Citation
Diario de Pernambuco

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
newspaper ( marcgt )
newspaper ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
This item is presumed to be in the public domain. The University of Florida George A. Smathers Libraries respect the intellectual property rights of others and do not claim any copyright interest in this item. Users of this work have responsibility for determining copyright status prior to reusing, publishing or reproducing this item for purposes other than what is allowed by fair use or other copyright exemptions. Any reuse of this item in excess of fair use or other copyright exemptions may require permission of the copyright holder. The Smathers Libraries would like to learn more about this item and invite individuals or organizations to contact Digital Services (UFDC@uflib.ufl.edu) with any additional information they can provide.
Resource Identifier:
002044160 ( ALEPH )
AKN2060 ( NOTIS )
45907853 ( OCLC )

Full Text
SBB1
r >
ANNO L. AIUHERG 274
PAR t A CAPITAL B LUG A BBS 0\BK NlO SB PAGA POBTB.
for tres rneies adiaotados. ............. 69000
Por seis ditos idem. ......... 129000
Por um anno idem..................349000
Cada namero ttulso ... ... ... ... ... .. ... ... **.*** #310
DOMINGO 29 DE iVOVEMBRO 0E 1874
ft -- i .y .. -.... !
PABA DEiVTBO B FOBA DA PBOVLUCIA.
For tret mazes adiantadoc..............* i CPTM
Por seis ditos idem................. 119199
For note ditos idem................. 3093*0
Por am anno idem.................. 379009
PR0PRIEDADE BE MANOEL FICUEIROA D&FARiA FILH0S.
--------------------------------V---------------------------------------------------------
t In. Gerardo Antonio Alves6 Filboi, no Pari; Gonc,alves d Pinto, no Maranhao; Joaqoim Jose de (faveira AFilho, no Ceari; Antonio de Lamm Iraga, no Aracatj ; Joao Maria Julio Curve*-, no Ann; Antonio Marques da Silts, Katal ; Jow Jostiast
Pereira d'Almeida, em Mamangnape ; Carlos Auxencio Monteiro da Franca, na Parahyba ; Antonio Jose" Gomes, na Villa d Penha; aWsrmino dos Santos Balcio, em Santo Ant'' ; Domingos Joti da Costa Brafa, emUaxareth}
Antonio Ferreirs de Aguiar.em Gojanna ; Joio Antonio Machaeo, no Pilar dn Alifdts ; Aires A C.,nt Mania; A. Xavier Leite C.d Rio Janeiro*
X
PARTE OFFICIAL.
Governo da provincia
EXPEDIENTS DO DIA 10 DS AGOSTO DE 1874.
1.' $ecc,So.
Offlcios:
Ao Exm. brigadeiro eou.ru laJaale das ar-
nus.Nio teado fuuccionaio hoje a junta de jus-
ii;a, que tern de julgar os soldados do corpo de
policia, &man Jo?e de Lyra e Qaintiliano Paes
Barreto, especa V. Exc. suas ordens para que com-
parecam neste palacio as li horas do dia 13 do
corrente, tres offi.iaes superiors da guarnicao
desta cidade, alim de coostiiairem a inesma
junta.
Ao mesmo..Nao estaodo de accordo com o
modelo annexo as iostruevoes, qne baixarara com
u aviso circular de 5 do setembro do anao passa
do, a ioclasa nota relativa aos empregados do
hospital militar desta provincia, devolvo a V. Exc.
dita nota, a Mm de que, em cumpriaienio ao aviso
do ministerio da guerra, de 31 de julho ultimo,
recommeude ao director daquelle estabeleciuiento
que a faoa substituir por outra qae esteja confor-
ms ao modelo indicado.
a- seccao.
Actos :
0 presidenle da provincia resolve considerar
sem effort) a noraeacao do Joaquim llerculano
Pereira Caldaspara commissario de policia do mu-
nicipio de Goyanna ; de Lou Jose Antunes para
igual cargo em o de Bezerros e de Manoel Vieira
da Paz para o mesmo cargo em o de Bom Jardira,
por nao lerem solicitado seus tiiulos.
0 presidente da proviucia resolve remover
o commissario de policia do municipio de Pao
d'Altio, Jose Carlos Vital, para o de Bezer-
0 presidente da provincia, aulorisado pela
lei n. 1130, de 30 de abril do corrente anno, re-
solve nomear para o cargo de commissario da po-
licia do municipio de Pao d'Alho ao tenente Joao
Paulo Nunesde Mello.
0 presidente da provincia, autorisado pela
lei n. It30, de 30 de abril do corrente anno, re-
solve nomear para o cargo de commissario de po
licia do municipio de Bom Jardim a Jose llil.ru
Paes Barreto.
Offlcios:
Ao Dr. chefe de policia.-Remetto a V. S. o
iae'.uso offlcio, por copia, do juiz municipal do
termo de Panellas, dalado de 30 do corrente, para
que providencie a respeito.
Ao commandanle superior do municipio do
do Bonito.Trausuoitlo \)s inclusos papeis, que
me serao devolvidos, refereutes ao soldado do 9"
batalhao de infantaria, Maa el Joaquim da Silva,
que pede baixa do servico, allegaodo ter marcba-
do para a campanha do Paraguay em 1867, como
guarda nacional de batalhao n. 26, alien de que
V. S., em satisfagao do aviso do ministerio da
iuerra, de 5 de maio ultimo, informe e o peticio-
htfcio fez sua aprSseatacio voluntariamente on se
foi a isao compellido pela autoridade compe-
tente. .
Ao commandanle do corpo de policia.
Expeca Vmc. suas ordens para que se recolha a
gats capital o destacaraento desse corpo existente
ni cidade da Victoria.
3.' sea;ao.
Offlcios:
Ao inspector da theiouraria de fazenda.
lendo nesta data, de acordo com o seu offlcio de
7 do corrente, sob n. 343, serie H, deferido o re-
querimen'.o do tutor dos menores, filhos do fallecido
Antonio Joaquim de Almeida Guedes Alcoforado,
era que pede relevacao da multa que the foi im-
posts pelo collector de Olinda, por nao ter com-
manicado no prazo legal a venia do escravo An-
luaio e a compra da escrava Maria ; assim o
c immunico a V. S. para seu coaueciraento e de
vidos effeilos.
Ao mesmo.Respondendo a informa;ao de
V. S., dalada de 6 de agost >, sob n. 240, serie H,
cUamo a sua attencjio para o oQkio desta presi-
dcacia, datado de 30 de outubro do anno passado,
e em additamento ao mesmo declaro que 30 foi o
numero de praras de infantaria mandada; desta-
car em Floresta, como se verilka do offlcio que
em iguat data foi dirigido ao respetlivo comman-
iante superior.
Ao mesmo.Declaro a V. S.,para seu conhe-
cimento e devidos effeilos, que nesia data relevei
Francisco Jose da Costa Araujo da multa que lbe
foi imposta pelo adminis'.rador da recebedoria, por
nao ter dado a malricula ao prazo legal a ingenua
Igydia, lilha de sua escrava Isabel, a que se refere
o ieu offlcio de 7 da corrente, sob n. 346, se-
rie ft
Ao mesmo. Attendondo a sua informacao
datada de 27 de julho Undo, sob n. 1G3, serie II,
remetto a V. S. o incluso certificado do engenbeiro
chefe das obras publicas, e auloriso o a mandar
pagar sob a responsabilidade desta presidencia a
segunda prestacao, a que lem direito, os empreitei-
ros da obra do passadicp contractado para servir
de communicacao provisoria entre os bairros de
Santo Antonio e Boa-Vista.
Ao mesmo.Mando V. S. pagar os venci
mentos a que tiverem direito ate o dia 8 do cor-
rente, os serventes interprets dos engenheiros da
commissao encarregada de estudar o melhora-
mento do porto desta cidade, o que igualmente
fara no lim de cada quinzena, na conformidade do
que solicilou o inspector do arsenal de marinha,
em offlcio daquella data, sob n 97.
Ao inspector do thesouro provincial. Para
os fins convenienles, communico a Vmc, que em
o Is do corrente o alferes Antonio Ilonorio de Mello
tomou posse do cargo de commissario de policia
do municipio de Santo Antao.
Ao mesmo. Expesa Vmc. suas ordens afira
de que seja posta em arrematacao pela respectiva
collecioria o fornecimento para alimentacao dos
presos pobres da cadeia do termo de Panellas, na
conformidade das inslrucroes de 13 de setembro
de 1873.
Ao mesmo. Approvo a arrematacao feita
por Francisco de Pinho Borges, perante a junta
da fazenda desse thesouro, das obras do calcamea-
to da esirada de Jaboatao, desde a ponte dos Afo-
gados ale a barreira do Gequia, e a do empedra-
nienlo da estrada da Victoria, a primeira com o
abate de 6 por cento no valor do respectivo orca-
mento e a segunda com o de I por cento, pres-
lando & necessaria fianca em apolices da divida
j/jblica geral.
Assim flea r?=poidido o nfficio de Vmc, datado
le 7 do corrente, sob a. 318.
Ao mesmo. Remetto a Vmc. o orcaineulo
t- clausulas especiaes, por copia, dos reparos de
uma bomba no Fragoso, na e>trada do norte, para
que essa obra seja levada a praca oerante ese
tbesouro provin.-ial.
Ao mesmo.Nesta data creei duas cadeira?
do sexo masculino, sendo uma em Carapo Grande
do municipio do Recife e outra na Estrada Nova
de Beberibe, do mnnicipio de Olinda ; o que com-
munico a Vmc. para seu conhecimento e fins con<
venientes.
Ao mesmo.Conformando-me com a opi-
niao do Dr. procurador fiscal a que se reporta o
offlcio de Vmc. datado de 5 do corrente, sob n.
315, autonso o a mandir pagar a Tnomaz de Car-
valho Scares Brandao Sobrinho, um dos contrac-
tantes da estrada do norte, as prestacoes que se
forem vencendo na execucao do contracto, inde-
liendente do concurso dos outros socios.
Ao mesmo.Remetto a Vmc. os inclusas con-
tas para que mande pagar a Raphael Francisco
Pereira a importancia de 142*720 relativa ao for-
necimeohi -dos presoi pobres da cadeia da cidade
de Caraaru' duranle o muz de junho, na confor-
midade do que solicilou o respectivo juiz de direi-
to em seu offlcio de 3 do corrente.
Ao mesmo.Remetto a Vine, o incluso pret
nominal das pracas, que foram exclnidas do cor-
po de policia no mez de julho ultimo, por excesso
de f rci, na importancia de 4:1103360, alim de
que essa reparticao ajuste contas com o tenente
quartet mes;re da quanlia para tal lim destinada, e
autoriso-o a mandar abonar mais 2:009j000 para
contiauagao do soldo de fardamento de pracas, que
ainda hao de ser excluidas na conformidade do
que solicit in o respectivo commandante em offlcio
datado de 7 de corrente, sob n. 325.
4.' secQilo.
Actos :
0 presidente da provincia resolve crear duas
cadelras para o sexo masculino, sendo, uma no
Campo Grande, do municipio do Recife, e outra
na Estrada Nova de Beberibe, do municipio de
Olinda.
0 presidente i\ provincia resolve remover o
professor da segunda cadeira de Goyanua, Henri-
que de Miranda Henriqnes, para a cadeira do sexo
masculino ultimamente creada no Campo ijrande,
do municipio do Recife.
0 presidente da provincia resolve remover o
professor de S. Jose da Boa Esperanca, Izidoro
Marinlio Cesar, para a cadeira do -exo masculino
ultimamente creada na Estrada Nova de Beberibe,
do nrin.cipio de Olioda.
Offlcios :
Ao inspector da da saude publica. Mande
V. S. preparar e remett. a secretaria desta presi-
dencia uma pequena ambulancia de tinctnras ho-
meopathicas e alguns medicamentos allopatbicos
essenciae?, acompanhada do respectivo receitua-
rio para o tratamento da febre amarella. Respon-
do assim a sua informacao sobre o offlcio do Dr.
chefe de policia, relativamente a epidemia reinan-
te na localidade Travessiapertencente ao termo
do Limoeiro.
Ao inspector geral da instruccao publica.
Tend j por acto desta data creado dias cadeiras
do sexo masculiao, uma em Campo Grande," do
municipio desia cidade e outra na Estrada Nova,
do munieipio de Olinda, removi para a primeira o
professor da segunda cadeira de Goyanna, Henri-
que de Miranda Henriqnes, e para a segunda o
professor de S. Jose da B6a Esperaica, Izidoro Ma-
rinLo Cesar. Assim o communico a Vmc. para sua
intelligence e devidos tins.
Portaria :
A' .lima, camara municipal do Recife.A'
vista das razors exposias pel) engenheiro chefe da
reparticao das obras publicas na informacao de 6
do corrente, sob n. 227, junta por copia, nego a
autorisacao que pede a Illma camara municipal
do Recife em offlcio de 2 do mez proximo passa-
do, sob n. 61, para elev.tr o paredao da rampa do
caes do Forte do Mattos ate o meio da
pa e safes* NMKtruir ,iraa latrbtt:
5.* seccao.
Offlcios :
A' direccao da Associacao Commercial Bene-
ficente.Das inclusas eopias da informacao e por-
taria do inspector da thesouraria provincial, vera
essa associacao que ja foi satisfeito o que reque-
reram os diversos commerciantes signatarios da
peticao a que se referem os seus offlcios de 21 de
julho proximo Qndo e 5 do corrente, que assim
fleam respondidos.
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas.Communico a Vmc, para os fins con-
venientes, que nesta data epprovei a arrematacao
feita por Francisco de Pinho Borges perante a
junta de fazenda da thesouraria provincial, das
obras do calcameoio da estrada de Jaboatao des-
de a ponts dos Afogados ate a barreira do Jequia,
e a do empedramento da estrada da Victoria, a 1-
com o abate de 6 o|0 no valor do respectivo orca-
menio, e a 2' com o de 1 0|o, ppestando a neces-
saria flanca era apolices da divida geral ; confor-
me o offlcio do mesmo thesonro, datado de 7 do cor-
rente, sob n. 318.
Ao engenbeiro fiscal da companhia Recife
Drainage =Eni solu;ao a consulta que Vmc. me
fez em offlcio de 4 do corrente, relativamente a
apprehensao judicial das carrogas dessa compa-
nhia que conduziam o lixo das casas, declaro-lhe
qne taes carrocas, sendo destioadas ao servico pu-
blico contractado pela companhia com o governo
provincial, e estando as obras da mesma compa-
nhia equiparadas as obras publicas om vista do
art. 19 do regulamento de 12 de Janeiro de 1872,
nao podem ser apprehendidas, embargadas ou pe-
ahoradas, qualquer que seja o motivo ; cumprin-
do que isto seja allegado pelo respectivo gerente
ante o juizo que expedir o mandado.
Ao engenheiro fiscal da empreza Locomotora
PernambucanaDeclaro a Vmc. que, nao tendo ain-
da esta presidencia dado appro vacao para abertu-
ra da liana dessa empreza, os respectivos proprie-
taries podiam annuncia la pelos jornaes como fi-
zerem ; convinio que isso mesmo Vmc. faja ver
ao gerente.
Portaria :
0 Sr. gerente da companhia pernambucana
Fac.a transporter ao Rio Grande do Norte por con-
ta do ministerio da marinha um caixao que Ihe
sera mandado apresentar pelo capitao do porto
desta provincia, contendo varios objectos destina-
dos a capitania do porlo daquella provincia.
EXPEDIENTS DO SECRETARIO.
/ seccao.
Offlcio :
Ao capitao do porto. S Exc. o Sr. presi-
dente da provincia manda declarar a V, S em
resposta ao seu offlcio de 8 do corrente, sob n. 61,
que fleam expedidas as necessarias oruViB para
ser conduzidos ao Rio Grande do Norte no proxi-
mo vapor da companbia pernambucana, os objec-
tos destinados a capitania do porto daquella pro-
vincia.
2." secriio.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia. 0 Exm. Sr. pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S., em
resposta ae seu offlcio n. 978, de 8 do corrente,
que nao havendo forca disponivel, nao podem des-
tacar quatro pracas de policia no districto de Ma
raoguape.
Ao juiz de direito da 1 vara desta capital.
0 Exm. Sr. presidenle da provincia manda de-
clarar a V. S. que nao lendo hoje funccicnado a
junta di justica que tern de'julgar os soldados do
corj< do policia Atrcifp;.lv.Vde iCjjra e Ouin'llia-
no I'^i'.^ liarretto, s'iftJj^'dt'jfsha-io o dia 13 do
corrente as 12 boras da nrshha nesto-palacio.
Ao juiz de direito da comarea do Brejo.
0 Exm Sr. presidente da provincia manda accu-
sar o recebiraento do offlcio de V. S., de 31 de
julho ultimo, enviando o mappa do exercicio dos
juizes de direito e municipal e promotor publico
dessa comirca.
Ao juiz de direito da comarea do Brejo.
0 Exm. Sr. presidente da provincia manda accn-
sar o raeebimento do offlcio de V. S., de 31 de
julho ultimo, remettendo o mappa das informa;5es
de que trata o art. 38 do regulamento n. 120.
= Ao juiz de direito da comarea do Bonito.
0 Exm. Sr. presidente da provincia manda accu-
sar o recebimento do offlcio de V. S., do 1* do
corrente. relativo ao mappa que deve fornecer,
conforme o aviso de 2 de Janeiro de 1865.
Ao juiz de direito da comarea da Victoria.
0 Exm. Sr. presilente da pravincia manda ac-
cusar o recebimento do offlcio de V. S., de 6 do
corrente, cominanicando haver no dial* do mes-
mo mez tornado posse do cargo de commissario de
policia desse municipio o alferes Antonio Floriano
de Mello.
Ao juiz de direito da comarea de Caruard.
0 Exm. Sr. prcsideoie da protin:ia manda accu-
yar o recebimente do offlcio de V. S., de 28 de
julho ultimo, communicando haver, pelos motivs
no mesmo offlcio expendidos. adiado para 9 de
setembro vindouro a 2* sessao do jury desse
termo.
Ao juiz de direito Jnterino de Caruani. S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda comma-
nicar a V. S para os fins convenienles, que por
offlcio desta data, dirigido ao the'ouro provincial
expedio a nvcessaria ordem alim de qne seja paga
a importancia do fornecimento dos presos pobres
da cadeia dessa cidade, na conformidade do que
sollicitou V. S. em seu offlcio de 3 do corrente.
Ao juiz municipal do termo de Panellas.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda com-
municar a V. S que em resposta ao seu offlcio
de 3 do corrente expedio as necessarias ordens,
alim de que seja posto em arrematacao o forneci-
mento da alimcnlacao para os presos pobres, da
cadeia do termo de Panellas, na conformidade das
instruccoes de13 de setembro de 1873.
Ao promotor publico da comarea do Brejo.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda accu
sar o recebimento do offlcio de V. S., de 3 do
corrente, enviando o mappa das denuncias re-
lativa-; ao mez de julho proximo fiodo.
Ao commandante superior do municipio de
Serinhaem. 0 Exm. Sr. presidents da provincia
manda accosar o recebimento do offlcio de V. S.,
de 8 do corrente, transmittindo o mappa da guarda
naciGnal desae municipio, organisado de confor-
midade com a lei n. 2,198, de 10 de setembro do
anno proximo passado.
Ao commandante do corps de policia. = S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda com nu
nicar a V. S. que por offlcio desta data expedio-se
a necessaria ordem ao thesonro provincial no 9en-
lido de serem ajustadas as contas das quantias
recebidas pelo tenente quartet mestre desse corpo,
por conta da caixa de fardamento, bem assim para
que fosse abonada mais a quantia de 2:000 para
eouiiouacao da mesma despeza, seguudo V. S.
solicitou em seu offlcio daiado de 7 do corrente,
60b n. 335.
Ao commissario de policia do municipio de
Pao d'Alho. De ordem de S. Exc. o Sr. presi
dente da provincia, communico a V. S. que por
portaria desta data foi V. S. removido para o mu-
nicipio de Bezerros, devendo remetter seu titulo
para ser devidamente apostilhado.
Ao commissario de policia do municipio de
Santo Anlao. 0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda accusar o recebimenlo do offlcio de
V. S. de 6 do corrente, communicando haver to-
rnado posse' de sen cargo em o i deste mez e ter
eogajado 8 pracas.
V a." secpao.
Offlcios :
Ao engenheiro sbefe da reparticao das^obras
publicas. De ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia, declaro a V. S. para seu conbeci
mento, que nesta data autorisou-se o thesouro
provincial a por em praca os repiros da bomba
do Fragozo, a que se refere o seu efflcio de 4 do
corrente, sob n. 223.
Ao mesmo. De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, communico a V. S. para seu
conhecimento e fins'
e autorisado o inspector do thesonro provincial, a
mandar pagar a Tnomaz do Carvalho Soares
Brandao Sobrinho, um dos contratantes da estra-
da do norte, as prestacoes que'se forem vencendo
na execucao do cootrato, independente do concur-
so dos outro3 socios.
Ao engenheiro fiscal da empreza Locomotora
Pernambucana. De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, communico a V. S. iiara
seu conhecimento que nesta data defiriose o jo-
querimento dos cessionarios dessa empreza, em
que pedem que se Ihes permitta que os seus car-
ros sejam movidos por dous aniraaes collocados a
par ura do oulro, conforme o seu offlcio datado de
8 do corrente, sob n. 43.
Ao secretario da associacao Commercial
Agricola, Jose Firmino Alvares Quintal. S. Exc
o Sr. presidente da provincia, manda declarar a V.
S. em resposta ao seu offlcio de 6 do corrente,
que ja foi satisfeito o que requereu a directoria
dessa associacao, na peticao a que se refere o ci -
tado offlcio.
do offlcio da reparticao do ajudaiite-general de 19
sob bT|3\3W. ^
3.* (foebo dia 2o segniriwrt em dilijencia do
servi$o ara a provincia da Parahvba os 9rs. te-
nente Alfredo Ramos Chaves e alferes Oiivio Her-
mann Cardoso, ambos do 9- batalhio da mesma
armsl?.^
i.' Ude tendo o Sr. major honoraria do exercito
ajudante de ordens encarregado do detalbe dado
Desta d4a parte de doente, passa a exercer inte-
rinaraente as inherenles funccdes, o Sr. alferes do
ccrpo de.estado-maior de 2* clas-e Joso EHsiario
dos Samps.
0 mesas) brigadeiro determina qne o Sr. tenen-
te do 2*ttalhao de iafanteria, Jose Lourenco da
Silva Mfanez, que servia de instructor d'arraa a
Comblain neste batalhao, passe rta mesma quali-
dade a instruir o 9> batalhao que se ressente da
falla de pessoa babilitada para instruil-o no exer-
cicio dessa anna; e que na manbi do dia 1* de
dezembro proximo viadouro se passe revista de
mostra em seus respectivos quarteis aos dou3 ba
talhoes de infantaria, doposito de recrutts e com-
panhias isoladas, pela ordem quese segue:
A's 6 horas a companhia de operarios militares,
as 6 l|2 ao 2* batalhao, as 7 a companhia de caval
laria, as 7 i|J ao 9'e as 8 ao depo.-ito.
Final menie, convida em nome da presidencia
aos Srs. offlciaes dos corpos especiais, arregimen
lados, honorarios do exercito e reformados, a com-
parecerem n j palacio da mesma presidencia a 1
hora da tarde do dia 2 do indicado mez, anoi ver-
sario natalicio da S. M. o Imperador, alim de as-
sislirem o cortejo que so tem de fazer a efflgie do
mesmo tugusto senhor.
(Assi|nado.) Manoel da Cunha Wanderley
Lifts.
Conforme.0 alferes Jose EHsiario dos Santos
ilergnlkto, ajudante de ordens encarregado do
delalhe. *.
(AGENC1A TELEGRAPUICA HAVAS-REUTER.)
Hori-o4 8Y de novembro. t lie
sou iiKHKin aujui o paquete francez
GIRONOE, da companhia McsHa^eries
Harlftmes. procedente do Brastl.
liiiprpuoi 99.Acaba de cheg^ar o
paquete IfiRlex GA LUCIA, da compa-
nhia do Paciflco, procedente do Bra-
all-
Rio de Janeiro 98. Caegou de
.Huiiiciiiieo e sahe lnoje para os
iiortos do norte. o vapor lnglez
GALATEA.
XOTICI t*i COHHERC1AB8.
iLondrca ?i. Consoltdados de
So"1- *uR> acow'nt. tr*. .Fda
It. l-i-1 s de S fi/O. do r.nno de
lsos. & :> 12. Care: muitoqnicto :
prccos com tendencta a balxar ;
foram rctiradog alguns supprimen-
mentos. Assucar i calmo t precos
tendendo a balxar.
Liverpool **. -Algodao : transac-
c5es rcjtiiiarcs t presos maito fir-
mes ; veudcram-se hoje doze mil
convenientes, que nesta data fardos. sendo dous mil e qulnhea-
tos procedentes da America do Mul:
o fair dePernambuco H d. por libra.
Assucar : calmo : precos Armes sem
alteracao.
Antuerpla Z1. -Care t idem t idem.
ilu\r- ). tun-. Idem idem.
Algodao: transaccOes regulares;
precos muito llrmes I o ordinario
de iPernambuco 9Z fraaeos por 50
kilogrs.
Humburgo S9 -Cafe : transaccoes
quasi nullas : precos nominaes.
IMarselha S9.- Cafe : calmo t pre
90s Urmcs sem alteraf ao. Assucar:
de Pernambuco SO francos e 50
centimos por ro kilogrs.
mew-York *. O mercado taoje
esteve feenado.
Rio de Janeiro ST.Cambio sobre
1.011 do de cafe quieto ; os precos flrmes
sem alteracao.
Babla 97.' HStdat se fes; em trans-
aceoes cambiaes sobre Londres.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA, DO DIA 27 DE NOVEMBRO
DE 1874.
Irmandade de S. Benedicto, ere eta no convento
de S. Franeisco desta cidade. Inforrae o Sr. ins-
pector do tbesouro provincial.
Jose Cardoio Valgas. Informe o Sr. Dr. chefe
de policia.
Luis Francisco de Barros. Expeca-se crdem
para a passaged) do supplicante.
Maria Pastora Paes de Souza. Inforrae o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Monica Aecioli de Vasconcellos. Reinettido ao
Dr. chefe de policia para providenciar.
Rita Maria da Silva. Ficam expedidas as con-
venientes ordens, para o transporte da suppli -
cante.
Thereza Maria de Jesus. Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
to in ma a do superior.
QUARTEL DO COMMANDO SUPERIOR DA GUARDA
NACIONAL DO MUNICIPIO DO RECIFE, 27 DE
NOVEMBRO DE 1874.
Ordem do dia n. 157.
Devendo haver cortejo a efflgie de Sua Mages-
tade o Imperador, no palacio da presidencia, a 1
hora da tarde do dia 2 de dezembro proximo vin-
douro, anniversario natalicio do mesmo augusto
senhor, era nome de S. Exc. o Sr. commendador
presidente da provincia, convido a todos es se-
nhores offlciaes do servico activo e da reserva da
guarda nacional desta capital, bem como aos re-
formados para assistirem a ese acto.
As musicas dos, corpos da activa, tocarao nao so
na occa?iao do cortejo, como ao recolber do dia 1,
e na alvorada e recolher d'aquelle dia, em frente
ao referido palacio.
Antonio Gomes Leal.
Commando dag) armas.
QCaRTEL GENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS
DE PERNAMI'.UCO, EM 28 DE NOVEUBffO DE
1874.
Ordem do dia n. 859.
0 brigadeiro comraandaute das armas faz publi-
co a guarni;ao, para os fins convenientes, as se-
guinles occurrencias havidas neste mez :
1.* Que embarcaram hontem (e nao no dia 26)
por se ter demorado o vapor Pard, os Srs. cirur-
glao-mor de brigada Dr. Luiz Antonio Pimenta,
major Manoel d'Azevedo do Nascimento e tenente
Joao Evangelista Leal, mencionados na ordem do
dia n. 858.
2.* Que hontem se apresentou vindo da corte no
vapor Bahia, o Sr. alferes do 2 batalhao de infan
teria Lydio Gomes Porto, que tendo sido approvado
plenamente com grao 9 na escola do tiro do Cam-
po-Grande, foi nomeado por portaria do ministerio
da guerra de 17 para o lugar de instructor d'arma
a Comblain do respectivo batalhao, o qae constoa
ESTATISTICA COUHERClAIi.
Liverpool *.Algodao : o depo-
sito total e de quinhentos e trinta
mil fardos. sendo oitenta e dous
mil de procedencta brasiielra ;
venderam-se durante a semaua oi-
tenta e sets mil fardos. dos quaes
onzc mil do Brasll : a importaf ao
da scmana foi de sessenta e nove
mil fardos. sendo dea mil do Bra-
sll.
(AGENCIA AMERICANA.)
Liverpool 27 de novembro.Algodao :
o mercado continua firme para este genero
de procedencia brasileira, portSm por^m
frouxo para de outras procedencias ; as ven-
das de hoje foram 2,500 fardos do Brasil.
Antuerpia 27.Cafe: firme ; o do Rio
vendeu-se a 4.7 e 3 de Santos a 49 Cou-
ros: firme ; -vendas de 32,800 hoje volumes.
Havre 27,Algodao: venderam-se hoje
2,400 fardos a 91 e 92.
Lubes 27.Sahiram hoje para o Brasil
e Rio da Prata o paqueto inglez BRITAN-
NIA, o vapor froucez VILLE DE SAN-
TOS, e abarca portugueza SANTA MA-
RIA DE BELEM, que vai para Pernam-
buco. 0 governo brasileijo officiou ao go-
verno portuguez dizendo lhe que estavam
dadas todas as providencias relalivamente
|~aos acontecimentos do Para".
Bahia 28 a" 1 h. e 30 m. da tarde.Xar-
que: o mercado conserva-se sustentado;
existera 1,428,615 kilos, sendo 1,343,615
do Rid Gratifa do Sul e 85,000 do Rio da
Praia ; tem mJo vvudiJo -o do Rio Grande
de272 a 409 is. o kilo edj Rio di Prats
de 2-25 a 395 rs. okilo ; as sahidas dean b s
as procedencias durante a semana foram do
248,000 Kilos. Prates: do assucar em navio
para o Canal 47 1/2 e 5 % de capa.
Par28 a's 10 b. e 50 m. da manha.-Cbeg ou
o vaper inglez JEROME, procedente de
Liverpool por Lisbda. A CONSTITUIQ.iO
respondeu hoje ao JORNAL DO PARA'.
folha official, refutando a opina emittida
por aquella gazeta sobre a situacao da pro-
vincia, da qualja dei noticia, eopiniao pe-
la continaagao da publica^ao da TRIBUNA
mudando esta de linguagem. 0 DIARIO
DO GRAO-PARA' apresentou-se hoje acom-
panhando a^> JORNAL DO PARA no sen-
tido do artigo editorial daquella folba, aft
tigo geralmerrteaceito com applanso.
DIlRlOD PERNAMBUUO
RECIFE, 29 DE NOVEMBRO DE 187*.
.\ol Iciaw do sial do imperlo.
Amanhecen hontem em aosso porto o vapor io-
ttlez Douro, trazendo datas do Rio da Prat? 20, do
Rio Grande do Sul e de Santa Catbarina 17, de S.
Paulo 21, do Rio de Janeiro 23, e da Dauia 26 de
corrente :
RIO DA PRATA.
No Rio de Janeiro foi recebido o segointe te-
legrarama :
or Montevideo 20.A canhoneira Parana que se
entregou ao commandante da esquadra argeolina,
foi commandada jielo official Marino e guarnecida
apenas por uma duzia de pracas. 0 commandante
Obligado e toJa a guarnicao tinham anteriormente
desembarcado no porno Inglez. 0 official Marino
aprese tou-?e depots ao presidente Avollaneda,
com uma carta do commandante da referida ca-
nhoneira, na qual este declarava que reslituia ao
governo a Parana em perfeilo eslado. U navio ja
recebeu gaaroicSo, e o seu commando foi conGado
ao capitao Urbubey. Em Buenos-Ayres conti-
nuam as medidas de rigor. Foi prohibida a pu-
blicacio de qualquer noticia sobre os movimentos
do exercit >, que nao lenha o cuoho official. Com
esta autorisacao foi hontem annunciada a derroia,
em Santa Fe, do chefe rebelde Hernandez, pelas
forcas legaes, sob o commando de Mangananes.
Oiz se que morreram muitas pessoas no combate,
entre ellas Barnabe Gatio e Severo Castaneda. Na
alfanJcga de Buenos-Ayres foram descoberlas al-
gumas caixas com 1,-j'OQ espingardas do systema
Remington, que eram destinadas aos rebeldes. Nao
se permute a remessa de jornaes e cartas ou tele
grammas de Buenos-Ayres, sem serem vistos pelas
auloridades. >
BIO GRAND j DO SUL.
Em Porto Alegre a commissao directora da
exposicao provincial, nomeada pelo Sr. presidente
da provincia, ja iniciou os seus trabalnos, sob a
presidencia do Barao do Cahy, e nutria a esperan-
ca de apresentar uma exposicao completa de todos
os productos da provincia.
0 presidente, Dr. Carvalho de Moraes, desigaou
o ediQcio do Athene > Rio-Grandense para nelle ser
realisada a exposicao, e tinha prestado. o mais effl-
caz e valioso auxilio i commissao, que assim espe-
rava veneer todas as difficuldades, faxendo com que
seja bem representada a provinca na primeira
exposicao uoiversa! que vai haver em terra ame
ricana.
Estavam promptos e termioados os importantes
trabalhos preliminares da eetrada de ferro de Cahy,
*> }" sao'eaprearios o .V Schilling.
Esta pequeoa estrada de ferro vai ligar a um rio
navegavel os centres mais ferteis das colonias rio-
grandenses.
Chegou a capital o eonselheiro Ottoni, que ia
tratar dos trabalbos preliminares da grande estra-
da de ferro do norte da provincia.
No dia 3 foi inaagurado o gazoraetro, acto a
que assistiram o presidente da provincia, Dr. chefe
de policia e outras autoridades e chefes de reparti-
coes publicas da capital.
Depois das ctremonias do estylo, foi pelo enge-
uheiro cnefe offerecido um profuso copo d'agua,
duranle o qual fizeram-se enthu3iaslicos brindes a
prosperidade da companhia e da provincia, ao Sr.
presidente e outros distinctos cavaHieiros, ao Brasil
e a nacao brasilaira, terminando com o brinde de
bonra a S. M. o Imperador, levantado pelo aJmi-
nistrador da provincia.
Falleceu a esposa do Sr. Franklin Gontalves
Lopes Perrugem, victimi de uma lamentavel des
grass.
Occapava-se ella em malar formigas no jardim,
queimando papeis : deu alguns passos deixando
para trai o fogo, que se lhe communicou ao ves-
tido.
Ao senlir as ch iramas, correu em direccao a casa,
cuja porta encontrou fechada. Aos seus grilos ac-
cudiram os vizinhos, e quando se conseguio extin-
gir o fogo, ja elle havia assado as carnes da lafeliz
noca, que se achava no seu eslado inieressante.
Apos horriveis soffrimentos, deu a luz uma
crianca, que morreu pouco depois. Dous dias
mais tarde dava tambem a mai a alma ao Crea-
dor.
A's ll horas da noite de 1 do corrente manifes-
tou-se violento incendio no esiabelecimento de
madeiras do Sr. Antonio da Rocha, rua dos Vo-
luntaries.
0 Jomal da disso conta no$ segnintes ter-
mos :
c 0 fogo comecou em uma grande pilha de
pranchoes de cedro que havia no pateo do esia-
belecimento, e, ajudado pelo forte vento que fa
zia, loi lavrando e tomando proporcoes extraordi-
narias.
i A pilha communicava com o barracao, onde
esta collocada a rnachina por um galpao, tambem
occupado por madeiras, e ao qual ja havia at in-
gido o fogo. Com grande trabalho conseguio-se
coriar o galpao e safar parte da madeira aelle exis-
tente, evitando assim que o fogo chegasse ao bar
ratio.
i Toda a madeira que estava no pateo, cerca de
5O0 duzias de pranchoes e algumas tcradas, foi de
vorada pelas chammas. Calculamos o prejuizo do
Sr. Rocha cm 30:0003000.
o Compareceram diversas autoridades e grande
concuros da povo, que muito se esforcju para do-
minar a furia do incendio.
0 Rio-Grandense noticia assim a existencia de
uma fabrica de assucar nas Pelras Braccas :
.. c Temos a vista uma excellente amostra de as
sucar fabricado na fazenda do importante cidadao
Joio Silveira, das Pedras Brancas, homem nota-
vel pela assiduidadee intelligencia com que tra
balha.
Ja em tempos passados, tentou e fez alguma
porcao de assucar, no mesmo lugar, o incansavel
cidadao tenente Mariano de Azevedo Coulinho, que
nao continuou por terem adoerido as cannas. Ha
ires aanos, porem, comecou de novo a preparar a
canna, fazendo-se em Pedras Brancas excellence me-
laco e rapadura, que tem ammado aos homens
Irabalhadores.
a Informant nos que a canna roxa alii pros-
pera mais que as outras. 0 assucar que te-
mos a vista e realrceote excellente e nada dei-
xa a desejar. E' mais uma industria, que
com um pouco de cuidado pode prosperar na
proviama e d til a como uma nova fonte de
renda.
Reapparecera a Democracui, Mha roaniilirana.
A's 10 horas e 20 minutos da manna de 14, ea
calhou na costa do Rio-Grande ao rumo du Si', i
de S. da Atalaia, junto do vapor Gomos, o palhabo
te inglez Gerenl.
0 capitao doclarou que encalbou por estar o
tempo muito enfuraarado, persuadindo se ser o
Gomos um rebocador que sahia para fora da barra;
approximou-se do mesmo, e, quando re -o.ilieceu
estar o vapor encalhado, tratou de virar de bordo,
e nessa occasiao o navio bateu, resultaodo partir-
se o leme e encalhar. Prestarara-se todos os soc
corros necessarios, sendo saiva a Iripoiae&o bem
como as suas bagagens. 0 navio eooheu se d'a-
6ua e iicou completameofe perdido ; riahi it
icBmood, com 60 dias de viagem, cirrejaSo d
farinhads trigo, callando 13 l|2 palmos aTkfoa.
Le se no Echo do Sul de 1> :
i Hontem fot barbaramente aasassintSA .par Jos-*
Goilherme de Souza, em uma venda sisaaiifact
da Caridade Nova, o infeliz Bent) Jos* ffcrroiri
official carpinteiro e chefe de familia.
a Nio conhecemos os pormeoores do crime, sob -
tado assegurara nos que tirera origem ao U:(<
de o atsassinado haver dirigido g-aeejos a ssu
Iher do assatsino, e que este avancara para i
infeliz lioalo e lbe embebera no lado esqoerao i
abdomen umafaca, que, perfurando lhe os teci:
subjaeeotes, Ihe penetrou no estomago, prodozio
do-lhe deotro em poucos minutos uma morte hor-
rivel.
0 Sr. del eg* do de policia eompareeea n
lugar do crime e fez conduzir a pritaj o erimi-
noso. b
SANTA CATIIARIMA.
A 12 fuodeou no porto do Desterro o vaporiint
S. Lourenco, commandante Joio Eilevlo Vargea
Refere a este respeito o Conserrador :
a 0 va;ior tem as seguintes dimeosoes: 104 per
de comprimento, 6 de pontal, 17 de bocea: sna
forca e de 60 cavallos, marcba de 7 milhas, a eal-
lado de 6 paluios, abarrotado; tem capacidade pa-
ra 70 toneladas de carga.
Tern SO camarotes a re, nas melhores candi
coes de asseio, e e destioado a fazer a navegaciu
entre o porto desta capital e a colonia D. Fraocis
ca, locando no Itajahy, colonia lilumenau e S
Francisco, na forma do cootrato aUimamsntft cele-
brado pelo governo imperial com a*coaipanbia bra-
sileira de paquetes a vapor.
Felicitamos ao commercio, habitaotes desta
capital e dajuellas localid.nl js.
a 0 Itajahy e a colonia O.umenau, que Uat
aimejavam e?te melhorammio, para dar impul?.
as suas forc-as vivas, devem receber esta grata ao-
licia com o major regosijo.
Os Srs. eonselheiro Co*ta Pereira e Dr. Joao
Thome conquistaram por e-te melhorameato ainda
maior gratidao daquelles que verdadeirameate d- -
sejam o future bnlhaoie da nossa terra.
Leraos no Conservador :
Con*ta-nos que S. Exc. o Sr. Dr. Joio Tnan>
intenla com car em breve a aberiora da estrada 4e
Lages, levantin Jo para isso o empreslimo antori-
sado o>nno passado pela assembl>'i provincial.
Segundo as instruccoes por S. Exc. toranla
das, para regular o aodamenlo e execucao da obr..
e que como era de esperar foram ja approvadV
pelo miDisteno daagriculiura serioestabelecidoj
alf uns nucleos coloniaes, a margera da estrada.
i Fazemos sioceros voio> pela realisa^io de lio
importante melboracienlo.
i Na aliura do Itajahy foi a pique um navio al-
lemao, cujo carregamento o nome igooramos.
a A tripolacao foi salva pelo bngoe S. Jeromy
mo, do Itajahy, que os recebeu a bordo, encontrao
do os no mar em uma lancha, moment um grande temporal que sobreveu.
> Xe^NWrtfaio pan. a cotcnia RcaiM
a enlender se com o consul.
PARANA.
A 6 chegou a Paranagaa o tran*posle d
guerra Wernech.
So dia 7 deu comeco a commissao a sondagec
do porto Pedro II, desde a e>taca qne indica o poo
to terminal da fat ura ponte ate a-Lagilba.
No dia 8 seguira o Wernech para Anloniu
donde ainda nao regressara.
Ignorava se o resultado dos traaalho' da coa
misjio, durante os quaes nenhura dos offlciaes qu-
a compoe baixou a terra
S. PAl'LO.
Ni capital, refere o Correio PuN/isfotto, i
Sr. major Jose Homem Gaede- P irtilbo, vereado
da camara municip.l, em se hoatem, propoz que por ioiciativa delta se fan da
se nesta capital um esiabelecimento, onde todo
os mendigos pos^am ser recebidas e tratados a ex
pensas da mnnicipalidade.
a Esta idea, como era de e.-perar, foi unanirse
mente aceila por aquella corpora^io, qua ja ao
meou commissoes incumbidas de orgasisar as ba
ses nao so para fundacao do asylo como para set.
regimento inlerno, alim de serem presentes a as--
semblea provincial na saa proxima reuniio.
A 22, -epultara-se o Dr. Manoel Alves A'.viSl.
juiz de direito aposentado.
t Este illustrad j panlista, diz ainda aqaeila fc
Iba, pertenceu a pleiade bnlbaote dos Amara
Gurgel, Pire; da Motia, Ildefonso, Pimenta Baatac.
Antonio Mariano e outros, que quando mofoa, en.
1822, taoto irabaltiarara pela eniancipacio d
Brasil.
i 0 floado era um homem intelligent- e aotav
pela rigidez de costumes, tendo sabido se
peitar as bonrosas tradicoes de seas
sad os.
Tomamos do Correio do Sorte. ds Jaeaniry :
Por carta particular para pessoa de totte cri
terio sabemos que o Sr. commendador Manoel Jo
se Vieira de Macedo, de Caragoautuba, dera a li
berdade, coudiciooalmente, a sens dous escravo -
Cypriano e Seraphim, presuodo-se o uiuwj eava -
Iheiro a ser padrioho de c Anteriormente ja alforriara sem cooascao al
gnma sete outros de nomes Antooio, JadnU
Francisco, Manoel, Jese, Maria e Tnereza.
Conbecendo o diitincto cavalheiro 4t qae u
mos o prater de occupar-nos, por oatro; actos 4
caridade e philanlropia, como amigos dedicados k
idea de emaneipacio, signiGcamos-lba a-ui o aot-
so reconhec mento e gratidao, nor nossa partee en.
nome da haoaotdaiie.
t Ha dias foi perseguids, na t-xtensio de sat'
400 metres, por um enraivecid > j irara :assu, am
mother desta cidade por nome Anaa R- a.
t 0 feroz animal acompaohon-a sempre a> psi-
to, em consccutivos boles, ate qua aos gritaa 4 4
mulher aculiram diversos individaos que o m. -
taram.
Apesar de se dizer que geraiment* as cobr: I
so perseguem quando oftendidas, no emtanto di -
se desses phenomenos muitas veiea.
Refere o Ituano:
Bsteve algaos dia* ne-U cidade o Sr. Dr. Ki -
quiel Corre a dos Santos, illostrado leate da pka
macia da escola de medians do Rio de Jaaasro
E'o presidente de uma commissao astisnanst.
te nomeada pelo governo central para exaassaar
analysar as agnaa de Calda*. na provincia de M
nas Geraes.
< Conforme nos disse, o illostrado
ancioso para coohecer de perto acoas
em principios mineraes e resoltaaos tberaaoi.-
ticos
Pretende fazer nos pocos o axasae de grao *
temperatura das diversas fxotes, Snndtds, cfce*
etc., reservando a analyxe quiblaliva e aaiaaiiafi-
va, que deverao ser feiias em sea laboratofie no
Rio de Janeiro.
S. S. e acompanhado peks Sri. Dr. Soota I i-
ma. oppositor da seccio aceeasoria da faesMsaa
Uio, e. norgei da Costa, preparador das solas *?
chimica e phyiica da mesmi escola.
Lc se as Cazela de Campinas :
c Foi assassinaJj a hcadas, no du li J cor-
rente, em o bairro do Atybau, neste maoioaj'.
S'lverij Moudes de Ca.>tro. 0 Sr. subaetegaaa Ma-
noel S. Pompeo fex o auto de corpo ds atlieaa *
precede nos termos da lei ._
Foi preso como indiciado no eriaae, Frsawsra
Antonio de tal. >
Sio da Trir>n*a Amparenst estas aaSieiaa :
< Ha dias, alem do luaaei, w sstraaa 4s isn >,

