Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18605

Full Text
BlasSBBBSBMaMBBaBHBaBaaaji
AftlftiO L. KIHERO 254


EV
V
\
\
P4* A CAPITAL B LUGABBS 0\I>K UiO SB P4G1 PORTE.
*or trot metes udiaotados............... 6*0*0
Porwsdilo* ideas.................. 12*000
Par am MM idem.................. 24*000
Cads aimero avulso................. 320
SEXTA FEIRA 6 DE NOVEMBRO DE 1874
PABA DavVlBO K FOB A D4 PUOYI*CIA
Por tres meaes adisnudos.............. f*7M
Por aeis ditos idem................ ttMoO
Por noTe ditos idem...... .......... *0*M0
Por am anno idem................. tT90to
UVAMBUGO.
PRGPRIEDADE DE MANOEL FICUEIROA DE FARIA ft FILHOS.
4 fierareo Antonin Aires 4 PUboe, no Par*; GonaJts d Pinto, no Maranhio; Joaqoim Jose de Oltaura d FOho, no CearA; Antonio de Lemua iraga, no Aracatj j Joio lUha Julio Chr as, no Amu ; Antonio Marques da Silt., Ratal; Jos* J
Pereira d'Almeida, am Mamangaape ; Carlos Auxenck) Monteiro da Franca, aa Parahyba ; Antonio Jose" Gomea. daklltla da Penha; Be'armino dot Santos Bnlcio. em Santo Ant* ; Domingos Josd da Costa Braga. m laxaratn t
* Antonio Ferreira de Aguiar.em Gojanna: Jolo Antonio Macbam, noPilar datvAlagdw i khn d C.na Bahia A. Xavier Leite 4 C. o Rio Janeiro'
?ART OmCIAL
Govern it cltt provincia
SXPBDIENTC DO DIA J DE JVLHO DE 187i.
/.* secciio.
Aeto :
0 president* da provincia, aUeadeodo ao quo
jquereu Aulouii> Eiu, resolve conced*r-ltie Ii-
:i);.i pri acoinpauhar at:- o presidio de Fernan-
do de Norouna, a > primeiro vapor que para alii
-eguir, os geueros consumes da relacao annexa
. poriaria desta pra?idencia, de 26 de junho pro-
ximo dado.
Offlcios :
Ao capita-) do porto.Tendo desigoado o Dr.
jaiz de direito da. 2 vara eo commandante da
corvela Recife para fazereiri pane do conselho
ue tein de exaimuar as couus da raceiia e d s
peza 4 i 010*6 das multaa dessa capilauia, assim
0 cominuuico a V. S. etu ropo-ta ao seu olBcio
de boutera daUdo, sob a. 5:1, prevenindo o de que
Sea inarcado o dia 6 do correate, as 11 horas da
snanha, para a r-euaiao do dito conselho.
Ao couirnaulante da corveta Recife. Teado
desigoado Vine, para fazer parte do couselbo de
que traia o art. i* do decreto c. 338, de t4 d-
agoslo de I8i5, e que na forma do art. 113 do
! -guUineniu aunexo ao decreto a 447, de Id de
..'.aio da iSiti, (em de exaimaar as coutas da re-
oeita despeza -locifre das multas da capitaoia
io porto ; as.-iin o declaro a Vmc. afim de que
eoiapareea na mesma capitania as II boras da
:aanba do dia 6 do correate, em que deve ter lu-
gar a reuaiao do dito couselho.
Ao causal de S. Magesude Fide Usima.
Cora incluu oflkio. par copia, do 1* suppiente
Jo juiz muuicipal e le orphaos do termo de He
/srros, satisfaeo o que solicitou o Sr. consul de S.
ttagestade Ftdelissim em oCQcio de 13 de junbo
tlndo. Reaovo ao metmo Sr. cousul os protestor
3* stcc&o.
Aotos :
O preiduto da provio ia, de cooformidade
rn o art 19 do reguUmeoto da guarda local de
Pernaaobucu, resolve nomear para servir o cargo
vie targento da inesnaa guarua, uo uiuoicipio de
iioiaoua, oex-sargento do corpo de poiicia Si I -
erio Pweira dos Anj'>-, veacaodc a diaria que
the eompetir.
0 presiaente da provin :ia, a vista da proposta
Uo Dr. cbefe de poiicia em officlo a. 783, de boo-
tern dalado, resolve exonerar, a pedido, dos car-
?:>s de t* sappleate do delegalo do termo do
Cabo e de subdeleg&do do Is A\-i-.a, do mesrao
termo o cldadao 3ernardo Fere-ira de .Barros
<'.ampello.
O presidcate da proviaeia, de cooformidade
-jui a proposU do Dr. cnefe de pclicia em offl-
.io de buDtem datado, resolve nou.ear para o car-
;o de subdelegado do t* di:trictc do termo do
^aboo respecUvo i* sappleate Jose Paulo do Kego
;;arreto Filho.
Offlcios:
Ao Exm. desembargidor procurador da co-
i->a e soberania national. Digna-se V. Exc. de
amitlir seu pare:er sobre a conmita que oo ia
t'luso officio era original e teita pelo juiz de di-
liitoda Ctimaica d-e. Villa-Bella ; devolveudo me
' pportanameute o inesmo officio.
Ao mesmo. Digne se V. Exc de emittir seu
>-arecer sobre a causulla que no mcluso officio em
i.rigioal e feita pelo tabelliio do pubhco judicial
. n>las do termo do Bom Coosetbo; devolveado-
vpportuoamente q. mesmo officio e documentos que
:.":ompaaria
__ Ao Dr. ohefo de poiicia. -lateirado do con-
teudo do officio de V. S., n. 77?, de boatem da
udo, recommenJo Iha a expe&i^j das conveoieu-
irf ordeas nosealidj de serein capturados os en-
inmosos de qua trata o mosmo officio,
Ao juiz do direito da 2 fa/a. -Tend) desig-
tado V. S. para fazer parts do cunselho de que
cata o* art. V d> decreto n. 3o8, de 11 de agosto
;o i8iii, e quo trn dd exainioar, nos terraos do
.rt. 113 do rcgulamento anoexo a) decreto n.
'.17, de 19 do maio $>i 1816, r.s conta; da receila
- despeza do cofre das muiias da capitania do
.orto, assim o commuoico a V. S. para seu co-
Lhecimeoto e afim de que compare'.-a no edilicio
t,a raesma capitaoia, as II bora? da manha do dia
G do corrente, em quo deve ter 'ugar a rouaiao
do dito couselao.
Ao commaudanto superior da guarda nacio-
ual do C*ruaru.Expega V. S. suas ordens no
^.ntido de serem substituidas por outras as 5
1 racas e am inferior destacudjs na villa de Pa
QeUas.
Ao commandante supericr da guarda nacio
uai do municipio de Garanhuns. Constando de
communicacao do delegalo desse termo que V. S.
se recu3ara a por seu visto nas lo'.has de paga-
r.ienlo do prel do dastacamento dessa villa, por ter
r.do redozidi a 1Q pracas somenle em 31 de inarco
i-roximo passalo, e nao em 20 do referido me*.
;?nho a dizer-lhe quo, atteodeodo ao quo ex oz o
iae3ino de egaJo, ordeoei em tide maio ultimo a
tbesouraria de fazenda que pagasse o pret de 20
i racas ate o mencionado dia 31 de marco.
Ao proniu^jr publico da capital- -Inlei
i ado do conleudo do offldn de Vmc de 19 de ju
nho proximo findo, recommetidc !he que prosiga
bos terraos da deouncia contra o conego Fran-
cisco RocbaeS deBrlto Medeira, dandj ine sci-
-ricia do resultado.
Ao juiz municipal do termo do Cabo.-Res-
l.oudeado ao officio de Vmc, de 22 de junho pro-
ximo Gndo, tenbo a dizer-lr.e que, em face da
doutrina do aviso n. 130, de30 de setembro de
1317, ba manifests corapatibilidade no exercicio
iimultaneo do cargo de escrivao da collectoria
|.rovincial e do officio de solici'.adcr'dos auditorios ;
:ando assim r spondida a ccnsulta por Vmc.
feita naquelie officio.
Ao commandante do corpc de poiicia.Afim
de que tenba prompta execuc*3o a senten;a profe-
^da contra o soldado da &' corapanhia deste Cjrpo
Hanuel Joaquim dos Santos, factriso remetto a V.
S. o respecUvo proctsso.
Ao subdelegado do 1* dislricto de Alagoa Sec-
ca. Remetto a Vmc. algun3 tubos com lyinpha
aciinica e um exemplar irapres3o de instruccOes
(ara inn ealajSo desse preservativo. Nesta data
recoumendo ao inspector da tbesouraria de fazen-
da que mande enlregar-lbe a qi.aotia do 100,6000
j.ara Vra:., de acordo com o capellio e o professor
rrimario dessa localidade, distrtbuir pelosindigen
let atacados daquella molestia. Tenho assim res-
pondido o seu officio de 30 df;mho proximo pas-
ado.
N 3.' tt<% '
\ctos :
0 pre3:dentc da proviccia. dj confermidado
am o ar'.. do regulamento de 30 de abril do
anno passado, resolve crea; uma collectoria pro-
vincial no municipic de Tacarald.
0 presidente da provincia, attendendo ao ex-
ptsto no officio do inspector da thesouraria de fa-
zenda, datado de hootem, sob n 896, serie G. re-
ive abrir, sob espomablilidade da mesma presi-
ilencia e nos termos do g i2 do art. I* do decreto de
7 de maio tie 1912, o credito de 34:0615330 a verba
exercitodo exercicio de 1873 1874, para oc-
correr ao pagamento do soldo da tropa estacionada
nesta provincia, relali.o ao mez dejnnho ultimo,
na cooformidade da demonstracio da contadoria
daquelie rtparticao, anneza ao citado officio.
yfficio' :
yr '-- ::;"; I ttJ
Em resposta ao seu officio de hontem datado, sob publicas.De ordem de S. Exc. o Sr. presidents
n. 896, serie G, remetto a V. S. a ioclu.-a copia da
portaria de abertura de credito
Ao mesmo.Transmitto a V. S. para os de-
vidos lias a wclnsa ordem do mintaterio da guer-
ra, datada de it de junho proximo fladu.
ao mesmo. Queira. V. S. r.-metier com a
brevidade possivel ao subdelegado do 1 districto
de Alagoa Secca, Jo .o Joaquim de Mello, a quan-
lia de HliaOOO, para aqueita autoridada d* acurilo sidetUa da pruviacia mauia
capellao e o professor pnmano do Ingar
com o capellao e o professor pnmano
distrtbuir pelos indigentes atacados da variola, que
alii rrassa cum mtensidade ; devendo a refarida
despeza ser feita sot) a responsabilidade desta pre -
sidencia, caso nao aaja credito para ella
Ao mesmo.Mande V. S. adiantar ao 2' te-
neote da armada nacioual imperial, Leopoldo Ban
deira de Gouv^a, a importaucia correspondent a
3 tres inezes do soldo e a factara de uniforines, na
conformidade do expediente do ministerio da ma-
rinha, de 28 de maio ultimo, e da informacao de V.
S, datada de 30 de jnoho proximo pasgado, sob n.
886, ?erie G.
- Ao mesmo.-Tomando em coosideracao o ex-
posto no oillcio de V. S. datado de ooDtem, sob n.
897, serie G, autoriso o a fazer vigorar no e> trci-
cio de 1871 1*75, sob resp nsabiiidalc desta pre
sidencia e nos lermos da orden o tbesouro, n.
543 de 18 de novembro de 1862, o credito dislri-
buido para o exercicio de 18731871 pela ordem
n. 6 de 12 da Janeiro proximo findo, em qnanto o
tbesoaro aacionai nao resolver sobre o assutnpto.
Ao mesmo. -Para os lins convenientes com-
iiiunico a V. S. que em II de junho proximo pas-
sado assnmio o exercicio das funccoes de promo
tor publico da comarca de Cabrobo o bacharel Ar
gemiro alartiaiano da Cunha GalvSo, para alii re-
movido por portaria de 11 de maio ultimo, coufor
me participou em officio da mesma data.
Ao mesmo.-Para os Gns convenient^ com-
munico a V. S. que em 14 de junho proiimo fios
do assumio o exercicio do cargo de promoter pu
bli-o da comarca de Ouricury o bacharel Jose
Leandro Daotas Serra, removido da do Cabrobo
por portaria de 18 de maio ultima, segnndo parti-
cipou o respecUvo juiz de direito am officio de 15
daqueile mez.
Ao mesmo. -Para os fins convenieutes com-
munico a V. S. que em 30 de junho proximo pas-
sado foram pelo conselheiro presidente da relac,ao
coneedidas ao bacbarel Austerliano Correa de Cras-
tro, juiz municipal e de orphaos do termo de Bom
Jardim, 3u dias de licenga com ordenado na forma
da lei, para tratar de $oa sande.
Ao in-pec:or do tbesouro provincial. Man-
de Vmc. pagar, na conformidade dos incluos
atlestados, ao coadiutor da freguezia de Nossa Se
nhora da Paz dos Afogados, padre Manoel da Silva
Cid, os vencimentos de sua congrua corresponden
te ao mez de junho.ultimo.
Ao mesmo.Mande Vmc. entregar ao thesou-
reiro da reparticao das obras pubdeas a quantia
de 8:100*000, c mstante do incluso pedido em do
plicata do respectivo engenheiro em chefe, para oc-
correr as despezas com as obras a cargo da mea-
cioaada reparticao.
-^AO Inesmo. -A' vista do certificado que re-
metto, mande Vmc. pagar ao ctntractante da es-
trada de Goianna a Pedras de Fogo, Manoel Fran-
cisco de Souza Leao, a importaucia reiativa a o*
prestacao do 5 lanco da mesma estrada.
Ao mesmo. Em resposta ao seu officio da-
tado de 16 de junho ultimo, sob n. 260, cabe-mo
declarar a Vmc. que appro^o a resolncao tomada
em junho, dessa reparticao, referente a jubilacao
do profe-sor de sciencias naturaes Felippe Mena
Callado da Fonceca, p?r ter sido a interpretaijao
dada a lei n. 369 a uni?a legitima e verdadeira.
4.* seccao.
Officio :
Ao Dr. inspector da saule pubhea.Remet-
ta V. S. com urgencia asecretaria desta presiden-
cia, com din-era i ao delegado de poiicia do termo
de Agua Preta, uma cartel ra de medicamentos
homeopathicos apropriados ao tralamento da va-
riola.
5." seccao.
Officio :
Ao Hvd. frei Fidelis Maria de Fognauo.
Em resposta ao officio de V, llvma., de 23 do mez
proxirco passado, relativamente a pessoa que deve
lavrar os termos de afora^ento dos terrenes nessa
colonia, tenho a declarar-lhe que em quanto nao
for nuiueado o respectvo secretario. o que deve
ter lagar logo que se ioaugure a c donia, V. Rvma.
podera se encarregar desse servico.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
1.' secciio.
Officios:
Ao Exra. brigadeiro commandante das ar-
mas. S. Exc. o Sr. presidente da proviaeia maada
declarar a v. Exc, para os |fins convenientes, qua
por despacho desta data foi con;edido ao recruta
Manoel Antonio de Lima o prazo de 12 dias para
provar iseocao legal.
Ao mesmo. -S. Exc. o Sr. presidente da pro
vincia manda declarar a V. Exc, em rosposta ao
seu officio de 15 de junho ultimo, sob n. 381
qae nesta data se mandou solicitar do ministerio
da guerra o necessano credito oara occoner ao
pagamento da gratfficacao e etapa vencidas pel
alferes Jose Elisiario dos Santos, ui qualilade de
vogal do conselho de guerra ; na conformidade
das informafoes da thesouraria de fazenla a res-
peito.
2.J seccao.
Officios :
Ao Dr. chefe de poiicia.0 Exm. Sr. presi-
dente da proviaeia nund.i declarar a V. S, em
resposta a seu officio n. 751, de 22 de janho ulti-
mo, qae nesta data se communica ao commandante
superior daqueile municipio que a thesouraria de
azenda tern ordem para pagar o pret de 20 pra-
cas do destacamento da villa de Garanhuns ate 31
de marco proximo passado.
Ao mesmo.De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, incluso remello a V. S. u ti-
ulo de uoineacao do subdelegado d3 poiicia do 1
districto do termo do Cabo, de conformidade c >m
o officio de V. S, n. 783, de hontem datado.
Ao juiz de direito da comarca de Baique.
0 Exm. Sr. presidente da provincia mania acensar
o recebimeoto do officio de V. S., de 18 de junho
ultimo, cummunicand haver no dia antecedent
encerrado a 2* se3sio do jury desse termo.
Ao juiz de direito da comarca de Ouricury.
0 Exm. Sr. president da provincia manda accu-
sar o recebimento do officio de V. S., de 15 de ju-
nho ultimo, commumcanlo haver aj dia antece-
dente assumido o exercicio do cargo de proraotor
publico dessa comarca o bacharel Jose Leandro
Dauta? Serra.
Ai promoter public) da cprcarca dc Cabro-
bo.0 Exm. Sr. presidente da provineia mania
accusar o recebimento d) officio dc V S, doll
de junbo proximo tindo, commuaicaodo haver na
mesma data ansumiJo o exercicio da? funccoes
de seu cargo.
3." seccao.
Offiico :
Ao inspector do thesouro provincial.De or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia, commu-
uico a V. S. para os fins convenientes que por
portaria desta data se ordenou aos comrnissarios
de poiicia alistassem sdmente metade da forca
deslgnnda para o respneti -o municipio, ficando a
outra metade dependente de autoriacao da pre-
sidencia.
6.' UC{
Officios
da provincia cominunieo a V. S., em re.-pj.ita ao
seu officio de bout em datado. sob n. 193, que fo-
ram da-las os convenientes ordeas a thesouraria
provincial no seutido de ser entregue ao tliesou -
rriro dessa reparticao a quanlia eonstante do pe-
dido ,ue acompanlioo o ciuJo officio.
Ao cu^euhoiro fiscal da companlila da trilhos
urbanos do Recife ao I'axanga. -S. Exc. o Sr. pre
oeclarat a V. S. qae
nesta data expedio ordem au thesouro provincial
para ininnar a aduiimslracao dessa estrada de fer-
ro, aGm dd enlrar para os cofras uroviniciaes com
a quantia de 50i, em que foi muluda ; coaforme
o officio de V S., de hontem. sob a. 13V.
EXPEDIENTS Do DIA 3 DE Jl'l.llo DE 1874.
1.' seccao.
Officio :
Ao engenheiro das obras militares. Apre
sente-me Vmc com brevidade o orcameoto da
despeza que se tera de fazer com a cullocacao de
uma penna d'agua potavel no quartet das Cineo
Poutas, oode se actia alojado o 2* bat.ihao de in
fantana ; cooforme sulicita o brigadeiro cucmnan-
dante das annas no otficto jnuto ; que me dsvul-
vera.
2.' secgao.
Ados :
0 presidente da proviucia, de copformiuade
com o art. 22 da lei n 261, da 3 de dezembro de
1811, resolve nomear o oacli rel Jose Vicente Mei-
ra de V sconcellos prmnotor publico da comarca
de liambe a fiscal da respeetiva coUeclona.
Igual a thesouraria de fateu ia.
0 presidente da provincia autorisado pela lei
n. 1.130, do 30 de abril do corrente anno, resolve
nomear commissario de poiicia da treiruezia de
Taquaretinga a Thjum Moreira de Carvalao.
0 presidente da provincia, em execuoao da
lei n. 1.130, de 3 la abril do eorreute auao, re-
solve crear nina guarda locil de 13 pracas, inclu-
sive o comin isano e o sargeoio, na parocbia 6e
Tajuaretinga ; devendo, porem, aJtstar-ae.somente
metade desse numero e licando a outra metade de-
pendente de nova autorisacao.
Officios :
Ao juiz de direito de Villa-Bella.Em res-
posta ao sea officio, datado de 20 do corrente, ea-
be-me declarar a V. S. que approvo o euntracto
feito com Joao Nepomnceno Nogueira de Barros,
para o furnecimento da alimentacao dos presos po-
bres reeolhidos oa eadeia dessa villa, nos termos
do art i das instruc^oes desta sresideneia, de 13
de setembro do anno proximo passado.
Ao commandante superior dos munieipios de
Bonito e Beaerros. Devolvo a V. S. o incluso pret
que acompanhoa o seu officio datado de 29 de ju-
nho uitimo, para que, discriminando a despeza
feita com a remessa dos recrut is da que perteoce
a conduecao de presos do jastica; possa eats pre
sidencia autori-ar pelas duas thesourarias o paga-
mento respectivo.
8.' seccao.
Aitos :
0 presidente da provincia re-olve nomear e
prnmotor punlico da comarca de Itambe, bacna-
rel Jose Vieoota Mnira Vjimb-p!!.ii, Baeal da
collectoria provincial do respectivo municipio, li
cando sem effoito a nomeacao para igual cargo do
bacharel Manoel Barala de Oliveira Meilo.
0 oresidenlo da proviucia, alt>-ndendo ao
que requereu Bernardino de Senna Muniz, nomea-
do para o lugar de collector provincial do munici
pio de Jaboatao, resolve conceder Ihe o prazo de
90 dias para prestar a tianra a que e obrigaJo :
podendo desde ja eutrar em exercicio do referido
lugar.
0 presidente da provincia, attendendo ao quo
requereu o 2' escripturario do consulado provin-
cial Abdias Bibiano da Cunha Sale resolve pro-
rogar p r quatro mezes sua licenca, sendo dous
com todos os vencimentos, e dous com o desconto
da 8" parte, n s termus do art. 76 do regulamenio
de 6 de abril ultimo.
0 presidr-ute da provincia, tomando em con-
sideracao a informacao da thesouraria de fazenda
datada da hontem, sob n. 920, serie G. resolve
abrir sob rasp ju.->bilidade da mesma pretidencia e
nostormo3 do decreto de 1 de fevereiro de 1862 o
credito de 1:6914366 rs. eonstante da demonsira
cao da contadoria, annexa ao citado officio para fa-
zer face ao deficit havido ua ruurica -Cominiasots
militaresdo ministerio da guerra, uo exercicio de
1873 a 1871.
Officios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda. -
Remetto a V. S. para os fins convenientes a inclu
-a portaria de aoertura de credito; com o que res
pondo a sua informacao datada de hontem, sob n.
920, serie G.
Ao mesmo.Respondendo ao seu officio da-
lado de 1 do corrente, sob n. 909, serie G, autori
so a junta dessa tlies jurana a aoceitar a proposta
feita por Jo-e dos Santos Nunes de Oliveira para
arrendamento da cas.i terrea, proprio nacional, sita
em Oliuda, onde outr'ora fo casa da guarda, nos
termos e pelas condicoes mencionadas em o citado
officio, feita a exigencia de U in;a idonea.
Ao mesrao. -Remetto a V. S. a ioclusa conta
cm duplicata, para que mande pagar aos empre-
zarios da illuminariio publica a quantia de 4534,
proveniente do gu cjii-umido no hospital militar
nos mezes de abril, maio e 'j'l'io u'lim h
Ao mesraoPara ui.... -.veiuentcs com-
raunio a V. S. que o tribunal da relacao, em tessao
de 23 de juniio ultimo, annullou o processo da res-
ponsabilidade m-iaurado contra o juiz municipal
e de orphaos do termo de Bom Jardim, bacharel
Austerliano Correia de Crasto, conformc partici
pou o respectivo presidente em officio de 30 do
referido mez.
Ao mesmo.Para os fins convenientes com-
munico- a V. S. que por potttria desta data foi no -
meado promotor publico da comarca de Itarabo o
bacharel Jose Vicente Meira Vasconcellos.
Ao mesmo.Para os fias convenientes com-
munico a V. S. qae em 8 de junho ultimo entrou
no exercicio do cargo de promotor publico interino
da comarca de Boa-Vista Mm*! Antonio de Ara
gao, cooforme participou o respectivo juiz de di
relto em 9 do referido mez.
Ao mesmo.Para os fins convenientes com-
munico a V. S. que era 15 de junho ultimo assu-
mio o exercicio do cargo de promotor publico da
comarca de Boa-Vista, o bacharel Join Baptisla Gi-
tirana Costa, conforme participou em officio da
mesma data.
Ao mesmo.-Transmitto a V. S. para os de
vidos fins a inclusa copia do officio do engenheiro
das obras militares, datado de 1 do corrente, sob n.
107, em que m communica haver designado no
isthmo de Olinda o local onde deve ser construido
o novo laboratorio pyrolechnvn.
A i mesmo. -Traasmiltindo a V". S. p;ra sj;.: o
nhocimento copia do officio em quo o brigadeiro
commandante das armas declara os motivos pelos
quaes deixararn do ser exatrrinadis pela comrais
sao noraeada para es>e fim 03 medicamentos d s
linados a enferraana do presilio uj F-rntndo d.
Noronha recommendo a V. S. que a bem da regu-
laridade do servico, requisite com a nseessaria an-
lecedencia a nomeacao da refenda eommissao,
sempre que for preciso, afim de se p po providenciar a respeito.
Ao inspector do tbesouro provincial.Remet-
to a Vmc. para os fim c-nveniectas. copia do con
tracto feito pelo juiz de direito de Villa Bella com
Joao Nepomuceno Nogaeira de Barros, para o fu
necimento de alimentacao dos presos pobres reco-
Ihidns na cadela da raencionada villa.
cb3f !..,....., bras' Ao mejmo.-Tendc-so Yacctdo no dia i do
eorrente o tempo da 2' prestacao do contraeto para
os reparos da estrada de Murioeca, e acnando-se
eKa eon-ervada, conforme o certificado incluso do
engeoheiro das obras pnblicas, raaade Vmc pagar
aoteaeate-cortnal Jme Tuoraa* Pires Machado
Portella a inportaneia da alludiJa preslajao, de-
dniindo-s a parte por elle offarecida para a eJi
ticacao do asylo de alienados.
Ao rassmo. Maude Viuc. pagar ao Dr. Ma -
eel F gueirda d* Faria, contractante das publi-
eardes e impressSes da secretaria do governo, a
imiiortancia de 6:0004, de acordo com a 9> clau-
sute do respectivo contraeto.
- Ao mes no.Na conformidade da 10'clausula
do euntracto das impressoas e publicacoes das re-
pfticfles provinciaes, raenos asecretaria do go-
verno. mande Vmc. pagar ao Dr. Manoel Figuei-
roa de Farja a quantia de 4:2504, metade da iib-
portancia do prefo no corrente exercicio.
Ao mesmo.-Tend > em vista a condieao 7*
do contraeto da pnblieacio dos deftates e iihpres-
sdes dos annaes da asserablea legislative provin-
cial, mande Vmc. pagar a Manoel de Fignei-
roa Foria k Filbos a quantia a quo tiverem di-
reito.
Ao mesmo. -Tenio Jos6 Mathias da Fonce-
ca, arremataate dos reparos da ponte de Goyanna,
coocluido ,i ..lira comractada, como prova o certi
Ik-ado incluso, mande' Vmc. pagar-lbea quantia de
1:2754846 rs.^ qne tem direito.
Ao mesmo. -Era resposta ao officio de Vmc,
datado de hontem, sob n. 271, marco o prazo de 30
dias, denlro do qual devem prestar a fianca a que
raoobrijrados os agentas arrecadadores dos irapos-
tos sobre consumo.
4.' seccao.
Actos:
0 presidente da provincia resolve nomear o
bacharel Antomo Herculano de Souza Bandeira
para exercer o lugar de bibliothecario provin
cial.
0 presidonte da provincia resolve nomear
para o lugar de porteiro da bibliolheca provincial,
creado pelo respectivo regulamenio desta data, o
major honorario do exercito Franciico Antonio de
Sa Barreto.
0 presidente da provincia resolve nomear o
cidada i Mariano de Figueirda Faria para o lugar
de coadjuvan e da bibliolheca provincial.
Officio:
Ao director da escola normal.Para resol-
ver sobre o officio de Vmc, de 2 do corrente, faz-
se preciso que remetta uma relacao dos livros
a que se refere, declarando o preco por que podem
ser coraprados. :
Portaria :
A' camara municipal da villa de Joboatao.
Respondendo ao officio da caraara municipal da villa
de Jaboitlo, de 22 de junbo proximo passado, te-
nho a d zer que flea u engenheiro chefe das obras
pnblicas autoris>do a providenciar no sentido
soucitado, caso nao haja prejuizo para o ser-
vico do districto a quo se refere a mesma ca-
mara.
5.* seccao.
Officio :
*> Ao eneealieiro chefe da re|*ariicao das obras
pnblicas. Haja Vine ae provideutfiar oo seutiJo
do officio junto por copia, da camara municipal
de Janoatao, de 22 do junho proximo passa-
do, caso o que ella solicita nao prejudice
o servico regular do districto a que se re-
fere.
EXPEDIENTS DO SECilETAI'.lO.
I," seo-uo.
Officios :
An Exm. conselheiro presidente da rela-
cao do Recife. 0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia mauda accasar o recebimento do officio de
V. Exc, de 30 de junho ultimo, commonicaodo
haver esse tribunal era sessio de 23 dj mencio
nado muz annuilado o processo de responsabili-
dado instaurauo coulra o |Uiz municipal e de or-
phaos do Bora Jardim, bacharel Au.-terliano Cor-
reia de Craslro.
Ao Ur. chefe de poli :i.i. Da ordem de S.
Exc. o Sr. pra-iduole da proviocia'-reinetto a V. S.,
afim de ser eHire^ue ao delegado de Agua-Prela,
uma carteira de medicamentos homeopathicos ap-
propriados ao tralamento da variula, conforme
solid ou V. S. em tffino n. 778 do 1 do corrente.
Ao mesrao. O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia m.rada solicitar uma copia authenlica do
officio quo em 26 de maio ultimo dirigio a V. S. o
delegado de poiicia do termo de Boa-Vista, e que
acoiupanbou o officio de V. S., n. 727, de US de
juuho proximo findo.
Aojuiz de direito de 1* vara desta cidade.De
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia
ioclusa remetto a V. S. a guia da seotenciada Ca-
nuta, cscrava do Antonio Leopoldino Uodrigues
Coelho.
Aojuiz do direito da comarca da Boa-Vista.
- 0 Exm. Sr. presidente da provincia manda
accusar o recebimento do officio de V. S, de 15 do
correate, commumcando haver na mesma data
assumido o exercicio das itinc.-oes de seu cargo
o promotor publico dessa comarca, tacbarel Joao
Baptista Gitirana Costa.
Ao mesmo. 0 Exra. Sr. presidente da pro-
vincia manda accusar o recebimento do officio de
V. &., de 9 de junho ultimo, commumcando haver
no dia amecedeuteentrado no exercicio de promo
tor publico inlerino d'essa comarca Manoet Anto^
nio de Aragao.
Ao promotor publico da coma ca da Boa-
Vista. 0 Exra. Sr. presidente da p. jvincia man-
da accusar o recebimento do offi ; ..de V. S., de
15 de junho ultimo, commumcando haver na
mesmi data assumido o exercicio das fuuecocs de
sen cargo.
3.* seccao.
Officios:
Ao inspector do tbesouro provincial. S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda com-
municar a V. S. que por poitaria d'esta data resol-
veu conceder a Bernardino de Senna Muniz, no-
meado para o lugar de collector provincial do
laboata., o prazo de 90 dias para prestar a fianga
municipio de a que e obrigado ; podendo desde ja
enlrar em exercicio do referido lugar.
Ao mesmo. S. Exc. o Sr. presidente da pro
vincia manda comm.nicar a V. S. para os devidos
fins que por portaria d'esta data resolveu nomear
o promotor p .blico da comarca de Itambe, bacha-
rel Jos6 Vieente Meira Vasconcellos, fiscal da
collectoria provincial do respective municipio, fi
caudo sem effeito a nomeacao para igual cargo do
bacharel Manoel ttarata de Oliveira e Melio.
- Ao mesrao. De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, communico a V. S. para os
fios convenientes, que por portaria d'esta data foi
creada uma guarda local de 15 pracas, inclntive o
cojQtbandanfe e o sargento, na parochiade Taqua
retiaga; devendo, porom, somente alislarse metade
das me^mas pracas, e nomeado cjmmi:sario de
poiicia Thoraaz Moreira de Carvalho.
- Ao mesmo. De crdem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, communico a V. S. para os
nos convenientes que por portaria d'es.te data fo-
ram creadas guardas locaes nos seguintes muni
cipio-, teado cada um o numero de pracas a mar-
gem declarado, iaclusivo o commandante e sar-
gento, devendo, por6m, auslarse somente meta-ie
do numero de pracas designadas; Qcando a outra
rr.cnno dependente dc nova autcri3acao.
Olinda 20
B -in Jardim 20
It4n.u6 35
I'.io Form o e Una 25
Ipojuca
Palmar es
Bonito
20
25
2S
190
OESPACHOS DA PSESIDENCIA, DO DU 4 DE NOVEMBRO
DE 1871
Capitao Antonio dos Santos Pontual. informe
o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Antonio Jos6 Alvares. Informs o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Aniooio Pinto Lapa. Inforne o Sr. inspector
do thesouro provincial.
Antonio da Cuaha So a res Gaimaraes. Infor-
me o Sr. geoerai commandante das armas.
AnUnio da C-mha Ferreira Baltar. Informe
o Sr inspector da thesouraria de fazenda.
Abdias Bibiano da Cunha Sales. Passe porta-
ria concedendo a licenca pedida, sem vencimen-
tos.
Carlos Caraillo Carlini. Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
Candida Lueia do Cezar Baptista. Informe o
Sr. inspector do arsenal de marinha
Duarte Borges da Silva. Informe o Sr. enge-
nheiro chefe la reparticao das obras publicas.
J se Fraucisco do Bego Cavalcante. Informe
o Sr. director do arsenal de guerra,
Joao Chrysostomo de Aqoino e Silva. Deferido
coin olBcio desta data, dingido a thesouraria de
fazeuda.
Lourengo Marques Pereira dos Santos. Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Manoel Fonceca de Medeiros. Encammhe-se.
M irtiliauo Correia da Silva. Deferjdo com
officio desta data, ao Sr. commandante do corpo de
poiicia.
Itosaliaa Olympia Bezerra de Mello. Inforrae
o Sr. inspector do thesouro provincial.
Sebasiiao Raymundo Caminba. Informe o Sr.
Dr. cbefe de poiicia.
Teixeira, Chaves 4 C Eocaminhe se.
Vicente de Moura Pessoa Cavalcante. Informe
o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Zefenno Alves de Btrros. informe o Sr. ins
pector da thes luraria de fazenda.
(age.ncia telegraphica uavas reuter.)
Madrid I de novembro.Oa car
llatas kombardeam a cidade de
run. prexims de S. Sebaattao.
it in de Janeiro S.Chcaron o va-
por OLBERS.
NOTICIA8 COHHIIKIIES.
l.on.iK-M 4. CqnaoJidadoa de
3 o.O. for account, & Hileiros de S O/O. do uuuo de 1*6.,
a 90. A (axa do deaconto naprnca
coiii iiu.> a aer de trea e anei< por
cento. Cafe : muito niluiu, cunt (en-
deucla a balxar. Aaaucar i anaaca-
uulu bom de Pernambueo n. 8 a
Z'i.n por cwt.
Liverpool 4. Algodao > (ranaac
i-oi's rearulures i precoa muito Hi
men i venderain ae liojc quinze mil
furdoMi aendo dims mil lie proce-
dencia da America do Hut t o fair
de Pernambueo 9 7/H d e o de
Mantos "i :t 1 d. por libra. Assucar i
bom americano S9/0, mnscavado
pursudo 23 e eacolliido de Macelo
-55S.lt por cwt.
Antuerpia 4. Cafe : calmo i pre
cos lirmcN sem alieracao ; o de
Mailtos bom ordinario a I, a cents
por libra.
Uavre 4. -Cafe transaccees re-
Siiiaics i precos muito flrmea ; o
do ttio bom ordinario de 98 a !>:
francoa por SO kilogra. AlSjOdao i
ordinario de Morocabaa OO fraucoa
por so ktloara.
Murseiiia 1. Cafe i calmo i precoa
flrmea aem alteracao j o do ttio pri
meira ordiuaria. lOSa lOl francos
por SO kilogrs.
New-York i Cambio sobre Len-
drea 4-81 1/2. Ouro HOI I. Caf6 :
auimado t precoa llrinea i o fair do
Rio 18 l/l. e o good 19 1/2 cents por li-
bra. Algoddo mediano uplands 14
; s cents por libra.
Rio de Janeiro 5. -Cambio sobre
Ijondrea 2U 3/8 a 26 1(2 d bancario.
Bahia S. Cambio aobre Londres
2ttl/2d. bancario. Cambio aobre
paria 358 reia por franco.
IIIIAIIsrill COMMERCIAL.
New York 4.-0 depoaito total do
cafe do Braail uoa pertoa amerlea-
uos elevn se a vlnte e tres mil aae-
cosi nao bavendo nenhuin de San-
tos ; elevaram-ae a qnatro mil sac-
coa as vendaa da aemaoa, do Rio e
de bantos. eiu New-York.
Cabo

(AGENCIA AMERICANA.)
Paris 4 do novembro.Corra due 0
principe Jeronymo Napoleao passara-se
para as fileira* d> partido republicano. Se
realtsar-se isto, muito damno dovo serne-
Ihante mudanQit trazer ao partido imperia-
lists, r'.spora-sc aqni a ca ia momento o
Sr. Thiers de volts de sua viagem. Os
partidos ostao em grande movimento, e
tudo leva a crer que a proxima sessao d'as-
semblda sera" tumultuosa.
Madrid 4.Castellar assistio hontem a"
reuaiao da TEHTULIA PHOGRESSISTA.
Hoje aeve reunir-se o conselb du minis
tros. Cbega a noticia de estarem os car-
list ss sitiando I run, equeatacaram de novo
Puycerda.
Kio 5 as 2 h. da tardo.Vai saliir o ps-
quete francez G/WO.^D/; para a Europa
pela Bahia e Pernambueo. Cambio sobre
Londres 26 lr2 bancario e 26 5(8 parti-
cular.
Bahia 5 us 3 h. eH5m. da tarJe Cam-
bio sobre Paris 358 particular ; e sobre
Londres 26 1)2 psrticulir. Sahio para
Pernambueo o brigae HOSOHIM. Vem
entrando a barca ingleza HERHIOSE.
Liverpool 4.Algolao : o rnercado este-
ve hoje mais aaima Ii; vi>ivli>ram-se 2,000
fardos de procedencn iiriuM-ira.
Lonlros 4.C-if; : ., ,:"''
eGRNAHBUOa
RE\1STA DIARIA.
Antorldade pollrlal. Por portaria da
presidencia da p ovincia, de 3 do correate foi no
meado i' tuppkwte do subdelegado do I* aiuic-
lo da cidade de Nazareth, o cidadao Alfredo Em.
lio Calumby.
Gymnasia pro* inrial. Hontem foi c
corpo docente desse estabeiecinimto em corpora-
gio cumprimentar o Exm. Sr. cuoaelbeiro Joar.
Alfredo Coireia de Oliveira, pela sua felir vioda
esta provincia, e felicitar a S. Exc. pelas benefica?
reformas e salulare* decreto* eosn que tem promo-
vido o pmgreiso e luelhorauienlo da inamccau
publica, que tauto ja deve a Uo eminente esladisu
pernambucano.
Chegando ao palacete, onde se acha hospedalo
S. Exc, foi recebido pelo memo Exm. Sr. com
aquella Ihaseza, affabilidade e cavalheinsmo qae
laato disiinguem e exalcam o ssento pessoal s>
S. Exc.
0 Sr. Dr. Carneiro Monteiro, como cbefe do es-
tabelecimenlo, em nome de todos, reeitoo oma
b m elaborada allocucao Uudativa dos altos dotes
e grande merito de tao di.tinclo Peraambacaoo,
ao qne se raostroa S. Exc. agra4ecido.
No tempo qae se demoraram os qae Aseram
pane de tao nonrosa commUsio, a todos dirigra S
Exe. a palavra. Fallon sobre a instru'-.rao publica
s'liire o movimento kllerano do pair, revetaod<.
ideas novas e salutary e .de immenso alcanc-
para o futuro engrandeciroento lilterano da noasa
(atria.
Arsenal de currm -De 1 para as 1 bo-
ras da tarde de tiuaiom, dirigiram-se, por sua vet,
a I'.-s.-axem da Magdalena, a ciMnprimeotar o Cam
digno ministro do imperio, os empregadus deasa
reparticao. Eocorimra Jus todna elles alii foram ter
em dous bonds, no primeiro dos quaes ia a bands
de mu.-ica dos menures do mesmo arsenal, qae
nao so tocou duranie o trajerto, como alii nte e
depois da allocucao de enmprimento, dingida a S.
Exc. em nome dos funccionari--* present-s, pelo
respectivo secretario. o Sr. Dr. Felix de Piguriru*
Como sempre, S. Exc. respondtu com a lhaneaa
que Ihe e caracteristica.
^ Jantar.-Anto-hontem tew lugar, na casa do
Sr. Dr. cbefe de poiicia, am jaotar em obs-quio ac
Ex Sr, cocselbeiro Conia de Oliveira
Eram em numero de 50 a pessoas presenter
toJas distinctas e ligadas a S Exc. pelos lacus da
mais estreila estima.
As G horas da tarde foi servido um jantar pr..-
fu>o e delicado.
Fizeram-fe muitos brindes, eutre os qnaes foram
estes os principaes :
l. Do Sr Dr. chefe de poiicia ao Sr. c> nselh
ro Correa de Oliveira ;
S. Do Sr. Dr. H-isedso ao Sr. visconde de Ca-
maragibe;
3. Do Sr. Dr. DelGno Civalcanic ao Sr. coas
mendador Lucena ;
4.* Do Sr. Raphael de Mello Kego a assemble*
provincial ;
5.* Do Sr. conselheiro Aguiar, em nome d'a-
3uelia assemble m, ao Exm. Sr. coaselheiro Con *
e Oliveira ;
6.* Do Exm. Sr. conselheiro Correa de Oliveira
ao Sr. visconde de Camaragibe ;
7.* Do Sr. visconde de '.amaragibe ao Sr. con
selbeiro Correa de Oliveira ;
8.* Do Sr. Pmtu Pe*?ca a camara mnaicipa!
desta cidade, representada pelos Srs. commeoda
Jore* Cuuha e Dr. Moscoso ;
9. Do Sr. conselheiro Corrt-a de Oliveira ao Sr
Dr. chefe de poiicia ;
10' Do Sr. Pernambueo Pilno ao Sr. genera,
commandante das armas ;
II.* Do Sr. conselheiro Conca de Oliveira a
S. M. o Imperador.
0 brinde do Sr. conselheiro Aguiar feito ao Sr
ministro do imperis foi muito applaudido e apoia-
du pelos membros da assemblsapro-incial qae es -
tivaro presumes.
Esse jantar foi ama fesla ami signifkativa da
estima e alto eoncaito qne so Sr. conselheiro Cor-
rea de Oliveira tributam os sens amigos.
A's 8 boras da ooite terminon a fesla.
Facnldade de Direito. 0 result!*
dos exames prettados boatem (5) foi o ?epoint*
S*anno.
Joao Tueophilu Ma'siliac, pleoamente.
Paulo da Costa Espmbeiro, idem.
Jose Heraclides Feneira, simplesmcole..
Manoel Victor Fernandes de Barros, pienamen'j
Francisco Baptista Vieira. simplesmente.
Joao Henrioaes Vieira da Silva, disiinecao.
3* anno.
Julio Pereira de Carvalho, plenamenle.
Joaquim Pereira de Hello Horaes, simptesoMOte
Francisco Hagarinos de Soaza Leao, *pteaaowate.
Jeronymo Muniz de Aragao, idem.
Jose Manoel Cavalcanti de Almeida, idem.
Joao da Silva Pires Ferreira, idem.
5 anno.
Simeao de Faro.Headonca, plenamenle.
Lmz Bapuita de Souza, idem.
Arthur Henrique de Figaoiredo e Mello, isem
antomo de Souza Pinto, idem.
Halbias Joaqoim da Silva, idem.
Jose de'Barros Albu marque Lias, idem.
Escola normal.-Contiauaram, boatem
os exames do I.* e 3.* annos dessa escola, enje r.
snltado foi o seguiote:
|. anno.
Anl >nio Jose dos Santos Guimaries. plenamenle
Mauoei Eilmaado do Albuiuerqae Santos, aim -
plesmeute.
Julio Coelbo do Rosario, simplesmente.
Cinco reprovados.
o* aono.
Luiz Manoel Rodrigues VaiciK.i Junkr. tiieaa-
meote.
Domiugos Mirques Vieira, simplesmoolc.
Um reprovado.
Hoje piiocipiam os do segoodo aono.
4 ur> da Reeire. Compareceado boahuu
36 ..sizes de fido, foi sortaado o coaseiho deaso
lenja, qua ficaa awiaj composlo: Or. Armituo
Antuerpia 4.-Cale : caimo; coU^oes dV-
hoje 46 l|4.
Havre 4.Cafe : frouv j ; venders in-sr
-2,10 i saccos. Cour ts : toercado firme.
I'rtra 5 as 8 h. e 50 presiiienle da provincia euviu buateas ao
governador do bispado um aviso do g-iver
uo imperial no qual or.iia a sta autori
dade ecclesiastics, que levaule os ioterdic-
tos lau^ados contra as irmanda bispo D. Antonio, isto no prazo da 8 dias.
sob pena de ser responsabiiisado por des
obediencia. 0 governador, que. parece,
linlij |a deste aviso conbecimeuto, cliamou
previamente a t >do o clero do interior, e
vsle, scliando-se agra na capital, reuoio-
se e protustou contra o acto do g-tverno.
Chegou opaquete amencano ONTARIO,
procedento do llio du Janeiro pela Ii.ib.ia 6
Pernambueo.
J


