Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18615

Full Text
> *
ANNO L JVlilEIiO 264
l ,

J ,-
'
PARA A CAPITAL E LUG ABBS ONDB KILO SB PAGA PORTE.
For tres mezes adiantados................ 69000
Por seis ditos idem..................139000
Por am anno idem..................349000
Cada namero avulso................. 9330
QUARTA FEIRA 18 DE NOVENBRO DE 1874
PABA DBMTBO E FOBA DA PROVINCIA.
Por tret mezes adiantados................ 97M
Por seis ditos idem................
Por note ditos idem................
Por am anno idem..................379000
MARIO DE PERMMBUCO.
PROPRIEDADE [DE MANOEL FICUE1R0A DE FARIA ft FILHOS.
ts Irs. Gerardo Antonio lives d Filboi, no Pari; 6on$alYee d Pinto, no Maranhio ; Joaqoim Josi de OliTeira d Filho, no Cear<; Antonio de Laatua Braga, no Aracatj ; Jolo Maria Julio Chcvas, no Assa; Antonio Marques da Silva, Natal ; Jose" Jtutiia
Pereira i 'Almeida, em Mamangaape ; Carlos Anxencio Monteiro da Franca, na Parahyba ; Antonio Jose* Gomes, na Villa da Penha; Be'armino dos Santos Bulcio, em Santo Ant< ; Domingos Joed da Costa Braga, em Baxareth;
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna ; Joio Antonio Machaeo, noPilar das Alagftas; Abes d C.na Bahia ; A. Xavier Leite d C. o Rio Janeiro-
rasiagccAa roam.
Bleiucnloa do physicn
LIVRO TERCEIRO
tiat.es
CANTt'LO I
BAROIIETROS
Bnromelro de Mi.ii:io. 0 barometro
de siphao nao tem cuba, e compoe-se simplesmen-
te de uiu tub) de vidro curvado em uma extremi-
dade em forma de siphao, e conlt-nJo mercuri >.
Ease tuba sipbao e fixauo n'uma plancheta de ma-
deira, no alto da qual se acliam as e.-calas de me
digao da altura barometnea, e no meio de cada la-
do do tubo, urn ihermometro para dar a tempera-
tura.
Ao barometro de siphao tambem se da o aome
de hvometro de Gay Lussac, porqae este physico
fni quern primeiro reuuio entre si o granJe e o pe-
queD > ramo do siphao por meio de ora tubo ct-
pillar. Esla modilieacao tem por objecto, quando
se inverte o appare.ho oppur-se a passagera do ar
do pequeno para o grande ramo. E com effeito,
enchendo o mercurio, nesse easo, o grande ramo
e o tabo cipillar, o ar nao pode passar quando se
torna a collocar o apparellio oa sua posicao nor-
mal. Essa condicao e uecessaria, porque, se o ar
penetrasse no vacuo barometrico do alto da co-
lumna de mercurio, o instrumenta deixana de
dar indicacoes verdadeiras.
Todavia, se se inverte mui bruscatnento o baro-
metro, pole acontecer que nao fique mercurio no
tubo capiilar, e que alguina bolba de ar, pene-
trando nesse tubo, passe para o grande ramo do
siphao
Para obviar a esse accidenie possivel, Bunten,
constructor de Paris, dispoz e instruraento assim :
conservou o pequeno ramo do siphao e bem assim
o tubo capiilar, mas dividio o grande ramo em
duas paries soldadas uma a outra dessas paries a
.superiur, que formaui a maior altura do tubo, tem
as dimensoes asuaes, mas termina-se em uma pon- i
ta afilada, formando bico de fund ; a outra pane, I
a inferior, a qne se liga o tubo capiilar, e porem
mais grossa do que a superior, e nella se iotroduz
a pont? aGlada da dita parte superior ajnstando-sa
pelo contorno da maior circumlerencia do tubo a
ritada parte inferior.
Por essa forma, quando se de o caso de passar j
alguma bolha de ar do pequeno para o grande ra
mo da bar-metro, vai esse ar alojar-se no alto da
parte inferior do grande ramo, is to e, no tubo de
maior diametro desse ramo, sem penetrar para o j
vacuo barometro.
Ambos os ramos deste barometro sSo fechados
uo alto, mas no alto do pequeno e lateralmente ha
uma pequena abertura, peta qual transmitte-se ao
mercurio a pressao almosthenca.
A parte superior do grande ramo, acima da co-
lumna de mercurio, e vasia de ar, como no baro-
metro de cuba. Por conseguinle o que mantem
ohmna de mercurio do grande ramo, acima
nivel do mesmo mercurio no pequeno ramo, e
ressao atmospherica, e pois o que meJe essa
ssao 6 exaciamenle a d ffcrenca de nivel do
rcurio nos dous ramos, isto o, a altura real da
coiumna.
Para medir essa altura adapta-se ao longo do
tubo uma escala graduada em millimetros, da mes-
ma forma que nos barometros de cuba, com a_ dif-
fereng-i. porem, de que o zero da escala naose
acha niais na parte inferior da coiumna do gran-
de ramo, mas sim no seu meio e entre os dous
hermometros; de sorte que tem-se realraenle duas
.escalas, uma cuja gradua^ao sobe do meio para o
alto do tubo, outra cuja graduacao desce do meio
ara o pequeno ramo.
Dessas duas escalas so se conservara as partes
tremas, uma ao longo do pequeno, outra no alto
grande ramo.
Isto posto, para ter a altura do mercurio no ba-
raetfo de siphao, move se dous cursorei, analo-
s ao do barometro de cuba, ate que um alira o
vel do mercurio no grande e outro afira o nivel
do mercurio no pequeno ramo. Lenlo depois os
numeros correspondentes nas escalas, faz-se a
yorama desses numeros, e tem-se a altura procu-
rada, expressa ere millimetros.
Por exemplo, se o cursor do grande ramo cor-
respond na occasiao da experiencia, a 376 railli-
etros, e o cursor do peqaeno a 380, a altura do
rometro, nessa occasiao, sera de 376 mais 380,
de 756 millimetres.
fContmuar-se ha)
0
ARTE OFFICIAL.
Governo da provincia
EXPEDIENTE DO DIA 21 DE JULHO DE 1874.
Offlcios :
/* secgao.
Ao Exm. brigadeiro commaadante das ar-
mas.Sirva-se V. Exc. de dar suas ordens para
que os cavallos das ordenancas desta presidencia
aejam recolbidos ao quartel da companbia de ca
vallaria, e tratados na respectiva coxia.
Ao director do arsenal de guerra.Mande
Vmc. satisfazer o pelido junto em duplicata, que
faz o coronel commandante do 2" batalhao de in
ianiaria, de 439 camisas de algodao e 449 pares de
aapatos, vencidos pelas praQas do referido bata-
Ihao, correspondentes ao 2* semestre do corrente
anno.
2.' secguo.
Ao: .
__0 presidente da Bfuvincia resolve declarar
foram oumtidas no art. 6 as seguintes palavras
quando for possivel-que se acham no original, im-
mediatamente depois de-idade acima erigida.
Offlcios :
Ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Bonito. Mande V. S dissolver o desuca-
menlo de guarda nacional, existente nessa villa.
^ Ao commandante superior de guarda nacio-
nal de Caruarii.-Expe$a V. S. suas ordeos aflm
de que o commandante do batalbao n. 27, desse
tnunicipio, fac,a armar as pragas que se apresenla-
rem para o destacamento da villa de S. Bento, con-
vind) Ignalmente pie 1. S. providencie para que
nao continue incomplete o mesiuo deslacauieulo.
Ao juiz de direito de Honito. Constan-
do de participacao do commissario desse muni-
cipio, que nao foram eogajadas na respectiva
guarda local algumas pra;as que foram desligadas
do actual corpo de policia, porque nao apresenta-
ram suas fe= de offlcio, como Vmc. exigia, tenho a
dizer-lhe que o alistamento de taes pracas nao de-
pende de semelbante condicao em face do que
dispeje o art. 8 1" do respectivo regulamento.
__Ao juiz municipal de Gamelleira.Em res-
posta ao offlcio dc Vmc, de hontem dalado, com-
municando o facto de ter sido a cadeia dessa villa
assaltada em 19 do corrente par am grupo capita-
neado por Manoel Coco, do que resultou a morte
de 2 individuos e ferimentos de outros, tenho a di-
zer-lhe qne deve promover com todo empenho a
instauracio do respectivo processo contra quem
de direito for.
Ao run, i .andante do corpo de policiaAo
c orr.missarlo de policia. de raumeiBw de Bonitft.
Renietta Vmc. com urgencia as let de officij das te-
guintes pracas: que tiveram baixa desse corpo:
Hercuhno da Paixao Ramos, Pedro Jose da Silva,
Manoel Antonio de Souza, da 1.* companhia; Joa-
quim Pereira de Lucena e Bernardo Alves da
Silva, da 2*; e Manoel Dias de Souza Freitas.
Ao mesmo.Ao commissario de policia de
Nazareth, Severiaoo Vieira da ;Paz, ou a quem se
uiu.-ir r devidameote autorisado, mande Vmc. for-
neoer fardamanto, excepto ;cali;ado e gravata, cor-
respondents a 1 anno, de conformidade com a res-
pectiva labellt, e bem assim mais 8 espingardas e
8 ter^ados com o competente correame.
3.* secgno.
Acto:
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o administrador da recebedorii de rendas
internas Manoel Carneiro de Souza Licerda, resol-
ve con coder-1 he 3 mezes de liceuca, com or den ado
na forma da lei, para iratar de sua saude no inte-
rior da provincia.
Offlcios :
Ao inspector da tbesouraria de fazenda.
Mande V. S. pagar a Fielden Brothers, empreza-
rios da illumiuagio publica, a quantia de 304200.
importancia das inclusas contas, proveniente do
gaz consumido com a illuminacao do palacio desta
presidencia, guarda do mesmo palacio e coxeira
nos mezes de abril a junha ultiraos.
Ao mesmo. Para os fins convenientes com-
muoico a V. S. que em 13 do corrente reassumio
0 exercicio do cargo de pormotor publico da co-
marca de Garanhuns o bacharel Francisco Carac-
ciolo de Freitas, deixando de o fazer em 5 do re-
ferido mez por se a;har doente.
Ao mesmo.Mande V. S. entregar ao Dr.
Manoel Clementioo Carneiro da Cnnha a ajuda de
custo que por lei the compete, aflm de 'transpor-
tar-se para a corte oode vai tomar assento na ca
mara temporaria, na qualidade de deputado pelo 5*
districto.
Ao inspector do thesouro provincial.Para
os fins convenientes communico a Vmc. que, em
17 do corrente, prestou juramento e entrou era
exercicio o commissario de policia do' termo de
Bonito, Manoel Francisco Pessoa da Cunha.
Ao mesmo.Ao commissario de policia de
Nazareth ou a qnem se mostrar por elle devida-
mente antorisado mande Vmc. fornecer os livros de
que trata a tabella do regulamento da guarda lo-
cal.
Ae mesmo.Para os fins convenientes com-
munico a Vmc. que, em 19 do corrente, completon
o commissario de policia de Nazareth o engaja
menlo de 20 pracis -da respectiva guarda lo-
cal.
4.' secgao.
Actos :
0 presidente da provincia resolve remover a
professora nomeada para logazeira, Maria Candida
de Figueiredo, para a cadeira do sexo masculmo
da escola modelo.
0 presidente da provincia resolve remover a
professora de Agua Preta, Cosma Elvira de Araujo,
para a cadeira do sexo feminino da escola mo-
delo.
0 presidente da provincia resolve remover a
professora da Ponle dos Carvalhos, Philomena Pau-
lina da Silva, para a cadeira nltimamenle creada
era Campo Grande, freguezia de Nossa Senhora da
Graga da Capnnga.
0 presidente da provincia resolve remover a
professora de Nossa Senhora do 0" de Marangua-
pe, Francisca Seraphica de Assis Carvalho, para a
cadeira de iustrucoio primaria do sexo feminino,
nltimamente creada no Kio Doie, comarca de
Olinda.
0 presidente da provincia resolve remover a
professora da Gloria de Goita, Marcolina Furtada
da Silva Cabral, para a cadeira da Ponte dos Carva-
lhos.
0 presidente da provincia resolve remover a
professora de S. Benedicto, Ubaldina Afra da Con
ceicao Vieira de Mello, para a cadeira do Bom
Conselho.
0 president-) da provincia resolve remover a
professora de Bora Conselho, Francisca Maria da
Annunciacao, para a cadeira da Gloria de Goita
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o bachar 1 Ezequiel Franco deSa, pro
fessor da 2.* cadeira do 3* anno da escola normal,
resolve canceder Ine tres mezes de licenja, com to-
dos es vencimentos, para tratar de sua saune onde
lhe convier.
Offlcio:
Ao Dr. inspector da saude publica.Para sa-
tisfazer o que solicita o Exm. presidente das Ala-
goas em offlcio de 17 do corrente e telegrarama
desta data, mande V. S. preparar e remetta a se-
cretaria desta presidencia vinte pequenas ambu
lancias homeopathicas e instrucQoes apropriadas
ao tratamentoda variola e sarampo, e igualmente a
conta de taes ambulancias para ser paga em tem-
po opportuno.
5." secgao.
Offlcios :
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas.Providencie Vmc. no sentido de serem
concluidas pelo respectivo arrenntante as banca-
das que foram retiradas da assembler provincial,
reduzindo as a tamanho tal que po.-sam ser collo-
cadas na escola modelo, c.nforme ja offlciei a
Vmc.
Ao mesmo. Ioteirado do que expoz Vmc.
em seu offlcio de hontem dalado, sob n. 213, rela
tivamente aos lampeoes de gaz qne devem ser col-
locados na estrada do Arraial e na de Santo Ama-
ro das Salinas, devolvo-lhe as respectivas plantas,
approvadas por esta presidencia, para que Vmc,
de acordo com o respectivo gerente da companhia
de illuminacao a gaz, trate de mandar fazer a col
locacao dos mesmos lampeoes.
Ao engenheiro fiscal da companhia de illu-
minacao a gaz.Mande Vmc. examinar todo o ap-
parelho de illuminacao collocado na cocheira de
palacio, afim de recenbecer se ha alguma fractu-
ra por onde se A6 extravasao de gaz. Existindo
fraciura, previdencie para que seja concertado e
e fique interrompida d'ora em dlante o .respectivo
consumo.
A' junta de cla&sificaclo de escravos do mu-
nicipio de Bom Jardim.Em solncio as duvidas
propostas por Vines, em offlcio datado de 5 do cor-
rento, tenho a declarar lhes que, embcra nao se ti-
rem reunido essa junta no di: designado para
terera coraego os seus trabalhos, em coDcquencia
dasrapdes apresentadas, polem ainda faze lo ; de-
vendo, porem, concluir os ditos trabalhos no me
nor espaco de tempo possivel. Quanto a classi-
ficacao, deve ella ser feita de modo que abranja to-
dos os escravos desse municipio, estabelecendo-se
entre estes a ordem de preferencia para libertacao,
conforme determina o respectivo regulamento. _
Ao gerente da companhia de illuminaijao a
gaz.- Nesta data expeco ordens ao engenheiro fis-
cal dessa companhia, afim de mandar concertar
alguma fractura que por ventura haja no appare-
1 bo de illuminacao collocado na cocheira de pala-
cio, e fazer cessar o respectivo consumo ; o que
communico a Vmc. para seu conhecimenlo.
ao gerente interino da"companhia pernam-
bucana.Expeca Vmc. suas ordens afim de que
em um dos vapores dessa companhia; seja trans-
portadu ate o porto de Piranhas uma cscolta com-
posta de um sargento e dez pracas do corpo de po- raacao datada de hontem ,sob n. 108, serie H, mao-
d**-H>:hres- e a rcapeetrwr- bagagem ; correndo essa despeza p >r conta desta
provincia.
EXPEDIENTE DO SECRETARfO.
1.' secgao.
Offlcio :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas.-S. fcxe. o Sr. presidente da provincia manda
declarar a V. Exc, era resoosta ao seu offlcio
de hontem datado, sob n. 570, que foi remettido ao
arsenal de guerra para ser satisfeito o pedido de
camisas e sapatos para as pracas do 2* batalbao de
infantaria.
2.* secgao.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia.- 0 Exm. Sr. presi
deote da provincia manda comraunicar a V. S., em
resposta ao seu offlcio n. 871. de hontem, que nes-
ta data se ordena ao commandante superiir da
guarda nacional do municipio de Caruaru, faca
armar as pracas do destacamento da villa de S.
Bento e providencie para que nao continue incom-
pleto o mesmo destacamento.
Ao juiz de direito da Victoria.De ordem de
S. Exc. o Sr. presidente da provincia communico
a V. S.J que par poriaria desta data foi declarado
ter-se omittido na impressao do art. 6 do regula-
mento da guarda local as palavrasquando for
possivel que no original se acham imraediatamente
depois de :i late acima exigida. Mutatis mu-
tandis ao de Barreiros, Bezerros, Bonito, Cabo,
E-cada, Goyanna, Iguarassu, Itarabe, Jaboalao, Li-
moeiro, Nazareth, Olinda, Palraares, Pao d'Alho.
Rio Formoso; e aos commiasarios de policia do
municipio acima e parocbia de Tajuaretinga.
Ao proTiotor publico da comarca de Gara-
nhuns. 0 Exm. Sr. presidente da provincia man-
da accusar o recebimento do offlcio de V. S. de 13
do corrente, communicando haver nessa data reas-
somido o exercicio das funccd a do seu cargo, ten
do deixado de o fazer em 5 Jo referido mez, por
motivo de melestia.
sa, capellao dos menores do arsenal de guerra, oi
vencimentos relativos ao mez de junho.
Ao mesmo.Expeca V. S. as convenientes
or Jens ao inspector da alfandega, aflm de serem
despachados, livres de direito, os olijectos eras tan-
les d is conhecimentos jnntos, vindos da Europa
nos vapores Arbitrator e Henrique IV, destinados
a secretaria desta presidencia.
Ao inspector do tbesouro provincial.Para
os fins convenientes communico a Vmc. que no dia
20 do corrente foi installlada a guarda local do
municipio de Olinda, conftrme participou o res
pectivo commandante, mjor Francisco Luiz Vi
lies.
Ao mesrao.Ao sargento da guarda local de
Serinhiera, Venancio Kezende de Lyra, mande
Vmc. fornecer os livros de que trata a tabella do
respectivo regulamento.
Ao administrador do consulado provincial.
Respondendo ao seu olli'io data Jo de hontem, ca
be-me declarar a Vra-. que cumpra a requisicao
do inspector do thesouro provincial, a que allu-
de, na conformidade do regulamento de 16 ce
abril de 1842, que nao ticoi revogaao com a
arrecadagao do imposto pelo thesouro provin-
cial.
4." secgao.
Actos :
0 presidente da provincia retolve remover a
professora Anna Elysa Pereira Dutra da cadeira
de Tamandare para a de Venda Grande.
0 presidente da provincia resolve declarar
de ninhum elTeito poriaria de hontem datada,
Sue removeu o professor da povoacao de Queima-
as, Manoel Felix do Nascimento, para a da villa
do Cabo.
0 presidente da provincia resolve remover a
profe>ora dd Lagoa dos Gatos, Maria do R}sario
Pinheiro, para a 4' cadeira do sexo maseulioo da
freguezia de Santo Antonio, que esta sendo r- gida
inlerinamenie pela professora Maria Candida de
I Aa uptdMiro *s obra mUiiat*.-ttcw^tw em* de Albnoaerqae,
o seu offlcio n. 113, datado de 21 do corrente, a Ouricury.
que vieram annexas as propostas para as obras a
fazer-se no hospital militar, afim de que informe
si a casa para antopsias pode ser coostruida no
lugar indicado, ou si convem escolher outra, como
verbalmente affirraa-me o director do mesmo hos-
pital, e isso sem augmento de despeza.
2.' secgao.
Offlcios :
Ao Or. chefe de policia. Em resposta ao
offlcio n. 862, de 18 do corrente, era que V. S, se-
gundo a participacao do delegado respectivo, me
communica que a febre amarella tem-se desenvol-
vido no lugar Travessia, pertencente ao termo da
Limoeiro, lhe declaro, de acordo com a informa-
Cao do inspector de saude publica, de hontem data-
da
para a cadeira da villa d
Ao commandante do corpo de policia. Figueiredo.
0 Exm. Sr. presidente da provincia manda coai-1 O presidente da provincia, attendendo ao que
municar a V. S. que nesta data se expedio or- requereu o professor de ingloz do gymnasia pro
j --------------- i-iiir-i fir l.'.i li i ii.., V.in I' .lie,.-, r... .Jir ili-,i(i\ii>ii
dem a companhia pernambucana de navega-
Cao costeira a vapor para fazer transportar ate
o porto de Piranhas aescolta, bagagem e mulhe-
res de que trata o offlcio de V. S de hontem da-
tado.
Ao commissario de policia de Nazareth.S.
Exc. o Sr. presidentexla provincia manda com-
municar a V, S., em vatposla a sen offlcio de 19
do corrente, que nesta data se expedio ordem ao
thesouro proyjflflaJ .aflm de lhe fornecer os livros
do aorpo de ea
para remeoer (naraamento preciso e mais 6 espin-
gardas com o competente correame; devendo V.
S. mandar receber os dims objectos nas respectivas
reparticoes.
Ao do Bonito.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda comraunicar a V. S. que nesta data
se declarou ao Dr. juiz de direito dessa comarca
que as pracas que forem desligadas do actual cor
po de policia podem alistar se nas guardas locaes,
independentemente de exhibirem as suas fe de of
ti.-ioj. Emretanto nesta data se recommenda a re-
raessa das mesmas fes de offlcio.
4' secgao.
Offlcio :
Ao 1 secretario da assemblea provincial.
N. 24.-S. Exc o Sr. presidente da provincii man-
da declarar a V. S. que fica 3Ciente do conteudo
de sen offlcio de 20 do corrente, sob n. 48, relati-
varaente a decoracao do pajo da assembled pro-
vincial.
EXPEDIENTE DO DIA 22 DE JI'IJM DE 1874.
/' secgao.
Offlcios :
Ao director do arsenal de guerra.Transmit-
to a Vmc. para os fins convenientes. o incluso ter-
mo lavrado pela commissao que, na forma das or-
dens era vigor, examinou os dous volumes vindos
da cdrte, contendo espadas com bainhas de a>; i e
accessories completes, para armas de adarme 14 *,8.
Ao Exm. Sr. ministro da guerra dou sciencia
da falta das cbaves do piston e da cavilha de dous
dos referidos accessorios, e bem assim de estarem
as bolcas um pouco estragados, conforme consta
do dito termo.
2.' secgao.
Actos :
0 presidente da provincia resolve conside-
rer sem effeito a nomea;ao do tencnle honorario
do exercito Samuel Lapes Delgado de Maroja para
o cargo de commissario de policia do municipio
de Serinhaem, por nao ter solicitado o titulo.
0 presidente da provincia, antorisado pela
lei n, 1,130, de 30 de abrii do corrente anno, re
solve nomear commissario de policia do municipio
de Serinnaem o capitlo honorario do exercito
Manoel Eloy Mendes.
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o juiz substituto da 1* vara civel desta
cidade, bacharel Jose Hygino Duarte Pereira, re
solve conceder-lhe 3 mezes de licenca, com os ven-
cimentos na forma da lei, para tratar de sua sau-
de onde lhe aprouver.
Offlcios:
Ao commandante superior, da guarda nacio-
nal do Recife. Para conhecimento de V. S. e de-
vida execucao communico-the que por portaria de
29 de abril proximo Undo mandei conceder guia de
passagemparao municipio de Barreiros ao tenon
te coronel aggregado ao 8 batalhao de infantaria
da guarda nacional deste municipio, Antonio
Francisco Paes de Mello Barret).
Ao commandante superior da guarda nacio-
nal da Victoria. -Apenas estiver funccionando a
guarda local desse municipio, mande V. S. dissol-
ver o destacamento da guarda nacional.Mutatis
mutandis aoa de Barreiros, Itambe, Pao d'Alho,
Rio Formoso, Serinhaem e Bom Jardim.
Ao commandante do corpo de policia.Ao
sargento da guarda local de Serinhaem, Venancio
Rezende de Lyra, mande Vmc. fornecer fardamen-
to, excepto calcado e gravata, correspocdente a 1
anno, para 10 pracas, de conformidade com a res-
pectiva tabella.
Ao mesmo.Mande Vmc. retirar o destaca-
mento desse corpo, existente na cidade de Olinda.
3.' secgao.
Acto :
O presidente da provincia resolve nomear o
promotor publico da comarca de Tacaralti, bacha-
rel Ang da coliect.'iia provincial do respective mrjniri
pio.
Offlcios :
Ao inspector da tbesouraria de fazenda.
Fica sem effeito a autorisa^ao concedida a junta
dessa tbesouraria, por offlcio desta presidencia, de
3 do corrente, relativamente ao arrendamento pro-
posto por Jose dos Santos Nunes de Oliveira, do
projprio nocional, sito em Olinda, ao qual alludio
V. b. em sea offlcio, sob n. 909, serie G, visto
como resolvi destina-lo para quartel da guarda lo-
cal abi organisada.
Ao mesmo.Communico a V. S. para os fins
convenientes que, segundo consta de offlcio do
Exm. brigadeiro commandante das armas, datado
de 21 do corrente, sob n. 571, falle'eu nesta cida-
de no dia anterior o alferes d) 2 batalhao de in-
fantaria, Manoel do Nascimento Costa Lima.
Ao mesmo.Na conformidade de sua infor-
viucial, Or. Felipue Nery Collafo, resolve prorogar
por quatro mezes, sendo dous mezes com raetade
do ordenado e dous sem vencimentos, a licenca que
lhe (ji concedida em 21 de abril ultimo.
5.' secgao.
Offlcios -
Aj eugeohei.o chefe da repartifio das obras
publicas.Keoommendo a Vmc que, tendo em
vista o seu relaturio sobre o par > da assemblea
provincial, manJe orcar as altsracoes que no re-
ferido edjflcio envenj Uuu, .aca que possa func-
cionar.
Ao mesmo.Mande Vmc. pdr uma fechadu-
ra na eorta da cocheira do palacio desta presiden-
cia, correndo a despeza por conta do credito para
a decoracao e concertos de palacio.
Ao engenheiro fiscal da companhia de illu-
minacao a ga>.Previdencie Vmc. para que deixe
absolutameute de ser illuminada a gaz a cochei
ra de palacio, ficando Vmc. autorisado a maudar
retirar o respectivo r-gistro, se assim julgar con
veniente.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
2.' secgao.
Offlcios :
' Ao juiz substituto da vara.De ordem de
S. Ex. o Sr. presidente da provincia reraetto a V.
S. uma colleccaodas leis geraesde 1872.Mutatis
mutandis ao juiz. do commercio e ao de or-
phaos, e aos juizes monicipaes de Gamelleira, Pao
d'Alho, Brejo, Cimbres, Garanhuns, Buique, Bom
Conselho, Aguas Bellas, jFlores, logazeira, Vdla-
Belli, Tnumpho, Tacaratd, Floresta, Boa-Vista,
Exii e Ouricury.
Ao commissario de policia de Olinda. 0
Exm. Sr. presidente da Drovida manda accusar o
recebimento do offlcio de V. S., de hontem datado,
communicando haver iostallado no dia antecedente
a guarda local desse municipio.
3.' secgao.
Offlcios :
Ao inspector do thesouro provincial. De
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
Communico a V. S. para os fins convenientes que
ja foram expedidas as necessarias urden a thesou-
| raria de fazenda no sentido de ser entregue a V.
| S. a importancia arrecadada do imposto pessoal e
sello e emolumento de patentes da guarda nacio-
nal, pertencente ao exercicio de 187374.
I Ao mesmo.De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
' sidente da provincia, communico a V. S. para os
fins convenientes que por portaria desta data foi
Qomeado o promotor publico da comarca de Taca-
ratii. bacharel Angelo Jansen de Castro Albuquer-
que, fiscal da collectoria provincial do respectivo
municipio.
5.' secgao.
Offlcio :
Ao gerente da companbia de illuminacao a
gaz.S Exc. o Sr. presidente da provincia manda
comraunicar a V. S., em resposta ao seu offlcio
desta data, com relajao ao gaz da cocheira de pa-
lacio, que expedio ordem ao engenheiro fiscal des-
sa companhia para fazer cessar absolutamente o
consumo de gaz no referido lugar.
EXPEDISNTE DO DIA 23 DB JULHO DE 1874.
/. secgao.
Offlcios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das armas.
Sirva se V. Exc. de mandar pOr era liberdade o
recruta Jacob Jose Martins de Oliveira, que provou
isencao legal.
Ao mesmo. Dovolvo a V. Exc. com o seu
offlcio de 11 d j corrente, sob n. 541, a proposta fei-
ta por Beltrao, Oliveira & C. para o fornecimen-
to de generos alimenticios ao hospital militar, afim
de que ouca os proponentos acerca da reduccao
nos precos, exigida pela contadoria de fazenda no
verso do citado offlcio, que me sera resti.uido com
os demais papeis que o acompanhara.
Ao mesrao. Sirva-se V. Exc. de mandar pdr
em liberdade o recruta Joao Policia da IIora, que
provou isencao legal.
Ao inspector do arsenal de marinha A' vista
da inclusa copia do parecer do inspector da the-
souraria de fazenda, datado de hontem, sob n. 103,
serie H, approvo o alvitre tornado par V. S., e de
que me da sciencia no seu offlcio de 18 deste mez,
sob n. 77, relativamente ao modo de fazer-se o in-
ventario de que trata oart. 53 do regulamento an
nexo ao decreto n. 5,622, de 2 de maio proximo
Soda
Ao director do hospital militar.Ao commis-
sario de policia do muniipio de Palmares, Alexan-
dria) Olympio de Hollanda Chacon, mande Vmc
fornecer granadeiras de adarrae 17 com o compe-
tente correame, de conformidade com a tabella do
regulmento da guarda local.
Ao mesmo.Ao sargento da guard* local do
municipio de Serinhaem, Venancio Besende de
Lyra, mande Vmc. fornecer 6 granadeiras de adar-
me 17 com o competente correame, de conformida-
de com a tabella do respectivo regulamento, de
que inclusos lhe remelto cinco exeraplares.
Ao mesmo. Ao commissario de policia do
municipio de Iguarassu, Christovao de Paula Ca-
valcante, mande Vmc. fornecer sete granadeiras de
adarme 17 com o compstente correame, de con-
formidade com a tabella do regulamento da guar-
da local.
que para poder resolver cumpre que o referi
do delegado informe com urgencia qnaes es symp-
tomas ijii) a molestia apresenta, e si no lugar ha
pessoa habilitada para tratar os doentes.
Ao mesmo.Ao sargento da guarda local de
Serinhaem, Venancio Resende de Lyra, mande V.
S. entregar as quatro granadeiras era bora estado,
que se achara em poder do delegado de policia da-
quelle termo, segundo consta do mappa annexo a
seu offlcio n. 782, do 1" do corrente.
Ao mesmo.Das 24 granadeiras de adarme
(7, existente* nas delogacias de oolicia da Escada
e Gamelleira, mande V. S fornecer 12 ao commis
sario de policia do respectivo municipio, Thomaz
Moreira de Carvalho, como consta do mappa anne-
xo a seu offlcio n. 732, do 1 do corrente.
Ao commandante superior da guarda nacio-
nal dos municipios de Santo Antao e Escada.
Mande V. S. dissolver o destacamento da guarda
nacional, existente na cidade da Escada.
Circular:
Ao juiz de direito da comarca da Victoria.
Recommendo a Vmc. que so sejara alistados na
guarda local desse municipio aquellas pracas do
corpo de policia, cujas fes de offlcio nada conlive-
rem em sea desabono. Iguaes aos jnkes de
direito, de Barreiros, Bezerros, Bonito, Cabo, Es-
cada, Ipojuca, Iguarassu, Itambe', Bom Jardim,
Limoeiro, Nazareth, Olinda, Palmares. Pao d'Alho e
Rio Formoso ; aos Juizes municipaes, de Una, Ipo-
juca, Gamelleira e Serinhaem ; e aos commissarios
de policia dos municipios, da Santa Antao, Barrei-
ros, Bizerros, Cabo, Bonito, Escada e Gamelleira,
Goianna, Iguarassd, Itambe', Ipojuca, Jaboalao,
Bom Jardim, Limoeiro, Taquaretinga, Nazareth,
Olinda, Palmares, Pao d'Alho, Serinhaem e Rio For-
moso.
Ao commandante do corpo de policia. Ao
commi-sario de policia do municipio de Iguarassd,
hristovao Francisc > de Paula Cavalcante, mande
Vmc. fornecer fardamento, excepto calcado e gra-
vata, para 7 pracas, correspondente a am anno, de
conformidade com a respectiva tabella.
Ao mesmo. Ao commissario de policia do
municipios de Escada e Gamelleira, ou a quem se
mostrar devidamente autorisado, mande Vmc. for
necer fardamento, excepto calcado e gravata; para
12 pracas, correspondente a ura anno, de conformi-
dade com a respectiva tabella.
Ao mesmo. Ao commissario de policia de
Palmares, Alexandrino Olympio de Hollanda Cha-
con, mande Vmc. fornecer fardamento, excepto
calcado e gravata, para 12 pracas, correspondente
a um anno, de conformidade com a respectiva ta-
bella.
3.' seccSo.
Actos :
0 presidente da provincia, de conformidade
como art. 16 do regulamento de 27 de junho
proximo findo, resolve nomear Jose Joaiuim da
Silva Guiraaraes para o lugar de agente arrecada-
dor do imposto sobre furao, tabaco, rape\ cigar-
ros, sabao e armas de fog), vago pelo fallecimento
do respectiva proprietario.
0 presidente da provincia, considerando que
Napoleao da Costa Moreira nao acceitou o lugar
de collector provincial d i municipio de Tacaratii,
resolve declarar sem cfT-ito a portaria de 7 do cor-
rente, e nomear para o dita lugar o collector dos
rendas geraes do mesmo municipio, Gabriel Bodri-
gues Lima.
Offleics :
Ao inspector da tbesouraria de fazenda.Em
respo ta ao seu offl;io de hontem datado, sob n
115, serie II, cabe-me dizer-lhe que mande entre-
gar sob a responsabilidade desta presidencia, nos
termos no decreto n. 2884, do 1 de fevereiro de
(862, a ajuda de custo que compete ao Dr. Manoel
Clementino Carneiro da Cunha como deputado por
esta provincia para transportar-se a cdrte.
Ao mesmo.Communico a V. S. que o co-
nego Antonio Jos6 Firmino de Novaes, vigano de
Cabrobo, participou ter entrado em 6 do corrente
na regencia de sua freguezia, da qual se ausentira
por estar nesta capital com assento na assemblea
leg slativa provincial.
Ao mesmo.-Communico a V. S. para seu
conhecimento e fins convenientes que por porta
ria de hoje nomeei
do municipio
ma, para cxercer igual cargo na collectoria provin
cial do mesmo municipio.
Ao inspector da thesouro provincial.Ao
comrai.-sario de policia do municipio de Iguarassd
Christovam Francisco de Paula Cavalcante, mande
Vmc fornecer os livros de que trata o art. 43 do
regulamento da guarda local.
Ao mesmo.Remetto a Vmc. 10 exemplares
do regulamento de 3 de julho corrente, para a bi
bliotheca provincial.
Ao mesmo.Mande Vmc. pagar ao padre
Francisco Raymundo da Cunha Pedrosa, coadjuc-
tor da freguezia de Timbatiba, os vencimentos de
sna congrua, correspondentes aos mezes de oovem-
bro do anno oassado a maio ultimo, na conformi-
dade do inclus > attestado a que allude Vmc. em
sna informacao de 17 do corrente, sob o. 296.
Ao mesmo.Ao comnissario de policia do
municipio de Palmares, Alexandrino Olympio de
Hollanda Chacon, mande Vmc. fornecer os livros
de que trata o art. 43 do regulamento da guarda
local.
Ao mesmo.Ao sargento da guarda local do
municipio do Rio Formoso, Vicente Ferreira de
Franga Carvalho, mande Vmc. fornecer os livros
de que trata o art. 43 do respectivo regulamento.
Ao mesmo.Mande Vmc pagar ao conego
Joao Serapiao da Cruz, coadjuctor da freguezia de
Goyanna, a sua congrua correspondente ao tempo
decorrido do 1* de julho do anno passado ao ulti-
mo de junho proximo Undo, na conformidade do
incluso i tlestado.
Ao mesmo.Ao commissario de policia dos
municipios da Escada e Gamelleira, ou a quem se
mostrar devidamente autorisado, mande Vmc. for-
necer os livros de que trata o art 43 do respectivo
regulamento.Mutatis mutandis communicando
ter o mesmo commissario entrado em exercicio no
dia 21 do. corrente.
4.' secgao.
Actos:
0 presidente da provincia resolve remover a
professora publica de instruccio primaria do sexo
feminino, Felippa Floripe de Faria Mello, da ca-
deira do Olho d'Agua dos Bredos para a cadeira
de Cimbres.
0 presidente da provincia resolve remover o
professor de Pequeira, Valenano Bezerra Caval
0 presidente da provincia, lUeodeodo ao qu
requereu a professora de Guipapa. Liliosa Silveir
de Oliveira e Silva, e tendo em vista a info.-maca -
do inspector da instruccSo publica, de 22 lo cor
rente, sob n. 202, resolve removel-a para a ca-
deira da villa de S. Bento.
Offlcios :
Ao inspector geral da instruccio polliea.
Remetto a Vmc. seis exemplares impressos do re-
gulara-nto de3 de julho corrente para a bibliu
theca provincial.
Ao regedor interino do gymnasi i pro* incia
Remetto a Vmc. 6 exeaplares impressos do re-
gulamento de 3 de julho corrente para a biblio-
theca provincial.
Ao bibliolhecario provincial. Remetto \ mc
12 exemplares impressos do regulamento para es-.t
bibliotheca. mandado observar por acto dt 3 d-
julho corrente.
5." secgilo.
Acto :
0 presidente da provincia, attendendo io qu>-
requereu Thomaz de Carvalh > Soares Braodio S
brinho, o teoente eoronel Ant raio Praneic. Pae-
de Mello Barretoe o Dr. Joao Cavalcante de Al
buquerque, contractantes das obras da estrada d
none, da Chi da Mangabeira ao engonno B ijary.
e tendo em vista o di-posto na lei n 1'49, 4e 10
de junho do corrente anno, resolve releval osda
raulta em qu9 incorreram por oio terera co.iclai
do as me.-mas obras deotro do prat > Jo sen eoa-
traclo, c proro/ar es-e praso por law meze> con-
tados da data da promulgaci) da referi Ja lei.
Esta sera apresentada nas estacaes compeientes
para os fins convenientes.
Portaria :
Oa Sn agentes da companhia brasilsira d*
navegacao a vapor mandem dar pas*agm para
corte, a proa do vapor C*zra, esperado do none,
a Jose Francisco da Cruz, quo, eslando a cui.ipru
a pena de gales perpetaas no presidio de Fen and
de Noronha por crime de homicidio praticado na
provincia de Mraas, foi indultalo por decreto de '
de abril deste anno ; correndo a despeza di- seu
transporte por c >nta do ministerio da justioa
2.' secgao.
Offlcios :
Ao commissario de policia de Palmares. lv
ordem de S. Exc. o Sr. pres.dente da prov acia.
communico a V. S. qne nesta data se expedi > or-
dem para se foroeeer i guarda local desse tinoi
cipio 12 granadeiras e fardamento para 12 piaca-
correspondente a um anno, e os livros neces
sarios.
Ao commisaario de policia de IguarassuDe
ordem de S. Exc oSr. presidente da prov a^a.
communico a V. S. que nesta data e exped ) >r-
dem par* se fornecer a guarda local desse n um -
cipio fardamento, livros e armament
Ao commissario de policia da Escada Ga-
melleira.De ordem de S. Exc. o Sr presi iette d .
provincia, communico a V. S. que no-ta data man
dou se fornecer a guarda local desse raun cipi
fardamento, livros e 12 gramdeiras doadarrie 17
existent os nas delegacias da Escada e GarnelMra
ficando assim respondido o seu offlcio dell d
corrente.
3.' secgao.
Offlcios :
Ao inspector do thesouro provincial. DV
ordem do Exm. Sr. presidente da pr.vincia, ;om
munico a V. S. que por acto desta data fo ni
meado Jose Joaquim da Silva Guiraaraes MJBM
arrecadador do imposto sobre furco, tabaco, ap*
ciguros. sabao e armas de f go, vago pelo Iille
cimento do respectivo proprietario.
Ao mesmo. De ordem do Exm Sr presi
dente da provincia communico a V. S. qrjr, nao
tendo acceitado Napoleao da Costa Moreira o I Jgr
de collect r provincial de Tacaratd, foi pur p MB
ria de boje declarada sem effeito a de 7 do cor
rente, e nomealo para exercer o referi Jo ligai
o collector das rendas geraes do mesmo munici-
pio, Gabriel Rodrigues Lima.
Ao mesmo. S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda coramunicar a V. S. que a dinct i
da escola normal, em 20 do corrente, design >u
professor da primeira cadeira do segundo aan<
Maximiano Lopes Macbado, para snbstitnir a da
segnnda do terceiro anno, bachanl Ezeqou-l
Franco de Sa, que se acha gravemente doei H
obteve om 2 do corrente uma licenca de tre*
mezes com todos os vencimentos.
4.' secgao.
Offlcios :
Ao director da escola n rraal. Manda ?
Exc o Sr. presidente da provincia declarar qu-
fica inteirado de ter V. S., conforme commas cou
em offlcio de 20 do corrente, designado o profewor
dessa escola, bacharel Maximiano Lopes Mac hit
para substituir o da segunda do terceiro aac .
bacharel Ezeqniel Franco de Sa. que se acha scs>
vemente dotnie.
meeio collector das'rendas geraes ~ Ao .f*^ ^"itt^a,0^ 7,
de Tacaraiii f.shnpl RodricnM I i- "rdem de ;>. Exc o Sr. presidente da dtumjci.
"SI^Sl^!r^Sli^S?!WJ!Jl! accuso o recebimento do offlcio de 6 do com Me
em que V. Rvma. participa ter entrado na recen
cia dessa freguezia, da qual se aosentara por tstai
nesta capital com assento na assemblea legil; tiv.
provincial.
Ao presidente do gabinete portuguez.==I'
ordem do Exm Sr. presidente da provincia reoet
to a V. S. dous exemplares impressos do regula-
raente de 3 de julho corrente para a bibliot lee
provincial.
I\ 16 DE .V.VUBR
:om
DESPACIIOS DA PRESIDENCIA DO I-I
DE 1874.
Antonio Manoel do Sacramento.Deferido
offlcio desta data a theoararia de fazenda.
Antonio Symporonio Rodrigues LuoaDrfe-
rido.
Bernardo Falciio de Souza.Forneca se.
Ksievjio Jose de Souza. Nio ha actuals -a;
vaga.
Padre Francisco Virissirao Bandeira.Deferido
com offlcio desta data ao Sr. inspector do thesou
ro provincial.
Francisco Jose Coelho Nett>. lufarrae o Sr
inspector da ihesouraria de fazenda.
Florentino Carneiro da Silva. Informe c Sr
inspector da tbesouraria provincial.
Francisca Maria da Silva. Inf >rme o Sr. pmve-
dor da Santa Casa de MisericorJia.
Jose Vicente Godioho.Informe o Sr. direSor
do arsenal de guerra.
Manoel Theodora da ftocha. Entregae-se aw-
diante recibo.
DAS ARMAS
Dt SOVEMBR.') 0*
Commando das
QUARTEL GENERAL DO COMSSASDO
DE PERN AMBU CO, EJl 17
1874.
Ordem do dia n. 857.
0 brigadeiro commandante das armas faz cart
a guarnicao para o3 fins convenientes que hot tea,
se lhe apresentou o Sr. cirurgiao da corpo >
saude do exercito Dr Jose Marques da Silva Bas-
tos, declarando que renunciava o rest* da he ra. *
de dous mezes que obteve da presidencia fiesta
provincia para trataraento de sua sadde, e qur
'

