Citation
Diario de Pernambuco

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
newspaper ( marcgt )
newspaper ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
This item is presumed to be in the public domain. The University of Florida George A. Smathers Libraries respect the intellectual property rights of others and do not claim any copyright interest in this item. Users of this work have responsibility for determining copyright status prior to reusing, publishing or reproducing this item for purposes other than what is allowed by fair use or other copyright exemptions. Any reuse of this item in excess of fair use or other copyright exemptions may require permission of the copyright holder. The Smathers Libraries would like to learn more about this item and invite individuals or organizations to contact Digital Services (UFDC@uflib.ufl.edu) with any additional information they can provide.
Resource Identifier:
002044160 ( ALEPH )
AKN2060 ( NOTIS )
45907853 ( OCLC )

Full Text

ANNO L -MMEfiO 230
W i
PARA A
a*or tres me:
for seis ditos idffl
Por urn anno idem.
Oda numoro arulso
1PITAL E
adiai
LtWABES O.UDE NAG 8E PAG A
POBTE.
69000
. 129000
84*000
9310


.:4
SEGUNDA FEIRA 2 DE NOVEMBRO DE 1874
PARA DEMTBO E FOBA DA PROVI.1CIA.
Por tres mezes adiantados.......'......... $97M
Por seis ditos idem................. ItHst
Por nore ditos idem .....'.'........... **l*0
Por am anno idem.................. ITjOti
PR0PRIE0ADE DE MANOEfc PI6UEJR0A DE FAN. ft F1LH0S.
fra. Gerardo Antonio Ahes d Filhoa, no Para; Gonc-aWes d Pinto, no Maranhio; Joaqnim Jose de OHreira d Wttw, W Cearfc; Antonio de Lemoa Iraga, no Aracatj ; Joao M*ria Julio Chr*es, no Assd; Antonio Marque* da Sita, Natal ; Jose" Joatna
Pereira a'Almeida, em Mamangnape ; Carlos Aoxencio Monteiro da Franca, na Parahyba ; Antonio Joae Wnes, na Villa da Penha; ie'armino doa Santos Bolcio, em Santo Ant* ; Domingo* Jose da Costa Braga, emBaxau-eth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joio Antonio Machaeo, noHlardaa Alagoaa; AWes d C.na Bahia ; e A. Xavier Leite d C. v Rio Janeiro-