t
i
nia^n


'HlTJMi1 M 3**no do Pemambuco Domingo 29 de Noyembro de 1874
**
cahio uraa barreira sobre am dos trabaltiadoros,
quo di'pois da algum tempo veio a fatteaer.
o Conduzi-io ocadaver a cst. cidade, procedea a
antoridade policial ao auto do corpo de dellclo.
[gaalmente am escravo do Sr. capitao Aatoaio
Pedro de Godoy* Moreira, foi viclima da propria
iraprudencia, amarrando o cabresto do uraa pre-
Iha de bestas no corpo, e sendojarrastado por ellas
no terreiro da fazenda. Antes qae podesse ser
soccorrilo efficazmente, tiuha sido morlo.
Tambem procedea se ao auto de corpo de de-
licto.
RIO Or, JANEIRO.
Em attencao aoa bons aervico3 qua tern pres
tado no exercicio de aeus lugarei nas alfandeg&s
do Hip de Janeiro e das provinces foram noroea
dos :
Ordem de Christ*. Corameodador : conseHiei
ro Betnveuuto Augaslo de Magaltiaes Taqaes.
Cavalheiros: Aurelio Pinto Leite, Augusto Ce-
r Sampaio, Antonio Januaro da Siva, Tao max
Descbamps de Montmorencv, Giraillo Jose de Car-
valho, Antonio Justino de Assis e Joaquim Anto-
nio Vasques.
Ordem da Rosa. Coramcndadores : fcacharel
rabib Alexaudrino de Carvalho Re:s e Luiz Cy-
priano Pinheiro de Andrade.
Olflciaes : Antonio Eulalio Monteiro, Glympio de
Oliv ira, Luiz AITon.-o de Moraes Torres, Matheus
da Cunha, Jose de Sa Bezerra, bacharel Jose da
Costa Uacbado e Fernando Pereira de Castro So
briuho.
Cavalheiros : Francisco Pereira de Bilhoes Car-
valho, Jose Ferreira Plato, Gervasio Nunes Pires,
Henrique Gomes de Oliveira, Joao Lopes Carneiro
da Fontoura e Alpueu Adolpho Monjarin de An
drade e Almeida.
Forara naturalisados os subditos partuguezes :
Joaquim Jose da Silva. Manoel Jjxqiim Vieira,
J)se Maria Goncalves Pereira e>Joa<(aira Pereira ;
o subdilo norueguease Johan RimiKond Wolff, e o
subdito italiano padre Miguel Rog-fio.
Poi nomeado secreiario da jifiiviaela de Mi
nas Geraes o bacbarel Honor io .Herraato Pinto de
Figueiiedo.
P-r litnlos de !9 do cor ante, fwrn mmei
dos : 4.* escriptar.irios da coniadsria da secreta
Tia de roarinha os praticantes Ltd' Rodngnes do
Abreu, Aatoaio de Almeida Moti < &tf*H*, J-se Joa-
quim dos Reis Junior, Antonio Aitm-o Luna, Julii
Nunes Pires, Arthur ide Me!!o e Juli > de Oiiveira
Varrea.i* o ufficial de Taienda !'? !ro VirginioOr-
landiui. -*
Na murai data foi demittid) o priticanta
Cypriaso Unriiua de Al.neid.s.
' Oa Sra. capities teoente Lait Felippe Salda-
aha da Gama e Carlo- Frederics d, N r.-nha f iram
nomealos, o pri:neirj para major da ba'.alhao na
val e o segundo para commandants da canhoneira
Aragunry.
Par portaria de 20 do canvn'.e, foi nameado
Mir Ml lim-menegildo do Moraes, para o lugar de
ajuJ?nti- ida comraissSo iucumbida d- estudar o
mtldur iraciJo para uma estrada qae ligue a ca-
pital di prjviacia do Bspirilo Saatoco.no norte de
Minas Corses.
Por ac o da mestna data foi nxonerado. a sou
pedi lo, o engenheiro Edaardo MenJes Limoeiro, do
cargo do chole do seecio da eommissio en;arrega-
da to estu-J')1 para prolongamenlo da estrada de
ferro de s. Paolo.
Pur decrelo de 18 do correote fo'-am nimea-
dos [.ara o rouseiiio Bscal da Cakca ICconomica a
Monte de Soccorro da provincia de S. Pedro do
lin Grande do Sul:
Presidonte, barao de Cany.
Membro*. lost Antonio Coelho Junior, Estacio
Jose Uoateiro. Folipoe Beaieio d: Freitas Noroaha
e Francisco Oliuto do Cirvalho.
Por tleer n. 5,797 de 18 do correute au-
torisa se Aagoslo Fomm, a orgaai^ar na eflrte
urua eonaanrtia de seguros contra desastres, sob
as segoinles bases:
l. o capital la empreza na) poiera sor iufe
rior a 300:090^000.
2.A A einiireza conservara em deposito no the-
sour.i nacionai, era diatieiro ou apolices cia divida
pobliea, a quaalia de 10:0130 para garantia da
paga:n"nto dos sinisiros quo occ irrerem.
I." A e i.preza nao exigira premiosnperior a 209
rs.'por scraana pira s-gurar a qnantia de 3:000^
de unrta :6 voz em easo de inorte, ou a de 235 par
gemani ao jproprio segorodo, offenlido por um
desaslre, emqa&nto durar a impossibilidado de tra
iiaihar.
KJS.* Gomo exc''p>:I) do prescript) na clausula
anterior, poiera a empreza eobrar dos empregados
B35 ostradas de fi'rro, nos trillios urbanos, na na-
\egacao e.na conduccao de carros, carrocas e on-
outros ve'hiculos um premio superiorv ao qae pa-
i garem os outros segaradis; o angmLi'.o prorem
Duaea podera excederao duplo.
Por (jutro, n. 5,796 da mesmadata, f;r:m appro
vado, a re,|uerimento de Paulino Lucio do Lemos
eFrancisC) de Miranda L5)ne, as seguintes alte
raQoes feiias as clausulas quo baixaram com o de-
creto n. 3,7ia le 10 de setembro do corren'e anno :
na claumla 3" em \m de 60:0003000, dig.- c
t':0004000 pjr data mineral; a G obrigacao da
7' elaosaia tba as im redigida : a remetterem ao
govern) amosiras dos mioeraea ;ue forem desco-
briodo nos tr.'.balhos a quo procederem e quaes
q>ier fossois qae encon'.rem das suas explora-
Por aviso da 12 d) corrente foi autorisada a
pre;id.MKia Jo iiio (l.-.iude do Sal nomear uma
comaiis-ao compostado general Inoocencio Velloso
Pederneira e dus majires Jose Tuome Salgado e
Adriano Xavier de Oliveira Pimeutel, para exarai-
nar e dar parecer a respeilo da machina inveutada
oelo 2* cadele e 2.* sargento do 5 regimeota de
cirallaria ligeiro, AngUSto Candida di iilva Mar-
tio, e pr tinptiliea la no ar-on .1 de guerra da refe
:ida provia:ia.
S. M. o IrnporaJ ir visitou, no dia 21 do**r-
renie, a capt'la de Biossa Senhora da Coneeicao da
freguezia de Ligoa, e suas depen lencias, e subindo
ao consiateiio, onde enoatrou funccinnando a ros-
ppctiva esco'.a, interrogou a alguns alumnos para
conbecer o adiauiamento delles. Em seguida.diri-
gio-se ao edificio con^traido a expensas de uma
subscript 11 popular, na rua da Boa Vista, e desii-
nado para as d'uas escolas publicas da nova fre-
guezia.
Foi recebilo pelo cmselheiro in?pector geral da
iastruceao publica, e pelos membrosda commissao
directora das obras desse edi&cio.
0 mesmo angasto senhor visitoa tambem hon-
tem o imperial Obsemtorio Astronomico, percor
rendo todo o estabelecimento e examinando algnns
dos novas instrumenlos.
Lemos no Jornal do Commercio:
a Teve lugar quinta feira, na augusta presensa
de S. M. o Imperador, a conferencia do costu-
me.
N'ao pode, porera, por jus to motive, occupara
tribuna, o orador a qnera compelia. Suhsljtuio-o
o Sr. conselheiro Manoel Francisco CorrSa, qae
tratoa da industrtamaritima, demorando-se so-
nrejodo em mostrar a neosi la io de qae ellapros-
pero entre af<*, e cunc)uindo,por eatas pala-
Lembrai-vos que devemos todos trabalhar es-
forcadamente para que nossa patria, que tao bem
/adada foi pela Providencia, reccba das maos dos
faomens os melhoramenlos que Dens entregou a
saa esclarecida solicitude, para que ella ^)ccupe
entre as na;5es am lugar de honra. *
a Lembrai-vos que o Brasil nao pode ser grande
e respeitado se nao dispuzer dos meios de garantir
a seguran;a, e o que mais e a tranquilhdade das
popuIaci5.'s laboriosas que no litoral se entregam
aos misteres do commercio.
< Lembrai-vos que para isso oeondicao indis-
pensavel uma fore.a naval correspon&ente e pirf-i
lamente organi;ada.
< Lembrai-vos qae essa fore.a naval nao teru
elementos de eHabilidade sem a correlativa pros-
peridaie da rnarinba mercante.
c Lembrai-vos finalmente que tado isto repoasa
sobre ana base, qae e como o alkerce de todo
esse edilicio, a mdusiria maritima.
a Promovei, pois, decidi Ja e arlncadamente o
desenvol vimeuto da tao poderoso elemento de nos-
sa seguranc i no presente e de nossa graadeza no
fataro.
t Resultado dos exames na facul laJe de medi-
cina, no dia 20 do corrente :
a 1 anno medico: Francisco Bello da Silva
Cunha, Justino Mtdosi do Novaes, Americo Gomes
Ribelro da Lnz, approvados plenamente; Julio
Adolpho da Fontoura Guedes, Francisco de Oli-
veira Coutinho, Fernando Antonio Ferraz Junior,
approvados simplesmente.
% anno medico: Arthur Maximiano da Ro-
cha, Alfredo Freitas de Sa, Joaquim JoseTeixeira
de Mesquiia, Joio Baptista Barbosa Guiraaraes, ap-
provados pieuaraente; Jos6 Paalo Nabaco de Arau-
jo Freius. Viriato Goncalves Vianna, approvados
simplesmente.
a 3." anno medico: Carlos Feroandes Eiras,
Jora Barbosa dos Santos Junior, Necesio Josd Tava
re;, approvados pleoamente; Francisco Jose* da
Craz Camario, anprovado simplesmente. Hoove
dous reprovados.
< i.'aano: Ricardo Augusto Soares Baptista,
AssompcSfi Cavalheiro e Silva, Joio Ribeiro de Cabos de esquaJra. loao Antonio da"ASiJva corrente fizeram exsmes do ana) de fran&jz,*
Azevedo,loao de Frjiws l\od,-igues Braga,ppro- Victor do SacraiMMo, Victor Manoel, Henrique- forarn approvados: com disiincc** os aliirniiss
v.d'.'s ptenaraentj; Eugenio Pirts de Ainorim, ap-1 Augu*!o Aroucla Ant'Wio Nunes do Sr.az%,J ans Igoacio X ivier da Cunha rtabello, Manoel Francis
provado simplesmente. | perjadrs, Lniz Antonio #e Car>Rtlhii L^Uae, Maaoel co Pereira, Jose Caraeira Vieira Brasil, Sergio Fer-
o S." anno ; Mauoei Lniz Vieira, Cyprfcno Jose AirreJo da T^tade, Pedro lore de Miraadja., Al-, roira Maciel Piaiieiro, Jos6 A'vcs de Souza Ban lei-
&i Siuu Freitas, Jose Ferreira Barret'o, Christia- herto Campo Liinpo d<. Oitveira, Carlos A&nst3 ra, Jose CysaHro Costa Reis e Benicio Nelson Ta-
do Araujo Rd^as, approvados plen
: Joaquim Jose da Rosa, approvado
no Alves
menle.
c 6.* anno
plenamente.
t 6.* anno (clinica): Joao Antonio de Oliveira
Magioh, Francisco Jeso Coelho do doura, Louren
CO Justiniano Vioira, Manoel de Meilo Braga Junior,
approvados plenamente
a Errata. 0* alamaos do 6. anno Jose Lopes
da Silva Trov&o, CeWe Eugenie dos Reis Junior e
Francisco Gaasiano Ferreira Alves, qae foram an-
te bontera examinados, ficaram approvados sim-
plesmente e nao plenamente como sakie.
Da me.-ma facaldade foi aos remellido o
guinte:
0 aturano Roberta Jorge Haddock Lobo, re., ro-
vado do 3* anno medico no dia 18 do corrente,
teve nos oxames dos annes anteriores as seguio-
tes notas : 1. anno em 871, approvado sim-
plesmente; 2." anno em 1872, reprovado; 2.*
anno em 1873 (repeticio),. approvado simples-
mente.*
Resultado dos exames na escola polytechnica
n> dia 20 :
l* anno t' tarraa : Gustavo das Chagaa Wer-
neck e Austricliano Honorio de Carvalho, appro-
vados plenamente. Hauve doas reprovados.
< I' cadeira do 2 anno: Martian) de Aguiar
Moreira e Antonio Olynlho do Almeida Games, apr
provada* plenamente ; Affjnso Lastosa, approva
io simplesmente. Houvo dons reprovados.
2* caJeira do 2" anno : Antonio Gomes dos
Santos Lopes e Jose Baptista de Azevedo, ap.iruva-
ios pleaameale.; Joij J ise da Craz Camara) e
Gabriel "Militao de Villa-Nova Machado Junior, ap
provades eimplesmeete. Houve um reprovado.
< 1' cadeira do6 anno : Aarao Leal de Carva-
lho Reis, Candido Goncalves Gomide, Armeuio de
Figueiredo, Guilherme Candida Xavier de Brito e
Francisco Theresio Porto Netto, approvados plena
meute.
f Deseoho da o' anno : Antonio Joaquim de
Souza Carneiro, Jo=6 Antonio da Costa Gama, Joa
quim Antonie da C. Junior, Antoaio Augusto da Cm-
ceijao, Francisco van Erwen e Carlos Alberto, sp
provados plenamente.*
Na escola de marinha foi o seguinte o resul
tado dos exames de 21 :
i 3* anna (aspirantes) em franeez. Carlos do
Souza Ferreira, Joio Baptista das Neves, Joaquim
Jose Pinheiro de Vasconcellos. Carlos Alberto das
Santos Valenca, Luiz Ferreira de Oliveira Moraes,
Joaquim Francisco Correia Leal, Joaquim Pinto
Dias e Luiz de Azevedo Cadaval, approvados ple-
namente, grao 3.
Jeronymo Roberto de Mesqnita, Henrique Ri
beiro de Farias, Justino J. de Mace io Coirahra, Fraa-
ciseo J)sc Fernaudes Parreira, Francisco Nunes
Pereira, Luiz Pereira Arantes, Eneas do Faria Ra-
mos, Joaquim Francisco Lessa de Vasconcellos,
Bento Jos6 Mans) Sayao e Joss Antonio Ayrosa,
simalesmeute, gra) 2.
< Henriqoe Jose Pedro Valladas Garroxo, J)a-
quira Alvires di Silva Penna Junior, Eduardo
Atiga-to Verissimo da Maltos, Joe da Silva Na-
gueira, laSo Bapti-taG)n5alves Tuioco, Pranclseo
verissimo do Paula Leite, Jo.i Fernandas de A!-
mi Ja, Joao lose da Costa Figueiredo, Bernardo
Carlos do Carvalho e Francisco Thomaz Alves So-
goeira, simple.-mente, grao I.
Em inglez todo3 estes alumnos foram appro
vados simplesmente, com o grao 1.
a Na escola polytechnica hsave o seguinte re-
su'lado nos exames do dia 21 :
anno l" tarma : CandiJo da Costa Seana
aparovado plenamenfa. Ihuve um reprovado.
I' cileira do 2 anno. Firmino Barges de
Lemos, Manoel Eugenio Rjlrigues e Cypriano Se-
rafiao Cortes, approvados plenamente ; Carlos Au-
gusto Je Araujo Reis e Jose" Maria Pereira da Cu-
nha, approvado simple.-nnnle. Hmveum repro-
vado.
1' cadeira do 6" anno. Francisco Jose de
Freitas, Joao Gjncilvesde Araujo, Jose Carlos Mu-
niz Bittencourt, Eduardo Adolpho de Lima Barns
e Jo^e Maria Monies Goncalves, approvados plena-
m.-nt'.
o D.'senho do i> anno. Jose Osorio Nogaeira
da Silva, Migaol Antinio Lopes Pecsgueiro, Fran-
cisco Ferreira Pontes, Eduardo Pereira de Cam-
pos, Eduardo Macedo de Azarabuja e Mvnoel De-
j)ces da Silveira, approvados plenamente.
a Na faculdado de raedicina, no dia 21, houve
0 seguinte resultado nos exam : ,
a 3 anna mff'dico. -V Albert) Ulysses da Rego
Lope.-, Henrique Carlos Ferdlhig-ia e Ant.mio
Goularl Vilella, spprovaloscom distinccao ; Ray-
muudo Carneiro de Sauza B.tndeira, Jo-6 Augusto
Pereira Lisboa e Fructuoso da Malta Braga, appro-
vados plenamente.
a 4 anno.Luis Antonio da Silva Santos, Ar
thur da Costa Pires e Francisco Antunes Ferreira
da Luz, approvados plenamenlo ; Joaquim Mauri-
cio de Abreu, Joaquim Francisco iijrroso Nunes e
Adolpho Manoel Moarao dos Santos, approvados
simplesmente.
a 6 anno (exame ds clinica). Francisco de
Paula Barreso Nuncs,y\ntonio da Terra Pereira,
Samuel DUiton Brandaa ds Souza Barros e Amaro
Ferreira das Nevos Armonde, approvados plena-
mente.*
a L(5-so no ilunicipio, de Vas?ouras, de 22:
c Fallecen, no dia 17 do corrente mez, e sepal-
louse no cemiterio desta cidade, o capitao Joao
Barbosa dos Santos Weraeek, imporlante fazen-
deiro desta freguezia, deixand) solemne testamen-
to em que nomeou sua mulher sua primeira tes-
tamenteira e tulora de seus filhos, aos quaes lo-
gon a ler?a em apolices da divida pobliea, inalie-
naveis durante a vida dos mesmos seas filhos,
passindo por raorte destes a seus legitiraos descen-
d-ntes.
t Tevelugir a quinquagesima ;eguoda confe-
rencia de domingo, honrada com a augusta pro
sencA de S3 MM. Imperiaes.
t Oconpando a tribuna, o Sr. conselheiro Ma-
noel Francisco Corre*a comecoo por apresentar o
quadro dos trabalhos do primeiro anno da dura-
rao das conferenoia*. Besse quadro consta o se-
guinte :
< No periodo decorrido de 23 de novembro de
1873 ate* hjje realisaram-se conferencias todos os
domiagos e quintas-feiras, com excep^ao dasqain-
tas-feiras 23 de dezembro, l* de Janeiro, 2 de abril
e li de maio, por terem sido dias* saotificaJos.
Deixou de haver tambem no dia 5 de a* ril, domin-
go de paschoa. Hmve uma conferencia exlraor-
dinaria em 2 de oulubro.
/ 0 nnmero total das conferencias foi 101, as-
sim distribuidas : 32 ao3 domingos, 48 as quintas-
feiras e 1 em sexta feira.
i Foram ellas repartidas por 33 oradares, cuja s
nomes citamos, segaindo a ordem em que falla-
ram : conselheiro Manoel Francisco Correa, Dr.
Luiz Joaquim Duque-Estrada Teixeira, bacharel
Tneophilo das Neves Leao, conselheiro Joao Manoel
Pereira da Silva, conselheiro Affoaso Celso de As-
sis Figueiredo, Dr. Joaquim Jose Teixeira, Dr. An-
lenor Augusto Ribeiro Guimaraes, conselheiro Jo-
se" Liberato Barraio, Dr. Luiz Con da de Azevedo,
Dr. Luiz Alves Leite de Olivein Bello, Dr. Soeiro
Guarany. Ur. Jose Antonio Fernandes Lima, Barao
de Tautphoeas, Dr. Jose de Oiiveira Campos, Dr.
Carlos Arthur Busch Varella, Dr. Manoel Jesuino
Ferreira, Dr. Araorim Carvalho, Dr. Antonio Fer-
reira Vianna, Dr.jpNuno de Andrade, Dr. Miranda |
Azevedo, Dr. ilozendo Muniz Barreto, Dr. Pedro
Merelles, Dr. Jose de Saldanha da Gama, Dr. Joa
quim Monteiro Caminhoa, Dr. Joaquim Josa de
Menezes Vieira, Dr. Luiz Cavalcanti, Felix Belly,
Dr. Thomaz Alves, capitao tenente Francisco Jo-e
de Freitas, conselheiro Jose Martins da Cruz Jo
bin, Dr. Nicolao Rodrigaes dos Santos Franca Lei-
te, Dr. Misael Ferreira Penna e Dr. Joaquim Na-
buco.
< As conferencias versaram sobre assumptos
sociaes, litterarios, scientificos histoncos e arUsti
cos. t
a Maoliveram cursos, de pt&ag-igia o Sr. Dr.
Antonio Ferreira Vianna, de ge yaphiado Brasil o Sr. bac-barel Tneophilo das
Neves e de kyjuue o Sr. Dr. Anlenor Augusto Ri
beiro Guimaraes.
Passou o orador a dissertar sobre a edueagao
Je*to
Souza, Candida 4ose Ferreira, Lniz RodrigdeiXor
rua, Epiphaaio 0Jose de Oliveira, Joao Gregorie
Vieira de Castro ; sc-dados Antonio Blak da Silva
Ribeiro, Manoel dos ReiaAbreu, Bento Josa da Sil-
veira, Joaquim BerNardina de Oliveira, Emilio dos
Santos CabraL Mamel Valerio de Souza Lobe, Sa
bino da Silva Braga, Antoaio Manoel Ferreira, Ma
noel Marcelioo Pereira, ManoafJose de
Jo-e Aatoaio dos Santos a Manoel Dias de Moara,
approvados. H >ave 18 reprovados.*
Eis as noiicias commerciaes da nltima data:
a 0 mercado de carabio nao soffreu alierac.*o
sensivel e teve movunento mais qae regular as se-
Ruintes taaas : Londres 56 1/4 d. papel hancario,
26'3/8 d. particular; Franca 158 383 w. por
franco.
Nada se fez em soberanos
* De apolicci gi>raes de 6 0/0 effeetuaram se
transac^oesjnsigniflcantes a 1:049j e 1:050j a di
nheiro.
No m Tea do de accdes apanas constou a von
da de um parti ia regular das do Banco "-fndas-
trial e Mercanti! do Riade Janeiro a J9G ;, paga-
mento e transferoncia no dia 23 de dezembro Ta-
toro.
As vendas de cafe foram mais qae regalares.
< De assucar veuderam-se peqaenas partidas
para coasumo e cerca de 1,000 saccos para o Rio
da Prata.
Fretaram-so dous navios, sendo am para
Hampton Roads, cafe, a 40 s., e outro para, Nova-
Orleans,-cafe, a 42 s. 6 d, auabos com S 0/0 de
capa.
BAHU.
Por occasiao da inauguracao do monamento
de Riachuello, o presidente da provinci > *jpgio o
seguinte telegraiuma ao presidente do %*welho,
que em resposta dirigio o que abaixo vai tambem
publicado:
. t 1)6 presidente da Bahia ao presidente do con-
selko de miuistros.Bahia 23 de novembro. 0
commercio da Bahia pela sua direccSo acaba de
inaugurar o primeiro monumenlo que recorda os
nossos feltos gloriosos na guerra do Paraguay. Os
babianos saudam por m-\i interracdio a Spa Ma-
gestade o Imperador, primeiro voluntario da pa-
iria. >
t Viscondedo Rio Bronco ao presidente da Ba-
hia.Rio 23 de novembro.-Cheio de jubilo reuri-
buo era aome de S. M. o Imperador as congratu-
lates que lue f ram dirigidas por V. Exc, coma
digna orgao dos seniimentos do cainmercie e dos
buhiaaos em geral pela inauguracao do monumen
ta commemorativo de ama gloriosa defeza contra
a injusta guerra que nos declarou o Paraguay ty-
raiinisado. Honra a is ante res e cooperadores des-
sa ie.-ti nacionai I Mil parabens aBabia par mais
e-sa prova da seu civismo. Visconde do Bio
Braneo.*
Tendo sido no dia 23 do corrente feita a pro-
va pratica do concurso a cadeira da pathologia
g:ral da faculdaie do raedicina, procedea se no
dia seguinte a leitura da prova escripta ; seguin-
do se entao o jnlganumto Onal, classificados,
licando as.-im classiQcados, segundo elle, os con-
eorreotea: p
Dr. Egaa Carlos- Muniz Sodre do Aragao.
Dr, Manoel Joaquim Saraiva.
Dr. Ramiro AT'Uso Monteiro.
Nj dia 23 do corrente, na faculdade de me-
dicina, foram examinados e approvados os seguin-
tes estudanles:
1* anno medico-Severiano Boaventnra da
Rocha Pitta, plenamente; Manoel Jose da Costa,
Antonio Marque* da SUva Guimaraes, Virgilio Jo-
se Martins e Candido Mariano Daraasio, simples-
me'.e
t 2* cono msdico (exame pralico Antonio Si-
queira Carneiru da Cunha, distincc^iio; Henrique
Guedes de Mello, Fernando Augusto Teixeua,
Jo-e Eniii) ia Costa Falc.io, Benjamin Franklin de
Almeida Lima, Aristides da Siva Tosta, Antonio
de ArruJa Beltrao de Araujo Pereira, Candido Ag-
nello da Co-la E-pioheira e Lacia Diogade Arau-
jo Borgaa, plenamente.
t Sast^niarara theses para obter o grao de don-
or, o foram approvados plenamenle os seguintes
doutoraadas :
a Aut nio Joaquim da Silva, Amancio Joaquim
Pereira Caldas, Laureniino A/gio de Azambuja,
Alexandre Freire Maia Bittencourt e Silviuo Pa-
checo.
No dia 23 procedeu-se a eleiQio de doUs de-
puta.ios e dous supplentes para o tribunal do com-
meric,-9endo-*l;is os Srs.< Joio I.J.dt. tj e
Silva, Antonio de Laccrda ; IsmaeifAmer^o
AudraJe, e Augusto Silveslre de Fariss.

