merece ser lido e rn"ditado.
DeJMlr<*Aute hontrm, s 7 horas da noite
quand) passava pelo lugar Coquciros, do 2o dis-
tncto do ti. Jos, o tr-m frreo que, puchado pela
machina n. 10. descia de Jaboatao, atropellou
Vctor Ferrera Jnior, fa;endo-lbo diversos feri-
mentos pelo corno.
Esse individuo, estando embriagado, sentara-se
Ofl trilhos no n ferido lu^ar, e sem duvida nao
foi visto pelo machinista Antouio Nuues tempo
de d^ter o trem.
O ni ichinista. por cauti-lla, lego que entrou os
estaco do Recife evadio-se.
O fendofii rccolhido ao hospital Pedro II.
Cana llsre de Itreita -Bia o resultado
que os alumnos raati otilados no curso dedireito
natural e romauo do Sr. Dr. Joio Eryjio, obtive-
ram no exames ltimamente procedidos na Fa-
euldade de Direito :
Laiz F'.'lippe di Souza L-So Jnior, plenamente.
An'jnio Miguel Nogueira de Souza, ideuo.
Jos Nogueira do Souza Filbo, dem.
Jos Victorino AlWl Maia, idem.
OJilop Oetaviano dos Santos, idem.
Marcioni.lo da Cunha Pedros, idem.
Crlos Augusto de -"ouza Leo, dem.
Manoel Tclles de Qoeiroz, idem.
Godofredo Moscoso da Veiga Pessoa, idem.
Thomax Gomes -/iegas, idem.
AtfiedO Varella Villares, idem.
Virgilio Bandeira de Mello, idem.
H irailton T. de Paula, idem.
Bernardiuo S. Ferrera Cabral, simptesmente.
Joo Radrigues Cardoso, dem.
Antonio Cardoso dos Santos, idm.
/. -ferino Agr, idem.
Reprovados 2
Prova aulla 1
Deixaram exame para marco 11
O Dr. JoaoElvso reibrio o seu curso dedirei-
Oulru -No vapor Jaguarib: seguiram hontem
para Alags o Sr.'Dr. Theophilo Leopoldo R. da
Cmara secretario da presidencia d'uquella pro
vincia, sua digna consorte e sua Ilustre cuuhada
Exma. Sra. D. Luiza Moreira Alvea.
Ao embarque concorreram diversos amigos.
De3ejamos as Ilustres viajautea ptima via-
gem.
Directora dan obra* de fumen-
cao don portnBoletim muteorologieo dj
di* 12 Dez-mKrr. de 1886 :
Hora*
t.
26"- -1
28' 5
29- -'.)
29- :>
27-- -.i
7*0"46i
761m44
760a39
759-68
759i57
18.74
19.561
80.46
20.42
80.88
70
68
65
67
77
6',8; som-
to natnral e romano e bem assim um outro de di-
reito ecelesiastico e constitucional para aquelles
que pretenderem fazer exame das" materias do 2
auno.
BellesaM do municipioPedem-nos pa-
ra recommendar ao riscal da paroebia de Santo
Antonio'o montu.ro que existe no boceo tapado,
nos fundos da ra de S. Francisco.
Ha all, diz o n uso informante, um verda-
deiro foco de miasmas, impoasivel de aflr suporta-
d.
Uto em ttmpos epidmicos, de veras urna....
belleza !
Uluheiro i paquete Para trouxe do norte
para :
Martin* Fiuza & C. 725*500
O vapor Jaeudribe levou Dar :
Macelo 91:000*000
Pmmaaii'iitoNo da 8 do correte falleceu
no engenho seu Paciencia do termo do Pilar a Exma.
Sr i. D, Lnzia Lina Cavalcaute de Albuqoerque,
genhora respeitavel e bond)sa por snas virtudes e
coracao bemfazejo e por eso geralmeote estimada
naq lella localdade e circomvisiubunr;as.
Ao seu digno filho, Dr. Liureuco Bezerra Viei-
ra de Mello e numerosa familia, enviamos as noasa
condolencias.
Ho vlMlnliosDizem-nos que em dous
predios prximos um do outro, do lado dos nme-
ros apares, di ra Mrquez de Olinda, morara
UU3 uiividii )8 que nilo se pejam de, qualquer
hora do dia, ebegar s janellas em trrjjs de Adao
n i Paraizo. offendenio assiu man e aos bont
Ojtume.
E' preciso qoe a po'i;ia local os fc compre-
li nlerem que habitara n'tima cidade civilisadn, e
que elles teem o dever de respeitar a sociedade
em cujj feio vlvem.
Pela nossa parte declinnr lhe mo3 os nomes e
iodicaremos mais precisamente as residencias, se
elles nao se contiverem.
EmbarqueNo paquete Para segu boje
par o sul o Sr. brigadeiro Agostinhj Marques de
S.
S Exc. embarca, s 4 hsras da tarde, em frente
o qoartel general.
Temperatura mxima30",8.
Dita minima26,0.
Evap'iracJlo em 24 horas ao sol
bra: 4",2-
Chuvaiiul'a.
Direccaj do vento : ESE de meia noite at 8
lioras e 50 miuutos da tarde ; E at meia aoite.
Veloeidade media do vento : 3,mOU porsegunJo.
N bulosidade media : entre 0,5 e 0,9.
Transferencia de feaiaA devocaodn
Nossa Seuhora da Couci'ico do convento de S.
Francisco desta cidade transferio a testa de st-.a
padroeira do dia 8 do corrate para Janeiro pr-
ximo futuro.
amara Municipal do Recite.Pe-
diratn-ii'is a publicacSo do eeguiute pmwev
Daudo c'ida da commissao de que fui eucar-
regado por esta Illma. Cmara, passo a espr o
que pude verificar quinto ao estado tinaucciro dos
cofres municipacs.
Pelo exame que se procedeu no dia 28 de Se-
tembro do correte auno, nota-se que ainda con-
ti t a pratic. contra a qual tenho reclamado.
d ser frito o recolhimento dos diubeiros e depsi-
tos muuicipaes no cofre particular do procurador,
nao se observando ussnn o preceito do art. 43 da
le de 1 de Outubro de 1828.
" Na occasio em que se proceden referHo
exame, nao ee podeodo cjnheeer qual o eataio fi-
nancero desta Cmara, a importancia dos saldos,
procedencia e valor dos depsitos, lunitou-se a
commissao incumbida daquella diliguucia. accei
tando as :i cUracos do procurador, a asaistir a
contagem do diuhe:ro encontrado em seu cofre e
arroamento de ttulos depositados.
O reaultado do exame consta da espectivo
termo e por elle se presumi- um. saldo em favor
dos cofres municipacs de 17:320-5000. figurando
para esta importancia a quantia de 3:614*000
distrahida com adiantamentos de ordenados a di
versos empregados muuicipaes.
Certameute nao para desejar o systcma de
escripturi-to adoptado p la Cmara na arrecada-
cao e dispendio de suas rendas ; poique dilculta
qui.l luer exame e at qutsi quo i npossibilita a
verificac.o dos documentos coroprobatorioa da re-
ceita e d. apoza, servindo em alguna casos de ga-
ranta unici a probiJade djs empregados, pois os
livros de tala) nao eo expedidos nein rccolhidos
com as cautelas observadas em qualquer reparti-
(ao publica.
Nein me rao sao escripturadas oa depsitos
recolhidos Cmara, constando ipeuas de livros
de talao que por sua natureza nao podera esclare-
cer devdaraeute a procideucia e outraa circum-
tthncias referentes aos mesinoa depsitos.
> Qualquer casa commercial. e at de liuiita-
dis- n-s transaccoe.-. tem livros de receita e dea-
pez i. de contas correntes, caixa. das divida acti-
vas, contendo em ordein alptiabctica o nome dos
devedores e a importancia dos seu dbitos, como
acontece no municipios do Rio de Janeiro desde
1837. contorma as leis daquella provincia de 4 de
Janeiro do dit3 auno, de 13 e 18 de Maio de
1838
O mesmo nSo se d as repartc5;s cargo
desta mc.uicipalidade.
Nao nada prospero o estado fioancero dos
cofres municipacs. devido oto nao s ao modo iin-
peifeito da urreeadacao. tomo tambera ao numero
avultado c retnbuico dos empregados ..esta C-
mara, relativamente aos r.-our.-oa de que dispoe. c
finalmente aos pasados cora prora i ssoa resultantes
de contractos, alguna dos quaes sem produzirera
utilidade publica.
Esta tuaco se aggrav.i pelas perdaa conti-
nuaa dvs pleitos municipios, extinguindo-se com
isso o prestigio de q le precisa a Cmara para fa-
zer observar suas leis e haver o pagamento dos
seu3 contribuintes.
Pelos dados que pude colber. venfica-se que
as dividas passivas eonhecidas at 30 de Setem-
bro ultimo attingem a muimi de 394:328*632. e
este algarismo se acba boje muito maia elevado
pelas indemuisa^ojs a que a Cmara foi cjudem-
nada s extincta companhias de lmpaza publica
e condaeco de carnes verdes.
D'entre os dbitos figura como principal o
resultante do emprstito o de 300:000000, con-
trahido com o Banco do Brasil em 1872. a quera
anda ee deve quantia superior ao valor do mesmo
emprestimo, por nao se faz- r regularmente a ainor-
tidco delle, nao obstante ter-se pago ao acamo
Banco urna somma quasi equivalente.
Para evitar tal inconveniente, urna lei pro-
vincial mandou applicar ac pagamente deste de-
bito o rendimeuto liquid do mercado publico de
S. Jue.
Anda assim. pooco proveitoao foi o resultado,
porque i.ao se adoptou a providencia do consti-
tuir se caixa de deposito para a receita deate es-
tab. .-cimento, e de impostos com sppiicaco es-
pecial, determinado em outras leis ; de modo que
nao se podesse distrah-a para tina diversos, como
tem succodido tambera com o rendimeuto do ira
posto de 300 ris obre carrocas. para pagamento
No dia 6 do corrente, na escola publica do
sexo masculino du freguezia de S. Jos do Keeite,
oh a preaidencia do delegado Iliteraria Sr. Anto-
nio de Lyra e Vlello, serviado de examinador o
professor Cyrillo Augusto da Silva Santiago e a
profeta >ra da cadeira, prestaran) exames os se-
guintes alumnoi :
l.o grao.Antonio di Souza Cousse ro, muito
adiantado.
2.* grao. Patricio Jos da Uliveira Santos,
adianta 1 i.
3o grao.Manoel Bernirdo do Carino, appro-
vado com distinecao.
Procederam-se ao da 2 aos exames da escola
publica da Baira de S fessor Mainade Juatiniauo dos Res, sob a preai -
dencia do IivJm. vigario Genuino Gomei Pereira
delegado littcraii', srvindo de examinador o pro-
fesaor Jote Nieolau Rigueira Costa, cujo rcsultadp
foi sorein considerados adiantados os alumno Ma-
noel Francisco Se Sant'Anua e F.ancisco Ferrera
do Nascimento.
Sob a presidencia do mesmo IlvJn. vigario
e serviudo de examinador o prfeasor Rigueira
Costa, proco I u se no dia 4 ao exumo da urna
almona habilitada pela professora Idalina dos
Santos L al. da cadeira da Barra de Serinbaem,
cujo resultado foi ser considerada adiantada a
alumna PretcilU Verijima de Araujo.
Na escolas publicas de Santo Amaro de Se
rinhem, regidas pelos professorea Jos Nieolau
Rigueira Costa, e D. Francisca Eufrasia da Con-
cegao, sob a presidencia do Rvdm. vigirio dele-
gado Horario, ser rindo de examinador oprofessjr
Mamede Juatiniauo dos Reis, procedeu-se aoa exa-
mes dos alumnos respectivos no dia 6, dando o
resultado spguinte : Joao Climao da Silva, muito
adiantado; Candido Jos de Oliveira Costa, adian-
tado; Antonio Vicente de Lima, idem; Mara da
Assumpcao Lima, dem; Maria doa Anjoa, pouco
adantada.
Presente a commissao examinadora composta
dos Srs. -delegad) litterario Manoel Eatellita de
Uliveira Mallo, o Jos de Mandonca Maurity e a
respectiva profeasora foram, no dia 6 do corrente
e de conformidadn com o Regiment em vigor,
examinadas as materias do 1." e 2. grao ua alum-
na da escola publica do sexo femenino da povoa-
ao de Anglicas, regid pela profestora Juven-
tina Amelia Carnoirp de Uliveira, cujo resultado
foi o se:uiute :
1." grao. Mari* Barbosa Pereira Rangel e
Amelia Rosa de Souza Cavalcaute, consideradas
adiantadas.
2." grao.Severina Maria Barbosa e Auna
Paulina Barbosa Rangel, adiantadaa.
Caruar Escrevem-noa em 10 do corrente :
No da 20 de Marja do corrente anno fuu-
dou-se urna sociedade uesta localdade, cojoa esta-
tutos a denominaraon Javentude Instructiva Re-
creativa Caruareuse.
lua'.ali >u-so ante-hantem com a maior solem-
niza Je posslvel, havend) pela manh urna sesso
magna, ua qual tomaran) parte alcm dos socios,
muitaa outras pessoaa gradas.
Depoia de feita a leitura do relatorio pelo pre-
sidente, e de pronunciado o discurso de inaugura-
dlo pelo lo orador, foi empoaaada a nova adminis-
traran, ciando ainda o Srs. capito Eatevao de
(ueiroz Lima, Jo.to Salvador doa Santos Fha,
Dr. Eutropio P. de Faria, e a Exma. Sra. profes-
a"ra~\). Amalia Piurlencia Alves L'ina recitou urna
linda ooesia denominada .1 luz.
lima banda de inusica tocou diversas peo is
explicar e mauter na scieucia a credulidade d'este
phenomeuo.
E' cousa que afflige fallar-se ainda, disso Cas
p-r, de combiiatao espontanea, que ninguem ja-
mis obsi!rv,ii, c nom vio, e euja prova consis-
ten! em cousas ouvidaa poi outros, em contot refe-
rido por pesaoaa estranbaa scisncia, e em noti-
cias de diarios, que ropugusin a todas as leis
physcas oxinhecidas.
Esto pheuomcno, ^que servio de pretexto para
cobrir inultos delictos, deve ser de urna outra epo-
cha, e nio podo ter seuio um intercase histrico
para a scieucia.
^ellAr>MEQectuar-se-ho:
Hoje :
PeZo agente Qusmao, s 11 horas, ua ra d"
Mrquez de Onda n. 19, de predios.
/'e/o agente Gusmo, s 11 horas, na ra Real,
no Poco, de movis, luuc is, vidros, etc., etc.
Pelo agente Martins, s 11 horas, no Monte de
Soccorro, de joias.
Ainanh :
Pelo agente Martin, s 11 horaa, na travessa
Vinte Qaatrj de Maio n. 13, de movis, Lucs, vi
dros, etc.
Pela agente Gusm&o, a 11 horas, na ra do
Mrquez de O.in-la n. 19, de predio.
Pelo agente Pinto, a 10 172 horaa, na rna do
Marques de Onda u. 6, de fateudas e iniudezas.
Pelo agente Silveira, a lt horaa, na ra Es-
trena do Riaano n. 24, de dividas.
MiNoas fnebre.-Sero celebradas:
Hoje :
A' 7 horas, na igreja do Carmo, pola alma de
Sebasti i Bo.irbon do Ilollauda Cavalcaate.
Amauha :
A' 7 horas, do convento ih Carmo, pela alma
de D. Leopoldina Liberata do Monte Lima.
PaMni;eirow. Chegados doa portos do
norte n> viipir nacional Para :
Gerallo Dainname, Jeito Joaquim Ferreira, Ma-
noel Varia Corroa, Maaoel de Mello, Tertuliano
Bulcao, capita Augusto Frederico de Carvalbo,
capit.o Antonia de A. Xavier e 1 criado, Marcos
Bispo da Silva, Franciaco Alves Serijo, major
Luiz Antonio Forras, Julio Ferrera Novaea, Cbris-
tian Ludringe, Thomaz.Harding, Manoel Soares,
Dr. Ciernen' .Mondes, desembargador Joao C. de
Albuquerqiio. BeojimUa Shool, Carlos da Silveira,
Antonio N ltio, F aacisco de Paiva e I filha, An-
tonio Queies Vlente e sua senbora, Augusw Bal-
tar, Gotulio Gomes, Antonio Jastino Pereira, Jos
Magalhacs. Her.icrdino Chae Joaeph Batb.
Sabidos para os portos do sul no vapor na-
cional Jaguarihe :
D. Luir Moreira Alves e 2 filhos menores, Eu-
genio Alour, Theophilo < 'amara, su i aenhora e 1
criado e Joao Alves G. uvoia Liia.
I.oUth do ParaEis oa premios da 1
serie di l lotera du Grito-Para extrahida em 14
do crrente .-
48761 200:000*000
26653 40:000*000
5804 20:000*000
10447 10:000*OCO
Estilo premiados com 5:009* :
4708 9654 35492 45798
Esto premiadoa com 2:C0J0* :
13.116 13420 25400 28823 29308 3292 J
39315 45435 47857 49341
Estilo premiados com 1:000* :
3789 4674 7h4j 8333 12600 14527 15581
CHRONCA JUDICIaRIA
ouvir o
Tribunal da Relapao
8ES8O ORDINARIA EM 14 DE DEZEMBRO
DE 1886
PBESIDESCIA DO BXM. SU. COSSELHEIfiO
QUINTINO DE MIRANDA
Secretario Dr. Virgilio Coelho
A'a horas do coat.urae, presentes os Srs. desera
bargadores em nurae o legal, foi aborta a seaaio,
depoia de lida e approvada a acta da antecedente.
Distribuidos e paasados os fetos deram-se os
seguiutea
JULGAMENT08
Habeas corpua
Pacientes .
Joao Machado Revoredo e outros.Negou-ae a
ordem, contra os votoa dos Srs. conselheiro presi-
deate e deserobargadoros Alves Ribeiro, Buarque
Lima e Toscano Brrelo.
Manoel Soares d.s Santos.Mandou-ee
juiz municipal de Bom Jardim.
Recurso eleitoral
De Caruar -Recurrente JuveucioTaciano Ma-
ris, recorrido Ro I piano Loureneo de Souza e
Silva. Relator o Sr. desembargador Oliveira
Macicl.Nao se toinou conheciinento do recurao,
uuaiiiracineutc.
Recurso crrae
Do RecifeRecrreme Francisco Cardoso Leal
e outros, recorrido o juizo. Relator o Sr. desem-
bargador Prea Gnu; a I vea. Adjuntos os Sis.
conselheiro Quciroz Barros a desembargador Oli-
veira Maciel. Negou-se provimento, unnime-
mente, e mandou-se extrahir copias para ser pro-
cessado Franciaco Lopes Machado.
Aggravo de petico
D> commercio do RecifeAgcravante Thomaz
Holma, aggravado o juizo. Relator o Sr. conse-
lheiro Queiroz Ilarroa. Adjuntos os Srs. desera-
oargaloi-ea Monteiro d; Andrado e Alvea Riboi-
ro.Negou-so provimento, unnimemente.
PASSAGEN8
D) Sr. desembargador Monteiro de Andraie ao ,
Sr. desembargador Prea Goiicilves :
_ Embargoa nfringeute
De MaceiEmbargaute a firma commercial
extracta Silva Leio, embargad a viuva e filhoa
d- .Mainel Antonio SuparJo.
Dj Sr. deaembargador Pires Gonc,alves ao Sr.
desembargador Alvea Ribeiro :
Appellacoeaciveis
Do RecifeAppcllante Manoal Cardoso Jnior,
appellado Liiz Manoel Rolriguea Valenca.
Da Bom Jardim Appellante Theodora Dor
nellas de Oliveira, appellado Manoel de Furias
Maciel.
durante a sesso, que terminou por ura viva a re- |
ligio, ao adeptoa da instrueco c aos palinurios
do progresso, aos aona do hymno nacional.
A' noite houve urna explendida partida, to-
cando ainda a msica entrada de senhoras cujo
numeio e evou-ae a ciucoenta e tres.
O edificio construido com proporces apro-
piadas para funecionar a Javentude, ficou pleno
de se horas e cavaiheiros, aocioa e convidados.
o O Club Litterario, cuja presidencia est en-
tregue interinamente ao secretario da cmara mu-
nicipal, sendo convidado nao compareceu.
A Juventulc Instructiva Recreativa, como
diz seu titulo, tem por fira a instrucca* e recreios.
Ha de fuodar muito breve escolas du instruccio
17920 20456 22835 22937 24139 27808
31795 35874 37449 37852 43017
Approximacoes
16851
33035
4S7GH
48770
2665*
26654
5803
5805
10446
10448
2:030*
2:000*
800*000
800*000
409*000
4004000
i4"*00
140*000
Lotera da provincia. Segnnda-feira 20
de Dezembro, s4 horas, soextrahir a 13 parte
da 1. lotera em beneficio da Santa Casa de
primaria e secundaria, para o que tem em seu seio | S** do Recife' ^^ n0V0 '
pesaoal habilitado.
A actual administracao asaim composta :
Presidente -Profeaaor Jos Vidiciano do Mello.
1. a crotario Antonio F. de Q. Lima.
2. ditoProfesaor Jos F. de L. Florencio.
1." oradorrrofesaor Modesto H. dos Santos.
2. ditoProfeasor Idalino I. da C. Vieira.
1. procuraiorJoo Nunes dos S. R.
'o dito Jovioo Alves da Silva.
Thesoureiro^Pedro A. Pinheiro de B.
II os p i i ni PorlnxaeiO movimento das
enfermaras deste hospital na semana fiada foi
seguate :
Kxistiam em tratamento...... 15
Entraran.............,------ 3
Sahiram curadas......
Ficam em tratamento.
18
3
15
18
Est de semana o Sr. mordumo Manoel Joaquim
Pereira.
Da roinbuwto Humana esponta-
nea ou autopyrlaChama-se combust&o es-
pontanea insineracao do corpo humano prove- I
niente de um estado excepcional do organismo.
A opinio acerca da probabilidade da combus-
tao eapontanea foi variada no passado. Hoje, e '
com razo, por quasi iodos negada. Era costu-
mc dizer-se que o individuos, dados ao alcoolismo,
poiiam ser victimas da combustao espontanea, e |
esta opinio se baseava no facto da fcil inflamma-
cao do alcool, que e acbava no organismo, e quan-
do oa casos de combustSo eapontanea referidoa,