media



ae
Diario de Pernambuco Quarta feira 13 de Novenibro dc 187-i
-------------------------. t t ;i!- ------- ~--> ~x-r ,- \ j >j|-- "i.
.eitaarennncia, nterwaoexercie'cWa la fsik- fcrfir teseoda qu>, flesde m\iiio, temf 'trilbaio, "te'da CarJilT, no dia 14 do
^des.
(Assignado.) STanoel da Cunha Wdndtrtey
hint. .^-^
Conforme.0 major Jose Bmifacio dos Santos
ilergulhao, ajudanle de ordens encarregado do
detalhe.
&mpMmmm
&
(agencia
TELEGRAPHICA UAVAS REUTER.)
Roma n. de novenibro.O senc
ral c.aiiDaldi foi elcito reprcicn
cuili- tie Roma na ussemblea na-
cional.
Roma i:.-\as('icin">eH a tiue so
proceile n;i Italia, e quo csiao a er
iiinur. foram clcilog : duzcntog e-
(cuta e udi ilcpauailot* da ousf.ita, cen
(o iiiiii'iKii eciucu :.i k-oi ki;,h, m<-ii
ataSMonneeido o reault.tdo acercacle
(luarcuta e dou;.
IC. 4^:ii clicXDU
mala, prurcdeute du
SiiiiiJi mpton
saltltado I II
BOYNE, da real
Hrasil.
I.ivcriiaol 1. Chfym aqui o pa-
quete logics aCo.XCauc i, ci.t liuiia
do I'aciiiio. preeedMn Itrasli.
iiin tie Janeiro 19. Kalilo lioje
para os pnrlnodu liortu o vaiiur in
^lex LEIBNITZ.
\:):itii! coi!t!i;;:tiiE'i.
I.imiircs 15.A liixa do dt-scoiilo
na prara fai eleiatla a ijiiitira c se
le (illavo.M por ci-nlo. t ohm .liiSa dos
tie 3 OO, POR account, a 93 1/1. I'uiidnn
ItraMileiros de r. O/O. do anno de
li<5. a Hit. Cafe : caliuo ; prccoN
Uruit-M iiialtcratlos. AsHUvar : c'al-
mo ; precoM flrmes inaltcrudos.
I^iverpuol 15. Alsoilao : muito
anim;i:Io : precos firniiSMimos ; ten
tlcram me lio/e viiiie mil I'ardtiM,
semlo tlu:iM mil e gclccenliis de
prot-edencia da America da Sul ;
o fair de I'crKamhuito a 9/ d. por
libra. A.*ierur : caltuo : proros lir-
net iaallerados.
An(:it*rpia 15. Cafe: ealmu : pre
o-iim lirsiii'M iaa I li-ia li> .
Hat re 15.-Cafe : calmo : preeos
tii'mo* iiiaHcrados. Alsoilao traiis-
iifjNK's restalares i preens lirmrs :
? ordinaria de a*eritaial>UL'u a OO
[,'iiuciis por 5i> Uilotii-s.
fiainriui'vo 15. Care : ctguitn ral-
mo ; [irc.'ui cn::i lendeneia a ai-
var.
Manselha 15. Cafe: Irnnsaccucx
c-eftularcs ; pi-ecn* firnies.
Kew-Yurk 15. Cnmbio satire I.oa-
dres 4-8* l/>. Oarolli l/l. tare i
calmo i prccoa Brines inalierailo* ;
a do Kio PAIR 1? 3 1. e o GOOD 1 3/1
ems par Ultra. Algodao: incdiano
PLASDS II t/U CKKTS por libra: as
ckegadaa tie Ii:>j<> aos portos ame-
ricanea elevatn-ma a dczesete iuii
Card os.
nio de r.tieiro B?.- .fada so teua
i'ciiii eon cambio snore b.undrew.
Kituia St.Caoibio suiire il.ondreis
ica3Sr:ii^(:-.
de Mtrioiitos .deai-daa jida-,pmvinna .oaa oawa li-aUau-ctMn o capiiio da galera inulsia Mao*-
por Glbo e se deiyanece. de ^e.lo Wmo Ul, : rttk Gelbroitk, em viagem de Gla^w oaVOtiK
, a.!5e* do palacefe art^m,.^ rprtaidroja. (na Nova Zelid..), lea.lo 38 di. s de viCom com
raeote. decorados o bnlhaniemeote illuanaadM ; ta^aaies pa'siageiro^. Tudo ate anu^STdiuh
e, no seu exterior, quer nas dnas faeh,asde *em aordo. aquwia oau ja
terra, quer no gradii do jardim, qae embelteza l^aiiiex do pi-.-paraiorioit -Hiritem
afaehad.pnDcpaJ do ed.Hcio; proJuria nib ef- fizerara-se 71 exame,, fend" o reu tado a?
fe.to encantador uma bem -dispostae bom corahi- guinte : re-uiao o e
iifobos donffi. aS" Pr mei Ae Pe1ueaoi r/^o's-4 P'aaamenle' sim',,esraente e 4
A'poru d. eMzio tocavam duas banias de L:lim.-1 com dUtinccao 7 olenaraente 1 aim-
masica marcial, e no salao de baile umi ontra plesmente e t'reprondoi PRnimeate. J 9,m
banda de orchestra, todaj as quaes e su^cessiva-, laglez. -14 plenaawnie e 15 simple^meote.
inent-, recefciam os conv.dadoj para o baile fa- Loterla. -A qae se acha i vanda 6 a 125
ieado ouv,r deleitaveis barmonias. a benefico da capella da Esttncia qSe wrVno
Concorreram ao. bails oilenia e duas senhoras dia 20. que corr
Kmff ]re,zea!cs cavalheinw, todos da raais LellM. -Hoje, ao raeio dia, ellectaa oagea-
oa, mais AiMineU e man escolbida sociedide do te Finto o leilao- das 10 saccas com aleodao no
neetto, quer em grada.ao official e politica, quer trapicfcfl da companbia do Largo da Coruo Santo
nas leitras e nas scienciai, quer rmalmente uas Ananba, 19, effectua o ageaie Phito o leilao
nonro?;.s e bonradas claases do commercio e da de fazendas. conTorroe esta annaociado
agncultura. | Sexta-feira, 20, de^e ter lugar o' leilao de
0 bailecomecou as 10 1|2 Iicras da noite, tendo moveis e lustrasa gaz noaobrado da ma do Bob-
sido servidos. pou^o antes, sorvetes e rt-frescos. Jesas a. t2.
A" 1 lura da madrugada foi eervido urn sum-1 Casa de detencao.Movimento da casa
ptuosociiai e, as 3 bora* da hmoIm, fan ri de detencao do dia t6 da novembro de tSlt '
eonvivas para o salao do banquete, oude se acbav* Existiain 309, eniraraai 11 sahiram 8 Ax'istein
disposta uma mesa, em forma de f^rradura, e es 312. V '
pi pdidamente servida para 150 pesjeas. j a saber :
Tud) o que o mail lino e d licado paladar pode Naeionaes 233, malnerei 8 e=tranTeiro?
exigir em satisfaoao ao bom gosto, tudo se acbava cravos 33, escrava l.-T>.lal 312.
correute, que no-iWdV. 0 'corrcnieo juizo, recorridj Franoaca- JUJxi
f urtrdos Santos.
,- Kocerrousea sess5o a 1 hora.
^z
Tribunal uo couiuicrcio.
ACTA DA SESSAO DE 16 DE NOVEMBHQ DE
1874.
MTCSIDBNCIA DO EXXI. S. CONSgLHEIRO ANSKLUC
KRANXISCO PBRBTTI.
A's 10 horas da manna, presentes os Sra. de-
puladoi secretario Olinto Daatoa, Lopea Machado.
Alves Gnerra, e o Sr. supplenie Sa Leitto, S. Exc!
o Sr. conselheiro presidente abrio a aes3ao.
Lidi, foi depois approvada a acta da sessao pre-
cedtnte.
30, es-
naquella mesa, uma das man sumpluosas e mais
e^pjendidas que icinos visto nesla proviucia.
Em torno dessa mesa tomaram assento as illus-
tre> senhoras preseDtes, o Sr. conselheiro Juao
Allredo, teodo a sua direita o Sr. presidente di
provincia e a esquerda o Sr. visconJe de Caraa-
ragibe, o Sr. general commandaule das annas, o
Sr. Dr. cbefe de policia, o Sr. consslbeiro Ferreira
de Aguiar, o Sr. Jo.-e Ja Silva Loyo Fillio, presi-
dente da Associagao Commercial Agneola, o Sr.
commendador Joe Juao de Amorim, o Sr. coin-
mendador Aalonio Va'enUm da S:lva Barroca, e
muitos outros distinctos cavallieiros, circulandj a
me?a os demais.
Ao coinecar a segunda coberla principiaram os
briudes, cabendo ao Sr. -Lno lilho eneela-los ein
Allmentados a custa dos cofres publicos 252.
A saber: .
Saos 212 e enfermos 20.Total. 232.
Movimento daeolermaria dj dia 13 de novembro
de 1874 :
Tiveram baixa :
M.moel S>are< da Luna, rheuraalijino.
Jldrminio Jose Qua esma, febre.
Tiveram alta:
Manoel Severino de Barros.
St^basliau Corr&ida Itrjeha.
Francisco das Cbagas do Monte.
Ceiniieriu publicu. Ubituario do dia 16
do corrente:
Maria, oarda, I'ernamlkico, t hora, Boa-Vista,
hospital Pedrn |{; debilidade.
Domingas Helena da Cmceirpo, parda, Pernam
aome da Aasoeiacio Com nereial Agri:ola, de aue
e S. Smui d.Kno preMdente. | bUco, 2o"aanos, solteira, Boa-Vista," hospital Pedro
U br. Loyo Clbo, fallando em nome dos seus II; tuberculos pulmonares
consoc.oi, e tm noguageiu correcia e elegante, ex-1 Seveiian pardo, Perna'mbuco, 8 mezes, Boa-
(AGEKCIA AMERICANA.)
SSsdri 1 16 ill.- sf-teaibro.As fjreas, quo
ic?::z?,~i socci rro de Irua, jd cstao regres-
Kiid ..;., quell .i cila !'para a de Miranda.
For. presos e recolhidos ds prisdes m li-
tares os directores das gazritas P11ES8A e
BSNDERA. Tan.bem foi prcso o Sr. Pa-
lanca,
Paris 10Tudo indica quo os conser-
vad ires lerao graode maioria nas proxiraas
tleicdss dos conselbos municipaes.
l'.ua 17 aos -2') id. da t&rde.Cbfgou
dos portos !o sul o paquo'.e oacioDal I'.l-
H.V ; n gn >~,-::;i amanl S.
Ilij de .! ineiro 1" as !) !i. da manha.
f-st.-i iadaa shida do vapor "Mill
no dia > deste nez para os portos do
uorte. Ca ubio sob re Londres 2(5 l[2 a 26
'>/.' pailicuJar. Bancos retirados. Nuli-
uias recebidas do liio da Praia dizera que
reina a desintetligeocia eutro oschefesior-
danistas de linlre-Hios, uns sao a fayor de
Mitre u da revola^ao, e outros contra. Cor-
re mesuo que o governo argentioo, apro-
veitando o ensejo, offerecera a.Lospes Jor-
ii commando, do exerotto Eotre-riaoo,
que len de four f.icrf aos revo losos ou a
vacguarda do esercilo argenlino. Korreu
bontem o commandante do vapor-inglez
TYCUOIMAUE, da linha nivin piIte
MAIL.
Babia 1G ds 3 h. e J5 m. da tardo [re-
tardado.)Sabio boje para os pottos do
norte o paqueto nacional COS HE hi.I.
r.liegou, procedenle de Pornambuco e mais
portos da sua escala, o vapor 5LARQUEZ
DE C.I A/15, da companbia babiaaa.
Cambio sobrc Londres26 ;J,S a -Id \\i par-
ticular.
l'ard 17 as V !i. da tard-3. Cambio
bra Londres JO l;:> bsacario, 20 5^8
tcular.
Liverpool 16.Algodao : sub:o um oita-
gn-
euliura, tracxu coin largos a exactos tracos o
quadro das neces^dades da^uellas duas importau- i
le-> funies da-riqueza publiea, pedindo a S. Exc.
que lomasse cm cousilerapfi) e.*sas necessidades, \
couceulrando os seus eafdryos em daar esta pro-
viucia com -bons e abuudautes rneios de lran.por-
te, por terra e por agua, a semclhanlemente que
empenliasie suas lo^ubrajoes em alliviar o coin-
mer io dc alguus dos onus que sobra elle pasam,
fdcilitando Ibe ao mesmo leuuic os meios de re-
coustruir o credito abalado. Tenuinou o Sr. Lnyo
li.ho erguendo um brinde ao Sr. conselheiro JoSj
Alfredo.
_ Seguio se Ibe o Sr. conselheiro Joao Alfredo. S.
Eic, viiivelinenle commovi lo, e com a voz tremu-
tranco, 3D
o, a. .^e; pbtysicr.
Tbomaz de Aquino Damaseeno, pardo, Pernam-
buco, 38 annoa, solteirg, Graca ; bexigas.
Mari^, branca, t'ern'ambuco, 4 Inezes, Recife;
convul.-oe^.
Maria, parda, Pernambuco, 3 annos, Boa-Vista;
variolas confluenles.
CHKOMCA JUJHf!MRU.
TRIBI \I.1L DA RELitlO.
SESS.4Q Ed 17 BE .NOVEMBRO ') 1874.
PR ESI DEN CIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
CAETAKO SANTIAGO.
Secretario Dr. Virgtlio Coelho.
A's 10 horas da manha. presentes os Srs. des-
emoargadores Silva Gaimaraes, Lonrenco Santia-
___ EXPEDIENTS.
Offlcios:
Do presidente e secretario dajonta do* correlo
res, remettando o bolejim das ootacoea oCQciaes da
semana de 9 a 14 do eorrente.Mandou se ar-
chivar.
Distribuiram-se os segnintes livros :
: Dous oopiadores de Gomes, Ctimaco & C, um
dito de New Londoa and Brasilian Bank, dito de
tameilo ft Dnarte.
DBftPACJIOS.
Requerirnqntos :
Da Alvaro Paulo Noblalo, declarando qne, es-
tando a lindar se a sua provjiio do avaliador do
juiza commercial, vora requerer ao mereiissimo
tribunal sedigne passer Ibe nova Adiado.
De Duarte Amaral & C, requerendo o registro
do seu contrato social.Vista ao Sr. desembarga-
dor fiscal.
De Jose Alves Barbosa Junior, reclamando eon-
tra a publicacao feita no Diiirio de Pernambuco
e Jornal d) Recife relativa a sua pessoa, e pedin-
do a refirma da deliberacao que motivou dita pu-
bli^agio.Vista ao Sr. deaerabargador liscal.
Do Francisco Gjirgel do Amaral, natural do
Ceara, de 28 annos de idade, casdo, commercian-
te de fazendas em grosso e a retallio a rua Pri-
meiro de Marc) desta cidade, pedindo matricula
de commerciaute. VisU ao Sr. desemba'gador
Qsral.
De Joaquim Lucillo de Siqueira VarejSo, pan
cert fiuar se se de 1872 ate esta data foi registrado
algum contrato entra o supplicaata ou sua molher
a Bento Augusto da Silva.CertiGque se.
De Henrique Xavier de Araujo Saraiva de Mel
lo o um commanditario. satisiizendo o parecer fis-
cal para registrar se o seu contrato social. Pro
ceda-se ao registro nos termos do decrrto a. 4,39t.
__ Mo havendo mais n da a despachir, S. Exc. o
Sr. conselheiro presidenie encerrou a sessao as 11
horas e 1|4 da manbi.
& mm.
laJ.^f?^?5.^?a^?m*?*9l8 Souza Lean, f,
gador Almeida Albu
Em seguida o I>r. secretirio procedeu ao sorteio
eri imbutada pela illu.-tre As em geral a* provas de com causa o Sr. detembirgador Almeida Albu
querque, abrio-se a sessao.
AgricoU-; e, relenndj se
apreco e consideracao que ten rec-bido deseu<
c n!i;.roviuciinos, allirmou que seriam ellas um
rTUe,eDmi;!,Cni0JUCl:Lt'V'J '';'ra *J-e ^"^assedosaijuntos para os"recii.:sos e"aggravo7 de* pe'
todos os instantes desaavijj pubiica, todos na lieia:
:orcos, era prol do eomadaditwMo do paizl '.N. 87Ag^ravantes Dr. BenU JosO da Costa e
ovmcia, a que o pni- outros aggraiaJo Antonio de Souza Rego. Foram
. .lArnr rP<->...... .'>, -'argaJores Ren e Silva
.- ..w.^-,., v.u p.u uu cu^rauuouiiuruui uo paiz i>-. a/. Ag^ravantes Dr
) com especulidado desta urovmcia, a que o prea-' outre, aggra'alo Aatonio
lem os mais sagradjs la^os da amor, respeilo elsorteai-js os Srs. de<-mba
fraiilao. Quauto ao appall., f.iw pcu Sr. Loyo e Motla.
gr,
nlho ao sen palnoliamo em prol do-couimercio e
da agncultura, disse S. Exc. qua a melnor prova
que naquella uKinooto pudia dar dos sens bons
desejoa era erguer um briuda ao eograodecimeo-to
e prosperidade deasas duas illustres e re.-peiiaveis
classes, symbolisadas pela Associa..;io C.immereiai
Agncula._ Assim. pois, termiuandc, o Sr. coose-
Ibewo Joao Alfredo, prepoz um briuda a Astftcia-
.ao Co:mnerc.al AgriCola, como repri-sentante do
commercio e da a^ncuitura.
Kallou depois o Sr. Commendador Jose Joao dc
Amorim, que dirigio um brinde ao di|mo adminis
trador da provincia, o Sr. commeudador Henrique
Pereira de Lucena.
Seguiu-se o Sr. commendador Pereira de Luce-
na, que, agradecendo o brinde quo Ihe foi ratio,
K!E I}.8*' Luyo ni"?'. no -Bp,i "racttrldouse devolverpara a re'lacao do i
de presidente da Associai;ao Commercial Agricola1
e de vereador da camaia municipal do Recite.
A esse brinde suceedeu um do Sr. commenda-
dor Antonio Valentim di Silva Barroca ao illustre
teneral que Uo digoamentj coin.uanJi as arrnas
i)3.-ta provincia.
Logo depois, o Pr. Loyo filbo orgueu um brinde
ao Sr. viaconde de Camarazibo parnambucano
distinctd pelas suas ijuaiiJaJe* pessaaes e rid iJe-
cmcas e digno ornaa enu do senado brasileiro.
Fallou euiao o Sr. viscouda du Cimaragiba, que,
grata a cortezia que Ihe fora feita, cumprimenloa
com um brinde ao commercio de Pernambuco na
pessoa de um de seus mais aotigos a mais illu.-tres
uicrabros, o Sr. commendador lute Joio de Amo-
riai.
Seguio-se ao Sr. visconde
H. 88.Aggravante Antonio Alberto da Silva
AgOiar, aggravado Jaciutho gimdes do Almeida.
Foram sortaados os Srs. desemuargidores R.-is e
Siiva e Malta.
JUI.fi.\MENT03.
Ik-euros crimes.
De .Nazareth. Recorrenle bacharel IVrgentino
Saraiva de Araujo G Iv'u, reeorrfdj Manoel de
alaeedo. Rolator o Sr. desembargador Reis e
Silva. Sortaados os Srs. desembargadores Souza
Leao e Louren^o Santiago. Ueu se provimento
ao recurso.
Da MaioriJade.Reb Trenio Dr Mileno da Tor-
res Bandeira, rejorrido o juuo. Relator o Sr. des-
embargador Accioli. Sortiados os Srs. desembar-
gadores Lourcnco Santiago e Reis e Silva.Man-
SO-
pa r-
vo; \enderam-se -',700 iardos deproce-
couros
6,(MMJ ;
denuia brasileira.
raissimo ; vendas
ieram 9 lji.
Antuerpia 10.Algodao
a 8S. Oouros : lir;oissimo
: mercado Tir-
os do Uroguag
: de Santos S"
vendas 9,700
saladero6 de 99 a 98. Cafi ; do Rio ;i
5|8.
Havre 1G. Z- -i : v.nlera:n-se hojp
1,000 saccos ; o do Ui> de Jaeeiro a 9s,
e o de Santos a 10 V. Algodao: calmo;
vendas 36,100 kil -.
P P i
*w..
RE VISTA DIARIA.
Ciuarda nacional. P r portaria da pre-
sideusia da provincia, de 10 do c C0U6-
deu-je gassagum para o municipu da Campina
Grande, na provincia da Parahjrba, ao isavaie da
3" cora|ianhia do bataluao n. 7 da re-erv i da guar-
da nacii nal do mumcipio d.' Olra la.
Felit-iiaeito.- A cama-a municipal de Ca-
rnarii, na sua ses;ao de 12 doeorreute, [> pr0-
pos'.a da seu presidente, o Sr. coronel Jio Vieira
de Mello e Silva, votou nma feliciucu ao Exm.
Sr. conselheiro Joao Alfredo Corni'dc Oliveira,
como prova de aprego e imen'i) aos ser-
vicos por elle pre?lados a provincia de Pir.oimbu-
co, ncmeando nma commissao, composta d- Sra.
Drs. Antonio Paulino Cavalcaote da All
Jose Maria de Albuquerque Laccrda, .. Eraeata
Vieira deMel.'o, representanjes Jo 4" di
toral na asseml-l i provincial, p..ra a'prejenlir a
S. Exc. a respecliva felleil c'
Baile.-Teve iJgar, aate-!iont_'m, cji marni
ficos saloas do palacete da Asaocia^i: tijmmer
cial BeneficentCj o baile nue, i-if. ^is
Commercial Agficola, foi ofl'.-recido ao Eim. Sr.
cousalhe signal de aprejo e alta considers ca .
Foi essa uma festa : | ,s j to Jo?
os pontos de vista, c qne mnito i!l\"? lisongear ao
illnstre_Sr. onsolhir) loai Alfredo, qne de certo,
anto tao espteotlldaa manifestajoas, sobers rr-e
. do Camaragiba o Sr.
Hr. Luiz Jose da SiIvj, que, congratulando se por
ver na cbefatura de policia di provincia um m ^r.j
que e ornamento da magistratura do paiz e que'a
um caraoter utbre reuse qualidades lnaprociaveu,
saudou-o com um brindo e com um voto de res
peitoa essa illustre classe a que S. S. pertence.
O Sr. Dr. Convia de Araujo, tendo agradecido
0 brinde que lho foi dingido, ergueu um outro a
parte mais brilhanie daqu-.-l'j esplendido festim,
as illusi.-es senhoras que tomaram' parte no baile'
Apos esse, ergueu se o Sr. conselheiro Joao Al-
fredo e propoz o brinde de hocra a S. Magcstada
a Imperador, augu-to cbefe da nacao, e esforcado
e (levo'.ado patriots.
Todos e-tcs brindes foram enthuiiasticamcnte
eorrespoudidus, ti.cando nos intervallos de um a
outro tuna banda de musica, que, apos o do lm-
perador, toeou o bymno nacional.
Termmado o banquete, voltaram as senhoras ao
salio do bade, e e.ta proseguio, terminando as S
boras da maoha.
Houveram toiletes riquis.-imos; e em lodi a Tes-
ta reinou a mais complela e invejavel alegria, sem
duvida devida na maxima parte a obsequiosidade
e cavalheinsmo dos illustres membros da Associa-
<;4o Commercial Agricola, que se desvellararn em
tornar a sua festa a raaia brilhanie oue poderam.
E, eja dito em abono da verdade.'essa festa foi
sumptousissima o a mais bella que sa podia al-
mejar.
Mniiifestaruo Iionroua Ainda bontem
a tarde foi S. Exc. o Sr. conselheiro Joao Alfredo
Cuneia de Oliveira c. mprimentalo pela as-ocia-
cao-Amor a Beneiicencia dos 'talhadores de car-
nes verdes-cujos ineral.ros, occupando um nu-
mero consideradel de carros, para tal (in se diri-
giram a i'assagem da -Magdaleua, pro:edidos dc
um /-md em qua ia nma banda de niusiea que to-
eou durauta o trajeoto.
Opportunamente public; reaies a allocncao pro-
feridana occa.-iao, a qual S. Exc. re.-poudeu como
costuma nessea easos, eloquentemente.
Furto e rerinieeio.Era lid. corrente,
a noite, Ag-otinho das Mercos foi grasemenia fa-
rido, em S. Lourenco da Malta, por um uiJividuo
laseonhecido na locali Jade. Um outr que a esse
acompanhava na occasiao em que Uerce*s lutava
om elle, fuitou-lhe um cavallo o desappareceu
1 principal dclinquente evaiio-se lambem.
Nalisfacao tie peditlo. Do Exm. e
Rvm. monsen'ior Pint) da Campos, receberaos o
seguinte:
a Sr. redactor. Reetificando um brinde que
bontem sahio na sua conceituada Ikcistn, e qua
seagjra li, dirigido por mini, na ciaade deGoyan-
ua, ao men nobre amigo o Exm, Sr. ministro do
iraperio, devo declarar qne o brindo que nessa
occaalSo levantei em retribui;ao a outro com que
me h crara S. Exc, foi rrxcloiivamento em seuti-
do encomiast! do seu procedi:nnto politico, na
alta gestifl dos negocios publicos; e, locando in-
cidentcmette no deploravel Conflicto epi-copal,
liaHtei me a dar um publico testemnnho 1os .-en
limentos catfaaiico} de 8. Exc, por mrm conheei-
dos de longa d ila, e maoif-.-star a sincera convic-
0o de que nio tcia sido sen: -oasirangi
mento do suas efencas rl ; a-, em q alida
de da memhro do podar-execulivo; teni cedido as
imperiosas exigencias de sua pnsi^iio, e que '-ram
sabidpj oi esfurcoi co intuit j de .evitar qaalqner
I'-sac'cOrdo eaire a igroja e o e:t.ilo. Tal foi, mais
ou menos de3c:i pensamento do meu brin
de; peosamento 3iuei nao cessarei de Jexpressar.
porque 6 verdadeiro.
Navios enrontratloH. Participii o Sr.
capitao da barcaiDgleza Princess Alice, proceden-
De I'euedo.Recorrenteo juizo, recorrido An
tonio Alves da Silva. Refufor o Sr. desembarga-
dor Domiagues Silva. Sortaados os Srs, desem-
bargudoras Accioli e Silva Guimaraes. Impro-
ccdente.
AppellaC/Jo commercial.
Do Recife.-Appeliante Luiz Jos6 da Costa e
Silva, appellaoVs Jiaquim Hi reira de Uendonca e
seus lrraajs.-Cmlirmada a sculenja.
jipellai;ao civel.
Do Recife.Appeliante J)se da Costa Bi.-po, ap-
pellado Braziliano Henrique da Cunha Cavalcaote.
Lonlirraada a seBfettea.
PASSadHH.
Do Sr. desembargador Rjise Silva ao Sr. des-
embargador Almeida Albuquerque ;
Appellaroes crime.
Da E-cada.Appellanles E^piridiio Barbosa da
Silva e outros, appellada a justira.
Revista civel."
Recorronte Jose Felix da Motta, recorrido Luiz
Caet.no de Andrade.
Appel'acSes civeis.
Do Recife.Appeliante Corbiniino da Aquino
Ponceea, appellaJo Luiz Clemeutino Carneiro da
Lyra.
Do Limoeiro. Appellatta o juizo, appelhdo
Uemente Jose da Fonceca, por seu curador.
Do Sr. desembargador M ma ao Sr. desembar-
gador Accioli :
A/pellacao civel.
Do Recife.Appeliante Antonio BAo, apnellado
Joao de Azevedo Soares.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desem-
bargador Domingues Silva :
Appellacao commercial.
Do Recife.Appellantes os curadore3 da massa
de Jose Antonio da Silva Machado, appellada D
Libania Julia de Harms Machado.
Do Sr. desembargador Domingues Silva ao Sr.
desembargadur Souza Leao :
Appcllacoes civeis.
Do Recife.Appeliante o barao de Nazareth,
appellados Jesuino Carneiro da Cunha e outro.
Kmbargos inlringeutes.
Da cidade da ArC-a.Emoarganta Francisco An
tamo de Assis, eobargado Alexandra Guedes Al-
cofor do.
De Taearabi.-Appeliante o juizo, appelhdo Mar-
tinho, por seu enrador.
t Appellac o commercial.
Do i.eara.Appellaute Joaquim Francisco da
Costa, appellados os herdeiros de Jacob Kant.
Appellacao crime.
Da [mperatriz -Appeliante Antonio Silvestre de
Barros, appellada a jpstica.
Do Sr. dese.-nbarg-.idor Souzi LeSo ao Sr. des-
embargador Silva Guimaraes :
A?pellaci5e3 crimes,
appeliante Jose Emigdio Eerreira Luna, appel-
hdo Candilo Moreira da Costa.
Diligencia crime.
Sra. redactors -Mandei esta publicacao para
as columnas da Provincia, onde daixou de ser pu-
blicada porque nao ma submetti a alteracao que
quiz fazer o encarregado da pabbcacao dessa fo -
laa, o sr. Dr. Jose Marianno Carneiro da Cu-
A alteracao consistia n*a substituieao das pala-
vras-co/amnas da /Vownc/a-pefas palavras-
seccao ins publicacoes solictta&as da Provincia
a alteracao parece de pouco alcance, porem ti
ve razoes valiosissimas para uao concordar nella,
sendo que talvez mais tarde o publico as apro-
E'_de meu dever protestar contra alg.araas pro-
posicoesde um artigo incert) na^ columaas da
Irovincia de hoje sobre ojulgamentoa dos Srs.
Chacons, e como o nao possa e ncm deva faael o
ja, sem que previamente me enteo Ja com os Srs
acadetnicps Poop? e Miranda, o primeiro a quem
entao derandi e o seguudo meu companheiro na
dereza, peco ao publico que aguarde por alcnns
dias o qua tenho de dizer, pois qua da algun mo-
do airccta nio so a minna como a dignidide da-
quelles cavalneiros.
Recife, 17 dc novembro da 1874.
Joiio Francisco teixeira,
Sn redactors. .N3o posso responJer a Sra.
I'ehciaoa Maria Olympia, sobre o qua diz uas
culumnas da Provincia em relacao a justi^a com
qua a tenho demandado ; conlestando porfim ter
tlla ganho todas as questoes, visto como tenho eu
tnumpbado em qmsi tolas ellas, somenla em at-
tencHp ao publico direi qua a mesma s.uhora tain
advogado, assim como eu tenho. Lltimamente e
depoi< do finadoDr. Surges da Fonce:a, conselhei-
ro silveira de Souza. Dr. Drummonl a Joao llar-
calho, defende os seus dreitos o Sr. Dr. Joaquim
Jose da Miranda, sendo meu advajade o Sr. ba-
coarel Joao Francisco Teixeira, que succeleu ao
Sr.Dr. Vicente Pereira do Rego, unicos que ban
dafendido os meus dircilos.
Assim, convindo res.dver quem asm sido bem ou
mal aconselhado, se eu. ou se a Sra. Felhia.ua Ma-
rialOympia, deixando de parte as deci.oas dos
tnbunaes que como acima disse mo lem 8iJo qua-
si todas favoraveis.so uma discossio trav.da entra
os dous adrogados podera esclarecer o publico a
respeilo.
Se o Sr. Dr. Miranda quizer o Sr. Dr. Teixeira
a quem ja consulted Ihe responded as conlesta-
loas quo fizer acerca dos direitos com que movi
pleii,s contra a Sra. Feliciana Maria Olympia.
Recife, 17 de novembro da 1874.
Antonio Moreira fais..
N. 4il.-Progressios da xuedicina.
A sciencia aos da alegres novas, annuaciando-nos
que sa ha feito nmgrande e importante descobri-
memo, o que as insidiosa3 amarguras e soffrimen-
tqs, causados pelas molestias da garganta e dos or-
gans da respiracao, podem ser atalhados com o
immediato uso do-Peitoral de Anacahuita,e
isto com uma ceiteza e inhlhbilidade, ate agora
descmhecida na pralica da medkina. A bate fun-
damental deste delicioso e riquissimo xarope con-
siste no balsamico sn:co extrahido de uma arvore
mexicana chamada Anacahuita, o unico especifico
natural ate boje conhecido para as affee^oes pul-
monares. As esquinencias. as bronchites e asthma
cedera a sua acjao com uma facilidade verdadeira-
mente assombrosa. Faz desapparecer a rouquidiio
dentro de poucas horas, o lomado a tempo e a
horas impede a possibilidade da phtysiea.
v w^N-J i n iri-|--| iiiiumk gn...... ,,,
Iui|sor>tn cilvr.
JJngue nacionaJ Honorific hntrtio do-RioGran-
ao oo sul no dia 16" do corrente e consignado a
Amorim Irmaos A C-, manifeatou :
Xarque 175,835 kilos a ordem.
Liigar Inglez Ethel, erilralo da Terra Nova em
17 do corrente e consignado a Henry Forsler &
C, mamfestou :
Bacalhao 4,000 barricas aos consignatarios.
Sumaca bespanhola Tratiita, entrada da Bar-
celona na mesma daia e comigoada a Pereira
Carneiro Maia C, manifesto u :
nyinh0 b/anco.80 P'Pa8. *0o barris de qninto,
290 litos de decimo e 6 raeias pipas aos con^iz-
natarios. *
0ESPA1B0S DE EKPORTACAO NO DIA 16 lit
OUTUBRO DE 187i.
Para os portos do exterior.
No vapor inglez Warrior, para Liverpool,
earregou : liraga Son 4 C. 57 saccas com 4,359
kiloi de algodao; S. Brothers & C. 4,060 saccos
com 304,300 ditos de assucar mascavado ; M. La-
than & C. 7,000 ditos com 523,000 ditos de dito.
Na barca porlugueza Arabella, para Liver-
pool, earregou : Brown Thomson & C. 1,800 sac
cos com 135,000 kilos da assucar mascavado.
No patacbo hespanhol Amalia, para o Rio da
Praia, earregou : P. Carneiro Maia & C. 630 bar-
ricas com 72,895 kilos de assucar branco e 200
ditas com 23,610 ditos de dito mascavado.
Na escuna inghza Mary, para o Canal, ear-
regou : J. Pater & C. 582saccos com 43,630 k'los
de assucar mascovado.
No patacho americano Francis Janes, para
Hampton Roads, earregou : M. Austin & C. 3,774
saccoicom 283,850 kilos de assucar mascivado.
No patacho hespanhol Felisa, para o Rio da
Prata, earregou : P. Carneiro, Mm & C. 52 cas-
cos com 24,480 litros de aguardente.
Para os portos do interior.
Para o Rio Grande do Sul, na barca nacional
Mimosa, earregou : J. F. Balthar 1,000 voluims
com 81.464 1|2 kilos de assucar branco.
Para Macao, na barcaca Veronica, cieregon -'
M J. A. da Silva 2 barricas com 133 kilos de
sucar branco.
Faro.
Figueira.
Fa re.
Thomar.
Tavira.
Torres Novas.
Valenca.
Vianna.
Villa do Conde.
Villa Nova da Cerveira.
Regoa.
S rives.
Santo Thvrso.
Vila Real.
Vfhhaes.
Vizeu.
Villa da Feira.
Villa Pooca de Aguiar.
Vdla Real de S. Antonio.
Moiraenta da Beira.
Funchal.
Ilium.
Madrid.
BarcelJona.
Vigo.
I'uentea.'eas
Hespanha.
Fayal.
Cadiz.
Orense.
Corona.
Badajiz.
SEGUROS
MARITIMOS
CONTRA 0 FOGO.
A companbia Indemnisadora, estabelecida
lesta praca, toma seguros .naritinios sobre
oavios e seus carregamentos e cr-ntra fego
;m edificios, mercadurias e mobiles: na
ua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
SEGUROS
e
a-:
CAPATAZIA
tindimanto do dia 2
llta do dia 17
DA ALFANDKG*
a 16. 7
602i339
830^391
8:432/730
VOLUMES SAH1D03
Vo dia 2 a 16......
So dii 17.......
'rimeira pcrta.....
Uganda porta ....
r*rceira porta.....
riTpicfe Ccnceicao ,
19,821
123
134
194
383
20,859
SERV1CO MAR1TIMO
Uvarengas descarregadas no trapicha da
alfandaga.
-io dia 2 a 16.....
1 dia 17.......
*o trapicre Concaicao .
M
tSCEBEDORlA D3 RENDAS INTERNASGE
RAES DE PERNAMiJUC-
iitqimenlo do dia 2 a 16 29:410/372
dra do dia 17 ..... 7:178/784
36:589/156
CONSULADO PROVINCIAL
".mdimento d<> dia 2 a la.
dim do dia 17 ...
5'5:360/l48
3:796;70
80; 157/228
AGEXCIAS PROVISCIAES
Liqnidoa espirituosos.
rtendimento de 2 a 14 2:957/882
Idem do dia 16 28/633
Bacalhao. etc.
itendimento de 2 a 14 2:583/698
idem do dia 16 691/188
Generos de estiva,
.-tendiraento de 2 a 14 2:910/030
idem do dia 16 435/920
Farinha de trigo. etc.
teadiraento de 2 a 14 2:122/364
Idem do dia 16 653/908
2:986/51?.
3:276/886
3393/950
-----------~ 2:776/272
flendimento de 2
idem do dia 16
Fumo, etc.
a 16 1:9591124
370/800
Vinagre, etc.
riendimento de 2 a 14 650/327
Idem do dia 16 161/613
1:926/924
1:012/910
15:375/487
Tbesouro provincial de Pernambuco, 17
de novembro de 1874.
0 escrivSo,
J. C. M. da Silva Santos.
coalra-fogo
COMPAMIA
Phenix Pernambucana.
RUA DO COMMERCIO H. 3i.
Seguro conlra-fogo
CHE LIVERPOOL d LONDON dt GLOl
INSURANCE COMPANY
Afrentes
SAUNDERS BROTHERS & C.
11Corpo Santo11
Augusto F. diliveira k C.
A casa commercial e bancaria de Augusto
& d'Olivcira & C, a rua do Co nmercio ns
42, ejicarrega-su de execugao de ordens
para embarque de prodoctos c de todos o-
mais negocios de commissao, quercomrner
daes, quer bancarios.
Decv-nta lettras, e toma dinheiro a pre-
nio, compra cair.biaes, e saca i visU e a
i.izo, a vontade do tomador, sobre as se-
?uintes prar;as estrangeiras e naeionaes :
Londres. Sobre o union bank or
LONDON, 0 LO.NHON AND IUNSF.ATIC BAKK,
limited, e varias casas de l. classe.
Paris. Sobre os banqueiros fould
& C, MARCUARD ANDRE & C. e A. KLtCQCE,
VIGNAL & C.
Damburgo. Sobre os Srs. joao
SCIIO BACK (S F1LII S.
Llsboa. Sobre os Srs. foxsecas,
SANTOS & VIANNA, e SEBASTlAO JOSE DS
ABREC.
I'orto. Sobre o banco cniXo do p
o Sr. JOAQUIM pinto da fonseca.
Para. Sobre o banco coumkrcia-
do para, e os Srs. francisco cacdencio da
COSTA <& FILHOS.
Uarauiaiia. Sobre'o Sr. jose fer-
REIRA DA SILVA JUNIOR.
IKahia. Sobre os Srs. marinoos v% c.
Rio de Janeiro. Sobre o banco
INDUSTRIAL E MERCANTIL, BANCO NACiONAL -'
8ANQCF. BRASH.IENNE FRANCAISE.
Ao Sr. desembargador promotor da justica :
Da yietoria.-Appellanta Jos6 Joajuim da Sil-
jui.ro, appellado
va, appellada a jusiica.
He Campina. Appeliante o
Ju-tmo Maria do Nascimento.
De Boa-Vnta.Appeliante o promotor, appeflado
os guardas naeionaes -Felismino Joso Custodio e
outros ; appeliante Polycarpo da Silva Araujo, ap-
pellada a jus:ica ; appellants o juizo, appellado
victoriaiio, escravo.
Assignou-se dia para o julgamento dos seeuio-
tes feito* :
AppettacSes crimes.
Appeliante o juizo, appellado Bernardino Go-
mel de Amorim e ouiros; appeliante o juizo, ap-
pellado Juveneio Manoel Tiburcio Paes Barreto.
Appellaroes civeis.
Appeliante Jose Luiz Ales Ferreira, appellada
Rosa, por su enrador ; appeliante Pereira Car
neiro & C, appellaJo Arislides Duarts Carreiro da
Cunha Gains o outros ; appellaute Dr. Arabrozio
Mach-.do di. Cunha :., appellada D. CarloU de
Barro- Accioli e seus filhus ; appeliante Manoel
Joaquim do Itego Albuquerque, appellaJo Ernesto
Jose Feiippe Santiago.
BKimrgos re aiettidos.
Embargante Jose Atf-mso ftireira, erct-argado
Antonio Opines de Mace*>.
DISTRIBUICOKS.
Recurso de fallencia.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes:
JUNTA DOS CORRETOIIES
l*rapa do Recife, 1? de n jvem-
brn de IS94.
AS 3 HORAS DA TARDE.
COTAg5KS OFFICIAF.S
Algodao da Parahyba sorte 7/200 por 15
kilos posto a bordo a frete de 3i4 e
5 0|0, honlem.
Assucar bruto eswlhido 1*830 por 13 kilos
boutam.
Assucar bruto
hontem.
Caf6 do Rio rJe Janeiro 2* sorte baixa 7/600
liquido, por 15 kilos, hontem a hoje.
Cambio sobre Londres a 90 d|v. 26 5i8 d nor
1/, hontem.
Dito sobre dito a 90 d|v. 25 1|2 por 1*000, do
banco.
B. de Vasconcetios
Presidente.
s A P. de Lemos,
Secretario.
Companhia Indemnisadora
do Porto.
CAPITAL 2,000:000.->000.
Thomaz de Aquino Fonceca & C, successores
agenles.
Esti companhia toma seguros maritimos e ter-
restres, dando nestes o septimo acao gratis aos se-
gurados.
Run do Vigario n. 19.
regular 1*800 por 13 kilos,
COMPANHIA ALLIANCA
ieguros maritimos e terres
tres estabelecida na Bahis
em 15 de Janeiro em 18 7 0
CAPITAL 4,000:000^000.
Toma seguro de mercadorias e dinheiro
uco maritimo era navio de vela e vapore:
aara dentro e f6ra do imperio, assim cook
-ontra fogo sobre predios, geaeros a fa
ondas.
Agente : Joaquim Jose" Gongalves Beltrio
ua do Commercio n. 5, 1 andar.
Navies entrados no dia 17.
Barcelona 52 dias uma'-a hespanhola T
vtata, de 100 toneladas capitao Geraldo Ca-
sals, equipag-m 10, crga vinho a Pel
Carneiro & C.
Terra-Nova 34 dias, lugar indez Ethel, de
281 toneladas, cjpilao Debrix, aajBlpagew I i
carga 4,0 0 bonicas com bacalhae ; a Henrv
Forster ^ C.
Santo Bias (no Mexico) ISO dias, barci'alh-
ma Andrvklas, de 401 toneladas, capitao II
M. Ueuter, aqmp'apem 13, carga marl, ira ; a .
mesmo capita. Veio refrescar e seguio para
Falmouth. r
Narios Htkiitt vo mesno dia.
Buenos-Ayres Patacho hespanhol Amalia, ca-
pitao P. J. Lopes, carga assucar.
EDITM!
ALFANDltUA.
ieoduuemo liirn do dia 17. .
'i 10:196/781
40:856/090
451:052/871
Doscarregam boje 18 de novembro de 1874.
Patacho alleraaoAnna mercadenas pacaalfan-
degi.
Brigue portuguez-Rio Poufla-mercadorias para
o trapiche Conceicao, para despachar.
Barca ingleza Olinda bacalhao ja despachado
para o trapiche Conceicao.
Patacho inglez Julia bacalhao ja despachado
para o trapiche Con'reieto.
Escunaallema-:Uajtiifarinha de trigo jades-
pachada para o 5* ponto.
Ilarea portugueza Alexandre Hf-wlim sal
ja despachado para terra.
Barca portugueza -Aiidacia-^genar.-.s naeionaes
para terra.
Brigue nacional -Isabel-gen- ros nacioaias para
o trapicha D^ntas.
Vapor nacional -G'anrfp|-W'giv(esperad>) generos
naeionaes para o tt^piohe da compaahia.
Patacho americano Erieit taboado para o
trapiche Conc9ig5A,para despa.ihtr.
auco CoDiwercia] de Braga
Jorge Tasso.
37Rua do Amorim-37
Saca qualquer qqantia a prazo ca a vista so
bre este Banco ou >uas respectivas agendas nas
seguintes cidades e villas de Portugal, ilhas adja-
centes e Hespanha, a saber :
Portagal
0 Dr. Sebast^ao do Rego Barros de Lacerda, juiz
de direito especial do commerne desia cidade
do Recife de Pernambuco, por S. M. o Imper:-
d.ir, qae Deus guarde, etc.
Ff.qu saber aos que o presente edital virera ou
delta nntieia tiverem, que no dia 26 do c.rrent-
mz e anno, a> 11 horas, na sala das audiencias,
devera ter logar a reuniao dos credores da massa
fallida de Mendes ^ Carva:ho, pira proceder se :
tomada de contas dos adninislradoraa da dda mas-
sa fallida, certos os credores de qn nao serao ad-
mitlidos por pr procuraeoes e-reches, as quaes nao poderi.. ser
conferidas a davedores dos falli Its, nao podando,
outro aim, nm so individuo represenlar por dons
d.versos credores, e que sera havido o credor
que nao oomparecer como adlierente a quilacao
aos fallidos na forma da lei.
E para que chegue ao cunhecimeuto de todos,
mandei passar o presente, qne sera pabliud
pela imprensa e afnxado no lugar do costume
Reeife, 16 de novembro de 1874.
Eu, Manoel Maria Rodrigu-s do Nascimealo, ei-
crivao, o snbscrevi.
___________Seba-tiao do Rego Barros de Lacerda.
Amarante.
Anadia.
Arcos.
Aveiro.
Agueda.
Arco de Banlhe em ca-
beceiras da Bastos.
Barca.
Barcellos.
Beja.
Braganca.
Cbaves.
Coimbra.
Coura.
Covilha.
C8ste!lo Branco.
Caminha. '
Elvas
*siremoz.
Evora.
Esposendo.
Famalicao.
Guarda.
Guimaraes.
Gouveia.
Lagos.
Lamegc
Lisboa.
Lmil".
Melgaco.
Mir.ndella.
Moncac.
Mealhada.
Monte-mor o velho.
Oliveira de Aremeis.
Ovar.
Penaiiel.
Pinhel.
Ponte de Lima.
Portimao.
Porto.
Povoa do Varzim.
Pon'Alegre.
Povoa de Lanhoso
0 Illm. Sr. inspector do uiesouro provm.ia
manda fazer publico, que em comprimento da or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia, de 24 de
agosto ultimo, tern de ser contralado Fennte a
junta do mesmo thesonro, no dia If do corrente.
o fornecimento d .s moveis precisos para ai eseo-
las do soxo femin-no; le Tejueupapo, Paratibe, Ri .
Doce, Gilonia Isabel, Pedra M< He, Giqu'.i ,> ru i
Imperia1, os quaes vao declarados na tabella abai-
xo transcripta
As pessi-as qne qoizerem eontrattr o forneci-
mento, comparecam na sala das sessdes da mesma
junta, pelo meio dia do dia acima radical.
Secretaria do thesonro provincial de Pernambu-
co, 9 de novembro da 1874.
TABELLA.
7 quatros com fffl.-ie do Senhor Crnxiflcad:
com 0,ra66 de altura e 0,m44 de largnra a 1OJ0O)
cadaum, 70:000.
7 mesas da amar- Ho <*nm I.mll de comprimen-
to, 0,m65 de hrgui.i e 0,m73 de altura, com pes
torneado'e duas garvjtas,uma 22, 151/.
7 cadeiras de I raj >, de anareue, uma 16/.
11 p.
14 cadeiras tingellas, nnm 8s, lit/.
7 estrados de'lnur com l.mfJOde comprimentn,
l,m40iie largnra e i,l.i de a'tnra, nnl 20--, 1W/.
21 closes on imarello com 2,m64 d-
compr l.mrt de largura, 0,m72 de altnra
na fre' :, ccnteml em qna-
nros, um 34-, 9
28 bancosde:>:n:;r." .,'o I ; ; chsi c:m
1
' \

