Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18623

Full Text
ANNO L. NUMERO 272
PARA A CAPITAL B LUQARES OUDE MlO HE PAG A POBTE.
a?or tree raezes adiautados................ 69000
for seis ditus idem.................. 139000
JPor um anno idem.................. 249000
Cada oumero atul*o .. A ... ... ... ... ... ... M 9320
SEXTA FE1RA 27 DE NOVEMBRO DE 1874

PARA DENT HO B FOBA DA PROV LUCIA.
Por tres mezes adiantados..............
Por seis ditos idem................
Por noTe ditos idem...............
Por um anno idem................
9TM
*TJJ000
PROPBIEDADE DE MHOEt, FICUEIROA DE FAR1A FILH0S.
7t
ft Irs. Gcrardo Antonio Ahead Filhos.no Par*; Gonsalves A Pinto, no Maranhio; Joaqnim Jose de OliTeira AFiiho, no Ceara; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty ; Jolo Maria Julio Chum, no And; Antonio Marques it Sil?a, Natal; Jose" I
Pereira i'Almeida, em Mamangnape ; Carlos Auxencio Monteiro da Franca, na Parahyba ; Antonio Jose Gonlein Villa da Penha; Be'armino dot Santos Bulcio, em Santo Anti ; Domingo* Joss it Costa Braga, emBaxaretai
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joio Antonio Maehaeo, no Pikrdaa AlagOas Aires 4 C.na Bahia; A. Xavier Leite d C d Rio Janeiro-
PARTE OFFICIAL
Ministerio do imperio.
Por despacho de 11 do correct* :
Em attencio aos tons services qua tern pres-
ado do exercicio de seus lugares na secretaria
de estado dos negocios da fazcuda, no thesouro
nacional e Das tbesourarias do fazenda foram no-
meados :
Ordem da Rosa.Commendadores. Bacbarel
Jose Maria da Triodade, \ugusto Frederico Co-
la), Emilio Xavier Sobreira de Mello, Antonio Luiz
Fernan les da Cunba e Dorningos de Mello Rodri-
gues Loureiro.
Ofjiciats.Carlos Augusto de Sa, Raymundo
Joao dos Reiji, Leopoldioo Jjaquiin de Freitas.
Joio Cesario de Abreu, Joao Jose llibeiro Bhe-
ndg, Fernando da Costa Freire, Francisco Jose
Gomes Pereira e Jose Carlos Pereira de Castro.
Cavalheiros.Francisco Teixeira de Lyra e Oli-
veira, Possidonio Martins de Mandon;a, Christo-
-van Jose dos Santos Junior, Luiz Jose Cruvello,
Joio Nepomuceuo Victoria, Mauoel Pedro de Al-
cantara, Jose Jjjquim Marques da Veiga, Gui-
Iherme de Souza Reis Carvalbo, Regulo Gallo Mu-
Diz Valdetaro, Jose Ferreira Saiupaio, Ignacio Viei-
ra do Couta Soares, Francisco de Paula Souza,
Leandro Ferreira de Campos, Antonio A^ostioho
de Aodrade Figueira, Joaquim Candid j de Azevedo
Marques, Caodido Fabricio Gomes de Castro, Ja
ouario Aotonio de Moraes, Nicolao Jose de Castro
e Costa, Aristides Jose Correa, Antonio dos Saotos
Castro, Torquato Caetano Simoes, Igaacio Antonio
da Silva, Antooio Aagaslo Ramiro do Carvalho,
Joao Mendes Pereira, Sebastiso Jose Cavalcante,
CaQdido Jo:e Pereira, Antooio Caetano da Silva
Kelly, Tito de Abreu Fialho, Aristides Cesar de
Almeida, Lucas Antonio Ribeiro Bbering e o
bacbarel Ileurique do Rego Barros ; e Jose Ra-
mos da Silva Junior, jelos servicos qae pres-
tou, pablicaado um tr.,baiho sobre impostos pro-
vinciaes.
Ordsm de Christo.Cavalheiros. Luiz Peixoto
da Fonceca Guimaraes e Jose Iguack) Ewertou de
Almeida.
Por depacho de 18 :
Fez-se merco das honras de gran Jez* ao barao
de Vassouras, em attencao aos relevantes servicos
iae prestou a iDstruccao publica.
Ordem de S. Bento de Amu.Cavalheiros. -Os
capitaes : do estado maior de 2' classe, Ju-liniano
Cindido Ja Cunha Barbosa ; do 3* regimealo de
cavallaria li^eira, Francisco de Carvalbo e Silva ;
do 9* batalhao de infintaria, Fraocisco Antonio de
Sa Barreto Junior; e do 18*, addido ao 9* da
mesma anna, Jerooymo Ignacio dos Santos.
Ordem da Rosa. O/ficiaes.O presidente da
provincia do Para, baonarel Pedro Vicente de
Azevedo, em attencao aos relevantes servicos qae
tern pres la Jo ao estado.
Luiz Caetanu Alves, polos que prestou a instrue-
.aj publica oa proviasia do Rio de Janeiro, e o
presidente da diie:t>ria da estrada de ferro da
Leopoldina, Autonio Carlos de Mello Barreto, pelos
relevantes servicos prestados para a eonstruccao
U mesma estrada.
Ordem de Christo. -Caoalheiro. -0 engenheiro
ai chefe da estrada de ferro da Leopoldina Joio
Gomes do Val, pelos servicos qae tambem prestou
para a consiruccao da referida estrada.
vj\ concedida a pensao mensal de SOJ, ate a sua
maioridade, ao menor Jose da Silva Rocha, lilbo
legitimado do capitao do 36 corpo de voluntarios
da patria Antooio Jose da Silva Rocha, mono de
caolera-morbas oi campanba do Paraguay, ri-
caodo porem, esta merce dependente da approva-
<;ao da assemblea gen!.
Foram natural.sados o sabdito italiano bacba-
rel Adolpho Del-Ve:cbK> ; os subditos por la-
^uezes Manoel Ferreira do Nascimento e Qui-
rino Franco Gomes, e o cidaiao francez Nicolao
Gabriel Prevot.
Por decreto de 28 do outubro, (oi noraeado
Laiz GonQalves da Silva, da provincia de Pernam-
baco, official, e nao cavalbeiro da ordem da Rosa,
. mo se publicou.
Foram nomeados, por molivo da coovencao
postal eotre o Brasil e a Franca, os seguiotes ci
iadSos francezes :
Ordem da Rosa. Gra-cruzes effectives. Luiz
K-.ie, duque Uecazes e duque de Glucksbierg, mi
aistro dos negocios eotraogeiros.
Grdcruzes honorarios.Hippolyte Deprez, con-
selheiro de estado, mmistro pleoipotenciario de I'
.:i-ae e director dos trabalbos politicos no mi-
nisterio dos negocios estraogeiros, e Leon Ale-
xis Noel, ministro pleoipotenciario no Rio de Ja-
neiro.
Dignatarios.k. Libon, director geral dos cor-
reios, e Mollard, director da seccao do paotoeollo
no ministerio dos negocios estrangeiros e inlro
ductor dos embaixadores.
Commendador. M. Willefort, juriscoosulto,
sab-director do contencioso no mioisterio dos ne-
gocios estrangeiros.
ufficiaes.KerbeiM, redactor do contencioso no
ministerio dos negocios estrangeiros, e Moisaot,
chefe do gabioete do ministro da iusti;a.
Cavalheiros. Barao de Meoeval, addido ao ga-
binete do ministro dos negocios estrangeiros ; ba-
rao Armand d'Andre, addido a direccio politica
do ministerio dos negocios estrageiros, e coode de
Laugier Villars, 2" secretario da legacao no Rio de
laneiro.
Ordem de Christo.Commendador. Bednier,
administrador dos correios.
Cavalheiros.Schmider, sab-chefe no mioisterio
ilos negocios estraogeiros, e M. Guilleme:, sub-che-
te na direcgao geral dos correios.
Por despaciio de 11 do eorreote :
Foi nom-ad i cavalbeiro da ordem de S. Bento
de A viz o capitao tenente da armada nacional Car-
los Frederico de Noronha.
Foram oncedi las as segainles pensoes depen-
itntes de approvals> da assembles geral:
De 30jt measaes a 0. 6abriela Vieira Braga
M4irelles, viuva do capitio do exercito Jose, Gon-
<;alves Meirelles, fallecido em consequeocia de
molestia adqoinda na guerra do Paraguay.
De 500 rs. diarios ao cabo de esqaadra refor-
mado do exereit i Aotonio Jose Gongalves, qae,
*a consequencia de fe.rinwnto recebido em corn-
bate, ficou imposibilitado de procarar meios de
nbsistencia.
Oeclarou-sa que a roerje de cavalheiro da or-
dem de Christo, conferida por decreto de 25 de
setembro de 1872, ao alferes Jose Antonio de
>ouza, deve entender se concedida ao alferes Jose
Aotonio de OMwiw "^inza, vtsto ter sido nermittido
iae 0 referido alier-s mudasse de Dome.
Ministerio dajnsti^a.
Por decreloa de 11 do eorrente :
Foi concedida an bacharel Fernando Antonio de
Karros a demi-uc que pedio do lugar de juiz mu-
nicipal e de orphaos do termo de S. Joao do Rio
Ciaf*, na provincia de S. Paalo.
Foram nomeados Junes municipaes e de or-
Phlos!
0 bacbarel Jose Gongalves da Rocha, dos ter-
mo* rennidos de Nova Armeida e Santa Craz, na
provincia do Espirito-Sanlo.
0 bacharel Luiz Aagosto Ferreira, do termo de
Tatany, na provincia de S. Paulo.
0 bacharel Jose Belisario Pinto de Mello, do
termo de S. Jolo do Rio Claro, na mesma pro-
vincia.
Foi nomeado Clarindo IJsrmelo Lin? para exer-
cer os officios de t* tabelliao e escrivao do crime,
civet e mais annexo* do termo do Cabo, na pro-
viocia de Peroambuco, darante a vid* do respec-
livo serveatuario Maooel Cloraente Ribeiro Varejao
a quein devera pagara ter^a pane dareodimeoto
dos ditos officios seguodb a lotacao.
Foi perdoado ao reo Maooel Jose da Silva o
resto da pena de qaalro anno* de prisao simples
e multa correspondeote a duas tercas partes do
tempo, imposla em virlude da decisao do jury do
termo de Aracaty, da proviocia do Ceara, por cri-
me de olTeosas physicas leves.
Por decretos de li fdo eorrente :
Foram nomeados desembargadores da Relacao
de Guyana, os juizes de direito Antonio Augusto
da Silva e Fclippe Alves do Carvalho.
Foi declarado sem effeito o decreto de 19 de se-
tembro ultimo, que des'goju a comarca de Can-
guaretajna, de 1* entrancia, oa provincia do Rio
Grande do None, para uella ter exercicio o juiz
de direito Cesario Jo3e Chavaotes.
Foram removidos os juizes de direito :
Serapiao Enzebio de Assump^ao, da comarca de
Saota Maria Magdalena, de 2' entraocia, na pro-
viocia do Rio de Janeiro, para a vara da prove-
doria de capellas e re?id aos, de 3* eotrtneia, na
capital da provincia do Maraohao.
Leocadio de Aodrade Pessoa, a sea pedido, da
comarca do Rio de Santo Antooio, antiga do Ser-
ro, de 2' entrancia, na proviocia de Mioas-Geraes,
para a do Baix > MoaniD, da mesma entrancia, na
provincia do Maraobao.
Jos6 Rufino Pessoa de Mello, da comarca do
Jardim, de 1' entrancia, na provincia do Rio
Grande do Norte, para a de Guimaraes, de 2* en-
trancia, na provincia do Maranhao.
Aotonio Carlos Monteiro de Moura, da comarca
de G quitaby, de primeira, para a do Rio de Santo
Antooio, antiga do Scrro, de 2' entrancia, ambas
na provincia de Mioas Geraes.
Aotooio Jose de Ami rim, a seu pedido, da co-
marca de Campo Largo, de 1* entrancia, na pro-
vincia da Bahia, para a de 'Caoguaretama, da
mesma entraocia, na provincia do Rio Grande do
Norte.
Foram oomeados juizes de direito :
0 Dr. Autonio Ferreir* Franca, da comarca de
jequitahy, na provincia de Minas-Geraes.
0 bacbarel Deoc.eciauo da Rocha Vianna, da
comarca do Campo Largo, na proviocia da Bahia.
0 bacbani J Igaacio Feroaades Barm-, da
comarca do Jardim, na proviocia do Rio Grande
do Norte.
Foi diipeosado, a seu pedido, o j uiz de direito
Mauoel Jose Espiaola do cargo de chefe de poli-
cia aa proviocia da Bahia.
Foi desigoada ao mesmo juiz de direito Maooel
Jose Espinola a comarca de Saota Maria Magda-
lena, de 2' entrancia, oa provincia do Rio de Ja-
oeiro.
Foram removidos :
O juiz de direito Antonio Joaquim Correia de
Araojo, do cargo de chefe de pjlicia da provincia
de Sergipe, para igual cargo oa da Bahia.
0 1" juis Hubstituto da comarca de Nicterohy, na
provincia do Rio de Janeiro, CorflBIio Ferreira
Franca Filho, a seu pedido, para o lugar de 5
juiz substitute da carte.
0 juiz municipal e de orpbaos, Balbioo Cesar
de Mello, a sea pedido, do termo de Liabares, na
Sroviocia do Espirito-Saoto, para a de S. Joao da
arra, na provincia do Rio de Janeiro.
Foram nomeados chefes de polieia :
Da proviocia de Minas-Geraes, o juiz de direito
Fraocisco Jose Cardoso Guimaraes.
Da proviocia de Sergipe, o bacharel Aristides
Augusto Milton.
Foi recondutido o bacharel Brasiliano Marques
Vieira no lagar de juiz municipal e de orphaos
do termo do Brejo, na proviocia do Maraobao.
Foram nomeados juizes municipaes e de or-
phaos :
0 bacharel Aotonio Pereira de Castro, do termo
de Cbique-Chiqae, na proviocia da Bahia.
0 bacharel Argemiro Martiniano da Cuoha
Galvao, do termo de Iogazeira, na provincia de
Pernambuco.
Foi nomeido, sobre proposta do presidente do
Ceara, Joao Fecundo Vieira da t'.o-ia para exer-
cer os officios de tabelliao de notas e escrivao do
civel do termo de Caniode, na mesma provincia,
duraote a vida do respeclivo serventuario Frao-
cisco de Paula Nataleose, ao qual devera pagar
a terca pane dos reodimeotosj daquelles officios
seguodo a lotacao.
Ministerio da Tazenda.
Por decretos de 11 do eorrente foram no-
meados para o conselho fiscal da Caixa Economica
e Moote de Soccorro da proviocia do Espirito
Santo:
Presidente, Joaquim Jose G >mes da Silva Netto.
Membros, Jose Ribeiro Coelho, Fraocisco Pinto
de Oliveira, Manoel Ferreira de Paiva e Francisco
Rodrigues de Barcell js Fraie.
Foi nomeado contador da thesouraria de S. Paa-
lo, o chefe de secgao extincta da mesma thesoura-
ria, Joaquim Caodido de Azevedo Marques.
Em 14 do eorrente foi demiltido Jose Scares
Mumz do lugar de 2* escripturario da alfandega de
Corumba.
Por titulos de 10 do eorrente foram nomea-
dos :
Odiloo Coelho da Silva, para o lugar de prait-
cante da thesouraria de Pernambuco e Francisco
Antonio de Souza para o de praticante da alfande-
ga da Bahia.
Ministerio da guerra.
Por decretos de 11 do eorrente:
Foram promovidos de conformidade com o de-
creto n. 3,168 de 29 de outubro de 1808 os seguin-
tes:
Corpo de engenlteiros.
A coroneis: o coronet gradoardo Vicente An-
tonio de Oliveira.
Os tenentes coronoi3 Sebastian Jose Basilio Pyr-
rho por antiguidade e Joao de Souza Mello e Al-
vim, por merecimento.
A tenentes comneis: o teaente-coronel gradaa-
do Laiz Jose da Franca.
Os majores Joao Jose de Sepulveda e Vasconcel-
los, por antiguidade, e Jeronymo Rodrigues de
Moraes Jardim, por merecimento.
A majores: o major graduado D. Eugenio Fre-
derico de Lossio e Sellbtz, por antiguidade.
Os capiUes Innocencio Galvao de Queiroz e Bal-
thazar Rodrigues Gamboa, por merecimento.
Arma de infantaria.
3 hatalhao.A major : o major graduado Ba-
phael Fernandas du Lima, por uieruciuieaio.
C' dito. -A coronel caiumaudante : o teucnteco-
ronel Jose Lopes de Oliveira. por antiguidade.
A capitaes : oi tenente' Francisco Goncalves de
Queiroz, para a 2' cotnpaubia, por antiguidade, *
Jose Manoel dos Santos, para a 8" idem.
8 dito.A tenente coronsl graduado, oa forma
do art 22, 8 2. do regulameoto de 31 de marco de
1851:
0 major Antooio Maria Coelho.
9* dito.A coronel comioaodanteo tenaDte-coro-
nel Joaquim Cavalcante de Albobaerqae Beilo, por
merecimento.
10* dito.A capitao : o tenente Francisco, Igna
cio Coelho, para a I' companhia, por antigui-
dade.
II* dito.Para capitao : o tcoento Antonio Fran
cisco de Mello, para a 6' cGmpanhia, por antigui
dade.
12" dito.A capiiil;: > teneute Anacleto Ramos
de Abreu Carvalbo Cronteiras, para a 7* compa-
nhia, por antiguidade.
13' dito.A tenente-coronel eommandaote : o
major Joio Pinto Homem, por merecimento.
A capitaes : os tenentes Jose Joaquim da Silva,
para a 4." companhh, por antiguidade, e Antonio
GalJioo de Souza Alves, para a 8', idem. *t&t
14* dito.A capitao : o tenente Miguel CalmoT
da Pin Lisboa, para a 1* companhia, por anti ;ui-
dade.
15* dito.A major: o major graduado Antonio
Cardoso Pereira de Mello, por antiguidade.
16 dito.A major: o major graduado Eudoro
de Carvalho CasteJJo Branco, por merecimento.
18* dito.A capitaes: os tenentes Clariano Gar-
cez de Souza, para a 3* companhia, por antiguida-
de, Francisco Joaquim Pereira Caldas, para a 4.',
idem, e Pedro Aotoomo Nery, para a 5.\ por esta-
dos.
19* dito.A tenente-coronel eommandaote : ma-
jor Americo Antonio Cardoso, por antiguidade.
A major; o major graduado Joaquim Antooio
Dia s, por antignidade.
20* dito.a tenente coronel eommandaote: o
major Luiz Cesario Varella da Franca, por antigui-
dade.
Foi exonerado do logar de inspect or dos cor-
pos de iofaoteria da provincia do Rio Grande do
Sul, o brigadeiro Luiz Jose Pereira de Carva-
lho.
Foi nomeado o bacharel Alexandre Rodrigues
Cardoso, auditor de gnerra junto a divisao brasi
leira na republic* do Paraguay.
Ministerio da agricultura.
Por portana de 19 do eorrente foi nomeado
Tristao Franklin de Alencar Lima para o lugar de
ajudanle do chefe da commissao eoearregada da
exploracio da estrada de rodagem da Philadelphia
ao Pecanha, na provincia de Minas-Geraes.
Por portaria de 9 do eorrente foi nomeado o
engenheiro Luiz Manoel de Albuquerque Galvao,
para o lagar de chefe de secgao da commissao de
estudos para o prolongamento da estrada de ferro
de S. Paalo, rJcaodo sem effeito a nomeacao do en
genheiro Jose Ayrosa Galvao, para aquelle cargo,
leita por portaria de 14 de setembro proximo iio
do.
Por portarias de 18 do eorreote foram no-
meados :
Adjuotos de 1 classe da reparticao dos telegra
phos:
Pedro do Rego Barros, Jose Alves de Oliveira,
Pedro Rodrigues Scares, Fraocisco Luiz Nobrega
Junior, Jose Pereira de Carvalho Babylonia, Aoto-
nio Joio da Silva Lin-. Felicio Jose de Azevedo,
Fraocisco Carneiro de Almeida Braga, Antonio
Jose Caetano Junior, Jacintho Alves da Silva,
Emilio Pereira de Alvim, Francisco Autonio Perei-
ra de Barros, Joao Tybirica de Meoezes Duria, Jus-
tino Pereira de Faria, Henrique de Loureiro, Al-
fredo. Augusto Soares, Joaquim Augusto Rolim Pi*
oheiro, Caodido Procopio Pereira. Jose Fernandes
da Silva, Rodolpho Orlino, Joao Rodrignes Viaooa,
Marcello Justioo de Carvalbo Junior, Laiz Amaru
da Silva Costa, Manoel Ednardo Gomes Sardiihi,
Arthur da Rosa Lo.nba, Francis :o Emilio de Car-
valho, Francisco Jose de Carvalho, Eroeslo Au-
gusto de Senna, Luiz de Oliveira Goytacazes Filho,
Euclides Barbosa Cordeiro de Mello, Henrique Ce-
sar Cardoso, Jose Joaquim de Figueiredo Junior,
Maooel Ribeiro Guimaraes e Vicente de Paula Fra-
goso.
Adjuotos de 2" classe :
Joio de Deus Leal, Maooel Marlins da Coocei-
cao, Liberato Goncalves Bueno, Jose Alfredo de
Oliveira Coelho, Joao Antonio Jorge de Almeida,
Joao Aotonio Pita dos Santos, Joio Baptista da
Silva Barata, Jose Alfonso, Joaquim Antonio de
Oliveira Rosa, Affonso Iienriques de Carvalho, An-
tonio Jose Falcao da Frota, Francisco Pinto da Sil-
va Valle e Christovao Goncalves de Moura.
Ministerio da niariuka.
Por titulo de 7 do eorrente, e oa forma do
regulameoto foi nomeado Jose Maria da Silva Leal,
praticante da secretaria de estado dos negocios da
marioha.
Por decreto de 10 do eorrente, foi nomeado
2* cirargiio do corpo de saude da armada Dr. Gui-
Iherme de Paiva Magalhaes Calvet, e foi exonera-
do, a pedido, desse logar o Dr. Jose Felix da Cu-
nha Menezes.
Por decretos de II: foi concedida a gradua-
cao de 1 tenente da armada ao patrao mor do ar
senal de marioha do Para, Laiz Gomes da Costa ;
foi nomeado o capitao de fragata Tbomaz Pedro de
Bitleoconrt Cotrim, para commandar o encoura-
cado Colombo; e foi nomeado Man el Nery da
Fonceca, secretario da capitania do porto do Ama-
zonas.
Governo da provincia
EXPEDIENTS DO DIA 7 DE AGOSTO DE 1874.
1.' secgao.
Officios:
Ao Evm. brigadeiro commaodante das ar-
mas.Transmitto a V. Exc. os inclnsos papeis,
qae me serio devolvidos, referentes ao ex-soldado
do 2* batalhao de infantaria Raymundo Francisco
Cardoso, qae reclama pagamento de veacimentoc
atrazados, na importancia de 2704330, afim de que
em cumprimento ao aviso do ministerio da guerra
de 29 de julho ultimo, seja substituido por ootro,
com as indicates exigidas pela reparticao fiscal
do mesmo ministerio na sua informacao junta, o
titulo da divida passaaa a mencionada ex praca
pelo referido batalhao.
Ao mesmo.Sirva se V. Exc. de dar com a
maior brevidade informacSes sobre o qae constar
na secretaria desse commando, e poder colher de
pessoaa fededignas, relativamente aos servicos
prestados duraote a guerra do Paraguay, por D.
Izabel Maria Brandao; tendo em vista o aviso do
ministerio do imperio de 31 de julho ultimo,
acompaohado do parecer impresso da mesa do se-
nado de 9 de setembro do anno passado, sob n.
591, qae me serao devolvidos, e o offlcio desse
commando de 23 deste ultimo mez e anno.
Ao mesmo.Declaro a V. Exc. para sen co-
nhecimentj, que nesta data concedi aos proprieta-
ries da Locomotora Pernambacaoa de accordo
com a informacao do respeativo engenheiro fiscal,
permissio para levantarem uma parede siogela de
0 G de altura sobre o moro do foso da fortaleza
das Cioco < ootas e ontra de lra6 entre este e a pa-
rede da estacao da estrada de ferro de S. Fran-
cisco, sob a coodicao de demolil-o logo qae Ihe for
determinado.
Ao inspector do arsenal de marinha.Sen-
do-me declarado pela secretaria de estado dos ne-
gocios da marinha, quo por litulj datsdo de 27 de
julho ultimo, foi traasfendo Gavioo llmriques de
Azev;do, do lugar de amanueuse deste arsenal
para igaal emprego no da Bahii; assim o declaro
a V. S., para seu conhecimeulo.
Ao director do arsenal de guerra.-Remetto
a Vmc a inclusa colleccio de 18 modelos relatives
a escripturacao das offlcinas e da reparticis de
coituras do arsenal de guerra da corte, afim de
ser'irera nesse estabelec men to de norma na or-
ganisacaa da escripturaeio das respectivas offic't-
cioas, conforme e determinado" pelo aviso do >^h.
nisterio da guerra de 28 do julho proximo Sivjo.
Ao mesmo.Previno a Vmc, para os fins
convenientes, de qae no napor Para ehegado hoje
dos portos do sul, foi remettiJo pela inlendencia
da guerra, uma caixa contendo modeSos de farda-
coastantes do conhecimento
nistro da guerra, em aviso de 19 de julho ultimo,
one para o complete do fardaraento ja mandado
forneoer por aviso de 14 de marco passado, a com-
panhia de cavallaria desla provincia, sejain forne-
eidas para esse arsenal as pecas constaotes da in-
clusa nota, orgaoisada em to do mez. proximo pre-
teriio, oa reparticae do qsrtei mesire general;
assim o declaro a Vmc, para qua tenha a devila
execucao.
Ao engenheiro das obras mi li tares.A' vista
da autorisacao concedida pelo aviso do mioisterio
da giarra de 30 de julho ultimo, raande Vmc.
proceter aos coocertos, de que precisao a cosinha
e latriia do qnartel dos operarios do arsenal de
guerra, na importancia de 1463120, segando o or-
earaeoto qae veio annex i ao sea officio de 27 de
uiaio pr.ximo iiado, sob n. 100.
Ao-mesmo.De conformidade com a autori-
sagao do minitterio da guerra, expressa no aviso
de 29 de julho fiodo, maode Vmc. proceder a
eoostrucci* do caoo deseoberto paTa escoameoto
das aguas luviaes, que estagoam na areia do quar-
tet das Cmci Ponlas, na importancia de 1454530,
seguodo mosTa o orcamenlo que veio annexo ao'
seu officio de 27 de maio ultimo, sob n. 99.
2.' seccao.
Offlcio :
Ao juiz de direito da comarca de Cimbres. -
Em respusta at offlcio de Vmc. de 22 de julho ul-
timo, represenando cootra o procedimeoto das
autori Jades polciaes do termo do Brejo por exer-
cereru actos de ma jurisdiccio no territorio des-
membrado da Ireguezia de Santa Aguida e qoe
passou a perteoter ade Cimbres, teoho a dizer Ine
de conformidade com o parecer do desembargador
procurador da coroa e soberania nacional em offi-
cio de hoDlem dilado, inclaso por copia, que o
territorio dbsmumbrado de uma fregaezia deve logo
Hear sujeilo as au;oridades civil d aquelle a que e
annexado e assim regularmenle procedem as auto-
ridades policiaes do termo supra mencionado.
3.' seccao.
Officios :
Ao inspector la thesouraria de fazenda.Pa-
ra os fins conveoieites, commnoico a V. S. que o
juiz municipal e de orphaos do termo de Caraani,
Antooio Pauliuo Cavalcante de Albuquerque assu-
mio o exercicio interim) do cargo de juiz de di-
reito da respeetiva comarca em o 1 do eor-
rente.
Ao mesmo.Para os lioj convenientes com-
munico a V. S., que o juiz de direito da comarca
de Caruaru bacharel Antonio Buarque de Lima
deixoa o exercicio Jeseu cargo em o 1" do eorren-
te, por ter sido nomeado desembargador da relacio
de B el cm.
Ao mesmo. -A vista da sua informacao cons-
tante do officio 'e 4 do correute, sob n. 231, serie
H, relativamente a outro da junta de emancipacao
do monicipii> in Palmares, man lo V. S. fornecer os
2 livros pedidos pela mesma junta para a respeeti-
va escripturacao.
Ao masmaRemetto a V. S., para os fins
co*venientes, uma ordem do mioisterio da guerra
drtada de i'-i ae jqioo ultimo e i oraens eui plicata da reparticao do ajudante general, sob ns.
1062 a 1065.
Ao mesmo.-Em virtade do aviso do minis
terio do imperio de 25 de julho Undo, faco constar
a V. S. que Qca concedido pela verba Obras do
exercicio de 1874 -1875, o credito de 10:000/1000
para auxiliar acootiouacao do tempioe oovo hos-
picio da Penha. A somma deve ser enlregue ao
Rvd. Fr. Venancio Maria de Ferrara prefeito dos
missionaries capuchinhos nesta proviocia.
Ao mesmo. Teodo nesta data, a vista do qae
deliberou o Exm. Sr. ministro da guerra, no aviso
de 29 de julho ultimo, junto por copia, mandado
proceder a construccao de nm cano a descoberta
para escoameoto das aguas fluviaes, que estagoam
na areia do quartet das Cioco Pontas, na impor-
tancia de 145/530; assim o commuoico a V. S.,
para os fins convenientes.
Ao mesmo. Tendo de conformidade com
a autorisac.ao concedida pelo mioisterio da
guerra, no aviso de 30 de julho ultimo, junto por
copia, mandado proceder aos concertos de que
precisa a casinha e a latrioa do quartet dos opera-
rios do arsenal de guerra, or;ados na qaantia de
116/120 ; assim o commuoico a V. S. para os fins
convenientes.
Ao mesmo, Constando de commuoicacao da
secretaria do osudo dos negocios da marioha ;que
por titulo de 27 de julho ultimo, foi transferido
Gavino Henrique de Azevedo, do lugar de ami-
nuense do arsenal de marinha desta provincia, pa-
ra igual emprego no da Bahia ; aseim o declaro
a V. S. para seu conhecimento.
Ao inspector do thesouro provincial. Decla-
ro a Vmc, para seu conhecimento e devidos effei-
tos, que nesta data outorisei a reparticao das c bras
publicas a mandar e coatractante da reconstrac-
cao do toeatro de Santa Isabel, executar o orca-
mento da canalisacai d'agua p^ra o ausrao tbea-
tro na forma do art. 54 do regulameoto de 24 de
fevereiro do c >rrente anno.
Ao mesmo.Declaro a Vmc. para sea co-
nhecimento e fins convenientes, qae a ajada de
cuslo que compete ao engenheiro auxiliar da re-
particao das obras publicas Louis Emile Damlo,
deve ser paga em duas prestacoes.
4.' secgao
Officios :
Ao Exm. presidente da provincia das Ala-
goas.Accuso o reeebimento do offlcio do 30 de
julho findo, em que V. Exc. me participa estar de
posse dos medicamentos enviados por intermedio
desta presilencia, e haver em 25 do mesmo mez
expedido ordem a thesouraria de fazenda dessa
provincia para qae a importancia defies seja paga
ao pharmaceutico Augusto Caors, estabelecido
nesta cidade.
Ao Exm. presidente da proviocia de Mioas-
Geraes.Accuso o reeebimento do offlcio de 24 de
julh) proximo passado, ao qual acompanhoa nm
exemplar da falla, qae V. Exc. dirigio a assemblea
legislaliva dessa provincia, no acto de sua instal-
lacio em 17 de maio findo.
Ao commissario vaccinador provincial.Re
metta Vmc. a secretaria desta presidencia alguns
tubos com lympha vaccinica.
Ao juiz ae paz presidente da janta qualiQca-
dora da Ireguezia de Nossa Senhora da Penha de
GamePeira. Devolvo a copia da lisia dos cida-
dios votantes qaailficados nessa fregaezia, para
que Vmc. faca desapparecer a irregularidade nella
existente, juntando a copia da acta da formacio da
junta qualificadora, conforme determina o art. 21
da lei de 19 de agosto de 1846, e avisos de 15 de
marc e 26 de abrit de 1847.
Ao Rvm. Fr. Venancio Maria de Ferrara,
prefeito do bospicio de Nona Senhora da Peoha.
Fac-i AHHtar a Y Bvma., qao em aviso de 25
>ie julho, do miotscerio do iiiiperio, declarou-se a
esta presidencia que pela verba-obrasdo exer-
cicio de 1874 75, flea coocedido o credito de Uez
cont03 de tis para auxiliar a construcgao do tem:
plo e nq>n) bospicio da Pedha, cuja qaantia devera
er 6D:regae a V. Rvm.
5.* secgao.
Officios :
Aoetwenheiro chefe da reparticao das obras
publicas. Inteirado do que expor Vmc. em se"
offlcio de hontem datado, sob ps ^ aatoriso.0*a
mandar executar, na [6fma do an. 54 da regula-
mentor;ess. reparticao, o orcamenlo da canahsa-
sacaa d agua oo IJiealx.* & ^nta Isabel, de accor-
"9 9? -* respeetiva planta approvada por esta
'presidencia.
emrconsideracao o trecho do seu relatorio de 4 do
eorrente, sob n. 24, relativamente a oaca sega
ranga qae offerece a poote d>* Arrombalos, decla-
ro a Vmc. qno com insistencia fa-'a sen fir ao ge
rente dessa empreza que Ihe cumpre snbstiluir
essa poote quaoto antes por ontra qae tenha soli-
dez e seguranca.
A' junta de qualificacao de escravos do ma
nicipio de Palmares.-Em resposta ao offlcio des-
sa junta, datado de 20 do mez proximo passado,
em qae pede dons livros para sua escripturacao,
declaro qua nesta data aalorisei a thesouraria de
fazenda a fornece los competindo a essa junta
mandar recebe los daqaella reparticao.
EXPEDIBNTB DO SECRKTARIO.
/." secgao.
Offlcio :
Ao Exm. brigadeiro commaodante das ar-
mas.Tendo S. Exc. o Sr. presidente da provio-
cia, por despacho desta ata, coocedido aos recra-
tas Firmino Jose dos Saotos e Laiz de Franca 15
dias de prazo a cada nm, para provarem isencao
legal ; astim o declaro a V. Exc. de ordem do
mesmo Exm. Sr.
2.' secgao.
Officios :
Ao juiz de direito intenno da comarca de
Caruard. 0 Exm. Sr. pre idente da provincia
maoda accusar o reeebimento do offlcio de V. S,
do 1* do eorrente, communicando haver na mes-
ma data assumido o exercicio inlerino do cargo de
juiz de direito dessa comarca.
Aojniz de direito interino da comarca de
Flores 0 Exm. Sr. presidente da proviocia man-
da accusar o reeebimento do offlcio de V. S., de 23
de julho ultimo, communicando haver pres dido
uma sessio do jury do termo do Triumph >. como
juiz de direits da comarca mais proxima da de
Villa-Bella.
3.' secgao.
Offlcio :
Ao inspector do thesouro provincial. De
ordem do Exm. Sr. presidente da proviucia, com-
munico a V. S qae o Dr. Joao Maria Seve, tendo
qodado a lieeoca que obtivera, entrou em exerci-
cio do cargo de medico do Cymnasio Provincial,
em 28 de julho findo.
4.* secgSo.
Offlcio :
Ao Dr. inspector da saude publica.S. Exc.
o Sr. presidente da provincia manda fazer sciente
a V. S. qne a presidencia da provincia das Ilia-
goas em 25 de juoho tindo, expedio ordem a res
pectiva thesouraria de fazenda. para ser paga a
Aagusto Caors. a| jaantia de 460JI em qne impor-
taram os medicamentos por esta fornecidos a mes-
ma presidencia.
5.' secgdo.
Officios :
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
pubiicas. De ordem de S. Exc. o Sr. presidenta
da provincia, eommnnico a V. S., para os fins con-
venientes qne nesta data expedio se ordem ao the
oiirA nrAvinrlil nn aflnliiln ria gr naoa ni 1I113
BXlll
los Plrvam-se a vlnlr e !
fur dos.
Mo de Janeiro te.Cambl*
I'Onilre* *em alleracao. IV
do de cafe tear, side feHns I;
eoes liaiKadao i a prlacira
dade ordiaarta de
rets.
mento, coeutantes do conhecimento que janSQ lb*
reme mfttmn rtPtnrmintnrtn n v ) Ao engenheiro fiscal da companhia de trilhos
- ao mesmo. DetermmandQ 0 E*;ra. Sr mi. (jab3LQOa do ^ecjra a 01in(la Beberibe. -Tomando
ErestaQSes ao engeDherr'o'anxTliar'dessa"reparii?a6
oaif Emile Dombre a ajuda de custo qae Ine
compete, conforme solicitoa V. S. em s u officio de
hontem datado, sob n 229
Ao engenheiro fiscal da empreza Locomotora
Pernqmbucana.De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da prcvincia, declaro a V. S. para sen co-
nhecimento e devidos fins, que nesta data deferio
se o requerimento de Sermissio para levantar uma parede siogela de
,"6 de altura sobre o muro do fosso da fortaleza
das Cioco Pontas, e outro da l,m6 entre esta e a
parede da estacao da estrada de ferro do Recife a
S. Francisco, ao qual se refere sua infurmacao
coosftnto do officio de 4 do eorrenta, sob n. 38.
(agencia telegrapiiica havas reuter.)
*%"s%%\ 8*1^ fc* %%%YVVMm
Makdrid 95 de novenibro.-A eida-
de de Pamplona acha-se de novo
abnatecida de viveres e de muni
roes, oblidu* pur meio il'iima nor
lid a que a sua a;aarnlcao realisou.
Q ifAltllii "^^ fr%f*il||ia
Paris 25.1> gabinete francez con
erva-se o mesmo. Os projectos
sobre a constitute ao, que estavam
sendo discuttldos, serfio prova
velmente adlados ate depots do
Natal.
SI. Petersburgo SB. O governo
russo resnlveu-se a convldar os de-
legados dos governos da America
do Sul para tomarem parte na con
ferencia que dentro cm pouco deve
ter lngar para tratar-se das regras
a segruir entre os combatentes em
tempo de guerra.
MrHil% IAAIIWIMm
Lisboa 95. Cbegou bontem aqui.
procedente do Brasil. o paquete
frances GIRONBE, da companbia das
Messanjerles Marltlmes.
NOTICIAS COMMEBCIAES.
Londres 5. Conserva se a qua-
tro e meio por cento a taxa do des
conto na praca. Consolidados de
3 O/O, for account, a 93 it. Fundos
brasileiros de 5 O/O. do anno de
18G5, a IOO. Care s ealino i pre^os
urmes sem alteracao i o carre-
gamento do Kio pelo navlo KJER foi
vendfdo a 19/ s. por cwt. Assuear i
transaccdes quasi nullas i precos
nominaes.
Liverpool 95. Algodao s calmo ;
precos Hrmem sem alteracao: ven-
deram-se hoje dose mil fardos.
sendo mil e quatrocentos proee-
dentes da America do Sul i o
fair de Pernambuco 8 d. por libra.
Assuear : transaccdes quasi nul
las t precos nominaes.
Antuerpia95. Cafe t calmo j pre
cos Ormes sem alteracao.
Havre 95. Cafe i muiin anima-
do ; precos flrmissimos. Algodao t
transaccdes regulares; precos mui
to flrmes i o ordinarlo de Per-
nambuco a 9 francos por 50 Kl-
logrs.
Hamburgo 95. Cafe : calnaq | pre-
cos Ormes sem alteracao,
Marselha 95. Cafe ? Idem : 'dem
Assuear: o de e,rii^i^uucu a 96
raneO*e Id" eent'linos os 50 Hi-
logrs.
Sew-York 95. -Cambio sobre Laa-'
dres 1 HC. Ouro 111 3/4. Cafe i
cm lino; precos flrnaes sein alteracao:
O dO RiO FAIR IS C-NTS, C O GOOD IS 1/9
ciirrs por libra. Algodao : raediano
cplands 14 */A cents por libra; as cbe-
gadas de hoje aos portos amerlca
(AOENCIA AMERICANA.)
Para 26 is 10 b. e 50 m. da manfoia.
A folba official (JOltVAL DO P\RA
publicou um artigo editorial, que causou
grande sensacao. Em linguagem sizuda s
energica (amenta a situai.a i em qae se ache
a provincia, que retrograde gigantescamen
te em virtude dos acontecimentos qoe at-
estao dando. Eio quanto o Japio cifilisa
se, diz ella, o Para passa a ser terra de sel
vagens. Admira-se que bomens de inQuen
cia prestem apoio is ideas propagadas pela
TltlBUNA, fem verem o mal qae estao (-
zendodsua patria. Aedilicagao parade,ocom
mercio desanimado, os pedidos pare a Ea-
ropa maadados suspender, e as rendes pu-
blicas decfescendo a olbos Tistos. Admira-
se tambem que alguns funccionarios publi
cos, que pela sua posi^ao devem sustenUr
a ordem publica, tenham-se etivolvido no
movimento que promove a Till HI.'.\ A ;
mas enganam-se em seus calculus, por quan-
to o governo esta* disposto a mantera tran-
quillidade publica, e ueste propos'to tem c
apoio da parte sensata da populacio. Eis
virtude deste artigo JA se reuniram pessoas
influeutes, que estao resolvidas a concorrer
com seus esforcos, para que termine a si-
tuac;ao desagradavel em que se acba a pro-
vincia. AOirma-se ja" que a Till DUN A vai
cessar a sua publicacio.
Liverpool 25.Algodao : mercado firme;
venJtrara-se de procedencia brasileira l,f>00
fardos.
Havre 25. Algodao : sem alteracAo ;
vendas de boje 1000 fardos.
Rio 26 as 10 b. 25 e m. da manhi Esti
embarcando tropa na corveta PA MEN Si.
que dizem vai sabir para a Psrabyba ou
Para*.
Babia 26 as 7 b. e 55 m. da maaba.
Entrou do Rio de Janeiro o paquete in-
glez DOL'HO, que segue boje a tarde pare a
Eurona. nor Pernamlinc/i "-;- r**-
sua escala. (.hegou, procedente de Fernam-
buc-i, o lugre brasileiro RIO BRA SCO.
Rio i6 is 3 b. da tarde.Mercado inal-
terdao. Recebetnos Duticias do Rio da Pra-
ia. 0 governo argentine prorogou o esta-
do de sitio por 90 dias mais Dizem que o ge-
neral Tabuada invadira Cordova com 3,000
bomens e que ArredondoderroUra Roca, to-
maodo-lbe a artilbaria e fazen-lo rauitos
prisioneiros.
DlAKlOD PfiKNAMtfU'i
RECIFE, 27 DE NOVEMBRO DE 187*.
VtticittN d* stal da imperio
Chegou hootem o vapor ingle: Sor-ita, traienlo
data: do Rio da Prata 15, do Rio Grande do Sol
9, do Parana 5, de Santa Catharina J, do Rio de
Janeiro 20 e da Bahia 21 do eorrente. Ale id d i
que damos sob as rubricas Parte Official e Revit-
ta Diuria, encontramo3 not jornae- o que se-
gue:
PARAGUAY.
Preparavara se grandes festal para o dia 23 do
eorreote. no qual 0. Juan BaptisU Gill deve ser
elevado por quatroannos a fpresidenria da re-
publica.
BEPUBLICAS DO PRATA.
Ainda algnns boatos, e mais oada. Por parts
dos insurgentes dizia-se que a vangnarda do exer-
cito do sul, sob o commando do mioistro da gner-
ra Al.-ina, adiantaodo-se alem de Dolores soffrera
um revez serio, sendo ferido o mesmo ministro.
Segundo os boletins do govarno, u qne quer qne
foi que houve para as ban Jas de Las Flores redu-
zia-so a um reeonhecimenlo que o coronel Muzi-
lera mandara fazer, recolnendo-se as tropas ao
quartel sem novidade, por haverem fugido as par-
tidas insurgentes.
Eotretanto, que algjroa c usa mais seria hoove,
qner fosse para o lado de Las Flores, qoer para o
de Dolores, poJe inferir-se do movimento de tro-
pas qne se noton em Buenos Ay res. Varios ba-
taliioes da guarda naeiooal tiveram ordem de dei-
xar os seus qaarteis, caocenlrando-se no da arti-
lharia, enjos muros se estavam alleando para me-
lhor defeza, ao mesmo tempo qne se asseutavam
trilhos para mais rapido transporte de mate-
riaes.
Para Las Flores sahiram a II, dous baulh'-es
da mesma guarda. eommandada por Solier e
Bosch, com seis caohdes Krupp. No dia segoiola
sahio para Alia mirano, eBiroacameolo das duas
vias ferreas de Dolores e Las Flores, o batalhao
6* de linba, a reunir-se at forcas ja coneeotradas
naqnelle ponto e compostas de dons batalbOM an
infantaria, batalhao do Saladilho, dito de L ib>-.
dons regimentos de cavallaria e uma bngada de
artilharia com dnas pecas de Krupp.
Ao passo qae sahiam estas tropas, cntravam do
snl, e, portaoto, da mesma direccio, namerosa>
forces de guarda nacional com musica i freste, o
que nao se axplica faeilmente. Depois o mesmo
governo annnnciou que Las Flores havia sido
reocenpada pelo commaodante Arias, prova que
os insnrgentes alii tinbaiu chegado a entrar.
Continuava a fallar se da proxima encorpora^*
do exercito do general Arredondo ao de atitre.
apoz o que se contava com uma batalha mais oa
menos decisiva.
0 governo pnblicava qne tinha recebido imper-
tantes telegratnmas do cor nl Roca dando conta
das operaCoes do exercito do norie; e^oe o coro-
nel Mausilia, chefe do estado-maior do exercito de
re^erva, no dia seguinte ao da saa chegada ao Ro-
sario, pasaara revuta a 8,500 homens, sendj 600
de iafanleria; que em Corrieotes o corooel Ixur
rialde derrotara corapleuraeute a yao^uarda do
iusurgen'-s e que o caudilho Placido Martmex tc
s'-t.metlera'com as sua* forcas pedindo lodn:'-); *
iae se esperavam varios lorpedos eoropradw na
luclaterra. .,
Bam m laffaa **< ij uoha '>< *o-
Cootro.
Dizia-se; porem, qua a bjrdo do vapor in ur-
o.-,a:e HQ*t*fidio tinha havido um tvaota-nrsl>,
que naofloJe er :'^K*dOeeswa esstaisassi-
to sangao, raorrendo mesibd *" offlcaes,
que per falu do tripulafio os insar^CSiM tmn?a.
passado para bordo da Parana o arrnamtnto -
quelle vapor, maodando-o depois para Mooiest-
aCJ com quatro homeas.


