Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18629

Full Text
,
ANUO LIIV IliMBBO
n i ii'' _
PAMiV. A CAPITAL B LUGARES OMBE NAO SE PACA PORTE
Por res meses adiantados.................. 6J0G0
Por seis ditos dem................. 12,0000
Por um anno idem................. 23)J000
Cada numero valso, do mesmo di.' ...'..... ..'. fJHOO
QDABIA-FEIBA 5 DE SBTHHBBQ DE 1S88
PARA DENTRO E FORA OA PROVINCIA
Por seis mies adiantados......
Por nove ditos idem......'
Por um anno idem........
Cada numero avulso, de das anteriores .-'
13"500
206000
27*000
4100

DE
Propriefrafrt t>t Mmotl jfifiudra 2>e Jsria k -filljos
Sra tmede 1'riuce <& C,
ie Paria, sao uus agente
exclusive* de annuneiea e pu
UieaeSea na Franea e Ingla-
terra
TELEGRAMAS
/

i
SERVIGO Oi IGEIICIlllhfiS
BERLIM 3 de Setembro.
Os jornaes bespanhes mostram-se in-
teiramente satisfeitos com a recepto feita
pela populado e pelos autoridades france-
sas esquadra hespauhola fundeada eos
Toalon.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
4 de Setembro de 1888.
DffiOPI PQPOUB
IACI3VALIDASS. LIM. I
iIIIEBAIUBA
Li
DE
fOHTltiL E 8BAZIL
PELO
Conselheiro Joto Manoel Pereira da Silra
(ContinuaQao) .
XII
Bacharel Braz Florentino Hecriques de
Sous. Sim..
Clara Mara de Miranda.Sim, median-
te recibo
DomDgos Alvs Matheas.Informe o
Sr. inspector* do Thesouro Provincial.
Domingos Alves Matheus.Com refe-
rencia a qantia de 27)5000 que diz respei
to aoa cofres gera"s, deve o supplicante
requerer Tbesauraria de Fazenda o re-
coobeoimeoto e relaciooamento i divida,
visto pertencer a exeroicio encerrado ;
instruiodo a peticSo com os documentoa'ns
2 e 3. Quanto importancia de 94|$500
cumpre aguardar decalo da aasembl* le-
gislativa provincial sobre o pagamento re-
querido.
Francisco Jobs de Araujo Mello.Com
pareca na Secretaria do Qoverno desta pro-
vincia para reoeber os documentos.
Ignacia Jasepba di Jess. Deferido.
Jos Nogueira de Souza.Indeferido.
Manoel Ciernentiuo Correia de Mello. -
J se providencion.
Manoel Menezes do Nascimento.Pro-
videnciado.
Tenente Olegario Herculano da Silveira
Pinto. Fomeca-se.
Paulino Ignacio da Paz.Ao comman-
dante do corpo di polica para conceder
baiza do servico," urna vez que nSo ha dif-
culdade em completar-se o corpo.
Secretaria da Presidencia de Pernam
buco, 4 de Setembro de 1888.
O porteiro,
F. Chacn. .
Posto que, comtado, goxasse o padre Vieira da
maior coosideracio em li-ma, nao consegua o de
sejado resultado de sua viagem, e que se reduiia
a alcancar do Papa annnllaco cfficial da sentenc*
do Sanio Offieio de Coimbra, pela qual lora, alm
de condemnado penas pbsicas, d-spido da anto-
ridade moral necesaaria para expender dontrinas
theologicas.
Nem o regente o auxiliara por meto de sena
embaladores, nem os emper-hosde artiga tinbaro
forjas perante o Snmroo Pontfice. Escrevia o pa-
dre a varios ntimos de Lisboa, queixando-se de
ingratrddes, lastimando aoa serte, e lamentando
que sua patria o os sena nao o apreciaasem como
deviam.
Ora diiia : Maia gosto de ver em Boma aa
ruinas e os desengaos do que foi do que a vai-
dade e variedade do que R<-feria-se as ve-
ses sos premios conferidos a indignos, qnando se
recusa vam os bemtneritos : Quando as mere es
n2o sao prova de ser bomem, exclamava,
seoao de ter bomem ; qnando nao significam va-
lor, e s valia, poaca injuria se fas a quem ie
nao faa.-m. Asmeni fei'.as a indignos nao
fsaem. as merca feitas a indignes nao hon-
ram os homens, afirontam as honras
As comraendas em eertos peitos nao aSo croi,
Bao vespa, e quando se vrem tan'os ensanbeni-
tados de honras bem vos podis honrar de neo
ser um delles. > Elle, que presava mais que
tudo a poltica ; que se habituara a tomar parte
no sen mflvimento e direeco ; que a prefera as
lettras e as sciencias, como thea'ro de maior gloria,
agora deepeitado dos politices da ana trra que o
nio compribendiam nao hesitoo em proclamar que:
Honve tirapo em que os demonios falUvameo
mundo os ouvia ; mas depoisqne envios politi-
eos, tornon-se peior e o mundo esouvios Tra-
tando de justificar sua pretendi de annullar-ae a
sentenya do Santo Offieio de Coirtbra, nio trepida-
va em coutesaar que : Havia cessado o escrpulo
de sua cnsciencia, mas nao o do sea crdito,
" que cada hora pareca mata viv > qnanto menos
fresca a feriia, que lh tinham feito.'
Fallando da ingratido do infante a sen respei
to, acooaelhava sena amig i a fugir da intimidade
doa res, porque : Si ten les pouco juno e muito
coraco,exprimia-se,..dea-vos os reia ma-
tar com um gesto carrancudo ou com um voltar
de olbct.
Cinco annos gastara j em Rima, e sen princi-
pal deaejo nao estava satisfeit >, at que por fim o
Summo Pontfice entendeu contental-o, lavrando e
entregando-Ihe nm breve, pelo que o liberUva de
toda a accao do Santo Offieio da Inqmsicao, tor
nando privilegiado p>r qualquer aecuaacio para e
responder perante a Cuna romana ou as autorida-
des ecclesisticBS por ella nomeadas junes do feito.
NSo se ihe apropriando sande os ares de Roma
retirou-ae a A'bano : conbeeendo ah qne s a
ithmosphera patria Ihe seria fvoravel, resolver-
se finalmente a voltar para Lisboa, e cousegmo
qae o infante D. Pedro o reclamare do geral dos
jesutas. O coracto humano 6 lm abysino mda-
eifravel, e tanto que oiognem pode tomar resoU-
poea d.finitivas. Ao partir Vieira, de Lisboa, f6ra
ana inteucio acabar sena dias, sem ver maia a
patria-, o amor, porm, que Ihe consagr-va era
rnaior que a sua paixio e deapeito, e spesnr
considerar se muito honrado em Roma e mais que
na torra em que naaeera, como 6empre o affirma-
ra nao queria agora seno voltar para sena larea
na'cionaes, e ah acabar sens ltimosjiiss de vida,
anda que cem menores demonstracoes de fcffecto
e spreco que entre os extranhos encontrara.
Mostron-ae-lbe D. Pedro affrctnoso e amigo,
recebendo-o : e lembrou-lhe'que era temoo de pu-
blicar sena serrones para a pjsteridade, r< unidos
em nma colleccao particular, e revistos com cui-
dado, porque mu tos andavam tradusidos ero cat-
telhano meito adulterados ; outros em portugus
impressos com erros notorios alguna passavm
por albeias composicoes, e convinha para gloria
ana e da patria restitoil-a ana purera.
(Contina)
Reparilfio da Palela
2 seccAo. N. 864 Seoretaria de Poli-
ca de Pernambuco, em 3 de Setembro de
1888.-Illm. e Exm. Sr.TP*rtioipo a V.
Exc, que feram recolbidoa A Casa de De-
te ncao os seguintes iudividaos :
No diil.i
A' m a ha ordm, Lua de FraDa, como
deBordeiro, e Isabel Mara da ConjegAo,
por disturbios.
A' ordem do subdelegado da 2a districto
da freguezia de S. Jos, JoAo Feliz Gon-
lves, A disposicAo do Dr. delegado do
districto da capital.
A' ordem do do 2* distrioto da fregue-
zia da Boa-Vista, Pedro Mazimiauo dos
Santos, por disturbios.
Juvenal Jos de Sant'Aana, Jos Maca-
do de Oliveira, Anna Mara da Conceic^o
e Mara Francisca da ConoeicAo, por ot-
fensas a moral publica.
No da 2. :
A' minba ordem, Jos Justino Fgueira
de Menezes e Joo Bernardo de Senna,
para averiguares policiaes.
A' ordem do subdelegado da freguezia
do Recife, Urbano J>s de Sant'Aona, Pi-
nheiro Ribero, Brllurmino Francisco de
Arruda, Manoel Jos de Albuquerquo e
Jos Cordeiro de Carvalho, como vagabun-
dos.
A' ordem do da freguezia de Santo An-
tonio, Jos Gomes do Nascimento, Isabel
Mara da Cooceiclo ou Mara Isabel dos
Prazeres, Francisca Ignacia, e Luiza Frao-
cisca de Souza, por embriaguez e distur-
bios.
A' ordem do do 1* districto da freguezia
de S. Jos, JoAo Ramos Francisco de Je-
ss, por crime de espancamento, A disposi-
cAo do Dr. delegado do Io districto da ca-
pital ; Manoel dos Santos Franceliuo da
Rocha, Manoel Rodrigues do Nascimento,
Antonio JoAo da Cruz, Mara Saturnina da
ConceicAo, Jos Antonio dos Prazeres, por
disturbios e Rufino Antonio Alves, por dis-
turbios e uso de armas defeza.
A' ordem do do Peres, Jos Vieira de.
Mello, por embriaguez e disturbios.
Pelo delegado do Olinda foi remettido a
esta reparticSo e se acha recolnido Gasa
de DetencAo, o individuo de nome Fran-
colino Jos Tavares, autor do assassinato
perpetrado na pessoa
de Felismina
Mara
da Conceijio, "no da 31 de Agosto ultimo
no becco do Matuto, da freguesa da Boa-
Vista, o qual se apresentara voluntaria-
mente ao mesmo delegado.
O subdelegado do termo de Aguas Bel
las, communicou-me que no dia 23 do mez
prximo findo, na povcac2o do Mucambo
daquelle termo, o individuo de nome An-
tonio Manoel doa Santos, ferio mortal men-
te com um tiro, a Henrique Manoel dos-
Santos, sendo preso em tl.grante.
Acerca no facto proesdeu se nos termos
da lei.
ComrouDica o delegado da Gloria do
GoitA, que ante hontem capturara o indi
viduo Jos Silverio de Souza, como autor
do roubo de cavallos na propriedad* B
Vista daquelle termo.
Abri se o competente .inquerito que
teve o conveniedte destiuo.
2.a seocAo.N. 866.Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, em 4 de Setembro de
1888 Ulm. e Exm. Sr.Participo a V.
Exc. que foram bontem reoolhidos ACass
de DetencAo ob seguintes individuos:
A' minba, ordem, Franceliuo Jos Tavares, como
criminoso de morte, disposicao do subdelegado
do 1 districto da fregueaia da Boa-Vista; Joio
Lopea Machado, Antonio Lonrenco Pereira de
Carvalho, JoaoBapti*ta Lobo CdrteReal, Salvador
Goiiftlves Braga, Jlo Francisco de Araujo, Ma-
noel Vicente da Cunba Sobrinho, Ignaeio Paes de
Souia Oama, Ignacio Paea de Sonaa Gama Filho,
Francisco Antonio da Silva, Heverino Jos (Jou-
ealve*, Jesuino de Asevedo Costa e Aoguato Me-
kelsem, disposicAo do Dr. delegado do 1 districto
da capital, como indiciados em crime de roubo.
A' ordem do subdelegado do 1 districto da fre
guesia de S. Jos, Sergio Ferreira Maciel Montis
ro, Jos Bertholdo de Mello Saraiva, Silvestre Ri-
bero de Alboquerque, Chrispiniano Gomes da Sil
va e Witrnvio Huma > de Carvalho, por disturbios.
A' ordem do do 1* districto de Afogados, Fran-
colino Jos dos Santos e Jos Ladislao Mont. ir..,
presos em flagrante por crime de ferimentos le
ves.
Pelo delegado do termo da Pedra foram captu-
rados os individuos de nomea Laurencio Alves
Francs, JoAo Pao Ferro de Sonaa e Justina Ma
ra da Cooceicao, por crime de ferimentos.
Procedeu-se a respeito nos termos da lei.
Na roa da Imperatris n. 11, onde tem estabeleci-
mento de alfaiataria Noronba Se C, amanhecerara
boje abertaa tres portas do interior que dao entra-
da para o quintal, pareeendj que ae dera all nma
tentativa de roubo.
Dirigi-me ao ponto referido, onde eocontrei o
commandante geral da guarda cvica, e oovi o re-
presentante da firma social, Sr. Augusto Carlos de
N^ronha, verifican Jo que a'porta da frente, por
onde suppoe o interessado que penetrou com cha-
vea falaaa o desconhecido ladro, estava fechada
regularmente.
Notou-se junto porta do quintal, por onde
julga-se tac sahido o audacoao larapio, n&o ob-
stante nio se ter encontrado vestigio alguro que
indicasse sna passagem por all, a circamatancia
de eucontrar-se nma caira de papelo, contendo b
cal9as.de caaemira, e mais no interior do estabe-
lecimento nma peca de brim, fra do ponto onde
hcou de vespera, e mais anda dona cortes de ca-
aemira e nm cabide longe de seus lugares.
Nada absolutamente foi anbtrahido.
O subdelegado do 1* districto da Boa-Vista to*
mou conbecimento do facto e procede a respeito
nos termos da lei. -
Deua guarde a V. EzcIllm. e Exm.
Sr. Dr. Joaquim Jos de Oliveira Andra-
de, muito digno presidente da provincia.
-O chefe de policia, Francisco Domin-
gues Ribeiro Vianna.
Thesouro Provincia!
DESPACHOS DO DIA 4 DB SET.-MBBO DE
1888
Manoel Cavbante de Mello, Joaquim
Alves, offieio do Dr. pruourador di s fei-
tos, Manoel Joaquim Gongalves e Atezan
drina Fian sea Coelbo Araujo.Informe
o Sr. coutador.
Fonseca IrmAos de C. Entregue se pela
porta.
Angelo Rapbael & IrmSos, tffi:ios do
Dr. procurador dos feitos e Albino da Sil-
va Leal.Informe o Sr.' Dr. administra-
dor da Recebedoria Provincial.
Joaquim Firmo de Oliveira, offieio do
Dr. procurador dos Faltos, Antonio J. de
M. Sarment, Francolino de M*llo Cabral
e Antonia Mara da Costa. Haja vista o
Sr. Dr. procurador fiscal.
Umbelina Amelia da Silva, Leonor Ca
rolina lie Vasconcellos Borges Leal, Aoto
co Jos Duarte e ServilianoCorrea Maia.
Liquidada, eacripture-se a divida.
Augusto Frede'rico de Oliveira & C.
Pague-se pela caiza da Recife Drainage.
Jos EleuteriodasNeves. Certifiqese.
Affonso de SA e Albuquerque. Prove
a approvacAo pela presidencia do contracto j ram tooa ; os empresarios, por verem
de que trata. | de fela xito o sen emprehendimento, 8.
Laura Elvira de Carvalho e Mara Caro
lina Vieira de Mello. Registre-se e fajana-
se as notas.
Offieio do Dr. procurador dos feiios.
Informe o contencioso.
Recebedoria Provincial
DESPACHOS DO DIA 4 DE SETEMBBO DE
1888
Jos Pacheco da Silva, commendador
Albino da Silva Leal, Jeronymo Jos Fer-
reira, Mano 1 Joaquim Francisco de Bor-
ges, Confraria de Nossa Senbora da Sole-
dade da Boa Vista, Felicidade Mara do
Carmo.Informe a 1* seceso.
Manoel Apollo da Silva, Francisco Ama-
ro dos Santos Borburoma, Firmino Gomes
de Amorim, JoAo Chrisostomo de Azevedo
Vill.s Boas, Manoel Jos Rodrigues, JoAo
Floriano Coelbo da Silva.Certifique se.
Cl.udina Francena de Mello, Maris
de Santo Amaro Corris.Cumpra-se.
Kun (feCoats.A' i* seccAo para os
devidos fina.
Sella
mis tomiAL
No dia 28 do mez paseado, no
lugar
UAHIO & PEHAaiCO
1888
(.overeo la Provincia
DESPACHOS DA PBE8IDEHCIA DO DU 3 DE
SETEMBEO DE 1888.
Abaizo assgnadoF, moradores em Pa
nellas___Intorme oom,nrgencia o Sr. di-
rector geral das obras "publicas
Abaizo asignados, opirarioe do Arsenal
de Guerra. Nesta data dirijo-me ao mi-
nisterio da gutrra a resptio do que re-
qoerem os aapplicantes.
Coronel Augusto Octaviano de Sou.
D*hm.
Jardim, do termo de Garanhuns, os indi-
viduos de nomes Ignacio Mauricio Wan-
derley e Miguel Mauricio Wanderley, fe-
riram mortalmente, a facadas, a Teotonio
Vicente da Silva, conseguindo evadirem-se.
O delegado respectivo tomou conheci
mente do facto, fez proceder a vistoria e
abri o competente inqueri;o, que j toi re-
mettido ao juizo competente.
Durante o mez do Agosto, prozmo findo
toram por esta reparticAo remettidos para
o hospital Pedro 11, 25 desvalidos, para o
de Santa gueda 5, para o Asylo de Men-
dicidade 9, e com destino a Escola de
Aprendices Marinbeiros 8 menores abando-
nados .
Dos guardo a V. Ezc.-Illm o Exm.
Sr. desemb.rgador Jpaquim( Jos de
Oliveira Andrade, muito digno presidente
Ida provincia.O chefe de polio, Froncu-
\ eo Dominawt Ribeiro Vianna.
BECIFfi, 5 DE SETEMBRO DE
Molletas do Norte
O paquete nacional Manot, entrado hontem,
foi portador das seguintes noticias :
Amazonas
Dataataa at 23 de Agisto.
O vapar peruano Buallaga, entrado em Msnos
a 14, trouze aa seguintes noticias de Iquitos
(P. i) e do rio SclimSes :
Foi posto em liberdade o commandante do vapor
brasileiro Araguay mediante fiaoga que prestou.
As antoridkdea peruanas instaoriiram nm pro
cesso caira 6 commandante, devendo 9julgamen-
to ser prmmo.
E' provavel que o commandante do Araguay
seja absolvido ; era esta a opiniao geral em lqm-
tts. .
Contina encalhado o vapor Prtneeza kaoei-
Este navio e poder desencalhar em Novembro
prximo. > ,__
Em Iquitoa nenham facto de alteracSo da ordem
pub iea oeconen, havendo boje perfeita cotdiali-
dade entre peruanos e brasileros.
No departamento de Loreto, residencia do nosso
consol, nada oecorreu digan de meooio.
Ponco abaiio do Toeanfins (Br.sil) eneontrou o
Huallaga a lancha de gnerra qne o geverno en-
Ivien disposicio do oonsql em Loreto^* lancha
t deveehegar a este porto no dia 20 do mea cor
rente.
O rio 8olisao;s tem b-iixado considerarelmonte.
Sob o titulo Questao Peruana lemos o se-
guate no Commerciu do Amatnos da 21 :
De nma carta qqe bontem recebemos de Iqui-
tos, pelo vapor Esperanza, extrabimoa o segoiote
tpico relativo questao do commandante do va-
por Araguay com as autoridades peruanas d'esae
departamento.
Sio jadiciosaa aa conaderaoSes feitas pelo
nosso infirmante e ellas, estamoa eertos, merecerlo
a attencAo do nosso governo a qnem cumpre velar
pelos interessea dos nosaoa compatriotas all esta
belecidoa.
Eis o tpico a qne no* referimos :
O commandante do Araguay que est aqui
com motivo de um procesan de desacato autori-
dade, est solt com fiaoca e deve termioar-se o
processo favoravelmeote dentro em poneos dias-
c N2o posso faser muito deste assnmpto, sem
embargo, tenho feito qnaoto me tem sido possivel
para livral-o e posso asaegnrar-te qne sahir airo-
samente da queatio.
O draagradavel incidente qne motivon as
qiesloes cosa o Araguay e sen commandante no
tundo nj tem importancia nenhama, mas inf lia-
mente a precipitafo foi tao descommunal de par-
te do commandante e das autoridades qne bam
podia ha ver tido funestos resoltados.
< Oxal o governo imperal proceda nea.te nego-
cio com a prndencia costumada para nao varmos a
nossa situacs commereial maia compromettida do
qne est actualmente, poia nSo ignoras qne o com
rnereio deltas regies eat to intimamente ligado
s pravas do Par e Manis qne muitos aft 'icaria
qaalqner procedimento hostil do Brasil contra este
rico, porm, desrent .radu paix .
Keg< essaram a 17, de Itacoatiara no vapor
Japur, u Exm. Sr. Dr. presidente da provincia,
o sr. commandante das armas e seu secretario o
Sr. Dr*. Eduardo Q. Bibeiro.
Dorante a estada em Itacoatiara S. Ezc. resi-
di a bordo do Japur, bem assim sens companhei
ros de viagem
O v p-r Japur demorn a ana viagem de re-
greaso, por ter occorrido um desarranjo na machi-
na cojo concert ae fas neceasario.
A anpracitada tolha diese o segninte emll :
O Sr. inspector do Tbesouro Provincial offi-
cion ante-hontem presidencia da provincia, com-
municando que, alm do desfalque encontrado
naqnella r-partigo e da que demos notici* em
nossa penltima edigo sob a rubrica PBIsAO se
verificara nm outro na importancia de 4:6330310,
saldo do mes do -Janho dltimo da mesa de rendas
de Parintina.
Consta qae a commiesao nomeada .para exa
minar a Recebedoria contina a trabalhar activa-
mente e consta que at ante-honti in verificon um
desfalque de qnatro contas e tanto e pedio pre-
sidencia da provincia que requisitasse da do Para
a 2> via do despacho qne na 1 appareceu e mostra
a existencia do referido desfalque .
Por acto da presidencia de 8 foi creada na
capital mais urna escola de ensino primario com o
carcter de mixta, para o bairro da Campia, sen-
do nomeada protesaora efiectiva a Sra. D. Ver
diana Honoria Ferreira.
Sabio, portanto a 21 o numero das escolas pu-
blicas da cap til que esto assim clasaificadas :
5 do sexo masculino, 7 do feminino, 6 mixtas, 3
oompl-mentares. Antes havia i.7 apeoaa.
No dia 15 do correte completou o Commer-
do do Amazonia o seu vigsimo anniveraario.
O aen fundador foi o capit&o Gregorio Jote de
Moraes.
Aoa collegas de afanaos obsequiou n'esse dia o
Commercio com nm banquete, fraternalmeote-smi-
mado. ,
gA sua edicto do dia 15 foi ntidamente impres-
aa em tinta carmexim.
Orgio verdadeiramente consagrado aoa interes-
ses geraes da provincia que dignamente represen-
ta na impreosa, o Commercio do Amazona tas
honra aua activa e distiocta redaeco.
Ferio-se o pleito eleitoral a 14 para prevn-
ehimento da vaga de um vereador Cmara Mu-
nicipal de Manos, obtenao votos ob Srs. Manoel
P. C. de Araujo (L 154, Matheus na Silveira (C)
91 e Eugenio Pones de Leio (C) 1.
No dia 20, s 4 horas da tarde realson-se,
com bom resultado, a experiencia que a empresa
do abastecimento de aguas a esta cidade, fes nos
differente eneanam^ntos, diante de S. Exc. n Sr.
presidente da provincia e de numereso pessoal,
eutre o qual sobresahiam, nio pouco, os profissio-
nas. .
Com justa raso foi grande o jubilo que sent-
- coroadoa
Exc por
ter a gloria de ver em sua admioistracSo este gran
de meiboramento para o qual se tem esforcado, e
nos por termos esta incomparsvei commodidade.
Numeroaoa fogueti s subiram aos ares e annnn
ciaram a toda a populacho maia esta glaiia da ad
ministracAo de S. Exc. o Sr. Dr. Cardoso de An-
drade.
No dia 2 do corrente sena a inanguracao.
No rio Waups, foram aasassioados pelos
indios qne babitam esse rio, os commcreiantea Ni-
colao Antonio Palheta, brasil.iro, e Joa Antonio
Monteiro, portnguea.
Os aasassinoa praticaram .esses crimes com ad-
mravel malvades!
A primeira victima foi morta a machado e a se-
gunda foi degolada 1
Os infeliaes coramerciantes eram aviados dos
Srs. Agniax de Filho, do rio Negro.
A imprensa de Manos noticin, qne o admi-
nistrador da mesa de. rendas provinciaes de'Parin-
tas appreheodera um imprtante contrabando.
Chegaram aquella capital, onde pretendan)
taxir-se ouvir, as cantoras Savio e Kalaa.
__ Palleceu em Manos, Benedicto Antonio da
Cooceicao, que contava 90auaos de idade.
Par*
Dataa at 26 de Agosto :
_ No dia 16, s 9 horas da noite, na ra Nova
de Sani'Anna,' canto de S. Matheus, qnando a mu-
sica do 15 batalbo de infantaria se reeolbia ao
quartel, diveraoa capoeiraa que iam dansaodo em
frente da msica espancaram brutalmente a doos
homens de nacionalidade portuguesa que aLli se
acbavam.
lato feito travou se entre aqneiles capoeiraa
um coi flicto, no calor do qual foi disparado om ti-
ro de revolver, que ia vietimando a parda Jovita,
criada de Joo Mariaho Campos, e o menor Hay-
mundo, que se acbavam encostados esquina da-
qnella ra.
No dia 21, s 11 horas da noite, o individuo
JoAo Baymundo da Silva, qne so aebava preso no
quartel de polica ha cinco diae .por embriagues e
desordena, enforcou-sa com urna corda que para
tal fim arsarroo a'oma-das escaplas do comparti-
mento onde estava.
A autoridade competente procede com a le
No mesmo d, s 9 horas da manbi, desa-
bou nm galbo seeco de orna arvore do quintal da
casa n. 179, travessa de 8. Matheus, cahindo so-
bre um menor de nome Vallino, que passav
na occaslo, fasmdo-lbe um ferimentb na cabecs.
Poani dia l, descoberto na Nova Con%pa
nato Vmo urna fals.ficaco u'un dos 1"
escnpiuraco e em a'fnns ontr. a pa eis,
Segundo as av*rign5es procedidas peloguars-
livros, foi e^jrime pratieado por om enipregaao na
casa, cujaawme ignoramos, por ter-se r
polica a tsrnecel 0.
tia de 1:9870500, provniente de diversas quanti-
dadea de borracha de tres qnalidades.
No livro 'em qne faaera estes lancamentos, J.
Vieira lancou simplesmeate duas qnalidades, sendo
por ahi verificado o crime depos da ter o caiza da
companhia pago a conta do valor cima.
Segando julga-se, Vieira o autor da'eonta
falsificada e connivente com o individuo que a foi
recebar.
A polica apeoaa tomn nesse dia pequeas pro-
videncias e no seguate nada fea sobre o caso.
O criminoso aeha-ae solt e no dia 22, foi tres
v-xes iusDltar oj empregadoa do escriptorio da
Companhia Unio
A.25, psjUs 6 1/2 horas da sarde, acbando-ae
em nma alvaienga atracada a barca fraocexa
Brateirm, o subdito portnguea Joto A. daCunha,
oecupado na descarga do lastro do navio, por
cont da firma A. F. de Oliveira & C., foi, sem
motivo plansivel, ferido pelo capito, que, do con -
xs, na altura de mais de duus metros, da alvaren-
ga, atiron-lbe eom urna malaguea, qne alcanpoa-o
na cabera, abrindo Ihe urna brecha.
Snppda se que o motivo que levoo o capito da
barca a praticar rssa selvageria, foi o ter, devido
a grande mareta qne ento taxis, ido a alvareoga
de encontr ao casco do navio, do qne nao tinba
cnlp-i alguma o offendido.
Cunha foi medicado na phacmacia do Sr. -Sera-
fim J. de Almera, e queixon-se polica, qne
prometteu dar as providencias.
No diatricto de Igarap-miry, faxenda Jna-
rimb, foi estrangulado por nmjacai, o riogran-
denae de nome Joo Nuoes que acha va se enclau-
surado e a urna pequea cabana &e Igarap, pelo
n olivo de estar soffrendo de varila confluente.
C mh--ceu-se depon qne Nun-v havia morrido
por ter sido encootrado parte de sen cadver a
fluctuar all perto.
Sepultara se a 21 o decano dos typograpbos,
Joo Martina Monteiro.
A importaco dos principies proiuctos da
Amazonia, no l' semestre do corrente anno toi o
seguinte :
cha-
EBSe empregado. que somente sabemos
dar se J. Vieira fosoecu em datas diversas tres
notas para o c.iza da companhia re
meotoi, contemplando n'uma de la
cisco Dias Ttxeira t C, como '
1 a firma f'r.o-
credorda quan-
Borracha, kilos 5.762:434
Caean, ditos 3.861.916
Piraracn, ditos 851:179
Tabaco, ditos 222:479
Farinba, alqneires 109:603
Castanhas, hectolitros 107:071
Usranbi
Datss at 28 de Ageste.
Cbegaia o Dr. -Francisco Jos Viveims de
Castro, ex-preaideote da provincia do Piaohy.
Fallecer a 21 na aua fasenda Bom Negocio,
districto de Maioba, Joo Martina de Carvalho.
Plana?
Datas at 11 de Agosto.
Lemos o segninte no Telephone sob o titulo
Crime Barbnro :
S agora, depois de decorridos qnatro longos
meses, qne tvemos conhecimento de um crime
brbaro, pratieado 00 dia 16 de Abril ultimo, no
lugar Melaacias, freguisia de Bnrity dos Lopes,
da comarca da Paroabyba.
1 Parece que ae o pr-curava abafar as dobraa
do criminoso silencio, poia certo que nem um s
jornal delle tratou, nem foi commonicado as auto-
ridades superiores da provincia, conforme estamoa
informados, sendo alias, a victima pessoa de fami-
lia distincta e de aoaioAo social.
Fallamos do brbaro assassinato da inditoaa
D. Isabel, esp.sa do Sr. Manoel Machado de Cer-
quis Torres e filha do Sr. Jos Rodrigues de
Carvalho.
Contava a infelia senbora apenas 19 annos e
deixon na orphandade 3 filbinbos.
O crime foi, segundo se dia, pratieado por nma
escrava; mas, o pae da victima, fas revelaoea de
tal ordem no artigo que, sob sua. assignatunf hoja
publicamos, qne uv-recem toda attenco das auto
ri dadas superiores da provincia e das do lugar do
delicto.
Cumpre ser esclarecida a verdade e punido o
auctor do crime quem qier que elle seja.
Por portara de 6 foi exonerada o cidado
Jacob Rodrigues de Sonsa Ucba da carg> de
promotor do Pedro II, e oomeado o cidado Ray-
mundo Mendes da Rocha Medeiros.
Por acto de 7 foi demittido o tenente Antonio
Lopes dejCarva h 1 de promotor das Barras, e no
meado o capito Antonio de Freitas a Silva,
. Foram reintegrados o collector provincial de
Bsrbalha e o|respectivo escrivo capito Agoslinho
Mello e Antonio Rodrigues de Carvalho Filho.
Foi exenerado do cargo de collector de Peri-
pery, por acto de 11, o capito Nelson -de Carva-
h 1, sendo mineado o cidado Domingos Coelho de
Mello.
Por telegramma de Piripery sabe se que suc-
cunbo na noite de 5 o intelia Raymundo Pinbeiro,
que das antes, fdra m utalmeote ferido na eabava
pel capito Luis Lopes Castalio Braceo.
O referido capito acha-se preso n casa da
cmara. ,
Ceara
Datas at 31 Agosto:
__ Foi removido da comarca de Crato para a de
Mana Pereira, o promotor publico bacharel Eneas
Cavalcaote do Nascimeoto e S, e desta para a do
Jardim, o bacbarel Mileno de Torres Bandeirs,
bem como o desta ultima, bacharel Suatavo Hora-
cio* de Figuereido, para a comarca do Crato.
__ Foram eolhusiasticas as testas celebradas no%
dias 24'fc 26 pela ebegada de SS. MM II. corte.
__ No domingo, 26 do corrente, bouve Te-Deum
sil horas da manb na S, e a noite realisou-ee
no Club Ctarewe a reonio dansante que algoma
cavalber a da no sa melbor sociedade offerdeeram,
em notn > da popuUco desta capital, ao Exm. pre-
sidente desta provincia, Dr. Caio Prado, em rego-
sijo pela volta de S. M. o imperador ao seio da
patria.
O que ha de selecto e gracioso no sexo assavel,
aem ofL-oea das qne nao eativeram preeents) re
presontou-se neata t^sta de puro reg-ejo popular,
e na qual oo entrou a mnima parce I la poltica.
Estraogeiros.e naciooai-s porfiaram em abrilhan-
tal-a manifestando por essa forma o muito que Ihes
merece a pessoa do monareba brazileiro e o dele-
gado immediato do governo nesta protincis.
A's 10 horas da noite com a ebegada do Exm.
|*Dr. Caio Prado e de S. Exma. familia comecaram
as danaas, que se prulongaram at a madrugad
tomando parto nellas o Dr. Caio com a sna Exma.
familia e reinaado sempre o maior conteutamento
entre os convidados.
S. Exc, com a gentileaa que o destngue, mos-
trou-se penorado da fineza de qne foi alvo, di
rigindo-se a lodos ibaua e cavalbeirosameute.
O servico do buffet corren com a mxima ragula-
ridade {wio sytem> adoptado nos grandes saldes
da tdrta onde cada co&vidado serve se quando e
como quer sem ter de esperar a hora de cha, de-
pois ie estancado e cansado das daosas.
No conjoocto foi urna partida aristocrtica pela
finesa e cav-lb iriam > eom qne todos pracederam,
saiieotando a apurada edncaoo doa cavalheiros
e damas present>a.
Assnmira interinamente o cargo de chefe de
polica, em 27, o desembargador Amrica Milita-.
de Freitas Quintars*.
Sobre a secca eacreveram ao Libertador :
Da Santa Quitea, em 18 :
A ateca por aqui est no sen auge, e, si o go-
verno oo der trabalho ao povo, com poncas, ni 1
haver mais segranos de propriedade e mesmo
de vida.
< Nao qne os gneros alimenticios, a lora mi
lho *reijo que- nao apparecem, estejam caros e
costosos, oo ; ao contrario, a farinha, a carne e
a rapadura >sio se veadeado barato e apparecem
com abOttdaucia. Mas ha-falta absoluta de traba-
lho e, portanto, de meioa para remir as precitea.
O* parueularc AS se auimaca a tentar qaal-
qner trabalho, na incertesa de prolngar-se em ala
este triste estado de eonsas.
Como o sen jornal o qne mais se interesas.
pe 1 bem da provincia, peco-:he em nome da as-
pulacao, qne advogue os interesses deate mne
po perante o illnstrado administrador da provin-
cia, em qnem, por toda parte, se deposita ac
coofianfa.
< fiate municipio usa dos qne mais mereeesaa
a attenco do governo, nao t por que o sanar
rico da provincia em gados, como tambem porgue.
oelle esto a serra das maltas que exporta asis
de 12 mil arrobas de algooo annualmeute e a dnc
Emburanas, abundantissima em borracha, algosa
etc.
O governo mandando construir as immaa
(oes desta villa nm acude, para o qual destiaaeae
uns 12 contos de ris, faria nm beneficio incales-
lavel, tanto no presente esmo para o futuro, p.-r
qne sendo este acude em um logar conhecido air.
u, teriamo8 agua perenne no rio que banhs este
villa, por nma extenso, maior de 5 kilmetros e
portanto, lugares frescos para plantacoes qae ais
dsixariam de dar, mesmo nos annos crticos cosas
este.
Advogue esta idea, e crea qne promove a se- t
guranea futura e a salvaco presente de S. QtnV
teria. *
E' de Canda, o segninte em 24 :
c Est a escoar-se a gosto segundo os esty4oc
de seus congenereseoxuto come Calina, quenas
morreu-lhe a sogra.
Nem nma lagrimasinha. ao menos Caraca
de pedra 1 Snrdo aoa gemidos de tantos, qae ssf-
irem sede, nao de justica, Deus lonvado, que temos
de sobejo in magna quantitate, como deria o car-
dea! carmelengo, mas sede d'agna.
O rio Canoa seccou completamente ; j a*
o pode traospor a p envnto como os hebreas nss-
saram o mar vermelho.
Abrem se cacimbas no sen leito e o gado urr
sequioso. Entretanto a cmara municipal man-
tem-ae, em aua impassibilidade japonesa, ante o*
soffrimentos de seus municipes, inclusive o gade
grando e miudo ( salvo seja) nao se dignaado de
ordenar, que se obatruam os acudes e levadas fas-
tas na serra, para irrigarles particulares.
Mas como isto se ha de faser, disem as mil
linguas, si os vareadores sao quasi todoi p- oprieta-
rios na serra ?
Esperamos, porm, dn espirito recto e escla-
recido do Exm. Sr. Dr. Caio Prado, qne ensiaari
aqu-lla edilidade o antigo e conhecido proloqaic
a oda justiQa a que comeca por casa.
O p jvo confiado as promettidas cebollas eoa-
tina.a descer dosertio e a accamular-se em Ba-
turit. Sem tecto onde ponsar, procura a sombra
das arvores, que, despidas de folhsgem, nennest
abrigo Ihe podem offerecer.
Centenas de infelixes alli se acham exportas
ao sol, ao relento e a toda sorte de intemperies.
Os trabalhos do proloogamento da estrada de fo-
ro, me diaem, s sero inaugurados a 7 de Setesa-
bro; entretanto elles sem meios que tambem ibes
prolonguem a vida, recorrem a caridade publica;
esta, por sna ves, considera-se estanque, ou re-
trabe se, lembrando-se doMatheas, primeira os
teos-vprincipio egaistico, todava muito em vogs.
Algnos levados pela necessidade, que tem ca-
ra ds berege e j iniciados as doutrinas socialis-
tas e commonistas, tratam de por em pratiea e
principio perigosissimo de Proudhonla propret
c'est le wd.
Para oppr nm parsdeiro a essas coasas, eoa-
vem que comecem immediatamente os trabalhar
da estrada de ferro.
O Eso. Sr. Dr. Caio Prado nao tem sido in-
differente ao estado angustioso da provincia. S.
Exc. tem sido solicito, j decretando a construyas
de cades em algamas localidades, j conseguaos
o proloogamento da estrada de ferro de BatarisS,
j, finalmente, promovendo ootras medidas de alta
monta.
Que nao arrefecam as bdas disposices em a_of
se acba S. Exc, qce ter as bencos dos cearasv
ses reconbecides. >
Relativamente ao milagre da Canda, eacre-
veram em 24 mesma folha o segninte :
frende anda a atteoco deste bom pavo de
Canda a upparicla de N esa Senhora da Capoeks.
Nao est desengaado : para alli tfB ie diaria-
mente em piedosa peregrinc>o ; embora nada ve-
ja que o faei acreditar na viso celeBte,)pensa elle,
que o que cura a fe e nao o pao da barca.
O Rvd. Pedro da Motta accende nos ingenuos
peitos a cbamma da f. Assegnra qae alli existe
om grande mysteno ; qae preciso se fas desvea-
dal-o, e, com o ard r de aua piedade, nao falha de
r presidir s espectculos nocturnos, no sen pa-
pel de contra-regra.
Ha dias deu-me na caneca assistir a um dellet
Eram 7 horas da noite, scuro como bren. Ess-
brenbei-me na mtita de sabiasal, com risco de fe-
rar nm olbo, ou ser agarrado por algom dos not
quinhot, que all por dentro faaem o sen sabmt.
Em grupos de tres, toaos sjoelhados, vi eerca de
vinte bemaventurados, que teem a dita de estar
em correspondencia amistosa com a rainba dos
eoe. Cada um machacar de metter medo; da ta-
ca ao quaito e catite ao lado, jurando desanear a
todo aquello, qae davidar do sea serio. At nssa
s-'nhora qoareocena foi tambem tocada da Gtrafa.
Vio a Vigem de Naaareth, em toda a sna canda
ra respjendente.
Cmo a eat vendo minha filha? acode pres-
anroso o Revd.
Linda, sen padre, to linda qne fas pasmar;
vestidinba de branco, mesmo como en estou.
A tal bemaventurada, disse-me um companhei
re, traaia anoainao. Nao sei ae tambem l ae
co j toi intiodusidaaa moda das tournurei.
Orita d'alli urna menina :
L eat ella To bonitinba !
Ella quem ? luterroga o padre.
Ora Noosa Senhora.
Como se mostra?
Ella? Est vestidinba de branco, maats
ul, com es bracos abertos (prestem bem atteav
1) com um n.euin isinho loiro no eolio.
O qne v mais ?
Traa urna veliinha na rao, j se apagas-
do-.
Agora volte-ee, dis o padre. O qne \r
Urna igrejinba, deste tamanbinbo (faa alta-
ra da igreja com as caaos} com cinco portinbas 4e
fita.
__Nao ba dnvida, exclama o commendador dos
crentes, aqui ba c uaa !!!
O que pode haver Sr. padre? IotecpeUx
um mroni.
Um mystsrio MI
E 1 nde a prova ?
Eata tolha Diz ella apresentando urna &>
lhinha de mil lio qne os meamos encontraram aa
capoeira. Esta folha mysterioaa ; t poda exis-
tir no jardim de Ncssa senhora, exclama tlli
cheio de transporte.
Tableau
Aqui est ella, seu padre, giita d'alli nm me-
nino
Como a vi, men filho ?
Vestida de branco oom um menino nos bra-
cos.
E que mia?
Na mo tras nata igrejinha e ao lado deHa
um beato.
Como traja esse beato? pergnnts nm o*
riosj.
= Smfnao'^s Vocl nao o est vendo!
Veste calca e paietot como en ?
Vate, aun aenbor. ~
E' falso. O beato eat de camisola sjranca..
?t
amata entro.
Branca, nio, 6 reexa, frita outro men*



flaVas
----------i '-
Diario de ftmambueoQuarta--feira 5 de Setembro de 1888
i _____________________________
K, f eixa m o teaapo. A beoaaveotarada cohorte
jaasais f" e ferve o barulho, Oave-te 0 zuido
dea pedras, e erritos l pelas quebradas do alto
__ Aquietoas-ee, aqnietem-se meai filbiohis.
Veaham e see diser o qae voces estio vendo, dn
padre -mestre.
Nos estamos vendo Nossa Senhora cosa am
seaioo nos breos* am beato atraa d'ella.
Eu nio digo Exclama am tesa dogmtico
,Bevm. Aqai par forea ha aaa 1 finas88
aeu rmios.
as vosea das piaa devotas ecoordee os echos
fea flirastes seceos. N'eaaa, noite prestei bem at-
tansl" para as soajaiates-oastlaa:

Vamos earregar a prdra
Para o gaio do aleenn
P'ra se levantar a capaila
Do Bom Jesas do Bomfim.
Pedi a chave do portio
Para nos ir ao jardim
P'ra onode encoer fulores
P'ra o Bom Jesas do Bomfim.
x) diepaaio a osa
Outro grupo centava aa i
lado:
Sant'Anna pari Mari
Mara pari Jesas
. O aome qae Ibe paaeram
Poi Mau da Vera-Croa.
Magdalena escrevea
Urna carta a Jesas Christo,
O portador que a levoa
Poi o padre 8. Francisco.
S. Francisca vem de Italia
Yestidinbo de amarello,
Perguntando pelas cbages
Do divino Manoel.
Aquellas vsseg dissonantes formavam nm con
arto dieeoneertado. Era am verdadeiro chari-
mtry
Na noite de 32 do corrente o espectaealo fe i va-
nado com a scea bufo-comisa do beija-p da
Saata. O Bevm. Pedro poatou-se ajoelbaido n'ama
frota e ordeaou aos meninos qae pedissem per-
miaeio a ella para o povo beijal-a. Concedida
ata, convidoa elle os cientes, qae se spproximss
sea a dous de fondo.
. Alguna pergontavam :
O qae que se beija, seo padre ?
A' N asa Senhora, meas filhoe...
E onde est ella ?
Est aqai mesmo comnosco.
E comecaram ana a beijar o vacuo,
olio!../
Palla am menino para am dos crentes :
Batir d'abi a mo, mea senhor, qae esta
abre o pe d'ella.
N'eaaa noite o espectaealo terminoa as 10 h -
aas ; voltando todos para saas casas convencidos
de terem beijado a corredemptora do mundo I
Todo isto maita original e o que mais admira,
que nenhama autoridade tenba tomado conheci-
mento de semelhante escndalo.
Haver n'nso ignorancia ou m f ?
Dicant Canoenses. >
Palleceram! a 21, na Imperatrii, capitio
Beato Antonio Alves Fi'ho, em Camocim, o secre-
tario da estrada de Sobral, Baymando Gomes Pa-
vate ; em Quixeramobim, Jos Angelo de Sonsa
Pernaudes, e em Varsea Alegre, Manoel Leandro
Cor rea.
Blo Grande do Norte
Datas at 3 de Setembro :
Fr* festejado com entbusiasmo o regresso
Je Saas Magestades Itnpenae=.
Fallecen, a 23, o alferes Francisco Othilio
Alvares da Silva, ebefe de seccao aposentado da
Secretaria da Presidencia.
Parahjha
Sob a rubrica Interior publicamos a carta
4o acaso correap.ndente.
oatros o
Apesar d'isso, nio ebegon 4 hora em qae era
esperado. O principe regente D. Carlos sabio de
Casoaea na canbooeira Mandooi a 4 horas da
tarde, para esperar o paquete e acompanhal-o at
o aneoradouro, mas como nio hoavesse signsl de
estar i vista, foi desembarcar em Lisboa.
NO Taja
Eram 9 horas da noite quando o paquete fun-
deou no Tejo.
Ht da seguate pela manhi, o principe D. Car-
los e ana eapoea forana a bordo eampnmentar
Saas Magostadas. Poram igaalmeate para o
mesan fim o presidente do conseibo da ministros,
o ministro das obras publicas e o ministro de es-
traogeiro*.
O paqaete encheu-se de peraonsgens a visita-
rem os viajantes imperiaes. Ah eativersm os
8rs. Luis Ouiinariea, eaoarregado de negocios,
Porto Alegre, eoosal geral, Beballo, cnsul no
Porto ; nasa eoauaieaio da Soeiedade de Benefi-
cencia Braaileira, conde de Franco, Jos Antonio
de Freitas e Abren e Vasconcelloa, u-n orientalis-
ta qae Saa Uagestade teve a prudencia de por
em contacto com o sea professor de lingaaa mor-
as, o l>r. Sey bol.
Tambem ah esteve Bamalbo Ortigio, que foi
apreseatada a Saa Magaatade por Luis Quima -
raes
Saa Magestade sentid am grande contentamen-
te com a saa prsenos e foi-lbe logo recordando
quando e como o bavia visto da outra ves qae es-
teve em Lisboa, na Academia Beal das Soien
cas
E' verdade, Magestade, dis-lbe Bamalbo Or-
tigao, por sigoal que, quando Vossa Uagestade ia
a entrar pelo meu gabinete de trabalbo, segundos
depois de me anounciarem a sua presenoa, Vossa
Magestade sorprendeu-me em maogas do camisa.
Sua Magestade fallou-lbe depois do sea livro a
Hollando., pelo qual tinba urna grande admiracio,
e accreacearoa :
Era aaaim que eu desejava que escrevegse
um a r-apeito do Brasil, e na) na raio para que
o nio faca. Veja l o que fas. Agora, que eo -
nbece o paia, nao tem desculpa.
Bamalbo Ortigo dase que o Brasil o tinha en-
cantado, e que, tanto quaoto lhe fosse possivel,
havia de faser um trabalbo de observars con-
scieociosa.
A Luis Guimarea, que pela primeira vea vie-
ra do campo, onde se acba convalescer, para
comprimentar a Suas Magestades, dirigi o Im-
perador palavras maito amaveis.
Perguntou Ibe por que nao tss:a mais versos.
O poeta responden que nio os fasia, porque an-
dava moito preoecupado com os deveres de seo
cargo, e porque, antes de tudo, nio quera que a
morte o levasse aioda no seu posto de secre-
tario.
Sua Magestade sorrio-se, deixando perceber
nesae sorriso que a observacio era justa.
Appareceram tambem a bordo, para comprimen-
tar o Imperador, tres membros da directora do
Western Submarino Cable, tres ingleses que no
mesmo da em que chegou o Congo, entraram a
barra de Lisboa no vapor Electro, daquella com-
piobia.
E' urna expedicio que anda visitando aa agen-
ciat dos cabos. Estos tres directores da formida-
vel empresa, em trajes de tourxste, eram de ama
originalidade cmica.
A sabida do paqaete esteva marcada para aa 11
horas da manb.
Desde Au lea Bains se havia determinado qae
Saa Magestade nio desembarcarse em Lisboa, e
aasim se fes.
E' um pas enriosissimo, mas incoaomodo pa-
ra viajar. Agora ji ha diligeneiss de JaSa pora
Jerusaim. Eu aiada fia a viagem a avallo e por
signa! que plaatei urna figueira no oami'nho.
E, rindo com grande satisfazlo, Sua Ji agesta-
de_accresoentava :
Mas alo ha de ter ereacido, porque foi sobre
urnas pedraa ridas.
Fallando a proposito das difficaldadea de viajar,
o pasaageiro oom quem Sua Magettade converaava,
refeno-se a China.
A isao replicn o Imperador :
Nio s.nto nenhum attrativo pela China, nem
mesmo pelos chas; reconbec i que sio muito intelli-
geotes, que tin multas aptides, e al sao moito
Ilustrados, como o actnal miaiatrodaCbina em Pa-
na, com quem estive ; mas, d-sde que em S. Fran-
cisco visitei o bairro chinea, fiquei possuido de iu-
vencivel antipatbia por ellea.
Tesa V. M. rasio. Os oblas inspirara urna
profunda repugnancia, que as suas qualidadea to
gabadas nio conseguem sobrepujar. Trabalbaw,
mas sio refractarios a toda civilisacio moderna ;
produxem, mas nio consomem; vi vem, mas nio
coa vi vem. Sio de am egosmo atros; para ellea
so ba urna civUisaoio, ama patria e urna religio :
a ana.
Sua Magestade manifestou igualmente desejos
de visitar a Bepublica Argentina, tendj-lhe sido
muitissimo agradavel saber com que cordialidade
ella recebera a commissSo da imprensa fluminense.
E a esse proposito j Saa Uagestade tinba at
delineado nm plano de viagem, qaerendo mostrar
com essa viagem que nio est doente, como se es-
palhoa.
Suas Magestades recolhiam-se aos sena aposen-
tos regularmente a 9 horas da noite.
O Imperador demorava-se, portn, algumas noi
tes at s 10, quando se fasia msica a bordo.
Alguna passageiros organisavam pequeos concer-
t*, tocando ao piano e cantando. S. M. o Impe-
rador nio faltava a nenhom.
Outras noites am para a tolda una guitarristas
aragoneses, que emigravam para o Bio da Prata,
e ahi tocavam admiravelmente jota aragonezat,
polkis e valsas. As noites eram de lu-r. E as
serenatas prJongavam-ae por veses al 10
horas.
A oaosae do Imperador estava collocada no oarri
da tnfanti, oceupando dous camarotes. Era Vasta
e.ari-jada.
A mobilia compnoha-se de urna grande cama,
um toilet. fautuils, cadeiraa e urna mesa de tra-
balbo. mobilia esta pertencente a Sua Magestade.
Em seguida estava c. Locada a cabine da Impera-
tris as mesmas coodi(des de conforcavel, e com-
municando entre ellas.
Toda a illuminacio do paquete lus elctrica,
haveodo em todcs os camarotes tambem campai-
nhas elctricas para chamar os criadoa
A chegada a Dakar assignalou se, como eos
turne, por um calor verdaderamente senegambia-
no. O paquete entrn de manh e sahio s 2 ho-
ras da tarde.
O Imperador conservoa-se a bordo, sobre a tolda,
asaistindo ao espectculo dos pretos e dos brancos,
estes atirando de bordo moeias de 50 cntimos e
de um tranco agua, e aqaelles mergulhand para
as apanhar. E, como se sonbeasem qus tinham
de entreter por algumas horas viajantes de alta
estirpe, os pretos e as canoas appareceram n'uma
quhntidade raras veses all vista.
O commandante do paquete receben nessa occa-
ao am telegramma de Pernambaco, em que o
principe D. Angosto moatrava desej que o Congo
se -approximasse, na sua passagem, nm ponoo da
- in id juur ae moa rev
A quel foi ennemi dois-je criar : que
Qa'ai ja faire aujour d'hui, poisque
vwot aoot 18e8
A propoi
Aprs demain au jour nona aeros pri de torre,
Devant nous tendu, le grand Gant de pierre
Semblera reposar sor d'imsaobilea eaox
Sa tete Gavia dirige lea vais.eaux,
?l'to. ,D de 8acre.nn s- L entra, et firement de son pie la domine.
n jrar f ce genie il arriva qu'oa Boi,
Jean VI, osa criar : Eh I Gant, lve-toi 1
Mais lui str destina continua son rev.
Et si vons lui cries, vous aoasi, qo'il se fre.
II repondr: Pourqaoi troubles-vousmonsomnml?
IJ o of pes arriv le jour de non reveil.
vivel
pulique Djb Po-
dro*rrive^
NJo aoffreu o animo a Sua Magestade que nSo
traduaiase logo esses versos, muito ao correr da
penna :
Doia, dias mais, e ao daroar, perto do continente,
tatenoideitadoo ptreo gigante iogeate
Sobre a agua tranquilla estar a descansar.
Sua caneca, a Gavea, as nns a encaminhar,
Seus pea, o -Pi de ssucar, massa que assignala
A entrada, e com o pico altivo a avasaalla.
Outr'ura a esae genio nm rei, ao seu cb-gar,
Joo VI ouson dizer : gigante, levantar I
Mas certo do futuro, o sen sonho constante.
E se lhe gritaratambem que se levante...
Besponder : Por qae mu somno perturbar ?
Anda nio chegou o dia de acordar..
A que lonco ioimigo grite en : quem vem l ? !
Qae tenho inda a_faser ?... Dom Pedro chegar.
Estas traduccoes, os saraos, as matinies e os
concertoa de guitarras eram para Sua Magestade
a melbor das distraeoS.-s, e que cortavam largo na
monotona da helic- repercutindo ausouvidos como
qae a pancada de urna pndula em horas silencio
sas da noite.
A's 3 horas da madrugada de hontem 22 o Congo
paaeoa por Cabo Fro. A bordo nm grande ailen
eio. Todos dormiam. Fiaeram so oa aignaea para
o pharol, e o paquete con tinan, no sea eaminho.
Dobrado Cabo Fri, subiram ao ar foguetes, em
algumas povoacSes da costa.
Foram estas as prioteiras saudaooea aos augus-
tos viajantes em trras da patria.
INTERIOR
Correspondencias do DiarJo de
l'cruaiulMico
exame da commiraSo nio so a plano do Ulsutrado
ministro, como as emendas e additivo aprsente
dos pelos depatadoi. Poi o que se fes naquelie
da e era por isso que ao* redor da mesa da com-
missio aggrnparam-se todoa os denotados ioteres-
aados na solacio dos grandes problemas da naci,
da imigraoSo e de todoa os outros que' intereasam
o progreso material e econmico do pas.
Das conferenciad celebradas pelo 8r. ministro
da agricultura com a commissio do oroamento, em
relacio nio s a emendas offorecidas por varios
membros das diferentes deputacs, como tambem
em relacio as ideas expendidas pelo mesmo minia -
tro aa sessio de 7 do corrate resol toa o accordo
eoostaate de urna lenga serie de additivos que f
ram publicados no dia 19 pelo Diaria do Parla-
mento,
Na sessie do dia 20 antes da discussio da ordem'
do dia travou-se estre as Srs. Bario de Geremoabo
eElpidij de Mesquita, deputadoi habanos, vehemen-
te discussio a proposito de phrases intercaladas
por este em discurso proferido na sesaSo do dia 7,
por oecasiao de disentir-seo oroamento da agricul-
tura'. Tuda a cmara, sem distineco de cor pol-
tica, parece ter dado raaio ao Sr. Baria de Gere-
moabo e o Sr. Elpidio de Mesquita deve ter pas-
Mde aa mo amorto de hora. Bis como o Novi-
dadei, org j vrspectino, narra o incidente parla -
mentar boje occorrido e cumpre diser que a ana
verso nio difiere substancialmente da Gazeta da
Tarde:
O Sr. Elpidio Mesquita, deputado pela Babia
foi hoje iaterpellado pelo Sr. Bario de Geremoabo,
ja oroposito da phrase trapacas.do Sr. Bardo de
Cotegipe, que aquelle Sr. nao proferio e appareceu
ao e-a discurso.
Exhibidas aa notas tachigraphieaa l nio se
achou a parede suspeita.
Toda a cmara, governistas e opposicionislas
protestaram contra o Sr Mesquita que se vio s,
sem um apoio aiquer, a debater-se n'am mar de
de palavras doblas.
Intilmente appellou o deputado bahiaoo para o
testemunho dos sena collegas; estes declara vam
todos que nio onviram semelhante phrase e que,
ae a ouviasem protestaran! logo.
Resultado : o Sr. Mesquita passou hoje o peior
quarto de hora qae se pode imaginar.
Suspenden-se a sessio declarando o Sr. presi
dente que a phraae seria retirada.
Abstenho-sne de quaesquer consideracoea sobre o
facto porque elle por sua propria naturesa est
condemnado.
O jov-m duputado com o estranhavel procedi-
mento que teve faltn duaa veses ao decoro devido
ao parlamento e a si proprio, iuteroal lando no sen
diacurso phrases qae nio proferir na Cmara e
usando de expresando abs ilutrseme improprias do
augusto reciato da representacio nacional. E'
abusar das immuaidades parlamentares, e prera-
lecer-se deltas para fim to reprovavel.
RIO DE JANEIRO.Cobte, 20 de Agoste
de 1888
Mas isto nio impedia qae Saa Magestade dei-1 costa de Pernambodo, afm de ir n'nm vapor faser
EXTERIOR
A viagem imperial
[Gazeta de Noticias da corte)
A PARTIDA
Os distinctos profesaorea Semmola e Charcot
Konkam-se em Aix-les-Baios poucos dias antes
a partida de Suas Magestades, no intuito de se
eapedir do seo Ilustre doente e de lhe agradecer
aa gr-eruses com que foram distinguidos.
O Dr. Semmola, fetas as despedidas, voltou
ra aples; mas o Dr. Chircot acompanhou
a Magestade at a bordo do paquete Congo, em
Poaillac.
A viagem foi feita em trem expresa o por Lvon
Limoges, durante a noite, por assim melhor con-
tt sade da- Sua MageaAde.
S. M. a Imperatns, segniado dias depois por
Mtra linha, foi a Lourdes visitar o santuario, che
Endo a Bordeaux no mesmo dia em qae chegou o
iperador.
Ahi se reuni igualmente a Sua Magestade o
jriactpe D. Pedro, vindo de Pars e Londres.
Acompanhou a Sua Altesa o Sr. Danbre, do
instituto, que ex preso a mente foi despedir-ae do Im
parador, em sen nome e em nome do Instituto.
Antes de partir de Aix, Sua Magestade dirigir
i Academia daa Sciencias aa suas despedidas, por
intermedio da sen collega Danbre. A carta disia
Senhor.Antea da minha partida para o Bra-
sil, faeo-lhe as minha despedidas.
Peoo-lhe qae me sirva de interprete junto da
Academia das Scienaias. Dirija aos mens con-
frades um adeua, assegurando-os do felis resultado
ia aainha visgem, que me permittir prestar
anda longos servicoa so meu pas e ao desenvol
ento que aa seieacias oontinnam a tomar all,
o-lhe que tranamitta os meus comprimentos
i aossoa confrades da Academia e qae me crea
apre sen oonfrade afteieoadoD. Pedro de Al
mmiara.
Tanto S. M. a Imperatns como S. M. o Impera-
dor foram recebidos em Bordeaux pelas autori-
dades d'essa cidade, e por mu toa asombros da
colonia brasileira e alguns personageas do corpo
diplomtico e consular, na Europa, qae all foram
para esae fim.
Suas Magestades hospedaram-se 'no Hotel de
Prance, onde ae achava tremolando a bandeird
fcraaileira, sendo acempanbados at ahi pelaa auto-
ridades da ci iade, que os haviam ido esperar.
S. M. o Imperador nio sentio a menor fadiga na
viagem, e p*la tarde a'ease dia, em uompanhia de
8. M. a Imperatns, foi de carruagem a Manque-
fort visitar a esplendida propriedade do Sr. Hga-
aeao, vice cnsul do Brasil, ende se demoraram.
No dia eeguinte de manb, Suas Magestades
aaviram missa na igreja de Notre Dame e de J
airigiram se logo para o casa, onde os esperava
aaa vapor, que a companbia Gironde-et-Garonne
Es saa diapesicio, para deseerem o rio at Poai*
>, sfim de embarcar no Conoe, ahi ancorado.
Acompanbaram a Saas Magestades, entie maP
toa oatros, os bardes de aboia, do Penado, de
Arinca e do Bio Branco, consol do Brasil em Loa
dres,' o Dr. Cbarcot e De-Martioo, o distincto pin-
tor de marinbas, qae ha muitos annos habita Lon-
dres e que foi especialmente despedir-se dos o-
aarchis brasileiros.
Na despedida entre o Conde da Motta Maia e o
Dr. Charcot, este assistio com o seu collega em
algumas das recommendaooes que j loe tinba
Jeito a respeito da tranqulidade absomta qae Sua
Magestade precisa ter para conservar (odas aa
elboraa adquiridas at agora, e para qae a con-
valescenca nio aeja perturbada de modo algum.
Na sua opiniio, Saa Magestade nio deve aioda,
por auito tempo, oceupar-ae dos negocios do Es-
0 Dr. Cbarcot declarou na Academia, certo,
ajue Sua Magestade achava-ae completamente rea
tabelecido, e parece que dea idetica declaradlo
Ceacripto ao Sr. Visconde da Motta Maia; mas
nio implicava, ao que parece, urna aba iluta
aonfianoa nVaae reatabelecimento, ae' ama tran-
ajaillidade completa e prolongada nio fosse pres-
aripta a Sua Magestade, para que se conseguase,
aeoio nma cura radical, pelo menos urna existencia
prolongada.
O paquete sabio de Poaillac s 5 horas da tarde.
Orna vea transporta a' barra, o paquete faiia
grandes movimentos de roulis. O mar estava um
bouco agitado. Soaa Magestades, porm alo en-
jnurml indo deitar-se maito cedo.
Dobrado o eabo de Pioisterrs, o mar tornou-se
aito calmo, e o paquete, fasendo 13 1/2 miihas
por horas, cjnsegnio entrar em Lisboa com 60
aeras de visgem, isto 10 horas menos do qae
aaa viagem regulares, segundo lhe presoripte
i pelo aovo antracto oom e govenw fraooes.
xasae de se lembrar da praca da Figueira, onde,
quando desembarcava em Lisboa, costumava ir
admirar os magnficos exemplares de fructas que a
ta Vicencia tiaha em exposieio
E Sua Magestade tinba pela pobre velha, j
fallecida, urna certa sympathia, porque de urna
vea lhe contara que all meamo fra muitaa veses
o pai de Sua Magestade comprar-lhe tructas.
Do estebelecimento que fra da ta Vicencia,
porm, vieram para Saas Magestades acafates de
primorosas fructas, offerecidas por um distincto
membro da colonia braaileira, e innmeros rama-
lhetes de fhres.
Sua Altesa o Principe D. Pedro receben tam-
bem um presente.
Foi a gri-crus da ordem da Torre e Espada,
Valor, Lealdade e Mrito, com o respectivo collar
e demais insignias.
Para a Princesa Begente tambem embarcoa um
valioso presente E' a celebre Boaa, que lha foi concedida pelo
Papa, por accaaiio da libertoeio dea escravos.
A Bosa mais propriameate fallando, urna ro-
seira, toda de ouro, em que ha urnas dose rosas e
alguns botes. Est collocada n'om vaao de ar-
tstico valor, de prata doorada, e esse vaao eollo-
cado sobre um pedestal de prata dourada igual-
mente. No tronco da roseira ha a data13 de
Maio de 1888. E' a terceira qae o actual Papa
concade.
Devia acompanhar esta riquissima offereuda um
carde! com grande squito, segando-os usos ad-
mittidos em taes casos, mas tal oatentacio costa-
ra grandes sommaa para urna viagem America,
e o danto Padre achou por melbor commetter essa
missio ao Sr. Soasa Correia, nosso ex-embaixadoj
junto ao Vaticano, e actualmente nosso ministro
nos Estados-Unidos.
Por este motivo e no goso de liceoca, a conae-
Iheiro Souaa Correia emOarcoaem Lisboa, no Congo.
Devemos, porm, diser, em abono da verdade,
que S. Exc nio receben as honras de cardeal, em
Dora venha exercendo urna missier que costme
ser commettida a tio elevado cargo sacerdotal, e
que o precioso objeeto confiado sus guarda ser
entregue ao internuncio de Sna Santdade, para
mais tarde, em solemnidade religiosa, oa capella
imperial, ser deposto as mios de S. A. I. a Begente.
A TEA VMS IA
A's 2 horas da tarde o Congo sahio a barra de
Lisboa, tendo no tope do mas tro g ande a bandei-
ra braaileira. Ao paaaar pelos aavioa de guerra
portugueses, a marinhagem destes sabia as vergas
e a Torre de Belm dava as salvas do estylo.
0 mar estava calmo. A' mesa do commiodante,
em qae se sentavam os imperiaes viajantes e sna
comitiva, foi sentarse igualmente o conselheiro
Sonsa Correia, mandado convidar pelo Imperador,
quando chegou a hora de janear.
Aa mesas estavam completamente cneias, salvo
alguns insignificantes claros, dos que enjoam mes-
mo n'um lago tranquillo.
O servioo da mesa imperial era juatameote o
meamo da mesa dos demais paasageiroa.
Abordo nenhama dstioccio, a nio serem as at-
tencoes de cortesa maito respeitosas para com
Saas Magestades.
A Imperatna paaaava oa diaa sentada n'uma ca-
deira junto pjrta do camarote do commanJante,
camarote que foi transformado n'um aalio, ainge-
lamente mobiliado, para nso de Saas Magestadea.
O Imperador paaaeiava muito, ora sobre o convs,
ora sobre a tolda, de braco com o Sr. conde da
Motta Maia oa do Sr. conde de Mioac, e s veaes
passeiava de braco dado com ambos.
Outras veses sentava-e na tolda com o Dr. Sey-
bol ao lado, que Ibe ia lendo trechos de jornaes ou
de livroa, quasi sempre alegres eameaos.
Outras veses anda, aproximava-ae de algons
paasagriros em tiie-a-tite e senta um grande pra-
aer em conversar, com a liberdade de simples paa-
oa aens comprimentos a seus augustos avs.
Fcil comprebender qae este desejo nio podia
ser satisfeto, porque nio tiaha o commandante
autoridade para alterar a derrota.
O Imperador recebeu em Dakar jornaes do Bio,
e, como nio lhe era permittido ler, o distincto Sr.
Souza Cirreia lia todos os dias u Suas Magesta-
des, sobre a tolda, dorante urna ou doas horas, as
noticiaa e os debatea daa camaraa. Maltas.veses
a estas leituras seguia-se a leitara do protessor
Seybol.
Ao meio dia, logo depois da observacio do aol e
de determinada a posicio do navio, o commandan
te levava a carta martima a Sua Magestade, onde
se achava mareada essa posicio. Sua Magestade
examinava-a longo tempo.
Na latitude da Serra Leipoi ata negree,
como lhe chamava o commandanteem vea de te
encontrarem aa calmaras podres to comamos all,
reinava um vento rijo do s'ul, acompanhado de
aguaeeiroa e de mar cavado.
Os passageiros rarearam as mesaa de jantar,
mas Suas Magestades e o priaeipe D. Pedro nao
faltaram nma nica vez.
O Imperador andava inquieto, approximacio
do eqnador, por ver o ernaeiro. E o commandante,
de viga, j espretava o momento de o descobrir.
Quando chegou esse momento, at Sua Magestade
a Imperatns, que nanea sabia da sua oadeira, foi
amurada de bomboido vel-o .
E, verdade, verdade, bouve urna manifestacio
de alegra, tio disfarcada, na physionomia de
Suas Magestadea, como se aquellas estrellas, an-
da pallidas e quasi sumidas n horisonte. Ibes le-
vassem reeordacoes do Brasil.
Na latitude de Pernambaco appareceu s 3 ho-
ras da madrugada am vapor. Na supposicio de
que pudesse ser o navio em que estivesae o princi-
pe D. Angosto, foram Ibe feitos Biguaes com fogue-
tes e fogos de "Bengala, andando o paquete a meia
torca. De bordo desee vapor respondern) com
idnticas signaes, mas nio se pode ter a cortesa
absoluta se seria ou nio com effoito o navio que se
suppunha ser.
No dia seguinte Sua Magestade, o priaeipe D.
Pedro e toda a comitiva, aos quaes se reuniram
tambem o Si Sousa Correia e o commandante, ti
raram um grupo pbotographico, tal qual coatuma-
vam estar sentados na amurada do paquete.
Era o photographo um passageiro de terceira
classe. All, proa, entre os dusentos e tantos
emigrantes que iam para Bueuos-Ayres, havia de
tudo. J tinham fornecido os guitarristas, e agora
foraeceram o photographo. At enancas fornece-
ram. Naaceram tres durante a viagem.
Tiraram-se depois outres grupos da officialidade
de bordo e dos passageiros.
Bodolpho Beroardelli, com urna peqnenina ma-
china photographiea escondida debaixo do oollete,
tirava tambem os retratos instantneos de muitos
passageires, sem que ellea se apercebessem d'isso.
E isto fasia elle aos que nio lhe davam tempo para
lbea apaohar a caricatura, de qne rennio aioda
aaaim boa collecoio, e qual o Imperador deven
alguns momentos de bom bnmor.
Por essa cccaaiio o Imperador offerece'd ao com-
mandante o sea retrato, asaignado com a referen-
ciamemore de l'Aeademie des Sciences.
O commandante do Congo, que, alm da ana
convivencia com Neptano, tambem parece convi-
ver com as Musas, aaaim qae pos, ao meio dia, o
sextante de lado, depois de observar sol, olbou
de oovo para os cus, mas j com outro intento, e
arrancn de l estes alexaadrinos, para agradecer
Summamiu : Volts do imperador. Preoccupacao
do espirito publico. Conjectnras e
incertezas. Preparativos das fes
tas. Commissdes da Cmara e do
Senado. Sueto parlamentar. Aa
sessoes dos nltimoa dial.Incidente
deeagradavel.Oroamento da agn-
culturi.Trabalho na commissio.
Eleicio de S. Paulo e a iademni-
sbco.Refirma do Collego Pedro
II.Beduccio doa frotes. Iuicia
tiva do Sr. A. Prado.
O prximo regresa) do imperador, j a preoecu-
pacio goral de todoa os espirites. Polticos e in-
dustriaos, estadistas e horneas do povo, todas as
classes manileatam grande e intoaaa anciedade e
fasem sea respeito as maia encontradas coojectu-
rB. Movidos por motivos ou intuitos differentes,
todos entretanto se mostram desejosos pela reali-
eacio do facto qae se aanuacia para o dia 22.
A volt* do velho mooarcha am dos soberanos de
mais Tingo reinado em nosso seclo, depois da sua
penosa viagem e da cruel entermidade qae o tem
lio atrozmente perseguido, o aesumpto obrigado
de todas as cogitacoes e de todas aa conversas.
Talvea por effeito deate estado de ioquietacio e
de duvida, a vida parlamentar destes ltimos dias
tem-se resentido de urna certa atona.
Varias versos correm sobre o eatado da saude
de S. M. o imperador e no meio das incertezas que
a este respeito parece reinar em todas as regies,
preferimos esperar pelos acouteiiimeotos, aguardar
a ebegada do imperador, para depois aonunciar
oom seguraooa nm juiao a respeito de tacto tio
melindroso. Parece.noa isto mais prudente do
qne aventurar propoeicoea para coja affirmaeao
carecemos de base, de dados insuspeitos e autori-
zados. O que entretanto parece poder ser afir-
mado que o imperador nao vem bom.
Oa preparativos do paco de S. Cbristovio e da
residencia imperial em Petropolis, a noticia de
que elle desembarcar ora no caes Lajoax ora no
Arsenal de Mariuba, o telegramma do Sr. conde
da Motta Maia recommendando que nio fatigasse
o augusto viajante com demoradas recepooes, o
facto de nio ter o paquete tocado nos portos da
escala, de nio terem saas magestades desembar-
cado em Lisboa e sobretodo a rpida reaoluco de
voltar ao imperio quando se disia que a convales-
cenca se coasolidava, todo isto approximado, e
analysado tem dado lagar a nm sem numero de
commeotarios. Demais a imaginacio popular
sempre propensa para dar maior vulto aos aoon-
lectmeotos tem concorrido em boa parte para dar
SddlTuXt^Ll'jobUo P"1" "pWoaa ehe-
gada do augusto ebefe d0 Batallo. Todo rivali-
savam por demonstrar L L j
naci, de volta a patria eK,r0in8gi8tr*d0 f
langa'e cruel m^S^LV^^ dep".,f*
Jf? c,a,nPr,.a,l?i minuoioaamento
todos os f actos, pnacipaes e accidentas, aaeriv
ram lagar por oeeaaiio da ebegada de SS MM
Imperiaes. A imprensa fluminense deilea se oe
capen detalhademente e de modo a aatiafaaer aos
mais exigentes e a honrar o sea eervici de repor-
tagem. De todas os orgios do nosso jornaliaoM
cumpre eotretanto aalienter a Gazeta de Noticias
cojas informacoes nos parecem as mais copiosas'
oompletaa e fidedignas. Para o nosso intuito, na-
turalmente limitado, baata-nos aasignalar o facto
einbora sem demorarmo-nos na descripoio dos
seus detalbes, de anas variadsimas aceas e das
mltiplas impreasoea qae ellas necessariameate
produsem. E' innegavel que o dia 22 de Agosto
de 1888 ficar aasigoalado na historia do segundo
remado como um dos seus dias mais brilbaotes. de
maior signisaoio poltica e social.
A paasagem dos imperantes pelo centro da ci-
dade, desde o arsenal de marinba onde se effec-
tuou o desembarque at o paco de 8 Christovio
foi nm verdadeiro trinnipho. Os augustos sobe-
ranos eram recebidos pela popolaoio que ae api-
nhava na sua paasagem, com as mais frenticas e
entbuaiasticas acclama95es. Flores, vivas, fogos.
arcos tnumphaes. msicas, nada falten para so-
lemnisar o deaejado acootecimento mas no mea
de todas estas manifestases exteriores o que mais
sobreaahia, coocorrendo para augmentar-lbea o
valor e a significacio era o ver se que em todas
aquellas maniiestaees tranaluzia a alma popalar
com as sa&s justas expanses, todo aqaillo era na-
tural, espontaneo e de tudo se tinha banido a con- .
venci e o artificio. #
A homenagem prestada ao velho monarcha e a
ana virtuosa consorte foi das mais expandidas e
significativas e isto mesmo foi reconbeeido pela
imprensa em todas as suas nuances.
A recepcio dos augustos viajantes foi nma ver-
dadera ovaeio, quasi ama apotheoae e era fcil
de perceber em todos os semblantes a alegra o
contentamente produaido pela sua volta ao seio da
patria.
Parece que o respeito e admiracio que todos
tributara ao Imperador ainds mais ae augmenten
depois das ternveis heaitacoea e incerteaas produ-
zidaa no eaointo publico pela pertinaz enfermida-
de qae o affl gio de modo quasi deseaperador para
su prec.osa existencia. No sea loogo reinado, o
Sr. U.Pedro II tem cortamente pocas memora-
veis, das notaves, acontecimentos dignos de mea-
cao hiatonca, nenhum porm fallar mais alto ao
sen coraco, ao seu sentimento do qne aquelle em
inteiro de bracos abertos para recebel-o, sentio
ao Imperador o sea retrat*.
' A' Saa Magnatade D. Pedro II, qui a dalgn
aigner aun protraitmembre de l'Aeademie des
Sciences.
L premier sur le tron il placa la acience ;
[la *PB nnKlfit HaH.lna rirrlan- UImihI..:__.
sageiro, recordando sempre com nma grande fac- ,e8.n0D|Bs desseins rglant 1 impatience,
lidade de memoria acontecimentos qae se deram a Dri** aM *er8 et ae 80n Penp'e heureax
, II foade savamment l'avenir lumineux.
. que se deram
em todo o decurso da sna mocidade.
Ao ataque qae teve ltimamente em Milio, cha-
mava Sua Magestade urna macacoa, parecendo
nio Ibe ter dado grande importancia. Diaia echar-
se agora completamente bem, e sentir ae bem, nio
seffrendo o menor incommodo.
D ama ves que o j notavel escultor Beroar-
delli, tambem passageiro, (be perguntou se ia me-
ihor, Sua Magestade replicn logo, cheio de con-
venc ment e entre-sorna do : _
Melher... melhor... nio senhor... nio es-
toa melhor, estou Completamente bom
En mer, 19 aout.
(Congo).
MORIAU.
De da para da, a bordo, conheca-se que as Gr.lhoes quebrou, e do povo ditoso,
laa firnua ann.aanljoom a rana n At\ r\>a^n.-> r, i e 1_ +T
Sua Magestade dignou-se eotio fsser a tradc-
elo.
O Coayo, transformou.se por momentos n'uma
Arcadia.
Primeiro sobre o tbrono asseoteu a ciencia i
De seus nobres dasignioa regrando a impaciencia,
suas foroas augiaentavam e qae o ar do ooeano o
tooificava. Tiaha ama certa alegra pbysiooomioa
e nm rosado das faces, qae parecam estar a des-
meutir a terrivel criae porque acabara de paaaar.
Gostava, sobre todo, de fallar de viageos.
J tenho estado na America, na Europa, na
Aaia e na frica. Agora o qae ea tenho grandes
desejos de ver a Australia, e nio tardar maito
qae emprebenda eaaa viagem, diaia o Imperador
dirigindo-se a um passageiro que tambem havia
viajado bastante.
E' verdade, um pas intereasante, princi-
palmente para quem fdr caoador. As labres all sio
agora ama praga, como a doa gafanhotoa no figypte
Nio-, nio irei cacar, diaae o Imperadora rir
porqua acho a eaea oa goso intil, embora j ti-
vesse encalo na miaba infancia Maito atslhor
ter am bom livro para lar, ou boas companoeiros
para ci n versar.
J estove na Palestina foatinuou o Imperador.
Nio, Magestade.
um
Sabio, fuoda o futuro luminoso.
Congo, 19 de Agosto.
D. Pedio db Alcntara.
Esta tradcelo foi escripta a lapis sobre
envellope, sendo o commandante Moreau o poa
suidor de talaatographo.
Na penltima noite da chegada, organisou-8e um
sarao a bordo. .
Fea-se msica o recitaram-se monologas e ver-
Tomaram parte nells senhoras brasileras, por
taguezaa e umaa artistas francesas fia ampara
Buenos-Ayres. AssistirasaSuas dageNadei e Sua
Altesa o principe D. Pedro.
A festa foi em beneficio da Soci de sauve age
a produziu 430 francos.
Foi lida orna poesa offereoida ao imperador.
O eommandaote Moreau continaava asa intimo
convivio oom as Musas.