diziam respeito exclusivamente ais bebados.
Em geral, ts historias de combustao espontanea,
sao deduzdaa de casos em que se encoutrava, in -
dividuos queimadoa, sem que o incendio tivesae se
c rainunicado aoa objectos prximos ; porm oem-
da iudemiisaco a Costa e S, cujo debito durarte pre fico proVado que na viainhanca do quei
o anno fiado nio foi am rtiaado.
laso nao aucoederia a-- nao fosse feito englo-
badameute o recjlhiraento dos diuheiros arreca-
dados.
Confrontando o resaltado da exxmc que se
proceden a 28 de Setembro com o balanc/i forneci-
dj pela contadoria, v-se que uesse dia devia
existir no cofre um saldo em favor da Cmara, da
importancia de 19:418*156 e nao de 17:320*000.
Do que resulta um pequeo dficit de.....
2:098*150.
Pelas razoea exp^stas nao se pode conhecer
ao certo a importancia das dividas activas.
Eis em resumo o estado das rendas munici-
paea.
Indico a adopcao dao aeguintes providencias :
Que se faca o recolhimento mensal no cofre de
trea chavea, noa termos do art. citado, dos di-
nheiroa rreeadadoa, foruecendo-ae ao procurador
a qnantia mais ou menos necesaaria para occorrer
as despesas do mez :
Que se faca cm livro proprio u cscripturacao
doa dopoaitos:
Que se organise urna relsQo por ordem al-
pbabetica de todos oa ievedores da Cmara, mea
conanio-se a importancia de sens dbitos :
Que ae ordene mais actividade na respectiva
cobr-tnca :
Que ae escrptnre um livro caixa para que
com facilidade so conheca o estado dos cofrea mu -
nicipaea :
Que ae coustituam caixas de depsitos para as
receitaa cem applicaco eapeciul.
Entretanto esta Cmara adoptar as medidas
quejulgar mais convenientes.
Recife, 7 de Deaembro de 1886.O vereador
commissario,Jos Francisco deOes Cavalcaute.
Etanet primarloNa 4.a cadeira de
nstrueco primaria do aexo masculino, na fregu
zia de Santo Antonio do Recife, procedeu-se no dia
9 do corrente, o exame do primeiro grao, aob a
presidencia do reapectivo delegado Iliterario Dr.
Olympio Marques da Silva, sondo examinadores o
profeaaor Francisco Carlos da Silva Fragoao e a
profesiora da cadeira Thereza Emilia de Souza
Gomes; dando em r saltado screm considerados
adiantados (plenamente) os alumnos Carloo Vicen-
te das Chagas, Tertuliano Maria Suva Campo e
Camillo Luiz Hamburgo de Mello, e pouco adian-
tados (implesmente) oa alumno Joao Francisco
Regea e Casimiro Galdino Pessa.
No dia 6 do corrente, sob a p*esidtncia do
delegado literario, Dr. Aquilino Gom> Porto, e
examinador nomeado, profesaor Joaquim Jos de
Moura e a professora da cadeira D. Claulina Ma-
ria da Conceico, foram submettidos a rame do
2.o grao oa alumno da escola publica da 2.a cad'-i-
ra da cidade da Escada, cujoa reaultados foram oa
seguate i
Mara Olympia de Sena e Silva, muito adian-
tad.
Julia Martinha de S Leito, dem.
Margard Maria da Cuuceico, adantada".
mado ae acbava togu ou luz.
Seja como for, a pnsaibilidade de urna combus-
tao eapontanea extraordinariamente impoasivel,
nem eequer tal opi ao pode ser modificada em
vista de factos narrados por autorisados escripto-
res, e em todo ctso convem lembrar que a explica-
cao de tal phenomeni nao possive!.
O facto de combustao humana espontanea, que
h i dias appai eceu narrado naa folhaa deata cida-
de nao em sub-taocu e nem em natureza, diver-
so da combustao ordinaria. Elle fez-nos lem-
brar a combustao de um bebado que, segundo Dj-
puytren, ae queimou aem que o alcool, quauto a
imoibico doa tecidos. em nada entraese no desen-
volvimento da combustao espontanea, serviado
apenas para reduzir o individuo a um estado so-
poroso c de coma. A coma produaida pelas be-
bidas espirituosas ao ajunton a aapbyxia deteirai
nada pelo carboneo, e reduzido a este estado de
insensibilidade nao sentio o fogo que lhe ataecn a
roupa e passon ao corpo.
Em confutaco doutrinaa n'aquellea que ad-
mittem explicacoea deate prodigioso pbenomeno,
Bischoff, na sua exposico oral oa audiencia pu-
blica do Tribunal de Assise de Darmstad, em con-
tradiccio aoa que admittiam a autopyria humana,
partind i de certa a thtoriaa, e da .ualogia do caso
offerecido pela condesan de Garlitz, assaaainada e
depoia qaeimada, auatentou tnurapbalmente :
,-l.o Que os factos allegado sobre a combustao
humana espontanea nSo podiam ser aceitos pila
sciencia, porque nao tinham nenhum carcter de
histrica authenticidade, e apoiava se gmente so
bre contoa de pc-ssoas estranbaa arte salotar, aa
qur.e jamis se acharam presente manifeata-
co dease phnnomeno, para apreciar os seus cara-
cteres e verdade.
2.o Que a combustao humana espontanea, eat
em coutradiccio com aa lea pbiaicas da chamma
e da combustao
3 Que o deaeavolvimento e a produeco da
combustao humana eapontanea eram incompativeia
com aa leia da vida hnmana, tanto em estado de
sade. como de doenca.
Sustentadas estas pnpoaicuea, Bischoff concluin-
do diase Eu, pois, nio neg oa factos, porque
nao oa posan explicar, mas oa neg porque a sua
existencia eat apoiada explicacoea que transtor-
tiatn as leia da phiaica, dachimica. da pbytielogia
e da p itbologia
A hypotheaa da combustao humana espontanea
foi rejeita la pelo tribunal e o imputado, qua era
um criado da Condessa. foi condemnado prisao
perpetu. Os jornaes daquelle tempo aununeiaram
que pouco depois o condemnado confesaou na prito
tes sido o autor da combtisldo da Condessa, depois
de ter esvasiado o c\fre.
J Liebig, pouco antea deate clamoroso proceaao,
tinha noa jornaes apreaentado gravea objeccoea
contra a admisao da combustao espontanea, aa
qnaea tiverara depoia por cata jurdica oceurren-
cia o sea deaeavolvimento ecientifico, combateado
em detalhei as prevenidas theoriaa, destinadas a
No consistorio da igreja de Noasa Senhora da
Conceicao dos Militares ser toita a extrac{So
pelo syatema da machina Ficbet.
LoteraA 14 parte da 1* lotera da provin-
cia, em beneficio da Santa Casa de Misericordia
do Recife, pelo mvo plano, cajo premio grande e
100:000*')>> s-r extrahida oo dia 20 de Dezem-
bro.
Oa biihetea garantidos acham-se venda n
Oasa da Fortuna, ra Primeiro de Marco nume-
ro 23.
Tambera acham-se venda na Casa Feliz,
praca da Independencia na 37 e 39.
Cirande lotera da provinciaA 6 >
aerie deata lotera em beneficio doa ingeuuos da
Colonia Isabel, cujo premio grande 240:000*000,
ser extrahida no dia 16 de Dezembro.
Oa biihetea acham-se venda aa Reda da For-
tuna ra Larga do Rosario n. 36.
laoterla no RioA 2* parte da lotera
n. 366, do novo plano, do premio de 100:000*000,
ser extrabida no dia de Jezembro.
Oa biihetea achara-ae venda na Casa da Foi -
tuna ra Primeiro de Marco.
Tambera acham-se venda na praca da nae-
pendeucia na. 37 e 39.
botera da rorteA 4 parte da 201 lo-
tera da corte, cujo premio grande de 100:0004
ser extrahida no dia 18 de Dezembro.
Oa bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna na Primeiro de Marco n. 23.
Tambera acham-se veuda na praca da Inde-
pendencia na. 37 e 39.
liOleria rUliniinllarla do 1 piran
a;a -O 4."eultiin osorteio daa 4. e 5." asnea
desta impartate lotera, cujo maior premio de
150:000*000, aera extrahida ao dia 16 de Dezem-
bro.
Acham-se expootos venda oa reatos doa ti-
tea na Caa da Fortuna ra Primeiro de Marco
n. 23.
Tambem acham-ae venda na praca da Inde-
deodeucia ua. 37 e 39.
Halailnuro PublicoForam abatidas ac
Vlatadouro da Cabanga 73 rezes para o coaeumo
io dia 15 de. Dezembro.
Sendo: 56 rezea pjrtencentea Oliveira Castro,
de C., e 17 a diveraoa.
Mercado Municipal de S. JoneO
movimento deste Mercado nos dias 12 13 e 14 do
correte foi o seguate :
Enirarara ;
105 boia pesando, 16,768 kilos.
1220 kilos de peixe a 20 ris 24*400
166 cargas de farinha a 200 ris 33*200
23 ditas de fructaa diversas a 300 rs. 6*900
12 tabolciros a 200 ris 2*400
47 Su una a '00* ris 9*400
Foram occuoados :
76 columnas a 600 rea 45*600
66 compartintoatoe de farinha a
500'ria. 33*000
58 ditoa de comida a 500 ris 29*000
199 ditos do legumea a 400 rie 79*600
49 dito do anio a 700 ria 34*3 HJ
33 dito de treaauraa a 600 rea 19*800
30 taihoa a 2* 60*000
11 ditos a 1* 11*000
A Oliveira Castro AC:
162 talli ia a 1 ria 162*000
6 taihoa a 500 ria 3*000
Deve ter sido arrecadada neate dia
a quantia de
Kendiuicntu doa dia 1 a 11 de Do-
zembro
DILIGENCIAS
Com vista ao Sr. conselheiro promotor da jus-
tii-i :
Appella^ea crimes
De Pj dAlhoAppellante Francisco Antonio
Gomos, eoah. odo por Chico Grande, appeilada a
juatioi.
De PiloeaAppcllante Agostinho Ribeiro, ap-
peilada a jjatic-i.
DISTRUiUICES
Recursos eleitoraes
Ao Sr. conselheiro Queiroz Barros :
Do RecifeRecorreute Pouciano Carneiro da-
Cunha, recorrido o juizo. .
De JaboataoRecorrcute Augusto Felipp- de
Souza Leao, recorrido Pedro Guedea Alcotorado.
Ao Sr. deaembargador Buarque Lima :
Do RecifjItecorreute Manoel Gomes de Sou
za, recorrido o juizo.
De JaboataoR corrente. Augusto Felippo de
Souza Liii), recorrido Numenano Birboza da
Silva.
Ao Sr. de3emba,igador Toscano Barreto :
Do RecifeRecorrente Pelro Pereira do8 San-
toa, recorrido o juizo.
De Iguarass- Recorrente Antonio A'ves Bar-
boza, recorrido oju'zo.
Ao Sr. deaembargador Oliveira Maciel :
Do Recife Recrreme Manoel Ncmezio dos
Santos, recorrido o juizo.
Ao Sr. deaembargador Pires Ferreira :
Do Recife Recorrente Emilio Ambrozio Al-
ves Falcao, recorrido o juizo.
Ao Sr. desembargador Monteiro de Andrade :
Do ReciteRecorreate Thcoioro Rotilo X-tvier
Ramos, recorrido o juizo.
Ao Sr. desembargador Prea Goncalvea :
De JaboataoRecorrente Augusto Felippe de
Souza Lelo, recej-rido Pedro do Reg Barros Ca-
valcante.
Aggravos de petico
Ao Sr. desembargador Toscano Barreto :
Do RecifeAggravante Joa Cesar de Quinan,
aggravado o juizo de ausentes.
Appellacao civel
Ao Sr. deaembargador Toscano Baireto :
Da EscadaAppellante Deodato Luiz Francia-
co Monteiro, appellado Luiz Lopes Ferreira.
Encerrou-sca sesso a 1 hora e 1/4 da tarde.
D. Maximira de Oliveira Santos.
Procurador geral
O Illra. Sr. commendador Jos LaqasJa.aWe-
gard.
Theaoureiro
O Mu. Sr. Manoel Moreira de Socec.
Adjuntos de theaoares
Oa Illms. Sra:
Io Manool Mireira Campoa Juais*.
2 Affniao Olivtira.
3o J..g Antonio do Cont Viaaaa.
4" Joo Pedro daa Naves.
5 Jos Miguel dos Santos.
6o Marcelino Eirato Jos do Sousa.
Procuradores
Ca Illma. Srs :
Simio Carlos da Silva.
Jos Antonio Pereira.
Joaquim Maia Sobrinho.
Alfredo da Coata e Silva.
Joo da Costa Pereira.
Bernardina Maia.
Alfreao Gomea Leal.
Frederico Antonio da Costa.
Runualdo da Silva Braga.
Joan Miguel dos Santo.
Domingo Manoel Mirtina.
Antonio Baptista de Araujo Sourioae.
Jos Antonio doa Santos.
Leonardo Antonio da .-Iva.
Manoel Joaquim dos Passos Gumare&.
Manoel Jos Vieira.
Frederico da Silva Magalbes.
Joio Nep>muceno Coelho da Silva.
Joao Gomea de Oliveira.
Joaquim Quedes Vol- ote.
Joo Martins da Silva.
Venancio Rosas.
D.-odato Goncalvea Torrea.
Joo Njnea Ferreira Coimbra.
Tiburcio Adelino de Oliveira.
Auguato Med' iros.
Antonio Mereira Pinto.
Joa Autonio Moreira Jnior.
Freguezia de o. Fre Pedro Goaeshrat A l*<
ate, 8 de Dezembro de 18S6.
O vigario,
Joao Augusto d* Nascimento FetAm.
V
Ulei^o
DOS DEVOTOS iJ0g HAO DE FSTE/A* !P64S*
SENIIOBA DO LIVRAMESTO NA ViTtO.Br
PALMARES NO aNNO OE 1887.
Juiz por eleico
O Illm. Sr. : Manoel Albino de Mesqci-
Juiza por eleicao
A Exm i. Sra. D. Mana, esposa do eannsa icZ
Fe.ix Pereira.
Juiz por devcr;ao
O I.lm. Rvdm. Sr. Conogo Dr. Joaqvat (xocsm-.
de A'aiij >.
Juiza por devocao
A Exm. Sra. D. Mario, esposa do 'i Pimi
Marianno da Silva Netto.
Juizes protectores
Oa Illms. Srs. :
Rvdm. Conejo Idaliuo Fernandea de Saos.
de
Petasaen a
PIBL1C4C0ES A PEDIDO
553*6(0
2:151*410
2:705*040
Foi arrecadado liquido at hoje
Precoa do dia :
Carne verde da 200 a 480 ria o kilo.
Carneiro de 720 a 800 ria idem.
S iino. de 560 a 640 ris idem.
- Panana de 240 a 320 'ia a cuia.
Milho de 280 320 ria idem.
Feijo de 560 a 640 dem.
Foi mandado lacear ao mar 35 kilos de carne
arruinada, de Ol re>ra Castro & C.
Ceiiiiierlo psjibllco.Obituario do dia 13
d le e nbro :
Ma-.ucl, I*. riMunbuco. Santo Antouio ; aspbyxia
ao nasetr.
Maria Pran no, estad, B*-Vata ; tabrculoa pulmonare8.
Joa H ineterio da Ciuz, l'ernambuco, 17 an-
noa, aoiteiro, Santo Antonio; aapbyxia por aub-
raersilo.
Damio. Prnambiico. 3 mezes. BovViata ;
convuliea.
Emiia jomes dos Santoa, Eenambuco, 26 an-
uos, iguora-aj o estado, Boa-Viata ; tiaica pul-
monar.
Adolphe.Pernambuco, 2 mese, 8. Joa; clica
iiitestianl.
vu
Don devotos que teem de feailejar
\o Arco no anno de 1889.
Juiz por elcicao
O lllm. Sr. 1 ..o Baptiata Pereira de Souza.
Juiza por eleicao
A Exma. Sra. D. Amelia de Carvalho Reis.
Juiz perpetuo
O Illm. Sr. commendador Luiz Antoniojde S-
quoira.
Ju za perpetua
A Exma. Sra. D. Mana Rita da Cruz Neves.
Juizea protectores
Os Illma. Srs. :
Antonio Goncalvea de Azevedo.
Franciaco Manoel da Silva.
Joo Jos Rodrigues Mondes.
Antonio Francisco Corga.
Corooel Jos Gomes Leal.
Franciac > Jos dos Pasaos Guimarcs.
Joa da Silva Rodrigues.
Manoel Jos de Araujo.
Tenente-coronel Manoel de Azevedo Nascimento.
Tenente coronel Manoel Goncalvea Pereira Lima.
Juzas protectoraa
Aa Exmaa. Sras. :
Baroneza de Serinhaem.
Baroneza de Morenos.
Baroneza de Nazaretb.
O. Maria da Cunha Rea.
D. Thereza Guilhermma Fernandes Ribeiro.
D. Maria de Mello Guimare Rxh i.
D. Basilia da Costa Carvalho.
D. Joaquina Victoria Simo ja Coutinho.
D. Marianna da Cunha Magalhea Oliveira.
D. Adelaidc Zulmira daa Nevea Baltar. '
Juizes por devocao
Os Illms. Srs.:
Mauoel Joaquim da Coata]Carvalho.
Adolpho Suzembacb.
Adolplu Fernandes da Silva Manta.
Francisco Floro Leal.
Antonio Jos Vieira.
Antonio Duarte Caruairo Vianna.
francisco Antonio Corroa Cardoso.
Corone! Domingos Al 'es Matheus.
Antonio Augusto Pereira daSil\a.
Autonio Nunes Ferreira Coimbra.
Juzas por devocao
Aa Exmaa. Sraa. :
D. Anua Soares de Amorim.
Viscondetea do Livramento.
ViBcondeesa da Silva Loyo.
Baroneza de Aguas-Bellas.
D. Maria Joaquina Ferreira Gomes. <
D. Amelia Ferreira Bartholo.
D. Joaquina Simos Bariosa.
D. Arm.nia Cardoao da Cruz Mesquita.
D. Maria Rodrigues Pinheiro.
D. Zulmira Das Fernandea Soarca.
EacrivSo por cleico
O Illm. Sr. Joo da Cunha Magalbes Jnior.
Etcnv por eleico
A Exma. Sra. D. Amelia Leal Temporal.
Ecrivaea por devocao
Oa lilma. Sra. :
Henriquo da Cunha Porto.
Alberto Diaa Fernandes.
Joaquim Joa de Amorim.
Joanuim Ferreira da Cuuha.
Antonio Lopea Braga.
Jca Prudencio do Santo
Escriva por devocao
Aa Exmas. Sras :
D. Philomena L yo de Amorim.
D. Maria Petroliua da Silva Leitao.
D. Julia da Silva Ljbr.
Rvdm. Fre Augusto da Immacuiaoa
lveo.
D,-. Felippe Figueiiide Faria.
Dr. Franciaco Pothier Rodriguea Lima.
Jos Pereira Magalbes Bastoa.
AatOnk) Leite Magalhaea Bastoa.
Dr. Manoel Falcao de Azevedo.
Profeaaor Trajano Felijipe Nery BareeK.
los Bernardo da Silva.
Firmino Mariunno da Silva Netto.
Antonio Radrigues Braga.
Luiz Franja Pereira.
Austrecliauo Medeiros Mello.
Hygino Pacheco Queiroga.
Juzas protectoras
Aa Exmas Sraa. :
D. Marceooilla, filha do Sr. Francisca Pig/mim
de Faria.
D. Isabel Augusta Xavier da Mata.
D. Beimira, ospoaa do capito Izacio
Almeida.
D. Antonia 'rat. Bueno.
D. Antonia de Araujo Franca.
A esposa do Sr. Jos Pereira Ramos.
A esposa do Sr. Tenente Joaquim F
Sant'Anna.
A esposa do Sr. Jos Hecrique de N-
A esp.sa do Sr. Leonel Augusto daConV*.
A esposa do capi'.o Joaquim Estevas it 6r
veia.
A filha do Sr. Francisco Antonio Prera,
D. Gal dina, espoaa do Sr. B llaroaas
Viaoua.
D. Rosara Maria da Peoha.
Escrives
Oa Illms. Srs. :
Dr. Joo Z iferiuo de Prea Lyra.
Joa Goncalo de Sant'Aooa.
Manoel Marquea Souza Ramos.
Manoel Francisco Sintoa Audrade.
Manoel Emygdio Fernandos das Virgdmt.
Ludgero Souza Ramaiho.
Torquato Guimarea.
Joaquim Nogueira.
Jos Luiz Pereira.
Alteres Mauoel Joe Ferreira da Costa.
Manoel Jos de Sant'Anna.
Manoel Bruno Dias das Chagas.
Manoel Gomes Morim.
Gervasio Pereira.
Domingos Fernandes Correia.
Escriva
As Exmas. Sraa. :
D. Joaquina, esposa do Sr. Benedicto Laua a
Albuqu rque Sobreira.
A espoaa do Sr. Joo Felippe Nery Styairia.
D. Francolina, esposa do Sr. Rozeaco tahn
Camello.
A es;.osa do Sr. Joe Joaquim Routs Barniz..
D. Lconida dos Sautos Magalhaea.
D. Joaquiua Maria Peres.
A esposa do Sr. Jos Eurico-
Mordomos e mordomss
Todos os devotos e devotas de fiiosat Seadure
do Livramento.
Procuradores
Flix Ribeiro de Lima.
Pedro Mariano ae Araujo.
Joao Gvldino Sampaio.
Manoel Barros Araujo.
Manoel Pitta doa Santos.
i a mares, 14 de Fevereiro de 183S.
O theaourer^
Benedicto Laza-o de Albuqucrque Simad*
Est Hssigoada pelo vigario Fianciaej
Je Souza Araujo.
'i
-
Ao publico
Domingos dos Santoa d'esta data esa di su'.'
passa a aasignar-se Domingos Marqieaas San-
tos.
Recife, 14 de Dezembro de 1886.
Despedida
Retirando-me para a cflrte, por ordeaa a go-
verao, no vapor Para, peco desculpa ataja* e
amigos de quem nao pude despedir-me.
Brigadeiro Marque de S.
Manoel, Poriuuibuco, 16 mese, 8. Jja ; con- IX Angalica Maia.
ilsoes. D. Margarila Ferreira Marque*
mata as aa
Declara^ao
O meu mo e deapeitado visinho,
gratuit > perseguidor, voltou ainda na
sua reclamaco sobre a chamiu da padaaa. 6,
na Passagem!!.. padana, que, conoji4aa%
aqni satabelccida 42 annos, e qne eaa Ceas* al-
guno cuaca ncommodou a viainlianea!!
Para que ae conhecaa s*m rar-io desto asea asa*
visiuho, l-aata oo a a antiguidade da ditacaa-
min, como tambem o declarar que a* a aaasK
te elle... o meu peraeguidor queixar-** alo
alguna visinbos, como diz ; isto aeaaw por snes-
quinho deapeito, nao tendo aid', neaa sea*a.*st a
nica victima ueste lugar de semelhaota algaa...
Se este senhor se acha realmeate incoase*dada,
autoriso-o s que mande f >zer o augmento <|ae jan-
gar para eeu bcm-eslar, o que prcaeatesMaU-aio
posso fater pela deficiencia de recuraas, basta j
augmento do alu^uel que sou forjado a pagar, por
causa deate ncu mo vjainho, to someato para
evitar deoitfir os aranzis injuriososeoosaa ^s*w
costuma mimosear aeus viainhoa oaatigvsa as
meamoa predios que mor* e tem morad*
Teuho plena certeza de que os Sra. naeaahwa d*
Illma. Cmara e o Sr. fitcal, nao se puataail a
eatisfazer capiichoa de quem quer que aja, eai
perca doa ineus intenaaea; p quillo.
Recife, 14 de Dezembro de 1886.
Jos C stjdto Laureara.
MUTILADO
aiWL,