^
PARTE OFFICIAL
Goveruo da provincla.
eXPKDlE.NTK DO MA 20 DB Jl'.NHO DE 187*.
Acto :
0 presidente da proving, attendenio ao qae
v^auT-iu Fraacisca tjandida daJetiUy resolve con
celer lie ficenca para emb.ircar p.ira o presidio
di Fernando tfe Nonmha, no priineirj vapor qje
i>ifa alii seguir, os genero9 ccnstantes da re'.ajaj
junta, assigna l.i pslo secretario da presidencia,
nao podaado taes genero? *or dasembareados alii
*zxa qae por parte do respectivo coiuraaodante se
proceda a exaun;, aflifl de se verifier se ha eaire
t'llee aguardeote ou oa*.ra talqaer bjbida espiri-
tuosa.
Offlcio3 :
Ao Exm. brigaieirj : jmraandante das ar-
uus.Expeca V. Exc. suas oidens, afim de qua
uas noites de 23 e 21 do correote se apreaentem
10 pra;a* dos corpo; pertancentos a esta guarni-
,io era cada uma das .veguezias, do Recife, Santo
A-tonio, S- Jose e Dja-Vista, para o servico das
rondas ate raoia ooite, e dessa hora em diante 6
pracas de infantaria e 3 de cavallaria, para o mes-
rac urn.
Ao iiretor d>-. arsenal de gaerra.R*3pondo
ao sea offlcio de 20 do corrente, sob n. 632, di-
z^ado-lne que pode en:regar ao 9< batalhao de in-
untaria, a que sao destiuados, os II volumes com
lardameato, viados da c6r(e, e qu>; se acbam re-
cclhidos nesse arsenal.
Ao mesmn.a vista da snaiafonna^lo de 5
do correate, sob n. 0',i, d.i 11 sobre o requerimen-
lo do meslre da olllcina de correeiros e selleiros
desse arsenal, Franci-CD Ribeiro Pavao, tenho re
-solvido, de acoordo co.-a o parecer ch inspector da
thesoararia de fazenda, de 17 dVsts mez, sob n.
777, serie G, que, corno medida extraordinaria, Q-
.,ue o dito mestre na percep^ao do veociiuento
anterior e considerado impedidr, sendo o antigo
ccntra-mestre rncarregado da uffi.-ina coin os veo-
cimentos que the attribuir a tabella, ate qae o go-
verno imperial resolva derinitivamente. 0 que
declaro a Vine, para seu cunhecimento e para o
fazer constar aopetubaario.
Ao engenheiro das obras militares. Oevol-
veado a proposta^ de Augusto Jose Teixeira e
laviniano Xavier de Souu, que vieram annexas
io seu offlcio de 18 do corrente, sob n. i0-*>, auto-
riso Vine, a contractar com o ultima, pela quantia
4i 3i0i()00, a exe-u >o de duas escadas no hos-
pital militar. visto ser a offerta deste mais vantajosa
a fazenda do que a do seu competidor.
Ao commandant do presidio de Fernando de
l\9ronha. Expeca Vmc. suas ordens, afim de que
ua primeira opportunid;ide seja remetlido pjra esta
capital o sentenciado Joao Mareelino Pinto, con-
1-rme solicita o Dr. jula de direito das execucSes,
em offlcio d-sta data
-.' y::;Io.
Actos:
O prosMcnte d.i provincla, aiteaJendo ao qUe
ie.juereu o tabelliSo da onblico judicial e notas e
:rivao do geral do leriao de Ouricury, Rufiuo
Jo36 da Cuoba, resclve :onceder-lbe 3 mazes de
liceoca para tratar dc soa saiide onde lhe' aprou-
ver.
Officios :
Ao Exm. cooselheira presidente da rela^ao.
Digne se V. Exc. de iransmlttir me copia do
accordio pruferido per esse tribunal no recurso
crime em ^ue -j recorrente a juiz de direito inte-
r:ao da comarca de Agaa9 Rellas, bacharel Jose
(li.maco do Espirito Sacio, e recorrido Candido
Itcdrkoes Lins de Albuquerque.
Ao mesrao.-A:; n de ijae V. Exc. proceda
coino for de direit in :!a-1 remetto lhe uma cer-
.. de va*ias p-;is do summario instaurado
' atra Angela Cusiodio da Rocba, pelo crime de
r^Jbo de ani:tiajs, de onde se emciue que irre-
S-larmente pro:edeu o ;oiz de direito ioterino da
marea de Aguas Bellas, bacharel Jose Glimaio
u, Eipirilo Santo, des; ronuaciando o mesmo Rocha
eta grao da reourso.
Ao mesmj.R.e-:-:ndendo ao offlcio de V.
Exc., de honte;n datado, tenho a dizer-lhe qae em
I.- do currents solieilei Jj Exm. Sr. rainistro da
).i3tie.a a cbmpetente autorisagao do credito pora
:orrcr ajdespezas :aa js obras desse tribunal,
achfOdo-seja feito : rospeclivo orjaraento.
Ao Dr. Jui-. ic direito da 1J vara.Mo lendo
V. 5. satisfeito o que lhe foi requisitado cm offl:io
de 20 de mar;o proximo Undo, de noro lhe re
o.mmendo que provi.'encie n> scnlido de ser-me
f:rnocida uma relajao dos inventarios em que seja
j-.eressada a fazenda provincial pela taxa de he-
t j;a_- e legadjs, declarando os que se acnara pa-
rados e porque raoi.vos, os julgados por senlenga
a= partilbas, nao trouxerem o conneeiraento da
referida taxa c finalmenle aquelles em qae, ha-
-. ;udo usofruc:o para se arrecadar, nao se tenha
avaiiado a renda do immovel.
Ao juiz municipal o de orphaos do termo de
fceierros Nad constando desta secretaria a exis-
teacia do offisio de 30 de margo proximo passado,
a que se refere Vmc. no de 30 de maio proximo
passado, remetta segunda via daqueiie, afim de
cue seja solvida a uu.ida que diz ter a respeito
it pagamento da taxa 6 legados a que esta su-
je.to o acervo do fiaado padre Luiz Antonio Pe-
fj.ra Brito.
J' SiCfBO.
Acto :.
0 presilente da provincla, altenlendo a in-
formaQao de inspector da thesouraria provincial,
soD n. 263, resolve permittir que o conferente do
consulado provincial, Felinto do Rego Barros Pes-
sja, permute o seu lagar pelo do 3 eseripturario
da mesma ruparticSo, Antonio Rodrigues de Albu-
querque, con'orme solicilam.
Officios:
Ao jospestor da '.hesouraria de fazenda.
Para us fins convenient, eommuni :o a V. S. que
Ml" do correate daixou o exercicio do cargo
do juizde direi;o da comarca de Barreiros o ba-
cuarelllanoel da Si'.;a Rego, por ter aceitado sua
remo^io para a de Paiajares, conforme participou
".a offlcio da mssma data.
Ao mesmo. Para oa fins conveaientes com-
raunico a \. S., em res^osta ao seu offlcio datado
dehontam, sob a 711, serie G.queacabo de soli-
citar do Exm. ministro da guerra o necessario
crediio para.pagar se a qnantia de 83*000 des-
pendida com' o aelhoramento da obra do hospital
laililar.
Ao anesm..Deferindo nesta data o requeri-
r&eajd do me-:"e da offlrin^ de correeiros e sellei-
i.: do arsenal de guerra irancisco Ribeirn Pavao,
t'-nho resoivido de aocordo com a sua informagio
d 17 do correcle, sob c. 777, serie G, que, como
r-iedida extraordjaarid, e aie- qae o .governo impe-
rial resolva def.ailivarnenie, fique o supplicanle na
I ercep;ao do sea venci.nento anterior e conside-
i ado impedidp, sendo o antigo contra-mestre en-
carregado daquella offlcina, com os \ oncimentos
que lhe concede a tabella em vigor, e devendo
<- vancimenlo abonado a Pavao ser escriptqrado
pela forma indtcada em sua cilada iaformacSo.
Ao mesmo.Tendo nesta data, ea vista do
is..so de 29 da maio proximo undo, autorisado o
t-ugenheiro das obras militares a conlractar. com
Jjcoario Xavier da Souza,,paIa quantia de 3i0jt
& faiturade duas escadas nu.hospital militar ; as-
.- o communiao a Y. S. pSra seu c.aiiecimento
o firecjio. '
Ao memo.Attendendo a informafao do en-
genheiro da obras militares, de 9 do corrente, sob
n. 103, e a dessa inspectoria, sob n. 795, sere G,
autoriso V. S. a mandar pagar a Basilio Jose da
Hora a importancia da primeira prestaeau do con-
tracto para a caiadura e pintura da casa de resi-
dencia do director do arsenal de guerra.
Ao mesmo. Remelta V. S., com urgencia,
a demonstracao das sobras da verba Obras publi-
cas do presente exereicio, afim desta presidencia
salisfazer a requisicao du Bsm. Sr. ministro dr
agricultura, commercio e obras publicas a esse
respeito. Outrosim, declaro a V. S. que nao con-
vein sobrecarregar mais dita verba com despezas.
ao mesmo.Qaeira V. S. providenciar com
urgencia no sentido do offleio da Illma. camara
municipal desta ciJade, de 17 do corrente, sob n.
58, que remetto por copia.
Ao mesmo.Satisfazendo ao quesolicitou a
junta administrativa da Santa Casa de Misericor-
dia, recommendo a \. S. que mande sobr'estar
na arremata;ao annuociada para 15 de julbo pro
ximo, do barracao na estrada de Santo Amaro, oade
esteve outr'ora o quartel de caallaria, ate que te-
nha solucao defioitiva o reqaerimento em qae a
mesma Santa Casa lmpxtra dos poderes geraes a
cessao gratuita do referido barracao como auxillar
a obra do asylo de mendicidade.
Ao inspector da thesouraria provincial.Re
metto a Vmc. a inclusa conta para que mande pa-
gar ao Dr. administrador da casa de detencao a
importancia de 25*700, proveniente da compra de
diversos oOjectos para a limpeza e asseio daqueiie
estabelecimento, segundo solicitou o Dr. chefe de
policia em offlcio de 15 do corrente, sob n. 724. .
-Ao mesmo. Tendo a reparticao das obra*
publicas, em offlcio de 19 do corrente, sob n. 182,
solicitado ordem no sentido de ser entregue ao
respectivo thesoureiro a qaantia dd 1:6171, em qae
foram orcados os reparos da ladeira do Barro para
dar comeco a mesma obra, autoriso Vme. a man-
dar entregar ao mesmo thesoureiro dita quantia
Ao mesmo.-Mande Vmc. pagar ao tenenle
quartel mestre do oorpa de policia, Antonio Jose
de Souza e Silva a qaantia de 60*, importancia do
aiuguel da casa que no districto de Ponta de Pe-
dras, do termo de Govanna, serve de quartel ao
respectivo destacamento j na conformidade do re-
cibo annexo e do offlcio do Dr. chefe de policia,
datado de honteaj, sob n. 749.
Ao mesmo. *- Autoriso Vmc. a entregar ao
thesoureiro da Santa Caa de Misericordia, segun-
do solicitou o raapactivo' provedor iriterino em
offlcio de 19 do eon-ante, sob p. 958. a mensalida
de relativa ao mez de maio ultimo, para despezas
com a obra do novo asylo de mendicidade, deven-
do faze-Io no todo, ou em parte, conforme as forcas
actuaes dos eofres.
Ao mesmo.Nao estando ainda liqaldadas
as contas que a companhia Recife Drainage apre- \
sentou a essa thesouraria em marpo ultimo, mande
Vmc. adiantar a mesma companfila a lerpa parte"
da importancia das meneionadas contas, em apo-
lices de 7 por cento ao par, conforme a minha or-
dem de 9 do corrente
n_ 4.'a Offlcios: '
Ao provador iaterino da Santa Casa de Mi-
sericordia.Pole Vox. entregar a Antonia Jose-
pha da Penha seu sobrinho de nome Httirio. eda-
canlo do collegio das orphSs, segundo peflo el la
e resolveu a junta adminfstrativa dessa Santa
Casa. Fica assim respondido o offlcio de 19 do
corrente, sob n. 951.
Ao mesmo. Nesta data recommendo ao
inspector da thesouraria provincial que satisfaca
ao que solicitou Vmc. em offlcio de 19 do corren-
te, sob n. 958, devendo faze lo nc todo, ou em
parte, conforme o estado actual dos eofres.
Ao mesmo. Fico certo das providencias
dada3pela junta administrativa de3sa Santa Casa,
segundo communicou Vmc. em offlcio de 29 de
maio proximo passado, n. 923, no sentido de ser
reduzido o pessoal empregado na obra do asyl i
de mendicidade, em vista dos motivoi expostos
no referido offlcio.
Ao mesmo" -Em resposta ao offlcio de Vmc,
de 19 do corrente, sob n. 963, tenho a dizer que
approvo a resolugao da junta administrativa dessa
santa Casa, mandando entregar ao bario da Sote-
dade a educanda do collegio das orphas de nome
Adelaide, para empregar-se no servico interno de
cisa, mediants a mensalidade de 105.
Ao mesmo.Sobre o requerimento a que al-
iode Vme. em seu offlcio de 17 do corrente, sob
n. 957, ja o governo imperial decidioque so a
assemblea geral compete resolver, devendo, pois,
a ella dingir-se a Santa Casa. Nesta data provi-
dencio para a thesouraria de fazenda no sentido
da ultima parte do referido offlcio.
Ao regedor interino do Gymnasio Provin-
cial. Conformando-me com a informacao de
Vmc, de 16 do corrente, sobre o requerimento
em que Antonio Jose Ferreira, flrmado na lei pro-
vincial n. 1041 de 22 de abril de 1872, pede a de-
missao do menor Joao, filbo de Joaquira Luiz dos
Santos, nesse instituto, como alumno interno, nes-
ta data deferi dito requerimento, o que lhe com-
munico para os devido3 effeitos.
Portaria :
A' camara municipal da villa de S. Bento.
Haja a camara municipal da villa de S. Bento de
remetter com a maxima brevidade um balancete
demonstrativo da arreeadacao e applicagao do im
posto creado pelos arts. 31 e 32 da lei provincial
n 1015 de 13 de jnnho de 1871.
5.' secqao.
Acto :
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu Alexandre da 'Motto Canto, arrematante
dos reparos da ponte da Escada, e tendo em vista
a informacSo da reparticao das obras publicas, de
13 do corrente, sob n. 173, resolve conceder-]he
uma prorogacdo de prazo por triata dias para conv
clasad dos mesm s reparos. Esta sera apresenta-
da nas estaf5e3 competentes.
Offlcios :
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas.Mande Vmc. concluir as bancadas qua
foram retiradas do pa;o da assemblea provincial
e entrega-las ao director da iMtrucci') publiea
para serem collocadas no edificio da escolac
delo.
Ao engenheiro Victor Fournie, fiscal das
obras da nova ponte da Boa-Vista.Com referen-
cia a informacio d? 19 do corrente, ob n. 483,
prestada por Vmc. sobre a pe/.icie de Johnston Pa
ter &. C, procuradores de Watson & Smith, arre
mataate da obra da nova poute da Boa-Vista, em
que offerecem a quantia de tSO* pela pedra, ba-
ton e soalho da nova ponte, Mtoriso-o a ceder-lhe
o material mencfonado pela qaantia de 600*, em
qae Vmc. os avails, e que deve ser recolhida a
thesouraria provincial. Fica eotendido que oao
fasem parte d vanda a* traves, sobre-travaa e o
mais que v"em descripto em sua dita informacao.
Os materiaee da ponte velha'devem pertencer em
sua totalidade a provincia, e nao ao governo geral,
a quem nesta data me dirifo a respeito.
BXPEDIENTE DO StCBETABIO.
it* teaflo.
Offlcio:
Ao Exm. brigadeiro'commandants das ar-
mas.S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda
communicar a V. Exc, para os flos convenientes,
Sue nesta data se aatonsou o director do arsenal
e gaerra a entregar ao 9. batalhao de infantaria
onze volumes com fardamento; vindos ultimamen-
te da c6rte com destino ao referido batalhio.
1* secgao.
Offlcios:
Ao Dr. chefe de policia. Para os fas coo-j sen offleio datado de 16 do corrente. sob n. 750,
venientes, S. Exc. o Sr. presidente da pwinciaf serie G, qua ao procurador fiscal cabe o deverde'
manda commuoiear a V S., que nsta data man J redamar ao juiz dos feitos da fazenda todas as
d.m pagar pela thesourararia provincial Urfhiguel I providencias permittidas por lsi, afim de que a
da casa quo era Pop to de Pedras, do Irroo de mandado daquella juizo tenha exacucao a se ve-
secQao.
Goyanna, serve de juarlel ao respectivo testaca
mento, na conformidade do que solicitou VS. em
seu offlcio de hontem datado, sob n. 749. -
Ao mesmo.- S. Exc. o Sr. presiAate da
provincia manda. communicar a V. S.'icfeavsta
requisicao do Btm. Sr. ministr o drpata foram expedidas-as eonven'ientes orians a
thesouraria provincial no seoti io de ser pag\ ao
Dr. administrador da casa de detencao a impor-
tancia despendida com a compra de objectos p ra
limpeza e asseio daquella casa, segundo solicta
V. S. em Offlcio sob n. 724.
Ao mesmo. 0 Exm. Sr. presidente da prv-
vincia mania accusar o recebimeutodo offlcio '
V. S, n. 747, de bontem datado, e declarar-llie qa
foram expeJida' as ordens no mesmo sentido so
iicitadss p* V. S.
Ao juiz de direito da comarca de Pal mares.'
0 Exm. Sr. preJidente da provincia manda ac
cusar o recebimento do offlcio de V. S, de 17 do
corrente, communicando haver nequella data del-
xado o exercicio do cargo de juiz ie direito da
comarca de Barreiros, por ter sido removido para
a de Palmares.
3
Offlcio :
Ao inspector da thesouraria provincial.S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda commu-
nicar a V. s para seu conheeimenlo e devila exe-
cn^ao, que per portaria desta data resolveu per-
mittir que Felinto do Bego Barros Pessoa e Anto-
nio Rolrigaes de Albuquerque, conferente e 3
eseripturario do consulado provincial, permutas-
sem entre si os respeclivos lugares.
5.* SKi-fiO.
Offlcios :
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia, declaro a V. S. para os- fins conve-
nientes que nesta data autorisou se a thesouraria
provincial a entregar ao thesoureiro dessa repar-
ticao a qaantia solicitada em seu offlcio de 19 do
corrente, sob n. 182.
Ao gerente da companhia Recife Drainage.=
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda decla-
rer a V. S. qne nesta data autorisou a thesoura-
ria provincial a adiantar em apolices de sete por
cento ao par a lerca parte da importancia das
contas aprasentadas por essa compauhia a mesma
Ihesourafria, caso as referiJas contas nio esteiam
ainda liqnidadas. '
EXPEDIENTS DO DIA 22 DE IC.VIIO DE 1874.
/.* SfC&lO.
Actos :
0 presidente da provlneia, attendendo ao que
requereram Potas & C, resolve conceder-lhe per-
missao para embarcar pata o presidio de her-
nando de Noronna, a serem entregues a D. Maria
Joaquina da Conceicao, os generos coastantes da re-
la^ao junta assignada pelo secretario da presidencia,
nao podendo ditos generos serem desembareados
vo mesmo pw^MiowenKjus-por-para Jo rssv^ctivo
commandante,' se proceda a exame, afim dc eo-
nhecer se entre elles existe agaardente ou oiura
qualquer bebida espiritnosa.
0 presidente da provincia, attendendo ao qae
requereu Haooel Pinheirode Soasa Sibeiro, rasol
ve coucader-lhe liceoga para ir ao presidio de
Fernando da Noronha, no primeiro vapor que para
alii seguir^.afira de tratar de negbcio de seu par
ticular interesse.
Offlcios :
Ao Exm. brigadeiro commandant* das armas.
Sirva-se V. Exc. de dar suas ordens para que
fortaleza do Brum dii uma salva de 21 tiros por
occasiao de inaugurar-se o cabo submarine, de-
vendo o commandante da mesma fortaleza eaten-
der-se com o respectivo gerente quaato ao dia e
hora em que deve ter lugar dito inauuuracao.
Ao mesmo. -De conformidade com o qne soli-
cita o Exm. brigadeiro, Joao Guilherme de Bruce,
que vai recolher-se a corte, no primeiro vapor es-
perado do norte, sirva-se V. Exc, de expedir suas
ordens para que pelo 9J batalhao de irifantaria se
jam ajustadas as contas de fardamento d >s solda-
dosdo 11 batalhao da mesma arma.Manoel Jose do
Mascimento e do 3" de artilharia a p6 Miguel An-
tonio da Silva, os quaes acompatihain o'mesmo bri-
gadeiro, como ordenanc.as, devendo ditas pracas
irem pagas de soldo e etapa a que tiverem direito
e ser a respectiva guia passada a cada uma em
separado, afim de evitjr qualquer duvida nos cor-
pos a que forem mandados addir na corte.
Ao director do arsenal de guerra. -Faga Vmc.
recolher nesse arsenal mediante quitacio e decla-
ragio do estado em que sao entregues os utenci-
lios constontes da inclusa nota, as qaaes foram
fornecidos ao Exm. brigadeiro inspector dos cor-
pos da guarnicao desta provincia, para uso da se-
cretaria a seu cargo.
ao me;mo.De conformidade com o pedido
junto, que faz o tenenta coronel commandante do
deposito drrecrutas, faca Vmc. recolher nesse ar-
senal 10 ceroulas de algodao-inno e 4 pares de
rifique a incorporate dos proprios nacionaes do
convento do Carmo do Olinda e dos bans a elle
pert encentos.
Ao mesmo. Tendo nesta data, de acordo
com a ?a. informacao constante do efflelo da 19
do corrente, sob n. 802. serie G, relcvado Seve-
riano de Siqueira Cavalcanti da multaque lhe foi
imposta pelo administrador da recebedoria, por
nao ter dado a matricnla no prazo legal o nasci-
mento da ingenua Amelia" Alba da escrava Anna,
da qua! o supplicane e depositario judicial, as-
.sim o declaro a V. S. para seu conhecimento e
8evido3 effeitos.
Ao mesmo.Tendo o brigadeiro Joio Gui-
lherme de Bruce de recother-se a corte ni pri-
meiro vapor esperado do norte, recommendo a V.
S. qne lhe mande ajmiar contas e passar guia do
soccorrimento, procedendo de igual raodo em rola-
cao ao teneate hoaorario Jose, Tedro da Silva Souto,
iue acompanha o me3mo brigadeiro na qualidade
ie seu ajudante d ordeas.
Ao mesmo.-Para os fins convenientes com-
nunico a V. S. que em 16 do corrente entrou no
e:ercicio d> cargo da promoter publico da co-
mrca de Goyanna o bacharel Sebastiao Cirdeiro
Gelho Cinlra, conforme participoQ era offleie da
nesma data.
Ao inspector da thesouraria provincial.
Em additamento ao offlcio desta presidencia, de 11
ido corrente, autoriso Vmc. a entregar a imporlao-
Mo dos prets da guarda nacional destaeada du-
iante o mez de maio na cidade do Rio Formosj,
is guardas nacionaes Silvestre Jose Correia e
tcente Ferreira de Paula, segundo pede o mesmo
eftnmandante superior em ^offlcio de 18 do cor-
reite.
Ao mesmo.Mande Vmc, em vista dos at-
tatados juntos, pajrar ao padre Genuido Wal-
ffdo de Souza Gnrji.), a importancia que lhe com-
ptir pelo exercicio da coadjutoria da freguezia
dePanellas, durante os mezes de Janeiro a marco
dese anno.
Ao mesmo.Manda Vmc. pagar ao padr6
FUrencio llenriques Dias de Albuquerque a sna
congrua correspondente ao mez de nuio ultimo,
am tonformidade d i attestado incluso.
Ao mesmo Para os fins convenientes incluso
Mme\to por copia a Vmc. a portaria desta data,
pela qunl foi reform do o corpo de policia.
j- Ao mesmo.Communico a Vmc. qae pela
reparticao das obras publicas mandou-se passar
eettificado de pagamento ao arrematante dos re-
paios da ponte de Goyanna, por terem sido con
cloHos a. obra? com elle contractadas, e bem as-
sim :jue nesta data approval a despeta de 16*500
aotq*isada pelo chefe daquella reparticao para a
exeeucSo de am.i peqaena obra qae nJo e n > ercamento re
" Ao
suspensonos, que estavam a cargo do mesmo de-
posito; visto que taes objectos ja nao .deyem, ser
fornecidos as pracas ex- vi do disposto no aviso do
ministerio da guerra de 14 de laneflBf proximo passado. ^ .
Acto: **eC-a-
0 presidente da provincia, attendeodo ao que
requereu o promoter publico da comarca de Ca-
ruarti bacharel Elisiario /xafusto de Moraes, re-
solve conceder-lhe dez diai de licenca com or-
denado, para tratar de ma saUde, opde lhe aprou-
ver. r
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia. De coafurmidadfe
com as ordens expedidas por esta presidencia, de
novo recommendo a V. S. qua exija dos deleaados
e subdelegados de policia nm mappa circumstau
ciadp do armaraento que existir nos respeclivos
districto?. deetarando o adarrae, o systema das ar-
ma? (i. Minie, de es^oleta, etc)
Ao mesmo.Achando se o official da 2 sec-
c8o dessa secretaria, Candido Autran da Malta e
Alhaquerque, a exercer sem flamjad cargo de the-
soureiro interino, conforme participoa o inspector
da thesouraria de fazenda, em offlcio n. 806, de M'
do corrente, chamo a attencio de V. S. para e3se
facto. .
Ao Juiz de direito de Fldr'es__Tendo Pedro
Thenono Nogueira, representado a esta presidencia
no sentido de ser mantida a liberdade qae em
virtade da lei n. 2,040 de 29 deselembro de 1871,
foi concedida_pdo inis municipal desse termo a
LasSiano e Joao, eicravos qae eram de Jose dos
Santos Nogueira e m fllha D. Maria da Coneei'cio,
decUro a Vmc. que. neutiuma decisao deveraeise
juizo dar sobre 6 caso, emquaoto o governb' iral
perial, a quem nesta data se da cQnhecimento do
occorndo, nSo resolva sobre a materia.
asseccao. '
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Em reeposta ao sea offlcio da'tido de 18 do cor.
rente, sob n. 787, serie G, antoriso V. S. a man-
dar proceder a uma vistoria e a todas as diligen-
cias que forem necessarias de modo a verillear ss
os sitios de Jose Clementino Henrique da Silva, no
por esta presidencia, com approvacao do mfntst__
dos negoeios da fazenda, entre o dominio maritimi
e o flavial dos terrenos de marinba qae fleam o
margem do rio Capibaribe.
Ao ^l9smoDeclaro a V. S. em resposfa ao
_.aafj
em 9,de Janeiro ultimo com Aagasto Cesar Fer-
nandes E:ru e Evarbto Juliano de Sa para ex-
ecneio das obras do raitadouro publico desto ci-
dade, remetto a Vmc copia da mesroa portaria
afim de que sejam alii redazidas a termo se at-
tersrOes nella contidas.
4.* secrfo.
Acto:
O-presidenle da provincia conformando-se
com a proposta da diret:toria da inslruccao publi-
ea, de 20 do correutj, sob n. 184, resolve nomear
a Rolim Cavalcante de Albuquerque, para reger
interiaaraente a cadeira da villa de Flores, perce-
bendo os veucimentos que por iei lhe competi-
rem.
Offlcio :
Ao Exm. presidente da provincia do Cea-
ra.Deferindo o incluso requerimento do soldado
do 9. batalhao le infanlari i, Joao Marcoiino Bar-
b isa, rogo a V. Exc. se airva de obter, e enviar-rae
am documenlo legal-corn o qaal possa o referido
soldado provar a nalureza de saa praca, visto-que
& copsiderado naquelle batalhao como recrutado,
ao passo que elle allega ter marchadopara a cam-
panha jo Paraguay, ua jualidade de guarda na-
cional ae.ignado do 1 batalhio da cidaie da For-
taleza Sera conveoienle que nesse documento
se declare, se o 7supplicante apresantou-se vo-
expedie:jte do sscait&Bia
1.' secy'io.
Olflcios:
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas. De ordem do Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, communico a V. Exc.qua o arsenal d; guer-
ra fica nesta data autorisado a recolher as cerou-
las e suspensorios, de que trata o pedido do com
raandante do deposito de recrutas, a que se refe-
re o seu offhio de.20 do corrente, sob n. 492.
Ao brigadeiro Joao Guilherme de Bruce
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, manda de-
clarer a V. Exc. que nesta data foram expedidas
todas as ordens solicitadas em sen offlcio de hoje,
sob n. 113, concernentes ao seu embarque para a
edrte no vapor Parana.
Ao mesmo.De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da pro-incla, respondo ao offlcio dc V. Exc.
de 20 do corrente, sob n. Ill, declarando que o
arsenal de guerra e nesta data autorisado a rece-
ber, mediante quilacdo e declaragao do estado em
que foram *Ili entregues os utensilios qua serviam
na secretaria a c. rgo de V. Exc, na qualidade de
inspector dos corpos desta guaroigao.
Ao inspector do arsenal de marinha.S. Exc
o Sr. presidente da provincia, tendo providenciado
para que sejam conluzidos ars seus destinos, con-
forme solicita V. S. em *eu offlcio desta data, sob
n.52, o escaler com 4 reraos e as perten^as de
outro, a que allude ocitado offlcio; assim o man-
da comtnuaictr a V. S. para seu conhecimento.
2.' $ecf&o.
Offlcios :
Ao juiz de direito da comarca de Pao d'Alho.
0 Exm. presidente da provincia manda accusar
o recebimento do offlcio de V. S., de 15 do corren-
te, communicando haver adiado a 2.* sessad ordi-
nary do jury deste termo, para o dia i. de julbo
proximo vindouro
Ao juiz de direito ioterino da comarca de Ta-
caratii. 0 Exm. Sr. presidente da provincia man-
da accusar o recebimento do offlcio de V. S., de
8 do corrente, communicando a captura do crimi
noso Bezerra, effectuada pelo delegado de Floresto,
alferes Manoel Raymnndo Barros.
Ao promoter pnblico da comarca de Goyan-
na.0 Exm. Sr. presidente da provincia. manda
accasar o recebimento do offlcio de V. S., de 16 do
cerrente, comrauaicando haver na mesma data
assumido o exercicio do cargo de promoter pu
blico dessa comarca.
Ao commandante do corpo de policia.De
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia in-
cluso raraetto a V. S. 50 exemplares do regula-
mento para o corpo sob seu commando.
4.' teccfio.
Offlcio :
Ao director geral interino da iustruccao pu-
bliea.S. Exc. o Sr. presidente da provincia, em
vista da proposta de V. S., de 20 do corrente, sob
n. 181, nomeou por acto desta data a Rolim Ca-
valcante de Albuquerque, para reger in'.erinamen -
te a cadeira da villa de Flores; o que communico
para os fins convenientes.
.
luatariamante para o servico da guerra, ou se foi
a isso coagido. .
Ao Exm. president* da provincia do Mara-
ahio..\nnuindo ao que no. requerimento junto
pede o anspecada do 2.* batalhao de infmlaria Se
veriao de Araujo e Silva, rogo a V*. Exc se sirva
de providenciar para que seja minislrado por quern
oompetir um documento comprobalorio da allega-
cao, que faz a referida prara, de haver marchado
para a campanha do Paraguay no anno de 1866,
na.qualidade de guarda nacional designado dessa
provincia, o nao recrutado como esto sendo con
siderado naquelle corpo Sera conveuiente que
nesse documento se faga mencao de ter ou nao o
supplieauie se apresentado voluntariamente.
Ao juiz de paz do 1 districte de Caruaru.
Com o modelo incluso do mappa estalistico que
lhe compre enviar em observaacia do decreto n.
3,572 de 30 de dezerabro de 1865, satisfaco a sua
requisicao em offloio de 6 deste mez, cujo recebi-
mento accuso.
5* seccao.
Offlcios :
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
pnblieas. Fxpeca Vmc as convenientes ordens
afim de' que seja illuminado hoje a noite o jardira
do Carapo das Princes.
Ao mesmo.Mande Vmc veriucar que nu-
uero de lamped s de illuminacao a gaz convera
jter collocado na estrada do Arraial, principiando
pela dos Afflictos, em Santo Amaro das Salinas e
no jar dim do. Conde d'Eu; devendo informar a
esto presidencia circuraslanciadamente de tudo.
Ao mesmo.Fico sciante, pelo seu offlcio de
20 do corrente, sob n. 184. de haver Vmc. manda-
do lavrar termo de recebimento provisorio dos re-
patos da ponte de Goyanna e passar o competente
certififcado de pagamento ao arrematante.
' Appjrovo a despeta autorisada por Vmc, na im-
portancia de 16*500, proveniente de uma pequena
obra feito pelo mesmo arrematante na referida
ponte, e que nao foi prevista no orcamento.
Portaria :
Os Srs. agentes da companhia brasfleira de
navegagao a vapor mandem dar passagem para
a cdrte, por conta do ministerio da guerra, no va-
por Parana, esperado do norte, ao Exm. briga-
deiro h Engracja-Maria Pedra de Barros e Bruce, a sens;
filhus Flustino Thomaz de Bruce e D. M raoela Dio-
nisia de Bruce e a uma escriva de nome Jacinthar
b bem assim ao tenente honorario Jose Pedro da
Wva S uto e aos aoldados Manoel Jose do Xasci-
0 e Miguel Antonio da Silva, este do 3. bata-
Ie.artilharia a pe, e a^uelle do 11 batalhao
infantaria, os quaes acompanham o .nesmo bri-
gadeiro, o I* como ajudante de ordens o os dous
ultimos como ordenan^as.
1 Sr. gerente da companhia peruambucana
dsspachos da presidencia, do dia 39 de outibro
de 1874
Basiiio Jose da Hora.Inforrae o Sr. engenheiro
das obras militares.
Claudino Jose dos Santos.Deferido com offlcio
dirigido ao gerente da companhia pernambucana.
Caeuno Jose Meodes.-Nao tem lugar o qae re-
quer o supplicanle, visto nao ter silo observado a
principal condicao do edital.
Francisca das Chagas Ribeiro de Oiiveira.En-
tregue se, mediante recibo.
Joao Egydio Castro de Jesus. Dirija-se o sup-
plicanle a thesouraria de fazenda, que ja se aclia
habilitada a salisfazer o pagamento do seu soldo.
Valdivino Ribeiro da Silva. -CertiQque.
ReparlifsSa da policia.
(.'.seccaoSecretaria de policia de Pernambuco,
31 de outubro de 1874.
N. 1331.Dim. e Exm. Sr.-1'articipo a V. Exc.
que foi hontem recolnido a casa de detencao, a mi-
nha ordem, Amaro, escravo do commendador Elias
Bapiista da Silva, a requerimento do senhor.
Pel) delegado de I'io d'Alho, foram capturados,
Jose Tnomaz de Araujo e Jose Alexandre Correia,
este como criqainoso de morta na comarca 4e
Goyanna e aqaelle sentenctado a 4 annos e 8 me-
zes de prisao no termo de Limoeiro.
Na noite de 23 para 24 deste mez, Joao Jose do
Monte, ferio gravemeote a Joaqnim Jose de Santa
Anna no lugar Ponta dos Carvalho, do districto
da Villa do Cabo.
0 delinquente foi preso em flagrante, e contra
elle se proceden nos terraos do inqaerito, qua teve
logo o devido destino.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. com-
mendador Henrique Pereira de Lucena, digno pre-
sidente da provincia -0 chefe de policia, Anto.
nio Francisco Correia de Araujo.
&mm&mmmK
(agencia telegraphica havas reuter.)
Madrid 30 de outubro. Corre
aifiii a nolicla de que esses dous
princlpes bespanlioes estao proxl-
uiom a vollar para a Franca.
Berlim 30. Terminou hoje Jul-
{amenlo do processo kulmuiin. por
causa da tentativa de sorie do
principe de Bismark. Kulmann foi
eondenanado a quaiorze annos de
prisao, e inais dec annos de viiti
langia da policia.
i.iMbua 31. -A juata de saiide aca-
ba de supprimlr a quarentena a
que estavam sujeitos os navlos pro
cedentes da provincla do Para,
mandando-os adnailtir a livre pra-
tica.
Ilknlk ^S %M99a^9 ^^ ^Ik^^lb*
lVl%lba
Londres SO.A. taxa do desconto,
no banco de Inglaterra, continua
a quatro por cento, e na praca a
tresemelo.
SsS'milk
fcfcfttWfcV
^2S-! ^?.e:!l?L!:S!Jo05 ?? fora ^ !im5,? ?r*S<' 'tTsaas ordM afira te 1n-'"o vapor qae "segue "hole
" iteHo 'para o norte, eondttza por conta do ministerio da

