Citation
Diario de Pernambuco

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
newspaper ( marcgt )
newspaper ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
This item is presumed to be in the public domain. The University of Florida George A. Smathers Libraries respect the intellectual property rights of others and do not claim any copyright interest in this item. Users of this work have responsibility for determining copyright status prior to reusing, publishing or reproducing this item for purposes other than what is allowed by fair use or other copyright exemptions. Any reuse of this item in excess of fair use or other copyright exemptions may require permission of the copyright holder. The Smathers Libraries would like to learn more about this item and invite individuals or organizations to contact Digital Services (UFDC@uflib.ufl.edu) with any additional information they can provide.
Resource Identifier:
002044160 ( ALEPH )
AKN2060 ( NOTIS )
45907853 ( OCLC )

Full Text
ANNO L
0 273
P4K.I A CAPITAL B LaJAHE9 U\DB NiO IEP161 POBTE.
Por tres mezes adiantados................ *K)00
Por seis ditos idem.................. 139000
Por am anno idem. v. ............ 949000
Cada numero avulso .#. .#. A A ... ... ... ... A ... x A A ... .. #320
SABBADO 28 DE NOVEMBBO DE 1874
PARA DENTBO E FOBA DA PBOV11CIA.
Por trea metec adiantados..............
Por seis ditos idem.....,.........
Por cove ditos idem...............
Por am anno idem................
9TM
mm
PR0PRIEDADE DE MANOEL FIGUEIRQA DE FARIA A FILHOS.
fl Irs. eenrto Antonio Ahead Filhos, no Part; GoncaJves d Pinto, no Maranhio; Joaqnim Jose de Oliveira dHlho, no Ceara"; Aatau'o de Lemus Iraga, no Aracatj j Joio Maria Julio Chr<*, no Asia; Antonio Marques da Suva, Haul; Josd Justi#
Pereira *'Almeida, em Mamangnape ; Carlos Auxencio Monteiro da Franca, na Parabyba ; Antonio Jose" Gomes, na Villa da Penha; Be'armino dot Santos Bolcio, em Santo Ants. ; Domingo* Jot* da CostaBrafa, emBaxareth;
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna; Joio Antonio Machaeo, no Pilar das
Villa da P
Aires d C.,na Babia; A. Xavier Leite d C. n Rio Janeiro*
PARTE OITICIAL
Governo da provincia
EIPF.D1B.NTK DO DIA 8 DE AGOSTO DE 1874.
t.' $ccr.uo._
Offlcios :
Ao Exra. brigadeiro commandante das ar-
mas.Sirva-se V. Exc. At mandar por em liber-
dide o reerata Jose de Sant'Anna, que provou
isencio legal, e cuja soltura com o nome de Ray-
mundo Jose de Sant'Auna ordenei por offlcio de 6
do corrente.
Ao mesmo.Constanlo da communicacio da
secretaria dos negocios do imperio, de 29 de junho
ultimo, que, naquella data se remetteu ao minis-
terio da fazenda a carta imperial, pela qual foi
eancedida pensao ao anspecada reforraado, Jose
Domingues de Oliveira, aflm Jdo ser, depois de
feitos os devidos assentamentos, enviada a thesou-
raria de fazenda desta provinch, sirva-se V. Exc.
de assim o mandar rteciarar ao agraciado.
Ao mesmo. -Expeca V. Exc. suas ordens
para que se aprensente ao Dr. juiz de direilo da
*' vara desta cidade, uraa praca de cavallaria,
aiim de cooduzir os offlcios relativos a convocajao
do jury deste lei mo.
Ao inspector do arsenal de marinha. Con
trade V. S. por preco razoavel cinco trabalhado
res intelligentej e capazes, os quaes serao indi-
cados palos engenheiros encarregados djs estudos
Ao porto, para fazerem as observacoes sobre o rao-
vimentodas aguas. Outro sira coatrate tambem,
por preco razoavel, urn desenhista para 03 traba-
lhos a ca'go dos referidos engenheiros, flcando os
respeclivos contractos depeadentes da approvacao
desta presidencia.
Ao director do arsenal de gaerra.Ao com-
missario de policia do municipio de Iguarassii,
Francisco de Paula Cavalcante, mande Vmc, de
conformidade com as ordens anteriores, fornecer
ii pares de sapatos e 2 massos de cartachos era
bilados, correspondents ao adarme das espingar-
dis que Ihe foram eatregues e bem assirn espole
ia em numero sufficients.
Ao mesmo.Ao commissario de policia do
municipio da Palmares, Alexandrino Olyrapio de
tbllanda Chacon, mande Vmc. fornecer il pares
d i sapatos, de conformidade com as ordens ante-
riores, 2 massos de cartuchos, para as granadeiras
forneeidas ao mesmo eoramissario e espolatas em
numero correspoademe.
Ao mesmo.Ao commissario de policia do
municipio de Nazareth, Severiano Vieira da Paz,
mande Vmc, de conformidade com as ordens em
vigor, fornecer 40 pares de sapatos.
2.' secqao.
Actos:
0 presidente da provineia, a vista da propos-
la do Or. chefe de policia em olDcio n. 963, de
intern data Jo, resolve dernittir do cargo de dele-
gado de policia do termo de Goyanna, ao capitao
Francisco de Sirqueira Cavalcante.Communicou-
< ? ao Dr. chefe de policia. _
0 president* da provineia, a vista da propos-
u do Dr. chefe de policia em offlcio n. 976, de 6
do corrente, resolve dernittir do cargo de subde-
legado do districto da Vicencia do termo de isaza-
reih a Marcolinoda Csla Riposo.
0 presidente da provincia, de conformidade
com a proposta do Dr. chefe de policia em offlcio
a. 976, de 6 do corrente, resolve noraear para o
cargo de subdelegado da policia do districto da
Vicencia do termo de Nazaretn ao alteres Antonio
Joaquim de Barros Lima.Communicou-se ao Dr.
chefe de policia.
0 presidente da provincia. attendendo ao que
requereu o alferes da 'i' companhia do 4* bata-
lliao de infantana da guarda nacional deste mu-
nicipio, Bernardino de Senna Muuiz, resolve con
.- i-r-lhe guia de passagem para a freguezia de
Jaboatao, onde tem lixado sua residencia. Com
nmnicou-se ao commandante superior deste ma-
nicipio.
Offlcios :
Ao Exm. desembargador procurador da corda
-- ; lir seu parecer em relagao a consulta que_ no offl-
cio ju .to faz o juiz municipal e de orpbaos de S.
B^nto, devolvendo-me opportunamente o mesmo
offlcio.
Ao juiz de direito da Escada.Informs Vmc.
a respeito do que representa o inspector da the-
souraria de fazenda no inctuso offlcio qae por co-
fiia transraitto.Mutatis mutandis ao juiz muni-
cipal do termo.
Ao juiz de direito interino da comarca de
Jriores.Em resposla ao offlcio de Vmc, de 25 de
ja.tio ultimo, consultando sobre a interpretacao
que se deve dar ao artigo 271 do codigo criminal,
tenbo a dizer-lbe que nao ha motivo para vacillar
sobre a applicacao desse artig', pois, si as offeo-
s-is physicas, so por si bastantes para conslituir o
crime de roubo, forem taes que produzam a mor-
te, e claro que o delinqnente com maioria de ra-
zao. deve incorrer na sanccao do mesmo ar-
tigo.
Ao commandante do corpo de policia.Ao
commissario de policia do municipio de Nazareth,
Severiano Vjeira da Paz, mande Vmc. completar o
fardamento fornecidoem 21 le jullio ultimo, pois
! correspondents a um anno e nao a 6 mezes,
como consta do respectivo offlcio.
3.' sec$3o.
Acto:
0 presidente da provincia, attendendo a in-
iormacao do inspector da thesouraria de fazenda,
tie 7 do corrente, resolve abrir sob sna responsa-
hilidade e nos termos do decreto de 1 de fevereiro
de 1862, o credilo de 2:000000 a verba socor-
ros publicos, > do ministerio do imperio, no exer-
cicio de 1874 a 1875, para ir occorreodo as des-
pazas a fazer-se com os soccorros aos indigentes
atacados da variola, febres amarella e pernieiosa
no ioterior da provincia.
Offlcios :
Ao inspector di thesouraria de fazenda.
(ntorme V. S. se nao e mais conveoiente arrendar
o edificio a que allude o sen offlcio desta data, sob
n. 253 serie II, a alguma pessea que o zele ale qae
o governo imperial resolva acerca da respectiva
ca-sio.
Ao mesmo. Mande V. S. pagar ao padre
Antonio Rufino Severiano da Cunha, vigario col-
lado na freguezia de Nossa Senhora do Desterro de
Itambe, a sua congraa correspondente ao met de
julbo lindo, na conformidrde do incluso attes-
tado.
Ao mesmo.Para os fins convenientes cora-
inunico a V. S. iue em i* r!e julho ultimo, o prn-
iuotor pnblico d.i eoauta d^ Ciuiores, baebarel
Joaquim Francisco de Barros Barreto, entrou uo
gjzo da li:enca de 30 dias, coocedida naquella
data
Ao mesmo. Remetto a V. S. os inclusos
prets em duplicata, para que mande pagar a
quem se mostrar competeatemeate hahilitado, os
vencimentos do official e pracas da guarda na-
cional destacadas darante o mez de junbo deste
anno em Petrolina; na conformidade do qae requi-
sitoa o respectivo commandante snperior em offl-
cio de 17 de julbo proximo Qndo.
Ao mesmo.A' vi9ta do pedido junto, ru-
bricado pelo Exm. brigadeiro commandante da9
armas, mande V. S. abonar ao capitao almoxarife
do hospital militar a quantia de 300*000, aflm de
occorrer as despeias, de momento, do dito hospital
no correrte semestre.
Ao mesmo.Tendo nesta data autorisado o
inspector do arsenal de marinha a contractar por
preco razoavel e sob indicacio dos engenheiros
encairegaJos dos estudos do porto, 5 trabalhado-
res intelhgentes e capates para fazerem as obser-
vacoes sobre o movimento das aguas, e bem assim
um desenhista tambem por p e;o modico para cs
trabalhos a cargo dos mesmoa engenheiros;
assim o communico a V. S. para os fins con-
venientes.
Ao mesmo. Remetto a V. S. para os fins
convenientes a inclusa portaria por copia de aber-
tnra de credito, com a qual fica essa thesouraria
habilitada a cumprir a ordem desta presidencia, de
6 do corrente, a que se refere o seu offlcio de bon-
tern datado, sob n. 244, serie H.
Ao inpector do thesouro provincial.Mande
Vmc. pagar ao padre Manoel da Silva Cid, coad-
juctor da freguezia de Nossa Senhora da Paz dos
Afogados, a sua congrua correspondent ao mez
Je julbo proximo lindo, na conformidade do in-
cluso attestado.
Ao mesmo.A' vista do inclnso documento,
mande Vmc. pagar ao padre prior do convento de
Nossa Senhora do Carmo desta cidade a impor-
tancia de 334333, relalivaao alnguel de uraa das
salas do mesmo convento, em qua funcionou da-
rante o mez de julbo ultimo, a bibliotheca provin-
cial.
Ao mesmo.A vista do conta junta, mande
Vmc. pagar a Nascimento & Medeiros a quantia
de 134*790, provenience de objectos fornecidos
em julho proximo Undo, para o expedients dase-
creteria desta presidencia.
Ao mesmo.A' vista do incluso pret em du-
plicata, mande Vmc. pagar a quem se mostrar
competeatemeate autorisado os vencimentos do
destacamento da villa de Iguarassii, relativos ao
mez de julho proximo findo, conforms solicitou
o respectivo commandante superior em offlcio de
5 do corrente.
Ao mesmo. Declaro a Vmc. para os fins
convenientes que o fardamento mandado con-
tractar para os guardas locaes, e a que se refere
0 mau offlcio de 25 de junho ultimo, e para 193
pracas.
Ao mesmo.Conforme solicitou o comman-
dante do corpo de policia era oilkio de 5 do cor-
rente, sob n. 321, recommenJo a Vmc. que provi-
dencie no sentilo de serem abonados por adianta-
mento, os vencimentos e soldos dos destacamen-
tos seguinles : ao de Uoyauna dous mezes de ven-
cimentos a 1 official e de soldo a 26 pracas ; ao
de Poiita de Pedras 2 mezes de vencimentos a 1
offl-ial e de soldo a 6 pracas ; ao de Cruangy 2
mezes de vencimentos a 1 official e de soldo a 5
pracas ; ao de Itambe 2 mezes de vencimentos a
1 official e de soldo a 4 pracas ; ao do Bom Jaadim
2 mezes de soldo a 7 pracas; ao da Victoria 2
mezes de veacimentos a 1 official e da soldo a 9
pra$as ; ao de Bezerros 2 mezes de soldo a 8 pra-
cas; ao de Caraaru 2 mezes de soldo a 12 pra-
cas ; ao de Terra-Nova 2 mezes de soldo a 8 pra-
i;a' ; ao de Cadoeins 2 mezes do soldo a 6 pra
f.as: ao de Pimenteiras 2 mezes de vencimentos a
1 official e de soldo a 10 pracas ; ao de Seri-
nhaem 2 meses de soldo a 6 pracas ; ao de Li-
moeiro i uiuu&. Je veucioiealo* a 1 official ; ao de
Pao d'Albo 1 fitees de vencimentos a t offlcil ;
ao de Timbauba 2 nsezes de soldo a 10 pracas ;
tudo a comer do 1* do corrente ao Qm de setembro
vindouro.
Ao raasmo.Mande Vmc pagar, ao forne
cedor dos presos pobres da casa de detencao a
quantia de 3:934*284, consume da inclusa conta,
proveniente da despeza feita no mez de julho ulti-
mo, aos referidos presos, na conformidade do que
solicitou o Dr. chefe de policia, em offlcio datado
de 6 do corrente, sob n. 972.
~ Ao mesmo.Mande Vmc. pagar a quem se
mostrar competentemeut? habilitado, os vencimen-
tos do destacamento da villa de Sennbaem, relati-
vos ao mez de julho proximo findo, conforme so-
licitou o respectivo commandante superior em offl-
cio de 7 do corrente, a que vieram annexos os
prets que juutos remetto.
4." setfao.
Porlarias :
A' camara municipal da cidade da Victoria.
RecommenJo a camara municipal da didade da
Victoria qne observe as disposicoes do an. 34 do
regulameDto n. 4,346, de 23 de marco de 1869, e
art. 13 4 do decreto n. 4,505, de 9 de abril de
1770, com relacao as liceneas concedidas para o
exercicio de industni e profissoes;; na conformida-
de ao que solicitou o inspector da thesouraria de
fazenda no offico datado de hoje, serie H, cuja
copia Ihe remetto.
A' camara municipal da villa de Salgueiro.
Remetto a camara municidal da villa de Sal-
gueiro, para seu conhecimento e fins convenien
tes, copia do decreto n. 2,506, de 15 de julho de
18'4, o qual crea nessa villa um collegia eleito
ral.
5" secqao.
Offlcios:
- Ao engenbeiro chefe da reparticao das obras
publicas.Attendendo ao que requereram alguns
estadantes da faculdade de direito desta cidade, en-
carregados de promover os festejos para solemni-
sacao do dia 11 do corrente. anniversario da ins-
tallacao dos cursos juridicos do imperio, recom-
menJo a Vmc que das 7 as 10 boras da noite des-
se dia, mande iliuminar e jardim do Cimpo das
Pnncezas.
Ao mesmo. Apresente Vmc. as bases do
contracto qne deve ser celebrado para o calca-
merits da cidade, tendo em vista a lei provincial n.
1,148 deste anno.
Ao mesmo.Mande Vmc. orijar o alteimento,
arruamento ou empedraraento, como for melhor,
da estrada de Japaranduba em Palmares.
Ao engenbeiro fiscal interino da companhia
Recife Draynage.Mande Vmc. fazer por 10*.
segnndo o seu offlcio de homes, a caixa de ferro
para o apparelho da limpeza do xadrez n. 5 de
quartel de policia.
Ao gerente da companhiaFerro Carril de
Pernambaco.De" Vme. suas ordens para que o
capitao Manoel Pereira de Magalhaes, agente co-
brador das rendas geraes, possa dar diariamente
uma uiagera de ida e volta nos carros dessa com-
panhia pela linba de Afogados, em lugar gratuito
a que o governo tem pireito, e bem assim igual
passagem na linba da Magdalena ; devendo, po-
rem, ellas s6 terem effeito por am mez.
Portaria :
Os Brs. agentes da companhia brasileira de
navegacio a vapor mandem dar passagem para o
Ceara, por conta do ministerio da marinha, no va-
por Pard, ao 1 sargento do corpo de imperiaes
raarinheiros Manoel Pedro da Silva.
EXPEDIEMTE DO BSCRETAMO.
1* seccao.
Offlcios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas.-De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, respondo ao offlcio de V, Exc,, de hon
um datado, sob n. 615, declarando-lhe que ao
almoxarife do nosuiul militar se manda abonar a
quantia de 300BOO0 para occorrer as despezas de
momento do dito hospital, no corrente semestre,
conforme o pedido annexo ao citado offlcio.
Ao mesmo. S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia, tendo por despacho de hoatem concedido
ao reerata Joao Jeaqaim Monteiro, o prazo de 20
dias para provar isencao legal ; asim o manda de-
clarar a v. S. para seu conhecimento.
Ao commandante|da corveta" Recife.S. Exc.
o Sr. presidente da provincia manda declarar a
V. S., em resposla ao seu offlcjo de hontem datado,
sob n. 28, que fica providenciado no sentido de
ser transportado ao Ceara, no vaqr Pard, o sar
gento do corpo de imperiaes marinbeiros, Manoel
Pedro da Silva.
3." seccao.
Offlcios :
Ao Dr. cbefe de policia.S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S., em
resposta ao seu offlcio de 6 do corrente, sob n.
972, qat nesta data se aniorisoa o .inspector do
thesouro provincial a providencrar no sentido de
ser paga ao fornecedor dos presos pobres da casa
de detencao, a importancia das despezas feitas du-
rante o mez de julho findo com e fornecimento do
sustenlo e dictas aos mesraos presos.
Ao juiz de direito da 2* vara desta cidade.
De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
communico a V. S', que nesta data se provideocion
paraquese Ihe apresente uraa praca de cavalla-
ria, conforme foi solicitado em sea offlcio de hon-
tem.
Ao commanJante superior dos municipios da
Boa-Vista e Ouricory.S. Exc. o Sr. presidente da
provincia manda commuoicar a V. S., para os fins
convenientes, que nesta data expedio as necesia-
rlas ordens a thesouraria de fazenda, aura de que
sejam pagos os vencimentos do official e pracai da
guarda nacional, destacados durante o mez de ju-
nho i'este anno, om Petrolina, na conformidade do
que solicitou V. S. em seu offieio datado de 17 de
iho ultimo.
Ao commandante superior do municipio de
Boa-Vista.0 Exm. Sr. presidente da provincia
manda accusar o recebimento do offlcio de V. S.,
de 16 de julho ultimo, remeltenao o ma op a da
qualificacao da guarda nacional desse munici-
pio.
Ao commandante snperior dos municipio; de
Oliuda e Iguarassii.S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, tendo providenciado no sentido de se-
rem pag03 pelo thesouro provincial os veacimen-
tos do destacamento da villa de Igaarassii, coucer-
nentes ao mez de jnlho findo ; assim o manda
declarar a V. S., em resposta ao seu offlcio de 5
do corrente.
Ao commandante superior do municipio de
SerinhSem.S. Exc o Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S., em resposla ao sea offl-
cio de 7 do corrente, sob n. 17, qae nesta data se
providenciou no sentido de serem pagos pelo the-
souro provincial, a quem se mostrar habilitado, os
vencimentos do destacamento dessa villa, relativos
ao mez de julbo proximo lindo.
Ao commandante do corpo de policia. De
ordem de S Exc o Sr. presidente da provincia,
communieo a V. S., que nesta data foi autorisado
o inspector do thesouro provincial a mandar abo-
nar por adiantemento os vencimentos e soldos dos
destacaraentos a que so refere o offlcio desse com-
mando, de 5 do corrente, sob n. 321.
Ao commissario de policia do munieipio de
Nazareth. 0 Exm. Sr. presidente da provincia
manda accusar o recebimento do offlcio de V. S.,
de 1 do corrente e declarar-lbe que nesta data se
recommenda ao commandante do corpo de policia
complete o fardamento entregue em 21 de julho
ultimo, e ao director do arsenal de guerra forneca
40 pares de saoatAa.
Ae commissario de policia do municipio de
Palmares.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia, communico a V. S., qae nesta data se
mandou fornecer pelo arsenal de gaerra 24 pares
de sapatos e 2 macos de cartuxos com espoletas
correspondents ; flcando assim respoudido p seu
offlcio de 5 do corrente.
3." seccao.
Offlcio:
Ao inspector do fhesouro provincial. De
ordem de S Exc. o Sr. paesidente da provincia.
communico a V. S., para seu conhecimento e fins
convenientes, que nesta data autorisouse o eoge-
genheiro fiseal interino da companhia Recife
Drainage -a mandar fazer por 10fnma caixa de
ferro para o apparelho de limpeza do,xadrez n. 5.
do quartel de policia.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA, DO DIA 25 DE NOVEMBR0
DE 1874.
Antonio Jose Alvares.Deferido com offlcio des-
ta data, dirigido atbesouraria de fazenda.
Antonio Valentim da Silva Barroca. Encami-
nhese, estando era termos.
Caetano Alves Florencio.Deferido com offlcio
desta data dirigido a thesouraria de fazenda.
Esmeria Genuina Dias.Indeferido.
Ferreira & Matheus.Sim, satisfeitos os foros e
mais formalidades legaes.
Joao Chrysostomo de Oliveira Pelagio. Infor-
me o Sr. inspector geral da instruccao publica.
Jose Hygino Duarte Pereira.Passe portaria, na
forma da lei.
Jose Antonio de Farias. Passe portaria rerao-
vendo o supplicants para a guarda local do muni
cipio de Olinda.
Loureuco Marques Pereira dos Santos. Deferi-
do com o offlcio desta data, dirigido a thesoura-
ria de fazenda.
Manoel Gomes de Alencastro. Informs o Sr.
commandants do corpo de policia.
Olympio Marquss da Silva.Informs o Sr. ins-
pector da instruccao publica.
Rita Maria da Silva.Informs o Sr. brigadsiro
commandante das armas.
Rosalina Olympia Bezsrra de Melle. Deferido
com o offlcio desta data ao Sr. inspector do tbs-
souro provincial.
Severino Francisco Bezerra.Informe o Sr. Dr.
chefe de policia.
Sebastiao Msndss Bandsira Guimaraes.-Inde-
ferido.
26
Alexandre da Motta Canto. Informe o Sr. ins-
pector do thesouro provincial.
CapiUo Antonio Augusto Maciel.Informe o Sr
capitao do porto.
Candida Pereira Lins Barreto. Informs o Sr.
inspector geral da instrucQao publica.
Bacharel Ernesto Vieira de Msllo.Passs porta-
ria, na forma da lei.
Filomino Porcino Nastramo ds Andrade. De-
ferido com offlcio desta data, dirigido a thesoura
ria de fazenda.
Ignacio Francisco Pereira da Silva. Deferido
com o offlcio desia data ao Sr. inspector do thesou-
ro provincial.
Irmandade da veneravel Ordem Terceira de
Nossa Senhora do Carmo desta cidade do Reei
fe. Informe o Sr. inspector do thesouro pro-
vincial.
Joaqnim Jose Ferreira da Penha.Informs o
Sr. provedor da Santa Casa de Missricordia.
Jose Lopss Machado. Informe o Sr. inspsctor
da thesnnraria <\ Coruiiel Joaquim Cav.icaote de Albuquerque.
Dose. (
Joao Baptista Soares.Informe o Sr. inspector
da thesouraria do fazenda.
Joanna Tiburtina da Silva Lins.Pa3se portaria
na forma reqnerida.
Luiz Francisco Teixeira.Fomeca-se.
Manoel Archanjo da Cunha.-Informs o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Manoel Gomes de Alencastro. Deferido com
offlcio desta data ao Sr. commandante interino do
corpo de policia.
Pedro Paulo dos Santos, procurador de Jose Joa-
3uira ds Sant'Anna. Informe o Sr. inspector
o thesonro provincial.
Rufino Jose da Camara Pimentel.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.}
Rosa I.al do Sacramento.Deferido com offlcio
'desta data, dirigido a thesouraria de fazenda.
Commando das armas.
GENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS
NAMRUCO, EM 26 DE NOVEMISUO DE
Ordem do dia n. 858.
Q lrijz,adeiro commandant das armas faz
certo a g'unrnicSo para os Qns convenien-
tes:
4.* Que segue boje para a cdrte id
vapor Pard oiv. criurgiao-m6r de brigada
Dr. Luiz Antonio Pirnenta que detxou nes-
ta-data exercer as fun echoes de delegado do
cirurgiao m6r do exercito nesta provincia
para assumir ali o lugar de 1 medico do
hospital militar ^ara o qual foi nomeado por
portaria do miniiterto da guerra 28 de outu-
bro ultimo: [
2." IJae o Sr. d^rorgiao-mor de brigada
graduado Dr. J>se Zacarias de Carvalbo
passa a exercer iiitu-inamwilo o lugar de de-
legado do cirurgiao do exercito, devendo
designar o facultative que o deve substituir
uo seaiico da enfermaria dos menores do
arsenaf de guerra.
3. Que s'guem igtalmente, para a cdrte,
o major Manoel d'Azeudo do Nascimento e
para a, provincia da Bahia o Sr. tenente
Joai Evaogelista Leal, iuo se vao reunir, o
primeiw ao batalbao 12. de infantaria, e o
seguudo ao 10. da mesraa arraa, pelo que
ficara desligados da batahao a que estavam
addido*.
0 mesmo brigadeiro aproveita a occa-
siao para agradecer aos Srs. Dr. Pimenta e
Major Nascimento os bon: servicos que era
suas especialidades prestaran em luauto em-
pregados nesta guarmca >.
(Assigaado.) Manoel da Cunha Wandeiley
Lins.
Conforme.0 major Jose Borifacio dos Santos
Mergulkto, ajudante de ordens encarregado do
detalhe.
(AGENG1A TELEGRAPHICA HAfAS-REUTER.)
Madrid tf de novembrn. Annun
cia-se ofllclnlmente que os carlig-
iai abaudoparaiu o itloqueio do
porto Je Morclia precipltadamenle.
V>S^^*>s ^*>%VM%laa
VUm.< *t iliincIrD rmilinm
lioii.r yw e boje dnqui navlos de
guerra, conduiindo tropaa para a
provincia da Parabyba.
It a iiia 'it Wuiiio lion Kin d'aqut
para Pernambaco, com tropa, a
corveta de guerra PARAENSE.
Bahia *>.ej?uio bontem d'aqut,
com destlno a Europa. no paquete
inglez DOURO, o presidente da di-
rectorla da Asseciacao Commercial
o Sr. Ciizio llariniio : aendo-lbe of-
fereeido pouco antes um lunch pela
directoria dessa corporacao.
Liverpool **. Acaba de eiH'prar
aqui o paquete portugucz ALMEIDA
GARRET.
Bordeos 25.Aqui chegou o pa-
quete inglez. da linba do Paclflco,
GA LUCIA.
Bio de Janeiro 2 Chesaram
uqui os vapores HELVETll'S, BELGRA
NO, e 1LLIMANI.
Babia 29.Sablram boje para
Pernauibuco o paquete Inglez, da
real mala. DOURO ; e o vapor inglez
DON ATI. Cbegou e sahio boje, para
o Bio de Janeiro, o paquete inglez,
da real mala, NEVA.
Lisboa 2. ciie;; o paquete ingles TIBER, da real ma-
la, procedente do Rio de Janeiro.
.\OTICI.l* COMMEBCIAJES.
Londrcs 2C Continiia a laxa do
desconto na praca a ser de quatro
e uieiu por cento". Consolidados de
3 O/O, for account, a S 1/4. Fundos
brasileiros de 5 O/O. do anno de
i*<>5. a 100. care i muito caimo i
precos com tendencia a baixar.
Assiiear i calmo ; precos flrmes sem
alteracao.
Uverpool *6. Algodao i transac-
c6es re^nlares i precos muito flr-
mes ; venderam-se boje dose mil
fardos. sendo dous mil e duzentos
procedentes da America do Mul i o
fair de Pernambaco 8 d. por libra.
Assucar: calmo I precos flrmes sent
alteracao.
Antuerpia Care i calmo t pre
cos Urines sem alteracao.
Havre e. Cafe i Idem i idem.
Algodao t transaccoes regulares;
precos muito flrmes < o ordlnarlo
de Pernambaco 9* francos por 50
kllogrs.
HamburgoSS.Carei calmo; pre-
cos flrmes sem alteracao.
Marselha .- Care: idem ; Idem.
Assuear i o de Pernambaco 20
francos e BO centlmos por SO kl-
logrs.
New-York 26. Cambio sobre Lou-
dres -a-se. Ouro 3/-a. Cafe i
calmo; precos flrmes sem alteracaoi
0 do Rio fair 18, e o oooo 18 l/
crnts por libra. Algodao : mediano
uplands 14 /s cents par libra; as cue
gadus !' boje nos portos amerlca
nos elevam-se a vinte e sets mil
rardos.
Bio de Janeiro 21.Cambio sobre
E Babia Si.-Nada se icm fcito cm
transaeeffes cambiaes sobre lion-
dres.
(AGENCIA AMERICANA)
Londres 26 de novembro. Consolida-
dos 93 Ii4. Fundos brasileiros de 99 a 100 ;
ditos argentinos de 92 a 94 ; ditos do Uru-
guay a 64 3(8. Cafe : mercado frouxo ; o
bom do Rio de Janeiro primeira qualidade
de 104 a 106. Assucar: cota^des nomi-
1 uaes.
New-York 26.Cafe" : do Rio de Janeiro
18. Alg<>d&o : mediano 14 7|8. Assucar :
mascavado B 1(8. Ouro 1115|8.
Liverpool 26. Algoiao : mercado fir-
me ; vendas de procedencia brasileira
2,200 fardos. Assucar : poucas transac-
tors ; cotagOes q-rminaes.
Hvre 26.Cfe : venderam-se 400 sac-
cos. Algodao : lirme; vendas de boje
1,500 fardos.
Hamburgo 26. -Cafe : mercado quieto ;
vendas de boje 8,000 saccos, o do Rio de
Janeiro 76 a 77, o de Santos 86 a 87. Al-
godio e tabaco ; firmes.
Rio de Janeiro 26 is 4 boras da tarde
(retard cional CERVANTES pan levar 500 pra-
cas para o norte. Nao se sabe ainia se
para a Parabyba ou Para.
Babia 26 as 4 boras e 10 m. da tarde,
(retardado).Sahio para Pernambuco e
Parabyba a corveta nacional PARAENSE,
levando a ala esquerda do decimo oitavo
batalbao de infantaria. Vai de passagem o
cbefe do segundo districto naval, Mamede
SimOes d'Almeida. Sahio o paquete DOU
RO. 0 mercado coosorva-se malterado.
Par4 27 as 10 horas e 50 m. da raanha.
0 LIBERAL de hoje publica um mani-
festo assignado pelos chefes do partido con-
tra o procedimentoda MbfCUNSTtTtJI-
CAO, por favouear esta aos desordeiros,
que tem lanc,ado a provincia em t&o a-
normal estado, com vergonha para o
paiz interro e acompauba o JOHNAL DO
PARA nas ideas per esta folha apresentadas
no seu artigo edictorial de hontem, do qual
Ibe dei noticia, e conclue convidando os seus
correligionarios a form a r uniao contra os
agitadores. 0 DIARIO DE BELEit de
hoje tambem falla no mesmo sentido, e
ambas estas folhas transcrevera o referido
artigo da folha official. A nossa situacao
conttnua a ser a mesma ; desassocego e so-
bresalto; tudo parado.
Bahia 27 as 10 h. e 30 m. da manha.
Vem entrando o paquete inglez NEVA.
Cbegou, procedente de Terra Nova por
Pernambuco, a escuna inglezn CAMEL-
FORD. Sahio para Pernambuco a escu-
na HELENA.
Rio 26 is 3 h. e 45 m da tarde (re-
turdado). Sahio hoje p*ra Pernambnco o
bligue pyilugue* YOADOn vo ato.yDE-
GO.
Rio 27 ds 3 h. da tarde.Cambio sobre
Londres 26 l\i bancario, 26 7[16 e 26 Ii2
particular. Vai sguir mais tropa para o
norte.
Babia 27 as 3 b. e 30 m. da tarde.
Cambio inalterado. Apolices da divida pu-
blica 1:0400000.
xrwaf:. &*ai?2SJS
HflMMM
INTERIOR.
rio de .i i yi;i Jtn
13 DE .NOVEMBRO DE 1874.
Faculdade de medicina.O re-ullad i dos exa-
raes de hontem, foi o segaiote :
i* anno medico. Jose Ferreira Franca, Jose
Antonio de Oli.veira Marcondes, Jose Horeira Pa-
checo, Jose Ciistfdio Nunes Junior, approvados
pie amente ; Duarte Alfredo das Flores, approva-
do simpiesmente.
Honve um reptovado.
2 anno medico.Braz Valentim Dias Sobrinho,
approvado com diuinccao ; Rosalino Evaristo Hon
teiro Braga, Jose Thomaz da Porciancula, Francis-
co da Costa Barros Pereira das Neves, approvados
plea imenie : Theodoro da Costa Mattos, Joaquim
Oltoni de Araujo Maia, approvados simpiesmente.
3 anno medico. Tnomai Ramos da Fooaeca,
Ernesto de Castro Moreira, Joao da Costa Lima e
Cistro, e Antonio Manoel de Oliveira, approvados
plenamente ; Edgard Luiz de Goavda, approvado
simpiesmente.
Houve um reprovado.
4 anno. Francisco Luiz da Gama Rosa, Rodol-
pho Gastao Fernandes de Sa, Ctndido de Oliveira
Lins de Vasconcellos e Jose Maria Teixeira, appro-
vados plenamente ; Pio Antonio de Souia Junior
e Domingos Alves Moreira da Rocha, approvados
simpiesmente.
5 anno.Joao Henrique Braune, Domingos de
Almeida Martins Costa, approvados plenamente ;
Joaquim Jose da Fonseca Junior, Luiz* de Oliveira
Buen), approvados simpiesmente. .
6* anno.Ambrosio Vieira Braga, Lucas Tava-
ret de Laeerda, Alexandre Pereira de Souza, Joa-
quim Pedro Villaea Junior, Constantino Ferreira
Leal, approvados plenamente; Honorio da Costa e
Souza, approvado simpiesmente.
6* anno.(Clinica.) Jose Augusto da Rocha
Almeida, Carlos Clandio da Silva, Domingos Jose
Nogueira Jaguaribe Filbo, Antonio Romualdo Mod
teiro Manso, approvados plenamente.
Suspenderam-se hoje os trabalhos desta facul-
dade com a noticia do fallecimento de um de seus
lentes calhedraticos jubilados o conselbeiro Dr.
Francisco Freire Allemao, tendo o Sr. direct >r in-
terino convidado os lentes e oppositor luto por oito dias como signal de profundo pezar
pelo passamento daquelle professor.
Escola de marinha. Resaltado dos exames de
hontem :
1* cadeira, 3* anno.Astronomia e navegacao :
Eduardo Augusto Verissimo de Mattos, JoSo Fer-
nandes de Almeida, approvados simpiesmente,
grao 4 ; Francisco Verissimo de Paula Leite, Fran-
cisco Jose Fernandes Panema Junior, simpiesmen-
te, grao 2; Jose da Silva Nogueira e Joao Baptis-
ta Goncalves.Tinoco, simpiesmente, grao 1.
Em observatorio.Eduardo Augusto Verissimo
de Mattos e Joao Fernandes de Almeida, simpies-
mente. grao 3 ; Franei-co Verissimo de Paula Lei-
te e Francisco Jjsc Fernandes Panema Junior,
simpiesmente, grao 2 ; Jose da Silva Nogueira e
Joao Baptista tioocalvcs Tinoco, simpiesmente,
grao t.
2' cadeira Jo 2 anno, physica. Joio Maxhiii
liano Algerman S. Schiefer, Lindolpho Malve.ro da
Motta, Arthur Pereira de Vasconcellos e Adolplio
Joaquim Penna, simpiesmente, grao 1.
Em descripUva.Estevao Teixeira Junior, Joao
Ximenes Gouve"a Cabral, Pedro Paulo de Oliveira
Santos, Affonso Cavalcante do Livramento, plena-
mente, grao 4 ; Jose Fructuoso Monteiro ua Sil-
va, Elpidio da Gama Bentes, Arthur Henrique
Freire de Carvalho, Antonio de Souza Rels, plena-
mente, grao 3 ; Joaquim Jose Ro'arigues Torres
Sobrinho, Luiz Carlos Freire do Souza Junior,
Frederics Marques de Sa, simpiesmente, grao 1
Desenbo lopograpbico. Estevao Teixaira Jj
Dior, fedro Paulo de Oliveira Santos, ASuawo Ca-
valcante do Livramento e Joas Xlnr nei da Gou
vea Cabral, pleoamenie, grao 4 ; Jos* Proctaos -
Monteiro da Silva. Elpidio da Gama Beates, %r-
tour Henrique Freire de Carvalh > e An look, d*
Souza Reis, plenamente, grao 3 ; Joaquim Jose lo-
drigtiM Torres Sobrinho, Luiz Carlos Preirc 4a
Souza Junior, Frederico Marques de Sa, smpes
mente, grao 2 ; Manuel Joaquim Nobrega de >as-
concellos, simpiesmente, grao I.
Hoove WB reprovado em descriptiva.
Esc^a polyhchnica.Resuluao dos enanes 4*
hontem :
1" anno, 1* turma. Francisco Manoel Tonriiik .
e Joio Goncalves Damasceno, approvados pltaa-
raenie ; Jose Augusta Armalin e J .se Carlos Mm
taury de Aguiar Leitio, approvados simpiefiaeime
1' cadeira do 2- anno. Francisco Cypria**
de Oliveira Mnrtinho, approvado pleuainea e .
Franjisco (ibmbo Monteiro de Carvalho, Jose to<
Reis da Silva Pereira e Domingos (iullherme Bra
ga Torres, approvados simpiesmente.
2* cadeira do 2* anoo. Pedro J .-' Versiaao.
Jose Leupoldo Belfort e Joao Ernesto Rodocanarhi.
approvados plenamente.
Um alutzino tenJo tirado ponto den parte d->
doente.
Repreduzimos o resultada dos exam's do I' *
2* anno do dia 10, por ter sanido truncado *
tem : ei-los :
f anno. Carlos Alberto de Menezes, Carlo*
Augusto do Nascimento e Silva, e Antonio G
calves Ptragibe, approvados pienatnenle ; Cyrilti
Rodrigues da Silva Geoofre, approvado simpies-
mente.
2* anno, I" cadeiraJose Lopoldo Be Tort Dair-
te, Augusto Ernesto de Figueiredo e Joio Maria
de Almeida Portugal Juni-.r, approvado* piena-
in -ute ; Alfredo Bernardino Canongia, T r.ju i
Xavier Monteiro Tapajoz e Tarcicio Joder de An
drade, approvados simpiesmente.
2 anno, 2* cadeira Joao Evangelista Carne ro
da Cunha e Antonio de Salles Nunes Beifort, ap-
provados plenamente.
Houve tres reprovados.
H
Do Rio da Praia temos folbas ate 7 do corr-
to pelo paqnete fraicez -adaci i, da linha d .
Havre.
Continmm mais on menos envoltos no mj st-'-i.
os successos qne se prendem a revolnclo arg ti -
na. A accao principal do drama con:entrava
no sul da provincia de Baenos-Ayres. alii nob..
govern.) o melbor do sen exercito, alii esUa
tambem Mitre com o grosso das forcas revoiacio-
narias.
Ultimaraente era nas immediacies de Doiora*. e
nisto sio Concordes as versoes de ambos os ladj-
que ameacava ferir-se batalba mais on mesos it
cisiva, se batalba tivesse de ferir-se, coovergii d
para alii os dous campos.
0 corooel Julio Campos participon para Boei.05
Ayres, que obeder^do as iosUucaSes reeabidas,
occapara Dolore- pois daut; AasttCMdj*, ]a ae
> >" er-" '- i' '":- *>! j--~>
pria, uma forca insnrgente, qne faglo em tal de-
bandada que nao bavia quatro bomeos que se-
guissem a mesma direccao. Aecreseealon qne ti-
riha operado a sua junc?aocom o exercito de seu
irmao, e tambem coronet Luiz Maria Campos, -
que cs rebddes se achavam em Medanos, dabi
to leguas. Todos os dias bmdos de fagitivos ila<
Qleiras robeldes se recolhiam as legaes.
Moslrava se o governo conGado no exilo da ac-
cao que devia travar-se nas planicies de Dolores .
a junccio dos exercltos dos dous Campos iioha -
do nmmtvimento estralegico habrl e f-lizme it
execotado, segundo o modcrno s\>lenia degu-r-
rear, que consisie em marchar separados e coi-
baler uoidos.
Mai divorsa era a versao do> in-urg-n'es. 1V
da a provincia se levanlava com elles, e o govi-r-
na apenas dominava no terreno qne as suas (roi a-
pisavam. 0 coronel Luiz Maria Campos incor; o
ron-se ao ex r it > de seu irmfto, porque loiu a
cavallaria se Ihe bavia passado para o iuimifo, d-
raodo que em vez de dous exercitos estava o go-
verno roduzido a um, e es$e desmoralisado e BM-
tido Os dous Campos esquivavam uma batallu.
que naotinham for?a para sustenlar, eprepaa
vam um movimento dc coneenlracao sobre Bte
nos Ayres, combinando ja um piano de deleza da
cidade.
0 ministro da guerra partio para o exerc I.
donde se ioferia que alguma cocsa importante de-
via dar-se; em que sentido, porem, era o qa
nioguem se atrevcria a aflJrmar com stgaraap.
Trabalhava se aclivamente na organisagio de MM
reserva, e ja baviam sido beozidas as baadearas
dos quatro batalhdes que formavam a primein li
visao, sob o commando do coronel Myaer, e que sa
dizia dever em poucos dias sahir a campo.
Afinal fez-se ao largo a esquadra argenlina co a -
posta da canboneira Urujuaij e vapores Roteil>.
Pavon, Buenos-Ay i es e Brown. Antes disso U e
ram os habitanles de Buenos Ayres um curioso -
peetaculo. Os vapores rebeldes Parana e Hone-
video appareceram diante do porto, aodaram p. -
seiando de um Udo para o outro, e dis se memo
que levaram dous lanchoes com carvao da esqta-
dra argentina. Nao podia esta mover-se por u u
de agua, tendo de assistir impassive! aqu*tlas m-
gacas i quando mais tarde o consegio, e mWp a
caca dos vapores inimigos, deixax do todo o povo
caes a espera de os ver trazer a reboquc, nftm-
sou sem presa alguma. Depots, tornanao a sahir,
appareceu em Montevideo, ioaiti segui > ao nuao
de oeste, quando todo o mundo diiia que a asfta-
drilha rebelde sa achava a lesle. *
Antes disto o governo prohibira por alguns 4 a
a sahida de toda e qualquer embarca?io de Boa-
nos-Ayres, evidentemente para oio dar noticias da
esquadra. Soppunha-se que ne*ta embarcaria i.n
exercito que, gaohando qualquer porto da eastt.
cahisse de flaoco sebre sobre as forcas revoiacio-
narias, eraquanlo osdous Campos as ataeasroa a>
frente. So tal piano se coacebu, aij ie*e a.*.
principio de execucao.
Dentre as confusas noticias da interior uma se
destaca que nao soffre duvida. 0 general a
surgente Arredondo derrotou as forcas Cii
governador de Mendoza. As mesons partes d ri
gidas ao governo admiltem que depots de imb
combate em que houve 200 boioens fora do cota-
bate, este ultimo se retirara em boa ordeas. Ab.
para porem o accordo. Por parte do goverao dis ia-
se que o coronel Roca, com as forcas de ft, T '
continnava a perseguir Arredondo, e que sa
ensoberbecido com o supposto triumpho, t
rasse o embate, ver-se-hia colbldo enlre dous Se
gos, retomando Civit a offeasiva
A versao insurgeuie er que o goveraador nt
Mendoza fugira para o Chile, deixaodo a proviaoa
entregue a Arredondo, a quem bastava apre*ealar
se em qualquer ontra provincia para cbaanl-a a
si. Assim ja a de Santiago se deeiarara pela re
volncao, o era S. Juan o goveraador Gomez tivera
dc. roDuaciar, sendo substituido por um partidkrw
decid.d.i da ines.ua revoloc*0-
Em algins pantos da cosla d* E:itrvRna4fiiit-
tia o mesmo govctoo qae tinitam rohenlade ra-
multos paxciaes promovtdos ptT jordaoistas. e *
zia-se que a esquadra para alii se dirigia a'ia. de
suffocal -os. E'da mesma fonte a noticia qoe*
famigerados irrnaos Saa, vindos do Chile, se ba-
viam offerecido com algitmas cea*vaas de boaaae
ao coronet Roca para combaieff^a em pro! da <
sa do Dr. Avellaueda.
Passanioap jSta4& OrienUI vemos o fru
/- '
-------------