/


Hi I
{ 9i\\r\
9iftyiQ>de Pernambuco Sexta fejira 27 de Novembro de 1874
No Eslado Oriental, mquanto a respectiva com- omaescbiu, para alii maniida, forim pjesos
missao nao dava pareeer sobre oV*arojBC*< **'*<" W*fdHM,'*v*dii*do-.*-o wnros dins.
cursos eatsaWawiarios. apre^entados pelj governo, Refcre a Raeina G .&n'Wnse.qiie o lr. Anfu-Uo
a caniarnJai ggaresen antes disculia o orcamento' Alvares da Cunlia, e:q viagem it;t eslancia*cim:i
geral, fazeado alguns cones na despeza, e o seoa-; referida para S. Gabriel, fora a',i; do par uin
- flna'uceiros fa \ tduro enraiveeido, que, fefindd o em uraa perna,
o*arren*essara*do eavaHo afcaixa.
U se na mesma folha:
t 0 3r. Poociano Pacheco, de 15 annos de
idade, tendo-se recolhido da oaga, tiron a ospoleta
da espingarda o eora cllanawacou, grsrcejatido.seu
irmao Belisario, qae coqU tr-s annos man do
que elle. Belisario respondeu a) grace; o duendo :
Nao tenho medo de armas. Poncian >, eoafiadn
. -
do occupava-je com 09 projectos
approval*! pelt, outra-canma.
De Montevideo escrevem ao Jornal do Com-
mercio, do Rio !e Januiro, em 13 da correujo, 0
seguinte :
Nao tenho prefereacia nor Mitre, nem por
Avellaneda. Coasidero ambos, argentinos de co-
ra<;ao, amaates de soa patria, ainda de gloria, e
dominados pelo pensameato de engrandece la.
Partindo deste ponto de vista, respeito os mo-1 em aenar'sa a'anMTseta es^oleta/aTonta-a'pm
veis qae os condotu-ara a luta armada, embora 0 peito do irmao e bate 0 gaiilho. Ouve se uma
deplore 0 facio, que momentaneamenie ha de pro- detonagio, e Belisario eabe ai-oilo 10s pes do ir-
duzir um eHeito coutrano Squeiias elevadasaspi- mao estnpefaeto. Jnlgi so que algam fragment-
rac6t'9-. do fulminate da capsnla ficouadherents a > onvido
bei quo a governo da confederaean se qunxa da anna, e rjoe fei a-eansa do tiro. A iafeMt mai
das nossas sympathias pelo chefe da revolucao. dos desventurados mows acha se em estado quo
E lojusto oeste juizo. Uahecemos mais a Mitre, inspira cuidados.
do Brasil do que a qualquer outro homera do Es- No lagar Triota e'T/eiVp.rsximo doOrro Lsr
tada-Arg-nlino. Nelle vrmos 0 litterato, 0 publi- go, Pedro Ramirez e Cypriauottamirez>et.ende-
cista, 0 oulitar, e 0 admiaistrador que mais se tarn ram assassioar D Pedro Sanchez, irmao do c-ro-
distraguido ne-tes ultimos tempos no scenario da a-I Joaqutm Sanchez.
coatederacao. D ahi tal ou qual interesse co n No rn imento em qae Cypriauo ferio D. Pedro,
quo aeonioanha-aos os seus p-ssos. Nao pi Guruersindo, filho d.'ste, estenden-o raorto.
demos confundi-lo com os ambiciosos politicos quo Carrara como certo 0 boato d haverem sido
pullulam em todas as sociedades mjdernas; 0* batilos no Caveri os cincoenti salieadores que
-ieus precedeates fallarn mais all ado que todas as lufesiam a campanha e sao eapitaneados por um
apaixonadas accusaifles de seus adversarios. tal Torqcilla, negociante qun fallio em Rivera ;
Veado um hoiuem J.'sta tempera a f ente da accresceatarase qae do conlliCto ftram ewirtos 0
revolucao, nem devem >. tappor que os seus ele- coronel Jose" Pinto, commandaate da forca que os
mentos sejaniitrH^, com? apregoa 0 goverm, aggredi:i, e tres gaardas naeinnaes. Mas 0 sc-
aem eoasideraj rjajciijjs 0 ; ia'ua'ladas as cansas guirte telegramma, expedido de S. Gabril a 2^ do
que a origi laram. E k ;-.rq ie nin acompanha- passado, declara nao terem fuadaraeatos eases
boatos :
Sao fal-as todas as noticus que t 'm silo da-
das ne-sa cidade a respeito a saltealores.
A unica verdadeira 6 a de terera ctacalj a
casa do ostancioiro Serafim da Silva, morto um
noto dello e roubado quareata coatos de rois.
a 0 caronel Jose Piato esta era sua estaacia e
Braga, Romuildo de Acdradj Bse"na, Francisco A
Augustj de Barros, Francisco de Farias Viilas-
oa?, AWcrlaCi.mcalves I'ereira de '.ndralo, Jo.-e
'Fnooton:o Palhe-<>. SeveMni doj Santos Vii-ira,
Pedro J-.'sii.Nctio Teixeir.i, Honorio H.riret Pinto
de Figueire'dj, loi-juim Ajgislo du Luz, Jaadd
fJerqaeira Mettdos.
0 numo.-o dos novos bachareis e de 25
Farjm ajprovp.dos: 4 aaco -Caauto Jose Sa-
niva, Anonio Diao da Costa Boeno, Martim Fran-
cisco R:!Hro de Andrade Junior, Ignacio Soares
de li'j iiues Jardi-n, Herculano Augusta de Padua
e Castro, Slarcelino' 4a Gama Coeliio, Pedro >de
Vasconcelloa T. da Motla, Olympic 0. de VHhena
Valladao, Jose Uxio i de Brito, Eu,; mio Teixalra
Leit-vEduard.i de Almoi'la Magalha-s S ibriifio,
Antonio de Paiva AM*, do Antonio Bley, Jese Bo-
birn Qesar, Caetano tniz M ichado de Magajhles.
1 anm> -Anfemia-Siltestro de Pinbo, Clwnetti
1110s 0 governo ne.-!a it-,;', real ou simulada,
qae elle se jalga o;n difio d- f.rmular ajuella
queisa.
Ha dias coav*r?v.i pu e^:o am dos horaeas
emtneates da revolii;,"i t, 0 lit; mjnifestava a sor-
preza quo me cui ;-.v. desenvolviam os acontccim-ntos, morosilade ji
fligellada pelo CosmpJitu, sli.n jornal nao a I lie- nao Ihe mataram lilho algam
t) ao governo, e que '. ntjfttma sort.) prodozia a ; As folhas da capital puhlicam 0 seguinte abaixo
duvida nos erpirit >s 1 oa./.iii ii a sus;.'eita di quo asignado, firmaJo por cerca de 300 moradjres de
0 ffiovimento rev >luci .:i..ri, fjra precipitado, e' S. Leopoldo :
nao tmha apoio na opiaiS), 0 que 0 loraaria aki
meate coudernn vel.
Esta pertoosgem replkroQ4M que efTectiva-
mofite ue>'.es uouieuto3 a ri'vol.icai era u;n myllto
para aquell s .jue nao e.-tav..m "em sua conliien
cia, mas \ae. de.itro em poasoi di.ts ella ostcata
ria tola a sua pajanca,, protando a impopularida-
dfHo desprestii'io d>> governo. qie talvcz llcaise
0 procedim30to da tribunal da relacio desta
proviucia mandando por em liberdadc grande nu
mero dos adeptos da seita de Maurer, que estava u
presos na cadeia civil da cilale de Porto ilegre,
e decretando a respoasabili lade do Sr chefe de
policia, Dr. Abilio Alvaro Hift'BS e Castfo, causou-
DOS a ruais tri-t-3 e dolorosa impressa).
a Ea'.regar de aov 1 vida e a propriedade dos
n-d^Sou;ae GftMrn/MarlMto Alvares da Sil*
Cam os, Antonio Jose" Ferreira Coatiiro, Antonio
Sfcureia Figuetra. Joaqutm Beota Rmeiro da Ua,
mud Jacnitho Vijiri de Moraes, Antonio Au
gusto de Athayle.Tranclsco'Euhtio do'Nascimea-
la-Silva, Manoel Uareendes Homem de Mello, Hwi-
rique Aatonio Baxuabe, Vicente Eraristo Goncal-
vts Mirinh'/MarlinhoDuarte Piato Montoiro,Pe-
dro Dias de Carvalho, Pedro Acbnes da Silva, Ar-
thur Goners de Oliveira Carvalho, J0S0 Caellw
Gomes Ribeiro, Joaquim Jerooymo Fernandes da
Cuob-i Fillio, Melchindes Orreia Garcia, Edmun
d) Palmeiro Pereira da Cunha.
% anno.Leandrode Almeida Ribeiro, Laurta-
do Pitt 1 de Castro, Bernardo Jose Vieira Ferraz.
mio Josd da Silva Junior, apr>*nac rdoaa-1 defa Fort, Manoel de Soaaa Aivs, Adolpho Ar-
9 S: ,. ,v ^. "lt"' "'beiro da Fouseca, atiprova^os ulenumcnte ;
JRuS"10 (PXal"e ,?ed,C0) -Anrelia,Goncnl. *=noel Pedro Alves de Wrro\ approval" n
ves de s Lanrfto Maria Ferreira d.a Fooceaa, lose Augu-to
da H icln Almeida, Domingos Jose Noguei a Ja-
guinbe Filho, Cypnano Barbosa Bettaniio, pleba-
mnte ; Joaquim Silverio Barbosa da Silva, situ-
pMamente.
Exame de clinica. Augu-to Cesar de Mi
tmi\ Azevedo, Henrique Cenar de Bouza Vaz,
Catios Augosto de Moraes Sarmento, approvados
com distinc^ao ; Jose Gomes do Amaral, plena-
menie.
23anno pharmaceutrco.Jolo Frederico Ab
bolt, approtado plenameate.
1 Reialtodo dosexamai dahontom (U) na ei-
coa polyteehnira :
anno.Carlos jAfcertw-de Meneaes, Carlos
Aiguto-dtrWascimenlo-e-Strva-eActonio dcm^hl-
v Piragiba, approvados simplesmenle ; Cyrillo
Rcdrtgoes da Silva Genofre, approvado plena-
men le.
I' cadeira do 2 anno.Jose1 Leopoldo Belfort
Dftfirle, Augaslo Ernesto de Ftgueiredo e Jeao Ma-
ria de Almeida Portugal Junior, approvados sim-
pleimente ; Alfredo Bernardino Canongia, Torqua-
to Xavier Monteiro Tapajos e Tarcicio Joder de
Andradft, approvados plenameate.
2' cideira do 2 anno,Joio Evangelitta Car-
MM da Cunha e Antonio de Salles Nanes Bel-
fort, approvados plenamente. Houve 3 reprova-
l" cadeira do 4 anno. Gustavo Adolpho
u anno medico.Aatonio Kdu.rdo de B-r
redo, i y-6 Candida da Costa Seuaa, Jose Jerooy-
mo de Azevedo Llua e Torquato RoJrigaes Villa-
res, approvados pleaaraente.
< 6* anno medico.-Jose Celeslino Soares, Ao
tonio Furtado Campos Junior e Xuno Teixeira La
ges Junior. Francisco Cassiano Ferreira Alves, Jo-
se Lopes da Silva Trovao e Celso Eugeaio dos Reis
Junior, approvados plenamente.
6* anno. (Exame de clinica) -Carlos Pereira
da Silva Guimaraes, Pedro Macedo de Araujo,
Joao Baptista Ferreira Ferro e Francisco de Salles
Aleixo Fraisa i, approvados plenament
f
0 Diario di S. Paulo, ainda tralando do tre- "Sauerbron, Jayme Arthur de Ivahy, Julio da Sil-
inor de terra, que alii se dera era alguns pontos veira Viaona, Joaquim Francisco Leal Junior, Al-
da proviacia, refcre 0 seguiote que iheioicommU'
aica lo de Porto Feliz ;
a Hoje, as 9 boras da maaha, senl'.o-se aqni um
pequeao tremor de terra, precedido de uma deto \
nacao se;nelhante a de vm trovaa loogiaquo. Da
rou coua de cinoo seguudos. Diversas pessoa^L; a Approvado plenamente, com grao P : 2 bata-
que se achavam na malriz por essa occasiao, n < lliao de artilharia a pe, capitao gradnadoJose Theo-
taram 0 estremeciraento das paroles, l.-so mes- ^hflo Cardoso ; 2 batalhio de infantaria, alferes
mo sonlio se em ontras casas da cidade, ehegando Lydio Gomes P,irto ; 5 regitnento do cavallaria
era alguns armazens a ouvirse 0 tioir dasgarra- bgeira, alferes Boaveotura Magessi de Castro Pe
bino Pereira da Rocha Paransos e Hooorio Joa-
quim de Almeida, approvados plenamente.B
_ t Gomecaram os exames da escola de tiro do
Campo (irandp, no dia 3 do corrente, e terminaram
boatera, sendo 0 resultado
reduzi lo a d minar soaasnte na ci Ja le de Buenoa- paclficoa e laborious habitantes deste maniciplQ ao
Ayres. Qae us trabtllios a operafd.s em ri< d
eiecs^M conl.uziram iafallivelmeate a cste resul
tado, naoihe sendo possivel explijar se porque
este resultado depeadia em grande parle do se-
gredo.
Eflbctivamante parcce que tJgacoa eossa im-
portanieesta succedendo. Os revjlucijaarios pu
blicam em sons bolelius quo 0 general Mitre, de-
pois deattrahir as f ireas legaos son 0 commitdo
do* irrnaos Campos para ale.m Jo rio SdMb. tin-
vimeato que 0 govern 1 havia anuan:iad 1 eomo
olTensivo, cm?egaira interppr-se eniro eiles 0 a
c.ipiial cam fore is respeitsreis, c6r*ddo a* 00m
pl-jtam-nt^, e p-ivandtxas d3s suas bases
perartK's qae oratn os eamhruos to -tto.
AcorescenUm que jorooel Mac'inl > derro
tara 0 chefe Mozlera, que havia enlrado na povoa
furor vandalico de ciiminosos que ajpantav.tm a
todos coin 0 horror dos seus crimes, e, sobretudo,
respon-abilisar 0 distiacto m3gi>trado, a qaem este
municipio deve 0 re?tabeIeciJiento da ord?ni pn-
blica, pela ene'gia e rara actividade que deseavol-
veu na prisao dos assassiaos que 0 iaf-stavara, sao
jaolos eojas tristes consoqaeanlas nao apreciou de
cert0 0 tribunal da relagio d'.sta proviacia.
Quandu a populayao desta municipio acaba do
inanifest.ar. p>r modo tio ioeqaivoco 0 sea vivo re
conneetmento 30 distiacto Dr. ehefe de poli;ia pe-
j I os a-si^n ilitl os servi^s ana liie prestou, ate pon-
j do era perigi a .-ua existenci ; qua do a provin
de cia iateira torn con-tantement.- feito justiQi ao ma-
porqua 0 go^
posieao pelo
rebeMes que
algiun
general com
Rocca, cup
eatre Arre-
que inspira mais
los que mania a favor do go-
ofu de Lai Flores, 0 qae 6 exac
veroo mandaa recaperir aq'irlla
aooKPandaate Arias, qoe batou os
uilia aeboo.
Aquclla vefsai larabem parece ter
faidamento, porque 0 .proprio governai
Ra-n s-Ayres, o eorowl Alvares Barros, s;
eampaaba c m ss f^r.-as disponiveis e passageiroi
dusoiubarcados do Satarno, luiifra, chegaram a
alllrmsr quo .1 miuistro da goorra. Dr. Alsina,
veij para a cidade ferWo em am combate qoe
houve nos aote-'iores para saivar aqaetlas forcas
da pj-ieao C: itioa 8,0 i|ue estavan).
Xetle r;i imeat > pabliea 0 Fcno Cartil um
b lira, no qual ir osereve arligosdos joraaes de
';!': -Ayro-, qae eonflrmam qae 0 goaeral Ar-
redoado lomina n'.= provincial do Mendoza ode S.
Juan, depots de ttr ba'.ido completamoate alii
o governador civil, .|uc Ihe apresentoa balalha
coui nais de ;?,ooo horaeos, morrenio na aejao,
|ae foi renhida, e comm:nlante deste exerctto,
eoronel Catalan.
Da se ja cm marcba aquelle
forcas aumero.-as sobre 0 Curonel
BBfntt^8" so a?sa3url Pjitica,
o Na pn viocia de Entre-Rios e na repnblloa da
Corriantw, lambeni ha alguma agitacio- A de
banla Fe e a uaica que ale agora tarn so inostra-
do mas lie; c onthusiastica e a
confianca nis ?blda
vera .
QoaatO a esqnadra e realmente ridiculo
que se passa. Ante-honteoi esteve a do governo
i.este porto, composta de 5 navio.-, e sabeado que
a r-voluehnaria so achava em Maldoaado, sem
carvao, sem viveres e com uma subievacio a
r no do vap r General Itivas, confirms se espa
Ihara. sahioa i uscal a. Bontsm en'reu 0 Poitou,e
os seus passageiros virara nS sete navies quasi
junios, navegando ao rnmo de uesto. Esta junc-
cao iaexplicarel do perseguidores e perseguidos
raason aqui cxtraordioaria sensacao. e cada um
lormon a opioiao que quiz.
r Hoje cbega 0 Sorata, e sph command ants in-
rorma qoe so vio na aliura do Banco Inglez 0
'arana a 0 General R>vas, e a nenham d.j3 aa-
vios da esqoadra legal que parece se dirigio aos
puitos cu ?ul da provincia para tornar effeetivo 0
decreto do governo que 03 ctrrou, por estarem
elles se vindo de base as opera^oes dos revolu-
oionarios. A bordo do navio chefe dessa esqua-
dra esta 0 Dr. Agrello com viete lumens de con
hanij 1 para vigiar 0 proeediraento dos oOlciaes
O D:. Alsmi, mini-tro da marinka,lembrou se dos
bons tempos da conveacao em que cada esqua-
dra tmha a s.-u bordo am representants do povo
rancez Temos, pji-<, U11 Bovo Jean Bon Santo
Andre oa pessoa de Dr. Agrello, e voltamos a epo-
ca do terror em Fraoca.
0 Desta republica nao ha nada do imp rtancia.
Lreseem os receios de alteracao de ordera pu-
blica. Trabalha se surdamente para isso, e raui-
IM interesses estao em agitacao. Por um lado o-
alsmistns mcitara os blaneos ; por outro lado os
mitnsta incitam os colorados puros ou florist is. Uas
eontros querem aohar aqui am apoio franco e de
eidido, e nao 0 apoio duDio que enccntram na si-
tuasaj actual. Discute-seocrcamento, eas medi
das propostas pelo governo para organisacao de
fzzenda. A polemica ja se tornou ard.nte na im-
preasa, e passoa ao terreno pessoal.
Eutre 0 Dr Julio Herrera, redactor do Siglo
c D. Izaac de Tcranos, redactor do Uruguay esta
acesa uma tremenda luta, e de lado a lado os
dous contendores teem dito borrores. Nao pode
aeabar bem esta discussao.
nio geaxde do scu
Na cidade do Rio Grands iraietuosas venta-
Ba=, que haviam soprado de variesruinos, arraa-
caram arvores, quebraram lampeSes e arremessa
ram sobre as ruas deosaa nuveas '
igistrado tuo t-m sabido coaqui para 0 sea Don e, e natural 0 pczar qae no? cao
I sou a noti ia do procedimento do tribunal da re-
lacio, qae na> sabtmos a jue motivos poisamos
attnbuir.
t Reeeba 0 Sr. Dr A'lilio A. Martins e Catro
um H'ivo testomnnho do nossa roconhecircento e
;ie t ilii os habitantes deste muncipio, pa a que
r delsirva-lho do fraca coropen-acao a inju^ti;a de qua
io ae" vietlma; iajusbsa qne nao sera capaz de nurear
a gloria qae 3. fixe. sour~e al?au;ar para 0 sea
name na liin-iliima coramissao que desempennsn
ncste municipio, e servirl apedas para toraar
mais pr-ifuada a gratilao quo Iho devem os seas
wn-'idadaos. S. Leopollo, 25 do outubro do 1874.
Pis >) D.le :
Ciiegaraii), hanlem, a esta eidade (S Leopot*
di), procedentes de Porto- \legre, tins trinla sol-
lados le liana, qae, a9 que paiece me, vem f.izer
aqui a gaaraicio, para mai /r segaraaca rontra os
Mockers soltos. Quaato nog c Bill uma forcj mi
litar em occasiao de neeessjdade, ja tivemos oCda-
siio para aprender soffleientemente.
_ Foi a costa na altura du Arroin'udos (La-
gih-mirim), com perdas sensiveis e mains avarias,
0 vapor IVo Orandense, segiiulo imme-liatamente
para 0 lugar 0 vapor de guerra Silceira.
Eis coma uma testemutiha ocular do fa-'lo 0
"11 an /?./>.- jfo A's 5 boras da tardj do dia 2 lo corroite, se-
guimos viagem de Jagoarai com destino a esta ci-
dade, 0 ao chegar a sua harra, veado-?e ella le
vantada em consequencia da forto ventania, resol
veu 0 comraan lante e proprietary do vapor atr.v
vessa la quando acalma?so 0 tempo, 0 que so
acoateceu a 1 hora da madrugada do dia immeJia-
to, prosegnindo a viagem. Mais ou raenos no meio
da Lagoa-mirim, e pelas 3 horas da madrugada,
cahio um horrivel temporal que fez immediata-
mente perder si 0 governo do feme, e teria 0 navio
ido a pique se nao fosse a sua su.erbr eonsfepe
cao, ou dado a costa so 0 comraandante, seu veloo
tnachinNta e a trlpolacao nio lan.-assem tees an-
coras para amarra-lo.
o Com os embates das oodas, que por vezes 0
cobriram, aggravou-se a nossa situacao por um
roinbo apparecido junto a machina que impossibi-
liiuu de move-la pela ^nchente d'agua nos potoe1.
Aos iocaacaveis esforcos da tripola^So, coadjuvada
pelos passageiros, se deve 0 ter restabele^ido 0 seu
movimeoto. Com 0 amanhecer do dia, esperava-
mos que 0 tempo nielturasse para arribarmos a
um porto seguro, onde pudesse fazerse 0 concer-
to das avarias soffridas, mas infelizmente elle con-
tinoou sempre com a mesrna mtensidade, resul-
tanJo perder se uma an ;ora com toda a corrente,
qa-brando-se por essa occasiao 0 cabeco com es-
covem da proa, e tcr-se perdido tambem um es-
caler.
Na noite dessa dia fata1, dispunham^-se alguns
passageiros a apoderarem se a todo trause do uni
co escaler existente, em busca de salvagSo duvi
dosa, qnando adtros prepsravam as armas para
vlarera terrao a uma sitaa^ao t.io desesperadora,
e aessa sitaacio foi qnando resolveu 0 comraan-
dante atirar co n 0 navio sobre a costa, 0 qae con-
seguio com rautlo esforco por uma manobra da
qual resultou a nossa salvaeio, arribando sobre os
bancos da praia das Brelauhas na tarde dessedia.
0 temporal ainta continuou, parem meoos forte,
coaseguin lo os passageiros fazer o deserabarque
nessa praia com a raaior dilliculdade, tendo antes
parecido qoe com 0 jogo bornvel sobre 0 banco
teria de ir a pique sobre os ferros.
0 qae escreve esta noticia otivio com mais
alguns passageiros 0 commandante e proprietary
dizer que nao podia servtr-se mais de sea vapor,
por coosidera lo completamente p?rdido, por td-lo
enralhado n'um lugar doade julgava impossivel
tira-Io. Por esta declaracio tio coatrista lora, re-
solveram os passageiros maadar desso lagar am
proprio a Jagn3rao para pedir ao Sr. general com-
maadante dessa fronteira egaarnicao aaxilio para
proseguirera a viagem ou voltare.n para aquella
cidade. No tempo decorrido na ida e volta desse
fas uas prateleiras. Felizmeote naohoave ilesgta-
5a a lamentar se, e permitta Deos qne elte nio se
reproduza.
A variola oontinuava a grassar com iitensidade
em S. Itoqae. Nessa cilado deram-se dtimaraea-
peq isnas desordens entre irabalhadare3 da es-
trada Sorocabana e a furca alii destacida Sabea-
do do oooofrito, 0 pre.-idente da pro*incia flzera
neguic algama<> pragas comma idaJas por urn te-
neute.
A estrada de ferro de JunJian; a Campinas,
no met de selerabro ultimo, dea 0 tcguinte resol-
tado:
Receita 52:339,250, despeza 24 986*416 ; saldo
liquido 27:32i;8ii ; saldo do julto e agosto.....
56:2.95695 ; total nos 3 mezes 83:572*539.
-- Falleeera em Santos 0 cidadao Maaoel Fer-
nandes Junior
niO DE JANEIRO
S M. 0 Imperador ruandm do sea bolso
2:000i para ser distrit.uido pe^s familtas pobres
que mais sodrer.un com a inundaeao de Santo
Amaru.
-- Falleceram : 0 Dr. Francisco Freire Allemio,
medico da imperial caraara e leote cathedra ico
jobilado da lacuhlad 1 de melrina ; e 0 Dr. Mar-
cos Ant safe Ribtiro Monteiro le Barros, primeiro
eflfekl da secretaria Jo minisierio da agricultura.
Lemos n? Jornal do Conmorcio :
Resultado do.s exames df bontera flO)'na fa-
cnldade de medicina :
2 anno medico. Ernes:o Braalio de Araujo,
approvado com diitiucc.io ; Manoel de Valladao
Catti P'a, Arthur Fernaales Campos da Paz e
Antoni) Moreira Tuvares approvados plenamente.
j 4 anno.Joiiuim Maicelmo de Britto Netto,
Joao Salustiano Moreira Vourao, Manoel Rodri-
gues de Figueiredo, J)se Bjlisario de Lerao; Gor-
de^ro, Arthur Greeuhalgh t Antonio AlTonso Faas-
tiu0, j'.pprovados plenanieale.
t 3- anoo.^Franolsao de Menezcs Dias da Cruz
e Francisco Sii?iauo de Alueida Braadao, appro
vados com distineclo ; Carl.s Guido Ve"dova e Joio
Pires Fariaha Filho, apprevalos plenamente.
a 0' anno.-Exame do anio : Joaquim Jose
Marqi;s, Ji.-e Gomes do A:n.-al, Augaslo r.esar
de Miranda Azevelo, Il-niique Cesar de Soaza
Vaz, Antonio Roniualdo Monteiro Maaso e Carlos
Claadio da Silva, approvados pleDamento.
-Exaae de clinica : Francisco Correia Dutra
Juaior, Guiiherme Ferreira de Abreu, Jos^ Lpos
Ferreira e Jose Ignacio de Carvalho Rezende, ap
provad. s ulamm'rate.
a Lontrauarara nontem naescila de marinba os
exameB do respeMivo eurso, sendo 0 resultado :
Primeira cadeira do 3 anno (asiroaomia e
navega^io).Luiz de Azevedo Cadaval, plena-
mente, grao 8 ; Justino Jose de Macedo Coimbra,
simplesmenK grao 6 ; Eneas Oscar de Faria Ra*.
mos, idem, grao 6 ; ?rancisoo Thomaz Alves No-
gueira, idem, grao 4 ; Bento Jose Maoso Sayao,
idem, grao 5 ; Jose" Antoa 0 Ayrosa, idem, grao 3.
Observatorio. -Luiz do Azevedo Cadaval, ple-
namente, grao 8 ; Justino Jo-e de Macedo Coim-
bra, iJem, grao 7 ; Eneas Oscar de Faria Ramos,
idem, grao 7 ; Francisco Thomaz Alves Nogueira,
idem, grao 7 ; Bento Jose Manso Sayao, idom,
grao 7 ; lose Antonio Ayr. Segnada cadeira do 2 anno (physica).Fre-
reira.
Cora grao 8 : l-batalhao de artilharia a pe,
2 tenente Antonio Mattoso da Silva ; t regimento
do artilharia a cavallo, 2# tenente Antonio Firmi-
no de Almeida.
Com grao 7 : 14 batalhSo de infaotaria, al-
feres Francis 0 Pedro dos Santos ; 7* dito, tenen-
te Luiz Lnpes Villas-Boas; 4 dito, tenente Fran-
cisco Soares Neiva.
Com grao 6 : 12-batalhio de infantaria, 2'
cadete Rodolpho Coelho Monteiro da Fonreca ; 7*
dito, 2* cadete 2* sargento Gabriel de Souza Perei-
ra Botsiigo.
Approvados simplesmenle : com grao 6 : 2
regimento de cavallaria ligeira, alferes Hjrtencio
Alve? Go-dho de Mesqatta ; 16 batalhao de infan-
taria, 2' cadeie sargpnto-ajndante Diogo Antonio
Bahia ; 17* dito, alferes Hfleodoro Joaquim do
Oliveira ; 1 regimento de artilharia a cavallo, 2
sargento Democrito Soares da Fontoura.
t Com grao 4 : 6 batalhao de infantaria, alfe-
res Raphael Augndo da Cuaha Mattos. >
'Con grao 3: 1 regiroealode cavaHsria li-
geira, par icular, 1 sargento Thomaz Augnsto
Martius; 2. corjo de cavallaria de Goyaz, teoeote
Jes6 Ignacio Pires Fortuna ; 25 regimento de ca-
vallaria ligeira, sargeato Joao Fraocisco Moaaa
Barrelo.
Com grao 1 : 2 batalhao de infaotaria, 2
cadete 2' sargeato Francisco de Paula Monteiro
de Albuquerque ; din, alferes Fraucisco Luiz
Moreira Juoior.
t Viote e quatro deixaram de fa^er exame, e
houve sete reprovados.
caldade de medicina :
1* anno raed 00.Francisco Gomes de Carva-
lho e Rocha, Joao Barbosa dos Santos e Jo-
se Raymundo Cabral de Mello, aoprovidos plena-
11 ente'; Jose Pinto Ribeiro, Belisario Vieira da Cu-
nha 0 Joaquim de Cerqueira Leite, approvados
srinplesmente,
2 anno medico.-Jose" Ferreira de Bastos Coe-
lho, Marcos Bezerra Cavalcante, Eduardo Augusto
de Souza Santos, Joao Augu-to Rodrigues Calda?
e Jose Pereira da Silva Vianna, approvados plena-
mente ; Joaquim Antonio Dutra, approvado sim-
plesmenle.
a 3 anno medico. Jose Nogueira Borges da
Fonceea e Manoel Jose Doarts, apprjvados plena-
mente ; Jose dos Santos Lima, approvado simples-
meote. Houve 3 reprovados.
ram os exames la escola de marinba, dando 0 re-
sultado seguinte :
< 3. anno.Balistica. Eduardo Augu-to Ve
rissimo de Mattes, approvado siraplesmente grao
6; Joio f-'ernandes de Almeida, simplesmenle grao
2; Jose da Silva Nogueira, Joao Baptista Goncal
TCB Tinoco,Francisco Verissimo de Paula Leite e
Francisco Jos6 Fcrnaades Pavuni Joafer, simples-
mente grao 1.
Machinas a vapor.Joaiuim Jose Pinbeiro de
Vasconcellos e Laiz de Azevedo Cadaval, approva-
dos com distinacao grao 5; Joao Biplista das Ne-
ves e Jose Antonio Ayrosa, plenameate grao 4 ;
Manoel Eduardo de Azevedo, Joaquim Francisco
Con da Leal, Joaquim Pinto Dias. Justino Jose de
Macedo Coimbra, Eneas Oscar de Faria Ramos,
Bento Jisd Manso Sayao, Luiz Ferreira de Oliveira
Moraes, Je'onymo Roberto de Mesquita, Joaquim
Francisco Lessa de Vasconccllos, plenamente grao
3 ; Joaquim Aivares da Silva Peana Juuior, Carlos
Alberto dos Santo* Valenca, Henrique Jo-e Pedro
Valladas Garnxo, simplesmenle grao 2; Franci^cc
Thomaz Alves Nogaeira e Henrique Ribeiro de Fa-
ria, simplesmenle grao 1.
Des^nho de machinas.-Joaquim Jose Pinhei-
ro de Vasconccllos c Luiz de Azevedo Cadaval,
spprovadas cam distioecao g:aoo; Joaqnim Alva-
res da Silva Penn Junior e Justino Jose" de Mace-
do '"oimbra, plenamente grao 4; Manoel Eduardo
de Azevedo, Joao Baptista das Neves, Joaquim
Francisco Correa Leal, Joaqnim Pinto Dias, Eneas
Oscar de Faria Ramos, Jo:e Antonio Avrosa, Luiz
Ferreira de Oliveira Moraes, J -ronymo Roberto de
Mesq ita e Joaquim Francisco Lessa Je Vascon-
cellos, plenamente grao 3; Carlos Alberto dos San-
tos Valenja, Francisco Thomaz Alves Nogueira e
Bento Jose Manso Sayao, siraplesmente grao 2 ;
Henrique J0.-6 Pedro Valladas Garroxo e Henrique
Ribeiro de Faria, simplesraente grao 1.
Resultado dos exames de bontem na escola
polythechuica :
a l." anno, I. turma.Antonio Furquim Wer
neck de Almeida, Joio Evangelist* de Csslro Cer
queira, Victor Claadio da Silva e Carlos Jose" de
Oliveira Braga Urast, approvados siraplesmente.
1." cadeira do 2. ann>. Modesto Olvmpio
Teixeira Drandao. approvado simplesmenle. Hou-
ve dou reprovados. Um tendo tirado 0 ponto nao
compareceu.
2.' cadeira do 2. anno. -Manoel Eugmio Rodri-
gues, approvado plenamentcr; Carlos Augusto de
AraiijoRei*. Perminio Bjrge3 de Lemo= 0 \ugusto
Ernesto do Figueiredo, approvados fimple?mente.
1 D.'senho do 6." anno.Godofrdo Jose Furta-
do, Jerooymo de Castro Abreu M-.galhaes. Iteitor
Sobral Pinto Cavalcante de Albuquerque, Arao
Leal de Carvalho Reis, Francisco Jos6 de Freitas,
Jose! Maria Mend:s Goncalves, Li Pinto Gaval-
caate do Albuquerque, Joao Sibino Dama-cenn,
Quintiliano da Silveira Loban, Jcse" Carlo) Muniz
Bitteacoiirt e Francisco Bicudo Varclla Lessa. ap
provados pie .amento.
No vapor francez Rio Grand*, chegara 0 as-
tronomo Sr. Em uanoel Liais, director do observa-
torio astronomico oa edits.
Sob os auspicios de SS. MM. a A A. Imperiacs,
realisar-se ha em Petropolis, n) dia 2 de feverei-
uma exposifao de horticul-
patriot ea
. de poei-a. Do J proprio, e por uraa cireumstancia inosperada,
jraaos, u que, no dizer do Echo que, no
vezes aeontece alii.
Tinha chegado da Inglaterra, a borda do navio
francez Albertine, uraa boraba do apagcr inceo-
oios, destioada a capitaaia do porto.
Na mesma cidade.fallecera de hydrophobia, a
27 do passado, 0 p .-tuguez Emvg'lio Joee No
gueira, aa cidade de 58 aaaos. Era u:a horaem
labonwo e hoarado.
Ja tinham sido victiraas do rn?smo mai, no
corrente anno, ires pessoas, e constav. que na
saa xarqoeada do Porto Novo, perto de PeloUs,
se achava em risco da vida 0 Sr. Leonidio A. da
bilveira, que tambem fdra mordido por um cao
damnado.
Os trabalhos da barra do S. Goacalo tinham
recom^cado com muiio bom exiio.
No 2 districto do termo rte Pelotas 0 Sr. Igna-
cio de Jesas Silva Brange ao recolher se para a
sua casa, Do AreaJ, fdra assaltado por seis ou sete
pretos, que, depois de 0 espancarem, roubaram-
Ihe quanlia sapenor a 800^.
0 joraal de Pelotas narra assina 0 Itcto :
gaio do Rio GraDde, para receber aquella qaaatia,
e em seguida dirigio se a casa da respeitavel viu
** Sr. Cypriano, onde se demaroa ate as 10
ih- ras da Doile- A essa aora e QUan,l0 ?o r8
eolhia ao sea domicilio, foi quo os mai vados 0 as-
saiiaram, es(.aacaram e roabaram.
0 A re*pectiva autoridade tomou conheciraento'
00 lacio e prosegue em averiguacoes. OSr. Igaa-
elo acha-se com diversas contusoes no corpo e
afflrraa que os autores do crime sao todos,escravoj
do b Cnaves."
Em S. Gabriel quatro escravos da estancia da
Jaroiieza de Saycan desrespeitaram 0 capataa e
oBendecaiu uma praca de artilharia que de pas3a-
agaas do baaee eobre 0 qna! estava 0 vapor, con-
seguio o seu commandante salva-lo com a maior
facilidade, desencaihando-o, ja reparada a avaria
do rombo.
Nenhnma noticia positiva chegara da es-mpanha
sobre a bends de salieadores, qae trazia em alar
ma a popula^o daquplles logarss, Dlzia-e ape-
nas que alguai esianciairos !\rovideaoiavam np
sentido de se defeadercm do3 assaltos dos mal-
vados.
Faileceram : bo Jaguarao fnaocencio Pereira
dos Santos, gaarda da mesa das rendas geraesda-
quefla cidade, deixaodo na miseria sna nnmerosa
familia ; em Bage" a seplnagenaria D. Clara do
Canto Vaz e Jose" Maria Correia ; ea S. Jo'e do
None 0 sexageaario Jose" da Silva Vil'a Lobm
homera alii mnito estimado.
* SANTA CATHARWA.
No dia 1 do correote comecara a ser publlrado,
na capital, jam novo jornal politico : intiiula-se
OpintHO Cntharinente.
Fallecera, no Itajahy, 0 cidadio Manoel Piato
de Campos.
PARANA.
No dia 15 do passado 0 capitio Damaso Correia
de Bittencourt sbrio, na capital, nma escola noc-
turna de instraccao primana para adaltos escra-
vos e opewios Jiberlos, a qual ja conta22 alu n-
nos.
0 Club Litlerario de Paranagna foi frequ'flij(lo,
durante 0 raez de outubro, por 308 socios e 30 vi-
sitantes, que consultaram 91 obras em 139 volu-
mes da bibliotheca. Nessa associaeao eontinua-
vain, aos domingos, as cojWerencias Ulterarias.
S PAULO.
Na facaldado de direlto tin'.nm sido approva-
dos, tomando 0 grao de bachareis 03 seguiutes es-
tadautes : Caudido Baptista de Lacerda, Antonio
derico Marques de Sa, plenamente, grao 9 ; Affon
so Cavalcante do Livramento, idem, grao 7 ; Anto-
nio de Souza R*is, simplesmenle, grao 6 ; Pedro
Paulo de Oliveira Sautos, idem, grao 3 ; Luiz Car
los Ire ire de Souza Junior, idem, grao 3 ; Joao
Ximenes de Gouvda Cabral, idem, grao 1.
Cadeira do l anno.Herculano Cesar de Mi-
randa Ribeiro Filho, plenamente, grao 7; paisano
AfFouso Vicente de Carvalho, siraplesmeute, grao
3.
a Resultado dos exames de bontem (10) na es
co a polyteebnica :
1# anno.Henrique Pinto Ribeiro, approvado
plenamente ; Caetano Ferreira de Andrade Junior
e Augusto Vieira Lins de Albuquerque, approva-
dos simplesmenle ; houve um reprovado.
la cadetra do 2* anno.Augusto do Rego Tos-
caao de Brito, approvado pleaameate ; Francisco
de Paula e Oliveira e Antonio Veri3Simo de Mat*
tos Junior, app-ov*,dos siraplesmente ; nm, tendo
tirado ponto, nao compareceu por doeote.
a 2* cadeira do 2" anno.Americo Baptista de
Mello Brandao eFratv:isco Cvpriaoo de Oliveira
Murtmho, approvados pleoamente ; Ricardo Alfre-
do Medina, approvado siraplesmente ; houve um
reprovado; um, teado tirado ponto, deu pane de
doente.
cadeira do 4' anno. Archias Euripedes
da Rocha Medrado, Joao Pereira Ferraz, Aognilo
Saturmoo da Silva Diniz, Jose de Magalhaes, Cae-
tano Cesar de Campos e Jose Pereira Reboaca
approval plenamente. '
c Continoaram hontem (II) na escoh de mari-
nba os exames do respectivo curso, sendo 0 re-
sultado :
Aspiranie?-!'cadeira do 3* anno (astrono-
mia e oavegacao).-Luiz Ferreira de Oliveira Mo-
raes, approvado simplesmenle, grao 5 ; Jeronyme
Roberto de Mesqaila, Joaqnim Francisco Lessa d-
Vaseoncellos. Henri qoe Jose Pedro Valladas Garo
roxo, gran 1. Henrique Rrbeiro de Faria, grao 2:
Joaquim Alvares da Silva Penna Jamor, grao I.
t Observatorio.Luiz Ferreira de Oliveira Mo
raes, Joaqnim Francisco Lpssa de Vasooncellos
ieronymo Roberto de Mesquita, Henrique Jose Pe-'
dro Valladas Garroxo, approvados plenamente,
grao 7 : H-nriqae Ribeiro de Faria, Joaqnim Al-
vares da Silva Penna Janior, siraplesmente, grao 2
a V cadeira do 2* anno (physiea). Julio Alves
de Brito, J >?e Coelho Gomes, Gastio barreto da
Costa, Joio Carneiro de Almeida, Arthur Velloso
Rebello, Lycurgo de Carvalho Reis, approvados
simplesmenle, grao 1.
aaao (apparedbo). Jose de Almeida Bessa,
approvsdo com drliaccao, grao 8 ; Joio de Mi-
randa Ribeiro Sorriuho, Pedro Celeslino TeixHra
Mendes, Maooel Beaicio Fontenelle Janior, Alfon-
so Vicente de Carvalho, plenamenie. grao 4 : Fran
Cisco Marianm Waaderley, Herculano Cessr de
Miranda Ribeiro Junior, plenamente, grao 3 ; Al-
bino da Silva Mais, simple-mente, grao 2.
0 resultado dos exames de hontem (HI na fa
euldade de medielna foi :
J" amm medico Feroandd Abbott, Angusto
Cesar do Amaral, Francisco de Panla Dias de Cas-
tro, Eduardo Joaquim da Fonecca, Leopoldo Jose
Pereira Bastos, approvados plenamente : Euge-
nio do Rego Toscano de Br,to, approvado sicioles-
mecte.
a 4* anno Cesario Alvares de Magalhaes, ap-
nrovado'com distinccio ; aqiudjo Pereira Ribeiro
GoimarSes, Vicente Ferreira Sou to Maior, Jose
Bento de Paula e Souza, Jose Joaquim de Oliveira
Teixeira e Manoel Ferreira de Figu-iredo Junior,
appravalos plenamente.
5* anno. Francisco Campcllo, Alfredo Carneiro
Ribeiro da Luz, Joaquim Goncalves Ramos Filho,
Arthur Jeronrymo de Souza Azevedo, approvados
plenamente.
a 6 anno.-Joaoda Malta Macliado Junl r, ap-
provado com distipccao ; Octavio Ellene Samuel
Dutton Brandao de Souza Barros, Marcos Manso
Monteiro da Costa Reis e Amaro Ferreira das Ne
ves Arraond, approvados plenamente.
c 6 anno (clinica). tJeraldo Gabriel de Frei-
tas a Gabriel Antonio Piraenta, approvados com
distinccao ; Lacio da Cunha Pavolide de Menezes
e Francisco de Paula da Silva, approvalos plena-
menle.
t Resultado dos exames de honlem (18) na es-
cola de marinha :
a 3* anno.Balistica (2* cadeira),Luiz Ferrei-
ra de Oliveira Moraes e Henrque Ribeiro de Fa
ria, approvados pclenamente grao 7 ; Joaquim
Frauciseo Lessa de Vasconcellos, siraplesmente,
grao 6 ; Jeronymo Roberto de Mesquita e Henri-
que Jose Pedro Vallidas Garrucho, siraplesmente,
grao 3 ; Joaquim Alves da Silva Penna Junior,
simplesmente, grao 2.
Cbimica.Fernando Carlos de Carvalho, sim
plesmeute, grao 2 ; Francisco Nunes Pereira,
Luiz Pereira Arantes, Carlos de Souza Ferreira
e Joao Jose da Costa Figueiredo, simplesmenle,
grao 1.
a Minobra.-Joao Baptista da< Neves, Joaquim
Jose P. de Vasconcellos, Manoe- Eduardo de Azeve-
do, Joaquim Francisco Correia Leal, Joaquim Pin-
to Dias, Luiz de Azevedo Cadaval, Justiao Jose de
Macedo Coimbra, Eneas Oscar de Farias Ramos e
Bento Jo*e Manso Sayao, plenamente, grao 3 ; Jo-
se Antonio Ayroa, Lniz Ferreira de Oliveira Mo-
raes, Jeronymo Roberto de Mesquita, Henrique Jo-
se Pedro Valladas Garrdcho, Henrique Ribeiro de
Farias, Joaquim Francisco Lessa de Vasconcellos,
Joaquim Alvares da Silva Penna Junior, Carlos
Alberto dos Santos Valenca e Francisco Thomaz
Alves Nogueira, simplesmente, grao 2.
c Terminaram bontem os exames de chiraiea.
t Resultado dos exames de honte.ii (18) oa es-
cota pnlytechoica:
t i* anuo { tturma ; Lniz Pires Farinha e
Aristoteles Ambrosino Gomes Calaca, approvados
plenamente ; Antonio Jose Ferreira, approvado
simplesmenle. Houve um reprovado.
a 1* cadeira do 2* anno : Gabriel Militao de
Villa nova Macbado Junior e Jose de Andrade
Pinto, approvados plenamente ; Joao Candido de
Oliveira Martinbo, approvado simplesmente. Hou-
ve tres reprovados.
a 2* cadeira do 2* anno : Bernardo Alves Car-
neiro, approvado plenameate; Jorge Furtado de
Mendonca, approvado siraplesmente. Hoave tres
reprovados.
Um tendo tirado ponto, dea parts de doente.
a 1* eadelra do 4 anno : Castodio Diogo de
Faria, approvado simplesmente.
1* cadeira do d* anno : Sobral Pinto Caval-
cante de Albuquerque, Jerooymo de Castro Abreu
Msgslhaes, Godofredo Jose Furtado e Emilio Ar
mando Henrique Schnaor. approvados plena
mente.
acoudifa a favor !? capatsi Por januafio Pinio Ferraz, TiMor-hllo"toll AnS
a 3 anno medico.-Joao Paulo de Carvalhd,ap-
provado com distinccao ; Antonio Leitao da Ptinfti:
fs?tJt fts BrT-.caraiii &?rfe
tevao, I'elro Qtnnlih,no Barbosa da Silva, Manoel
.4L* ?_le.T,0.uv?18.' aPPfovados plenamente.
gem p.J: u.
vados plenamente.- Junior,-appro
5 anoo.-Jofe Barges Ribeiro d Costa, ap-
provado coin dHtinccJo I Antonio Angusto da Cu-
nha Barbosa, Carlos Dias Delgado de Carvalho 0
Desenho do 6 anno : Emilio Armando Henri-
3ae Schnoor, Armenio de Pigaeiredo, Carlos Lniz
e Sauies, Francisco Theresio Porto Netto, Gui-
iherme Candido Xavier de Brito, Edaardo Adolpho
de Lima Barros, Joao Goncalves de Araujo e Can
dido Gonjalves Gomidp, approvados plenamente.
t Resultado dos exames de hontem (19) na fa-
culdade de medicina :
anno medico.-Jose Joaqnim de Azevedo
Brandao, Alberto da Cunha Ferreira, Jose Nnoes
de Siq.ueira, Virgilio FaWano Alves, Joaqnim Can
dido Soares de Meirelles e Venancio Jose da Silva,
approvados plenamente.
t 3* anno medico. Carlos Augusto Valente de
Novae?, TheodorovGomes Pereira da Silva e An-
gaslo de Uiranda Sopza Gome?, approvados plena
mente ; Tnsiao Eugeoio da Silvelra e Horacio de
^b,llo Correa, approvados simplesmente. Houve
umj-JoPravado.
a J}* anoo medico.-Daarle Henriqne de Araujo
Fonseeit, approvado plenamente. Jose Telles de
Menezes, Jtaooel Cavalcante da M-Ho, AmeiloFlo
ro de Castro Lavor Paes, Jo Trietao de Carvalho
te Fraocisco Doarte Crnz Netto, approvados sim-
plesmente.
a 4 anutf medico.Francisco de Sslles Cardo
ro do anno vindonro,
tura e arboricultura.
Scgnn lo corria foi S. A. a Prlnceza Imperial D.
Isabel quem suggerlo a idea desta exposicao.
A ennmissao enearregada dos prooirativos pa-
ra eila compoe so dos Srs. Paulino AlTonso Pereira
Nunes, Cordeiro, Alvim, Qoeiroga, Binot e outros.
De um telegrararaa especial, expedido de
Londres a li, e publicado pelo Jornal do Cummer
cio da c6rte a 16, consta 0 s guiaie: 0 empresti-
mo brasileiro estaeacontrando difflculdadesserias.i
0 correspondente do Jornal do Commercio da
cdrte, em data de 28 de outubro, escreve de Lis-
boa que 0 gabinele portoguez acaba de ordenar
pelo telegrapho, qoe slga de Cabo Verde para 0
Para, a corvdta a vapor Duque di Terceira,
E do Rio:
a 0 Sr. barJo de Alhandra, miaistro residente
do Brasil junto a Santa Se, no acto de entregar a
saa saniidade a carta revogatoria que poz termo
a sua missao, recebeu as insigaias da Cruz de
Chri-to.
a Esta antiga ordem pontifi-ia, que consta de
uma so classe, e. corresponde a Gra-Cruz, tem si-
do somente conferida aos erabaixadorcs e aos rai-
nistros plenipotenciarios. Com esta merce den 0
santo Padre um publico testemunho de sua con-
sideracao e aprecu ao ex represenlsnte do Brazil.
Ao despedir-se, sua sanlidado mostrou se commo-
Tido e abracou 0 antigo miaistro brasileiro, daa-
do-lhe aben;ao suostolica.
ESPIRITO SANTO.
A assembl^a provineial, quedevia enserrar-se a
8, fdra prorogada ate 13, por nao haverem sido
votadas as lois do orcamento provincial e muuici
pal e ado forea.
Tinha failed fo no dia 6, na villa de Itapeme-
nm, 0 impsrtante fazendoiro eoronel Joao Rodri-
gues Barbosa, que occupava muilos cargos, Unto
de nomeacao, corao de eleicao popular. 0 finado
era natural de Campos.
Fallecera larabera a 7, na capital, 0 capita.*
Anreliano Manoel Nunes Pereira.
BAHIA.
0 Diario da Bahia narra assim a ina'igura
Sao do monairento Onze de Junho :
t Presenceou hontem (23) a Bahia um dos es-
pcctaculos mais imponenles.
Esta provincia, na paz e na gnerra sempre na
vanguard 1 entre su .s irmas, quando se trata dos
brios e do pandonor nacional, acudio prpssarosa a
fesla do Riacbuelo, em que se tinha de inaugnrar
0 monumento coromemorativo das glorias do Bra-
sil na cuerra do paragaay.
a A memoria que se levanta na praca do Ria-
chuelo, e que se deve a inicialiva solicita da Asso-
ciaeao Commercial e aos esforcos do commercio de
nossa praca, era bem digna do patriotismo desta
proviacia : a primeira a raarcbar para os carapos
da victoria, Jevia ser a primeira a ceiebrar n'um
monumento nossos triumphos.
Desdeas li horas da manhS 0 edificio da As
sociacao Commercial, a pra$a Riacbuelo e suas
immedia;oes esiiveram cheias dos conviiadose do
povo que afQuiam em nnmerosa concumncia] de
cidadaos de toda) as classes.
Grande numero de senhoras occupavam as
janellas que dominam 0 vasto salao da Associaeao
Coramercial, cujo edificio estava todo embandeira-
do e adoraado da colehas e festSes, assim eomo as
easas adjacentes a praca, qne regorgitavam de se
uhoras.
Preseates 0 presidente da provincia, vigario
capitular e mais aatoridadss civis e ecilesiasticas
e mnitos cidadaos gradose militares de mar e ter-
ra, a 1 hora da tarde comecoua eeremonia pornma
allocscao da direccao da Associaeao Commercial,
lida pelo seu digoo presidente, o Sr. Joaquim Ely-
sio Pereira Manuho, na qual expoz 0 motivo da
reuniao, Undo 0 qae dirigiram-se a Associaeao
Commercial, as autoridades e immenso enmero de
cidadaos a Praca de Riachaello, proximo ao ediflcio
* j'oeia?4 ^iJfnercial, tendo entao lagar nao
s6 0 dpsierramemo do veo, qae cobria a estatua
da victoria pelo Exm. Sr. presidente da provincia,
como a ceremoaia da baneao pelo Rvm. Sr. vigario
capitular monsenhor Carlos Laiz Ambur.
a Tucarara em segaida 0 hynmo nacional as
bandas de mnslca e philarraonicas Euterpe, Mi-
nerva e Terpsychore, que so acbavam prosenles,
fazendo as contineocias devidas a gaarda de honra
feita pelo batalhao 18, salvando a fortaleza do
mar e navios surtos no porto, qae se conservaram
emhandejrados, tant> os de gu-rra, como os mer-
cantes e sendo levantados vivas a constitm'cSo do
imperio, aS. M, 0 Imperador, ao exercito e a ar
mads, e aos roluntarios da palria, a Associaeao
Commercial.
a Findo este ceremonial entraram de ncvo nr-
salao da Associaeao Commercial, onde 0 presiden-
te da direccao lea uraa outra alloencao com me*
morativa dos glorlosos feitos na gnerra do Para-
guay pelas forcas de terra s mar do Brasil, em
honra dos quaes .-e levantara 0 monumrmto qae
fodos tioham a vista oaqnella sols-nno occa-
si|o.
a Segairam sfl JifT-rentes saadac^es em nome
dasi>ci"d"lo Prsteroidade Sergipana, do que foi
orador 0 Dr. Alcioo Mrateiro, 0 doGremio Littera-
I'rio, (J- qnp foi orador 0 Dr. Frederico Lisboa,
em Boms d*. lastitalo HMcrico, proferimfe lim-
bem 0 Sf. l-ueute-coronel Mmocl ler .nymu Fir-
reira r. ... a float*'ao em namcdo] vt-ran* da n-
il pen'!- h .1
0 Sr. S':.:ini fitikttrtn i Assoeiac**1'* CmsBi-ir-
cial.uma o.niposifao luutieai ieiiomiaada-^ t-*
lumna llitlonca.
< Seuio-.-e leitnra da acts, qne foi assigns da
per fedos os cidadaos present**, representando as
diversas literarchias de aossa sociedade.
a A> torn das musical e sob as impressoet do
maift-rvnv*so jabila, terminon a testa patriol
da laaugiiracjfe da memoria.
A A.-^jeJacao Commei-'ial, por mais umob*c-
quio, pr"p rou em nma das saias roservadas do
sea edi6cio am copo d'agua, para 0 qaal font*
eonvidadar inuiUs das autoridade.'e cidadiws pre-
sentes, onae so tT'-caram diversos brindes analoro-i
ao assumpto.
A Columna monumental mede 16 metros do
altura sobre uma bae de 4 metros quadrados, si.s-
tentando a eslataa da Victoria, que tem nas tfai
emblemas reeordando nossos tnumpho.
a No pedi stal do lado do mar eslio gravadas at
arraas bia-:iieiras,du lado de terra as da provincia,
ao sul;. iincripc*o segniote :
Nil roiaadii do D. Mra II, I nperalor constila-
cional e defoasor perpituo do Bra-il, siado an e*
bispo da Bihia e pruaaz do Brazil o coaJe Je S.
Salvador, |)resideote da provincia > deserabarta-
d-ir Joao Aatonio de innjo F-rsiUi BsartsjMB
aaao de IH72 ; do lad0 da aorta es'.i in-criptj;!*,
Masda !o engir pelo, corpi romm-rcial deu
praca, r.MieienUio pela sua directoria en ISTz.
OlTori. e0 ao povo brasikira -aRMecto, Ma-
portp,.uiJid r, Leroux.
Na ci uiuaa estao g:.:v.d >s dolal 1 J > mar 1
eguinte :
OCOCJ ':.; -Rachi-I., Yatahy. Uruguav.: ..
Parana, Tuy itv, Ksiero Befaea, Cnrnxi Ooruul .
Pilar, Tag>, fuvueue, Tuubo, Assoncion ;
E do lado dc terra :
Lineas d-i R jas, Chaca Hamavta. Tebkaan,
Augustura, Loiuas Valantiaas Ytororo. Pckr.-yrv.
Villeta, As mra, Penb buy, Caraguatay, AqaiJi-
baa, aos volaatarios da p.itria exprcito armada
imperiaes, pens victorias aleaacadu no Paragnay,
a Em signal, de regosijo fecharam-seo comnHr-
cio e as r- ariiriies publ.cas, oad-- apeaas os tin-
prega-lcs ;.--igQ.,raui o ponto.
t Hontem huvo a noute illuruioacio. que 1
muito con.- nida, tocauio as mu.-,cas do W
linlia e as (liilariuoaii-ns Terpsichoree Euterpe.
II : v imauaahavera ainda illumiaaio.
_0 povo, que se mo.'tra tio vivaz oa lemi.i
saejo de suas gloria?, uao 0 deve ser m -u em
tod-.s as ticumstaiicias na sastentacAo d-s sc 1-.
direilos e de suas regalias coostitucioaaes.
a Palleoen Manoel Botelho Carneiro de M.tt -
Gaerra, ii.p; gado da thesouraria de fazenda ap i -
sectad".
Arribou, com agaa aberta, a lurca iu!::i a
Perclif, que. ia de Macabi.no Peiu, para Falraau :i
com 7S dias de viagem.
A eotveta brasileir. Trijano Toltara para .
Rio Je Janeiro por t?r aberto agua.
Pracclia se, na faculdade d*! m.li:ir.a, ..>
concurs j para preenchiim-nto da radeira de Dath -
I.-gia g-r..!. sendo con-arrentes os Urs. Itami-o
ASjbso \i >afi iro, Egas Muniz S) Ire de AragaV: *
Manoel i -.-. um Saraiva.
a Niii:- 17 (iterant exame, na ficuiJade .'
medicina :
1 anno medico. -Ananias de A*?is Baptisl,
Candid j J .*b de Carvalho, Can lido di Costa Pin
0 Antonio Oias le Arrnda Falcao, plenamente ;
Antoni j do* Reis Araujo Goes a Alfred) Adolpl -
Devoto, si nrlesmente.
3* anno pharotteentie 1 (exame ;.ratico) -Jo i
Esteve? i\ F.-anca ('into, Franciso H>lr.gu's
Albuquerq;-', Mau ). I Arvellos Botta*, Jola Bvai.-
gelista da Silva e I'el.-o L**ite Ckerasat, sia-
plesmeate.
No di Id lizeram exames :
i'ar:. a-aedico.M.iaoelde Moraes BiilatMl ,
Rinaid A rjgio dj Araujo, Joaqaim Aeacio Ma: -
teiro de Matt-js, Avelia) Caodido de Andrale Pe -
xoto, Jo.-e .! i.aqiiirii de Oiiveira e Joio Itaotisu
Monteiro &>. Miranda Ribeirasiplesmenle.' F- -
ram dous reprvaJos.
No J-ia 20 lizeram exames :
i* anno medico.Arthur Janseo Ferreira, Vi-
een'.e Borges do Vascuncellos Duarte, Jose Cab:
ir.it) Cam 100 de Vascoacellos, Francisco Man) I
de Oliveira Baarque, Miguel Alelioo Themod i
Lessa, plena aeate : Tito Alexaadre Carlo-o 11- -
reira, J.-aquim Podrigas Ferreira c Coriolaa >
Dntra Silva, simplesinente.
2* anno medico (pratico).Ernest) Auzu-'
Barbosa C-ieibn, Frau-.isco'.'inheiro de Lemos, Hw -
micdo Leito d-> Mello, Vigilio Chaves Florenc-,
Jose Teixeira di Malta Bacellar, Feliciaao Teixe -
ra da Main U;eilar, Jose Bomfaio de Medsir
Jose Sombra, Joaquim Jos-i Coimbra e Maruot >
Francisco --is Ctiigas, plenamente.
so, Francisco *tm3es Corrt'a Junior, Carlos Pereira I e recimii r, Sr. Josd Aator:io ^1 Cunha nm sonelo'
\otie*i.4 do uortc do iuapcrio.
Amanhe.- hontem era nosso porto o var*or hi 1-
sileiro Pard, trazeodo datas : do Amatoaas 5,
Para 18, Grande 24, e da I'arahyba 23 da correote :
A.MAZO.NAS.
Foi de"i,ilivameote oecupadi pelo tenant
eoronel Jose Clariodo de Queiroz, iospec or d .
fortificacoes J.i or vmcia, a important* In nteiia
do rio le i, assumindo o commando da m**sma 0
capilao do 3 baaihao de artilberia, A. Olyrapio *
Silveira.
0 panto militar Seoaj asseatalo na barranet
Lihirioahy, ultima terra lirme aqucn dos marc ,
e segundo a opinito do medico que f.i ess ion.-
missao ctun o tenente-eoronel Clariodo, 0 lo-al --
colhido e 0 que elYerece melbores oudicoes hygi.
nicas.
De uma carta do capita) Olvmpio extrahim .
0 seguinte iroch" :
a Incline one a crer, qae 0 local Ubiriuahy esc -
Ibido pelo lenenie-eoroam Clariads para ede d >
commando desta fronteira e mnito salabre, po s
com as derrubadas e e.xploracoes ja feitas palo ii -
torior nao se tem encootrado pantaaos nem agua<
repousadas, e alera disto e muito arejado. O estid >
saoitario tem sidu 0 inelhor possivel.
Teve lugar no dia 19 do passado aa froolain
de Tabatinga, 0 levaniameDlo da comisira do aovi
quartel que coraefou a construir era 7 de setem-
bro do aono passado 0 tenenle-corouel Jose Claric*
do de Qaeiro7.
Foi um di 1 de griade regosijo aa fronle'r.
acbando se presentss a eeremonia 26 coaviJa! -
e entre elle;, 0 commaodante do vapor peraan >
Morona, 0 a Jiaiaistrador e 0 escrivao da mesa 4
rendas e mais eraoregados proviaciae*.
Aciiaram s* n > porto os vapores w'oi'oaa s k-. -
miaba, nao imlo ompareeido 0 cammaadaate 1
imraediato deste ultimo por ter de segno* para Lo-
re to na bora i sigaada para 0 acto.
0 tenente-c^rone Clariudo e -eus officiaes uffe
re:eram uoi almo(o aos convidados, e um jaaur .
guarni;ao da froUeira e aos operanos : a robe
correram nnix.a 1 s, levantando se no primeir >
mnitosbriades c- rrespoadidos com geral entbi
-iasmo.
Foi a piqaa acima do Hyotaaabaa, rio Pard*,
0 vapor Colibri, de Sebasliao Roberto, de laaao
por ler aberto agua segundo se soppoo por am.
das valvulas d'alimentacao da machina.
A' excepcao da missioaario pr> t 'staote Davi
Jamis que iccrreu, cenburaa vida mais t-m-s .
lamentar.
Quanio ao seu carregamento, pane foi salvo
tinha-se aioda esr.eranca de salvar-se 0 resto.
Em a noite de 1 do corrente por occasiao d
grande tafir qae cahio sobre Manaos, nma can
que atravessava 0 rio para a raargem opposta, vi
rando-se no meio da irave-sia, causoa a laaaaata-
vel desg.-ara da ter roubado tres preciosas axic-
leacias.
As pessoas que iam dentro dessa canoa earn '
pracas do 3'batalbV- de artilhena, qae aproVri-
tando 0 pouco tempo que tinham de folga, naoJ-
veram ir fazer un a pescaria a ontra maaf- <
do rio.
A polioia ccoapivase na averigoaS) dolaelo,
afim de qne as outr*> I pracas, qae t l-iraaa tr
do desastre, e que se acbam recoli>das em pri-
sao no quartel Jo battihao, sejam poslasem libtr-
dade.
Tiramos do Commercio do Amazonat 4a S :
c Hoa.em levp lugar uma maaifssttfio poamiar
composta de cer*a de 400 pessoas com 0 na de
euraprimeatsr 0 commendador CJemntino -lose
Pereira Guimaraes. pelo sea feliz regressa a tarra
do seu nascimeoto.
a Pelas 7 e meia horas da noite reaOu'fos os*aSBi-
gos de S. Exc, rt-iflonsps e estrangwros,? pvaea
deS S bsstij, dirigiram ieacorapanhados 4a m
nnmerosa concario da de" moiiea, de fognetes j vivas, a cat* A>
S. Exc.
Ao chegarcm i frentfl da casa, oSr. atoya
um dos amigos le S. Ex,*, com a 10a belhtMlPs-
ctoanm discarso, no qual pateoleon e* lataos
traces 0 rmer o.-hnra pos-nWftf Wf>
oa seas smigos !. sja regresso a provi-itfif*-*
pois do nma sti'-en-W d quasi anno e meK em
que psteve via;- Raropa.
V
v
'
i