por
gnerra para a Parahyba, um escaler de 4 remos.-j
siinafld.ao s_ervico da fortaleza da Cabedello, e
Para o Biq Grande do Norte varias portencas do
esct!^ qtw para alii foi ultimamentefrymetndo.
Soulampli.il so. Cbes/oa aqui
boatean o paqnete ingles, da real
main, JMAV//0, procedente do Rio de
Janeiro.
XOTICl.t* COMHERCl 4E.
Londres 30. Consolldados de
3 O/O, FOR ACCOONT. a 99 3/4. FundoH
braslleiros de S O/O. do anno de
1965. a 99 t dllos do Uruguay de
O o/O. do anno de 1S91. a S i ditos
argentlnos de o/o, do anno de
18f l. a 88. Mercado de care des
aninaado. Vercado de assucar inal-
terado.
New-York SO. -Canablo sobre Lon-
dres 4-8*. Ouro HO. Caffe do
Rio fair a 18 /. e good a 19 ft/9 cent
por libra. luo a I* S/8 cknts por libra i ai cheta
das de boje aos porton ananrlrs
nos elevaram-se a viate e area mil
far dos.
Liverpool SO. Mercado de aiso-
dao quieto i venderass-se hoje dose
mil fardos, aendo nail e setecentoa
de procedencia da America do bnl i
o fair de Pernambueo e de Marrio
a 9 9/8 d.. e o de Ma a to* a t SI d
por libra. Mercado de assucar laal
terado.
Continuam inalterados os naerea
dos de Antuia, Humburto, Hi
vrc. e Harselba.
E8TATIWTICA (OHMKRUtl..
Liverpool SO.-O deposito fetal de
algodao. de todas as qualldadees.
eleva se a quinhenfos e noventa
mil fardos. sendo cento e quatro
mil de proeedencia brasilelra ; du-
rante a semana venderaaa se *rs
senta e nove mil fardos. seudo
nove mil do Brasll : a Issportarao
da seaaana elcvou-se a trinta e dons
mil fardos, sendo einco sail proce
denies do Brasil.
(AGENCIA AMERICANA.)
Londres 30 de outubro.Mercado mo-
netario inalterado. Cafe : quieto.
Liverpool 30.Algodao: mercado cal
mo; deposito 588,110, sendo 104,120 do
Brasil. Assucar : sem alterac,ao. Couros
tirme.
Antuerpia 30.Caf(?; calmo ; cotou-se
de 41 a 4? e de i9 a 50. Couros: firme.
Havre 30.Cafe: veadas de boje 400
saccos, o do Rio a 98 e o de Santos ftftt.
Algodao: calmo; existencia 146,000, sen-
do 6,000do Brasil. Caciu : firme; prer,
75.
Hamburg.) 30.-Cafe: calmo; vends:
11,500 saccos. Tabaco i firme. Algodao :
frouxo. Couros seoeos i firme ; cola-se de
(09 a 108
Madrid 30.Corre que D. Affonso e sua
esposa D. Branca entraram em Fran.;a. 0>
medicos declararam ao almirante Topete
livre de perigo. Os amigos do celebre
tribuni Castellar mandarm chamal-o a
toda pressa. _ip_^^^
Paris SO.--A commisslo permanente in-
terpellou ao governo sobre o congress) de
Bruxellas ea questao de Nice. A familia im-
perial reclama do principe Napoleao i 1 mi
Hides por elle recebidos no tempo do im-
perio.
Bahia 31 ds 11 h. e 40 m. da manhi.
Xarque : mercado susteutadn; existencia
do do Rio (irande l.iil,960 kilos. Idem
do do Rid da Praia 162,3u0 kilos. 0 do
Rio Grande tern si Jo vendido de 271a
395. 0 do Rio da Prata ainJa nao foi
aberto ; venias durante a semama 248,850
kilos.
Liverpool 31.Algodao : mercado des-
animado, frouxissimo. Assucar, Gtrae,
inalterado.
Hsvre 31.Cafe, firm';, venias de boje
200 saccos. A godao, f-ouxo, venieraiu-.-
700 fardos a 90 e 91 o de Sjrocaba, a 92
e 93 o de Pernambuco.
Berlim 31.kulmann, o assassino que
tentara contra a vida do principe de P.-
mark, acabi de ser condemnado a 14 annos
de trabalbos tornados.
Paris 31.0 projecto do governo para o
exercito effectivo e o seguinto : infantaria
150 regimentos, cavallaria 80, artilharia
36, sapadores 2, engenbaria 20 batalboas.
Madrid 31.Chega a noticia de terem os
carlistas atacado Villa-franca, que se defen
deu beroicamente, repellindo os atacant- -
com grande prejuizo.
Buenos-Ayres 26.Combate perlo de Sa-
lado, entre as forgas do governo, sob o com-
mando do coronel Campos e os insurgent--.
commandados pelo general Ribas. Diz o
governo que este fora derrotado por aquel
le, mas as gazetas do lado opposto contesta:.
a noticia.
0 general Mitre ja" fez juncc,io com o ge-
neral Ribas e segundo corre ordenou a mar-
cba sobre a capital.
As for;as do governo impedem-lbe a pas-
sagem e um grande combate est.i eminente.
Dizem que o futuro da revolticao depende
do resultado deste encontro.
0 commercio esta desanimadissimo.
Trabalha-se com alitico na fortifica^io da
cidade.
Rio 31 as 3 h. e 30 m. da t.Tendo c
JORX.iL DO COMMERCIO de hontem ch
ticado o servico da Agenda Americana, o
GLOBO respondeu-lhe boje e provou com
documentos que o JORNAL, tinba avaoca-
do proposi^des inexactas.
A opiniio publiea faz-nos jostica, e se
manifesta a nosso favor.
0 mercado nao soffreu alteracio.
Chegou o vapor franco* YILLE DE RIO,
procedente da Earopa por Pernambuco e
Bania.
Babia 31.Cam bio sobre Londres 20
5,8 particular.
PIAK10D PfittSAMBPfl*
RECIFE, 2 DE NOVEMBRO DE 1874.
\oticias do sal do lmprl.
Amaunecea bontem em noaso sorto o vapcr
aniericano Ontario, jrazeodo datas do Rio 4a
Praia 21, do Rio de Janeiro io e da Baku 30 d-
outabro.
Ah-ja do qae damos sab a rubrka Reritla fiia-
ria, so encontramea sot joraaea o qoe aagae -
BIO OA PRATA.
Chegara a Buenos-Ayrei o vapar es(nerra Bj
telli, que duiam, aobava-se nae aaetnores "
,-oe* para eotrar am eombale.
cooJi-
( atttWL 1