.
_
_
-
IJi^io de Pernambuco Sabbado 28 de Novembro de 1874

/A

cada vez mats assoberbado pela orise flnanceira, cerda e Ambro/io Vieira Braga, approvados plena
par* eoojorar a qual convocara cxttaai'4iMd4* meal*.
..-
&
\
aienle as camaras. A este rtspelto cncontram-se
interessanles pormenores na carti d < nosso corres-1
pon8ente de Montevideo.
Como sibiamos polo lelegrapho, cahio no dia 3
wrtire o ports daqaella cidate. um dos maia tremen-
des teroporaesde queramemoria. Graades terarn
o damnos causados em toda a liaha do caes, es-
pecialmenle do lado do sal, e ruas adjacantes, in-
vadindo as on das furiosas as casas e os arraaxeus,
derribando p;.redes e deslruindo as pontes de. em-
barque. Oi prejuizos avaliam-se era 600,003 pe-
sos. Eatretanto, parecera ler sido maia (jrtes em
terra do qae no mar, onde apenas sa dlo como
perdido- o brigue portuguez Olinda, a goleta ar-
gent ioa Emilia e am vaporziobo da alfandega.
Outras erobarcacdes soffreram avarias mats oume-
DOS eonsideraveis. |
No dique Hand a agua palgou a poita e encheu 0
em 20 minntos: a canhoneira brasileira Taquary,
l* anno medico.- Guilherae .Rihciro dos Goi
raaraes Peixoto, Severino Martins de Oliveira Br-
culu, Guilireriae Vieira'da Cunlla e Luiz M iiiara-
na, approvados plenamente; Cezar Ferreira Pinto,
approvado simplesmente. Houve um, reprovado.
4 anno.Lecpoldo Gustavo Rodrigues da Cos-
la, Cesario Atves da Silva Ramos e Geuuino Mar-
ques Mancebo, approvados plenamente ; Martinno
Gomes Freire de Andrade, Joaquim Jose da Silva
Pinto Junior e Ernesto Adolpho de Andrade Bre-
ga, approvados simplesmente.
*. anno medico. Hortencio Lenvegildo de Sea
donga Cchoa, Joao Guilherme da Costa Aguiar,
Joao CaeUoo Monteiro, Feliciano Pinheiro de Bit
tuncourt e Antonio Forlunato de Saldanha da Ga-
ma, approvados plenaraeate; Kaymuodo de Mi-
raida Caralllo, approvado simplesmente.
3 anno medico.Joao Carlos Teizoira Brandao.
approvado com distinccao; Philogonio Lopes Utio
inomeutaneamen:e submergida, mas boiou, e esgo
Jada a agua, flcou o navio outra vez assente na
anterior posicao sem haver sodrido avaria de vulto.
O mesmo dique parece pouco haver soffrido ; boa-
ve, porem, momentos em que se receiou que a
agua invadisse as offlctnas e a machina das bora-
hat de esgoto quo esliveram irabaluanio conlinua-
mente.
sreira Aranle*, Urlos de bouza Forrelra,; u dag .>jev.egi pienamBnte grao 9^ Joaquim Jo-.e Pi
i?6 da OjstJ Figoeirnlo, fcruando Carlos de nlieiro de v'asconcellos, Carlos Alberto dos Santos
In, si-Dplesmeiiie eiao i. Valenca. Manrml R.lnsnin da Amvedo. Joauuim
Eseotade matinht.Resaltado dos exames de
hontem.
i* eadeira do 3' anno.Astronomia e navega-1
cao.Feroan.lu Carlos JeCarvalho, approvado aim*!
ple^mente grao '-; Fran.Nsco Nuws Pprcira, Luiz [
Pereira Araatr, Carlos de Smza, Ferreira, Joioj
Jose da Costa ffgueiresK simpleknente grao i.
Em observa'.orio. ^raattsisa Nunes Pereira,'
Luiz Pereira
Joao Jo
Carvalh'i, aimplesfliente g
Em chimiM ti.< Bapttsta das Neves, Joaquim
Jose Piuheiro de Vascoitcelloi', Carlos Alberto dos
Santos Vatenca, pie am-nte gra 18; Manoel Elnar-
dodeAzevedo, (npin Prattcmco Correa Leal,
Joaquim Pioto Was, f^enaneule grao 7.
! annc Ue*fn!io !:e tigara e pahagem.AspJ-
rantes, Jose ite Alme'da tiossa, Frau-.isco Manani
Wanderley, Jae de M r.inda Kibeiro Sobnnho,
lierrulano Ce-;ir de Miranda Ribeiro Juuiur, Ma-
n>el Beoicio Fi-nteaelie Junior, Com distin;-.ao grao
3 ; Albino da Silva M;;ia, Pedro Ceiestino Teixeira
Mer.des, s-irnidesmeotegiao I.
Pakaoo Affoaso Vicente de Carvalh>, plenamen-
te grao (.
f erminaram os examcs da 1* eadeira do 3 anno
e deseuho do 1*, e principi^m hoje oa da l* eadei-
ra do 2."
de Miranda Perrejra e Julii Braz de Magalaaes
Calvi-t, approvados plenamente. Hiuve urn re-
. provado.
6.* anno.Carlos Pereira da Silva Guiraaraes,
, Pedro Macedi de Aguiar, Joao Baotista Ferreira
. Ferro, Francisco de Salles Aleixo Franco, Frede
, rico Mariaho de Azevedo e Auloaio da Terra Pe
reira, approvados pleaamente.
j 5." anno.-Ernesto de Freitas Crissiuraa e Ma-
noel Teixeira Maciel Junior, approvados com dis-
| liuc;ao ; Luiz Paulino da Sarra Pinto e Henrique
| de Almeida Regadas Junior, approvado plena-
mente.
EscjUi de marinka. Resultado dos exames do
hontem:
2.' eadeira do 3. anno. Balistica. Joao Baptis
Edua'do da Azevedo, Joaquim
Leal e Joaquim Pinto Dias, pie
Valenca, Manoel
! Fraucisco Corr^a
j nameute grao 7.
Cbiniicii e pyrotachnica. Luiz Ferreira de Oli
l veira Moraes, plenamente gra> 7 ; Jeronymo.Bo-
[berlo de Mesquita, simplesmente grao 6; Joaquim
Francisco Lessa de Vasconcellos e Joaquim Alves
da Silva Penna Junior, simpiesmenle grao 4 ; Hea-
nque Jose Pedro Valladas Garroxo e Henrique Ri-
beiro de Faria, simplesmente grao 2.
L* eadeira do 2." anno.-Frederico Marques da
Sa e Allbuso Civalcante do Livramento, pleuamea-
;e grao 7; Lindolfo Malveiro da Motta, simples
mente grao 2, eA-thur Pereira de Vasconcello
simplesmente grao 1.
Terminaram hontem os exames da I.' eadeira
ra do 2." anno.
Etc-la polytechnics.- Resultado dos exames de
hontem:
f anno, turma.Josd Poneiano de Oliveira,
approvado plenamente. Houve tns reprovado5.
1* eadeira d < 2'anno.--Bernardo G >mes Car-
neiro, approvado com distinccao ; Jo.io Fvaugelis-
la Carneiro da Cunlia e Leandro D.ipret Junior,
appruvados I'lenamcnte ; Eduardo Cavalcapte de
Campos \'ello e Carlos Guedes Ja CoMa, approva
dos Ninpleemeote, Hoave nm reprovido.
2* eadeira do 2 annoTarsicio J Jer de An-
drade, Fran.isco de I'anla Guima 8e.< e Greguno
Gonfalvesde Castro Mascar nh3s, auiro ;idos ple-
namente ; Terqoato Xavier Monteiro Tapajos,
approvado simplesmente. H.uve um repro-
Tado.
I* eadeira do 4 anno. Luiz Teixe ra de Bit-
tencourt Sodrinho, Francisco do Soaza Reis, llil-
debrando Pompeo de Soaza Brasil b Aoguli For-
niu Junior, approv.*:dbs plenamente ; Agps inho Ma-
ria Correj dc Sa e "apbael Aogusto Brandao, ap-
pr-.vados simplc-sme te.
15
Escota de viarinhi.0 re.-u.'!ado dos exames de
houera f;i :
Chimica.-3" anno.-Luiz Azevedo fadaval, ap-
provado plenamente, grao 8 ; Justino Jos6 de Ma
:edo Coimbra, Kneas Oscar de Faria Ramos, Fran-
ci*co Thon a/. Alves Nogaeira, Realo Jose Manso
Sajao, Jos6 Antonio Ayrosa, approvados plena
mente, grao 7; loaqolm I'olrigues Jose Torres
Sobnuho,;iJem, grao 8 ; EsU vao Teixeira Junior,
idem graoi? ; Arthur Henrique Freire de Carvalho
Antonio de Soaza Reis, simplesmen'.e, grio 5 ;
Pedro Paulo de Oliveira Santo?, idem, grao 4.
Topographia e desciiptiva. Adolpho Joaquim
Penna, approvado pleoamente, grao 4 ; Joao Maxi-
miaoo A. S. Schiefler, idem, grao 3 ; Julio Alves
de Brito, Jose Coellio Gomes, Liudolpho Malveiro
da Mot a, simplesmente grao 2 ; Jolo Carneiro de
Almeida e Arthur Pereira Vasconcellos, sim-
plesmente, gi Dcocuno topograpiiiuo-T^Julio ictvea oe Driio,
Joao Carueiro do Almeida; Adolpho Joaquim Pen-
na, approvados plenamente, grao 3 ; Arthur Vel-
lozo R.ibello, Joao Maximiliaao A. S. Schiefler, sim-
plesmente, grao 2; Jose Coeiho Gomes, Lycurgo
de Carvalho Reis, Lindolpho Mr-lveira da Motta e
Arthur Pereira de Vasconcellos, idem, grao 1.
Em tibotograpBia e descriptiva houve dous re-
provados.
Faculd-ide de mtdicina. Resultado dos exames
de boje:
3* anno medi o.-Deoc'eciano Julio Pegado, Jo-
sii Alvares ii.ibiao, Joao Manoi-I de Castro, Arthur
Baptist a de Castro, approvados plenamente; Luiz
Ridolpho Puque-Estrada Sayai, Graciliano G.n
ealves Xegreiros, approvados simplesmente.
4. anno.iheogenes Dario de Cantalice, Eluar-
do Rodrignes Alves, La-are Gonfaives Ciire^a do
'"outo, Joaqoim Francisco Moreira, AngtUto de
Souza Brandao Junior, approvados pleuamente;
Benedicto Galvao Pereira Baptista, approvado sim-
plesmente.
C* anuo.Gabriel Antonio Pimenta, Cesario Ga
briel de "reitas approvados com distinccao; Lu
ciodaCunha Pauvolido e Meoezes, Fraucisco de
Paula da Silva, Edoardo Henrique Pereira deMel-
lo, Francisco Antonio Ribeiro, approvados plena-
mente.
1.' anno medico.EJuardo Ernesto Mendes Ca-
laza, Henrique Tnomaz Correa de Sa, approvados
plenamente; Jose Maria Moreira Seara, Alexandre
Adolpho Mendes Calaza, approvados simplesmeute.
2.* anno medico. Guilherme Alves da Silva,
Bruno Jos6 dos Santos Nora Junior, Lindolpho Mar-
lins de Oliveira, Tristao de Oliveira Torres, Octa
vio Esteves Ottoni, approvadoslplenameate; Jose
Moreira Bastos, approvado simplesmente.
C* anno (olinica).Aureliano Goncalves de Scu-
za Portugal, approvado com distinccao; Cypriano
Barbosa Beltamio, Cam Ho Maria Ferreira da Fon-
seca, approvados plenamente; Joaquim Silverio
Barbosa, approvado simplesmente.
5." anno.Miguel Joaquim Dias Pereira, Benja-
min Antonio da Rocha Faria Junior, Felippe Aris-
tides Caire, Jose da Cunha Ferreira Junior, appro
vados plenamente.
K. B.Os aluranos do 5. anno Jo5o Henrique
Braune e Domingos de Almeida Martins Costa, que
foram examinados no dia 12 do correcte, ficaram
approvados com distinccao, e nao plenamente,
como foi publicado ; e bem assim foram approva
dos plenamente no eitado dia 12 os alumnos do
mesmo anno (o.) Joaqaim Jose da Fonseca Junior
e Luiz de"Oliveira Bneso.
Escola polytechnica. Resultado dos exames de
hontem:
! anno.1* turma.Adolpho Augusto Pinto,
approvado plenamente. Houve tres reprova-
dos.
1* eadeira do 2' anno.Guilherme Pe^anha de
Oliveira, Antonio Alves Pereira do Carvalho, Fran-
cisco de Paula Guimaraes, Joio Nepomuceno Epi-
phanio Baptisiae Eirygdio Jose Ribeiro, approva-
dos pleuamenie; Manoel Maruus de A ran jo Fil-
gueiras, approvado simplesmente.
2* cad.-ira do 2 anno.-Luiz Aucusto Dias de
Faria e Fraucisco Colombo Monteiro de Carvalho,.
approv.-.d..s plenamente; Frederico de Almeida
Albuquerqui! Filho e Francisco Simues da Fonce
ca, approvados simplesmeute. Houve urn repro-
vado.
1* eadeira do 4* anno.Alfredo Jose Xabuco de
Ar.iiijo Freitas, Joaquim Guilh-.-rme de Souza Lei-
tio .MdldouaJo e Joao Borges Ferraz, approvados
pleuamente ; Fraucisco Harreto Picanco da Co>t,
i Heraldo Pio Pimeuta Bueno c Pautaleao Jose da
I Costa eiouza, approvados simplesmente.
0 paquete inilez L
>ar> do R;o da Praia
lez Uibmlz trouxe nos hontem fo-
Ihar. do Rio da Praia ale 10 do corrente.
A e.-quadra a.gentiua capturop, pelo rnenos as-
sim o auirma um bi.lctim official do governo da
Buenos-Ayres, um palacho sahido do Montevileo
com I.CtO pistolas, 2,000 espadas e 400 espiugar-
das Henry para os insurgentes. A preza avaliava-se
em 50,000 pataoJSei.
E' este o uuico feito que se refere de caracter
positive
Accrescenta-se quo se^undo lodas as appareu-
cias, nao tardariam a bater se as duas esqua-
dras.
Sot-re a situacao geral da goerra civil na Repu-
Llica Argentina tomamos a seguiote exposi^ao do
Standaid deBuenoS Ayres, como foltia mais im-
parcial eutre os dous pariidos cootenJores.
Ellactuada em jJolorea a junccao dos dous exer-
citos ao oesie e do sul, diz-se que a for;a combina-
da do governo se eleva alii a 10,000 hotneas de in-
fanleria e cavallaria, e 200 cauhoes Krupp. Nao
parecendo haver toda a barmonia enlre os dous
commandantes, os irrnaos Campos, accadio alii o
ministro da guerra para lomar a Jireccao. e dizia
se que ia avancar sobre o inimigo com 5,000 ho-
meus escolhidos c bem montado:*.
0 coronel Luiz Campos, alliancando que Mitre
nao tern mais de 4,0t)0 homens, altribue Ihe o pla
no de retirar-se para a Bahia Blanca, nmas 80 le-
guas para o sul de Dolores, receber a ariilbaria
que os vapores devera alii desemoarcar-lhe, eesta-
belecer naquelle poqio o sau qaartel general e
Escola polytechnica.^Rojultado dos exames de
hontem:
l. anno, 1." turma.Arlhur Cezar de Andra-
de, approvado plenamente; Paulo Emilio Lourei
ro de Andrade, approvado simplesmente. Houve
dons reprovado?.
! eadeira do 2. anno.-Actonio de Salies Nu-
aea Belfort, approvado plenamente; Joao Jose
Diasde Freitas e Joao Jcse da Cruz Camarao, ap
provados simplesmente. Houve um reprovado.
t cadein do 2 anno. -Jose Agoslinno dos Reis
a Antonio Alves Pereira de Carvalho, approvados
plenamente ; Guilherme Pecanha de Oliveira, ap-
provado simplesmente. Heuve um reprovado.
4. eadeira do 4. anno. Jose Caelano Horta
Barbosa, Carlos Augdsto de Avilez Barrao e Plotl-
no Soares, approvados plenamente ; Jfcinoel The-
maleo da Costa, Luiz Affonse Braga e Francisco
de Almeida Torres, approvados simplesinente.
Aula de deseuho do l." anno.Hunorio Luiz de
Vargas, approvado plenamente; Modesto Olympio
Teixeira Brandao, Autoni; Rota da Costa eCandi
do de Paiva Coelbo, approvados siinplesmeale.
16
Escola de marinha.O resollado dos exames de
anie-hontem na 1.' eadeira do 2. anno, foi o se-
gninte:
Joaquim Jose Torres Sobrintn e Jose Fructnoso
Monteiro da Silva, approvados plenamente, grao 8;
Estevao Teixeira Jnnior, idem grao 7; Arlhur
Henrique Freire de Carvalho e Antonio de Souza
Beta, simplesmente grto S ; Pedro Paulo de Oli-
veira Santos, idem grao 4.*
17
Paxuldade de medicina.Resultado dos exames
de bontem;
6.' anno (elinica).Honorio da Cunha e Souza .
Constantino Ferreira Leal, Lucas Tavarcs de La-1
esperar, qua o general Arredondo se Ihes
incorpore com o seu exercilo para eutao dar baU-
lh^ as forcas do govarno.
Sabiamos qne oma victoria deste ultimo gene-
ral obrigon Civil, governador de Mendoza, a reti-
rar se, e quo Gomez leva de resignar o governo Jo
S. Juan, por haver-se pronunciado a favor da re
vojujao o povo da provincia.
0 exercilo governista donorte, coramandado pelo
coronel Roca, cbegaraa S. Luiz depois de uma pe-
no-a inan-ha de 40 leguas do Rio Quarto, e os ul
t-tnos talegrammas ollielaos davam-no avan;ando
sobro Mendoza para alacar Arredondo.
Agora maudou se formar no Rosario um exer-
cilo de reservade 13,000 homens com coritingen
les das cinco provincias de Santa Fe, Cordova,
Buenos Ayres, Eutre Riose Corrientes, sob o com-
mando do coronel Ayala. Pnblicou-se tambem
um decreto mandando formar com a milicia da ci-
dade de Cordova uma brigada de cinco balalhoes
de 600 homens cada um.
Em Corrientes estan o governador reanindo no
vas forcas para perseguir os bandos revoluciona
rios de Goya e Esquina que ameac/wara Mercedes,
e no extremo norte o coronel Hriburu organisava
em Tucuman 3,000 homens de milicia.
Ainda ha pouco os orgaos semi-officiaes de Bue-
nos- Ayres davam ao governo 44,600 homens em
annas nas differentes provincias. Se Ihes addicio
nansos o novo exercito de reserva, e contarmos
lambem a geute de Mitre, Rivas, Arredondo e as
partidas destacadas, teremos cerea de 100.000 om-
batentes espalhados pelo territorio da republica.
Nada occorrera de importancia no Estado 0-
rienlal.
Da Assnmpijao nolicia-se que se preparavam
grandts festas para o dia 23 do corrente, em que
D. Juan Bautista Gill deve ser clevado por quatro
annos a presidencia do Paraguay.
18 -
De volta de sua excarsao a provincia do S. Pau-
lo, reassumio hontem o Sr. conselheiro Manoel An
tonio Duarte de Azevedo a pasta de ministro e se-
cretary deestado dosnegocios da Jastica.
0 Correio Paulistano refere o seguinte :
No dia 12 do corrente, as 8 horas da noite,
oma commissao composla dos Srs. consalhairos
Joaquim Ignacin Ramalho, Martim Francisco e Drs
Frai:Cisco Antonio Dutra Rodrigues, Clemente
Falcao de Souza Filho, Luiz de Oliveira Lins de
Vasconcellos e Joajuim Augugto de Camargo, di-
rigio-se a casa de residencia do Sr. conselheiro
Manoel Antonio uuarte de Azevedo, e, em oorae de
vsrios cavalbeiros, formados em direlto, residenies
nesia cidade, sera distinccSo de parcialidades poli-
ticas, a elle offertararo as Insignias douteraes de di
reito, ennstante de. um a/mel de ruhi cercado de
brilbantes, uma borla e capello, ires pegas rica e
pnmorosa oente aeabad.is, em signal de apreco em
que (em os servicos do Sr. conselheiro Duarle de
Azevedo, concorrendo para a creacao dos nov.is
Iribnnaes de rel cSes.iio imperio, um d-:s quaes
(em sua sede nesta capital
< 0 Sr. conselheiro Ramalho, o decano dos
membros da commissAo, e talvezde todoa que con-
tribuiram para aquella prenda, pronnnciou ao of-
ferta la uma breve alloeucao que foi re pondida
pelo Sr. conselheiro Duarle, vioivelmente comino-
vido.
A modesta mauifestacSo que Sssim se realisou
sem pompa c apparalo, como uma tocanle scena
de famiha, e eniretauto daqnellas que mais davem
ter anchido de satis fa cao o coracao do mimosea-
do : aram seus irrnaos de letiras, seus companbei-
ros de nacerdocio da me3ma scif oci.i, alguns del
les seus aatigos masires, .que alii foram no reman
sodoseular domestico dir-lhe um estremecido
abraco de applaaso e entbnsiasrao, e depositar-lbe
nas maos um symtolo do apreco em que tinham
seus dotes soperiorei.
a H aras destas unto nobiiitam aauem as da
como a que.n as recebe. Sectarios os tf.na politi
c,cuua*iafl-ie proiessa o Sr. itiuistro, nwn
pof isso nos.cegi a paixao para nao vrrnf as o merit j
ooafe cite exlsle, e para naofazernioi jasti^a, m
fcora a adversarios.
Die o titario de S. Paulo que a fdha acima re-
fenda vat constituir-se urgao do parlido liberal da
provincia, as-umindo para esse 6m a sua redac-
cao os Srs. desembargador Olegario' a & Gaviao e
coaselbeiros Martim Francisco e Joje Bonifacio e
Drs. Ueonoio de Carvalho, Antonio Carlos e cu-
troe.
Accrescent* o Uiario ;
i No dia 1* de Janeiro do aaao proximo futaro
apparecera dm novo orgio diario de pubiicidade
Segundo nos alunna pessoa iqsuspeita, iatituiar-
se-ba Provincia de S. Paulo, e nao s^ra crgao de
partido algum.
a Onovo joroale prppriedado de uma saieaade
commanditaria, composla dos Srs. Dr. Joie Fran-
cisco de Paula Souza, Raphael, Paes de Barros, ma-
jor Diego Antonio do Barres, Dr. Amtrico da Cam
pos, Dr. Americo Braziliense, Auloaio Pompeu de
Camarga, Dr. Manoel Ferraz^de Camjos Saly, Joao
Manoel de Almeida Barbosa, Dr. Franci.-ca Rangel
Pestana, Anlonio de Salles, Dr. Marlinho Prldo Ju-
nior, Candido Valle, Dr. Jose Alves de Cdrqueira
Cesar, Joao Tebyrica Piratioioga, Joao Tubias de
Aguiar Caslro e Jore de Vasconcellos de Almeida
Prado.
Os redactores serao tirados d'antre" os com-
maadiiarjos, e, ao quo consta, ja foram eouvidado-.
para esse cargo os Drs. Americo de Campos e Ran-
gel Pestaua.
O Sr. Itruh.us, geronte da empreza eacarregada
da navegacab a vapor dos riosTiete e Piiacicaba
desde o porto da Constituicag, escreveq.aizendo
que as copiosas chuvas do mez flndo tinnan enchi-
do os rios a ponto de mterromperera per algum
tempo os trabalhos de canalisaeio das no|tedeiras'
e remo^ao das madeiras ; recomecara, poieai, esse
trabalho, e, se nao tornarem a cabir chivas, tao
abundantes como as nltimas, em brew* Bias flea
r*o os rios era estado de ser navegados a vapor,
reservandose oaperfeicoaraonto do servico feito
agora para 6 tempo de secca, do anno vin-
dpnro.
Estando coberlo o ediflcip definalo a offteinas
e armacao dos vapores, levantata-se o astaleiro e
solire elle fora collocada a quilta do primeiro va-
por, que coraefara a armar se no dia 5 .do cor-
rente,
Achava-se restabdecida a r'rdem em S. R>que
e desvaneci ios os recaios de fue os trabalhadoras
da estrada de Jerro a perturassem de novo. A au-
loridade abrira ioquerilo a respeilo doa. disturbios
havidos.
Diz o Piracicaba, folha df cidade da Constituiao,
que appareceram dous casi de variola no bairro
denommado dos Allemaes.
Noticia a raesraa folha |
Esla quasi lerminadya estacio da florescencia
dos cafeeir is, e segundotemos ouvido a. diversos
fazendeiros deste municpio, as fldres Ida sido em
quantidade tao liraita Ja, que estabelecem desde ja
a certeza de que a pro;ima colbeila de ,cafa sera
muito pequen3, corresfondendo talvez a um tercp
de uma colheita regular.
Encontraraos a sejuinle nolicia na Gazela de
Ctnnpinas
< 0 nosso festejadc maestro Carlos Gomes esta
a accumular louros entra louros sobre aquella
fronte cm que a eslralla da pairia vd ja os reflexes
da seu inelhor padrio de gloria ariistica.
Vai elle agora escrever uma nova opera, con-
forms vim js de utm carta eseripta a seu irmao.
Sant'Anna Gomes.
_ t A composicai a que esta mettendo hombros
chama-se Maria "ttdor, e o assumpto e tirado do
b-lissimo drama Je Victor Hugo que tern o mesmo
titulo. 0 libretti e dos netaoras, no parecer do
maestro ; e, porputo, sobredoirando o vasto ange-
nho do n>sso illtstre patricio, devemos coutar com
uma pea que he estendera a justa nomeada, e
atlestera a propessiva marcba da sua grande ca-
pacidade rauscal. A Maria Tudor siri escripla
por conla do alitor Ricc-ruL
Ld-se no Vc/to do Sertao, folha que se publica
na cidade de Tberaba :
Pariicipaa-nos do municipio do Prata que o
(amigerado assassino, vulgarmenle appellidado.
Quarentinha, que por annos foi o terror do nosso
serlao, stccucibio finaluieote aos golpesdeum
moco quasi crianca. Eis torao nos refarem o fac-
to :
< Quarantiulia achava se com uma pessoa de
sua iamilia doente de umpemvhigo (vujgo fogo gel-
vagem); p. r.-uaJiiaui Hi- que essa eufannidaCe
era devida aos feilicos de uma negra, escrava de
um seu vi.-inim.
Ao9derar-se da negra, leva! a para\ .s,ua ca-
sa, e preparar-se para queiraa-la viva, ." .,uis da
le-la cruelmente acoitado, foi para QSapeminba o
irabalbo de poncas horas.
0 seuhor da escrava reuaio gente para.ir li-
ral-a das maos do seu cruel algoz; refketiado, po-
rem, que o apparato da forca so servu-ia para
apressar o desfecbo, disp:rsoa a gente, e, acompa-
nbado somente por um camarada, dirigio se para
o siiio do facinora, e alii pedio e rogou quesoltas-
se sua escrava ; declarou, porem, Quareatiaha que
havia de queima-la viva, porque era feiticaira.
CoulrarO seu costume, a malvadi, querendo
eatrar o interior da casa, descuidou-se e deu cos-
las aos visttanles; eniao o camarada do scnlior da
escrava saltou sobre elle, agarrou-o fortemente e
cravoulhe por duas vezos a faca no peilo; o mo
c,o, vendo-o ferido e seguro, lanQ)u mio da espin-
I Hoave um reprovado.
i' eadeira do 2 anno. Ecnygdio Jose Ribaire,
appravado pleuamenie, lose, dos Refc da Silva Pe-
reira e Modesto Olympio Teixeira Braoiio, appro-
>ados-*in,piesuieule.
Heuve dous reprovuJos.
1" eadeira do i anno.Adriano-Nuoes Ribeiro,
Joaquim Rodrigues Antunes Junior e Franklin Ja-
cintho da Silva Botelho, approvaaos plenamente;
Manoel Jgm-cio LacerJa Wernesk, Antonio Macha-
do de Franca Ribeiro e Alfrelo Joaquim Correa da
Silva, approvados simplesmente.
garda, aponlou-lhe a cabeca e fez-lhe saltar os
miolos. Esta scena de sangue e vinganr,a foi rapi-
da como o relampago.
a Quarentinha cahio inanimado, 6cando a socie-
dade livre de um tigre : dizera que elle tinba per-
petrado oilo ou dez assassinatos I Saiemos com
certeza que em am s6 dia elle perpetrira dons, a
seis leguas desta cidade : foram entao suas victi
mas umsargento de v dnntario da pairia, encarre-
gado de sua prisao, e nm soldado da escolta.
Faculdade de medicina.Resultaio des exames
ie hontem :
! anno medico. Feliciano Coeiho Duarle, ap-
orovado plenamente ; Lourenco Jose Ribeiro da
Crua Rangel e Bernardo Jose de Figueiredo, appro
vados simplesmente.
Houve 3 reprovadps.
2 anno medico.Jose Edaardo Teixeira de Sou-
za, Napoleio Augusto Cardoso Ribeiro e Oscar Er-
nesto Caire, approvados plenamente; Joao Conra-
do de Niemeyer, Pedro Celidonio Gomes dos Reis
e Alfredo Alvares de Azevedo Macedo, approvados
simplesmente.
3 anno medico.Miguel Archanjo de Santa An-
na, Symphronio Seguirido de Souza e Gabriel Ho
racio de.fiarros, approvados com distiuecio; Joio
Jose de Santa Xon.a Junior, Joao Paulo da Silva
Brito e Guilherme Frederico Victoria da Cosla, ap-
provados plenamente.
4* anno.Joaquim Jose Torres CutBra, Joaquim
U. ar.qae de Andrade e Silva e Pedro Jose da Sil-
va, approvados plenamente ; Ernesto da Rocha Mi-
randa, Alberto Goncalves de.Souaa Portugal, Al-
fredo Augaslo da Costa Machado, approvados sim-
pk-smsDtu.
5 anno. Ernesto Barlholomeu de Barros, ap-
provado com dislincgio; Carlos Ferreira Alves
e Olympio Joaquim da Silva Pinto, approvados ple-
namente ; Aveiino Pereira de Freitas, approvado
simplesmente.
6 anno.-Joao Antonio de Oliveira Magioli, ap-
provado com distinccao; Francisco Jose Coeiho de
Moura, Lourenco Jusliuo Vieira, Manoel de Mello
Braga.Junior e Francisco de Paula Barroso Nunes,
approvados plenamente; Antonio Jose de \aseon-
cellos Junior, approvados simplesmente,
6* anno (clintca). Jo*qoJm Pedro Villapa Ju-
nior, Francisco Antonio Ribeiro, Alexandra Perei-
ra de Souza e Eduardu Henrique Pereira de Mello,
approvados plcnuLcaae.
Escola de mai tulip.Resullado dos exames de
honiem:
3* anno.Balistica.Luiz de Azevedo Cadaval,
approvado plenamente, grao 9; Justino Jose de
Macedo Coimbra e Uoulo Jose Manso Sayao, appro-
vados plenameale, gr*o 7; Eneas Osoar do Faria
Rajws, Francisco Tbomaz Alves Nogueira e Jos^
Autouio Ayrosa, approvados simplesmeute, grao 2.
^ Em chimica; Joao Fernandas de Almeida,
EJuardo Augusio Verissimo Mattes, approvados
simplesmente, grao &; Jo=eda SilvaNogueiia, Joio
Baptista Gonpalvaa Tiuooo, approvados simples-
mente, grao 3 ; Fraucisco Verissuao de Paula Lei-
te, Francisco Jose Fern-mdes Paneica Junior, ap-
provados siTplesraente, grao 2.
Escola polytechnica.-Resullado dos exames de
hontem:
1 anno, 1" turma. Feiisberlo Martiaiaa) de
Aguiar.approvado plenamente ; Jose" Fraucisco de
Faria Junior e Arthur de Lima Campos, approva-
dos simplesmente.
Houve nm reprovado.
i" cadsira do if anno.Ojcar Maniz Bittencoart,
Alfredo da Silva e Benjamin de Gama S?uza Fran-
co, approvados simplesmente.
revist&.di^ihla.
Autoridadea poltciaca.Por portarias
da presidencia da provincia, de 24 do corrente, fo-
n-.m oomeados : alferes Joaquim Candido de Oli-
veira Marques delagado do termo do Bom Jardim ;
Tttomaz Pereira Barbosa e Manoel da Silveira
Barros. subdelegado e 1* supplenie do districto da
Peaha, do termo de Floresia; Jose" dos Santos
Correa, 3* supplente do subdelegado do 1* dlstric
to do termo de Floresta; e Clemenlino Jose de
Moum, 1 supplente do subdelegado do districto
do Riacho do Navio.
Couaelkeiro Joao Alfredo.--S. Exc.
volt ou honlera pela manha" da provincia das Ala-
goas, a bordo do vapor l.igtaribe, da compaohia
Pernambucana, sendo saudado, ao entrar da bar-
ra, com uma salva dada pela fortaleza do Drum.
Jury do Heel re. Tondo comparecido hon-
tem 42 |uizes, foi submettido a julgamento Manoel
Antonio da Silva, pronunciado no art. 205 do co-
digo criminal, por ler, no dia 27 de dezembro de
1872, ferido graveraenle a Francisco Jos6 Baptis-
ta, no asylo de mendicidade.
0 conselho da senteuca compoz-se dos Srs.: Jose
Joaquim da Co-ta Fajoze', Francisco Ignacio de
Medeiros, Joaquim Tranquilino de Lemos Duarle,
Joio dos Santos Ferreira Barros, Antonio Macha-
do Pereira Vianna, Maaoel Gomes da Sa, Clarindo
Ferreira Catao, Jose Francisco do Rego Mello, Joa-
quim Francisco de Moraes, Silvino Antonio Ro-
drigues, Jose Doraragaes Codeceira.
0 reo, que lava como advogado o Sr. Dr. Luiz
Emygdio Rodrigues Vianna, foi absolvido e posto
em liberdade.
\oveim. Principia hoje a de Nossa Senho-
ra da Couceioao, na capeila do arco, e amanbi,
nas igrejas de S. Pedro, S. Francisco e Penba, sen-
do nesta do madmgada, e nas outras a noite.
(iameileira. A oaulu alguns devotos ce-
lebrara na malriz dessa villa, a fesiividada de Nos-
sa Senhora do Rosario, orando ao evaogelho o
Rvm. LeonarJo Joao Grego.
Advento. De amanhi ate a Epiphania
(iia de Reis) tao probibidas as n>jpcias solem-
ue.
Pode qualquer casar-se, m .s sem as resaectivas-
bencaos, as quaes o Rvm. governador do bispado,
em circular de 10 do corrente, e dirigila aos Rvms.
parochos, mandoa declarar nao dinpensar para se-
ram dada* em dito tempo prohibido pelo direit'o
cauonico.
Arco da Conceicao Amanbi, as 6 ho-
ras da tarde, sera hasleada a bandeira da excelsa
Senhora da Conceicio, qua sa venera no arco da
ponte Sete de Setembro, com o e-plendor do cos
tume.
Mo das. Madama Theard, a rua do Barao
da Victoria n. 32, acab.i de receber cones de ves
lid is de blonde, bordados a soda, sen Jo as palmas
de diversas cores, proprios para bade, bem como
veslidos de torlataua bordados a seda, de ditlaren
te3 cores.
Exames dc preparatories. No dia
27 d, corrente lizeram-se, na faculdade de direito,
24 exames de lingua naoional, sabindo 1 plena-
meate, 17 simplesmente e 6 reprovados.
J.uia e merle. No dia 8 do corrente, bo
In gar Pac-o do Boi, do termo do Floresta, na occa-
siao de elfactaar-sa a captura do calabre crimiao-
so de diversas mortes, roubjs e rcsisteneia, Ma-
noel Franc.sco Jurema, travou-se rankida lula, da
qual resultou a morte do referido facinora.
Qaeatavo-religiosa. --luformanos que,
tendo o Rvm. coni'go cliaaire governador do bis-
pado respondido ao Sr. Dr. juiz de direito de Oiin-
da qae nao se acha reveslido dos poderes neces-
sarios para dar execucao a ordem do governo im
perial que manda levanlar os intcrdictos, foram
mandado. ao Dr. promoter poblico respecitvo os
documeotos autoados para que elle de a denuo-
cia.
Tiieatl'O Santo .Vntaaiu- H ije devrr.i,
representar-?e pela primaira vez o cxcellente
drama, inriiul .do A Ucnraj materna, locubracio
do iusigne artisla Lima Peaaote ; assim como a
nova graciosa, scena comica 0 Organismo, do
mesmo autor ; e finalmente a comedia, em t aclo,
deuominadaA Costureira.
A' vista de lao boa escolha de pecas theatraes, e
de e apreciadores.
Armuda nacioual. -Cousta-nos que ante-
hontem sahiram, com desuno ao nosso porto : do
Rio de Janeiro, a corveta Ypiranga e um outro na-
vio da armada brasileira; e da Bahia, a corveta
Paraense; trazeodo esses vasos o 14" batalhao de
i if iiitaria e u na ala do 18.
ikiuiieiro.0 vapor Bahia trouxe para
13:4855000
2:000*' 00
400*000
154*300
5:222*000
3:200*1:06
2:800*000
2:675*000
2:100*000
1:680*000
1:400*000
1:350*000
1:158*000
1:007*740
1:000*000
1:000*000
759*00J
700*000
600*000
598*000
500* 500*'00
500*000
250*000
150*000
Joio Pedro de Mello
Manoel Soares Pinheiro
Jose Rodrigues de Souza
Francisco Baptista de Almeida
0 vapor Giquid trouxe para :
Alfredo & C.
Gomes de Malios & Irmao _
Jose Luiz G meal ves Ferreira it C
Carneiro & Nogueira
Soares Leite & lrraio
Severino Irmao & C.
Luiz Antonio Siqueira
Goncalves Irmao & C.
Vianna, Caslro & C.
Bento Fl Guiraaraes
Joao Cbristiani & C.
Jose da Silva Loyo Sobrinbo
Alfredo Garcia & Irmii
Antonio Goncalves de Azevedo
Sa Leitao & Irmao
Perd'gio, Oliveira & C.
Burlamaque & C.
Moreira Reis 4 C.
Cuaha Inn aos & C.
Moraes & Irmao
Dr. Francisco Jacintho de Sampaio
0 vapor Para levou de nossa praja para :
Bahia 1:676*400
Rio de Janeiro 162:462*000
sendo desta quan'.ia 155:000*000 para o tbesouro
nacional
Vapor Kali ia.-Sub as rubneas Interior e
Rcvista Diana publicamos boje o complemento
das noticias do sul do imperio.
Eleicoes de julzcn de pax.Pelo mi-
nisterio do imperio expediose o seguinte aviso,
com data de 10 do eorrenie.
t.Illm. e Exm. Sr.Em resposta ao offlcio
de V. Exc de 10 de julho ultimo, com o qual me
remetteuas actas e ouiros papeis relalivos as
duas eleicoes feitas para juizes de paz em abril do
corrente anno, ua jregueiia de Santo Antonio da
Estrella, ultimamente creada em territorio des-
membrado da de Taquary, declaro a V. Exc que
o governo imperial resolveu annuliar ambas essas
eleicoes, a vistadas seguintes irregularidades subs-
lanciaes, que con'.am das mencionadas actas e
dos papeis que as acompanham. 1*. Haver o 3*
juii de paz de Taquary, que, por impediment>
dos mais votados, assumio a presidencia de uma
das mesas parocbiaas, resolvido, conlraa dispo-
si^ao do art. 38 das instmccoes annexas ao aviso
n. 365 de 31 de dezembro da 1868, subslituir um
dos represenlantes da 1* turma, que nio se apre-
sentou, pelo cidadao Antonio Israel Ribeiro Filho,
unico que comparecera para representar a 2* tar-
ma, e convidar para preencber a falta deste um
cidadao que nomeou os dous membros da mesa,
cuja elei;ao aquella compeua, do que resultou Q-
car ihegalmente constituida a mesma mesa. 2*.
Ter sido a outra mesa presidida incompetente-
menle pelo 4 juiz de paz da referida freguezia de
Ta juary, visto que o 3s achava-se ao mesmo tempo
em cxeicicio de f one joes eleitoraes na presidencia
da mesa que aoteriormente orgaoisira dentro da
matriz. Cumpre, portanlo, qua V. Exc. expeja as
ordens oecassarias para proceder-sa a nova eleicio.
Deusguardaa V. Exc Visconde do Rio Branca.
- Sr. presideate da provincia da S. Pedro.
Deposito de aprendlzen arilliiei
^on.Foram nomeados, para inspeccionar o depo-
sito de aprendizes artilbeuos, os capitaes Aurelia
no Pedro de Faria e Joao Marianno de Jesus Fran-
co, o primeiro aggregado a arma de infanleria,
para secretario, e o outro, bonoiario do exercilo,
para ajadante de ordens da inspecio.
Despesas com obras 'mllttareg. -
0 ministerio da guerra, em 29 de outubro expedio
i seguinte circular aos presidentes das provin-
cias :
Tllm. e Exm, Sr.-r.Nao cmvJi que peUs
presidencias de provincias sej.-.m aurorisadas de-
peza, por coota do ministerio-a mu cargo, prin
pipaimenle com oJ)ras.iiiiluire, sem *|ueasres
peetivns thesourarias de fizenja Ihes infonoem "a
as quotas ueslinada* pela iei rio orjamenio e cons-
ta ptes das tabellas impressas annual mente pelo
ministerio da fazenda, comportara ainda os aug
mentos que foram considerados como estri:Umen
te necessarioae de conformidade com o 8 do
an. 5 do deereto n. 2,885 de I de fevereiro da
1862, assim o declaro a V. Exc. para sea conha-
cimento e governo. Deus guards a V. Exc -Joao
Jose de QUveira Junquena.
Su^slituiiao de nulim do ft e de
50. Em it do corrente o ministerio da
fazenda dirigio ao inspector da caixa de amortisa-
cao o seguinte aviso :
Him. e Exm. Sr.Gommunieo a V. Etc para
os Tins convunientes, qae expeeo nesta data circu-
lar as thesourarias de fazenda prorogando ale s
lira do mez de juuho do anno proximo futuro o,
prazos para a substituicao das uotas de 2 e 50 ?o
da 4* estampa ; em consequancia do que devera
comecar no dia 1 de julho seguinte o desconto
progressivo de 10 0/0 ao mez, a que esta sujeiia
a mesma substituicao. Deus guarde a V. Exc
Visconde do Rio Branca.
Circular a que se refere o aviso acima:
0 vis;onde do Rio Branco, presidente do tri-
bunal do tbesouro nocional, decfara aos Srs. ins
pectores das thesourarias de fazenda para os Das
convenientes, que licam prorogados ale o fim da
junho do anno proximo fuluro os prazos para a
substituicao sem desconto das notas de 2* e 50*,
da 4' estampa; devendo do Is de julho seguinte
em dia lite comecar o desconlo progress! vo da 10
0(0 ao me?, a que esta sujeiia a mesma subsiiiui
cao, na forma das ordens expedidas. Visconde do
Rio Bianco.
Exames geraea de preparatories.
0 ministerio do imperio em 9 do corrente, expe
dio a provincia de S. Pedro do Rio Grande do Sul
o segumie aviso:
o Illm. e Exm. Sr.Foi presente a Sua Mages-
lade o Imperador o oCBcio de 24 de outnbro proxi-
mo flndo, em que V. Exc. consnlia, se no caso de
impedimento do delegado especial do inspector da
instruccao primaria e secundana da corte durante
os exames geraes de preparatories a que se tem
de proceder nessa provincia, pode considerar-se
seu substitute o directorgeral interinoda in-true
cao publica. E o mesmo augusto seuhor houve
por bem mandar declarar : 1*. Que, periencendo
ao governo imperial, nos terraos do art. 2* do d
creto n. 5,429 de 2 de oulubro do anno passado,
a nomeacao dos delegados especiaes, compete ao
presid'-nies de provincias, segundo o disposto no
% 6* do art. 5' da lei n. 40 de 3 de outubro de
1834, dar lbes provisoriamente substitutes em
seus impedimenlos, quando o coso for urgente,
como o que faz objecto de coasulta. 2". Que a
nomeacao provisoria pode reeahir em qualq iei
pessoa, cuja capacidade e solicitude pelo bem pu
blico forcm reeonhecidas e merecerem a conSanca
dos mesmos presidentes. 0 que communico a
V. Exc. para seu coaheciraento e devidos elTeito?.
Deus guarde a V. ExcVisconde do Rio Branco.
Trabalhadores aslatlcos.0 decreto
n. 5,881, de 11 do corrente, prorogou por.ma>s
dous annos o prazo concedido pela clausula 19 J
decreto n. 4,547 de 8 de julho de 1870, a Manoel
Jose da Costa Lima Vianna e Joao Antonio de Mi-
randa e Silva, ou a companMa que organisarem,
para a imporuc.io de trabalhadores asiaticos, pra-
zo ja espaeado por ignal tempo pelo de n. 5,099,
de 22 de oulubro de 1872.
Terras publieas e possuldaa.-Por
decreto n. 5,788, de 4 do corrente, foram approva-
das as lnstrucgoes, pelas quaes devr^-eger se a com-
missao do registro geral e estatisiica das terras
publieas e poseuida*.
.v.io fat a^raciado. -0 reo Mauricio Ber-
nardo, condemnado em 23 de marco de 1852, a
pen* de gale3 perpetuas, em viituia de decisao do
jury do termo de Alaguas, por crime de homic.dio
commetlido a 29 de outubro de 1845.
Conscllio Supremo MiUtar. Na ses
sa> da It do corrente foran julgados delinitiva-
manta 03 seguintes processos :
Exercito.Tenenta Estevio Ribeiro dos Santos
Monteiro e cadetes Lourenjo Justiniano da Araujo
Pereira, Jose Francisco Aranha da Fonceca e Fran-
cisco Firmo de Azevedo, accusados de desordam,
e condemnados em 4 mezes de prisao cada um,
foi reformada a senleoca para imporem ao reo te-
nente Estevio Kibeiro dos Santos Monteiro a pena
de dous annos de prisao em uma fortaleza ; e aos
outros rcos cadetes, a pena de tres me;es de pri-
sao, tambem em uma -fortaleza, cada um. Solda-
do Franciseo Aatoaio da Oliveira, aceos&lo de fo-
Fimento9, condemnado ao carrinho perpeiuo; foi
ra ndado voltar o processo ao couselho de guerra,
para que so lavrasse a seotenca mediante tencoes
na forma da lei, visto poder caber pena de morte
no crime imputado ao reo. Dito Marlinho Jose de
Saoi'Anna, aecusado de ter deixado fugir dous
criminosos conliadosa sua guarda, tendo sido ab
sol vido pelo conselho de guerra ; foi reformada a
seutenca para imporem ao reo a pena da um aim
de prisao com trabalho. D.to Doroitido de Bar-
ros, aecusado de fenmento, e condemnado em um
anno de prisao com trabalho; foi confirmada a
sentenca. Dito Manoel Baptista dos Sanlos, aecu-
sado de e nbriaguez, desobediencia e resistancia, e
condemnado em dous annos da prisao com traba
lao nas forti&eacoes; foi confirmada a sentenca.
Dito Jorge Daniel Ribeiro, aecusado de l* deser^ao
simples; tendo sido absolvido pelo conselbo da
guarra, foi confirmada a sentenca. Ditos Jose
Clemente Pereira e Manoel dos Anjos, accusados
de 1 desercao simples, e condemnados, cada um
em seis mezes da prisao ; foram coufirmadas as
senlencas. Dito Francisco Lopes da Silva, aecusa-
do do crime de 2' desercao simples, e condemnado
em dous annos de trabalhos publicos ; foi conQr
mada a sentenca; mandando advertir ao conselho
de guerra, por nio ter cumprido a disposicao do
art. 6' do alvara de 4 de setembro de 1765, que
manda copiar o em que estiver incurso o reo.
Armada. Imperial marinheiro, Jose Balbino
Ferreira da Cosla, aecusado de insuboidinacio e
resistencia, a co idemnado a um anno de prisao a
bordo de um navio de guerra; foi reformada a
sentenca para condemnarem o reo em cinco annos
de prisao com trabalho.
Supremo Tribunal de Justica.Na
sessio de 14 do corrente foi juigada a
Revista commercial n. 8,594, de Pernambuco.
Recorrenta, D. Maria Adelioa de Mello ; recorridos
os administradores da massa fallida de Antonio
Pedro de Melle. Juizes, relator o Sr. conselheiro
Mananni, e revisores os Srs. Sim5es e Messias de
Leao. Relatada a revista e debatidos seus fanda-
mentos, foi concedida a revista e designada a re
lacao do Rio de Janeiro para novo julgamento. 0
Sr. barao de Pirapama jurou suspei;io na causa,
e assignarara vencides os Srs. Barboza e Valde-
laro.
Uadnnca de residencia. Transform
sua residencia da ma da Soladade para a Jo Vis-
conde de Albuquerque n. 13, onde pode ser pro-
cure io, o pianista Candido Lyra.
Diario de Pernambuco. Se chegar
hoje o paguele inglez Douro, destribuiremos ama-
nh;i nosso numero de segunda feira.
Porto de Liverpool, Desse porto devem
ter sahido para Pernambuco : a 15 do corrente, oa
navios Fidelite e Success ; e a 21, o vapor inglez
Cordova.
Comarea de iiambe. Havendo descon-
fiancas de que seja perturbada a tranqmllidade
publica nessa comarea, S. Exc o Sr. commeada-
dor presidente da provincia fez hontem a larda
para alii seguir uma forca de 40 pracas de linha,
commandadas pelo Sr. capitao Capistrano, inio
d'aqui ;ate Goyanna no vapor Emperor, grataita-
mente prestado para esse fim pelo seu proprieta-
ry.
Loteria do Rio de Janeiro. Resu-
mo da lista da 73.* loteria (536.') em beneficio du
melboramento do estado sanitaxio:
A. 2.tv..*...a...... .
N. 1984......................
N. 1891......................
N. 5842......................
Ns. 1150 e 20741:000* a cada
a a.
20.000*000
10-0001000
4:000^000
2:000*000
um.
Ns. 2153, 4126, 4466 e 5550-800* a cada am
Ns. 77, 146, 1318, 1432, 2389, 2430, 2872, 3937,
4558 e 5152-200* a cada utr.
Ns. 8, 111. 601, 1271, 1288, 1817, 2361, 2814,
2888, 3005, 3159, 3369, 3425, 43(3, 4837, BUI
5462, 5532, 5588 e 5915-100* a cada um.
4020, 4155, 4224, 4232, 4272, 4330, 4402, 4414,
4482, 4530, 4610, 4808, 4815, 4825, 4834, 4915.
4981, 4988, 5074, 5236, 5240, 5i8i, 54G0, 5626,
5914 e 5964-40* a Cada um.
Resumo da lista da-loteria 121.* (537') em
beneficio do Moate Pio Garal:
N. 919...................... 20:00^*806
N. 5699...................... 10:OOJ.SOOO
N. 16?..................... 4:000*000
N. 3681...................... 2:000*000
Jht -10* 137* -d.0J a cada um.
Ns. 1515. W83, .92d e 5070 -W)& a r 11;
NA 535, 1027. IM., 1461, I5t2, ^i7,
.511. 4818 e 48W. 2M)i -ils Bi.
I. Nv 107, 2.3 49i). 1107. Hit, 5i > 3265 .T4s,
3302, 3722, 3974, 4ttii, :MS, SIM, 5I4>, 525,
5307, 5606, '-809 e 5885 -100* a cada am.
Ns. 12, 41. 287, 298, 516, 664, 703, 7.i7, Hit,
8ifc,59, 102J. 1173, U07, 1212, 14.4. I46<,
1517, 2015. 2019, 2i78, 2G8J, M08, 2746, t*M,
2888, 3050, 3100, 3134, 3176, 3*30, 3*7', 3*.
3759, 38.8, 391*. 3980, 4261, 43.6, 4386, 458'*,
472J, 4763, 4768, 48i6, 4973. 5053, 5089, 5157,
5317, 5139, 5562, 56*4, 5050, 5853, 5876, 5909,
5957, 5963 e 5979 -40* a cada nm.
Loteria.A quo te acba a venda e a 12-i.
a beneficio da igreja do Rosario de Serinbaem,
qae corre hoje (28).
LellAes. Hoje (28 do corrente) effectoa o
agente Pinto, as 11 1/2 horas, em seu escriptorio
a rua do Bom Jesus n. 43, o de um terreno do si-
iio Aguasinha, no Purto da Madeira, em Bjlenbe,
e do sitio Salgadinho n.-S.
Ao meio iia effactuarao mesmo agent*, o de
papel avariado e barric com bolacbinba, no trapi-
che Conceicao.
Hoje effectiia o agente Martins, a* II horas
do dia, o ieilao da armacao, geot-ros e mais per-
tencas da Uverna da rna do Rangel n. 77.
Casa de detniicao. -Movimeuto da caa
do dctencao do dia 26 de novembro de 1874 :
Exisliam 303, eutraram 2, sahiram *, exi-teia
309.
A s?d>er :
Nacioiaes233, mulaeres 9, cstrangeiros 27, es-
cravos (7, escravas 3. Total 309.
AlimeataJos a cusla doe cofres publieos : '>.
A saber:
Saos 240 eenferraos 16,-ToUl 236.
Movimento da enlermaria d i dia 26 de no v.
de 1874 :
Teve baixa :
Faustino, escravo do fiuado Man el Jose Vanna.
Passacetros. -Vmdos dosportos do norte
no vapor brasileiro Gquia :
Conselheiro Dr. Luiz (i iiwag.i Brito Guerra, t-ua
familia, 11 escravn e 2 enaJos, Manual AletM da
Brito, sua senhora e 2 criados, Cieuno Albert; da
Fonceca Lima e I cnado, Dr. Ulysses de it.:r.
Mendonca, Vkente Ferreira Carmino Victor, Luiz
Alves da Silva e I criado, Jose Guedes de Albu-
querque, J se Rodrigues Cardo-o, Maa-! Maia
da En'carnacao, Viclor Alvaro e I filho. Dr. Joa-
quim Tavares da C-sla Miraala e sua familia, J):e
Ignacio Ferreira, D. Manoela de Miranda Tavares,
2 escravos e I criado, Aureliano Galvao, low Ri-
mes de Souza, Joaquim Goncalves Ctiaves PiiUo.
Joio Ximenes de Oliveira, 1). D. Francises e .Maria
Ferreira, Jeronymo Cabral de Macedo, Manoel Joa-
quim da (kisu Pinheiro, Felix Felisola, Joio C de
Oliveira Fiiho, Fraucisco Machado Coeiho, J. Vi-
cente Gomes de Souza, Joao Gomat Pereira Tava-
res Torres, Jose Maria Freire, Pedro Jo-e de Vas-
concellos, F. M. Wood, Frederico Benson, James
Browing, li aprendizes manaheiro', u.n tuarduo
e 1 escravo a eulragar.
('.hegad dos porlosdo sul no vapor naciontl
Bahia :
Diogenes D. da Cantalice, Amaro Barrel), lie. -
sario A. S. Machado, alieres Lydio G. Porte, D.
Launaaa C R. 1). Drummond, Joaquim M. Peixo-
to, Dr. Joaquim J. de C C M. Albuquerque, r c*-
dete Manoel F. A. de Mello, Joao P. Vaz, Maria A.
da Conceicao, Antonio D. A. FaJcao, Virgiho M. A.
Marauhao, Fraucisco de Paula G. Silva, Jose B. de
Medeiros, Joaquim S. do oliveira, Jose J jaqaim F
Henriques, Tilles Jos6 de Mendonca, Manoel G. J ;
Bastos, Jose F. da R>ciia, Manoel de Barros, D.
Maria Pereira Lyra, U. Maria F. Messias, I). Anti-
nia Maria de Antonio, Aulouio R. de Amoria, te-
nente-coronel Slanoel Alves de Aguir, commenda-
dor Francisco Gomes Nelto, WeucesUo Baptista.
R. A. V. e Silva, Ignacio F. Nasar- Ih, l'lrmioo L.
de Lima, R. J. de SantAnna, C B. de Mello, loa
Pereira Vianna, Augusio C. Stspple, Jcaquim de
3. Ferreira, Joaquim F. da Rosa, B. Marveco*, L.
Marrecos, E. G. da Silva, 2 pracas de policia, I
dita da ar nada, 3 do exarclio e ex ditas.
Seguem para e norte no mesmo vapor :
Dr. Caetano A. de S. Filgueiras, sua seuiura, I
ulha e 1 criado, 2 cadele F. P. M de Albuquei-
aue. Dr. N. K. dos Sintos F. Leite, alferes Antenn
F. F. Cuyabana, Dr. S. F. Lopes, sua senhora, 1
nlha, 1 criado e 1 escravo, S. S. de Souta, J. de
Almeida. D F. Braga, Joio P. da Suva Brilo, cor;-
nel Agosiinho M. da Silva, tenente-coronel Hat-
dicto M. de Cimpos e 1 (illi is, M m el G. Monteiro.
iosi G. Monteiro, Antonio Ximooes e sua senho-
ra, F. N. A. de Alenoar, Jose Sombra. Carlo*
Stuart, A D. M. Peixoto. Dr. Manoel A Pimento',
Manoel de M. Butancouri e 4 ev-yracas.
Centtterio publlcu. iHjiiaario do dia 2-'
po corrente:
Audie, prelo, Pernambuco, 18 raeies. Baa Vis-
it ; asthma.
toe Marlins dc Azevedo. par Jo, 22 annos SjI-
teiro, Boa Vista ; ourinas leilosas.
Manoel Antonio de Azevedo, prelo, Pernamta-
co, 11 0 anno>, viuvo, S. Jose ; dyarmta.
Maris, parda, Pernucbuco, 1 mez, Santo Anic-
nio ; ignoia-se a muleslia.
Maria Antonia, prtta, Africa, 60 annos, dteira,
(ioa-Vista, bospiul Pedro II; insulllcieucu^da val-
vula aertica.
Clara Maria da Conceicao, parda, Peroambnc ,
70, annos, solteira, Boa-Vista, b spiial Pedro II:
enlerite chronico.
Joao Pedro dos Santos, branco, AUgoas, H
annos, solteiro, Boa Vista, hispital Pedro 11 ; va-
riolas,
Laurinda Lydia de Araujo, parda, Pcmambn: ,
30 annos, solteira, S. Jo.-e ; pbtysica.
26 -
Panlaleao Soares da Silva, prete, 38 annos, ca-
sado, S. Jose ; gaslro entente.
Joanna, parda. Pernambnco, 35 annos. solteira,
Boa-Vista, hospital Pedro II ; tuberculos pulat-
nares.
Ouirino Franciseo das Cnagas, branco, Pernas-
buco, 22 annos, sclteiro, Boa-Vista, hospital Pi-
dro II ; peritomie.
Antonio Soares Brandao, pardo, Pernambnco, 3 >
annoi, solteiro, Boa-Vista ; pb;ysica.
Manoel, pardo, Pernambuco, t mezes, Santo A a
tenio ; ententa agnda.
Amelia, branca, Pernambnco, 22 mezes, S. Jose :
tuberculos mescnlericos.
iH&OMCl JUIMCURiL
1 UiaJI V VI, DA Sllil. VI iO.
SESSAO EM 27 DE NOVEMBRO -OK 1874.
PRESIDENCIA DO EX. SR. COXSELHB1RO
CAETANO SANTIAGO.
Secretario Dr. Virgtlio Coeiho.
A's 10 horas da manha, presentes os Srs. des
embargadores Silva Guimaraes, Lourenco Saalia*
go, Reis e S:lva, Almeida Albuquerque, Molt:,
procurador da coroi, Acculi, Domingues Silv>
Souza Leao e Oliveira Maciel, abno se a sessi
Em segaida o Dr. secretario procedeu ao sorter
dos aljunios para os recursos e aggravos da pt-
tie> :
N. 92. Aggravante FractU030 Martins Gomes,
aggravado Apolinano Pereira Badnem. Foram
sort-ados os Srs. deserabaigadores Almeida Al-
buquerque e.Accioli.
N. 93.Aggravante commendador Jose" Pereira
da Cunha, aggravado Lniz Antonio de Souza Ri-
beiro e outre Foram sorteados os Srs. detem-
bargad^res Domingues Silva e Accioli.
JULOAMKNTOS.
Habeas corr-us.
Paciente Antonio Francisco de Mello. -Nejo%-:t
soltara.
Pacienles Loarengo Tibarcio Campello e ea-
tros.Concedeu se ordem, devend) o respective
jUiz de direito tie o dia 1 de deaembro vindonr.
dar as informajoe- precisas.
Rieuros crimes.
Recorrente o juizo de Nazareth, recorrido Joa:-
Francisco de Aguiar. Relator o Sr. desembar-
gador Silva Guimarass. Sorteados os Srs. descm-
bargadores Soaza Leao e Reis e Silva. -Improee-
dente
De Barreiros.Recorrente o juizo, recorrido
Luiz Antonio da Silva Cavaco. Relator o Sr. de*-
embargador Lourenco Santiago Sorteados os
Srs. desembarg^dores Almeida Albnquerqoe e
Reis e Silva. Iaprocedente.
De Palmeira dos InJios. Recorrente o luiso,
recorrido Dr. Jose Severino de iiendonca uekoa.
Relator o Sr. desembargador Accioli. Sorteados
os Srs. desemtargadore? Lourenco Santiago e Al-
meida Albuquerque.Improcedente.
Di itecife.-Hesorrente o juizo, recorrido Ma-
noel R raos da Silva. Relator o Sr. desembar-
gai-.x Domingues Silva. Sorteidosos Srs. desem-
bargadores Lourenco Sanu Imprpcedeoie
uo Recda. -Rc:orrecte o ju zo, recorrido Lau-
rentino Lopes dr. Silva. Relator o Sr. deseabar-
gaior Souza Lea?. Sorteaio* os Srs. desembar-
galoiesLoureacv Santiago t Domingues Sflvs.
Improcedente.