volta do imperador ama significaos o desasada,
extraordinaria e qae em nada se pode comparar
aos factos idnticos por occasiio das 'outras va
gens do monarcha brasileiro.
Os propnos festejos, que se eato preparando,
reseotem-se desta incerteza, deata hesitaeio que
paira em todos os espirites sobre o estado real do
illustre ebefe do estado. O pnprio Jornal do
Commereio, alias sempre cauteloso reservado,
chamou o anda bem poneos das de augusto en-
fermo e oa outros orgios da imprensa fluminense
denunciara as mesmas fristes apprehensde*. Vira
o imperador enfermo ? Imposaibilitado de assu-
mir a direcci dos negocios pblicos ? Continua
ri o periodo regencial, por especial autorisacio
do parlamento? Sio interrogaedes que s o
acontecimentos que se acbam immioentes se en
carregario de responder. Nio obstante a duvida
cruel que lavra em todos os eqpiritos sobre a sau-
de do augusto monarcha eontiveram os prepara-
tivos pura testas, anda qae sem grande entba
siasmo.
A eninde commissio central e as diversas com-
missoes parciaes tem tomado varias deiiberacoes
para atlemnisar o desejado evento. Varias cor-
poracoea scientificas, humanitarias, artistieas e re-
ligiosas nomearam commissdes do sen seio para
saadar na au. chegada os imperantes. O ejerci-
to e a armada, o officialismo, o commereio e a in-
dustria todas as classes acbam se mais ou meaos
empeobadas em demonstrar ao soberano e sua vir-
tuosa consorte o respeito e veneraco que lhe tri-
butan) E' pena que no meio de tantas deanons-
traces de regoaiju que se preparam urna oavem
de tristesa ae interponha para annuviar o brilh-
das testas e a alegra dos espirites, ao ver restio
tuido ao solo da patria o primeiro magistrado da
naci e aua veneranda esposa.
A Cmara dos Depotados na sessio de boje (SO)
e o Senado na sesso do dist 18 delegsraat com
missoea do sen seio para reeeber e anudar suas
magpaiadva imperiaea no dia do aaa raguasu pa-
tria commum, de qae sio representantes.
Sio muito escassos os factosparlamentares des-
tes nltimoa das. Ha moito poaco qae respigar
nesta aeara, entretanto procuraremos notar o qae
se nos affigura de mais sigoificacio e valor.
A Cmara quasi nio t-m tuaecionado ; apenas
reuni se e eelebron seasio nos dias 14 e 20. No
dia 14 foram votados, sem discussioprojeetos sem
importancia, quasi todo versando sobre assumptos
de interesse particular. Achava-ae neato da em
discussio o projecto do Sr. Ferreira Vianoa sobre
repressio da ocioaidade e sobre o a|ual anterior-
mente havia dado parecer a commissio de consti-
tuios e legislacio, sendo relator o illostrads de-
putado panliata o Sr. Almeida N goeira, este pro-
jecto foi corem retirado da ordem do dia a reqaeri-
avent do leader da minora liberal o Sr. Maciel.
O motivo qae juatificou a retirada foi a neeeaaida-
de de serouvida a commissio de (aseada por se
tratar de aasumpto qae da respito a augmento de
despeza, cont rme preceitua o regiment.
Nio foi porem intil este dia para os negocios
pubtioos, Embora a sessio da cmara nio offj-
recesse grande interessi nio pode elle ser coosi-
perado da infausto as epbemerides parlamenta-
res. Todo o interesas do sessio concentrou se na
sala da commissio de oroamento, onde os deonta-
dos, quasi toda a cmara, o illustre ministro da
agricultura e os membros da eommissio, discut-
ram com certo calor e animaoio o oroameoto do
Ministerio da Agricultura. Como se sabe depois
do monumental diacaro proferido na sessio de 7
pelo illastre senador A. Prado, foi# a discussio
daqoelle oroamento adiada para serem sujeitas ao
e calorosas observaeoes do hoorado Sr. Bario d
Geremoabo, e abena de novo a sessio que havia
sido suspensa comeeoa o debate do oretmeato da
despeza do Ministerio da Paseada, acbaodo-se pre-
sente o illastre presidente do conselho, j restaba-
lucido da ligeira enfermidade qae ha dias o accom-
mettera. B mpeu o debate o Sr. L mreoco de Al
buquerque que anda desta vea nio destoou dos
seus precedentes de orador parlamentar, um pouco
fro na .tribea mas sempre correcto e argamea
tador.
Passando-se a outra parte da ordem do dia con-
tinuou o debate do oreamente da agricoltars, ca-
beodo a palavra ao Sr. Lteerd* Werneck, deputa-
do fluminense e membro da dissidencia conserva-
dora.
O Senado foaeeionon apenas nos dias 14, 18 e
20. Na cmara vitalicia nio obstante abarmo-
noe quasi nos ultioacs diaa da presente sessio, an-
da nio f ii votado em 3* discusaio, nm s oroamen-
to. E' fcil de imaginar oe inconvenientes que
deste facto naturalmente resultara Isto forca a
prorogacao da sessi > alm do praae conatitucional,
porque o paia nio pode ficar privado daa suas lea
de meios, de suas leis annuas, o que seria entrar
no rgimen de dictadura tio contrario ao nosso aya-
thema de eoverno.
No dia 14 depois de ter oovido doas diacarsoa do
Sr. Pereirs da Silva, contra, e Viseonde Ouro Pre-
te, a favor, o Senado votou finalmente em ultima
discussio o projecto sobre bancos de emissi >, que
teve 23 votos a favor e 3 contra. Este projecto foi
remettido a Cmara e de crer que opportuaa-
mento entre na ordem dos trabalhos.
Neata meama seasio discatindo-se o oicamento
da jostioa proferio o digno ministro nm importante
discurso em respssta aos Srs. Silveira Martius e
Lima Daarte.
Na eessio do dia 18 foi encerrada a 2* discusaio
do oroamento da jostioa, tenio antes o Sr. F. Be-
lisario proferido um discurso notavel pelo hamoria-
mo de qae est saturado. Deixando o seu assamp-
to de predileccio, finanoas, o hoorado senador flu
mnense qais revelar mais este aspecto do sea re-
conbeeido talento. Como arma de opposicio o sea
discarao nio podia deixar de prodosir algum effsi-
to e a jalgar pelo qae ouvirms de um velho seca-
dor (porque l tambsm os ha mocos, nio obstante
o rubieon das 40) as satyras e epigrammas, as iro-
nas e sarcasmos translasiam na phrase e no gesto
e a serenidade olympica do grande areopago, foi
por vesea perturbada pela troca opposieionista do
ei-miniutro de 20 de Agosto.
Na sesso do dia 20 comeoou a discussio do or-
oamento do Ministerio de Estrangeiros, iniciando o
debate o Sr. Dantas, qae entre oatros i ssamptos
occapoa-se da reorganisocio do corpo diplomtico
brasileiro.
A eleicio senatorial a que ltimamente se pro-
ceden na provincia de S. Paulo vei dar anda mais
forja e cercar de mais prestigio a poltica do go-
verno.
O Sr. ministro de estrangeiros teve ama votaco
brilbante qae o distanciou muito dos adversarios
tanto manarobicos como republicanos.
O Ilustrado jornalista e ex-depntado geral o Sr.
Joto Meodes qae se apresentoa as urnas com a
baodeira da indemnisacio foi derrotado conseguin-
do apenas reunir em torno de seu laureado nome
cerca de 2,500 suffragios. Este facto significa
tivo.
Fallase em urna prxima reforma do Imperial
Collegio Pedro II.
A este raapeito j foi ouvida a congregacSo d'a-
qaelle eatebetecimente de ensino e foram fermola-
dos no vos programmas. Parece-me qae a necessi-
dada da reforma geralmente sentida. Praaa aos
ceos que ella seja effectuads, melhorando effecti-
vamente as eoodicoea materiaea e acientiGcas d'-
quella instituico que deve servir de modelo as
congeneres que existem no paia. Agualdamos a
promettida reforma para sobre ella externar, a ~vol
d'oiseau, as nossaa impresses.
O Sr. conselheiro A. Prado tem se revelado mi-
nistro trabalbador, activo e seriamente enpeohado
em melborar os servio jb qae correm por saa pasta.
Depois de ter providenciado no sentido de obter
a redcelo das tarifas das vias-ferreaa, tomou a
iniciativa de conseguir a reducoio nos precos dos
transportes por vi fluvial ou martima.
wn[. T.jjmpn n 07 j i sua Bignificaeio moral e.humanitariBf pelo seu VA-
RIO DE JANEIROCORTE, 27 de AgOS- Jor social e econmico e basta elle para que ella
to de 1888
SnfMAlio :Chegada do ImperadorFestaa popo
laresMaternidade S. IsabelO ul-
timo periodo regencial Saude do
Imperador Influencia da volta do
Imperador sobre a direccio poltica
do paiaBoatos de reopmpoaicio mi
HistorialOiscussea na (jamara e no
SenadoEiiguidade dos ltimos tra-
balhos parlamentares Suppressio
pelo Senado da verba para provi
ment dos novoa termos e eomarcas
O projecto de bancos de emisejo
na CmaraO projecto de federaco.
O facto culminante dos ltimos dias foi a volta
do Imperador, depois de mais de um auno de en-
senis, occasionada por doloroso motivo. O re-
gresso imp rial foi a nota dominante, e teve forca
bastante para attrabir e prender todas as atteo-
co*8, dando lugar as msis largas e variadas cog
tsces. A recepcio do Imperador foi eatrsndosa e
quasi tomou o aspecto de ama verdadeira entrada
triumphal. As festaa foram ruidosas, eapootanea*,
geraes e senta se aellas palpitar a alma do povo,
sempre franca, generosa e a berta aos grsodes sea
ti mea tos.
O velho monarcha depois de tio longo reinado,
um dos maia longos que a histeria do nosso eculo
registra, tem rasio de sentir se orgulhoso pelas
geraes maoifestacoag de respeito, veneraco e
apreoo qae acaba de recebe' por occasiio de sua
chegada. As maaifeataooas de regosijo foram ge-
raes e del la foram participantes todas as classes,
todas as corporacoea, desde as mais elevadas na
bierarchia social at as mais humildes carnadas
popalares. O commereio, a induatna, o funccio-
oalismo, os eatabelecimeotos de ensino, aa assooia-
oes seientiScas, litterariaa ou humanitaria,
Senado, a Cmara doa Deputados e a Muuicipali-
dade, o exercito e a armada todos fratornisaram
pelar aeeordemeate o coraco nacional no meso
sentimento de reapeito, de veneracio e de amor
pela sna peasoa. Bem poucos monarchaa teriam
em noasa poca, tio trabalhada pelo espirite de
loaoburdiuBcio pelo fermento revolucionario igual
ventara. Dorante o sea longo reinado o monar-
cha braaileira commetteu talvea erros, nunca lhe
falten' porm o patriotismo, o amor a saa patria,
que tem sido sempre a principal Lnte de inspira-
cao de todos os sena actos. Ningaem tem exercl-
do sobre os destinos de Brasil mais larga e pode-
rosa influencia e por isao mesmo enorme a som-
ma de responsabilidade qae sobre elle pesa.
' Quando mais tarde se instituir o processo his-
trico do seu reinado elle ter de ser julgado nio
taoto pelo mal que fez mas pelo bem que deixou de
fazer. Entre todos os actuaes soberanos .nenhum
gmbbj em aeu paia de mais estima, de maia aprreo,
de mais veneracio do que o monarcha brasileiro,
todos os cdsdaos de todas as classes e de todos
os credos polticos sio aeeordes em reconhecer-lhe
o mrito incontestavel, as altas qualidad.es que
exornam sua individoalidade e a turnara saliente
entre as mais proeminentes do nosso secnlo. En-
tre as notas que a earacterisam ba mesmo algu-
mas que Ibe dio um certo cnnbo de origioalidade,
urna certa feoio especial que tem impressionado
a mais de um observador. Soberano, de um pas
de tendenoias democrticas, ebefe da nica mo-
narebia que conseguio deitar raises no solo ame-
ricano, o Imperador, comprehendea justamente
que nio podia nem devia seguir aa velbas usaocas
das manronlas tradiceionaes do eontinenta euro-
peo, com a perspicacia de que dotado vio qae a
ojonarebia e podia aeolimar-se na Amerioa ac-
comodando-se as condioSes de meio em qae tinha
de existir e desenvolverse.
A lembranga da volta do Imperador nio ficar
sement registrada na memoria popular e as nar-
rativas do jornaliamo nma recordaco de naturesa
mais duradoura a perpetuar. Sempre desinte-
ressado, generoso e despido dos vios preconceitos,
do amor a pompa e a oatentacio de que costu-
ra a m cercar-se os outroa sob-ranoa, 8. M o Impe-
rador, aioda bordo do Congo qae o troaxe as
oossas plagas, ao saber da subsenpee qae se ha-
via feito para solemniaar sua chegada manifestou
o desejo de ver as qaantias arrecadadas emprega-
das na institoicio de urna abra pa, de urna Ma- '
ternidade em qae a sciencia e a caridade eneon-
triasem asylo.
EsU generosa iniciativa encontrn o mais sym-
patbico acolhimento da parte da commissio cen-
tral organissdora dos festejos e da populacio flu-
minense. Combinou ae empregar as sobras da
quantia arrecadada aa criacio de nma Materni-
dade Santa Isabel, fara levar a effeito esta hu-
manitaria idea foi aceito o plano do distincto cl-
nico Dr. Bodrigues dos Santos qae j ha alguns
annos se empenbava por levar a effeito criacio
idntica. Trata-se da faadacio de urna aasocia-
cio de senhoras, com o titulo de Damas da cari-
dade, para protectoras da ii.stituicio que se pro-
jecta e ji adheriram a esta idea muitaa e distine-
tas senhora da nossa melhor soeiedade.
Os iilastrados profissionsea Drs.Farqaim Wer-
neck e Pedro Paulo tfiereceram desde j os seos
servicoa futura maternidade.
Como se v pois a chegada do imperador ser
assim a todo tempo attestada pela existencia de
ama instituico de caridade, que fsr honra a >
boas sentimentos do monarcha e do povo brasi-
leiro.
Fechado o ultimo periodo, regencial voltou i
in'ffaveis docuras do lar domestico a excelsa prin-
cesa cuja nome pasaar histeria cercado da bri-
lbante aureola de redemptora de ama raca oppri-
mida e vilipendiada. Aasumindo o governo do
paia em circumataucias difficeis e melindrosas Sua
Alteza a Princesa Imperial teve a ventora de ver
operar-se dorante o sea governo urna evolucao so-
cial de grandes eooseqaeocias para a patria bra-
sileira. Nesta emergencia a sua conducta foi pa-
tritica, consobatancioa-se eom o pensamento na-
cional, identificou-se com o sentimento publico e
sanecionou a grande lei que ha. de immortalisal-a
na historia, faseado o sea nome ser cercado daa
bencoa dos opprimidos qae ella remio. Entre to->
dos os actos da ultima regencia avalta esta pela
seja considerada como urna daa pocas mais bri-
Ibantea de nossa historia. Qoslqaer outro facto,
embora merecedor de censara, fica deslembrado e
oKscnro, porque somonte este bastante grande
para encher um largo periodo da historia de um
povo.
A regencia que fiadou s merece as heneaos
populares, assim como ter as saudaces do futu-
ro, a eouaagracio imparcial da historia.
Restituido o imperador ao seio da patria, assn-
mio de direito e de facto o exercieio de saas ele-
vadas faneces e efectivamente desde o dia 23
aasumio Sua Magestade o poder Estar porm
o illastre onarcha as coadicoea pbyaicas na-
cessarias ao exercieio de sua elevada missio?
Poder entregar se aos 'cuidados do gorerno do
pas, sem compromettimento pira sua sade tas
fortemente alterada pela ultima enfermidade que
o fuigio? Sio interrogares que tem preoecu-
pado o espirito publico e dado lugar s vendes
mais oppostas, e os boatos mais contracditorios.
As declaracSes officiaes f aitas pelo governo na
eamara dos deputados na seasio de 24, sio de na-
turesa a tranquilisar o espirito puoheo, por ellas
se evidencia que o mooarcha acba-se em boas con-
dieces de saie e apto para o desempeos das
elevadas funeces que lhe competem. O certo
qae o aspecto pbyaieo do imperador agradavel.
a deixar a todos bem impresaionados. Tal o'
sentir unnime da impreuaa e da populacio desta
capital que preseueioU o desembarque do augusto
viajante.
8e o imperador nio est radicalmente restabe-
lecido, acba se entretanto em conlicoes favorsveie
e pode oceupar-se dos seus trabalhoa ordioarios,
embora aem aquelle ardor e febhl aetividade eom
qae o fasia antes da ultima entermidade. O Pote,
que nio pode ser suspeite, dase a respeito o se-
guinte:
A impressio causada pelo aspecto pbyaieo do
1

0



Diario PcniambucwQuarta-fcira 5 de Setembro de 1888


i
i

*>
.to ebef. do Estado foi OS geral satisfactoria
"fundVudo todo. a grata eaperanoa de que sU.
conservar H su precio existencia. .
*Corodo je certas commodidadee cuidado* que
,to aesoidoi nao pala sua idade eoao pela mo-
lestia do que foi victima, moderaodo a ana reos
nbecida e iuvejavel aetividade, o Imperador, ere-
mos, odie perfeitameote desempenhar os deveres
qa Ibe incumbem.
A volta do imperador em nada veio modificar a
direeca politice, do pas. De accorde oom as
boas ratica do nosso ayatema de governo, o heu-
rado 8r presidente do conseibo apreasou se logo
00 dia 23 em presentar a Saa Magestade o Im-
perador o pedido de demUao collectivs do minis-
terio, que se fasia necessario pela maanea de
chefe do poder executivo. Sua Magestade dig-
non se inmediatamente responder que nao havia
motivo para alterar a alta adminiatraco do pas
e que o ministerio Ibe inspirava a nuis plena con -
flanea.
Nem ontra podia ser a reapoata do chefe do Es-
tado as actnaes condiedes em que se acha o pais.
Nao ba nada qne indique mdanos prxima de
gabinete, nenbnm motivo de ordem publica pode
ser invocado. Forte pelo apoio da cmara e pela
confianca da cora, o glorioso gabinete 10 de Mar
co continuar na gerencia dos negocios pblicos
afino de completar o aifficil emprebendimento qae
inicioa.
A este respeito nao devemos calar um tacto qne
tem o sea valora maneira distincta e affectuoae
pela qua o cb>fe do gabinete o illustre Sr. Joo
Alfredo foi recebido, logo a bordo do Congo, por
Saa Magestade o Imperador. O augusto viajante
nao :4 o abraeju como declaron em seguida que ti-
nba ficado contente, muito contente com s lei de 13
de Moio.
Nestes ltimos dias tem circulado nos corredo
res da cmara ms boatos de recompoaico minia
ferial e alguna jornaes ja se fiseram ecbo destas
conjecturas. Nao sabemos com que fundamento
se tem eapalbado estas versos e nem tem a ele
mentos para confrmalos. Eutre os indigitados
para faserem parte do ministerio caso se d are
composicSo, pela sabida dos ara. Vieira da Silva,
Costa Pereira e Rodrigo Silva depois da escolba
senatorial de ti. Paulo, talla se nos Srs. Baro de
Guahy e Mattoso Cmara. Vai isto a simples ti-
tulo de infortnacao e nem temos dados para faser
urna affirmaco ou nrgacao positiva sobre o facto.
O que parece certo que se se efiVctuar a eseo
Iba do Sr. Rodrigo Silva, o que se afEgura inevi-
tavel, ficar a cmara temporaria apenas com
dous rr presen tan 11 3 no ministerio, os Srs fcerre-
ra Vianna e Costa Pereira, o que contra os eety-
los do rgimen.
Os trabalhs parlamentares tem sido hern exi-
guos ltimamente e tanto a cmara como o sena-
do punco tem fnnecionado A cmara celebron
seaso nos das 21, 23, 24 e 27 e o senado nos
dias 23, 24 e 25.
Esto votadas pela cmara e pelo senado a pe
as as leis de forcas de trra e mar. Uas outras
lea annnas esto votadas pela cmara e pendem
de diseusso do senado os orcameatoa da marinba,
justica imperio, estrangeiros e guerra ; esto em
discnsso na cmara os orcamentoa da agricultu-
ra e da fastnda.
Ainda nao foi incluido na ordem do dia da c-
mara a receita geral do imperio. O senado tem
se oceupado com a 2' discaseo do ornamento de
estrangeiros e com a 3* do orcamento da guerra.
Na diseusso do ornamento de estrangeiros tem
sido ventiladas as nossas quesioes de poltica in-
ternacional, limites com a Repblica Argentina,
com as uuyanna francesa e inglesa, relavo-s com
os nossos visinhos do Prata e reorganisaco do
corpo diplomtico. Nesta discnsso tem-se empe-
nhado alm do respectivo ministro Sr. Rodrigo
Silva, os Srs S lares Brando, Baro de C tegipe
e Candido de Oliveira na sesso do da 23 ; H.
d'Avila e Visconde de Ouro Preto na sesso de
24 ; e Silveira Martina na de 25 sendo ento en-
cerrada a diseusso.
Neaae mesmo dia comecon a 3 diseusso do or-
camento da guerra ocenpando a tribuna os Sr s.
ViSconde de Pelotas e H. d'Avila, coja vocacao
para assumptos militares eada vez mais seacceu-
tua. S. Exc. tem genio ardenta e bellicoso e pa-
rece ser multo pouco partidario de urna poltica
de paz e de trabalbo, que entretanto a nica
que nos convm. Impressionado pelo militarismo
allemo e pela organisaco dos grandes exercitos
permanentes ds potencias europeas, 8. Exc, pare-
ce qu-rer transplantar para o nosso pas aqu 1
las inatituicoes militares de qU6 se manifeata ad
mirador.
O teidor rio-grsodense tem alm disto urna
certa maneira particular de tratar dos assumptos
militares, de marinba e de exercito, qne tem pro-
Tocado grandes e vehementes discuases pela im-
prensa.
Na sesso de .23 o nobre presidente do conselho
declaron ao Senado a contiouaco do mioisterio o
referi a entrevista qne a este respeito tivera com
o Imperador.
Eutre os ltimos aotos do Senado avulta, pelaa
suas coneequencias, a negaco da verla paraos
termos e comarcas novamente creados. Estas
novas creBces sobem a 54 e o governo tioba pe-
dido verba para prove aa.
A Cmara approvou o pedido do governo, o Se
nado, poim, acaba de snpprir verba em segun-
da diseusso do orcamento da justica. Nao mu*
to regular este proceder do Senado, porque Unto
importa annnllar a attribuieo que o acto addi-
cional cooferio s assemblas provinciaes, de crea-
rem termos e comarcas de accordo com as necea-
sidades da provincia.
Ja ba alguna annoa o Senado recuaa-ae a con-
signar a verba pedida, que alias tem sido votada
pela Cmara. Ha quem enxergue nieto nma maoe-
1 bra poltica dos liberaes do Senado que querem
ficar asaim armados para a eventualidade de urna
asceoco, com o provimento de 51 termos e co-
marcas.
Como quer que seja nao normal a conducta
do Senado, que deate modo nullifica a diapoaico
do acto addfciooal. O argumento de economa,
sempre invocado em taes casos, nao tem valor.
Quando se gastam intilmente tantos contos de
ris, nao muito que se despendan) alguns com o
o servico da distribuico d justica.
O Senado ja enviou Cmara o projecto sobre
bancos de esnisso e de crer que seja prxima-
mente incluido na ordem dos trabalhos,, assir*
como o de bancos hypothecarios qae tem estado
svfastado da diseusso para dar logar so debate
das leis annuaes, mais urgentes e que por sua ua-
turesa preterem os demais assumptos.
A Cmara temporaria celebrou seseos nos diaa
21, 23, 24 e 27, occapando -se com a segunda dis-
eusso dos orcamentos dos ministerios d agricul-
tura e fasenda.
Na sesso de 21 occapou a tribuna discutindo
o orcamento da fasenda o Sr. Mattoso Cmara,
que defendendo a poltica fiosneeira do ministe-
terio, responden vantajoaamente no Sr. Lonrenco
de Albuquerque e revelou ainda%ma ves os ex-
tensos coabecimentos de que diapoe em asanmpto
de tintineas e economa.
O i'lustre deoutado do Espirito Santo tem-se
mostrado bem preparado nestas especialidades.
qae, como sabido, constitaem um ramo difficit
das sciancias seeiaes.
Neste dia oceupou tribuna por duas veses o
Sr. Pedro Luis, discutindo os reamentes da agri-
cultura e da fasenda. Francamente oppoaicio-
niata o talentoso deputado fluminense, com a sua
natural vivacidade, criticou os actos do setual
gabinete, asilando em todos, j se v, graves
orres.
A sesso do da 23 foi suspensa, a requenmeo-
to do nobre Baro de Goahy, como demonstrado
de jubilo pelo felis r^r-sso de Suas Msgestades
Impeciaes ao seio da pairia.
Na sesso do dia 24 discutio-se os orcamentos
da agricultura, fallando os Srs. Coelbo Campos e
Coelbo Rodrigues, e oreamento da fasenda, orando
o Sr. Affenso Penns.
Antes da diccusso dos assnnptos de ordem do
dia, na hora do expediente, o Sr. Rodrigo Silva,
ministro de estrangeiros, fes 4 Cmara a meema
devlaraco anteriormente feita ao Senado pelo Sr.
presidente do eonselboisto que o ministerio
tendo pedido sua exoneraco ao Imperador, 8na
Magestade affirmara a confianca que o'elle depo
sitava e nao julgava neceasaria a mudanca da ad-
ministraco.
Esta declaraco do nobre ministro dea lagar a
um animado tiroteio opposicionista, em qne toma-
ran parte os Srs. Maciel, leader da minora libe-
ral, Soases de Castro e Pedro Luis. O 8r. Maciel
procuron diminuir a tignificaco pelitica da de-
claraco do Be. ministro de estrangeiros, mos-
trando que o Imperador anda nao pode estar auf-
ficient> mente instruido dos negocios pblicos e
por isso nao se acbava habilitado para resolver a
crise que se apresentava e n'eataa condicione nao
poda proceder diversamente.
Anda em sentido opposicionista msnifstarsm-
ge os Srs. Gomes de Castro o Pedro Luis, qua
lessOroa ao Sr. n inistro da justica o requeriasento
feit por 8. Ixa.'1 fe, sessa do anno passado, para
noswaglo de unta eommissio pa. lamentar que se
enteiiaasse coas Soa Magestade o Imperador e se
certificasse da estado em qae se chava o memo
imperial tenhor
A soo da Cmara temporaria celobrada no
dia 27 veio quebrar a monotona e falta de inte-
resse das anteriores. Discatio-se o orcamento da
agricultura, tomando parte no debate os Srs. Cos-
ta A guiar, Cesar Zama, Christiano Las e Pedro
Luis, sendo afina! a diseusso adiada pela hora,
quando devia ser encerrada por j ter sido o as
sumoto suffiienteineute discutido.
Na segunda diseusso do orcamento das despe-
as do Ministerio da Faaenda tomou a patarra o
Ilustre presiden do conselho, que proferio um
notavel discurso qae prenden a attenco da Ca-
mar, deixando em todos os espiritos excellente
impresso. Neste discurso o Ilustrado estadista!
aceentuou positivamente o eeu programma de go-
verno e mostreu que entre as suas e as ideas an
oriortnente externadas pelo honrado Sr. Antonio
Prado havia a mais perfeita harmona, o melhor
accordo.
O gabinete presidido pelo digno senador per-
nambucaao est decidido a enveredar resoluta-
mente na poltica larga e empn hendedora dos
melhoramentos matenaes, nao duvidaodo para con-
seguir este patritico intento, empenhar o eu fu
toro, a exemplo do qne tem feto outros pases,
que depois colbaram copiosos fruotos e immsnaos
resultados deate corajoso adiantamento.
Rebordando a sua coherencia poltica, o honra-
do presidente do conaelho referio-se ao ministerio
de 7 de Mareo, presidida pelo nolvidavel Viacon-
de do Rio tranco e osostrou que anda boje est
de accordo com as ideas, com o programma de
governo que ento profesaava, na qualfdade de
memoro d'-quelle gabinete.
O oiacurso do Sr. A. Prado acaba aasim de ter
a mais el-quente confirmaoo por parte do 8r.
presidente do conselho, qne j havia no Senado
declarado qne aqnelle discurso podia ser conside-
rado como o programma do governo na parte re-
ferente gesto dos negocios pblicos a que se
tinha referido.
As declarscoes do Sr. conselheiro Joo Alfredo
foram aa maia francas, as maia explcitas poasi
veis : o governo est seriamante empeuhtdo >-m
estimular o progresao material e moral do pais,
qur por em pratica um vasto plano de melhor a-
larga escala, desenvolvendo a viaco feriea, crean
do escolas technicaa que venham fecundar o tra-
balbo nacional. A ana palavra de ordem, a sua
gloriosa legenda Luz e Trabalho lemma de
que j urna ves se servir o inmortal'Rio Braoco.
Por qualqoer lado qae se considere o ultimo
da urao do lluatre presidente do conselho, um
documento parlamentar dos mais notaveis, porque
encerra o programma do governo no tocante s
questoes mais palpitantes da actualidade.
Segnio-se na tribuna o Sr. A. Bvsamant, que
mais urna vez combateu a poltica do governo e
fes longas variacoes sobre o conhecido thema
a indemnixaco.
, Ahndj expediente tambem nao foi destituida
de interesae. Teve a nltima laitura regimental o
projeets de tederaoo do Sr. Joaqaim Nabuco e
n> foi julgado objscto de deliberaco.
Suscitoo urna certa aoimaco o raquerimenta
do Sr. Pedro Luir pedindo votaco nominal, pedi-
do este que foi rejeitado por 42 votos contra 30.
Ainda d'esta ves, como o anno passado, nao oc-
cupar a attenco do parlamento a decantada fe-
deraco monarebica. Os illustres representantes
esto sem duvida convencidos de que nao desta
medida p litica que o pais precisa e que as fran-
quezas muoicipaes, a autonoma administrativa
das provincias pode ser perfeitamente conseguida
aem quebrarse o Isco moral que sustenta a noaaa
integridad-' ; para isto basta que se ponha em
pratica e se execute conscienciosam nte um largo
programma de deacentraliaaco em todas as suas
manifestacoes econmica, poltica, scientifica
acabando asaim com o centralismo enervante
que aaphyxia e mata os generosos impulsos e ale
yantados commettimentos da iniciativa privada.
po oom oonfecylo de projeotoa de nenhu-
m utilidade, alguns dos quaea oneroaoa,
de oaraeter paramente looal e qae tm por
fio garanir-lhes a cortesa da renovaclo do
mandato.
' esaa a verdade qae temos sempre
preaeaado e que nao daejamos ver con-
firmada pela, actual assembla provincial
qae, achando-se, como se a.ha, igualmen-
te constituida de representantes dos dous
partidos polticos defioidos, tm em si o
elemento necessario para oppor barreira
s pretengSdB impertinentes e desarrosoa-
das e cuidar de veras, como Iba cumpre,
da melhoramentos de qae tanto carece a
provina, mormente hoja qae mistar a
adopelo de medidas effioazes, tendentes
a rapprir a lacuna que troaxe i. su* j
amortecida agricultura a ezecuco da u-
rea le de 13 de Maio ultimo.
Velegramma publicado na Qateta da
Parahyba do 1* deste mez, d a certeza
de bavett* sido approvado na Cmara dos
Oeputados o additivo apresentado ao or-
namento do Ministerio da Agricultura pelo
nosso distinotissiiBO comprovinciano Ex n.
Sr. Dr Anizio Salatbiel Carneiro da Cu-
uha, deputado pelo Io diatricto desta pro-
vincia, sobre a garanta de-Juros a favor
do prolongmento da ferro.-via Conda de
En de Mulung Alagda Grande e do
Pilar Itabaianna.
E' om servido inestimavel que veio S.
Exc. juntar maitos outros de igual rele-
vancia que j tem prestado provincia de
seu nascimento e pela qual tanto estre-
mece.
A' 30 do mez findo prestou juramen-
to as moB do Ezm. Sr. presidente da
provincia, para poder usar do nobiliario ti-
tula de Bario de Abiahy, com que o agr
mentos pblicos, promovendo a immigraco em ciou o (jroverno Imperial, O Exm. Sr.
PARAHYBA -3 de Setembro de 1888
Para nao faltar ao compromisso a que
espontneamente me impuz, urna vez que
i*o estarei aqu amanb, es revc-lhe esta
de vespera, como j o fiz pelo vapor pas-
sado, confiando a a um amigo para dar-
Ihe o devido destino.
A's 5 e meia horas da tarde de 29
do mez prximo findo, como foi previamen-
te anaunciado, teve lugar na igreja do Car-
ino o solemne Je Deum laudamos, manda-
do celebrar em aeco de gragas pelo feliz
regresso s braBeas plagas do nosso mag-
nnimo monaroha o Sr. D. Pedro II e de
Uua virtuosissima consorte S. M. a Impe-
ratriz, por urna commissSo composta dos
Srs. BarSo de Abiahy, Dr. Antonio da
Trindade Antones Meira Henrrqaes, juiz
do direito desta oapiUl, Dr. Ernesto Au-
gusto da Silva Freir e Francisco Jo-
te do Rosario e dos honrados com-
merciantes Cab Frres & C, Castro Ir-
maos, Jos Joaquim Ferreira Barbosa,
Bnto Lyra & C, o Paiva Valente & C.
O templo, um dos melbores de nossa
capital, pela sua vastidoe asseio, estava ri-
camente aparamentado e o acto, um dos
mais imponentes a que tcnbo assistido, ex
primia bem as justas alegras do povo pa-
rabybano por Uto feliz quanto auspicioso
acentecimento.
Oceupou a tribuna sagrada o capito re-
formado do exercito, Revm. Tbeodolino
1 Antonio da Silva Ramos qae, em breve,
mas eloquente oracao esteryotipou com in-
vejavel perfeicSo as preclaras qualidades
do Augusto Imperante.
Alm das militas pessoas gradas que
compareceram aquella solemnidade, que
veio mais urna vez confirmar os nossos
araigados sentimentos em prol -do monar
cha, a despeito da faina republicana que
Be levanta no paiz, destaca vara se os vul-
tos, sympatbicos do jovem administrador
Sr. Dr. Pedro Corveia e do Bario Abiahy.
Terminado Te Deum, queimou-ae no
jardim om frente do palacio da presiden-
cia, qae, para tal fim fdra escolhido e se
acbava deslumbrantemente Iluminado, na
presenta de immensa multido que bem
coaasnenda ior Dr. Siviuo Elvidio Carnei-
ro da Cunha, e completando S. Exc. no
dia inmediato 57 annos de idade, foram
comprimental-o, por esse facto, diversos
amigis seus, aoompanbados da banda de
msica do corpo de polica, entre os quaes
notava-sa o Exm. Sr. presidente da pro
vinoia.
Por essa occasiao foi ainda o Ilustre
Baro a'vo de novas e reiteradas demons-
traos JB de sympatbi e verdadeiro apreso,
de que muito digno pela excedencia de
seu bello oaraeter.
Em virtuda de autorisacJo da direc-
tora g-ral dos Correios fijou assim reor-
ganisada a repartido dos Correios desta
capital.
Contador o actual administrador interi-
no -Julio X.xier de Carvalho.
Pratieaotes JoSo Francisco Davino de
Oliveira, Davino Alfredo Tavares Franco
e J .s de Maira Lima Sobrinho.
Supplentes Jos da Gua Pires da No-
brega, Americo Jos de Franja e Jos Ule
mentiuo Ribeiro dos Santos oarteiros efecti-
vos.
O novo administrador tenente coronel
Antonio Rufiao Arauha ainda nao entrou
em exercicio; para isso mistar prestar a
respectiva anca, segundo me informa-
rais.
Foi removido para a provincia do
Cear o chefe de polica desta Dr. Candi-
do Valeriano da Silva Freir e o d'alli para
aqu.
J solicitaran! ttulos e entrarara em
exercicio os Drs. P-ulo Cavalcanle Pea-
sda do Lacerda e Jos Mara Ferreira de
Albuquerque, este do cargo de director da
instruccao publica primaria e aquelle de
lente de pbilos ophia do Lyoeo Parabybano.
Acha-se gravemente enfermo, na vil-
la do Pilar, onde reside, de um insulto apo-
pltico o deputado provincial Pedro Mari-
nho FalcSo, pelo que est funecionando
a Bssembla com 29 membros, sendo 14
conservadores e 15 liberaos.
Fallecen repentinamente nesta capi-
tal Vicente Gomes Peseds, administrador
aposentado da capatazia da Alfandega des-
ta provincia.
Contina oom aetividade, desenvol-
vida pelo Dr. juiz dos Feitos, a cobranca
da di'ida activa provincial.
Em o mez de Agosto prximo fiudo
renderam:
Alfandega 41:7700047
Consulado Provincial 1:0320875
At, o seguinte vapor.
presidencia, residencia do Dr. befe de
polica a casas dos oommendaiorea Jos
Gervasio, Joaquim Ignacio, Joaquim Gui-
lberme, Drs. Luiz Carlos, padre Constan-
oio o outros, em qae eram dados os vivas
do estylo, calorosamente correspondidos,
despenando-se em bora adiantada da non-
te, emboa ordem.
# Por acto de 31 do passado, o Exm.
vioe-presidente attendendo ao que Ibe re-
queran o chefe de seocSo da secretaria,
Antonio Ferreira de Oliveira e tendo em
vista os attestados mdicos e informa-
cao do Thesouro Provincial,, resolveu con
ceder Ibe aposentadora, oom o tempo de
servio que provou, nomeando para aquel
le cargo ol. oficial Joaquim Soares Rapo
so da Cmara e para o deste o 2.- offi-
oial Joaquim Ignacio Rodrigues Pessoa
sendo nomeado 2. offi cial, o oidadSo Jos
Alsxandre Seabra de Mello.
Por haver pedido exoneraco o ama-
nuense da Secretaria da Instruccao Publica
Mincrvino de Oliveira, foi nomeado pra o
referido lugar, o cidadSo Adolpbo de Amo-
nan Garca.
Nao tendo aeeitado a nomeaco do
alferes do corpo de polica, o cidado An-
tonio J. de Oliveira, foi por soto de 27 do
passado nomeado para aquelle posto o oida-
dSo Francisco Tbomaz de Oliveira e M -lio
No dia 29 do passado, no lugar L.
g* de Podra, do termo de Canguaretama,
Manoel Daroio e Miguel Pequeuo, foriram
gravemente a Manoel Honorato. 0 delega
do de polica, tomou conhecimento do facto,
procedendo as deligencias* legaes.
Pelo activo e deligente delegado de
polica do Cear-mirim, major Elpidio Fur
tado, foram capturados e recolbidos a res
pectiva cadeia, os criminosos de furto de
RIO GRASDE DO NORTE Natal, 2
de Setembro de 1888
Come tivemos ocobbSo de noticiar pelo
telegrapbo realisou-se a 29 do passado, na
igreja Matriz desta cidade, solemne le \.
Deum, pelo feliz regiesen de Suas Mages
tades Imperiaes a noaaa cara patria.
E' um acontec ment que enche de im-
menso jubilo, a todos os brasileiros e qae
nlo podia pasear desapercebido nesta pro-
vincia.
A 23 quando tivemos noticia da chega
da de Suas Msgestades Be manifeston logo
o regosijo geral, illumiaando-se noute to-
dos os edificios pblicos e muitos particula-
res e ficoa logo assentada a idea do TeDeum,
de qae se encrrregoa, urna commisso
composta dos seguintes cavalheiros : com-
mendadores Joaquim Ignacio, Jos Ger-
recordava urna das melhorea noitesda popa-, vasio, Joaquim Gailberme, Drs. Augusto
lar e tradicional festa das Naves, um es-
plendido e variadissimo fogo de artificio -
A pyrotechnia, nossa noite, excedeu a nos
sa expectativa.
Foi assim que se poz termo aos festejos
aqu encetados, e de que lhe dei noticia
na miaba oarta anterior, pela ebegada
c&rte de SS. MM. Imperiaes.
Installoa-BB, com as solemnidades do
estylo, ama hora da tarde de ante-hon-
tem, a nossa assembla legislativa provin-
cial, lendo o Sr. .Dr. Pedro Correia1 por essa I
oocaaio alguns tpicos do rotatorio, oom
que lhe passou a admioistraco o sea ante-
cessor, Dr. Oliveira Borges.
O curto eapaco do governo de S. Exc.
nSo lhe permittin, como declaron, presen-
tar trsbalbo seu, indicando oom conheci-
mento propro as necessidades mais palpi-
tantes da provincia, e, sendo, na minha
humilde opinifto, urna dellas, senSo a prin-
cipal, o estado pouco lisongeiro de suas
fiaaocas, da qual estio bem par os seus
representantes, nao ha que lamentar dessa
falta de S. Exc, alias juatissima ; ao con-
trar.o lucrou o myrrado cofre provincial cer-
ca de 5000 6000, emquanto importara,
sem duvids, a impresso de novo relatono,
para, como outros, ser atirado ao limbo
do mais criminoso esquecimento, por isso
que temos visto, com grande pesar, que o
Cmara, Celso de Sonza e Ravm. Francis-
co Constancia.
O Exm. vie-presidente Dr. Amyntbas
Barros, a convite e pedido da commissSo,
dea' as providencias para que urna guarda
de honra, composta da forcade lnha, Uzea-
se as honras militares, dirigindo-se aos che-
fea das reparticSes publicas para o fim de
seres fechadas naquelle dia as respectivas
ttacSes e podessem assim oonoorrer tu-
das aquella acto.
Ao Vt-Devm concorreram, o Exro. vice-
presidente, Drs. chefe de polica, chefes
de repartais, corpo consular da provincia
funccionaHos pubieos e muitas pessoas
gradas, nacienaes, e estrangeiros aqui re-
sidentes, notando-se apenas a ausencia de
pessoas pertencentes ao partido liberal,
apezar de terem sido convidadas pela com-
missSo, que nao fez excapo :s svnem de-
vis faiel-o.
O orador que oceupou a tribuna sagra-
da, Revm. Francisco Constancio, estove
na altura do assumpto e de seus oreditos,
tantas venes posto a provas nesta cidade,
fazendo brilbantemente a apologa do gran-
de aconteoimento e prendendo attenco
do auditorio.
A' uonte estiveram de novo illuminada
edificios pblicos e casas particulares,
os
nossos representantes, em sua
tem esterilisado parte de seu precioso tem
percorrendo as ras da dois barros desta
mioria, I cidade, ama banda de msica em passeia-
'ta civics, tocando primeiro no palacio da
oavallos, Manoel Gomes,, Manoel Sazano,
JoSo Ferreira do Nascimento, Manoel Al-
bino, JeSo Sevenano e Jos de Lima Gui-
marSes, f. zendo assim, importante deli-
gencia.
A receita da estrada de ferro de Na
tal a Nova-Cruz durante o 1.' semestre
do correte anno, foi o seguinte :
Passageiros 7:5070530
B-gsgem e encommendss 532890
Mercaduras 18:4170260
Frete sobre dnheiro 1530680
Animaes 1300480
Telegrammas 4430900
Diversos 2:5080080
Total 29:693820
A despeza, no meamo periodo foi a seguin-
te.
Administ-acSo 5:3540125
Trafego 13:2430956
TraccSo e locomocSo 31:2990928
Via permanente Jl:5t90?Ol
Telegrapbo 1:4430697
Diversos 2060360
A guarnilo da cidade sari dada peto 2* bata-
Iho de iutaatarra a eamas*adar a guarda da
Toesoursria da Paseada o Sr. alferes Manoel
Quintino dos Santos.
O uniforme da guarnico ser o n. 4.
Vola alarloVerificou bontem praos volun-
tariamente um individuo que foi incluido no 2-
batalbi.
eiacsmeato da Barra deJsnis-
ala^Becolbeu-ee bontem da Barra de Jangada o
destacamento, que all se acbava sob o commando
do Sr. alferes Antonio Joaquim Coelho dos
Santas.
Sala de aiieracea e de noce orn-
amentotVs-se entrega pelo quartel general ao
14* batalhlo de iofantaria da guia de airerncoea e
da de soccorrimento dos Srs. alferes Jos Candido
Beserra da Trindade e Francisco de Paula Fer-
nandos Barros e 1* cadete Miguel Arebsnjo Poggi
de Figoeiredo.
ApreNentar&o Apresentarsm se bontem
ao quartel general os Srs. capito Antonio Jorge
Moreira e tenente Francisco Evaristo de Sonsa o
prim uro por lar chegado da provincia da Para-
hyoa do Norte e o segundo por ter sido julgado
apto para o servico do exercito.
aVMlalenela de lirenra-Pela presiden-
os d provincia do Piauhy, fui communieado ao
quartel general que o alteras do 2* batalbao de
infamara Sesisnando Rodrigues da Silva desisti
do resto da tcenos em cujo goso se acbava, fican-
do addido 4 companhia da meama provincia.
Auditor de guerraO Or. Braa Floren-
tino de Souaa entrou hontem no goao de 3 pro-
meses de licenca, que obteve da presidencia da
Vi neis.
Pera a corte do imperio Pelo paqoe
te Mandos, seguiram hontem para a corte oilo
pracaa qua se acnavam addidas aoa 2* e 14* ba
talhoes de intantaria.
Tilasloa- Pe-se entrega ao 14* baUlbo do
titulo de devida de fardamtnto e certida de as-
sentamento do ex soldado Antonio Baptista de
Sonsa.
Portaleaa do Brasa A fortalesa do
Brum salvou bontem oom 21 tiros por ser dia de
testa nacional.
Faeuldade de Dlreilo Hoje s 10 ho-
ras deve reunir se a congregado dos lentes para
formular oa pontos, dentre os quaes ser extrahi
do um para servir de programma na prova escrip-
ia que ti-m de prestar os candidatos ao concurso
que se est procedendo.
Oa candidatos devem eatar na Faeuldade ao
meio dia.
Or. Jos .Xovaes-No paquete nacional
Mandos, veio hontem com sua Exma. senbora do
Ceai, onde exercia com hombridade o cargo de
ebefe de polica, carga que continuar a exereer
na provincia da Parabyoa, para onde foi ltima-
mente removido, o Or. Joa Novaes de Sousa'Car-
valbo.
U jornal Pedro II, da Fortalesa, assim se ex-
prime acerca deste nosso smigo :
No prximo paquete que tem de passar para o
sul, aegue o Exm. Sr. Dr. Jos Novaes de Sonsa
Carvalho, ex-chefe de polica d'esta provincia.
O Ilustrado magistrado deixa no Cear as maia
honrosas recordacoaa, quer como bomem pnblico,
quer como um cidado de edacaco e coatumea
puriaaimaa.
Possuindo notavel illustraco, elevaQo de ca-
rcter e espirito moderado, S. Exc. com muito
acert se declarou incompatibiliaado com a admi-
nistrafo do Sr. Caio Prado.
Nao conseguindo do governo geral, que o tem
no devido conceito, a licenca porque inatou para
deoan a sssiduidade, salo e intelligenoia, patea-
tea da por aqnelle funccionsrio durante a sua aoV
mioistrsco.
QEn sobstituico do tenente Godofredo ana
quanto nao toma posee o effactivo, toi nanceada
para servir interinamente, o escrevente do patria
mor o Sr. Joaquim Honorio de Sonsa Btngel, qms
rene todos os requisitos para desempenbar per-
fectamente as funeces desse cargo.
Lycea de Artes e OlBcioa Reuaa-as
boje em coogregaco os prcf-aaorea do curso des-
te estabelecimento, afim de tratar se de ssiuapts
referente ao mencionado curso.
realas dos sanios Csase e Dala*
Em Ignarass celebra se no dia 27 do corrate
mea a feata dos padroeiros daquella fregoesia.
As novenas comecaro a 17 epromettaa ser
concorridaa.
No dia da feata ha ver Te Deum e depois foga
de artificio, baldea de lindas cores e de systessas
modernos e illuminsco a giorno durante todo acto
religioso
Iaasiltnto Areeeolofflco Ha amanbi
sesso hora e no lugar do costume.
ireeaoria das auras oe eoaserva-
eao dos portos de FeruaossMteola-
cife 3 de Setembro de 1888.
Boletim meteorolgico
floras S o gss Barmetro a Tenso !
0 do vapor a
fS 0
r>< i
S m. 24-4 76233 16.84 71
9 268 763"6l 17,04 64
12 28a_ 7 76Zn>78 16,90 58
3 t. 276 761 06 16,27 60
6 25* -9 76t>68 16.76 67
Temperatura uiaxnn24*,00
Dita mnima29*,75.
EvaporaoSo em 24 horas ao sol: 9."9; i i
ara: 7,0. '
Chuvanolla.
Direcco do vento: SE com pequeas interrap-
gSea de ESE durante todo o dia.
Velocidad* media do venta: 2a>,15 por segunda.
Nebulosidad.) md'a: 0.23.
Boletim do porto
Dia ' Horas Altara
B. M. f. M. 8. M. P. M. 3 de Setembro a 4 de Setembro 836 damanh 3-10 da tarde 8-89 314 da manh 0.-54 2,32 0.-64 8,-41
Total
73:0420067
Havendoportantoom dficit de 43:3480247
FERNAHBUCO
Capital do Banco
dem realisado
Fundo do reaerva
Rs. 20:000:0000000
t 12:000:0000000
160:0000000
Halaueo
DA CAIXA FILIAL EM PEBNAMBDCO, EM
31 DE AGOSTO DE 188
Activo
Letras descontadas
Cantas torrentes caucionadas
Caixaa, Matris e Filiaes
Diversas agencias
Valores depositados
Diversas cuntas
Letras receber
Caixa :
Em moeda corrente
Pasiivo
Bs
399.120*370
592.973*530
1.159.55 310
700.192*620
391.616*1)90
170.706*920
448.607*570
641.046*230
4.503.816*640
Depsitos:
Contas correntes de
movimento..... ) 1.159.401*100
Ditas d i ta s com 1
aviso..........} 111 939*890
Letras a premio..) 1.638.181*890
Diversas garantas
Diversas agencias
Caixas, Matris e Filiaes
2.909.522*880
391.616*090
78.387*n60
153.786*710
970503*900
Bs. 4:503.816*610
S. E. eO.
Pernambueo, 31 de Agosto de 1888.
(Assignados) G. W. Nicolls,
gerente.
* A. A. Santos,
guarda- livros.
Caixa Econmica e Monte de Soc-
corro de Pernambueo
Balaaeetes
em 31
18*8
CAIXA ECON'OMICA
Activo
Theeonraria de Fazenda
Monte de soccorro
Caixa
de Agosto de
Pairivo
Depsitos em contas correntes
1.221:955*080
88:934*050
774*000
1,311:663*580
1,311:663*580
MONTE Di SOCCOBKO
Actitw
Emprestim03 sobre penhores 138:037*116
Movis 6:126*627
Apolices da divida publica provin-
cial 1:000*000
Despesas geraes 13:521*027
Caixa 1:600*990
Pattivo
Capital
Caixa econmica conta de passagens
Thesouraria de Faiendaconta de
emprestime
Saldos de penhores vendidos em
hiato
dem, idem, prescriptos
Juros
Lucros e pardas
Gastos com leudes