Uhl M iihHIM/m/, M IAU\ Mm
3*
iaiio de Pernambuco Sexta feira 6 de Novembro d6 1874
KA* tliMVM J MM
GoriolaOO Tir"^ d "'" Intunin Hunan d*
Andrade Luna, Dr. Augnsto Trajana de fl,dianda
Chacon, Christian) da Gama Low* MJfil i'JPif
iirjtrabaOu.
BICJ
G)ncalves 4*p%gCorbiujaii> .de Ajmuj Fouceca,
E-niliaao %l|l|if' MjIIo I'.m'ioriin, Dr. Henri
ijin de AttujQ r^'b> M>*eoso, Xntoiii) "lose* di"
Silva RrasffjSftoflino 'de Luna: Preire; Manoer
das Santos**-*!)"* Melle, Rodrig^laeeme- Martins^
Pereira.
Suomeltido a julgimento o res, Lmrentino Vic
tilino de Mello, pronanciado mBptgdM-10 <1**C3-
dig) criminal, fjj Jolvida. Tend), aoftm eon-
lessado, na formtaio \i oalpa, f 1' 'fa desortor
u I* batalhto la mfeuuria d>> imha esiaeuaad)
in co.-tc, ordonoa oJC\ui. Sr. dvimoi.-gador pre
s:lente do jury ipw fosse eH* rem-ui lo ao com
mandante das arauspara ana tivcsse o eouvenien
to desliao. I
Uoje eocerrar se-hio os traballo de-U, a =saint*
ressio r rdioaria do jory do Recife.
Viciia ii munlelpJIituIc. S. E*."..
Sr. conselheiro Joao Alfredo foi ante hontem ao
meio dia visitar o edificio em (|ue funccnna a
lilma. camara municipal do Recife, sendo alii re-
cebido com musica e foguetes, e por uma commis-
tao de Srs. veieadures, que o. acaui?aiil&oa na vi-
siia e exame do predio.
S. Exc. assisiio a sessio municipal daquelle dia,
ouvindo no c rrer delta urn discurso pronunciado
Del) vereaiiot Dr. Loao Mason*, eij > dlseureo,
I'm honra ao illustre ministro, foi mandad) in.erir
na acta, que por deliberap*o-da camara, foi otfVre-
clda a S. Exc. para assignar.
Quer ao entrar, quer ao sahir 11 o-^abelaeimen
t >, f oi S. Exc. saudado com viv.n i .das paumu
reunidas na eircumviztnhani;a d i t>.^ > municipal,
sendo igualmente rauito ob.-eou i i aeljji dignos
vereadores presentes.
Outras visitas 0 mesm > Sr. conselheiro
loao Alfredo tern visiudo d.vers.>* 411m eitabe-
leciweotos publicos.e obras nit* ila provineia,
taes como : alfanlega, arsca.il.de SririiUii, ig'ym-
nasio, mer-aio publico igreji.u Perttii, ttfeatro
Santa Is-.bel, etc, etc.
B*pauti.cU> proviiiei.ii. II >je devem
reunir-se no 1* andar do pTedio n. SI da rua do
Imperador, os membros da eStnuMwao in-umbiia
do ageaciamento de productos h <>*\- vimeas da in
ilii-iria national p:ira a expnsi^.a I '|ti, nesta pro-
vincia, dive preceder a expusit-ij uaeional de 7
de setetobro de 1875.
\ l.uini Tfp->.rti<;ao arrccado'u no mez de outdbro... .....
7:69I*i70, fend?:
SeMea 3:3oOi490
Cams i:7'.,Gi7'*0
Agencias :iil)S780
Moviinen',^ de futrdos 1:031i060
Assignantes 1*500.)
I'reaiioi 2UO00
Uultas 12'tC0
OitiJioiro.0 vapor Gonfaivcs Marlins trou-
pe para :
J-sfl Vicente Gidinho l:O:jfi50D0
Jo?e da Silva Loyo 4 Filho 1:00 >iO:)U
C'ompanlii.t il:tlianii. Pedew-n is para
peHtrmos ao ieve aiuda uma vez a s:ena o drama de grai I
etpectaeulo Jn^tin ou o mirinheiro du Mailinica.
fagailoiiii iiefii/ciida. N>u esia'.ij
pagam se hoje as seguiutes fulhas:
liaipregados do recuuseamento, arsenal de ma
riaaa, cimqp uibia de aprendi^es inariubeiros, pra-
; de prei reformadas.
(itit^atvus WMilMN E>t3 vapor, da
'.oaipiaiua Bibiana, cUegou honiein ao BOStO por-
io, |i."j redento da Bahi* pelos portwde es^la, tra-
/lij data?: do Araca;ii ale 29 do passado, e de
Maceio ate 3 4 coireiAe.
A ;iuva se uo exercici) d; chefo de policia
da pr.ivia :i.i J) Se gype o Dr. Antonio Joajuim
0 >rrda de Ariujo.
Lem >s u) Jorwil tb A > seaja :
t Com) havia'aos uuticiaio,nulemaisaram oslr.-
bilaniss de.-ta cidade o dia 21 deoutubw, anaiv.r-
sario dienjanoipjuai da provincia, com as miis
sigaiiicativas maaife-iucoes de rego-ijo
0 povo tj.TDa nos festejos do dia 21 a parte
maisactiva quo se poderia esperar. En genl as
raas da cidade achavaj) guns preparados coin elegancia.
?oro>ado3 os baiallioes patrioticos a frente da
praeaVmte qualro de Oatabro ab o comman-
do ireral do digao Sr capitao Theodomiro, as 11
a .rs d) dia dingiram se ao lugar em que ta vcs-
(Waghaviarii deposita lo o carro, e d'aili o vicram
souJiuiado ate a cap;.la de 5. Salvadjr onda teve
iu^ar o TeDeum.
a 0 Te Lie am foi b.tstante conorrido. A pile
assiitirara o Exai. presi leute, Dr. chefe de policia
eontras pess^as grains.
Orou oRviu. vigario da capital, que pronun-
i.ju uai bouilo discarso.
a ir.n I i ..^ "*% M a ao Jo u- ^ V* l/.l ia *
!hoj=, c contiauuram a percorrer as ruas, ate G
Doras da uirde.
a 0 carr) foi conduzido por faaccionarios pu-
biieo'. e oatros duttuctes cidadaji de toJas as
classes.
Os naldhd'ds palrioticos estavam beat dirigi-
dos e preparados com toJo o go-to Cada Din ti-
ulu a frente uma baadd de masica. A legiao das
!et:ras tinaa a sua foraiala de estudantes. 0 ba
talhao dos arlistaa maodara vir a expensas suas,
umi bindade inasica de Lirangeiras, coube-llie
i honra d-.' onJuzir a iaveocive! b gloriosa ban-
dc-ira que altesta os mais csu'endidos trmmptios
i s sergypanoa nas Iotas do Rrasil contra o despo
ti-.ao. i.
Haita poesia inspirada f)i ouvida, ora de in:
nocentes -.riancas que como na freate dacasa do
Sr. Penna, sorgiam cheias de encauto e arrebita-
vjiin as maliido-'s aeogtamadis aos arroubos com
que >abe prendedas o feotejado poeta, aut-^r do
tao liados versosora por taleulos provados como
OS Dr-. Lemoa e Eugenio Fontes, que mais de uma
vez exhibirani te coin grande acolliimento e apre-
\;o de todos cs ouvintes.
t Merecem louvores lodos os que concorrcram
1 ara o brilhaniisr-io da festa do dia. 21, festa ani
:nada, e pomposa e na qaal distingniram-se espe-
cialmente os distinctos estudantes do Atheneu. a
briosa classe dos artistas o a bcm disciplinada com-
panbia de menores.
Aebava-se eleilo deputaJo a assemblea pro-
vincial das Alagdas, pelo 2 districto, o Dr. Fran-
cisco de Paula Leile Oiticica.
A presideucia da provincia nomeou para com-
por a commissao que deve promover a acquisigao
de pruluctos para a exposijao provincial os Srs :
Dr. R)bsrto fjalheiros de Mello, Jo=e Virginio Tei-
xeira de Araujo, Dr. Joao Francisco Dias Ca-
braJ, Manojl Martins da Miranda, Eagenio Joso
.Neves de Andrade.
Entrada deassucar e do algodao.
No mez de outubro ultimo vieram ao nosso
mercado 118:711 saccos ora assucar e 12:312
jaccas com algodao, pelo3 seguintes meios de
lran*p.iries|: ;
Assncar: 5'0,o56 por barca^as, 3,o27 por vapo-
ry, 33,131 nas cnslas de aniraaes, e 31,197 pela
via-ferrea do S. Francisco.
Algolao : 2,313 por barcagas-, 1,578 por vapores,
7,931 nascostas de animaes, e 530 pela via ferrea
do S. Francisco.
Cioyanna. Escrevem-nos desU cidade cm
data do primeiro do corrente:
Ha de ter naturalmente es'.rauhado que on
baja faltado ao cumprimento do devcr de escrever-
!he a missiva costumeira, iiestes uliimos dous Ine-
zes, dever a que eslou obrigado pela p.-omessa que
!he fit, de noliciar lhe os factos quo por aqui se
dessem, para serom por sua vez transcriplos no
seu conceituado Diarij; mas infelizraenle, rnoti-
vos, alias poJerosos, e principalmeate ineommolo
de saiide, levarara me a commetterx=^?a faltt. que,
entretanto flea reparada com a coaiinuacl) de
missivas quipzenaes, cuja* remessas eaec'.o hoji*.
Gutaajos de boa salubridade o a aossa paz,
felizmente nao tern soffrido alleray-io.
Xao possoaiHancar-lbe a narra^ao dos faetos
que oeco.roram durante o interre^uo, era que dei-
xei de escrever lhe, porque nao os toalio D lo-
am lembranca e aicsmo porque, p<-las razoes que
acima expnz, nao tive delles conheclaieoto; enire-
tretanto noiicinr-lhuhei 03 mais recent?s, dos
quaes fui sa odor, e que ainJa oon-ervo em lem-
branca.
Chegou a esta cidade no dia 1: do me? pas
sado, de volta do Recife, onde attovd caia Ma fa
milia em gozo da licenea, o Sr. Dr. Alfredo Ernes
lo Vaz d'Oliveira, juiz municipal doite terno, jue
assumio immediatamente o exercicio do sen cargo,
no qual apeaas esteve uns qualro lias por tar cu-
tr3dono la vara de direito, em conoeqoencia do
navor se^uido para ahi, era gozo tarabein de i
ga, o Sr. Dr. Prancisoo Teix.iia j^ Sa.
OSr. Dr Sebastiao Ci.tra. proraelor pabliao,
naveiidoigaalinenteobtidtj u.n >ii.-z I.: :-n trou Lj.re*pectivo gozo no di .. gaiuda para
aeaf^dadk pefo qne acha-se i do da. .pro
motonaoSr. adf-jgad) i.;. i a::..i
que, numeado interinam II
a C.)ncinram-p atn 4al ,;.,:, ,. ,i
eforam devijamente tjt
junta de ciassiqoaj&J d.-B .
4 rgaa!raen|e reunio-se. e j i *, ; :pee-1
presorifi'.a p :1a lei, i^a i t& >i i se.a *1
Iho.
A'safra do'assdsar vai send) ntn psac
animado do quo a do anno passifdo ;*a Ii al^odio_
^ie>6m,'60gnlO'iBe'nf)raam e fraqvisshnr. '
Os precos, cam ell^ito, quir de atna, e quer I
de outra, desaaanim. ____^
< A agradabilissima nrtiaia, qaa afui ti'eraos1
Ja tinda do Bk n. Sr. ininistrn do imperil, oaaa-
l.ieira Joao Alfredo Cerroi de Oliveira, ja (; graga*!
a Decs, uma re Udade ; por qaaalo, ao e-.cravnr
'Mia.jtcabo de ler oo Jon Jumaes\que vieram
labi em raaos particulares as merecidas ova^d-as,
lie na terra natil lem recebido o llln>tre e dis-
.incio pernambacano.
A cidade de Goyanna, btWfo de sen nasslmen-
to, cslremeee de jubilu a cada manifestagio que
abi 6 feita ao fUnstre goyauai-ta.
< Os servicos prestados pelo distinct} conselhei-
ro, quer a instrucjao popular d pals, ondejelle se
lem levantado o mais alia possirel, qaier a pohlica
em geral, e muito espeeialtaenle a provincia qm
o.wio aa*cer,-4ao-lle ioe*ateslael-dt#ei-a-Bt-
do qae as que muito merecidi-
<>i-di Cunha M ureira, losd C.
Gji-i-oiie Cossullo. Vicente a. Gome:
1 Jose Velhsn, 3. Miria de Si^aeira Tori
:'*1a,i Japjj* mwiley, saa seanora e 2 #t
hi aWrBo,4(MC irtes de i^arvalno, Joio Al*
iU*VW,4iao*)4l4eir",> Alisale.n II. Uimxw
.>
victorioso, ainda uma vtt se mostrara ao ranalo g Recife. S de-novembro de 1871
inteiro, tal qual elle e #em sidaHTBO4! B^t^'.iY >1? "*
Esle do-.umonto.
'menegiflj Jose Tavares, Manoel Vieira
de. % praijas'de policia e 3 presos.
Ceuiicerio publlco. Obitnari'i do dia
do corrente :
Maooel dos Pnz're-, preio, Pernambuco, 26 an-
nos, ca-.i lo, R-.'cid', apoplexia pulmonar.
I.'.iiti de Brani;a Aricjo, parda, t'ernamkaeo
40 aoaos, aolteira, SiMo-Antonio: hepatite.
Amaro, pardo, Pernaftljaeo, & dia*, Recita ; te
tano.
Antonio, oreto, Rio Grande do-Xorte, 30 aano^.
1 casado, Ma Vi-ta, hospiul Pedro If; anazaraa,
Arehanja Maria da Conceicao, parda, 1'emaan
bueo, It anaos, solteira, Boa-Vista, hospital Pedro
II ; phtyi"iea pnlmonar.
Marcelino, pardo, Peroambuco, 7 annos, S. Josi?,
tariolaa, VlS^i
| Maria, racemnaseida, parda, Recife ; bajo de-
pots de nascida.
res manif-sl.iroes
mente elle tern recebido.
Nao e que o patnolico, illaaralo e agradeci- solleiro, $ Jose ; tuberculos pulmonares.
tenha-'esfcfrca-1 I
a que no^atoajmos, e a cele-
carta escripla pelo exiiaioTDtjApriaio lusii-
u da Silva Guiraaraes ao"WTlirW. visebKde de
ftragibe, na sua uttima [MsffcMia de dalfla. ote
( nas a ialiraacao do despaeho d'exhibigao desle do-
'nizo conaapteaia, para a qual ja i
arta de edftos. quo lo as actiaTi
do com os traballoa legislatives,
ndo nos nesne Is som o povo
pela victoriakdo diken popuh ii,
rdos, apertaOM* com jubilo a dextra
dor.
e novembro de 1871.
Um pmmmbvetmo.
Visit* do llxm. Hv. sssiaivtio do
Ituperio camara suuolcipal
do Heoile. Ml %tf%
II luiem livemos o iaeHavel praser de assistir a
dm singelo ado, quasi iaesperado e sem tempo de
do povo da cidade do Recife nSo se I
do o mais possivel, para dar ao illustre pernambu-
caao as pro^aado mais subido apreeo e>VJa mis
siguilicativa graiidao ; mas e que lalo aqaillo que
se lizer em honra do distracto eonsefheiro, & pon-
ce diaute do seu real mereciineoto.
0 norae d) onselhelro Jo5o Alfrelo e nra
da j Delias que o velho pronuocia tromulo de pra
zer e 001050ardendo em enthusiasmo.
a Infelizm^nte, porem, temos espiritas peqoenit
ninos, perversos e ri liculos depreciadores do me-
rilo, i|ue pro.'iiraram, senao procuram ainla, des
virluara pomposa manife.-t 1 ;a j qae 0 povo per-
numbucano f z ao estadUla notavel, ao distincto
iiiiio d e Pornambuco.
< Mas, nao e dado atodos refrear os s u- maos
senliusentos, os seutimeatos do inveja, de mode
que, se so 0 podesse fazer, semp 9 0 procedimento
daquelles que a lodo o transe procuram marear
a cordi de ouro que honra a frouta do disttacti
conselheiro, eria mai diverso e perfeitaineale inn-
tativo do do illustre liberal 0 Sr. conselhei.o Mar-
lira Francisco, que, pond) de parte as coasidera-
coes politicas, quando se tratava de festejar 0 seu
di^no patric 0 0 Sr conselheiro Duarte de Azefeio,
soabe ser o primeiro a dar lhe inanifeiUfioes de
aprico, e a por em relevo os emiuentes servicos
por elle prestados a cau'a publict.
t Entretanto, a posteridade apreciara 0 proce-
dimento de um com relapio ao procedimento de
ouiros : e, a estes ridiculos mareadores da noora
e do merito, cumpre-nos dizer em vista de tao bri-
lhant"3 mani 'estates :
Zailos tsireinecei.... rugi.... mordei vos.
< Aaciosoi aguardamos a vinda do illustre vi-
sitante, 0 qaal necessariamente como bom e extre-
moso dllio, ha de vir receber a bencao niaterna,
para (inais dek perto lha darcuos a .prova do nos
so reconhecimento. Goyanna taaibem sabe ser
agrauuCida.
Como proecdeu a Nanta Ss;. Em doj-
*a 6' pagiua abrimos hoje espa^o as diversas ear-
tas de summo) pontilices, das quae* se evilancia
a pruleneia com que a Santa Se sampre procedeu
em suas relacdes com os estadis catholicos, pra-
deociaque (1 de esperar guiara a S. Santidade P10
IX na questao susoitada petes bispos de Oiinda e
do Para. Recommendamos a leitura desses doca-
mentos. *
i'ari a liiatoria iiafria. Eucetamos
hoje era nossa 8' pag na a publieacao de urn uovo
irabalho do dislinote lilt -raio visconde de Porto
Segaro, digao niini-ir0 plenipotenciario do Brasil
em Vienna d'Au>lria, accrca do nosso paiz. Cba-
.uamos jiara elle a atuncao dos leitores.
Provincia do IMaitbv.Do relatoriocom
que 0 Ex in. zr. Dr. Adolpho Laineuha Lins, pre-
sidente dessa proviucia, abrio a respectiva assem-
ble.!, colberacs 0 seguiule :
A fores publica com;i6e-se de : 390 pracas de Ii-
nha, 118 pragas de policia e Gl pracas da goarda
nacional, destacaias.
A Santa Cisa de Misericordia teve, no inno li-
nanceiro do 1873-1871, a receila do 0:9l6i23i
e a despcza de 0:90M8o9, fituudo um soldo de
11,5173.
ExWterana provincia 37 cs^olas da instruccao
primaria, sendo 31 para 0 sex> masculino e.23 pa-
ra 0 feminino, 30 do primeiro grao e 27 do segun-
do. Durante 0 anno de 1873 foram essas escoias
frequsntadas por 1,08-j meninos e io'i meninas.
A instruccao superior e dada no lyceo, no qaal
flinr.-'^"**-** *o .uiafrao 1 it l> d.. hnguaa o i _
nal e latina ; a 2' de arithmetics e geometria, e
de philosophia ; e a 31 da lingua franceza, e de
geographia e historia.
O estado possne na provincia 21 fazenlas de
c-xcellentes terras de cuitara ecriacao, nas qnaes
existem 800 libertos, dos quaes 300 raenores e 100
invalidos da patria.
A receita e a de?peza provin:ia?s foi a se-
guinte :
R'ceita de 1872-1873
Despeza idem
Receita no 1* semestre de 1873 -
1871
Despeza idem
Phrladelpho Bagenio Pessor, pardo, Pmuanibn rrodeadodos awvios deque costamam ser as
co, 21 annos, soiteiro, jatyt^Btttna^i tumarev 1 solamnidade* oUlciaes, porem em que se raanifes
Tnomaz, eiHm,-pmf>, mtnxmKoo, tMoaasf *** os \4su4feiMs seattfflentos de amor e reco-
nhecimento a um dos peraimtucanos que por seus
410:301*320
410:3015320
290698*338
195:231*518
Ficaodo de sail)
Pars 0 exercicio de 1875187ti
A receita em
A despeza em
5:7lit>787
foram orcadas :
237:896*127
374:79*47o
0 que a presents um drfctt de 136:899*018
A divida passiva da provioeia, liquidada, e de
231:431*701, inclusive 90:030* qae ainla deve d)
ernure 0 SOMlOOS de apolices emittidas.
A divida activa eleva se a 160:608*736, sendo
eonsiderala cobravel 8d:361*189, duvidosa......
12:309*110, e incobravel 31:732)6727.
A thesourana de fazenda arrecadou no exerci-
cio de 1873-1871 a qaantia de I20:07i*2i2,sen
do 76:661*135 i>ela alfandega.
Do l de junho de 1872 a 11 de marco de 1873
foram comm ttidos Oa provincia 73 crimes por 99
iodividuos, sendo presos 41. Entre os crimes so-
bresahem 15 de homicidio e 33 de ferimentos e
offeosas physicas. AI6m dos 11 criminosos, foram
presos mais : 13 pronuociados anteriormente e i
desei lores da provincia, 5 criminosos e 1 deserter
de ontras provincia*..
A receita da thesoararia de fazenda nos oxerci-
ciosde 1870-1871, 1871-1872, 1872-1873 foi
de 723:579*381, assim dividida :
Importacao 297:111*388
Despacbo inarilirao 3:262*907
Exportacao 118:799*371
Imerior 166:747.-481
Exlraordinaria 94:111*686
Deposifos 20:852*115
Com applies-; 10 especial 22.358*100
L.oteria A jua se aclia a veada e a 121.*
a beneflcio do altar do Senhor Bom Jesus dos Pas-
sos, da igreja do Corpo Santo, que corre no dia 12
do corrente.
I.elldei*. Sffectaa hoje, as 11 h:rasd) dia,
0 igente Mirtins. um leilao de moveis e objectos
de plaque, no armazem da rua ii Imperador
a 18.
Hoje elleclai 0 ageate .Dias 0 leilio da tres
tavernas, sendo na primeira, a rua da S. Joao n.
12 as 10 horas, na segunda do beccodo Pocinho n.
31, as II horas, e na ttrceira a rua do Marquez de
Herval n. 211, as 12 horas ; ptrtencentes a massa
fal!ida de Piato 9 Gon^alv-s.
Hoje, 6 de novembro, deve partir as 10 ho-
ras e meia, da estacJo do arco de Santo Antonio,
0 trem com os concurrentes para 0 leilao de mo-
veis e mais objectos existentes na casa e sitio na
Jaqueira, aonda residio 0 fallecido Francisco Soa-
res de S Retumha.
Casa de deteofao.lloviraento da casa
la detencao do dia 1 de novembro da 1871 :
Existiam 29'J, entrarara 1, sahirara 3, exisiem
A saber : nisionaes 321, mu'tierss 7, estran-
^eiros 3, es-:ravos 36, escrava 3. Total 3 0.
Alirneatad-03 a cuita dos eofres publicos 218.
A saber Saos 230 o^nferraos 0. Totil 218.
Mivimeato daenfermim do dia 1 dj novembro
de 1871 :
Tiverara baixa :
Bmiliano Jose da Peaha, febre.
Joao Francisco d-: Vassoncellcs, febre.
Joao Fdiciano Ferreira. odontalgin.
J i5o Francisco do Aranjo, anemia.
DoaJagos, escravo -le Francisco Manoal, escravo de Anna Teix An, fractara na
lierai.
ram alta:
Mafloel ':r;'>rio do "ascimento.
'.[o.acio, pscravo de Antonio Joaquim la Costa.
Francisco Eliziario da Silva Cavalcante, btaaco,
Pernambuco, 38 annos, solteiro, Graca ; rfiBOma-
tismo.
Joao, recemnasefdo, pardo, Pernambnco,* Bon-
Vista ; M-noel, pardo, Pernambuco, 1 dia, S. Jose; he-
morrhagis nrobilical.
.
CEROMCA Jill ICIAHIi.
rilllll \VI. DA RELACiO
SESSAO ESPEGIAL EM 0 DE NOVEMBRO DE
1874.
PRESIDENCY DO BXM. SR. CONSELHEIRO
CAETAtft) SANTIAGO.
Secretario Dr. Virgtlio Coe'.ho.
A's 10 horas di manai, pre-eules os Srs. des-
embargalores Reis e Silva, Auneila e Aibuquer-
que, Motla, A*cioli 0 Sonza Le.io, abrio se a ses-
sao.
Ensegaida 0 Exra. Sr. coaselheiro presidenta
passou a julgar os seguintes agjravos, cujos ad-
juntos foram sorleados era sessao anterior :
N. 5Aggravante 0 alvogado Maaoel d'As-
sumje'to Saniiag), aggravado 0 juii) de Bora Jar .
dim. Aijaoiv1' os Srs. desemba'gadores Molta e
Accidi.-Derara provimrato, para se escrever 0
aggravo.
Aggravo de petigao.
N. 73. Aggravante Adolpho Marques dos San-
tos, aggravado 0 juizo do commeroio. Adjunt03
os.Srs. desembargadores Almeida Albuquerque
e Motta. -Derara provimento.
N.79.-Aggravante 0 barao do Nazaretb, ag-
gravado0 juizo da fazeula. AJjaaetos 0- Srs.
desembargadores Souza Leio 0 Reis e Silva.
Negou se p ovimento^ _
Eacerrou-se a sessao, 10'meio dia..
odo is
Tribunal do coniuierelo.
ACTA DA SESSAO DE 3 DE OUTUBRO DE|
1871.
PRESIDESCIX' DO EXM. SR. C0.NSni.HKIR0 ANSKUtt
rRVXCISCO PIRJCtTI.
A's 10 horas da manna, presentes ps Srs. Ue-
putado's secretario Olinto Uastos, Lopes"Maehado,
Alves Gaerra, e 0 Sr. supphsnte Sa Leitio,' S. Exc.
0 Sr conselheiro presideote abrio a sessao.
Lrda, foi depois approvada a acta da sessao pre-
cedent.
KXPEDIE>TK. frl^x,
Qffldos':
Do presidente e secretario da junta 9os correto
res, reraeitendo 0 boletira das cotajoes ofOeiaes da
seraana Je 26 a 31 do outubro ultimo. Maudon-
se archivar.
Da mesma junta, coraraunicando a iran-feren-
cia de acgdes da companhia da estra la de ferro
do Rec>fe ao S Francisco e da companhia de Ue-
benbe.0 tribunal licou inteirado.
Foi di:tribuido 0 livro copiador de Lpafi Ir-
mao e assignados os term os de trans fererida's re-
qneridas por Jose Ant nio de Aranjo.
DESPACHOS.
Requerimentos :
De Francisco do Miranda Leal Sevo, corretor
geral, apresentando a regiitro 0 conhecimento d5
seu imposto.-Registre se 0 conhecimento junto,
0 qual sera d pois entregue ao supplicante.
De Henrique Guilherme Stepplo, corretor gyal,
oab-i>jttoQiln a JoRijtro o eonhooimcalJ junWudo
sou imposto.Seja entregue ao supplicante 0 co-
nhecimento que junto se acba, depois de regis-
trar.
De Jose Isidoro Martins, agente de leiP.1*, sub-
metlendo a registro 0 eonhecimento junto do seu
imposto.Registre se 0 conhecimento annexe, sen-
do depois entregue ao supplicante.
De Francisco [gnseio Pinlo, agente de leilOes,
para proceder se ao registro do iaclusi conheci-
mento do imposto do seu offlco. Proceda se ao
registro reqnerido, entrfgando-se depois dito co
nhecimento junto ao supplicante.
De Joaquim Maxim.ano Pestana, prepesto do
agente Pesiana, para proceder se ao registro do
conhecimento junto. Depois de registrado 0 co-
nhecimento annexo, seja eatregue ao suppli-
cante.
Do agente de leiloes Antonio de Pinho Bor-
ges, trazendo para registrar-se 0 conhecimento do
sen imposto.Seja registrado 0 conhecimento jun-
to e depois entregue ao supplicante.
De Antonio Carlos Ferreira da Silva, interprele
do commercio, para mandar-se registrar 0 conhe-
cimento anaexo do sou imposto.- Seja registrado
0 conhecimento junto, e depois devolvido a? sup-
plicante.
Do Dr. Felippe Nery Collaco, interprele do com-
mercio, mostrando ter pago o imposto de sua pro-
fissao.Faca-se 0 registro pedido, sendo depois 0
conhecimento junto entregue ao supplicante.
0 tribunal rtsolveu que tenha lugar no dia 1 do
mez de dezembro proximo vlndonro a reuniao do
collegio commercial para eleicao de dons deputa-
dos e dous supplentes, e qua se pega por offlcio a
direccio da Associagao Commercial Beneficenle
para effectuar ss em 0 seu salao a mencionada re-
uniao.
Nao hav.n.ij mais n da a despachar, S. Exe. 0
Sr. conselheiro presidente encerrou a sessao as 11
horas e l|2 da manha.
MHuam k mm
Muito iiiiportante!!
Corria hontera nesta cidade, nos circulos dagen-
te que mais seriamente se occupa dos caros rate-
resses da pan ia, a importis.-ima noticia de que
por todo 0 corrente mez tera lira 0 maior pleilo
que ultimamente se ha discutido ante 0 grande tri
banal da opiniao publica, mais notavel que 0 pro-
cesso Tiraborne, e de mais serias consequents
do que a questao ds existencia da celebre carta do
Gest t tun, etc, nao laudantur....
Trata-.e do julgamento pelo superior tribunal
da opiniio puilica da conlucta de am grande vul-
to brasileiro, de um homem que desde a sua ado-
lescencia coraecou a preader a atten;ao publi:a da
America e da Europa, ja pelo desenvulvimento
precoce do um tino p.-lilico, que provueou inveja
aos maiores talentos polilicos dos dous mundos,
pela sua coherencia de principios, fidslidade aos
amigos, aborreciraento das vaidades humanas,
pela lirmeza de carater, e ja, Qoalmente, pelo
echo que tem produzido na republica das let-
tras seas escriptos, ^ra todos os geaeros de lilUra-
tura, e suas preleccoes na cadeira em qne le* na
faculdade de direito des'a provincia.. preleccoes
que fazem esquecer as dos celebres Muzzareli Mil-
termayer,. Pelegrino, Rossi, Savigny, Chevalier,
Bastiat, Troplong, Edaardo Labonlaye e muitos ou-
iros, eclipsados por e;te verdadeiro typo da scien-
cia Infnsa.
Como pernambucano, que araa as verdadeiras
glorias da patria, exai tamos d) prazer ao ouvir a
grande nova, e pressurosos corremos a imprensa a
aonunciar, que aprouve a Divina Providencia fazer
para sempre, desapparecer a nodoa infame, com
que mrsquinhos inimigos, inveiosos da gloria alheia,
pretenderam raarear 0 esplenderoso briiho d->
maior vnlto politico e litterario da America do Sul.
Vai cahir por terra para nunca mais levantar 0
npgro colo, a calurama, esta arm a porviszoilos
raane'ada contra 0 pernambucano distinoto, nae
so pelos seus incommensuraveis talentos, como es-
pecialmente pelos seas sentimentos de gratidao,
fidclidada aos amigos, e, mais que tudo, pela sin-
ceridade 0 aferro a suas ideas politicas.
Passageiros -Chegados da Bakia e portoa! Cm dicumento imp >rlantis>imo vai ser apresen-
atcrmeJios no vapor nacional Gnngalves Mar- i tado ao tribunal julgalor, e qua pora termo ao
Ipleito qae desdo l; o3 suslenla com seus inimigos.
J. de Araujo, Miguel C. Lima, capitao'Pernambucano disiincto por lantos titulos, que
1
Uns
JJovigel
s?rvioos ao paiz e principalmente a e-ts provin-
cia, m*is merecedor se ha tornado do respeito,
consideracSo e favoresdo pevo seu irmSo.
As hnmenagens que tem recebido 0 Exra. Sr.
conselheiro Dr. Joio Atfrddo Cbrre'a de Oliveira, da
grande maioria do povo pernambucano, lem sido
uooa verdadeira e inequivoca demonstracao do al
to gr 0 de esiima de qae se tem feito digno tao
eximio, o Hlustrado e lao prestlmoso pernambu-
cano; dwahama, porem, foi mais sigaiflcativa,
mais soleihae nem mais imponente do quo a que
homem ieve lagar na camara municipal do Recife,
institoicao sem duvida que e 0 transumpto da li-
berdade e a vepdaddira representaclo do povo.
Sem d.vsconhecer quaDto e ardaa a tarefa d? fa-
zer a descrip?So do genoioos sentimentos que po-
dein ser testemuohados e apreciados, mas nao
pintados como eHes sio, alnda sob 1. impressao de
nma viva-emocao, fftlta-nos a cor-gem para tao alt)
commettimento ; 0 diejo, porem, de que nSodiqae
eneerrada entrd as- psredes da camara municipal
tao demonstrativa expnnsao dos mais minoso* sen-
tiraentos docoracao pernarabacsno, da-nos anirao
a empreheoder 0 trabalho com a cert-za de que elle
nao sera digoo nem do object) nem da pessoa.
0 paoo da camara acbava se reve-tido de suas
modestas galas,.mas que.na opiniao de maitos
viaj'.ires que 0 tern viiio i> am to lo saperior ao de
quiljuer outro das mais isnporlantes capitaes do
Imperil.
As suas alias cadeiras de espaldar e de delicada
abra do talha aebavam se desembaraca las das ves
tes que de ordinario as garantem da poeira ; ao3
lados da caleira do presidente viam-ss as duas
importanles cadeiras forradas de lino daraasco ea
carnado, que alula ha pooco (oi saosiitailo, o'or.i
de. g'isto auligo, mis 111 ii d I;: 11 1.
8ljsjcapileiS"qlaexibtem era torno do salao de
honra aciiavam-se collooados grandes vasos con-
lendo mimosos e odoriferos ramos de flores que
embalsamavam oar com sua fragraucia.
A' entrada do ediQcio assim como as escadas 0
cor red ores achavam-se tapetadas de llores c de
falbas odorantes.
Ao men) dia 0 Sxm. Sr. ministro desembarcava
de um carro a porta do ediii-;ii, e a musica mi
1MB qae espersva S. Exc, deu signal de sna che-
aada, entosodo 0 bymno nacional ; nma grande
fyrand-ila de (ago 1 do ar feodia os sres e abi aa
dnnciava tao haarosa e apreciada visita.
S. Exc. I'oi Kcebido a entrada do pago pelos ve-
readores presentes, e 0 Sr. tenente coronel Tneo-
Silva convidou ao Exm. Sr. Dr. Joi) Alfredo a per-
correr os drtfersos compartimentbs da camara, ao
que S. Exc. accedeu de mui boa voutade, demo
rando se em cada repartieao e dmgindo a cada
um de seus empregado; palavras atten'.iosas e
urbanas, com 0 qne muito penhorados e satis-
feitos deitou a todos.
Acabado esse name 0 Sr. presidente da camara
convidou aos.|ou*)s Srs. vereadores a tomarem
assento e abrio a sasiio.
Lida e approvada a acla, 0 Sr. presidente
propw que era demonstracao de regosijo e apreeo
a boorosa visita que a camara municipal acabava
de raaaber, fosse levantada a sessao.
Stoda approvaij* a proposta, 0 Sr. presideote
em segnda, noraeou os Srs. Dr. Moscoso e Jose
Cesario para acompanharera ao Exra. Sr. ministro
ate a porta do salao de honra e outra composta
ds porieiros e procurador para irem ate a porta
do ediiicio.
0 Sr. vereador Moicoso pedio a palayra e pro-
pot i|iio scn-lo corlo qae o Cxm. Sr. ministro se
dignara acompanhar as diversas commissoes que
0 iam cumprimentar at6 a porta da rua do edi-
ficio em que se acha aboletado, a mesma commis-
sao de vereadores fosse acompanhar a S. Exc. ate
a p'orta do ediiicio, 0 que foi approvada e assira
se executon.
0 Sr. yereador Cunha Goimaraes propoz qua
em attencao a honrosa visita que a camara aca-
bava de receber, e como uma prova de reconhe-
cimento ao minislerio que libertou 0 ventre das
escravas, fosse collocado no salao da camara 0
quadra representativo do acto de 28 de selernbro
de 1871, e em seguida sendo apresentalo em uma
salva de prata um martello e tres pregos 0 Exm.
Sr. ministro dignou se dar a primeira martellada
era um dos pregos.
0 Sr. veread)r Cunha Guimaraes propoz tam-
!' "ii que se adiantasse a escripta da acla para
S Exc. fazer a boora de assignal-a, caso enten
desse condescender a tao just) pedido.
S. Exc. declarou que da mm to boa vonlade teria
0 prazer de assignar a acta.
Ao depois 0 Sr. Dr. Moscoso pedio a palavra e
pronnncion uma pequena allocucao em que tratou
das pna 'ipaes reforom liberaes ioiciidas pelos
ministerios a cojo cargo tem estado os uegocios
publicos nestes ultimos tempos.
Palloa com emphasa do raiaisterio que sanccio
nou a liberdada do ventre, e das medid&s que
teem sido ultimamente postas em pralica reiativas
a instruccao publica ; da rsforma da guarda na-
cional e de outras de grande iraportancia que tem
sido sanccionadas pelo liberalissimo gabinete de
7 de marco, de qua, disse elle, 0 Exm. Sr. Joao Al-
fredo e um dos mais belles ornamentcs.
Terminou 0 seu diseurso pedindo ao Exm. Sr.
conselheiro ministro do imperio que se dignasse
apresentar a S. M. Imperial um voto de adhesio e
de reconhecimento da camara municipal do Recife
pela maneira sabia e decidida por qne S. M. I.
tem sabido sustentar intactas as .liberaes institui-
coes de qne gozames.
0 Sr. Dr. Moscoso provou em seu pequeno dis-
eurso qusnto (amor consagra a liberdade e as
instituicdas liberaes, qne fazem a nossa felicidade,
e quanjo deseja 0 prngresso do 'paiz que 0 vio
nascer
0 Exm. Sr. conselheiro Joao Alfredo pedio a
palavra e em poucas e mui signiGcativas palavra3
agradeceu a camara municipal tamanhas provas
de sua benevolencia para com sua pessoa, decla
rando que se julgava feliz por ter sido collega do
ministro, mui digao pernambucano, que havia
referendado 0 decreto que sanccionou a libenacSo
do ventre e que ahi se achava digaamente repre-
sentado por sen pai 0 Sr. presidente tenente coro-
nel Theodoro Silva : que assegurava a camara que
0 seu primeiro cuidaio ao cuegar a cOrte seria
apresentar a S. M. I. os protestos de amisade
verdadeira a S. M. I. e as instituijSes que a cama-
ra acabava de demon^trar por maneira tao digna
d; apreeo.
Sua Exe. eslava com ofleito profundaraente
commovido, quer peias recordac5es do sua terra,
quer pelas vivas demoostrafoes de considerajao
e amhade que lhe tribuiavara seus comprovincia
nos, que por modo lao soleraoe 0 signiQcativo
procuravara fazer publica osleuia;ao do apreeo
consagrado ao ministro pernambucano que tanto
tera sabido elevar se na esiima de seus patricios.
A camara municipal do. Recife curapr-o 0 seu
dever por uma forma digna de ser elogiada : coa
sidertu bem 0 valor dos services do erumente esta-
dista e empenhou-sc por fazer bem patente os
sentimentos de que se acba possuida em relacao
a uma das mais fulgentes glorias desta provin-
cia, cujo solo f ii abandantemeute regalo pelo san
giie de seus Glhos em defeza da liberdade.
E' da presumir que 0 Exm. Sr. ministro so rcti
rasse satisfcito pelas domonstracues de affecto e
apreeo qae lhe mauifestou a camara municipal,
a qual deve contar quo 0 seu mui di^no corapro
vinciauo cada vez mais so interesse pelo progresso
material e moral do imperio da.Saota Cruz, lao
bem fadalo para ser uma das mais floridas paries
do universo.
Por nossa parte, conGados nas delicadas' expres-
s5es e maneiras sumraame^ta urbanas que* S. Exc.
dispensou a camara muaicipal, pedimos permis-ao
a S. Exc para lhe remlermos um pretto e boinena-
gera pelos seus talentos, pelas suas virtudes, pa
triotismo e interesse que tem tornado pelos nego-
cios publicos, principalmenle pelo que e relativo
a inclyta provincia I Pernambuco.
Lembramos ao antor dos versos qae foram l.m
eaabs dfl 3.^odlr rfe am sobrado da'rna' dolm-
peraJor; na-occasiao de panar'por'ella umdis-
tincto pernambucano, a tabula seguinte :
Acbando-se um dia reunido com sua corte e
em conselho 0 rei dos animaes (> leao), foi iuier-
rompidoporom de sens aonseliieiros (a'ltpozai
que lhe disse, depois de lhe ser perm it ilia a pa-
lavra :
-Magesttde I fora deste reciato falla se muito
mal de V. M.
De ntim'? pergnota-lkd 0 rei.
Sun magesiade, Iherespondea 0 conselheiro
E quem falla mal de mini ?
0 bnrro, I be dia a raposa.
0 burro! eidamoa 0 rei.
Sim, 0 barro, retorqnio a rapoza.
Pois deixa-o fallar, que 0 burro e sempre Lur-
ro, coneluio 0 leao.
Um que dftesta a ingratidao
%Phdaa# 9 ^rw w
.1 owe R. dos Mates. ------'
Declaro ser autor da publicajao feita no Diario
de Pernambuco de 2 do corrente, armada pelo S,
tambera que como liberal nao snbordino niinha
consciencia a redaoflo da Provincia ; ella p-ide
pensar da maneira que melhor entender, que eu
ndo renancio a liberdade de pensar diversamente
do que ella pensa, em relacao a recepcao do Exm.
conselheiro Joio Alfredo.
Como pernambucano o juigo -merecedor da re
cepcloque tanto tem dalo que fazer a Provincia!
l*to posto, conviim ponderar que com a minha
publieacao nio quiz fazer uma bajulacao ao Exm.
couselheiro Joao Alfredo. A oraisiao do men nome
naquelle commnmcado prova basunli qne o meu
dm foi protestar, como tolos os liberaes deveriara
fazer, contra 0 procedimento raenos dignoque par
tio da typogra-phia da Provincia.
Assim, se 0 meu procedimento, dictado pela
jusii-;a, importa am attentado contrs as crencas da
que foi orgio a Provincia, serei perante ella cri-
minoso, mas nao perante a verdadeira opiniao li-
beral, nem perante os esplritos jastes.
Nao sou empregado 4a alfan.lega para aspirar
accesso ; nio tive em mente sonao protestar conira
um acto qae geralmenie foi repellido ; sou livre,
teuho o direito de ceder aos impulsos da minha
consciencia.
Seja qual for a resposta que tenhara estas linhas,
responderei com 0 sitencio.
Reaife, 5 de novembro de 1874.
Ao Sr. Dr. chefe de policia.
Foi sob esta epigraphe que a Provincia de 3 do
cirrente, jonflando dtmasiad-imente, como costu-
ma, na fiiMidi-.de de am ioformante, den nublici-
dado a um facto, qae ieve lagar oa Boa-Visgem,
alolterando a verdade eassacando incuria a auto-
ridade policial deste districto.
Pira re*tj.beleeer a verdade e moslrar as in-
exacttd5es d) zeloso informante da Pracincia. ve-
nho expdr ao publico 0 que realmenle se dea.
Chegandoao conhecimento do subdelegado deste
districto, que no sitio de am portuguez, costuma-
va atguem, nas horas mortas da note, atirar fun i
dos de gar.afas, pedras, animaes mortos e espi
nhos, raandou embosear naquelle lugar uma praca
de policia, afim de prenler 0 iasolente autor de
taes actos reprovado?.
Na bora costuraada, apparecendo uma pessoa
que lancava ramos de espmhos no relerido sitio, a
pess-oa qne na emboscada aaxiliava a praca de po-
licia, deu um tiro oomo signal convencionado, e
approximan lo se, reconheoep.Mn ser nm escravo
do major Cbrisaato, que consente na ousadia de
andar 0 laTeacravo arraado do nm canivete, e 0
prenderam. Logo no dia immediato Ieve 0 Sr. Dr.
chefe de policia conhecimento disto por Iho ter
participado 0 snbdelegado.
Ja ve a Provincia que na> deve confiar muito
no seu informante, 0 qaal se quizesse ser zel*o,
devia tambera informar-lhe qne am Sr. liberal re-
publieano que aqui ha, armou nesse mesmo dia
capaogas e, cullocando-os na estrada do Recife ao
Cino, ahi lomou cargas de leahs, quebroa canga
Itias, queimou esteiras, sobo fotil pretext) de sup-
por as lenhas tiradas de snas mattas, quando po-
du a ellas ser de muitos engenhos de Muriheea,
dos deste districto e ontras propriedades, e qne
sendo mesmo das mauas do-tal republicano, nio
eram ajoelles os meios defazer-se respeitar 0 di-
reito de propriedade.
Devia 0 informante da Provincia accrescentar
tambera, qienao e coraraettendo se violeneiasdes
ta nalareza, qae se ha de lirmir os principios li
beraes republicanos; que nao e stlentandose
contra a liberdade dos outros, que se fara respei-
tar a propria ; que nao e trahindo aquelles a
quem deve a liberdade, que se bajnlara aos mes-
mos que no tempo da liga 0 levaram a cadeia por
assas=ino, d'onde sahio a esforcos de um conserva-
dor -0 subde'egado effectivo deste districto.
Devia 0 informan'e da Provincia levar este facto
ao conhecimento do Dr. chefe de policia e do sub-
delegado supplente em exercicio que delle na) sou-
beram, nao ob.-tante acharse 0 subelegado na es-
tacao da Boa Viagera, bem proximo ao theatro do
crime ; devia informar que aid hoje a autoridade
policial nenhuma providencia tomou em desaggra-
vo da lei, olTendida por tao brutal attentado, 0 que
demon tra 0 quanto sao os liberaes nesta terra
respeitados, e ainda mais 0 tal liberal republicano,
que entende que em sua republica so deve haver
liberdade para si I
Desafivele oSr. repnblieano a mascara hypocrite
que lhe acoberta a cara, discutaraos fraucaraente
os nossos aetos, e vereraos era que lado ira pou-
sar a vorgouha.
Ja que se depara occasiao, uao posso deixar em
silencio a denuncia que se deu ao Sr. Dr. chefe de
policia contra am portagaez aqui residente.
Se, como parece, ella partio de um senhor de
engeaho que aqui esta, ella nada mais prova do
que falta de dignidade e amor a verdade, e qae
nesta terra pequena e composta de horaens po-
bres, ha alguns que nio recuam diante de sen
chicote e das baforadas de seu fofo orgulho.
Seria melhor qae este senhor de engenho, em
lugar de occupar-se com denuncias, tratasse de
providenciar para que os seus burros, vacsas, per-
cos, nao estra gassem continuamente as lavouras e
planlacoes dos pobres lavradores; seria melhor
qae era lugar de denunciar traicoeira e cobarde-
raente do portuguez, pagasselhe a importancia da
destraicao que Gzeram s seus animaes na lavoa-
ra de 'uma pobre mulher, a qual por iniermedio
do portuguez, seu proprietary, procedeu a vis-
toria judicial; seria melhor que nao se rebaixasse
a peilar e eduzir a pobre mulher para declarar
qua nao autorisara a oinguara a proceder contra
elle era juizo; seria melhor que nao se pre.-tasse
ao ridiculo de mimosear a raalher com as doces
phrases deminha negrinha, minha celhinlia,o
islo diante de teslemunbas, para poder arrancar-
lhe a deciaracao supplicanleraente pedida.
E Gque da uma vez certoo tal senhor de enge-
nho, que se dao cohtbir-se de suas denuncias falsas,
vera 0 seu noma por inteiro nos jornaes, as saas
excursions nocturnas pelos banbeiros, ehocas, es
quinas e coqueirus, a historia daquelle jogo da
casa do Sr. Silva do Brasil, que alarmou toda po-
voaflo, a historia das gallinhas do subdelegado
supplente e tantas outras.
V'ollaremos, se a islo formes obrigados.
Boa-Viagem, 5 de novembro de 1874.
Um que nio e portuguez.
v %9MMMCIC.
> j'1 -' i>
JUWT* 909 tMmRftTORES
Praca 1I0 ftlf> aesaaveanbre
' tie 4S94.
AS 3 HORAS DA TARDE.
COTAcSaS OFFICIAKS
&ros saans saigadas 5M rs. 0 kilo.
Caabio sakre Loalres a 90 d|v. 26 t|S d. ;.
it, do banco.
Caabio sobreo Rio de Janeiro a 3 div. i|i fni
de praoiio.
. de Vaaconceiios
, I Presidents.
A P. de Lemos,
Saeraurto.
(ecoiraento do
I Um do dia 5
4LFANDKG4
dia 2 a i .
90 080il>:
23:lS6j7if
113:207*^-
Descarregam bojt 6 de novembro da 1874.
Palacbo inglez Jessy bacalhao ja despacbad
para 0 trapicbe Conceicao.
Palacbo alleraio Pnmnx carva) e ferro ;a
despacbad 1- para o caes do Apollo
Vapor francetRio Grande-(esperadu) mercad.-
rias para alfandega e trapicbe Conceici
Vapor nacional Parana (esperado) gener
naciooaes para o irapi;he Compaahia.
Barca portugneza Alexandre Hirculano mer-
eadorias para slfaniaga e fvelio para -
trap,die Conceicao.
Brigae Inglez Spnrl: bacalhao ja despacbj
para 0 trapiche Concei.ao.
laiportav'Ao-
Vapor nacional Gonralces Martins, en'rad d
porlos do sul em 5 do corrente eeonsigna-taa Al
lonio l.uiz de Oliveira Azavedo, aaaoifeslou :
Abobrss 100 a Vicente Andre Gomes. Anile !
quartola a ordem.
Caehimbos 4 caixns a Eslevao da Cunha Made -
ros. Couros 166 a Pereira Carneiro Ht G.
Inhames 100 a \ icente Andre Gomes.
Linos 1 caixa a Augu>to Pater Ce'ir.
Panno de algodao 30 fardos a Oliveira, Finos 4
C, 20 a Jose de S. S. da Cooha.
Tabucas 20 feixes a J. Agrely.
Barca portugueza Sociil, entrada do Rio Grar
de do Sul na mesma data e consignada a Per- .
Carneiro, Maia A C, manife.-tou :
iraxa em bexiga6630 kilos.
Scbo em rama 83 barricas.
Xarqne 206,400 kflM a orden.
JEiPACHOS DS EXPORTACAO NO DIA 4 D
OLTUSRO DE 1874.
Para os vortos do exterior.
No lugar inglez Beltriz, para 0 Canal, ear
regou : J. Pater A C. 2.00J saccos eorn 150,00
kilos de assucar mascavado ; L. J. Silva Guira.
racs 2,000dit)S com loO.(KK) ditos de dilo ; Via'
Ba-tos 1,000 dit-s com 75,000 ditos de dito.
No navio portuguez S. [jonrenco, para a UHa
de S. Miguel, carregon : F. N. Goncalves Ferreii,
da Costa 40 oarricas com 4,535 kilos de asu- :
mascavado e 10 ditas com 1.048 du >s de dito ferae
> ; !. A. Fonceca & C. Successores 31 barris ecu
3,005 lilro3 de mel.
No navio smericano flaoNM Beige*, par-.
Now -York, carregou H. Forster & C 6.OJ0 sac
cos com 450,000 kilos da assucar mascavado
Para os poles do interior.
Parao Maranhao, no vapor nacional Par
carregon : P. Vianna A C. I pipa eon 480 lilr -
de aguar-'enl-.
Para Acaracd, no vapor nacional Pirapam
carregou : J. A. G. Pires J anior 3 barri:as eoi
245 kilos de assucar branco.
Para M -manguape, nabarcaca Horde Man .
arreg u : li. Gomes \ C 8 latas com 15 kilos c
doce, 2 barricas com 120 kilos de assucar re fin- -
do ; Balbino P. da Silva 6 ditas com 362 ditos d
dilo.
Para Maceio, na barcaca Cruzeiro do Su.
carregou : J. Fernandes Juliao 2 barris com It
litres de alcool.
Para a Villa da Ponhi, na barcaja Misik
Cidade, carregou : A. J. L. Teixeira 1 barn a com
60 kiios de assncar refioado.
CAPATAZIA DA AKFANDKGA
Ii-a t'o dia 5
dia 2 a 4
VOLUMES 8AHIDO8
N*a dia 2 a 1......
So dia 5
2:1.30*24
488*92
S:lt*l6
4,11
Uganda porta..... Psrceira porta..... Titpichs Ccncaicao . 6.' 7. 35" 2,61
7,5i
SERVICO MARiriMQ naarsngas descarregadas no trapicbe alfandags. to dia 2 a 4 ..... -.a ')....... *j trapiehs Coucaicao . da (j 1 1
gCEBEDORlA DB
RAES DE
Ifj-iimenlo do dia 2
-:o do dia 5
I
RENDAS 1NTERNASGE-
PERNAMBOCt
li 4:7U2o-
. 1:917*00.-
6:088*2>
CONSULADO PROVINCUL
\. 391.Oleo puro medicinal de
ii ;:do dc hacalliAo. de i.anman A
Kemp- Tosse aill.ciiva e fatigante. A tosse e 0
signal precursor do perigo. Se para logo nao se
alalha, mais tarde se torna incuravel. Comludo,
exisle ura especinco precioso para os pulmSes ir
r 1 udos e abalados pela tosse. Este e 0 oleo de li-
gidodebacalhao. Porera este reraedio nao deve
conter mi.-tura alguua.
Perguniareis talvez, onde se pedera enconirar,
neste seculo de adulteracao uma preparacao se-
melaaute 1
A respostanao a nossa, mas sim a da facul-
dade melicae que 0 eleo de figado da bacalhao,
de Lanman & Kemp, extrahido dos Hgados fres-
cos, e ofTarecido debaixo da garantia do seu no-
me, e, como preiendo sel-o, absolutaraente puro.
Seus effeitos, segundo se acha comprovado em
centeaares do atlestados, demanstrara sua excel-
lencia ; por-jue os < leas diluidos e alterados nao
teem nenhuaias qualidades curativas. So produ-
zoai nauseas : em |uanto qije, nenhuma pessoa,
uaj e.-land > mesrao dueut tomando es,u prepa-
racao legilima, uaodeixa de gauhar carnes, de sor-
tequeassj.- luah-lados nairitivas sao lao evi-
denies como 06a sda adclo medicinal.
Rec 0111a mi- -e. Uojs, ,1 to los que padecem mo-
lestias ds pulntd-s, lo figado u dagarganta,
como U'u ,!-; o ja bem cxperimeniado e se-
guro.
Aecdimenlo do dia 2 a 4
-ii do dia 5
RECIFE DRAINAGE
Reudimento do dia 2 a 1 .
Idem do dia 5......
11:780*52
4:443*24
I6:223*7t -
3:S85*li
1:088*65
5:673*8?
rtecdimento de
Idem do dia 1
AGE-NCIAS PROVIJiCIAES
Liqnidos espiritaosos.
2a
519*763
536*119
fl.ecdimento de
:dcT do dia 1
Bacalbao. etc.
a 3 335*964
*
Pecdimenlo de
Idem do dia 4
Gsnoros de estiva.
2 a 3
501*641
51*276
Farinba de trigo, etc.
3eEJimento de 2 a 3 *
!dem do dia 4 54*5<>0
Recdimento de 2
ideal do dia 4
Fumo,
a 3
I 055*9C
835*9- .
531*92
54*5<-1
etc.
t
*
deadimento de 2
'dera do dia 1
Vimgre, etc.
a 3 289*594
2*511
292*H
Tbcsouro provincial de Pernambuco, >
do novembro de 1874.
0 escrivao,
J. C. M. da Silva Santos.
Banco do Minho.
Joaquim Jos6 Goncalves Bellrao & FUho saeam
por todos os vaporas sobre
Anadia.
Vguida.
Aveiro.
Beja.
Jhaves.
Elvas.
Am ar ante.
Guimaraes.
Cotual.
Melgaen.
Porialegre.
Areos de vai de ver.
Celorico de Baslo.
Evora.
Fale.
Faro.
Guarda.
Leiria.
Lisboa.
Barwllos.
Coimbra.
Mirandella.
Penaflcl.
Monsao.
Ovar.
Porto.
Tavira.
Regoa.
Vixeo.
Figueirs.
Lamego.
Esurreja.
Valenca.
Villa Real.
Cabeceiras de Bastos.
Castello-Branco.
-.