m
REVISTA DIARIA.
Beginicnto tie eastas. Tenda o juiz
le \i3z da segundo districto da freguezia de
Gravaii dirigido a presidencia da provincia uma
consult i acerca daexeccci) do novo regimento
de costas, foram por essa antoridade mandados
oavir a segunda sec^ao da sccretaria do governo,
e o desembargad r procurador da coroa, e em vis
t\ das seus pareceres decidio da forma seguinte.
Eis as iaformacoes e decisao :
a Consalia o juiz de paz do segundo districto
da freguezia de Gravata sobre as seguintes duvi-
das :
1.* Os officiaes de justica dos juizes de pas de
dislrictos fora da cidade ou villa pereebem os mes-
mos emoluraenios taxados nos arts. 190 1* e 192
do novo regimento de costas?
2.o Nas citacdes e mais diligencias, effeotuadas
por taes oflloiaes, onto pedido for inferior a 500$,
deve observar-fe a di.-p isirao do art. 193 do mes-
mo regimento, erabara seja uma simples concilia-
ejt4
Qnanto a primeira, na> havendo, no recente re-
gimento caslas especiaes para os olB'iaes de jus-
tica que perteoQam a nm juizo de jaaa de am dis-
tricto quo nao tenha, como sede uma villa oa cida-
dado, parece a sec^ao que devem ser pages de
conformidade com os artigos ciudos.
Quanta a segunda, achando-se evidentemente.
as eastas dos oiiiciaes de justica comprebendidas
aa tabella n. 4, e, deterraioandu o cilado art. 196
qae as custas alii eslabelecidas sejam pagas por
motaie, sempre que o pedido for inferior a ooO,,
parece a seccao que assim se deve ohservar, em-.
bora se Irate de uina concihacaa, como suppoe a
consalia.
varos da -Juuha e Mello ; plsuameoie Presciliano
Prisco Pass Barreto, Sesioaado Sergio dos Santos
Junior, Antonio da Silva Soares, Franoisco Ale
xaudriae de Paula Roe ha, Abaisio Goiaonense da
Cunha Rabello, Bento Jose de Sonza Albuquerque,
AITredo Lins Bahia da Ganba, Thjniaz de Aquino
Ferrevra, Carlos Francisco de Albuquerque Bello,
Oliveira, Francisco Jose da Rego Barros; simplesmente Seri-
'diao Diao Soares, Pedre Marqoes CavaJcaotede
Albuquerque, Libanio EsUnislao da Costa ; e fo-
ram considerados repetentes 2.
No dia 6 flzeram exame das materias do t
anno de latim e foram approvados: com distincQio
Jose Borges Dias de Brito, Rodolpho de Paula Lo
pes, Jose Paulino de Andrade, Apoionio Zenaiies
Peregtino de Albuquerque, e Firmino Francisco da
Cunha.
.No dia 7 fizeram exame das materias do !
anno de latim e foram approvados : plenamente
Francisco Camello da Silva Marrocos, Basilia Ri-
beiro Dantas, Luiz Arthur Bahia da Cunha, Alfre-
do Luiz Bahia da Cunha, Antonio de Oliuda de Al-
meida Cavalcante, Cicero < Vasconcellos Cesar;
simplesmente Thomaz de Aquino Pereira, Benicio
Nelsuo Tavares da Cunha e Mello, Manoel Fran
ci^co Pereira, Francisco Jose do Rego Barros e
Francisco Alexaodrioo de Paula Rocha.
Ainda no dia 7 fez exame das materias do
3" anno de latim, e foi approvado plenaxente o
alumn > Joaquim Domicio Leopoldino Ferreira.
No d:a 9 luerara exames das materias da 2*
anno de francez e foram approvados: com dis-
tin 5*0 Basilio Ribeiro Dantas; plenamente Anio
nio Pedro das Neves; simplesmente Victor de Le-
mos Araujp; e unm considerados repetente< 2.
Nao houveram exames das demais materias,
por terem os alumnos preferido fazel os na facal-
dade de direlto.
Agendas flscaes. Por acto da presi-
dencia da provincia, de 25 do corrente, foi proro-
gado por 6 mezes o praza marcado na lei n. 1141,
para extinccio das agendas fi-cats deoutras pro
vincias aqui eslabelecidas, o qual devera terminar
na dia 8 de junha do anno vindouro.
Fcrlmento grave.No I* do mez expi
rante, Jose Luiz de Farias ferio gravemente a Igna-
cio dos Santos Amarante, no lugar denomioado
Bizarria, do termo de Santo AutTio. Evadio-se o
delinqueote.
Outro. No lugar denomiaado Gamelleira, do
termo de Santo Antao, Francisco Antonio Vieira foi
gravemente ferido por sea proprio irraao Joao An-
tonio Vieira da Ro:ha, em 13 do meze xpirante. 0
delinquente evadio-se.
Junta dos corretores. Pelo tribunal
do comeriio, em sua sessao de 26 da cerrente,
foram noraeados para comper a juaia dos coreto-
res do nossa praja no anno do 1875 : presidente,
Candido Casimiro Guedes Aleoforado; secrelario
Francisco Jase de Oliveira Radrigues; thesoureiro
Migue! Jose da Motia.
neclfe Drainage. Termina ama&t:a o
praza para pagament >, no consulada provincial, do
importe dos apparelhos, differenfas, eanalisacia e
.".nui.iJad :s da companhia Resile Drainage, cor-
respondentes aas seinestres de julho a dezembro
de 1872, e de Janeiro a junha de 1873.
lllssu funebre. -Araanha mania a directj-
ria do Monte Pin Portuguez celebrar, na igreja de
S. Francisco da Recife, uma missa pelo descanco
eterno da alma do seu socio Francisco Moreira
Pinto Barbosa.
Rcuniao de confraria- Hoje as 15 bo
ras do dia, deve reuuir se a mesa geral da irman-
dado de Santa Cecilia, ali.u de proceder a eleicao
da mesa regedora para o anno de 1875.
Hlonte-Plo ercito. -Deve haver hoje as 10 hiras da ma-
nha, reuniao para se tratar de importanles nego-
cics.
Via-ferria do Recife a S. Francis-
co. No escriptorio desta companhia paga-se o
vigesimo segundo dividenio, correspondente ao
seuiestre de Janeiro a junho ultimo.
Companhia Per'nauabucana.Segue
amanhi a tarde para Aracaja pclas escalas, o va-
por Mandahu.
Iustitiito medico pcrnamimcano.
No dia 25 do corrente, o lnstituto fez a sua ses-
sao ordinaria, com a assistencia dos Sr. Drs. Cos-
ine, Chacon, Santos Mello, Estevaa Cavalcante,
Seve, Pereira de Brito, Curio, t'iianga, Ermirio,
Tristio, Ramos, Beltrao, Santa Rosa, Cysneiro, e
os Srs. pharraaceuticos R mqaayrol, Coti'as e Maia.
Depois de approv. da a acta da sessao anterior,
o Sr. presidente den passe & dire^caa e aos mais
funccionarios para o anao seguinte, e: em seguida
encerrou os trabalhos ordinari-03 d-o lnstituto por
esteanno, ate a primeira quarta-feira defevereiro_
proximo, marcando para ordem do dia os dous*
pontos segiiiiites :
1. Qaal o melhor trataraeato da febre ama-
rella ?
2. Qual o melhor trataraenta das niceras do
collo do ntero ?
E inscreveram-se para discutir o primeiro o
Sr. Dr. Ermirio Coutiuh), e para o segundo o Sr.
Dr. Chacon.
Ainda o Sr. presidente designoa que houvesse
sessao ex'.raordinaria para eleger-se a commissio
de astalislica, no dia 1 de dezembro as 7 1|2 bo-
ras da noite.
Exames de preparatories. Eis o re-
sultado dos que foram preslados na faculdade de
direiio, em 28 do mez expirante :
Lingua nacionai.
Plenamonte 1, simplesmente 14, roprovados 10,
Latim.
P enamente 3, simphsmente 7, reprovados 5.
Inglez.
Plenamente 6, simplesmente 12.
de
Collcjjio da Coneeicao.Neste insti
luto de instruocao primaria e'secundaria que ate
hoje ha satisfactoriamente preenchida seus fins,
sob a zelosa direccao do Sr. Manoel Alves Vian
na, effectuar ss hao ananha (segunda feira) das ',
para as 9 boras da noite, os exames de alumnos
de nma aulaprimaria, em que foi, o mais possivel
fieiraente observado o systema de ensinoameri-
canocolhendo-se da experieacia lisongeiros re
sultados.
E' digna de louvor a dedicacio com que o Sr.
Manoel Alves Vianna se saenflca, por assim dizer,
no proposito de estabelecer e manter entre nos
nma casa de educacao nas condicSes em que o
espirito moderno exige semelhante instituicao.
Termo deSerinnuem. -Cam o prazo de
seiseata dias, contadoade 21 do corrente, acha-se
saria onvir-se o Sr dM-'a concurso o provimento vitaliclo dos offlcios anne-
conmilta do inizo de naz do tamada districto da 1ai SQ Pailica em Pans duas vezes por mez,
SSa d'e" G-Tavag &&?SKlfcWSI feompantado por urn Itodo tortao. IpjUUt
mo ini? son a di?er nun a^ disnosirw* An* aru tamPa de moldes e de trabalhos de agulha. Agora
190 7i 1Q ^ 196 da rranlamentu, da* toSSW aproximao comeco dooitava anno de exis-
iudiciarias a ana mi reforo o deSn ? d?i 'encia *" irna1' "*& PM> 1ao dese arem
e terminantesque nao admitlcn outra interpreta-1 &&** T^nnrVva^ 7F 2?a
cio que naa seja a literal; pois qu*Kos citados ar- .u n- R'? de Janeiro, rua dos Ounves n. 7, casa
tigos naa fazendo distinccao entre oOjeiaes de jus
sfbrcos de amigos do goveraa, e qae se espera
ktiiro em poaeo ver restabelecida a ordem.
i'ara n liuroyii. <;, u ^ re-wbidos em
nosso porti>, levou e Uouro lftj pa-=sageiros.
Entradas do assneai* e do algo
duo.Na seraana de 21 a 27 da correnie vie
ram ao nossa merjado 61.375 saccos comasaucar.
e 4,213 saccas com algodao.
Consulado provincial. -Por essa rcpar-
ti^ao se fax publicoque termina amanha o prazo
marcado pela presidencia da provincia para ter
execucao oa arts. 78 e 79 do regulame.to de 8 de
abril ultimo, que determinant que os generos im-
portados de outras provincia* por via terrestre
devdraa ser acompanhados para prova de saa pro-
cedeucia, de ama guia dopioprietaria, e por elle
assignada, da qual consta declaradatnente o lugar
d'onde vera os generoa, quaes sejam elles, a quan
tidade dos volumes, marca delles e o nome do
conductor, deveado essa guia ser apresentada pelo
conductor na primeira collectoria que ficar na di-
reccao ou proximidade de seu transit-) do ponta
da procedencia a esta cidade, para que seja com
o visto do fiscal ou collector, auihenticada a mes-
ma procedencia, sem oque sera o gonero onsi-
derado produccao da provincia, e nenhuma outra
prova podera snpprir essa falta.
AJudas de custo. Pelo ministerio da
justica foram marcadas as seguintes : De !:200i
ao juiz de direiio Francisco Jose Cardoso Guima
raes ; de 900J ao juiz de direiio Soropiao Euzebio
de Assumpcio ; de 800J ao ljuiz de direiio Jose*
Rufino Pessoa de Mello ; de 6 OA aos juizes de di-
reiio Antonio Joaquim Correi de Araujo e Manoel
Jose Espinola ; de 500 aa juiz de dircita Antonio
Carlos Martins de Moura.
Deaembarque e naldeio de mer
eadorias. 0 decreto n. 5,d95 de 15 de julho
ultimo concedeu a Antoaio Martins Lage Fdbo
privilegio por 8 annos para uso e venda de um
apparelho de sua invencao, destinado a desembar
car e baldear mercadunas.
Hachiua de cortar runao eua roio.
0 decreto n. 5,696 de ii de julho ultimo concedeu
a Manoel Antonio de Souza privilegio por oito an-
nos para fabricar e vender ama machina de sua
invencao, destinada a cortar fumo em rolo.
Conselito Supremo "rlilitar. -Na ses-
sao de 21 do correute foram julgados dellnitiva-
mente os seguintes processes :
Exercito.t cadete Joao Franklin de Las-casas,
accusado de abaudonar a ginrJ.i en que se acha
va, e ameacas; tendo sido absolvido pelo conselho
da guerra ; foi reformada a sentenca, para imp )-
rem ao rea a pena de um anno de pnsao em ama
fortaie.a. Dito Marcelino Jorge da Silva, a:cusa-
do de haver desrespeitaJo ao sau superior, coa-
deinnado em dous mezes de pn-ao ; Li coa'.i.'iu -.
da a senten;a. Soldado Francisco Alfonso Ferrei-
ra, accusado de ter deixado fugir um preso, con-
demnado a hear no lugar do fugilivo ; loi reforma-
da a sentenca para imporem ao rea a pena de um
anno de prisao com trabalho. Dito Francisco Li-
le da Silva, accusado do 1' desercao simples, cm
damnado era 4 mezes de pri?ao, por se ter apre
seatado volunlariara/-nie passados tres mezes ; loi
conlirmada a senten;a. li.u Florentine Soares da
Silva e Eliziario Jo.-e de Oliveira, accusado de 1*
dasefKao siinplus, conde.nnados cada um em 6 me-
zes de pri.-ao ; foram coulirmadas as seatencas.
Dilos Bento Gongalves de As-umpcao e Venaucio
Jose Chrispim, accu3ados de 1' desercao aggrava
da, coudemnados cada um em um auno de prisao ;
forara confirmadas as sentenjas. Dito .\ntonio
Joaquim das Santos Junior, accusado de 2' deser
cao simples, condemnado em ura anno de prisao
com trabalho, por se ter apresonlaJo voluntaria-
menle passados tres mezes ; foi conlirmada a sen-
tenca. Dito Antonio Barges da S:lva, accusado do
2' dsserQao aggravada, condemaado em 2 innos
de prisao com trabalho ; foi conlirmada a sen-
tenga.
Mupreme Tribunal de Justica.Na
sessao de 21 do correnie :
0 Sr. Braga expoz os funJameutos da revista ci
vil n. 8,568. Reaorrenle Jose Jacome Tasso ; ro-
corrido Maaoel Alves Barbosa. Feita a oxpasicao,
passou os autos ao Sr. conselheiro Valdeiaro. 0
Sr. conselheiro Villares, como juiz relator, rela-
tou a
Revista commercial n. 8,367-De Pernambu*o
-Recorrente Josue Materna de Azevedo Santos ;
recorrida a companhia ingleza denomioada Tue
Liverpool & London and Globe Assurance Compa
ny, represeniada pelos agentes na cidade do Ra
cife Saunders Brothers & C. 0 relatoria maslrou
quo nos julgados nao bavia nem injustica natoria,
nem manifesta nullidade nos termas da lei, e par
issa foi revista nnanimemenie. Foram juizes,
revisores oa Srs. conselheiro Braga e Valdeiaro.
Livros novos -Como veraa os leitores, no
anau-acio publicado no lugar campetente, a livra-
ria Popular, a rua do Barao la Victoria n. 39, d)s
Srs. Silva Cardoso & Pessoa, acaba de receber
um variado sortiraeuto de novas publidc5e3 lute
rarias e scienlificas, todas em portuguez, entre as
quaes se notam algumas de Julio Verne, J. de Aleu
car, Nabuco, Esc;ich, e Odorico Mendes.
sinia rova.Daraos cm seguida a ciacular
do ministerio da fazenda qua jrolv.be o emprego
da tinta rCxa oa violeta dos papeis qae tem de ser
presentes nas alfandegas, a qual justilica a exi-
geacia fella por seraelhaula reparti;ao nesla pro
vincia :
a Circular n. 28.Ministerio dos negocios |da
Saiurninq Simplicio de Salles Veiga, Felizardo de' tado:
da ni'rid tie, mostran os assiduos cuidados doa governos, das oidadios
era geral, e dts pais de familia em particular. 0
men no de boje e o cidadio de amanha, e sobre o
patriotumo dos cidaiaos rtpousa a prosperidade
do estado.
< Felizmenle, disse o orador, .passou o tempo
em que os pais eohieavam para os filhos a vanglo-
ria de u n titulo seieotilico, tendo em menor apre
-;o os conbetiraeDtoa que o justificam e enoobre-
cem. E;sa tendencia, provoitosa a cau-a da ins-
truccao solida e real, e a qae convem fortalecer
e genorglisar.*
No deposito do aprendizes srtilheiroa torml-
naram, no dia 32 do corrente, os exames da 2'
class* do enstaK) ttmrico, cam o seguinte resul
tija de cidade ou de villa, esta claro) que abran-
ge todos aquelles qae exercem tal oJacia.
Quanto a clara disposicad do cilado;art. 196, del-
la ss conclue qne abrange tolas as eastas taxadas
na taaella n. 4, as quaes seraa por metade nas
eausasate 500,000. E' quanto me pare:e sufll
cieme dizer a V. Exc. a respeito de semelhante
consulta, que melhor sera detidida pelas luzes de
dos Srs. Lombaerts & Filho, on em qualquer li
vraria desta cidade, com a declaracao de quere-
rem a edicao dosses senbores, que custa 14,000
por anno, e da direlto a uma folba em portu-
guez.
Folhetim.Encetamos haje em nossa 8.'
pagina, a publicacao do mu.ta interessante roman-
ce A princeza dos Ursinos, mysterios e intngas
da corle de Felippe V, do festejado escriptor hes-
V. Exc. DevoJvo o ollicio da mencionado jniz de panhpl Fernandez y Gonzalez, sem duvida alguma
pas. i o maia cuidadosaraeate escripta pelo autor do Rei
Dens guarde a V. ExcRecife, 14 de novem- '.Ualdito.
bro de 1874 lllra. e Exm Sr. fiV. Henrique Pe-1 0 assumpto desse romance prenda-sc com a
reira de Lucena, presidente data provincia. 0 bistoria de Portugal. E' geralmente sabido qaan-
desembargador procurador da coroa interino. -. to D. Pedro II procurou influir nos destinos do
Jose Pereira da Costa Motla. jthrono de Felippe V, e aponcos serao desconhe-
< 2.' Sec;aa Palacio da presidencia de Per- cidas as graodes guerraa que nease reinado teve
namuueo, era 17 de novembro de 1874. Com o Portugal com Cast lla, guerras era que foram os
parecer do desembargador procurador inleriao da portuguezes auxiliados por grande parte da Eu-
coroi e soberauia nacionai, incluso por copia, e ropa, e em que D. Pedro IT nio so aspirava a ex-
com o qual me coniormo, respondo a consulta de pulsao da dynastia franceza do tbrono da aniiga
Vmc. conslante de stu officio de 5 do corrente, dominadora, como tambem ao accrescentamento
relativa a interpretacio dos arts. 190, Is e 192 do territorio e ao alargamento do dorainio portu-
do decreto n. 5,737, de 2 da setembro proximo guez.
findo.Henrique Pereiaa de Lucena.St. juiz de
paz to seguni ^ districto de Gravata. *
Obrae de eonservacao dos portos.
Por porlaria da presidencia da provincia, de 26
da corrente, foram exotwradoi a sen pedido Fran-
cisco Solatia de Souza Magalhaes e Manoel Caeta-
no Cavalcante de Albuquerque, dos lugares de
observadores de mares, senlo norneados para subs-
titui los Modesto Loopoldo Xavier Eurstorff e Dia-
nizio Antonio de Oliveira.
Ha nes;e romance, lances interessanlissimos,
factos horrorosos, a par de scenas as mais nato-
raas e commoveddraa possiveis.
Recommendamos sua leitura aos nosso3 assig-
naotco.
Aquellas pessoas que abrirem assignatura para
o Diario, a comecar do 1* de dezembro, daremos
gratuitamente o preeute numero, afim de qae
possara ler o comeco des^e romance.
Vapor Herrinaack.Espera ae naterca,
feira (1 de deiembro) esse vapsr da companhia
Jury do Recife.Deixou honlera de fane
cionar esse tribunal, por qae, quando se procedia i americana
ao aorteio, verificon-se ter-te aasenttdo o jaiz de' Pravinela da Parabyba.Noticias re-
facto Antonio Joaquim Pereira de Oliveira. cebidas da capital dizem que os animos comecara
Gjmnnnio provincial. No dia 5 do a acalmar-se no interior da proviaeia, devR fazenda. Rio de Janeiro, 20 de agosto de 1874.
0 visconde do Ria-Sraaco, presidente do tribunal
do thesauro nacionai, declara aos Srs. inspectores
das thesourarias de fazenda, que lica prohibito
nas reparli^Ses deste ministerio o uso da tinta ro-
xa ou violeta; visto ter a experiencia mostrado
alterar-se essa tinta com o correr da tempo e a
huinidade, iuutihsando se por esta molo os dacu-
raentos que corn ella saa escriptas.Visconde do
Rio Bianco.
A ii ura men to do cenao.0 total da apu-
racao feita na direcloria geral da estatistica ate o
dia 13 d) corrente, e de 8,791,355 habitantesem
todo o imperio.
Paojecto de lei da assenablea pro-
vincial, nao sanceionado. 0 ministe-
rio do imperio expedio a presidencia do Para, em
14 da corrente, o seguinte aviso:
t lllra. e Exm. Sr. Envioume V. Exc, am
termos do art. 16 do acto addicianal, com o sea of-
ficio de 21 de marco do corrente aono, o projecto
de lei da assemblea legislativa provincial, datado
de 31 de agosto do anno anterior, o qual, tendo a
esta veltada por Ihe haver denegado sanc;aa, por
acto de 12 de setembro, o anieccssor de V. Exc.
foi sustentado tal qnal por dous ler;os dos votos da
mesma asserablea.
aDispondo-se naquelle projecto serem applicaveis
ao solicilador das feitos da fazenda provincial a
legislacao geral e os ados do governo imperial,
que declaram incompativel o emprego de solicita
dor dot feitos da fazenda geral com os cargos de
solicitador dos aaditorios, da camara municipal, e
do collector, entendea o antecessor de V. Exc que
o p'ojecto oITendia a coasliiuicao, par ser exarbi-
tante das a'lribaicaes das assembleas legislativas
provinciaes e importar invasio de poder; e nestas
razoes fundon a denegacao da sanccao.
i No citado olflcio de 21 de marco, accrescenla
V. Exc a circamstancia, que considera irregular,
de ter a asserablea approvado tal qual em uma so
discussaa o raferido projecto nao sanceionado.
a Ouvida sobre o assumpto expo-ta a seccao dos
negocios do imperio do conselho de estado, foi de
parecer:
o I.* Que o mencionado projecto de lei nao of
fende a constituicao, visto que nao decretando m-
compatibilidade relativa a emprego geral, nem con-
tendo disposic^oes que contrariem leis geraes ou se
appliquem a assumptos por estas regaladas; ou
que rcstrinjam qualquer dos direitos politlcos do
cidadio brasileiro consagrados na canstitnicao ;
mas iratando apenas de estabelecer uma condicaa
de exercicio a respeito de emprego provincial da
ordem dos que podera ser creados pelas assem-
bleas provinciaes, e a respeito dos quaes compete-
Ibes, por virtado desta ampla attribuicao, impor
quaesquer con jic5es da natureza d'aque.la, nao
so nas proprias lets qae as cream como era qual-
quer tempo ; segae-se qoe a assembler legislativa
provincial nao exorbitou daesphera da sua com-
petencia, mas exerceu uma attribuicao que Ihe
pertence, e da qual tem-se constanlementi feito
uso sera desapprovacaa do poder campetente.
t 2. Que nao foi irregular o procedimento da
dita asserablea provincial, adoptando, com ama so
diseussAo, o referido projecto, porque a disposicao
do 1 do art. ii do acto additional qae prescre-
ve, em geral, a necesstdade de tres discossoes pa
ra appruvacao dog projectos de lei ou resoiucio,
nao e aaplicavel a hypothese especial do art 15 (a
de qua se trata)denova discussaa em coosequeu-
cia da recusa de sanccao, da projecto que ja liver
sido approvado passando par aquellas tret discos-
sdes ; -inteiiigeneia que tem fundamento nas pala-
vras neste caso do citaio art. 13, assento da ma-
tena.
i E S. M. o Imperador, confarmando-se por saa
immediata residucao de 16 de setembro t'o cor
rente anno com o dito parecer, exarado em con-
sulta de 21 de julho antecedenle, ba por bem raau-
dar detiarar a V. Exc. que o referido project de
lei sera sujeito ao conhecimealo da aemh' j g-
ral eaiuprindo p ire".n, que, not term % do ar. 17
lo acto adlirioaal, seja o mes.ua ptaj-rut praie-
i lamoiil-. axecataiio ale J-tiniliva daci-.\ > Ja)-. i
aisemblea.
0 quo camoiuaico a V. Exc. para sua m wit-
gencia e exocuQio.Deus guarde a V. ExxKu-
conde do Rio Bianco.
Conflict* dc jurisdiccmo. Em 1 i da
corrente o ministerio da jaitica darifto a presiten
cia da Bahia o seguinte aviso :
f Illm. f- Exm. Sr.-Foi presente a S M. o Im-
perador o ollicio d^ssa pre.-i Jeatia, ds 16 de Ja-
neiro do anno passado, com os papeis relaii.o' a)
confiicU) dt-jiirisiiccai enire o juiz subsiilut) da
vara e-pe rial de orphaos da capital dessa pruvic-
eia e o iaii da provedoria, am conseqaeocia Ua
exonerac.ic- da la por aqaelle ao carad>r geral ioa
orphaos. E o mesmo angusto aeaaor. coofirn an
do se p>r iramediau resolucao de 11 do eorreate,
com o parecer da seccao de jaslica do canselh' it
e.-ti I". em consuls de 7 deste met, mnla de;L-
rar a V. Exc,-qae a visu do art. % f da let
n. 2.033 de 20 de setembro de 1871, e art. % j, T
do decreto n. 4,824 d 12 de aoTembre aapaatw
anno, so na falta do proved ir de todos o* oairo*
luizes effeclivos podia o subsii'uio da vara de or-
phaos proceder a um acto de jurbdircio pi raa.
coma e a substitaicao d)curadr g-ral doa or-
phaos, nas termos do art. 4* do de-.reto a. 817 ue
30 de agosto dejISoi c aviso n. 258 de 19 da agtsf.
le I8G7. Deus juarde a V. Exc Mi Jos:
Oliveira J'tnqueira.
DinltPiro.0 vapor Buhm levou da *>*
pra.a para
Paraaytn s 77",
Ceara' I3.H9*7Wi
Telegrnpbo terrettre.- A'ham ae r-
tabelecidas as communicacces ti legraphieas ealn
o Rcife e Maceio, desde honlem pela c.a i!
ignorando se ainda qual a cau,-a da interru;
Loteria do Rio de Janeiro. It-
mo da lista da 17.* loteria (NaV) em benefi-i I
fundo do c-mau'ipieii, extrahida a 21 do t*r-
rente :
N. 1030...................... t-:000j)>
N. 878...................... IO:00Oiki
N. 4609..................... i:O0OJXH.
N. 5348..................... 2:000*)f>'
Ns. 1394 eoitU i.OOOi a cada um.
N<. 2089. 2451, 32*3 e :W71 -80 >i a eada ra~.
Ns 13V, 611. 1634. 1825. 2041, 2172 2--JS,
354 J, 5511 e 5714 200:- a cada am.
Ns. 120, 143, 469. 936, 1478, 2031, 2263, =27.:.
2671, 3133, 3241, 3421. 36 8, i!3X. 4390, 4.T.
4653, 4899. 5003 e 5909 -1001 a cada am.
Ns. ii, .i">, 48. 102, 163, 253, 281, 313, li ,
495,498,520,793, 812. 847, 93H, Ifl'.i, C13 .
1206, 1225, 1424. 1446, I486. 16S3, 1777. .
2161, 22 7. 2279, 2311. 2546, 2713, 2727, :;
3072, 3113. 3137, 3232, 3300, 3910. 4058,
4155, 4229, 4237. 4317, 4411, 4475, 4572, 4~!
4630, 4684. 4886, 4690, 5i'62, 5099, 51 ii, 51 ->
5*2 e 5951 iOi a cada um.
Loterin. -A que se acha a venda e a HI
a beneficio do c-iliegio aos orphios c orp'-ii
qual carre nj dia 5 de d.-zembro proximo 11
douro
Leiaao. Amanhi, ()) effsctua o ag a-
Dias, o hrtti d bens e aivi.las p-iteaccni i -.
raasaa fullila de Itutr.m Rrwak IC,ko I* ra-
dar da si.braao a rua da ilarquez de Obada
17, as It boras la mauba.
Proteslo de lettraa. 0 escrivio
res Campetlo, es'.a de semana; a rua do Imper.
dor n. 40,1* andar.
Casa de detrncdo.-Mnimeni) da ci-.
de detencio do dia 27 de novembro de ln7i :
Existiam 309, eniraram 2, sahiram 8, exi^e-'
303.
A saber :
Naiionaes 23", muiaeres 9, estranjeiros 27, e-
cravos 33, escravas 2.-Total Ht
Alimeulados a custa dos eofres publicos i 4.
A saber:
Saos 233 c enfermos 16.Total 254.
Movimento daenlermaria d) dia 27 de novcm ir
de 1874 :
Teve baixa :
Francisco das Chagas do Monte, broncbite.
Tiveram alta :
Speridiao Birboza da Silva.
Faustina, escravo do finado Manoel had Has
Passnsr-eiros. Sahiiios para os part js I
sul no vapor brasileiro Para :
D. Jesuina Dias Machado, Emiliano E. de
raes, desembargador Man-el Tertulian) T. ii-1-
rique-, sua senhora e 3 lilhos, Antoaio Jose
riques, Antonio Teixsira Juni ir Escovar, ma.or
Haneel de Azevedo N .scimenlo c seu filho, J a-
quim Guedes Cirre:a Gandim d I ascravo, lfc
lo-ti llygi m Duarte iVreira, saa senhora e I*-
crava, Joaquim Jose Baptista, Dr. Pedro Fr*a-
lino Guimaries. sua senhor*, 1 inni, 4 lilios, I-
criala e 5 oacravoa, Joao A iguslo da Silva e
senhora, D. Faustina Amalia C. Uchoa, 2 fiih-1
1 menor, D. H -raclia Barboza C. Feitoza. Dieg i
Junior. Dr. Luiz Antonio Pimenta, sua senhora .
filho*, Pedro Vieira CaUa. desembargador Laiz '
de Brito Guerra, sua senhora e 4 lilhos, BemvitJ
G. da Amaral ValeuU. Epiphanu Francisca Sax
paia, Antonio de Araujo G-ies, teaen.e cir, a ;
Jose Vicente, Jiaquiin AoWai > Xivier de F*ri-
lonente Join Evangelista Leal e sua s-nh n.
Maria Rodngues das Neves Auloaio P. C. da C
ta Reis, Jo:e Antonio de Menlonca, ana senb n e
1 criada, Hrarique Oliveira, sua senh -ra e 1
criada, Dr. Adolpho Carlos Sanehea, Joaquim [
ralda de Bist), sua senhora, 2 lilboa e I escra;
Jose Jaaquim Dias Fernandes Juni r, 2* cad;
Luiz Furlada de O'.iveira, A. Ozanne, Tila 1.
Soares, Jaaquim Jose Freire, Cbristitao C 0j
Amaral, Jose Mendes, Jose Domingos Perairi ?
Mattos, Francisco Jose Maria, Jose Rodrifi--
Harts, Joao Sacerdole F. da Silva, Pedro Afftn
Vallad ires, A-e niro, Joao Manoel d- Carval:
Igaacio M. da Silva, Jose Carneira, T. Ferrer-
Roberto F. Nogueira, J se Francisco Soares Pat-
cao, D lieariqueta F. Pereira Simoes, Loia I. 1
D. Maria C da Silva, S. P. 4a Fooceea, Candido V
Oliveira Sobriub >, Mano-'-l J'se doa Santos, i
uoel M. F. Saare*. Joao Guilherme das Neves t
sua senhora, R. M. da Silva, cabas de eaquad; .
Antonio Canrado dados Francisco Alves de Brito, Pedro Rodrigaes
de Santa Anna, Ant mio P. da Costa, Maaoal .*.
da Silva, Gustavo d >s Santas Cunha, 2 pracas de
policia, Mathias da Fonceca, 12 aprendizes ma -
nheu-os, Sara, (livre), e 127 escravas a eatreg- -
- Chegadus das portos do sal no vapor inpi
Douro:
Jacintho J. Andrade, J. R. de Carvalba, Thorn.
Comber, Francisco M. 0. Buarque, Antoaio B< .-
tra->, Aotooio J. de Almeida, A. Saerriez.
Chegados do Rio Grande do Norte no ha;?.
brasileiro tlor do Rio Grande :
Domingos II de Oliveira Junior.
Sahidos para a Earopa no vapor iogi -
Sorala:
Jose Maria Qoezada de Moraes, Francisco Ban-
^alvea da Rocha, e Josd A. F. da Costa.
Sahidos pira Eiropa na vapor inglez Dow
P. Bailey, Francisco Pereira Bento ilvan.
Lalo Joio Garcia de Castro, A. Jeanrenand e )i
Seling, e John Folley.
Sahidos para os portoa do sol no vapor L
Salcidor :
C I F. da Costa, Americo S de N. A. Avelai .
Joao F. de Oiiveira, Estevao Maaoal Josd Pedro, b
Junior, Jose F. Ferraa, Francisco de Sanaa H. -
chado, Roberto de Sonza Machado, Jose C. Pe
reira, Antonio L. M. MacieL Luis B. de S. Mar*!,
Thomaa da Silva Ouimaries e 1 cnado, Aotoa
L. de A. Maciel Junior, Bento J. de atodaaPaa, Dr.
Domingos Bento da M. Silva, Jose Manoel i
Araujo, Joaqnina Maria Christina.
Cemiterio publico.Obituario do dia! 7
pa corrente:
Miguel,pardo, Pemambuco, 14 anno*, Boa-Vist..
hospital Pedro II; pangrena.
Manoel, braneo, Peraambuco, 5 aaaos, Grace .
ooqueluche.
Maria Victoria d.-s Santos Silva, branca. Pa -
narabuia, 45 annas, casala, Baa VUla; pbtyska
pulmonar.
Maria, eserava, preta, Africa, 45 aaaos, tiUmr ,
Afogados ; esmagamenla da pcrna.
V
PARTE P0LIT1CA
i
PlHTinO CO\*EliV4j>tt
RECIFE, 29 DE NOVEMB.IO DE 187*.
No intuiio do evitar discussoes pessoaas, saar a
inconveaienles, desagradaveis e sen reaniiasO a -
cara para a causa pobliea, w-mas mailo de propr-
sito deixado de responder as diatribea d> orgao at -
posicioniata.
Persaaiima no3 qae esse nosso procadimeaNe t-
ria a Procincio reccar de sua vertifiaosa carts -
ra; mas o odia e o despeito de n )aos advarsan s
alluciaa-os, e nao os permiite leflajtir.
Binio-se por uma vez a discussao aobre e *-
vada dos principiat e idias; baoio^ae a crttica s -
vera. rcas le.il, aUTUMi I
BBP'^Ba^