n
<'
.

D
'.


'""
Diam ?dfc PewwatoW) -tyuasta f$a. B de ^osemkrA d$ 1$#4.
f
-=r
S m6l de ooroprimenlo, 0,mi-"> de largura e 0,mS5
de aliura, com pes t rneados urn 23*. 700*.
7 po3fs para calculos emn l,mO decomprimen-
to e l.m de largnra, uma 10*, 70*.
41 cabides de ainarello com 8 tornos urn
7 regoas de jacaranii, uma 500 rs., 3*30Q.
7 escrivanUs de metal, uma 5*, 33*.
7 theares singellos, am 10*, 70*.
7 jams ara 5*, 35*.
7 cocos de folha.de ferro, nm U. '*
21 bacios com tampas, um 1>, *
7 tubas de amaallo, i>m 7*, 49*
O secreiano,
Miguel Alfonso l-'erreira.
De iintem do B*m. Sf. ^' ^"L1^
viscoode de ganuragibe, #.aWW que e>ta
dosU a concurs.), com o prai> de qiairo meze>, a
Kr da data deal*, a cadeira de ingtet do curso
preparatory aonexo a est. f.cuUade, vanpor
ter fallecido o respeetrvo professor Carlo* Adolpho
de AvWIar Alchorne, pelo qua os qae se qu.zerem
inscrever deverao aprc*entar-se desde ja com do-
cumentos que provem : l., sua qnalidade de ci-
dadio orasileiro ; 2.*, maiondade legal ; J., mo-
ra'tdade allestada pelos respective* parochos e to-
lha corrida nos logares onde houverem resiiiao
nos cinco ultiroos annos; i. caoacidade profes-
sional, a qnal pr,va-se txhibindo o eaodtdato at-
cum dosseguintes docuraentos : uiulo de capa-
cidade na materia em concurso, copfendo pelo
conselho director da ^nHruccAo pnmana e secuu-
daria do municipio da corle ; litnlo de professor
tambem da materia em coucurao, concediao hn
eoveroo imperial ; diploma de bicharcl ou de
doulor na? facuilade. do impeno ou academias
estrangeiras, ou de bachareis em leltras.
As pessoas n^laveis p.r sou taienlo e recontie-
cidameute nabilitadas, pjderao ser dispensa as da
prova de caoacidade pelo gnverno ; e as que a
uao poderem provar ou obliverem d.spensa,passa
rao por um exame antes de serem admittidas a
eoocurso, tudo de eonP.rraidade com o capitulo
i do regulamenlo de i de maio de Iao.
E para constar raandou o mesms Exm. br. cin-
selheiro director adlxar esW edital, qie sera pu
Llicado nesta pwincla, na cOrte e nas provmcias
roais proximas. ., n
Secretaria da faculdade de d.reilo do Recife, J
de novembro de 1874.
0 secretano.
Jose II inorio B. de Menezes
O llm. Sr. inspector do thesouro provincial
manda fazer publico, que em cumpnmento da or
demd)Exm. Sr. presidento da provincia, de 2J
do correnle, t- m de ser arrematada no dia 26 de
novembro onximo vjnionro, pcrante a Jtinia a a
fazenJa do'mesmo tnesouro. a obra d is repar s do
empalramenlo do 1' e 2- Uncos da estrada de
dalmares or^da em H:880i, edeoaixo das con-
Pieoes abaixo transcripts.
As pe cio, company >m na gat* das s^?oes da refenda
junta, no diaacima tntlcalo, pelo meio dia.
E para consur a quein interossar po-sa, se man-
don faze pub leo pelo pre*ente P'O"'-
Secr.'taria do Ihesoaro provincial de Pernambu-
ci, 30 dj outubro de M%.
0 secreiano,
Miguel Affmso Ferreira.
Clausuias especiaes para a arremaucao
das obras.
!
A' obras de reparos e cmpedramento do l e 2"
lancos da e>trada d Palm.res a Pimentoiras, na
im^ortaucia de 11:880... serao execuala" de eon-
formiJade com o mpreivo oreamemti e deiennos
juntos, approvados pelo Exm. Sr. pre-idenie da
proviocia, e in*tru-.(;o.'3 do engeuheiro encjrregi-
do da lheaIi<3Q."n dos trabithos.
prazo de 15 dias, e os conciuira no de 5 meze?,
este ultimo prazo contado depots de liudo o pn
meiro.
V
0' pagamento? serao feiDs em quatro prestaoues
iguaes, a pr porgio dos trabalbos < xecutados.
4 *
Finalmente, era tudo mats q-i? aqni nao vm e<-
pecilicad), seguir-se-ln o qoe a respein dis(,oj o
recnlamento d; 21 de fevereiro de 187*.
Cabo, 16 de outubri de 1874. Assigaado, o
emrenheiro Jjaiaim GCneHio.
i',>ufoni!P.-u official Jjh.) Joiqum dc Siqoetra
Varelao.
Confonne.-Miguol AiTn.so Ferrer a._______
A camara HiiKiioipal do Recife n.anda razor
ublico, para eoDhecimenU dequem interssarpos-
jessores
aniar Iwret e Jnas. no ifajeiro Hd
frentej As pocHdo aniajvteiteo 3?raUl<^ ro.t;
dinhoasdo f-andj* de assoalhaj reWcado
amareHo,guaroeeidavco[a hombreirtu OOrWs e^*'f j&ccam por tofcs os vapores, sobro as seguinlei
leiras Bva-d.ir .-Uilal ImmbbSa k*r.itna I i mKnii) dk 'sm*r*llil *
mulatioha ; lewao barrotes Umbem de am*rJla,
para fieceber as bandeiras de ferrb,fjrnidas.at4ni-{
circulares eoutraa de madeira (amarello) par djjo-_
iro das deferro. _
No primeiro aodar as portas lerao caiaittoa* de
amarello e barrows-para receberem bandeiras de
ferro e di madeira semi circulares iguaes as.do
andar terreo.
As duaa freutes terio cornJi, acroterios, en-
canamento* ft-seeadas de pedr* RMitfttinba MW
varanfcs corridas, novas, roda-pe e corrimio de;
amarello. 0 kdritho sera de asphalto sobra nm da
tijolo. 0-so*o-do 1 aridar sera de letwe b**
qnalidade, seceo eassent do a meio Oo. 0 tme-
jamenjo sera de madeira de qualidado, exchrlndo-
se desaa-qua for-umiii fleiivel. loda.a madara^
sera nova e vtrrHTrada pelo monfttmo enearregsflw*
da,nbra antes de ser empregada. Todo o material
vtlho perteneera ao arrematante, qae s6 podera
aproveitar para obra nova os lijolos e as telhas
que estiverera inteiios.
A escada sera de meia volta com andiballa de
costado de amarello. As portas, caixilhos e ban-
deiras ievarso ires maos de liula.
As propostas em carus fechadas serao recebi-
das na secretaria da Santa Casa, no dia 19 do cor-
Lisboa. Itegoa.
Pwto. tnaves.
Braga Villa Flor.
. Vianoa. Mirandella.
Viscu. Alij6.
Goarda. Favaios.
tijimbra. liraganga.
Gnimaraes Lamego.
Rio de Janeiro.
Na ro do Vigario n. 19._______^^^^^
fpt o Rio (M Janeiro
prelende seguir com muita brevidade o brigne
Isibel, tem parte de sen carregamento engajado :
para o resto que Ihe falta, trata-se com o sea con-
signatario Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, rua
do Rom JeU9 n. 57
da rua.do.Haaue.de Csxias.n. 31.
QUAHTA-FEIRA 18 DO CORREXTE
A"S 11 HOIIAS KM TOTTO.
Lisboa
jecios perteneentes a ioawa fallida.de Pereira de Jje llello & C., convidam ao novo* pretendenles
' A barea portnjaeza Gratidat, capiHo Borgea
Pesuna, vai sahir breve : trata se com Silva Gui-
maraes 4 C, praca do Ccrpo Santo n. 8, 2 andar,
on eom o capiUo. __________ .
-' Pacific Steam Navigation Cofflpwy
ROYAL MAIL STEAMER
Secretaria da SanU Casa de Misericordia do Re-
cife, 9 de novembro de 1874.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Souia.
(DE 4013 TONEADAS)
Espera-se dos por-
tos do sul ate o dia 22
docorrente,e depots
da demora docostn
meseguira par* Li-
verpool tocando em
Lisboa, Bordeos, para onde reeebera paesageirw,
8ncommeodas, carga e dinheiro a frete
N. R.-Nao sahira antes das ires boras aa tar-
le do dia da sua cbegadn.
AGE.NTES
Wilson Rove A C.
14 RUA DO COMMERCI 1 0
Para o Para.
Leiiao
DE
3 prateleiras, 1 armario, 1 carteira, 2 mochos, 1
rgjarliowntiJ, 2 pranctoes e caixpes v*zio3, i.b-
Lopca Pereira deMello. os npacs serao vendidos
para pagamento das rae^mas byporNwas^as II bo-
ri* do dia acirba dTto. no escrn>teil(i otkreferido
agen'.e, a rua do Bum Jems n. 43.
Os referidos administradores de-cjando DttMsar a
venda destes predius no leiiao daquelle di^'tMp
ja terse effectnado a vt-nda dos ouiros dons ye-
dios, assim corao a venda das fa?ondas e mindei"
ben' que perienciam a referida maoa de Ps
ell* 4 G., e existentes
No armarem d rua do Bom Jesus n 63
QUINTA-FEIRA 19 DO CORRENTE
us fl.O boras
Por intervenjao do agente Pinto
No referido arjnazem.
COMPANHIA
DO
BEBERIBE.
0 Sr. orboniano de Aquino Ponseca,
caixa da companhia do Beberibe, acha-
so aulorisado a pagar no seu escripto-
rio i rua do Vigario Tenorio n. 19, das 10
boras as 3 da tirdo, o 53 dividendo desta
companhia findo em 31 de outubro do
corrente anno, na proporcjio de 3^000 por
apolice: previne-se aos Srs. accionistas
qua o pagamento sera realisado om moeda
de conre.
Escriptorio da companbia do Beberibe,
li de novembro de 1974.
0 secretario,
Luiz Manorl Rodrigues Valenga.
Monte pi > portuguez.
De or Jem do Sr. presidente faco scient a todos
os Srs socios que as sessoes da direcioria serao
todas as quartas-feiras as 7 horas da tarde era
ponto. ,
Oulrosim, declaro que toda a correspondency
devera ser ri-nett.da ao abaixo assignado na li-
vraria popular n. 59, rua Nova.
0 1 secretano,
A. da Maia Pessoa.
Tbesouraria de f.^zenda
Manda o Illm. Sr. inspector annunciar, qne de
ordera do Exm. Sr. ministro da fazeoda foi espa-
cado at6 o fim de junho de 1875 o prazo mar^ado
Lpara se-dar principio a snbs'.ituicao das noUs de
'3DS e de %i da sar* ejtMBpaj,
Thesooraria de fazenda de Pernambuco, 14 de
novembro de 1874* .
Jncundiano Rodrigues de Oliveira,
Secretano dajaats.
ADMlNfeWtACAO DOS tXHRE40S l)E PERNAM-
BUGO, 4 DE NOVEMBRO DE 1874
Relagao da enmspmkneia refitlr*ia(sem oater)
recebtdade diversas procedencias alt esta ama,
e que nuo tem siio entregue por ignorar-se as
residmciis dos destinatarios. t
Anto(*>iDornellas da Camara, Antonio Luiz do
Amaraf e-Silva, Angnsto # Sa Albuquerque, An-
tonio Felioiano Rodrigues Sette, Amaro de Uhveira
Dutra, Antonio Dqarte Pinto de Mesqulla, Carnei-
ro & C, ClarimufldoBarreto dos Santos, Cordigan- pretende segnir com muita brevidade o palha-
do Mendes Ferreira, DomiDgos Bentc da Moeda e bQte joven Arthur, tern parte de seu carregamen-
Silva. Fortunato Augusto da Silva, Feliclano do w engajado, para o resto que lh^ falta trata-se
Rego Barros Araujo Junior, Francisco Felismlno (Jom 0 gen COu^ignatari) Antonio Luiz de Oliveira
I do Albuquerque Mello, Fortunato Archanjo da Alevedo a rUa do Bom Jesus n. 57.____
!Cruz. Prancisco-d* P*ula Dornellas. Felix bomfs------- .-----^-----^-------;-----------------~
i Coin.bra, Franoieeo Odavio Ramos, Faust) Tertu- ]^l0 (ie JaiieirO.
; liano Bandeira Ferrer, Fr-ncisco Delfino da bilva,
tiuilherme R.ymundo Costa Leite, Joio Henrique
de Albuquerque Mello, Jose Bandeira de Mello, vicario n 7
! Jjanuim Elviro Pereira Magalhaes. Jose Manoel de ma do Vigario n. 7.----
Araujo, Joao Leite, Joaquim Rodrigues Pereira, tu lQ Q Ml^Uel
Jose Ferreira de Moraes Joe Gomes Villar, Joa- i-I"* O. iiuQuc
auim Soares Teixeira. Jos6 Bandeira de Mello, Segue com brevidade para S. Miguel o palha-
Joao Vieiaa da Cunia, Jose- Antonio de Araujo Oso- bote portuguez Novo S. Lourenyt, para onde rece-
rio Joao Cancio Pereira dos Santos, Julio Conola- be carga e passageiros : trata se com a consig-
noDias Join Augusto da Silva Freire, Luiz Jo=e Datarios Thomaz de Aquino Fonceca & L. Succes
IVreira'simos, Luis Augusto Rotelho, Luzia da org. rua do Vigario n. 19, 1* andar.
- Ma-
DE
fazendas limpas e avariadas
QUINTA-FEIRA 19 DO COB-RENTE
A's IO horas.
BOR INTERVENgAO DO AGENTE PINTO
No armazem da rua do Bom Jesu< n. 63.
Novo leiiao
DAS
Brlgrue s.
Sahira com brevidade :
Paulo.
para carga trata-se na
Veiga Pessoa, Ikrianna de Senna Guimaraes. Ma-
noel Caetano Vieira da Paz, Manoel Thomaz Bar-,
bosa, Manoel Jo-e dos Santes, Manoel Domingo., de
Sant'Anna, Marcolina Maria da concei;ao, Manoel
Francisco de Oliveira, Pacifico da Silva Castello
branco Junior, RoJolpbo Maximiliano Pessoa Uor-
nellas. ,
0 ofit :ial encarregado do regislro,
Josd Can dido de Karros.
rillllONAL DO COMMKRCIO DE l'EHNA.M:
bu.:o
Por esta secretaria se faz pnblico que ne>ta data
Toram admittidos a malricula de :oramirciantes os
individuos seguintes : ......
Eugenie G mgalves Cascao, cidada > brasileiro,
de 30 annos de idad, eisado. do uicihado nesli
cidade e estabelecido a rua do tfanjuez de Olinda
com commercio de fazendas por gr^sso,
ma Pinto da Silva 4 Cascao.
Aprigio Fo tuna, ciJadao bra-iU
Costa d'Africa
Segue da Bahia em 30 detta mez, para o porto
de Onnim. na Costa d'Africa, a barca portugueza
Josephni'i, tend > hons commodrs para passageiros
Libra < eslerlinas.
Vrendem Augusto F. d'Oli-
& C.
coraparecerem no dia, hora e lugar supramen
nados._____________________________W
um terreno do lugar da Torre, na cstrada do rijfc
a direiti depois da ponle, e no fundo do titio d|
fanrlia do fallecido Francisco Gomes de Olive*
ra, com 200 palmos de frentc e fcCO de fnc
c ntendo duas pequenas casas (meia aguas),
uma magniQca area, tudo em solo proprioi
com cerca nativa.
SABBADO 21 DOCORRESTE
as ftI ft|8 horas
Por inter venjio do agente Pinto
Em seu escriptorio, a rua do Bom Jesas n. 43. _t
Leiiao
De 2 carteirai para 1 pessoa, 1 dita para rfaas pe*.'
soas, mochos, 1 borra, prova ae fogo, I 4Ht frai-,
cen, 3 venezianas, mesas e mais objectui de earq
criptorio.
Sexta-feira 20 do corrente
Por InterrenrMo do ncnlc i>inlo.
No 1* andar do toferado da rua do Bom Jesu
n. 42.
0 leiiao principiara .is 10 boras.