/
1
i

i




I
!


Diar*f VbMhm&^&i&'JteMi&de J*wWflto*i^4 Wtt-tA.

i *
S
.
u
ran
CaratoM.'
Mangualde.
Poute do Lima.
POTQKto-iAakDMa
Vilia-Nov*a Bmtimao
EfyrKeede.
Oliveira de Azemeis.
*W>4d>Varzim.
Viawra .Jo CasMiib.
ViMa^w*e Fa-alieaa.
VIII**i^oleitt- '
"> vq ty-"ilfi*<.
Mdaraalk- Miguel, Faiai e Tares ra.
?S8GIJR0S
MarithH e coirtra-fogo
Phenix-f eraambncjana.
RUA DO COMMERCIO N. 34.
BufeW ft^__tt|Ra!*,*afcraflfcpWhol* /Jffrfhjrf4'!fJ
!quii**lr *6' carg;1.C0Ur03 e ,eb0! "Anertm
ArdrassanYaa E-fl4 dm, barea inrWz*
, FtMnit; oe 4W rraeradaVeabltao A! G. Graves,
equipagff*: IfJWfrga earvi*5 a Saunders Bro

Aid de Janeiro -2
eza Nova
uilherrae
lastro ; a
Seguiv
WS UVERPOOl
conlra-fogo
LIVERPOOL & LONDON d GLOI
INSURANCE COMPANY
Agmttes
SAUNDERS BROTHERS HC.
11Corpo Sauto11
1
Companbia Indemnisadora
do Porto.
CAPItAL' 2,000:000^000.
TkomU te- Aquino Fanceca, &. C, suceessores
agen'es.
Kit i companhia toroa seguros marilimos c ter-
re>tres,dando nestes o septirao anno gratis aos se-
guradas.'
11 us do Vigario a. IB.
C0MPANHIA~ALL1ANC4
seguros maritimos e terreb-
tres estabqleeida na Bahis
eml 5 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:0009000.
Torn* seguro de morcadorias e dinheiro
iico maritimo era navio de vela e vaporei
ara dentro e f6ra do imperio, assim come
contra fogo sobre predios, generos o fa
'ondas.
Agente : Joaquim Jose" Goncalves Beltrio
'aa do Commercio n. 5, 1 andar.
Sympaikia, de
L. de Souza Lo
Baltar Oliveira 4
Rid Grande do Sal-30 fHii, brigae brasileiro
Prazq-esi, it 2&S toneladas, capitad Francisco
dosSan|3 Lo_ba, kilos de carrio; a Amorim IrnAo & C.
X16 houvj Sa1)idaSWn'af(W'
cr Bidet
MM4 6t:
r "
ESITAES.

0 Illra. Sr. inspector do thesouro provincial
manda corividar os Srs. proprietarlos abaixo men
cionado?,' para entregarem no tnesitro fhesonro no
prazo de 30 dias, a partir desta data, as importan
cias das quotas com que da\em concotrer para a
factura do calcameate am treale de sees predios,
sitos nas ruas abafxo meicsnadas; devendo os
paga monies serem feitos de conformidale com o
disposto no artigo 2 do regalflmento de 27 de ju
nbo de 1854.
E para constar sa-publican o presenle pela im-
prensa.
Secretaria do U.esoaro provincial de Pernam-
bneo, em 29 da outubro de 1874.-0 seerelario,
mpaet A/fonio Ferreira.
FHB6UKIA OB SANTO AUTONIO.
Travessa do Marquez do Recife.
i\. 1. Francisea Thomazia da Gonoeicao
Cunha 35,080
Hua de S. Francisco.
X 4 A. Ordem Terceira de S. Francisco
X. 6 A mesraa
N. 8. A raesma
iseifB Erfttlhi
HMdtrffirhbfr mdfr-
1. Joaquim Pacbecojla Si
3. Antonio d^^pt
N. tfcrfeiaandt&ijZApM,
>'.- 27:' afathildes Ferreira
Saatta
N' 29. Biroardino de S nna Hanrique
N. 31. Miguel Joaqaiada Gosla
N. 83. Harnarda Aires Fuhairo
X. 85. Maria Francisea da Goaaeicao e
Silva
V. 87> Recolbimento da Gonceicao de<
Olinda
?f. $9. Herdeiros de Maria Joaqu'na Pe-
reira Viaaaa.
X. 41. Pedro Marques e Antonio Fran-
ciseo-Maeete
fT. 43. Filbov-*. Joi* Hodriguea doe
30
IWjfW In
'../ih-
iWR&*Wr*< ':
lesld^vetlorW' eWi
cerjrf'e tt*d- saWdo^ r
ft&r e mm ^Wt^r **
ftqn9r"*iiW&W'a Vrs., at^Atlr
JAf(>*
4S,000
81,000
21X00
3^000
li3,400
21,400
aos
N. 10.
N. 12.
N. 14.
N. 16.
N. 18.
N. 20.
N. 22.
X. 24.
N. 26.
N. 28.
X. 3J.
X. 32.
X. 34.
U<
MARITIMOS
E
CONTRA 0 FOGO.
A compauhta Indemnisadora, cstabelecidi
acsta prar;a, torna seguros maritimos sobrt
aavios e seus carregamentos e contra fogc
-ra ediflcios, mercadorias e mobilias: ni
riia do Vigario n. 4, pavimento terreo.
A mesro
A mesma
A mesma
A mesma
A mesma
A mesma
A mesma
A mesma
A mesma
A mesma
A mesma
A mesma
A mesma
X. 36. A mesma
N. -18. A raesma
A
A
A
A
A
\
A
(A
Inn
X. 40.
X. 42.
X. 44.
X. 46.
X. 48.
N. 50.
X. 52.
X. 54.
mesma
Uk'.-iin
mesma
ir.fsma
mesma
mesma
mesma
fcllCO
Commercial i!e Brsga
Tasso.
Jorgo
37Rua do Amorim37
Saea ^ualquer qaantia a prazo cu a vista so
l si'guinles cidades e villas de Portugal, ilhas adja-
utes e Ht-spanha, a saber:
Portugal
Araarant?. Guarda.
Atiadia. Guimaraes.
Arcos. Gouveia.
Aveiro. I.agos.
Agueda. Lamego.
Arco de Baulhe em ei - Lisboa.
becoiras de Bastos. Louie".
iiarca. MelgaQO.
Bareallos. Mir^nlella.
beja. Mongao.
Bragan;a. Mealbada.
i.liaves. Monte mor o velho.
("oirabra. Oliveira de Aremeis.
Coon. tivar.
i.'ivilha. PenaQel.
Gastello Branco. Pinbel.
(Jarainha. Pi.nte de Lima.
Khas. Portimao.
Lstremoz. Porto.
K.vora. Povoa do Yarzim.
Lsposeade. I'orl'Alegre.
iamalicao. Povoa de Lanhoso
Faro. Regoa.
Hgueira. Silves.
Fafe. Santo Thvrso.
Thomar. Villa Real.
Tavira. Vinhaes.
Torres Xovas. Vizeu.
\ alenca. Villa da Feira.
Vianna. Villa Pouca de Aguiar.
V illi do Conde. Villa Real de S. Antonio.
Villa Nova da Cerveir-a. IfoimenU da Beira.
liiiac.
Funcbal. Fayal.
He SBtanha.
Madrid. Cadiz.
Barcellona. Orense.
Vigo. Corana.
Puenteaveas Badajcz.
Augusto F. d'(lli\eira & C.
a casa commercial e bancaria de Augusto
j d'Oliveira it C, a rua do Commercio ns.
i-1, encarrega-se da execujao de ordens
para embarque de productos e de todos o-
mais negocios de commissao, quer commer-
dies, quer bancarios.
Decanta lettras, e toma dinheiro a pre-
mio, corapra cambiaes, e saca & vista e a
jizo, a voutade do toraador, sobre as se-
k tintes pragas estrangeiras enacionaes :
Londres. Sobre o union bank o
I. -NDON, 0 LONDON AND HANSEATIC BANK,
limited, e varias casas de 1.* classe.
Paris. Sobre os banqaeiros FOULt
4C, MARCUARD ANDRE & C. 6 A. BLkCQUE,
VIGNAL & C.
Hitmbiirgo. Sobre os Srs. joio
jGHH BACK & FILHOS.
Lisboa. Sobro os Srs. fonsecas,
SANTOS & VIANNA, e SEBASHXO JOSE DI
A6REU.
Porto. Sobre o banco uniao do p
. Sr. JOAQUIM PINTO DA FONSECA.
Para. Sobre o banco commekcia-
D6 PARA, 6 OS Srs. FaANCISCO fiAUDENCIO DA
OSTA & FILHOS.
HaraahSo. Sobre> Sr. jose fer-
tiiRA DA SILVA JUNIOR.
Bahia. Sobre os Srs. marinhos & c
Elio de Janeiro. Sobre o bakco
INDUSTRIAL E MERCANTIL, BANCO NACIONAL e
SANQUE BRASILIENNEFRANCAIS3.
ftlCViMENTO Dft PORTO
Navios entrados no dia 5.
h o Grande do Sul -26 d as, barca portugoeza So-
aai, da 232 toneladas, capilao Augusto F. da
Cunha, equioagem 11, carga 2J 1,800 kilos de
carae; a Pureira Carneiro, Maia 4 C
L o de Janeiro19 dias, pataobo bespanbol Mi
g*tl, de %. 8 toneladas, eapitao Salvador Mares-
my, equipagera^ll, em lastro; a Amorim Ir-
mao iSi C.
Li-) de Janeiro-32 dias, sutaaca bespanhoU Pan-
la, de 148 toneladas, capitlo Jose Maia, equjpa-
geoj 12. am lastro; a Atnoritu lrma> & C.
Lvitiia e escala10 dias, vapor nacional GonQal-
ea Martins, de S698 toneladas, coamandante
Viuva e herdeiros do -Francisco
Ribeiro Pires
X. 56. Padre Joao Sarvulo Teixeira
X. 58. L'liz Jose da Gosta Amorim
X. 60. Maria daSoledade
X 62 Manoel Antonio de Azevedo
X. 64. i >s6 tionsaites da Fonte
X. 66. Francisco Jose Vianna
X. 68. Maria Joaquina Vianna
X. 70. A raesma
X. 72. Dr. Joaquim Francisco de Faria
X. 1. Tlioraaz Teixeira Bastos
X. 3. Ordem Tercira de S. Francisco
X. 5. Maria Ricarda de Souza Rego
X. 7. Florencio Francisco Marques
X. 9. Maria Helena Gaio de Miranda
X 11. Bernardo da Silva Costa Cam-
pos
N. 13. Igoacio Fernandes Vieira
X. 15. Irmandade do SS. Sacramento
de Santo Antonio
X. 17. DelGna, Isabel e Luiza
X. 19 Rita L'aetana de Araujo Lima
X. 21. Joaquim Jose da Costa Fajozos
X. 23. Luiz Jose" das Costa Amorim
X. 25. Candida Maria Ferreira
X. 27. Joao Felix da Rosa
X. 29. Dr. Christovio Xavier Lopes
X. 31. LeocaJia Maria da Silva
X. 33. Ursula Maria das Virgens
X. 35. AnQa e Arminda
X 37. Herdeiros de Francisea Maria do
Espirito SaotQ
X. 39. li.ilbiua Unibeliaa de Miranda
X. 41. Francisco Jose da Costa Ri-
^beiro
X. 43. Manoel Joaquim Baplista .
Xs. 45 t 47. Herdeiros de Henri Gibson
Ilha do Carvalho.
X. 2 Ordem Terceira de S. Francisco
X. 4. A mesraa
X. 6. A mesma
X. 8. Custodio Maria Cardoso
X. 10. Jose Martins da Silva
X. 12. Dr. Clementc Jose" Ferreira da
Costa
X. 14. Maria Francisea de Almeida
Guerra
X. 16. Manoel Goncalves Ferreira c Sil-
va e Jose da Costa Dourado
X. 18. Padre Joaquim Pereira Freire
X. 20. Manotl Ferreira da Silva Ra-
mos
X. 22. 0 raesmo
X. 24. 0 mesmo
N. 26. 0 mesmo
N. 28. 0 mesmo
X. 30. 0 mesmo
N. 32' Manoel Ferreira da Silva Ra-
mos
X. 34. 0 mesmo
X 36. 0 mesmo
X. 38. 0 mesrao
X. 4(.i. 0 mesmo
Xs. 42-48 0 mesmo
X. I. Ordum Terceira de S. Francisco
X. 3. A mesma
X. 5. A mesma
N. 7. Tito Avelino de Barros
X. 9. Joaquim Dias Fernandes
X. II. Joaquim Ferreira Valente
X. 13. Joaquim Dias Fernandes
X. 15. 0 mesmo
X. 17. Dr. Clemenie Jos6 Ferreira da
Costa
X. 19. 0 mesmo
N. 21. Joaquim Ferreira Valeote
X. 23. Dr. Clemente Jose Ferreira da
Costa
X. 25. 0 mesmo
X. 27 Maria Amelia de A. Vianna
X. 29. Galdino Antonio Alves Fer-
reira
Roda
X. 2. Galdino Antonio Alves Ferreira
X. 4. Mosteiro de S. Bento
N. 6. 0 mesmo
X. 8. Irmandade do Safltissimo Sacra-
mento de Santo Antonio
X. 10. A mesma
X. 12. A mesma
N. 14. Luiz do Franca Couto
X. 16. Gallino Antonio Aives Fer-
reira
X. 18. Bernardo Alves Pinheiro
X. 20. Anna Thcreza do Sacramento
X. 22 Maria Ricarda de Souza Rego
X. 24. Manoel Joaquim Rodrigaes de
souza
N. 26. Antonio Ferreira Braga
X. 28. Irmandade das Almas
\, de Santo
dos Santos Mo-
Antonio
N. 30. Joanna Maria
raes
N. 32. Antonio Joaquim de Moraes e
Silva
X. 34. Manoel Jos6 do Araaral
X. 36. Antonio de Paiva Ferreira
N. 38. 0 mesmo
X. 40 Luiz Pereira Simoes como tutor
do menor Francisco
X. 42. Jeronyrao Pereira Villar
X. 44. Joao Ferreira Ramos
N. 46. Antonio Jose R. de Sonza
N. 48. Filhos de Maria Carolina de B.
Carvalho
X. 50. Os mesraos
X. 52. Herdeiros de Fransisco Ferrei-
sa Gomes de Menezes
X. 54. Luiz Jose da Costa Amorim
X. 56. Jose" do Rego Pacheco
Hi. 58 a 60. Barthplomeu FraHcisco
de Souza
N. 62. Manoel Gqoxs Viegas Junior
N. 11. Antonio Ferreira Braga
N I). AWToqoCarmo
45,000
108,000
112,200
116,250
75,600
45,000
45,000
45,000
45,000
45,000
45^000
5i,000
21,600
45,000
54,000
54,000
45,000
45,000
45,000
45,000
46,800
54,000
54,000
45,000
45,000
49,630
32,400
36 000
54,000
64,000
54,000
45,000
85,200
111,000
225,000
25,200
43,000
28.800
30,000
37,200
28,800
28,800
45,00 J
28,800
18,000
54,000
45,000
45,000
59,400
59.400
39,600
14,400
45,000
18,000
45,000
45,000
36,000
75,000
54,000
54,000
54,000
54,000
54,00u
54,000
126.0J0
Passos
X. 45. Manoel Joaqalni BptiHa
X. 47. MarceNiio Jt* 8n?alve3
Fonte
Patos.
X. 2. Joaquim Pacheco da Silva
X. 0. Manoel Aatonio Pereira
X. 8. igoacio de Sa Lopee Fernandes
X. 10. Joao Francisco dos Santos
X. 12. Filhos de Jose* Uodriguas dos
Passos
X. 14. Manoel Joaquim Baplista
X. 16. Marceiino Jose Goncalves da
Fonte
X. 1. Manoela Maria do Xascimento
N: 3. Francisco Pedro Ratis
X. 5 Irmandade do. Santissinio Sacra-
mento de Santo Antonio
X. 7. A raesma -
X. 9. A mesma
N. 11. Recolhimento da Gloria
X. 13. Marcolino Pedro de Braga
Calabouco.
N. 2 Herdeiros de Manoel ftalffiii? de
Jesus
X. 4 Antonio Jose Fiate)
X. 6 HitaJoaqiiina X. 8 Herdeiros de Rosa Maria do Carmo
X. 10 Antonio Pinto de Moraes
X. 12 Irmandade do Sanlissimo Sacra-
mento de Jaboalao
X. 14 A mesma
N. 16 Antonio Goncalves de Moraes
X. 20 Merandolma dos Guimaraes Pei-
xoto
N. I Joao Francisco doe Saatos e UiHios
X. 3 Os mesraos
X. 5 Herdeiros de Joao Manoel de Oli-
veira Miranda
X. 9 Antonio da Cunha Soares Guima-
raes
X. 11 0 mesmo
X. 13 0 raesmo
X. 15 Herdeiros de Jose Autonio dos
Saiitos Xeve> e Manoel de Souza Ual-
vao e seu filho Manoel
X. 17. Francisco Jose da Costa Ribeiro
X. 19. Alexandre Rodrigues de Almeida
X. 21. 0 mesmo
X. 23. Aatonio Jose de Faria
X. 2">. Antonio Ferreira Mendes
X. 27. Joaquim Pacheco di Silva
N. 29. Jjaquim Felippe Veiga
X. 31. Francisco de Paula Carneiro
X 33. Joaquim Antonio Carneiro
X. 35. 0 raesmo
Traves.;a do Calabouco.
X. 1. Aatonio Brecbado Soares Guima-
raes
N. 3. Carolina Adelina Claudata Fer-
reira
Santo Amaro.
X. 2. A. Companhia dosTrilhos lirba-
nos
X. 2. Pedro de Alcantara dos Guima-
raes Peixoto
X. 6. Magdalena dos Guimaraes Peixo-
to, P.-Jro do Alcaniara dos Guima-
raes Peixoto e Manoel Ribeiro de
Carvalho
S. 8. Francisco Alves da Veiga
X.'IO. Viuva deJdse Marques Vianna
X. 12. Francisco Ferreira Borges
X. 14. Bai tlulomeu Francisco de Scuza
X. 16. 0 mesmo
X. 18. Antonio de Paiva Ferreira
X. 20. Maria Lourenja de Barros
X. 22. Merandolina dos Guimaraes Pei-
xoto
X. 24. Pedro de Alcantara dos Guima-
raes Peixoto
X. 26. Merandolina do3 Guimaraes
Peixoto
X. 28. Anna de S. Ursula
X. 30. A mesma
X. 32. Antonio Joso de Faria Lino
X. 1. Barao do Livramenlo
X. 3. Manoel Ignacio Q. Avilla
X. 5. 0 mesmo
FREGUGZ1A DS S. JOSfc.
Pedro Aflnso.
X. 2 Ordem 3.' de S. Francisco
X. 4. A raesma
X. 6. A mesma
X. 8. A mesma
N. 10. A me.ma
N. 12. Jose" Joaquim da Costa
X. 14. 0 mesmo
X. 16. Joaquim de Aquino Fonceca e
11,600
11,600
ds
135,000
18,000
21,600
21,600
32,040
28,800
21,600
28,800
25,200
18,000
19,800
19,800
22.500
11,685
21,600

-4
esrao
L. ** Pr**
% 3. Visconde de CamM
X. :l. Gailherrae Angund
omit*!
X. 3. 0 mesmo
N. 5. 0 mesmo
X. 7. t> mesmo
X. 9.iD moamo
H. Ik, AntoamGoncalves derAfe#-
v d_ *{*vemdii,Aiieaa
X. l.Haciode Maribaea-e Vistonde -
de Gamaragipe
X. 3. Dr. Bento Jose" da Costa
K 5. 0 mesmo.j A ,,. .^hw
X. 11. Omasmo XMl
X. 13. 0 mesmo
S .^!onfaDomf-----------
mao
90,000
63,600
6-3,000
63,000
63,401)
110,003
120,000
45,000
45,000
45,000
43,000
45.000
.y r 45,009
'omiogos Marques Ro-
61,IO
FRIseUEZl.l DO RBT.frBi
Praca da Assemble"!.