. __
E3T"WB
.-# -
---------
Diario de Pomambuco Domingo 29 de tfovenibro d lgft

-*
respeitv.acaiteriario, e inaugurou so a polities
do insjPo. jfciinmioso, do alaque pemoal, da aner-
chia, to ex|lrirJio esubvarsio doiprirKiptos fen-
dameoti'es'enl qUB alsenta a nossS drgfefsacao
politics.
Nada escapa os novas demblidores.
Se se train to presinioso eidadio qu*adraini3-
tra com graole pruiencia e sura ma ftbed;ria a
no3sa provincia, repete se accusacSes banaes e tor-
pa* lantas vezes articuladas qua'ntas respondidas
coo maxima vaatagem.
Oi sac :essos do dia 16 de maio e a saoc;ao e
execucao do uraa lei da assemble* provincial erean-
do iinposio de coasurao, e o iiie.ua obrigado dos-
ses horaens que se arv^rmrn en directores de
um partido e depositarios uoicos da verdade.
Quafquer desses factos esta soberanameute jul-
gadopela pioiSo publica ; a discussao tern rao9-
tr*do a eviJeacia a sem raiao daquelles quo, de
tiittm, por raomeutos ie deixaram arrastar por
uma especulacao politica.
A hisloria imparcial ba de registrar o- acto de
energia da aotoridade que soube suffocar a ansr-
chia, fazer respeitar a lei, a vida e propriedade do
cidadao.
A propo-Lto da in;iatencia com que a Provincla
procura fazer respoosavel ao illustre administra-
dor por factos que, todos sabem, seria impossivel
evitar, rtgistramos com prazer asseguintes linhas
do autorisado orgao do partido cunservador da
cOrte.
< Nio cessa a Reform* de recordar o qae ella
cbama o espaldeiramento do dia 16 de maio, para
espOr aos odios da popala;ao de Pernambuco o il-
lustre adraiaistrador, a quern essa mesma popula-
cao lem sabido tributar por solemnes manifests-
<;os a justica devida a am es^pirito laborioso, em-
Erehendedor o sincenmente dedicado ao bera pu-
lico.
Bern qua se (rate de am facto multas vezes ex-
plicado e que nao viria a porno lerabrarraos em
suas particularidades, observareraos, de anra vex
por toda, a folharliberal:
4.que am puahado de agitadjres nio pode
ser confunliJo com a briosa e pacifioa popul icao
de Pernarabuco;
4.*qae depots dos selvaticos atlentados da mi-
te de 14 de maio, que a mais bem enteadida pre
visao nao poderia ter evilado, scria rematada ira-
pradencia tolerar uma reuniio que se auuunciava
com caracter augressivo;
3.* -que tal loi o espaldeiramento do dia 16 de
maio, que ama so das innumeras victims nao re
cebeu o huh leve ferimento;
4."que em publica^ao (irraada com o nome do
Sr. B. de Villa Bella nao duvidou elle declarar
que, passando pelo theatro do acontecimento na
mesma tarde em que elle se verificara, e atraves-
sando toda a cidade do Recife, so a distaacia de
cerca de uma legal, soabera do occorrido em ca-
sa de um amigo ; o que prova ter sido am grave
aronteeimeato o de 16 de maio f
A insistent da folha liberal era fazer o Sr. Pe-
reira do Lucena responsavel pjr factos quo ate se
na impossivel evitar, obriga nos a recordacSes, qae
era honra de Pernambuco, desejavaraos calar.
aSo fji era situacao de conservadores qua se
desper-ou a couce d'arma a multidao que, duran
te loogas horas, se maulivera em respt-itosa e pa-
ciSca aititudo a porta do chefe do poiicia, recta
mando que se toraasse elfectiva a ordem de prisao
dada a ura raembro da asseoiblea provincial, que,
cm plena cidad?, espancara ao estudante Portu-
gal.
Coufron'.e a R forma esle vcrdadeiro atient^Jo
com o fallado espaldiiramen'o de 16 do m:.io, e di
ga-nos qu-'m fez direito a justa animadversao do
povo de iVrnarrbuco.
Antecipando a resposta da Reforma, apres?arao-
nos a traascrev.T o trecbo do trtigo de honra da
Faculdade e o Povo -asrignado por ura dos ac-
tuals redactores da Provincia.
Appirece esta Mha logo depois dos tristes
acoatecimentoa de 26 de ibril. Bspeetador raudo
de^sa traiii-eomedu represcntada por agcates da
aatoridade 8 sens apanigaados, tracodia comecada
pelo espancaraento de ura inoro inerme e conclui
da pelo acutilaraen'.o do pjvo quo peJia justiga.
comedia iuieiada pclos modoa conciliadores com
que apre-entou e a aatoridade e eoaclaida pelos
saltos furtaJ >s com que ?c nog u o facto de uraa
prisao em lligranle, que maior sacrificio do qae
esse sili'ncio poderia en, na occa;iio do enraiveci-
do conflicto, fazer a minha posicao de mesiro ?
Quando as victimas e o povo que as cercava, esta-
varn cegos de indignacao, quaado eu proprio nao
me sentia bastante calmo para acoaselbar a calraa
aos outros ?
D3 30 de setembro para ca, dentro de ponco
mais de meio anno, e a segunda voz que, nas ruas
desta fidade, o povo inerme e carrpgado pelas
baionetas. Se ag->ra as victima? nao foram parar
a cadr-ia, houve o progresso de levarse a investi-
das cao so ao ponto da reim io, mas tarabera as
aas circumvisiahas, entrando se ate palas casas,
rindose ate os incautos Iranseantes, corao aeon
teceu a um etraogoiro, que alias pasrava muito
retirado do lugar da reuriiao.
Nao hr: parallelo possivel entra odia 23 de abril
e o de 16 de maio ; entretanto os redactores da
Provincia. entre OS qua-^s se acfaa o protigonista
daquelle dia, o homem que foi preso em lligrante
pelo povo e que a autoridade nao qaiz lomar effej-
tiva e.-sa prisao, sendo por isso proce.vsada pelo
tribunal da relacSo, nao charaam o preiidente da-
quelia epoca de espaldeirador.
A re.-ponsabilidale que cabe ao honrado Sr. Dr.
Lucena p;la sancciio e ezeeaclo que dra a uma
lei provincial que apenas es'.endeu um ponco mais
impostos sobre generos consurnidos na provincia,
pois qu taes impostos ja rxisliam desde o anno
do 183-5, 6 ura acto de honra e da palriotismo.
Se uao basta-se para o presidente a hoarosa so-
lidariedade dus eleitos da provincia, estiriaelle
perfeitamente justificado pelr.s razo-33 de ordera
publica qae determinaram o augmento de=3e ira-
posto.
E:niim e esta uma questsi vencida, e por mais
que se procure desvirtuar a inteusao do legislador,
nao o eoaieguirao certamente.
A honra o a probidade do zeloso aJminislrador
de Pernambuco Lao trm manchas ; e aquellas
quo, abusanio da imprensa anonyma, nao recuam
ante a torpisaima caiuraaia, se se descobrlssem, o
Kblieo voria nelles alguns eonhecidos reprobo3e
_irosos.
P..ra jnstiflcar-se do comp'eto abandono da?
boas regra3 seguidas pelas ripposigoes feitas em
nome das ideas, a Provincia disse :
A politica e como a guerra ; a guerra p?laa
grandes massas de iropas, com 03 cauhoos de cam-
panha, cum a gros.-a artilheria, com to dos os pe-
trechos bellicos de destruicao, nan sempre pode
ser feita, ou quando o pole ser, precisa alguraas
vezes que seja auxiliada pela pequena guerra. 0
Punch pode ser (que blasphemia'i am lutaJor ta
terrivel como o Times. Gavarni, on Ruchefort, o
celebre redactor da Lmlerm, podera ser adver-
saries iguaes a Julio Favre ou Oliver, os oradores
acaderaicc9.
Portanto nao 6 mai3 em nome das id6as do par-
tido liberal que a Provincia escreve ; porque um
partido, em paiz algum do mundo, consideron a
politica como a guerra.
E-to artigo merece uma dotiJa analyse e a fare
mos brevemente.
PI
ILICACOES k PEOiDG,
O JalgrameiKa dos r. Chacons
Sob esta epigraphe ie-se na Provincia de 17 do
corronte uma publicagao contra alguns topicos da
3Qal protestei no dia seguinte por este Diario, nao
ando desde logo as raz<5es demea proceder, por-
qae jnlgaei indispensavel entender-me primeira-
mente com os Srs. acaderaicos Popne e Meira, pe-
lo motivo qae entao roanifestei ; hoje, porem, daia
a entrevista e consnltalas certas notas que n5o ti-
nhaa mio, e que tive demora en obte-la*, venho
desempenhar o compromisso contrabido para com
o pnblfco.
Convidado a defender ante o tribunal do jury de
Igiarassd aos Srs academico Poppe, Joao Fran-
cisco Carneiro da Canoa e escravos do engenbo
d'Agua, deseonhecendo absolutamente o pessoal
de que estara organisado o tribunal, pedi ao pri
meiro daquelles senhores, quo urg.nisando uraa
relagao dos jurados, me*indieasse os que deviam
ser recusados para que soubesse eu quem devia
entrar para a formagao do coarelho de sentence.
Deu-me o Sr. Poppe uma relacao de sessenta e
dons nomes em lugar de qua.'enta e otto, sendo
isto devido a Hr bavido mais de um sort-io e nao
saber aquelle senhor qaaes o. individuos qae de-
tinitivamenle Qcaram compondo o tribunal.
Desses scssenta e dons nomes, am estava indi-
cado com as palavras-Recaso com dutinccao ;
cincocom a palavra-Recnso trinta e c.nco tada
am- dellei eom tres cruzes a es^uerda ; e vinte e
cinco nio estavam designados pjr f6rraa alguraa.
Explicon-me oSr. Poppe as indicacdes, qae loa-
vando-se no Sr. JoSo Fran.'isco Carneiro da Canha,
pozera a margem dos nomes dos juizes de (acto :
a do primeiro era para qae fosse recasado em to-
do o caso; os cinco seguintes Totariam em ssa fa-
rtiemdavida neahuma absolveriam os Srs.
Chacons; os kjota e cm rotiriam en) favor do
mesmo Sr. Poppe, uao sendo earto qae flzessem o
mesrno em Tda^w aos Srs. Gucoo; e os que nao
3Uram desigoados por signal algnm, on nao ti-
Sham comparecid^, on dloao haviam pronunciado
b modo a conhBtfer-se sea voio, nao Bav%ndo to-
davia receio de qtteotassem pela condemnacSo
dos Srs. JoSo francisto, Poppe e eseraros do en-
g-nho d'Agua.
Entre os trinta e um, designoa aiada o Sr. Pop
pe, com uma croz a diraita os nomes de doze |a-
rado3 com quem menos deviam contar os Srs.
Chacons.
No dia do julgaraento, comparecendo apenas
quarenta e dous juizes do facto, e proceden lo se
ao sorteio, flcoa o conselho organisado, entrando-
para elle os Srs Salastiano Duarte da Silva, Ma-
no el Francisco de Arruda Fraga, Franklin Manoef
do Amorim, Jose Cavalcante de Albuquerque Ga-
delha e Possidonio da Rocha Pereira, Isto I, cinco
juizes de facto, que na rala;io de qae acima fallo,
estavam desigoados com tres cruzes a esqnerda e
uma a direita, e que portanto deviam votar em
todo o caso a favor do Sr. Poppe, sendo do name
ro daqoelles qae menos connanga deviam inspirar
aos Srs. Chacons.
Entraram alnda para o conselho os Srs. Manoel
Thome" de Soaza, Benedicto Manoel do Rosario,
Manoel Joaquira Pereira e Joao Vielra de Albu-
querque, designados simplesraente com tres cra-
tes a esquerda, isto 6, sorteados entre os qae vo-
tavam cm favcr dos Srs. Poppe, dnvidando se que
votassera pela absolvicao dos Srs. Chacons.
__ Fiualmente flzeram aiada parte do conselho os
Srs. Vicente Ferreira de Paula, Antonio Francisco
Fortado de Mend va Cavalcante, cujos nomes nao estavam assigoa-
lados na relacao que me transmitlio o Sr. Poppe,
e por consegoiate considerados como Juizes de
quem pelo menos se devia e.-perar justiQa.
Deixaram de tomar parte no supracitado conse-
lho todos os juizes de facto, no caso de serera por
mira recusados, porqaanto recosei ao Sr. Antonio
Gustavo de Lyra Flores, qae tinha a nota -recuso,
com distinccao, e o Sr. Joaquim Francisco de Mel-
lo Cahu, por indicacao do Sr. major Pelro Jose,
amigo do Sr. Joao Francisco, e que na manhi do
dia do julgamento, fora ao hotel em que estava eu
hospedado pedir me recusasse aquelle senhor,
visto como. acabava de ter com elle uraa discassao
na qual verificoa nao poder o masmo Sr. Cihu,
inspirar eonfian;a a causa dos Sr3. Poppe e JoSo
Francisco, sendo tambera recusados p^la promo-
ria os Srs. Damiaa Jose Martins de Oliveira e Joao
Marques de Soaza, e pelo Sr. Dr. Olyrapio Mar-
ques, o Sr. Igaacio da Silva Barreto, todos desig-
nados na relacao pela palavrarecaso,nao sen-
do sorteiados os outros juizes de facto, que esta-
vam era identicis circumstancias.
Assim expostos os factos, pergunto: a quem
devera ou ainda recusar1? Poderei ser accasado
por nao ter recasado os sete individuos que entra-
ram para a rormacaj do :oaselho e que nio esta-
vam na condicao d >s cinco qua enumerei, era pri-
meiro lugar, como fizeado parte do mesrao consa
Iho, aflra le dar assim Ingar a qae entrassera ou-
tros nas mesmas condiooes daquelles cinco? Por
certo que seme'hante pretencao, so seria propria
de algum imbecil.
En primeiro lugar, como acima notei, doze
erain 03 juizes da fact) desigoados com uoa cm?
a direita de seus n:>ra3s; destes cinco entraram
para 0 conselho, como ja disse, pelo que restavam
sete, dos qaaes posso afJlrmar que nSo compare:eu
0 Sr. Eparainondas Vieira da Canha.
Foi recusado pola promotoria 0 Sr. Igoacio Mar
colino Vieira do Amaral, e pelo 3r. Dr. Olympio,
os Sr3. Emilia de Souza Costa e Miguel Ferreira
da Cuoha, restando portanto tres no caso de terera
comparecido os 12, 0 que e provavel nao ter aeon-
tecido, altonlendo-so a que argumeuto, tomando
por base uma li=ta da sessenta e dous nome",
quando no dia do julgaraento so coraparecerara
quarenta e dousjuize3 de facto.
Na diffjreni;a dos vinte que nao compareceram,
pole mai bem ser quo estejam corapreheadldos o's
ires juizes de facto do que acima fallo, c que nio
po9so alfirmor pois, nio lenho prcsente asm cos-
turao lomar nota dos juizes de facto que compare-
cera ao tribunal, quando tenho de fazer alguraa
defeza.
Dado, porem, 0 caso deque estes tre3 individuos
estivessem presentes, sondo eu apenas eucarregad)
de defender os Srs. Poppe e n ;o do accusar os
Srs. Chacons, pois que a accasagao corria por con-
la da promotoria publiea, nio me exp >ria a e-go-
tar 0 nuarero das recusas, repellindo juizes de fac
to que sabia, vuiariam em favor dos raeus consti-
tuintes para dar entrada a outros que condemnas-
sera os Srs. Chacons, porque seria esta uma espa-
da de dous games, podendo muito bem acontecor
que era Ingar dest39 viessem a entrar p^ra 0 con-
selho aquell 's a qaem ea devia recusar.
E nsra s^ diga qua deixei 0 Sr. Olymnio Mar-
ques fazer muitaa recusagoes e qae poderia tor
ijto inilai I; no mode por que flcou orgauisalo 0
conselho, p rTjaanto as dez recusagoos que do Sr.
Olympio Marqaas recahiram todas era pessoas
que estavam n^s mesmas circumstancias daqaellas
que eompozsram o conselho, isto 6, S. S. recusou
0 Sr. Ant'inio Vieir3 de Albuquarquo Monteoegro,
quo na relarao estava sem nota alguma ; recusou
raais os Srs. Joao Manoel Vieira, Joao Theodora
de Albuqieri :e, Jjao Daarte do Espirito Santo,
Manoel Igoacio da Las, Jjaquira Jose da Barros
Moraes Junior e Jose Teixeira da Motla Cavalcante,
quo na relajao linham tres cruze3 a esquerda. e
finalraento 0 Sr. Igaacio da Silva Barreto, q/ie,
como acima disse, estava at caso de ser rec
pjr mim, visto como.na relagao doSr. PoppcMinna
a notarecuso, 0 qae queria dizer favoravel
aos Srs. Chacons.
Do que Cca dito conclue-se, que 0 Sr. Oly npio
recusou um indiv.duo que estava no caso de tres
que entrarararn para 0 conselho, e quo vao por
mim men:ionado3 em ultimo lugar, recusou seis
qae estavam na3 caudicdes de cinco que licaram
no conselho e de quem failo em seguuio ; nio re
cusoa nenhum nas condigoes dos quatro flue, fa-
zendo parto do conselho, sao por mim desigaados
em primeiro logar ; quero dizer, nao rwusou
nenbam daquelles a quem 0 Sr. Poppe considerava
como mais capazes de votar contra 03 Srs. Cha-
cons, e fiaalrnento recusou um que estava nos seus
interesses nio recusar, devendo ser isto feito por
parte do Sr. Poppe
Em materia de recusasoes de Juizes do facto, 0
namero pouco importa ; ao que convem attendar
e corao se teem pronunciado ou como volarao os
que teem de ser recusados.
Conclu3-se do expenlido, que nao ha eXactidao
quando se diz, como foz 0 articuli.-ta da Provin-
cia, que 0 advogado de3 Srs. Chacons organisou
0 conselho com os juizes de facto que Ihe eram
affeicoados ou que pertonciam em politica ao seu
credo.
Tambem, em abono da verdade devo dize-lo,
nao foram somenie os verraelho3 que concorreram
para a absolricio dos Srs. Chacons ; do conseltio
faziara parte pelo menos cinco liberaos, segand<'
as iuforraaQues qae depois colhi, distinguindo-se
entre elles 0 iliustrado professor Possidonio da
Rocha Pereira, apontado por todos como 0 unico
capaz do dirigir 0 conselho nomodo de responder
aos qaesitos quo ihe deviam ser submettidos.
Conclao portanto dizendo que as causas da ab
solvicao dos Srs. Chacons deviam ser procuradas
em outra parte que nio a formacio do conselho
que os julgon.
0 modo por quo me pronuncio nesta publicacao
podera parecor iaconveniente, por conter a reve
lacao de factos qua devera Hear entre mim e 0
Sr. Poppe ; attenda se, porem, a que era indispen-
savel qae cabalmente mostrasse que os va-dadei-
res interess>s da caasa do Sr. Poppe e Joao Fran-
cisco nao correram a revelia e a merce do advo-
gado dos Srs. Cl.acons.
Recife, 2o de novembro do i8"4.
Joao Francisco Teixeira.
clal e o profesor tie Ilnglez
do mesma instituto.
Stulta suporbia rideeUir
ab omnibus.
itwftTV.
Ciifutnnfalorein sua pcena
maneL
1 o. v Idem.
I E chegado 0 tempo de desmascarar-se 0 pro-
rtssor de ioglex do gymnasio, Dr. Felippe Nery
flollago; de dar cabal resposia a celeberrma nota
djes3e professor, cajo extraclo ja foi poblicado
njeste Diario, mas qae trar screveremos da novo,
wHW'de qae possa 0 publlco bem apreciar 0 ca-1
ffccwr dtsse homem -inborn; sua indole tai, son
lalma pequenina e negra, ems instioctos feroe, e 1
rtgn: T. k. Foncwa 4 C. Saceeswrds-1 tairteM Pafe
com 36 abacjchts el oaixa com IS frrw de doce : (ramklirio
para Liverpool, F. J. de Hello Tavares It barrier pin
Set l^talonTlf d:ito?ara 8w*"^ *^ gnjjjj.
Procorar'OoiTeTtei' fit HsclpaFoi-1at -Oredado.
fes e iQlnganles, e ere (fanpor terem os alumnos
;^'<}JM',uV*(,w n*0 #fc^Jmdj por tauto 0 pro-
/w J*"a5 nnhum M- wiis interjlos.
I (wBaroflibs.)
X *Hri.* aalli~ua vld 1 _r- m. pT, No Pa,acho hespanhol Felisa, para 0 R* da omtTjII
litros de agaardeote.
~. No lufc*r,francez Rio Grande, para 0 Havre,
tenha tempo de coneeBtr.ir as snas for^as
para 0 aiaque. 0 mesmo e aprA'fcavel na lula dta-
r fL C0? a^ anfjrml,,ades. Se bm qae a sabapar
nina de Bristol, antagonist*, a r/ae poncas moles-
ti mortaes podem rssistir,leva a eabo a sua
orora cnratlva e regelieradora, ronito mais dVpres-
sa quando ella e asada togo no comeco da moles-
sys'tema111* ^^ ^?.^5r.ofalas (Ia& nJ" !* arrafgado pro-
La mego.
Lisboa.
(Md onde chega sua malevolencia e perversao. u cru*
Depois de historiar suas licencas, 0 que nSo' SEwn^m ?JS oa^,e9 0D a,ac*' os
u? ? n em ,como Pr un> tm^anto sob a sua ma-
glca indaencia ; snecedeado 0 mesow eom as mo-
feslua entaneos, affaccao.do flgado, dos intestinos
^.i'^y8,M*ps'a' evralgia e rheumatismos. Po-
X%T endido, que, quando a lota entre
asucuaades physias e a eufermidade, ehega a
SPD,i1?!e ,or?ar nma ba morte,Uo terrivel qaio davidosa ao pareeer.-
a salsajarrilha de Bristol, pode ainda alslm rj.es-
n ntrf P?Bde/ bataDK t do doente.
.Jr. .Tag, d* nuinandade encontra stmpre
x ^ra aIvagi0 Beste nyeieDic(> u-
*M ao caso, diz :
t .... e tenho a dizer em cansequencia do exa-
nt- que fla sobre 0 estado de adiadUaom dos
aumoos 0 seguinte:
Os alumnos da segunda elasse por mim diri-
gidos era 0 anno ptssado nas rmterias da primei-
ra elasse, nao retogradaram (stultus, nisi quod
ipse facii, nil rectum put.it) e conservam os co*
nhecimenlos qae entao adquiriram eom algum
desenvolvimento mais; porem os da prttneira
elasse estdo extremamente atrazados. Tendo dado
muito pouco da grammatica, 'jtem esse pouco mes-
mo saiem, pois que sendo por mim interrogados
quasi a nenhuma pergnnta responderam. Gym-
nasio, 34 de outnbro|de 1874. O professor, Dr.
Felippe Nery Gollaco. 1
Nao licou alii. Nao saciado ainda 0 rancor do
professor de ingles, nao satisfeito 0 sea orgulho
com esta nota injusta e immoral, como vamos
provar, no seu petulanle e arrogante officio ao
sen chafe, tratando da mesma materia, diz :
a Quanta as providencias que essa regedoria
diz qae esta disposta a tomar para reraediar eate
mat, seja-me permittido dizer que nenhum resul-
ted; pode ja produzir, vislo que vera fora de tem-
po, faltando apenas 4 dias para 0 encerramento
dos trabalbcs lectivos. Se tivessem sido tomadas
opportanaraente, nao teriamos de lamentar este
trisle resultado que traz cmsigo a perda de um
anno para os respectivos alumnos, a de franies
quantias de dinheiro para suas famitias, e 0 que
mats grave e ainda, 0 descredito do gymnasio
(quanto zelo I) pois que nas condicdes em que se
aclii nao e possivel que nenhum Sestet alumnos
possa fazer exame para passar para a 2* elasse,
facto este nunci acontecido nos anns, em que pu-
de reger a minhi cadeira (18) e somenie agora que
por doente me vi obrigado a deixar 0 exercicio
delta.
Saiba agora 0 pulilico qua esses alumnos, de
quera 0 professor Collago diz em sua nota e re
pete em seu olflcio que se achivam extremi-
mente atrazados, que tendo didt muito pouco de
grammatica, nem esse pouco mesmo sabiim, sn-
jeitarara se a exame ua taculdada de direito e
foram approvados todos, exceptuaudo apenas um ;
eumpriado notar que 0 pobresiuho, que foi mat
saecedido em seu exame, pertencia a segunda
elasse, isto 6, dquella dirigida em 0 anno proximo
passado, nas materias de primeira, por elle pro-
fessor, e quo, cftno diz em sua nota de 2i da ou-
tubro proximo passado, coaserrava ainda os mes-
mos conheciinent is qae euuo adquinra; e
iiue do3 approvados dous eram da primeira
elasse, os Srs. Cyridiao Durval e Emilio Arabrosio,
que raatricuJara n-se este anno, e este anno mes-
mo fizeraffl exarae com bora resultado.
E' a isso quo 0 professor de ioglez do gymnasio,
rr. Collar, charaa trisle resultado que traz cm-
Thomar.
Valenca.
Viaima.
Villa do Coode.
Villa Pooea de Afiiiar.
Villa Rul de s. Atto*..
Villa da Peira.
Villa Nova de Car?**.
Vinhaes.
Viten.
Villa Real.
Movimento da Detra.
Mta.
Payal. Funcbal.
Howpanlia.
Badajoz.
Barcellona.
Cadiz.
Ca ceres.
Campinas.
Coruna.
Ferrol.
Madrid.
Orlose.
Padro*.
Pontivedra.
Pneateateaf.
Vigo.
TlTtTA DOS-COHRETORES
Pra^a do Recite, 18 de navem-
kr Oe 187.
AS 3 UORAS DA TARDE.
ootacSbs omciABs
Algoda* de Mossoro sorte 7i330 por 6 kilos.
Algodao do Rio Grande do Norte 1* sorte 7*2UO
por lo kilos, h intern.
Dito-4Plito em pluma, 7*050 por 13 kilos posto
*, a bordo a freto de 7|8 o 5 0|0, hontem.
Algodm ae Aracaty 1- sorte 7*200 por IS
kilos, hontem.
Algdaode Penedo sem inspeceao 6*400 por 15
KllOS.
Assicar Canal 1*250 por 13 ki!o3.
Soros -seccos saigados 543 rs. 0 kilo.
CarSo de pedra (CardilT) 19*600 por tonella-
da, hontem.
Caobio sobre Londres a 90 div. 26 3i8 d. nor
14, hontem.
Dito- sobre dito a 90 d|v. 26 i[2 por 1*000
Canoio sobre Lisboa a 90 d|v. 104 OiO de pre-
mio, hontem.
Oesonto de letras 12 0(0 ao^inno.
B. de Vasconceilos
Presidente.
A P. de Lemos,
Secretario.
ALFANiykua.
'.e3iranto do d a a 27. .
I !..: do dia 2S
768:3383345
33920/572
802.278*917
Duas palavraa eorrectlvaa ao topi
co intitulado exageracao liajn-
latorla, inserldo na Chronica do
jornal politico A Provincia.
As autoridades judiciarias e policiaes deixaram
de comparecer na eslagio desta villa, para cum
primentar 0 tllustre estadista e distincto pornam-
baeano, conselheiro JoSo Alfredo, digno rainistro
do iraperlo, quando aqai passou com de-tun a
eolobia crobanalogica, por nio ser'S. Exc. aqui
esporado, como e sabido, e sim na cidade da
Escada, onde deraorou-se.
Estamos certos de qae, ie S. Exc. resolvesse
honrar essa localidada eom a sua presenca, ainda
mesmo por poucos mementos, as autoridades,
com excepeio de uma outra, que quizesse avivar
a cor politica ad"ersa da actualidade,' iiiam pres
surosas receber ao illustre parlamentar a mes-
mo eoneorferiam para que tivesse alle uma -re-
cepcao condigna eom a posi^So elevada que oe-
cupa e com os honrosos precedentes que 0 en-
nobrecem.
Cabo, m de novembro de 1874.
Uma autoridade.
que
sig-o a perla de um anno para os respectivos
alumnos, a de grander quiitias de dinkelro p in
siias fumilias. e 0 nue mais grave i ainda 0 de$
credito do gymnasio I I .
E' verdade : foi ura trisle resultado, eoncor-
daraos, para o professor da iiiglrt, Dr. Coilaco,
cuja deiicagao ao servi;o publica chega ao ponto
de procurar por todos 03 meius e modos desacro-
ditar a institniyao, donde tem recebido 0 pio ha
18 anuos ; cujo zelo e interesse polo ajroveita-
raenlo da seus alumnos 6 tal, que eonndera trisle
resultado 0 estarem cites habiliiados a prestar exa-
mes e 3erera approvados; cujo amor ao dinheiro
das familias dos mesraos alumnos e tao grands,
que lastima e c< nsidera perdido 0 anno em quo
Szeram olios seas exames na faculdade e colh-'-ram
0 fructo de seus trabalhos I I
E' verdade, e facto e-te 0 de todos os alum-
nos sahirem approvados, com exdmeio apenas do
ura 6 facto este, como diz 0 professor Collago
em seu ollicio ac.i na citado, nunca nronlecido nos
annos em que elle f6tk reger sua cadeira (IS)
somente ag tra que por doente se vio obrigado a
deixar 0 exercicio delta.
Sabe 0 publico quando era qua 0 professor Col-
lago diz que as familias dos educandos poapavam
dinheiro, ecooomisavam ? era quando depois da
dous, tres annos da estudo do inglez, com esse
professor, se qaoriam 03 alumnos su^eiur se a
exame, tinham de ir mitricular-separticularmente
com quem mebnr soubes.-e e easinasse, despen-
denda pe?adas quantias, alem do tempo per-
dido ;
Qnando era qae cs alumnos aproveitavam ? era
qr.ando 0 professor Collago, obrigid; pelo regula
memo a dar duas hor-.s d'aula diarias, corao 0
faziara os outros professores, redotia 0 exercicio
diario de sua cadeira de 3 >, a 20 minutos ; era
ando 03 alumno3 iam pedir por especial favor
ao prof-o33or Tillago, que se dignasse corregir as
provas escriptas a compo-ig5es que faziam, visto
como em virti le di reforma hivida no proce'so
dos exames, exiga se a versao da lingua verna-
cula para a estraagoira, cujo exame se tern de
pre.-lar, ao qae essa orofessor ou nio attendia,
ou quando por muito favor 0 fizia, era isto cou-
sa do dous pu tres dias, para depois abanionar
compietaraente.
Sabe quando era que a aula de inglez do gym-
nasio marcliava maravi hosamente ? era justa-
menta nessa eooca em que 0 professor Collago a
exercia com zelo e dedicaeao tal, que os alumnos
desertavam para estudar com orepetidor e outros
os xteruosdeixavam de estudar no mstitulo
essa diseiplraa, para ir estuda-la em outra parte,
ombora eom 0 raaior dispendio de dinheiro.
Eis qaal d 0 caractor do professor de ioglez Dr.
Co'.lago ; desse homom que, desde 0 priucipio
desta questio com 0 seu chefe, 0 Sr Dr. Carneiro
Monteiro, desde 0 >eu primeiro artigo ate 0 ulti-
mo, tece elle meimo a si proprio os maiores enco-
mios, exalta-se, engrandece-e, emfim tem sempre
andado trepado a^s cornos da lua a thuriferar so,
aQra de ver se consegue com a espessa e negra
furaag 1 da vaidade, do orgulho, e enfatuada igao-
rancia occullar a verdade as vitta? publicas.
Mas e bem certo 0 rtfarjr-o diabo tanlo encobre
ale que a final descobre.
Por mais volt 3 que 0 professor Collago Drocu-
rasse dar a essa questio, no intuito do embair 0
publico e occultar 0 motivo primordial delta -0
seu rel.xamento -, chegou emlim a epoca dos
exames, quando se prova, so os alumnos estuda
ram durante 0 anno ou nao, e com ella 0 dia do
desraascararaento do professor Collago, que 0 teve
corapleto e solemae.
Esse homem quo, para saciar 0 seu rancor con-
tra o seu jhefe, por te-lo chamado a ordem, nao
trepidou mentir em sua nota e officio ; e, 0 que e
mais ainda, nao duvidou tentar prejudicar inno-
centes alumnos (oera disto doea-lha aconsciencia),
3ue nada_tinham com suis questoes, publicando
e antemSo pela impronsa sua3 notas mentiro-as
c injustas no intaito de prevenir 03 examinadores
contra elles, esse homem teve 0 justo castigo de
sen procedimeuto degtadanto no f6liz resultado
dos exames feitos pelos raeimos alumnos na facul-
dade.
Eis ahi qaal e 0 conceito que 0 professor de in-
glez do gymnasio, Dr. Felippe Nery Collago, se
desvanece (como dia "m todos os 9eus artigo.") de
gozar p3o s6 do publico desla ciiado como de todo
0 orbe terraqneo I
Eis como realisou-se a fabula da vibora mor-
dendo na lima.
Por mais dentadas que 0 professor de ingle; do
gymnasio, Dr Collago, tonha dado no seu cliefe, o
illustre Sr. Dr. Carneiro Mcut-iro, nenLuma so 0
offendeu" nem 0 oflfendera.
Agradccemos portanto a e3?e professor 0 acerto
com que escolheu a fabula de '.a Fontaina para
titular todos os seus artigos pela justeza, com que
se app'.ica ao seu caracter e maxime no caso pro-
senM.
Esprits du dornicr ordre,
Quin'etant bons a rien
Cherchez sur tout a mordre
Vtm tout tourmentez vainement.
La Fontaine.
Fez a carapun para sua propria cabega.
0 procedimeuto do mui illustre e digno regador
do gymnasio, Dr. i^arneiro Monteiro, para com 0,
prolatsor de inglez do mesmo instituto, Dr. Colla-
esta plenaraenze justificado pelo desenlace da
Jescarregam bojt 30 de novembro de 1874.
Vapr inglez -^nVI-(esperado) mercadorUs para
alfandega.
Vapr inglez Vanguard raercadorias para
alfandega.
Laar portugoez-CiV/nii-lageamento para 0 tra-
piciic Conceicao, para despachar.
Susaca hesprahola Traviata -viaho para depo-
sit-) no trapicha Barbosa.
Paicho intf*-Georgma -kerosene ja despacha-
do ptra 0 caes do Apollo.
Biica portogkezaVictory-pipas vasias para 0
trapcha da companhia.
Pahabota auericano / Ranger 'arinaa ja
da^iachada para 0 caes do Apoflo.
Lu;re Inglej Bthel Bottom karosene para 0
tranche Conceicao, para despachar.
ILTRACAO IK i'ACTA DOS PRKgoS DOS QENERO!
SJ1SITOS A JIRKITOS DK EXPORTAQ VO, NA MtfAlU
IB 30 Dj NVEMBaO A 5 DE DFZKMIIllO DR 1874.
Assacar macavado 112 rs. o kilo.
Coarot-de l>i seccos saigados 548 rs. o kilo.
Carvaa aamal 100 rs. o kilo,
Alfatdega de Pernarabuco, 28 de novembro de
1874.
0 r*'tc-nfrente-A. C. de Pinho Borges.
0 1 wnfrentoFrancisco das Chagas Galvao.
Appnyo. Alfandega do Pernambuco, 28 de
njveanrcye 1874.
.4 i v, Servindo de inspector,
"*?> Pedro Lopes Rodrigues.
com 23,100 kilos e 4,683 dltos de ossos.
No navio nacional Marinho X, para o Rio da
I .ata, carregou : A. Loyo 611 barricas com 59,874
kilos de assucar branco e 60 ditas com 7,608 ditoi
de ditoroascavado. i
Na barca nacionaF Claudia, para o Rio da!
Praia, carregou : Amorirai Irmaos & C. 50 barris '
com'4,800 litros de aguardente.
. So brifue hespanhoi Principe, para o Rio
da Ptata, carregon : M. L. Paes Barreto -TOO bar-
ricas com 57,923 kilos de assucar branco.
Para os portos do interior.
Para Porto- Alegre, no Ingar portugoea Lai a,.
carregou: J. Goncalves da Costa 5,200 cocoa
(frut)ac. -og
Para-o Rio Grande do Sul, na e3cuoa nacio-
nal Cysne, earregou : Amorim frmSos k C. 250
barricas com 27,172 kilos de assacar branco.
Para a Bahia, no vapor naeional Para, ear-'
regou : Albino J; da Cruz 2 barrieas eom 60 aba-
cachis.
. Para o Para, no vapor nacional Bahia, car-'
\lcJ '** Beltrao & Fdb0 m barricas com rt !_
4,888 kilos de assucar branco; J. C; do Rego Va-1 UODaiiajlllia TademniSa'IflPa
ienca 1 caixa eom 15 dltos de doce : para o Cea-1 ^*""t *"/u J^"uoium ra, J. a. Silva Araujo 100 barricas com 8,019 Ii2 : Q() Porto
duos da assucar branco : para o Maranbio, J. J. I ^. ^.t ., J .
G. Beltrao & Filho40dltas com 3,002 ditosdo1 CAPITAL 2.000:000^000.
Mo -' para o Para, 1. d Goncalves 400'ditas com 77,onwz *> Agnnw Fvtceca k C, twetmtim
30,943 ditos de dito. |
Para a Parahyba, na barcaca S. Benedicto,
carregou : J. Soares Neves 1 barril com 96 litros
de aguardente e 1 caixa com 16 kilos de doce. t
Para o Rio de Janeiro, no hiate nacional Ri-
val, carregou : A P Baltar 200 saccos com 15,000!
kilos de assucar branco.
CAPATAZIA DA ALPANDKGA
Readimento do dia i'a 27. 12:738^245
Ilsoi do dU 28 ..... 527i565
Seguro conlra-fogo
LIVERPOOL d LONDONd GLO
INSURANCE COIPiMT
LAUNDERS BROTH ERSd C.
11Corpo Santo11
13:263^810
VOLUMB8 SAH1DCS
No dia 2 a 27......
No dh 2o. ...... a
Pranetra poni.....
Segaada porta .....
Te/eeira porta .....
r vpicfe CcnceicSo ...
29,942
75
apmtm.
Esta ccnap^nhia toma s^guros marrtimos e ter-
restres, dando nestes o .eptimo anno tratfe aosi -
garados.
Rmu do Vf~H M. |f>.
nipiutn%I~ALUiici
i^uros maritimes e terree-
tres estabelecida na Bahia
em 15 de Janeiro em 1870.
CAPITAL 4,000:POO|>000.
Toma seguro de mercadorias e rlinhniio '
uco maritimo em navio d>: vela e Ml
25' aara dentro e f6ra do imperio, assim
01
304
372
30,748
SERVigO MARITIMO
i*jrngas descarregadas no trapicba da
alfandega.
Vo dia 2 a 27.....
"Jo dia 28.......
f-o trapicte Coticeicao .
SO
lC3BED0RL\ DS RENDAS LNTiRNAS GE-
RAE3 DE PERNAMDUCi
tsMimer.to do dia 2 a 27 56:08U993
isra do dia 28..... 5;178;'67
61:260546)
CONSULADO PROVINCIA t.
.-.:iiio do dia 2 a 27.
dru do dia
RECIFE DRAINAGE
\endimanto do dia 2 a 27. .
'dera do dia 28......
113:8215-83
1:938^714
1KJ: 759*797
39:44 U36D
1:181*250
40:622*819
AGENCIAS PROVINCIAES
Liquidos espiriluosos.
^endimento de 2 a 26 5:574*755
idem do dia 27 *
I-:ajnrtaclo.
Patio nacional Fernandas I, entrado do Rio-
Grand lo Sul era 28 Io corrente, e cansignado a
'ereir
larueiro, M oa & C, manifestou
co, esta pienamenta justificado pelo
queaiao o ter chamado & regra do tent viver
esse professor relapso, o tel-o feito cohibir se em. 0ESPAC3|S DEJEXPORTACAO
sent excesses de furor semeando a sizania, a del.
ordem no estabelecimento, nao se pejando de era-
pregar a maior parte do tempo do sua aula em
Cou s seccos 29.
Graxem bexigas 6,360 kilos.
Xinjo 143,520 kilos a ordem.
Barctportugaeza Victoria, entrala do Rio de
Jau'eirqto misinadata e consiganaia a Jose da Sil-
va Lo>& Filtao, manlfestou:
Barrns vasias 1,2 ;0 a ilanoel Francisco Mar-
ques, ?i a RoJrigues & Martina, 1,400 e 200 di-
tas met-a Baltar, Oliveira & C, 90 in ?ias a An-
tonio m Furtado.
CaiefU) saccos a Alfredo Alves & C, 60 a or-
dem. |
Pipajvatias 160 a Tito Livio Soares, 143 a An-
tonio L|z.je Oliveira Azevedo.
Barcajmleza Jane Maria, entrala de Liverpool
na mesia data e consiguada a Johnston Pater &
C, luaneitcu:
Arrodil saccos a ordera. Arcos de ferro 40
feixes a)'.o B hres, 435 a S. P. Johnston AmostrJJ volumes a ordem.
Barrila'2d tambores a FernanJes da Costa &
C. Baristda ferro 1,140 feixes a S. P. Johnston
k C. Bjttdy 40 c.iixa3 a Ptiipps Brothers & C.
Biscouto7 caixas aos inesmo3.
CerveioO barricas a ordem, 23 a Laio Richa
A C, 2dj Phipps Brothers k C. Corrente do fer
ro 2 baifcas a Hawkes & C. Cadiuho 4 barricas
a S. P. mnston & C. Cavada grelada 10 barri-
cas a orJn. Carvao de pedra 20 toneladas aos
consignarios, 110 a ordem, 100, 6 quintaes e 1
quarto aVilson Rowe k C. Coke 14 toneladas e
14 quiutb aos consignatarios.
Eixos (ferro 2 a S. P. Johnson le C. Enxada
I'j barri a Hawkes k C. Estopa 10 fardos a
Mills La m k Q. -
Fio 1 rdo a S. P. Johnston & Companhia.
Ferragei 1 barrica a Antonio dos Santos Oli-
veira, 2 doreira Halliday & C, 2 volumes a Otto
Bohre>, a S. P. Johnston & C, 5 a Hawkes &
C, 6 a A erto B. Gh'ewy. Folha le Fiandres 150
caixas :. P. Johnston & C. Fogareiros 260 aos
mesmos. 'onnas para assucar 50 aos consigoa
tarios.
Lenjo de chambo 12 a S. P. Johnston & C,
Lona 2 f os a Monhard Mettler k C. Lou?a 140
gigas ao >Dsignatarbs.
Madic. eutos 7 a P. Maurer & C. Machinis-
mos 37 praes a S. P. Johnston & C.
Object >ara gaz 833 volumes a Simpson & C.
Oojectos 'ersos 2 caixas aos consignatarios. Oleo
de linha( 0 barris a Phipps Brothers & C, 30
a ordem, a Rodrigues Irmao 4 GuiraarSes, 10
a A. Cao
Pregos I barris a Hawkes 4 j C, 45 a S. P.
Johnston C.
Tacha a ferro 15 a S. P. Johnston & C, 10 a
Cardoso Marlins. Tecido de algodao 5 fardes
aos coos alarios.
Varoe: e cobre 6 feixes a Antonio dos Santos
Oliveira. idros 4 barricas a Hawkes 4 C.
Patach nglez Ethel Bolton, entrado de New-
York na sma data e eonslgnado a Henry Fos-
ter & C, nifeston:
Arreio caixa a Joao do Rego Lima.
! Brea 1 barncas a Pernandes da Costa & C.
Banha 24 arris aoi mesraos 200 a Souza Bastos
4 C, I Of. Leao Rocha 4 '., 50 aos consignata-
rios. Ba ran abatidas 1,300 volume: aos consig-
natarios.
Candle perteocM 1 caixa aos mesraos.
Fructa n conserva 5 caixas aos raesmos. Fa-
rfnha de :o 528 barricas aos mesraos.
KeroM 2,000 caixas aos masrnos, 300 4 or-
dem, 500 Souza Bastos 4 C
Madeh e pinho 40,303 pe! aos eonsignatarlos.
Mosqulte 1 caixa aos mesraos.
Papet nnhrulbo 1,000 resmas aos mosmos.
Tecido a algodSo azul 5 caixas a Olinto Jardun
AC.
^endimento de 2
'dam do dia 27
Bacalhao. etc.
a 26 4:5685088
62*932
Generos
Sendiraento de 2 a 26
rdem do dia 27
de estiva.
4:934*501
286*776
Sendimento
Idem do dia 27
Farinha do trigo, etc
de 2 a 26 5:938*192
\endimento da 2
dern do dia 27
Fnmo, etc.
a 26 3:593*515
466*281
5:574S75o
4.63l;00
5 -22U277
5:938*192
. ccmc
eontra fogo sobre predios, generos fa-
ondas.
Agents : Joaqnim Jos^ Goa^alvea Beltrio,
ua do Ccmmercio n. 5. 1 andar.
Aogasto F." d'UivHia k C.
A casa commercial o bancaria de Aagusto
\i d'Oliveira & C, & rua do Conraercio ns
3 42, encarrega-se de execur,ao de onfcns
2 j para embarque de pro-Lirtos e de todos o-
55 mais negocios de commissao, quercoinm r-
:iaes, quor bancarios.
Decenta luttras, e toma dinheiro a pre-
nio, coirpra can.biaes, e saca i vista e a
tazo, a voutade do tomador, sobre as -
,'uintes pra^as estrangeirss e nacionacs :
Londa'cs. Sobre o n bask op
LONDON, 0 LONDON AND HANSEAT1C DA.". X,
limited, e varias rasas de 1 elasse.
l*ria. Sobro os banqueiros rooLit
; & C, MARCUARD ANDRE & C. e A. BLkCQCE,
VIGNAL & C.
Bambitrgo. S(jbrc os Sri. jolo
SCHD BACK & F1LH S.
Lisboa. Subre os Srs. fonsecas.
SANTOS & VIANNA, e SEBASTllO JOSS DS
ABF.EC.
Porto. Sobre o banco uniao do f
0 Sr. iOAQUIM PINTO DA TONSECA.
Para. Sobre o banco coicmercu-
do parX, e os Srs. francisco gaudencio na
gosta & f;lhos.
Murau'iSo. Sobre'o Sr. jost FEa-
tErRA DA SILVA junior.
ESalaia. Sobre os Srs. mariniios 4 :.
Rao I Janeiro. Sobro o banj.o
ndustriai. e mercantil, banco nacional e
SAN'JUE NUULBMR Fr.AN^AISF..
Se-ila-f;>ira '49 1 correute
Stxla-Lira 20 do currc-nte
l$MENT( M m

Vinagre, etc.
tendimento de 2 a 26 l:581*0i*
dern do dia 27
23*962
1:604*070
27:030*0.0
Thesouro provincial de Pernambuco, 28
ie novembro de 1874.
0 escrivao,
J. CM. da Silva Santos.
GUROS
MARITIMOS
COOTRAE0 FOGO.
i companhia Iudemnisadora, estabelecida
iesta praja, toma seguros maritimos sobrt
tavios e seus carregaraentos e contra fog<
a edificios, mercadorias e mobilias: ci
ua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Navio* enln ilos no dia is.
Buenos-Ayres 23 dias, ^U;^laca he-psnWa .1/ r-
| celina, de 205 t.nelada*, eapilio Marcelmo S.-,-
4:059*796; nol, equij agora 12, cm laslro; a BelLrao i
! i'llho.
* Baliia-16 dias, patacho brasdsin Firn.nJo I, u i
173, lonetaias, eapitio S. llunos, equi;anen> '.
carga 143,320 kilos de carne ; a Beltrio & '
Liverpool45 dias, barca ingleza Am Maria, i
341 tonela-las, capitao John Jones, eqaipajm
11, carga varios geaeros; a J >hast >? Pater A IL
11 o de Janeiio -18 dias, barci portuguesa IV' -
ria, de 459 toneladas, wnitio Antonio Jr-a in-m
dos Santc?, eqnipagom 14, carga varios gen< -
res ; a Loyo & Filho.
New-York-62 dias, patacho iogl-.i Ethel Bolter.
de 264 tcn:ladas, capilao Suarae. eqoipagem <-.
carga varies g.ueros ; a II -nry Forstor 4 C
Liverpool-29 djas, baxca iogl-za Lusa. ae 240 '(
neladas, capitao W. \\'e\ month, equipagem M ,
carga orv io ; a JuhnstJo Paler A C.
Pottos do Sol -5 1)2 dias, vapor inglez Douro, it
1,785 toneladas, cimmandante Ti.waits, qm.1 >
item 110, carga diff.rents* generos: a Adam?- 1
lluwie & C.
' Nuvios sahidos no mesmo dia.
Rio da PraiaLugar he-pauhol llumoteo III, c:
pitao G. Marittany, carga asaaear e ontrcs gi
neTos.
Portos do Norte -Vapor brasUtiro Bahia, I
mandante Is teoente Waddiogtoj, carga asMci:
a outros grneros.
Southampton e foi tos interme lios Vapor in^l z
Douro, commandant* TnwaitJ, cargt a mesm;.
que' trouxe dos portos do sol.
NO DIA 27 Dfc
OUTTJBRO DK 187*.
iPars ot portot do exterior.
No ?or inglez Douro, para Londres, car-
SEGUROS
Hritimo e caaira-fogo
COMPANHIA
Phenix Pernambucana.
RtA DO COMMERCIO N. 84.
Banco Commercial de Braga.
Surge Tasss.
37Rua do Amorim37
Saca qnalqoer quantia a praxo ou a vista so-
bre este Banco ou ?nas respectivas agencias nas
leguintes cidades e villas de Portugal, ilbas adjv
centes e Hespanha, a saber:
Portugal


TAf
'*
Agueda.
Araarante.
Anadia.
Arcos.
Aveiro.
Arco de Baulhe em Ca-
beceiras de Bastos.
Barca.
Barcollos.
Beja.
Carainha.
Chaves.
Castello Branco.
Coimbra.
Castro Daire.
Coara.
Covilha.
Esposende.
Elvas
Estremoz.
velho.
Melgaco.
Malhada.
MiranJella.
Montemor o
Mosfao.
Oliveira de Aremeis.
Ovar.
Peoattel.
PorfAlegre.
I'iohel.
Ponte de Lima.
Portimao.
Porto.
Povoa do Varxim.
Povoa de Lanhoso
svgoa.
Silves.
Santo Thyrto.
Tavira.
Torres Noraa.

2* secc.So. Secretaria da presidencia <
Pernarabuco, em 27 de novembro de 1874. V
esta secretaria se fas pablico, de confbrnsidade
o sriigo 11 do decreto n. 817, de 30 Je ag>>tj d
1831, o edit:.! abaixo transenpto, pond) em con
enrso, com o praxo da 60 dias, a crvcntia vitalic.
dos olBctos de partidor c contadir do.lersnodt
Serinhicm, 0 secretario, Jouo Diniz Ribeii
Cunha.
0 Dr. Angusto Egydio de Castro Josos, juiz muni-
cipal e de orpbaos da villa de Seriatiem e sec
t-rmo, da comarca de Rio Formoso, e provincia
da Pernambuco, nor S. M. o Imperador, a qnm
Deus guardef etc.
F..co saber qne se acha em concurso pela ter
ceira vez, com o prato de 60 dias, contados 8a
data destc- edital, os offlcios ann?xos de partidor e
contador deste juiio. vagos pela d.'sistescia qa
des mesmo; fez sen serveutuario : os coocurresut
deverao apresentar-se haliilitalos, na coiiformida-
de do decreto n. 81>de 30 de agrsto de 1851, e 5
de Janeiro de 1871.
E para que chegae ao conheciraen'.o de toaM,
mando que este seja afflxado no I ;gar mais pu-
blico desti vdla, remettendo se eopia para a seere
taria do govorno da provincia.
Dado e paesado nesU villa de SoriahJeat, terau
da sobrediu comarca e pro incia, aos II de no-
vembro de 1874. Eu, Malhias de Albnqnerss*
Mello, escrivSo, o rscrevl. Augnsto Egyiio 4t
Castro Jesus. t onfo^n^ o origioal afflxado wo
dia e era supra. 0 e.-csiTi"., Matkita a&h-
querque Velio.
8EULA8AC0IS.
Pelo ccnsulado provincial se lax |
no dia 30 do corrente Snda-se o prajo
Exra. Sr. presidente da provinda, pars Jf
' cxeeurio os arts. 78 e 79 do regalamMlo ie t **

_
.1
sin


Diario do Pemambuoo Domingo 29 de Novembro do 1874.
bril ultimo, que determraam que os generos im-1
jlortados de ouiras provincias por via terrestre
everio ter acompanhados para prova de sua pro-
cedencia, de uma gaia do proprietario, e por elle
assignada, da qaal conste declaradamente o laugr
d'onde vem os generos, qnaes sejam elles, a quan-
tidade dos volumes., marca delles e o nome do
conductor, devendo essa guia ser apro-entada pelo
conductor na primeira collectoria que Gear na di-
reccio ou proximidade de sea trensito, do pouto
da procedeacia a esta cidade, para que seja com
o visto do fiscal ou collector, auttaenticada a mes-
roa procedencia, sem o que sera o genero conside-
rado produccao da provincia, e nenhuma outre
prova podera snpprir essa falta.
Coosulado provincial de Pernambuco, 25 de no-
vembro de 1874.
0 administrador,
________Antonio Carneiro Machado Rios.
0 administrador da recebedoria de rendas
internas gerae.-, pelo preseule avisa as pessoas,
constantes da relacao abaixo transcripta, nmas
por morarem fere da cidada, e outras por se ig-
norer a residencia, que tendo sido multadas em
vtrtude dos arts. 33 e 35 pela iofraccio do art 21
do regulamento n. V835 da 1 de deiemb ro de
1871, devera vir realisar o pagamento da multa
que lb.es foi imposts, no prazo de 30 dias, contados
da publicacao deste, nos jornaes desta cidade, sob
pena de se procedor a cobraoca executiva.
Recebedoria de Pernambuco, 28 de novembro de
1874.
Manoel .Carneiro de Souza Lacerda.
Relacao a que se refere o edital supra.
Candida Covalcante de Miranda Vare-
jao, ignore-se a residencia, mulla-
oa em 10,000
Caelano de Cirvalno de Mendonca Va-
reiao, moredor em Afogados, mul-
ttdo em IOjOOO
Candida LoureBca de Lima, residen-
nos Remedios, multada em IOOjOOO
i .mbelloa de Carvalbo Miranda Vare-
jao, residente em Afogados, multa- IAHrtnn
da em 10 r, 000
Panlinode Carvalho Miranda Varejao,
residente em Afogados, muttado em 10^000
Franeisea Moreira Keis iLobo, residen- ,.,.,.
te na Casa Forte, multada em lO.ooo
Amelia Maria da Rocha, residente em
Ponte de UcbAa, multada em ________WWW
SANTA CASA DA M1SER1C0RDIA DO
RECIFE.
A HIma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
najsala de suas sessoes,o dia 18 de novembro,pe-
las 3 noras da tarde, tern de ser arremaudas
quem mais vantagens offereeer, pele tempo de um
a trea annos, as rendas dos predios em seguida
declarados.
ESTABELECIMENTO DE CARIDADE.
vjdal de Negreiros.
Casa terrea n. 94.......301*006
Rua larga do Rosario.
1? andare loia n 24 A fechada 310*000
1 andar n. 24idem. '.....408*2
3/ andar n. 54 A idem 2o 1*000
Rua de Antonio Henriques.
Casa terrea n. 26 99*000
Largo da Campina.
Idem n 11 (fechada). idem. 120*000
Rua do Coronel Suassuna
i andar do sobrado numero 94 386*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Rua do Commercio
Sobradon. 30.......800*000
Rua da Moeda.
Casa terrea n. 21 fechada).. 400*000
Becco das Boias.
Casa terrea n. 18.......421*000
Rua da Lapa.
Casa terrea n. 11.......202*000
Rua do Amorim.
Sobrado de 2 andares n. 23 602*000
Casa terrea n. 34......2*000
Ruar do Bugos.
Casa terrea n. 21.......153*000
Rua do Vigario.
V andar do sobrado n. 27fechada 243*000
! andar do raesmo idem .' 240*000
Loja do mesmo fechada.....300*000
Rua do Encantamonto.
Sobrado de 2 andares n. 13 (fechada). 1:400*000
Rua da Senzalla velha
Idem n. 16........209*000
Rua da Guia.
- Casa terrea n. 25.....
Idem n. 29 ...
Rua da Cru:.
Sobrado de 2 andare3n. 12 (fechada).
Idem n. 14.........
Una de S. Jorge
Casa terrea n. 103......
Os preter denies deverao aprasentar
e annnidades, que o podem fazer, visto achar-se
prorogado o recebimento ate o flm do corrente
mez.
Consulado provincial, 18 de novembro de
1874.
0 administrador, -
Antonio C. Machado Rios.
Pelo thesouro provincial se manda fazer pa
blico para queru interessar possa, que vio no
vameote a praca no dia 10 do mez proximo via-
douro, perante a junta do mesmo thesouro a
obra da ponte de Moes sobre o rio Tapacura na
estrada da Victoria, orcada em 1:485*; e obra
do concerto do quartel do corpo de policia orca-
da em 897S820.
Secretaria do thesouro provincial de Peroam-
bnco, 28 de novembro de 1874.
0 secrelario,
_______________Miguel Affonso Ferreire.
Thomaz de Aquino Fonceca & C.
Successore?
sobre as seguintei
taccam por todos os vapores,
pracas :
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Visea.
Guarda.
Coimbra.
Guimaraes
Rio de Janeiro.
Na rua do Vigario n. 19.____
companjua perrambucaha
DB
Mavecacao coflra a vapor.
Maceio, escalas, Ptfaedo e Aracaiu'.
0 vapor Mandahu,
commandante Mariano
seguira para os por-
tos acima no dia 30
do corrente mez, as 5
horas da tarde.
Recebe carga ate o dia 28. encommendas, di-
nheiro a Crete e passagens ate as 2 boras da tar-
de do dia da sahida : Mcriptorio no Forte do
Mattos n. II.__________________________
Companhln alliancw maririma
portnenao
Eropreza de navega^fio entre o Brasil e Pot
tugal
PARA 0 PORTO
Barca portugueia Joven Adelaide, a sabir com a
maxima brevidade, recebe carga e passageiros ia
tratar com os seus consignatarios Jose da Sirva
Loyo 4 Fifho.______ '
Regoa.
Chaves.
Villa-Flor.
Mirandella.
Alijo.
Favaios.
Braganca.
Lamego.
Couipaiilria aiuencaoa c
de paqnetes a vapor
No dia 1 de deztmbro
e esperado dos portos
do sul o vapor ameri-
cano Merrimack, com
mandante S1 oc a m,
oqual depots da da
more do costume seguira pare New-York cotf es
Pelo thesouro provincial se faz pnblico pare cala pelo Para e S. Thumaz.
.__ _____- .. _._ -. .. I hadmnnta *t ltV4B
quem interessar possa, qne vai novamente a pra-
ca no dia 3 do mez proximo vindonro, perante a
junta do mesmo thesouro, a obra do empedra-
mento do primeiro e segundo lanjos da estrada
de Pa I mares orcada em 11880*.
Secretaria do thesouro provincial de Pernambu-
co, 28 de novembro de 1874.
o secretario,
Miguel Affonso Ferreira.
Para passagens traU-se com os agentes
Henry Forster A C
8 Rua do Commercio 8
313, com 40 palmos de frente e 260 de fundo, con-
tendo alicerce para uma casa.
Os Srs. pretendentes podem desde ja examinar
os referidos bens, e para qaalqaer esclarecimento
de que precisarem, a roa do Marqnez de Olinda n.
37, escriptono do referido agente, se dara.
Grande
IiSIIi&Q
Monte-pio dos honorarios do
exercito.
Os senhores socios sao convidados a comparece-
rem domiogo 29,|pel as 10 horas do dia, em o so-
brado n. 83,3* andar, da rua do Imperador. Pede-
se o comparecimento de todos, visto ter de se
tratar de medidas em relagao a sessao de ins-
tallacao.
"Recife, 26 de novembro de 1874.
0 1* secretario,
Silva.
Estrada de ferro do Recife ao
S. Francisco
Pelo presente sao convidados os Srs. accionistas
desta companhia a virem ao escriptorio da estacao
das Cinco Pontas receber o 22 dividend) concer-
nente ao semestre de Janeiro.a junho d te anno.
Villa do Cabo, 26 de novembro de 1874.
G. 0. Mann
Superintendente.
Companhia Fidelidaie
Seguros maritimos e terrestres
A agencia desta companhia toma seguros man-
timos e terrestres, a premios razoaveis, dando nos
ultimos o solo livre, e o set mo anno gratuitj ao
Uganda
Fcliciano Jose Gomes,
Agente. ________
Libras esterlinas.
Vendem Augusto F. d%i-
veira & C.
Roa do Commercio q 48.
Companhia pernambneana.
Porto do Aracaty.
A carga que de boje em diante for embarcda
nos vapores da Compauhia Pernambneana om
destino 10 porto do Aracaty, sera entregue naci
dade do mesmo nome, sendo transportada da hr-
ra, (onde os vapores costumam fundear), em In-
cbas de propriedade da mesma companhia, in e-
pendents de qualquer exigencia de pagameto
por este service.
Da mesma f6rma sera transportada a caja
que for embarcada no porto do Aracaty pra
qnaesquer oulros portos da escala.
Recife, 16 de novembro de 1874.___________
Para o Macdo
Pretende seguir com mnita brevidade o paka-
bote nacional Joven Arthur, recebe carga e ps-
sageiros : a tratar com o seu consigaatario Azo-
nio Luiz de Oliveira Azevedo, a rua do Bom Jeus
n. 57.______
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o brrue
Isabeljiem parte de seu carregamento engajao :
para o resto que Ihe falta, trata-se coin o seu on-
signatario Aotonio Luiz de Oliveira Azevedo, ua
do Bom Jeus n. 57.
209*0(H
201*000
800*000
600*00(i
207*000
no acto da
as suas flancas, on comparecerera
s dos respectivos Oadores, devendc
irenda, o promio da qaar.tia ere
o predio que contiver e?taboleci-
<*!, assim como o servico da lim
arremat
acornpan
pagar ale
que for sej,
mento com
peza e prc~c
Secretai ia
cife, 17 de sstembro d- 1874.
0 e.*crivao,
T-edro Rodrigius de Sovsa,
apparelJio:.
ma Casa daJMisariscrcua do 3s
Pelo thesouro provincial se msnda fazer pu-
blico, que vao novamente a praca perante a jun-
ta do mesT.o thesouro, no dia 3 de dezembro pro-
ximo vindouro, as arremataijoes seguintes :
Obra da bomba do Fragoso, orcada em 840*027,
e a obra da ponte de Moes, no rio Tapacura, na
estrada da Victoria, orcada em 1:483*000.
Secretaria do thesouro provincial de Pernambu-
co, em 23 de Novembro de 1874.
0 secretario,
Miguel Affonso Ferreira
Monte J?io j-'ortusmez em
CWiftRjE'iO
Relac;3o das cartas* que deixaram de seguir
a seus destinos por falta de franquia
A. J. Gomes Netto, Antonio Correia, Antonio
Jose de Brito, Domingos Fraucisco Rios, Francisco
Sales Mendonca Silva Carvalho, Francisco Xayier
Ferreira, Joaquim Antonio 'ieira da Silva, Joa-
quim Jose Marques Guimaraes, JoSo Mendes de
Araujo, Jose Bis Barreio, Maria Segundo, Maria
Thereza, Manoel de Cerqueira Pinto, MaBoel Na-
nes Parreira. Phereza de Jesus Minhava, Theotonio
Augusto de Lima.
Correio de Pernambuco, 27 de novembro
de 1874.
0 encarregado da expedigao,
A. II. de Araujo Pernambuco.
Costa d'Africa
Segue da Bahia em 30 deste mez, para o polo
de Onnim, na Costa d'Africa, a barca portuguza
Josephina, tendo bons commodos parapassageipa
Para Lisboa
vai sahir com muita brevidade o lugrs portugtez
Julio, e recebe carga e passageiros: rata-se om
os consignatarios Thomaz de Aquino Fnceca 6u .
Successores, a rua do Vigario n. 19.
DE
bons raoveis, crystaes, louca de porcelana,
1 faqueiro de prata de lei, pegas dobra-
das, objectos de electro-plate, e outros
muitos objectos em perfeito estado, e i
carro americano de 4 rodas, com pouco
uso.
<|uinta-feira 21 de tlczeiuhro^
as If 1|* horas
no sitio da povoacab do Caxanga
A saber:
Sala de visita.
Um piano de jacaranda, do fabricante Acbroder,
1 rica mobilia de faia, a medalbao, composta de 1
sofa, 12 cadelras de guarnicao, 2 ditas de bracos,
2 ditas de balanco, 2 comolos com tampo de pe-
dra, 1 cadeira de rCsca, 1 porta-charntos, pares
de esearradeiras, 4 pares de iarros riquissimos, 2
ricas serpentinas de electro-plate, pares de lanter-
nas. bolas de vidro, tapetes grandes e pequenos,
descancos de pes, porta-cartas de pedra, diversos
quadras symbolicos, 1 candelabra de electro-plate
para 6 luzes.
i quarto.
Uma cama de jacaranda, em perfeito estado, 1
rica toilette de jacaranda, com tampo de pedra e
espelho, 1 toacador de mogno, com pedra, 1 lava-
torio e pertencas, 1 bidet, 1 perta-agua e 4 cabi-
des de faia.
2 quarto.
Uma cama de ferro. com molla, que serve de
cadeir?, 1 gaarda vestidos de amarello, 2 cadeiras
de balanco, 2 ditas de ferro, 1 banquinha de ama-
rello, 1 cabide e 1 cama para crianca.
3 quarto.
Uma commoda de amarello, 1 lavatorio e per
tencas, 1 cama de ferro, 6 cadeiras de guarn cio e
2 cadeiras de balanco.
Sala dejantar.
Um guarda-louca de raiz de amarello, 2 apara-
dores, 1 mesa elaslica, 1 rica caiza de charao, pa-
ra cba, 1 apparelho de porcelana tina para cha, 1
dito dito para jantar, 4 garrafas de crystal para
vinho, 1 fructeira de crystal, 2 ditas de electro-pla-
te, 3 pares de compoteiras, calices para vinho, di-
to s para champagne, copos, galheteiros de electro-
plate, 1 sofa de palha, 6 cadeiras de dita, 2 cadei-
ras de balanco de dita, 1 frncteira de pedra, 1 re-
logio de parede e despertador, e cadeiras avulsas.
Cozinha.
Um armario de cedro, 1 mesa de amarello, I
jarra de barro da Bahia, deposito para gaz, 1 fo-
gareiro e diversos trens de cozinha. e outros mui-
tos outros artigos domosticos, que se acbam pa-
tentes no dia do leilao.
Tendo de madar de residencia o Sr. Joao Anto
nio Monteiro, por sua ordera fare leilao o agente
Pinho Burges, dos moveis e mais artigos acima
mencionados, nacasa em que re^idia na povoacao
de Cazanga.
Os referidos moveis e objectos sao recommenda-
veis por serem de gosto e pouco usados.
0 mesmo agente avisa aos concurrents que de-
pois do leilao bavera uma companhia de ganha-
dores para facilitar os transportes de seus lotes.
A's 10 \\i horas da manha partira nm trem es-
presso que conduzira gratis os conenrrentes.
0- leilao principiara logo que chegue o trem..
AVISOS DVEBSOS
CASA DA FORMA.
AOS 4:000*000.
BILBETES GARANTIDOS.
4' rua Primeiro de Marco (outr'ora rua do
Cretpo) n. tS e casas do costume.
0 abaixo assignado, tendo vendido nos seas fe-
lixet bilhetes um meio n. 679 com 4:000*000, am
meio n. 3284 com 200*000, um meio n. 2652 com
100*, am meio n. 186 com 100$ e outras sortes de
40* e 20* da loteria que se acaboa de extre-
hir (126*), convida aos possuidores a virem re-
ceber na conformidade do co:tume sem descon-
to algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantidos
da 13* parte das lotenas a beneficio do colle
gio dos orpbaos e orphas (127'), que se eztrahi-
ra sabbado, 5 do mez vindouro.
PltEi^OS,
Bilhete inteiro 4*000
Meio bilhete 2*000
Em porrao de loo.* para clma
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*750
Manoel Martins Fiuza.
A VINO
Jose Antonio Domiagues de Figneredo, proprie-
tario da fabrica de cigarros do becco Largo n. 1,
o. 1 A, e a. 2, avisa aos consnmidores de seas ci
garros que madou sua offieina de cigarros do n.
2 para o 1* andar do n. 1 e n. 1 A, por ter de en-
trar em obra o de n. 2 ; faz este aviso pare al-
guem nio julgar o conlrario, e seas fregaeres B-
carem seienfes de que so occupa as dnas lojas dos
ns. acima, e o 1 andar do mesmo predio.
II
PliNII MAMATJCA
Domingo 29 do corrente.
Beneficio do actor Ponies
l-iltio A C.
Subira a scena o applaulido drama em 2 ac-
tos de Camillo Castello Branco, intitulado :

