Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18610

Full Text

.
ANNO L. MMEM 289
'-.
Pi 11% A CAPITAL E LUGABB9 OKDB EVlO SB PAGA POBTE.
Por tres meies aduutados................ 89000
Por seis rfitos idem. ................ 129000
Por um anno idem..................S49000
Cda numero avulso................. 9H0
01 IMA FEIRA 12 0E N0VEMBR0 DE 1874
PABA DENTBO B FOBA DA PBOVL1CIA.
Por tres mezes adiautados............... .
Por aeis ditos idem ..... .... .... IIMa
Por nore ditos idem ] *Oa
Por am anno idem. ....'." .' ." ." ." [ \ ." ." .' 171000
PR0PRIEDADE DE IAN0EL FIGUEIR0A DE FARM FILH0S
N ft* Ger.rso Antonio Ald Filho,,ro Para; CkMplve. A Pinto, no Meranhio; Joaqnim Jo* de Olrreir. d Rlho, no Cearf; Antonio de !.. Irag., no Aracatj Joio Mari. Jniio Ch,,*, no Att; Antonio Marque, da Siln Raul Jo* J
rW. 4'AJmmda. em Mamanuape ; Carlos Auxencio Monteiro da Frmea? na Parafayb. ; Antonio Jote Gome., na ffflada Penh.; Be'traino dos Santot Bulcao, em Santo Ant* ; Domingo. Jo*, da Costa iraft. em flaxarrtfi '
'_______________________________________Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna: Joio Antonio Machaeo. no PHar da. AUgdes, Alrea d C.na Bahia | A. Xavier Leite d C. v Rio Janeiro-
IEIEUCCAO POfUlAE
Eleiaaentos de physica
li vuo tliu:eiru
CAPITI'LO I
T IHIKOADES DOS G\7F..-. ATHMc'-PhBuA. b.UlO-
KETito'
Forni <'\p;in!iivii do ar. 0 :.r, como
i.idos >>!> "gates, e dotado du utna furca expaosiva,
iue lenae sempre a laze-b torcar om volume
mater.
Para deroonsirar esta propriedade usa-se de
nma bexiga, tendo u'uma extremidade uma lor
neira |ue a fccbe hermelicamenle. Molhada a
bexitM para lorna la Mai* llexivel, aierula de
iiirroa a deix*r salur quasi too) o ar cjulido nel
1%, feeha-se a lorueira ; e, ticanJo a bexiga toJa
raurcha, eolloca-se a>sim sob uma campanula de
vidro, e i-sia sobre a banqueta do uma macoraa
oneuniatiea, ficando lebaixu da campanula o bo-
il do tubo exiraeiivo Je ar.
Li go qae ahi se poea bexiga, esta cc-mpnmida
i^o ar conti lo na campanula, permanece rour-
oa e nan incha ; mas, a medida que se rr.ii.eja
* bomba extra tiva do ar da maeftina, e que esse
"luido contid o Da campanula vai se rarefazendo, a
tiexiga cocneca a mchar ou encher -se, come se se
rivewe soprado deniro della.
O'ahi se eonclue que dumauiado a pressao ex-
torior a bexiRa, esta ubedece a forca ela-tica (to
ar interior.
O merino phenomenn se produz se, era vez do
ar, inlroduz-se na bexiga um ponquinho de azoto,
-)e hydroxeneo, de acidu carbooico, era uma pa-
tavra, de um gaz quah|u>ir; o que pruva que lo-
des os gazes sio expaosivus.
A forca expaniva dos gazes augraenla conside-
i avelraente com a leinperatura, como so tem um
xemplo nas armas de fogo.
Com efJeito, em laes armas, o que produz o Ian
'-arneoto do project!! e a lor;a expaasiva dos ga-
zes produzid s pela combustao da povora n'uma
(omperatura muito elevada.
PfNdoar.-A extrema tluidez dos gazea
- sobre tudo sua expaosibilidade podem fazer crer
*ae ossa e-ipecie de curpos escapa a ai^^o da gra-
-"idade. Assiin, porem, aao acontece. porque to-
cs os gazes tem peso, fraco ou peqaeoo e verda-
dn. mas facil de apreciar coin a balanca ordioaria.
Para isso usa-se de um balao de vidro de capa
<-idade de quatro ou cineo litros, tendc uua t r-
ueira de metal, com rosca susceptvel de seradap-
tada ao bocal do tubo exiraeiivo de uma machiaa
I neumatica.
Adaptando o balau a esae bocai exlrabe-se-lhe
v ar que cootiver, e fecnada a torneira de obtura-
<.io, rt'tira-se-o da macbiua pueumaiica, e, tendo-
^3-0 ratio, peu-se-u D'uiua balanca coramum, stu
'Qdndo-o a uma das con -has.
Ootido n peso, abre-se a ti.rnei.-a para deixar
'Utrar o ar, pesa-se de uovo o balao e observa-se
je o seiruodo peso e inaior do que o pnmeiro de
n.ma quanlidade apreciavel.
Se de ante-mao se tem medido a capacidade do
lialao, acha-se que um litro de ar, na temperatu-
re da fusa-i do gelo, e oa prossio ordinaria da
v.mospbera, pesa 1,293 giammas on aproximada-
uieote 1,3 grammas, o 'iue ruprosoota um pe?o se-
( cntas e seteuta vezes manor que o de um igual
volume de agua.
Proc*deodo da mesma forma para com oulros
gazes, acba se que lodos sao pesades, e quo o
raais leve dos gazes e o hydrogeneo, um litre do
jai apenas pe-a nove centlgramrses, isto e, 14 e
II vezes menus do qne o ar.
(Continue-s-ha>
t&$K OmiillLL
Geverno da proviocia.
EXPEDIE.NTE DO DU 10 OS JQLH0 DB 1874.
V secuo.
OtQcios:
Ao Exm. Lrigadeiro commaniaate das ar-
.as.Ueclarando oExm. Sr. ministro da guerra,
rta aviso J- 3 ds juubo ultimo, que naquella data
A pusto a disposigao de ta preiidcucia o alferes
co corpo de esladu maiur Je 2 oUsse, Jos6 Ehzia-
r.o do.> Sautos, recomrai-ado a V. Exc. que o man-
de addir ao deposiio de recrutaa, at'.p.: de pur alt ti
!\T os seus ven imenlos.
Ao raesrao. -Sirva-se V. Exc. de rcaodar ad-
dir ao depojito do recrutas a capiiao honorario do
xercito, Antonio Gracindo de Gusmao Lobo.
Ao raesmo. Com as inclusas copias da infor-
iLapao do iospector da Ihesoiraria de fazeada, de
r.'jntem datada, sob n. 987. serit G, e do parecer
io re>pectivo procurador fiscal, respondo ao seu
c-iBcio de 16 d- mam ultimo, 30b n. 404, relativa-
.,'juto a iaderani.sa;ao do premio de voluntario
.o-anado ao soldado Jose da Camara Santiago, cuja
?.aixa foi urJena ia por se ter venficado a sua pi a-
c.a sem o assentimenlo paterno, e -er elle menor.
Ao director do arsenal de guerra.Para se
poder resolversooreoinclusorequerimento e mais
tapeis juuius, que me terao devolvidos, refereotes
ao soldado do 1 baulhao de artiibaria a pe, Juse
Francisco Nunes, que, allegando ter concluido o
;->mpo de sua praca, pede eugajar-se por mats s is
annos com de.-tino a crapiubia de 0[>erarios desse
arsenal, eumpre qne Vmc. em cbservanciaao aviso
do ministerio da gnerra de 20 do correnle, infur-
i.,u acerca de semelbantu pretencao.
Ao mesmo. Transmitto a vmc. para serem
-dtisfeilos os inclnsos pedidos que faz o comraan
w da compaDbia de operano:. militares desse ar
senalj de pejas do fardamento, enxergoes e tr*ves-
-o;ros, a quo tem direito as pragas da relerida com-
inhia.,
Ao mesmo.Previno a Vmc. para os fins
tonvenientes, da que, segundo participa o com-
maadanle do presidio de FerninJc, em offlcio de 6
do corrente, sob n. 44, foram ali er^barcados no
carxoes e 10 barricas, contendo i014 pares de sa-
f.atos de s61a e vira uxiados, macufacturados na
ciScini de sapatos daquelle presirllr.
2.* seqdo.
Acto :
0 presidenle da proviucii, attendeudo ao que
ruquereu o juiz de direito da comarca de Ltmoeiro,
tacnarel Francisco Bernardo de Carvatho, resolve
oneeder Hie 15 dias de lieenga com ordenado na
.'orma da lei para tratar da sua saude, onde lhe
apronvpr.
Offlcios .
Ao commandaote superior do Cabo.-AQir-
...ando esse commando suporior, ex offlcio da 20
:: abril do anno passado, sob o. 101, com referen-
da 4 inforraacao do commanJante do 3t,J batalhio
de intantari;., i;ae o guards Jose Pedro Velloso da
-iiveira, sendo desigoado para o servlgo da guerra
contra o Paraguay, se apresentara voluntaria ente
constando de onlro sea offlcio datado de 18 d
iiaio ultimo, sob n. 149, ainda com referenda a
nformacao do mesmo commandante, que o men
otonado uarda, seodo de vioo, deixara de apresentar-se, pelo que fora recru
talo e ne^e earacter marchou para a campaoba,
faxendo parte do oontiogente qoe deu o snbredit"
batalhao :)9, eumpre que V. S. presle com urgan-
flla esdarecimentoe acerca da cootradiceao nctada,
,-onforme exije o Sr. ministro da guerra, em aviso
>' i do corrente.
I Ao juiz de direito da 1* vara dvel desta ci
dado. Para ot fins convenientes incluso remetio
a V. S. os i'autos de visloria e identidsde de pes-
soa, procedi'lc'j mis sentenciados de jusii;a dest
provincia, fallecidos no presidio de Fernando de No
r>nha, a saber : Jos6 Antonio de SoU'a, Januario,
escravo de Ant mio Jaeintho. Leandro da Costa
Neves e Juse G iin--s de Oliveira, em original e por
r.opia o dos senlenciados Manuel Lourenco Mar-
qu's de Souza, do Ceara, J Paulo e Juse Pereira dos Santus Segundo, do Rio
Grande do Sul.
Ao mesmo. Para os fins convenientes, in
cluso remello a V. S. as gnias dos sentenciados de
justica c inslantes da relacao junta :
Manoel Batista ds Sants, Castor Antonio Fran-
cisco, Antonio Juse Ferreira. Manoel des Santos
Bitu", Houorati Ferreira Maciel, Juee Juaquim de
Sant'Anna mnheeidu por Jo^eda venda, Joaquim
Frazau de (lueiruz, conhecido pur Joaquim Alves
de Bota. Jtanoel d>rreia de Amorim Costa, Manoel
do Rego Barms, foao Felippe Bezerra de Abreu,
Seralim Bezerra dos Santos.
Ao juiz municipal de Guianna. De confor
midade com o decreto n. 5566 de 28 de marco de
I860 e circular de 28 de junho de 1865, envie
Vmc. as informacoes e mai- documentus para de-
vidainente ser ia-truida a pelicau de graga do sen
tenciado de jusliga desla provincia, L->oreooo Juse
d PaixSo, conhecido nor Lourenco David e con-
demnado a gales perpeluas pelo jury dessa ci-
dade.
Ao juizmunicip.il do termo de Garanhuns.-
A esta presidencia remetta Vmc. a guia do sen-
t'-ncia lo deju^tica, em cumprimenlo de pena no
presidio de Fernando de Noronha. Joaquim Vital
le Castro, conderanado a 12 annos de prisao com
trabalhu pela jury dessa villa, em sessao de 6 de
maio de 1862.
Ao juiz municipal de Nazareth.A esta pre-
sidencia remetta Vmc. a guia do sentenciado de
justica, em cumprimento de pena no pre-idio de
Fernando de Noronha, *ntunio Jose Barbosa, con
demnado pelo jury dessa cilade.
Ao commandante do corpo de poiicia.Ao
commis-ano de poiicia do rauuicipio do Bonitu,
M nuel Francisco Pessa da Cunba, forneca Vmc.
12 espingardas e 12 turf ados.
3.' seefdo.
Actos :
0 presidenle da provincia resolve nomear
Jose Francisco de Paula cobrador da collecloria
provinoial du municipio de Limueiro.
0 presidenle da provincia, atlendendo ao ex.
posto no offlcio do Dr. inspector do thesonro pro-
vincial, de 8 do corrente, sob n. 283, resolve no-
mear o capitao Manoel Jose Nunes cobrador da
cullectoria provincial do municipio de Flores.
Olflcios:
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Conformando-me com as razoes de V. S,. constan-
les do offlcio de 8 do correale, sob n. 983, serie G,a v
relativamtme ao ed Bow da recebedjrltlp*W^ awidit e\ relacao au mesmos escravoe,
vincia, auloriso-o a mandar executir a obra-?ap- WmMBOrTpie as listas de classifici^aw >cjom rot
Igual aos Exms presidtnles das provincias
de ^. Paulo, quanlo ao senleociado de norae Joa
ijurm It p ingui s e an do Rio Grande do Sul, qaan
to o de noine }j*6 Pereira dos Santos Segundo.
Ao provedor da Santa Casa de Miseneordia.
Para resolver sobre a aberlara do credito de
800 000, que Vmc. solicit* em sen oSeio de 8 do
correnle, sob n. 13, de.-dnado a diversas despazas
do hospital dos iazaros, viste ter sido insufflciente
o de 8:600*000, marcado no or$araento de 1873 -
74, eumpre que seja remettida a rcspeetiva de>
moastrxfio.
Purtarias :
A' camara municipal la cidade da Escada.
ResponJendo ao offlcio de 8 it corrente'da camara
municipal da cidade da Escada, tenbo a dizer que
nesta data expeco ordem a reparticio das obras
publicas, no sentido solicitado.
\' camara municipal da villa do Limoeiro.
Recomroendo a camara municipal da villa do
Limoeiro, que de juramento e potse aos verealo
res e juizes d pax votados na eleicao a que se
prucedeu na 2' dominga de Janeiro ultimo, no cor-
po da matriz dessa villa, sob a presidencia do 4*
juiz de paz, alte es Antonio Jus.- Duurado da Sil-
va, e na qu- se procedeu no raesmo dia na ma-
triz de Taq laretmga, -ob a presidencia do juix
de paz o eidadao Antonio Fiorentino Cavalcaute
de Albuquer |ue vi-to como e corri.iu regularmente, firarn auprovadis por aclo
de-ta data, nos termos do art 118 da lei n. 387 de
19 de ago.-to de 1846, combinada com o aviso n
540 de 19 de novembro de 1861.
5. secgao.
Aclo :
0 presidents da provincia resolve nomear
Jose .Wai celino da Silva Braga e Antonio da Costa
e.Silva Maduru callaboradores da reparticao das
obras publicas.
Offlcios:
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas. Fica Vmc. autorisado a mandar con
traclar na Europa, por duus annos e pelo preco
indicado em seu offl -io de 8 de maio do correnle
anno, scb n 135, qaatro engeaheiros de qne Ira-
lam as disposicdes curapleraentares, incorporadas
ao regulamento desa repa-ti^au, por acto dessa
presidencia, de 8 do corrente mez.
Ao mesmo Expeca Vmc. suas ordens ao
engenheiro do 2' distncto para que, onvind) o
presideute da camara uunicipal da cidade da Es-
cada, levante a planta de um acougue o faca o
respectivo orcamento com a brevidade possivel.
Ao mesmo.Mande Vmc, sem prejuizo da
m nha ordem cunstante do offlcio de 22 do mez
proximo passadu, collocar 16 lampeoes de illurai
nar^ao a gaz no jardim do Conde d'Eu
- A' junta de classificagao de escravos do mu-
nipio do Recife.loteirado do que me expoz essa
junta em offlcio de 7 do correnle, approvo a reso-
looao que tuu.-oj de apenas exigir dos senhores
dos eac/avos declaracao. das altera^oes qne te
d^erJTb00^reDa',de,,)arinha' &**&**> 'Carneiro de Souza Lacerda, dBrante
ar nun'.em, sob n. 68, do qual coosta haver Maneelfo sen impeJimento.
SSf0^*,,weiiai.?r^"d.0 ^.^ a* confonD' Au aesmo.-l'ara os fins convenientes com-
plementar, cunfurme o orgamento que lhe devolve
incluso.
Ao me=mo.Transmitto a V. S. para os fins
convenientes, o litulo pelo qual 6 nomeado Anto-
nio Ignacio da Silva Junior para servir o lugar de
escrevente das efflcinas do arsenal demarinha des
ta provincia.
Ao mesmo.-Tendo nesta data, resolvido que
seja adJido ao deposito de recrntas o capitao ho
norario do exercito Antonio Gracindo de Gusmao
Lobu; assim o comraunico a V. S., para os fins
convenientes.
Ao raes'iio.Tendo nesla data a vista do que
r-- lv,'U;i ministro da gu-ira, em aviso de 30 de
juohn ultimo, m^ndado addir ao deposito de re
crutas o alfees do e>rpo do estado maior de 2
clas-e, Jose Elisiario dos Santus, que naquella data
fui posto a disp >sicao desta presidencia ; assim o
communico a V. S., para seu connecimento o di-
receio.
Ao mesmo.Para os fins convenientes com
munico a V. S que em 7 do corrente assumio o
exerciciu do cargo de juiz de direito da comarca
do Palmares, para undo fora reuiovido da de Bar-
reiros, o bacharel Manuel da Silva Rego.
Ao mesmo. Mande V. S. pagar a Jeronymo
Pereira Manz ou a Evaristu M-m le- da Cunha
Azevudo, os vencimenios das pracas de guarda na-
cional destacada^ na villa do Brejo, duraute o
mez Je junho findo ; na conformidade do- mclusos
preis remettido? por offlcio do commandante supe
nor respect'vo, de 4 do correnle
Ao inspector do thesonro provincial.A vista
da inclusa conta em duplic .ta e na conformidade
du que solicitou o Dr. chefe de poiicia, em offlcio
de hontem, sob n. 817, mande Vmc. pagar ao de
lento, Jacob Jose Maria, a quantia de 26*95t, em
que impurtuu a lavagem da roupa dos euferraos da
casa de detencao, no trimestre de aoril a junho
deste anno.
Ao mesmo-Mande Vmc. pagar ao fornece-
dor dos presos pobres da casa de detencao a quan-
tia de 4:.605354, era que impurtarara as cootas
junias das despezas feitas com o suslento e dietas
dos mesrans presos no mez de maio deste anno,
na conformidade do qne solicitou o Dr. chefe de
poiicia, em offlcio sob n. 719.
Ao mesmo.Remetto a Vmc. o orcamento
da reconstruct de 300 metros c irrentes de era-
pedraroento e 6'K) de reparos da estrada da Victo-
ria, e as respectivas elausulas especiaes, tudo por
copia, atin de que perante essa thesouraria essa
obra seja posta em praca.
Ao mesmo.Mande Vmc. pagar a Nasci-
mento & Medclros a importancia da inclusa conta,
r-iativa a objectos fornecidos para o expediente
da secretaria desta presidencia, durante 0 mez de
junho findo.
4.' secguo.
Actos:
0 presidents da provincia, tendo em vista
as actas da eleicao para verea tores e juizes de
paz.a qne se procedeu na 2* dominga de Janeiro
ultimo, no corpo da matriz da villa do Limoeiro,
sob a presidencia do 4* juiz de paz, alferes Anto-
nio Jose Dourado da Silva, no impedimento prova
las de conformidade com o respectivo regula-
mento.
Purtaria :
u Sr. gerente da companhia pernambocana
mande dar passagem para o presidio de Fernan-
do de Noronha, por conta do ministerio d -;guerra,
amulnere dus fllhos do sargento paisano com-
maudaute da 91 companhia de conde.nnado< do
mesmo presidio, Joaquim Facundo de Castro e
Silva.
EXPEDIKXTR DO SECBETARIO.
/.' secgao.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de poiicia.De ordem do S.
Exc. o Sr. presidente da provincia communico a
V. S. para os tins conueniente.-, que nesta data
mandou-se pagar a importancia da lavagem de
roupa dus enfermos da casa de detencao, no tri-
ine-tre de abril a junho deste anno, segundo so-
licitou era seu offlcio de hontem datado, sob n.
817.
Ao mesmo.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda commuuicar a V. S. em respo*ta ao
seu offlcio, >ob n. 7'9, que nesta data expedio
se a neci-ssaria ordem ao thesouro provincial,
Mini de ser paga a importancia da conta do for-
neciracnto dos presos pobres da casa de deten-
cao, relativa ao mez de maio deste anno.
Ao juiz de direito da comarca de Palma-
res. -U Exm. Sr. presidente da provincia manda
accusar o recebimento do offlcio de V. S. de 7
do c >rren:e, communicando haver na mesma da-
ta a.-siimido o exerciciu do cargo de juiz de di-
reito des-a comarca.
Ao juiz de direito da l.a vara. De or-
dem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
communico a V. S. que segundo consta de offl-
cio do commandante do presidio de Fernando de
Noronha, n. 41, de 6 do correnle, deixou de se-
guir para esta cidade, confurme requisitou V. S.
em offlcio de 20 de junho ultimo, o sentenciado
de justica Juao Marcelino Prato, pnr se achar era
tratamento na respectiva enfermarii, devendo la-
ze lu na primeira opportunidade.
Ao commandante superior do Brejo. De
ordem de S. Exc o Sr. presidente da provincia
communico a V. S. para os fins convenientes, que
nesta data autonsou-se a thesouraria de fazenda
a pagar os vencimentos das pracas de guarda na-
tional do^tacadas durante o max Je junho findo,
na villa do Brejo ; na conformidade do seu offlcio
datado de 4 do corrente.
Ao juiz municipal de Itambe.0 Exm. Sr.
presidente da provincia manda accusar o recebi
mento do offlcio de V. S., de 30 de junho ultimo,
e declarar-lne que nesta data se ex'pediram as ne-
cessarias ordens, no send Jo em que solicitou V.
S. em seu mencionado offlcio.
3.' seccao.
Offlcios :
Ao inspector do thesonro provincial. S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda enmma-
nicar a V. S. para os fins convenientes, que por pur-
taria desta data resolveu nomear Jose Francisco de
I'aula cobrador da collectoria provincial do muni-
cipio do Limoeiro.
do dos 1*. 2 e 3 ; bem como as actas da eleicao. Ao meimo. S. Exc. o Sr. presidents da
para juizes de paz da freguezia de Taquaretinga,
a que se procedeu no mesmo dia sob a presiden-
cia do 1*juiz de pa: o eidadao Antonio Fiorentino
Bezerra Cavalcaute ; e acta da apuracao geral das
refendas eleicoes, feita pela camara municipal do
Limoeiro. E considerando : que as refendas elei-
coes correram regularmente de conformidade com
as prescripcoes legaes e ordens expedldas, sem
contestacio ou estorvo das formalidades preexis
tentes em garantia da livre raanifestacao do oovo
popular; resolve, ussn to da attnbnicao conferid*
pelo art. 118 da lei u. 387, de 19 de afloMe oe
1846, approvar as supraditas eleijoes. e ordena
que se expecam ordens 4 camara municipal da
villa d > Limoeiro para dar juramento e posse aos
eleitos, levando-se esta res ducao e as actas allu-
didas ao conhecimento do Exm. Sr. ministro do
nnperio
Offlcios :
Ao Exm. Sr pmidente da provincia do
Ceara Dignese V. Exc. de maodar-tnenma cer-
tidao authentic! do tempo em que esteve ferro-
peado na cadeia dessa cidade o sentenciado de jus-
tica Joio Vicente Ferreira, ora em enmpriraentu
de pena no presidio de Fernando de Noronha.
- Ao mesmo.Passo as maos de V. Esc. c auto
de vistoria e deidentidade de pessoa prcedido no
sentenciado dessa provincia, Manoel Lourenco
Marques de Souza, fallecido na euferm^ria do
presidio d? Feroanlo de Noronha.
provincia manda declarar a V. S para os devidos
effeitos, que nesta data foram nomeados collabora
dores da reparticao das obras publicas, Jose Mar-
celino da Silva Braga e Antonio da Costa e Silva
Mad ore.
5' seccao.
Offlcios :'
Ao engenheiro chefe da repprticao das obras
publicas.Communico a V. S. para seu conheci-
mento e de ordem do Exm. Sr. presidente da pro*
vincia, qne por acto desta data foram nomeados
culiaburadures dessa rouarliciio, Jo** Marcelino da
Sdva Braga e Antonio da C sta e Silva iladuro.
Ao raesmo. S. Exc. o Sr presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S que nesta data man-
dou por em praca a reconsiruccao de 300 metros
correuies de einpedramenio e 600 de reparos* da
estrada da Victoria, a que se refere o seu offlcio
de h intern, sot> n. 202
Ao Rvd. Fr. Fideli? Maria de Fognano.0
Exn Sr presidente da provincia, am respo-ta ao
offlcio de V. rivm, de 23 de junho proximo findo,
manda remetter-lbe a minuta dos termos d afo
raraento de terras na area destinada a povoacao
que se ha de fondar na colinia Isabel.
EXPEDIENTE DO DIA 11 DE IULH0 DE 1874.
/ seccao.
Aclo :
0 presidente da provincia, tendo em vista o
termc de examo annexo por copia ao offlcio do
dade do ariigu 3* do regulainenlo que baixuu o.
o .ticreto a. 1324, de 5 de tevareiro de 1854, e
obtido appfovaeao plena para servir de 4* inacm-
nist.t de barcas a vapor ; deiermiua que ao exarai
nado se pas.-e carta de habilitacae, ua forma do
arti.o 5" das instruc^oes anuexas ao decreto n.
2600, de 2 de junho de 1860.
Offlcios :
Ao inspector do arsenal de mar.nha.Sirva-
se V. S. de mandar por em liberdade, eutregan
do o a sua raai Joaquina Maria dos Santos, o me-
nor Jose Ignacio dos Santos, que com destino a
comuanhia de aprendizes marinheirus lhe fui re-
inelttdo ultima men te pelo Dr. chefe de poiicia.
A-mesmo.Tendu nesta data, a vista du
termo de exame annexo por coniaao seu offlcio de
hontem datado, sob n. 68, mandado passar a Ma-
noel Antonio de Freilas carta de habiliiacao para
servir de 4* machinista de barcas a vapor ; assim
o eommuuico a V. S. era resposta ao citado offl
cio.
Ao capitao do porto.Communico a V. S.
para seu conhecimento o direegao, que o Sr Jose
Aatonio Pinto, vice consul do linperio da Russia
neiia provwcia, participou me em offlcio de hon-
tem haver nessedia, de voltade sua viagema Eu-
ro|a, reassumido o exerciciu do seu cargo.
Ao director do arsenal de cuerra. Transmit-
to a Vmc. as proposes juntas que nesta data ap
pmvei, acceitas polo conselho de compras desse
arsenal, e.n seacao de 20 de juuho ultimo, oara o
fornecimei to de diversos objectos, e autoriso-o a
mandar lavrar os repectiv)s contraclos e a pro
ceder nos termos duartign 83 do regulamento an-
nexo ao decreto n. 5118, de 19 de outubro de
1872.
Ao mesmo. Mande Vmc. fornecer ao capitao
commandante da compaubja de cavallana os
obje tos conslantes .lo pedido junto, os quaes, se
guudo decUra o Exm. bngadeiro commandante
das armas, em offlcio de uuntem, sob-n. 538, sao
n*cessarius para o servirjo do (errador da mesma
companhia.
Ao conselho de compras do arsenal de guer
ra. -Auloriso o conselho de compras do arsenal de
gaurra a promoter a acquisijau dos objectos
mencionad'S nu pedido junto, os quaes sao pre-
cisos para a companhia de aprendncs artifices do
mesmo arsenal.
Ao engenheiro das obras militares.A' vista
do que Vmc. eipoc em seus offlcios de 29 de abril
ultimo, sob ns. 92 .< 108, tenbo por conveniente
que por ora nao i-e annuncea arrematacao da
obra da sub-diuicao da parle do encanamento
d'agua da fortaleza do Brum, conforme ordenei
em oflicfo de 9 do citado mez de abril, visto como
nesta data dou sciencia a companhin de Beberibe
das razoes expostas pi r Vmc. cm refutacao do pa
racer do respectivo en jenheirt, afim de que bem
cumpenetr^da rt.i'Uf fru"lilnncjg,f|*i v^w t*
prir 3 fain I'.fiun outrtOo uu Jo[isito da referlda
fortaleza. Ficam assim respondidos os sobredito?
offlcios.
Ao vice consul do liKperio da Russia. Fico
tnteiratlo de haver o Sr. Jose Antonio Pinto, vice
consul do Imperio da Russia .reassumido bontem,
segundo cooimunicuu-me em offlcio da mesma
data, u exerciciu do seu cargo, e fazendi-oconstar
as estacoes cumpetentes, aproveito a occasiao para
renovar ao mesmo Sr. consul as segurancas de
ininha perfeita esliina e distincta consideracao.
2.' seccao.
Actos :
0 presidente da provincia resolve nomear o
sargento da guarda local do municipio de Pao
d'Alho, Francisco Xavier Pestaua para igual cargo
em o muoicipiu de Bezerros.
0 presidente da proviocia, attendee J > ao que
requereu Hooorato Ferreira Xavier, alter s da
6* companhia do batalhao n. 19, aggregado ao
de n. 18 do mohieipio de Nazareth, re-olve, de
conformidade com o disposto no artigo 45 do de-
creto n. 1130 de 12 de marco da 1853, e com a
infurmacao de 8 do corrente do respectivo com
mandante superior, m ndar aggregal-o ao primci-
ro batdhao du infantaria da guaroa naciunal deste
municipio, onde se acha residmdu.
0 presidenle da provincia, attendenlo ao que
requereu Eduardo Fredenco Banks Junior, tenen-
te da 5" companhia du 1 batalhao de infantaria
da guarda national da capital do Amazcnis, e a
lofurmaQao do respectivo commandante superior,
de 8 do corrente, n. 39, resolve, de conformidade
com o disposto no artigo 45 do decreto n. 1130, de
12 de marco de 1853, mandar aggrega-lo ao 1
batalhao de infantaria da guana uacional deste
municipio, onde se acha residindo.
Offlcios:
Ao Dr. chefe da poiicia.Communicando-rae
o Sr Jose Antonio Pinto, vice-consul d) Imperio
da Russia, em offlcio de hontem, haver nessa data,
de volta a esta provincia de 9na viagera a Euro
pa, reassumido o exerciclo de seu cargo ; assim
o declaro a V. S. para seu conhecimento e di -
recao.
Ao mesmo.Sirvase V. S. de mandar ouvir
o delegado de poiicia do termo de Bezerros sobre
a poticao a document juntos, do recruia Joaquim
Jose de -ani'Anna. recommendando-lhe a maior
brevidade o urgen ia na sna informatilo.
Ao commandante superior do Recife.
Para os fins convenientes communico a V. S qne
por portaria de hoje data ia, resolvi mandar ag
gregar ao t batalhao de infantaria da guarda na
cional desic municipio o alfi-res da 5' companhia
do batalhao n. 19 aggregado ao de n. 18 de Naza-
reth Honorato Ferreira Xavier, de conformi lade
com a sna infurmacao de 8 do corrente, n. 40
Ao mesmo.Para os fins convenieutes com-
monico a V. S. que por portaria de hoje datada, re-
solvi mandar aggregar ao l" batalnao da guarda
nacional deste municipio, Eduardo Frederico Ban
ks Jonior, tenente da 5" companhia do 1 batalhao
da guarda national da capital do Amazonas, de
conformidade com a inforraacao de V. S., de 8
do corrente, n. 39.
Ao juiz de direito da comarca de Flores.
Declarando a Vra. em offlcio d* 27 de jnnho ul
timo, ter havido no termo de Flores, dessa co
marca, tres sessSes do jury no anno proximo pas-
sado, e duas na de Ingaxeira, das quaes nao re
metteu os mappas de que trata o 4* do art. 9
do decreto n. 3,572 de 30 de dezerobro de 1865,
rccomraendo lhe com a maxima bravidade possivel
a observance desse preceito legal, afim de que se
organise no devido tempo o inappa geral da esta-
tistica judiciaria que tem de ser enviada ao Exm.
Sr. ministro da justica.
3.' seccao.
Acto :
0 rpresideute da prqvineia, atlendendo ao
expostu no offlcio do inspector da thMoararia Je
f^zen la, du huniem datado, sob n. 1, serie H, e
nos termos da ultima parte do art. 5 do decreto
n. 5,323 de 30 de junho do anno passado, rosolve
nomear o bacharel Francisco de Assis Pereira Ro
cha para substituir o administrador da receoe-
duria de reudas, Manuel Carneiro de Souza La-
cerda, durante o seu impedimento.
Offlcios :
^ Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Communico a V. S, om resposta ao seu offl-io do
hontem datado, sob n. I, serie U, que por porta
ria desta data e nos termos do decreto n 5,3*3
de 30 de jnnho do anno passado. ri-solvi noui'-ar
o baclnrel Francisco de Assis Pereira Rocha para
substituir o administrador 1 receoedoria de reo-
convenientes com
munico a V. a. que em 9 do correnle 'mez tomou
pos.-6 d-i cargo de juiz municipal e de orpbaus do
[v100, de GalBe"e"'* o bacharel Francisco Manoet
wauderley Lms Junior, nomeado por decrelo- de
27 de marco ultimo.
Ao mesmo Para os li ns convenientes com
munico a V. S. que em 28 de juuho proximo pas-
sado entrou no exercicio do cargo de juiz de di-
reito da cumarca de Tacaratu o bacharel Antonio
Uoiningues Pinto Junior.
Ao raesmo. -Tend > autorisado o conselho de
compras do arsenal de guerra a promover a acqur
sicao dos objectos constaates do pedido, junto por
copia, com destino aos respectivos aprendizes ar-
t'Otes, assim o curamunico a V. S. para seu co-
uheciuientu e direccao.
Ao u.esrao. Para os fias couvanientes com-
mumeo a V. S. que, navendo o tambor raor do
x* batalhao da infantaria deste municipio, Luiz
\lves de'Paiva. Cjo luido seu engajaraent. era
30 de junho ultimo, foi pur este motivo despedido
na ine-ma data, couforme participou o respectivo
commandante superior em offlcio de 8 do cor-
rente.
Ao mesmo. Comraonico a V. S. para seu
conheeimento e afim de o fazer constar ao inspe-
ctor da alfandega, que o Sr. Jose Autunio Pinto,
vice-coQsul do impeno da Russia, nesta provincia,
participou-rae em offlcio de hontem haver nesse
dia, da vulta de sua viagera a Europa, reassumido
u exercicio do sen cargo.
Ao mesmo. -Ao tenente Gelasio Servolo Al-
ves de Araujo, que segue para a Bahia por ter
sido transfendo do 9' para o 16 batalbao de in
fanlaria, mande V. S. ajustar contas e passar
guia de soccorriinento, fazendo-se lhe carga da
importancia de sua passagem e da de sua seutiora,
para ser dascontada pela qitinla parle de seu
soldo, como tudo solicita o Exm. brigadeiro com
mandante das armas, em offlcio desta dala, sob
u. 542.
Ao iospector do thesouro provincial.Mande
Vu,c eutregar ao engenheiro fiscal daLocomo
tora Pernarabucana, bacharel Chrysolito Ferreira
de Castro Chaves, os seus vencimentos relativos
ao mez ue marge a junho dete anno, recolnidos
pelos ger-ntes da erapreza aos cofres de depositos
dessa reparticao.
Ao raesmo. Atlanta a urgencia do calca-
meutu da estrada de Jobuatao, uesJc a povoacao
de Afogados ate Gequia e visto essa obra ser
feita aqui na capital, limile Vmc. a 30 dias o pr.zu
para levar-se a praca a mesma obra.
4.' seccao.
Offlcios :
Ao inspector da saudc pnblica.A' secreta
ria desta^presidencla maude V. S. fornecer com
urgencia uma carleira humeopathica, contendo
someute medicameolos apropriados ao tratamento
mo ae Ipojuca. r
Ao thesoureiro das lulerias. Entregoe Vmc.
ao prcfeito do hospicio de Nossa Seohora da Pe
uba, frei Venancio Maria de Ferrara, o productu
liquido da parte da loteria exlrahida em beneficio
Jas obras da nuva igreja; devendo eutrar com o
recibo da quautia para o thesouro provincial
q an-Jo liver de prestar cootas, o que communico
uesla data to inspector daquella reparticao.
5.' seccao.
Acto :
0 presidente da provincia, atlendendo ao que
requereu Jose L pes Machado, arrematanta das
obras do cats do Forte do Mattos, res Ive prorgar-
iii'' por ires mezes o prazo marcado para a con-
ciusao das refendas obras.
Esta tem de ser apresentada nas eataejSea com
p iteutes.
Offlcios :
Ao proidente da junta de classificacjio de es-
cravos do municipio do Booito. Em respo.-ta ao
offlcio de.-sa junta cITssificadora, datado de 5 do
corrente, em que communica a eta presidencia
nao fiaver aiada feito o laocamenlo das listas de
escravos no livro compctente, pur se ter suscitauo
a duvida .sobre dever-se observar no dito lauca
memo o uumero da malricula do municipio ou si
o da classilkacio, lenho a declarar lhe que deve
ser o desta ultima.
A' directona da companhia de Beberibe.
Ao seu offlcio de 20 de junho proximo fiudo res-
poudotraismittindo lhe copia do parecer do euge-
uheiro das o ras militares, datado de 7 do corren-
te, sob n. km, afim de quo essa companhia, bera
cumpeuetrada das razoes exoostas, e que reluiam
as que allegou o seu engenheiro no parecer que
tambem por copia veio annexo au cit -do offlcio,
pnvidencie em ordem a remediar a falta d'agua
que se nota no deposito da fortaleza ao Bruin.
-Porlari- :
Os Srs. agentes da companhia brasileira de
navr-gacao a vapor maudem dar passagem para a
Bahia pur conta do ministerio da guerra, nc vapor
Para, esperado do None, ao tenente Gela-io Ser-
vulo Alves de Araujo, que foi traasferido do 9
para o 16' batalhao de infantaria, e bem a.-.-lm
a sua mulher D. Philomena Senadora Alves de
Araujo.
EXPEDIEMTE DO SECRETAB10.
1* secfdo.
Offlcios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas. Sna Exc. o Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. Exc, para seu conhecimento,
que por despacho de hontem datado, concedeu ao
recruta Faustino .Autunio Felix o praio de 15 dia<
para provar isencau legal.
Ao mesmo. Sua Exc. o Sr. presidente da
provincia, tendo autorisado o fornecimento dos ob-
jectos consumes do pedido aouexo ao sen offlcio
de hontem datado, sob n. 518, os quaes sao pre
cisos pa'a o servico do ferrador da compannia de
cavallaria ; assim o manda declarar a V. Exc.
em resposta ao citado offlcio.
Ao mesmo. De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia communico a V. Exc. que li
cam expedidas como solicita era seu offlcio desta
data,.sob n 542, as oeeessarias ordens para o ajus-
te de contas do tenente Gelasio Sevnlo Alves de
Araujo, e bem assim para seu transporte e de sua
sen bora ate a Bahia no vapor Para, esperado do
Norte.
2.' seccao.
Offlcios :
Ao commandante superior da guarda nacio
nal do Recife. 0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda accu-ar o recebimento do offlcio de
V. S., de 8 do corrente, coramunicando h iver fin
dado em 30 de junho ultimo o engajamento do
tainbor-mor do 2* batalhao de infantaria desse
municipio, sendo por esse motivo despedido do re-
ferido batalbao.
- Ao juiz de direito de Palmares. 0 Exm
Sr. presidente da proviocia manda acensar o re
cebiinento do offlcio de V. S., de 9 do corrente,
commuoicando haver encerrado r.a mesma data a
segunua ses ao do jury dessa comarca.
Ao juiz^ de direito da comarca de Tacaratu.
0 Exm. Sr. presidente da provincia manda ac-
cusar o recebimento do offlcio de V. S. del8 da
lunho ultimo, communicanio haver eutrado no
exercicio de seu caryo era igual data.
- Ao juiz municipal e de orphaos do terrro de
Gamelle ra. 0 Exm. Sr presidente da provin-
cia manda accusar o recebimento do offlcio de V.
S., d- 9 do correnle, commumcando haver na
mesma data tornado posse de sea cargo.
Ao commissarto de poiicia de S nlo .'.otao. -
De ordem de S. Exc. o Sr. presidents da ar vin-
cia, comiDaoico a V. S. qoe a guard* local less*
rauuicipio consta de 20 pracas inclusive o *>m-
rmssario e o sargento deveadw, porem aheUr
si imenle raelade du-se oooero a e not a a*4em
Ontro sim, iaeluso r-rr.etto-lie o re-pnetivo lagu
laraenio para ,'sau uliecimeMo e execucae
Igual aos eoraoiitsari 4o, mmmftjm se
gumtes : Barreiros 15, Bezerros JO, BowuSS
Ubo 20, E'cad* e Gamaueira 25, G.yanaa- 40*
Iguarassii 15, hambe 35, Ip-.juca 29. Jaboax, i to"
* Jardim 20, Taquaretinga 15, Nazareth 40
Olinda 20. Pal o ,re 9.". P-^,i .I'ii.,,, -u\ u;.. m__'
d'AIno 30, Rio For-
Olinda 20, Palmares 25 Pao
moso 25, Serinbaem 20.
5* aMpie.
Edital:
- Por essa seeretaria se faz poWico, para er
nhecimeato de qaem interess.r possa, e era ree-
nfi acao ao edital publicado a 4 do correnle, ajna
as (.lantas para a (aclura dasjumtes enure o bairn
da B.a \ isla e o de S Jise us logares M .n eiro
e Barbalho deveiu ser aprese lada- pelos pre tea
denies, afim de ser escolhi la a qoe for jalgada
melhor pela reparticao das obras publicas.
despachos da pbsside.nua, do ka 10 dc k0ve<*mm
dk 1874.
Camillo Machado Freire.informe o Sr. ejm-
mandante do corpo de poiicia*
Padre Francisco Verusirao Baadtira. EoUe
gue se.
Felix Alhanazio Villa-Nova.-laforme de novo
o Sr. commandante superior la guarda aaciuaal
do municipia do Rooito, ottvindo ao Sr. rieMTin
dante de baulhao n. 26.
Firmioo Aiiioiii-i S iares de Oliveira. MM.
do, por nao haver vaga.
Bacharel Felix de Figueiroa Fari i. Ioderdo
Joanna Maria EvaagHista. lutorme Sr di-
rector do arsenal de guerra.
lose Francisco do Rego Caulcante. Passe r>or-
taria concedendo a ii vnca pedida.
Joaquim Man >el de Ohveira e Silva, Nao p)J#
agora r e-iabeieri ta. a ens!a da pr Tiaaa, a
aulanoeturoa a que allude o suppticaaie ; eacre-
tauto, o ensino graluilo a qoe se quizer prestar se-
ra aceito como seivico relevaotes.
Maria Riu Acciuli Cavalcantc. Dslerido ram
offlcio d->sta dau ao provedor da Santa Casa d>
Misericordia.
Monoel Ignacio da Purificacao. lofurae o Sr.
brigadeiro commandaate das armas.
S.-rgm Clcraeotioo de Sou to Maiur e Alboqtier-
que. Passe purtaria coacedeodo dons maze' de
licenea.
Cuuege Simao de Azevedo Campus -laforne a
camara municipal da cidade da Escada.
Vaieri>no Bezerra Cavalcaute de Albiiqaerra-
-soja o supplicante jubilado, em vista daa lotor
mocodS da iruno/-i..rii \* uiJnviU. .
thesouro provincial, e do termo de inspeccao me-
dica, com os venciraealos a qua tem direito, na
io. iila ua io.
Repsartl?** dm plirl
I.' seccaoSecretaria de poiicia de PeroambiMO-
11 de nowmbro de 1874.
N. 137Vlllm. .- Exm SrPamcipo a V. Exc.
quo Toram hontera recolnidos a casa de detencai.es
seguintes indivi luos:
A'minha ordem, Luiz Anloriodo NascimeMo,
vindo de Olinda, por e-tar pronunciado alii em
crime de roubo.
A' ordem do Dr. delegado da capital. Hyppo it:-
escravo de Joanna Aayusta, pur disturbios.
A' orden do sabdelegado do Recife, Jose \o
tonio Soarei. a r qui^iyau do consul portagoex.
A' ordem du do I." distncto de S J .se, !,aiz
Jos6 Ramos de Franja, J-laquira da Costa, Ha.xe-
lina Maria da Cnaeneto, Carolina Francises do
Espirito-Santo. Guilhermino Pereira de *brne
Florencia Maria da Cvnceicao, por di-turkios.
A' ordem do de Belem, Beuia, J 4 AquUiuo t
Sebastiana, escravos de Joanna Augusta da Cos-
ta, a requerimento de sua senhora.
No dia 25 de oolubru findo. n termo da Vi?f
ria. foram capturados Join Juca, prouunciado alii
em crime de ruubo, c o alferes Itj nicio Pe-soa
Cesar da Cunha, cr miaoso de mortc taitbem oa
quelle termo.
A'sOhoras da tarde do dia 8 do corrente, no I::
gar Barbalho, do di-iricio da Varzaa. Clemettin..
Maria da Cuno-i^ao. e o porlugue* Manoel DiMB-
gues Ca-t-mhoira, travaraoi se de razdes com Ma-
ria Firrnin i do Espiiito Santo, resullando disao *a-
hir este Rravemeute fenda.
Os delinquents foram presos em flagranto e
contra elles proccdeu-se nos lermosda let
Deus guarde a V. Exc. Illm. e Exm. Sr. cura-
mendador Henrique Pereira de Lucena, digno pre-
sidenle da provincia 0 chefe de poiicia, Anto-
nio F'ancisco Curreia de Araujo.
(aoenxi.v telegraphica HAVAS-REUTER.
Madrid tO de novenabro. Brrr I
ram se inforoiRv*''" I"r eeatrai
seat A nollfia
los em Franca.
da eatrada de D. Car
W*%rt.^\# ^^ \1i1%.
Madrid IO. Oa carllalaa
earan o bombardeaaaeata de
Paris IO. Nas eleleaea atara
putadoN a asaeaablea aaeaa
qae preaeateaaeate m
Franra, fiiraa eleitos
Cos repnbllcaaoa aai
tos do Drome e da Narie. e
didaia repubhranu a
ta da Olse.
>,V*s>%*f,* %% \1 \V,a\-
Bama io. -Naa eleaeaaa. a a<
prorede de preaeate as Italia.
nmaaraaec malaria daa
rlas do aroveraa.
Roma to. O mlalatro da aaverae
da republlea de vearaoela jaata da
Vallcaaa fal revaeada.
IMMMa IMMi %1i%^%>sV
Madrid io.-1'a (erria-el raakair
esta sendo reallaada aaa
dadea da cidade de Irna
forcaa doa lasarfgeatea e na da
rerno.
Bordeos 9. Proeedeale c
Janeiro cbesoa aajai a
rranceau dan Mensnaertna
mea. OHBNOQUE.
Liverpool io.-catenae
eedeate do BrasIL e v
GALILEO.