I


fffl lWii'\.*>____
7- -r
Hi 'I *^W ^ Pernambuco Seguncto: f Os navios de quedtspunha o governo eram ale*
de dons qua eslavam sendo couvenieateraenie *r-
mados a caaJjan/ira Uruguay, e os^-apores Ihe:,*,
Rossetti, Pm*m, Pavon, Buenos-Ay res e Amta.
Diziase qae Lopez Jordan nao iuvadiria Entre
Kios nem am auxilio da revulucio, nem. em prol
da sua cauta.
Passageiros Modes de Chiviic'oy, Lobos e Chas-
comiis referent que os habitantes daquellas cidades
regosijaram-se coca a raaberlura do tr-fego da li-
uba ferrea.
Parecb que o nwuvo ttl ragosijo era o facto
de icrein sido eavia'das foreas que alll deviant us-
laciouir para garailiiein a segurancaTadtvidaal e
de propnetlade.
Kid Marlim Garcia f .ram presjs ciuco radivi-
duos armaJbs, que achlvam se a bordo de nna
pequena erabarca^ao. Segundn declarecoes que
lizeram al* N aebavaai porejao ceatava-lhes
que o govern*) resolvera persepftr eaergicatnente
todo aquelle que se tofnasse saspelto de entreter
relacoes com os revoltosos.
Healisara-se ama revista em Uuenos-Ayres, e
cerca de 1,500 a 2,000 pracas desfilarara pelas
ruas daquella capital.
O governb argentino r^obea do coroner orse*-
guiules telegraaimas :
Cbucul, 14 de outubro.Ao presidente da re
jublica. OUictal.Esion ne>te ponto, a 3 e meia
eguas do Rio Quarto, que acaba de ser abaado
nado por Arredondo, que.se dirige para Villa-
Mercedes. Apenas avistou o inimigo a vaoguarda'
dtste exercito, toda o 7 regimeato do cavallaria
passouse para as nossaa tileiras, protestando to-
dos os otHciaes quo Jaunts hauveram disparado
urn tiro coutra a baodeira national que so esps-
ravam ama opporuoi Jade para passarem. A mi
nna vanguaraa pisa ja a retargmrda Jeutro Oe poocos dias esta;a le.-uueleCi.l* a pal
aesu parte da WBuWhti, Mtc i.
a A gaarda aacioual da Lmco'e, < In in ens
deaanatsrfiaVj (district ) e Indus s 1 idles dc Coli
que suOlevaram-se aos grit is oVj viva u general
Mitre I Ataltba M oca,
* Hio Quarto.Ao president da repablica.
Acaba de cbejar am otlici I J; tola luiatia c ev
/ liaucs, o qaal roe diz quef*.rrt\la!i:!-r^ta do ontro
-' ;ado do furto Sarmieuioe com mum cavalhaila.
Julio Itocea.
Arredaodo, que era acoatpauhaADiapof pouco*
saldados que f"iam debanJad is, tug a bin ilirec-
cau de V. 1 ..
O coronel Campos, que jaseactii'M alon d> Sa-
taio, coiitm-iava a BdMaRVW eti*ainwite It vas,
que dera-se pressa em iigir. pa*itoaai graude.s
L'lemeut'js, em razao dc-s cam:utius que tiuha de
a'.r.iw'sar.
lT.u avulso con as inais vitas cores raitristas,
qas tajrihpm so recebi!ra cm Montevideo, dizia
que o general Mitr.\ a freate ie 800 homens pisa-
vaja ijterriiirio de Buenos-Ayres, sendj auxi
.ladr) dot '.res vapores, alem da caaboncira Pa-
ran'.';.
Kefere o mesmo avulso que o general Rivas coin
noj exercito de 2,\00 boiuens de liuha e 6,500
goardas naciunaes achav;,-se na Estancia Koen, a
.5 le^uas dp Cttivilc y, formtaJj a aja extrema da
:iutia J<; a'taque.
E:tas noliciaes deven), naturalmeiite, Jer rece-
) idas com a maior reserva, porque, como li sabi-
do, quer um quer de outro tado Savia t do o ein-
panbo de occultar os facioe. Algi:;aas dellascttao
eai iiiaiafesia coutradici^ao.
i'ara justitlcar esta asserQ.io, temos uma noticia
que a lieu pubiicoa. Disse esta i-llia (jue o gene-
ral Mure tirera uma coaferencia com o general
Os-iriouii S.inta Li^ia, no estabelecimento das
i;:aas correntes.
Ora.o general brasilciro acha ?e no Rio-Grande
a uao consta qoe fosse a Santa Lozii.
O ;ue, entr^tauto, parece fbra do duvida, e que
\ ;ev,lu'.-"i'i argeniina t'-m raizes mais profunias
Jo que (juerem os.goveBistas.
Tina serio de d.):a.uientos pu'ilicados pelas fo
has de Boqnos-Ayres lunga alguma luz sobre esta
:jta qte talvez traga ;jusivel fflteTacJW na crgani-
fa^io poliliea da confeJeracao.
i)e Montevideo etcre\>,m :
Ate hoje o UgetB : o poder livremente congregar os vast>s
elemenlos que as [irnwincias que S3 conservaiu
Heis Itie ulTsrecem. Se uao sao exageradosos nu-
inaros elle pude em breve dispOr de um exercito
de 50,000 homens, para o< quaes ha nos parqaes
K :Cionaes 100,-000 armas de precisw dos syslemas
2"--is modernos. al< m de algumas baturiass de me-
ira li.\d.-ras, e de arlilbaria krupp de campanha.
u Comprelieude-se quao dilllcil 6 para a revo-
iucao organi.-iar-se na prescnga da tao temivel
alversarlo. Ella, porem, tem i oprflaridade, e o
povo se vai levantando e fornecendo-lhe soldados;
tem a.riqueza, e furtunas cjlossaes se es;ao sa-
crilicaudo pelo seu Iriumpho, dando-ibe armas,
navios e tudo quanto b necessario para fa
ler a guerra ; tem, emfim, o prestigio do geae
ral Mitre, que digam o que quizerem, ainda hoje
e c bomem que miis sabo tazer vibrar a corda
sensivel do cjracao do suldado argeulino.
a Aii4, ha pouco sua permanencia na Cobnia
dava pretexto para entibiarse o fervor de seus ade-
ptos, e para augmentar a vacillacio d8 alguns que,
mats tmiidos, a traduziam cjiiio pouca conliaoQi
DO exitu do muvimento, idea que, hem a plorada,
seta duvida neuliuina es'.ava urejudicando a cau-
sa. Hoje nao e asslm Kile pisa o territurio da
palria dede o dia 18, e partilbac-.m osseu;. cor-
retigioaarios os perigos da situaglo.
Etnbora o general Mitre, por uma attencao
me Ihe devemos agradecer, sahisse de Uuenos-
AyrOB, para a Colonia em uma canhoneira italiana,
rocura-sc a todo iranse fazer crer que nos bfaih
i-iros, o eitajuos prolegeudo abertamente, o que e
.riiplclaineule falso.
Na luta em que se acha etnpenhada a Confe-
derai.ao Argentina, sem duvida para desgraca da
America, temos guardado a mais completa abs-
ten^ao, e sou Jo o grande iuteresse brasileiroman-
l;l a religiosamente, prcsta aos d.ous ladoa oomba-
tentes os offi-ios que a humanidad': asonselha para
^alvar algumas victimas illustres das vieimeias
das paixoes politiias. Tal tem sido o nosso proce-
dimenlo, tal dever se para o future, para o qua!
Jevemoi olbar seriamente, pensando des de ja
nos problemas difficeis que elle am pode repea-
'.inamente apresentar, exigindo prompta saiuoao-
Prevndo cstas diQlculdaJss sorias, entende-
mos que nem por um memento deve-se por em
duvida a lealdade do goverac imperial.
Seja qual fur o partido que governe o impe-
de e Getty e 05 coronets Borges, Ocampo, Marga,
Moraes. Spic*; us cltefes da esquadra etaatot ou-
tros oltuiaese cida'Jajs dtstinctos que ja fornece-
ram at> general Mitre fidos os etetnentos, recursos
de que dispunbam para sustentar a libsrdade e a
constituifao, e faze las triumphar ainda uma Tea
em todos os ambitos da repab'.ica.
Guardas nacionaes do recimento Sol do
Maio I
a Eu tamtam vos brado : as armas I que vosao
chete, companheiro e antigo em todos os tempos ha
sido 0 s jldarfo da lei e da ordem, por cuja "causa
tendes petejado sob 0 men commando, bavendo re-
cebido sem pre poraremio a victoria I
Odadaos annados t O respeito a vida e a
propriedade, tanto dos naci naes como dos estran-
geiros, e hoje a aossa divisa como toi sempre a
vossa bandwra.
Essa baadeira da liberdade, da constituicao e
dos direitbs dos povos e ainda a qae boje fluctua
sebre es nos'os acampamentjs, e levantando a pa-
ra 0 ceo e invocaado aar.a testamunha ao Deus
dos exercitos pela sanliaad* daaossa causa, ajiifc
dai me a bradar: Vioa cooMhuiaao aacional I
Viva a Repuliliea Argentina Viva 0 general D.
Bartholomeu MTtre TTandil, 12 de ouTiibro de
i&Il.Benito Machado.
0 goveroador de Cordova tambem publicou 0 se-
guinle manifesto :
Ao povo de Cordova 0 governo de Cordova
ostive sempre dispose a resistencia. Par* effectua-
la couvocou, em presedca do inimigo, os chefes da
guarnicio da praca, os quaes declararam que a re
sistencia era impossicel e que elles nao a fa-
rkun.
1 A' vista dessadeclaracao, os cida-iajs mais re-
solutis, rennidos em conselho, deliberarara nao
haver outro partido a ado.)tar mais do que acei-
tar a paz offerecida pelas for;as sitiadoras.
. Lumpri 0 meu dever ate 0 ultimj momento.
Espero que vo3 cumprireu? 0 vosso.
Cordova, 0 de outubro de 187'*.Henrique
Rodritjues.
0 Dr. Paz, um dos mais i fl lentes partidarios
da siiii.-,i;ao, representaales do EstaJo, e que se
ulTerecera para orgaoisar a resistencia, fez tam-
bem as segutntes revelagSes:
Tres chefes superiores tinha a pra;a : 0 com-
mandanle geral das armas, 0 chefe do estado
maior e 0 abaixo assignado : e acima da nos 0 go-
veroador.
t l'ela minba parte afflrmo, e posso provar que
nao -umente nao julguei impossivel a resistencia
como a aconselhei ate a ultima hora, fossequal fos-
se 0 resultado. a
As noticias do Uruguay sio de poueo interesse.
\a reuniao de commercianres, coavocada pelo mi-
r:is'.ro da fazenda, para psdir-lhes que auxiliassem
0 thesouro publico em seas compromissos, diz 0
'eleyr,ipko Maritimo, nao se Jeel trara 0 piano que
se adoptaria para a fulura. gestio dos neg icios li-
:anceiros da re^ublica.
'Tacta, Sfffzar de haver sido devassado a oratorio
. que esta sobro ella.
Da sacfUtia seguiram os hJrS.'s pau a capella
do Sacramento, fehaudo a (tort?, divtsoria, paaao-
e/ie tlveratn de tirar a (.have 0 pas-al a para a.la- um ddcore*, frtijas e borlas de oiiro, e fe^itojs de
do da diu capella.
^w
_..^,r
Alii profa aram 0 sacrano, de onde roubaraaa IHumflacao.
1 duas ambulas de prata dourada, deixando espalha
1 das as particulas; quebraram uma cruz de metal
1 galvaatsado, e levaran um cas ical, que deixaram
hear no chao, Junto a porta por onde sahiram.
Eacamtnharam se depois para 0 eorpo da igreja.
1 Alii tiriram da i ma gem de Nossa SaohOra das Do-
| res um pequetio cordio de ouro, 0 resplaadot de*
netat dourado e a espida, qne quebraram e atre-
nessaram para um canto, sem duvida-por verem
que nao en de prata.
Da capella-inor subiram para a tribuna imperial
oadc quebraram ouira cruz de metal galvaaisado,
cuja imagem ronbaram. Era ella de prata dou
rada.
Feito isto possaram de novo para a capella do
Sacramento, por cuja porta ctterioe evadlraoa-se,
deiMMo-a abeMa a-proxiaio .della, no chao, alem
do castifal a que ja nos retVrimo?,a naveta de
prata com um resto de vela fle sebo.
0 Rvm. vigario Mnwunljfa 0 Jhrtras 0 aenM
da manha, ao Dr. chefe de (Jolieia Ja provlneB^
dirigio-se pouco depois para esta ci'irte, alim de
trazel 6 ao conhecimento do Exm. Sr. bispo e do
Sr. desambargador chefe de polieia. >i"f ta
1 S. Exc. Rvm. orde'oou que se fizesse hoje, as 9
i hocas da manhi, a ceremonia do desaggravo.
Tudo induz a crer que 0 piano dos sactilegos
m J
loao Alredu QorrJa de Oliveira e para festejac a
sua bd.vlnla ajerra natal. SI T
0 ao dos eipectaculos e*tava jjrimorcsamente
deeordo com eofchas e arroeaso* a saoefts de se
tljre^rtifbiaes, teaJo-se
rio, elle nada tem que ver ccm as evelucGes do*
partidos arKentinos, que em relacao a n- so tem
uma pojiica qae se poJe cbamar nacional, ou pelo
rnenos tradicional, politica qae, apezar de todas as
cautelas, se trabio na nota de 27 de abril, de que
nnoca nos devemos esqueoer, ccm a qual parece
queria 0 Sr. Tejedor preparar 0 trinmpho diplo-
matic prometudu ao Sr. Sarmieoto, conferme a
revela^ao que estc senhor fat em um dos docu-
ments que forata publicados na folhas de Bue-
nos Ayres.
A Tribuna noticia.quo tenvac apresentadc mui
tos desf rlojcas ao corocel Campos, os quaes diza;n
que grande parte das tropas de Rivas segue coa-
t'lda 0 que nao resisii: a ao meoor ataque.
Na villa 4e Mercedes formava-se covo exercito
de reserva, e em S. ICcolao coneentravara-i'e e!e-
mentos para orgaalsaclo de outro.
O correspendenta do .Telegraph* &!a fiuenos Ayros, du que o corpo coasular estran-
geiw Kra repebido pelo c.ovo presid-^ale argentino..
Notava se mais cahaa no espirito pnblieo de
Buenos-Ayres, oniejase linhara aberto .a!.'.-urnas
aulas da uoiveektado e alguns theatros.
0 counej, Mashado publica 0 seguiute uiani
festo :
Comeatriotas do sal 0 momento mais solem-
ae a qae podem aspirar os pi vos livres cbegou ja
jjara 0 povo argentino.
A cajsa da liberdade, s-ir:jmente ameacada
for um gruno do deaagogos, q.ue apoderou-ae de
poder por meSo da fracde, da vioiencia e da op-
mo DE ja.N :i!ii).
Por Jecretos de 21 d^oumbro :
Deolarou-se de nenhum elleito a immediala e
imperial rosolucaj de 25 -.e abril deste anno, to-
maJa lobre consulta do supremo raililar, que
manJou destituir da commissao dc aiferes e ter
t.aixa do servico do exercito, por ser oatrangeiro,
na coiifjrrnidaie das disposigoes do arL 10 da lei
de ii de setembro de 1830, 0 aiferes graduado do
(3 .i.ita.lii 1 de iofantana Jo.-e Autonjo de ulivei-
ra Souza, visto ter-se reconhecido que ja era natu-
ralisado cidadio brasileiro por carla imperial de
18 desetembro de 1869 ; devendo por isso ser re-
aJmittiJj no mesmo exercito uas oondiuoes em
quo se aohava, nas termos do art 3 da lai 11.
48i3 Jo 6 de outubro de 1870.
Con^eJeu se tracsfurcocia para 0 corpo de sau-
de do exercito ao 2" cirurgiao da armada Or. Joao
CJimaso de Araujo.
Foi lrai;sforidopara a 4* companhia d j 3 bata-
Ihao de infantaria 0 major graduado do 18 da
,mesma arma Joaj do Uego Barros.
Foi mandaJo reverler a primeira. classe do exer-
cito 0 aiferes aggregado a arma de infautaria Luiz
Augusto da Suva Esperidiao, visto ter sido juigado
prompto em inspec;ao de saude, a quo "foi ^up-
ui t'.iJj nesta curte.
Passarara a aggrsgados aos corpos e armas a
que pertencem, na forma da immediata e imperial
resolucio de 29 de julho de 1870, tomad* aobre
consulta do conseljjo supremo mihtar, os 1 eguintes
olBciaes:
Ao corpo de estado-maior da 2' classe 0 briga-
deiro graduado do mesmo corpo Domiogos Jose da
Costa Pereira.
Ao corpo de sadda do exercito, o 1 ciruigiSo
deste corpo Dr. Caudido Maneel de Oliveira Qain-
tana.
A' arma de cavallaria, 0 capilao do 4 regimen-
t', Joaquim Alves de Macedo.
A' arma de infantaria, 0 capilao do 11 balalhao
Solino Vclloso da Silveira e 0 a'fores de i* dilo
Joao Rodrigues de Lima.
Condeu-se ref jrma ao 2' tenente aggregado a
arma de artilharia Coriolano Alencastro, visto sof-
frer molesiia inenravel que 0 torna incapai de con-
tiouar no servie.0, e de conformidade com a pri-
meira parte do art. 9* da lei n. 648 de 18 de agos-
to de 1852.
Foi elevado ao posto de tenentecoronel honora
rio do excicito, em attencao aos Inns servicos que
prestou na campanha do Paraguay, por espaco de
cineo aonos, 0 major honorario do mesmo exerci-
to, ?ran-,isco de Barros Accioli de Vase-.acellos.
Por portaria de J" do outubro concedeu se
ao aiferes honorario do exercito, Eloy Martins dos
Santos Jacome, a demissao que pedio do lugar de
ajudante do porteiro do hospital militar da corte,
licando sem eiTeito a poruria de 13 do mesmo
mez, que 0 nomeiou para 0 de porteiro, visto nao
te lo aceitado.
De 20.Pecan concedidos ao 1 official da se-
cretaria de estado dos negocios da guarra, Modes
to Benjamin Lins de Vasconcellos, vinie dias de
Jicenca, com ordenado, para ir a provincia de S.
'aul".
Foi tracsferido do 2 para 0 4 baulhao de in-
'antaria 0 aiferes Felippe Saaliago de Albuquer-
que.
De 22.Foi oomeado 0 sargento reformado e
aiferes honorario do exercito, Clementine Jose Pe-
reira de Castro, para 0 lugar Ce ajudante do por-
4eiro do hospital-militar da cJrte.
Concedea se licenQa ao capitao reformado do
exercito, Pio Goilherrae Correia de Melle, para
transferir a sua residencia da provincia de Minas
Geraes para esta corte.
Foram transferidos do 14 para 0 1. bataihio de
infantaria,'0 aiferes Lino Lidio de Abreu Baxras, e
d.i 1 para 0 (7 0 aiferes Joaquim da Silva SimSes.
De 23, foi uomeado Julio Jourdaa de Carvalho
para 0 lu^ar d-; amanuepse do eecriptorio dc aju-
dante do arsenal de guerra da provincia da Ba-
hia.
A Joso pereira Darri^ue Faro foi concedlda per.-.
mii^ao, par deereto n. 5,7 70 de U de outubro, pa-
ra er.piorar, por espaco de 2 aunos, minas de ou-
ro, prata eoutr'os nietaes exjstentcs na comarca
de Itabayaua, provincia de Sergipe.
O eflcouraeade -Bahta sanio no dia 23 de oa-
tutropara a prorineia da Bahia, ocde vai subsJi-
tuir ajjema^
O.resultado dos erarnes qae tiveram lugar,
n\ faaotdada de meaieina., no mez d> outubro, fo-
ram : r aoao medico--ftaraaado Abbott, approva
do plepameote, e^.me theorico e pratico de sat
iKieuoia de pharmaceutico ilauoei Fesaandes.d;
I'jntio, approvado simplesmente, defeta de these
do meaieo estftpgeiro. Dr. Nicolao 'foCaaisco, ap-
provado pienamente ; '.ixames.de.deatista. Candida
Clementino Rolrigues de Aguiar, approvado simr
. ladroes era apo lerarem-se dos objectos de subido
j valor que desta corte tiaham 1 Jo ante-hontem para
j Niptlierohy, afim de abrilhantarcm a procissao de
i tra.-l.idagao da imagem de Santo Antonio para a
sua nova capella em S. Loureugo.
Fell'mente achavam se depostlados esses objec-
tos era casa de um cavalheiro, eaio na igiejs, on
. de apenas se guardou um rico an lor de prata, era
' qae dove ser posta a referida imagem durante a
trasladarao. '
Nesse andor enconlram-se vestigios do csforco
que empregaram debajda os hdrSes para despara-
fusarera algumas de snss peeas.
0 total da populatfo do iraperio apurado at6
22 de outubro, pela dimctoria de estitistica elova-
se a 8,740:985 habiUn 1-3.
Fallecera 0 commendador Manoel da Rocba
Mirania.
Na provincia do Maranhao foram matricala
dos em 36 muuicipios, 74,9*9 escravoi, sendo...:
36,623 do sexo masculino e 38,316 do. teminino.
Dentre: elles 73,347 eram solteiros, 1,209 cai-
dos e 383 viuvos. Exerciam proflssio agriwa
49,011; eram artistas 9,69t; jornaleiros 2,567 e.
nio tinhara proflssao 13,677.
A alfandega da cOrte arrecadoa de I a 23de
outubro 2,783:707:384.
Eis as noticias comojerciae.s da ultima dia :
0 mercado de cambio esteve pouco actio e
fechou sem alteracao algtuna. Sabre Londra vi-
. goraram as uxas de 26 1|2 d. papel ban:ar&, 26
5|8 d particular.
a Na-la se fez em soberanos.
As apolices geraes de 6 ( tiveram peqteao
movimento a 1:040^ a dinheiro.
t No mercado de acgoes apenas constoaa venda
de uma partida das do banco Rural e Hypothea-
rio a 230J. a dinheiro.
.\s vendas -le cafe foram hoje pequenas. .'
< DesJe 0 dia 25 do passado, dia da sahijado
paquete;norte americano Soutii A.n-tica, ale'b.oje
veuderam-se 297,400 saccos, sendo :
Para os EstaJos Unidos
Para 0 Canal e aorte da Europa
Para 0 Mediterraneo
Para 0 Cabo da Boa Esperan~a
Para varios portos
As cntradas do interior dnracte os
pressao, aeeeasita hoje coruo sempre do eoaOBHe eygj
patnotico delodo.'i.os bans cidadaos para d-rnbar
a todos os -aviUho- irresponsaveis q:ie intentaram
hunu'fiar impunemeate a jionra dc povo arg^o-
tino.
a A constitaicao nacional iniciada e levada a
terrao pelo patrwU general D. Bartholesneu Mitre,
applaudido nao someaJe pelo povo argentino, co-
?to tambem por V. Ja a Europa, foi para os homens
aquem hoje etiartawafafeale de raaa ambi-
yoes e a barla da todca oa dirait -c a nobraa aspi-
ra-tdes dos habitants* 4a Rpobliea.
Nada m-iis podiamoa esperar : nossa paeien-
cia es-p|oa,*e aiaal.
EL poit eta defoza da caiasa daJiLerdade que
&iendes dafenJido raals de ctea vezr*; e era de-
a da constauicio .jue todo* oa povos da repnbli-
ca juraraaa manter, eem a> araut em puaho, que
sou coatnadosa pre*tar 0 vosso apoio, nio' peralll
tindo que 0 escandal > se prolongue por mais ama
bora aeqaar, e*taadalo que tem lido dado paran
te a rapabliea paraate 0 ntundo, par alguns dia-
colos, cujo acampamento e-ta'elrcuxhscripto na ci-!
dade da Bneaoj-Afrea.
9 Compatriotas I a's arraas I ja nos chamaram-
oe benemeritos genorae8TaDoada/Piva, Arredon-
piesmenteq i> uv tres r#proa:de*,7xarae clinico
de suffieiencia, Dr, Jose Lourecp de Casfro e Sil-
va, approtado "hnplesroente.
* A Igreja matriz da cidade de .Nictherohy foi
profcnada pelo* Iadr5es na noife.de 23 para Si de
pode iafe-
sua passa-
outu'Sro.
Hs'*omo sa deu 0 facto, segnndo se
rlr pelos vestigios que deixaram era
Nao appare:enda nechuns.vestigios dearromba-i
mento na portas ostoriorei, parece que os ladroe?
o-i-ulurayi-.-iq duracle 0 dia. ejo alguaa doa asca-
aij;bos da igreja para reaj^aareov, nas hora* njor-
las aa aoile 0 ^eu crimiaoso piano.
I'oi pela sazrfstia qae comecaraa, arromhaada
commodas e ar.-narios. e da onde tiraram varios
(., :.* ^quenos de prata e a roopa do sacristaq
X i.n de-"-;> armarios enecntraram uma naveta da
prata enijjue, deaois 1:9 inaoraarem q iacaaao, pu-
zsraui uqu y*la,de febo acesa, para sarnram ie
aVillacomocaiWieal/
Alii mesmo forgaram tambem uma men e ate-,
ifcrarsm-se da qaan'.ia de 360^ que 0 Rvm. viga-i
rio conego Ceocei.a'e gaardara a-ama 4a*gavetasj
e que destinaya as desgeza* da, igreja e ao paga-
mento das mensal:dades,.oonjlie *ao soeqarrj^s
aljruinas faniiias pobre^
Abriram iguajmepte o.arcaz, da pole suhtrabi-
rara sete ca'ices de era {a ddarad.a".1 noi graude de
prata para comraunaaa,
''N'am c'oflipinfmenjo copjigao, e.oade priocipia
i eieada da cf'rojaUia-se um'a.Kiraraoda, anliga
(jae eontem bra psr^ao da oQecfos ae prata peK-j
taocentes a irc?.D(ia*e dj Sacramento. Picon m-7
tamoem- augnentaJo
Nokrdim laueril ao ediflcio do theatra havia
ama imminacSo par globos de papal de cores
vtvasj *jk
Nasala anterior, de entrada, haviam taanbem
arreg.508 a baiJSbinellas de seda, fldre* e illumina
cao. 4S1 tocavam duas bandae de rausica marclal.
G *e*** es'ava cheio de espectadores, nio ha-
Taadr aaahum-tamarote vazio aera cadeiras des-
occaadas.
Ay8 e 1/2, logo qae 0 Sr. eoneelheiro Jolo Al
fredaoecapou 0 seu lugar na camarote dapresl-
dene a, a orchestra tocou 0 hymno nacicnal, a*
sisticdo-a todo, os espectadoiw de pe.
Fiadc 0 hymno, 0 Sr. Dr. chefe de polieia er-
gueu-vkas a s. u. 0 Imperador, a fanulta impe-
f'; 'i^f3' Draaileira, ao poo*pernambacane, ao
iliustreconsetheiro JoSo Alfredo, e ao digno presi-
dente_Ja provincia. todos os auaei vivas foram
muitisimo correspoudidos.
foico depoif.prjflciploa a representacao do dra-
ma jxelin ou 0 martnhetro da Uartinica, em
cajouesempeuho a companhia aouve se perfeita-
mene, sendo muito appfaudida, maxirae nas pes-
soasdos artisTas Dominici e Garofolli, aoabos os
quae rivalisjram no trabalho artistico.
Moi 0 espectaeago, a ao 3*hi*, o povo reuoido
na jarta do thealro, dea vivas ao Sr. conselheiro
Jeai Alfredo.
2fan> doa intervallos do drama foram aspalua-
'dajioayressas em avulsos as duas seguiutes poe-
ffjh, dpJicad'13 ao Sr. conselheiro Correa de Oli-
veif. :
< Se bera vindo a esta terra tormosa
Em que as aura* bebeste e a luz I
- Ella folga de ver-te I e coniente
, Toda featase ostenta e seduz.
E' que a patria, anal mai carinhosa,
Tem orgulh 1 de fllhos tao seas.
Quando 0 filhoqual tiltera services
Bern aceitos dos homens e Deus.
Tii, bom fllho, por ella estremeces
So buscanJo cubrila de bens ;
Ella em paga te da seus carinhos
Qaaodo a vela saudoso lu vuns.
Ah 1 nao pares 1 prosegue na senda
Que has trilbado com gjaria e fulgor :
E nao deixes d'amar esta terra
Que te da tantas provasd'amor. >
i Alma fadada as lutas do progresso,
Em arenas,, que aos timidos espaatara,
Ao la'r da luz a todo3 encaminhas,,
SopranJo a poeira, que teus pos levantam.
Foi medida a raissaa de teu destioo .
Pelo destino que a teu ber;o aguarda.
De teu genio a beoeQea intluencia
Peroambuco se a'.inlia na vanguarJa.
127,300
Iff ,800
3*1,800
l,5O0
o.OOO
altinos 30
dias regularam cerca de 12,000 saccos, terrho me-
dio por dia, ficando- hoje em ser cerca de 145;OcO
saccos.
Datnai as cota^es de hoje em seguida:
24 de oitubro.
Lavado 6*500 .- 7*6:0
Superior e fino 6*800 1 7#20H
b6a 01250 a 6*400
regular 5*900 a 6i03O
ordina'ia 5*400 a 5*6iJO
boa 3J000 a ?*2ii0
ordinaria 4n4'J0 a 1*700
c 0 movimento do mercada durante a siinana
flnda lo bastante aniraado, elevanJa-sa 0 total das
vendas a cerca de 75,000 saccos.
Os pret;o.s que hoje cotamos mostrara ima al-
ta de 200 rs. por 10 kilos comparados com as co-
tacoas do nosso bolelim de 22 do corrente, para 0
paquete B^yne. 1 ,
As vendas da assucar foram pequenas, para
con3umo.
0 movimento que na semana tioda se desen-
volvea nas reraessas de assu-ar para o Rio da Pra-
ia e Purta,Alegre, e 0 facto da nio ter eotrado 0
coraboio de Campo3, em que se esperavara suppri
mentos de assucar mascavo, tiveram influencia
favoravei na posigao do mercado, que facha firme.
c .Nao se etfectuou hoje fretamento alguin.
BAHIA.
-- A presidencia da provincia expedio 0 so-
gninte acto:
0 presidente da provincia, ussndo da altribui-
cao do art. 5* 8 da lai n. 38 de 3 de outubro de
1834, resolve suspeailer 0 juiz municipal e de or-
phaos do termo de Porabal, baobarel Feneloo da
silva Monte, e 0 eserivao Joao Bonifacio Ferfetra,
e sujeita-los a processo e responsabilidade. em vis-
ta da informacio do juiz de direito da coraarca do
itapicuru, e mais papei* que azorapanhara, bem
como a resposta do mesmo juiz municipal, pelos
factos s' gurates :
0 bachacel Fenelon da Silva Monte, por ter
usado de aaestado, para reoober seas venciraentos
de 17 a 31 de marco do corrente anno, que foi
dado por falso no exame a que se procedea peran
te o juiz da direito da comarca (art. 167 de codi
go criminal), e par seu prosedlmento nos autos de
arremaUcao dos beas do orpbao Jbse, Mho de
Mauricio Jose de Saot'Anna e Anna Joaquina de
Sant'Anna ; ja I'azendo arrematar escravos era
hasta publu-a e debaixo de prisioJ contra a ex-
pressadetftrminacao'da lei n. 1''95 de IS de se
tembrode 1869; ja entregando a depositario par-
ticular a-producto da arremataflo em vez de re-
coiher ao cofre dos orphaos na colleetoria ; ja en-
tregando menus do que 0 producto da arremata-
cao ; ja emfim pratirando oatras irregularidades
que, todas, 0 tornam incurso no art. 160 do codi-
go criminal.
Oescrivio Jose Bonifacio Ferreira, pelacoope-
rarao not mesmo* acto* no refarido processo. e
bem assim por passer certidao qae o juiz Fenelon
junta era sua defeza, em qae certifica que 0 pro-
ducto da arremaUcao 6 de 2:000*, quando oatra
caasa consta do* autos a que elle se refere (art.
167 do cudigo criminal 1.
Haada, porfanto, qae seja- reraettifa copia
desto acto e treze_ docaraeatos juntos ao promotor
publico da comar'ca, para pronrover os proeessos
respectivaa 0 accusacan, dandose de tndo cc-nha-
cunento ao juiz de direito da comarca >
So dia 25 de outubro foi inaugurado 0 cemi
terio publico da cidade de Karaeogipe.
As Eimas. Sra?. B.'Raea Moraes e D." Em-
liaoa R6xo, passageira* do vapor inglaz floj/nc, de
ram 200* para 0 a'sy'Io derS- ^oap de Deu*.
No dia 29 entrara do Sio de Janeiro 0 en-
Arribara de Portia Seguny por falta de Vrfe-
res, a garoneira Roseira, qoe da Bihia sahira para
Pernsmbuco. '
No dia 28 foi exlrabida, aa capital, a 5 lota
na- a benefieio do asVlo de mendicidade, senda
este o resumo da iita :
5- 5.....*............ 3>'j^P
-^-J90|....................*< 8
N.2254.,.................... 200*
Xs. 3222. I44,e3a^-100*>.eadaai8rr
I N.,533, 1669,, 34W, 1984, 1736, 115?, 258,
2373, 19C0, 36*, 2477, 2955, 877, 1336, 863 e
222020* 4 cada am.
Ns. 349S, 1355, I860,
493, 56, 3187, 1416. 91
343i; 3030, 3434, 2425
68, ll>53,
I, 3105.
13-10*
S18, 2478,
2140, 1OI8;
a cada nm
3EYKTA mmA-n
' Die* d Finadom. Esse dia, qne e 0 de
hnje, considera-p a .igreja 0 da commeraora^ao dp*
fleis defuntos.
Dia.de jnAj. dude lagrimae, dia das rec?rdac5e*
mais pungentes, e 0 em qua, necevitamos de
maior rusigaajao 4 idea pavorosa, qae nas saggere
este dia, ao angustiado spifito, >
Eweotacuto de I Na.segU.feira
ultima deu a companhia dramati.;* itajiana, ao

Eis porque os homens hoje te circum-Jax
Da gratidao na apotbeosc irameusa,
Era qae Deas faz do cora^o do povo
0 thuribulo con que aos heroes incensa.

Esta provincia, qae te deu a bereo,
E agora lirma teu braaao de gloria,
E' hoje 0 pedestal a qua te acimas,
Para alcam-ar a regiao Ja bisluria.
1
I'iiMsciata.-A que teve lugar oa sexta-fci-
ra a? 6 horas" aatarde, e de qua nas ooeupamos
sabbado, ao cbe^ax a pools da a%gdalena foLrece-
bida jin vivai fe a:onjpanhada- por muito povo
P6- c '
Da referida poate ate .Pi'jsubjado' gracda estava
a estrada illuraiaaJa; e naquelle eJilicio tocava
uma banda do mu.-ica.
Na Magdalena soltou so mujto.tpgQ, do ar, hou
reram muitos e enthusiastic as visae, seaio graqae
0 ajuutamento de povo.
Urn moce estadaQte, enjo nome igaoraraos, reci-
toa alguns versos laudatorfo's, e o-Sr. tenente co
ronel Carueiro, em nome de uma commissao de
eomparoc'.iianos sens, represen'.ante da paruchia
desempenho da larefa, qae Ihe :.n conflada. A
coranatetto aarreiu a npi*ortanidade p*ipre-
sontar a V. Exc. tiraa e subida consideracao.
t Djus guarde a V. Exc. Recife, '23 de nutu
bro do 1874. -lllm e Exm. Sr. commendador
Henrique Pereira da Lueena, muito digno presi-
dente da provincia. Luiz Goncalves da Silva.
Francisco Ignacio Pinto,Rod Kru kembera.-
Joaquim U.into Bastos.Joviniano Ma*ta.Joao
Carlos Bastos it Oliveira.Joaquim Dins dos
Santos. Gust a co Adolpho Scltmitn\Ur. Pedro de
Atliayde Lobo Moscoso. 1
1874.Setembro 8.Rendimento do
leilao na Tamarineira 1:028*000
Idem 13.Ut-m dito do bazar 1:203*030
Idem 18.Idem do primeiro concer-
to no jardira 294*600
Idem 24. Idem do seguado dito 272*600
Idem 27.Idem no bazar na Tamari-
neira 2:515*000
Idem.Idem do leilao na Tamari-
neira e ama bomba 881(000
Outubro 5.Idem do bazar na jar-
dim --------laiQ.QOO
Idem do3 portoes do dito 341,280
Despezas.
1874. Setembro 24.
1/3 parte do rendi-
mento de dous con-
certos.