Segue-se a scena comica pelo beneficiado
.iuslip de
se a scena comic:
On T>rt^-. /-l-,n -+JT^Vtrvn Iminio e P058e 'los terrenos ae mariona.sus no
or. oeilLO UOb punUUIlUo. j Caes do Ramos, e aforados pcrpetuamentt a con-
Terminara o espectaculo com a muito jocosa selheiro Felippe_ Lopes Netto, terrenos av|iad;s
Quarto e
Ultimo leilao
DOS
bens e dividas pertencentes a" raassa i'lllida
de Rostron Rook & C.
SEGUNDA-FEIRA 30 DO CORRBifE
&s 11 horas da manha
Em o 1 andar do sobrado da rua do lirquez
de Olinda n. 37.
0 agente Dias, levara pela 4* e ultima vex*leilao,
por despacho do lllm. Sr. Dr. juiz especiaHi com-
mercio, no dia o bora acima indicados, fftens e
dividas pertencentes a massa fallida deRistron
Rook & C
Os rtireitos que teem os referidos fallidisio do-
los terrenos de marioha,s\s no-
comedia em 1 acto
0 caixeiro da taverna.
Principiara as 5 1|2 horas.
Pernambuco
* -= ^-
Tendo fallecido no dia 1 do cor-
rente, em Portugal, o noaso presti-
moso consocio Francisco Moreira
Pinto Barbosa, a directoria deste
pio estabelecimento manda resar
uma missa por sua alma, na igre-
ja de S. Francisco, no dia 30 (se
gunda-feira) trigesimo dia do seu passamento,
pelas 7 1|2 horas da manha, para cujo acto con-
vido a todos os socio3, assim come ao= parentes e
amigos do fall'cido, para que comparecam no dia^
e bora acima indicados, a este acto de caridade.
Secretaria do Monte Pio Portuguez, 26 de no-
vembro de 1874.
0 1 secretario,
A. da Mai a Pessoa.
COMPANHIA
DO
BEBERIBE.
O Sr. orbeniano de Aquino Fonseca,
caiza da companhia do Beberibe, acha-
se autorisado a pagar no seu escripto-
rio & rua do Vigario Tenorio n. 19, das 10
boras a's. 3 da tarde, o 53 dividendo desta
companhia findo em 31 de outubro do
corrente anno, na proporcSb de 3JMJ00 por
apolice: previne-se aos Srs. accionistas
qne o pagamento sera" realisado em moeda
de cobre.
Escriptorio da companhia do Beberibe,
14 de novembro de 1974.
0 secretario,
Luiz Manoel Rodrigues Valenca.
Consuiad provincial.
Pelo consulado provincial, faz-se pnblico aos
respectivos cootribuintes, que do 1. de dezembro
vindonro por diante comeca a correr o prazo dos
30 dias nteis, mareados no art 34 do reg. de
17 de junbo de 1873, para a cobranca do primei-
ro semestfe de decima orbana e de 5 0|0 sobre
bens de mao morta, no corrente ezercicio de
1874 a 1875, incorrendo na multa de 6 Om.
aqoelles dos contribnintes que nao satisfizerem
nesse prazo os sens debitos.
Consalado provincial, 27 de novembro de 1874
0 administrador,
Antonio Cameir" Machado Rios.
CONSULADO PROVINCIAL
De codI jrmt.ij.!: bi -a portariii d Sr inspec-
tor do thp>oHio r* vin.i seJeof.ua aos contri-
bnintes qos .'. .Talmar o pagamt-nto d?
seas det>itos devidosa c^iiipaiihia-R-cife Draina-
ge no semestre findo em junuo de 1873, pelos
apparelho?, d fferenca dos mesmos, encanamentos
:s
todos em 56:6245600. "
0 direito que teem n'uma casa e sitio n,' largo
da igreja da Torre, tendo a frente pwai norte
com 200 palmos, e o fundo para o sul bud 00, fi-
cando entre o sitio do Sr. Gaatier e a p-opiedade
da familia do Barao do Rio Formoso, a'al'da por
3:0001000. '
E as dividas na importancia de 273:427p2.
O mandado em o qaal se achim dtscptos os
devedores corn as respectivas quantias t d|as dos
vencimentos dos titulos, e todos 09 imistsclare-
cimentos precisos, acbase em poder do agfe, on
de desde ja podc ser esaminado pelos Srs ireten-
denies.
um
Santo Antonio
Terga-feira 1. de dezembro.
Grande e potuposo espectaculo
em beneficio da actriz
Isabel Maria Candida
Depois que a orchestra tiver tocado uma de
suas escolhidas pecas, subira a scena a alta co-
media em 3 sctos :
64141114 D4H D4U4S
Tomam parte os artistas Flavio e sua senhora,
Aogusto Cesar, Ayrosa, Penante e a beneficiada.
Terminara o espectacuio com a comedia em 1
acto :
4 coslureira.
Sendo esta a primeira recorre ao favor da proteccao do pnblico, sem- ras'de gQarnic3o 4 arcatifa Para sala, 1
pre generoso e solicit o em animar a arte, espera { ^ de parede i etager de ja
rftie sua festa seja concorrida, protesUndo desde
ja a sua gratidao.
NOVISSI.MO
DE
piano de jacaranda, moveis, br;a e
mais artigos
TERCA-FEIRA 1 DE DEZEMB
A's 1 i horas da manh
Em o 1 andar do sobrado da rua do Ma aez de
Olinda n. 64.
0 agente Dias, competenlemente aator do por
uma familia que mudou de residencia, vara a
leilao, no dia e hora acima indicados, os oveis e
mais artigos que abaixo se mencionan
A saber:
Um piano de jac}randa, 1 mesa elastica i ama-
rello, 1 armario de dito, envidracado, 1 j ineira
de jaqueira, 2 bancas de dita, para jogo, cadei-
rome-
eira, 1
aparador de amarello, 12 quadros com oldura
dourada, 2 banguetas, 1 dita com tampo pedr,
para pe de cama, 1 optima cama de fe > com
colchao, 1 machina para costura, 1 qua iheira,
1 lavatorio de amarello, i guarJa roup; e dito,
1 consolo, tampo de pedra, guarnicoes p lava-
torio, algnma loaca, camas de ferro e Ion e mui-
tos outros artigos pertencentes a casa del ilia.
OITerece-se am homem para feitor de sitio,
com habilitacdes bastantes de agricultare, com a
vantagem de saber tratar de parreira com perfei-
cao : a tratar na rua da Concordia n. 27, armaem
de materiaes.____________________________
CASA DO OURO
Aos 4:000^000
Bilhetes garantidos
Rua do Barao da Victoria (outr'ora Nova
n. 50, e casa do costume
Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga-
rantidos da 13' parte da loteria a beneficio do
collegio dos orphaos e orphas, que se ezlrahira
ao dia sabbado, 5 do mez vindouro,
Preens
Inteiro 4*000
Meio 2*000
De 1009000 para clma,
Inteiro 3*500
Meio 1*750
Recife, 28 de novembro de 1874.
Joao Joaauim da Costa Leiti
- n__| i__ Precisa-se de uma ama que lave
a JM Im e engc mine : na rua do Coronel
Lamenha, outr'ora Prazeres, junto a casa dos
dous leSes, casa de azulejo.
L1VR0S NOYOS
DO
Rio de Janeiro
Chegados pelo vapor Balm.
Verne (Y) Cinco semanas em balS) 12 2*000
a Viagem ao cfntro da terra 12 2*000
Viagem ao redor do mundo 12
Filhos do capitao Grant, 3 vols. 12 61000
Terra das pelles 12 t000
c Da terra a lua 12 2*000
c Aventuras de 5 russos e 3 ingiezes
encadernado 3*000
i Uma cidade floetaante 2i00O
Aleocar- Gaerra dos mascates, 2 roh. 41600
NabucoManual pratico dos advogados,
2 vols. encadernados 15*000
Idem Assessor forense (criminal) ene. 8*000
Silva Junior Nevo regimento de enstas
jadiciarias. annotado, br. I *0<)O
CaroalaFormulario de despach'.s e sen-
tencas no eivel, conmereio, juizo
de orphaoe e ausentes, provedo-
ria e crime, e de algous proces-
sos que eorrsm nos mesmes jui-
zos, e do de medicio ds terras
pelo juiz commissario, eoe. 3*000
Elemento servil formulario das accoes,
encadernado 3*000
Rodrigues Cons a Has juridicrs, 2 vols.
encadernados 10*000
MettermayerMateria-criminal, enc. lOtOOO
Castilhoj Antonio Ferreira, 3 vols. 18*
encadernados 9*000
a Antonio Ferreira, 3 vols. 8* enc 151000
PertellaCurso pratico de pedagogia, 8* 5*000
CordeiroCompeodio de pedagogia, 18* 3*000
AlencarAo correr da penna, 18* 3*000
0 neto de Faublas, 3 vols. 18* 5*000
Silva-Carlos (romance) 18" SJOOi)
Novo manual eoiatoiar ou arte de escre-
ver1874, enc. ltOt)
EscrichA perdiijao da mulher, 8 vols. 8*00<>
Odorico Mendesllliaia de lloraero, fc* :] On
Pinto Coelao Advogado (rabala) enc. 3*500
Livraria popular
Rua Kova n. SO
DE
JOIAS
No dia 3 de dezembro proximo, se fara leilao por
intervencao do agente Martins, de todos cs penho
res constantes das cautelas seguintes, visto ter
se Undo o prazo das transaccoes e seas donos nio
as reformarem.
A saber:
N. 1502, 1503, 1S65, 1583, 1784, 1835, 1868,
1916, 2030, 209i, 2095, 2192, 2254, 2256, 2282,
z342, 2397, 2436. 2448, 2458, 2481, 2617, 2712,
2737, 2738, 2750, 2799, 2802, 2807, 2867, 2871,
28%, 2929, 2945, 2972, 2987, 3007, 3023, 3034,
3037, 3045, 3060, 3065, 3076, 3093, 3096, 3110.
3149, 3151, 3174, 3175, 3185, 3190, 3193, 3194,
3195, 3197, 3205, 3206, 3207, 3211, 3213, 3218,
322't. 3223, 3227, 3234, 3235, 3242, 32*0, 3251,1-
3.'54, 3260, 3262, 3265, 3273, 3277, 3280, 3285,
3z>8, 3293, 3298, 3300, 3304, 3309, 3312, 3318,
3320, 3321, 3326, 3327, 3334, 3339, 3341, 3354,
3338, 3366, 3373, 3384, 3394, 3397, 3399, 3406,
3410, 3415, 3419, 3432, 3444, 3460, 3468, 3480,
3493, 3500, 3508, 3517, 3527, 3529, 2533, 3553,
3556. 3572, 3379, 3589, 3596. A' travessa da rua
do Duque de Caxias n. 2, l" andar, podendo d>-
tas cautelas serem reformadas, pagando o premio,
ou resgatadas ate o bater do martello.
Precisa-se de um*escravo de meia idide para
servico de sitio : na rua do Marquez de Olinda
n. 18.
Ama Precisa se de uma ama para Cozinhar
J\llldi para casa ,je f.-imilia de tres p
a entender-se na rua do Cabuga n. 3, loja soasl-
lar de Ouro.
Preclsa-se de uma ama que cozinhe e com-
pre : na rua da Concordia n. 43^____________
Ama Precisa-se de uma Sma que saiba en-
^xillai gommar com perfeicao para casa de fa-
milia : a rua Duque de Caxias n. 91.
Precisa-se alugar umaescrava para vender
na rua : a tratar na rua do Cabuga n. 3, 2* andar
Precisa se de uma ama para cozinhar : na
ravessa do Corpo Santo n. 25.
Precisa se de uma ama escrara de boa con-
ducta, para todo o servico de uma casa estran-
geira de pouca familia : a tratar na ma da Auro-
ar *. 139
L
\ma
Precisa-se de uma ama para
cozinhar e faztr algumas com-
praj: na rua da Senzala-nova
o. 30.
Ama Precisa-se de uma, prefere-se eser&va,
/Villa qUe sajfca cozinhar e eogommar, para
casa de duas pessoa?, paga-se bem". na rua do
Amorim n. 43.
AMA
de mai : a rua
Precisa se de uma mulher
de bons costumes, para tra-
tar de dnas meninas orpbas
Duque de Caxias n. 54
Precisa-se de uma ama que saiba co-
zinhar, preferindose escrava : a rua
do Duque de Caxias n. 43, primeiro andar.
AMA
Ama
LEILAO
Apparicfio e desapparic.8o de uma menina
de 14 annos, que bebe, come e falls com
o espectiidor.
0 professor Gris d'Appremont tem a honra de
participar ao respeitavel pnblico desta cidade, que: DE
sue essa verdadeira maravilba, que agradou ex-, ymik caga terrea em sant'Anna.
LEILAO
traordinariameute nio so f m Franga e na Allema
nha, como na Italia, e ontros paizes onde tem
estado. As familias nao devem perder a occasiao
de ver obiecto tao enrioso.
RUA DA IMPERATRIZ N. 1
Entrada liOOO por pessoa, e 500 rs por
crianca.
*V(SUS MARfTfMOS.
Uma pequena dita em a rua do Coronel ^ssooa.
Um terreno de marinba na rua Imperial.
Quarta-feira \" de dezembrd
A's 11 horas da mai a
Em a rua do Marquez de Olinda n. 37, andar.
A SABER :
0 agente Dias, eompetenteraente autorjdo, le
vara a leilao, no d'a e hora acimi ind'cai ana
casa terrea edificada em terreno renc a, em
Sant'Anna, segunda de gradil e portao de ro na
_ # t oani Anna, ?enuuu,i uo firauii o portao at ~o "*
Red! COHiPaDDia 06 DaOOeleS ID" frente, depois da estacao desse raesmo me,
wvui '"F""u,u r T qnal tem 3 salas de frentp, 1 para jantai qua r
glezes a vapor.
No dia 28 do corrente espera-se dos portos do
sol o vapor ingl^z Douro, commandante Twaites,
o qual depois da demora do costume, seguira para
Southampton, tocando nos portos de S. Vicente e
Lisboa.
Para passagens. frdtes, etc., trata-se na agencia
rua do Commercio n. 40.
tos, grande cozinha guarnncida de azoleb >m ja
nellas em ambos osoitoes, I i> rtn e 4 j; las de
frente E*n casa qne po-Mi.- plcfancia de*. p
completami-nM nova n falta ilw speaai idnlbo
de dnas salas e pintura. /
Uma pequena casa terrea edificada pep' > pro-
prio, em a rua do Coronel Suassuna Imga Au-
gusta), n. 223, com 2 salas e 2 quarto '
Um terreno de marinha na'rua Im la!, sob n.
MHT1UH
DE
snovcls, lino crystal, louca e ob-
jectos da electro-plate -
Stxta feira 4 de dezembro
Seado:
Sala de visita
Um piano forte, ama mobilia de jacarauda, com
1 sofa, 2 consolos com pedra, 2 cadeirss d- bra-
cos e 12 de guamiQao, qaadros enm finas gravu-
ras, lancas e cortinados, veneziaDas, 6 cadeiras de
balanco, 2 mesas de sofa, 2 ditas redondas, e eslei-
ras forro das salas e quartos, 2 consolos de jaca-
randa ccm pedras.
fSala de jantar
Uma mesa elastica, I guarda louca, 1 apparador
de armario, 2 ditos torneados, I guarda comida
de arame, 2 cadeiras de balanco, i relogio, 12
de guarnijao, i tapete de coco, 1 (lltro, 1 appare
Iho de louga para jantar, 1 dito para cha, 1 dito
para sobre mesa, 1 apparelho de electro-plate, 6
duzias de collieres, 3 duzias de facas cabos de mar-
fim, garfos de metal, 1 galhetoiro, copos, calices,
garrafas, compoteiras," bandejas, toalhas de mesa e
guardanapos de linho, um relogio, e t cabide para
cbapeos.
Quartos
Uma cama franceza, uma dita de bronze para
2 pessoas, 1 dita de ferro parasolteiros, commodas
mesas redondas, mesas com gavetas, guardas ron-
pas, espelhos, lavatorios, cabides, cadeiras, e qua-
dros.
Cosinba e dispensa
Mesas de pinho, flandres, poles, trem de cosinha
e outros objectos.
A 1 HORA EM PONTO
Vender-se-ha tambem am rico guarda roupa
com espelho na porta do meio, 1 magniflco toilet
e 1 bom lavatorio ccm tampo de pedra, tado de
mogno massico e em optirao estalo de con3erva-
cao.
Sevta-feira 4 de dezembro
POR INl'ERVENgAO DO AGENTE PINTO
Na Passagens da Magdalena, casa junto a pon-
te grande, em que moravam os empregados da ca-
sa commercial de Phipps Brothers & C.\
As 10 horas e 15 minntos partira da estacao da
rua do Brum am bonds que conduzira gratis os
concorrentes do leilao.
0 leilao principiara as 10 e meia ho
a
Precisa-se de uma ama que saiba co-
zinhar com perfeicao, para casa de fa-
rua Duque de Caxias n. 91.
COLLEGIO FRANCEZ
DZ
]Novo leilao
DAS
armaches, moveis, drogas e mais utensilios
existentes em a botica denorainada Popu-
lar, sita em a rua da Iraperatriz n. 71,
pertencentes a massa fallida de Gongalves
Fialbo d C.
Vuiiita feira 10 de dezembro
A'S 11 HORAS DA MANH>
0 agente Dia-, eompetenteraente autorisado pe-
lo lllm. Sr. Or. juiz especial do commercio, levara
novamentp a ioii*i.c~''3ia e hora acima indicados,
aannacot!s, r3>ivii, drjgas e mai" uten-ilu-S'-xis-
ten'esem o refcri-11 estaVleeim^nto.
0 manlado cinteod'.i ti d^s os psclareeimenttis
preei.'Os atba-se t-in poi'ir ao mesmo agente, onde
pMe desde ja ser examinado pelos Srs. pretenden
tes.
S. LUIZ
DIRIGIDO POR
Madame Louise, Irma Adour
Rua de Fernandes Vieira n. 2, na
ultima estacao dos bonds
Madame Louise Irma Adour, educada era Paris,
avisa aos Illms. Srs. pais de familia, que vai abnr
no dia 10 do Janeiro de 1875, um collegio para o
ensino do sexo- feminine
Madame Louise Irma Adour, durante sete annos
esteve no engenho Limoeiro, educando as filhas do
Exm. Sr. barao da Escada, e durante. doas annos
as do Exm. Sr. barao do Aracagi.
0 collegio e muito bem collocado, tem um sitio
bastante grande, e agua encanada para os banhos.
Os ramos de ensino sao :
Iostruccao religiosa, leitura, cailigraphia, arith-
metica, historia, geographia e desecho, lingua na-
cional, lingua franceza, lingua ingleza, mnsica e
piano, canto e danca ; e bem assim todos os traba-
Ihos manuaes, proprios de uma senhora, como :
bordados, crochet, etc.,etc. A lingua qne se falla
diariamente no interior do collegio, e a franceza.
A pensao para as internas pelo anno escolastico
e de 400J, as meia-pensionista9 pelo anno escolas-
tico e de 240/, as externas pelo anno eseolaslico e
de 120/, pagos idiarftados por trimestrcs.
As licoes de piano e de ingles, serao pagas em
separado, sendo 10? por mez pelo piano, e 5S000
por mez pelo inglez. Para iratar, na rua de Fer-
nandes Vieira n. 2, na ultima estacao dos bonds.
Alugi
a-se
a casa de azulejo, na rua da Alegria n. 8, com
bons commodos para familia : a tratar na rua da
Sanla Cruz n. 7._________________________
Monteiro
Aluga-se por festa ou anno a casa qae foi do
fallecido Castodio, alta e bastante fresca, com por-
tao de ferro na frente e peqaeno terraco ao lado,
alguns arvoredos de fructo e portao qae da sahida
para o rio, a qual se'acha pintada e em estado de
ser occupada sem mais despeza : a tratar na rua
Duque de Caxias, loja n. 70, ou rua do Hospicio
numero 46.
Aluga-se a casa da rua do Visconde de Pe-
lotas, antiga rua do Aragio n. 18, com 2 salas, 4
quartos, corredor spparado, cozinha, bom quintal,
portao, e mais um quarto no quintal : a tratar na
rua da Punte-Velba n. 20, das 6 boras da manba
as 9 em diante, na roa do Commercio n. 18, a tra-
tar com o pr iprietaro Domingos Pereira do Lagos.
Aloga-se
o armazem da rua dos Burgos d. 11, e o I.* andar
do mesmo sobrado, assim como um quarto da rna
d> Sanzafla Velha. (Recco Tapado) e uma ouira
casa na travessa do Monteiro, em Santo Antonio,
n. 2 : a tratar na ma da Praia n. 20, com Jose
Feliciano Nazarrih.
Uma eoziuheira franceza
que falla 6 allemao e entende o portuguez, se offe-
reee para casa de familia : a tratar no hotel Al
lianca, rua do Commercio n. 11.
c
Troves.
Vende-se traves de louro e qualidade ; pipe
ver no caes do Ramos, e trata-se com Joaquim
Rodrignes Tavares de Mello, a praca do Corpo
Santo n. 17, I.* andar.
Sal do Assu.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo, a bordo do. palhabote Johen Arltkr : a
tratar com o capitac a bordo, on no sen escrip-
torio. a rua dn Rom Jesus n 57.
E' pechincha.
A 160 rs.
Lazinbas de cores, padroes muito lindos prc-
prios pare vestidos de senhoras e meninas, e ven-
de-se pelo diminuto preco de 160 rs. o covad ,
por este preco so se encontra na rua do Crespo n.
20, loja de Gnilhezme At C ; dao se amostras.
E' boQito
As alraofadas bordadas de la matlsadas qua re-
cebeu a Nova Enperanra, a rua Deque ie
Caxias | '*''
E' com as noivas
A NOVA ESPERAXCA, rua Duque de Caxias n.
36, acaba de receber boa' meias da seda propriu
P3ra noivas. e os apreeiavei? ramos de larangeira
Sao de listras
LSzinhas a 940 rs. o covad*.
S6 o 43QueimadoS JUNTO A LOJA DA MAGNOLIA.
Lazinhas de li.-tras, gosio< a prus.-iana, fazenda
muito linda a 200 rs o covado.
Aproveitem antes que se acabem.
Dao-se amostras com penlu r.
Pernambuco Reading Club.
A reading will take placs at Mr Siirun 5* hovi--
on Monday 30 th. inst to commerce at a quart?:
to eight. By order of the committee.
James Morsden,
II. n. sec.
Dividas da massa fallida <}*
Bernardino Pinto Coelho
0 abaixo assipnajo tendo a remata lo em hSSla
publica, por mandado do l!lm. Sr. Dr. juii do
roercio, as dividas cn-i.-.ntes da referida massa.
roga pelopiestuu a t.ujs os devedores a virem i
mandarom pagar, a na estreita do Rosario ns.
7, padaria, no prazo de 30 dins, flndos os fMSl
procedera judicialmeote.
Recife, 27 de noveatbre de 1874.
_____Jeronymo ^algado de Castro Guimarae*.
Quem precisar de urr.a boa ama do leile r
de dirigirse a rua da Unfao n. 35
CttLVDO.
Precisa se de um eriado pari trabalhar em u^
sitio e andar com eatHMji : a tratar na rua de
Mar;o n. 4, loja.
Permuta-se
por uma carroga qne esteja em bom estado, um
carro de 4 ro ia- taoibem em bom estado : na rua
de D. Maria Cesar n. 4.
Precisa-se de ana pira cozinhar
mazem Bahza, rua J i Livram^nto n. 38.
no ar-
SAiiSAPimmHiWna
DE
BRISTOL
m

-
-
CL'RA OS CASOS MAIS DF.SESPERAIX&
A SAFSAPARRILHA DE BRISTOL pun-
fica a massa do sangue, expelle para fdra
todas as materias e fezes viciosas e impuras,
regula todas as secre^oes, da* vitalidade e
energia a todos os orgaos e di for$a e vi-
gor ao systema afim de poder melhor resis-
tir a todos os ataques da enfermidade. P
pois este um remedio constitutional. Elk
nunca distroe afim de poder curar ; porena
constantementeasswteanafiireaa. Portanto
em todas as doencas cns(tfucioni< eemto-
das as molestias locoes dependente d'um e#-
tado vicioso e imperfeito do systema em gt-
ral, achar-se-ha que a SALSAPARRiLHa M
Bristol e um remedio seguro e efficassissi-
mo, possuindo inestimaveis e incontestaveta
vrtudes.
As curas milagrosas de
ItecrdTutas,
HJlscras,!
Chaff as antiga*,
ENFERMIDADES SYPHJLITfCAS
ERYSIPEUS,
RHEUMATISMO,
NEVRALGIAS,
ESCORBUTO,
ETC.,ETC., ETC.,
que tem grangeado e dado o alto reuome
Salsaparrilha de Bristol
por todas as panes do universo, sao ti.
mente devidas a
UHICA LEG1TTMA t ORIGnUL
Salsaparrilha de Bristol
PHARMAaA GHK1KAL





*
1
i
Diario dd Pernambuoo Domingo 29 de Novembro de. 1874.
XAROPE DE CHLORAL
DE FOLLET
Pharmaceutlco d Paris
is preciozas propriedadeS de coaoaat. tem vivamente
captivado a attencao das pessoas scientificas e dos medi-
cos, quo n5o cessam de utilisar sua virtude nos cazos
difficcis contra os quaes se n3o conhecia athe esta data
nenhum meio de accao efficaz.
0 srir Dumas ha pouco tempo se exprimiu nos seguintes
termos, na Academiit das sciencias : Duas substancias
approximativas, o chloroform!o e o chloral, que na
epoca de sua descoberta foram o assumpte de muito
profundos e serios estudos, no puro interesse da scien-
cia abstracta e das theorias chimicas, tomaram em
i seguida parte entre as preciozos agentes da therapeu-
tica : o chloroforraio para a chirurgia, e 0 chloral para
a medecina.
0 Snr Folio' tendo montado unia fabrica para a prepa-
racao tao delicada de chloral, garante a pureza absoluta
do seu producto, e para facilitar o emprego d*este mara-
vilhoso, medicamento, preparau una Xarope de chlorar,
que content :
uma gramma de chloral em unia colher de sopa.
0 XAROPE DE CHLORAL. DE FOLLET', na
dose ordinaria de unia a duas colheres de sopa procura
e facilila aos doentes urn somno tranquillo e restaurador
que lhe faz experimentar um grande allivio, restilue-lhe as
forcas e o animo pcrdido e ajuda enormemejjte a reac-
c5o, sem nunca provocar nenlium d'esses accidcntes tantas
e tio repetidas vezes produzidos pelo emprego dos opios.
E'em consequencia d'estas propricdades eminentemente
sedativas que o XAROPE DE CHLORAL DE
FOLLET, e sempre empregado com grande successo
nos cazos d'insomnia*, neuralgias diversas, gotta, rheu-
matismos, enchaquecas, asthma, bronchites, phtisica,
colicashepdticas ououtras, earner, eclampsia, te'tanot, etc.,
e em geral, em todos os cazos em que uma dor aguda
accarrcta a falta de somno.
Durante o cerco de Paris, o Snr douctor Beranger-
Feraud, chefe do servico dos feridos no Val-de-Grace,
publicou, no Boletim therapetttico uma serie de observacSes
sobre os resultados obtidos com o chloral que o Snr
Follet, linha postoadisposicSo do dito hospital; os feridos
reclamavam o seu emprego com instancia.
0 Snr douctor Lecacheur, que muito se occupou do
emprego do chloral (ou hydrate de chloral) em therapeu-
tica, publicou sobre este assumpto um trabalho notavel
do qual passamos a dar um extracto :
t 0 somno t um dos primeiros e mais constantes effeitos, produzi-
c dos pelo hydrate chloral; principia sempre em geral am quarto de
f hora ou meia hora depois de se ter administrado o medicamento.
c 0 somno 6 profundo e analogo ao somno normal; n3o i pertur-
bado por sonbos, e nSo e acompanhado nem de excitacSo psychic*
f nem Uo pouco de agitaciomusculares... 0 despertar se opera sem
< accidentes desagradaveu. Geralmente os doentes, nao se queixam
i de dores de estomago, nem de peto de cabeca, nem de cephalgia
t como acontece a maior parte das vezes com o emprego dos opios.
Alem do que com o opio torna-se indispensavel elevar progrcs-
< sivamente as dozes para que seus mesmos effeitos se continuem a
c produzir e ja o mesmo nao acontece com o hydrate de chloral, i
Para a gotta, o emprego e accao do chloral so torn a ex-
tremamonte prccioza, assim como o senor Bergeret de
Saint-Leger o demonstra pela observacao segunite :
t Um doente estarode cama havia ja um mez, rettido por um atta-
( que de gotta, e durante oito dias nao pode dormir, ainda que ex-
c tenuado pela dor, insomnias e rigornza dieta; tudo fazia prefer
f noites tcrriveis : administrou-sc-llie do uma so vei duas grammas
< de chloral dissolvido em agua com assucar; e dez minutos depois
o doente adormoceu, e o somno durou trez horas; A incia noite des-
c pertou-se sem dores de cabeca e em um estado de contentamento
f indescriptivel, depois adormeceu de noto para todo o resto da
noite.
t Desde enlio continua com o uzo do chloral, t as ancias atrozes
c dolorozas bem como as contrac(Oes dos musculos cessaram.
0 chloral tem tambem uma accao notavel sobre a tosse
que canca tanto os doentes atacados de constipates ou
de bronchites.
0 senor douctor Offret, depois de ter citado em suas
memorias algums cazos de curas rapidas pelo chloral,
accreseenta :
c Podcria citar ainda varias outras observacSes feitas com indivi-
duos aitacados de tuberculos pulmunares, em diuerentes graus,
t de bronchites chronicas e agudas.
c Esles doentes eitenuados pela tosse, prirados a maior parte* das
t vezes de um somno tranquillo, encontrtram no uzo do chloral um
< grande allivio. quando mesmo a morphina nao tenha produzido 0
t menor eiteilo, Os sudres abondantes que opprimem todos os phthi-
c sicos me pareceram dirainuir sob a inllucncia d'este medicamento;
f a tosse se tem constantcmente apaziguado por uma maneira muito
sensivel.
Os jornaes de medecina e resumos scientificos tem
publicado, os fesultados obtidos pelo emprego de chloral
pclos Snr* douclores : Richardson Bergeret de Saint-
Leger Brodbury Richard Beranger Feraud
Liebreich Westphal Meyer Bardeleben Lan-
genbeck Virchow DieulafoyKrishaber Demar-
quay Gubler Jastrowitz LiegeoisHauriac
Marjolin Handl Bouchut Giraldes Verneuil
Simpson Lambert Tarnier, etc., etc.
0 XAROPE DE CHLORAL DE FOLLET e
pois destinado a prestar servicos importantes todas as
vezes que se trata de calmar uma dor dando ao doente
um somno reparador.
AVISO. Afim de evitar as falsificacoes ou imitacoes
que podem ser preparadas com um pro-
ducto, pouco puro, deve-se exigir sobre
coda frasco a etiquetta de quatro cores ^
tendo a assignatura.
Uma instruccao minucioza acompanha cada frasco.
Preco de frasco : 3 francos.
Attencao.
\luga-se uma casa com sotlo, na rua da Boa
Hora n. 6, em Olinda : a tratar at rua dos Gua*
rarapes a. 10. on em Olinda, no Varadouro n. 4.
0 padre Pranciseo Alves de Abrantes convida
aos parentes e arafgos do flaado coramendador
Jose Pires Ferreira, para no dia de dezembro,
pelas 7 !|2 hora* d manna, assbtirem a missa,
que pela alma do mesmo finado, tern de c^lebrar
no rer.olhJmcpti de V flj f,\ ,rj,;
l)r. Alexandre de S-uza Peretra do
Carmo.
Um aaiigo do finado Dr. Pereira d Cirmo man-
da resar uma mi?a pelo eterno repouso de >na
alma, na igreja da Grata, na Captinga, sabbadj 28
do corrontf, as 8 imras da inaulia.
Frecisa-se de um caixeiro com alguma pra-
tica de taverna : do pateo da Santa Cruz n. 11
CAPSl'LAS D'ETHEIlOIi DE CHLORAL DE FOLLET
Estas capsulas, redondas, e do tennanho de uma er-
vilha. encerram uma dissolucao de chloral em ether. Sob
esta forma o chloral pode ser administrado as pessoas mais
difficeis, o savor do medicamento e complectamente nullo.
Cada capsula con torn approximadamentelo centigrammas
de chloral. A dose regular e de 4 a 6 capsulas, que se
devem engollir rapidamente com algumas colhares de
agua pura.
Preco de frasco : 3 francos.
Par* a Teada por attacado dirlglr-se a ca do Snr L. FBERE, S, rna Jacob, em Parla
HM

AS PASTILHAS DE BETHAN
CurSo as molostias da sargatita, rouqiilduos, erop das criaiE^ng, ansinai, sosrlsuo, ulcerar>5e9,
e InflnmmacoCH da bocva. Purifican o Iialito, deftroem a tri'aSa^'iso prcvoridii pelo I'umo e curSo os
cffeiios perniriosos iio iiicrenrio sobre rofcsorcs, oradores e
caiiCoseM. porquo facilnan a eiBiiHMao la voz.
Paris, em ca*a ulaeiJ
.;.: -. -.-.._
C0ALTA1
DESINFECTANTE, ANTI-MIASMATICO, CICATRIZANDO AS CHAGAS.
Adoptado pelos hospitaes de Parix e pelos da Marinha mlitnr franceza.
Esse exccllenle tonico possuo uma efficacia verdadeiramente maravilhosa nos ulceras gangre-
nosas e esvrofutosas, nos cancros ulcerartos, no anthrax, naotorrhea purulenta, na ozena, no
crup, feridas pelas armas de fogo, enfermidades do utero, etc., etc.
Emprega-se, mrzelado com mais ou menos agua, em chumacos, locoes, injecofies, gargansmos.
Como dentifricio ordinario (uma colnerada das de cha n'um quarlo de copo d'agua) e muilo espe-
cialmenle effioaz para puriGcar o bafo, sanar as gengivas doentet e toniar iirmes o
dentes escacnadoi. ___
0 seu uso e muito hygienico, sobretudo em tempos d epidemia.
Uma noticia circumstanciada vae com cada frasco. Exiga-se a firma do inventor.
Fabrica em Eayonna (Franca), em casa do Sr. LE BEUF, Pharmaceutico de P classe.
Depositos: Paris, 25, rua Reaumur; Pernambuoo, A. REGORD onde se encontra tambem a
Xknulcao de Alcatrao vegetal de I.e Beuf para fazer aagua de AlcatrSo, a unica prcparacuo con-
centraaa e lilulada contendo cm si o alcatrao sem ser allerado nem modiOcndo.
VERDADEIRO ELIXIR DO D" GUILLlE
TONICO ANTI-FLEIMOSO E AHT1-BIU0S0
PREPARADO POR PAUL GAGE, PHARMACEUTICO
TJnico proprietario, rua de GrenelU Saint-Germain, 8, em Paris.
Uq lolhelo qa* 4 am verdtdelro tratado d mtdlclsa
A acclo de Elixir onlW* i InUlrmmente beneflci.
Como purnaliTO mo dabillu como oi oulroi remedioi
duu qoalldade, porun tonlBca refresca no mesmo
tampo : aoiilla e corrlg* todaa at aecreoBea; d* forca
aoa dlvenos orgSoa : olo ezlga uma diela aevara, pelo
conlrarlo t preciao lomar oma boa refelfSo larde
qoando it usir dalle; pode er adminislrado com
egoal exito na mala tenra Idada como na mala adian-
lada velhlce aem nunca causar accidenie aualquer_.
Na doae (Toma colberadi peqoena demro d um
pooco de agua aasacarada, aaja antes aeja depois da co-
roida, eslimola o appetite, avia las funccSes digeslivaa,
aubstltuea loans (atiimikt), o nrmtmlk e bebldas amar-
gu cue se cosluma lomar.
usual a domestica se dt de gract com cada junt
de ELIXIR. Bile Indies as doencas tends o ELIXIR
t alii e o mode de assr delle.
As peaeou qua qulseren consultar este folbeto
antes de usarem deate ELIXIR, podem dlriglr aeu
pedido franco ao S. Pacl Gael, am Paris e ns
provlncls ou not ptliet estrsngelros, em cut dot
depositaries; este folbeto Ibes sera entregue de
grace et immediatamente.
Desde cincoenta tnnos t reputtclo do Elixir Onllll*
espalhoa-M no mondo Imerio pelos servicos que
que csat die elle presta aoa medicos e aos enfermos an
casos graves ou desengensdos.
E sobretudo UtU & classe operarla. a quern elloponpa gastos considera-
vels de doenyas e tempo penfido, pois com o ELIXIR GTJILLIfi, aa curas
sao rapidas.
O Eliiir GullUe vende-se em todas as principaes phaxmacias das Aturieai, nomeadamente
no Pernambuoo : A. REGORD; BARTlxOLOMEO E C.
OLEO
DE FIGADO DE BACALHAU
IODOFERREO
COM QUINA
E CASCA DE LARANJA AMARA
STDOUtor DDOOOX, 13, galerit d'Orteant {Paco Heal), Paris.
Km*) madicaintito facil da tomar, ten resaibo, e da cheiro agraoavel. Pela snt eompoiiela,
poseae todas aa enudidadet que lie aermettem substituir con vaDtagem tndt a serie de medicamaDUt,
como pilulas ferruginosas, tiinfto de quina. oleo de figado at bacalhau, xarope de cast* dl
laranla amara, ampregados para combater a anemia, a chlorate, as affeccSet do peito, a bronchitt,
os catarrhot, a tinea, a eKathese estmmota, etcrophulota, nit., etc.
Per mouvo do tea emprtgo tar.il. 1, .ua accio mulliplioe tegnra, da copomia para M doeaUi,
os medicos presereven no par pief.-reaci* a qualquer oulro medicameBto fimilar.
Dep-ito am Ptmamlmco, A. REGORD.
Praelsa-M falla- ao Sr. Manoel de Siqucira Ca-
valcante Junior, na rua do Marquez de Herval n
ii, a Dfgr>7flode particular inleresse.
Aos Srs fumanles