\S
i
Mi


. "I M,
Diario de.siliaBitaato.--'^->Saibad<)L.^8 de Novembro de 1874

=
Appellae3 3 crimes.
Do Recife.Appellante .0 juiio, appellado J*ao
Baptista Alves. Monteiro.A novo Jury.
Do Recife.Appellante Sebasliao Maeoel Lias,
appel! .da a justica. Improeedante.
Do Recife.Appellante 0 Juno, appellado Jn-
yeacio Manoel Tiburcio Pies liarrete. -A toovo.
Do' Ptlar.Appellante 0 juizo, appellado Deme-
trio, escravo.-JuIgoH-se nnllo osegnndo jolga-
raento.
i Appellacoes civeis.
De Oliada.Appallaote 0 juizo de direito, ap-
pelladas Archanja e Francisea, cseravas.-Goufir-
mada a sentenca.
Do Recife.Appelfaote Jose Luiz Alves Ferrei
ra, appellada Rosa, por seu cnrador.Conflrmada
a sentenca.
PASSAGEVS.
Do Sr. desembargidorbour.-n;o Santiago ao Sr.
desembargador Reis e Silva :
Appellacao commercial.
Do Recife.Appellants Jose Francisco Pinheiro
Gaze, appellado Antonio Gomes dos Santos e on
tros.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. des-
embargador Almeida Albuquerque :
Appellacao civel.
Do Recife.Appellante Justino Pereira de Fa-
ria, app jllad.os Farias 4 Gomes.
Appellacoes commerciaes.
Do Recife. Appellante e appellado juntamente
Lindolpho Olyrapio dos Reis Campello, a adminis"
tradoras da massa fallida de Ignacio Pessoa da
Silva ; appellantes Maaool da Silva Santos 4 C,
appellados herdeiros de Manoel Luiz Gonealves e
eutros appellante 0 barao de Bemiica, appellados
Jeronymo Ddlsuc e outros.
pHa?So crime.
., appellado Francisco
Rodri
Appellante o
guns-da Orus
AasigDou-se dia para julgaraento dos segu etas
feiios :
Revista civel. j
Recorrente Jose Felix da Motla, recorrido Lul*
Caetann de Andrade.
Appellacoes civeis.
Do .Cabo.Appellantes Manoel Ignacio de -Al-
buquerque Maranhao e outros, appellados Manoel,
Ignacio, Laurentino e outros.
Do Recife..- Appellante Corbiniano de Aquino
Fonoeca, appeHado Luiz Clementino Carneiro de
Lima. ,
Appellante Manoel Valerio dos Santos, appellado
Florentino Antonio do Sobral.
Encerrou-se a sessao as 2 horas.
VMS SiBff"K &" 5X do M^MnL^Sm
Tribunal do commerclc.
ACTA DA SESSAO DE 26 DE NOVEMBRO DE
1874.
?BRSH>KNCiA DO KXM. SR. C05SBLHMBO AHSDJIO
FHAHCISCO PBRBTTI.
A's 10 horas da manna, presentes os Srs. de-
putados secretario Olinto Bastes, Lopes Machado,
Alvos Guerra, a 0 Sr. supplenle Sa Leitao, S. Exc.
0 Sr. conselbeiro presidente abrio a sessao.
Lidi, foi depois approvada a acta da sessao ante
cedente.
Foi distribuido 0 livro diario dos orphaos de
Luiz Francisco de Macedo, talelWdos de Antonio
Ignacio Heitor.
DRSPACHOS.
Requerimentos : .
De Felix de Araujo e Albuquerque, braslleiro
maior de 36 annos solicitando a nomeacao de ava
reia de Melloe Jose Gongalves da Silveira, appel-
lado J'uquim Francisco de Alem ; embarganto
Jose Alves de Farias, embargado Jose Pereira de
Araujo.
Do Sr desembargador Almeida Albuquerque
ao Sr. desembargador Motla :
Appellacao commercial.
Do Recife.-Appellante Manoel da Silva Ponies,
appellado Luiz Antonio de Siqueira.
Appellacao civel.
Da lmperatriz. -AppeHaute Manoel Ferreira do3
Santos Netto, appellado Zeferino Lopes de Barro3.
Ao Sr. desembargador Aceioli:
Appellacoes crimes.
De Nazareth.Appellante 0 menor Francisco,
por seu cnrador e outra, appellada a justiga.
De Bom Jardira.Appellante 0 juizo, appeHado
Custodio Lourenjo de Oliveira.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Aceioli :
Appellacao civel.
Do Recife.Appellante Jose Gon?alves da Cruz,
appellado 0 curador da massa de Jose Francisco
dos Santos.
Ao Sr. desembargador Souza Leao :
Apellacao civel.
Do Recife.Appellantes berdeiros de Jose Hy-
giuo le Miranda, appellada a fazenda.
D) Sr. desembargadir A;;io!i ao Sr. disem
embargsdor Silva Gaimarie3 :
Apoellncao civel. -
Do Recife.Appellante Firmino Evaristo Ribei
T> 1 v* 'J tnerof-desar ante Dsus *#^toeiii > sorrju^e a I Mas quem esteve ja iseti
Deipeia com o custcin da Companion t\an Ti iDius I r!mno
Oiiiil1aeBelierilie.no m de antiiMO dr II
de IgiiHl niez do anno de iS"*3.
ISM. romp
q Bertre a
da com a
Trafego.....
Conservacao da linba.
a do trem.
Administrae9o. .
74
6:6fl81l
602*382
1:933*340
fjfo*036
1 -I a 1 1 li a
9:7?f*376
1873
7:198*6 fl
1:470*145
2:737*602
416*604
H.74*982
MSrfOR DEWEZA
Em 1974
-4*5*g9
807*761
782*252
1:107*018
Em 1813
128:432
118*432
Escriptorio da companhia, 20 de novembra de 1874.
0 Jffarda llvros, )6Qo Carlos Augusto de Figueirtdo.
De Jose' da Rocha e Silva pedindo balxa da no
meagio de seu excaixeiro Pedro Barbosa \ianna.
Deferido.
De Joaqaira Franeiseo de Medeiros para certitt
car-se he se a Brma Nasciawnto de Medeiros fez
registrar a nomeacao de seus caxeiro3.Certifi-
que-se.
Do raesmo Medeiros, impetrando certidao de te
rem ou nao sido apresentados a rubrica os livros
da flrma Nascimento & Medeiros. -Passe se a cer-
tidai requerida.
De Bai tholomeui C, submettendo 0 registro das
nomeagoes juntas de seus caijeiros.DepoU de
completado 0 sello da nomeacio do guarda livros
Philonwno, procsda-se ao registro pedido.
De Henrique Beroardes de Oliveira apresentan-
do a registro a prosuracao qua passou a Francis-
co Ferreira Baltar e Antonio da Cunha Ferrei-
ra Baltar e Manoel Bernardo de Oliveira.Seja re-
gistrada .
Da Joao Francisco de Souza, Bernardino rran
Cisco Junqaeira e Urbino Jose de Souza, requeren-
do 0 registro do seu dislrato social. -Vista .ao Sr.
dasembargalor fisel.
Feroandes Garvalho & C. pedindo que se re-
gistre 0 contrato mercantil que celebraram.-Vis-
ta ao Sr. desembargador fiscal.
De Jose Alves Barbosa Junior offerecendo con
sideracoas a sna preteacao de ser revogaJa a deli-
bera^ao do tribunal qua 0 considerou fallida.De-
ferido, aflin de poler votar no collegio commer-
PARTE PQLITICA
P.-1KTIDO CO\EuVAOn
RECIFE, 86 DE N0VEMBl\O DE 1874.
Em resposta ao qno a Provincia escreven a
Sroposito da comraissao incumbida ao Sr. Gustavo
os6 do Rego, oJF recemos a consideracai do pn-
blico a leitura das sejaiotalinlias transcriptas da
Nacfto.
E como esta sio todas as edasuras dos despei-
tados e odientos proviaciahos.
Nao abstains a qualificagao de tola *ue mere-
ceu ao orgai oUramontano, nao duvidon a Refor
mi asso .ir-se ao Apostolo para esiranhar com a
mais aerimoniosa severldade que somente em au
senci* do Sr. eonselheir > G'irrdi sem pablicadas as pecas offkiaes rebrtivas a com
raissao incumbida ao Sr. Gustavo Jose do Regosv
bre os services do fomecimento e conservagao do
material das escolas pulilicas. etc.
Diz a folha liberal cjue foi 0 Sr. vigconde do
servados synodaes, e episcopaes em virtude da
Santa Bulla da Crazada, sain que nenhum dos
bispos... jamais se lembrasse de tear as gracai,
e privilagios d'aquella Bulla. precirios, e depen-
deniea da sua particular aotoridade, e licen^a,
passava V. Ei-. Rvma, a expedir uina ordem cir-
cnlar por lodo 0 sea ircebispado, em qua probi
biodo dsbaixo da pena de oxcora>Duahaj imme-
diatamente reservada a V. Exe. llvma. todas as
vendus, e cdtttractos feitos no* domiag >?, e dias
santas nao dispeasados, declarava qno desta exr
comnunhao nenhnm aaeeraote podaria absolver
os Iiis, nem ainda pfila Bu'la da Santa Gruuda,
sem sua aspsciat licenca: E a mestna Senhdra,
semipor ora duvidar nem da legitfmi lade, e com-
peteicia do Poder, e antorida te, nem das pias e
santts iotenciws de V. Exc. Rvma., nio pode 00m
' lodo deixar de eorrtempUr que sendo as gramas, a
franiuezas d'aquella Bulla solicitadas por instaa
ciassaas, e de seus religiosissimos predecessoras,
eioamdas legitimamente da au tori Jade da Santa
Se, dirigidaa a Bus tao uteis e proveitosos da Re
ligiao. e do Estado, concedidas, nao a unica igrn
ja Braearense, mas a loJa igreja lusitana, e rece
Appellac.io commercial.
Do Recife.Appellante Adr.mson Howie & C,
appellado Antonio Valentim da Silva Barroca.
Appellacao crime.
De Pao d'Alho.-Appellante 0 juizo, appellado
Luciano Marques Gomes.
De Ouricury.Appellante 0 juizo, appellado
Severino Torquato d s Anjos. !
D) Sr. desembargador Domingues Silva ao Sr
desembargador Souza Leao :
Appellacoes civeis.
De toojoca.Appellante Gosme, por seu enra
dor, appellado Miguel Tolentino Pus Falcao.
D'Csmpina Graaie. Appellano Agos'.inho ; Wf
Pereira de Oliveira, appellada Perpetua, por sea
curador.
Appellac5es crimes.
Da Villa Bella. Appellante Manoel Francisco
ds M lura, appellada a jostica.
D> Recife.Appellante Jwquim Martins Go-
quaes
as seguintes:
A queslao resolve-sepelos arts It do tituio
unico dc codigo uommeroial e 3 do decreto n. 696
de 0 de novembro de 1830.
A nao rehahilitacao faz que se considere 0 indi
vidaofora da proQssai, masos que estao fora do
exercicio habitual da prolissao podem votar, 0 que
nao podem e ser votados, pois p-ra estes 0 art. lo
do tituio unico e 0 art. 4 do dccrei j n. 690 exi-
gem effectivo exercicio da profissao.
Uma vez que 0 tribunal da relacao reformar a
sentenca que julgon culposa a fallencia do sup-
este fez concordata assumindo a admi-
nistracio do que e seu, e certo que se acha res-
tituido ao gozo dos seus direitjs civis e poli-
ticos. ___
Apenas a nao rehabilitacao 0 faz coasiderada
fora do exercicio da proussao, e entao este nao
pole gozar da proteccio que 0 codigo libtfalisa
aos commerciantes (0 direito de votar e ser vota-
Rio-Branco qaem antorisoa *sa pnblicacao, e bidas por^um tacito^ejBotomura coaseatimenlode
pergunta porque motivo foi este acto por tanto
tempo escon-lido do pnbllco.
a Sem dar fe da ins|ltadsa exelamaQSo com
que a folha liberal remala' as suas observacSes, e
que certamente nao alcaica 0 honradissimo carac-
ter contra quem foi imprudenteraente dirigida,
re;pondmos a fulil censura :
t l. que'a necessidade de regularisar e.-se ser-
vfeofoi de3pertada pelos offl ios, publicados, do
inspector da instrnicao, nos quaes este funcciona-
rio expoe com toda a individuals) e cla^za as ra-
zoes de conveniencia que aconselharam a in-.li Ja
proposta, razoes estas cuja procedencia nao esca-
para a quem qoer que reflicta que ha no munici-
pio neutro cerca de 120 escolas primarias a que e
ilreeiso fornecer 0 material proprio do ensino,
etc.
c 2.* qae 0 nome da pe3soa reputada idonea
para esse serviro e 0 valor da gratifleacao por elle
deviia, foram mdica'os ao Sr. ministro do impe-
rio por aquelle houraJo fuaccioaano ;
3. que, se somente em 28 de ouiubro foi pu-
blicada a correspandcacia trocada sobre este as-
sampto, e que as instruccSes, que a completaram,
foram approvalas no dia 23 do mesmo mez, tend)
sido propostas pelo inspector no dia 17, 0 qae tu-
do consta da publieacao feita no Diario Official.
Estas observacoes devem persuadir a Hrf rma
todos os bispos, for ma vain netla urn arligo de dis
ciplina, e praica universal, qua nao convinha que
ao alterasse, sem Beueplaeito da mesma Senhora,
que raqaereu aqnella Bulla da Santa Se, qne a
facultoo, a conturso dos mais bispos, que a con-
sentiram, e acceitaram.
a Parece ale.a disto a Sua Magestade, raoito
alheio das circumstaneias eriticas do tempo alte-
rar esta antiga, a,respeitavel pratica, e fazer in
novacoes de que > malicia dos inimigis da igreja
se podia aproveitar contra as mesmas pias inten
eSes de V. Exc Rma., para abater 0 respeito, 1
dignidade da Santa Se...o qu- tanto mais se
deve acautelar na deploravel siluacao, em que se
acha actualmente 0 Santo Padre, em que e mais
proprio geiner sobr os males, qae affl'gem a
Santa Igreja, e imploiar as miseriiordias do Se
ntior. do que cuidar de raslaurar direitos, e liber-
dades Jurisdiecionaes, qae os mais bispos nio teem
UuS agora reclamado, e iem os quaes se govemou
mai sanlimente a igreji Braia'ensi pelos pios, e
sabiol antecessores de v. Exc. Rvma etc.
... 0 qne tu 1 > Sui Magestade me mania
ponierar a V. Exc Rvm, esperanlo da sua pie-
dade, e >abedoria, e zelo, ^ue, entrando em todas
estas reflex5es, e conformado-se p">r um espirile
de uniao com 0 prudenti', lonvavel, e commum
procediraento dos mais bispis destes reinos, hija
reWgil", ft Bfpoft att*
isento desses agoTentad" rm
immildadffnabre/rBtelWgBate,conwdida, sert *m-Jde repotaedas ? Qa'e rauito e rfio 01 iradbs 1 r
pr8 tfma eorta de gloria para quem a possair, a qainlos e sens comparcas do Aportoto me aaeirao
pratl^ar. dar baixa forjada ni milicia de Chltsto, se os Tar
Deste mesmo gran lo prelado, ao p6 de cajo la- quinlos do 4* seealo Ilzeram altos e.-for;os por
molo .ajoelhei na s6 archiepiscapal de Braga, expsllir 9. Jeronymo do gremio da igreja T E
onde, desde os primeiros dias dj suanwrte, go;a poriRis ? 0 pnblico vai ver.
da opiniao da santo, podia ea aprasentar outros
muit09 exemplos da consunimada prudencia com
qui resolveu sompreas colisdes em que por mai-
tas vezese achou-'cora 0 poder civil; e pnr qua
hoje ousolambrar 0 sea exaaplo de moderagao, sou
accusado da querer viver coin Deus a com o dia
bo 1 Com Deus v.vo eu, per que ma esforco pela
manuteocao da aniaVentre a igreja e 0 estado ;
com 0 diabo fWem aqnelTes qae qnerem a todoo
custo retalhar a tuaica iaconsotil da Cbristo, e se-
parar o qae-elh) anlo 1
D. Frei Caetino BraadSo, (jne os irmaos Tar-
qdidios sacrilegamente enamam jansonista!)' nio
foiniais do qaettm contlntfaJor preilarissimo de
seus predecessores,Bas praticas da verdadeira dis.-
ciplina, a da verdadeira pradencia da igreja. Bile
encontrava, por. exemplo, estas terminanles con-
elusSes de S. Bernardo ao arcebispo de Sens :
Se tola a alma, dito apostolo, es!a sujeita a-j*
pbderes supremos dartodedade, ataa tambera es-
ta. Si omnis el vestra Quem vos exceptuou da
nniversalidade deste preteitb? Qimk vos ex
dpi/ ab unioersitale ? "Se aiguem procarar
estabeleeer nma excepcSoem tosso favor, vos
quer illudir. So quis teittat excipere, eonatur
aecipere. Nio deis ouvidos aos consetoos da-
quelles, que, embora se digam christdos, olbam
como am opprobrio, ama desnohra, irailar as ac _
ijSes, e seguir 03 exemplos de Jesns Christo. No -'tor qne leva /a as co>ta- as nvelhas de-garradas
tfteillorum acqniescere consiliis, qui cam sint | Q bom Pastor di vid.i per soas ovellia*.
porqus .
Em nma epistola qu; 0 grand; dontor 4irifi a
Tbeophilo, acerci das aciasa^d^ iojuriosas pw
Ihe faiia Joio, btspa de JerasaMm. e da jua! fire*
alguus extract os, duia Jeronymo :
t Sabend) 0 apostolo qae 0 aecordo_ eatra
dous partido; 6 nesessario a consnmma;ao de un
paz solida, dizia : Conservai. qaanto vos for p-
sivel, a paz com todo* os notnwu I
.. t Procarar a coiKorli 1, a e -tabeleeer a ran
cordia nao e a mesma oasa. Uma consa e de
clarar que a quereans outra c exigir ami et.rri
vidao abvolata. Nos tauJbem qtreremos a pat. r
aao ssmsnte a qoeremos, mas a pealnios com mt-
taneia.
....Desejanios slra.a paz de Jems Christo, pa
verdadeira. paz sem inlmisades, paz so? a qoal m*
naaocculte a guerra, paz qae nao esmagua Iti-
migjs, ma- que uoa os amigos.
... t 0 chefe do exarcito de ferael, qae taavia f
rldo b E;ypto com as dez pragas, a a enjas otimt
obedeclam 0 ceo, a terra, a os mares, era 0 mais
brando de todos os homens. E se durante qiu-
reota annos conserved o mando supremo, foi por-
que teraperava com docura a natural aliivez d,>
I poder. 0 povj 0 lapidava, e elle orat pel 1 pco,
tendo por mtlhor qae fbsse riscalo 0 sea norn; do
; livro dos vivos, do que perecesje o retnnho c-
'fiado aos seus cuididos. Djsejava imitar orV
chrutiani, chnsii tamen vel seqni facia, vel obse-
qUi diet is opprobrio iuennt...
a Nesses consellios nao actuam nem os exemplos,
nem os preceitos de Cliristo. Haw isti, christi aii-
ter jussit, et aeMit. Garisto disse : Dai a Cesar 0
qne 6 de Cesar, a a Dens 0 qaa 6 de Deas. Red-
dite qua! sunt Cmsaris Casaris ; et fum sunt Dcx'.
Deo. E este pr'eceito por elle estabilecido, foi por
elle executado. Posto que fo3se 0 crealor de Ce
sar, nao he3iton em pagar-lhe 0 tributo. Coniitor
Casaris, Cats in nm cantaclus est reddere cen-
sum. Foi este 0 preceito qne elle vos legju, para
que 0 pratlcasseis Exemplum enim deiit cobis,
ut et vos ita faciatis.
Ora, sa etle dee/a mirror, para salvar
aquelles qae dstavam i'rJld'*s, que n*o deve la-
zar am bom pai e mos de sem jUkox, j ni 1 l.rnlns iorcnnciliattis,
por uma excessia rigiiez, tiles qne sio de indoir
a mais braoda f
.... a 0 bi- elle chama mai paciHcas, e eu accrbi-simas, diz
qae nunca 0 offnli, e n^m 3 tratci de herege
Forqae razio pois m ; .miirati.... iichaitdo me dr
rcbelde a {gajnl P-iapa tile s'-us aJversar^os, pw
Ihe fazem mil, cin yi aobra mira, qaa 0 uio
offendi .
0 Yds, qae sois ;-'.ir,':ili, uaopoaeis igno-