DiaKC* de Fom&bwA Ssx& tem 27 da Novembro d* 1874
*
t+ >*
a S.Eia res^ndeuagra-kcdndo tio sigaiil-ati-
v* nwiiw!&*>< e cnuAitiaudo logo a que eatras-
sem par* lonmem algura refresco.
Nasalade visit* o illustre a dbtiacto militar
o St. capilao Ferraz, e o hoorado oegv-eiante o-Sr.
tenaate Banna recitaram tarabem discurs-is ana-
logos* as tju* o Sr. Cleraeatino respotideu agra-
decendo tao alias provas de apreoo c araisada, e
protestando a sua gratidao.
Cons tanas qua sabbado sera dado a S. Exc.
um baile por algans dos sens amigos.
parV
Da capital escreve nosso correspondente :
< 08 jornaes desta capital, sempre ferleis em dis-
eussoes de partido* ou an'.es dos grapos em que
estao divididas as influences da provincia, o col-
locaram a par da saa politi-a.
a Deixo de raao bsta materia, porque cada vez
emarannamse mais o.- aegocios publicos em mil
conjectaras.
a Felizmente, apezar do3 tolegraminas asrasta
dores da agenda americaaa, por aqui vamos vi-
veil Jo em plena paz e sem maior alteracao.
a Palo Pard vejo que nos trouxe a noficia da
mudaoca do commandante das arm is, o brigalciro
ahi assas conhecido loau do Rego Barros Falcao,
vindo para aqui o coronal de estado maior da 1'
classe Agostinho Marques de Sa.
a Deixa bella recordaclb da sua aJminislraclo
militar o dito brigadeiro, pois S. Exc. souba sem-
pre conquistar amigos e sympathias enlre este po-
vo paraense. >
t Tambem hojo retira-.-e para S. Paulo o inspec-
tor da alfandega do Para, noraeado inspector da
iliesouraria d*a juella provincia. O respective car-
go fica interinamente aqui preeucbido pelo chefe
da seccai, Francisco Pedro Gurjao.
< AlHrraam me qne a retirada do presidente,
l)r. Pedro Vicente de Azevedo, nao vai alem do
correnle anno, vindo para seu lugar o presidente
do Parana Dr. Abranehes.
a Nao sei ao carlo o grao de faadaraento de se-
inelbaate naticia : o qua e innegavsl e qua o pre-
sidente esta desejoso por deixar a admiuistracao
da provincia.
t A presidencia esta em luta com a cleresia
Depois dos protestos feilis pelos v.ganos e diver-
sos padres, contra o acto do governo, mauJando
da novo levantar js ioterdiotos das irmandades
suspensas, teem apparecido outros actos da reac-
;ao contra as ordens em vigor.
A presidencia por tiuto venda o desrespeito
dos empregados publicos, iaes como oa vigarios,
ijue vieram a capita', abandmaadi as piruchias
sem licenca, para fomentar dissidaneias e actos
aggressivos em desrespeito aos poderes publicos,
saspendcu as congruas desses vigaios, por oito
diaa.
Apezar da moderacao e prudncia do governo
da provincia, a cleresia de novo se reuno, nos pa
cos episcopaes, e se^undj covsla, funda um gre
mio politico, ou antes irata de lanjar os fuuda-
nientos da u:n novo pirtido, soli os prracipios
retrogridos do absolutismo, que so diz estabe'e-
cido, por deliberaeao de alguns bispos e summi
Uades polilicas, em todo o imperil!
Os negoei is eeclesiaeticos, pois, a tao sob este
aspecto ; a Boa-.Yora. e o jorual qua alem da
Tiibuna, h"je mais aggridio governo, e ainda nio
e tulo, o proprio Imperadur.
t Dizia-so que a Boa A'.-n viria na iiiiprensa
para susleuUr os sacratissira is |ireceilis do ca-
tholicismo contra as iava>oes do ina\;inismo, cujos
orgios foram aqui a InquistQdo e por ultimi o
Sant> Olficiu. Eile pjriodicoja ieix'U Jeexistir ha
c^rea dn dous mezes; m*s, a Boa Nova sem ja sa
import ir com a origem a tins do seu ua;cimento,
tunenta Da irapreasa coatra as inslitaiQdes publi-
cas e estabeiecidas. 0 governo do visconde do
Rio 8ranco e o cesarismo sao o alvo do suas dis
cisiiies I
c Oad' nos quer levar a Boa Njva nao sei;
por c mseguinle esperem^s e vercni^s o ^j^e suc-
cedera, tendo no paiz u:n partido p.hLco lie bispjs,
conegos e padres !
c Tem corrido nestes ullimos dias a ao'icia que
a Tribuna vai retirar se da arena do jornalisino,
en pelo menos suspeuder indeliniJaaienie a sua
publicagao; dizem que ha commissarios vindos
do sul encarregados de por tormo a< diatribes de
scmelbante joroal contra todos e contra tudo. E'
tempo de oppor um paradeiro a tan'.is desmandos
qua tem visto a luz da publieidade.
a Anai ch'.'gju no dia 11 do correuio a corveti
Sjares, Ja anna la portugueza, ciuiazindo a seu
lurdo 10 oillciaes e 133 pragas, ali.n de quatro
heccas de fogo e dous rodizios. NSiseatinaao
crto o que veio aqai faze: este navio, a nio ser
oj ultimos successes de Jarupary; ou ante.' as
i: >:icias aterradaras, transmittidai po!. ageacia
,;iiericana, em referencia a alterac^o infunlada
do socego publica deata provincia. Sem receio de
errar, acredito que a uffi'iialidadi da diU corveta
havia de ficar almirada da tranqaillidade, em que
aqai vivemos. A prova e que a corveta, nestes
I icos dias de esta la nesto port j, ha sido visitada
I I is priucipaes autorid ulas de mar e terra, e no
ultimo domingi par rauitis portagnezei e brasi-
I ;ios que a DorJo foram camprimeatar a ollicia-
li.l,tJe, e entre elles, alguas e vardade por mera
c:riosidade I
^ upra vicio a terra e por i-st > nada torn occorri-
i'.). havendo aquella sido ja obs .; '.iada com con-
vite3 para 03 differeotes divertinuntos e socieda-
i-s desta capital. Ora, eis aqui no que se lu de
rasntntra vinla da corveta Sagres ao Para, assiai
, n i a todo Brasil 1
Falleceu a 10 do corrente a li'ha mais velha
eualxr viscoaie da Souza Fran:o ; tinha vin-
a ao Para trutar-se de nna rebelia inflammaQio
Bga-lo, de qua e.-tav.i ja mui'.o restabeleeioa;
mas a sorte nao quiz quo voltassa ?.o seio de su.
i nilia, viido a suc;ambir da um atiqu9 ()fup,
:a ciucj dias.
Gontiuua como ale a^ui era retrabimento o
l mmercii, por algumas quebras saccedidas ulti-
rjamente. 0 commercio, seguado consta, em
t:do o Brasil, tem ido mal esta aaai. Aguarde-
i..os melbor quadra.
No Rorio, Beam ao preseote, poucis navio?,
; ^lo slii.'o hoatem para Lisboa as barcas Lin-
da Pahn:ir.i e D>uro, assioi como hoje o vapor
Para, portador da pre=ente.
No dia 7, s?guira para o Alto Tocanlia3, o
c.^enheiro Pradoriee Ferreira Ja Siiva Santos,
teado ajudante da ;o:nmis-ai cxploradora do
T iPutins a Araguaya.
0 gremio do partido clerical -ficou assira or-
gamsado :
Gaveraador do bispalo, vigario geral couago
Sebastiao Barges de Castilbo.
Arcediago, vigario geral do Uaixo Amazonas'
uauego Dr. Jose iregorio Coelbc.
Reitor do semiuario maiir o presidenta do ca-
indo, conegi Dr. ioao Tolentiao Guedelha Mou-
rlo.
Conego Luiz Barrozo de Baslos, p. con^g) cura
da Se, Luiz Mirtinbo da Azevedo Gouto.
Eis o texto do offlcio com que o presidente
da provincia determinou em 7 deste mez, ao Sr.
u^peclor da the3ouraria de fazeala, que suspen-
i2.'sa a c mgrua dos vigarios, qua sem liceara dj
poder civil abandonaramsuas pr.rochias :
i Tendo chegado a meu ccnbec.imento que al
jigs vigarios, sem previa licenca do poder civil,
apezar da qualidade da empregadas pablicos,
iaixaratn suas parochias para vir a esta capital
protestarem contra os actos legaes do governo
imperial, recommendo a V.S. que suspenda o pa-
gamento das cingruas de todos aquellas que, por
i'.-:tarem nessas condicoas, nao poderem apresen-
tar attestados de re'-idencia effactiva e sera inter-
iupcio em suas parochias.
todio Bolchior, a qial antes da ser apresentadi-ja
tinha algumas assignaluras.
E' esta a proposta :
a Os abttxo assigaali, otgociante; d* pra-
ea, tendo em vista ;:s cirenmstaocias especiaes em
que ella se actii, dovid) a can as de todos conhe-
eidas, que reclamim alteracli pos uyis e costu-
mes commerciaes em vigor, propSbm o seguinta :
1' Que todas as transaecoes sejam feitas por
roeio de letras, passadas no fun de cada mez com
os prazoi abaixo rnencionados ;
2' Que as vendas feitas durante o mez, infe-
riores a quantla de 100i, nao teoham prazo, bem
como todas as ven las feitas em leiloes ordiuarios,
embora excedam a esta qnantia;
3- Que as vendas excedentes a quantia de
100*-feitas dnrauta o met, qner da fazendas
quer de geaeros, tenbam o descouto de 9 e 6 0|0t
respectivamente, ou 1 1|2 0|o ao mez, se for rta-
lisado o desconto no fim do mez em que se tiver;
feito a tran>accao;
4s Que os prazos para vendas de fazendas e
generos estrangeiros feitas para esta capital, sejaav
reduzidos para 6 e 4 mezes respectivamente, sal-
vo contraio especial a qne so queiram snjeitar os
compradorei;
i 5 Que as vendas dos generos de produccao
da provincia sejam feitas a dinbeiro de contado,
como ale aqui, ou a prazos convencionados ;
t 6* Finalrnente que estas bases sejam conside-
radas em vigor de 1 de Janeiro de 1873 em diante
jara todas as transaecoes effectuadas nesta praca
precedendo o registro no tribunal do commercio.
Sala das sessSes da Commissao da Praca no Mara-
naao, 17 de novembro de 1871.Custodio Goncal
ves Belebior, Vinhaes & Conto, Ribeiro, Siiva &
C, Gandido Gesar da Siiva Rosa, Miguel Joauuim
da Rocba 4 O, Branco; Santos 4 C, Serra Lima
& Valente, Francisco Antonio de Lima & C., An-
tonio Joaquim de Lima & C., Moroira da Siiva,
Irmao & C., Castro Sonta & C, Jose Moreira da
Siiva, Rodrignes de Moura & C., Franciseo J.
Guillon do Oliveira, Manoel Ferreira Cam-
pos 4 C.
Tendo a policia conheeimento qne um iodfvi-
duo andava trocando notas de 10/000 falsas, se
melbantes a uraas que ha poucos annos apnare
ceram nesta cidade, den as providencias e o pren-
den em flagrante delicto, quan lo pretendia fazer o
troco da uma deltas.
o Chama se este individuo Epiphanio Lydio de
Oliveira. Interrogada, disse qne receben as notas
para trocar de Rayraundo Augusto Gorreia. Este
Gorreia e um rapaz de 2i annos, aprendiz de funi
leiro na villa do Rosario. No ioquerim respondeu
que as notas cram de uma tia sua de Alcantara,
donde as trouxera, resto do producto da venda de
urn escravo, feita, no tempo da guerra do Para-
guay.
De todas as diligencias havidas o que se co-
ihe e que Raymundo Gorreia sabia que aquellas
sedulas nao eram boas, porem, nao tendo animo
de passai-as, associuu se com o outro, como alias
cenfessa, para passal-as, dividindo o lucro enlre
si.
Feitos eiames nos bahus de Correia, que es
tava de sahida para o Rosario, e cuja bagagem ja
estava a borJo, nada se descobrio qae poJesse do
monstrar ler o eriaie mais exlensao.
t Todas as aitis passadas por estes individuos
Pereira Vianna \ C^
Joao Licio Si C.
Jiaymondo Fernndes de:V,
Henri^e Saraiva do Araujo MeHo
Ctemeatino Jose Lisboa
0 vapor ioglez Neva trooxe
ACamson Howie 4 G,
0 vapor Mandalm trouxe. para
1:720/000
!:200*000
905*000
808*975
300*0001
360*009
400*000
300*000 para
aceordo com algons- de sens: arnlgns; amprega-
ilo todos-os meios aoonselliados pela prudeat
cja em taes casos; nao se esquecaodo d*le-
vtwrtar a fore* publica, obamaudo a deataca-
ikeato de gnerrs a gaarda uaciooai, vi>to aifci
etUitir nesta capital fufQa de liuua, per se aohar^no' Geo i. T. Jefferson
centro da provincia a resamida fintaria ligeira, que ainda quando estive3se pre-
sente, seria impotanle em frente do* sediciosos, cn-
jpmuruero =e eleva a mats de dous mil.
Acfcamos que a guarda nacional tardeecim Miguel Jose. Alves 1:000*000
difficuldade se podera reunir, nao podendo assim Jose da Siiva Loyo & Filuo 800*000
a dgno presidente da provincia oppor uma bar- Domingos da Siiva Torres 300^000
liita a tantos excessos. que cumpria ja e ja seria Guimaraes, Ribeiro St C. 250*000
eltenaz repressao. IVavios encontradits. Parlicipa o Sr.
Ossediciosos, que segundo a noticia da ultima capilao do brigue inglea Fearlm, cbegado boje de
Hora, se elevam a mais de duas mil passoaB, aos Santos, one no dia 24 do correote e na lal. 10
quaes diariamep.to se alliciam outros, augmentan- 10' sal, long. 34 40', encoalr&ra a barca ingle-
do-lhes assim o numero, teem o seu quartel gene- za Waksalch em viagem de Montreal para Mon-
rt4 na villa de Alagoa Grande, donde se passarSo tevideo.
H cidade d'Areia, e a esta capital, conforme o pla- Lommuoicou-nos o Sr. comraaudanto do vapor
rjV por elles assentado, e nos acaba de ser Infer- tnglez Vang ird. enlrado hoje neste po-t>, proce-
m^do. dnt-*-de Liverpool por Lisboa, que no dia 21 e na
f Como quer que taes pianos se realisem, o que lal. 6* 47' N long 28* 37' W., fallouj com a barca
podemos assegurar-lhes e que nao temos for^a ingleza Talisman, era v ageoa de Baltimore para
militar nesta cidade com que possamos manobrar, e.-ti porto, com 53 dias de viagam ; tudo ia bem
Qrmando aqui um centro de resistencia ; e muito
menos para fazer seguir em persiguicio desses
desordeiros, que certos da nossa fraqueza, araea-
Q-nos a cada instante.
t 0 Exm. presidenta da provincia, em taes cir-
cumstancias, tem appellado para o patriotismo da
a bordo.
Tambem fallou no raesmo diana lat, 5* 40' N.
long. 29, com a galera ingleza City of Athenas,
em viagem de Galcuta para Liverpool; ia tado
bem a bordo:
Por igual participacio do Sr. capitSo da es
popnlacao pacifiea dasta cidade, aflm de, rennida enna portugueza Gutarin, procedente do Rio
a meia duzia de soldados aqui existentes, de- Grande do Sal, qae no dia 10 do corrente, e na
fender a capital e impedir mesmo que seja lat, 17* 2V' S., long. 38 9' O., abalroara na raa-
ella invadida pelos revoltosos. drogada deste mesmo dia com. o cuter italiano Hi
t E nao foi debalde esse appello dD digno e ze- card* Nieolo, tendo-se pasaado nesta ocasiac o
loso presidente a esta patriotica popnlacao ; na piloto e dous marinheiros para bordo da escuna,
mesma noite, em que isto se fez, pernoitarara no no se sabendo noticia do dito cuter, que se pre-
quartel di cimpanhia de linha grande namero de some ter ido a piqne.
cidadaos, dispo^tos a toda e qualquer resistencia,' 0 Ricardo Nieolo era nm pequeno navio de cer-
e o mesmo tem aconteciJo nas noites que se teem ca de 30 toneladas, quo ia em viagem para Bue-
seguido. nos.Ayres ; ficaram a bordo o capitio e dous.
a \ao e possivel qne o Exm. Sr. ministro da guer-; marinheiros.
ra,em vista de tao milindroso estado em que se acaa Bxposif a provincia, nos nao envle algum baulhao, afim coiawnissao de exposicao de Peraambuco devem
de se poder restabelecer a ordem puWica. 0 coa- reunir-sa hojf.pelas 0 boras da tarde, no andar
trario disto sera a desmoralisacao do governo e a dt>' predio n. 83 da rua do Imperador.
anarchia em toda provincia, que. para que seja Longevldatle. No dia 25 do corrente fed
sufTocada. muitos sacriticios nos custara. sepullado, no cemiterio publico do Recife, Manoel
a Ficamos nesta triple altitude, esperando a ca- Antonio de Azevedo, d* cor preta, natural de
da moraento noticias mais alerradoras. { Pernambuco, viuvo, morador na freguezia de
< Felizmeoje, nao ha aiada a lamentar perdas Santo Antonio, tendo cem annos de idade.
de vila. e isto semduvlda por nao terem sido re-1 Peslividade religiosa. Doming) (29
pelli ios pela forca publica os sedieiosos, e nom .do corrente) deva ter comeco, na igr<;ja de S.
serai emquanto nao recebermos algum auxilio de Pedro do3 Glerigos do Recife, a novent de N. S.
forra. | da Conceicao, padroeira do imperio, asseis horas
0 tenento coronal Aranha Chacon, qua havia da tarde.
seguido em commissao ao Catole do Rocha, foi: vapor Geqiiia, Este vapor, da compa-
obrigado a retroceier da villa do Ioga p ra esta: uhia peroambucaGat ticou na quarta-feira (25) a
capital, aura de entender-se com- a presidencia so- i tarde. no porto i-a farahyba, demorado por ordem
bra o mod), pirque deveria oroeeder, e.n vista do da presidencia da provincia.
estado de desordem, em qua encontrou a raasma ; Vapor Vanguard.Ghagou hontem pela
villa; qua, a nao ser a presenc.v do mesmo tenea- j raanha da Liverpool por Lisboa ts coronel, e da forc3, era quo ahi chegou em'inglez. NaJa adlanta on noticias por ter sahido
nurmro de 60 prajas, teria passado par maioresjde Lisb>a antes do Neva, ante-hontem chegado.
MABASHAO.
Lemos no Pajs :
;< Ante-hnntem (17), teva lugar a reuniao do
imraercio, coavocada pela Commissao da Praga,
..mo DMSe dia annunciamo;.
ct Presidio a o Sr. Jose Maaoel Viohae3, presi-
dente da Commissao da Praca, que em uma bre-
ve e lucida exposicao disse qua! o fim da reuniao,
e tarabem, as causas da crise commercial com
qae lata a praca, as quaes, na sua opiniao, foram
o alto pre^o do algodao dnranle a guerra dos
E3tdps-Unidos, o qae fez commetterem se mui-
ta.imprudencias, e a goerra do Paraguay, ac-
crescendo mais a irregularidade da estacio. Fei
ta esta exposicao, conclnio o Sr. Vinhaes, pedindo
franca ditcossao afim de serera adoptadas raedi-
1*s, que. f. se nio extingnirern o mal presente
limiauiam lbe os effeitos, e sobre tudo arapare o
commercio no faturo para n3o arcar com outra
crise, mais devida a erro e excessos nossos, pala-
vras suas, do que as leis da natnreza.
Apresentoa em segojda o Sr. Castodio Bel-
ebior a proposta que ao*ixo publicamos, e sobre
ella versou a discussao, qa qual tomaram p3rte o
mesmo proponent*, e os Srs. commaadalor Sarra
Pinto, Jose Gasparinho, Jose Moreira e Joaquim
Fragozp.
a A discussao terrainou sem qne se chegasse a
um aceordo.
a-Alguns, dos aigojianlaa impartadoms presea-
e:,reuniram-;e depois no gabineta da Cosa da
P.-a^a, e ahi as!gaaram a proposu do Sr. Cus-
ja se acham cm poder da policia.
Falleceu, em Caxi< ves da Siiva, vigario cjllocado da freguezia da
C oncei^ao.
CEABA.
Falleceran: em Mecejana, o capilao Jose
Leonel de Aleacar; em S. Matbeus, o teneuto co
roael Maao.l Gomes da Oliveira ; e na capital, o
eogeuhtiiro inglez Sarbroot B. Murray, membro
da co nmissSo II iwkshaw.
Mao liaha tido aiada comigo o julgamento do
Sr. Dr. MonJoucj, perante a relacai.
0 jaizes do direito da 1." vara da capital, do
Aracaty e Caacavel, chaaiados para tomarem pir-
te ness'e jalga aento, ja aqui se acham.
Para o mesmo Qio foram tambem chamados o
juiz de direito Jo Ipii, Dr. Just* qae nao aoeitou,
o da BaUrite Dr. Uuibelmo Ferreira Gata> e o de
Caainde Dr. Constantino de S. Braga, teudo siJo
designs do o dia 15 de dezerabro vindouro para ter
lugar ojulgamento.
Ac'bava-se na capital o chefe da divisao Her-
menegildo Antonio Barbosa de Almeila, em com-
missao do governo imnerial.
0 vapor inglez Ambrose, s*hi', para Liver-
pool n;> dia 13 do corrente, conduzio deste porto o
seguinte carregunento: 2,530 saccas algodao, 126
fardos borrac'ia e 1,070saccos cafe, pe^and^ ao
todo 239,307 kilos. Deixou de rendimento a al-
fandega 11:144*781.
0 v.Mir Bragmza, sahil > a 15, levou o se-.
guinte : 2,5j)5 s.icca" algodao, 437 Jitas eaf6, 82
dim ee>a e 1,500 Cjaro3 s.ilgados, pesandj ao todo
223,901, kdos. Deixou de rendimento a alfapde-
ga :48*6M.
RIO OBANDE.
Lemos no Correb do .Issm':
t No dk 2 d. corrente no lugar Ilha das Co-
bra; do lermo da villa de Macau, foi barbaramente
assa:siuaJi com um tiro, Joao Ignacio da tal, mo
ralor uo dstricto das Offleinas, pjr um preto fa- j
gido, escravo d i barao de Morenos.
tEsso preto, qae ha te npj3, aadava fagitivo, foi
attimameate eaptu aio no Ceara; e sendo remet-
tido do Araeafy para Pernambuco, a borio de um
hiate que ticou no porto de Macau, pode do ni3s
mo hiate evadir-se armado da uma espingarda e
de urajfacao.
t T'adoo providente delegado de policia do
termo io Macau dado inconiinente as precisas or-
dens para acaptura do referido escravo, foi este
ja encniitrado na ilba das Cobras, G leguas distan-
te do porto de Macau. Gercado naquelle lugar
por algun* paisanos que diligen^iaram prendel-o,
collocaad, sc em altitude de resistencia, desf chou
um tiro sobre o ihfelix Joao Igoacio.de quo Ihe re
snlloa a merle instantanoamente, logiando evadir-
se o perverso assassino, sem quo se saiba o ru ao
que toraara.
PARAI1VBA.
Di capital escreve nosso corresponJeate em
25 do corrente :
a E' m&Ua Irosissimo o estado da seguranca o
paz publica da provincia.
a Em diiversas localidades o po70 se ha amoti-
nado por oeeastao das feiras, cemm^ttendo exces-
sos e iropelias que nos teem feito persuadir serem
i preludio de serias a graves complicaco" s.
t Principianlo pela cidade de Campina-Grande,
onde e3panear=m na feira, dei'.audo-a por terra,
uma praca do corpo de policia do destacamento
alii esacioaado, e zccommeltendo com pedradas o
delegado de policia e commandante do referido
destacamento, capiuio Jaao Peixoto da Vasconcel-
los, ao que rjsultou cabir este sem sentidos par
uma pedrada, que recebera na cabeca, da qua! ti-
cara gravetneate enfermo, passaram esses fsctos a
ser reproduiidos com apparencias mais assusialo-
ras nas villas do Ioga, Alagda Grande, Salgado e
Alagoa-Nova.
No laga, achando-se na villa um destacamen-
to de sessenta prac.s, que seguia emproteccioa
Campma, o pevo, em mimere superior a mil pes-
soas, em sua raaior'n, bem armados, invadio a vil-
la, na feira du sabbaio passado, apezar de sor ia
timado pelo commandante da forca, para que se
dtonsrs a -se, sob pena de st repellilo, e ahi com-
metteu excessos; e invadindo a casa da camara
municipal, quebrou Hie tidos os raovels, incendiou
o archivo e todos os livros existentes; e dirigin-
do se para a casa do mercado, tentou arrombar-
lhe as portas para imitilisar oi pesos e medidas,
contra os quaes gritava ; o quo n3o conseguio,
por haver inlervido a forca publica, ja disposta a
desfechar as armas.
commetlidos, deixou a villa, promeUendo voltar
mais tarde.
f Sibe se qae dabi fdra elle ao Salgado, povoa
do proximo do Ioga, e que presentemente se acha
em AlagdarGrande em numero tal vez nio inferior
a duas mil pessoas, com um chefe conhecido a
frente.
Esta noticia acaba da ser transmittida, pes-
soalmente, em nossa presenca, ao Exm. Sr. presi-
dente da proviacia por um funcjionario publico,
qae, sahindo da cidade d'Areia, hontem as duas
horas do madrugada, aqui Qhegou as 5 da tarda,
tendo camiohado em tao poucas horas 30 leguas
de viagem fcrcada, nointuito de avisar a presiden-
cia dessa nova occurrencia, cmtandolbe particu-
laridades, qae nio seria talvez conveniente dizer
por escripto, principalmenta nesta tempo em que
'as estradas nio merecem inteira conflanca. -
Era Alagoa-Nova, alem de outros excessos,
quelmaram os revoltosos todos 03 cartorios, a ex-
cepcao flo de crphios, e em todos os lugares, onde.
penetram, se arrojam sobre as collectorias com o
fim de inutilisarem todos os livros e papcis qne en-
conirera.
a EssepoTo desenfreadoe no seu furor, ao oom-
metter toes aUentados, levanta v.izes contra os
impestos, a rova lei do recrutamento, que a deno
minam-de lei do capticeiro t -e tambem a dos
pesos e medidas.
s Para repriujir o suffocar essa bem comeQada
sedicao, tetn o Exm. presidente da provincia, do
tortoras.
a Da prudencia e tiuo desse official se deva tal-
vez o nao terem sido abertas a< portas da cadeia
publica, deixando-se fogir tod>s os prejo3.
a Elle soube prevenir se, .:ollocaudo-se com a
for,a era frente a raasma cadeia, de sorte que qu3l! tellada.
quer tentativa nao seria muito facil de bom exito. I
Desta vez nao nos occupareraos de outra ma-! Consclno supremo uaUitar.-Na sos-
tena ; e, concluindo esta, temos o prazer de ihes'sao de 13 do corrente foram juigados delinitiva-
ttupremo tribunal Uiv junticu. Na
sessao da 18 do corrente foi dutribuida ao Sr. F.
Je Mello a revista civel :
N. 8 605. Miranhao. RR. Jose de Araujo Cai-
tro e outro. R. Aulomo Goncalves Pedreira For-
e,
dizer que e-tamoi a frente da tao importiiite cara
panda com um presidente, que reune ao lino, in-
teUigeneia e forr;a de voutade, uma coragem supe-
rior.
Nao po-iemos bem comprebender e preciear
os motives dessa quasi geral conflagracao da pro
viucia, o ^ue e certo pnem, e que temos inteira
caavic^ao de que auda nella envoi vi la a questio
religiosa.
t Acabamis da receber neste momeuto noticias
mais aterradoras.
REVISTA DIARIA.
Ciuarda local. -Por portaria dapr.sideo-
cia da provincia, de 23 do corrente, foi cxoneradu
do cargo .1 sargenio da do manicipio de OlinJa,
Jose Pulycarpo de Freitas Junior; eiiseu pedido
emovido
mj.nta os seguintes proce3sos
Exetcito. Alfore* Augusto de Sonza Bardeau,
accusado de ter se casado sera licenca do com-
mandante das armas, Undo sido an*ol>ldo polo
coaselno -de guerra, foi eonfirmaia a S8nt;n;a ; 2'
ca-Jete Rjzeudo Pereira da Garvalbo, accusado de
haver fugido do c.-tado-maior oade saachavapre-
so, por insubcrdiuacao e ameaeas, condemnado
em seis aanos de prisao em uma lortaleza ; fa re-
formada a senten;a em dous annos de prisao era
uma firtalaza. Cabo do esquadra Jose Launano,
accusado de ferimentos, condemnado em quatro
anaos derigorosa prisao; foi conlirmada a senten-
ce. Soldado Josd Francisco Negreiros, accusado
de ferimeutos, condemuado em ires annos e seis
mezes de pri.-ao com trabalho, e multi correspon-
dente a metada do tempo; foi reformada a sen-
ten^a para eoudemnarem o reo em tres annos de
prisao com trabalho, como incurso ni 1* parta do
art. 8 dos da guerra. Ditos Antonio Jose dos
Santos, Jose Francisco Alexanlre e Joao Pereira
da Siiva, accasados do 1* desercao simples e con
[Uhia,Juizas muniupae.' da.Moal* Alto, V9'
sa e Porto Alegre.
P-ernasebuco.-Joizas niunicipsei de Pa a d Aibo,
Bezerros, IWaniBBo e Gamelteira.
S9rgipej-Jaiz municipal de Japaralaba.
Espirite Santo.Jaizes municipaes da Cacboei-
ra, Linbares, Santa Cruz e Nova Almeida.
Santa Catharine. Jaizes municipaes de Lagu-
na, Tubarai e S. Sebastiaoda Foz de Tijucas.
Rio Grande do Norte, Juizas municipaei de
Acary e Jrdim, Goyanninha e Pai dos Ferros.
Parahyba.Juizes municipaes de Cuilo, Alagda-
Grande, Catole do Rocha, Alagoa Nova, e Pedras-
de Fogo.
Piauby. Juizos municipaes de Marvao, Gero-
menhs, Manga, Santa Philomena, S. Joao do Piau-
by e Bom Jesus da Gorgueia.
Ineontpallbilidade. Por aviio de 14
deste mez, o minwierio da jnstica declarou ao pre-
sidente da provincia do Rio-Graude do Sul, em res-
posta ao offlcio n. 2,834 de 31 do mez passado, quo
bem proceden jalgando de nenhum effeito a no-
meaca j do 3* supplente do juiz municipal e de or
pbaos do termo da Eucruzilhada, Jose Ferreira da
Siiva Porto,-pela incompatibilidade existente entre
elle e seu sogro, o escrivao do juizo de direito.
Diplomas de habilltaeao. Pel.i se-
cretaria dejustica, passaram-se, habilitando os ba-
chareis Candido Emygli9 Pereira Lobo e Ernesto
Vieira de Mello, para o cargo de juiz de direito.
laencao dcsello- 0 miuisteno da fazen-
da declarou a thesonraria do Rio Grande do Norta
emrespesta ao offlcio de 29 dejulho ultimo, que os
requerimentos de empregados. pedindo attestados
de frequencia on exercicio, estao isentos do impos-
todesello, salva a hypothese do art. 16 do regula-
mento aooexo ao decreto n. 4,-*>06, de 9 da aurii
de 1870.
Mcrcadorias sob a expressfto -vo-
lume.- 0 miaistario da fazenda dirigio as the-
sourariss de jprovincia a segninte circular n. 37
deste anno :
0 visconde do Rio-Branco, presilenie do tribu-
nal do tbesonro nacional, tendo presente o recur-
so d03 negociantes da pra$a do Rio de Janeiro,
Ricardo Graca & G, declara aos Srs. inspectors
das thesourarias de fazenda, para seu conheciman-
to e o fazerem constar ao3 dis alfanlega3, que a
expressaovolumeque se lem art. 8' do ds-
creto n. 5,474 de 26 de novembro di 1873, refe-
re-se somente aos que contiverem morcadonas
encerradas sob qaaljuer iuvolucro, sujeitoaaber
t. nra, cuja uxa foi pelo mesmo artigo compreben-
dida naquella, segundo esta ahi expresso.
As mercadorias iraporiadas a granel, como ti-
jolos, tebas, garrafoes, panellas a outras, cujos di-
reitos sao diminutos, devem pagar a dita taxa na
raiao do peso que tiverem, isto e, 60 rs. pelas qne
se desenibarcarem at6 ao peso de 50 kilogrammas,
e 20 rs. por dezena de kilogramma das qae exca-
derem aquelle peso.
E, coma os raaleriaes para ConstrnccSo e outras
mercadorias qua co>luraam vir a granel, estao era
geral comprehendidos no tabeila n. 7 do regula
tnento de 19 de setembro de 1860, convent evitar
o mais possivel a sua descarga nas ponies e arma-
zens das alfandegas.
Ajuda de cusfo.-O ministerio da justica
raarsou a de 400* para o juiz municipal do termo
de Ba'-pendy, na provincia de Minas Geraes, ba-
charel Francisco Xavier Ridrigues Campello.
GratifleacSes eomplemcntares.
Pelo ministerio da justica cirarauoicm se ao da fa-
zenda que foram fixadas as graoficacSes comple-
mentares dos venciraentos dos jiizes municipaes
e -de orpbios dos lermos di Jaragua e Ar aias, na
proviniia de Goyaz, seudo a do 1 em I*f8uj e
I.o(ria. -A qae se acha a venda e a Hfi
a benefieio da igreja do Rosario da Seriate* at,
qae corre no dia 28.
f.ou-Ha do Rio da Jaaaafb l'..r
lelegramma hontem recefcido, sabe-eeoaaa icie-
ria 210* sora exlrahida hoje na corte.
LvilOes.Hoje (27) effectua ageato fM*
o leiiac de moveis e lustres de gat, ao* I* ;n-
dares do sobrado da rua do Bom Jcsns a. 42.
Aroanha (28) as II boras o leil&o de terretoe
e um -iiio, conforme ertaannuociado.
Ao meio dia e no t.apiche uinceicin (^Ifaaoa-
g) o leilao de lOObarriquinbas de bjUcbmluM
t.lOfl resmas de papel avariado, coofonat esta aav
nanciado.
Casa de detenf Ao.-Movhnento da casa
de detencao do dia 25 de novembro de 1874 :
Existiam 314, enlroa I, sabiram 0, eait
309.
A saber :
Naeionaes 234, roolneres 9, estiaageiro* 27, m-
cravos 37, escravas J.Tutal 30.
Alimentados a custa d is cofres pablicos 2i>8.
A saber:
Saos 242 e enfermos 16. Total 256.
Movimeiito da enfermaria do dia 25 de novemara
de 1874 :
Teve baixa :
Manoel Ferreira da Siiva, olcera.
Tiveram alta :
Joao Francisco de Vasconcell s.
Malheus, escravo de Silverio de tal.
PaasaffeiroB.Ghegados dos portwa* aar-
te no vapor nacional-Pard :
Josd S Maehado Junior, Joao Jose Crreia, i-
cente S. Pimenta, Jose Mendei D., R:.ymando C
da Conceicao Guerra, Dr. Cndido E. lv,rer t-
bo, sna senhora e 3 thins, E-lavao riibfrt>*-
S. Correia, A. Selling, Augusto Jeaiaereaud, CU-
no da Siiva Azev lo e I criado, Uidto Pereira
Maia, Praaefeco Pelli, Dr. Affnasa UcUoa e 1 cna-
do, James Grtlnn, Ir Daniel Alve* d Queir t
Lima, sua senhora, *ih sogrs, sua cnohada, 3 cs-
cravos e 1 ciiii>, Maaoel >Sa Siiva, Jaeintho Maa
da Rocha, Joaqulin J >-e Ribeiro, Hearique F. Pay-
ante, Dr. Jose Igoaci) Je Figneiredo, Dr. Joaqaia
Moreira LiTa e 4 eseravos, Manoel da C Liaa,
Antooii J. Pereira di Siva, i e-cravea ealrefir,
J. M. Ferreira, ai. il I aquim Pinbeiro, Hiy
Cndido de Sonza, Avelino Gaivao, Pedro Jo.e da
Vasconceilos, Sjrmphmaio de IJina Barreto.
Segucm para >'il no aweiM vapor :
Dr. J. B. G. da I; > :n, Dr. El i] M. ds Souza, r>
tenent' A. G. da Veiga, 1 tenen.e F. J- FerriN
Henrique J. P.reira, L. A. 11. Barbing, sua malhw
e 4 lilhos, J. G. Belclii-r. Dr. A. Moats, eaaate .S.
A. P. Cardizo, M-ao I .ia ;"ruz, lrn.icio J. Goaw>,
J F. dos Santos, J. de S. vulbo. II. M. Mart
Ohio, B. Ji e, Maiia Fran-is'a da Conceicao, Mt
ria Anlonia e 2 ilhos, Autmio lod G. dos Santis,
Muia Dolores, 14 praxis do ex-rcito, 3 ditas Ce
na rioha, 120 escravos a entrcgar.
Ghegados da Europa uo vapor ingles r*an-
gard :
Raphael Lein Tenor e Maniel G. Peller.
C'icgados dos pirtos do >ul no vapir inghx
Sorata : '
Jose M. de Azevede. Maaoel M. Papelao, saa m i
lhar o 1 sobnnha, Di. G. de Castr palre F. A. Souza, Anna J. de Siqurira.
istar Ja^'Ji-iaiJi
PQLfflCi
iTE
f .i reinovido para tal cargo o da do municipio dejdemaad33 cada am em sei3 mjie, de pHsio to
Santo Autao, Jose Antnwo I-anas. train conllrmadas asseotencas. Dita Chrispiniano
-Por portaria da mesma data, foi amda no-1 Marlins Uos s^ntos, accusaiio da 1" desercao ag-
mea lo sargento di guarda local dos municipios (la gravaut,. condemnado em nm anno de prWao;
Escada e Garaelleira, Lius Uaptista da Siiva CosU. j roJ evU|irulida a r^utency. Diti Luiz Severe d,.s
: tirj- lo Reeife. Presenter hontem .1/1 gaDl09> acousado de 23 deser^-au u^idvaaa, iw
juizes de facto, e sorteadn o conselho de senteaca, | Qemnaci0 em quatro aunos de prisao com traba
(icon este composla pelos Srs.: Alfonso de Paula.
.\lbuquerquo Mar.inhao, Joao dos Santos Ferreira
Barros, Joaqui.u Uguliao da Siiva Fragoso, Dr.
Manoel da Trindade Peretti, Francisco Raposo da
Camara, Manoel Ant3nio Cardoso, Christovao San
liago de Oliveira, Eagenio Marqaes de Amorim,
Manoel Venancio Alves da Foacesa, Francisco
Antonio de Brito, Francisco de Paula e Siiva, Ilde-
fonso Jos6 da Siiva.
Submellido a julgamenlo 0 rei Valeriino Ri-
pliael dos Reis, accusadi da haver ra.irlo, na noi-
te de 13 de fevereiro de 1872, a Joaquim Severiaao
Caviilcante de Albuiuer;uo no dislricto de Santo
Amaro das Salinas, foi absolvidi era virtude das
respostas do conselho de senteaca; 0 Dr. promotor
publico, porem, appellou.
lnstitato A.rrheolog;ico e Oeogra-
pbieo.Rmnio sa hontem, sob a presidencia do
Exm. conselheiro monsenhor Muniz Tavares, e cm
as.-istencia d;s Drs. Soares de Azevodo eTicintho
de ^ampaio e Jjs Srs. brigadeiro L"al, Torres Ban-
deira, Augusto Gesar, Floriano de Brito, major
Salvador Henrique e cirurgiio Ferreira de Al-
meida.
E' lida e approvadi a acta da antecedent*.
0 Sr. secretario perpelui menciona 0 seguinta
oxpediente :
Um olQcio do sccri-tario da presidencia, offertan-
do, em name da S. Exc, um exemplar do relatorio
do ministerio do imperio relative ao corrente anno.
Inte'rado, sendo ie:ebida a offorUt com especial
agrado.
Oatrodi secretario do Club- Popular, convidau-
do 0 institaio a se fazer represenlar na sessio fu-
nebre, qne, era honra a memoria do Dr. Alexan-
dre de Souza Pereira do Carmo, celebra hoje, pelas
7 horas da taide. 0 Sr. presidente nomea para
assistir a esta srlemnidad'e os Srs. Dr. Sarapaio,
Torres Bindeira e Augusto Cesar.
Oulro do Sr. Dr. Aprigio Guimaraes, commani-
cando que 0 mao estado de sua saude, e as muila^
occupacois que sobre si pesam, inhibem-no de
cumprir 0 seu dever na sessao solerane do 27 de
Janeiro proximo. Intciralo;
O mesmo Sr. secretario da conta das seguintes of
fertas : Varies ns. do Diirii de Pernambiu^jpelo
consocio Dr. Figueiroa ; alguns ns. da Prermcia,
do Apostolo, e da Naqao, pelas respectivas redac-
coes; algumas moedas de cobre de diversas na-
ioes, inclusive 0 Japai, seta sedulas e um biihete
ite diversas nacoes ostrangeiras, offertado3 pelo Sr.
Firmiao Pereira da Cnnha ; um exemplar do
opusculo Questao penitenciaria, offartado pelo seu
autor 0 Sr. Dr. Raflao iugusto da Almeida.To-
das essas offerta3 sio recobidas com agrado e man
dam-so a'chivar.
Entra em discussao e sao approvados 0 balanco
do 2 trimestre com 0 parecer da commissao de
fundos e orcauiet'tos.
0 Sr. Correia de Brito eoramunica que 0 Sr. ma
jor Codeceira, per estar servindo no jury, sentia
nao poder comparecer a presente sessio.
0 Sr. presi lente, em vista da declaracio do Sr.
major Salvador de que se achava na casa a talha
do jazigo indigena de Taquara, incumbe a com-
missao de trabalbos historieos e archeologicos de
examina-la e dar pareser.
0 Sr. Dr. Sarapaio inscreva-se para, na proxima
ses-ao, ler uns seu trabalbo sobre um dos antigos
bispos desta dioeese.
rsio havendo mais nada a tratar, levanta-se a
sessao.
Obras de conservacao dos portos
Por portaria da presidencia tla 1 rovinqa, de 24
do corrente, foi exonerado a pedido, Sebastiao Ca-
valcante de Albuquerque do lugar de observador
de mares, e foi nocaeado para substiiuil-o Manoel
Cavalcante de Albuqaerque L'chda.
Vapor Para. Este vapor, da companhia
brasileira, cbegado hontem dos portos do nerte do
imperio, saha hi>jea tarda aara 0* do sul; tendo dei-
xadi de seguir hontem mesmo por haver chegido
dous dias antes do esperado.
Para a Europa. Com tres recebidos era
nosso porto, levou 6 sorata 17o passageiros.
Para o sol do imperio. A bordo do
vapor Pard acnam-se, vindos das provlacias do
norb\ l3Q.esccavoi.
do 21 em 1:100?. a em 8003 a dis reaefmentot
do juiz de orphaos do termo do Rio Grande, na
provin:ia de S Pedro do Sul, e em 300* a do
jaiz municipal do mesmo termo.
Conflicto de jarisdiccao.En 6 do
corrente mez, 0 ministerio da justica offleioii a
presidencia das Alagoa?, da seg .iuta maneira :
lllm. e Exm. Sr.Com 0 offlcio de 18 de se-
lombro ultimo, sobn. oi, remet.eu V. Exc. os pa-
peis relativo3 ao conflicto de jurisdiccao Boscitado
enlre 0 |uiz dos feitos da fazenla e 0 Unaonro
provincial, .acerca da competeucia paraajiquidicao
da conta do principal e juroi na execu;ai promo-
vida contra Man iel Joaquim da Siiva Lea,-, na
qualidade de flador do respoasavel da fazenda
provincial, Francisco Canuto de Figueiredo.
E Sua Mag slide 0 Imperador,.conforraandi se,
por immediata resolueao da I do corrente, com 0
parecer da seccio de jostica do ciu-elho da estado
em consulta de 29 do roes proximo Undo, mania
deciarar a V. Exc. que nao tem lugar 0 referido
conflicto, porquanto a conta do principal e juros
nas execqedes judiaaes, devendo ser feita segua
da 0 julgado, eonstitae um iacidente dalla, sujei-
to
Dinheiro. -0 vapor Pard trouxe para :
7:613*350
Amorim lrmios & G.
Julio Morisson de Faria
Joaquim J. Goncalves Beltrao & Filha,
Jo.^e Radrigues de Souta..
Pereira Carneiro & C ,
lho; foi coutirmada a sealenca.
Armada. Capilao de Iragata barao de Teffe,
accusadi de cas'.iga immoderado applicado a um
foguista do transporte Marcdio Uias, tendo sido
absolvido pelo conselho de guerra; foi conlirmada
a sentenc.?. v3
Responsabilidade dos douos on
cousisnaturius de navios estrangei-
ros. -0 ministerio da fazenda, em 16 do corren-
te, dirigio 0 seguinte aviso ao presidente da Asso-
ciacao Commercial desta ctirle :
lllm. e Exm. Sr. Na represeataeai qae por
pane da Associacio Commercial, desta praca, trou-
xe V. Exc. ao meu coabacimeat'', em data da 19
de juubo ultimo, oede-se a mxidificacao do ait. 11
do regulamento anocxo a.o decreto n. 3,88.)' da 11 de
abril do cerreute anno, no scutido de trausferir-se
dos douos ou consignatarios dos navios estrangei-
ros, enipregadis na cabotag-m, para es respectivas
carregaloies a obrigacio de assignar 0 termo de
responsabihdaJe da qua irata 0 art. 645' do reguia-
meuto das alfandegas. 0 governo imperial toman
na devida coBsideracao os motives allegados pela
Associacao Commercial para justilicar as altera
coes que propoo ; laas nao ere que em ul caso a
trai.sfereacia de respousabilidade para os carrega
dores das dilas embarcacoes tenha menos iucouve-
nieutes do que a prtica actual. Como V. Exc. sa
be, em coasequ^ucia do progressivo cresciraento
do expedienta rfas reparli^oas publicas, especial-
mente uas fiscaes, 0 governo e.n seus reg.ulamen-
tos tem ultimamanle procurado simplilicar 0 mais
possivel 0 servico. Nao e, pois, na-tas circurastan-
cia3 quo elle ha de fazer maltiplicar os termos da
respousabilidade de um que e aclualmenle, por
tantos quantos forera os carregadoras dos navios
de cabougem, cujo numero algumas vezes excede
a 20. Alem deste consideravel augmento d3 Ira
balbo para as reparticoas fiscaes, deye-so tambem
ter em vista 0 incommodo qte se daria a cada car-
regaior para ir a alfandega preencher a forraali
dade, noe e hoje salisfeita por um uaico indivi
duo, 0 Ivno ou consignatario do uavio. E^n caso
de f.-.lla dessa dono ou do consignatario, podem os
dilo-> tennis ser assignido3 pel? pessoa ou pessoas
interessadas na carga exportada, ou do navio, con-
confjrme ji 0 declarou a circular n. 6 de 4 de Ja-
neiro de 1861, e nesta data torno a recommendar
a alfandega desta cidade. Deus guarda a V. Exc
Visconde do Rio Branco.
Estrada de rerro central.-0 governo
imperial, aUendenda ao que requereu Hugh Wil-
son, einprezario Ja nova organisacao da antiga
companhia Train road a vapor Paraguassu, ac-
lualmeute denominada Estrad 1 de ferro central,
na arovincia da Bahia, concedeu por decreto n.
5,777 de 28 de oulubro ultimo, a nova c ropaahia
que se iucorporar para a construecao da refenda
estraaa e de urn ramal ate a Feira de Sauta Anna,
e garantia de juros de 7 O|0 ao anno sobre 0 ma-
ximo capital de 13,000:000*000, e durante 0 prazo
de 30 annos.
Loiaruo de emoluuienios de jtii
zes mdnicipaea.-Em li do corrente 0 mi-
nisterio da justica recommendou aos presidentes
dis provinclas abaixo decta/ados, que de confor-
midade com as instruccpes, do ministerio da fa-
zenda de 17 de novembro do auno passado, e para
exec'ucio do art. 13 da lei 0. 1,704 de 28 de junho
de 1870, fagam proceder a l.jtuc^p. dos^mplumen-
tos dos jpizes e lermos infra, rnencionados^
S. Paulo.-Juizes substitutos da capita', e mu-
nicipaes da Braganca, Balalaes, S. Joio da 3oa-Vts-
ta, Jahu e Caconde. ., .
Miuas-G caea. Juizes substitutes da capital e
municipaes de Parahybuna e Dares da Boa-Espe-
ranca.
Gpyaz-Juizes subslilatos da capital e muuici-
pa.es doateRmQs.Jo Bpmflm", S. Domingos, S. Jose
flo Tdcahtins e Rio-'Bonfto.
Ceara-.-JuuessubsJiiatos da capital e mnnici-
paes 4e Missao Velba, e Barbalba, Jaguanbe Mi-
nm,Teln'a"e S. Matheu', Tamboril e Santa Quile-
ria-PMei/a, Lavras Q Varwa Alegre
-*4tf*WV. -Quizes municipaes de Riacaao, P|eo&
e.-G/ajanu. '
Matto-Grosso. Juizes substiluUi da capital e
municipal dej Villa.M^a^Papoue. Gorupibi, Dia-
maw ao .e Rosario. ,
Rio Grandp do SulJuiz momcipaldo termo de
2;000*0001 Santo Angolo.' '
2:000*000 Para. Substitutes da capital 6 municipaes de
1:792*403 Suure e AJjuiquer.
no caso allndido, ao qaal nao tern applicacao as
- 5:283*250
leis e regnlamentos citados por essa presidencia.
Nestes t;rmos deve continuar 0 procedimento
judicial, podendo a administracao da fazenda pro
vinejal, quando se jalgue prejndicada, interpor os
recurs os legaes.
Deus guarda a V. Exc-Joao Jose de Oliveira
Junqueira, .
.Vgruas inineraes. -0 rainist rij do impe-
rio, era 5 do corrente, expedio a";segainte circular
as presiiencias das proviocias da Mm is Geraes.
S. Paulo, Santa Cathirina, Giyaz, It.'.in, Pernam
buco e Rio Grande do Norte.
lllm. eExm. Sr.-A seccao dos negocios do im
perio do conselho de estado, sendo ouvida Sobre a
seguinte questao :
t Sa as fintes do agaas mineraes nas provincia*
podem ser consideradas propriedade provincial, e
por tanto da exeluslva competeucia das aittotida
des provfneiaas.
Foi da parecer :
Qae na espbera da compatencia das assembleis
legislativas provinciaes, deflaida no_ acto addicio
nal, nio se eompreheo.de a atlribuiQai de legisla-
rem sobre fortes de aguas mineraes de qualquer
natureza ;
Que. nio exi^tinio ainla a lei pela qual, nacon
formid'ade .10 4 do arl. 11 di mesmo acta addi
cional, devem ser especificados os bens provinciaes,
n<-m alguma outra que declare lerem este carac-
ter as referidas fintes, cumore que ellas sejam
consideradas na erdem dos mineraes em g ^ral e
dos assuraptisconcernontes a saiide publica, todos.
os naaes sao da competeucia dos poderes seraes ;
Quo a disposicao do art. 66 1 da lei de 1 de
outubro de 1828, qua coufere as camaras munici
paes a attribuiijao de regular 0 servico das fontes
e aqueductos, tem sido entendida sempre como re-
lativa as aguas que jorram, e aos aqueductos que
conduzem aguas pitaveis e de 030 geral :
ESua Magestade 0 Imperalor, coafirmandose,
por sua inmediata rosola;io da 7 do mez pas-ado,
com esto parecer exarado cm consfllla da 12 de
ago-to ullirao, ha por bem mandar declarsr que
as fontes de agaas mineraes de qualquer natureza,
nao devendo ser consideradas como de proprieda
de provincial, mas, pertencendo a administracao
geral do estado, nao podera ser objecto de conlra-
tos feitos pelos presidentes das provinces era vir-
tude de autorisacao, ou com dependeacia de ap
provacao das assembleis provinciaes.
0 qae comrauniso-a V. Exc. para sai conheci-
Deus guarde a V. Exc. Viseon.le io ftio Bran it
Uoeda falsa Ao ministerio da fazanda foi
dirigiJo o seguinte offlcio: ^ nnn
c lllm. e Exm. SrA raoeda de 2 COO qae,en-
viada de Montevideo, V. Exc. remalteu a esta re-
partic3o para ser exam nada, e que ora fac sa-
bir, 6 falsa, pois pesa 19,5 grammas, quando d ;
via equiiibrar 25,5 grammas. A liga-dessa falsi-
ficacao, que coosta de estanho e antimonio, con-
tendo traces de rerro, foi vasada em raolda e nil
cunhada. Esta falsiflca^ao, 6 muito fact! de co-
nhecer mesmo noescuro,porqae, apertaudo entre
os deotes, da nra estalinho conhecido com 0 nome
degrito de estanho. 0 peso destas falsificacSes
nao 6 constante, pois duas oicedas qua acabo de
receber da policia, uma pesa 20 grammas, outra
20,5 ditts. Deus guarde a V. Exc -Casa da raoe-
da, 3 de novemb 0 de 1874.lllm. 0 Exm. Sr.
conselheiro de asiado viscoudo do Rio Branco, mi-
nistro e secretarurde c.-tado das negocios da fa-
zenda.-Dr. Candido de Azeredo Coutmho.
Aviso aos navegantes. Desda 0 1"
da setembro do corrente. anno, funccioaa no Cabo
de Santa Maria (Hnda Praia) um oharol de pn-
meira ordem, systema Fre-nel,luz nxa a relampa-
cps de minute a miauto, c6r branca, sobre uma
terra, de 40 in. e 28 c. de elevacao. E' visivel (en
20 miluas
MOPS, 2i DZ ROfSHMO DE 1874.
O partido imperial.
I
Va os caminhand0 para um estado da c verdadeirarsenteassaatador ao materia da di*ca--
so's p .lit cas.
0 bom seaso, a prulen:ia e n.ai que iuJj
ancerid^de na manifcsticai das opiumea va>o><-
appar.'cendo para eedereni 0 >i>i.> as apreci.-
coes frivolas, quando nao insidii-as e laalavolas,
iijustici, a caluiiiaia e as reciprocas recriauu*-
coes.
Nioe esta por cert) a mis-Sa da impreaaa jcr-
aalistica n s pataes onle impc.a a opiniao pa
Mica.
Esta se forma pela boa oireecaa ",ae iraprimea
as ducus-oes e as donlnnas os qua atsnmen c
papel le leaders ou chefes dos paitdus em qae *
divi.le o paiz.
Qul eentratanto 0 turni que vai toman li *
ideas do partido liberal, a j:il? ti., >s pel; que tracs-
pira de seu reputudo orgio nt.-ta afaviaaa ?
Ahi esta aos olaos da lodes.
Deno i da tado eavidarem contra a situ \A ;
do paiz, ei-lo-qae teniaai u.u t-firc sipr.m
brasiieiros desnaturados atacam os proprios prin-
ciples cinque asseoti a nsa or?aci-a?'i 1 p bte i,
como se a area santa da aos-ts i.aaiiui.i..'. !..ud 1-
raentaes devesse estar atauHa a cssas crimiaatia
pr^fanacoas.
0 partido imperial e 0 eseaavawa com qae a
opaosiQio li'ueril prelenda eax dar da poder se a
generjs^s aJvcrsanos.
Imagina se ura partidi aut: constitocioial,
br'uo e baslardo, crcad 1 para esiibclcicr 0 excli-
siv;. preJosainii do c-lemenlo monarchic I pa .\
para de an s6 golpe matar-se a ron-t:ti:.c.u e 0
imperio. Preteade-se derribar 0 t:r >&.> para, t .1
seasdattraeos,levaalaraina denoerada inttir^
meataiuconpativelcom j ujsso rcgimin |
..'iraadimente ad versa >.os balitjs e teadflaou
do povo brasileiro.
Si a ; surgio naaloanta a mioa cm q e eaaaj 1-
ra-.aa opposicao liberal, c surgio junto i s t .
meutis d. tlirono cujo poder prelendem uul!
coaictaudo e snpprimindo suas mais coliv i- pte
fogativas.
Qae idea tao falsa d 1 verdadeiro 1 r -gre so, ,.
dontriaas lailazes a aotnaromened ras Ja HWMav
da e graoden deste paiz !
Onde a i-sul'ilid-ide das intitiucoes ni
ing.-aa pil.tico. i,nJe se :'az vnqx de variar e
nuameuto da forma de govern ., e so recairi a
essa expelien'.o roina oanacei a 1.1 s 0- m at .
paiz, em vez de iiberdada 1 m-se d .-ordem, cm \cr
tempii clato) a uuia distancia de 18 a
em to pes sobre 0 hiri^onte do mar.
Correio dacdrte. En consequancia de
mais um deleixo docorroto geral do Rio de Janei-
ro, ou da ma voutade de alguns do sen* enipre-
oadP', Scon hont.'in a oos>a praca sea correspon-
uancia do sol d> iuiperi; p's que sahindo para
Pernambuco u;u vipar (Sorata) so tocando na
Bahia, e outro (Roh'a) c.nh escalas por ease porto
e pelo de Maceio, out tileu essa ieparticio que de-
via.entregar ao segundo u>d< as mains, nada
ma'ndando polo primoir'o. Soitielhaate falta nao
earece commenlario, e para ella c-iamamoj n at-
tensao to Eim. Sr; iui*istro da agr.icultara.
Je progressa conf sao e atfM >.
As nacdos precisam em sua existeaeaa aata
de aeaa ataaeaw, antaeialmeaie pudaio.-os e '.
igual nfflcacia ambis, a ordem e a liherdale.
A ordem e 0 predomiaio da justica, e a ara 1-
quiilidade a a seguran;a qne res ilia para 0 pub .-
co da verda-ie das iustituicoes, do respeilo as I -
e ao direito de cada um.
Sa : add cinlicoas nai pole haver prr-gre-
lcberdade qae sao 0 maior desenvdrtawaaa 4
aos eleme-.tos Ja a-tiv^da le iadi In t ew
va era ordem a arodacir a fataaata a I
da oaeio.
E' a ordem com) a am spheri em qae r
ram a liberdade e 0 pr..gr ate. ...
E como a-pirarao prjcraso c a ul. r'.-ie l
respeitando as leis, detraumli di autondada U
las pelo orgai poderoaianaw da imprensa, a a .-
van a do progresso e da lib.-rdade f
A* leis sao as nirmas necesssria, indeel
vds das aec&es, a el.as deve awldar-aa a vi la >
povjs para que, dirigio lo so uaifor neiui-ole 1
iaJividuos da quo sa comi'de 0 11 io aacion
possa este alcancar o lira a que se dirige a r,.
somma da felicida la e hem estar de cada ml
duo que o coostitna : legnnomnes serri sum:
liberi esse possimus, d.zia Cicero.
0 prograsso e a ma ma ordem em grao m ..s 1
valo, era saa forma mais perf-ita 0 sob u a
peclj nova, disse o 0 proton b Stn rl Mill ; aa
pois, so pretande collocar 0 progress* em co:
posicio com a lei e as intitaicoes aeciin,:.
ciedade acaba por transfirmar-se na mx\* c,
pleta anarchia, que e a supreiaa nsgacao do pro-
gresso. Entio 0 paiz nio pode mesmo perma
cer esiacionarii : retruced<>, abysma-se.
Nern se diga qua vamos dar ta immolaad*oe 11
marasrao politico, nJ>; 0 qae nio ertaadrm
progrejso fora Ja lei, o desrespeito, deaprexc s
qae existe, p^rqae se tem em nerspeetiva 0 qae '
mais perfeito ou 0 que tal se presume Iatal a
Os c.i-iu aes se tran-finnam, ecerto, aaaa*
niJ'.Je cresca era razes e morabdadl; m"
ellap-iri bhssh caninham as leis e a^ in*titaC*5
nes=e peregric-.r cterno para o beat abtolaio.
Sio como 1 lit> do rio qne engrossa oim.
raenta 0 v.dame de saas agaas, elle aa wilaurgx -
do a pouco 0 poueo para coote-las, J
ellas nao trnn-h rdem e Oquem estigaaaas
charco imoiiindo. ,^_.,
Nva e nm- aucando uma insht :icao aacloiAi.
d-gn* s6'dP, r^p-uo e dS'5e*
ba de alcar.ar essa grandeza e Uberdadeaaa *.-
o.ram os p -vo* i refonnaado o*_ eodoaiaiikrh.-
r..lisanJo* isclarecendo apopalacao, incatmoa n-
e-pinto da luocidade 0 amor e a *Mar>(r** f*ii
n.ss rorraa se conseguira aquelle re-:, tado.
Qaando aa > sao conhecidos par uma I
c .nstante e diuturna os rnaos resul adosi**"
inst.taicao, e teraeridde clamar contra etia.
E', poU. mal entendida e perigosa s-aaf
."io que se aura hjrioaa Contra as prerofanfat i<
pj'der modorador, porqaa plania a d