160:288*760
16:292*689
88:934*550
39:394*660
4:097*211
412*690
3:809*50
7:277*910
69*500
160:
S. E. & O. a(
Recite, 3 de Setembro de 1888.
O gerente,
Fet'no O. firreira Coelho.
Tapurdo norteDoa portos do norte cha
gou humea o paquete nacional Manot e s 6 ho-
ras da tarde aaguio para o sul.
As notisaa de que foi portador vo publicadas
na respeetiva aecoo.-
es-vico da sjuaraleao Entra boje de
supensr do dia o Sr. major Estevo Farras e cffl
cial de ronda o Sr. alferes Jola Pi da Fonstcs.
deixsr o exercicio, recebeu ante-bontem o se-
umte officio do presidente Caio, como a ultima
picarda que podia arremessar contra o magis-
trado cuja reputadlo honradissima tanto encom-
modou aos Caios-Qampelloa e aos Campellof*
Caios.
A' S. Exc. o Sr. Dr. Novaes e sna Exma. fa-
milia dea. jimia felis viagem.
N. 2305.Provincia do Cear.2 seceo.
Palacio da Presidencia, em 27 de Agosto de 1888.
Havendo sido V. S. removido no cargo de chefe
de polica d'esta provincia para a da Parabyba,
conforme commuoicaoo do governo imperial, re-
solv por acto de hoje, designar para exereer inte-
rinamente o referido cargo o desembargador Ame
rico Militad de Freitas Guimares, que acaba de
prestar juramento e de assumir as respectivas
tunecoes, o que communico a V. S., para seu co
nh'Cimento e fos devidos. Deus guarde a V. S.
C da Silva Prado, Sr. Dr. Jos Novaes de
Sonsa Carvalho.
Em outra oocasio daremos pnblicidade a um
artigo do Dr. Joa Novaes, que commenta esse
neto da presidencia do Cear.
Club Iaternaoiossat de Begasas
Eata distincta aasociaco realisa no saboado, 8 do
crrente, a 3 hora? da tarde e na baca do Gato
metro a 6* regata, que deve ser urna das maia
brilbantes e talves a que mais interesas tem des-
pertado.
Entre os diversos paraos da que consta o pro-
gramma, ba nm, que se reslisar entre projfssio
naes, amostrados n'esaes ejercicios, e justamente
este qne tem provocado o mais vivo interesse.
Tomam parte n'este pareo um escalar, tripolado
pnr marinheiros franceses da canhoneira Dumont
a'Urville e nm outro escaler, tripolado por mari-
nheiros da Aifandegs.
A colonia francesa offareceu um premio de cem
francos ao vencedor d'esse pareo, que aera viva-
mente d sputado.
Ums ontra oircumatancia fas cora que essa re
gata seja muito concorrida.
Nao sendo domingo o dia em que ella se realisa,
tomam pare muitos estrangeiros e a directora
do Club tem-se esforcado para dar a esse diver*
tmento todo o esplendor.
Oesveadoa-ss o asysterloNa noticia,
qne sob esta epigraphe demos hontem, allndimos
presen ca de dous cavalheiros na casa n. 9 da
rna da Penba, em eccasio, que all chega va o Dr.
chete de polica.
Esses dous cavalheiros, segundo tomos infor-
mados, sao o Dr. Joa Mara e o negociante Gra-
tuliano dos Santos, que all tinbam ido, aquelle a
pedido deste, para encarregar-se da defesa de Je-
suino Costa, defesa da qual o Dr. Joa Mara s
ae encarregaria depois de ouvir o meamo Coala.
O Sr. Gratuliano fea o referido pedido em vir
tode de solicitaeo de urna pessoa da familia de
Jesuino,
Asaim, e nao de qualquer outro modo, se expliea
a preseoea dos dous cavalheiros na referida casa.
Prado Pernanbacsno Encerroa-ae
hontem a inserlpca para a 7.* corrida, tendo sido
inscriptos os seguintes' animaes :
1.* pareo1.* tnrmaCoruolacao 800 me'-
tros.Good-morning, Macaca o, Bacuro, Caorion,
Desabafa, Babellais, Breas, Donglas e Jagnaro.
2. pareo Club Internacional de Hegatas
1,200 metros. Lidader, Cndor, Macario, Cariry,
M.nitor (ex-Stnart), Atbeu e Ocila.
3.' pareo Compentaco1.000 metros.Sa-
tn, Avaior e Fgaro.
4. pareo-Derby Club de Pernambueo 1,800
metros Ingaseira, Monitor (ex-Stnart), Colibr,
Pegaso, Rtame e Beberibe.
5. pareo Prao Pernambucano l,8(jv>me-
tros.Castigliooi, Mastn, Afrie*nae Duc.
6. pareo 1. de Julho -1,200 metroa.Favo-
rita, Becife e Aymor.
7. pareo Cetuoluc&o 2.'. turma 800 me
tros.Nubio, Macaro, Meteoro, Petillon, Dublin,
Msnarchiata, Mouro e J-parte.
Nova ToallaNo dia 8 do corrente esta
associaco solemnisa aan 7.* anniveraario com
urna sesso magna s 7 horas d noite e com a re-
presenta cao do drama 0$ dout Renegado.
Ha de ser n-na bonita festa, como sao sempre as
que a Nova Thalia proporciona aoa seos socios e
convidados.
Agradecemos o convite, qne dignou-se enviar-
nos.
O cjue serla 7Na ra da Imperatris n. 11
onde tem ama alfaiataria a firma Noronha & C-,
amanheceram hontem abortas tres portas do inte-
rior da casa, que do psaaagem para o quintal,
parecendo isto indicios da se ter dado all algn
roneo.
Avisado o Dr. chafe de polica, all apresenton-
se a verificou com o representante da referida fir-
ma aocial, que nada fra subtrahido do esUbeleci-
mento.
Entretanto causn reparo ter-se encontrado jun-
to a porta do quintal urna caixa, contendo caicas
de casemira a orna peca de brim, dous cortas de
oasemirs e um cabde em lugar differente do am
que tinbam ficado na vespera.
Arsenal de Marinba Deixou hontem o
exercicio de apootador do Arsenal de Marinba, o
tenente Godofredo de Abren Lima, por tac sido
nomeado 2 cfficial do Correio d'esta provincia.
Durante os 17 annoa qne o Sr. God ,tredo exer-
ceu aquellas fuueees merecen de seas chefes os
maiores elogios.
O honrado inspeeter o Sr. Manoel de Araajo
Cclea esf ordem do dia datada de hontem agr-,
LelieesEflectnar-se-ho:
Hoje:
Pelo agente Silveira, a 11 horas, 4 ra do Im-
perador o. 45, de predios e terrenos,' e em Santa
Amaro n. 68, de gneros e armaco da taverna
ah sita.
Pelo agente Martina, s 11 horas, ra da Im-
perador n. 16, de dividas e predios.
Pelo agente Brito, s 11 horas, ra do Ras
gal n. 48, de predios.
Pelo agente Guamo, a 11 horas, ra Mar-
ques de Olinda n. 48, de urna vacos e filhs; toa-
rioss.
Amanbi:
Pelo agente Pinto, a 10 34, rna do Pavs-
sand n. 3, Oe moveie, looca e vidros.
Pelo agente Martins, 11 horas, ra da Ba-
da n. 52, de movis, eepelbos e vidros.
Pelo agente Silveira, s 10 1|2 horas, roa de
Lima, de gneros, armaco c utensis.
Pelo agenre Gusmo, a 11 botas, bordo, do
caaco, maatros e pertences do brigue bespannot
Monte Serrat.
Pelo agente Modesto Baptista, s 11 horas, 4
roa Duque de Caxias n. 87, de presumios e mais
generoa.
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, ra da
Imperador n 49, de predios.
Mlssas fnebresSarao celebradas :
Hoj*:
A's 8 horas, na igreja da Penha, pela alma da
Joo Francisco de Sonsa ; s 8 horas, na matris
da Boa-Vista, pela alma de D. Guilhermina da
Gusmo Coelho Dinis ; a 6 horas, ao Corpo San-
to, pela alma do capito. Manoel Jos .Vonteiro
da Franca ; s 8 horas na matris da Boa Vista,
pela alma da Manoel Joaquim de Figueiredo ; as
7 horas, na eapella do Monteiro, pela alma de
Umbelino Austreclino de Carvalho Franca.
Amanh :
A's 8 horas, na igreja do Carmo, pela alma de
commendador Antonio Joa Rodriguea de Sonsa.
PassageirosChegados do norte no vapor
brasileiro Mando*:
Dr. Joa Gomea Cunha, Joaquim Alves da Fsn-
eeca ana senbora e 1 filbo, Candido Diaa,- Alexas-
dre Begbela, Joa Rodsjgnes de Carpes, Franca-
lina Mana do Espirito-Santo, Manoel Ventara,
Antonio Carvalho 'Jeimbra, Feliamino Carlos de M.
Vaaconcellos, Joo Alves Ferreira, Miguel Pues
Gomes, Gaspar Baltasar dos Santos, Francisea
Peixoto Franco de S, Augusto Olimpio Viveiros
de Castro. Luis Diogo da Silva, Antonio Augusto
Macif I, Dr. Jos Novaes de Sousa Carvalho, ana
senbora e 1 filbo, Vrancisco Leocadio Pessoa, An-
tonio Luis Orummond da Costa, Joaquim da C.
Nogueira Filbo, Luis Antouio Marques, Luis Ro-
drigues Gnimarja, Theodoro Sotero Oliveira, e
na eenhora, Antonia Mendonca e 1 filbo, Laoria-
no V. Gomes, Jos Antonio das Santos, Ismael C.
D. Ribeiro, Joo Rosendo da Sirva, Joaquim Mar-
celino, capito Antonio Jorge Moreira, sua eenho-
ra e 1 criado, Dr. Gonoulo de Faro, Dr. Joa An-
tonio de Msgalhiea Bastos, e cadete Miguel A. de
Figueiredo.
Sahidoa para o aul no meamo vapor :
Dr. Bras Florentino Henriqae de Sonsa, Dr. A.
da Costa Gomes, Manoel Cjtrino, Dr. Jesaiat
Lostosa da Cunha, Dr. Hyppelito Velloso Peder-
neiras, Alfonso Lostosa do Amaral, Olivia Castel-
lo Braoco de Gtfsmoe 1 criada, Jnlita Machada,
Luis Leo, Francisco Loistan e sna senbora, Er-
nesto Joa Ferreira, Joa Martina Leito, sna se-
nbora, su cunbada e 6 filbos, O J. Fergusion,
Ballabrega e sua senbora, Charla Conne, Arthur
Meller, Joo Ferreira Chaves, Ildefonso Jos Pe-
reira Simdee, Amenco da Silva Maia, Lafayetta
da Silva Pereira. Bsymundo Seixas, Mara
Vidsl de Souss, Ernesto Uremberg, Laura Lee
0 quatro filbos, Lafayette da Silva Maia, Dr.
Manoel Anreliano de Gusmo, Emilia Guima-
res, Carloa Arthur da Silva Leito, Wiberto Bar-
reno de Mello Bego, 2* cadete Manoel Machada
Silva, Dr. Francisco Severiano de Braga Torras,
Braa Trapslbo, Joo Carneiro Rendo, Nicolao
liento de Albuquerque, Domingoa Leopoldino da
Silva, Jos Antonio Jacome, Mara Antonia, An-
tonio Ednvirges, Cosme, Catharina Mara dos Ao-
jos, 3 imperiaes marinheiros, 3 voluntarios a 4
pracos do exercito.
Proclama* de ca amen lo Na nu-
trs da Afogado* foram lides no dia 2 do correnta
as seguintes :
Lucino Alves do Nascimento com Adelaida Ma-
ris de Jess.
Manoel Ferreira de Andrade com Joanna Maris
da Conceiec,
Na matris da Boa-Vista foram lidos nos dias
19 e 26 de Agosto e 2 do corrente, os seguintes:
Lucio Ferreira de Lima com Severina Baria
da Conceico.
Oiympio Jeronymo Babello com Julia Carvalae
da C .ata.
Jos Mara Brekenfeld Vieira com Urcecina
Agripina da Silva Ferreira. .
Antonio Francisco da Fonaeca com Mili tana
Candida da Crus Monis.
Augusto Botelho de Andrade cora Carolina de
Almeida N-gneira.
Vctor de Assis Silveira com Amabilia de Bar-
ros Martins.
Anti nio An tero Ribeiro com Minervina Mara
da Conceico.
Joo Carlos Walter com Amelia Amalia da Asa-
vedo.
Antonio Pereira Tavares cem Angela Isabel
Bowmann.
Joo Paulo do Bego Barros com Joanna Evan-
gelista de L moa Gmmares.
Joaquim Tbeod to do Bego Barroa com Mara
Amelia,,de isames Guimares.
Jaeintho "Manoel Pontos oom Malvina Balea
Franca. _
Bernardina Perculino de Franca com jThecea
Cberubina de Jesas.
CjB-anias soelaesHa domingo as se-
gOlutrs: u__ U-.
Do Monta-fio Typofrapbico Pornsmosaano, as
10 horas da manh, na sede social, an arsaae or-
dinaria.

I.-C
^


4
Diario de Pernambueo---Quarta-feira 5 de Seiembro de 1888
Do Club LUtMrio Mertini Jnior, s 11 horas
lia dia, de ,oci'1 ra* do IlnPerdor n- **> 1
anear, em sessio ordinaria, para tratar te sobre
versos aasamptos,
' prr*(*rielrar! Foram praticadtt
hospital Podra II, no da 4 de Setembro, ai se-
xaatei :
PeloDr. P.ntual:
Brethrotomia interna pelo proeeno de Maisou-
1:111, indicada por estreitameut j da nretbra.
PAa Dr. Alcebiades Velloto :
Extirpacao de kisto aebacej da regio aurica-
lar posterior.
Casa de OeteacaoSfiovimento dos pre-
asa da Caaa de Detenclo do Recite no dia 3 de
agosto de 1888:
Exisliam 365 ; entraram 2!; tahiram 15 ; exis-
M 872.
A saber:
Nacionaes 346 mulheree 12 ; Htranseircs 14 ;
Total372.
Arraooudjg 295.
Bona279.
Ooeotes 16
TuUl295.
Huvimeoto da enfermara :
Tiveracn baix* :
aasenio Ferreira da Silva.
aBoel de Santa Anua Oiiveira.
Jos Vicente Pereira.
uapiial Pedro IIO movimonto do da
CHROMCA JUDICIARIA
Tribunal da Relacae
8ES8AO ORDINARIA Esf 4 DE SETEM-
BRO DK 1888 _____
PBJBIDENCIA DO KM. 8B. CON8BLHKIBO
qointino de miranda
Secretario Dr. Virgilio Coelho
A's boraa do coa turne, presentes oa Sra. deaem-
bargadorea em nume.-o legal, foi aberta a sessio,
depois de lida eapprovada n acta da antecedente.
Distribuido* e pasaadoe oa feitoa deram-se oa
aegnintea
JOLGAMENTOS
Haheas-corpus
Paciente; .
Eiaamo Manoel Correia Ceear. Mandn ae ou-
vir o juia de direito do 3 diatrieto criminal, con-
tra o voto do Sr. deaembargador Tavares de Vas-
concelloa.
* Recurso crime
D'Area- Recurrente o juiao. recorraos Heleo-
doro da Motta Leal e ontro. Relator o 8r. dea-
emb-rgador Alvea Ribeiro. Adjuntos oa Srs.
deaembargadorea Buarque Lima e Toscanj Bar-
reto.Deu-se provimeu:o, unnimemente, pira
ae annnllar o proceaao.
Appellacoes Crimea
De I cambAppellante Joaquim Flix Je Me-
it Seteaabro, deate estabelecimento, foi o segain- j nexes, appellada a juatica. Relator o Sr. desem
bargador Toacano Brrelo. Jonfirmou se a sen
Entraram 10
Snhiram 12
Falleceram 1
Exiatem 485
Foram visitadas as reapectivaa enfermariaa pe-
Moacoso as 8, Gyaneiro s 9 1 {i. Barros Sobri-
ano a 7, Alcebiades Velloso as 10, Pontaal s
AC 1|2. E.revi) Cavalcante as 8 ljl horas.
Simoes Barboaa nao eompareceu.
alaquias, dem.
Berardo idem.
Cirnrgiao dentista ama Pompilio, nao com-
parecen.
Pharmaceutico eotrou a 8 1|4 e sahio as 4
Ajndante do pharmaceutico entrn as 7 1|4 e
sabio s 4 horaa.
LK-rla\ do tiro ParaEis es premios
ala 4a serie da 20* lotera do Grao-Para, extrabida
M 3 de Setembro de 1888 :
5775 60:100/000
1080 6:0W/0u0
6546 3:000*000
6518 1:200*00!)
7966 1:200*000
Approximacoes
5774 600*000
5776 600*000
1079 300*000
1081 300/uOO
6*45 180*000
6547 180*000
Esto premiados com 600*000 os segnintes n u-
1088 2099 4859 6436
Esto premiados com 300*000 os segnintes nu-
aaaroa :
50 724 745 1327 5140
Eaiio premiados com 120*000 os segnintes na-
5771
5777
5772 5773 5774 5776
5778 5779 5780
Estao premiado* com 60*000 os segnintes na-
1071
1076
1072 1073 1074 1075
1077 1078 1079
Estao premiados com 30*000 os segnintes nn-
aeros:
6541 6542 6543 6544 6545 6547
6548 6549 6550
Todos os nmeros terminados em 75 estao pre-
ciado* com 60*000.
Todos os nomeros terminados em 80 esto pre-
stados com 60*000.
Todos os nnmeros terminados em 46 esto pre
liadas com 30*000.
Todos os nnmeros terminados em 5 esto pre-
viadoa eom 30*000, excepto os terminados em 75.
Todos os nmeros terminado] em 0 esto pre
xaa-doa com 30*000, excepto oa terminados em 80
A eeguinte lotera corra 00 dia 10 de Setembro
a plano de 60:000*000.
atera da VictoriaAcham-se a venda
n biiaete* da 8.* lotera da cidade da Vic-
toria, da provincia do Espirito Santo, enjo plano
bastante animador, conforme se v do annuncio
eatootrs seclo deate Diario. A extracelo tera
lagar no da .. de Satembro.
Latera do ParaA 6* parte da 20a lote
ra, peto novo plano, cujo premio grande de....
0:000/000, ser extrabida, seguada-feira, 10 de
Setembro.