OMMMMMMMMMMMMMMMM^
iLtomL



~iii
Diwtio.de Pcraambuco Quinta feira 12 do Novembro de 1874 >? mrill!/) J 0/./*
Lisbon IO
tc tuples, da real raiiu, SO'iSE.
Bio de Janeiro 11 -iht- flrnaanbrl
pnra portos da Merle o -,aio>r
iRGEXTtltA.
Bahia* *.,-< vapor ln*le TYCtlO-
SIUHE chosen ho mom da Gnrepa, e
;i!iio h.ijc parti o Rio ilc Janeiro
>OTIll* CO.H.MKRCI.IK*.
Londrci IO. V lava ilo*crii(o
na praca ceaHinrfca a Ire* e ctraeo
oitavos' por eeeso. Conaoatdadoa
de 3 /0, Fon account, S l/. Fuados
brastlelros d* .' O D, de anno dc
ise. a Cafe i cat mo* precus
lirnoK iitalterndes t vo ndrrm >
mil e diisentoa acr.ea do bean ortil-
narto do tiio tic S n SI pnr cwt.
iRNiirar< caluie; prevoa linnen
inaltcrados.
l.ivcrriiol IO. A! god ho t calmo :
precos Urines inaHeiados 1 ventle-
ramu hoje docc uMl far dots, sendo
mil e aeiecentoa procedenlcs da
\incrtca do Nul i o pair de Pernam-
buco e de Santos a /8 d. por li-
bra. A.8Mucar : calaao ; prcros lir-
moa isaalterndee.
Antuerpia la. < ; fe > almo : pre
cob airmen inaNcrailoa-: o de *anot*
boat ordinarlo l i ,'% cents por It-
bra.
Havre 10.-Cafe: Mima; precos
ficMCKinuUi'i'aiin:-: to lite buna
ordinnrio le OS a tfctt I'rancoH por
SO Kt tears iVfffOdd-e : traoaaeeoes
rcKiilarcg ; preoon -i:iii SirtMea.
llambnito Ift. Cafe : deanntma-
do ; preoes flrme*, aeitt aaotavet
varinrao. man rein tendciacia a
bntxar.
MarseMm IO. Cafe: lraaror<
ro||iilan o de Kin. prtu*tra nnHaarla. dc
;,i:U #05 rrancax i >r SO hilogr.
\nHiirnr i de Prmambatii *<5 'ran
eM petite 50 bitosrs.
New-lurk IP. lumhlo awbre Ijea.-
drrs -t-a5 I/*. Ouro ItO 1/4. Cafes
iranaaccovs quasi mi'.las; preroa
huniinai's : O do Kio FAIR IS I <*
coon 1 1/* cunts per libra. Alaroaao.:
mediano uim.anes 1 5/ cents por II-
bra;a cbr^adaa de lioje aes por-
tos amerirniK>H elevaua-se a iate
e olin mil fardos.
I.i.ikIk-' l. -Care o deaosilo to
ml, dc teila* ns qunliiladea, ele-
vn aea trcae mil toaaeladas. cendo
tiiui' e iIoum nail saccan dp proce-
t-ta braetleira I durante a se
mitna Cora jii entreffties mil c oile-
eentas toiaelailaSt e di'scmliarca
raniqiiairorriiiaa. Assurar : e to-
tal do depiis-lto em Uverrpoel. Lou
d-rs. Bristol c Clyde* eleva-ae a tea
to olucoenta e .sete mil tuaclaclas :
durniite a so in an a forum eiiirefjues
fdize mil toneladas e desenibar
caram aoic mil.
Rio lie Janeiro 11. -Camblo sobre
baaadrea inalterado
Kaliia N.-CatnUio sobre liONdrca
9 f 't a *C 5 ** d. particular.
aava erawile armtnento t*t sterner a marrtra t ttuvi '(IJcdigna o %cm '.nformad* aoseoa-
d.'S rebeldes soure a cidade. IWaee pader lamar- luu ;
?e co*i cefto, rjneaTraulru ia1[ha pelo gover- Ksla veril'u-.ailo demorarernse na Atfaa Pria
no se limitou* a am eocontro-da vtmsraaffla das cscra'vos'fugidos. Algua* delles forain vi4ou re-
f0rr;4S de-CaiBposede. Uivas. A squ*drim*?*>s nrtRhP r^btildos estava csta mauha cm frente da etdade. UarMts, afrolnbaude raucha cm qQfl old senhor
Ciz-se (jae o general aiitre se acbava acampad > babitava, i^uandu cstava lirandu madeira pars as
com as suas fJrijas"alem do Dolores, e'qu^ e?lava | obras da matrix Felizmenle nio cansoguiram ar
imminenie nma batalha. Constava em Bueno?-
Ayres que as asseiutleas p ovinciaea neriaiu cm-
vocadas extraordinarianaente. A emi^rai-ao da
gnella cidade nara aqul tem continoado em gran-
de escai'a. 0 foveroo desta repablica maadoa
cas.tar a pat nte concedida ao vapor dos rebeldet
Montevideo e ordenou a sua captura nas aguaa tar-
ritoriaes.
MINA^-GERAES
roinbar, porque se arrorabasseio o Sr. Pedro Mar-
tins malaria, ubj aelles: esperava o arrombamento
com a esotafaTaa engatilhada.
I'm aellos, quo anda quaai Hii e desarmado,
1'Mi, Banco Rural e Hypoihecario 519* e 230J,
a dinbeiro.
a As vad*s de cafe forain mooes que regit'.ires
e as de asMiear pequonas para cunsumo.
r'retarame: urn navio para o Iltvre.'via
Raliw, cargi geral, a fr.. 60 a W pof ceaia ds-ca-
pa, e urn para Liverpool, via am port j do no/to,
algodao, a 'i\\ d. e 5 por cento de capa.
BAHIA
Na Faculdade de UedxMoa izeram acto os se-
fnintes eduiantes :
Via 6.-1.* anno medico.lose Perolra Teixei
correu atrK'da urn filbo do Sr. Urias Simplidano ta, Joao Moreira da C >te Lima, Joaqahn Slaeed >
Nogueira, eain o llm provatel do airancap-lie a
I roupa.
! a Naa oircuravisinhaBcas da Agua-Ptia
se a estada desses escravos pdos furios q
ente-
N tem
Tinhan aklo elcitos para a mesa da asseraalea bavi 10.
provincial os segarates oidadtos : presidflnte,; FaHecea a 20 do pastado, era Araraquara, aleli-
Justino da Anlrada Camara; viee-prosidente, co- ma de phtysica poliaaiar, o eugeoheiro Xotorino
ronel Raymundo Nonato da Silva Athayde ; 1 Aotooio Mira, membro da oommissao escarregada
secretarie, Pedro Maria da Silva grandao ; 2* dilo, dos esludos do prdonganicnto da via ferrea de S.
Or. Jt>se Eufroiino Ferrefra dc Irito. ; Paolo -e Matto Grosao.
Suicidarase, aa cidade da Bagaajem, a coronal; Fraera a sea leaiamoato a 19, reeonaeeendo
Modesto Baplista Am Sautos, disparanda um liro-corns sua filha a menor Elisa, qne \ive em com-
na oatwea. ; panhia de sua mai, ntsta corte, rua larga de S.
goyaz. ioaquira. i
Q'Coireia Official pnblica o seguiKe balancete ; "Falleceram tambem : em Cnpms* a Sra. 0.
do estado das cauai da Ihesouraria provincial ate Karia Luiza da Naiividade, a septuagenaria mai do
19 desie met : Erercich ae 1878 1&1 : Recci- .padre Francisco de Abreu Sampaio, vigario da
la (00:22jj@ 13, despeza I05:I6o7-j, aaldo..... ireguezia de Santa Cruz, da mesma cidade; na
57.2.18. Erercicio de 1814 1875: -Receita..... fazenda Bmpjno, municipio do Palrociaio das Ara-
ll"o2=49a, despeza, 11:387,181, saldo, Hi,M%. j ras, a Sra. O. Maria Ferraira de Camargo Pentea-
s. tmio. I do ; codtava ajtenas 13 annos e casara havla pou
Na faculdade do direito haviam sido approvades | cos mezes.
'A<;ENCIA AMERICANA.)
Livp.rpo 1 10.Atgodio: mcrcaJo Hi mo;
veil lerain se Lojo I.TOJsaccus do I) a si
Havre 10.Algodao: venlas do hoj i,H&[ I'.ir Io? thfliioeeltencia brasilcira ; 8
do Sorocab.i a 9J a o de Poraalnbuco a 91.
Coiiros : lifiue.
1* iris 10 -Ksta-i d'Miiiitivamente el-titos
depuladoi : p^lo depntimfnto do Nord,
o Sr. I'arsy, republicano ; p-!o 0is% o Sr.
Marcliy. booapartisla ; o polo D:6 He, 0
&r. 3auatejaot.repablican<>.
Madrid 10. NSo loi exieta a noticia
tju-i correu de'tercni'is carlistas levautado
g c.erco da Iruti j cootinuim ainia boui-
b>liindii aauuliii ladado. c.Hila vez aotn
fog> omis ruifriTo. Unfa parlida de 5ot)
earlistas, com duas pequenas opi.-n Krupp, ntr.ir'.in in Citalunua. 0 govcrno
da c mfederacao ^uissa assegurou ao go-
veruo alieniao oompktta iitutro idade pelo
lado das suas fronteiras.
L'sb >a 11.Sahiraro : para Haraabao e
tscaia o vapor ibglvz JEH0HK, e para o
Para o barci HGEIUA.
Yi\\-A 1! ils 8 h. e 55 m. dl mnnlia.
CiKgop hoatfi n d noite a corvuta por-
lugu./.a SAGUES. () presidetite dj pro-
noc a ollioiou ao goveruadur do bispado
dneodu I be que nfto aceitava o proiesto,
que Szera o clero, por estar escript e o
iiagaigein de.respe.t isa L* leis do paiz.
Udlna 11 us 3. Ii. e 5D m. datarie.
Cambio sob re Loud res ^G 5[8 particular.
Kio de .fan dro 11 as 4 b. e2ain. da
lardo. r.-nnbio sobre Londres 2u l|-2 b^n-
Cario e 20 o[8 patticular. S.illio para
fornambuco a barca portuguezi VII TO-
IUA.
RECIFE, 12 DE XOVEMBRO DE 1874.
\oticias tie sul do Imperlo.
Amanheceu hontem em noiio porij o vapor
frautez Girondc, irazenlo datas : do Rio da Pra-
ia e do S. Paulo 1 do correnle, de Minas Geracs
29 de ouiobro, de Goyaz 26 de setembro e da Ba
hia 9 do corrente. Eis o que coluemos dos jor
aaes :
RIO DA PRATA.
A falta de oMm aoateciraentis, qie neabum
occorrera de alguma importancia, oniinnava a
imprensa a occupar-se com o encoalro enire o
eoronel Luiz Campos, por parie do governo, o o
general Rivas, commandants ds forcas rebeldea.
Travou-se a peleja ao passar a p'jute de Passo
Medina, sobre o arroio Gaauetio, cerca A seis le
gaas alum das FlOres, na direccao d i Azul.
Insistena os governisias em qa-< foi c&mpleta a
derrota dos rebeldes, fcstejsda com fognetes, repi-
ques de sinos e musicas marclaes, fugindj olles oro
tres griiiiitSj os indios paraodserto,o ceiitro com-
manJad j pelo genera! Rivas sobre o Azul c o res
to dirigido pelo eoronel MaehaJo sobre o Tan U :
do lado eontraio inculoa se quo Rivas hxia um
reconbecimenlo sobre Baenos Ayres, e quo che
trail Jo ao ponlo indicado, d^pa orJem de cuntra-
marebar.
>>aio qaer qae seja, pareee que Rivas solTrea
eireciivameote algmu reves, mas nio tal quo va
lesse a pena de fallar-seianttrdelle,-eanao a iniR
jrua de facios mais momentosoa para en'rrter-a
aviilez de noticias pw pane d> povo.
Df pfj'.'iooias do iRterkir quaai intpossifei era
aber qnlqaer enim com alguni grto ile eerteta.
Ao passo quo \rredondo u'um lelagnanma dhi-
Sido ao presideute Avellaneda. iniiniacloo que
escesse-da pre>fiJdncia, so gabara de i r por si
S. Luiz, S. Juan, S. Thiago, Tucuman, Riseja.Joj
jay e Catamarca; o'govero'* Tazia vublwar que
todas as proineiai e-uvam iraaqniHas.
&n Buenos Ayrea trabalaajra-se activameati mu
aperceber os oavios que se tiodam >odido aimar,
e a primeira divisao da cbamada esouadra dizia-
se estar ja proropta para sahir e dar caca aos
vaporea rebeldes que entretanio cruzavam livre-
m*nie pelo rio. Destes dizia-se que estavam
pramptos para aeeitar o combate e qne liirhaui
eomprado o vapor brasileiro Santa Cruz, para
armal-o e eneorporal o as suas forcas.
A peiS'ia do geatral Mitre : antinuava envolto no
mysierio. A 2J ditem aicda agora estava na bar-
ra d.3 Santa Lucia um bri!b*Dte eudo Hiaior
de ehfe> e otfi ;iaej, e na ooite seguinte eoibar.
caraia t-idos no vaporziuho Q.ueho e lancha Ho-
rutoty. e esperavam nos qne sorirwfem pel* fco-*aa
dO Salaoo.
Houveem Buenos-Ayres um grande iucendio
uum aruazem de c;ime.tivoi* da drraa Bacquie,
eanu das rua- Rivadavia e Pi^Jras, avaliandose o
prpjui'O em seis milboe^ de {m<6i ppe|, 2 :0,4i)0
pataoiaa. Suppunhase que o fofco fura l\Wart9 de
pCOp(.M(0.
Hecebea-se na c6ne p seguima teJegram-
ma :
Montevideo .-As noiieias quo aqni sare-
coperaai hoje de Baenos-Ayre?, dizero aas matorias do 5 anno os seguintcs alumnos : Gai-
Vitira, Joao Jose Frederico LuJovice, Joao Poee-
grino Viriato de Medeiros, Julio Cesar de Momcs
Carneiro, Jose Fernaodes Coftho, Julio Alves de
Brito, Francisco Lope*-G"mes de Freitts, Antonio
(^andido do Amaral, Jose Maria Leiiao da Conha,
Paulo de Souza Q-ieiroz e Framcisco de SallesDias
Ribeiro.
Nas do 4 : Antonio Jatob da Paixai, Miguel An-
tonio Outra Filho, Arthur Luiz Cadav I, Jos<5 Fur-
reira d Mello Nogueira, Francisco Frederico da
Rocha Vieirz, Manoel Jose Monteiro Galvlo de S.
Miriinbo, Joao Kopke e Francisco Mendes de Pai-
va.
Nas do 3: Carlos Carneiro de Barros e Azeve-
do, Laiz Paulino Pererra Pinlo, Loiz Cartes Froes
da Cruz, Lniz Gonzaga da Silva Lame, Cesar Viei-
ra Machado, ArthurOctaviano Braga, Luiz Beza
mat e Manoel Antonio Braune.
Nas do 2 : Luiz Lopes Baptista dos Anjos, Bra-
silio RjJrigues dos Santos, Antonio Augusto de
Oliveira, Manoel Neto de Araujo, Joaquim Vaz do
Prado Amaral, Lock Drnmmoud Purrrado de Men-
donca (com diatineyao), Jo>e E;tanislao de Amaral
:FiIi,o, Jacinthi Perdra da Silva Fillio, l.ac Meodes
de Almeida Junior, Julio de M US u?a Moreira, Jo-
se de Oliveira Coelbo, Jose Luslosa da Cunha Pa
ranagu.i, i'lioio Alvira, Tit i Prates ia Silva, Jose
(leSariO dc Miranda Ribeiro, Jose Feliciano Perrei-
ra da Rosa. Alfredo Claulio da Silva, Anionio Ku-
clides da Silveira, Francisco Antonio Carvalho Ju-
nior, Francisco de Paula Franco, Salvador Leite
de Camargo Penteadd, Jose Angusto de Paula San
tos Dera-se um rerio eocflicto enire trabalhadores
na liuba ferrea d'Gesl1, a ires legaas de Campinas.
Referindo-se a elle, diz o Comtituciona-J:
Resulton, scgundo nos informam, um liro da-
do no engenbeiro Dr. Silva e Sa ; por emquanto sa-
bemos apenas que o Sr. delegado dirigio se no lu
gar enm 0 re.-pectiw escrivio e pracas a dar as
necessartas providimcias. d
Noticiuu a m> sma (o'lia no dia seguinte :
t Tamos a accresceutar que o eu.-cnheiru ft-rldo
e o Dr. Silva e Sa, que reccbeu do Sr. Murray, em-
preiteiro da csirada, u.ua pancada com o rew.il
ver, que ) ferio ua fronte ; c. hiado, o Dr. Sa pro-
can levant an, q:iereudj repellir o sou injpinado ag-
gress-ir, renov >n eSte as pancadas, aconiecendo,
luformam nos, qu'j o rew/Jyer di-paron, ferind-io
Dr. Si n i bomhro, er^bora se naj possa saber quai
era nesse monienu a inteneao do aggressor.
Dizem nos que a causa do crime 6 a imposi-
cao de uma muita em que incorreu Murray.
Os feriuisntos foram qualificados leves pelo Sr.
Dr. Valentin), perito nomeado.
Considerava-se extincta a variola cm Cacapava.
Fliviam appirecido alguns casos deaa epidemia
nos arranaldes de CaTipia3s.
Na mesma cidade mmifestara se. a 29 do passa-
d>, \i I!)'.> ineendio no predio n. 52 da rua Lusi-
"", ./ i .cucente a Trt'~i'"mxJ rniivmiiir?,o DCCIP
pada por A. 1. Araujo Azevedo. quo alii tinba nm
estabelesiraento commercial. Em pouco tempo as
chammas dominaram a ca-a e parte do e^tibeleci-
raento vislnb ', propriedad' do Sr. Thompson, cu
jas fazeudas foram, por prevenjao, arremessadas a
rua.
Compareceram cioso bembas sendo ellas do 0a
zomelro, dos Srs. Bierrebach & Irmao, do Dr. Jor-
ge Miranda, do Sr. F. Krug c da camara munici-
pal. E*ta nao pjJe trab&lbar por nao aciur se
com todos os petrechos necessaries.
O negocio do Sr. Azevedo estava segurona com
paniiia Unifio Patttista pelo valor do 70:000* ; o
predio, porem, que foi corapletamente devo-ado
pelo incenJio, nao era segurado.
A mesma companhia tem tambem de indemnisar
ao Sr. Thompson,que muilcs p ejuizossoffreu com
a mudnnca de suas merca lorias.
la se in .ugurar em Itii nma serie de conferen-
ces sobre assumptos importan'es, concernentes a
iostrucQao publica.
Le* se nas folbas da capital:
i Por mandado expedido pelo Dr. juiz munici-
pal da cidade de Cunha, Goncalo Paes de A?eve1o
Faio, loi preso no R:odo Peixe Manoel Antonio de
Oiiveira e Silva, pronunciado desde 1863 como in-
cer.-o nas penas do art. 193 do codigo criminal.
0 oriminoso vivia al6 agora no municipio, in-
terrompenlo apenas a sua effectiva resilencia com
viagens aos municipios visinhos. b
i E.-ta preso George G-enville, indiciado em cri-
me previsio no 4" do art. 264 do cod. crim., cuja
captura foi requisitada pelo juiz de dire.to do 1
districto criminal da corte ao Dr. juiz de direito
da 2' vara desta ci ;ad;, e por este ao Sr. Dr. che-
fe de policia. E' o fructo das mais bem combina-
da* diligencias. Foi feita a prisao era Iguape, co-
de o criminoso, depois de mnitos subterfugios, de-
clarou o seu verdadeiro noroe. 0 delegado de
Iguape e" digno de loavorea pela prompta e zelosa
execucao das ordens recabidas para semelhante
captura.
George Grenvilie ja esteve aqui nesla capital
fazendo parte da compaohia equestre dos irmaos
Pereiras, com o nome trocado. Este e depois em
Campinas, onde s>? fez couheeer como engenheiro.
Na capital abusou da conflancade M. Wormes, dis-
trahindo algumas iolas. Km Iguape apresentju se
como medico residente no Rio de Janeiro, quejvie-
ra a esla provineia pratiear uma difJQcil opera can
cirurgica na cidade da Faxina. s>
t Existe na rua da Ibnstitnieio n. 20, um carpin-
leiro cbamado Antonio Candido, bomem muito po-
bre que tem uma numerosa familia. Desgracada-
mente veio do Santos para esta cidade atacado da
lerrivel epidemia da variola, Manoel Francisco do
Couto, o qual falleceu daquelle mai, transmittindo
o pelo contagio a toda a familia de Antonio Candi-
do, pois morava muito proximo delta. Ja fallcce-
ram dons lilhos do infeliz cirplnteiro, e e provavel
que igual sorte tenliam os ontros, 3ssim como elle
proprio, visto como a mclestia desenvolveuse com
um caraeter as a Como esta familia -pela sua miseria (icasse
completamente ao abandono a sem recorso algmu,
nao so o iospect'ir do quarteirao como alguns vi-
sinhos, eompadejido* da fatalidada, que acabru-
nhou-a, pediram provilencias ao Sr. Dr. eliefe de
policia e o subdtlegado do districto do norto, os
qoaes nada fizeram. contlnnando os variolcsos a
inioroa de todo e amea;.ados de morte immlnente
se nao furem accudidos era tempo. Accresee que
aquelle foco de epidemia ameacava a vida de mui-
tos visinhos, e mesmo de contaminar ourra vez a
popnlacio da capital.
Diz a Gazna de Cautpiuas, de 1 do corrente,
qne bavia Jesapparecido da casa de seu pai, no
Taquaril, caminho de Mogy mirim, uma menina
de 6 annos de idado.
Parece que a pofcre criaa^A sabirs a brincar na
eztrada e perdendo o rumo, afastara-.e para longe
ie &ua muradia, sendo agarrada por uns pretos
fugidos que a levaram para o mat]. Fora encon-
trada, ^orieriormente, aconsideraveldistancij, nas
adjacenciat da fazenda dn Santa G^nebra, por al-
gumas pessoas que se pnzeram no encalco do laea
pretos. Diz ae que *siea a maltrataram mnito.
Sm a epigraphe (lailom'iola;., refere o Munici-
pio de Itapetininga :
Escravos fugidos, de diveraas procedeocias,
reunidos era numero de seis, lonnarara um qui-
lomho no lugar deupmiuado Agua-Fria. Entre el-
Ics da uma mulher e uua crianca. Essa reuniao
de escravos causa miito mai; porque alem do
medo qne incute aos traseuales, sera um refugio,
nm amparo e um meio da resistencia para os es-
cravos que finjirem, e para la se forcm acoutar.
Nao $3o v5os cs qossos recrtos.
Escreveram da Samambaia ao Correio Pau-
listiinu :
< No d\a 23 d : corrente o Rvm. padre Paolo de
Maya teve uma p?queua rixa com um seu fregnez
Joaquim Aal >nio de Mello, e chogando este padre
era casa contara o nccorrido a seu cunhado e ir
in ao Feruando dc Maia e Djmingos Urcaia : estes
armarara se ae n-wohers, facas, e a cavallos dis
parados seguiram ao encontro dc Joaquim de Mel-
lo, a quem>e:-pancaram e esfaquearam, deixando-o
quasi HK>r(o. Foram immediatamente presos os
autores do crime, que seguiram para a cadeia da
cidade deCaltlas.
Na nolle do mesmo dia o povo cm massa re-
unio-se, e dirigioio-se ao largo aa malriz para ex-
pulsar o padre Paolo, com basttnte dililculdade o
juiz de paz chtrve do povo qae se retirasse, pro
metteoio queo Rvm. p3dre Paulo sar.iria at6 o dia
25 do correnle.
b 0 motivn deste aclo 6 a granle indisposlcao
que tem esie padre com os seus fregraezes, contra
os quaes elle p >r vez-1* tem praguej do.
Referinlo o que houve em Sorocaba no dia
30 do passado e de que ja demos resumida noti-
cia, telegraphou o delegado daqaella cidade ao
eliefe de poli ia 1a provincia :
H intern amanheeu o dia um tanto nnbloso
e as 9 e meia horas da manha sentio se um sar'i
fragjr subte raneo, quasi como irovao, e durante
elle a terra trcmen violeutamenie por esp'co tal
vez de um e meio tuinnio, balan^ando os trastes,
qnaJros e espelhos nas paiedes, vidros, garrafas,
etc., nas pratel'-iras, fazendo cahir alguns o'ljcct)-
dellis u I' lius de algumas casas, trincanio al-
gumas paroles. Escureceu mais a atmosphera
durante o I'ragor e tremor e clareou quando elle
findou.
Algumas senhoras tiveram syncopes, soprava
nrssa bora o vento SE. Ao escurecer fez fno, que
uurou toda nolle. Tem chovido ha:tanle n;-tcs
ultimos dias.
t Nenhum facto en desas'.re chegon ainda so
meu couhecimento. 0 tremor e fragor foram son
tidos em toda cidade e em roda. Sei que foram
elios tambem sentilos para b lado do Itu', nj'sr-
raial do Piragibu', a duas leguas desta cidade" e
para c lado de Sarapuhy. locos na estrada do
mato de Jundiacanga, a tres leguas dc distan-
cia.
RIO DE JANEIRO.
Foi nonvado o coronet do corpo de estado.-
maior de artilharia, Hermenegildo do Albuquerque
Portocarr iro, para inspeccionar o depo-ito 'de
aprendizes artilheiros, conforme propoz o com
maudo geral interino da mesma arma.
Foi exonerado do lngir de amanuense da en-
ferraaia do deposito de aprendizes artilheiros o
I:* .-argento do mesmo deposit1) Gustavo Domin
gos Machado, sendo substituido no dito emprego
pelo 1.' sargento do rcferido deposito Angusto
Fernandes de Almeida Braudao.
Por porlaria do 14 de outubro foram no-
m/;ados, Jne Agostinho Marques Porto .para-c
ufuiwu oe e'cpevenio da? oflBeinas do arsenal de
marinha da cOrte, e Francisco Leocadio Alves para
o lugar de continuo da se :relaria da inspeccao d
arsenal da Baliia.
Nao foi aicraei do o r6o Francisco Jorgi
de Brito, condemnado em 24 de fovereiro de 1774,
a pena de sete annos de prisao simples, em virtu-
dc de decisao do jury do termo de Baturite, na
provincia do '"eara, por crime de homicidio pcrpe-
trado a 16 de novembro de 1873.
Foram nomeados : o 2 cirurgiao Dr. Felix
Rodrignes de Seixas para servir no enconraijado
Lim i Barm ; Jose Gomes de Oliveira para ser-
vir interinamente o lugar de escrivio do almoxa-
rifado do arsenal daBahia, percebendo o venci-
mento d^ 4 escriplprario da conladoria ; o capi-
laotenente J se Candido Guillcbel, para eomtnan-
dar a canhoneiia Greeiihalyh; o l. tcnenle Gas-
par da Silva Rodrigues, para commandar interina
mente a companhia de aprendizes marinheiros da
provincia do Espirito Santo ; e a Salnsliano de Mi-
randa para apontador do arsenal de marinha da
Bahia.
Ghegara a corte, de volta de sua viagem a
provincia de S. Paulo, no dia 2 do corrente, S. A.
o Sr. c<>nde d'Eu, no vapor Sunra Maria.
Xo dia !. do corrente, na augusta presenca
de Suas Magestades lmperiaes, teve lugar a qua-
dragesima nona conferencia do domingo, occopan-
do a tribuna o iliustrad i professor da Escola Po-
lytecbniea, o Sr. Dr. Jose de Saldanha da Gama,
que, tratando do modo de viver das plantas, 03^u
pou-se priocipalmente com o interessante estudo
das parasitas. DiviJio-as em verdadeiras e falsas,
e analysou miudamente umas e outras, revelando
profundo conhecimento da materia.
0 Sr. Dr. Saldanba da Gama terminou seu im-
portanle discurso comparando o para>itismo vege-
tal com o social, e demonstrando a perfeita seme
lhanca entre um e outro.
Ao deixar a tribuna I i merecilameote applau-
dido pelo numeroso auditorio.
No externato do Imperial ^ollegio de Pedro
II, effectuaram-se, no dia 4, os examos desuffl-
ciencia do 6.* anno, sendo ap;;r ivado os alumnos
seguintes : -Raul Carapello Barroso, com distinc-
cao em rheturica e poetica, plenamente em alle-
ma i, fraucez, grego e pbilosophia, e simplesmente
em latun e cbiraica ; Alfredo Augusto Gomes e
Bernardino de Almeida Sena Campos, simplesmen-
te em latim e ebimica e plenamente nas outras
maienas; Ari tides Ottoni de Araujo Maia, sim
plesmente em grego e plenamente nas outras ma
terias ; Henrique de Freitas Araujo, simple:mente
'in allemio, latim e chimica, e plenamente nas
outras materias ; Joao Baptista Netlo dos Reis,
plenamente em pailosophia, chimica, rhetorica c
poetica, e simplesmente nas outras materias ; An-
tonio Jose Dias as materias.
Foram dous reprovados.
Do Apiaby escrevem ao Jornal do Conner-
cio :
< Teraos a satisfaeao de anounciar lbes queo
eurandciro Maoosl Antonio la Cruz, que aqni sa
dizia S. Felix, fngio desde que as providenclas to-
madas pe:a administraglo da provincia rcfrearam
os abusos a sorobra dos quaes elle exercia a sua
mnleQca protlsaao.
a Os proteetores do Manoel Antonio arripiaram
carreira ; os incautos que o acompanhavam inli-
midaram-se com a attitude aaecgisa que a autori-
dade tomara. e resiituiram-se aos babiios de uma
vida pacifica, escnjurand.., ao que parece, o tm
busteiro que pur aigum lemoo oecupara aatten-
rao dos habitaiiies le-ta villa.
a Manuel Aotouio f m potto'em foga por uraa
pequeea furca envi .da da Faxina.
a A forca de I uh qu" aqui esta deve regrestar
cm breve, scado que a s. a chegada a este ponto
levou a convicc .> a tooos os espiritos de que o
governo da prviucia nao f6ra surdo as reclama-
coes dvs que viam immiuenta o perigo de nma per-
iuibacao na oMem publica.
A aifan l-'ua da cdrte arrecsdou de I a 4 do
corrente il9:53yJi77.
Eis as uot!cia> eoramerciaes da ultima data :
0 lui'.cmo d e.mibio coi)*orvou-si: muito lr-
mo, mas sem ii 'C:!i pequenas tran-i1' s s bro Liil.es a 26 l|id.
pajiel bancario, T' "|S n 2fi 3ji d. up ucular, o
regulares sobre Fraui;' a "' rew pir t>u.co pa-
pelbancafw.
a D soberanos iDflnas '-> o^gocioa nic pa^BMH
loie a 9*180, a oiii, iro.
a As apoiices geracs d 6 por cento estiveram
pouc> activas, ma> lirmes a l;040i, a IsahMMh
t No mercadj do ai^-ous o movimento roipe-\
. ........ !!.,... H, D.Lai
de Castro Rebello, Henrique Mooai, Antonio Alves
de Moura e Francisco da Castro- plenimento.
2 anno medico.Joaquim Maoedo de Aguiar,
Jose Carneiro de Caiapot, Goilherme Pereira Re-
bello, Manoel de Assis Souza, Jose Amado Couti
nho Daraia e Lauriudo Pereira d> Almeida Franco
plenameate.
3.# anno medico.Joao Agripino da Costa Do-
riaplenamente. Bellarmino Jaoome de Ueaezes
poria, Eoctiues Alves Itequiao, Raymundo Soter
de Araajo, Alvtro Taiieira dos Sttitos fmbassahy
e Ascaaio Lopes Villasboassimplesmente.
4*anno.Pedro de Andrade Freitas, Joao Can-
did* da Silva Lopaa, Pedro Muniz Barreto de
Aragao, Carlos Aibarto Tourinlto, Jos6 Luiz de
Aragao Faria Rocha e Juvenal de Oliveira Andra-
de plenaroenle.
i" anno reira, Manoel Maria Tourinho, Trajano Joaquim
dosKeis e Julio Gencalves Furudo-plenamente,
Auiouio Jose Pacheco e Leovegrldo Honorio de
Carvalhosimplesmente.
Oil7.2.* anno medico.Frederico de Castro
Joaquim da Silva Bolelho e Victor Marcolino da
Silva Brito-approvados com distinccao. Americo
Franc-lino Magalhaes, Heuriqae Gaedes de Mello
e Symphronio Fortunato Deilaeella plena-
meate.
3.* anno medico.Jos6 Zeferiao Ferreira Vello-
soplenamente. Luiz Francisco Junqueira da
Luz, Francisco Marlins Mendes, Jose Aalouio de
Mello, Francisco Viriato da Rocha e Doming
Alves de Mello -sioplesmenie.
4.* anno. -Joao lerreira de Camposapprova-
do com distinccao, Aureliano Pereira do Souza,
CustodioUodrigues Vasconcellos, Jose Zacharias de
Souza, Adaiardo Z .-no Ribeiro da Silva e Manoel
Carlos Devoioplenamente.
5 anno.Manoel Bernardino da Costa Rodri-
gues, Domiagos Vello-o Guimaraes e JoaoJose Co-
dmr-a, plenamente. Durval Meodes de Queiroz e
Domiogoi Guedes Cabralsimtilesmenie. E um
reprovado. *
t> .liiiu. Aureiio Benigao Castilho, Valenlim
Antonio da Hocba Bittencourt, Amancio Jo iquim
Pereira Caldas e Antonio Joaquim da Silva plena
tnonle. Clanndo Adoiplio de Oliveira Chaves e
Abdoo Baptista simplesmente.
No ma 6 foi exirahida a 1.' loteria en bene
ficio da maliiz de Ilapoao,. sendo esta a lista dos
prr-mios:
169.......................
H43............... .....
32'____................
1683.....................
451, 251 e 3,063..........
1697. 2638' 1671, 16 -8, 1619 e
2683....................
1911.3056, 53, 3038,416 1904,
488, 77. 3146 1430.......
2878, 1607, 245, 3403, 2382,
1020, 2444, 3357, 355, 515,
642, 1124, 3253, 1529, 1836,
592, 2001, 3078, 3420 ;e 766.
5:000i000
800*000
500,000
' 200*000
100*000
40/>( 00
20*000
10*000
iVoliciaa do norte tlo ituperto.
Tambem hontem amanbeceu em nosso porto o
vapor bra.-iieiro Ceam, com datas : do Amazonas
I., do I\.ra 4, do Maran'hao 7, do Ceara 9, do Rio
Grande do Norte 10, e da Parahybu 11 do car-
rpnte:
AMAZONAS.
Em Manaos assumira em 23 do passado, o excr
cicio de commandaute das annas da provincia, o
Sr. taueute-eoronel -Joaquim da Costa Uego Mon
leiro, commaudaate do ;i. batalhao d'artuliaria a
pe", chegado no vapor Marajd, visto ter de reiirar-
se para a corte o Sr. Ur. teuente eoronel Francisco
da Costa de Araujo e Silva, que por seus iucom-
i.iuilos de saude ve'-se obrigado a deixar o cargo
quo com muita dignidade occupuu por espaco de
alguns mezes. \
0 juiz municipal em oxercicio, capilao Cum
tO-U P'r fiaroia, proniUCioli Aninnia de Assife
Menies, e'nearregado naquella pr.viacia da casa
dos Srs. Freitas & C, eoiuo incurso no art. 132 do
codigo criminal. Porniohavelo pronunciado foi
suspeu^o pela presidencia da provincia e mandado
responsab.lisar o Sr. Br juiz municipal Miguel Go-
mes de FigueirSdo.
Lavrava com inteusidade, no rio Madeira, a
epidemia de variola, tendo ja feito inuitas viclimas
no lugar Capana.
A recebedoria provincial do Manaos arreca-
dou no mezde novembro 9:415*638, sendo:
I'ara a provincia 7:3684)29
Para a companhia do Amazonas 2:045*046
PARA.
Da capital escreve o nosso corresponden-
le :
a Ante-bontem a noite, aqui aportou o Ceara,
que hoje regressa para o sul, sem ter eoconlrado
no Para, a minima alteracao na paz e ordem publi-
cas, como ao conlrario se forceja para fazer acre
ditar fora daqui, a vista das noticias que se tem
trausmitlido, espicialmente nos incomparaveis te-
legrammas da agenda americana.
Gracas aos ceos, ate hoje escapamos ao cata-
clisma da anarcbia e morlicinio, taotas vezes an-
nunciado pelo lelegrapbo para todos os pontos do
globo I
a Devemos semelhantes noticias, muilas vezes a
insensatez de ccrlos jornaes, aasiu como a espe
culaca j de cerios grupos, denominados poliliros,
que mercadejam com as noviJades do momento,
exageraudo ou mesmo adulterando os factos, os
aconiocimento3 para seus flns,sem calculo de se-
rein em pleno dia desmentidos, como ja tem sue-
cedido.
Quem ler sobre tndo os te legrammas de um
tal Pr. Perebeiro, agente nesta praca da aucursai
telegraphica, na de persuadir- e que no Para nao
ha a menor garantia para o oidadao, que aqui se
vive expostu aos ataques. a espoliacao de uuia
horda le selvagens ou de vandalos; digara, po-
rem, os jornaes o que lbes aprouver.'-lelegraphe o
Sr. Perebeiro o que quizer, os faolos o quo pro-
vam e que a provincia permanece como ate aqui
em completo socego, e que. quando alguma occur
rencia dcsagradavel chama a attencao publica, ou
da autoridase, esta nao se faz etpt-rar no cum-
pnmento do seu dever.
f Beixando de parte a sitnacao do Para pelo
que respeita a tranquillidade publica, passeraos as
novidades da uccasiao, que me cumpre fazer con
star-aos seus leitores.
Ainda nada se sabe acerca da deflnitiva reti-
rada do presidente Dr. Pedro Vicente de Aze-
vedo.
t A suspirada exoneracao pelo grupo do conego
Manoel Jose de Siqueira Mendes nada tem dado
de si; o presidente, pelos seus actos cada vez se
afasta mais das inBuencias e preten;Ses deste
grupo.
i Ha pooco3 dias reeotregou no commando su-
perior da guarda nacional do municipio desta ca-
pital ao eoronel Antonio Pimenla de Magalbaes,
suspenso desde a administra^ao do barao da Villa
da uarra, quando succedeu a acisao do partido
conservador.
A laentcgracao do eoronel Magalbaes, assim
como outras nomeacoes, eulre ellas as polieiaes,
provam qua o actual adminislrador, prepara a
quada das influencias do grupo conservador, qae
ate aqui tm eatado a (rente dos destinos da pro-
vincia.
Falla-se me-mo em novas nomeacSes de vice-1 ultimaque escrevemos.
forani ranijados os alicerces do novo bt>3pital da
*Jldaid4 portbgiwwi RdnefioeMaj na travie leuoroioada.- Dous de De/emSct*, er.ire as novas
ruas de Joao Babbi e D. Rttmaud >, da freguezia
de TiazaretH.
,
apenas assisiiram o pessoal dos corpas e gereates
desta as^ciacao e alguns >>uiros- socios que ahi
compareceram. De todo o acto da eoilocaeao da
pedra lavraram se dous antes assittoadot paios in
dividuos presentes, sendo am Julles em pergami-
nho e dep -sitalu n'uina pequeua oaixa de madei
ra, a qual foi mattiaa na eavilale de umt das pe-
dra s aiigufares do ediQcio.
t Nos jornaes eacontra-se mais miauooso deta-
On desta fesla, qae espeeialmente lave lugar a I
de outubro, coma aci.n* digo, para solemnisar o
anniversario mtalieio do rei de Portugal
c Depois da festa de Nazareth, qae dura quinze
dias, e neste anno foi cetebrada com todo o as -
pleodor, e com a maior concurrencia de pjvo ao
respeciivo arraial, tivemos no priraeiro do corren-
te, uma roma~ia publica, pela volta das seis para
sete horas d manha nesta cidade.
a A' convite do vigario geral do bispado, dosQ-
iou da igreja de Sanl'Anna, indo em fronte algun>
padres de cruz alcada, seguinlo-se Ihe alas de me-
ninos e differcntcs inlividuos do povo; tomaram
em segdida lugar os collegiaes de dlversas casas de
educacae, e fechando o prestitc pane do clero, e
no Um o vigario geral, arcediago e o enanlre da
cathedral.
i A roinaria que tinha por objecto um voto do
clero em favor do bispo desla diocese, para que
Dens me conceda a volta ao seio de suas ovelhas,
loinou o caminho da ermida de Nazareth, pslas
dillerentes ruas desta capital, que se dirige a esle
local. Em lido o Iransito foram os rorneiros re-
sairl'j ladainhas, tergos, etc., alem de um sermao
que foi pnnunciado pelo arcediago Jose Gregorio
Coellio, na dita ermida, sobre os motivos de seme-
lhante aclo.
c Os jornaes tem-se occupalo deste assurapto,
uns elogiando, oulros eriticaodo que em uma ci-
dade como esta, se occupe o clero com votos de
tanta osientaQao exterior; pois as preces ao Se-
nhor pelo motivo que e,deviam ser feitas deairo dos
leinplos,visto actos de tal forma to-,are:n ao rilicu-
lo, quando nelies dev haver to lo o respeito e nsaV
lamento, do devo^ao iuiima e siacera.
t Por estes dias espera a-se no vapor norte arr.e-
ricano os deputaios a a-semulea geral Joao Wil-
kens de M^tios e Dr. A niral; tambe n diz-se que
por todo o ms correnle deve vir a esla provincia
o seoador Ambrosio Leilao da Cuaba.
a Ja torairara assento no tribun.l da relacao
-leile districto, os desembarzadores ultimamente
n ii'-.i l. -. Freire de Carvalho, natural da Bahia, e
Buarquo de Luna, dessi proviuci ; o lelegrapho
aeaba igualm'iile do annunciar quo., para aqui, fo
ra traur.il-rid' o desembargador nomead'> para
Malto-Gresso. Felippe itaulioo de Souza IV-hua :
esla por tanto complela de magisirados a.ela:aj
do Para.
t Tem corrido nestos dias a nolieia da transfe-
rencia do consul portuguez ; apozar dos bjus do
sejos que ha muito nut re o Dr. Moreira de ss rati-
rar de-ta provincia, haveria hoje incunvenjencia
na sua mulauca, em r/..io das que-toes .pie uiti
mameute.se tern agitato em referenda a colouia
pirtugueza; pois e.ie funcciouario, assas prudeute
e conhecodor dos hoir.cus e das cou-as do lugar
onde reside, torn eucamiuhado e tratado dos nego
ci is do seu paiz coin muita di-encao e activida
de, de tal forma que os seus patneios fazem plena
justica ao seu caraeter, assim c >mo todas as auto-
ndades do paiz o esUmaia ecou-id^ran Nao se
abe, porem, o motivo de semelhante occurrencia ;
o facto real e que, lanio os joruaos de Lisboa, oo-
mo as correspondents e carlas ulliaaineule re
cebidas dao como certa a sub-titui^ao do consul
portuguez.
a 0 inspector la alfaodega Lucas Antonio Ri-
beiro Pering, esta removido para inspector da tlio
suraria da provincia de S. Paul-), noticia que foi
trausmittida polo lulcgraono assim con) falla se
que tera oulro destino o actual intpeclor do arsenal
de mariuha, o capilao de fragata Carneiro da Po-
oiia.
Esperam se por o-t: dias os vapores OutOKO
Merrimack. o cosleiro do Maranhao, o vap .r in-
glez Lisbonense de Livorpol, e bem assim a curve
la Stores, de Lisboa e barc< Amizona d> Porto.
Quo fun levou a coryela PtfoJ it Olivciu ?
c>s leiegrauiinas ju > dilTerenlos noticias a seu res-
peito ; o ultimo, qua regress.>u arnbada ao Rio de
Janeiro, can agua aberta Sera exacto .'
Aqni esteve He 24 ultimo a corvela norte al
loma .-luy(ism, cuja otllcialidade foi mui bem rece
in.la e uosequiala, teu.io seguido pan os E>iados-
Uuilos, com escala por Cayenna e Demerara.
A siiuacao da praca ainla n.o & de todo re-
gular; conliuuaiu as JiQlcul lades monelanas no
coramercio, e por couseituiute carencia de plena
confiaaca ; acaba de haver uma fallencia, ou pel"
inenos cess.icaj de p3gamento.' da casa commer-
cial de Ant jiii Lu.z da Silva, cm quantia superior
a cento e trinta cuulos de reis.
c Os ii i;i -.os, e verdade que baixaram o premio
dos descontos a oito por cento annuaes ; mas is*o
antes iudi ;a superabuudaucia de deposilos mone-
larios, sem maior procua ou antes applicagao,
pela falta :e credito ; pois hoje, ba muito cuidado
no emprego qua se faz dos capitaes, mesmo por
meio de iirraas que ainda ha pouco tiuium facil
curso.
t Os geoeros da provincii nao tem obtido no
estrangeiro melhores precos do que ate aqui. Tudo
isto e um mai que collooa^a pra-:a em diUlculda
des. Para prova, a mi Ilia apresento, o compara
tivo do rea Jimento das esiagods pubheas do mez
dc outubro de 1873 e 1874.
Alfandega.
Em 1873. 370:561*132
Em 1874 3I3.896H41
f Recebedoria.
Em 1873 144:366*574
Em i874 107:883*952
Ver o peso.
Em 1873 8:443*846
Em 1874 6:599*106
< Santa casa.
Em 1873 414:360
Em 1871 523:840
t As cotac/5os cambiaea (eeharaui-ae hoe j:
a Sobre Londres 26 1/2.
< Sobre Paris 370, o fr.
Sobre Portugal 110 0/0.
A sahir vapor Ambroze para Liverpoo polo
Ceara. Barca Adelaide, amanha, para Lisboa. >
MARANHAO.
Nada occorreu diguo de men cao.
CEARA.
Pela presidencia da provincia foi nomeada
uma commissao, cumposta dos Srs. visconde de
Cabiupe, barao de Aqniraz, Dr. Antonio Goncal-
ves da Justa Araujo, Dr. Henrique Teberce, com
mendador Luiz Ribeiro da Cunha, coronal Vista-
riano Augusto Borges, e coroael Antonio Tneodo-
rico da Cusia, para encarregar-se da acquisicao
de produclcs para a exposicao provincial.
A alfandega rendeu no mez de outubro. .
217:767^25.
- 0 vapor inglez Maranhense, sahilo para Li-
verpool, levou : 2938 saccas com algodao, 2'00
saccos com as.-.ucar, 190 fardos com bolacha, 2021
saccos com cafe, 77 ditos e 58 barricas com cera
de carnadba, 2550 couros, 3 far Jos crinas, e por-
cao de o.-s.is, peaaaio tudo 528,122 kilos, a dei-
xando a alfandega um rendimeolo de 19:427*951.
Pallecou na capital, o capltio Joao de AraujJ
Costa Mendes.
RIO GOANDG.
Nada occorreu digno de mencao.
TARAUYBA.
Nosso correspondente da capital es:reve o
seguinte:
a Fomos hoje eomplelamente sorprendidos
um a chegada do paquete do norte, quando s6 o
esperavamos amanha ; de sorte que faz sa mister
resumir o pouco que por ca occorreu depois da
cial, eaa boas resnltados prcteode S. Exc. mar-
dar ahrtr o papamento dos vencmentos do fane
cioaarioa pub.r*. t, ra teaehava iQi*rroni,.i dia 14 do rorrenie met; 4 .(aa saeeedtra fin -
mer.or duida, p< r ja luver diahoro para e>** fin
< C'liitiuuaiu auimadaa e cres-I'las as eotrad.-
dos generos n > mereado desta eapiial.
Na seuiani [ assada tiventoa uma eatraea e>
pantosa de algodao : dias dc 831 saccas I eoass
qae ha muito aao viames.
a Ficain a earga It aavios.
Deu a costa cos baixos de Loceoa uraa barr.
Ingltza com um carregameoto de earvio. hm
ora nada mais rx.iemoj adiintir a semelhante rr
peito.
0 ctlehre p..squint Detptrt-idor, qae aqui s-
poblica duas veaes por senuna, dandu aoticia l.
diegaoa a easa provmcia do Exm miniatro do'ire
perio, conselbeiro J.,ao AKredo, diz que foi frit,
s gniflcativa de que os perna.ahueaoot, coaapre
heodeodo os males qne S. Exc. tem fetti a aac
e a heroica provicia de que e iiltto, aao o apre
ciara e antes o r--j-llem : eoitras baoalida
iguaes, de que e cariz o dcscarameaio do pasqu
neiro ; qoaedo todo muo4o aabe aaa S. K*.. n .
podia ser melhor recebido ea saa uroviaaa nata
c Muito podem o cdio e a inveja I
Nao n is almira, entretanto. qne jorna
assim proeada, se bem que de ree> nh'eiJa ma f
com reUgao arecepci> diillusi.e coaselneir,
quando, com o maior eynismo d--t irua elle .
actos aqni praticalos em face du |.u i
agentes >lo poder, com ple*;a certeza de -or imrn
dialameuie desmiulidu seu replica.
E' para que saibam de quauto o capaz o l>
perlai-jr, ofgan dos liber aes des a prvvtae a, qa>
tocamos em tal assunpio.
Renderam as duas reparticoes pobliras a
fandega e consulado provincial, do I.* a 9 do c
renie, aquella litungxio, eesta :0*W>7i >
!'iSft'
*a