8:048;480

de Afogado3, pronunciou tambem um discurso, fe
Iicitando 9 Sr. con.-elheiro Joao Alfredo jula sua
boa viuJa.
No trajecto, os membros componentes da pas-
seiata distribuiram a seguintt poesia :
< Ves bem, que nao 'falha, rinhe'i,
A grau lao popular t
Tens, em cada peitoum culto,
Em cada pedraum altar.
Quebraste os ferros do escravo,
Abristo as portas da escola,
E am dia rasgaste a e.-toja
Que ia 0 povo cslrangular 1
^ paga a banda
allema
Idem 27.Paga a raes-
ma ban Ja na Tama-
rineira
Idem idem.13 bilhe-
tes as meninas' que
offereceram os cir-
neiros
Idem idem.Pago aos
armadorcs e carretos
dos ebjectos
Idem idem. ConJuc-
cao de cadeiras para
a Tamarineira
Idem idem. Craiiiica-
rao aos trabalbado-
r*es na Tamarineira
Idem idera.Soldados
Idem idem. Pago a Pa-
checo d Azevedo pa-
ra aluguel de ca-
deiras e baucos
Idem idem.Por a-
luguel de baoca
Idem idem. Carretos
- ae cadeiras do tlica-
Vo para 0 jardim
Idem idem. Pago a
" Jautiao Francisco de
Assis, alnguel de
carros
Idem idem.Imporlaa-
cia de divsrsas des-
pezas. loiudaa e uma
' caixa cam calungas
Idem idem. r-Diversos
i .objectos comprados
1 para 0 bazar
Idem idem. Pago a
Marques C, diver-
sas despezas na Ta-
marineira
Idem idem. A Silva
Cardoso & C, sua
cpnta da despezas
Idem idwa. Iaportaa-- '
cia de tres pecas de
baeta
Idem Jjdeia,Envelope*
e pregos
Idem di :i) fmporlan-
cia de haloes de pa-
pfl e bul.-as ,
.ldjuE idenj.-J)e 'pranf
c.hj3esparaos fotr
cues ,. ,,
Um idem.-Da terra-
.Idem, Idem.- De etique-
t is'"
Idem idem.. Ajuguel
de cadeiras para 0
1G9,COO
63O0O
13*000
31^)00
5j003
33t000
5^)00
10O0O0

5,000
3-.000
60.000
1
252-.960
-
tf7\,6i0


i.
Ves ? 0 povo te abencCa I
E a lua sambra, de pe,
E' que elle abrigar procura
0 tabcrnaculo da fe.
Fitastc os olhos no throno,
D'onde 0 sol ia fugiudo :
Ei-lo qqe lica luzinJo
Como oulr'ora a Josue.




E o povo confia tado
Do presente e do porvir
Ao intrepiJo estadista,
Que ja nao pode cahir
D'aqaelle poder supremo
A' que cbega a honestidade,
Que prova a adversidade
Jamais saber transigir. 0
Ansoeiav Commercial Bcucficen
te. Esta iliustre corpora?ao, reprcsentada pela
stia dlreatoria, foi ante boutem a Passagem da Mag-
dalena visitar 0 Exm. Sr. conselheiro Joao Alfredo,
demoraado se os digaos representantes do com
mercio algum tempo em conversar cam S. Exc,
a quem dirjgirara lisongeiros cumprimeatos pela
sua boa vinda a esta provincia,
VrtiMtas .iliM-huiiicos e Liberaca.
Os Srs. Felix Venancio de CantaUce e Carlos Wal-
ter fizeram parte da commissao qae, por delibe-
raca> da Imperial Sociedade dos Artistas Mechani-
cos a Liberaes, assis.io ao desembarque do Sr. con-
selheiro Joao Alfredo e cumpriineutou 0 em aome
do respectivo mandaato. So por descuido deixa
ram de ser iucluidos nas assignaturas do discurso
de feliciUfao os nomes daquelles dona senhores.
( umprtoaeuto. No sabbado a tarde os
erapregados da seeretaria da prt-sidencia da pro
vincia dirtgirarase era oito carros 4 Passagem da
Magdalena, a euniprimenlar S. Exe. 0 Sr. conse-
lheiro Joio Alfredo Correia de Oliveira, ministry
do impede, qoe alii se acha hpspedado era casa do
Sr. seu sogro.
Becebidos Com toda a aHibilidaJc por S. Exe^ 0
9r. Dr. secretafio depoz em suas ra3os a expres
sio dos sentimeatos respeitosos, que a todos esses
faoccionarios alii conduzlrara, e dos quaes se fi
zera interprete, em virtude de sua catnegoria,
, Depois de breve conversae.ao, durante a qual,
porem, S. Exc. lave occasiao e proposito de enteo-
der-se direcuraente com cada am dos presenter
retiaram-se estss, aeorapanliando'-o* S, Exc. ate
ru.
J
Prviu<;ia daa Aj*gaa.-No dia 3
de outubro recebea a Exm. Sr. conjelneiro Joao
Alfredo Corroia de Oliveira a segainte fekcitario,
on toiegrarnraa, par imormodio do digno repre-
sentante dessa-provincia o Exm. Sr. conselheiro
leixeira da Rocha:
j- a A camara a>um?lpal da cidade de PJar de
Alagoas, ael iaterpreta de seus inunieipav teado
noticia' de qae V. Exc. havia enegadd a provincia
de Peroambuco, de que e tilho muito distiaeto, fern
por raeio do presente, feucita lo pelos relevanles
servijoi prestados ao paiz, coaw mjpistro do ira-
perio, e principal menta a iaatruecao puJalica..Ua>
uoel Pereira Caaullo, pro preheat*; Manoel
Joaquim Cardoio, Manoel Joaquim ad Costa Gi-
lahy. Antonio Tile de Giet,'Bibito Ferreira da
Costa Sampaio.
oapteio de alienAdoa, Damos era
seguida ouas cartas e uma conta do producto dot
concertos e das bazares de preadaa- argaaisado*
pela commissao noraead* palp Exm Sr. presidente
da provincia em benefieio das obraa do novo hosr
picio de alienadoa: jk _
aillm. e Bxra. Sr.A c#ajmiaaap,*ncai-regadapor
Exc. da agenciar prenda* para sertin veadidas
..leilao e 0 sea product 0 ssrappliatdoi eoas-
raccio dp asy|p1e alienadoa,. vamapresea^ar a. V,
Exe. a quantia de 8f 048*480, producto*.do* leilGei
eps
e concertos promovidos pela inajm* commissao.
|>epeadea,sa para, (as*e urn, coap. vara-V. 8xc(
mesraa commusao sattsfez a *ua custi. A com;
. missao pede a V. Exc. qua a credit aailo na boa
de Santo Antonio, o er.pectaciilo de gala jvontade com quo prestoa o&sejuaijrwiCas, queira
bha aaDUDCiado em hoar* do Sr. c*D!elbelro*rel9var quae=qa'er,falts8 qne se tenhara dado ns
jardim
Idem idem. Impor-
t.m-ia do carretos de
madeira
Idem idem.De alVer-
sa* despezas mki-
das
47,000
t:
t
.0 ..
11
, fOQ^OOO
1
WtOJ i
.0.030

30,000
25,000
88^000


itSffl.afM
, 456 i'-SO
l\5S3a
8,016-480
Bandimento liquido
lmporttucia que a commissao offere-
es em favor da construe;ao da
asylo de alieoados.
Importaacia cntregoe ao Exai. Sr.
presidente da provinoia
< Gabinetedapresideucia.de Pernainbticp", ear
30 de outubro dc 1871.Illms. Srs. commendador
Luiz Gonealves da Sirva, Francisco Ign:i3 Pinto,
llodolpbo Rrokaiuberg, Joaquim Olin'a Pastas,
Joviniano Minta, Joao Carlos Bastos da Almeida,
Joaquim Dias doa Santos, Gustavo Ad..! /..: SCtj-
mith e Dr. Pedro de Atbayde Lobo llcs;>j.
Com maxima effusao- de reconhecjmento vci
agradecer a Vv. s>. 0 importanUssimo service ;ue
acabara de prestar no plena deserapepha, qae de-
rara .4 commissao de adquirir prendas 0 proraaver
leiloes e concertos em favor do bospicio de aliena-
doa de qua se dignaram de encarregar. De posse
des 8:048,480, produziios, curapro 0 grata dever
de louva'f. a Vs.' Ss. pela nobro e desinteressado
esforco qae desanvotverani em seraelhante incara-
beocii. Longe de ter faltas a relevar, cabe-me
registrar mais um raotivo aminha gratidao pelo
generoso donativo do l:592e200, a qae aontaram
as despezas, qne a sua custa Ozerara. Asseguran
do-lhes a minha perfeita estima e subida consi-
deracao, assigno-rae de Vs. S. Amigo, a'.en-
cioso, servo obrigado. Henrique Pi.-..ra de
Luccna. >
Em seguida daraos mais am dona:.v? para
as obras do novo bospicio de alieaados :
. a lllm. e Exm. Sr. commendador Dr. "enri ;ae
Pereira de Lueena. Passo as ratios de V. Exc.
a pe jueua quantia junta, para ser appiicada em
benencio do hospicio de alieaados, a cuja empre
za se tem V. Exc. tao nohremeate devotado. Sin
to qua a exiguidale dos mens recursos. nao ae
permitta concorrer com superior quantia para a
o9xeciicao de uma obra, cujas vantagens sao iua-
preciaveis. Em conclnsSo, peco a V. Ex?, qne,
fazendo-se applica;So de minha pequeca olfer'.a,
aao lite mande dar publicidade, como de :os-
tume ; e espero ser attendido. Sou com a mais
sub;da consiieracio e respeito, de V. B:c. amjgo
attencioso venerador e obrigado..':.;.: -r. Peuoa
ie Siqueira Catypos. Recife, 16 de oatctro de
1874.
a Gabinete da presidencia de Pernambc.o. em
30 de outubro de 1874. lllm. Sr. Dr. Mantis!
Pessoa de Siqueira Campos. Agrade,o a V. S.
0 donativo de 90*, qae se digaou de ofTeretcr
para as obras do hospicio de alienados, e campra-
zo-me epi mamfestar os louvores qae merese tao
haraaaitaria espontaneidade. Sou com apreeo e
Consideracao, de V. S. attento venerader. i7?-
lique Ptreifa de Lueena.
Monte Plo Portiazuei. Teve logar a
eleicao dessa assoclacao, como estava deterrainado,
a foram eleitos os Srs. :
Directoria.
Presidente, Manoel Jose Machado, vice-rresiden-
4a, Firmino Antonio Soijto-maior Raposo, 1. secre-
Uriu, Antonio da Mai a Pessoa, 2. lito, CasaiH
Acarcio da Silva Papoula, thesoarrira, ?-ancisco
Maaael da Silva. -
Conselho fiscal.
Presidente, Joao Jese Rodrignea Mende?, -' e-
cretario,,Jose da Silva'Rodrigues, 2. dito, J0S0 da
JailYa. Ferreira.
Canselheiros.
Joaquim Jose Rodricuee da Costa, Francisco hie
do* P*sos Guimaraes, Joaquim Antonio dc Arau
jo, Heonqne Loite Pereira Jardim, SeverinQSara-
va de Andrade, Jose Augusto Marques, Jose da
Costt Bispo, Bernardo Antonio da Motu, Manoel
Feraandes V'elloio, Domiogos da Cunha Gaimaraes
Jteetaa, Antonio Maria Fernandes da Silva, Bernar-
dino da Silva Costa Campos, Maaoel Joaquim de
Sanaa, Jose da Silva Loyo Sobrinbo, Manoel fen-
calves dp Ramo*, Praacasco, Jose Game?, Antonio
da Silva Barros, Antonio Fraaciseo Martin?. Julio
Antunes Pereira Bastos, Oomingos Gomes Brasi-
leiro de Amorira, lose Pereira da Costa, Joao da
Silva Lope*.
Commissao de eontas.
, Coaimandador Francisco Bibeiro Plato Gumaf-
rib*, couaraendador Josa Joaqnim Ja.Llaaa Balrjq,
Antonio Goncalves de Barros.
Luao Brasileira.A raandado d essa as
sociacAo benefienle, sera retada eat 4 do can-an-
te, as 7 boras da manha, no convents do Carrno
do Recife, ama mbsa pof alma de sea ccnaooio Dr.
Alexandre de Souza Pereira do Carroo S5r can-
----------------------------------------------:-----------------------
vidida* a onvila a Exma. *ami!ia do fin* Jo, :*
que fotam seu? aflligoa, e os respectivos assosia-
do*.
i'oii (le irtitt-io.Coesta nos qucse pro-
move a cornpra da um bonilo fogo de artifico para
ser queimada en toruo do jarOiu do Campo das
Princezas, era regosijo da estada nesta capital dc S.
Exc. 0 Sr. coa-eineiro Joio Alfreda Correi dc
Oliveira.
Iliuiieiro.0 vapor Mutialta levoa de nos
sa praQa para a de I'enedo 3:730000.
Vapor Oularlo. C do Norte, S. Tbomax e Para acham se a bordo des
se vapor 23 pas-ageiros, ent.e os quaes 0 Sr. llT-
Gotnes do Anur!.|depatado a aasemtilea geral pe-
la provin ia do I'ara.
I'aMMnmeuto.-.No sabbada pela manhi deu
a alma ao Creador, vietima da palecimenlos efirc-
nicos, 0 commendador Jose Pires Ferreira. abas-
tado proprietario da cidade do Recife. 0 finado
era homem considerado por snas maneiras delica-
das e por ser horuera probo a jn-ticeiro. Oceapau
durante sua vida diversos cargos nas sociedades e
associa^oes de que fez parte, sendo por muitos anuos
ihesMiireire da irmeadada daSaMa Case deMise
ricordia, cargo em qae prestou importaates e va-
liosos servicos.
Arremaiarao provlnelal. No dia 96
de c irrente tera arreiaauda paranto a joata do
thesouro provincial, a obra d.s r^-paro* e fmpe-
dranieoto do 1' e 2.* laaeos da estrada de Pal.na-
res, orcada era 11:88')|000. I'ara e-i-larecimeiii.-
a respeito recora-se ao re>pectivo eJital publicado
na seceao cnmpeUnta.
Beuuitlo aortal. Esta convocada uma
reuaiao, em as>ci*cao C ;n-
cercial Benetieeate, para aiaauha, a 1 hora da
tarde, no lu.-ar do costnme.
GyiunnMiu jiruiinrinl. Encerraram te
no sabbado 0* traoalboa lectivos d'rssa estabtieC!-
mento.com as s.leinnidades do costume.
A' noite deram os aluinnos HMM ama rvpra-
sentacao dramatica, n'ura pequeuo theatro prepa-
rado no salao do refeilcrio, mui assisteacia des
Exms. Srs.: conselheiro miaUtro do imperio e
commendador presidente da provincia, Dr. direc-
tor geral da lustruc^ao publica, grande nemer
dos prufessores do estabcleCimenio, cerca de cem
senboras, e avuliaJa numero de pessoas grsdas da
cidade.
Ao tcrminar 0 espectacnlo, 0 Sr. Dr. rrgedi*
obsequiou as famiiias parentas dos aramnos cm
um i em preparado copo d'agua.
Jury do Recife. No sabbado entroa em
jalgamento 0 reo J0S0 Fellciano Ferreira, pronuo-
ciado no art. 193 do cod. crim., por ter assasainad-
Manoel Jose Piuhtiro, na rua do Corrador do lus-
po, dVsta cidade. em 23 de junho de 18*2.
Compoz se 0 jury de sentenca dos Srs.: Joao
Jo-e de Carvalho, Bodrigo lacome Martins Pereira.
Jose de Barros Correia Sette, Carlos Pinto ie Lt -
mos, Francisco lose Galvao, Jos6 Menles Vi^ir;
Augusto Jose G)n;alves Lessa, Dr. Joao Baptist 1
Pinheiro Corte P.tal, Emitiano Ernesto de Hello
Tamborim, Tham.iz de Figaeired) e SHva, Geni-
niano Juaquira de Miranda e Landelino de Leo*
Freire.
0 reo foi ccn'einaado a 14 annas de prhio six
pies.
Faculdai'e de Direito. No dia 3f d>
outubro, 0 resntado dos exames n'esse estnefeci-
raenU. foi 0 seguinte :
1* anno.
Jos6 Vianna Viz, plenamenta.
Ernesto Marques da Silva, pit namente.
Antonio Martins da silva Porto, plenaraent-.
Thomaz Cancio de Suuza LauJim, pienamente.
Jacintho da Assampsio Paes de Menlonra, ;;m
plesmente.
Frederico Ferreira Franja, pienamente.
3* anno.
Henrique Hermetu Martins, simplesmente.
Adolpho Tacio da Costa Cirne, pienamente.
Terencio Prancisco do Espirito Santo, pleaatn^ti-
Xoaqnim Cordeiro Alvim da Silva, pienamente.
Uriel Gomes de Sa, pienamente.
Joaquim Olympic de Paiva, pienamente.
4.. anno.
Frani-iaco Maciel de Oliveira, plenam-are.
Joao Gnalberto Pereira e Souza, simpte-meme.
Rodrigo Correia de Araujo. com distinccao.
Manoel Johnscn Ferreira, simplesmente.
Izaias Gaedes de Mello, pienamente.
Luiz Frederico Codeceira, simplesmente.
Adriano Francisco Ferreira de Novae?, simples
mente.
Ferimesuo gravre. -Na noite de 23 para
24 de ootuhrb. Joio J.se do Monte ferio gravem-'n
te a Joaquim Jo?6 de Santa Anna, no Ingar Ponte
dos Carvalhos, do dislriato da villa do Cabo, *ecd
preso em ilagraota.
ia> flsraea* No mez de oaw-
bro arrecadaram as seguintes eslacde* fiscaes
Alfandega 838.044 'i.t
Em igaal mez de 1873 i.038:6-"D'
Capatizia 15.639 W
Era igual mez de 1873 20:314-331
Recebedoria.de rendas geraes in-
ternas
Em igaal mez de 1873
Consulado provincial
Em igual rat-z de 1873
Tbealro Santo Antonio. Depois
d'amanha (i) a havera nesse theatro grande espec
taculo em prova de regasijo pnblieo pela chegada
a esta provincia do Exm. Sr. conselheiro Joio Al
frelo Correia de Oliveira, um da sens mais illus
tres Ulhos a quem muito deve, e pelo one muito Ihe
merece.
Logo qae estiverem presentes S. Exe. e 0 Exm.
Sr. presidente da provii.ia,, dar *e-ha eomeeo a->
espectaculo com 0 hymno nacional tocado p*U
orchestra.
0 muito conhecilo e.applaudido drama era cin-
eo actos, dos Srs. Dumanoir a d'Ennery. intitnlad
Simao. 0 velho cabo de esquadra, e Tulgarmente
denominado 0 Cabo S'mao, e 0 escolhido para
a occasiao, nao *6 porque e ama peca de grandf
effeito, como porque 0 artista dramatico nacional
Flavio Wandeck, tem conquistado am de *ens me-
Ihore* iriumphos artististicos, na exhibicao do pa-
pal de Cabo Simao e representando-o, da Ingar a
que 0 apreciem tambem na sceaa oa arti-u-
da companhia italiana, dos quaes, nomeadamen-
te, um dos primeiros, 0 notavel Sr E. Dome-
nice, francamente manifestou se desejoso de 60-
nhecero talento attistico do Sr. Flavio.
0 theatro achar-se-ba pomposanwate oraado
anta gyraadola de fogaetes annunciara achegadi
de Ss. Exes, e algumas bandas de rausica toca-
rao opportunaraente.
E' d:gno de loavor, nio so 0 procedimento do
praarietario desse thettro, 0 Sr. Antonio Jo*^
Daarte Coimbra, promv.endo nma festa tioex-
pressiva do jubila de qae esta possuida a provincia
com a honrosa visita de S. Exc. 0 Sr. annirtro do
imperio, coma 0 das artistas nacionaes qae 0 auxi -
liaram da maneira raais honrosa.
Knien Bahiano. Da capital da provin -
cia da Babia, recebemca hontem os as. 1 36
um novo joruat critico iilnstrado, agradavei at 1
so pelas boas graruras, como pelas graeas e e*F:
rilo do texlo. Agradeceraas a remesa.
Conceaaao de theatro ao atr. V. ot
drinl. -Le-se no Dia'i: la Baltta de 30 do pa-
sado 0 segainte:
A' vista do que Vnv\ inrormon ent 1.* do ee-
rente, acarca do requcr.mento de Frederieo Bel-
drinl, antonso-o a coaentir (me ta *ap|*leaaie. d
marco a jaaho do anno vindooro, se franqaei" >
theatro publico para Delia dar espeetaaosta, sen
subveacao alguma, obrigado porem a eoaserraca 1
do mesmo e saa pertencas-, e bem asshn a na
erabaracar qaeqa:.lquer compauhia qae tnrt^i
qeuira dar espectasntos dnrante aquelle tearp ,
nao possa fazer sem autorisa^ao do governo
or Outrosim, declaro-lhc qne esta coacaasaa eii
uada prejadica a qae Bz i Saciedode Ubertadar .
Sete de Setembro, para dar bailes mascarad
nesse estabelecimento.
wj uteri on do Rio de JaaetN.- R
cebemo* a 9* c^derneta do 1J volmaa *rWtsta*t-
ressante publicacso feita na c'-rte do latperio, pelo
St. E Dapont, UviBhx editor a rtt ODararrf*
Dias n. 75.
. Meaaaceriea Marltlnaea, SJaetaern-
dos os vapores d'essa companhia : 'j*^2?"*''
de 0 a 7 do corrente, da Europa; OfrinaV, a "
dos porto* do sal do Imperio.
Aoriedade Jnventnde. Jmk
cio recreativa manda cetefrrar hoje, as 9 aera* e
raeia da manhi, 8a igreja de S. Pedro doa Oorlgc-,
responsaes e mtnento pela alma da sen* caoi-
eios.
saeceaaoa do Para. 0 uataauarta nstica, em 2de outabro expedlr 0 sefBiata avi-
so a presid^neia do lari
lllm. e Bxm. Sr. Accnsa 0 rocebinwatw d -
ofScios de V. Exc^.'de I e T do correota, aaada
f/viste acompanhado, por ccpia, do raUtario do ehe>
dapilicia, de volta da sna coramiwlo mttrry,
de Chares, attentados cammettidos centra os negoeiaaJas por-
tnjqezes Zeferioo Mantre! nft\n de Alinjo *
Manoel Jos' T,odrignes, asim como da aentanra
rle pronantia contra cs antoTaa a complice* m-
q,ae."e3 attenBMjc?. P,e* ifialraette 0 <'
79:637 28V
108:735.0*.
89:161 573
65:186.il/
s