LE1LA0
dividas ac.ivas na importancia de.......
8:0738502 pertencentes & massa fallida
de Paulo Fernandes de Mello Guimaraes
Ql'lNTA-FElRA 19 DO CORRENTE
A's 11 horas da manha
No escriptorio, a rua do Rom Jesus n. 53,
prtmeiro andar.
Por mandado do lllm. Sr. Dr. jui* especial do
commercio desta cidaJe, o agente Pinho Herges le-
vara a novo leilio as refendas dividas, sendo in-: ,To4-
clusivamente 3 letlras; os pretendenles podera mOVei8, lOUCa e CryStaeS.
desde ja exaraina-las no escriptorio acima mdi-j goxga.f,.iPn *io do corrente
No 2, 3"c 4"nl.ir.s do sobrado da rua
do Bom J-siis ii. 42.
A SAUKR :
9 and r. sal a do frente
I'm pi no foiie do u.uiio conhecido fabricante
J. Pleyel, uma mobiba de jncaraoda, cadatras de
balanco, Uncas para corlmados. 4 pares de corli-
nados, jarros para fl >res e '.apctes.
Nrtla de dttraz.
Uma mesa elastics, I guarda louca euvidrac>-
ra, 12 co-
LEILAO
DE
fazendas, miudezas. cal^ados e bonds
CONSTANDO DE :
cami?as de linho e algodio, meias, chapeos de sol
de seda, bonets, alpacas de cores, br>ns branco
e pardo, pauno inglez, casemira de cores, mo
.
vcira
Run do Commercio n. 4 2.
rinos, esguio^s,. di.demas vosca?sasde cores. o-s-^. --"--
botoes, vesluanos para bapt.zados brincos, se- a & KC^rrade r%
roulas. balSes, sapatts de tran?a, brim Angola, Po* l i.mi crjsu><* quar:.nh,
chales e outras fazendas existeoles no aimaiem garrafa, Unas, t lavau, e
ira.
EltftEf,
sob a Cr-
dc 27 annos
A camara municipal do Recife fazcoastar a <
tndns os eus municipes qae em con;equencia da x.,,,.^.^ .-------, --;
vfi a aue fez a esu prov acia o couselhcro foao de idade, natural do Ceara, e 2*>*>BaflM
AI redo Lorreia de Oliveira, ministro do impcri., ] de da Fortaleza com fTJ^^SSSo"
Pe-olvu em sessSo de 11 d> orrent?, que se do- exportafiii de geaeros nacioaaes e e^trangeiro-,
nortine-Praca do C.nselheiro Joao Alfredo-o por grosso
largo da Magdilena, no 2 di.triito da freguezia dos
Pago da camara muni:ipal do Rj^ife, U ie no-
vembro de 1874.
J -ronymo de Sojiu Leao,
pro presiienle.
Franiico Augusto da Costa,
Se-retario.
Oonsulado de Franca em
Fernarabuco.
AVISO.
Successao Edu rd Turpin:
Os deveJ.ires desta successao sao rogad.is a sa-
Fe'rnando Gomes da Silva. ciJadao portogaez, de
30 annos de iJade, domicilialo e est.belecido a
rua 1 de Marco desta, cidade com commercio de
fazendas por grossa e aretalho. tendo sido as res-
i.eciivas carlas de matriculas devidam. nte regis-
| tradas. ,
Sm-relaria do tribunal do commercio, do
Pernambuco, 16 de novembro de 1874.
0 oflicial-maior,
Julio Guimaraes.
sa, que
Ika rein vigor a p Mura atdicional de 16
d'i outubro de 1873, que ate esta data nao foi ap r
provada pela assemblea provincial; nstabelecen-
do-se assim o ait. I7"i do coJigo de pos'.uras do
niesmo anno de 1873.
Art 173. Nonham c-.rro, earraca ou qualme-
vehicul) Je c,nducc.V) de generos para estab ele
cimintos c casas de-ti cidade -a foca d^-.ia, pode
ra l-'var mais de qturenla arrobas, senlo de i ro-
das e con luiida por um b.i, e de 20 arrobas se
tendo o niesmo numero le rod is, f .r conduzido
por nm cavallo ; se o vehicuh t,r condazido por
maisdeaaj-lwi oocavaUo levara somente mais
umterc) d. peso estabelecido na z5j deeada
anim;-l; so, porem, o vehiealo fur de duas r etas,
n.lo podera conduzir mais do n,n9 doas ter.;os da
qoaatisada tatabekciJa para os da 4 rodis. No
caso de cmlraveocaj os donas do qualquer vcni-
culo serao multaio- em lOiOoO e no -luplo na re
mcideneia; ficanlo prohtbiJo sob as me mas
iwnas o costume J.- ser o< meinonid >s vehieulos
impellidos ou auxiliados no seu movim^nto a
escravoa on peoa9 livres e o boi impe.lido por
l rcadeferrio Fie* prohibido o uso deste ins-
trumeato, exceplo aos conduct ores de carro3 de
Pac.o da camara municipal Jo Recife, 11 de no-
vembro dc lb'i.
Jeronymo de Souza Leao,
Pro-presidente.
Francisco Augusto da Costa,
S.cetario.
tisbzerern o mais breve pjssive! os debitos da dita ^ dezembro
success:!'. Outro sim, os crelores chirographa- j""1
rios da mesxa successao sao preven.dos que um |
dividen'o de 20 |. t-ra lugar na clian.-elleria des-|
te eonsnlado, qulnU r=ira l'J de novembro, das 10
horas da manha a-" 4 da tarde.______________
ADHlNISTitA AO DOS COHREIOS DE PER-
NVMBUCO. 17 DE NOVEMIJHO Dh 1874
Fajo publico qae o exame d"s candidatos a um
lifar de praticaute desta adminisiravao, 'iuj oevia
tef lugar a l'J do corrente, iica tran Affonso do Rego Barros,
Administrador.
Agente Pcstana
leiiao
D7.
175 liarricas iom col de Lisboa, 1 caixa
com 2.4 doziis do cou-o de lustre, 2 bar-
ricas com eochadas. diversas miudezas,
grando quantidade de moveis, ouro pra-
ta e brilhante
liOJE
ds 11 horas cm ponto.
No armazem deageaoias de leiloes, ii ru3
do Vigario Thonorin n. 11.
0 preposto do agente Pestana fara lellio por
cootie risco dequem perlencer. de n-tbihas de
iacaranda, ditis deamarelh, ditai de fata ejunco.
man is de mesa e armario, guarda roupas, guar-
i da toucaa, secrelarias, lon?as, e muitos outros ar-
itigos pcrten-entes ao uso domesliw.
RLA DO BOM JESUS N. C3.
Quinta-fcira lO do corrente
as 11 boras da manba
0 agente Pinto ievara a leiiao, por conta e or-
6em de diverse*, diuVrentes fazendas inglezas,
francezas, sui-sas e allema-1, existentes no anna
zem do sobrado da r .a do riom Jeans n. G3, sendo
que ditas fazendas seiao vendidas ao corrcr do
martello, visto ja ter sido vendido o referido sa!-
vado.
0 leiUo principi-r&as 10 113 boras.
LEILAO
r>:
uma burra (cofre), uma mesa e um armario, mo
veis pertencentes a massa fallida de Rento da
Silva C
OL'INTA-FEIRA 19 DO CORRENTE
Pur intervencao do agente Puito
No arrr.azem da' rua do Bon Jesus n. 03.
Por cccasiao do leila) de fazendas que dtve alii ter
________________lugar._________________
Feira Semanal
Quartos*.
Uma cama tranceza de jacaranda. 2 guarda ro#
i pas, 1 toilet. 1 lavaDrio, 2 marquezoes, 1 marine-
za, 1 lavatorio de iacaranda ;>ara 2 p.ssoas.
3 andar.
Uma linda mot.lia de jacaranda a Luiz XV e
cspregui.-adeira tambem de jacaranda, qnadros e
I tSI'P.llOS.
, Uma mesa de jantar, i fi:\ri.\ I iuc-s envWraca-
dos, 2 aparadons turneados, 2 diios d' ..r.nario,
4 garrafas finas de cry-ul, cjpos, 2 estaates, sa-
leiras, liu;a e Vidros.
Unacama fra'.ceza, 1 gur.rda-roupa, I lavatj-
rio, cadtiras, mesas c annariis.
41 andar.
Uma mobilia de janco a Luiz .\V, mesas, cadei-
ras, 1 inachr:a de costura. 1 Piar.hina de lunpar
. facas e muit-s oulras tbjecii- ra-a Jc Umilia.
Dous pa^agaios e dua paSMtWl eoa fiaioias.
Pur intervrii(lo do agente Pinto.
No sobra lo da rua do Bj J- sus n. 43.
0 drsembargador Francisco de Assis Oliveira
Maciel, olUciolda imp'rial ordem da Ro-
r sa c juiz de diroito privativo de orphaos
da c'tdadj do Recife de Pernambuco e seu
termo, por S. M. o Imperador, a quem
Boos guardo, etc.
Fayo saber aos que o presente edital virem, qae
a reauenmento.do com.nenlador Antonio Valen-
tim da'Sila Barro:a, inventariaote dos b^ns que
iicaram por Mfecimeuto do seu cuahado Francis-
co Eiias do Rego Dantas, vao ser venlidos em
praca pnblica os escravos Luiz, pardo, crinulo, de
\\l annos de idade, casado, carapma, ava'iado por
5>00000, e Cosme, pret.', crioulo, de 40 annos de
idade, solteiro, avaliado por 7002000, p rtencentes
ao espolio inventariado.
E annuindo a semelhante pre'.encSo, pelo pre-
sente e firraad > no que dispoe o decreto n. l,b9o
de 1869, convido a todos quanto quizerem lan?ar
sobre os mencionados escravos a apresentareaa suas
propostas em cartas fechadas devidamente estam-
pilhadas, nas casas das auliencias da primeira ins-
untia desta cidade, nos dias era que costuma dar
audiencias aos leitos e parte. _
0 prazo para seraelhante apresentajao e de 30
dias, coalados de hoje.
Os licitintes, qaerenlo, poderio ver os precita-
dos escravos na Passagem da Magdalena. no sitio
da residencia do preciiado inventarlante commen-
dador Antonio Valentim da Silva B.rroca.
E para constar, mandei passar o presents, qae
sera afflxado nos lugares do costume e pabbcado
pela imprensa.
Dado e passado sob men signal e sello, ou valha
sera sello ex causa nesta cilade do Recife de Per-
nambuco, ao3 19 de outubro de 1874.
Eu, Floriano Correi de Brito, escrivJo, o nz
escrevere sobscre7o.
Francisco de Assis Oliveira Maciel.
Ao sello 300 reis.Valha sem sello ex-cansa.
Oliveira Maciel.
DtCLARACOES.
Santa Casa de Misericordia do
Recife.
A ianta sdrainistrativa da Santa Casa da Miseri-
cordia do Recife eeairata a demolicao e reeons
traced da casa sitiarna. do Bom Jesus n. li,
oread* 5:3i5i, own a,am ae propozer laser a
obra por menor preco. .
Os pagamentos serae em tree prestajoes iguaes,
a 1* depois de coaecar a nova obra, a 21 qn*ndo
eonelair a ooberta, a a 3 quando eatregar a ebra.
D6crip?ao da obra.
Demolir todo o predio, constrair de neto nm so
COiNSULADO PROtLNClAL.
>'c^ta repaiHeSo arreeadase novaraente du>an-
te o eorrenM mez as importancias dos apparelhos,
enciname-st is, d If-rencas e anauidades devidas a
rcmpinhia Recife Drainage, no trimestre dejulhj
a dtzembro de 1872, pelos predius sitos as ruas
do Mwquez do Herval e Padre Nnbrega, i>to de
conformidade com a porlaria do Sr. inspector do
Ihesoaro provin:ial e as novas relates em subs-
titui?ao as primeiras.
Consulado provincial de rernarabuco, 2
de novetnmbro de 1874.
0 administrador,
Antonio C. Macliado Hios.
SANTA CASA DA MlSKRlCORblA DO
RECIFE.
A Hlma. junta adrainistrativa da Santa Casa da
M.sericordia do Recife, manda fazer publico qut
-n-saiade suas sossoe3,o dia 12 de novembro.oe
as" 3 horas da tarde, tem de ser arrematadas i
juem mais vantageus ollerecer, pelo tempo de uoj
i tfes annos, as rendas dos predios em seguids
^'"eSTABELECIMENTO DE CAR1DADE.
vidal de Negreiros.
Casa terrea n. 94.......301*006
Rua larga do Rosano.
! andar e loia n 24 A.....310J0O0
i- andar n. 24 A.......408*000
}.- andar n. 24 A. ... 2ol*tMtt
Rua de Antonio Henriques.
:asa terrea n. 26 ... 99*00
Largo da Carapina.
[damn 11 (fechada)...... 1*0*000
Rua do Coronel Suassuna
l* andar do s jbrado nuraero 94 3bb*ooo
PATR1MON10 DOS ORPHAOS.
Raa do Commercio .__ __.
Sobrado n. 30....... 800*000
Rua da Moeda.
Casa terrea n. 21 fechada).. 400*000
Becco das Boias.
Casa terrea n. 18....... 421*00t
RuadaLapa.
]asa terrea n. 11....... 202*001
Rua do Amorim. ,
Sobr*do de 2 andares n. 23 602-.SOOe
Casa terrea n. 34...... S 2*000
Ruar do Bugos.
Casa terrea n. 21....... lo3*00C
Rua do Vigario.
r andar ds sobrado n. 27 *43*OOC
[ andar da mesmo...... *?*
Loja do mesmo....... 300*000
Rua do Encantamento.
Jobrado de 2 andares n. 13 (fechada). 1:400*000
Rua da Senzalla velha
Idem n. 16........ 209*000
Rua da Guia. ^^
Casa terrea n. 23..... W<*
Idem n. 29....... 201*000
Rua da, Cruz. __
Sobrado de 2 andares n. 12 (fechada). 800*000
Idem n. 14......... 600*000
Rua de S. Jorge
Casa terrea n. 103...... 207*000
Os preteodentes deverao apresentar no acto da
irremat as suas fiancas, ou comparecerem
icoiopan 8 dos respectivos fladores, devendo
oazar ale renda. 0 premio da qnanlia em
que for se* e endio qw eontiver estabeleci-
mento com> passim como 0 serncp da nm
ctfe, 17 de sstembro de 187*. _
O eaerivao,
Pedro Rodri**s ie Soul a.
Santo Antonio
QJJI.NTA EE1RA 10 DO CORRENTE
Renellcia do uilhetclro Jose Rotlrl-
guo I'iiiboiro.
Represenlar-se-ha 0 muito lindo drama em 4
actos, intitulado :
As mais arrependidas
Dara fim 0 especlacub com 0 sempre muito
applaudido du.lo :
0 nieiriiihi) e a pubr-e
Principiara as 8 horas.
0 beneflciadb conta raerecer do il u;tra>to pn-
blico a sua geBerosa concurrencia, e desie ja se
confesea gratOi .
Em um dos. intarvaUos, 0. Ueuenciado iu ao=
camarotes agradeier aos seus convidados.
COMPANHIA PF.RNAMBUCANA
DE
Wrcgac2o costetro a vapor.
rarafepna. Natal. Macao. Slossoro,
iracuiy, Ceara, Acaraca* e Amar-
raiao, no Plauby.
0 vapor Jpyjuca,
coramandante Moura,
seguira para os por-
tos acima, ne dia 21
dj) corrente as 5 ho-
ras da tarde
Recebe carga ale 0 'dTTSO, encomraenrjas, pas
sageiros e dinheiro a.frete at6 as 2 horas da tar-
de do dia de sua sahida : escriptorio no Forte do
Matto? a. 1*. ____
bons movois, Iouqis, crystacs, alabaslros,
vidros, )'ia-=, 4 gaiolas com casaes de
ratmbos brancos e 1 serapliina nova
as AO 1|9 horas
No i. andar da rua do Rom Jesus 11.8,
outr'i ra da Cruz.
0 agrote Pinho Borges, bastante aulorisado por
uma lamilia aue se retirou para 0 Rio de Janeiro,
levara a leiiao os moveis e mais artigos ab;uxo
mencionados
A sjiiipr *
Um piano cm r.erfeito estado, do fabriante
BlondeL 1 dito de arroano, deju-arania, propno
para uma menina aprcuder. 1 ri.-a toilette de ja-
caranda, com iampo de pedra e espelho, 1 rica se
cretaria para senliora, 1 cosinreJra de jacaranda,
I cama frameza de dito, 1 roobilia completa, a
taitacaode jacaranii, 1 dita ^mW.c^f
de balanco, 12 ditas para sala de_jantar ditas a%ul-
sas diusde bracos, espreguiqadnras 2 .mportan-
les relogios de parede, 4 ncos jarros de alabastro,
diversos espelhos de varios tamanhos. proprtos pa^
ra sala de visila, I guarda roupa. com espelho 2
lavalohos, om de jacaranda e cu'ro de amarello,
nvsmlia* para jogo. 1. excelao|a maanina para
coMuraTl da.a de manivella. 1 mesa elasties1 corn
4 laboa's, 1 guarda louca diversos qnadros, diver-
sos iarros, 3 pares de redomas com flnres, 2 apa-
radores, 1 apparelho de poreelma para jantar i
dito oara almoco, 1 galheteiro de electroplate,
garrafas, ca*W c-^os, 2 pares.d*ecradeiraa,
diversos'upete?, e ouiros muitos art.gos que esta-
rao pstentes a exame dos Srs. pretendenles. antes
a no dia do leilio.
mobiliiis dc jacaranda, com-
pletas, novas eusadas, pa-
nos, gnards\-louQac, 1 rica
secretaria. mesas
tar, (elasticas) ca
' V j / m 3149, 3151,
cezas de jacaranda e ama-
rello, aparadores, commo-
das e raeias ditas, guar "
DK
JOIAS
No dia 3 de. cezembro proximo, se Lra Wao p<*
interveoejn di agente Marlins, do t djs li iinhe-
res conslant.-s das caul' I is *>
sc fiada o praao das transact" a e teas d
as reforrcarcm.
A hu !>'':
N VM, 1303. IS63, i:;- !, 1784, l^
Itlf SOoO. iuOi. 5' '<. ii'i. S2:..4, --
*__* ..__ ....... ni>i-t .11 -,! _.' i i Ai4 l" 14
3174, 31::.. :tt :;.:;.", :ii
mao, rewolvers novo
a 8 tiros, relogios depareJ
de, de cima demesa ede
algibeira, de ouro eprata,|
objectos de brilhantes, on-

AMA
Precisa se de uma ama
ro, prata e crystaes can- cozinhar, prefcrindo-se
dieirosdegaz carbonicae ^gcrava. a tratar & rua
kerosene, jarrospar o n^>;c ibaribc n. 40.______
res, quadros sortidos, com j _^x
d^
= C ** T-*
Coiupauliia ulliancu iMttrilima
portuense
Empreza do navegaQao entre o Brasil e Por-
tugal
PARA 0 PORTO
Barca pGrtusaieza Joven Adelaide, a sahir com a
maxima brevidade, recebe-carga e passageiros : a
tratar com os seu? consignalarios Jose da Silva
Loyo 4 Filho.
Bngue Raio ao Pard
Esti prompto desde ja a receber carga a frete,
para o dito porto, visto ja ter parte engajada : a
tralar com Amorun Irnjios & C. _^^____
LEILAO
Ksi
fOsaccas com algodio
HOJE
Ao naoia uia.
0 agente Pinto fara Wlao, por conta e nsco de
nuem pertencer, de 10 saccas com algodao, marca
G M., vindas do Aracajii no vapor Jaguanbe, c
exisientes no trapiche da Companhia, onde
luara o leiiao, h*je, as horas acima ditas.
iseeflec-
Companhia Peraainlmeana.
Porto do Arocaty.
A carga que de beje em diante for ernbarcada
nos vapores da Companhia Pernambueana- com
destino ao porto do Aracaty, sera entregue na ci
dade do mesmo nome, sendo transporlada da bar-
ra, (onde, os vapores costnmam fundear), em lan-
cbas de propriedade da mesroa. companhia, inde
pendente de qualquer exigencia de pagamento
por este servijo.
Da mesma f6rma sera transportada a carga
qae for ernbarcada, no porto do Aracaty para
qaaesqner ouiros por tos da escala.
Recife, 16 de nowbro da 1874._______^^_
bons moveis
3-c f
3 o
ci jZ ro
C ^
ifs
27 ^^ =
-
- e~~ *D
|
v. %
= 3 p
finas gravuras, luntos de, *l|* || ?*|
ouro, prata e aqo, diversasjf'ffltl H|ffi
miudezas. objectos deeie-j |||J
ctro-plate, grande sorti- J|tj
mento de trastes avulso^,
einfinidade de artigos do
uso domestico, que serao
vendidos atroco dobara- i|
to, por conta de diversos
Quiata-feira 19 do corrente j
A's 11 horas da maltha
M
FEIRA SEMANAL
.6~Rua do Imperador16
= f..
: 32.3
2 s S s
58a
-si =*
P
5-B
Srs
,11**
lla
3 a n
ARMAZEM
Leiiao
Companhia Fidelida^le
Seguros maritiaios e terrestres
"A ageocia desta eopa*hia toma seguros man-
timos e terrestres, a premios razoaveis, dando nos
nltimososolo livre, eosetasoanno graiwtJ ao
segurado.
FelieJenftJ'JseGomea,
I
0 brigue portugHBi Ti-iumpho, pretende- seeuia
tem mo** bresj irata-se com os consignalarios Thomas- fle Aquino
Fonceca 4 C, snecessores, ma do Vigario W 49MMNf)o tijIa do*
para liquidsr
JH
as 11 horas da manha.
Mo armazem da rua do uu>
do CaxittS II. a*.
0 agente Martins, autorisade peto propneterio
do aamazem acima, levara a leilio os covets abai-
xo mencionados
A saber:
Umasolida mobitla dejacarandi a Luis XV,
com unpos de pedra, diversas mobthas de ama-
rello, sofas, marqoezas, marquesSes, conso-
lo, aparadores, gnajfda-roupa de amarello, l im-
portant* secrtfari*. 4a jacaranda, com tante,iit-
veesascarteiraaoV amarello obancas de 2 gave-
las para escrifictie, 4 mess elastica de amarello
eo laboas/ 1 m de jacaranda para casal, 1;
ijULd*. amarello para dito, 1 dita. de dito para sol.
teiro/lavMortos, eabidea o>eatai e parede,
'cadeirteW para onanea, l-.toneador 4e jacapanda,
l.HUMda^wcAenvUfagado^flaqnenfls >ntuArios,
maquinas par* costara, e mdftos oalroa objectos
res, WUVWV
fit
g :* 3
E3
t I

o

ft.
5
ft.
I
B m
up
S3-
&*>
o
P Si'
X
P
CO
-
^
" 3. CO
DE
um lustre de crystal de 6 bicos, 1 dito de br6nze
de 3 bicos e 6 araodellas de brome.
SEXTA FEIRA SO DO CORRENTE
ao meio dia
Por intervene,*! do agente Pinto
Nc 2 aaiar do sobrado da rua do Rom Jesus n.
M, por occasiso dc leiiao dc movois.
Ultimo leiiao
DO
sobrado de um. andaj da rua do Bom Jesus
n. 61, edifteado wa cbSos proprios.
Da oasa te?rea da hm e 16 meia-agnas da rua do Camarao n.
9, ediGcada em cbaos foreiros.
SABBADO 21 DO CORRENTE
AS H HORAS DA MANHA.
Os administrator** da massa fallida dp Pereira
de Mello 4 C, lews*) a leilio, por iBteroBcao do
Casa na Varzea.
Para passar a festa aluga se nesse povoadoum^
boacasa.com nuilos commodos e grande uo.
por 40*000 mensacs: a fallar na casa j*lo> qn-'
tem lerrsco.__________.________.-
Oollegio da Conceicao.
0 director desse collegio, siio a ma de S. Fran-
cisco n. 72, serve se do jornal para pedir |*la
ultima vex as pessoas que lUe sao devedorasov
mensalidades aotigas e deste anno, diabeiro e<
tmpreaiiDo e de Ganeas que pagoa, que e digu*'
saldar seus debit s antes que elle se |aMtae)>>
a lancar mao dc raeios qne deseja amda eviur
I'ara os devedores desla provincia da o praic o
13 dias, para os do Rio Grande do Noe e r. ra
hyba e Alagois 30, a collar dta data.
Recife, 3 de noveadro de W7t-____________
Magdalena
Alnaa se nesta looHdade o andar ie sebtai
d.rronto do hotel do Rento : a traUr na olan i d i
S!K j^jgedlos. com Manoel Igascio d'Arta
------Xk^aree a sala e a aloova do 3.* andar d-
sobradoT 70, i ina Dnque de Caxias, pectri
agente Pinto, os predios acima mencionados, hy- suui ,rro~" iritar n
pothecsdos pelo socio da referida massa, itfoaio' tan meys solWros a tratar na toja.


il.HI.wa I
III

Diano de Pemambuw Quarta teira 18 de Novembro do 1874.
GUIA PRATICO
Pill OS DOEHTES
REMEDIOS ACONSELIIADOS
Uma combinacao especial nos permilte de indicar ao publico
tUgums remedios francezes os mais apreciados no mundo inteiro, e
preparados em Pariz debaixo dos oUios dos inventores. Nitiguem
ignora os cuidados tninuciosos com qtie se prepamm em Franca os
remedios. A merecida fama d'estes productos, desinvolveu a inveja
dos contrafactores os quaes deiramam, principalmente nos mercados
do, Brazil, productos contrafeilos, assemelhando-se muito com os
verdadeiros, vendo-se o envoi to e a tarja dos frascos, mas quasi
sempre, deploravelmente preparados, conslituem urn perigo continuo
para a saude publica. Devem os compradores dirigir-se is casas
abaixo mencionadas, as quaes tiram os seus productos direetamente
dos inventores.
INSOMNIAS* A insomnia e causada geralmente,
ou por dores vivas, como acontece nos casos de gotta, rheu-
matismo, nevralgia, enxaqueca, dores de dentes, colicas, fo-
ridas, etc., ou por preocupacfes moracs, ou por um eslado
geral difficil a relatar, e algumas vezes o grande calor. 0
Xarope de Chloral de Follet tornado por duas ou trcs
colheres de sopa n'um copo d'agua, vence a insomnia e em
poucos minutos da ao doente, o somno natural e reparador.
Ao accordar a cabeca nao se sente pesada, mas um bem estar
perfeito e o resultado d'essa medicacao.
Nunca sera sufticiente a altencSo de todos sobre este ma-
ravilhoso producto que se apreciara em eada familia. Podc-
se dizer sem exagerac^o que quern usar uma vez do Xarope
de Chloral da Follat, continuara a ter cm casa um frasco
d'este mesmo xarope para quando for necessario.
INCOMMODOS DO ESTOMAGO. As molestias
nervosas do estomago, gastralgias, gaslro-enlcralgias, pyro-
sis, etc., curam-se com o Carvao da Belloc tomando-se
uma ou duas colheres de sopa,ou algumas pastilhas na occa-
siao da comida maior numero das vezes sente-se melhoras
desde as primeiras doses.
Nao se pode insistir bastante sobre as qualidades deste
remedio, do qual o uso tornou-se popular, pois e exempto de
perigo algum. Para as doencas d'intestinos e d'estomago, e o
remedio o mais efficaz. Em 1849, a Acadcmia de medicina
dava-lhe a sua aprovacao e aconsolhava aos medicos de o re-
ceitar n'essas affeicoos, as quaes muitas vczes desnniman
tanto os doentes como os medicos.
NEVRALGIAS. Sendo na cabeca ou nos meinbros,
curam-se muito melhor, e muito mais rapidamente tomando
duas ou trez Perolas d'essencia da therebentina da
Clertan, do que com qualquer outro remedio. Eslas Perolas
do tamanho d'uma ervilha engolem-se com muita facilidade.
Este producto e d'uma eflicacidade maravilhosa, nove vezes
sobre dez tira em poucos minutos as nevralgias as mais
agudas. N5o se pode deixar de aconsclhar aos doentes que
soffrem d'essa molestia de usar este remedio.
Para se obter um bom resultado, e necessario que a es-
sencia de therebenthina seja perfeitamente rectificada. De-
ve-se exigir a firma do D' Clertan na tarja de cada frasco de
Parolas d'essencia de therebenthina
SOLITARIO. Fallando no Kousso, o D' Boutliardat,
diz, no seu formulario : E' o melhor toenifugo, mas e
precizo conhecer a sua origem ; pois o D' Trousseau, asse-
verou-me que algumas vezes o Kousso de ma qualidade occa-
sionnou envenenamentos.
Le-se tambem no tratado de thercapcutica dos S'" Trous-
seau et Pidoux : Os pos de Kousso tendo um sabor nausea-
bundo tomam-se difficilmente por essa razSo. Un pharma-
ceutico de Pariz S' Mentel teve a idea de os granular mixtu-
rando-os com assucar, preparados d'este modo, e a cousa
a mais simple para se tomar, mesmo para as criancas.
0 Kousso granulado do Mental e garantido de
primeira qualidade.
^ tamanho de pilhilas, contendo o alcatrSo da Noroega, liquido,
toman-se estas capsulas na occasiao da comida, e podem
substituir a agua d'alcatrao.
Mas doencas as que nos referimos, acontece muitas vezes
que o doente soffre d'uma tosse persistente, impedindo-o de
dormir; duas ou tres colheres de sopa de Xarope da
Chloral de Follet tomadas a noute ao deitar-se lhe darao
o soir.no reparador ajudando a cura.
RACHITISMO TISICA. Deve se tomar todos os
dias algumas colheres de sopa, d'OIeo de flgado da Ba-
calhau de Berth*. Este oleo preparado com os maiores
cuidados co unico que foi approvado pela Academia de medi-
cina de Pariz.
DIARRHEA. 0 remedio melhor para curar estas
affeicdes e o sub nitrato de Bismuth. 0 S" Bouchardat,
professor na Academia de medicina de Paris, diz o seguinte,
no seu Formulario magistral : gcralmente muito difficil
de engolir de um ate dez grammas d'ums pfls ISo pesados
como e o sub nitrato de Bismuth. Embrulhados n'uma obreia,
esta muitas vezes rasga-se, em agua assucarada os pos \5o
logo para o fundo.
0 S,r Mentel, pharmaceutico em Pariz, resolveu estas pe-
quenas difficuldadcs misluiando, e fazendo em granulos, o
sub nitrato de Bismuth com parte igual de assucar. Estes
granules vendem-se em frascos. e a tampa d'estes frascos,
mede exactamente dous grammas de granulos, seja, um
gramma de sub nitrato de Bismuth. Esta substancia prepa-
rada d'este modo e inalteravel. Basta encher a medida tantas
vezes quanto se queira tomar de grammas, e engole-se rapi-
damente, o que e muito facil bebendo ao mesmo tempo um
pouco d'agua.
0 Bismuth granulado de Mentel e para as criancas
o remedio o mais vantajoso porque o tomam como confeitos.
FEBRES. Querendo-se cortar rapidamente um acesso
de febre, o melhor remedio e o sulfato de Quinina; sendo
para curar febres antigas, persistentes ou periodicas, convem
dar-se a prefcrencia ao Quinium Labarraque. Em pou-
cos dias a fibre desaparece, e o melhor preservative e de
tomar todas as inanhaas um copo dc licor, deste vinho. 0
Quinium Labarraque e um dos productos de primeira
ordem que tiveram a approvagio da Academia de medicina
de Pariz.
DIGESTOES DIFFICEIS. (Enxaqiecas, vertices?.)
Engolir duas o trez Parolaa de Ether de Clertan n'uma
colher d'agua. Effeito quasi immediato.
llavendo muitas imitacoes exigir a firma Clertan na tarja
dos frascos.
RHEUMES-TOSSE. Desde 1820 a Pasta Pei-
toral da Regnauld e o peitoral mais afamado, na sua
fabricacao nao entra o opium.
AFFEIQOES DO PEITO- (broschites, tisica, esco*-
nodos da gar.ga.tta). 0 alcatrao de Guyot (Goudron de Guyot),
licor concentrado e graduado, facilita a preparacao immediata
d'uma agua d'alcatrao muito efficaz n'essas doencas. Basta
uma colher de chS n'um copo d'agua. Poucos remedios em-
pregam-se mais frequentemente do que a agua de alcatrSo;
resultado das suas propriedades incontestaveis. 0 grande
consummo deste excellente producto desinvolveu um grande
numero d'imitac&es, peores umas que as outras.
OVerdadeiro Goudron do Guyot leva na tarja a firma
do inventor.
0 S" Guyot tambem prepara umas capsulas redondas do
ANEMIA, POBREZA DO SANGUE. As Pilln>
las da Vallet constituem um poderoso tonico para a refei-
cao do sangue. 0 Xarope da Robtqnet de pyrophosphato
de ferro, serve melhor para as pessoas que mal supportam os
remedios solidos; este remedio contendo os principios cons-
titutivos do sangue, tern um gosto agradavel, tanto assim
que, os doentes o toman facilmente.
Estes dous remedios sSo dos primeiros que tiverao a appro-
vagio muito rara da Academia de medicina de Pariz.
Ha numerosas imitacdes das Pillnlas de Vallet.
PURGATIVOS. A Llmonada purgativa da
RogS com citrate de Magnesia, approvada pela Academia de
Medicina e o typo do purgativo salino. N3o causa nunca infla-
macoes d'intestinos, o que acontece com outros purgativos
mais violentes. Pode ser preparada em casa na occaziao de a
tomar; deita-se n'uma meia garrafa d'agua um frasco de
P6s purgativos do Roge.
Poucos remedios tem sido mais falsificados que os pos de
Roge. 0 Brazil esta cheio de productos falsificados, mal pre-
parados e nocivos a saude. Devem exigir que o frasco traga
em cada extremidade um sello imprimido em quatro cores.
FALTA DAPPETITE. 0 Rhuibarbo sempre
gozou de muito conceito para regularisar as funcdes do estt>-
mago e fazer recobrar o appetite. Nao se applica frequentemente
por causa do seu sabor desagradavel. 0 S" Mentel teTe a
excellente idea de applicar a este remedio o seu systema de
granulacao. O rhuibarbo am granulos do Mentel,
toma-se um pouco antes da comida. Na tampa de cada frasce
acha-se uma pequcna medida dando a dose acustumada. Estes
granulos engolem-se facilmente ou com uma pouca d'agua ou
n'uma collier com sopa.
CONVALESCENCA. 0 Quinium Labarraque
approvado pela Academia de Medicina e o tonico por excel-
lencia. Este vinho incomparavel e administrado com grande
successo as pessoas fracas e debilitadas, as mulheres que
acabam de parir, as meninas que difficilmente se formam e
desinvolvcm-se.
Este remedio combinado com os ferruginosos, ajuda muito
e facilita a sua accSo, quando esses s3o necessarios.
DENTIQAO DAS CRIANCAS Para facilitar a
denticSo, prevenir as convulcoes e o rachitismo das criancas,
nao podemos deixar de aconselhar a Osteine Mouries,
que e uma combinac3o de phosphato de cal gelatinoso e d'al-
bumina. Sendo esta preparacao feita em farinha grossa, pre-
para-se em sopa com leite ou com caldo. Na tampa de cada
frasco, acha-se uma medida dando a quantidade que se deve
tomar.
Este medicamento teve a approvac3o da Academia de Medi-
cina, ec inventor apresentou uma memoria a respeito d'esta
preparacao, a qual foi coroada pelo Institute de Franca
RETENCAO D'INTESTINOS. A magnesia e muito
reccitada pelos medicos como laxativo ligeiro. Sendo esta
substancia desagradavel a tomar, aconselhamos a Magnesia
granulada do Mentel. I'm gramma d a capacidade da
medida que se acha na tampa do frasco; a dose acustamada
e uma ou duas medidas.
DENTIFRICIOS. A descoberta do sulfato de Quinino
pelo S" Pelleticr, membro da Academia de Medicina de Pariz,
/ez um grande servico a humanidade, elle quiz tambem se
occupar da hygiene da boca, e para esse fim elle empregou
todoSTos recursos da sciencia.
A alteracSo dos dentes, segundo as suas observacoes, &
muitas vezes causada pelos dentifricios inventados e empre-
gados ale hoje, sendo elles quasi sempre compostos de acidos
que s3o contrarios aos principios da sciencia. 0 S" Pelleticr
inventou ent3o dous dentifricios, um solido e outro liquido,
offerecendo todas as garantias que se possa desejar para o
bem estar da boca.
A Odontine do Pelletier e uma massa mole sobre a
qual passa-se a escova ligeiramente. Da aos dentes a brancura
t3o procurada sem nunca estragar o esmalte. 0 Olixirio
Odontalgico de Pelletier fortificaas gengivas, perfuma
a boca, e tira o cheiro do fumo. Basta deitar algumas gottas
desta preparacao n'um copo d'agua para lhe dar um sabor
suave e especial.
EPIDEMIAS. Durante os tempos d'epidemias, cho-
lera, febre amarella, bexigas etc, & muito necessario tomar
precaucOes hygienicas. Sem mudar nada no seu modo de vida,
deve-se evitar todo excesso em tudo, sendo susceptiveis de
enfraquecer mesmo momentaneamente. Lavar-se umas poucas
de vezes por dia e deitar nos quartos, agua fria na qual se
deitara umas colheres de Licor Labarraque. En tempo
d'epidemia, este licdr empregado d'este modo 6 o melhor pre-
servative E tambem muito util nos paizes quentes para
desinfectar os quartos dos doentes.
Para purificar o ar e destruir os miasmas que se produzem
nas inhumacdes, os quaes sao muito perniciosos, ddve-se em-
pregar sobretudo este Hc5r.
Convem ter muito cautela com as numerosas falsificacCes.
AVISO. Uma instrnf&o detnlhada acompanha sempre cada um dos productos a cima menclonnados.
Unico depositona pharmacia de P. Maurer & C, rua do Barao da Victoria n. 25
E MUITO BARATO
A 450 rs. o covado!!
Alpacas com listras e de lindas cores pelo diminuto prec,o de 450 t6\s o cova-
do : na rua do Duque de Caxias, outr'ora Queimado n. 8i, loja de quatro portas.
PREPARADO POR
BARTHOLOMEO & C.
Pharmacenlicos da casa real de S. M. F. el-rei de Portugal
Premiados em diversas exposicoes com o primeiro pre-
mio de sua classe.
O xarope vegetal americano, garantido pdbahkntb vegetal, d5o contem em sna composicao
urn so atomo de i pio, e sim -omente succos de plantas ndigenas, cujas propriedades beneScas na
cura das molestias que pertencem aos orgaos da respiracao, tem sido observadas por longo tempo pe-
los medicos mais distinctos qae ore^otnmendam e prescreveo todos os dias no tratamento das brou-
chites, tanto agudas como chronicas, asthma, tosses rebeldes, escarros de sangue, thiaiea no primeiro
grace contra asirritacdes nervosas.
DEPOSITO GERAL
34 Rualarga do Eosario 34
PIRMMBUlO.
Pofos (ubulares inslantaneos
DE
a m^ ^ ^mau a
Estes pocos'que tem provado ultimamente muito
bem em todas as|partes aonde foram collocados, emcon
sequencia dos aperfeicoamentos nelles introduzidos, conti-
nuam a vender-se por preros muito baratos.
A tratar na pharmacia dos Srs Maurer & C.: rua
do Bario da Victoria (outr'ora Rua Nova} n. 25 das 8 ho-
ras da manha" ate as 4 da tarde.
\ m RS. 0 .,,.
Lindas popelinas de linh com salpicos ede listras
assetinadas pelo baratissimo preco de 320 rs. o covado: na
rua Primeiro de Marco n. 13, loja das columnas, de
Antonio Correia de Vasconcellos.
I <*ttruc(M rUcrme.. concrr(i nlcnlwu d. biii.
MtPITU. AfftOn dn riai dlceMlTM, Incom-
ttllSTIKS. Affcr50et dot rim, dt bcjlji ireUa.
I contract. d onrlomi, gofm, dl.bctet. Itwalanu!
USTCRIVE.AffaegOM dM rina, da bntn. tnlM.
| eoocrc?0 di ourlama, ot, diabelea, aJbomlBwi:
EXIGA-SE
0 ROME d FUElfTE m CAPSULA
A Foatca de Vichy, adina nomndu, achio-at;
ta Pmmrntuco, HlfllSltNCI i UIILU, t,m
| do Commorcw. ^ ,
HKlAl.HA .-h
Na botica franceza n. 22
Rum de Bom Jean .
)
)
)
I
Sabonete vegetal pre-
servative do conta- (j
gio venereo.
A descoberta de nm meio preervat ivo ,
da infeccio sypbiliiica tem ocenpado a (
attenrao de mnitos medicos notaveis *
desde epoca mui remota, a isto movidos,
sem dnvida pelo desejo de ponparem a
humanidade as fnnestas con-eijuencias
do contacto e absorpcio de um pns tao
malefico.
0 Dr. Antonio Ferreira Houtinho, dis- I
tincto medico na cidade do Porto, e ho- <
mem abastado, que com o mais desin-
teressado empenho se entregou por
longos annos ao et tudo e ensaios para at- /
tingir um tio louvavel quao humanitario \
desideratum, julga ter descoberto snbs-
tancias vegetaes, que rennidas em for-
ma de sabonete, produzem com efficacia
e de uma maneira infallivtl o pretendi-
do effeito.
Sua convie^-ao e tal, em vista de nu
merotas experiencias feilas no hospital
da cidade do Porto, e do bom resultado
qae o publico tem obtido do uso de tal
preparacao, qne elle ofTerece o premio de
um conto de reis fortes, ( como se le no
jornal Actualidade do Porto de 2 de
maio deste anno ) a quern lhe provar a f\
improficaidade de seu invento.
Por antorisa^ao do Dr Houtinbo, o
unico deposito de sent sabonetes para
esta provincia e para todas as provin-
cias do norte, 6 a Pharmacia Central, e
para ob.-tar a qnalquer fraudeserao eon-
siderados falsitic.dos todos cs sabc netes
que nao levarem o rotnlo deite estabele-
cimento.
Pharmacia Central
38 Rua do lmperador 38
Fulseira perdMi.
Perdeu-se na ooote de (6 do crreote mm. ao
entrar para o palac te 4a An>.itri.1t q
rial Beoefic- nt, uma pulteira Oe lee Oa
com fecho de linlhaoter : quern a liver
e qniier resutui-la, dirija e a rua a Ac
casa n. 69, qae sera recompensaeo.
Casas.
Aloga se a loja de moradia da casa a. SI da
rua do Apollo, a a casa na Capnnga n. Si, porto
do Jacobina, on rua das Peru a rob oca nas ; a caa-
ve para ver, esa na casa n 55 : a tratar na rua
da fadeia n. 3, Recife. __________
Ao commercio.
O abaixo assicaado de:lara que aetta data va>
deu seu tttabflreimento de molhaaus, siu ea
Sant'Anna. aoa Sn. Soteleno 4 Rieio, livra e Oev
emliaracado de qnalqaer onus, flraado o artiva
e passivo a cargo do abaixo assinaou.
Sam'Anna, 16 de ootobro de i87i.
__________Pamphik) Julio da Com Ciroe
Aluga se b primeiro andar da casa da Pra-
edo Conde d'Eu a. 21 : a tratar aa rua da So-
lade d. 27, com Jose llenriqne da Silva Gniaao
rles. Assim como, deseja saber o atattaM se -
Sr. Joao Caetano Meloto ainda se acha aesta ci-
dade. ______
Uma escrara de boa conducta, precisa pan
complete de sua liberdade, da quantia da MOH,
snjeiUndo-se a ter ama da peseoa qoe emprestar
diu quantia ate ser descootada : quern quiter
later este negoeio, dirijase a rua larga do Ron-
no n. 50.
AVISO I'ffllBTE
PARA 0
Natal-folia
1
i
UEDIC0-CIRURGIC0
Dr. Pedro d'Athayde L. Moscoso
PARTEIRO E OPERAOOR
JJtBua do Vlaconde de Albuquer-
que n. 89.
ESPECIALIDADE
Noieaiiaa de aenitarao e
neninoo.
Consultas das 7 as 10 boras da ma-
nha, todos os dias.
jBL Das 6 as 8 da noite, nas segnndas, quar-
S tas e sextas-feiras.
Wt Os doentesqoo mandarem os seus cba-
gt mados por escripto at 10 boras da ma-
Z nha serao visitados em suas casas.
*
*
i
*
Attengao
Fagio no dia 7 de setembro o esrravo~do abai-
xo assignado, com os signaes seguintes .- Egidio,
cabra, idade de 20 annos, cabellos carapichos,
olbos aboticados, altura regular, r&sto um tanto
cbnpado, beicos grossos, bocca regular e nm
tanto bicudo, cabeca pequena, orelhas regulares,
bracos, a mesma cousa, pernas regulares. tendo
a esquerda e ope incbado, por Ibe dar erysipela,
nariz regular, e bom trabalbador de olaria, e
tambem e boleeiro, e natural desta cidade do Re-
cife, e foi comprado ao ex-capitfo do perto desta
provincia, Jose Joaqim da Silva Jacqoes : roga o
abaixo assignado as autoridades policiaes e ca-
pitaes de campo e de navios, a sua captura e le-
varem-no a povoa^lo dos Afogados, que serao ge-
nerosamente recompensados.
_______________Jose Boarqne LCisboa.
Attencao.
O abaixo assignado, successor de Jose do Rego
Pacbeco, faz sciente ao respeitivel publico, qne
comprou a taverna da travessa da rua Duque de
Caxias n. 8, quese acba sortida de bons e novos
generos, e por isso pede aos an igos freguezes do
mesmo estabelecimento, o favor de continuarem a
frequenta-lo, certos de que comprarao alii mais
em conta do qne em outra qualquer parte. Re-
cife, 14 de novembro de 1874.
Augusto Jose Nunes.
Aluga-se
uma das lojas da casa n. 32 da rua de Marcilio
Dias (rua Direita) : a tratar na botica da rua lar-
ga do Rosario n. 34.
Precisa se de uma ama es-
crava para cozinhar e lavar :
no largo da matriz de Santo
Antonio n. 2, 1* andar.
AMA
Da testa todot desejaro
Ver o dia raplendentr,
Dia qae nos leva a mente
Do intlnito as alturas :
Onde os ani 1 E a caridade festejam.
Teem at almas sepultoras
Nas estrellas que flammejam )
E nesse dia em que tem
Do jubilo rasgar o seio,
Saindo Ibe bem do meio
A ciatera da alegria :
E' preciso qae os amantes
Da para gastronomia,
V enham ja e quanto antes
Do Campos ao armaiem.
Porque so assim lerao
A sciencia do prazer :
Comer bem, melhor beber
Sem receio da maldade
Nein da vil supersticio,
Qoe jamais conseguirio
Supplantsr a liberdade
Nos carceres dainquisi(ao I
Rna do Imperadit. n. 28
Do pr*zer viva o requinte
Alegre como o trovao,
E da mesa a descriprio
Reparem : e a seguinte :
Mesa giganta.
Presuntos, fiambres, paics, chouricas,alchicba-
e lmgui(as ; lumbos de prr:os e de caraeiros .
aves em conservat, pe ixes e toncioho; camarGes.,
ostras, lagostas e coe'bos com hervilnas; cooservas
legumes e champignons ; queijos flimengos, pra-
tos e londrinos ; doces em calda e de goiaba .
fructas em conservas, passas,i>mendoas, notes -
ameixas ; alelria, talharim e macarrio ; ararnta.
topioca e cineoenta qualidades de mastas finas
nutrientes ; cha, mate, cafe e ch colate francez,
bespanbol, portuguez e nacional ; bolachiBhas,
bolinbos e confeitos, manteiga inglexa e francera ,
banha, arroz, batatas, cebollas, albos, cominh>.
pimenta, moslarda e molho inglez ; cervejas. ci-
dra, champagne, cognac, genebra, hespiredina
bitters, licores e aguardente de canna ; vinh.-
de Lisboa, Figneira, Carcavellos, Collares. Bair-
rada, Bastos, Porto, Borgcnba e Rotdeaux ; ci-
garros, cbarutos e uma grande (giganta ? [quan-
tidade de victualhas raras e excitantes, nao fal-
lando nas especialidades dos preparados francezes.
atiemaes, inglezes, tarcos, chinetes, hollandeze*,
tialianos, prussianos, hamburguezes e america-
uos I
Alem do que:
Enccntra-se nm immenso deposito de no'ida-
des, como jejam : velaa furadas, (?) orcidas (?) e
de ecores, bilhas, quartinhas, e outros mui-
tos objectos de grande* phantasias ; assim como n
maravilboso oleo de mmamona preparado expres-
samonte para combatera gigantomania e appla-
car o systema nervoso I Ver para crer.
Distrac^oes:
Os amantes das palestras e boa pinga, eacon-
trarao no fundo do estabelecimento, alem de mji-
t" fresco e agua fria, bansos macios a mesas as-
set idas, des'inadas ao servico dos lunchs, qne o*
mtsmos amantes poderio saborearcm ao torn ma-
vicso de nma elegante mnsica eomposta dos me.
Ihcres cantores americanos e q.e tio eoadjnvatlos
por ama bicbaria domestica e interessante.
Moralidade da cousa.
E' immenso o soriimento
E se vende pelo custo,
Pelo que 6 muito justo
So ao Campos comprar ;
Visto qne e nm portenlo
Dos generos o paladar I
AVISO.
O ac'.ual adminlstrador da grande propriedade
Apipucos, achando se em embaracos para poder
regularisar o interesse de todos os consenbores da
mesma propriedade, por isso pede aos mesmos con-
senbores que tenham a bondade de comparecer
no escriptorio da capella de ncssa propriedade, as
3 boras da tarde do dia 29 do corrente, para uma
rennilo extraordinaria, afim de mostrar os emba-
racos que tem enconlrado em sua actual ad minis-
traQao, assim o espera o mesmo adminisirador qae
Vv. Ss^, alem de sens interesses, comparecam no
dia acima indicado. Apipucos, 14 de novembro de
1874.
Precita-se alugar uma escrava cozinheira
na rua da Imperatriz n. 15, 2* andar.
Cuzinheiro
Na rua da Alegria n. 40, ainda se precisa de
um cozinheiro, prefereseescravo.
Aiugam se tres casas na rua do Coronel
Suassuna, preparadas de novo, e com commodos
sufflcientes : de ns. 103, 193 e 198 : a tratar na
rna Direita n 8.__________________________
Modista franceza
Em casa de mademoiselle Eugenia Lecomte tem
um elegante vestido, proprio para baile, vindo de
Paris, o qual vende-ie.____________________
Aluga-se nm moleque de 16 annos, com
muita pratica do servico domestico, e alguma ha-
bilitacao para o servico- de tanoeiro, em armazem
de aisuear : a tratar na rna Duque de Caxias
n. 53.
Miooel Jose Monteiro Torres.
Keller & C, administradores da massa fallida
de Manoel Jose Monteiro Torres, pagam aos ere-
dores da mesma massa o primeiro dividendo a
rzaio de 19 por cento.
Elle 6 um preventivo seguro e certo contra
a calvice.
Elle da e restaura for;c e ?anidade i pelle da
cabeca.
Elle de prompto faz cef *< a queda prema-
tura aos cabelles.
File d& grande riqueza de lustre not ca-
bellos.
Elle doma e faz preserver os cabellos, em
qualquer forma ou posic^o que se dece-
je, n'um estado forrooso, liso e macio.
Elle faz crescer os cabellos bastos e compri-
os.u
Elle conserva a pelle e o casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa.
Elle previne os cabellos de se tornarem bruv
cos.
Elle conserva a cabeca n'um estado de fret-
cura refrigerante e agradavel.
Elle nSo 6 demasiadamei.te oleoso, gorda-
rento ou pegadi^o.
Elle nao deixa o menor cheiro desagrada-
vel.
Elle 6 o melhor artigo para os cabellos das
criancas.
Elle 6 o melhor e o mais aprasivel artigo
na a boa conserva^ao e arranjo dos cs-
los das senhoras.
Elle 6 o unico artigo proprio para o pentea-
do dos cabellos e barbas dos senhoras.
NENHUM TOUCADOR DE SENHORA SI
PODECONSIDERAR COMO COM-
PLETOSEMO
TONICO ORIENTAL
o qual preserva, limpa, fortifies e aformosea
\
i
--------