REVISTA DIARIA.
i i
Alfi el
de Fi
presidenles, on alteracao na respectiva lista, nao
sei qual grao de veracidade desta noticia, porque
semellunie aclo e da attribuieao do governo een-
mt.
m E' facto mdubitavel qne a provincia necessita
passar por nma rcorganisacao do seu pessoal, no
qua diz respeito a certos cargos de conuanca pu-
blica.
Os lib racs, com qaanto afattados completa-
mente da governacao, pela actual politica do paiz,
apdlaudem os actot da presidencia, porque veem o
comeco da decadencu Jo inimigo eommum; os
dissi lento- trasburdara de jubilo, apezar de gr ta-
rem conira a actualxlado, pois querem dominar a
utuacao; os outros grupos disoutem na baprensa,
ou so approTnnam uu r- trabem daste ou daquel-
le, conforme os .-eus iuloiesses. Na opposieao de-
cl. rada a tudo e a Lidos esla a Ben-Not a, orgao
do -'ins:)pdo, em raao dos aoontecimentos que li-
ver.'in lugar unto aqul con,o atii, eom os proces-
sos e cnndemna^Io is dous bispos.
t A Tribuna tambem e mtolerante e virulenta
' pariieutarineule coulia oa portagnezes.
- Por fallar em poriuguezas, de*o annunciar
queno ao seguintcs pregos : Banco do Brasil quo no dia 31 do outubro, natalicio de D. Lniz I,
Nao podemos, entretanto, deixar de feliclta Ios
e aos habiuntes dessa heroica cidade, pela lionro-
sa visiEa a ella feita pelo i I lustre e distracto conse
Ineiro ministro do imoerie, Joao Alfredo CorrCa
de Oiiveira, qae lantos e tio relevantes servicos
tem prestado ao paiz. e pelos quaes se ba eontli-
tuido credor de geral estima.
a Acompaah am os de eoracao a todo ease movi
mento festivo, ovacous e provas mui tip las que de
todos os angulos dessa bella e sympathiea cidade
tem sido levantadas entbusiasticamente em bonra
de (ao nobre e 'listinrto cidadao; < do ca desta
humild- e obscura posicao, em que not a^hamos,
dirigimo- Ihes as nossas felicitacoes, como adraira-
lores, que.somos, aos aeua laleoios, virtudes e im
portanles 'services prestados ao paiz no elevado
cargo de miaistro da coma.
N'alta regiao olboial da provincia n-da ha oc-
corrido digao d men cao : os negocios da almi-
nistracao publica vio caminhando regnlarmente,
tanto mais agora qne oa cufres ja nao se sen tem
lao exhaustos de numo-rario. como outr'ora.
a Gracas as ecouomias feiias |pelo Exm. presi-
dente da provincia a eaforcos que ba empregado
na cobranca da divida activa do tbesoaro provin-
l-'clititat^a > -DaaiU omiezidaa
aprespntada ao Exm. Sr. cuusellieiro Joao
Corn;i ite Oiiveira pelo Sr. hach^rel Mh
gueiroa Faria, por parle dos empre^ados do arse-
nal de guerra :
Exm. Sr. con>uheiro.QianI i 'Vraru!>'i-
sni unisono brado se levaula, raluute de i .>r
ao i-i.ira i dc uma bata de-lu:nbraute, para rre*
aar em seu seio o fl! io in us eslreme "ido, e aiada.'
n i pessoa de V. E\c. o estadista incansasvi
o talent iso minislro, que da lusiona as p-tgm i
tem euchido de triumpho, uao aeriamos nos. luo
cipaarkiS do arsenal ie gu-rra, quo u aiuoior* 4
tarafai, repriminl1 oimuulso sy.npaUwci al-
mirar-ao. usqueceriamos a saudacAo devij* a'
vuit-i magnanuno de V. Exc.
c Esta saudaci). Exm. .Sr nio e a simples cor
tezania do emprogado paaaiou e muite uteaas
cumprim"nto de am iterer uul roteuiilo, pr!
ouirano a ex,d sao de nossas aaaaa adooiaai
o pernautbucaac, qae cobno-se Jos espieed r-
>Ja gl ria ; e um tnbnlo sincere a qu-m nas aaa-
dj merecimeuto guindoa-se aos fa-ligms da l-
der.
it E assim e : c vossi rncreciinenlo, Em. Sr
expressa-o o paiz na voz eluquenie dus lasios pot:
ileus, e dilo o povo pcruambucanu, que, ao som d
hyranos festivos, saulou o ministro popular, qu-
tendo aporlalo a e.-ts plagas, lez camiaiw Iriurn
phanle por entre vagas Je um mar de harmuoia-
S.m, Exm. St., foi um di i de iiuraeoso reatosiju par-.
to l)- que vim is \. Exc cttngit a piz raivam-'n
lo, sombreada a front.I de. lantos lourus coaqui.-:.
dos na li < l!)iira. pois, a aem ten. sabido iUustrar '
nome p. rnanilmcaiui ; a iiueiu laalo* oaaair..-
ha dispeusado ao paiz no iraco aeguro d<> iaapira
das reformas ; a queai lew leilo rai>eaUr 'fuOVr-
de lu'. para dissipar as ir-.vas dos esutnios, setian
do, no pensar de um escriplor, eaat irreaauaei *
taridade de verdade absoluta a foJguranie qae-
tao da iaabaapie uaiversal : aalva a V. Kxc, qu.
soube com as lagnmas do cssravo acender a au
rora da liberdado I
Em nome, puts, de mcus co i paabnirat, d-
eajos sentini. ulos sou apenas fraco interprele aes
te momento, digoe-se jc-iur esla manifastacao d<
apreeo e gratidao que iributamos a pe-soa de \
Exc, em quem reconoe.emos o esladula e mioi-tr
profundo, o parlamenlar distincto e verrfadeir-
guarda das tradic.0e de Paraatabnno. Rei
5 de uovembro de 187 i. Felix ie Figuetri* ha
i ia >
lorveta Xirtberey. O vaxir Jagmi
rile, entradi de lernand.-, deu noticia de ha-
ver alii chegado no du o a: 5 horas e 15 mi.iut
da tarde a corvela Lrasileira AV'tAeroy, que sef ui
a 8 pela manha para o 11.o de Janeiro.
A corvela ha via sahiio do Para no dia 4 J
outubro passado.
Foi encontrada pelo Jngamribe, no dia 9 do Mr
rente ao meio dia, na lattaude S. 9* U', e ionf-
tude 0. de GreeuwicL 33* IV. Nio aavia raw-
dade a bordo.
Faculdoilt- de Direito.- 0 resnltad-
dos exa-nes de ani.-noulem (lOi foi 0 seguinte :
2* anno.
Francisco de Paula Corn' i de Araajo Junior, pi
namente.
Alfredo Abdon de Loyola, simplesmente.
Casemiro Reis Games Silva, idem.
Cornelio Tdixeira de Mag-.lhies, idem.
J-nesco Telles Bandfira de Mello, idem.
>e Joaqnim Palraa, idem.
Benjamin Rodrigues de Freius CataaML idem.
Franeisco Ferreira V.an-na Baodeira, idem.
Alfredo Moreira Gomes, plena.nenie.
Frandsco Muniz da Si'.va Ferrai, iJem.
8 anno.
Ernesto Aojrusto da Silva Freire, plenameat'.
rincisco de Castro Rabello, idem.
Aristarco Xavier Lopes, idem.
Loureaco Angusto de Sa e Albuquerque, idem.
Jeronymo Maierno Pereira de Carvalho, idem.
Oeminiano da Costa Barbosa, idem.
0 resultado dos exarnw de hontem (II) foi
seguinte :
5" anno.
Thoraaz Gomes da Silva, plonament?.
Adolpbo Carlos Sanches, idem.
Jose Pinto Ferreira de Oiiveira, idea.
Joao Tiiomaz de Araujo, idem.
Alfredo Alvea Malbeus, idem
Jose Pereira dos Santos Anlrada, idem.
binbeiro. 0 vapor Para levou de aos*.
pran para :
Parabyba 12:4i3*-9i
Natal HWa*MC
0 vapor Jugnarite trouxe dc Feraaul d'
Noronha para :
Antonio Manoel Pereira Vianna Junior
Manoel da Costa Campos
Pereira .rmio
Querino Joaquim Madeira
Antonio Gomes Senna
Joao Pranei'co de Souza
Alexandre A. de Caldas Padiltu
Leopoldo 0. Martha
Jesuino M. 0. Cruz
0 vapor Cearii trouxe nara :
Joaquim Jose Gomes
Manoel Jose G. de Amorim
A. Hvvernal & C.
0 vapor francez GircnJe trouxe 400^nrW'
para os Srs. Borstellmand & C
llelrao de hraraamdlaule. No domiaf
proeedeu" a inn mdade da .N. Sra. do Amparo, u.
igr ja dessa denominacio, oa cidada de Odada, a
elefcao da mesa regedora para o aorta oa 1878, f
cando ella assim organisada: juiz, Joao Soar*-
Raposo : escrivio. Joao Tneodomiro da Coata Mot
teiro; ine-onreiro, Candida Gaeaaa Abofaraaa
procurador geral, Manoel Iraacio da Silva Braga
discretos, conego M. Joao Gomes, Asdadioc Goaca-
ves Rodrignes Franca, loin Baptista da silva Mao
gninho, e Maniel Alves de Santa Aarta_; pioeari
[dor do Redfe, Eleutetio (te Rocha
dito de Oliada, Antonio Conrndo da Conha
ini|uorifo raoliclal. Foi t era ft aao a
juizo eompetente, o que levou a toia o waMab
gado do districto dos Afogados, contra Aataoio d>
Paula Pinto por crime de olleasas physicas.
FeatlTldade rellKloaa. -A' Immacotada
Coneeicao da Sanlissima Virgeol Maria, que ajfTi
ja soleraoeuente Cuinmetuora em 8 de dezvta&r .
sera este anno pompo-aTierta festejada no r.avoa-
do do Caxang\i, p-la primelTa vet.
Segoni.1 ni> conmuileam. mcrnares d-Ttien*-
povoado, coaUiido cam cobcuTso dos finis iaaafa*
aSantissima Vir^en, pnpiram alii a ra. -ptci-
dida fcstividade iiara o du S do mez proxi ai via
douro, que 6 o twisaprado a semejtunic .. <
dafnossa religiao.
Cunta-nd que esforcos tSc rf^ataaaa si-i uc dP*
vidamenle com;'- ^d-o?.
Eatatiatf ca poitnI. vjLjlmiB:traja'
dos correios o'pedii li itfaJatpar* i Ea
ropa, pelo vap >r fra^^: aaate.i1 4 77t
cartas com 7,174 portc, 932 jonuas com t.!4>
i:ooo#9f
777.>'
4004**
3wmr
34M>cO<
:umj*o*
lOOdiO-
7:MtMt
tmm



Diaifo xie 9ermt&bd&S- ftuinta fek* 12 de Xovembm tfe 187t

rr
,,r#>, tOsegAiroi corn'^0 portes. e 6 amostras
oiti 14 portes. assim distribuidas.
Franca.
1,381 carUs cum 2,608
4 seguroscoru
5 amostras cam il
329 jo.naes coin 148
Portugal.
2,891 cartas com 3,932
portes.
*

*
566
1,649
portes.
portes.
portes.

portes.
D

jornaes com
Ilalia.
101 cartas com 115
7 segaros com 11
i3 jornaes com 12
Hespanha.
62 cartas com 6$
4 segurcs com 4
19 jornaes com 19
Altemanha.
333 cartas com 391
5 seguros com 7
I amcrstra com 2
5 jornaes com 19
Vapor Handahu. To!<>graaima de Ma-
ceio, recebido hontem, da noticia de haver alii che-
gado o vapor Mandahu, proccdente de Araeajii e
I'onvdo, sahind > para este perto hontem mesmo.
Deve portanto aqui chegar hoje a noite.
Jury do Recife. Fji aonvocada para o
dia 23 do correnta a sexia sessao do jury do Re-
cife, sob a presidenc'ia do Sr. Dr. jaiz de direito
Quintiao Jose de Minim? i.
Em transit!) -Com destino ao Rio de Ja-
neiro achara-se a bordo d > vapor Ceard 46 es-
era vos, e It apreodizes men-ires do arsenal de
jaerra do Ceara.
Para o sul do l.nperlo. Com os 9 re-
bidos ere n >sso porio, levoa hontem o vapor p r
inguez Julio Diniz 127 pa3sageiro3.
Para a Europa.-Gj.n 17 recebidos em
uossO porto, o vapor franco Gtronde levou 191
passa;eiro.
%o\A publienciio. Acibam de sahir
a iuz, n'um volume de'raais de 100 paginas, di-
versos artigos que foram pub'icados ne>te Diarw
com a assignatura de .1 de A. esob a denomina
o,ao de -Breves consi&eracoes sobre os primriros
itios tli adminislraeao provincial do Exm. Sr.
commentator Henrique Pereira de Lucena. Agra-
decemos a offerU de um exemplar.
Escola Normal das senuoras.
Hoje 6 o ultimo dia era^que devcrao exbihir suas
provas escripta' todas as alumnas do 1." e 2*
anno daquella escola que o requereram, come-
ando os trabalhos as 3 1)2 horas da tarde. O
exame oral comecara no >abbado as 4 horas.
Couflictos e ferlmentot. Era 8 do
corrente, pelas 0 hora-< da tard", no lugar deno-
minado Barbalho, do dis'.ricto da Varzea, Clsmen-
tlna Maria da Conceicao e e portuguez Manoel Do-
mingues Casianlieira travararnse de razoes com
Maria Kirmina do E-pirito Santo, resoltando da
Inta com que terminaram a questao, sahir esta
.jravemente ferida. Os deiinquentes foram presos
m flagrante.
Nova indiistrfn. !nforrr.am-nos que la
para as bandas da rua de Dias ardoso, oulr'ora di,
r.aldeireiri, existe uma prssoa que se occupa cm
apaahar, nas ruas da cidade. CMS, e, com as car-
ne3 e fa'o, preoaTar Iragniras, one expoe a venJa
em diversos lugares. Sera isso verdade Gra-
ven! que n3o se defxe proseg njr semelhante in-
dnstria de tao ma- consequetieias para a popula-
.-ao.
Praxa para o exerelelo. 0 ministe-
id da justica communicou ao presidenie da pro-
vincia de Goyaz, para os fins conveai-rates, a pro-
r^gacao pnr "mais dous mczes, do praio para o
desembargad r Elfas Pinto de Carvalho assumir o
i-xercieio do sen cargo na relacao dps.
ao presidente da provincia do Rio Grande do
N Tte, qu"* r i substituido polo de stia mezes o
prazo d- quatro raezes narsftdo a". t>acharel Cesi-
rlo Jose Cbavantes, para a?su:nir o exercicio do
cargo de juiz de direito da comarca de Canguare-
Uftna.
Wrrieo da gnnrda nacional. 0
r.ini--t'-rio da gnerra, em 8 dp ijutubrn, dirigio o
guinte aviso a provincia da l'arahyba :
Ilim. e Exm Sr. Accuso o recebimento do
efflcio que V. Exc. me dirigio em 10 de setembro
ultimo, co'nmunicaodo qua de conformidade com
o dispo>to na lei n. 2,393 Jo 10 de setembro do
I iiroximn Undo, min lara naquella data dissol
v r o de>tacamento da guarda nacional da capital
lessa provincia, e detei ininara que as pragas do
xercito addidas ao mesmo desiacamento, assim
< omo 03 invalidos e recratas existentes, e qne se
issera apurandu, f irir as-em um d''posito de re
crotas lob o commando do major da guarda na-
cional Francisco F--rnandfS Lima Junior, desig-
uando igualineute os tenertHS bonorari03 do exer-
cito, Arhndo Eduirdo Cambotm e Raymundo Go-
::~.M ie 3 ioza p*ra s rvirera n> m^s-DO deposito,
ate que recolba-se ao nespeciivo quartel a compa-
nhia de infamaria que ora se aetri no interi r da
pruvioeia, e, liu,! i eute, que mandara contra tar
; ara servirem na enfermaria mil.tar, como enfer-
i tiros, os inJividaos de nomes Jo-e Francisco dos
Santos a Fl >riano Pereira Li na, qae pertenciam
ao mesmo destacanvnto, pere-;bendo cada nrn a
grattficaca > dc-i05 )0 >. En resposta declare a
V. Exc."que 11'a approvada a sua deliberai;3o,
lenos quinto a noroeatgao do major da guarda
naiiioual para commindnr o aeposito de que se
trata, porqnanto a citada lei u. 2,393 de 10 de
setembro u timo estabeleie no sen art. 1* 1 que
a guarda naci >nal -6 podera ser chamada a ser-
\ :<;o nos csos de guefra oxterna, rebelltao, sedi
i ou in-urr' ifjao, e nao distingae utre offlciaes
t pracas de pret, ficando por isso V. Exc. na in
i- lligi'iicia de Hae aquelle dep'isito deve ser dissol-
ved" l"go qne s- recolher a eapital a companhia
'.n infiotaria, send) dispensados os dous en'ermei
ros contratades ; e bm a>*im de que por aviso
d i i'j referido mez de setembro ultimo .e pro-
ridencion acerca do aamere Je pneas quo deve
..r a intsma c impanhia, de modo a fazer o serv
.c da gaar ieiii cum loda a regolaridade. Deus
gnarde a V. Exc Joao Jose de Oliveira Jun-
wira. b
AnliKuidadc de capitaeM- O minis
terlo da guerra, em 8 de ouiubrw, expedio ao pre-
-dente da comraissao de promo^Ses o seguinte
aviso:
i!lm. e Exm. Sr. IVndo sido presente a S.
M. o Imperador o requerimento em que o capitSo
do corpo de estado maior de 1* clause Eluardj
Jjse Barbosa, allegando tT sido prejudicado em
-.'us direitos corn as transfereacias concedidas a
capitaes de ou ras armas para aquelle corpc, na
cjnforrai lade do art. 6 da lei n. 1 220 de 20 de
julbo de 1874, pede qae esses offlciaes sejam eon-
jiderados inais modernos do que aquelles que ja
;3rtenciam ao dito corpo, qnando foram transfer!
Jos ; houve o msmo ugusto senhir por bem
leclarir Qr* sua immediata e imp-rial resolucao
de 30 de setembro oltirao, tomada sobre consulta
io con-elho sapremo militar, do 28 do dito mez,
c;ue, nao havend > at6 agora outro meio de preen-
c'aer as vagas de capitaes do corpo de estado-
maior do i cl.sse senao pela transferencia de
capitaes d outras anna?, uenhum motive ha para
qae es^es capitaes de outras armss sejam conidera-
mais ra> demos d i qne aquelles que ja perten-
cetn ao Itto corpo ; devendo, portanto, cada um
u capiMes uitimamnte transfer idol ter no alma
i;ak militar a coliocaci- a que Hie da direito a
lata de saa patents. 0 que communico a V. Exc.
i ara seu connecimento e fins convenientes. Dcus
, larde a V. Exc. Joao Jose de Oliveira inn-
i.eira.
a eoimnissao dirigio-se a casa do Sr. commendndbr
Anloffio tost Ja Costs Braga, onde se acha e 9r.
eOTrmwBtfsdor dnha T.Res, e ahi camprio a sua
mis*le. t
HlMrellanea.No circo dos Ganrpos Eliseos,
deTariz, de*uWrai*-Ha poneo sete masieos won-
tanhezes, tfne eansaram seneac^o. Ex-eentam rre-
ehos de operas e canc5es com instrument"* bar
baros. ConsHero esies em pedtas deas e fnradas
e a'uma especie de coracfles de barro eioide de
differentes mMoft des qnaas extrahem sons d"e
uma do^on ineffavel. 0 effeilo e prodigioso, o
enthnsiasmo foi immenro, e os montaofiezes e-
raoos trinmphadores artistieos do proximo ia-
verno.
*- 0 congresso postal internak>oal que se crie-
hra em Bern*, proeeden no dia 8 do corrente a
volaeio do projeeto de c ravencao. Todas as dele-
gacies aceitaram oprojeclo, aalvo a delegagao
franceza que declarea, em dobm do sea goveroo,
que com qaanto se associasse aos seatimntos que
animavam o congresso, n3o julgava dever : mpro-
metler a sua assignalara sem cunsullar a camara
0 representante francez pedio, por esse motivo, que
se Ihe deixasse aberto o protocollo. Este pedido
foi acolhido favoravelmeote.
Esta coocluido oo eemiterio de Moatmartre,
em Paris, o tumulo qne a esposa de Emilio de Gi-
rardim manlou construir. Compoe se de duas
enormes pedras de marmore branco juxtaposta3
horisontalmente, cercadotado por uma simples ba-
lau: trada de ferro.
0 Who de um sobrinho de Chateanbriand,
acaba decomprar a resideaeia de Combourg (IIlo
et-Vilaine), berijo da familia do autor do Gtio do
Chritiiiinismo. 0 novo preprietarlo projecta res-
taurar completamente aquella vivenda.
0 principe Carlos Bonaparte qae acaba do ven-
eer a eleicao em Ajacio contra o principe Jerony
mo Napoleao, 6 Clho do principe de Canioo, pre-
sidente da republica romana em 1818. 0 principe
de Gaaino refugiou-se era Franca, algum Iwnbo
depois da toraada de Roma, por6m, logo depois foi
d'alli expulso. 0 imperador permittio Ihe mais
tarde tornar a entrar, morrendo em Paris, ob^cu-
ramente, na rua da Universidade, era 1855 ou
1836. 0 duque da Cambeeeres foi noraeado tutor
do principe Carlos, seu filho. qneservio no tempo
do imperio, na legiao estrangeira. Tem hoje 42
annos de idade e e chefe, era disponibilidade, do
51 regimentode linha.
No eemiterio de P6re Lachaise, foram ha
dias presas duas raparigas, apyarentemente mo-
destas, que de ha muito tempo iam alii roubar as
coroas, medalbbes e outros objectos que os paren-
tea dos finados depanham sobre os tamulos. Foi
um dos poneiios, occulto por detrai de um tuma-
lo, que doscohrio as aul.ras desses roubos, que
apezar das diligencias empregadas, nao se podera
ate agora saber quern fossera.
Havia ja algum tempo que se pediam de
Londres, a municipalidade de Mil.io, informacoes
acerea de um tal L,uiz Moreili. Respondeu se que
Mirelli linha morrido deixandoum filho, que exer-
ce n proUssSo de cordoeiro, e queepai do 3 Olbos.
Qurndo ainda rapaz.Luiz Moreili tinha solfridoa
peaa de 3 anoos de prisao pelo crime de rouno.
N"um des.es ullimos dias, seu hllio recebeu por
via da autoridade 8:000*000 em uma letra de
Londres, aco.npanhada de uma carta na qual um
tal G. M. S., antigo amigo de seu pai e actual
mente commerciaute em Londres, maniTesta ter si-
do elle o autcr do roubo pelo qual Lniz Moreili
foi condemnado injubtamente. A BMBtna referida,
offerecia-lira G. M. S. coraoreparacao domal cu-
sado ao defunto. A letra de canibio foi pntual-
me.ite paca logo que se vencea.
Loteria do Rio de Janeiro Resn-
mo da lista da 2." loteria (553.*) em benefri > d*
malriz da CanJelaria, cxtrahida a 3-do corrente :
4007 ............... 20:0)0^000
1' io32'.'.!!i................ 100005000
N. 4833...................... 4:0005000
N. 2317...................... 2:000^000
.\'s. 2662 ,3I221:000* a cada um.
Ns. 203-i, 2317, 3906 e 5383 -SOOi a cada um.
Ns.650. 1018. 1197, 1724, 2133, 4169, 4147,
4533, 16.13 e 1983 -2003 a c.idi um.
Si 200. 234, 401, 1031, 1103, 1315, 143),
1717, 1731, 1833, 2912, 3181, 4161, 4236, 4266,
16TO, 4913, 3126, 5743 e 5106 -1003 a cada um.
Ns. 3,96 282, 296 340, 370, 460, 543, 557,
mbHtitiiicao de escrivacs do ju
*o de ansenles. Bui z9 de outubro, o
mioUterto da justica expedio a presidencia de S.
Paolo oseguin;e aviso :
Illm. e Exm Sr. Gun o olflcio n. 215 de
11 do corrente remett u V. Exc. por copia o que
he dirigio o jui'. municipal e de. nrpfaSos do termo
ii" B.ininal, pmp"ndo a de-ignacito do 2" escri-
vio de orjiiSos para servir na qualidade de escri-
- iidijuiz.) Ie auwuti-, Ciiil'.r.ne o dtsposto BO
art. 76 do dec-eto n. 2,48:1 do 13 de jurtfio de
1--59. E fluBstandt) do ditt. offlilo dessa presides
. a qav serve nv mesmo juizo da- ausentes Epifa-
Bio Ulrico de Azevedo, m.ipeado para o primeiro
Bcio deesenvaj de orpbao- Jo reterido termo,
por decreto de 4 d atfisto de 1847, convera que
V. Exc inf.irmd sobre os motivos que deterraina-
rm aprefereacia do 2* escnvao oa/> o lira ja
adicafi. Dr-us guarde aV. Exc. Joao Jose de
Oliveira Junqueira.
Eoaftar^os rfe obra nova. Ao pre-
s.dente de Amts Geraes dirigio o raiuisterio da
justiga o segiinte aviso em 29 ie outabro :
Illm. e Exm. Sr. Foi presente a S. M. o Im-
Vraior o aflkia ft. 124 de 30 do abrii proximo
mdo, em quo V. E\c. subiuette a consiJerajao do
governo a seanintt* c nsulta do jniz de direito -*omarar do Rto 9. Fraacis.cj : se na acgao de
...ujjirgos de oixu iiuva, ^tuado o vatof nio ex-o-
der de 1003, deve s ?elo art 65 do reguU.nooth anuexo ao decreto b.
4.824 de 28 de aovemb.-u 1871, ou, vista a da-
tareza*wB>eeial &n reftrida a^fJo, o proeesso orde-
ado peU legislacao anterior a novi.im raforma
j idictaria; e se finalmea'.e, em lace do aviso de
t de maio de 1873, Toi a sobredlta accio exelaitK U 'omraissao, o Sr. RayttrjfJtfo Joed *
[da cmnpetencia dos jmze* de paz, bera come e*'Wt>nra.
inlerdictos possessortos, por rersaTem ta fluest5
4olre frens de raiz. __ B o mesmo aagrjhtds'rti!or,
tendo ouvido a sec,-ao de justica do coBserho de
estado, raaoda declarar a "V. Exc. que as bub-
ctar/oVsile obra nova teem proeesso snrltmario, e
nao sao da corapeteBCia #is Jrrizes de paz, os quaes
jnlgam s6Tiente ai dividas e bens raovefs median-
to o pr ce-so summarrssrmo estabelecido no art.
63 do citado regularaento, e qae 6 evldeotemente
inaomnativel com os artigos de nnnciacao, olTere-
cidos depois do mandado de embargo. Deus gnar-
de a V. Exc. Jod.o Jose de Oliveira Jtinqaei
ra.
Certidao de baptismo de eseravos
prevalece sobre a matrlcula. 0; mi-
nisters da justica, em data de 28 do mez proxima-
meate Undo, dirigio a presidencia do Espirlto Santo
o seguinte aviso :
Illm. e Exm. Sr. Era offleio n. 94 de 10 do
corrente communicon V. Exc. a resposta do )niz
de direito da comarca de Iriritiba a seguinte coo
salts do tabelliao do termo de Benevente : se no
caso de provar-se, por meio de cerlidSo de bapiis-
mo, qne nm escravo e maior de 12 aanos, erabora
se mensione idade menor na relacao da matricula,
a qae se referem os arts. 1 e 43 do regulamento
annexo ao decreto a. 4,835 do 1* de dezerabro de
1871, pode ser lavrada a escriptura de alienacio a
vista do art. 4* J T da lei n. 2,040 de 28 de setem-
bro de 1871. E de accardo com a solucao dada
pelo referido juiz, declaro a V. Exc. qae, para o
lim previsto do citado art. 4, a certidao de bap
tismo, authentica e devidamente reconhecida, pre-
valece sobre a declaraciio da matricula, qaanto a
idade do menor. Deus gnarde a V. Exc. Joao
Jose Je Oliveira Junqueira.
Estrada de rerro do Rlo Cirandc
aAIegrele,-Porde:reto n. 5,772 de 21 de
outubro, o governo imperial, attendendo ao que
requereu Hygino Correia Dorao, concessionarlo
dos estudos para a estrada de fe_ro do Rio Gran
de a Alegrete, na provincia de S. Pedro do Rio
Grande do Sul, prorogou por tres mezes os prazos
marcaios na clansala 12' do decreto n. 5,563 de
14 de margo do corrente anno, e a conur da as-
signatura d i respectivo contrato, para a apresen
ta';,"u dos estu los relativos a mesraa estrada.
Fechnduras die novo systemaEm
data de 28 de outubro, foi concedido ao eogenhei-
ro Joao Ram-is de Qaeiroz, privllejio por oito.an
nos para o fabrico e venda de fechadnras por nm
systema de sua invencao.
Unrhina de rorlar fuino. Concedeu-
?e a Leaoir & Filhos privilegio por oito aonos
para fabricar e vender no imperio uma ma-
china de sua invencao, destirsada a cortar famo.
Conservaciio de cereaes. -Foi conce-
dido a Gony Ste'phen privilegio por 8 annos para
fabricar e vender um apparelho de sua invencAo,
destinado a sooservar cereaes
Cal^ado de il.* eositlnno Concedes.-
se a Claudio Francisco Catmard privilegio por
oito annos para uzo e goso do roeihoram'*nto
nuc declarou haver introduzilo na primitiva ma-
china de fazer calcado de fio cntinuo, sys'.ema
Gabourg
Caiisclhn supremo militar.Na ses-
sao de 31 d^ ouiubro foram julgado.s deliuitiva-
raente os segainles proeesios:
Exercilo. 2' cadele, Joaquim Gonzaga Mar-
ques Port-1, accusado do crime de ter espancad j e
f^rido levemoute a um soldado, e cond<*ma4do a
15 di;.s de prisao ; fci reforoiada a seoteaca em
dousmezes de prisao; Soldado Claudino Teixeira
do Xascimi-nto, accusado do crime do ferimentos
graves, do que result u a morte de seu camarada,
e condemnado a gales perpetuas ; foi coufirmada a
senteoca. Dito, Manoel dog s. Menezes, accusado
dos c.'i'm 's de ter aliaudooado a guarda e pralicado
furtos em aim casa Commercial, e condemnado
nas penas da 3* parte do art. 12 'los de guerra do
regulamento de 1763, hero cmo na i* parte d>
art. 18 tambem dos de guerra do ito regulamen-
to, e mais 6 mezes de prisao rigorosa, pelosegun-
do crime; foi reformada a sentenca para imu.i-
rem ao reo a pena de um anno de prisao com tra-
balho. Dit', Simplicio da Rocha Lima, occusado
do crime de la desergao simples, e condemnado
em 6 mezes de prisao; foi confirmada a senten<;a.
Dito, Valaqoias Fraza > de Almeida, a:cusado do
crime de 1" desercao simples e condemnado em 4
mezes de prisao, por se ter apresentado passados
os 3 raezes ; foi reformada a senten;a, para impo-
rcm ao rCo a pena de dous mezes de prisao, como
incurso no art. 3 4, I' desercao simples daord.
de 9 de abnl de 1S03, por isso que se apresenton
volunUriamente dentro dos 3 mezes. Dio, Manoel
Cesar Ribeiro, accusado do crime do primeira de-
sercao simples, e ondemnado em quatro mezes
de prisao, por se ter aprefeatado passados os ires
mezes; foi confirmada a.sontenc, a. Dito, Flaviano
Correia dos Santos, accusado do crime da haver
desertado cm tempo de guerra, e condemnado a
ser .ireabuzado; foi refurmada a sentenca para
imporem ao r6o a pena de 3 snnos de prisao cum
fabalho.
Arm a/a.Capilao-tenento Estanislao Przewdo-
vosky, accusado do crime do offensa a Republica
Argentina pnlo langamento de quatro bombas so-
bre a povoajao do Alvear, tendo silo absolvido
pelo conselho de guerra : foi confumada a sen
tenga.
Nao tendo sido inelnido no extracto da res-
sao de 28 do corrente, o nome do soldado Ji ao
Soares de Mello, accusado do crime de ferimento.
a respeito de cujo proeesso o conselho de gnerra
se julgou incompetente para sentencia-lo, por ser
o fi-ridi paisano ; o tribunal proferio o seguinte
desjiacho : Volte o proeesso ao con.-elho de guer-
ra para julgaro reo como incar.-o em crime mi-
litar, por ter lido commetlido por um soldado, e
no hospital militar.
Qaanto ao soldido Ifaootl Francisco Lourengo,
dc que trata o mesmo extracto, foi accusado dti
ter commettido com circamstaneias aggravantes os
crimes d furto feito a seu camarada, e tor por
duas vezes accommtttido, para espancar, ao seu
superior ; por este* crimes o Conseliio de guerra
o condrmuou a 4 annos de rigorjsa pnsn>, jul-
gando se porem incompetente para senteocia lo
pelos crimes de furto de um burro ensilnado, uma
icile, camisa eoatros objectos, feito a pe*soas nao
camaradas, nera superiures. O con-elho rupremo
militar de justica reformou esta sentenca de 4 an-
uos Je pri-ao rigorosa, par; condemnar o reD a 2
annos de prisao com trabalbo.
Opcracoes cirurgicas. -Lenios na Cons
tituicao, do Ceara:
O distincto operador brasileiro. Dr. Luciano
de Morass Sarmeuto, continua entre nos a fazer
quasi proligios na sua especialidade.
Nestes ultimos dias pro>*>deu as seguiutes ope
racoes :
Da talha:
I.* Em Joao de Andrade Barra, do 12 annos
de idade, pelo proeesso de Dupoytren. A pedra
do volume de um ovo de gallinha, pesoa 41 gram
mas, inoJindo de compnmento 45 milimetros, e
de largura 39.
2.* Era Joaquim Alves Fernandes, de II annos
de i lade,.bilateral, pelo mesmo proeesso A pedra
du volume de am grande ovo de pombo, pesou 21
grammas.
Ciida operacao foi praticada em raenos de 5
minntos e so. re ram ambas sera o minium incid.m-
te. Os cparados acham se actualmente em vespe-
ras le um complMo restabelecimento. .
De olhos:
A extracjao da catarata pelo proeesso Gr;ef,
na pjssoa do Sr. Vicente Perreira Lima, de 50 an-
nos de ilaie.
t A extracQao da catarata pelo mesmo proeesso,
no Sr. Francisco Marjues da Costa, de 60 anuos
de idale peuco miis ou men as.
f Este ultimo operad', que ha 14 annos o?tava
intciramente ccgo, nio tenlo si 1 > su:i nettido a
chloroformisacao, pode vet togo depois daqogra-
cio, recoQhecendo os objectos que foram apresen-
tados.
c A operacao do eatropioso pela transplantacao
da hordi ciliar, na pessii d i Sr. capttao Queiroz,
cufo resultado foi o mais satisf Finalraente na pa-soa do Sr. capita) Baptista,
era casa do Dr. Mm -el Fernandes Vieira, a ope-
rajao da ablacao de am enorme tumor no escroto,
constituido pela degenerescencia fibro-cam'Ugino
sa das sua-s tonicas, do volume de um graude fruc
ta pao, pesando perto de sen libras.
t Assistiram a estas operates distioclos medi-
cos desta capital, e pessoas gradas, qne admiraram
o t3lento e perleia do distincto o lender. t>
Perdao.LeWos no Globo, do Rio de Janeiro :
O eonselho da Sociedade Rio Grandtinse Bene-
flcentee' Ffamanitaria reanioss no dia do cor-
rente mez e, por proposta de setr presideotB Joa-
quim J. Goocalves Ferroira, nome'iu uma comrais-
sao de tres membros para (elicitarao seu presi-
deute bvnoratio u comaeaJaLr Jis6Joao da Cu-
nha Tellea, em conseqnencia do acto do poder mo-
derador qtie o irantoa do cnmprimerttii da pena
qne ibe f6ra inipo-ta pelos trlbonaes do pals.
SilvaY A nos3a nllima publieai-JD dea o qae faeer a
\ Provincia.
Hontem (3), as 5 horas A- tarde, eBcerpwada' Ti^ando conelusBes dos Avers';s periodos, -In
irertendo as palavras em sea favor, pretenderam
cb#gar a consequencia de que n6i haviaraos com
eW's concordado an certbs'pontis!
Se 03 procincianos, nio fossem tiradores de
coBequeucias ao gosto do Dr. SebOso, ou Fr. Ge-
rnadio, podia ser que tiranem algum proveito de
snas aprecia^oes, mas d'este mod hao do li-
ra r.......
Nao disseroos qae a Beforma nao insulta ; pelo
eoairario, dizendo qae ella 6 a vossa guii espiri-
toal, qne tem contact comvosco, e claro qne Ibe
reeenhecemos o direito de prmncia, embora com
algnma modifieaeSO.
Tambem e" tebosa, on do Br.'SebSso, a conclusao
de que tivemos em myra preparar os animos na
curie. Esse inteeto c o vosso, cemo dissemos;
mas lei nos certeta de que la, as vossas exagera-
coes, as vossas mentiras serio recebidas, como
sao aqui.
Temos oavido a mm los liberaes distinctos di-:e-
rem, sem reserva, que as vossas decfaracoes sao
descorapostaras de ribeira, e que o vosso pas-
quira, coraproraeHe o partido liberal, detgracada-
mente represenCaio por meia Auzia de raptzes que
sobre serein ianorantes, mo insentatos e furiosos.
Fica'i certos, senbores da Provincia, qae n5o
soraoe nds os vossos juizes.
Q iem vos julga, e com loda severidade e a
opiniao publica sTaqui e defera, ja nao vos to'e-a;
sao aquelles mesmoa de quern vos dizeis cerreli
gionarios, os liberaes siaceros, mas qoe vos
fpellem eom aseo, coaoigsomimosa a vossa pre-
teoeao. Entendeis I
Ate o vosso artigo de fnolo, desde raoito esta
convei tido era lugar de de;Conipostnra-, de in
sultos t
E ha de esur a gente bOa desta terra, conser-
vadores c ato os proprios liberaes (I) amarrados
ao iofame poste da Provincia, so porque os sem
rergjnhu teem por seu muni* 1
Aos homeas de bem que ainda nao se retiraram
da dirocfio do partido liberal, faiemos am appel-
lo, e os conjuramosjoor amor a decencia e a digoi-
dade da imprensa, tao rDeuosctbada, tao viilipen-
diada por esses ubutres que nao cansintara esses
furiosos affrontarem tao descommunalmente a
moralidade pablica !
A nos os provinciattos bem sabem que nSo
offendem com as suas graeas, descomposturas; a
nos, ellas somente excitam compaixao e o desejs
da que quanto antes se conclua o asylo, para que
alii acht lugar quem a elle tem incontestavel di
reito, r.s provincianos. Ate" breve.
Recife, 11 de novembro de 1874.
C.
5014', 5277, 5337, 5391, 5314, 5631, 5597, 5801,
58 6 e 5918-403 a cada um
-I-nt^ria. -A que se acha a venda e" a 124',
a b.-neiiciii do altar'do Senhor Bom Jesus dos Pas-
so-, da igr.-ja do Corpo bant", que curro hoje 12
doeoir-it r\
Lellao. Hoje, na forma do osiume, haveru
grande qu-inii de moveis, on.ro, miudezas, cami
sas para homem e innumer ;s artigos do uso do-
Bwstico na Feira S*manal a ru.-i do Imp rad'T.
Hoje tambem, iff:ctua o agen-.e Dias, leilao
em a rua do Uarqaei Jo Oliala n. 37, 1 andar,
das dividas na iraportancia de 5.3113143, perten-
centes ao espolio de Paulino Ouofre .Nunes, e dos
bens e dividas pertencentes a massa faliida de
RustroB Roock & C.
Ain la hujr-, eifectua tambem o agente Pinto,
as 10 l|2 horas, o leilao dos sal-ados do patacho
inglez Dundee.
Ao roeio dia, do casco e mastros reaes do
mesun. navio, no armaz^m do barao Ho Livramea
to, no caes do Apollo.
Casa le oc i n^&o.Movimento da casa
de deteo^ao do dia i0 de novembro de 1871 :
Existiam 306. entr-iram i8, sahiram 8, exbtem
3-26.
A saber : kaeiOBaes 237, mu'heres 10, e-tran-
geiros 30, e*cravos 44, escravas 5.-- T.-ial 326.
Aliinenlado- a cu.-ta dos oofres poblteoa ^37.
A saber Sai.s 219 eenferroos 18.Total 237.
Movimento da enlermaria do dia 10 de novembro
de 1874 :
Teve ttaixa :
Joao Antonw dos Sant", fistula.
Passageiros. Chegad"* dos portos do
norte no vapor nacional Ceard :
Joaquim Francisco, Francisco Fernandes, Izido-
ric F. d- Sotua. Manoel P. de uliveira, M. Floren-
zanio, Vicentf Coinmodelli, Mancel J. dos Santos,
A. de A. Sampaio, Antonio J. de Siqueira, couse
Iheiro Bernard i Uaciialo da C Doria. Jo-e P. de
M Oliveira, M-.uoel A. de Mrllo, D. Uaria N. de
Mello e 1 escravo, Joaqaira to&6 Js Miranda Hn-
riques, Anlonio D. de Souza, Joao Luiz Ribeiro de
Faria e sua senhora, D. Hermelinda Luiza, Joa-
quim A. P. Vieira e Paulino L. de Souza.
Senaem para o sul no mosrao v.ipor :
Cqronel Fiaucisco de C. a. e Silva, alferes Ray-
muudo F Mjuteiro, Antonio da Silva, D. A. Fran-
cisco Bruno, \. P. da Costa, Manoel Rogue, J. C
de Azevedo, D. Maria F. da Conceicio, Joanna da
C (Attico, Manoel A. da Silva Reis, cadete Joao J.
de Oliveira, M iria F. da Conceic'ao e 2 filhos, Joao
sV Silva, Dr. Jo, juira F. <. de Mello, alferes Anto-
nio do A. Mello, Antonio A. Correia! 47 escravo-
a entregar, 2 recrutas, 1 cab > e 3 pracas do exers
eito.
Chegido3 dos portos do sol no vaper francez
Gironde:
'Nioolao Xngel Francisco Angelo, IJ. Trajano.
Antuuid A. Pereira, I. C. Zmkrikoski, I. Gres, I,
G. doAmaral, R. Francisco, F. A. Cbabariberi, J,
A. da i'urificacao.
^osm^icoes a mm.
A' Provincia.
Os provincianos firmes no propoeito db robai
Xar ai6 a si os vultos mais uroemioenlej do par-
tido conservad >r, todos os dias apresenlam-se ao
public", cada vez mais atrcvidos, mais insolentes,
mais nojenlos I
Como se fosse possivel conseguir o qae preten-
deur; como se o peccador, contra o magniflco
exemplo de Christo, podesse atirar pedra mesmo
n'outro peccador, esses desmioiados preiendem ri
Jiculanzar os earacteres mais nobres, e puoil-os
por suas i*lus, ereadas e juigadas pelos provin-
cianvs.
F.' a pi ova man saliente da estultlcia desses
desenganadus I Qatu te dementia cnepit, gente da
Projtincia I
Como se nao fossera conhecidos nests terra,
tbeatro de sens gloriOsos ftitos, apfbsentam se
como ins hrtocentes, e cbegam mesmo ao arrdjo
de se inculcarem zeladores to legado dc nossos
heroko* eiiadaos de 11, 24 e 48, e fumrtht *'
tempi* liberdade I I
Isiri uao e -6 am sarcaenJOj urn* iajuria aos ma-
nes dos liberaes daquelles tempos^eomo o m^ior
Illm. Sr. Dr. Manoel froncheo Teireira.Pet-
mitla-nos V. S., que perante o pubiico Ihe consa-
gremos um teslemuuho do quauto Ihe somos gra-
tes, com relacao aos Dumorosos favores que em
epocas bem penosas de nossa vida Ihe havemos
mereciJo.
Sempre, pois. que lenhamos o3casiSo de pensar
em nossa iraoquillidad* reconhecemos osben^ficos
tffeitos de sua valiosa amisade que de taulo nos
tem servido.
Por um innumero de vezes havemos reeorrMo
ao patrocinio medico de V. S., e Belle enconiramos
sempre um eosforlo para o nosso espirito, quando
desauimado por crcumstancias ner osas de que
ambos somos soffri'dores.
O procedlraento de V. S. nestas occasions e sem-
pre auimador ; sempre a mesma dedicacao
igual o seu interesst em inedicarnos.
Se entrelant ," no decurso de 14 annos que V.
S. e nosso medico o temos prociralo por algumas
vezes para he satisfazerraos qnal |uer relribuicao
pecuoiaria de accordo com as nos'as lorea, cria-
mos com este procedimento, uma tituacao toda
vexatoria para V. S.. que sempre se ha riegado a
jusia re'.ribuicSo de srus e=fjrcos mjdicos para
coinuosco; nao exitando enlretan'.o na reproduc
(ao de novos favores qne p if ventara Ihe conti-
nuemos a merecer, ja por ctiamalos a nossas ca-
sas. e flnalmente por consullis n-iteradas em seu
escriptorio, oude sempre nos rcci-beu como um
dos nossos mais prcjtinnsos amigos.
Nao podiamos por tanto, concenirar esta mani-
fest. Qio de oossd reconbecimento ; sao muitos os
actos que earaeteriaam a adhesau e benevoljncia
de V. S. para cOUHMsCO, os quaes se achara bem
patentes em dosso e-pirito.
Oramitiiremos entretanio es-e catal go de tao
avultados oosequio recebidos ; conheceraos o
quanto e V. S. indiflerente a- demonslraqoes que
transpiram ao pubiico, cuja razao nos fez silencio-
sos a:e hoje; mas p-nnitta-nos que registremos
aqai os dous ultimos favores que the acabamos
de merecer, com i"das as saas circumstancias.
O primeiro se deu com o rneu irmao Augusto J.
G. L-s-a, abaixo assignado, quesendo affectaio de
uma febre de mao caraeter, apresentaudo alguns
symptoms assustadores, V. S. se dignou tratal-o
com aqueilejnteresse e dedicacao que o caracte-
risara.
A familia de men irmJo ja era d.sanimada pelos
soffrimentos porque. o viam passar, e mesmo pela
applieacao de uraas pilulas que f rain receitadas
por V. S. no dia anterior, quo o I. v.iram a nm es-
tado todo alfliclivii e desassocegado.
E-tava elle ne^tas circumstancias penosas qu in
do por nossa felicidade tornou a ier vuitado por
V. S., que ?endo ainda de opioiao que se peWh-
li.-se no meerse tratament>, embora os elfeitos in-
cmdiarios ou contnnados do rcmedi", teve nessa
occasiao a bondade de tlirighr-lbe palavras anima-
aoras e convi icenles do seu restabrlecimento,
passanlo depois a appl car-lhe coin as snas p o
prias maos as mesma* pilulis, de 3 em 3 minutos
aul a ultima; examiuaud-lhe o pulso allernada
mente. A molestia, quo tao espaulosamente pare
cia querel-0 s-?: arar u'eata vida, foi ced.-ilo pou
co a pouco, ate" tranquillisal-o por algum tempo.
Metade da cura parereu-nos n'aiuelle moraen-
to effectuada ; mas nao. Aiuda a molestia persis-
tiii com grandes riscos por perto de um mez, oc-
cupa do a mail se>ia alti-ocao de nas o bom ami-
go, que nao obsiaute as grandes occupa;5es de
sua oxessiva etinica, o visitava em todo esse
tempo por 3 e 4 vezes ao dia I
Foi set pre, pois, o Sr. Dr. Teixeira, um per fei-
to amigo nosso; ao recouhecer qae o raea irmao
havia ehegado a um aage de perigo, nao mais o
desampirou ate oseu coiupleto restabelecimento I
Os llliiis. Srs. Drs. Eduardo de Barn-s, secre-
tario da pclicia,- .-sim como 0 Sr. Dr. Jacobma, o
tinham ido visitar, quando tesumunharara o facto
,uo acabamos de narrar e foram adrairaddres
n'aquella occasiao desse raerito, que se revela na
Hkutrada" pessoa do Sr. Dr. Manoel Francisco Te
seira.
O scgundo facto, se den com o nosso escravo
Hdefonso, que affectado de um grande numero de
scrofulas, julgaraol o quasi perdido I o elle
ahi existe jurado por V S. que patenteando-se
por mais esta vez" nos aonaes de sua vida raedica,
eonseguio nelle e^ta cura, alias tao espantosa na
medicina I
O pubiico do Recife, em grande parte f.u conno-
cedor do estado melindroso em que elb esteve,
achaHdn-se hoje hvre do tao hoirivel situacao I
Deseulpe-nos, finalmente, \T. S. se o teruBOS eni
sua susceptibilidade; quereraos que o pubiico nao
ignore que nos ufanamos de admiral-o por litotes
tao honrosos como os que acabamos do offerecer
a sua considerar;ao e apreco.
Recife, 12 de novembro de 1874.
Captulino G mgalvps Lessa.
Angusto Jo'6 lioojalvos Lessa.
(*) .lo tribunal da rela^tto.
Validadade das concordatas ami-
"aveis.
P Inteliigencia do dtcrcto n. 2,481
de 28 de setembro do 1859 (so se
refere as c mcordatas p st.riores a
declarapao judicial da tailencia : as
que nao es w uesse caso sao permit-
tidas.
Decisoes do Tribunal do Commer
cio da corte e da Relacao de Per-
nambuco.
AccoBUAO em Tribunal, etc. Reformam a sen-
tenca de 11. 55 v., vislo* os auUn. Purquanto, em
Vista? do escripto de fl. 14, do assentamento a fl
40 v^ censtante do livro- DiarioB da flrma Me-
nezes, Sjmpaio & C, awerca do rHebln1em'j da
quautia de 347*820 e de qoe *puz-r.vm as teste-
muohas de fls. 22 a 25, bbo pone ioffrer a menor
dnvida que Menezes, Sampa*> ie C se^ derara oor
pa^D* e satisfeitos do seu credito a1 fl. 5. Se Me-
nezes, Sampaio & C. nisso nao procpderara bem,
quaod) estavam alias no pteso gozo de seusdirei
fa ; se nao node dizerse mal feite o pagamento
etlectaado pelo reo appeHaste de-ae ordoe a con-
teotb'dos seus ditos credores; e se permittido era
w autor appelladocnnlravfr o proprio facto dos
credores orlginaTios, attenta a escnpfuTa de sessao
de fl. 6, campna qae pmtasse ter ictervindo frau-
de em damno dos credores Menezes, Sampaio &
S. (Assento do 8* Tribunal).
Ora, nao fazendo o autor appellado essa prova
de fraud;, quer da parte de Menezes, Sampaio k
C, qner da parte do reo app.'llaute, coran paten-
teiam os aatos, niio pode soccorrerse das dispo-
slcoet do art. 686 do regulamento n. 737 de 25 de
novembro de J850 por virtnde do decbbto b.
2,481 DE 28 DE SBTEMBIO DE 1859, ArPMCAVEL
CONfOBSB Se INFKllE DO MESMO DKCRKTO A COMMER-
CIAlfTRS COM FALLENClA > JUIZO JA ABERf A B DE-
CLABADO OV BM TERMOS DE O SER, < nuo aquelles
que, como o reo, appellmte, nao estando em taes
circumstancias, obtivcram de todos os seus credo
res um accordo qual o de fl. 14, que legitimamen-
te qualiftcado de concordat a, acha se com toda a
razao nas amdicoe* de ser consider ado uma eon-
veneSo, nm ereripto dos que a lei commercial per-
mitteedd inteira validade entre os commerctan-
les, (Cod. do Com. arts. 22, 122 e 828, e Reg. n.
737 art. 111. f e 2, e 247 H > e 4-), e ieci-
dir de modo diver so, sera atlrtbuir n lei um al
cance que nunca quiz dar.
Por estes fundainentos e o mais dss auto, ra-
formando a dita sentenca de fl. 55 v., jnlgam ca
recedor da accAo proposta o autor appellado Dc-
mingos Borges da Feoceea. cessionario dos fallidos-
Menezes, Sampaio & C, absolvem o reo appellaute
Manoel Ferreira da Silva do pedido pedo mesmo
appellado, e a este eondemnam nas euslas,
Rio de Janeiro, em 23 de julbo de 1867.
Couto, pro.-idenie.Sttnezes.Lisboa.Ztmos.
Telles.
Oppostos ersbargos proferio se o seguiate :
Accordao em Tribosal, etc. Qae de->prezam
os embargos de fl. JKV, vistos os autos. Issiste se
na aullidade do papel de Q. 14 por ser uma con-
cordaia amigavel extra-judicial : entretanto nuo
se offerecem novo* argumentos : e tambem os que
poder iam- ser apresentados e sao sabidos, no teem
procedeneia alguma. Em verdade, a cessa$ao de
pagamentos entendese fallencia, & um facto que
a lei nio creia e existe antes da respective sen
teuca judicial, a qual apenas a vcrilica e legal-
mente manifesta : e por isso a cessacao de paga-
men'os ou fallencia nao existe aos olbos da lei o
para o publiosenao desde a sua devida apresenta-
(jao.veriGca^jao e manifestacao emjuizo competeule;
pois so assira se torna ella o resultado da sitvugao
consume e real do commerciante, para poder pro
duzir elfeitos judiciaes.
Ora, nao se tendo provado, e nem sendo possi-
vel decidirse, com a necessana e indispeosavel
cetteza, haver com effeito o ombargado cessado
03 seus I agamentos, e isso apenas pel" papel de
Os. 14 ; este papel em taes condicoes ntio sows e
somente deve ser visio ccano uma remis.ido ou
transacc:io, para uma liquidacdo, entao de iute-
resse e proveito para todos ; e se essa nao fosse
a verdadeira iotengao dos coLtratanles, c e?ti-
vessetn os credores certos de uma cessaC'O eiis
teute de pagamentos. nao era presumivet que as-
signassem e>se papel a fls. 14 por lltes nnportar
tal accordo, senao a cumplicidade do art. 803 do
codigo do commercio, pelo menus incommodes e
prejuizos futuros : da mesma m rac-ira nao pro
eedera as mais a'legacoes, nao so p. rque o papel
de fls. 14, o lancamenlo a fls. 40 v., e o art. 432
do citado codigo, convencein do pagamcot> da
conta a fls. 5, co r,o tambem por neuhuma prova
apoarecer, de que a demora do pagamento de 30
por :eulo fosse devida a culpaou falta do embar-
gado. sera o consenso dus seu* credores e demais,
a coula de. 11s. 5e.-lava pre>cripla ao lempo em
que o embargado. fora citado a fls. 9. Portanto,
e pelo mais dos aut03, sem embargo dos embar-
gos de 11s. 81. cumpra-se o accerdao de fis. 79 v.,
e pague o embargante as custas.
( Da Gaitta Juridica, vol. 3, 1371, pag. 438)
Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, ser.
veutuaiio vitalicio de um dos iflicios de escnva"
do juizo especial do commercio desta cidr.de do
Recife de Pernambuco, pur Sua M.gesUdeo Im-
perador que Deus guarde, etc.
Certilico a vista dos autos de que trata o snp-
plioante em sua ptticao retro, ser o theor do ac-
cordao proferido nos mesmos autos da forma e
raaneira B. guinte :
Accordao em relacao etc. Que feito o sorleio <
o relatorio destes autos em qne sao aggravanies
Monteiro A Cruz, e aggravado o juizo ou Mendes,
Azevedo & C. Dao provimento ao aggravo rater-
posto a fls. 29 para mandar, como maudam, que
o juiz a quo leforme oseu despacho de fl; 23
deque se aggravou ; POuQOAMTO sexoo PRBStrrTt-
DAS AS CO.XCOKDATAS AMIOAVEIS 6 COnst'-llldo d-3 do-
emmento a fls. 15 que entre os aggravantes e ag
gracados. e mais creiores daquelles huve uma
concord la amigavel, sem justa causa procuram
os aggravados abrir a fallencia dos aggravantes,
sem ainda estarem findos os prazos consignados
cm dita concordata, nao podrodo prevalecer o
fandamento ftnnadj na certidao a fls. 26, porque
pode essa divida ettar paga, lauto mais quanto o
credor n5o apparece em juiz \ nera 14 pooco
poae prevalecer a allegacaoda existeneia de outros
credores, por nao existir nos autos prova que
susteate tal allegacao : portanto, assim julgaudo,
eondemnam os aggravados nas euslas.
Rec.fe, 23 de cutubro de 1871. Santiago, pit-
sidente. -Acciuli.
Foi vote vencedor o do Sr. descmbargador Reis
e Silva. ..
E mais se nao continha em ditt aceorsao aqui
gelbsente copiado do proprio original, ao qual me
report", e a presente esia na verdad* s^m cou>a
que duvida faQa conferida e conceilada na forma
do e.-tyl", e por mini escrivao no priucipio detla-
rado, subseripta e assignida ne^ta cidade do Re-
cife de "ernambneo, aos 6 dias do mez de novem-
bro del 874.
Fiz escrever, subscrevo e assigno.
Em testemunho de verdade, JJunoef Maria Ro-
drigues do lSaseimento
Recife, 6 de novembro de 1874.
E conieates e orgulaoses
Vein depo-losaseiM pet.