mes, appellada ajuM.ca. id & prerogativa e nao protecjao e das prerogati
Do Sr. desembargador Sow. Leao ao Sr. des- V Qa(jaej,^3 da K a !ei ,enha feito
embarjador Silva Guiraaraes : (
Appellacao civel.
ApaaUante 0 jaiaV, app'ellado Marlinho, por sea
cnrador.
Diligencia crime.
Ao Sr. desembargador piomotor da justiQa :
AoneUanta Anloaio Felix de MInezes, appellada
a iasUea ; appallante Eiias da Silva Sant03, appel-
lada a Juslica appellante 0 juizo, appellado .an-
dilo Franci'sco de Mello ; app-.llante 0 juizo, ap-
p llala Carolina Maria la Conceicao.
Diligeocia civel.
\o Sr. desembargador procuradcr da cooa :
A mellaales herdairoa da Antonio Bento Barbo-
s"> .\poellado Antoaio'Bento de Araujo Lima.
E nbargaute Joio Camillo do Araujo, embarga-
d-i \ntonio Jose de MBilo B.rboza.
Ao Dr. cnrador g:ral e ao Sr. desembargadot
promoter da jastipa :
expressa excepcao como no caso faz a respeito do
:, > direito de ser v.tado.
S'otar diz 0 citado artigo 117 pode ainda aquelle
que nio esta no exercicio da profissao.
COM 0 PARECER FISCAL.
De Jooe Looes Alneiro e Manoel Jos6 de Araujo
registro do disliaU sucial juulo -Regwlre n
terraos po decrelo n. 4,38i.
Foram nomaados por unanimidade. de votos,
para compor a funta los correctorSS que ha de
servir uo anao proximo vindouro 03 seguintes se-
nhores : C-ndido Alcoforado para presid-mte,
Francis-.o Joe de Olivsira Roirigues para secre-
tario e Miguel Jose d\ Motla para thssoureiro.
Nao havendo mais n da a despachar, 0 Exm.
!Sr. conselheiro presidente encerroa a sessao as II
horas e 1[2 da maahi.
que, da parte do Sr. ministro do imperia, nao hou-1 de fazer recolher a diu ordem circular, debaixo
ve intencSo nem podia haver qualquer intere.-se dos decurosos motivos, e prebxtos qne a V. Exc.
em retardar a publieacao de semelhante acto. Rvma. brm parecer... de qm a mesma Senhor.:
se havera por bem servida,etc,
Clveneravel arcebispo respoadeu a este aviso
do raiaistro Jose de Seabra, nossegiintes terraos
a Em obseqnio a Regia Insinuaciio par:icipada
por offlcio de V. Exc. com data de 29 de outubro
proximo preterite, pissei log) a revogar a ord>m
que tnih 1 posto rclatiuwftt'.e i reasura p-alas
1 compras, 0 venlas e a dias festivos, e 0 Hz tanto
i mais ro.-igaado, quanlo sei qne nisto me confurmo
1 com a louvavel pratica dos Santos Padr-.s da Igre
ja. os quaes, para te.-teman!iarem 0 sett dejido
resp-ito ds Festus c road is, kenci duvidaram fa-
\ zer todos os sicrificios compativeis com as leis d-.t
Ao pnlilicd.
os costumes costaman gu*>Jar ontre si: elle me
diiicera, me insulla, com > se 0 meu nomo fi**e
rlscado do livro da vida.
...t Qaaato ao qaa diz J n\ que nos fomo-
comoosco a Rjini. e cjmmunic im s om r.i ijie
. p iradis. ...
ixlt 0 inima.
Mas msistindo sempre nos vestigios
De tolas as hypocrisias a mais ignobil, e a mais
criminosa 6 aqnella que na phrase de um eminen-
te escriptor se esconde nas falsas apparencias da
piedade, para favore-er as p.iixoe3 vaidosas, e li-
sonjear as ambi^Ses desenfreiadas.
De feito, se e repugnante 0 espectaculo qae nos .
&SJ& J**%!l &F&?Lt*&l' Tend- eu Pr l3Deo tempo esgotado os meios de
irrad.ar-lho pela graja a lux diviaa qae dissipa fl eonciliar a uevidl observancia do
as trevas espir,tuaes, doma ** soberb.a. d. a: ^^fo guarda dos dias do Senhor, e vendo
Sn^ra?ua>eruww u.rauLT-2^ *." ? X ^uc de tado zumbava a ayareZl dos commercial
que laz ua ruifciao um uiuviu n..u^-.-., v- ( Cy.jServando sempre as luids uuu -^-----
de uma industri.i, da devocao ama tabolet., e da ld s9m ailIureuQa dos dia3 de trabalb0, jul-
caridade um cartaz: 0 hypocnta, que accende, k. me .far.|a ^^ente responsavel no in-
naouocoracao gelado, mas nas apparencias, 0 gun Udivino deste escandalo, so deixasse de Ihe
fogo da caridade, nio para aquecer, e consolar os (appliC3r a censura reservada immadiatamente a
infeJites, se nio para ateiar no seu pair, as labare-, ^n cora) nffl remeJio muis forle> e mais eapaz
dis da guerra religiosa,_a pei or do todas a, gue.r-, de yencer |ama,ha aurew... com effeito foi me
ras, porque e a negacao horrenda da paz, que djja f ^ (c,)m Je c,,nsoiaca,)
Tarabem quereria S. Bernardo viver com Deus rar qUe teas questoes s i 1 bist >r.te dilicaias. e q*
e com 0 diabo ? 0 partido tmr.is ftyoro it in silencio, ritto camn
E era s6 S. Bernardo, que assim pensava ? naosiriti hsdijiir. rev lilit
Omittindo, por agora, a reproduccao das sente.cas,....... Tenho comprheidi l". e aduiirado a res-
ja nao digo de Jesos Christo a dos apostolos, mas sa mtrtwlhosi p tideaeia porque, sendo todo 0
de todos os doatores da igreja, transcreverei a vosso unhth a paz d-t hjn-ji, oucis os cantos da..
synthese dos principios professados pelo bispo de urfit de cuvi&s tap.dcs.
Genebra, nada menos que S. Francisco dc Sal- .... Outros offeudein livremsnte^o bispo, eni
les. oua divolver affronta por affront*. Offmdeme
Aniava por aquelles tempos na bocca de todos norem a inim, qne me calo, e consuUo qa-! a mi
a questao da autoridade do papa para c >m relajao nfta posifdo espectativa sej ollndi como effeito aos principes tempones, excilada entao pelos es- ignorancia ou do Midi. \ sua carta nio e tanto
criptos de autores francezes; e como seraelaanles umaexpo^igio da sua crenca, como matee'd.' de
materias, em passando dos seus juues e foro com- injuri s contra mim. Nio r.ir ', e ah'i o meu mas
peten'.e, e tornando-sa triviaes. todos qa?rem in- envoivido, sem uenharaa di iiill.is def--ea:ias,ipe
terpor nellas 0 seu parecer, certa fidalga, ou por
querer haver-se com seguranca ou por mera cu
riosidade, desejou onvir a tal respeito 0 vote de
S. FraoMsco do Salles, e Ih'o pedio por esciipto. 0
santo prelado, dapoisde.algumas reflaxdessobre a
itnp?riinencia de tal prgunta, em um tempo, em fa, j c*ji commmnkdt wm bom
que, dizia elle, o mundo estava tao cheio e alastralo Tado issii .-oivencj de que < '< a p
de engenhos ardentes, sublilisadores e orgulbosos, e nao 0 interests di ig'ej' ; que a colera que eV>
que qualquer cousa qua se dis.:esso, nao p,dia tasacon'.n nos, wmaaqaa ins,)'-! aos vnl-os,
deixar de irrilar on os partidar.os do papa, ou naodeve^er impulalaamesma igroja. Rapno, qae
os dos reis, pois que nio admiitiriam outra sola- remos a paz de Christo, deseiam >s a .on-- >rdia, etc
eao que nao fosse excluMvament- tavaravtl ao Elle q-io se cootente de ter luslamargnrado aU
seu partido, declarou : aqui e Qie vivendo elle nos Estados de um priocip) Se alte nao pr eel teju%&> "' rmteimsjk
obedientisiimo a se apostoiica, onde nao ouvia paix'.o estranka, faja o qae q ser, r nao "f"*1
fallar que 0 papa se iugerisse nem poaso nem mn$Jke mtndtm tfterer. Oemo p*al"C*f crJ*e^
muito uo governo temporal, e que quaudo assim igualm-u".-' a tolos, oa, como iin.ial.r d ap-wtolo
se estava gozando de iateira paz, ac'aava da maior trabalno com ignal ardir m arftgle da sen* ir-
inconvemenbia que se aniasse a levantar ques- maos. Se assim a flier, Uu ilvcm* as maos, Ih
toes, que nao tinham outro alvo sendo provocar a tstenierem s os tra^ot; lent em no ""' P;'"
guerra contra aquelle a quem deviam am ir como rentes, e n s enem'rard a elle submi sotem Chris
Qae elle prelado dcelarava com sentidissiraa to, etc A ciridaiee pac-rnle, 1 c -.rilaae e due
a cnrid'idr naoe intejota, nao s>e incha, scffre I tiu,
crc ludo. A caridade eamai de todas virin^es
torn a forca de um tripiice crdio, leftf*' M. P*-
lavras do apostolo: A ft, a ttferime 1, a rari\*4r
N6s crerro<: no3 espera:no3 : a fe e KMP0Mp
nos nneni pelos lacos da caridr.le.
a Por qunto, se deixamos a nos- pa'ria, foi
para viv-.rmos em paz n.13 campos, e na soli lao
sem nenhuma inimisale; f >: ran NMnmu
pontifices de Christo, aquelles, porem, fSeesMi-
nnm a verdadeira fe; para os veneroriuo-, ni -
com a fASY quo inspira um senlt r, mas out tj
dos os respeit s decidos aumpui; pira fiaal.uen
te hour irmos os biipjs eotn-i < kaanr ^ lii
Companhia dos tiilhos urbanos do Recife a Olinda e Bebe-
ribe.
DOS TRILHOS CRB.YN'OS DO RECIFE A OLINDA
KOVTMENTO DA CA1X.V EM RESUMO DA COMPANHIA
E ur.EERIBE, RELATIVAMENTE AO MEZ DE OUTUBRO DE 187+.
ESTRADA.
li ita.Prodncto de bilheles
Idem de assignaturas
Idem decarga e lastro
Idem de expresses
Idem de telegrammas
10:578*620
1:8.'5*000
776*970
10*000
o*500
M ;'.'.isimpostas a cmprcijados
Materiaes vendido?, inteiramente mutilisaaos
D ,'posito dos empregados
Saldo do mez de Betembro ultimo
SAHIDA.
Uideaados eferias.Movimento
Estacoes
Carga e lastro
Conservacao dalinha
Conservafao do trem rc-dante
Administrajao :- F6ro
Escriptorio
Ciedores ceraes:Pago por conta deste e de mezes anteriores
liiveras despezas-Materiaes, azeite, objectos para 0 escnpto-
11 v rio, despacho, frete, camtc de carvao e
outras despeza3
U! ra nova : -Ferias
Materiaas e outras.despezas
|>..;amento de depositos a empregados
62*325
55*500
220^000
13:220*090
337*825
13:563*915
10.038*835
23:602*750
58*332
280*000
1:936*666
1:453*073
712*550
405*325
945*92-5
338*332
351*320
758*200
5:791*871
1:994*700
8:151*700
1:109*520
430*000
Saldo quepa3sou para 0 mez de novembro
Escriptorio da companhia de trilhos urbanos.
14:477*791
9:124*9 59'
26 dc novembro de 1874.
0 thesonreiro,
Luiz Jose Pinto da Costa.
23:602*730
Companliia dos Trilhos Urbcmos do Recife a Olinda e
Beberibe
1,1 tDRA da receit* do mez ele ontubro de I8V4, eomparada com a de
fttxnal mes do anno de 1813.
ANNOS
1873
1874
TELEGRAM-
MAS
*
5*500
EXPRES-
SOS
CARGA
*
10*000
868*290
776*970
88*320
ASSIGNA-
TURAS
2:010*000
1:835*000
BILHETES
12:440*520
10:578*620
155*000 1:861*900
TOTAL
15:315*810
lJjiflfl#MO
2:089*720
Differenca a favor de 1873................. 2:105*220
!dem afWde 1874...................... 15*500
Escriptorio da companhia, em 26 de novembro de 1874.
0 guarda livros, Jbdo Carlos Atgusto de Ftgiutredo.
Jesus trouxe ao mundo, nao julgueis que h ja
nuaca de eonverter-se. A sua alma esta iufesti-
da de tudo quanlo ha de escorlas nas paixoes ha -.
m mas; esta repartida entre 0 odio -verdadeiro, e
a caridade simulada. A avareza, diz 5anto Am
brozio, cega 0 espirito dos homens, e perverte
suas opmioes ; arrasta-os a fazer da piedade uma
fonte de lucro3 pecuniarios, e cifram uestes lu
cros a recorapi-nra de seus actos, qnando a unica
recompsnsa da piedade, e 0 fruclo da modiira^ao,
6 possuir cada um quanlo basle as suas nces-
sidades. Avar dia enim plerunqne sensus hebe-
tal, cl pervert it opiniones; at qusalum pletatem
putent, et pecuniam quasi mercedem prudentiw,
etc, etc.
Quem, a nao padecer de slrabismos na razio,
e nos olhos, deix3ra de reconhecer no qnadro qne
ahi tica traqado os dous irmaos Tarquinios ?
Qaem pod?ra crer na sinceridade cath ilica de
homens, que romperam com 0 fioad bispo Medei-
ros, por que elle Hies nao quiz entregar as esmolas
da Caixa Pia, para serpm applicadas a-" despezas
do periodico Esperanta, que entao redigiam ?
Sera isto inexaew ? Deus sabe qne Ihes nao le-
vanto testemuoho fal?o. Repito 0 que ouvi do
proprio bispo Medeiros, em minha casa, na presen
5a de dous re:-peitaveis sacerdotes, nm dos quaes
ainda vive entre n6s, e 0 outro, qne era 0
padre Rasine, supponho ter ja fallicido. Sei
que existe um docuraento d'aqielle finado
bispo, em que narra todas as circumstanjias da
sua desavenga com os irmaos Tarquinios, os quaes
bem significaram 1330, nio dando a menor de-
monstracao de sentimento por occasiao aa prema
tura morte do joven prelado I Pelo menos, me
nio recordo de qae a Espermca, dt-rrama-se
uma so lagrima de condoiencia I Provem 0 con-
trario os irmios Tarqaini03, qae Ihes pedirei
perdao.
- Proseguem ainda em desvirtuar 0 texlo de S.
Agostiubo, addazido por S. Thomaz, e citado na
minha carta'ao Sr. governador do bispado ; texto
que na sua generalidade comprehende certissiraa-
mente a hypothese de que se trata. Leis injustas
sao aquellas que imp6em ao catholico deveres
contrarios a sua crenca ; mas qua qnando versam
sobre pontos, que nio affeclam a essencia da fe,
curapre a pmlencia do catholico submetter-se-
Ihes para evilar maior mai. Or irmaos Tarqui-
nios, ao contrano do que diz S. Paulo, aeguem
a lettra, que mata, e despresam 0 espirito, que
vivifica.
A respeito das mas interpretacSes que teem
dado a minha carta, dir lheshei com S. Jeronymo,
a proposite da caso igaal, n'uma sua epislola a
Pomacbio :
t Tenho-rae por feliz, dizia elle, de responder,
na presenca de ouv'dcs eruditos, a uma lingua
nescia, a qual me oppOe ou a ignorancia ou a
mentira ; por qaanto, oa nao soube interpretar
verdadeiraraente as lettras alheias, oa 0 nao quiz
fazer: uma das quaes cousas e erro; outra cri-
me. Estou satisfeito com qualquer destas con-
clusoes.
De mais, manifestando a minha opiniao sobre e
levtmtametHo dos interdtelbs, nao 6 cingi-me ao
sagrado concllto de Trento qnando detwrrrlna,
que da espada de censuras ecdesiasltcas se nao
deV'e dsar,sendo com a maior parcimonia, e cttutela,
para qne de seu abnso nao resulte desprezo para
com as penas da itfrejn, e nSo jirdmzamellfu,
em vez da salvacdo, a tondemnacao dos fteis ;
mas tamaem cingi me ao autorisarto precedente
estab'elecldo pelo teneravel D. Fr. Caetano Bran-
aio, arceWspo de Braga, com 0 qual preflrrrei
errar a acertar com todos 'os Tirqiilnlo3 do
mnndoI
porum aviso qne recebeu da secretana e es-
tado, cobhwoTfemos 0 facto, de que Tamos a fiter
memoria..e melhor iiUda pela 'fesposta1 dd vene-
rando arftisp6. De um e outro e3'crlpt) extra;
htrWMna mais substanctal.
Gotnace 0 aMso: 1 ASM Magestade foi cons-
tante que tendo se ob3ervado neste3 Telnes, e seU3
domtnlos, par ami dWcipllna uniTers*l, o direito,
e pratica de se obsolverem 03 nets dos casos re-
pea
lamentacSo ser para elle motivo da dor, que Ihe
despedaeava 0 coragio e a alma, qae semelhante
controversia fo*se 0 eng do dos pnsoL-mpos eodes
fistio dis pileslras, entre pessois, que mdaen-
tendiam da materia e que, em vz de a decidire-n,
a c mplicavam, em prejaizo da trmq'iillidad: de
muitas consciencius:
a Q le tudo isio dizia elle a quem Ihe pergunta
va, para que contivesse 0 seu pensamento, nao 0
deixando flucluar por sobre qoeatdes impertineates,
e qae para seguranca de sua c n;ciencia, basta
va que soubesse ser 0 papa universal pastor e
pai de todo3 os ettholicos, como supremo vigario
do Christo, em razao de cujo cargo tinlia aoberana
srgiiinte sobre os principes e f'eis
, os quaes
vyu- hq
in
vio-se logo (com grande
minha) que ainda se respeita a espada da igreja
entre 0 povo; desappareceu 0 abu os dia.- do Senhor comecaram a ser mais respeita-
dos. Eis ajui o men crime.
Djpois de alduzir oalras muitas judiciosas ra-
zoes, corroborando a legitimidade de seu procodi-
mtnti, diz :
o Gracas a Providencia, quo vigi i con tanto dos-
velo s-ibre a religiao do throno porluguez I Lon
ge do temer que a minha soberana paralyse os
braces dos bispos dos seus'e;tad^s, quando procu-
rara c oaservar os boa^ costumes, e raanter a dis-
cipl.na ecclesiastica; antes pelo contrario devora
da de zelo pelos interesses de Deus, Ella se me fi-
gura diiiginio aos masmos bispos estas palavras
de um santo rei de loglaterra : Conftanca I
Ea tenho na minha raao a espada de Constantino,
vos tendes a de Pedro: demos-nos pois a3 mao>
reciprocamente : ajuntemos ospada com espada.
Apos os mais admiraveis rasgos de erudicio, e
eloquencia, proprias de tao sabio prelado, e que
siuto nao poder transcrever pela muila extensao,
prosdgue :
t Ag->ra, Senhor, 0 qua eu nao posso, nem devo
ouvir com indiff-irenja e o qae se ajunta ao regio
dr-viam nio so hoara e reverencia, mas seccorro e
assistencia na administrac:o espirilual; vislo como
os principes christaos nio esta vain ligados ao pa-
pa e a igreja por simples alhao;a, mas com alliau
m mui fort; na obrigacao, e mui excilleate pa
dignidade; assim como qua 0 papa, como todos
os prelados da igreja, eram obrigados a morrer,
se fossa nec^ssario, para darem lUmmte e pa to
spiritual aos reis e principes ehristios :
a Qua esta reciproca obrigac.vo era invanavel,
por ser obrigacio mlural e human 1, pe'.a qual 0
papa e a igreja devum, em certo mo Jo, suas for
cas espirituaes aos reis, para su-kntal-os, eonser
val-os e defendel os emiritaalmente ; e os pnn
cipes a reis deviam por igual suas forcas tempo-
raes ao papa e a igroja para os defoaier tempo-
ralmente.
t Qae flnalmente 0 papa era soboranissimo
pastor espirilual, e 0 rei soberanissimo principe e
senhor temporal: que a autoridade de um nao se
oppunha a do outro, antes sa ajudavam e davam
as maos ; porqne 0 pap 1 e a igreja excommunga
turn, e tinham por hereges os quenegavam a auto-
ridade soberana d>s reis, e os reis castigavam
com sua espada os que ntgivam a aulo-id'de da
igreja e do pap i, v se 0 Bio faziam logo, 6 porque
esperavam a sua emend*.
Ora, a dlzer a verdade, entre antonlide-
aviso : que com este procedimento don occasiao
acs inlnvgos da igreja para abaterem 0 respeito
devido a Sa xta Se, e
f5 daqaeltisl "/>a?aViUi'ndVd'Y'nonie uelnlp^; VS.
qneremescravisar, nuiogrado MM,
___Q.eelles pois seconlenlem com alio.u\:-
que lltes sio dtvidu ; que satbam qn- s piis. e no*ten* res, eir
t Digne-se Cbristo l).-as Oma polenle oav.r a.
vossas sapplicas e fater qu; uos unamo?, nao pr
uma '"l-i u z. inaspiruii a nor verJJ:io..
del, afin 'le qne nao nos mwdendo unsaosc1
nos nio devoremos mutuimmtc. Re MAM
mweMi, contntmeunur ab inncem.
Pelos excerplos desta ciria i: S. Jerosymo rera
0 Mldr qu? quasi pelos mesmos m.-liv-js, qu
Tarquinios do 4.* seculo accusav m & bures.a i<
santo dnitor, sou eu aceusado pelos T nquini. s d
hoje Ne:a qua essa cart* f ee eseripl 1 ,
site para os tempos: clua.s No v a .nm ..1 n ids
de note p irallelo que forca as aa iU.gia-, e a dtduc
e&o do* fa-tes. S. Jeronymo qr.eria a p^z fM 0-
ti^is; e > qae eu lambem leaJka q :e;i !o: cooeer-
va7* se tileaeiose no raeio Aacoatrovarna, ecaac
laawntoo qua eu tenho feito : era accusaau d-
ter ili a Roma naqnell. conjanctur^ e:u 1>ji3 d
paz, foi 0 qa me succedea !
No mete das aggressoes, provocacGci e Wrafn
de que tenho sid > victima, e de grande c a-.-li
para mim 0 ser Male ao mesaw cepo do, pr -
brios a qae foi li^ado 0 max 1110 doutor J ig'ja
S. Jeronymo so na foi accusidi de tir aamd
tancia qua vai do sol ao
arrasU pelo po da terra I
por em menoscabo a autori-
dade do primeiro bispo do chrislianismo. A q tern
nao assustara lance tao teraeroso Um bispo ar-
gaido p la sua soberana de facilitar meios a impie-
d*de para se rebellar coatra 0 chafe da igreja. Po
rem ea nio desanimo: a minha consciencia, e a
juslica da causa me susteatam. Dise : a mi-
nha consciencia. Bispo de uma s6 antiga e res-
peitavel, a33ento de tantos prelados Insig&es, que
se tem distingaido pelo seu amor, e respeito filial
a se apotolica, nab permitta 0 ceo que estas felize3
dispoiicSes enfraquejam no n'timo, e mais indigao
-dos seus successors. Ah I Nao, nio ha de ser
assim.
f SaaU igreja romana 1 Mai das igrejas, e mai
de todos os fieis, igreja escolhida de Deus para
unir os seu3 fllb.03 na mesma fd, e na mesma ca-
ridade, 3empre estarei nnido comtigo do fando de
rainhas entranhasl Se eu tenho de esqaecer me
de li, antes me esqneca de mim mesm 1 I
a A minha lingua se pegae imraovelmdate ao
paladar, se tu nao c; a primeira eas minha lem-
branca,e a que colhe a'flor -dos mens canticos.
Adhereal lingua mea faucibus meis, si non menu-
nero tui; si non propomero Hierusalem in pnn
cipio letelim M..
a Ah Pode V. Exc. socegar 0 espirito de S.
Magestade; que nio sao estes os principios de que
ordinariamente abusam os impios blasphemado-
res: oafos hique Ihes parecem mats propnos...
Quer V. Exc aaber qaaes sao os qae infiuem in-
fallivelmente para os despresos do supremo pas
tor ? Eu digo. Sao aquellas, que, 4 forca de sap-
plicas importunas, de respeijos haraanos, a outros
m4ivos ainda mais vergonhoso?, costumara extor-
quir da curia romana provisoes beneficianas de
uracaahoexotico,.que mais parecem titulos de
contractos de predios rustic s do-qne de benetlcios
ecclesiasticos ; provisoes, a favor das quaes tem
infesiado.es parocbias, e os coros de todo 0 reino
uma tropa confusa de sujeitos indigoos, que nao
servem *ao para fazer 0 escandalo da religiao,
e exasperar a dor dos verdadeiros fleis; provisoes
ou antes passaportes para ise pdfem chamar as que iranquillisara as cons-
'cienclas de Unt03 qua farern'om torpe comraer-
cio, e um logo orael ? beneficios, passando de
luns para doicos, sem mais couia nenhuma do que
0 desejo de engrossarera 0 seu patrimonlo com re-
^ervas, e pensoes et!. .
Sinto, repito, nao poder transcrever integral-
imente esta monumental respdsta ao veneravel ar
'cebispo: em que, a par da moderae,ap, a da pruden
icia, notam se osMl*el raites de Independence!
"Nao era sodwnte am sabio, era nm saato que
as--im tallava, a qti assim pfotestindo contra 0
arhitrlo da for^ sawlar, nad'artUaw, pir bem da
paz, ft-{for atitar 0 tfdgaMA, e a t>Wuro"ie>, em
tanto'pe irmios Tarquinios, vai a mesma difLreago, e dis- qae teuho apoiado 0 ministeru aclaal^minis sno
vermeziaho quo se qae merecea 0 mais rasgado a^oiodo ar. Dr. 1 .r
i quinio de Amaranto, em toda a sessio Jo annc p
. sado, depii* mesmo doavi-u de 12 Jejulho, a d<-
Pois seria crivel qua ea, que ha mais de tnnta ma^l/0f outros senhores, que cootando c annos, tenho nutrido 0 men espirito de principios prnropU dissolugao do mioisterio no cim^t d.4
tao salutares, principios que sao os verdadeiros sega deste anno, se declarar-m em oppo-..
con-eetarios dasuavissima d mlnna ensinada pelo preteXto a0 conflicto religiose Se ten 10 ap
Messtre divino, praticada pelos apostolos a prof.s- Q miui sada por todos os confessores da fe c.loolica, por fl(ie llua|,jUer qUe 0 succedesse, fo*?e qa*l f
todos os mestres e doulores da I
me accoraraodar e sujeitar aos itH|ron _ie-, termos a que
aos transbordamentos desalinados dos irmaos Tar- no> ou havia de {aMr
ij""" "J'-' 0 miuisteno actual e pei* u.i-jisiiiu* u-i"-
fe c.loolica, pur e ,.ua|,,uer que 0 succcd::->., fowe qual f *-e *
igreja, bam de ^ua cur polit-ca, a religiosa, l.vadas as coa-t* >-<
jrapetos fogosos, 0j a ue Chegaram, oa nio poaefia ser g m 1
cumprir a legi^!a{ao q u
existe, legislagao quo 0 miuisterio actual ni > w,
mas que achoun-js codigos da na.* hpM>
emfim que nao era desjon'iecida por uiajruem n
imperiol Alem de qae, o miaisteru actual, oavt
do 0 coaselho de estado, submeti-n o oego' 1
supremo tribunal de ju.-t ca, Iribuaal inde^anl'-a-
te. por cujo exc!n;iva responsabihdado ectce a
deploravd e dura condemnacao do, bispos. s
era que sempre contei quo aut.s do-
br
ouinios, e de outros, qae, calcanlo aos pas os
preceitos da caridade, na mais imaJacavel aggres-
sao contra todos aquelles qae di=eorrem e pensam
com os luminares da igreja, inviperaramse por
tal modo e com tal sauna, desde 0 principio desse
desgra".adissirao conflicto quo mais tem parecido
sectanos do islamismo do qua do chnstianis-
Em vez de alliciarera com toda a moderacio as _
vontadis indecisas, arrojam-secom faria de vespas do3 j-iuaej dos proeeiimento jndiciarijs, 0 ecaflic
sobre as pobres almas, e, as dua3 por ires, as de- (Q tefia um teTmj j,jBrus0 per alg :ra acconlo ea
claram fdra do gremio da igreja e vibrara contra {n a S;inU ge c 0 governo, >ecordo para < qu-i
ellas todus os dardos da calumnia e da dmamacao I ira,alh^i, e continnarei a Uabalhar com todas a.-
hto sera religiao 1 Si e, nao e, por exemplo, a qae jor,ag e porque esse accordo e no men eo 1
ensinava Santo Agostinbo, 0 qnal mais de tru.ta 0 Uuic.> meio aceitavJ, impresrindiv^l, votei en-
a quatro vezes repetio em S3ns escriptos, esta pas- reslrjC.;s0 na resposta a f lla duthrcno, como qu*:i
sagem, ha pouco ciiada pelo padre Cuni : des Spr* vava t0jos 0? oatros meios.
< E* necessario tolerar os in-iion-s pev.adores; 1 q _ue maj3 M p0aja exigir dc mim '
necessariotoleral-osdentroef6radaigreia;por- mw accasam me ile sustentar cm min len>
que os Pescadores, vivendo sempre dent ro a 1 igreja, apii catholico I Os qne dio esta denominac-to a-
assemelhamse aos ramos seccos, que. umdos a ar- m\a[iUsr[0i naa 0 fam serianaente. E' an: mei.'
vore, Id vem um dia em que podem participar da de qu(J M serv8m pari apouquen^r, a afflgir os
se>va do tronco e se reanimarem. minislros, eao mesmo tempo da tornal-os oJiows
Em consonancia com tao taudaveis dictames, a 0Pia^0. eu e que em conscieacia nao posso m
dizia S. Francisco de Salle- : confiormar com esa accasa^io apaixinaUa, in
Ainda ha pouco um estraogeiro de cr terw.
'aanacorU'.obserando
cousas, e lenio 0 >' re-
0 censuravara de manter reiacoas amigaveis com lalonos aos mmmei os ao Impenc. e f'#;
Theodoro Beza, chefe do calvinlsmo em Ge^bra, ra as grandes Bas *^Wa*. a^Mm
e aecrescentava : lhee4.ro t a ovelha perdida, trtennio.com 0 "Ito paMco em *a eoop.M
qne Jesus Chruto me ordena que deixe as 99, pira co u a ^bequesej<*** Vi^]^i ^e
ir pnmral-u nos desertos do erro. do imperia, escrevea para a E
Em outra occasiio tendo sido ceusnrado por nenhum goveruo cmoi.t
alguns membros do clero por escancarar as por- cion? va tao largamente
tas de Sen pahdo.a qoantos peccadores publicos sill fa,s0J a^w
o niitavam, exclamon: we-p,.T,"Pr i mu-ifi >nci*s do S-aip
a Wellies de nos, se Jesus Christo homesse podem to:beieras mua Ik.nwa. ao s,w
tido cowlheiros coma tods e Ihes hoavesse prestado para c ra a >anta ^ .^"'^i; n^
ont>f mn*iA>' anti-CHih'Olico" ^ .
SarTa'tambem iausenist* S. Francisco de Salles ? Nm '^"ffil^^^'SS?
A audacia com que estes d,us parraJos d* Uf.ito. a mini ter 10 algum, one teal, ssa sy,tt.aalue
se ctmsiitaem eln cmnregacd* do index, para te contra a igreja Jade jow jFj^ZE*
chrismar de jtmunistai a wB.-s santos 6 iBtoto-. r*,c-oa; -s osoeo*aceo adore )fdc' I0*8J^J
ravel I 0 qne tale e qne 0 ridiculo so incumba a Kinh* cnrierenc arshgusa,|epiTa itoMP
da matar as rtdibulissimas pretences dosses dons mluuter.., Uo W* act*J. ^^^
inquisi lores da r, prihcipalm'-'Bla de um d-dfes, tea alterai-a eondlc^.esienc .1 jo cminw
que naq podondo ser Ilypocrates na mehalna, tho'ico entre aoi. Hel-de ma sepirar, aa pw
dc mundo sabTen
a igreja como 0 do Bra



**
*-
Diario de Pemambaoo Sabbado 28 de Novembro de 1874.

tellgiosa, de todo o miniaterio que renovar essa
teautiva, como outras quaes juer que abalem os
fundamentos das crencaa calbolicas. Disto estejam
certos og calumniadores das minhas IntencSes. A
tninha religiio, oao e so filtu do esludo, e da me-
ditacio de suas verdades, e filba da indole dos
meus sentimentos. K se em raoco nunca, a des-
peito de to J09 os perigoa, e responsabilidades, tran-
sigi aobre esie ponlo, hoje que marcho para o
occaso da vida, que me veu aproximando das reali-
aides, que as illusoes do mundo desconhecem no
ardor da juventude, e que eu bavia de abrir raao
dos meus tao eonbecidos priocipios religiosos I 0
que eu oao posso e admittir e loitrar a tutela, que
qaerem exercer sobra mira esses cathoiicos de cir-
<:urasUncja, que abi se levantam como temporaes
desfeiios contra todos, qua encaram as cousas por
aspectos differentes. So a Deus tomo por juiz da
minba conseieacia, e Da presente questao posso di-
zer com o apostolo : Gloria nostra hoc tst : teste-
monium conslientke nostrae. Aoiraado desta vox
interior, qoe nio mente, nada tern j.
Esbravejem, qoanto Ibes permittirem os pal-
aides, os novos emprexarios da fe.
0 que restt e que todos os cathoiicos bem inten-
cionados e sinceros, nao cessern.corao eu, de iraplo-
rar as misericordias divinas, para que tenha um
termo rapido este depbravel estado de duvida, ou
de perturbacao em que se acham as consciencias,
em race da mudez dos oraculos da igreja uesta nos-
sa boa terra, sempre tao affeicoada a Deus, e tio
protegida de Deus I
Os templos hermeu'caraente fechados, como se
denunciassem a todos os insuntes uma invasao de
sarracenos t 0 augustissimo Sacramento, onde re-
side a plenitude da divindade, viajando abi incog-
nito pelas nossas rua, sem aquelle magestoso ap-
parato e acatamento, que se deve ao soberano rei
dos^eculos I Uma cidade da Hollands protestan-
te nio offcrece aspecto raais triste e melancolico I
Uorresco referent I E' o caso de repetir com o
Evangeli9ta : Jesus sahio do templo, e se escondeu:
Jesus autem exwit del lemplo, et abscondit $e. E
que major signal de reprovacao para os judeus
do que Jesus Christo esconder-se delles t E por-
que se escondia f
Para castigal qs com a 8ua ausencia, pois nSo ha
maior castigo do que darnos Deus as costas, es-
condendo-se de nos, r.orque teme as nossas affron
tas I E no emtanto, em vez de pregar-e a cruzada
da reconciliacao, prega-se a jeruzada do desamor.
Em vez da penitencia, prega-se a maldicao. A ca-
ridade esfria, o odio recrudesce I
Que terrivel situacao! E deve continuar I
Nao.
Recife, 27 de novembro de 1874.
Pinto de Campos.
ISontir. e injuriai* sempre !
A Provincia, que parece querer fraternisar com
o je9uitismo da Uniao, que pelo seu lado Ihe vai
correspondendo, nao trepida diaote de qualquer
mentira, com tanio que tenha ensejo de iDjuriar
am adversaria.
Parece que essa folha esta ferida de hydropho-
bia! Morde tanto a quem passa, como cio ata
cado do mal I
Saiba pois esse orgao da mentira, e da iojuria,
que os padrinhos da tilha do desembargador Ma
noel Tertuh'ar.o, baptisada pelo Exm. Sr. Pinto de
Campos, nao sao macous, pelo menos nao con9ta
isso da lista negra que existe na sacristia das ma-
trizes desta cid.de.
Ao menos, e isio o que ?e deduz do consenti-
mento, que para o baptisado deu o Sr. vigario in-
terino, a quem fallou o pai da crianca.
Minta menos a Piocincia, embora injurie, que e
o seu officio.
iUm amigo do desembargador 31. Tertuliano.
sao do reconheciraento, recoohectaento, que sobe
de ponto, porqoe o aeroisao do grande patriota la
nio e so aquilatado dwidMneata petot nacionaes,
mas tambem por um estringeiro alheio as nossas
lutas poiiticas... o Club nao pode delxar de Ioq.
var a accio meritoria de V. S., a quem Deus
guarde.-Secrelam do Clnb Popular, 80 de no-
vembro de 1874.-0 I- secretario, F. M. Mou-
teiro Pessoa,
COMMERCIO.
Pr
JUNTA DOS CORRETORES
ca do Beelfe, II de novem-
bro de 19V4.
AS 3 HORAS DA TARDE.
COTACOIS 0FFICUES
Assucar brato esjolhido U800 por i5 kilos.
Assucar Canal IJJOO por 15 kilos.
As*ucar do Kio Grande do Norte 2*020 por i
kiles posto a bordo a frete de i2i6 e 5
0|0, hontem.
Cambio sobre Lo'ndres a 90 d|v. 26 1|2 e 26
5|16, e do banco 26 111 d. por la.
Dito sobre dito a 90 div. 26 3i8 d. nor U00O.
hontem.
Dito sobre duo a 3 d|v. 26 lii, e de banco 26
d. por 1*000.
Cambio sobre Paris a 3 d|v. 369 rs. o franco, do
banco, hontem.
Dito sobre dito a 3 d|v. 370 rs. o franco, do
banco.
Cambio sobre Lisboa a 90 d|v. 103 e 104 OrOde
premio, hontem.
Cambio sobre Lishoa e Porto a 90 div. 103 OiO
de premio.
Cambio sobre o Porto a 90 d|v. 102 OrO de pre-
mio, hontem e hoje.
Dito sobre dito a 90 d[v. 105 OiO de premio, do
banco.
'Cambio sobre o Rio do Janeiro a 8 drv. ao par,
hontem.
Dito sobre dito a 30 drv. i 0(0 de desconto,
bontem.
Desconto de letras 10 0|0 ao anno.
u. de Vasconceilos
President*.
A P. de Lemos,
Secretario.
ALFANDKOi
\eadimnto do dia 2 a 26. .
Idem do dia 27. .
748:506*612
19:851*733
768:3384345
Ao Exm.
gevernador do bis-
pado.
.Nosso Senhora do 0' de Ipojuca, 26 de novem-
bro de 1874.
Srs. redactores.-E' o maior escandalo desta in-
feliz freguezia, terum pro-parocho escolhido ad
hoc para parochial deste rebanho digno de um
outro'pastor.
0 actual pro-parocho fez residencia em casa
de Jose Bernardino, pai de familia, o qcal tem
doss iilhas mo;as, este desventurado pai re-
side em uma outra casa amasiado publica-
mente, e nao goza de boa reputacao peran-
te os homens honestos e 9inceros desta fre-
guezia, pelus seus vicios reprovados pela socie-
dade, e o pro-parocho intitula-te seu parente e to-
mou a seu cuidado couta da casa e das duas filhas'
de Jose Bernardino, aondo vive com todo o es-
candalo e deva^idao, mandando o pai das duas
infelizes, tirar esmolas dos lieis para fazer festas e
is e o_ pro parocho bota o dinlieiro no capello,
Descarregam hoje 28 de novembro de 1874.
Vapor mglez Vanguard mercadorias para
alfandega, vinhe, vinagre e azeite para
deposito no trapiche Cunba.
Vapor nacional Giquid generos nacionaes
para o trapicbe da coinpanbia pernam-
bucana.
Hiate nacional Flor do Rio Grande do Norte
generos nacionaes para o 3 ponto.
Lugar portuguezCidV piche Conceicao, para despachar.
Palhabote americano /. Ranger farinha ja
despachada para o caes do Apollo.
Sumaca hespanbolaTraviata -vinho para depo-
sito no trapiche Bar bosa.
Patacho inglez Geor^ma -kerosene ja despacha-
do para o caes do Apollo.
Harmonico* 2 caixis a ?. Linden.
Liana 30 calxas a Brown Thonson & C. Lona
fardos a Moreira Halliday & C. Louca 30 gigas
a Mills Latbaa<& C. Livros 1 caiza a De Lailba-
car 4 C
Moveis 2 caizas a Theodora Christiansen. Man-
teiga 16 caixas a Lebre & Reis, 50 a Fernandes
& Irmao, 7 a J. e Correia Braga, 27 a Magalhaea
& Irmio, 36 a Antonio Ferreira de Carvalno, 40
a Beltrio & Filbo, 8 a Leao, Rocha 4 C, 6 a
H. Nieseh, 7 a J. T. de Mello, 7 a ordem, 20 bar-
ris a Souxa Bastos & C, 25 a Sauniers Brothers
& C, 25 a Cardoso & Martini. Medicamentos 2
caixas a Manoel Alvos Barooza, 2 a Pedro Mau-
rer & C Meias I caiza a Jose Monteiro da Cruz,
1 a Cramer Frejr & C, 2 a Monhard, Mettler &
C Mercadorias aivergas 4 volumes a J. T. Leite
Basils, 2 a F. Linden, 1 caiza a Parente Vianna
4C., 10 a D. T. Bastos 4 Filho, 2 a Farla Ir-
mao, 1 a Alfredo Gibson, 1 aos consignatarios, 2
a A. D. Pinto, 2 a J. J. Alves & C, la Penna
Junior 4 C
Objectos para gaz 3 caizas a J. J. Tasso, ditos
de escriptorio 1 caiza a Beltrao & Filbo.
Oleo de linhaca 3 barris a Manoel da S. Faria
& C.
Provisoes 2 caizas a Jose Francisco de Paula,
Ramos. Pennas de aco 1 caixa a Doiuingos T.
Bastos & Filho, 4 a Moreira Halliday 4 C. Presanlo
5 caixas a Jo6 Correia Braga, I a ordem. Pi-
raenta 25 saccos a Jorge Tasso, 10 a ordem. Pa-
pel 4 caixas a ordem, 1 a Jjs* P. Leite Bastos, di-
to e livros 1 eaiza a a. Kenochello Pincsis 1
caixa a Ferreira Maia 4 C.
Qoeijos 15 caixas a Jorge Tasso, 28 a ordem e
1 a Simpson & C
Soda 30 tambores a Santos & Araujo. Saccos
vasios 8 fardos a Saunders Brothers & C.
Tapetes 6 fardos a Cramer Frey 6j d, 1 a
Keller & C. Toocinbo 1 caixa a Simpson & C.
Tecidos 69 volumes a'Mills Datham A C.29
a Olinto Jardim & C, 154 a Cramer Prey k C.
49 a Jos6 Luii Goncalves Ferreira 4 C, 3 a Ma-
galhaes A Rodrigues, 134 a Keller & C, 4 a, Bra-
ga Son 4 C, 26 a Goncalves Irmaos 4 C, 19 a
Jose Monteiro da Cmi, 56 a ordem, 4 a iodri-
gues Irraios A Guimaries, 21 a H. Ledchour, 2
a Saunders Brothers A C, 4 a Silva Barroca A
Filhos, 39 a Luiz Antonio Siqueira, 23 aos con-
signs tarios; 13 a Alcoforado Vieira i C, 10 a
Jose Nareiso & C, 25 a Macbado ft Pereira, 23
a Monhard, Mettler 4 C., 151 a Brown Thomson
4 C, 2 a Alfredo Gibson, 2 a S. Montinbo & C, 1
a Severino A Irmao, 1 a Mendes Lobo AC, 2 a
Goimaraes & Irmao, 1 a Mendej Azevedo A C,
4 a Papoula A C.
Velas 1 caixa a L..J. da Silva Goimaraes. Vi-
nho 1 barril a Mills Latham A C, 20 caixas a
H. Ledebour, 1 a Ferreira Mais & C
iegnintee eidades e villas de Portugal, ilhai adia-
cemes e Hespanha, a saber: J
Portugal
Agueda.
Amarante.
Anadia.
Arcos.
Areiro.
Arco de Baoihe em Ca-
beceiras de Bastos.
Baroa.
Bar cellos.
Beja.
Caminba.
Gbaves. .
Castello Branco.
Guimbra.
Castro Daire.
Coura.
Govilhi
Esposende.
Elvas
Estremoz.
Fafe.
Famalicao.
Faro
Figneira.
G'tuveia.
Guards.
Guimaries.
Lagos.
Louie.
Lamego.
Lisboa.
Importucao
Patacho nacional Sabipuedes, entrado do Rio
Grande do Sul em 26 do corrente e consignado a
Baliar Oliveira & C, manifestou :
Couros seccos 63.
Hem mate 13 volumes.
Fumo em folha 100 fardos.
Sebo em rama 2,820 kilos.
Xarque 303,270 kilos a ordem.
Hiate nacional Flo- do Rio Grande, entrado do
Rio Grande do Norte em 27 do corrente e consig
nado a Antonio da Silva Campos, manifestou :
Assucar 800 sacco3 a Oliveira Filhos & C.
a adeus fellas.
<% <*,): vere* veem a icreia Dara ;erem encom-
mendados e vultam para o cemiteno sem as en-
de direito parochial.
Se o mandam chamar para alguma confissao
manda voliar o porUdor e conduccao, dizendo que
esta mmto doeate e appare^e com um len<:o na
cabeca com tanio que nao se aparte das duas ne-
quenas suas protegidas.
Ainda Ua bom poueo tempo, foi o Rvm. pro-pa-
rocho admoestado de se recusar'aconlisoes ao*
aceommeltidos de variola e foi perante o Sr
governador do bispaio justilicar-se, e como ?
com attestados de pessoas sem criterio, e al-
guns dos attestados foram dietados pelo memo
pro-parocho.
Ha mais de tres mezes foi e.xposta a veneracao
dos fieis a padroeira desta freguezia N, S. do 0'
lirada de seu niclio e collocada em cima de uma'
mesa a porta da igreja, por ordem do Rvd. pro-
parocho para todos quanto beijassem a imagem
deitarem esmolas e serem por este meio preserva-
dos da variola ; a porta do templo parecia mais
uma casa commercial do que a igreja de Jesus
Uiristo, conmtuio-se um procurador para tninar norle na mesma data e consignado a companhia
conia das esmolas arrecadadas durante a noite a Pernambucanx de
Vapor nacional Bahia, entrados dos portos do
sul ua mesma data e consignado a Pereira Vianna
& C. manifestou :
Carga da Bahia.
Charutos 2 caixas a Leal & Irmaos, f a H
Lundgreen. Chapeos de sol 4 caixas a Mills La
lham A C, 1 a Oliveira & Irmio. Cha 5 caixas a
Silva Guimaraes & C.
Fazendas 1 caixa a Monhard, Mettler & C. Fu-
mo 20 volumes a Domingos da Costa Ferreira. Fio
de algodao 20 saccos a Beltrao 4 Fiiho. Farinha
de mandioca 320 saccos a Domingos Alves Ma-
1-........ at a;gou Loyo 4 Filho, 100 a Domingos Alves Mathous.
Papel 12 fardos a Beltrao & Filho.
Carga do Rio de Janeiro.
Agua mineral 3 caixas a Jose J. Tasso.
Carros 4 a companhia Ferro Carril de Pernam
buco.
Drogas 1 caixa a A. Caors.
Fumo 104 robs a Jose Maria Palmeira, 37 cai-
xas aos con-ignatarios, 18 a Beltrao & Filho, 6 a
Jose Antonio Pereira, 9 a Thomas Thimes, 8 a
Duarte Simoes, 20 e 81 ditas meias a Joaquim
Duarte Simoes, 7 encapados a Moraes & C. Fa-
zendas 1 caixa a Monhard, Mettler A C.
Massas 100 caixas a Antonio Annes Jacome.
Dita de tomate 7 caixas a Fernandes & Irmao.
Papel 12 caixas a Manoel Figueiroa de Faria A
Filhos.
Tinta 1 barrica a Jose Ferreira da Silva
& C.
OE3PACH08 DE EXPORTACAO KO DIA 26 Dfc
OUTUBRO DE 1874.
Para os portos do exterior.
No vapor inglez Sorato, para Paris, carre-
gou : A. J. de Azevedo 1 papagaio, 1 barrica com
18 abacachis: para Liverpool, J. 0. de Almeida I
dita com 30 ditos.
Na barca ingleza Tunny, para Liverpool,
carregou: Keller & C 254 saccas com 19,470
kilos de algodao.
No patacho hespannol Felisa, para o Rio da
Prata, carregou : P. Carneiro, Maia & C. 100
barris com 13,000 litres de mel, e 22 pipas com
10,560 ditos de aguardente.
Na barca noruegoense Niord, para Liverpool,
carregou : M. Laihin & C. 6,000 saccos com
450,000 kilos de assucar mascavado.
No lugar hespaohol lliemoteo III, para o Rio
da Prata, carregou : Araorim lrrnios A C. 100 bar-
ricas com 9,871 1(2 kilos de assucar branco.
Na barca nacional Claudia, para o Rio da
Prata, carregou : Amorim Irmaos & C 100 pipas
com 48,000 lilros ie aguardente.
No navio tespanhol Tres Dorotheas, para
Barcellona, carregou : A. Loyo 292 saccas com
19,726 kilos de algodao.
Para os portos do interior.
Para o Rio de Janeiro, no vapor nacional
Para, carregou : M. da Silva Fialho 1 barrica
com 115 kilos de ci.rvao animal; Amorim A Car-
doso 2 ditas com 137 ditos de assucar branco ;
Rodrigues Irmao A Guimaraes 1 caiza com 124
espaoadores.
Para o Rio Grande do Sul, no lugar portu-
gufz Laia, carregou : F. R. Pinto Guimaraes 913
volumes com 66,655 1|2 kilos de assucar branco.
Para o Para, no brigue nacional Raio, car-
gou : J. M. de Castro 10 pipas com 4,800 litros de
aleool.
Para o Para, no vapor nacional Bahia, car-
reg,u : J. R. Ferreira 200 barricas com 11,908 li2
kilos de assuear branco; M. Z. dos Santos 100
ditas com 7,909 1|2 ditos de dito.
Melgaco.
Malbada.
Mirandella.
Monte-mor o velho.
MonQlo.
Oliveira de Aremels.
Ovar.
Penafiel.
Port'Alegre.
Pinhel.
Ponte de Lima. ,
Portimlo.
Porto.
Povoa do Varzim.
Povea de Lanhoso
R'Roa.
Silves.
Santo Thyrso.
Tavira.
Torres Novas.
Thomar.
Valenca.
Vianna.
Villa do Conde.
Villa Pouca de Aguiar.
Villa Real de S. Antonio.
Villa da Feira.
Villa Nova de Cerveira.
Vinhaes.
Vizea.
Villa Real.
Movimento da Beira.
Fayal. Fanchal.
Hespanba,
Badajoz. Madrid.
Barcellona. Orense.
Cadiz. Padron.
Caceres. Pontivedra.
Campinas. Puenteareas.
Coruna. Santiago.
Ferrol. Vigo.
SEGUROS
MARIT1M0S
CONTRA 0 FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabelecids
aeatl praca, toma seguros maritimos sobr*
lavios e seus carregamentos e contra foge
B edificios, mercadorias e mobilias: ni
raa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
SEGUROS
OECLARACOES.
Thotnaz de Aquino Fonceca & C.
Soccessores
saccam por todos os vapores, sobre as seguintes
pracas :
Lisboa. Regoa.
Porto. Cbaves.
B/aga Villa-Flor.
Vianna. Mirandella.
Viseu. Alijd.
Guarda. Favaios.
Coimbra. Braganca.
Guimaraes Lamego.
Rio de Janeiro.
Narua do Vigario n. 19.
301*006
310*000
408*000
251*000
CaPATAZIA
Readiroento do dia 2
Idsis do dia 27
DA ALFANHfe'KA
a 26. 12:517*361
220/884
este procurad,.r 6 o mesmo pai das duas meninas
as quaes rezam tres ladainhas era tencao do pn
sioneiro da fortaleza de S. Joao e o nosso pro-pa-
rocho foi embolsado daste grande irabaiho ral
cula-se em 800-000 as esmolas arrecadadas.'
Dm parochiano.
mSSJSJF&Si d0 Cldb pP'ar.-Anlonio
das.lva Proa, cidadao portuguez, residente ne^ta
provincia, posswdo de ideas liberaes, as quaes
vota sincero culto, tendo conhocimeuto das iusiK
nes v.rtudes que sempre cou to da nobre alma do distincto cidadao, e eximio na-
vil3,H ''luslre desembargador Joaquim Nuues
Machado, de saudosa raemoria, nao node na sua
humilde posicio de artista esculptor *de marmore
fazer calar em sua alma, o desejo que sempre nu'
trio ie tributar a sua raemoria, um mode-to mo-
numeuto de seu iraperfeilo trabalho.
Possuido desta consume idea no seu modesto
atellier concebeu a idea de pol-o em pratica. Por
esta razio desenhou o piano, que executou e
restaudo-lhe a u.lima lima, fabricando uma
inneraria de marmore d'ltalia.
Vapor nacional Giquid, entrado dos portos do
"ata e consignado a com
navegacSo costeira por vapor
fez,
uma
Este urna, o mesmo artista pede venia, para of-
lerecel-a espontanearrente, sem remuneracao algu-
ma, para ntlla serera guardados etemamente os
ossos do mesmo meraoravel patriota Nunes Ma-
chado.
Certo de que nirguem raelhor do que o Club
Popular que tao bem tem sabido decemp^nhar o
seu titulo, e como tal 6 um admirador das virtudes
do mesmo, entendeu queao Club devia offerecer
para tal Bm, e que ninguem raais dignamente que
elle, sabera velar pela .sua guarda.
ri?hgnHeae S..- S- ier iD,erprete perante este
Unb, de ramha espootaneidade e admiracSo das
exceilentes qualidades civicas, que tanto distineui-
ram aiuelle, a quem tanto nos honramos, honran-
do a sua memoria. '
Tenho a honra de assignar-me com profuodo
respeito e consideracao de V. S. etc.-^n bilva Proa.Recife, 16 de novembro de 1874.
manifestou :
Algodao 100 saccos a Braga Costa & C, 24 a
B. Jose Ferreira Junior, 80 a Luiz Goncalves da
Silva & Pinto, 58 a Manoel da S. Pontes, 468 a
Monteiro Guerreiro & C, 69 a Luiz Antonio Si-
queir., 38 a Sa Leitao l.-maos, 36 a Monteiro Cor-
reia & C. 39 a B. da S. Albuquerque, 217 a Go-
mes de Mattos Irmaos, 17 a Cosme Jo.^e dos San-
tos Callado, 36 a J. E. Oliveira.
Couros salgados 327 a Henrique H. Araujo
^araiva de Mello, 201 a Julio C. P. Barreto, 71 a
Fernandes A Irmao, 13 a Luiz Antonio Siqueira.
Cera de carnaiiba SO saccos a Pereira Maia & C,
3 a Sa Leitao Irmaos, 1 barrica a ordem. Dita
de abelha 3 barricas a A. Caors.
Esteira de palha de carnaiiba 30 molhos a Sa
Leitao Irmaos.
Goroma de mandioca 123 saccos a Gomes de
Halloa Irmaos, 3 a Jose Ferreira Pinto de Maea-
Ihies.
Hervilba 10 caixas a Gomes de Matlos Irmaos.
Penna de ema 1 caixa a Monteiro Correia A C.
Plantas medicioaes 10 fardos a ordem.
Resina de angico 1 barrica a ordem.
Sola 497 meios a ordem.
Vapor inglez Vangard, entrado de Liverpool em
2b do corrente e consignado a Johnstcn Pater A
C, manifestou:
Amostras 20 volumes a diverts. Aco 2 barras
a Saunders Brothers A C Arroz 50 saccos a An-
n' ^r.ancisco Cora. Mendonga Carneiro
? vk2oi ordem. 10 a Ferndndes da Costa &
C, 50 a Beltrao & Filho.
Barrilha 20 tambcres a Fernandes da Costa &
C._, biscoutos 15 caixas a Magalhaes A Irmao, 2 a
Simpson & C
Cachimbos 2 caixas a Joaquim Jose de Azeve-
do, chapeos 1 caixa a Joao Christiani AC. 5 a
Cramer, Frey & C, 6 a Rodrigues Irmao A C. 2
VOLUMES (8ABUMM
Nj dia 2 a 26......
lo dh 27......
Pnriieira porta .....
Seganda porta.....
Terceira porta .
Replete Or.-:. ,
12.738*245
29,433
10
22
347
130
29,942
SERV1CO MARJTiaO
ti>*rsngas descarregadas no trapfebs da
alfandaga.
So dia 2 a 26 .
"To dia 27.......
o trapiche C(;oc*!^to .
e contra-fogo
COMPANHIA
Phenix Pernambuoana.
RUA DO COMMERCIO If. 34.
Scguro contra-fogo
THB UVERPOOL A LONDON & GLOI
INSURANCE COMPANY
A^entesi
SAUNDERS BROTHERS 4 C.
11Corpo Santo11
Companhia Indemnisadora
do Porto.
CAPITAL 2,000:0000000.
rhomaz de Aquino Fonceca A C, successores
agentes.
Esti companhia toma seguros maritimos e ter-
restres, dando nestes o septirao anno gratis aos se-
gurados.
Rua do Vigario n. 19.
C0MPANHI1 ALLIANCA
ieguros maritimos e terres
tres estabelecida na Bahia
em 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:0002*000.
Toma seguro de mercadorias e dinheiro
.aco raaritimo em navio de vela e vapores
sara dentro e fora do imperio, assim come
ntra fogo sobre predios, generos o fa
ondas.
Agente : Joaquim Jos^ Goncalves Beltrao
aa do Commercio n. 5, 1 andar.
SANTA CASA DA M1SKRICOKD1A DO
RECIFE.
A Hlma. junta admimstrativa da Santa Casa da
Bisericordia do Roeife, manda fazer publico que
n:salade suas ses5cs,o dia 18de noverabro.pe-
na 3 horas da tarde, lein de s*>r rrematadas a
mem mais vaniagens offerecer, pelo tempo de am
a tres annos, as rendas dos predios em geguids
declarados. ~
ESTABELECIMENTO DE CARIDADK.
Vidal de Negreiroi.
Casa terrea n. 94.......
Rua larga do Rosario.
I* andare loja n 24 A fechada .
*. andar n. 24idem......
3/ andar n. 24 A idem .
Rua de Antonio Henriques.
Casa terrea a 26 ... 99*000
Largo da Campina.
idem n 11 (fechada). idem. 120*000
Rna do Coronel Suassuna
1* andar do sobrado numero 94 386*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Raa do Commercio
Sobrado n. 30.......800*000
Rna da Moeda.
Casa terrea n. 21 fechada).. 400*000
Becco das Boias.
Casa terrea n. 18.......421*000
Rua da Lapa.
iasa terrea n. 11.......202*000
Rna do Amorim.
sobrado de 2 andares n. 23 602j>000
Casa terrea n. 34......2 2*000
Ruar do Bngos.
Casa terrea n. 21.......153*000
Rua do Vigario.
r andar do sobrado n 27fechaia 243*000
! andar do mesmo idem .... 240*000
Loja do mesmo fechada.....300*000
Rua do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 13 (fechada). 1:400*000
Rua da Senzalla velha
idem n. 16........209*000
Rua da Guia.
Casa terrea n. 25 ., 209*00t
Idem B. St .... 201*000
Rua da Cruz.
Sobrado de 2 andares n. 12 (fechada). 800*000
Idem n. 14.........600*000
Rua de S. Jorge
Casa terrea n. 103......207*000
Os pr6terdentes deverao apresentar no acto da
arremat as- suas ftancas, ou comparecrtren;
acompan s dos respectivos fiadores, devendc
pagar ale i renda, o premio da qnantia em
que for set, o predio que contiver estabeleci-
mento com peza e preco apparelhos.
Secretaria nta Casa da^Misericordia do R
cife, 17 de sstembro de 1874.
0 escrivao,
_______ Pedro Rodrigues de Sous a.
conductor, devendo essa guia ser apre^entada pelo
conductor na primeira eoileetorla qae Sear aa di-
reeeio on proxiraidade de ten transito, do poMo
da procedencia a esta cidade, para que seja um
o visto do flscal on collector, antbeatieada a iats-
ma procedencia, sem o que sera o genera eoasMe-
rado produccio da provincia, e nenhnma ootra
prova podera snpprir essa falta.
Consnlado provincial de Pernambuco, 25 de no-
vembro de 1874.
0 administrador,
___________Antonio Carneiro Machado Rios.
Monte-pio dos honorarios do
exercito.
Os senhores socfos sao eonvidados a comparece-
rem domingo 29, pelas IU boras do dia, em o so-
brado n. 83,3* andar, da rna do Imperador. Pede-
se o comparecimento de todo*. visto ter de se
tratar de medidas em relacio a sessio de in*-
tallacao.
Recife, 26 de novembro de 1874.
0 1* secreUri i,
_____________________Silva.________
^ l .O.MI'.VMil A
Recife Drainage.
A companhia fax sciente para conrieeimento dos
senhores proprieUrios, que achando se promptos
para funccionar os apparelhos collocados cos pre-
dios abaixo declarados, foram os tens ioquihnos
autonsados a servirem-se dos ditos apparelhos
Freguexia de S. Frei Pedro Goncalves do
Recife.
Rua do Marqnez de Olinda n. 13, andar
Almoxarifado da arsenal de marioba.
Rua da Companhia Pernamhncana n. 8, primei-
Rua do Vigario Tbenorio n. 17, P. terreo
Frenuexia de S. Jose".
Rua do Padre Fioriano n. 5.
Xadrez da fortaleza das Cinco Puntas
Freguezia da Boa-Vista.
Rua do Socego n. 9, 12, 14, 22 e 23
Visconde de Goyanna n. 55.
Hospicio u. 10.
Visconde de Albuquerque n. 113.
Trevessa do Palacio do Bispu n. W
General Seara n. 4.
Gervatio Pires n. 137.
Recife, 27 de novembro le 1874.
0 gerente,
^^^__^___^^^^^ J. Dowfley Junior.
Gabintte
portuguez de Leitura.
(Directoria)
Pede-.e aos Srs. socios effectivos que se acham
era atrazo para com a thesouraria do gabinete,
0 obsequio de darem curoprimento a primeira
pane do 2.* do art. 12 dos estatutos, aflm
de qae a directoria possa dar as providencias
qae Ihe hao sido exlgidas por algu&s 9ocios, e
ben> assim poder cumprir o que estatue o 3
do art. 69.
Secretaria da directoria, 18 de novembro de
1874.
V. Ferreira Chaves Junior,
____________________Secretario,
C0N8ULAD0 PROVINCIAL
De couformidade ccm a portaria do Sr. inspec-
tor do thesouro provincial se declara aos contri-
buintes que deixarara de reallsar o pagamentn da
seus aenfos devidosa companhia-Recife Draina-
ge-no femestre findo emjunho de 1873, pelos
apparelhos; d fferenga dos mesmos, encanamentos
e annuidades, que o podem fazer, visto achar-se
prorogado o rieebimento ale o flm do corrente
mez.
18^
Consulado provincial, 18 de novembro de
0 administrador,
A ntonio C. Machndo Rios.
48
1
1
30
1BCEBECORIA DS RENDAS UfTERMAS GE
iUES DE PCRNAMBUC<.
iadimenio do dia 2 a 26 54'447*023
d0 dia 27. 1:631*970
d*ffi
56:08 U 993
CCxNSULADO PROVINClAb
Mndicento do dia 2 a 26.
dm do dia 27
RECIFE DRAINAGE
ftendimento do dia 2 a 26. .
Idem do dia 27.....
109:580*998
4:240*087
113:821*085
36:479*030
2:962*539
39:441*569
AGENC1AS PROVINCIAES
Club popular.
LIBERDADEIGUALDADEFRATER.MDADE
Ao benemenlo cidadao portuguez o Sr. Ant odio da
Silva Proa, esculptor.
O conselbo deliberativo, em sua sessao de se-
ganda feira, 16 do corrente, ouvio com grande sa-
Usfacao a leitura da carta. por meio da qual Ihe
cnmmaniea V. S. que destina para deposito dos
I!nr JaD?! e Preci* resto3 do glorioso martyr
aa liberdade p^rnambucana. o mailogrado deeao.
bargador Joa |uim Nunes Machado, uma urna c.
e preei-s offerta. aguarda as ordens de V S
Mdignara d* mdic^r quando flcari ella
condn-5p de ser apphci. a tao pledosr. flm
Acc^e?, como a qae V. S. acaba de pratlcar
por si coaditnem o elogk. de quem as faz
iisfacao de havel-as praticado e
que
nas
86
. a sa-
mait signi
a Vaz Junior C, 1 a Keller & C. Camiaas 1
caixa a H Ledebour. Cerveja 50 barricas e 15
gigas a Lebre A Reis, 60 caixas a H. Nuech
Canos de chumbo 7 barricas a Samuel J. Pater A-
C. Calcado 1 caixa a Porto A Bastos, 1 a or-
dem, 3 a Faria & C, 1 a S. S. da Silva, l a joa.
quim Antonio de Araujo & C, 1 a Frederico C
Burlamaque, 1 o Manoel Francisco Pocas A C
Cha 5 caixas a Fernandes da Costa 4 C, 13 a
Jorge Tasso, 4 a ordem, 9 a Lebre A Reis, 5 com
40 a Souza Bastos A C Chocolate 1 caixa a J
ranta-. nela 2 caixas a ordem. Chapas de
fogao 58 a Parente Vianna A C. Cbombo de ma-
mcao 210 barris a S. P. Johnston A C. Couros 1
caixa a J. T. Leite Bastos, 2 a Monhard, Mettler A
U 1 a toe de Almeida & C. Cntilaria 1 caixa a
Faria Irn pi, ," barrica Manoel dos S. Villaca.
Sffit* rCa',Xa a J" d0 R e Silva- 4 H- Niech.
kI ,Tr*r ?*J A'w'orado. Vieira & C 6 a
3EF.W: Kybaes 4 GureI ***
Polna de Plandres 12 caixas a Manoel dot S.
rwilf-s 20 a S P. Johnston 4 C.
Liqnidos espirituosos.
.iendimento de 2 a 25 5:401*251
Idem do dia 26 173*503
Bacalhao, etc.
dendimento de 2 a 25 4:568*088
idem do dia 26 *
Generos de estiva,
ftendimenlo de 2 a 25 4822*674
Idem do dia 26 111*827
Rendimento
Idem do dia 26
Rendimento de 2
idem do dia 26
Farinha de trigo, etc.
de 2 a 25 5:743*072
5:574*755
4:568*088
4:934*501
195*120
------------ 5:938*192
Augusto f. d'Oliveira M.
A casa commercial e bancaria deAugustc
j d'Oliveira & C, a rua do Commercio ns
42, encarrega-se de execugao de ordens
para embarque de prodoctos e de todos o-
nais negocios de commissao, quer commer-
tiaes, quer bancarios.
Deconta lettras, e toma dinheiro a pre-
roio, compra cambiaes, e saca a vista e
jazo, a* vontade do tornador, sobre as se-
guintes pracas estrangeiras e nacionaes :
Londres. Sobre o union bank oi
LONDON, 0 LONDON AND HANSEATIC BANK,
limited, e varias casas de !. classe.
Paris. Sobro os banqueiros fould
& C.j MARCUARD ANDRE & C. e A. BLsCQOE,
VIGNAL & C.
Hamburgo. Sobre os Srs. joAc
SCHU BACK & FILHOS.
Lisboa. Sobre os Srs. fonsecas,
SANTOS & VIANNA, e SEBASTIiO JOSE DE
tBREU.
Porto. Sobre o banco uniao do p
0 Sr. JOAQUIM PINTO DA FONSECA.
Para. Sobre o banco commercia-
oo parA, e os Srs. francisco gaudencio da
COSTA & FILHOS.
Haranlitto. Sobre.'o Sr. jose fer
ami DA SILVA JUNIOR.
Bahia. Sobre os Srs. marinhos & c
Bio de Janeiro. Sobre o banco
INDUSTRIAL E MERCANTIL, BANCO NACIONAL e
BANQUE BRASILIENNE FRANflAISE.
Sexta-feira SO do corrente
Sexta-feira 20 do corrente
Pelo tbesonro provincial -e manda fazer pu-
blico, que vao novamente a praci perante a jun-
ta do mesTo thesouro, no dia 3 de dezembro pro-
ximo vindouro, as arrematacoes seguintes :
Obra da bomba do Fragoso, orcada era 840*027
e a obra da ponte de Moes, no rio Tapacura na
estrada da Victoria, orcada em l:485*0i>0.
Secretaria do thesouro provincial de Pernarabn-
co, em 23 de Novembro de 1874.
0 secretario,
Miguel Alfonso Ferreira
Consulad provincial.
Pelo consulado provincial, faz-se publico aos
respectivos cootribnintes, que do l. de dezembro
vindouro por diante comeca a correr o prazo doe
30 dias uteis, irareados no an. 34 do reg. de
17 de junho de 1873, para a ccbranca do primei-
ro semeslre de deciraa nrbana e de 5 Ofo sobre
.q?? .mS raorla' no corr'D'e oxercicio de
1874 a 187o, mcorrendo na multa de 6 On
aqnelles dos contribuiDtes que nao sati-fiierem
nesse prazo os seus debito*.
Consulado provincial, 27 de novembro de 1874.
0 administrador,
__________Antonio Carneiro Machado Rios.
Estrada de ferro do Recife ao
S. Francisco
Pelo presente sao eonvidados os Srs. aeeionisas
desta companhia a virem ao escriptorio da eta das Unco Ponta* receber o 22* dividend) concer-
nente ao se.iesire .^e Janeiro a junho d -te anca
villa do Cabo, 26 i'e novembro de 1S74
G. 0. Mann
___________ Superiniendente.
Companhia Fidelida e
Seguros mariti nos e terrestres
A agencia desja companhia toma s< guros mari-
liraos e terrestres, a premios ratoaveis, dando no*
ultimososolo hvre, eosetimoanco eratuitj ao
segurado.
Feliciano Jose Gomes,
___________________A genie.
RelacSo das enrtas que ioixaram de seguir
a seus destinos por falta de franquia
i A/JnGnmf'l Xl'""' *M*w Correia, Anicvio
Jose de Brito, Ojiiingos Krauoisco Rios, Francl^o
Sales Mendonga Silva Carvalho, Prancisco Xavm
ferreira, Joaiimm Antonio ieira da Silva Joa-
quim Jose Mcrqnes Guimaraes, J-.ao Mecdes'd*
Aranjo, Josd Ml Barreto, Maria Segnndo, Maria"
Thereza, Manoel de Cerqoeira Pinl.i, Manoel \n.
nes Parreira Pherezade Jesus Minhava, Theoton-'o
Augusto de Lima. aanm">
Correio de P-jrn.imbuco, -il Oe noveml>ri
de 1874.
0 en',arregado da expedicao,
A. If. de Araujo Per,iamb>, 9,
Monte Jfio Fortuguez era
Pernambuco
Tendo fallecido no dia 1 do cor-
rente, em Portugal, o nosso presti-
moso consocio Francisco Moreira
Pinto Barbosa, a directoria desta
pio estabelecimento manda resar
u-ua missa por sua alma, ua igre-
ja de S. Francisco, no dia 30 (se
gunda-feira) trigesimo dia do seu p ssamento
pelas 7 1|2 horas da manha, para cujo acto con-
vido a todos 03 socios, assim como ao- parentss e
amigos do fallecido, para que comparecara no dia
e bora acima indicados, a este acto de caridade.
Secretaria do Monte Pio Portuguez, 26 de no-
vembro de 1874.
0 1 secretario,
______ A. da Maia Pessoa.
ADMINISTRACAO HOS COIiRElOS DE~PE'i:
NAMBUCO, ifi DE .\,.mEUBRO EE 1874
Uttliis u expdar-se
Pelo vapor nacional Bahia, esta adminisira
expede malas para os portos do norte, ha^e 28
turexa, e cartas a renstitr, ale 2 horas da tarde.
cartas ordraanas ate 3 hora*. e b*m ate 1 li*
com porte duplo. '
0 administrador,
^^^^^ Alfonso do Rcgo Barros.
n iiAMATic.4
Domingo 29 do corrente.
Irmandade de Santa Cecilia.
Por ordem do nos;o irmao juiz convido todos os
nossos irmaos professores. para comparecerem no
consistorio da nossa irmandade, no dia do ningo
29 do corrente, pelas 10 horas da manha, allra de
se reunirem era mesa geral, para proceder-se a
elei-ao da mesa que tem de reger o anno de 1874
a 1875.
Recife, 26 de novembro de 1874.
Bento da Silva Ramalh \
Escrivao da irmandade.
Beneflcio do actor Pontrs
FIIHO A C.
subiraascena <. applau lido drama em
tea de Camillo Catello Branco, intitulado :
tiZ-
% de Deus.
Segue sc scena comica pelo beneficiado :
O Sr. Bento dos pontinhos.
Terminara o espectaculo com a maito iocoa
coraedia era 1 a;to : ^^'
0 caixeiro da taverna.
Principiara as 5 l|2 horas.
Fumo, etc.
a 25 2:965*524
627*991
Rendimento de 2
'dem do dia 26
Vinagre, etc.
a 15 1:581*008
*
3:593*515
1:581*008
^OViMENTO DO PORTO
26:190*069
Tbesonro provincial de Pernambuco, 27
de novembro de 1874.
0 escrivao,
J. C M. da Silva Santos.
Baoco Commercial de Braga.
forge Tamo.
- aTpjr^to*rD^fi&^1^M 37~Rua do Amorim37
flcMiva recompensa : entreunto, o Club, na eflu- ra & C. Gn!*,V9S Fem"- S*6" ^qaer quantia a praxo on 4 vfeta .o
bre este Banco on suas respective agendas na?
Ratios entrados no dia 27.
MaraphSo e escala-13 dias, vapor nacional Gi-
quid, de 223 toneladas, commandante Mariini
eqnipagem 30, carga algodao e ontros genercs:'
a companhia pernambucana.
Parahyba12 horas, vapor brasileiro Mandahi
de 222 toneladas, commandante Marinho, equi '
pigem 16, em laatro ; a companhia pernambu-
cana. '
PofnLd0 ,u,,":6.|l2 dia*. vapor nacional Bahia, de
1,999 toneladas, commandante 1 tenento Wad
dington, equipagem 57, carga varios generos ;
a Pereira Vianna & C.
Rio Grande do Norte- 5 dias, byate nacional Flor
do Rio Grande, de 42 toneladas, capitao Miguel
Archanjo da Cota, equipagem 5, carga assucar;
a AnMlo da Silva Campos.
Mfvins sahidos no mesmo dia.
Portos do snl-Vapor brasielro Para, comman-
dante 1- teneote Carlos Antonio Gomes earca
varios generos. "
Liverpool-Barca inglexaj Olinda, capiUo Prow-
se, carga algodao e assnear.
COMPANHIA
DO
BEBERIBE.
0 Sr. .orbeniano de Aqumo Fonseca,
caixa da companhia do Beberibe, acha-
se autorisado a pagar no' seu escripto-
rio drua do Vigario Tenorio n. 19, das 10
boras is 3 da tsrde, o 53 dividendn desta
companhia findo em 31 de outubro do
corrente anno, na proporeao de 3JW00 por
apolice: previne-se aos Srs. accionistas
que o pagamento sera' realisado em moeda
de cobre.
Escriptorio da companhia do Beberibe,
14 de novembro de 1974.
0 secretario,
______Luiz Manoel Rodrigues Valenca.
.N0VISSI.M0
Apparicao e desapparicao de uma menint
de 14 annos, que bebe, come e falla com
o especUdor.
0 professor Gris dAppremont tem a honra da
parlicipar ao respeitavel publico desta <>idade, qua
cue essa verdadeii a maravilha, que agradonex-
traordinariarrente nio so nha, como na lulia, e ontros paizes onde tem
estado. As familias nao devem perder a oceaia:>
de ver objecto Uo curioso.
RUA DA IMPKRATRIZ S. 1
Entrada 1:000 por pessoa, e 600 rs por
crianca.
AVISOS MARITIMOS,
Peio consulado provincial se faz puuiico que
no dia 30 do corrente finda-se o praxo marcado
pelo Exm. Sr. presidente da provincia, para ter
execucao os arts. 78 e 79 do regulamento de 6 de
abril ultimo, que deierminam qae os generos im-
port dos de outras provinces por via terrestre
deyorio ser acompanhados para prova de sua oro-
cedencia, de am. guia do proprietary, e por elle
assignada, da qual conste deciaradaaiente o Inwr
d..on"e y.em o generos, quaes seiam elles, a quan-
COMPANIIIA PERNAMBUCANA
DE
IVaveaxacao costeira a vapor.
Macei6, escalas, Penedo e Araceju'.
0 vapor Mandahu,
commandante Marinho
segoiri para os por-
tos adman* dia 30
do correate mez, as 5
_ boraa d tarde.
Recebe carga ato o dia 18, eocom aoodas, di-
nnelro a Ireie e passageos ale as 2 boras da tar-
de do dia da sahida : schptorio no Forte do
Mattos n. 12.
tidade do, volume,, marca defl" e o nomVdo Loyo 4 FHho
Companhia olllone* anaririuia
portnenoe
Empreza de navega^ao entre o Bresil e Pot
tngal
PARA 0 PORTO
Barca portuduexa Jm maxima brevidade, recebe carga e passageiros a
tratar com os seas consignatarios lost da Silva