54,000
54,000
57,600
57,600
57,600
57,600
57,600
57,600

57,600
57,6)0
57,600
57,600
75,600
90,000
10,800
54,000
54,600
45,000
43,000
45,000
45,000
45,000
36,000
36,000
54,000
55,800
63,000
45,000
12,000
36,000
36,000
36,000
36,000
45,00i
45,000
39,600
45,000
45,000
36,000
54,060
45,000
43,000
63,000
63,000
36,000
13,200
60.000
45,000
36,000
129,600
117,600
121,000
103,500
30,000
VkMk
5'i,0O0
54,000
72,000
161,400
45,000
18,000
outros
X. 18 Os mesraos
N. 20. Theotonio Felix de Mello
X. 22. Jose Domiugos Codeceira e ou-
tros
X. 24. Dionisio GonjalvesMaia
X. 26. Maria Joaquina do Patrocinio
Dutra e outros
X. 28. 0> mesmos
X. 30 Os mesmos
X. 32 Or Jem 3." de S. Francisco
X. 34. A mesaia
X. 36. Bernardino Anlonio Ramos
X. 38. Guiiherme Augusto Rcdrigucs
Sette
X. 40. 0 mesmo
X. 42. Manuel da Silva Lopes
N. 44. 0 mesmo
X. 46. Autouio Joso Pinto e outros
X. 50. D.\ Joaquim de Aquino Fonceca
e outros
N. 52. Joaquim Goncalves Ferreira
N. 56. Fianci.-ca Maria de Jesus
X. 58. Francisea Candida da Silva
X. 60. Joaquim Djmingues Fernandes
X. 62. Maria Joaquina do Patrocinio
Dulra e outra
X. 64. Joao Fernandes Ramos de Oli-
veira
X. 63. Antonio Jose" da Cost i Rego
X. 68. Domiogos Ribeiro da C. Oli-
veira
X. 70. Manoel Goncalves Ferreira e
Silva
X. 72. Joaquim Joso da Costa Fajoze-
Junior
X. 76. Antonio Manoel Ramos
X. 78. Annunciada Camilla Alves da
Silva
X. 80. Viuva do Dr. Abilio Jose Tava-
res da Silva
X. 82. Manoel Jose de Maltos
X. 84. O raesmo
X. i. Dr. Bento Jos6 da Costa
X. 3. 0 mesmo
X. 5. 0 mesmo
X. 7. 0 mesrao
X 9. 0 mesmo
X. 11. Dr. Bento Jose" da Costa
X. 13. 0 mesrao
X. 13. Barao de Moribeca e Visconde
de Camaragibe
X. 17. Os mesmos
X. 19. Os mesmos
X. It. Os mesmos
X. 23. Os mesmos
X. 25. Os mesmos
X. 27. Os mesmos
N. 29. Antonio Goncalves de Azevedo
X. 31. Henri me Bernardes de Oliveira
X. 33. Arthur, filho de Manoel Pedro de
Mello
X. 35. Maria Francisci Botelho e ou-
tra
N. 37. Manoel Jose Pacheco de Mello
X. 39. Manoel Joaquim Ramos e Silva
X. 41. 0 mesmo
X, 43. Clementina Theodora da Silva
"X. 45. Lcurenco Ribeiro da Cunha Oli-
veira
X. 47. Filhos de Joaquim Baptista de
Azevedo Vianna
IX. 4.S. Igoac'B, Qlaudina de Miranda e
outra
X. 51. Viuva e berdeiro de JoSo da
i Malta Botelho
wN. 53. Domingos Ribeiro da CuBha,
22,500
81,000
10,800
14,400
51,600
21,600
21,600
21,600
27,000
18,000
18,000
21,600
45,000
36,000
18,000
72,000
66,600
66,600
66.6U0
18,0 0
10,800
44,100
21,600
16.20.)
25,200
27,000
X. 2. Manoel M..ide-Ar*tiw C*stro
X. 4. JoteJoaode Amorim
5" ; flarSo dd-Livramemo
X. 1 B. 0 mesmo
N. 1. 0 raesmo
X. 3. 0 mesmo
X. 5. 0 mesmo
X. 7. 0 wesmo
X. 9". 0 mesmo

m


H. 15. 0 me*rno >l** '
X. 17. 0 mesmo
X. 19. 0 mesrao
.
[CoiUimiar-se-lw.)
X, 23. 0 mesmo
22-5,000
130,000
30't.OOO'
300,000
373,000
43,000
12 ',000
144 000
r.)5,o.io
40,800
90,01,0
107,000
53,200
73,800
39,680
63,000
60,000
30.000
45,000
63,000
54,000
75,000
72,0;>0
46,800
0 Dr. Sehastiaj do H>go Barros de l.acer-
da, juiz de diMito especiBr1 do commer-
cio, nesta cidade do lfccifo de Pernam-
buco, por S. M. Imperial e Constitutio-
nal, etc, etc.
Fjco saber aos quo o presenle edital virem que
no dia 19 de novembro do corrente anno s a ha
e arrematar por venda a quam mais der, em
praca publica deste juizo, depois da respectiva au-
diencia. o seguiute : Uma barcaca de nome Fere
Fogo nao lendo fliastros e nem velas, avaliada
por um conto e quinh nlos, penhorada por ex-
acucao de Franci-co Gomes da Stlva Saraiva |con-
tra Jos6 Antonio Marques Guimaraes. E nao ha-
veudo lan;ador que cubra o preco da avaliagao, a
arrematacao jera feita pelo preco da a'ljndica
5I0, na lor.na da lei.
E para que chr-gue ao conhecimento de
todos, matidei fazer o presenle edital, quo
serd allixado nos lugares do costume, epubli-
cado polos jornaes.
Daio e passado nesta cidada do Recife
de Pernambuco, aos 31diasdomez de ou-
tubro de 1874.
En, Manoel M&ria Rodrigues do Xasci-
mento, escrivao, 0 subscrevi.
Recife, 5 d<; novembro de 1874.
Scbastido do lieg'o Barros de Laceria.
aMMttr i teiaH josiifieacl* psra qat
ada mjr'jeaten^a, se a89m emaes por 30
, .pits 0 ftin" da seTem iTimtoaatft, an forma
dailM, jitffcmto se aHaa! tad4*p9r lenten^a.
Pede a V. S. deferimento. -E R. .
Rerie\-14 deselembre de 1874. Mfgael JoeeH
de Almeida Pernambuco.
Estava nma estampilba do valor de t> 0 ra. le-
gahnente inutilisada.
Despacho.DisTribufla. Como requer.Recife,
JI4 de setenrtro de lW4^-Btro de Laoaida.
E nala mais se continha em dUa petlcio e d
'aaho, e por forga do mesrao deepacho fora feita
- a distribuicao ao escrivio deste juizo Ernesto Ma-
cbado Freire Pereira di Silva; depois do que
via-se 0 tor mo de pro tea to do theor seguinte :
Tarmo de proteslo. Aes 24 de satembro de
I81V, nesta cidade do Recil; em mea cartorio,
perante mim e as t steraunaas infra assignadas,
compareceu 0 supplicanle Jose Feli:iano de Na
zaneth; per seu proearador, solieilador Miguel
Jose de Almeida Pernambuco, e tor este foi dilo
(ue reduzii a termo 0 cooteuJo de sua peticlo
retro, que offerecia como parte deste, em que de-
bois da lido assignoa com as inlicadas teetemu
nhfts.- En, Francisco Xavier da Souza Ramos, es
crftio interino, escrevt, Migael Jose" de Almeida
Pernambuco, Frederlco Ghaves e Faustino Jose"
da Fonceca.
E nada mais se continha em dilo termo de pro-
testo, aqui lieimente copiado, pelo theor do qaal,
chamo, eito e hei por cilado os referidos devedo
res acima monciona Jos, para qua dentro do pra-
zo de 30 dias, cimparecam hesle juito, por si, ou
por seas procaradores, aHeaando e provando o
que for .a bem da seu diraito e justiea ; porlanto,
toila a pessoa, parentes, amigos 011 conbeeidos dos
referidos devedores, pjderao laser sciente de to-
do o- expend id 0.
E para quo cbegue ao coahecimento da
todos, mandei pnssar 0 presenlo que serd
publicado pela imprensa e af&xado nos lu-
gares do costume.
Cidade do Recife, 31 de outubro de
187 4" !'
Eu, Manoel .\faria Rodrigues do Xasci-
mento, escrivao 0 subscrevi.
Recife, 3 de novembro de 1874.
Subasliuo do Ileijo Barros de Lacerda.
150.000
50,000
300,000
:k)iijflO0
115,000
115.000
223,00o
225,000
25,0ffl
9u,000
90,000
90,000
90,000
90,000
73,000
60,000
45,000
45,000
60,000
52,500
60,000
43,000
45,000
67,500
90,000
67,51,0
60,000
52,500
45 000
27,000
30,00 <
43,000
36,000
45.000
18,800
60,01)0
60,000
28,800
43,000
60,000
40,500
43,000
66,600
67,500
30,000
30,000
30,000
60,000
78,000
75,010
7.5,000
60,000
60,000
75,000
60,080
45.000
45,000
45,000
52,500
51,500
45,000
45,000
262,800
163,800
158,000
150.000
168,600
22,.",00
22,500
219,000
240,000 (
198,000
187,800
180,000
0" Dr. Luiz Ferreira Miciel 1'inlieiro, juz substi-
tute do juizo especial do comncrcio desla cida
36,01.0 de do Recife de Pernambucj, por S. M. 0 Impe
rador, etc.
Faco saber aos que 0 prescato eJital virem que
no dia 19 do novembro do correnlo auno, se ha
de arrematar por venda a iuem mais der em praca
publica deste juizo, depois da respectiva audien-
cia, 0 seguinte : uma annacao de madeira de lou-
ro, usada e enviJra;ada, lendo alguns vidros que-
brados, por 3'JO^ ; uraa dita com vidros quebra-
dos e desinanchada, por 40^ ; ambas a3 arma
cfles se aciiaai na taverna sita na povoa^ao de
Apipucos, penboradds por cxecu;ao de Souza Bas-
tos & C centra Francisco Marques da Silva Men-
des. E nao havendo lancador que cubra 0 p-eco
da avalii^ao, a arreraata^lo sera feita pelo prego
da adjudicagao, na I'onna da lei.
E para quo chegue ao conhccimenlo de todos
mandei passar 0 presente, que sera pubbcado pela
imprensa e allixado nos lugares do costume.
Cidadj do Iteeife, 31 do outubro de 1874.
Eu, Mano.M Maria Rodrigues do Xascimento,
escriva*. o subscrevi.
Recife, 3 de novembro de 1874.
Luiz Feneira Macicl Pinheiro.
0 Dr. Luu Ferreira Maciel Finb iro, juiz
substitotodo juizo especial do commercio
nesta cidade do Recife de Pernambuco,
por Sua Mag'stado Imperial e Constitu-
tional o Sr. D. Pedro II, aquem Deus
guardo etc.
F*CO saber aos queo presente edital virem, que
no dia 19 de novembro do corrente anno, se ha
Je arrematar per venda a quern mais der, em pra-
ca publica deste juizo, dupoi3 da respectiva au-
diencia, as mercidorias e objectos da tivvroi sila
na povoacao de Apipucos, abaixo declarados:
Um lampeao para distico por l000, 90 panellas
do burro a 60 rs., 6 magus con 3C0 abauos a 10
rs., 3i ouriuos brancos com tampa a 400 rs., 50
lalas com bDla'.-h'nhas a f00 >, 10 majos de pali-
tos de fogo a 200 rs., 19 lalas de peixa a 300 rs.,
2 pares de tamancos a 200 rs., 4 colbercs de pao
a 100 rs., (08 tig Has a 80 rs, 96 dilas pequeoas
a 60 rs., 40 botijas com cerveja a 200 rs., 60 gar-
rafas com cerveja a 200 rs., 57 ditas com vinho
Bordeaux a 400 rs., 4'ditas com biter a 500 rs., 4
ditas com xarope de aOacaxi a 400 rs., 8 ditas com
conagc a 500 rs., 2 ditas com alditom a 500 rs., 60
lalas de doce de raarmelada a 300 rs, 15 a 300 rs., o laus com ameixas a 18000, 6 garra-
fas de vinho Bordeaux a 400 rs., 13 frascos com
coDserva a 300 rs., 4 latas de manteiga de 2 libras
a Is 00, 6 frascos com sal reflnado a 320 rs., 4
caixas de traqaes a 100 rs., 19 meias botijas de
cerveja a 200 rs., 5 ditas ditas a 200 rs., 2 raeia*
garraf-sde champagne p->r IgoOO, 3 macosde maga
para s*pa a 200 rs., 9 calungas de louca a 200
rs., 2 bules de Flandres a 10Q0, 40 garrafas de
cerveja a 300 rs., 2 garrafas de tinta rOxa a 160
rs., 1 frasco de bocca larga por (000, 2 urupe-
mas por 400 rs., 4 mac is de lira fogo a 200 rs., 2
garrafoes com herva-docea 30> 0, 4 ditos vazios a
l, 2 ditos ditos por 2, meia arroba de herva-doce
por 1S600, II esteiras de perperi a 100 rs, 6 di-
las de Angola a 300 rs., nma porcjio de canudos
para cachimbos por 50 rs., 30 caixas de obreias a
40 rs, 2 copos grandes a200 rs.,2 Jitos peqaenos
a 100 rs., 3 calices s 100 rs., 10 barricas vazias a
100 rs., 5 barris a 500 rs., 3 pipas vazias a 2000,
18 paras de cordas a 20 rs., 1 cuia grande por 200
rs., 1 caixa com rolhas por 1000, lOmacos coS
|,cigarros a 20 rs., 1 mesa de pinho por 23000, 1
barrll vazio para vinho por 500 rs, I caixa com ar
fazema por 3^030, 1 relogio desconcerlaJo por
l000, 100 pares de paos para tamancos a 100 rs,.
tudo na importancia de 273,500, penhotados por
execnca> de Anlonio Ferreira do Carvalho contra
Francisco Marques da Silva Mendes.
E nao havendo lancador que cubra 0 preco da
avalicao ,a arrertfSlacao sera feita pelo preco da a 1
judiacao, na forma da lei.
E pira que chegue ao coDhecimento de
todos, mandei psssar 0 presente, que serd
publicado pela imprensa e afliiado nos lu
gares do costume.
Cidade do Recife, 31 de outubro de
1874.
Eu, Manoel Maria Rodrigues do Nasci-
mento, escrivao 0 subscrevi
Recife, 1 de novembro de 1874.
Luis Ferreira Maciel Pinheirff.
Faculdade de direito.
De ordm do Hxm. Sr. constlheiro direct r vis
conde de Camaragibe, face publico qne esla posla
a concurso com praz j de 4 raezes, a contar da
data deste, ? cadeira de philosophia do curso de
preparalorios aanexo a esla faculdade, vaga pela ju-
bilarSo que obleve 0 respeclivo piofessorbacbarel
Antonio Hercnlano de Souza Bandeira, pelo que
os quo se quizerem inscrever deverao apresentor-
se lesde ja com documenWs que provem : 1*,
sua qualidade de cidadio Drasileiro; 2*, maiori-
dade legal; 3*, moralidade altestada pelos resp c-
tivos paroehos e fulua corrida nos lugares onde
In uverem residido nos cinco ultimos annos ; 4*.
capacidide profi^ional a qual pmva-se exbibinJo
0 candidato algum dosjegninlos documentos:-ti-
tulo de capacidade, na materia em concurso, con
feriJo pelo conselho director da io-trucQio priraa
ria 0 secundaria do munieipio da corie-tilulo de
professor tamb*m da mat-ria em concurso, con-
cedido pelo goveroo imperial, diploma do bacba
rel ou de doutor nas faculdades do imrerio ou
academias esirangeiras ou de ba;har emeai let-
tras.
As pesiOas notivuis por seu talenlo e reconhoci-
dameute habiilitadas poderao ser dispensadas da
prova de capaci lade pelo governo, e as que nao
poderem provar ou obtiverem dispensa, passarao
por um exame antes d i serem aJmiindas a ins-
eripQao : teuJo de coofoimidade com 0 cap. 4 do
regnlamento de 4 de maio de 1856.
E para constar, mandou 0 mesmo Exra. Sr. con-
sejheiro director -lllxar eslo edital, qua sara i>u-
blicado ne?ta provineia, na cortec enas provin-
cias raais proximas.
Secretaria da faculdade de direilo do Recife. 4
de novembro de 1874
0 seerelario,
Jose" Honorio Bezrra de Menezes.
0 Dr. Sebastiao do Rego Barros de Lacer-
da, juiz de direilo especial do commer-
cio, nesta cidade do Recife de Pernam-
buco, por Sua Magestade 0 Imperador,
que Deus gua/de, c.
Faco saber pelo presente, que Jose Feliciano
de Xazareib, por &eu procurador, me dirigio
a peticao de theor saguinto :
Him. Sr. Dr. juiz de direito e especial do com
marcio. Josi Folieiano da Xaiaretb, oommer-
cianie nesta praga, sen do ccadoft de Duarte Ki-
beiro, Duarle & Lios, Duart^i^ CoutinJjo, Ma-
noel Goncalves Mirtins, Marliaa &. Fernandas
Jos6 de Araujo Pinheiro, petal Iqtiras quo juntas,
quar de novo interroaiper a pefcxiue requar a V. S. quasa digno maadar
qne escrivio a qoem for esta- dislribuidA lavre
0 (espectivo termo, aim da, assignado pelo sup-
plica*eoQ mq procurador, seja io*W).i(io a aa^-
0 Mm. Sr. inspector do thesouro provincial
raanda fazer publico, que cm cumprimeulo da or
dem do Bun. Sr. presidente da provineia, de 23
do corrente, tern de ser arrematada no dia 25 de
novembro proximo vindouro, perante a junta da
fazenda do mesmo thesouro, a obra dos reparos do
empeJramenlo do 1 e lauco3 da eslrada de
Palmares, orcada em 11:830/, e debaixo das con-
dijoes abaixo transenptas.
As pessoas que se pnpnerem a esta arremata-
5J0, comparecam na sata das sessoes da referida
junta, no diaaelma mlicado, pelo meio dia.
E para constar a quern interessar possa, so man-
dou faze pubiico pelo presente Diww.
Secretaria do thesouro provincial de Pernambu-
co, 30 de outubro de 1874.
0 seerelario,
Miguel Affonso Ferreira.
Claasulas especiaes para a arrematacao
das obras.
1."
As nbra3 de reparos e empedramento do 1 e 20
langos da estrada de Palmares a Pimenteiras, na
importancia de 11:880;, serao execuiadas de con-
formidade com 0 respec.ivo or^menio e desenhos
juntos, approvados pelo Exra. Sr. presidente da
provineia, e insiru-.coes do engenbeiro encarrega-
do da fiscalisaeio dos trabalhos.
2.'
0 arrematante dara coraego aos trabalhos no
prazo de 13 dias, e os conciuira no de 5 mezes,
este ultimo prazo contado depois de findo 0 pri-
meiro.
3.'
Os pagamenlos serao feitos em quatro presta^oes
iguaes, a pr^porgSo dos trabalhos executados.
4."
Finalmente, em tudo mais que aqui nao vai es-
pecificado, seguir-se-ha 0 que a respeito dispoe 0
regnl inicnto de 24 de fevereiro de 1874.
Cabo, 16 de outubro de 1874. Assignado, 0
engenhtiro Joaquim G Coelho.
< onforme.0 official Joao Joaquim de Siqueira
Varejao.
Conforme Miguel Affmso Feireira.
tare
[IE
3USAC0ES.
\ Aagirafc Frederico
Anidrild Serapbilff d*Wrv
Antmio JoaqqlraSBVe.
Anlonio Machado rtreira Vraana
Barao de Ourlcury.
Barao de Bemfiea.
Barlo da Soledade.
Barao de Nazareth.
Barao de Sania Croe.
Barthplomeu Praocisio de Sonxa.
Bernardino de Sena Pontaal.
Caetano Cyriaco da Cos* J#jreira.
Corniniano dd Aquino Koacaca.
Claudino Josii de Sant'A ana.
Carlos Pinto de Lmw.
Carlos Jose" de Medeiros.
Can lido Jose" da Silva Gukaaraes.
Domingos Alves Matheus.
Dtiraelrio Acacio de Araujo Bastos.
Daniel Cesar Ramos.
Elias Baptista da Silva.
Eduardo Candido de Oliveira.
Francisco Ferreira Baltar.
Francisco Anlonio Gomes de Maltos.
Francisco Apolooio Reierra da Sdvav
Feiippe Aotooio Rodrigues da Costa.
Francisco Accio'i de G mveia Lios.
Feliciano Jos6 Gomes.
Franciscj Antonio a* Rosa.
Francetino Vivier da Fonceca.
Francisco J a jiiim Ribeiro de Bnio.
Francis-.) 'gnacio de Oliveira.
Francisco Je Albuquerque Mello.
Francisco Antonio de Assis Goes.
Francisco Terreira Baltar Junior.
Franciseo J-sf da Silva Guimaraes.
Francisco Vieira Per Jig io
Felisberto Ferreira de oheira.
Geonino Joe da R"a
Henrique Fernandes de Oliveira.
Uenninio Egydiode Figininda.
Ivo Antonio de Aadrado I.ana.
Jose J ronym) Monieiro.
Jose Marceiin da Ifi-a
Joio Igaacio de U Jose" Francisc? S:i LMka
Joaqnim Uauricio Goncalves llosa.
Jose Gomes Leal.
joao da Cunha M i^ir,, s.
Joaqnim Jose da Corta F.<)uies.
Jose" Rodrig;es Peresra.
Jo^e Pereira da Cuol t
Jose Joaquim Dias PRnaadea.
Jose Vriloso Soares.
Joao Chriso.-lomo Ga*ahra3 Ro-a.
Joao Jjaquim Alv s.
Jose Pereira da Canha Junior.
Jo.-e Moreira da Silva. t
Jo^e Augusto de Araujo.
Joao If.iMista Gomes 1 Vnn.i.
Jose de Sa Leilao Junior.
Joao Pinto de Lemos.
Jose Francisco do Rego Mell).
Jose Autonio Moreira Di&s.
Joao Manoel Pontual Junior.
Jose Ferreira da Silva.
Jose" Feliciano Xazarelh.
Jose Fraucisco Lavra Penna.
Joaquin Felippe da Cosla.
Jjaquim Olinto .Bastos.
Joao Pereira Rgo.
Joao Jose" da Silva,
Joao Jose de Carvalho Mjracs.
Joao da Rosba e S.lva
Joaquim G^miniano de Arm 11.
Joa<|uiin Josd Uamos.
Jose" Alves Barbosa Junior.
Joaquim de Souza Silva Cunhi.
Joaqnim Alvaro Garcia.
Jo.-e d.i SJva I. jyo Junior.
Joao W.il.'red) do M d-iros.
Jay i e ii >3)ifuera Filho.
Joaijiiiiu Bernardo dos Reis.
Jjaquim Lopes Machado.
Joie Ferreira Baiter.
Joaqnim Francisco das Chag.as e Silva.
J..sd Domingu;s do Carmo e Silvj.
Jose de Assumpcad Oliveira.
Jose Luiz de Mello.
Joao Rodrigues de JLura.
J)\qnim lidefonso da Motta Si'veira.
Jose Rufiao Climaco oa Silva.
Jose Luiz Goncalves Penna Junir.
Joio Antoaio da Silva Bastos.
Jo;e Antonio Pinto.
Luiz Antonio Siqji.'ira.
Luiz Jose da Silva Guimaraes.
Lourenco Luiz das Xeves.
Luiz Goncalves da Silva.
Luiz Alfredo de Moraes.
Luiz J so Pereira Simoes.
L-onidas Tito L^ureiro.
Uanoel Duartb lliidrigucs.
Manoel Antonio da Silva Moreira.
Manoel Joaqnim liamos e Silva.
Marceiino Goncalves Rosa.
Manoal Joaquim Rodrigues de Santa.
Miguel Jjse de Abreu.
Manoel Jose da Silva Guimaraes.
Manoel Pereira Lpmos.
Manoel Victor de Jesus da Malta.
Manoel Januario de Arruda.
Uanoel Moreira de Soua.
Manoel Aives Gin rra.
Manoel Pereira da Cunha.
Manoel do Xascimeuto Cesar Burbraarjuj.
Bacharel Manoel Gomes de Mallos.
Mil lias Tavares de Almeida.
Olympic Goncalves Bosa.
Pedro Joa |uim V>anna de Lima.
Pedro Goncalves Pereira Caseao.
Pedro Osorio de Cerqoeira.
Satyro Seraphim da Silva.
Thomaz Francisco de Sailes Rosa.
a


I
Tnomaz T.-i %
Vicente At 1
Vicente Jo
Joviniano k
Antonio Rod.
Francisco M..
Anlonio Perei.
ira Bastoa.
3 Wauderlev.
' Britj.
; do Souza.
- de Almeida.
u* Cunha.
Joaquim Jose Gongalves Beltrio Junior.
Jacintho Xunes da Gosta.
Esta conforme Secretaria do tribunal d
commercio de Pernambuco, 5 de novembro 1874.0 official maior, Juli) Augu.-to da QM
Guimaraes.
Secretaria do tribunal do
commercio de Pernam>
buco.
EDITAL.
0 tribunal do commercio da provineia de Per-
nambuco convida aos Srs. com nerciantes nacio-
naes matriculados e residentos neste district i a
comparecerem no dia 4 de dezembro proximo fu
turo, as 9 horas da'man ha, na sala da Assort agio
Commercial Beneflcente, para proceder-se a elei-
qh0 do dous depntados commerciantes e de dous
susplentes que no seguinte quadriennio de 1S73
a 1878 tem de funccionar na forma do litulo uni-
co do codigo do commercio e decreto 0. 696 de 5
de setembro de 1850, vis to tiodar este anno 0
prazo da eleicao em virtude da qaal funccionaram
corao deputados os Srs. Joaquim Olinto Bastos e
Manoel Alve3 Guerra, e como supplentes os Srs.
Jose Francisco Sa Leilao e Joaquim Mauricio Gon-
calves Rosa.
E para constar manlou 0 sjbreJito tribunal fa-
zer 0 presente eJital, que assignado pelo seu se
cretario, sera publicado no Mario de Pernambuco
e Jornal do Recife e aflixado na praca do Cora
m ;rcio com a lista de quo trata 0 art. 3 do cilado
decreto; 0 quaesquer reclamac,5e-i por omissSes
ser&o attendidas ate 0 dia 3 do dilo moi de de-
zerabro.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco, 5 de novembro de 1874.
0 seerelario,
Joaquim Olinto Bastos.
LISTA.
Antonio Jose" Leal Reis.
Antonio de Sonaa Pavolide.
Antonio Gomes de Miranda l.e.!.
Antonio Luiz dos Santos.
Antonio Mumz Mahhado.
Antonio Valentino da Silva Barroca.
Antonio da Silva Ferreira Junior.
Aatonio Alves Barbosa.
Antonio de Mou/a Rolim.
Antonio Ignacio do Reg 1 Medeiros.
Autonio Jose Si.lva do Brasil.
Anlonio Joaqo)mrde Vasconcellos. ,
Antonio Franci-co Pereira da Lyra-
Antonio Gomes de Mattes.
Antonio Climaco Moreira Temporal.
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo.
Antonio lose Dantas,
Aureliano Aujusto de Oliveira,
Luso Brasileiro.
scienciv
J>aqnin.
missa d
A dirccuria tendo na sessao d?hoj
do fallecimento do consocio Guilherme
da Cosla, resolveu mandar resar uma
requiem, na segunda-feira 9 do corrente, a*
horas da manba, no convento do Carmo. A dir>>
toria convida a familia, parentes e amigos do
cido e aos associates em geral, p3ra assistirem '
este acto de fratornidade.___
^IMBBBHKHmHMaBflEiHHHBBBWat
Irmandade
das Almas, Jereeta na matriz de Sanlo An-
tonio.
X"o se tendo reaniio nnmero legal de irm"
para a eleicao da mesa regedora qa_e lem d^fa&t
cionar no anno corapromissal da 1874 a 1675,
de novo eonvidados, da ordem do nosso irmio juiz
a com.iarecerem no consistorio da mesma irman
dade, no domingo 8 do corrente, pelas 10 bora? I.
maulii.
Consistorio da irmandade das almas, erecta n.
matriz de Santo Antonio, aos 4 de novembro d<
1874.0 escrivao,
_______Francisco Ferreira .\ovaes Filao.
Xo dia 9 do andante raez, depois da aulien
cia do Sr. desembargador juix de orphtos, vai ?
praca da venda a casa da rua do Pocinho 0- 18.
oartancente ao inventario de Evaristo Salgad\ q-'
foi avaliada por 2:000j, com 0 abate da quint*
parto^______________________________________
CONSULADO PRO.l.NClAL.
Kela reparticao arrecada-se novamente dm an
e 0 corrente mez as importances dos apparelhos
encauameatos, differencas e annuidades deviaas ;
companhia Recife Drainage, no trimestre de julh
a dezembro de 187J, pelos predios sites as rua-
do Mirquez do Harval e Padre N"br_?*___i _
conformidade com a portaria do Sr asaeeaor a
th ;<)oro provinsial e as novas relacoes em sub->
tiiuicao as primelras. '
Corvsulado provincial do Pernambuco, i
de nQveinmbro de 1974. ^
0 administrador,
Antonio C. Machado Rios.
No dia 13 do corrente, finda a audience 4
Dr. iuiz substitute da 1' vara, tem da ir em pra;.
para serem veadidps, par quem mais der, a arma
cao e goaecos axla^entasmi taverna da rua da Flo
rentiaa n.... porexei!i__i da ordm tcrcMra d
s. Franciseo contra/ jelo Fpn^kc da nr
Braga.
V