mais o fa!ao de mfraJ.
o
insnlb e rnais at rev ido desaforo qae ja s;hio da
u A commissito corapoz-se dos Srs. Ze:erinoFer- Lbocea de tao insensatos escripteres.
reira de Parla, Pedro de AKevedo e Souza e Fran-
cisco de Sown Maehadb.
Coano amigo particular do agraciado, ligou-se
Pols seriamente tem esseshomens a pretencSo
do rerem os legatarios dos liberaes de VI, 24 e 481
Ridiculos I.....
Alum destes ornavam
os seguinles versos :
Dm povo nobre sauda
Ao paUiota. ao Catio,
Que t6 lera por sonbos d'alma
A grandeza da uacao I
Pernambu'o cnito rende
De novo o filho em sens lares '
Quem a patria -mai venera.
A' si metma erige altares I
Por sens Ulenlos e feitos,
Qae nin^u-m pode negar,
Entre as glorias da provincia
Tem am distincto lugar.
De Pernambuco a grandeza
Nio degenera, nio eai ;
Altcsta o o filho, qne avant
Nos tr.lhos da gloria vai '
IJam-.-e tambem, no me*mo salio, as ssgaiai.-s
dau :12 de dezembro de 1833 6 de deteu-
bro de 18&6 -14 de dezembro de 189829 de ee-
tembro de 1870-7 de raarco de 1871-29 da om-
lubro de 1874-30 de outubro de 1871-4 aeas-
vemoro de 1874.
A sala do tbeatro acbava se tambem ornaJa com
sorpresdente luxo.
Bambolins de selim de differentes cures cjbriaai
::s tesouras que susteatam o teclo do mesiik
tbeatro.
A grade dos canoarotes achava- e 'auii-rs a-
bertt de setim e enfeiuda rieaaSBSte < :o H^rea
tiMA, dourados e os versos seguiut :
A quem pela patria lala,
V. sobre loJj a cngrandece,
Tjdas as Lauras mo poacaa.
Porque mais tile merece
A* beiirjio- quo b--je a coioain
Sao lillias da I'rali.i.i .
Poi- foi um dos q e juel.rauis
Os f.-rros da es:r..\id*o '.
Por te- ten.il: h i i iciir:.'.
Escreve o as|o da ,1 lia,
Em Ultras ana: i, i -eu n,n.<
X^s follias oa :. ua btak ria '
Quera serue a itttks lagl?r>a
Com tol> o \i^ r I ''.
Eutre os de-tr' ; > d i '. mpu
Ficari sembltf \v.
Tribunoa palavra ardente
Flagellou sempre a maldale ,
Do porvir ra.-gaudo as pevoas,
So teve um iiorte,-a verdade '
Juii -seus ac os nio lela
Sempre a uorjna da JBsUfa !
Nunca fraqueja, nem cede
Aos embates da cubija I
Deputado o verbo ISfSJH
Como uma easeau dere
Sempre em busca do dirviio.
Da patria pelo taMerests!
Ministro a nacjo se julga,
Soli o seu hraco, feiiz ;
Po:s f'.U apenas cocMa
No bem-estar do pall!
Cid'idio enche-lhc o pcito
Sem ignai patri' trsms,
',1 as uotras rr'uas, pse o OTBBM
Junta a cr'oa do civi-uio I
Palinuro pelos mares
Cilia a uao sem sossohrar,
Tendo ts olbos no r t r i
Que nss vai dcs.ortinar!
llomera n.-lle a hnmanidade ,
Tem um MKsrn coltor!
ijrande e a alma que a son gi
A' patria com unto ardor !
Re.ve se o Rrasil intelm
Nessa gloria qne hije tem '
Quem iios seus tanto engr.mdec-.
E' porquegranle tambem !
Denegrilo nao no poiem
As calumnias Interns**;
Apesar de lu lo, lo ih in
Os seus :. eritos reaes I
Diz: -Sju desses MB nao l0fC ;
Ant"s, antes qivhrarei!
Pois *6 cuiva a frmtealiiva
A" Deus, arayn.a ici !
Filho do n:ida, a si mesmo,
Por sou t ih ulo :e fez,
Tendo por guia- a justica,
E por preceitosas lei.-!
Nas lutas parlami- li es
\ale SO por mil Authi-us I
Tr z p r motssm sen e-ctido,
Lil-jrda le, patria, e D. u>'.
IIonr.ir ao t I -ni"! e aglnria
Nun 'd bajoJacAo
As Imnm que o povoetefi
Ao hovo reverterie'
E' nma prova de quo en nao defendi nma
Lsenl razao, nao sustentei om pararfoxo, folgo de
acia la no vote illustrado e sempre irifparciai do
^Exm. Sr. desembargador Souza Ceffo, qae a?sig
nou-Se uencido e one, sem offensa a sous respeita-
veis rjoflegas, pas'sa por ser e real'mente e entre el-
Iqs nm dos mais consp.cnos.
Bda-Viagem.
Emrespssta ao Sr. Americo de Si, tenho ap?-
nai a dizeMhe que muili folgo se me levar aos
t ibunaes, onde espero confundil-o, assegurando
Ihe que o testa de ferro de Fulgencio luianie de
Albuquerque e Mello, e
Fulgencio Infante de Albuquerque e Hello
D6a-Viaeem, 11 de novembro de 187*.
Tkcatro Santo Antocio.
Em a noite de 4 do corrente teve Ingar no
tbeatro de Santo Antonio, uma esplondida festa
em honra ao Exm. Sr. conselheiro J Cornia de Oliveira, digno ministro do imperio,
ora de passagem nesta provincia.
0 Sr. Antonio Jose Duarte Coimbra, proprieta-
rio daquelle tbeatro, querendo por sua vez mm-
trar que sabe render preito ao merito e que e
agradecido a quem presta services a nm paiz
que hoje e sea pelo coracao, foi o motor |de
semelhante festa qne, digamos com franqueza,
esteve acima de todo o elogio.
0 theatro achava-se nriraoro3amente ornado,
como ate hoja nunca o foi, g-acas aos enormes
esforcos ed'ispezas do Sr. Manuel Gracalves Agra,
que a pedido do Sr. Duarte Cofmfcra, se encanv-
gou graciosamente de fazo-lo sem retnbuicao al
guma.
Sorcrendente era o effeito que apresentava o
theatnubo de Santo Anlonio.
0 saBo de entrada, onde tieavam Joss ban-ja<
de mnsica, estava tambem ricimente ornado eo
chao junccdo de flores e foihas de canella.
Innu'iieros disticos e versos dedicados ao illus
tre pornamoucano, faziara symetria as flores li-
uas e barabinellas do eustoso selim.
Na porta da entrada lia-se o seguinte :
0 homem forte nio snecambe
Da inveja ao salurno rir I
Assim, prosiga elle sempre
Te mostrar-nos o porvir f
Gonfrontando esta porta, e na entrada da platea,
achava-se um brasao de honra com o nome do
dislinclo ministro. Ladeavam-no os dous seguin
les versos :
De Pernambuco bom filho
Seu berco nao renegon ;
E a gloria que elle con.iui-i.i
I Foi p'ra n6s qae a conquistou I
A Pernambuco, qne ha tempo,
Sentia os gelos da morte,
Elle disse :Ergaete e vive t
Se de novo o lelo do norte I
Sob u brasao nma dedicatorla dos artistas, au
tore? da festa, qne compenetrados do bem que a
seu paiz ten! prestadd o Sr. conselheiro JoSo
Alfredo, quizeram por saa vez render p.'eito ao
9eu brilnante talento:
Os artistas suas fibres
Formam em lindbs bonqnets,
Noseorr I
preparao -
descaofa... !i
amigos.
A's 8 ho-
ac mpantia .
da provincia
ta occasiio
res laterals havi.oi dous n:,
iaoiiliatos coin lux", onJe S. Eli
s uiif rvalb s e ou le recebeu M
< meia da no te en'.rou S. E.
lo 9>. commend. Jor president *
ii os algnus tSHSoa, loessie
s J.ns bandas de masi.'a o hymni
nacional e sabindo ao ai uma gyr. ndila de fogu-
tes-
S. Exc. demoronse ate o fim do espect.-.c.i.
moslrando-se satisfjito com o trabalho du ar-
tistas e especblm-nte com o do or. Flavio W'ao-
deck.
E de feito o Sr. Flavio trabalhou no Ca6o Sma4
(drama que foi leva!" a scena) de m"do a salts!
zer aos mais eiigesiea I
No inlervallo do 3, parao 4"acU>, foram d.
buidas duas Imdas noesias offerecidas ao Sr. f B
sel eiro Join Alfredo.
Foi uma festa esplendida e a qual rada b
graeas aos cuidados dtspezas e Ua'ialho^ do-
Antonio Jo-e I'u^rte Ciuihra e Manoel Goscalvea
Agra, qocqas- iciaados prepararam-n'a em honi .
conselheiro Joao Alfredo.
Tendo de relirar m: de-ta cidade par
freguezia do Cibo, devo dar o agraJecimenlo a
llims. Srs. Drs. Coacon. com -speaalidade, Sai
Rosa, Erevan Cav-lcuite e R-ltiio. pelo bom ir
timejio, zel", .' li adeza e pericia com qne m
houverm, para coimgo, na ooersOM cue me |r
cederam nns olho*, dc c.uj i mal mo acho muu
re tabeleoi J e nao ni'nos a ini-iha esposa s
tratamento do Dr. U-lirfi Dignein-se pois, Vv
S.., aceitar esie vnt.i de grati-iao e rec-inhe >'. i
to do abaixo assigiado.
BttftiSo Jose Velho BtnMo.
lilm. Sr. Dr. juiz SBbHitUtU io co'iimeici".to ;
Emilano Ramos traz ndo po- est" jaizo uma exr
cii;ac utra Antoam 11 -nri ,u's de Miranda, alcan
cou inau-lado de iv.iti.i;ao, a respeito do qual
cvaliadores nao pmc d-rarr, on r-gra e por ist>
queixou-se o sup.-lii'ant; : V. S, atinal, ktvio-s
niandar quo junto aos aatos Ihe fassem concl.
s is.E porque ja sao passados muitos dias e >
supplic.inte leu ha prociir.nl > no earl >rio law ai-
te:, etenha o respt-ctivo escrivao Ernesto SiU i
xespondiJo nio terein d s.id .. bssmhh o suppli
cut.: quo V. S os tenha remetUo e qne ootr.i
dlrejcao tentiam teuud : as-im, vom por me.'..
da presente exuT o occorrido a respuito para qu
V. S. rewrdando se de ul reraessa, d.5 aprovi-
d.mcia quo ient-n-ler, afim da apparecerem U>
' Pede, poriani, dtferimenio. -E rectbera mer'.'.
Recife, 4 d- novembro de 1874.
Gmclusos no di* 3 do corrente, mo foram noja
cutregnes os autos e serao h"je mesmo de chado*.
Nada mais, portanto, me camore fazer.
Recife, 5 de novemdro de 1871
Maciel Pinhenv
Va vendo' o Illm. Sr. inspector da thesourar .i
Sianto pode maniras couvinreates do Sr. A
de Miranda ( almoxarife I) Pagnei o preparo
era 21 do proximo passado; foi lavrado o termo 4e
conclusao a 3 do presente e sobio a S. Se, pois, o
digno juiz bebesse na mema fonte esta exeeucA-
nao seria intermraavel ?! Os avaliidores obrea