Diario de PernambucoQuarta-feira 15 de Dczcuibro de |3S?6
Consorcio
No sabbado pasando cas m le na capella do pa
:acio episcopal o nosso amigo Sr. Theophilo Leo-
poldo Raposo da Cmara com Mademoiselle Aliee
Adour. Celebrou o acto o Revd. padre Lobato,
sendo padrinbos por parte do noivo o xm. Sr.
Dr. Henrique Marques de Hollanda Havalcante e
sua Exina. consorte D. Mara L. de Hollanda Ca-
valcaote. e por prirte da noiva o Exm. Sr. Dr.
Miguel Jos de Almeida Pernainbaco e a Exma.
Sra. D. Luisa Moreira Alves.
AsBistiram ao acto muitas pessoas gradas da
aossa socedade.
Desojamos aos joveos desposados mil venturas.
Ao Sr. Antonh Macha-
do dos Santos
Nao ten ha cuidado o Sr. Machado.
Ninguem tem mis interease em conservar o mea
dote do que ea mesmo. O que lamento que
aellej o Sr. Machado tenha muito honestamente
distrahido quinzeeontos de ris, sendo en obnga-
da a pagar at os prese atea que o Sr. deu-me !
O sea annuncio para quera conhecer a historia de
seo casamento, smente merece desprexo e muito
desprezo. Ja no est pago e de mais'de seu preeo ?
E' quanto basta.
Recife, 14 de Dezembro de 1886.
Mara da Conceicao Seixas.
A' MINHA AMIGA
Cragratulo me felicitando a amiga
e collega
Juila Germana Rlbeiro
"pela sus prova de distineco, em
portugus e francez que obteve^
no dia 11 no collegio de Sanfa.
Luza.
Recife, 15 de Dezembro de 1886'
Lcmbranca de saa amiga
Maria Hermia Laberty.
methodica de tudo quano foi f scripto 6 julgado
sobre execucoes; e sempre, nos julgamentos que
formula, nos avisos que emitte, encontra-se essa
aagacidade que d a pratica dos auditorios, e ao
mesmo tea pa essa seguranca de julgamento, que
propna do homem versado na sciencia do di
reito.
A lei de 5 de Outubre de 1885, que citamos ci-
ma o seu regulamento, e que ainda nao foi como
merece objecto de commentario especial, seno de
infl xive 1 censura, pelas desordens ou tempestades
que ha de vir a produzir e como em grande parte
o mostrou, na discusso do senado, o preclarissimo
c inselheiro Jos Bonifacio, que repentina morte
acaba de arrebatar ao engrandec ment de nossa
patria, collocou o autor em terreno novo e d'onde
he vieram as Addicoes mencionadas; e, ainda as-
sim, nJo se rede deixar do louvar o cuidado com
que o Sr. Dr. Leite Velho executou esse resu-
mido, mas difficl trabalho, e as approximacois
comparativas dessa lei com as anteriores que veio
substituir.
Com tees elementos, nSo se pode devidar que
esta obra deixe de !er todo o xito.
A abundancia das pesquisas e facilidade das di-
visos e as justezaa das observacoes do autor con-
servaro sempre, com iffeito, sua obra esse ca-
rcter mcontestavel de utilidade que qnalqucr,
que so oceupe de taes assumptos por elle explora-
dos, ha do c.mpraxer-se necess.iriam.nte em o re*
conhecer.
Carlos TerdioXo.
Rio de Janeiro, 15 de Novembro do 1886.
(Da Gaztta Jurdica, de 15 de Novembra
1886.)
A' VENDA
LIVRARI1 FR.i\('i;i,
N. 9Ra Primeiro de MarcoN. )
Obra completa encadernado 10&00O
Jo
Transforma o
Una das maiores marnvilhas
Bibllographla
Monographia jurdica e pratica da execucoes de
sentenca em processo civil, pelo advogado Dr.
Bernardo Texeiras de Moraes Leite Velho
1885e Addicoes mesma1880. Rio de Ja-
neiro2 vduines in-8.
O processo, ja se dase com r.zao, era outr'ora
verdadeiro engrimanco. Consista em pratica an-
tes qoe em theoria; nao ae ecsinava as escolas
de direito, aprenda se em casa dos procuradores.
H je parte da sciencia, e ua> a menos impor-
tante ; tem suaa definicoes, seus axiomas, seus dcs-
envolvimentos e suas controversias ; ensina-se na
fsculdade, e obras uvdhodicas desenvolvem-lhe
os principios e al consequenias.
Entre essas obras, a do Sr. Dr. Leite V.lho,
que indicamos hoje, seguramente ama das que
responde melhor as necessidadea jurdicas e orti-
cas das execucoes das sentencas no processo ci-
vil ; porque cpplica com felicidade systema de pu-
blieaco qne nao toi ainda seguido em tal materia,
e que aprsenla a dupla vantagem de economisar
o tempo do leitor e de dar sobre os ramos diversos
dessa chamada nova instancia a reunio mais com-
pleta das nocoea que resultara da jurisprudencia e
da doutrina dos autores.
Pide-se qaasi dizer que a obra o commenta-
rio principalmente da lei de 20 de Junho de 1774
e depois as Addicoes, o da lei de 5 de Outubro de
1885 e do decreto de 25 de Janeiro de 1886, com a
ynopse, em forma de cdigo, de todo o processo
das execucoes hypotbecarias e pignoraticias.
Por ahi se v o cuidado que o autor pz em
aperfeicoar sua obra.
A:ima de cada artigo ha a indicaco summiria
das pa'avraa indicadoras e o quadro aynoptico das
divisoes e aubi'visoes da materia, que qualquer
rwde alcanzar em laoco de vista. Vein depois as
oroposcoes em ordem lgica, comecando pelos ru-
dimentos, cue o autor leve o cuidado de despren-
der claramente, depois pelas consequeocias mme-
diatas, qne elle assienal a algumas veres, para
mai. r ligncao, em rubricas diatinctas, e afinal por
elementos de controversia fundados as opinioes
contradictorias dos cscriptores de pratica judicia-
r, e as decisdea variadas da jurisprudencia.
Tal a economa geral do trabalho do Sr. Dr.
Leite Velho.
Todava, digamol-o, a Monographia Jurdica e
Pratica das Exeeucbes de Sentenc nao obra de
compilacao. O autor interven) ah muitas vezes
com sua responsabildade nesaa revista exacta e
mjmtmmm
391
da sciencia medi-
ci a rapidez com que a Satsaparrilln de Bris-
lol, restituc as torcas perdidas aos doentes. S a
experiencia pode pennittir aos enfermos o realiaa-
rem os seus effeitos nos casos de dtbilidade geral.
Puco importa o estado de prostraco p'ysica a
5 Manoel Gomes da Amorim Jnior, dem.
6 Alfredo Pereira Santos, dem.
7 Antonio Carlos Lopes Leona, dem.
2. SERIE
(Leitura, aritbmetica, desenho, prosodia, orthogra-
phia e analyses prosdica e orthograpbica)
1 Amelia Clementina de Carvalho, approvada com
distineco.
2 Carlos Gomes de Mattoi, dem.
3 Braz Augusto Carneiro Leao, approvado ple-
namente.
4 Joo Francisco Nesmo, ideui.J
5 Olympio Braz Carneiro Leao, idem.
0 Jos Augusto de Castro Monteiro, approvado.
7 Martinbo Medeiros, dem.
8 Manoel Torres, idem.
9 Manoel Texera, idem.
Ful tarara 3.
3.* SERIE
(Letura, aritbmetica, desenho, lexicologa, redac-
cao, pbysica, meteorologa e cosmograpbia)
1 Vital da Silva Mello, approvado com distine-
co.
2 Augusto Vctor Martins, idem.
3 Americo de Azevedo Marques, approvado ple-
namente.
4 Claudio Pereira da Cunna, idem.
5 Eulogio Antones, idem.
6 Heilor de Azevedo Marques, idem.
7 Jos Teixeira Coimbra, dem.
8 Pedro Teixeira de Araujo, idem.
9 Arthur Souza e S, approvado.
10 Jos Firmino Flores, dem.
11 Manoel Gomes d'Olivcira e Silva, dem.
12 Manoel Guimares, idem.
Faltou 1.
1 SERIE (exarae final)
(Leitura, arthmetica, desenho, syntaxe, redacco,
geologis, geograpbia c historia do Brasil)
1 Jos Francisco Martins, approvado com dis-
tineco.
2 Alberto Fiock Pinto, approvado plenamente.
3 Augusto Martina Sldanos, idom.
4 Graciliano Martins Filho, dem.
5 Jeito Silvoira, idem.
6 Ernesto Soares do Amaral, dem.
7 Francisco de Barros, idem.
8 Joau Joaqum Alves Guerra, approvado.
Faltaram 3.
Depois de concluidos os exames, o Sr. Dr. Ayres
Gama procedeu a entrega dos diplomas, exhortan-
do os alumnos a perseverarem no estudo, e resal-
que o doento se veja rcduz.do, po,s a Salaaparri- ,ando 0 bom CIito que elles merecidamente tinhara
Iba de Bristol, Ibatorn.r a restituir. Algunsm:- 0DtJ0
lili' ra f.pm currtrfu-'i.lrt u iniannS.i .1.. ......... I
dicos tem suggerdo a injeccao de saogue puro
as vcias dos enfermos, porm este poderoso res-
taurativo converte cada urna g-otta de sangue do
corpo do doente i m um tnico eiScaz capaz de
prestar nozas forcas aos msculos, aos ervos, ao
estomago e a toJo o mchiusmo animal.
Que iKnbuin i pessoa por mais fraca e dbil que
seja perca a esperanca de viver at urna idade
mu avancada, porque uesta preparacio existe um
principio vital que restabelece as forc.s dos maii
debis como por encanto.
Acha-se venda em todas as boticas e lejas de
perfumaras
Agentes em Pernambuco, lcory Foster 4 C,
ra do Commercio u. 9.
Emquanto houver oi ventilaco, chapeos aper-
lados, imperincaveis ao nr e outras influencias no-
civas, haver milharca de tutuma da calvicie e
d.is cans prematuras, sein filiar de v.irias moles
tiaj cutneas a que est exposto o couro cabellu-
do. Foi com o objecto de inirgar estes males que
o prufessor Barry utroduzo o ten inapreoiavel
TrirolVro. e entre os mil a um competidores
elle hoje o nico aumentado pelo favor o patroci-
ciuu do publico intelligente a de bom gosto.
senboras acham-se debilitadas por
cousideracoes sociaes a que se jul-
COMMERCIO
Hol^a comuiervlal de Pernam-
buco
RLaFE, 14 DE DEZEMBRO DE 188b.
As tros horas da tarde
Cciaces oiticiae*
Jambio sobre Londres. 9i> d|V. 22 3|1 d. por 1000.
particular, houtem.
90 d/v. 22 3/4 d. por 1*000, do
Dito sobre dito,
banco.
Quando as
attendereiu a
gam "brigadas, asaatindo a biiles, theatroe outras
reunios durante o invern, pcito acudir a
iirnpo afim de evitar que essa debilidade deg nere
em verdadeira anemia O melhor meio tomar o
xarope de quina ferruginoso d-: Grimault & (".,
que, pela intima combiu u; > do phospnato de ierro
com a quina, desperra rpidamente o apetite, le-
vanta as forjas c vstabelcce a saude que tora al
turada.
In ilulo Dezeive de Abril
Realisaram-se nos das 9, 10 e 11, os exames da
aula infantil d'esse til estabelecimeuto de ensino,
sob a direcca* dos Srs. Drs. Luiz Porto Carreiro c
Carlos Porto Carreiro.
De accordo com o programma de esfudos do In-
stituto foram feitas as provas eseripta e oral de
cada urna das series, perane urna cotnmia&ao com-
posta da profeaaora Maria Amelia de Araujo e
i s protessorea Jos Jo.iqtrm Bor^-s Ucha e
Francisco Carlos Fragoso, sob a presidencia do Sr.
Dr. Ayres Gama.
resultado fui o segante :
1.' SERIE
(Leitura e arthmetica)
1 Lon Paul Munier, approvado com distinccSo.
2 Cesar R .mulo Silveira, approvado plenamente.
3 Thomaz Alves Guerra, dem.
4 Arthur Soares da Silva, approvado.
O presidente,
Pedro Jos Fimo.
O secretario,
Candido C. G. Alcofoiado.
1 SIS DIMliNTOS PBLICOS
lies de Dezembro de 1886
ALFANDEGA
fi Del a 13
.iem d 14
TOi raovmciic
De 1 a 13
dem de 14
364:273770
44:357*050
6L586J855
7:511*657
408;630/820
69:098 5512
Tclai
iaem de 14
'JoSSDLAOO HBOVIIICIAL1)'3 1 a 13
dem de 11
477; 729*332
21:534*714
2.00j*401
23:544*115
20:667*977
2:749*328
\\CTU DBAVHAOB----''O
dem da 14
1 a 13
23:417*305
5:225*75'
313*018
5:538*803
DESPACHOS DE IMPORTAQAO
Vapor nacional Para, entrado dos portos do
norte, no dia 14 do corrente e consignado ao Vis-
oonde de Itaqni do Norte, manifestou :
Batatas 50 caima ao consignatario.
Birris vazioa 150 b Amorim Irmos & C.
Pipas vacias 12 a A. Taborda.
Vapor americano Finance, entrado de Ncw-
V >k e escala no dia 13 do corrente e consignado
B H. Forster & C., manifestou :
Agua fljrida 25 volum's a Ant nio Duarte Car-
r.eiro Vianna, 3 a Faria Sobrinho 6t C.
Arcos para harricas 100 feixes a Francisco Ri-
l Pinte Guimares & C, 100 aos consignata-
, 25 ordem.
Agua-ras 10 caixas a Bartholomon, 6 a Manoel
Alves Rarbosa Successor.
Amostras 3 volumes a diversos.
Brinso 6 caixas a Csetano Cyriaco da Cosa
Mcreira.
Bacalho 400 bar cas i ordem.
Breu 50 barrica!) ordem, 25 a Caetano Cy.-ia-
) da Costa Moreira.
Banha 100 barrls a Pt.va Valente ft C, 50 a
Joio Fernn les de Almeida, 50 a Domingos Cruz
& C, 100 ordem, 25 a Guimares Rocha 4 C.,
25 a M--n.es St Marques.
Chamins 4 barricas a Otto Bobres Succes-
sor-
Corris de borracha 1 caixa a Ferreira & Ir-
mo.
Drogas 8 caixas a Faria Sobrinho & C.
Estopa 20 fardos a Caetano Cyriaco da Costa
Moreira.
Farintoa de trigo 100 barricas a Pereira Carnci
re & C, 200 a Julio & Irmo.
'iran -1 caixas ordem.
J lias 1 caixa a Augusto Reg & C, 1 or
dem.
Kernzene 175 caixas ordem.
Mtcliina para descarocar algodao 17 caixas a
Albino Silva & C, 16 a Res & Santos.
Maisena 1' 0 caixas a J.'o Fernandcs de Al-
meida, 50 a Fernandes & Irmo, 50 a Augusto
Figueiredo & C, 40 a Guimares Rocha & C.
Machinas de costura 6 caixas a A. P. de Sou-
za Soares & C.
Mercaduras diversas 12 volumea ordrin, 1 a
Otto Bohers Successor.
Objectos para escriptorio 1 caixa ordem.
Oleo 5 caixas ordem.
Ps de ferrj 17 feixes a Ferreira Guimaree
& O.
Retratos 2 caixas ordem.
Sebo 1 caixa ordem.
Ti cid s divera a 8 caixas ordem.
Toucinbo 14 barra a Guimares Boeha & C.
20 a Moraes & Marques
Tintas 4 volumes & ordem.
Velocipedea 1 caixa oruem.
Vidros 3 barricas a B. Duarte Campos & C, 1
ordem.
Lugre ingles Carpasian, entrado de Tena N -
va no dia 14 do corrente, e consignado a Sauu-
ders Brothers & C, manifestou :
Bacalbs 3,500 barricas e 1,8 0 meias ditas aos
consignatarios.
Parca inglezi Magg'e, entrada de Terra Nova
no dia 14 do corrente, e consignada a Saunders
Brothers c C, manifestou :
Bac.ilho 9,697 barricas c 800 meisa ditas aos
consignatarios.
Usou da palavra em seguida o alumno Alberto
Pinto, que em nomc dos seus collegas agradeceu
commiss) examinadora o modo recto porque se
portou e aos mestres a delicadeza com que ens-
navam.
Fallaram tambera os directores do Ioetiluto
agradecendo ns boas e justas intencocs da com-
raisso e acunselhando os alumnos.
Presentes de Festa
O Paulino ra do Imperador n. 28,
acaba de receber directamente da acredita
da casa Fideln Berger, de Paria, um va-
riadirimo sorimcuto de ricas caixinbas
com pastiibas de chocolate, confeitos,
:.:uendo.is confeitadas c outras muitas qua-
lidades de doces crystalisados, o que ven-
de por prejos rjsurnidos.
Tem igualmente elegantes carloes com
p.'issas, figos, e variado sortimento 'le do
ees em caldas e seceos ; vinhos tinos do
Porto, Bordeaux, Collares, verde e de pas-
to ; grande sortimento de cervejas, licores
e tudo o mais que se faz preciso para urna
boa mena de festa. A' ra do Imperador
n. 28.
Extrnalo S. Luiz
Ra do Imperador n. 5.% 2." andar.
Com o nome cima abrir-se-ha no dia 15 de Ja-
neiro do anuo prximo futuro de 1887, um estcele-
cun uto de educaco, or.de ensinar-se-ho todas
ns materias do curso de preparatorios, havendo
tambera um curso nocturno das mesmas materias,
e um outro comraercial, no nal ensinar-se-ha s
mente francez e inglcz, theorica o praticamente,
senda este das 9 as 10 1/2 da noite.
Kat-jtutos
Art. 1 Os paes, tu ".ores ou correspondentes,
deverat acompanhnr o estndante no dia da mitri-
cuh, para nao t matrculal-o, como tambera para
tomar conhecimento do rgimen disciplinar do es-
tabelecimento.
| 1. Aquelles que no tiverem quem os apr-
sente, tiiuibem scro aceitos masricula.
Art. 2." O pagamento das matricula sera teito
-ncnsal e adiautadamente a comecar da occasio
da matricula.
1. Tor cada matricula pagar o estudanie
5*u com o numero de materias que estudar no cstabe-
ecimento.
Art- 3.0 Cada aula constar de 1 1/9 hora, sen-
do urna para tomar a lco do dia antecedente e
meia para explicar a do dia seguinte.
Art. 4 No haver aulas g quintas-feirss
porm todos os alumnos devem comparecer no cs-
tabelecimento n'estes das hora de suas respec-
tivas aulas, para urna sabbatina, segundo a qual
os directores daro attestados na poca dos exa
mes.
No estabeleci nento cncantraro os Srs. pas,
correspondentes ou tutores e oh Srs' estodantes os
estatutos como accrescentamento de tudo mais
que aqui se oraitto e qae os scientificaro do que
houver do mais particular, e bem nssim da con-
veniencia do methodo n'este estabelecimento era-
pregado.
Os directores,
Luiz J. de F- e O. Sobrinho.
Augusto J. C. Braga.
N. 6. Em casos do tsica no primeiro
segundo grao o poder curativo d"a ^mulsao
de Gcott surprehendent'.
As si as propriedades sanativas e fortifi-
cantes e as suas virtudes balsmicas e cal-
mante f.izcm-se sentir inmediatamente ao
principiar a tomar o remedio.
ED1TAES
Para o Interior
No patacho allemo Marj, carregaram :
Para Pelotas, Amorim Irmaos & O 40 pip s
cora 19.200 litros de agurdente.
No p-itacho liollandcz Bernirdus, carregou :
Para o Rio Grande do Sul, M. J. Pereira 20
pipas com 9,600 litros de aguariente.
No vapor inglez Author, enrregarr.m :
Para o Ro de Janeiro, lir .\ms i C. 300 saccas
com 22,902 kilos de algodao.
No vapor americauo Finance, carregaram :
Para o Rio de Janeiro, F. A. de Azevedo 3"i0
saceos com 26,250 kilos de assucar brauco e 50
ditos com 3,7.~,0 ditos de dito mascavado ; Eduar
do Barbosa 200 saceos com 12,000 kilos de assucar
hranco ; M. Goocalves da Rosa 301, saces com
18,030 kilos de milho e 250 ditos com 1,500 ditos
de sement de carrapato.
No vapor nacional Para, carregaram :
Para o Rio de Janeiro, M. do Nascimcnto 6,000
cocos, fructa ; D. M. da Costa 5.00.) cocos, fructa;
M. Cunha 300 saceos com 18,000 k'loa de assucar
brauco e 300 ditos com 18,000 ditos de dito mas-
cavnao ; T. de Azevedo Souza 30 saceos com
18 000 kilos de assucar brauco e 700 ditos com
4,000 ditos de dito mascavado ; Amorim Irmaos
& C. 400 saceos com 21,000 kilos de assucar
brauco ; E. Barbosa 300 saceos com 18,000 kilos
de assuear branco.
No hiate nacional Adelina, carregaram :
hira Macai. E. O. Beltro Se Irmo 1 barrica
com '.'kilos de assucar retina o e 3 ditus com 360
ditos de dito branco.
O Dr. Thomaz Oarcez Paranhos Montene-
gro, eommendador da imperial ordem da
Rosa, juiz de direito especial do commer-
cio desta cidade do Recife e seu termo,
capital da provincia de Pernambuco, por
S. M. o Imperador a quem Deus guar-
de, etc.
Faz saber aos que o presente edital viretu on
delle tiverem noticia, que por parte do ad ninis-
trador da massa fallida de Antonio Francisco (Jor-
ga, foi a este juizo dirigida a petiuao do theor se-
guinte :
Illm. e Exm. Sr. Dr. joiz de direito especial
do ccmmercio.O bachirel Henrique Augusto de
Albuquerque Mili t, administrador da massa fall
da de Antonio Francisco Corga, depois de haver
annuuciado pela imprensa e convidado os credores
da massa p ira apresentaiem aeua ttulos, afim de
screm classificados, organisou a reiaco junta, con-
forme os tituloo apresentados e os autos de ver.fi
cacao de crditos, e a submette V. Exc. para
classincaco dos crditos da massa, a cujos termos
requer que se proceda. Os documentos vo mine
x,)8. Neotes termos pede a V. Exc. deferimento.
E. R. Me.Recife, 7 de Dezembro de 1886. O
administrador, H:urique Augusto do Albuquerque
Mlet.
(Sellado legalmenle).'
E' o que se continha em dita petico na qual foi
proferido o seguinte despacho:
Autoada, publique se por edital, assiguando
aos interessados o p'azo de 5 das para apresen-
tarem suas reclamares. Recife, 7 de Dezembro
de 1886 Montenegro.
Em virtude deste despacho o respectivo escrivao
autuou a petico com os documentos apresentados
e a relaco dos credores, qus do fhecr seguinte :
i Relaco dos credores da massa fallida de Anto-
nio Francisco Ctrg, admittidos na classificacao
dos crditos :
Credor de dominio : D. Francisco Emilia Qui-
mil Ferreira, vuva do coronel D .mingos Affjnso
Nery Ferreira. 7:000*.
Credor hypolhecario : Baro de Muribeea,.....
44:980*960.
Credorts chyrographarios: P. H. Tommerman,
45:156*831; Lopes 6c Costa, representado por
Antonio Primo da Costa, 833*540; Luiz Monjo
Jnior Lima. 6:308*450; r. Paulo d Amorim Salgado,
4:00J*; Luisa Mara da Conceicao, 2:500*0'0;
Fraga Rocha & C, 1:817*610; Beltro & Costa.
1:626*530; Jos Faustino Porto, 700*; Caetano
Cyriaco da Costa Mor ira & C, 236*; Joaqun
Lopes de Araujo, 82*600 ; Deodito Goncalves
Torres, 38; Braga Gomes & O, 6*660 ; Fran-
cisco Jcaquim Gomes da Silva, 5*000; Somma
129:711*90.
E' o que se continh i em dita relaco, que se
acbava legalmpnte sellada e asignada pe'o adrai
nistrador da m^ssa.
E para que cheque ao conhecimento de todos
maudou pausar o presenta edital por cujo theor
chama, cita e ha por intimados os credores da re-
ferida massa, consCantfS da relacao supra para
que no prazo de 5 dias, contados da data da pu
blicaco deste, compare^im ante este juizo com as
red maco;s que tiverem bem de seus direitos,
afim de aerem attend'dos na forma da lei.
Dado o assado nesta cidade do Recife, capital
da provincia de Permmbueo, aos 9 dias de De-
zembro do Auno do iNascimento de Nosso Senhor
Jess Christo de 1S86.
Eu, Jos Fr.nk iu de Alencar Lima, escrivo, o
subscrevi.
Thomaz Garcez Paranhos Montenegro.
Edital n. 7
O administrador do Consulado Provincial faz
publico a quem nteressar possa, que ua forma
do respectivo regulamento ser effectuado por
esta repartieio, no espaco de 30 das uteis, con-
tados da data deste, a cobranca independente de
multa, dos impoatos de decima urbaua e 25 0(0
sobre a renda doa bens de raz, pertencentes
corporafoes de mo morta, relativos ao I* semes-
tre do exercicio de 1886 87.
Consulado Provincial de Pernambuco, 1 de
Dezembro de 1896.
F. A. de Carvalho Moura.
DECURICOES
Club Concordia
Ordentlieho Hauptversammlung Frelag, den 17
Dezember 1886, abends 8 uhr.
Tagesordnung : wia 20 der Statuten und
aufnahme n uer Mitglieder.
F. Woellhaf,
Secretar.
Arsenal de Guerra
O Conseibo econmico das compauhias de apren
dizes artfices e operarios militares, precisa con-
tractar para o primeiro semestre do auno vindou-
ro de 1887, os artigos seguintes :
As6ucar branco refinado de 1* gorte. kil.
Dito roascaviuho refinado, Idem.
Aletriu, idem.
Arroz, idem.
Azcite doce, litro.
Bolacbinha de araruta, k'iog.
Bacalho, idem.
Cb byssoo, idem.
Caf m grao, idem.
Carne de xarque, idem.
Carne verde, dem.
Carvo vegetal, barrica.
Doce de goiaba, kilog.
Farinba de mandioca, litro.
Fejo mulatinho, idem.
Frue.tas (laranjas ou bananas), urna.
Fraogo, um.
Gallinba, urna.
Lenha secca de boa quulidade, acba.
Mantciga iugleza, kilog.
Dita iranceza, dem.
Marmellada, idem.
Macarro, iem.
Queijo flamengo, um.
Sal, litro.
Toucinbo, kilog.
Viuho de pasto, garrafa.
Vinagre de Lisboa, litro.
Verduras.
Graxa para sapatos, lata.
Escova para dar lustro, urae.
Sabo, kilog.
Velas de spermaceie, libra.
Cortes de cabellos.
Lencos de chita (pequeo*), 50.
S poder concorrer aos forneciinentos annnn-
ciados pelo Conselbo quem habilitar se previa-
mente, cxbibindo um requerimento dirigido ao
mesmo Conselbo, documento que prove haver pago
como negociante cstabelecido, o imposto de casa
commercial relativo ao ultimo eemestre ven-
cido.
Os proponentes dcvero presentar suas pro
postas csta secretaria at s 11 horas da nao lu
do dia 17 do crente, sendo taes propostas eir.
duplcala, e:n cartas techadas, com declaraeo ex
pressa de sojeitar-se s seguintes condcoes :
1" No esto de na assignar-tn o couracto, pa-
garo a multa de dez pir eento.
2' Sendo recusado pila coramisso os gneros
contractados, mandar-se ha cm ;rar pelo preco
do mercado, i.-.-iiidoo contractaute obrigado a m
demnisar, isto at tres vezes, depois do que i carA
rescendido o contracto, pagando o contrastante f.
multa de 200:*000.
Todos os ge eros devero ser de p:rae>ra qua
dade.
Secretaria do Arsenal de Guerra de Pernain
buco, em 13 de Dezembro de 1886.
O secretario,
os Francisco Riheiro Machado .
Recife a Oliia e BeHe
Auno aos eiiuoreai paNNagelroN
De 19 do corrente em diaute, at segundo aviso,
haver aos doming03 e das santificados dous trens
extruordinrrios, tocando em todas as estacoea da
tabella, um s 1(1 1/2 da manb e oulro s 101/2
da noite, do Racifo para Oiiudie Beberibe o vice-
versa.
E igu-.luiente commuaico nos senhores paisa-
geiros, que de aecordo com o Illm. Sr. director do
correio, fica desde ji estabilecido urna caixa no
escriptorio da carga para a lemssa de conheci-
mentos e etc., que se achem -r!l..i< e, por inter-
medio de um carteiro que seguir no trem de mero
dia dos dias uteis e que onde no houver ageacia
do correio os confiar aos chefi-s das estacles on-
de podero os me3tnossercm procurados ; visto co-
mo plenainonte prohibido pelo regulamento da
compaiihia que d'essa remessa se eucarregue os
empregaios do trem.
Os conh-'ciraentos dobrados apenas pagarao co-
mo impressos ; sendo que o despachante da carga
se pre.-tu a fornecer oa respectivos sellos.
Escriptorio da coinp .nlii i, 14 de Dezembro de
1883.O gerente,
A. Pereira Simes.
Lotera de 41M) eontos
A grande lotera de 400 eontos, fica transferida para o dia 14 de linio viodonra,
imprcterivelmente, nos termos do despacho do
Exm. Sr. presidente, de hoje.
Tnesouraria das Loteras para o fundo de
emancipadlo e ingenuos da Col na Isabel, 14 de
Dezembro de 1886.
O thesoureirn,
Francisco Gonyalves Taires.
a e
O administrador da Receb6dora avisa aos se-
nhores cntribiiiutes dos impostos sobre industrias
e profiV.ocs, predial e taxa de esclavos do f-xtr-
cicio de 1885 1886 em liquidaco, que no dia 20
do corrente termina o praso para pa^^meuto dos
referidos impostes com a multa de 6 0,0, depois
do que sero cobrados com a multa de 10 0.0 at
o da 31 ; assim como ueste niez deve ser pago
livre do multa o imposto predial do l- semestre
do corrente exercicio de 1886 87.
Recebedoria de Pernambuco, 14 de Dezembro
de 1886.
Alexandre de Souia P. do Carmo.
ranhos Monte
imperial ordem
OB'iPACHOS DBEXFORTCAO
Ex 13 de Dezembro de 1838
Para o exterior
Ka barca or leguense Erald, carregaram :
Para L verpool, S. B'oth rs t C. 155 saccas
com 13,766 kilos dealgolo.
No lugar inglez Ulster, carregaram :
Para New Y ik, H. Forster & C. 2,600 saceos
com 195,010 kilos de assucar mascavado.
No lugar inglez Harriett, carregaram :
Para Sur-York. J. Pater 4c C. 3,000 naceos
com 225.000 kilos de assucar mascavado.
N barca n.>rDegunse Dux, carregou :
Para N' w Y ik, M. J. da Rocha 1,000 sa;cos
com 150,000 kilos de assucar mascavado.
Ni bsrea n .rueguense Aeolus, carregaram-
Para Nw-Yotk, II. Foiater & C. 1,800 saceos
com 135,0")J kilos de assucar mascavado.
N'o patucho americano W. H. D-, carrega-
ram :
aia NiwYoik, J. S. Loyo & Filbo 2,513
saccos.com 188,475 kilos de assucar mascavado.
So vapor ameii ano Finance, carregou :
Para New-York. H Stolzenbach 9,140 pelles
de cabra.
MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no dia li
Terra Nova37 dias, lugar mgl. z Maggie, de 193
toneladas, capto George H. ParerT, equipa-
gem 9, carga bacalho ; ordem.
Man/ms e escala10 1/2 dias, vapor nacional Pa-
ra., de 1,999 tcueladas, eommandanto Carlos A
Gomes, equipigem 63, carga varios gneros;
ao Viscoole de Itaqui do Norte.
Rio Grande do Norte3 dias, bate nacional Cor-
reio do Natal, de 40 toneladas, mestre Juo
Quedes de Moura, equipagem 5, carga vanos
gneros ; a Fraga Rocha & C.
Terra Nova38 das, barca ingleza Carpasian,
de 287 toneladas, capto William Lnwne,
equipagem 12, carga bacalho ; a Saunders
Brothers & C
M.ico9 dias. hiate nacional Joao Valle, de 108
toneladas, mestre Fraucisco II. Canuto, eqci -
pagem 6, carga varios gcueros ; a Manoel Joj-
quim Pessoa.
Navios sahidos no mesmo dia
Rio de Janeiro e escala Vapor americano Fi-
nance, commandante E. C. Baker, carga varios
gneros.
Baha e escalaVapor nacional Jaguaribe, com-
mandante Antonio Mara Ferreira Baptsta,
carga varios gneros.
ParabybaVapor inglez Author, cimmaadantc
R. Buddlel, carga varios gneros.
VAPORES ESPERADOS
Caravellas
Pirapama
Rio
Pernambuco
Editor
Patagovia
da Baha
do norte
do Haraburgj
do sul
da Europa
da Europa
Ville de Pernambuco da Europa
espirito Santo do norte
Nena da Europa
Cear do sul
amanh
aman ha
amanh
a 17
a 20
a 21
a 22
a 23
u 24
a 2T
O Dr. Thomaz Grareei P
negro, coirmendador da
da Rosa e juiz de direito espacial do
commercio desta cuate do Recife, capi-
tal d* provincia do Pernambuco por S.
M. o imperador, a quiin Deus guarde,
etc., etc.
Faco saber aos que o picseute edital viicui ou
delle tiverem noticia que por parte de Antonio
Joaqun) R'Z -ude, nico representante da firma
Beltro Jnior {& Rez-'nde, hoje extiuct.i, me foi
dirigida a petico do theor eruintc :
Illm. e Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio
Antonio Joaquim Reznide, nico representante da
firma Beltro Jnior & Rezende, h>je extincta,
credor de Fernando Romino da Silva pala quan-
tia de 10:000*00), alera dos juros consta itcs das
duas lettras juntas, saccadas em 14 de D.-zembro
de 1886 e como queira itterremper a prescnpco
das resp-ctivas lettras requer a V. Exc. que se
digne mandar tomar por termo o comp. tente pro-
testo, que por editaes ser intimado ao supplicado,
urna vez q'ie este se acha em lugar incerto c no
sabido, como o suppcantc justificar no da e
hora que para esse fim por V. Exc. designado.
Pede deferimento. E. R. M.
Re ufe, 7 de D. zembro de 1886 Souza Pinto.
Mellada legalcente.
E mais nada se continha em dita e mencio-
nad? petico na qual via-se o despacho do theor e
torma seguinte :
Como requer. designando o escrivao 'dia. Re-
cife. 9 de Dezembro de 1886.Montenegro.
Em virtode deste despacho fora feito a distri-
buci do theor e forma seguinte :
A' Eni9sto Silv8.Oliveira.
E imis se no continha ncm outra cousa se va
em dita deetrbuico, depoia do que via-se o termo
do protesto que do theor seguinte :
Aos 10 de Dezembro de 1886 em mea cartorio
perante mira e as testemunhas o abaixo assigoado
compureceu o supplicante por seu advogado o Dr.
Ant mi de Souza Pinto e por este foi dito que re-
duzia a termo o protesto de que trata a presente
petico quo offerecia, como parte dj presente. E
de como o assim o deu e assigcou, lavrei o pre-
sente termo.
Do qne fiz este. E i Salusio Laraenha Lins
de Souza, escrivao interinoAntonio de Souza
Pinto.Jos do Patrocino C. Ribeiro. Alcides
F. II initi de Almeida.
E nada mais se coatiuba em dito e mencionado
termo de protesto aqui copiado, depois do que
via-se, que tendo os justificantes, pro ruzido suas
tcstemunhis, o respectivo escrivo f-z sellar e
preparar os autos os quacs me fez concluso e nel-
les profer a sentenca que da forma e theor se-
guinte :
Vistos. Julgando precedente a justificacao,
rao nio qu' seja o justificado intimado por editaes
com o praso de 30 dias do protesto de fls. para
interrupco doS ttulos de fL. e fls. Cusas ex
causa. Recif-, 11 de D,zembro de 1886. Tho-
maz Garcez f'uiriubos Montenegro.
E mais se no continha em dita e mencionada
sentenca, em virtude da qual o escrivo fez pas-
ear o presente edital pelo qial e s-u theor chamo
e cito e hei por citado o justificado Fernando Ro-
mauo da Silva para que dentro do praso de 3 >
das com paree ante este juizo allegando o que
for de seu direito.
E para que chegue ao conhecimento de todos
rmindci passar o presento edital que ser publi-
cado p la imprensa e affiado nos lugares compe-
tentes.
Dadc e piasado nesta cidade do Recife, capital
da provincia de Peruambnco, aos 13 do mez de
Dezembro de 1886.
-Subscrcvo e assignq. Salustio Limcnha Lins
de Soiizi, escrivao interino.
Thomaz Garcez Paranhos Montenegro.
(imiiio dosprofessores
primarios
Elesco
De ordem do Sr. presidente e conforme o dis-
posto nos estatutos, so convidados todos os con-
socios a se r.-uoirem na quinta-feira 16 do corre-
te, s 11 horas da manila, ua t Je social, afim de
proceder-ae a eleico do novo conselbo que deve
dirigir a sociedad no prximo acno de 1887.
Secretaria do Gremio dos Piofessores Primarios
de Pernambuco, 13 de Dezembro de 1886.
O 1 secretaria,
Antonio Candido Ferreira.
Hua da Imperalrlc
Convido #a todos es socios capitularel a compa-
recerem sesso de eleico qne tem de proceder-
3e no dia quarta-feira 15, s 7 horas da noite.
O secretario,
G. Santa Marta, 32.
aixa eeonomie*
iviio ao publico
Constando gerencia desta instituir > que al-
gumas pessoas esto persuadidas que os depsitos
feitos nesta caixa s pnueipiam a vencer jures
quando aftingem a somma de 4:000000, apresso-
me em declarar ao publico que exactamente o
contrario ; isto : toda e qualquer quantia, at
4:0004000, logo que eeja depositada, coneca a
vencer juros : o excedente de 4:C00 que no
veucer premio alguin. Recife, 11 de Dezembro
de 1886. O gerente e guarda-livros,
Felino D. Ferreira Coelho.
Recebedoria de rendas geres
No dia 20 do corrente mez, finda-se o praso
para o pagameuto dos impostos de industrias e
proti.-soes, predial, laxa dues.ravos, do exercicio
de 1885-188-5, com a multa de 6 0|0, depois do
que ser pago com a multa de 10 0|0, seguindo-sc
a cobranca executiva.
Recife, 1 de Dezembro de 1886.
Oa recebedores,
Joaquim Hugolino da Silva Fragoso.
Manoel G. Ferreira da Silva Jnior.
Junta commercial
Esta s' cretaria faz publico que foi registrada
a escriptura ante nupcial, celebrada entre Jos
Ferreira Dourado e D. Maria Carlota Pereira Ra-
mos, para se rceberera em matrimonio, cujo re-
gmem, quanto aos bens, ser o seguinte :
Io No se commuuicaro os bens dos contra-
hen*1 s ncm mesmo os que adquirrem durante o
matrimonio, quer prorjedam de heranca quer de
ii''i:>co.
i" Os beos da contruhente presentes e futuros
sero considerados como dotaos e nao podero ser
alienados sob nenbuui fundamento, visto como a
nteneo da mesma contrllente que passem por
sua morte, livres e desembarazados, aos fiibon que
tiver, salvo porm a sua terca de que podur dis-
por em testamento.
3" Se uo tiver filhos nem existir seu pai, po-
der ento por su morte dispor livremente de
todos os seus bens.
4 Se a contrahente sobreviver a seu marido,
ter dos bens que ella testar a quantia de 30:000
que Ibe sero entregues cm bens de raz, baja ou
no filhos.
5o O contrahente ser cuidadoso e n reparar os
bous imauveis da contrahente logo que preciscm
de algum reparo ou concert, afim de que no
venham a ser depreciarlos, e a satisfozer em da
os impostos que lhe forem inherentes, tudo com os
rendimeutos dos mesmos bens, podendo a contra-
hente em caso de omisso requ rer por si o que
lhe convier relativamente a adiainiatr.icio de seus
bens.
Secretaria da junta commercial do Recife, 13
de Dezembro de 18860 secretario,
Julio Guimares.
BA DO GAZUMETRO
Os proprietarios es-
to preparados para
supprirem coke por
prego moderado, en-
treg'ando-se era saceos
as casas, ou de ou-
tra qualquer maneira.
E considerado um
perfeito desinfectante,
nao fazendo o mesmo,
fumaba algnmaque in-
commode. Nenhuma
outra substancia soli-
da pode ser compara-
da com o coke em eco-
noma, efficiencia e
limpeza.
Tambem alcatro
(Tar) em latas ou bar-
ris, que de muito va-
lor, espscialmente nos
climas quentes para
preserva^o do ferro,
da pedra, tijolos, Ja-
drilhos, asphaltos ou
para effeitos antispti-
cos,
Para destruido das
savas, formigas nao
ha prepara^o ig-ual a
agua de amonio, a
qual perfeitamente
benfica e grandemen-
te estimulante a vege-
ta c,o, o amonio sup-
pre um dos elementos
mais fer*ilisantest
Ser supprido em
latas ou barris por pre-
sos reduzidos.
Qualquer informa-
gao de pregas e par-
ticularidade sero ob-
tidas na Fabrica do
Gaz ou no escriptorio
ra do Imperador-n.
29, ou podero tam-
bem sei dadas pelos
nmeros telephonicos
39 e 40.
L
i
luto!
f