Ji*no& iferpam>iwu Sexta teira 6 de Novombro ae 16U.
:*
dot trilhoa)
* lln
pan maaVira, 10 varan de eobre d 0,mOi5 da
j_ ..!#. grooura, 300 folha* da eobre da S4|0, W remo* de
*" raia de 6,mltO de eomprinaato, 100 reroos de
BBBerifte. faia de 5,m"80 da comprimento, 60 remoa da (aia
Nio tendo ) dia 31 de o> 5,m440 de compriraenlo, SO remos de f.l* de
outubro comparecido nume- 4?rD"60 de eomprimeuto, e GO pralos travessos de
ro leyal p ra funecionar a folha
assembled geral dos accio- ga^ j^ sestdes do conselho de compras
Su ^noTdffd^Ka. ^o arsenal de marinha, 3 de novembro de
II do corrente met, ao meio 187*.
O secretario,
Alexandre Rodrigue* dot Anjos.
reumao tefa-a no lugar do costume,
devendb f ntto a assemblea fuoccionar dos termos
do art. II dos seas estatutos.
Recife, 2 de novembro de 1874.
Luiz Lop-s Castello Branco,
Secretario.
Prac,a
Sexta feira, depots d >udiencia d > Sr. Dr. juiz
de paz da freguezia de Santo Antonio, vao a oraca
espen qoe todos concorrain com o maior nume
ro possivel de prodoctos e specimens da indu-tria
naciooal, aflro de it represeolada eonveniente
roente entre .< uas irmas, a 0 Bra.-il aa exposioao
de Philadelphia, rjne s> ra sua inauguracao no Jia
19 de abril de 1076, mediante o esforcp de todos
os brasileiros, devidamente apreciado no estran-
geiro.
Paco da camara municipal de Olinda, 22 de
outubro de 187'*.
Barao da Tacaruna,
Presidente.
Marcolino Dias de Aranjo,
___________________Secretario.
SANTA CASA DA MTSERlCOKDlA DO
RECIFE.
na sala das audiencias.
Juizo dos feitos da fazenda
Escri va > Bandeira
Sexta-feira, 13 de novembro vindouro, depoit
da audiencu do Dr. juic dos feitos, serao arrema-
tadoa por venda os aeguintes predio-:
0 sobrado n. 9 do larg j do Carmo, com 64 pal-
mos da fando, 13 ditos de vao, 2 salas, 2 quartos,
sotao e cozinha, avaliado em 5:000*.
As casas terreas n. 6 na travessa da Viracao,
com 36 l|2 paimos de fundo, 14 dilos da vao, 2
1 .'alas, 1 quarto, cozinha interna, quintal peqaeno.
! avaliada em 1:000*; m. 22 e 24 da rna do voto-
' Colombo, fregueiia de Afogados, tendo a paella 63
' paimos de fando, 19 de vao, 2 salas. 2 quarto*,
A Mima, junta administrativa da Santa Caaa da C0Iinna interna, quintal mnradoe cacimba meeira,
Misericordia do Recife, raanda faxer publico que 8Valiada em 2:OoO|, >sta 68 paimos de fundo,
litsaia da suas sestoes, 0 dia 5 de novembro, pa- -M 1|2 ditos de vao, 2 salas, 1 gabinete, 2 quartos,
as 3 boras da tarde, tern de sar arrematadaa a cozinha extern*, quintal murado e cacimba. an-
quern mais vaatagens offerecer, pelo tempo de urn |ja(ia tm 3:11004 todos ettes edificados em solo
a tree aucos, as rendas dos predios em seguida pr0prio, e va-i a praca para pagamento do que deve
declarados. ___________ la fazenda Joaquim da Silva Costa.
4YIS0S MARITIMOS
facile Steam Navigation Comply
ROYAL MAIL STEAMER
DEM4
Espera-se da Europa at* 0
dia 8 de novembro e seguii-a
para Babia, R.o de J neiro,
Mootevi.ieo, Buenos A y r a,
Valparaizo, Arica, Iilav e Cal-
lao, para onde recebe a pas-
lageiros, encommendas e dinbeiro a frete.
N. B. Nao sahira antes das ires horaa da
tarde do dia da sua chegada
AGENTES
\\ llsen Rowe A C.
tiPRACA DO COMMERCIO1
Taboas, portas, pnncbdes, telbas da aioco, ear-
r in hot de mao, ferrameota para jardiro, e rauitos
outroa objectos existentes na caaa a sillo da Pon-
te d'Ucboa, junto a ponta do Sr. Juatino Perein
daFariaa.
310^000
4084000
2514000
994OOO
ESTABELEC1MENTO DE CARIDADE.
Rua das Calcadas
Idem n. 36........' 2214000
Vidal de Negreiros.
Caterrean. 114......3624000
Idem n. 94.........301*006
Rua larga do Rosarto.
2.* andar e loia n 24 A.
2.* andar u. A.......
3.* andar 0. 24 A. ...
Rua de Antonio Henrique?.
Casa terrea u. 26......
Largo da Campina.
Idem 0 11 (fecbada) ....
Rna do Coronel Suassuna
I* andar do s hrado numero 94 ..
PATRJMON10 IK)S ORPHAOS.
Rua da Moeda.
Casa terrea n. 21 fecbada).. .
Bucco das Bo^as.
Casa terrea u. 18.......421*001
Rua da Lapa.
Casa terrea n. II.......202*000
Rua do Amorim.
Sobrado de 2 andares n. 23 6026000
Casa terrea n. 34......2l2*0tX>
Rnar do Bugos.
Casa terrea n. 21.......153*000
Rua do Vigario.
2 andar do sobrado n. 27 243*000
I" andar do mesmo..... 24"*OOvi
Lojadomesmo.......300*000
Rua do Eocantamenlo.
Eubrado de 2 aodares n. 13 (fecnada).
Rua da Senxalla velha
idem n. 16.......
Rua da Guia.
Casa terrea a. 25 .
Idem n. 29......
Rua da Cru>.
Sobrado de 2 andaresn. t2 (fecbada).
Idem n. 14..... ...
Rna do S. Jorgo
Casa terrea n. 100 (feciada) .
Idem n. 103 ...
Rua do Amparn )Olioda)
Casa tercea n. 18 (fechada). .
Os pr6lei'denies- deverao apresentar
0 solieitador,
F. Correia de Aranjo.
1:400*0'0
209*000
209*i Kn
201*000
8004000
6o0*uhi
241*001'
207*000
2iO*(KI0
no ado da
arremat as suas Qancas, on eomparecerem
acompati s dos respectivos Hadc-es, devcndi.
iiagar ale ruda, o premio da uuanlia err
qoe for e, 0 pr-'dio que coniiver estabelec-
tnento com M, a?sim corao 0 servico da lim
peza e prer;o apparel bos.
Secrctaria nta ijoa dajMiseneordia do lt
cife, 17 df> sstembro d* t874.
O e^envao,
Pnirn Rr.iirtan 4? Snuta.
De ordciii Jo lllrn. Sr insptCtor da thesou-
raria de fazenda de.-ta 1 rovnuoa >6 declara que em
^ejsao >ia junia de II <1e Duvembfu proximo tatu-
ro ira nnvam ntea praja n arreudamrolo do pro-
prio nacmnal Barr^raoqi.e servio de quartel
de eavallana, em Sauto Amaru oas Salinas, pre
feriuti.i-.-i- a hubiii mais v.iat^ireus offereccr a fa-
zenda : "S preti-inlenles que prensaiem, do algu
mas explicacdes, dirjam >e a esta reparticao.
S-ere al ^ a ...e.-ouiaria .le lateud* de I'ernam-
bnco, 27 de oui1 no ue l~74.
Jucuodiino Rudngues de Oliveira,
Secretario da junta.
tOHREMI
Rclarao das cartas que deixaram de seguir
a seus destinos per falta de franquia
Anna Calorina, 0. Antonia Joiquina Aives de
Brilo, Antonia Maria da Cunha, Arthur Elster Es*
quine, A. J. Gomes Netto, Antonio Fr-ncisco Fer-
reira, Antonio Francisco de Oliveira, Antonio Joa
I quim Dias Medronho, Antonio Jo>e da Cruz, Anto-
; nio Correia Antonio Mooteiro dos Santo* (2), An
120*000 1 toojo Rudngues Martins Lamera, Antonio Ribeiro,
Barbara Jacmtba de Medeiros, Bernardo de Farias
386*000 Soares, Co>ta & C, Domingos Francisco Rios,
Francisco Fernandes Crux, Krmci-co da Silva
' Luna Junior, Fraacisco Salles Mendunca da Silva
400*000 Carvslho, Fnncisro Xavier Ferr ira, Joanna Dias
oe uliveira, Giovano Te.-tiro, Innjcencia Rosa da
Cunba, Juslina Rosa de Souza Peixoto, Joaquim
.tntonio de Vascon^ellos, Joaquim Antonio Vieira
da Silva, Joaquim Jose Gomes da Suva, Joaquim
Luiz Vieira, Joao Antonio Furtado, Joan Jose I'ai-
xao de Vascoucellos. Jao Correia Marti is, Joa-
quim Mooteiro da Cruz, Joaquim da Silva Maia,
Jnan Cerillo Olavarna, Joao de Meilo, Jose de Fi-
gueiredo, Jose Goncalves Marlins. Jose Joaquim
Correia, Jos6 Joaquim da Silva, Jose Perein de
Lima, J se Marques de Freitas J se B. IS. reto,
Jom? Rodrigues Terroso, Jose da Silva Mat os. Lui-
za Dieguez, Luiz Thome Gonxaga Junmr, Marga
rid Pemba, Maria Custodia Gomes, Maria Euge-
nia Feteiras, Mara Ferreira. M na Gutierres, Ma-
ra Ricarda, Maria Rosa de Jeans Maria Kosa da
Natividade Gome? Leile, Maria da Silva Rainilho,
Maria Thpreza, Manor! Azxar.iy, Manoei Alves da
Cosia, Manuel Coeffio (t), Manoei de Cerqueira
Piuto, Manuel Fernande> Munte.ru, Manoei Ferrei-
ra de Moraes (2), Manuel Jose 003 Santos, Manoei
Fernandes, Seredelo & C, Tnecdoriuha, Tnereza
Balga Martins, Thereza de Je>us Hi .navo, Tnere-
za Martin- Torres, Ti-emoteo Capellu (2), Tho-
maz Jo>6 de oliveira, Trajaoo Luiz do Fra ca,
Victonno do Almeida Habello, Viceute Paul.no Sil
veira.
Correio do Pernambuco, 30 de outubro
de 187*. 0 official,
A. II. ile Aranjo Pt>rnarnhnrn.
COMPANHlA PERNAMBUCANA
DE
\are{(a(>ilo costelrat a vapor.
atABYEA, NATAL, ktAClO, MOSSORO', 1RAC*
TT, CKARA, ACARACD'.GRANJA E AMARR Ai;\0
SO PIAHBY.
0 vapor Pirnpama, comman-
dante Silva, seguira pan os
portos acima no dia 7 de
novembro as 5 horas da tarde.
Recebe earn ate 0 dia 6, en
commendas, passageiros e di-
aheiro a frete ate aa 3 horaa da tarde do dia da
tahida : escriptono no Forte do Mattos n. 11.
Rio de Janeiro.
rtgae s. Paulo.
Sahira com brevidade : pan carga trata-se na
rua do Vigario n. 7.
Antonio Augusto Perein da Silva, iivenuriante
dos bens do floado Fnn:i tnmba, fara leilao, por desparbo do Illm. Sr. det-
emhargador juiz de orphaos, e por interveoclo do
agente Pinto, dos moveis e mais onjectos acima
descriptor,exi>tenies na casa da Ponte d'Uchda, em
que morou 0 mesmo Retumba.
A's 10 i|2 horas em ponto partira da estacao do
arco de Sauto Ankwio u.n Irem expresso que ser-
rin de conduccao gratis aos concurrentea ao lei-
lao. parando em todas as estacdes.
0 leilao principiara as II horas, por serera mui-
tos e differentes os lutes.
No escriptorio da rua do Bom Jesus n. 63.
0 agente Pinto, a'oloritado peloa administndores
da massa fallida de Benlo da Silva & C, levara a
leilao, nio sd as diridaa, como oa Ires silios que
faxem parte da referida massa, sendo qot a venda
dos sitios e deflnitiva.
Os pretendentes das dividas poderio desde ja
examinar 0 inventario exittente em 0 escriptono
do referido agente, rna do Bom Jesus n. 43, e con-
correrem ao leilao ao dia e bora acima ditos.
LEILAO
(OMPAMIIA
HESSAGERIES MARITIMES.
I.inbn inrnsal
Rio liraiide
Bspen-se da Eu-
ropa ate 0 dia 7-do
corrente, s e g u i n do
depoi? da demofa de
costume pan Bue-
nos- Ayres, tocando na
Qahia, Rio de Janeiro t Montevideo.
Para encommendas, passagens e fre cs, trata-se
com
OS AGENTES
Harlsmeady A Labille
9 Rua do Commercio 9
l.inlia xuensal
Gir.ndc
E' c.'perado do3 por-
tos do sul no dia 9
do corrente, seguindo
depois da demon do
costume para B> r-
deaux, tocando em
Dakar (Goree) e Lisboa.
Para fretes, encommendas e passageiros : a tra-
tar com
OS AGENTES
Harlsmendy A Labille.
9 Rua do Commercio 9
LEILAO
DE
3 tavernas perlencentes a massa fallida de
Pinto & lionralves, sitas em a rua de S.
Joao 0. 12. becco rio JPocmho n. gl e
rua do Marquez de Herval n. 211.
Hoje
as 10 horas na I.*, as II na 2.* e ao meio dia
na3.
0 gente Dia-, competentemenle autorisado pe-
lo Illm. Sr. Ur. juiz especial do commercio, levara
a leilao, no dia e hora indicados, as tavernas men-
cionadas, os quaes pertencem a massa fallida de
Pinto A Goncalves.
0 inventario node ser examlnado pelos Srs. pre-
tendentes, no escriptorio do referido agente.
DAS
dividas na importancia de 5:3449145, per-
tencentes ao espolio do Paulino Oaofre
Nunes
No sobrado da rua do Marqaex de Olinda n 37,
primeiro andar.
Era continaaQio a leilio de predios.
0 agente Dias, competento nenle antorisado pe-
la coraraissao liquidataria do espolio de Paulino
Onofre N'a:ie, levara a leilao as UN ionadaa di
vidas.
0 inventario edoenmentos acham-se em poder
do referido agente, aonde poJem desde ja ser exa-
minados.
Leilao
Thiiiiiitz ^ Aquino fowam \ C.
Succcssores
.sa:cam nor todos os vapores, jobre as seguintej
iraras :
Li-bna. Rejioa.
p.irto. Cavcs.
Riaita. Villa Flor.
Vianna. Miraudclla.
Vis>u. Alijo.
Gunrda. Pavaios.
c.iiiibra. Braganca.
Gnimanes Lamcgo.
Rio de Janeiro.
Na rua do Vigario.n. 19.
Companhia Fideldai e
S- gurus mari i-nos e lerrestcas
A agenci- de-ia compaBbia luma s guros rpari-
timos e terre.-tres, a pr.-mi..s raznaveia, dando nos
uitimos 0 sulo livre, e 0 selimo anno gratuit, ao
segurado.
Feliciano Jose Gomes,
Agente.
CONSELHO DE COM I'll AS DO ARSENAL
DE MARINHA
O conselho pmnuve no di > 6 io corrente raez,
a vist* de propoMas recebidas ate as 1 i horas da
manha. a cmupra dos seguiutes objectos do mate-
rial da armada :
230 litros de azeite de peixe, MO kilos de breu,
110 kiio~ d itp, 100 kilos de core cm vames de
Om,i 06 e 0m,0l3, bem como de Om.Oitf, 1,0 0 ki
los oe cbuinbu em lencol, 4 curvas dt nenpira,
ten .0 de I'.oii.priaient.i n'uma ponia l.ni.'iiicna
outra 0m9l5, amba-< com O.mSSO de largo e
o,ml7o de grussura, 1,250 kilis de estopa de li
nho. 440 kilos de preitos de fern, de costado, 200
pregns de ferro, earn aes, 14 kilos de preg a de
cobre para form, 120 kilos de piegoi de cobre, de
costa o, de 0,ml50, 43u kilns de prego* do cobre,
de costad >, de O.miOO, i paos de sicupira do
ll,mS<.H) de compr ment, 0 ,m27o de largo, bem
cou.o 0,111(38 de grossura, 18 pao< de Mcupira >e
dl,n.590 de compliment 1 e O.m 100 em quadro, 18
|aos do s cupira de 8,m23r> de eomprimeuto c
Q.mz7o de largo, h. m como O.tnoOU do grossura,
OOo pao do sicupira de 4,o57S de eomprimeuto e
J5,m2uO de larg.>, bem como n,inl7S de grusa, 6
paos curvns oe sicupira de ii,m7IO de eomprimeu-
to e 0.m300 em qu dro, t pans de peroba de
10,0i67o oe cmpi iinento e 0,m 75 de I ,rgo, bem
coinu 0 in 125 de grossura, 2 pa-s de peroba de
9,inIM) de compnnient j e O.tnSOO de largo, bem
coin 0,iui2o de gros-ura, 4 pant dc peroba de
-7,u.320 de comprimento e i m,375 de la.go, bem
como 0,in 25 de grossura, 2O0 taooas de peroba
d I2iii200 de c iiiipruneuio eO,mi75 de larg.i,
l>em como 0.mO75 de gr..s>i ra, 174 iabo*s d pao
carga d 6,uil0 de compriinentn e 0,m32i de
largo, bem ciiuo Uini-8 oe gr-s>ura, 18 taboas
de pao carga de 5.U.060 de coinprm.entn e 0 rao40
de largo, 'wm emo 0.1 108 de grotoura, 104 ta
boa< de pao carjra de s,m060 de comprnnento,
0,mt7O de larg.., bem com 0,u.081 de gms^ura,
12 tabnas de pan carga de 5,3)280 e comprimento
e 0,m 4" de largo, l,em como O.inOSI de gr..ssnra,
60 taboas .ie pinb ameriran.. de 4,oi57o de .-..m-
primento e 0 mSAO do largo, bem nmo 0,mi>2!> de
(ros>u>a, 15 tabnas oe pinho de nga .-u e retina
6 d 7,iij625 de romprim n 0 e A,ri.3nO do larg",
dem c.'iim 0,ir*O75oe gi<.ssura, k<> titi as de pmiio
be riga 0 1 de resina de *,mo'n<) de comp iineolo e
0,mz&0 de largo, bem oinrn O.inMJ"' lie grossura,
25 irave (mad.-n a Jo qpal da-)-) de 8,mH a w.mO de
ompnn.e to e OmloOa 0.17*eoi q adr,., 40 du
zias de lapir, 40 grozas de parafO'os > com rosca
ADMIMSIRA^^O Dti^ 0ttHr.11>.-> ..-. .S..%.1ji-
BU'.O, -. DE OVE BI10 E 1874
Rela$5o da enrrespondencia rrgistrada fsftn valor)
recebidade dicersas procedeutiis ule esta data,
e que nao tern sido en'reijiw por iijnorar se as
residencies dos destistatarias.
Antoui'i Ferreira de N e Nelio, Aniancio O de
ii.no-", Amara de Ohveiia Dutra, Antero >. M.
Furtado, Ayrns A Garna, AvtouM R. dn Souza,
AJelai-e E.G Lius, Antonio U. P. de Mespiita,
Benlo J. da Silva, foe dos Saul s Catlado, Car
neiro tc C, Francisco L. O.-ono, Kr-ui:iM:o D. da
Siiv, Pnrtunato Arehanjo da ruz, Pranckeo C.
Albuquen|ne Lins, Fnnci-Co da O >ta Maia, Gas
la 1 de Ar.-gao e Hello, Guiihermina \. U Lins
InloZ F. Veil .so, Joan LeitM Netto. Jos^pha Ave-
lina da S. Pedroia, Joan B R. Perein, Jo-6 L.u-
renco Goncalven, Joao Cbry...-tom Pe'agio Joa-
quim Rndrigue-> Penira, Joao dos Reis de -ouza
Dantas Filhn, Jose Ferreira de M.>ra:s, J .ao E. da
S Lisb a, Jo>e Matbia* da Silva, Jose Caslellao Fi-
Iho, Jnao t.yrilln ae Lima, J.?e G.-mes de --ouza,
Jo>6 Gomes Villar, Luiz da Veiga Cessna, Mananna
de Sena Guimar^es, Manuel llariosa de Araujo.
Manuel Mumz FaicSo, Roiiolpho Miximilian.. P.
IKmellas. Viceute Ferreira Muuiz, -erissimo F.
Cbaves Junior.
0 olfi ial onc-irregailo do regislro,
Josi Candida de Barros.
Ti.U-.TO*
B0N1 RlUTHa
EM
S Jus6Rna in Alrcrim.
F.spettaculo em baoefieio do actor
Valerian**.
Sabbado 7 do corrente.
Subira a scena o drama cm 5 -cms
00
O talisman dc mlziha niai.
Em se.imda a scena comic, :
(luentAo Anglu-Brasilcira
desempenh>.da pelo bi-ueticiaoo.
Terminara o espectaculo com a comedia em 1
aoto :
-IIan da quern node.
Pnucipiara as 8 1(2 boras
0 resto de alguns bilheles a.-ham se a venda
na escriptorio do theatro.
O beoefi.iado desde ja se lorna soramauiente
grato aos seus amigos e com especialidade ao il-
lu-tiajo pub/ico.
THEATRO
SANTO ANTONIO.
CDMPANHIA ITALIANA
Sabbado 7 do corrente
I Mima rMsita e deolma de assisna
lura em bfnellei.i do artiata
e cmpreiino
...in a vr^ude obra em 5 aclos de R. Cal-lve
nhio, em dialetico veneziano :
A criada astudosa
E
0 velho enamorado
Come^ara o espectaiulo &>m a comedia
act> :
O amigo Francisco
N. B. U boneticio e >em reparte
A'i 8 hora.
m
em 1
COUPAHIII.% BRAS1L.EIRA
DE
NAVEGACAOA VAPOT.
Portos do noif;
Agente Martins
LEILAO
DE
moveis, louca e objectos de ouro
Hoje
as 11 horas da manha.
\o nriuazeni da rna do Intpera-
dor 48
Uma mobilia de jaciran 'a, I dita de mogno, I
dita de amarello, guarda roupa, guardas-ve>>isdo,
mesas eU-sticas, aparad.n.s, marquezas, sofas, con*
solos, camas de 'erro, commudas, meias ditas, ca-
deir-s avuUas, de amarello, paia sala de jantar, 1
cadeira de viagem, ditas de balance, mesas, espe
Ibos dourados, maiminas de cstura, veneuanas,
12cadeira de jacaranda, 2 bancas grandes, 2 me-
sas para hotel, louca, alguns objectos de ouro, e
uma prande quantidaue de correutd^s e anneis de
plao,ue\ __________________ ____________
Db
bancos para carapinas, tabnas, pranchdes, carros
de mao, ferrameotas, telhas de zioco, tijollos,
agulhas de marear 1 cabo de piassava, escadas,
cachiibos e portas n >W, e outros objectos.
Hoje
Na Poute d'Unhda
Casa em que morou o fallecido Retumba. e por
o-'caMao do I l5o de nn; cry-taes, porcelana,
obje.-los de electro plate e moveis.
A's 10 l|2 horas partira da estacao do arco de
Santo Ant >nio um Irem.
M
armacdo, fazendas e pertencas da loja de
mtudezas da rua da Itnperatriz n. 86
Massa fallida de Jose Bernardo da Motta
SEGUNDA-FEIRA 9 DO CORRE.YTE
0 agente Martin- levara novamente a leilao, por
mandado do Illm. Sr. Dr. jnis especial do com
mercio, a armacio, fazendas, miudezas e moveis,
perlencentes a massa fallida de Jo-.': Bernardo da
Motta, na loja da rua da (mperatriz u. 86.
A' It boas do dia. acima.
LEILAO
DO
sobrado de 2 andares e soldo edificado em
solo prnprio, em a rua do Fogo n. 18
SKGUNDA FEIRA 9 DO CORRENTE
Em o I.* andar do sobrado da rua do Marquez
le Olinda n. -7.
Em coutinuaQao ao leilao de predios.
0 ayente Dias, competentemente autorisado,
levara a leilao o mencionado sobrado de 2 anda-
re-> e sotao. em a rua do Fogo u. 18, o qual rende
aanualuiente l:30t>000
Paraqaalquer informacao a rua do Marqiez de
Olinda a 37, pnmei o andar, escriptorio do
agente.____________
I mesa de amarello, i leito para ertanea 1 tmr.
qneza.
4.* quarto.
Uma eama pan sotteiro, 1 guarda-vestidot mm
gaveta, I par de eonsotoa e I mesa redoala.
Saia de jantar.
Um sofa, IS eadeiraa de amarello, I par 4e apa -
ndores, 1 quariinheira, I epregaicadwra, I aae-
sa pan jantar, 1 rico apparelho de metal, I dit.
de porcelana para almofn, 1 dito pan laatar, t
pares de quarlinbas, 1 maquina de eostara, aovt.
de Singer, 3 dnzias de cops para agoa, 3 dMas d*
calices, e mui'.os ontrna objectos, qoe par te tor-
narenfadoobo nao se annuncia.
Terca-foira lO do correaaie
No segundo andar da rua da Senzalla Ve-
lha n. 110.
a 11 horaa em poo to
AO CORRER DO MARTELLO
Iraportante
LEILAO
DE
Um grande sills /.into a pevoacao de Duat.
Coelho em Olinda, com um grande sobrado e sou
para moradia At grande familia, com at Mgninte*
commodidades : pavimento terreo, 5 salat forrada*
e bem preparadts, 6 quartos e cozinha indepeo-
dente, I.* andar 6 salas forradas. 1 copiar, sniic.
2 salas e 6 quartos, I quarteirac de 5 cataa em a>*-
guida, 3 gallinheiros de pedra e cal, gradeados,
casa, senulla e gallinheiros circulad.* com calci
da, 1 grande cocheira de pedra e cal, I ritnbar. i
para 6 cavallos, a voolade, 2 casas pan hospede..
tend j uma dellas 1 l.-rraco com caramanctaao d>-
ferro, 2 banheiros de pedra e cal, 3 caeitnbas e -
viveiros, 2 ditos principiados, I pnmar de rail U
rangeiras, I dito de 600 roqueircs, I grande par
reiral do avas de boa qualidade, e rauitas ontn*
variedades de arVores fructiferas, I boa horta com
todas as qualidales de hortalice, c-.mdes baiiaspa-
ra capim, 1 grande jardim que c ujrenende tod i
o sitio, c..ra flores esjoihidas. send n iciona-s e e
trangeiras, 2 lindos faramanetxes le ferro, nm >
caixa d'agua e repnrh".
0 referido sitio e dividido por 3 eslralas el ri:.
tendo sahidat com partBec de ferro para as dita-
estradas, 1 po to de da*embar.|ue e emb ir jue n
centro do silio, terreno proprio ; a nnal s.tw pi-
ra um familia vjver independent?, so ;om o pr:
ducto dasfructas, flores, ImMOmm e capim qu
vegeta este sitio, e gosar do bon: viver que offer
ce a natureza.
TERgA-FFJRA, 10 DO CORRENTE
8 I I li ra-.tla m.Hii.a
No escriptorio da rua do B'jrn Jesus n. J3,
I.* andar.
0 agente Pinho Gorges, bastante autorisado, *ii-
dera o referido silio, por junta e risco de quem
pertencer.
Os Srs. pretendentes podera desde ja examine-
lo, e qualquer escla-esimento o n:\-mo agente pc-
dedar a quem in'.erpellar relativameote para i? .
Commandante Carlos Gomes
E' e.-perado dos porto>
do sul.inclvsive o da Vic-
toria ate o dia 7 do cor-
rente e seguira para
os do none depois da
demnra do costome.
Para carga, encommendas valores e passageno,
'.rata-se no escri i.tc rio
7RUA DO VIGARIO-7
Pereira Vianna & C.
Apentes
hiraolsii (h1 ,| ilieir.
segue ne?tes poucis dias o pataeiio bra>-ileiro Ri-
val; sobre n pe.pienn resto >le earga que Ihe falta
trata so no escriptorio do Baltbar, Oliveira ex ',
a rua do Vigario n I, 1 anl.r. _________
11. \f L II *'l
0 brigue pnrtuguez Triumpho, pretende seguii
:om muita brevidade : para carga e passageiro>
rata-se com os cousignatanos Thotnaz de Aquino
'onceca 4 C. succes-ores, rua del Viuartu n. 19
Para o Fara
Pretende segnir com muita brevidade o palha-
bote Joven Arthur, lem parte do seu carregamen-
:o engajdo, para o resto que lin falta irata se
com o seu con-ignatario Antonio Luiz de Oliveira
\zevedo, a rua do Bom leans n. 57.
COMPAIS.IIA PERNAMBLCANA
DE
IMavcgacSo costeira a vapor.
MAMANGUAPE.
-^ 0 vapor Cururipe.
t"*'--II^-- commandante >anlos,
seguira para o por
to acima no dia :
do corrente mez, as 5
horas da tardo.
Recobe carga ate as dez horas do dia, eucom
nendas, dinheiro a frete e passagens ate as 2 ho-
ras da tarde do dia da sahida : ascriptorin
ao Forte n"o Mattos n. 12.
Para Lisboa
Seguira com brevidade o bri.-ue portuguez Beth
Figueirense, rapitao Hilario Rodrigues : para car-
ga e passageiros, trata-se com E. R. R bello & C,
rua do Commercio n. 17, entrada pelo largo do
Pelourinho.
Ilha de S. Miguel
'egue com brevidade para 8. Miguel o palha-
bote portuguez Novo S. Lourengo, para onde rece
be carga e passageiros : trata se com es consig-
natarios Thornaz de Aquino Ponceca & C. Su.v -
sores, rua do Vigario n. 19, andar.______
Libra> csterlinas.
Vendem Augusto F. d'Oli-
veira & C.
Rua do Commercio n. 41.
lEILOES
Grande e variado leilao
DE
moveis, louca, crystaes, objeetos de electro plate,
figuras; espelhos, bancos paracarapina, madei-
ras, portas, carnnhos de mao (novo-), pran-
c oes de faia, telnas de zinco e mu tos outros
objectos, a saber:
Uma mobilia de jacaranda, 4 espelhos dourados,
1 relogio de pedra com musica, caudieiros a gaz,
10 ligura*, enfeites de mesa, i jarros, 1 consolo
com espelho, e escarradetras.
Uma mobilia de faia. cadeiras de baLnco, 2 e-
pelho> grandes, figuras, lapetes, tnosas e cadeiras.
Uma cama franceia, 2 cabides, 2 caina- de fer-
ro, 2 guarda rounas, I commoia, 1 etante, 2 1"
vatorlos, 1 mesa de faia, 2 camas para solteiro-.,
ditas para menioo. bidets, lavatonos para menino,
2 cabides e pnrt-loalha8.
Cma mesa elastic a, l guarda-louca, 2 aparad
res de armario-, 1 rdogio do pareite. cadeiras de
guarmcio, facas e gtrfos do eleciro plate, 1 appa-
relho de electro plale toara.cha, 1 vao para agut
gelada 1 galheteira, 11 faqueiro de l.etrn-piate,
cnmplet", Rarrafas, Otmpoieiras, enpoa, .-..iheres
de eleciro-plale, chicara* e i ires, cauces, 2 appa-
relh"S de p-.reeUna para cha 2">tit..s | ..r-a jantar,
quartiooa-, I jnartinhena, fliiiJres, putea, Ultra-
dei as, e muitoe outros objectos de easa de familia.
.AO
DE
um cavallo arnlad.-r, gorlo o arreiado
HOJE
a< 2 h -ras da tarde.
Por intervene^.i nn eg>-(itp Pinto
Ilia Potato ri'Uebda
Por oecasiao do Mian de niov-i-., luuca e crys
lacs da casa em iue resnii.. u Mlecido Retumba.
LEILAO
HE
predios
A saber:
I'm sobrado de 3 andar*., edilicado em chaos
proprios. na rua d. Bom Jeus o. 63.
Um dito na tnei-ma rua n. 61, edilicado em chaos
proprios.
Uma casa terrea na rua da Imperatri/. n. 6!). e
16 meia aguas Da rua do Camarao n. 9, em
chaos toreiros.
Um grande -itio na rua d* Rachuello, outr'ora
C-.rredor do Bisp.. n til, em chao- proprios, com
gianJe casa de sobrado e muitas acoommodagde^
para grande familia.
SABBADO 7 DO COKRENTE
an 11 horas
N> escriptorio do agente Pinto, rua do Bom Jesus
n 6i.
Os administradores da ma*M fallida de Pereira
d:- Veil.. & C, levarin ni.vamente a leilao de cm-
formidade com o aiva^a de licenca do Illm. Sr.
Dr. juiz .te direito especial do commercio, e por
intervencao do '-.gente P.nto, os predios acima
ii encionados, os quaes anrtn vendid,s oara pa
gameuto das hypothera-, a< 11 horas d, dia acuna
dito, on escripto' lo Jo referido ageute, rua do Bom
lesns n 43, esperando c .ncluir a venda dos refe-
ridos predios no leila.^d'aquelle dia.
DA
casa terrea da rua das Nymphas n. 16. edifienda
em chaos proprios, coin 13 palmns de frcnte e
49 de fundo, cm travejamento para sctao, ja-
nella e porta parao oitao,
Sete meia-aguas em terretio proprio, no fundo da
casa acin a, com 16 paimos de frente e 18 de
fundo cada uma, porta e taoella de frente, com
uma cacimba nn f.eiile das mesmas, sendo que
estas meia aguas reudem KijOiiO mensaes cada
uraa, e tv.n terreno no fundo.
SABBADO 7 DO CORRENTE
ao meio iliu
Por intervong5o do ag-nte' "into
RUA DO BOM JESUS N. 43.
Pnr nccasiao do leilao ""e outros predios que van
ser vendid'is arequeimeit* dos adminislradores
da massa fallida de Pereira de Melln & C, por au
torisacao do juiz especial do commercio.
LEILAO
DE
um boto com mastros, velas eremos
SABBADO 7 DO CORRENTE
A's 11 horas da manha
Em o Irapicbe em frente & guarda-moria da
alfandega.
0 agente Dias, corooetenteinente autorisado pe-
lo Sr. 1. C Stege capilao do patacho allomao Elise.
ultimamente incendiado em alto mar, em sua via
pem de Londre-> para o Cabo de Boa Esperanca,
com a respeetiva licen^a do Illm. Sr. inspector da
aifandega, e em preseuca do film. Sr. c.usnl da
Allemanba, levara a leilao, no dia e hora arima
indicados, a mencionado bote, salvado do referido
locendio.
LEILAO
DO
sobrado de 2 andares e sotao, d travessa do Car-
mo n. 16, edificado em chaos pr prios.
A* I hora da tardn.
SABBADO 7 DOCOrlRENTE
Por ioterveucan do ag.nte Piolo
No escriptono da rua do Bom Jesus n. 63.
Por occasiao do leilao de fazendas I imp as o ava
riadas que deve alii ter Ingar._________________
Leiiao
DAS
dividas da massa fallioa de Bento da Silva k C,
seodo cere, de-13:1864900 em leltras vencida*,
cerca do 43: 62*168 em couta corrente d- i
WO*, e trej sitio- in Papacaca, serviudo de base
a offerta de 18O8OO0.
SABBAD0 7 DMCORRENTE
A1 hora da tarde
DE
parto da casa da rua de Santa Rita n. 33,
avaliada e.n i:u00000, 79&M& e da
mi.-ta.ln da casa 11a rua do Amparo n. 5,
em Olinda, avaliada por 600, 3003000
SEGUNDA-FEIRA 9 DO CORRENTE
A'i* I 1 horas :i nunha
Em 0 1" andar do sobrado da rua do Marqnez
de Olinda n. 37.
0 agente D.a-, coinp>-ienle ente antorisado pe-
lo Exm Sr desembargador juiz de rphaos, levara
a leilao, no.du e h.ra aeima indicados, a parte da j|0 escriptorio. a rua d B>m J
casa da rua de Santa Rita n. 33, fregnezia d- S nriuiiro nn or
J..:e, contendo 1 porn- e 1 janella de frente, 2 sa-
las, i quartos. I saleta junto a cozinha, quintal
murado, coin raeimha pr,.pria, e a mcta-le da ca-
sa la rua do Amparo n. S, em Olinda, com 3 por-
tas de frente, 36 paimos de largnra e 76 de fun-
do, com quintal, sendo que e->ta p ecisa de alguns
reparo?.
ftovoe
Ultimo leilao
>
Grande e import-ante
Nn
boas
Pssiieiii
DE
moveis
da
Magdaleoa
Sobrado de 6 Jan. lias de frente da rua de Paysan-
mi n 40, entre a do as pantcs
A SABER:
1* sla na front.?.
- Uma mignifica mubiiia dej^car^nda, a Luiz XV,
corn sofa, 2 eou-olos com esnelh is na* almnfada-,
4 cadeiras de braco. e i2 de goarnicao, 4 ca-li-
5aes e mangas de tiuo crystal, 2 jarros e t !:-pete.
2* sai.i na .rent)
Um piano, 1 sofa, i cou>olos com pedras, i ca
deira-.de hracos e li de guarniuiio,' tudo de iaca-
ran.ia, 6 cadeiras avulsa*, t ca>ti;aes e mangas, 2
jarros, 1 cadeira do halauco H 1 t.pote.
3* sala do d.-traz
Uma mesa ela.-iica, I guar.lilouca, 2 apar.i.lo-
res de armano, I gmr.u c mida, 12 cadeiras de
goarnicio, 4 garniaa de cry-tal e outros objectos.
1" quart. 1 toillette
Uma cama fr-nceza do jacaranda, 1 con-olo
com pedra, 2 casticae- com pingentea, 2 magnifi
cas cadeiras es^regui^a leiras, do jacaranda, 2
8 .arda Veatidw de dito, (le Berlim), 1 ru-a loi
lette de oilo, grande, com iam,>o de pedra e anna
no em baixo. 1 Uvatorio- Donito, tainbem de Ber
lim, 2 jarros, porceima par lavatorio e eafeiies.
2* quarto
Uma cama para sultei-o, 1 cons..io com pedra,
1 poltr.ma eatufada, I espelho oval, I pelle de on-
ca, 1 bauquinba oval e 1 bidet.
3 quarto
Uma secretaria, commoda de jacaranda, com so-
gredo, obra do Porto, 1 eaUuta de dito, t Undo
guarda roupa ae oito c 1 marquezao.
Andar terreo
Uma mobiiia de jacaranda, completa, I saereta*
ria 0 e.-tante envidra>;ada, do amarello, I estante
de prateieiras, tainbem envid.acada, I .-sarqueja,
12 cadeiras, 3 dilas de balango. 1 111 :-a ::!.oa lua,
com pedra, 2 tapetes 1 maquma de linpar facas,
2 mesas, 2 casticae*, 1 banneiro e muitos outros
objectos.
Tudo cm bom e perfaito estado.
Terca-feira lia d correute
POK INTERVE.NCAO DO AGENTE PINTO
No sobrado graude da rua de Paysandu 0. 40,
entre ae duas p.intes da Passagetn da Magdalena.
0 ledao principura a* 10 l|2 horas em ponto.
Os encurrentes ao leilao encouirarai um traus-
porte facil e cmnmodo, visto que os bonds pasjaio
em frente da referida casa de quarto cm quarto de
bora.
EM TKMPO
Os referidos raoveis l.rnam se recoramendJdos
por serera bons, modernos, masslcos e e:n oplimo
estadu de conservac&o.
um grande silio com easa de v venia, tendo 2 s.-
las forrada-., I gabiui-le forrado, 4 quartos, e--
zinha. loda a casa ^avidracada, grande terren .
cacimba e muitas atvores fru.-liferas, junto a e--
tacao do S*lgadiatio, c.n Olinda.
TEttg* FEIRA 10 DO COKRNETE
ass tC f|C hnras
"esus n. 53.
prii
0 3gen e Pinh.- B.irges venden 0 referido sit.
em leilao, por cnla e ri>co d q-iem perl MOT
Os Srs. prelcu'lcu'.ss podem desde ji exainir
lo, qualquer eaatararfawal 1, c. m 0 me^mo agen.

IS^SO1* *S0a>
Aloga-ss 0 | andar do s Lrado a rua d
Anorim 0. IS, c in I sala bem aaseiada e I q lar-
lo cm escada in I. )DM :"t-, dtojc 0 pan ejCrif-
tono on rapatei slleirii*, por ISJ nsaes : '-
tralar no armawn do mesmo snhnda.
^ill.t ii I'alJ
r't'S
Na palaria Jen0 Miu-i U M .urny, .-.i'.i in pr.. .
de-to u-mie, c.-.-1 1J5 ainlejo. a. 2. d-.-ta villa, e bel?.-iinruto do Pnneiaoi S-raiihico de Vs-is Var-
enn -ellos. fabri.-i->e coat a onior |ierfeira>, Inr-
peza a barat-za pan, o^l-r'-a. tu 11 qoanto se
poJo ohter da fannha da tri^o o annunrian-
pri-te-ta scrvi' l tnfc .". I I iuic-
tosquiierim honr: '.:-. anoteeapaan-
lilnirem ir.y ',tc*.____________,
- Al j..\ -;... .' 0 i 0 iJebartbe, c 1
casa propna pa a fa;;,i! 1 : a (Tatar na ra M C
deia n :<6.________________________________
(i.wA in mnk.
AOS 4:000^000.
dlLHETES GARANTIIM.
.1 ru-a Primeirc it -f nrfo foutr Crespo) n. S3 1 (auoa d eortoow.
0 abaixo assigaado, lento *eodido bm en I- -
liae* bdhetes urn meio n. 2f99 eom KOiHJi.iiO.ui.
mei. n 810 c .111 7ifli.'i'0, u ioteiro a 2D2* eo~.
lOOjOO). e outra? sortea de ii4 e ;!* da le
tena qua se aeabon d- extraiir (i?3"). -"nvidt
aos possuidoree 3 .ir ;.i rveeber ca cnfirm:-
dade do eoBtnms 1 ate algnav
Acham-se a ven-i?. .; fel tea 1 Hetea garaaOM'
', da 6' parte das lotenaj a beoeiicin das obra-
do altar da irmandauc-doSeclvr dos Passo(lil".
ine se exirabira na quinta feira, li do curer
te mez.
r:;Er;os,
Bilhete inleiro i<000
eiobUbete 24'kk)
Km porcao d IOO.* para cliua
Biibete inuaro d^otiO
Meiobilt.no l#XM
Manoei Martin* Fiuza.
-Si cidade da Ks.-aJa, rua do liarro, vende-i.
uma casa de peara e cal, o.toes n fr.-n'e donrado-
em caixao, leado 3H palmus de freute e oiieota d
fundos, grande quirlal a;-- .t gruta : a tratir n .
rua do Commercio n. 8.
Aluga sn 0 trmazein cot0 andar do aobrad 1
da ru dos Burgos n. 11, a*im como uma quart ^
por detraz da rua d Sanzalla Veliia. (Becco Tan,-.-
do) e uma outra Oata na rua do Lobato n. 4 (trc
guezia de Santo Ant mi.): a iratar na rua d
Praia n. 20, anal Jose Miciano W7a rein.
leilao
DE
moveis, louca e vidros
Ter^a-feira IO do corrente
Ni) -2.' andar da rua da Senzalla Velha n.
IM.
Am 11 laora* era-ponto.
0 preposto do agente Pestana, competentemente
autorisado por uma familia que se r.-tira para 0
Rio de Janeiro, fara leilao dos bons moveis abaixo
declarados: '
Sala da frente.
Uma rica,mobilia dejacaraoia com tampos de
pedra e com muito p.uco ao, e do ultimo goatn,
1 lapete, 4 espelhos, 6 quadms a oleo, 2 pare-* de
laiiternaj, 2 u*res de |arros, 3 bastos de pedra, 5
cestas para flores, I candieuo a gaz e 2 eacarra
deiras.
i. quarto.
Uma cama de jacaranda, I bidet, 1 toilette, I
guarda-veslidose I a.ln.le.
2." quarto.
Uma marqneza, I co.o.o.idaL I -aatuaiio, I ca
bi.ie e I banquinha,
3. quart...
Uma estante para hvros, 1 camlo, 1 commoda,
Sophi. fugio
Ausentou-se da casa de seu *enhor a parda S .
phia, do 22 aanos de id .de, cstatnra reizolar, ser
ca do corpo, peitos granles nariz chato, beicc-
grossos, boa dentaouia ; usa cahell repartilo a
meio e lem uma pint* azul no lado esqu.-rdo ou
direito da lets, tem 0 passo curto e parece dancar
quando anda, pernas gr.ssa, e as veze's coslufla i
inchar os pes do toroozelo par 1 baixo. Prosmne-
>e que esteja occulta nesia cid^de, ou na de Olio
da, onde tem parentes, pelo que se p- de raa eap-
lura, prjte-.tando se de.-J- \\ coaira -perdas e
damnos. Gratitlc.-se bem a quem a levar on de-
nolicia exacta da mesma, na rua do i*abugi a. It
sobrado.__________________________________
A nes-.oa que pjrdeu u.u leira do banco ic
glez do Rio de Janeiro, veocida a 4 d> earrent--
diga por este joroal quaoto da le grai ficagio.
Leia.
Ainda cede-se 0 quarto da frente narnadi
Pa I ma n. 31.________________________
Moleque r'ugido.
Gratifica-se com 0J*a r'-is a quem pegar P -
tuuatu. moieqoe Ae 13 a 14 annos. preto, baixc.
ch- io do corpo, ro-to e cabeca redondos, nariz
chaio. cabeilos caraninh'S ecrudo*de (r*ea ;
ausenion se n 'a'de de 10 do outubro do coreate
anno, c..... cunisa de nmdap la.., calca dr brim
1e ro", .ie>bot.da, k ciiapeo de mas-a preix. Gra-
nli -a >e M iiu da Caoex do Hecue 11. 39, ma da An. nta n. 6S. ____
~l -e OiW *.* paiator em cseravor : aa
rua ae Hjrta-i n 8ft.
#
--
t
r

1
t\
.
."


i


\

*
Jiano de Fernamouoo Sexta teira 6 de Novembro de 1*14
jL MMf.
Alufa-ie o aegundo aadar a roa do Padre Flo
ritDM : truer aa rm Uraa do Rosario a. tt.
Aloga doos baaaeiras de pedra e cal, na
Praia de S. Praociaca: a Ira tar Da roa Duque
d eCaxias n. 91.
liVSTITUrtl P1RTICLIL4R.
Rua da Ro Prime rs Mlras, portuguez, fraocez, in-
glez, desenho lioear mui.ica.i
S"b a direcgao do professor Herminio
Rodrigues de Siqoeira funccionam ditas au -
las lodos os dias ulets.
Recebe alum bos internos, roeio pensio-
nisus externos ; f >rnece todo o material
para escripta e livros aos principiantes, por
precos rauito razoaveis.
De 87 para 1* 4e uatubru flndo evadio-se o
escravo Asterio, d> S6 annos de idade, poueo mais
ou menos, ew-tura ponco menos da regular, cdr
fula, chew do conn., beioM groasos, falla branda,
e sapaleiro a tambem destila aguardente; snppde-
p-ra o Recife p-.r ter ahi raai e ser tam-
bem an eomprado: quem o apprebender e leva lo
aos Srs. R > irigues Almeida 4 C, do Reciie, roa
strait* do Rosario a vottar para o pateo do Car-
mo a 47, (iu no eogenbo B >m Jardim, na cidaae
da Escada, a sea seahor J .se" Herrailk) Cavalcanle
Liaa, sera generosaroente gra'ifieado.
Alto la! !L.
0 CAMPOS 04 CONFEITARIA
/ SEM RIVAL.
No seu genero nenhum
estabelecimenu) o pode
igualhar.
E senao vej.im :
Recebe enco "manda=.
Para a rece cdodo Exm. conselbeiro mi-
istro do iuipiTio.
E esta* coma sua cnfeit ria do Campos
mu'to bem provida de tu o quanto e pre-
cise) para que a ninguem falte cou-a tl-
guma.
INTO E':
ACEPIFES DELICIDSOS
B luti qiiiiiili.
CASA DO OURO
1m 4:
Bilhetes garaatidos
Aim do Barao da Victoria (outr'ora Novo
n. *0, e casa do coHumt
O abaixo assignado acaba de vender nos tea.'
nmto Misea Mlhetea a sorte de 7004000 em
meio bilbete de n. 8i5, alem de onlras sortes me-
nores de 40*000 e )*000 da luteria que se aca-
bou de extrahir (123*); convida aos possuidores
a virem rocofcer, que promptawenia serao pagos.
O nwsmo abaixo assignaeo convida ao reapeiu
vei poblico para vir ao seu estabelecimento com
>>rar os mnito felizes bilbetes.qus nao deixarao de
tirar qualquer premio, corao prova peloe me. annnncioa
Acham-;e a venda os moito retiiea bilhetes ga-
-antides da 6' narte da ieleria a beneocio its
obras do altar da irmandade do Senhor dos Passos,
que se extrahira av die quiutafeira, 12 do cor-
rente met
Preeee
lateiro 4*000
Heio 2*000
De Hm paraelaaa.
Inteiro 3*600
Hew 1*750
Recife. 5 de novembro de 1874.
iooVi tmujHtm i Cost a LeiU
Copeiro.
Precis se de um na rua Nova n.
Prrdrs-se.
~ ^ saT3 c
a^ 9 3" ^ S
fIf
fasti
3TJ" *
3=3-3
B
2 8*3 2.
OB a
2 _
lit?
3 2 = =
5 a
3. > '
C as- z.
=^3
If 8
af
s !
? = '
at 3
o
= 3 =.'
< '.
3a?
15
3 *
a ts
" tt>
tri rB
Its
5 3
nt
o Z3
1 a
> ." 3
* S
P 9 a-

3 2
u 2.
= 3
ii
IS

03
o _
CD
na nolle do 1 do corrent*, ao sahir do bond junto
ao arco de Santo Antonio, um relopio de onro
para senhora, com corrente, tendo preso um pe-
qneuo albnm -tambem de ouro com esmalta
preto : quem o tiver achad e quizer enlregar no
arsenal de guerra, sera reenmpensado.
Caaa ~~
Na Capnnga, aluga-se a casa n Mi. com bom
quintal e turns cummodos, a rua do Jaeobina, on
Pernamburana : a chave para ver esta jnnto a
casa n. 56, e para tratar no Recife, rua da Ca-
deia n. 3. _______________
Perdeu-se
no dia 4 do correne, do poder do abaixo assigna-
do, da rua Duque de Caxlas ate a do Commercio,
nma letra sacada em i do agosto proximo pnssa-
Jo da qnantia de I 8.st!i8'ni, sendo sacadur Jnao
Manoel R dngnes, acei'a por o bsneo inglez Banc
of Rio de Jam-iro Lemited, veocida honiem 4, ten
do o sacadur firm do em data de hontem, dia de
sen vencimeoto, para o abaixo as-igna!j poder
ref"rma la pur ontra, e tendo o abaixo assignado
dado por fait- da dita letra na occa^iao de faier a
transaccao oi dito banco, diso avison ao Sr pa-
gaaur ; e eomo ninguem a pode recrber on nego
-iar, por nao ser o vcrddeiro dono, pedese a
quem a acha e queira n-stiiuir, leva la a ma
Duque de Caxias n. 39, on a praga do Conde d'Eu
n. 10, on ao banco Recife, 5 de novtn bru de 1874
J'ife de Suuaa Bras.
*rz as s=
3 i m
s i
^3
a.
CD
Sfeo
BB*
wm