Olario de Pemambuoo Sabbado 28 de Novembro de 1874,
Gompanhia anericana e brasileira
de paquetes a vapor.
No dia i de dexembro
e esperado dos porios
do sul ovapor ameri-
eano Merrimack, com-
mandante S1 o c n m,
oqual depots da de-
mon do costume seguira pan New York eom es-
cala pelo Para e S. Th anaz.
Para passagens Irata-se eom os agente*
Henry Forster it C.
8 Rua do Comraercio 8
Libras eslerlinas.
Vendem Augusto F. d'Oli-
veira & 0.
Rua do Commereio n. 41.
Na porta da alfandega.
0 agente Pinto, levara a leilao, no dia e hora
acima duo;, a requerimeuto dos respectivos con-
XG??:U^,?, n5 a81' resmaa de papal, como
MX) barnqurabas de bolacbinhas araericanas, exis
tentes no trapiche Conceicao, e avariadas a bordv
do patacho araericano Ernest, com licenca do Ulra
Sr. inspector da alfandega, em paesenca do um
empregado da mesma reparlicao para o flm no-
meado, e nor conta e risco de quern nertencer.
LEILAO
Pernambneana.
Porto do Vraeaty.
A carga que de hoje em diante for embareada
nosyaaorea da Companhia Pernambucana com
destino 10 porto do Aracaty, sera entregne na ci
dadedo mesmo nome, sendo transportada da bar-
ra, (onde os vaporea costnmam fundear), em lan-
ctoas de propriedade da mesma companhia, inde-
pendente de qaalqaer exigencia de pagamento
por este service
Da mesma f6rma sera transportada a carga
qne for embareada no porto do Aracaty
quaesquer outros portos da escala.
Recife, 16 de novembro de 1874.
DA
armacao, generos e pertencas da taverna da
rua do Rangel n: 77, esquina do merca
do novo.
qnal tern 3 salas de (rente, 1 para jantar, 4 quar-
tos, grande eoiinha guarnecida de azolejo, com ja
nellas em ambos os oitoes, i porta e 4 janellat de
frente E-sa casa qne possiie elegancia solidei, 6
joranletamente nova e falta Hie apenas o ladnlbo
de daas salas e pintara.
Uraa peqaena casa terrea edirkada em solo pro-
pno, em a rua do Coronel Suassuna (antiga Au-
gusta), n. 223, com 2 salas e 2 quarto*.
Um terreno de marinha na rua Imperial, sob a
ilJ, com 40 palmos de frente e 260 de fundo, eon-
tendo alicerce para nma casa.
Os Srs. pretendentes podem desde ja examinar
os referidos bens, e para qualquer esciarecimento
de que precisarem, a rua do Marquez de Oiinda n.
37, escrptorio do referido agente, se dara.
. GRIADO.
Precisa se de um criado para trabalhar em nm
sitio e andar com carroca : a tratar na rua de
Marco n. 14, loja.
Altencflo.
Permuta-se
para
Em lotes
Hoje
0 agente Martins fara leillo, em lotes, a vonta-
dedos compradores, d'armacao, generos e porten-
ded? Sena? aC"Da' a QUal 8e acha muiW soni"
A's 11 boras da manha; taverna n. 77.
Grande
1MLM
LEILAO
DB
DE
Para o Macdo
Pretende segnir com muita brevidade o palha-
bote national Joven Arthur, recebe carga e pas-
sageiros : a tratar com o sea consignatario Anto-
nio Law de Oliveira Azevedo, a rna do Bom Jesus
n. 57.
Para o Rio de Janeiro
pretende segair com murta brevidade o brigue
Isabel, tem parte de sen carregamento engajado
para o resto que lbe falta, trata-se com o sea con-
signatano Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, rua
do Bom lews n. 57.
Costa Segne da Babia em 30 deste mez, para o porto
de Onnira, na Costa d'Africa, a barca portngneza
Josephina, tendo bons commodos para passageiros
M conipankia de paquetes in-
glezes a vapor,
Nofoa 28 do ecrrente espera-se dos portos do
f*i 222 !.g!fz Douro' commandant! Twaites,
ISSLmiE!! ?* demora d0 C08,aroe. segnrra para
LjSbS ,ocando "os Portos de S. Vicente
fSt'SSSUTk^ trau-se ni ageQCia
Para Lisboa
^aar.C0,2 maita brev' ccimilnl?6 Carn-la e Pasaae'^ : trata-se com
Teiloes:
INovo leilao
DAS
armagoes, moveis, drogas e mais utensilios
existentes em a botica denomioada Popu-
lar, sita em a rua da Imperatriz n. 71,
pertenoentes & massa fallida de Goncalves
Fialho d C.
yuinta-feira 10 de dezembro
A^ H HORAS DA MANH>,
o agente Dia, competenteraente autorisado pe-
io Him. Sr. Dr. jniz especial do comraercio, levara
novamente a leilao, no dra e hora acima indicados,
as armacoea, moveis, drogas e mais utensilios exis-
tences em o referido estabelecimento.
Oman dado contendo tcdos os esclarecimentos
precisos acha-se era potier ao mesmo agente, onde
pode desde ja ser examinado pelos Srs. pretenden-
LEILAO
DE
5io palmos de terreno do sitio Agr.asinha a no
Porto da Madeira, em Beberibe. na estrada que
vai a cidade de Oiinda, pelo Forno da Cal, do
qcarteirao de 1,040 palmos, em segnimento ao
terreno veodido a Antonio de Soaza Rego,
rados por ama estraia.
HOJE
bons moveis, crystaes, lou<;a de porcelana,
1 faqueiro de prata de lei, pecas dobra-
das, object')! de electro-plate, e outros
muitos objectoj em perfeito estado, e 1
carro americano de 4 rodas, com pouco
uso.
DOMINGO 29 DO CORRENTE
aslll| horas
no sitio da povoacao do Caxanga
A saber :
Sala de visits.
Um piano de jacaranda, do fabricate Acbroder,
1 rlca mobilia de fata, a medaihao, composta de 1
sofa, 12 cadelras de guarnicao. 2 dite-s de bracos,
2 ditas de balanco, 2 coosolos com tampo de pe-
dra, 1 cadeira de rdsca, I porucbarntos, pares
de esearradeiras, 4 pares de jarres riqaissimos 2
ncas serpentinas de electro-plate, pares de lanter-
nas. bolas de vtdro, tapetes graniles e pequenos,
descancosdepes, porta-cartas de pedra, diversos
quadros symbolicos, t candelabro de electro-nl*e
para 6 luxes.
1 quarto.
Uma cama de jacaranda, em perfeito estado, I
nca toilette de jacaranda, com tampo de pedra e
espelho, 1 toucador de mogno, com pedra, 1 lava-
torio epertencas, I bidet, 1 perta-agua eicabi-
des de faia.
2 quarto.
Uma cama de ferro, com molla, que serve de
cadeuv, 1 guarda vestidos de amarello, 2-cadeiras
de balanco, 2 ditas de ferro, 1 banquinha de ama-
rello, I cabide e 1 cama para crianca.
3 quarto.
Uma commoda de amarello, 1 lavatorio e per-
teneas, 1 cama de ferro, 6 cadeiras de guara cao e
2 cadeiras de balanco.
Sala de jantar.
Um guarda-lonca de raiz de amarello, 2 apara-
dores, 1 mesa elastica, 1 rica caixa de charao, pa-
ra cba, 1 apparelho de porcelana fina para cha, 1
dito dito para jantar, 4 garrafas de crystal para
vicho, l frucieira de crystal, 2 ditas t electro-pla-
te, 3 pares de compoteiras, calices para vinbo, di-
tos para champagne, copos, galheteiros de electro-
piate, 1 sofa de palba, 6 cadeiras de dita, 2 cadei-
ras de balanco de dita, 1 fructeira de pedra, 1 re-
logio de parede e despertador, e cadeiras avulsas.
Cozinha.
Um armario de cedro, I mesa de amarello, 1
jarra de barro da Bahia, deposito para gaz, 1 fo-
gareiro e diversos-tr-ns de cozinha, e ontros mui-
tos outros artigos domesticos, que se acbam pa-
tentes no dia do leilao.
Tendo de mudar de residencia o Sr. Joao Anto
P' Monteiro, por sua ordem fara leilao o agente
Pinho Borges, dos moveis e mais artigos acima
mencionados, nacasa era que re.-idia na povoacao
de Caxanga.
Os referidos moveis e objectos sao recomraenda-
veis por serem de gosto e pouco usados.
O mesmo agacto avisa aos coDcurreoies quo de-
pois do leilao havera uraa companhia de gauha-
dores para facilitar os transports de seus loles.
A's 10 1|2 boras da manha partira nm trem es-
presso que conduzira gratis os concurreutes.
0 leilAo principiara logo que chegue o trcru.
moveis, lino crystal, louca e ob-
jectos da electro-plate
Sextafeira 4 de dezenton
Sato:
Sala de visita
Um piano forte, ama mobilia de jacaranda, com
1 sofa, 2 consolos com pedra, 2 cadeirss d; bra-
cos e 12 de gaarbieSo, quadros com Unas gravu-
ras, Uncas e cortinados, venezianas, 6 cadeiras de
balanco, 2 mesas de sofa, 2 ditas redondas, e estei-
ras forro das salas e quartos, 2 consolos de jaca-
randa cuii pedras.
Sala de jantar
Uma mesa elastica, 1 guarda loaca, 1 apparador
de armario, 2 ditos torneados, 1 guarda comida
de arame, 2 cadeiras de balanco, i relogio, 12
de puarni ;ao, 1 tapete de edeo, 1 flltro, 1 appare-
lho de louca para jintar, I dito para cha, 1 dito
para sobre mesa, 1 apparelho de electro-plate, 6
duzias de colheres, 3 dnziasde facas cabos de mar-
Gm, garfos de metal, 1 galheteiro, copos, calices,
garrafas, compoteiras, bandejas, toalnas de mesa e
guardanapos de linho, um relogio, e l cabide para
cdapeos.
Quartos
Uma cama franceza, uma dita de bronze para
2 pessoas, 1 dita de ferro parasolteiros, com mod as
mesas redondas, mesas com gavetas, guardas roa-
pas, cspelhos, lavatorios, cafaides, cadeiras, e qua-
dros.
Cosinha e dispensa
Mesas de pinho, flandres, notes, trem de cosinha
e outros objectos.
A 1 HORA EM PONTO
Vender-se-ba tambem um rico guarda ronpa
com espelho na porta do meio, 1 magnifico toilet
e 1 bom lavatorio crm tampo de pedra, tudo de
mogno massico e era optimo estado de conserva-
cao:
Sexta-feira -ft de dezembro
POR INl'ERVENCAO DO AGENTE PINTO
Na Passagens da Magdalena, casa junto a pon-
te grande, em qne moravam os empregados da ca-
sa commercial de Phipps Brothers A C..
As 10 horas e lo minutos partira da estacao da
rua do Brara um bonds que conduzira gratis o
concorrentes do leilao.
0 leilai principiara as 10 e meia ho
por uma carroca que esteja em bora estado, ura
carro de 4 rodas tambem era bom estado : na rua
de P. Maria Cesar n. 4.
Precisase de ama para cozinhar
mazetn Baliza, rua do Livramento n. 38.
no ar-
AVISO
a rna do Queiroado n 43 tem uma carta para
os Srs. Guerra & Baptista, pedese aos raeiraos se-
nnores qu6 a raandem buscar: faz-se este por ig
norar se a ana rtsidencia.
Frecua-se alugar uma esorava cozinheira
na roa da Imperatriz n. 15, 2 andar.
Alaga-se uma boa casa com excellentes com
modos, a rua do Coronel Suassuna n. 169 : a tra-
tar na mesma rua o. 171.
Leiam todos
^S3
sepa-
.'ts II t|'d horas
Por intervencao do agente Pinto
Em seu escriptorio, a rna do Bom Jesus n. 43.
LEILAO
Be sitio do Salgadinho it. 5.
com boa casa de moradie
noji:
0 agente Pinto levara a leilao, a requerimento de
D. Alexandria Maria do Sacramennto Pereira in-
ventariante dos bens deixados por sea marid'o e
por despache do Illn: Sr. Dr. juiz da { vara do ci-
vel, o sitio do Salgac ,ho n. 5, o qnal sera vendi-
doparapafcaraento djscredores, as 11 horas do
dia 27 do correnje, no escriptorio do referido
agente, na rua de Bom Jesus n. 43.
LEfil0~
Em continuacao
DE
2 casfca terreas sitas a rua Vinte e Qaatro de Maio,
antiga travessa da Cadeia Nova, ns. 37 e 39, com
as seguintes commodidades : 2 salas, 3 quartos,
cozinha fora, quintal mnrado, cacimba e cam-
iirone, servindo de base a offeria de 4:3CO000
pelas duas casas, as quaes reudera mensalmen-
i78SOO cada uma.
as 11 boras
Nocsoriptorio da rua do Bom Jesus n. 53,
primeiro andar.
0 agente Pinho Borges, banstante autorisado
vender* as re/eridas casas por conta e risco de
i;uem pertencer, e qaalquer esciarecimento, com o
ir.eemo agente.
Quarto e
Ultimo leilao
DOS
bens e dividas pertencentes & massa fallida
de llostron Rook & C.
SEGUNDA-FFJRA 30 DO CORRENTE
as JI hunts da manha
Em o 1 andar do sobrado da rua "do Marquez
de Oiinda n. 37.
0 agent* Dias, levara pela 4'e ultima vez a leilao,
por despacbo do lllm. Sr. Dr. juiz especial do eom-
uiercio, no dia e hora acima indicados, os bens e
dividas pertencentes a massa fallida de Rostron
Rook & C.
Os oireitos que teem os referidos fallidos no do-
mim'o e posse dos terrenos de marioha, sitos no
Caes do Ramos, e aforados perpetuamente ao con-
selheiro Felippe Lopes Netlo, terrenos avaliad.s
todos em 36:6245600.
0 direito que teem n'uma casa e sitio no largo
da igreja da Torre, tendo a frente para o norte
com 200 palmos, e o fundo para o sul com 800, fi-
cando eolre o sitio do Sr. Gamier o a propriedade
da familia do Barao do Rio Formoso, aval^ada oor
3.000000.
E as dividas na iraportancia de 273:427882.
O mandado em o qoal se acham deecriptos os
devedores corn as respectivas quantias e datas dos
venciraentos dos titulos, e todos os mais esclare-
cimentos precisos, acha-se em poder do agente, on-
de desde ja pode ser examinado pelos Srs. preten-
dentes.
DE
JOIAS
No dia 3 de dezembro proximo, se fara leilao por
intervencao do agente Martins, de todos os penho-
res constantes das cautelas seguintes, visto ter-
se fiado o prazo das transaccSes e seus donos nio
as reformarem.
A saber:
1502, 1503, 1565. 1583, 1784, 1835, 1868,
2050, 2091, 2095, 2192, 2254, 2256, 2282,
2397, 2436, 2448, 2458, 2481. 2617, 2712,
2738, 2750, 2799, 2802, 2807, 2867, 2871,
2929, 2943, 2972, 2987, 3007, 3023, 3034,
3045, 3060, 3065, 3076, 3093, 3096, 3H0,
3131, 3174, 3175, 3185, 3190, 3193, 3194,
3197, 3205, 3206, 3207, 3211, 3213, 3218,
3223, 3227, 3234, 3235, 3242, 3250, 3251,
3260, 3262, 3265, 3273, 3277, 3280, 3285,
3293, :i298, 3300, 3304, 3309, 3312, 3318,
3321, 3326, 3327, 3334, 3339, 3341, 3354,
3366, 3373, 3384, 3394, 3397, 3399, 3406,
3410, 3413, 3419, 3432, 3444, 3460, 3468, 3480,
3493, 3300, 3508, 3517, 3527, 3529, 2333, 3333,
3336, 3572, 3379, 3389, 3596. A' travessa da rna
do Duque de Caxias n. 2, I' andar, podendo di-
tas caulelas serem reformadas, pagarido <> premio,
ou resgatadas ate o bater do marUllo.
Carles Walter, antigo e bem conhecido relo-
joeiro desta praca, scientifica aos seas numero-
sos rreguezes e amigos desta e de outros pro-
vinces limitrophe*, e ao illustrado pablico em ge-
ral que (endo mudado o seu estabelecimento da
rua da Imperatriz n. 18, para a casa n. 17 da
mesma rua, confronle ao antigo estabelecimento,
ahl se acha prompto para exe:utar quaetquer
obras de relojoaria e mecbanica ( as mais dim.
cultosas) como sejam, concertos e obras novas
em qaalquer relogio de uso common), e chrono-
metro de algibeira e maritimos, e o respectivo
regularaento destes, caja exactidao garante dan-
do como penhor a sua reputacao de artista (que
tem-se esforgado ate agora em manter illeza,)
e bem assim encarrtgase de qnaesquer con-
certos em instruments de pbysica, para o que se
recoramenda aos 111ms. Srs. engenheiros e ca-
pitaes de navios mercantes e de guerra. Avisa
a seus fregaezes do interior, e de cntras provin-
cias, que qaalquer obra executada em sua casa,
quando a receberera sera accompanhada de um
recibo e sea carimbo collocado na caixa de sen
relogio afira de evitar enganos, como garanlia de
ditas obras serem executadas pelo mesmo annun-
ciante. Os prejos serao os mais modicos possi-
veis, e se observara toda presteza! na exeencao
do trabalho.
Alaga-se uraa casa com sotao, na rua da' Boa
Hora n. 6, era Oiinda : a tratar na rua dos Gua-
rarapes n. 10. on em Oiinda, no Varadooro n. 4.
0 padre Francisco Alves de Abrame* convida
aos parentes e amigos dj Ha ado commendador
SS.TO e"e,r* P8ra. no dia de deiembro,
n!u,,ihorV da maah4! "Sitir'n mi,
que pela alma do mesmo finado, tem de celeb'ar
no recolhlmento de N. S. da Gloria.
Alexandre de Souza
Carmo.
Um aailgo do finado Dr. Pereira do Carmo roaa-
tt reear uma missa pelo eterno reponso de alma, na Igreja da Graca, na Capnnga, sabbado 28
do corrente. a^ 8 horas da manhi.
rec.sa se de um caixeiro com alguma pra-
tica de taverna : no pateo da Santa Cruz n 12
PpODGlDO.
Fugio no dia 11 de ontubrn proximo passado o
escravoJos6, mulato, altura e corpo regulare-
pernas arqueadas para fora, pes chatos, falta de
denies na frente, levou camisas brancas e de al-
godao de Iislras, calcas de casemira e de algodao,
chapeo preto de fellro. Este escravo ja foi peeado
no engenho Carrapato, termo do Rio Formoso, e
de presnmir que tomasse o mesmo destino : roga-
se as autoridades polici-es e capitaes de campo a
sua apprechenso, e leva lo a rua D. Maria Cesar,
oun-ora Senzala Nova, n. 30, ,tue se graiificara.
_Qufm precisar de um official de machinista
ferreiro com as habilitacSes necessar^as paia qual-
quer trabalho tendente a ferro ou metal, e tomar
conta do manejo de engenho, sendo fora desta pro-
nincia, pOde dirigir se a rna larga do Rozario n.
zj que achara com quem tratar.
ATTEMCAO
Precisa -aeblU? ao Sr. Maiwel de Si^neira O-
valcante Junior, na rna doMarqoez de Heral c
14, a negocio de parti-.nlar interesse.
Aos Srs fumanies
^ Fumo desfiado de diversas quali-
ty dades.
^ Nuvo C-jpora*.
9 Olbo de Passa.
g, Flor do Rrasil.
9 Verdaleiro Rio nova
jji Verdadeiro fnmo de Goyai
W em pacotes e latas de 2, 4 e 8 oaqif,
rem composicao alguma nociva ao fu-
sf> mador, manufacturado, e a venla na
JB& fabrica a vapor, na antiga rua do
^Bfi Quaitel de noiicia n. 21.
Fugio
1008000
Aluga-se pelo tempo da testa, uma casa muito
fresca, na rua de S. Pedro Novo n. 39, em Oiin-
da, com duas grandes salas e 4 quartos, cozinha
e quintal murado, com agua canalisada : a tratar
no Recife, rua do Livramento n. 3.
!!!
a mao mm
Cozinheira
Precisa-se de uma boa cozinheira, paga se bem :
na rua do Barao da Victoria n. 44, loja.
N.
1936,
2342,
2737,
2896,
3037,
3149,
3195,
3220,
3251,
3288,
3320,
3358,
Engonimadeiras
Para casa de familia precisa se de duas boas
engoramadeiras que entendam de costura e en-
saboado.paga sebem : no Mangninho, sitio n. 2,
com portao de ferro e rouro cinzento, antes da rua
da Amizade.
Engommadeira.
Precisa se de uma engommaderra para engom
mar para duas pessoas : a .tratar na travessa da
rua do Vigario n. 1, das 9 horas as 4 da tarde, ou
no segundo sitio, depois da estacao do Chacon.
Aluga-se
I '. >-. n ?>*
VERSO
s
Aluga-se
a casa de azclejo, na rua da Alegria n. 8, com
bons.commodos para lamilia : a tratar na rua da
Santa Cruz n. 7.
Monteiro
LEILAO
DE
Terceiro
LEILAO
*DAS
iividas activas na importancia de........
8:0739502 pertencentes a massa' fallida
de Paulo Fernandes de Hello GuimarSes
inclusivamente 3 lettras
HOJE
A's II horas e 1[4.
No escriptorio, a* rua do Bom Jesus n. 63
primeiro andar.
Por mandado do lllm. Sr. Dr. juiz especial do
commereio desta cidaJe, o agente Pinbo Borges le-
vara a terceiro leilao as dividas activas na impor-
tancia acima declarada.
Os Srs. pretendentes podem desde ja vir exami-
nar a iista dos devedores da mesma raagsa no es-
cnptorlo aeima iodicado
liftlljjLO
DE
100 barricas com bla..hinhas H 1,000 res-
mas de papel Jh oiobrulbo (com avaria)
ao ;neio dia
um piano de jacaranda", moveis, louga
mais artigos
TERCA-FEIBA 1 DE DEZEMBRO
A's.l I horas da manha
Em o | andar do sobrado da rua do Marquez de
Oiinda n. 64.
0 agente Dias, competenteraente autorisado por
uma familia que inudou de residencia, levara a
leilao, no dia e hora acima indicados, os movei9 e
mais artigos qae abaixo se mencionan
A saber;
Um piano de jacaranda, 1 mesa elastica de ama-
rello, 1 armario de dito, envidracado, 1 jardineira
de jaqueira, 2 bancas de dita, para iogo, 12 cadei-
ras de guarnieao, I arcatifa para sala, 1 barome
tro, I relogio de parede, 1 etager de jaqueira, 1
aparador de amarello, 12 quadros eom moldnra
dourada, 2 banquetas, 1 dita com tampo do pedn,
para pe de cama, 1 optima cama de ferro com
colchao, 1 machin- para costura, 1 qnartinheira,
1 lavatorio de amarello, 1 guarJa roupa dedito,
1 consolo, tampo de pedra, guarnicSes para lava-
torio, alguma louca, camas de ferro e lona, e mni-
tos outros artigos pertencentes a casa de familia.
LEILAO
DE
Uma casa terrea em Sant'Anoa.
Uma pequena dita era a rua do Coronel Suassuna.
um terreno de mariuha uarua Imperial.
Quarta-feira i" de dezembro
A's 11 horas da manha
Em a rua do marquez de Oiinda n. 37, l andar.
a saber :
0 agente Dias, competenteraente autorisado, le
vara a leilao, no d-a e hora acinn ind cadoa. uma
terrea edillcada em terreno rendeiro,
Aluga-se per festa ou anno a casa que fbi do
fallecido Custodio, alia e bastante fresca, cam por-
tao de {erro na frente e peqaeno terra^o ao lado,
alguns arvoreios de fructo e portao que da sahida
para o rio, a qaal se acha pintada e em estado ae
ser occupada sem mais despeza : a tratar na rua
Duque de Caxias, loja n. 70, ou roa do Hospicio
numero 46.
Aluga-se a casa da rua do Visconde de Pe-
lotas, antiga rua do Aragao n. 18, com 2 salas, 4
quartos, conedor separado, cczinba, bom quintal,
portao, e mais um quarto no quintal : a tratar na
rua da PouieVelha n. 20, das 6 horas da manha
as 9 em diante, na rua do Commereio n. 18, a tra-
tar com o pr ipriotan j Domingoa Pereira do Lagos.
Quem precisar alugar uma escrava de
5 aoni que compra e cozinha o diario
de uma casa:, dirija-se a Soledade n. 92; igualmente
um mnlatinho de laannos para eopeiro, na mesma
casa.
Precisa-se de uma ama que lave
e eogomme : na rua do Coronel
Lamenha outr'ora Prazeres, junto a casa dos
dons leoes, casa de azulejo.
Um escriptorio no primeiro aodar da rua do
Commereio n. i : a tratar no armazem da mes-
ma casa.
Attengdo
A's oito horas da noite de 26 do corrente, a rua
da Imperatriz n. 59, loja de ourives, foi apresen-
tado paraavaliar umbrilhante, cujo valor desper-
toa desconfianca a pessoa a quem foi offere-
cido. Sendo inierrogado seu conauctur este pres
cindindo de informacoes, disse que ia chamar
seu paasnijcr. A pessoa i|uuse ji>t>;ar com direilo,
compareca a loja acima, conhecido por Caroade
Ouro, que dando signaes convincentes, II e sera
restiiuido.
\os senhores
pintores.
Oleo de linhacsi a 18800
og,
No armazem de tintas
dor n.
;)
da rua
22.
do Impera-
Negrinha
Prccisa-se alugar uma negrinha para carrcgar
nma crianca de M raeze? : na rua do CotoveUo
n. 129.
Ama
MA
Precisa-se de um escravo de meia id*de para
servico de sitio : na rua do Marquez de Oiinda
a. 18.___________________________"______________
Precisa se de uma ama para cozinhar
para casa de familia de ires pe
a entender-f e na rua do Cabuga n. 3, loja ssoasl-
lar de Ouro.
AwooiTA5lo: PARIZ, Si, boblbtart Mostmabtbb.
PA8TILHA8 DIGE8TIVAS fabricadas em Vi-
chy com os Saes etlraidos das Fonles. Sao de
gosto agradavel e a sua accao e certa contra a
Azia e as digestOes difficeis.
SAES DE VICHY PARA BARHOS. Um rolo
por um baoho, para as pessoas qua nao podem
ir a Vicby.
Para evitar as imi la files
exigir em todas as productos a marca do
CONTRHSTE 00 EST1D0 FR'NCEZ
- Alaga- e a s,-,la e alcuva .io l. andar e mes-
mo tedoo andar, proprio para esc;;.,tnfio cu
peqaena familia : a tratar na rua do Duque do
Laxias na loja n. 32.
Nao ha mais rabello?
c
Fl7
Os productos de acima acb3o-se :
Em Pernambuco, HARISMENDY a LABILLE,
9, rua do Commereio. g
FUNDA ELECTRO-MDICAL
1NVENQA0 PRIVILEGIADA PARA IS ANNOS
para cure ucpiuiAQ dosdontores MARIE
radical das ricrxlalMO lrmaos,medicos lnventorea
44, rue derArbre-8ec,TABl8, Vai accompan-
hada da uma noticia.
Deposito em P Tintura japoneza.
S6 e unica approvada pelas a.>aJemias de
sciencias, reconhedda superidr a toda que
tem apparecido alo boje. Di; osil i priaei-
pal a* rua da Cadeia do Recife, boje Mar-
quez de Oliuda n. 51, | andar, e en todas
as boticas e casas de eabelleireiros.
Precisa se tomar a premio de .j'a 6 contos
de reis, com hypothi-ca em am predio qae r\'e
o dobro, nos suburbins desta cidado : a traUr na
rua da Coneeicao, na Boa Vista n ;s das 7
10 do dia e das 2 as 4 da tarde.
as
Aloga-s
Ama
Preclsa-se de uma ama que cozinhe e com-
pre : na rua da Concordia n. 43._______
Ama Pfec'8a-?e de uma ama que saiba en-
*** goramar com perfeicao para caea de fa-
milia : a rna Duque de Caxias n. 91.
Precisa-se alugar uma escrava para vender
na rua : a tratar na rua do Cabuga n. 3, 2* andar
Preeisa se de uma ama para cozinhar : na
ravessa do Corpo Santo n. 23.
Precisa-se de uma ama escrava de boa eon-
ducta, para todo o service de u ca casa estran-
$eira de pouea famiiia : a (ratar na roa da Auro-
ar pjjjg _____________
Precisa-se de uma ama para
coziabar e tazer algumas com-
prai: na rua da Senzala-nova
n. 30.
Ama
Ama Precisa-Se de uma, prefere-se escrava,
"" que saiba cozinhar e eogommar, para
casa de duas pessoas, paga-se bem : na rua do
Amorim n. 43,
de mai: a rua
Precisa se de uma mnlher
de bons costumes, para tra
(ar de duas meninas orphas
Duque de Caxias n. 54
AMA "preC'sase de nma ama que saiba co-
f"a "ohiT, preferindose escrava : a rua
do Duque de Caxias n. 43, primeiro andar.
Uma cozinheira franceza
que falla o allemao e entende o portogaex, se offe
rece para casa de familia : a tratar no hotel Al
lianca, rua do Comraercio n. II.
Rjn,'GirasB, cmo e trigueiro
DECnF-IBIER
Cnrallrirn de Ltgtoo de Honra, Official do
HerfjidU's Crimncndadordaordem a?lsa-
M a CathoHea.
Ovf.-o cir ii mmtancias balsamicas que aiada aug-
.ri'st.lo .';.-: suas proprindades tbcrapeuti-
Ciisao msmotfipo queotornftoagrada-
vel ao tomar e.
O sem*or ijhevrier completou a ana
deaeoberu Msociapdoo Iodureto de ferro
an M>n olM rl. fijrailo d". Baca'hau. Este
ui-auiIi- 'Xgstdo iionl?iR'.i ft-i-figi
so oossui io'iw nt> sioniiedades do oleo
9. Ac ferro. Piie A'cif ilig^stSo e nunca
enrsa pris'c do M)tr.
Tndafc o ^olebndades rnnlicas o pre-
terftrt as cutra'j prpparaoCea ferrugino-
us. Co'ivpni em todo of easo em que
sppmpi' :-;> i) iViro : Tiuiea iiulmonr,
Bronrhtl. a, Rn< Iilttsmu, Kscrofulaa,
Emplsjcii". pepata, "onr::l(-e!>iip:i.i itrmoradM e
Frnqiu-zn le cttitatitulrao.
DBPoaiTO paris: Piiaim. CHEVRIER
21, faubourg Jlontmarlre.
Na mesma Pharmacia achio-se o Vijiho
b Euxpi de Coca, oxcellentps prepara-
coet tonicas. Os granulos de Bismuth
wii7ipnln! enntra n djarrhpiu, Ivsen-
duas casas na Tone, maim freseas, ( .:. nma tem
2 salas, 3 quartos grandes, eozi
quar'o para criad i: a trat no por;
na Capunca. n 32.
Ln-a e
Laase re,
Aluga-se
o armazem da rua dos Burgos n. 11, e o !. andar
do mesmo sobrado, assim como nm quarto da rna
di Sanzalla Velha. (Becco Tapado) e nma outra
casa na travessa do Mooteiro, em Saoto Antonio,
o. 2 : a tratar na rua da Piaia n. 20, com Jos*
Feliciano Nazareth.
wsncdi eunicdua em terreno rendeiro, em I im-ia 9-9ona i^.^. .-t;--------------------
Sant'Anna, seganda. de gradil e portao de fer-o n rea e Sa SL? I, an8nm8 S w'
frente, depois da estacao desso rowmo nome, a/3 laa^J n 86. na rV do C.ro
GRAHOLOS AHTIMONIAES
or. PAPILLAUD
Kotii madicaclo caatra at m.leiuaa do cora-
i*Zlf!i?*f"*rrho' coquelte*: "''">, etc.
aNULoa ANTiMONiasa PEnnuoi-
NOf contra anemia, Morose, amenor-
r?*9 nnral9,at **r*oia molutiat tscro-
[ phuloiat.
8RANUL0 MNTIMONIAEa FERRUQI-
Noaoa eon biaanth. caatra u moltitiat
\ nrfM, das viu aiaaativu.
WiannacU S. OD8HIEH am Sanjoa, (Cha-
rsBta-InranBara) Rraacia.
MADRER, pharmactotico.
Aluga-sd a ca-a terrea, do aauleio, propria
para negocio, na rua Imperial B. 225, aeabada da
novo : a tratar na taverna \letr.>\ te, o i ni rua de
Paysandii n. 19
Salsaparrilha de Ayer
FARA PCKIFICAR O SAXOCE.
0 renomc de ijuo goza este ex-
celiente remedio e devido a milha-
res de enras que tem operado, mu-
itas das quaes sao verdadeiramente
maravilhosas. Innumeros sao o
casos em que o systhema, parecen-
do saturado dapodridao de enfer-
midades escrorulosas, tem sido
promptamente reatituido a saude.
As affeccocs e desordena, aggrava-
das pela contaminacao escrofulosa,
ale produzirem d6res mortificantes,
6ld0 ,am radical e tam geralmente curadas por elle, em
todos os pontos do Imperio, quo o publico mal precisa de ser
mformado das suas Tirtudcs e do modo de usal-o.
O veneno escrofuloso e um dos mais destruidores inimieoa
da raca humana. Ora, senhor6a-se occulta e traicoeiramenta
do nosso orgamsmoe deixa-o fraco e inerme contra molestia.
faties. Ora, patenteia a infeccao de que corrompeu o coroo
e entao, em momenta opportuno, lavra rapidamente sob |t
K..? Ts,be^?ndas f0Tas- J4 Cl"''s J* nos crams
U^ni, i'm5 CM0 deP"V muitas vezes, tubereulos
nos pulmde.. no figado, no coracao, etc.. quando nSo se man-
uesta em .::(,'9oes, tumores, etc.
mS^ ^"".Pe"'?080 e torn pcrfido nunca se deve dar
IS2T! e P^ye,,i>^ e wmpre mellior do que combattel^
As pessoas que som~m de BryiipUu. Faaa a. a a.
tonic, f^^^sggm^mSSZ^SZ **uT
C7er dornos ossos; MMMta ou Indigesto^, Hydro^.ia,
S2,Mo3 ~3l "J fiwd: ~rirrrLii_.j|T..
rZ^, e *.varias outras afleccoes do ay.themamoacnIa7a
nervoso, acnarao seguro alUvio usando desta 8AZ.SA*4Jl-
A SypHilU ou Molrstias Venereal sSo curadas com o
eu uso, poeto que seja necessario mais dilitado espaco d
tempo para subjugar tam impertinentes enfermidades.
A Zeucorrhfa, ou floret Braneai, as ulceracdes uteri-
nas e em geral as moleatias das mulheres sao tambem allivia-
das e ulteriormente curadaa por sen effeito purificador e
vigorativo. .
i J**m"^"'> e Ootta, quando causados por accu-
muncOes de materias extranhas ao sangue, cedem-lbe facU-
mente, de mesmo modo o Mal de Finado, Cangutao ou
Infiammaeao do Figado, Xeterieia, quando e5o oriundaa
de znaus residuos no sangue. w
A SaJsaparrlllia e nm exceltente itnraar d>
ft>ro e vlj;or do pthema.
Assim, todos OS quo soflrerem Languor, Phlegm*. Be*,
maioe, Jntomnia e que sao incommodados com J
nenamvtt e Temortt AVrtto#o ou qualqucr outra al
prorenieate de DeMUdade, aeharao do sea poder ranem
o mau seguro expedients de prempta cnia. l"~or"uw*'
rREPABADA FOB
J. C. Ayer & Ca, Lowell, Maasn E. U,
C/i(m VB3IfI>B3 SE I0
Aponla para o fiiluro
Ou a futura.....
, Tempo ou occasiao
Em qoe so devem .
Realisar. .
Alguns casamentcs
Para o que. .
Desde ja e ja. .
A confeitaria. .
Do Campos. .
Sem rival. .
Esta se preparando
Para fornecer lado que e
Necessario. .
Aos noivi s e aos. convidados
Isto 6. .
Bouquetes de oovos gostos
Bandejas de n ,vos gostos.
Tudo a capricbo
Dos proprietaries da. .
Confeitaria ilo Campos
24 Imperador 24
E no intuito de merecer a preferencia, r5o tem
poupado despezas para apreseutar
____ 0 que ha de melhor e nunca vi-to.
dixngenho Jaboatao, freguezia de Santo Araan de
Jaboatao, no dia 17 do corrente mez (novembro) o
escravo africano, Jnliao, com os signaes segnin-
tes : 60 annos, pouco mais ou menos, tem alpans
cabellos brancos, baixo, seeco do corpo, peraas
finas, dedos esiprHw e seccos, meio fnlo, caiMca
compn la, testa t^ande, nariz meio afilado, denies
alvcs, lero na s.ila de u dos p*s uma fis'nia,
levou camisa de cliita row, calc* parda, caiiisa
de azulao ; ^e|{c!io a direccao do Recife. ond se
julga eslar : a ne'so* que o a;prehender, po-ler*
leva lo ao referi lo engenho, on a rua Oireiu n. 40
1" andar, gun sera gener>sain'itc reeompeasada.'
Peruambiico H7adlnc Club.
A reading will takt- placs at Mr aimon 3 hi use
on Monday .'10 lb. in-t lo commerce at a quarter
to eight. By ord r of the committee.
Jam*s H >r>d"n,
_^___^____^^ Hun: see.
Dividas da massa fallida de
Bernardino Pinto Coelho
O abaixo a-signado t.ndo a remaUdo em h^-u
publica, par mandado da llka.Br. Dr. |aia do c m-
mercii, as divMu curi-t.in'."s da refenda ma sa.
roga pelo pmeuM a tudoaoa deveJi.res a virem on
mandaiutu pigar, a rna PstreiU do Romano na. 5 e
7, padaria, ao prazo de 30 dias, find-< os quaes se
pracedtra jiidicialnienv.
Recife, 27 de novembro de 1871.
_______^roym> SalgaJo de Ca>lro Guimaraas.
Qiurr precisar de uma hoa ama Ae liile )>
de dbigiraa a rua la UaOs n. 35
Para a boa conservaqao
VOSSCCA BELLO
Elle e um prevetUivo segurt
a cnlvice.
Elle di e restanra foros e Mnid* Ie a pdh i%
cabega.
Elle de prompto faz co?;,ir
tura dos cabtillos.
nqucza
a qaeda pna
lusl
?* I-
^lie Ha cr.iinle
bellns.
Elle dam a ta preserrar os qnalquer forma ;<. ._. qai bB*>
je, n'uin estad rnnoao, liaoemi
Elle faz crescer os abdl i bmi i a ri-
os.u
Elle conservn pdle so nsco da c.?h
limpo e lirre de to la a ; < ci"! He caspi.
Elle prcvinc os cabellos <' se tornaren brai-
cos.
Elle conserva a ccbega n um ..-stailo defr-i-
cura r*8rigeraQta : aijra ', vet.
Eile nao e demasia -' -
rento ou pogadt^o-.
Ello nao dcixi omeiH.ii iro raci-
vel.
Elle e o mellior artigo j ? ns i s
ctianfas.
File (j o melhor e o toatf i.j.i i. i M*4t
para a boa coiis ..nai ,.i .
beUos Has st-nhora?.
Elle !o dos cabellos e l>.-!ri>;\ dot s. I. ;.
IHU1 TOiaOOR DE SEMIORA it
PODECOiNSADERAR LOMO COM-
PLtTOSEM*
TOKICO ORIENTAL
o qual presenra, limps, fc;
O CABIBIXO.
Acba-se a veuda nos estabelti::i
U. Eorster d C. agpntcs. iaf
AGUA DIVINA
E.COUDRAY
DITTA AGUA Dl SAUDE
Preconliada pan
couustement* m kaUa* tk
rando da peat* 4* ckoiara
ABTI1TIICU IBMIT1ITI
Umai iatitaccti falrifcactai Halaliataa,
is mail reies damnosas a aatSk, ~*^*m m|i
fama ISo jostamenta adqairMa aala Ama H-
Tina, obngao-me a ree
dores da recoabecer uai
as garrauu na gargalo 4m THIS
iequenna faxa con a auaka
rma e marra da fabrica.
a*A
PARIS. IS, mm
baontra-Mamcaaaaataaa