Jiano ae reroambuco Qulnta teira 12 de Novembro ae 1874.
tin 1,740 w. e receberatn 6,500...
Diaem qae o fallecido A. G. da Silva fora o fla-
dor do almoxarifado deMe Sr. Miranda, qaando,
poreo dan elle nova fianca ?...
W. 4*5. -IodlgcstAo ou dyapepaia.
E araa enfermi lade n i-cida e cnada pelo luzo
da eivihsacio. Ella consiituera a penalidade lin-
posta pela oaturexa em consaquencia da damasia-
da indulgence.
As regraa para o trataraento destt molestia sio
simples, e sao applicaveis para todos o* casos.
Coaserve se o venire livro, renove se o torn e i-
Sor perdido da estoraago, e regale se a accao do
gado, e assim ter-se-haconseguido cura. Porera
agora seguem se as pirguntas anciosas do enfer-
mo : Como e de qae modo pods isso ser feito ?
Oadc exuie ou p >dera se achar uma medicina
CuiJora de araa virtade e fore* ravestigaate,
decente e correciiva sobra estes orgios ?
A resposta achar-e-ha ns segaimes aiiestados
divalgadjs pelos doj?os medicos os mais respei-
(aveii.
0 Ur. Wells, de Nova York, dix : t tenho ha
mais de 18 merns a esta jMrte feiio cansiante uso
daspilalas assucaradas de Bristol, corao urn
allerattyo e teoho, e as considero corao o reme-
dio mais edsai e cert* que teraos para conbater
a dyspepsia, indigesiaa, e assim corao para todas
as desordems e desnaachos do estomago, figado e
tntestinos *.
O f>r. L. Mills, de Noa Y^rk; o Dr. Elias Mott,
de Brrodkryn ; o tr. Paiker Nelson, de Philadel-
phia, faeem roeacao h.mrosa das mesnuu e as re
coramendam com ig al affcico.
As pilalas a -ohos de crystal, e por isso se coniervarao perfei-
tas em todos es cliuias
En todos os ca>os tfo imparezas do sangue a
^alsaparrilha de Bristol, deve se asar conjuncta-
mente com as pilula*.
C0MMERCIO.
JUNTA BOS COHKETORES
Pra^a do Recife, 11 le noveiu-
br* de IN**.
AS 3 -HORAS DA TARDE
cotacoks okhciaes
Algodao uaParahyba i* scrto 7 150 p. >r IS
kilos .pesto a bordo a frete de 3ii e
56*1.
Cooros seecos salgadoa 331 c 680 rs. o kilo.
Cambio uawo Rio do Janeiro a 8 div. ao par.
dito -i soaru ilito a to d|v. ii2 0r() de desconto.
Dito sobre drto a 30 d|v. 3(4 0|0 de desconto
Desconto do letras 10 OiO ao anno, hontero.
o. ae Vaseoncenos
President
A P. de Lemos,
Secretano.
4LPAMHJUA
Heaoinismo do dia 2 a 10. .
Hem do dia II. .
204:615*227
li -'!".)13'it
238 MUft88
SKRVICO MAR1TIMO
J>rangaa deecarrtgada* ao trapiebe da
a'faidafi.
So dia 2 a 10 .... 24
Vo dia It....... 4
31
HCBBEDOR1A DR REND AS INTER N AS GK-
RABS DE PERNAMBOC.
.ndiuienvo do dia 2 a 10 14:2701396
tm do dia 11. 938J.020
13:2084416
CONSULADO nOftMOAl.
\odi'iiMlo do dia 2 a 10.
Urn do dia 11 a
RECIFE DRAINAGE
Rendimento do dia 2 a W. .
Idem do dia It......
37:373*733
2.451*746
39:826*481
W(i9'Jl)ia
4:610*581
20.710*226
AGE .NCI AS PRO VINCI A ES
Liqoidos espirilaoso*.
HeodinKclo de S a0 1:707*062
Idem do dia 10 93*236
Bacalbao, etc.
Rendimento de 2 a 9 2:108*358
Idem do dia 40 18*540
Generos de estiva,
aendtmento de 2 a 9 1-371*132
Idea do dia 46 27-6*186
Parinkia de trigo, etc.
aeadiraento de 2 a 9 4:010*044
Idem do dia 10 58*140
1:800*238
2:126*898
1:647*338
Furoo, etc.
(teadimeato de 2 a 9 731*070
looi do dia 10 22*600
Vinagre, etc.
rteadimeato de 2 a 9 19*908
Idem do dia 10 145*62!
-------------1:101*184
773*736
603*390
8:144*984
Deacarregara nujt 12 de novembro de 1874
Barca portugueza Alexandre Ihrculano pe
dr as para o trapiebe Conceicao, para des-
pachar.
Lngar francei Rio Grand' farinha e cirot-nl./
para o trapiebe Concei.ao, para despa-
cbar.
Patacbo americano Ernest kerosene para o
trapiche Concern io, para despachar.
Barca portugueia Ariibelkt -lageainent) para o
trapiche Coneei(^o, para despachar.
Patacbo americano Francis Janefariana ja des
pachada para u caes do Apullo.
Vapor inglei Warrior raercadorias para a!
fandega.
Patacbo allemaoAnna cimenU) para o trapiche
G.iuceica-p, para despachar.
Patacbo alleinau Primus earvao ja despacba-
do para a cwuuaohia peroambneaua.
Vspor nacional Ceard -genero< nacionaes para o
trapiche da Companhia.
Brigae nacional uarmao I generos nacionaes
para o trapiche da Gnrapanhia.
Patacbo nacionalBtllo Destiui- generos nacio-
naes para u trapiche da UHBpaabia.
liMpnrtaeAo.
Vapor nacional Ceard, i-ntrado dns portos do
norte em 11 d-i correute e consiguado a Pcreira
Vianna & ., manif.-stou .
Carga do Para.
Armas I caixa a Von Sch Calcido 1 caixa a Thoinaz de Aquino Fonceca
A Sotcessores.
Rolhas 1 saeco aos mesmos.
Salsaparrnha 10 rolos a Antonio P. Gomes.
Carga do Maranhao.
Farinha d2 mandiuca .300 saccos a Beltrao &
Filho.
Patacho nacional Bella Destw.o, entrado da Ba-
nia na me^na data a consignado a Pureira Ca'
neiro, Maia 4 C. manifeatou :
Barncas vazias 500.
Cafe 20 saccos.
Farinha do mandioca 2,000 saccos.
Louva do Vidros 17 baincas.
Pipas vazias loOaordem.
DESPAi.HOS llh JKXPOK'HCAO NO DIA |Q 10
OUTUBRO DE 1874.
Po.. us piirios do exirrtOT.
Na galera hespanhula J. Sena, para Barcel-
BOa, carregon : Amorira Irraaos & C. 103 sDccas
com 46,865 t|2 kilos de algoflao.
No vapor francez Gironde, para hmdeaux,
carregon : Carviho & C. i barrica com 12 aba-
cachis ; J. D. C Mont-iro I caixa com 12 dito* ;
F. De La Grange 2 volumes com 36 ditos ; A.
Drnffns & C 1 v,.|ume com 0 kilos de peonas.
Na barca portugueza G atiddo, para Lisboa
-Jrregou : A. s. Ja Bocua e S.Iva 38 prancboes
de amarello.
Na barca portugueza Pereira Borges, para
Utboa, carrejsou : S. Guimaraes & C. 400 saccos
com 30.0(10 kilos de as-ucar Draaco, e *W) duos
torn 60,000 duos de dito inascava lo; J. F. Balthar
166 Couros salgados Com 1,992 kil..s.
Na barca nacional Marianna, para o Rio da
S,aih Sf*8*00 : A- uy' 238 barrijas Com
**J *los de assucar branco e 82 ditas com
40,677 duos de dito mascavado.
Para os por tot ao ttueriut.
Para o Km Grande do Sal, no patacho nac o-
nal Morctra, carregon : Amorira Irinaos & C.
1,740 tiarri -.as com 154,034 kilos de assucar bran-
co e 195 ditas com 22,044 ditos da dito masca
vado.
Para o Para, no vapor nacional Para, car-
regon : P. Vianna & C 30 barricas com 4.029
kilos de asAucar branco : para o Maranbao, Car-
valho & Nogneira 10 ditas com 1.134 Ii2 ditos
de dito.
Para Macao, na barcaca Rainha das Anjos,
carregou : B. J. Kereira A Irraao 8 barricas com
345 kilos de as>near hranco e 1 Dipa Cora 480 li-
tros de aguardente ; A. L. Vi-ira barricas com
420 kilos de as-acar branco : para'Mossoro. C. G
B. Ce Arruda 3 pipas com 1,440 litros de aguar-
dente. B
Para Aiagoas. na "tareaca Grafa de Deus,
carregun : Moreira & Braga 2 barricas com 12o
kilos de assucar refiuaoo
Para o Pago de Omaragibe, ni barcaca tin-
tioia, carregou : Aigont-z A Jarvalho 1 barrica
com 60 kilos de assucar relinad".
Fara o Nul, ua barcaca Dous Amifos, car-
regou : J. A. G. Pires Junior 1 sacc com 73 kilos
de assucar branco : para Macao, Fr g 4 Rocha
21 volumes com 1,468 dilis de d>to retina o.
Para o Para, na harca nacional Santa M ria,
r.arregou : Amorira Irmaos A C. Uln barricas coin
41,636 Iji kiloe de assucar branco e 20 ulas coin
2,324 1|2 ditos de dilo mascavado.
Para Macao, na Iwe^t Joan Valle. carre-
gon : rraga it Hocna 2 volumes com 120 kilos de
assucar rtfinado.
Vnaoia.
\guida.
Aveiro.
Ueja.
-haves.
Blvas.
\marante.
Guimaraes.
Oovilba.
Uelgaco.
Porialegre.
Arcos de val de vez.
Gelorico de Basto.
Carainha.
Mangualde.
Ponte do Lima.
Povoa de Lanbosa.
Vi
CaPATAZIA Da ALFANDKGa
^ndiruento k< dia 2 a 10. 4:439 8!>6
Idea do du 14 567 8*5
VGLUMFw.
Mo dia 2 a 40. .
ffio Ola 14. .
Primeira ptna .
Segonda port* .
freeu*a QtiTtt
T*picha C^Dcaigao
SAHIDOS
5.007*421
15.124
82
. 95
111
621
16043
Tbesouro provincial de Pornambuco, 11
de novembro de 1874.
0 escrivao,
J. C. M. da Silva Santos.
SEGUROS
llaritimo e contra-fogo
COMPANHIA
Phenix Pernambucana.
RUA DO COMMERCIO N. 34.
Seguro contra-fogo
THE LIVERPOOL & LONDON* GLOl
INSURANCE COMPANY
Agentcn
SAUNDERS BROTHERS A C.
11Corpb Santo11
Banco do Minho.
Joaquim Jose Goncalvas Baltrao & Filho sacarr
jor todos os vapores sobro :
Evora. Monsao.
Fale. Ovar.
Faro. Porto.
Guard,}. Tavira.
Leiria. Regoa.
Lisboa. Vizeo.
Bar-rellos. Figueira.
Coimbra. Lamego.
Mirandelh. Kstarrcja.
Penabel Valenca.
Villa Real.
Cabeceiras de Bastos.
Castello-Branco.
Espozende.
Oliveira de Azemeis.
Povoa de Varzim.
Vianna do Castello.
a-Novade Portimao. Villa Nova de Famalicao
Villa do Conde.
Nas ilhaa.
Madeira, S. Miguel, Faial e Terce ra.
Companhia Indemnisadora
do Porto.
CAPITAL 2,000:000,5000.
Thomaz de Aquino Fonceca A C, successwes
agenies
Est companhia toma seguros maritimos e ter
restres, dando nestes o *eptimo anno gratis aos se-
gurados.
Him do Vi^ario n. 19.
companhia~allian(;a
seguros maritimos e terreb
tres estabelecida na Bahit-
em 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:0009000.
foraa seguro de mercadorias e dinheiro
cd maritimo em navio de vela e vapor*
jara dentro e f6ra do imperio, assim com<
tontra fogo sobre predios, generos o f
ondas.
Agente : Joaquim Jose Gonyalvos Beltrio
aa doCommercio n. 5, landar.
SEGUROS
MARITIMOS
CONTRA 0 FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabelecidi
lesta pra^a, toma seguros maritimos sobr.
lavios e seus carregamentos e contra fog
im edificios, mercadorias e mobilias: ni
na do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Mico OmiiKTrial de Braga
Jorge Tasso.
37Rua do Amorim37
Saca qoaluu-r quantia a prazo on a vista so
bre esle Banco ou ua respectivas agendas nas
segnintee eidades e villas Ae Portugal, ilhas adja-
centes e Hpanba, a vaber:
Portugal
Estremot.
E or a.
Esposeode.
Famalkao.
Faro.
Figueira.
F.fe.
Thoiuar."
Tavira.
Torres Novas.
Valenca.
Vianna.
Villa do Conde
Villa Nova da Cerveira.
Porto.
Povoa do Varzim.
Port'Alegre.
Povoa de Lanboso
Regoa.
mm.
Santo Tbyrso.
Villa Real.
Vinhaes.
Vixeu.
Villa da Feira.
Villa Ponca de Agxiar.
Villa Real de S. Antonio.
Moinienta da Beira.
Funcaal.
Madrid.
Barcelona.
Vige.
Pnenteaveas
Unas.
He*ranho,
Fayai
Cadic
Grease.
Corana.
Badajoz.
HOtflMtWTO OB PDRTO
Navios enirados ho dia 1 /.
Parae.portos mtermediis -6l/Sdias. v*por brasi-
leiro Ceard, de 1,999 toneladas, commandaote
Cypriano A. de Quadros Junior, equipagem 50,
car
A C
Rio.de Janeiro e Bahia -5 e 1/J dias, vapor Iran
e Gir nde, de 1,777 teneladas, commandante
Jacques, equ pagem tOii, carga varios generos;
a Hansmanly & Labile.
fiahia7 dias, patacbo brasileiro Bello Destino,
de 285 toneladas, capitio Joaquim Francisco
Praca, equipagem 8, carga f nuha de mandio-
ca e outros generos; a Pereira Carneiro Maia
4 C.
fiio Grande do Sul-4i das, patacho nacional Clo-
tilde, de iii toneladas, capitio Luiz A. do Es
pinto Santo, equipagem 10, carga liJ.i'JJ kilos
de came ; a Uliveira Filhos 4 C.
Navios sahidos no mesmo dia,
Rio de Janeiro e Babia Vapor portuguez Julio
Diniz. commandante Joaquim J. Coateuta, car-
ga pane da que trouxe dos portos da Eu
ropa.
Rio Grande do Norte -Patacho inglez Jessu, capi-
Uo W. H. Kedd, em lastro.
Baltimore Barca ingleza Imperador, capiiao Se-
monton, carga assucar.
WlAfc*,
0 desembargador Francisco de Assis de
Oliveira Miciel,* official da imperial or-
df m juiz de direito do prnneiro districto cri-
miual e presideute do tribunal do jury,
por S. M. o Impurador, etc.
Farjo saner em virtude do disposto no
artigo itifi do coriigo criminal, que tend)
si-Jo cunvocada para odia 19 do mez passa-
do a quiuta sessao judiriana, installou-se
no dia vnite e u,n d. ref ,ri(lo raHz, tiencer-
PPu'M aseis do corrente, tendo sido ju'gd-
(Josen dita sessao nove processoS, contendo,
nove rdos presos, dos quaes foram condein-
Dados tres, absolvidus seis, tendo havido
quatro appellaydes das Seutencas destes.
Foram assiduos os Srs. jurados: Dr. An-
tonio Gomes Tavares Junior, Antonio Ruli-
node An.irado Luna, Ur. Alexanire lo*6
da Costa Valeute, Dr. Antonio H^rculano de
Souza Bandeira, Dr. Arminio C.riolauo Ta-
vares dos SautOS. Dr. Augusto Trajano de
Hollando CDaCuo, augusto Jose Goncalves
Lessa, Antonio Jose Silva do Brasil, Dr. Au-
tero Manoelde Medeiros Furta.lu.CaeUuoCy-
ri.tco drt Gitsta Mjreir.i, Corbniiatio de Aq ii-
no Fonseca, Cbistiano los Pinto do Lemus, Car os de Paula Lopes,
teneute Emilif.no E nesto de Mello Tambj-
riia, Francisco Jose GalVao, Geuuniano Joa-
quim de Mirmula, nt, Henrique d'Albayd
Lobo MoscOso, Jose Alves B.iroosa Junior,
Dr Joao Baptista 1'iutieiro Corte-Real, Dr!
Joio B.ipttsta Uigueira Costa. Jose Thomaz
Cavalcaute IVssua. Joe Mendes Vieira, Dr.
Jose Austregesilo Rodn4ues Lima, Jose"
Francisco dos Santos Mirauda, JoSo Joso
de Carvulho, Dr Joaqui u Ferreira Chaves,
Jose do Barro Correa aette. Dr. Jose Lop s
Pessoa Costa, Jose Felippe Nery da Silva
Landelino d Luna Praire, Mauoel dos*San-
tos Araujo Mello, Modesto do Rtgo Baptista,
Roilngo Jacome Martins Pereira, Sabuio
Jose de Aluieiie, Simplicio da Cruz Ribei-
ro e Thomaz de Figujiredo.
Foram meuos assiduos, por motivo justi-
5.:do, os Srs. jurados Francisco Geraldo da
Silva Barroso, Dr. Francisco Olilon Tava-
res Lima, Dr. Miguel Jose de Almeida Per-
nambuco.
Foram relovados das multas cm que in-
correram tod .s os Sr. jurados, por terera
pr. vado impe limento legitnno,
E paia coustar, maniei passar o presente
editals qne serd puhlicado pela impreusi.
Cidade do Recife, de noveiubro de 187 i.
Eu, Florencio liodngues de Miranda Franco,
BScrr ao do jury, o escrivi.
Fruncmco do Assis de Oliveira Maciel.
Aroarante.
Anadia.
Arena.
a veiro.
gueda.
Arro de Bauihe em ca-
bfceirat de Basto?.
Harca
3,u cello?.
Rfja.
^raganca.
Cbaves.
onubra.
Cnura.
' i.VllhJ.
Castello Br.nco. .
i.aunnba.
El.as
Gnarda.
Guimaraes.
G'iuveia.
Lagos.
Lamego.
Lisboa.
1/ule.
Melgaco.
Mir n.lella.
BlollQan.
Me Inada.
W 'lit* m6r o velho.
Oliveirji de Aremeis.
Ovar.
I'enaljel.
PfnAW.
P. nte de Lima.
Portimao.
0 Ur. (JuionnoJoso de Miranda, juiz de direilo da
pnmeira vara do seguudo districto criminal
dteta comarca do Recife, por Sua Magestade
Imperial, etc., etc.
Rip) saber que tendo designado o dia 23 do
corre te mez. pelas 10 horas da manhi, para aorir
a 6.- sessao o.uiuanado jury, que trabalharaem
dia> consecutivos ; e baveudo boje procedida ao
sorleio de 18 jurados quo teem de servir na raesma
sessao, eiu conforrai lade do art. 328 do regula-
raeuto n. 120 de 31 de Janeiro de 18*2, foram sor-
teados e designados os cidadaos seguimes :
Recife.
Jose Mari Furtado.
Fraueisco Ferreira Baltar Junisr.
Caetano Jo.-e da Fonte.
JosO GuilLenne Guimaraes.
Luiz Pereira .le Faria.
Tereucio Pires Gameuo.
Sauto Antonio.
Joaquim Franc sco de Moraes.
Antonio G irgel do Amaral.
Mauoel Iguaciu de Arruda.
Aotouio Maria Marques Ferreira Junior.
Jo.-e Frauci>co Vieira de Amorim.
Joaquim Virgulmo da Silva Fragdso.
Jo>e Vital de Negreiros.
Jose Peuro do Rego.
S. Jose.
Augnsto de Castro Pugell.
Joaquim Cavalcante d H .llanda Albuquorque
Maximino da Suva Gu.-mao.
ttoa-Vista.
Ernesto Vieira de Araujo.
Francisco Gomes da Silva Saraiva.
Dr Jo Luiz Epipbauio Uauricea.
Jo6 Francisco de Paula Peons.
Joao Jose de Carvalno Moraes.
Dr. Fraueisco Pinto Pessoa
Joaqmm Ito rigues das i.tias.
Juse u.is Sautus Ferreira Barros.
Ur. Manuel ue Barros Barreto.
Manuel Antonio Gouyalves.
Dr. Uauoel da Tnndade Peretti.
Manuel Arcbanjo de Figuen edo.
J e Francisco do Regu Mello.
B IIjiujjii GonyaivesdH Albnqoerqne.
oaqunu Trauquilino ue L-mo< Duarte.
Maunel do .NdM iineuto Sii-a BastoS.
H-iiinuo.E,iiiiio de F gueiredo.
Mu it-i AUli.niO CarodVo.
Mauoel Luiz da >Viga.
Eugeuio Marjues de Amorim.
Fia o iJuii^.iivi-s Lima.
Ur. Autouio do ii.'uws Vasconcellos de Drum-
moud.
G>aca.
Fabio de Albuqunrque Gama.
C>luvi'> Santiago an iliv.-ira.
Krouci.-co Iguacio de Medmros.
Atogadft*.
G^suiid de H dianda Cav-ivsite de Albuquerque.
Ur. Antonio Justino de Souza.
Aotooia Joaquim Pereira de Oliveira.
JosA Domingos Codeceira.
J ''so Francisco Carneiro.
A todos os quaes e a cada urn de per si, bem
como a t dos os iuteressados em geral, se convida
para comparecerem no primeiro andar da casa
Sue foi cadeia, na casa do jury, tanlo no re
irido dia e hora, eomo nos deaau dias segointea,'
em quanto durara sessao, sob as penas da lei, se
fal:arem.
E para que chegue a noticia a todos, mande:
passar o presente ediul, que sera affixado nos lu-
gares mais pablicos, e publicados pela imartnsa,
e umbem remetter iguaes aos respeclivos subde-
legados para publicalos e mandarem fazer as no
tificaco^s necessarias aos jnradjg, aos culpados e
as testemuobas que se acham em seus districtos.
Cidade do Recife, It de novembro de 1873.
Eu, Florencio Ro rigues de Miranda, Franco
escrivlo do jury,*o escrevi,
___________ Quintino Jose de Miranda.
IiJMhI n. 4
Pela inspectors da alfaodega de Peraambuco se
fax publi-o qae, achando se as mercadorias conti-
dan nos rntnmi's abalxo mencionados, no caso de
serein arrematadas para consummo nos termos do
cap <5* do tit 3' do regulamento de 19 de setera
bro de I860, os seus donos ou consignatarios dere-
rao despacba-las no prazo de 30 dias, sob pena de.
Undo elle, serera vendidas por sua conta, sera que
Ibes fique competlndo allegar contra os effeitos
desta venda:
Armazem n. 2.
Marca C 4 M, sera numero. Vinte e duas cai-
xas vindas de Liverpool no vapor inglez Fire
Queen, descarregadas em 17 de abril do corrente
anno e consigoadas a Cunha & Manta.
Idem J L H, n. 63|77. Quinze ditas idem idem
era 17 idem a Penna Junior & C
Idem C A M, sem numero. Vinte e oito ditas
idem idem cm 20 idem a Cunba & Manta.
Idem F G B, n. 15IM75. Vinte e cinco barri
cas idem idem a F. G. Bastos de Sa.
Idem TI4C,n. 29l|300. Uez ditas idem idem
a Jorge Tasso.
Idem B B, n. 301(350. Ciucoenta ditas idem
ao barao de Bemflca
Armazem n. 3.
Marca G B F, ns. 3|6, 10, 11 e 9. Sete barri
cas vindas de Liverpool na barca ingle'.a j4wr>/a
descarregadas em 8, 9, 10 e 13 de abril do corren-
le anno e consignadas a Joaquim Jose Goncalves
Beltra- & Filho. "^
Idem B T A C, n. I. Uma dita idem idem era
13 idem, igoora se a consign Idem SB4 F, n. 506. Urn fardo idem no va-
por inglez Fire Queen, idem era 25 idem a Silva
Barroca & Filbos.
Idem F M A C.n. 163. Uma barrica vinda de
Lou Ires no patacho sueco Gerda, descarregada em
25 idem a Manoel de Albuquerque.
Sera marca, us. 956j966, 968(970, 973i977,
98.1(1007, 1009(1012. luiirlufl, I02iil028.....!
103.(1016, 1038(1015, ln48|1050, 1053, 1055(1067,
1070(1074, 1077. 108(1082, 1094,1096, 1098 099,
1101(1132, U34|t204, !2o6|l220 e 122*. Uuteu-
tas e quarenta e nma caixas idem idem em 29
idem a Jorge Tasso.
Armazem n. 6.
Marca M S F 4 C, contra marca C S, n. 297.
Cincoenta caixas vindas de Bordeaux no vapor
francez Rio Grande, descarregadas em 6 de abril
do corrente anno e consignadas a Manoel da Silva
Faria & C
Armazem n 7.
Marca dous diamantes, L G no centro, n. 38|43.
Seis caixas vindas de Liverpool no navio inglez
Colla, descarregadas em 5 de fevereiro de 1873 e
c riMgnadas a Lemos 4 Gut-rineau.
Mem B B, sem numero. Cmcoonia barricas
vindas de Liverpool uo vapor inglez Oberon, des-
carregadas em 3 r de marca do corrente auno e
conMgnadas ao barao de Bemfka
Idem J P, sem numero. Cento e cincoenta di
tas idem no navio bespantiol D. Luiza, descarrega-
das em l de abril do corrente auuo e cousiguadas
a Johnston Paler & C
Idem R & 1, sem numero. Trinta ditas vindas
na barca ingleza Aureola, idea em 11 idem a Ro a
& Irmao.
Idem diamante B T & C no centro, sem nume-
ro. Setenta ditas idem idem a Brown Tnorapson
& C.
Idem G B & F, contra marca J, sera numero.
Crn ditas idem idem a Joaquim Jose Goncalves
Beltrao A Filho.
Letreiro Paulo Verges, sem nnmero. Quarenta
e nove pipa> vindas de Barcelona n > navio be?pa
ubol Mercedita, idem era 13 idem a Soares do
Amaral >\ C.
Idem Paulo Verges, sera numero. Sessenta e
nove baTicas idem idem idem.
Idem Paulo Verges, sem numero. Quatorze de
cimos i It-hi idem idem.
Maica A J G, contra marca X X, sem nnuem.
Nove pipas vindas de Lisboa uo bngue portuguez
Bella Figueirense, descarregadas cm 14 idem a
Tuoiiiaz de Aquiuo Fonce a A C.
Trapiche Conceicao.
Marca M J G F, sem numero. Dez caixas vin-
das de Lisoa no vapor portuguez Almeida Gar-
ret, ds-carregadas em 7 de ai.nl do coneute anno
e consignadas a A. J. GonQalves da Fonceca.
Idem F a & C, n. I74|!2. N de Liverpool no patacho sueeo Gerda, descarrega-
das era 25 idem a Manuel de Alnuquerque.
Armazem do auioslras.
Letreiro Manoel da Silva Faria & C. U n paco
te vmd i de Liverpool no navio ii^ic. Bntrepido,
descarrrgado era 9 de abril de 1874 e cou-iguado
a Manuel da Silva Faria & ..
Marca tnaiKuio, R M n centro, n. Ul|2. Uma
barrica idem idem a Jo nston Pater & C.
Idem H a, u. 30 <\i. U na dita idem idem idem.
Letreiro Fernandes da Costa A C, sem numero,
Um paeote idem no navio i-glez Aureola, idem a
Fernandes da Costa.
Marca A F C, n. 151(200. Um dito idem a
ordem.
Letr iro Rosa Si Irmao, sem numero. Um dito
idem idem a Rosa & Uinao.
Alfaodega de reiuambujo. It de novembro de
1874.0 inspec or, Fabio A. de C. Rris.
120*000
3861000
(004000
421*001
Largo da Campina.
Mtaani Rua do Coronet Soassuna
I* aalar do a brado numero 94 .
PATRIMONIO UOSORPHAOS.
Rua da Moeda.
Casa terrean. 21 fechada).. .
Becco das Boiaa.
Casa terrea n. 18.......
Rua da Lapa.
Casa terrean. II...... 202*000
Rua do Amorim.
3obrdo de 2 andares n. 23 6024000
^asaterrean. 34......**2*OiM>
Ruar do Bugos.
Casa terrea n. 21.......163*000
Rua do Vigario.
2* andar do sobrado n. 27 243*000
1* andar do mesmo......240*000
Loja do mesmo.......300*000
Rua do Encantamento.
sobrado de 2 andares n. 13 (fechada). 1:400*000
Rua da Senzalla velha
dem n. 16.......209*000
Rna da Guia.
Casa terrea n. 23.....209*00i
tdora u. 29......201*000
Rua da Crur.
sobrado de 2 andares n. 12 (fechada).
Idem n. 14.........
Rna de S. Jorge
'asa terrea n. 100 (fechada) .
Idem n. 103 ...
Rua do Ampare )0linda)
Casa tercea n. 18 (fechada).... 240*000
Os preten dentes deverao apfesentar no acto da
arremat as suas fiancas, ou comparecerem
acompan a dos respectivos fladores, devendc
pagar ale renda, o premio da quantia em
me for set, o predio qua contiver estabeleci-
mento com il, assim como o servigo da lira
peza e preco apparelhos.
Secretaria nta t^sa da]M4sericordia do R*
cife, 17 de sstembro de 1874.
0 escrivao,
_____________Pedro Rodrigues it .Souza._____
Instiluto Archeolugcico e Geogra-
phies Pernamhucano.
Havcra1 sessao ordinaria quinta-feira, 12
do corrente outubro, pelas 11 horas da ma-
nha.
OR DEM DO DIA
1." Questoes adiadas.
2. Pareceres e mais trabalbos do com-
missoes.
3. Palestra litteraria.
Secr-.taria do Instituto, 9 do novembro do
1874.
J. SOARFS D'AzBTBIMI,
Socretario perpetuo.
8004000
600*000
241*000
207*000
Irmandade
das, almaa erects na matrix de
rSlitnto Antonio.
Nao se tendo reuuido numero legal <\a. irmaos
para a eleicaoda'nma regedora qne tem de func
cionar no anno compromi de novo convidados, de crdem da nos-o irmao
juiz, a comparecerem no consi-torio da mesma
irmandadp, na sexta feira 13 do corrcnts, as 6 ho-
ras da tarde.
Consislono da irmnndade das Alvu, precta Da
matrix de Santo Antonio, aos 10 dc novembro de
1874.
0 cacrivia,
1-V.mcisco Ferreira Ifovaes Wlho.
Eiitai
n. bo.
Pela inspectoria da alfaodega se faz publieo que,
nao tendo sido, por falta de coucurrentes ao va-
lor official, arreraatada uma caixa marca dia
manle B. T. & C, P. 74 D.. n 390. vinda de Li
verpool no vapor inglez Student, descarregada em
2 de outubro proximo frado, c-utendo 56 kilos de
cacsa de Mgodao, lisa, estampada e 20 kilos de
aigodao, ponto de guipure, em cort-s ou guarni
Qdes para ve-tid>s, oo valor de 1:4934333, anan
donada aos direito-* por Browa rii imson ji C,
se tran-l-re a raesraa arremataca^i para as 11 h< -
ras da manna do dia 13 do corrente, na porta desta
reparticio.
Alfandega do Pernambnco, 11 de novembro de
1874.
0 inspector.
Fabio Alexandrino de C. Reis.
Santa Ctta de llisericordia du
Kecife.
A jnnta administrativa da Santa Casa da Miseri-
Curdla do Rpcife contrata a demolicao e re:ons-
trucgio da casa sita a rua do Bora Jesus n. 12.
orgada em 5:3115. com quem so propozer fazer a
obra per menor pre go.
Os oagamentus sera-j em tres prcslacocs iguaos.
a t* depoii de come^r a nova obra, a 2a quando
ctncluir a Cuberta, e a 3' quando cntregar a obra.
Bescripcao da obra.
Deraolir todo o predio, coustruir de novo um so-
brado de um andar, deixando daas portas no
andar ttrreo e duas no primeiro andar, era cada
freute. As portas do an lar terreo s-rao de co^ta-
dmho e as do 1* andar de assoalho reforcado de
amarello, guarnecidas com horabn-iras novas e so
lei ras novas de corlao, todas com capiteis de pedra
mulatinha ; levarao barrotes tambera de amarello
para receber as bandeiras de ferro fornidas stmi-
circulares e oulras de madeira (amarello) por den
tro das de fer'ro.
No primeiro andar as portas terao caixilhos de
amarello e barrotes para receberem bandeiras do
ferro e de madeira serai clrculares iguaes as do
andar terreo.
As duas frentes ter*o cornijjs, acroterios, en-
canamentos e sacadas de pedra mu.'ntinba com
varandas corrita, novas, roda po e coniraao de
amarello. 0 ladrilho sera do asphalto sobr* um de
tijolo. 0 soalho do i andar >era do louro de bna
qualidade, secco e a?s nt do a meio Go. 0 trave-
lament) Sera de madeira de qualidade, excluiudo-
se dessa a qne for mint flexivel. Toda a madeira
sera nova e verifiVada pelo ra>rdomo enearregado
da "bra antes de ser empregada. Todo o material
vtlho pertencera ao arrematante, que s6 podera
apmveitar uara a obra nova os tijolos e as telbas
qne estiverem inteiios.
A esca la sera de meia volta com andaballa de
coslado de amarello. As portas, caixilhus e ban-
deiras levarao tres maos de tmta.
As propostas em artas fechadas serao recebi-
das na secretaria ua Sauta Casa, no dia 19 do cor-
rente.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 9 de noveraoro de 1874.
0 escrivao,
Pedro Bodrigues de Soaza.
Araujo Cesar, por eiecocAo do com-aendador Jae*
Pedro da Silva.____________
Cora o prazo da 10 dias, a coaur duo dau, o
agente Martins. aut<)risa Sr. desembargador juiz de orphaos, em coaformt-
dade do art t* do decreto o. 1.695 de 15 de s-
tembro de 1869, recebe propostas em earla fecbi
da para a venda do eseravo Vicente, crioulo, prat^r-
de 16 annoa, padecendo das arum, e avaliado em
600 i"'00, o qnal pertra so espoNo de 'ieaocM
Pereira da Lnz ieira. Recife, 3 de novembro de
1874._____________________________________
Ue or-iem do Dim. Sr. inspector sio ptt~
presente inlimados o x-tbesoureiru da racafeado
ria de lendas. Joaquim Maria de Carvaiho. eu
cunhadn, oa quem, p<>r qaalquer motivo o repre-
senle, e quaesquer outros iot ressadoa, ptra Tirem
a esta reparticao, aflm de deciararem. no prazo a*
30 dias, que Ihes Qta assigoaio, se acritara ou na
o resaltado da tomada da< conU* do me-mo e:
tbesoureiro r.-lativas ao exercicio de 1863186k em
que exercc" o dito lugar, sob pena de serera cor
siderados reveis e prosegnir- so n<> procasao Aa
refenda tomada de conu, iadependeute de qaal-
quer nova citacio nos termoa dc art it do decre-
to n. 2,548 de 10 de marco de I860 dew-ado d><-
clarar tambem sen doraicilio, on consiituirem n
desta cidade procurador com os necessaruu e ba*-
lantes poderes.
Thesouraria de fazenda do Peroarabaco, 10 um
novembro de 1874.
Jueundiaao Rclrigues de. Oliveira.
___^______________SecreUrio da junta.
INSPECCAO DO ARSENAL DE
MAKI.NHA.
Faz-se publieo que em data de 10 do corrons*-
mez foi vistoriado o vapor Camarifibe, da com
panhia pernambucana de navegacio aisteira, e a
commissaa j jlpouo em estado de pmfer continu.i
no servico de reboqoe em qne se emprega,
Inspec^ao do an enal de marinha de I'ernaml
co, lo de novembro de 1874.
Francisco Jcse Coelno Nett,
________________________Inspector._______
ttniKGIO
Kelagao das cartas que deixaram de s*% t
a seus destinos por felta de franquia
Arthur El-ter, An nio 0 .re.a, Domingos Fra
cisco Ris. Francisco Sataa Naadaaja Silva Car -
do, F. Xavier Ferreira, Jayme Ksc. fee, hajjaj ,
Antonio Vieira da Silva, J<>e Bis Birreto, Wari-
Segunda,.Maria Therera, laa ti C;r|ieira rtut-
Rosaris Escofct.
Correio de Peraambuco, li do novenal
de 187*.
0 enearregado da expe ___________A. II. dc Arggjo Periiamha. .
AUMINlSr/KAQAO i.OS COKRBibl~D<~P^:
NAMBUCO, 12 UE KQVEMBItO EE I87i
MalHK n eipnlir-ar
Polo vapore nacional Ceard esta admioisUv
cao exyede malas para os porWs do -ul, boje 42
Recebera-se jornais, impresao de qulqaer na>
tureza, e cartas a reg.trar, ale 2 horas da unit.
cartas ordinarias ate 3 horas, o esUs ate 3 |r?
com porte duplo.
As cartas ejornaes que so diriginm ao Rio da
Prata, pagarao previarnenlc, aquellas a laxa da
300 rs por 15 grammas ou. fracvio de 15 gran,
mas, c estes a de 40 r nor 40 grammas ou ,rai
cao de 40 grammas, na progrejsio estabelecida
iias tabellasC e D -annexas is instruc-des do !
de d-izerabro de 1866.
0 adminislrador,
Atlonso do Rego arros.
DtCLARACOtS.
CONSULADO PKOINCIAL.
NeU reparticao arrecada se novaraente daran-
e o corrente mez as importances dos apparelbos.
eacanameHtos, differencas e anuuidadea devidas a
companhia Recife Drainage, no trimestre de jnlh -
a dezembro de 1872, pelos predios sitos a- mas
do Marquez do H -rval e Padre N brega, i-io de
conlorundade com a portaria do Sr. inspector do
tbesouro provincial e as novas rela;5es em subs-
tuuicao as prlmeiras.
Consuiado provincial de Peraambuco, 2
de novemmbro de 1874.
0 a iministradur,
Antonio C. Machado Rios.
SANTA CASA UA MlMiRlCOKilA UO
RECIFE.
A illma. junta administrativa da Sauu Casa di
disericordia do Recife, manda fazer publieo not
l* salade suas sessoes.o dia 12de novembro,je
as 3 boras da tarde, tem de ser arrematadas -
(uem maia vantagens oHerecer, pelo tempo de un
a ir annos, as rendas dog predios em seguid>
liclarados.
ISSTABELEQIIENTO DE CARIUAOE
Rua das Calcadas
Idem n. 36........221*001'
Vidal de Negreiros.
Casa terrean. 114......362*00'
idem n. 94.........30laOn6
Rua larga do Rosario.
4* andar e loja n 24 A. .... 3IOo)Ni
I.* andar n 24 A.......40ri*iNNi
i: andar u. 44 A. ... 25l*<10t
Kna de Antonio Henriques.
Casa terrea n, 26...... 9U*oon
Be ordem do lllm. Sr inspector da thesou-
raria de fazenda desta provincia sc declara que era
sessio da junta de II de novembro proximo tutu-
ro. ira novam ntea'prar^a o arrendamento do pro-
prio nacional -Barracaoque scrvio de quarte)
de cavallaria, em Santo Amaro das Salinas, pre-
ferindo-se a qnera mais vantagons otferec^r i fa-
zenda : os pretendentes qne prerisarera, de alga
mas explicacoes, dirjam-se a esta reparticao.
S-creianana mesouiaria de lazeudade Pernam-
ouco, 27 de ontnbro de l7i.
Jucunditno Rodrigues de Oliveira,
_____________Secretano da jnnta._________
Thomaz de Aquiuo hnmn & (.
Successores
jaccara por todos os vapores, sobre as segoioles
pracas:
Lisboa. Regoa.
Porto. C naves.
Braga Villa Flor.
Vianna. Miraudella.
Viseu. AHJ6.
Guarda. Favaios.
Coimbra. Braganca.
Gnimaraes Lamego.
RJo de Janeiro.
Na rua do Vigarin n. 19.
Companhia Fidelidade
S*-guros raariii nos e ierre6tres
A agencia desta companhia toma guros mari-
timos e terrestres, a premios razoaveis, dando nos
niiimos o solo livre, e o setirao anno gratuitj ao
segurado.
Feliciaoo J'ise Gomes,
Agente.
Irmandade
das Almas, erects na mntriz da Boa-Vista.
Nao tendo ainda no dia 0 do corrente com-
parecido numero legal, como determioa o artigo
14 de rio-sn coinpromisso, pela terceira vez con-
vidii a todos os irmao- deta corpnracao para
remiiiem se em mesa geral no dia i5 do corren-
ie (ii.mingo) as 10 horas da manha, em oosao
coini-torio, aflm de proceler se a elei ao da mpa
reyedoia do anno compr.iinissal de 1874 a 1875.
C'in-istorio da irmamiade, il de novembro de
1874
0 eserivaj, .
M. H de Carvalno Conta.
Santo Antonio
Familia Keller.
sp?c( em reg'tsija a visila do
Exm. Sr. conselheiro mir.istro .lo imper*.-
i Sua provincia natal
Joao Alfredo Correla d'Ol4ielra
Sabbado 14 do corrente.
Hmirado com a |HM de
a. Esc. o Sr. m4n4i*4ro
e de
. F.ve. o Sr. prewidenie do protinr.,
frograiuiua.
1.' parte.
Uara principio ao espectaculo cim o rrandi
(ua.ir.i, canlado pela compauhia :
A l na do Insfl (.i i hymiif*
DiUi.ll.'ll.
2.* parto.
Os sete quadras di Paixaa.
Harmonic raeute acorapanhados por cantos ma-
cros diriaido pelo distinclo maestru Rosas.
I Nmienca de Pilato- (Raphael).
2. Carainho do Golg>t!u (Uubens), oabec,
pelo nume de Pasmo da Cecilia.
3* Chegada ao Monte Calvano (niibens).
4* A Kievacao (Rubens).
5 0 ultimo m.-piro (Ruheos)
60 desciraeDto(Rubeiis)
7.' A resurreirao (Raphael)
3.a parte.
0 grandiofo quadra nacionc!, com um pro.
go, denouiinado :
A esc la de Alh-nas rnoderna.
aomposlo pur Keller o dedicado a S. Exc o m
ministro do imperij, cm ineracria do dia 7 d
Marco de 1872
precis sao os ordinarioi da casa.
Os camaiote-. eslao a disposi(ao do resperta^
publieo, na tua de Santa Isabel n. 9.
THEATRO
DA
ENCRUZILHADA
Soeiedade runirular
RECKEIO llllAMATICO.
Stbbado 14 do oorrentue.
Subira a sCena c maguifico drama do immor...
K. Uebue, traduzido exprcssamente parao Recre-
Uraraatico:
.ii>aiiilm!|,ia e arrepeDdimento
Dando Um ao espectacnlo a muito interessn...
eoniedia origin 1 brosileiro :
Uui defeito de f milia
Principiara as 8 hM,
Havera trem dapaH de e-ppct.'-^io.
AVISO
Os senbores socios p idem dosde boje manda*
buscar os seus bilhete' no theatre, das 6 as S oi
noite.
CIRCO EQUESTRE
so
imp das Princezas
Vende-se o circo equestre, o qnal eoas4a da la-
boas de pioho, aeodo forr de 18 palrrxo, a ato,
de 12, p T(a<> de barrotes grande qoazrtidada d>
caibros de diversus tamanuos, sendo de ara;.
maogue e outra* qualidades : os preirndeote*
p >dern dirigir-e ao mesmo circo, das 10 hot aa da.
manha as 3 da tarde.
imv* mwmto
a -r. Or. juiz Miti-tiluto da vara, tein de ir a pra-
ca para ser arremal.d.. p-.r quern mais dsr. uma
atmacaoil.-i,n r em mao e.-tado. e dous bncoa
te aa.'rt Has para gaz e am regisiro, lado avaha
do por 1J6., poijliurado* a LadiiJao Rodolpho da andar, ou com o capitio.
Barca p nugutua Gratiduo, caviiii turves Peo-
tana, vai sabir hrevi-: trU-se com Silva Guima
raes aoto n. 6, seguad*
-


Jiano de Femauiouov Quinta feira 12 de Novembro ae 1&74.

,i
i
COMPANHU PfcHtUMBUCANA
Naveca^Jkia eaatelra a vapor.
Mac6id, tjs.ialas, Penedo e Aracaju'.
O vapor Mand'ku,
coromanlante Marinho
seguira pan os por-
tos aeima do dia 14
do corrente mez, as 5
boras da tarde.
Reeebe carga ate dia 13, encuoi nendu, di-
nbeiro a fre > e passagens at* as 2 boras da tar-
de do dia da sahida : iscriptorio qo Porte do
Mattoa n. II
Rio de Janeiro.
0 mandado em o qoal se acnarn descrlptns ol
devedore-, com a respeetiva qoantia e data do*
vencimentos doa titulas e todos os main esclareci-
meotos precisos, ncba-se em poder do agente, aon
de desde ja pode ser examinado pelos senbores
pretendentes.
Brittle S.
Sahira com brevidade :
rua do Vigario n. 7.
Paulo.
para carga trau-se Da
PARA 0 Mill,
0 britne portagoei Tritcmpho, preteode seguir
com muita brevidade: para carga e passagelros
tratt-se com os eonsignatanos Thomax de Aqaino
ronceea A C, snccassofes. raa do Vigario n. jt
Para o Fara.
Preteode segoir com muita brevidade o palba-
oote Joven Arthur, tern parte de sea carregamen-
w engajado, para o resto qae ins falta irata se
com o sea con-ignaUrio Aotooio Luiz de Oliveira
Azevedo, a raa do Bom lesqa n. 57.
liha de 5 Miguel
Segue com krevtdade para S. Miguel e palba-
bote portuguei Novo S. lourengo, para onde reee-
be carg a e passageiros : trau se com n conrig-
natanys ffcomaz de Aquino Fonceca & C. Succes-
sores, raa go Vigario n. 1, andar.__________
Costa d'Africa
Segue da Bahia em 39 deste met, para o porto
de Ounim, na Costa d'Africa, a barca portugueia
JtttpktM, tend" boos commodos para passagerros.
LEILAO
dos mastareos, vergas, velas, eniarcias,
correntes, ancoras e mais ..bjectos salva-
dos do patacno inglez Dundee, em raui-
tose diff-rentes lutes
Bat Cout'nuavAo c mil so Iota
Do casco, mastros reaes e mail pertencas do mes
mo patacbo, no estado e lugar em encalhado, ao sal do porto de Gallinlias
SKNDO :
A s 10 e meia horas os salvados, ao meio dia o
casco e mastros reaes
Pot intervene*) do agente "into
A reqaerimento do capitao do referido patacho.
Com liceaca do Sr. inspector da alfaodega.
Em presenoa de um empregado da mesma re-
particao.
Per lDterveucao do agonte Pinto.
E por conta e risco de qaem pertencer.
LEILAO
COMPANHIA PERNAMBVCANA
DE
^avex9-fto eaatelra a vapor.
fWraHyaa. Natal, Mara*, leggoro,
traraty, Oaru, Aoaraca' e Vmar
-raoao, no Faaa*y.
0 vapor Ipojuca,
com in and ante Moura,
seguira para os por-
tos acima, ne dia 21
do corrente as S ho-
1 ras da urde
Reeebe carga ate e dia 20, encomraendas, pas
sageiros e dinbeiro a frete ate a) 2 horas da tar-
de do dia de sua sabida : escriptorio no Forte do
Mattes a. II________________
Libra eslerlioas.
Veodem Augusto F. d*01i-
veira & C.
Rua do Commercio n. 42.
LEILOES.
DE
um terreno a rua de S. Mi-
guei, freguezia de Afo-
gados
Hoje
4s 11 boras da manna
0 agente Martins levara a leilao pela segunda
vez, pur mandado do lllm Sr. Dr. jure especial do
commercio, am terreno devdloto na rua de S. Mi-
guel, o qual f >i occupado por nma casa com o
numero am, pertencehto a massa falhda de Si-
queira A Pereira.
No armazem da rua do Imperador n. 48.
.Ha armaieat da raa da Impera-
dor a 48
A's 11 horas da manha
Ultimo leilao
DAS
Dividas da massa faliida de Benti da Silva
& C, na importsneia de 43:5349088,
sendo 13:1869990 em leltras, serviudo
de base a offerta de 2:210^. obtida ao
leildo do dia 7 do corrente.
Uma burra franceza fecbada e uma mesa, bens
da mesma massa.
SABBADO 14 DO CORRENTE
A's 11 horas era ponto
0 agente Pinto, autonsado pelos administrado-
res da massa faliida de Beulo da.Silva A C, leva-
ra novamente e pela ultima vei a leilao as di
viias da reforida massa, asstm oomo uma barra
(enfre) e tima mesa. Vs 11 boras do dia acima
ditu, em ?eu escriptorio, raa do Bom Jesus n. 43
SLSILlO
DO
Sobrado de 3 andares e sotao, da travessa
do Csrtno n. 16, edificado em chaos pro-
pjios.
as If fit horaa
SABBADO 14 DO CORRENTE
Por intervencao do agente Pinto
No escriptorio da rua do Bom Je.sus n. 63.
Por occasia-> do leila de faienda* hmpas eavana-
________ das que deve alii ter lugar.
LEILAO
Feira Semanal
2 mobilias de jacrirandd com
tampos de pedra, sendo 1
completamente n >va e <1o
ultimo gosto, 1 ricoguar-
da louca, 1 meza elastiea,
1 ^ecretaria de Goncalo
A(ves, obra de gosto, ca-
mas franceza s, pianos,
guard -vestido, espelho^
com molduras douradas, de
vartos tamanhos, ?uarda
comida, commodas, objec-
tos de ouro, brilhante, e
praia, rewolvers novos de
4 a 8 tiros, aparadores,
c a b i d e s, quartinheiras,
machinas de costura, esta-
tuas de Vonus, candieiros
de gaz carbonicoe kerose-
ne, relogios para al^ibeira,
cirna 1e mesa e pare ie,toi-
letes de jacar.mda e ama-
relio, m^nas para advoga-
dos, crystaesenmas de fer-
rro, muitos trastes avul-
sos, e immensos arti^os do
us* i domestico, que serao
vendidos a trdco do barato,
por conta de diver&os.
Hoje
As 11 horas da manha.
NA
fELK A SEMANAL
fti-Kaa d< Imperadorl(i
\HMAZEM
DE
moveis
HOJE
A'S 11 H0RA< DA MANHA
NA FEIRA &EMANAL
16Rua do lirmerador 16
0 rgente Martin por maudado do lllm. Sr.'Br..
juizde orphies, vendera em leiliealgnns moveis,
espulio da finada Vtcencia F. da Luz Vieira.
feilao
DE
Uma carroca maneira com arreios para cavallos,
uira raulla grande e uma mansa para carro ou
eaareca.
l\i>A
Ao mei.t dia
1GRa do Imperador16
Na.porta da Feira Semanal.
LEILAO
M
Casa terrea 4* rua das Nympbas n. 16. e^iflcada
era chaos proprios. com 18 palmos de (rente e
49 de fundo com travejamento para sotao, Ja-
nella e poria para o oitao
Sete meia-aguas era terreno pr iprio, no fando da
casa acima, com 16 p.ilmos dn (rente e 18 de
'fundo rada uma, pnrta e janeda de '(rente, com
uma caciraba em {rente i* aHsmas, sendo que
estas meia-aguas rendera 104000 raensaes cada
ume, e ton terreno r>o (undo.
SABBADfi 14 DO CORRENTE
ao meio dia
RUA DO DOM JESUS N. 43.
Por intervening no agetite Pinto
AMA
Precisa se ae uma ama
para cozinhar, preferindo-se
escrava: a tratar a rua do
Capibariben. 40.
Altcmln governo iiuperlnl! !
A Associacio dos Praticos desta provineia tem
dingido ao governo imperial, claraando ligeira* raodiflcapoes em alguns artigus
do regu ameuto de 28 de levereiro de IBM, mas
todas alias que nem ao raenos mereccram a^ hon
ras da um indefcrimento, foram lincadas ao po
da secretana de tstado dos negocio's da mari
liar I I
Nao obsUnte, os praticos, na esperanca de am
dia serem attendid s, enderecarara oltimamente
um outro re luetunento, reclamando do governo
lmpenal auxmento de vencimentos por nau ser
po*sivei que elles omtinuem a receber boje os
mesmos qae percebiam quaudo publicou-se o
citado regulameuto.
O augmento de vencimentos coniste em o go-
verno autorisar qae nao se accumuiem mais ao
(undo de soccorro crnado pelo regulamento citad'i
as verbas de que (allaiu os arts. 22 in fint e 47,
para que sejam divididas no flra dos mezes pelos
praticos ; porquanto, basU hoje um quarto dos
Juros do dinbeiro, quo consume u fundo do -i.ccor-
ro, para pagar todas as pen-des que dellc sahem.
Sao, porem passados quasi dous mezes e o go
verno imperial ainda nao pode deferir nma preten
cao tio justa e Uo j-impies I
E porqae, bem pode sacceder que o ultimo re-
quenmento tenha s rte igual a dos outros. convem
pedir do alto da impren?a (d'ahi mais (acilmeote
Chega a voz do reclamaute as eminencias do poder)
ao g verno imperial que atienda a tao ju-ta recla-
macao dos praticos, que nada solicilam dos co(res
publicos, mas socuente pretendem aqaillo qae
fas parte do producto de seu trabalho, alias todo
particular.
Atten lera o governo ?
Veremos....
ieilao
LEILAO
DE
ura rico apparelho de Chnstofle para cba e de um
relogio de ouro esmaliado com cadeia para se-
nhora.
Sexta-feira 13 do corrente
Em continuacao ao leilao de moveis e mais a:-
tigos, era a rua da Imperatriz n. 6.
Por intervenyao do agente Dias
DE
uma armacio com flteiros envidracados, um mos-
trador para porta com candieiro de gaz, um iu>tre
de crystal, 4 arandellas, 1 candieiro de daas lu-
les, 1 fspelho e I dtto oval, 1 carieira de amarel-
lo, I estante para livros, 1 mesa de amarello, pro-
pria para aKaiate, dita de pinho, um cabide gran-
de. marquozods, raca redonda, 2 mesas pequenas,
1 escada e outros objectos que e acto do leilao e algumas (azendas.
A casa tem agua e gai e garaate-se ao compra-
dor da ariiiH'-Ko
SABBADO 14 DO GORBENTE
Afl'inso Gtjiiitaia-*.- iV C fario leilao por inte*-
veucao do agente Martins, de armacao, gaz, algu-
mas fazeodag e mnwis do seu estabelecimento da
rua da Imperatriz n den -minado Actualidade
- para li.juidar, vistj ter de retirarem-se desta
pruviucla.
A-ai I f hons iloditt acima.
Importante
LEILAO
Grande
NOvO
LEILAO
Das dfvidas na imporuuma do S:3Wal4&', per-
iencentes ao espaMode Paolioo Onu(ru Nunes.
Hoje
\* 1 1| boras.
Em o 1 andar do sabi ado da rua do Marquez de
Oiinda n. 37.
Por iut-rv ncio do ageote Dias, 9ervindo de
base a off rt* de lOQaW. ___________
]Novo leilao
Jos bensedivitas p.>rt-ncente- a massa failida de
Ro-troo R ... k A C.
B4/ji;
*' 11 lioi-w*.
t-'m o 1 andar do sobrado da rua do Marquez de
Oil. da n. 37
0 agente dia. letara novamnote a l-il5o, put
despacho do Him. Sr. Dr juiz especial d c.mmer
ci no dia e li .ra aeima indicados, os lieu* e divi
dac pertene-nies a massa 1iW\ de Rostri.n Roock
& C. os .|naes sao us scuuiolt-s :
0 dir.iti.s qae teem ..i ditoi fallidos >obro o
domioio e p.is*p oa lueiaKj dos terrfn..s de no
oha, sit. no r^ do Bam a(orad..s prrpetua-
roeote a ri-ns-lheirn P^ipjic Lopes iNelt tfi renos
avalialo. lol-.s cm W 624460U.
0 dir>n que fern n'uina c -a e siti n largo
da iireja da T rrn, w,u a t, ow p,ra rlH
com i-lo...., 9 o imi,j iai^ ,U| c..m 8U ',
flcand.. -iiir i, Mii 4,, sr. G.uiier e pr-unedaile
iooSi )'''hi A"lo R" F"rn,,,u- v-'*" ',or
E a= dividai aa imp<.r:aucia da S73:42.'*88i.
DE
Bobs moveia e outros maitte
rlbjaa pr. priu le etasa de f?*-
niiliH.
Mexta-reira t-l do corrente
A'S 10 1|2 HOKAS bA MANUA
Em o 1" andar do sobrado da rua da Irapera-
iriz n...
O agente Dias, cimoetentemente autorisado per
uma fdimlia que mudou de resMeocia.lbvara a lei-
lao no dia e bur* acima iadieadoi os niovtis e
mais artigos que abaixo se meucionam.
Ainda uma vez so uAVfwee uma optima oppnr-
tunidado aos seuhures preten leotea de se proverem
do qae precisarem por commodos preco9, pois nao
ha luuites
A saber :
Uma mobiiia de jacaranda a Luiz XV, nova
composta do 1 gi.fa, 2 eoas-liM, 1 jardineira com
tampus de pedra, 4 eadeiras de braces e 12 de
guarni io. Uma mobiiia da mogno, composta de
l sola, I jardineira, 2 consolos c-nn tampos de p-
dra, e 12 cadeira? de gaarnicao, 1 secretaria de
jacaranla, 2 eadeiras ae balaogo, austriacas, 2
ditas e.-preguicadeiras, I r|. gio de parede, I
toilet de jacaranda, tampo de pedra, 1 dito de
mogno, 1 banca para jogo, 1 lica costureira moguo, 2 espclhos ovaes, nio>dura d'ourada. Uma
m bilia preta, propria para gabm-te, composu de
1 sofa, 2 cadeiias d nracos e 12 de guarnicio, I
guarda roupa de mogn com espelho, S sanefas
para cortioados, 1 g.iarda roo. a de amarello, i
lavauino de amarello com tampo de pedra, 1
cabide de dito, 1 caraa de dtto para ca^al, I
guarda luava de dito, 1 grande apparador de
dito, I sofa de dito, I carteira, 1 boa inaehina
de costura de dito, 1 boa secretaria com estante,
de dito, 1 mesa elaatica de dito, 1 guarda roup
de dito, 1 banca de dito, 1 marqueza de dito, 9
eadeiras de dito, I aparador de dito, 1 grande
consolo de jacaranda, com tampo de pe'ra, 1
raachina para limpar facas, 1 optima e grande
machina para lavar e cngommar, 4 camas de
ferro, 1 guarda roupa de angico, 4 quadrus com
vistas, Iparde coucbas cmfiguras de porcel-
1 na para cbarutos, 1 par de vasos com pes de
ebano, 1 par de jarros de marmore, 1 espelbo Oe
moldnra preta, 2 pares de rodumas com flores, I
violao, 1 rico par de flgaras de porcellana, 1
apparelho de porcellana d'oarada para lavaterio,
2 machinas para caf6, 1 dita para agua de Seltz,
1 carrinho de palba para menino, l cavall com
mllas para eriancas, 2 mesmh^s de ferro com
pmturas chinezas, 2 pares de escairadeiras, 4 pa
res do garrafas de crystal para vinbo, 24 pratos
de irystal para doce, c-po, colheres e garfos de
metal e muitos outros artigos qur estarao patentes
ao exame dos lenhores cooenrrentes no dia do
leilao.
leilao
DE
Dividas da massa falli a| to Oiilhii ,ii i'iipi>ri.*iicih 7:0709oO0
SKXTA PEIHA 13 SOCOKHKNrE
0 agente Martms (ara leilao por mandado do
lllm. Sr. Dr. Juiz especial do commercio das di
vidas ajlivas da massa (aiiida de Bernardino Plata
Coelbo.
Vi armazem da rua do Impe-
rador n. 48
A's 1 I hora- a maaha
DE
, Um grande silio junto a povoagao de Dm rte
Coelbo, em Oiinda, com um grande sobrado e sotao
para moiadia Jo grande fomilia, com as segumtes
commodidades : pavimonto lerreo, !i sa'as (orradas
o bem iireparalas, 6 quartos e coziuha indepen-
denle, !. andar 6 salas forradas, 1 copiar, sotao,
2 salas e 6 quartos, i ijuarteirao de o casas era se-
ttuida, 3 galimheiros de pedra ecal, gradeados,
ca-a, senialla e galimheiros circulados com calja-
da, 1 grande cuenwra de pedra e cal, 1 estribana
para G cavallos, a vootade, 2 casas para hospe-dee,
tendo uma dellaa 1 ter-aco com caramanchao dn
ferro, t banheiros de pedra e cal, 3 cacimbas e 8
viveiros, 2 ditos principiados, 1 pomar de mil la
raugeiras, 1 dito de 600 coqueiros, 1 grande par-
reiral de uvas d boa quahdade, e multas outras
vanedades de arvores fructiferaa, I boa horta com
todas as qmlidades de hortaiice, graudes baixas
para capim, 1 grande jardim que comprehende I >-
do o sitio, com II ires escolbidas, sendo nacionaes e
estrange^?, 2 hndos carainancboes de ferro, uma
caixa d'agua e repucho.
0 referido sitio e divjdido por 3 estradas e 1 rio,
tendo sahidas com portdes de (erro para as ditas
estradas, 1 porto de desembarque e em barque no
centro do sitio, terreno proprio ; a fiual e silo pa
ra uma faonlta vhvr indepeudente, 6 cum o pro-
ducto das rroetas, fiords, nortalices e capim que
vegeta ente itio, c gosar do bom viver que offere
Ce a naturoza
TEagA-FEIKA 18 DO i.OKRKETE
as I| hor-as.
No escriptitno oa rua do Bum Jesus a. 53,
primeiro anilnr.
0 agente Pinho Borges, bastaute autorisado, ven-
dera o referido situ dvre o desembaracado. e se-
ra effectuado definitivamente, e por conta o tisco
de quern perteocer.
Os Srs. pretendenles podem desde ja exaroina-
lo, e qualqunr esclarecimeuto o me-mo ageute po-
de dar a quem iuterpellar relativ menie par2 issso.
; LEILAO
DE
Um grande sitio na esirada dos Aftliclos, sendo
casa bem construida, sotao e miranle com as com-
modidades seguiutes : 2 salas da vi.-ita, forradas e
estucadas, 1 quarto proprio para capelia, 1 dito
oara gabmete de leitura, I dito para d irmida, '
dito para crianca, 1 sala de jantar. ante-sala cor-
redor ; no sotao, 1 saleta e 2 quartos; no ir-iran-
te, um >ota todo envidracado, cozinha, sala para
eugommar, despensa, 2 quartos para criados. em
solo proprio, tendo 300 palmos de frente, um gran-
de lardim, muitas arvores fructiTeras, e divi ido
por duas estradas, terreno ba&Wnie para duas ex
cellentes baixas oe capim, na frente umrado, gra
de de ferro e portao.
TERgA-FEIRA, 18 DO CORRENTE
nail horas da m-iuf.a
Accoes entre aiuigos
Avisa se as pe-soas possuidoras daaac^Ses com
as iniciaes A. B. (adereco com 28 bnlbanie) que
tend adoecido uma das pessoas encarregadas a ex
tracgao, e tendo por isto Gcado grande parte de
dins accoes (melade), deixa do correr com a lole-
ria 124', o qoe tera lugar com a lofa-ria 128*.
Aloga-se barato umas meias aguas novas,
a travessa das Barreiras, becco do (Aqum ) : a
tratar na rua do Cotovello, casa de azula o, n 23
Aos Hvh. eapitaes de navins
0 abaixo assignado offerece-se para regular os
chronoraetros de reu< navi >s, comoromettendo-se
a entrega-los no dia e t.ora que pelos mesmos se-
nbores for exigido ; quanto ao preco, flcara ao
ariiitrio jos srs. capiiaes.
Qualquer Sr. capitao que quizer utilisar se dos
servicos do abaixo assignado, o procorara no ar-
mazem de Beltrao Oliveira & C. mi na loja de
cabos de Jacinth Nunes da Co ta, no largo do
Corpo Santo n.
___________Jose Maria Pestana Junior.
Aecoes entre atnigos.
Previnese que ningoem cunpre bilhetes de
uma aci.-aj sobre uma mactiina para qualquer
costura, por isso que tendo cor ido com a pri-
meira loteria de novembro e negando 3e o dono
daquella a entrega-la, tem de se paupor a com-
petente accau em jmzo.
O abaix a^signa io, era rtapnsta ao annuneio
publicado no Di-rio de Pernambuco. do dia 6 do
corrente era diante, tem a dizer tue a heranca
de que trata o rnesiuo aonuncio foi veudid. ao
Sr. Domingos Nanes Ferreira, por escriptura pu-
blica em notas do tabelliao Sa, a qnal ja se
aohkva d siriini ida de-de o dia 3 do corrente e
prador, fui citado para peraote o juiz de paz da
Graca cuuciliar-se aenrca de uma divida de um
conta e lantos mil reis, a qual nao julga dever.
Recife, 1| de novembro de 1874.
Jose Galdmo Hessoa de Albuquergae Mello.
Para o publieo aprcdar a porcaria
do CoMegie de Sanio Amaru.
Venbo hoje a sta folha pedir encarecidamente
ao director do mesmo collegio que tenha a bon-
dade d tranr dos seu* collsiaes, com mais
commodidade a respeito da refeiclo, porqae to-
dos pa^am e bam pagii, o por conseguinte que
rem ser bem seridus.,0 >r. director deve urocu-
rar um bora cozioheiro que nao <5 o que tem,
pois o actual nao tem in*iracc*o alguraa de .o-
ziuha, pelo contrario e um ente mcomprehen-
sivol. assim town o preciso uso de banhos tao
necesssario e util, ouiras mais lacunas que se
ria vergonhuso mencionar-se, e al6ra de todo is
to privacio de s hida Sera por v ntura o seu
collegio um convi nto de frei as ou de jesnitas .'
creio que nio. p-io menus eu nao o sou. Suppo-
nho qne o Sr. director einendar se-ha coin esta
advertencia, afim de nao sahir oulra peior.
________________________________B. A.
No dia 16 du mez de ulobro proximo pas
sado, do roireate anno, desappareceu da easa de
>ua senhora, u negro Manoel, sera m-nhuma ra-
ao, o qua! parece l-r SO annos, e do altura e
grosaura regular, muita forte, tem dtntes sios e
cria barba, com alguns cabellos brancos, tauto
na barba c-mo na cabe^a ; levou vestido calca
azul e caiuisa de ri-cadn, e foi comprado *a
Joaquim Bar o-a de Siqueira, morador em Pes-
queira, de onde (5 o negro fllho. Quem o pegar
le'O-oa casa da sua senhora, na Passagem da
Magdalena rua de Paysandd n. it, qno ser.i bem
recooipensado.
0 Sr. Joaquim Jose B^zerra M "nlen-gru,
vindo do tdaceio no vapor Paid, queira dirigir se
ao escriptorio de Tasso Irinaus A C, rua do Amo
'im n. 37. ________________
ItIO DOCK
Alaga-se uma excelleute casa de pedra ecal,
envidiacada, com banh de ag a doc e salgada,
sita na praia do Km I) n:, distante uma leg ia de
Oiinda, cim todas as co nmodidades para pas-ar-se
a (esla com p >neo d nheiro : a tratar no armazem
da bU amarella, travessa da rua do Imperador,
ou em Olioda, com o pa Ire Randeira.
f'UNDlQAO DO BOWMAN
RCA DO BRIJM N. 82
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS senhores do engenho e ontros agricult-ires, e compradores de m*
hinismo o favor de faier uma visita a sou estaboleciraento, para verem 0 novo sortia* i
to compieto que ahi tem ; sendo tudo superior em qualiJade e fortidao ; o que com a bt-
truc^ao pessoa! pode-se verificar.
ESPECIAL ATTENCAO AO NUMERO E LUs.AR DE SU\ FENDICAO
V apOreS e rOClaS O. agua dos mais 4nif systemas c em tamanhos co i
venientes para as diversas circumstancias dos senhores proprietarios e para descaroc-r
alg'dao.
MOenilaS de Oanna de todos os tamanhos, as melhores que pqni existem.
JCWKlaS aentaOaS para animaes. agua e vapor.
Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
JldCniniSmOS para mandioca e algodao, e para serrar madoira.
JjOmbaS de patente, garantidas........
TodaS aS machinas e pecas do que so costuma precisar.
Faz qualquer concerto de m.cbinismo, a pm mui mmm*.
C OrmaS ue terrO tem as melhores e mais baratas existentes no mercado.
linCOmmenaaS. Incumbe-se de mandar vir qualquer machinismo a vontade d i
clientes, lembrando-lhes a vantagom de fazerem as compras por inUirmcdio de pt?ss
entendida, e que em qualquer necessidade pode lhes prestar auxilio.
Arados americanos e istru.nentos \*s.
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
i'odendo Ijo
ser movidos a a..
por agua. tap.'.-
-.is animaes.
PBESERVATIVO DA ERYSIPELA
DO
Bacharel Nanuel de Siqueira Gavaicanli
Remedio efflcaz. nao so para curar qualqi cr ataque Ja ervsipola, oomo
para impedir o seu reapparecimento.
Approvado pelo Governo Imperial, achase a disposicio do Pabiico
,com as respectivas instructoes, aitestadosde pesscas notaveis, e de Medicos
do grande reputajao.
Depositos unicos.
"ecife: rua do Barao da Vlcl ria (rua Nova) c VO. can
Rocba Siaueira.
Rio de Janeiro : Curte, rua do Ouvidor, n. 78.
Gratis aos Pobres.
E
MUITU BARATO
A 451) rs. o covado!!
do
Alpacas com listras e de lindas cores p-lo diminuto prei;o de u rma o cov
na rua do Duque deCaxias, ou'r'ora Queiroado D. 81, loja de qua'.ro porUs.
ODILON DUARTE k IRMAO
uABLLIBEIOS
Premiados na exposicao de 1872
RUA
Da
fMPERATRIZ
(!. ANDAB.
5/ofFHIOO,
Rl.A
^A
IMI-'t-RATRIZ
R. 82
t.; A>T)4R.
No escriptorio da rua do B<>m Jesus n, 53.
primeiro andar.
0 agente Pinho borges levara a leilao o referido
sitio, por couta e ordem do sr. P. M. Maury qua
se retira para fdra desta provineia.
Os Srs. protendentes podem desde ja examina
lo, qualquer esclarecimenu, emu mesmo agent-
E'dOOjfOiiO
Precisa-*e desta quautia sobre hvpotbeca de um
predio : a pessoa que quizer, dinja se a rua do
Aragao n. 16, quo se dira quem precisa, ou an-
noncie sua re^-idi-ncia para s-r procurado.
Antonio Goocalves da >ilwa tendo de retirar -
se para fura da provineia, julga nada devei n>-m
oesta povoacao nem for. dlla : se -iguem se jnl
gar seu eredor, apre^nie sua- contas no praz de
oito dias Boa-Viagera, II d n iverabro de i87i.
Aluga so nra bom cscravo p*ra servijn de
hofl, por ia ter muita pratica, ou para q aiquer
outro : na rna do dnperalor n. 5"
Leilao
Dividas na importanria dp 3:3518280
SextH-f-iira 13 In rurrente
0 agente Manins fara leil&o por mandado do
lllm. Sr. Dr. iuiz especial 10 c ini^iercio. das di
vda- a.'tvas da m*->a r.llula d" Jjsq Narciso da
Silva, na nsportancia de 3:351.28a
JHSUSChuSOS
MS emTommar
Precisa se de uma ama,
forrau captiva, preferindo
se desta ultima coudiqao, que
saibaengornmHr e pan ou-
tros mist6res dec^sa de pe-
quena fa in ilia; a rua do Ca-
pibariben. 4.0
Pharmacia,
PrecisacedV ,uQ, piaiteea, i pirmacia bame-
ncana, a rna Duque oe Caxias n. 87.
- Aloga-se a ca>a t;ra da rna do CotoV-llo
n. 17. cum 2 ftaUa, :( qiiartos, cozmha, cacimba
propria, soffrivel quintal : para ver, achase a
chave na casa do m*ino cmrer n. 7 e para tra
tar do aluguel, queiram dirigtr se a rua larga do
osario n. 3, >oja.
- Aluga se uma gnode ca-a, C >m 5 quartos e
i salas e um graud- sitio, na rua das Ciiuulas do
US : a tratar na mpsma.
- Aluga se a casa in rua do Visconde de Pe
I >tas, antigarua do Aragao n. '8. .com 4 quartos,
tioas salas. corredor >eparado. bjm qniutil, poitao,
e mai< um quaito no qumui: a tratar coin o pro
prio dooo, na mesma ca-a, ia 6 as 9 horas da
manha.______
- Alugi se uma casa bastante IresCa, na po
voacao da Torre : a tratar na rua do Imperador
u tO, I qa i.e inar - Alng -se a ca-a n. 10:1 da raa do Corom-I
>uassuua. n-ediHcada : lraU-se na rua Direita
nuuiiT.i 8.
Auauam de reformar o sp.u estabcleciincr.to, eollocicdo-o :.s<- r '.bores ioi
iicgoes possiveis de bem servir ao publieo desta illuctrc capital, ; .; rirr;. Sraa. n'"
|uillo que for tendeute 6 arte de cabellHirein).
Fazem-se cabolleiras tanto para homens coma p-ira senhora t. ta, cliignc;
x)ques modernissimos, tran^as, cachepeigii, tecidns, desenbos cm C3t!lic: quadr< t&
nulares, flores, buquets e tudo e qualquer trabalho imaginavel em cabello.
0 estabelecimento acha-sn pmvido do que La de (nether i)--i ;:. -. ados estra.
rinos de modas, e pur isso pode fender iO */0 menus que outro qualquer, garanti.i.
perfeicao no trabalho. agrado, sinceridadc e prejo razo.-.vcl.
Penteam senhoras, tanto no estabidecimento como fora ; vende-S3 cabeli
pnrQSo e a retalho e tod-* os utensilios pertHn<*nts A *rt de cabolleirein>.
Aluga-se por anno ou it-sia o s ibrado de dous
indares uosQumro Cauio.-, e Onoia, com com
'ii,ido para itrande fninilia, aitua encana isada e
MM para desu j .. ourll. fie*-a, perlo do hauho e
Us e-t-voes : iraUr na ma oa Uiiiao (ilha dos
Hat-is>n. SX ilHtr i .1 AlUi!.. -h. t ,.,
t'.HlU I'nlllOltl )..> )i;,
niiar rua i ;,
"-~Pr-.a. ~.
rasa de '.iirifna : a tr
- iioni. Ifer.-. na i.K|iiij|ia
fatiiiiu : a traiar no me.-mo
U ii 1
P
r
\\im
iL
mui'
Estes pocos que tera provado ultimamcnte
bem em todas asrpartes aonde foram collocados, em cot
sequencia dos aperfeicoamentos nelles introduzidos, cont
nuam a vender se por precos muito baratns.
A tratar na pharmecia dvs Sra Maurei & C.
do Bar?o da Victoria (outr'ora Rua Noval
ras da manha at-i as 4 da tardo.
ru
n. ii das 8
55
Constructor e alinaur de pianos
Hua do Imper dor
5.
U.i.1 foira i o capiiva, para
ou na rua Duquo 0b Cxus n. ill.
Ex-afinador da> antigas e iifamadas ca>as. Pleyei di, Herz. e antg-
fficina da casa Alphimse Bl.m.-ei.
Tem a bnurt dn declarer o reapMitat I poWm sKflta I'lal-, .^
sua casa de conremi. n a'Mia^Am pi*M4M. qiialquei qu- se ... u ixtn -tr.
A mesma rasa im-hU- r ctV* ri ^r i'p oi-n., m,, ,|.. ,j,i.n
res fabrtcantes de P^ns. cr ., Kmni.Pkiful ti..... li ,- Alpl.....^ III
os pianos shhidos U &p h Di ,\ .Aim
Compra se e i u uusaui ; r.s.
ilirt! i