r
I--------p
-
^m
i3iario de Fernambueo Sexta feira 27 de Novembro do 18T4L
piritos e fa-loa tresvariar ap6s o phantasms dasj Fiscal
nstKaiooes dot**, cujo prestigio vein do deico-; ma.
nhecido qae as aureola.
Sera demasiado longo o periodo de 52 annos
para conheccr-se de uma institnicao ? ai maiores
nacftes du muDdo tern permanecido a aorabra de
seas regimens polilicos largos e largos seculos.
C ouobate-se agon as prerogativas do poder mo-
derador, o qae se pretende com isso ?
A desordem, a revolucao, ccmo se o progresso
nascido das revolucSes, obra de Dm esforcavio-
lento, salto vertigmoso do camioho das nacoes, nio
fosse cousa ephemera ou pelo meoos sem a esta-
bilidade daqaelie que e obra de uma looga expe-
rtencia.
A Hterdade, como Xado o que e superior, de-
mand a longo lirocHMo, e os povos que vivem em j
do entreposto. Antonio Rodrigues Li-. OliriOlirV
Fieis de armazeM. Rajrmundo Carneiro de! Srs. redactores.Acaba de chegar a esta *Ba
Lima Tapiassd, Romio fiodngues da Silva Per*-(o correio dessa capital trateado-nos os |oraaes e
gio, Jose Julio CavaHeiro de Macedo, Jose Thomax mais correspoodeacias.
da Ponte e Sooza, Pedro de Hello Mariano Falcao. j Foi sem dovida, porem com admiracae das ho-
Officiaes de descarga. Diogo Vai de Cistilho, jtneDs sensatos a carregacSo de meniiras e ca- ditos de dito refinado.
Antonio Augusto da Silva Neves, Domingos fion lumuias que no* trouxe a Provinciate W do max
calves Nogueira, Miguel Facuodo de Castro Mene- j proximo passado coo'ra o prudente cidadao An
saecos com 37.S0O kilos de assuear branco : para
a Bahia, D. A. Halhias SO barricas com 2,251 ditos
de dito.
Para a Villa da Penha, na barcaja MMica
Cidade, carregou: A. J. Lopes Teixeira 3 saecos
com 225 kilos de assocar branco e t dito com 75
oatiauas revolucdes, ciosos de uma liberdade que I
imaginara, nem sewpre sao os que mats corners; |ma
nesse aprendizado arduo e peooso.
Exemplo a Franca com seu 89, exempio a Ia-
Depois do omiaoso jugo do lord protector, a
$raode nacio ingleza mesmo sob o despetismo de
Jacques II tinns horror ao goveroo repafeMcaao.
Abi, nesse grande paiz, e crime tocar nas leis
em vigor, porque o cidadao inglez ve Delias a mais
solida garaotia de suas liberdades.
Cm facto bem conhecido e que nos coata Rossi
oa introduccao ao seu tratado de direito penal, da
a conhecer aid qae porno cbega o esorupulo do
povo Inglez em materia de reformas.
Quando em 1813 Samuel Romilly propox sabs-
tituir por uma p*na menus cruel o supplicio re-
servado aos criminosos de alia traigao, a maioria
do parlamento responded : notumusjeges Anglke
nutarie eahio a inocao, alias luodada em senti-
mentos de bumaoidade, e que nada tinha com as
instituicees polilicas do paiz.
Entre nos, quern o diria ? urn partido que se dix
legitiroo, que por isso mesmo devera ter urn eir-
calo de discussao tracado pelas leis do paiz, ousa
por seu orgao oa iuoprensa por em disenssao as
aMribuicSea de urn poder reconhecido na cousti.
tuif lo do imperio com a chave de toda a organi-
sacio polities do paiz, negando as e expondo-as a
execracao pubiica; ousa-se dizer por esse mesmo
orgao que aquelle poder e urn poder perigoso, que
exorbita, e que para absorrer em si e aniquilar
todos os oatros igualraente legitimos e iadepea-
denies, (rabalba oa organisacao de um partido an-
ti-constilucional, crimiaoso, e que ba de malar a
opiniao pubiica avassallandoa aquelle poder uni-
co a pairar por sobre o cabos das iD9tituic5es des-
moronadas.
zes, Joaquim Alves da Silva Leao, Francisco Nica
cio Lalara Henezes, Pedro Miguel da Cunha, Bi-
otas Francisco de Oliveira, Francisco Antonio (Jar-
jao, Fraacisoo Xavier Rodrigues de Souza, Leao
Tatan, Joao Marcelino da Silva, Josd da Gama Lo-
be da Silveira, Joao Fraacisco Cavalcante de AI-
buqaerque.
(Do Dinrib di Bclemj
PUBLICACOLS k FEDIDC.
Para.
O SR. LUCAS BBERING.
Embarca boje no vapor Paid com destino a S-
Paulo pelo Hio de Janeiro, o Sr. Lucas Antonio
Ribeiro Bhering, qae acaba du ser promovido a
inspector da tbesouraria de fazenda daquelia pro
vincia.
Foi uma digoa recompensa, que bonrando o Sr.
Bhering e quando se aehava em lula com inimigos
pequeninos e de^leaes, honra igualmente o gover
no que Ibe soube *preciar oelevado merecimento,
sua energia nuuca desmenlida, e principalmente a
ena> bonesiidade, um dos iracos mais acentuados do
caracier do distincto funccionario, cuja ausencia
deixa no fuuccionalismo desta provincia um va;uo
que sera dilhcilmenle preenchido
Emquanto ausicro e exacio no cumprimento de
sens deveres, sabe o Sr. Bbering a laes quahdades
alliar mmta lhaueza do train, e tanta-delicadeza,
qne a todos foi sempre accessivel, a todos onvio
com bondade, a todos acolheu com a niaior bene-
volencia, fazendo direito a grande eelima de todos
que tiveram a forluna de tralar com elle, quer ni
qualidadede funccionario publico, quer na de sim-
ples cidadao.
Horamo-nos sempre com a sua amisade, e ao
apertarmos-llie boje a miio em despedida, o acom-
panbamos com os nossos volos e desejamos-lhe a a
sua Exm. familia uma vjngem feliz e ai maiores
venturas, no seio dos seus pare-ites e amigos, em
S. Paulo.
Fdize* ventos o coDduzam ao porto do seu des
tino.
.*.
OS SRS. INSPECTOR E EMPREGADOS DA
AU-ANDEGA.
PasiJndo honiem o Sr. Bhering ao Sr. Guijao a
iaspectoria da allaudega por ter de relirar-se boje
do vapor que segue para os purtcs do SUL dirigio
ao referido Sr. Gurjio o oflicio abafxo publicado,
snoclnta reaposla a* Sr.
advogado Jaft* Uarhalko.
Por nao soDrar-me tempo nao respondi ha mais
tempoo nio me toques desse Sr. advogado, o
queagura faco, nao ob^uate o meu acauhamenlo,
somenle para que se taiba qua nio teve razao
para se mostrar tao maguado pur uma simples
adveriencia qne unanimemeate Ibe fora feiia p>-r
occaaiio de suas expressdes mal cabidas em uos
embargos que eontrariameote a mim se referem,
porquantoo|uiz vencido, de que trala o dito advo-
gado, foi so na primeira parte tendeate a materia
dos embargos a que allude, tendo porem dito juiz
acbado muito cabivel (e ate fora quern lembrara a
tal advertencia) que aredigio de perfe to accordo "*[ ggggS^ff'wg Dl"DM' d.and2"
,iial m,. *nmn vntnn |do-lheapropredade de um animal quando de
bicbo de cabellos pode ser que possua algum
surrao de bode nada mais, see capaz traga o
Sr. Dimas ao publico o ferro e signal de seu ani-
mal. Duvidamos.
Nao licou com taatas mentiras sati.-feito ainda
o encouracado e grutesco mentiroso. Alem de
outrasl de que so elle e capaz, lembroa-se que
devia dar ao bacharel Rolim um criado, e qne
este havia sido recrutado. Ora, esta e boa I
0 bacharel Rohm nunca teve criado nesta ter-
tonio Lsonel de Aleacar juiz, municipal snpplente
em exercieio, noticiadas desta villa, sem qae o
despejado calumniador tomasse a respsnsabilldade
de sua iafamia.
Admira qae a Provincia, periodico redigido
por homens iliustrados e que dlscatem a realida
de de uma idea aobre, coasiata que nas colum-
nas deste joraal appare^a qualquer quidio ea-
lumoiaudo >em legal responsabiijdaJe I Sera,
pois, to pelo facto de depor se contra a reputacao
de am adversaria politico ? Nio cremos ; mas
infeliz rente vai a Provincia asstm procedeodo.
No 1* trecho do aggregado de calumoiastrax o des-
pejado mentiroso, como persegoido ojprimeiro des-
ordeiro desta v.lla Uanoei Lopes de Siqueira, por
cuja incorrig bilidade ve-?e a autoridade forcada
faze-lo recolht-r' preso a cadeia re. tres e mais vezes por mumo*. a'en do .mtroi
factos com que coastanlemente preude a si alien
?ao da policia.
Ebrio o communicante dos senlimentos da ca.
lumnia, chamando para a odiosidade pubiica o
Sr. Leonel, nao duvidou aeanhar desmasiada-
eom os seus dignos collegas ; mas como votou,
quanto a primeira parte, pela miutia derrota, n da]
teoe com o respice, ao conlrario foi applaudido
pelo suseeplivel-e mimoso^ advogado. Aquillo era I
tudo, isto e, a minba condemnacao, burlada esta, I
graces aos conspicnos juixes que tao nobre e so-!
branceiramente derribaram o mais escandaloso dos
pleitos, havendo ainda a jogar uma-carta para o
SuppremoTribunal, convinba anlecipar-se e pre-
veoir os juizos, uma vez que nao e la cousa muito
facil defeoder uma ma causa, sustenlando um ver-!.
dad iro paradoxo i ra Un ra quaado passando por louco, nao
Cora effeito, a questao de que se trata 6 tal, que, *JMu,m. fJg**- ef*lr' e ^i* mfta?iJt*
se nao fosse ja cdusa sedifa-aceitaremse causas de,xa ,de ser procurado como advogado, lim.tan-
sem razao de ser, ninguuna poderia defender sera do;.se as caaM do. .f"^010 u9ari Franaseo
grande dezar, pois 6 um perfeito latroc.nio-este pe 2 8aa parcialidade a quera presta
que seprocuraeovidar, e por em praticapara corai
go
erigir no ar, mas que sendo
toda
sorte de servicos.
6 mesmo umdesses castellos que se procurou1 .T,rata,aiad-a da.oulras calumnias que pela pres-
fe izmeute desfeito, I* do corre"> fla podemos coraraentar, dizendo
condensadas as materias. despediramraiosque.se fmalraente que nio se trata de processos contra
a alguem feriram, foi por certo ajuelles queo eri- os cnminosos, mas cream -at contra os liberaes:
gjraTn r ~ pois bem, venha o calumniador de cara desco-
A sem razao doSr. advogado Joao barbalho ve-sa Der,a* ao PQblico 1Qaes s4 o9 liberaes Per-
claramente de ter elle arguido ao mesmo juiz que s .
se assignau vencido, a qnem por Isto mesmo
elogiou, aitribuido-lhe nao obstante uma gran-
de injustiga por nao ter lite concelido vista para
dizer sobre uns documentos juntos poi mim na
suslentacdo dos me us embargos defls...; mas, se
taes documentos foram manJados desentranbar
dos aoto, como Ibe poderia ser Jala fal vista ?
Isto seria um contrasenso, e neste caso o juiz que
mereccu applausos do Sr. advogado pela sua boa
justiga n'uina part* dessa questao, seria justo que
merecesse tambera na outra, isto e, por nao con-
ceder (he visia para dizer sobre dacameatos que
mandou desentranhar. 0 escrivao tendo desen-
tranhado ditos ducumento?, e m' os entregaa-
do, requeri dins depois ao raesmo juiz para sersra
appensados, assim foi deferido, enaoseiquese
devesse dar vitia de documentos appensados e que
nem mesmo fora pedida depois distj.
Ajoutra sem| razao do due advogado ve-se do3
autos da certidao tirada do protocollo do escrivao
Peres, da qual certidao se evidencia, que os em-
bargos fora in oppostos dentro do termo legal
e como tal bem recebidos pelos dignos juizes, con-
tra os quaes tao acerrirao se mostra o mesmo ad-
vogado no seu desespero de causa.
Por ultimo direi ao Sr. Dr. Joao Barbalho quo,
9e S. S, acbou justo, e que estava em seu direito
(como de facto esta) elogiar um juiz pela sua co-
nerencia em votar a >ea favor, contra a evidencia
de meu direito e provas que vUluinbram dos au-
tos, o que nao deverei eu dizer do* juizes, cuja di-
visa 6 somenle fazer justiga, arrancando a masca-
ra tia hypocrisia, onde quer que se ache ?
Para que el giar a magisteados deste quilate, i
quando e-tao muito alem dos encomios que se Ibes
deve ?... Muilas nonras e gloria, por certo, cabem
a taes magistrados, sendo
U Sr. Leonel 6 amigo em geral dos homens
de bem desta localidade inclusive muitos libe-
raes importanles, boorado e optimos pais de
familia. Vota por^m, o desprezo aos larapios dos
eofre publico, sob o sacrilego oretexlo de rece
ber dinheiro para a igreje de S. Sebasliao, para
as mfelizes familias f.de voluntarios da patria, e
para outros tins publicos, sem qne a nenhura
tenha dado outro destino, senao o de sua bar-
riga, alem de ontros crimes ou ir.lamias que
como j'liz tem o Sr. Leonel delles tornado co-
nbecimenio.
Digoem-se, Srs. redactores, dar publicidade a
eslas poucas liobas, desculpando-nos as frases
um pouco sultas, effeito que sempre produz a
oluraoia no espirito da justii;a.
B. Beltrao.
wmsM
DMMER!
lift
Al>FA?>f)K(]
Aeaaimaoto do du 2 a 25
I iu do dia 20 i
729.636 ='.693
18:849*917
748.506*612
festaram contra o monstruoso libello'defendido
pelo dito Sr. Dr. Joao Barualbo,os Exms. Srs.
neis e Silva e Gustolio Guimaraes.
Joaquim S. P. de Siqueira Cavalcante.
Oescarregam boj -. 27 da novembro de 1874.
Vapor inglez Vanguardmercadorias, bagagens
e araostras para alfandega e trapicbe
CoDceirao.
Lugar portuguez Cidral lageamento para o tra
piche Conceigio, para despachar.
Patacho inglez -Geirgtna-kerosene ja despacha-
do para o caes do Apollo.
dese's*os que se niani-iVaPor nacional B-ihia (esperado) geoero> oa-
oados e recebendo na mesma oceasiao um docu-
meoto que o honra tanto como aos que o sub.-cru-
veram.
Para que 09 apr^ciem os uossos leitores, publi-
camos em seguida ambos estes documentos :
Gopia. Alfmiega do Para, 17 de novembro
de 1874. film. Sr. Tendo nesta data tido co-
nbecimento de que por decreto de 28 do mez fin
do fui oraeado inspector da thesoararia de fazf n
da da provincia de S. Piulo, rteixo hoj^, mesmo o
exercieio dessa inspeetoria para dirigir me ao meu
destiDo, convindo qae V. S. na forma prescripta
pelo art. 16 d decreto n. 4,173 de 6 de maio de
1868 a assuma.
Aproveito a opportunidade para agradecer tanto
a V. J5. como a todos os empregados desta alfande
ga nao so a franca e leal coadjuvacao que sempre
Die prestaram no de*empenlio da difflcil commis
sao de que o governo imperial aprouve incumb'r-
me; mas, tan.bem as finezas, attengoes e testemu-
linos de amisade que roe dispensaram no decurso
dos dous annos em que live a ventura de com V.
S. e com elies servir.
Em qualquer parte oude o deslmo me conduza
guardarei sempre fresca a raeraoria do quanto
merecem por suas di-tmctas qualidades os empre
gadns da alfandega do Para e do quatto essas
qualidades me eaplivaran). Deus guarde a V. S
Illm. S Francisco Pedro Gurjiio, muito digno
chefe de seccao desta alfandega. Lucas Antonio
Bibeiro Bhering.
09 abaixo assignados, empregados da alfandega
da provincia do Para, extremamente penhorados
pelas maneiras attenciosa< e uibauas com que fo-
ram sempre tralados e pelo apreco em qne sio ti-
dos pelo Illm. Sr. Lucas Antonio Ribeiro Bfiering
mui digno inspector da mesma alfandega. sabendo
Sue o gove.no de Sua Magestade Imperial acaba
e remunerar os reUvantes servigos que tao dis
tincto quao illustr.ido funccionario ha prestado nas
diversas e importantes corami>s5es por elle des-
empanhadas, ja como chefe da commissao de fa-
zenda n-s Irobteira* de Matio Grosso, ja na quali-
dade de inspector das thesouranas das provinces
do Parana e de?ia, e linalmente como inspector
das alfaodegas de Aracaju e desta provincia, sen-
do nesta uluma, cuja inspeccao deixa, a em que
elle com sua reconbecida mtelligencia, actividade,
pericia, e mediante seus esforcos, logrou introdu-
zir um dos priocipaes me!ho>-amentos de que mais
carecia e ba muito rechmado, como seja a actual
ponte provisoria ccm um guindaste a vapor, em
proveito real do commercio e do flsco, faltariam
ao mais sagrado dever se deixassem de manifeslar
como o fazem com a maior satisfajao e esponla-
neidade os sentimentos de gratidao e reconheci-
mento de que se acham possnidos por tao eleva-
das qnahdjtdes, que ornam o caracter probo e ho
ties to do tao onspicuo chefe, a quem o g ver no
imperial, como veem de dizer, acaba de galardoar' qual o
a a nomeacao para o cargo de inspector da the-! fl'do
'Hi de ou lulu u de 189 I.
esidenle da provincia ver e
que te acna uiti iuicim.
souraria de fazenda da imporunte provincia de S.
Paulo, por decreto de 28 de outubro proximo pas-
!>ado.
Pedem
Ouricury.
apreciar o estado eai
termo do Ouricury.
0 vigarlo Francisco Pedro da Silva, homem de
maos iutinctos e acostumaJo ao crime, nio trepi-Ja
perante considera^ao algom;, coacorre sempre
para as desordeus, com lanto que sejara ellas pre-
judiciaas a seus inimigos.
Este pastor transforniado em lobo devorador do
seu rebanho, lesou o padroeiro desta freguezia,
S. Sebastiao, em muitos contos de reis, e com fai-
sos documeuto-, pode haver o dinhtiro di tbesou-
rarii de fazenda, como esta provado pela denun-
cia que deu Jose Evaristo dos Santo? Leal, acora-
panhada de documentos extrar.idos da mesma
tne.-ouraria, e que ate hoje acha-se dormindo em
lugar occultj.
0 denunoiante pagou caro, porque este frade
corrompido assalariou porgio dos de seu sequiio
e mandou assassinar ao mesmo denunciante (Jo.-e
Evaristo) pelo que foi aqui procesiado, por dm
despronunciado pela escandalosa proteccio, tendo
a infeliz victima sotTndo um tiro, do qual nao
raorreu por milagre da Providencia.
Foi este raon>tro Francisco Pedro denuueiado
por Francisco Rmeiro de Mello por um tiro dado
em Americo de tal, segundo dizem, por elie man-
dado, acobertando-se com a acijao da jastica por ser
delegado supplente em exercieio seu irmao Uicar-
do Pedro da Silva, nao respoadeu por este crime;
mandou espancar publicamenie nesta villa, se-
gundo a voz pubiica, a Apobnario Alves Peneden-
se, pelo que foi intimado para ver jur^r tesiemu-
iih i, e ainda nada Ihe proveio deste crime.
Metteu em si o dinbeiro das familias dos volun-
tarios da pat ia, como podo se provar com a es-
cripturacao da sociedade prolectura das mesmas
familias, na capital desta provincia, locupletou se
com di versos dinheiros de subscripgSes, que se S.
Exc. quize-, se provara.
Ro dia 17 do corrente met assalariou a tres
miseraveis individuos acostumados a receberem
immensos favorcs do tenente Antonio Josd Barbo-
sa Bahiano, segundo dizem, a atacarem seu bem-
feitor, para o assassinar, o que nio conseguiram
milagrosamente, tendo couseguido somente fazer-
Ibe leves ferimentos.
Senhor presidente, faca punir o crime, e cha-
me Francisco Pedro a contas; sn for enmiuoso,
facam oconderanar.se forinnocente.absjlvara no,
porem nao sejam ?urdos aos gritos das victimas,
desaggravem a sociedade e a lei ; dd-nos garaotia.
_0 lugar onde babila o padre Francisso Pedro
nao pode destacar meia duzia de pragas, e estas
comraandada por urn sargento e este sem energia,
e de qoem os soldados nao fazem coula, e que por
Unto a autoridade nao tem accao.
Em dias do corrente mez, Jose" Pedro da Silva,
filho de Francisco Podro, deu uma facada em uma
pobre viuva de nome Tnereza, que achava-se na
protec?aodo mesmo Francisco Pedro, ignoranJo-se
motivo que deu lug*r a semethante con-
o corpo ue delicto foi feito pelj subdele
cionaes para o Irapiche do compaohia.
Palbabote americano I Ranger vario9 geoe
ros para otrapicloe Cnceicao, para des-
pachar.
Sumaca hespanbola Traciuta -vinho para depo-
silo no trapiche Baibosa.
CAPATAZ1A
Readimento do dia 2
ll* DA ALFANHKOA
a 25. 12:180*456
. 337*905
12:5171361
VOLUMES SAH1U03
N. dia 2 a 23......
No dia 26.
Primeira poru .....
Segioda porta ...
Terceira porta.....
T vpicbe CcDceisa .
29,913
13
43
S
431
29,433
SKBVICO MARlTiMO
ut^iangai (iwcarregadai no trapiche da
alfandega.
So dia 2 a 26.....
So dia 26.......
46
1
1
"i8
IKCEBEDORU DK RBNDAS 1NTERNA3 GB-
RAES DB PERNAMBUC.
undimento do dia 2 a 23 47:996*874
lam do dia 26 6:450*149
54:447*023
CONSDLADO PROVINOAL
.\ndimento do dia 2 a 25
attn do dia 26 .
RECIFE DRAINAGE
Rendimento do dia 2 a 25. .
Idem do dia 26. .... .
101:202*566
8:378*432
109:580*998
35:812*840
666*109
36:478*949
AGENCIAS provinciaes
Liquidos espirituosoi.
dendimento de 2 a 24 5:215*157
Idem do dia 25 186*095
Bacalhao, etc.
fteodimento de 2 a 24 4:568*088
Idem do dia 25 *
Geoeros
Rendimento de 2 a 24
Idem do dia 25
de estiva.
4:658*338
164*3-30
Farinua de trigo, etc.
aendimento de 2 a 24 5:743*072
Idem do dia 25 I
5:401*252
4:568*088
4-822*674
EsU compaohia toma seguros raaritimos e ter-
restres, dando nestes o sepumo anno gratis aos se-
furados,
Hua da Vlgario n. 19.
companhiaIllianca
ieguros maritimos e terres
tres estabelecida na Bahis
em 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:0003000.
Toma seguro de mercadorias e dinheiro
uco maritimo em navio de vela e vaporet
ara dentro e f6ra do imperio, assim com'
tontra fogo sobre predict, Keneros a f
vandal.
Agente : Joaquim Jose Gunqalvni Beltrio
aa do Commercio n. 5, latidar.
de Santo Anton ;o, a qual teri I
audiencias, vio a praca para mi
a quem mais der, 18 eadefeaaa*]
das de preto, por 60*, 1 par de c
sadoa, por 101, 1 sofa de joaeo por 30* 1 aai a>
lanternas por 91. 4 quadrat eoa aaMara doatiia
Eir 205 ; os qoaes foram peakoraiaa a Haawal
oreira de Sonza por execoeio de Fraaciwa r-
eira de Meirclloa.____________________________
ThoDiaz de Aquino Foaccca k C.
Soccessores
Fumo, etc.
aendimento de 2 a 24 2:851*091
-------------5:743*072
.deui do dia 23
aendimento de 2
Idem do dia 25
114*433
Vinagre, etc.
a .24 1:581*008
!:963*52'i
1:581*008
25:081*618
Thesouro provincial de Pernambuco, 26
de novembro de 1874.
0 escrivao,
J. C. M. da Silva Santos.
Banco Commercial de Braga.
Jorge Tasso.
37Rua do Amorim37
Saca qnalquer quantia a prazo ou a vista so
ore este Banco oa ;uas respectivaa agendas nas
gado Luna Alencar, e foram nomeados peritos ma-
jor Joao Marinho Falcao e Josd Vieira de Barro9,
dons dos capangas do vigario Fraoeisco Pedro, co-
mo e voz pubiica, pai do delinqnente ; os peritos
. ha moita differenca en-
tre o ferimento de faca e de pao.
0 crime esta impune, porque no mesmo momen
to em que Jose" Pedro commetteu o crime, foi logo
considerado alienado, cuja alifoacai repentiba, e
porvir semprH
roerito e ao seu I somente com o fim de pratiear crimes, e flcar
pone peko sen raao estado mental.
Memela.
Pedro Carjao,
e Silva.
4o publico.
. pois, ao Illm. Sr. Lucas Antonio Ribeiro
Bhering que se digne acolher seus sinceros pro- disseram que nao sabiam a7o ferimento"bavia
testos da gratidao, raspeito e amisade que lhe tn- do feito com faca ou pao
bntam e o offerecimento dos 9eus diminutos pres-
timos, e fazem voto* para que S. S. e sna Exm.
familia tenbam muitas felicidades, uma protpera
viagem e a contiouacao de um
vantajoso e propicio, igual ao seu
excellente caracter.
Para, 17 de novembro de 1874.
Ghefes de seccao. Francisco
Antonio Pimenta de Magalbaes.
Guarda-m6r. Jose Luiz da G.
Toesoureiro. Domiogos de Oliveira Gomes.
Primei-os conferentes. Francisco Bello Va-
lente Ordeiro, Felix Beoto Vianna, Francisco La-
dialau T. de Alcantara, Joao Baptista do Livramen
to Ferreira.
Primeims e9crioturarios. Camerino Facnndo
4e C. Menezes, Henrique Joao Ordeiro, Pelippe
Joaquim do Souza.
Segundo duo. Aotoni-o Pinheiro de Lacerda.
Porteiro. Antonio de S. Azevedoe Mello.
Regnnd a coufoieiiiea. Maooel Januario de
Oil vet ra, Joao.Kvn>i > Ferreira
T-rceirji ^'-r-i-iurarios. Gnilherme Antonio
de S nta, Joao S,t uuno de Moras Bapti.ta, AN
frp 'o Peregrirm 0-t"llo Branco.
E-crivio adduo. J *e" Antonio de Mattos
Admimstrador .la* eapataalas. Antonio Joa-
im
"MipOI'tUlilO
Vapor inglez Vangari, entrado de Li9b5a era 26
do corrente e consignado a Johnston Pater & O,
manifesjou :
Alp'ste 22 barricas a J. J. Rodrigues Mendeg,
33 a Francisco Guedes d'Araujo, 20 9accos a Li-
ma & Silva. Azeite de Oliveira 90 barns de quin-
to a Silva Guimaraes 4 C, 50 a Thom.oz de Aqui-
no Fonceca & Successores, 25 a Oliveira Filnos
4 C.
Ora 1 caixa a ordora, diu em velas 35 caixas
a Tliomaz de Aquino Fonceca & Successors, 52
a E. R. Rabello & C. Cal 100 barris a Silva Gui-
maraes AC. Gaslanhas 30 saecos a Lima 4 Sil-
va. Cominnos 4 saecos ao9 mesmos. Conservas 4
caixas aos mesmos, 66 a Pereira Viaona & C. Ca-
pacetes raetalicos para garrafas 1 caixa a P. Fer-
reira & C. Cetolas 50 caixas a SilvaJGuimaraes &
C., 25 ditas a Jorge Tasso, 15 a Guerra Baptista.
Cbinellas de orello 26 a Manuel J. Riueiro 4 C 1
a Manoel N'uues da F.-nceca 4 C, 1 a Porto Jt
Bastos.
Doces 1 caixa a ordem, 2 a J, J. Alves 4 C, 5
a Rodngues & Ma tins. Drogas 1 caixa a Bartho-
lomeu & C.
Ervas medicinaes 2 barricas a Francisco Ma-
noel da Silva, 1 caixa a Joaquim Feiippe da Coata.
K Flores medicinaes 2 fardos a Caors. Farello
100 a ordem. Fructas 30 meias caixas a Lima 4
Silra. Figos 7 caixas aos mesmos, 4 a Francisco
G. de Araujo.,4 a J. J. Alves Si C, 8 a Pereira
Vianua 4 C.
Livros 1 caixa a Games de Mattos Irmaos.
Medicamentos I caixa a Ferreira Maia 4 G Ma-
caes 6 caixas a Luna 4 Silva. Marmellada 1 cai-
xa a Albino Jose Ferreira da Cunha. Milho raic-
do 2 saecos a Lima & Silva.
Nona 1 barrica a Jose Fernandes Lima & C.
Passas 1 fardo a Antonio Francisco Gomes, 6 o
meia caixas Jose J. Aves A C. Pedra uma em uma
caixa a Rosa & Irmao. Papel 2 caixas a Moreira
Halliday & C. Dito e livros 3 caixas a Manoel da
Costa Moreira. .
Roupa e chapeos 4 volumes a Joaquim Antonio
de Carvalho.
Sapatos de trance 1 caixa a Moreira Halli-
dy.
Toucinho 25 barris a Cardo90 A Martins.
Velas stearinas 2 caizas a ordem. Vinagre 5
pipas e 25 barns de quinto a BeltrSo & Filho, 5
ditas e 25 ditos a Joao Jose Rodrigues Meode9.
Vinho branco 1 pipa e 5 barria de quinto a Guer-
ra & Baptista. Dito tinto 29 caixas a Manoel
Joaquim da Silva Bamos, 2 baaris de decimo a An-
tonio Francisco Gome9, 18 pipas e 60 barris de
quinto a Oliveira Filhos & C. 16 ditas e 25 ditos
a Beltrao A Filno, 7 ditas e 15 ditos a Silva Gui-
maraes 4 C, 1 pipa a Guerra & BapUsta.
teguintes cidades e villas de Portugal, illias adja
centes e Hespanha, a saber:
rortugal
Agueda. MelgafO.
Araarante. Malbada.
Anadia. Mirandella.
Arcos. Monte-mor o veibo.
Aveiro. Moncao.
Arco de Baulbe em Ca- Oliveira de Aremeis.
beceiraa de Basto?. Ovar.
Barca. Penaliel.
Barcellos. Port'Alegre.
Beja. Pinbel.
Caminba. Poote de Lima.
Cbave9. Portimao.
Castello Branco. Porto.
Coirabra. Povoa do Varzim.
Ca9tro Dai re. Povoa de Lanhoso
Oura. R^eoa.
Covilha. Silves.
Esposende. Santo Thyrso.
Blvaa Tavira.
Estremoz. Torre9 Novas.
Fafe. Tbomar.
Famalicao Valenta.
Faro Vianna.
Figueira. Villa do Conde.
Gouveia. Villa Pouca de Aguiar.
Guarda. Villa Beal de S. Antonio.
Guimaraes. Villa da Feira.
Lagos. Villa Nova de Orveira.
Louie. Vinhaes.
Lamego. Vizeu.
Lisboa. Villa Beal.
Movimento da Beira.
albas.
Fayal. Funcbal.
Hespanha,
Badajoz. Madrid.
Barcellona. Oren9e.
Cadiz. Padron.
Caceres. P mtivedra.
Campinas. Puentearea9.
Coruna. Santiago.
Ferrol. Vigo.
fs m mm
Navios sahidos no dii 25.
Parabiba-Barca portngueza Jooen Adelaide, ca-
puao Joao da Go9ta Gomes, em lastro.
Navios entrados no dia 26.
Portos do norte7 l|2 dias, vapor brasileiro
Para, de 1,999 toneladas. commandante te-
nente Carlos Ant nio Gomes, equipaggero 62
carga varies generos; a Pereira Vianna & C
pf'" do sul-6 dias, vapor inglez Soratti.de
2,773 toneladas, commandante Onlen, eqoipa-
gem 106, carga \arios geoeros: a Wilson
Howe 4 C.
Liverpool por Lisboa20 dias, vapor inglez Van.
aord.de 913 tooeladas, commaodante W. Cell,
equipagem 20, carga varios generos: a Johns-
ton Pater 4 C.
Santos32 dias, brigue ingiez Fearles, de 230 to-
neladas, capitao N. S. Wbeaton, equipagem 9,
em lastro ; a ordem.
Bio Grande do Sul 29 dias, escuoa portugaeza
Galarin, de 154 toneladas, capitao Maooel dos
Santos Casaca, equipagem 7, carga 111,300 ki-
los de carne; a Amorim Irmao & C.
Rio Grande do Sul25 dias, patache brasileiro
Salctpuedes, de 229 toneladas, capitao Luciano
F. Monteiro Juoior, equipagem 11, carga....
210,000 kilos de caroe; a Ballar Oliveira & C.
Navios sahidos no mesmo dia.
Parahyba-Barca ponugueza Nova Sympathia.
capitio Guib erme L. da Silva Lobo, em lastro.
Parahyba-Barca portugueza Audacia, capitao Ad
tooio C. Paiva, era lastro.
Liverpool e portos intermedios Vapor inglez So-
rata, commandante Conlen, com a mesma carga
que trouxe dos portos do sul.
CanalBrigue inlgez Belleof Devon, capitio R. \V.
Ackland, carga assuear.
Canal Escuua ingleza Mary .4nni;ij, capitio R.
William, carga assuear.
Observagdo.
Suspendeu do lamario para Maceio a escnna
hollandeza ilnna Marii, capitao Aden, com o mes-
mo lastro que trouxe do Rio de Janeiro.
\
0
SEGUROS
MARITIMOS
Vapor nacional Para, entrado dos portos do
norte na mesma data e consignado a Pereira Vi-
anna & C, manifestou :
ChapCos ,*do Chile 5 fardos a Menhard, Meliler
& C
Farinha de mandioca 200 saecos a Antonio da
S. P. Gaimariea, 50 a Beltrao A Filho, 69 aoa con-
sigoatarlos.
gaino Correia de Mattel.
Tendo sido nomeads adlido de I classe a lega*
cao da Russia pelo governo imperial e retirando
nie a tmar coata de noioha rominis>a>i, deixo
por meu* i asiantec proeoradores, o Sr. Joa-
quim Bernardo dos Heis, 2.' 0 Sr. Vicente Fer-
reira da PoreinncuJa e 3.* o Sr. Dr. An onio Jose
da Co-ta Ribeiro.
Omo nio haja liquidado a heranca de minha
rllesidi muliier, deixo por advogados os Dra
I Manoel do Naseimento Mcnado Pciteila e 4nto'1
I Bio Jose da G'Sta Rmeiro. ^--^
A todos os que roe deram provas de amizade e
t sympathia offerefo ihes os weus gervic<)9 em qual-
quer parte < ode estiver.
, Recife, 26 de novembro le 1874.
Escuna^portngaeia Galarin,
Grande do Sul na mesma data
Amorim Irmao 4 C. m nifestou :
Couros seecos 60
Sebo coado 18,604 kilos, dito
kilos.
Xarqoe 111,300 kilos a ordem.
entrada do Rio
e eonsignada a
em ram a 1,950
toil Augusta torrnra da Costa.
0E8PACB08 OK BXPOK1 ACA6 NO DIA 25 i>h
OUTOBBO DE 1874.
Pam os portos do txterioT.
No lugar francez Rio Grande, para o Havre,
canegou : P. Simdes & .;. 4 saecos eom 379 kilos
de foi has.
No navio nacional Marinho X, para o Rio da
Prata, carregou : A. Loyo 360 barricas com 47,685
kilos de assuear branco.
Na barca nacional Claudia, para o Rio da
Prata, carregou : Amorim Irmao- 4 C. 3^0 barri-
*a9 com 32 754 kilos de aisacar branco e HiO
ditas com it.475 ditos de dito raasc vado.
No lugar be^panbol Ihtmteo 11], para o Rio
da Prata, carregm : Amorim Irmaos A C 453 bar-
ricas com 47,419 kilos d-t assuear branco.
Pora os portos . tiMrior.
I Para o Rio de Janeiro, no vapor naeional
i Para, carregou : L J, Marqoes de Araujo 500,
CONTRA E0 FOGO.
Acompanhia'Indemnisadora, estabelecidi
oesta praga, toma seguros inaritimos sobrt
oavios e seus carregamentos e contra fogc
:m edificios, mercadorias e mobilias: m
aa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
SEGUROS
Mi'itinio e eootra-fogo
GOMPANHIA
Phenix Pernambuoana.
RUA DO COMMERCIO N. 84.
Seguro contra-fogo
fRB LIVERPOOL d LONDON de 6L01
INSURANCE COMPANY
Agentess
SAUNDERS BROTHERS d C.
11Corpo Santon
Oompanhia Indemriisadora
do Porto.
CAPITAL 2,000:000^)00.
Tnomaz de Aquino Fonctca 4 C, tuccessores \
agenkt.
desembagador Francisco de Assis Olivei-
ra Maciel, oflicial da imperial ordem da
Rosa, cavalheiro da de Cbristo e juiz pri-
vatiyo de orphaos e ausentes da cidade do
Recife e seu termo, por S. M. o Impera-
dor, que Deus guards, ttc, etc.
Fago saber aoa que este virem e delle tive-
rem conbecimento, que D. Isabel Ignacia de Gus-
mao Vilella, reqoereu para proceder a invm-
tario dos bens que fictram por fallecimento de seu
marido, tenente-coronel Joao Valentim Vilella, e
depois de ler prestado o devido juramento, aaso-
mio o cargo de inventariante, do accesso per-
tencente ao seu casal, e descreveu os berdeiros
nelle interessados, e entre este9 a tillia e herdeira
daquelle iinado, D. Tbereza Idalina Corrda Vilella,
casada que foi com o capitao-teuenle Manoel Mar-
lins de Araujo Castro, lallecido e represeutado pe-
los Dlhoj seguintes, Alfredo e Julia, cujas idades
ella inventauante ignorava ; notilicados os demais
herdeiros para virem iniciar-se no inventano ; e
nao sendo eocootrados os meDCiooadoa orphaos
Alfredo e Juiia, lilbos da preciUda D. Tuereaa Ida-
lina Correa Vilella, o escrivio veio com sua re
preseniacao, a qual e do theor seguinte :
Illm. e Exm. Sr. desembargaoor juiz privativo
de orpliaos e ausenles.De accordo com a praii
ca em vigor, noiifiquei para virem ioiciar-se neste
inventano a tolos os interessados aqui residentes.
Ueixei porem de uual-Oj quauto aos orphaos lilbos
de D. Tbereza Idaliua Corre"a Vilella, porque o pai
e administrador nato dos priineiros, cujas idades
nio foram consignadas na descripcio, esia ausente
em lugar nao sabido, segundo me asseverou o pro-
curadjr d* inveotariante, ao passo que dos se
guodos, acerc. dos quaes destes, no tocaule as ida
des ha a mesma falta quanto com referenda aos
outros, residein no Ceara, sem que se saiba ao me-
nos sob a tutula de quem.
E como sem noliiicacaj a taes orpliaos se fo
rem maiores de 12 e li annos, at ento o resuectivo
sexo e seus tutores ou a estes simplcsinente, a senao
dar aquella hypothete nio seja licito proseguir os
presentes feitos, pareeeu-me levar o exposlo ao
Cjnhecimeuto de V Exc. Recife, 2 de outubro
de 1874.-0 escrivao, Floriano Corre\ de Brito.
Indo us autos com vista ao Dr. curador geral,
e9te veio com sua proniocao, do theor seguinle :
Todos os herdeiros devera ser ciiados para o
nventano aiuda que ausentes sejara ; os pre-
sentes em 9uas proprias pessoas, os auseutes ten
do prncui adores na pessoa deste, em lugar sa
bido por meio de carta preaatoria dirigrda a Jus-
tiga do lugar onde resideo; e os ausenles em lu-
gar incono, citados por editos, oa conformida-
de da ordeiiagao liv. 3, lit. l g>3. Assim se ex-
pressa Motta silveira, paj. 8 na sua guia pratica
do processo orpbaoologico.P. e Souza not. HOI
pag. 76 torn 4, das pi imeirai liniias sobre o pro
eaato civel :
Neste estado, pois, requeiro que seja n-solvida a
materia da mformacio d escrivao a tl-. 18 v. Re-
cife, t5 de outubro de 1874. 0 curador geral,
Augusto Vaz.
K submdo os autos a minba conclusao, Delles dei
e profen o interlosuiorio do theor seguinte :
Cile-se os herdeiros residentes no Ceara por
carta preca:ona e os ausentes em lugar uao sa
bido por ediios que se expedirao e com o prazo de
30 dias. Recife, li de uov.-mbro de 1874.Oli-
veira Maciel.
Em cumprimeolo do quai se pass'u o presente
edilai e com o qual c.to e bei por citados aos orphaos
Alfredo e Julia, liluos da fiuada D. Tbeieza Ila-
Una Correa Vilella, casada que foi com o capitao
teneaie Manoel Martins de Araujo Castro, e a este
como pai e tutor nato dos referidos menores, para
no prazo de 30 dias, sob pena de reveba, coinpa-
recam ante este juizo, por si ou por seus bastanies
procuradores, aiim de se dar por noliGcado para
ver miciar-se o precitauo invenlario e os demais
teruoos ale o julgaraento de parliibas.
E para coostar, mandei passar u presen'e, que
sera atUxado nos lugares do costume e publicado
pela impreu-a. DaJo e passado sob meu signal e
selio, ou valiia sera sell.) ex-causa, nesta cidade do
Recife de Pernamboco, aos 24 de novembro de
1874.
Eu, Floriano Correa de Brito, o Qz escrever e
subscrevo.
Francisco de Assis Oliveira Maciel.
Ao sello 300 rs. v*. S. S. ex causa.Oliveira
Maciel.
saccam por todos os vapores, k ore as safMM*
pracas : , Itofoa.
Lisboa.
Porto. Cbavaa.
Braga Villa-Plar.
Vianna. Minaiila,
T*JHL Aliio.
Guarda. Favataa.
Goimbra. Bragaaca.
Guimaraes Lanwgo.
Rio de Janeiro.
Na rua do Virario n. 19.
3OIJ0Gr>
310JWIC
worx>
IJOJOW
386MM*
sa.n ia (Asa DA MlSEfUCORDlA DO
KECIFE.
A Mima, junia adoiuustrativa 4a Santa Caaa da
Misericordia do Recife, rnaoda faxer pabkeo fM
0J>alade suas sess5es,o dia 18 ae Botemiro.aa-
as 3 horas da tarde, tem da ser irreouudaa a
roem mais vantagens offerecer, pelo tempo 4a aaa
a tree annos, as rendas dos prediot aa
ddclarados.
ESTABELECIMENTO DB CARIDADB
Vidal da Neareiroa.
Ca"* terrea n. 94......".
Rua larga do Rosano
1* andare loja a 24 A fecbada .
1.* andar n 24idem......
3.- andar n. 24 A idem .
Rua de Antonio Henrique*.
".as terrea n. 16......
Largo da Campina.
idem n 11 (fechada). iiem. .
Rua do Corouel Suassr.ru
I* andar do s brado nuroero 94 .
PATRIMONIO DOS ORPIlAOS.
Rua do Commercio
Sobrado n. 30.......800*0 '
Rua da Moeda.
Casa terrea n. 21 fechada).. 400J0K
Beceo das Boias.
Casa terrea d. 18...... 421/Ota
Rua da Lapa.
^asa terrea n. II.......2flt#0M
Rua do Amorim.
Sobrdo de 2 andares n. 23 .
"asa terrea n. 34 .
Roar do Rages.
Casa terrea o. 21......
Rua do Vigario.
! andar do 9obrado n. 27fechaia .
I* andar do mesmo idem .
Loja do mesmo fechada.....3004000
Rua do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 13 (fechada;
Rua da SenzaJJa velha
:dem n. 16.......
Rua da Guia.
Casa terrea n. 25 .
idem n. 29......SOUiTrt
Rua da Crux,
sobrado de 2 andares n. 12 (fechada i. 800*001
Idem o. 14.........6004000
Rua de S. Jorge
'.asa terrea n. 103......2O7400C
Os prciep-io-ies d.-s^rao apresentr no ado da
irremat as snas nancas, oa omparecaroai
i 'inpaii s dos respectito!) fiado'*", devendc
pagar ale renda, o premio da qoaDtia em
que for sej, 0 predio qua eontiver estabeleo
oiento com xi, assim como o servico 4a lias -
peza e prego apparelhos.
Sccretana nta Casa daJMiser; -^rdia do B*
"f-. 17 de sstembro de 1874.
0 escrivao.
Pedro Rodriourt 4r S.mxa.
Gabincte portuguez de I.itura.
(Oirectoria)
Pede-se aos Srs socios effc-iioa qna se acbarc
6024000
S240TW
153/OOP
2434000
24OO00
i:40040fK
2O94000
2094001
era atrazo para com a Mm
6 obsequio do darem r\<
parte do 2.* do an 12
de qie a direct ri:i ;..-*.>
que Ibe h" :j'.'.;. aasita poder cumprir
do art. 69.
Secretaria da directoria,
1874.
V. Ferreira Chavcs
Secretario,
1.1 aria do gabia>
iiimeoto a primeira
dos estatutos, afim
dar as providencia*
pnr algn-s soetos, 1
0 que estatae 0 | *.'
18 de novembro 6-
Junior.
UONSULADO PROVINCIAL
De conformidade ccm a portaria dSr. inspe
tor do thesouro provincial se declara *os cootr
buintes que deixaram de realisar 0 pacamento
seus dehitos devidisa rrmpanhia-Recife Draina-
ge no teme.'tre findo em jonno de 1873, pel; -
aptiarelhGs, d ffereaca d <$ meanMa, encaoamento-
eannuidades, quaopudoai fazer, visto achar
prorogado 0 rccebrmento ate" 0 flm do corren-
met.
Consulido provincial, 18 de novembro 1874.
0 administrador,
__________Anfonio C. Machndo Bio*.
_- Pelo thesouro provincial e m; nla farer pc-
blico, que vao novamente a praga perante a jun-
ta do roes-no thesoun, no dia 3 de dezembro pr -
ximo vindouro, as arrnraatacdes seguintes :
Obra da bomlia do Fragoso, orc^da e.n 840*037
a onra da ponte de M >es, no no Taparara, oa
estrada da Victoria, orgada em I:l86"i0 0.
Secretaria do thesouro provincial de Pernaml
co, era 23 de Novembro de 1874.
O secretario,
____________________Miguel Alfonso Ferreira
Monte Pio lJortu2ruez em
Pernambuco
* k *
1 fly,
Tendo fallecido no dia t* do cor-
rente, em Portugal, o nosso prest -
moso ensocn Fran-iaco Moreira
Pinto Barbosa, a directoria de.
pio csubeleeimento manda mar
uma missa por sua alma, na igr -
ja de S. Francisco, do dia 30 (s*--
gunda-feira) trigesimo dia do sen p s-ament.
pelas 7 1|2 horas da minha, para enjo acto cor-
viio a todos os socios, assim como aos parent*
amigos do fallecido, para qae compsrecam 00 4>a
e hora acima indiralos, a este acto de raridade
Secretaria do SLnte Pio Portuguez, 26 de d -
vembro de 1874.
0 ( secretario,
A. da Maia Pessoa.
0 Dr. Augusto Egydio de Castro Jesus, juiz df or-
phaos e a--stntes do termo de Sennbaem da co
marca do Rio Formo-o, provincia de Pernambu-
co, por S. M. imperial e constituciooal 0 Sr. D.
Pedro II, a quem Jens guarde, etc.
Faco saber ao- que 0 oreseote edital virem, que
por este juizo foram arreeadados, e postos em ad-
ministragao os bens deixados por Jose Nicolao.
Bezerra, que era natural do termo de Barrriros,
e que falleceu sem herdeiros presentes. pelo qae se
couvida ana herdeiros success..res do duo finado, e
todos ?quells que tenbam direito a ditos bens a
virem habmtar-se no prazo de 30 dias e requerer
0 que for a bem de seu direito. ,
E para que cbegue a n ticia a todos, se passou 0
present?, quo sera afflxado no lugar do costume e
publicado as tres vezu> 00s joroaes da capital.
Dado e pa-sado nesta villa de Seriuharm, <* 0
men signal ceilo, que e ..u vaihx sera setto ea-
causa, a<. 18 de novembro de 1874.
Eu, Joao Prssoa da Gama, e-envao oe-crevi.
Augusto Egydio de c*stro Jesus.
1 No dia 27 do corrente, as 2 boras da tarde
finda a audiencia do Sr. jalr de pax da freguezii
Irmandade de Santa Cecilia.
Por ordem do nos 0 irmao juiz convido todo*
nosso9 irmaos profes9nres para comparecerem t-:
coiisistorio da r. >m irmandade, no dia do nine
29 do corrente, pelas 10 boras da manna, aflat u>
se renoirem em mesa geral, para proeedar se a
elei ao da mesa que tem de reger 0 anno de 187t
a 1875. ^
Rtcife, 26 de novembro de 1874.
Bent-i da Silva Ramalh >,
________Escrivao da irmaadade.
GOMPANHIA
DO
BEBERIBE.
0 Sr. orbeniano de Aqu no Pooaeca,
caixa da compauhia do Beberibe, acha-
se autorisado a pagar 00 sea eacripto-
rio i rua do Vigario Tenorio 11. It, 4 10
boras as 3 da tarde, o S3 dividendn d^aU
compaohia fiodo em 31 de outubro do
Corrente anno, na proporcXo de 39000 por
apolice: previne-se aos Srs. accionistas
qu4 o pagamento seri realitado em moeda
de oobre.
Escriptorio da contfaohia do Beberiba,
14 de novembro de 19T4.
0 secretario.
Luiz Manofl Rodrigues Valrnfa.
I
Peio cunaulad.t provincial M Uz put hco que
no dia 30 do correutu liuda-se u przj i...rcae\
pelo Exm. Sr. presidente da provincia. |> ra i*r
execocio os art*. 78 e 79 do regolamento de 6r
abril ultimo, qne determinam qne oa gaaeroe ttn-
poit.dos de ouiras provineias por via larraaart