K
9
Oferitr de BmisxiwLto Ba^do^ de ^wmbro (to 1894
Toda attencao
RetaH>a se, com frentepara a rua da Amizade,
sobre 104 palmos de fundo, nma porcao de odut.o
terreno para edili :aeto, tirada do sitio eontiguo
a igreja de S. Jose do Mangulnno, d> prega de
Sy* por palrao. Aquella frecte e toda murada,
bera corao a parte posterior e a lateral extreroa :
os pretendeotes podem enten.'er se com o Sr. Dr.
Wilruvio.
muTiiTo mwm.
Rua da Roda n. 48, sobrado.
Primeiras leltras, portuguez, francez, in-
glez, desenho linear e musical.
Sob a direcc,ao do professor Herminio
Hocirigues de Siqueirafunccionarn ditas au-
las todos os dias uteis.
Recebe elumnos intemos, meio pensic-
aistase externos ; f>rnece todo o material
para escripta e livros aos principiantes, por
precos muito razoaveis. ______^_
Villa k Patoes ]
Na padaria denominada Maurily, sita na praca
de.;te nome, easa de azulejo, n. % vesta" \illa,eai;i-
belecimento de Franeisco Seraphico de Asms Yas-.
conrellos, fabricate com a maior perfeiclO) ltn>
peza e barateza, pao, boLcba, e tudo quauto se
p6de obler da fariuba da trigo. 0 annnnciante .
protesta servir com esmeroe agrado a todos quan-
tosquizerem honrar sea eslabelecimento e se eons-
tituirem freguezes e consumidores.____________
Moleque tugido.
6rattflca-se com W),OOa reis a quem pegarFvr-
tunato, moleque de 13 a IV anno?, preto,baixo,...!
eheio do corpo, roto e cabeca redondos, naria'
chato, cabello3 carapinbos e cortados de fresco ; i
ausentou se na tarde de 10 de ontubro do correote |
anno, com camisa de madapolao, calcancUbrim
de c6r, desbotada, e cbapeo de massa preto. Gra-1
tinea se na ma da Cadeia do Recife n. 89, otpoa .
ma da Aurora n. 165. ____Ij
Boas casas de
Poco da Panel! a ;
lasso.
Alugam-se
campo. na Cruz
a tratar com o
das Almes
commendad
Bonsbanhos edormida fres-
ca no Monteiro.
Alaga se alii por preco commodo ama casa pe
qnena que tern 2 salas, 3 quartos, cozinha e boa
cacimba, e e perto do no : a tratar na raa Nova,
loja n. 7. _______________^^^
ADYOGADO
B ACEAREL JOAQl'IM Gl'EfflS DA,
SUVA HELLO.
13 Bun estrelta do nosario tS ,
prlmelro andar.
PENMQMS
Na travessa da rua
das Crazes n. 2, pri- j
meiro .andar, da-se
dinheiro aobre pe-
nkores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na rnesma oasa
compra-se os mes-
mos metae&epedras.
ISGrafsS? sES! Ki'sJssww T55S8;
em boas condicftes a loja da rua da Imperatriz n,
8, a qual pertenceu ao falle ido________ .
Dubarry
Aos 5,000 covados A IG1> rs.
Na loja do Pavao vende se iSzinhas de muito
bonitos costOJ e delicados padr5es. fazenda nova
no raercado, pelo diminuto prpQo de 160 rs. cada
am covado ; quern deixara de fazer vestidos de
14 tao bonitos e por tao ponco dinheiro T Forne-
cem-se as amostras: na rua da Imperatriz nnme-
ro 60._______________________________
LIQUIDACAO.
YendeHM
uma casa na villa de Barreiros, na rna do Cos
mercio, 4r prcp'modlco : a tratar icom Taa*
Irmaos & C.
Esta antiga e bem afreguezada loja, collocada
n'um dos principaes logarei para negocio, e
aehandose sempre sortida, nio t6 com ferragens
flna, eemo tambem de muitos outros artigos, sen-
do dos mesraos fabrfcaates de quern o fallecido
Dubarrv'seraprerecebia ; artigos estesde promp-
ta venda, e que deixam .granae luero ; porGm o
proprietary tendo de partir muito brevo para Eu-
ropa, esta inteiramente resolvido a vende-la : na
rna da Imperatriz n. 8. ______________ I O Paris n'Ameriea esta hquidando os caleadoB
.j=r5------;------'-----------------j--------paa Pe,os segointes preco3:
E '^O-.queni Venue a DUO rS. BBoUnu de duraque, de c5res, com canno
Cambrahs bnweas lordadas, com listras e qua- ''^.tn^'LVirtmfp0^'cores tordadas
dros, abertas e Upidas, fazenda muito fina, com 5 xlli.a?l ,1? dura1Qe de c0res' coraaaas-
palmos de largora; .por termes grande porgao re- -''
solvemos vender baralo para acabarmos ; e fa-
xenda de-1*600 o covado, e nos eslamos vendendo
por 00 rs. o cova lo, dao se amostras : na rua do
Cropo n. 10; loja de Guilnerma & 0.
alto e
canno
s
5
e
a
B
3
B
v
o.
o
I 5- = &
0 CM Sf Q,
* I
- 5
1
*^3 xn
3 %
o %'
a, s>*
a St
CO

a
S
0
s

m i*SS3S5 tfCS30S53K!

1-0

s 3 a
2, S
j* S B


r
e
n
3
s
s
a
e
3 Vt CD 5
CD o e
o o -1 1
"8 8 11 o
a a.
c V B5
s SS M
o
C3
" .
Consnltorio medico
DO
Dr. Harillo.
RUA DO VIGARIO N. 1, ANDAR.
Recem-cbegado da Europa, onde (re-
quentou os hospitaes de Paris e Londres,
podera ser procurado a qnalqaer hora do"
dia on da noite para objecto de ana pro-
fissao.
Consults? das 6 as 8 horas da manha e
do meio dia as doas horas da tarde.
GRATIS AOS POBBE3.
Especialidades: Moiestias de senhoras,
da pelle e de crianca.
Esta i encouraQado 1 !
A^aa mole em pedra dura
Tanto dii at* one a fura.
Roga-se ao BJm. Sr. Ignacio Vieira de Mail
ascrivao na cidade de Nazareth desta provineia,
favor de rlr> roil Dnque de Caxias n. 36, a eon-
dnir aquelle negocio que 8. S. se eomprometwu a
TeAHsar, pela terceira chamada deste jornal, em
Ibu de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passon alrevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
por este motivo 6 de-novo chamado para a
dm, pois S. S. se deve lembrar que este negoci
de mais de eito annos, e quando o Sr. sen nlno
achava nesta cidade._______
Vende-se
nm terreno em Bebetibe de baixo, com 50 palmos
de frente e 500 defOndo : a tratar na rua de VI-
daldeNegreiros n: 137.
' Vende se os seguiutes predios : uma grande
olaria a rua do Vhconde de Goyanna n. 63, com
muitos commodos aioda para padaria, e boa serra-
ria, tendo nm extenso terreno, com optimo porlo (
de embarque, e mnitas fructfeiras: a casa terrea,
n. 65, na mesma rua, junto a dtta olaria ; e urn |
barreiro nos Remedios, com excellente barro para
todts as obras de olaria : a tratar on com o Sr.
Josfi Camello,das;3 boras da tarde as 8 da noite,;
no Caldeireiro, ou na e3tacao da Uangabeira, e no
Arraial, silia do flnado* M.'Marcelino Jose Lopes.
Bbtinas de duraque com laco a 3#.
Bolinas pretas gaspeadas, canno alto, a if, St e
6^000.
Bolinas li-as e enfeitadas, para meninas a 31,
Bctinas de Suzer, de cordovio com ponleira ee
vorniz, para bomem a 8^. Aproveitem, que e
barato.
de Ala
e pavi-
Alaga-! i casa darua do Viseondi
r [oi n. 88, tea' i u i an lar, sotao
m^nto terreo, ?;n agna e gn?, pintado do novo :
s tratar na rna do Vig rio Tenorio, anuazem de
massames, n. 5.___________
Aluga-se a sala e a aleova do 3.* andar do
70, a rna Doqne de Casias, proprio
m ; s II iros : a tratr-r na loja.__________
Cravos
Na rua da Uniao, atraz do Gymnasio, ns.
47 e 49, vende-se sempre cravos brancos e
eucarnados. __________^_______
ALU&A-SE
uma grande casa terrea com bastantes commodos,
sila na estrada do Lucas : a tratar a rua do Vi-
Casa no Caxanga.
Aluga se duas casas na povoaeao de Caxan-
ga, lea-o uma dua ?al*s gr.udes, 8 quartos e
1 gahinete, ) grande terrafo e cacimba ; e outra
com Juas pequeu^-? salas, 3 quartos e cozinha,
ambas pronmaa ao rio e a estacao : a tratar a
ma dos Pi resn.* 21_________________________
AitenQao
Contiuua se a furnecer comeiorias para fora,
msndandose Ir.ar em casa dos aignantes, mais
em conti d qne em outra parle ; tambem nos
encarregam-iS de fazer comida para qualquer col-
legio que os Srs. direetores tenham de passar a
festa : qn-rn preewar dirija se a rua estreila do
Rorario u. 35, defronte do escnptoiio do Dr. Leo-
nardo.
:a-se
#f^\
Cura das hernias, pelas fun-
das de borracha.
As melhoros e mais aperfeicoadas das ate hoje co-
nbecidas.
Vende-se
aa
Pharmacia e Drogarla
de
Bartolomeo dt C-
A'
Festejos
covado a
Prerisa-se de duas amas, s-.ndo uma para
.:..'...: e comprar e outra para ecgommar e
,i
r.^ da Gone tdia n 4".
r: f.. I
Aioga se a loja do sobradu n. Vd da rua da
Ilha do arvalho : a irai. r na ru-\ da? Larangoi-
. Is. t" i-mlar. _______
echricM-
Ni '-.. I'ibSo & C. pelo pr.sente deciarara te-
ui letra de s:-u saque datada di 5
leste Jin > a 5 mezes J>s prazo, actita pe-
! an el losi Mendes Gasto?, de Garanhuns,
quantia de 8 03, enja leira toi pcrlida em
em de Garanbuns para esta cidade, rogam
I a nuem quer que a tenha achado o favor de
' 'gal a nesta cidaie u-i armazem Baliza/a rua
Livr ment/ n. 38, vista d;- nada servir a re-
! rida letra por jaestir pr-v.'nilo o aceitanto da
n.P-ma quo so p.^gara aos abaixo assignidos.
Recife, 19 de uovem^ro de 1874.
Neves, Irmao & G. _____
0 2." andar e armazem da rua de Pedro_ Af-
fonso n. 59, o sobrado da urn andar e sotao da
rua do Hospioio n. 05, e o andar e armazem do
sobrado da rua do Bom Jesus n. 63 : a tratar na
rua tin '-"tear! n. SI.
tl
inus.
Al.iga-so o sitio dos Buritis, no Arraial, com
it cio de macdioca, macacbeira e grande baixa
df capim, tern excellent^ ca?a para moradia, ba
- e mnitas arvores frnetiferas: a tratar n"-
me?mo siti-i das 6 as 8 horas da manui e das 5
3? 7 da tarde, tu na raa do Amorim n. 56, das
lil as 3 da ta.de, nos dias uteis.
Aluga se o primeiro andar da casa da rua
do Padre Ploriano n. 69 : a tratar na praca da
de nppndeni'ia ns. 18 e 20.
Ao Sr. Justino Pereira de
Moraes.
0 abaixo assigoado arrematante das dividas da
massa fallida de Joao Hyuino de Souza, pede ao
Sr. Justino Pereira de Moraes, morador na Imma-
culada, o fa-.ur devir a rua Direin n. 21 ultimar
sua conta com referenda a mesma massa.
Recife, 23 de novem'-.-ro d-s 1874,
Jite Ricardo Paria.
Cuidado
E. A. DELOUCHE
24-Raa do llarqnez k Olioda-24
Esquliia' do beeco Largo
Participa a sens freguezes e amigos que mudou
o sou estabelecimento de relojoeiro para a mesma
rua n. 24, onde encontrarao um grande sortimento
de relogios de parede, americanos, e cima de me-
sa, dos melhores gostos e qualidades, relogios dc
algibeira, de todas as quahdaiies, patente suisso,
de ouro e prata dourada, foleado (plaqnet), relo-
gios de onro, inglez, descuberto, dos melhores
tabricantes, cadeia de ouro, plaquet e prata, lunetas
de tod?s as qualidades, tudo por precos muito ba-
ratos.
Grande liquida(ao de fazendas
. melhor gosto, para vestidos de fosla, na
loja n. 44, a* rua Duque de Csxies.
Popelinas de modernissimos padroi
800 rs.
Ditas de ditos a i#200.
Ditas de ditos a 1*400.
Ditas de ditos a 1*600.
Cambraias organdys de padroes e cflres inteira-
mente novos e mode'rnos, covado 320 r-. c6rtes
de cambraias brancas para' vestidos, bo: i:;dos 2
com babados, a 6*.
Chapdos medernos, goito allemao, para si nbora,
proprios para a estacao da festa, a 2*aC0.
Ditos de diversas qualidadds, para homer.?, pelo
barato prego de U 2*500, 3* e 4*.
Camisas france'.as e inalezas, de diversas quali-
dades, a 1*500, 2*. 2 50) e 3*.
- Collarinhos de linbo, lisos e bordados a 400 rs.
Toalhas de linfio para rosto a 400 rs.
LenQos Gnos com barra, dozia 1*40j
Ditos ditos brancos, duzia 1500.
Melins- e3C eezes, intoiramente novos, propnos
para chambres, covado 240 rs.
Meias flnissimas, para eenhora, duzia a 3.oOO.
Lazinha?, chitas, cambrias, madapoloes, algo-
doe3, brins, por pre?os baratissimos, bem como
outros muitos art gos que se achara expostos para
os amigos do bom e de barato, por 25 0|0 menos
que em outra qoalquer parte, Qnalmente tudo,
tudo se acha em liquidacao._________________
34. Rua larga* do Rosario 34.
Vaccina. Vaccina.
Tendo b Sr. Dr. Jos6 Lourenco de Magalhaei,
monlado na corte nm complete servico deste ar-
tigo, tern aqui aberto nm deposito da melhor e
finas e do mais recente, enjos tubos se encontram na
Pharmacia e drogaria
A"
34 -rua larga do Rosario 34.________
Imperial fabrica de rap6
area fina de Moreira & C,
da Bahia.
1 Deste excellente rape, que se torna recommen-
; davel aos amantes da boa pitada tern estabeleci-
do esta fabrica q seu deposito a rua do Gommer-
cio n. 5, que vendem por junto e a retajho, fa-
zendo se vantagem a quern ci mpnr poryao.
Aloga-se a casa terrea n. 8 da rUa do G.
pitao Antonio do Lima, em Santo Amaro : a ta a
tar com Maternis Lent a rua da Guia n. 54, pra
daria. Com o mesmo conlrata se um amassador-
Precisa-5e fa'lrr ao Sr. Libanio Residio deCar-
vaP o, escrivao da eoleetona de Santo Antao, a
negocio que nao deve ignorar : no largo da As-
semblea n. 7._______________________________
CoqHcs k chIipIIo.
53. Hub ittiHiue de Caxsas.53
Augusto Purto, recebeu lindos e elegantes co-
ques de cabeilo verdadeiro, cintos de couro com
livelas de metal, popelinas de seda elinho, ricas
toalhas e lencoa de labiriat>:o que vende por
commodos prc;os.
5
O Monte Lima
let um corapleto sortimento do galao e franja de
a prata, verdadeiro, de todas as larguras,
atotoaduras douradas para officiaes, canutilhos e
enfeites para bordado. Tambem se encarrega de
todo e qualquer fardaraento, como seja : bonets,
lalioa, pastas, e&pada-, dragonas, cbarlateiras, ban-
das, anotoaduras lisas e douradas, para criado
etc.; as-'m corao urn completo sortuacnto do
ranjas, gaUofal'o para ornamento, cordao de II
com borla para qnadros e espelhos (conforme o
gjsio da encemmunda) tuJo por muito menos
pregu que em outra qualquer parte : na prasa da
Lndeoeudencia n. 17, junto a loia do Sr. Arantes.
Aluga um sitio, na travessa da Jaqueira, onde
d ir to fallecido Prancisco Soares da Silva Re-
I imba, cm 11113 excellente casa, com 4 salas e 5
quartos, cozinha. despensa e juarto para engom-
cadi, fdra, coeheira, 4 quartos para escravos, S
cacimbas, sendo uma com eptima agua para be-
ber, varias frueteiras : a tratar na rua Duque
de C;ixi".s n. 51, loja.
Jo4o Agostinho da Silva, liquidanle da ex-
sta firma que gyrava nesta praca, de Silva &
Ctscao, [etlraudii-se para o Rio Grande do Sul,
deixa por seus procuradores os Srs. commendador
A aio da dsta Correio Ltite, e Pereira Carneiro
Maia A C-______________
0 BRASIL
D-dicado a defeza dos lnteresse3 dos subditos
lpuezes resideates no imperio.
! -Jigido per M. Pinheiio Chagas.
Asidgnatara
f.r nm anno
'' r oeis mezes
>-.v
Livfarin IVphsr
89-RUA NOYA-59
IMOOO
6*000
;
D*appw*Ji.iu hontera, de casa de seu seolmr o
> Ray:iWindo, csbra, baixo, cheio do corpo,
cJia fafta-"de Writes na fr^ule, o qua! andava car-
]> CSrvS'i em, barricas ; pert, nceu ao Sr.
IcKqu'oi toptista NVgueiw : quem o pagar, leve-o
i ri; i de" Sant Amaro n. 6, segundo andar, qne
s.*a tr*jl*ea'i
rtga f> nma CaSa. lerrea com sotao, na
es.-a d l"'j-aaild n i, logar ida Passagera,
. a p"fc'te pn laepa e a granie, confronle_ ao
1 h n-. Firmo : a tratar no largo do
i c I, tsveraa.
1 MEDICO-CIRIRGICO i
fi do m
S Dr. Pedro d'Athayde L. Moscoso &
PARTEIliO E OPERADOR
^Soa do Visconde de Alboquer-S
'.--.-. qae n. 39. In
ESPECIALIDADE
Holestlaa de senhoras e J
menlnos. ^
Consuitas das 7 as 10 horas da ma- g*
^ nha, todos os dias. ^
-M Das 6 as 8 da noite, nas segundas, quar- ^'
2 tas e sextas-feiras. ^
^ Os doentpjque mandarem os seus cha- fyt
.SS mados por escrlpto at 10 boras da ma- XK
2 nha serao visitados em snas casas.
CRIABA
Na rua do Visconde de ltaparica n. 32 precisa
se de uma criada que seja sadia, para andar com
crianca.____________________________________
Offerec-:-=e uci moijo chegado do sertao,
para criado de.ilgam senhor advogado, ou mesmo
casa de famltia : a tratar na rua do Livramento
numero 3.
Aluga-se
os armazen3 ns. 65 e 69. na praca do chafariz sm
Fora de Por tas, um onJe teve tenda de ferreiro
o fallecido E. Mabnlt. 0 outro que esteve occn-
pado com ten-la de molbados, para o qne e op-
timo pela localidade e sr de esquina. ambos Uvres
a desembaracados de impostos: a tratar com ocom-
mendador Ta PARA 0 POBLICO VER
Moflna
Por qne razao o Sr. teneote Jos6 CaetatiO''da Sil-
va uSt mdemnisa ao ^r "d'tnr da Amnri^a\
0 actual administrador da grande propriedade
Apipucos, acbando-se em embaraijos para poder
regularisar o mteresse de todos os eonsenhore*da
mesma propriedade, por i>so pede aos mesfflW'iJeBr
senhores que tenham a bondade o^rJoiBrfafece'r
no escriptoric da capella da.ncssa propriedade, as
3 horas da tarde do dia 29 do corrente, para uma
reuniao extraordinaria, afim de mostrar os emba-
ra?os quo tern encotttrado em aria acttjal adnllDis-
tragSo, assim o espera o mesmo administrador. que
Vv. Ss., alam de sens interesse-t, comparaeam m
dia acima indiodo. Apipucos, 14 de norembro de
874.____________
Oriado
Na rua da Alegria n. 10, se tiredsa
uea tenha princlpio de cozinha.
Precisa-:e fallar com os segnintes senhores,
na rua Primeiro da Marco n. 16, primeiro andar.
Dr. Candido vieiradaCunba.de Sergipe.
Tito Antonio da Cunba, da Bahia.
Domingos Olympio B. Cavalcante, S >brai do
Ccara.
Manoel Pantale^o da Silva.
Manoel Jose Monleiro
Torres.
Keller & 0., administra-
dores da massa fallida de
Manoel Jos6 M. Torres, pa-
gam aos credores da mesma
massa o primei 10 dividendo
a razao de 19 por cento.
Alia navid-.sde.
0 Barateiro, a rua 1 de Marco n. |, acaba de
receber grande sortimento de entremeios e babadi-
nhos tapados e transparentes, de toda3 as largu-
ras e vende a 1,000, 1,200 e 1,500, fazenda que
sempre costou 2,500; a uma experiencia nos os
convidamos________
Fio cie algodao da Bahia.
Teem para vender Joaquim Jos6 Goncilves Bel-
trao & Pilno a rua do Commercio n. 5.
Salsa parrilha do Para.
Chegada receotemente teem para vender Joa-
quim Jos6 Goncalves Beltrao 4 fr'ilho, a rua do
Commercio n. 5.
Fechaduras de broca.
Teem para vender Joaquim Jose Goncalves Bel-
trao A Filho. a rua do Commerei) n. 5.
Loja de fazendas
DA
Rua do Crespo n. 20.
Las de cores mindas muito boas para ronpa
meninas a 160 e SOO rs. o covado.
La pretas, superior, a 400 rs. o covado.
Aloacas de cores finas a 310 e 360 rs. o eoratk
S6 se vendo.
Ditas com listras aberus; fazenda fina, a 600 rs <
covado.
Chitas de cones a 140 e MO rs. o ecrrado.
Metins de cores mrudas a 280 rs. o eoaado.
Creiones, o eihur o/m tern Tindo ao iirtdn i
400 e 440 rs. o covado.
Cambraias brancas, bordadas abertas, fsaead.
mais fina que tern Tindo- ao mercado, e fazand.
deUOOOo metro, por 1*000 a vara ; \+
cbincba.
Ditas pretas com no res mindas aMOrs. o eoradt
Cambraia transparente, fina, iWi peca.
Dita Victoria, fina, a 41000 a peca.
Organdy de assento branco e de cores, eonasV
res miuda? de seda e de la, a 408 *s. o cawadc
E" pechincha.
Cortes de caaenirade cores modernas a 5*50 <
corte ; A fazenda de 8*. E' pechincha.
Camisas de linho finas, lisas, a 39* a duzia, e fa
senda de 55*.
Brim branco de linho a 1*400 a vara.
Dito Angola, verdadeiro, a 600 rs. o covado.
Madapolao francez verdadeiro, 24 jardas, a 6* -
7* a pe^.
Algodao T, largo e superior, a 5* a pe^a.
Gorgorao preto de seda para vestido e para colM
a 3* o covado
Toalhas alcochoadas a 4*500 a duzia.
Colchas graodes a 3*500 uma.
Cobertas de ganga, forradas, a 3*.
Lenc6es de bramante a 2* urn.
Lencos de linho, sbainhados e em caixmbai
3*500 a duzia.
Ditos de caca de cores abainnados a 3*500 a do
" .
E outros muitos artigos que se. vende por
nos do que outra qualquer parte e para se d*
So na lorera queiram mandar ver as amostras. s
enganaja de
Guillierme k C.
Vende se uma casa terrea nova e neni cons-
truida e com commodos para numerosa familia,
sita a rua do Nascente n. 20, que olha para a
via ferrea do Recife ao S. Francisco : irata-se na
rna Imperial n. 217. _______________
Lustres, candieiros e aran-
dellas para gaz.
No novo ontabeloflimento, Grande Exposicao, na
rua do Imperador n. 3"i. junto ao escriptorio da
companhia do gaz, vendem-se lustres, candieiros e
arandellas de diiTi'rcn'.es tamanhos e modernos
gostos, tanto de vidro como de bronze, e tudo dos
melhores fa'iricantes que ha na Inglab-rra. Tam-
bem se vendem globos de bonitos padrSes, chumbo
e tudo o mais que fur preciso para o servico do
gaz. E como os cionos de?te e5tobeleciinenlo man-
dam vir de conta propria e se querem acreditar,
vendem tudo mais barato do que qualquer outro,
paia o que os eompradores pedem experimentar.
Proprios para bailes.
Chegaram em boa quadra, para a loja do Passo,
riquissimos cortes de seda com largas listras
achamalotadas e lindissimas eyres; cortes de tar
latana com palmas bordadas a prata, proprios
para oailes : so na la]a do Passo, a rua Primeiro
de Marco n. 7 A.________________________
E' sempre assim-
AO SEXO AMWEL.
A Nova Esperao^a, a rua Duque de Caxias n.
63, toma a liberdade de avisar ao bello sexo, que
,acaba de receber diversos aitigos de alta novi-
dade, os quaes estao expostos a vunda em dito
estabelecimento, e bom que venhara aprecialos
para por esta f6rma satisfazerem os caprichos dc
suas elegantes toilettes.
A Nova Espnranca, nao qiu-rendo tornar-se
massante, limita se a menci mar alguns artigos
dos mais em voga no nundo das modas, os qnaes
sao os segumtes :
Lindos cintos de couro e filigrana.
Modernos bctoes de ago para vestidos.
Novos leques, grandes, maOsados,
Elegantes flvelfas de aco para vestidos.
ijelicadjs ramos do fljrcs de larangeirj.
Bolsas de couro e filigranu, prop:ias para tra-
Z'T pemleutes ao cinto,
Para o fabrioo de chap^of
A NOVA ESPERANCA recebeu o arame prcpr>
para armag3o de chapeos.____________________
BAZAR
DAS
FAMILIAS
M \ Duque de Caxias n. 60 A
I]
araa
lest
a
desi-
fina-
ci
t