6
Dijfio do P*raam*rooo ** -Quinta fenai 12 de Nerembrfr fie IftJ*
Set
Oathariua fugio.
#i?h 38 daagosto proximo passado, ausen-
ttm-ytf* esorav.i, a qnal tem os sigaaes seguin-
pf9 : Mitara Imnm, rosto redondo, cor preta, pda
pwBB- s eosturaava vender leite, anda sempre
cob sn caeptt <|8 ne serve de arrimo nor sof-
fr r de rtf-nmaiisnio, ja e iJosa e de najao Cam-
to** : ijwm e eDeontrar, pegue-a e leve-a 10 sitio
*lo Cafeado, estrada de Joao de Barros, que sera
rratifcado.
Aliigani-se
Baas easas de caropo, na Cruz das Almes e
Poco Tao:________________________
Moleque fugido
FKiaoato, moleque de 13 a 14 annos de idade,
pra**, baixo, eneio do curpo, rosto redondo, boni-
lot denies e eabello cortado d- freseo ; ausentou-
se na tarde de '0 do corrcute, com camisa de ma-
ilfpote cat. a do brim de cor, desbotada, chapeo
de massa prelo, conduzindo am serrote grand' e
n_ anurrado de ires tabica*, sobre o beigo supe-
rior andava ultimamente com umas fendiahas.
Cratiica -e a quem leva lo a raa da Aurora nu-
Ml 165.
D. diu-intlia llauiilft da Uix-tia.
Ar-tooio Juse Candido do Sjoza, Maria Majrdale-
na de Sanaa e Jove Caddilo de Soiua. agra#cem
cordialmente a todas- as pessoas que se dignarara
acompanhar ao euterro de sa presada sogra, mai
e avo, Jaciniha Placid* da Rbctaa, e convidam as
novameote, assim como a tofts de sua amisade
para assistirem a miesa do setirao dia, que man-
dam resar pelo eterno repouso de sua alma, no
convento de Nossa Si-phora do Carmo, as 6 boras
da manha de sexla-feira, 13 do correnle met
Villa de Paliuares
Na padaria denominada Mauritv, sita na praca
dene nome, casa de azulejo, n. 2, desta villa, esta-
belecimento de Francisco Seraphico de Asms Vas-
con :ellos, fabrica-se com a maior perfeicio, lim-
peza e barateza, pao, bolaeba, e (tido quanto se
pode obter da farinha da trigo. 0 annunciante
protesta servir com esmero e agrado a todos quan-
tosquizerem honrar sen eslabelecimento e se cons-
lituirem fregnezes e consumidores.______-
Aluga sc um bom silio em Beberibe, com
cast proprla pa-a familia : a tratar na raa da Ca-
deia n. 36.
Eugenho Santos Mendes
l"08 OK (iRATIFICACAO.
Crmlinua fupida desde 20 de dez'embro de 1873,
4a engenbo Santos Mende-, comarca de Nazareth,
iregaezr dp Tracunhaero, a escrava Maria, creou-
la, com SO aoo>s de idale pouco mais ou menos,
baiia, grwa e6r preta, rosto-alquebrado, pes
spccds r. fpatiados, tem cabellos branoos, caneias
iioa-i, dus siguaes cabelludos no queixo, e e bem
uidma ; go-ra de beber aguardente e assistir a
-atntas. Ha t..da a probabiliiade de que este-
ja oeculta por alguem, e desde ja protestase con-
tra jnem a tiver acoitada. A pesaoa que entregar
ta escrava a sen dono, que e o senhor do enge-
pfi: acima, Laurpntrao Gomes da Conba Pereira
tk>tJ^a on n.. Roeife, largo do Gorpo Santo n. 19,
pftme*ru andar, sera recompensado com a qaantia
deciHf mi I reis
Aluga-se
Na iravessa da ma
dasCruzea n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-ae os mes-
mos metaesepedras.
o 3 andar do sobrado a rua de Marcilio Diis o.
120, com bastantes commodos, e agoa da compa-
nhia de Beberibe : a t-atar na raa do Iroperador
i). 81, das 9 horas da manha as i da tarde.
Da se l:0i!0/ sob penbor em escravo : aa
raa de Hjrtas n. 86.
- Da se 2.000* a premio sobre predio : na
rua de Hortas n 86.
Leia.
+
A'.a :a *j ii segundo andar do sobrado con-
lipno a igreja los Martyrios : a tratar na rua
Sett de SeHnbro n. 15.
- Pr-cisa ,: fallar ao Sr. Joaquim de Aguiar
M-xiUrroyos : na rua da Guia n. 45, a negocio
de sea particular inleresse.__________________
Ent^ommadeira.
PreeiM se $e mm engommadeira para engom-
imr pain da* ;ii-soas: a tratar na travessa da
rua tt v., ino n. I. das 9 horas as 4 da tarde, ou
i nn '> mm, di'pois da e?!acao do Chacon.
Mug -e ii'iiii casa om m.iitos comraodos,
f.i ouia i- tin mobilfa, agua c gaz, e purpregj
: >. l i:id d de Oliuda, rua do S. Beuto n
: a t' :r n;> rua Duque de Caxias n. 91.
Atteng
ao
& influentrs doi prcsepcH
Na i iM'.-a do Rosario n. 35 tem, como sem
pre tod-wo* aBinf, lindas coroas e capellas de tri-
^0, de enre e louro, rosM douradas e prateadas
pan tt p '-t >ra- do mats inlinencia, capellas inais
aiinplt-.-para *> pasiiTa.-.ti-.irda-st-. L.chas a ouro com
os teireiros a'Koolo do* donos, brrda-je avontal a
onro, e U7.>e sara : < pa>lorav tem lindo; bouquets com litas
onrla ;^-. por todo preco, de cravos, rosas, sauda-
d, : tim e qualquer flor, tudo muito I.arato,
roroas o cpr i. I.rancas, azues e encarnadas.
Hotel Restaurant de Ror-
deaux
It a w'Srs. abaixo mescionados, o favor de
erem u > dito hotel, para se entendorern
;: tin ni-traior, a negocio de seus partwula-
res'
i ( i-cate).
M a :cia das neves.
% An ancio.
1 ... iri i Rificiro Roma.
\ j,t, ..-...nil AlVPS.
Wre- !* rreira.
'- iga-trda-iivros).
'.'-[ (m l-Ci : ).
i pelo tempo da testa uma casa mui-
:. i r-iti i, no princiBio do ri", perto dos bonds : na rua do
1 Ip Oiin ia n. i>-2.
p-i i andar do sobrado n. 12, >ito a
! \! i ill Dia, defrontt? do oitao da igreja
. i t > : qnem precisar. dirija-se ao !
ad r s iir.i io u. 36, na mesma rua
A!u
:
WJ
i' t^rceiro andare do fobrado n. 3 da
. .'*, p a casat-errea n. 3i, a rua da
p -i do Lapa : a entt-nder-se com o
I leznndj andar da casa n. 41
R f>srt.
Toda attencao
c ii.a '. mn (rente para a rua da Amizade,
.- ii ,.a... i> de fondo, uma purijao de oplimo
rdiQeafto, lirada do silio contiguo
i il- S Jo*6 do Maiiguinuo, d> prego de
. : pilnm. Aquella freota e toda murada,
r .<' a psrte posterior e a lateral ext'ema :
entei poJeui eutcn'erse com o Sr Dr.
-<*'>________________________
- (vspi fktlar com o S". Joao Leite Torres
- I', a ripp icio de um amigo que quer ser in-
': a tr-tar no armaznn do Campos, rua do
- ai ir a. i8.
Aluga se
rma>emn 3 da raa do Vigario Thenorio : a
w od nwmo. ~sj
DE
BRISTOL
w^ /& e
'Mi*
. w
Ainda cede se o quarto da frente na rua da
Palina n. 3i._____________________________
Moleque fugido.
Gralifica-se com 50,000 reis a quern pegar For-
tunate, moleque de 13 a 14 annos, preto, baixo,
cheio do corpo, rosto e cabeca redondos, nariz
chato, cabellos earapinhos e eortados de fresco ;
ausentou se na tarde de 10 de outubro do correnle
anno, com camisa dte madapolao, ealca de brim
de cor, desbotada, e ebapeo de massa preto. Gra-
tiflca se na rua da Caileia do Recife b.* 39, ou na
rua da Aurora n. (65.
- Preeisa 9ealngar uma escrava qoesaibs. com-
prar e eozintiar: na estrada de SaMo Am.ro
n 39._______________________________
Alugase o 1 andar do sobrado a ma do
Amorim D. 41, com 1 sala bem asseiada e 1 qjar-
to com c-seada independpn-, proprio para escrip-
torkt ou ra^azes solteiros, por 15^ mensaes : a
tratar uo r.rmazpm do ineamo sobrado.
Escrava liigiita.
Josepha ; u-i-ntou se da casa de sna senhora
no dia 5 de outubro e tem os sigoaes seguintes :
crioula, cor preta, representa ter 25 annos ponco
mais om meuos, torn os dedos da mao direila
cortadoi, levou o taboleiro em que andava veo-
dendo caigiea e contiiuia a andar com o dito ta-
boleiro coin torla I-lii;a para nao ser agarrada,
levou saia do chiia con um babado estreito em-
baixo, iraja eamisa cm labiryntno uo talho e le-
vou ebaies preto: rogase as anteridades poli-
ciaes ou capitaes d. camp", a ^pprehensao da
dita escrava e leva-la ao uaminbo Novo, sitio n.
liO, a sua SLoo.ira, ou na rua da Cacimba, pri-
ii tiro andar. a entregar ao Sr. Jao Francisco
Leite, quo sera generosamenle recompensado.
- Prvcisa-se de d:r.s amas, sendo ama para
cozinhar e comprar e outra para engommar e
ensaboar : E.a rua da Concorda u. 43.
' 0 ADVpGADO
Eruesto d'Aquiuo Fonceca.
Pateo de PjmJi-o II, n. 9
MiSSA FALUDA Dli AZLVLDO & C.
0; abaixo assiguado;, administra iores da massa
faliida de Azevedn k C, rogam aos credore3 da
mesma queiram vir apresenUr seus crodilos a rua
do Marquoz do Olinda p. 36, afim dp proceder-se
a resp diva classiUcacio, d-vend" ap:esenta los
deutro de oito .^ias, a contar dasta data.
Recife, 30 de outubro de 1874.
Mouhard Mettler&C.
2" f.ndar
Aluga-s.". o 23 andar d.i ? dirado n. 70, a rua Du-
que de Caxias : a tratar na loja.
So collogio da Conccicao precisa-se de nm
homem para" porteiro, que de Dtdor de sua con-
duca
Esta encouracado !! !
Afpua mole em pedra ttura
Van to dm at* qaa twn.
Roga-se ao Him. Sr. Ignatso Vietra de Hell
aecrrfio na oidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir a nu Duqne de Caxias.a 30, a con-
iiluir aqaelle negocio que S. S. se-comfroiaettan a
reallsar, pela terceira ckamada deste jornal, em
9ns de duembro da 1871, e depois pan Janeiro,
passou afevereiro e abrii de 1875, e nad* cumprio;
por este motivo 6 de novo ehamado para d
9m, poit S. S. se deve lembrar que este negoci
de mais de oito annos, e quando o Sr. aeu ttlbo
aehava neeta cidade.
^^^i
E. A. DELOUCIIE
24-Rua doHaiquez deOlinda-M
Esquina do beCO Largo
Partioipa a seus freguezes e amigos que mu;'.ou
o sen estabelecimento de relejoe'ro para a mesma
rua n. 14, onde encontrarlb um gpande sortimentn
de relogios de parede, americanos, e cima de me-
sa, dos melhores gostos e qualidad*s, relogios dV
algibeira, de todas as qualida--es, patente suisso,
de ouro e prata donrada, fbleado (plaquet), relo-
gios de oaro, inglez, descuberto, dos melhores
fabricantes, cadeia de oure, plaquet e prata, lunetas
de todps ae qualidades, tudo por preros muito ba
ratos.
Novo divertimento
ia
irla.
ET
Tu NA
CoBfeitaria do Campos.
0 baratcim a rua Pnmeiru de .rfarjo n rece- as
beu nm bom sortimento depopelrnas dp seda com
bonitos gustos, e esta v^ndendo pe!o baraiissimo
preco de 600 rs. o covadu Cnnv6m ver, pois 6.
azeuda que seinpre cu-t.u I jOiV)
2. andar.

\n
^';y;;: ?-<
-
Wt -a'
,\ OS CAS6S MAIS DESESPERADO^
4 >AFSAPARRILHA DE BRISTOL pun
a MM dosangue, expflle para fon
rias e fezes viciosas e impuras
la Vxl.is as secre^ous, da" vitaliilade
rgie a tii'lns os orgaos e da" forr;a e y\
Mi sv^i'ina afiin de poder rnolhor resi1-
liratudos s ataques da enfermidade. Y
(- remedio constitutional. Ell.
-a 'list: i.c afim de pedercurar ; portro
rtati' -'iite assw/c ;i natureza. 1'ort.irjt.
bmlas as 'loenrjas constitneionaes eemfo-
..,,. Isslku locaes dependente d'um et
trie imperfnlo do systemaemgc
i: ha que a Salsaparrilha di
rot. m remedio seguro e efficassissi
on< do inestimaveis e incontestavei.
".'id-...
\s '-i.ras railagrWDs de
* erof"' >*,
I .M'rasj'j
EMI i.RMIDADES SYPHIU'ii'CAS
RV I PEL AS,
MitEUMATISMO,
NRVRALOIAS,
ESCORBI5TQ,
'TC.,ETC., ETC.,
tmm i !;-rcado e dado o alto reuome
S^i iparrifta de Bristol
; J' partcs do universo, s3o tlo so
mente dovidns a
OIhiOA LGtTlMa E ORIGINAL
SiiZzajjarrilka de Bristol
PHARMACIA CENTRAL
A'uga-se o segundo andar a rua do Padre Flo-
rianno : a tralar ua run larga da Rosario n. 22
Pagio no dia 27 de outubro proximo passa-
do, do engenlio Bnranhaem, fregnezia de Seri-
nhaem, o escravo cr oulo, de nome Fortunato. de
bunita figura, alto, secco, es;?ada{ido, de 38 annos,
pouco mais ou mr-nos, barb.i rala, e a conserva na
pnuta do queixo comptida, c8r preta, bonitos den-
ies, tem os dous dedos grtndes dos p6s compridos
e os oolros quasi sem unhas, tem a falla um pou-
co alta : quern o apprehender e o levar ao dito
engenho, a emregar ao sen senbor Frneisco de
Paula Wanderl-y, nu no Recife, rua do Vigario
Thenorio n. 3, 2* andar, no escriptorio de Manoel
Alves Perreira & C, sera generosamente recom-
pensado.
Offcrece se uma mOther de boa conducta
para ama de uma casa de familia, a qual coze e
pr sta-se a mais ser\icos domesticos : quern pre-
cisar, dfrifa-se a Boa-Vista, travessa da rua dos
Pires, sobrartu n. 9.
Cozinheiro.
Precisa-se de am cozinheiro : na rna do Cor-
douiz n. i.
^^jmii^SlMP pgp>wll
1 ADVOGADO
m&fc
93 Rua estrelta do nosario S.1
primelro andar.
l4'jpasso
de chare do mn
Com nermissao do proprictario, traspissa se por
alnguel a chave de uma caaa tcrrea,- sita em um
iios melhores arrtbaldes^da cidade por onde tran-
sitim os bends, mnito fftsca, da parte da sombra,
com cemmodos para familia, nao muito grande,
i' rn !-in iiuco, quintal com boa) larangeiras de
oinbigo. sapotts, rmvpeqaeno pafrelrar' e'omrls
nrvores, tudo deitafido fi*acto. Advertindo-.-e que
o alngnel e mait-.i raodico, e eite negocio se faz
meCi'Dte um razoavel interesse : trata-sena roa
da Imperatriz, armazem de molhados n: 51, das
3 i|2 as o boras da tarde.
A rua de S. Joao, que faz eiquiaa para o gazometro,
propria para taverna por ser em boa localidade,
ja mais com a p-mte quo tem breve $e atravtssar
aos Ooelnos, o poflto e'magn'fico e o alugael bars-
tissimo : a tratar na rua do Ouro tf. 78;
Boa moradia.
Vende-se um excellcnte sobrado, com uma
casa pcquena cont:gua, sitas no P co da Pa-
nella, rua Real n. 80, com bons commodus
para um.; familia grande, tendo diversas su-
bs grandes e nraitos quartos, todos com
janellas; quartos para criados, cocheira,
esiribaria, grande copnr, caaa de banbo
e jardim do cad a lado. A casa esta" em
perffito estaclo, e esituafSo e- a mais fresci
9 saudavel possiv-1 :a tratar com a proprte-
taria D. Maria Purcell Raulinsin, na mesma
casa.
O Monte Lima
tem um completo Bortimento de galiio e franja de
ouro e prata. verdadeiro, de todas a larguras,
abotoaduras d<>oradas para ofllciaes, canuiiibos e
enfi-itt-s para burdado. Tambem se enearrega de
todo' e qualquer fardamento, como seja : nonets,
talins, pastas, espadas, drai?onas, c'.arlateiras, ban-
das, abotoaduras lisas e douradas, para criado
etc.; assim como um completo sortiraento dj
ranjas gal in falso para o'rnaraento, curdio de la
com borla para quadros e espdhos (conforme o
gosto da encommenda) tudo por muito menos
prego que em cutra qualquer parte : na praca da
Independent n. 17, junto a loja do Sr. Arantes.
Vinho superior
Na rua da Imperatriz n. 67 acabase de receber
excellente vinho do Porto, em barris de 50, 75 e 150
garrafas, e vende-se muito barato, garantiado se a
qualidade.
Tendo-se desencamlnhado os taides ns. 7,6i8
e 8,961, pertencentes ao seguro de vida no ban-
co Uniao, da cidade do Porto, em Portugal, a favor
do padre Jose LopesDias dc Carvalho, fallecido em
li de novembro de 1870, na fregueia de Santo
Antonio, de Garanhuns, nesta provincia de Per-
nambuco, seu pai e herdeiro Joao Rodrigues Dias,
residence no lugar de SarnadeHa, freguezia do
Pombeiro, julgado de Arganil, no dito reino de
Portugal, assim o faz publico, rbamando qualquer
interessado aos ditos taloes para que no prazo de
30 dias, contados da data desta publicacao, o ve-
nham reclamar na mesma cidade do Po to, e nao
o fazendo 6cara o dito kerdeiro bahilitado para re-
ceber do dito banco o que se liquidar desde o anno
de 1870 em que linalisou o seguro
Actos eexanes,.
Nem ha lugar mais apropriado para solemni-
sar-st os aetos e exames que se estao agora
fazendo^ do que na
Gonfeitaria do Campos.
Alii 06 respectivoft
i;.* Encontrarao
Una vatiadissiraa
Hefeigao, com a qual
Devem preseotear
Os seas r.olkgas
E amigos.
Reparai bera
______E' na Confeitaria do Campo.s,
AMA
Para cDmarar e cozinhar i
a-tralar a eua Nova n. 12.
loja.
AiMA
Precrsa sa
'io n. 69.
9a rua da U-
ia
k ^PAasase de uma ara paracxszhiiiar : a ri
do Livraraento n. 8, loja.
Ama de leite
Precisa-se de uma ama de leite : na rua estrei-
la do Rosario n. 38, 2 andar.
_ m No collejio da ConceiQio
/% \\U A^ prtci;a se de uma am* por
3- JlTJM. xm. mgueza ou escrava.
Attencao
Fugio no dia 1 de setembro 0 esr-ravo do abai
xo as*ignado, com os signaes seguintes : Bgidio,
cabra, idade de 20 aaaoa, cabellos carapiohos,
olbos aboticados, aliura regular, r&sto um tant >
chupado, beicos grosnos, beeca regalar e um
lanto bicudo, cabeca peqnena, orelbas regulares,
braoos, a mesma eons*, peroas regnlares, tendo
a esquerda p 0 pr- iachado, por Ibe dar erysipela,
nariz regular, e bom trabalhador de olaria, e
tambem e boleeiro, e natural desta cidade do Re-
sile, e foi comprado ao ex-eapitao do p.nrto desta
provincia, Jose Joaqim da Silva Jacipies : roga 0
abaixo assignado as antoridades policiaes e ca-
pitaes de campo e de navies, a sua captura e le-
varem-no a povoacio dos Afogados, quo serao ge-
nerosamente recompensado*.
Jose Buarque LCisboa.
iluga-se
Aluga-se
os armazens ns. 65 e 69, na praca do chafariz em
F6ra de Fortes,. um onde teve tenda-de (erreiro
0 fallecido E. Mahult. 0 outro que esteve ooca-
pado com venda de molbados, para oqoe e op,
timo petalocaHda'dd eser!de esquina.ambos livres
e degemcaraendds de Impostos: a tratar win 0 com-
mendidor Tasso,
0 segundo andar do sobrado sito a rua de Pedro
Alfonso b. 59, com agua da Beberibe : a tratar a
rua do Vigario n. 31.
Aluga-se o pnmeiro andar da casa da rua
do Torres n. 9, propria para escriptorio, on pouca
fapilia: a tratar no segundo andar da rua do Mar-
quez de Olinda._________________
Escrava
Para casa de pequena familia prec&a-se de uma
escrava que saiba lavar e engommar e qua faca
tambem mais alguns services de casa : na rua da
Iraperatriz n. '5, primeiro andar.
Aluga-se 0 armazem e 0 1. andar do sobrado
da ru 1 dos Burgos a. li, assim couiO'ama quarto
por detraz da rua di Sanzalia Velha. (Bfeceu Tapa
do) e uma outra easa na rua do Lobato n. 1 (fre-
guezia do Santo Antonio): a li alar na rua da
Praia n. 20, com Jose Feliciano Nazareth'
Aluga se 0 ;segundo andar do to.;-ad 0 d
rua Primeiro de> Marco n. 14 : a traiar no an
dar terreo, loja.
Fugio.
ha dias, do sitio n. 7, junto ao sitio cmhecido
pelo dos 4 leoes, a estrada de Joio !' ru^ndes
Vieira, a escrava Maria, com os seguiULes sig-
ua-.s: aiti, bem preta e com marcas de bexigas
no rosto : quem della dar n olicia, no a levar ao
mesmo sitio, cu a rua da Madre do Ueus n. 5,
primeiro andar, sera gratiiicado, prote 1.11-
do-sa desda ja contra quem a liver acoutada.
Aluga-se dobs banheiros de pedra e calnae
Praia de S. Francisco : a tratar na raa Puqueo
d eCaxia~ o. 91.__________________________
Afilhados e afilh tdas de An-
tonio de Azevedo Villa-
rouco.
Manoel Azevpdo de Andradp, testamenteiro do
Bnado Antonio de Azevedo Villarouco, faz sciente
para conhecimento dos interessades, que ate hon
t-m, 10 do correnle mez, Ihe foram apresentadas as
eertidoes de baptismn d.s aHlhados e aQlhadas do
dito finado em numero de 8; e sao a* seguintes :
Ant- nil. fllha legitima de Mano-d Kent 0 de Men Ion
>.-a e de sna mulher Roia Maria de Je-us AnTb-
nio, Dlho legitimo do Dr. Miguel Joaquim de Cas-
tro Mascarenhas e de sua mulher I). Isabel Emilia
Gnncalve-' MascarenhasUmbedna, 61ba legitima
de Jose Perna dps Bastos e de sua mulher Candi-
da HVlindora de Jesns BastosAntonia, lilha legi-
tima de J-se de Azevedo ViHarnucu e de sua mu-
lher Maria Praocisea de RritoJopphina, filha le-
itima de Joao MacJiado Brandao e de ^ua mulher
loza Maria de Oliveir* Miria, lllha legitima de
Francisco Xavier de Sa Leitao e de sua mulher
Rita Baptista de Sa Le't3o J >io, fllho legitimo de
-Xntonio Sotiearves Perreira Junior e de sua mu-
lher Gnilhprmina Goncalves de Paula Ferreira
Carolina, filha legitima de Francisco de Amaral e
de sua mulher Emilia Roza de Jesos.
Faz mais sciente o abaixo assignsdn, que, peran-
le 0 lllm. e Rtifl. Sr. vigario ger.'l deste bispado,
esta nm filho do flpado Joao Martins Ribeiro pro-
duzindo ^ua jnstificvao afim de provar que tam-
bem e afilhad-i do referflo VlllaroOo, visto que a
certidao de baptismo por elle exhibida nio prova
0 bata-ite para peder ser altendido.
Declara m.iis 0 abaixo as=ignido, que tenio
mandarfo pnbliear em Portngal um ann.-incio con
vidando os alllhados e alilhadas- do m-smo Villa-
rouco qne n'aqoplle reino hnnvpsspm, a igualmen-
te se habiliiarem com soas certidSes de baptismo a
concorrer aoiegado qne Ihes foi deixado; aguar-
daa chegada d.-> pr -ximo paqnete d^ Europa a 25
ou 26 do correcte mez para ver se por elle vem
alguma certidSo ; e logo em acto continuado pro-
ccdera a divisao da quantia deixada com a igual-
dade r-commendada pi do testad^r.
Recife, 11 de novembrn de 874.
Manoel Azevedo de Andrade.
Casa
Na Capunga, alnga-se a casa n 54, com bom
quintal e bons commodns, a rua do Jacobioa, ou
Pernamhucana : a chave para ver esta junto a
casa n. 56, e para tratar uo Recife, rua da Ca
deia u. 3.
V'MMt,
Cavallo para vender
Vende-se um cavailo caslauho, grande, proprio
para sella, e especial para carro, para 0 que ja es-
ti experimentado :iwre tralar, no largo da San-
ta Cruz n. 4. ______________________^
Vende-se uma casa emaberto, na ladeira da
bica de S. Pedro, na cidade de Olinda,
com 33 palmos de frente e grande quintal'
e se vende por barato preco: a tratar na raa
Duque de Caxias n. 91.
Aos 5,000 covados de la
A ISO rs.
Na loja do Pavao vende se lizinhas de muito
bonitos eostos e delicados padroes. faaenda nova
no mercado, pelo diminuto preco de 160 rs. cada
am covado ; quem deixara de fazer vestidos de
li tao bonitos e por tio poueo diuheiro ? Forne-
cem se as amostras: na rua da lmperatriz nume-
ro 60.____________________________^^
Gama ft Silva Brito, veadem nwnteiga in-
gleza em barril a 800 rs. eada 450 grammas. Vi-
nbo Figueira das melhores mareas a 440 rs. a
garrafa. So no hrg> da Santa Gnu ns. 2 e 4.
Gama a Silva Brito, vendem vinho de Por-
to, flno, em barril, a 8(0 rs. a garrafa e engarra-
fado a 14 a garrafa. Venhara aa largo da Santa
Cruz ns. 2 e 4.
Gama 4 Silva Brito, vendem gaz fiquido a 240
rs. a garrafa, azeite doce de Lte 10a a 640 rs. a
garrafa. K barato, no largo da Santa Cruz ns.
2 e 4.
Gama & Srhra Brito, vendem velas stearl-
nas a 560 0 m.tco, viono de maca, superior, do
mais purificado sabnr, proprio para senftora, a
1^200 a garrafa. Venham ou mandera aa largo
da Santa Cruz ns. 2' e 4.
Cola superior da liahia
Da lahi-iea t'amaeha.
Teem para vender Joaquim Jose (ioncl'-
ves Beltra) & Filhos : a" ran do Commercio
n. ft__________________________
Farinha do maadioca.
Na rua do Rangel a. 67, vende-se por 6 a
sacca, mui'o boa.
Yentifaif
caaa na vilii aV Barrciros.. at aV> Co*
:io,. dot preco modfco': a irafaf 6m turn
uma
imercio,
Irmaos & C
c 1 m?a 110
LI0II1MCA0.
0 Paris-n'America esta liquidanio os calcados
peles seguintes prec03 :
Botinas de duraque, de cores, com canno alto e
laco, a Luiz %V a 5*000 111
Botinas de duraque, de cores, Irordadas. canno
alto, a 6*11!
Botinas de duraque com laeo-a 31.
Botinas prelaw gaspeadas, canuo aim, a 4/, 5 j e
6*000.
Botinas li-as e enfeitadas, para meninas a 3*,
Bi tinas de Suzer, de cordovio com ponteira ee
verniz, pa a homem a 8*. Aproveitem, que e
barato.
do di-
Por urgcnie
p reel nao
uheiro.
Vende-se um sitio distante pouco mais de 1|2
legua desta cidade, com perto de 200 palmos de
frente e 2,90u de fundos, com diversa fructeiras
grandes e oequena-. A casa tern na frente um
p jrtao com mtula t janellas eovidracadas, tendu
2 salas, 2 quartos e boa cosinha com fogao inglez.
Os pret--ndenies podem dirigir-se sem receio de
ser isso uma especufceao e nao necessidade, a rua
do Imperador n. 6, thesouraria das loterias, a tra-
tar com Joaquim Lucio de Almeida 'iopes.
IMIT1110 PARTItliHR.
RuadaRoda n. 48, sobrado.
Prime ras lettras, porluguez, franccz, in-
glpz, desenho linear e musics.S
Snb a direccao do professor Herminio
Rodrigues do Siqueira funccionam ditas au-
las lodos os dias uteis.
Recebe alumnos internos, meio pensio-
nistas e externos ; f irnece todo o material
para escripta o livros aos principiantes, por
preros muito razoaveis.