i
\'
Diafio da Pernambuoo Sexto feira 27 de Novembro do 1874.
i
u~
tieverao ler acompanbados para prova de sua pro-
cadencia, de ama gaia do propnetario, e por elle
assigoada, da qaal cooste declaradamcnte o lugar
d'onde vem os generos, quaes se jam elles, a quan-
tidade dos volumes, mirci dalles e o nome do
conductor, devendo essa gaia ser apresentada pelo
conductor na primeira colleetoria qae ficar na di-
reccto on proximidade de sea transito, do ponto
da proeedencia a esta cidade, para que seja com
o visto do fiscal ou collector, authenticada a mes-
ma proeedencia, sem o qae sera o genero conside-
rado produrcao da provincia, e nenhnma oalra
prora podera snpptir essa falta.
Comulado provincial de 1'ernambuco, 25 de no-
Tembro de 1874.
0 admlnistrador,
Antonio Carneiro Machado Rioa.
Estrada de ferro do Recife ao
S. Francisco
Pelo presente sao convidados os Srs. aceionistas
desta companbia a virem ao escriptorio da estacao
dai Cinco Pontas receber o 2i* dividend > concer
nente ao semestre de Janeiro a junho d ste anno.
Vjla do Cabo, 26 de novembro de 1874.
6. 0. Mann
Superintendents.
Companhia Fidelida !e
Seguros rnaritimos e terrestres
"* A agenda desta companhia toma s-guros rnari-
timos e terrestres, a premioa razoaveis, dando nos
altinos o solo livre, e o setimo anno grataitj ao
segurado.
Feliciano Jose Gome*,
__ ______________Agente._____________
ADMINISTRACAO DOS COKKE103 DS PEK-
rUMBUCO, 27 DE NOVEMBRO EB 187k
Malaa xpedir-se
Pelo vapor nacional Para, esta administrafSo
expelle malas para os portos do sal, inclusive o
do Espirito Santo, boje 27.
Recebem-se joraaes, irapresso- de qaalqner na-
turexa, e cartas a registrar, ate t hora da tarde,
cartas ordinarias ate 2 boras, e estas ate 2 i|2,
com porte duplo.
As cartas ejomaes que se dirigirem ao Rio da
Praia, pagarao previamente, aquellas a taxa de
300 rs. por 18 grammas ou IraccSo de 15 gram-
mas, e estes a de 40 r. por 40 grammas ou frac-
cao de 40 grammas, na progressao estabelecida
nas tabellasG e D anneias as instruccSes do !
de deiembro de 1866.
0 admtnistrador,
Affonso do Rego Barros._______
lOKKElO
Rolafno das cartas qae derxaram de seguir
a seus destinos por falta de franquia
A. J. Gomes Netto, Antonio Correia, Antonio
Jose-tie Brito, Domingos Fraueisco Rios, Francisco
Sales Mendonca Silva Carvalho, Francisco Xavter
Ferreira, Joaquim Antonio 'ieira da SiWa, Joa-
quira Jose Marques Guimaraes, Joao Meades de
Araujo, lose Bis Barre'o, Maria Seguodo, Maria
Thereza, Manoel de Cerqueira Pinto, Manoel Nu-
nes Parreira, Pbereza de Jesas Minbava, Theotonio
Augnsto de Lima.
Correio de "Pernambuco, 27 de novembro
de 1874.
0 enearregado da expedicSo,
A. H. de Araujo Pernambuco.
THEATRO
Santo Antonio
i 0 beneficio do violonista Franeelino, que de-
via ter lugar boje, 27, fica transferido para quan-
do for anoanciado.
Domingo 29 do corrente.
Beneficio do actor Ponies
Filbo %- C.
Subira a seena o applaulido drama en 2 ac-
tos de Camillo Castello Branco, intitulado :
Mica te Deus.
Segue?e a sceaa comica pelo beneficiado :
0 Sr. Bento dos pontinhos.
Terminara o espectaculo com a muito jocosa
comedia em 1 acto :
0 caixeiro da taverna.
Principiara as 5 1|2 horas.
Novissmo
ApparigSn e desappsriijao de uma menina
de 14 ancos, que bebe, cotne e falla com
o espectador.
0 professor Gris d'Appremont tern a honra de
participar ao respettavpl poblicn desta cidad*', qae
sue essa.verdadeiia maravilt>a, que agradou ex-
traordiuarian e--te nao so -m Franca e na Allema-
ntaa, como na Italh, e outros paizes onde tern
-estado. As familias nao devem perder a occasiao
de ver objecto tao curio^o.
RUA DA IMPERATRIZ N. 1
Entrada 1 ;000 por pessua, e 500 rs por
- crianca.
ftVgjjj mmimm
Companhia amerieana c krasileira
de paqnetes a vapor.
No dia 1 de dezembro
e -esperado dos portos
d i sul o vapor ameri-
cano Merrimack, com-
mandante siocura,
oqual depots da da-
mora do costome seguira. para New York com es-
cala pelo Para e S Th mar.
Para passagens trata-se com os agentes
Henry Forster ft C
8 Rua do Ck)mmercio 8
CtfHPliUIV HRAHLBIBA
DE
NAVEGACAOA VAPOR
Portos do none
Commandante Guilherme Wa
ibfM.
E' esperado dos portos
'i;^J\ do 8al at6 dia *7 do
^^^^ CA>rrente e seguira para
r^V- o? do norte depois da de-
------------1 mora do eostame.
Para carga, encommendas, valores e passagens,
f raU-se bo escrititorio
7RUA DO VIGAR107
\ Pereira Viauna & C.
Agentes
CompanhiM nllin<-H marlima
portaeiisie
Empreza de oaveg<;ao entre o Brasil e Pot
tugal
PARA 0 PORTO
Barea porlunneza Joven Adelaide, a sahir com a
maxima brevida.le, recebecarga e passage!ros : a
tratar com os eeus consignatarios Jose da Silva
Loyo 4 Rilho.________________________
Libra eslerlinas.
Yeudeni Augusto F. d'Oli-
veira & 0.
Ran do Commercic r 48.
Compaihia pernambncana.
Port* do Aracaty.
A carga qne de hoje em diante for embarcada
nosvapores da Companhia Pernambncana com
destino ao porto do Aracaty, sera entregae sa ci
dade do mesmo nome, sendo transport a da da bar-
ra, (onde os vapores costumam fundear), em Ian-
ehaa de propriedade da mesma companbia, inde
pendente de qualquer exigencia de pagamento
por este service
Da mesma f6rma sera transportada a carga
qae for embarcada no porto do Aracaty para
quaesqaer outrus portos da escala.
Recife, 16 de novembro de 1874.
Para o Macdo
Pretende seguir commuita brevidade o palha-
bote nacional Joven Arthur, recebe carga e pas-
sageiros : a tratar com o sen consigoatario Anto-
nio Laia de Oliveira Aievedo, a ru4 do Bom Jesus
n.57.__________
Para o Rio d6 Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o brigae
Isabel, tem parte de sea carregamento engajado :
para o resto qae Ihe falta, tr^-,a-se com o sea con-
sigoatario Antonio Luiz de Cliveira Aievedo, rua
do Bom Jesas n. 57. ______________________
Costa d> Africa
Segue da Babia em 30 deste mez, para o porto
de Onoim, na Costa d'Africa, a barca portngueza
Josephina, tendo bns comraodos para passageiros
Real companhia de paqneles in
a vapor.
No dia 28 do corrente espera-se dos portos do
sul o vapdr inglez Douro, commandante Twaites,
o qual depois da demora do costume, seguira para
Southampton, tocando nos portos de S. Vicente e
Lisboa.
Para passagens, fretes, etc., trata-se na agencia
rua do Commercio n. 40.
glezes
Para Usboa
vai sahir com muita brevidade o lugre portagnez
Julio, e recebe carga e passageiros : trata-se -com
os consignatarios mamas de Aquino Fonceca &C .
Saccessores, a rua do Vigarie n. 19.
lEitOIS
Agente Pestana
leilao
DE
70 barricas cocn cerveja Bass, em botijas
inteiras e meias ditas, e 2 caixas com su-
perior cba* verde
HOJE
AS 11 HORAS EM PONTO.
No armaiem do Sr. Annes
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco de quem pertencer, de 70 barricas
com cerveja Bass, em botijas iateiras e em meias
ditas, e 2 caixas com superior clia verde,
Era um on mais lotes, a vontade dos Srs. com-
pradores.
Sabbado 28 do corrente
km 11 horas
No escriptorio da rua do Bom Jesus n. 53,
primeiro andar.
0 agente Pinbo Borges, banstante antorisado
vendera as referidas casas por conta e risco de
quem pertencer, e qualquer esclarecimento, com o
meamo agente.______________________________
Terceiro
LEILAO
DAS
dividas activas na importancia de........
8:0739502 pertencentes a massa fallida
de Paulo ternandes de Mello Guimaraes
inclusivamente 3 lettras
SABBADO 28 DO CORRENTE
A's 11 horas e 1|4.
No escriptorio, a rua do Bom Jesus n. 53,
primeiro andar.
Por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do
commercio desta cidade, o agente Pinbo Borges le-
vara a terceiro leil&o as dividas activas na impor-
tancia acima declarada.
Os Srs. pretendentes podem desde ja vir exami-
nar a lista dos devedores da mesma masaa no es-
criptorio acima indi 'ado '__________ _____
DE
100 barricas com bolachinhas e 1,000 res-
mas de papel de embrulho (com avaria)
SABBADO J8 DO CORRENTE
ao meio dia
Na porta da alfandega.
O agente Pinto, levarr. a leilio, no dia e hora
acima ditas, a requerimento dos respectivos con-
signatarios, nao so as 1,000 resmas de papel, como
100 barriqninbas de bolachinhas americanas, exis-
tentes no trapicbe Conceicao, e avariadas a bordo
do patacbo americano Ernest, com licenca do Illm
Sr. inspector da alfandega, en paesenca de am
empr.'gado da mesma reparttvao para o fim ao-
meaBo, e por conta e risco de qnem pertencer.
LEILAO
Novo leilao
DAS
artr.a(;6es, moveis, drogas e mais utensilios
existentes em a botica denominada Popu-
lar, sita em a rua da Imperatriz n. 71,
pertencentes & massa fallida de Gonjalves
Fialho&C.
Quinta-feira 10 de dezembro
A'S II HORAS DA MANHA.
0 agente Dias, competenteraente antorisado pe-
lo Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio, levara
novamente a leilao, no dia e hora acima indicados,
asarmacSes.. moveis, drogas emais utensilios exis-
tentes em o referido estabelecimento.
0 mandado contendo udos os esclarecimentos
preci^os acha-se em poder ai mesmo egeate, onde
pode de3de ja ser examraado pelos Srs. pretenden-
tes.
Leilao
DE
moveis, louc.a, crystaes, canriieirae a gaz,
carteiras e hurras
Mendo :
I'm pianoforte, 1 motilia de jacaran da, 1 lus-
tre de crystal, 1 dito de bronze, arandellas a-gaz,
Uncas para cortinados, 4 pares de cortinados e es-
carradt-iras.
Uma mesa elaslica, t guarda-Iouca, 2 aparado-
res com lampo.- de pedr.i 2 ditos envidra^ados, 2
ditos torneado*, 4 garrafas e onlros objertos.
Uma cama franceza de jaoaranda, I i;uarda rou-
pa, 1 toilette, 1 lavatorio, 2 marqueaSeg, 2 eta as
deJerro para meninos, a muitos oulros objectos
de casa de famtlia.
Duas carteiras e 2 cifres.
IIOJU
AO CORRER DO MARTELLO
Por lalerveneao tlo agente flnUt.
No primeiro e segundo andares do brad i da
rua do Bom Jesus n. 42.
DE
moveis, lougas e cofres francezes
SEXTA-FEIRA 27 DO CORRENTE
\'o armazem da run -do luipe-
radur n. 418
SENDO:
Mobilias completas de rello, guarda roupa de dito, guarda vestidos, toi-
lettes, mesas elasticas de 3 e 4 laboas, aparadores,
cofres francezes, cadeiras de amarsllo, para sala
de jantar, sofas, consolos, lavatorios, carteiras pa-
ra escriptorio, 1 repartimento para dito, macbinas
de costura, camas Crancezas, marquezdes e mar-
queeas, estantes, 1 meio apparelho de porcelana
para jantar, diversus rewolvers, e muitos outros
objoctos qne serio venaidos ao correr do martello
A's 11 horas do dia acima
LEILiiO
DE
54o palmos de terreno do -ilio r Aguasioha no
Porto da Madeira, em Beberihe. na estrada que
vai a cidade de Olinda, pelo Forno da Cal, do
quarteirao de 1,040 palmos, em seguimento ao
terreno vendido a Antonio de Souza Rego, sepa-
rados por-nma c.-tra a.
SABBADO 28 DO CORRENTE
as II 1| horas
Por intervencao do agente Pinto
Em sen escriptorio, a rna do Bom Jesas n. 43.
LEILAO
Do oitiw do Salgadinho n. A.
com boa casa de moradia.
SABBADO 28 DO CORRENTE
O agente Pinto levara a leilio, a requerimento de
D. Alexandrina Maria do Sacramennto Pereira, in-
ventahante dot bens deixados por sen marido, e
por despacne d> Illm. Sr. Dr. juiz da 1* vara do ci-
vcl, o sitio do Salgadinbo n. 5, o qaal sera vendi-
do para pagamentu d>credores, as 11 horas do
dia 27 do correme, nn escriptorio do referido
agente, na rna de Bom Jesas n. 43.
LEILAO
Em continuacao
DE
i casa- terreas >ita-i a nm Viaie e Qaatro de Main.
aniiga trave.>sa da Cadeia Xi-va, n-. 37 e 39, cum
as seguintes commodidadt-s : l salas, 3 quartos,
cozinha fdra, quintal mnraclo. naeimba e cam-
bnme, servindu de base a offeria de i:SCO0OO
pela< duas casas, as quaes reuden) mensalmen-
27)600 cad a uma.
ft.
arma^ao, generos e>pertencas da taverna da
rua do Rangel n. 77, esquina do merca
do novo.
Em lotes
SABBADO 28 DO CORRENTE
0 agente Martins in a leilao, em lotes, a vonta
de dos compradores, d'armacao, generos e perten-
(;as da taverna aeiraa, a qual se acha muito sorti-
da de generos.
A's 11 horas da manha, taverna n. 77.
Grande
bons moveis, crystaes, louga de porcelana,
-1 faqueiro de prata de lei, pegas dobra-
das, obj-ct"3 de electroplate, e outros
muitos objectos em perfeito estado, e 1
carro americano de 4 rodas, com pouco
uso.
DOMINGO 29 DO CORRENTE
as 111|* haras
no sitio da povoacao do Caxanga
A saber :
Sala de visita.
Urn piano de jacaranda, do fabricante Acbroder,
1 rica mobis-a de faia, a medalbao, composta de 1
:-afa. 12 cadeiras de iiuarni^ao. 2 ditas de bracos,
2 ditas de oalancu, 2 consolos com tampo de pe-
dra, 1 cadeira de rcsca, 1 porta-charntqs. pares
de escarradeiras, 4 pares de jarros riquissimos, 2
ricas serpentinas de electro-plate, pares de lanler-
nas. bolas de vidro, tapetes grandes e pequenos,
descan^os de.pes, porta-cartas de pedra, diversos
quadros symbolicos, l candi'labro de electro-plate
para 6 lazes.
1 quarto.
Uma cama de jacaranda, em perfeito estado, 1
rica toilette de jacaranda, com tamp) de pedra e
espelho, 1 toccador de mogno, com pedra, 1 lava-
torio e perteacas, 1 bidet, 1 -parta-agua e i cabi-
des de faia.
2 quarto.
Uma rams de ferro, com molla, que serve de
caleir 1 guarda vestidos de amarello, 2 cadeirae
dc balaoco, 2 itas de ferro, 1 banquinha de ama-
rello, 1 cabide e 1 cama para crianca.
3 quarto.
Uma coiuiiwda de amarello, 1 lavatorio e per-
tenoa-, 1 cama de ferro, 6 cadeiras de guarn cSo e
2 cadeiras de balaoco.
Sala de jantar.
. Um guarda-lnoca de raiz de amarello, 2 apara
dores, 1 n>esa eiastica, 1 rica caixa de cbarAo, pa-
ra cba. 1 apparelho de porcelana Ana paraeba, 1
dito dito para jantar, 4 garrafas de crystal para
vinho, 1 iructeira de crystal, 2 ditas deelectr-pla
te, 3 pares de compoteiras, calices para vinho, 4i
tospara champagne, copos, galheteiros de electro
plate, i sofa de palba, 6 cadeiras de dita, 2 cadei-
ras de balanco de dita, I frueteira de pedra, 1 re-
logio da parede e despertador, e cadeiras avulsas.
Cozinha.
Um armario de cedro, 1 me?a de amarello, I
jarra de barro da Bahia, deposito para gaz, 1 fo-
gareiro e diversos tr-ns de cozinha, e outros mui-
tos outros artigos domesticos, qne seacbam pa
tentes no dia do leilac.
Tendo de mndar de residencia o Sr. Joao Anto
nio Mcnt-iro, por sua ordem fara leilao o agente
Pinho Burges, dos moveis e mais artigos acima
mencionador, na casa em que residia na povoacao
de Caxanga.
Os referidos moveis e objectos sao recommenda
Veis por serem de gosto e pouco usados.
0 mesmo agente aviga aos coecurrentes que de-
pois do leilao bavera ama companbia de ganha-
dores para faeililar os transporter de seus lotes.
A's 10 \\i horas da manha partira nm trem ex-
presso que cooduzira gratis os concurrentes.
0 leilao principiara logo qne cbegae o trem.
Quarto c
Ultimo leilao
DOS
bens e dividas pertencentes .-i massa fallida
de Rostron Rook d C
SEGUNDA-FEIRA 30 DO CORRENTE
as I i hviras da manha
Em o 1* andar do sobrado da rua do Marquez
de Olinda n. 37.
0 agente Dias, levara pela 4* e ullima vez a leilao,
por detpacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com
mercio, no dia e bora acima indicados, os bens e
dividas pertencentes a massa fallida de Rostron
Ro'k & C.
Os direitos qne teem os referidos fallidos no do-
minio e posse dos terrenos de mar in ha, titos no
Caes do Ramos, e aforados perpetuamente ao con-
selheiro Felippe Lopes Netto, terrenoa avaliad s
tudos em 56624^600.
0 direito que teem n'nma casa e sitio no largo
da igreja da Torre, tendo a frente para o none
com 200 palmos, e o fando para o sal com 800, G-
cando entre o sitio do Sr Gantier e a propriedade
da familia do Barao do Rio Pormoso, aval'ada por
3000000.
E as dividas na importancia de 273:427882.
O mandado em a qnal se achim deseriptos os
devedores com as recpectivai quantias e datas dos
vencimentos dos titolos, e Indus os mais esclare
cimcolos preci-os, aeha-s em poder do agente, on-
de desde ja pode 6*r examinado pelos Sra. preten-
dentes.
LEILAO
DE
Uma casaterrea eta Saui'Ania.
Uma pequena dita em a rua do nna.
Um terreno de macioba oa rua Imperial.
Qu*rU-feira 4* de dezembro
A's 11 horas da manha
Em a rna do tfarquez lie Olinda n. 37,1* andar.
A SABER :
0 agente Dias, eompetentemente antorisado, le
vara a leilao, no dia e hora acima indicados, uma
casa terrea edificada em terreno rendeiro, em
Saul'Anna, segunda de gradil e portio de ferro na
frente, depois da estacao desse mesmo nome, a
qnal tern 3 salas de frente, 1 para jantar, 4 quar-
tos, grande cozinha guarnecida de azulejo, com ja
nellas em ambos os oitdes, 1 porta e 4 janellas de
(eute E completamente nova e falta Ihe apenas o ladrilbo
de duas salas e pintura.
Uma pequena casa terrea edificada em solo pro-
prio, em a rua do Coronel Suassuua (antiga Au-
gusta), n. 123, com 2 salas e 2 quartos.
Um terreno de marinha na rua Impoi ial, sob n.
313. com 40 palmos de frente e 260 de fnndo, con-
tendo alicerce para uma casa.
Os Srs. pretendentes podem desde ja examlnar
os referidos bens, e para qualquer esclarecimento
de que precisarem, a rua do Marquez de Olinda n.
37, escr ptono do referido agente, se data.
LEILAO
SITIO
Aluga-ie nm sitio, na travessa da Jaqueira, onde
moroa o fallecido Francisco Soares da Silva Re-
tumbt, com nma excellente casa, com 4 salas e 5
quartos, cozinha, despensa e quarto para engom-
mado. fdra, eocheira, 4 quartos para escravos, 2
cacimbas, sendo uma com optima agua para be
ber, e varias fructeiras : a tratar na rua Duque
da Caxias n. 51, loja._________________________
Joao Agoslioho da Silva, hniidante da ex
lincta lirma que gyrava nesta piaca, de Silva &
Cascao, retirando-se para o Rio Grande do Sul,
deixa por seas procaradores os Srs. commendador
Antonio da Costa Correio Leile, e Pereira Carneiro
Maia & C.
CRIADO.
Precisa se de um criado para trabalhar em um
sitio e andar com carroja : a tratar na rua de
Marco n. 14, loja.
Permuta-se
M
moveis, fluo crystal, loaca e ob-
jectos da electro*p1a(e
Sixta feira 4 de dezembro
Sendo:
Sola de visita
Um piano forte, uma mobiHa de jacaranda, com
1 sofa, 2 consolos com pedra, S cadelrss d = bra-
cos e 12 de goarnicao, quadros com finas gravu-
ras, lancas e cortinados, venezianas, 6 cadeiras de
balanco, 2 mesas de sofa, 2 ditas redondas, e estei-
ras forro das salas e quartos, 2 consolos de jaca-
randa com pedras.
Sala de jantar
Uma mesa eiastica, 1 guarda loaca, 1 apparador
de armario, I ditos torneados, 1 guarda comida
de arame, S cadeiras de balanco, i relogio, 1)
de guarni ;ao, I tapete de edeo, 1 (lltro, 1 appare-
lho de louca para j intar, 1 dito para cha, 1 dito
para sobre .mesa, 1 apparelho de electro-plate, 6
dazias de colhetes, 3 dnzias de facas cabos de mar-
fim, garfosde metal, 1 galheteiro, copos, calices,
garrafas, compoteiras, bandejas, toalhas de mesa e
guardanapos de linuo, um relogio, e l cabide para
cDapeos.
Quartos
Uma cama franceza, nma dita de bronze para
2 pessoas, 1 dita de ferro para solleiros, commodas
mesas redondas, mesas com gavetas, guardas rou-
pas, spelhos, lavatorios, ^abides, cadeiras, e qua-
dros.
Cosinha e dispensa
Mesas de pinho, flandres, poles, trem de cosinha
e outros objectos.
A 1 HORA EM PONTO
\v-nder-se-ha tambem nm rico guarda roupa
com espelho na porta do meio, 1 magnifico toilet
e 1 bom lavatorio com tampo de pedra, tudo de
mogno majsico e em optimo estalo de conserva-
cao.
Sexta-feira 1 de dezembro
POR INiERVENQAO DO AGENTE PINTO
Na Passagens da Magdalena, casa junto a pon-
te grande, em qae moravam os empregados da ca-
sa commercial de Phipps Brothers & C*.
As 10 horas e 15 minutos partira da estacao da
rua do Bram um bonds que conduzira gratis oe
concorrentes do leilSo.
0 leilao principiara as 10 e meia ho
por uma carroca que esteja em bom estado, um
carro de 4 rodas tambem em bom estado : na rua
de P. Maria Cesar n. 4.______________________
Precisa-se de ama para cozinhar : no ar-
mazem Baliza, rua do Livramento n. 38. ______
\%i*o
Na rua do Quetmado n 43 tem uma carta para
os Srs. Guerra Si Baptista, pedese aos meimos se
nhores que a mandem buscar : faz-se es:e por ig
norar-se a sna residencia.
0 BRAZIL
Dedicado a defeza dos Interesses dos subdilos
porloguezes residentes no imperio.
Redigido por M. Pinheiio Cbagas.
Assignatura
Por nm anno
Por seis metes
NA
Livraria Ppulr
89-RUA NOVA-59
AUencao.
12*000
0*000
Aloga-se nma casa com sotio, na rua da Boa
Hora n. 6, em Olinda : a traur na rna dos Gua-
rarapes n 10. on em Olinda, no Varadooro 4.
Dr. Alexandre tie NoHM^rnirado
Caraio.
0 baixo asslgnado rnaLda celebrar, pelo eleriM
descanso d'alota J- seu prezado e sempre !';. -
Irado an.i;;o o D." Altxardre de S.m/a Pereir*
do Carmo, uma mi-sa as 8 ooras d* nuubi dj
dia 8 d < oi mile, no convenlo de Nosaa Sa-
nhora do C .nno, e convi la nio so a Exma. fa-
milia, pirenles e amigu* do ilinstre fiiudo, como
tambcui aos seus amig s para SMBBSBS ieHe
acto pio e religioso, pelo que d> sle ja se coofessa
eteruameuis agradecido.
Joaquim Bernardo de Mend nca.
Dr. Alexandre de S tin l*r^ira do
CarsH*.
Um aaiigo do flnado Dr. P.-rein d iCafiM man-
da resar uma missa p-lo et-'rno rep'u.-o de sua
alma, na igreja da Gra^a, na (>punga, sabbado 28
do corrTit-\ i< 8 hora da ri-ntu.
Precisa se de um eix< im cum SgSnn i>ra-
tica de taverna : no pueo da Santa Cruz n 12.
ESCK4V0 FUGIDO.
FugiO no dia tl de ouiuh-o prosim) passado o
escravo Joe, mnlat-, altnra e Ciirp-i regtilaref,
perna- arquead.is para fiira, p(* clutos, falta de
denies na IreaV, li>n ramiw lirauras e de al-
g-.ida-j de b>l'as, ral<;as dp r."-u.ira de algodao,
chapeo prelo de Mlro. Este o.-ravo ia fit pegado
oo engenh-i Carraprm d-i iti F-.rnK.so, t
Je pru.-tiiiiir q-i" t e as aulondr.iU's po!i.-rer >\r.'.i>" de c^mp a
sua apprrheii' ". e -va lo a rna I). M4ria OSaW,
ootr'ora Seozala Nova n W, -|ne -^ eraiilii-ara.
Qu 'tn prcrisir de hid i-fli ial d>- machinbU
ferreiro torn a< Inbilita.-ri nece--.ir;.s para qoal-
quer l.-!i;il'u t--nd<-iiU4 a ferro ou rrntal, e lornai
conta do iiun<'jo do PBgetili-s sen-Jo fiira de.-n prv
niacia. p6ie d.riffir sc a ba terga d Rozaiioa
2-1 qne Hchaia ct-rn SBOM tratar
Eleiqao.
Na fesla do martyr S Sebasliao, que se veoera
na villa do Cabo, e publicada no Uiario de 24 do
corrente, deram-se os seguintes erros, alem de ou-
tros que podem ser corrigidos pelos leitores.
0 juiz por eleicao e o Illm. Sr. tenente coronel
Antero Vieira da Canhae nao Anfonio.
A Exma. Baroneza de Cam. o Alegre, e juiza por
eleigao e nao por divogao, como foi .{tublicado.
A 3* jaiza proteaora, e a Exma. esposa do Illm.
Sr. negocrante Joaqnim Jose Leilaoe nao a do
Joaquim Jos6 Leite.
A 8* jaiza por devocao, e a Exma. espofa do
Sr. Dr. Jos6 Maria de Albuquerque Lacerda, e
a 9' e a Exma. esposa do Sr. tenente Julio
F. da Silva e Mello : e nao como foram publca-
dos. Devendo declarar-se quo nao tendo acefu-
do o thesoureiro Alfredo Francisco Victor de Car-
valho, passou aencarregar-se da festa o procura
dor geralalferes Manoel Fernandes Campos.
Precba-se alugar uma escrava cozinhelra ,
na rua da Imperatriz n. 15, 2* andar.____
DE
JOIAS
No dia de dezembro proximo, se fara leilao por
interven^ao do agente Martins, de todos os penho-
res constantes das caatelas seguintes, vi9to ter
se flado o praro das transac^oes e seus donos nio
as reformarem.
A saber:
N. 1502, 1503, 1865, 1583, 1784, 1835, 1868,
1936, 20S0, 209 i, SODS, 2192, 2254, 2256, 2282,
18312, 2397, 2436. 2448, 2458, 2481, 2617, 2712,
2737, 2738, 2750, 2799, 2802, 2807, 2867, 2871,
2896, 2929, 2945, 2972, 2987, :)007, 3023, 3034,
30J7, 3045, 3060, 3065, 3076, 3093, 3U88, 31 iO
3149, 3151, 3174, 3175, 3185, 3t90, 3193, 3194,
3195, 3197, 3205, 3206, 3207, 3211, 3213, 3118,
3220, 3223, 3227, 3234, 3235, 3242, 32^0, 3251,
3!54, 3260, 326*, 3263, 3273, 3277, 3280, 3285.
3288, 3293, 3298, 3300, 3304, 3309, 3312, 33i8,
3320, 3321, 3326, 3327, 3334, 3339, 3341, 3354,
3358, 3366, 3373, 338ft, 3394, 3397, 8399, 3406,
3410, 3415, 3419, 3432, 3444, 3460, 3468, 348'i,
3493, 3500, 3508, 3517, 3527, 3529, 2533, 3553,
3556, 3572, 3579, 3589, 3596. A' travessa da rua
do Duque de Caxias n. 2, 1 andar, podendo di-
tas caatelas eerem reformadas, pagando o premio,
ou resgatadas ate o Later do mat tello.
avisos mmm
Alnga-se
a casa de azulejo, na rua da Alegria n 8, com
bous commodoa para familia : a tratar na rua da
Sana Cruz n. 7._______
Monteiro
Aluga-se por festa ou anno a casa jue foi do
fallecido Custodio, alia e baslante fresca, com por-
tao d-: ferro na frente e pequeno terrajo ao lado,
alguns arvoreloe de fructo e portio que da sahida
para o rio, a qual se acba piuiada e em estado >e
ser occupada sem mais despeza : a tratar r.a rua
Uuqte de Caxias, loja n. 70, oa rua do llospicio
numsro 46.
Aluga-se a casa da rua do Visconde de Pe-
lotas, antiga rua do aragao n. 18, com 2 salas, 4
quartM, conedorspparado, eoziaba, bom quintal,
portao, e mais urn quarto no quintal : a tratar na
ruada Ponte-Velha n. 20, das 6 boras da manba
as 9 em dianie, na rua do Commercio n. 18, a tra
tar com o pr>prietan> Domingos Pereira dj Lagos.
Hoje gabira um bolhetim no Commercio a Re-
taiho, com o ultimo telegramma do Para, expedido
hontem as 3 horas e 4u minutos da tarde.
A rrin fioem precisar alugar uma escrava de
.AIIId, ig aanos qae compra e cozinha o diario
de uma casa:, dirija-se a Soledade n. 92; igualmente
um mulatinho de 15 annas para copeiro, na mesma
casa._________r_____________________________
_ n Precisa-se de uma ama que lave
m lwJI ^k. e cng--mme : na rua do Coronel
Lamenha, outr'ora Prazeres, junto a casa dus
dous le5es, easa de azulejo.
Raymuodo.
Desappareceu hontem, de casa de seu senhor o
e.-cravo Raymundo, cabra, baixo. cheio do eorpo,
com falta de denies na fronte, o qual andava car-
regando carvao em barricas ; pertenceu ao Sr.
Joaquim Baptista Nogueira : quem o pegar, leve-o
a rua de Sant) Amaro n. 6, segundo andar, que
sera gratilicado._____________________________
Aluga-se nma boa casa com excellentes com
modos, a rua do Coronel Suas?una n. 169 : a tra-
tar na mesma rua n 171_____________________
Leiam todos,
Carles Walter, antigo e hem couhecido relo-
joeiro desta praea, scientific aos sens numero-
sos fiegutzes e amigos desta e de ontros pro-
vineias limitrophes, o ao-illustrado puhiico cm ge-
ral que tendo mudado o seu estabeif-cimenlo da
rua da Imperatriz n. 18, para a casa n. I" da
mesma rua, confronle ao antigo estabelecimeolo,
ahi se acha prompto para exe:ntar quac-qu^r
obras de relojoaria e mechanica ( as mais dilli
enltosas) como sejam, concertos e obras novas
em qualquer relogio de uso rommum, e chrono-
metro de algibeira e rnaritimos, e o rc-spectivo
regulamento deste*, coja exactidao garante dan-
do como nenhor a sua reputa^ao de arlista (que
tera-se esforcado ate agora em manttr illeza,)
e hem assim encarr ga se de qnae-quer con-
certos em instrumentos de physica, para o que se
recommenda aos Iilms. Srs c-ugenheiros e ca-
pitacs de navios mercantes e de guerra. Avisa
a seus freguezes do interior, e do i utrcs provin
cias, que qualquer obra executada em sua casa.
quando a receberem sera aecompanhada de um
rec:bo e seu carimbo collocado na caixa de seu
relogio afim de evitar enganos, como garantia de
dita! obras serem execuladas pelo mesmo annun-
eiaote. Os precos serao os mais modicos possi-
veis, e se observara toda presteza' ua execucar,
do trabalho._________________
Aluga se uma casa terrea com sotao, na
travessa do Paysandti n 4, lugar da Passagem,
entre a ponte pequena e a grande, confnmte ao
sitio do fioado Dr. Firmo : a tratar no largo do
Carmo u. I, taverna. ________ ,
1008000
Precisa-se de am escravo de meia id .de para
service oe sitio : na rua do Marquez de Olinda
a. 18.________________
Ama Precisa se de uma ama para cozinhar
-tVUia para gjg^ de familia de tres pessoas :
a entender-sel* rua do Cabuga n. 3, Lja do Col-
lar de Onro. -
Precisa-se de uma ama que cozinha e cuui-
pre : na rua da Cancordia n. 43._____________
A ma Precisa-se de uma ama que saiba en
am,t gommar com perfeicao para casa de ra-
milia : a rna Duque de Caxias a 91.
Precisa se alngar uma escrava para vea-ier
na rna: a tratar na rua do Cabuga n 3, 2 andar.
Precisa se de uma ama escrava'
qae saiba engommar, e mais servigo
de casa de pequena familia : na rua
AMA
Nova n. 28.
A ma Precis;, -se de uma ama para cozinhar:
Aiua' na rua Direita u. 30._________________
Precisa se de uma ama pzra cozinhar : na
ravessa do Corpo Santo n. 25.________________
Preci>a s- de nma ama escrava de boa con-
dacta, para todo o servigo de u a casa estran-
geira de poaca familia : a tratar na rua da Auro
ar 439
Ama
Precisa-se de uma ama para
cozinhar e faz>r algumas com-
prai: na raa da Smzala-nova
______________0.30.__________________
A TTia Pr--cia-se de uma, p'eferese escri^a,
i\.lllti> qlly Saiha coziuhar uengiiuin r, pr
casa de Ana* peasoas, paga-se bein : na ru,. da
Araorira n 43.
Uma coziulieira. franceza
que falla o allemao e entende o portuguez. se offe
rece ara ca>a de familia : a tratar no hotel Al
lianca, rua A!ug*o pelo tempo da festa, uma casa muito
fresca, na rua de S. Pedro Novo n. 39, em Olin-
da, com dan grandes salas e 4 quartos, cozinha
e quintal murado, com agua canalisada : a tratar
no Recife, rua do Livramento n. 3 _______
0 'Zinheira
Precisa-se d* uma boa cozinheira, paga se bem :
03 rua do Barao da Victoria n. 44, loja._____
EsfoHBialelnis
Para cat>a de familia precisa se de oiias boas
engoramd^ra, que enMndam de cotnra n "n-
isboado, paga sebm : no Hangoioho, aitw u. i,
com portao ile ferro^maro cmzento, antes da ru*
da Atwizade._____________________________
Ooauiheiro
yu>:m Dr<"is":r alngar u>n eseravo eoiiBbeiro,
de idde, mas bastante robosto c entendido na
sua arts, dilija-se a rua do Atalho n. 9. oitt i da
caixa dagua, tia Boa Vista.___________________
0 abaixo assignado declara ao psbliea e com
espe-lalidade an commercio, qne nesta data com
prou aoSr. Gregorio Jose Garcia a sua taverna
sita a rua do Pombal n 16, livre e desembaraca
da de qnabjfMr onus: se algusm se Julgar credur.
queira apreseotar seus titulus no prazo de tres
di;i-\ a contar itiU daw, lindos os quaes nao se
re.-ponsabilisara por qualque- debito que possa
apparecer.
Recife, 23 de navembro de 1874.
Silvinn da Costa Machade._
En^ommadeira.
Precisa-se de uma eogommadeira para engom
mar para dua? pessoas; a ratar na trave.sa da
rua do Vigario n. 1, das 9 boras as 4 da tarde, ou
CO K-gundo sitio, depois da estacao do Chacon.
!!!
\ lit mil
Aj>,!!!li para o fwinr
Ou a fu'ura .
Tempo i n o:i-;i>iio
I in que t devem .
leasWr. ..
AlKOtw cas:i:i:ei;!i's
Para que. .
D >Je ja e ja. .
A cmfeitana.. .
Do Cuii,.os. .
S m livul. .
E-tJ S49 I'!j,; I ,!, lO
Para f-ru-cei tudo ,
HMesari > .
Aos si' iv s e >.- c avi' -
l>li e. .
!:.ii|uit i da bovos jasi -
liau'k-j.is de n '-i'- g '-; -
Tiui.i a oapridiu
I) s ; r-jirit-t.rij- oa. .
Ctiil'<-iSai-ia do (aiii|uu<
24 ImpiTadiir N
E no iolnil iif iieif(W a pi !.-i: i, i I
poupado di'.-p-ia- para apre.-enlar
0 SW ha de n rm r e nonra 'i t',
Vos scnhores
pi ii lores.
OIcd k Mm a 18800
o
No arroszetn do lintis At ins i
_____________ dor ii. ii._______________
Precisa-se aluga ra jcarwftr
oma crianca de 1*^ in-/. s: i a rua >l <- -1
n. 129.
- Alugi e a .-;:!;-. i! i mva do 1/ lar -iK-s-
nio tod-i o I- an-iar, i-ri.i'iiu pma i>i
pequena famiiia : a Iratar na DoQ Caxias na I ja u. 32
i]
i iia um
ft
m
Tintura j.ij.' in
S6 e uttH-a app >va i | '. m i i '!-.
scii?i)(iiis. lie :>!; i-l i lupetirrr I UN qiii
te-n apparefi ;i!" hoje.
pal & rua 'l.i Cadeia ':i nil bujn
quez de i-lin as botieas < rasna -i' calx ll> ii .
I'ii-i-!-,: se t itnai .- ',' > } '' a i
de res, com bypoth ra 11 .;-. t. -
o dobro, nos sutun '' la a .
rmds O-neei %>. Bos Msm n i?<, Jj
tl) d i dia c ih- i .. 'i da r;ir i .
Grfgi lin J -e (j.i la na ;'.' : '.
taverna S' in eaten ter m i i m
V. A. "U i i .:n .
Salsaparrilha de Ayer
para run I FICAR O AN CUE.
a
v
Aluga-se
Um escriptorid no primeiro andar da rua do
Commercio n. 4 : a iratar no armazem da mes-
ma casa. ______
Aluga se o primeiro e segundo audares do
sobrado sito a rna de Lomas \ ak-ntinas n. 86,
com bons commodus para grande familia, hem
como o primeiro andar do suhrado sito a rua de
Marcili" Dias n 85, com commodoj sufficiente.-
para pequena familia : qne n prt-tende-los, dirija-
se a rua Nova n, 17, que achara com quem tra
tar.__________ t__________
Born negncio
Para principiante aluwa--- a c sa n 279, a rua
Imperial, com uma arniaya n..a, <>u vende-se a
mesma armacao, conforme se <-nnvencionar: a
tratar na casa euntigua, de p r ao
Quen precisar de oma boa ama Jo leite po.
de dlngirae a rua da Uniao n. 35
0 rename e.t que poea e*r i%-
cellento rpmeiio t derido a mill a-
rea de curas qae tem operado, n u-
itat das qnaes rio TerdadriraaaiJa
mnravilhosas. Innuiaertx tif M
casos era qne o vtbem. wwii.
do eaturado da podridio Je m* +
midadcA etciofaloeas, tem i. io
promptamente itstitaido i n*. e.
A aneccoos o dcorden,
das pela rontamiuacao ex-rofaVv a,
aW produzirem Km sido tam radical e tam gcralmente onradaa m 1>.
todoa o pentos do Imperio, que o publico ma) precS* "
informado das suas rirtudes e do modo de usal-o.
O veneno escrofuloso e um dos mais destruidores ir!micia
danKhumana. Ora. senhorea-ee occulu e tnicoeimm^: m
do nosso organismoe deixa-o fraco e inerrae contra 'nolti j
fataes. Ora, patenteia a infeccio de que corroraae,: o cor, a
e entfio, cm ratanento opportuno, livra rapidementt ^.,b ar -
ma de suas hediondas formao, j4 na cntis ^ nc oran s
vitaes. Neste ultimo caao deposita, muitat rezea, tubereis,
nos pulmoes. no figado, no coracao, etc., quando aio te rca. -
uesta em .:. .laes, tumores, etc.
A inim.r-> fan; perigoso e tam r^rfido nnnca w raanda, e p. wen. -o 1 sempre melhor do qae rwaliml i
Assim, antes a > ap| rt-cerem os proprioa iiwirtmu cft*c,
resutta^offu^^ ****'-' ** *"* SB
As pessoas que sofc-m de EryH^trnt, Ay. #, s. jtH.
OJo, nartrow. ICtnpign,,, BhnBmmMtmu, flllllllJ..
VloeraB, e seusibilidade dolorosa nos curi4os, olbos, Ac
dornos ossos; Jt^pia ou ImM+Mom, M^ro^i.',
MleitUu do Coracao do Figado, MmmSnrUt J>-
ralffim e de varias outras affeccoes do sysaEnamuM-jlar i
nervoso, acharkoseguro altivio usando diesta mpii.
RZLHA DE AYER.
A Syphilis on Molettimt Venertrnt tto enmd. cam >
teu uso, posto que seja necessario maia maamtt asfao* At
tempo para subjugar tam impertineutes eaftrildailsa.
A Leucorrhom, on tlorts BrmnrmB, aa aloatmcoM Uteri -
nas e em geral as molestias das mulberaa siotaiabesn alliria-
das e utteriorniente curadas por seu afleito puri'kador .
vignratiro.
O RheufxaUsmo e a Gotta, quaado cawadoa por acca-
mnlaooes de materias extranhas aa sangaa. uuilwii Mil <*> ii
mente, de mesmo modo o jral de rif a*a. Oanpeaata ot.
Infiammarao do rtgado, Ictericia, qaando a. i
de maus residues no sangue.
A Salaaparrllha e um exceUeata
I'orca e vJ*-or do i
ad--.
_ Assim, todos os qne sofirereni Languor, TKUgi,.
Mtataa,
henBoen e Trmoroo NonosiB ou
i dc nehilidade, acha*
o mais seguro c:;pediente de prompta c
mains, Insomnia e qne sao incomaMdados com Appro-
mensoes e Tmtoroo Korvosos ou qaalaaar eatnt *cyfc
provenicate do nrhilidade, achario do aw aodar lanovaM
rBSPAKAOA FOB
J. C. Ayer & Ca, Lowell, Msss, F. V._
CMtaieaa Practioos o AnuBwMmn.
VEXNDB3 J3B1 JPOR
ii
mh'ib,