,
Oiario de PernamDaco Quarta feira 18 de Novembro de 1674.
F0NDI(!A0 DO BOWMAN
RUA DO BRUM 52
(Passando o chafariz)
>,;n;fEDEM* A08."^110"8 de engenhoe outros agricultores, e coropradores 4e ma
S!!!*?.1 favor d?,fazer "ma visita a seu estabelecimento, para verera o novo sortimen
SJ2R2 qT *h!,te'D ; "?1 tud0 suPeri0r em qualidadee fortidSo ; o que com a ins-
truccio pessoal pode-se venficar. -
ESPECIAL ATTENCAO AO NUJIERO E LUGAR DE SU\ FUNDICAO
22^Lei^Ld agu*^ r* mode *-*- JSo? circumstancias dos senhores proprietarios e para descarocar
MoendaS de Canna de todos os tamanhos, as melhores que aqui existem.
Rodas dentedas para animaes, agua e vapor.
laixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
MacniniSmOS para mandioca e algodao, e para serrar madeira. (
AOmbaS de patente, garantidas........ J
TodaS as machinaS e pec.s de que se costum. precisar.
FaZ qualqUW COnCertO de machinismo, a preco mui resumido.
e ieiTO tem as melhores e mais baratas existentes no mercado.
clie^to^?,^' Incumbe-se ^ "Mndar vir qaalquer machinismo vontade do
IS.? 8, a Tanta8en? de fa2erem s coropras por intermedio de pessoa
entendida, e que em qualquer necessidade p6de lhes prestar auxilio.
AradOS americanOS e instrumentos agriclas.
_ 4 RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
ODILON DUARTE & IRMAO
D tABELLEIREIROS
Premiados na exposicao de 1872
Frecisa se de uma ama,
forra (u captiva, preferindo
se desta ultima condicao, que
saiba engommar e para ou-
tros mist6res de casa de pe-
quenafamilia; a rua do Ca-
pibaribe n. 40.
-- OITerece -h ama escrava, mulata, cam babili-
dades pan caw de fam.lia : na rua da Imperatrii
n. 20, andar.
jCollegio de Santa Genoveva.
Curso de ferias
| E*lao abertas no dia 16 do correnle as aulas
| oe preparatories Mbre que vermin o* ex*mes de
. revereiro a miren. Eslao a cargo das aulas : de
jriihmetu-a, geumetria e algtbro o Win. Sr. Jote
i-erreira da Cmi Vieira ; de pLilosophia, geogra-
phia ehfcloria o Illm. Sr. Dr. Eliieu de Souia
| ""iiiM ; e de rhetorica e poelica o Iilm. Sr
j "ncisco Altioo Correia de Aranjo.
0 abaixo
ser movidos a mat
por agua, vapor.
ou animaes.
RUA
Da
HPERATRIZ
[!. A5DAR.J
RUA
DA
IMPERATRIZ
N. 82J
1. ANDAR.
Acauam de reformar o seu estabelecimento, collocando-o nas melhores con-
quillo que for tendente a* arte de cabelleireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para homens como para senhoras, tupete, chignon
coques modernissimos, trancas, cachepeign, tecidos, desenhos em cabellos, quadros tu-
mulares, flores, bouquets e todo e qualquer trabalho imaginavel em cabello.
0 estabelecimento acha-se provido do que ha de melhor nos mercados estran-
geiros, recebe directamente por todos os vapores da Europa, as suas encommendas e fi*u-
rinos de modas, e por isso pode vender 20 / menos que outro qualquer, garantindo
perfeijio no trabalho, agrado, sinceridade e pre^o razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como f6ra ; vende-se cabellos em
porgio e a retalho e todos os utensilios pertencentes i arte de cabelleireiro.
ESSENQIA CONCENTRADA
DE
DE
Pharmaceutico
Pela esrola de Paris \
Successor de
Premiada na expo
sicao de Vienna d'Aus
tria.
MEDALHA DB MEBITO
Maria Kiln Ferreirn Ballhar
Francisco Ferreira Ha] bar e Da-
vid Ferreira Balthar, possnidos do
mais profundo sentimento pelo pas-
samenio de sua moito presada mai,
D. Maria Rita Ferreira Balihar, hi-
lecida na cidade do Porto tm 20 do
met passado, mandam celebrar al-
gumas missas na igreja da Madre de Deus, na
quinta feira 19 do correnle, pelas 8 horas da ma-
nha, trigetimo dia de sen passamento ; e convidam
a todos os seus parents e amigos para a^sistirem
a MM acto de verdadeira religiao, anttcipando lhes
desde ja todo o seu reconhecimento de eterna gra-
tidao. _^_____
Ju?e AievedodeAn^rade^Bsna
faailii, agradecem do intimo d'al-
ma a todos os seus parentes e ami-
gos as provas de consolacio e sin-
cere amiiade, que ibes deram por
occasiao de ser dado a sepultura o
cadaver de sua presada filba, irma
e cunhada, Emilia Angelica de Andrade ; e de
oovo lhe rogam o car doso obsequio de assistirem
a al.umas misas, que pelo eterno repouso de sua
Una, mandam resar na igreja do convento da Glo-
ria, pelas 7 l|2 horas da manha do dia 18 do cor-
rente^setimo dia de seu fallecimento.__________
iHU'it-l Antonio Perrelrat.
Pulcheria Maria do Canno Fer-
reira J rge, Manoel Antonio Jorge,
Casemiro Lncio Jorge, Maria Fer-
reiiaJorge e Francisca de A-sis
Jorge, irma e sohrinhos do finado
Mancel Antonio Ferreira mandam
rmr missas pelo eteino repouso do mesroo fina-
do, na igreja matriz de N. S. da E*cda, sabbado
21 do ccrrente, as 7 horas do dia, setimo do seu
allecimetito ; e para as-istirem a este acto de re-
igiao e caridade, convidam a todos seus tarentes
e amigos, e aos do finado, nao tendo feito igual
convite para assistiiem ao enterro, nao s6 pela
dijtancia do lugar, como por ter sido repentino o
fallecimento________
CAM DA FORTUIVA.
AOS 4:000#000.
BIIHETES GARANTIDOS.
A' rua Primeiro de Mar$o [ov.tr or a. rua do
Crespo) n. tS t casas do costume.
Acham-se a venda os felizes biJhetes garantidos
d 7- parte das loterias a beneficio da Impe-
rial Capella da Estancia (125'), que se extrahira
na sexta feira, 20 do correnle mez.
PRE^OS,
Bilhete inteiro 4*000
Meio bilbete 2*000
Em porcao de loo* para clma
Bilnete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*750
Manoel Martins Fiuza.
- assignado fax sciente au put luo,
que aesta data em dianfe retira lodos os poderes
3 ao Sr %* d6 S01"* Sirne, por meio
ae uma procuracao, para traur de sua. cobran-
t*s assim como pede ao iresmo Sr. Sirne a bon
dadede vira rua do Bom Jesus n. 19, prestar con-
1874 qe recebeu- Recife. ** <>e novembro de
Manoel Jose Pinto de Sooza Neves.
d"iH,9Qem ,iv?r um "o'eqne de 12 a li anoos
?n. .1 e .qaiw *,a*Ar Para ve"der flores, di
BBSn pXS "i03, armazem de "*de
gar nSVaS? Pe-CadreS '' preUsa-8e alu
Nl III mais cabellos
braocos.
Tintura japoneza.
SO e unica approvada pelas academias de
sciencias, reconbecida superior a toda que
tern apparecido ate hoje. Deposito princi-
pal & rua da Cadeia do Recife, boje Mar-
que* de Olinda n. 51, 1 andar, e em todas
as boticas e casas de cabelleireiros.
:rrv;
No dia 16 de raez de outubro proximo pas-
sado, do correnle anno, desappireceu da caa de
sua senhora, o negro Manoel, sem nenhuma razao
o qual parece ter 50 annos annos, 6 de altura e
grossura regulares, muito preto, lem denies saos e
cna barba, com alguns cabellos brancos, tanto na
barba como na cabeca ; levou ves lido calca
azul e camisa de riscado, e foi comprado a Jo^
quimbarbosa deSiqueira, morador em Pesqueira.
dfBM e o negro filho. Quem o pegar leve-o a
casa de sua senbora, na Pas;agem da Magdalena,
rua de Paysandii n. 42, que sera bem recompen-
Na rua larga do Rosario n. 16. ha uma es-
crava para se alugar.
Aluga-se o 3* andar com sotao da casa da
rua da Imperatnz n. 53 : a tratar na rua do Ba-
rao da Victoria n. 57.
Escravo f ugido
Desappareceu do engenbo Biejo Goicana, do
termo de Nazareth, desde o dia 5 de setembro de
1871, o escravo pertencente ao abaixo assignado,
de norae Joaquiro, mulato alaranjado, de idade 34
annos, pouco mais ou menos, e com os signaes se-
guintes : a to, secco, cabellos crespos, olbos par-
dos, tem falta de denies na frente, bracos e maos
grandes, p6s seccos e compridos, tem o andar can
peiro e e rendido de uma verilba : supooese
ter seguido para o Recife, onde foi visto : roga-se
a toaas as autoridades policiaes e aos Srs. capiiaes
ne campo que o eneontrarem, o qneiram appre-
hender e conduzi-lo ao referido engenho, que se-
rao generasamente recompensados.
Manoel Luiz de Andrade Lima.
Aluga se a casa terrea sita na rua do Bom-
Fin), em Olinda : a tratar na rua da Aurora n. 75
com o Sr. Riedel.
Pawls, 36, Rua Vivlenne, D*
WiM-iM medscis special
DAS rarEKMIDADAS DIS IEIC1U IS MriCfOM
CITxk,. p 1LTRRACOIS DO SAMDt.
I30,(
Aluga-se uma escrava para vender na rua :
a tratar na rua do Caboga n. 3, 2- andar.
Aluga-se o sobrido da rua das Flores u 3,
com bastantes commodos : a tratar na rua de Pe-
dro Affonso n. 49, 2* andar.
Triumpho da
I
^SS^
DEPURATIF
In SAIVG
,000 ea ras d as impi*.
gens.pusiulas, ktrfts.
sarna, comixoti, acri-
monia, e allerfots, H-
ciosas do sangut, vi-
ARISTIDE SA1SSET E. J. SOOM
Tratamento puramente vegetal verdadeiro purificador do saogue. sem mercurio.
SflSaaAafriSga; Si"' B EscRSAS> ^xx^SifR
-^- -n-? Prod'6'osos effeitos que tem produrido a Easencla de Caroba nor toda narte
SLfl2 8ia aPrPriadan'ente experimentada, a lem feito adop.ar como um'dos medicamen-
SaSSaT' 6 ma'3 energ,C9 para acura detodas as "SB de naturez^ syphS
A cada frasco acompanha uma instruc^ao para a maneira de usar. .
Pomada anti-darlrosa
PLUS DE
COPAHU
rut, eaiuiutoet ttv sangut. IXarope vegetal
tern mercurio). Ber>r>il,.
*! HMBBin tomao-se dous or
semana, seguindo o traetamento Depurattvo : i
empregido nas mesmas moleslias.
I Este Xarope Citracto d
I ferro de CHABLE, cura
|imm^dlatamente qual-
quer pur gar ao, rela-
---------------- xafao, dtbilidad*.
e icuidueute os mum e floret brancas dai
'*- >ujeccao1.enigna empregassa
om o Xarope de Citracto de ferro.
Mmorr.idan Pomada que at cura ema dias.
POMADA AIMTIHERPETICA
Contra: nas ajeccoe* eutaneat e comixoti.
AVISO A08 SRS. MEDIG08.
%
FUNDICAO DE FERRO
1' rua do Barto do Triumpho (rua doBrnm) ns. '")a lH
CARDOSO [BMAO
AV1S\M aos senhores de engenh's e outroi agricuitires e ao publico em feral qu
ntinuam a receber de lnglaterra, Franca e America, todas as ferragens e machinas n-
?mercadoS estabe,ec,menlos 8colaa. as mais mode.nas e melhor obra qoe tem vmdo
Vapores de forca de 4, 6, 8 e 10 cavallos, os melhores qoe tem v.ndo ao merado
v^alaeiraS de sobresalente para vapores.
Moendas inteiras meias moendas> obra ^ naact ^
TaiXaS fundldaS e b.Ud.s. dos melhores fabrtcante,
KOdaS d agUa com cubaje de ferro. fortes e bem acabadaa.
Rodas dentadas de todos os tamanhos pin,*,
Kelogios eapitos para efapor9.
oODlbaS de ferro, de repucho.
AjadoS de diversas qualidades.
Fonnas para assucar,grande,, p^.,.
^arandas deferro fundido, franceias i.mmmmmbmmmmmt
Fogoes francezes para lepha e Mwl0t -bra, rior
Ditos ditos ^ pa2.
Jarros de ferro fundido para ardim.
Pesdeferro paramesaebanco.
Machina para gelar tgMt
Valvulas para ]tmbt e barih^iro>
Correias inglezas para machiniSmo.
Bancos e sofas com Uras de madeir8> parajartllra.
OonceitOS ******* com promptidao qualquer obra oo machina para o que teea
sua tabnea bem montada, com grande e bom pessoal.
OinCOmmendaS manda por encommenda da Europa, qualquer machinismo
~ a iu P"rao . com um dos melhores engenheiros de lnglaterra; incurabera se de m.ndar l2n,
Utaa machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas. ~
RuadoBarao do Triumpho (rua do Brum)ns. 100 a 104
PURDICAO DE CARDOSO 4 IRMAO.
PRESERVATIVO DA ERYSIPELA
DO
Bacharel Naooel de Siqueira Cavalcanli
nr, imn?ledi0 efflc"' D5 s6- para curar P*l> ataqne de erx'ipela, como
para impedir o seu reapparecimento. *
.ftm = Approvado pelo Governo Imperial, acha-se a disposifio do Publico
.comas respectivas instruccoes, aitestadosde pessoas notaveis, e de Medicos
do grande reputajao. -<=".
Depositos unicos.
Rocha S^60'-6: ~ fUa d Bara da Vict ria (rua Nova) i0, MM da Sr
Rio de Janeiro : Corte, rua do Ouvidor, n. 78.
Gratis aos Pobres.

Contra as affec?oes cutaneas, darthros, comichoes, etc., etc.
Inguento de Caroba
Para cura das boubas, ulceras, chagas antigas, etc., etc.
UNICAMENTE PREPARADO POR
ROUQUAYROL IRMAOS, SUCCESSORES
Botica Franceza
22 Rua do Bom Jesus 22
ANTIGA RUA DA CRUZ )
Sirop du
d^FORGET
I Cora calarrkti, .
Uoqutlucku, iiiiiiit>w
nervoiat tat dot brtm-
ehiot t loiat at Uimm
-------,.,.,, i p*iu; baU ao doata
ma mum rcbdea duU urope D' Foan.
w. tmamm Pana, rm* want, a ,
Deposito botca Franceza
^2Rna da Cruz 22
v ARMAZEM DO VAPOR FRANCEZ
JN. 7 RuadoBarao da Victoria, outr'ora Nova1N7
Urigos,0com0oDOsejrm:eS,abe,e3iment0 ,end0 de a E' vende a ^araUssimos odos osses'
Calfado francez
para homem
senhora,
menlnoi
e menlnai.
Botas e perneiras inglezas
de montaria.
Mobilias de vime e de faia.
Vende-se mnito em conta, cadeiras avuisas~de
I'alanco, de bracos e de dobrar.
Perfumarias.
Finos eztractos. banhas, oleos, cpiata e pos den-
.riBce. agua de flor de laranja, agua de toillete,
divina, florida, lavande, pos de ama, sabonetes,
Msmeticos, muitos artigos delicados em perfuma-
na para presentes em frascos de extractos, caixi-
nhas sortidas e garrafas de differentes tamanhos
a agua de Cologne, tudo de primeira qualidade
dos bem conhecidos fabricantea Piver e Coudray.'
Bods pianos.
Dos melhores e mais modernos modelos de
Blondel : vende-se, troca se e aluga-se.
Quinquilharias.
Artigos de differentes gosto* e
pbanta.Nlas.
Espelhos, leques, luvas, joias d'ouro, tesourinbas
caniyetes, caixinhas de costura, albuns, quadros,
e caixinhas para retratos, bolsinhas de velludo
ditas de couro, e cestinbas para bracks de meninas,
chicotes, bengalas, oculo, pince-nez, ponteiras para
charutoi e cigarros, escovas, pentes. carteirinba de
madreperola, Upete para lanternas, malaS, bolsas
de viagens, venesianas para janellas, esterioco-
r, lanternas magicas,cosmoramas, jogos da gloria,
damaa, de bagatella, quadros com paisagens,
globos de papel para illnminacoes, machinas de
razer cafe, espanadores depalhas, realejos de veio,
accordaos, carrinhos, mamadeiras de vidro para
darleite as cnancas, e muitos outros artigos.
Bnnquedos para meninos.
sj*r ?d*-* W* se pode desejar de to
dos os bnnquedos fabricados em differates paries
da Europa, para entretimentos das criancasT tudo
a precos mala resumidos que e posaivel
Vigor do Cabello
DO
Dr. Ayer.
Para a renovacao do ca-
bello, restituicao de sua cor
e vitalidade primitiva e nat-
ural.
0 Vigor do Cabello e" uma preparacSo ao
mesmo tempo agradavel, saudavel e efficaz para
conservar o cabello. Por meio do seu uso o
cabello ruco, grisalho, e enfraquecido, dentro do
pouco tempo revolve a cor que lhe 4 natural e
primitiva, e adquire o brilho e a frescura do
cabello da juventude; o cabello ralo se torna
denso e a calvicie muitas vezes, posto que nao
em todos os casos e neutralizada.
N8o ha nada que pode reformar o cabello
depois doe folliculos estarem destruidos, e ae
glandes cansadas e idas, mais se ainda restarem
algu-ms podem ser salvadas e utilizadas pela
applicacio do Vigor. Libre de essas substancias
deleterias que tornam muitas preparacoes de este
fenero tarn nocivas e destructivas ao cabello, o
igor s6mente lhe e beneficial. Em vez de
sujar o cabello e o fazer pegajoso, o censerva
limpo e forte, embellizando o, impedindo a queda
e o tornar-se rucp, e por consequinte previne a
calvicie.
Para nso da toilette nSo ha nada mais a dese-
jar ; nao contendo oleo nem tintura, nao pode
manehar mesmo o mais alvo lenco de cambraia:
perdura no cabello, lhe di um lustre luxurioso,
e um perfume muito agradavel.
Para reformar a cor da barba, 6" necessario
maia tempo de que com o cabello, porem se pode
appressar o effeito, envolvendo a barba de noite
com um lencp molhado no Vigor.
PREPAEADO FOB
Dr. J. C. AYER & CA., LoweU, Mass^
Estadoe TJnidos,
Chimteoi Practleot e Analytic**
VKNUB5 SB FOR
Em tem pos modernos nenhum descubri-
mento ope uromaior revolugSo no modo de
curar anteriormente em voga do que o
""..: de mmt\ j
TANTO xNO TRATAMENTO
DA
Tosse, Crupo,
Asthma, Thisica,
RouquidSo, Resfriamentos.
Bronchites,
Tosse Convulsa,
Dores de Peito,
Expectura^ao de Sangue.
Como em toda a grande serie de enfeimi
dades da Garganta, do Peito e dot
Orgjtos da rcspiraeito, que tant
atormentam e fazem soffrer a humanidade
A maneira antiga de curar consistia geral-
[ mente na applicajSo de vesicatorios, San-
grias sarjar ou applicar exteriormente un-
guentos fortissimos compostos de substan-
cias vesicantes, afim de produzir empolhas ;
cujos differentes modos de curar, n5o faziaro
senfio enfraquecer e diminuir as forcas do
pobre doente, contribuindo por esta forma
d'uma maneira mais facil e certa para a en-
fermidade a destrui^So inivitavel de sua
victima I Quam differente 4 pois o effeito
admiravel do
PEIIOEAL SE AUACASUITAI
tm vez de irritar, mortificar e ca'uzar inau-
ditos soflriraentos ao doente,
Calma, modifica e suavisa a dor,
Alii via a irritar Desenvolvo e entendimento,
Fortifica o corpo
e faz com que o systeraa
desaloje d'uma maneira prompta e rapida
ate o ultimo vestigio da enfermidade. Oi
melhores votos em medicine da Europa, (os
entes dos collegios de medicina de Berlim-
testificam serem exactas e verdadeiras estas
relacSes analogicas, e alem disso a expe-
nencia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
PEITORAL DE ANACAHUITA I
Deve-se notar que este rcmedio se acba
inteiramente isento de venenos, anto mine
raes, como vegetaes, emquanto que alguns
destes ultimos, e particularmente aquellea
que sSo dados sob a forma de opio, e aci-
do hydrocianico, formam a basedamaior
parte dos Xaropes, com os quaes Wo (a-
cilmente se engana a creduUdade do pu-
blico. A composi$fio de anacahuita perto-
ral acha-se linda e curiosamente engarrafada
em frascos da medida de cerca de meio
quartilho cada um, e como a dose que se
tomae sd d'uma colher pequena, basta
geralmeute a" applicacio d'um ou dous fras-
cos para a effectuacio de qualquer cura.
ESTACAO PRINCIPAL.
a rua Nova do Santa Rita
ns. 55 a 39.
o trafego de suas linbas no
ESCRIPTORIO
a rua da Companhia Pernam-
bucana n. 2.
Esta empreza de transporte de meroadorias, inaugura
uia 10 de agosto do corrente anno.
Nen iVo da EstaciEo das Cinco Poutas para o Ileclfo.
freM'ezrPTaZ8rrega;Seda f"trega das cartas vindas pela estrada de ferro NMM.
SS, vLl e entre/a.r-|h ate as 8 boras da manba, as amostras do assuca,
a, ?L ? P8gar d V'Sta do conbecim^to o rcspcctiTO frete e fazer conduzirc
ou reJebedores" S 8enerS Cm amair PromPtitj50 P8ra dos compradore-
deSr?Jri0J! lransPrle comprehendtdos os servicos aiima muitonados, a cargo
aescarga, e arrumacuo no armazem 6 :
Por sacco de assucar... ."............ 120 rets.
Por fardo de algodao................ 1G0 r- is"
Ancoras ou barris i razao do......... 2J000 rettl pi pa
tranZrCSVnZfTdaSTen9enh0" e remettidas t** fregnc-:, da empreza *
out!? o'trMos, mas em qualquer ponto dos bairros do Jkcife e Santo A u-
SerWcodo Fort do Mattos para as raasi dos tn.niXrceZnaD?rrega"Se d TTher com seu P68508' osassucares e mais genen
2iS hZr" F*' TmD d,^ec-ao aos armazens das ruas d0 APPo Bram -
qoaesquer outras do bairro do Recife na proximidade de suaslinha*.
zem6?ree detransPrte comprehendida a carga e de.icarga ear; .macao no armu-
Por sacco de assucar................. so rfc;s,
Por fardo de algodao................. ioo r< s!
n -t a Por ancoras ou barri3 razao de........ 1*300 rial por pipa.
Recife, t de agosto de 1874. I l I*-
N.5 A.Rua do Barao da Victoria.N.45 A.
LOJA DE JOIAS
DE
JOSE Mm WAS DO REfiO.
bto slm ja nllo e llqaidaejlo e queima f I
fenr; tomou amabalavel resolucao de QDHMAR todas as suas ioiv rom nr."?!" T deven a'J"
w a grande caravana, e com elJa, aegoir em romaria^ara?? .! 6 Sml?" da cneorPr-
ossaerifiE.e^ardeme-a3ViCtimas^uardamb^^ lo sacrificio-f5 fa
qae nao S^fffS^I^A de XS SPTSt & ZSL* *B
A elias a ellas !



J.
55
Dili_____
CoDstroctor e afin'aor de pianos
Kua do lmper.dor-
55
officina i?%LtS* 8f8madaS CaS8S P,e^eI & Hera e "* tordar
sua casa SliJl^e^S^^JStSl ESS <"* H R tem *<
A' mesma casa iVh. i Pl S' 1a*] res fabrtcante?Tft s ^^kCJSS'B*, rtiment0 de PiM^ *< SB
Compra-se e recebe-se em troca os pianos usados.