c
,.-'
'.-
t

i


Diario de PernambucoQuarta--feira 15 de Dezembro de 1886

v
j
i
\
i
\
Conipanhia de edifi-
carlo
.ASSEMBLE'A GERAL EXTRA-
ORDINARIA
Ka forma do art. 25 do estatutos, sao convida-
dos osSrs. accionistas, para ni dia 28 do corrente
ao meio dia, se reunircm na sede da Companhia,
ra do Imperador n. 3, afim de em assembla ge-
ral, Be procadera eleico, do director gerente, visto
baver pedido a sua d misso desse cargo o accij-
nista que o ezercia.
Recife, 13 de Dezembro de 1886.
Gustavo Antunes,
Gerente interino.
Correio geral
Malas a expedirse koje
Pelo vapor bratileiro Para, esta aiministraco
expede malas para os portos di sal, recebendo im-
presos e objectos a registrar at 1 hora da tarde,
e cartas ordinarias at 3 horas ou 3 1/2 com
porte duplo.
Administraco dos correios do Pemainbu ;o, 15
de Dezembro de 18%. O administrador,
Affonto do Reg Barre.
Thcsouro Provincial
De ordem do Ilhn. Sr. inspector dcsta reparti-
dlo, fa;o publico que no dia 15 do correte mez,
paga-se a claese de 3* entran- a de professoras,
relativamente xos vencimentos do miz de Outuaro
prximo pnssado.
Pagadoria do Thesouro Provincial de Pernam-
jco, eu 14 de Dez nib.-o de 1886.
O eserivo da despera,
Silvin A. Rodrigues.
Thesouraria de Pernanibueo
D.' ordem do Ilhn. Sr. inspector, fago publico
qpM no da 18 do corrente pelas 11 horas d mi-
-iba perante a sesjo da junta su receb^m propos-
tas para o fornecimento dos artigos abaixo espe-
cificados necessarios ao expediente do Arsenal de
Querr nj semestre de Janeiro a Junho do 1887 ;
a saber :
Caderneta em branco de papel fiuine pautado com
50, 100 e 150 lolbas, urna.
Ci.net.is finas, duzia.
Ditas entre tilias, dem.
Canivet'S finos, um.
Euveli 'ppes para oficios timbrados, cento.
Esptulas de osso, urna,
'jirampos para prender papel, cala.
Gomma arbica e:n fraico, fraseo.
Lipis Faber. duzia.
Ditos de duas cores, idem.
Ditos de borracha, dem.
Lacre encamado, p l.
Livros em branca U< papel fiume pautado com 100,
1S I e 200 folhas, un'
Ditos em branco de papel Hollanda pautado for-
mato Corom; c.m 50, 100, 150 c 200 tolhas,
idem.
>t m ditos Ec com 50, ICO, 150 e 200 folhas,
iiem.
Carie com 50, 100, 150 e
Baha, Rio de .Janeiro. Monte-
video e Valparaso
Para carga, passagens, encommendas e din:
heiro a frete tracto -*e com os
AGENTES
Wllson Sons l C ., Limited
El. 14 RA DO OOMMERCIO N. 14
COMPANHIA PEU.HAMBIJCANA
DE
Navegaco Costeira or Vapor
PORTOS DO NORTE
Parakyba, Natal, Macu, Mossor, Ara-
caty, Cear, Acarahu e Camossim
O vapor Pirapama
Commandante Carvallio
LlIL~"i=Jfc^v Segu no dia 21 de
Dezembro, as 5 horas
da tarde. Recebe
carga at o dia 20
Encommendas passagens e djnbciros a frete at
s 3 horas da tai de do dia da sahida.
ESCRITORIO
Cae da Companhia Peviamiw/ina
____________________n. 12____________________
Companhia Uahlana de navega
cao a Vapor
Macei, Villa Nova, tenedo, Aracaj,
Estancia e Baha
0 vapor Caravellas
Lommandante liabello
E' esperado dos Dorio? aci
ma at o dia Ib de Dezembro
e regressar .ara os mea-
mos, depois da demora do eos
turne.
Para caiga, passagens, encommendaB e dinheiro
a frete traeta-se na agencia
7liua do Vigario 7
Domingos Abes Ma'hcus
Ruisim cem 50, 100, 150
eom 5J, 100, 150,
*M 200, 250 e
Jes
Ditos ditos formato .
200 folhaa, idim.
Ditos ditos formato
o _0) i >hH8, idem.
Ditos ditos formato
2 i c 25.1 tulhas, idem.
Ditos ditos formato Celombier >
3 "0 folhas, id. m.
Ditos ditos do mrsmo formato e com os mesmos
nmeros de folhas cem cncaderoaco inteira de
c uro. idem.
Papel fiume pautado, resma.
Dito dita liso, idem.
Dito inglez rsalo branco para cilicios, idem.
Dito dito dito dito timbrado, idem.
Dito ILilUnda formato Carret Ec, Corjmo,
Ituisin, Jei- e Cjlumbier caderno.
Papel mata-borro, folha.
Papel dito carto, idem.
.V;.ns. de ac Perry, o.ixa.
Pastas oleadas de diversos taraanhos, urna.
Ilispaleiras pira papel, idem.
Tinta ingleza para es?rev. r, boies.
Dita brasileira Sardinha, idera.
Dita preta para o mesmo tim, garrafa.
Dita carmin. trisco,
sjp* m Condicoes
1. Todo os artigos devero ser de Ia quali-
dade.
2.* Os concurrentes sao obrigados a apresen-
(aren 03 amostras de todos es artigos.
, 3.' As propostas serio por duplcate e selladas.
4.' S pjjerao concorrer ao fornecimento, os
candidatos que se habilitaren) na forma do art. 18
no de:reto n. 7085 de 6 de Marco de 1880.
O secretario,
*1 Luiz Emygdio P. da Cmara.
CHARMl'RS HELIS
Companhia Franceza de .\ a vega
eo a Vapor
Liuha quiuzenal entre o Havre, Lis-
ooa, Pernambuco, Baha, Rio de Janeiro e
Suntoa
Steaier vi de Poiutau
E' esperado da Europa
n i dia 22 de Dezembro, se-
gumdo depois da indispeu
su ve! demora para a Ba-
lita. Rio de Janeiro
e NantoR.
Roga-se aos Srs. importadores de carga p'lot
vapores desta linha,quciram a presentar dentro de 6
das a contar do da descarga das alvarengu. |uai-
quer reclamadlo concernente a volumes, que po-
v atura tenham seguido para os portos do sul.ariir
de se poderem dar a tempo aa providencias neces-
sarias.
Expirado o referido prase a companhia nao si
responsabilisa por extravos.
Recebe carga, encommendas e passageire par j
K quaes tem excellentes accomodacoes.
Augusto F. de OheiraH
nonn
46 RIJA DO COMMEROIO-46
de vidro, 2 portaa-carto -s de alabastro, 1 tapete
para sof, 4 ditos menores, 1 bauco para carteira
e 1 piano.
Primeiro quai to
Urna cama de Jacaranda para casal, 1 cabide de
columna, 1 guarda-vestido, 1 toilett com espelho
e tampo de pedra, 1 guamico para o mesmo, 1
tapete para cama e 1 cpula para a mesma.
Sigundo quarto
Urna cama de ferro com lastro de rame, 1 guar-
da-vestido, 1 cabide de columna, 1 cortinado para
cama, 1 meia commoda c 1 bauquinha.
Terceiro quarto
Urna cama do ferro para solieiro (lastro de ra-
me), 1 commoda, 1 banquiuhi, 1 cabide de colum-
na e 1 cortinado para cama.
Quarto quarto
Urna cama de ferro (lastro de rame), 1 meia
commoda, 1 cabide de columna e 1 cadeira cama.
Q'iarto do gabinete
Urna mesa e estante para livros, 1 cabide, 1
cama de ferro com lastro de rame e 2 bancas de
amarello.
Terraco
Um banco de ferro com assento de madeira, 4
cadeiras de junco com bataneo, 1 sof 2 estantes
para livros, 2 bancas de abrir, 2 quartinheiras, 1
grande resfriadeira com terueira, 5 etegeres, 4
jarros e 1 figura, 7 quadros diversos, 12 vasos
com palmeiras, 2 jarros de alabastros c grande
quantidade de ptimos e raros passaros.
Sala de costura
Urna marqueza, 2 cadeiras de balance, 1 costu-
reiru, 1 machina para costura, 1 lavatorio com
3'iarniclo dourada, 1 espelho, 3 quadros e 6 ca-
deiras de junco.
Sala de jautar
Urna mobilia de amarello. 1 mesa elstica, 1
guarda-lotifa envidracado, 3 aparadores, 1 lavato-
rio com tanip-i de pedra, 1 marqueza, 2 bancos
cem assento le palhioha, cadeiras de junco, 1 es-
preguicadein, 2 quadros, 1 relogio de pirede, por-
cellanaa para alm fo e jantBr, copas, g ilheteiro,
liccreiro, porta-queij >, garrafas, fructeirts de vi-
dro compoteiras, etc., etc.
Cosinha
Mesas, latas pura s.i- b.los, formas, armario
cgnndeticm de cosinba, taboas, para engom-
mad', cavalIetcE c div. rsos vasos vidrados.
Jardim
Diversas plantas em vasos coma sejam : gran
de variedades de crotoos, palmeiras, craveiros, bi-
gonia, violetas.
Uin bonito carneiro, sellado e eufreiado, 3 bur-
ros para curro urna cabra de k-it-, ferramenta
para jardim, carrinbo de mao e muitoe outros ob
jectos existentes na casa sita ra Real n. 13,
confronte igreja de Nossa Senhora da Saude no
Poco da Panella.
Quarta feira 15 do corrento
A's 11 horas
O agente Gusmo. autorisado pelo Illm. Sr. An-
tonio Jeronymo de Oliveira, que tendo de seguir
para o Para com sua Exma. familia, far leilo ae
todos os movis existentes em casa de sua resi-
dencia cima mencionada. Partir da estacao
do arco s 10 \\2 horas da manh um trem espe-
cial que tocar i em todas aa estacoes intermedia-
rias conduzindo os concurrentes ao leilo, daodo
passagem grat8,tocando at a entrnda da Casa
FoJte
maco, gneros e utensilios da taverna cima per
teneente ao espolio do sublito hespanhol Manoel
Rodrigues Pernandes.
QUINTA-FEIRA, 16 DO CORRENTE
A's 11 horas
Na estrada da Ponte de Uchi n. 46 junto
________ cstacSo da Jaqueira
Le'to
De fazendas e mlndezas
Constando de panno para forrar buhares,
punhos de linho, crochet, bicos, rendas,
lenjoB, camisas de linho, pellucias, mari-
posas, baptistes, e outras fazendas do \\.
Quinta-feira 16 do Dezembro
A'm loe meia horas
Agente Pinto
Ra do Mrquez de )iinda n. 6.
Em rtontinua^o
Leilo de filtro?, jarros, differentcs movis me-
gas e um piano.
Leilo
De dois espelhos grandes dourados, duas
arraacSes ioglezas, urna mesa grande
para fazendas, urna carteira, um mocho,
urna mesa cora armario, urna escada,
urna quartinheira, um cabide, urna pren
sa para copiar cartas e trez arandelas a
gaz.
Sexta-feira 17
A's 11 horas
Na loia da ra do Baro da Victoria n. 42
12.472Um annel de ouro com um bri'hante.
12.473Um trancelim, urna medalha, um alune-
te e dous anneis, onro do lei.
12.486Urna corrente e medalha para relogio
ouro de lei.
12.497Um trancelim onro de lei.
12.501Urna corrente dupla com medalha para
relogio, duas pulseiras, tres pares de
brincos, duas medalhas, iuas mofdinhas
de ouro com laco, tres anneis, urna volta
de contas de ouro com cinco teteias, ouro
de lei.