--
a 2
2V
SB
" 3
a, .
P
9 *
** 5

no
ss*
Para a festa
Aluga-se mna excellenle rasa na povoaciio do
Moni-io (Tave.-sa do Xi-bd, eum ba>tautes acc mo ta^ue para faniitia,* qunl !* arlu em p rfeito
etadu tin ii peza. n al< ga >e por cummodu preco :
a tratar na roa t" do Marco u. 20 A, loja de Gur-
cel oo Amaial & C
.4lu^t-SH
0 sitio da e?trada dos Afflcios a. 30, eaiado e pin-
tad> d" r,ov.., t>-m dua;- grandos salas, 7 qoarlos,
gabin^te, eorinba, tanque pata banbo, cacimba,
etc etit., junto a pr uifir.i estacAn da estia a do?
Afllcios e perto dos b-'u-ls d- rerokides Vieira :
trati se na rua do Ap-illo n. 30, armazem de a?
sucar.
Aluga-se
os arnuzt-ns ns. G." e 6;l na praca do ehafariz em
Fora >ie Portas, um onie l v teula de f.-neiru
0 failecid E. .Maiiult O uutr que oieve i-cco
padu :oin vi-ri la if m"lhados, para o que 6 op
t.imo p*la locaddade e s*r d>- e-quma. ambo> livre>
e desembaraeadoK de impo>tus: a iratar com o com
mendadur Ta>.
Jos6 Antonio Doimngues de
Figueiredo
par3 o tim dr ovitar incommodos aos sens fregne
tea .le^irem tin lunge cu;npiar cigarrus, ieM)lveu
abrir um depu-ito no bairro de S rua >'stri'iia do R.#aria n 16, esquina da rua da
Lar ngt-iras, am encontrarlo os consnmidor^s de
lodus ih cigarr< maoufacturadiiN em sua fabrica,
tanlo em gn.i-so como a relalho, pelos awsawt
precos da fal>rii*a.
- Pieci>a- fallar ao Sr. luaqm'in Pelii-uno de
Azevedo. a neg irio de sen mteresae, dentro de
oito dias, a i-oolar "a data desta pul>licai;4o : na
padana da rua do Co onel Sua^una. antiga rua
deHortos n. 5.
O Sr. Jnao Alves Teixeirn. queira ap-
parecer no armazem' deJise l)urtn das
Neves, para rneebwr utrn crta d- sen pai.
Bons bai.bus e dorm la fresca no M in-
teiro
Aluga-se alii, por preco commodo, uma casa pe-
qnena, que tent 1Mln, 3 quartos, ciizinha, boa
caciu.ba. e 6 pprto d > no : a tratar na rua Nova,
loja n 7.__________________
ALUGA-SE
uma prela forra ou eapava, lotiusia, activa, e ha-
bilitada a g>r^r aegncHH na rua, em Ubeleiro : a
Iratar ll i roa da Ouz n 'i6, 3- audar.
O abaixo a3-ignado t-ndo perdido o bilhete. da
209 luteria do Km de Janeiro de n. 2 08 pr-vi
ne a qu>oi compel.r >te nao pag;r. caso seja pro-
miado, a quem quer que u xpre-ente, e ruga a
psxia que deile esiiver de pose de luanda l-i ea
tiegar ao roesmu abaixo as^igoade. a rua Duqae
de Caxias n 37.
Recife, 5* de oovembro de 1874.
J. Main.
U:n-i ftmilia honetta encjirri-g -so ile
lavar, engnmmar e cozinhar para bomern
solteiro, ou c.isa -le p-quena familia, man-
daudo a possoa busc^r a comida ; bem
como pole tambem incumbir-se ile criar
umaou 'luas oriao^as: a tritar na rua das
Trincheiras n. 7, casa t*-rrea.
Casa de bauhos
Em
OLirVDA
Funcciona regmarm-nie tud'> dias, das 6
horas da manha as 9 da none, no ediOcio da com-
panhia Santa Therm, junto a< Mi agres.
Kanho frio (srm I >alh) fO0 rs.
________Dito frio (com I alfca) 30>' rs.
Alug se a ca-a n. IO-t da rua do Coronal
Snassnna. reedificada : trata-se na rua Uireila
nuuieru 8.
Aluga-se por anno ou testa o sobrado de dous
andares nosQaatro Canios, e_. Oiinda, cum cum-
modos para grande familia, agua encanaiisada e
cano para desppjo, muit. fres.a, p^rto do banbo e
das e>tii(oes : a tratar na rua da Cuiao (llha dos
Rat's) n. 53 detr / do 6ymna4n.
Aluga-^e 2 caa. muitu froacas,. na t.pu ga
com commodos para familia : a tratar no mesmo
gnar a rua da< Cri-nla- n. 5
Casa 8
Aluga-se a ma casa nova com bonscommolos
para fau ilia, com quint-l ao lado, na Solnlade.
rua do Prigri!>Mj ; a-im como tambem se aluga
a casa do Camion -.V io u. i5l. junto a e.tacao
da via-f-i-rea : a traiar na rua da Cadeia do Re-
cife n. 3.
2008 Fugio no dia 3 de Janeiro dp>te anno (1X74-) o
esc avo Viceot pri-lo folo, de 2i annos de ida-
de. solti-iro, natural di I'arahvba lo N-irt*yalto,
(bruido do c.rpo e bfin f-ito, ro>lo red-nlo,
buns deutes, barttado, con-u.rvindo algumas ve-
zps suis>^s, falla nian-a, com nma p^qmna cica
tnz na* Crstas, B1 bre uma das espmiuas, prove-
ineule de um laid" (|u d6ra Cum o gaviao de
Uma "lirhada. Dim e-cravo qaH foi vcudidono
dia 3 d>- iiovembro doanno pri'XiiRo passado, pelo
Sr. Join Riiieiro < es-a do Lacerda, niorador que
foi no teriao do Mamaagnape, daqoella prvtn-
eta, donde muiou-bf. para o tortao -o lyuaiasx'i.
depms para u engimMo Gecipapo, do lermo de
olmda. e dahi para o cngt-nho Minas Novas, do
I rmo d.- Port" Caiv., uae, segoad< consta,
i'1-rmari'ecu ; foi vi-tu rum tuda ceiteza cm abiil
deste laermu auoo p^rto do Banaueiras, no bando
do.- cigaaos, dos qnaes o cbefe era um tal capi-
lao I'edro, mill cuuheciilo em todos os sertot-s
desta provincia e das out'as visinhas, e eum qnem
o dito escravu, qnan o pertencia ao dito Lacer-
da e moravam no referido t-nptmho Genipapu,
eotrttinha MacdVa e ate trocavam cavallos iudo
coDsianb-mente para is-o ao bando oaqueile ca
pitao. que durante aiguns mezes do anno pas-
>ado, esleve, como 6 saludo, em terras do en-
genh' -Fragoso, dome- no termode 01 uada, e pas-
sou se depuis para ^ aricota e terras Jo eng.mho
Df>teir do leiniu de Igoarassu, perterjeento r.o
Sr. tenente Antonio Luiz Ferreira da Cunua, a
quem o preditoescra u procurou para compral o
dims das depms da .-na ausencia daijui desta ci-
dade, desapparecendo entaudalli ate h>je.
E'l.eiii piovavrl juo osbredTt nue a andar no meio de taes cigaoos, devendo
delle saber^odar conta o tal capitao Pedro.
Quem o c pturar 0 o eutnegar no 3" audar do
sobrado n. 3i da rua das Crazes dei-la cidode, re-
cebcia a quanlia acima de "2Q0&.
CRIADO
Para tratar de nro cav|lo e mats algum Servijo,
co, precisa >e de om de 14 annos : no HaDgui-
pho, sitio n. 2, poitao de ferro
Alnga-se pela festa o subrado n. 18 da rua
de S. Ptdro Martyr em O.inda, fre>co, lm.po e
proximo ao banbo: a tratar no Recife, rua do
Cabuga n 7, pnmeiro andar.
I Vfff.iMt.-f je o>ii i-ax^ir-s de i l.i In tin Ik a
16 aunus, com uraiira d tavern* : a tratar na
trae sa do P finii., 0 7,
Prei"isa -e d- no. ama, prelennd se e.-cra-
qa, que saiba cozmhar e epgou mar ; na roa Ou
FERRO
na k Barfto do Triiutipiio (m do Brim) as. .00 a 104
CARDOSO & IEMA0
AVI8.4M 80s senhores de engenb^s e ontrot a|riculbjra8 e ao publico em geral qu
xjritinuam a receber de Inglaterra, Franca e America, todas as ferragens e macbina s ne"
vessanas aos estabelecimentos agricolas, as mats modemas e melhor obra qoe tern vindo
k> Boercado
"POreS de for^a de t, 6,8 e 10 cavallos, os melhores qoe tern vmda ao merado
aldeiraS de sobresaleute para Tapores.
VlOenuas inteiraS e meias moendas, obra como nunca aqat veio.
IttixaS fuildidas e baUdas, dos melhorea fabricantes
tvOuaS d aglia com cubaje de ferro, fortes e bem acabadaa.
ilodaS dentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
MogioSeapitoS para ewpors.
BombaS de ferro, derepucho.
IradOS dediTersuqaalidades.
^ormas para assucar,gr.ndes poqnerias.
V^arandaS de feiTO fuildido, francezas de diversos e bonitos gosts.
FogOeS franceze8 para leoha e cartio, obra superior.
DitOSditOS paragax.
Jarros de ferro fiindido p,ra ardim.
P6sde ferro p.r. banco.
Machina para gelar agua.
V aiVUlaS para bomba e banheiro.
CorreiasilJglezaS para machinismo.
BanCOS e SOfaS com tiras de madeira, para jardim.
>ODCertOS coucertam com prompUdao qualqaer obra. ou machina. para o que teen
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
^nCOlTlITiendaS maD^aiD v'r Pr encommenda da Europa, qualqaer machinismo
para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londres
com am dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incambem-se de mandar assents >
itas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mestnas.
f^uadoBarao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
_____ PUHD1CAO DE CARDOSO A IRMAO.
N.5 A.Rua do Barao da Victoria.N.45 A.
LOJA DE JOIAS
DE
JOSE JOAQllil DI\S DO REfiO.
I-to sim j" offo e l!c|iiidaeau t 6 queimu !
0 proprietarie deste nov- estabelecimento aturdido com o ine^perado e-trid surgem de lodos os angnios desta gra- de cidadp, annnnciande a liquidacao dos eslabelecimentos de ioias;
e, receioso de Hear OSINHQ, apezar de b-m avaliar as grandes vantagens que Deste caso devena au-
ferir; tomou a inabalavel iesolucao de QUEIMAR lodas as suas joias, cum o unico fim de encorporar-
se a grande caravana, e, com ella, seguir em mmaria para......e segredn I
A p>ra esta ardente as viclimas aguardam brilhantes o mumento do sacrificioso fa/
os sacrificadores.
I-to posto, esperase, enmjusta r>z5o, uma grande concurrent i dos amantes a* econ
qoe nao devtm perder o ensejo dese oroverem de objeclos laes; e devem-n'o ainda assim fazer,
qne depo-s de todas es^as liquidagoes, com o novo anno, acabam se as JOIAS desta cidade, e nao
tera publico aonde dellas so possa prover.
A ellas A cllas !
RUA
Da
0D1LON DUARTE & IRMAO
cABtLLURElROS
Premiados na exposicao de 1872
UPERATRI2
|t. ANDAR4
RUA
a
IMPERATRIZ
R. 82
!. ANDAR.
Avauam de reformer o seu estabelecimento, collocando-o nas melhores or-
licrdes possiveis de bem servir ao publico desta illustre capiul, e is Exmas. Sras. r, v
qaillo que for tendente a arte de cabelleireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para bomens como para senboras, tupete, cbigo- ,
coqaes modernissimos, trarjGas, cachepeign, tccidos, desenhos em cabellos, qoadros to-
malares, flores, bouquets e todo e qualquer trabalho imaginavel em cabello.
O estabelecimento acba-se provido do que lia do rr.clbor nos mercados estrar-
^eiros, recebe directamente por todos us vapores da Europa, as suas encommendas e 8go-
rinos de modas, e por isso pode vender to /<> rnenos que outro qualquer, garantfrvio
perfeicio no trabalho, agrado, sinceridade e preco razoavel.
Penteam senboras, tanto no estabelecimento como fora ; vende-se cabellos en
pnrgao e a retalbo e todos os utensilios pertencentes a* arte de cabelleireiro.
ESSENCIA CONCENTRADA
DE
ARMAZEM DO VAPOR FRANCEZ
N. 7 Liurido Barao da, Victor a, outr'ora Nova N 7.
O dono des e estabele:imeoto teudo de ir a Europa, vende a precos baratis.-imos tudos os sans
atrigo.', como ?ej m
Calcado fraocez
para homem
senhora,
meninog
o moulaasi.
Botas e perueiras inglezas
de uiontaria!
lobilias de \iine e de fata.
Vcndo-se mnito em conta, cadeiras avulsas, de
ba'ancri, de bracos e d-< dobrar.
Perfumarias.
Finos extractos, banhas, oleos, opiala-e pos den-
tritlce. agua de flor de laranja, agua de toillete,
divina, florida, lavande, p6s de arroz, sabonetes,
cosmeticos, muitos artigos delicados em perruma
na para presentes em francos de extractos, caixi-
ohas sortidas e garrafas de differentes tamanhos
d'agaa de Cologne, tudo de primeira qualidade
dos bom conhecidos fabricantes Piver e Coudray.
lions pianos.
de
Djs melbo'es e ma-is modernos modelos
Blond-1 : vendc-se. troca se e aluga-se.
Quinquilharias.
4r(igOH de diflferenifts a^ostos
phttiitHSiaa.
Espelhos, lequcs, luvas, joiasd'ouro, tesourinhas,
canivetes, caixinhas de costura, albuns, quadros.
e caixinhas para retratos, bolsinhas de velludo,
dlitas de couro, e cestmhas para bracos de meninas,
chicotes, beugalas,- oculo, pincc-m z, punteiras para
charutosecigarros, escovas, pentes. carteinnha de
madreperola, tapete para lanteruas, malas, bolsas
de viagens, venesianas para janellas, esteriuco-
pos, lauterna> magica-,cosmoramas, jogos da gloria,
de damas, de bagatella, quadros' com paisagons,
globos de papel para illuminagoes, machiuas di-
fazer cafe, espanadores depalhas, realejos de vein,
aecordaos, carrinhns, mamadeiras de vidrn para
dar leite .'is cnaueas. e mnit s intros arlig^s.
Brinquedos para, meninos.
A maior variedade qu-> se pode desejar de to-
dos os brinquedos faPricados em differntes parte.-
da Europa, para entretimentos das criancas, todo
a precos mais resuniidos qua' e possive).
ARISTIDE SA1SSET J. SODM
Tratamento pnramente vegetal verdadeiro purificador do sangne. sem mercurio.
A Esaencia de Caroba e nm remedio hoje reconhecido eomo um poderoso depara
tivo e especial para enra de ioda as molestias que teem a sna origem na impnreza do tango
como sejam : as m< Iratias Stpmliticas, Boubaticas e Esobofu.osas, Riieimatismo, Emtrgeks, Das
TR0S, ULCBRAS, ERfPCOES, ETC EiC.
Os prodigiosos effeitos que tem prodnzi'o a Essenr!* de taroba, pr toda r'r-
onde ella tem aido apropriadamente experinentada, a tem leitu adiq.tar como nm dos medi.-am*z-
tos mais seguros e mais energicos para a cura de todas as molestias de ualareza syphihtira
boubatica.
A cada frasco acompanha uma instruc^ao para a maneira de aw.
Pomaiia anli-darlrosa
Contra as affeccoes cntaneas, darthros, cotnicbocs, etc., etc.
Ingiii'iilo de t an l>a
Para cura das bonbas, olecras, ch.igas antics, fie., etc.
UMCAMENTE PREPARADO POR
R0DQ0AYH0L IBMAuS, SDGGES ORES
Mww frmm
22 Rua do Bom Jesus 22
ANTIGA Rl'A DA CRPZ )
PHESEUVATIVO l\ ERYSIffiU
D
II Barharel N;iDel k Siqneira Cavabnli
Remedio tffl-az. nao so para cu'ar qualj. er at;que de eryaipeia, C no
para impeuir o seu reapparecinoiito.
Appruvado pelo G.verno Impriiil, acha-se .i dispnaicio do Publico
,com as re-pei:tiv.-.s in-iruci'oes, aitestadusde pessoas Dutavcu, :
ado grande repotaeio.
^ Dopositos unieos.
'ecife: rua do Itaiao da Vlcl ri3 (rca Nova) n. 10. easa d Sr.
Roeha Sinueira.
Rio de Janeiro : Curt.;, rua do Ouvldor, a. 78.
Gratis aos Pobrcs.
&.
M vSSA FAI.LIDA DE AZEVEDO <& C.
0- abaixo as-ignado-, administra lores da massa
fallida de Azrvelo s C, rngam aos credores da
niOMiia queiram vir apre-cutar sens creditos a rua
do Marqucz de Olmda n. .'jtj, aflm de proceder-se
a resp-ctiva classificacao, dVvt-ndo aprcsentalos
dentro de otto dias, a contar desta data.
Recife, 30 de outubr. de 187i.
h-nhard Metller&C.
Lcqu s g'gaulcs.
So qnem tem do- mais modern n e ]a Magno-
lia, arua do liuqoe de Caxias o. 45.
Aluga se a casa n. 83, corn bom sotao, na
rua de S. Ju*o, qu fax qnina para n gaz>metro,
prupria para taverna, por ser em boa loclidade,
laman com a ponte qne tem breve de atravessar
as C m-I.'Il- ; o pout.. 6 magoiRc e o aluituel ba-
ratis.-imo : a tratar na rua m> Ouro n. 78.
Aluga-.^e a ca>a da tua da .Palma n 63,
rnult' f'f.-ca e c-iin accommodai;5'S para familia :
a -niender-.-e Com o Sr Bernardino Pontoal, a
ma da Madre de Dias n. 36.
Precisa-se de uma pess > para botar papel
Ba machini : esta lypngiaphia.
O ADViJUADO-
Ernesto ri'A Pateo le Pedro II, n.
Alu^a-se ou veude-se.
oe de Caxias a. 43, t andar.
u sitio da Mangal.eira. eiu^O ind<, tend" muitos ar
voredos de fruct s e nm s bra lo eom coonuid s
l>a'a grande f.nuilia e muito lei rein. : a tratar na
rna do H.. o S ri'-i- i- Olmda, ci.in Marlinn
JH* de Araufn na fr- nne/ia de N. S da Gr- a
rua da Capuiiga u. 9, cuin o Miranda Gui
tuafaes.
AGUA DE (MIN0LIN\
PARA TINGIR INSTANTAMAMEIVTE OS CABELLOS
PREPARAbA POR
BARTH0L0MEQ & G.
Phartuaceuticos da Casa Real de S. M. F El Rei de Portugal :
prenaiados ena diversas exposieSes coiu e primelro premio de
sua clasae.
Unico composto, cuja base principal sfio principios vegetaes, que p6de por isso ser
usado por tempo indefinido sem o menor receio de alteragao de satide. Esta agua admi-
ravelai aos cabellos, um poucos minutosruma cdr e brilho natural, desde o castanhu
ateo negro, e ao dntrario do todas as tinturas conhecidas. tem um aroma. agradabilissi-
m<>, que facilita oseu usu ds senhorss, ainda as mais diiliceis. A fpan^am-te os sens re-
ndtados e effeitos inoflensivos, quer a applicacSo seja limitada a barba, quer comprehen
da os cabellos da cabega.
UlSPOfclTO tIKtl,
Pharmacia e drogaria
34Rua larga do Rozario
PERN^MBUCO
34
PCs tubulares instantaneos
Constructor c afinaor k pianos
55Rua do Imper dor
55
i-'UNDlCAO DO
RUA DO BRIM
BOWMAN
N. 52
DE

tiSS
Estes.pocos que tem pro*ado ultimamente muito
bem em todas ss partes aondo foram collocados, eta con-
sequencia dos aperfeifoamentos nelles introduzidof, conti-
nuam a venderse por precos muito baratos.
A tratar na pharmacia d< s Srs Maorer & C. : roa
n. 25 das 8 bo-
ras da roanbajetd 6s 4 da time.
do Bar*o da Victoria (outr'ora Rua Nova

Arados auiericauus
0 iu*iiuiOijo j bgllC< iaS,
Eg-sfioador das nr.tigas e .-farr.adas ca;a Pteyel di Herz, o sntigo direc BMil^.t
fficioa da casa Alpbonso Blnu Tem a hour* de'declarar ao rcspmtav 1 publico desta cidade, que tem i>h--n
sua casa de concertos e a6nacdes d puitos, qualquer que soia o c-tado do instnr.i>
A' mesma casa acaba de receber urn grande surticncnto de pianos dos mlhr
res fabricantes de Pahs, como Erard Plcycl, Henri Il-jrza Alphanse I'i -del) tod
os pianos sabidos da casa Dbibnut sao garaittidoe
Compra so e recobe-se em ttoca os pianos jp.sdos.
(Passando o ehafariz)
PEDEH AOS senhores de ongenho e ontros agricultures, o oompradores de to."1
ibinismo o favor de fazer uma visita a seu estabelecimento, para vorem o novo sortim*r
to compieto que abi torn ; sendo tudo superior em qualiJado e forlidao ; o que com a ir
truccio pessoal pode-se vetificar.
ESPECIAL ATTENgAO AO NUMERO E LUCAR DE SU V FUNDICAO
VaporeS e rOdaS U aglia dos mais mndernos agsteraas o em tamanhr>s cf>;
venientes para as diversas circumstancias dos senhores proprietaries e para descarov
alg dao.
MOenuaS Oe Cauna de todos os tamauhos, as melhores que aqui exisUm.
KOQaS QentanaS para animaes. agua o vapor.
Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambique8 e fundos de alambiques.
MaCtliniSlTlOS para mandioca e algodao, e para serrar madeira. Iser movido> am"
DOinDa8 de patunte, garanhdas........ (oo aoima>
lodaS aS macilinas e pe^as do que se costuma precisar.
FaZ qualquer Concerto de .na.hini.mo, a preco rnui resumido.
rOllnaS Oe lerrO (.em ^s melhorese mais har/tas existentes no mercadn.
liinC<)lTllTien(l;8. Incumhe-se de mandar vir qunlqu.-i maehintsaal 4 oaaiaMi
clieiiins, lembraD'i^lliKS a vniiiK*,'l fz re do
ent lldida, h que err qualquer uo >. i


I
DiaHb!le&^<<iuiftwft ~ Se*ta> fairatS de Kovambro4ie&48S*
IL
WWW
frr.iiJ: a $e com a quantia supjjra a
jMkeriuer- o eicravo J >ao, ce"J
ms* sap* d poJer do abaix
yutotio. Presume se aodat*$eWloftCds? fc
afcfto, B.maneiras,' dd wide e natural ; lovou
ate* eaniL-a e>curs, chapfo de Manilha e urao
***, altura regular, 40 annos pouco mais ou
mie idale, rosto relondo e sem bsrba, tem
*cns>swrca d# ftwida era uma das peroas, e filla
dtaaaaesilo, mas cam an pequeao sutique do jra-
tgac tjoem o apprehender levco o, on a raa do Vis
xa&de Guyauna n. 89, ou a ma Direita n. 71.
Juse Rodrigues dos Santos.
Famalicao:
A negocio de interesse, predsa-se saber de
Mi Francisco d* Silva Quelhas, natural da Vil-
te-floia dp Fa-nxlicao, resiJente em Pernijnbo-
em "833 a 1834 : na rua do Imperador n. 73,
if andar.
tuttmutH? Azevedo Villarooeo.
rkt pre.vDie sao convidados os afilhados e afi
.*w de Antonio de Azevedo Villarouco, falle-
k* em Portugal no mez de ontabro de 1873, a
a^weatarem d-ntro do prazo de 60 dla, a con
*r oVta d.ita, a certidao de seu nascimento, era
iae% 4 abaixo assignado, testa men teiro instiiuido
9*si dito fallecido, aQm de que sejam devidaraente
atwndidos na partilha a qne tem de procederse
snai a precisa icaldade, de accordo com a d'spo
eipo testamentaria. Recife, 10 de setembro de
^_Man el Azevedo de Andrade.
Catharina fagio.
?*i> dia 28 de a gosto proximo passado, ausen-
fcc-se esta eserava, a qoal tem os signaes seguin-
*s f.tatBra baixa, rosto redondo, cor preta, pis
Mijnws, cistumava vender leite, anda sempre
s nm cacm. quo lhe servo de arrimo por sof-
*r de rhftimatii-mo, ja e idosa e de nacao Cam-
tana: quern e encontrar, pegue-a e leve-a ao sitio
* afi:n 16, estrada de Joao do Barros, que sera
raHSeado.
J?3as casas de
I > d. i anella ;
kin
Alugani-se
campo, na Cruz das Almes e
a tratar com o commendador
Moleque fugido
fornnatn. nrnlcqae de 13 a 11 annos de idade,
b.i'xo. chei do corpo, ro.-t j redond >, boni-
fea.'(,;< e cabi-M i coftado d i fresco ; ausentou-
i .'.>' on to do correnle, com eaiiii-a de ma-
i ra! a rte 'Tim de ufir, desbctada, chapdo
** wsa ureto, eindnzindo um serrote grand' o
:.,:,arr:i in tie 'res tabieasNsubre o beigo supo-
Mt-tava i.lhiii.nnente corti umas fendiob: ".i e a qa-in leva lo a raa da Aurora nu-
MM tC-1. _______________
Alugfl sc o 2 sndar o sotlo do sobrado
.? roa 'I ,; ;: n. 73, tocloreconstruido e
slantes rommodos, escada
; ,ri. ii tile do I." sndar, c bem assim o
'' ; i, In nuito fresco e com excel-
vista para nova praga do mercado :
par.i ter s nbaves, cstao uo estabelecimcn-
iii lhadi s do mesmo predio, e para
r na ibrsnuraria das loterias com Anto-
.'-J RmJrigues de Souza (sea pro-
ps tarif.;
1^
as
;..-.-!> cm habiliiaio??, disptcdo ainda
'.:: ; se propSe a fazor algumas es
por partidas dubradas ou sim-
?i jam t clldctividade ou mesmo tempo-
: A moita pralica adquirida nessc
' u'a perfcirao de seu trabalho, e a
i ?em dnvida, satisfara a (;uem lhe
.--c.v;c-.)j: quera prcci^ar utilisar-se
-'...:-. pode deixar nota na loja do Passo,
'. i'-hiip e lngar para ser procur.tdo.
raiii-i.co de P^ula Ucboa Cavalcante
lor : i-. se fallar com urgeucia : na ru,
argc n. 16, 1 andar
- en ho Santos Mendes
! m tE GUATIFICACAO.
d sde 20 de dez'embro de 1873,
. :- ,:'- Mende c>:marca de Nazareth,
de Tn cunhaem, a eserava 'Jaria, creou-
i 60 aon de idale pouco mais ou men^s,
>:i>.--a cor-preta, r-to alquibra-io, pis
|i -, in cabeilos brancos, canelas
us Figuje> cabelludos no queixo, e e bem
ta better aguardc-nte e assistir a
H. li-da a probabililade de que este-
I '...: in, edesde ja proiastaneon-
: v r acoitada. A pessoa (|ue entregar
i a -.. don >, que e o tenbor do enge-
. -, i ... ntino G mes da Cunha Pereira
I; i.f><, largo do Corpo Santo n. 19,
r, i-ra recoinpetiiado cm a quantia
Ifekcki'vhf de Bordeaux.
Aberto toda a noile, nos 4ias de especta-
culo da companbia itabana.
Oiuiueniludor .Iom- Pirts
l^errcira.
I. liana Catharina Leonor de
Seixaa" Ferrao, agrade:e a todas
;as Pesso s que lhe dzeram o ob-
rseqaIo de assistir ao eaterro de
jSeu pretado marrdo, e conida as,
^assim como, a todos os mais pa-
rantes e amlgos, pam assjstirera a
missa do-aetlmo dia, que ha de ser celebrada na
igreja do reeolbiTneirto de N. S. da Glofia, na dia
sexca-feira 6 do corrente as 7 Irl horas.
Francisco Moreira Pinio Bnrbotta
Francisco dos Santos Macedo, Gnllbernie Fran-
cisco Paredes Porto, Anna Rita Barbosa Macedo e
Maria Rita Birbosa Porto, assas seotidos pela no-
ticia da morte de seu sempre lembrado sogro e pai
Francisco Moreira Pinto Barbosa, fallecido em Lis-
boa no dia 1 do corrente, mandam resar missas
pelo ttcrno descanso do raesmo, e convidam a to-
dos os seus amigos e parenles a assistirena aquelle
sullr. gio, que tera lugar na igreja da Mai de Deus,
sabbado 7 do corrente, pelas 7 l|2 horas da ma-
nha ; pelo que desde ja confessara a sna eterna
gratldao
Um amigo do tiuado Guilherme Joaquim da Cos-
la man Ja no sabbado, 7 de novembro, celebrar no
convento do Carmo uma missa do etimo dia, pelo
repouso eterno desiia alma, a qual tera lugar as 6
boras da manhS ; roga, portanto, aos amigos e
parentes do finado, se dignem comparecer a este
acto de grande caridade, pelo qne lues sera eter-
namente gratO;______________________
0 testamenteiro e inventariante
da fallecida D. Maria Gomes Conti-
nho do Amaral, convida aos paren-
les o mais pessoas d conbecimen-
to da mesma fallecida, para no dia
7 do ccrronte, as 7 he-raa -da ma-
nha, as i tirem as missas resadas
no convento de N. S. ;do Carmo, por alma da
mesma, e nesta occasiao dislribuira parte ou
tod s as esmolas de.-ignadas por ella, para os
pobre?^______________^______
Tentfnle Josi' Maria Ferreira da
Cunha Fillio
A oflieialidade do 1* batalhao de infantaria da
gnarda nacional do municipio do Recife, aentindo
a morte do seu distincto companheiro o tenente
Jcs6 Maria Feneira da Cunha Kiihn, fallecido na
cidade de Caruaru, manda resar algumas missas
pela sua alma, e convida a stus tollegas e amigos,
e a fcmilia do mesmo ttnente para assistirem as
missas que deverao celehrar-se no convento do
Carmo, & 7 horas da manha de 7 do corrente mez,
trige.-imo dia do seu passamento.
AHlkWHffH
Na rraveaiBa da-ma
dasCruz^ar'nat, pri*-
meiro andar, da-se
dinheiio soBr^ pye-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhante?, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
M WSi S6 W&WE Mi
BOS k.^2 evZz S^sS^ sk!
MOPINA
Esta encouracado II!.
Agna mole em pedra dura
Tanto da ate que a fura.
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de Mali
ijscrivao na cidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir a rua Duque de Caxias n: 36, a con
clnir aquelle negocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
flns de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou a.fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
por este motivo 6 de novo chamado para d
dm, pois S. S. se deve lembrar que este negoci
la mais de oito airaos, e quando o Sr. seu filho
achava nesta cidade

-.*-:-. -x
AVISO PH
Mi)
PARA 0
\'ala!-folia
ll
luja do S"t rado a. 1 da rua do
'nm sen proprietario, a rua do

. i casa com bastantei comraodjs,
i, -ii > da Bella-Vista : a tratar no

_>
o seguudo anlar it sobrado con
- ;a ).,' Hartyrioa : a tratar na rua
nbr n. IS.
Ye- i-a-f ijnar ao Sr. Joaqaim de Aguiar
ro : na rua da G'lia n. IS, a negocio
* ii-nlar interesse.
i >.- e a c-wa n. 13, na rua do S. Joao,
e :;az: a tratar na casa n. 47, na
.
um trabalhador para vender
,.' .! -.. -.i S^ledade n. 4.
Eiiiiommadeira.
il u na engommod'-ira para engom
'. pe.-soas: a .ralar na travesa da
i ii. 1, das VI horas a-; 4 da tarde, ou
' Dois da esta^ao do Chacon.
' i casa com muitos omraodos,
i.....ii mobilia, agna e gaz, e porpre^)
. i I i-> do Oliala, rha de S. Bento n.
i tar i..i r:: > Doqoe tic Caxias r. 91.
it > ---ignad.; deelara que nesta data
;x.:i i ed r do periodico America Jllus-
adii mais tem com aquelle perindi-
Da f'Sta todos desejam
Ver o dia rc.'plendsutp,
Dia que cos leva a mente
Do inlinito as. alturas :
Oade os anj. s o amor beijam
E a caridade festejam,
Teem as almas sepulturas
Raa estre.'las i;ue flammejam I
K nosse dia em que torn
Do jubilo rasgar oseio,'
Saindo lhe hem do meio
A cralera da alegria :
E" preeiso qne os amantes
Da pura gastronomia,
Venham ja e qnanto antes
Do Campos ao armszem.
Porque sd assim terao
A sciencia do prazer :
Comer bem, melhor beber
S_fm rcieio da maldade
Nem da vil .-iipersti^ao,
Q.;e jamais conseeuirao
Supplant r a liberdade
Nos carceres dain.uisigao I
Boa do iBiperados' n. 28
Do przerviva o requinte
Alegre eon o o truvao,
E da rr.?sa a descrip;ao
Iti'paretn : 6 a sf-gninte :
Mesa giganta.
Tresunt''?, fiambres, paios, chourica?,salchichas
e lmguiras ; l.imbos de porios e de carneiros ;
ave3 em ccmervas, pe ixes e toucinho; camaroes,,
ostra', lagoslas e coe'bos com hervilhas; conserva-
Iegume3 e champignons ; qneiios flimengos, pra-
tos e lonJrinos ; doces em calda e de goiaba ;
fiuctas em conservas, passas, amendoas, nozes e
ameixas ; aletria, talhnrim e macarrao ; araruta,
topii.ca e eineoeata qualfdades de massas finas e
nutrientes; cha, mate, caK e ch colate francez,
hespanhol, portuguez e na^iunal; bolachinhas,
hr.liubos e confeitos, maoteiga iogleza e franc^za ;
Lanha. arroz, batatas, eebolias, amos, cominhos,
pimenta, mostarda e molao inglez ; cervejas, ci-
dra, champague, cognac, genebra, hesparedina,
bitters, liccres e a^uardeut* de canna ; vinhos
de Lisboa, Figncira, Carcavellos, Collares, Bair-
rada, Bastos, Porto, Borgonha e Boide.iux ; ci
garros, cliarut03 e uma grande (giganta ? ) quan-
tidade de victualhas raras e exeiiantes, nao fal-
lando na? espedalidades d >s pn paradox francezes,
allemae=, inglezes, turco0, chinezes, hollandezes,
tialianos, prussianos, hamburguezes e america-
aos I
Alem do que:
Enccntra-se um immenso deposito de novida*
des, como sejam : velas luradas, (?) torcidas (I) e
de ecores, bilhas, quarlinlias, e outros mui-
tos objectos de grande.- phruit.-.-ia- ; assim como o
maravilhcso oleo de mmamona preparado expres-
samante para combatera giganiomania-e appla-
car o systema nervoso I Ver para erer.
E. A. DELOUCHE
24--Rna do Marquez de Olinda-24
Esquina do beeco Largo
Participa a seus freguezes e amigos que mudou
o sou estabelecimento do relojoe:ro para a mesma
rua n. 24, onde encontrarao um grande sortimento
de relogios de parede, americanos, e ciraa de me
sa, dos melhores gostos e qualidades, relogios dc
algibeira, de todas as qualida-.'es, patente suisso,
de ouro e prata dourada, foleado (plaquet), relo-
gios de onro, inglez, descuberto, dos melhores
fabricantes, cadeia de euro, plaquet e prata, lunetns
de tod?s as qualidades, tudo por precos muito ba-
ratos.
Carros de luxo.
'' E' inquestionavel que a cocheira da rua do Bora
Jesus n. 15, de Joaquim Paes Pereira da Silva, e
a que tern as melhotes berlindas, caleches, meias
caleches e Victorias de luxo, proprias para qual-
quer noivado, visita d^ etiqueta, bailes, e actos
da acad.'mia, sendo o. mesmos ajaczados de ex-
cellentes parelhas de animaes, arreios luxosos e
bolieiros com fard^montos do ultimo gosto, para
o que se convida ao publico a vir por si mesmo
scieotiticar-se da verdade do quo deixamos dito,
certos de que nao enconirarao pomada e sim rca-
lidade, e commoios preg.s
Prorisa se de uma ama para en-
isa
bolas amarellas.
Amm
Prtctea $e
ra casa de p
a tratar n
e uma arr.a pa-
em familia :
rgo do Paraizo
A win Precisa se de uma mulher para gozi-
"ia nbar para casa da hemem solteiro : a
rua do Dtiqae de Caxias n. 73. luja.
** -------------------------"' ,............
A w.n Aluga-se uma ama para todo servico
jxiua ae uma casa ae poaca famj'ja : j rtta
do Qiieimado n. 7i, l. andar._____________
Na rua do Duque de Caxias n. 74, precia-se de
duas amas. sendo uma para cozinhar e ontra para
eDgommar.
*wiq Precita se de nma ama para cozinhar
IXllldi a tratar na praca da lu Jependencia ns
V e 29._______________________________
Precisa se de uma' hvre ou escra-
a : na rua da Uhiao n. 47.
Ama,
A |k| A Na rua Ja Midre de Deus n. 3, butica
xliil-"- ingleza, precisa-so de uma ama para ser-
vico dacozinba^^___________________^
Attencao

Fugio no dia 7 de setembro o esravo do abai-
xo assignado, com os siguaes segnintes: Egidio,
cabra, idade de 21 annos, cabeilos carapiohos,
oIbos aboticad6,' aKurft regular, rOsto um tanto
cbopado, beicos grossos, bocca regular e um
tanto biendo, cabeca peqaena, otelhas regulares,
bracos, a mesma cousa, pernas regulares, tendo
a esquerda e o pe inchado, por lbe dar erysipela,
nariz regular, e bom trabalhador da olaria, e
tambent 6 boreeiro, 6 natural desta cidade do Re-
cife, e foi comprado ao ex-capitao do perto desta
provincia, Jose Joaqias da Silva Jacques : roga o
abaixo assignado as autoridades policiaes e ca-
pitaes de campo edanavios, a sna captnra e le-
varem-no a p. voac.lo dos Afogados, quo serao ge-
nerosamante reconi|iensados.
_______________Jos6 Buarqne LCisboa.
AO C0MMERC10
Jos6 Ferreira Braga, socio da firma Manoel
osi Tinoco de Souza, deelara que tendo entrado
m lijuidacaoa dita tirmn, acha-se eile encarre
gado da mesma liquidacao. "
Aluga-sc
o sr-gundo andar do sobrado sito a rua
Affonso n. 59, com agua de Bebcribe : a
rua do Vicario n. 31.
Pedro
tratar a
,5
Attenqao 0
Vende-se dous sitios pequenos bem %k
plantados de fructeiras, com casa de mo- a*
rada, sendo um na Capunga, frrguezia de *j5
N. S. da Waca, e o outro no Fundao, em jwr.
Beheribe : qu-m os pretender, dirija-se a g<
rua do Rangel a. 48, que ahi achara com ^
quem tratar. @
Distracgocs:
A:
Ma
V
'^ca>iao para podir ao Sr. Jose
i i lerque haja de liqoidar quanto
' itas com o mesmo abaixo assig-
Ji d.; ontubro de 1874.
tanoel Rodrigues Pinhoiro.
!
a casa terrea na rua da Punte,
B >a viagem, cm muitos commo
I a-ihos talgad e doce : quem pre
ao patej do Ten;), casa n. 54, ou
ii i do Mot-cl-mho, casa n. 15, que
... imerti tratsr.
H

i' -llegio da Couceicio, sito a rua
. It, servesa do jornal para p .
a- pe.-soas qae She sao devedo-
aa'.ig-is e deste anno, dicueiro
fiancas qne pagou, que se dig-
' bitos ants- qne eile se veja
ao de meios que dcs.ja aioJa
oiivedores de-ti provincia da o
.r.i os da do Rio Grande de
>lagoas 30, a coa'ar de>ta data.
ro de 1874.
Os amantes das palestras e boa pinga, encon-
trarao no fundo do estabelecimento, alem de mui-
t fresco e agua fi-ia, bancos macios e mesas as
seiadas, deslnadas so servico dos lunclis, que os
mtsmos amantes pod' rao satorearcm ao som ma-
vioso de uma elegante musica ccraposta dos me.
Ihores canMres americanos e q,.e sao coadjuvados
por uma bicharia domestica e interessante.
Moralidado da cousa.
E" immenso o sortimentj
E se vende pelo custo,
Pelo que e muito justo
So ao Campos comprar ;
Visto que e um portento
____ Dos generos o paladar I
DesejH-se fallar com o Sr. Joao Leite Torres
Gallindo, a negocio de um amig) que quer ser in-
formado: a tratar no armazom do Campos, rua do
Imperador h. S8.
Boa moradia.
Vende-se um cxcellente sobrado, com uma
casa pequena cont'gua, sitas no P^go da Pa-
nella, rua lieal n. 30, com bons commodos
para uma familia grande, tendo diversas sa-
las grandes e muitos quartos, todos com
janellas; quartos para criados, cocheira,
eslribaria, grande copUr, casa de banho
e jardim de cada lado. A casa esta- em
perfeito estaJo, e esituagao a mais fresca
a saudavel possivi.'l :a tratar com a-proprie-
taria D. Maria Purcell Raulinsjn, na mesma
casa. -
Ados e exames,
Nem-ha lugar mais apropriado para solemni-
sar-sc 03 actos e exames que se estao agora
fazendo., do que na
Confeitaria do Campos.
Alii os respectivos
Estudantcs
Encontrarao
Uma variadissima
llefeigao, com a qual
Devem presentear
Os seus coilegas
E amigos.
Reparai bem
E' ni Confeitaria do Campo.s
Aluga-se o primeiro andar da casa da rua
do Torres n. 8, propria para escriptorio, ou pouca
familia: a tratar no segundo andar da rua do Mar-
quez de Olinda
Qual 6 a loja que vende ba-
rato ?
E' na rua do Livraracnt n. 4.
0 que vende ?
Queira ler para saber.
Fazcndas. chApcus e roupas fellas.
Perfeito sorliment para todaas classes.*
Pannos Bnos e casemiras, brins de linho branco,
pardo e de cor, ditos de Angola, ditos de algodao
brando e de err, gang-.s de linho e de algodao,
de c6r e amarello, madapolio de diver'sas quali-
dades e precos, algodao branco de listras e azu
de varias marcas e i refos, cbita*, metins e per-
cales, baptislas brancas e de cores, brilhantiaas,
alp.cas de lindos desenhos, ditas com palmas de
seda e lirtras da seda, ditas pretas e brancas,
chapeos de sol para homem e senhora, meainos e
meninas, ditos para cabeca de homem senhora,
merinos e meninas, ha grande variedade aonde
se ve os de castor a 1 j e ii, camisas de todas
as qualidades e precos, para homem e menino,
ditas de meas, eeroulas de precos de um a tres
mil reis, calces, colletes e paletots, havendo gran-
de quantidade pan escolher a vontade ; tambem
!'a cambraias branca* e de cores ; assim como,
muitos outos artigos que deixamos de publicar :
cheguem ao amigo do bom e barato, a rua do
Livraraento n. 4.
no Arraiaf Tnfarlsa e nHo. wJr pfeeb (fofhmMo :
a tratar no bec#*MMMMM, siMAue foi do
Zamba. _________- ^n
Aluga-se pe!6 Tempo da festa uma casa mui-
to-freet e ettio, noiprtooiplo da estrala da Tdrre,
a margem do rio, peri* dos bonds : na rna do
Uarquez de Olinda n."
rmht.
Grande descoberla
Ourativo das molestias do
peito pelo
Varope de sulpbito de seda
A. BKHXKT
Este importante medicamento que acaba de ser
reconhecido pelo* distineftfs Drs Zalloni e Paras-
shevas como um verdadeiro especifico contra a
pbtysica, segundo provaram nos grandes nume
roe de caaoa por eile* eiperimentados, como se ve
aa sessao da academie, de Paris de 24 de marco
lo corrente anno, enoontra-se unicamente no
Deposito da pnarmacia e drogaria
de
Bartholoznen A C.
N. 34 Rua larga do Rosario N. 34
Sedinhas a ljJSOO o covudo.
Venham antes que e acabem : na loja do Pa**
a rua!.* de Marco n. 7 a.
Wilson Bowe 4 C. vendem no seu armas*;
a rua do Commercio n. 14 :
verdadeiro panno de algodao azul amencano
Excellente flo de vela.
Cognac de qualidade
Vinho de Bordeaux.
Carvao de Pedra de tola* as qualidades.
Cheguem & grande. pechin-
cha
0 Desflngano esla vendendo pelo baratissimo
preco de 500 rs. o covado alpacas de la e seda,
fazenda muito fina e de lindos padroes, flzenda
que muitos vendem a 1*200 o covado ; 6 grande
pechincha ; cheguem a ellas antes quese acabem :
na ma do Crespo n. 25, junto a loja da esquina.
Las
A 1G0 reis o covado
Rua do Queimado n. 4*. junto a loja da Mag
nolia.
Lazinhas a cliineza, padroe3 modernos, pelo
modico pre?) de 160 reis o covado.
So o-43
\rende se uma casa em aberto, na ladtira da
bica de S Pedro, na cidade de Olinda,
com 33 palmos de frjete e grande quintal'
e se vende por barato preco : a tratar na rua
Duque de Caxias n. 91.
Leques grandes e modernos.
Na loja do Passo, rua de Ma rgo n. 7 A, de
Cordeiro Simoes & C.
Brett, breu, breu.
No armazem de lorn Tasso, rna d* Amorim n.
37, enocaes do Apollo, aimazem de farinha de
trigo, do commendador Tasso.
Aos 5,000 covados dela
A 1GO p.
Na loja do Pavao vende-se lazinhas de muito
bonitos eostoi e delicados padroes, fazenda nova
no mercado, pelo diminuto preco de 160 rs. cada
um covado ; quem deixara de fazer vestidos de
IS tao bonitus e por tao pouco dinheiro ? Forne-
cem-se as amostras: na rua da lmperatriz nume-
r-j'60.
Allencao.
Vende-se a taverna e a casa propria junto a
estacao do Caxanga : a tratar na mesma.
Vende-se uma casa do pedra e cal, oit5es
dobrados e frente. em caixlo. tendo 30 palmos de
frente e oitenta de fundos, grande quintal ale a
gruta : a tratar na rua do Commercio n. 8.
ueoa