*"-

0
jJiano areraaraow- Quarta- (eixa 18 de Novorabre de 181*
Migs-se
o segundi e tercelro ami*re do hobrado n. 3 da
rua da Penha, e a casa Iserrea n. 34, a rua da
Ventura, por to do Laps : a entender-se com o
proprietary no segund) andar da an n. 41
da rua do Rmgel.___________________._______
Toda attencao
Retalha se, com [rente para a rua da Amizade,
*obre 194 palmns de fundo, nma porcao de opu no
vrreno para edili:acao, tirada do .-olio contiguo
aigreja de S. J);e do alanguinno, A) preco de
30* por p.ilmo. Aqoella frecte e toda morada,
toem como a pane pcsi-rior e a lateral ext-ema :
os pret-ndeit-s polein enlen'er se com o Sr Dr.
Witruvio _______ .
Afilhadosc afilhadas de An-
tonio de Azevedo Villa-
rouco.
Manocl Azevedo de Andrade, teslamenteiro do
iinado Antonio de Azevedo Villarouco, faz scitnte
para conhecimenlo dug interessados, que ate h"n
tem, 10 do currente mez, Ihe foram apresenladas a?
certidos* de baptismo d -s afilbados e afilhadas do
dito (lnaao em numero de 8, e sao as seguioles :
Antonia, filha legitima de Manoel Bento de Men Ion
iiio, filno b-gilimo do Dr. Miguel Joaqnim de Cas-
tro Mascarenhas e de sua mulher 1). Isabel Emilia
Goucalves Masearenhas Umbeina, filha legitima
de Juse Ferna del Rastos e de sua inulher Caadi
da Ileli.dura de le*Oi RastosAntouia, lillia legi-
tima de J se de Azevedo Villarouco e de sua mu
liter Maria Francises de Rrilo-Jo-rphina, filha le-
gitima de Joao Macfcadu Brandao e de ^a mulher
Hoza Maria deOiivein-Maria, tilha legitima de
Fianci>coXavier de Sa Leilao e de sua mulher
Rita Bapiista de Sa Leilao J >ao, Who legitimo de
Antonio Gong lives Ferreira Junior e de sua mu-
lher Guilliermina Goncakes de Paula Ferreira-
Cari.lina. filha legitima de Francisco de Amaral e
de sua mulher E nilia Roza de Jesus.
Faz- mais scienleo abaixo assignido, que, peran
te o Illm. e Hvm. Sr. vigario ger-l deste bispado,
esta um filho do lioado Join Marlins Ribeiro pro-
duzindo sua ju.-Mieacao afim de provar que tarn-
bem e afilhado do referido Villarouco, visto que a
ccrtidao de baptismo por el'e exbihida nio prova
o baftaata para poder ser attendido.
Declara mais o abaixo asMgnado, que tenio
macdado publiear em Portugal um annincio con
siJando os alilhulos e afilhadas do inesmo Villa-
rouco que u'aqnelle reiao houvessem, a igualrm-n-
te se babilitarem C'>m sua? certidoes de baptismo a
eooeorrer ao logado quj Ihes foi deisado; aguar-
da a chegada iU proximo paquele da Europa a 2-">
u 20 do corrente mez pan ver se por elle vem
alguma certilSo ; e logo em ado continuado pro
eedera a divisao da qnantia deixada c.ini a igu.il-
dadc recon i n lad i \-11 testadnr.
Recife, 11 de novembre de 1874.
Man'-rl Azecedo de Andrude.
raifO PARTICULAR. I
Rua da Roda n. 48, sobrado.
Prime rfs lellras, portuguez, francez, to-
g!cz, dcsonh'1 linear e musica.
Sob ndirrrcte i! > pri-f< s-or H-rminio
Villa il laknares
Na padaria denoar.inada Manrity, sita na praca
de.-te noine, ca?a de azulpjo, n. 2, desta villa, esta.
beiecimento de Francisco Seraphico do Asms Vas-
con :ellos, Lbricase com a maior perfeicao, lira-
peza e barateza, pao, bodeba, e tudo quaoto se
pode obter da farinha do tiigo 0 annunciante
protesta servir com e.-ir.eroe agrado a todos quan*
tosquiterem honrar sou e.-tabelecimento e se cons>
tituirem freguezes e conaumiJores.____________
Moleque iugido.
GratiQca-se com 50,000 reis a quem pegar For*
tunatu, moleqne de 13 a li annos, prelo, baixo,
chcio do corpo, ro>to e caber^a redondos, nariz
chalo, cabello3 carapinhog eoortadosde fresco j
ausentou se na larde de 10 deoutubro do current*
anno, com camisa de madapolao, calca de brim
de cor, desbotada, e chapeo de massa preto. Gra
tifica se na rua da Cadeia do Recifen. 39, on na
rua da Aurora n. 165.________________________
Precisa-se de duas araas, sendo uraa para
' rrinbar e comprar e ontra para engommar e
c nsaboar : na rua da Conordia n. 43.
"""cTabvogadq
Ernesto d'Aquino Fonceca,
Paten rte Pedro II, n. *____J
2 andar
Aluga-se o 2 andar do sobralo n. 70, arna Dn.-
que de Caxias : a tratar na loia.
Novo divertimento
MAGUSTO
TudtiM
as ii itcs
NA
Confeitaria do Campos.
ADVOGADO
B \CBAREL JaAQUIll GUE1ES DA
SUVA HELLO.
33 Rua estretta Io Rnsarlo 23
primeiro andar.
PENHORES
Nairavesaa da rua
dasCruzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobfe pe-
nhores de ouro, pra-
ta ^Iwilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
I0FINA
Est4. encoura^ido! 1 1
Agaa mole em pedra dura.
Tanto da ate one a fiira.
Roga-se ao Him. Sr. Ignacio Vteira de Mall
jscrivao na eidade de Nazaretli desta provincia,
favor de vir a rua Duqne de Caxias d. 36, a con-
AM A
negio da concei?i i Cavcdlo para vender
e de unia por J-
No collegio
pricisa se de
tugueza ou rscava.
Vende-se
Ama de leite
I Quem necessilar de uma ama de leite, e>eravi,
salie a rua, dirija-se a
"rua da Aurora n. 39, 2 andar. ___________
i. Krecisa s de uma ama, forra ou es-
AUla craVa : a oua da Cadeia, ( Marquez de
01 inda) n. 5i, 3. andar.
Ama
a. entende
lar de Ouro.
.ma um por de. "^caya|f0 CJ8Unho graDd?i proRrio' uraa ca.a na villa de^Barreins,, na rua do Co.
para aella, e especul para carro, para o que ja es- mercio, por proco modico .
la experimentado : a ver e tratar, no largo da San-
taiCruz_n141_______________________________
Aos 5,000 covados dela
A ISO rs.
Na loja do Pavao vende se lazinhas de muito
bonitos B03toi e delicados padrdes: fazenda nova
r-r- no raercado, pelo diminuto preco de 160 rs. cada
na Procisa se de um ama para cozinnar Dm cova^0 qaenJ deixara de fazer vestidos de
i J\IUdi para casa de familia de ires pessoas: u tao bonitos e por tio pouco dinheiro? Forne-
' a.entender-se na rua do liabuga n. 3, loja do Uul- (cem.e as amostras: na rua da lmperatriz nume-
ro 60. __________^___
Irmaos C.
l __ 0 pescador, a rua Uireita u. 21, preci-
Anid sa de unu atn p ra comprar e co--l
zinhar.
Precisa-ie dd uma ama pa-
ra o servigo intsrno de uma
casa da pequena familia : a
tratar na rua da C mcordia n. 61, andar.
i Precisa *o de uma ama para cozinbar:
Ama na rua dos Pires n. 3t.
AMA
Ama de leite
*IiAUO
Precisa-se de uma ama de leite : na rua de S.
Rom Jesus das Crionlas n. 40._________________
Ahiga-se
o stgundo andar do sobrado siio a rua de Pedro
Alfonso n. 59, com agua de Beberibe : a traiar a
rua do Vigario n. 31.
Alugase o armazeine o 1." aodar do sobrado
da rua dos Bnrgos n. II, assim como uma quarto
por detraz da roa di Sanzalla Velha. (Becco Tapa
3ui 2 e neScitTue S ? compro"mette7a So e uma outra casa na rua do Lobato n. 4 (fre-
a., in ingnmnhra do 4874. ft denois oara aneiro, Praia n. 20, com Jose Feliciano i>iazaretn.________
9ns de deiembro de 1871, e- depois para )aneiro,
passon a^fcvereiro e abrii de 1872, e nada cumprio;
t por este motivo d de novo chamado para a
Sm, pois S. S. se deve lembrar que este negoei
le mais de oito aimos, e quando o Sr. seu filbo
ichava nesta eidade
0 Sr. Joaquim Jose Bezerra Munteo--gro-
v.indo de Maceid no vapor Paid./jueira dirigir se
ao escriptorio de Tasso Irmaos 4 C, rua do Amo-
lira n. 37.____________

Re Irigues de Si.jtn irh funccionam ditas 8U-
iss lodos o> di'S irteis.
R ctbe kIuiddoi inlernos, mcio pensio-
Bistase exlf-rn is ; I rutce tjdu o mat rial
psr.i escrip'a n livros bos prineipiaHtes, por
. '. : / isvois.
Consultorio medico
' DO
Dr. Murillo.
' KUA DO VIGARIO N. 1, 2.' ANDAR.
f P.ecem-cliogado da Europa, onde fro-
quentou os ho^pitaes de Paris e Londres.
pndcra ser procurado a qualquer hora do
dia ou da noite para objecto do sua pro-
fiseao.
Consultaa das 6 as 8'horas da manhJ e
do moio dia as duas horas da tarde.
I
Ji
!S, fL
GRATIS AOS POBBE3.
EtpfCialtHadts : Moiestias de senhoras,
da paUe e de crianca.
I

E

stria
Afisa-se qu > l>ds as tardese a noite ha-
verd na confeitaria do Compos osegointe:
i i se violin verde.
Cravos
Na rua tl.i liiiao, etwz do Gymnasio, ns.
47 e 49, Irendo se semprc cravos brancos e
encarnados.
i'edido
0 redactor d> periodico America Illnstrada man
de inlemni'jr ao abaixo .i??ignr,do.
NUn>el Ridrignea Pinheiro.
___' ^^_ Preciia se alugar uma ama que sirva
ivfllcl para carregar um meuino de In irezes,
e mais algum ssrvioo : a rua do Colovellj n.
129. ______
a a Precisa se de mua na p'
A.JWI A comprar e cozinbar, para casa de
pequena familia : a rua do '-res u u. IS, srgund)
anlar._____________________________________
A, r Piecisa^e de urr.> para co-
\\ A zinbar e cmiprnr |-wa duas
VI /\ Pe?Sl,as a ru:l 0l Luncordh
AMA-
ILIQUIDACAO.
i 0 Paris n'America esta Iiquidando os calc.ados
Ipelos segaintes precos :
Bolinas de duraque, de cores, com canno alto e
law, aLuizXV a 5*000 III
Botinas de duraque, de cores, tordadas. canno
alto, a 6*.I!I
Botinas de duraque com laco a 3#.
Bolinas prelas gaspeadas, canno alto, a if, 5t e
'6*000.
Bolioas lias e enfeitadas, para menina a 3*,
Bttinas de Suzer, de cordovao com ponieira ee>
verniz, pa. a bomem a 8*. Aproveitem, que e
barato. ________________ .
Cura das hernias, pelas fun-
das de borracka.
As melhoros e mais aperfeicoadas uas ate noje co-
nnecidas.
Vende-se
na
Pbarmaela e Drogarla
de
Bartolomeo A C
A'
34. Rua larga do Rosario 34
Vaccina. Vaccina.
Tendo o Sr. Dr. Jos6 Lourenco de Magalhaes,
montado na corte um completo servigo deste ar-
tigo, tem aqui aberto um deposito da melhor e
mais recente, cujos tubos se encontram na
Pharmacia e drogaria
A'
Precisa-se de uraa, prJM
na rua do Livramen'n u. C.
luiDiiai ra
I >ja
3i-ma larga do Rosario 34.
--*
Aluga-se duas boas casas para passar a
festa no luar do Caxanga, S'>n I pen.) do banho
e da estacao : quem pretender, d rija-se ao sitio
da llha, que achara com quem tratar.
COMPBAS-
Compram-se
as collecjoes do leis provinciaesdc rernarn
buco, dos annos de ISi'J, 1835, 18CG c
1869 : nesta typographia. ________^^
E. A. DELOLCUE
Compra-se uma casa terrea que tenha bum
'quintal, na freguezia de S. Josd ou Santo Antonio :
M-Kn do hrfHi de Olinda-21, KSD1M'"""'"' '"'" ""' m m
Esqulna do hceco Largo
Participa a scus frrgnezes e amigos que mudou
Imperial fabrica de rape
area fina de Moreira & C.,
da Bahia.
Oeste excellente rap6, que se torna reeommen
davel aos amantes da boa pitada tem estabeleci-
do esta fabrica o sen deposito a rua do Coramer-
cio n. 5, que vendem por junto e a retajho, fa-
zendo se vantagem a qoerr. c. mprar porcao.
Qual 6 a loja que vende ba-
rato ?
E' na rua do Livrament n. 4.
0 que vende ?
Queira ler para saber.
uqijidacao
MA
Loja de fazendas
DA
Rua do Crcspo n. 20.
Las de cores miudas muito boa* para roupa i-
mt-ninas a 160 e 200 r*. o covado.
La pretas, superior, a 460 rs. o> covado.
Alpacas de cores linas a 320 e 360 rs. o covaAc
So se vendo.
Ditas com listras abertas, fazenda fina, a 600 rs.
covado.
ChiUs de cores a 540 e 280 rs. o covado.
Uetins de cores mirtdaa a 280 rs. o covado.
Crelones, o melbor que tem vindo ao mercadc
400 e 440 ra. o covado.
Cambraias brancas, bordadas e abertas, fazeoi
mais fina que tem viado ao mercado, e fatead;
de 2*000 o metro, por 1*000 a van ; e pe-
chincha.
Ditas pretas com flores miudas a 200 rs. o covado
Cambraia transparente, fina, a SA a peca.
Dita Victoria, fina, a 4*000 a peca.
Organdy de assento braaeo e de o>res, ccm It-
res miudas de seda e de la, a 406 rs. o covadc
E' peehincha.
Cortes de casemira de cores modernas a 5*500 i
corte ; e fazenda de 8*. E' peehincha.
Camisas de linho finas, lisas, a 35* a duzia, e fa
zenda de 55*.
Brim branco de linho a 1*400 a vm.
Dito Angola, verdadeiro, a 660 rs. o covado.
Madapolao. francez verdadeiro, 24 jardai, a 6*
7* a peca.
Algodae T, largo e superior, a 5* a peca.
Gorgorlo preto de seda para veslido e para coil*.-
a 3* o covado
Tualhas alcocboadas a 4*500 a duzia.
Colcbas grandes a 3*oG0 uma.
Cobertas de ganga, forradas, a 3*.
I.encoes de bramante a 2* no.
Lencos de linho, sbainhados e em caixmbat
3*300 a duzia.
Ditos de caca de cores abainbados a 3*500 a do
zia.
E outros muitos artigos que se vende por m
ooa do que outra qualquer parte e para se de>
So na lorem queiram mandar ver a amostras.
enganaja de
Guilhcrine k C._______
Para o fabrico de chap6os
A NOVA ESPERANf A recebeu o ararae propn
para armac'o de cbapeos.__________^^^^^^^
i ,1 festa uma boa casa
. i .',i Torre, a margem
| r | i e d Olinda n. fii
Alu :i se bara'o
larierreo di sobrado da roa d) Vi.-cande
Al "i',
... i ru>
ra 11 Matrix, n 1\ : a
I i >"..I>j:ji n. II, l"ja. _________
i \[ i i ou moleque de 12
a 14 annos.
sr-ja active e Gel, para
,: c -:i e :i'.?um mar; ladn, paga-se b ra
. do Appollo n. C'.', ou no Han-
bo, Mton. 2. __________ _______
(J icm precisar de uma ama escrava, que
C>zinha o diario e engomma soffrivel, dirija-se a
rua d'' Marcilio D-as n. 89, 1 f.ndar. _______
Fazendas, chApeoa e roupas feltas.
Perfeito sortimenu para todaas classeM
Pannes finos e casemiras, brins de linho branco,
pardo e de cOr, ditos de Angola, ditos de algodao
brando e de cir, gang ? de linhi e de algodSo,
de c6r e arnarello, madapolao de diversas ;joali-
dades e precos, algodao branco de listras e azu
de varias marcas e precos, chita-, nietms e per-
wKiueira, uc um j i|uu. ,,*....._.___,. venue-se uiu cavanu tuon, uuuivj, u.<^, um ,;.,. u,..* a. .-.,, j i ,. ^.....i ,, ;
o seu estabelccimento de relojoe:ro para a mesma
rua n. 24, onde encontrarao um grando sortimento
derelogios de parede, amerieanos, e cima de me-
sa, dos melhoros gustos e qualidades, relogms dc
algibeira, de todas as qualida :es, patente suisso
Cavallo para vender.
Vende-se um cavallo gcrdo, bonif, novo, bom
ALUGA-SE
uraa gr.ip.ie casa terrea com bastantos commodos,
sita nj estrada d> Lucas : a tratar a rua do Vi-
gario n 31.
I
,U(U=SE
Escrava s.
Precisa sdedoas que sejam pciits engoro-
niMii de >' rtnra e ensaboa-
d i, pagasc i m aloguel : no M nuuioh-, sitio n
uma casa nos Afogados, rua do Motocolombo n.
!;, cont.nd.' duas salas, 4 quartos, cozinha (era
luarto p:.ra cris-io?, grande quittal, com ca-
cimba de agua de beber : a tratar no Recife, a
rua do Atilhu n. 11, a-Vista._________
BT
gios de oiiro, inglez, descuberto, dos melhore3
fabricantes, cadeia de ouro, plaquet e prata, lunelas
de todas as qualiJf.des, tudo por precos muito ba-
ratos. _______.
andar.
Saliidas dc bailc.
Amaral N.buco & C. recebcram p-lo ult'mo va-
por da Furopa elegantes sah.idas de baile de di
versas cores e vendem por comtnodo preen : no
; bazar Victoria, rua do llarao da Victoria n. 9.
[Lustres, lampadas c aran-
dellas.
!
;-.;; [| de f -rro.
Bcas
P A
Tasso.
Alu[ani-se
casas do campo? ta Cruz
Pacella ; a tratar com
Alngarn c u in .dos, encanamciito d'agua c gaz, qainlaes
"ranles e muradus, na rua de S. Pedro Novo ou
Passo CastelhaBO : a iratar na rua do Qaeimado,
escri^terio do Sr. Dr. CasteUo Branco, por c:mi da
loja do Sr. ftulim.
das Almes
o commeudado
140|
Alngase pelo tempo da festa umi casa em
Olinda, na rua dc S. Pedro Novo, com i quartos,
2 sala', cozinha, agua canalisada, quintal murado,
tulo com limpeza : a traiar na mesma rua n. 39.
6.
Bordeaux,
assiguado, administrador do hotel
c i vi la aos Srs. credorcs a compare-
cerera no dito hotel, no dia 16 d) corrente mez em
diante, para receb-rem suaprestacio aceordada,
.'.:.;.i t A i os tnezjs. Recife, li d
vembrode l-7i.
J. D.-151K.
no
Bonsbanhos edormida fres-
ca no Montehv.
A'.uga se clli por preco cjmmodo uma casa pe
quena qne k-ni 2 galas, 3 quarios, C'Zinha e boa
caci.T.b.i, e 6 perto do rio : a tratar na rua Nova,
loja n. 7._____________________________
Alaga-se uma escrava para o stvico de co
ziulia e as respe:tivas compras, e um escravo pa
ra o servioo de carroc>9, relinat;ao, padaria, etc.
a iratar na casa n. 69 aa rua de S. Joio.
O Monte Lima;
Obra de goslo e muito man barato do que en
outra qualquer pwte, teem para vender Joainii
"osd Gou^alves lieltrao & Filhi, a rua do Rom
ii'.orcio n. 5.________________|_______________
Vende se, Scila/Jo e enfreiade, um cavai
rudado apatacaio, com todos os andares : a tratar
no pateo da Hibein, acougue rj 2, ou na rua le
lha de t'anta Rita n. 7i.
AlDg>-se baraU umas meias-agoas novas, na
travessa das Barreiras (becco do Aquino): ajra-
lar na rua do Coluvello, casa de azulejo n. 2o.
Alto la!!!....
o
Ko
CAMPDS 01 CONFEITARIA
seu genero neahum
CASA DO OURO
Aos 4:00300
Bilhetes garantidos
Rua do Bardo da Victoria (outr'ora Novo
n. 30, e casa do costume
Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga-
antidos da 7* parte da leteria a beneficio da
imperial capella da Estancia, que se extrahira no
dia iSBll ftfTt 20 do corrente mez.
Prcfos
Inteiro 4*000
Meio 2*000
Be tOOcOOO para elms.
Inteiro 3*500
Meio 1*750
Recife. 12 de novembro de 1874.
Joao joaauim da CotUi Leitt
E' peehincha.
A IG rs.
tem um completo ouro e prata, verdadeiro, de todas as larguras,
abotoaduras douradas para officiaes, canutillios e
enfeites para bordado. Tambem se eccarrega de
todo e qualquer fardamento, como seja : bonets, |
talins, pastas, espadas, dragonas, charlaieiras, ban-1
das, abotoaduras lisas e douradas, para criado j
etc.; assitu come um completo sortimento d Lazinhas de cure, padroes trnito lindos pro-
ranias, galao falso para ornamenlo, cordio dela prios oara veslidos do senhoras o meninas, e ven
com borla para quadros e espelhos (conforme o dose pelo liminato pre^o do 16U rs. o covad ,
gosto da encemmenda) tudo por muito menos por este preco so soencontra n.i rua do trespo n.
pre^o que cm out) a qualquer parte : na praca da 20,1 >ja de Gnilh'-Jme & G. ; dao se amostras.
Independent n. 17, junto a loia do Sr. Arantes. ; A.0& q finaifl
- Tendo-se deseucaminhado os taloes ns. 7,648 *uff ?a -, r
c8 96'i pcrt--nceDtes ao segoro de vida no ban- de camisas de linho, ioglezas, bordadas, muito ii-
co Unia'o, da eidade do Porto, em Portugal, a favor na?, pelo barstissimo preco de 40* a duzia : na
do padre Jose Lopes Dias de Carvalho, fallecido em rua Duque de Caxias n. 88, loja de Demetrio Das-
22 de Bovem'.iro do 1870, na fregue'.ia de Santo tos._____________________________
Antonio, de Garanhuns, nesta provincia de Per-.
nambuco, seu pai e herdeiro Joio Rodrigues Dias, '
residente no lugar de Sarnadella, freguezia do
Pombeiro, juigado de Arganil, no dilo reino de
Portugal, assim o faz publico, chamando qualquer
interessado aos ditos talSes para que no prazo de
30 dias, conlados da data dwta publicacao, o ve-
nbam reclamar nt mesma eidade do Po to, e nao |
o fazendo Ccara o dito herdeiro habilitado para re- j
ceber do dito banco o que se liquidar desde o anno
de 1870 em que finalisou o seguro
IP -
seda e listras de eda, ditas pretas e brancas,
chapeos de sol para homem e senliora, meninos e
menioas, ditos para cabe;a de homem senhcra.
meninos e meninas, ha grande variedade aonde
as qualidades e pregos, para bomem c meuino,
ditas de me as, ceroulas de precos de um a U^
mil reis, calcas, colleles e paletots, havendo gran
le quanlidado para esculhtr a vontale ; tambem
a cambraias braacaa e de :>; ; sssim como,
oaitos outos artigos que deixamos de pablicar :
hegucm ao atrngo do bom e barato, a rua dc
.ivramento n 4.
Fio te algodao da Bahin.
Teem para vender Joaquim Jose Gon.;alves Pel
trao & Pil"o a rua do Commereio n 5.
Salsa parrilha do Para.
Chegada recentemente leem para vender Joa-
quim Jose G-.ncalves Bjllrao 4 Filho, a rua do
Commercio n. 5.
Fechacluras de broca.
Teem para vender Jviquim Jose Gancalves Bel-
trao & Filho. a rua do Commerci n. 5.
De?appareceu do uma casa de familia, no
arrabalde Parnameirim, um par de Lrincos de ou-
ro, em forma de globo (phrase vulgar, a balao) e
um pince-nez de mola, inglez, "com o ncme
do fabricanle, um trancelim Ono, preso ao roesmo,
tudo de ouro : chama-se a altenr^ao dapoliciaso-
bre o raptor de taes objectos, assim coma pede-
cicfoholppimpnin f nOlift se a qualquer pessoa que noticias dtlle liver, on
estaoeieoiiiieiiiu u p u uc qDe |-jie s^m mesmo offen,cidog a neg0Ci0> a bon-
dade de dirigir se a esta typograpbia, onde dir-
seha quem e seu legiiimo doao.
igualhar.
E senSo vejani :
Ileccbo encommends'.
Para a rece, Qao do Exm. conselheiro mi
bistro do imperio.
E estd coma sua confeitaria do
Ensommadeira.
mu.to bem provida de tudo quanto e pre-
ciso para que a ninguem falte cou;a tl-
guma.
ISTO I'.':
WJ3P1PES DELIGIDSaS
E tnti qnnnti.
Attencao
Uma pessoa desta eidade, que por todo este mez
teta de stew para o Rio de Janeiro, afim de tra-
tar do uma quealao qua lhediz respeito, ofre-
rece naqueHa praca aeus prestimos e esforcos
f ara itm de-outro qu jlrfnur negoeio que se quei-
ra coniiar a sew BWdaiM, vfito ser aquelie o
lim unico a que vai, dawlo tonhecimento de* sua
nr., 1 andar.
Precisa-se de uma engommadeira para engom-
mar para dua3 pessoas : a iratar na traveisa da
Garanos rua do Vigario n. 1, das 9 horas as 4 da tarde, ou
nosegundo sitio, depois da estacao do Chacon.
Hotel Restaurant de Bor-
deaux
Pede-se aos Srs. abaixo meocionados, o favor de
apparecerem no dito hotel, para se entenderem
com o administrador, a negocio de seus particula-
rs interesses :
Salomao (mascate).
Jos6 Maria Correia da eves.
Manoel Araancio.
Luiz Imbalz.
Jose Ignacio Ribeiro Roma.
Joaquim Pires Ferreira
Grnz Ramos (gnarda-livros).
Gabriel (mascate).___________________
Precisa-se
de um moco que tenha muita pratica de servir
em hoteis: a tratar no hotel de Bordeaux.
Ados e exaincs.
Nera ha lugar nnis apropriado para solemni-
sar-so os aetos e exames que se estao agora
fazendo., do que na
Confeitaria do Campos.
Alii os respective^
Estudantes
Eacontraruo
Uma variadissima
Refeir^So, com a qual
Devem presentear
Os seus collcgas
E amigos.
Reparai bem
E' n3 Confeitaria do Campo.s
40,| a duzia
de camisas ingleza", de linho, bwrdadlH-, muito fi-
nas, comcollarir-luse sem elle?, e peehincha : na
rua Duque de Caxias n. 88, loja de Demetrio
Ba-tos._____________________________________
Leques gigantes
S6 quem lem dos mais modernos t a Magnolia
a rua Duque de Caxias n 45._________________
Para p darias e tavernas
Sal lino e muito alvo : vende so na rua Impe-
rial n. 5, armazeni. ^^^____^_^_^_^^___
ilhegaram
ao Bazar das Familias, a rua Doqne de Caxias n.
60 A, lindissimos chapeos para senhor3s, que se
esta vendendj por pneo mwito barato._________
h';*prios para bailes.
Chegaram em boa quadra, para a b|a do Passo,
riquissimos cortes de seda com largas listras
aciiamalotadas e lindissima3 cores ; cortes de tar
latana com palma3 bordadas a prata, proprios
para nailes : so na laja do Passo, a rua Primeirj
de Marco n. 7 A. _______________
Farinha de milho
Vende se farinha de millio moiJa a vapor, diaria-
mente, da 1* qualidade, para euscBSj 12 pataca? a
arroba; da 2", para can;;ica;e pao dc Provonca a 11
palacas; da 3\ para acgii, a 10 patacas; da 4',
para mangunia, a 9 patacas: na rua do Cotovello
n. 25, ca^a de azulejo:_________________
Cal de Lisboa novissima
Vondo se em grandes e pequenas porcoes : n
rua Direita n. 14.____
Aluga-sc
Liquidacao de velas de scermacet', a SiO rs-
msaeo, a dinheiro : no armazem do Jose Feraanl
de Lima & C, rua do: Barao da \ ictona n. 3.
VEHBE-SE
uma balanija decimal das melhnres que lem ap-
parecid) neste genero, podeodo pessr aid 500
kiles : no armazem n. 3 da rua do Vigario.
Bom negocio.
YenJe se o estebeleciraeBlo de molhados sito no
Caxanga, freguezia da Varzea, a saber : uma ar-
micao com todas sum pertenjas; pesos e medi
das, pouces fnnioia voniade da oessoa que quizer
e desembaracades de impostos: a tratar com o com- confronte ca
mendador Tasso.
Aluga-se
(M Terde epreto
Amaral, Nabnco & C. decTaram a seus amigos
a casa d* rua dos Guararapes n. 81 : a tratar na
ma de Havcili DiB.a4._____________[ e. ffegnewe qpe reccberam pelo ulttao vapor
- (ft Europa, nova remessa de co* verc* e preto,
__smr bo quahdade- e v#fld*m ** eu
iazar Victoria, n* do Barao- do Viotocia n. *
Alaga se ama escrava- para tedo service :
na rua da Gloria, n. 146.
Moleque fugido
Fortunato, moleque de 13 a 14 annos de idadej
preto, bafato.chero-do oorpo, rosto redoado, boni-
Uwdentas e aabalto cottaitode fresco ; ausealou-
se na tarde de 10 doeoireote, ctm camisa de ma-
dapolao, calca de brimde. cor, desbotada, cBapeo
de massa preto, coudttrtwfc um serrote in
darvida-ae as apteoia4)P a virem apreciar o
De- aue ha de mais excellente neste artigo; vende-
^Td^BSSSSTSJSiT&X.'se em decimos e a retafho, em casa de Poca,
SSuicSe".tSSS^Tr^ilSR ** AC ruaestreifa.ro RosarKr b. iunto a
mero 165. W
Sara remessa.
Vinho verde de Amarante
E' sempre assim-
AO-SEXO AM4VEL.
A Nova E^peranga, a rua Duque de Caxias n.
G3, toma a liberdade de avisar ao bello sexo, que
acaba de receber diversos artigos de-alta novi-
dade, os quaes estao expostos a vunda em dito
estatelecimeuto. t bom que venham aprecialos
para por esta forma satisfazerem os caprichos de
suas elegantes toilettes.
A Nova Esperanca, nao qu->rendo lornar-se
massante, limita se a mencionar alguns artigos
dos mais cm voga no mando das modas, os quaes
sSo os seguinles :
Liodoe cinu-s de couro e filigrana.
Modernos boloes de aco para vestidos.
Neves lequos, grandes, matisados.
Elegantes fivellas de a?o para veitidos.
Delicados ramos de flores de larangeira.
Bolsas de couro e filigrana, proprias para tra-
zer pendentes ao cinto.
__Vende se Uma Begra que sab* lavar e cozi
nhar, de men Idade : para ver na rua do Bom
Jesus n. 31, primeiro andar.__________________
Breu. breu, breu.
No armazt-m de Jorge Tasso, rua d Amorim n.
37, eno eaes do Apollo, aimazem de fariaha de
trigo, do commendador Tasso. ________
Aos Srs. de engenhos
Chila com 4 patraos de largura, fazenda muito
superior, a 260 es. o covado, proprias para escra
vos: so a rua do Crespo n. 20, loja de Gui-
Iherme e\ C.
CHaL'EOS PARA SEKUOKA.
A Predilecta, a rua do Cabuga n. 1 A, acaba de
receber um Undo sortimento de chapeos da ultima
mo da para senhotas e meninas, e vende por pre-
fis commi.dus.___________________
Vende se duas casas por cjmmodo prec\
sendo ma na ruadftPonte/elhau. 47, e outra
no becco do Quiabo n. 1, Boa-Vista : a iratar na
rua da nnceicBo 12. ________
BAZAR
FAMILIAS
Itui Dnqnc dc Caxias n. 60 A
Para a lest a
Reis e Silva & Guimaries, prnfhlBri I
bem I'orjhccido eslabelecirr.euto de fazend:- fica-
c mvidara aos seus freguezes c amigo* a rtiren
se dos artigos indispen^aveis pira a feta, artigc?
da uilima mod;, e de lino gosto, os quaes se vet
dein p.jr bhhMcb pre^o, de forma que igual nao Sc
encontra em outra parle.
Ahm de om o publico aval:* o qne levam dil
offerecem a .-ua prcciosa conMderac^o a sef
oienc^o:
Riquissimas pelimistt de gorgeia.i pretj, ri.\
meolc enfeitadas, pelo dimicuto prer, i de J6|.
Linli:simos casaquinhos de g .rg rio preto, r
camecte bordados, sendo curtinhn cnf< rme a i
da, pelo diminuto preco de HtQvO cadi nm.
Riquis'-in as MWdas debaile.de la e seda, pai:-
senn< ra, inlciramente novid.ide. pe! > duuinut
preco de 12^000.
Lindissimas captnhas de la e seda inteirameB-
le novidade, pelo lasignificacU I refi de ><*
105-00 eada nma.
i. jnissim ^ ca -!iip."ts de la c seda, pelo d'ur..
to pree.i de 0.0W cada BOS.
Urn e :., letu i rlimento de .
bloods, propri&s para neiva.-, peto dtadaatB i
dc 10^, 133 e 2Ui cada un.a. B' barato E c,
mo sao lindn> ?l
Riquis.-ii.u-; lacinhos ccm fiveli. pr-p-ri s pa-
pe.cnco de senhors pe-lo dimmuto preco de Uo>
cada uma.
Lindas gravatinhas dc cor, proprias para M
ras, pelo diminuto preco de l000 cada u
Lin i sas com a'lin. I -. ,
peito de seuhoras, pelo dijsinulo prf.o dc !/
cada um.
Cambraias brancas, bordadas de cores a la, 'a
zenda moderuissiBU, pelo precu de SiO rs. o
vado.
Cambraia transparente, ccm dua? larguras, r .
preco de CiiOOO a peca.
Cambraia transparente fina, Suis^a, a 6;500 i
pec,a.
Cambraia muit) Gna, Victoria, a 7J20O a p- ;
Meia* de cures para homem, pel i d.u.inulo i
CO de 8*0tK) a duzia. E' baratu I
Riquissimas caixinhas cada uma ccm u.Ta i
zia de lenqis de linho ja abainhados, prlo di
nuto preco de SjtStO, ('>3, GioX)0 e 7*.
Grosdenajdes preto, fazenda muito supc-riir,
UiflO o ccvado. j
Selim braoeo) Macau, fazenda superior, a 2x2 X
o covado.
RiqoJtsiiBO sortimento do pobeliaas do linh-*, | -
lo diminut) prce i de 440 e 500 r*. o covado.
Riquissimas bias de seda. fazenda mederni -
ma, pelo cm modo preco de 2*2'X o c vad>.
Popeliaas de linbo e seda, padioes Iniera
mente novjs, a 1*600 e 1 ^800 o covado. E ba-
rato !
ijrosden.npoles cor de rosa, fazenda muilo su| e
rior. a 1 JtfOO e 1*700 o covado.
U.n comuleto sortimenlo de las e alpacas de e
da com listras a 700, 800, 900 e I*. E" muito I a
rato I
Um coraplelo scrtimen'.o de la>, a 180, 200. 2i<
32S e o80 rs. o covado.
Madapoloc', Elephante, com 2- varss, a 4^'iO-
a peca.
Madapoli?, Maravilha, com 20 jardas, a 5$1k<
Madapolao francez, Madraste B bo, a 6i>) a
Madapolao superior francez n. 60, a 7JO00 i
peca- ...
Assim como um grande sorumento de cbitas es
curas, claras e ontros artigos.
REIS E SILVA & GUIMARAES.
Aos nerrosos
A NOVA ESPERANCA acaba de receber aBl-
les milagrosos anneis electricos, cura infallrvel dw
nervosos._____________^^_____^^__-_
500 rs. o covado de alpacas
de seda
Ia run Queiaaatlo n. AS
valem "* o covado.
Alpacas de seda com Hstns, largura de chila,
padroes bonitos, pelo diminuto preco de 500 r
o covado ; so o 44 e quem lens, *> B Mb da
Magnolia. _________ ,
Aos cigarreiros
A NOVA ESPERANCA vende panel U Ma*
proprio para cigBfw,BBdw
A loja Agrado-e Seriedade, sita a roa da lm-
peratriz n. 16, ve*d por baratos precos 14 para
bordar. de liodas eoree, e filas de sarja de to*a as
cores e larguras, assim como de selim.
Insignias maconicas e cadoi-
raspara viagem
Amaral. Nakae* 4 C. wadBgiBiifttBiM Mibb-
eas par* ditataos frBos, a eadaBMaa.akrtr a bM
vJBtaai: ao Baur Vivaria, nb>b>
srefflas para
Barito da Viet
ctonaa.%
1
l


*v..- ........'
< HWiWHP
Diano de ttemamouco ^uarta teira 18 drftovembro de 1874.