para sopa, dexeseis ditas pira cha, prata
baixa.
12.922Um alfinete e tr.o rozetaa, ouro g-lei,
urna pulseira ouro baixo.
12 924Daas pulse-as e um trancelim, ouro de
lei.
12.935Urna corrente para relogio, um par de
rozetas e um annel, ouro de lei.
12.936Urna corrente e medalha para relogio
ouro de lei.
12.937Urna pulseira e um trancelim, ouro do
lei.
12.505-Tre. anneis de ouro com brilhantes, um 12.949-Um tranaelim, dous par?s de botoe. para
trancelim, ouro de le. um cordao e jm -...i_______'i_ *____i. r. *"*"*
Agente Pinio
levar a leilo os ebjectos cima mencionados per-
tencentes a maesa fallida de Cactano Ram.s
& C, existentes na loja da ra Nova n. 42.
EM TEMPO
Oo arrematantes daarmac), cr.fre, relogio, mi-
sas candieiios e mais objectos existentes no leilo
do dia 11 do corrente, podem tomar conta de seus
objectos naquellc mesmo dia das 9 s 11 horas da
manh.
trancelim, ouro de lei, um cordo e ain
annel ouro baixo.
12.510Urna corrente e medalba, ouro de lei.
12.511Um alfinete e um par de brincos ouro de
lei.
12.517Duas lunetas de ouro, um trancelim, qua-
tro voltas de ditos, um alfinete, duas me-
dalhas, dous pares de brincos, quatro di-
tos de rozetas, um par de botes, dous
dedac?, dous anneis, u.-n ponteiro e oito
teteias ouro de lei; urna salva, um pili
teiro, m marac, 25 colherrs para sopa
e cb e duas conchas de prata.
12.521Um annel de ouro cem um brilhante e
um par de rozetas com ditos.
12.524Dous pares de rozetas de ouro, e anneis,
um par de botoes com brilhantes, tres
correntes, duas medalhas para relogios,
nma dita para senhora, um par de bo-
tes, ouro de lei, e um relogio do ouro.
12.525Urna cruz com brilhantes e urna volta de
trancelim, ouro de lei.
12.531Urna medalha, um emblema do Espirito-
Santo e 4 anneis, ouro de lei.
corrente e um relogio ouro de
12.532-
-Uma
lei.
Leilo
Companhia liratileira de une
gaeoa Vapor
PORTOS DO NORTE
vapor Pernambuco
Commandunte, o capito de fragata Pedio
Hyppolo Duarte
B' esperado dos portos do sui
at o dia 17 do Dezembro, c
seguir depois da demora in-
dispensavel, para os portos
, do norte at Manos.
Consulado Provincial
Imposto de industria e proflsse
TAUELI.A A QUE SK REFERE O 26 DO
ART. l. DA LEI N. 1810
CL4.SSE N. 8Fabrica de vinagre, cerveja, vi-
ulios e licores Taxa de reparticao 4:000000
Freguezii do Recife
luado Vigario Tenorio n. 10. Alberto
Rodrigues Branco. l-> diviso 96381
Largo da Asserabla n. 13. Cunen -
to v C, 1* divieo 96J384
l'homde Souza n. 4. Jor.quim Goncal-
vet, Cisca-., 1 diviso 96384
*)jroiugos Jos Martius n. 16. Manoel
Francisco 1e Souza, Ia diviso 96^381
Freguezia de 8. Jos
ua Vidal de Negreiros n. 14. Fran-
cisco lo Amara I Raposo (alias Joo
do Amara! Raposo), 1' diviso 96381
Freguezia da Boa-Vieta
Caes do Capibaribe n. 12 A. Alfredo
Fouquaux, 1 diviso 96*384
Freguezia da Graca
Hua das Creoulas n. 57. Guilberme
Chaneher, 1' divieo 96/384
F;eguezia do Recife
Bu Baro di Triumpho n. 75. Bap-
tista & C, 2^ divieo 145*576
Domingos Jos Martin* n 12. Eduar-
do M. Corrcia, 2* diviso 144*576
Freguezia de Santo Antonio
Hua da Penba u. 7. Antonio Alves
Lebre Sobnuho, '* diviso 144*576
Marcilio Das n. 8. Piulo & C, 2a di-
viso 144*576
l.*rgo da Praceta n. 5. Joio Alves
Duvall, 2' divii> 144*576
Marilio Das n. 4. Martins Viejas
ot C 3- diviso 192*763
Freguezia do Recife
lina da Moeda u. 9. Antonio Pinto La-
pa & C, 3- diviso 192*768
Jaes d) Gioibaribe n. 42. Carlos An-
tonio Wanderlindem, 3-' diviso 192*763
Largo da Ats^mbli n. 7. Joaquim
Duarte SiiDL-s Boa da Moeda n. 19. Pereira Pinto
& C, 4' divisi 239*152
Freguezia de Santo Aatonio
Hua Joo do Reg os. 10 e 12. Joo
Mayer, 4" diviso 289*152
Joo do Reg n. 11. Martins Viogas
& C, 4 diviso 28P*152
Joo do Reg n. 15. Antonio Augusto
de Lemo. &. 0'., diviso 385*536
Joo d) Reg ns. 18 e 20. Augusto
Kru: s, Succesaores, 6J diviso 481*981
1J seceo d;> C maulado Provincial, 13 de De-
zembro de 1886.
Os lanzadores,
Joaquim Tranquilino de Linos Duarte.
Isidoro T. de Mattos Perreira.
Felinto do Reg Barros Pessoa.
Jote de Pinh> Borges.
Para carga, passagens, encommendas valeres
tracta-se na agencia
PRACA DO CORPO SANTO N. 9
DaDipschinTahrts-Gesellsehan
O vapor Rio
Leilo
DE BONS MOVIS
Seado :
Urna mobilia de Jacaranda a Luiz XV cora 4
cadeiras de bracos, 12 ditas de guamico, 1 sof,
2 consolos e 1 jardineira com pedra, 1 candela-
bro, 2 pares de jarros, 1 cama franceza do ama-
rello, 1 dita de mogno, 2 marquezas, 1 lavatorio
de amarello, 1 cabide de col mna, 1 dito de pa
rede, 1 bidet, 1 banquinba, 2 camas de ferro com
inacanetaa de metl, 1 esteira para forro de sala,
1 par de lanternas e meia commoda.
Urna mesa elstica de tres taboas, 1 marqueza,
1 aparador de armario cem pedra, 2 aparadores
de columnas, 1 ctager grande, cadeiras de balan-
ci, cadeiras para sala de j.intar, 1 quartinheira
de eulumua, louca para jantar, 1 licoreira, 1 por-
a-cegnac, copos para sgua e outros nuitos mo-
vis.
Quartafeira 15 do corrente
A's 11 horas
No sobrado n. 13 da travessa da Cade*
Nova, hoje 24 de Maio
O agente Martins autorisado por na familia
que se retii a par* fra da cidade, far leilo de
movis e mais objectos existentes no referido so-
brado, ao correr do martello.
Do antigo hotel e hospedara, denominado
Estrella do Norte, sito ra de Thom
de Souza n. 8, antigo becco da Lan-
guceta
Constando
de 2 grandes mesas de amarello com tampo de po-
dra, ditas redondas, arinaco, balco, aparadores,
espclbus, quadros, camas de zmarello, ditas de
ferro, ditas de lona, cadeiras, biucas, cabides go-
fas, jarros c bacas, colxoes, travesseiros, lucas,
vidros, bebidaj, trem de cozinha, jarras, encana-
meoto de gaz e agua, candieiros e 1 grande tan-
que de ferro para deposito d'agua e muitos outros
utencilios.
Segunda feira 20 do corrente
12.o33Dous anneis de ouro cera brilhantes e um
par de rozetas, um biacellete com requi
Ufes, ouro baixo e um par do rozetas ou-
ro diamantes.
12.538Urna pulseira, dous alfinetes, dous an-
neis, ouro de lei.
12.551Urna volta de ouro para senhora.
12.552Duas correntes e urna medalha para re-
logio e trez botoes, ouro de lei.
12.561Urna volta de peclas e urna cruz crave-
jada de diamantes.
12.583Urna pulseira e dous botoe?, ouro de
lei.
12.584Dous casticaes com anglicas um palitci-
ro, 18_colhere3 para sopa, 28 ditas pa-'
ra cha e urna dita para arroz, prata de
lei.
12.594Tres voltas de trancelim ouro de lei, urna
moeda de ouro de cinco rril ris, trez
ditas, dallis c um cordo ouro baixo.
12.595Urna corrente para relogio (inccmpleta),
ouro de lei.
12.596Um par de botes para ponho, ouro de
lei.
12.603Um par de esporas de prata.
12.614--Um cceulo de ouro, urna volta de tran-
celim, urna moedinba, um par de rozetas,
cur de lei, um fio de contas de ouro, um
emblema do Espirito-Santo, e um par de
botoes ouro de lei.
12.621-Um annel de
grande.
112.622Um ann uro com brilhantes e urra
paleen a uro de lei.
A's 11 hor&s
12.628Um trancelim ouro de lei.
O agente Gusmo, autorisado pelo propri.terio I \l f^T^ k"*/ Um COrda. b:iix0-
u..-. a________?_..<- e._.- .*.:_ 12.633Dous botoes de ouro com brilhantes e um
do h tel cima mencionado, far leilo, em um ou
mais lutes, vontade dos compradores.
MinSfffiriilli
I I 11 \< DE .IOIAV
O conselho fiscal, attendendo ao grande numero
de cautelas nao rescatadas, e nao c mviudo ex-
pol as venda centra os interesses do estabeleci-
ment.o e des respectivos mutuarios, faz publico
que fica transf. rido para efiectuar-so no dia 28
deste mez o leilo annunciado para o dia 15.
Estaro em exj>csico tres das antes.
11.632Um annel de ouro com brilhante, nma 12.704m par de rozetas de ouro com dous bri-
pu'seira, urna corrente e medalba para re- lhantes e urna cruz com ditos.
logio, ouro de lei. | t2.714Urca pulceim. om a'finet:, u^amedalha,
Leilo
Espera-se de HAMBURGO,
via LISBOA, at o dial 6 do
corrente, seguindo depois da
demora necessaria para
Rio de Janeiro e Santos
Para carga, pasagens e encommendas e dinhei-
ro a frete tracta-se com os
Consignatarios
Borstelinann & C,
RUADO VIGARIO N. 3
1* andar
Para
O navio Sarah, esperrdo do Rio de Janeiro,
contrata alguma carg para o porto cima ; tra-
te-se com os consignatarios Fonseca Irinos &
Companhia.
Para
de duas cacas terreas sitas ra dos Guararapes
ns. 10 e 12, freguezia do Recife, tendo cada urna
3 portas de frente, e medindo 27 1/2 palmos d
freute e 80 ditos de comprimento, com quintal,
cacimba e mais acommodacoes.
Quinta-feira 16 do corrente.
A's 11 horas
No srmazem da ra da Mrquez do O'in
dan. 19
O agente Gusmo, autorisado por mandado do
Exm. Sr. Dr. juiz de direito do covmercio, e a re-
querimiento de Antonio Luiz Bnptista, curador de
D. Francisca Bernardina da Conceico Carvalho,
far leilo com assistencia do mesmo juiz, das ca
sas cima mencionadas ; e para mais informacoes
o mesmo agente dar.
Leilo
De ama caixa com eazemlras
arai'iad'i*
Quinta feira 16 do corrente
Agente Pinto
No armazem da ra do Mrquez de Olinda
n. 6
Por occasio do leilo de fazendas de linba e pir
conta e risco de quera pertencer.
Leilo
O brigue nacional Sarah, tendo a maicr parte
da carga engajada, eegue para o porto cima at
24 do corrente ira preter velmc nte. Para alguma
carga que lhe falta, trata-se com os consignata-
rios Fonseca Irmos Si C.
LEIL0E&
Quinta-feira 1C, deve ter ugsro ultimo lei-
lo de miudezas novas o de lei, existentes no ar-
mazem da ra d j Mrquez de Oiiuda u. ti, cons-
tando do toa I has, guardanupos, lencos, esguines,
brins de linho, caaisas, bicos e crochet.
Em continuaco vender o mesmo agente 1 cai
xa de cazerairas avariadas.
SABITIIOS
PaciGc Sieam toigation Corapany
STRAITS OF MAGELLAN UNE
Paquete Patagonia
E' esperado da Euro-
pa at o dia 19 de De-
zembro, e seguir de-
pois da demora do cs-
ame para a
Sexta-feira 17, erl'ectua o agente Pinto, o leilo
do resto dos m veis e armaco da loja da ra do
Baro da Victoria n. 42, bem como a entrega dos
objectos vendidos em leilo do dia 11 do cor-
rente.
Grande e importante
Leilo
Dj excellentes movis, importante piano
allemfio do fabricante F. Doerner &
Sohn, porcelanas e erystaes, constando
do seguinte :
Sala de visita
Um importante piano quasi novd do fabricante
cima mencionado, 1 nobilii de Jacaranda conten-
do 12 cadeiras de guamico, 2 de braco, 2 de ba-
taneo, 1 sof, 2 contlos e jardineira com tampos
de pedra, 1 grande espelho oval moldura douraJa,
6 cortinados e 2 resposteiros de estopa primorosa
mente bordados a la, 1 panno igual para coberta
do piano, 6 etageres, 6 jarros e bolas do vidro
para os mesmos, 2 escarradeitas do porcellana
dourada, 1 tapete para sof, 6 ditos para por
teF, 2 espreguicadeir.is de junco, 4 sanefas e 4
tancas para cortina ios, 1 importante relogio de
pirode, 4 lindos quadros, 2 estantes e 1 cadeira
psra piano, lindos pannos de estopa bordados a l
para cadeiras c sefi.
Sala de entrada
Urna bobilia de amarello com 12 cadeiras de
guamico, 2 ditas de balanco, 2 de braco, 1 sof.
2 consollos, 1 jardineira c m tampo de pedra, 1
secretaria, 1 etpelbo douraJ.i, 2 quadros, 4 lau-
da casa terrea n 4, sita ra do Rosario da Boa
Vista, com um porta e jaoella d* frente e 4 portas
de fundo, tendo 2 salas, 3 quartoe. cosinha fra,
quintal murado, cacimba e apparelho.
Qulnta-felra, 16 de Dezembro
A's 11 horas
No aroiazem da ra do Mrquez do Olin-
da n. 19
O agente Gusmo, autorisado, far leilo da ca-
sa cima mencouada, podendo ser examinada
pelos compradores.
Teiveiro leilo
De dividas na importancia de 20:092)5835
Quinta feira, te do cor re ufe
A's 11 horas
A* ra ewireitu do Romailo n. i
O agente Silveira, por mandado e com assisten-
cia do Exm. Sr. Dr. juiz do commercio e reque-
rimento do administrador da massa fallida de Joo
Rufino Barbosa, levar leilo as referidas divi-
das_._____________________________________^^
Leilo
De fazendas de linho
Constando de brins brancos e pardos,
esguio, lencos, guardanapos e toalbas tu-
do de linho.
Quinta feirn 16 do rorrete
A's 10 1/2 horas
Ra do Mrquez de Olinda n. 6.
O agente Pinto
Levar a leilo por mandado do Exm. Sr. Dr
juiz de direito especial do commeroio, em virtude
do requerimento do procurador fiscal e deposita-
rio da massa fallida de Caeteno Ramos C,
duae caixas com fazendas de linho que tazem par-
te d referida massa existente no armazem da ra
do Mrquez do Olinda n. 6.
Leilo
Da armacSo, gneros e utensilios da taver-
na da estrada da Ponte de UchGa n. 46
junto estacao da Jaqueira.
Espolio do Mubdito heapanhol Ma-
noel Rodrigue Kcrnande*
O agente Martins autorisado pelo encarregado
ternas com casticaes, 2 jarros dourados com bolas do Vice-Consula lo Hespanhol, far leilo da ax-
il.633Um par de rosetas e um annel cun bri-
lhantes.
11.645Urna pnlseira de ouro com brilhantes.
11.705Um relogio ouro de lei.
11.976Urna corrente para relogio ouro de lei,
um relogio de ouro e um palituiro prata
de lei.
11.981Urna pulseira ouro de lei.
11.988Um annel de onro e tres botoes com bri-
lhantes, urna volta de ouro com medalha,
duas correntes, duaa medalh's para re-
logio, um par de brincos e seis moedi-
nhas de o iro em botoes.
12.010Um par de rosetas de ouro om brilhan-
tes.
12.022Urna pulseira onro de lei.
12.025Um annel de ouro com brilhantes, urna
pulseira, um broche, um par de brincos,
um dedal ouro de lei, urna pulseira, um
broche, um par de brincos, ouio baixo.
I2.1f'7Um1 pulseira de ouro com brilhantes,
quatro anneis com ditos, um corrento
de ouro para relogio, urna g&rgaotilha,
urna pulseira, dous broches, dous pares
de brincos ouro de lei, um relogio de
ouro.
12.16SUrna cruz de ouro com brilhantes.
12.202Um annel de ouro com brilhantes e tran-
celim, ouro de lei.
12.302Um annel de ouro com um brilhante,
duas coras do oure de lei, urna moeda
de ouro com laco, um cordo e um cora-
iio de ouro, ouro baixo.
unco anneis onro de le.
l.319Duas pulseiras, tres broches, um pa de
brincos, dous dit ,s argoloes, um dedal,
quatro anneis, ouro de lei, um broebe,
dous pares de brincos, um par de argo-
loes, um de botoes e um annel, our i bai-
xo, urna salva, um esplendor, nma concha
para copa e 17 colheres de prata.
12.324Urna volta de ouro cem medalha, ouro
do lei.
12.329Um annel de ouro com brilhante, nm ro-
sario e urna coia de ouro, um cordo,
um par do brincos e urna ciuz, ouro
baixo.
12.335Um trancelim, urna volta de dito, urna
cruz urna figo, urna nredinha de ouro
dous anneis e tres rozetas, ouro de lei,
12.336Um annel de ouro com brilhante.
12.346Um broche, cinco pares d medalha, tres anneis e nm loneto, onro
de lei.
12.349Um annel com brilhantet.
12.360Um relogio ouro de lei.
12.361Um trancelim e urna medalha. ouro de
lei.
12.362Um cordo e urna medalha, ouro de lei.
12.870Um trancelim c um annel ouro de lei.
12.371Um relogio, ouro de lei.
12.376Dous trancelins, duas medalhas o duas
cruzes, ouro de lei, 13 colheres para cha,
e um marac pratn baixa.
12.381Um relogio, ouro de lei.
12.387Um relogio ouro de lei.
12.391U n trauc-tim e urna cruz ouro de lei.
12.392Urna volta de trancelim e tres teteias,
ouro de lei.
12^394Uuia pulseira ouro de lei.
12.402Urna corrente e medalha, para relogio,
ouro de lei.
12.405Um par de brincos de ouro com brilbau-
tes.
12.406Urna pulseira, nm alfinete, um par de
brincus de ouro com perolas e esraeral-
dasj our.) de lei.
12.407Urna salva prata de le.
12.408-Urna pulseira do ouro eom brilhante,
urna volta de ouro com laco e urna meda-
lha, ouro de lei.
12.409Um broche para retrato com brilhan-
tes.
12.411Urna corrente de ouro, e um relogio ouro
de lei.
12.412Urna corrente dupla para relogio ouro de
lei,
12.416Dous purs de b.iucos, dous ditos de ro-
zetas.
12.431Urna coi rente para relogio ouro de lei.
12.438Um cordo ouro de lei.
12.439Urna redoma onro de M.
12.441Urna con ente e Medalha pa'a relogit,
ouro e platina, urna dita ouro de lei.
12 449Urna correte dupla com nedalha e um
relogi.', ouro de lei.
12.46247 moedas de pratu de differentes valo-
res.
12.463Duas pulseiras, um par de b/ neos, nma
volta do trancelim, urna moedruha de ou-
ro com laco, c dous uumis, ouro de lei.
12 467Um par de mata* de ouro com brilhan-
tes.
, e um relogio
um par de brincos, um dito d rozetas
ouro de lei.
12.717Urna corrente para relogi
tudo prata de lei.
12.719Uma volta de trancelim um cordo, urna
cruz, um par de brincos, um dito de ro-
zetas, dout alfinetes e urna redoma edous
anneis de ouro.
12.724Um trancelim e urna cruz ouro de le.
12.76Urna medalba ouro de lei, duas cruzes
ouro baixo, um calix com colher, um pa-
liteiro e nma salva de prata.
12.742Urna corrente para relogio e 4 anneis ou-
ro de lei.
12.744Urna cruz e tres botoes do ouro com bri-
lhantes.
12.746Um alfinete quatro bitoes, um trancelim,
dous cordocs ouro de lei e seis moedinbas
de ouro em botoes.
12.747Um par de rezetas do ouro era vejadas
de brilhantes pequeos e perolas, um an
nel com um pequeo brilhante, urna pul-
seira ouro de lei.
12.749Um relogio de ouro para senbora.
12.750Um medalho de ouro era vejado de bri-
Ihaates, urna pulseira da orno com bri-
lhantes e diamantes, duas medalhas de
ouro cora ditos, nma volta de ouro para
senhora, um medalho ouro de lei, dous
lies de perolas.
12.755 Um trancelim, urna volta defditc, duas
medalhas, um cordo e um annel ouro de
)e.
12.757Um cordo ouro de lei.
12.761Urna medalha ouro de lei.
12.765Um relogio ouro de lei.
12- J71Urna cruz de ouro com brilhantes.
12.771Una pulseira. um par de brincos e urna
figa, ouro de lei.
12.779Um relogio ouro de lei.
42.786Um annel de ouro cem brilhante, urna
pulseira, um alfinete e um par de brin-
cos, ouro de lei.
12-787Urna medalha e um par" de argolas ouro
de lei.
12.788Um relogio de ouro.
12.790Ucn par de brincos e urna medalha onro
de lei.
12.792Dous pares de brincos, um alfinete pe-
queo, um casto, dous anneis com po-
dras e urna figa de ouro de lei; um alfi-
nete, um casto ouro baixo.
12.793Uir.a corrente para relogio (incompleta)
e um relogio, ouro de lei.
12.794Um relogio curo de lei.
12.802Urna pulseira ouro de lei.
punhos e um relogio, ouro de lei.
12.950Urna correte para relogio e um relogic
de ouro de I.
12.953Dous anneis de ouro com brilhantes,
urna moeda de ouro Ib., urna dita de 20
francos, urna dita de 10/ e quatro dol-
lars.
12.955Um relogio curo de le para senhora.
12.960Duas correntes e duas medalhas para
relogio e duas pulseiras, ouro de lei.
12.965Urna corrate para relogio, ouro de lei,
um relogio de ouro.
12.966Urna correle e mdalha para relogio,
ouro de lei.
12.978Um trancelim curo de lei, urna cruz ou-
ro baixo.
12.980Um annel da curo com brilhante.
12.937Um par de briucos de ouro e um annel
com brilhantes.
12.988Uma mcdaiha, um par de brincos e nm
dito de botes, ouro de lei.
12.989Um alfinete- de onro com brilhantes, uma
vernica, um dedal, uma cruz, ouro de
lei.
12.991 -Uma corrente com porta-ielogio para re-
nhora e um alfinete, ouro de li i.
Iz.995Uma volta do uuro, uma inedalhi e ui^.
pulseira, ouro de le>.
12.999 Um annel da curo eom um brilhante e
dous rubins.
13.004Uma volta de ouro, um .Ifiuete e um par
do brinco, curo de ouro de lei.
13.00-iUma volta de cordao, ouro de lei.
13.006Um annel de ouro cem brilhante.
1301.Uin.-i fvclla de ouro, um inuitl cravejado
de_ diamantes, um par ue rozetas com
brilhantes pequeos, ou'o V lei.
13013.Uma corrente e medalha para relogio e
um relogio, ouro de lei.
13014. Um par de rozetas c um aunel contendo
brilhantes, uma pulseira, ouro de lei, um
relogio, ouro de lei.
13016.Urna pulseira, uma corrente e medalha
para relogio, uma volta de ouro, um tran-
cellim, urna medalha, uma dita pequea,
um par de brincos, ouro de lei.
13017-Uin par de brincos, uma medalha, dois
anneis, curo de lei ; sete ditos, ouro
baixo.
13018.Um cordo, curo de lei.
13019.Uma corrente e medalha para relogie,
ouro de lei.
13024. -Um relogio, ouro de lei.
13026.Um alfinete para retrato, uma medalha,
um tranccllim, dois pares do brincos, um
ann?l, oi-ro de lei.
ouro com nm brilhante 13038. Tres alfinetes, um par de brincos, um de
rozetas, ouro de lei; uma pulseira, um
par de rozetas, curo baixo : um marac e
um grampo de prata.
13040.Duas pulseiras, doia tranecilin?, ouro de
Iti ; um cordio, ouro baixo.
13044.Uma corrente e medalba para relogio,
ouro de lei.
13045.Duas pulseiras, dois pares de brincos, om
dito de rozetas e um dedal, ouro de lei.
13C58.Um tranccllim, um alfinete, dois pares
de brincos, tres anneis e uuia cruz, ouro
de lei.
18061.Um cordio c uma cruz, ouro baixo.
13067.Uma vo.'ta de ouro com medalha, dois
trancellins pequeos, dois pares de brin-
cos, um dito de rezetas, uma moeda de
5, com layo' um emblema do Espirito
Santo, um anne!, um e mcio par de b;-
tojs, ouro de lei.
13069.Uma volta de ouro e uma medalha, ouro
de lei.
13073.Um relogio, ouro de lei.
13076.Uma volta de traucellim, ouro de lei.
13079. Una corrente para relogio, ouro de lei.
13;80.Um par de brincos de oun cora brilhan-
tes pequeos e tres aoncis com ditos.
13038.Uma corrente, medalha e um relogio, ouro
de lei.
13091.Um annel de ouro com pequeo brilhante
uma crente e sinete para relogio, seis
botots, ouro de Iti.
13092.Um cordo e um redoma, ouro de 16 ki-
lates.
13095.Uma correte e medalha, ouro de lei.
13096.Uma corrente dupla com medalha para
relogio, ouro de lei.
13097.Uma pulseira, um alfinete e um par de
brincos, ouro de lei.
Recife, 10 de Dezembro de 1886.
O gerente e guarda-livros,
Felino D. Ferreira Coelho.
annel com dito.
12.636Uma escrivania, prata baixa.
12.669Uma pnleeira, ouro de le.
12.672 Um par de rozetas de ouro cano dous bri-
lhantes, dous anneis com ditos, um dito
com dito e rubina.
12.684Dous anneis de onm com brilhantes.
12.693Um annel de oure i brilhante.
12.694Umaanel de ouro um brilhante, um
par de rozetas en idas de diamantes,
uma pnleeira ouro : lei.
12.697Um alfinete e um par de rozetas, ouro do
lei.
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se casas a 8JOC0 no becco dos Coe-
Ihos, junto de S. Gouc,a!lo : a tratar na ra da
Imperatriz n. 56.
_ Qi em precisar de uma professora para en-
sinar prime-iras lettras, francez, msica, piano e
italiano, fhres de couro e madeira, dirija se ao
Caminho Novo n. 128, que achara com quem
tntar._____________________________
Precisa-se saber noticias e informacoes so
bre Francisco Prez, francez, nascido no departa-
mento dos Baixos Pyreneu?, com cerca de 35 an-
uos de idade, o qual veio para esta provincia ha
alguns annos, e consta que daqui seguio para a
Parahyba Agradece-se quaesquer informacoes
dadas no escriptorio de Maia Rezende, ra do
Commercio n. 38, 1- andar, entrada pela ra de
Torres.
Ama de leile
Precisa-se de uma
boa ama de leite; no
3o andar do predio d.
42 da ra Duque de
12.809Um annel ae ouro com brilhante, um di If^QYicia nn., rrro An ?--
to de ouro o uma volta do trancelim ouro v/aAlaa I)Or ( 1! 11 il Ca IV"
delei. I !-_ '
pographia do Otario.
OESTO religiosa
de lei.
12.811Uma orrente e medalha para relogio e
um annel, ouro de lei.
12.847Um annel ouro de lei com brilhante.
12.850Uma pulseira, um volta de trancolim,
nm par de brincse uma cruz ouro de le.
12.855Um par de rozetas de ouro com brilhan-
tes.
12.870Dous relogios ouro de lei.
12.871Um trancelim e uma cruz, ouro de lei.
12.873Um par de rozetas e quatro botoes ouro
de lei, e um pa liteiro de prata de lei.
12.878Uma m>.dalha de nix, contendo brilhan-
tes.
12.888Um par de brincos, um ulfin te, uma vol-
ta de trancelim e ura cordao, oura de
lei.
12.889Um annel de ouro com brilhantes. nma
corrate para relogio, um trancelim ps-
nucuo e um par de brincos, ouro de lei.
12.895Uma pulseira ouro de lei, treze colhes
para cha, prata baixa.
12.912Dous botoes de ouro cita biilhantcs.
12.914Uma pulseira onro de lei.
12.918Um paliteiro prata de lei, treze colheres
pi:b.i\tl a santa s
OU
A misso especial a Roma em
183 luz de doeumentos
publicados e inditos
PELO
BISPO DO PARA.'
Acaba de chegsr esta importante obras para as
Livrarias Industrial, Franceza e Econmica. "
Preco SOOO
Ama
Precisa se de uma ama pura eo.inhar em cas.i
de familia ; na ra de Pedro AfFonton. 24.
AU BON MARCH
81Ra juque de daxias81'
PAIU ACABill

e:
\

I


6

'