easa na villa
mereio, por prejo jmodtco :
lrmaoArC___________
nrTua
do Com
a tratar com. Taaa*
NA
Loja de fazeidas
DA
Rua do Crespo n. 20.
Laa de cores miudas muito boa* para roopa d
meniaas a 160 e 200 r*. o covado.
La pretas, superior, a 400 rs. o covado.
Alpacas de cores fina* a 320 e 360 rs. o covado
So se vendo.
Ditaa-com listras abertaa, fazenda fina,* 000 n <
covado.
Chitas de core* a 240 e 280 r*. o covado.
Metinti de cores miudas a 380 rs. o covado.
Crelones, o melhor que tem vindo ao mercado >
400 e 440 rs. o covado.
Cambraias brancas, bordadas e aborts*, jii
mais fina, qne torn viado ao mercado, t fazaadt
de 2*000 o metro, por 1*000 a vara ; e p*
cbincba.
Ditas pretas com flores miudas a 200 rs. o covsdv
Cambraia transparenle. Boa, a 3d a peca.
Dita Victoria, fina, a 400 a peca-
Oigandy de assento bfaaco e de cores, com fl
res miudas da seda e de la, a 400 rs> o cend*
E' pechincha.
Cortes de casemira de cores modernas a 5/509 <
corte ; e fazenJa de 8*. E' pechincha.
Camisas de linho finas, lisas, a 35* a duzia, e ra
tenda de 63d.
Brim branco de linho a 1*400 a vara.
Dito Angola, verdadeiro, a 600 rs. o covado.
Madapolao francez verdadeiro, 24 jardaa, a 6*
7* a peca.
Algodao T, largo e superior, a 5* a peca.
Gorgorao preto de seda para vestide e para colleb
a 3* o covado
Toalbas alcochoadas a 4*500 a dnzia.
Colchas grandes a 3*500 uma.
Cobertas de gangs, forradss, a 3*.
Lencoes de bramanle a 2* um.
Lencos de linho, abainbados e em caixinhaj
3*500 a duzia.
Ditos de ca?a de cores abainhados a 3*500 a do
sis.
E outros muitos artigos qne se vende por m
nos do que outra qualquer parte e para se dei
So na lorem queiram mandar ver as amostras.
enganaja de
Guilherme & C.
Para o fabrico de chapeo?
A NOVA ESPEFlANCA recebeu o arame propn<
para armac^o de cbapeos.
BAZAR
DAS
FAMILIAS
Rm Duipe de Caxias n. 60 A
Grande queima.
Corram a pechincha f...
Riquissimas sa'.idas de baile, de la, para senh
. Verdadeira novidade no mnndo elegante 1
elegante
para senhora. Cou>-
_ Vende-se a loja de chapeos que foi do fallo-
cido Tranquilino, a' rua Direita n. 61 : a tratar
a rua do Bcm-lesus n. 56, armazem.
Cm herdt-iros do I llecido commendador Jose
F. P. da Silva, resolveram vender o engenho no-
vo Santo Amaro, sita na Iregoesia de Jaboalao,
foi levaniado o anno passalo, e moe com agua :
quem o pretender pode ir corre-lo e en tender-se
com Ignacio F. P. da Silva, niorador na mesma
villa de Jaboalao.
Vende-se ou aluga-se
Na cidade da Escada uma casa com armaclo
para loja ou ontro qualquer estabelecimento
muito afreguezada, e sendo um dos melnores
pontos deste mercado, tendo duas frentes, na rua
do Commercio n. 8 : a tratar na mesma.
A 1
I B
I
.3"
I
AUenqao
lk. M-ntea dos prvBfspGB
.Rosario n. 3-5 t-m, como sem
- n IWfas coroaa 0 capella* de'tri-
>i -. rosas douradas e prateadas
1 -1 '. ra^,borda-se fachas a ouro com
1 tos donos, bcrda-;e avental a
lidos proprios. com tolo gosto
1 '.ra lindos bouquets com Ii las
" -reco, de cravos, resas, sauda-
.. ilquer Hot, tudo muito barato,
r "MS, araes e'enearnadas.
:'< \m offlcia! de alfoiate : na rtla
tatafa'ia u It cite n. 3.
Eserava I'ugida.
Josepha r.osentou se da casa de sua senhora
no dia 5 de outubro e tera os signaes segointes :
crioula, c6r preta, representa ter 25 annos pouco
mais ou menos, torn os dedos da mao direita
cortadof, levou o taboleiro em que andava ven-
dendo cangica e continda a andar com o dito ta-
boleiro com toda lonca para nao ser agarrada,
levou saia de chita com um babado estreita em-
balxo, traja eamisa com labiryntho no talho e le-
vou cbales preto : roga se 4s autcridades ptrfi-
ciaes ou capitaes de campo, a apprehensSo da
aita eserava e leva-la ao Garoinho Novo, sitio a
110, a sua senhora, en na rua da Cacimba, pri-
meiro andar, a entregar ao Sr. Joao Fraociseo
Leite, qne wra generogamente recompensado.
Desafio.
Corridas a cavallo, com usura, no logar da Ta-
marineira, domingo 8 de novembro.
Precisa-se de duss amas, sendo uma para
cozinhar e comprar e outra pars, engoramar e
ensaboar : na rua da Concordja n, 43.
OM onle Lima
tem um completo sortimento -de galao e franja de
ouro e prata, verdadeiro, de todas as larguras,
abotoaduras douradas para offlciaes, canutilhos e
enfeites para bordado. Tambem se encarrega de
todo e qualqu'T fardamento, como seja : benets,
talins, pastes, espatas, dragonas, cbarlateiras, ban-
das, abotoaduras lisas e douradas, para criado
etc.; assim como um completo sortimento da
ranjas, galio falso para ornamento, cordao de la
com borla para quadros e espelhos (conforme o
gosto da encommenda) tudo por muito menos
preco que em outra qua Iquer parte: na praca da
Indeuendencia n. 17, junto a loja do Sr. Arantes.
Toda attengao
Retalha se, com frente para a rua da'Amizade,
sobre 194 palmos de fundo, uma porcao de opti:no
terreno para edilicacao, tirada do sitio contiguo
a igreja de S. Joje do Manguinno, do prc;a de
50* por palmo. Aquella frente e toda murada,
bem como a parte posterior e a lateral extrema :
os pretendentft polem enteuder se com o Sr. Dr.
Witruvio.
Vinho superior
Na rua da lmperatriz n. 67 acaba-se de receber
excellente vinho do Porto, em barns de 50, 75 e 150
garrafas, e vende-se muito barato, garantiado se a
qoalidade.______
Tendo-se desencamlohado os talSes n*. 7,648
e 8,964, pertenceote* ao seguro de vida no ban-
co Uniao, da cidade do Porto, em Portugal, a favor
do padre Jose" Lopes Dias de Carvalho, fallecido em
22 de novembro de 1870, ua freguezia de Santo
Antonio, de Garanhuns, nesta provincia de Per-
nambuco, sen pai e herdeiro Joio Rodrigues Dias
residente no lugar de Sarnadella, freguezia do
Pombeiro, julgado de Arganil, no dito reino de
Portugal, assim o far publioo, chamando qualquer
interessado aos ditos taloes para que no prazo de
30 dias, contados da data deata publicacao, o ve-
nbam reclamar na mesma cidade do Porto, e nlo
ofazendo ficara o dito berdeiro babilitado para re-
ceber do dito banco o qne se Kqutdar desde o anna
de 1870 em qne finaliaou o seguro
Garaa & Silva Brito, vendem manteiga in-
gleza em b.arril a 80.) rs. cada 450 grammas. Vi-
nbo Figiioira das melhores marcas a 440 rs. a
garrafa. So no lorg> da Santa Cruz ns. 2 e 4.
Gama & Silva Brito, vendem vinho do Por-
to, firm, em barril, a 8 0 rs. a garrafa e engarra-
falo a 15 a garrafa. Venham aa largo da Santa
Cruz ns. 2 e 4.
Gama & Silva Brito, vendem gaz liquido a 240
rs. a garrafa, azeite doce do Lisioaa640 rs. a
garrafa. E' barato, no largo da Santa Cruz ns.
2 e 4.
Gama & Silva Brito, vendem velas steari-
nas a 560 o maco, vinho de maca, superior, do
mais purificado sabor, proprio para senhora, a
1*200 a garrafa. Venham ou mandera ao largo
da Santa Cruz ns. 2 e 4.
Aluga-se 3'easa* terreas, sendo duas com
sotao e bastantes commodos, a rua do Capitao
Antonio de Lima, em Santo Amaro : trata se a
rna da Aurora n. 105.
0 barateiro a rua Primeiro de Marco n. 1, rece-
beu nm bom sortimento de popelinas de seda com
bonitos gustos, e esta vendendo pelo baratissimo
preco de 600 rs. o covado I Cravem ver, pois e.
fazenda que sempre enstou 1*000_____________
Hotel Restaurant de Ror-
deaux
Pede-se aos Srs. abaixo mencionados, o favor de
apparecerem no dito hotel, para se cntenderem
com o administrator, a negocio de seus particula
res interesse* :
SaloraSo (rnajcate).
Jos6 Maria Correia das neves.
Manoel Amancio.
Luiz Imhalz.
Jose Ignacio Ribeiro Roma.
Vicente Severing Alves.
Joaquim Pires Forreira.
Cruz Ramos (guarda-livro*).
Gabrie! (mascate).
Precisa-se de uma mulher forra ou eserava
para vender na rua : a tratar na rua dos Prazeres
n. 9, freguezia da Boa-Vista.
Cavallos fiirtados
Do sitio da Ponte de Uchfia n. 25, furtarara urn
cavallo castanho, bom esquipador, o qual e mnito
conhecido ; uma burra cfn;enta, com uma listra
preta no no do lombo e outra atravez das espa-
doas, tem uma pelladura no quarto eaiuerdo, e 6
muito pequena : roga-se a qualquer pessoa ou
antoridajo, que dalles tenha noticia, de apprehen-
celos e eommunicar no sitio acima, ou a rua do
Marques de, Olinda n. 18, 1 andar, que se recora-
pensara generosamente.
Vende-se on permuta-se por casas na cidade,
um bom sitio em Beberibe, com casa para familia,
tendo bastantes arvoredos de fructo e casa reeli-
ficada : a tratar na rna Nova n. 46.
Chocolate do Maranhao
Unico deposito nesta cidade, em casa de Josf
Tavares Carreiro & G, rua Direita n, 14, onde sf
vende pelos precos e vantagens da fabrica.
Leques e flores
Amaral, Nabuco & C, receberam leques de ma
dreperola, brancoe queimad>, dedifferentes cores,
de marfim e de lartaruga, lisos e lavrados, sao
elegantes e proprios para bailes: vendem no Ba-
zar Victoria, rua do Barao da Victoria n. 2.
ra
Capinhas do la e seda
inteirarrente nova I
Excel lentes cachincts de la c seda para senh
ra?, por 5*500.
Casaquinhos de gorgorao preto de soda, ri:a
meDte bordados, pelo diminuto pre^o de 10*Vv>
Excellente acquisicaoo I
Chales de seda a 12*. Baratissimo t
Grosdenaple preto a 1*200 o covado.
Popelinas de seda a 2* o covado.
Faia de seda, fazenda modernissi na, pelo c m
modo preco de 2*200 o covado.
Popelinas de seda, objecto da ultima mod.-., i
1* o covado I
Ditas de linho com listras e agra Inveis j...
droes, a 410 rs o covado.
Cambraias tra sparentes, fazen *a mni fina e d>
grando procura, a 6*500 e 7* a per^a.
Alpacas de seda a I* o covado. Grande pechiL
cha I
Granalinas de cflres com listras assetinadas, ;
800 rs. o covado. A ellas emquanto restam !
Cambraias bordad.t3 a llloo o metro.
Ricas tolinaises, bordadas com esmero, a 3^i
cada uma.
Tapetes para sofa, grandes e pequencs. PadrtV
especiae3 I
Ditos para portas.
Ditos para cama.
E outros artigos para homens, seahorr.-
crianras, os quaes artigos nao se mencion'm par
nao massar se a bcnevola atten^ao dos later*!
leitoras, amantes do bom e do barato, e enthu
siai-tas da grande virtude domestica a econ
mia I
Corram quanto antes a grande pechincha,
freguezes I
Vihde ver, compnr e admirar I
Para ooneertar meias
A NOVA ESI'ERANCA, a ru;. Duque de Caxia-
n. 63, receben desta necussaria linha.
Aos cigarreiros
A NOVA ESPERANCA vende papel de Hah
proprio para cigarros, de diversas larguras.
Alpacas a 400 rs.
0 Desengano esta vendendo pelo r'iminuto pre
co de 400 rs o covado, alpacas de la e seda, d'
lindos padroes, fazenda muito fina e larga, qn>
sempre se venderara per 1 *200 o covado, e" par;
acabar; a ellas antes que se scab- in : na rn:
Primeiro do Marco n. 25, junto a loja da esquina
AlleflC-uO
Vende-se por todo preco a taverna sita na tra
vessa da rua do Principe, danominada Forte Prin-
cipal : a tratar na mesma.
Vende-se a armagao e perten$as da fabrica
do cigarros da rua das Trincheiras n. 43 : a tra-
tar uo patco do Carmo n. 3, ou na rua das Trin-
cheiras n. I, garantiado se licar na casa.
Sal
A borlo da barea portugueza Nova Sympathia;
veade-se a rua do Vigario n. 1, primeiro andar.
CHAPftOS PARA SENHORA.
A Predilecta, a rua do Cabuga n. 1 A, acaba de
rtceber um lindo sortimento de chapeos da ultima
moda para sonhoras e meninas, e vende por pre-
ps commodos.
Cimeoto Portland
0 verdadeiro cimento Portland era barricas de
180 kilos : vendem Lebre & Reis, a rna do Aaio-
ri m n. 58.
CASA
PERDEII-SE
uma pequena carteira de couro e mais alguns pa-
peis, sendo recibos e conta3 de nenhum valor, ex-
cepto ao dono : quem a achou, tenha a bondade
de entraga-la na rua da Cruz n. 4, hoje Bom Je-
sus, armazem._______
Aluga-se um moleque de 19 annos. bom
oosinbeiro e copetro, intelligente aactivo, podendo
ser empregado em qaalqner outrp servico de casa:
a water no 3" aodar do sobrado n. 20 da rua da
lmperatriz
Vende-se ou aluga-se uma casa terrea em Olin-
da, com grandes cimmodos, gaz e agna encanada :
a trster na rna de Margo n 6.
Taverna & vend a
Vende-se a taverna n. 88 sita a rua de S. Jorge,
em Fora de Portas, bem afreguezada e com pou-
cos fundos, prop ia para um principiante : a tra-
tar na mesma taverna. _______
Bicos de seda.
A MadresiWa acaba de receber um riquissimo
sortimento de bicos de seda, brancos e pretos, e
resommeoda as as Exmas. Sras. para os grandes
bailes, por 9er fazenda de josto e Inteiraraente
nora.
Asunicas verdadeiras
Bichas haraLuigueza? aiic nm sstemercio.;
aa ma do Maraaax wHJBMm r.51
Farinha de.mandioca supe-
rior.
T4w para vender, Joaquim Jose Gon^a!
ves Beltrao & Filho, a bordo do palhabot.
Hosita, fundeado ao p^ do caes doCollegi)
e para tratar a bordo ou no seu escriptorio
a* rua do Commercio n. 5.
Chocolate bespanhol
muito lino, tem para vender na Assemble* d
Commercio, Meir" & Lima, rua do Commercio ou
mero 22.______________________________
A 120 rs. o covad<.
Na rua da lmperatriz n. 60, vende-se para aca-
bar uma grande quantidade de las, restos de di
versos sortimeetov dpade 120 rs. ate 500 rs.; no-
tando-se que, quando havia sortimeulos comple
tos, se vendjam a 1*280 e i*6(>0 o covado, b.-.
grande variedade em padroes, os qne primeir
chegarem melhor pechincha fario, a ella a rna d*
linperatris n. 60.
Cal de Lisboa novissima
Von de se em grandes e pequena* porcdes : as
rua Direita n. 14.
Agora sim, boa occasiao
Gama & Siva Brito, com armazens de velkados
no largo da Santa Cruz ns. 2 e 4, vendem gaz
(Devoes) liquido a 240 rs. a garrafa. vinho musea
tel do Donro s 1*200 a garrafa, c.fe do Rio, de 1*
sorte, a 320 rs cada 450 grammas, cha aljofar.
superior, a 3* cada 450 grammas, manteiga ingle-
za em barris a e80 rs., i* e 1*100 por cada 450
grammas, vinhos do Porto, finos, por precos ban
tiisimos, vinho Figueira a 3*600, e muitos outros
artigos que se torna enfadonho mencionar. O-
generos cojnpralai.am nossos armazens serao coa-
duzidos a casa do comprador, gratis; aifevesteta .
no lsrgo.da Santa Crut ns. fle 4, armasens de
Garaa 4 Silva Brito.____________
Vende-se a Uverns da raa da Ponte lh\
n. 1, propna para,principiante per ter poueos fun-
das : a tratar Da mesma. %
t
^

J


/


>!Mr#d<^^t^f^^eA^ira tfWMWflbtt AMf*?
4.

jon. 1
Confroute ito de ianto
lillWJI,
03 prop**BUros de*le estebelecimenio, tendo
gande deposiip de faaendas de la, linbo, seda e
algodao, e aetianno-se proxima a occasiao do ba-
laneo, resolvertm rarer graDde reUuccSo em pre-
Sm, afim da que naqttftlle tempo dio lenham gfan-
e trabaUiq em balances ; a saber :
GORGQRAO,. de sada pre to, para collate, um
corte por if." E fazenda qua sempre castou If.
AMAZONAS/HnJa fazenda. para vestidos de
passeio, a 500 rs. o covado.
GROSDENAPLES de cores, verde, encarnado,
branco, cur de rosa ,e cravo, a 900 rs., if e
1J200 rs o covado. Quern 6 que nao compra'af
POPELIXAS de linho, de quadros e listras, ho-
t nitos gostos, a 800 rs o eov&do. Aproveitem.
i FOI'KLLNAS de Into e seda, gostos inteiramen-
te novos a 900 r.
DITAS com listras largas asselinadas. o mais
moderno qne tem vlndo ao riiereado, a'If,
CItETONE franeez com llstras e de quadrinhos
de cores e pi etos a 400 e 440 rs. o covado. Isto
so do barateiro 1
DITO francez dc listras, proprio para camisas
e vestrdbs sr3f3"n.;' pbis so se vendo se p6de
;rer. .
ES JU AO de linho e algodao, proprio para ca-
misas, fronhas, etc, etc., com 7 jardas, a 3*200, e
'om 10 jardas a 4jo00 a peca.
'MUSSPL1NA brsnea, com listras, para vestido.a
W)0 rs. o covado. R' peebincha !
MADAPOLAO francet C(m JO varas, por 4*500.
' barato.
CASEMIRAS d'e cores, para costumes (roupa de
homem) a 3* o covado. Vcr para crer 1
LAS escocezas, estamos acabaodo aos precos de
120, 180 e 200 rs. Apressem'wl
CHIIAS escuras e claras, fazenda Una a 240,
260 e zSO rs. ; so a rna Primeiro de Marco n. I.
CHAPEOS de alpaca, para sol, para senbora, a
2*000. E' admiravel 1
BRIM branco n. 5, exposicJo superior, a if a
vara. I
CAMISAS de cretcne francez de cores, a 2^500 j
t nma.
CAMISAS brancas Inglezas e francezas, gran-
de sortimento por precos baratissiroos.
BRIM pardj tranrado, para 280 rs. e4O0rs. o
covado.
BRIM Angola, superior, a 300 rs. o covado; isto
6 na loja do Barateiro I
CHAl'EOS de sol de seda para homem, fazenda
superior, a 8*300, 9*000 c 10*000.
BAPTISTAS niatlsadas, gostos miudinhos a 300
rs. e 360 rs. o covado ; so confronte ao arco de
Santo Aotonio I
LEN^OS de linho snperiores, abanhadoi a 3},
4/500 e 5*000ja du2ia.
TOALHAS felpodas superiores a 6,i500 a du-
zia. Em outra parte vendem por 9* !
MEIAS cruas, ?uprores, para homem, a 4*,
*300 e 5*. E' peebincha.
BOTIXAS snperiores para senhora, a 4/500 o
par.
ATOALHADO alcochoado, fazenda superior, pa-
ra mesa, a. 1/500 a vara.
ALGODAOZINHO tranco, com pequeno toque,
a 33500, 4 i e 4/500, e raarca T, a 5/ a peca.
Alem das fazendas acima mencionadas, encon-
Tarao mnitas outias que agradarao em qualida-
de e precos, e qne para nio massarmos a paciencia.
de uossos freguezes, as-deixam 3 de enumerar,
So no Barateiro
A' rua Primeiro de Marco n. 1.
'.oja de Agostinho Perreira da Silva Leal & C.
Nao se enganem
Puis sao os verdadeiros barateiros I
Aproveitem
0 PARIS N'AMERICA, a rua Duque de Caxias
:-.. 59, primeiro andar, esta vendendo ealcado pelos
seguintes precos:
Botinas de duraque para senbora a 3.500 reis.
Ditas de dito preto a 4,000 reis.
Ditas de dito com botoes ao lado, a 4,000 rtis.
Ditas gaspeadas, eano alto, para senbora, a
.JOO re s.
Ditas de pellica, ingleza, a 4,000 reis.
Ditas de duraque bordado, para senbora, a
c,009 rtis.
k Ditas de duraque, de cores, para meninas, a 3/.
Em quanto e tempo


)
(jrandc Ijquida^ao de taaeiMliS^a'
-r.o aJe*
I
uqt oijusd
liwm
111 ,
N.7 2.
Til" 1 /^
LVlendes (jruimaraes
Tendo os proprietaries deste .estabelecimento resolvido diminuir o grande deposito de fa-
zendas, entenderam fazer esta grande Hquichlcao, eomose vd dos precos' ibaixo mencionados :
aos.
Chitas largas a 160, 200 e 280 rtis.
Vende-'se chitas francezas e flnas a 120,280 e 310
o covado.
Lazinhas a 190 rtis. .
Vende-se lazinhas para vestidos a 120, 240, 320 e
400 reis o covado.
Chitas para cobertas a 280 ris.
Vende-se chitas para ooberla3 a 280 e 360teis o
covado.
Alpacas de cures a 640 reis.
I
Vende-se alpacas de cores, flnas, para vestidos de
senboras, a CiO reis o covado.
Metim de cores a 320 rti.
Vende-se metim de cores para vestidos de senho-
ras, a 320 rtis o covado.
Cassas Unas a 280 reis.
Vende se cassas franceza3, finas a 280, 320 e 360
rtis o Covado.
Cambraia Victoria a 3/000
Vende-se cambraia Victoria para vestidos a 3/,
3/500 e 4/000 a pec*.
Cambraia transparent a 2 e 3/000.1
Vende-se pecas de cambraia transparent a 3/,
33500, 4/ e Sf.
Cortinados a 14/000.
Vende se cortinados bordados para camas a U*'
16/ e 18/.
Ganga amarella a 400 rtis.
Vende-se ganga amarella para veslidcs de senho-
ras e roupa parameninos. a 400 reis o covado.
__________________ _________________________________________________________________ _________________________
La!i
IpjJiUdd (IT
i -111*
e#rjiorio4s Thmso. 4e Aquino Fonceca k
Successores, a rua de Vigario n. 19, primeiro
-HJdMifcto POHfc**A'ei .. nrOwtniveibta em grarao, de Lisboa.
Vyto Sbariy.
Vicho d-)Portm caixas, finissimo.
Tdemem'barris'de quinto e declmo, fino.
RWrot
Httroz.
Pio.
Brim de cures a 400 reis.
Vende se brim pardo e de cures para ca'cas t
400 rtis o covarlo.
Toalhas para rostd a 709 rtis.
Vende-se toalhas de knho para rosto a 700 e 800
reis cada nma.
Chalesde 1$ a 640 rtis.
Vende-se chales de lade quaflros a 640 rtis.'cTia-
lesde metim a 1/160 rtis, chales de merind
lisos a if, e chalet de merino estampados, a
3/600, 4/ e 5/.
Aberturas a 2^009.
Vende-se aberturas de linho bordadas, para ca-
misas, a 2/ e 3/300. Ditas de algodao a 200 e
400 reis.
Cortes de casemira a 5/000.
Vende-se cort-s de casemiras"finas para calcas a
5/, 5/800 e6/
Corles de brfm a 1/400.
Vende se corles de brim de cores a 1/400. Ditos
de brim de Angola a i/800 e 2/500.
Cobertas a 2/000
Vende se coberta9 de chitas de cores a if.
Colchas a-2/000.
Vende-se colchas de fustao para cama a 2/, 3/ e |
4/.
Paletots a 3,000 rs.
' Vende-se paletots de alpaca*preta a 3, 3,60
5,000 rs. ;'calcas de casemira preta^e de core
le'es de casemira preta e de core*, e outra s
tas roupas feitas baratas e fazendas que est
quidando no Bazar National, a rua da Im
lriz n. 72.
Para senhoras
Como sao Uudas e modernas- as gravaiiobas qne
a Magnolia, a rua Duqne de Caxias n. 48, acaba
de receber I
Vende-se
a rna do Vigsrio n. 19, primeiro andar :
Vinbo do Porto eogarrafado, em barris em
ancoretas.
Cera em velas, de Llsboa, superior qualidade.
Retroz do Porto.
; Cm>ento Portland, Ifgitimo__________________
Espartilhos.
Na loja do Pavao, vende-se espatlilhos
dos mais modern os a 30500 e 49000 cada
um ; 8ssim como bonitos cintos com lagos
da setim a-5$00O, e sediuhas lavradas com
toque de-mofo a lJJOOO'o covado: 4 rua
da Imperatrk n. CO, de Felix pcreira da
Silva._____________________________
PARA LUTO
Aos legitimos fogoes econo-
Ceroulas e camisas.
7711COS. ^a 'Ja ^ P8V^> vende-se ceroulas fran-
., cczas de todos os taroanb'os para bomem a
Acabam do chegar a esta cidade os ver- i 4-ortn i-,., i;*,. ~nn asAn _
, J. ." IJJoOO, e ditas de linbo a 23)00, zooOO e
dadeiros fogoeseconomicos.ja muito conhe ajjAnn
cidos nas provincias do Rio de Janeiro, i r. ':. _______________:. *. .ij
ta: o ii. i o d- n j i. I Camisas brancas com peitos de algodao,
Minas, S. Paulo, Sergipe, Rio-Grande, Ba- fazonda fina
Vende-se chitas ingleias'pretas com plntas a
200 rs. o^covado, dita franceza muito fina, tanto lisas
| como com pintas de 320 rs. para cima ; cantao
j preto a 800 rs. e muito fino a 1,000 rs ; bomba-
: zinas, prineezas e alpacas de todos os precos ;
| lazinhas pretas lisas de 400 aie 500 rs. ; assim
como uma grande porcao de retalhos tanto de
timas pretas como de las, que se vendem por
precos baratissimos ; tambem uma grande porcao
de chales pretu' de las a 1,000 rs. por estarem nm
ponco rnssos : a rua da lmperatriz n. 60, de Fe-
lix Pereira di Silva.
V"E V1E-IB osltiojunto a igrp-1
ja'da'B. Jos* do Manga nfco, com csia de vivenda
atsobradada e ootras acDamodacdea,_todo mura-
do, com duas freates serviJas por porlao de ferro,
daado para a rua d.i Amizade e para a do Mas
guinho. Tem do terreno proprio 194 palmoS de
nrgura e 354 de fnndo ; a a easa mde 52 palmos
de frente e 84 de fondo. A sitnacao e a melbor
Eosaivtl para morada, e quern quizer edificar, tera
astante terreno para isto, pelo lado da rna da
Amlzade. Tem a'guroas planta{5es de gozo e re-
creio,'havendo bastante sgoa fornecida por duas
caeimbas, nir.a daa qnaes d nova. A entender-se
com b Sr. Dr. Witruvio quem o pretender.
Salsa parrilha
Muito nova e grossa.
Vende-se por barato preco, em por^io on a re-
talho : na rua larga do Rosario n. 34.
Liquidacao de roupa feita
JNa loja do Pavae li iuida :e uma grande por-
cao de roupa para homens e meninos.como sejam:
calcas de casemiras pretas e de cures, para todoi
os precos e qnalidades ; ditas de brim de An-
gola para differentes precos ; ditas de brim de
cores, pardos e brancos ; paletots saccus, casacos
e fraks de panno preto e de casemiras de cores
coletes de todas as qualidas, por precos bara-
tissimos, assim como grande porcao de camisas
ceroulas por menos 3 0|o do sen valor so par:
acabar : a rua da lmperatriz n. 60, de Felix Pe-
eira da Silva.
hia e Alagoas, aonde tera merectdo do pu-
blico a maior aceita^So possivel, e s5o ja"
preferidos aos de qualquer ootro systema,
conhecido pela sua muita solidez, especia-
lidade na collocs^io, moderno systema,
e sobretudo grande economia no combusti-
vel ; trbbalham com lenha, coke, carvao de
madeira, etc., etc. Ha de diversos tama-
nh(s, proprios pa*ra casas de pouca, regu-
lar, e de muita familia, collegios, hoteis,
casas pias, hospitaes, etc. Acham-se ex-
postos ao publico, aonde se darSo todas as
explicagdes necessarias: na rua da Cruz
ARMAZEM D9 TA8S0.
A' praca circular do Apollo
vende-se:
Tijelos de marmore, de differentes ta-
manhos e qualidades.
Tijelos francezes, sextuplos.
Cinaento Portland verdadeiro.
Azulejos grandes muito proprios
para rodapds.
e por estarem um pnuco en-
xovalhadas a 20^000 a duzia, ou a 15800
cada uma, ditas com peito de esguiao de
linho a 3$000 e 35500 cada uma, ditas
com peitos e punhos de c6r a 25000 e
255G0: & rua da lmperatriz n. 6d, de Fe-.
lix Pereira da Silva.
Sitio
e casa
Vende-se om sitio com uma casa nova, tendo 0
sitio 800 palmos de frente e 1,113 de fundo, a casa
edilicada com bons eommodos e boa cacixba, na
estrada nova de Beberibe, perto da encruzilhada,
0 que se torna commoflo por ser 250 rs. para ir
na ordem, no trem da via ftrrea ; acha se des-
occupado : quem pretender, dirija se a rua larga
do Rosario n. 20.
aproveitem.
Grosdenaples
Vende-ee grosdenaple preto, fazenda muito fina,
que sempre se vendeu por 3/500 0 covado, a
>/800 rs.; aproveitem, so 0 Desengano, a rua i*
-*e Marco n. 23, junto a loja da esquina.
Cortinados para camas
Na loja do Pavao vende se nm grande sortimen-
10 de cortinados bordados propria6 para camas e
anellzs, pelo barato preco de 8, 9 e 10,000 rs. 0
jar, assim como colchas de damasco para camas
de noiva a 10 e 12,000 rtise peebincha: a
'na da lmperatriz n. 60, de Felix Pereira da
'ilva.
Aos nervosos
A NOVA ESPERANCA acaba de receber aquel- i
tes milagro3os anneis electricos, cura infallivef doi
nervosos.
K muito barato
E' s6 com as noivas
NO
BAZAR DAS FAMILIAS
Azulejoa verdes e amarellos, tamanho'A' RLA DO DUQUE DE CAXIAS N. 60 A.
regular. RiquUsimos vecs de blond bordados a .-<)da com
llaciuinns de descarocar algodao. capella, proprins para noiva, 0 mais moderno que
iu: tem vindo ao mereado I
de laranjeira, pelo
. dimiauto prccu de 3 -.: 00 uma.
Lindissimos lacinhos com fivellas, proprios para I
' senhoras, a 2!500 nm.
) Lindis.-iraas gravatinha? de seda Com blonds
; proprias para senhoras, a 31000 uma.
ftiquissimos aifinetes com uma flor, proprios para
0 peito de seulioras ou para a cabe^a, pelo dimi-
CdTelra. de ferro, assent de palbi-1 ^Sn^sSas de flores
noa, proprias para campo.
Lustres,
arandelias.
Pentes girafe.
Pentes girafe, proprios para senhora, ( nltima 1
moda): a Magnolia a rua Duijue de Caxias n. 45 j
e so quem tem.
Papal, mamai.
Como sao lindas as bonecas de cera qne cha-
mam papai, mamai, choram, andam, etc. So na
Magnolia a rna Ouqae de Caxias n. 45.
Graiolas, gaiolas.
' A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, re-
cebea gaiolas de arame de lindissimos modelos,
proprias para passaros; a ell is antes que se aca-
bem. ______________ -._______________
A 500 rs. o covado
Na loja do Pavao vende-se lazinhas japonezas
de'eores muito modernas pelo baratissimo preco
de 500 rs. 0 covado, para acabar ; notaado-se que
e fazenda que jamais se vendeu por menos de
dois cruzados ; ja ha poucas : a rua da lmperatriz
n. 60, loja do Pavao, de Felix Pcrci/a da Silva.
ARTIGOS DE GOSTO
Acabam de chegar a rna 1 d> Marco n. 13,
loja das collumnas, de Aotonio Correia de Vas-
concellos, 0 seguinte :
' Modernas ch3pelioas e ch^pdos para senhora.
Lmdas grenadines de c6res para vestidos.
Superiores las assetiuadas, gostos modernos.
Ronpoes de cambraia branca, bordados, para
jenhora.
Grande variedade de penteadores muito bem
enfeitados, para senhora.
Ricos vestidos feitos de alpaca, enfeitados com
seda e rendas de guipure.
Verdadeiras luvas de Jouvin, brancas, pretas e
de cdres.
E outras muitas fazendas ou artigos de mc da.
E' com as noivas
A NOVA ESPERANCA, rua Duque de Caxias n.
36, acaba de receber boas meias da seda proprias
para noivas. e os apreciaveis ramos de hrangeira
[ boQito
A empreza do gaz, tendo recebido ultimamente
uma quantidade de lustres, candieiros, arandelias,
globos etc. etc., tudo obra de gosto e de primeira
qualidade ; acha seem posiclo de snppnr a sens j
freguezes, por precos men res do que antigamen '
te. Para verem as araostras, dirijam-se a rua do
lmpnrador a. 31.___________________________ I
Rendas da terra
Rendas, bicos e grades de todas as larguras :
vende se no pateodo Terjo n. 52.
nnto preco de 2', 000 um.
He is e Sliva A
taSnimar'Jtes.
Casemiras
Na loja do Pavao vende-se um grande sortimen- ,
to de casemiras de cores e mescladas, tanto claras '
como escuras, proprias para calca; paletots e co- !
letes por precos mui'.j baratos, assim coruo no >
mesmo estaheleeimentos se manda fazer qualquer
obra tendente a alfaiate, com a maior presteza e [ a taverna sita a rua
por precos muito razoaveis : a rua da Impera- muito afreguezada :
lriz n. 60, de Felix Pereira da Silva. | Rosario n. 40.
As alraofadas bordadas de la matlsadas que re-
cebeu a 3io a Esperanca, a rua Ouque ft
Caxia? r ft "-
Chapeos para senhora.
A loja da Passo, a rua Primeiro do Marco n.
A, recebeu um rico sortimento de chapeos
aesna boras, pretos e de cores.
VENDE-SE
E' economico.
GMxa glycerina prcpria para a conservacjio do
cordovao; vende a NOVA ESPERANCA, a rna Du-
que de Caxias n. 83. ______________________
Grande liquidacao.
de mindezas e chapeos: no novo Bazar, rua do
Marqoez de Olindsn 53.__________________
Vende se um pequeno sitio a e-trada de Jjfio
de 3arros, oil se vende pequenos terrenos no mes-
mo sitio, conforme se entender mais conveniente e
vantajoso : quem preteDder, ptide-se dirigir ao
senproprietario Antonio Feliciano Rodrigues Sette,
a dita estrada do Joao dc flarros, C3sa n. 9.
Cortes decasimira a 4#,
e 6#000.
Na loja do Pavao, vende-se cortes de ca-
semira para calca a 45, 55 e ti^OOO, ditos
muito ftnosde uma s6 c6r com listras ao la-
do, fazenda que sempre so vendeu a 95 e
105000, liqnida-se a GtfOOO p.ira acabar:
k rua da lmperatriz n, CO, de Felix Pereira
da Silva.
Aos menliios
A NOVA ESPERANCA, a rua Duque de Caxias
n. 63, acaba de receber um bom sortimento de fl-
nas bonecas que fallam, que riem-se e choram ;
tambem astern mndas e surdas ou surdas-mudas
venhara ver se nao e verdade.
VENDE-SE
Na rua do Vigario n. 1, vende-se o seguinte
Clmento da Portland, em primeira mao.
Vinho do Porto, engarraiado, finissimo, em cai-
xas de duzia.
Dito dito em barris e ancoretas.
Vinho Sherry, inglez em caixas de duzia.
Vinho Collares em ancoretas.
Cera em velas, de Lisboa.
Cera em grume, idem.
Vende-se em sortes de 3*) palmos para cima
os terrenos silos na estrada do Lameirao, a mar-
Sem do rio Capibaribe, pertencentes a viuva de
enrique Jorge : quem pretender, node se dirigir
ao engenheiro Antonio Feliciano Rodrigues Sette,
a estrada de Joao ae Rarros, casa n. 92. ou ao Sr.
Vicente Perreira da Porciuncula, em sua casa da
rua do Imperador n. 8'). ____________
do Barao da Victoria n. 61,
a tratar na rua estreita do
Cortes de cambraia
Na loja do Pavao vende-se cortes de cambraia
transparent com babadss largos, tanto brancos
como de cores, por baratos precos, por terem al-
gum pequeno defeito a rua da lmperatriz n. 60,
de Felix Pereira da Silva.
Colchas para camas
Na loja do PavSo vende-se colchas de fustao
brancos, para cama a 2,500, ditas de dito de cor
a 4,000, cobertas de chita e de cretone, de 2,500
para cima e ditas da metim escarlate forradas com
madapolSo a 5,000 : a rua da lmperatriz n. 60,
de Felix Pereira de Silva.___________^_^_
(Jhapeos pechincka para se
nhora
Vende-se chapeos molernos para senhora, gos-
ude praga, por 3/ ; rrgandis de listras, covado
to320 rs. : na rua do Passeio n. 60.
Organdy de assento branco con n ies44i
sdda, fazenda inteiramente nova, pria bar.atwfaa
prc?a de 400 rs. So na rna do Cre-j-o 2^ kjf
de Guilherme 4 C
9,000 covados
DE
Abacas de cores lisas, de Ilore. dp listras e mm
barras, a 320, 360, 400, 440, 500 e 6 do. R' fazenda Qna e de padr6e. und-s; mmt
barata vale l000 0 cavado. E' ^r^udipertioAf
so a rua do Crespo n. 20 loja de Giiiiherme 4 C
CORTES DE Ci LLETE
Cortes de colletea de gorforio de ia f-reu &
2|000, 0 corte; e pechincha, na rua do Creole
20, loja de Guilherme & C.
Madapolao
Madapolao francez lars > a h%r*tt a po.a #e %.
jardas, e fazenda de 6^590: na rua du Civ^f.'
n. 20, loja de Guilherme & C
Merino
Merino azul Coo de duas larguras a l|T>00
vado e fazenda de igOOO, na rua u> Cnifo 9C^
kja do Guilherme & C.
Aos Srs. deen^enhos
Chila com 4 palmos de largura, C-zmda aa'
superior, a 260 rs. 0 covadu, prciinas fara esco-
vos: so a rua do Crespo n. 20, l<>ja deCa-
Iherme A C________________________________
Camisas.
Camisas francezas brancas de irfnudta r*J*
frizodecor a 2*000 uma, em du'a a t3/&%:
e pechincha : na rua do Crepo n f i"ja A" Om-
liierme 4 C_____________^^ ________
i?l A &%!** O K
Na loja dn Pavao vende-e BM zes muito iucorpadoa. com 2i jai :.- 6 dito muit > fino com 12 jardas a 3.0m > :<.50O : as-
sim como nm grande sortinieut" :nada^-"4*
mglezes de 4,500 ate 8,000 e9,00o : rna 4a Uv
peratriz n.60, de Felix Pereira da Suva
Salsa-parrilha do l*a.r
Tera para vender Antonio Luiz M ()iiv.'ir Aj*-
vedo, no sen escriptorio, a rua d-> Bmi In- -
mero 57. 1
(al de Lisbon
doC
Vende-se cal de Lisboa : na praca
Santo n. 17, 1* an-iar, escriptorb w J.
drig^es Tavares de Mello._________________
Venle-.-e as seguintes cass: '.- do Visconde de Goyanna ns. 20 e 2), ma dita .
S. Jose de RibaMar n. 33, nma d.ti rua Aan
Pescadores n. 4, e um sobrado na rna da MHM
racao n. 54 : a tralar na rna acima u. 16, I
as 9 horas da manha._____________________
Liquidacao de bons livr
Esta se liquidando por precis innil>sslB>8 r-
modos e baixos, excellentes obras de Irrifs
losophia, litteratura, anthrcpolfgi* t" ;'
pertencentes a uma pessoa qne e r-iir.-i pan 1
Europa, no corrente mez. A Papcl-ra rur.:-iec
se, rua do Imperador n. 71.
0 Desengano esta quei-
mando
0 proprietario deste cstabelecin r:-i< \e:a
vido vender as fazenda* existentes 1111 wn I
lecimento, por menos do que em mitra qnaljaar
parte.
Brc-tanha a 205 a p ca
0 Desengano esta vendendo pHu lirofnota ;
de 20f a pega, brdanha muito fin-, e ena ^5 varat
CSda pe^a ; 6 grande pechincha.
Aipacao a 80 0 rs.
0 Desengano esta vendendo pelo -im inntn
de 800 rs. 0 covado ; e.ta fazen la de lindas
e padrues, e fazenda qne maitos vrnd-m a I*-'*;
0 covado; aproveitem.
Cortes bordados a 55?
0 Desengano esta venJendo pi I haralc prece-
de Sf, um corte de cambraia bord;>ia. branca e it-
cfires, 6 pechincha ; e fazenda que n Mo< voaiem
a 10x000.
Madanoloes
0 Desengano esta vendendo ma'U;> ho fr--icat.
com 20 varas cada peca, pelo bart" reco e grande pecbiacha; ditos inglez-- rraaceaM.
flnos, a 5/, 5*500 e 6* a peca; pr 'em
Organdy a 320 r.
Organdy branco, de listras, fazenda rrtnite tka.
pelo diminnto preco de 320 rs. 0 ftm'. i j & graa-
de pechincha.
Cambraia anjo da meia :i< ite
Vende-se esta linda cambraia (e > > ua\:};
co de 3*500 0 corte ; aproveitem qn. 0 Oiser^^'.
est aqneimando.
r:::_ asaag ii .1 1 mmiHiwili

r
iMJkMuwv^vsvav^-' :~VTPmjif^.?
125.
a
DOS PKEMIOS DA
9.
PARTE DAS LOTERIAS CONCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. G88, A BENEFICJO DA MATRIZ DE JABOAT.lO, EXTRAHIDA EM 5 DE fiOYEMBRO DE 1874
S. PREMS. *s. PREMS. NS. PREMS.,] NS. ] PREMS. VS. PREMS. ] IS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS.
16 H 276 4;5 513 4?? 794 65 1026 ty 1396 45 1672 4 1921 U 2198 H 2467
19 78 49 800 m 51 97 82 40 "iTr 2221 9
26 81 58 7 M 69 1418 105 86 M_ 43 27 165 78
31 _ 86 63 12 87 20 H 95 4W 45 40 4:3 80
35 88 65 75 16 90 46 17.08 U 48 53 94
43 96 OA 83 17 98 48 10 52 60 93
48 98 45 88 18 1103 58 43 61 69 95
49 314 89 45 SOOo 13 60 6p 16 62 84 98
36 15 609 56 44 34 67 45 18 84 94 2511
03 16 ' 23 61 36 83 .24 99 96 13
64 19 25 63 ,38 90 26 t 2002 98 24
08 23 27 66 44 93 . 34 3 - 2303 22
98 25 29 67 62 4507 42 4 4 . 27
101 30 55 A 71 63 18 43 .7 __ 49 28
11 58 59 72 79 19 47 T- 42 3 22 34
13 . 67 64 *i> 77 .97 44 52 16 23 37
19 69 67 II 80 1200 48 54 - 20 too^ 30 42
26 71 69 99 14 59 64 22 ti -87 48
28 73 70 901 22 61 71 t05 29 42 50
31 75 87 R -* , 53 71 __ 83 ft* 40 53 35
37 80 99 5 54 74 85 58 - 58 59
42 86 701 12 57 86 87 _ 64 *OA 59 -L 64
46 87 0 19 60 90 91 73 M 65 68
55 93 20 34 65 90 97 98 74 66 r 70
70 96 30 j 37, 4# 91 -r 99 . 99 86 69 73
77 G8 32 51 1306 1600 1805 91 74 81
208 436 36 * 55 17 4 8 2100 . 76 82
13 43 41 40 62 24 5 24 3 79 86
15 ,44 43 O0 64 28 17 28 10 . 82 m 98
17 - 45 53 y 66 37 ?9 - 37 26 92 40 2606
24 55 m 60 75 __ 39 32 48 31 96 46
31 71 6i 83 41 36 55 33 2405 *5 24
33 79 66 88 43 37 62 34 6 40 33
34 88 71 91 52 41 66 67 _ 42 34
57 90 | 74 93 71 44 69 73 45 44
58 92 76 II - 72 49 77 82 __ 25 _ 54
68 508 81 10 3 - 75 50 92 83 _ 27 74
69 29 *0 1 82 4^ 12 - 76 54 1904 ^ 84 _ 31 79
;:i - 32 H 1 88 1 25 - 92 62 14 ; 94 I 4 80*1 05
PREMS.
40
60
40
NS. PREMS. NS PREMS.
2696
99.
2703
6
48
49
22
28
34
37
44
43
52
56
69
73
91
93
2801
22
23
26
32
33
35
49
52
69
62
81
82
85
88
92
2903
4
40
43
45
40
4:6660
16
40
10
45
10
40
-.j
60
40
2922
27
39
59
64
65
, 70
75
85
88
89
92
3000
5
6
11
12
20
21
31
33
35
38
39
42
43
49
54
52
57
59
72
73
74
77
78
79
84
89
16
45
NS. PREMS. NS. PREMS.
-
3093
96
3109
15
17
24
30
44
46
58'
70
71
74
75
77
79
81
88
89
95
98
3204
13
45
23
24
32
44
44
65
3302
3
6
11
14
46
49
20
5
45
1
1O0
40
5
NS. PREMS.
1
40
3329
38
49
54
64
73
75
83
86
88
89
34CO
2
5
6
8
9
44
26
30
32
36
49
54
62
74
75
79
82
85
86
95
3507
13
21
r
ii
40
60
I05
4
0
40
160
4*
0
u
0
40
3537
40
47
50
55
57
62
64
70
87
89
92
3606
22
23
17
31
33
36
38
40
49
53
54
67
68
84
90
91
96
3711
13
16
22
31
61
65
75
40
15
40
0
P^ Pl'i
377S
79
82
m
92
3807
12
13
n
m
2
30
35
JO
41
6i
65
67
72
X6
93
390S
II
12
M
i
"i
><
H
'4
1*
n
u*
*