Diario de RMUBHtibUtod 6e|ufl4ft fcjir* 2 de Kovtmhrt WliH
it 8 disti met, -an qa^ v. Es.\ c Biinoica o
*s?iu-.\immi..do| loHagiiezes Fraaciei* J*se de
Freitas e A*loni> ano;l Pereira, na vllt* de Vi-
xeu, e as providencias que dera moodando refor-
c ir a guards Uttit e -recommenlanao -ao jaiz da
direito e ao pcojeMof puolioo d > i xnaroa de lira-
ganca trat'pMaalU'io'Mnspsrt^sem'i 0 tfivw
no imperial estygmatisaaio stes fauns. MB qao
se revela desvario e pervorsidade de algau in-
dividuos, eoflfia flue V. Etc. nan poup*r*sTor
(03 no emprego as mediJas adequadas para qui
ellos se nlio feproluzam, e seja pleoaraente garan-
ii-Ia a aegaraaca rarividuil ode propriirdsle dos
portagoaMs 9esi leates nessa provincia. fi por-
que o l.**applento do subdelegado de p>lieia de<
B.iiirque, Taottat Antonio Leal, deraittido por V.
Etc. i bem -do servico publico, recebea do reo
Savero Antonh de Farii certa qmntia para pro-
tege-lo, seganlo cousta do rnsacioaado relatorio,
oonvem que o dito Le*l seja subfflettido a pro
cesso n\ forma da N. l)e tudo o quo occorrer
V. Exc. me iaformara com a possivel brevidado
Deus guards a V. Etc. Joao Jose di Oliveira
Junqii'im. s
Variola na provincia do Para Em
22 do outubro o roinisterio da iustica dingio o se-
guinte aviso a paasldencia do Para':
c Mm. e Exm. Sr. Consta do Diirio de Be-
Inn, a qui se refere o Jornal do Commercio desta
corte, de 20 doorente, que sendo aceoramettido
do variola, no disctrito de M ipua, Thomaz de
Lima Cbaves, vizinho do 1." supp'ente do suble-
legado de policia, Antanio Joaquiai de Barros e
Silva, raaadou este pelo inspector de quarteirio
Verissimo Antonio Goucalves coniuzir o enfenm,
que se achava era ams barraca, para o igarape
Moc iufelit Cbaves, a custa dos maiores esforcos, vol-
tasse em uma caoda velha para sua barraca, Bar-
roi e Silva obrigou-o a ree.nbarcar em lasiimoso
estado, exposto a c'mva, fallecendo n i dia seguin-
te. A st verdadeiro semelhante facto, qae repii-
gna acreditar, a cuja averiguacao recommeado a
V. Exc, con vena que Aoloni o Joaquira de Barros
e Silva nao eoatinue a occupar aquelle cargo po-
filial Ddas guarJe a V. Exc-Joio Jose de Oli-
t-ira Junqu ira.
Lieencas- Conceieram so tres mezes de
lieeoca com ord.-aalo ao dese.nbargador da rela
CJo deS. Luiz, Fraacisco daSerra Larneiro. .
Prorogou-se por raais um raez, com ordeoado,
aJcenca concedida ao juiz de direiti da comarca
do Joqmtiabooba, na provincia de MiaasGeraes,
=. -* hi > Alvas it )drigues H irla.
i'razo c ajii.lii di justica:
iktmmuniiiiu-se ai juiz de dire to Cesario Jose
Cbivantes, que por despachos de23e2i de se-
i.r.ibro !he foi marcado o prazo de qaatro mezes e
aajada de custo de 1:20 )3, ali.U de assumir o
i*ivrcicio d-^ seu cargo na cmnarci de Canguareta-
r.:i. da provincia do Rio Grande do Norte.
Supremo lribuii.il sessio jc 21 de outubro :
0 Sr. eoBselbeiro >!ariani fez a exposigai da re-
vista c:vul n. 8,oJi. -Oe Peraambaco.Recorrau-
la e recjrridosimaltaneami?at3 D. Maria Aielina
it Hello, e os adminlstradorej da massa fallila
i- Anloai) Peiro de Mello. l?c;ta eiposiflo, pas-
n :i os autos ao Sr.- Simrjes da Silva,
Korain julgadas as revi.ua* civeis :
a. 8,577.-Dj Miraniiao.-ll^convnte, a prela
Maria do E?pirito Santa, seus filhoa e netos, por
sou curador; reeorridos, Antonio Ferreira de Aze
v 1), Joaquim Peiro Munteiro e .Vigusto Jose da
S:Iva. Juizes o Sr. conselheiro Pinto Chic.iorro e
r.>visores os Srs. Mari ni e Sfffl5e3 da Silva. Foi
proputa pelo Sr. relator a qoastao prtliminar de
nao se tooar conhecimento da revista por ler sido
man^Htada fdra do termo legal, assim ss venceu;
uuanimcmente.
Pf. 8,381.De. Pernambtico.Re-orrentes, Fran
ciseo Luiz dos Santos e sea li.'ho M.inoel Luiz dos
Santos, rec rrido, o Dr. curalor geral. Juizes, o
Sr. Cerqueira, rela'or, e reviioro* os Srs. Barboza
Villares. Kelatado o fsto, negaram a palida
r vista por nio haver inju>tica notoria, nem maai-
I fta nullidade.
t'onscliio supremo mUalar. Na ses-
- i de 2i do outubro f.ratn julgaJos deliailiva-
:ite os seguintes proces.-os :
ExercU>. Gapitao Antonio Delpbim Leita de
iraaatra, accasado do cr me d3 desobedionaJa ;
" ado silo absolvido pelo conselho de guerra, foi
reformada a sentenca para coaJemnarem o rc
.: suis mezes de de prisao em uma f')rtaleza.
>,idado particular Augu-to Leopoldiuo de Paula
I Tea Cesar, acrusado do crime de desordem e
: siBtaaeta. condemnado em dous mezes de prisao
cm Inbalba e foi raindado voltar o processo ao
ci aselho de guerra, pira julgar meiiauto teugoes,
:.- ques devem precoder a sentanca, porque trata-
-r de crime, era que p6de cabsr a pena de morte,
a vista" da resistencia impula la ao reo. 2." sar-
;-ato SaluUiano de Souza Mead.'?, accusado do
crime de (alsiQcacaa, condemnado em dous mezes
. prisio rigorosa; foi reform tda a seatenQa em
- is mezes de pnsao com irabalbo. Cabo de esqua-
era Firmino Cnristovio Lpes, accusado do crime
de ferimento; e condemnado em seis mezes de
prisao rigorosa; foi reformada a sentenca era dous
annos de prisao com trabalho. Suldados Francisco
Bispo do Naseimr?nto, accusado do crime de deixar
fagir am preso sentenciado, tendo sido absolvilo
j .lo cousellio de guerra; foi reformada a scntenga
{ara condemnarera o reo em tres meics de prisao
cc-m trabalbo. Kanoel Ambrozio da Cruz, accu-
s .do dos crimes de ab mdonar o seu posto, desobe
d.ucia, e condemnado era seis mezes de prisio
c;m trabalho nas fortilkacSes; foi confirmada a
.-.nlenca. Sebaatiao Bonorio da Rocha, accusado
d) crime do ferimento, e condemnado era um anno
prisio com trabalho nns fortificac5es; foi con-
;-.nada a sentenja. Antonio Nuoes de Magalhaes,
aocu-ado io crime do I.* desereao simples, e con-
demnMoem seis mezes de prisao: foi mandado
voltar o pro:es-o ao ooselbo de guerra para se
j :atar a par'.e accjsatoria, e a nota de ter sido
crraturado. Calisto dos Santos Pestana, Lucas Evan-
gelista daSilra, Cesario yntonio de Arruda, Fabri-
c o Eugenio e Antonio M.reira, accu?ados do cri-
i .o de 1.' desereao simples, e conderanados, cada
um, em seis mezes de prisao ; foram confirmadas
.; senten(as. Ant into Seraphim de Oliveira, acca-
.> lo do crime de 1.* desr.-ai aggravada, e con-
demnado em um ann^ de prisao; foi conttrmada
a sentenca. Jos4 Crescente dos Mirtyres, Jose
L.:is da Silva e Clauiio Jose Francisco, accus.do
d) crime do 2 de^^rsao simples, e condamnados,
cada um, em dous annos de prisao com trabalho;
ira confirmada! as sentencas.
Armid.i. Batalhio naval..M.inoel Joao da Po
una, accusado do crime de ferimentos graves na
pessoa de seu superior, e condeainado em gales
, .'ryetuas; foi confirmada a sentenca.
Antigog aldeamentoa de Indios.
Pelo miaisterij da agricultura foi dirigido, em
data d? 1 de oatubro ao presidents; da provincia
das Alagoas, o seguinte ofQcio :
111 n. e Exm. Sr. Hiveaio-se originado va
rias duvidas e reclama;oes acerca da verdad->lra
intelligentsia da aviso de 17 Je junho de 1872,
; ie aclfaaao procedente a proposla da um dos
vrede'sessore3 de V. Exc, conUaate do offlcio n.
21 de 3 de marco do raesmo anno, autorisou a
extincclo dos aotign aldeiamanUsdos indios dessa
provin:ia, declaro a V. Exc. para seu conheciment)
e devrda execuclo o seguinte :
1." Que o aviso citado, atteadendo, aqaelia
-ta, refeno-se am geri as sesmarlas dos
1 >s que se achassem dispersos e cmfuniidos
aa missa da popalajao civl!: ,:.3a, e cujas terras
f-ar elles abandonadas, tivesp..r de ser considera-
das nacionaes, no sentido de devolutas, para se
llies darem os destinos iadicalos na lei a. CO I de
1-i de setembro de 1830, de conformidade com o
disposto no aviso de 21 de outubro do mesmo
anno, a que se refere o de 21 de abril de 1857,
..xplicado pelo de 21 de julno do 1838.
2." Qie de maneira'alguma se deve inferir de
nina taf deliberacao, que os concessionarios, ou
sens deicendentes, ainda existeates nas referidas
sesmarias, e nellas tendo cultora effectiva, possam
ear expellidos e privados dos direitos resaltantes
das cartas regias de doacao das mosmas sesmarias
en] contra7engao as ordens e rccommenda^Ss* do
g-verno imperial, designadamente as contidas
aos avisos de 28 de Julbo de 1871 e de 30. de
j .lao de 1872.
3. Que nao basta, pois, a simples deelarioao
j.rral de que fleam extinebs os referid.s al-
dsiamentos para qua se considerem desde logo
dvvolutas e incorporadag m dominio publico todas
a? terras comprehendiJaa na3 sesaiaarias doadas;
s^ndo, oorno 6 indispeosavel, para a effectividade
delta medida, que se pr'oceJa previaraeute a me-
dicao e discriminacao das terras abndonadas
e das qae aTWi sejam oscupadss pelosIndies on
seas desceMitetes, eenforaie se tem prati^ado era
outras provtiiclas, e se deduz do propric aViso de
1 (" de pnho, qsMdo prevenio a essa piesideacia
de qae opportuaamente seriam eaviados engenhei-
ros com as precisas InstraccSes piva aquelle
tim.
4 Que a respeito dos indivldnot |aanhos
aos a'leiarnentos, estabelecidos deatrc.aal men-
cic-a?daj sesmarias, qaer seja por a1br;m.eutos ou
oor arreodamenkn, qller pvjr^iarptes oacupac5e,
cumpre agmrd* #s. nlterSras pfovidfencias do
governo imperial Hnleotss.fio ca.w, I necessa-
ria demarcacao da (#oprMhds eli.Oeites, e a
exppdidio de titulos regulasVi passados pelo mi-
nisters da fazenda com a tiiacio da reoda cor res-
poadeno, ids termosdo aviso de 20 de maio de
18C9fcom refereavla it dTsposleiJas anteriore* : e
uo 2"easo, adelibera^o do mesmo govef bo acelta
do dastino qua este ministerio tenha de Jar as
terras possuilis, e nao legitimated a vista do
disposto no aviso, ja citado de 21 de oatubro ae
1830, assegurando-se aoa actaaes possoidores o
dffeitode preferencla, a comnra das mesthas, ter-
ra*, mi forma Mo aviso de 13 de janho de 1883.
3.* Que e, prrtanto, erronea e de todo inad-
missivel a sapposijlo de qae o aviso de 17 ds
junho, boavesse resolvilo as questoes entre os
indios e os mencionados individuos eotranhos aos
aldeiament >s; pois qae, nera os posseiros iqtrusos
licam com raelhor direito do que ahtertofraente a
expedicao do referiJo aviso, nera os foreiros on
arreadatario3 estio iseotos das formalidades iodica-
das; oao podendo conseguintemeate prevalecer
a opiaiao dessa presidencia, manifestada em seu
offi :io de 30 de agosto de 1872 de que a extinccao
dos aldeiamentos, tornando devolutas as respectivas
terras, importa para todos os qae nelles se acha-
rem estabelecidos, o favor da le^itioiacao, garacii-
do na lei de 18 le setembro de 1866, e a j regula-
mento de 30 de Janeiro de 1831.
t Dadas estas explicacSes em refereneia a deli-
beracao cxpresa no aviso de 17 de jnnho de 1872,
devo, outrosim, declarar a V. Exe. qae o soore-
dito aviso nao podia ainda ser appltcavel a sesma-
ria dos indios do Urocu, por moUvos e circams-
tancias excepcionaes, a saber :
1 Porque a meacionada sesm^ria foi ont^rgada,
oao pura e simplesmente como se observa na ge-
neral i lade das concessoes dessa natureza, mas
ecu forme se \6 da carta regia de 21 de julho de
1827, em rerauneraclo de relevantes servicos mi-
litares preslados na guerra dos Palraarea, com a
anica obrigacao da pagarem cs ceocessionarios o
dizimo a Ordain de Cbristo, e de nao alienarem
por titulo algum as terras doadas.
< 2. Porque, antes da expedicao daquella aviso,
ja se acharara alli.estabelecidos os cflncessionarios
em nao peqaeao numero, reclamanlo, como sem-
pre reclamaram, contra o procedimento qner de
simples posseiro, qajrde foreiros on arrendatarios,
que invadirara as terras da mencionada sesmaria,
o quo provocou da parte do governo imperial
providencias e recoramendajoes no sentido de se
obstar a que os reclamante3 fo;sem violentados e
prejudicaios em seas direitos, segando se ve" dos
avisos de 20 de outubro de 1570, 28 de junho de
1871 e 30 dejuiho de 1872.
t Finalmeate cabe me signiQcar a V. Exc. quo
achando-se ja inelida e demarcada a dita sesmaria
pe'o engeuheiro Carlos Bolstorsten, em virtude da3
nrlens e instructors expedidas por aviso de 25
de fevereiro de 18G0, deva sera leraora seguir para
essa provincia um engenheiro em commissao
deste raiaisterio para o lira de proceder a inedicao
e discriminacao das terras occupadas dentro do
purimetro da raesma sesmaria, assim pelos indios
e seus su cessores, como pelos foreiros, arrendata
rios e posseiro3 sujeilosas providencias e formali-
dales aciraa indidadas.
A' vi ta do resultado dos trabalhos desse en-
genheiro e dos documenl03, dados estatisticos e
raais csclarecimentos que Ihe forem presentes,
dara o gorerno imperial soluclo delinitiva a ques-
tio ultimamente levantada pelos mencionados in
dios era referenc'u ao3 direitos derivado3 da doa-
gao exclusiva con tante da alludida carta regia de
21 do julao de 1827, e resolvera outro-im sobree
o deslino que devara ter as terras que fkirem
effectivameure desoccupadas doatro do perimetro
da sesmaria de que trata a m\sma carta regia.
Deus guarde a \. Exc Jose Feniandes du Costa
Pereira Junior.
Leiloey. Hoie, segaada feira, ao meio dia,
deve ter lugar o leilao do reslo dos geuero3 do
armazera do failed lo E. Turpin, e a I bora a ven-
da do arrenlamento do mesm) arraazem.
Amanha, terca-feira, deve tjr lugar o leilao
de moveis, lonca o crystaes auaunciado por inter-
veuca i do ageate Pinto, para o Monteiro, casa era
quo morou o Sr. C C. Coogao.
A's 11 horas partira dajestaoao do arco de
Santo Aatoaio ura trem que servira da couducpio
gratis aos concurrentes ao leilao no Monteiro, con-
forma esta annunciado.
Qiiota feira 5, deve ter lugar por iatervencio
do agente Pinto, am leilao de fazendas limpas e
avariadas no arraazem da rua do Bom Jesus n.
63.
Con forme esta annunciado na aeccSo com-
petent-?, vendera o mesrao agente o sobralo de
dous an lares e 30tio do becco do Sarapatel ou
travessa d> Carrao, n. 16, elificidu em chaos pro-
prios/
HIBUSACO
k