MMERMrt
Revista do Mercado
RECD7E, 4 DE SETEMBRO DE 1888.
Pouco movimento na praca.
Isa cambios honve poneaa transaccoea.
5a Bolsa faram negociadas 60 lettras hypothe
avias eom o descont de 1 /
Fei vendido om pequeo lote de algodlo de i*
serte de sertlo.
Rada ooostou sobre conros.
Bit' a posijo dos diversos mercados :
Bala*
COTAtOKS OFFIC1ABS DA JCNTA DOS COR
RBCTORE8
Aseare. 4 de Setembro de 1898
Aettras bjpotbeearias'coo juros a 99* Cada urna.
Desecte ae letras, 8 0/0 ae anno.
Na hora da bolsa
Veaderam-se :
29 letras nypotbecaiaa.
40 ditas dem.
O p-esmente,
Augusto Pinto de Lemoe.
U secretario,
Pedro Jos Pinto.
Jambla
' O mercado manteve se sem alteraolo, conti-
jaaodo os bancos com a tax% de 26 3/8 d., sem
aeharem tomadores.
En> papel particular constoa pequeas transae-
sfa a 26 9/16 e 6 5/8.
O mercado fechoa firme. -
So Rio o papel nanear 10 foi cotedo a 26 1/2 d.
Ae taxaa officiaea para as diversas praoaa, ex-
pertas aqui foram estas
90 d/v vitta
itad-n....... 263/8 26 1/8
Parie...... 359 862
lUira. I........ 362
Mibargo...... 446 449
Lisboa e Porto..... 201 203
T:ospaea uidades de Porta-
sal.......... 208
tA dos A/oreo .... 211
Una daMadeira....... 208
*.ra>-York ...... 1*890
Algadaa
Honve vea da do de 1* sorte do sertlo a 6*0u0
por 15 kloa.
A exportaclo, feita pela alfandega neate mea
ate o da 3, attingio a 11987 kilos para o exte-
ar.
As entradas realisadas no mea de Agosto findo,
foram de 11.507 aaecas, sendo por :
iareava*...... 5^ Saccas
Vaporee ..... 2.340
Animaes....... 3.45
Via-ferrea de Garuar 1.836
Va-lene. de S. Francisco'. 59
Tia-ferren de Limoeiro 2.751 *
Somma 11.507 Saccas
Em igual mtz de 1887 11.235
Biserenca para mais em 1888 212
tenca, unnimemente.
Do Inga Appellante Antonio Feroanles da
Crus, appellada a jaatica. Relator o Sr. desex-
bargador Delfino Cavalcante.Slandou se a u-vo
jury, nna.mmemeote.
Do Buiqae Appellante o promotor publico,
appellado Manoel Mariano de Oiiveira. Relator
o Sr. deaemb irgador DelSoo Cavalcante.Maa
don-se a novo jury, unnimemente.
Uc Campia Grande Appellante o promotor
publicj, appellado Antonio Fernaodea da Silva.
Relator o Sr. dosembsrgador Buarque Lima.
Uonfirmju se a sentenca, un loimemente.
De Alagda do Mooteiro Appellante o juiao,
bppelladoa Amaro Filbo e Cinrado da Silva Bru-
ga. Relator o Sr. deaembargador Buarque Lima.
'Joafirmou-se a Sentenca, unnimemente.
De NasarethApoellante Manoel Diaa Barb>-
aa, appellada a ioatica. Relator o Sr. deaembar
gador Toacano Jarreto. Coofirmou-ae a senten-
ca, unnimemente.
Da IndependenciaAppellante Francisco, por
sen curador, appellada a juatica. R-Iat ;r o 8r.
deaembargador Buarque Lima Confirmou-se a
sentenca, unnimemente.
De Nasareth Appellante o juii >, appellado
Elysio Porfirio de A buquerque Maranbao. Rela-
tor o 8r. desembrgala Buarque Lima.- Man-
don-ae a novo jary, unnimemente.
De OlindaAppellante o juiso, appelladj Fran
cisco Antonio Tavares. Relator o Sr. deaembar-
gador Alvea Ribeiro.Mandn se a nsvo jury,
unnimemente.
Appellaclo civel
Do RecifeAppellante a faxenda provinsial,
appelladoa Rodrigues Lima < C. Relator o Sr.
deaembargador Toacano Barreto. Revisores os
Sra. deaembargadorea Delfino Cavalcante e Mon
teiro de Andrade.Foram recebidos o embar-
gos, unnimemente.
PA88AGKN8
Da Sr. conselbeiro Queirox Barros ao Sr. dee-
embargador Buarque Lima :
Appellacdes crmes
Do IngaAppellante D. Anna Thare^a de
Araujo, appellado laanoel de Barros Soosa.
Do Buique Appellante Juvenal Velloso de Al-
buquerqne, appellada a juatica.
Appellaclo civel
De Campia GrandeAppellantes Angela Leo-
poldina de AlOnquerque e seos filhis, appellada a
ex escrava Mara.
Do Sr. deaembargador Delfino Cavalcante ao
Sr. deaembargador Mootairo de Andrade.
Appellacdes crimes
De TimbabaAppellante Vicente Fernandes
Peixoto, appellada a juatica.
De OlindaAppellante o jaiso, appellado Vi-
cente Fer.-ira Baptiata.
Do Sr. deaembargador Pires Ferreira ao Sr
deaembargador Monteiro de Andrade :
Appellacoes crmes
De OuararibtAppellante o juis;, appellado
Jlo Carloa dos Santos.
Do PilarAppellaates o juiso e Franci-ico Ao
tonio Alvea, appellado Joaqcim Xavier B irges.
O Sr. deaembargador Prea Ferreira cono > pro-
motor da juatica e procurador da oda, dea pa-
recer noa aeguintes fetoi:
Appellacoes crimes
De I tambAppellante Antonio Flix da Sil
va, appellada a juatica.
De AlagaaAppellante o promotor publico,
appellado Francisco, ex-eacravo.
Appellaclo civel
De P4j d'AlboAppuliante Tnoin.x de Albu-
qusrque Maraubt >, appallados O. O ympia de
Abreu Marque* Bacalbao e sena filhoa.
Do Sr. deaembargador Monteiro de Andrade ao
Sr. deaembargador Pires Gtoncalves :
Appellaclo civel
Do Recife--Appellante a 8aota Casa d-Mis-
ticordia, appelladoa Jlo Anselmi Marques e
00 tros. ,
Ao Sr. deaembargador Al ves Ribeiro :
Appellaclo civel
Dj Recife Anp-llaote Dr Pauln Jos i- uli-
virs, appellada D. Jos'pha Francisca Peisot de
Mel'o.
Do Sr. deaembargador Tavarea de Vasconcellja
ao Sr. conselbeiro Queiroz Barros :
Appellacoes crimes
D;- ItambAopellante Manoel Igntsio de Li-
ma, appellada a juatica
Dj PilarAopellante o jaiu, appellado Julo
Rodnguea d O iveira.
De Agu PretaAppelince : miso, appellado
Jo. Elias Santiago.
Appeliaces comm^rciaes
Do R-cf-- Appallanw Joa Vilella de Castro
Ma.is, appellada D. dolida Baptista de Aseve
do Main.
Do RecifeAppollunte Antonio de Castro Mon-
teiro, appelladoa Si i va & Al ves.
Appeliac/lo civel
De Camaragibe \ppellante o juiso, appellado
Elias Marioho de VMl.
DILIGENCIA
den vista ao Sr. desembargad >r promotor da
jcatica :
Appellca> crime
De Bom Consi'b)Appellante o juiso, appel-
ladoa Luis Cordeirs de Franca e oOtro.
DISTRIBUigOES
Aggravo de peticlo
Ao Sr. deaembargador Buarque Lima :
Dj Recife Aggravaote Joa Mjreira da Silva,
aggravad > o juiso dos feitoa da faz inda.
AppeiLcl) cive
Ao Sr. deaembargador Delfino Cavalcante :
Do PneloAppellante Joa Jo.tquim de Son-
ta Meuexea, appellado o capillo Jos Antonio de
Vadcooeelios.
Eucerrou-se a seaslo 4 1 1/2 hora da tarde.
Annear
Os oreos pagos ao agricultor, por 15 kilo*, se-
gundo a ,-iiiociagd.o ommeraal Agrcola, foram os
aeguintes :
U.neo 3.' superior 2*900 a 3*00(1
3.* boa ... 2*700 a 2*800
. 3.* regular 2*500 a '2*600
v.-menos ...... 2*000 a 2*200
aseavado purgado 1*600 a 1*800
broto. 1*140 a 1*300
fetame ..... *800 a 1*000
i de turbina nao tem apparecido no mercado.
A exportaclo teit* pela alfandega, oeste mex,
at o dia 3, snbio a 7.857 kilos, sendo 309 para o
exterior e 7 548 para interior.
As entrad! efectuadas no mes de Agosto findo,
foram de 5.5^0 saceos, sendo por :
P1JBLIC4C0ES A PEDIDO
O vapor Ptolemy
bu cape-uva que a proposito do vaper Polemy
vie-sein c..l imniar-me na impreosa anooyma. E'
certo que odio velho nlo cansa, e alguna indivi-
duos de reputadlo equivoca, tfiji" praaer em achin-
calbar o oome albeio, anda que a>ja necssaiio
mentir.
Mas en tenho a verdade do meu lado e hci de
eamagar o malvolo que prcenruu envenenar um
cuso patente aos albos at doj que nlo alo pro
fisaonaes.
Tres slo os pontos de aecuaaelo no aransel i
qoe von res pon leudo.
Primeiro W nega q ie o ornmsndante do Pto-
lemy tivc-sae me afirmado na occasilo da entrada
que o navio saleta 18 pi e lf2 a pdpa e 18
proa;
Segundo que falso ter o navio no momento de
encalhar no banco do Pido 21 ps a proa e 19 e
1,3 1 popa ;
Terceiro que o nav o ao investir a Barra Gran-
de batera tres veaes no cordlo 'da pedra da pro i
para o maatro do traqn- tt.
Os que me lm comprehendem pRifeitamente
que sendo exacto a primeira argoicl). o mais in-
teresado em protestar devia ser o proprio com
mandante magoado oa sua reputaclo de martimo
e sobretodo paru salvar a sna respoosabdUade de
capillo de navio.
Nlo teodo o cotnmandaote protestado at ho)e,
nem o agente d companhia que, ao contrario, se
mostram ao meu favor, v ae bem que W nlo
serio contestando a noticia do Jornal.
Eatcn corto qne o conmandantc aera incapaz
de contestar me. Eu o reputo um homem serio.
S depois de encalbar o Ptolemy foi q>o o capi-
tlo pergntttoo ao carpioteiro de burdo qual o ver-
dadero calado do navio.
Segando verificaram o carpinleiro e ontra* pes-
soas habilitadas e nsuspeitas o Ptolemy calava 19
pea a pop e 20 n proa.
O Sr. pratico-trr eateve dorante muito lempo
a b >rd e teodo o capitlo do porto pedido o n
parecer sobre a peticlo em que eu requera urna
vistoria S." S. responden queja, tiobs pesa^almente
verificado a minba iocntpabilidade. Para ra que
oonhecem u baneo do Pido cada ves augmentado
cou as novas carnadas de areia que a correte da
m-re tras, para oa qoe asbem o estado do oosao
aaaaaaaaMsaaaaaaaaaaaaaaaaaaBaaaaaaaBaaassssasaaBBBessaas)
Pap-1 8 caixas a. Parete Vianna & C,
120 fardos a T. Just
porto qoe viaivclmente se arrnins, abandonado
pelos poderes pblicos, nlo esjranhavel qoe em
ama pequea mar de qnarto um vapor do calado
do Ptolemp nlo encontr' agua inficiente para
navegar c>m franqueas. .
Accresca porm que ao atravessar o banco, ten-
do o navio ponca agua na qailba, nlo attendeu
manobra e desgovernou guiando para trra.
Aos olhos dos prufissiouaes Uso nlo deve cansar
admiraclo.
Q lauto cavilado de W. inventando que o
Ptolemy batir trea vetes da proa para o maatro
to traqnete ao pasaar a Barra Orande, limito-me
a responder com o exams que fea ama commissio
para esse fin n,meada pelo capitlo do Dorto a re-
querimento meu.
Eis* a certidlo que me foi dada por orden, do
Sr. capitlo do porto :
Em cumprimento ao despacho aupra, certifico
quo o theor do exame procedido pela commisslo
oa BarraQrande concebid) nestea termos :
Illm. Sr. i.iap -otor do Arsenal de Marimba de
Pernambueo.Em cumprimento ordem de V.
8. fomos em eompanhia do commnodante do pa*
< quete Ptolemy, aondar a Barra Grande deate
porto e all prumain >s eir differente* poaices e
< indieacois do mesmo rjommandinte, eaantran
do sempre quatro bragas e meta e cinco. Ea-
tavamoa em duaa boraa de vasante, d'onde se
se ple concluir que o paquete all passando na
pra-mar de ante-hontem is 10 horaa e 30 mi
untos da manbi, nlo poda ter tocado em lugar
algum, navegando como estava em desenove e
meio ps de calad".
Araenel de Marioba de Pernambueo, 1. de
Setembro da 1888(Assiguados)O 1.* te
nente Polycarpo C. de Karros. Herculano J.
Rodriguea Pinheiro, '2 1 cuente e psatico mor. >
o que consta do termo do referido exame
no qual me reporto.
Capitana do porto de Pernambueo, 4 de Se-
tembro de 1888 O secretario, Antonio da Sil-
va Asevedo. a
Don por terminada a mioba resposta e nlo
mais virei i imprenaa sobre o presente asaampto.
S'emattend0 eojiublico prestei considerado
nos aleivi* de W. e a< oa comparaaB.
Recife,. 4 de Setembro de 1888.
Adolpko Manta.
Sandadesdeama mfii por m aihu
que estia ueutio lonsje d'eiia
Nos bosques nos campos
Minb' alma delira,
Sandosa por ell
Que to longe suspira.
Olbando a caeinba
Onde elle mora va,
Cercada de Florea
Onde elle eatudava.

E' a prece contricta
De urna mli cariobosa
Escutai Virgem
Meus ais, to aaudoss.'
Eacotai, 6 Virgem
Minba prece bemdita
Qoe ser para mim
Urna lembranca infinita.
Aos Srs. agricultores
O abaxo assigoado convida aos Srs. agriculo-
res do termo de Gimelleira e comarca da Escada,
a se reunirem no dia 7 oV> correte, oa casa-da c-
mara da villa de Oaoelleira, ao meio dia, para
trataren! de assomptoj de verdadeiro interease dos
meamos agricultores, visto como depois da pa-
tritica lu de 13 de Maio mais preciso se torna
que a iniciativa individual nlo se deixe arrefecer,
esperando qoe tudo nos veoba do goveroo e igual-
mente convido aos agricultores das outras comar
cas a, por sna ves, faserem a meama couaa, para
marebarem de commum accordo e de um modu
harmnico sob o mesmo ponto de vista.
Minas Novas, 3 de Setembro de 1888
Antonio Venancio Cavalcaote de Albuquerque
Ao coDimercio
Como mico repres-ntante da firma Coliseo &
Companbia v-nho a bem de meus interesase faser
notorio ao corpo commercial desta praca qut no
cerco e varej 1 praticado no mea estabelecimento
na roa Viacoode de Inbauma nada foi pela polica
encontrado de sospeito.
A facilidade com que tcab-i de ser desconside-
rado pelo Sr. Dr. c efe de polica cirecendo de
analyse oircomataneiada me reservo para oppor-
tunamnte tasel-e.
Recife, 3 de Setembro de 1S88.
Joii Ccllaeo Das.
Embarque
Embarcando hoje para o Rio de Janeiro,
no vapor Manan e nlo tendo tempo de
deapedir-me pesso lmente de todas aa psa-
s6as om qoe entre tenho relacSea de umi-
aadeavenbo pela presente offerecer oa meus
pequeos prestimos na corte.
Recife, 4 de Setembro de 1888.
Wtberto Barretto Mello Reg.
nr. a
'.Oa pietas em todas as idades dedicaran) elegan-
tes estropbes Gloria da mulher-seas lindos e
formosos cabellos.
A ealviee era tida como ama grande macula
noa tempes antigos, e com imito maior razio o
dever ser oestes tempos modernos, quando o meio
de o evitar acha-ae, por assim diser, quasi ao al-
cance de todos ; portento nlo demasiado diser"
que o uso frequente do fragrant vigorad ir vege-
tal o Tonio Orien'al, conserva o cabello era.pleno
vigo durante a vida, restitu o e o fax regenerar,
quando por motive de eofermidado ou deleixo
principia a aeccar ae e a cahir, e ihn d, ae est
seseo ou spero, um grao de brilbo e fl'xibilidade
que oenbuma outra preparaclo c&paz de produ-
sir u imitar.
L se na Revue Medicle :
t Apezar dos proeessos de purifca^lo
mais aperfeicoados, o oleo defigado de ba
calbo fi:ou um medicamento prohib lo a
muitos doentes, cu o estomago nlo pode
mais supportar as substancias grasas. Era
portanto necessario procurar um meio de
mudar radicalmente asna forma conservan-
do todos os seas principios activos to pre
ciosos: este r aullado foi obtido pela com
posiclo do Vinh.i de Extracto de F g 1 i<>
de Bacalbo, de Cbevrier, preparadolvegun-
do urna formula approvada pela Academia
de Medecioa.
Recommeudamos aos nossos leitores este
excellente producto que contem vez, to-
dos os elementos efUciiz-s do oleo de gado
de bacalbo e possue as propriedades tbe
rapeuticas dos preparados alcooiicos.
Sochdade Becrealiva Jjve:tale
Kis o resaltado da eleicl" procedida ao domingo
ultimo.
Presidente. Manoel Joaquim Baptista.
Vice-presidente. Jos Francisco Oias.
1* secretario, Aotooio AWea Mooteiro.
2* dito, Jos Guircarles.
Tbesoureiro, Miguel de Asvejo Andrade.
Vice-thesooreiro, L) -Ifiu Francisco da Silva.
Bibliotecario, Jlo Jos de Abran.
Cimmissli de cuntas. Antonio Ferreira Lepes.
Antonio Francisco Pinheiro e Aotooio Gomes de
Oiiveira.
Directores de mes:
Alfredo dos Santos Almeida.
Antonio Valerio de Medeiros.
Caetaoo da Silva Presado.
Eduardo Das Santiago.
Ernesto da Silva Araujo GomarSes.
Francisco Luis A vea de Bnto.
Francisco de S.
Jos (t ncalves Dius.
Manoel da Silva A'meida.
Manoel Caetxoo de Androde Faldo.
Mano-I Goncalvrs Pereira
Adriano do Mcdeir-s Costa.
Dr. Oclacilo Cantar
Este talentoso medico, residente em Pe
Iotas, especialista das molestias de
cas, respeito do Peitoral de
passou o seguinte attestado :
orean-
Cambar
Patacho nacional Marinho 4, eatrado
do Rio Grand) rio Sul, em 1 do correte e
consignado a Maia & Reaende, manifea-
tou :
Xarque 268.190 kilos ordem.
-lorcacas......
Animaes ...
Via-ferrea de Carnar
Via-frrea de 8. Francisco .
Via-ferrea de Limoeiro .
Somma .
Em igual mes de 1887
Differencw para menos em 88
Saceos
2.136
130
52
3 144
i8
5.570 Saceos
7.869
2.r4?0
Cou re salgadas
Cota-sea 400 ris, nominal.
Coaros verdes
Sem vendas.
Vaper despachado
Vap. all. Santos, para :
Bremen : 2.321 couros necees eal-.-ad.s.
Hamburgo : 6 fardos com unhas de boi e 10 aac-
cos com carnauba.
afaitlo da tlfandexta
sasuH* na 3 a 7 de sbibmbro
om 1888
Vide o Diario de 2 de Setemb
IWovIOsT a carga
Patacho nacional Joven Correia, para Lisboa
Porto.
Pataeho
Sal.
hollandes Afiene, para Kio Grande do
Vatios desc*a.rg<*
Barca nacional Muuosa, xarque.
Barca norueguenae Flid, carvlo.
Barca norneguense Bila-d, carvlo.
Lugar hollandes B. R L-emhuil, xarque.
Lagar ingles Flora, bacalbo.
Lugar ingles Danure. bacalbo.
Patacho nacicnal 6'ocia, xarque.
Patacho nacional Positivo, x.rque.
Patacho hespaabol Encarnacin, xarque.
Patacho nacional Potente 3 *, varios gneros.
Pataeho nactonal Hegaleira, xarque.
Patacho alUmlo Adeiheid, xarque.
Patacho nacional Riial, xarqoe.
Patacho nacional Marinho VI, urque.
Importa c>
Vapor austraco Tior, entrado de Tries-
tre e escala, em 3 do correte e consignado
a Johoston Pater d C, manifesiou :
Agua-raz 25 caixas ordem.
Farinba de trigo 7.153 barricas cr-
dem, 125 a H. de Druzioa & C, 100 a
Guisarles Al Permau & C, 50 a Affonso
Oiiveira d C.
Li orea 10 caixas a Carvalbo d C.
Barca norueguenae Helios, entrada de
Hamburgo, em 3 do correte e consigna-
da a Fonseca IrroSo d C manifestou :
Al.;atr3o 20 barra e 20 1/2 ditos a J-jb-
quim Alvea da Silva Setatos.
Alcool 1 caixa. a F. Manoel da Silva
d C.
Bitter 10 csixas ordem.
Brabante 1 oaixa a C. Wacbsmann.
BaUocas 2 caixja A ordem, 2 a A. D
Carneiro Vianna.
Botijas vaaias 533 a C. A. Vander
Linden, 500 ordem.
Cimento 100 barricas a Miranda d Sou
aa, 200 a Parent-i Viannad C, 300 a Gui-
marles d Valente, 1250 ordem.
Cabos 46 rolos a BeltrSo d Costa.
Cervpja 40 caixas a J0S0 Fernandes de
Almeida, 20 a Affmso Oiiveira d O, 30
a Domingos Ferreira da Silva d-C 50 o
Paiva Valente i C, 10p a Joaquim Fer-
reira de Carvlbo d C., 50 a Fernandes
& Ir re. Jos, 30 a J F. da Costa, 154 e 20
barris .irdsm.
Cevadiaba 25 garratSaa ordem.
C.n-Ji iros 1 caizt a B. Dusrte Campos
d C.
- Canela 6 caixas a Prente Visnna & C.
Drogas 2 caixas a Francisco M.noel da
Silva & C.
Ervilhas 35 garra(3ds ordem.
Espoletas 1 caixa a A. O. Carneiro Vian-
na.
Ferragens 20 barricas a Visnna Castro
& C.
Frascos vssios 24 grades ordem
G-'negra 20 caixas a Soarea d F..man-
des, 50 A ordem, 100 a Jlo Fernandes
oe Almeida
G-.rri.f3-.-s vasios 200 ordem, 500 a
Fernandes d Irro&os.
L-.uca 15 grandes a Affonso Oiiveira
d C, 60 a Fernandes d Irmlos, 1 or-
dem, 58 Jos de Macedo, 30 e caixas a
P iva V.lente d,C.
Marcadorir.s diversas l voluroa a H.
Lubdgren 4 0,2a N. Fonseca d C, 1
a Oveira Bastos & C, 1 a Cbristiani
d C.
Mideira de piubo 14 pr.nali3-'S or-
dem.
Pnpeilj 8 fardos a B. da Silva Carva-
lho. 'jL_ '
Palbinlia l fardos a C. Wacbsmann.
Piano 2 ciixBss a H. Vogeley.
Pedrss de louz 1 caixa a C. Wacbs-
mann.
Pimenta 10 ac:os a'Prente V
d c.
P*r fioa 10 caixaa ordem
Pbospboros 10 caixSes a Oiiveira Bas-
tos & C-, 10 a Soares d Fernandes.
15 a Fernandes d rmSos, 10 a Go-
mes de Mattos Irmlos, 65 ordem, 10 a
Domingos Ferreira da Silva & O, 20 a
Nunea Fonseca & C 5 a Joaauim Fer-
reira de Oarvalbo & C-, 20 a Domingos
Cruz d C, 5 a Jlo Ferreira da Cot,
10 a Antonio D. Carneiro Viaooa, 15 a
Soares do Amaral Irmlos, 10 a Gomes
d Pereirs.
Papel de embrulho 10 far loa a Ferreira
Barbosa d C 20 ordem, 346 a Vieira
d Silva, 22 a Esnaty Rodrigues d O, 1
caixa a Prente Vianoa & C 1 a Affonso
Oiiveira d C.
Sag 30 garrafdes ordem.
Sr bo 40 barricas ordem.
Vidros 2 caixas a Bernsrdino Duarte
Campos d C.| 24 a C. A. Vander' Lio-
dem, 8 a Coorad Wacbsmann. Ditos para
vidra.a 20 caixas ordem, 125 a Ferreira
Guimar&es & C, 54 a Rodrigues & San
Santos.
Volas 6 grades a Domingos Ferreira da
Silva d C.
Vapor ingles Estrella, entrado dos portoa do sal
em 3 do correte e consignado a Pereira Carneiro
& O, manifestou :
Arcos de po 129 volum s.
Barricas v-sas 601) orden.
Biscontos 7 eugradados a Maia & Resende, 6
ordem.
Fio de algodlo 29 saceos.
Impressos 1 caixlo.
Liugnas 10 caixas.
Piassavas 450 betas.
Panoo de algodo 48 fardo* ordem.
Sabonete l'caixa a Maia & Resende.
Xarque 2.839 fardos a diversos.
Lugre Danure, entrado de Terra-Nova em 4 do
correte e consignado a Quintarles & Perman,
mauifestea:
Bacalbo 2.610 barricas e 800 meias ditas acs
consignatarios.
Paquete nacional Mando, eatrado dos portos
do norte em 4 do corrente e consignado ao Viscon-
de de Itsqni do Norte, manifestou :
Pelles 2 amarrados a Jlo Ramos.
Tapioca 15 eocapidos a Joaquim P. Alves
6x0.
Vinho 25 caixas a Gromes de Mattos Irmlos.
preparado pelo Sr. Jos Alvares de Souza
Soares, te n urna acclo especial sobre a
niuunsa daa vas respiratorias, curando cu-
rando ou alliviando muitas molestias destas
mesitias vas, e que prova cabalmente a sua
erescente procura e aceitadlo, que aioda
nlo te ve producto algum ofBcial n'esta pro
vincia. O referido verdade, o que affir-
mojem f do meu grao.
Dr. Octacilio A. Cmara.
Elixir de cabeca de negra
A abaixo aasigoada previne ao respeita
vel publico, desta e dai demais provincia
do imperio, onde tea tido grande acceia-
taclo o-Elixir de cabega de negro-,
outr'ora preparado pelo pharmaceutico Her-
tnes de Sonza Pereira, qje dito Elixir de
sua propriedade, conforme foi reconocido
pela Iospectoria Gtral de Hygietm da cor-
te, por titulo que j se acba registrado na
Junta de Hygiene d'esta capital.
O referido medicamento s pode ser pre-
parado e vendido por autorisaclo sua, e
taz este aviso porque tora noticia de que o
dito mdicamente est sendo falsificador
porquanto a verdadeira formula, que era
de seu finado marido Dr. Jacintho Silvana
Santa Rosa s a> abaixo assignada possue,
e existe na Inspectora Geral de Hygi?QP.
Re ufe, 21 e Agosto de 1888.
Antonia Roaalini de Santa Roa,
Dr. Carlos Betleneoarl
MEDICO E OPERADOR
De volt* da sua viugem ao Rio de Ja-
neiro, onde esteve no exercicia da sua pro-
fisslo, trata dos ESTREITAMENTOS da URB-
T.HRA PELA KLEOTKOLYSE, SEM DOR, hjito-
celes sem iujecclo (cura radical), tistulas,
bemorrboidas, tumoros do tero e corri-
mentos. Cura rpida das gonorrbas. MO-
LESTIAS DA GAKG\ST\ E DOS PDLMOES
PELAS ATHEMOSPHEUAS ASTI8EPTICA8. Ds
posse de curatic.ia, iustrumentos e appare-
Ihus os mais aperfeigoados, garante a iura
das suas especialidades.
Consultas e operar;3as das 12 s 3, ra
do Mrquez de Olinda n. 34, 2. andar.
Chamados por escripto e para fra da ci-
dade. R--il-n;ia provisoria, travessa da
ra Real, Torre n. 1,
In5.cz pratico
31 r. Huais
do Londres, avisa a quem ioteressar possa que
?. Dr o nm curso n ic'urno de ensino pratico da lia-
iu inglesa, 1 ra estrena do Rosario n. 4, pri-
men o andar.
,%rtlgosde asbesto tchales) ede
Borracha azeltes para machi-
nas.
Precisam-se de agentes geraes para a
venda privilegiada dos nossos artigos, os
quaes slo na uropa recoohecidos como
s-n io da melbor qualiJade a saber :
Azei'.es para machinas, denominados
Vntvoline Aelling de Reddaway.
Artigos de asbesto do verdadeiro mrito
de Keddaway.
Artigos de borracha de verdadeiro m-
rito de Reddaii'y.
Dirija-so directamecte aos fabncaotes
F. Ueddaway & 0. Hamburgo.
Dr. Coelbo Leite
Participa a aeus clientes e amigos que
tem seu consultorio na ra Duque de Ca-
xias n. 57 1 andar,-onde ser encostrado
de 12 s 3 da tarde todos os dias e
Atteato que o Peitoral de Cambar, reside provisoriamente, na ra do Hospita
No biate nacional B. Jesut, carrearon :
Para U>.>, f de Asis Fernandes Vianna 25
caixar com 175 litros Oe geoebra.
Na barcada Dylia, carregoo :
Para Cidaie do Passo, J. M. do Nascimcnto
5,000 litros de sal.
Ulltietro
BBosamo
Pelo vap. Dg. >Elbo, para :
Enghsh Banek
Banco Internacional
400004000
50 000*000
t*eardIm*snio(s publicua
as na BTaMBR 1
Al/cnulet/a
Renda su-<^ :
Do dia 1 3 56:454*216
dem de 4 3^.373X424
Portuguez n. 14.
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWL1NSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados Unidos, tem aberto o seu cnsul -
torio, na ra Io do Mar$o n. 20, i* an-
da
Censnltas das 10 s 4 horas da tarde.
l>o dia 1 a 3
[dem da 4
5.542*509
2.625;290
95:827/640
8:167*799
Somma total
103:995/439
Segunda seceo da Alfandega, 4 de Setembro
de 1888.
O thesouroiru Florencio Domingves.
O ehrfe da aeccSnCicero B. de Meti.
' l.erebedona eral
Do dia I a 3 3i18l'/761
[dem de 4 S36i853
4:119/614
Herebetforl* provincial
Do dia 1 a 3 1:783*972
dem da 4 564 lo7"i
Precos do dia :
Carne verde de ?80 a 4J ris o kilc.
Carneiro de 720 a 800 ris idem.
Halaos de 560 a 640 ris idem.
Farinba de 240 a J2t> ris a cuia.
Miho de 240 a 32u res idem .
Feijio de 610 a 900 ria laew.
Hatnrid uro Publico
Foram abatidas no Matadooro da Cabanga 83
reaes para o consumo do dia do boje.
Sendo: 57 reces pettencentes a Oiiveira Castro
i C, e26 a diversos.
Vapores a entrar
MEZ DB SETEMBRO
Europa....... Nerthe .......... boje
Europa....... Ville de Buenos A y res boje
Sul........... Alagos...........amacha
........*"
t Heclfe Dralnage
Uc dia 1 a 3 5:610/167
dem de 4 3:760/678
2:348x650
9:3i0/84
Sal........... Vilie de Cear.
Norte......... Espirito Santo... 1.
Sol........... Finance...........
Europa....... Trent
Sul. ..'....... Para
Europa........ Ville da fernambuco
Sul........... Neva ...........
Nurte......... Allicnca ..........
Norte......... Maranho.........
Sal...'........ Pernambueo........
Europa........ La Plata..........
Sul........... Tamar............
Vaperrat a aahlr
MEZ DE SETEMBRO
Santos e ese. Nerthe........... boje a*
Santos e esc. VtUede Buenos Ayres 6 s
Norte....... Alagoas .. V....... 7 is
Havreeesc. Vle de Cer.....11 s.
Sol......... Espino Santo..... 13 s'
New-York .. Pionee .. ........ 13 s
Buenos Ayres Trent.............. 14 s
Soatbampton. Neva
Norte....... Para
Sanese esc. Ville de Pernambueo. 17 s
Santjs e esc. Allianca........... 19 s
Sul......... Maranhao.........23 s
Norte...____ Pernambueo....... 27 s
Buenos Ayres La Plata .,.#... .\ 28. s
SoU'hamptD. Tamar............ 30
10
13
13
14
16
16
16
19
23
26
28
30
b.
h.
b.
b.
5 h.
4 b.
2 h.
16 s 12 b.
17 s 5 b.
4 b.
5 b.
5 b.
6 h.
2 b.
1 b.
riaona
Uxpertar*
naoin, 3 na setembro di 1B88
Para o exterior
No vapor allemio Santos, carregrsm :
Para Hamburgo, Poblman C. 1,200 pelles de
eabra.
No pataeho nacional J. Correia, oarrega-
ram :
Pans o Porto, M. Lima 4 C. 60 saccas com
4,610 kilos de algodlo.
No patacho nacional Social, carregon :
Para o Porto, J. da Silva Carneiro 134 saccas
com 10,377 kilos de algodo.
Para o interior
No vspor nacional Mendos, earregaratn :
Para Rio de Janeiro, L. A. da Costa 10,000
cocos, fracta ; P. Pinto & G. 16 pipas eom 7, 00
litros de agurdente \ i. Pereira 4 saceos com
260 kilas de caro/ s de algodlo.
No hiato nacional Correio de Natal, carre-
garam :
Para Maeabyba, M. A. Senna 6c C. 20 barricas
cen 1,326 kilo* deassueax refinado.
Mercado Manlcipal de
O movimeuto deate Mercado no dia 3
tembro ioi o segainte.
Entraram :
31 1)2 boia pesando 4,674 kilos sendo de Oii-
veira Castro & C, 22 1/2 de 1* e 9 de
particulares.
, 343 kilos de peixe a 20 ris
88 cargas de fariofaa a 200 ris
25 ditas de frac tas diversas a 300
ris
23 taboleirus a 200 ris
17 sumos a 200 ris
' matutea eom le jumes a 200 ris
?oram oceupadoa :
30 columnas a 600 ris
1 escnptorio
28 compartimentos de farinba a
500 ris.
31 ditos de comida 500 ris
86 ditos de legomea a 4UO ris
17 ditos de sainos a 700 ris
9 ditos de treasuras a 600 ris
10 tainos a 2/
1 dito a 1/
A Oiiveira Castro 1C:
54 talhos a 1/
Jos
ue Se-
6/860
17/600
7/500
4/6'JU
3/40)
2/600
18/000
3U0
14/0,0
17/000
34/400
11*900
5/400
20/Oj
1/000
54/UX,
Bepdimento dts dias 1 a 2 do cor-
rente
Foi arrecadado iiqaido at noje
Naviaa a entrar
Adamantino....... Liverpool.
Atlanta ......... Hamburgo.
Cbrlatiaa Leriver .. Swansea.
Cares............. Cardiff.
Dora............ L. verp :ol.
l)ous Irmas....... Lisboa
Fary............. Swansea.
Florida...-....... Cardiff.
Helios............. Hamburgo.
Margaretha....... Lindrea.
Spekulaton....... Cardiff.
Hovimeato do porto
Navios entrados no dia 4
jfsoos a escalas14 dia, vap r brasi'ero Ma-
ndos, de 1,999 toneladas, cmuianaanteGuilber-
ae Waddington, eqnipag-'in 60, carga varios
gneros; ao Viscandt d Iiequi do Norte.
Terra-Nova31 das, lu*rar ingles Dunure, de-
186 tooeladas, capillo Kobert D. Cower, equi-
pagem 10, carg oacalbao ; a QuimarSes Per-
mann & C.
Navio salado no mesmo dia
Bij de Janeiro a escala Vapor brasilero Ma-
ndos, commandante GuiInerme Waddingtoa,
carga varios gneros.
Observacaa
Fundeoo n lamsro o vapor franca -Pite fe
217/560
431/140 ['
648/700 I Buenos kyret.
*i


>
Diario de Femainhiico--Quarta-leira 5 de Setembro de 1S8S


fr
Ex na.
le aba
Elixir de Cabera de Ne?ro
Nao verdade que o Elixir de Checa
denegro 6eja preparado segundo a formula
do finado Dr. S.nta Kosa.
A formula e sempre loi de H r oca
de Souza Pereira, e nao d'aqu-lla Dr.
razao porque uSo esacto que a
Sra. D. Antonia R. do Suata R;.u
tal formula, da quI s mete bu sou pos
eaidor.
E' verdade que < u decUrt-i a formula
uo relatorio que re.D-tti iusp'utoria ge-
ral debygien*, na trt*,- quan-in requer
eui norne du firiu H-nu'-a de Souza Pe-
reira & O, successores, a lictoya para
espora venda o referirte pr.p.raiio mas
tendo ido lacrado rase relatorio, qu-a aoinrn
te ffira aberto pelo inspector, para riclle dar
conbocimento aos merobios da iuepectoria
geral, depois do que tornou .-. ser lacrado
e depositado no archivo da repartigao, con-
forme preceit o art. 61 do reg- da by-
gienj, nSo pola a Exma. Sra. D Autooia
ter a formula do preparado.
Acauteletn se, portante, os consumidores
cora o Elixir de Cabeca de Negro annun
ciado pe Exraa. Sra. D. Antooia R sal
oa Santa Rosa pois nao lera, Dem pode
ter, as qualidades tlierapauticas e a effi;a
cia do preparado qu-s era fabricado na an-
tiga pharmacia Hermes de -Souza Pereira
4& C su cessores.
Recife, 24 de Agosto de 1888.
Antonio Maa Marquei Ferreira Jnior
Terrenos magnficos
O corredor geral P J. r*iato est enear-
regado da gubdividi do sitio da capella,
na Ponte de Uchoa, para cujo dan abriram
se diversas ra, o estilo demarcados os
lotes de terreno. '
A locolidale reootniuenda se pela eroel-
Innoia do clima, facilidad do transporte, a
(ioha princial da esti a .je ferro do Ca-
sanga e o ramal da Air.i.I, uo* daaa es
tac8ss prximas, Jaqu .ira e Tafln i iroir.. j
Hgua potavcl de primein quaB-Jade'; t-
urna capella.
O sitio est rnuito arborizado, c.sda
lot do tractos.
Nao porc h.ivcr ni- lii r quera quiz.r constituir* propii'.'tnri de
uro magnifico sitio pequen .
Foroece se plantas dos arruainentoss.
i ms mofa arrancada sepul-
tara
O laborioso criador, Sr. Delfim Flix
de Vas-on'ellos, prente do Sr. major Joao
Manoel Barbosa, juiz de paz da Buena-,
3* districto de Pelotas (Rio Grande do Sul)
teve era 1877 sua esposa e a ti.ha mais
velba gravemente sffectadas da terrivel ty-
sica pulmonar.
A mol'stia, zomb mi do mais escrupu-
oso tratamento medico, ceifou a existen-
cia da inaitosa esposa do Sr Vasoon dios,
e mostrava-se ainda dispotta a exercer sua
fatal influencia sobre a pobre moca
O desespero de pai extremoso inspirou
ao Sr. Vasconcellos una reaoluco acerta-
da, levando o a fazer experiencia do Peito-
ral de Cambar.
Os effiitos do primeiro frasco fizeram
sustar o curso da molestia.
Este facto deu se em 1879, e hoje, pus
sados annos, completamente outra, robusta
e forte, j casada e com filhos, nao apre-
senta o menor indicio d> enfermidade que
ameacon arrebatal-a n'aquMla poca.
Confiemos &o proprio Sr. D-lfim Feliz
de Vasconcellos a narracao deste caso im-
portante, fielmente desenvolvido db seguin-
te carta :
Illm. Sr. J. A. de Souza loares. -
Fazem boje dois aunos que fallecea miaba
mulher, de tysica pulmonar. Pouoo roe-
zes depois deate fallecirnento, minba filha
mais velba, de nome Honoria, declarou se
com a mesma enfermidade da mi.
> Reeorri a todos os meios aconselhados
por mdicos e curiosos para a cura de mi-
aba filha, aasim como j tinha feito para a
fallecida mSi, e o resultado era sempre o
mesmo: a molestia camiohava a olhos vis-
tes para seu termo fatal I O meu prente
e amig), o Sr. majer Jlo Manoel Barbo-
fia, actualmente juiz do paz do 3o districto
de Pelotas, e muitas pessoas dahi, s*b?m
deste* caso desesperador.
' Desanimado e sem saber mais o que
fazer, tui instado por am amigo a dar
minba doente o seu elogiado P toral de
Cambar, e confesso que nunca vi remedio
tSo roaravilhoso, pois foi o que salvou mi
aba filha de urna mortn certa!
J se pode dizer que a tysica pulmonar
oSo ama molestia iocuravel, qus zomba
de todos os meios aconselhados em medi-
cina.
Dou-lhe os meas parbaos por esta
grande descoberta, e Deas o recompense
pelos beneficios que delU t n resultado
'humanidade soffredora.
De V. S. etc.
Delfim F. de Vasconcellos.
Peraambaco
-OS SB8. MDICOS E A DIGNA CLASSE
PHAtiMACEUTICA
As velas Berthaud, contra as molestias
do apparelbo genito urinario, tero, retro,
fistulas, hemorrhoides, etc.,- sao o medica-
mento mais adoptado actualmente o por
isso indisponsavis ns pharmaoias, bospi-
taes e casas de saade. Nao sSo de for
muas secretas, ao contrario, pelas sub
stancias empregadas e dosagem certa, o
facultativo fica desde logo habilitado a
julgir do seu valor. Os depositarios Bar
tholomeu & C, em Pernambuco, ou o
abaixo assignado, remettem quadros e
prospectos com explicares
E Paulo de Freitat.
Deposito geral no Rio de Janeiro.
m
do de proceder sn a reviaao rio al'staionnto
eleitnral na fregualvudor,
B-beribe o Mirauguap, q-o "oojp3 ta cambra d disposto no srt. 16 do decreto n 8,213 de
13 de Agosto de 1881, convido a todos os
cidadaos qu-i tivernm de requerer a aua io>
i-'lusXj ou lirina5"lo d^ outros, a apr-aen-
terem su* requerirBfGtjs no prs.i de '3J
ae, it 1 n 30 de 3-trmbro, Da ra de
S. P. d^- M. riyr n. 16, sartorio desti ju-
zo, d.. 10 bora d.i .c.^nhi s -1 da trJ.
E p.ra que c.lifgu a') cooh-'ci'nenta da
Io4os, rraode pa;:.r o presente, que s^r
publiciio p?.'i.. ijr. nsi a sffixt'o as
respectivas fregu-siak.
Olinda. 51 o.. AgB'.o E >-u, Joo' Ti. -o'omito da Costa Mon
teiro, escrivit o s -r^-vi.
Jv AtU-Aiij Porreta di ilua.
Recebedoria Provincial
O adaaDi8tradjr da Secebedjria Proviocial em
i'umpriaKotJ da ordonn constante da pareara aob
o. 48 expedida ein 3t d Agoato ultimo pelo Illm.
Sr. I^r. inspector do Thesourj, tas publico, para
ciobesimeato dos interetsadj, que a cobraici,
livre da multa, da contribuca3 addicioual deci-
ma devida.pelos terviCJs da Kecife Draioage Coto-
V"y, r Utivaoi-ote ao 1." sem.'atre do exarcieio
eca vigr de 1888, fica prorogada at o da 15 do
crreme.
Kecebed.rU Prjviucial de Pero;mbc), 4 de
*
Oculista
Dr. Brrelo Sampaio, medico ocu
liata, ex-ebefe de clnica do D-. de
Wecker, d consultas de uieio dia s
3 horas da tarde, no 1. andar da casa
n. 51 ra do Bir-i da Victoria, ex-
cepto dos domingos e das santificados.
Residencia ra Hete de Setembro n.
34. Entrada pela ra da Saudade o. 25.
EstreitameRto da urelhra
l)
con- '