T4
J
iiiario- de Pernaasrme Sexta tefra 27 de Novsmbuc de IBM
n
Toda attenqao
se, com frente para a rua da Amizade,
flW&prftnos de fundo, uma porcao de opitmo
|ts\ edifiVacao, tirada do silio eontiguo
ft fo3e do Mangninno, dj preea de
Ajuella frente e loda murada,
a parte posterior e a lateral extrema :
antes poiem entenler se com o Sr Dr.
dtos e afilhadas de A.n-
do Azevedo Villa-
s asevt'd.i de Andrade, teslamenteiro do
?ftrtoaio de Azevedo Villarouco, faz sciente
jan iirj'ii.imento dos interessados, que ate h n
*"*J* corrente mez, Ibe forara apresentadas as
>-e baptismo dos afilhados e afilhadas do
em numero d* 8, e s5o as seguintes :
%,1Bn legitima de Manoel Bento de Meodon
i*stea mullier Roza Maria de Jeus-Anto-
aSfci >gitimo do Dr. Miguel Joaqaim de Cas-
?SfctAssaahai e de sua mulber D. Isabel Emilia
3fascarenhas Umbe.ina, filrta legitima
fc.^iJTBa'dfls Bastos e de sua mulber Candi-
$*> r;i de Jesus BastosAntonia, filba legi-
mm.-*tJjvii du Azevedo Villarouco e de sua mu-
riSra Fraueisca de Brilo -Jotephina, filha le-
"< Joao Macbadu Brandao e de sua mulber
Bsa de Oliveira -Maria, liiba legitima de
Javier de Sa Leitao e de sua mulber
i*a de Sa Leitao-JoSo, filho legitimo de
s-Sea^lves Ferreira Junior e de sua ma-
rfedtsrmiua Goncalves de Paula Ferreira
,/5lha legitima de Francisco de Amaral e
team Barber Emilia Roza de Jesus.
*ms-ij sciente o abaixo assigns do, qae, peran
tmttm e lwm Sr. vigario ger<.l deste bispado,
tiwSiho do fins do Joao Martins Ribeiro pro-
i-mo iusiificacao afmi de prevar que tarn-
i mJl6adi) do referido Villarouco, visto que a
baptismo por die exbibida nao prova
*at* j>ara poder ser attendido.
SERi^-a mais o abaixo assignado, que tendo
flMH&e* poblicar em Portugal um annuncio rou-
-aSs3*fe w afilhados e afilbadas do mesmo Villa-
ws ass n'aquetle reino houvessem, a igualmen-
- rasfc iaw so legado quo Ihes Coi deixado; aguar-
M* tH"jB wSB* sorrente mez para ver se por elle vem
wrtidao ;.e logo em acto continuado pro-
i da quuniiu deixada com a igual-
flsaendada pelo testador.
3te3fc..i) de novembro de 1874.
Manoel Azevedo de Andrade.
mmm
mm
] Roda n. 48, sobrado.
fissaairas 1< Uras, porluguez, frsncez, in-
:, dssenho linear e musics.
a dirccgao do professor Herminio
isgpes lei Nqueira fuuccionam ditas au-
.> di.-.s uteis.
Srasbe ekunnoa internos, roeio pensio-
-suv; exteraos ; i -rnoce todo o material
gas atfipta e livros aos principiantes, por
3~$>'> noito razonvris.
" 'II
de
lugam-se
campo, ua Cruz
a tratar com o
das Almes
ccminendad
banhos edorraida fires-
ea no Monteir x
por preco commodo uina casa pe
'.< in 2 salas, 3 quartos, c zinlia e boa
s petto do rio : a tratar na rua Nova,
Oriado
-". S\ Ai'gria n. 40, se precisa
I i de coxiaba.
de um
Villa de lalkitiitis
Xa padaria deaorninada; ^tauflty, sita na prana
deite nome, c*>a de azulejo, n.' 2, "desta villa, tsta-
beleciraento de Francisco Seraphieo dftAssiiVas-
coniellos, fabrlca-se com a mater perfe^as, lim-
peza e barateza. pao, bil .cha, e ludo qnanto se
pode obter da farinha da trigo. 0 annunciante
protesta servir com esmero e agrado a todos quan-
tos quizerem honrar seu estabeleclmeato e se cons-
tituirem freguezes e consumtdorea.
Moleque fugido.
GratiQca-se com 50,000 reis a quem pegar For-
tunato, moleque de 13 a IV anno*, preto, baixo, i
cheio do corpo, rosto e cabega redondos, naria
chato, cabello3 carapinhos e corlados de fresco ;
ausentou se na tarde de 10 de outubro do corrente
anno, com camisa de madapolao, calca de brim
de cdr, desbotada, e chapeo de massa preto. Gra-
tifioa se na ma da Cadeia do Recife n. 39, ou na
rua da Aurora n. 165.
ADVOGADO
BACHAREL JOAQUIM GUENNES DA
SUVA HELLO.
*3 Baa ealreMa do Bosarlo *8
prlmeiro anilar.
I CoDsolforia medico
H Dr. Murlllo.
* RUA DO VIGARIO N. i, X' ANDAR.
J Recem-chegado da Europa, onde fra-
J quentou os hospitaes de Paris e Londres,
5 podera ser procurado a qualqner hora do
^ dia on da noite para objecto de soa pro-
Jf fiisao.
W\ Consultas das 6 as 8 horas da manbi
m do meio dia as duas horas da tarde.
d GRATIS AOS POBBES.
M. Especialidades : Moiestias de seohoras,
J da pelle e de crian^a.
Cravos
Na rua da Uniao, atraz do Gymnasio, ns.
47 e 49, vende-se sempre cravos brancos e
encarnados.
ALUGA-SE
uraa grande casa lerrea com bastantes commodos,
sita na estrada do Lucas : a tratar a rua do Vi-
Casa no (-axanga.
Aluga se duas casas na povoacao de Caxan-
ga, ten-io uma duas salas grandes, 8 quartos e
1 gabinete, l graude terraco e cacimba ; e outra
com duas pequenas salas, 3 quartos e cozinha,
ambas proximas ao rio e a estacao : a tratar a
rua dos Pi rcsn.J 21
Na travessa da rua
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nliores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
oompra-se os mes-
mos meJaesepedras.
Hffti it! Jlilfl XWtt
Compram-se
as collecQdes deteis provihehes de Pernam-
buoo, dos annos de 1849, 1855, 1866 e
1869 : nesta typogrephia.
CHUMBO
Velho
i Gompra-se chunatio velho, cohre e lalio : no |
armazem da boU araarel a, a iruvessa da rua do
I Imperador. i
IT
Me 11
Estd encomaoado lit
Apraa mule ean pedra dara
Tanto da aa ana a fura.
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira da
Mcrivio na ci4ade de Nazareth desta provinda,
favor de vir a roa Duqae de C&xias n. 36, a con-
clnir aqnelle negooio qae S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
fins de dezembro de I87i, e depois para Janeiro,
passoa a'fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
por este motivo e de novo cbiniaijo par* d
9m, poisS. S. sedeve lembrar qae este necoci
de mais de eito aonos, e quando o Sr. eu filho
aeaava nesta cidade.
AqS) 5)1/00 covadoa deH*
A 1 rsu
Na loja.do Pavao vende se lazinlias d.e muito
bonJtos eostoj e delicados padroes, fazenda nova
no racrcado, pelo diminuto preco de 160 rs. cada
um covado ; quem deixara de fazer veslidos de
12 tao bonitos e por Uo pouco dinheiro ? Forne-
eem se as amoatras: na rua da Imperatriz nnme-
ro60.______________________________________
m
LIOUIDAfjAO.
O Paris n'America esia liqoidando os caleados
E5 / / a a De'08 f egoin'3 prepos :
SO qiieill Veiiae a OUU rS. GgBotmas de duraque, de c6res, com canno alto e
_^L_SSS_St Lorrdada,s' ^"T18 e n l5i-SSiSLir5l!l
dros, abertas e tapidas, fazenda muito fina, com 5
palmo* de Jargur*; por termos grande porcao re-
solvemos vender baralo para acabarraos ; 6 fa-
zenda de 1*600 o covado, e nos estamos vendendo
por 600 rs. o covalo, dao se amostras : na rua do
Qcespo n. SO.toja de Guilherme & I.
Vende-se
um lerreno em Beberibe de baixo, com 30 palmos
de frente e 500 de fundo : a tratar na rua de Vi-
dal de Negreiros n-. 137. _______________
Vende-se ciaco_ bois de oarroga, gordos e
ma-jsos a tratar na olaria do viveiro do Muniz.
. Vende-se os seguiutes preaios : uraa grande
olaria a rua do Visconde de Goyanna n. 63, com
muitos commodos ainda para padaria, e boa serra-
ria, tendo am extenso terreno, com oplimo porto
de embarque, e muitas fracteiras : a casa terrea
n. 65, na mesma. rua, junto, a dita olaria ; e am
barreiro.nos Itemedios, com excellente barro para
Sjdas as obraa de olaria : a tratar ou com o Sr.
use Camello, das 3 boras da tarde as 8 da noite,
no Caldeireiro, ou na estacao da Mangabeira, no
Arraial, silio do fiuado M. Marcelino Jo.-e Lopes.
Vende-ae
uom,ems* tJIUjU Barreiro, oa-raa do Coo
meroio, por preca modico : a traur com Ttm+
Irraaoa & C.
JZf%%
ao
Contmua se a fornecer comedorias para fora,
mandando-fe I :var em casa dus assignantes, mais
em conti di que era outra parte ; tambem nos
encarrfgamos de fazer comida para qaalquer col-
legio que os Srs. directores t'-nham de pa.-sar a
festa : qu*m pneisar dirija se a rua estreita do
Rosario u. 33, defront- do cscriptorio do Dr. Leo-
nardo.
-- =
43
I:-. g o. a
- oja
Baa|
5.
- IB
'*U
-
g
.&
5"
a
3
S3
a
S
I 3
8

<
9
9
m
P
B
a
o
0
at
i
O
N
a
CO
M~
D
Ou
O "

as
OS*
CD

(-a- -Jvamt
aal
6SdM
2
9 51 a o o -i to o SB a
3 a. -9 ' K5
3 .
O CO
^ rt OS
o a B o
Aluga-se
O 2.' andar e armazem da rua de Pedro Al-
fonso n. 59, o sobrado de um andar e sotao da
rua do Ho-picio n. 65, col* andar e armazem do
sobrado da rua do Bom Jesus n. 63 : a tratar na
ma iic Vigario n. 3t. -
E. A. DEL0UCHE
24-to doSlarqnezde0!inda-24
l-squltut do beeco Largo
Participa a sens fregaezes e amigos que madon
o sea estabeleclmento de relojoeiro para-a mesma
rua n. 24, onde eticontrarao um grande sortimento
de relogios de parede, americanos, e cima de me-
sa, dos melhores gostos e qualidades, relogios dc
algibeira, de todas as qualidades, patente soisso,
de ouro e prata donrada, foleado (plaquet), relo-
gios de onro, inglez, descoberto, dos melhores
fabricantes, cadeia de ouro, plaquet e prata, lunetas
de tods as qualidades, tudo por precis muito ba-
ratos.
Festejos
Grande liquidaQSo de fazendas Unas e do
melhor gosto, para vestidos do festa, na
loja n. 44, i rua Duque de Caxias.
Popelinas de modernissimos padroes, covado a
800 rs.
Ditas de ditos a 1*200.
Ditas de ditos a 1*400.
Ditas de ditos a 1*600.
Cambraias organdys de padiQes e cor, inleira-
mente novos e modernos, covado 320 r<, rortes'
de cambraias brancas para ve^tldo!', b>;Jados3;
com babados, a 6*.
Chapeo.- m^Jeroos, gosto allemao, para .-- th- ra,
propri Ditos de diversas qualidades, para huiceus, pelo
barato pre^o de 2* 2*500, 3* e 4*.
Camisas Crancctas e injlezas, de d.versas quali-
dades, a 1*500, 2*. 2 :o0 i e 3*.
Collarinho.s de linho, lisos e I >v 1. 1 a 400 rs.
Toalhas de linho para rosto a 400 rs.
Lencos finos com barra, duzia l*i0l>
Ditos ditos brancos, duzia 1 SOU.
Metins esc cezes, inteiramente novos, proprios
para chambres, covado 240 rs.
Meias flniSfimas, para senhora, duzia a 31500.
Lazinhas, cliitas, cambrias, madapoloes, algo-
does, brins, por pregos baratissimos, bem como
outros muitos art gos que ?e acbam expostos para
os amigos do bom e do barato, por 25 0|0 menos
qae em outra qaalquer pane, finalmente tudo,
tudo se acha em Iquidacao.
Botinas de duraque, de cores, bordadas. canno
alto, a6* III
Botinas de duraque com laco a 3*.
Botinas pretas gaspeadas, canno alto, a 4*, 5* e
0*000.
Botinas li-as e enfeitadas, para menina* a 3*,
Be tinas de Snzer, de cordovio com ponteira ee
verniz, para horaem a 8*. Aproveitem, qae e
barato. ____________
Cura das hernias, pelas fun-
das de borraclia.
As melhores e mais aperfeicoadas das ale hoje co-
nbecidas.
Vende-se
na
Pharmacia e Drogaria
de
Burtolomeo A C.
A'
34. Raa larga do Rosario 34
Vaccina. Vaccina.
Tendo o Sr. Dr. Jose Lourenco de Magalhaaa,
montado na corte am completo servicp deste ar-
tigo, tem aqui aherto am deposito da melhor e
mais recente, cujos tobos se enconiram na
Pharmacia e drogaria
A'
______34-rua larga do Rosario 34.
| Imperial fabrica de rape
area fina de Moreira <& C.,
da Bahia.
Deste excellente rape, que setorna recoramen-
davel aos amaotes da boa pitada tem estabeleci-
do esta fabrica o sen deposito a rua do Comraer-
cio n. 5, que vendem por junto e a retalbo, fa-
zendo-se vantagem a quem ecmpnr porcio.
Alia iiiividde.
O Barateiro, a rua Is de Marco n. |, acaba de
receber grande sortlmeuto de entremeios e babadi-
nhos tapados e transparentes, de todas as Iargu-
rase vende a 1,000, 1,200 e 1,500, fazenda que
sempre costou 2,500; a uma experiencia n6s os
convidamos
AOS 4:000^000.
LBETES GARANTIDOS.
A' rua Primeiro dc Marpo (oulr'ora rua do
Crttpo) n. 23 c casas do costume.
O abaixo assignado, tendo vendido nos sens fe-
lizes bilhetesum meio n. Ih64 com 4:000*000, um
inteiro n. 3970 cum 2' 0*000, e outras sortes de
iO* e 20* da loteria que se acabou de extra-
hir (125'), oonaida aos possuidores a virem re-
ceber ua conforinidade do co:tumesem desc on-
to algur".
Acham-so a venda os fehzes bilhetes garantidos
d I" parte das lotertta a beneUeio da igreja
do Rosario de Serinhaem (126), que se axtrahi-
ra sabbado, 28 do currents mez.
PBJSCOS.
Bilbete ir.t-Jiro 4*0ii0
Meio bilbete 2*000
Km porcao. de 100A para cima
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilbete 1*759
Manoel Martins Fiu
O Monte Lima
tem am completo sortimento de galao e franja de
ouro e prata, verdadeiro, de todas as latguras,
abotoaduras douradas para offlciaes, canahlhos e
enfei,tes para bordado. Tambem se encarrega de
todo e qualquer fardamento, como seja : bonets,
talins, pastas, espadas, dragonas, charlateiras, ban-
das, abotoaduras lisas e douradas, para criado
etc.; assim como um completo sortimento dt
ranjas, galao falso para ornarnento, cordio de li
com borla para quadros e espelhos (conforme o
, gosto da encr.mmenda) tudo por muito menos
preco que era outra qualquer parte: na praca da
Independencia n. 17, junto a loja do Sr. Arantes.
Livros novos
za.
'Q
>~3_aBBBf
iiu^a-SB acaai da rua do Visconde de Ala
n. 25, tenio um anlar, sotao e pavi-
reo,. u a *gm e gaz, pintado de novo :
aruauo Vig rio Teaorlo, armazem de
awaaa, n. 5.
.-.- a s^ra e a aicova do 3.* andar do
.;>*;-. ,'ii a ua Duque de Caxias, proprio
fw. !t iros : a tratar na loja.
- ^r :sa-se dc duas amas, stndo uma ;>ata
wnprar e outra para eogommar e
I :. Hjs d[ Coi;c rdia D 43.
> -1 se a loja do sobrado n. 29 da rua da
11*! 2i .all) i : a tratar na rua das Larangei-
i*. i" to<\ZT.
Ao Sr. Justino Peroira
Moraes.
O abaixo assignado arrematante das diviuas da
massa fallida de Joao Hvsiino de Souza, pede ao
Sr. Justino Pereira de Moraes, morador na fmma-
culada, o favor de vir a rua Direit* n. 21 ultimar
sua conta com referenda a mesma massa.
Recife, 23 de novera; ro de 1874.
_^^^^^^ Jose Ricardo Faria,
Aluga-se
Cuidado
Precisa-se fallar ao Sr. Libanio Residio de Car-
val o, escrivao da eolectona de Santo Antao, a
negocio que nao deve ignorar : no largo da As-
sembled n. 7.
Coquts de cafee.!.
53.Rua Duqne de Caxias.-53
Augusto Porto, recebeu lindos e elegantes co-
gues de cabello verdadeiro, ciotos de couro com
os armazens ns. 65 e 69, na praca do chafariz em
Fora de Portas," um onde teve tenda de ferreiro
o fallecido E. Mahult. O outro que esteve occu-
pado com venda de molhados, para o que 6 op
timo pela localidade e ser de esquina. ambos livres
e desembaracados de impostos: a tratar com o com-
mendador Ta.'so.________
PAHA O PUBLICO VER
Moflna
Por que razao o Sr. tenente Jose Gaelano da Sii-
va nSo indemnis? ao Sr. editor da America ?
Goethe Fau-to, 12."
Moreira Genio das trevas, 12.
O Protestantismo de hoje em defeza do-
Catholicism-', 12.
Kaempfen A chavena de cha, 12.
Soares A liberdade do commorcio, 8.
Regras da vida christit
Vianna Relampag's (ooesia) 12
P. Chagas Terremuto tie Lisbo3, 8."
Mnrger Scena.s da vida da Bohemia, 8"
Snn3e3 Dias Setda de Andres, 8.
Lobato Os fidalgos do eoracao de
ouro, 2 vol.. 12.*
Rodr gues EUudantes e costureiras, 8
Milner Resumo de grammatiea ingleza
Escrich Casamen:os do diabu, 3 vol.
cum magnificas eslarapas
Este notavel romance e dome.-moauter
da Mulher Adullsra. Acha se quasi
e^gotada a ediyao.
Ponson Dramas da Aldeia, 3 vol.
Dito Mocidadc do rei Henrique, 5 vol.
Ditu Scgunda mo :iJade do rei Henri
rique, 2 vol.
Dito Os ba^tidores do mundo, 3 vol.
Souvestre O rei do mundo, 2 vol.
Camillo O demonio do ouro, 2 vol.
LivrarEa Popular, A rue
u. a.
3*000
1*5)0
1*000
1*600
3*00i
500
1*500
1-500
2 000
5
Fio Teem para vender Joaquim Jose" Goncalves Bel-
trao & Filho. a rua do Coramercio n. 5.
Salsa parrilha do Para.
Cbegada recentemente teem para vender Joa-
qaim Jose' Goncalves Belirao & Filho, a rua do
Gommercio n. 5.
Fechaduras de broca.
Teem para vender Joaquim Jos6 Gmoalves Bel-
trao & Filho, a rua do Gommercii n. 5.
i Loja de fazendas
Rua do Crespo n. 20.
Las de cores miudas muito boa* para ronpa
meninas a 160 e 200 rt. o covado.
La pretas, superior, a 400 rs. o covado.
Alpacas de cores Unas a 320 e 380 rs. o covid:
S6 se vendo.
DiUs com listras abertas, fazenda fina, a 600 rs
covado.
Chitas de edrei a 540 e MO rs. o covado.
Metins de cires miudas a 280 ts. o covado.
Crelones,. o melhor qae tem vindo ao mercadc i
400 e 440 rs. o covado.
Cambraias brancas, bordadas a abertas, tsseaci
mais fina qae tem vindo ao mercado, a biasdi
de 2*000 o metro, por 1*000 a vara ; p-
chincha.
Ditas pretas com flores mindas a 200 rs. o covado
Cambraia transparente, fina, a 3* a peca.
Dita Victoria, fina, a 4*006 a pees.
Organdy de assento branco e de cores, ecn ftc
ros miudas de seda e de li, a 400 rs. o eovaaV .
E' pechineha.
Cortes de casemira de cores modems a 5*900 e
corte ; 6 fatenda de 8*. E* pechineha.
Camisas de linho fina?, lisas, a 35* a duzia, 11
zenda de 85*.
Brim branco de linho a 1*400 a vara.
Dito Angola, verdadeiro, a 600 rs. o covado.
Madapolao f rancex verdadeiro, 24 Judas, a 6*
7* a peca.
Algodae T, largo e superior, a 5* a peca.
Gorgorto preto de seda para vestiJo e para colls*
a 3d o covado
Toalbas alcochoadas a 4*900 a duzia.
Colcbas grandes a 3*590 uma.
Cobertas de ganga, forradas, a 3*.
Lencoes de bramante a 2* um.
Lencos de linho, ahainhados e em "iTiyfc* .
3*500 a duzia.
Ditos de caea de cores abainhados a 3*500 a tfn
ria.
E outros muitos artigos que se vende por mi
nos do qae outra qualquer parte e para se dw
S6 na lorem queiram macdar ver as amosiras.
enganaja de
Guiihcraie 4 C.
Para o fabrico de chapeot
A NOVA ESPERANQA recebeu o arame propru
para armacao de chapeos.
Proprios para bailes.
Chegaram em boa quadra, para a lojado'Passo,
riquissimos codes de seda com largas listras
achamalotadas e lindissimas cdres; cortes de tar-
latana com palmas bordadas a prata, proprios
para oailes : so na laja do Passo. a rua Primeiro
de Marco n. 7 A.
BAZAR
DAS
FAMIOAS
Baa Duque de Caxias n. 00
Para a festa
\
3 50)
2,000
ljaOJ
4*500
4:000
9*000
4r000
5*000
4.000
3 ,,000
.\'ova
Yende-se
a caa terrea n. 47, sita a rua Bella, em Paln-jares
no melhor ponto de negocio : a tratar na rua do
Livraraento n. 4, loja.
Vende se uma casa terrea nova e bem cons-
truida c com commodos para numerosa familia,
sita a rua do Nasceole n. 20, que olha para a
via ferrea do Recife ao S. Francisco : tratase na
rua Imperial n. 217.
E' sempre assim.
AO SEXO AM.4VEL.
A Nova Esperanca, a rua Duque de. Caxias n.
63, toma a liberdade de avisar ao hello sexo, que
acaba de receber diversos artigos dc-alta novi-
dade, os quaes eslao expostos a vunda em dito
estabelecimento, e bom que venham aprecial os
para por esta forma satisfazerem os caprichos de
snas elegantes tuilettes.
A Nova Espranpa, nao querendo tornar-se
massante, limita se a mencionar alguns artigos
dos mais em voga no mjndo das raodas, os quaes
sio os seguintes :
Liodos ciat.s de couro e flligrana.
Modernos botoes de aco para vestidos.
Novos leqnes, grandes, matisados.
Elegantes fivellas de aco para ve=tidos.
Delicadis ramos de fbres de laran.ceirn.
l3olsas de couro e filigrana, proprias para tra-
zi'.r pendentes ao cinto,
Breu, breu, breu,
No armazem de Jorge Tasso, iua d 37, eno caes do Apollo, atmazem de farinha de
trigo, do commendador Tasso.
Aos Srs. deengenhos
Chila corn 4 palmos de largura, fazenda muito
superior, a 260 rs. o covad>, proprias para escra
vos: so a rua do Crespo n. 20, loja de Gui-
lherme (X C
Doceiinodegoiaba
Vende-se no deposito do pa too d o Terco ns. i e
a, polo barato prego de 800. BOO, 1*000 e 1*200 ;
6ssim como grande sortimento de caixo's pcque
nos, proprios para embarque ; ha rcqncijao todas
as tfrqas-friras e sabbados. por prey-o commodo.
A loja Agrado e Seriedade, sita a rua da Im-
peratriz n. 16, vende por baratos precos la para
bordar, de lindas cores, e fitas de sarja as todas as
cores e larpuras, assim como de setim.
Oal de Lisboa
Vende-se cal de Lisboa : na praca do Corpo
Santo n. 17, 1* andar, escriptorio de Joaquim Ro-
drigues Tavares de Mello.
Decbracio.
...in & C. pelo pr.sente declaram te-
u: :. letra de spu saque datada de 5
*.! :-.. a 5 mozes de pr.izo, aceita pe-
I se Mendes Bastos, de Garahhuns,
ib^ui;ia J 8 0*, cuja letra loi perlida em
me^sat de Cranhons para esta cidade, roeam
a iiaam auer qu a tenha achado o favor de
" cidade no armazei* Baliza, a rua
. : n. 38, visto da nada servir a re
3bs4.'. *ira por ja asfitr prevenilo o aceitante da
*t*aui iie so p.gara aos abaixo assignidos.
]av.-a!K 19 do novemhro de 1874.
Novas, Irmao & C.