*&>
Fomo desfiado de diversas quali-
dades.
iNovo Copora'.
Olho de l'a?sa.
Flor do Brasil.
Verdaleiro Bio novo.
Verdadeiro fumo de Goyaz
em pacoles e latas^de 2," i e 8 ongas,
sem composicao alguma nociva ao fa-
mador, manufacturado, e a venda na
faorica a vapor, na antiga rua do
Quartel de policia n. 21.
<5'i
Fugio
do cngenho Jaboatlo, freguezia de Santo Amaro de
Jaboaiao, no dia 17 do corrente mez (novembro) o
CFcravo alricano, Julian, com os sigaaes seguin-
tes: 60 aonos, pouco mais ou menos, tem alguns
cabellos brancos, baixo, seceo do corpo, pernas
fiaas, dedos compridos e seccos, meio fulo, cabega
comprida, testa grande, nariz meio afilado, dentes
alvoe, tem na sola de um dos res nma fistula,
levou camisa de chita roxa, eal;a parda, camisa
de azoiao ; seguio a direccao do Recife, onde se
julga eelar : a pessoa que o apprehender, podera
leva lo ao referido engenho, on a rua Direita c. 40,
i andar, que sera generosamente recompensada
Leiam todos.
Carles Walter, antigo e bem couhecido relo-
joeiro desta prafa, scientiflca aos sens nunjero-
sos freguezes e amigos desta e de outros pro-
vincial) Jimitrophes, e ao illustrado publico em ge-
ral que tendo mudado o seu eslabelecimenlo da
rua da Imperatriz n. 18, para a casa d. 17 da
mesma rna, confronte ao antigo eslabelecimenlo,
ahi se acha prompto para exe:ular quaesquer
obras de relojoaria e mecbaoica ( as mais difli-
cultosas) como sejam, concertos e obras novas
em qualquer relogio de uzo commnm, e chrono-
metro de algibeira e maritimos, e o respectivo
regulamento (tastes, cuja exactidao garante dan-
do como penbor a sua repuu^ao de artista (que
teru-se esforcado ate agora em manter illezs,)
e bem assim enearngase de quaesquer con-
certos em instrumentos de pbysica, para o que se
recommend* aos Dims. Srs. engenheiros. e ca-
pilaes de navios mercantes e de gaerra. Avisa
a seus freguezes do interior, e de utras provin
cia*, que qualquer obra executada em sua casa
quando a receberem sera accompanbada de um
recibo e sea canmbo collocado na caixa de seu
relogio aiim de eviiar enganus, (orao garautia dc
ditas obras 8>-rem executada^ peli n.^mo annun-
ciante. 0.J prco serio ns mai n.udifos 6o^il-
veis, e *e ob ervara tn | do trabalho.
Aiuga-si i -a terre>, .!: a/.nl ,. propria
para neg.juo, ua rua Imperial b. z22, aedbada de
novo : a tratar na taverna defroDte. ou na rua de
1 raysandu n. 19.
A MO ftRWDE
Apofta para o (iiluro
Ou a Ritura. .
Teoio on occasiio
i Sni que se devem .
Realisar. .
Alans easamentos
Pa^i o que. ...
iesde ja e ja. .
A eoifeitaria.. .
Do Campos.. .
Sem rival. .
Esia s preparando
Fats fornecer tudo qne e
rcessario.. .
Aos Jtivos e aos convidados
jfc e------
Bouqtetes de novos gostos
Banuas de novos gostos.
tudo a capricho
Dos zoprietarios da. .
Confttaria do Campei
2i Imperador 24
E no intnp de merecer a preferencia, nao tem
poupado depeaas para apresentar
0 qw a de melhor e nunca vlsto.
Aos senhores
pintores.
01e> dclinhac-a a IS800
a galao
No amazemde tintas da rua do Impera-
dor n. 22.
INegrioha
Pretisa-se ugar uma negrinba para carregar
uma trianca e 19 mezes : na rua do Cotovello
n. in____________________
\luga- a sala e alcova do 1.* andar e mes-
mo todo o 1* idar, proprio para escriptorio ou
pequeaa fami: a tratar na rua do Duque de
Caxia na lojn. 32._______________________
l\ao a mais cabellos
brancos.
Tintura japoneza.
S6 e ura approvada pelas n^ademias de
sciencias,conhecida superior a toda que
tem apparido ate- boje. Deposito princi-
pal a rua' Cadeia do Recife, boje Mar-
quez de (hda n. 51, 1" fndar, e em todas
as boticas casas de cabelleireiros.
AlHga-se
duas-etPna To.....""i- *. .-, w_a.------.
2 salajj quartos grapdes, cozinha, despen;a e
quartotra criado : a tratar no porio do Lasse.-re,
na Capta, n 32.
"! IS 3
:W
o
3


smw
8r*rri
|SPg*
53.
lf!T.
^'a= i
?li
a" 3
ss*
|Bf i
3 2='
n oi
C f
f o 65
S g a
-3;.
*^
||*
r-.. It)
P &
ZrS
-J'
| j
^--
a>
ft
a -, -3
q I ro
3
"23
III
B.S
3 S
-
5 O
Si
gr?
j p
1!
M CD
C" n

0
CD
R
a r*
*"P S J
E.O c
K 2 =
lid
n
i
2.
I
a.
s & =
11 E *
as
a
! M
tit &
II
C5
feS

?
O.T3
si
CO
Pililas Catharticas
de Ayer.
Para todos os effeitos d
um remedio lazante.
Nao ha seguramente, nq
remedio tam universalmente
procurado como um cathar-
tico on purgante, e nenhum
outro tem sido tao usado em
todos os 289 e por todas as classes, como e9tas PILLU-
LAS, sutt mas efficazos. A razao e evidente, formao
nm reme muito mais certo e efficaz que nenhum outro.
AqueUque os teem ensaiado aabem que se teem curado
pelo sen). os qne nao os ensaiario sabcm que seus amigos
e visinhre teem curado, e todos conhecem que o resultado
tirado nrvez, se tirara todas as vezes, e que as PILL V-
LAS nm folhao por consequencia de erro ou negligencia
na sua cposicao.
Temoalhares sobre milhares de certificados referentes as
distmctanras que hao effectnado estas pillnlas, nas moles-
tias que seguida mencionamos, porem sendo taes curas
conhecidem toda a parte aonde teem penetrado, des neces-
sario 6 pica 1-os aqni. Adaptadas a todas as idades e k
todas as idicdes, em todas as climas, nao contendo calom-
elano neoutra qualquer droga deleteria, ellas podem ser
tomadasir qualquer pessoa com toda seguranca. Sua
capa d'acar as censerva sempre frescas, e as toma _gosto-
tas ao ptnar, sendo tambem puramente vegetaes, nao po-
dem resrr effeitos preiudiciaes se por acasoTorem tomadas
em qozeismasiada. I) papel que serve de coberta para
sada vidKva direccoes minuciosas com relacao as seeuin-
tes melee qne at pillulas CATHARTICAS rapi-
d&jnenteirao. Para a Dyipeptia oa IndigesiSo, Dit-
pllcenci Lang-uid*x, Falta de Appetite, devem ser
tomadas. dose moderada a fim de estimnlar o estomago e
reetableosuae funccios taadaveis.
Para Ooeneat da Fig-ado e suas diversas symptomas
Enxaqm BUiotat, Dor de Cabeca, leterida, Cal-
ico Bili>, e Febree Bilioeae, devem se tomar tambem
moderadante em cado oaso, para correger a accao viciada
on rcrco'o obstacnlos que a causao.
Pra oyeenteria ou Diarrhea, 6 geralmente bastante
nma doeequena.
Para jmmotteam, Gotta, Arreiai, PalpitaeSo do
Coraotatorat not Uhargaa eottae, .devem ser
tcmadatintlnuadamente, ate alterar a aoc;ao dos orgaos
disregula, de sort* que a molestia disappareca.
fara tydropeeia e Inch-oSee Uydropicam, 6 preciso
tonta-l-areqiMntemente e em porooes assus grandes para
iflelto de um purgatfvo drastico. tomo Diget-
tieo part Jantar ou comida, toma-se jima ou duas para
promovfl aigestao e ajudar o estomago. Uma ou duas to-
adas det n quando, eetimulao ou estomago a obrar snu-
davelmo
Qualtf (pic se aoha regularmente bom, touiando uma
i aMftaus pillulat se achara, mnitas vc/.es, decidida-
Bente ipor, por razto que ellas purificam e rcsTanrao #
faare01igo.it iva
rRBPAKADAB l'OK
J. (ylyer & Ca., Lowell, mass.* E.XT.
YENDffi 8S POR
Vicente fugio
Na noite de 13 para 14 de marco do corrente
anno, fogio o mnlato Vicente, escravo, de 20 a
22 annos de idade, booita ligura, barba e eslatura
regular, levando vestido e em um sacco roupa de
algodao branca e alguma fina periencenie a um
caixeiro da casa d'onde fugio, c natural da fre-
Suezia de Sam'Anna de Maltos, diz ser livre. cri.i-!
o em companbia da madrinha D. Anna Lui:a F,nz de quom slii3 fii mrsva : mgi.t>. pnrtait-|
to, as fcis. raidttes i'- d:\pa e aiiiurkiaaea pi-
liejaei a apprelieusaj do di;^ >cr*vit e ea'r-%*
lo na cidade do Reei'e, rua rtj'Jre-pj n IU, ao
Sr. Joaquim Mcrtira hen, ou ui i-iJade rio As-U .
ao Sr. Torjnato Augusto de Oliv.-ira llapt^la '
qne serao genemfamenie recompeusados.
1008000
Gratificagao.
Desappareceu do fngenho Abreus, comarca de
Nazareth, uma burn de cor caslanha, supp5e-se
ter fagido : quern a liver acbad > on der noticia
della no mesmo engenho, ou no Iteciie, rua do
Range! n. 37, sera gratiricado.
Alnga-se pelo tempo da festa, nma casa usmJtf
fresca, oa rna de S. Pedro Novo u. 39, Of*.
da, com doaa grandes salas e i quartos, eoziaha
e quintal tnurado, com agua canilitada : a tratu
no Recife, rua do Livramento n. 3
Banhos&algiidos
Alnya ? rnia hit ran ra Ent-TiagnsV roj j,
Aurora, c:i;n rartlMtl* pltrbi C r^> n.etes ft-.-lt : a ir.t:r na |* i.ntcu tat-
r<". v. rui >:: M .r ill i !.; u I l*i, aMfg,i pale-,. It,
Terjo. ______________
N)7i;L L^>j!ea^dein. 27, precisa-st) de cm
b tu fettijr.
EngdiiiiiSiideiras
Jose Joaquim Goncalves de Darros, excep-
luando as pessoas a quern e devedor por tnulo?,
avisa a todos mais que se julgarera seus credo-
res quer por debitos particulars, quer relalivos j
aos seus estahelecimentos denominados Annel de I
Ouro e Saphira, que no prazo de oito dias, a
cootar da data do presente, mandem entregar
suas eontas para serem conferidas e pagas. 0
mesmo faz sciente a todos em geral, que nao
se responsabilisa por debito algorr, directo ou
indirecto, que nao diga respeito a si, ou aos re
feridos estabelecimentos, dos quaes e elle so o
unico proprietario,
Recife, 28 de novembro de 1814.
Para casa de familia | r"ia se de duas Um
engomm cleira-, que enteodam de costnra e ti-
taboadi-, paga-sebein : no UaDguinbo, sitio n. 2,
com porlao de ferro e inuro cinztuio, antes da r u
da Amizade.
Eiigommadeira.
Precisa se de uma engommadeira para engca-
mar para duas pessoas : a ratar na traveisa la
rna do Vigario n. I, das 9 boras is 4 da tarde, <
no segundo sitio, depois da eMacao do Cbacoa.
Aluga-se
Um escriptorio no primeiro andar da rua lo
CommfTtio n. 4 : a tratar no armazem da ims-
ma casa.
Ahga-se a caa terrea n. 9 da rua dfl S.
Francisco : a mtar no largo do P.raiso n. 1
GELO
N\o
AGORA HA COM ABL.NDANCIA
Gelo para almoco Geio para cerveja
Gelo para lanche Gelo para refrescos
Gelo para jantar Gelo para sorvetes
Gelo para ceia Gelo para remedio
Gelo para vinho Gelo para banhos
Gelo para conservar legumes
Gelo para conservar fructas
Gelo para conservar peixe
Gelo para conservar came
Emfim, gelo para Todos; e para qualquer Lso
NA
FABRICA NOVA DA VIUVA STARR
Caes do Capibaribe a. 38.
Aberta nos dias uteis das 6 horas da manha alffrs 5 horas da tarde, c nos domingos e d .-
santos ate as 11 horas da manha.
N. B Os pedidos de quantias grandes para os vapores ou para ton da cidade devem -
feitos com antecedencia.
ESCRIPTORIO Rua do Commcrrio n. 40.
ARMAZEM DO VAPOR FRANCE?
N. 7 Rua do Barao da Victoria, outr'ora Xovat X
O dono deste eslabelecimenlo tendo de ir a Europa, venae a precos baratissimos tdos os'?'.:-
atrigos, como sejam
Calcado francez
para homem
senbora.
e Eisenfrras.
Botas e perneira3 inglezas
montaria.
de
Milias de vi.iie e dc \m
sobs pianos.
Vende-se muito em conta, cadeiras avulaas, de
balance, de bracos e de dobrar.
Perfumarias.
Finos exiractos, banhas, oleos, cpiala e pos den^
irifice. agua de flor de laranja, agua de toil'ete,
divinai, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
cosmeticos, mnitos artiges delicados cm perfuma-
ria para presentes em frasccs de extractos, caixi-
nhas sortidas e garrafas do differences tamanbos
d'agua de Cologne, tudo de primeira qualidade
dos b6m conhecidos fabrirantea Plver e Coudn''.
i
Dos melhjics e m.is BedemtM noialM
Blond;I : v(nde-s>. troeasa c atnga-a*.
Quinquilharias.
fhrnttamlam.
Espelhos, leaaes,iuvas, joi;.*uoiiro, tesourich.^
caniveles, c;uxi-. 'buns <'fi:''
e caixinlias para retrato at de veliour.
ditas de conro, e cestinba-- r Mucos.iprreniii*
chicotes, beniralas, ocnlo, pince-nex, porteiras pira
charutosecigarros, escov --
madreperola, tapete paia ;.tj:;rnas, mala?, b
de viagens, venesianas para janellas, ester
pos, lantemas magkas,cosiiioramas. joges da glor.a,
de damas, de bagatclla, quadrc*
pi.jbos de papel para ilinminacSe*,
fazer cafe, c^p.tnadores depalhas, realejoa ne wk.
accordaos, carrinbos, mamadeir^s de vidro pj;.
dar leite as crian^as, e muits MM artigos.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se i.i-de detejar d o
dos 09 brinquedos fabrteados em tliffernles pare*
da Europa, para ntretimentos das CTian^a?. tc*
-. prenx- ma / -ura:d.'- : -siv?..
i -
ODILON
IriMAO
m
Premiados na exposicao de 1872
RUA
DA
FiPERATRIZ
.N. 82
[!.' A^PAR.^
. ;--, Q
.-:. .: -.: !/lf ....'
,--.v-/?--^-r-|aif5>>i
psv. tr
-
' ti
DA
iMPFRATRU
s. mi
!. ANDAR.
Ai-ouam de reformar o sen estabelecirneuto, collocando-o nes melboros coc
iiccoes possiveis de bem servir ao publico desta illustre capital, e is Exmas. Sras. n'i-
quillo que I6r tendente a arte de cabelleireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para homens como para senhoras, tupete, cbignor,
aoqnsc modernissimos, tran^as, cacbepeign, tecidos, desenhos em cabellos, quadros tu-
mulares, flores, bouquets e todo e qualquer trabalho imaginavel em cabello.
O estabelecimento acha-se provido do que ba de melbor nos mercados estrar
aeiros, recebe directamento por todos os vapores da Europa, as suas encommendas e figt-
rinos de modas, e por isso pode vender 20 /<> menos que outro qualquer, garantind)
perfei^ic no trabalho, agrado, sinceridade e prec/) razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fora ; vende-se cabellos en
porcac e a retalho e todos os utensilios pertencentes a arte de cabelleireiro.
55
J. Ilfilil,
Constructor e afinaor de pianos
Rua do Imperador
55
Ex-a'finador dab antiga* e rfsmadas casaii Pleyel & Herz, e antigo direc toniar
jfficioa da casa Alphonsp Rhiu-iel. I
Tem a honr- de declarar ao respeitaTnl pn! ico desta idade, qoe tem akartu
sna crsa de concerto: e anna,des d piauos, quaiqu. que aeja o e-tado do iiiartriatento
A' mesma casa awba de n ceber nm grande aurtimentn do ^ianoa '
res fabrlcantes de Pans, como Erard Pleyel, Henri HerzQ Ufhmm monct-i tadoi
os pianos sahidos da casa Dhibaat sio garantidos
Compra-e e recebe-se em troca os pianos usados.



.% "*




Diarid de Pemaraoaco ~ Domingo 29 de Novambr de 1ST4
Toda. atteiicjio
Relslha s,a, com frente para a. rua da Aroizade,
sobre't9pa!mos do fdndo, uma porcSo de option
tcrreno jtirA Hdin.-agAf, tirada do sitio contiguo
a igreja de S. Jo-6 do Mnnguiono, d3 preca de
30* por paimD. Aquetla frente e toda murada,
bem como a pane posterior e a lateral extrema :
os pretandenlts. poiem enteoJer se eom o Sr. Dr.
Witravio.______________|_____________
IlTimO PARTieilLAR.
Rua da Roda n. 48, sobrado.
Primeiras leltras, portuguez, francez, in-
g'.pz, desenho linear e musical
Sob a direcgao do professor HormiDio
Rodrigaes de Siqueira funccionam ditas au-
. ias todos os dias uteis.
Recebe slumnos intemos, meio pensio-
uistase eiternos ; f -rnoce todo o material
para escripta e livros aos princi pi antes, por
precos muito razoaveis.
Vrlk it Mmm <
Na padaria denoroinada Maurity, sita na praca
deste nome, ca*a de zzulejo, n. 2, deft* villa, esta-
belecimento de Francisco Seraphicode Aesw'Vhs-
tsonielloc, fabrica-se com a motor perfeie.ao, Hm-
peza e haraleza, pan, bolioha, e ludo quantio so
pode obler da fariuha de trigu. 0 annunciante
protesta servir com esmeroe agrado a todos quan-
tosquiierem honrar seu e-talielocimcnto e se sons-
tituirem fregnezes e consomidores.___________.
Moleque i'ugido.
GratiOca-se com 80,000 reis a quem pegar For-
tanato, moleque de 13 a 11 annos, preto, baixo,
cheio do corpo, rosto e cabega redondos, nariz
chato, cabelk)3 carapinhos e cortados de fresco ;
ansentou se na tarde de 10 de ontubro do corrente
anno, com camisa de madapoUto, calca de brim
de cor, desbotada, e chapeo de massa preto. Gra-
tiSca se na rua da Cadeia do Recife n. 39, on na
rna da Aurora n. 165.
Boas casas de
Poco da Panclla ;
Tasso.
gam-se
campo, na Cruz das Almes
a tratar com o commendad
Bons banhos e dormida fres-
ca no Monteiro.
Aluga se ;-lli por preco commodo uma easa pe
quena qua tern 2 salas, 3 quartos, c zinha e boa
caciuiba, e e perto do rio : a tratar na rua Nova,
loja n. 7.
a.
a
3
B. Bfi
s i 3,8*8 i
M
V
a
a.
a
n 3;
n. S3*
I 3
S 3

a g
o
a
3
S
2.
o
a

s
f,
c
a-
Aluga-3 a s.'la e a alcova do 3.* andar do
sobrado n. 70. a rua Dnquo de Caxias, proprio
parr. :n >co s It iro< : a tratar na loja.
Preelsa-se cle duss amas, sendo uma para
eorinhar e comprar e outra para engommar e
va rua ili done rdia n 4?.
- loga -o a liija do sobrado n. 29 da rua da
arvalh i : a tr;.tar na rua das Larangei-
; l andar.
DeclnracSo.
Site*, I'mao 5t C. pelo prcsenta declaram te-
; dido uma lelra do sea sa iue datada de 5
-: i m i ;i ^> rnezes de prazo, actila pe-
loS*. laael lo.-e Sendes Bastos, de Garanhuns,
ilia da 8 01, cuja letra toi periida em
; a] de GarauhuQ3 para eata cidade, rogara
[uem ]uor qua a tenha achado o favor de
gala QPstacidaJe do arraazem Baliza.arua
rmTT rra p r ra eBiar'prere'riiio o aceitante
ma quo so p igari aos abaixo assignidos.
:ife, 19 do rwrembro de 1874.
^________________X'ves, Iiinao & C.
II
da
finlis.
Aloga-se o sitio dos Buritis, do Arraial, com
plantacao do mandioea, macacbeira e grande baixa
pirn, tem excellente easa para rcoradia, b
e mnitas a rores fruetiferas : a tratar nt
mo sitio das 6 as 8 boras da manba e das 5
as 7 la tarde, r.a na rua do Amorim n. 5'6, das
10 as -i da ta de, n>>s dias utei..
- Afuga so o primi>iro andar dacasa da rua
.1 Padre !'. ,ri;no n. 09 : a tr.,lar na i>raca da
de npi nden :ia ns. 18 e 20.
torn nm completo sortimeoto df galao e franja de
onro e prata, verdadeiro, de todas as larguras,
ibotoadoraa douradas para officiaes, canutilhos e
enfeites para bordado. Tambem se encarrega de
' > e qnalquer fardamento, como seja : booets,
talins, pastas, espadas, dragonas, el arlateiras, ban-
das, arrotoaduras lisas e doura1.i=, para criado
etc,; assim com) urn complete sortiraento d
i g.'Jf.j falso para ornamento, cordio de la
borla para qnadros e espelhos (conforme o
da eneoBimenda) todo por muito menos
quo era ouira qualquer parte : na pra<;a da
Ii ncia n. 17. junto a loja do Sr. Arantes.
Alaga se nm sitio, na travessa da Jaqueira, onde
nor in o fallecido Fraoeiseo Soarea da Silva Re-
tomhi, con uma cxcellr-nte easa, com 4 salas e 5
rtoa, eozinha, despensa e quarto para engom-
n ado, (6ra, cocbrira, 4 quarlos para escravos, 2
has, ^eudo uma com eptima agua para be-
ber.evarias fniPteiras : a tratar na rua Duque
de Caxias n. 51, loja.
Jo.io Agostinlio da Silva, liquidante da ex-
: n-.;a.fi:ii..a qi.i'.'gyrava nesla praca, de Silva &
a retirando-*e para o Rio Grande do Sul,
3:ixa por seas procuradores os Srs. commendador
Antuni i da C;su Correio Leite, e Pereira Carneiro
- AC.
ADVOGADO
IIACEABEL JOAQUfM GL'EXNES
SILVA HELLO.
S3 Baa eatrclta do Bosarlo *
primelro andar.
J Consul!orio medico
DO .
Dr. Hnrlllo.
RDA DO VIGARIO N. 1, t ANDAR.
Recem-chegado da Europa, onde fra-
quentou os bospitaes de Paris e Londres,
podera ser procurado a qualqaer hora do
dia ou da noite para objecto de sua pro-
fiasao.
Consultas das 6 as 8 horas da manna e
do meio dia as duas horas da tarde.
GRATIS AOS P0BBE5.
Espfrtalidades : Molestias de senhoras,
da pelte e de crianca.
Cravos
Na rua da UniSo, atraz do Gyrnnasio, ns.
47 e 49, vende-se sempre cravos brancos e
encarnados.

ALUGA-SE
uma grande easa terrt-a cm bastantes commodos,
sita na estrada do Locas : a tratar a rua do Vi-
Casa no Caxanga.
Ainga se duas rasas na pnvoacao de Caxan-
ga, ten o uma duas sal >s grandes, 8 quartos e
1 gahiuct'', i grande terrafo e cacimba ; e outra
com duas pcquenas salas, 3 quartos e eozinha,
ambas proximaa an rio e a estafao : a tratar a
rua dos Pi resn.J 22.____________^______
AtteiiQao
Continua so a fsroeeer coniedorias para fora,
mandandose lnvar'em easa d >s assignantes, mais
em cont i do qne em outra parte ; tambem nos
encarregamos de fazcr cmida para qualquer col-
legio que os Srs. dircctores fnham de pa=sar a
festa : q:nm orecisar dinja sp a rua estreita do
Rosario u. 35, d> front i do escnptorio do Dr. Leo-
nardo.
Na travessa da ma
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma easa
eompra-se os mes-
moB metaesepedras.
Esta enooura^ado I! 1
Agua mole em pedra dara
Tanto da ate one a furv
Roga-se ao Illm. Sr. fgnacio Vieii de Hall
ascrivao na cidade de Nazareth dest provincia,
favor de vir a rua Duque de Caxiasa. 36, a con-
clnir aqnelle negocio qde S. S. se caiprometteu a
realisar, pela terceira chamada dete jornal, era
fins de dezembro de 1871, e depots para Janeiro,
passou a.fevereiro e abril de 1872, e lafia cumprio;
a por este motivo e de novo charAido para d
9m, pois S. S. se deve lembrar queeste negoci
de mais de eito annos, e quando o S- sea nlho
ichava nesta cidade. '
4^M%
Ate 5,^0 corados de^
A 101 rs.
iVa foja d*o P>vaV v^de f# laaighas d aaito
bonrtoS eostoi e delicSdos pS'oVoe'?, fazebifS rWVa
no raercado, pelo diminuto preco de 160 rs. cada
um covado ; quest daixara da fazer vestidos de
la tao bonites e par Uo pooco dmKeiro? Forme-
eemse as arao.nras: ta rna da lmperatri*nartfe-
ro60. ________________-_______
C '.MUM*
LIOUIMCAO.
liquidando os caltados
altoe
canno
Vide-se
em boas conAfXes a loja da rua da ImperArk i.
8, a qual perteoceu ao falle ;ido
Dubarry
Esta antiga e bem afreguezada loja, collocada
n'um djs principaes lugares para negocio, e
achandosff sempre sortida, ndo s6 com ferragens
flnas, como tambem de muitos outros artigos, sea-
do dos meimos fabricantes de quem o fallecido
Dubarry sempre recebia ; artigos estes de promp-
ta venda, e que delxaTn grahde Irlerfe ; portrn o
proprietarte undo de partir muito breve para Ku-
ropa, esta foteiramente resolvido a venda-la : na
rua da Imperatriz n. 8.
Vende-se
um terrenO em Boberibe de baixo, com 50 palmos
de frente e 500 de fundo : a tratar na rua de Vi-
dal de Negreiros n. 137.
Vende se os seguiotes predios : uma grande
olaria a rna do Viconde de Goyanna n. 63, com
muitos commodos ainda para padaria, e boa serra-
ria, tendo'Otn extenso terreno, eom optimo porto
de embarqoe, e rauitas fruoteiras : a easa lerrea
n. 65, na mesma rua, junto a dita olaria ; e nm
barreiro nos Remedies, com excellente barro para *~*
todas as obras de olaria : a tratar ou com o Sr. L/UTa ClaS lierniaS, PCiaS ftin-
Jose Cametlo, das 3 horas da tarde as 8 da noite, I j j l i
no Caldeirtiro, on na ertacJo daMangabeira, e no daS de DOrracha.
Arra.al, sWo do fioado M. Marcelino Jort Upes. | As ml]tarM majs aDerfeicoa(jas das M hoje co.
nbecidas.
Vende-se
na
Pharmaela e Drogarla
de
Bartolomeo de C.
A'
84. Rua larga do Rosario 84
Vaccina. Vaccina.
Tendo 6 Sr. Dr. Jose Lonrenco de Hagalhaes,
: montado na corte am eompleto servlcp deste ar-
tigo, tem aqui aberto um deposito da me|hor e
mais recente, cujos tnbos se encontram na
Pharmacia e drogaria
A*
_____34rna larga do Rosario 34.
9
Vcfiui5l,!$i6
I uma easa na villa de Barreiros, na nn>i laa
I march), por pfle^o modico : a tratar co* Tam
0 Paris n'America esta
pelos segnintes prefos :
^Botinas de duraque, de c6ree, com canno
laco, a LuizXV a 5*000!!!
Botinas de duraque, de cores, bordadas.
alto, afi* HI
Botinas de duraque com laco a 3*.
Botinas pretas gaspeadas, canno alto, a 4#, 3/ e
OpOOO.
Botinas li-as e enfeitadas, para meninaj a 3t,
Bi tinas de Suzer, de cordovSo com ponteira ee
vernU, para homem a 8i. Aproveitem, iiue e
barato.
Festejos
Grande Hquida(So de fazendas Unas o do
melhor gosto, para veslidos de festa, na
loja n. 44, & rua Duque de Caxias.
Popelinas de modernissimos padroes, covado a
600 rs.
Ditas deditos a U200.
Ditas de ditos a 1*400.
Ditas de ditos a 1*600.
Cambraias organdys de padroes e cores inteira-
mente nofbe e roedernos, covado 320 rs, c6rtes
de cambraias brancas para vestidos, bordados e
com bibados, a 6*.
Girapeos msdemos, gosto allemio, para senbora,
proprios ptta a estacao da festa, a 2*500.
Ditos de diversas qualidades, para hoicens, pelo
barato preco de 2*. 2*500, 3* e 4*.
Camisaafrancetas-e inglezas, de diversas quali-
dades, a 1*500, 2*. 2-50J e 3*.
Collariaaes de linho, lisos e bordado? a 400 rs..
Toalhas de linho para rosto a 400 rs. j Deste excellente rape, que se torna recommen-
Lencos finos com barra, duzia 1*400 ''avel aos amantes da boa pilada tern estabeleci-
Ditos dHos brancos, dnzia-1- 50u. dp esta fabrica o seu deposito a rua do Commer-
Metins -esc cezes, inleiramente novos, proprios cio n. 5, que vendem por Junto e a retalho, fa-
para charobres, covado 240 rs. zendo se vantagem a quem ci mpnr porcao.
Me^as flnis>imas, para senhora, duzia a 3 500. | tjv \ T^ ~\------0 .------
Lazinhas, chitas, cambrias, madapolCe*. algo- j XlO GQ aigOQaO Oa >ania.
d5es, brins, por precos baratissimos, bem como J Teem para vender Joaquirn Jose Gonoalves Bei-
outros mttltos art gos qua os amigos do bom e de barato, por 2a OjO menos rj i .ii j tj /
que em outra qualquer pane, Bnaluasnte tudo, ( OttlSa pamma UO X ara.
Imperial fabrica de rap6
area fina de Moreira & G.,
da Bahia.
tudo se acha em liquidacao.
AHji n^vid-idc.
uga-se
0 5. andar e armoiein da rua de Pedro_ Af-
fonso u. 59, o sobrado de um andar e sotao da
rua do Ho.-picio n. 68, e o 1* andar e armazem do
sobrado da rua do Bom Jesus n. 63 : a tratar na
run ili "ieario n. !tl.
Ao Sr. Justino Pereira de
Moraes.
0 ab.iixo aaskoado arrematante das dividas da
massa fallida de loin Hyutno do Souza, pede ao
Sr. Justino Pereira dp Moraes, miralor na Imraa-
culada, o favor de vir a rua Direiu n. 21 ultimar
""ItifciTe," 23"ae"f/"ferhrro ;d7 T874. ''"
lote Ilka do Faria.
E. A. DELOEHE
24-Rna do Marquez deOlinla-24
Esqulna do l>ecco ',arjo
Participa a sens freguezes e amos que mudon
o seu estabelecirr.ento de relojoeirpara t mesma
rua n. 24, onde encontrarao um gride sortimento
de relogios de parede, americanos, cima de me-
sa, dos melhores gostos e qualidad, relogios dc
algibeira, de todas as qnahdades, atente suisso,
de ouro e prata dourada, foleado equet), relo-
gios de onro, inglez, descuberto.os melhores
fabricantes, cadeia de ouro, plaquet e-ata, lunetas
de tod?s as qualidades, tudo por pr.s muito ba-
ratos.
0 Barateiro, a rua 1 de Marco n. |, caba de
receber grandu sortimento de entremeios e babadt-
nhos tapados e transparentes, de todas as largu -
ras e vende a 1,000, 1,200 e 1,500, fazenda que
sempre custou 2,5o0; a uma experiencia n6s os
coiividamos
Chegada recentemente teem para vender Joa-
quirn Jose G. ncalves Beilrao 4 Filho, a rua do
Commercio n. 5.
Fechaduras de broca.
I Teem para vender Joaquirn Jose G.npalves Bel
trao 4 Filho. a rna do Commerci > n. 5.
LIQUIDACAO
NA
Loja de lazeadas
DA
Rua do Crespo n. 20.
ftMf
Las de cores miudas raoito boa*
meninu a 160 e 200 rs. o covado."
Li pretas. superior, a 400 rs. o cotaio.
Aloacas de cores linas a 320 e 300 rs. o rrrndi
So sa vendo.
Ditas com listras abertaa, fazenda fina, a 600 ra. c
covado.
Chitas de cores a 240 e 280 rs. o eovsflb.
Metins de cores miudas a 280 rs. o covado.
Cretones, o melhor qne tem vindo ao nercada i
400 440 rs. e covado.
Cambraias brancas, bordadas e abertaa, fan**
mais fina qne tem vindo ao mercado, e fan t4i
de 2*000 o metro, por 1/000 a van ; 4 p
chincha.
Ditas pretas com floras miudas a 200 n. o covafc
Cambraia transparente, fina, a 3* a peca.
Dita Victoria, fina, a 4*000 a peca.
Organdy de assento branco e de cores, cob la-
res miudas de seda e de la, a 406 ra. o eovada
E' pechincha.
Cortes de rasena'ra de cores modernas a 8#9M
corte ; e fazenda de 8*. B' pechincha.
Camisas de linho finas, lisas, a 35* a dnzia. t fa
xenda de 55*.
Brim branco de linho a 1*400 a vara.
Dito Angola, verdadeiro, a 600 rs. o covado.
Madapolao francez verdadeiro, 24 jardas, a I*
It a peca.
Algodae T, largo e superior, a 5/ a peca.
Gorgorio preto de seda para vestido e para eolla*
a 3* o covado
Toalbas alcochoadas a 4*500 a duzia.
Colchas grandes a 3*560 uma.
Cobertas de ganga, forradaa, a 3*.
Lencoes de bramante a 2* am.
Lencos de linho, abainhados e am "f'fnbv
3*500 a duzia.
Ditos de caca de cores abainbados a 3*500 a to
zia.
E outros muitos artigos qne se vende por id*
nos do que outra qnalquer parte e para se
So na lorem quciram mandar ver as amostras.
enganaja do
Guiliierme & C.
mpfim para bailes.
Cbegaram em boa quadra, para a loja do Passo,
riquissimos cortes de seda com largas listras
achamalotadas e lindissimas cores; cortes de tar
latana com palmas bordadas a prata, proprios
Sara nailes : so na laja do Passo. a rua Primelro
e Marco n. 7 A.
Cuillaiii)
Precisa-se fa'lar ao Sr. Libanio Residio de Car-
val: o, escrivao da e.,lectona do Santo Antao, a
negocio que nao deve ignorar : no largo da As-
sembled n. 7.
Capes de cakllo.
53. Una &"<*:-. dv Caxias.-53
Augusto Potto, reeabea lindi.s e elegantes co-
ques d;1 cabello verdadeiro, cintos de couro com
fivelas deu.etal, popeboas do seda e linho, ricas
toalhas e lencos de labiriutiio que vende por
Ctminods preens.
I HEDICO-ClRLTttGICO 1
m do
Dr. Pedro d Alhayde L. Moscoso j
PARIEl'.U E OI-ERADOR
Ban do Vigconde de Aliiiiqiier-
F.ue n. 59. j
ESPLGI ALIDADE
Sloleatlas de senboraa e i
menlnos.
Consultas das 7 as 10 horas da ma-
nha, todos os dias. f
Das 6 as 8 da noite, nas segundas, quar- 'a
tas e sextas-feiraj. g
Os doentr:-que maudarem os seus cha- %
mados por escripto at 10 i.oras da ma- |
nha serao visitados em suas casas. 3

i
i

Aloga-se a easa terrea n. 8 da rudo C.
pitao Antonio de Lima, em Santo AmJro a ta a
tar com Maternos Luaz a rua da Guiani54, pra
daria. Com o mesmo contrata-se um artssador-
Precisa.se fallar com os spguin-s snhor-es,
na rua Primciro de Marco n. 16, prfaeip andar.
Dr. Candido Vicira da Cunha, de er/S(B.
Tito Antonio da Cunha, da Bahia.
Domingos Olympio B. Cavalcinte 4b!al do
Ceara.
Manoel Panlale:.o da Silva. ^
Manoel Jose Jloitero
Torres.
Keller & C, adaimtra-
dores da massa faliid de
Manoel Jose M. Torre, pa-
gam aos credores da msma
massa o primeirp diviendo
a razao de 19 por cen).
Vende se uma easa terrea nova ebera cons-
truida e com commodos para numerosa familia,
sita a rua do Nasceote n. 20, que olha para a
via ferrea do Recife ao S. Francisco : trata se na
rua Imperial n. 217.
Lustres, candieiros e aran-
dellasparagaz.
No novo estabelecimento, Grande Exposicao, na
rua do Irpperador n. 33, junto ao escriptorio da 63, toma a liberdade'de avisar ao bello sexo.que
companhia do gaz, vendem-se lustres, candieiros o 'acaba de receber diversos artigos dealta novi-
arandellas de differen'.es tainauhos e mo demos .dade, os quaes estao expostos a vunda em dito
gostos, tanlo de vidro como de bronze, e tudo dos estabelecimento, e bom que venham aprecial os
melhores fabricantes que ha na Inglaterra. Tam- para por esta forma satisfazerem os caprichos de
bem se vendem globo3 de bonitos padroes, chumbo 'suas elegantes toilettes.
A Nova Esporanpa, nao qu-rendo tornar-se
E' sempre assim-
AO'SEXO AMAVEL.
A Nova Esperanga, a rua Duque de Caxias n
e tudo o mais que for preciso para o servico do
gaz. E como 03 donos deste estabelecimento man-1 massante, liroita se a raencionar alguns artig
dam vir de conta propria e se querem acreditar, dos mais em voga no mania das modas, os quaes
vendem tudo mais barato do que qualquer outro, | sSo os seguinte3 :
Lindos elates de couro e
para o que os compradores podem experlaientar..
A.dmirem
Granadina de seda a 15>9 rs.
Na loja do Pavao veadc-se fluisiimas grinadinas
de seda com IMras assetinadas, fazenda qua sem-
pre se venden a I 880, e Ii juida a '.00 rs. o cova-
do ; assim como raanguitos e gotinfasj de cam-
braia bordadas al? cada um, 6 pechincha : na
loja doPavSo, rua da Imperairiz n. 60, de Pertira
da Silva.
Vende-se na cidade da Escada uma grande
easa de pedra e cal, oitoes d.brados, com sotSo
assoalhado era toda a ex'ensao, quintal murado,
com commodos bastantes para uma grande fami-
lia, sita na rua da Viracao n. 30 ; uma dita na
mesma rua, de esqm'na para a rua do Rio, con
tendo armacao para qualqu'.r estabelecimectc,
occupsndo os fundos c<.m padaria, a qual se acha
completa com todos os utencilio- ; uma easa pe
quena contig.a a mesma, e um terreno junto com
filigrana.
; Modcrnos bctoes de ago para vestidos.
"Novos leques, grandes, matisados.
ii"i.iainio aveuas dc 350 para venldus.
DeUcadoil ramos de flares de laran.-reira.
Bolsas de couro e Qiigrani, prcprias para
z-,t pecdentes ao cinto,
tra-
Breu, breu, breu,
No armazem de Jorge Tasso, rua de Amorim n.
37, e no cae3 do Apollo, ai mazem dc farinha de
Irigo, do commendador Tasso.
Aos Srs. deengenhos
Chila com 4 palmes de largura, fazenda muito
superior, a 260 rs. 0 covadj, proprias para escra
vos: so a rua do Crespo n. 20, loja de Gui-
Iherme & C.
Para o fabrico de chap&x
A NOVA ESPERANCA receben 0 ararae proprt.
para armacSo de chapeos.
BAZAR
DAS
FAMILIAS
Rua Biiijne dc Csxias n. 60 1
Para a festa
Doce fino de goiaba
Vende-se no deposito do pileo d 0 Terco ns. 4 e
nos, proprios para embarque ; ha requeijao todas
os chaos foreiros a camara
cidade da Escada : a tratar na cidade do Recife, as tercas f-iras e sabbados, por preco commodo"
na travessa da rua do Visciiid de Inbauma n.
73 (intes do Ran^e), e na Escada, com 0 Sr. alfe-
res Jose" A. A Campos.
V
QMPIM&
mi
GRIADA
Na rua do Visconde de ltaparica n. 32 precisa
se de uma cnada que seja sadia, para andar com
cnanja.
Compra se apolices da divida puba gera
ou proviucial : a tratar na rua do BarMa .ic'
tor ia n. 42
Rua 1 deMbr^o n. Ii
Gusmao & Leal receberam grande quantidade de
cortes de caseraira para calca, e vendem por 4)
cada corte, assim como vendem seticeias para
vestidos, fazenda linda, por 400 rs. 0 covado, fazen-
da de 800 rs. : so na rua i* de Marco n. 14.
T*
0 BllAML
Dedieado a defza dos Interesses dos subditos
porlngnezes residente-< no imperio.
Redigido per M. Pinheiro Chagas.
Assignatura
P'.rnmanno 12*000
P.T sets meits 6*000
NA -
IMmh P |)iil:*r
__________59 -RUA NOVA-59__________
tos 2o:oooSooo
!iiga-se
Escrava
Compra-se uma escrava qu.e seja pidada e
cosa perfeitamento ; sendo de b6a condui e sa-
dia paga-se bom. luformacSo na rua do ouga n
16 1. andar, para ser procurada.
Compram-se
as collec$Ses dolois provinciaes de \a&m-
,buco, dos annos de 1849, 1855, 866 ft
1869 : nesta typographia.
\.
flilhfi- 1
Praca
de lotcrlas do nio.
11 Independcncia n. 22.
os armazens ns. 65 e 69. na praca do chafariz em
Fora de Portas, um onde teve tenda de ferreiro
0 fallecido E. Hal:uIt. 0 outro que esteve occu-
pado com venda di^ m timo pela localidade e s> r de e^quina. ambos livre3
e deserabaracados de impostos: a tratar com 0 com-
mendador Tasso.
PARA 0 PURUCO VER
Hoflna
Por que razao 0 Sr. tetiente Jose Caetano da Sil-
va nS-i indemnisa ao ^r. wl'mr da America t
"AVISO.
CHUMBd
Velho L.
Compra-se cbuaibo velho, cobre e la : no
1 armazem da bola aruarel'a, a travessa dfaa do
Imperador.
Cbegaram a loja do
das Familias
a rua do Duque de Caxias n. GO
So para an senhuras
Riquissimas lasinlias de seda bordapas, alta .no-
vidade, proprios para as senhoras a quem os're-
commendamos por serem muito lindos e so se
encontram no Bazar das Familias, por ser enccm-
menda propria I
Lindi-simos manguiutos de cambraia bor lados,
inleiramente novidade ; fazenda quo so 0 Bazar
das Familias 6 quem tem.
Riquissimas golinhas de cambraia bordadas com
bicos de gripure e crochet, fazenda nunca vista,
por ser a priraeira voz que vem ao mercado, e so
0 Bazar das Familias 6 quem recebeu ; assim co-
mo outras novidades de apurado gosto, que s6
A loja Agrado e Seriedade, sita a rua da Im-
peratriz n. 16, vende por baratos precos la para
bordar, de lindas cores," e fitas de sarja de todas as
cores e larguras, assim como de setim.
Cha verde e prelo
Amaral, Nabuco & C. declaram a seus araiges
e freguezes que receberam pelo ultimo vapor
de Europa, nova remessa de cha verde e preto,
jJdZar garantem sua boa qualidade e vendem no seu
aazar ViMoria, rua do Barao do victoria n. 2.
Vende se uma easa terrea na rua deP av-
sandu, estrada da Magdalena, com 4 qaarlos,'2
'salas, corredor indepenlente e forrada, com quin-
tal murado : trata-se na rua de Hortas sobrado
n. 48.
firandc-SoYidiidc.
Chapeos de sol de seda tranQ.\da muito be^, ar-
macao especial, a 7000. Sona rna de Marco
o. 14, loja de Gusmao & Leal. _____
Rua do Crespo n. 20.
Alpacas li-as com barra, fazenda muito larga
e de lindas cores, para vestidos, e presta se para
0 actual administrador da grande propriedade
Apipucos, achando se em > mbaracos para poder
regularisar o tuteresse de tudos os consenhores da
roupa de meninos ; vende-se pelo diminuto pre
se encontram no Bazar das Familias; assim como, 'co de 280 rs. o covado, aproveitem se antes que
pedirnos as Ex mas. Sras. aQra de o visitar, para j se acabe : a rua do Crespo n. 20, loja das tres
se veriflcar dos objectos aciraa especiQcados : a portas, de Guilherme A C. DJo se amostras com
Vende-se o estabelecimento de molbados,
sito a rua de Pedro Affonso n. 61, bem afregueza-
do, tan to para o mato como para a praca, serve
para qualquer principiante em razao de ter poucos
fundos: a tratar no caes do Ramos n. 24.
W
Admircm.
Em au n n i do dia 7 de doz"^ do cor-
iio rante o Sr. Dr. ju1' dn paz da fre-
ga-.'7.iade N. S. ;in Grcs, se In d* fiirematar uma
letiio ;-> Csrnpi Grande, com frente
. i-1 to 1 porta d-fr-ute e 2 janel-
mi ma xirtO) em caixao, em chao fotei-
,! ada OJ, pjra pagamento da execu-
!>" '" pito Antonio de Barros a Clan-
':, c J. -u liii.deira.
Da
r-
D :.-:noa a juros soo aiguma casaer
ma em t-sctavj : ni rua do Circ
*6.