J

Diario de Peraumtoco- ^uarU-fcia 15 de Dezcmbro de 1886
iDADO COM
FICACOES!
PARA
O LENCO O TOUCAOO
E O BANHO.
peitoraj-Ceroj
de Ayer Jq
sChmy Pectoral)
PjUU A tt A M CCNSTHMCta,
r0SS.ASTHMA,Bll0\CmTE.
CouuucHt ouTosst Convulsiva
Tsica Pulmonar.
Aluga-se
para recolher algodilo ou nutro qualquer genero o
predio da ra da Moe.ia n. 35 ; a tratar Da ra
Priaieiro de Ma. co a. 20. .
Aluga-se
a casa n. 3 era Beberibe a tratar coro J. I. de
M. Reg.__________________________________
Aluga-se
predio n. 140 raa Imperial, proprio pa
koelecimeoto fabril : a tratar na ra do Cor.
to n. 34, eom J. I. de VeuVir.w Reg
Aluga se barato
Largo do Mercado n. 17, I ja com agua.
As casasda ra d(> Coiom.1 Suassuna n. 141
Largo do Corpo Santo n. 13, 2. andar.
Casa da roa do Tambi n. 21.
rratfc-Be na ra do Commercio n. 5, 1 andar
escriptorio de Silva Guimares & C.
ira es-
came r-
Luz brilhante, sem Fumo
OLEOARMATICO
Hygienico e Econmico
PARA LAMPARINAS
*
^?????????????gS
Aluga-se
o sobrado ra da I lia do Catvalbo n. 29, catado
e pintado de novo, a toja do sobrrdo ra das
fLarangeiras n. 26, Santa Tbereza n. 13, cacas na
(jreguetia de Santo Antonio, e o 2- andar da roa
o Boin Jess o. 16, ra fregoesia do R- cife ; a
ratar com o Pinheiro raa
J6, loja de miudezas.
Duque de Cazias n.
Aluga-se
o 2- andar da ra estreita do Rosario n. 31, tem
commodos para familia e tem agua ; a tratar na
ra da Imperatrii n. 16, 1- audar.
Ama
Na ra da Madre de Deus n. 3, hotel, precisa-
se de urna ama de idade para pouco trabalbo.
Ama
Xa ra da fioncicao n. 9, precisa-se
urna ama para servico de urna peasoa.
tr.Ur
MABT1NS BASTOS
JPernanibuco
NUMERO TEL6PHONICO : M- 39
Agua florida.- Extmhu'a de flores bra-
sileira8 pelo seu delicado perfume, suavida-
de e saas propriedades benficas, excede
a tudo que ueste genero ttm eppareeido de
tuais celebre.
Tnico aro encano. E' a prroeira das
prepararles.. para a i enservccSo dos ca-
bellos. Extingue as caspas e outras mo-
lestias espillares, faz nascrr os cabellos,
impede que embrauquecam e tem agrande
vantagem de tornar ivres de habitantes as
cabecas dos que os usam.
Oleo vegetal- Compcsto cora vegt.al
innocente, preparado pt.ra amaciar, for-
tificar e dar brilbo aos 'cabellos.
Agua den'ifricia. Excllente remedio
contra a carie dos dente?, fortifica as gen-
gives e cZ desapparecer o roo balito.
Vendase, as principacs casas dtsta ci-
dade o na fabrica de leos vegetaes ra
da Aurora n. 161.
TFLEPHONE N 33
Tricofero de Barry
Garntese que faz nas-
cer ecrescer o cabello anda
aos mais calvos, cura a
tinha e a caspa e remove
todas as impurezas do cas-
co ta caliecn. Positiva-
mente impede o cabello
de cahir ou \e embranque-
cer, e infallivelmenta o
torne. espc3so, macio, lus-
troso e abundante.
Agua Florida de Barry
Preparada segunda a formula
original usada pelo inventor em
180. E' o nico perfume no mun-
do que tem a approvncao officinl de
um Governo. Tem dos vezes
in.iis fragrancia que qualquer ontra
ednraodobro do teropo. E'muito
mais rica, suave o deliciosa. E'
limito mais fina e delicada. E'
niai permanente e agradavel na
lenco. E' duna vezas mais refres-
canto no bonho e no quarto do
(lente E' especifico contra a
frouxid.io e debilidad*. Cura as
dores de cabeca, os cunsacos e os
desmaios.
Xarope ie Villa Se Beiiter No. 2.
Ama
Precisa se de urna cosinbeira para casa de pe-
quea familia ; a tratar na estrada nova de Cu-
xaog, no sitio do Sr. Valcnca, ou no escrptorio
d'este Diario.
Ama
Precisa-se de urna ama perfeita cosinbeira ; a
tratar na ra do Cubug n. 14, 1- andar, do meio
da s 2 da tarde.
Ama
Precisa-se de urna ama
larga do Rosario n. 46.
para cosinbar ; na roa
Ama
Precisa- se de urna ama
mero 52,1 andar.
na ra da Guia nu
Ama c criado
Precisa-se de urna ama para cosinbar e de um
criado ;, a tratar na ra do Bario da Victoria
anmero 54.
Ama
Preeisa se de urna ama para
da Gloria n. 104.
co9nbar : na ra
Profeswa
AKTES DE T76AI/-0. DBPOIS DE USAL-*.
Cura positiva e radical de todas as formas de
fscrofnlas, Sypbilis, Feridas Escrofulosas,
Affeojes, Cutneas e as do Courc Cabel-
ludo com per Jado Cabello, e de todas as do-
eneas do Sangue^Jigado, e Rins. Garante-so
que purifica, enriquece o vitalisa o Sangu
e restaura e renova o svstema inteiro. 0 M
Sabao Curativo de Reuter
????????
KrsenUtOde
" J TV t
do D1 ADDIS02T
0 MAIS ENRGICO E 0 MAIS ACTIVO DOS RECONSTITUINTES
---------------------------fl ^ c---------------------------
O ARSENIATO DE OURO se impoe a todo a ,.: tile que for cuidadoso do scu bom estado do sade. Com um ou dous
granulos por dia, volia o appetite, a tarea augmaUifo t damenU um estado mmelador. Xcnbum
medicamento pode competir com elle no traainento das Molestias chronicas do Peito e do Estomaqo fecces
intestinaes e nervosas. '
ANEMIA, ESGOTAMENTO, MOLESTIAS NERVOSAS, MOLESTIAS DE SENHORAS
O Arseniato de Ouro dynamizado do Doutor ADDISON, resultando da combinacSo de dona medicamentos
heroicos, combate victoriosamente a Tsica, Bronchites chronicas, Asma, Rheumatismo chronico c todas as
Molestias que rosultiio do Esgotamento do systema nsrvon-.
Nao tem rival nos Enfraquecimentos qe rosnltto de urna longa molestia. Saas ropriedad as da
innervacUo tornSo-tw superior ao Ftrro contra a Anemia, as Flores brancas e as Nevralgias. __ As Pebres que
resistem ao sulfato de quinino eedem ao Arseniato de Ouro.
O Arseniato de Ouro toma as malheres jovens e nutridas. Auxilia poderosamente o atravessar a poca to temida da
idade critica e communica urna nova juventud?.
MOLESTIAS 00 SANBUE, APOPLEXIA, MOLESTIAS DA PELLE
Grabas sua propriedude de rcstabclccer o equilibrio entre o elementos constitutivos do sm^ne. c Arseniato de
Ouro dynamisado recommendado s pessoas de idade como preservativo da dlSanentes Apoplexia e Con-
gestes. Tomado em fortes doses, cura rpidamente qualquer Molestias proveniente de impureza do sangue.
Combinado com um trataineuto local, cura intallivelmente as Molestias mais rebeldes da pe'.le. Lupus. Eczemas
Cancroides, etc.
Milhares de Doentes devem lioje sua cura aos Granulos de Arseniato de Ouro do Dr. ADDISON.
Innmeros attestados forao dado.", citaremos aqui alguna.

O FRASCO : 6 FRANCOS
(em Francal
Desconie-se das Contraales
eexija-seaYERDADEIRA ETIQEHA
com a MARCA DE FABRICA assim
como a assiguatura ^^^^
e a do Snr.
Jnico Preparador
Deposito Geral :
Pharmacia GELI2T
38, ra Rocheclxoaart, em Pariz
E AS PRIKCIPAES PHARMACIAS
Em Pcrnambuco:
Francco M. da Silva & Cia.
ATTESTADOS DOS DOENTES
Snr. Gkun, Phirmaceatico de 1 Ha-"?, em Pirij:.
Tirulo ti'io don -
indoprrtl--iti/Q t i*>
tomitonilc. quORlo lomara, emprcguti i
de Arseoiiio de Ouro dynanii.vlo Jo Doutor Add
Bmpohco* '
me o a/'i .
Queira curiar-me inais um /rateo ->.
nulos.
Xa esprra, frtiho a honra, tic etanj
Lalmlnt. Retof, OmritfU tm BresoPe (E.-tt-I..>
Nota. Aut,,ri*',-o a pub'iar rsr > carta.
Snr. Gkun. Pharninceucodeltclisse.em Vr
i mvUo >nti.*fiito com o emprt\
nulos de AtmbmM de uto dynsmindo do I
Addison. t/'t dOUt anuo* que os Graiti;
commecou o
em eofa VJ auQiitciiUiov. j,<
cuanto >i< l les farfo uto.
Afui'<- thf 'ido de. me enca i
brere posticel dous frasco del menta,
tem tido o nico rcmaUa que Vm acalmarlo min-
hat doret nevralgiesis.
De V. S. m" atf .
F. Akmand. A'ljunrto a Main-.
KmCabriirctd"Aciynon p. Vltle-s-Sorquc Vaucl.)
Caro Snr. Gei.in,
O effeito rios Granulos de Arsenito de onro dyna-
misftdo do Doutor Aridison, tem ttdo mnrnrithoto.'
Ainda nAo roltri de mlnha surpreza. ,V fffMC
N

un m ti h i cura.
TcnhG bondade <<* cHciar-m mai*
-
rrAo n honra
u
'
i i;..\ lis, i i '.i-' i ta.fi,
Sin < i |\. P Tiri/.
'."
a Ai
!ion.
ri n h,,-.<<<. ,r me um
- tmm dymni -
t'i-mc vontra UAiO
;!<,
t cauta de ti
Visor (Kmet>,
A Qit-i" pfiw .''' (Mame).
Snr. GclUV. Plnri
Ttndo''"' '
niaio de onro dnnndo de Douior Addinon, di
hur.ero-lhr ti,' mtuxhtr-
nni _'/ rjJ dcttC medicamento.
A'ira-l "> 4he d 0 'i>< !,"'>.
Ikji-'DRI- V. nrifoctantc dr cmhos.
A Prrn',ii'j't>r-S,'i i rn. /nr Noer (Yonne).
S:ir ill.lN. ['h.iniij 'Mtico d*- la cJam em I'nri/.
Aoabtti com ofrteo de Graanlo* de Arseniato de
'"'' 'iyn m ulir thepedi uiti-
mamenie. ProdUzirAo-mc muito bom cffeito; o
uii' htinh'i i
Tenha <<' tidadt ,,, fratao.
De V. 8. atf V- <' t>t..
I 0 rtees,
A '. ti >. i" | 'arria).
Sur. Gei.in, PharsneeMieo de i cb>M em Parir.
T'-nho a honra de irr-lhc seis
,ubi ,fe
alo de ouro dyi Doutor Addisoo, que
' re remetter-me.
Kmprtgm amento qw eamprei rm
trretpondente. de CUU e tejmt
'
i tr*a do
mptoe c r rcc
Fi.v m
km lirbrcnre. / '. // '-,,.;,,_
S GKL n. l'i.irm: ', .(;ro cm Pariz.
Biedioo empreaui
.-.-- \ ... do ouro dTiuunisado do
Doutor Ad
dO marnriihoto cfTcito que flQtfWCrt n
-c '/'" 'i-inv.ipiei a usar dos
irai.ulo! de An^ntnto de ouro dynaroisr.*- do Doutor
Adil*!., rof/o-lhr de fttCUW-me 0 mus brece pos-
airel mais ilout frasco*.
De V. .s. //-'VCH Obj,4'.
JaojaYE. Joo (Pae >, proprtefario.
Em Vercoiran,por Le fiuit (Dror,,< ..
?
|
Cal ,irg(iu de Japaribe
Marca
Registrada
Abri se raa do Boro-Jesus n. 2), um
armazetn onde so vende constantemente
a tuperiir cal virgeiu do Juguaribe, acon-
dicionada em barricas preprias p;ira o fa-
: brico do assucar.
Esta cal, ero nada inferior que nos
| vera do estrangeire, vendida polo prego
j fixo de G-^000 a barrica por contrato que
fez o Sr Vicente Nasciinento cora o Sr.
| Jos Costa Pereira pioprietario do engenha
Jaguaribe, cujas podreiras Ihe d o aorae.
i' encarregado da vt-nda nicamente
! n'esta cidade o Sr. Sebastiao Bezerra,
com eseriptorio na do Bom Jess n. 2->,
\oi plus ultra
Surpreudrnte e nunca vinda a
vinbo puro de uva sem a injolma
noicinado
ste mercado do
compjsicao, de-
Maduro
i proptio para mesa ; o esculliid) cepecialmente pelo
! socio na ultima viagem que f teiros de Portugal.
Chegou tambrm o acreditado
Malvazia
vinho proprio rara constituios debis, rspecial-
mente para senhoruF. Este vinho que tanta ap-
provacSo tem tido, ponto de lia ver falta, demos
, s ordena prec3r.s a6m de chegar-nos r- mea-
: sas, tantas quant^s forera necessanas para con-
sumo.

em todos es vapores sementes novas da hortalizas ;
asa'm coaio :sro de liico en iluno
- ra jjs da India.
Obras de vime
Nova remessa em CESTAS PARA COMPRA.
Condenas e assafyles
CEAR
Para o Banho, Toilette, Crian-
cas e para a cura das moles-
tias da pell de todas as especies
# em todos os periodos.
Urna senbr.ru que ensioa primeiras lettras,
desenbo, piano, flores, bordados e todos os traba-
ihos de agulha, prope-se a lecciontr em casas
particulares por mdico preco, garantsndo grande
adiontamento de suss discipulai : quem desejar
tiliear se de seus frvidos, queira dirigir se
raa do Caldeireiro n. 2, 1- andar, onde achara
eom quem tratar.
lili sacerdote
Precisase de um sacerdote psra celebrar ama
missa de Natal no engenho S. Miguel, distante ds
jstaco de Cuycmbuca legoa e meis, offerece-se
a'joia de 7J/00, dando se condueco da mesma
eitacSo para o < ngenho O sacerdote que nao
;tiver compromettido e quizer aceitar a offerta,
escreva psra o mesmo enp^nho, ao 8r. Antonio
pcdra da Cota, estadio de Cuyambuca, at o dia
Dezembro.
Por"22R)00 rs.
Aluga-se o 2- andar e sotao raa de Lomas
Valentinas n. CO ; a trstar na raa Primeiro de
Marco n. 7-A, livraria.
Criado
Precisa-se de um criado de 12 15 aunes ce
idade, qne saiba 1er e escrever alguma couea, o
que d eonhecimento de sua conducta ; na raa de
Hom Jeeus n. 28.
psra retratos chromns, o que pode baver de mais
n>, acnb i d" receber a tbogrsphia e enesder-
nscao Miranda
Una liuque de Ca\ias n. 39
Portas e janellas
Ko escriptoria dtitc Diario se dir qiem precisa
comprar 2 portas de 12 1,2 pahnos de altura c
18 janellas de 8 pulmes, tu Jo de louro ou amarello.
flliii
Alaga se Da ra Vinte Seta de Janeiro urna
boa casa com bjns co,mn jdos para familia, acbsn -
do se caisda e piafada, c ma agua e gal cana lisa-
tos, perto da euiagao do Carmo e des banhos sal-
ros ; a tratar no pateo do Corpo Santo n. 17,
nd*r.
Deposito em Pernambuco casa de
Francisco Manoel da Silva & C.
ilrallcl '
Achs re v-rda no .stabelecimento de msi-
cas de \ itat Pralle, Succesfor, esta polka para
piano, composicao de Misael Domingues, autor
das applaudidas polkas Catauros. Zaza e Mam&i
j disse.
Caj
Magnifico a?suear lurbiuid >, proprio para fa
bricar o especial doce do caj crysralisado.
Joaquin Saleueiral & C, ru' Direiia n.22
Telephone n. 445
Especial
O melhor assucar refinado que te fabrica em
Pernambuco
Joaqun. Salgu. ral C, ra Uireita n.22.
releohone n. 445.
OMM.IlArHSV
Jurdica irntira a\ execucfieH de
seaienrniii um prorrsso civil
PELO DR. n. T. DE M0I1AES LEJTE VEI.IIO
l volume de 390 p*g. broth. 6*000
Adduoe l Monographia das exccur;oes, eontendo
as reformas da lei de 5 de Outnbro de 1885 e de
creto de 25 da J neiro de 1886, e a synopse em
forma de eodig>, de tudo o ptocesso das ezecuces
bypothecurias e pignoraticias.
Obra rcci i,t' n ente publicadas e til acs Srg.
sdvogados e iDsgistr^dor, 1 rol. broeli. 4*000
O 2 voloincs jisn'aijir ..! i s-c OJQO
l^irrarla Francria
9-RUA 'I'IMEIU'J tm MARgO-&
Pili
, 4.
Criad
d.- u^; criado : n
NOVA
LOTERA
A 3- serie de: leteria corre Koie 15
20:ooo*ooo
Esta lotera est a cargo de um novo
thesoreiro, que pre&tou urna grande fianca
para garanta dos premios.
0 portador de dous vigsimos
dra importante lotera est habilitado
20:012$000
Logo que chegue o telegramma da ex
trac^o sao pagos, immediatamente, os pre-
mios.
BILHETES VENDA
RODA DA FORTUNA
36Ra Larga do Rosario36
a tirar
para roupa snja
Cadeiras e berros.
f RA ESTREITA DO ROSARIO N. 9
Atten^ao
Acro onlre anilgow
A que di:va correr com a ul.ima lotera das
Alagoas deste mez de Orzsmbro, correr com a
ultima lotera tambem das Alacroas que fe extra-
hir no mez de Feverciro de 1887, hcando assim
transferida.
Liquidago definitiva
S3EDA CO BAI6HL53
Por terminapo definitiva de negocio e
por mudanza da provincia, vende-se por todo
prefo, todo sortimento defazendas existente
no armazem ra do Rangcl n. 53.
V

oiestias da arganta
PASTILHAS DE PALAMCI
do Cblorato de Potassa e Alcatro
Para as enfermidades da bocea, in/lammacao da garganta, aphta, ulceraco das
g.mgivat, seccra da lingua e do paladar, rouquidao, incitacao das atnygalas, etc.,
n'o ha remedio mais eflicaz e rpido do que o chlorato de potassa. Si se he junta
o alcatrao cujas propriedades balsmicas e purificantes so r",versalmentereconhe-
cidas, accelera-se a cura destastpequenas enfermidades e eviia-se sua repeticao,
dando ao mesmo tempe maior fun.-a aos orgaos
As Pastilhas de Palangi se dissolvem lentamente na bocea e obrao como gar-
garjo; passao, depois para o estomago e dalli para o sangue que se purifica sob a
benfica influencia do alcatrao.
Estas pastilhas so muito usadas pelos Cantores. Advogados,Prgadores e todas
as pessoas que sao ohrigadas faltar em publico.
Deposito em Pars, 8, Raa Vivienne, e em todas as Pharmaclas.
f VERDADEIRAS PILULAS do D'LAUD
Pomos preparados ferruginosos podtw *prosntar-n i ccnffcaca dos MJtaes I
[ 4 Dotntss apoiaot tm> documantot to lutheolicoa cono 01 grlattm :
81o fticpregaiU em o melhor czlto. ha mais ie c nnoa, Sa. a.4ior parte Qui IteAVaoa, !
par* csrar SnemiH, Cbioraae {titti ttlda), e facilitar a formacAt das raparigas.
fc ben iue a Insercfio rtestas Pilu las nc novo Cedex /Yait; nos dispense de toda teto,
I sos lUifcaranioa i ti nica ciuooo, do B' xkjitbx. .
VusiB 15 Boroj qTidexerao aaie<.ic,iii,a:zeue.rocnii*-$'>ia nswsterl* MMaud
vaasafsma lacontestsvata r. ostros femig^sosos, u> eoi^U9o como
!<> tlntiHretloo. > o- doubu
ti-rrHhmtt di tc'3iit m a*dint .!.
SrtiSas saUa-a> qe o aev uome MJeJs gTSTaao sobr" -* Plala coa tTjtfgem j
OUH3PKK DESCONFIAR DA OlTACES
tiS, ni PsyeDu. l.Pe .izmbvco: TW >. da ir ., T C*, i su n aupses lili iHM
Liquidaciio de lim de
anuo!!!
59-
.--89
Aos 1.000:
J i Penha
Criado
N j Ja V icteru n 31, loj*!,
Sft-to de um m bino para erin
SMIgsil
Mr* I. : iiinlonc I A Lj.idcn) begs to in-
form lii |.u|id tliat bu vril rcrommenee iaEve-
nivg \ulish on Jau. 3, at
bis room, ruacatrt-ita do K mrio n. 4.
Genttemen or I.adir* iehing to peifect them-
selvcs iij tlic Knglish laiigvagt ana diairing pri
vate leseons p^eaio to cummunicate early.
200:0001)000
100:000^000
LOTERA
Em favor dos ingenuos da Colonia Orpkanologica Isabel
DA
PROVINCIA DE PERNAMBUCO
Eifap a 1S Ifi Dsfflta lie 16
0 thesoureiroFrancisco Gonctilves Torres
Lindisfirnos riscadinhoj a 160 e 200 rs. o eo-
vado !
Nanouk, (.ores firmes, a 160 o dito !
Cretones claros e escuros a 240 e 280 o dito .'
Popelinas com listas de seda a 240 e 280 !
Meiss superiores para crianca a 2 a duzia !
Gnardanapos de liuho bordados a 3 a dita.
A toa! han s alvo, 2 larguras, a 120J o metro!
Bramantoa superiores a 900 e 12U o dito !
dem de puro linho a 24 o dito !
Setinetas lisas e bordadas a 4 0 o covado !
Retalhos de setins e sedas que se liquidam por
metade do custo.
Setim maco de cores a 800 e 11, o covado !
Popelina de seda branca a 500 l*. o dito de
800 rs.
Pannos de differeiiles cores para mesa a 60,
1*200 e WGOOo ovalo.
Damascos de las pra co'xas, 2 metros de lar-
gura, a l800o dito!
Cretoues assetinadi^, dem, a SjOo dito I de
l#50O.
dem com lindas puUagena para lumbres n
400 rs. o dito.
Cortes de casemira inglesa a ii500, 4*500 e
6*000.
Cheviots superiores a 34 o covado, 2 larguras.
Uasemiras diagonacs a 14800 e 24'J'> o dito.
Flanella americana azul, a 14400 o dito .'
Fichus de la a 14500 e 24.
Chales de casemira bordado a seda a 6j sao
de 15* cada um.
Capas de la de todas as cores a 34, 44* e 5*.
Esguioes para casaquiubos a 44 e 44500 a peca.
Madapolao americano a 5* e 6|, 24 jardas.
Camisas para senhora (s$o bordadas) a 31500 e
5*000.
Saias de exccente fazenda a 34500 e 44.
Vestuarios de la para criancas, de 16*, para
acabar, a 74 e 84.
Cortes de fuatao para eollcte a 24!
Orando porcSo de retalhos de chita, br'm, las
e muitos artigos que se ven ictn barato.
Chapeos para criancas a 34
dem para senhoras, de 124 e 15|, para liqui-
dar, a 6 e 74.
50Ra Duque de CaxiasU9
Costureiras
Precisase de pjrfeitas costureiras, paga-se
bem : na ra do Imperador n. 50, 1 andar.
Instrumentos de enge-
nharia
Vende-se alguna instrumentos de engenharia :
no escrptorio da companbia do Beberibe, ru...
do Imperador n. 79.
Piloto
O lugre portuguez Mario precisa de um piloto
para a sua viagem pra Portugal; a tratar a
bordo com o capitao, bu no consulado portuguez.

Aluga-se o 2- andar da ra Primeiro de Mar\;
n. 7-A ; a tratar na livraria.
N< biifeliao Hnurbon lloliamla
Cn aleante
Manoel Bourbon Hollanda Cavalcante convida
aos seas psrentcs, amigos e coljcgas para assisti-
rem a missa, que pela alma a- seu sempre chora-
do irmao Sebistio Uourb n Hollanda CavalcantJ
manda celebrar na igre a co Carmo, s 7 horas
do dia 15 do correirte, timo da seu passsment,
pelo que agradece a todos que comparecerem ao
acto de caridade e religo, assim tambem agra-
dece respeiteso s pessoas que te gnarara acom-
panhar ao cemiterio publico os restos mortaes do
fallecido.
Aluga-se
o 3 andar ra d> lia rao da. Victoria n. 53 ; a
tratar na mesma casa no 1 andar.
Precisa-sc da urna ama par* casa de pone*
familia ; na rus dos Martyrios n. 15S.
f
l.ioiiuldiia I.ihorata do Monte
Lima
Guilhcnnino Rodrigues do Mont) Lima e sua
mulher Maria Candida do .Manto Lima e teus fi-
Ihos agradecrta s pessoas q.ie se dignaram acom-
paohar os restos mortaes de sua presada flba,
Leopoldina Liberata do Monte Lima, sua ultima
morada ; e de novo as couvidam para assistirem
a mise do stimo dia, no convento do Carmo, s
7 horas da manh do dia qtiinta-feira 16 do cor-
rente, pelo que fiesro ecernamente tratos.