fivers den.etal, popelmas de seda eiinho rlcas; v.v- Ss-' alem Je 'cos interesses, comparecam no
toalhas e Iengj3 de labirintho que vende por ?i*.acima mQica:l0- Anipucos, 14 de novembro de
commodos precos.
Da po 2:200* a juros sob alguma -casa er-
rea e mais algum em escravj : na.rua do Core
1874.
Lustres, candieiros e aran-
deliasparagaz.
No nevo estabelecimento, Grande Exposicao, na
que tenham a bondado de comparecer!rua do mPfador u- 5 ,UDl. ao e8Cr|P? da
orio da capita de ncssa propriedade as companhia do gaz vendem-se luslrfs, candieiros e
arandellas de diffjren.es tamanhos e modernos
gostos, tanto de vidro como da bronze, e tudo dos
melhores fa.ricaotes que ha na Inglaterra. Tam-
bem ae vendem globes de bonitos. padroes, chumbo
e tudo o mais que for preciso para o servteo do
gaz. E como os donos deste estabelecimento man-
dam vir de conta propria e se querem acreditar,
vendem tudo mais barato do que qualquer outro,
paia o que os compradores podem experirnentar.
0 actual administrador da grande propriedade
Apipucos, achando se era embaracos para poder
regularisar o interesse de todos os consenhores da
mesma propriedade, por isso pede aos mesraos con-1
senhores
no escriptorio
3 horas da tarde do dia 29 do corrente) para uma
reuniao extraordinaria, afim de mostrar os emba-
racos que tem encontrado em sua aetual adroinis-
traQio. assim o espera o mesmo adminis'rador que
Ch^ verde e prelo
Amaral, Nabuco & C. declaram a seus amigos
e freguezes qne receberam pelo ultimo vapor
de Europa, nova remessa de cha V(?rde e preto,
garantem sua boa qualidade e vendem no seu
Uazar Victoria, rua do Barao do Victoria n. 2.
Lei Suassuna n. 86.
1 GDNSULTQRIO 1
S MEDIC0-CIUURG1C0 m
a Dr. Pedro d'Athayde L. Moscoso \
5 PARTEIItO E OPEHADOR
itua do Visconde de Albaner-jB
Aluga-sc a casa terrea n. 8 i-rua do C
pitao Antonio de Lima, em Santo Amaro : a ta
' tar com Maternns Lvm a rua da.Gnia n. 54, pra
| daria. Com o mesmo contrata se um amassador-
Precisa-se fallar com os seguintes senhores,
: na rua Primeiro da Marco n. 16, primeiro andar.
Dr. Candido vieira da Cunha, de Sergipe.
Tito Antonio da Cunha, da Bahia.
Domingos Oljmpio B. Cavaleante, Sobral do
Ceara.
Manoel Pantaleao da Silva.
Admirem
m
*

a 'I dos Buritis, no Arraial, com
imp.?, TMcapbeira e grande baixa
tllent^ casa para moradia, ba-
h a vnres frne'.ifiras : a tratar no
ssst-5 6 as. 8 h'ras da manba e das 5
l ua ru: c !,_Araorim n. 56, das
-, nos dia? uteis.
- primeiro andar da> casa da rua
awWiti nn. 69: a tratar na praca da
' is. os 18 e20.
m
u armazem e o i. audar do sobrado
fcw Jur. '..'' m n. 11, awlm como um quarto
- -.-> i J; ^'Italia Velba.(Bocco Tapa-
casa na rna doLobaJo n. 4 (fre-
gperfe ii Santo Antonio} : a tratar na rua da
! Pweiano Naiarelh.
QUO D. S9.
ESPECIALIDADE
Molefttlag de seniioras e
meninos.
Consultas das 7 as 10 horas da ma-
nha, todos os dias.
Das 0 as 8 da noite, nas segundas, quar-
tas e sextas-feiras.
Os doentesque mandarem os seas cha-
mados por escripto at 10 horas da ma-
nna serao visitados em suas casas.
*
*
*
Grauadina de seda a 109 rrn-
Na loja do Pavao vende-se flnissimas granadidas
de seda com listras assetinadas, fazenda que sem-
pre se vendea a 13200, e liquida a 400 rs. o cova-
do ; assim como manguitos e golinhas de cam-
braia bordadas a 1 cada um, e p^ctiincha : na
j loja do Pavio, rua da Imperatriz n. 60, de Pereira
\ da Silva.
Maooel Jose Monleiro
A11'J J !qoeM contig.a a mesma, e um terreno junto com
iaiiiaa ae 180 palmos de largura e 140 ditos de fnndo,
^ Keller & (\} admmistra-
..dbres da massa
ml Manuel
um. so.. isinu u 8uwft, wK^ nnn nw1JjMnn J. ?. na traveesa da rua <
*^^J_o^^^-__^J_c__i:^l ^am aos cre(iore8 o* mesma wm4o!*w>>'
^mmmk^mt^mrmmm>\mmiai 0 primeiro dividendo rflg kJTZ
CRIADA
Vende-se na cidade da Escada uma grande
| casa de pedra e cal, oitoe; dobrados, com sotio
assoalhado em toda a ex enslo, quintal murado,
com commodos bastantes para uma grande fami-
lia, sita na rna da Viracao n. 30 ; uma dita na
mesma rna, de esquina para a rua do Rio, con
tendo armacao para qualqner estabelecimento,
occupando us fundos com padaria, a qual se acha
completa com todos os uteneilio- ; uma casa pe
Na roa do Visconde de Uanarics n. 33 prscisa
se de uma criada que seja sadia, para andar com
crianga.__________ ______
Oilerece-so um moco chegado do sertio,
para criado de algum senhor advogado, ou mesmo
casa do familia : a tratar na rua do Liycvneoto
numero 3.
a razao
sendo
lVw>^ 1LC m_______ os cMqs roreiros a camara municipal da mesma
JUSe ~t. rOTTeS, pa-,'cidade da Esoada : a tratar na cidade do Recife,
na travessa da rua do Viscond de Inhauma n.
e na Escada, com o Sr. alfa-
primeiro dividendo r* Wift A ,>mpn'
de 19'por eento.
Vmde seo i amga s-j na cidaue oo ftufire b
uma padaria bem montada, em casa propria, por
preco comraudo.
Compra-se apolicos da divida publica gera
ou provincial : a traiar na raa do Barao da VicJ
toria n. 42
Por 600$ e barato
Vende se um escravo de 30 a 33 annos, 6 bara-
to, proprio para relinacao, padaria, on mesmo
para um sitio, por ser de boa conducta e sea se-
nhor retirar-se para fOra : na rna de Hortas n. 96.
Vende-se por qualquer preco, nm joferado
Gusmao & L al receberam grande quantidade de meia-agna de 2 andares e sotao, sito a roa do
codes de casemira pua calsa,- e vendem por 4-|Fogo n. 18, em terreno proprio e de muito boa
cada c6rte, assim como vendem setinetas para-l constrnccao ; uma casa terrea, sita a raa da Pon-
vestldos, fazenda linda, por 4,00 rs.o cova.do, faien-1 te Velha n. 47, e outra na rua do Visconde de
da de 800 rs. : so na rua 1* de Marco n. 14. I Albuquerque n. 69 : na rua da ConceicSo A. 22.
Rua 1 de Mauco a. 14
Vende se uraa casa terrea na rua deP ay-
sandu, estrada da Magdalena, com 4 quartos, 2
salas, corredor indepenlente e forrada, com quin-
tal murado : trata-se na iuax de Horlas sobrado
n.48.______________________.'
Boa acquisicao.
Uma pessoa que urgentemente.precsa retifar-
se desta provincia, vende por 3:500/ uma heran-
ca de 16:000* solidamente garaotida. Nao e nm
pleito que se va tentar exposto as conti'ngoncias
do julgamento, mas ura direito ja liqu;dado e
apurado por senteoca proferida pelo supremo tri-
bunal de justica, em grao de revista. Na rua de
Biachuelo n. 22 (outrora rua do Destino se dira
quem vende._______________'
Orande-NoYidade.
Chap.ios de sol de seda trancida muito be>, ar-
macao especial, a 7*000. 86 na rua I* de Marco
n. 14, loja de Gusmao & Leal. ______________
Rua do Crespo n. 20.
Alpacas lhas com barra, fazenda muito larga
e de lindas cores, para vestides, e presta se para
roupa de meninos ; vende-se pelo"diminuto pre
po de 280 rs. o covado, aproveitem se antes que
se acabe : a rna do Crespo n. 20, loja das tres
portas, de Gailherme & C Dao se amostras com
penhor._________________________________.
Vende-se o estabelecimento de molhados,
sito a rna de Pedro Alfonso n. 61, bem afregueza-
do, tanto para o mato como para a praca, serve
para qualquer principiante em razao de ter poucos
fundos: a tratar no caes do Ramos n. 21.
CanJjiiiii de Lisboa.
Soleiras, hombreiras, capiteis e sscadas, a ven-
da por preco commodo : a tratar no armazem n.
It da travessa do Corpo Santo.
Reis e Silva & Guimaraes, proprietaries des'.
bem conhecido estabelecimento de fazendas fina-1
convidam aos seus freguezes e trnigos a sortiretri
se dos artigos indispen'aveis para a festa, artiges
da ultima mod;, e de fino gosto, os quaes se ver;
dem por madico pre50.de forma que igual nio sa
encontra em outra parte.
Afim de qne 0 pnbiico avalie 0 que levam diti
offerecem a ana precioea con-iderajio a seaoini;
mencao:
Riqnissimas polinnises de gorgorao preto, rica-
raeote enfeitadas, pelo diminuto preco de 36*.
Lindissrmos casaqumhos de gorgorao preto, ri-
eamente bordados, sendo cartinhos conforme a mo
da, pelo diminuto preco de 12j( 0 cada nm.
Riqnissimas sahidas de baile, de 15 e seda, par:
senni ra, inteiramente novidade, pelo diminni *
preQO de 12*000.
Lindissimas capinhas de la e seda inteiramen-
te novidade, pelo insignificante preco de 8*000 f
10* iOO cada uma.
Riquissimos cachin.t? de la e seda, pelo dirainu
to pre?o de 6e000 cada um.
Um completo aartucento de :apellas com veio dt-
blonds, proprias para noivas, pelo diminuto mec-
de 10*, 13* e 20* cada uma. E1 barato I E co
mo sao lindas ?1
Riquissimos lacinhos com fivela, proprrs par?
pescofo de senhorospelodiminnto preco de 1*50
cada uma.
Lindas grav.itinhas de c6r, prnnrias para senho
ras, pelo diminuto preco de 1*000 cada nraa.
Lindissimas rosas com aifinetes, proprias par;
peito de senhoras, pelo diminuto preco de !*50<
cada um.
Cambraias brancas, bordadas de cores a la, (a
zenda modernis>ima, pelo preen de 540 rs. 0 co
vado.
Cambraia transparente, com duas largura*. pel.
preco de 13*000 a peca.
Cambraia transparente fins, Suissa, a 6*500
peca.
Cambraia muito fina, Victoria, a 7*200 a peca
Meias de cores para homera, pelo diminuto pre
(o de 8*000 a duzia. E' barato I
Riquissimas caixinhas. cada urea com uma do
zia de lencos de linho ja abainhados, p. lo dirai
nuto preco de 5*800, 0*, 6*500 e 7*.
Grosdenaplc-s prelo, fazenda muito superior, a
1*200 0 covado.
Setim branco, Macau, fazenda superior, a 2*2X
0 covado.
Riquissimo soriimonto de popelinas de linho, pe
lo diminuto preco de 440 e 500 rs. 0 covado.
Riqnissimas taias de seda. fazenda modernise
ma, pelo commodo preco de 2*200 0 covado.
Popelinas de linho e seda, padrdes Inteira-
mente ncvos, a 1*600 e 1*800 0 covado. E' ba-
rato I
Gro^denapoles cor de rosa, fazenda muito sope
rior, a 1*600 e 1*700 0 covado.
Um comoleto sortimento de las e alpacas de se
da com listras a 700, 800,900 e 1*. E' muito ba
ralo I
Um completo sortimento de las, a 180, 200, 240
320 e 380 rs. 0 covado.
Madapoloes, Elephante, com 20 varas, a 4*400
a peca.
Aiadapolao, Maravilha, com 20 jardas, a 5*50C
a pew.
Moapolao fraocez, Madraste n. S5, a 6*200 1
adapolao superior francc-z n. 60, a 7*000 1
peca.
Assim como um grande sortimento de chitas e
curas, claras e outros artigos.
RE13 E SILVA & GUIMARAES.
Aos nervosos
A NOVA ESPERANCA acaba de receber aane'-
les milagrosos anneis electricos, cura infallivel do*
nervosos.______________________________
Aos cigarreiros
A NOVA ESPERANCA vende papal de lira
proprio para cigarros. d'e diversas larguras.________
Insignias maQonieas e cadei-
ras para viagem
Amaral, Nabuco & C vendem insignias maconi-
eas para diversos graos, e cadeiras a aorir e fecbar,
oropnas para viagem : no Bazar Victoria, ma do
BarSo da Victoria n. 2.
M&ripoza
A rm. evasl .
Sdna rua d Queimado n. 43.
JUNTO A' LOJA DA MAGNOLIA.
Maripoza brano cum lindas listras abertas pa-
lo diminuto preco de 320 rs. 0 covado ; aprovei-
tem que pneniaeha, id 0- 43Barateiro
igual
Dao se amostras com peobor.
Vende-se
a to verm da travessa do Peixoto n.
desembaraeada> de qwriqaer debito :
mesma.
90. livre
a tratar na
\
"


flialio 4a JPeiuambueo v Sexta feira 27 dki Jfas Ao barateiro
A' rua 1 4e Mar^o n. 1
touf.-onte ao arco de Santo
Antonio.
Os proprietaries deste estabeleeimento, tendo
gande deposito do fazendas de la, linho, soda e
algodao, e aeuandose proxima a occasiao do ba-
lance, resolveram fazer grande reduccio em pre-
co*, aiira de que naquelle tempo nao tcuham gran-
de trabalho em balances ; a saber :
GORGORAO de s*da pre to, para collate, am
corte por 8*. E' fazenda quo sempre oustou 7*.
AMAZONAS, linda fazeada para vestidos de
passelo, a 500 rs. o covado.
GROSDENAPLES de cores, verde, encarnado,
branco, cor de rosa e cravo, a 900 rs., 1* e
1*200 rs o covado.* Quern e que nao compraraT
POPELINAS de linho, de quadros e listras, bo-
nitos gostos, a 500 rs o covado. Aproveitem.
POPELfNAS do liBho e seda, gostos inteiramen-
te novos a 900 rs.
01TAS com listras largas assetinadas, o mail
moderno que tern vindo ao mercado, a 2f>.
CRETONE francez com listras e de quadriDbos
de cores e pretos a 400 e 440 rs. o covado. Isto
so no barateiro I
DITO francez de listras, proprio para camisas
e vestidos a 300 n.; pois so se vendo se pode
crer.
ES iU AO de linho e algodao, proprio para ea-
misas, fronhas, etc., etc., com 7 jardas, a 3*200, e
com 10 jardas a 1*500 a peca.
MUSSL'LINA branca, com listras, para vestido, a
100 rs. o covado.- E' pechincha I
MADAPOLAO Trance;am 20 varas, por 4*500.
E' barato.
CASEMIRAS dA cores, para eostnmes (roupa de
homem) a 3* o covado. Ver para crer 1
LAS escoeer.as, estamos acabanJo aos precos de
120, 180 e 200 rs. Apressem sel
CHITAS escuras e Claras, fazenda fina a 240,
260 e 280 rs. ; so a rua Primeiro de Marco n. t.
CHAPEOS da alpaca, para sol, para senhora, a
2*000. E' admiravel I
BRIM branco n. 5, exposrcio superior, a 2* a
vara.
CAMISAS de cretone francez de cores, a 2*500
ama.
CAMiSAS brancas, ieglezas e.francezas, gran
de sortimento por precos baratissimos.
BRIM pardo trancado, para 280 rs. e 400 rs. o
covado.
BRIM Angola, superior, a 500 rs. o covado ; i.-to
so na loja do Barateiro I
CHAPEOS de sol de seda para hnmera, fazenda
tuperior. a 8*500, SgOOO e 10*000.
BAPTISTAS roatisadas, gostos miadinaos a 300
rs. e 360 rs. o covado ; so confronte> ao aroo de
Santo Antonio I
LEN'GOS de linho snperiores, abanhados a 'ii,
**50O e SiOOOJa duzia.
TOALHAS (elpudas superiores a 0*50 a du-
:ia. Em oulra parte vendem por 9* 1
ME I AS cruas, sup? rores, para homem, a 4*,
4*500 o 5*. E" pechincha.
BOTINAS supetiores para senhora, a 4*500 o
par.
ATOALHADO akochoado, fazenda superior, pa-
ra mesa, a. 1*509 a vara.
ALGOOAOZINHO branco, com pequeno toque,
a 34500, 4* e 4*500, e marca T, a 5 j a peca.
Alem das fazendas acima mencionadas, encon-
trarao maitas out; as que agradarao em qualida'
oe e precos, e que para nao massarraos a paciencia.
de nossos freguezes, as deixam s de ennmerar,
So no Barateiro
A' rua Primeiro de Marcon. i.
Loja de Agosiitilio Ferreira 4a Silv& Leal & C.
Nao se engacem
Pois sac os verdadeiros barateiros I
Aos legiHmos fogoes econo-
micos.
Acabara de chegar a esta cidade os ver-
dadeiros fogoes economicos, ja muito conhe
cidos nas provincias do Rio de Janeiro,
Minas, S. Paulo, Scrgipe, RiojGrande, Ba-
oia e Alagoas, aonde tem merecido do pu-
blico a maior aceitac,3o possivel, -e sao ja*
preferidos aos de qualqaer outro systema,
conhecido pela sua muita solidcz, especia-
lidade na collocacao, moderno systema,
e sobretudogrande economia no combusti-
vel ; trabalham com lenha, coke, carvao de
madeira, etc., etc. Ha de diversos tama-
ahos, proprios para casas de pouca, regu-
lar, e de muita fatnilia, coilegios, hoteis,
casas pias, hospitaes, etc. Acham-se ex-
postos ao publico, aonde se darao todas as
explicates nocessarias : na rua do Viga-
o n. 12
Aos meniflos
A NOVA ESPERANCA, a raa Duque de Caxiai
n. 63, acaba de reeeber um bom sortimento de fi-
na s bonecas qaj fallam, que riem-se e choram ;
tambem as tem mudas e surdas oq surdas-mudas
venham ver se nao e verdade.
N. 72.Rua da
EM LIQUID AC AO.
Tendo recebido diversas q'ualidades de fazendas que ha tempo liuham feito encommenda e
agora estando em liquidacio resolveu que es'as fazendas fossem vendHas nas mcsmas condicSes o
qoe e muita vantagem para os eompradores, isto no Bazar National rua da Imporatriz n. 72.
Organdys bran :o a 400 rs.
Vende se organdys branco com listras muiio
fino a 400 rs. o covado.
Popelinas a 11! 00f.
Vende-se popelinas de cores muito flnas a Ho
covado.
Alpacas de cores a 400 rs.
Vende-se alpacas de eores para vostilos a 400
rs. o covado.
Laazinhas a 120 rs.
Vende-se laazinhas para vestidos a 120, 210,
320 e 400 rs. o covado.
Alpaca lavrada a 610 rs.
Vende-se alpaca lavrada para ve3tidos a GiO rs.
o covado.
Granadini a 500 rs.
Vende-se gr n.dioa pretacom listras brancas a
500 rs. o covado.
Percales Unas a 400 rs.
Vende-se percales finas para vestidos a 4C0 rs.
o covado.
Chitas finas a 260 re.
Vende-se chitas de c6res escuras a 260, 280 a
320 rs. o covado.
Cassas de cOres a 260 rs.
Vende se cassas de cores finas a 260 e 320 rs.
o covado.
Cambraia victoria a 3 = 500.
Vende-se peca de cambraia victoria a 3?500,
4*e5*. Cambraia transparente a peca a 3?,
3*500, 4* e 5*.
Cortinados a 6*.
Vende-se cortioados para janellas a 6* e 7 5 o
par.
Chales de K a 640 rs.
Vende-se chaes de la a 640, ditos do merino
estampados a I 600 e J*.
Cor.Ies de casemira a 5*.
Vende-se cortq3 do casemira de ceres a 5*,
5*500 e 6*.
Colerlas de ehita a 2*.
Vende-se cobirtas de ctuta a 2* e 3*500.
. Colchas de fostio a 2*.
Vende-ss colchas de fustSo a 2*, 3* e 4*.
Fustlo branoo.
Vende-se fustfio branoo para vestidos deaenho
ras, organdys branco Qno a 640 o metro.
Mada polio a 8|,
Vpndese pecas de ma"iapolao"enfestado a 3* e
31500 a peca, ditas ditas fino a 4*500, 5* e 6*
dito francez fino a 6*, 79 e 8*.
Algodaozinho.
Ven'ie-se pecas de algodao de todas as quali-
dades e baratx
Bramante.
Vende se bramante de 10 palmos para lencoes
a 1*600,21 e 2*500 o metn.
Algodao enfestado a 900 rs.
Vende-se algodao de doas larguras enfestado a
900 e 1* o metro, dito Irancado a 1*280 o raelro.
Grande liqnidacSo de roupa feita.
Vende-se ceronlasde algoiao a 1*, ditas finas
a 1*200 e 1*5 0. camisas brancas a 1*800, 2 A e
2*500, ditas de linho bordadas e lizas a 3* e
3S501). paletot* C.6 alpaca preta a 31500, 4* e
i*oOO, ditos de dito de cores a 2*, carhlsas de
flaaella a 2*, ditas de chita a 1*280 e 2*.
E'BOM SARER-SE
Qoe a NOVA ESPERANgA, a rua Duque da
Caxias n. 63, bem conbeeida pela superio.-idade de
seus artigos de moda e phantasia, acaba de reee-
ber diversas encoromendas de meroaderias de sua
reparticao, que pela eleganci > bem mostra aptidao
bom go-to de sens aniigos correspondentes da
Europa, e por esta razao a NOVA ESPERANCA,
a rua Duque de Caxias n. 63, convida a ina boa
e constante freguezia e com especialidade ao sexo
amavel, a visitarem na, afim de apreciaram ate
onde toca o primor d'arte.
A NOVA ESPERANCA nao quer entrar no nu
mero dos massantes (verdadeiros azucrins) com
immeasidade de objeetos que tem expostos a ven
da, o que serla quasi impossivel, mas limitar-se-ha
a mencionar alguns daquellesoe mais alia novidade
e toma a liberjade de aconseibar ao bello sexo,
que a visitem constantemente, para depots qoe
comprarem em outra qualqaer parte nio se arre-
,, ndere:.i, a vista do bom e eseolhido sortimeBto
que ha em dito estabeleeimento, esta razao tam-
bem demonstra que qualqaer senhora do bom torn,
nao podora completer a eleganeia de sea toilet
sem quedoam passeioa NOVA ESPERANCA, a
raa Duque de Caxias n. 63, a qual acaba de reee-
ber os seguiates artigos de luxo e inteira novida-
de :
Modernas settas para prender os cabellos.
Primorosos leques de phantasia.
Bonitas sabidas de bailes para senhoras e meni-
nas.
'ntcreisantes gravatas para senhoras.
Elegantes faclias de touquim.
Boos aderecos de madreperola.
Delicados aderecog pretos de pufalo e borracha
(gosto novo).
Cura dos estrettamento doretra
pela facil applica^So das
SONDAS OLIVAES
DE
GOHMA ELAST1CA
As mais modernas e aperfei'^oadas de todas
as conhecidas
Vendem-se
NA
PHARMAQA E DROGARU
DE
Bartholomeu 34 Rua rarga do Rosarlo 34 "
para senhoras
Como sao lindas e modernas as gravatinhas qnc
a Magnolia, a ma Duque de Cax'as n. 45, acabt
de reeeber I
A' rua do Cabuga n. I A.
Os proprietaries da Fredilecta, no intuitc dc
jocservar o bora concerto que teem merecids do
respoilavel publico, distinguindo o seu estabeleei-
mento dos mais que ncgociam no mesmo generc
veem sc-ientifiear aos seus boss freguezes quo pra-
venii air. aos seus correspondentes nas diversas par-
;as d'Europa para lhes enviarem por todos as pa-
mctes os objeetos de luxo e bom gosto, quo se-
im mais bem aceitos pelas sociedades elegantes
iaquslles paiies, visto aproximar se o tempo do
'esta, em que o bello cxo desta linda Veneza
mats ostentaariqueza de snas toillettes ; e co- j Cwrdefr* Simdes a C, propris
mo ja recebessem pete paquete francez divers o j ieste importante estabeleeimento, no louvavel nro
irt^cs da ultima moue, veem pateatear alguns Drosito de nio desmentirera o conceito one os
i en.r& eiles que se tornam mais recomiaendaveB, | ieas Eumerosos fregoezes lhes tem dispansado,
wabam de reeeber dc sua conta o mais nco sor
fazendas e artigos de alta
novidade
LOJA M
; ta Primeiro dc Sar^o n. k.
aspcrando do respeitavel publico a costumada
joncurrencia.
Adereco3 de tartaraga os mais lindos que teem
viodo ao mercado.
Albuns com ricas capas de madreperola e d
"t.iudo, sendo diverges tamanbos e baratos pre-
03
Aderecos compietos de borracha proprios para
lato, tambem se voidem meios adere^as muito bo-
oitos.
BotSes de setira pre to e de cores para ornato da
pestidos de senhora ; tambem tem para collete
ciitot.
Bolsas para senhoras, existe am bello sortimen
der seda, de pallia, de ^ckagrim, etc., etc., por
aarato preco.
Bonecas de tcdos os tamanhos, tanto de loaca
como de cfira, de borracha e de massa ; chama-
mos a attencio its Exmas. Sras. para este artigc,
pois as vezes ton&m-se as criancas um poueo im-
pcrtinentes por feita de am objee'.o que as en-
tretenham.
Camisas de Iraho lisas e com peitos bordadot
i-ara homem, vendem-se por preco commodo.
Ceroulai de liafco e de algodao, de diversos pre-
OS.
Caixinhas com ciusica, o que ba de mais Undo,
com disticos nas tampas e proprios para presen-
e
Coques os mais- moderno3 e de diversos forma-
IH.
Chapeos para seoiora. Receberam um sortimento
dc ultima moda, tanto para senhora, como para
meninas.
Gapellas simples e com veo para noivas.
Calca3 bordadas para meninas.
Entremeio3 estampados e bordados, de lindot
loeanhos.
Escovas electricas para denies, (em a proprio-
!ad-3 de evitar &arie dos dontes.
Franjas d seda pretas e de cores, existe am
raode sortimento de divercas larguras e barato
preco.
Fitas de saria. <'a gorgnrao, de setim e de cha
lne, de diversas larguras e bonitas cores.
Fachas de gorgursc muito lindas.
Fi.rf* artiiiciaes. A Predilecta prima em con-
ervar sempre um bello e grande sortimento des-
s (lores, nao so para enfeite dos cbellos, como
ambem para ornato do vestido de aovvas.
tiaJoes de algodao, dc la e de seda, brancos, pra-
os et de diversas cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Lacos ds cambraia e de seda de diversas cores
para sennora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
aoiva.
Livros para ouvir mis3a, com capas de madre-
Eerola, maram, 5sso e velludo, tudo que ha da
om.
Pentes de tartaruga e marfim para a!war os ca-
t.ellos ; teem Umbem para tirar caapas.
Port bouquet. Um bello sortimonto de madre-
perola. marfim, tfsso e doarados por barato pre^o.
Perfomariaa. Kfeste artigo esta a Predilecta bem
provida, n5o s6 em extractcs, como em oteas
banhas doe melhores odores, dos mais afamados
fabricantcs, Loubin, Piver, Sociedade Uygienica,
Coudray, Gotnel e Rimel; sao indispensaveis p&ra
a festa.
Saias bordadas para senhora, por commodo
preco.
Sapatinhos de la e de setim bordados ,para bap-
tisados.
Tapetes. Recebeu a Predilecta um bonito sorti-
mento de diversos tamaoiios, tanto para sofa co-
mo para entrada de salas.
Vestimenta* para, baptisado o que ha de melhor
gosto e os mais moderno recebeu a Predilecta
, de or ar:.to preco, para dear ao alcance
jnalquer bolsa.
fazenda,
Popelinas a 1$ e 1&500 o
covado
0 Desengano recebeu um grande s<-,rtiment> de
popelinas de seda, de lindissimns padiSes, fazenda
que se vende por2i500, estt vendendo pelos di-
minutos prepGJ de 19 e 1 i POO o covado. E' grande
pechincha ; acllas, acres' 2*s e acsbcm : na rual
1* de Marco n. 25, junto a lola a* e?'iuina. Dao-se
as amostras com penhop
Fundas Heroiarias
ELECTRO-MEDICAES
Para ligar perfeitameote e curar radical-
mente
as quebradnras
Essas fundas estabelecidas sobre os conheci-
mentos medlcaes e anatoaicos mantem as quebra-
duraa as mais volumo.-os e difSceis, impedindo o
sea deseovolvimento. Elles teem ama accao elec-
irica que na generalidade dos casos opera uma
cura radical sem qne o doente se sujeite a pres-
cripclo alguma, a exeep^ao do uso eontinuo del-
las. A cura opera-se no periodo de 12 a 20 me-
zes conforme a hernia mais oa menos antiga.
Uoico deposito em Pernambuco, pharma-
cia e drogeria de Bsrtholomeu a C,
Raa ldrga do Ro.ario n. 34.
CASA
Vende-se on aluga se nma casa terrea em Olin-
* tratar na rua de Marco n. ft.
Gimeoto Portland
0 verdadeiro eiraento Portland em barricas de
180 kilos: vendem Lebre & Reis, a rua do Arro-
rim n. 88.
Vinbo verde.
Especial chegido no ultimo vanor, tem para
vender em barm rfe quinto e de Co',2T!iS em
decimos, no beu escriDtorio a rua do Comm6."cio
n. S, Joaquim Joie Goncalves BellrSo k Filho,
;im93to de sedas, popolinss, las e artigos de ul-
Sroa moda em Paris, e continoarao a Tecebct
por todos os paqaetes daeuella procedencia ; por
sso chamam a attencao de seus fregneaes e os
senvidam a darem um passeio ao seu estabeleci-
nonto, garaniindolhes que encootrarao a reali
iade do que fica dito, e para prova dao >B.ni pe
tceno resume, cujo infaJlivelmente despertara a
tenr;*o dos pretendenles.
Mandam fazendas a casa dos freguezes, e dao
amostras mediante penhor.
Artiftos mltissa moda.
(fortes de ws.ido de linho gaarnecidos de bico
ta mesma fazenda e cor, trazendo fivella, bolga,
-into, etc etc.
Riqaissiraos cbapSss para senhora, de cores e
jretos.
Cortes *de cambraia brancos com lindos bor-
iados.
ni de cores com enfeites da mesma
nrino, etc. etc.
Capas de la para meniDas e senhoras, guarne-
das de arminho.
Vestuarios para baptisado."
Etiquissimas r^misas bordadas para senhora.
Leques de madreperola, para noivas.
Ricas colchas de seda, para casafnento.
Cortes de seda, lindas cores.
Gorgorao de s^da branca e dito preto.
Sedinhas do dolieadds padroes.
Setim Macao de todas as cores.
Grosdenaples pretos e de cores.
Vella#o preto e damasco de seda.
Granadine preta e de cores.
?ilo de seda branco e preto.
Rieas basqninas dc seda.
Casacos de merte6 de cores, 15, Wc.
Manias brasikiircs.
Gapellas e mantas para noiva.
Cambraia de corec, ditas mariposas brancas, de
ores, lisas e borladas.
Flor do bosque (novidade).
Percalinas de quadros, listras, ete.
Grins de linho para vestidos.
Fustao de cores.
Saias bordadas para senhora.
Grande sortimento de camisas de liaha lisas e
tordadas. para homem.
Meias de cores para homem, senhora, meninos
meninas.
Sortimento de chapeos de sol para homens e
*nhcra.
Merinas ^e cores para vestidos.
Dito pi eto trancado e de verao, bombazina, can-
to, alpaca, etc. etc.
Atoalbado de linho e algodao para toalhaa, e dito
jardo.
Damaaeo de U.
Brim de linho branco e de core*.
Setins de lindas cores com listras.
Chales de merino de cores e pretos
Ditos de tonqnim e ditos de casemira
Camisas de chita para bomem n t^tas dcla-
iella.
Ceronlas de linho e ditas de algodao.
Pannos de crochet para sofa, cadeiras, etc.
- Lengos bordados o ditos de labyrintho.
Rieos eortes do vestidos de tarlatana, bordadoe,
>ara bailes, e tarlatana de todas as cores.
Colchas de dacnasco de la, e ditas de crochet
Espartilhos lisos e bordados.
Poulard de seda, liadas cdrea.
Meias de seda para senhoras e meninas.
Casemiras pretas e de cores.
iPApellnas.
Neste artigo temos um variadissimo sortimento,
lao so em gosto como em qualidade.
I.n*
10m littraa de seda, ditas com paloas bordadas,
litas trau3parentes e de outras muitas qaalidades.
Lsma
ie pelliea brancas e de cores, do verdadeiro fa-
>rieante -twtvw.
I'tnaicaente :
apetes (tort sola, cadeiras, oaroa, entrada, etc.
.arnbraias brancas, chitas de todas as qualidades,
aadapolSes, esgaiao, brelayhaa, bramaates, a!go-
loes, eoUarinhos, punhia, m6ias para homem a
enhora, panhos e eoUarinhos brancos e de co-
es para senhoras, gravata3 para homem e senho-
a, peitos bordados, leneos de linho brancos e de
tores, ditos de cambraia de linho, toalbas, guar-
(anapoi, panno fino, etc, etc.
Loja do Passo
Raa Primeiro de Mar$o n. '7-A
antiga do Crespo.
Pentes girafe.
Pentes girafo, proprios para senhqra, ( ultima
moda): a Magnolia a rua Duque de Caxas n. 48
6 ?6 quem tem.
Papai, mamai.
Como sao lindas as bonecas de cera que cha-j
mam papai, mamai, choram, andam, etc So na
Magnolia a raa Duqae de Caxias D. *&
Gaiolas, gaiolas.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias o. 45, re-
cebeu gaiolas de arame de lindissimos modelos,
Sroprias para passaros; a ell is antes qoe se aca'
em.
Colchas para comas
Naloja do Pavio vende se colchas de fastao
brancos-, para earaa a 2,306, ditas de dito de cor
a 4,000, cobertas de -cbita e de oretone, de 2,500
para cma e ditas de mstim escarlaie forradas com
madapolio a 3,000 : a rua da Imperatriz n. 60,
de Felix Pereira da ffilva.''
se
No esoritorio de Thomaz de Aquino Fonceea 4
C. Successores, a rua de Vigario n. 19, primeiro
andar:
Ciraepto Poitland verdadeiro.
Cera em velas e em grumo, de Lisboa.
Vinbo Sbey.
Vinho dj Porto em caixas, fiui$sim,o.
Idetn era barria de quinto e decimo, fino.
Refroz. '
Fio.
VENDE-SE
Na raa do Vigario n. 1, vende-se o seguint e
Cimento de Portland, em primeira mao.
Vinho do Porto, engarrafado, Dnissimo, em cai-
xas de duzia.
Dito dito em barris e ancoretas.
Vinho Sherry, inglez am eaixas de duzia.
Vinho Collares em aneoretaa,
Cera em velas, de Lisboa.
Cera em grume, idem.
^St
wiisou R&we & 0. vendem no seu armaxM
a rua do Commercio n. -14 :
verdadeiro panno de algodlo azul ameneuw
Kxcellente fio de vela.
Cognac de qualidade
Vinho do Bordeaux.
CarvJo de Pedra de todas as anilldades.
A 120 rs. o covado.
Na raa da Imperatriz n. 60, vende-se para aca-
bar uma grande quanlidade de las, restos de di
versos scrtiraeetos, desde 120 rs. ate 500 rs.; no
lando-se que, quaodo havia sortimentos comple-
tos, se vendiam a 1*280 e 1*600 o covado, hj
grande variedade em padroes, os que primeirc
cbegarem melhor pechincha. farao, a ella a rua d
Iniperatriz n. 60
Na loja do Pavao vende-se madapolocs franco
res muito iacorpados, com 20 jardas a 6,000 reis,
dito mORa fino com 12 jardas a 3,000 e 3,500 ; as-
sim come um grande sortimonto de madapolSes
iuglezes de 4,300 ate 8,000 e 9,000 : a rua da Im-
peratriz n. 60, de Felix Pereira da Silva.
s
accos
Vende se saccos do estdpa cm um peqaeno
defcito, proprios para ensaccar farinha, milbo, etc.,
pelo diminuto preco de J20 rs. cada um : na lo-
ja do Guilherme & C., a rua do Crespo n. *'.
Casaquinhos
Casaquiohos de gorgorao de seda, pretos, pro*
prios para seotacras, fazenda muito fina qoe sem-
pre se vendeu por 20, estamos vendendo por
6* cada um ; isto so na loja do Guilherme & C.
a rua do Crespo n. 20.
linho d'Abda
Linho de Alcacia com listras, aberhs, fazenda
muito larg?, padrSes lindos e inteiramente novos,
proprio para vestides de senhoras e meninas, pelo
baratissimo preco de 440 rs. o covaio ; dao se
amostras : a rua do Crespo n. 20, loj: do Goi-
Iherme^t C
Sargelim
Sarrjelim de cor trancado proprio para forro de
vestidos e outra qualquer obra e vende se pelo
riiminuto prego de 160 rs. cada covado : a raa
. Crespo n. 20, loja de Gcilhernie & (1
m remessa,
ViRho wk (k kmmnk
Convida-se os- apreciadores a virem apreciar 9
que ba de mais excellente neste artigo; vende-
se em decimos e a reialho, em casa de Pocas
4 C, a rua estreita do Rosario n. 9, junto a
greja._______________^__________________
kRetalbos de las.
0 Pavao vende uma porrao de retalhi.s de Us
para vestides tendo grandes e pequenos, que li-
quida baiato para acabar, as-im como uma por-
cao de cassas e chitas pretas que se vendem por
qaalquer preco para acabar: na rua da Imp r
tr'z n. 60, de Felix Pereira da Silva.
Espartilhos, a 3*500, ii e 5;,
0 Pavao vende um bonito sortimento dos mars
mode nos espartillK-s que veede a 3*5: 0, i* e
3/000.
Pechinca em leneos brancs a 2 300.
0 1'avao vende duzi.s de Itncos linissimos de
cambraia branca para mao, sendo fazenda que
sempre se vendeu a 4^000 a duzia e liquidate a
2*500 por ter grande porcao de duzia?, ditos abai-
nhados a 2-, ditos ciiiuez-s muito fih"s e ditos
francezes escnros muito lines para quem toma
rape
Cassas de cores a 240 rs.
Vende-se cassas da cores para vestiJo a 240 rs.
a ccvado : na loja do Pavao a rua da Imperatriz
n. 60.
Camisas.
Vende-se uma grande porcao de camisas bran-
cas com peito de linho e de algodao, por mnito
menos do seu valor, por estarem um pouco enxo-
valhadas, assim como stroulas francezas e de al-
godao a l;.50O, ditas de linho a 2 e 2.500 para
acabar : na loja do Pavao rua da Imperatriz n. 60
de Felix Pereira da Silva.
Ronpa para bomem para acabar ate ao fim
do anno.
As almofadas bordadas de la tnattsatah
sebeu a Nova Eeperaaea, a raa
Caxia.* r '",^
Cortinados para
Na loja do Pavao vende se am grau
to de cortinados bordados proprks toe -aoaua
janellas, pelo barato preco de 8, 9 e >OMa.*
par, assim eomo colclias de &\ vmmamm
de noiva a 10 e 12,000 reis-e )tmcKaac.
rua da Imperatriz n. 60, de F ,-tix taaaa Ar
Silva._______________________________
Sedinhas & 1500 o tm 4%
Venham antes qne se aca bem oa \ffjiJto4am
a rnal.' de Harco n. A.
Ma ha qnem U'n !a mfc '>** \
Gama & Brilo, com jrinazem dc a
largo da Santa Cruz n-. 2 a 4. vendem
gleza em barril a POO e 1,000 r psr
granmas ; vinho de maca a 1,200 ige
Figm ira a 440 a gmafa, a Canada *
giz (Devos) liquido ai40 a garr.f ,'
a 560 o mac.', velas eccn'tnlsai a?Bt
cba perola a 3,200 rs. caJa ISO f i
jofar superior a 3,000 rs. cada 450 graan
completo sf.rtinieuto de bi-coitos em &*
vendem por prego3 baratissimos, betv-Li-u
zas a 640 a lata, marn.elada mui' i
a la ta com rafiakilo, queijos free.-
de Lisb sorte a320 rs. o kilo, dito dc segiMi'n can
o kilo, dito de terceira sorte a 240 kit.
Porto, cm barril, a 800 rs a garr;>f n.fado das marca* mais acrerin
1,200 e 1,3; 0.: o quo pole'hav r M
tudo mais a vontade dos compra ior^v
quo enconlrarao a mai-.r sin*:!ladf
possivel : no largo da Sntatraz n- I e
Na loja do Pavai liquida se nraa grande porc.ao zem de Gama A Silva Brito._________
de roupa para homem como sejam : calcas de j "Vanrip ca
brim d Angola, ditas brancas, ditas de casemira de ; cUUc-oc
cor de 6$ ate 12.-, ditas de brim de cores, palitots na rna do Vigario n. 19, primeiro a.;-.:
e fraks de paano preto, de alpaca e alpacao, as Vinho do Porto engarrafado, em
sira como do casemiras de ceres, colletes branccs,: ancoretas.
pretos e de cores, r.ssim como ronpa branca de to | (;Cra em velas, de Lisboa, saperi
das as qualidades, nao se olha a prt juizo, o que se Retrox do Porto.
quer e llqaidar at6 ao ft n Jo anno.
Cambraia Victoria e transparente
Na loja do Pavao vende-se um grande sortimen-
to de cambraia Victoria e transparente para ves-
tidos tendo 8 1/2 vara cada pessa de 3.600 para
cima, isto na rua da Imperatriz n 60 de Felix Pe
reira da Silva
Collarinhos de liuh para acabar a 4..
a duria
Na loja do Pavao liquida se uma grande por;".o
de duzias de collarinhos de linho, por estarem um
pouco enxovalbados, pelo barato preco de 4;. a
Umento Portland, IfKilimo
Cortes decasimira ;
e 6#000.
Na loja do Pavio, vcnde-S' -
sctr.ira para celija a 45?, 5? -ft,
aiuito fuiisda uma so cOr com
do, fazenda qne seaipre se v
lOJTOOO, liquida se a CaO>
1 com as senhoras,
a Magnolia, a raa Du^ce de Caxias a. 43, par-
icipa ao bello sexo que :aba de reeeber da Eu-
opr., um completo sorttraento de artigos de ulti-
aa moda, e como acba desnecessario fazer am
rafcdonho anuuneio, por ja ser hastarrte eonhe-
ida, caprichar sempre em ter boos correspen-
lentes, seado a primeira -que apreseafta o one ha
le mais moderno e por ppeccs mui raeoaveis, por
sso limita-se a descrevcr soaente o aegointe:
iettaa donradas.
Blcwa de cores, tanto-de seda coma de gtripure.
0 taruga, osso, etc.
aiiidag de bai'e.
Preaentea. diversos artigos propriee para pra-
se ntes.
wotinbaB e puahos.
tartaruga, marfim, velludo, etc.
Camisas bordadas para senhoras.
Ha de seda.
Craaajas mosaicas.
iderecoH de tartaruga.
t'oltaa de madreperola.
wIelraS de madreperola.
LtiMloa flores para cabeca.
ttolaas de velludo.
Perfumarlas dos melhores a mak afamados
fabricantes.
cbapeoi de sol para -senhoras.
Pttaa de venttdo de todas as cores e lacguras.
MoseftB.
Quereis livrar-vos destes malditos insectos? com-
>rai uma maebina de matar moscas nor 3*000
la Magnolia, a Vua Duiue tfe Caxia* a. *5.
Calviee.
A Magaoiia, a rna Duqae de Caxiasr n. i5, ven-
io o verdadeiro Vigor de Ayer, que impede a
-Ahida dos cabellos.
iluzia, sendo fazenda qne sempre se vendeu por a" rua da Imperatriz n, CC, ie f
7j 6 pechincha : a rua da Imperatriz n. 60, loja d* Silva.
de Felix Pereira da Silva.
Chales de casemira a 4*.
0 Bawao vende chales de casemira com gostos
chinezes, sendo muito grandes, que sempre ven-
deu a 7* e 8j, liquida a 4.,. Ditos de la, muito
encorpados, com listras, a 3-. Ditos de quadros,
azeuda muito bi forti.nento de ditos de merino, lisos e de quadros,
veede de 2# ate5, e 6* : a rua da Imperatriz
n. 60, loja do Pavao, de F. Pereira da Silva.
Popelina dc linho a 400 rs. o covado.
.-& r
Cal de Lisboa mtmmm
-Vende se em grandes e peqoecis pwjaw'
dna Dircita n. 14. ___
Para concertar n
A NOVA ESPERANCA, a rua Daaja Sk
n. 63, recene.' ''esta necessaria i:> i
0 Pavao recebeu um elefante sortimento das
mais bonitss popelinas listradas para vestidos que
vende pelo barato preco de 400 rs.-o covado, la-
vandose nao desbotam ; assirn como, bonitas e
modernas lazmhas com listras de seda a 640 rs.
o covado. Ditas transparentes com palminhas a
500 rs., sao -bonitas. Bareges de nma so cur. pelo
barato preco de 400 rs. o covado, e pechincha :
na rua da Imperatriz a. 60, loja de Felix Pereira
da Silva.
Cortes de vestidos pira liquidar.
0 Pavao vende a if, 5* e 6* corte de cam-
braia branca com enfeites bordado3 de e6r, fa-
zenda que sempre vendeu a 7* e 8*, e liquida a
4* para acabar. Ditos brancos de cambraia aber-
ta com listras e lavradinhas, que sempre se ven-
deram a 10*, liquidam se per 5*. Ditos Benoalao
com lindos eufeites de c6r, fazenda que val 12;,
liquidam se a 6j. Ditos de cassa de cores com
7 varas a 3* ; e pechincha : na rua da Impe-
ratriz a 60, loja de Felix Pereira da Silva.
Pechincha para criancas.
Meias i 2*560 a duzia.
Toalbas de fustao tara mesa a 2-500.
0 pavao vende toalhas de fastao para mesa de
jantar pelo bar; to preco de 23-300, e pechincha :
na loja do Pavao, a rna da Imperatriz n. 60,
lojadeF. T. da Si'va.
Gros preto a 1*.
O Pavao vende grosdenaples preto a 1* o co-
vado e dahi para cima, ate 4; : na rua da Impe-
ratriz n. 60, loja deFtlix Pereira da Silva.
Bri&s de Angola a 2*, 2 500 e 3*.
0 Pavao vende curies dos verdadeiros bins de
Angola a 2;, 2*300 e 3* ; e pechincha : na rua
da Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da
Silva.
Metis* a 280 rs.
0 Pavao vende bunitos metins de cores para
vestidos, pelo barato preco de 280 e 320 rs. o
covado; assim como, am bom sortimento de chi-
j"tas do tones as cores, padr5es modernos e Gxos,
pelo barato preco de 280 ate 36 I rs. : a rua da
Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da Siiva
Asunicas verd?,icy,r
Bichas hambnr&nezss an
v?rr
na Tir 1I0 Marane? >Mir't^
VK
JK-
-*-
Sardas epanos.
So tem -sardas e panos qnem quer; oorqne a
lagnolia, a rna Duque de Caxias a. 45, tem para
render a^verdadeira Cuticuleria, que faz desappa-
cer esus tMncMS'eta^oueoedias.
Grande descoberla
CuratiVo das molestias do
peito pelo
\aropc dc sulphito ale soda
a i;it\iT
Este importante medics men to que acaba de ser
reeonhecido pelos distinctos Drs Zailoai e Paras-
ehevas como um verdadeiro especifico contra a
?htysica, segundo provaram nos grandes nume-
fos de casos por'elles experimentado!, como se v<
oa sessao da academia MPafis de 94 de marco
do corrente 'anno, eneorrtra-se nnicamente ao
Dcpoaito da pharmaeia e drogaria
de
Bartholomen *C
N. 94 Raalarga do Rosario- N. 84
0 Deseng-mo esta quei-
mando
0 proprietario deste estabeleeimento tem resol-
vido vender as fazendas existentes em sea estabe-
leeimento, por menos de que em outra qualquer
parte.
'Varjzinese de seda.
Vende-se esta fazrnda de lindos patroes, de lis-
tras e pahaas, i>elo diminuto preco de 30 rs. o co r
vado, por tor uus toques aaoS? e grande pechin- J* .b,J?","fl,2fS0 ~. f 2n
.h, t... f....i. .,mK^ ooL iET I cba : na rua da Imperatrw n. 60
S < :K
ja tie S. Jose do Manga nao, ooai .-. naaa>
assobradada c outras acommo*?.' .--- ~ do, com duas frentes.-crvias ro: i i .
dacdo p3r?. a rua d Amizad'i e pai *. ?< aa-
guinho. Tem de terrene proprio ii.-.*
hrgurr. e 354 de fando ; e a mm i taaaa-
d ireiite c 84 de fuuu^.. A situ ..,."' "*w
possivd tara morada, e qnem ani \ : .x n-
bastante terreno r.ara isto, pel- I.
Amizade., Tem a'gumas paaaaaBi I --c%-
creio, havendo bastanto aaa waaaWi jjs
cacimbas, ama das quaes e nova. A
com o Sr. Dr. Witrnvio qu mo;
A 500 rs. o covad'i
Na loja do Pavao \< nde-sa iazir.has
de cores muiio modernas pelo b
de 600 rs. o covado, para acabar ; rtoUtina-a**
6 fazenda qoe jamais se vaaata oaaai aa
dcis crusades ; ja ha por.cas : a rua d' "
n. 60, loja do Pavao, d-> Felix P-^r^
Para p: darias e t^veraaai
Sal fino e mnit-.i alvo : vende se ca nt >mt-
rail n. 5, armazem.
Lizinhas brilbantes a 720 rs.
0 Pavao recebeu nm bonito sortiio :r-j>!tk
Kndas lazinhas brilhantes, sendo i ..an
miudinbos, parecenlo de uma to cor, e yit aaV-
rentes cores ; esta fazenda tem i> > '..- rw *aat
seda e bastante largura, vtnde-v ?>Tt"r*#
covado : na rua da Im. eratriz n. U! .. ? m
Pereira da SHva.
Lizinhas mode: ;ias 1
0 Pav;io vende bonila.^ laziolias <'
tendo de todas as cores, pelo bam- f* Mi
rs. o covado ; sendo fazenda qoe s .,. ^aaaai
a 5X0 rs, e pechinca : na rua da Inaaaataiav
; 0, loja de Felix Pereira da Silva.
Crochets para cadeiras
0 Pavao vende uma porcS" 6>- i>*a' i r-
chet, proprios psra en*osto de c*>'
fas, qoe vende por precis baraio-ir
da Imperatriz n. ^0, bja do Fetu P , Silva.
Cortes de organdy a !*<
> 0 Pavao recebeu am bonito sonim^air *r <
de organdy, matisados, para vea in