ri-:.
1 10
I" andar da easa da praca do
Cortinados a ?.*ooo.
0 Pavao vende cortinados bordados, pprios
me,ma propriedade, por i-so nede aos mesmos-con: ^" Vatf'Vii* SLt.fflfwT "
senhores que tenham bondade de comparecer de Felfx PerdrTdk afva "npera,ri. 60,
no escnptorio da capella de m s;a propriedade as |ue rei" fereira qa bin a.
3 horas da tarde do dia 29 do corrente, para nma \ Rhum nacional
afim de mostraros emba-'
Vende-se a easa terrea no largo de S. lead n. 37:
a tratar a rua do Marquez do Herval n. 31.
320 reis o co-
vado.
Reis e Silva & Guimaraes, proprietaries deu'
bem conhecido eslabelcciuiento de fazendas fin as
convidam aos seus freguezes e amigos a sortiren
se dts artigos indispensaseis para a festa, artigos
da ultima mod; e dc Gno gosto, os quaes se v o
dem por mudico preco, de forma que igual nao
en'-ontra era outra parte.
Ahm de que o publico avalie o qne levam di c
off'Tecem a ^ua preciosa con^ideracio a segnku
mencao:
Riquissimas polinaises de gorgorio prem, rki
mente enfeitadas, pelo diminuto preco de 36/.
Lindissimos casaquinhos dc gorg. rao preto, n
camente bordados, sendo curtinhf.s conforme a rr.
da, pelo diminuto preco de 12*000 cada um.
Riquissimas sa^idas dc baile, de la e seda, pa~.
senhi ra, inteiramente novidade, pelo dlmina
prego de 12*000.
Lindissimas capinhas do la e seda inteiramc::-
te novidade, pelo insignificacte preco de 8*000 -
10$"00 cada uma.
Riquissimos cachincts de ia e seda, pelo dinjin .
to preco de 6/000 cada um. V
Um eompleto sorUttento de .apellas e^m vei
blonds, prnprir.s para noivas, pelo diminuto pre
do 10$, 13$ e 20$ cada nma. E" barato E c
mo sao lindas ?l
Ri inis.-imos lacinhos com fivela, prcpri s pa::
posci.go de senhor.s pelo diminuto preco de USu
cada uma.
Lindas gravatinuas de cor, proprias para sent)
ras, pelo diminuto preco de 1$000 cada uma
Lindissimas rosas com alfinetcs, proprias pa^
peito de senhoras, pelo diainuto preco de li?*i
cada um.
Cambraias brancas, bordadas de cores a 15, .',
zenda* moieicissima, pelo preco de 340 rs. o c
vado. #
Cambraia triDsparente, cm duas lartrara* Dei
prego de 13*000 a peca. ^
Cambraia transparente fina, Suissa, a 6/500 ;
peca.
Lambraia muito Dna, Victoria, a 7*200 a per;
Meias de cores para homem, pela diminuto or*
Co de 8*000 a duzia. E" barato I
Riquissimas caixinhas. cada nma com nma do
zia de lencos de linho ja abainhados, p;|o dim
nuto preco de 5*5X0, C*, 6*500 e 7*.
Grosdenaples preto, fazenda muito superior
I $200 o covado.
Selim branco, Macau, fazenda superior, a 2*20'.
o covado.
Riquis-imo sortirnonto de nr.pelinas de linho, pe
lo diminuto preco de 440 e 500 rs. o covado.
Riquissimas lairs de seda, fazenda modernise
na, pelo conmodo preco de 2*200 o covado.
Popelinas de linho e seda, padrdos lateira
mente novos, a 1*60J e 1*800 o covado. ba
ratol
Grosdenapoles Cc.r de rosa, fazenda muito sane
rior, a 1*600 e 1*700 o covado.
Um comolelo sortimento de las e alpacas da se
da com listras a 700, 800, 900 e 1*. E" muito ba
ratol
Um complelo sortimento da las, a 180, 200, 240
320e380rs. o covado.
Madapoloes, Elephante, com % varas, a 4*40
a pec-s.
Madapolao, Haraviiha, com 20 jardas, a 5*50t
a peca.
Madapolao francaz, Madraste n. 53, a 6*200 s
peca.
Madapolao superior francez n. 60, a 7*000 i
peca.
Assim como um grande sortimento de chitas e*
curas, claras e outros artigos.
REIS E SILVA A GUIMARAES.
* /
rua
do Queimado n. 43, junto A
loja da Magnolia.
E' barato.
Cambraia branca com flores bordadas de cores,
reuniao exlraordinaria, afim de mostraros emba- 'n Aw\j<*v/iaa*. sj0 paarges u^jio bonitos e de gostos nunca vislo,
racos que tem, enconirado em sua actual adrainis-, "rerniado na exposjgjo.da Socjfida^Dpze pek) diminuto preco de 320 rs. o covado:
tracSo, assim o espera o mesmo adminisirador qne de Dezembro. !s6o43 e quera tem. Dao-se amwtras com pi-
rtir,S,8i'm,al?mIde/ea.sintere33e,9l comparecamno Vende se, pelo dUninute preco de. U akraia nhor
dia acima mdicado. Apipucos, 14 de novembro de nabem conbecWa t.ve*na do Lima, roaTfl*-
ro da Victoria, coofroote ao oitao'da afizde
Sanlo Antonio.
Por 600| 6 barato
Vende-se um escravo de 30 a 35 annos, e bara-
to, proprio para refinacao, padaria, on mesmo
para nm sitio, por ser de boa condncta e sen se
| nhor.wtlrar-se para f6ra : na ma de Hortas n. 96.
Vende-se por qualquer preco, um sobrado
meia-agua de 2 andarcs e sotao, sito a rua de
Fogo n. 18, em terreno proprio e de muito boa
conslruccao ; uma easa terrea, sita a rna da Poq-
te Velhi a 47, e outra na rna do Visconde de
Albuquerque n. 69 : na rna da Conceicao n. 22.
1874.
Criado
Na rua da Alegria n. 40, se precisa de nm
uea tenha principio de eozinha.
Fedrasde mmm
Popelinas a 1-f e 1$500 o
covado
Cambraia branca, bordada, com listras e de
quadrinhos,_ abTtas e tapadas, por tarmos nuia
grandeporgao,reaolvemos vender barato uara aca.-
barmos, 6 fazenda muito larga e muito fina, ana
ODesengano recebeu am grando so'timent) de s,emPre M vendeu por *j o metro, eestames van-
popelinas de seda, de lindirsimos padrSes, fazenda dendo U vara-: s6 qoam tem para vender
-j--- qjtase vendepor2i5uO, esu vendendo pelos di- por esta preco e Guilherme 6j C, rua do Crespo,
JvmTi r i n r g brevldSde o hiate Vende-se pedrw d nurowes, de dire/is ta- minutes precos de U e UftOOo covado. E' grande loja das tres portas. Dao-se amostras.
: : a tratar na Soledade wm"Jw6 Ss trala-seMm Antonio" AlWiTV K," S5?^iS?;,?^p,*^!M!* *ara.p|tos | pechincha ; a ellas, antes que se aoabepi : na rua j Vende-seou.aIuga.se na cidade de ManrMh
r da Silva Guedes, sitio d. 27 J IAS. a7ua doXoriS n. 60 d SZa KSJai!.l2..BU',ercs : a trtUr C0,B *** da,l* de M?r n- J5' JT 'UJS da 5^*' D5'Se I -ma padaria bem mn,ad8' em oasa proPria' Pr
APROVEITEM
Aos nervosos
A NOVA ESPERANCA acaba de receber aqne>
les milagrosos anneis efectricos, enra infallival den
nervosos.
vendo papel de lab
Aos cigarreiros
A NOVA ESPERANCA vende pajei
proprio para cigarros. de diversas largnraa.
Insignias maconicas e cadei-
ras para viagem
Amaral, Naboco 4 C. veodoa insigaktsoncotf-
cas para diversos graos, e caieiras a abrtr e lecher
Sroprias para viagem : no Bazar Victoria, rna ia
arao da Victoria n. 2.
Maripoza
A HO rs. covado
S6 na ma do ^ammmio n. 43.
JUNTO A' LOJA BA M&&NQUA.
Maripoza. onrac* com lindas Nstras abeitas pe-
lo dbnumto preen de 320 n. o covado ; aprow-
,taa qoa 6 pachiocha, so a 43Barateiro
igual.
Dao-ae anostn*
Cunha Lages.
mum MCflRBnn I
m
^.
! as amostras com peohor.
djeco commodo.
Cal de Lisboa
Vende-se cal de Lhasa : w pnia As Carp*
Santo n. 17, 1* andar, escriptorio ds Joaquim no
drigues Tavarei de Mello.



Diario de Pecoambueo Domingo 29 de J^wembro do Wl&
mm
i
ft
-,
T
*/
> -
1
Ao baraleiro
A' ma 1 de Mar op n. 1
Confronte ao arco de Santo
Antonio.
Os propriotarios deste estabelecimento, tendo
gande deposito de fazendas de la, linho, seda e
algodao, e achandose proxima a occasiao do ba-
lance, resolveram fazer grande rednccSo era pre-
S)s, a(im de qae naqaells tempo nio teaham gran-
B trabalho em balancos ; a tor :
GORGORAO de seda prel /para collete, nm
corie por If. E' fazenda qua sempre castou If.
AMAZONAS, linda fazenda para vestidos de
passeio, a 500 rs. o covado.
GROSDENAPLES de cSres, verde, encarnado,
branco, cdr de roaa-e cravo, a 900 rs., if e
1*200 rs o covado. Quern 6 que nao coraprara ?
POPELINAS de linho, de quadros e listran, bo-
nitos gostos, a 500 rs o covado. Aproveitem.
POPELINAS de linho e seda, gostos inteiramen-
ie novos a 900 rs.
DITAS com listras largas asselinadas, o mais
moderno qne tem vindo ao mercado, a 2f.
CRETONE francez com listras e de quadrinhos
de cores e pretos a 400 e 440 rs. o covado. Isto
so no barateiro I
DITO francez de listras, proprio para camisas
e vestidos a 300 n.; pois so se vendo se node
crer.
ES >U AO de linho e algodao, proprio para ca-
misas, fronhas, etc., etc., com 7 jardas, a 3/200, e
com 10 jardas a4/500a peca.
&R&6brN~'D'rancaj cotn'lisfrar, para vestfalj, a
400 rs. o covado. E' pechincha I
MADAPOLAO francei com 20 varas, por 4/500.
E' barato.
CASEHIRAS de cores, para costumes (roupa de
homero) a 34 o covado. Ver para crer I
LAS escocezas, estamos acabanJo aos precos de
120, 180 e 200 rs. Apressem set
CHITAS escuras e Claras, fazenda flna a 210,
260 e 280 rs.; so a ma Primeiro de Marco n. 1.
CHAPEOS de alpaca, para sol, para senhora, a
2*000. E' admiravel 1
BRIM branco n. 5, cxposicta snpenor, a if a
vara.
N,72.Rua da Imperatriz N.
EM LIQUIDACAO.
Tendo recebido diversas qualidades de fazendas que ha tempo tinliam feito encommenda e
agora estando em liquidacao resolveu qne estas fazendas fossem venJilas nas mesmas condicoes o
que e moita vantagem para os corapradores, isto no Bazar Nacional rua da Imperatriz n. 72.
0 Desengano esta quei-
mafido
Organdys branco a 400 rs.
Vende se organdys branco com listras muiio
fino a 400 rs. o covado.
Popelinas a if. 000.
Vendese popelinas de cures muito Qnas a 1- o
covado.
Alpacas de cores a 400 rs.
Vende se alpacas de cores para vestidos a 400
rs. o covado.
Laazinbas a 120 n>.
Vendese laazinbas para vestidos a 120, 240,
320 e 400 rs. o covado..
Alpaca lavrada a 640 rs.
Vendese alpaca lavrada para vestidos a 640 rs.
o covado.
Granadina a 500 rs.
Vende-se gr n idiaa prela com listras brancas a
500 rs. o covado.
Percales finas a 400 rs.
Vende-se.,oercaJss.finas para vestidos a 4C0rs. dades e lrarato.
) covado. *.....-..
Chalks de li a 640 rs.
VeDde-se cha'es de lit a 640, ditos de merino
estampadosa U600 e ti
& rles de casemira a Sf.
Vende-se cortes de casemira de cores a 51,
5/500 e 6/.
Corertas de chita a 2j
Vendese c.brrtas de chita a 9/ e2/50P.
Colchas de fustao a 2/.
Vcnde-ss colchas da fustao a 2/, 3/ e 4/.
FustSo branco.
Vende-se fuMio branco para vestidos de senha
ras, organdys branco Qno a 640 o metro.
Mada polio a 3;.
Vende-se pecas de raadapolao enfestado a 3/ e
3o0d a peca, ditas ditai flno a 4/500, 5/ e 6/,
dito francez fino a 6/, 7 e 8/.
Algodaoxinho.
Venlc-se pecas de algodao de todas as
de Felix Pereira da Silva.
Roupa para hemem para acabar &le,ao fim
do anno.
Na loja do Pavao liquida se uma grande porcao
de ruupa para bomem como sejaro : caixas de
qnali-. brim d'Angola, ditas brancas, ditas de casemira de
' cor de 6J ale 12j, ditas de brim de cores, palitots
Bramante. e fraks de panno preto, de alpaca e alpacao, as-
Chitas finas a 260 rs. *^-4- -.y^ifle se bratff.f.vie de to palraos para lencoes sira como de caseoiiras de ceres, colletes brancos,
Vende-se chitas de cores escuras a 260, 280 e a 1/600,2/ e 2af>00 otw&tf.t -^ pretos e de cores, assim como roupa branca de to-
320 rs. o covado. i Algodao enfestado a 900 n. ^ 14as as qualidades, nao se clha a prejuizo, o que se
Cassas de cfires a 260 rs. I Vende se algodao de duas larguras enfestado a quer eSUflilidar ate ao fim do anno.
Vende se cassas de cores finas a 260 e 320 rs. 900 e 1/ o metro, dito tranoado a 1/280 o metro. | Camlho~vV,'{ir.w^ _lransparente
o covado. I Grande liquidacao de roupa feita.
Cambraia victoria a 3-500. Vende-se cerrulasde algodao a 1/, ditas finas
Vende-se pega de cambraia victoria a 3:500, a t/JOO e I /o 0. camisas brancas a 1/800, 24 e
2/500, ditas de linho bordadas e lizas a 3/ e
3/500. paletotj do alpaca preta a 3/500, 4/ e
4/oOO, ditos de dito de cores a i, camisas de
fianella a 2/, ditas de chita a 1/280 e 2/.
iRetalhoi de lit. i
0 Pa van veuda uwa pi r.ao de retathos de ta$
para vestidoa lnudo gr..iides e poqucnjs, que li
quida barato para acabar, assim como uma por-
cao de oasm e cWlas prelas qae se vendem por 0 proprietario deste estabelecimento tem resol
qnalqner preco para acabar : na rua da Imper*- vido vender as fazendas exi.-tentes em sen esiabe
trix a. 60, de Felix Pereira da Silva. lecimento, por menos do que em outra quaiquer
_ Espartilhos, a 3/500, 4/ e S;, parte.
0 Pavao vende um bonito sortimento dos maia Vaoziuese de seda.
"ennM espartilhos qne vende a 3/5 JO, 4/ e Vende-se esta fazenda de lindos patrSes, de lis-
o/uuu. trag c pa|raaSi pe|0 diminuto preco de 320 rs. o co
Pechinca em lenjos branccs a 2 500. vado, por ter uns toques de mofo, 6 grande pechin-
u.i- uveode duzl s^e ItnQos finissimos de cni. Esta fazenJa tambem serve para lulo, por
cambraia bram-a para mao, sendo fazenda qne 9er toda preta : e Tazenda de 2/500 o covado.
sempre se vendeu a 4>000 a duiia e liquida-sa a' v Damasco tie la
nffi8Pa2ter dirtmdchPinr^. "mnSa'fin^tt' Desengano esta vendendo damasco de la de
I Cassas de cores a 240 rs. Aproveitem que o Desengano esU queimando.
Vende-se cassas de cores para vestido a 240 rs. Cosaquinhos de gorgorio de seda.
o covado : na loja do Pavao a rua da Imperatriz I 0 Desengano esta vendendo casaquinhos de gor-
n. 60. j gorio de seda, enfeitados, pelo baratissimo preco
Camisas. i de 6/000 cada um, e grande pechincha. A elles
Vende-se nma grande porcao de camisai bran- antes qne se acabem.
cas com peito de linho e de algodao, por muito Organdys a 320 rs. o covado.
menos do en valor, por estarera um pouco enxo- Vendem-se Organdys de listras, branco, pelo ba-
valhadas, assim como scroulas franceras e de al- rato preco de 320 rs. o covado. Aproveitem.
godao a 15,500, ditas de linho a J. e 2., 500 para! MadapolSes de 43S000 a peca.
acabar : na loja do Pavao rua da Imperatriz a. 60 0 Desengano esta vendendo madapoiao francez
Na loja do PavSo vende-se umgwaode sortimen-
to de cambraia Victoria e transparente^pwa
ves-
CAMISAS de cretone francez de cores, a 2/500,
on.
CAMISAS brancas, inglezas e francezas, gran-
de sortimento por precos baratissimos.
BRIM pardj trancado, para 280 rs. e400rs. o
covado.
BRIM Angola, superior, a 500 rs. o covado; isto
so na loja do Barateiro I
CHAPEOS de sol de seda para homem, fazenda
uperior, a 8/300, 9/000 e 10/000.
BAPTISTAS matisadas, |ostos miudinhos a 300
rs. e 360 rs. o covado ; so confronte ao arco de
Santo Antonio t
LENOS de linho superiores, abanhados a 3#,
4/500 e a/OJOJa duzia.
TOALHAS felpudas superiores a 6/500 a du-
zia. Em outra parte vendem por 9/ 1
ME1AS crnas, super ores, para homem, a 4/,
4/500 e 5/. E' pechincha.
BOTINAS superiores para senhora, a 4/500 o
par.
ATOALHADO alcochoado, fazenda superior, pa-
ra mesa, a. i /500 a vara.
ALGODAOZINFIO branco, com peqneno toque,
i 32500, 4/ e 4/50O, e marca T, a 5/ a peca.
Alem das fazendas acima mencionadas, encon-
trarao muitas outras que agradarao em qnalida-
de e precos, e que para nao massarmos a paciencia.
de nossos freguezes, as delxam^s de enumerar,
So no Barateiro
A' rua Primeiro de Marco n. I.
Loja de Agostinho Ferreira da Silva Leal & C.
Nao se enganem
Pois sao os verdadeiros barateiros I
Aos legitimos fogoes econo-
micos.
Acabam de chegar a esta cidade os ver-
dadeiros fogoes economicos, ja" muito coohe
cidos nas provincias do Rio de Janeiro,
Minas, S. Paulo, Sergipe, Ric-Grande, Ba-
hia eJlagoas, aonde tem merecido do pa-
blico a maior aceitacSo possivel, e sao ja*
preferidos aos de qualquer outro systema,
conbecido pela sua muita solidez, especia-
lidade na collocaQSo, moderno systema,
^sofcretudo grande economia no eombusti-
vel ; trabalbam com lenba, coke, carvSo de
madeira, etc., etc. lla do diversos tama-
nbos, proprios para casa-c de pouca, regu-
ar, e de muita familia, collegios, boteis,
oasas pias, hospitaes, etc. Acham-se ex-
postos ao publico, aonde se darao todas as
explica^Ses necessarias : a* rua do Viga-
o n. 12_____________
Aos meninos
A NOVA ESPERAKCA, a rua Duque de Caziai
4/e5/. Cambraia transpsrente a peja a 34,
j 3/500, 4/ e 5/.
Corlinados a 6/.
Vende-se cortinadoi para janellas a 6/
par.
e 7? o
lidos t-ndo 8 1/2 vara cada pessa de 3.600 para^^ivado.
com 20 varas a 4/ a peca; dito muito fino, a 5/,
5/.S(0, 6/ e 7/ a peca ; 6 grande pechincha.
Algodao marca T, largo, a 4/, 4/500 e 5/ a
beca,
Ricos chap^os de sol de seda, com cabo de mar-
fim, a 12/ cada um ; 6 pechincha.
Baptistas de liudos padroes a 400 rs. o covado.
Lazinhas de cores, bouitos padroes, pelo diminu-
to preco de 160 e 260 rs. o covado. A ellas antes
que se acabem.
Cambraia Viet ria, a 3/500, 4/, 4/500 e 5/a
pe^a.
Alpacas de ceres, la e seda, bonitos padrSes, a
500 rs. o covado ; e grande pechincha.
Metins de cores, bonitos padrSes, a 280 e 300 rs.
Nova ranessi.
\ioho verde dc Aniaraste
Convida-se oi apreciadcres a virem apredat 0
qne ha de mait excellent* nesie ariigo; viada-
se em decimo^ e a relalho, cm c..~ de Pii
iC, a rna estreita do Rosario n. 9, jantoa
greja._____________________________
Corttts'decasimira a 4|,
e 6#000.
Na loja do Pavao, vende-se cortes d i-
jsemira para cal^a a 45, 55 f: 9HQ$, dr.os
muito fin.sde uma s6 cor com listras jo '-
do, fazenda que sempre se vetidt-u a W e
10?f000, liquida-se a 6$000 para acabar:
i rua da Imperatriz n, 60, de Felix Pere ri
da Silva. ______^^^
Cal de Lisboa norissima
Vende se em grandes e peqnena* poreocs : :a
doa Dircita n. 14. _______
Para concertar meias
A NOVA ESPERANgA, a rua Duque de Cax m
n. 63, recebei< re.--.* neces&aria linha.
Asunicas verdadeiras
Bichas hamburguezas on*= vem ** isz*> a
na -H* do Martinez deilinffi>' K'
\,
Vende-se
A 120 rs. o covado.
cima, isto na rua da Imperatriz n Oi At Felix Pe
reira da Silva
C.illai'inhos de linho para acabar
a duzia
Na loja do Pavao liquidate uma grande porcao
de duzias de collarinhos de linho, por estarem um
pouco enxovalhados, pelo barato preco de 4$ a
Na rua da Imperatriz n. 60, vende-se para aca-
bar uma grande qnantidade de las, restos de di
No escritorio de Thomaz de Aquino Fonceca & versos scrtimec-tos, desde 120 rs. ate 500 rs.; no
C. Successores, a rua de Vigario n. 19, primeiro tando-se que, quaodo havia sortimentos comple
andar:
Cimento Portland verdadeiro.
Cera em velas e em grurao, de Lisboa.
Vinho Sheriy.
Vinho d > Porto em caixas, finissimo.
Idem em barris de quiuto e decimo, fino.
Retroz.
Fio.
VENDE-SE
Na rua do Vigario n. 19, vende-se o seguint e
Cimento de Portlaad, em primeira mao.
Vinho do Porto, engarrafado, finissimo, em cai-
xas de duzia.
Dito dito em barris e aneoretas.
Vinho Sherry, inglez em caixas de duzia.
Vinho Collares em aneoretas.
Cera em velas, de Lisboa.
Cera em grume, idem.
Wilson Rowe & C. vendem ao sea armajis
a rua do Commercio n. 14 :
verdadeiro panno de algodao azul amencano.
Excellente fio de vela.
Cognae de 1* qualidade
Vinho de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as qualidades.
tos, se vendiam a 1/280 e 5600 o covado, b
grande variedado em padroes, os que primeir
chegarem melbor pech'ncha farao, a ella a rua d
Imperatriz n. 60. __________
Na loja do Pavao vende-se madapolSes france
zes mnito incorpado3, com 20 jardas a 6,000 reis,
dito muita fmo com 12 jardas a 3,000 e 3,500 ; as-
sim como um grande sortimento de madapolSes
inglezes de 4,500 ate 8,000 e 9,000 : a rua da Im-
peratriz o. 60, de Kelix Pereira da Silva.
ChftaV laras de lindos padroes a 240, 260 e 280
reis. -^^^^
E outras muitas faiejjas que dcixa de meucio-
na- as para nao se tornar enfao.'oJbo, por isso o
projTletario convida a todas as pessoas.a fazerem
j uma visita a sou estabelecimento, alim de Mrti-
I rem se do bsm e barato. Rua do Crespo n. 25
duzia, sendo fazenda que sempre se vendeu por ;unt0 a |oja da esnubM.
7$ c pechincha : a rua da Imperatriz n. 60, loja
de .Felix Pereira da Silva.
Chales de casemira a 4/.
0 Pavao vende chales de casemira com gostos
cbinezes, sendo muito grandes, que sempre ven-
deu a 7/ e 8j, liquida a 1$. Ditos de la, muito
Farinha demandioca supe-
rior.
Tem para vender, Joaquim Jose Goncal-
varledado em padroes^ os que primeirt ; encorpados, com listras, a 3j. Ditos de qaadros,' ves Beltrao & Filbo, a bordo do palinbott
Itosila, rundeado ao pe do caes do Collegio,
e para tratar a burdo ou no seu cscripturio :
& rua do Commercio n. 5.
Sacco
s
I Vende se saccos de estdpa cm um peqneno
defeito, proprios para ensaccar farinha, milho, etc.,
pelo diminuto preco de 520 rs. cada um : na lo-
ja do Guilherme k C, a rua do Crespo n. 20.
azenda muito boa 2- ; asslm como, um bonito
furtijiento de ditos de merino, lisos e de quadros,
vende de 2jJ ate 5^ e 6/ : a rua da Imperatriz
n. 60, loja do Pavii, de F. Pereira da Silva.
Popelina de linho a 400 rs. o covado.
0 Pavao recebeu um elegante sortimento das
mais bi nil s pepeljoaa Jistradas para vestidos que
i vende pelo barato preco de 400 rs. o covado, la-
vando se nao desbolam ; assim como, bonllas e
I modercas lazinhas com listras de seda a 646 rs.
1 o covado. Ditas transparentes com pa!minhas a
500 r?., sao booitas. Bareges de uma so cor, pelo
; barato preco de 400 rs. o covado, e pechincha :,
na rua da Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira 116?.0.' n sea escriplono, a rua do Bom Jesus an
da Silva.
Chocolate do Maranhao
Unico deposit) nesta cidade, em casa de Jose
i Tavares Carreiro & C, rua Direita n. 14, onde st
i vende pelos precos e vantagens da fabrica.______
Salsa-parrilha do Para
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Az- |

Pentes girafe.
Pentes girafe, proprios para senhora, ( altima
moda): a Magnolia a rua Duque de Caxias n. 45
e so quern tem.
Papai, mamai.
Como sao lindas as bonecas de cera que cha-
mam papai, mam?i, choram, andam, etc. So na
Magnolia a rua Duqae de Caxias n. 45.
Gaiolas, gaiolas.
A Magcolia, a rua Deque de Caxias n. 4", re-
cebeu gaiolas de arame de lindissimos modelos,
proprias para passaros ; a el is antes qne se aca-
bem.
n. 63, acaba de receber um bom sortimente de fi-
nas bonecas que fallam, que riera-se e chorasi
tambem astern mudas e surdas ou surdas-mudac
venham ver se nao e urdade.
Colchas para camas
Na loja do Pavao vende-se colchas de faslao
brancos, para cama a 2,500, ditas de dito de or
a 4,000, cobcrtas de chita e de cretone, de 2,500
para cima e ditas de metim escarlate forradas com
madapoiao a 5,000 : a rua da Imperatriz n. de Felix Pereira de Silvc-
Vinho verde.
Especial chegade no uitimo vapor, tem para
vender em barris de quinto e de Colares em
decimos, no seu escriptorio a rua do Commercio
n. 5, Joaquim Jo.-e Goncalvse Beltrao & Filho.
Casaquinhos
Casaquinhos de gorgorao de seda, pretos, pro-
prios para senhoras, fazenda muito fisa que sem-
pre se vendeu por 20/, estamos vendendo por
6/ cada um : isto so na loja do Guilherme & C.
a rna do Crespo n. 20.
Linho d'Abeia
Cortes de vestidos p-.ra liquidar.
0 Pavao vt'n le a 4;, 5/ e 6/ corte de cam-
braia branca com eufeiles bordados dc cor, fa-
zenda que sempre vendeu a 7/ e 8/, e liquida a
' 4/ para acabar. Ditos brancos de cambraia aber-
la com litttai e lavradinhas, que sempre se ven-
1 de-ram liquioam se per 5/. Ditos Benoalao
com I ufeites de cor, fazenda que val ISj,
liquiuu Gj. Diios de eassa de cores com
7 varas ,. ; e pechincha : na rua da Impe-
ratriz n 60, loja de Felix Pereira da Silva.
Pechincha para criancas.
Meias a 2/500 a duzia.
Toalhas de fustao : ara mesa a 2 -'00.
0 pavao vende toalhas de fustao para mesa de
jantar pelo ban Is preco de 2-/500, e pechincha :
Linho de Alcacia com listras, abertas, fazenda na loja do Pavao, a rua da Imperatriz n. 60,
muito Iargn, padi^es liudos e inteiramente novos, lcja de F. T. da Silva.
proprio para vestilcs de senhoras e meninas, pelo j Gros preto a 1/.
baratissimo preco de 440 rs. o*covado ; dao-se, 0 Pavao vende grosdenaples preto a 1/ o co-
amostras : a rua do Crespo n. 20, loja do Gui-1 vado e dabi para cima, ate" 43 : na rua da Impe-
Iherme & C. ratnz n. 00, loja de Felix Pereira da Silva.
Brtns de Angola a 2/, 2.500-e 3/.
0 Pavao vende cortes dos verdadeiros bins de
Angola a 2f, 2/300 e 3/ ; (s pechincha : na rua
da Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da
Silva.
Metins a 280 rs.
0 Pavao vende bcaitos metins de cores para
vestidos, pelo barato preco de 280 e 320 rs. o
covado; assim como, um bom sortimento de chi-
tas de todas as cores, padroes modernos e fixes,
pelo barato preco de 280 at6 360 rs. : a rua da
Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da Silva.
mero 57.
Sedinhas a 1$500 o cov, do.
Venham antes que se acabem : na loja do Pa**
a real/ de Marco n. 7 A.
Sargeiim
Sargalim de cor trancalo proprio para forro de
vestidos e outra qualquer obra e vende se pelo
dimiDuto preco de 460 rs. cada covado : a rua
g Crespo n. 20, loja do Guilherme & C.
CASA
Vende-se ou aluga se nma casa terrea em Olio-
da, em grandes comn.odos, gaz e agua encanada :
a tratar na rua 1* de Marcoai 6.
\iio ha quexi vem'.a mais karat!
Gama & Brito, com .rmazera de molhados no
largo da Santa Cruz n. 2 e 4. vendem mant. iga in-
gleza em barril a 800 e 1,000 rs. por cada 450
grammas ; vinho de raaca a 1,200 a garrafa. dito
Figueira a 440 a garrafa, a Canada a 3,400 rs.,
gaz (Devos) liquido a 40 a garrafa, velas siearinas
a 560" o maco, velas econi micas a 760 o maco,
cha perola a 3,200 rs. cada 450 grammas, dito al-
I jofar superior a 3,000 rs. cada 150 grammas, um
1 complete sortimento de biscoitos em latas, que :e
.vendem por pr?cos baratissimos, hervilhas france-
zas a 640 a lata, marmelada muito fina a 640 rs.
a lata com meia kilo, queijos frescos, azeite doce
j de Lisboa a 640 a garrafa, assucar de primeira
; sorte a 320 rs. o kilo, dito de segonda sorte a 28
o kilo, dito de terceira sorte a 240 o kilo, vinho do
1 Porto, em barril, a 800 rs a garrafa, dito engar
r&fado das marca3 mais acreditadas a 1,000,
1,200 e 1,500;: o que p6de; haver de ralhor e
i tudo mais a vonlade dos compradores, certos de
que encontrarao a maicr sineeridade e agrade
I possivel : no largo da Santa Cruz ns. i e 4, arma-
zem de Gama & Silva Brito.
Vende-se
Cimejiie Portland \
0 verdadeiro cimento Portland em barricas de
180 kilos: vendem Lebre & Reie, a rua do Amo-
rim n. 58.
Salsa parrilha
Muito novae grossa.
Vende-se por barato preco, em porcao ou a re-
talbo : na rua larga do Rosario n. 34.
na rua do Vigario n. 19, primeiro andar :
Vinho do Porto engarrafado, em barris e em
aneoretas.
Cera em velas, de Lisboa, superior qualidade
Retroz do Porto.
Cimento Portland, legitimo
Para senhoras
Como sao lindas e modernas as gravatinhas qua
a Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, acaba
de receber 1
W E ^Bjffci~K< oS'tii-juHtoa ifre-
ja de S. Jose do Mangu nho, com mm de vivetdt
assobradada e outras acommodacoes, t do ma i-
do, com duas frentes -ervi 'as por portio de fr-
dando para a rua di An>izade e para a do M I:-
guinho. Tem de terreno proprio 194 paluioe 4c>
largura e 354 de fundo ; e a ca>a m de 52 patecs
ds frente e 84 de fnudo. A situacao i a melt r
Eossivel pan mt-rada, e quira qnuer edificar, kra
astante tr-reno para MO, pelo lado da rna la
Amizade. T>m agamas plantacoes de goto e le-
creio, bavendo ba^tante agua fornecida par dc:
caeimbas, nna das qcaes e nova. A eo(ea4er-K
i com o Sr. Dr. Witravio qn-m o pret; nder.____
A 500 rs. o cpvadtf
Na Ijja do Pavao vende Aflaziubas kpHMM
de cores muito modernas pelo baratis-imo pr-1
de 500 rs. o covado, para acabar ; u .Uji^se q.t
6 fazenda que jamais se vendeu por men** te
dois cru2ados ; ja ha poncas : a rna da liuaeraH s
n. 60, loja do Pavao, de Felix Perei a fa S.: .
I.azinbas brilhntf.s a 720 rs.
0 Pavao r< cebeu um hmlm sortimeut i daa ma i
lindas laziubas brilhanles, sendo de quadrinbt:.
miudinhos, parecenJo dc uma sd cOr. e 'en to diff<
rentes cores ; esta fazenda tem um ' seda e bastante largura, t vcnde-.e a 72" r.-.
covado : na rua da Im.eratriz n. CO. lefi Je F
Ptreira da Silva.
Lazinhas modernas a 320 rs.
0 Pavao veude bonita.i la/iohas de quadrnbo-
tendo de tolas a? coses, pelo barato pre.o de 329
rs. o covado ; stndo fazenda que jii: ore M vt:
a 500 rs., .' p- chine .a : na rua da Imp- iat:iz D.
60, loja de Felix Pereira da Silva.
Crochets para eadelrat
0 Pavao vende uma por;a de p-.n-m de cr: -
chet, proprios para eaco.-to de carte.rjs e de u -
fas, que vende por prer-os baratissiun s: na ; I
da Imperatriz n. 60, I jja de Felix Pereira
Silva.
C6rtes de organdy a 2?i00
0 Pavio recebeu nm bonito sortimento de ci.
de organdy, matisados, para ves:Mo, qne veoa
pelo barewcMM pre;o de 2 400 o eortf. e pechia-
cha : na rua da Imperatriz n. 60, loja de F.l. .
Per.ira da Silva.
A' praca circular do Apollo
vende-se:
Tijoloa de marmore, de differentcs ta -
manhos o qualidades.
Tijolos francezes, sextupl >s.
Ciiuento Portland verJadeirn.
Azuiejus ^s-aades muito propri..
para rodapes.
Azulejos verdes e amarellos, tamanh;
regular.
Haquinaa de desc&rocar algodao.
Cadeiras de ferro, assent dc palh!
uha, proprias para campo.
Para p-dariasetavernas
Sal fino e muita aivo : vende ae na rua Imp
rail n. 5, armazem.
Leques gigantes
S6 qnem tem dos mais modernos e a Majnoli;
a rua Duqae de Caxias n 45.
,
I

16
18
27
31
32
35
40
58
74
76
77
104
5
7
12
13
52
54
77
86
89
90
91
203
11
13
20
24
26
28
37
44
53
64
77
78
83
86
88
I.
120
DOS PREMIOS DA PARTE DAS LOTERIAS CONCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. 688, A BENEFIC1Q.DA IGREJA DO ROSARIO DE SERLNHAEM, EXTRAHIDA EM 28 DE NOVEMBRO DE 1874
S3. PREMS.tNS. PREMS.
w
45
4^
303
25
31
34
49
5i
56
60
64
67
76
79
89
90
96
98
404
16
18-
36
42
43
51
58
CG
72
81
82
86
90
91
505
7
15
16
21
23
32
33
u
O0
4A
NS. PREMS. N3. PREMS.
537
49
50
60
70
71
72
82
81
87
88
90
93
600
6
14
16
29
32
50
51
53
56
65
70
77
79
95
99
701
5
14
16
17
39
48
57
58
71
U
40
40
106
U
4:0005
44
774
87
88
89
90
806
7
8
19
20
21
22
24
31
34
46
50
63
69
73
84
85
903
5
9
12
15
23
25
28
42
44
54
55
65
67
69
74
76
4J
4,5
NS. PREMS. NS. PREMS.
980
1005
14
19
22
28
43
46
66
73
79
96
1101
3
5
6
8
14
17
24
30
32
34
35
41
45
53
67
69
77
84
86
96
99
1203
17
21
29
32
4^
05
104
44
m
u
1245
50
56
69
75
92
1311
12
18
24
40
42
45
46
58
65
68
71
73
75
78
81
83
84
98
1402
5
13
15
23
24
30
34
42
49
50
69
79
84
44
0
44
40
NS. PREMS.
1489
90
1502
5
6
10
24
30
35
55
62
74
77
97
1600
6
9
19
31
34
41
44
46
47
48
50
73
74
84
89
90
91
1700
12
16
23
31
45
u
40
NS. PREMS.
m
40
1O0
4*
1O0
*O0
41
O0
1752
53
62
66
67
72
74
77
88
89
92
1805
18
49
52
61
76
79
93
94
97
1947
19
27
42
48
52
53
73
79
88
2002
8
19
26
32
38
62
67
40
NS. PREMS. NS. PREMS.
1O0
40
2072
80
82
83
8S
96
2101
7
18
28
45
47
49
53
54
76
77
79
88
91
93
94
98
2203
18
19
23
30
32
33
41
63
65
72
85
87
93
2302
49
40
100
40
1O0
40
2350
52
55
65
68
76
78
91
94
95
96
99.
2401
5
11
12
17
21
24
25
29
3L
37
40
42
49
57
68
78
97
[2501
5
11
22
30
31
42
57
66
I05
40
0
40
NS. PREMS.INS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. Nb PHFJI5
40
40
0
40
0
40
2567
79
86
97
i9
2600
15
18
19
20
35
46
47
48
52
58
59
75
78
97
12706
7
12
16
17
24
25
27
30
36
39
44
55
57
58
61
63
66
68
(jmm j
1O#0
40