r
I '

v. >
)
Ao
Grande liquidacao de fazendas

NO
MCIONAL
N.72.Rua da Imp era t riz N. 7 2
DE
Mendes Guimaraes & lrmaos.
A'rua Fde Marion. 1
C'oulroDlc ao jireo de Santo
Antonio
Os proprietaries deste estabeleeimento, tendo
gande deposilo de fazendas de ia, linho, seda e
algodao, e acuandose froiima a occasiao do ba-
laneo, resolveram fazer grande reduccio em pre-
cos, aflm de qae naquelle tempo nao lenham gran-
de Irabalho em balancos ; a saber :
GORGOIUO de seda preto, para collete, nm
C0*u?vnv^c E1'f1zeOraqu?seraprecu3l0U 1*- ^a Tea\ os Proprietaries deste estabeleeimento resolvido ,
AMAIONAS, linJa fazenda para vestidos de *endas> eutenderam fazer esta grande liquidacao, como se vt$ dos precos abaixo mencionados :
Pa>MMO, 3 *)IKJ FS. O COVSuO.
GROSDEXAPLES de cores, verde, encarnado u Chilas ,areas a ,60> 20 e 280 tfl*-
branco, cor de rosa e cravo, a 900 rs 1* e Venae-se chitas francezas e flnas
1*200 rs o covado. Quem e que nao comorara? i covado-
POPELINAS de linho, de quadros e listraT ho-' Lazinhas a 120 reis.
Vende-se lazinhas para vestidos a 120, 240, 320 e
400 reis o covado.
Chitas para Robertas a 280 reis.
Vende se chitas para cobertas a 280 e 360 reis o
covado.
Alpacas de cores a 6i0 reis.
Pentes girafe.
diminuir o grande deposito de fa-
a 120,280 e 320
nitos goaos, a 500 rs o covado. Aproveitem.
POPELINAS de linho e seda, gostos inteiramen-
te novos a 900 rs.
DITAS com listras largas assetiaadas, o mats
moderno qne tern vindo ao mercado, a 2*.
STONE francez com listras e de quadrinhos
noTararo0.8 4 U "" *"* V*" alpacas de cores, finas, para vestidos de
DITO frjncez de listras, proprio para camisas
e vestidos a 300 n. ; pois so se vendo se p6de
crer. r
ES >U AO de linho e algodJo, proprio para ca-
misas, fronhas, etc., etc., com 7 jardas, a 3*200, e
:om 10Jardas a 4*500 a peca.
MUSSL'LINA branca, com listras, para vestido, a
iCO rs. o covadr.. K' pechincha I
MADAPOLAO franco: am 20 varas, por 4*500.
E' baraio.
CASEMIRAS de core?, para costumes (roupa de
homem) a 3* o covado. \'er para crer I
LAS escocezas, estaruos acabanJo aos precos de
120, 181) p 200 rs. Apressem sel
CHITAS escuras e Claras, fazenda Una a 2i0,
2C0 e 280 rs. ; -6 a rua Primeiro de Marco n. 1.
CHAPEOS da alpaca, para sol, para senbora. a
2*000. E' admiravel I
BRIM branco n. 5, expesic;So superior, a 2* a
vara.
CAMISAS de crelone francez de c6rcs, a 2*5G0
uma.
CAMISAS branca**, inglezas e francezas, gran
de sortimento por precos baratissimos.
BRIM pard; trancado, para 280 rs. e400rs. o
covado.
BRIM Angola, superior, a 500 rs. o covado; isto
6 na lo|a do Barateiro I
CHAPEOS de sol de seda para homem, fazenda
superior, a 8*500, 9*000 e 10*000.
BAPTISTAS rratisadas, gostos raiudinho? a 300
rs. e 360 rs. o covado ; so confronte ao arco de
Santo Antonio I
LENCOS de linho superiores, abanhados
i*500 e 5*000;a duzia.
TO ALII AS felpudas superiores a 6*500
zia. Em outra parte vendem por 9* I
MEIAS cruas. superores, para homem,
1*500 e 5*. E' pechincha.
BOTI.NAS superiores para senhora, a 4*500 o
par.
ATOALIIADO alcochoado, fazenda superior, pa-
ra me.-a, a. 1*500 a vara.
ALGODAOZINHO I ranco, com pequeno toque,
a 33300, 4* e 4*500, e marca T, a 5* a peca.
Alem das fazendas acima mencionadas, encon-
trarao muitas outias que rgradarao em qualida-
' de e precos, e que para nao raassarmos a paciencia.
de nossos freguezes, as deixam-s de ennmerar,
So no Barateiro
A' rua Primeiro de Marco n. I.
Loja de Agostinho Ferreira da Silva Leal & C.
Nao se engacem
Pois sao os verdadeiros barateiros I
senhoras, a 640 reis o covado.
Metim de Cores a 320 reis.
Vende-se metim de cores para vestidos de senho-
ras, a 320 reis o covado.
Cassas flnas a 280 reis.
Vende se csssas francezas. finas a 280, 320 e 360
reis o covado.
Cambraia Victoria a 3*000
Vende-se cambraia Victoria para vestidos a 3*,
3*500 e 4*000 a pec*.
Cambraia transparente a 2 e 3*000.^
Vende-se pecas de cambraia transparente a 3*,
3^500,4* e 5*.
Cortinados a 14*000.
bordados para camas a 14*'
Vende se cortinados
16* e 18*.
Ganga araarella a 400 reis.
Vende-se ganga amarella para vestidos de senho-
ras e roupa pararaeninos. a 400 reis o covado.
Brim de cores a 400 reis.
Vende se brim pardo e de cores para calcas n
400 reis o covado.
Toalhas para rosto a 700 reis.
Vende-se toalhas de linho para rosto a 700 e 800
reis cada uma.
Chales de li a 640 reis.
Vende se chales de la de quadros a 640 reis, cha-
les de metim a 1*160 reis, cbales de merino
lisos a 2*, e chales de merino estampados, a
3*600, 4* e 5*.
Abertnras a 2 Vende-se aberturas do linho bordadas, para ca-
misas, a 2* e 3*300. Ditas de algodao a 200 e
400 reis.
Cortes de calemira a 5*000.
Vende se cortes de casemiras finas para calcas a
5*, 5*500 e6*
Cortes de brim a 1*400.
Vende se cortes de brim de cores a 1*400. Ditos
de brim de Angola a 1*800 e 2*500.
Cobertas a 2*000
Vende se cobertas de chilas de c6ros a 2*.
Colchas a 2*0O.
Vende se colchas de fustao para cama a 2*. 3* e
4*.
Paletots a 3,000 rs.
Vende-se paletts de alpaca preta a 3, 3,60
o.OOO rs. ;'calcas de casemira preta.e de core
letes de casemira preta e de cores,'e outra s
tas roupas foilas baratas e fazendas que est
quidando no Bazar Nacional, a rua da Im
Iriz n. 72.
a U,
a du-
a4*.
EXPOSICAO
DE
Pentts giratt, proprios para senhora, ( uKima
moda); a Magnolia a rua Duque dCu'as n. 48
e so quem tern.
Papai, mamai.
Omn sao lindasna bonecas de cera tjue cha-
mam papai, mamai, cboram, andam, etc. So na
I Magnolia aruaDuqae de Caxias n. 45.
Gaiolas, gaiolas.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, re-
: cebeu gaiolas de arame de lindissimos modelos,
| propnas para passaros ; a ell is antes que se aca-
bem.
E' com as noivas
A NOVA ESPERANQA, rua Duque de Caxias n.
36, acaba de receber boat meias de seda proprias
para noivas. e os apreciaveis ramos do larangeira
DO TASSe.
A' praca circular do Apollo
vende-se:
Tijolos do marmore, de differentes ta-
maobos e qualidades.
Tijolos franceres, sextuplns.
Cimento Portland veruadeiro.
Azulejos ^raiideM muito proprios
para rodap^s.
Azalejos vtrdes e amarellos, tamanho
regular.
Unquinas de d8sc*ro$ar algodao.
Caileirns de feMO, assento de palhi-
uba, proprias parn campo.
200
rs.
0 COVADO !l
Lasinhas de listras a?setinadas, stina rua
do Queimado n. 43, junto da loja da Mag-
nolia.
E' especialidade do 43.
LSsinhas do listras assetinadas, gostos
muilo modernos, pelo dimiuuto prec^o de 200
rs. o cotado S6 o 43 1 DSo se amostras
corn penhor.
Colchas para camas
Na loja do Pavao vende-se colchas de fuslao
brancw, para cama a 2,500, ditas de dito de cor
a 4,000, cobertas de chita e de cretone, de 2,500
para cma e ditas tie metim escarlate forradas com
madapolao a 5,000 : a rua da Imperatriz n. 60,
de Felix Pereira dn Silva.
Cal de Lisboa
Vende se cal de Lisboa :
na pnca do Corx *
Santo n. 17, anaar, escnptori, de Joaquim Rc-
drigses favares de Mello.
Cortinados para camas
Na loja do Pavao vende se nm grande sortimen-
to de cortinados bordados proprias iara camas e
janellas, pelo barato preco de 8, 9 e 10,000 rs. o
par, assim como colchas de damasco para cama*
de noiva a 10 e 12,000 reis-e pecr.iocha : a
rua da Imperatriz n. 60, de Felix Ptreira da
Silva.
Sedinhas a 1^500 o cov do.
Venham antes que se acabem : na loja do Paaao
a roal.' de Marco n. 7 A.
Salsa-parrilka do Para
Tern para vender Antonio Luiz de Oliveira Az-
vedo, no seu escriptorio, a raa do Bom Jesus nn-
mero 57.
A 500 rs. o covado
Na loja do Pavao vende-se lazinhas japonezas
de cores muito modernas pelo baratissimo preco
) rs. o covado, para acabar ; ootando-se que
que jamais se vendeu por menos de
e fazenda
dois em/ados
n. 60, loja do
la la poneas : a ma da Imperatriz
Perei-a da Silva.
Pavan, de Felix
ASA
Vende-se ou aluga se uma casa terrea em Olin-
da com grandes ci mmedos, gaz e agua encanada :
a traiar na rua de MarQo n 6.
Cimeiiio Portland
0 verdadeiro ciment) Portland em barrlcas de
180 kilos : vendem Lebre & Reis, a rua do Amo-
rim n. 58.
Farinha demaudioca supe-
rior.
Tem para vender, Joaquiai Jose Gongat-
ves Beltrao & Filho, a burdo do palhsbot*
Itosita, fundtado ao pe do caes doCoilcgio.
e para tratar a banlo ou no seuescriptorio :
& rua doCoramercio n. 5.
Rendas da terra
Rendas, bicos e grades de toda< as larrnra-
vende-se no pateo do Tercn n. 52.
Cambraias
Com Iiarrrs, a 240 rs. o covado, <6 ta
rua do Queimado n. 43.
E' pechincha.
Cambraias com harra, desenhos
res pt-Io prego d(! 240 rs. o covado.
43 1 Junto a* loja da Hagni
chine-
S6 a
na.
Para
E* hmb)
A" rua do Cabngit n. 1 A.
Os proprietarios da I'redilecta, no intuito di
conservar o bom conceito que teem merecido dt
respeitavel publico, distinguindo o seu estabeleci-
J mento dos ma is que negociam no mesmo generc
j veem scientificar aos seus bons freguezes que pre-
j veniram aos seus correspondentes nas diversas par-
I cas d'Europa para lhes enviarem por todos osi>a
| qnetes os objectos de luxo e bom gosto, que se-
jam mais bem aceitos pelas sociedades elegantes
visto aproximar se o tempo dt
bello sexo desta linda Veneza
Cordciro simoon A C, proprietarios mais ostenla a riqueza de suas toillettes ; e co
leste importante estabelecimento, no louvavel pro- mo ja recebessem pels paquete francez divers o
)rosito de nao desmentirem o conceito que os artigos da ultima moda, veem patentear aljrans
eus Bumerosos freguezes lhes tem dispensado, d'entre elles que se tornam mais recoramendaveis,
icabam de receber de sna conta o mais rico sor- esperando do respeitavel publico a costumada
imento de sedas, popelinas, las e artigos de ul- concurrencia.
Adere^os de tartaruga os mais lindos quo teem
vindo ao mercado.
fazendas e artigos de alta
novidade
NA
LOJA DO PASSO
(taa Primeiro de Marco n. 7 VtSffSSffi
ima moda em Paris, e continuarao a receber
wr todos os paquetes daquella procedencia ; por
sso chamam a attencao de seus freguezes e os
Aos legitimos fogoes econo-
mics.
Acabam do chegar a esta ciJode os ver-
dadeiros fogoes economicos, j;i muito conbe
idos nas provincias do Rio do Janeiro,
Minas, S. Paulo, Sergipe, Uio-Grande, Ba-
hia e Alagoas, aonde tem merecido do pu-
blico a maior aceitaijao possivel, e so jd
preferidos ao3 de qualqucr outro systema,
COObecido pela sua muita solidez, especia-
lidado na colloca^ao, moderno systema,
0 sobretudo grande economia no combusti-
vel ; trabalbam com lenha, coke, carvao de
madeira, etc., etc. 11a de diversos tama-
iihts, proprios para casas do pouca, regu-
lar, e do muita fainilia, collegios, hott-is,
;asas pias, hospitacs, etc. Acbam-se ex
postos ao publicj, aonde se darao todas as
Miplicacix's necessarias : na rua do Viga-
O D. 12
E' com as seulioras.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, par-
icipa ao bello sexo que acaba de receber da Eu-
opa, urn completo sortimento de artigos de nlti-
oa moia, e como acna desnecessario fazer um
infaionhu anuuncio, por ja ser bastante eonhe-
:ida, e caprichar sempre em ter bons correspon-
lentes, sendo a primeira que apresenta o que ha
la mais moderno e por precos mui razoaveis, por
sso limita-se a descrever somente o seguinte:
Settag douradas.
3iroH de cores, tanto de seda como de guipure.
Lequca dourados, de madreperola, marfim, tar-
taruga, osso, etc.
abidag de baile.
Presenies, diversos artigos proprios para pre-
sentes.
GolinlafiH e punhos.
Manual para missa, com caps de madreperola,
tartaruga, marfim, velludo, etc.
Sapaiinliog de seUm para baptisado.
Camigatt bordadas para senhoras.
Ligaet de seda.
Pranjas mosaicas.
iderecos de tartaruga.
voting'de madreperola.
PulgciraM de madreperola.
Ltndag (lores para cabeca.
boImuh de velludo.
PeiTuinurias dos melhores e mais afamado3
fabricantes.
ciiapeog de sol para senhoras.
Pi lag de velludo de todas as core3 e larguras.
Moscas.
Querei3 llvrar-vos destes malditos insectos? com-
tral uma machina de matar moscas por 3*000
1a Magnolia, a rua Du me de Caxias n. 45.
Calvice.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, ven-
le o verdadeiro Vigor de Ayer, que impede a
:auida dos cabellos.
Sardas epanos.
So tem sardas e panos quem quer; porque a
Uagnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, tem para
'ender a verdadeira Cuticuleria, que faz desappa-
ecer estas manchas em poucos dias.
Grande descoberla
Curativo das molestias do
peito pelo
Xarope de sulnhtto de soda
A. BiF.RWBT
.-te irfiporianle medicamento que acaba de ser
reconhecido pelos distinctos Dr3 Zallont e Paras-
ehevas .como urn verdadeiro especifico ceolra a
phtysica, segundo provaram nos prandes mrme
ros de easos pnr elles experimentados, como se ve
na sessao da academia de Paris de 24 de marco
do corrente anno, encoutra-se nniiiiaiente no
Deposito da pharmacia e drcgaria
de
Bartholomen A C.
N-34 Rua larga do Rosario N. 3i
Yinho verde.
Especial chegado no ultimo vapcr, tem para
iJ^.e!2.barri9 d-e qDint0 e "e Glares em
n r&rfM1 eAsc"ptor.io a rGri ff' Commercio
n. 5, Joaquim Joso Oonjalves Bel(rao 4 Filho
onvidam a darem um passeio ao seu estabeleci-
nento, garantindo lhes que encontrarao a reali-
lade do que fica dito, e para pruva dao um pe-
ineno resumo, enjo infallivelmente despertara a
ittencao dos preteadentes.
Mandam fazendas a casa dos freguezes, e dao
imostras mediante penhor.
A.rtlgos de alta novidade e
nlllma moda.
Cortes de vestido de linho guarnecidos de bico
la mesma fazenda e cor, trazendo fiveila, bolja,
.into, etc etc.
Riquissimos chape"os para senhora, de cores e
jretos.
Cortes de catrbraia brancos com lindos bor-
lados.
w >o de cores com enfeites da mesma fazenda,
nrino, etc. etc.
Capas de la para meninas e senhoras, guarne-
dis de arminho.
Vestuarios para baptisado.
Riqhissimas camisas bordadas para senhora.
Leques de madrepfrola, para noivas.
Ricas colchas de seda, para casamento.
Cartes de seda, lindas cores.
Gorgorao de seda branca e dito preto.
sedinhas de delicaJiS padroes.
Setim Macao de todas as cores.
Grosdenaples pretos e de cores.
Velludo preto e damasco de seda.
Granadine preta e de cores.
Fil6 ii seda branco e preto.
Bicas basquinas de seda.
Casacos de merino de cores, la, etc.
Manias brasileiras.
Capellas e mantas para noiva.
Cambraia de cores, ditas mariposas brancas, de
^res, lisas e bordadas.
Flor do bosque (novidade).
Percalinas de quadros, listras, etc.
Brins de linho para vestidos.
Fustao de cores.
Saias bordadas para senhora.
Grande sortimento de camisas de linho lisas e
>ordadas. para homem.
Meias de cores para homsm, senhora, menino3
meninas.
Sortimento de chapeos de sol para homens e
enhora.
Merinas de cores para vestidos.
Dito pieto trancado e de verao, bombazina, can-
o, alpaca, etc. etc.
Atoalhado de linho e algodSo para toalhas, e dito
lardo.
Damasco de IS.
Brim de linho branco e de cores.
Selins de lindas cores com hstras.
Chales de merino de cores e pretos
Ditos de touquim e ditos de casemira
Canusas de chita para homef a Mas de fla-
iella.
Ceroulas de linho e ditas de algodao.
Pannos de crochet para sofa, cadeiras, etc.
Lencos bordados e ditos de labyrintho.
Ricos cortes de vestidos de tarlatana, bordados,
>ara bailes, e tarlatana de todas as cores.
Colchas de 'damasco de 15, e ditas de crochet.
Espartilhos lisos e bordados.
Foulard de seda, lindas cores.
Meias de seda para senhoras e meninas.
Casemiras pretas e da cores.
Popelinas.
Xeste artigo terno* um variadissimo sortimento,
>ao so em gosto como em qualidade.
Lag
;om listras de seda, ditas com paluas bordadas,
litas transparentes e de outras muitas qualidades.
Lavai
le pellica brancas e de cores, do verdadeiro fa-
'ricante Jouvin.
Flnalmente :
apetes para sofa, cadeiras, cama, entrada, etc.,
ambraias brancas, chitas de todas as qualidades,
oadapoloes, esguiao, bretanhas, bramantes, algo-
loes, collarinhos, punhes, meias para homem e
enhora, punhos e collarinhos brancos e de co-
es para senhoras, gravatas para homem e senho-
a, peitoi bordados, len;os de linho brancos e de
ores, ditos de cambraja de linho, toalhas, guar-
lanapos, panno flno, etc- etc.
Loja do Pa9SO
Rua Primeiro de Man;o n. 7 A
antiga do Crespo.
VJE !l If E"B ositio junto a igre-
ja de S. Jos6 do Mangu uho, com casa de vivenda
assobradada e outras acommodacoes, todo mura-
do, com dtras frentes ferviias por poriao de ferro,
dando para a raa da Amizade e para a do Man-
guinho. Tem- de terreno proprio 194 palmos de
largura e 354 de fundo ; e a casa m^de o2 palmos
de Trente e 84 de fundo. A situacao e a melhor
possivel para raorada, e quem quizer edificar, tera
ricas capas de madreperola e dc
diversos taraanhos e baralos pre-
Albuns com
velludo, sendo
os.
Aderecos completos de borracha prc-prios para
Into, tambem se vendem meios aderegos muito ho-
nitos.
Botoes de setim preto e de cores para ornato di
pestidos de senhora ; tambem tem para collete
-alitot
Boisas para senhoras, existe um bello sortimen
de seda, de nalha, de chagrim, etc., etc., por
barato preco.
Bonecas de todos os tamanhos, tanto de ionc?
como de cera, de borracha e de massa ; chama-
mos a attencao das Exmas. Sras. para este artigo,
pois as vezes tornam-se as criaucas nm pouco-kn-
pertinentes per falta de um obiecto que as en-
tretenham.
Camisas de linho lisas e com peitos bordados
para homem, vendem-se por preco commodo.
Ceroulas de linho e de algodao, de diversos pre-
'CS.
Caixinhas com musica, o que ha de mais lindo,
com disticos nas tampas e proprios para presen-
te
Coques os mats moderr.os e de diversos forms-
tos.
Chapeos para senhora. Receberam um sortimento
da ultima moda, tanto para senhora, como para
meninas.
Capellas simples e com veo para noivas.
Calcas bordadas para meninas.
Entremeios estampados e bordados, de lindci
desenhos.
Escovas electricas para dentes, tera a proprit-
dado de evitar a cjrie dos dentes.
Franjas de seda pretas e de cores, existe um
grande sortimento de div^rcas larguras a bar ate
preco.
Fitas de saria. de gcrgurao, de setim e de cb
njln'.e, de diversas larguras e bonitas core;.
Fachas de gorgurao muito lindas.
Fi. th artiGciaes. A Predilecta prima em con-
ervar sempre um bello e grande sortimento des-
tas flores, nao so para enfeite dos cabellos, como
ambem para ornato do vestido de noivas.
Galoes de algodao, de la e de seda, brancos, pre
os et de diversas cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Lacos de cambraia e de seda de diversas cores
para seabora.
Ligas de seda de cores o brancas bordadas para
noiva.
Livros para ouvir missa, com capas de madre-
perola, martim, 6s=o e velludo, tudo que ha de
bom.
Pentes de tartaruga e marfim para alisar os ca-
bellos ; teem tambem para tirar caspas.
Port bouquet. Um bello sortimento de madre-
perola, raarnm, osso e dourados por barato preco.
Perfumarias. Neste artigo esta a Predilecta bem
provida, nSo so em extractos, como em oleos t
banhas dos melhores odores, dos mais afamados
fabricantes, Loubin,, Piver, Sociedade Hygienica,
Coudray, Gosnel e Rimel; sao indispensaveis para
a festa.
Saias bordadas para senhora, por commodo
pre^o.
Sapatinhos de la e de setim bordados ,para bap-
tisados.
Tapetes. Recebeu a Predilecta ,nm bonito sorti-
mento de diversos tamactos, tanto para sofa co-
mo para entrada de saias.
Vestimentas para, baptisado o que ha. de melhoi
gosto e os mais moderno recebeu a Predilecu
de or arato preco, para near ao alcance
qnalquer bolsa.
Cortes deeasimira a 4$,
e 6#00'0.
Na loja do Favao, vende-se cortes de ca-
semira para caloa a 4$, 5 e 650C0, ditos
muito finosde uma so cdr com listras ao la-
do, fazenda que sempre Se vendeu a 9$ e
10000, liquida-se a ftgOOO para acabar :
a rua da Imperatriz n, GO, de Felix Pereira
da Silva.
E'BOM SAHEH-SE
Que a .NOVA ESPERAXgA, a rua Duqoe de
Caxias n. 63, bem conhecida pelasuperioridade de
seu3 artigos de moda e-phantasia, acaba do rece-
ber diversas encommendas de meradorias de sua
repartivao, que pela eleganci. bem mostra aptidao
e bom goto de seus auiigos corwspondentes da
Europa, e por eta razao a NOVA ESPERANCA,
a rua Duque do Caxias u. 03, convida a sua boa
e constante freguezia e com especialldade ao sexo
amavel, a visitarem na, Sfim de apreciarem ate
onde loea o primor d'arte.
A NOVA ESPERANfA nao quer eolrar no nn-
mero dos massantes (verdadeiros azucrins) com
extensos annnncios e nem pretende descrever a
immensidtde de objectos que tem expostm a ven
da, o que serla quasi imposaivel, mas limttar-se-ha
a mencioflar alguns daquelles de mais alta novidade
e toma a liberiadede aconselhar ao bello sexo,
que a visitera constantemente, para depois que
comprarera em outra qualquer parte cao se arre-
pendererava- que ha em dito estabeiecimento, esta razao tam-
bem demonstra que qualquer senhora do bom torn,
nao podera completer a elegancia de seu toilet
sem que de um passeio a NOVA ESPERANCA, a
rua Duque de Caxias n. 63, a qual acaba de rece-
ber os seguint.s artigos de luxo e inteiia novida-
de :
Modernas settas para prender os cabellos
Primorosos leques de phantasia.
Bonitas sahidas de bailes pan senhoras e meni-
nas.
Interessantes gravatas para senhoras.
Elegantes facbas de touquim.
Bons aderecos de madreperola.
Delicados aderecos pretos de pufalo e borracha
(gosto novo).
As alm-ifadas bordadas de li matlsadas que r-
cebeu a Nova Egperanca, a rua Duque di
Caxia? /w>
Leques e flores
Amaral, NaLuco A C, receberam leques de ma-
dreperola, brauco e queimado, de dilfereutes cores,
de marfim e de tartaruga, li-os e lavrados, sao
elegantes e proprios para bailes: vendem no Ba
zar Victoria, rua do Barao da Victoria n. 2.
iRetalhos de las.
0 Pavao vende uma pori-ao de relalhcs de las
para vestidos tendo grandes e pequenos, que li-
quida barato para acabar, assim como uma por-
cao de cassas e chitas pretas que se vendem por
qualquer preco para acabar : na rua da Imp ri-
iriz n. 60, de FHix Pereira da Silva.
Espartilhos, a 3*500, 4* e 5:,
0 Pavao vende um bonito sortimento dos mais
mode-nos esparlilbos que vecde a 3*5^0, i* e
. Pechinca em lencos branc a a 2 500.
0 Pavao vende duzi-s de Uncos finissimos de
cambraia branca para mao, sendo fazenda que
sempre se vendeu a 4,U|G0 a duzia e liquida-se a
2*500 por ter grande pon.ao de duzias, ditos abai-
nbados a 2|i, dilos c'linez-s muito fin"s e ditos
francezes escuros muio Dnos para quem toma
rape.
Cassas de cores a 2i0 rs.
Vende-se cassas de cores para vestido a 210 rs.
o covado : na loja do Pavao a rua da Imperatriz
n. 60.
Camisas.
Vende-se uma grande porcao de camisas bran-
cas com peite de linbo e de algodao, por muito
menos do seu valor, por estarem um poncoenxo-
valhadas, assim como seroulas francezas e de al
godao a ti500, ditas de linho a 2: e J,500 para
acabar : na loja do Pavao rua da Imperatriz n. 60
de Felix Pereira da Silva.
Roupa para homem para acabar ate ao Cm
do anno.
Na loja do Pavai liquida se uma grande porcao
de roupa para biin.m como sejam : calcas de
brim d'Angola, ditas brancas, ditas de casemira de
cor de 65 ate 121, ditas de brim de cores, palitols
Fmiilas Ilerniarias
ELECTRO MEWCAES
igar perfcitameiite e curar radi.
met. to
as qiiehradiiras
Ess, s fundas esiabelecidas s> bre os conl.
rnentos meflicaes e anal. Died mantein as quebra-
duras as mais volumosns e difflceis, im
seu dtseiivolviii enio. Eiles ma ana area i lee-
irica qiiH r.a generalidade d, s casos oeera u;r..
cura radical sem que o dm Me se sujei'.e a pres-
crip?ao alguma, a excepcao do no continun dei-
las. A cuia opera-se no ptrioio iV ii\ M ;
zes conforae a hernia -nais cu n..au. aiH | .
Unico d.posito era Pernair.huso, barnUh
cia e drogerii de It rti olon.eu Hub larj:n do K<\irio n. :;i.
Saccos
Cora dos cslrdtamenlo d'urelra
pela facil apjUcacfio das
SONDAS QLIVAES
DE
GOMMA ELAST1CA
As mais modernas e apierfei^oadas de todas
as conhecidas
Vendem-sc
NA ,*
PHARMACIA E DR0G.\RU
DE
Bartholomeu & C.
34. Rua larga do Rosario 34
Aos meninos
venham ver se nao 6 vei-dide.
A NOVA ESPERANCA, a rua Duque de Caxias
n. 63, acaba de receber nm bom sortiraente de fi-
... ,-- .v..., 0 4ueu, |uuC. cu,Uca., lc.a nas bonecw que fallam, qae riem-se e choram ;
bastante terreno para isto, pelo lado da rua da [tambem as'en> mudas e snrdas ou surdas-mudas
Arrflzade. Tem a'puxnas plantacoes de gozo e re-
creio, havendo bastante agua fornecida por duas
caeimbas, ura das quaes 6 nova.' A entender-se
com o 3r. Dr. Witruvio quem o pretender.
Para concertar meias
A NOVA ESPERANCA, a rua Duqoe de Caxia
a, 63, recebeu desta necessaria linha.
Salsa parrillia
Muito nova e grossa.
Vende-se por b.into pMCd, em porcao ou a re-
talho : na rua larga do Rosario n. 3i.
Vende-se
No escritorio de Thomaz de Aquino Fonceca &
C. Successores, a rua de Vigario n. 15>, primeiro
andar:
Cimento Portland verdadeiro.
Cera em velas e em grumo, de Lisboa.
Vinho Sherry.
Vinho do Porto em caixas, finissimo.
Idem em barris de quinto e decimo, fino.
Retroz.
Fio.
VENDE-SE
Na rua do Vigario n. 10, vende-se o seguint e
Cimento de Portland, em primeira mao.
Vinho do Porto, engarrafado, finissimo, em cai-
xas de duzia.
Dito dito em barris e ancoretas.
Vinho sherry, inglez em caixas de duzia.
Vinho Collares em ancoretas.
Cera em velas, de Lisboa.
Cera em grume, idem.______________________
Wilson Rowe & C. vendem no sen armax
a rua do Commercio n. li :
verdadeiro panno de algodao azul amencaao.
Excellente flo de vela.
Cognac de 1" qualidade
Vinho de Bordeaux.
Carvao da Pedra de todas as eualidad
MILHO BARATO
Cincoenta e seis kilos por 3*400, quasi umas 4
errobas, sendo a retalho a 280 por meio decalitro,
qua e mais de uma cuia, no armazem da bola
amarella, tcavessa da rua do Imperador.
A 120 rs. oGOvadc.
Na ina. da Imperatriz n. 60, vende-se para aca-
bar uma grande quantidade de las, restos de di
versQs.sQrtimeetos, desdel20 rs. ate 300 rs.; no
tando-se que, quando havia sortimentos comple
tos, se vendiam a t*280e 1*600 o covado, ha
grande varitdade em padrSea, os que primein
coegaiem melhor pechmeha farao, a ella.a ma d*
Imperatriz n. 60.
Na loja do Pavao vende-se madapoloe3 franca
zes muito incorpados, com 20 jardas a 6,000 reis,
djtoM)ito flnb com 12 jardas a 3,099 e 9^800 ; as-
sim como nm grande sortimento de madapolSes
inglezes de 4,500 ate 8,000 a 9)000 : a r*a da. Im-
peratriz n.60, de Pelix Pereira da Silva.
Pedras de marmore
Vende-^e pedras de marmores, de diversos ta-
manhos, com duas oolegadas de gros^ura, proprias
para rmilos misteres : a tratar com Joio Jose da
Conba Lages.
Para senhoras
Como sao lindas e modernas as gravatinhas qu
a Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, acaba
de receber I
e fraks de panno preto, de alpaca e alpacao, as
sim comode casemiras de cres, colleles brancos,
pretos e de cores, assim como roupa branca de to
das as qualidades, nao se olha a prejuiz >, o que se
quer e liquidar ate ao fi u do anno.
Cambraia \ ictoria e transpareule
Na loja do Pavao vende-se nm grande sortimen-
to de cambraia Victoria e transparente para ves-
tidos tendo 8 1/2 vara cada pessa do 3 000 para
cima, isto na rua da Imperatriz n. 00 de" Felix Pe-
reira da Silva
Cjllarinhos de linho para acabar a ij
a duzia.
Na loja do Pavao liquiJa-se uma grande porcao
de duzias de collarinhos de linho, por estarem urn
pouco enxovalhados, pelj barato preco de fcf a
duzia, sendo fazenda que sempre se vendea por
7j e pechincha : a rua da Imperatriz a. 60, loja
de Felix Pereira da Silva.
Chales de casemira a 4*.
0 Pavao vende chales lie casemira com gostos
chinezes, sendo muito grandes, que femora ven-
deu a 7* e 8), liquida a 4>. Ditos de la, muito
encorpados, com listras, a 3?. Ditos de quadros,
jazenda muito boa 2}; assim como, um bonito
ortijiento de ditos de merino, lisos e de quadros,
vende de 2# ate 5, e 6* : a rua da Imperatriz
n. 60, loja do Pavao, de F. Pereira da Silva.
Pogelina de liuho a 400 rs. o covado.
0 Pavao recebeu um elegante sortimento das
mais bonitas ptpelinas bstradas para vestidos que
vende pelo barato preco de 400 rs. o covado, la-i
vando-se nao desbotam ; assim como, bonitas e
modernas lazmbas com listras de seda a C19 rs.
o covado. Ditas transparentes com palminhas
500 rs., sao bonitas. Bareges de uma so cor, pelo
barato preco de 400 rs. o .covado, e pechincha :
na rua da Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira
da Silva.
Cortes de vestidos pira liquidar.
0 Pavao vende a 4j, 5* e 6* corte de cam-
braia branca com enfeites bordados de cor, fa-
zenda que sempre vendeu a 7* e 8*, e liquida a
4* para acabar. Ditos brancos de cambraia aber-
ta com listras e lavradinhas, que sempre se ven-
deram a 10*. liquidam-se por 5*. Ditos Bcnoatao
com lindos enfeites de cor, fazenda que tal 12$,
liquidam se a S|. Ditos de cassa de cores com
7 varas a 3* ; e pechincha : na rua aa Impe-
ratriz n. 60, loja de Felix Pereira da Silva.
Pechincha para criancas.
Meias a 2*500 a duzia.
Toalhas de fustao iara mesa a 2500.
0 pavao vende toalhas de fustao para mesa de
jantar pelo bar* to preco de 2*500, e pechincha :
na loja do Pavao, a roa da Imperatriz n. 60,
4ojadeF. T. da Si va.
Gros preto a 1*.
0 Pavao vende grosdenaples preto a 1* o co-
vado e dahi para cima, ate 4 j : na rua da Impe-
ratriz n. 60, loja de Felix Pereira da Silva.
Brins de Angola a 2*, 2 500 e 3*.
. 0 Pavao vende cortes dos verdadeiros bin3 de
Angola a If, 2*500 e 3* ; e pechincha : na rua
da Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da
Silva.
Metins a 280 rs.
0 Pavao vende b nitos metins de cores para
vestidos, pelo barato prec,o de 280 e 320 rs. o
covado; assim como, nm bom sortimento de chi-
tas de todas as cores, padroes modernos e fixos,
Klo barato prec/i de 280 ate 360 rs. : a rua da
peratriz n. 60, loja d-< Ftlix Pereira da Siiva,
Doce lino de goiaba
Vende-se no deposito do pate d 0 Terco ns. 4 e
a, pelo fcarato p.re^o de 800, 800, 1*000 e 1*200 ;
6s8im como grande sortimenle de caixoes peque-
nos, proprios para embarque ; ha requdjao todas
as tercas-feiras e sabbados, por preco commodo.
Ao h. 9.
No progresso do pateo do Canno vende se man-
teiga ingleza flor a 800 rs. a libra.
Vende-se
aa rua do Vigario n. 19, primeiro andar :
Vinho do Porto engarrafado, em barris e em
ancoretas.
Cera em vela*, de Lisboa, superior qualidade
Retroz do Porto.
Cimento Portland, legitimo
Chocolate do Maranhao
Unico deposit nesta cidade, em ca3a de Jose
Tavares Carreiro & C, rua Dir.ita n. 14, onde s*
vende pelos precos e vanlagens da fabrica.
Vende se saccos de eslGj.a cm um neqnec
dereito, pr. prios para em-aecar farinha, i,iiiio e'e
pelo diminuto preco de M rs cada uni : u
ja do Guilherme k C a rua do Cre.-po d. 2".
Gasaquinhos
Casaquinhi-s de gorgorao de sell, pui -, ptfr>
pries para senhoras. fazenia n nil Goa i|u.- sra-
pre se vendeo por 20*, aslanm* vendendn
6* cada um ; ito so na loja do GuilberoM A C
a rua do Crcjpo n. 20.
Linho (JAIsaria
Linho de Alcacia com listras. ahe.tis. f. -
muito larga, padroes lind is e in:, iri.ii.nie l,
proprio para ve^liiis de senh >ras e pel
baratissimo preco de HO rs. o Cotaio ; da', i
amostras : a rua do Crespo n. 10. loja do Gu'
Iherme & C.
Sargelim
Sargelim de cdr tram.alo proprio p^ra forn d
vestidos e outra qualquer obra o vi-mle M
diminuto preco de 160 rs. ca 11 c fado : i
g Crespo n. SO, loja do Gnilh-rn e & (.'
0 Deeengano ebt;i quei-
mando
0 proprietario deste MaMeciiLetto Mm r
vido vender as fazendas exi-km.:. em u t-;: I e-
lecimento, por menos do que em outra uu,:| l.c;
parte.
Vanzinese de seda.
Vcnde-se esta fazcnJa de lindos pafoes, de iii-
tras e palmas, pelo diminuto pr..-. (| ;i;ii r-. o co-
vado, por ter uns toques dem-f C > praodfl pecli.o-
cha. Esta fazenda tambein sve para luto, poi
ser toda preta ; e fazenda de 2i500 o ooxado.
Damasco da la.
0 Desengano esta vendendo dama>co de la d*
lindos padroes e de duas largura*, itelo liaralissi
mo preco de 1*C00 o crvado, e fa/enda de 2*50'.
Aproveitem que o Deseogauo esta qm in.
Casaquinhos de gorgura d st la.
0 Desengan) esta vendendo casaqoioh ie
gorao de seda, enfeiiados, pelo baratissimo ;;
de 6*000 cada um, e graode pechincha. a
antes que se acabem.
Orgari'lys a 320 rs. o < \
Vendem-se Organdys de listras, branc ,
rato preco de 320 rs. o covado. *pi i .'....
Madapoloes do irOOO a pi r .
0 Desengano esta vendendo m.i i ;. (hi
com 20 varas a 4* a peca ; dito muito lino, i
5*500, 6* e 7* a peca ; e grande i,, cbiocba.
Algodao marca T, largo, a .
peca.
Ricos chapeos de sol de seda, en cata de mr-
fim, a 12* cada um ; e pechincha
Baptislas de lindos padroes a 400 rs. o i
LSzinhas de cores, bouitos padroes, peij d,;
to preco de 160 e 290 rs. o covadi. A efl
que se acabem.
Cambraia Victoria, a 3*500, 4*. fcffN e 5* %
peca.
Alpacas de ceres, la e seda, b.iiit .> paJ:~
500 rs. o covado ; 6 grande pechinhi.
Metins de cores, bonitos padroes, a :60 e 300 t^
o covado.
Chitas ciaras de lindos padroes a 2i0 2Co c
reis.
E outras muitas fazendas que deixa de meucio-
na- as para nao se tornar enfadonho, por isso o
proprietario convida a todas *pMtni ?m
uma visita a seu estabelecimenUi, aim d -n-
rem-se do bem e barato. Rua do Cre.-po
junto a loja da esqnina.
IB)
I
\Hu Im quem veuda iiiais ba
Gama & Brito, com srmazem it
largo da Santa Cruz ns. 2 e 4. vendem rhdi iya in
gleza em barrH a 800 e 1,000 rs por eata 45o
grammas ; vinho de ma?a a 1,200 agarrafa dit^
Figueira a 440 a garrafa, a Canada a :i,i' 0 rs.
gaz (Deros) iiquido a 240 a garraf i, v. I
a 560 o'maco, velas economics' a 760 ,, ,aco,
cha peroia a 3,200 rs, cada 450 grammas ditoal-
jofar superior a 3,000 rs. cada HfO in!,
completo sortimento de biscoitos eio latat*, qn* ?e
vendem por precps baratissimos, l,c viih i- fr.
zas a 640 a fata, marmelada muii > Bm 6M i
a lata com meia kilo, queijos frescos. aaiMa doce
de Lisboa a 640 a garrafa, assume ie pnni-ira.
sorte a 320 rs. o kilo, dito de segunda sorte a 28
o kilo, dito de terceira sorte a 240.. kilo, via ho do
Porto, em barril, a 800 rs. a garrafa, dito e ogar-
rafado das narcas mais acrediudas a l*MO,
1,200 e 1,5005: o qae pod^havar de melhor e
tudo mais a vontade dos oompradores, t<- rl is de
qoe encontrarao a maior smeeridade e agrado.
possivel : no largo da Santa Cruz ns. 1 e 4, arma-
zem de Gama & Silva Brito.
So na Chapeleria da Moda.
Na praca daindepeodcacia os.
14 e 16.
Acabam de receber um compl-t > e
mento de chapeos d<> palba da I ibo-
ras e criancas, ricamente enfeit
mais modemos qoe ate boje ten. j.i,
* i
mercado, as.-ira como tanab in rec
riadissimo sortimento de chspe
aba dura, para boinm, e vendem #>
que em ootra qualqier parte.__________
Aaunieas verda
Bichas hamburgnezas qn vem a t. le qmc,
na rua do Uarauez da olinda i;. Si