mm w wo.
A' pm^a circukr do Apollo
veride~se:
Tijolos de raarmore, de dilTerentes ta-
manhos e qualidades.
Tijolos francezes, scxtu^los.
Cimento Porllat^ tcrdadeiro.
Azulejos grandes muito proprios
para rodopes.
Ainlcjaa verdes e anaarellos, tamanho
regular.
Maquiuas de descsro^ar algodao.
Cadeiraws de ferro, asserrto de palhi-
aha, propriaspira campo.
Salsa parrilha
Muito novae grossa.
Vende-se por barato preco, em porcio On a re-
narna larga do Rosario n. 34.
talbo
E' com afc noivas
- A NOVA ESPERANCA, raa Daque de Caxhts a
36, acaba de reeeber boas meias de seda propriai
para noivas, e os apreciaveis ramoa de larangelra
cha. Esta fazenda tambem serve para Into, por
ser toda preta; e fazenda de 2*500 o covado.
Damasco de la.
0 Desengaao esta vendendo damasco de la de
lindos padroes e de duas larguras, pelo baratissi-
mo preco de I*COO o covado, 6 fazenda de 2*500.
Aproveitem que o Desengano esta qaeimando.
Casaquinhos de gorgora<> de seda.
0 Desengano esta vendendo casaquinhos de gor-
Sorao de seda, enfeitados, pelo baratissimo preco
e 6*060 cada um, e grande pechincha. A elles
antes que se acabem.
Organdys a 320 rs. o covado.
Vendem-se Organdys de listras, branco, pelo ba-
rato preco de 320 rs. o covado. Aproveitem.
Madapoloes de 49000 a peca.
O Desengano esta vendendo madapolio francez
com 20 varas ^ 4* a peca; dito muito fino, a 5*,
5*500, 6* e 7* a peca ; e grande pechincha.
Algodao marca T, largo, a 4*, 4*500 e 5* a
peca.
Rieos chapeos de sol de seda, com cabo de mar-
fim, a 12* cada om ; e pechincha.
Baptistas de lindos padroes a 400 rs. o covado.
Lazinhaa de cores, bonitos padroes, pelo diminu-
to preco de WO e 209 rs. o covado. A ellas antes
qne se acabem.
Cambraia Victoria, a 3*500, 4*, 4*500 e 5* a
peca.
Alpacas de eores, la e seda, bonitos padroes, a
800 rs. o covado ; e grande pechincha.
Metraa-^e -cores, bonitos padroes, a 280 e 300 rs.
oeovada.
Chitas elaras de lindos padroes a 240, 260 e 280
reis. m
E outras muitas fazendas qoe deixa de mencio-
na-: as para nao se tornar enfadonho, por iso o
proprietary convida a todas as pessoas a fazerem
uma visita a sea estabeleeimento. afim de sorti-
rem-se do bem e barato. Raa do Crespo n. 25
junto a loja da esqnina.
Pereira da Silva.
4-F-
Sao de lietrafi
I^ftziiahas a r. a*m4.t
Sd o 43QueimadoS JUNTO A LOJA DA MA<.V*n
Lazinhas de listras, gostos a r~ ^mwt
icuito linda a 200 rs o covado
Aproveitem antes qoe se acabem
Dao-se amostras oorn p;-nb< r.
Fedras de mtwrt
Vende-se pedras de m?rmores, o
manbos, com duas polegadas de g- -
para mnitos acisteres : a tratar corr
Conha Lages.
fSHaaai
Bartholomeu & Q
PARA
Liquidaeio de con!**
vendem por barato preco
SALSA-PARRILB*
DO
PARA'
34-RUA LARGA DO ROSA!"
Farinha demandioca supe-
rior.
Tem para render, Joaqaim Jose Goncal-
ves BertrSo 'A Filho. a bordo do palbabote
Rosita, :londeado ao p^ do MM doColhsgk),.
e para tratar a bordo ou no seu escriptorio :
6 tm tdt^wncmo n. 5.
E' pechincha.
A m rs.
Lasinhas de cores, padroes mnif aaiaa fta-
prios para vestidos de senhoras e ataman, at a
de-se pelo diminuto preco de 100 rs t
ar este preco so te encoatra aa roa f>:.
), loja do Guilhejme & C.; dao se
Leques gigante*
SO qaera tem dos mais moderno- *
a raa Duqae de Caxias a 45.
Chocolnte do Maranhao
Unico deposit nesti Cidade, em casa de Jos<
Tavares Carreiro & C, rua Direits n. J4, onJe a
vende pelos pret"- tauiageus d rabrifta.
Tnves.
Salsa-tarrilha do ParA
Tem para vender Aniomo Luiz de Olivmra Ax*
vedo, no sen es.-,ript"rio, a rua do Bom Jesus no
mero 57.
Vende-se traves de louro e qu; *Jt
ver do caes do Ramos, e trata-s t J
Rodrigues Tavares de Hello, i i: it
Santo n. 17, 1.* andar.
Sal do Agpu
Tem para vender Antonio Lou at
Azevedo, a bordo do palhabote **' Afl
tratar com o capitac a bordo, on n> m
torio, a rua do Bom Jesus n. T



fit
8
3iark> de Pernambuod Bexta feira 27 de Novembro de 1674.
T
TARIEDADE
Falleceu em Paris, victima de uma
apoplexia fulminante, 6 contra al-mirante
francez Pape'rouse
Victor Hugo offereceu a Emilio Cas-
tellar, durante a permanencia d'este em Pa-
ris, am banquete, no qual o primeiro pro-
i fer.'o um discurso (azeado votos pel* uniao
dos povos latinos.
A rainha mii, da Baviera, recebeu ha
dias o Sacramento da confirmagio das m3os
MISCELLANEA
Noticias recebids do Nova York duo
horrorosos por.nen.ir- s do .troioor de terra
quj se deu em Gun emala om s-tombroul-
timo. Acidtdo do Antigua tic-m quasi
destruida^ morroti l muitas possess' debai-
xo das suas ruinas. A catastrophe occoff-;.
reu sen qua sj Jotasse signal alburn pra- >do ',r- panfacio de Dinkelbispo de Augs-
carsor dj pheujneii'. in gritoi pen> Dour6*. na igreja parochial do Waltenho-
traiitis da povoigao e ao ustraptt qai ft- *c0;
siaraascasas a i-;s n >rou.tr-sa, jooliv-3e Uma M)a italiana explica a causa
utn ruiJu'se iHlni'it > a i .:,ti ntii i) I i tro dosembaragos" provisorio3 de Garibaliidi-
vao, o qtnl siiiia das anlnahiS da terra. z'}"do, qua o general para auxiliar um dos
A catastr.ipli) succtiiu. tin h para a maior SeUi lilhos, Ricciott, gastara mais do que
terror, a" noite. Os Inbitantes qua tons-:- possuia, vendo-se obrigado ate a vender o
guiram salvar-se abanlon.tra n a jilaie em i3cU vac^- P ruitus, e oranloe ctntantt uymiios religio-i0 '"terraediari > de que elie se servio para
sos espararara id ui.ii do cam-to a uiiega- ;effectuar essa veuda, fugio com o producto
da do dia. Cunpletarain o quadra, \i de d'^'a.
si tao siaistr.j, ban Its de sal lead) res tie pa-j Depois de u.na tentativa infructuosa
uhal era puuho, quj percorria n as ruis |Para abrir urna subscripgSo em Geuova, en-
aproveitando a consternag-lo g;ral para roti'-! co"lrou reursos na America, on ie comoe"
barem e saquearem quanto pudiam, ferindo Mb'do foi aberta uma subscript publica,
os que offereciam ro.>isteneia. 0 terrerroto CUJ producto Ihe sera" dado a titulo ae re-
s-jntiu-se ligdir.tinoiite e:u Guatemala,, capi- eompensa nacional.
tal da republic*, porem ficaram tambem 0 Vaterland de Vienna Mgt que baja
di-
de Napoleio HI e antigo cheje do ubinetejerainente constructor de navios de Inglater-| E*ta progressdo. dizia o ullecldo Due-1 ,
Ojury inglez, encarregado de darjde Philadelphia, era 1875/ havera uaquella
(um veredictum dcerca da explosio de urn eidade um graode congresso do Xadrez.
barco carregado de polvora, que teve lugar Osorganisadores do congress) acabam de
ha tempo no Regent's Canal, em Londres, escrever aos principaes jogadores europeus
proferio a seguiute decisij:Charles Box- podrado-lhes a sua adbesio. 0 primeiro
ton, William Taylor e Jonathan Holleway' premio serd de 20,000 dollars. E da crer
mo.rerara por motivo de uma explosio que que a luta princ piando no ultimo anno, por
se deu a bordo do Tilbury.A Companhia occasiao da exposigio do Vienna, continue
do Great Junction Canal (Regent's Canal) e em Philadelphia entre os Srs. Steinitz, oara-
casamento noticiado por
eutre o principe herdeiro d
princeza dinamarqueza Ti-
destruidas as aldeias pr -xiraas da ilba do
Fogo.
A proposito do proeesso do conde
de Arnim, couta se que o feld marechal'de
Manteullel, o rival de Bismark, em uma
conversaija.) era que s3 tltseutia aquelle as-
snmpto, dissera :Temus iioje presos um
bispu e um embaixa lor, faltando s6 um
militar de elevada gr.idus?ao para comple- ?r8s Prom um d'elles n3o se sabs' odes-
ttrareuniao. Creio positivam.mte que nao t,W} tlue .loinuu' receiando-se quo os iufe-
tardard a chegar a minha vez ','zes marinheiros fossetn tragados petas on
o projecto de
versas folhas,
Hanover e a
rba.
0 vapor iugl-z Mary,
Glasg >w para a TrinJade,
golpbo da Bi:caia.
A tripolagao pdJa salvar se
em viagem de
foi a pique nj
nos esca-
Segundo o Reportorio geral da ma-
das.
rinha para 18711875, receittemento pu- Noticia um telegramma de Caleuta",
blicado, as naQdes abaixo mencionadas iem t,afa de 25 de- outubro que o cycldne
possuem os seguintes navios do vola : Id-II88 alli houve no prmvipio do mez, causou
gbterra 20,538 ; America 6,86!); Nome- numerosos prejuizos em Midua, morrendo
ga 4,46i; Italia 4,343 ; Alhmanha 3,483 ; !aleia dlssJ utnas dua* nd_pessoas.
Erauca 3.780 ; Uespanha 2,674 ; Grecia
2,083; Hollanda 1.418; Sueeia 1,903;
Russia 1,428; Austria 955; Dinarnarca
1,239; Portugal 410; America do Sul
21tf; America do Cento 138; Turquia
277 ; Belgica 51 ; Asia 35. Total 5G.289,
representan lc 14,523,639 tonala l\s.
- As ilhas Fiji, que a ingiaterra acaba
de. aauex r aos seus dominios, sao em nu-
mero de 225 e a sua superficie total e igual
k da Corsega. As duas ilhas principaes,
Viti Levu e Vanua Levu, oade resilem os
principaes planladores, tem cada uma Hellas
a circumfereucia de 250 milhas inglezas. O
clima, com quanto tropical, 6 dos mais agra-
daveis.
A navegagao alii e perigosa, por cau-
sa dos rauitos baucos de coral.
O algodSo e a principal cultura, sen-
do este de uma qualidade muito 6na.
Tambem vai-se alii cultivando a canna
de assucar, o cafe" e o cacau.
A popula^ao indigena e de 130,000
almas, aproximadamente, divrdidas por 140
ilhas; as outras sao iubabitaveis.
Dizem de Berlim que o governo rus-
so prohibio todas as procissojs catbolicas
publicas, excepto na Polonia proprianiente
dita.
No dia 26 de seterabro foi justi^ado em H -
kodadi ( Japao) o assassino do consul alle-
raao, o Sr. Haber.
Diz a France : E' sabido que todos
os anuos um numero consideral de peque-
nos italianos emigrant para a Franra, prin-
cipalmeute para Paris, onde, sob a direcgao
de verdadeiros exploradores. se entregam a
uma mendicidade disfanjadt por alguns
instromentos que tocam.
0 governo italiano, preoccupado com
a triste situagao dessas desgracadas crian-
q&s, acaba de obter da prefeitura de poli-
cia que a lei de 21 de dezembro Je 1873,
votada pelo parlamento, seja applicada ri-
gorosam.-nte.
Por esse motivo furam expedidas as
ordens mais severas para que todo o musi-
co ambulante italiano de menus de 18 an-
uos de idade seja immediatamente preso e
conduziilo ao consulado geralde Italia, que
se encarregara de o fazer voltar a pa-
tria.
0 Timtt publica um despacho de Ti-
des, em data de 23 de outubro, annuncian-
do que um grande incendio destruio eora-
pletamente naquella eidade o tbeatro e cem
armszens.
O incendio continuava.
Noticias de Alexandria refere que na
Bjlsa d'aquella cida-'le houvera uma reuniSo
publica, Da qual spj decidio erigir um monu-
raentoem bonr?, do khediva.em commemo-
ra^So dos esfovcos por elle feito para ira-
pedir a inur.da^So do Egypto.
Foi nomeada uma commissao, om-
posta la vinte cinco pessoas, encarregada de
apreser.itar no kbediva o projecto desse erao-
num'jnto e de fazel-o executar.
O papa, ao receber ha dias o bispo
de Verdun, fallou da Franca era termos
motto benevolos, dizendo que tieraia s6 em
t>ensar nos perigos que a ameacara. Pio IX
insistio na necessidade, para os catholicos,
de reunir todos os esforgos, afira de previ-
nir esses perigos, e combater efficazmente
o; inimigos da igreja e da sociedade.
0 arqui luque Renier, nomeado ulti-
mamente commandante em chefe da lan-
dwi-rh *austriaca, acaba de ser promovido
ao posto de feld-marecbal.
Diz-se que o governo francez acaba de
prohtbir a entrada em Franca de uma bro-
chura assignada por Emilio Lambert e iu-
titulaJa.Dous marechaes de Franga, a
Roeha Tarpeia e o Capitolio.
E' um pamphleto dirigido contra o
marochal de Mac-Mahon por motivo do seu
compoitaraeuto durante a guerra de 1870.
0 aatnr d'esse escripto diz-se que n3o 6"
outro Feala o Sr. Regnier, que procuraria
advogar mats
tanto
uma vez perante a opiniao
a sua causa como a de Ba-
publica
zaine.
. A primeira pagina d'essa brochura 6"
consagrada a" reproduc^ao de uma carta de
Bazaiue a ex-imperatriz.
0 Sr. Emilio Castellar chegou no dia
26 de out.rhro a Paris.
- A su? primeira visita foi i embaixada
de Hespanlta.
A Tribuna,.&9 Berlim, de 22 de ou-
tubro, diz que a sala do tribunal crimina
Wurzbarg, em quo em Kullmann foi julga-
do, u3o con tern senao 100 lugares, dos
quaes 40 estavam ja tornados pelos mnm-
bros da imprensa.
0 mesmo periodico refere que 0 tri-
bunal exigiria a presen^a do Sr. de Bismark,
se este n3o justificasse por meio de um at-
testado do seu medico que a viagem lhc
^ irapossivel por causa ao seu estado de
saude.
Um telegramma da Coronba di noti-
cia da perda total por causa do- navoeiro,
ao lado do eabo Fiuisterra, do vapor fran-
cez Ville de Marseille, capitao Dessaaux,
que ia em viagem do mediterraneo por
Uespanha e Portugal a IXwtkerque. A tripo-
lagio sahou-se toda.
0 periodico legitimists de Paris- Uniao
diz que now membros da-casa Bourbon
teem ja abracado a causa de D. Carlos, a
saber: seu irmao D. Alfonso, D: Henrique,
0. Francis;o o D. Alberto, ostresfilhos do
infante D. Henrique ; o coronel Gorouski e
Bourbon; um irmao do ex-reide'Na poles,
o duque de Parma e o conde de Bardi, ir-
maos da duqueza de Madrid.
Os trabaloos topograpbicosempreben
didos no pttiz qua existe entre Araou a o
mar Ca^pio,. progridem de m>do favora*-
vel.
Ate agora tudo faz presagiar que a
abertura de um canal de navegagao 6 pratx-
cavel.
Esta concluida a restauracao do tbea-
tro lyrico de Paris, e diz-se qae e incontes-
tavelmente a mais bella salade Paris.
Gragns a um novo systema de iltu
miuaQ&o, o gaz consuraido em cada noite
nao importara em mais de 125000. A pri-
meira represenlagao para a imprensa devia
effectuar-se a> dia 5 e a primeira para o pa-
blico no din 7. t
No dia 31 de outubro- deu d cost* a
cerca de 800 txetros de distancia do cabo
Gris-Nez, a barra hamburgaeza Adolpho*
de 500 toneladas, que ia de Hamburgo pa-
ra Valparaizo, com um carregaraento de di-
versas mercadorias. A tripola^ao salvou-se
toda.
Foi destruido por um incendio, no meio
do mar,.o navio Calcutta, de Londres, que
ia de de-South Shields para Aden, com um
carregaraento de carvao.
A.tripolacao refugiou-se em tres es-
c a lores.
A que ia era dous d'e les foi recolhi-
da por ura brigue, que a deserabarcou na
ilha de Santa Helena, porem os que iam
bo ter^eiro cre-se que se perdessera, por-
que o mar estava mao.
Tambem foi destruido por um incen-
dio o vapor ing|oz County of pest, nas al-
turas de Calcutta 1 A tripolagao salvou-se
toda.
0 Mundo- russo noticia. que se esta
construindo actualmente nos estaleiros do
Novo Almirantado, um navio encouracado
de um novo. typo. Este navio, que tem o
nome de Cruzador, 6" feito segundo os
desenhos. do vice-alrairante Popow e apre-
senta a particularidade de que a couraca de
ferro sera coberta com uma segunda de ma-
deira.
Esta innovagao tem por lim augraon-
tar a capacidadeda lluctuagao do navio e en-
fraquecer a for^a dos choques no caso em
que o navio toque n'algum escolho ou pre-
tenda veneer algura obstacolo.
Falleceu em Vienna o reverendo Mon-
tour, antigo cspcllao particular de NapoleSo
HI. Legou metade de seus bens, que escen-
dera de 120:0009000, ao principe imperial
metade, e a outra metade ao papa como di-
nheiro'de~S. Pedro. Os seus moveis e bi-
bliotberJa legou-os aos franciscanos, e o seu
retrato em corpo inteiro a igreja de Lour-
des.
Os periodicos ilalianos dizem que
monsenhor Liverani descobrio um methodo
para inte-pretar as inscripgoes dos antigos
raonumentosetruscos. Dedicara-se por muito
tempo a este estudo em Chinsi, onde exii-
tem monumentos dessa especie em grande
abundancia, e vai publicar uma descripcSo
da sua descoberta.
0 cardeal Guibert, e depois deste os
arcebispos de Besangon e de Bordeos, aca-
bam de prohibir ao clero das suas dioceses o
escrever nos periodicos Esta medida foi
tomada em consequencia das cartas publica-
das pelos padres Guicheteau e Maury, com
balendo o dogma da infallibilidade papal e
pedindo a aboli^ao do celibato dos padres,
ambos estes ecclesiasticos foram para Gene-
bra, juntar-se ao padre Marecbal, successor
de Jacintho Loyson.
Dizem de Berlim, que o governo alle-
m8o estuda a questio de saber se e* util pro-
por &; potencias navaes o redigir-se um co-
dico internacional em coramim, com refe-
renda a avirias e outros assumptos rtlati-
vos i navegagao.
Fez-se a poucos dias, ;ra presenga do
estado-maior dos bombeiros de Paris, uma
nova experiencia com o apparrlho de salva-
g3o para os inceodios, do Sr. Assicr-R^tif,
recenteraente experimentado e.n Vincennos.
As novas experiences deram o resultado
mais satisfactory.
0 Honitr.r Universal noticia o casa-
mento da fillia Jo Lniz Veuillotcom o cora-
culpada do ceglicencia de nao ter tornado
as precaucoes necessarias no acoudiciona-
uiento e trausporte' do carregaraento do re
ferido barco. As leis actualraente era vigor
que regulara a matena sao perfeitameute
incapazes de auxiliar a seguranga publica e
de protege las em semelbantes casos.
0 governo italiano procede & dist ibui-
i.aa de uma nova espiugarda, modulo Wao-
kerliu, por cerlo numero de regiraeutos de
Versaglieri e de iufanteria de linha, tendo
alguns solJados recebido ja" o nuvo arraa-
raeuto alim de se veriQcarem as suas vanta-
gens.
0 ministro da agricultura e do com-
mercio, francez, acaba-de mandar publicar
a lista dos trattdos de commercio e navega
gao existentos actualraente entre a Franga e
os paizes eslrangeiros.
Esta em Paris, ocde foi pnssar al-
guns dias, o celebre republtcano inglez
Bradiaugh.
Parece qoe o motivo de o conde de
Arnim ser posto era trberdade, sob palavra,
(n oseu mio estado do saude, o qual so ag-
gravava cada vez mats. 0 conde nao pode-
ra" sabtr da Al.omanlw e a ltanga que deu
foi de 100,000 tbalors,
Eutre as pessoas kttemadas em Fran-
ga conta-se o cura Santa> Cruz, qoe se achava
em Pau, disfarcado.
Era uma reuniau que so ceCebrou em
Roma, os directors dos periodicos daquella
capital deci pensao vitalicia de iiO.OOO' libras romanas,
somo dadrva nacional.
0 capitao de artilbaria do eaercilo
francez Schsltz, inventou um canbao de
ago que se carrega pela culatra e cuja reca
man e reforgada, stem de duas grossus ca-
pas-de ago, por outra de 4,900 metros de
arame do raesmo'toelal, oque permittedupli-
car tr carga sem reeeio do canbao rebentar
em ^irtude da sua etasticidade. Tera am
a lea nee de 9 kilomekros, pouao mais eu
menos e estd-se construindo nas ollicmas-
dos Srs. Varall, El wed e Middleton.
Foi apresentada i Sociedade Ecodo-]
mica At Madrid uma Itu inventada pelo Sr,-
liuarrell, a qual as- cmtdigo.-:s de- limpeza e-
extr^ordiuaria uatureza reu no as deoao doi-
tar fumo uem necesskar de tube de vidro.
Uma commissao da referida sociedade exa-
parecer
.Noiicia? de Londres referem que so
desencadeoo alii e em> outros pontaadopaiz
uma furiesa tempestr.de, que causoubastan-
tes prejuos. Alem dos desmoronamentos-
peao de luglaterra, Paulsen a Anderson, da
Allemaoha, e Rosenthal, representante da
Franga. As sessoes do congresso durar3o
tres mezes, desfijando os organisadores, que
os jogadores letibara dous dias de descauso
em cada semana, condigdoquo n3o foi acei-
ta em Vienna, onde os campeoes lutaram
durante 45 dias'consecutivos.
0 North-China-Herald noticia que
se descobrio em Tientsin uma conspiragio
muito grave contra os estrangeiroa. Todos
os couspiradores perlencera ao exercito chi-
ueze o seu chefe e o general Whang. U.n
dos presos declarou que a con -piragao t nlta
por fim saquoar Tientsin e matar todos os
ffstrang-iros. 0 governo ciiintz man! u
tres cauhoneiras para aquello porto. Os
coiisules e as colonias estrangeiras reunem
todo* os meios de defez*' do que podem
d is por.
Araba de morrer em Fraoga na idade
de 85 auos, o general da resrva marquez
de Laplace, ftlho do illustre sabic-. do mes-
mo nomc
F.>i preso em Paris, p.tr rasrhligar,
um polaco pot nome Wiminski, quo conta
a idade de 193 annos.
0 incendio da fabrksa de fiagao de al-
godao que houve'ha pour> em Over (Coos-
Wrshire) pertencra aos Srs-. Kaigh e Qlhos.
J fogo principiouy is 10 huras da manbA,
sorpreml-udo to Jos os operarius nos seus
trabaHh>s. As muHieres preeipitavain-se dus
jauellvts do terceirce quarto atidar sobre os*
fardos (ia algodao incandesce:!to que so ti-
uham fengado a rua. A calleirada macbi-
na, qyieera da forga de 120 aavallos, re-
bentouv desmoronando-se entao todo o pre-
dio. Morrerara queitnadas vivas 9 mulbe-
res na presenga de milhares de especladores
que de raodo algura poderam seocorre-las.
Tamben: morreram muitas criangas que se
tinbara precipitado para a rua de uma altu-
ra de 20 metros. Era Midescriptivei o hor-
ror produddo por esta eatastrapbe. Igno-
ra-se o que origii/ou o ineendio.
0 Correio de Baytma refere quo che-
garara ha pouco aquella eidade, proeeden-
tes da Alleraauba, cinco pipas contendo 45
sellins que-tinha a iudicacj&o de Sellaria de
Saumur. 0* sellins, que nao eram aovos,
provinharav dos petrechos toinados eraSedau
e Met/., os quaes foram veiididus aos oarlis-
minara c-apparelho j- dara sobre- elle o seu- -tas pelos allemaes. Se por acaso cbegaesem
ao seu destino, -,ra muito provavel queo
governo hesptuhol, por motivo da marca da
fabrica, supftozesse que eram fornecidos pe-
tes francezes..
Um jornal da Moravia conta quaum
de casaseebamines, qu causou algumas vie- *8re fugido- do uma jaula se precipitou. so-
timas, nasfragou o vapor Chiesan, qoe ia de J*8 u,na -n"K>iao de povoque estactoaava
na praga Radwitz, a mais frequentada da
oidade. A primeira victima da fera foi um
homem, quo agarrara pela mica, e quosuc-
bumbio itoraediatameute. 0 raedo era in-
descriptivel, porem o doroador pdde aSnal
conseguir quo o feroz animal tornasso a en-
trar na jaula.
0 Tremdenblatt nctiuia que o coronel
Zubowitz apxstara em percorrer a cavallo,
no espago de quinze dias o irajecto de Vienna
a Paris. Partira no dia 25 de seterabro as
10 horas da manna, da escola de equ+tag&o
de Landstrasse. A Presst do Vienna accres-
eenta quo- o viajante esculbera ocaminho
mais directo, e que passara por esse mo-
tivo pela Baviera, Wurtemberg, paiz de
Bade, eiiegara a Strasburgo, ir,i d'ahi a
Valencieanes (I) a Nauay.e Qnalraente a Pa-
ris, entrando pela barreira do Tbronco.
As ultimas noticias de Roma dio co-
mo -muito '^aggravado o estado de saude
do cardeal Barilli. Falleceramja durante o
anna tres cardeaos, Barnabo, Faicmelli e
Tarquini, e muitos. dos que existem sao ja
de idade avancad*,. pelo que se ere que na
proxima Pascho&o papa ureard novos car-
deaos.
Dizem de Londres que o vapor Magee
naufragou nas Hobridas, perecendo toda a
sua tripolagao, que se compunha de 24 pes-
soas.
A Gazeta official de S. Petersburgo
publica uma ordem imperial chamando as
armas 150 mil homens, para quefagam ser-
vigo no exercito e na marinba, em virtu ie
das leis militares existentes.
A eidade de Paris, a quera, o Sr.
HainguerLot deixara em testaraento a quan-
tia de 600,000 francos destinadoa & crea-
gao do uma escola de caminhos de ferro,
parece que renuncia a essa heranga em con
sequeacia do encargo ser superior ao le-
gado.
O Monitor de Bruxellas, publica nm
decreto pelo qual a Belgica sera dividida
em duas circumseripgoes militares ; a pri-
meira compreheaderd as p-ovincias de Am
beres e da Flandres occidental e a segunda
as proviocias. de Barbante, Heinaut, Lim-
burgo, Luxemburg!) e Namur. Cada pro-
vincia sera dividida em distridos militares
e cada circumscripgao serd commandada
por um tenente general.
Glasgow para Shangai, morrendo ouie pes
soas da tripolagao. 6 sinistro deu-se na
costa occidental da Eseocia. Um brigud
balroou tambem com. uma goleta, roetten-
do-a a pique. Alem- destes hoover ou-
tros sinistros de men or im por tan cia.
A Mha de Santa Helena acba-se quasi
abandoada, por causa da abertuca.do canal
de Suez. D'antos todos os navies que iam.
para a India ou para- o extreme Oriente,
paravam alii, hoje, porem, apeoas passarr..-
de largo. 0 commercio. quasi oessou alii.
e os habitantes emigram em grande nu-
mero.
Os leitores hao de recordar-se de uma
scena de pugilato que houve na estagao do
caminho de ferro de Dresde entre o gran-
duque herdeiro Augnsto d'Oldenburg e o
dono e os criados do restauranto da mesma
estagao. 0 j oven principe, qae tem 22 an-
nos, interrompeu os seus esuidos na Uni-
versidade de Leipzig, e f6ra encarcerado por
sen pai em um castello all'aetado. Hojoo
pai raandou-o visjar pelo Oriente. Jd par-
tio, e para vigia-lo e illustra-lo no que vir,
foi acompanhado por um capitao do grande
estado-maior prussiano o por um sabio
de Berlim.
Segundo a Gazeta de Mildo, a iadus-
tria da sSda, que contava no districto de
Como era 1871 4,100 teares, chegou em
1872 a 7,000, os quaes fabricam exolusiva-
mente o reterido artigo. Salvas pouoas ex-
cepgoes, os tecedorestrabalham em suas ca-
sas. Em 1873 calculou-se que a numero
dos tecedores era de 14,000, os quaes tra-
balhavam sd 21 dias em cada mez, porque
os fabri '.antes ndo lins davam mais que ^fa-
zer. Produziram-si 65,000 pegas, medin-
do 4,550.000 metros, no valor de 21 mi-
lades de libras. Desta somme consumiram-
se 8 milhues no interior, 10 na Austria e
Allemanba, 1 o meio na Turquia, Egypto e
America do Sul, e um a meio nos Estados-
Uuidos.
Alcangou grande exito em Paris uma
nova opera de Offenbach e Millaud, intitu-
lada filadame I'Archiduc. 0 libretto diz-
se que pouco valor tem, porem a musioa e
lindissima.
Deotro de poucos dias serd arremata-
da em leilao, em I'aris, a espada que levava
Fernando Cortez, por occasiao da conquista
do Mexico. Esta espada, avaliada em uma
quantia fabulosa, e acompanhada de um do-
cumento que acredita ser a verdadeira que
o notavel navegador cingia na expedigio.
A immigragao contimia a crescer nos
Estados-Unidos. Durante o ultimo anno o
numero dos immigrantes cbegados alii foi
de 313,339, dos quaes 189,225 homens e
124,114 mulheres. As creangas foram em
numero de 73,578. Durante o mesmo an-
no partiram dos Estados-Unidos para o es-
trangeiro 134,686 passageiros de todas as
classes, tendo chegado 375,679 ; o exceden-
te, 6" portaoto, de 240,993.
Assignalarn-se varias fallencias impor-
tantes no estrangeiro. Era Liverpool qne-
brou uma importante casa commercial que
tinha numerosas transacgdes com os Esta-
dos-Unidos; o passivoeleva-se a 2,500,000
francos, sendo a causa da fallencia a baixa
que houve nos fretos. Em Vienna quebrou
a casa Stiazni e Breslaver, -
mandante Pierrot), ex-aju lant lo ordeos
LinERATORA.
via 35 annos com commercio de fazendas.
Finalmente era Fulnek cessou os seus paga-
raentos a muito antiga casa de rosnujactu-
ras e lecidos de Id pertencente ao Sr. Franz
Heldz efilhos.
Mjrreu o bispo jansenista hollandez
Heykamp.
Tambem morreu em Londres John
QueatOo penltenciarla.
REIATORIO APRESENTADO AO MINISTRO DA
JUSTICA PELO ADMIN1STRADOR DA SEGORAN-
ga PULLICA E DAS prisOes da belgica
(Conclesao)
Sem querer tirar destes factos uma con-
clusdo rigorosa em favor do systeraa cellu-
lar, ser-me-ha com tudo perraittido por era
paralello estes dous resultados, que chama-
rdo sobre elles as reuexdes dos homens, que
se occupam da reforma penitenciaria.
Nao procurarei contestar, que causas mul-
tiplies exercem sua acgao sobre a crimina-
lidade, mas na ausoncia de circumUancias
importantes, que tenham podido exercer-
uma influencia notavel sobre o estado moral
do paiz, sinto-me autorisado d pdr em evi-
dencia a applicagSo do regimen cellular no
periodo, que marca um progresso na mo-
eslabolecida ha-' ralidade publica.
Estas mesmis tstatisiicasnao tem menos
eloqucncia quando se trata do apreciar a
reincideucia no periodo quo prcceden o
anno de 1860.
Vemos com effeito que, no periodo de-
corrido de 1841 d 1850, as reincidoncios
em nossas prfsdes centraes so elevavtm d
59 por cento, o que no peaio-Jj de 1851 d.
f.a'rl, mombro dos Estabeleciraenlos de beneQcencia, pd-
de parecer excessiva d primeira vista :
mas prova, sobretulo, qae sdo os mes-
mos ind.viduos que se entr velmenleas mesmas faltas, e que a crimi-
a nalidade tende, cada. vez mais, & encarar-
se, e 4 concentrar-se, de alguma sorle,
em um cir. ulo defenido. 0 essencial e
a. reduzir, o quanto possivel, este nucleo de
elementos rebeldes e perigosos. Chegar-
se-ha a isto, em uma certa proporgao,
esleudendo-se a applicagao do rtgimen
c cellular.
Ate" 1860 fora irapossivel avenguar os
a effeitos deste regimen, no que diz respei-
to aos condemnados & prisao por longo
tempo.
A casa penitenciaria de Louoain, des-
tinada d estes condemnados, nao foi occu-
>< pada senao em fins des mesmo anno : e
a administraga) julgira" som duvida con-
veniente colber infurmagdes tao eomple-
tas, quanto possiveis, sobre a conducia,
condfrcgao do> in-lividuos que nella cum-
> prirera .penas. (Quanto as prisdes seeun-
danas, em qae os presos sio submettt-
dos a separagao, tem se reconbecido que
< as reinci lei*;ias lendem incessantemente d
diminuir na ctasse io pequenos delin-
c quentes.
0 governo nao tem negligenciado esta sa-
bia recommendagao, e foi, reeolbendo com
cuidado as infonnagoes in licadas por aquel-
eminente funccionario, qae elfese acha ho-
je habilMado a fazer sobresabir os- bons re-
sultados obtidos na prisao penitenciaria de
Louvain,
Dj primeiro de Junho de 1865 ao 1 de
Junho de 186'.) foram postos em liberda ie
1,183 conderanalos que ttnhara sido-reeo-
Ihidos a esta1 prisao.
Nesto numero corapreheade-se
1. Condenmados civis
Condemnados milita-
res escusos do servigo
Couderaitados milita-
res nao escusos
2.
3.
359
560
261
Total 1:183
Quanto aos antecedentes do? postos em
liberdado, este numero se subdrwdia da fdr-
ma-seguinte :
Ndo tendo soffrido nenhuraa sonderana-
gao antes do ser recothido & prisao.
1." Condemnados civis 112
2. Condemnados milita-
res escusos 111
3i Condemnados milita-
res nao escusos 58
281
Tendo curaprido ama ou mais penas :
1." Gondemnados civis 247
2.9 Gonderanaios milita-
res escusos 449
3.'Condemnados milita-
res n3o escusos 206
902
Cora relagao d esta ultima cathegcria o
total dos postos em Uberdade e- de 76,24
por cento.
Durante este periodo de 4 annos,
ex-sentenciados soffreram uma nova
demnagAo, assim divididos :
Nao tendo soffrido penas
1. Condemnados civis
2. Condemnados milita-
res escusos do
servigo
3. Condemnados milita-
res nao escusos
201
con-
ante riormente
5
0 que da a porceniagem de
1. Conlemnados civis
2. Condemnados milita-
res escusos
3. Condemnados-milita-
res nao escusos
8
13
26
4,46
7,20
22,41
Tendo soffrido ama ou mais cocdemna-
gdes:
t. Condemnados civis 75
2. Condemnados milita-
res escusos 44
3. Condemnados milita-
res nao escusos 57
176
0 que dd a seguinte porceniagem de :
Condemnados civis 30,36
Condemnados mili-
tares escusos 9,80
Condemnados mili-
tares nao escusos 27,67
Disto resulta :
Para a populagao normal da casa peni-
tenciaria, isto e, para os condemnados, que
ndo tiuhara anteriormento soffrido pena al-
guma em prisao coramum, a media das
reineidencias da a seguinte percent age m :
Condemnados civis 4,46
Condemnados mili-
tares escusos 7,18
Condemnados nao
escusos 22,41
Para os que jd baviam comprido uma ou
mais sentengas em prisdes oommuns :
Condemnados civis 68,80
Condemnados mili-
tares escusos 80,17
Condemuados mili-
tares ndo escusos 78,03
A media depois de postos em Uberda-
de e ;
Condemnados civis
Condemnados mili-
tares escusos
Condemnados mili-
tares n8o escusos
30,36
9,80
27,67
Estas cifras demonstram, que nao obstan-
te a populagao da penitenciaria de Louvain
ser composts, em grande parte, de reinci-
dentes, entretant) tern apresentado fe-
lizes resultados do sysleme cellular empre-
gado.
68,80 por cento de reincidentes civis na
entrada, e 30, 36 por cento depois de sol-
tos, eis o balango 1
_ Este resultado n5o precisa de com men ta
rios : recommenda-se por si mesmo & scria
attengao, dos que possara duvidar ainda da
efficacia do novo regimen.
E nero se diga, que os postos em Uber-
dade nao reincidirSo : podem ainda um dia
reincidir.
Esta cbjecgao 6 evidentemente sem valor,
logo quo se 1 vir em conta, quo, segundo os
dados da experiencia., e quasi immediata-
mente d s.-rora postos era liberdade, que o
ex-sentenciados estdo mais expostos & com-
moner no os crimes.
0 perigo dosle periodo de transigao,
disso M. hitcpecticiux, os mo lhos que
6tJ 'presentam aospsssos do infeliz, que
4 volta A socieda 1?, d'pois de ter soffrido
qua
mais de tres quartas partaa das retneideu-
cias tem lugar nos dous primeir >s aouut
da liberdade coucedioa ao coodemna-
do.
Por isso 6 quo, com fim de premuair
os ex-centenciados contra os perigos qua oe
cercam uoa primeiros momanlos de driiar
a prisao, o legislador tere O cuidado de re-
servar-lhes, para a data da sua liberdade,
uma reserva. que os pde" ao abrigo das pri-
raeiras necessidades da vida, e Ibes facilita
procurar trabalho ou uma industria, qua de-
ve ajudar-lhes mais tarde a caidar de si e da
suas tamilias.
Si lancar mos as vistas' sobre os fleitoa
do sy-toina cellular nos condemnados d Ion-
gas penas os resultados sio ainda mais no-
tareis. E' assim, que a lista dot coadems
nados, que cumpriram penas de 3 annos
mais de detengao nesta prisio, di 3,23
por cento '1- r incidenles, que nMt tioham
ainda enmprido penas, aiues da oaarada em
Louoain, 21,64 por cento, dos que Jd ti-
nbain cumprido uma ou mais penas.
Ooexposto r-tsulta, que os delentos qae
tiveram longa demora na penitenciaria de
Lone tin rerincidein em menor proporgio; A>
que os que u.-ll.i estivoram puuc > tempo. A -
uda resulta naak, qae os doleutosdesuc(b>-
goria postos tin liberdade, o que antes da
enlrarein nesta prisao jd baviam cumprido
uota ou mats penas e que reprewntavam 6eV
por cento do r-inoidenies- a enirarom, nao
offcrecoin mais do que am lerco pouco
mai-3 ou menos delta sahirain.
Se* passarra s desta or-!em de ideas ao
exarae dos resultants do novo systems, sob
o pottle- de vista do- estado saiMtorio dos de-
tentos, verifies.emos sera esforgo, que nesta
terreno o governo nao tem do que arra-
pen-lur-se da sua nbra.
Consultondo a estatistica ds prnoas, ve-
reraos, que a media da mortal idade entre
os deteutuS'das prisde; centraes de Gaud, do
Vilvorde, e do Sdo Bernardo no* annos de
1831 d I860 foi de 2,95> por cento, ae pea-
so que a media da mcrtdidade na peniten-
ciaria de Louvain foi de 2,60 em 1861 ;
de 1,55 om 1862 ; de 2 por cento em-1863:
de 1,31 em 164 : e de 0,59 em 1465 ;
por outra, 1,61 por cento anuualmeate.
0 resultado- e, pois, tedo em fat>or do
systeraa de separagao, e assim deve ser,
quando se reflecte, que a a>i ininislra"jab Dio
cessa "de manter uma ventilagao cot>renien*
to uas collulas de habitagao dos detentos,
da promover exercicios muitiplicdos para
elles nos passeios, de esco'her iudostnas,
que reunam todas as condigdes de salubri-
dade, e de forneeer alimentagao anpropriada
as necessidades de uma p puiagio encerra-
da em cellulas, e que exige um tratamento
dilferente do que se dd aos detootos submet-
tidos-ao regimen oomiiium.
As observagdes feitas pela. admiaistragio
nas casas centraes- commons a na peaittia-
ciarin cellular de Louvain, sob o pooto de
vista dos suicidios e dos casos de alieaagao
mental, demonstram tamtam, que aeste
ponto as apprebensoes dos adversarios- do
regimen de separagio na* tem neahum
fundamento e que este regimen appUcedo
com as modificagdes, que os- reguiameotos
administrativos prescrevem, nennuma- in-
fluencia perniciosa tem sobre-o moral Jos
deteutos.
Ojue se julgue pelos dados- estatuticos do
ultimo periodo decennal.
Liaiitar-me-hei d pdr em paraleUo as
duas prisdes de regimens ditTerentes a cujas
populagdes apresentam, pouco mais ou me-
nos, os mesmos caracteres, tanto sob a pon-
to de vista da duragao das penas, como da
moralidade.
Sobre uma populagao m. dia aaauial, de
cerca de 600 deteutos, a prisao central de
Gand apresenta em um periodo de 10 annos
(de i860 i 1869) 13 casos de suicidios, 4
de tentativa, e 20 de alieuagio mental.
A penitenciaria de Louoain, que conta.
uma populagio media de 500 delentos,
apresenta no mesmo periodo 14 casos de
suicidios, 2 de tentativa, e 14 de alieja-
gao mental.
A comparagao destes resultados foraece
a prova de que, se sob o ponto de vista dot
suicidios e de teutativas de suicidios a pri-
sao de Louvain nio pdde ser classiucad*
acima da de Gand, se lo-ha incontastavel-
mente com relagao aos casos de alienagao
mental.
Estes dados demonstram, ainda uma vex
mais, quanto os adversarios do systema cel-
lular tem exagerado suas apprehensdes, e
quanto e necessario, para bem apreciar-so
os effeitos de um systems, dasconaar' das
vis especulacdes da tbeoria, a st*r-se so-
raente as observagdes praticas, unkas que
pddem forneeer elemeutos seguros, e servic
de guia no exame das quaiidades ou defei-
tosde um systema novo.
0 trabalho, dizia o bonrado .V. Due-
peUaur, constitue uma das condigdes prin-
cipaes do regimen cellular. Nio deve ser
cousiderado como o complemento e por as-
sim dizer como uma agravagao da peaa ;
mas antes como um allivio, cuja pnvagao
nao podera deixar de ser nociva.
0 governo, compenetrando-se desta idea
tio justa e tao fecunda nada tem negligen-
ciado para estabelecer nas divers** prisdes
cellulares uma organisagio cooupleta de
trabalho ; e a experiencia tem demonstrado
que o systema de prisio cellular, longe
de ser um obstaculo d semelhanta organi-
sagao, ao contrario favorece o desenvoKt-
mento deste ramo importante de servigo
das prisdes.
Ainda neste pouto convem levar em con-
ta a differenga que axiste entre a prisao
central cellular de Louvain e as outras
prisdes secundarias. Tambem nio se deve
perder de vista, quanto ao effeito, que na
prisio de Louwin o trabalho industrial
corre por conta do Estado, e oe deteotos
acham com este systema uma occupagio
con-tante ; e que nas prisdes secundarias ee-
tdo elles ex postos as uuctuagdes di offer ta e
da procura, e ticam assim exuostas d ver
algumas vezesfaltar-lheso trabalho.E' verda-
de, que oae mal assim como anecta as pri-
sdes em coraraum, tambem pdJe alcaogar
as prisdes submettidas ao regimen cellular.
Entretanto, gra;as aos esforgos da adminis-
tragao, os bragos uas nossis prisdes cdlo-
lares estio geralmete occupados.
Assim e, para nio fallar senio das pri-
sdes odlulares secundarias, que sobre uma
popu'aga.i do 2,053 detentos de ambos os
sexos (no 1* do dezembro de 1863) 1,11a.
estavam occupados era trabslhos industriies
propriamtntc -iitcs.
(ContinHar-se-ha.)
TVt? DO Df4R10. -RUa UUQUa UK UAXU.

I