40 2779
81
82
85
86
89
95
2803
7
35
38
41
42
44
48
51
53
63
72
73
75
79
82
86
95
40
0
40
-
402900
7
16
29
40
42
61
66
69
91
98
3014
32
33
1O0
40
3035
36
40
51
56
57
58
60
75
88
89
90
91
95
96
98
3100
%
11
14
22
28
30
31
32
33
45
53
75
0
81
87
89
94
3206
9
22
31
40
0
40
0
40
0
HI
0
40
3232
39
45
52
53
63
73
83
84
94
97
99
3312
18
27
29
30
38
40
43
50
62
80
87
93
97
3401
9
; 21
22
23
24
33
35
37
40
43
58
40
0
40
*e0
40
1O0
40
01
40
3490
92
97
3501
27
36
37
40
47
55
60
62
65
83
91
3604
17
20
31
40
46
54
62
68
72
73
77
84
98
[3701
15
18
24
27
31
33
38
46
0
*
40
40 3751
7
90
1)6
98
99
3808
9
11
15
21
22
26
40
44
65
73
78
86
95
S.8
3900
1
4
7
11
23
27
33
37
43
62
63
65
71
73
75
87
.
4#
H
H
S
^X


f
8
Jiario do Penur^uoo Domingo 29 de Novembro de 1874.
JORISPRUDEHCIA
jos juizes tem um futuro seguro nossa mis-
s3o de reger e Sscalisar a divisdo das ne-
ran$as e a adrainistragio severa e escrupulo-
Begluioiito de eustas. s"> e a conservag8o das pessoas o dos bens
Vii dos orphdas, providenciando pelo seu bem
0 regimento de 1833, bem elaborado e estar e educagao, e pela guarda e augmento
reflectido, nao fez distincgao das ju zes do do* seus rendinientos.
commercio, aos quies o njvo regimeivo'. ,Esse reg"nonto de 1855 marcava para o
marco,emolumentos especiaes. Jjulgnmento de quaesquer contas de tutela
E', porlanto. assurapto inteiram nte novo,* ^u^-
o dessa parto do uovo regimento, quo tevo! novo regimento faz grande alteragio,
em vista melhor rcmunerar os juiz.s do e5tatu>n lo que essa taxa seja segundo os
commercio. rendimentos annuaes, e marca no minimo
' A ser eutenlilo slricli juris o capitulo
3' d) titulo 1" da parti} 1* Jo novo regimen-
to, os juiz;s do commercio sd ter5o os emo-
lumentos raarcadosao art. 3, com a reduc-
15 e uo maxirao 205.
Dest'arte o augmento dos rendimentos dos
bens, mesmo quando elle venba das quan-
tise recolbidas aos cofres pubiicos, dd iucro
caoestatuida no art. 29, quanto is causas a0ju'z. torna-o assim interessado nos bens
cujo valor nao excoder a 5003000. jdos orphaos.
Mesmo porque, quando trata dos juizes1 N* cur,aI .ue se tivesse em vista, pe-
de orpbdos e ausent-s', o novo regimeuto lo >ntere.Cdo maiores eraolumentos, fazer
dispoaque em tudoso regulardo pelo que que o juiz de orphaos zel mais os rendi-
vai marcado aos juizes do civel, {e nao dis-j mentos dos bens dos orphdos, forcandoseus
po* o mesma quando falla dos juizes do tutoros a promover esse progresso de rendi-
comraercio. j mentos.
Nao cronos isso possivel : o talvez a im- km lu<*
pressao poroode nos guiamos nesta analy- augmentou ao juiz de orphaos mais 13.
se, tenha omittido disposicflo rolaliva. Continua a dispoogdo p?la qual os juizes
Mas, o que vemjs de novo nesso artigo f orphdos nao podem veneer maiorestada
30equedd-se ao juiz do commercio, do f que a de tres dias, embora gastem mais
despacbo de abertura de fallencia 25, quau
parte civel, a primeira das suas quatro gran-
ies tabellas, tratando dos juizes de direito
em 8* instancia e em correicio.
0 aviso de n. 335 de 21 de outubro de
1835 decidio que pelas sentencas proferidas
pelos tribunaes do commercio em proces-
sos a lministrativos se deviam cobrar os
emolumentos taxados para os juizesde di-
reito de 1* instancia.
0 novo regimento apenas augmenta nas
decisdes de aggravos de 2$ para 5$; e,
quanto aos julgamentos em segunda instan
urn*, machioha com a qual, no tejadilho, i ta brauqueia se facil
dou3 homens operam.
mais do antigo regimento se
su3S rest-
do o juiz do civel torn das sentengas sobre
just''Gcacoes para aresto ou sequcstro de
bens, ou para detengao pessoal, ou das seu-
t-sagas tin ies sobru subsistencia ou insub-
sistencia do embargo, sequestro ou deteu-
g5o. qualquer que seja o valor, 3# ; e das
sentencas de absolvicao da instancia, e das
que se proferirem em acgdo de juramento
d alma, 10.
Tdra mais os juizes do comraeraio, do
despacho quo qualifica a quebra, os mesmos
emoluyoentos que torn os juizes do civel das
dias era cada inventario f6ra de
dencias.
Ndo e justa essa medida, e estabelece uma
desigualdade oJiosa.
Os juizes do civel, era qualquer dlligen-
cia IV)ra da legua da cidadcuu villa, ou no
mar, vencem 30, e mais 103 por cada dia
quo gastarsm.
Porque aosju;zes de orphdos ndo se ha
de contar os dias que excederera a tres em
cada inventario f6ra de suas residencias ?
Quanto aos emolumentos dos juizes de
ausentes, o novo regimento conserva as-ta-
TRIPAS DEPAPEL.Ao que dissemos
nesta seccio dcorca das tripas de papel or-
dinario, ou perg'roiobo, devemos hoje ac-
crescentar que o papel nio e collodo,
empregando-se para unir os bordos uma
soldadura chimica inteiramento inoffensiva,
e perfeitameute efficaz para o Gm a qQe 6
destinada.
Comparando a tripa de papel com a tripa
cia, sendo 6 disposto no regimento ante- animal, para os enchidos, vdse.qie ells
rior : que dos julgamentos das appella-, custa menos, 6 mais aceiada^ nao tem cheiro
go as do qae trata a lei de 14 de outubro do repugnante e presta-se, corao a natural, ao
1837 teriam aquelles juizes 3j, o art. 4 do preparo de chouricos e morcelllas, que po
novo regimento dispde que:dos julga-.^8111'/o fumeiro, e ser cosidos, assados
mentos em segunda instancia terio os mes ,ou fritos, conservando-se bem, parque ndo
mos juizes o dobro dos emolumentos taxa- correm o risco de apodrecerem.
dos para os juizes de paz e raunicipaes em | Algumas pessoas perguntam quaes sdo as
primeira instancia. regras para fazer oencbido. Respondere-
Masonovo regimento nio taxa emo'u- m<>s dizendo que antes do enchimento deve
mentos especificadamente para os juizes f tP* estar de molbo em agua, durante
muuicipaos, falla dos juizes do civel, quo urn quirto do hora. Por estemodo amolle-
ce, e o seu cpmprimento augmenta na ra-
zao do 31 para 35. Quanto sodesempaco-
ta a tripa de papal e preciso ter o cuidado
de nio a rasgar, no casi do adberencia.
As superb' ries separam-se depois facil-
raeate in agua.
Tirada a tripa do band-), emprega.-se
como a outra no enchimento. Nao carece
de precauQao especial.
men*, exige poucos/min.,d, entretanto que passam a ratior
productos cb.micos e fi ramto limpa. ptrU) do tea,^ em rdadeira ociosida.fe
uzania em grandes superficis Honens de
!^
s comprehendem tambem.
sentencas proferidas sobre o ponto priuci-i"s e d'sposigOes do anterior regimento,
pal da causa, calculados os valores pelos jco mui1.W'1?"8.8: m, ,Ca?0e?'
activos que forom arrecadados.
Nao ha que reparar nessa disposicao.
E' muito trabalhoio o servigo de exami-
nar a instruccao do processo de fallencia,
para se proferir a sua qualiGcagao, como
exige muito tempo, estodo e trabalho o exa-
me de uma demanda, para sentenciala de-
finitivamente.
Porem, cumpre ver que a qualificac3o de
uma fallencia nao e despacho definitivo, do
qual ba recurso ex-o(ficio e voluntario, e
que nao poe termo ao processo de fallen -
cia.
0 cit3do art. 30 marca aos juizes do com-
mercn, de as-istirem d reuniao de credo-
res psra concordalas, m iratorias ou presta-
gao de contas, emolumentos que s3o regu-
lados pelo numero de credores, no que ne-
nhutna vantagem vemos, e cuja razao jus-
tificativa n3o e conhecida.
Essa tabe'la fixa para as outras reunioes
da credores, igualmente mais ou menos nu-
merosas, e do mesmo rnodo mais ou menos
trabalbosas e importsntes pelos seus objec-
tos, metade daquelles emolumentos.
Pore'm, porque ha da ter o juiz do com-
mercio, quando presilir a reuniao de mais
de vinto credores, maiores emolumentos, do
que quando o numero do- credores f6r de
viote ou do menos, caso em que s6 tem
105?
Ate" o presents os credores receiavam re-
querer a abertura de fallencia, com medo
dos gastos, porcentagens, e custas judiciaes,
que muito desfalcaram as massas, em pre-
juizo manifesto e certo dos credores e dos
infelizes failidos.
; 0 que devem temer hoje ? Certamente,
comprehendendo e zelaudo os seus interesses,
fugiram desse expediento judicial, tudo fa-
rao, era desvantagem para o commercio e
para a justica, para que se evite a abertura
de fallencia.
Cuanto aos emolumentos dos juizes de
orphos, merece mais reparo e sensibilisam
mais os augmentos feitos, que prejudicain
assds os orphaos, entes dignos de toda a
protecgao, para o que justo era, e de alta
conveniencia e raorehdade, que os seus pa-
trimonios n3o fossem onerados com cresci-
das custas, e que a prestagao das contas de
suas tutellas nao pezassem tanto sobre seus
bens e rendimentos.
Melhor comprehendeu esta especie o re
gimento de 1855, que foi muito mais pru
dente e equitativo para os orphaos, sem pre-
juizo dos magistrados pagos pelos cofres pu-
biicos, cercados de honras e privilegios, cu.
FOLHETIM
A FBIHCSZA DOS USSIHOS
MYSTERIOS E INTRIGA.S DA COR-
TE DE FELIPPH V.
POR
FERNANDEZ Y GONZALES
VOLUME I
PRIMEIRA PARTE
As Tres Esperancas
CAPITULO I
1 DESTACA5IENTO DOS GUARDAS D'EL-REI.
Era ao pdr do sol de formoso dia de
agos'.o de 1705.
Ka pequena povoagao do Taracena, situa-
da a tres quartos de legua de Guadalajara,
na estrada de Franca, reinava extraordina-
ria ot:imaQ5o.
Etatra a casa da camara e a igreja, viam-
se o alcaide e o cura em grupo com os
principaes moradores da praga de Taracena.
Na outra extremidade da praca, o bar-
t>eiro < a classe media formavam outro
ajuntai) iito numeroso, e & porta da estala-
gern, quo Qcava proxima da praQa, agente
miuda, :<. mogas, os homens de trabalho, os
pap'lvn-;, olhavam embasbacados para um
grupo d-v jovens militares trajando brilhan-
tes unil'ormes, que se entregavam & anima-
da e alfgre conversa^ao.
Eram em numero de oito estes militares,
entre os quaes havia a r.ontar um novo per-
sonagem, que tinba uniforme igual ao d'el-
les, mas cuja idade era avan^ada, e cujo
specto era mais grave e serio.
A' pequena distancia dos fidalgos, e
dizemos assim, porqne todos pareciam fi-
dalgos,' ricos, edeboa linhagem, viam-se
novo cavallos magQificos de boa marca,
com bridas, sellas, burnaes, caparacdes
agaloados e coldres, tudo & railitar e uni-
forme. -
Os cavallos esiavam seguros de r^dea pe-
lo* paisanos do sitio.
Os nove militares e os nove cavallos
: ristituiam tun destacamento do real corpo
de guardas nobres da sagrada pessoa d'el-
eri D. Felippe V, primeiro monarcha em
Quanto aos juizes dos feitos da fazenda, o
novo regimento consagra duas novas provi-
dencias.
De uma jd fallaraos, em outro artigo ; e
a quo se refere ao caso de decahir a fazenda
publica de qualquer accao, no qual nao e
obrigada a pagar emolumentos ao juiz e aos
erapregados do juizo que tiverem venci-
mentos pelos cofres pubiicos.
Da outra nos occupimos agora como me-
dida muito acertada, que faz benelicio a to-
dos. E' a que esta escripta no art. 37,
que nao da emolumentos aos juizes nos pro-
cessos promovidos ex officio, ou a requeri-
mento do procundor-fiscal no interesse da
fazenda publica ; e s3o : os inventarios, de-
marcacfles e descrip^Ses de terrenos e pre-
dios naci >naes e sua incorporacao, e quaes-
quer outras diligencias em que nao houver
contesta(jOes ou opposicao da parte.
P6Ie acantecer que na execuQao esta me-
dida se torne illusoria, ou seja facil e conti-
nuamente illudida ; parquanto, era poucos
casos nao apparecerd contesta^ao ou oppo-
sicao de parte.
Relativameute aos juizes de provedoria,
poucas alteracoes soltreu o regimento de
1855 ; o augmento mais sensivel e o que
se refere i tomada de contas de capellas,
servico do cuito religioso, que, por raui
bons e procde.tes arguuentos, devia ser
ex-of}icio e gratuito, como e o que se faz &
fazenda nacional.
Da tomada de contas tinba o juiz de ca-
pellas ate 2 JOS o emolurnento de 15, o que
estd conservado no novo regimento ; tinba
das contas ate 4005 2<$, agora tem ate 6005
45; das contas ate 1:0009 tinba 35, agora
tem 55 ; ate 2:0005 tinha 55 ; agora tem
ate 4:0005 85 ; e de 2:O0OJS para ciraa ti-
nba 65, agora percebede 4:0008 para cima
mais 500 rs. em cada conto, e nada tem
por qualquer fracgao que exceder .ao ulti-
mo conto.
Antes do novo regimento o maximo era
65, agora e 85, Sendo as contas ate 4:0005,
e dahi para cima o que se contar pela refe-
rida regra de mais 500 rs. para cada conto.
Ora, as custas das contas de capellas cor-
rem pelos rendimentos das mesmas capel-
las, irmandades, e confrarias, e, consequen-
temente, onera-se seus rendimentos na maior
parto incertos e dependentes da devogSo e
fervor religioso.
Seria para desejar que nio fossem assim
gravados aquelles rendimentos por esso aug-
mento dos emoiumentos daquellas contas.
Finalisa o novo regimento de custas, na
Hespanba da dynastia bourbonica que Deus
guarde.
Mais abaixo, ao pe d'um portao aberto
n'um muro que ainia pertencia a estalagem,
viam-se dez valentes mulas de tiro, com os
competentes arreios, seguras por palafro-
neiros com Iibre da casa real, que desde Fe-
lippe V consiste na faixa lavrada com as
cores branca e vermelba alternadas, cores
que ainda 'hoje se observara m baixa cria-
dagem do palacio, e, nao sabemos porque,
na gola, canhSes e alamares dos cornetas,
tambores e trombetasdo exercito.
Os guardas traziam cbapeo de tres bicos
agaloado de ouro, camisa de collarinho
grande e bofes, jaleco de panno branco de
grandes bandas bordadas a ouro, casaca de
velludo preto agaloada tambem de ouro,
com amplos canhoes ricamente bordados,
bandoleira e cinturao de gra matizada de
quadradinhos de ouro, espada de cavallaria
com formidavel empunhadura redonda de
ago e baihha de couro preto com duplas ar-
golas para as correias, cal^ao de meia, bota
preta de montar, esporas douradas, e sobre
o bombro esquerdo um laco de galuo de
ouro com grandes pontas, preso por uma
presilha.
0 guarda de mais idade e de aspecto
grave tinha um destinctivo mais : duas pe-
quenas dragonas com quatro caches largos
e curtos de canotilho de ouro.
Era o capitao. Os outros oito, eram sim-
ples guardas.
II
Aquelle destacamento esperava a prince-
za dos Ursinos, que vinha de Paris, aondo
tinha sido chamada por Luiz XIV, depois
de haver estado desterrada de Madrid um
anno em consequencia dos rndos ofheios de
alguns cortezaos, que nao podiam rnedrar
em quanto a princeza se achasse na cdrte
de Hespanba.
Fdra a politica a causadora d'este dester-
ro, e era a politica que o levantava agora,
enviando a Madrid a favorita de Felippe V.
Luiza do Saboya torndra-se suspeit.a &
Luiz XIV, e, para contrabalangar a sua in-
tluencia,.se nao para lli'a destruir, eaviava-
senovamente a princeza {dos Ursinos para o
jado do joven Felippe V, que openas contava
dezenoveannos.
Esperando, pois, pela rrtaeeza do? Ik-
VAR1EDADE
EXPLORAQOES NO AMAZONAS. 0 Dr.
Joao Barbosa Rodrigues, ao servigo do rai-
nistcrio da agriculture no estuario do Ami-
zonas, fez uma importantissima descoburta.
Depois que fez a exploraQUo do rio Ja-
mundd aie a 12* cachoeira, visilaudo todos
os lugares em que a historia e a tradicao
dizem que hibitaram as Amazonas, foi para
concluir os seus estudos explorar a costa do
Amazonas, donominada do Paru.
Abi encontrou uma aldeia soterrada, d'on-
de tirou innumeros fragaientos de lou-
ca de barro pintada por gravura, macha-
dos e massas de guerra de diorito, fragmen-
ts de muirakitan de feldsphato laminar
verde, e a!gun> fragraentos de ossos buraa-
nos. Entre a louca encontrou vinte e seis
A FAMILIA DA PATTI.Eis alguns por
monores a respjito da farnilia Patti que An-
tonio Barilli, irmao uterino de Cirlota e A-
denina Patti prestou a um correspondante
da Post ct Stalk que se publica em Chi-
cago :
Meus parentes eram artistas dramaticos.
Meu pai, Francisco Barilli, era um compo-
sitor muito conhecido em Roma. Casou
com uma discipula que dera com resultado
representaco?s na America.
Faziam ambos parte" d'uma companhia
lyrica que contava om o numero de seus
especies de gregas ornamentaes, que combi-. membros um tenor chamado Patti. Mais
nadasformam lindos desenhos. Estes, se. tar3e, meu pai largou aquella companhia e
ndo tem muita correccdo, sao elegantes e;
provam que a arte plastics, entdo tinba at-
tingido tal grdo de adianfamento, que por
decadencia os nossos tapuyos hoje nao sao
capazes de fazer.
0 encontro ahi do muirakitan,diz o
erudite Dr. na carta do que extractamos es-
tas inforiiiaf'o-'junicamente usado pela
tribu que Orlelana encontrou, segundo a
historia e a tradic8o, vem provar-me ser
esse o ponto de que falla o mesmo hespa-
nhol e que e origem do norae que tem hoje
o rei dos rios. Segundo os bistoriadores
foi abaixo da foz do Jamundd que elle en-
controu-se com as mulheres guerreiras ; o
meu achado confirms esse ponto da histo-
ria, provado pelo enfeite que ach
Pelos estudos que tenha fei -re o
muirakitan e pelos d que procedi .alida-
de, cheguei ao conb'cimento db que ahi
habitou a tribu quo tinha por costume levar
as mulheres d guerra, abandonado por
causa de uma inundacao. Depois do aban-
dono, mais dez enchentes se deram, que
acabaram de soterrar a aldeia, como se ve-
nfica pela disposicao do terreno.
a Oatr'ora este ponto era uma ilha limi-
tada pelo Amazonas, que corria pelo que e"
hoje lago Paru e entao nao existia, e vinha
sahir acima da actual foz do Trombeba.
Na parte mais elevada da ilha estava a al-
deia. A geologia auxiliou-me nos estudos
archeologicos que tive de fazer. Que me
conste, ndo foi ainda descoberto este facto
importantissimo para nossa historia, e tendo
a ventura de communicar-lh'o, exulto pela
circurastancia de ter de dar-lhe publicidade
o Diario do Gran-Pard, quern tdo bem
sabe estimular todo trabalho qae tends a
desenvolver os mais importantes interesses
de nossa patria...
TRAMVIA.0 Sr. H. Eisner, de Tries-
te, inventou um novo systema, destinado a
subistituir o dos carros americanos, em uso
actualmente para o transporte de passagoi-
ros no interior da cidade. Vai este syste-
ma ser applicado no Breiten-Weg, cerca de
Magdebourg.
A principal vantagem do novo systema,
segundo se diz, consiste em uma considera-
vel dirainuicao de despeza do costeamento,
sendo os cavallos suprimidos, e trinsmit-
tindo-se o impulso ao carro por meio de
sinos, como se fosse qualquer personagem
real, achava se desde o dia anterior um dos
destacamentos de guardas, que tinhara sido
collocados em todos os pontos da estrada
desde Madrid ate d fronteira franceza onde
havia mudas preparadas, e aqui, em Tara-
cena, em que por assim dizer tinham aca-
bado os cem guardas destinados d esse ser-
vico, haviara come^ado a presta-lo tropas
de cavallaria do exercito. '
Ao meio dia chegara um correio annun-
ciando que a princeza dos Ursinos devia,
passar por Taracena ao cahir da tarde, rau-
ddra de cavallo, e proseguira na sua Jor-
nada para dar aviso na paragem immedia-
ta de que a princeza dos Ursinos ahi che-
garia entre as sete e as otto da noite.
Ill
Os guardas esperavam, pois, desde as
quatro horas da tarde ao pe dos seus ca-
vallos, que o sino da igreja, os prevenisse
da chegada da princeza, para montarena e
escolta-la.
Do mesmo modo esperavam os palafre-
neiros com as mulas pela redea,. para mu-
darem o tiro, assim que chegasse o coche.
Os guardas eram mogos, alegres, estroi-
nas, e impacientavam-se porque estavam
aborrecidos. Tinham fallado, ate esgotar a
materia, das ultimas noticias de Italia, Por-
tugal e Catalunha, dos revezes e das vanta-
ges dos hespanhoes e dos francezes na sua
luta com o arcbiduque Carlos de Austria,
pretendente da cdroa de Hespanba, e com
os inglezes e os imperiaes colligados contra
o ambicioso Luiz XIV e o seu nelo Felippe
V, n'aquella desastrosa guerra de successSo
que principidra em 1701, e s6 devia ter-
minar em 1712.
Nao lhes succedera nenhuma aventura ;
nem uma unica mulber tinham visto que
merecesse as honras de unv galanteio, e to-
dos os moradores do sitio, que se haviam
posto em cootacto com olios, tinham solTri-
do pacientementa e sorriudo, com medo do
sennor rei D. Felippe, os seus modos altivos
e insolentes.
Nfio se lhes offerecera, pois, sequer a
mais pequena oe;asiao de puxarem da es-
pada e desancar o proximo.
Aborreciam-se d'um modo horrivel.
IV
Acabava.de so por o sol.
dou se is bebidas ; foi esta a causa da sua
ruina e da sua morto, em consequencia da
qual minha m5i casou com o Sr Patti.
Os primoiros filbos deste casamento fo-
ram minhas irrads uterinas. Amelia e Car-
lota. Meus parentes dirigiram-se d Hespa-
nha, onde nasceram Carlos e Adelina.
A cidade natal de Adelina e Madrid e n3o
Nova-York, cotio erradamonte se diz. A-
melia era uma priraa-dona conhecida e ca-
sou com Strekoscb. Carlos en violonista
em Nova Orleans e Nova-fork, e morreu
ha pouco.
Adolina e Carlota alcangaram celebridade
universal. Clotide, outra irraa, casou corn
Alfredo Lborn.
Morreu no mar alguns annos mais tarde,
e a sua viuva tornou a casar com Seala,
mas falleceu dalli ha pouco nas Iiidias oc-
cidentaes. Nicolau e Heitor, meus irmaas
consanguineo1*, receberam optima educ8g3o
musical Nicolau estd agora em Nova-York
e Heitor na Philadelphia.
NOVA MATERIA PARA 0 PAPEL.-E'
a zizania uma planta aquatica, que mcira
nos pantanos e na margem dos rios. A sua
semente parece -tdo nutriente como as se-
mentes dos cereaes cultivados. A sua palha
p6de ter applicagao nas fabricas de papel,
e acreditamos que brevemonte e era larga
escala, acudird a uma das primeiras neces-
sidades da nossa e"poca, pois que a indus-
tria do papol reclama instantemente a appli-
ca^ao de substancias, quo substituam o tra-
po, cuja quantidade insufficiente e causa de
notaveis apuros.
Dan lo noticia da descoberta diz o Garde-
ner's Chronicle que poucas pessoas conue-
cem o alcanco d'es^os apuros, e do que se
tem feito para lhes acadir eflicazmente.
Em 1873 na GrS-Brctanha, ndo entrarem
menos de cem mil tooeladasd'esparto, para
as fabricas de papel, pelos portos de Lon-
dres, Liverpool, Newcastle, e Hull. Ora,
a zizania e applicavel ds qualidades de pa-
pel, para as quaes se emprega o esparto, e
tem a enorme vantagem do conter menos
silicatos. 0 papel de zizania 6" tdo maci a
como o de trapo, apresenta uma superficie
muito lisa, tem optima apparencia, e serve
bem, tanto para a impressao typograpbica,
como para a tiragem de gravuras, e para
muitas outras applicacoas. De mais a plan-
Sobre tres cansados jumentos approxima-
vam-se de Taracena tres possoas : um ho-
mem e duas mulheres.
As mulheres vinham envoltas em mantas
de la com listras brancas e escuras, e tra-
ziam na cabeca chapeos do palma.
0 homem cobria a cabeca com um cha-
pe"o de cdr escura, e vinha embugado n'uma
capa pouco mais ou menos de cdr igual, por
sobre cujo rebu$o assomavam fartas gue-
delhas negras e encaracoladas.
Montado na parte posterior dojumento,
que vinha em pello, deitava de quando em
quando o brago f<5ra da capa, e, com a ex-
tremidade agucada de comprida vara, agui
lboava-o nas proximidades da cauda.
0 jumento fazia um esforco, tentava um
trotezinho heroico, punha se d par dos com-
panheiros, em que montavam as mulheres,
o homem atirava ds ancas dos jumentos al-
gumas furiosas varadas, os miseros desciam
para o lado opposto dquelle d'onde tinham
sido fustigados, e tambem por sua vez em-
prehendiam um trotezinho deploravrl, que
bem depressa se convertia em passo tardo,
porque os animaes, apezar de serem novos
e robustos, deviam em vista do seu fatigado
aspecto terem feito comprida Jornada.
Estas tres pessoas, o homem e as duas
mulheres, eram das que nao se podem ver
sem se desejar saber quern sejara.
Parecia contar quarenta annos uma das
mulheres ; a outra era muito joven e ape-
nas chegaria aos dezoito annos. 0 homem
parecia contar quarenta e cinco.
A mulher de mais idade era formosissi-
ma, mas d'uma formos*ura meio selvagem.
A sua cdr podia chamar se moreno-escuro,
Ou acobreado-claro. Tinha vosto oval,
nariz grande, proeminente, mas recto e fino,
sobrancelhas negras e bem povoadas, olhos
tambem ncgros, grandes, sciotillantes, ex-
pressivos, forraosissimos, mas de olhar in-
cisivo e duro, magas do rosto um pouco
salientes, bocca um tanto grande, mas de
gracioso contorno e de labios puros e fres-
cos, que ao entreabrirom-se para fallar, des-
cobriam unsdentes bellissimos. A sua gar-
ganta era esbelta, redonda, mprbida e fina.
Nada mais se via : o resto do corpo estava
envolto na manta listrada ; mas pelo volu-
me appareuto, ou aquella mulher trazia
de terrenos, nas margehs dos la^os Erie
Oataria, etc. Sard facil obter um forneci-
meuto annual de cem mil tonelaias, e para
diininuir quanto passivel o frete, empacotar
sob a pressao da prensa hydraulica, ou fa-
bricar a mssu no local oade se fuer a co-
ibeita. D'estas operagoas se occupa uma
importante companhia ingleza, quojd obte-
ve a con;ess3) de toda a proviucia da On-
tario. Dizem os promjtores da empreza que
o papel de zizinia n3) ha de ter rival polo
preQ), nem pela quali lade.
Assim seja I
TECIDOS ESTANUADOS.-Estanhase o
algoddo e linho. A operacdo po le servir
para a substituicao das folhas d'estanho no
empacotamento de cartas mercadorias ; ou
para ornamentar o panno d'algodao e os
pannos de linho, destinados a figurar nas
cobirturas da inobilia, ou no adorao das
salss.
Para obter sobru o tecido uma camada
de estanoo Sxa, Qexivcl, brilhaate como a
prata, embebe so, con pincol ou rolo, n'u-
ma soIuqSo de zinco em po na clara d'ovo.
Enxuga-se dep;:3, coagula-se a albumina
do ovo par meio do vapor d'agua muito
quenle, e mergulha-se o panno em uma
dissolucao de chlororeto d'etinb). Oes-
tanho muito dividido precipila-se entao sobre
o zinco. Segue-se n'esta occasido uma la-
vagom, que dove ser f-flta em agua pura,
depois enxuga se o tecilo, e a final lusTra-
se em uma pronsa de assatinar. Depois
d'esta operacaa a fazeoda apresenta-se co no
so fdra coberta de uma camada de prata.
TOCANTI.NS E AIUGUAYA. Tivemos
cartas, diz o Diario do Grdo Pard, da Pi-
teira ( vallo do Tocantins) cujas datas al-
cancara a 30 de outubro.
As duas provincias, fioy iz e Para, es-
tao ligadas por uma estrada regular traca-
da Qaseecia encachoeirada, na parte com-
prehendila untre a pavoagao deuominado
S. Vicente, njvamento creada na muuicipio
da Boa-Vista, d margem direita do rio Ara-
guya, e o lugar denominado Santa Helena
de Alcoba^a, abaixo do tolas as caclioci-
ras.
Na exteosiode 391 kilometrn des-lo-
bra-so ella em 3S7 kilometros na proviucia
do Pard, atravessando terrenos de l'-^rtilida-
de espantosa pa'a or piantio da canna de
assucar, cafe e algodao, bem corao todos os
generos alimenticios usados no paiz.
< A colonia miiitar de S. Joao de Ara-
guaya, creada ba perto de trinta annos, ina-
nimada ate aqui, toma nova phase, e, era
relagoes com S. Vicente, recebe gado para
sua ali.nentaQdo, que era quasi que exclusi-
varaente de peixe.
a A estrada aiada nao estd conclui-
da, ha aiadi alguns kilometros por abrir ;
porem por ella jd passau gado para o no;so
ma tad juro, e estaraos certos que continua
rd, sendo houver oapiasigao a essa c incur-
rencia que se aicia ; aa vantagens immen-
sas a realisar se os aegociantes d'esta espe-
cialidade forem d Alcabaga encontrar os
boiadeiros para lhes comprar o seu gado.
A estrada, aberta para dar transito com-
modo a cargueiros e boiadeiros, tem muito
bons declives e a largura de 3,m30, que e
excellente.para o lim a que so destioa.
Uma barca salidamente construida, po-
dendo passar atej40 bois.estd estabelecida na
poroagao S. Vicente, no Araguaya. Esta
barca facilita a passagem da rio.
0 valle do Tocantins, do Alcobaga ate
S. Jo3o de Araguaya 283 kilometrose
quasi deserto, salvo uma aldeia de indios
Anambes com poucos individuos, e 10 mo-
radores espalhados abaixo da praia de Ar-
royos e Itaboca, tudo o mais e deserto
Da colonia, margeando o Araguaya,
enconlra-se maior numero de moradores,
ate chegar a S. Vicente.
a Atravessando terrenos t3o fecundos,
sente-se a necessidade de colonisal-os e pdo
trabalho da agricultura tirar da terra a maior
somma de bens: a riqueza.
A abertura da estrada facilita o esta-
belecimento de colonias, que a provin:ia
do Pard tem grande necessidade de fundar,
afim do, nao sdmente assegurar o seu en-
grandecimento futuro, como aproveitar tan-
tos bragos emprcgados na extracgao do pro-
ductos naturaes, que tem uma epoca deter-
algumacousa debaixo da manta ou achava-
se em estado avangado de gravidez.
Por baixo do seu chapeo de palma asso-
mavam duas grandes traugas d'um negro
cabello que d forga dacarregado tirava para
azul; uma das trangas, estava enrolada e des-
cahia-lbe'pela banda de traz sobre o bombro;
a outra, solta e desmanchada na extremidade,
cahia-lhe por diante.
A outra mulher, a joven, e"a um anjo,
mas d'aspecto um tanto aspero e sorabrio.
Duas grandes ondas de cabello louro co-
mo o ouro ladeavam-lhe o rosto, cujo mo-
delado tinha extraordinaria pureza e cuja
alvura era transparent'', limpida, ardente,
com um pouco d'esses carabiantes que nas
perolas e pedras preciosas se chamam orien-
te. Os seus Olhos eram grandes, bellissi-
mos, azues, mas do azul do ceo em serem
tirde de primavera ; e, apezar d'isso, n'a-
quelles olhos notava-se uma expressdo irre-
sistivel. Por baixo da manti e apoiando-se
no encosto da cadeirinba, assomava-lba a
mao pequena, raorbida, suave, de extrema
alvura e em cujo delo grande brilbava uma
volumosa esraeralda.
0 homem tinha aspecto quasi selvagem ;
cdr mais escura, mais acobreada, mais densa
que a da mulher de mais idade ; olhos mais
brilhantes, de expressdo mais dura e pene-
trante ; nariz mais rectilineo e proeminente
do que o d'ella. 0 geito constante da boc
ca d'este homem revelaya soberba e des-
dem ; as madeixas do cabello, enroscadas
como sacarolbas, ou como cepilhaduras de
abeto, eram asperas, negrissimas, reluzen-
tes, sem om cabello branco ; e a mdo com
que de quando em quando fustigava o po-
bre jumento, grande, forte, membruda e
coberta de cabello.
Esquecia-nos dizer que este homem tra-
zia atravessado diante de si um grande ar-
cabuz.
V
Taracena aioda se nao avistava ; occulta-
vam-n'a os accidentes do terreno. Faltava
meia legua para Id chegar.
Comegavam a desvanecer-se em cdr de
rosa, os grandes laivos cdr de sanguo que
o pdr do sol costuma estender nas nuvens ;
o crepusculo avangava, a noite vinha asso-
mando no oriente, e as alimarias i cada
momento abraudaram mais o passo.
genio nio falum no Pard a a
provincia os auxiliari para qua am brevet
tempos tenhamos no valle d'esses dons rios
bellissimos estabelecimantos agricotas a -
dustriaes.
Ndo faltario homens como o Sr. Vi-
cente Bernardino Gomes, qua, tanlo-se ss-
tabelecido no Araguaya em 1873 com lavoa-
ra, estd fundando a povoacio denomioada
S. Vicente, que coata presenteroeate 2(K>
almas.
E'necessario que a provincia do Pard
ado so illuda com sua riqueza natural: ma
grandeza Ihe vird da lavoura.
Homens empregados na extracclo de
gomma elastica e outros productos naturaes
nuuca sahira.n de seus htbitos picientes ie
esperar a cosgulacio da preciosa seiva, tern
que appliquem sua intelligencia ao augmen-
to da industria do paiz.
A provincia de (Joyaz nio tem lavoura
nem industria, e se tem occupa lo na cna-
gao de gado, do qual necessita muito a do
Pard, que animando a exportagio d'aqu ;1-
la provincia, concorrerd para augmea-
lal-a, marchando ambas para um Am com
mum.
AS ERA PCOES DE LAMA DOS VULCOBS
DA AMERICA CENTIIAL.A catastrofbe
vulcanica que acaba de ter lugar em Gce-
temala dd um interesse de actualida le aos
jestudos ultimamente lidos, na scademia de
sciencias do Frangt, sobre as erupedes va-
sosas dos vulcdas do Pura:6, de Pasto, de
Tugueras e de Raiz, em a N*va Gra-
nada.
0 Sr. Bauscigault, do instituto. em sdu
trabalho sobro os vulcdes das Cordilbeiras,
dd os seguintes detalhes sobre sua tscengio
ao Conuaco ou Purace situado na Cordilb-ai-
ra central, nao louge do ponto em que co
mega a ram ficagao dos Andes:
Seu cumo, coberto de neves, attingn a
altura de 5,100 metros.
Para ahi chegar, parti nio da cidaia
de Popayan ( 1,803 metros de eleragac i.
passa-se por Coconuca, onde ba um fonte
Thermal, e, depois de attravessar-se o Ciu-
ca, chegi-sc d missdo india do Puracd. Sa-
hiodo d'ahi, entra se n'uma floresta de ar-
vores enguigalas, d qual succedera os Pa-
joaales, espsgos cobertos do graraiaeas, subs-
tituindo a vegetagaa arborescente, na altura
de 3,500 metros.
Mais alt a encontra-so a singular plar ti
d-; haste e de folhas lanosas, esp lia fray-
lejon.
Eesta estagdo foi assaltada par uma
nove misturala de saraiva espherica de 1 i
a 15 miliraetros de diametro.
0 vento soprava do sul com violenci i e
caminhavamos n'esta direcgio; estavaraos
suffacados ; de temp as d tempos tmhaaos
uecesnecessidade de voltar-mo-nos para o
norte para respirarmos.
A vegelagdo cessou acima da espe'e- i'
tia.
0 solo estava juncado de pjln,as le '
enxofre.
a Jactos de vapor sabiram de varias fea-
das. Eu estava e.n Azufral del B>qu;na.
a 4,360 metros. sobre um terren) oco,
a'uma crosta formada d'uma mistora de
lama ( moyi) e do oaxofre.
< Da biira de uma das fisseiras avistava-
se a agua quante fartemeote agitids par
um desprendimento sustentad a por gaz a :i-
do carboaico; esta agua nio tiaha sal;hl-
gum; seu cheiro, ligeiramente bepatio,
desapparecia pelo resfriaraento.
A principal eraissto de vapor tinha li-:.
gar por uma abertura circular de 35 centima-
tros de diametro; o jacto produzia um ruilo
dos mais intensos.
c Achei sua teraperatura de 85,5'; e o
ponto de ebaligao da agua na altura a qie
havia mos chegado.
0 solo soffria uma trepidagdo incessa i-
te; d 5 metros do jacto do vapor, o the r-
moraetro marcava 49 grdos.
c 0 vapor tinha o cheiro de acido sul-
pbydrico ; condensando-o na superficie le
um vaso cheio de nere, verificou-se que jd
ndo tinha acido cloruydrico.
0 gaz recolhido n'u.ni fumenlacoi-
siste em acido carbonico raisturado a uma
treita de acido sulpbydrico.
{Conlinuar-se-ha.j
0 horaem aguilhooa impaciente o jumen-
to em que montava, alcancou o da ma-
Iher de mais idade, fustigou-o violentamen-
te, e o pobre bichogemeu, fez umesforjn
e cabio por terra.
Kntao soltou uma blaspbemia, apeou-se
de salto, largou o arcabuz e a capa no chic
e correu para a mulher que jd se levaatira
com dilliculdade, daado occasiio a ver-ae
que effectivamente estava gravida de muitas
mezes, e em seguida, furioso, lancou-se
sobre o jumento e agarrando-o pela cabe;a
abanou-o com violencia.
* Valha-me Deus, Bizarro I disse ami
Iher de mais idade, ao mesmo tempo qae a
joven permanecia impassivel no seu jur i-
raento que tinhaparado. Ha dias qua nio
se pdde fallar comtigo ; estds terrivel, tuc.o
te irrita. Castigando d'esse modo o pob-e
animal, sd consegues atardoa lo.
E se cbegamos tarde d Taracena tooo
ficardperdido ; preciso de fallar i prince; a
em quanto mudarem o tiro. Bem sabas
que em Madrid ndo Ihe poderiamos fallar,
e aqui ninguem me coahece. Para qua h i-
viamos de ter sahido hoje da Madrid, sen
descansar nem comer pelo c&rainbo, se nao
chegassemos d tempo ? Nao ouviste o cor-
reio que eu con tram os dizer que a prince; j
deve chegar ao pdr do sol t
Entretanto Bizarro conseguira pdr de i
o burro, e apertavalbe a cilha, qae de-j
um pouco de si com a queda.
E para que e tanta press* de ver a
princeza, meu pai T perguntoa a joven.
Talvez que ninguem mais do que tu,
Agucena, tenha interesse em que eu a eu-
contre pelo caminbo, e Ihe dirija duas pah-
vras apenas; e nio me perguntes mais nada,
porque nio te responderei, a o qae fdr v.i-
rds. Vamos, vem cd, pobre Cinta. colh -
car-te-hei sobre este infame animal; facaniH-
o que podermos para chegar i horas, e Deus
qucira qua ndo cheguemos tarde.
0 cigano agarrou a mulher pela cintur.i,
e, apezar d'ella ser raoca cOrpulenta, coll<>-
oou-a sem grande esfurgo na cadeir,u'a<|
Em seguida apanbou a capa e o arcabuij
cobrio com a capa o seu estranbo trajt,
saltau sobre as ancas do burro, fusligouts
outros, e a marcha continuou com ientidac.
[Conlinuar-se-ha)
TYP DO DIAKIO. -MUa DUUUfi DB iAUa3

'
-




\
'

;
m *
r
**
J
*-