J
pudera ser proeurado a qualquer hora do G
dia ou da noite para objecto de sua pro- fL
R
Consultorjo ncdico
DO
Itr. MuriBBa.
BUA DO VIGARIO N. 1, ANDAR
Recem-chegado da Europa, onde fre
quentou os hospitaesrie Paris e Londres,
Hasao.
Consnltas das 6 as 8 horas da manhi e
do meio dia as duas boras da tarde.
GRATIS AOS P0BBE5.
Espeeiatidades: Moiestias- de seshorasY
da peiie e de chain;,i.
!
Cravos
Na rua da Uaiao, atraz do.Gyiaaasio, ns.
47 e 49, veude se sempre cravos brancos e
eucarnados.
Precisa se dd am caixeiro coin pratiea de
tawma, de 16 a 20 annos dfe idade' : na rna de S.
Jorge o 131
Sr. Paulo Luiz Curclo
Na rua Juque da Caxias n. 34, precisa-se.fallar
com etse senbor, a negocio de seu interesse.
COMPftAS.
Gompi
ram do
as collecr;6es de leis provinciaes d Pernam
bnen, doa-aMMM df-1849, I85S, [699 &\
1869 ; nesta typojraphia,
0 DeseDgano estd quet-
mando
0 proprietario doste eslabelecimento tem resol
vido vender as fazeadas existenies em seu eslabe-
lecimento, por menos de que em ouira qualquer
parte.
Van:,inese de seda.
Vende-se esta faz ada de lindos patroes, de lis-
tras e paimas, pelo diminuto creeo de 320 rs. o co-
vado, por ler uns toques de mod), e graude pechio-
cha. Iv-ia fazeuiia tambem serve para luin, por
ser toda preia ; e fuenda dc 23500 o covado.
Daroasco dt la. .
0 Der-en?ano e-ta vendendo damasco Je la de
lindos padroes e de duas largBra, pelo baratissi
mo preeo de I JdCO o covado, e fazenda de 2*500.
Aprovciiem qne o Desengino esta qaeimando.
Cesaquinhos de gorgord i de seda.
0 Desengan > e^ta venoendo casaquinhos de gor-
gorio de seda, enfeilados, pelo baratissimo prec>i
de 6*000 cada nm, e grand" pechincha. a elles
antes que se acabem.
Organdys a 320 rs. o covado.
Voniem-se Organdys de listras, branco, pelo ba-
rato preco do 320 rs. o covado. Aproveitem.
Siadnpuldes de 4^000 a perja.
ODesengnno e com 20 varas a 4* a nei't; dito muito lino, a 5*,
55500, 6* e li a neca ;.e grande pechincha.
Algodio marca T, largo, a 4*, 4;500 o 5* a
pp?a.
Ricos chapeos de sol de seda, com cabo de mar
iliii. a 12 > eada am ; e pechiuelia.
Baptistas de lindos padroes a 400 rs. o covad.--.
Lazinbas de cores, bonitos padroes, pelo diminu-
to preco do 160 e 200-rs. o covado. A ellas ante-,
que se acabem.
Camoraia Viet ria, a 3*500, 44, 4*500 e 5* \
pe^a.
Alpacas de c. r--, la e seda, bonitos padroes, a
500 rs. o covado e grande pechincha.
Metins de cores, bonitos padroes, a 280 e 300 rs.
o covado.
Cbilas claras de lindos padroes a 240, 260 e 280
reis.
E outras mnitas fazendas que deixa de meucio
na- as para nao se tornar enfadonho, por isso o
pro, rk'iario couvida a todas as pessoas a fazerem
uma visita a seu estabelecimento, afim dd sorti-
rem se do bom e barato. Raa do Crespo n. 25
junto a loja da esquina.
Aos Srs. deengenhos
Cbila com 4 palmos de largara, fazenda mnito
superior, a 260 rs. o covad?, proprias para esera
vos: s6 a rna do Crespo n. 26, Ioj.a de Gui-
[herme A C.
Vende se uma negra qu'n sane livar e cozi
nhar, de rrieia idade :'para ver na rua do Bi m
Jesus n. 31, pnmeiro andar.
Vende se a taverna sita n Torre, rua do
Bom Gost que tem poucos fundos, p>oona para
prioeipi.-.iii-: a tralar na nie^ma, a qualquer hura.
Saecos
Vende se saecos de estopa c^m um pequeno
defeito, pruprios para ensaccar farinha, milho, etc.,
pelo diminuto preco d* o20 rs. cada um : na lo
ja do Guilherme & C, a rua do Crespo n. 20.
Casaquinhos
Casaquinhos de gongorao de seda, pretcs, pro-
prlos para senhnras, fazenda muito 6na que sem-
pre^se vendeu por 20*, estaraos vendendo por
6* caaa am ; i-to so na loja do Guilherme k C,
a rua>do Crespo n. 20.
Linlio il'Alsiii hi
Linko de Alcacia com listras, ahertts, fazenda
muito larga, padrSes lindos e inteinmente novos,
Cprio para vestidrs de senhoras e meniaas, pelo
abssimo preco de 44 rs. o cova amostras : a rua do Crespo n. 20, loja do Gai-
Iherroe & C.
Sargelim
Sargielim4 cOr traoyadd proprio para fwro de
vestidos e outra qualquer obra e vende se pal>
diminuto preco de 160 rs. cada covado : a raa
Crespo d, 20, loja do Guilnerne ^ C.
auuK
LIQIJDACAO
IfA
Loja de ianidas
DA
Rua do Crespo n. 20.
Las de cores miodas Dtbito boa* para roapa a*
meninas a 160 e 200 rs. o eovado.
Li pretas, snperkr, a 400 rs. o covado.
Alpacas de cores finas a 320 a 360 rs. o cavadc
S6 se veodo.
Ditas com listras abertas, fazsnda Una, a COO rs. i
cova*).
Chitas de cores a 2W e 280 rs. o covado.
Metins de cores miodas a 280 n. o covad*.
Cretones, o melbor q*a tem viado aa mercado a
400 e 440 rs. o covado
Cambraias arancas, bordadas a abwtas, fawaa*
mais fina que ten vindo aa marcado, e OaaMa
de 2*000 o metro, por 1*000 a vara ; pv-
chincba,
Ditas pretas com Doras mind** a 200 r. o eorath
Cambraia transparente. fina, a 3* a pec>
Dita Victoria, flaa, a 4*000 a peca.
Organdy de as&ento branco e da cores, arm f.
res miodas de seda a da la, a 400 rs. a covad
E' pechincha. _
Cortes de casemira de cores modernas a 90600
corte ; e fazenda de 8*. E' pecaiacha.
Camieas de linbe finas, lisas, a 35# a dnzia, e fa
cenda de 55*.
Brim branco dellnho a 1*400 a van.
Dito Aagola, verdadeiro, a 690 r*. o covado.
Madapolao franees verdadeiro, 24 jirdat, a 6* -
7* a aeea.
Algodae T, largo e superior, a 5# a peea.
Gorgorio prelo de seda para vestido e para collci-
a 3* o covado
Toalnas akocboadas a 4*900 a duzia.
Colcbas grandes a 3*500 nma.
Cobertas de ganga, forradaa, a 3*.
Lencoes de bramante a if nm.
Lencos de linlio, pbainhados a am caixutnai
3*500 a dnzia.
Ditos de caca de cdres abainftados a 3SaV a dc
zia.
F. ouiros muiios artigos qe se vende per m
no do que outra qualquer ptrte a para se do
So na lorem queiram mandar ver as amostras.
eoganaja de
_______GoilberDie I C.
Para o fabric de chapeo^
A NOVA ESPEP.AN'CA receb?u o ararae propn
para armacao de chapeos.________________
BAZAR
f)AS
FAMILIAS
Sin t Duque dc Caxias n. 60 .
Para a i esta
Reis e Silva & Goimartps, proprietari-'- dest
bem conhecido e=iabel-cio ento de fazendas Aaas
convidam aos seus fregnezes p anigos a sortirex
se dos artigos indispensaveis para a Testa, artigo-
da nltima mode e de flno gosto, os quart se ven
dem por m>diro preen.de forma rjae ignal nio
enconira em outra parte.
A inn de que o politico avalie o que levam dir
offerecem a .ua predisa con'-ideraeio a seguin:
mt ncao:
Riquissimas poliniisps de gorgorio preto, ri- .
mente enfeitadas, pelo dimionto preen do 36*.
Lindissimos casaqiinho de ge.rg. -io preto. r
camente bo'dadus, ^end^>curt^nh<.s en iforme a rr.
da, pelo diminuto preeo de 12*0 3 cada am.
Riquissimas sa' Idas de baile, de !a e srda, par
senbl ra, inl.-ir miente novidade, p>-!o diminu-
preco de 12*000.
Lindissimas c.ipinJ.as de li e sela int*iramcn
te novidade, pel, iiisignificante prece de 8*00>i
10*' 00 cad^ uma.
Riquissimos raehinets de li e *.', pelo diminu
to pre?o de (J*00u cada nm.
Um Cuiiipleio soioinento de cap!ias cm veio d-
bloods, propri.is oara aotvas, pelo diininuto prcf>
de 10*, 13J e 20* cada nma. E ba-alo I E
ron sao lindas ?!
Riquis.-imos lacinh pescoco de jenhoftspelclimin:'/; pnci de l*oO>
cada uma.
Lindas gravatinh.-.s de ii>r, propria* para senb
ras, pelo diminuto prepi de l*0cada uma.
I.iudissimasrosts com atfine:*s, piooria< pr-'.
peito deseniioras, pelo diminntc pr.rj de !*o('
cada um.
Cambraias braaeae, bordadas de cAm li, fa
zenda modernis^!ma, pelo prero dc 5M rs. o d
vado.
Cambraia tra-sparentp. cm anas lirguras |
preco de Ct00O a pera.
Cambraia iranspareute fina, Suis-a, a 6*,500 -
peca.
Cambraia muito fina, Victoria, a 7*200 a peca
Meias de c6r-- para bonwaa, pel > diminuto pre
co de 8*000 a dnzia. E' barato I
Riquissimas eaisinnaa. cada nma am uma da
zia de lencos deiinho ja abainhados, p.to dimi
nulo preco de 5*5* 0, 6*, OiJIV e 7*.
Grosdenaplps prMo, faz> nc:* c.uito superior, -
1*200 o covado.
Setim brauco, Macau, fazsoda sup rior, a 2*2
o covado.
Riquis-imo surtimento d? p oeli-as ile lietio, |
In diiinnuUi prec<> de 440 e 500 rs. o cwvado.
Riquissimas laias de seda. ia*prr9a moderL
na, pelo c m modo preco ik 2*200 o covade.
Popelinas de linho 3 seda, pjd: des Inreira
mente novos, a 1^60J e 1*800 o covado. as
rato I
>i osdenapoles cor de re si, fazenda maito snpr
rior, a l*60u e 1*700 o covado.
Um completo soriimealo de las e alpacas da se-
da com listras a 700, 800, WO e 11, a? mailo ba
rato I
Um complelo sortimeoto de las, a 180, 200. 24s
320 e 380 rs. o eovado.
MMdapolde*, Eleabante, com 2i var;s, a i*K-
a peca.
Madapolao, Maraviiha. com 20 jardas, a '>*.V
a peja.
Madapolao rraactz, Madrasta a. 55, a 6*200 a
ppca.
Madapolao superior francei n. 60, a 7/000 a
ppca.
Assim como nm graTide sortlnrrato de cfcili? e~-
enras, claras a outros artigos.
REIS E SILVA A G1TIMAWAW.
Para concertar meias
A NOVA ESPERANgA, a rna Daq:3 de rnn
n. 63, receben -"esta naniasarii ii'dto
Grande poehiH^ln.
Vende-se muito baaato o segmnte :400 tijoioa
de cacimba 3oO ditos para.fuins 3 portes a>
amarello, 4 tavntas, 1 p- iiada de aaatella, Jca-
vernas para caiiOa, 4 janellas dc amarello, 49 gra-
des de fazer io .los, de diversas format, 8 batades-
i..r de lij.los, 2 fei\es de ripaa, uma koaataa
grande armacao para escriptuiio, H uboasgraa-
des do amarello, 4 grades de faxer tel&aa, 4 padras
grandes para soleira e oniros muMos obiashM,
tudo novo e muito bom : a Iraiar am rna do
Visconde de Goyanaa, olaria n. 63, a qualquer
hora do dia.
500 rs. o covado de alpacas
de seda
Na rua da Qtieiaaada vaira M o eavaaa.
Alpacas da seda com listras, larga ra 4a oatta.
padroes bonitos, pelo diminn** preco it 90 n.
p eovado,; sbo43-equem tarn, joaw> a-4a)a d*
MignoUa.________________________
illeacao.
Veodo sa a. taaana* a a, casa propria, ji
esucao do Caxaofi; a tratar aa mesma.


^Dferfe A PemaminiOT^ (iuinta feira lfr'de Novembro de lb74
EXPOSING
DE
Fazendas e artigos de alta
novidade
NA
loja do passo
Rua Pi'imeiro de Marco n. \.
jcordoiro Simftes A C, proprietaries
deste importante estabelecimento, no lonvavel pro-
Drojito de nio desmentirem o coneeito que os
tens Humerosos freguezes lhs letn diepensado,
acabam de receber de sua conta o mais rico sor-
imento de sedas, popelraas, las e artigos de ul-
nma mod* em Paris, e coulinnarao a receber
jor todoa os paquetes daqaella procedencia ; por
sso chamam a alien gio de seas freguezes e os
convidaai a darem um passeio ao sea estabeleci-
mento, garaotindoraes que encontrarao a reali
*ade do qae flea dito, e para pr.-va dio am pe
quono resumo, cujo iufalliveuneute despartara a
ttteoclo dos preteadentes.
Handam fazendas a casa dos freguezes, e dao
imostras mediante penhor.
Artfgws de alta novidade e
ultima moda.
Cortes de vesudo -de liaho gaarnecidos de bico
2a mesma fazenda e cur, trazendo fivella, bol ca,
.into, etc etc.
Riqaissimos chapeos para senhora, de cores e
9 re tos.
Cortes de cambraia brancos com lindos bor-
lados.
M de cores com enfeites da mesma fazenda,
wino, etc. etc.
Capas de li para meninas e senhoras, guarne-
uSas de arminbo.
Vestuarios para baplisado.
Riquissimas camisas bordadas para senhora.
Leques de madreperola, para noivas.
Iticas coichas de seda, para casamento.
Cortes de seda, Irudas cores.
Gorgoraa de seda branca e dito preto.
Sedinhas de delicalas padroes.
Setim Macao de todas as cores.
Grosdeoaples pretos e de cores.
Velludc preto e damasco de seda.
Granadine preta e de cores.
Fild de seda branco e preto.
Ricas basqninas de seda.
Casacos de merino de cores, IS, etc.
Manias brasileiras.
Capellas e mantas para neiva.
Cambraia de cores, aitas mariposas brancas, de
Flor do bosque (novidade).
PercaliBas de quadros, listras, etc.
Brins de liniio para vestidos.
Fnstao de cores.
Saias bordadas pira senhora.
Grande sortimento de camisas de linbo lisas e
n.ordadas. para homem.
Meias de cores para homem, senhora, meniaoa
4 meninas.
Sortimnto de chapeos de sol para homens e
enhoru.
Meriuas de cores para vestidos.
Liito pi eto trancado e de verao, bombazina, can-
io, alpaca, etc. etc.
Atoalbado de linho e algodio para toalhas, e dito
jardo.
Damasce de la.
Brim de linho branco e de cores.
Setios de lindas cores com listras.
Chales de merino de eores e pretos
Ditos de touquim e ditos de casemira
Caruisa* de chita para bomen' Mas de Ra-
te II a.
Ceroalas de linho e ditas de algodao.
Pannos de crochet para sofa, cadeiras, etc.
Leucos bordados e ditos de labvrintho.
Rises corles de vestidos de lariatana, bordados,
,ara baiies, e tarlataua de todas as cores.
Coichas de damasco de la, e ditas do crochet.
Espartilnos lisos e-bordados.
Foulard de seda,, lindas cores.
Meias de seda para senhoras e meninas.
Casemiras pretas e de cores.
Ppelinns.
Neste artigo temos urn variaiJssimo sortimento,
lao s6 em gosto como em qualidade.
Lew
:om listras de seda, ditas com pal nas bordadas,
litas trac-parente* e de oatras' muitas quaadades.
Lavas
46 pellica brancas de cores, do verdadeiro fa-
<>ricante Jouvin.
FinalnaeDte :
apetes para sola, cadeiras, cama, entrada, etc..
ambraias brancas, cbitas de todas as quaMades,
oadapoloes, esguiao, t>retauhas, bramantes, algo-
loes, coUarinhos, puufc s, meias para homem e
enhora, punhos e collarinhos brancos e do co-
zes para senhoras, gravatas para homem e senho-
a, peitos bordados, lencos de linho brancos e de
ores, ditos de cambraia de linho, toalhas, guar-
lanapos, panno lino, etc, etc.
Loja do 1'asso
Rua Primeiro de Marco a. 7 A
antiga do Crespo.
Grande tiquidacao de fazendas
NO
1N4CI0NAL
N. 7 2.
N. 7 2.Rua da
1
I mpera
DE
t riz
Mendes Guimaraes & lrmaos.
lustres, caadiciros e
Espartilhos.
Na loja do Pavio, vende-se espartilhos
dos mais modernos a 50500 e 49000 cada
urn ; assim enme bonitos cintos com lacos
de setim a 53000, e sedinhas lavradas com
a empraza do gaa, tendn reeebido ultimamente I toquo de mofo a 15000 0 covado : & rua
nma qoantidade dei lasires, candieires, arandellaa,! d imperatriz n. 60, de Felix pereira da
globos' etc. etc., tudo obra de gosto e da pnmeira
qualidade ; acha seem poFi;ao de.-*npprir a sens
freguezes, por preoos men..res do qae antigamen
te. Para verem as amoatras, dirijam se a rua do
Imperador n. 31,
Silva.
Tendo os proprietaries deste estabelecimento resolvido diminair o grand* deposito de fa-
tendas, cnteoderam lazer esta grande liquidacao, como se ve* dos precos abaixo mencionados :
Brim de core* a 400 reis.
Vende se brim pardo e de c6res para ca'^as
400 rtis o covado.
Chitas largas a 160, 200 e 280 reis.
Vende-se chitas francezas e finas a 120,280 e 320
o covado.
' Laanhas a 120 reis.
Vende-se laziohas para vestidos a 120, 240, 320 e
400 r6is o covado.
Chitas para cobertas a 280 reis.
Vende-se chitas para Robertas a 280 e 360 reis o
covado.
Alpacas de cures a 640 reis.
Vende-se alpacas de cdres, fleas, para vestidos de
senhoras, a 40 reis o covado.
Metim de cores a 320 reis.
Vende-se metim de cores para vestidos de senho-
ras, a 320 re"is o covado.
Cassas flnas a 280 reis.
Vende se casas fraocezas; finas a 280, 320 e 360
reis o covado.
Cambraia Victoria a 3^000
Vende-se cambraia Victoria para vestidos a 3J,
3*500 e 4*000 a peci.
Cambraia transparente a 2 e 3^000.'
Vende-se pecas do cambraia transparente a 3f,
3500, 4* e Kg.
Cortinados a 14O00.
Vende se cortinados bordados para camas a lif
16* e IS a.
Ganga amarelia a iOO re"is.
Vende-se ganga amarelia para vestidos de senho-
ras e rou; a parameninos. a 400 reis o covado.
Toalhas para rosto a 700 reis.
Vende-se toalhas de linho para rosto a 700 e 800
reis cada uma.
Chales d IS a 640 fe"is.
Vende se chales de la de quadros a 640 reis, cha-
les de metim a 1*160 reis, chales de menuo
lisos a 2*, e chales de merino eetanipados, a
3*600, 4* e 5*.
Aberturas a 2tf009.
Vende-se aberturas d linho bordadas, para ca
misas, a 2* e 3*300. Ditas de algodao a 200 e
400 reis.
Cortes de casemira a 5*000.
Vende se eorus de casemiras finas para calcas a
5*, 5*500 e 6*
Corles de brim a 1*400.
Vende se corles de brim do cores a l*'t00. Ditos
de brim de Angola a 1*808 e 2*500.
Cobertas a 2*000
Vende-se cobertas de chitas de cores a 2*.
Coichas a 2*000.
Vende-se coichas do fustio para cama a ?*, 3J e
4*.
Paletots a 3,000 rs.
Vende-se paletots de alpaca preta a 3, 3,60
5,000 rs. j'cal-cas de casemira pretaje de core
leies de casemira oreta e de cores, e outran
tas rou pas Ritas baratas e fazenijas aue est
quidando no Bazar Nacional, a rua da lm
Iriz o. 72.
Oeroulas e camisas.
Na loja do PavSo, vendese ceroulas fran-
cezas de todos os taroanhos para homem a
19600, e ditas de linho a 2900, 20500 e
39000.
Camisas brancas com peitos de algodSo,
fazenda fina e por estarera urn pouco en-
xovalbadas a 20^000 a duzia, ou.a 19800
cada uma, ditas com peito de esguiao de.prfrias parapassaros
linho a 39000 e 39500 cada uma, ditas
com peitos e. punbos de cor a 29000 e
29500: a" rua da Imperatriz n. 60, de Fe-
lix Pereira da Silva.
Pentes girafe.
Pentes girafe, proprios para senhora, ( ultima
moda) ; a Magnolia a rua Duque de Caxas n. 45
6 so qaem tern.
Papai, mamai.
Como sao lindas as bonecas de cera qae cha-
mam papai, mamai, ehoram, andam, etc So na
Magnolia a ma Du<|ae de Caxias n. 45.
Gaiolas, gaiolas.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, re-
: cebea gaiolas de arame de lindissimos modelos,
,s parapassaros; a ell is antes que se aca-
bem.
200 rs.
0 COVADO !!
Lasinhas de listras assetinadrs, s6na r
do Queimado n. 43, junto da 1 ja da Hsg
nolia.
E' ebpeciblidade do 43.
Usinhas do listras assftinadis, ga-fc*
muito modernos, pelo dimiuut prepo d* MO
ts. o covado. So o 43 1 Dio se amastras
com penbor.___________________________
Camisas.
Camisas francezas brancas de alyolao 6mtam
friiodecOr a 2*000 uma, em duzia a IZMJmi,
& pechincha<: na raa do Crespo n *> loja ? Oai-
Iherme A C__________________________
ARTIGOS DE GOSTO
Ao barateiro-
A' rua 1" de Marco n. I
Confronte no area rfc Santo
Antonio.
Os proprietaries deste estabetecimenlo, tendo
gande deposito de fazendas de la, linho, seda e
algodao, e achsndo-se proxima a occasia<) do ba-
lancn, resolveram fazer grande reduccao em pre-
qos, alim de que naquelld temi.o nio tenhara gran-
de trabalh'i em bxlancos ; a saber :
GORGOHAO de seda prfto, para collete, nm
corte por 2*. E' fazenda que sempre caslou 7*.
A MA/.ON AS, liuda fazenda para vestidos de
passeio, a 500 rs. n covado.
GKOSDENAPLES de c6res, verde, encarnado,
franco, cor de rosa e cra'vo, a '900 rs., 1* e
1*200 rs o covado Quem 6 que nao eomprara':
POPELl.N'AS de linho, de quadros e l^tras, ho-
Kitos gostos, a 506 rs o covedo. Aproveiiem.
POPEL'NAS de linho e sed;., gostos inteiramen-
te novos a 900 rs.
DITaS com listras largas assctinadas, o mais
moderno que tern vindo ao mercado, a it.
CRETONE francez com listras e de quadriohos
so no baratel'0 t
DITO francez de listras, proprio para camisas
e vestidos a 300 n.; pois so se vendo se pode
crer.
ES iU AO de linho e ]ndao, proprio para ca-
misas, fronhas, etc., etc., com 7 jardas, a 3*200, e
-com 10 janlas a 4*500 a peca.
MUSSULrNA branca, com listraf, para vestido, a
4('0 rs. o covado. E' pediincha I
MADAPOLAO france cem 20 varas, por 4*500.
E' barato. I
CASEV1IRAS de cores, para costumes (ronpa de
inin-ni) a 3* o covado. Ver para crer I I
LAS escocezas, estamos acabaoJo aos pregos de
120. 1R e 200 is. Apressem sel
< III TAS escuras e Claras, fazenda Ana a 2i0,
i60 e Z80 rs. ; 6 a rna Primeiro de Marco n. 'i.
i HAI'EOS de alpaca, para sol, para senhora, a
2*000. E'admiravel 1
HIUM branco n. 5, exposi^ao superior, a 2* a
vara.
CAMISAS de crelone francez de cores, a 2*500
A.' raa !< C.*t;enrh n. f A.
Os proprietarios da Predmeta, no inMlto d
conservar o bom conceito qne teem me.recido do
respeitavel pnWico, distingumSo o sea estabeleci-
mento dos mais que negociam no mesme genero
veem scientificar aos "seas bocs freguezes qae pr-
veniram aosseus correspondentes nas diwrsaspaT-
cas d'Europa para lhes enviarem por tofios o.". p-1 de unnlezas e etiape
quetes os objectos de Iuko e bom gosto, que se- '
jam mais bem aceitos pelas sociedades elegantes
daqnelles paizes, visto aproximar se o tempo te
(esta, era qne o bello ssxo desta linda Vena ,na rca do Vifario n.
Aos nervosos
A KOVA ESPERANCA acaba de receber aqnel-
tes milagrosos anneis electricjs, cura iufalliveT dot
nervosos.
Casemiras
N i l..ja da Pavio vende-se um grande sortimen-
to de casemiras de cores e mescladas, tanto claras
como cscoras, proprias para calca; paletots e co-
letee por precos muhj baratos, assim como no
meswo estabeleoimentos e matrda fazer qnalqner
obra tendeate a alfaiate, com a roaior presteia e
por preces ratsito razoaveis : a rua da Impera-
triz n. 69, de Felix Pereira ii Silva.
WntT
e-se
\'e escritorto de Tboir.az de Aquino Fonceea k
C. Saccessorcs, a rua -de Vigario n. 19, primeiro
andnr:
Cimento Portland verdadeiro.
Cera eta velas e etc gruiuo, t-e Li.-b-oa.
Yinho Sherty.
Vinho d Porto era caixas, finissimo.
Idem em barris d quintoe decimo, l> o.
Retroz.
Fio.
Acabam de chegar a rua id? Marco n. 13,
loja das collumnaS; de Antonio Correia de Vas-
concellos, o segninte :
Modernas chapelinas e ch.pe'os para senhora.
Lindas grenadines de cores para vestidos.
Superiores las assetinadas.goftos modernos.
Roapoes de cambraia branca, bordados, para
senhora.
Grande variedade de penteadores muito bem
enfbitados, para senhora.
Ricoz vestidos feilos de alpaca, enfe.itado3 com
seda e reqdas de gnipure.
Verdadeiras lavas de Jouvin, brancas, pretas e
de cores.
E oniras muitas fazendas ou artigos de mi da.
Grande liquidaqao.
de uritrtezas e ctoape"os : no novo Bazar, raa Is
53.
Vende-se
mais ostecta a riqueza de suas toillc.tes ; e co-
! mo ja recobessem pel', paquete francez divers o
artigos da ultima moda, veem patentear algens
d'entre elles qae se tornsm mais recommenda'TOis,
esperando do respeitavel publics a cosloiBada
conenrrencia.
Aderecos de tartaruga os mais Itedps que team
! vindo ao mercado. I
Albuns com ricas capas de madrenerola e dt |
vellndo, sendo diversos tamanhos e baratos pra-
! os
Adorecos completos de borracba proprios para
Into, tamfcem se vendera meios aderecos rnnrio bo-
! nitos.
BotSes de setim preto e de cdres para ornato d*
pestidos de senhora ; tambem tern para cellele
: valitot.
! Bolsas para senhoras, existe urn bello sortimenj.
de seda, de palha, dfe cbagrim, etc., etc, pw
barato preco.
Bonecas de todos es tamanhos, tanto de loop?
1 como de cfira, de borracha e de massa ; chama-
mos a atten'.-ao das Exraas. Sras. para esie artigo,
1 pois as vezes :ornam-se as criai;cas um poaco im- ]
pertinerfles por falta de um cbjecto quo as enJ
I tretenharn.
. Camisas de linho lisas e com peitos ' para homem, vendem-se por preco commado.
Cerou'.ai de linho e de algodio, de diversos, pre^
10!.
Caixichas com mnsica, o que ha de rn.-.is Undo,
com dialicos nas tampas e proprios para jiesen-
te
Coqnes os mais modernos e de diversos forma-
tos.
uma. j Charges para senhora. Receberam um aertimeutc
CAMiSAS brancas ioflezas e francezas, gran- 4a niiiml_ moaa, taelo para senhora, coko para
de sortimento por precos baratissimos. aieninas
BRIM pard> trangado, para 280 rs. e 400 rs. o Capellas simples e com veo para noWas.
covado. Calcas bordadas para raenioas.
BRIM Angola, su.-enor, a aOO rs. o ccvado; isto Entremeios estampadoi e bordados, Undoi
so na loja do Barateiro I -desenhos.
CHAPEOS de sol de seda para homem, fazenda ggeow electricas-para denies, tem a propria-
superior. a b*500, 9*0B0 e 10*000. n/uvUade de evitar a carw dos dentes.
BAPTISTAS matisadas, ostos mmdiahos a 300 Fracas de seda pretas e de cores, exists am
rs. e 360 rs. o covado ; so confronte ao arco de; e.ande g0rtraento de divercas larguras -e barato
ni.i I T___
Porto
19, primeiro ndar :
engecrafado, em barris eem
Vinho do
UKoreus.
Cera em velas, de Lisloa, superior quahdade.
f.eiroz do'Porto.
Cimento Portland, le^itimo
Csira
ks eslrciiaiiieaio ddNtofl
pela faell *pplicar^d das
SOMDAS OLIVAES
DE
mm ELASfICA
As mais ,aioderns o aperfeiyoadas de t>das
as -conheeidas
VMieni-se
NA
PHARMACIA L BHOliAKU
DE
Barthoiomeu & C.
34- Rua-taiga do Hosario 34
E' com as seuiioras.
A Magnolia, a rna Duque de Caxias n. 45, par-
icipa ao bello sexo que acaba de receber da Eu-
opa, am completo sortimento de artigos de ulti-
-nfadonho anuancio, por ji ser bastante eonhe-
ida, ecapricbar sempre em terbons correspoa-'
Jentes, sendo a pnmeira qne apresenta o qne ha
4e mais moderno e por precos mui razoaveis, por
so limita-se a descrevor soraente o segainte:
4^t(a douradas.
iUcon lie cores, tanto de seda como de guipure.
Leques douradoe, de madreperola, marfim, tar-
tarnga, osso, etc.
lanidai de baile.
*reneute. diversos artigos r-roprios para pre-
sentes.
Bollnhas e panhos.
Manual para missa, com capa de madreperola,
tartaruga, raarflm, vellado, etc.
qapatftahos de setim para baptiaado.
cauaataas bordadas para senhoras.
Casa* de seda.
Vranjaa mosaicas.
Adereeoa de tartaruga.
voiiiiNde madreperola.
PuleiraN de madreperola.
I.iadan Cores para cabeoa.
oiM.iat de velludo.
*erfumarias dos me'.hores e mais afamados
fabricantes.
cbapeoti de sol part- senhoras.
vt (a m de vellado de todas as ccr Moseas.
Quoreis livrar-vos destes malditoa inseetos? com-
erai nma maehina 4e aaatar moseas por 3*000
aa Magnolia, a rua Ooque de Caxias n. V6.
Oalvice.
A Magnolia, a rna Dnqne de Caxias n. 45, vn-
o verdaMro Vigor de Ayer, que impede a
-ahida dos eabellos.
Sardas epanos.
56 tem sarias e panos qnem qtter; porqtw a
Magnolia, a raa Daque de Caxias n. 45, tarn para
vender a verdadeira Cuiiculeria, qne las desappa-
aser estas manchas em.poucos dias.
Insignias ma^onieas e cadei-
ras para viagem
Amaral, Nabnco 4 C. vendem ini?nijs maoooi-
as para diverso- graoa, e cadeiras a abnr e fechar,
eprias para viagem : no Bazar Victoria, rua da
Santo Antonio .
LENCOS de Ifciho snperiores, abanhados a 3$,
4*.%0 e 5*000Ja duzia.
TOALHAS felpndas snperiores a 6jM0 a du-
zia. Em outra parte vendem por 9* 1
ME;as cruas, supTores, para homem, a if,
iij.'ilN) e 5*. E' pechincha.
BOTiNAS snperiores para senhora, a 4JI500 o
par.
ATOALHADO alcochoado, fazenda superior, pa-' M el de diversss cores.
preqo.
Fitas de saria de gcrgnrao, de setim e de cba-
alnte> de diversas larguras e bonitas cotcs.
Facbas de-gorgnrao rouito lindas.
Vi. r^* aruficiaes. A Predilecta prima era con-
rvar sempre um bello e grande sortiroento des-
tts fiotes, nao so para enfeite dos cJwllos, -como
aatbem para ornato de vestido de noivas.
Galoes de algodao, de K e de seda, brancos,,pra
ra me^a, a 1*500 a vara.
ALGODAOZINHO Lranco, com pequeno toque, I
a 32500, 4* e 4*500, e roarca T, a 5* a pec.a.
AI6m das fazendas acima mencionadas, eneon-
trarao muiias outias que agradarao em qualida- n0J^J"
Gtavatas de soda para homem e senhocas.
Lagos de cambraia e de seda-de diversas cows
para aeanora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
de e precis, e que para nao massarmos a paciencia.
de nossos freguezes, as deixam -s de enumerar,
So no Barateiro
A' rua Primeiro de Marco n. 1.
Loja de Agostinho Fwreira da Silva Leal &. 'C.
Nio se enizanem
Pois sao os verdadeiros barateiros I
Aos legUimos fogdes ecom-
micos.
Acabam de chegar a esta cidade os ver-
dadeiros fogdeseconomicos, ja" muito conhe-
cidos nas provinciss do Rio de Janeiro,
Ninas,6. Paulo, Sergipe, Rio-Grande, Ba-
bia e Alagoas, aonde tem merecido do pu-
blico a maior aceitaQao possivel, e sao j&
preferidos aos de qualquer outro systema,
conhecido pela sua muita solidez, especia-
l.dade na coUocar^io, moderno systema,
e sobretudo grande economia no combusti-
vel ; tr.-balham com lenna, coke, csrvao de
madeira, etc., etc Ha de diversos tama-
nhos, proprios para cases de pouca, regu-
Ur, e de muita familia, collegios, hotels, Mb casas ptas, hospitals, etc. Atham-se ex-|cnj.- >
postos ao publics, aonde se darao todas as
explicates necesssrias I na rua do Viga
rio n. 12
Livroa para oiwir missa, com caoas de madre-
perola, marfim, oase e vellado, tudo que ha 6
bom.
Pentes de tartaruga e marfim para alisar os ea-
bellos ; teem tambem para tirar caapas.
Port bouquet. Um i>ello sortimento de madre-
perola, marfim, 6sso e dourados par barato paeo.
Perfumarias. Neste artigo esta a Predilecta bem
Erovida, nio so em excractos, como em oleos
anhas dos melhores odores, dos mais afamados
fabricantes,
Coudray, GosneJ e
a festa.
Saias bordadas para seahora, por eoaKnono
preco.
Bapatinhos de la e de setim bordados ,para oap-
tisaioc.
Tapetes. Recebeu a Prediiecta um bonito son-
mento de diversos tamanhos, taoto para sofa co-
mo para entrada de saias.
Vestimentas para, baplisado o que ha de raeJhoi
gosto e os mais moderno recebeu a Prediiecta
de or arato preco, para near ao alcanc*
onalquer bolsa.
E'BOM SA8EME
Que a PK)VA ESPCRANCA, 4 rna Duqoe de
*Gaxias o. 63, bem coahecida petesuperioridade de
:ieus artigos de moda e phantasia, acaba de rece-
ber diversas encorwuendas de mer- adorias de sua
reparticao, que pela eleganci bem mostra aptidSo
e bom go-to de sens anligos correspondentes da
Europa, e por esta razao a NOVA ESPERANCA,
a rua Duque de Caxias n. 63, convida a sua boa
e eonstante fregnezia e com especialidade ao sexo
amavel, a visitarem-na, afim de apreciarem ate
onde toca ^jprimor d'arte.
A NOVA ESPERANCA nao quer eotrat no nu-
mero dos massantes (verdadeiros azucrins) com
extensos annuncios e nera preteade descrever a
immensidade de onjeclos que tem es postos a ven-
da, o que serta quasi impossivel, mas liraitar-se-ha
amenciooaralguns daqnelles de mai alta novidade
e toma a liberuade do aconselbar ao bello sexo,
qae a visitem, constantemente, para depois qne
comprarem em outra gnalquer parte nio se arre-
penderem, a vista do bom e escolhido sortimento
que ha em dito estabelecimento, esta razao tam-
bem demonstra que qualqaer senhora do bom torn,
aio podera completar a elegancia de sen toilet
sem que dftnm jasseio a NOVA ESPERANCA, 4
rna Duque dc -Caxias n. 63, a qual acaba de rece-
ber m sagointea artigos de tuxo e in ten a novida-
de :
Modernas settas ear* preqder os cabellos
Primorosos leques de phantasia.
Bonitas sahidas de baiies para senhoras e meni-
nas.
intoressaotes gravatas para senhoras.
Elegantes facbas de touquim.
Bons aderecos de madreperola.
Delicados aderecos pretos de pufalo e borracha
(gosto neve). ______________^_^_
PARA LUTO
Vende-se chitas ingle.:as pretas com pintas a
80A na o' covado, dita frajceza oaailoana,tanto \mt
Lanbin. Piver, 'Socfedade K-ygjenica, como 5 Uimel : sao indispensaveis para preto a 800 rs. e muito Bno a 1,000 rs.; bomba-
zinas, princezas e alpacas de todos os precos;
lazinhae pretas Ksas de 400 ate 500 rs. ; assim
camo uxua grande porcao de reiaihos tanto de
chitas pretas como de las, qua se vendem por
precos baratissimos ; tambem nma grande porcao
de chale* preto1 de las a 1,000 rs. por estarem nm
Eoeo russos : a rua da Imperatriz n. 60, de Fa-
Pereira da Silva.
' bouito
Ba
larS da Victoria n. 2.
Siihiiliis de baile.
Amaral Nabuco 4 C. reeeberam pelo ultimo va-
por da Pnropa elegantes sahidas de baMe de di-
versas cores e vendem por cominodo preco : no
bazar Victoria, raa d > Barao da Victona n. 2.
Ohowlate do Maranhao
Unico deposit i neeta cidade, em casa de Josf
Tavares Carroiro & C, rua Direita n. 14, onde s*
veude pelos precos vantagens da fabrica.
Aos cigarreiros
A NOVA ESPERANCA vende papel do Jicb
proprio para cigarros{ de diversas larguras.
ARMAZIM DO TAM
A' pra/ja circular do Apollo
vende-se:
Tijolos de marmoro, de differentes ta-
manhos equalidades*.
TijwIoM francezes, sextuplos.
daaaento Portland veniadeiro.
AzulejoH pjrandes muito proprio9
para radnpes.
Azulejos verdes e amarellos, tamanho
regular.
MaquiiiM de desc&rocar algodao.
Cadeiras de forro, assenro de palhi-
nha, prwpruwpara campo.
Renda-s da t-rra
Rendas, bieos e grades de todas as larguras :
vende se no pateodo Teryo n. 52.
Padaria.
Vend-se am caixao de padaii?, com pouco
uso : na rna Imperial n 147.
Venleseum terreno Do beccodoEspinueiro
com 135 palmos de /rente e 300 de fun'io ; a tra
tir a raa da Madre de pens n. 5", |. andar.
Leques e ftores
Amaral, Nabnco A C, receberam Ieqnes.de ma-
dreperola, branco e queimado, dedlfferentes Cores,
de marfim e de tartanrga, lisos e lavradas, sio
elegantes proprios para bailas: vendem ao Ba-
zar VKtoria, rua do Barao da Victoria n. 2.
A 500 rs. o covado
Na loja do Pavio vende-se laziohas japonezas
de core* moJlo modernas pelo baratissimo preco
de 500 ra. o covado, para acabar ; notaudo-se que
6 iazenda qae iaaais se vendeu por meaas de
dois erazados ; ja'napoocas : 4 raa da Imperatrii
B. 60, tora do Pavio, de Feftx Pereira da Sdva.
A bordo da barca portufneza Neva Symprthia;
veade-se a rna do Vigano n. 1, primeiro andar.
CHAPEOS PARA. ShNHORA. *"
A Prediiecta, a rua do Cabuga n. 1 A, acaba de
receber nm.Undo sortimento de chapels da Ultima
moda para senhoras e meninas, e^wdeporppe-
cis commodos.
Chnento PorUand
0 verdadeiro cimento Portland em barricas de
180 kilos : vendem Lebre & Beis, a rua do Amo-
rim n. 5*8.
faruaha demandioca supe-
Tior.
Tm rjara fender, Joaquim Jog^ Goncal-
ves BeltrSo 4 Filho, a bordo do palhabott
' Rosita, tundeado ao pe do caes do Collogio,
i e para tratar a bordo ou no sou escriptorio :
| i rua do Cornmercio n. 5.
W*teottwe>A'C. vendem-no eo arnmw
a rua 4o Comiaercao n. 14 :
vardadeiro panno 4a algodao axul amancaaa
Excellente flo.de vela.
Cognac de 1' qualifllde
Vinho de Bonleaux-
Carvio de PndraM todaass qiaaWadee._____
xelro : tratar n Manginho, sitio a 2, portao
de ferro, de nunbi ale is 9. boras, e de tardede
pois dag 4 horas.
CASA
Vende-se ou aluga se uma casa ten,.* em Olin-
da, com grandes c< mmodos, gaz e agna encanada :
a tratar na rua 1 de Marco n 6.
MILHO BaMIO
Cmcutnia e seis kilos por 3*400, q asi umas 4
errvbas, sendo a retalho a 280 por meio decalitro,
qua e mais de uma cuia, no armazem da bob
amarelia, travessa da rua do Imperador.
Na loja do Pavao vende-se mad^. tkm
zes muito incorpados, com 20 jar la* a 6.00 ras
dito muit. fino com 12 jardas a 3.0d(i 3,.'BO; a>
sim como um grande sortimento d* mitdaMdaci
inglezes de 4,500 at6 8,000 e 9,000 : a rna a n-
pei alriz n. 60, de Kelix Pereira da Silva________
E' com as noivas
A NOVA E3PEUAXCA, ma Duqne do Caxias n.
36, acaba de receber boa* meias d* seda p/opriai
p?.ra noivas. e os agwciajefe rar"os de larangdra
Chapeos para senhora.
A loja da Passo, a rua Primeiro de Marco n.
A, recebeu um rico sortimento de chapeos
acca horas, pifios e de cores. ______
Cortes de cambraia .
Na loja do Pavao vende se rdrv* d<- r^rot >
transparente com babades largo-, tautu bratrea
como de cores, por baratos pre,o, p'-r gum pequeno defeito : a rua da Imperainz a. W.
de Felix Pereira da Silva._________________
ColcJias para camas
Na loja do Pavao vende se co!cha> ie fc-'tic
brancos, para cama a 2,500, ditas o> d*- t* *
a 4,000, cobertas de chita e de crel.**. de tp+
para cnii e :itas de metim escarlato Uniar**
;madap',
I de Mil I'en-ira de Silva._______| ___
Salsa-parrilha do Pmah
Tem para vender Antonio Luiz de Oliv.ira Aif
| vedo, no seu escriptorio. a rna do Bom Je*Bi rsr
I mero 57. f_________
I aide Lisbon
a faverna slta a roa
muito afregaezada :
Rosario n. 40.
IE"
do Barao da Victoria n. 6i, I
a tratar na rua estreita do ;
Vendese cal da Lisboa : na
Santo n. M. t* anoar. escriptori
drig 'es Tavares de Msl'o.
pr?^ 0 <
in jua'i'ii ?
Cura das hernias, pelas fun-,\
das de borracha.
As melhoros e mais aperfeicoadas das ate hoje co-
ntiecidas.
Vendese
nu
SMiarmaeia c Drogai'ia
de
Burtoloineu & C
A'
3#. Rua larga do Rosario 3-1
Vaccina, Yaccina.
Tendo o Sr. Dr. Jos6 Lourenc.o de Magalhaes,
montado na cOrte nm completo servico deste ar-
tigo, tem aqoi aberlo um deposito da melbor e
mais recente, cuj^s tubos se enconiram na
Pharmacia e drogaria
A"
34rua larjra dn Rosario 34.
ja de S. Jose do Mangu nln
rara senhor. s
Como sao lindas e modernas a- iravtanhii -*
a Magnolia, a raa Duqne de (axia- n 4* arais
n refetxrl ____________^_____^-
Cortinados para csitnab
Na loja do Pavao vende se nm grande -^trtinH*
| to de cortinados bordados proprias para e*m* *
janellas, pet i barato prec/> de 8. 9 e m fW r i
i par, assim como coichas le lamMP p*n nma*
1 de noiva a 10 e 12,000 reii-e pec nKha: j
rua da Imperatriz n. GO, de F.-lix P- i
Silva._________________________________,
E' econonii(M>.
Graxa glyci-rina pri pria para cc:..-trvava .i>
cordovao; veude a NOVA ESPEKAXCA. AIM ftft-
qna de Caxias n. 63._____________________m
Grande descoberla
Curativo das molestiaN 4e
peito peio
o sitio junto a igre-;
com casa de vivenda
assobradada e outras aeommodaeoes, todo raura-
do, com duas frenles -eni 'as por portao de ferro,
dando para a rua d Amizade e para a do Man- i
guinho. Tem de terreno proprio 194 palmos de
largura e 354 de fundo ; e a ca.-a m^de 52 palmos
de frente e 84 de fundo. A situacao 6 a melbor
possivel para morada, e quera quiier edificar, tera ^g'^e casos' po.- elles BfBaiimrilHiliii ww ar v>
bastante terreno para isto, pelo lado da rua da Qa sesSa0 Aa academiaae Puia-de ii do mmw
Amisade. T.m agumas plamaQ5es de gozo e re- io corrente anno, encor.lra-se umeantent- ik-
creio, havenao ba>taute ago* forLrcida por duas Deposito da bkatmaAad anmar
cacirobas, uo.a da:> qaaes e nova. A eotender-so je
com o Sr. Dr. Wiirnvio qu m o i ret-nder.
Xarope tie suljuhlt !. *>&d
A. BI^R^IST
Este importante medicmento que acaba de -at
reconhecido pelos distinctos Drs Zalioiii P*r
cbevas como um verdadeiro espe lAea a-au* .
phtysica, segundo provaram ooi gramies mmi-
Salsa paiTilha
Muito novae grossa.
Vende-se por barato preco, em porcao ou a re- j
talho : na rua larga do P. sario n. 34.
Liquidaqao de roupa feita I
Na loja do Pavao liinida-se otna grande por-'
cao de roupa para homens e mtuia-.s.conto sefam: j
calcas de casemiras pretas e de ores, para todos
os preccs e qoalidaiies ; ditas de brim de An-
gola para ditferentes precos ; ditas de brim de
cores, pardos e brancos; paletots saecoa, cac.-icos
e fraks de panno preto e de casemiras de asm
coleles de todas as quabaaa, por precis bara-
tissimos, assim como grande porcao de caoisas
ceroulas por menos 3 0|rj do seu valor s6 pars
acabar : a rua da Imperatriz n. 60, de Felix Pe-,
eira da Silva.
Iliu tbolouu u A '
N. 34 Bua laiga io Rosar-o
N. 3>
: Sedinhas d 1#500 o co^ do
Venham antes que se acabem : na loja 6* l'f*-
I a rual." de Marro n. 7 A.
Vende se ou permuta se por casa- na ei&atfe.
um bora sitio em li beribe, com Baa* para familia
tendo baslanles arvoredes de fro to e c.-a ree i
ficada : a tratar na rua No.a n. 4*^.__________
A 120 rs. o covad<
Na rna da Imperatriz n 60, vende r para aca-
bar uma grande qoantidade de las restos de verin.-Hos, desJ-5120 rs. ate 500 r ;
tando-se que, qnanJo bavia Mttaoaaui cumpM
tos. se vendiam a 1*280 e 1*600 o covado, ha
grande vari'dade em padroes. os que prinaem,
cbeparem melhor pechmcha fario, a ella roa 4*
Imperatriz n. 60. __ ____
Cal de Lisboa novissima
Vende se em grandes e pequenas porcCj : oa
rua Direita n. 14._________________________
'irande liqaidac^o no (>It da
Riinha
rua da Imperatriz n. 48.
a saber:
Boiinas para senhoras a 2* 0. dius a 3,301'
ditas de duraque a 5*, sapatos focos para eni
nos e meninas, ricas eintas para senhora* e n ninas, do ultimo gosto, botinas para inm -c i
4*oOO, sendo estas eetrangeiras e nacioca-
grande quantidade de Btas de s&K sarja, de w
Na loja do PavSo, vende-se cortes deca-jrias c6res e larguras, e outras mnius mmdwv-
samira para calca a 49, 58 e 60000, ditos qne ** "nde nor menos preco que em outra qoal
-. p1^ j it i\o-T i lauer parte. O propnetano convida as Exma.?f-
muito finosde uma so c6r com listras ao w-ljJhorasa virem viaitar seu esubeiecnreiito,een
do, fazenda qne sempre se vendeu a 98 e n0 verao as mereadonas e o preco diminuto por
109000, liquida-se a 6g000 para acabar :: quanto se esta veniendo.
Vende--e as seguiiit-s casas: duas ua rua
do Viseonde de Goyanna ns. 20 e 23, nma dita em
S. Jose' de Riba-Mar n. 35, nma dita a rna dos
Pescadores n. 4, e um sobrado na rua da Kestau
raeio n. 54 : a tratar na rua acima n. 16, das 6
as 9 horas da manha.
Vendese nm pequeno sitio a estrada de Joio
de Barros, ou se vende pequenos terreoos no raes-
mo sitio, conforme se entender mais convenieote e
vaatajoso : qaam pretender, pode-so dirigir ao
sed proprietario Antooio Feliciano Rodrigues Sette,
a dita estrada de Joao de Barros, casa n. 9.
Cortes decasimira a
e 6#000.
j
a rua da Imperatriz n, 60, de Felix Pereira
da Silva.
Aos ineninos
A NOVA ESPERANCA, a raa Duque de Caxiaa
n. 63, acaba de receber nm bom sortimente.de fi-
nas benecas qua'failam, que riem-se e ehoram;
tambem as tem mudas e surdas ou surdas-mudas
venham ver se nib 9 ver&ade.
VENDE-SE
Na rua do Vigario n. 19, vende-se 0 segninte
Cimento de Portland, em primeira mao.
Vione. do Porto, engarratado, finissimo, em cal-
xas de dozia
Dito dito em barris e ancoretas.
Vinho Sherry, inglez em caixas de duzia.
Vinho Coll ares em ancoretas.
Cera em velas, de Lisboa
Cera em grume, idem.
Fuiidas ll-rniaiias
ELtCIRO-MKDICAES
Para hgar perfeitamente e curar radical-
mente
Vende-se am mulatinho cozinheiro, L>>ra co
peiro, fiel, e entende de invernisar, garaoie a
conducts, e se dira 0 motivo da vend* ua raa d -
Ho rtas n. 86.____________________________
Pedras de mannure
Vende-se pedras de msrmores, de diversu* ta-
manhos, com duas soiegadas de gros ura, o<-pria;.
I para muitos misteres : a tratar com Joao iat* *U
Cnnha Images.____________________^^^
Ao 11. 9.
No progresao do pateo do Carno veefcsesta*
teiga ingleza flor a WO rs. a libra.
Pe^hincha.
Gusmio A Leal vendem d>masco de la, >
6 palmos de lagura a li 0 covado. eopia
dore* a 1., chapeos de sol de sada para bo
mem a 5), e outras muitas fawn (as qa* ao
com a vista poderao os pre eode-iies ver a
grande reducr.io de precos: so na rua Priosetr
de Mareaa. 44.__________________________
Cambraias
Cora hrris, a 440 rs. o covado,
rua do Qofiraado n. AS.
E' peehincha.
Cambraias com barra, deseobos
zes pelo prece de 240 rs. 0 covado
'_ 43 1 Junto & loja da Megn- I'a.
6 na
ebiaa
1 ---------j Grosden-^ples
xJieU, DreU, DreU Vende-se grflsdenaple preto, fazenda muito fina,
No armazem de Jorge Tasso, rna d< Amorim n. > que sempre se vendeu nor 3* 00 0 covado, a
37, eno caes do Apollo, aiiuazem de farinha de 1*800 rs.; aproveitem, so 0 Desengano, a rua !
trigo, do commendador lasso. <** Marco n. 25, junto a loja da esqaina.
as
Bssas rahdas estabelecidas s-bre os conneci-
meotos roedicaes e analonicos mantem as quebra-
duras as mais volnmosos e difflceis, impedindo 0
seu desenvolvimento. Eiies teem uma ercao elec
trica one aa.generalidatie dos casos opera uma
cura radical sem qne 0 doente se sujeite a pres-
crip?ae alguma, a excepcao >lo uso eeotiuno del
las. A cuia opera-se no oer,,, to de it a 20 me- j
1 zes conforme a hernia oiais ou menos antiga. I
Unico deposito em Pernambuco, oliarma- duas b>lancas. sendo uma gran je x*-f- R-;
cia e drogeria de B rtuolomeu ft if\ "jo,com pesos, eornntes e conch prn^u-
D ,? D lannazenide asucar on para algo^-. ***** *+
Kua larga 00 Ko.sno ii, d*. ^ _^e*i*l, da* mais modernas do 1. <
bem como uma coUeccau de Wrai
j de aigaiijmos de todo 0 taraaoao aa;<*
Richas hambnrgueia.s am v6ma estemarcadc: .ore : no armazem n. Z 4*nu d
na tna do Maraaex de tilmda n. 51 tnorio.
Yende-se
Asunicas verdadeirac
Tc*