Comprase apolices da divida publica gera
ou provincial : a tratar na rua do Barao da Vic;
toria n. 42______________________________-
Escrava-
Compra-se uma escrava que seja prendada e
cosa perfeitamente ; sendo de b6a conducla e sa-
dia paga-se bem. InformacAo na rua do Cabuga n
16 I*, andar, para ser proenrada.____________
Compram-se
as collecgdes deleis provinciaes de Pefnam-
buco, dos annos de 1849, 1855, 1866 e
1869 : nesta typographta._______________
CHUMBO
Velho
Compra-se chumbo velbo, cobra e latSo : no
armazem da bola amarel a, a travessa da rua do
Imperador.
V^NBAS.
Vende-se cinco boii de earroga, gordos e
mac sos a trstar na olaria do viveiro do Mnniz.
Admirenia
Caninutlo* A )0.
0 Pavao vende cbrtldkdi* 1>tMada"i, Jiwrios
para camas e janellas, a 7* o par. e pechincha
Sue Hgo se acaba : na rtia da Imperatriz n. 60,
e Ffiix.-Peraira-datura. Cii_
4m24):o^ow
Pra4a;a>. lno>paftdawc^^lt.,.,....
Rimrn i aeieiial.
Prenria'clo m exposl^a^a SdoiedatfaTJote
do OWeTtlb
Veidese. nelo dim ion to
,iabe& de um rio da Victoria, conf.-otite ao o'
I Sam
Admirem
Cirauadinn de seda a 4O0 rs.
Na Icja do Pavao vende-se flnissimas granadinas
de seda com listras assetinadas, fazenda que sem-
pre se veuieu a l 200, e lijuida a 400 rs. o cova-
do ; assim como manguitos e golinhas de cam-
braia bordadas a II cada am, e pechincha : na
loja do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Pereira
da Silva.
Vende-se na Cidade da Escada uma grande
casa de pedra e cal, oitoes dobrados, com sotSo
assoalhado em toda a ex'eawlo, quintal murado,
com commodos bastantes para uma grande fami-
lia, sita na rua da Viracao n. 30 ; uma dita na
mesma rua, de esqoina para a rua do Rio, con
tendo armagao para qualquer estabelecimento,
occupando os fundos com padaria, a qual se acha
completa com todos os utencilio- ; uma casa pe
qucna contigua a me.-ma, e um terrenj junto ccm
180 palmos de Iargura e 110 ditos de fundo, sendo
os chaos foreiros a'camara municipal da mesma
cidade da Escada : a tratar na cidade do Recife,
na travessa da rua do Visccnd de Inhauma n.
73 (antes do Range'), e na Escada, com o Sr. alfe-
res Jose A. A Campos. _______________^
__ Vtnde WOO aluga-se na cidade de Nazereth
uma padaria bem montada, em casa propria, por
preco commodo.__________________
Rua 1 de Marco n. 14
Gusmao 4 Lal receberaro grande quantidade de
cortes de casemira pira calca, e vendem por 4?
cada corte, a?sim como vendem setin&as para
vestidos, fazenda linda, por 400 rs. o covado, fasen.
da de 800 rs. : so na rua 1* de Marco n. 14.
Chegaram a loja do Bazar
das Familias
& rua do DUquc de Caxias n. 60 A.
So para as scuhuraa
Riquissimas lisinhas de seda bordapas, alta no-
vidade, proprios para as senhoras a quem osre-
commendamos por serem muito lindos e so se
encontram no Bazar das Familias, por ser encom-
menda propria I .
Lindi-simos manguintos de cambraia borlados,
inteiramente novidade ; fazonda quo s6 o Bazar
das Familias 6 quem tern.
Riquissimas golinhas de cambraia bordadas com
bicos de gripure e crochet, fazenda nunca Tteta,
por ser a primeira vez que vem ao mercado, e so
o Bazar das Familias 6 quem recebeu ; assim co-
mo outras novidades de apurado gosto, que so
se encontram no Bazar das Familias; assim como,
pedimos as Exmas. Sras. afim de o visltar, para
se verifiear dos objeetos acima espeelflcados: a
rua do Duque de Caxias n. 00 A.____________
Breu, breu, breu
No armazem de Jorge Tasso, rua da Amorim n.
37, enocaes do Apollo, atmazem de farinha de
trigo, do commendador Tas_so._________________
Aos Srs. deengenhos
Chila com 'i palmos de Iargura, fazenda muitc
superior, a 260 rs. o covado, proprias para escra
vos: so a rua do Crespo n. 20, loja de Gui-
Iherme A C,________________________________
Doce lino de goiaba
Vende-se no deposito do pMeo d o Terco n'. 4,e
a, pelo barato preco de 800, 900, 1*000 e 1*200 ;
6ssim como grande sortimc-nto de caixo's pequa
nos, proprios para embarque ; ha requeijao todas
as tercas-fr'ras e sabbados, por preco commodo.
A loja Agrado e Seriedade, sita a rua da Im-
peratriz n. 16, vende por baratos precos la par.;
bordar, de lindas cores, e fitas de sarja de todas as
cores e larguras, assim como de setim.________
Chftverdeeprelo
Amaral, Nabuco & C. declaram a seus amigos
e freguezes que receberam pelo ultimo vapor
de Europa, nova remessa de cha verde e preto,
garantem sua boa qualidade e vendem no seu
Uazar Victoria, rua do Barao do Victoria n. 2.
Vende-se a casa terrea no largo de S. Jose n. 37:
a tratar a rna do Marquez do flerval n 31.
3M
reis
o co-
vado.
Vende se uma casa terrea na rua deP ay-
sandu, estrada da Magdaleaa, cam 4 quartos, 2
salas, corredor indepeniente e forrada, com quin-
tal murado : trata-se na rua de Hortas sobrado
n. 48.________________________________,____
Boa acquisiqao.
Uma pessoa que urgentemente precisa retirar-
se desta provineia, vende por 3:300* uma heran-
ca de 16:1,00* solidamente garantida. Nao e um
pleito que se va tentar exposto as contingencias
do julgamento, mas um direito ja liquidado e
apurado por senteaca proferida pelo supremo tri-
bunal de justica, em grao de revisla. Na rua de
R achuelo n. 22 (outr ura rua do Destino se dira
quem vende.________________
Gran Chapfos de sol de seda tran^zda muito bo, ar-
macao especial, a~7*000. So na rua 1* de Marco
n. 14, loja de GnsroSo & Leal.______________
Rua do Crespo n. 20.
Alpacas lisas com barra, fazenda muito larga
e de lindas cOres, para vestides, e presta se para
roupa de meninos ; vende-se pelo dirainnto pre
co de 280 rs. o covado, aproveitem-se antes qne
se acabe : a rua do Crespo n. 20, loja das tres
portas, de Gnilherme & C. Dao se amostras com
penhor.___________________________________.
Vendo-se o estabelecimento de molbados,
sito a rua de Pedro Affonso n. 61, bem afregueza-
do, Unto para o mato como para a praca, serve
para qualquer principiante em razao de ter poucos
' funlos: a t.atar no caes do Ramos n. 2i.
Caalaria de Lisboa.
Soleiras, hombreiras, capiteis e sacadas, a ven-
da por preco commodo : a tratar no armazem n.
2"> da travessa do Corpo Santo^_________^^
Reis e Silva & Guimaries, proprietarios
bem conhecido eslabeltcimento de fazecdas
convidam aoj seus freguezes e amigos a sortirem
se dos artigos indispensaveis para a festa, artig -
da ultima modu e de flno gosto, os quacs se ven
dem por modico preco.de toTntl qne ignal ni, I
encontra em outra parle.
Abm de que o puhlico avalie o que levam dii.
offerecera a -:ua preebsa considcrajio a Eegain:
men^ao:
Riquissimas polimises de girgorao preto, riea
raente enfeitadas, pelo dimicnlo preco de 36*
Lindissimos casaquinhos de gorg rao prelJ, ri
cameDte bordados, sendo enrtmhos conforme a nr
da, pelo diminuto preco de 12.'000 cada um.
Riquissimas sar idas de baile, de la e seda, par
sentii ra, inteiran-ente novidade, pelo dimicu!
pre?o dc 12*000.
Lindissimas capinhas de la e seda inttira'-'n
te DOTldade, pel j iusignificantj preco de 8/t"0i
10* 00 cada uma.
Ri juissirnos cachinets de !a e seda, pc'j dir i:-.-
to preco de 6,COO -.-ada um.
Um completo sortimento de :apel!as com v bloats, proprias para Botw, relo diminuto an ;
dc 10*, 13* e 20* cada nmu. tT baralo E cu
mo sao lindas ?!
Riquisjimos lacinhos com fi\e!a, pr."pri"s par
pescoco de s.nhor^s pelo diminuto prejo de l*^
cada uma.
Lindas gravatinhas le cor, proprias para tnih
ras, pelo diminuto preco de 11000 cada uma.
Lindissimas rosas com alfiocle3, proprias par
peilo de senhoras, pelo diaiinuto prejo de l*50i
cada um.
Cambraias braucas, bordadas de cores a la, fa
zenda moJernissima, pelo preco de 540 rs. j co
vado.
Cambraia iransparente, com duas Iargura;, pel
pre?o de 13*000 a peca.
Cambraia transparente Una, Suissa, a 6*800
peca.
Cambraia muit--> fina, Victoria, a 7*200 a peca
Mcias de cores para homem, pefo diminuU pr-
Co de 8*000 a duzia. E' barato I
Riquissimas caixinhas. cada nma com ami dn
zia de lencos de linbo ja abainhados, pelo din:
nuto preco de 5*500, 6*. 6*500 e 7*.
Grosdeuaples preto, fazenda mnito superi >r, .
1*200 o covado.
Setim braaao, Macau, fazenda superior, a **"<
o covado.
Riquissimo sortimento de popelinas de linhi, p
lo diminato preco de 440 e 500 rs. o covado.
Riquissimas faias de seda, fazenda modernise
ma, pelo cun-modo preco de 2*200 o covado.
Popelinas de linho e seda, padroes Ineira
mente no vos, a 1*600 e 1*800 o covado. E' ba
ratal
Grosdonapoles cor de rcsn, fazenda mnito ;ur*
rior, a 1*600 e 1/700 o covado.
Um completo sortimento de las e alpacas de se
da com listras a 700, 800,900 e 1*. E" muito ba
rato I
Um coraplelo sortimento de las, a 180, 200 2V
320 e 380 rs. o covado.
Madapcloc!, Eiephante, com *" vara?, a 4*40"
a peca.
Madapclao, Maravilha, com 20 jarda?, a M*.<
a peca.
Madapclao francez, Madraste n. 55, a ** i
peca.
Madapolao superior francez n. 60, a 7*000 >
peca.
Assim como um grande sortimento de chit is e
curas, Claras e outros artigos. -
RE13 E SILVA & GUIMARAK.____
Aos nervosos
A NOVA ESPERANCA acaba de receber qn:
les milagrosos anueis electricos, cura infalliv 1 d
nervosos. ________________________^___
Aos cigarreiros
A NOVA ESPERANgA vende papel de Irak
proprio para cigarros, de diversas largnraa.______
Insignia3 ma^onicas e cadei-
ras para viagem
Amaral, Nabuco 4 C vendem insignias oaconi
cas para diversos grios.
proprias para viagem :
Bario da Victoria n. 2.
e cadeiras a abrir e debar
no Bazar Victoria, raa dc
Por6'00 e barato
Vende-se um escravo de 30 a 35 annos,
i
e bara-
to, proprio para refinacao, padaria, on mesmo
Sara um sitio, por ser de boa conducta e seu se-
ttbr retirarse para fora : na rna de Hortas n. 96.
Vonda-se por qualquer preco, um sobrado
Cambraia branca com~flo"resWdadas de_cAres, j^^t &}**!! ZJ&'J^ mu^boa
: constraeeao ; nma casa terrea, a !?aJji?1?:
'TCm'tem. Ao se amostras com pi- ^1*' A ff AJSTi? S.
86 na rua 'do Queimado n. 43, junto
loja da Magnolia.
E' barato.
uaiuuraia uiauu corn (lores amunw* w.w, cr*"~ ~;Q ~
B3o padrSes mnito bonitos e de gostos nunca visto, ;Fogo n. 48, em terreno proprio e
de 320 rs. o oevado: teonstruceao ; nma casa terrea, sita a
too 43
nhor.
Albuquerque n. 69
Maripoza
A 3tO rs. covad*
So na rua do Queimado n. 43.
JUNTO A' LOJA DA MAGNOLIA.
Maripoza branct com lindas listras abertas pe-
lo diminuto praco da 340 rs. o covado ; apftrvti-
tem que 6 pechincha, so o 43Barateiro seat
ignal.
Pao- se aawatrat cam psfr.
Cal de Lisboa
Vende-se Cal de Lisboa : na Vraca do Corpe
Santo n. 17, andar, aserlpMrio ie Joaquira Ro-
drigues Tavarea de Hello.
PAGINACAOINGORRETA


Diatfo da Pernamfcuoo Sa&bacto 28 d& Nwea&fckVo. de iklA.
v
B
Ao barateiro
A7 rua 1 de Macoo n. 1
Confront e aa are* de Son to
Antonio.
Os propritarios dens ostafceleeimento, tendo
gaade deposilo de fazendas de la, linbo, seda e
algodao, e achandose proxuna a occasiao do ba-
anjo, resolveram fazer graude reduccao em pre-
os, afim de que naqnelle tempo nao tenham gran-
e trabalho em balanfos ; a saber :
GORGORAO de seda. preto, para collete, um
carte por 21. E' fazenda que sempre custou 7*.
AMAZO.N'AS, liada fazenda para vestidos de
passeio, a 500 rs. o covado.
GROSDENAPLES de c6res, verde, encamade,
franco, cor de rosa e cravo, a 900 rs., I; e
U200 rs o covado. Qaem 6 que nan comprara?
POPELINAS de linho, de quadros e listras, bo-
nitos gostos, a 500 rs o covado. Aprovcitem.
POPELINAS de linho e seda, gostos inteiramen-
te novos a 900 rs.
DITAS com listras largas assetiaadas, o mais
moderno qae tem vindo ao mercado, a it.
CRETONE francez com listras e de quadrinhos
de cores e pretos a 400 e 440 rs. o covado. Isto
so no barateiro. 1
DITO francez de listras, proprio para camisas
vestidos a 300 n. ; pois so se vendo se pode
crer.
ES 5U AO de linho e algodao, proprio para ca-
misas, fronhas, etc, etc., com 7 jardas, a 3*800, e
-ora 10 jardas a 4*500 a peca.
MUSSUL1NA branca, com listras, para veslido, a
*<0O rs. o covado. E' pechincha I
MADAPOLAO francet c(m 20 varas, por 4/300.
E' barato.
CASEMIRA*S de cores, para costumes (roupa de
homem) a 3* o covado. Ver para crer 1
LAS escocezas, estamos acabanJo aos precos de
120, 180 e 200 rs. Apressem sel
CH1TAS escuras e claras, fazenda flaa a 240,
260 e 280 rs. ; so a rua Primeiro de Marco n. 1.
CHAPEOS de alpaca, para sol, para senbora, a
2/000. E' admiravel !
BRIM branco n. 5, exposiclo superior, a 2/ a
vara.
| CAMISAS de crelone francez de cores, a 2/500
tun.
CAMISAS brancas, inglezas e francezas, gran-
do sortimento por precos baratissimos.
BRIM pardj trancado, para 280 rs. e400rs. o
sovado.
BRIM Angola, superior, a 590 rs. o covado; isto
so na loja do Barateiro 1
CHAPEOS de sol de seda para homem, fazenda
tuperior. a 8/500, 9/000 e 10/008.
BAPTLSTAS mati&adas, gostos miudinhos a 300
rs. e 360 rs. o covado ; so confrontejo arco de
Santo Antonio 1
LENCOS de linho superiores, abanhado* a 3&
fcJMt e 5/000;a duzia.
TOALHAS felpudas superiores a S/500 a du-
zia. Em outra partc veDdeui por '.: j I
MEIAS cruas, superiores, para homem, a 4,
4/500 e 5/. E' pecEincha.
BOTiNAS superiores para senhera, a 4/506 o
par.
ATOALIIADO alcochcado, fazenda superior, pa-
ra mesa, a. 1/500 a vara.
ALGODAOZIXHO Lranco, com pequeno toque,
a 3^500, 4/ e 4/500, e marca T, a 5/ a peca.
Alem das fazendas acima mencionadas, encon-
:rarao muitas outias que sgradarao em q1.1.alida-
de e precos, e que para nao massarmos a paeiencia.
de nossos/freguezes, as deixamos de enumerar,
So no Barateiro
A' rua Primeiro de Marco n. 1.
Loja de Agostioho Ferreira da Silva Leal & C.
Nao se enganem
Pois sao os verdadeiros barateiros 1
Aos legitimos fogoes econo-
micos.
Vcabam do chegar a esta cidade os ver-
iadeiros fogoeseconomicos, ja" muito couhe
cidos nas provincias do Rio de Janeiro,
Minas, S. Paulo, Sergipe, Rio-Grande, Ba-
hia e Alagoas, 8onde tera merecido do pu-
blico a maior aceitacfio possivel, e sao ja"
proferidos aos de qualquer outro systema,
sonhecido pela sua muita solidez, especia-
iidade na collocac,3o, mryio*"- -v"01"*'
d .subrp--,o erauae economia no combusti-
vel ; trabslham com lenba, coke, carvao de
madeira, etc, etc. Ha de divewos tBma-
ahos, proprios para casas de pouca, regu-
lar, e do muita lami'iia, collegios, hoteis,
casas pias, hospttaes, etc. Acham-se ex-
postos ao publico, aoude se darao todas as
explicates accessaries: na rua do Viga-
o n. 12______________________________
Aos 5t;Cflin0S
A NOVA ESPERANgA, a rua Duque de Caxias
n. 63, acaba de receber um bom sortimento de fl-
oas bonecas que fallam, que riem se e choram ;
lambem as tem mudas e surdas ou surdas-mudas
;enhara ver se nao 8 verdade.
IV* 7.2. Rua da ImperatrizN-7 2%
EM LIQUIWA^AO.
Tendo recebido diversas qualidades de fazendas que ha tempo tinham feito encoramenda e
agora estando em liquidacaoresolveu que estas fazendas fossero venlidas nas mesmas enndicSes o
que e" mnita vantagem para os compradores, isto no Bazar Nacional rua da Imperatriz n. 72.
Organdys branco a 400 rs.
Vende se organdys branco com listras muito
Gno a 400 rs. o covado.
Popelinas a ICOOi.
Vende-se popelinas de cdres muito Qnas a 13 o
covado.
Alpacas do cores a 400 rs.
Vende-se alpacas de eores para vestidos a 400
rs. o covado.
Laazinhas a 120 rs.
Vende-se laazinhas para vestidos a 120, 240,
320 e 400 rs. o covado.
Alpaca lavrada a 640 rs.
Vende-se alpaca lavrada para vestidos a CiO rs.
o covado.
Granadina a 500 rs.
Vende-se gr-nsdina prela com Iistra3 brancas a
500 rs, o covado.
Percales flnas a 400 rs.
Vende-se perciles finas para vestidos a 4C0 rs. dades e barato.'
o covado.
Chitas Gnas a 260 rs.
Vende-se chitas de cores escuras a 260, 280 e
320 rs. o covado.
Cassas de c&res a 260 rs.
Vende se cassas de cores Gnas a 260 e 320 rs.
o covado.
Cambraia victoria a 3 500.
Vende-se peca de cambraia victoria a 3,500,
4/e5/. Cambraia transp:rente a peca a 3'.
3/500, 4/ e 5/.
Cortinados a 6/.
Vende-se cortinados para janellas a 6/ e 7} o
par.
Chales de l\ a '640 rs.
Vende-se cha'es de \i a 640, ditos de merino
estampados a 1/600 e !/.
Cortes de casemira a 5/.
Vende-e cortes de casemira de c res a 54,
5/500 e 6/.
Cobertas de ehita a 2/
Vende-se cubcrtas de chita a 2/ e 2/500.
Colcbasde fustfo a if.
Vende-ss colchas de fnstao a 2/, 3/ e 4/.
Fustao branco.
Vende-se fuMio branco paca vestidos de senho
ras, organdys branco Gno a 640 o metro.
Madapolio a 3}.
Vend3 se pecas de madapolao enfestido a 3/ e
3/500 a pen, ditas dilat Gno a 4/500, 5/ e 6/
dito francez fino a 6 j, 79 e 8/.
Algodaoiinno.
yemle-se pec.as de algodao de todas as quali-
Bramante.
Vende se bramante de 10 palraos para lenc6es
a 1/600,2/ e 2/500 o metn.
Algodao enTestado a 900 rs.
Veodese algodao de doas largnras enfestado a
900 e 1/ o metro, dito trancado a 1/280 o metro.
Grande liqnidacio de roupa feita. -
Vende-se eernulaade algodao a 1/, ditas finas
a U200 e 1/5 0. camisas brancas a 1/800, 2a e
2^300, ditas de linho bordadas e lizar a 3/ e
31510, paletots d6 alpaca preta a 3/500, 4/ e
4/o00, ditos de dito de cores a 2/, camisas de
(lanella a 2/, ditas de chita a 1/280 e 2/.
E' BOM SARER-SE
Que a NOVA ESPERANCA, a rua Duque da
'"alias n. 63, bem conhecida pela superioridade de
sens artigos de moda e phantasia, acaba de rece-
ber diversas eocommendas de mer adorias de sua
repartigao, que pela eleganeia bem mostra aptidao
e bom go-to de seus antigos correspondentes da
Europa, e por esta razao a NOVA ESPERANCA,
a rua Duque de Caxias n. 63, convida a sua boa
e constante freguezia e com eepecialidade ao sezo
amavel, a visitarem na, afim do apreciarem ate
onde toca o primor d'arte.
A NOVA ESPERANCA nao quer entrar no nu
aiero dos massantes (verdadeiros azucrins) com
extensos annuncios e nem preteode descrever a
immensidade de oPjectos que tem expostos a ven
da, o que serta quasi impossivel, mas liroitar-se-ha
a mencionar alguns daquelles de maie alta novidade
e toma a liberdade de aconselhar ao bello sexo,
que a visitem constantemente, para depois que
comprarem em outra qualquer parto nSo se arre-
penderem, a vista do bom e e-colhido sortimento
qae ha em dito estabelecimento, esta razao tam-
bem demonstra que qualquer senhora do bom torn,
nao podera completar a eleganeia de sea toilet
sem que &6 um pa? rua Duque de Caxias a. 63, a qual acaba de rece-
ber os seguintes artigos de luxo e inteira novida-
de :
Modernas ^ettas para prender os cabellos.
Primorosos leques de phantasia.
Bonitas sahidas de Lailes para senhora* e meni-
nas.
Interessantes gravatas para senhoras.
Elegantes faehas de touqukn.
Bons aderecos de madreperola.
Delicados aderecos pretos de pufa|o e borracha
(gosto novo).
A.' rea do Cabnga n. 1 A.
Os proprietarios da Predileeta, no intuito d
wnservar o bom conceit* que teem merecido do
respeitavel publico, distinguindo o seu estabeleci-
mento dos mais que Rcgociam no mesmo ges'-vo
veem scientificar aos S9as bons freguezes que pr-
'enrram aos seus correspondentes nas diversas par-
cas d*Europa para lhes enviarem por todos espa-
quetss os objectos de luxo e bom gosto, que se-
jam mais bem aceitos pelas sociedades elegantes
daquelles paises, visto aproximar se o tempo da
festa, em que o bello sexo desta linda Veneza
mais ostenta a riqueza de suas toillettes ; e co-
mo ja rec8bcssem pele paquete francez divers o
artigos da ultima moda, veem patentear alguns
d'eiiire elles que se tornam mais recommendaveis,
esperando do respeitavel publico a costnmada
coneurrencia.
Adero^os de tartaruga os mais lindos que teem
vindo ao mercado.
Albuns com ricas capas de madreperola e da
veiludo, sendo diversos tamanhos e baratos pra-
os.
Aderecos completes de horracha proprios para
luto, tambem se vendem meios aderecos muito bo-
aitos.
Bi toes de setim preto e de cdres para ornato it
oestidos de senhora; tambem tem para collete
alitoL
Bolsas para senhoras, existe urn bdlk s&rtimen-
der seda, de palha, de "chagrim, etc., etc, por
barato prego.
Bonecas dc todos os tamanhos, Unto de louct
como de cora, de borracha e de massa ; chama-
mos a attencao das Exnus. Sras. para ette artigo,
pois as vezes tomam-se as crian^as um pouco im-
pertinentes por falta de um objecto que as en-
iretenham.
Camisas de linho lisas e com peitos bordadoe
?ara homem, vendem-se por preco commodo.
Ceroulaa de linho e de Ica^s. j- '~~- r
Caixinhas com musica, o quo ha de mais Undo,
com disticos nas tampas e proprios para presen-
to
Coques os mais moderaos e de diversos forma-
tos.
Chapfios.para senhora. Receberam um sortimento
da ultima moda, tanto para senhora, como para
meninas.
Capellas simples e com veo para noivas.
Calcas bordadas para meninas.
Eniremeios estampadoc e bordados, de lindot
'leeeohos.
Escovas electricas para dontes, tem a propri*-
Uda de evitar a carie dos denies.
Franjas de seda pretas e de cdres, existe um
grande sortimento de divercas larguras e barato
preco.
Fitas de saria. de gcrgorao, de setim e de coa
mi.?'9, de diversas larguras e bonitas cores.
Faehas de gorgurao muito lindas.
Ft. re* artificial. A Predileeta prima em con-
ervar sempre um bello e grande sortimeiito des*
tag (lores, nao so para enfeite dos Co.beHo*, como
ambem para ornato de vestido de noivas.
Galoes de algodao, de li e de seda, brancos, pr-
os et de diversas cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Lacos de cambraia e de seda de diversas cores
para seobora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
noiva.
Livros para ouvir missa, com .capas de madre-
perola, marfim, os^o e veiludo, ludo que ha d
bom.
Pentes de tartamga e marfim para alisar os ca-
bellos ; teem tambem para tirar caspas.
Port bouquet Dm bello sortimento de madre-
perola, marfim, osso e dourados por barato preco.
Pernunarias. Neste artigo esta a Predileeta boa
Srovida, nSo so em extractos, como em oleos t
anhas dos melhores odores, dos mais afamados
fabricantes, Loubin, Piver, Sociedade Hygienica,
Coudray, Gosnel e Rimel; sao indispensaveis para
a festa.
Saias bordadas para senhora, por commodo
preco.
Sapatinhos de la e de setim bordados ,para bap-
tisados.
Tapetes. Reccbeu a Predileeta um bonito sorti-
mento de diversos tamanhos, tanto para sod co-
mo para entrada de salas.
Vestimentas para, baptisado o que ha de melhor
gosto e os mais moderno recehen a Predileeta
de or arato preco, para flcar ao alcanca
qualquer bolsa.____________
Cora dos estreitarnento d'nrelra
pela facil applica^ao das
SONDAS OLJVAES
DE
. GOMMA ELAST1CA
As man modernas e aperfei^oadat de todas
as conhecidas
YendeiB-se
NA
PHARMACIA E DROGARU
DE
Bartholomeu & G.
34-Rua larga do Rosario 34
para senhoras
Como sao lindas e modernas as gravatinhas que
a Magnolia, a rua Duque de Gaxias n. 45, acaba
de receber I
Popelinas a 1$ e 1$500 o
covado
0 Da.ongano recebeu um grande sortiment) de
popelinas de seda, de lindissimos padroes, fazenda
que se vende por 235uO, esta vendendo pelos di-
minutos precos do 1$ o 1: POO o covado. E' grande
fechineha ; a ellas, antes que se acabem : na rua
de Marco n. 25, junto a Joja da esquina. DSo-se
as araostraa com penhor.
Fundas Heraiarias
ELECTRO-MEDICAES
Para ligar perfeitamente e curar radical-
mente
as quebraduras
Ess.s fundas estabelecidas sobre os.conheci-
men tos medicaes e anatonicos mant^m as qaebra-
dura? as mais volumosos e dinleeis, impedindo o
seu desenvolviroento. Elles teem uma accao elee-
triea qae na generalidade dos casos opera uma
cura radical sem que o doente se sujeue a pres-
cripcao algnma, a excep;ao do uso continuo del-
las. A cura opera-se no periodo de 12 a 20 me-
zes conforme a hernia mais ou menos antiga.
Unico deposilo em Pernambuco, pharma:
cia e drogeria de Birtholomeu a C.
Rua Wrga- do Ro.ario n. 34.______
CAS^
Vende-se on alnga-se uma casa terrea em Olin-
da, com grandes commodos, gaz e agua encanada:
a tratar na rua 1* de Marco n 6.
Fazendas e artigos de alta
novidade
m M PA880
im Primeiro dc Marco n. 7 A.
gCordelro simftvs A C, proprietarios
leste importante estabelecimento, no louvavel pro-
jrosito de nao desmentirem o conceito que os
ieus Humarosos freguozes lhes tem dispensado,
icabam de receber de sua conta o mais nco sor-
imento de sedas, popelinas, las e artigos de ul-
:iraa moda em Paris, e continuarao a receber
por todos os paquetes daquella procedeneia ; por
sso chamara a atlencao de seus fregaezes e os
xinvidam a darem um passeio ao sen estabeleci-
nento, garaotindo-Hies que encontrarao a roali-
lade do quo Oca dito, e para prcva dao um pe
meno resumo, cujo iafaliivelmente despertara a
utencao dos pretendectes.
Mandam fazendas a casa dos freguezes, e dao
mostras medfante penhor.
Aftlgos tit* alta nevidade
uliitsiii moda.
Cortes de 'VNIido de linho guarnecidos de bko
ta mesma fazenda e cfir, trazendo fivella, bolca,
;into, etc etc.
Riquistmos ehapem para senhora, de cores e
jretos.
Cortes de cambraia brancos com lindos bor-
lados.
ni de cores com enfeites da mesma fazenda,
"rino, etc. etc.
..***: '" '" L"'a urcu"lis e seanoras, narne-
=mas de arnnnbo.
Ye3tuarios para baptisado."
RiqUisSimas camiooo liviuauds puid teuuoi*.
Leques (f? madreperola, para noivas.
Ricas colchas dc seda, para casamento.
Cortes de seda, lindas cores.
Gorgorao de seda branca e dito preto.
Sedinhas de delicad9S padroes.
Setim Macao de todas as cores.
Grosdenaples pretos e de cores.
Veiludo preto c damasco de seda.
Granadine preta e de cores.
?ilo de seda branco e preto.
Ricas basquinas de seaa.
Casacos de mermo de cores, li, etc.
Mantas brasileiras.
Capellas e manias para noiva.
Cambraia de cdres, ditas mariposae brancas, de
ores, lisas e bordadas.
Flor do bosque (novidade).
Percalinas de.quadros, listras, eto.
Brins de linho para vestidos.
Fustao de cores.
Saias bordadas para senhora.
Grande sortimento de camisas &e> liana lisas *
ordadas. para homem.
Meias de cor-63 para bomem, senbora, meninos
meninas.
Sortimento de chapeos de sol para homens e
enhora.
Merinas de cores para veaiidos.
Dito pi eto trancado e de veriio, bombaeina, can-
to, alpaca, etc. etc.
Atoalhado de linbo e algodao para toalhae, e dito
jardo.
Daaasco de IS.
Brim de linho braaco e de cores.
Setins de lindas cores com listras.
Chales de merino de cores e pretos
Ditos de touqnim e ditos de casemira
Camisas de chita paca homen* a ditas de 11a-
iella.
Ceronlae de linho e ditas de algodao.
Pannos de crochet para so,fa,,cadeiras, etc.
Lencos bordados e ditos de labyriutoo.
Ricos cortes de vestidos de tarlatana, bordados,
iara bailes, e tarlatana de todas as cores.
Colchas de damasco de la, e ditas 4a crochet
Esparlilhos Jisos e bordados. .
Foulard de seda, liadas cores.
Meias de seda para senhoras e meninas.
Casemiras pretas e de cores.
Popelinas.
Neste artigo tenos um variadissHao sortknenlo,
iao so em gosto como em qoajidade.
Las
;om listras de seda, ditas com paluas bordadas,
fitas transparentes e de oatru muita* qualidades.
I.UVUH
te pellica. hrancas de cores,, do verdadeiro ta-
iricante Jouvin.
Finnlmente :
apetes para sola, cadeiras, cama, entrada. etc.,
:a*mbraias brancas, chitas de todas ae qualidades,
nadapolSeg, esguiao, i.reiaahas, bramantes, algo-
loes, collarinhos, punhes, meias para homem e
enhora, pnnhos e collarinhos brancos e de c6-
es para senhoras, gravatas para homem e senho-
a, peitos bordados, lencns.de JmhP brancos ede
tore*, ditos de cambraia de linho, to albas, guax-
'.anapos, panno fino, etc., etc.
Loja*.do Passo
Rua Primeiro .de Mar$o n. 7 A
antiga do Crespo.
Pentes girafe.
Pentes girafe, proprios para senhora,. ( ultima
moda): a Magnolia a rua Duque de Cax'as n. 45
6 so qaem tem.
Papaj
Gimento Portland
G verdadeiro cimento Portland em barrkac de
180 kilos: vendem Lebre & Reis, a rua do Atno-
rjm n. 58.________________
Vinho verde.
Especial ehegado no ultimo vapor, tem para
vender em barn's de quinto e de Colares em
decimos, no sen escriptorio a rua do Commercio
0. 5, Joaqoim Jose Go'ncalves Beltrio A Filho.
l, mamai.
Como 5o lindas s boneca* de cert que eha-
' mam papai, mamai, choram, andam, etc. S6 na
Magnolia a ma Duqae de Caxias n. 48.
Gaiolas, gaiolas.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 48, re-
cebeu- gaiolas de arame de lindissimos modelos,
Eroprias para passaroe ; a ell u antes qne se aca-
em.
Colchas para camas
Na loja do PavSo vende-se colchas de fnstao
, brancos, para cama a 2,500, ditas .de diio.de or
a 4,000, cnbertas de chita e de cretone, de 2,500
para cma e ditas de nietim escarlate forradas eom
madanolio a 5,000 : a rua da Imperatriz n. 60,
de Felix Pereira de .Si'va-
Naescntoho de Taamaz de Aquino Ponceca k
C. Successores.a rua da Vigario n. 19, primeiro
andar:
Cimenfo Portlabd verdadrfro.
Cera em velas o em grumo: de Lbboa.
Vinho Sheny.
Vinho dj Porto,em caixas, finissimo.
Idem em barris.de quiato e decimo, fino.
Betroz.
Fia
YENDE-SE
Na rua do Vigario n. 19, vende-se o seguint e
Cimento de Portland, em primeira raao.
Vinho do Porto, engarrafado, finissimo, em cai
xas de duzia.
Dito dito em barris e ancoretas.
Vinho Sherry, inglez em caixas de duzia.
Vinho Collares em ancoretas.
Cera em velas, de Lisboa.
Cera em grnme, idem.
Wilson Rowe a rua do Commercio n. 14 :
verdadeiro panno de algodao azui amencano
Excellente flo devela.
Cognac de 1* qualidade
Vinho de Bordeaux.
CarvaodoPedra de toda* as aualidadea.
A 120 rs. o covado.
Na rua da Imperatriz n. 60, vende se para aca-
bar uma graude qnantidade de las, restos de di
versos sortimeetos, desde 420 rs. ate 600 rs.; no
reiiicssa,
Vinho verde de Amaraule
Convida-se os apreeiadnre3 a virem apreciar o
qae ha de mais excellente neste artigo; vende-
se em decimos e a retalho, em easa de Pdcas
4 C, a rua estreila do Rosario n. 9, junto a
greja._______________j__________________
iIV-talhos de las.
0 PavJo vende uma porcao de retalhos de las
para vestidos tendo grandes e pequenos, que li-
qnida barato para acabar, assim como uma por-
cao de ca.'sas e chitas pretas que se vendem por
qualquer preco para acabar: na rua da Imp r -
triz n. 60, de Felix Pereira da Silva.
Espartilhos, a 3/500, 4* e 5|,
0 Pavao vende um bonito sortimento dos mais
mode dos espartilhos que vende a 3/olO, if, e
5*000.
Peehiuca em lencos brancrs a 2 800.
0 Pavao vende duzis de lt-ncos finissimos de
cambraia branca para mao, sendo fazenda que
sempre se vendeu a i ,(.00 a duzia e liquida-se a
2/500 por ter grande porcao de duzia;, ditos abai-
nbados a 2}, ditos chinez muito finns e ditos
franeezes escuros muito flnos para quem toma
rap.
Cassas de cores a 240 rs.
Vende se cassas de cores para vestido a 240 rs.
o covado : na loja do Pavao a tua da Imperatriz
n. 60.
Camisas.
Vende-se uma grande porcao de camisas bran-
cas com pcilo de linbo e de algodao, por muito
menos do seu valor, por eslarem um pouco enxo-
valhadas, assim como seroulas francezas e de al-
godao a l-.ilOO, dilas de linho a 2.; e 2;,500 para
E' biiaiio
JaoDdoae SSShS!?0?0! .wi*. !]Sen,8 cSinplh'! '"bar : na loja do Pavao rua da Imperatriz n 60
i vendiam a 1*280 e 1*600 o covado, ba j de Felix Perei|!a da Sllva_
tos, se
grande varitdade em padrSes, os que primeircXJ
chegarem melhor pechmcha farao, a el la a rua d
Imperatriz n. 60.______
Roupa para homem para acabar ate ao 6m
do anno.
Na loja do Pavaj liquida se uma grande porcao
TWT A ECS M?S de roupa para homem como sejam: calcas de
1" -* Pi Bar 1FS. WlaW brim d Angola, ditas brancas, ditas de casemira de
Na loja do Pavao vende-se madapolSes franco cor de 65 ale 12;;, ditas de brim de cores, palitots
zes muito1 ineorpados, com 20 jardas a 6,000 Teis,! e fraks de panno preto, de alpaca e alpacao, as
dito moil) fino com 12 jardas a 3,000 e 3,500 ; as sim como de casemiras de ci res, colletes brancos,
aim como um grande forlimento dc madapoldes pretos e de coies, assim como roupa branca de to-
inglezes de 4.500 ate*_ 8,000 e 9,000 : a ma da iin- das as qualidades, nao se olha a prtjuizo, o que se
quer 6 liquidar m& ao li a do anno.
Cambraia Victoria e transparente
Na loja do Pavao vende-se um grande sortimen-
to de cambraia Victoria, e transparente para ves-
tidos t>-ndo 8 1/2 vara caua pessa de 3.-600 para
cima, isto na rua da Imperatriz n. 60 de Felix Pe-
peiatriz n. 60, de pelix Pereira da Silva.
s
accos
Vende se sacco3 de estopa cm um pequeno j
defeito, pn prios para ensaccar farinha, milho, etc., r
polo diminuio preco de i20 rs. cada nm na lo-
ja do_Gailberme &"C, a rua do Cre*po n. 20.
C'llarinhos de linho para acabar a 4)
a duzia.
sy Na loja do Pavao liquid a-se uma grande porcao
a vO r\ /~l"l "l 1 x^ w~k 4*~wC **e dnzias de collarinhos de linho, por estarem um
\V(J;NcX\ J II j If")?) pouco enxovalhados, pelo barato preco de 4j a
I j duria, sendo fazenda que sempre se vendeu por
7 e pechincha : a rua da Imperatriz n. 60, loja
de Felix Pereira da Silva.
Chales de casemira a 4*.
0 Pavao vende chales de casemira com gostos
chinezesy sendo muito grandes, que sempre ven-
deu a 7* e 83, liquida a 4;. Ditos de la, muito
encorpados, com listras, a 3). Ditos de quadros,
azenda muito boa 2. ; assim como, um bonito
fortineato de ditos de merino, lisos eNde quadros,
vende de 2 ate 5: e 6* : a rua da Imperatriz
n. 60, loja do Pavao, de F. Pereira da Silva.
Ponelina de linho a 400 rs. 0 covado.
0 Pavao reccbeu um elegante sortimento das
mais bonitas popelinas listradas para vestidos que
vende pelo barato preco de 400 rs. 0 covado, la-
vando-se nao desbotam ; assim como, bonitas e
modernas lazmhas com listras de seda a 649 rs.
0 covado. Dilas in.n.-parenlos com palminhas a
500 rs., sao bonitas. Bareges de uma s6 cor, pelo
Sargelim de c6r trancado proprio para forro de barato preco de 400 rs. 0 covado, e pechincha :
Rtidosft r.nira nnal.nipr nhra p vpndn a nnln na rua da Imperatriz n. 60, loja do Felix Pereira
Casaquinhos de gorgorao de seda, pretos, pro-
prios para senhoras, fazenda muito fina que sem-
pre se vendeu por 20*, estamos vendendo por
6* cada um ; isto so na loja do Guilherme & C.
a rua do Crespo n. 20.
Linho d'Alsaeia
Linbe-de Aloacia com listras, abertts, fazenda
muito larga, padroes lindos e inteiramente novos,'
proprio para vestides de senhoras e meninas, pelo
baratissime prer;o de 140 rs. 0 covado ; dao-se
amostras : a rua do Crespo n. 20, D-ja do Gui-
lherme Si C.
Sargelim
vestidos e outra qualquer obra e vende se pelo
diminuto preco de 160 rs. cada covado : a rua
% Crespo a. 20, loja do Guilherme & C._______
E' vm as senhoras.
A Magnolia, a rua Duqne de Caxias n. 45, par-
cipa ao bello sexo qae acaba de receber da En-
opa, um completo sortimenlo de artigos de ulti-
oa moda, e como acha desnecessario fazer um
nfadonho anuuncio, por ja ser bastante eonhe-
:ida, e caprrcbar sempre em ter bons correspon-
lentee, sendo a primeira que apreseola 0 que ha
siolimtta-ae a,descrever somente b segninte:
deltas douradas.
BIcoa de cdres, tanto de seda como de guipure.
Lrqneg dourados, de madreperola, marfim, tar-
taruga, osso, etc.
tuiiiiiiiM de baiie.
PresenteB, diversos artigos proprios para pre-
sentes.
woiinhas e pnnbos.
ammai para missa, eom capa de madreperola,
tartaruga, marfim, veiludo, etc
apaiinIto8 de setim para baptisado.
Camisas bordadas para senhoras.
Lisas de seda.
Pra^Jaa mosaicas.
Lderefutt de tarUiruga.
t'ollas de madreperola.
i"ulseiras de madreperola.
Ltndaa flores' para cabe;a.
Solsaade veiludo.
Perfumatrias dos melhozes e mais afamados
fabricantes.
ctiapeos de sol para senhoras.
Pitas de vellude de todas as ores e larguras.
Moseas.
Quereis livrar vos destes malditos insecto*? com-
jrai uma tnachina de matar moscas por 3*000
ia Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45.
Calvice.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 48, ven-
0 verdadeiro Vigor de Ayer, que impede a
-thida dos cabellos.
Sardas epanos.
S6 tem sarda* e panos quem quer; porqne a
tfagnolla, a rua Duque de Caxias n. 43, tem para
'ender -a verdadeira Cuticnleria, qne faa desappa
ocer estas manchas-era poucos dias._______^
Grande descoberta
Curativo das molestias do
peito pelo
1 Xarope de solphitu de soda
\. BER1ET
Bate importante medicamento que acaba de ser
reconhecido pelos distioctos Drs Zalloni e Paras-
Jhevas como nm verdadeiro espeeiflco contra a
pbtysica, segundo provaram nos grande* nnme-
ros de casos por elles experimentados, como ae ve
na. sessao da academia de Paris de 24 de marco
do corrente anno, eneontra-se nnicamente no
Deposito da phannacia e drogaria
de
Boribolomea A C.
N. 34 .Rua larga do Rosario N. 34
mm 1 TAsst.
A' preica circular do Apollo
vende-se:
Tijolos de marmore, de dilTerentefi ta-
rpanbose qualidades.
1 Tijolo* frajjcfie8,.6extuplo8.
Cimeatto Partlaad verdadeiro.
A zulejas grandes muito, proprio*
para. rodap^s.
Azulejos verdes e amarellos, tamaaho
regular.
Maquinaai de descarogar algOdSo.
Cadeiras de forro, assento de palhi-
nha, proprias para campo.
Salsa parrillia
Muito novae grossa.
Veada-se por barato preco, em norcSo ou a re-
talho : na ma larga do Rosario n. 34.
E' com as noivas
A NOVA ESPERANCA, rua Dnque de Caxias n.
36, acaba de receber boas meias de seda' propria*
para noiva*, e os apreciaveis rame* de larangeira
da Silva.
Cortes de vestidos pira liquidar.
0 Pavao vende a 4^!, 5 e 6jl corte de cam-
braia branca com eufeites bordados dc cfir, la-
zenda que sempre vendeu a 7/ e 8, e liquida a
41 para acabar. Ditos brancos de cambraia abir-
ta com listras e lavradinhas, que sempre se ven-
deram a 10$, liquidam se per 5;. Ditos Benoalao
com lindos eufeites de cd", fazenda qne val 12:,
liquidam se a Ci. Ditos de cassa de cOres com
7 varas a 3j ; e pechincha : na ma da Impe-
ratriz n 60, loja de Felix Pereira da Silva.
_. Pechincha jpara criancas.
Toalbas de fusiiu paw mesa a 'i-.iW.
0 pavao vende toalhas de fustao para mesa de
jantar pelo ban to preco de 2o00, e pechincha :
na loja do Pavao, a rua da Imperatriz n. 60,
loja de F. T. da Silva.
Gros preto a is.
0 Pavao vende grosdenaples preto & li 0 co-
vado e dahi para ciim, ate i. : na rua da Impe-
ratriz n. 60, loja de Felix Pereira da Silva.
Brins de Angola a 2S, 2.500 e 3y
0 Pavao vende cortes dos verdadeiros bins de
Angola a 2.., 2500 e \\h ; e pechincha : na rua
da Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da
Silva.
Metins-a 280 rs.
0 Pavao vende bonilos mains de cores para
vestidos, pelo barato preco de 280 e 320 rs. 0
covado; assim como, um bom sortimento de chi-
tas de todas as cores, padroes modernos e Gxos,
pelo barato preco de 28O ate 360 rs. : a rua da
Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da Silva
A-almofads borda4as de la matisadai qsa rt-
eebeu a Mow Esperanra, a rua Duqna si
Caxi r '".
Cortinados para camas
Na loja do Pavao vende se nm grande sortrmec-
10 de cortinados bordados proprias para cama* t
janellas, pelo barato preco de 8, 9 e 10,000 n. 0
par, assim como colclias de dan.asco para ctats
de noiva a 10 e 12,000 reis-6 pertiucha: a
rna da Imperatriz n. 60, de Felix Pereira da
Silva.__________________________^____
Sedinhas a 1^500 o cov do.
Vecham antes que se acabem : na loja do Paste
a rnai.' de Marco n. 7 A.__________^^^^^^
A'ao ha qaem vcoda mais btralT
Gama & Brito, com :rmazem de raolhados co
largo da Santa Cruz ns. 2 e 4. vendem maat< iga in-
gleza em barril a 800 e 1,000 rs. por <*ada V)
grammas ; vinho de maca a 1,200 a garrafa. dito
Figueira a 440 a garrafa, a canada a 3,4)0 r.,
gaz (Devos) liquidoaiiOa garrafa, velasstearinas
a 560 o maco. vela* econc micas a 760 o niaeo,
cha perola a 3,200 rs. cada 430 gram row dito al-
ji.l'ar snperior a 3,000 rs. cada i50 grammas, um
completo S' rtirner.to de bidcoitos em iaia. qo* .*
vendem nor precos baratissimos, heivilhas france-
zas a 640 a fata, marmelada muito fina a 640 rs.
a lata com me ia kilo, queijos frescos, azeKe doc-j
de Lisboa a GiO a garrafa, assucar de primeira
si rte a 320 rs. o kilo, dito de s<-j<;.n.la torte a 28
o kilo, dito de terceira sorte a 240 o kHo, vinho Jo
Porto, em barril, a 800 rs a garrafa, dilj engar-
rafado das marcas mais acveaitadM a l,Oi>>,
1,200 e i.oOOj: o que p6ia[ haver de meiiior e
tudo mais a ve made dos compradores, certu* d
que encontrarao a maior sinreiilade e agrado
possivel : no largo da Santa Cruz as. 2 c 4, ^rmz-
zeiu de Gama & Silva Brito.
Vende-se
na rua do Vigario n. 19, primeiro andar :
Vinho do Potto engarrafado, eu barris etc
ancoretas.
Cera em velas, de Lisboa, superior qc.Vidr.
Relroz do Porto.
Cimento Portland, legitimo_______________
Cortes decasimira a 4$,
e 6j?000.
Na loja do Pavio, ven semira para calca a 4$, 55 e6' UO, ditos
! muito tln>. sde uma s6 cor com lislras o la-
do, fazenda qne sempre se vend u a 9jJ e
10JS000, liquida-se a CfiOOO pra acabar ;
& rua da Imperatriz n, 60, de Mil Pereira
da Silva.
Cal de Lisboa novissima.
Vende se em grandes e pequena* poii,-5es : li
dna Djgejta n. 14._________________________
Para concertar meias
A NOVA ESPERANCA, a rua Duqp.s (!- Cam.
n. 63, recebeu .'esta nee. ssaria lirha
I Asunicas verdadeiras
Richas hamburgiiozas errj"- "ei. artassacsaa
na m? do jjarono* j w''cd^ S'
"VE i E2-li. os.tio'jl.
ja de S. Jose" do Mangu nho, com eaas de ilassaa
assobradada e outras acommodav5es, t l.i mail-
do, com duas frentes-erviias per portio de few;
dando para a rua it Amizade para a do Mac-
guinho. Tem de terreno proprio lii palmoe tc
largura e 354 de fundo ; e a ca-a m de -ii pair.
de frente e 84 de fuodo. A siuuea.) i a sssW
ssivel para morada, e quem quier > Jificar.
astante terreno para i>to, pelo lado da rsi
Amizade. Tem a pumas planlagfies de gozo e n-
creio, havendo bastante agna braaatsa por cu;
cacimbas, uii-a das quaes 6 nova. A entecJ-.-.-'.
com o Sr. Dr. Witruvio quem o pr t- nder.
A 500 rs. o covado
Na loja do Pavao vende-se RfMu i j if neza*
& fazenda que jamuis se v>-aiit-u por menos C*
dois cruzados ; ja ha po'.cas : a rua da Irrperalril
n. 60, loja do Pavao, de Felix Perei'a fa Silva.
Para p&darias e tavernas
Sal fino e muita a!vo : vende-se na rua Imp -
rail n. 5, armazem.
0 DeseDgano esta quei-
mando
0 proprietario deste estabelecimento tem resol-
vido vender as fazendas existentes em seu estabe-
lecimento, por menos do que em outra qualquer
parte.
Vanzinese de seda.
Vende-se esta fazenda de lindos patrdes, de lis-
tras e palmas, pelo diminuto preco de 320 rs. o co
vado, por ter uns toques de mdfo, e grande pechin-
cha. Etta fazenda tambem serve para Into, por
ser toda preta; 6 fazenda de 2/500 o covado.
Damasco de li.
0 Desengano esta vendendo damasco de la de
lindos padroes e de duas larguras, pelo baratissi
mo preco de UOOO o covado, e fazenda de 2/500.
Aproveitem que o Desengano esta queimando.
Casaquinhos de gorgorao de seda.
0 Desengano esta vendendo casaquinhos de gor
SorSo de seda, enfeitados, pelo baratissimo preco
e 6000 cada nm, e grande pechincha. A elles
antes qne se acabem.
Organdys a 320 rs. o covado.
Vendem-se Orcandys de listras, branco, pelo ba
rato preco de 320 rs. o covado. Aproveitem.
Madapoloes de 49000 a peca..
0 Desengano esta vendendo madapolio francez
com 20 varas s. If a peca; dito muito lino, a Si,
5/500, 6/ e 7/ a peca ; 6 grande pechincha.
Algodao marca T, largo, a 4/, 4/500 e St a
Rkos chapeos de sol de seda, com cabo de mar-
fim, a 19/ cada nm; e pechincha.
Baptistas de lindos padroes a 400 rs. o covado.
Lizinhas de eores, bonitos padroes, pelo diminu-
to preco de 160 e 200 rs. o covado. A ellas antes
qne se acabem.
Cambraia Victoria, a 3/500, 4/, 4/500 e 5/ a
peca.
Alpacas de cores, la e seda, bonitos padroes, a
500 rs. o covado ; e grande pechincha.
Metins de cores, bonitos padroes, a 280 e 300 rs.
o covado.
Chitas claras, de lindos padroes a 240, 260 e 280
E outras muitas fazendas que deixa de mencio-
na-'as para nao se tornar enfadonbo, por isso o
proprietario convida a todas as pessoas a fazerem
uma visita a seu estabelecimento, afim da sorli-
rem-se do bem e barato. Rua do Crespo n. 25,
juntos loja daeoquina.
LSziohas brillisntes a 720 rs.
0 Pavao recebeu um bonito sortiment) da* sasS
lindas lazinhas brilhantes, sendo de qnasrishu
miudinh >?, parecendo de uma so cur, e tendo diuV
rentes cores ; esta fazenda tem um br liic cocc
seda e bastante largura, e v^nds-se 721) rs. a
covado : na rua da Im; eratriz n. CO, I. fa de Feb'x
Pereira da Silva.
Lazinhas mole;nas a 3-20 rs.
0 Pavao vende bonilaa kuiuh&s de ^ualrnbos,
tendo de todas as cores, pel j barato pre. it 3x0
rs. o covado; sendo fazenda que sempre M vesdeu
a 500 rs., e pechinc a : na rua da lmpc:atrii c
60, loja de Felix Pereira da Silva.
Crochets para cadeiras.
0 Pavao vende uma porcao de panes ic 'ro-
chet, proprios para caaaaw de cade ras c de ;>
fas, qne vende por precos baratissimo* : na rua
da Imperatriz n. Go, bja de Felix Pereira da
Silva.
C6rtes de organdy a 25 i(i'j
0 Pavio recebeu um bonito sortimento de cutte*
de organdy, matisados, para vestido, que \enit
pelo baraii'simo preco de 2 400 o corte, e pechic-
) cha : na rua da Imperatriz n. 60, loja de F Pereira da Silva._________________________
Sao de listras
Lazinhas a 3-AO rs. o esvads.
S6 o 43Queimado-S6 o 43
JUNTO A LOJA DA MAGNOLIA.
Lazinhas de listras, gostos a prussiana, lu
muito linda a 200 rs. o covado.
Aproveitem antes que se acabem.
______Dao-se amostras com penhrr.
Pedras de marmore
Vende-se pedras de marmores, de diversos ta-
manhos, com duas polegadas de gros un, fn prur
para mnitos misteres : a tratar coir. Jjao kai it
Cunha Lages.
Bartholomeu & C
PABA
Liqnidacao de eonias
vendem por barato preco
SALSA-PARRILHA
DO
PARA'
34-RUA LARGA DO ROSARIO 34
Farinha de mandioca supe-
rior.
Tem para vender, Joaquim Jose" Goncal-
ves BeltrSo & Filho, a bordo do palhabott
Rosita, fundeado ao pei do caes do Collegio,
e .para' tratar a bordo ou oo seu escriptorio :
i rua do Commercio n. 5.
Chocolate do Maranhao
Unico deposit < nests culade, em casa de Jos*
Tavares Caneiro & C, rua Dirtita n. 14, onde w
vende pelos precos vantaeeus da fabric*.
E' pechincha.
A 160 rs.
Lazinhas de core", padroes roui;. liasn
prios para vestidos de senhoras e meninas, e vts-
de-se pelo diminuto preco de 160 rs. o >nas>,
por este preco so se encootra na roa do Cr. ^v. n.
20, loja de Gnilheime A C ; dao e am iacr.
Leques gigantes
So quem tem dos mai* moderaos MiizjYh
a rua Dnque de-Caiia* n 48._______________
Traves.
Salsa-parrilha do Para
Tem para vender Antonio Lnix de Oliveira Aia-
vedo, no sen escriptorio, a rna do Bom Jesus na
mero 57.
Vende-se trave* de loaro e quai dl ; ,- r
ver ao caes do Ramos, e trata-se dm Im ,u.ta
Rodrigue- Tavare* de Uoilo, a pr^^a do .
Santo n. '7, 1.* andar.
Sal do Ar^u
Tem para wider Antonio Lmz de iir-^ra
Axevedo, a bordo do palhahota Arhkr : a
tratar com o eapit&o a bordo, on no tea esarla-
torio, a rna do Bom Jesas a 57


?