/
''
i

l> l


'
I
t


MM
1
Diario de Peraambneoftuarta-fcira 15 de Dczcmbro de 1886
K4
llanleiga hollandeza
Importada urJeaineute por Charles Pluyu roa do G>rnn>ircio n. 24, Recife.
Pastillias vermfugas
de Ntring
o melhor especifico c ;ntra vermes : deposito cen-
tral eai cas de Parla Hobriubo fi C tua do Mr-
quez de Oliud n. 41.
Cosnhcro
Precisase de um eosinhciro ; a tratar na ra
do Pajsarid n. 19, Pkexagem da Magdalena,
Para engomma
Precifa-ie de nrna ama para engomrmr e outros
servicoe donieat coa : no3_ indar do predio n. 42,
rna Dnquo de Caitas pir cima, da typjgraphia
do Diario.
VENDAS
A'salis cuita
Mara do Livramenro, velbs octagenaria e pau-
prrima, pede g almas caridosas que Ibe mande
urna esmola pelo amor deU.ua. Mora uo boceo
do Bernardo n. 51. E' nina obra de caridade.
Vende se o cstabeleci ment de molhados sito
i prsca do Conde d'Eu n.' 15; a tratar n mesmo.
WHISKY
ROYAL BLEND marca V1ADO
Este execllenuj Wbisky Esc*ssca preferir
o cognac ou agurdenle de canoa, para iortifio'
j corpo.
Vende-se a retalho nos h. ibere armaiens
oolhados.
Pede KOYAL BLEND marca TIADOcujonc
ne e emblema sao registrados para todo o Braxi
BROWN8 6t C, agentes___________
LiquidQo
Cbpos moderuos. pxlmus, plumas fl .res e fitas
ido por preco muito barato.
Mine. Miquelina
Ra
i'as Oruzes n.
39
Vende se
>
Copcin
Precisa-s de um opeiro bom e de conducta
Saneada, paga se bem ; na Passagem da Mag-
dalena, ra do Puysand n. 12.
Chromos
Carlees para boas feslas
FELICITARES
Pambeim c ti o un. nun-i*
Em Olinda
m no r
Aluga-se o --obrado de um andar e loja, junto
da ribeira, coacertado pintado ; a tratar na ra
Priuieiro de Marco n 17, lj*.
'
O Dr. Ma.'iorl Portella Jnior !c:ci"na durante
as ferias di.'tito natural c direito romano aos
estudaotes que di sejarcm fnzer acto em Marco.
Pode ser pr icnrado em seu escriptorio ruido
Imperador n 65, 1" andar, das 10 horas u 2 da
tarde.
Ao commemo
O abano assigna 'o previne a toda e qualquer
pessoa, que n"o faca trautaecSo de especie algu
ii a eom quatro 'otras no va'ci de 40! 00:>, sendo
o valor nominal de cada urna de KKJjOOO, aceitas
pelo mesmo ubaiio assignado, visto n5o estar con-
cluido o negocio que se reterem h mesmas letras.
Recife, 26 de N.vombro de 1886.
Manoel Firmino Montciro.
ATKINSON
PERFUMARA INGLEZA
ilaraida ha mus de ara seclo; exede todas
Mout rspelo aoperlatdeiicidoe exquisito.
TfUS Medai.has df Ocho
PAR1Z 1878, CALCUTrA lfttU
pe ex'.ra-ftn ex-fll-nciaile sua-jailiJade.
GOtD MEDAL BOQUET
ESS. BODQET I WuOD VIUT
TRETOL | GHTPHE
e ontros muitos perfumes cuiiheci'Io* pelt sos
qaalidade e odor 4etei!vreJ xqBimo.
UB OE TOILETTE IE 10HBIES OE ATKtNSM
nromp*-avel >ira rrecr e mancar p-'U
e p-rln inexr edivel cvcolhs pan o lonco- Artigo noo preparado* pelo
Inventores sUrtlris-il.
bnitrt-s m Un k \Un VneiiiM ? fairieuhi
J. 4 E ATKfNSON
24. Cid Bond Streo'. Londres.
, Marca fp Fabrica Uo*" Rosa branca",
obre urna Ljra do Ouro. "
ana carroca para cnvallo, em perfeito estado ; na
tua dos Coelhos n. 26
A' Florida
Ra liiqiie le Caxias n. IOS
Chama a' a iittencuo das Ezmas. familias para
os pri eos seguintcs :
Luvas de seda preta a lOOOJo par.
Cintos a 11500.
Luvas de peluca por 250O.
2 caizis de ppel e envelopea 800 rs.
Lnvaa de sedt. cor granada a 24, 24500 e 34
o par.
Suspensorios p fa menino a 500 rs.
dem amer.canos par liouiem a 34.
Mcias de Esrossia pra crianca a 240 rs. o par.
Pitas de velludo n. 9 a 600 rs n. 5 a 400 rs. o
metro.
Albuns de 14500, 24, 34, at 84-
Raines de flores tinas a 14500.
Luvas de Eco86a para menina, lisss e borda-
das, a 800 e 14 o per.
Porta-ictrati. a 500 rv, 14, 14500 e 24-
Pentes de nike 1 a 600 rs., 700 e 800 rs. um.
Rosctss de bnlbantes chimicos h 200 rs. o par.
Guarnios de idem dem a 500 re.
AnquinhHs de 14*0, 24, 24&COe34 urna.
Plisss de 2 a 3 ordena a 400, 500 e 600 rs
Espartilho Boa Figura a 44500.
dem La Pigurine a 54000.
dem estreitinhos com 10 metros a 800 e 14000
a peca.
Pentes para coco com inscripeSo.
Babadores com pintura e nsenpeoes a 5C0 rs.
Para toilet
Sabio de areia a 30 rs. um.
dem phemeado a 500 rs. um.
dem alcatro a 500 rs.
dem de amendoa a 300 rs.
dem dealface a 14000.
Agua celeste b 24000.
Agua divina a 14500.
Agua Florida a 14000.
Maceos de seda a 100 rs.
Meias brancas para seuhora a 34 a duaia.
Lcitiiri. para senhorar
Brolhcs nikclados e dourados a 24000.
Bonitos grampo dourados a 600 ris o maco.
Esplendido sortimento de galoes de vidrilhr.
Grande variedade de leiaes de sitim, a 44000.
Frisadores americanos paia cabello 8. 34UO0 o
maoo.
Setas de phsntasla para cabello.
Bonita collecco de plisss a 400 ris.
Brineos, imitacao de bnlhantr, a 500 ris.
Aventaea bordados para criancas a 24000.
Chapeos de fusto e setim para crinocns
Saputos de merino e setim idem, idem.
Meias brancas e de coree, fio de Escocia.
Pomada do vozelina de diversas qualidades.
(jabonetes finos do vozelina e alface.
Extractos finos de Pinaud, Ouerlain e Lubin.
Lindas, bolsas de coura e velludo
Fccbs de l para senbora a 14600.
Sapatos de casemira prrta a 24000.
Tesouras para costura, de 400 ris a 3JO0O.
Pacotea de p de arroz a 300 ris.
Fitas de todas as qualidades e cores.
Immensa variedade de botoes de phantasia.
E milbares de objectos preprios para tornar utoa
senbora elegante, e muitos outros indispensavois
para uso das familias, tudo por precos admiravel-
mente mdicos.
Na Graciosa
DA
COLONIA ISABEL
Rna
do Crespo
Duarte & 0.
a. 7
Estojos para crochel a .000 rs.
Lindas para crochet cor de crema 200 rs.
Linbae para crochet do seda mesclada 300 ra.
Bico de cores 2, 3, c 4 dedos
de largura a 3 000, 44000 e 54000 a peca
BARBOSA & SASTOS
le 3X9, 4X9 e 3X'2; vende-ge na serrara a va-
lor de Climaco da Silva, caes Vinte Dous de No-
;smbro p. 6.
Precisa se
ni. o? i n. 20.
de na rna do Paysand (Chora-mc-
Cria to
Precisa-se de um criado de 14 a 16 annos de
idaie ; tratar na ru-t dj Imperador n. 65, es-
criptorio.
flLSAO
DE
SCOTTj
DE OLEO PURO DE
Fijado de bacal ho
COM
Rypophospiilos de cal e soda
Approvada pela 9nnta de Hy-
glene e autorlsada pelo
governo
E' O melbor remedio at hnje dcscoberto para a
tnica bronchite esrropbalas, ra-
hiiiM. anemia, cehillrtadc t>m senil.
lelInxoM. loase cbronlca atTecrOea
do pello e da trancanla.
E' muito superior ao oleo simples de figado de
bacal ho, porque, alm de ter ebeiro e sabor agra-
daveis, possue todas as virtudes medicinaes e nu-
tritivas do oleo, alm das propriedades tnicas
reconstitninfps dns hypophosphitos. A' venda na
jrogaras e boticas.
Deposito em Pernambueo
Serrara a vapor
Caes do CapSbarlbc a. ZH
N'esta serraria encontrarlo os senhores fregue-
sa, um grande sortimento de pirhj de resina de
anco a des metros de coinpnmenco e de 0,08 a
!,24 de esquadros Garante-se preco mais cont-
lo do que em nutra qualquer parte.
Francisco dor Santos Maccdo.
Para vender
Com urgencia
Vende-sc urna tavern com bom sortimento, e
o motivo da venda te dir o comprador ; a tra-
tar na rae de Mariz e Barros n. 8, ou na rea Im-
perial n. 133. .
Vende-se
O abaixo assignado veede o seu estabelecimento
de 4 bois e 1 bezerra, 3 carros de 4 rodas e 2 car-
rocas, livre e desembarazado de impofctos,p.r nao
poder administrar por falta de sade : na ra da
Palma n. 31.
Antonio Pe eir Sampsio.
Tavcrna
Vndese urna tavcrna bem localisada, na rna
da Guia u. 57 : a tratar na mesma.
Vende-se
por circun>(it*n?ia ds molestia a taverna da es-
quina da entrada da estrada do Fundao de Bebe-
ribe de baixo, acha-se sortida de nvo; quem
pretender, dirija-se rresma.
Oleo para machinas
Em latas conten lo cinco galoes, a 94000
de-senos depoMtos da fabrica Apollo.
Vende-se
ven-
Criado
Precisa-se de um criado de 14 a 18 annos
rua Impnrial n. 17.
; o hotel e boipednria Estrella do Norte, na Lin-
eo.- t a. O proprieta rio deste hotel tendo de reti-
rar-re pira f.-a desta cidade, vendo o seu esta-
a belecitnento por prre> bastante commodo ; trata-
se no mesmo, ra Tliotn de Souza n. 8.
DOMESTIC
S3o recorjhecQas ser as nat
elegantes, as mais dnravel
em todos os sentidos.
AS HBLHOBES
Para presos, e
illustrar.-o'es do todos
jam so
Domeslic Sewlnglacbinct C
NEW YOR, U. S. A.
circulares corm
estyloe, diri
os
Tctephone n. 158
Molestias Nervosas
Capsulas do Doutor Clin
.tunado da fcuidada da Medicina da Paria. Premio Uontyon
As Capsulas do Doutor CLIN ao Bromureto de Gamphora empregao-se
as Molestias, as de Cerebro e contra as affeccoes seguintes:
Asthma, Insomnia. Palpitaces do Coracao, Epilepsia, Hallucinafao,
Tonte-as, Hemicrania, Affeccoes das via*j urinarias et para
especie de excitaco.
i,ti Urna explicacio detalhada tcomptnhk cada frasco.
calmar toda
Exigir as Verdadeiras Capsulas ao Bromureto de Camphora de CLIN C'S
de PARS, Grande reforma JU...
Realmente foi grande a que se fez n* Loja dos
Bsrateiros.
Rna tfa ItuperairiK n. 40
E eSo os nicos que tem as seguintes especia-
lidades !!i. ..
Lie alpacas, grande e importante sortimento,
e lindissimos padroes, o mais tino e apurado gosto
que tem vindo, e por prreo baratissiroo, de 000 600,
700, 8(0e 14000,o ovado, porm fino e bom !...
Querer ver ?... aparecam !!!...
Exmas. drnhoras !...
T. mos um lindissimo sortimento de failbe, que
a vista agrada a mais excepcional fregueza ; isto
por menos do que em outra qualquer casa ; t a.
40 !....
Pois custa C00 rs. o cavado.
Temos mais indos sortimento de fustes a 500
ra. o cov ido.
Chitas unas, especialidad.-, porque honve goato
na eseolh ., e vende se por 240, 280, 320, 360, 400
e ai U rs. o ovado, n. 40.
Tambem temos!!!...
Lindos padroes em baptista de 180 a 200 rs. o
covado.
Cambraia victoria e transparente finas e boas
de 34300 a 84000 a peca
Bnm branco de linho -spc-cialidade de 14500 a
345G0 a vara pechincha !
Brim pardus lizos e trancados de 700 a 14600a
vara, aprovetem festa! 1 !...
Mohsck-m grande sortimento a vontade do fre-
quez, vende-se de 400 a 560 o covado, vcnliam !...
Sitineta !!!... esplendido e importante sorti-
mento nosse artigo, sendo brancas, pretas e de co-
res, lavradas e lizas, o que se pode desejar em bom,
vende se de 400 a 6( 0 o covado.
Temos mais !.. .
Casemira de todas as qualidades e cores, e fa-
zemos costumes de 30 a 60400, barato e em
covados de 245OO, cousa fina e qne a todos agr-
dam, apptrecsin !
Acrediten ?...
Veuhain ver, para crer !!!...
Madapolao de 1 qualidade de 44500,! 54500.
64300, 74500, 84500 e 104 u peca, e que ha de
melbor.
Algodao de 345C0 a 74500 e 84000 a peca tem
20 jardas.
Camisas de meia de cores e brancas de 800 a
14800e 24000.
Colcha de lindos desenhos a 4/0.0, casta64000
em outras casas.
Pannos da costa do melhor que ha custa apenas
24750, o metro, pechincha !
Bramante de linho a 14800 a vara, 10 palmos,
para a cabar.
dem de algodao a 14300, palmos tambem bom.
Algodao cuifestado, 10 palmos a 900 rs. o metro,
muito bom para Icnces-
Al. m das fazendas j mencionadas temos muitos
artigos de modas cem-j seja, leques de fino gosto,
gravatas, colarinbos, punhos, meias etc. etc.
Alheiro &C.
RA DA IMPERATR1Z N. 40
A Kevoluco
4' ra Duque de Caxias, resolveu vender
os seguintes artigos eom 30 /0 de me-
nos do que em outra qualquer parte.
Ver para crer
Cachemira bordada a 14500 o covado.
Mirins de cores finos, a 900 e 14200 o co-
vado.
Ditos pretos a 14200, 14400, 14600. 14800 e
24OOO o evado.
Las mescladas de seda a 600 ris o covado.
Ditas cora listrinhag de seda a 560 ris o dito.
Ditas com belinhas a 600 ris o dito.
Lindas alpacas de cores a 440 ris o covado.
Las com quadrinhos, a 400 ris o covado.
Gaze c m oolinhas de velludo a 800 ris o co-
vado.
Setim maco lavrado a 14300 o covado.
Seda palba a 800 ris o covado.
Ditas do cores de 24 por 14000 o covado.
Setim maco lito % 800 e 14200 o dito.
Oros de aples prcto a 14800, 24000 e 24500
o covado.
Setinetas lisas a 320 e 400 rs. o dito.
Ditas de quadrinhes a 320 rs. o dito.
Ditas pretas finas, a 500 rs. o dito.
Fustoes brancos e do cores a 320, 400, 440,
500 eSOOrs. o dito.
Zephiros fino, escosseies, a 500 rs. o dito.
Zephires de quadrinhos a 180, 200 e 240 ris o
covado.
Zephiros lisos a 1J00O o dito.
AlpacSo de cor para pahtot, a 14QO0 o dito.
Velludilhos lisos e lavrados a 14OO0 o eavado.
Cretones finissimos a 240, 260 e 240 e 3C0 ris
o dito.
Ditos, ditos a 320, 360, 400 e 440 res o dito.
Colchas brancas a 14800 urna.
Seda escossiza a 360 rs. o covado.
Colchas bordadas a 44, 54, 74, e 84000 urna.
Ditas de crochet k 84510 dita.
Camisas bordadas para bomem a 304000 a da-
is.
Ditas para senhoras a 304000 a dita.
Cortes de casimra finos de 34 a 84000 um.
Casacas de laia a 10/00 nm.
Fichs de rttroza 14000 uro.
Ditos, de pe lucia a 64500 uro, (bordadof).
Cachemira de cor a 14600 o to'ado.
Flanella americuna a 14400 o dito.
Cortinados bord>dos a 640 K) e 74000 o par.
Ditos de crochet a 244000 o par.
Meias para bomens de 24100 a 94000 a du-
zia.
Ditas para senhoras de 34000 a 124000 a du-
zia.
MsntilhcUs de seda a 64000 urna.
Eapartilhos de cnuraoa a 44000, 54000, S4000
e 74500 um.
Tuilett para baptisado a 94000 e 124000 um.
Lencos brancos e com barra a 24000 a duzia.
An^uiibas a 14800 rs. urna.
Brim do linho de cor a 14000 a vara.
Dito pardo a 140tH) a dita.
EeguiSo amarello e pardo a 500 ris o covado.
Chal< b Je mirin lieos a 14800 um.
Ditos estampados a 34000, 34500 e 44000 uro.
Cortea da cachemira para vestidos a J 84000
um.
Redes Hamburguesas a 104000 urna.
Panno de crochet para cadeiras e sof a 14000,
14200, 14600 e 24000 um.
Renrique da Silva Moreira.
Cochcira venda
Vende-se urna cocheira com bous carros de
passeio, b?m localisada o afreguezadi., por preco
muito mdico, em razio de seu dono nao poder ad-
ministrar por ter de fa'.er urna viagem : os pre-
tendeotea achaiao com quem tratar rna Duque
de Caxias n. 47.
EXTRACgO SEMANAL
6." parte da 24." loleria
CORR
\o (lia 1( de Dczcmbro
k 1886
0
ltransferml!
PORTADOK de um vigsimo
Intraiisferml!
ESTA' HABILITADO A TIRAR
12:00S$200
Esta lotera est garantida* alm da fianza, por um deposita
no Banco Rural do Rio de Janeiro equivalente ao premio grande
de cada serie.
BILHETES V VENDA
XA
ROBU DA FORTUNA
36-Ba Larga do Rosario36
Bernardina Lopes Alheiro.
EXTRACGO
^
DA
6.a serie da 24 lotera que se extrahir ua igreja da Gonceico dos militares
EM 16 DE DEZEMBRO AS 4 HORAS
SOB O SEGUISTE
M^ /% MO -
PARA EXTRACCO DE LOTERAS NESTA PROVINCIA
ir.
DA
COLONIA ISABEL
CONCEDIDAS PELA Lfl PMINCIJIL N. M, E PPB1H80 PELO EM H. HICE PESIDENIE Di PMH
POR ACTO Dt Z OE SETtMBRQ OE 1886
.... 800:000$
4o,ooo b Mieles em vigsimos J$ooo
Despezas.......
418;8oo$
68-2ooS
1 premio de,
i dilo de .
1 dito de .
I dilo de .
1 dilo de .
9 ditos de....... 2:0001
23 ditos de.......1:000$
400 ditos de 100$ para todas as centenas, cajos dous algarismos
forcm igtiacs aos dous ltimos do primeiro premio inciusive
1 dito de 1:000$ para a sorle, cujo numero na exlraccao for mais alto
1 dito de 1:000$ para a sorle, cujo numero for mais baixo
99 ditos de 400$ para toda a centena do Io premio.
99 ditos de 200$ idem idem do 2 premio .
99 ditos de 100$ idem idem do 3o premio .
2 apps. de 4:000$ para o Io premie ....
2 ditas de 3:000$ para o 2o dito .
2 ditas de 2:000$ para o 3" dito ....
2 ditas de 1:100$ para o 4o dito ....
2 ditas de 850$'para o 5o dito ....
4,000 terminac5es de 24$ para o 1" premio inclusive
4,000 tcrminacOes de 24$ para o 2o premio inclusive
240:0001
40:0001
20:000* ^B -
10:000*
5:000*
18:000* E -
23:000*
40:000*
1:000*
1:000*
39:600*
19:800*
9:900*
8:000*
6:000*
4:000*
2:200* .*' [i
1:700*
96:000*
96:000* I
681:200*
Esta lotera ser dividida em 20 series de 4,000 dezenas. Quando as terminac5es do 1. e 2. premios forejr
iguaes, a d'este passar ao algarismo immedialamenlc superior. De9 passa a 0e de 0a1. Os premios sao
pagos sem descont algum
0 premio grande de cada serie acha-se garantido por um deposito equivalente e igual quantia no
Rural do Rio de Janeiro.
9 de Dezembro de 1886.
O THESOUREIRO,
francisco Gongalves Torres.
Banco
r