}{
lillas dos Marinheiros
Ao Exm Sr. Dr. Carine Bettesicoart
O abaixo assignado scffrendo de um estreita-
mento da uretbra ba mais de seis annos, foi ope
rado pelo 8r. Dr. Bettencourt pela elcctroayge,
fi id dr, e, grscas sua habilidades manejo de-
licados, consegaio ficar bom e radicalmente cura-
do em pou.'os das, andando tecopre a tratar'de
seus negocios, pois que o Sr Dr. Bettencourt
opera sem levar o doente cama.
Pede desculpa ao >Sr. Dr. Bettencourt, se com
esta sua publieacao ffende a sua modestia.
Gonzalo Teixeira Guimar&es. .
Leonor Porto
Raa Larga do Rosario n. S8
2o andar '
Contina a executar os mais difficeis
figurinos recebidos de Londres, Parir,
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeico de costuras, em
brevidade, modicidade em precos e fino
gosto.
DO
Dr. Alfredo Gaspar
Eapec-alidadaPartes, m^ieatias de se hora
creancas
ResidenciaRoa da Imperatrir n. g8 primeir
ndar.
Tclepliine a. 996
) HOMEOPATHIA.
DE
CTELAS PKEHES
GLBULOS, TINTURAS, CARTEIRAS,ETC .
Vende te na botica f raneen
22= "ba o ci=2
ODr. Thomaz Oarcez lJaranho$ Montenegro
commendadorda Imperial Ordem da Rosa,
iuiz de direito especial do commercio desta
cidade do Recife, capital da provincia de
Pernambuco, por Sua Magestade Impe-
rial e Constitucional, o Sr. D. Pedro II,
a quem Deus guarde, etc.
Kav saber boa qu- o presente eai'i.l virem, ou
delle noticia tivervm, que por parte de Joao Ma-
chado Evaagelbo me fui dirigida a pe'icao do
the r spcuinrp :
Jo) Machado Evangelho, morador o esteblo-
cido nos'a cidaJc, quer fazer citar a Francisco
Antonio de Medeiroa e Joao de Asevedo Pereira,
esto na qualidada de siccudor e aquell aa de acei-
tante, para no deerndio l'gal, q-ie Iheg ser assig-
nado, pagarem a q lantia de 1:4U0, principal da
letra j ata, vencida em 20 de Abril do unoo cor-
rete, d^vidamente protealada, aasim como oa ju
roa m ncioaadoa que ae foren veno nd i at real
embolso, ou allegan m a d.feaa que tiverem, sob
pena de, em coa rn-elia, sereo eondemnados no
principal da meama letra, juros ecustas, fi.-and*
logo citados para '.odos os termos da aeco e sua
execuca-j, indepeuicnte d? nova citaco. E por-
que se achem ausentes, o primeiro dos suppeados
em lugar nao sabido deata proviocia, e o ae^undo
em lugar n?o sabilo da provincia do Rio da Ja-
neiro, requer o sapplieaute a V. 8. o admita a
justificar a ausencia de amboa para o fim de serem
citadoa por editos, com o prazi d- 30 das e na
audiencia scguuite assignur-se Ibes os 10 das da
lei. Pede a V. 8. d-ferimento. E R. Mee. Re-
cife, 14 de Juina de 1888.O adrogado, Antonio
Ennes. (Sellado legalmcute).
Dspacbo.D. Como pede.O escrivio design;
dia. Recito, 16 de Julho de 18S8 Montenegro.
E mais ae nao continba om dita piticao e despa-
cho aqu copiaJoa, depaia na na a distribuicao que
do ibeor seguate :
A Ernesto Silva Oiivetra. E mais se nSo
continha em dita distribuic > aqu opiada, e tendo
o supplicaote prodnsido suas testemunbas justifi-
cando a ausencia djs jisfic.djs, o respectivo
escrivj fazendo acllar > pr> oarar os autos m'os
tes conclusos e ne!lea,prof ri a sentenca do tbeor
seguate:
Vistos. Julgo procedente a justificacao e tusa
do que s> ja feita a citacao por editaes com o prazo
de 30 das. Recife, 21 de Julho de 1888 Tbo-
mat Qarcez ParanboS Montenegro.
E mais se nao continha em dita sentenca aqu
copiada, em virtud* da qual o escrivSo fes pasear
o prasente edital. p :r cuj l tbeor cbamo, cito e hei
por intimados Fraoeaco Antonio de Medairos e
JoSo de Azevedo Pereira, para que comparecaoi
na primeira audiencia deste juico (que tem lugar
as quintas-feuus s 11 horas da manba) depois de
Godo o prazo de 30 dias, contados da pubheaca
deste, afim de ver aeaigoar-se Ibes os 10 das da
iei para dentro deil -s pagarem a quantia pedida
na peticao neste copiada, juros e custas, ou alie
(cando logo citados para todos oa termos da ac^o
e sua execuco iudepeodente de nova citacao,
E para que chegue ao conheclmento de todos
maodei pausar o presente que ser publicado pila
imprensa e atfixado nos lugares di coetume.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 21
de JiUbo de 1888
Subscrevo e assigno. Eu, Ernesto Machado
Freir Pereira da Silva.
Ihomaz Oarc z Prannos Montenegro.
Lopes, dorador na
deu tambero o se-
Sr. Jos Maria
liba dos Marinheiros
guite attestado:
Ha quatro anuos que fui carado de
lima muito grave er,f-nuiJade resultada de
um resfriado. *.
Senta dr agadissima do lado esquer-
do do peito, tosse sejea e urna fraquesa
ex-essiva em todo o corpo.
c Em oito mezes de tratamento com va
rios medicamentos, nun:a consegu-obter
ailivio e cada vez a molestia iugmentava
ao ponto de me julgarem perdido.
< Encontrandu-se com meu piiuo e ami-
go 6r. Manoel Joaquim, residente no Povo
Novo, elle aconselhuu me o uso do PeitoraS
de Cambar do Sr. Alvares de Souza Soa-
res, de Pelotas, elogiando me muito este
preparado, e com eff-ito, em dous mezes de
seu uso constante, restabelec'i-me de ama
molestia que me levava sepultura.
c O que digo verdade. e toda esU
ilba- o pode affirui.r, pois nolla vivo ba
mais do 30 annos, onde tenho chcara e
familia.
Jos Maria Lopes.
- O abaixo assignado, pedreiro do cemi-
terio publico desta cidade, declara que nSo
se entende com elle e aira coro outn de
igual nome, as noticias que sob as rubro
cnaferimenios mortoet, e ftrido mor taimen
te doram o Jornal do Rtcife e Diario de
Pernambuco nos seus nmeros de bontem.
Recife, 1.' de Setembro de 1888.
Hermenegildo Jos de Souza.
Dr. Eduardo Silveira
De volta d- sna viagem Cdrte, continas no
exercicio de sus profissSo
Consultarlo -ru* do Imperador
u 4t
Residenciaroa da Aurora n. 47
Telephonc n. 266
Fabrica i'i vapor
DB LEOS VEGETAES
A' ra da Aurora n. 161
Vende se
OLEO de mamona, purificado o clarifisa-
do, para uso medicinal, esa latas de 1, 2
e 5 galS^s e engarrafado.
OLEO aromati-sdo o mais bem aprrfei-
para Umparinas, em Seere
BtflLARACOES
Arsenal ce Marinha
De ordem do Illm. Sr. capitao de fragata, Ma-
noel de Araaj i Cortes, inspector deste Arsenal o
capitao do porto deata provincia, faco publico qu3
nao se tendo efectuado no dia 1* do corrente o
contracto de 106 paos curvos de aicoptra para ca-
vernas e 94 (Utos curvos da mesma madsira para
terceiroa bracos, nova.nente chamada a coacur
rencia para esse genero de fornecimento preciso
ao brigue que se sebaem coustruccio neste Arse-
nal; devendo os proponemos apresentar suas pro-
poataa em cartas fecbadas s 11 horas da manba
do dia 10 do corrente, na secretaria desta inspec-
CQ.
Fornecimento
106 paos curvos ds sicopira para cavernas.
91 ditos para tereeiros b-acos.
Cada am destes pios deve ter a curvatura mar-
cada pelas formas do brigne existentes no Arsenal.
As dimenies dos pios curvos para sa cavernas
devem ser as segointes : para os topos compridos
2.-1 X 0,m75 X 0.250, para os topos curtos
l,"l X 0,-275 X 0,-250, a altura dos ps deve
variar doO,32 a U,-'0, e a largara, na parta in-
ferior, deve aer de 0,-36.
As diineno -s dos pios curvos para os tereeiros
breos davem ser as segaiotes : 2,<1 X 0 ^ X 0250.
Secretaria da lospecclo do Arsenal de Marinha
de Pernambuco, 4 de Seteiobro de 1888
O secretario,
Antonio da Sloa Azevedo
I Setcnbro de 1888
Frsncis'.-o Amyjt.as de C. Moura-
Arsen de Guerra
O uuuaelbo de cvmpras, recebe proposlas no dia
10 do correte mez, at aa 11 horas da manba,
pa_a u compra di artigo aeguiates :
AvenUl para c ainha, 1.
Aigoda-iaiaho. com S uentimetros de largara,
metros. 6853
Algodaa msela, metros, 86,50.
Algodao sosrte, metros, 90.
AlgodJo em rama, kilo, 15.
Aniagem, metros, 144
3audejs da folba para cosinba, 11.
Brim escuro de liuho tranjad^, metros, 5.143,50.
Brim branco liso, metros, 2 35(6,50
Bonets de servio i interno para infantaria, 426.
onets do aervico interno pira a companhia de
.perarios, 19
Bonets de fbrmatura para a c.mpanhia de ope-
rarios, 15.
Boiiei de panno msela, com galllo para mu-
siena, 27.
Bioet redondo para sentenciado, i.
Baeta encarnada, metros, 85.
Bandas de la para inferiores, 13.
Cobertores de l encarnada, 28.
Caslioaea de bronze, com mangas, 3.
Cocos de ferro agatba, 2. ,
Chap,a de Braga, com letra 8, 10.
Cbarlateirss para msicos (pares), 27.
Bscarradeiras de ferro agstba, 6.
Enxe/gdes cheios de palhs, 100.
Esteiras de palba, 16
Qravatas de couro eovernissdo, 405.
Gal lio de prata, de 2 frisos, metros, 38,88.
(ia,lio de prata, de 1 iriso, metros, 4,3 i.
Ganga, encarnada, metros, 19.32.
11 .liauda de fo.ro, metros, 840.
Lencos de ebita, 1,1C4.
Livros impressoa de talio, com 300 folbas, cada
um, para vallas de costuras, 5.
Livtos impressoa de tala.'", com 300 folbas, cada
um, para conh-cimento) de costuras, 5.
Moringues de barro, 4.
Mciaa de algodao (pares), 902.
Mauras de l, cimentas, 2.
Oleados expeasos para mesas de rancho, de 5
metros de compnmento, 12.
Panno escarate, francs, metros, 10,50.
Panno asul gr aao, para calosa, metros, 10,56.
Panno fino para fardameotu de sargentos aju-
dante e quartel-mestre, metros, 10.
Panno msela alvadio, para tardamente de m-
sicos, metros, 79,10
Sargelim de cor, metros, 6.70.
Sapatos de couro de biserro (pares), 712.
Talhas de barro, 3.
Toalba para altar, com o -20 de comprimen-
Toalbas para banquetas, 2.
Toalba para lavatorio, 1.
Ti mancos de cour i (pares), 36.
Travesaeiroa cbeioa de palba, 100.
Nao serai tomadas em considerrcSo as propos-
tas que nao forem furas de ac;ordo com o art. 64
do regulameato de 19 de Outjbro de 1872, em
duplcala, com referencia a om c artigo, mencio-
nando o nome do proponente, a indicacao da casa
commercial, o preci de cada ana aitigo, o numero
e marca das amostras, declaraba > expressa de su
jeitar-ae a multa de 5 0|g no caso de recasar ss-
sigaare contracto, bem como aa que trata os aita.
87 e 88 do citado regulameoto.
Uutro sitB. previue-ae que sao improrogaveis os
prasos estipulados no termo do contracto.
Secretaria do Arsenal de Guerra de Pernam-
baoo, em 4 de Setembro de 1883.
O aecretario,
Jos Francisco Ribeiro Machado.
IMPERIAL SOCIEDADE
DOS
Mistas chameos e Liberaesj
Asscmbla geri.1
D ordem do Sr. 1- adjunto em exerccio, con-
vido a todos os senhores aociis qnn etiverem no
poso de seas rtireitos a cooiparec rem na sede so-
cial qumta-feira 6 c'o corrente, s 6 biras da tar-
de, afim de ter lugar a ateembla geral. a qual se
effaetaar com e numero qoe eemparecer.
Secretaria da Impcriui Sociedado des Artistas
Mchameos e Libera's de Pernambuco, em 4 de
Setembro de 1888O 1 secretario,
Frani-so da Costa Ramos.
Aaaoelacak doa Funcrtoaarios Pro-
tiurlaes de '-rnwBsilinro
Eleifi i o uonsulh) OeiiDerntivo
De ordem do Illm. Sr. presidiare deata aeaocia
cao, convido oa enhorca a-jcios i-ffectivrs a coic-
parecerem na td.i social, no dia 7 do corrente,
pelas 10 boraa ila iinb. para em asaembla ge-
ral, n:>a termos do urt. 41 doa estatutos, proceder
ae a eleicio do cnscibo deliberativo que ttm de
dirigir a mesma aesociucao durante o auno social
de 1888 a 1889.
Secretaria da Asaociiicio dos Panccionsrios
Provinciaes de Pernambox, 3 de Setembro de
1888.0 1- secretario,
A. dos
SEGEO S
martimos CONTRA FOfiO
Companhia Phealx Par-
nambncana
RUADO COMMERCIO N. 26 1 ANDAR
INDEMOTSADORA^
MARTIMOS E TERRKSTRES
Estahelecida kbb 1885
APITAL 1,000:0001
SINISTROS PAGOS
-' Sf de Ueieabra de 1184
jiantiuios..... 1,1(0:0^000
Terrestres..... oi6:000$006
44 Ra du Commercio44
n
Anjo i.
Admlnistraco dos Crrelos de
Peraambaco, 3 de Setenibro
de 1S98
RelajSo da coiespandencia registrada
(sem valor) que esia'.e ocsta repartigao,
por nao terem eidu eocontradoa seus desti-
natarios.
Antonio B;zerrj Cesar de Andradc
Antonio Cesar de Aodrado
Antonio Ribeiro (Dr.)
Antonio Mesquita.
Ago8tioho Bernardo.
Alonso (Dr.)
Emilio Dol.
Francisco Daniel.
Francisco de Barros Pimente!.
Ignacia Ribeiro Guimaraes.
I. Qoffl-r.
Jos Elic) S. de Alnoeida.
Justino Epaminoodas A. Nevos.
Jos Tavares L. N*ves.
Jos Tavares Carreiro.
Jos Domingaes dos Santos.
JoSo Nioacio Pereira Caldas.
JuSo Martina (italiano.)
Joaquina Maria ele Jess.
Lupicinio Domii]gue3 Lins. (2)
Manoel C. Albuqu-rque Honriquas.
Maria Antonia da Costa.
Maria Magdalena do Amor Divino.
Maria Ign-acia B. Monteiro Coutiubo.
Manoel Lopes Machado.
P. Gomes dos Santos.
Victoriano.
Victorino Luiz S. B.
Vicente Borges de Castro.
O praticante de 1 classe,
Claudio Xavier Faustino Ramos.
Santa Casa
Companhia de Seguros
i&tliMt Wt%Ui
AOKNTE
Miguel Jos Alves
*. Ma do Bom Jeaaa-V.
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Sestea ultimoa aeguros a nica companhia nesta
praca que conced- aoa Srs. segurados isempco de
pagamento de premio* em cada stimo anno. o que
equivale ao -descont annual de cerca de 15 por
cento em favor dos segurados.
SAR1I0S
Companhia Brasileira de "ave-
ico Vapor
POKTOS DO NORTE
O vapor Alagoas
Com mandante JoSo Maria Pesaoa
E' esperado dos portos
do sol at o dia 6 ds
Setembro, e seguir
depcis da demora io-
diBpensavel, para os
portos do norte at
Manos, #
As enccmmendas eSi lecebidas na agencia at
1 hora da tarde do da da sabida.
Para carga, paasagens, eucommendas e valores
rata-se aa Bgencia
PORTOS DO SUL
Vapor Espirito-Santo
Commandante o
coado o apropriado para lamparinas, em Seereiarlsi do preaideacia de Per-
latas de 1, 2 o 5 gall8is, o engarrafado. ) abneo. -1 de Setembro de
OLEO e epecialmente preparado para
machinas a vapor, companhia de estradas
de ferro, etc., em latas de 5 gallSes, o em
barris, a vontade do comprador.
Perfumaras
Tnico americano* Camacan.
Agua perfumada Camacan.
Tnico perfumado Camacan.
Oleo perfumado Camacam.
Tudo acondicionado e tao bem preparado
gomo o que vem do estrangeiro.
Precos sem competencia.
Recife, 7 de Agosto de 188*8.
GuimarS's & Acoarim.
MEDICO HOMEOPATHA
Dr. Baitiazar da Silveira
M
Sapccialidade-- ohea, molestias das
iaacas, dos orgfics respirator-o c das
aenborua.
Prcsta-ae a quairjacr ebi-.mao
f>r* da capital.
para
vi-o
Todos ds chamados dertaai ser dirigi-
dos a pharraacia do Dr. Sabino, roa la
Barc da Victoria n. 43, ende i indicar
| I su residencia.
j
Capllo do f. bal;.I o
Illm. Sr Jos Alvares de Souza Soares.
Atacado de urna forte constipacllo acoin-
panhada de tosse des- aparadora, sem ter
ailivio algum com o aso do varios medica-
mentos receitados, a cons Iho de um amigo
experimentei o s?u xarope" Peitoral de
Cambar, e logo um allieio se raanifestou
em meu soffrmento, e eoi pouco tempo a
molestia desappareccu completamente.
Depois d'este fasto, tenho aconseibado a
varios amigos o s colbido bons resultados.
Queir r-joeber michas f:liita<3a
to til desoobert, o bou etc.
Arthur Osear, espita* rio 3.* batalho
de intaotoria no Rio Qr,.iide to Sol.
p^r
18SS
2. saecao.
Da ordem do Exm. Sr. desembargador presiden-
te da provincia, faco publica que ao provimeuto
dos otficios de 2- tabelo e aonexos do termo
deltamb, eoncorreram : alferes Gustavo Alber-
to de Brito, Joao Barbosa de Soma, Thomas de
Aquino Btrbosa de Souza e o alteres Orestea Sa-
raiva de G-irvalbo Noiva.
O secretaria nterin,
Manoi 1 Josquim Silvsira.
Banco de Crdito Rea) de Per-
nambuco
A sdministraolo do Banco de Crdito Seal de
Pernambuco convida aos aenbor s accionistas
roara reaairem se em asaembl geral extraordi-
naria no dia 11 de S-tembro pi limo, ao meio dia,
no edificio da Associaco Coma.-rcial Beneficente,
aflsa de tomarem conbecimento u reaolverem defi-
nitivamente sobre a recente co i-alta feita 4 mes-
ma administracao para encarn c r ae dos empres-
limor lavoura das provincias le Alagoas, Per-
nambuco, parabyba e Rio Gr. ude do Norte, de
que cogita o governo imperial, e deliberaren! so-
bre as c nseguiotes reformas n >s estatutos e ou-
tros. Recife, 27 de Agosto de 1888.
Manoel JoSo de Amorim.
Luis Dopr.it
Antonio Fernandos Kibeiro.
Declaro de ordem do Illm. Sr. Dr. ins-
pector que, conforme resolva o Exm. Sr.
emembargador presidente da provincia,
des officio de 13 de com ute, durante o
mes de Setembro prximo futuro sarao
pagas as dividas constantes 'o quadro men-
cionado no 72 do art. 2- da lei do erga
monto vigente ; sendo que lindo o dito mez
cessar a aatorisacSo e nao ter mais la-
gar a alludido pagamento neste exereioio.
Secretaria do Thesburo Provincial de Per-
nambuco, em 17 de Agosta de 1888.
Offi-ial, Bsrvindo d crcretario,
Liudolf- Campello'
Casas para lugar
Rus do Amorim n. 64, armazem 360/1000
dem idem n. 49, idem 30J000
dem do Burgos n' 19, idem' 144*000
dem do Vigaiio Toeuorion 27, idem 323*500
dem idem n. 22, 2 andar, 1804000
dem idem n. 25, 3- andar 180*000
dem do Bispo Sardinba o. 9, 1 andar, 216*000
dem idem n. 3, 1' andar, 2- e aotSo 400*000
dem de Domingos Jone Martina n. 18,
cssa terrea, 207*000
dem do Bom Jess n. 14, sobrado de um
andar 480*000
dem idem n. 13, 3- andar, 800*000
dem de Toom de Sousa o. 14, 1* andar 200*000
Becco das Boias n. 14. toja, 1- e 2- an-
dares 300*001)
dem idem n. 16, loja 180*000
Ra Imperial n. 151, casa terrea 300*0C0
dem da Palma n 34, idem 600*000
dem larga do Rosario n. 24, 3- andar VOUOOO
dem Coronel Soasanna,casa terrean 132 210*000
dem Masques do Herval (qoadro da de-
tenco) n. 1 20J0OO
n. 2 120*000
n. 5 72*000
Agu Fra, sitio 150*000
Ra do Padre Fioriai.o n. 38, casa terrea 2401000
dem idem n. 45, irii-m 180*000
dem de Jorge n. 100 200*000
Compantra de Fiafo e Tcidos
de Pernatnbnco
Por ardem da directora cSo convidados os Sra.
accionistas a entra rem no praso de 30 dias, com
10 /0 das quantiaa que subtereveram, para a nova
emissao, devendo ter entregues no Banco Interna-
cional do Brasil, ra do Commercio n 40.
Recife, 1 de Setuibro de 1888.
O secretario,
Jos Joao de Amorim
Io tenente Carlos Antonio
GOOK'S -
E' esperado dos portos do norte
at o dia 13 de Setembro depois
da demora indispensavel seguir
para os portos do sul,
vr. st Ht -
1
ei? Cio de Fenniico
ED1TAES
O Dr. Jos Antonio Correia da Silva, ca-
valleiro da I nperial Ordem de Christo,
juie de direito do civel da comarca de
Olinda por S. M. o Imperador a quem
Deas Guarde etc.
Faoo saber pelo presente e di tal, que ten-
Con.pai.bia
Ferro Carril de Per-
uaiiibuco
Divid. ndo
Wa escriptorio central desta companhia, a ra
Primeiro de Marc> a. 77, no Rio de Janeiro, se
esta pagando i 12 dividenlo a raaao de 6*000
por aeco. Ri if<., 3 de S-embro de 188S.
Cari.is Alberto de Mroeses,
^^^^^^ Gerenta
Secretarla sa loairuce&o Publica,
S a* Setembro de ISS8
Prazo He 64J dias
De ordem lo Sr. Dr. Ds;.ector gcr.l da ios'rn:-
cao publica, e um virtude de act) da presideocia
da provincia de 31 do m. prximo finio, Jaco sa-
ber a I). Maria Prtr.ilina da Sha Palean, que
dentro do pras i de 60 dias, a contar d data de
31 do pr.ximo mea fiado, d ve vir a es'a 'ep-rr?
cao asaignar o contraefo Oa endeira de Qi. ima-
das em Ouricury, e ascumir o exereieio deutro
do m uoo pr.io.
O sccrftario,
Pergentino Saraiva de Araujo Galvi <:
Misto AiarBioeic! s Buen-
Por deliberacao da directora, sao convidados
os at-DLorcs accionistas doDr.by Club de Per-
oambaco para a assembla gt ral extraordinaria,
qoe ter lugar uo da 14 de Siembro prximo,
roa do Imperador n. 75, 1- a ..lar, s 2 horas da
tarde, afim de se deliberar so'' e a conveniencia
do augmeuto do capital, para aisictto de novos
melboramentos. Recife, 81 d. gosto de 1888.
O a. ~ 'ario, -,
Jote de < veira Castro.
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Saeca por todos es vapores sobre as ci-
xas do mesmo banco cm Portugal, sendo
em Lisb6a, ra dos Oapellistas n. 79. No
Porto, ra dos Inglezes-
Quinta teirs, 6 do corrate, a hora do costume,
baver sestio ordinaria.
Secretaria do Instituto, 4 de Setanbro de 1888.
Bsptista Regfleira
1- secretario.
De ordem do Illm Sr. c, .io do porto des-
ta provincia ocap to de frag.'a Manoel de Aran-
jo Cortes se fas publico o segante aviso aos Srs.
navegantes :
Mi insten o da MarinhaReparticSo de pbares
bubstituieSo de las.Pbaroi da Aracaj, fos do
Rio Cotineuiba.Provincia de SergipeBrasil
(1- de 1888).
Estando diantada a construccao do pharol de
Aracaj, na fos e margem dircita dorio Cotingui-
ba, provincia d- Sergipe, sera elle inaugurado no
da 7 de Setfmbro prximo viodonro, deixando de
func-iunar deasa data em diante a las provisoria
aonunciada no Aviso dos Navegantes de 17 de
Maro >de 18S4.
O apparelbo do lux jioptrico, da 3* ordem,
grande modelo o exhibir luzbranca fila,va-
riada p i!iix scintillantc, oe 30 tm 30 segundos,
I iliumioando todo o horisonte.
O p'-.oa f*s*l eleva-se 33-,50 (109,6 ps) ao ni-
vel do solo, e 38",27 (125,5 pea) ao nivel medio
das marea, e a luz aera viaivel da distancia de
17 milbas, com tempo claro.
A torre, de forma tr. nconica, d columnas de
ferro e assenta sobre estsius de rosca, sy;tema
Mitcbrll 6 pintada ds branco, assim como a
casa doa retpoitivoa guardas, comprebeudida n&
meama torre, a um creo da base.
Uo alto da torre lar-a- bao us sigoaes guiando
i s uavi.a na enrraja e sahida ia barra.
Pusicao geograpbica
La'. li 58' 20" S.
LtyEt. u 6' 20" E Rio de Janeiro.
. a;o 4' t" O. Grw.
. 39* 24' 10" O. Pariz.
Reprirticio de Pbares. Rio de Janeiro em 6 de
Agosto de 1888.
Pedro Benjimin de Cerqueira Lima,
Capitao de fragata, director geral.
Est conforme. Iuspecc&o do Arsenal de Mari-
nha de Peroaaibaoo, 3 de Setembro de 1888.
O amanuenae ser\indo da a sanitario,
CleAdon Augusto de Albuqnerque Chacn.
C0S13 FQ&0
fie LinniDii & Lonfloa & ye
Blackbarn, Needbam k C,
Ra do Commercio n. 3
8
ia9|!lDllll
DE
Seguros contra Fo$ro
EST: 1S03
Edificios e mercadorin
Taixas baixas
Prompto pagamento de prajuisi^*
CAPITAL
R. i3.0Oii:00tAOOt
aesuRH
urna <& .
N. 5RA DO COMMEUCIO -N .
Cmnpanljta ta Sffluro
NOBTHERI
de .Londres e Aberdees
Posico 6nanceira (Dezembr de 1885)
Recebe tambera carga para Santos, Santa Ca-
tharina, Pelotas, Porto-Alegre e Rio Grande do
Sal, frete mdico.
As enc.mmendas s serio recebidas na agencia
at 1 bora da (arde do dia da sabida.
Para carga, pasaagens, encommendas e valorea
trata-se ni agencia
PRACA DO CORPO SANTO N. 9
Guiad States k Brasil 1. S. g. C.
O paquete Finalice
E' esperado dos portos de ao
at o dia 13 de Setembro depois
da demora necessari seguir
para o
Jlarahho, Para, Barbados," B.
Thomaz eSew l'ork
Para carga, passagens,eo.c-ujmendas sdinheiri
frete, tracta-se com oa
o mWm
apera-se de New-Port-News,
st o dia 19 de Setembro o qual
.acguizj> oepo's d.-. demora ne
.easaria para a,
Kahla. Rio de Janeiro e Santos
Para carga, paasagens, o encommendas tracta-
iu com os
AGENTES
Henry Fursler & C.
~ RA DO COMMERCIO -H. 8
1. aiida
^ CBARGEURS U\m
companhia Franceza de Navega
cao a Vapor
Linba regular entre o Havre, Lisboa, Per-
nambuco, Babis, Rio de Janeiro o San-
tos
O VAPOR
Vil/e de Buenos Ayres
Commandante L? Bourbis
Espera-se da Europa no dia
6 de Setembro o seguindo
depois da demora necessaris
para
Babia, Rio de Janeiro h Santos
Rcga-sc a';s Srs. importadores de* csrga pelos
vaporea desta linhs, queiram apresentar se dentre
de 6 dias a contar ao da descarga das alvarengas
qualquer recamacao concerneuta a volumes, que
porventura tenbam seguido para os portos do su
afim de sa poderem dar tempo as providencias,
aeeeeaarfaf-.
Expir:c j o referido prazo a companhia nao ae
responsab'lisa por extravos.
Psra carga, pacsagens, encomrriendas e dinhoirc
a frete : trata-se eom o
AGENTE
Angosto Labtlle
9-ttUA DO COMMERCIO -9
Segu com crevidade para o porta cima o pa
racbo bratileit Social : para unirj amonto de
eargs, tra(as c-oin Joaqaiui da Sin u Caroeiro,
praea do Corpo Santo o. 18.

ti
i
a
Qiimtu-ftra6 deve ter lugi .i Icilao de movis
loucae vr>:o. vacas ecivallo, annauciado por
intert nri PiT'> para a e'-.ncarau.
3 da rua de Payaaud
A's 10 hr-ras e 18 mientes partir o bond que
dar psassgwn gratis aos contoir'bti
Capithi subscript.
- undos accaiualadca
- ecelta aaxaoal:
,v3 premios contra fogo
De premios sobre das
De juros
3.000,000
z.\d*M*
577,330
191,000
. 32,000

Leilt?
1 boio
O AGENT.
John H. Boxwett.
M, ina,
ama carro, Claart 11clra do corrente
A 11 horas em ponto
No armase i ca rua Marqat z, de OHada
n. 48
PORINTERVENCAO DO AGENTE
Gusmo

f,



.
-.. "

, S-



~
6
Diario de PernambocoQoarta-feira 5 de Setcmbro de 1888
Agente Silveira
Lcao
De predios e terreno* travesea de S. Mi-
guel em Afoga ios
Quarta-feira, 11 do correnta
A's 11 horas
j0 irmazem raa do Impera
dor n. 45
O agente Silveira devid.mente autorissdo le
var 4 leilo duas cuu terreas >ob na. 22 e 24 a
Uaiceaa He 8. Miguel, terreno proprio, so impor-
tante terreno no m amo logar todo morado, me-
dindo de trente cerca de 100 palmos e fundo 200,
ao correr do martello.
Oa 8ra. preteodentea podem examinar
~~|0
4 lcilao
DfiflDFI
Das dividas activas do espolio do coronel
Jos AntSo de Sousa M-galbies, na im-
portancia de 13:659600, sendo....,
8-767(5760 em letras de seohores de en
gnho e 4:8910840 em contasde JivTo
Quarta-feira, 5 do otrrente
A'S 11 HORAS
No armazem da ra do Imperador n. 16
O agente Martina tara leilo por inundado do
Ex. Sr. Dr. juii de direito do civ.l, em ana pre-
lenoa das dividas activas do espolio do coronel
Joe Ao'Sn de Sousa Magalhes, na importancia
de 13:659*600-______________________________
Leilo
, VIVEMOS
SENDO:
Urna casa terrea no Poco da Panella n. 13, com
2 salas, 2 qnartoa, eoeinba interna, quintal ao lado
murad, coxeira e cacimba pertencente aos her-
dsires de Joo Pacheco do Queiroga.
Urna dita dita na Travesea dos Remedios n. 27
com 2 cillas, 2 quartos, cosinha fora e quintal mu-
rado, pertencente a Joanoa Maria da Ponseca.
Quarta-feira, 5 do corrente
A'8 11 HURAS
No armazem da ra do Imperador n. 16
O agente Martins iar leilo por autorisaco do
Ulm. 8r. Dr. ais saostituto dos feitos da fairnda
das casas cima penhoradas pela Fasenda Pro-
vincial. _________________________
Tercero leilo

-e predios
Daas casas terreas em boas coniices ra do
Coelbes ns. 3e 7 e metade d.i casa terrea n. 5
roa dos Coeihos, servindo de base as oft'ertas obti-
das no 2* leilo
Qnaria feira & de Setembra
A's 11 horas
Ra do Rangel n. 48
Leilo
De movis, louja, vidroB, quadros, espe-
lbos, objectos de e!ectro-piate e urna
bomba.
A SABER:
Um pianoforte de um dosmelhores fabricantes,
ama mobilia de Jacaranda com tampo de marinee,
4quadros de bamb com voados, 4 jarros para flo-
rea, 4 casticaes e mangas, urna mesa de cbaro,
1 tapete de sof, 6 ditos de porta, 3 transparen-
tes, 5 balas, figuras de louca, duaa cadeiras de
balanp e cortinados para portas.
Urna cama francesa de Jacaranda, 1 toilet e
lavatorio com pedra e espetaos, 2 cabides, 1 mar
queso, urna guarnicSo de porcelana pira lavato-
rio, 2 quadros, urna mesa de cama, 2 estrados
para janellas.
- Urna mesa elstica, 1 guarda louca, 1 aparador,
ama quartinbeira, 4 quadros, 1 guarda comida de
rame, l sof, 12 cadeiras, 2 apparelbos de louca
para cha e jantar, copas, clices, compoteiras,
garrafas, 1 galhetciro de electro-plate.
Urna bomba grande com canos, urna mesa com
prensa para copiar cartas e amitos outros movis.
tilinta feira t de eieilibro
Agente Pinto
Na chcara da rita de Paysandu' n. 3
Os concurrentes que tomarem o bond das 10 e
18 minutos tero.passagem gfatis.
O leilo principiar s 10 3[4
Alaga se
nao s a referida casa, bem como a de junto, as
quaes tm boas accommodacoea e janelaa nos
oitdes.
Agente Silveira
Leilo
De gneros, armadlo e ntenoilios da ta-
verna sita ra do Lima em Santo
Amaro n. 68'
Quinta feira O do corrente
A's 10 1|2 boras
O agente Silveira, devidamente autorissdo le-
var i leilo, oa gneros, armaco e utencilios da
referida taverna, em um ou mais lotea, e alguna
ovis. '
Garntese a chave.
3/ leilo definitivo
Do casco, amarras, panos, pertenyaa e mais
sobresalientes da barca bespanhola Vir
gem do Monte Serrat, ancorada junto aos
Arrecites, como abaizo se acba des
cripto
A' SABER:
Casco, maitrcs, mastelaeiros, vergas, manobras
firmes e rolantes, 1 cabestante com 6 espeques, 1
bolinete moderno completo para suspender anco-
ras, 1 guincho de ferro com 2 manilhas, 2 ancoras
sendo urna com 26 quintaes e cutra 35 ditas, 1 an-
coreta com 10 quintaes, 9 manilhas de correntes de
18 linbas de grosura com 15 quintaes por mani-
los, 2 manilhas de correntes com 8 quintaea por
maoilba, 2 bombas de metal cem anas pertencas, 4
turcos de ferro para botes, 1 tanque de ferro no
poro para 10 pipas e 1 bote, todos estes objectos
formato um lote, por serem considerados presos ao
navio.
Pertencas que nao esto presas ao navio :
Um virador de reboque cem 100 bracas de 6 po-
rgadas de gressura, 4 espas m-is finas, 6 carde-
naes grandis patentes de cylindros, 4 ditos meno-
res de dito, 6 moitoes, 1 appsrelbo de tres gornes
para incar ancoras, 2 ditas de cabos grossos, 1 dito
forte (anaaot) com correntes e cardenal grande de
ferro, 1 j go completo de ferramenta, 1 sortimento
completo de pregos, 1 sortiinento de tintas em la-
tas, 6 baldes de madeira, 5 pipas para agua, 1 tina
grande para baldeaco, 30 velas jugo completo de
navio, 4 bussolas div< rsas, 1 barca patente de mi-
Ibas, 2 plumos grandes de chumbo com sondaleaas
de algodsvo, 1 telegrapbo completo de signaes, 1
cdigo de signaes, 2 bandeiras hesponbolas, 2 di-
tas de matricula de Barcelona e neme do navio, 5
phares patentes de bombordo e esrebordo e bran
eos, 3 espingardas com bayonetas, 1 sabr, 1 busi -
na, 1 corneta de serraeo, 2 campanbias de dita, 3
rlogios, 1 oculo de alcance, 1 b n culo de manilba,
12 cadeiras de palinba, 1 trem completo de c.sioha,
prensa de copiar, 1 servioo ccmpleto para mesa e
2 eepelboa.
Sobresalientes:
Urna tranqoeta, 4 velacho, 2 prcus de lona, diver-
sos cabos novas de liobo de diversas groasuras, 1
in-portante chrooi metro e muiros outros objectos
que estarlo competentemente relacionadas e a
vista dos compradores.
Quinta feira. G do corrate
As' 11 horas
O agente Guarni, antorisado por mandado do
Exm. Sr. Dr. juia de direito do commercio e a re-
querimento de Ricardo Costo y Rossa, espito da
barca cima mencionada, far leilo com asaisten
cia do mesme juia, do casco e tuJo quanto est
descripto, em lotea convenientes aos compradores,
de accordo com o respectivo empregado da Alfan-
dega. Cojo leilo acra efectuado a bordo da mes-
ma barca e existindo botes no cies da Companbia
Pernambucana at s 10 boras e 50 minutos da ma-
nta, para os conourrentes ao leilo.
Asphalto
Joaquim Domingues Perreifa, filho de Manoel
Pirmino Perreira, antigo asphaltista desta praca,
previne aos senhorea proprietarios que echando-se
habilitado com materiaes para qualquer eonoarto,
e ladrilho de asphalto, pode aer procurado no ar-
maaem de materiaes a praca da Concordia nume-
ro 11.
Engenho Sibirasinho
Em virtude de recommendaco do Sr. Benedicto
Romualdo Mooteiro da Silva, residente no Rio de
Janeiro, precisa-se com urgencia ter noticias cer-
tas de FELICIANO, seu irmo, que ha 12 annos,
pouoo mais ou menos, se acbava no engenbo Sibi-
rosinho, de Ipojuea.
ra ra da Imperatria n. 49. 3* andar, oa s. a re-
daceo do Diario de Pernambueo, 2* andar, das
10 horas da manb at 4 da tarde, reeebem-se as
informacoes, pagando se qualquer despesa.
Hobitia de junco
com encost de palhinha, urna cama de Jacaranda
e um par de aparadores, vende-se : a tratar i
ra da Imperatria n. 34, armazem de nimbados.
Dr. Joo Hlrcano Al vea Maciel
Thnmai Alves Maciei, D. Pelismioda Alves Mi-
ciel, Jos Antonio Alves Maciel, Antonio Angosto
Alves Maciel, Tbomas Alves Maciel Pilho, anda
profundamente sentidos pelo infausto passamenco
de seu pranteado filho e irm&o, Joao Hircano Al-
ves Maciel, fallecido em Portalesa, capital do Cea-
r, em 17 do mes prximo findo, mandam celebrar
solemnes exequias pelo eterno repouso de sua alma
na igreja matria de Palmares, pelas 10 horas da
manha do da 15 de corrente, 30* de seo fallec
ment ; e para digoarem-se sssistir a este acto
de religio e caridade, dfsdej oonvidam seus pa-
reotes e amigos, pelo que Ibes sero eterna mente
gratos.
f
Frsnrhico
Leilo
De bons
espelho oval e
movis, um rico
vidros
Constando:
De urna mebilia de junco com 12 cadeiras de
guarc;c2o, 2 ditas de bracos, 2 ditas de balanco,
1 set e 2 consoles com pedra, 1 rico espelbo oval
de crystal, 2 jarros de sipo para fiares. 4 pares de
jarros, finos, 2 candieiros de gas, 1 par de lan-
ternas, 1 guarda-vestidos de amarello, 1 cama
franceaa immitando Jacaranda 1 toilet, 1 lavatorio
com pedra, 1 bidet e 1 meia eommoda.
Urna mesa elstica da 6 taboas de amarello, 2
pparadores de amarello, 12 cadeiras de junco, 1
sof de amarello, 2 consollos, 1 espelho, 12 cadeiraa
de amarello, 1 quartinbeiio, 1 cabide, 4 etagers,
2 banquinbas, 1 marqueaio, looca de jantar, dita
de almoco, copos, garrafas, calic.es, talheres, 1
mesa de cosiona e outros amitos movis que serio
Vendidos ao correr do martello.
Quinta feira t do corrate
A's 11 horas
No 1." andar do sobrado n. 52 da ra da
Roda
O agente Martins, competentemente antorisado,
far leilo dos movis e mais objectos existentes
em dito sobrado, os quaes se tornam recommen-
dadoa por serem de apurado gosto e estarem bem
conservados.
De 703 garrafas com vinbo Bordeaox, 122 gar-
rafas cem vinbo Scnerry, ~2 6 dusias e meia de
leques de papel, 2 barricas com cfaamins de 8 ta-
maitos, 3 dusias de candieiros ou lampies, 33
macos de pavios ns. 1 e 0, 86 dusias de bocaes ns.
0,1 e 2, 6 cantas com leite condensado, 46 fras-
cos com bter Meyers, 32 garrafas com bter Ma-
gem, 10 canas com wbisky, garrafas con vina-
gre para refresco, 14 caixas com farinba Lctea,
latas com arenques, 6 duaias de frascos com mo-
lho ingles, diversas dusias de tesouras, espelhos
pequeos, graxa para sapatos, papel almaco, fa-
cas finas, colberes, diversos movis, loucas, vi-
d os, 40 ancoretas com vinagre e 3 barris com
vinagre de Lisboa.
Sezta-feira 7 do corrente
A's 11 hora
AO CORRER DO MARTELLO
No armazem da ra do Mrquez
de alinda n. .*
Por intervencSe do agente
Gusmo
i.uii Tneenorlo tai
Caoba
Dr. Antonio Francisco da Cunha e Mello, seus
filhos e genros, presentes e ausentes, agradecem
cordialmente aos seus amigos e parentes que se
dignaram acomparhar ultima morada os restos
mortaes de seu presadissimo esposo, pai e sogro,
Francisco Luis Theonorio da Cunha ; rogando-
lhes novo obsequio de assistirem a miasa que man-
dam celebrar na ignja do povoado de Preguicas,
estacid de Agua Preta, s 9 boras da manhl do
da 26 Hoeorrenfp. tr n. (.iillhfrniiRa de tjinwsttao
Coelh Olnlc
Jeo Hermenegildo Borg>s Diois, seas filhos e
ora, profundamente sentidos pela morte de ana
presada mulber, mii e sogra, D. Ouilbermioa de
Gusmo Coelho Diais, couvidam aos seus parentes
e amigos para assistirem as missas, que pelo re-
pouso de sua alma mandam celebrar na matria da
Boa-Vista, s 8 horas da maobS do da 5 do cor
rente, por cu jo acto de caridade desde j se con-
fessam agradecidos.
Aluga-se barato
Largo do Corpo Santo n. 13, 3.* aadar.
Roa Visconde de Itp arica n. 48. 2. andar.
Ba de 8. Jos n. 74
Largo do Corpo Santo n. 13 2 andar.
Ba das Criollas n. 15 b (Capunga)
Roa do Visconde de Itaparica n. 43 2*. andar
una Visconde de Itaparica n. 43, armaaem.
Boa do Calabouco n. 4, 1.a andar.
Crath-se na roa do Commercio n. 5, 1* uda
esuriptorio de Silva Ooimaraes ft C.
Aluga
se
o sobrado de um andar n. 46 ra da Roda, mui-
to bem localisado per ser na esquina, muito fresco,
com um bom sotao, estando todo pintado e tendo
as salas e quartos forrados a papel alu ,-a-se
tambem a leja ; a tratar na roa do Cabog n. 16,
leja.
Aluga-se
o magnifico palacete da ra da Aurora n. 183,
caiadne pintado de novo, com agua e (ras, ricos
lustres de Baearat, com accommodacSes para
grande familia, trm bom quintal e viveiro de pei-
xe ; a tratar na raa do Bum Jess n. 3, com Amo -
rim Irmios & C
Aluga-se
o predio n. 63 da ra do Hospicio, completamente
limpo e c m accommodacoas para numerosa fami-
lia, assim como tambem para criados, muito
fresco, tem bom quintal, agua e gas ; a tratar
na ra do Bom Jess n. 3, eom Amorim Irmos
& Companbia.
Alugu-
se
orna casa em Olinda roa de 8. Bento
tratar na rus Baro da Victoria n. 60.
n. 18; a
AMA
Precisa se de urna,
que saiba cosinhar
bem e lavar, na ra
Duque de Caxias.
n. 42. 3. andar, por
cima da typographia
do Diario.
Na ra de Santa Rita n. 83 anda se precisa de
urna ama para cosinhar.
Ana
Precisa-se de urna ama que cobinhe e engomme,
para duas pessoas ; a tratar na ra de S. Jorge
numero 92.
Tnico