8
Jiario de Pernambuoo Quarta feira 18 de UTovembro de 1874.
LnTERATUlliL
lOgoIga n
[Do italiano de Torqualo Tasso)
Amiotas
Jd vi compadecidas respondercra
Ao men queixoso pranto pedras e ondas,
t. as crystalirias fonles suspirarera ;
Inde ndo vi, porem, nem verei nunca
Compaixao na cruel, que certamente
Nao sei mesmo se chame buiiana ou fura :
Pois ndo parece humana,piedade
Negendo d quern nega-laa nao souberam
Te mesmo as proprias cousas insecsiveis.
Tirsis
Nutre-se o anho da hervicha, e o lobo do aaho ;
0 fero Amor de legrimas se nutre,
Delias nunca se farta.
Amintas
Ai, miserando !
Amor jd com meu pranto saciou se,
E s6 do sangue meu ten sedo agora ;
Sorvam co'os olhos o meu saugue todo
Elle e a tyranna...
Tirsis
Amintas, que proferes ?
Tu deliras, insano I Eia, corageio 1
Outra emfim achards, se te despreza
A barbara, a cruel.
Amintas
Ai, como posso
Outra encontrar, se mesmo nao me encontro?
Se pedir-me a mim mesmo, que conquista
Eu farei quo mo agrade ?
Tirsis
Ob insensato 1
Nao desesperes, que has de conquista-la.
0 tempo, a longa idade ensina ao bomem
Hefrear os ledes e Hyrcanos tigres.
Amintas
0 misero, porem, o termo infausto
Nao pode retarJar a* propria morte.
Tirsis
.
Serd curta a demora. N'um ijastante
Irrita-se a mulber, e ap6s se applaca ;
Naturalmente mobil, mais ainda
Do que o cannigo ao vento, ou o pendaozinlio
Da flexivel espiga. Ora, eu t'o peco :
Da que eu conhega mais & fundo a tua
Misera con lii.uo, e teus amores ;
Que, ernbora jd me tenhas confessado
Amar, nao me disseste todavia
Quern teu amado objecto. Bam merece
A fiel amizede, e o commum trato
Das Musas, me reveles francaraente
0 qua aos outros occultas.
Amintas
Muito, 6 Tirsis,
F t'lto de te narrar o que jd sabem
/. iva, o monte, o rio; e qua o bome'ignora
.Ta so proximo estou da sepultura
j e mui justo que deixe quern divulgue
A causa d'essa morte e que a entalhe
No tronco da uma faia, junto ao sitio
Onde se sepultar o corpo exangue ;
Afim de que a ingrata, abi passando,
Os restos infelizes caique ufana
Co'o pe soberbo, e diga entdo comsigo :
Eis aqui meu triumpbo I e alegremente
Regosije-se ao ver sua victoria
Conbecida de todos os pastores
Quo o triste caso abi chame. Ai, muito aspiro I
Talvez que ainda um dia, commovida
Pela nimia tardia piedade,
Aquelle a quem matoumorto pranteie,
Que elle existisse, e fosse meu dizendo.
Ora escuta.
Tirsis
Prosegue. Estou attento,
E com fim, que talvez nem imagines.
Amintas
Menino eu era ainda, e tao menino
Que co'a pequena mao podia apenas
Dos arbastos cbegar aos curvos ramos,
Para os fructos colher ; quando vi ella,
A virgem mais gentil e mais prendada,
Que entdo soltava d brisa a loura coma.
De Cidippe e Montano em gados rico,
A filha coiiheci,Sylvia formosa,
Honra das selvas, seduccdo das almas.
Ai, com ella vivi por algum tempo,
Tdo juntos, tao unidos, que entre duas
I'ombinhas mais estreita convivencia
Ndo haverdjamais, nem houve nunca.
Vizinhos eram nossos pobres lares,
Mas nossos peitos inda mais vizinhos ;
Era igual nossa idade, mas ainda
Mais igual era nosso pensamento.
Com ella armava legos treicoeiros
Aos passaros, aos peixes ; e acossava
As rapiJas gazellas, e os veados :
Mas ba que, em quanto os animaes prendia,
I'rezo fui a meu turno, e no sei como!
','; 31 berva, que germina por si mesma,
1'ouco a pouco nasceu dentro em men peito
(E nao seijde que modo I] ignoto a flee to,
Que anbelar me fazia estar present
A rninba bella Sylvia ; a cada iostante
llauria nosseus olbos namorados
Docjura singular, do'.ura estraoha,
(Jue um nao sei que de amargo sempre ftinha.
Su-;>irava incessante, e ndo sabia
Porque assim suspirava; assimfoiqae, antes
De compr'hender Amor, amei e muito.
Ainda me recorda.... E tudo agora
Tu ras saber. Attende-me...
Que, enganada talvez co'a seraelhanca,
Line flor a suppoz. A meiga Fills
Entra logo a chorar anciosa afflida.
Co'a dor, que Ibe causara a raordidella.
Cala-te, (entdo Ibe diz a bella Sylvia)
Nao chores, Filis, que eu d'aqui a instautes
Sarar-te-hei com magicas palavras
IA dor, que te provem dessa ferida.
A sabia Arlesia me ensino outr'ora
Este segredo, e teve em premio a miuha
Bozina de raarfim ornada de ouro.
Isto dizendo approximou a bocca
A' remordida face, e com suave
Sopro entdo resmungou nao sei que versos.
Ob remedio eflicaz I Deprossa Ellis
Boa seutio-se, gragas i virtude
De taes versos, ou antes (como creio)
Da dulcissima bocca milagrosa,
Que quanto toca de repeote sana.
Eu. queate'lli d mais nao aspirava
Que ao languido volver dos bellos olhos
E ds doces expressoes, inda mais doces
Que o braodo murmurar de lento arroyo
Serpeiando fugaz entre seixinbos,
Ou queo ciciar de Zepbyro entre as folbas
Senti no coracdo novo desejo
De m-us labios colar nos labios d'ella ;
E nao sei como'nota quanto eogendra
Amor na phantasia I) eis me suggere
Uma idea feliz, com a qual pude
A effeito levar o meu intento.
Fingindo que uma abelha me mordido
0 labio inferior acasotinba,
Comecei a chorar, e de tal modo
Que aquelle santo balsamo, que a lingua
Nao Ihe pedia, Ihe pedia o rosto.
Eis que, d'esse meu mal compadecida,
A in.enua Sylvia a minorar-me a falsa
Ferida se dispde ; mas ah I tornou-me
Mais profunda e mortal a verdadeira,
Quando nos labios meus colou seas labios.
Tdo delicioso mel jamais bbaram
Nas (lores as solicitas abelhas
Como o mel, que eu entdo libei n'aquellas
Humidas, frescas rosas delicades ;
Bam que o temor e junta memo o pejo
Me s ffreasse os osculos ferventes,
Que o desejo irapellia-me a imprimir-lhe,
Ou d'est'arte os tornasse menos fortes.
Ab I Quando ao coracdo baixou aquella
Magnetica dorura, misturada
De suave, recondito veneno,
Logrei tamanho bam, prazer tamanho
Que, fingindo ndo ter passado ainda
A dor, que a mordidella me causara,
Fiz com que varias vezes me applicasse
Aquella incomparavel panacea.
Desde entdo, de tal modo fi crescendo
0 cupi-Jo desejo mal soffrido
Que, nao podendo mais caber no peito,
Mister foi revelar-se no semblante
Uma vez em que, estando reunidos
Os Pastores e as Nymphas destes campos,
Divertiam-se em nossos simples jogos
E era que ura no ouvido do outro cccnichava
Algum mysterio acaso, algum segredo,
Por ti eu ardo, 6 Sylvia I (Assim Ihe disse)
Si me desprezas, morro. A taes palavras,
Ella os olhos baixou : e repentino,
Dezusado rubor tingio-lhe as faces
Indicios dando de vergonba e raiva ;
Nem live o tra resposta, a ndo ser agro
Silencio ameacador, confuso, horrendo.
Depois... nao quiz nem mais me oavir, nem ver me
E retirou-se amuada. Jd tres vezes
Tern o ceifeiro respigado as messes,
Outras tantas o Inverno tern despido
De folhasa floresta... Tudo eu ten bo
Tentado, a ver si a applaco, excepto a morte;
S6 me falta niorrer, para applaca-la :
E satisfeito morrerei, com tanto
Que saiba que ella ou se compraz, ou sente.
Nem sei de ambas as cousas qual prefira,
Bern que a piedade maior premio fflra
A minba lealdade, d minha morte.
Mas nada eu devo desejar, que turbe
A pura luz serena aos caros olhos
Nem quo o mimoso corarao Ihe afflija.
Incautos camponezes ; porem, filho,
Ndo te illudas, nem muito te approximes
Ld d'onde ostdo tapegarias de ouro,
Tropbeos, divisas e modernas modes;
E sobre tudo evita que mdo fado,
Ou juvenil insaoia, le conduza
Ao armazem das mogigaugas. Foge,
Foge d'esse encantado alojamento I
Mas que lugar 6 este ? perguntei-lhe :
E' a estancia das M Que com seu sortilegio nos figuram
Pelo contrario do que sdo as cousas.
0 que parece diamane a ouro
E' vidro, e* cobre ; e esses argenteos vasos,
Que thesouros conter talvez julgares,
So ouropeis contem, vistos de perto.
Aquelles muros sdo mysteriosos,
Fflllato, re Nem s6 monte repetem-n'es, d esmo
Como Echo sde fezer em nossas selvas,
Mas t Jin be m rep-oduzera u'as d'envolta
Com palavras que n6s ndo proferimos.
As tripodes, as mesas, as cadeiras,
Os leitos e oscabellos, as cortinas,
As alfaias das camaras e salas,
Teem lingua e voz, e decontinuo fallam.
Abi as frioleiras, quaes criances,
Saracoteiam ; e, si entrasse um mudo,
Um mudo d seu despeito fallaria.
Mas este e o menor mal, que te podera
Succeder ; pois poderas transformado
Ficar em tronco ou feno, era agua ou fogo;
Agua de prautos, fogo de suspiros.
Assim disse ; e d'abi me fui com esse
Sobreaviso fallaz para a cidade :
E, como aprouve ao Ceo benino, acaso
Passei por essa fortunosa estaucia.
Ouviam-se argentinas, doces vozes
De alvos Cysnes, de Nymphas, de Sereias,
De Sereias Olympicas. Soavam
Tdo attractivos sons, tdo deleitosjs,
Que, entre gozo e sorpreza, lougo tempo
Attonito parei. No umbral estava,
Como atalaia de tdo bellas cousas,
Vardo de aspecto generoso e forte ;
Tal que, por quanto vi, flquei perplexo
Se era algum capitdo, ou cavalleiro :
Pois que, benino e grave ao mesmo tempo,
A entrar convidou-rae cortezmente,
Elle em meritos grande d mim ignoto.
Oh I que senti entdo I que vi '{...Celestes
Divindades, e Nymphas tentadoras,
Novos Linos e Orpheus, e muitos ou'.ros
Sem rebucos, nem veos;assim parece
Lancer aos Immortaes a pulchra Aurora
Aureos e prateados reverberos,
E tudo e tudo illuminar em torno.
Apollo e as Musas vi, vi entre as Musas
Elpino, o bom Elpino, bem aceito.
Entdo maior senti-me, e porventura
De um espirito novo possuido.
Cantei guerras e herdes, menosprezando
Rudes sons pastoris ; e, muito embora
(Parasatisfazer d alguem) voltasse
A estas selvas, conservo todavia
D'esse espirito parte. A minha a vena
Ndo mais humilde soa, qual soava ;
Mas com voz mais possante e sonorosa,
Rival das tubas, estes bosques enche.
Mopso me ouvio depois e me fitando
Mafigno olhar me fascinou ; eu rouco
E calado fiquei por longo tempo, *
Quando os pastores me julgaram preza
De um lobo, e eotaoto era elle mesmo o lobo.
T'o digo, afim que saibas quanto as suas
Loucas palavras credito merecem.
Mesmo porque Ihe apraz que nada esperes,
Esperar deves tu.
Tirsis
E' possivel, porem, que si ella um dia
Taes palavras ouvisse, ndo te amasse ?
Amintas
Ndo sei. Mas foge sempre
Como o aspide ao incanto.
Tirsis
ao que Ihe digo,
Ora, descanca I
Que eu farei com que emfim ella te attenda.
Amintas
Ou nada alcancards, ou si alcancares
Fallar-lhe, eu nada alcancarei fallando.
Tirsis
Porque assim desesperas ?
Amintas
Razdo justa
Tenho, si o fago ; pois o sabio Mopso,
Mopso que entende o gorgeiar das aves
E o prestigio das hervas e das fontes,
Vaticinou-me a minha desventura.
Tirsis
De que Mopso me fallas ? E' d'aquelle
Que tem na lingua dolcinosas fallas,
Amistosos sorrisos sobre os labios,
E no peito a traicdo, e sob o manto
0 punhal escondido ? Eia, socega I
Os funestos prognostics nefastos,
Tirsis
E' notaveljl
Amintas
A' sombra de uma faia Sylvia e Filis
'Staw m sentadas, e eu ao lado d'ellas ;
Quando ingenhosa abelba, que sugava
O mel d'aquelles tefloridos prados,
De Filis adejando A lisa face
(A face tdo vermelba como a rosa)
Duas vezes mordeu-a avidamente :
(*) Vide L'Aminta.
Si tens alguma prova,
Que me alente a esperan^a, ab nao n'a occoltet I
Amintas.
Folgo de ouvir-te
Quanto me narras. A ti, pois, me entrego
E ao teu cuidado.
Tirsis.
Estd tranquillo. Entanto,
Aqui deves te achar dentro d'urahora.
Setambro de 1873.
Francino Cismonlano.
Soneto.
[Anonymo hespanhol.)
Typographos crueis I Compositores
kate-letrados, infernaes. malditos I
E talvez incapazes, imperitos
E ndo menos culpados revisores t
Que mal jd vos fizeram os autores
Para, tdo surdos vos da Musa aos gritos
Truncardes os seus pobres manuscruptos
Lbes emprestando mil ambiguas cores I
Porque o sentido nos terceis ? e tanto
Falso nos levantais, tdo descuidados,
Que a Leitores e Oavintes, causa espj,nto?
De autographos vos queixais mal copiados ?
Ndo ha desuulpa...Maldicdo, portanto,
De Guthemberg em nome, 6 desalmados I
1874.
Francino Cismontano.
O oratorio do Gracia.
(DAMA DE MADRID)
(Conclusdo.)
0 seu olhar era como nunca sombrio,
e fitou-se no desditoso que breve iria raor-
rer.
Martha 1 cxclamou o moco, com a
entonacdo peculiar de quem delira.
Duvidaste de mim, ndo e" verdade?
disse ella, com serenidade verdadeiramente
espantosa.
Cuidaste que eu te deixava morrer, e
ma fleava no mundo para gozar.
Ndo posso dizer o que pensei, nem o
posso assegurar
em todo o caso,
Oh
Que elle impinge aos incautos com seu grave 1ue s'nl0> e Dem sequer
Sobrecenho, jdmais se realisam;
E, em abono cabal do que te digo,
Mesmo dos males que predisse-te elle
Excito o mais feliz auguro e espero
Ao teu amor.
Amintas
Tirsis
Conhecio
os passos
Dir t'a-hei, de bom g-ado.
Antes de o Fado dirigir-me
A estas brenhas, e o estimava tanto
Quanto o estimas. Um dia... eis que o desejo
Me veio de ir com elle d grd cidade,
Qae situada estd do rio d margem.
Fallei-lhe d tal respailo, e elle me disse :
o Irds, irds emfim d grande terra,
Onde os astutos cidaddos sagazes
IE os cortezdos pervtrsos muitas vezes
que tenho vida...
agradego-te...
Ndo me conheces, interrompeu Mar-
tha.
E esboc,oa um sorriso leve, mas cruel-
raente amargo.
Depois accressentou :
Tu ndo sabes ate onde chega o amor
d'uma mulher, ndo sabes de quanto e capaz
uma mulher como eu.
Viyi para a minha vinganja e para o
teu amor.
A minha side de vinganca estd satis-
feita ; mas como a morte se levanta entre os
nossos corac5es...
Se queres jurar que para outro ndo
serd o teu amor...
Rir-te-has do meu juramento T
Ndo sei.
Espanta-te a morte porque eu me ft-
co n'este mundo, porque 6 ella um incon-
venieoto insuperavel para que vejas satisfei-
E' verdade.
Tranquillisa-te.
Ndo te comprebendo. Martha.
You provar-te que se ndo cravei um
punhal n> peito de Escou, foi porque a mi-
nba rado e demasia In fraca, mas ndo por-
que me assombrasse p terror pelo castigo da
justic% humana, ndo porque o meu intento
fosse lancar sobre outro a mancha do crirao,
apparecendo eu innocenla aos olhos do mun-
do, que eu encaro com tanta la.tima como
despreso.
Aioda ndo te omprebendo.
Quando o verdugo vier buscar-te, en-
contrar-te-ba tranquillo e ver-te-ba sorrir,
porque jd ndo terds receio algum, dese
jards a morte e quasi te considerards di-
toso.
Assim ndo padecerds, porque os
tormentos do corpo nada significam para
quem tem uma alma como a tua.
Se estiverei a meu lado u'esses instan-
tes...
Ndo.
Entdo...
Espera, meu RicarJo.
Martha, que nem por um s6 iostante per-
dera a tranquilbdade, tiruu da algibeira
um p quenito fructo e levou-o aos labios. e
ao mi'smo tempo soltava o mogo cavalbeiro
um grito de desespero.
Martha descerrou os labios n um soniso
encantador.
Nunra estivera tdo formosa, nunca o seu
olhar fora tdo fascinator.
Martha 1 exclamou f6ra da si o
moco.
Ndo quero que mnrras, ndo morre
rds...
Morrerei, porque a sciencia i homens
ndo basta para me salvar.
Ohl...
Temos apenas algun3 minutos e per-
demol-ns lasiimosamente.
Porque ndo hemos de fallar do nosso
amor? Porque hemos de atormentar-nos
com ideas negras? Agora tudo mesorri...
Ndo es feliz a meu lado ? Pois aqui
me tens e ninguem p61e jd separar nos,
nem sequer a morte, pois que a morte nos
uno.
Assentou so Martha, e reclinou a cabeja
n'um dos bombros de Ricardo, travou-lhe
das mdos e apertou-lb'as fortemente.
Agora me conbecrds, disse. agora
poderds apreciar o quo vale o meu cora-
gdo... ah I... meu Ricardo, quanto te
amo 1
E o moco encarava com assombro em
Martha, com o mesmo assoubro com que
Soderia encarl-a, se ella houvesse deixado
e existir.
Ndo quero que morras I gritava o des-
gracado com rouca voz.
E os seus gritos chamaram por Inn a at-
tengao dos guardas, que entraram para ave-
riguar o que succedia.
0 semblante de Martha fizera-se livido e
tinha-se desfigurado.
Occorreu entdo um lance que ndo pdde
descrever se.
Tentaram os carcereiros apartar a mulher
mysteriosa do reo.; antes, porem, de o con-
seguirem, ella estremeceu violentamente, e
com voz sumida bradou:
Sou tua, sou tua !
Com estas palavras se foi o sou ultimo
suspiro.
Mas que significa isto ? perguntavam
attonitos os guardas.
Ricardo fazia esforcps sobrehumanos pa-
ra se despreuder do rigido cadaver.
Comprehenderam afinal os deraais que a
desventurada tinha mo~rido.
Poucos instantes depois delirara Ricardo,
senhoreado pela mais violenta febre.
Os medicos disseram que era possivel que
o reo deixasse de existir antes de o levarem
para o cadafalso.
Ndo succed-u assim.
0 delirio pssou.
No dia soguinte, estava Ricardo profun-
damente abatido.
Tinham-se csgotado as suas forcas.
0 seu olhar era vago.
Ndo era possivel assegurar que tivesse
consciencia da sua situacdo.
Quando chegou o instante terrivel dei-
xou-se levar pelo verdugo.
Revelou estoica indiflerenca emquanto
morriam os seus complices, e elle deixou de
existir sem ter pronunciado uma palavra
desde que cessou o delirio.
.............
Quatro annos depois, isto e, em 1654, a
veneravel coDgregassdo de escraros do San-
tissimo, que tinha sido fundada pelo vir-
tuoso sacerdote e cavalbeiro da ordom de
Christo, Jacome ou Jayme de Gratus, levan-
tou d sua custa e na casa onde succedeu a
morte de Escou, o oratorio cmhecido com
o nome de Cavalheiro 4a Gratia, assim
como a rua, se bem que o edificio hoje exis-
tente ndo e o primitivo, pois foi renovado
completamente em principios d'este seculo
e conforme os pianos do celebre architecto
Villanueva.
Na sua igreja, que apezar de pequena, e
de muito bom gosto, encontrar-se ose-
pulchro de marmore que encerra os restos
do virtuoso cavalbeiro da Gracia, sepulcbro
que primeiro est-ve na igreja do con vento
de recolhidas da Concei(do, fundado pelo
mesmo sacerdote e que foi demolido em
1838.
Tal e a historia fiel do oratorio do ca-
valheiro de Gracia, que deve considerar-se
como capella expiateria de um horrendo
crime.
Deus perdoasse aos assassinos de Es-
cou.
Ramon Ortega Y Frias.
mia via-se obrigada a recuar a passos lar-
gos legando sjmente aos vindourosa sin-
gular preoccupacdo que levava seus tecta-
rios a desprezarem a verdade para sd ado-
rarem o erro; a singular divisdo de conhe-
uimentos, que os levava a apropriarem-se
de ideas falsas e offonsivas, ooculu-las cio-
sos, e semearem profusa e livremente as
ideas verdadeiras e necessarias ao progresso
da humanidade.
As primeiras theorias cbimicas comeca-
vam a surgir. A epoca era de transigao, a
reacQdo era geral e a academia del Cimento,
a sociedade real de Londres e a academia de
sciencias de Paris postavam-so sobrauceiras
como primeiros marcos da infinita estrada
que se abria.
Entdo, em um canto da Allemanba, um
illustre chimio, Becher, nibre e infeliz in-
lelligencia, rigorosameute perseguiJo pela
insupportavel vaidade que suscitava-lbe a
md vontade de seus contemporaneos e obri-
gava-o a levar uma vida errante, conbecia
jd que os pbenomeuos cbimico* passam-se
entre principios msteriaes que uma for^a
propria reune para former compostos ;e
attrahido pela diversidade de propriedades
que notava em todos os corpos que o cer-
cavam, acbava lacunas no systema de Aris-
toteles e por sua vez tentava expliear a na-
tureza chimica dos corpos. Ndo tardou
muito que elle julgasse sua obra coroada ;
os elementos de Aristoteles eram modifica-
dos; Becher adoptava somentedous a ter-
ra e a agua dividindo para maior facili-
dade o primeiro em terra vitrificavel, ori-
gem da solidez; terra mercurial, base dos
metaes ; e inflammavel, causa da combus-
tibilidade. Nesta terra inflammavel de Be-
cher e que estd a primeira mauifestacdo do
priacipio que seu discipulo Stabl mais tar-
de chamarapblogistico ou priocipio
do fogo.
Acabrunbado, porem, pelo muito traba-
Iho, arrebatado pjr morte precoce, Becber
succumbio em 1762, sem que suas obras
fossem conhecidas em Franca, o que s6
succedeu cincoenta annos depois, devido
isto provavelmente d vida quasi nomada
que tivera.
Fanrtico admirador das obras de seu
mestre, a que qualificava de opus sine part,
primum ac princeps, e liber undique et
undique primus, Stabl. no dizer de Dumas
(1), longe de se adornar com seus despojos,
busca por todos os meios mostrar-se-lbe re-
conbecido, e aftlrma ter bebido todas as
ideas de sua tbeoria nos livros do mestre ;
asser^do esta que o illustre chimico irancez
encara como exageracdo de modestia e ad-
mira^do por Becher. Stahl era tambem
allemdo e como Bocber occupou importan-
tes cargos na cdrte.
A tbeoria destes dous chimicos, pore'm,
estd hoje provado, pecca pela base. Ndo
obstante muito insistirem sobre a natureza
material dos seres, parece, que importancia
alguma ligaram d propriedade mais sensivel
da materia a gravidade, e d>ahi todo o
erro. 0 professor inglez W. OJling (2)
acredita mesmo que elles ndo tivessem noti-
cia alguma do principio de Newton:o
peso de um corpo e" proporcional d quaoti-
dadede materia que contem, toda perda de
peso implica necessariamente uma perda,
como um augmento, um augmento de ma-
teria correspondente. Segundo Becher e
Stahl o pblogistico era como um desses
agentes naturaes de que s6 fazemos idea
peloseffeitos que produzem.Comtudo esta
tbeona leve preponderant na sciencia, e
no numero de seus defensores figuraram
homens taes como Priestley e Sche"ele.
Em 1783, incitado por u nas experien-
ces de Black sobre gazes, guiado por ou-
tras de Cavendish, Lavoisier, este bomem
perante o qual todos os obstaculos recua-
vam (3), tendo para escudo a balance, veio
(1) M. Dumas.Lecons sur la philoso-
phic chimique.
(2) W. Odling.Artign traduzido no se-
manario francez Revue Scientifique. Ju-
nho de 1871.
(3) Para fazer ide"a da forca de vontade
de que era dotado este grande chimico, bas-
ta ter sciencia do seguinte facto narrado por
Dumas:
A requerimento da administra^do, a
dfsthronisa-la cortando-a pela base, e <__
belecndo uma nova tbeoria,a tbeoria da
combustdo ou antiphlogisticaqje foi
certamente o fiat lux I arrojadopela voz da
conviccdo aos nevoeiros qae occultavam a
explicagdo de muitos factos i nportanU s.
A nova tbeoria apontjva on faturo bri-
Ibanto; ndo obstante foi por muito tempo
con testa da, rapidamente admittida depois, e
hoje, pole-se dizer, universalmente adop-
tada.
Ella veio revolucionar toda a sciencia e
no dizer de Wurtz -dar nascimentos h uma
chimica nova.
II
Tentemos agora fazer um parallelo entr
estas duas theorias, ambas da Unto noma
na historia da chimica, ambas de tanta dis-
cussdo. Come^aremos por enunciar os prin-
cipios de cada uma, acompaDhar-lbe-heniOs
A differenca -apital entre as duas theo-
rias e*. pois, considerar umacombioacdo
o que outra aflir.na serdecompsicJo
e vice-versa.
Tavaisier levava suas analyses ale quasi
k miud.'za infinita, e se ao espirito de Stahl
tivessem cbegndo asiadicacoes da anna do
grande chimico francez, de certo a seguinte
obj"rc;ao o teria feito ir caminb) da
verdade: o cbumbo que se oiyda ou
se dephlogislica, augmenta de peso ;
alem d isso o logo a perda de um do seus
elementos faz com que adquira mais peso ;
oxydo de chumbo reduzido pelo carvao ga-
nba pblogistico, razdo esta para ter mais
peso, no emtanto torna-se mais leve.Mas
nao, Stahl tomou para seu unico guiaa
noQdo de forma, Lavoisier foi mais adian-
te;quiz a no^ao de peso,e abi outra
dfferenca essencial entre as duas theo-
rias.
Ndo ha via fugir, e a gloria de Stahl ndo
tardou muito a desvanecer se perante o
triumpbo de Lavoisier logo qua a observa-
(do deu um passo mais. logo que a a ba-
I a nra veio constituir-se severo e impartial
juiz.
Que importava agora que os ultimos de-
fensores do pblogistico. Cavendish, Pries-
tley, o grande Scbeele mesmo tentassem
salvar a tbeoria de Stahl modificaodc-a, ad
mittindo que o papel do ar consistia em
roubar pblogistico aos corpos combusti-
veisT
Que importava que Priestley bradatse
um gaz e tanto mais proprio para entreter a
combustdo quanto menos pblogistico encer-
ra ; o ar quasi que ndo o contem, o gaz
imminentemenle comburente, qae 6 ana
de suas paries constitutes ndo o possue, o
outro element), o oxygeueo, estd delle satu
rado, e incapaz de entreter a combustdo ?
]ae importava, se estes raciocinios longe de
virem salvar a tbeoria iara-na matando aos
poucos T
Lavoisier, implacavel, oppunha-lhes seu
argumento :0 todo e maior que a parte ;
os pro iuctos da combustdo mais pesado-
que os corpos combustiveis nao as p6dem
constituir seus elementos ; nada se perde
nas reaccoes chimicas, nada se crea, send'
a materia indestructivel (4).
Uma voz entdo se levantou contra este ar-
gumento ; Guyton Morveau, admittio ser o
phlogistic > uma materia mais leve que o ar.
de sorte que junto aos corpos os tornava
mais leves appareotemente quando pesados
no ar; comparava osa bexigas que atadas
ao corpo do nadador augmentam-Ihe o peso
absoluto, mas diminuem-lhe a densidadefa-
zendo-o boiar na agua.
Guyton Morveau ndo havia comprelien-
dido a questdo, porque contra este argu-
mento o angrrentode peso e, como se sabe.
acompanbado da diminuigao do volume.
E' assim queo areonauta, diz Dumas,
que se eleva aos ares na barquinba do ba-
Ido, porque o conjuncto e mais leve, parece
tornar-se mais pesado quando separa-se do
baldo para descer no pdra-quedas.
Fazendo abstraccdo do volume, dir-se-
hia, pois, que para subir.elleaccrescenta ao
peso do corpo o do baldo, e que para des-
cer subtrabe, pelo contrario, este mesmo
peso.
E' esta a imagem exacta da explicacAo de
Fuyton-Morveau.
Ella flea, pore'm, de uenhum efleito
quando se note que o areonauta, se accres-
centa ao peso para tornar-se mais leve que
o ar, accrescenta tambem ao volume, no en-
tanto que o oxydo de chumbo perde ao
mesmo tempo peso e volume sempre que se
reduz. a
Com seus escarneos zombam de n6s outros to o afan da tua paixdo.
Phloglotloo e comhuMtao.
Origem das duas theorias.Parallelo; dis*
cussdo; triumpbo de Lavoisier.Resur-
roic,ao do phlogistico ; opini&o de Odling;
opinido de Wurtz ; ligeiras reflexoes.
I
Depois de penosos e innumeraveis esfor-
cos, depois de um ndo interrompido traba-
lhar a que nem um so resultado bom vinha
coroar, a mania da transmudagdo dos mo-
taes pouco a pouco desvanecia-se dos espi-
ritos onde mais enraizada se acbava; a
imaginacdo jd ndo bastava dqaelles indivi-
duos excentricos, caprichosos, heterogeneos,
anomalos,no dizer de Becher; tornava-se
necessaria a confiriaagdo do que anteviam,
urgia a experiencia verdadeira, e a Alchi-
academia propozera um premio a quem
apresentasse a melhor memoria sobre a illu-
minacjdo da cidade de Paris. Lavoisier
quiz occupar-se com esta questdo, foi para
elle occasido de se tomar notavel por uma
destas accjoos que patenteam um caracter
firme e resoluto, para o qual ndo ba diffi-
culdades. Depois de algumas experiencias,
elle nota que d vista falta-lbe delicadeza
sufflciente para apreciar as intensidades re-
latives das diversas cbammas que queria
comparer. Por isto manda pintar todo de
preto um quarto, e nelle encerra-se durante
seis sem a nas, cercado de perfeita escuriddo.
No fim deste tempo, a vista tinha adquirido
sensibilidade extrema, e as menores diffe-
rences jd ndo Ihe escapavam. Mas que de-
votamento d sciencia para condemnar-se,
aos vinte annos, d uma reclusdo tdo seve-
re I (Dumas. Pliilosophie chitniqut).
a discussdo e faremos depois as considera-
coes que teem suggerido suas anelogies ou
suas ditTarencas.
Segundo Stahl, diz Dumas, as terraso
que hoje chamamos oxydos sdo indecom-
poniveis; o pblogistico p6de-se-lbes unir e
assim originar metaes. Os metaes por con-
seguinte devem encerrar phlogistico. 0
carvao o contem em grande abundancia.
Todos os combustiveis em geral sdo mais ou
menos carregados de phlogistico. Sempre
que um corpo queima e porque desprende
phlogistico e este estd na razdo directa da
propriedade inflammavel do corpo. Se o
oxydo de chumbo, aquecido com carvdo,
passa ao estado metallico, e porque o carvdo
queimando-se abandona o phlogistico e o
oxydo apodera-se delle. Emfim para Stahl,
uma sene de oxydos produzidos por uma
oxydacdo mais ou menos pronuueiada, re-
presenta um metal mais ou menos dephlogis-
ticado. Se elle tivesse tornado como ele-
mentos os metaes, continue Dumas, ou an-
tes como se entendia,as diversas raodifi-
cecoes de terre mercurial de Becher.e se
tivesse considerado os oxydos como com- ment.e n* un,io de um* m*tena >nbb-
postos derivedos destes corpos simplices, vel s'mPlefoa comPsta >" ua materia
sua tbeoria seria conforme ds iddas que te- comburente, o oxygeneo, sendo esta urnlo
(Comtnia.)
veis queimando-se ddo nascimento a pro-
duces de especie dilTerente, solidos quando
se trata de pbosphoro e dos metaes ; liqui-
dos nos casos de bydrogeno ; ou gazoaos
como lem lugar pelo carbono ou eniofre.
Neste caso o peso do corpo que resolta da
combustdo 6 maior que o do corabustivel
0 accrescimo do peso e devido d fixscdo de
uma materia fornecide ao combustivel pelo
ar ambiante. Os corpos cujo peso total se
compoe do peso de duas ou mais especies
distinctas de materia sdo necessariamente
compostos, em quanto os corpos cujo peso
ndo pode ser decomposto em uma somma
de pesos de duas ou varias especies distinc-
tas de materia, sdo por isto mesmo corpos
simplices ou elementares.
c Em consequencia, como o peso dos
productos obtidos pela combustdo dos cor-
pos combustiveis compde-se do peso do
combustivel e doar emraentemeuto pro-
prio psra entreter a combustdo e a respire-
00e que e absorvido durante a combus-
tdo, estes productos sdo corpos compostos,
sdo oxydos dos corpos queimados.
Pelo contrario, um peso dado de va-
rios combustiveis como 0 bydrogeno, o
xofre, o pbosphoro, o carbono, oa
ndo parece resultar da somma dos pesos de
duas ou mais especies de materia, estes
combustiveis particulares devem ser consi-
derados como elementos, o mesmo aa dl
com o oxygeueo que durante a combustdo
a elles se combine.
Emfim a combustdo consists principal-

;*

mos hoje pelas doutrinas estabelecides por
Lavoisier. Deu se, porem, o contrario f
Stahl vio nos oxydos corpos simplices e nos
metaes corpos compostos. Ahi seu erro
fundamental, ahi a origem de todos os
outros.
acompanlivla de desprendimento de calor e
de luz.
(4) M. Wurtz.Uittoire des doctrims
chimiques.
Segundo Lavoisier os corpos combusti-1 Yt DO DiAKio..~Bi;a ddque dr r.iii^