f
8
Diario de Pcrnambuco -*ir
TTERATU&A




XAVIER DE MOMPIV
TRADUCgAO
DE
PiLERHO DE IAHII
(Continuaccto)
CAPITULO VI
as condi^Oes
Ouga-me, Sr. Clement, repliquei cu
com firmeza, adoro sua filba...
Eterno maasador 1... E' pelo me
nos a vigsima vez que m'o repeles !...
Nao o repetirei tantas quantas o pen-
30 l Tenho corage-n, boa vontade, intel-
ligeneia a confianga em Deus ; trabalhare,
conseguirei, e, to verdade como eu ser
Gilberto Pascal, d'aqui a dous annos cha-
mar-me-hei seu filho.
gj E provavelruante ser urna grande
asneira que fago nesse dia, se, por acaso,
elle chegar alguma vez.
Asneira ou nilo, ha de fazel-a, affir-
mo-lh'o.
Entao nilo fallemos mais n'isso, e vai-
te embora ; ba mais de urna hora que me
ei tas a inassar com o teu palavriado.. .
A proposito: Deves lembrar te que te
prohibo formal e imperiosamente ver roi-
nha filba na ausencia do Lelorrain... E
neoe8sario ser bal em tudo, e as probabi-
lidades nlo 8eriam iguacs, sa podesses na-
moricar Margarda emquant o outro esti-
vesse ausente. Promettes ?...
Juro-lh'o.
A miro apparecer-me has o menes
possivel. Coroprehendea ?
Perfeitameute. A pro va que todas
as manhls terei o cui'ado de infrmalo
do que tiver feito na vespera.
Fazo-ina o favor de te safares quan-
to antes! Sinto a mostarda a chegar-me
ao nariz I
Adeus, Sr. Ciment.
Finalmente P^ssa muito bem.
At mais ver, Sr. Ciment.
Olha que eu nlo sou bora.
At vista, o obrigado.
Prohibo te que me apparegas I gri-
tou elle encolerisado.
E, quando desoa a escada, seuti-o
reemungar ao entrar para o scu gabinete.
No momento em que eu eatrava em
casa de minha mli, o meu corago osclla-
va entre a esperanga c a inquietaglo.
Sabia muito bsm que Margarida rae
pertencia, mas era nocessario conquis-
tal-a.
< E como ganhara o dinheiro preciso ?
c Nao sabia aiada quj fazer, nlo o iron-
ginava sequer, e, no cmtanto, juro-te,
Mauricio, que tinh no futuro urna f in3-
tinctiva, to agrande era o meu amor, tan-
to eu contava com alguma nspiragilo ines-
perada, ou qalquer idea repentina.
t Na manhl seguinte coraecei a pensar,
para aehar un meio prompto e seguro de
chegar ao mru fim.
oppareceu.
Passei ero revista todos os roisteres,
meus desejos, das minhas esperanzas, e
tarobem das minhas dscepgoes.
D pois de ter n-flactido por alguna
instantes, bateu na testa, exclamando co-
mo um Lomera que sabe grego, e que ou-
vio fallar de Archimedes :
Eureka!...
.. perguntei,
alegremente
< Achaste ?.
impresionado.
Achei.
O que ?
O teu negocio.
Serio ?
O mais serio pos3vel.
E... difficil?
Nlo. Est ao alcance de todos.
De que se trata '?
a litteratura. Fazte litterato.
Cahi das nuvens. Pareceu-me que o
meu amigo, fallando-me d'aquelle modo
cagoava commigo, ultrajando-me.
i Mas tinba una ares serios o at de
convencido.
a Litterato? repet eu depois de um ins-
tante de silencio.
E achas que fcil ?
De certo.
Mus nunca pensei na carreira lute-
rana !
O que importa isso ?
Terei vocaglo ? Terei aptidSo ? Te-
rei neoessarios conhecimentos ?
Mas para que fallas tu de vocacao,
aptidlo e conhecimentos ? Nao pareces
deste seculo, meu amigo. Propuz-te, por
por acaso, que te uzeases frade ? Nlo sa-
bes que boje toda a gente incapaz de fa-
zer outra qualquor cousa se entrega lit-
teratura, e tem maravhosos resultados ?
Ora adeus 1
E' como te digo. Consulta a lista dos
raembros daSjciedade dos Homens de Le-
tras.
Pensas entao que obterei resultado
favoravel ?
Is30 nlo me parece duvidoso. Afipal,
o que arriscas tu?. Era primeiro lagar,
urna resma de papel, um frasco de tinta,
urna caixa de pennas, algum espirito, ima-
ginaglo, se poderes, algum estylo ; bem
vs que nao arriscas capital muito exagera-
do. Tens tudo a ganhar e nada a perder.
D balango, e vers.
E poiem ganhar-se dez mil francos
por anno com a litteratura ?
PoJetnse ganhar cem mil, pode at
juntar se um grande capital. V S'ribe,
por'exeroplo.
Nesta parte Gilberto uterroropeu a sua
nsrraglo para abrir um parenthesis.
A proposito disto, meu querido Mau-
ricio, devo declaror-te que, na provincia,
e principalmente em Brest, Scribe con-
siderado como o Jpiter litterario, como o
Cesar da comedia, como o Alexandre do
vaudeoille.
>uta que nlo discuto um facto ; cito-o,
e nada mais.
c A idea apresentada pelo meu antigo
condiscpulo foi para mira um raio lumi-
noso com o qual coutei, e devia, com os
seus radiantes diluvio?, illuminar-me o
futuro.
a Certifiquei-rae, com o auxilio de sen-
sataa'e judiciosaa inorinacoes, que eff8c-
tivamente, Scribe e alguns outros autores
tinham juntado riquezas de armadores ou
banqueiros, o doeidi-me a abragar a car-
reir4 litt-raria.
Sem mais demoras encontei a traba-
Ihar, e comprehendendo maravillosamente
que, em tudo a aprendizagom absoluta-
mente necassaria, resolv tentar a expe-
vermelha do que branca, mais violeta do
que vermelha.
< Era, repito-t'o, urna muiher que se cs-
tudava com interesse, urna raridade entre
a classe dos directoresMos thoatros de pro-
vincia, to fecunda, no encanto, em phan-
tasticas excentricidades.
Desprovida da educaglo elementar
dos primeiros annos, de sua teimosia feroz,
comprehendia apenas metade do que se
lhe explicava dez vezes consecutivas, mas
por um dos maiores acasos deste mundo,
era maravilho3a entendedora em questoes
de theatro, e, phenomeno talvez sem pre-
cedentes, e qu9 nao se repetir com faci-
lidade, consegua contenUr o publico, sem
descontentar os artistas.
Excellente roulber no funlo, attencio-
8u e caritativa, raanifestava-se como uma
verdadeira providencia para os bous es-
cripturados, que a tratavam todos por tia
Chatelle.
c a minha quadade de assignante per-
mittia me a entrada no palco, privilegio
de que coraccei a aproveitar-me immedia-
mente.
a Uma tarde apresentei-me no theatro,
decidido a declarar emprezaria quaes
eram os meus desejos e ambiges, e a pe-
dir-lhe que me auxiliasse.com os meus co-
nhecimentss, indispensaveis, a meu ver,
para evitar as faltas e os erros insepara-
veis de uma estro i, quando se ignorara
completamente os mais simples elementos
da profisslo.
a No momento em qua chegava ao pal-
co, ensinava-se a opera Roberto do Diabo,
e issisti a urna sc'-na edificante, que nSo
eaquecerai em toda a minha vida.
a Estavam no terceiro acto, e comega-
vam o mpgnifico terceto sem acompanha-
mento, o escolho dos tenores e de todas
melhores cantoras.
* Chatelle, sentada com ar magostos o
sobre uma das cadeiras da orchestra, via o
ensaio com extrema attengilo.
Seu marido, hornera baixo, de faceB
encovadas, fato apertado, olhar basso, sem
intelligen-ia, perfeitamente educado por sua
muiher, e forgado obediencia de um cao,
estava sentado ao lado d'ella cora ar mo-
desto e tmida.
a Os artistas soltavam as priraeiras no-
tas.
c Os msicos encostados s estantes es
cutavara religiosamente.
O chefe da orchestra, com os olhos fi-
tos na partitura, bata o compasso.
a De repente a empresaria levantou-se
mpetucsamente, e oxclaraou com uma so-
berna voz de barytono :
todos os diferentes modos porque um ho- riencia na provincia antes de arrisoar-me
mera de bem pode ganhar dinheiro, sera o as scenas da grande cidade, pirante es-
pectadores parisienses.
t E' preciso.que seibas que nesta poca
arriscar.
Nao achei nada.
Passaram-se assim muitas semanas
CAPITULO VII
CM ESSAIO NA PROVINCIA
Por este tempo, chegou a Brest um
antigo companbeiro que voltava de Pars.
Informei-o da minha situagSo, dos
FOLHETIM
tiohamos por directora privilegiada do
tseatro de Brest uma senhora Chatelle,
typo artstico, curioso!...
Vara julgar.
Chatelle era urna muiher do quarenta
annos, de estatura mediana, mais baixa
que alta, mais gorda do quo magra, mais
Entao, entilo, meus senhores, o qne
quer isso dizer ?...
Os artistas que estavam em secna pa-
raram, e o chefe da orchestra voltou-se.
Oque deseja, minha seuhora?...
perguntou elle.
Desejo saber a razSo porque os seus
msicos nao fazem nada, emquanto os meus
actores cantara.
Minha senhora, este terceto deve ser
cantado a secco.
O que diz? !
a O chefe da orchestra repetro.
Som acompanhamento 1 vociferou
Chatelle.
Sim, minha senhora.
Essa nao est m 1 Bem o perce-
bo!... Quer divertir se minba custa.
Sem acompanhamento laso uma his-
toria inventada por esaa meia duzia de
raandri5 s que o senhor defende sempre
Mas, minha senhora.. .
Basta 1... Basta !... Isso nSo pode
continuar assim!... Pago aos msicos
escrupulosamente em dia, estilo ahi para o
dizerera. Nao quero que descancera em-
quanto os meus artistas se estafara a can-
tar sosinhos Portento comecemos outra
vez, o quero que todos toquem. Est
entendido ?
Mas, minha senhora, tornou o chefe
da orchestra com respeitosa firmeza, n&o
ouvio o que tive a honra de lhe d'zer ?
O que ?... O que foi que me dase ?
Que este terceto era cantado serfl
aoompanhamento da orchestra.
E eu respondi-lhe que no meu thea-
tro nao quero tercetos sem acompanhamento.
O publico havia de ficar muito contente, se
visse todos esses senhores de bragos cru-
zados 1 Vamos, faga o que lhe digo. Tor.
ne a coraogar, o diga a esse8 senhorea que
toquem todos. J repare que alguna pa-
ravam emquanto os outros trabalhavam, e
isso nSo rae agrada.
Mas, minha senhera...
Nao ha mas, era meio mas.
O que me ordena impoasivel l
Aviom se, vamoa, vamos,
Minha senhora, vou suspender o en-
sate
Suspender o ensaio I Ora essa !
E' necessario.
E porque ? NSo tara o favor de m'o
dizer ?
Porque se a aenhora insistir deixo o
meu lugar, reapondeu o ebefe da orcheaira
com dignidade.
Deixe tudo quanto quizer, meu ra-
paz. Ha de haver quera o aubstitua. Jul-
ga se indispensaval por acaso ?. .. O que
o senhor faz nao tilo diffieil como parece.
A emprezaria inteerrompou se, para
ae voltar para seu marido, que eatava muito
calado, e que fazia todas us diligencias irua-
ginaveis para ae tornar o mais pequeo pos-
sivel.
Eli I Chatelle, lhe disse ella, levnta-
te, e vae sentar-te na cadeira d'aqulle se-
nhor.
a O dcil marido obedeceu passivamen-
te.
A emprezaria continuou :
E' isso Agora pega na batuta, levan-
ta-a cima dacabega, meche o brago de
um lado para o outro Isso ; muito baral...
E os senhores, attengao O primeiro que
deixar de tocar, despego-o no fim do mez.
a Os msicos, sem saber o que fizes-
sera, sem saber como obedecer, e nilo se
atrevendo a resistir, atacaram o coro infer-
nal, emquanto os desgragados artistas, der-
rotados, e completamente surdos, recome-
gavam o terceto, tentando, mas debalde,
dominar aquella inferneira.
Por fim, o charivari foi tal, que toda
a gente, artistas, msicos, coristas, com-
parsas e bombeirus, nao poderara resistir
bilaridade que se apoderava d'ellea, o des-
ataram s gargalbadas.
" Chatelle estava carmesira de colera.
Consegu, n5o sera dflicu,dadis, con-
jurar a tempestade, e depois de a haver
socegado, expliquei lhe cliramente oque
direi um triumpho, mas ura xito multo
regular.
Chamaram o auctor.
a O artista encarregado do priacipal pa-
pel deseca ao proscenio, saudou graciosa-
mente o publico, e disse lhe :
Minhas senhoras e meus senhorea :
O auctor da pega quo tivemoa a honra de
representar na vossa pr songa ura ama-
dor da cidade, que deseja conservar o ano-
nymo.
Applaudiram novamente ; era neces-
tario animar o novel amador.
a O racu vaudeville foi representado co
co veze3, e renderam-me vnte e cinco
francos.
(Continuar se-ha)
VARIEDADES
Resumo da campanha com o
Paraguay, seguida dos nomes
dos hras Jelros mais dfstinctos
morios dnraute a guerra.
I'OEiMELCinXEDECH d'aI.BUQDERQUE I-IMA
A 2 de Maio, uma forte columna com-
mandada pelo general Dias ataca-nos no
Esteiro Bellaco e depois de uma batalha
de 3 horas o inirnigs retira a a dcixando no
campo 2303 lio neos (3) 3 bocaa de fogo
e uma bandera.
A nossa perda foi de 288 morios, 932
feridos e 4 bocas d-i f -go.
No dia 24, 25 OCO homens commandados
pelos generaes Dias, R^squin e Barrios
volta a atacar-no8 em Tuyti. Entre brasi-
leiroa, argentinos e orientaes formavan
27:000 homens.
Eram 11 horas da minha, inmediata-
mente todo o exercito alarma-se, e corre
para a vanguarda a obstar o passo ao i ni
migo. A batalha terrivel e sangrenta.
Por espago de 5 horas nao se ouve mais
que o nbombar do canhao, e o rutilar in
cessante da fusilara.
As 5 horas da tarde o exercito inimigo
desbaratado por todos 03 lados coraega a
retirar se, tendo perdido 72 homens entre
oa quaes 221 prisioneiros, 4 canhoee e 3
bandeiras.
O claro das nossas fileiras, bem mostra
que foi renhida a p:lcj i.
Quatrocentoa e vinta seis brasileiroa es-j
Essa ordem foi brilhantemente executa-
da.
O generaj Guilherra-, auxiliado pelas di-
visSas doe generaes Victorino Monteiro e
Argolo Ferro, aposaa-se daa trincheiras de
Lauce.
No da 18 Victorino procede um reco-
nhecimento sobre as triocheiras de Bonque-
ron, e tao forte foi a resistencia do inimi-
go, que foi preciso entrar era fogo na s
a 4.a divisao, como alguns batalhSaa ar-
gentinos sob o mando do coronel Conuza,
e as forgas do general D. Venancio Flores.
A 1 hora da tarde depois debito e meia
hora8 de fogo as nossas tropa3 recolheram-
se aos acampamentos, ficando essas posi-
<;o.'s por ellas conhecidas.
A nossa perda, nesses dois combates,
foi de 3:800 horneas entra mortos, ferdos
e contusos.
Foi nesto ultimo que os orientaes perde-
ram o seu valenta coronel Palle ja.
O 2. corpo der exercito commandado
pelo Tenente general reformado Barao de
Porto Alegra, que offereceu seus servigos
ao governo apenas rorapeu a guerra, des-
embarca no da 2 de Setembro na- imme-
diagoea de Curus para atcalo.
Para impedir a marcha dos nossos, os
inimigos langa i fogo na matta.
A esquadra sob o commando da viscon-
de de Tamandir perdeu nesso dia o en-
couragado Rio de Janeiro arrebentado por
um torpedo.
Apenas amanheeeu o dia 3, o general
Portu-Alegre leva o ataque ao Curusu', e
depois de 2 horas de lut.i o pavilhao bra-
siluiro substitu: o paraguayo, custando nos
esta victoria 780 homens fra das fileiras e
o navio encouragado Rio de Janeiro cora
a maior parte da sua guarnigao.
O inimigo alera da rauit muoigao que
perdeu, deixou era nosso poder 13 bocas
de fogo, 2 bandeiras e mais da 800 cada-
veres.
A 12 do Setembro tem lugar no Tshy-
Cora uma conferencia entre os generaes
Mitre, Flores o o presidente Lopes.
Essa conferencia sem resultado algum,
deu tempo ao inimigo para melhor fortifi-
car Curopaity, que projectava-so atacar
logo depois do Curusu'.
A 22 o exercito alliido commandado pelo
0 OOMHJNDA
POR
. PAULO JVAL
SEGUNDA PA.RTE
0 PALAK3 CE HEVEBS
(Cjntinuag^o do n. 286)
V
Onde ae explica
i'aniia e ele
a anuencia de
Saldaalia
Tomou a ra Saint DeHi'a, e, passando
por traz da igreja Saint-Magloire, parou
diante da porta de um outro jardim, cujos
muros quasi desappareciam por debaixo
do3 ramos enormes que cahiam de urna ala-
meda de velho3 olmos.
O Sr. de Peyrolles trazia no bolso do
sobretudo a chave daquella porta. Entrou.
O jardim eatava solitario.
Via-ae, no fim de uma alameda sombra
at ao mysterio, um pavilhao completamen-
te novo, edificado em estylo grego, e cujo
peristylo estava ceresdo do estatuas. Uma-
ioia aquelle pavilhao 1 a ultima obra do
arebitecto Opyenot I 0 Sr. de l'eyrollea
encaminhou-se pela sombra alameda e che-
gou ao pavilhao. No vestbulo estavam
rauitos criado8 de libr.
Onde est Saldanha ? perguntou Pey-
rolles.
Nao tinham visto o Sr. barao de Salda-
nha dede .i vespera.
E Faenza?
A mesma resposta que para Scidanba.
O magro rosto do intendente tomou uma
expressao de inquiatigao.
O que qner dizer isto pensou elle.
Sem interrogar aos outros criaaoa, pergun-
tou se podia fallar menina. Houve um
vai-vem do criados. Ouvio-sa a voz da
camarista-mor.
A menina eaperava o Sr. de Peyrolles
no seu gabinete.
Nao dormi, oxelamon ella, assim que
0 vio, nao fechei os olhos durante a noite I
Nao quero morar mais nesta casa. O bec
co que fica do outro lado da ra covil de
bandidos.
Era a moga admiravelmente bella que
vimos entrar pouco antes em caaa do Sr.
de Gonzaga. Sem aecusar o seu vestua
rio, era ainda mais encantadora, se pos-
sivel, no seu desalinho da manb. O rou-
pSo branco, largo, deixava adivinhar as
perfeigoes de seu talhe esbelto e robusto ao
mesmo tempo ; os lindos cabellos pretos,
soltos, cuhiam lhe era ondas abundantes so-
bre os hombros, e oa seua pquenoa ps,
1 sem meias, bailavam dentro uoa aapatinhos
de aetim- Para 8e chegar'to perto e aem
1 perigo de tal belleza era preciso serse do
mannore.
O Sr. de Peyrolles tinha todas as qua-
lidades para o emprego que exercia junto
de seu amo. Teria disputado o prego da
impassibilidade a Mesrour, chefe dos enu-
chos pretos do califa Haraoun-al-Raschid.
Em lugar do admirar 03 encantos da sua
bella, riissi-lhe :
Dona Cruz, e 3.-. principe deseja
vl-a e.-t- maulia no scu palacio.
- Que miseravel exclamou a moga ;
8ahir da minha prialo atraveasar a ra 1
Ea' bem certo da nao sonhar acordado,
Sr. de Peyrollea?
Olhou pira elle, depois soltou uma g*r
galhnda.
O intendente accrescentou sem se me-
cher :
Para ir ao palacio, o Sr. principe
deaija que a menina so vista elegante-
mente.
general Bartholomeu Mitre ataca Curu-
desejava d'ella.
J te disse que era uma excellente mu
lher, apesar de todos os seus deffeitos e ri-
diculos.
a As minhas confidencias impressiona-
ram-n'a ; autorisou-me a assiatir d'alli em
diante a todos os seus ensaios, e promet-
teu enainar me todas as minuciosidades
do mise-en-scene, comprometiendo se, alm
d'isso, a fazer representar no seu theatro
o primeiro vaudeville em ura acto que com
seguisse compOr.
i No fim de quinza dias conhecia todas
as expressSes consagradas pelo vocabula-
rio dos bastidores ; era admittido entre os
ntimos das primeiras partes, e passava as
noite3 a fazer couplets, cuja idea procura
va na imagina,ao, e a pbrase final n :im
diccionario de rimas.
Tres mezes depois, tinha a satisfagao
de ver o titulo do meu primeiro vaudeville
sobre grandss cartaze3 amarellos, porta
do theatro, e as paredes de muitas ras.
O titulo era :
O TENENTE DA ARMADA
00
OS TRES APAIXONADOS DE SARA, A CREOCLA
a Impressos ora gigaateoa caracteres,
attrahia o olhar de muito longe, e fazia f s-
tacionar durante alguns segundos os tran-
sentes e os ociosos.
a Obteve na primeira representagao nao
to mortos o 2:331 nos hospitaes.
Os argentinos iiverara fra do combata
606 homens e orientaes 300.
Muitos dos nossos chefjs esto sem vida
no campo da batalha.
Outros mais felizes ainda ouviram os sons; perto de 4:000 heraens esto fra de
do hymno da victoria, prera pouco lhes j combate, quando ordenada a retirada,
reata de vida Quanto exeraplo de herois-1 O nosso exercito commandado pelo Vs-
! conde de Porto-Alegre retirase na melhor
paity.
Foi long) c porfiada a luta.
Treze mil homens de infantaria e 58 ca-
nh5es arremesslo abobadas de balas sobre
[ os atacantes, varrendo batalhoes intero.
Eu, exclamou anda a moga, vestir
me! Santa Virgera'l nlo acredito uma ni-
ca palavra do que rao diz.
Fallo, entretanto, muito sinceramen-
te, D. Cruz ; dentro de uma hora preciso
que est-ja prompta.
D. Cruz olhcu para um espelho e rio-se
com sigo mesma.
Depoi, petulante como a plvora ;
Anglica, Justina I Sra. Langlois 1
Como silo vagarosas cstns francezas disse
ella encolerisada por nlo as ter viatj eoe-
gar antes de t;r sido chamadas. Sra. Lan-
glois Justina I Ang-li.a !
E' preciso tempo, dis3e o fleugmatico
facttum.
O senhor retire se exclamou Dona
Cruz ; j cumprio a sua coramisalo. Irei
s.
Sou eu que a conduz, reapondeu Pey-
rollea.
Oh que aborreoimento Santa Ma-
ra I suspirou D. Cruz, se aoubease como
desejava ver outro roato qne nlo fosse o
seu, meu bom Sr..de Peyrolles 1
A Sra. Langlois, Angalica e Justina, tres
camareira8 parizienses, entraram juntas na
que le momento.
D. Cruz nlo pensava mais nellas.
Nao quero, disse ella, que aquelles
dous homens fiquera noite em miaba ca-
sa, tazcm me medo.
Tratava se de Faenza e de Saldanha.
E' a -ontade de Sua Alteza, replcou
o intendente.
Serei eu escrava ? exclamou a inso
lente crianga, j corada pela colera ; pedi
eu para vir para aqu? Se sou prisioneira,
razoavel que pelo menos possa es:olher
os meus carcerelros 1 Diga-me que nlo tor-
narei a ver aquelles dous homens, ou nlo
vou ao palacio.
A Sra. Langlois, camarista-ror de D.
Cruz, approsimou-sa do Sr. de Peyrolles a
disse lhe algumas palavras ao onvdo.
O rosto do intendente, que estava natu-
ralmente muito pallido, tornou-sa livdo.
Vio isso ? perguntou ella cora voz
trmula.
Vi-o, respondeu a camarista.
Quando ?
Ha pouco. Acabam de encontrar a
ambos.
Onde ?
Fra do postigo quo d para a tra-
vessa.
Nlo gosto que fallem em voz baixa
na minha presenga, disse D. Cruz, com al-
tivez.
Perdi, minha senhor, dsso humil-
demente o intendente ; basta dizer lhe que
estes homens quo a desguatara nao os tor-
nar a ver.
Entao venhara vestir-me, ordeuou a
moga.
- Ceiaram juntos hontem noite l em
baixo, continuou a coatar a Sra. Langlois,
conduzinio Peyrolles para a escada.
Saldanha, que estava de guarda, quiz
levar o Sr. do Faenza.
Ouvimos na travesea ura tinir de espa-
das.
D. Cruz fallou-rae nisso, ioterrompeu
Peyrolles.
O ruido nlo durou muito tempo, con-
tinuou a camarista ; anda ha pouco un
Criado, sabindo pela travessa, encontrou
dous cadveres.
Langlois I Langlois chamou nesta
momeuto a bella prisioneira.
V, accreacentou a camarista, subin-
Om Mallet, (1) um velho carregado
de annos que durante t da a batalha diri-
ge O 1." regiment do artilharia, o derrota
a columna de Resquin; ora um simples
soldado que impede a destruiglo completa
das nosaaa munigBes, garantindo aasim o
triumpho, ora Guilherme von Stenben
que atira com o raair st.ngua fro fra do
parapeito de ura reducto uma granada ae-
cesa, e assim rauitoa outrs, que cercaram
a fronte de imraorredoura luz de gloria.
A 15 da Julho o general Osorio, j en-
tlo Bario do Herval pela batalha de 24,
entrega o comraan lo ao general Polydoro
da Fonscca Quintanilha Jordio.
Neasa mc8ina n ite de 15 o novo cora-
mandante deu ordem ao general Guilherme
Xavier de Souza que com a 4.a divisao, um
(3j Entra mortos, feridos e contusos a
perda dos paraguayos foi muito superior a
2300 homens porque elles levavam todos os
feridos.
(1) Fallcceu no dia 2 de Janeiro de 1886
como marechal do exercito reformado e
Bario de Itepuy.
contingente do batalblo de engenheiros e 4
bocas de fogo assalteas trin^heiras de ^ouce
na mnnhl de 16.
^HBfMBJSMMMMIja^MBJSMMBjSMap,
No gabinete as tres caraareiras coraeca-
rara a vestir D. Cruz que entregou-se em
bravo felicidade de ee ver bella. O es-
pelho Borria-lhe. Santa Virgem 1 nunca
tinba sido to feliz deade a sua chegada
grande cidade de Paria, da qual s tinha
visto a8 ras compridas e eacuraa em uma
sombra noite de outomno.
Finalmente, dizia ella comsigo, meu
bello principo vn cumprir a sua promessa.
Voa ver e ser vista I Pariz que tanto me
tem elogiado nao vai ser para mim outra
cousa alm do um pavilhlo solado em ura
fri jardim cercado de muros.
E, muito elegre, fugio das mloa das
suas camaristas para dangar ero volta do
quarto, como uma louca quo eia.
O Sr. de Peyrolles tinha chegado ao fim
do jardim.
No fundo de uma raoit sombra, 8obre
ura monte de folba3 seccaB, estavam duas
capas ^stendidas.
Debaixo das capas adivinhava-se a for-
ma de corpos humanos.
Peyrolles levantou, tremendo, a primeira
capa o depois a outra.
Debaixo da primeira esta/a Faenza c
da segunda Saldanha. Tinham ambos um
ferimento igual na testa entre oa olhos.
Os dentes de Peyrolles rangerara coro
ruido.
Deixou cahir as capas.
VI
Dona Crai
Ha uma historia fatal que todos os ro-
mancistas ten contado pelo menos uma
vez na sua vida ; a historia da pobre
crianga roubada sua rnli, quo era duque
za, pelos fgypsios da Escocia, pelos znga-
ros da Calabria, pelos bohemios do Rhin,
p los ciganos da Hungrja uu da Hjspanha.
Nlo sabemos absolutamente, e tomamos o
comprom8so de nlo ir perguntar.se a nossa
bi lia Dona Cruz era uma duqueza roubada
ou uma verdadeira filba do Bohemia. O
que certo que ella tinha passado a vida
inteira entre os ciganos, caminhando de
cidade era ciiade, de aldeia em alieia,
dangando na praga publica, emquanto que-
riam, por ura maraveds. Ella propropria
nos dir como deixou o s?u officio iivre,
roas pouco lucrativo para vir viver era Pa-
riz na pequea cosa do Gonzaga.
Meia hora depoa do acabar de vestirse,
encontraraol a no quarto do Sr. de Gonza-
ga, commovida, apezar da sua ousadia, e
muito confusa coro a linda entrada qua aca-
do os degros precipitadamente ; esto bava de fazer no grande sallo do palacio
lli, no fundo do jardim. 'de Nevera.
ordem possivel, coneorrendo muito para
essa famosa retirada a soverdade dos va-
lentes generaes Gongalves Fontea (1) e
Albino de Carvalho (2)
Era esse o primeiro revez que as nossas
armas soffriara no territorio inimigo, mas
elle (disse Porto Alegre que nesse dia ba-
teu-so como verdadero bravo que era.
chegando at a avangar para as muralhas
inimigas gritando para mim! ) retemperou oa nossos animoa
sem diminuir o brilho das nossas armas.
Os bravos que tomaram parte naquello glo-
rioso combate podera com arrogante altivez
dizer ao mundo Em Curupaity ficou 1-
lesa a honra da bandeira brasileira
A perda dos paraguayos foi muito dimi-
nuta ; acobert}8 como estavam por groa-
sas muralhas, pouco damno lhea podiam.
causar os nosso8 fogoa.
(1) Era brigadeiro, quando commandou a
ala direita do 2 corpo do exercito nos
ataques de Curusu' Curupaity. Falleceu
em 1883 no posto de tenente general.
(2) Era tarabem brigadeiro, e comman-
dou a ala esquerda do 2. corpo nos mes-
mos ataques.
E' hoja marechal de campo reformado.
Poique razio o Sr. de Peyrolles nlo
a acompanhou ? perguntou-lhe Gonzaga.
O Sr. de Peyrolles, respondeu a
moga, perdeu a voz e a razio emquanto
eu me vesta. Deixou-me apenas por um
instante para r pasaearao jardim. Quan-
do voltou, pareca um hornera ferido pelo
raio. Mas, inturrorapeu ella cora voz rnei
ga, nlo foi para fallar do Sr. de Peyrolles
que me mandou chamar, nlo verdade
Alteza.
Nlo, reapondeu Gonzaga rindo ae,
nlo foi para fallar do Sr. Peyrolles.
Diga depres8a! exclamou D. Cruz ;
comprehende que estou impaciente ?
Diga depressa.
Gonzaga olhou para ella attentamente.
Dizia comsigo :
Procurei muito tempo, mis poderia
encontrar melhor ?
Parece se, palavra, nlo uma illusao
da minha parte.
Ande continuou.
D. Cruz fallo I
Sente-se, querida rilha, continuou
Gonzaga.
Torno a voltar para minha prislo ?
Por pouco tempo.
Ah disse a moga com pena, vnlta-
rei para l !
Pela primeira vez vi hoje ura canto da
cidade com sol. E' lindo. A minha so-
lidlo paracer-me-ha mais trate.
Nlo estamos aqu em Madrid, objec
tou G-jnzaga ; preciso pracauc5es.
E porque, porque precaugoes ? Fia
mal para que me escondam ?
Nlo, certamente, D. Cruz, mas....
Ah 1 Alteza, ioterrompeu ella com
ardor, preciso que lhe falle. Tenho o co
ragao a transbordar. Nlo tem necessidade
de recordar-mo ; vejo perfeitamente que
nlo estamos mais era Madrid onde eu era
pobre, verdade, orphl, ab.iutonada,
ainia Verdade, mas onde era Iivre, livre
como o ar do co I
Iaterrompeu ee, e as suas sobrancellias
pretas franziram se ligeireraente :
Comprehende, Alteza, disse ella, que
rae proroctleu muitas cons> a ?
Furei mais do que prometti, conti-
nuou Gonziga.
Isso ainda uma promessa, e corae-
go a nlo acreditar em promessas. Todos
me conhoeem, dise ella, a gente do povo
e os fiuftlgos ; amara me e quando ru che-
gava gritavam : a Venhara, venhara ver a
cigana, quo vai dangar o bailado de X
res. E ae eu me demoraba, havia sempre
gente, muita gente minha espera na Pra-
ga Santa, por traz do Aloazar- Quando
sonho, noite, vejo aquelles grandes la-
ranjaes do palacio, que embalsamara o ar
da tarde, e aquellas casas de torres arre-
dondadas onde se levantara as gelo3as pa-
ra veram-me. Ah Ah I eropreste o meu
bandolim a muitos fidalgos de Hespanba 1
Bello paiz continuou ella com aa lagri-
mas nos olhos, paiz dos perfumes e das se-
renatas / Aqu, sombra das suas arvores
fri o faz calafrios.
D. Cruz encostou a caDega mo.
Gonzaga deixava a fallar e pareca me-
ditar.
Lembra-se, disse ella de repente:
era uma noite, cu tinha dangado at mais
tardo que de costume : esquina da ra
escura que vai ter Assompeion, vi-o de
repente muito pert de mim e tive medo.
Quando fallou, a sua voz grave e meiga
opprimio-mo o coraglo, mas nlo pensei ab-
solutamente em fugir. O senhor disse-rae,
collocando-se dianto de miro, para impedir-
me a passagem : Como se chama, minha
filha?Santa Cruz, respond eu. Cba-
raavaro-me Flor, quando eslava entre meus
irmlos, es ciganos de Granada; mas o pa-
dre den me coi' o baptismo o nomede Ma-
ri de Santa Cruz. Ah 1 dsse-me o se-
nhor, christl ? Tslvez nlo se record
mais de tudo isto, Alteza I
E' verdade, disse Gonzaga di-trahi-
do, nilo me esqueci de corrsa alguma.
E eu, continuou D. Cruz, cuja' voz
tevo um estremecimento, hei de recordar-
me dnquella hora toda a minha vida. Ama-
va o j. Como? nao sei.
Pela sua idada poderia ser meu pai:
mas onde encontrara ura namorado mais
lindo mais uobre, mais ardento que o se-
nhor ?
Diase 8to sem corar. Nlo sabia o que
o noaso pudor. Foi ura beijo de pai que
Gonzaga lhe depoz na testa. D. Crus boI-
tou Ura longo suspiro.
O senhor disse continuou olla: E's
muito bella, minha filha, para dansar deste
modo, na praga publica, com ura p.indeiro
e castanhulas. Vera commigo,
Entrando em sua casa, rcccnheci per-
feitamente que era o palacio de Alberoni.
Dissaram-me que o senhor era o e'iibaxa-
dor do regente de Frang jnuto da rorte
de Madrid. Quo me mpartava isso Par-
timos no dia seguinte. Nlo me deu lugar
na sua carruagem.
(Continuar se ha)
Typ. do Diario ra Duque de Gaxia n. 43,

r.
I :
I


J