Lastre
Vende-se um lustre de bronze com oito bicos,
para gas carbnico ; na ra da Imperatria n. 1.
Aos caladores
A melbor cal de Jaguaribe em p, propria para
caiaeo vende-se, em qualquer porcao, ra do
Bom-Jesus n. 23.
Cachorro perdido
A pessoa que tchou ou der noticia deum peque-
no caeborro todo branc cabeca e orelbas grandes
e manchadas de escuro, levando ao hotel D. An-
tonio, no Caminhs Novo, ser recompensado ge-
nerosamente.
Que tal ?!
Antonio Martins Oomes, succeesor de J. Maga-
lbes a C praca do Conde o'Eu n. 18, acaba
de rrceber os verdadeiros vinhos Alvarelho e
Quinta do Mosteiro; elles.
Caf Ceilo
Blbelro
Precisase de orna ama
n. 37, 1- andar.
Ama
; na roa da Imperatris
Ama
Precisa-se de urna
fonso n. 2.
ama ; na ra de Pedro Af-
AMAS
Precisa se de urna ama que seja boa cosioheira
e de outra para andar eom enancas e mais serv-
eos : a tratar na raa Baro da Vic toria n. 46
loja.
Leilo
De 103 volumes com drogas e medicamentos per-
tencentes. a massa fallida de Henees de Soasa
Pereira 6c. Sucoessores.
Terca feira, 11 do corrente
A II horas
Nos rmateos da Alfandega, principiando pelo
armazem n. 7
0 agente Slepple,
por maodado e
assistencia do Illm. Sr. Dr. jais substituto da vasa
do commercio e a requerimento do Dr. curador fis-
cal da massa cima, levar a lelio os ditos vola-
mes sendo despachados por conta dos Srs. compra-
dores.
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se nm pequen > chalet para homem
solteiro que queira morar lora da cidade em lugar
muito ameno, por ser muito fresco e com banbo
fro. No meamo sitio fornece-se a comida e o caf,
no caso d querer : a tratar no Caminho Novo n
128. No mesmo sitio precsase de ana mulher
de idade, feria, de bons costumi s, que entenas de
cosinha.
casttiao Hsnnfi loas) sjoastelro
do Frsnra
A aociedade Monte Po Bom Suecesso, t ndo de
mandar celebrar na quarta feira 5 do corrente, na
matria do Corpa Santo, s 6 horas da manb, urna
miasa pele repouso eterno de seu consocio o capi-
tao Manoel Jos Monteiro da Franca, convida a
seus associadoa, parentes e amigos do fallecido,
para assistirem-na, cenfessando se desde j anm-
mamente agradecida.O 1 secretario,
Arfhor Reaaone de Assis.
Amas
Precisa-se de du^s amas, sendo urna que en-
gomse com perfeico e outra para iodos os serv-
eos de casa de familia : a tratar aa ra Baro da
Victorias. 7, 2' andar.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de leite que seja soltei-
ra ; a tratar na raa do Brum n. 62, nadara.
Ama de eii^ommar
No 3.*'andar da roa Duque de Casias
n. 42, precisa se de urna para engommar
e mais alguna outros servicos de casa de
familia.
Leilo
da nm lindo cavado pequeo, manso e gor-
do, proprio para menino, 1 cabra, 1 va-
ca tourina com cria, 1 annel com bri-
lhante e 1 alfinete para grvala, ouro de
le
Quinta feira t do corrate
fot occas&o do leilo de movis, louca e vidros
na Passagem da Magdalena, casa da ra de Pay-
asnd n. 8.____________________
Leilo
De presuntos, salames, toucinbo, licores e vinhos
todo em perfeito estado
Quinta feira, 6 do corrente
A's 11 horas
Na roa Duque de Caxias n. 87
Agente Modisto BaptisU___
Da excellentc casa terrea de pedra e cal sita
raa Visconde de Goyaona, ooVrora Cotovello
n.95.
Urna ezcellente olara denominada Taquary,
com todos os seus pertences e porcao de materiaes
situada ns Estrada Velba da Torre, pertencente
ao espolio de Joo Oomes da Costa.
Quinta-feira, 8 do corrente
A's 1 horas em ponto
No srmasem raa do Imperador n. 49
Osente Pestaa antorisado por maodado do
Esm. e"r. Dr. jms de orpba s, vender a quem
asis der a ezeelieot ca terrea cima mencio
nada, a qual rende 18* 5:0 men^aes e a bem mon-
tana otaria denominada T quary, eom todos os
ases e p.*cio de materiaes. *
Aluga-se casas a SUOO no beceo dos Coe
nos, junio de S. Goneallo : a tratar na rea di
mperatris n. 76.
Aluga-se o 2* andar e sota ra de 8. Jor-
ze n .139 ; a esa terrea e astea a roa do Brum
n. 81 : na raa a>8. Jorge n. 131, taverna, e o 2-
sndar rua 1- de Marco n. 18, na loja.
Precisase de um criado de 16 annos
de idade e que tenba boa conducta, na raa
Sete de Setembro n. 6.
Precisa se de urna ama para lavar e engom-
mar roupa de disneas*} a tratar na ra da Ma
tris da Boa-Vista u. 9T
Precisa-se de um criado para sitio ; a tratar
na Jaqueira, sitio do Dr. Vlenos.
O Dr. Costa Gomes, retirando-se tempora-
riamente para o Rio da Prata, despede-se dos seas
amigos e clientes, e offerece Ibes servioos slli e
aqu em sua prezima volta. Recite, 4 de Setem-
bro de 1888.
Um casal cbegsdo ha poneos das ds Europs
precias empregar-se. O marido prefiere lugar de
jar die ir o, e a mulher perfeita engom madeira e
lavadeira : a tratar na ra de Domingas Jos
Martins n. 104, taverna.
TssssTHORTICULTURA. Seoentes de flores e
legumes : na pbaarmacia americana de A. M. Ve
asatC.__________________________________
Car HOMEOSOPATHIAAleoel desiafectado
globales, tinturas, frascos, tobos e carteiras.
marinarla Americana, a. si.
Veras fe C.
COGNAObrasileiro de A. M. Ve-
raa 4 CDasia: garrafa grande 124. Dita
dita pequea 9. Retalho 1* e 1*500.
PERPUMARIAElixir dentifricio ante-
sptico contra carie a o mo hlito e amolece-
ciu ento das gengivas.
Pbsrmaria Asne-rlcama, A. M,
_______________Veras 3. *___________
4:UOOS0OO
D-se 4:000* sob bypotheca em predio nesta
cidade ; a tratar na raa das Calcadas n. 60.
Intonlo^os Rodrlcaes deSoaia
Mana Joanna Pinsa de Souza, manda resar jmi--
sas por alma de seu sempre lembrado esposo, An
tonio Jos Rodrigues de Sousa, no dia 6 do cor-
rete, pelas 8 boras da manb, na erdem 3> do
Carmo, 2 anniversarii de aen fnliecimento.
para,
Na ru larga do Rosario n. 26, segundo andar,
se precisa de nma ama para o servido de engom-
mado.
Ama c criado
Precisa-se de nma ama que seja bsa cosinheira,
e de um opiado para todo o servioo, e qae entenda
do sitio a 'tratar na roa do Crespo n. 10, loja.
Ama e criado
Na raa da Stodade n. 27, porto, precisa-se de
uso criado e de urna ama para andar com meninos
e faser aigoos servicos de casa.
Torrado e moldo pelos Sra
l.ulmariHS fe C.
Este delicioso caf nao manipulado eomo
outros muitos que infestam o mercado ; garnte-
se a sua boa qBalidade, sendo mesmo moido vista
do comprador, para provar-se qne um caf puro,
eecolhido e de primeira qualidade, e isto se reco-
nbece pelo che i ro activo e sabor agrsd*vel, nao
deixando mais a desejar a aquelles que sao legti-
mos conhecedores e apaixonados de um ptimo
caf ; vende-se nicamente na fabrica ra de
Marcilio Das n. 26.
Rom fetter
Ns raa de Santo Amaro n. 40 tem um feitnr ha-
bilitado e d fiador de sua conducta, serio.
Estuque e pintura
Evaristo Rodrigues Vianna, ebegado a esta ca
pital de volta de sua viagem, fas sciente aos se-
ohores donos de obra, que sotecba exercendo sua
profisso tendente a yua arte.
P e ser procurado raa do Bom-Jesus n. 41
ou em casa do Sr. Francisco Manoel da Silva,
ra da Cadeia.
Cralo e crMa
Cosinheira
Precisase de urna boa cosinheira ou cosinheiro,
pagase bem ; na roa do Marques de Olinda nu-
mero 20.
Capilao Hassoei Joa Monteiro
da Franca
Joo Bento Monteiro da Franca e seus parentes
agradecem do intimo o'alma a todas as pesseas
que aeompanbaram ultima morada o seu presa-
do e sempre lembrsdo irmo o capito Manoel
Jos Mooteiro da Franca ; e de novo couvidam
para assistir as missss do stimo da, na matria
do Corpo Santo, pelas 8 boras da manb de quar-
ta-feira 5 do corrente, e desde j nos confesssmos
gratos a todos que campareeerem a este acto de
csridade.
I mbelino Anstidlno de tsrvalho
Franca
Iiuia-Francisco Rodrigues Franca Mello e seus
filhos agradecem s pessoas que acompanharam os
restos mortaes de sen filho e irmo Umbelino Aus-
tlclino de Carvalba) Franca ao cerntero do Ar-
raial, e de novo convidam aos parentes e amigos
do mesmo finado para assistirem as missas que
mandam celebrar quarta-feira 5 do corrente, na
capel la do Monteiro, s 7 horas, pelo que se con-
fesssm desde j agradecidos.
Carlos Alberto de Maneses e sua senhora con-
vida ii os seus amigos assistirem as missas que
por sima de seu av Manoel Joaquim de Figueire-
do, fallecido no Rio de Janeiro no dia 30 do pas-
eado, mandam celebrar na igreja nutrs da Boa-
Vista, s 8 horas da manb de quarta-feira 5 do
correute, stimo dia dsseu 1 llecimente.
Tratvnento Reconstitunte
Bum DCHAMP
COM EXTRACTO
de Figado de Boealhw
Quina e Cacu
Cada frasco d'aite ,
ELIXIR contom c
principio* depurativos
tnicos da um litro da orto <
de figado da bacaJhku
um litro da vinho de Quina, t
Tam sobre o olao da
figado da baoalhu a van.
tagem da aocalarap aa
funoooaa do aatomago
am lugar da aa perturbar,
a da despertar o appetsta-,
Na ma do Imperador o. 22, aerando aadar,
precisa-se de nma criada para os ser vic, s internos
de ama casa de pequea familia e qne s&ia roa,
e de nm criado tambem qae se preste para servieo
de sitio.
Semenles de earrapa^o
Compra se em grandes e pequeas quan'.i-J -.-o_.
aa drogara de Francisco M. da Silva & C.,. rn
do Marques de Olinda n. 23.
Fabrico de assucar
MarhlnUiuo don falirlranlia Ihinran
' Siewsirt iV C. de t.lato
Coostrocco da mais moderna e aperfeieoada e
de grande duracao.
Moeoda com presso bjdraulica de Stewart que
d a melbor ezpresso conhecida at hoje.
Caldeiras com economisador, especialidade des-
tes fabricantes.
Fornalhas para quetaiar o bagaco verde em di-
reitura da moenda.
Os apparelbos de Vacuo e Triplo effelto sao de
lystema moderno como tambem as turbinas ou cen-
trifugo.
Oreamentos e msis infarmacSes em casa de
Browns & C.
Rna do Commercio o. 5, 1 andar
Urna verdade
Actualmente o vinho que se pode tomar asco
midas o Barrada, que vendem em grosso Costa,
Lima & C, e engarrafado Joaquim Damaaio,
praca do Conde d'Eu ti. 10
Pao Latelo
ielle & Bise* avisam ao respeitavel publicc
que todas as tercas e sextas teiras teem este aa-
ocraso pao ; ra larga do Rosario n. 40.
Cosinheira
Precisa-se de nma mulher que seja boa cosi-
abeira e queira ir para a provincia do Para : a
tratar oa ra larga do Rosario n. 26, 2- andar.
Precisa-sc
iom urgencia de urna mocinba de 12 a 16 annos
de idaoe, que seja carinhosa e de bons costumes,
: a-a brincar e entreter urna .enanca de 2 annos.
d-se um piquero ordenado e bom tratamento ; a
tratar na ra Velha n 36.
Este Medicamento, de sabor e gsto
muito agradaveis, obteve o melhor sue-
cesso em Franca para combater :
ANEMIA, CHLORSE,
AFFECC.ES dos BRONCHIOS
e PULMES,
c a FRAQUEZA das CRIANCAS
Depsito geral em PARS :
9TT0SAXF, 16, rae do Pditou
Em Pernambuco :
FRANco M. da SILVA a Ca.
MEDALHAS de OURO e de PRATA
Dtpltmtu dr Honra nma topas*eo>s
ftrtt: 18tS, 1S7B, IS5, 1SSS, ISS7
GURA
asa
Incontinencias de Urina
casi as
GRAGEAS GRIMAUD
ds Poltlersj
Ferro-Ergotadas
0 PE1T0RAL de CEREJA
Do Dr. Ayer.
As enfermidades mais do, irosas e fataes da. gar-
ganta e dos pulmoes, ordiiiariamente desenvolvem-
se, tendo por principio basas pequeas, cujos
resultados nao sao dimeis de curar se prompta-
niente se tratAo com o remedio conveniente. Porem
o progresso pode ser engahoso e a demora fatal.
Os Kesfriados e as ToKses dao reciprocament* o
resultado de Laringitis, Aitthma, Bronchltis,
Aflifcr Pulmonar e a Tsica.
Todas as familias que tem criaticas devem ter
0 Peitoral de Cereja do Dr. Ayer
em casa para o usar em caso de necessidade. A
perda de um so* dia, pode em muitos casos accarre-
tar serias con?equc-ncias. Por tanto nao se deve
Serder tempo precioso, experimentando remedios
b ffleacia duvidosa, cmquanto que a enfenni-
siade se apodera lio systema e se arraiga profunda-
mente, entJo que se necessita tomar nesse instante,
o remedio mais certo e activo em seu effeito, e este
remedio sem durida alguma o Pkitobal du
Cbbkja do Dr. Ayer.
preparado pelo
DB. J. G. AYER e CA.,
Lowell, Maas., E. U. A.
V venda as pr4ncip.es pnarmacia. e drogariM-
ehegon a terceira remessa
das agiias alcalinas mineraes
de Nondarz em Pontevedra,
na Hespanha
ESPECIALIDADES
para molestias do estomago, taes como : dispep
sia gastralgia, catharro cfaronico ao estomago,
ulceras simples.
Molestias dos intestinos, taes como : enfarta-
mento do figado, ictericia, clculos buhares, diar-
rha chrOnica, etc., etc.
Molestias das visa urinarias, taes como : dias-
teses ricas, catharro vesical, diabetes sacarina,
albuminuria e gotta.
as anemias, cblorosis, psoriasis, pranigos
dore- artrticas eontras ermitas molestias.
As agnas alcalinas de Mondaria naseem de ro-
chas grani-i -as na temperatura de 180 centigra-
des, sio claras, incolores de ebeiro pareeido na
pouco aos de ovos cosidos, sabor alcalino, produ-
sindo um ligeiro sabor picante na occasiSo de to-
mar-se. Ellaca sJj clasBificadas no numero das
alcalinas e bi-carbonatadas de soda.
Estas aguas acham se venda no eatabeleci-
mento do Sr. Antonio Alfonso Simoes, sito ra
Visconde de Gtoyanna n. 1 (quatro cantos), em
Boa-Vista.
Bibliolheca Infantil Princeza
Isibel
Ba Velba n. 3G
O professor abaixo assignado, tendo de installar
brevemente em seu collegio sito ra Velha n.
36, urna biblioteca infantil, pede aos livreiros
desia cidade e ao publico em gi ral, que se dignen:
coadjovar a respectiva bibliotbeca com livros e
folbetos, vieto srr maia urna fonte de instruc$S e
de engrBndecimento para a nossa cara provincia.
Julio S ares de Asevedo. .
S m M FAMILIAS
queris vossos filhos sejpbe sadios?
Adtninistraelkes o Xarope ou as
Pilulas Yermiporgativas
DO DE. CALASANS
ptimas prepara^Ses de mastrnz
e rhuibarbo, para a expulsSo completa, sem
dores nem ncommodos, dos Vermes
intestiDaes oa lombrigas
(DAS CK1ANQAS E DOS ADULTOS)
SEIS ANNOS DE SUCCESSO
t Estas expelientes preparaySes nao ne-
I cessitam de purgativos como auxiliares,
I visto serem purgativas por si mesmas.
As pessoas que 'm vermes sentem c-
licas, tem constantemente diarrbas, indis-
posigao, sensato de corpos que ae mover.
nos intestinos, pndurecimento do ventre, e
s vezes, vmitos. Rangem os dentes, quan-
do dormem, algumas pessoas expellem
vermes coro as fezes ou com as materias
dos vmitos. As enancas apresentam aa
pupillas dilatadas e inappetencia.
As pilulas levam impresso o nome do
Dr calasaos e sao edr de rosa.
1 caixa de pllalas 15200
1 vidro de xarope 1200
AS PRINCIPA ES DROGARAS E
J*hrmaclas
Attenco
AInga.se o segundo andar e sota do predio n.
51, a ra do Imperador, limpos e bem conservados,
com vastas accommodacoes para familia, sendo o
cegando andar forrado e esteirade : a tratar no
escriptorio de N. I. Lidstone praca do Commer-
cio n. 10, pavimento terreo.
CONSTIPACOES, BRONCHITES
Irntacao do Peito e da Garganta
Contra essas afrelcoes. a PAST* peitoral e o
XAROPE de MAFE de OELANGBENIER, de PARS,
possem urna emenda lnfalHvel verifleada pelos
Membros da Academia de Medicina de Franca, sao
contendo opio nem lao pouco saes de opio taes
como lorphina ou Codeina, csses productos ml-
nistrao-se com ptimo xito e seguranca s
Criancas solTrendo do Toase ou Coqueluche
Dtootitot nu Phtrmtcitt do Hundo intelro.
A o publico
Alfredo Sindolfo dos Res.' Campello, tendo de-
liberado admittir de preferencia o cognome de
sus familia materna, declara que assigna se n'jra
em dianteAlfredo de Mello Loureiro Campello.
Becife, 1 de Saembro de 1888._______________
Ao commercio
Domingos Marques dos Santos tem justo com-
prar ao Sr. Manoel Jacintnu Gomes o seu estabe
lecimento de molbados ra da Fundi(So u. 4 ;
quem st> julgar cim direite ao mesmo, queira
apresentar-se no praso de tres das, acontar desta
data. Becife, 5 de Setembro de 1888.
*ppnrnl*t por dinrui Soeiedadei d Mtdicini
dt Frtnct a do Estrtniiro.
Bmpres-adas na mala de SO annos
nos Hospilaes. Asylos, ColonlM peniten-
ciarias, sempre com feliz xito, as Affeccots
CUorotieai e Anmicas de toda especie.'
Fallida*
HOY UEDICACiO PRECIOSA E IMIM
rama omua
INCONTINENCIAS DS URINA
endi i
srssM ss Csss n GRIMAUD FILS
I, rtt niitrt, Prlfutoull.
FRAN- M. da SILVA C.
a sis MuciPAu rsiuiiaAi
AttenQo
Maooel Venceslao dss Mercs, de hoje em disn-
te, pasea a sssignar-se, Manoel Venceslao de Oli-
veira.
Recife, 25 de Agosto de 1888.

Attenco
Aluga-se o predio n. 14 da ra do Livramento,
proprio para estabelecimeoto por ter ama arma
cao de luxo (qne s vende barato) eom um prime.
ro andar para morada, tem bom quintal e (lepen-
denciaa para empregados ; a tratar na ra do
Bom Jess n. 3, com Amorim Irmos & C.
Boa Viagem
Aluga-se urna dss melhores casas deste arra-
balde, nao sd por seuscommodos, como por sua
collucsco e perto do rio : a tratar na ra larca
do Rosario n. 34, pbarmacia.
Professora de piano
Urna professora competentemente habilitada aa
eoamo de piano, se offerece para leccionar em
casa de familis, e se comprometi pelo adiaute.
ment de suas alumnas ; quem precisar de sena
servicos pode dirigir se ra do Jaamim n. 37
para tratar. "
Camella do Monte de
t?<
occorro
Ouro e prata,
Cmprese por malor
o pedras finas
proco do que em outra
qu.Iquer parte e por msis alto que slj. o sea va-
M 5-V.B Bm*!' d*ioria, relejoaria o.
63. jonto a paarmacia Piano,


t


Diario de FernambncoQoarta-eira 5 de Setembro de 1888
PEITORAL DE CAMBARA DE S. SOAfiES
Este importante e acreditado medicamento, contra a tsica pulmonar, asthma, bronchite. irritacao e
inflammaco do laringe, coqueluche, tosse, rouquido e perda de voz, vende-se em casa dos agentes e depo-
sitarios geraes n'esla provincia
FRANCISCO MANOEL DA SILYA & C.
ra do Mrquez de Olinda, n. 23; a 2S500 o frasco, 135000 1|2 duzia e 24$000 a duzia.
Vender tambera em militas pharmacias e drogaras desla provincia
Cuidado com as falsificages Cuidado com as imita foes !
Tyiwpicituomii vm
FABRICA
De II vros de escrlpturar**
Premiaaa as exposieoes de 1883 e 1885
Manuel J. de Miranda
Encadernacao, pautaco e eapecialidadas ^
em cartdes de visita.
89RDA DUQUE DE CAXIA839
_____________Telephone19*_________^^^
Nova caldeiraria
! cldade da Bajeada
Salvado- Ferraro & G participaos aos enhorca
de engenbos, que abriram ama nova caldeiraria
pora todos oa trabalhoi em cobre, como tejan,
alambiques, machinas para restilar, etc., bombas
e eneanamentoa de ierro e chambo, para o que
teem om peasoal habilitado : offerecem a par da
inceridade a maior modicidade noa preoos.
Cosinheira
Na roa do Cabog n. 14, segundo andar, preci-
sa se de urna cosinheira que si-ja perita.
GRAGEAS
de Copa/ilba, Cu beba
Ratnhia e ferro, Bismurtio \
Alcatrko, Terebenthina, *'
FORTN
INJECCO
Hygsntca Preservadora
em causar
accidenta algum.
As GRAGEAS FORTN, forao as primeiras que obtiveram a approvacaodaeadtmim
de mediana (1830) e que adoptaram-se nos Hoepitaee. Cnram as molestias aectetas.
mais rebeldes sem fatigar os estmagos mais delicado.
A INJECC AO FORTN sempre recommendada- como o complemento da medlcacio.
Dspoattosam r*rt*b~tm t ntur- M. da aOLVA O. asa pctaelaa. Pl
AO N. 20
)
FORMULA
4NGELIN0 JOS DOS SANTOS ANDRADE
Approvada pela Inspectora Geral
da Hjgiene Publica do Rio de Janeiro em
20 deJulhode 1887
Este depurativo de grande eficacia as molestias syphiliticas e impri-
,... oo sangue. Para maior garanta da eficacia deste medicamento, publicoo-
grande numero de attestados de alguns Srs. mdicos residentes nesta
provincia e de muitos avalheiros que teem feito uso deste depurativo, em nu-
mero superior a 300; ootando-se 50 pessoas que se curaram da terrivel beribe-
ri com este poderoso depurativo
0 uso deste Elixir muito recommendado no tratamento geral as mo-
Itstias das senhorase a prova est no bom resultado que tem obtido qusllas
iasExm". Senhoras que delle tem usado.
xwxaoora lODe xjsajb.
os adultos tomarlo puatro colheres das de sopa pela manha- e quatro noite.
As criancas de 1 a 5 annos tomarlo urna colber pela macha e outra a noit, e os de
6 a 11 annos tomarao duas colheres pola macha e duas noite. DeverJo tomar ba-
ohos, fri ou roorne pela roanh- e Doite. Resguardo regular.
Emontra-se vonda na drogara dos Srs. Francisco Manoel da Silva & C,
roa do Mrquez de Olinda n. 23 e pharmacia Oriental roa Estreita do Rosario n. 3.

t
(IDHT0 A0 LO
SETIM japones, fazenda de liatra, a 240 rs., e covaao.
ZEPIIYRES de quadro, ultima novidade, s 200, 240, 300 e 320 rs., o covado.
MERINO de cures, duas larguras, a 800 e 15000, o covado.
CORTES de cambraia bordada, a 5 LINN nnisaimo, fazendas de 800 a 500 rs. o covado.
CACHEMIRA de quadro, alta novidade, a 320 e 360 rs., o covado.
CAMISAS allomas, liabo e algodSo, a 380000, a duzia.
CROTONES claros, padroes esoolhidos, a 240, 280 e 320 rs., o covado.
MADAPOLAO americano com 24 jardas, a 60500 e 6|5500, a pega.
BRAMANTE de linbo de quatro larguras, a 10700, o metro.
ATOALHADO lavrado, sem cenfeecao, a 10200, o metro.
NANSOK muito fina, 200, 240 e 280 rs. o covado.
SAHIDAS de baile, a imitarlo de seda, a 20000, urna.
ESPARTILHOS couraca, 50000, 60000, 70000 a 80000, om.
FTJSTAO de cor, para roupa de homem e menino, a 800 rs., o covado.
BRIM de cor, para roupa de menino, a 320 rs., o covado.
PANNO da Costa de liatra e quadro, a 10009 e 10200, o covado.
LANS arrendadas (ultima moda) a 600 rs., o covado.
LEQUES transparentes, a 20500 om (desenbos novos)
SETINS de todas as cores, a 800, 900 e 10000, o corado.
ESGUIAO pardo para roupa de senbora, a 360 e 400 rs., o covado.
RENDA hespanhola, com um metro de largura, a 40000, o metro.
BALEIAS para vestidos, a 300 rs., a duzia.
TOALHAS felpudas para rosto, a 30500, 40000, 40500 e 50000, a duzia.
TOALHAS grandes para banbo, a 10500, urna.
CORTINADOS bordados, a 60000, 60500 e 70000, o par.
RICAS grinaldas com veo de bland, a 80000 e 100000, urna.
TAPETES para porta e sala, grande sortimento.
FUSTO arrendado para vestido, a 500 rs., o covado-
CORTES de caaemira, a 60000, 70000, 80000 e 100000.
COSTUMES de casemiras, em cortes, a 200000, um.
SAR-ELIM diagonal de todas as cores, a 240 rs o covado.
RICAS caixas com urna duzia de lencos, a 20500, urna,
METINS de lista, novidade, 400 rs., o covado.
MEIAS com pintas e arrendadas para senbora, a 800 rs., o par.
GUARNICA de crochet, para sof e cadeiras, a 70000, urna.
GARDA-PO' para homem e senbora, "80000 e 100000, um.
SEROULAS de bramante, a 150000, 180000, 200000 e 220000, a duna.
PALHA de seda, para vestido e paletot, a 10UOO, o covado.
COLCHA de damasco de algodao, azul e carmezim, a 80000, um.
BRAMANTE de algodao de quatro larguras, a 800 e 10000, o metro.
fMUiMIM
Completo sortimento de cobertores, cobertas, colchas, meias, punhos, eolari-
nbos, gravatas, bicos, estrados, luvas, boleas, sabonetes, tnicos, leos, ntremelos,
bordados, chambres, camisas de fl mella e anqninhas.
RA 1. DE MARCO
CASA DE CONFIANCA
AMARAL&C
RECLAME!!
Nao ha duvida que os artigos abaixo mencionados sao em presos
mais commodos do qne os vendidos em casa dos dignos collegas
VINHO MARIANI
DE COCA DO PCRU
iahi qne 1 experimentado nos nospltaes de Parla,
prescrtpto tartamente con xito para combater a Anemia, OHloro...
Bifestoes mas. Molestias das vis i espiratorias e
..

Molestias Nervosas
Capsulas do Doutor Clin
Laureado da Faculdade de Uodicina de Pars. Premio Montyon
As Capsulas do Doutor CLIN ao Bromureto de Camphora empregao-se
as Molestias, as de Cerebro e contra as affeccoes segointes:
Asthma, Ittsomnia, Palpitacoes do Coraco,
I Tonteiras
Epilepsia, Hallucinacao.
Hemicrania, Aeccoes das vas urinarias et para calmar toda
I especie de excitacao
menta do raso vocal.
O af lilas rmjmmemdom^o U Pumo froga e drlieadat.
aot Velkos t Crimea*.
E' o Raparasor di Partarfeaooea dtgasttna
S O FOHTIFIOANTH por HsjflHI.1.
------- or- o vinho mariani as aseo i ka em casa db
> ^fl|r *r wawTAWT n-.rl.l >M>Tinl Uismh- Wew-Tor?i.H itStf ,1
B ^^^ Em Penambuco : Francisco as. da aXaWA db CS
fcW%||aWsara^Waaat^
BAZAR DE MOVIS
49Ra Baro da Victoria49
Silva Fernaodes & C.
ljndo sortimento de las de quadro, modernas, a 280 e 300 rs o covado.
Merinos de todas as cores, urna largara, a 200 rs., o dito.
Setinetaa bordadas, padrSes chiques, a 240 e 280 rs., o dito.
Zefiro de quadrinhos, a 100 e 120 rs., p dito.
Batistes de cores firmes, a 160 e 200 rs., o dito.
Setins de todas as cores, maco, a 900 rs. e 10000 o dito.
Gorgor oes pretos de seda, verdadeiro Lion, a 20200, o dito,
Damascos de duas larguras, para capa de piano, a 10800, o dito.
Pannos para mesas, a 10000 e 10200, o dito.
Atoalbado, liso e bordado, a 10100 e 10200, e metro.
Tapetes a ve Mudados para sala, a 60000 e 150000.
Cortinados ricamente bordados, a 50500 e 60000, o par
Colchas de crochet, ricas, a 7001)0 e 80OCO.
Grinaldas e veos para noivas, a 90(00 e 120000.
Toalbas de labirintho, riquissimas, a 250000 e 300000.
dem para rosto, a 40000, a dosia.
dem para banhn, a 120000 e 180000, a dita.
Seroulas bordadas, de bramante, a 100000 e 120000, a dita.
Meias cruas para hamem, a 20500, 30800 e 40500, a dita.
Camisas brancas inglesas e francezas, a 360000, a dita.
Madapolao americano, a 60000, com 24 jardas.
Algodao alvo, nacional, a 30200 e 40000, a pega.
Lences de bramante para cama de casal, a 10800.
Colcht.8 francesas, grandes, a 20000 e 30000, urna.
Ficbs de 13, modernos, a 20000 e 20500.
Redes de cores, a 40000 e brancas, tinas, a 100000.
Casimiras pretas, a 10800, 30000 e 40000, duas larguras.
dem em cortes, a 40000 e 50000.
Cheviot preto e asul, a 20800 .e 30000, duas larguras.
Deposito de fazendas para os Srs. negociantes do centro.
As vendas em grosso leu o descont da pracs.
Damos amostras de todos os artigos e mandamos em casa das Exmas familias.
59Ba Duque de Caxias59
LOJA DE
PERERA & MAGALHAES





csrsiMS*
jefluxos, tossc, insomnia
Grises nervosas
XAROPE DO D" FORGET
. fodj si Phvmicltt do Unirme
Exija-se o endorsoo
36
.CHABLE
00,000 Doeat
SSstti
onorrha,Flores brancas)
Perdas seminaes,
Debilidade,Esgotamento,u.
VELO
.CURATO de FERRO CHABLEj
Em todu SI ion PhtrmulU
Exija-ss o endorsos
ao lado.
VEAS BBRTHAIID DE MAffiGA DE OACA'O
Approvadas pela Kxma. fanta Central de iij sicije Fubllea e adop-
tadas pelos mais dlstlneTos mdicos da liuropa e America
As vea nerlbavad pela bus escolha e variedade de saas formulas sao de tal utilidade que
se pode diaer : constituem urna botica completa para o tratamento das molestias a qne se destinara :
o qne nao acontece com outroa medicamentos que, sendo de ama s composioo (embora moito apro-
priads), nao podem curar a todos e em lodos os casos.
Este novo e importante producto pharmaceutico, destinado para receituario dos Srs. mdicos e a
substituir com innmeras vantagena os remedios para o mesmo fim at hoje empregados, orna- a-
dispensavel como complemento dos artigos de que devem dispr as boas pharmacias, hospitaes e casas
de solide. .
Estas velas forsm a assumpto de estados e experiencias serias em diversas clinici-s de muit s es-
pecialistas, e todas constataram resaltadas admiraveis no tratamento da BLENORBH\GIA (00-
NORRHEA8). da BLENORRHEA, affeccoes da apparelho genito-urinano, TERO, RECTO, tls-
TULAS, HEMORRHOIDA8, cicatrisacio de feridas, etc.
Nao remedio de frmala secreta, portanto os Srs mdicos receital-as-haa de accordo com o e-
ado do enfermo. Sao atis tambem para trstsmentos cirnrgicos.
I ~ "
/
Urna exDlicaco detalheda acompanh* cada Fratoo.
I Exigir as Verdadeiras Capsulas ao Bromureto de Camphora de CLIN & C'S
\ de PARS, om se encontro em casa dos Droguistas et Pham*aceuticos._____
RETRATOS
24 RA DO IMPERADOR -24
Photoffraphia Hespanhola
DE
JOAQUIM CANELAS DE CASTRO
Encarrega-se de qualquer trabalho pho-
tographico, retratos at^ o tamanho natural,
vistas, grupos e reproduc^es, etc., etc.
Retratos a oleo, crayon e nankio, assim
como do fabrico e dourado de molduras
para os mesmos.
24RA DO IMPERADOR24
. DPDSsB.3NTaA.XyXBXJCa
N'esse estabelecimento encentra se um completo sortimento de mobilias confec-
cionadas com madeira de primeira qnalidade.
Encontrase um grande sortimento de pecas avulsas fabricadas no estrangeiro
e em saas oficinas.
Pelo ultimo vapor chegado da Europa, reeeberam urna factura degmobilias
fabricadas em Vienna d'Austria, o que ba de fino e mimoso, proprias para guarnecer
ama toilette, Bala de espera ou gabinete de qualquer pessoa por mais exigente que
seja. ... Sahumado.................. 1/2 mligramma
SILVA FERNANDES & C. tm tambem cathalogos das melhores fabricas da AVIZO ,
Europa e Beus consumidores podem encommendar qaalquer mobilia ou pegas avulsas ] ^j_ Cet,-ervar sempre as velas em,um logar fresco, e para servir-se dellas em tempt
vista dos mesmos, que serSo confeccionados como as melhores que vm da Europa. | ,je ealur eoiioca-8e em agua fria. BSesMettene-se Hallas con explicares m quena pe-
Para laso tm ofBoina montada em condicos de bem servir a qualquer
VELAS SIMPLES
Frmula de cada ama
Asido brico................ 15 centigrammae
Bromureto do campbora...... 20

Cblorato de potasas.......... 10 >
Hydrato de cbbral.......... 10
Iodoformio puro............. 15
Sublimado................... 1 milligrama
VELAS COMPOSTAS
Formula de cada ama
N. 1Sulfato de aluminio.... i ceotigrammas
Acido salicylico....... 3 a
Tintara de benjoim----- 10
N. 2Aaotato de prata...... 3 milligrammas
> de chumbo.... 4 *
N. 3Sulfato de sineo...... 3 centigrammas
Acetato de chambo----- 3
Tanniao.............- 3
Laadsnum de Syde-
nbam.............. 10
N. 4Iodoformio............ 15 centigrammasT
Eucaliptos............ 10 a
N. 5Sub-oitrato e bismatho 20 >
Copabyba............. 10.
sendo
a marea registrada e a firma om
coadjuvado por peritos artistas. .
Tm madeiras proprias para o fabrico de todas as pegas que lhes torem enoom-
mendadas.
Ninguem, por certo, poder competir em prego e nem na quahdade e especia-
lidade d'este ramo de commercio.
B.ECIFE
ASTHMA & CATARRHO
Cucados pelos CIGARROS ESPIG
Ovvressocs Toase Defluxoa Aevrtagiaa
LICENCIADOS PEIA .KSPECTOmiA D irfKE DO WERIO DO J*"-
Aenlra-se a fumaca aue penetra no pelto. acalma o systema nervoso,
faclifu" pectorllo e^favorlsa as funecces dos orgaos respiratorios.
VsnOa am atacado, J. ESPI,
Sai Hntmam
ra 8l-l-*ar., m Parto. xija-te teta awigiuUuru
FRANCO II. da 8U.VS O. OM ttwtgmm UluCBtllM ikuri.
dir. Como garanta exija-se sobre o envoltorio das canas
manuscriptoF Paulo de Frellas. ......... .. ,
Roga se aos Sts. pharmaceatieos o favor de reclamarem prospeotos e distribuir pelos medico ae
seu conbecimento. .__
Caixa modelo commnns (de ama s qnalidade) 34-Eapeclaea. modelos
A(Supposltorlos) um I*H urna 3*c urna #000
AB4 IIIKl I O El Dl'Mt
Eneonra-se as prncipaespbarmaciaS e drogaras do mando
DEPOSITARIO GERAL
T. PAULO DE FEEHAS-m D3S 0B17IS 8.3.-A,
(Casa especial para a venda e propaaiaada de preparados medida
masas. v RIO DE JANEIKO
A* venda na pharmacia 8. Piaho e em casa dos depositarios Barttaolomeu C.
Sna do Rjsario 34
C'
Aparlantaa, Ealomachlco^ Purgsth>., ^P"""'* v-rtlastOS,
contra a X*altW de appetlte. a Ob.trucvo, ^|c.*'aroT^^^
as Cona-e.t&es, etc. Dose ordinarut: t. t aj P"-
Deaconflar a, falslflcaces Exigir o rotulo Junto Imprimido em rranoffl
e om letras du 4 cor.., sendo fj galla a] TTil j>> QOS I aDriCaDUl.
cada urna letra de una edr amrente e v m"' **"" ___^.^m.
la vavazz, fbamaoto SaBsot. ISjsdM ts4a m ^-lailamnsraM
licenciado pela Inspectora Geral de Eyglne io Imperto do BraefL
PREMIO NACIONAL
i, 16,600 ir.
Grande Medalha^e OURO
UINA-LAROCHE
Encerrando toaos os principios das 3 quinas
APERITIVO, TNICO e FEBRFUGO
Agradabilissimo e de superioridade pro- 1 Q mPSmO F E R R U GIN 0 S0
warla snhre todos os preparados de quina, C 3 u ihdoiiiu b w^.-w w w
iratm a DEPRESsi de Forgas, oVaf. Recommendado etr.. Depauprame*)
rer3>s del estomaoo. as Febres na- g S *> Sanooe^ a Chloro anemia, e u
aaBUBsT etc. coNSEQuaaaua do pabio. etc.
ferie. 88. na JDnuou a au prneivti P
*>
PEITO
Administrando marlamente urna lnjec
sobcutanda com o conteudo de urna sen
de Pravas (modelo Le Bran) chela de
EGALYPTIHA LE BRH!
IHHl II
a TUUsa, as BrnMte*
Catarrhos pultnonare*
A nealyptisa nao contm morpnlpa
LE BRUN, Pharmaceutlw-CbimJco |
Dspask) aa temtmanc. ff- IfcBUif.