8


Diario de Pernambuoo Sabbado 28 de Novembro de 1874.
.
LITTEMTPRA,
Questito penitenciaria.
RELATOniO APRESEKTADO AO MINISTRO DA
JCSTICA PELO ADMINISTIUDOB DA SEGURAN-
QA PULLIGA E DAS PRISOES DA BELUICA
(ConclusSo)
Convem, porem, levar em conta para
explicar esta cifra,
Himalaya, outras r.a cidade da Asia, disfar-
gado.
Em 21 de oulubro foi preso em Gawlior,
sendo e primeiro que o reoonheceu o Mah-
rajah de Sindra, que o conservou prisio-
neiro no seu patacio ate o eutregar ao vice-
rei da India
Esta pris&o fez despertar o horror dos
crimes do malvado. N'aquella terrivel crise
a primeira vista pouco para Inglaterra, Nana Sahib sitiava um
elevada, quo nosta populagao de 2,053 de-jpunhado de inglezes, que sob o commando
tentos estao incluiJos. nao si granJe nu 'do general Wider, defeudia heroicamente
mero de detent is, coja deinora na pris&o e
ephemera, nSo po.leudo.por isso serein util-
ment9 empregados em trabalhos iudustriaes,
mas tambem deicntos dispeassdos por lei de
todo e quaiquer trabalho, os euferraos, e
as mulheres. que sao geridmonte emprega
das era servigos inlernos ou domesticos.
Nfio ne^essito oforcar-me para demons-
trar, que o homura trabdhador, submet-
tido ao regimen cellular, nada pordo da
sua actividade, e que o seu trabalbo e pro-
ductive.
As informago^s colbidas sobre este ponto
na estatistica geral das prisoes da Belgica,
no decurso de 1831 d i860 nenhuma du-
vida deix3o.
Aldm disto, esta questao, importante sem
duvida sob o ponto de vista economico, e
completamente extranln ao piano que adop-
tei na redacg3o deste relatori o.
0 que e" essencial e provar, como se prova,
que os officios exercidos nas pri-oes com-
muns tamben o s3o nas prisoes cellulares,
e que a aprendisagem de diversos oflicios
pode ter lugar nestas nas mesraas condigoes,
senSo superiores, que nas prisoes em com-
mum.
Resumirei.
A reforma penitenciaria, devida a inicia-
llva do governo, poderosamenta secunda-
da pelo poler legislativo, tem produzido os
resultados previstos. A repressao do crime,
a emanla /e educagao dos culpados s3o
d'horawn'oiante asseguradas : lud ) faz
Cawpore.
Alii estava gran le numero de empregados
inglezes com seus filhos. Commovido na
apparencia, dos seus terriveis soffrimentos,
lhes disse que podiam retirar-se com toda a
seguranga para Allahabad, deixando os seus
thesouros e provisoes.
Aceita a propos a, os que tinbam sobre-
vivido ao sitio, dos quae$ luas tergas partes
erara mulheres e criangas, dirigiram-se ao
rio para embarcarem ; mas n'este acto romH
peu contra elles um fogo terrivel das duas
martens.
Mutade morreii alii e a outrs, coaduzida
de novo a Cawpore, foi executada por cinco
verdugos, sendoarrojados os seus cadaveres
a pogos profundos onde os oncontraram as
tropas britannicas.
Nao so salvou um s6 dos infelize*.
Qua raonstro 1
DESACATO. 0 Times da" os seguintes
pormenores sobre urn desacate occorrido na
cathedral citholica de Kingston:
Durante as exequias de um cubano em
a cathedral catholica ru i ana, occorreu ha
as uraa scena desagradavel. Ao entrar na
igreja, os compatriotas do defunto haviam
coberto o feretro com a bandeira de Cuba
livre, e ao supplicar-lhes o padre Dupont
quo a tirassjm, elles recusaram-se.
Ent&o repreheadeu-os e disse que nSo
podia tolerar a introducgSo de emblemas po-
liticos nos ollhios sigralos, por estar pro-
Os gendarmes retirararn-no
la indignac&o geral.
em meio
FURACAO. A cidade da Londres e ou-
eiperianrUalw mais do que um ligeiro
abalo.
0 Siecle, que da noticia dusenvolvida d.i
experiencia, cujo resumo apresentaraos, ter-
tros pontos da Inglaterra foram acoutados'mioa'assim:
ha poucos dins por um violeuto furac&o,! 0 ensaio foi absolutamente concluden-
que causou serios estragos, aluindi). predios te ; e n6s nio poderaos deixir da pedir que
e desmoronando parades. jo Sr. Assier-Retif syja autorisa lo a repe-
Muit'S predios ficaram damnificados ; til-o em Paris, em presence de pessoas com -
algumas pessoas gravemente feridas. peten'.es.
Dudley soffreu muito com a visita d'este Estamos onvencidos de que as vanta-
furac&o. gens da semelharite appirel'ao sorao apre-
Foi consideravel o numro dos sinistr'os|ciaJas como convem; e o sea enprego re-
no mar.
Um navio que estava na doka fluctuante
Greenok, o Sourabaga, foi empurrado pira
Uelensburgh e alii ficou completameate des-
mastreado.
0 vapor Chiesan, que navegava de Glas-
gow para Shanghai, naufragou na costa oc-
cidental da Escossia. Pereceram oaze ho-
mens quecomounbam a equipagem.
Um brigue abalroou e affundio uma go
leta
Retardaram-se coasideravelroente lodos
os servicos dos vapores e trens do caminoo
de ferro>
0 vendaval acalmou por fim, seguindo-
se-lhe uma chuva verdadeiramente torren-
cial.
GRANDES INCENDIOS. Pelos ultimos
telegraramas recebidos de Nova-York, cons-
ta que so desenvolveram numerjsos incen-
dios nas fljrestas de Long Island e nomea-
commmdado
bombeiros.
a tolas as ompiubias, de
0 QUE DANIES SE JULGAVA DOS CA-
MISHOS DE FERRO. -No Kens ngtoo Mu-
seum, em Londres, debaixo do uma redo-
ma que o protege, p61e rer-se um exem-
plar curioso da Quartet ley Review do an-
no de 1819. /
0 numero exposto contom uma aprecia-
Qao do projecto que se tinha formado n'a-
quella epoca de se construir um caminho
de fer.-o sobre o qual s* fanam circular
wagons com a ajuda do vapor, e por meio
do qual poder-se-hia_viajar dujs vezes miis
depressa do que nas carruagens do posta e
diligeucias.
Eis a curiosa aprec:ag&o do referido jor-
nal:
Nao somos partidarios dos projectos
phantasticos quo se referera ds instituigoes
utois, o run is, como da uma idea imprati-
vita, o Morskoi Zbornik, publica um qua*
dro interessaate do ostado da marinha de
guerra russa:
0 numero total de navios de guerra 6
D'estes, 29 sao couragados. To-
de 225.
porem o encarregado da vaoda, coao e M-
bido, fugi > com odmheiro para a Aner ci.
A duqueza de Braganga, mii de D.
Branca, escrereu ao periodieo a Germaniu,
de Berlin), declarando cotopleunenta in-
dos elles conteem 921 pegas de artilberia ; funddos o's boatos que dio sua Glha cono
damente entro as liohas ferreas de South jcavel, da que consiste e.n construir o cami
Sid e Long Island Railroads, nos arredores nho de forro sobre o qual nos possam fazer
prever que, em um futuro ndo remoto, a'hibido.
criminalidade e a reincidencia tenderao, < Ao ouvirem isio, ans vinte e cinco dos
cada vez mais, a diminuir, gragas a appli- presentes sahiram da igreja e comogaram a
cagao em maior escala do syste .a cellular.
Seria uma grave falta nao conu'nuar-se na
marcha encetada.
A transforiTiagao de algumas prisdes em
commum, quo ainda existem, em estabe-
lecimentis cellulares, trazondo assim a uni-
fjrmidmle no regimen do nossas prisOssse-
cundaria*, permittird estabelecer sobre me-
Ihores bases a classificagao dos presos, e
completer a organisagio de muitas do nos-
sas priso is sob o ponto da applicagSo me-
Ihor entendida do regimen cellular.
Sem duvida esta 'transfurnoacio exigird
novos sacrificios : mas ninguem ousard con-
lestar, que serao elles largamente compen-
sados pelas vaotagens que resultardo para 5
moralidaJe e seguranga do paiz
Bruxellas, 31 de dezembro de 1869.
Beroen.
Adminis.'rador da seguranga publica e das
prisfies.
VABBEDADE
OS MORTICLMOS DE TONG-KLNG.
Mr. Puginier, bispo de Tong King, escreve
da capital da Concbicbina franceza, a res-
peito do ultimo raorticinio de christaos :
o incendio das suas pov6agoVs'e'cuiii na minha missao e estenderam se em segui-
da a de monsenhor Gauthier.
M Como descrever os horrores de que fo
mos testemunhas, sen que nos fosse pos-
sivel fazer cousa alguma para salvar os no-
vos neophytos ? Os letrados, livres de todo
O freio, excitados pelo saque, embriagados
pelo assassinato, ndo punham limites d sua
saoba.
Armados delangas, espingardas, e mui-
ts vezes ate do canhoes, cahiam seguidos
de bandos numerosos, sobre as povoagoes
christas, quasi todasderaasiado fracas para se
defenderem.
Matavam, sem distincgSo, homens, mu-
lheres, criangas, como tarabe n aquelles que
de joelhos pediam perdoassem a vida a quem
nao lhes tinha resistido.
0 mestre escola, vendo ir os lettrados,
ret'ugiou-se na igreja, e alii, prostrado ao
pe do altar, se preparou para a morte por
meio da oragdo. Chegam asassassinos. Parts
terem um prazer novo, arrancam-lhe a pelle
do craneo e do rosto. 0 paciente, sempre
de joelhos, continuava a sua prece e offere-
cia a sua vida a Deus. Satisfeita a feroci-
dide, os verdugos cortaram-lhe a cabega.
0 numero de christaos mortos sobe a
rauitos milhares. A maior parte foram as-
sassinados por occasido do saque das povoa-
goes ; muitos no entanto, feitos captivos,
receberam ordem de apostatar, e, como re-
cusassem formalmente, tiveram a cabega
cortada, Entre elles ha velhos, mulheres,
raparigas, e ate criangas.
Tres sacerdotes, mais de vinte cathe-
chistas ou estudantes da minha missao, euma 5
' /. na de cathechistas ou discipulos de
m jnsenhor Gauthier tiveram a mesma sor-
te. Nas duas misso.js, ficaram completa-
mente arruinados ou tiveram que se disper-
se a r setenta mil christaos pouco mais ou
meoos.
Grande numero d'elles estao ainda es-
con lidos nos antros das montanhas onde se
ali a mtaOB de hervas e de raizes. Outros
ene> iraram refugio e salvagio em casa de
paguos menos crueis ; mas nem pir isso
d vh n ser menos lamentados, por causa do
perig i que corre a sua fe\
.Mi is de trinta presbyterios ou casas de
parochia, duzentas igrejas pelo menos, mais
il; ir.ziitas colonias dechristdos, compre-
bend n lo quatorze mil familias approxima-
damenti, dez conventos de religiosas anna-
amitas Cram mettidos a saque e incendia-
dos.
As perdas materiaes das duas missoes,
jncluinJo os bens ecclesiasticos, excedem a
quatroccntos mil francos, e as dos nossos
cbristd s devem ser avaliadas em quinze
mtlboesde francos approximadamente. Esta
cifra do quinze milhOes n&o deverd parecer
exagerada, sese attender a que os christaos
perderam, nao so as suas casas e tudo quan-
to n'ellas se continha, como tambem os seus
titulos de propriedade e de credito, o que
lhes tira todos. os meios de poderem fazer
valer os seus direitos.
fumar d entrada do edificio. Depoistorna-
ram a entrar para levar o ataude, acom-
panhando o sacerdote que, voltando a cara,
vio que tinham tornado a por a bandeira.
Parou e disse que nao continuava a ce-
remonia, emquanto nao retirassem a ban
deira, ao qus um cubano, mais impetuoso
que os demais, levantando a mao e dando
uma paooada no ataude, proferio umju-
ramento indecente, accrescenlando que a
bandeira Qcaria no lugar onde estava. Os
demais atiraram-se ao sacerdote, dando-lbe
empuxoes e usando dq palavras indecoro-
sas.
INCINERACAO DE CADAVERES. Os
nossos leitores* teem jd conbecimento deque
principiou a introduzir-se na Allemanba o
costume de queimar os cadaveres, seguirido
o exemplo da antiga civilisagao grega e ro-
mana. Em Dresde celebrou-sejduma d'es
tas ceromonias, chamadas incineragao. O
Times conta-a do modo seguinte :
0 cadaver de lady Dilke, fallecida em
Londres ha cinco semanas, foi queiraado no
dia'10 em Dresde. Verificou-se a ceremo-
nia no forno que para este fim inventou ha
pouco Herr Siemens-, e como os parentes da
defunta haviam pernittido que a9sistissem
ao acto os estranhos, concorreram muitos
'"*'-""J^--iy "nnincnt nAr iirpn.-i-
rem a operagao.
Depois dos assisterrtescumprirem a von-
tade da defunta, orando por ella mentalmen-
te, collocou se o feretro na camara do for-
no.
Aos seis minutos, o caixao com^gou a
arder ; cinco minutos depois, jd ardia a car-
ne ; aos dez minutos, acontecia o mesrao
ao esqueleto, e depois de outros dez minu-
tos os ossos licavam reduzidos a cinzas ; a
operagao durou setenta e cinco minutos.
As ciuzas foram recolhidas e deposita-
das em uma urna. 0 cunhado de lady
Dilke presidia d ceremonia.
NANA SAHIB. Causou immensa alegria
em Inglaterra a pris&o do terrivel Nana Sa-
hib, de cujas atrocidades na India em 1857
ainda serecorda a geragao actual.
I Apezar dos milhoes offerdcidos pula sua
cabega, o principal caudilho dos cipayos'com voz tranquilla : Senhores, pegopara
sublevados tinha-se subtrahido d vigilancia sc-r executado no lugar onde commetli o cri-
ingl.zs, umas vezes nos profundos" vales do me.
FACTO HORROROSO. Sob estaepigra-
phe dao os jornaes de Paris a seguinte no-
ticia :
Um cao damnado mordeu um cavallo.
Este desfilou desbocado, e o cavalleiro, Ion-
ic de o sogurar, esporeava-o para fugir do
cdo hydrophobo, mas este saltou d garupa,
cono um tigre, e agarrou-se ds abas do
casaco. N'esta disposigao correram dez
minutos a todo o comprimento de um bou-
levard.
Ao chegar ao pirque Morneaux, o ca-
vallo deu um galao o atirou com o cavallei-
ro aochdo. 0 cdo conservou na bocca um
podago do casaco, e de um novo salto tor-
nou a subir para a garupa do pobre qua-
drupede, a quem mordeu cruelmente no
pescogo.
0 cavallo acabou por cahir vencido pela
dor e pelo cangaso, e tanto este como o cSo
foram mortos a estocadas por um guarda
municipal, emquanto que o cavalleiro se
julgava muito feliz por so haver fracturado
uma perna.
CONDEMNACAO A' MORTE. Escrevem
de Saint Brieuc, em data de 23 do pas-
sado :
a. Na sessao de 22, o tribunal do Norte
julgou um tal Eugenio Victor, de Tregeux.
Victor, especie de besta fera, estran-
gulou uma rapariga, bonila e honrada, fi-
Iha do seu patrao para saciar os seus dese-
jos. Foi elle mesmo participar d gendar-
meria o seu crime, vangloriou-se d'elle, e
conduzio os agentes ao camp) onde con-
summou o facto.
A' aut^psia do cadaver da victiraa,
nenhuma emo^ao appareceu n'aquelle rosto
do bronze, e esta impassibilidade nao o
abandonou durante a audiencia. Nem a
audigSo das testemunhas, nem o interroga-
tors do ministerio publico lhe alteraram as
feigoes.
Quando o procurador da republica pe-
dio a sua cabega, comegou a sorrir e res-
mungou por entre dentes : Obrigado 1 >
0 audilorio n&o pdde onter alguns mur-
murios.
Havendo o jury respondido affirraativa-
mente a todos os quesitos, o presidente pro-
nunciou a pena de morte no meio de silen-
cio geral, sem que isto haja abalado o reo
que recusou ao advogado a sua assigna-*
tura para a appellagao.
A sentenga indicava que a execug&o de-
via ter lugar em Saint Brieuc, capitil do de-
partamento. Na occasiao em que .o presi-
dente deuord-.-m sos g-ndarmes para leva-
rem e condemnado, este levantoa se e disse
de Medford, Bellport e Breentwuod.
Uma soperlicie de mais de cinco milhas
quadradas ficou destruida pelo fogo. As
madeiras queimadas erara da melhor qua-
lidade.
Muitas granjas foram presas das cham-
raas.
0 fogo proseguio na sua tarefa destrui-
dora, mdo grado os esforgos empregados
pelos babitantes.
Ainda nao e reconhecida a origem d'es-
tes incendios. Tudo, porem, induz a crer
que as faulhas expelhdas pelas iocomotivas
e que cahem sobre as folhas e eavacos sec-
cos 6" qae os originam com tamanha fro-
quencia,
MARINHA DE GUERRA. A Allemanha
que e boje a priraeira potencia railitar da
Europa, trabalha tambem activamente para
se converter em potencia maritima. O prazo
fixado pelo governo imperial para a cons-
trucgao da marioba de guerra vai ate"11882.
Actualmente o impeno germanico conta
com sete grandes fragatas couragadas-- As
ultimas constraidas sao : a DeustckUmd,
langada d agua em Londres no dia 12 de
seterabro, e a Fredericoo Grande, langada
ha poucos dias em Kiel, em presenca do
imperador Guilherme.
Alum das sete fragatas de primeira ordem,
a Allemanha possue traa navios couragados,
11 corvetas, 24 canhooeiras cam 59 ca-
noes, tres fragatas de vela^ tres bergan-
lins : total, 55 navios armados com 425
canhoes e tripolados- p >r 4,000 marinheiros e
500 artilheiros, sem contar os olliciaes.
11 j em toda a Europa 142 navios coura-
gados-. A Inglaterra tem 38 ; a Franga 28 ;
a Austria, Russia, Italia e Turquia, 15 cada
uma,. depois segue-se a Allemanha e Hespa-
nha e por ultimo a Grecia e a Oinamarea.
imensoes, armamento e eonstrucgao dos
navios, e preciso collocar a Allemanha logo
depois da Inglaterra, Franca e Russia.
INDUSTRIA TEXTIL. Insiste a Russia
no emprego dos raelhores meios para dar
impulso d industria texiil, e o seu procedi-
mento e um epigramma para nos, que nos
occupamos em questoes de maior tomo
e mais alta valia...
Actualmente estd aberta, em S. Peters-
burgo, uma exposicao de materias primei-
ras, machinas, e productos, d'esta impor-
tantissima industria. Como e natural, tem
o linho alii o lugar de boara. Recommen-
dam-se, entre as machinas, para prepare do
linho, pelos modicos pregos e perfeita execu-
g8o, as de Ditmar (Riga), a de Kreill (Pe-
tersburgo) pertencente ao conde Schuwaloff,
e de Schmidt (Riga). A mais cara, nao
custa mais de 200#00O.
APPARELHO DE SALVACAO.Acabam
deter lugar em Viocennes, perante numero-
so publico, e em presenga de muitos offi
ciaes de engenheiros e de bombeiros, expe-
riencias de um apparelho de salvagao, em
caso de incendio, inventado pelo Sr. As-
sier-Retif, e que tem por fim evitar que vdo
despedagar-se no solo as pessoas ioexperien-
tes ou que perdem a cabega e se precipi-
tam das janellas durante os incendios.
0 apparelho compde-se de tres pinaos lar-
gos de linho sustidos horisontalmente a meio
metro uns dos outros, seis solidas estacas
de ferro, ligadas por varOes do mesmo me-
tal.
As fachas de linho s&o esticadas por cor-
das fixas na extremidade superior das esta-
cas, pelas quaes puaxm doze homens.
0 preparo d'estas differentes pegas leva
apenas alguns minutos ; e depois de servir,
oapparelho dobra sobre si, e 6 de facil tran
porte.
Assim que o fogo se mauifesta n'algum
edificio, arma-se logo o apparelho debaixo
das janellas, e p6de ent&o qualquer pessoa
precipitar-se impunemente sobre os pannos
esticados, seja de que altura fOr.
Como a tens&o horisontale obtida d forga
de bragos, o panno n&o se torna rigido, ce-
de sob o choque do corpo sem fazer resalto,
o que evita quo as pessoas, cuja salvagao se
opera, sejam repellidas e se firam.
Para maior precaug&o d&o-se resistencias
differentes aos tres pannos.
Quando o choque e excessivo, o primeiro
panno rasga, e a pessoa que salta 6" sustida
pelo panno immediatamente inferior que
verga ate" ao terceiro ; a queda ficando as-
sim amortecida, opera fraco esforco no segun
do panno.
A experiencia do apparelho foi muito
bem succedida ; os bombeiros de Vincennes
arraaram-o rapidamente.
Para demonstrar quan'.o e suave a queda
sobre o panno, o Sr. Assier-Retif deitou por tra os raacons d'aquelle paiz. A accusagSo
uma janella do segundoandar dj um edifi- proseguio d vista d'isto, mandaram-lhe se-
cio em eonstrucgao, vasos de por jelana. re- gunda e terceira otificagao, e depoi? de um
logios de sala, espelhos, e ate mangueiras processo normal, foi promulgalo o decreto
de vidro, que foram recolhidas intactas; em de ex^uls&o, e ordeuada a sua publica-
seguida o proprio Sr. Assier-Retif atirou gdo.
comsigo da janella dosegundo andar, ele-j 0 decreto traz a assiguatura de Victor
vantou-se sem accidente. Manoel, rei de Italia, grao-mestre do Oiiente
Depois d'ella muitos individuos se diver- de Italia.
tiram a deitar-se da janella abaixo, sera que
pessoa alguma, era t&o pcr'gojo s> 1 o, A .MARINHA RUSSA. Umjornal mosco
viajar a vapor.
Haverd alguma cousa mais absurda e
mais irrisoria, que um wagon tiradu pelo
vapor e que deva caminhar duas vezes mais
depressa que as nossas dilegencias? Se'ia
melhor julgar como possivel a viagem de
Woolwiek ao arsenal por meio de um fogue-
te d Congreve 1
E no entretanto o invents estd h jje es-
palhado por todo 0 munlo.
A 1UBLICII>ADE NA AMERICA. T0 An-
glo American Times, publica uraa interes-
saute estatistica da publicidade na America,
mencionando os annuncios dados-pelos prin-
eipaes p^riodicos- americanos :
< A s > nma total dispendida e a annun-
cios eleva-se a 40,r3OO,O00 francos, da qual
cabe a maior parte ao Herald, isto- e, 10
mil-hoes por dia.
Esta quantia, pore.o, e inferior ainda
d que recebe o Time* de Londres.
0 segundo jornal, em iinportancia re-
lativa a annuncios, & o Stoats Zeitung-, que
recebe cerca de 9 milhoes, depois segae-se
lhe o New-York-Times- com- cifra de..r...
7,300',000 francos.
Mo ha periodieo algura que cobre me-
nos de 50o.OOO francos-.
As-folhas hebdomadariasB&o percebera
mais rio notar que estas publicagoes n&o s&0 se-
ndo resumos das folhas- periodical, e que o
prego dos annuncios e muito elevado, para
evitar prejuizo d folha principal.
Tambem u3o deixa de ser kiteressante
mostrar qual e a fonte que aliments estes
productos.
a O Sp. Stewart despende anoualmente
2,500,000 francos em annuncios; Lord e
Taylor, *siiawuu B!MWW> n?>Kitt.
i, 115,000 francos; Roberto Booner, um
milhio -.Arnold e Constablo 875,000 ; e o
tamoso Blrnum despende annualmente mais
de 2 milhoes.
a E' necessario notar tambem que as
pessoas conhecidas como mais ricas sao as
que mais gastam em annuncios. S6-na cida-
de de Nova-York despende-se mais de 25 mi-
lbOes em annuncios.
A INDUSTRIA DA SEDA. 0 American
silk assaciation acaba de publicar um rela-
torio, que abi.nda era inforraagoes relativas
ao progresso da industria da seda n is Esta-
dos-Uuidos. Ve se por elle, que eraquanto
diminueaimportancia de outros ramos in-
dustriaes, o da seda reantem-se em condi-
goes as mais favoraveis,
0 numero das casas americanas que se
entregam ao fabrico ou ao commercio das
sedas e de 228, das quaes 107 pertencem
ao estado de Nova-York, 24 a Nova-Jersey,
23 d Pensylvania, 4 ao Maryland, 1 d Ca-
lifornia, 25 a Connecticut, 14 aMassachus-
sets, 1 a New-Hampshire, 1 aVermout ea
a Kansas.
0 capital empregado n'esta industria e
de 15*988,877 dollars
Occupa 10,651 operarios, um tergo dos
quaes pertencem ao sexo feminino. A to-
talidade dos seus salarios elevou-se o anno
passado a 3,722:088 dolars.
0 PAPA MAgON.O Ikiiltj News do 14
de outubro de 1874, publicou a seguinte e
curiosa noticia, que com a devida venia tra-
duzimos:
Na sess&o simi-annual da grande loja
dos macoos, riio escocez do Oriente de Pa-
lermo (Italia ), que teve lugar n'aquella ci-
dade a 27 de margo, Mastai Ferreti foi
expulso da ordem, por ter violado seus vo-
tos e por perjurio. Mastai F&rreti nao e
outr apessoa sen&o Pio IX, papa de Roma. 0
decreto da loja de Palermo foi public ado no
jornal official da ordem' dos magons, em
Cologne (Allemanha), ee| datado de 27 de
margo. 0 decreto e precedido de uma mi-
uuta da loja em que Mastai Ferreti em 1826
foi iniciado na ordem sob o antigo rito es-
cocez. 0 decreto 6 corao se segue.
Um homem chamado Mastai Ferreti,
que recebeu o baptismo da raagonaria, e
solemnementejurou eempenhou o seu amor
e amisade, e que depois foi coroado papa e
rei, sob o titulo de Pio IX, tem agora amal-
digoado seus antigos irm&os e excommunga-
do todos os membros da ordem dos magons.
Por tudo isto, o dito Mastai Ferreti foi acto
continuo expulso da orde.n por perjurio. A
accusag&o contra Mastai Ferreti foi primeiro
proferida na sua loja em Palermo em 1865,
e notificada e copiada depois e mandada d
Roma, participando-se-lhe que a loja reuni-
ria para que e.le podesse comparecer peran-
te ella a justiticar-se. 0 papa nada respon-
deu, e por diversos motivos a accusag&o n&o
seguio, ate" que o papa incitou o clero do
Brasil para tomar medidas aggressivas con-
a sua capacilaloc de 172,401 toneladas,
e a sua forga de 31,978 cavallos. 0 pessoal
constade 1,303 officiaes (mcluindo 81almi-
raites), 513 pilotos, 210 engenheiros de ar-
telharia, 145 engenheiros de marinha, 515
engnnh iros mecanicos, 56 architectos de
mariuha, 297 officaes praticos, 260 cirur
g'Oes, 483 olfioiaes do administragao, e
24,500 sub irdinados de tod if as classe.s
Os navios estao distribuidos pela seguin-
te ordem : No Baltico, 28 couragados e 110
vapores ae madeira, dos quaes 70 nao tem
artilberia, contendo os restantes 200 pegas
anil hern. No mar Nagro est&o 2 navios
couragados de 29 vapores de madeira. No
mar Caspio hi 20 vapores de madeira. Nas
costas da Siberia existera 28 vapores, e no
mar de Aral 8 pequenos vapores. No mar
Branco estao 3 navios de guerra.
MISCELLANEA.0 irmao do almirante
austriaco Tegetoff reraetteu ao Sr. Ro nero
Ortiz o chronometro que aquulle distincto
marinheiro usra a bordo do seu navio du-
rante as guorras da lUlia e di Dinamarca.
Segundo o ceuso que acaba de publi-
car-se em Londres uraa superlicie de 152
mi has quadradas ecoraprehenie 3.956,073
babitantes. lucluindo os -arrebaldes e re
dondezas, ou por outra, ligurando uma im-
mensa circumferencia tragada desde Cha-
ring Cross por centro, com um raio de umas
15 milhas inglezas, a uperficie daquella
cidade coraprehende 912 milhas quadradas
com 4,050,577 babitantes. Os varoes a-
cham-se classilicados do 9eguinte modo :
107,130, que perlencsm ds diversas corpo-
ragojs do Estado ; 211,118, ao commercio,
dokas o co upanhias do transtortes ;.....
504,772 d industria ; 65,326 aos jornalei-
ros ; e 43,053 nao teem cccupag to deQni-
da. As mjllieres dividem-se era 68,030
esposas, lilbas farailias e outras que nao
teem outras occupagoes sonao os arranjos
de casa ou ajuJam os seus pais ou esposos;
226,593 criadas ; 4,879 mestreescolas ;
11,191 aias ou preeeptoras ; 5.272 enca-
dernadoras ; 4,900 floristas ; 56,460 cos-
tureiras ou midistas; 14,789 quo traba-
lham era obra- de alfaiate ; 26,875 em ma-
chinas do coser -r 43,998 lavandeiras e bru-
uide;ras; o 29,013 inscriptas como sera
profissao ou qne vivem dos seus rendi-
mentos.
Na alfaudega de.Po'rtsraouth abriram-
se ha pouco 20 barris que tinham a etique-
ta : Salpicoes sarne da Australia^ verifi-
cado-se aocontrario, couterem outros tan-
tos cadaveres, perfeitamente conservados,
de negros do referido paiz. Era o ensaio
de uma especulegao erapreheniida para
foruecer cadaveres aos estudantes de medi-
cina ; a autoridaie porem nSo consentio a-
quelle negocio decarne humana.
Presa nos Estados-Unidos uma nume-
ra associagao de falsificadores de notas, o
seu chefe chamado Tom Ballard, preso em
Buffalo, alTereceu-se ao governo para des-
eobrir-lhe certos segredos para tornar im-
possivel qualquer falsiQcagio, pediodo em
troca desse servigo a sua liberdade.
E' esperado era Madrid uma famosa
espinusa %iut>iib.u -<------_._ ii>rvmn d
quera se attribue a prodigiosa virtude de e-
vocar e fazer apparecer os espintos. A
proposito disto accrescent! com muita gra-
gs a Epoca : So elle podesse encoutrar mi-
lhoes para o thesouro, seria mais opportu-
na a sua presenga.
0 accusado Knllmann, cujo processo
foi ha pouco julgado em Wurzburgo, pe-
rante um jury composto de quatro ultra-
montanos, sete liberaes catholicos o protes-
tantes e um israeliia, confessou, depois que
foi preso, que resolvera matar Bismark e
sentia nao o ter conseguido. Sabia que
arriscava a vida. Disse que a pris&o ou a
morte lhe eram mdifferentes j. negou que
tivesse algum cumplice ; declarou que os
motivos que o tinham levado a perpetrag3o
daquelle attentado- erara as leis ecclesiasti-
cas, e que pessoalmente nao tinha odio a
Bismark. Unicamente o aborrecia como
homem politico e nao se arrependia do que
tinha feito. Kullmann conta apenas 20
annos.
0 transito pelo canal de Suez augmen-
ta cada vez mais, ascendendo era 1873 a
tonelagera a 2,085,979 toneladas, das quaes
um milhao e meio pertencia ao pavilb&o in-
glez. 0 numero de viajanies foi de 65,335.
0 consul inglez em Port-Said diz que nao
ha dilliculdada !es para manter no canal a
profundidade de agua necessaria, e que o
unico obstaculo serio contra o qual tem
que lutar a corapanhia, consiste nos depo-
sitos de areia que se Sorraara d entrada de
Port-Said.
A cidade de Paris vai emittir um no-
vo emprestimo para activar as suas obras
publicas. 0 importe da emiss&o serd de
200 milhoes de francos era obrigag5es de
500 francos, os quaes produzirSo 20 fran-
cos de lucro annual. 0 emprestimo serd a-
mortisado em 75 annos.
S. M. Kakombo, rei das ilhas Fiji,
recentemente annexadas d Inglaterra, man-
dou ornar as suas armas com emblemas de
paz, em prata, e enviou-as d rainha de In-
glaterra com uma carta do submissSo, con-
liando os ioteresses do seu povo d sabedo-
ria e generosidade da rainha Victoria.
Acabam de liquidar-se os haveres
deixados pelo Dr. Livingstone; todos os
seus bens moveis e immoveis, em Inglater-
ra ena Escossia postos & disposigao dos
seus herdeiros, foram avaliados na quantia
de 1,500 libras esterlinas.
0 feld-marechal Moltke completou ha
pouco 75 annos de idade.
Refere o Fanfulla, que se conQrma
ollicialmente a noticia do governo inglez
ter resolvido supprimii o seu representante
junto do Papa.
Deu-se ha dias uma coincidencia no-
tavel em Paris. No dia em que fazia um
anno complete, que o theatro da Opera fo-
ra destruido por um incendio, o referido
edifficio ardia outra vez em effigie no thea-
tro do Chateau-d'Eau. No quarto acto da
Filha do Diabo, o panno do fundo repre-
sentava a antiga Academia de musics. A-
teou-se o fogg d tela sendo uectssario o au-
xilio dos bombeiros para apagar o incendio.
Os habilantes de Nice Gzeram uma
grande manifeStag&o, organisada em honra
do Sr. Thiers, que chegara dquella cidade.
Houve muitos festejos publicos.
A mumpipalidade de Napoles votou
para Garibal Ji a peusao vilolicia de l:20O>
aimuaes. Q'fyachl do general fora compra -
do por Victor Manoel por 80,000 francos,
uma mulher cruel que te compraz com oa
horrores da guerra civil. D. Branca, at
gundo assevera sua m&i, e uma paaaoa d ii-
cada e de boa educig&o, e estabeleceu a ; ui
residencia em Hespanha com o unico ha
de acompanhar seu marido e participar dos
soffrimentos a que naturr.lroeote ae arb.iva
exp sto. A duqueza de Braganga e aliaa
de nascimento e vive commummente do jh-
lacio de seu pai, o principe de I. >wens:e n,
em Franconia, onde foi edocada D. Braooa.
Dizem de Londres que em Aver, pro-
ximo de Windsor, fui destruida por um in-
cendio uma importune fabrica de lagio.
raorrendo nove pessoas.
Acaba de celebrar-se em Inglaterra o
49 anniversario da inauguragao Jo sea pri-
me ro camiubo dr. ferro. Foi com tlfcitt
no dia 27 de seterabro de 1825 que (ieorfe
Stephenson guiou pessoalmente e pela pri-
meira vez, de StoktOQ a Darlington, una
locomotive de sua invengio, qae deu o po-
me de Locomocio. A distancia de 20 mi-
lhas (32 kilometros) foi percornda em cii.co
boras, o que nessa epoca pareceu um pro-
digio d-? celeri lade.
Foi lanrado nos estaleiros do Tamisa
0 monitor euc .uragado Mesondeiy? mania
d) construir pelo i^overno turco.
A proposito da noticia dada por mui-
tos jorna- s a respeito de tor sido retrrado il
edigdo do almanack de Gotlta para efu
ro anno o retrato do conde de Arm n, 0"eli-
tor do mesrao almanack declara que nio
era ao almanack geitealogico dos soberaam,
mas d uraa outra edigao que contera a nealogia das casas condaes para lH7Zt cue
o retrato do conde de Arnim fdra destioado,
e que esta edigao, que apparecerd em breve.
conterd effoctivamente o retrato em qustio.
0 Punch, de Londres, publica com o
titulo de Porque foi o primcipe de Galle:
Franca .' as seguintes respostas :Opin Jo
do Sr. duque de Chateau Clinquant: I'or
que S. A. K. i: imperialista e dey-java p :r-
suadir o marechal Mac-Mahon a entregar o-
seuspoderes ao imperador Napoteio IV.
Opiniao do Sr. visconde Sem eirtoo rets
deSangueAzuI : Porque S. A. R. de-
java dar ume demonsiragau do seu respeito
pela monarehia de Henrique V. Opmiio
do Sr. Centro Direito : Porque S. A. 6
orleanist i. Opiniao do cidadao Boaet-
Vermelho : Porque o principe adrair.t a
maior republiea do mundo, -Opiniao de
um celebre autor franco/. : Porque a
Franca e a mai de todas as nagues e a (-
glaterra a sua mais proxima parenta: ou
ent&o : Porqoe aquella e sublime, gran-
de, admiravel e muitas outras cousas ma-
ravilhosas.Opiniao do Sr. Caga Porabis :
Porque S. A., attrahido pelo grande MM
francez, quiz mastrar que e um perfeito
gentleman* riders--com o seu brfch Ibdere. >
Opiniao do burguez-de ^aris : a Porquj a
Inglaterra nao tem sen&o nevoeiros e a
Franga (lede Pans) e a unica nsidercii
que convem a um principe : Opiniao d
todos os outros francezes Porque o
lord-moire de Loodres assim e quu.
NOVOS TORPEDOS.-O Times de 6 de
nutubro traz uma entensa descrip^&o los
torpedos aanw.-.^.. vw bem -5.^ 0^,^.
sar d report 1 gdo de marintia Ural. --
to como os argeotinos- imports ram algcns.
Afinal conslruio-se uma macbioa que po-
de andar dentro d'agua 300 jardas con uma
velocidade de 9 milbas por bora, e um pou-
co menos quando a distancia que liver de
percorrer cbegar a uma milba. Centervi a
direcgdo que se lhe der, e p6de ser langida
de um bote ou de um encouragado, de dia
ou de noite. Em summa e uma especie de
peixe exp osivo, que, obedecendo 0 seu se
nhor, nada uma milba na direcgio a um
inimigo qualquer contra quem for dirigiic.
deifechando-lbe uin giilpe perigoso se kV
fatal.
Semelbante des:oberta faz esperar, se^a-
raraente, uma revoiuclo na tactica naval,
sem que se Ibe possa por ora avaliar 0 al-
cance. A a reditar nos elleitos do Diabo do
mar, parece quo a unica seguranga dos aa-
vios consistird em serein construidos com
bastante solidez para supportarem qualq jer
forga explosiva que por esta lurma co* tra
elles so dirija.
Nao haverd possibilidade de evitar secue-
Ihante engenho otTensivo. Se os aavies na
distancia de uma milha po 1cm ser acorn-
mettidos com certeza pelo peixe mecbanicc
despedido de um porto, nao ha ncoragera>
nennuma segura, e quando duas eaquadra
se aproximarem uma da outra, terio de
lutar com innumeros inimigos invisiveis.
Todos os mares e portos se convericric
em verdeiras mi nas do torpedos, e todo o
navio de eonstrucgao ligeira estard irrerr.
sivelmente condemnado.
Ate que ponto os resultados que- se
apresentam theoricamente possiveis, poasmn
ser postos em pratica, e" claro que sdmeute
se poderd determioar n'uma guerra seria.
Tem seus limites as experiencias, ainda
mesmo quando feitas i custa do tbesoi r<>
britannico, nem podemos leva-las ao ponto
de mandar sahir duas esquadras para ver
que damno podera causar uma i outra ct rr.
os terpedos de Whitehead.
A descoberta, porem, nao chegou to
estado actual sem numerosas experieoctss,
e muitas outras tentativas se farao provaval-
mente para determiner a coofiaoga que se
pode depositar nesta nova arna, e 0 seu
verdadeiro alcance.
NOVA MACHINA DE BORDAR.Por
vezes temos, neste lugar, fallado acerca das
machinas automaticas de costuras.
No Museu do conselho geral das alfan-
degas existe um pequeno motor hydrauh-
co, que jd vimos em exereicio, dando no-
vimento a uma boa machina decosturi,
cujo irreprehensi vel trabalho causa vi a da i-
rag&o a quantos queriam examiuar esta ia-
teressante applicag&o de um dos melbores
motores, que a industria domestica possue.
Hqjedaremos noticia de outro invento nao
menos interessente. E* a machina da bordar
da casa Rieter de Wintestbur 'Suissa), que
trabalha automaticamente tocala p>r
agua ou vapor. Tem a casa bem fun lad os
creditos, e por este motive n&o duvida 1.0a
quo a nova machina seja, como dizem, d-
tinada a fazer uma verdadeira revolug.io
na industria dos bordados.
N&o sabemos se em Portugal jd existe al-
guma machina
,1,
nu'.oinalica de
coser. e
hem desejamos que os depositos especiaas
completem com ellas as suas collecgoes.
TVe DO DLAR10. -BUa DUQUE Dl UXW
.



."
l imwij
- ^ --