w



.siario de Pernamouoo Sexta teira t5 de Nov^iibio de 1874.
?.nTERATDBl
-
rOESIA RECITADA POR OCCASIAO DO ENCERRA-
mesto das aulas do g\mnas!0 rnovis- por um impulso que sera t.meridade julgn- depois deste nosso passo*, quo' sinta reviver
cial. mos divino, determinamos p*r meio destas o antigo affecto do seu anirao dial, e rec-j
nossas lettras obrigar era certo modo o vos- ba amanlissimamente o pai que u
Darkness it coarse of God
Kaowledje's eviogi climb sky.
De Deu e inaldicao a ignorancia
Nas azas da iosirurca i ao ceo subimos.
Shakspeahe.
Ndo ba hoje quern ndo sinta
Prszer neste arabiente,
E' a mocidade creute
>'a luz do sol da razao ;
Caotai hymnos, tapelai
0 cbflo com cheirosas flores,
E mostrai vossos labores
Se quereis ser Salomao.
Dai um passo e caminhai,
Vedo que bem perto vem
A palma que todos tem
Ouando os esforros sao seus ;
Di um passo e carainhai,
Que a razSo tereis por luz
Estrelia que era v6s reluz,
Qual coluraua dos Hebreus.
Hoj que ns leda infancia
Cultivais vosso talento,
Deixai por ura s6 momenlo
As caricias de Agar ;
V. lerabrai-vos que ura dia
Vos grandes lambem sereis,
E ao mundo dareis lets
Ha sci Deixai que passe a nuvera
A nuvera quechamam ouro,
Porem quo eu cbamo thesctuw
Do orgulho vil, da ambigdo
A sciencia procurai ;
Sereis ricos, se sois pobres,
Os pobres tarabem sao nobres
Os mais nobres da nag3o.
Ve le Camdes, o condor
La" das montanbas dos Andes,
0 cantor dos feitos grandes
De seu bergo, Portugal ;
Pelas letras resolveu
Ogrd problem! da vida,
E se emfim inorreu na lida
Deixou seu nome immortal.
Ld na praga monumento
E seu nome na h rarosa historia
Vao mostrando qual a gloria
Quando tern culto o talento ;
Imitai-o, mocidade,
Esclarecei vossa mente,
Fazei nascer a semente
Da Santa Cruz, um memento !
Eia pois 6 mocidado
NSo trepideis em marchar,
Quem no mundo pode andar
Quern clara tem a razao ;
Vossos mestres, vossos guias
Sao aguias firmes douradas,
Do sol ardente tostadas,
Porem quo nao rolara no cbuo
Regosijai-vose swle
Ca iaqual da sciencia um alleta
Que deDeus, qual diz um poeta,
A ignorancia e raaldiQao ;
E se hoje no afan do estudo
Mil dissabores sontiraos,
Fmaimente ao ceo subimos
Sabre as azas da instmccao.
Oliveira Escokel.
Como prooedeu a santa se.
\0 NOSSO CARISS1MO FILHO EM CURISTO D.
JOSE, RE! FIDELISSIMO DE PORTUGAL E DOS
ALGARVES.
0 papa Clemente XIII.
Nosso carissimo Glho em Cbristo, saiide.
I'esde o dia era que se derain os aconteci-
inentos, por causa dos quaes se interrorn-
peu toda a communicagao entre n6s e Vossa
ile-1 Magestade, nunca podem> s ter socego,
: Ao constaute pensamento, que nos tortura
cerbamente o espirito, de que o amado fi-
Ibo do nosso paternal coragdo se afasUira de
r.6s; coslumando, porem, o tempo mitigar
os pezares, pelo contrario esta nossa inquie-
FOLHETIM
JOANNA
J0G0 DE PAIXQES.
POH
George Sand.
vTRADUCCaO DE X. X. X.,
PARTE QUl.NTA
111
(ContinuaQ5o do n. 252).
x Eis, raeu filho, o que se passou e o
oonld em que estimos. Partireraos daqui
lepois de amanha pela raadrugada, e dei-
>:ando sir Rijbard em sua nova residencia
ima hora depois iremos abragar te ; mas
or q-ie nSo virds tu esperar-nos no ebalet
nde fille deve passar oestio? Dest'arte
3r-te-haraos uma hora antes o voltaria-
qos juntos para casa.
Nao hesitei, e no dia seguinte k tarde
smei a pe pela estrada do ebalet, tendo o
craQao alliviado do receio de pordera pre-
sence de Joanna.
Semi voltar toda inteira minha a ntiga
imizade pelo Sr. Brudnel, desle entao li
vre e puro de qualquer suspeita ou man-
cb3. Nossa respectiva situacjSo podia ser
ainda algum tanto delicada, mas parecia-me
que ha via em todoootcorrido uma certa
necessilade de rirmo-nos discretamente e
juntos da chegada do terceiro ladrao, e que
um pouco de alegria viria muito a propo-
silo para apagar os desgostos o despietos do
passado.
Qur.nto a Viarino, nSo acreditei uma pa-
la vra s.'.juer das paradoxaes suppost^oes
do Sr. I'.rudnel. Suppuz que Manoela fu-
glra para ver-se livre desse casamento som
amor, que era a um So tempo sua ambigao
e sim esptatalho. Quern sabe. dizia eu,
?e "i nSo mentio afim de libertar genero-
,s nnnte o Sr. Bruduel da prisSo de sua.'pa-
avra?
NAo tendo mais illusdes sobre a possibi-
lijttde d< tomal-o apaixonado, parecia-me
[tin ella dera pmva de coragem, de d sin
t^re:4V a de altive/., sendo n.uito caj
-1. ua eslroiihti oatureza, .. >..
tacioecuidadotorna-secadafezmais forte vissima ddr que nos causou, e que este ca- como penhor d. noasa benevolencia com- sincere affecto paternal e do nosso reconba
e Brave : e nao veudo nenhum eaminhn do arnitnso afastamfmhi e grave ; e uSo veudo nenhum eaminho de
todos os que buvamos com tanta diligencia
para rettabelecHr a nossa aioizade, novidos
lamitoso afastamento de nos faz cada vez'
mais profunda. E, coofian lo ns benigni
dade de tao bumano prmcipe, esperaraos,
yanj DrO"
so aniaio filial coin toda a forc,a do nosso curar. Coratudo, carisiiraa'filha an Chris-
paternal amor, e chamar com a beugao do to, precisamos do vosso auxiho, e com tsda
Senbur. Vossa Real M -gestade a restabolecer a instancia o p-dimos a Vosa Real Mages-
f-ntre n6s a inulua beiiHyolenoia. Nao jul- tade. Diligenciai, assiro o rogamos, quanto
gamos que a vula nos seja tuleravel quando podeis, para que se ue\ aGnal algum reme-
lainentamosndo ter a menor corresponden- dio ao mal desta nossa separacAo, cuja
cia comyosco e co n vosso florescente reino, amargura 6 tanto maior quanto mais'se vai
de que os nossus antecessores, pelo contra- demorando. Naojulgaraos necessario mos-
r o, tiveram lao justas rnzdes de contents- trar quao meritoria e grata a D--us sera" a
meulo ; esta desumau mostra entre n6s e diligencia que Vossa Mageslade fizer, conci-
Vossa Real Magestade uma especie de inimi- liando-nos com o noss amado filho.
zade, que allirmamos, como Deus nos e Bem entendeis, pela vussa filial piedade
testemunha, nao exktir da nossa parte, e para comnosco e pela rehgiosa davo^ao a
confiamos que tciub^m nao existo da de esta sama se de S. Pedro, que podeis con-
Vossa Magestade, de quern conhecemos a re- siderar to Jos os bons officios e cuidados
ligido, a grandeza de alma unida a* bonda- que dedicardes a esta negocio como feitos a*
de, e a sum-na bumanidadu. Deiiai, por- propria igreja. Rogamus de todo o cora-
tanto, nosso cirissiim. filao em Cbristo, c;io a Dt-us, que na.i e um Deus de dissen-
abrandar atiual a vossa alma ; e attendei fao, mas de paz, que dispense o seu divino
ao desgost i do vosso amantissimo pai, ou auxilio & protecc^o que Vossa K.-al Mages-
antes a* anciedade que perpetuamente nos tade nos uer. V. com o singular amor que
atormeiita o cousoinc. Considerai aiem vos tetnos, carissima liliia em Christo, pelo
disto o tempo em que ja no leito 4a morte, vosso zelo da r- ligiao e da piedade, vos lan-
teremos de dnxar t> mundo inquietos e pe- '$araos muito affectuosaineuie a bencAo apos-
zarosos por tstar ainda arredada de n6s a tolica. Dado em Roma, em Sinta Maria
vossa benev< lencia ; mas, se a recuperar- Maiur, sob o annel do Pescador, no dia 31
roose legarrnos a esta santa se, deixtremos de agosto de 1767, anno decimo do nosso
a vida com muito maior tranquillidade que ponutiuado. M. A., arcenispo de Cbalce-
vosco, lan^amos a*
affcetuosambnte a
do em Roma, em Santa Maria Maior, sob o
annel do iVscidor, no dia SI de agosto de
1767, anno decimo do nosso pontificado.
M. A., arcebispo de Cbalcedonia.
vossa nobreza muitoJcimento a um monarcba l&o generoso em
benQio aposlolice. Da- |favorecer os uossos primeiros empenhos.
N3o permiUa qua estas nossas confi leucias
cbeguem a algum dos seus familiares, ain-
da que revenues de qualquer caracter,
fiando nos somente da bonradez, siucerida
de e cordialidade de V. S.; manifesto tambem
estes nossos sentunentos ao primeiro minis-
tro do reino, e i or sua iutervenc&o ao mes
moclemeutissim monarcba, a quem da-
mos com mao larga a nossa paternal benfao
apostolicae a t > Do Quirinal, 25 do noverabro de 1769.
qualquer node iraag nar.
Nao julguemos todo o vosso filial amor
tiu eiunotu, que desprt-zt-is e recuseis rece-
ber o pai que tspontaneamente vos procura
e vos esieiide os bra^os para vos abrajar
com paternal amor. S^ria fazer a maior
donia.
0 PAPA CLEMENTE XIII
Ao co nde de Ociras.
Amado filho, nobre vario, sad le e a ben-
jfio apostolica. Tendo sucuedido quasi
injuna a vossa regia magnanimidade, ao quotidiauamente duraute o uossu pontilioa-
vosso tumigno caracter e 8te" i vossa reli- d > muitasodiversascnlamidades, umasapos
giao, julgar de V cousa. Nao iguorais que Jesus, autor da vera mais amarga para uds do que o cum-
scieucia ihrista, deixou a paz por hernnyaIprimento da amizade, pela qual nos e o
ans seus discipulos. E a essa paz exhorta o nosso carissimo lilho em Christo, D. Jose,
brmaventurado S. Paulo todos os fieis com
estas palavras : ^egui a paz com todos ea
santidaoe, sem a qual ninguem vera* a Deus,
alien tendo a que nmguem falte i graga de
Dt-us, e que iifiibuma raiz d- arnargura,
geruiiuando, vos impeca, e por ella sejam
mui'.os con Linn nail, is Se O preceito de
Christo impou a paz a todos os christaos,
com quanta maior razao deve existir entre
o tilli i i- o pai, entre um rei poderosissimo
e o pontifice romauo, de cuja uniao divera
provir tanlos bens ao reino de Cbristo e ao
calhnlicismo? Aao recuseis, portento, esta
paz, nosso caris.iimo lilho era Cbristo. E
assim como dirigimos para v6s os nossos
passos, se Vossa rteal Magestade se aproxi-
mar de nos, o mesmo Deus misericordioso,
que e Deus de paz e de amor, firmara* en-
tre ambus a paz e a concordia. E espera-
rnos isto com tanto mais conlianca, que,
profundaudo Elle todos os cora^oes, de certo
ve e conhece qual seja a nossa intene.ao,
escrevendo a Vussa Real Magestade. E com
o mais profundo affecto paternal vos lanca-
mo, nosso carissimo filho em Cbristo, a
beucao apostolica. Dado em Roma, no dia
3i de agosto de 1767, anno decimo do nos-
so pontificado.
V NOSSA MUITO CAUA F1LUA EM CHRISTO D.
MARIA ANNA VICTORIA, RAINHA FIDEL1SSIMA
DE PORTUGAL E DOS ALGARVES.
0 Papa Clemente XIII.
Nossa muito eara filba em Christo, saude
e a beiiQao apostolica. Suramamente an-
ciosos pelo restabel^cimento da mutua ami-
zade entrf dos e o vosso esposo, o nosso ca-
rissimo lilho em Christo, I). Jose, rei fide-
lissimo de Portugal e dos Algarves, desde
quando no vusso reino se interrompeu toda
a correspondencia comnosco, pensamos
seinpre de dia e de noite como poderia res-
taurar-so fioalmeutu a anliga concordia en-
tre n6s Torna so esto cuidado mais amar-
go, porque o decurso do tempo aggrava o
mal desta miseravel desuniao, e nao nos pa-
rece quo possamos continuar a soffrer a sau-
dade do nosso carissimo filho. Por isso,
rogando a Deus assiduamonte, durante estes
annos, com ardentes ora^oes, que nos li-
vrasse de tao agudo espinho cravado no
nos-o paternal cora^ao, parece-nos que uma
inspiraQao divine n>sadvertio que tomasse-
mos a mais prompt* resoluguo de escrever
Aquelle optimo priucipe, e avisa-Io da gra-
rei fidelissimo do Portugal e dos Algarves,
uos achavamos ligados com estreitissimos
vinculos. Tivemos uicrivel ddr, e ainda a
temi-s, porque um rei tao uosso affeicoado e
desta se apostolica, para o qual eramos tSo
extremosos, como o pdde ser um pai para
seu filiio. se afaslasse de n6s e permaueca
amda era tal separacAo. Esta dflr, que
para u6s foi a mais cruel de todas, nao nos
quebrantuu oaunno desorte que desespe-
rein >s ennento da araizade e da concordia. All-
mentara e susteatam esta nossa esperanga
muilas cousas: a docura de caracter e a
boudade de um rei humdiiissi.no, que n&o
acreditamos queira couservar et-rnas cou-
tendas; a sua propria rubgiao, que nao lhe
permittira* que interrompa com uma separa-
54o mais louga as rela^oes com esta se
apostolica, e tambem os exemplos dos seus
illustres antepassados, que lhe trarao memo-
ria o amor e uniao que seinpre bouve entre
aquelles principes e os pontifices romanos
nossos predecessores.
No que, porem, consiste a nossa maior
esperanca, amado filho, nobre varao, e no
vosso auxilio. Para restabelecer a amizade
entre u6s e el-rei tendes na vossa mao to-
dos os meios, entre os quaes com toda a ra-
zao, incluimos p incipalmente a confianc,a
que o mesmo rei tem nos vossos consolbos.
Esperamos muito da. vossa boa voutade, com
que, segundo a vossa sabedoria, nada dese-
jareis mais do que a paz e a concordia ; pois
esta escripto : Bemaventurado o bomem
que achou a sabedoria e que e rico dri pru
deucia ; as suas estradas sao bellas, e todos
os seus carainhos pacificos E na verda-
de aluaugareis graude fama por se baverem
reconoiliado o pontifice roraano e um rei po-
deroso, pelo vosso trabalho e esforco, ou
mais verdadeiramente pela vossa tnediacSo
e autoridade ; e, nao podendo mais nin-
guem ser eutor desta concordia, a v6s uni-
camente, amado lilb.i, nobre varao, ficare-
mosdevedores deiiu>nenso reconnectraeuto,
e da mesma sorte tereis direito & considera-
i;ao de todos. Rematamos u nosso escripio
com aquellas palavras da e'scriptura : Am-
para, 6 filho, a velhice de teu pai e nao o
contristes durante a sua vida Pedimosa
Deus, amado lilho, nobre varao, e com ve-
bementes preces lhe rogamos que inspire
ao vosso Curasao todos os conselbos saluta-
res que possam concorrer para estefim. E,
O PAPA CLEMENTE XIV
Ao conde de Oeiras, primeiro ministro e
tecretario de Estadodorei Fidilissimo.
Amado Mho, sarnie. S*ndo nos bem
couhecidos os merecimeotos que adquiriste
para com a santa se, ale ao glorioso ponti-
ficado-do grande papa Benedicio XIV, quan-
do fostes embaixador da v .ssa cfirte em
Vienna, -mquanto por vosso meio se impe-
trarara desta se" apostolica, por parte do im-
perador Francisco I. as costumafis suppli-
ca?, tivemos por isso longo discurso sobre
os vosses apreciaveis dotes com o Sr. cora-
meodador Almada, raiuistro plenipotencia-
na dessa real cortejunto de nds. Elle po-
ilerd expor-vos amplamenle a eslima que
fazemos de vossa p-ssoa e a gran le esperan-
ca que lemos fundado em v6s.
Muito auimado, portanto, com esta con-
fian^a, r^solvemus c immunicar-os os nos-
sos sinceros paiernaes sentiment .s. Pri
iii'-iramenirt para dar ao mundo urn segoro
e claro testemunho Jo restabelecimento das
relates entre essa real cdrle e a santa se
vos podimos a vossa intervened junto de
S. M. Fideiissima, para que se digue de
apresentar nos a pessoa que julgar digna de
ser promovida a* sagrada purpura, juerendo
nos adiantar a primeira formacAo que nos
pertenci, com a indusao do sujeito que
nos vier recommendado por S. M. Fidelis
sima.
Em segundo lugar, tendo nos recebido
com grande satisfacao, e reconbecendo o
digno c immendador Almada como ministro
plenipotenciari > de S. M. fide issima, dese-
jariamos assim que essa real cdrte recebes-
sc o nosso nuncio apostolico, para dar um
documento autbentico da abertun das re
ciprocas relates. Se agradar, como espe-
ramos, monsrohor D. Inuocencio Conti, de-
press* se pora" era ordom. e uds estamos
muito promptos a envial-o immediata-
ment-.
Em torceiro lugar todos os uegocios par-
ticulares e proprios dessa real corte, dignai-
vos de nos fazer as comraunicacdes secreta-
mente, emquanto nos lisongearaos que
pud^remos dar-vos seguras provas do
nosso sincero affecto.
Do negocio, porem, que pode ter ligacao
com as outras cdrtes, vos rog imos queirais
ter eoollaoca em no>, e na> permittais que
os a Ilia.Jos nos causem certas colbsoes pouco
moderadas, que nao c mduzem seguram-n-
te ao desejado fim que nos propuzemos cou-
seguir. Tendo em lembranca o Sr. com-
mendador Almada, por nos cordialinente
estimado, e conservai em segredo esta nossa
correspondencia confidencial, communican-
do-a, porem, a S. M. Fidelissima, a quem
damos com partenal affecto a nossa bencao
apostolica, assim como a toda a real familia,
e a vos tambem a estend-mos.
Residencia do Quirinal, a 28 de agosto
de 1769.
A'ofa de individuos para a nuncialura dc
Portugal.
Moosenhor Conti, auditor da S. Rota.
Mon enhor Valenti, nuncio na Suissa.
Monsenbo Riminaldi, auditor da S. Rots.
Monsednor Spinel li, clerigoda caraara.
O PAA CLEMENTE XIV
Ao nosso carissimo fdtto em Christo D
Jose" I, rei Fidelissimo de Portugal e dos
Algaves,
Nosso carissimo filho em Christo, saiide
ea ijenc.80 apostolica. 0 benigno aculht-
mento com que Vossa Real Mag<*>tade s
dignou aceitar o novo nun io apost/di o en
cheu a nossa alma de uma complela satisfa-
q&' e causuu a toda Roma um jubilo Uni-
versal. De accorlo com a geuerosa mag-
nanimidade 'e S. M. tmhamos ji escolbido
mons^nhor D. Innocenuio Conti, como des-
cendeute de uma familia, que se gloria, da
sua pirti ular dedicagao 6, coriSa de Vossa
Magestade. Este nao poderd pensar, nem
fazer outra cousa sonao prevenir poutual-
mente as mtenc/Jes de Vossa Mag-stale, a
quem estamos promptos a dar tambem as
mesmas provas que estamos deterraiualos
a dar ao monarcba das Uespanbas sobre o
p nto do ueg cio commum, bem conbecido
de Vossa Real Magestade, a quem damos
com affecto partenal a benrao -apostolica,
assim como a toda r-nl familia.
Dado em Santa Maria Maior, no dia 10
de dezembro de 1769.
era compa-
em qualquer theatro como baillarina,
ou ir encerrar se em algum convento, tal
me pareccra quo a danc,aeas oragOes pre-
encbinm seus diss passados
nbia do Dolores.
Em summa, dizia eu, essa li lelidade ao
in'liucto espontaneo, do despreso da razSo
e dos interesses positivos nem por i>so e
digna do despreso, porque as inspirac,oes
selvatios tem tambem a sua granleza.
0 chalet do Sr. Brud-el cstava deslum-
brante co suas roseas luzes no seio da noi-
te azulada. Os campos estavam perfuma-
dos i omo para um dia de festa.
ja" elle era-o de ti, e por certo elle nao po-
deria vir ver-nos todos os dias sem quese
dissesseque esta1 para casar com tua irmS
ou que a protege.
IV
Pareceu-me cruel viverseparado de Joan-
na uma parte do dia; mnssubmetti-me.
Fui deliciosamente installado no chalet,
e fui f ireado a tomar a aceitar meus mag-
nificos bonoranos, sendo qun meu patrao
foi mais amavel e affectuoso para com n>
go do que o fora d'antes. Em compensa-
tjao entrei a estiraal-o como de priccipio ; o
que todavia n3o imp^dio que eu suffresse
Nao tive tempo de ir t-r com elle quan- com a perda dos meus doces habitos de fa-
do d^sceu do carro, por que elle lao$ou-s<:- \ milia.
me nos bra^os, cbamju-me sou charo fi-1 lamos a minha casa todos os dias, e aili
Iho, e deu-me mostras de nao s6 sentir-se nos demoravaaos algu.nas horas ; mas eu
fehz como de estar alegre. !nunca ficava a 6s com Joanna, e sua af-
Joanna foi bin bda para coraraigo como feigio por mim era de tal mod i pirtilhada
de costume. Ignorava que eu sabia o seu que bem depressa entrei a acbar que o meu
segredo; s6 o Sr. Brudnel tinh*sciencia de quinhaoera muito pequeno. Nada, porem,
que eu sorprebendera esso segredo, que mi- dei a entender, porque ella atriava o pai, e
CLEMENTE XIV
Ao amado e nobre varao o commendadcr
Almada, ministro plenipotenciario do
rei Fidelissimo de Portugal junto da san-
ta se.
Amado e nobre varao, saiide e a bencAo
apostolica Remettemos-lue a designacAo
dos sujeitos habeis para exercer o cargo de
nuncio apostolico junto da Magestade Fide
lissima do dignissimo monarcba de Portugal,
e, pre-valecendo nos da permissao que
nos da* a carta do prudentissimo pri-
meiro ministro da mesma Magestade Fi-
delissima, faremos amanha expedir o aviso
da sec:etaria de Estadoa monsenbor D. In-
nocencio Conti, declarando-o nuncio na-
quelle reino, para n6s muito agra avel,
Nao podemos explicar bastantemente a
V. S. o contentaraento que tivemos pela sua
intervene^), e com o auxilio do sampre me-
moravel ministro do reino. Quanto & pro-
mof;aoilocarpioalato, se V. S. tem em seu
poder a indicai^ao do sujeito agradavel ao
monarcba, estamos prompto a norneal-o no
mez proximo, ou no prncipio do anno,
Em summa, seremos sempre atteotos e so-
licits em dar irrefragaveis provas de nosso
nha m8i depot's foi for^ada a revel ir me.
0 Sr. Brudnel era esperado no chalet ;
e abi nos foi servido um rnagmfico jantar,
em que todc tomaram parte com appetite.
Ninguem se lembrnu do nome de Manoela,
e P'T
talvez que viesse a odiar-mo sabendo que
eu tinba ciumes dessa amiztde.
Procurei distrabir-me. De tempos a tem-
pos afastava-me daquelles lugar ; a pre-
p. r isso mesmo durante o jantar como texto de excursoes de oaturahsia, u de quan-
que transluziode nossas palavras ama folici- do era vez furtava-me a acompanhar o Sr.
dade coropleta. Brudnel" & casa de minha raai. Meus esfor-
Depoisda refeijSo, sir Richard tomou de 50s, porem, nao seviram senSo para4orna-
uraa luz p^ra ver como era disposto sua rem-memais triste, e mais inclinado aos
nova moradia, e n6* 0 acompanhamos ; e, amargores da vida.
como quer que eu tivesse achado particu- Assim passei o estio, sentindo-me no
larmeute Undo um dos quartos, elle me dis- doente, mas inquieto e nervoso.
se vivamente: j Iosensivelmente fram-me dessappare-
Sera" es e 0 seu I pois espero que 0 cendo o somno e 0 appetite.
Sr. tornara a ser meu medico e raeu com- Uma noite em que 0 >r. Brudnel fdra
panheiro. fazer A minha radi sua visita quotiliana, e
NSo ha carencia disto, repliquei, por que, sob pretexto de trabalho, eu recusara
que 0 Sr. esta" curado. acompauhal-o, sobreveio-me um grande
Curado, mas sob a cmdicSo de nJo despeito contra mim mesmo, e eu quiz ven-
vivcr s6 Ie, fallando-me baixo, accres- cer 0 raeu abatiraento. Parti, pois, a pd e
centou : Demais e* isso muito necessario, bem depressa cheguei atd a pequena p.ria
pela razio que sua raai lne dira. do nosso jardim ; mas abi senti-me de rc-
Fiqu-i impaciente por saber qual era essa panes tao fraco que apenas tive tempo de
razao ; e, pon, logo que chegamos a* casa, entrar e de langar-me sobre a relva pars
perguntei a" minha m8i qual era, obtendo nao desmaiar.
esta resposta : Alii fiquei b-nhajo de frio suor, quando
Pelo menos e muito util para nos que apercebi 0 r. B*udn 1 que, em companhis
vdrj. nt^ nova ordom, residir com teu pa- do iBinba mai pass : pur diante dostufis
lr.lo. De outra forma niiiguem saberd 00 de urb > se n'uo bauco a
ouofeia' c .1 quo, BKUado ser t..;so amigo, duus passos do m m, Nao tive forcaa para
O Mr. vikcoarie de Porto Segare.
Vienna, 6 desetembro de 1874.Sr. re-
dactor. Abi lhe mando estas paginas que,
para evitar extravio do barrio original, fiz
desde logo compor e imprimir em Stockol-
mo, em mm pequeno nu oero de exempla
res, sendo talvez esse o primeiro ensaio em
lingua portugueza feito polos prelos daquella
lindissima capital.
Se algu iias ideas e notions que Delias
consigno puderem, no juito de V., ser de
alguma ulilidade aos nossos compatriotas,
para 0 seu jornal, reservando-me para isso
alguma ou algumas columnas.
Com o mai r prazer me acho no caso de
poder aqui accrescentar mais uma ntticia.
Quiz Deus que durante esta excurs&o de um
mez apvnas de ausencia desta capital, a qu*
hi>ja regresso, tivesse a sorte de en'.outra r
em uma das bibliolhecas publicas que visi-
tei outro codice do conbecido Ms., Dialogos
das grandezas do Brasil, attribuidos ao
pemambucano Bento Teixeira Pinto. Estd
em melbor lettra que o que existia na bi-
blioteca publica de Lisboa, don le foi inde-
vidamente ievado, n io sei se ainda existe.
Em todo 0 caso fiz deste outro codice tirar
uma copia para a eutregar ao prelo, se &
volta do cor-reio me nao constar que 0 exem-
plar de Lisboa na) esta perdido e ba quem
trate de edital-o.
Sou, Sr. r-dactor, de V. muito attento
venerador. Viiconde dc Porto Seguro.
Em servico ao norlc di Europa, pelo vis-
conde de Porto Seguro, delegado official
do Bra-til no congresso estattstico de S.
P tersburqo em i872 e membro da com-
missdo permanente do mesmo nas sessoes
de 187!} em Vienna e i874 em Stock
Itolmo.
Vou testemunhar 0 raeu reconiaecimento.
tanto d sorte que me permittio am fa, na ul-
tima quadra da ida, ver paizes interessan-
tissimos, por onde nunca p-nsei viajar,
como tambem aos meus illustres compaino-
tas que assim 0 resolverao, escrnvendo e
publican.lo desle ja algum is pigiais que
por veotura puderam despertar em ouiros
o desejo de trilliar voluntariamente o mes-
mo eaminho que s6 percorri por impulsos
do dever,
A maior parte dos nossos viajantes fazem
erguer-me, nem quiz consternar minha
mai, e poi fiquei immovel.
E' preciso acabar com isto, disse 0
Sr. Brudnel; a experiencia e mais que suf-
ficiente. Elle ama-a a ponto de ja estar
doenie, e se a situa^ao se prolongar sera*
capaz de morrer. Elle tera ciumes de rairn,
pobre menino I... e isto e simples ; e pre-
ciso casal-os I
0 Sr. bem sabe dos meus scrupulos,
respondeu minha raai. A grande' fortune
que 0 Sr. assegurou a Joanna...' Eu e m-u
filho somosgente de naonada. Nao tenho
esses escrupulos para com 0 Sr. que rae
eonht'C* ; masestou atria deque Lourengo
tci 0? ha.. .
Pois bem, minha amiga ; a Sr.' lhe
dira* que elle e um filho legilimo e de fa-
milia, no entanto que Joanna e uma engei-
tada ; isto secompensa. A unica questao
seria era saber se elle ama va a realmente,
e se, depois de tel-a estimado como irma,
podia adoral-a como esposa. Erab >ra Joan-
na diga que quer mais ternura do que pai-
xao, ella e toda flamma e toda amor sem 0
saber. Foi elle 0 sonbo de toda a sua vi-
da, e desde que ella m'o disse, s5 tratei de
os unir. Avali,_rjois, do meu desgosto
quando vi-o apaixona lo por outra I Fe-
lizmente isso nao passou de um nevoeiro,
e depois delle 0 sol mostrou-se mais radioso
do que d'antes.
Eu quiz parecer um rival odioso, e
consegui-o, pois bem vi que elle detestou-rne
por um mo men to, quando lutei para re-
haver 0 novel corajao de Manoela. Dos-
posar essa pobre moca foi 0 unico meio
oue se me dep rou para fazelo esquecer-se
delta. Consegui-o, e, gramas ao Sr. Vianne,
a cura foi ainda mais completa.
Quanto aos impedimentos legaes, n^o
existem : a Sr.* sd se detain em face do te-
mor de deixar transparecer o segredo da po-
bre Fanny, declarando que Joanna nao e o-
riun-Ja do seu casamento. Minha presence
aqui podo tambora fazer presentir a ver-
dade.
Esses tristes acontecimentos estao qua-
si esquecidos ; todavia basta been pouoa
cousa para fazer despertar os antigos com-
mentanos, e demais Joanna e tao eelosa da
iwputagio de sua mli, que antes deixar-se-
bia morrer do que consenteria qu :.., ..,
rtcesse a verdaue. E eu Ufoibem sou 1 > vci nas u.aa
dessa cbara meinoria ; mas nao lhe posso
nern devo sacriricar minha fil ia.
a Tenharaos oois coragem; afa-tar-mo-
hei daqui se for preciso, un ou dous an -
nos, afi n de que rae esquecira A Sr.'
desde ara.-uilia declarard a to los os seus
conhecidos queJomna f ii ti a la pela Sr.'
da c sa dos exp.tstos. afim de- consolal-a da
perda de sua lillis, e logo ap6s fari correr
os banhos. Assim 0 quer.), m Sr', assim o quero absolutamente, minha
dign aamiga I Lourengo nSo tera mais ciu-
mes do tnnn quando eu for sou pai. Dia vi-
rd em quo nlo mais nos separaremos ; e
ei.'.ao elle me araara como eu 0 arao....
Em quanto elle assim fdlUva, eu levantei
me e aproximei-me dos dous sem 0 me-
nor ruido ; ajoelnei-me aos pes desse excel-
lente bomera, muitas vezes desconbee-ido
por mim, e entrei a cborar.
Espera I disse-me elld abragando-me
com ternura. 0 piano de Joanna parou,
parece-ma ella vem para aqui. Creio que as
vezes tens duvidado da sua affrtigio exclu-
siva; convom que a obriguemos a fallar li-
vremente. Onde ta ocuultas-te para nos
ouvir ?
Expliquei-lbe que nao rae tinha occul-
tado, mas sim que cabira prostrado pels
fadiga sobre a relva, ao cbegar alii.
Pois bem I disse elle, volta para li e
nao te mexas.
Obedeci, e pouco depois Joanna chegou.
Elles fizeram-n'a sentar ao pe de si, e air
Richard lhe disse:
Ah I fareceme que estais triste ho-
je. Como que bavia queixas e lamentagdes
no impr 1 viso que daqui ouvimos. Sera*
porque elle nlo veio ?
E' verdade, respondeu ella ; 6 por
isso Mamai julgou-se obrigada a persua
dil-o de que eu era sua ir.na, afi.n de que
elle nSo tivesse a idea de amar-me ; conse-
guio isso porfeitam-nto. Elle oio pode
amar me sendo como irma I
Enlretanto tem muitos ciumes demim I
disse 0 Sr. Brudnel.
Na e razdo Por venture os ir-
raios e irmas n&o tem tambem seus ciu-
mes?
Mas d que elle esta doente pelo des-
gost de n3o estar aqui a" toda hra.
entao ama eJgw-m a finpm ?^i
sobre a c .ru greodae prajectos ante* ah ae
erubarcarem. Csocadus puraai cm a ira-
vessis do Atisntico. *%mqs acaai-sa ea fer-
tugal ou quando muito chteam vi P.nee*
Loudree; vartos die ama vtsu i Eecoria, i
Belgica, ao Rbeno e a Suuu. Pumo. pi-.
correm a Italia oa a All"mauh ; e us puei-
quissimos qoe passams G-4aniinopl oj I
Terra Santa, ou a nutros panes, paroca qae
0 fazem mais como proeza que com veMa-
deiro intuito de iuslruir-se ; traUndo de
andar As carreiras, e sea nada ver n>n nb-
serva-, como se nio tivesflnm utra mira
sendo a de se gabarem de haver eiado elles
s6s por esses lugares.
A interessanussims e industrialism -ma Hal-
land a, com as suas ctdades de cauaes oat
principaes ruas, moderns^ Vmieaas mats
rioas e iudistriosas que a Veoeta de ivje.
com os seus riquiesiutos rau^-us e feiblio-
thec-s, com as suas poru*o-osas obras hy-
draulicas, com os seus v-rdes prados cdnr-
tos de gados, com 0$ eus inoiuhos da vwnto
em consunte actividaOe pura easngar OS
mesmosprados.de superficie mf-riir ao at-
vel das auuas, fn-a em geral de lodos ea-
quecida ; um 1 Magem 4 Russta equipra te
quasi a um 'leiterrro d Siberia, e w percr-er
os heroicos remos da DiiMmtrca e SH-
cia considera-se como liiupu e dinbetru per-
dido, que melbor s po le euipregur a gs-
tar no I'aiais-Kojal a uos iheainobos da
Paris 1
En retanto (restringindo nn aqu so At
tres ultimas uagoes), quo (e uoda c lb*its
ndo off-recem est- s tres paw* u rapiribi da
viajante I dmo niosn assjMI >acea ama aa
ve-em S Petersburgo os diticiosmg-s.o-
s '> traca los p-lo de 1 > gig-mte da e Iro 0
Grande I Oue prodigio mtor para a pers-
pecliva que o que se goza na grga Rohm.
na cenobitica Mosin*. veul.i a ci la le, cms
suas quatrocentas igreja., >lc.le o krmal o,
ou de coDnudo este s poiitos mais
eminentes da ci lade I ? E quanta nistruc-
gao nao se collie visitan lo u estudan lo os
museus e collecgoes de S. Petersburg.!, da
Stock-ilmo e de Cupeuuagua I 7 E ba por
veutura paisagom das margens do Itheuo que
equivalba i que se goza seguiudoem vapor
pelo Sunda, desde esta ultima cidade ale a
fainosa KIseneur de Hamlet, u* propria gar-
g nta do streito ?
A Diuamarca, embora despojada boje da
Noruega u das ires proviucias allemars, a
ainda um reino rico, bem que pequeno.
As terras que lhe reslain sao bastaaies f. r-
teis, e valera mais qua as do prop io H>i-
tein ; pois as do bcbleswig eram era garal
safias e arenosas; e a sua capital emb ir rJe
pouca animagio, tem altracuvos aiuda para
os mais desconteuladigos; e hoje que come-
ga a derrubar as suas mura has e cegar aa
seus fossos aquaticos, promette cohrar
maior animacio. As fortalezas ilbadas qae
a d-i.-nlem do lado do rar, seraelbaataa i
n >ssa Rasa, com a difference de serein crea*
das pela arte desde os fundamentos, o paa
seio da Lange Linie, em freote a ellas, 00
de os moradores vao respirar as briaas do
Baltico, o castello de Rosenborg, com todas
as suas preciusiJades, e iou-mmi de Antigui-
dades do Norte e o de Etbnographia, o le
Tnorwal isen, a igreja metropoliUaa [Frue-
kirke, com obras mestras do mesmo esculp-
tor, assim como 0 palacio de Cbristiaos-
borg, e ate o proprio Tivoti, talvez 00 con
tin-nte 0 melbor divertaraeoto desu geitaro,
tud 1 faz oar-se por bem pago 0 viajauta que
visita esta capital, admira la, quasi a v<
de passaro, do alto da Torre ReJonla, on ie
se chega por uma suave rampa de lalrilhos
postos de cutello, e pela qual se poderia
subir a cavailo, e ate era cocbe, como se
diz que subio Pedro 0 Grande.
A idea da fundagao do museu Thormjll-
sen foi na verdade felicissima. Em um
edificio t-lrusco ou antes pompeiauo, forac
reumdas todas as creacoes do ex mio rival
de Canova, umas nos proprios onginaes, oa-
tras modela 1 is em gesso, nos 1 lenlicos ta-
raanhos em que foram feitas. No mesmo
edific 0 se encoutram tambem algous d is
raodelos em barro das obras executadas de-
pois pelo mesmo esculptor, a sua galena de
pintura, bibliotheca e gabinete numisnati-
co, por elle legados, etc. No exterior do
edificio se vtera pinluras a f esco repreeen-
tsudo a brilhaote recepgao feita an mesma
Tnorwaldsen por occasiao de seu regresso i
patria.
[Continuar-te-ha.)
Ah I Joanna, tambem hjsi emmes ?
Por que ndo os hei de ter ?
E 0 que e feito das tuas bellas tbeo
rias sobre o amor ddsteressado, sobre o a
goismoque convo-n eatMeT, sobre a gloria
de sacrificar a propria ventura d Micidadi
dos ouiros ?
Sim, disse Joanna levantaod.i-se, sot
sempre capaz disso ; que elle ame alguem
diga-o, e m'oconfie.e verd que o servir;.
com todo 0 empenbo, e, esqueomdo a Mim
mesma, buscaru no devotamento uma tor
ca mvencivel.
EScar.i) satitbslat < seris fehz com (
teu sacrificio ? Ndo te arrepeoderds, ni.
jd depois quando o tiveres feito, mas desde
jd, vendo Lourenco aos pes de outra mu
Iher?
Sim, disse Joanna com esforco.
De veras ? Pensa em que i muiU
serio 0 que vds responder.
Joanna, jd de pe, procurava retirar-M ;
mas minha mdi retendo-a pergunlou-lbe
Onde vds f
Deixa-me, respondeu tils com a for.
suffocada ; e preciso que eu chore. Bern
sei que e cobardia isto ; mas disse eu por
ventura que nd 1 teria momentos de fraque-
zs e de soffnmento f Se a virtude aad>
nos custasse, nenhum valor teria I
Mas se ella custasse a vida ? perguo
tou o Sr. Brudoel, retaodo-a por sua vet.
Se custasse a vida, respondeu Joanna
soria uma felicidade 1
Ab minha Joanna, isto e que te
cbama desesparo t
Talvez, replicou ella solucaodo a oho-
rando. Mas, ndo imp irta I d gam-me a
verdade, id agora quero sabel-a I digaaa-
me que elle ama....
Tu, tu sdmeote no mundo, disse eu
estreitando-a nos braces, entre os quaes
ella desmaiou suffocada pela ventura.
Eu nao me acuava muito mais f > d,>
que ella ; efoipreois? que nosos qiaartesB
pais, dusteutanlo a ambus, liz;ssem aBssJJajp-
nos nos seus lugares, onde pouco depois nos
dei\ar.ini, afastatiJo-so dalli : Files cram
tdo febzes como nd>.
{C (

.

t*
r
cin quo poJ:a aqui cs-.ar.
ill- vu */uU..u..--mr:-, n .^'t n laXL>s