8
Jiario de PoraamDuoo Quinta feira 12 de Novembrd de 1874.
VARIEDADE
LIVRO NOVO. = \caba de publicar-se
em Fr-raga um novo livro que tern por titulo
O esptnto da igreja. F' o seu autor, o
Sr. A. S. Mori, infatig.ivel adversario da
tho..nrcia e das doutrinas catbolicas. Nes-
ta nbra.u Sr, Mori u&o so c- ntenta f.tzer-
Ihps an lyse summana, e dec^ara-la* incom
pativeis com a vida e o estado medernos
Phpshhuh as passo a pisso nas suas ma is pe-
quens supersede*, nas pralicas p-rniciosa,s,
e uas ConcepgooS falsas das relag6es socials'
P do cinporlaineiitu iuJividual. 0 autor
na<-desdenba os theologos, e discute com
elles.
A' respeito desta obra diz a Repullhue
Francaise :
F.dgsrnos com tao paciente obstinagao.
Com quanto a causa das religdes positive-
e nao positivas estpj., irrevogavelmente per-
dida, os destroys das suas velhas peias,
ti(fd embaragardo por (Quito tempo o ca
rainbo da humanidade.
i' preciso quo n s lembremos de que
rnilbaresde estabelecimintos religiosos tra-
balbNin com todas as suas forces oara fd-
sear i educagdo da mocidade ; que'a maio
na .le nossas mulherei, de nossas lilhiis, e de
no-was irmSs vivem entregues, por nossa
culpavd fraqueza, nos irroconciliavHs ini-
migos do peiisameuto livre e da sociedade
Civil.
E' bom que um erudito, cheio de finu
ra e de razao, face lembrar, com espe ial
competencis, e com argu neutos invfut-i-
yeis. os perigos que muit s de entre nos
irrefl-rtidaroente desprezam ; e bom
Otfn amiga nos prepare arm*, para a luta
deliiiitiva e proxiuia que teremos quetra-
yr, sob pena de retrocedermos para a
idale melia
No seu novo livro, o Sr. A. S Morin
esi doutrinas catholicas relativas a liberdade de
ppt.samento, d imprensa, ao ensino, a inde-
p-ii-l. ncia das nacoes, ao governo, e d ad-
niiiii>tra .ao municipal. Mostra o Syllabus
He accordo com as decisoes dos concilios
builas, breves, e allocugdes dos papas para
enrednr a vida humana mesmo antes do
tnscimHiito ate depois da morte, nos lacos
da rnais intoleravel servidao. A ests rainu-
ciosi analyse de tantas pretergoes mons-
truosas, allia-se um pensamento consolador:
nao ha nenhuma de tdo nefastas chimeras,
qua nao tenha sido combatida, e convenci-
dade l-.ucura e de erro ; e cada passo do
bomem para a Create da civilisagdo marca
uma victjna sobre a igreja, e sobre o ideal
cbrMao,
0 leitor sente-se como que animado
antes do fim do livro, e por assim dizer
levado a julgar que o autor na sua elo-
qupnle peroragao inqoieta so de mais com
a tactica recrudescente do ultramontanismo.
Vr-li-mos CO'?, tudo ; e nao deixemos de re-
petir com o Sr. Morin : c que c preciso
optar : calholico oti cidadao.
IOUTRO PRDUCrO DO^PINHEIRO.-Com- quaea a preseoga de todos os bispos da
mumca o Sr. Hoffmann -a academia das diocese du particular splendor. 0 pri-
- sciancias que dous jovens cbimicos seus meiro dnbdrs. f.i proferido pelo bisp. Iraik
frlriL0 'TqU"OSUCCO',0Pinhelro B"dweU. um Wmii zelosos .postilos
tntado conven.ent-ment* pro-luzia a bau-.da idea tcbeq na,
oilbina, principio odorife.o da baunilha. Mas o facto verdadetramente curioso foi
j< pasaoii para o domi-. a parte que um padre allemao, Mr. de
laterra creou-se Ketteler, tomou n'essa a-lemuidade, em que
jeitimos todos os texruos qug nio eram u-. te. Sabe-se agora como as cousas se pas-
tonsados p-los nossos classicos, dei^ando sarani,
comtuio aquel esque, apezar de nao o se- Mgr. Tbeololi tiulia ido passar algum
nio da pratica, e em
u-na indostria para a extr ma que s acha em estado prospero.
Nio c.nhecemos ainda o processo empra-
gadu pa'a obler a baunilha arti8ci-i. Por
tanto, naopodmns julgar do valor econo-
era impussivel nSo munstr.icdo auti germauica.
Em uma allncucao, de que a imprensa
de Vienna nos da" u-n extracto, dirigio se o
bispu de Moguucia com intencSo expressa
. 1 \oberta. Mas como sucr.edeao ausslavoa ua Bohemia. D s'nvolveu es-
"t'll". qU7h (lescoberla' encrecese pecialmente a idda das aspiracfes clencaes.
om b..stante enthusiasn.o o seu alcance. para demonstrar que os estados e os i-rin-
diannn,^ su^ de umaarore de me- cipes devem um dia desapparecer diante da
d.ano porte f-rnece uma quant, lade tal de igrja calholica de Roma.
STdTfa 171 ni"r *CTl i,deuUnia Cdn- VSI* iter.e,,gao de Mr. do Ketteler pro-
te n .7 ,' 'UCC0- tHV,! m0"S ^ch0 Brl"n. especialmente
DrS2,i?ta!e,M'.,PWOri odesdeque a d(SSe que o bispT franco
Ko^nSoiZ ZI ,m0^nhT Dupanl"P. ** to*lo par- AVENTURAS DE UM JANOTA.-Dizem
plesmeTL ia irdescobZ tJ M L""* bUU** *W U'D A. r.
Nao faltara" ooe.n J laa : i E para notar que o parti to liberal dos credor por uma somma p-moo importable
t. -ca! pos>a attingir aoi prec-s que tem __
actualmente a naturd. ASSAITO PiUWrioircrn mi
rein, deyiam por ser uteis e c mveiiientes
entrar do oa (>bra revista minuciosaiOH.nto
pelo mais vernaculo dos nossos escriptores ;
excluimos as pilavras a que a folia hodier-
na de Lisboa dava diff^rente pronunr.ia ;
fomos fazendo n, decursu do nosso trabalbo
duas reKd-a que se nos fijuraw ut-is :
uma das palavras a que se nao aenou rima,
ouira de lodas as ri.nas exdruxulas qu<> n
contrdmos ; a primeira para se nio buscar
em vao rima a vucabulo qoe pruvavelmente
a nSo tem ; a si-gunda para se poderem
acbar sem difficuldade exlruxulos quaudo
forem conveuiKiiies, etc., etc., etc.
A tern dextes inelhoramenlos que se en-
contran Sfltisfeitoa neste livro. outros ha de
menor importaucia que facilm^ule se des-
cobrem.
tempo ua cartuxa de Triaulti." Depois de
jmtar, segundo o costume dos prelados ru-
luanos, f. i daro seu p.isseio J.j digostao e
adiantou>se em um bos^ue atravessado por
uma estrada recentumente coustruida.
De r-peiito vio erguerem-se a diante
delle cine > camoouios armaiis de espin
gardes quuu ceruaram. U n delles disse :
Ate* que einli n I Ha tres mezes que te
esperamos.
A liistoria nao diz se o prclado bppoz
.ilgoiiia resistencia. Homem de igreja, bo-
mem Je paz, enleadeu por melhor ua lotar
tone cinco bnbautes. resolutos, e provavel-
sicao de *873, pora,ue vai lenU em lodes
os paizes ^uelica^ao ds robtorios. A
socieda Je proiAi>Nr<* de Turio, que lem fsr-
cas, por.iue as uidu.^ ria- % nio fugern della,
como fogem ua in iusiriaes Portugueses dee
associacdKs DJicioaaes analog**, nsaodeu a
Vienna delngaJos seus, por sua cunta, pa-
gaodo gonerosamente tod as as de ag ira da* publicida e ans seus n-lati.nos 0
pri-neiro, que teieos a vista, e do Sr. ( io-
vanni Sa<:heh, e >ccU|M-se dustrinl, e das macbiuas agri olas. E' ease
breve indicia, mas curiusissima, que dee
ser lida.
TRIPAt DE PAPEL PERGAMI.NHO PA-
RA SAM:hD;HAS.0 Sr. Eugenie Die-
ioeute fez be.a. Os maife.tores metteram|,rich, propnet'no'da fabric'a ee papel ie
6 V' I H"fenb rg* (Dres-lH), Um u. duraote a
xuerra com a Franca, grande quantidale
proxiuia ao
h ilbanie
wi'h pelo
.Je ser pago por u,n preco na Epom de Madrid, fallam n
bd.xo. Mas, apez.r d ,sso, nSo faltam aos assabo de armas dado em f?
propnetanos arvores, que em b^m trata- princpe imperial de Franca a d
K |com ti"e ambos os )ovns demonstrarara
EXPOSICAO AGRI OLA E HORTICOLA' ZJZT*"" ^ "" eWma ^ VV
UE ARGEL EM 1875 1876 A Argelia As f .Ibas republics Iransrrevendn rt*
prepare uma grand- exposicao onde se h3o tpoca a notieia conc"uem X
. .tSVaITcPolad;JSdl0du8- S pr0drS Que a,ir"m' wtZSZlrio um e
SoEXZm SLSSk^ P2 e,ndeSe- 0U,r0' PO'S nao para ou,ra eous. os collo-
rao tambem admittidos os utensilios e os cou no roundo a natureza
>eus iu,trumentos e machines a^ricolas e Deus os iuntou
horticolas de toda a especie, assim como
os objectos fabricadas
Eteus os fez, e
no estiangeiro com
malarias primas provenientes d'Areel.
.I:'?, Pub,,c." em4 F"n5 0 P^- naes de Londres forara wbresaltad
r,l,hf!;TSI5r ^ eXp0S,^ T U'Da 1et,,a*o espantosa. As ca^as tr<
a deve abr.r-se em lo de novembrode ram n'um perimetro vastissimo.
EXPLOSAO.Na manha do dia 2 de ou-
ubro, os babitantes dos bairros septentrio-
os por
1875 e eocerrar-se
1876.
Por occasia > d'este concurso as autori-
dades locaes organisarao uma grnde festa
em 15 de fevereiro de ficaram com as pare les
tinha succedido?
e algumas
fend ides-. 0 quw
Subia o Taraisa um barco carregado de
polvora. e ao pnssar debaixo d'uma pontr
para a qualserao convidadas as sociedades no canal do l^gente, q.ie|la terrivel mate-
mu^icaes de todos os paizes. Para estas;riafez explos3o. 6 b
(estas serao destinados premios especiaes.
NOVA SYiNAGOGA EM PARIS.- No an-
no 300 do mundo, fazia Jerusalem com
grande pornpa a i
Saloma--, tao maravilbosamente descrpio
pe'as escrip uras santas.
No dia 9 de seterabro, isto e, 2874 annos
)arco levava quatro
toneladas de polvora.
A ponte-foi pelosares, indo parer a gran-
des distancias pedacos de pedra e barras do
lerro. Foram instantaneamente a pique-
naugurac^o do temple de quatro barcos que iam atraz do primeiroJ
com igual carregaraento de polvora.
As cases de arabas as margens do canar
expprimentaram grandes destro^os. No-
de la Villette. lTl.imamei>te, tendo necessr-
dade do dinheiro, dirigio-se & casa da sua
devedora; mas efla nao o-nnbi para lb %
dar.
A... muitas vezes- Ihe tinba- dirigido ga-
lanteiosve aproveitou aquellacri'sumstaiicja,
tor,iando se mais institute ; cousegui. ceiar
eiL coinpantota do objscto da sua paixfo
Esta ceia e as suas coiise-^ueucins prolouga-
ra ..-se ate waa bora -.vaugada da nuite.
De repeme euve-se o ruido de um pesado
Vefojculo, que- fez estreieeeer o cheu; te
rnwaao tempo espalna-se no quarto um
cbevi'o suspeito.
Estemoe perdidos, exefoma a Sra. G...
I'uis que I qjueii) e?
E-' o meu a name. E' empregado na
compaiibja Les*ge. Trabalh.'iva na csa ao
tlado. E' l'6ia do duv-ula que volia *. que
traz pare aqui o seu apparelbo Salva-te I
E' um bra*o, que leoca chaoomas pwlos
oluos.
No mesmo instante sentem-so violeutos
pontapes contra a porta. A case era no
pftiiMUK) awJar. Ojauota,. espantado, salla
por uma janella que da^ para um pequeuo
pateo-, e cube sobre o teato de um pombal,
que arromba.
Neste momento chega furioso um guarda
eucarregado da-limpeza do canos^o qual
atira contra elle os restos-da ceia, g.*rral'as,
copos, oritos, eic. Cego e coberto de sau-
giie, A... f.igo entao para o patuo.
Hav.a tempo que se pratioavam naquelle
sitio roubos de pombos, gal inhas e ceelbos.
'Os viz in 11 os esbavain & espreita. Correm
aquelle barulho e jylgain ter encontrad-j o
uaiuinbo para uma montauha
alto da qual aoamparam.
a No eutanto. o uriado de Mr. Theodo-
li, notando que seue.no nao vo tava a bra
io .eustatOae, euteudeo qua algu.ua eous do gravidade Ihe tioha acontecido, porqu-
o crineleugo- de S. Pedro tem fama de ser
regrado como- um relogro inglez.
Tratou de prueur*t-o em compaohtn
deuin servenle do mosteiro e nao tardou
em tjHContrar um pastorzito quo descia a
luoatauha.
i frazia uma carta de Mr,'Pheodoli parn
TEC! 0S DF PHROMH M TENAX.Os
iecidos de phormium tenax (linho de Nova
Z-la-dia) sao agora rauito procurados na
IngUterra. tanto os grosseiros para saccos,
panno de navios etc., como os finos para
roupa de mesa, e outras applicacoes. Dis-
tiiiuue-se o Hessian entre os pri neiros, e
entrp os segundos uma qualidade com a
qual fbricam toaltias adasmacadas verda
deiramente notaveis. E' muito moderna a
tecedura com o fio de phormium, sem mis-
tura ; ainda nio vao longe os tempos em
quo apenaseram admittidos, na razao de
vinte e mom por cento, nos tecidos mixtos
com li'dio de Riga.
PAPEL DE JUTA. Ha mais de uma
duziade annns appareceu, pela primeira vez
no oiercado, o papel de juta, acliando-se
eeta materia textil, na raassa, reunidacom
ou'ra substancia. Agora ja temos pappl,
cuji massa e toda de juta (c.rchoruos teti-
IW. Annunciou esta novidade, em i87:i, o
Dundee advertiser, sendo impresso em pi-
pel oe juta o numero do jornal que puuli-
cava a notieia. Depois tem havido sensi-
7i-l pr iyresso no fabrico, o actualmente nSo
>o contesta a utilidade pratica d'essa appli-
^Acao importante de uma substancia, cuj^
ti^ior ;ir,i), na Gra-Bretanha, se elevou em
qfiarenta annos, de quinhentas a duzentas
mil nmeladas.
LOUIS JAC01L10T. Mr. Jacolliot. um
d--s mais instrui los viajantes que n'esta
-p ca percorrem o mundo, nao com a es-
perance de descobrir novas terras, mas com
a i rme intengSo de estudar os costumes dos
p-v-is, suas religioes, e aotigas formas do
governo. estudo que respeita a* archeologia.
Mr. Jaco liot, autor mui consciencioso,
na > es.-reve sem conhecimento de causa.
Trata familiarmente com os indios, de quem
conbeee os idiomas para obter as suas in-
f.roi-goos. Censura o proced-r dos ingle
Z's na India, baseando-se em factos passa
Jos i a sua presence. Dem nstra que os
.rabmes, modilicando os antigos dogmas a
vor dos seus interesses, expoliam os in-
iii.sde tudo.
E* isto que Mr. Jacolliot trata no seu li-
vro Les moeurs et les femmes de Vextreme
went. Voyage au pays de perles, aca-
I .da de publicar em Pans e que se en-
ntra a* venda na livraria de madame Lal-
riant, rua do Thesouro Velho, 22.
depois, a cora.nunidade .sraelita de Paris jardim Z-oLgico, quo e proximo do lugar
maugjrou o novo templo que acaba de le- da catastrophe, as feras espantadas come-
vantar, na rui da Victoria, sobre o peque-
uo rib iro de MenilmantanU
Esta corrente de agua e traigoeira. Ja" a
encantraram debaixo da nova Opera, e
contr buio rauito para augraentar as despe-
zas dVstas duas construcgoes.
Nao cremos que o templo da rua da Vic-
espant cram a soltar grander rugidos qoe mais.
augraentaram ainJa o pavor da pppulicio.
Em Mittem Sirett, uma mulher morreu doi
susto.
Muiios habitantes, sorprendidos- a dormi
por esta espantoaa exploeao, sahiram para a*]
rua era trajos menores gritando por soccor
lUdrtu; oabem- sobre elle, e admimsirain.
lbe alguns soccoe,- mas depwi* cbama>m os
guardas de paz-, e A... e conduzido i, es-
tdgao.
No dia seguinte e couduzido & casa do
coiiunissario de policia, & quem couta os
factos que acabamos de referir ; mas s6 de-
pois de se verificarem coinpletamemo aqpel-
las allegagoes e que fji posto em 4ber
dade.
A CONVERSAsO DA RAINHA-MAl DA
BAVIERA. -Couuxmam de Munich a notieia
toria tenha a pretengao de fazer esquecer os ro. Finaimente o canal Ccour obstruido* ^a conversao, ao catholicismo, da rainba
esplundores ilo qm o antecedea. 0 cy- por um montAo de ruinas que se elevam a *'*** da Baviera, cujo acto se celebrara*
preste 0" cedro do Libano, encrustadosde 20 passos de aliura. brovemente.
rubis p saphyras, n3o procuram rivalisar' Afortunadamente, o numoro de victimas- ] A neophita. Frederica Francisca Augusta
com o bronze eo mannore, mas o aspec- n3o correspondeu & grandezt da catastro--1 Maria Euwigus, nascera em 15 de outubro
to e grandioso e munumental, o que nao pbe. Alem da mulher que falleeeu de su*-- de 1835 lilba do defunto Gubherme, prin-
to, morreram s6 os tres homens. que tripo-
lavam o barco.
era facil em um espag.. tSo restricto.
Assynagogas tem em geral uma architec-
ture mounsca pouco em relarao com o nosso
clima, menos apparatosa do que a do
Oriente e com especialidade em certos poo-'
tos, que sao um pouco mais ligeiros do que
aquelles quo adoptamos.
Alii, porem, domina o estylo romano,
quo se envo.ve com o byzantino, exigido
p.da obrigtgao de se subtrahir a um estylo
puro, da ni oh; mod a, que p deria des
prtar crueis reordagoes.
A nave 6 esplendida. Duas vezes mais
larga que a de Notre Dame, d quasi
el-ivada CO no ella.
N mei > do templo esta o Theba, o altar
onde o ministro otiicia ; no extremo ocdro
ROMANCE DE CADA DIA. Le-se ao
Semaphore :
Um francez, filho de uma. boa famiiia
de Marselba, namorira-se de uma cantora
que o obrigou a fazer mil tolioes.
Contratada para ir cantar em um dos
cafes de Pera, em Constantuiopla, para, alli
foi seguida do seu amante, mas a bolse
deste ultimo ia-se esgotando e a affeiefto de
Cora (asnn se chama a cantora) ia dimi-
tao nuinlo na mesma proporgao.
Orapaa nuraegou dejogar; e perdeu o
pouco que tinba. Ameagado de um- rompi-
menU> proximo, apresenta se em casa d i
com a. columnas de marmore e magiiificasjamanle. Pux" de um rewolver, dispara con-
vidragas, onde se representam as allegorias lra eUe' e em seguida contra si^jahindo
Jas doze tribu baubulo em sangue.
Por um acas providential. Cora
Tratam.ts debalde de procurar esse fa-
moso mar de bronze que assenta em doze
tinha
um cao no regago; o projectil quebrou-lbe
DRAMA DE FAMILIA. E?crevem de
I lymouth ao Daily News :
< A cidade de Plymouth (Inglaterra) so-
i.re-saltou-secora um drama horrivel.
<( Mr. Thoraaz que ha muito tempo vivia
era ma intelligencia com sua mulher, acha-
va-se no escriptorio dos Srs. Whiteford e
Bonnet, advogados, ao mesmo tempo que a
espo^a d'aquelle.
T:aiava-se de concordar nos termos de
am* suparagao amigavel ou judicial, quan
do Mr. Thomaz sahio, em consequencia de
n3.s [>. Jer vir a um accordo.
< ua mulher hesitoa em seguilo, di-
|eu a um dos e-screvontes que receiava
quo sua marido a maltratasse de novo; no
jut-do sahio. Mai, pbrem, ha via dado al-
gutis pass s, qunndo seu marido puxou por
u i.a i.avalha de barba, cortou-lhe o pesco
g", e, voltando a arma contra si proprb,
fe.ivse tambem de gravidade.
Accudiram immediatamente, mas ja" era
tarde, poraue um e outro liobam expirado.
Mr. Tbornaz era um antigo construc-
tor decasas era Portiea ; era muito ciumen
to edava-se babitualmente a bebida ; mui-
las vezes espancava a mulher ena ocoesiao
:nosrno do crime ainda ella tinha no ro estigios dos ultimos mios tratos.
bois gigautescos, sendo trns voltados para o a espinha dorsal e nio acertou na cantora.
Oriente. tres para o Occidente, tres para 0 erunento do rapaz, posto que se"no, nio
o >eptontriao e tres para o Meio Dia, esse e mortal.
cbefo d'obra de Hiram, em que os padres
sp pufifu-avam antes de dizer a oragao EXPE91C0ES AO POLO.Sfio duas as
U.^e os cohenim contentam-se em deixar as expedigfios ao polo do norte projectadas
suas smdalias o em raolhar os extremos P Austria. A primeira irfi por terra, se-
dos dedos n'uraa pequena bacia de prata gu'n'10 a Groenknd.a, por so suppor que
ou de estanho. i6^ territono se liga '.om a terra firrae do
No primeiro pavimento encontra se uma' P'o e offerece se a dirigi-la Mr. Payer,
elegante tribuna exclusivamente reservada j A segunda, debaixo do commando do
ds senhoras-comoso sabe o custo judaicO conde Wilezek, sguitd o caminho tragado
nSo permitte a confusdo dos sexos na hora Pela que a<>aha de voltar, buscara* por mar
dos officios pela parte superior esta" o\ terra firne do Pol. Para que se dirigi
grande orgao collocado um pouco alto, por ra" Nova Zembla, com o flm de alcangar o
isso quo era necessario reservar aos fieis o cabo Ischeljuskin, avangando logo em botes
maior espago possivel. |em bu^ca dn connexdo que posse existir
0 templo custou dous milhoes e foram ealre 8 supposta terra Qrme e a de Francis-
uecessarios dez annos para o concluir, isto co Jose recem-descoherla ; o Dr. Kepes,
e, o mesmo tempo empregado por Salomio membro da recente expedigSo, acompanha-
na coustrucgao do seu palacio, e mais tres r* a segunda.
annos da que foi preciso para o seu faraoso
templo. Deve notar-se que o architecto, a! DICCIONARIO DE RIMAS.Estd publi-
quem cabe a hoora da obra, nao dispunha cad<> um ,,vr0 de muita utilidade para os
de um pessoal tao consideravel como Hiram cultores das bellas-lettras, que tem por ti
seu illustre antepassado. jtulo Diccionario de rimas ; 6" compilado
Nio tinha, como elle, 3,600 empregados Pel Sr; *a*"Ql0 *. Castilho, e revisto,
para v.giarem os operarios, 80,000 artistas augentado precedido de um pre ac.o e de
talbareo e cortarem as pedras nas um compendio de metnacagSo pelo Sr. vis-
e 70.000 trabalhadores ------ conde de Cast.lho.
para
m mtanhas,
as conduzirem
para
N'uma 'dvertencia do autor estao clara e
Mas pode dizar-se que com recursos rela- f?ui Justamente ndicados s meritos do
tivamente minimos, soube exaltar-se e tor-. .. .. _
nar-se arande Procura,nos remediar, diz o Sr. Euge-
8 nil de Castilho, os defeitos que todos nota-
vara no Diccionario de consoanles de Mi-
MANIFE9TACA0 CLERICAL. Na Bo- guel do Couto Gerreiro: demos i nossa
bemia teve ultimameute lugar uma notavel obra ra.-lnor Msposigflo typographica ; enri-
man.festagao clerical. quewrao-la com muitas desinencias novas :
0 clero catholico d'aquelle paiz celebrava opulentamos os existentes com grande c6pia
entao o nono centenario do dia em que os de riinas; regulansdmos e raethodisdmos a
oatbolicos tchequios, que ate* essa epoca sua economia, com remiss&es sensatas, para
dependiamdo bispo allemSo de Ratisbonna, nao repetirmos os verbos nos diversos mo-
alquinram a sua iidepondeacia ecclesiasti- dos, tempos e pessoas; alpbabetdmos todas
ca para a fundagso de um arcebispado pri- as rimas para facilidade na bus>'a ; nas mn-
maci 1 de Praga. 0 partido feudal e ul- dianamente ricas, ace >:nmodduio-nos d
iram.mtano conbecido com o nome de ve- classifica^ao grammatical; nas abundantes
Ihos tchequios |empregou grandes esforgos separdmos alem disto, em cada parte gram-
para dar maior brilhantismo a esse dia de matical, os vocabulos pelo numero de sylla-
jubilo, quo, no snu pensemeute, devia ter bas, simplificando assim em muitos casoso
para o publico uma grande sigfiifica^ao, trabalbo do poeta ; trotdmos de seguir em
na-iso religiosa, mas tambem national o tudo quanto era razoavel, a orthographia
p.diiica. de Moraes e Silva, para haver, d falta de ou-
cipe da Prussia, mai do actual rei da Ba-
viera ; professdra ate agora o lutberauismo.
0 Volkfreund, orgdo catholico de Mu-
uicb, accresceuta que a referida rainha mat
r-side ba algumas semanas em Elbingerap,
nas montan as do Tyrol.
S. M. laz-so dar o eosino catholico pelo
vigario daquella aldea, e d esta h .ra terd jd
pronunciado o seu credo catholico.
Ha oitodias que ella annunciou ao cou-
sistono luthortiiio, quesabina do gyro dossa
conGssdo.
E' o bispo de Augsbourg que dara a con-
firmagdo d rainba-mai.
0 CONDE DE ARNfM. Osjornaes de
Berlnn publicam os seguiutes esularecimen-
tos biographicos concernentes ao conde de
Arnim :
Harry-Garl-Curt-EdUflrd de Arnim, da
casa de Sucbow, nasceu a 3 de outubro de
1 24 em Meitzelsitz na PomeraniA. Fez os
seus primeiros estudos no gymnasio de
Greifswald, e os esiudos univert-itarios pane
em Berlnn e parte em Greifswald. 0 Sr.
Harry de Arnim entrou em seguida n* car-
reira diplomatica e despoou, em 1846,
Luiza Elisa de Prillwitz, que morreu em
1854.
Tornou a casar-se em 1857 com a con-
dVssa Sophia Adelaide de Arnim Boytzen-
burg, o foi nomeado conde por decrrto real
de 28 de julho de 1870, quando desempe-
nhava as fum-goes do ministro da Allema-
nha junto da santa se.
a 0 conde de Arnim, segundo se diz,
possue uma fortune consideravel, a qual
cousiste particujarmenie em bens.de raiz.
Acerca da prisao deste diplomata, um
telegramma de Berlim, datado do 8 de ou-
tubio, refere o seguinte :
a 0 conde de Arnim obteve hontem auto-
risagao para conversar con seu filhoe com
o seu encarregado de negocios em Berlim.
Do. larou nossa entrevista que nunca tinha
publ cad i nem queria publicar parte algu-
ma dos documentos que possuia e asseverou
que esses document >s nao cxotinham ne-
nbum segredo de estado.
Observou alem dtsso, que a ausencia
dos paptis em quostio nao tinham ate* ao
presente dado lugar d reclamagao a'guma,
apezar de jd ser notada no principio do
anno.
ILHA FLUCTUANTE.-Os jornaes ame-
ricanos fallam de uma ilha fluctuante, que
e neste momento a maravilha de Winchen-
don, estado de Massacbussetts. Na sua
origera, esta ilha pertencia a Winch ndon,
porem em maio ultimo, ao rebentar das ar-
vores, appeteceu Iheper-orrer mundo e ca-
minhou ato cerca de duas milhas para o
norte, voltando depois para to:nar a partir
de niVo.
Muitas pessoas teem percorrido a referida
ilha, cuja superfitio e coberta de moutas de
ominb-iros, contando-se tambem nella 400
arvores de altura de 5 a 25 pes.
AVENTURAS DE LM PRELAD0.Le se
na Italia :
Mg.-. Tbeodoli foi posto em liberdade
pelos malfoitores que o retinham prisionei
ro, mas a sua famiiia teve que pagar ant-s
U seu eriado, carta na qual .liaque parli-
c passe dsiia fa uila quo tinha cahido na
udo do bind .loir.s, que estes engiam 50
mil fr.neos pelo seu respite, que era pro
bjso arraujpJ-os immedrrMameute eleval-.is
a ilo sitio quo indicou.
Mgr. Toeololi acabtr* asm psdir qoe
nay revellasn a f n;a publiea o acamjaraen
to ds uialleitores, oo.n mod > de queeites,
veil Jo so s.irprendidos, o matassem.
0'cria.lo correo ao mosteiro, dirigio-
se a todos e c >p.s -jiam obter a somma de
3- a 4 i11 fraucosyuoio que se poz a cami-
nho, esperando ;-pie os bandoleiros se cou*
teulariaan com esto resgate. GlMpw d uorti
ao sitio do acanipaioeiito. Chovia a tor-
rentes.
Mr. X leodoli edava sentado ao pe de
ema anrere, poosando melancoheamente
no seu api*-nto do Vatieano e procurando
arraujar seo melhor que podia.
Quando os salteadore* viram que som-
m Hies levavaiuj jurantm que matariam
todos osca.ntrliigjs deS. Pedro antes do
que aceitar t.d imseris Trs mil firaocos
para cinco borueus esfotoeados t
t* Dalli d'peuee, o cna.lo recebeu ordem
deir buscar oresto da aomma. Mae era
noitej chovia cada vez nuis, e Mr. Tbeo-
doli ttritava debaixo da afvore.
O del Caleb- do camerlengo obteve li-
cence de ficar jweto de Tltiffi. e afcrm-lo
um desses guarda-chavas m jnstros, que sa-
uma espe lahdade do epbeopAdo, erguea-o
acima- da cab-ga defendend>M> assim-da
agua que tinha atravessado as folhas da ar-
vore e cabia sobre o prelado.
No dia seguinte, ao despontar do dia,
o tempo serenoir,.e os salleadues expedio-
do o crlado d busca do diooeiro, dora.-n se-
press-e
para outra mouunua. Atiaal, depus de
36 boras'de cap iveiro, Mr. Tbeodoli teve
a cousolagd-i de ver chegar o eriado.
Desta vez trazia 50 mil francos. Os
malfeiiores contaram a somma, rcpsrttra n'a, e, despediodo o prelado, ensinarem-
lhe o-caminlio, e p zeram-no em liberdade.
E agora a feegi publiea corre atraz dos-
bandoletros que certamente vao jd longe*
EXE .UCAO. Lu se em um jornal de Pa-
ris de 14 de outubro ;
Esta raanua teve lugar.na Roquette a
dupla execugao de M ireau e de Boudas.
c< 0 primeiro havii sido eoniemnado d
morte por ter envenenado sons duas es-
posassucces ivas ; o segundo, por assassi-
naio e roubo.
Moreau dormia socegadaraeDte na sua
celiola quando o director da Roquette, um
sacerdote, dous empregados da prisao e o
executor entraram. Desperiaram n'o e par-
tioiparam-lhe que a sua appellacdo nao ti-
nba sido aceiia.
0 condemnado r.-spondeu, sem se per-
torbar, que o-tava prompto e protestoo
pela sua inr.uceneia nos crimes que Ihe im-
putavam.
Tiraram-lbe a camisa de forces, a ca-
misa que pertencia d prisao e vestiram-lhe
a delle e as calgas. Agradeceu ao guarda
e abragou-o.
A toilette de Moreau foi feita atoda a
pressa em uma sala pioxima. Em seguida
foi atadoe conduzido para o lugar do sup-
pi icio, ra mi nil hi resolutamente sem pro-
forir pal.-'vra, escutaudo as exhortagoes do
ecclesiastico.
Cbogadojuato da macbina fatal, en-
tregou-se aos ajudantes do executor No
momeuto em que ia passar a cabega pelo
oculo; exclamou :senhores, morro in-
nocente I
A cabega eabia ds cinco horas e tres
quartos.
<. Emquanto se fazia. esta execugao, as
mesmas pessoas que acima menciouamos,
entraram na cellula de Boudas, separada da
de Moreau, por um tabique, Boudas nao
ouvio cousa alguma, posto nao estivesse a
dormir.
omprehendeu deque setratava, le-
vantou-se, sobreexcitado por movimentos
nervosos, declarou que- estava innocente
dizendo que torusva os seus juizes respon-
saveis pela sua morte e que a justiga com-
mettia um crime ao tirar-lhe a vida.
Perguntaram-lbe se tinha alguma re-
sol-igao a fazer ; respondeu que nao, e que
se entregava d justiga divina para punir os
que o haviam condemnado. Ao fazerera-
lhe a toilette, disse que era inutil amarral-o.
Acompanhado do sacerdote, poz se a
caminho com ar deliberado : nao cassava
de fall.ir e agitar a cabega, olhaodo para a
direita e para a esqnerda; continuando
sempre a declarer que estava innocente.
A serenidade abandonou-o na occasido
em que chegou perto do cadafalso : recuou
um passo, mas os ajudantes agarraram-
no e deitaram-no no algapio. Tentou re-
tirar a cabega do oculo, e dobron o corpo
tSo violentamonte de maneira que foi pre-
ciso segural-o vigorosamente.
Apezar da pressao, a cabega ficnu um
pouco sahida, por forma que o cutello fo-
rio-lhe o queixo, para o.que mais coucor-
reu o ter o rcoopescogo curto. Expiava
o sou crime ds seis horas om ponto.
Pouca gento assistio a tdo terrivel cs-
pectaculo.
de tripaa artiliciaes para cbojngo* **e heri-
Ibas, etc A Inglatorra aciud.nente cji
some, em grande escala, as tripes de pe-
oel para a lornecnnouto 4s trepes em
guorra com os Aslisntees. A s aniostrss de
tripa de papel existon no mtneu do coose-
Ibo K'f4 das aifon le^as.
Esp.-r.i-ie ag.>ra cousa mais ootavet ; sio
as tripos de p*id p-rvaminho continue. 4
nachrna quo as pro-luz, pnncip Oil a rH>;-
oioiwr na laonca .Vo Sr. Dietrich, em Jt-
leiro d--.ie mil'., a o trabilho aiuda nio-
Sm intorro-oiMlo. Tre* p para no s-ig- desta macbina, que proius
lianameuw d sis > ui(.> I aeotres 4i
trips- do-paftd. que o productor export*,
in se maxinaa parte, para a America i)
sul.
ODfOSA PR0FAX4CA0. -U-s o segme,.
te na correspinditnciu franco ttaliam :
Acaban de ser presos ua SiciIm,
na pequena cs lain da Bin.-^tl di-Goito, irs fra l-s eucarr^g-lis de guards'
do ce niterio, com rimpliuados aa nii* oli> -
s* da* proftoagdes.
f Esio sioi>u*o trio descia todas- a* oastte-
ds sepultoras, exuu'sava os ca-tevere*, f,
depois do ter dospoj* lo de quanto lev-
vam. transportava.n rs-.e- despoj-K na ca -
toes murtu.n.>s para um qa*rto dDvouvec-
to, ..nio os eaixoes si Iran^formavans ail
mesas, que eram veedtdas lepote. earn e
resto, por intermelio de egentes
liHs
EstR abomsmvel cot rcio
ei'k; desde muitos annos e dariria prort-
velmente ainda se u n carabmeiro, que aci -
bar* de per ler sua mniber e que a tiaea
moxiad > sepulta* con un vosudi >te seda
nao reconbecesBA esse meseso vasejd* a.-
guns dias depoi>, no corpo de uma rau!er
da locakdade, avarixuaudo qe elle procedia
dos frados em quwstae.
< Deu parte de saccedido e> delegado da
segurange public*^ qoe no dia t\ie outukr)
se dirigio ao conveerto com o de carabmeiros, onde. eotaaade n'umt ce
la, enoontrou oa-eaixdes aeeio destruidos-a
os adomos com que eram sepuhados os a-
daveres, isto e. ealcado, vastiJos, roupa
branca, etc.
Em oma outra-oeHa encentraram-et mm
tnnta pares da calcedo de tedas as dimes-
soes e uos 10 kilogcauatnas do cabello* d 3
mulher.
Sorprendidos d'este modo em flagraata
delicto, os trades nio- oasaram aegar o crime
e deixanua-se conduzk* an quarVl dos sara-
bioei'os no meio das mai li,J c das
gas do poao sublevado. a
SOCIEDADE PROM>TORA DA INDUS
TR'A NVCIONAT. DE TURIN.Forma sc
Organtsou, [oi:, uma eerie de fostas, ds tra vantagem, a docerta unifcrmidn In: re- 0? 50 mil francos exigidos pelo seu resga-'lenlamenUja bir>lioili--cn "p-oinl ; '-
AS IMPRESSOE* DO SCHAH DA
Si A.O sohab da Persia, deputs de Ur et-
trado nos seus estados, mmBaaaj pubiiatr
uma na-ragao das:e*pres-6es qae Ihedeiu-
ra a sua viagem a Iuglatoera e ao oooti-
nento.
Uaa-t dba da Londres exirabe algamj
trechos. entre os quaes. os SHgarates:
Ficou. oxtro.namente admirado de ee:
o filho do duque de Soutkerlaad a j
holla em nvuigas le camisa.
A bclleza daa da mas ieglezas atereet-
ram toda a sua approvagao.
c Jidga dignos de sua raengao opecM.
os exerctcios gymoaslicos dos japoeeaas a
palacio de Crystal.
a Porem as figures de cera do gnbioet;
Tassaud. pa roc ram-lbe a cousa maisadmi-
ravel de todas.
a. Nao podia, asseverar se eram vivas o l
ndo.
Em suinma o s. Lab diwertio-se muit>
em Inglaterra. S. M. usa de vez em quao
do, no seu livro, do ^alanleios.
a Vis .Undo os quadros de Albert Hall,
vio a pintuca de um macaco e petguotoa )
preco.
O d rector da exposigao um velho do
barbas brancas, espirito maligao, m..strou
Ihe no catalego o prego de luO librae stei -
linas.
Mas, disse o schah, un. macaco viv i
nao custa mais de 5.11bras, porqua pedeai
entao um prego tao elevado pelo relselii d.
um macaco fa Porque, ruspjodee di-
rector, ndo custa nada a sustentar. Jtt.
come nera covada nem palha. a c Mae ea-
tao, replicou aschah, se udo cutta node a
sustentar, udo pode tambem conduzir ae-
nhum peso nem fazer cousa a guma. > Est i
pequeno incidente diz-se que e in rk
0 USO DAS 1'LI.SEIRAS.Le-m se-
guinte na France :
Muitas pessoas se teem adoairado d<
ver em um dos pulsos do gran duqw
Constantino, actualmente entre ods, uma
pulseira de cabello, que elle nunca deixa
Esses cabellos sAo da gran duqueaa A la vao
dra, sua esposa, e so este motivo basterii
para juslificar a originalidade do gr.n-du-
que, se isso fosse da sua parte uma origi
nalidade.
0 factode os homens usarem de pal -
seira e um costume muito espalhado oa Ras
sia e liga-se d elle quasi sempre elf a
lembranga de afieigdo, alguma doce super*
tigaj. Alguns homens, tees como o graa -
duque Wladimir e o gran deque NkjMo,
trazem ate tres aneis nos bragus, to graa
de numero destes braceletes sao ornados dt
turquezas, pedra, que, segundo se diz, torn
o condao de fclicidade.
c Da Russia, a moda dos homens usa-
rem de pulseiras. pass >u para a Inglaterra,
onde os principes di famiiia real teem side
us primeiros a adopta-la ; depots foi irapec
tada part Paris por algumas indtvidu Uda-
des nslrangoiras, pnucipalmeote pe o duqec
do Ham.lion e seu iraiSo, e adquirio eotrt
os horaous da alia scciedadc adbereutaf,
que augme.itiiu de dia para dia,

I 4X.i
BaaamHammBmi