4>
- >


8
Diarto de Peroamhueo~

:

i
I




i
G. LAPORTE & C.
46Ba do Imperador46
CASA DE COMMISSOES
Agentes da sociedade Cooperati/a Universal
Recebem encommendas de quaesquer mercadorias par Europa, America do
Norte e America do Su), em condicoes ventajosas. Garntese a mxima celerida.de
(35 90 dii-s pra Eoropx).
GASAS ANNEXAS
Livraria-Papclafia TypograpMa
ARTIGOS PARA ESCRITORIO Bem montada offiuina para mpressSes de
N este estab-lcimento encontrase o todo o genere, des le a id ai 8 simples at a
maior sortimenta de livros de instrucylo e mais difficil : CartZes de visita, cabecarios
de direito qu se possa desejar. Em
l*OMMU com importantes abatimentos, e a
retalho.
precos raznavels
para O COMMERCIO : Especialidade de
papis para correspondencia, facturas,
conas-correctes, etc. Envel ppes de todas
as qualidades. Copiadores de cartas. Li
uros em bronco e todos os artigas inherentes
ao commercio.
LINDO E VARIADO SORTIMENTO de artigos
finos para uso das senboras, como sejam :
Papis e envoloppes de luxo para corres-
pondencia, tinteiros, caetas, carteiras, etc.
artigos pra desenhos, engenharia, re-
particSts pul cas, emprezas, etc.
PAUTA-SE, RI8CA SE, SERRIl HA SE e COR
TASE papel em face de qualquer modelo.
Sui geoeris
Detestamos os artigos bombsticos com
que ciariamente se en-bem os jornaes desta
capital, anounciando como especialidade o
que nunca passou de-mediocritlade. Somos
positivos, e como taes s timbramos em
nao engaar sos que nos dispensam a sua
amisade e auxilio.
Acabamos de receber nova remesas do
j afamado e especial vinbo
Mad
uro
de cartas, facturas, memoranduns, menas,
circulares^ convites, participantes e qualquer
outrj trabalbo muido, com inex-edivel ni-
tidez e perfeigao. Brochuras, livros, rea
torios, memoriaes, horarios, mappas e qual-
quer outro trabalho especial para estradas
de ferro, grandes emprezas, repartieres pu-
blicas, advogados, Iliteratos, etc., etc.
ENCADERNAgAO
Montada com todo o cuitado e munida de
material de primeira ordem, pode esta offi
cia eocarregar-ae da execucao de enea
dernac.3es e brochuras de todas as qaali-
dades. FABRICA DE LIVROS EM BRANCO
communs e especiaes, impkessos, BISCA
DOS, PAUTADOS, e ENCADEKNADOS na pro
pria casa a gosto d" freguez.
Livraria e Officina: 46 e 48 Ra do Imperador
ANDAR TERREO
ATTEN^AO
Eosina-se geographia e bstronomia ; a tratar
com o padre Augusto A. S.ares de Kusewetter,
no convento do Carino. lindar n. 6. ______
Caixeiro
Precisa-fe
idsde, para
dando fiador
Velha n. 36.
de om menino de 12 a 14 anoos de
entregar ctrtas e receber contal.
de sua conducta : a tratar na ra
Advertencia
O Sr. Bodolpho Honorio de SerpB Erandao pre-
cisa vir pHgar o qut> deve, e deixar se de audar
com falcatroap, que a continuar se far patente
todo o sea procedimento.
O Vigilante.
YENDAS
Vende-se na roa mais commercial a'csta cid ade
om importante pstftbflecimento de moibados, atra-
tar na roa do Rangel o. 36, botica.
Vende-ees duas cusas grandes,sendo urna de
esquina, pr pria para negocio, para que tem se
prestado desde 1854 at boje, e sutra pura morada
de grande familia ; a tratar na cidade da Escsda
na meema luja n. 33, ou em Afogados, pateo da
Pas. casa n. 15.
Deposito de refinado
Vndese um, bem localisado, com iregueaia de
retalbo no balcao de 10 a 12 arrobas diarias : a
tratar na mesmo, ra Vidal de N.greiros nu-
mero 93.___________________________________
iiimacs para engenho
Vendc-se animaes de roda para engenbo, sendo
todos novos e de b >m trabalho : quem pretender,
dirija se rus da Florentina n. 2, que se d in-
fsrmacoes.
Rom eniprege de capital
Vende-se um bottlzisfao bem afreguesado em
un dos melhores pontos d-sta cidade e os motivos
da venda se dir ao comprador : informa-se no
largo da Santo Cruz n 2, t venia.
W1ISET
Boyal Blend marca YIADO
Este excellente Whisky Escoces prr
fcrivel ao cognac ou agurdente de canni
para tortificar o corpo>
Vende-se-a retalbo nos melhores aro
zens de moibados.
Pede Hoya I Blend marca Viada
cujo nome e emblema sao registrados par
todo Brazil.
BROWNS A C, agentes.
Vaecas de leite
Vende-se ciuco va veas da leite recentemente
paridas e urna garrota ; eu Sanl'Anna de Dentro,
no sobrado. _______ *
Sabdo transparente
DE
O consumo extraordinario que este vinbo
tem tido fas-nos acreditar ser este o nico
que fica substituindo eases outros que por
ah denominam--Barrada, Figaeira, Car-
cavellos, etc., etc. Duas summidades me-
dicas d'esta capital,-recommendam aos seus
amigos o uso quotidiano d'este vinbo, como
mais salutar economa humana por nao
ter as composiedes de tantos outros, qua
arruinara a sade da humanidsde, trazendo
como consequencias os horrores a urna po-
pulacho que se definba a olhos vistos.
Recebe .'tambem o
Requeijo
em latas, de procedencia de engenbos cujos
propretarios capriebam em bem trabalhar
neste artigo, afim de terem a primazia so-
bre tantos outros similares, cuja composi-
5o duvidosa.
Ero outros artigos como .
SEMENTES DE HORTALIZA
E FLORES, LINGUAS SECCAS DO
RIO GRANDE E
OBJECTOS DE VIME
para isto tao pouco temos competidor. A
nossa casa especialista e as pessoas que
disto se queiram certificar podem compa-
recer, com o que muito nos honrarao.
A par de ama infinidade de artigos de
primeira ordem, que se acham em exposi-
yio, accresce "a smenidade do trato com
que timbramos tratar todos os que nos hon-
ram com sua prevenga, junto a modicidade
de pregos sem rival.
tua Estrella do Rosarlo n. 9,
junio a Igreja
Posas Heniles J G.
Parabeos ao Jpnn gosto
. Na leja Oa Jloria
Continua sempr no sea admiraval systerra de
vender barato para vender muito.
Lindas fitas a 13 de Haio gosto o mais moderno.
Espelbos com fina moldura com 3 Asaos de
altura a 4*.
Lindos auseis americanos imitando prmica-
mente brilhante a 2*.
Variado sortimento de pulseiras americanas para
meninas e senboraa a 4*, 6* e SJOOOris um psr.
Chics porta-relogioa a 14.
Botocs de setim de diversas cores para vestaos
a 10) rs. a dutin.
Agulbas para bordar a ooro, en fiar missangas e
faser voltaa.
Fitas II Fitos 11 Fitas!!!
Plicesl! Plices!! Plices!!!
Botoes Botdes B.t-.-s!!!
Os propretarios de.-ta acreditada casa, queren-
do dar sabida ao grande deposito das mercaderas
abaixo descriptas resolveram vender por menos
25 OO. ^ .
COMO 8EJA
Plices com duas rifas cor de rosae azul acom-
panbando um bico a'300 iY.s o metro.
Boldea de phantasia para vestidos de cambraia,
cretoae, cassa, 15 e merino a 200 res a duna.
Linba coats para machina a bOO ris a dusia.
Plices com dnas ordena com floeo de seda de
cores a 500 ris o metro,
dem com aljfar de diversas cores al|o me-
tro.
dem de ella para casamento a 8r0 rs. o metro.
dem branco com da*a ordena a 41'0 rs. o metro.
Bctoes de velludo pisto a 200 ris a dusia.
Lavas de Escossia bordadas a sJs s 1* o psr.
Bonito sortimento de botes para palitt e fol-
ete.
Fita muito boa para palitt e collete.

tx>
Cleaver
FOLHETlffl
TESTAMENTO TEBIELHO
, POR
XAVIR DE M0NTEPIN
EGIXD1 PARTE
A CACADA 0.AS MEDALHAS
(Continuaclo do n. 201)
LV
Dir-se-hia urna massa d'agua subterr-
nea corteado em largos tubos.
O que vem a ser isto ? perguntou
Fabio a si mesmo.
E redobrou de attengao.
Nao s o ruido nao oessava, mas pare-
ca at augmentar.
O Sr. de Chatelux levsnton-se de um
salto, puxou a cama para o meio da ade-
ga e olbou, mas as trevss cobriam o slo.
Foi eotao busesr a lamparina para allu-
miar-se, e, debrugando-se, vio flor da
torra nma Isge muito larga de granito.
No meio desta lage bavia um corte re-
dondo, tendo no centro um buraco da cin-
co centmetros.
Assemelbava-se a una bocen de esgoto
tapada com a sua chapa de folha. Apenas
all urna podra substitua a folha.
Fabio, introduBndo os dedos na abertu-
ra central, qniz levantar essa especie de
rodela grantica.
N&o o consegaio, porque a rodela esta-
I va cimentada ; ouvia, porm, a agua cor-
rer a pequea distancia, e pelo buraco da
pedra distingua nma claridade.
E' um encanamento d'agua, dsse
comsigo. De onde vira?
O* que o mogo nao poda explicar a si
proprio, vamos nos explicar aos nossos lei-
tores.
A propriedade possuia no meio de um
dos seus gramados, um tanque bastante
vasto, que era alimentado pelo braco de
Mamo que corra 4 direita do pequsno
parque.
EBaLHAS 1851, 1853, 1855, 1862, 1867,
1875.
De prata, Pars, 1878.
De ouro, Londres, lb84.
Vende-se as priocipaes lojaa de miudesaa.
Onimaries & Pencan
Agentes.
Venda de sitio
Vende-se ou permutase por predio nesta cidad*
um bom sitio ou boa casa, mutas fructeiras
excellente banbo do rio, boa agua de cacimba,
extonsao de terreno para baiza de capim, tod<
murad ona frente, com portan e gradeamento, con
caminbo de farro e estaco junto ao dito sitio, n<
Porto da Madeira, conhecido pelo sitio da Joi
Selleiro, junto ao Dr. Ernesto de Aquino Fonse
ca ; quem pretender dirija-se praca da Inde-
pendencia n 40, das 11 boras as 4 da tarde.
Veide-se
a gingibirra da ra de S. Francisco n. 9. Na
ole ama tem um rapaz com pratica de molbado.
Por esse encanamento, collocadb debai-
xo da casa, escorria no brago esquerdo o
excesso da sgua do tanque e do rio artifi-
cial
A bocea de esgoto de granito bavia si-
do insuflada no meio da adega, aflm de
poder descer-se no encanamento, depois de
grandes inundares, para limpsl-o.
Ha aqu urna sabida, pensou Fabio.
A pedra est cimentada, mas com urna fa-
ca ser-me-ha fcil tirar este cimento, e en-
tilo ella ceder.
Naquelle mesmo momento outro ruido,
de natureza interamente differente chegou
aos ouvidos do moco.
Era um ruido de pasaos.
Vinham a elle.
A'ao poda ser senSo para soltal-o.
Fabio eigpurron rpidamente a cama e
tornou a collooar a lamparina sobre a
mesa*
A porta abrio-se e o Dr. Thompson, ten-
do em urna das raaos urna pequea lam-
pada e na outra urna cesta, appareceu no
limiar.
Estava horrorosamente paludo.
Ah I o senhor, exclsmou o joven
conde de Cbatelux. Vou entilo coobecer,
finalmente, o fien deste odioso gracejo!
Note que estou disposto, neste momento, a
oUssificar assim o sen acto, mas elle me-
reca outro nome mais severo.
Vou dizer-lhe o que desoja saber ;
mesmo por isto que estou aqu, responden
framente Jacques, collocando a lampada
sobre a mesa e o cesto no cbSo.
E nesta adega, transformada em
prisao, que pretende explicar se oommigo ?
perguntou Fabio.
E' exactamente nesta adega.
Est engaado', porque nSo ficarei
aqu ao s minuto mais.
E o mancebo preipitoa-se para a porta
eptre-aberta.
Mas encontrou-se em frente de Jacques,
que de um salto tnba-se collocado entre
a porta e elle, e que diriga Ihe ao peito o-
cano de um revolver.
Se d mais um passo est morto 1
dsse o pseudo Thompson.
O que eu cbamava um gracejo en-
tao urna emboscada ?
E' o que quaar ; nBo discuto pa-
tarras. S tem urna resolugSo a tomar :
fique cflmo e conversemos.
Quero sabir daqui.
Nao ha de sabir.
Bichas de Hambargo
Vende-se em pequeas e grandes porcoes ; na
roa da Madre de Deus n. 36-A.
Cal vlrgem de Japaribe
Avisa-se aos senbores de engenhos e correspon-
dentes que se acba no mercado, como nss duas sa-
fras prximas passnoas, a verdadeira Cal virgem
de Jaguartbe prepria para o fabrico de assucar.
Ti nao passado por algumas reformas, j no sen
fabrico e j na meibora de sen barricame, e re-
conbecida como se acba que superior, deve ser
preferida pelo aeu fixo pnco e baratis do trans-
porte.
* AfOOO a bar r Ir a
No deposito geral ra do Bom Jess n. 23
No pateo do orpo Sauto n.
Gui maraes d Valente
\a ru:i do Livraincnlo E. 3
Lopes & Araujo
' Va rna do Llvramelo n.
J 2o oa Cunba Vasconcellos
A* rna do Viscan de de Itaparira n ."1
Bento de Freitas GuimarSes & C.
Ka ra Vidal de Negrelroa n. 166
Jos Lopes Ferreira Maia
Ia rna de Pedro Affojnso n. 9
Fereira, Carvalho A C.
Vende-se
o bem conceituado hotel Cosmopolita, sito i ra
da Madre de Deus na. 30 e 32, fazendo muito bom
negocio, livre e desembarazado. Este hotel, lti-
mamente reformado, toroa-se preferivel por estar
collocado no centro do ocmmercio e dispar de mui-
to boas accommodscSes para hospedes.
- LVI
Gritarei! pedirei socoorro /
guo Fabio de Cbatelux.
J o fea. De que lhe servio isao T
retorquio Jacques Lagarde. Tanto boje,
prose-
uomo hontera, ninguem o vira soccorrsr.
E' meu prisioneiro, minba propriedsde,
urna cousa que me pertenpe. Sorprend-o
em minba casa, onde vinha como um la
drao de honra. Poda mtalo, era esse o
meu direito. Se nao o fia, foi porque ti-
nha urna razSo para poupal-o. Vai saber
qual essa razio.
Tinba o direito de matar-me, diz o
senhor ? interrompeu o joven conde.
De certo.
Matar-me, porque eu vinha dizer a
nma menina, sua protegida, sua pupilla,
que amava-a ? Ser isto um crime que me-
reja a morte ?
O senhor penetrou d&baixo do meu
tecto com a iotencllo de manchal-o com a
vergonha 1 Contava que lhe seria fcil se
duzr urna menina ingenua, sem conheci-
mento do mundo, cujo nico erro foi acre-
ditar as sosa palavras mentirosas, nos
seus protestos fallazes 1 1 Nao pensava de
certo o senhor, o conde de (Jhatelux, fazer
de Martba Grandchamp sua esposa....
Quera tazar dola sua amante Felizmen-
te eu estava alli velava por ella e pude
destruir os seus projeotos odiosos.
O senhor eogana-so e julga-me indig-
namente exclamou Fabio. Amo Martba
com todas as forcas da miaba alma, mas
raspeito-a tanto quanto a amo, e vim aqu
como homem de bem, renovar-lhe a offerta
do meu nome, e tanto isto verdade, que
neste momento, ao ser.hor, seo tutor, pego
a mo delia. Bem v que, se vindo sua
casa, sem que o senbor soubesse, commet
ti um acto reprebensivel, ao menos oa ap-
parencia a reparapao nao se faz esperar
reparacSo repeli Jacques. E'
impossivel ?
Por que?
Porque o' senhor meu rival. O
amor que pretende sentir por Martba
Grandchamp um insulto para mim.
Poda eu suppor que senhor quera
desposar sua pupilla ?
Sabia o, Disseram-lhe.
Disssmm-me, verdade, mas eu re-
cusava acreditar em semelhante cousa.
Qual a razSo dessa incredulidade, se
me faz favor 1
O senbor tem o dobro da idade de
Martba ; poderia ser seu pai.
O amor nasce em qualquer idade
Son, alm disso, um velho T
De certo que nSo, mas, visto que
ama, deve admittir que eu ame tmbem.
O que nao admtto a rivalidade.
O senbor joven, b.llo, tem um grande
nome, um perigo para mim, e tai por
isso que primeiro pensei em mstal-o : re-
ouei, porm, diante de um assasainato,
mesmo legitimo. Portante, deixal-o-hei
viver, se quizer prestar-me um juramento.
de eambraia topada com 3 1|2 metros de compri-
jaento tendo 3. 4, 6 e urna ebave de largura a
14400 a peca pechincha!
Bicos brancos de linbo a 14500, 24, 24500 e
34 a peca.
dem de cores a 24, 24500 e 34 a peca.
Espartilhos de cooraca a 34.
Invisiveis prateados a 300 ris.
dem dourados a 400 ris.
Explt n'do sortimento de jarros de 24, 34, 44,
54 e 94 o par.
Mimosos cachos de fiares a 14 e 14500.
Contas para eofeitar vestidos pretos a 600 rs.
o maco.
Ilem de cores a 700 ris o maco.
Misaangaq de todas as cores.
Luvas de pellica para senhora aa24500 o par.
dem de teda cano alto a 24500.
PARA KOIVAS
Leques, luvas, grinaldas, ramos de fiares de la-
rangeiras.
Tambem se encarregam de mandar preparar
bouqueto-
'ollHrinhos e punbos de borracha e de algodao.
Vidriihos de diversas cores.
Bolsas para letras e pastos a 24.
Lencos de seda a 500 ris.
Perfumaras de diversos fabricantes.
Oleo fl rea.
Cortinados todo de crochet a 154.
Colchas de crochet para casamento a 104.
Pos de arros Racbel a 14500 o pacote.
Sabonetes sueco de Laitue a 14200.
Cromos a placa a 200 ris.
Lindos drsenbos para sanatos.
Cosmticos de Lubim a 5t'0 ris.
Talbares para criancas a 800 ris.
Aigrestes para eofeitar capotas, chapeos e cha-
pelinaa a 14500.
Lindas regatas a 14500 e 24.
Espelhos cara dura.
RUa DUQUE DE CAXIAS N. 103
Barbosa & Santos
Atteiif&o
Vende-se duas casas novas, construidas a mo-
derna, por preco muito commodo ; na ra dos
Guararapes ns. 55 e 49-A.; aproveitem que pe-
chincha.
Feno especial
Vende-se ra do Commercio n. 28.
Vinho verde pur
Chegou para Antonio Duarte ra da Uniao n.
54, e vende em ancoras e a retalbo, preco.muito
mdico por ser de contado lavrador, tambem re-
ceberam salpicoes de tombo de porco, em latos
de kilo.
Paris n'America
16 Roa Baria da Vclorh o. 16
(ANTIGA NOVA)
Azeve o Irmao & C,
Meceberam !VTldadea
Rios fi-hus de edres lisos e* bordados
1,5000 e 1500.
Ditos ditos ditos 12 finos a 2$ e 24500
Leques transparentes e setim a 25 o 3.
Capellas e veos bordados a 34, 5$ e 7$
Colzas de crochet com flores a 55, 65, 7,e
84000.
Cortinados bordados fiaos a 55500, 65 e
75000.
Ditos de crochet finos a 105 e 124000.
Crotones finos, edr fixa a 240 o cooado.
A verdadeira esteira para forro de sala a
15250.
Capas de cachemira e seda a 255000
305000.
Setim flor do bosque a 180 o oovado.
Zefiros de quadros finos a 180 e 200 o
covado.
Ditos ditos ditos com um metros de lar-
gura 280 o covado.
Cambraia bordada de cor e branca a
45500 a pega.
Espartilhos coaraca finos a 55 e 55500
Sarge.'im todas as edres e finos a 240 o
covado.
Brim de linho de cores fixos a 600 o co-
vado.
Dito dito dito branco n. 6 a 14 a 15500
Colxas de*dr e brancas a 24 24200 e
245OO.
FustSes brancos finos a 360 e 400 o oo-
vado.
Bramante trancado, 4 larguras, a 900 e
4000.
Dito li linho com 2 metros de largu-
ra a 1$800.
Rendas de todas as cores, 1 < primento
do sai a a 24500.
Cortes de casemra finas a 4$ e 44500.
Toalhas felpudas grandes.a 44 a duzia.
Baptista8 de edres finas a 160 e 200
covado.
L3 de quadros escossezas a 280 e 300.
Tapetes grandes para sof de 4 cadei-
ras a 84000 e 134000.
Setins de todas as edres a 800 e 900 o
covado.
AlgodSo largo a 35400 e 35600 a peca.
Merino sotim preto fino a 15100 o co-
vado.
Toalhas para banho grandes a 800, 15
15500.
Laques para noiva com Adres a 55 6$ e
75000.
Merino preto 2 larguras a 800 e 900* o
covado.
Cambraia victoria fina a 3$ e 34500.
Zdfiroa de qnadros arrendados a 500 o
covado.
Ditos ditos ditos com um metro delargu-
ra a 460.
Anquinhaa de todos os tamanhos a 15
e I45OO.
Toalhas para pratos a 34 e 44 a duzia.
Madapoln B. Vista a 55000 e 64000.
Pannos para sof a 24000 e 24500.
Ditos para cadeiras a 800 900 e 15000.
Mantilbas Brazileras.
Punbos de linbo a 84 e 104 a duzia.
Cachemira com listras a 500 o covado.
Longos de seda finos a 900 e 14 um.
Novidades
Zefiros arrendados e bordados.
Cachemira com lista e liza da mesma c6r.
Ditas ditas com quadros.
Ricos fiebus de seda e 13.
Mallas para viagem
Luvas de seda arrondadas meio braco.
Ricos cortes de oacbemira para vestido.
Palha de seda para vestido a 900 e 15.
TelepUne n. 200.
YENDB-SE MAIS BAATO
Ka Loja das Listras Amei
A* ras Daqae de Can., al
TELEPHONE 211
D descomo a quem compra 20J
Movldadca *
com lindos
10*000e
Se for o juramento de nSo amar mais
Martha, interrompeu de novo Fabio, re-
cusaren Nao se senhor do seu coraco
e nem para salvar a minba vida saberia
mentir.
O juramento que espero, que exijo
de si,'proseguo Jacques, deixa ao seu co-
rac&o liberdade completa. Jure-me que
nao procurar tornar a ver a minba pu-
pilla S'sm que eu saiba ; jure-me qua nao
ihe escrever e nSo lhe mandar dar reca-
do algum verbal. Este compromisso ha
de convir, depende de si aceital-o e cum-
pril-o. Estou espera.
Fabio parecia perturbado, indeciso.
Ab nao hesite I proseguio o pseu-
do T bompson com expressao selvagem. Se
tem que ser um obstculo no meu caminho,
e o mais perigoso dos obstculos, nao aarei
tao parvo qae o deixe viver e sahir daqui.
Jure, senao juro-o eu, vou fazer-lhe saltar
os milos.
Elle cumpriria a a meaja, o selva-
gem pensou o moco. E' senbor absolu-
to de situaclo. De que serve obstinar-me
por dignidade T Por mioba mi, pela pro-
pria Martha, deve salvar minba vida, ous-
te o que custar. Veremos mais tarde. Se
Martba detesta-o, se deu-me o seu co-
rayao, saber recusar tornar-se sua mu-
Iher.
Estou espera I repetio Jacques La-
garde.
Tomo o compromisso qua me pede,
ou antes, que me impSe, dsse Fabio.
Pela sua honra?
Pela minha honra.
Sem reservas mentaes ?
- Sm.
Est bem. E, antea de mais nada,
como primeira prova da sua boa i, quei-
ra restituir-me immediatamente o retrato
de minba pupilla..
Deade o comeco da conversado, Jacques
segua urna estrada tortuosa, cujos atalbos,
estava convencido, deviam lvalo dedide-
mente ao seu fim.
< Nao encontraram comsigo a photo-
graphia de Martha, pensava elle; portanto
elle deixou-a em casa, nSo exposta aos
olbares, pois que certamente sua mSi igno-
ra o seu louco amor, mas bem escondida
em lugar secreto. Ora, ha cem contra um
a apostar em como esse lagar exactamen-
te aquello onde j estiva a medalba. E'
preciso sabel-o ; hei de sbelo.
O retrato de Martha, balbuciou Fa
bio. Mas...
Oh 1 nao minta, o senbor que pre-
tenie nao saber-mentir I interrompeu vio-
lentamente o pasudo Thompson. Sei que
o receben das mos de Angela. Ousaria
negalo ?
Corle de Vestidos tm carto
endites e figurina de ultima moda
12*000.
Beoda d'Auaitria tecido arreudado, bran-
co creine, agu claro e rosa, desenhos muito lin-
dos e fatenda propria para baile e tbeatro a 500 ri.
Tecl Jo* de phaotasia em quadros e listas,
faa-uda muito larga a 700 ris.
liisaoa Oerdaao, de todas as cores, imitoeju i
cachemira, a 240 rs.
Mello de Maeio, liso ou com listas, todas as
cores, a 800 e UOdO.
sendas hespanholas branca, preta, reme e
matisada, por todos os precos. W
Capan e vsiras pastas de rendas e caxemira
com vidriihos a 30000.
lian de quadro com lindas corea a 240. 320 e
400 ris.
Cambraia arrendadas, brancas e todas a
cr-8 a 280 e 500 ris.
Enrhotaes, para baptisados, completos a
6*. valor de 15*000.
Fusin brancos, qualidade melhor. a 320,
360 e4O0 ris.
Percales finas, edres seguras a 200 e a 240
ris.
Vannac de lindas cores seguras, desenhos
novos a 280 rs.
Catnbralaa bordadss, brancas e de cores,
qualidade fina a 4*500 a peca.
Enanillo pardo para vestidos oa roupas de
menmo a 300. 320 e 360 ris.
le i a dinbo lisos e tavrados, todas as cores
a 800 e 1*000.
Velludo de s-iif, pr t., axul e bordado para
capas a 4*000.
Lavan de Seda bordadas ou arrendadas
pretas e de fa das as cores a 2*000 e 2*500 o par.
Extracto* flnon Inglesen a 2*000.
Oleo Orlsa veraadeiro a 900.
Fazenil. diversas
adapolao livad ecas com 20 varas, te-
cido especial marcaLoj: das Listras Aiues a
5*500, 6*000 e 8*000.
aigoao largo, proprt i para lenges a 5*000
a peca.
Hramanien de 3 e 4 larguras a 640,800 e
1*000 o metro,'
i.usriianapes qualidade melhor a 2*000 a
dusia.
Cortinados bordados, e de crochet de 6*,
8* a 12*.
ttrlnaldan com veos de Bload, tltima moda,
a 8*000.
Lavan de seda bordadas e compridas a 2* e
2*500.
Enpartilnos para senboras e meninas, des-
de 4*000 a 84(100.
Camisas francesas para homens e meninos,
de qualquer tamanbo.
Colxas de tustSo de cores a 2*, 3* e 4*000.
Artigos americanos
M<>f|uMetro* com armaclo a 10* e a 12*.
Gaarnlcoes o botoes para camisa a 200 rs.
e fio .s a 1*000.
Collarinbos, peitos e punhos de celhiloid a
5*( 00, 3 pecas.
firampos de phaotasia psra cabello a 800 rs.
Hlela* superiores a 280 a dusia.
AiHueten com letra de ouro para gravata
1*000.
Reoslos despertadores com figuras em no-
vi ment a 7* e 8*000.
Eapaeriadores para ver a noite no escuro
ultima novidade a 8*000.
Agenda geral para os retratos pintados na
America com ricas molduras de ovo fino e cor-
cides, desde 20*.
Advertencia
Como costme geral annunciar as fasendas
mais baratas prevenimos aos nossos fregueses.que
recebemos um completo sortimento de tocidos finos .
os quaes vendemos por menor prec > que outra
qualquer casa ; assim como as nossas pecninchas
que damos aos nossos fregueses, nao sao repar*
lldas de outra casa como alguem anouncia
para engaar, vendendo fazenda ordinaria por
muito maior preco, costume que a Loja das
Listras Asues nao tem.
Acceitamos a fasenda vendida s por qualquer
circomstan.cia nao fr de agrado da pesaos para
quem for comprada, mesmo depois de alguns diaa.
Jos Augusto Das
Nao, de certo. Apenas nao tenho
esse retrsto commigo.
Onde est entao ? No palacete de
Chatelox T exclamou Jacques.
Sm, no meu quarto.
-7- Como urna prova de amor I Todos
seus amigos podem vel-o.
N&o oreia em tal- Deixar vista
esse retrato seria falta de respeito a Mar-
tba! Est dentro de um cofrezinho...
Que podem abrir I
NSo, senbor, porqu trago a chave
commigo, e nunoa me separo della.
Falla de respeito e sem duvida a ima-
gem de urna moga anglicamente pura es-
t atirada conjuoctamente com as pboto-
grapbias das suas amantes de um da !
Fabio empallideceu de colera.
Mas que idea faz entilo o senbor de
mim ? perguntou elle. Por que me sup-
pde destituido da delicadeza mais elemen-
tar ? A imagem da Sra. Grandchamp nao
tem que receiar nenhum contacto indigno.
O cofrezinho que a encerra nSo contm se-
no duas reliquias sagradas ambas, a cruz
de official da LegiSo de Honra, 'qua meu
pai usava, e a medalba dada pelo conde
de Tbonnerieux alguns dias depois do meu
nasci ment.
Um relmpago brilhou nos olhos de Jac-
ques.
O mancebo acaba va de cahir no la<;o h-
bilmente armado.
O assooado de Pascal Saunier saba e
quera saber.
Urna medalba dada peloSr. de Tbon-
nerieux ? perguntou elle, fngindo sorpre-
sa.
Sm, 'senhor.
Est incluido entao no numero dos
berdeiros do conde ?
Estou.
Entao nasceu na freguezia do conde,
no mesmo da qae a flha delle ?
A 10 de Marco de 1860, sm, se-
nbor.
Como. Martha I E' singular !
Urna sorpreza mais sincera do que a de
Jacques pintavs-se no rosto de Fabio.
A Sra. Martba do numero dos
berdeiros do conde | exclamou o mogo.
Sm, e possua urna medalha de ouro,
provavelmente igual sua, sobre a qual
existem gravadas datas.
E sem duvida tambem palabras, da-
se Fabio, como a minha.
L' certo que tras palavras. Quaes
sSo as. gravadas na sua ?
Esta pergunta, embora feita com ar de
completa indifferenga, illuminou cerno' um
relmpago o espirito do joven conde.
Miseravel I exclamou elle. Acaba de
trahr se. Fea-se a lu. Foi o senbor quem
roubou o testamento do Sr, do Thoaoo*
rieux ; |foi o senhor quem assassinou os
berdeiros do conde para apoderar-se daa
medalbas ue estavam com os seas cada-
veres. Nao encontrn a mioba quando
me havia desmaiado em seu poder, e quer
arrancar-me o meu segredo Comprehendo
.tudo agora 1 Serve-se da belleza de Mar-
tha eomo de um engodo para as ciiadas
que arma I hJssa moca sua associada, sua
cumplice t Angela, sua cumplice tambem 1'
Ah que duas creaturas infames, e que
trio maldito Attrabio-me aqui para des-
pojar-me primeiro e matar-me depois. Ma-
te-me entao, visto que est armado e eu
nao !
Sm, est em meu poder, s est con--
demnado.
Deus ha de vingar-me. Vinga-me,
pois que o senhor nao ba de saber quaes
sao as palavras gravadas na minba meda-
lba.
Hei de possuir a propria medalha.
Nunca I
_ Tiral-a-bei do cofrezinho em que se
acba com o retrato de Martba e a cruz de
offioial de seu pai.
Bandido nao a possuirs. Minha
m&i saber defendel-a.
Pois bem ; passarei por cima do ca-
dver de sus mi, se preciso fer At
vibta, Sr. de Cuatelux, porque nos torna-
remos anda a ver urna vez, a ultima !
E Jacques, agarrando na lampada, pro-
cipitou-se para fra.
Fabio quiz saltar sobre a porta, e, com
risco de receber n peito urna "bala de re-
volver, impedil a que se tornasse a fechar.
Mas ja estava fechada.
Os punhos cerrados do mogo magoaram-
se em van na couraca de ferro.
Mioba mi I... minha mSi I... gri-
ta va a pobre crianza, dominada por um
desespero que tocava loucura, Elle vai
matal-a talvez, e miseravel, e nao posso -
prevenil-a... ej nao poderei defedel-a 1
Ab I dara a minba vida intira sem besi-
Ucao em troca de urna hora de liberdade.
E' precia j sabir daqui, preciso I Mas
como ?
Oe repente o joven conde lembrou-ae da
descoberta que tisera no momento da cha-
gada do Dr. Thompson.
Escutou.
O rui lo d'agua correndo rpida no em-
oanamento subterrneo odntinuava a ser
ouvido.
< Esta lage arredondada resiste aos meas
esforcos, proseguo elle ; mas o cimento
a nica causa disso, e o cimento nao in-
destructivel. >
(Contnuar-se ha.)
Typ. o> Dimrio raa baque de Caxias o. 4a>
*