CftIR '
CAPATAZ1A
Undimento do dia 1
dam do dia 31
Duas pilavras 4 Provincia
de31 deoutubrodol874.
Como liberal, cumpre-me ffdever de protesJar
contra a pablicacao da raesma folba, oa parta de
seu artigo noliciario, no qua! pede ao Diario de
Pernambtico, para publicar os noraes drs liberaes
que assistiram ao deseaibarque do Exm. conse-
lheiro Joao Alfredo.
Declaro que como pernambucaao, e liberal, nao
so acompanhei a S. Exc, como muiros dos meus
correligiouario3 o fizeram, porqae a festa de que
se tratava, nao tiuha em si cor politica ; tratava-se SJlSSw Ccncaloio
di receber am pernambucaao iflastre, e revestido "*r
de ura cargo que, nao so honrava a si, como a
seas comnrovincianoS.
da Provincial, qOe com
o procedimento means
da Provincia, atirando
alluviao de versos por
e aos
geral
brds inlermiiiNWiaitnm ipim iaJkiis)oa>- torn
bar desaa enfar(UMada>aDioaiia4ar-a.
Ura fraso deste poderoso intico vegetal af jg'n-
ta as calefrios, e perseveraado-se do sou aso, as
forjas se restabalecem complelamente, e o srste-
ma so fortalece contra o miaStna gefador da mo-
lestia.
E1I4 lem sido nntversa'lmebte exparloienlada
pelo espaco de 33 annos nas Jocalidades iufestadas
pelas sezSes e febres iaiertnlrrmtes. Porera os be
nigios effeitos desfe gtawe espeerfleo conswvador
da vida, nao se limitam a uma so classe de enfer-
mi Jades ; a sua accao medicinal e tlo extensa,
como a das proprias molestias.
As escrofulas de typo mais norrivel, o cancro
destrnldor, as contraccCtes das janla*, tendSes e
musculos, o entorpecimento e congestSes do figa-
do, o estado mortldo do estomago e do veatre, a
asthma, a tosse convu'-sa, as erupcoes, o rbeuma
tismo, a debilidade geral, sao subjBgadas cwn uma
rapidez e segnraaga tal, que as*ombrk os medicos
os mais experimentados ; gracaa as snas qualiJa
des snavisadoras, cnJitrvts e fartificaiite-.
COMMERCIO.
JUNTA DOS CORRETORKS
Praca do Recife, SI de o.utubm
de 18 J 4.
AS 3 HORAS DA TARDE.
C0TA$rJB8 OFFiqiAS
Algodao da Paraliyba 1* sorte 7|200 por Uj
kilos posto a bordo a frete de 3|i e
5 0|0, tiOntem.
Accao da companbia de seguros Phanix Per
nambucana 200* cada uma.
Cambio sobre Londres a 90 d|v. 26 1|2 d. por
It, do banco.
Cambio sobre o R o de Janeiro a 8 div. ao par.
Gambio sobre o Para a 8 dry. ao par.
b. aa Vasconceuos
President*.
A P. de Lemos,
Secratario.
^^-------
ALPANDSGi
leodUnanto do dia 1 a 30. .
dam do dii 31. ...
786:937*683
51:106**43
838:044*646
Anadia.
-Afaida.
Aveiro.
SejA. 11
ubjves.
Wvas.
ilharanta.
juimaries
Covl.
Melfeacjo.
''ortalepe.
ircos de val de vez.
Celorico de Basto.
Caminha.
fangualde.
Ponle do Lima.
Povoa de Lanhosa.
larda.
n'ria.
LisBea.
Bar^Hos.
Coins bra.
Mirandella.
Monsao.
Ovar.
% Pom.
Tavlra.
Regoa.
Vfted:
Pifftteira.
Laraego.
8Mkrreja.
Valenca.
Real.
Cabeceiras de Bastes.
Castello-Branco.
Bspozeni*}.
Olivoira d-sAwlneis.
. Povoa de Varzim.
Vianna do Casteilo.
vRla-Novade Porthnio. Villa-Nova da Paraalicao.
ViWa do Conde.
MfM Ilhas.
Hadeira, S. Miguel, Fatal e Torcola.
SEGUROS
contra-fogo
Dascarregam Ireje 2 de novembro de 1874.
Lugar inglezTitaniabacaibao para o trapiche
ConceiQao.
Escaaa ingleza Surah bacalhao ja despacbado
para o trapiche Conceicao.
Patacho americano Suzan Bergen farinha ja
despachada para o caes do Apollo.
Batca ingleza -Imperador farinha ja despachada-]
para o caes do Apollo.
Hiate nacional Graciosa generos nacionaes para
0 arraazem d'Avilla.
Patacho alloraio Primus varios generos para
alfandega.
ILTED-VQlO NA PAUTA DOS PRggOS DOS ORNEROJ
SOIEITOS A DIIIEITOS DK EXPORtAQAO, NA SEMANA
DE 2 A 7 D3 NOVEMBnO DE 1874.
Algodaoem rama ou la 422 rs. o kilo.
Assucarmascavado 120 rs. o kilo.
Carvio de padra estrangairo, tonelada metrica
18*000.
Couros -de boi seccos salgados 36! n. o kilo.
Alfandega de Pernambuco, 41 do oatubro de
1874.
0 1* conferen'c -JosiS Amaneio do Outeiro
0 1 conferenteA. C. de Pinho Borges.
Approvo. Alfandega do Pernambuco, 31 de
outubro de 1874.
0 inspector
Jtbio A. dc Carvalho Reis.
DE3PACHOS DB EXPORTACAO NO DIA 30 Di-
OUTUBRO DE 1874.
Para os portos do exterior.
Na sumaca hespanhola Themotco II, para
Barcelona, carregou : J. J. G. Beltrao 4 Filho 100
saccas com 6,597 1|2 kilos de algodao.
Na barca portogne:a Pereira Borges, para
Lisboa, carregou : P. Carneiro & C. 4'Ji couros
salgado3 com 5,928 1|2 kilos.
Para os portos do interior.
Para Uragaayana, no hiate nacional Bom
Jesus, carregou : M. Fernandes 230 barricas com
29.438 1|2 kilo3 de assucar branco, e 15 dilas com
1,880 1(2 ditos de dito mascavado.
Para o Rio Grande di Sul, no navio nacional
Marinho, carregou : A. Loyo 10 pipas com 4,800
litros de agaardente.
Para Acaracii, no vapor nacional Mandahu,
carregou : J. F. Santos Bastos 2 barricas com 120
kilos de assnear refinado.
Para a Barra de Garcell i, na barcaca P-ira-
guassu, carregou : G. J. de Soaza 1 barrica com
60 kilos de assucar refinado.
Para a Parahvba, na barcaca Duas lrmas,
carregou : A. J. L.'Teixeira 1 volume com i kilos
de doce.
DA ALFANDEGA
a 30. 14:696*935
* 1:033*038
15:639/973
VOLUMES SAFIDOS
Mo dia 1 a 30
No dia 31. -
.'rimeira porta
Uganda porta
rerceira porta
Perraitta-me a redaecw
dor Ihe confassemos que
regular que leva a gen .a
de sna typographia uraa
occasiao da passar o nosso comprovinciano,
qnaes 6 este satyrisado, e qua merece ura
33,8)1
165
119
9
1,985
3",909
grito de reprova<;ao; pois que nao 6 com imraun
dos e injuriosos pasquias que se faz uma opposi-
cao, que nao devo transpor os preceitos da delica-
doza e respeito que sa deve ao publico essencial-
raente, langando-se sobre aquelle qae veio enri-
quecer os a:.naes da n ssa historia.
Nao fizemos arcos da folhas, no erabarque do
Exm. ccuselheiro Silveira Lobo ?
Nao votamos por tras vezes no Exm. conselheiro
Chicborro, para senador ?
Como se nos censura applaulir o Exm. conse-
lheiro Joao Alfredo, filho d'esta provincia, so por-
que nao pertence a nossa politica ?
Isto e por demais imperdoavel, Srs. da Provin-
cia ; oao seria o Sr. mioistro conservador, quauio
charaou para a cdrte, e era sua e era outras pastas
empregou a nossos amigos Buarqne, Tavora, e ul-
timamente Rigueira Costa t Como receberao es-
tes, a noticia do procedimento censoravel de seas
correligionarios de Pernarabnco?
Nd', liberaes que acompanhamos esta politica
dosde 1348, nao vos podemos hoje acompanhar
pa opposicao systeraatica, e oontradictoria que
3egais.
E' este o verdadeiro passo qde deve dar o libe-
ral, que tiver amcr a atjia provincia, e desejar o
sen engrandecimeato o a de sens Dlrjos.
Recife, 31 de outubro de 1874.
S.
Declaracao.
Lendo a Pcotiincia de hoje, deparoi com uma
chronica, era quo se disia que o Illm. 8r. Dr. Pinto
Pessoa, bavia entrado em uma casa da raa do 1m
perador, e procuraodo saber a que casa se referia,
cbeguei ao coohecimeBto de que o faeto tinlia tido
lugar no 3 anlar da casa n. 48, da raesma rua,
em que resido.
Declaro qae son inleiramente estranho a este
faeto, pois desde a noite de ante-hontem qae eston
aa casa da rua do Hospieio n. 53, em que residem
16ra de ontros estudantes 03 meus eoflegas Sr.:
Josii Joaqjim Seabra e Joal ftapti-ta Toarinho,
com os quaes estulava. D'lato podeoa dar teste-
rauoho estas meus collegas, e raais oa Srs. Izaias
Guedes de Mello, Joaquim Pefeka de Mello Moraes,
Augusto Jose Teixeira de Fr*itas, Adoipho Frede-
rico Tburinao e Joao Pedro Bandeira de Mello,
raoradores na mesma casa da rua do Hospiclo, e
ante-hontem nao fui ao bairro d Santo Antonio*
Aproveito a occasiao para lanibera fazer conho
cido do pablico qae n*o tomai parte, e nem me
respousabiliso pelos faclos qua se deram na mesma
casa no dia aatecedente.
Os que me conhacem, oa que sabem como cos-
tamo proceder, aquelles quo ja tiverara occasiao
de apreciar a ramba educaglo, por certo nao du-
vidarao d TawMne jasti^a.
Recife, 31 d outubro do 1874.
Pedro Leao Ytlltoo FU*o.
SERVING MARITIMO
ilvarangas desoarregadas no trapiche da
alfandega.
So dia 1 a 30.....
No dia 31.
o trapichs ConceiQao .
GO
2
70
1EGEBEDORIA DS REI^DAS iNTERNAS GE
RAES DE PKBNAMBUCi.
Uttdimento do dia 1 a 30 74:145*351
dm do dia 31..... 5:491*938
79:637*289
GONSULADO PROVLNClAL
^jndimento do dia 1 a 30
dem do dia 31

7O:73l*0S9
1:612*324
RECIFE DRAINAGE
Rendimento do dia 1 a 30* .
Idem do dia 31......
72:343*413
16:406*660
4,12*500
16:819*160
A&ENQAS PROVINCIAES^
Liquidos esoirituo3os.
Rendimenw de 1 a 29 4:828*847
Idem do da 30 I
Bacalhao, etc
KendimeTito de 1 a 29 3:446*416
Idem, do dia 30 650*H
Generos
ilendiraento de 1 29
Idem do dia 30
de estiva.
3:828*670
259*324
Farinha de trigo, etc
Hendiraento de 1 a 29 7:493*62:1
dem do dia 30 926*100
4:828*817
6:097*176
6:088*394
Furao, ate.
Randimeato de I a 29 3:770*773
idem do dia 30 19*570
--------------8:419*723
VinagM, ete.
Kendimento de 1 a 19 77i#564
(dam do dia 30 *
1:790*343
774*564
29:990*047
Thasouro provincial de Pdrnaoriboc; 1H
de outubro da 1874.
0 escrivgo,
J. C. M. da Silw SauWs.
N. 82*. A* sestoes desnfladaH.
As pessoas armadas com a salsaparrilha de Bristol,?
e que residem nos uistrictos em qie rainam as fe-1 por todos os vapores sobre ;
Ba^<^o do Minho.
Joaquim Jdsft'feoncalves Beltrjp *\t Fffhi sacam
Hiiritiiiio c
"J GOMPANHIA
Phenix Pernambucana.
RUA DO COMMERCIO N> 84.
Seguro conlra-fogo
HE LIVERPOOL & LONDON* GLOl
INSURANCE COMPANY
/lgentes
SAUNDERS BROTHERS 4 C.
11Corpo Santo11
Companhia Iademaisadora
do Porto.
CAPITAL 2,000:000,-JIOOO.
77ioma3 de Aquino Fonceca k C, successores
agentes.
Esti cfimpanbia toma seguros marilimos e ter-
restres, daudo nestes o septimo anao gratis aos'se-
gurados.
Bun do Visrarlo n. 19.
COMPANHIAJILLIANCA
ieguros maritimos e terree-
tres estabelecida na Bahis
em 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:000*000.
Toma seguro de mercadorins e dinheiro
iico maritimo era navio de vela e vaporei
>ara dentro e f6ra do imperio, assim come
ontra fogo sobre predios, geoeros o fa
ondas.
Agente : Joaquim Jos^ Gongalves Beltrao
aa do Commercio n. 5, lar;dar.
SEGUROS
MARiTIMOS
CONTRA 0 FOGO.
A companhia Indcrnnisadora, estabelecid*
lesta praga, toma seguros maritimos sobrt
aavios e seus carregamentos e contra fog<
sm edificios, mercadorias e raobilias: n
aa do Vigerio n. 4, pavimento terreo.
Rcvista commercial
Da scrnnna do 20 a 31 de outubro de
1874.
Cambio sobre Londres, 90 d|v 26 V 20 JA 26
"/is d. por 1*000.
Dito sobre dito, 90 d[v 26 './ 1. 26 >/s d. por
1*0(10, banco.
Dito sobre dito, 3 d|v 26 :{ d. por 1.000,
banco.
Dito sobre Pari3 90 div 3C3 re"is o franco,
banco.
Dito sobre dit<, 3 d|V 360 e 367 rei3 o franco,
banco.
Dito sobre Lisboa, 90 d|v 103 / de premio.
banco.
Dito sobre dita, 3 d/v 106 "/ do premio, banco.
Dito sobre dita, 90 d|v 101 % de premio.
Dito sobre dita e Porto, 3 d|v 106 / de premio,
banco.
Dito sobre dita a dito, 90 d|v 101 % de premio.
Dito sobre o Porto, 90 d|v 101 % de premio,
banco.
Dito sobre Hamburgo, 3 d/v 453 reis o reich-
mark, banco.
Dito sobre o Rio do Janeiro, 8 d|v ao par.
Dito sobre dito, 15 d|v % % de desconto.
Dito sobre dito, 30 d|v l % e3/i % de desconto
Dito sobre Bahia, 8 d|v >/2 "/ do premio, banco.
Dito sobre Para, 8 d[v ao par.
Accdes da companhia de segoros Phenix Per-
nambucana, 200*000 cada uma.
De3conto de lettras, 8, 10, 11 e 12 / ao anno.
Algodao do Rio Grande do Norte, em pluma,
7*250, por 15 kilos, posto a bordo, ftete "/to e
5 por cento.
Dito do dito do dito, 1* sorte 7*000 por 15 kilos.
Dito da Paraliyba, 1' sorie, 7,5250,. 7*200, por
15 kilos, poto a bordo, frete Vi e 5 %.
Dito de Mossoro, l sorte, de 7^100 a 7*200 por
15 kilos.
Dito de Macao, 1* sorte, 7*200 por IS kilos.
Dito l'sbrto, nbra forte, 7*300 por 15 kilos.
Dito mediano, 6*300 por 15 kilos.
Dito segMda, 5*864 pir 15 kilos.
Dito l' sarte, 7^100 pnr 15 kilos.
Dito I' sorte, frouxo, 6*300 por IS kilos,
Dito dosertao, 1 sorte, 7*100, por 15 kilos.
Eirtraram 2,554 saccas pot terra e mar.
Assnear bruto americano, 2*030 por 15 kilos.
Dito brut) americano, regular, 2*050 por 15
kilos. /
Dito bruto, bora, 8*100 por 15 kilos.
Dito Canal, de 1*200 a 1*400, por 15. kilos.
Esta semana entraram 34,498 saccos por terra
e mar.
Fretes regulara os das ultimas cotafioes
Aguardente. Cotaraos a 60*000 a pipa.
Arroz. Sem ctiegada, cotaraos a 2*500 por
15 kilos. Supprido o mercado.
Azeite doce em caixas. Sera chegada, cotamos
a 10*000 a duiia.
Dito dito em h.irri*. Sem chegada, cotarao3
a 2*800 o galao.
Alpiste. Sera chegada, cotaraos a 6*500 por
15 kilos.
Banha.-Sem chegada, cotamoa a 1*045 o kdo.
Breu. Chegaram 450 barricas, cotaraos a
12*000 & barrioa de 280 libras.
Batatas. Chegaram 50 caixas, cotaraos a 2*
Bacalhao. Chegaram &.013 barricas. Deposito
9,000 barricas, e reta|hase de 18*000 a 19*000 a
bariica.
Carne. Sem ubegada. Daposito 7,300 arro-
ba, Rio Grande, retaHio de 6*000 a 6*WO.
Couros seccos salgados. Chegaram 60, venda
de 356 CAfe. Chegaram 170 saccos, ultima venda
a 8*200 por Id kilos.
Cimento. Cbegiram 50 barricas, cotaraos a
10*000 a barrica.
Cebolaa. Sam ehaoada, ootamos a 7*500.
C|a. Sera chegada, voBdas do, 4^138 o kilo,
do verde, conforrae a qualidade,
Ctrveja Bass. Sem ctwfada, colanios a 6*500
Dita Noruega. Sem chegada, cotamos a 5*.
Dita Tenente. Sam ebegbda, totamos a 3*900.
Cagnac. S'.im chegada, cotaraos de 8*000 a
21*000, conformc a qualidade.
Carvao de pedra. -* coumos a 24*000 a tonelada.
Farinha de trigo. Chegaram G,0o5 barricas
e 20C/,. Dapoaito SI,300 barricas, e retallw-se.;
HUngria de 30*000 a 31*000.
ITrieste de 27*600 a 29*000.
Americana de 18*000 afi*000.
Saccos, do Chile, 9*000 o racco.
Farinha de mandfooa. Che|afara 1,218 sac-
cos MMMo 6,009 saccis, da veMia de 2,500
saccos, a 9*000 e iacco, venda- da nova a 3*000 o
alqueire.
Fig*v- 8era ebegada. Nao cortsta veodas.
Farello. Sem chegala, cotamos a 5*200 o
NMo
Fumo em latas. Sem chegada, venda de
12*800 a 13*800.
Dito em caixas. 3cm chegada, venJas dn
12*800 a 13*800.
Dito era roLs. Chegaram 91, venda? de 10*
a 12*000.
Genebra Af laranja, e coamom. Chegaram 50
caixas, cotamos a de laranja a 7*009, e a corn-
mum, cotamos a 4*500.
Dita de Hollanda. Sem chegada, cotamos a
5*000.
Dita em botijas. Sem chegada, eotamos a 380
reis por botija.
l)|ta lanterna maglca. Sem chegada, cotaraos
a 4*500.
Dita vida eterna. Sem chegada, cotamos
a 5*000.
Kerosene. Sem chegada, cotamos de 4*700 a
"" a lata. Procurado.
Louca ordinaria e lina. Chegaram 80 grgas e
4 barricas, ultimas vendas a 400 por cento de pre-
mio sobre a factura.
Mantelga ingleza em latas. Sem chegada, ven-
das das latas araarcllas a 2*396 o kilo, e das re>-
xas de 2*t78 a 2*287 o kilo.
Dita ingleza era barns. Sem chegada, ultimas
vendas a 1*633 0 kilo. Meihor posicao.
Dita franceta.Sem chegada, vendas de liSOO"
a 1*612 o kih. Boa posicao.
Milho. Chegaram 160 saccos, vendas a 75
reis o kilo.
Massas. Sem chegada, cotamos a 7*500 por
caixa.
Pimenta. Sem chegada, cotamos a 1*0J2 o
kilo.
Passas. Sem chegada, cotamos de 6*0C0 a
6*5 0.
Papel de embrnlho.- Sem chegala, cotaraos de
1*001 a 1*100 a resma.
Pflosphoros. Sera chegada, cotamos'a 3*000
a groza.
Queijos flamengos e pralo. Chegaram 345 cai-
xas, cotaraos os flamengos a 2*400 o queijo,
e 'do prato cotamos a 1*524 o kilo.
Sal. Chegaram 840 alqusires e 6,000 litros,
vendas d* 1*500 a 1*600 o alqueire.
Sabao inglez ordinario. Sem chegada, cotamos
a 280 reis o kilo.
Dito da terra. Vendas de 400 a 460 reis o
kilo.
Sardinhas. Sem chegada, cotamos a 280 reis
a lata de _\.
Toucinho. Sera chegada, ultima venda, 13*
por 15 kilos.
Velas stearinas. Chegaram 50 caixas, ven-
ds a 520 reis o maco.
Vinagre. Sera chegada, cotamos do 133*000
a 138*000.
Vinbo tinto da Figueira e de Lisboa. Chega-
ram 5/l0. cotamos o da Figueira de 210*000 a
235*000, e o de Lisboa cotamos de 200*000 a
210*000.
Dito francez. Sem chegada, retalha-se a
210*000.
Dito branco francez. Sera chegada, retalha-se
a 240*000.
Dito branco de Lisboa. Sera chegada, cotamos
do 220*000 a 240*000.
Dito do Estreilo. Sera chegada, relalUa se a
200*000.
Dito do Porto. Sera chegada, cotamos a !0;
a caixa.
Navios entrados no dia 3X
As;u6j dias hiate nacional Graciosa, dc
156 toneladas, capitao Joao Vieira da
Mello. equipagern 7, carg.i, sale outrcs
generos; a Bartholomeu LourenQO.
Navios sahidos no mesmo dm.
Parahyba Galera portugueza Camoes,
capitao Joaquim Vieira Paulo, em lastro.
Bahia barca ingleza Ilermionc, ca
pilio Lavere, carga, parte da qae trouxe
de New York
ParahybaBaroa ingloza Akhar, capitao
E. David, era lastro.
Aracaty Hiate nacional Adelino dos
Anjos, capitdo Manosl F. Monteiro, carga
diferentes generos.
Hampton Roads-Patacho inglez Pred of
thelChannel, capitao Marten, carga, as-
sucar.
Obscrvanao.
Suspendeu do lanoarao para Parahyba a
galora portugueza Tenladora, capitao Ma-
ciel, com o mesmo lastro que trouxe do
Rio do Janeiro.
.\'auios entrados no dia 1 do corrente.
Rio do Janeiro e Bahia 6 dias, vapor
americano Ontario, de 3,451 toneladas,
coraraandanteSlocum, equipagern83, car-
ga ; caie a Henry Forsler d C.
LisbOa 42 dias, barca portugueza .1/e-
xandre llerculano, de 400 toneladas, ca-
pitao Antonio A. de Almeida, equipagern
15, carga, vinho .e outros generos ; a-
Amorim Irmao & C.
Cabo Verde32 dias, brigue brasileiro
Raio, de 24 toneladas, capitao Antonio
Fernandes Loureiro, equipagern 12 car-
ga sal ; a Amorim Irmao & C.
Navios sahidos no mesmo dia.
New York lugar iuglez Sedioell Jane,
capitao T. B jw Jon, carga assucar.
Parahyba brigue austriaco Gerolamo,
capitao Gerolamo, em last'o.
New-York e portos entermedios, Vapor
americano .Ontario, commandante Slo-
cum, carga a mesma que trouxe dos
portaj do sul.
Dita de Bamabe fl. 17. Jofe Perreira Li-
ma oil*
Dita da Imperatriz n. 54. Major Joio
Francisco de Araajo 7,557
Dita n. 52. 0 mesmo 7V37
Dita n. 8. Tenente Jo?e Harta Marques
de Carvalho 40,5J0
Dita a. 9. lose Caetano alarqnes de
Carvalho' t,7d
Imposto de qnatro por cemo.
Travessa da rua Imperial 0. t. Bernar-
dino de Siona M:deiros 4,100
Raa do Jardtra n. 1 J-jsc Chrispio de
Albuquerque 3,325
Imposto do terozen .
Travessa da raa Irapcrtal n. 1. Bursar-
dino de Sraui MeJ-iiro.; 11,20
Rua do Jardira n. 2 Jjj* Qrrisplm de
Albuquerque. 1 !,I99
Helacao da divida do exerelcio de 1871 a 187*,
provenientes dot imposlos de decima, 4 e 8 pr
cento e 2*500, a cargo da eotlecloria provwcial
do roimioipi0 de Barroiros.
Raa do Commercio.
\. 2. Antonio Francisco Muuiz du Mi
randa J,ti7">
S. 10. Andre de Sonza Erton 4.S37
i\. 12. Rita Maria da Cwceicao 1,419
N 31 J jaquioj Jose Ferreira 8.4W
N. 55. Joio FeS Mt-pomaeeno i2^M9S
Ns. 57 e 59. JManoel Acci-iU SaUiafo-
Ramos 11,099
Rua da Mosca.
X. 3. AgoHinho Gomes da S lv pM
Raa da Penle.
3. 5. Leottcio da Ccnha Pedrosm C.OVi*
Jl. 7. Maria Joaquma ii Cnceicio 7,f5T
N-. it Francisco Ft irnn-io Santiafo tt.OM
Rim i* Eommerciu.
N: 9. Joio Mauri -in W;:aderley t,99
N. 4>. Jose Monies d.i s 3,99*
N. 31-Antonio Mor-iri IV etida 9,999
N. 35- Manoel R<.qiie 6t Fivilas 9.9:fi
N. 30. Francisco ftaovVa 1,418
N. 36; Joaquim M-v.rie- da Sil a 9{97*
Roa d 11'nia.
N. 7. Jos* Theodor-. da Fommm Pitta ,3*#
Imu do PcfO,
N*. 7 Mano loa<|ttina da .Micfncjlo 9,99*
N. 2. Macxd Am 11 9a fair.ao 9,014
Una lnii'ii-..
N. 31. Augusto Cesa-- do Aline:d 6,04*
X. 33. Joio Manoel Teixeira Cosu 7,257
i:ua do Vigaria
N. 19. AotOBio Franci.-co Daarte 1,088
Rua do Cimmersto.
N. 9. Andrd de Souia Erton J 1,98*
N. 31. Joaquim Jose Ferreira 3,76?
X. ').'!. Jose Torres Campos de Medeiros 8,376
N. 33. Manoel Josd dos Santos Oliveira 1,088
Rua do Fogo.
.V 2 Manoel Am.incio da Paixao 1.888
N. 12. Francisco Roque de Freius 2,683
Rua do Padre Franca.
N. 6. Dr. Carlos Justiniano R tdflguca 10,752
P.na lo Commercio.
X. 57. Manoel Accioli Santiago R. 5.179
Jose Antonio Pessoa e Mello >',* 0
Jose Luil da Rocha 2!,4"0
Jose Pedro de Mello 8.400
Seccio do coniencicso do t'uesoom proviniial
de Pernarabuco, 21} de outubro do 1871.
0 oMM,
Uoracio Wa'friih Prrejrini C\ Silva.
0 I.lmTSr. inrpectr do thesouio provincial
manda Eater publico, que em ousr.pnmeulj da cr
dem do Exm. Sr. presidunte da provincia, de 2;
do corrente, t'.m do ser arrematada no dia 20 d-
novembro proximo vindenro, rerante a 'not:! d
faienda do mesrao tbesonro, a >bra dos reparos d
empedraxento do e 2# taoBM da estrada d
Palraares, orf.da cm 11:880*, c debaixo das con-
di{6es abaixo transcri|>tss.
As pessoas quo se prop zerem a esta arr-Tnata-
cSo, comparer-am na sata das se*soes da refsndj
junta, no dia aciraa talicado, pelo meio dia.
E para constar a qnem intercs.-ar posa, se man-
dou faze pub.ico pelo pre;ente Uivri?.
Secritaria do the-rauro provincial da rMMk
CO, 30 de outubro de 1874.
0 secretario,
Miguel Affraso Ferreira
Clausulas especiaes para a arreraatacao
das obras.
.*
As obras de reparos e empedraroento do 1 e 2'
iancos da estrada do Palmares a Pimenteiras, ca
bBpOrtancia de 11:880;, serao execu:ala> de con-
formidade com 0 respt-c:J7.) orcimenio e desepbo*
juntos, approvados pelo Exra. Sr. presidemv ds
provincia, e instruijo.-s do engenbeiro encirr-,-.-
do da li-calisacao dos trabathus.
2-
0 arrematante d3ra comeco aos trabalhos n >
prazo de 15 di.is, e os c~:ncniira no de Si taatea,
j meiro.
r'
Os pagaaBeatos ierio festosen qnatro pre.'U giaa
Iguaes, a pr por^io doa twibalhaa exccuta.lo^.
Finalraenti,1 cm tudo m^s qae nqui n:"to vai e*
;).-:i!icado, seguir-se-ha 0 que a respeiti dii;
renuUmentJ de 2i de fevereiro de 1^71
Cabo, 16 de outubn Cc 1H74. A:;igr.ado, a
engenheiro Joajaim GGoetbo.
t;onforme.0 of!l<:ial J";o Jjaiuira de Spain
Varejao.
Conforme.-Miguel Afffcso Ferreira.
DECUBACOE!
imuk
" 0 procurador fiscal do lhesouro pro7iacial de
Pernambuco, declara aos contribuiatos dos diver-
sos imposlos do execicio de 1872 a 1873 a cargo
das collectorias de Barreiros e Santo Antao, que
lhes lit-a marcado e prazo improrogavel dr 30 dias,
a contar da pablicacao deste, na conformidade da
let n. 891 art. 53, para solicitarea da sec-
cao do contencioso as guias raspeclivas, aiim de
recolberem seus debitos provenientes do mesmo
imposto, certos de que, nao 0 fazendo dentro deste
praxo, so procedera a cobranca judiaialmeute, fa-
zendo-se publicar para isso arela>;ao doa devedores
abaixo transcripta.
Seccao do contencijso provincial de Pernambu-
co, 26 de outubro de 1874.
Cypriano Finelon G. Jicoforadu.
Relacao da divida doexercicio de 1872 a 1873, pro-
venieate dos imposlos da deeiaia, quatto por
cento e kerozene, a ctrgo da collectoria provin-
cial do mnnicipio de Santo Aatito.
Dec! ma.
Travessa da rua Imperial n. 1. Bernar-
dino de Senna Medeiros 9,676
Dita n. 2. 0 mesmo 0,676
Patio da Malriz n. 22. D. Anna Gui-
lhermina dos Santos 4,837
Dita n. 20 A mama 4,837
Rua da Salgadeira n. 15. Jeao Bap'.'ata
dos Saaioa 3,024
Dita n. 19. Bernardino da Senna Me-
deiros 3,024
Travessa da raa do Geoipapo n. 7. Ma-
noel Thane 3,631
Rna do Diqme 0. 2. Coarado Gomes da.
Silva 3,631
Dita dos Ferreiros o. 29, Joao Ferreira
Vieira 3,931
Dita n. 31. Herdakxis de Alexandre 6.
de Miranda 2,418
Dita n. 33. Os mesmos 3,631
Dita n. 55. Os mesraos 3,024
Dita n. 12. lartlnho Carapina 3,024
Dita da Ponte u. 3. Maao4 Hollanda 1,808
Dita 0. 5. 0 mes.mo- 1,818
Dita n. 7. Fraooisca Antonio da Silva
Costa ,*. 937
Dita n. 2. Francisco Antonio dallocha 3,631
Dita do Recreio a. ft *ae fgatatoJe
Merra 2,418
Dita n. 8. Manoel Antonio de Jesus 3,024
Tri' 'iaal do commercio.
Esta t> aria faz publico que de If a3i do
corrente 1 1 archivados na forma da !-.i cs se-
guintes coa. 'S e distr.tos de sociedades:
GaafeMlMt
De Jose .V > Comes Pires e um ccraraandi-
tario, sob a Ci...a ae Tires & C, corn 0 3a(9t^l dc
7:00.i,000 rs., sendo 0 fun Jo em cominandila de
5:000,000 rs., para 0 commercio de gecaros de e.
tiva por gros-o e a retallu, o arraazem sito nesu
cidade ao caes 22 do rioveaibro n. 42, devecJ J 1
sociedade durar por tres annos.
Do Manuel EspinJila de Mendonca e At I
Juse Ferreira Reficador. sol. a Urma da M I
Espinlola de Mendon?a 4 Cprorogsado p>r m:
tres annos dita sociedado. sealo 0 sau capital di
63:301,656 rs., para 0 commercio da carga p de
carga de navios Iu.:dcado; no ports Jcsta cidadi
por meio de alvarenga'.
De Manoel Antonio Pires, II nriqp.e Rodng 1
I..16. Francisco Jose Pires e Mine! Rodng
Romero, sob a firma de Manoel Antonio P>n
C, prorogaudo por mais tres annos dita sociela-
de, sendo seu capital de 52:003, CO rs., para 1
coraojereio de mercadorias por ircportijao e expo
tacSo, na cidade da Parahyba, a raa do Cca'
d-Eu.
Di Soares Braga & C., de cu>a Srma faxera par
te Domingos Antouio Soares Bragi e am comnun
di'ario, com 0 capital de 7.000,000 rs, sendo
fnndo em coramaaliia de 3:000,OaO rs.. para'
commercio a retalbo de fuendas e roupa fciu, n .
loja siu nesja ci iade, a praca da lndcjwndenci.
numero 2.
De Antonio Francisco dos. Santos e Aatoaio Jose
Moreira, soj a firraa de Antonio F/anciseo dr.
Santos & C, com 0 capital de 20:000,0> 0 rt., |
0 commercio por grosso e a nlalho, m mtaeu-
cimento sito nesta cidade, a rua do Cabuga n 6.
llistratos.
De Justin 1 Torres, Tosta & H, de iuja firma f-
ziam pane Jastino da Silva Torres. Manoel 4o*t
AlvesToata e nm commaniitario, eslabelecidoa m
cidsde de Macei6, ficandi 0 acuvo a passivo d-
dita ext ncta sociedado a cargo dos ex-eoeios soli-
dari. s, que coaliruarao a usar da indicada firm*
oraraercial por consentimento do ax-socio cotn-
manditario.
De Bastos & Silva. da ca|a 9rsna laaiiim parto
Antonio Alves da Silva a Joe* Joaquim Goufalves
liastos, fieandoeste encarregado da aetlvo a pa'-
vo de dita extincta sociedado. I
De Joti Victorino de Reiende k. L., mi enja
flrma faziam parta Jose Vi:torme de Rezcnde, ac
tualwate barao de S. Jose, Pedro Gasjcalvo* P.
reira Cascao, e 0 fallecido Joaquim Qoncalves Ca -
oao, ficandi a liqnidacao da activa e sosafie dt
uassivo exclusivamen'e a cargo do ax socio Pedr.>
Goncalves Pereira Casein, qua so reapoosaMtuaa
para com 0 barao de S. Jose pela qoaolia d>
10:581,897 rs., nos termos de suoa obrigacio qr.
ihe passou, a qaal Oca igualmenta arenivaea por
pnMica forma, junta a este diatiato, qne ttra fir
mado por parte do meaor Edaardo Gojija*vei Ga*-
cao, era virtude de Aiwa do jait 9a oapMos
desta cidado, pelo respective tatx e peto cwoior
ad hoc. .
DeSoBa9:Gairaries,decuia Urma enaa ao-
cios Jose Antonio dt Sooxa a Joaara"" L-'PO
Silv?. Guiraaries, ficando eita encarrefadj 4.r-
L WBBP i


\
*
Segunda
recadacao do activo e responsavel pelo passivo de
diti extiocu sociedade.
De Frederi :o Alves Pereira Pinto e Julio de Mel-
lo Salgado, cuja sociedade gyrou nesta praja sob a
flrma de Prederico Pinto & C, flcando o wstivo e
passivo a cargo do ex socio Julio de Hello Sal-
gado.
De Si Leitio Fonceca & C, de cnja lirma faziam
parte Viviano da Silva Caldas, Simplicio Xavier
da Fonceca e Jose Antonio 3a Leitao, flcando este
ultimo respoasavel pelo passivo e de posse de todo
o activo.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco, 31 de outubro de 1871.
0 ofHcial maior,
Julio Guimaries.
' i
Sociedade Recreativa Ju-
ventude.
De ordern do Sr. presidente, convido aos Srs so-
oios a assistirera os responsos e memento* que
por alma dos nossos eoasocios MleciJos ae reza-
rlo na igreja de S. Pedro, pel as i|i boras da
manha de hoje, 2 de novembro.
Secretaria da Sociedade Recreativa Jnventade,
30 de outubro de 197%.
Orestes Monteiro,
1.' secretario.
Rua da Guia.
K
509*000
201*000
800*000
600*000
241*000
207*000
de mm
Convocaqao de credores
A VINO
Os credores do finado Ed. Turpin, sao eonvida-
dos a renuirem-se seganda-teira, 2 de novembro,
as 11 boras, alim de receber commnnicacao do
estado da situacio e deliberar sobre as medidas
a tomar.
Pernambuco, 30 de outabro de 1874. .
0 gerente do consnlado.
________________________E. Dumax._____
ASSOC14CAO COMMERCIAL B6.NEF1CENTE
I, De ordem da direccao desta assoeiacao, convido
aos Srs. socios a se reuairsra em assemblea geral
no dia 3 de novembro, a 1 hora da urde, no lugar
do costume.
Recife, 30 de outubro de!874.
0 secretario,
M. Gomes de Mattes.
Arremata^ao.
No dia 6 de novembro do corrente anno, ira a
praca para ser arremetado perante o Dr. juiz mu-
nicipal da Victoria, o engenho Temorante, avalia-
do, na primeira avaliacao por 20:000* e agora por
6:400}; moente e corrente d'agua e safreja mi
e quiobentos pies, proximo a estaci' de Frechei
ras doas leguas, pertencente ao espolio de Jose
Ignacio de Mello.
Prac,a.
Terca-feira a 1 hora da tarde, na sala das au-
diencias, vai a praca a armacao e mais objeclos
existentes na fabrica de cigarros n. 4 da rua da
Penba, cujos bens vao a praca por execucao de D.
Maria da Couceicao CarvaPio e Souza contra Jose
Alves de Oliveira.
Companliia Ferro-Caml de
naiuboco.
BILHtTES DE PASSAGEM.
Esla corapanhia, nao podendo encontrar moeda
de nickel eaxabundancia para satisfazer aos tro-
0s, resolveu vender do dia I.* do proximo mez
em dianle, aos Srs. passageiros, bilbeles que va-
lem cinco passagens, e que serao unicamente re
cebidos nos carros.
Cada bilbete e dividido em cinco partes, cada
uma das quaes val uma passagero, e sera entre-
gue pelo passageiro ao conductor do carro, qoe
imraediatamente devera inutilisala com o alicaie.
Recife, 30 de outubro de 1874.
___________G. A. Schmidt, gerente.
Irmandade das almas da matrix, da Boa-
Vista.
De ordem do irmao juiz convido a todos os nos-
sos irmaos para eomparecerem as 6 boras da tar-
de do dia I.* de novtmbro proximo futuro, afim
de cm mrsa geral se proceder a eleifao da mesa
regedora que tem de funcc onar n-j anno de 1874
a 1875.
Conslstorio da irmandade em 27 de outubro de
1874.
0 escrivao,
_________Manoel Hygino de Carvalho Couto.
Carvalho <&Nogueira
saccam qualquer quantla, a vista ou a prazo, por
todos os paquetes, sobre Lisboa, Porto e todas as
mais cidades e villas de Portugal ; assira como,
para Galiza e ilbas dos A gores.
De ordem do lllni. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda desta provincia se declara que em
sessao da junta de II de novembro proximo lutu-
ro ira novanvntea praca o arrendamento do pro-
prio nacionalBarracaoque servio de quartel
de cavallaria, em Santo Amaro das Salinas, pre-
ferindo-se a qucm mais vantagens offereccr a fa-
zenda : os pretendentes que precisarera, de alga-
mas explicacoes, dirijam-se a esta reparticao.
Secretaria da mesouiaria de fazenda de Pernam-
buco, 27 de outubro de 1874.
Jucundiano Rodrigues de Oliveira,
Secretario da junta.
Casa terrea n.
Idem n. 29 .
Rua da Crux.
Sobrado de 2 andares n. 12 (fechada).
Idem n. 14.........
Rua de S. Jorge
Casa terrea n. 100 (fechada) .
Idea n. 103 ...
Rat do Ampare JOlinda)
Casa tercea n. 18 (fechada).... 240*000
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
irremat >... as suas nanca-s, on eomparecerem
acorapan' : i dot respectivos nadores, deveado
pagar ale i renda, o premio da quantia em
qae for se& o predio que contiver estabeleci-
memo com al, assim como o servico da lim
pexa e preco apparelhos.
Secretaria nta Casa da|Misericordia do R
cife, 17 de sstembro de 1874.
0 escrivao,
____________Pedro Rodrigues de Souza,
CO HU BIO
Relaoao das cartas que deixaram de saguir
a seus deslinos per fait a de franquia
Anna Calorina, D. Antonla Joaquina Alves de
Rrito, Antonia Maria da Cunba, Arthur Ulster Es
qurae, A. J. Gomes Netts, Antonio Francisce Fer-
reira, Antonio Francisco de Oliveira, Autouio Joa
quim Dias Hedrooho, Antoaio Jose da Cruz, Anto-
nio Correia, Antonio Monteiro dos Santos (2), An-
tonio Rodrigues Martins Laraera, Antonio Rtbeiro,
Barbara Jacintba de Medeiros, Bernardo de Farias
Soares, Costa & C, Domingos Francisco Rios,
Francisco Fernandes Crnz, Francisco da Silva
Luna Junior, Francisco Salles Mendonca da Silva
Carvalho, Francisco Xavier Ferreira, Joanna Dias
de Oliveira, Giovano Testaro, Innocencia Rosa da
Cnnba, Justina Rosa de Sonca Peixoto, Joaqoim
antonio de Vasconcellos, Joaqoim Antonio Vieira
da Silva, Joaquim Jose Gomes da Silva, Joaquim
Luiz Vieira, Joao Antonio Furtado, Joao Jos6 Pai-
xao de Vasconcellos, Joao Correia Manias, Joa-
quim Monteiro da Cruz, Joaquim da Silva Maia,
Jnan Cerillo Olavarna, Jbao de Mello, Jose de Fi-
g^aeiredo, Jose Goacalves Martins, Jose Joaquim
Correia, Jose Joaquim da Silva, Jose Pereira de
Lima, Jose Marques de Freitas. Jose B. Barreto,
.lose Rodrigues Terroso, Jose da Silva Mat'os, Lui-
za Dieguez, Lnix Thome Gonzaga Junior, Marga-
rida Pemba, Maria Custodia Gomes, Maria Euge-
nia Feleiras, Mara Ferreira, M ria Ricarda, Maria Rosa de Jesus Maria Rosa da
Natividade Gomes L^ite, Maria da Silva Ratmlho,
Maria Thereza, Manoel Azxaray, Manoel Alves da
Costa, Manoel Coelho (2), Manoel de Cerqneira)
Pinto, Manoel Fernandes Monteiro, Maneel Ferrei-
ra de Moraes (2), Manoel Jo-h dos Santos, Manoel
Fernandes, Serzedelo & C, Theodorinba, Thereza
Balga Martins, Thereza de Jesns Miuhavo, There-
za Martins Torres, Tbemoteo Capello (2), Tho-
maz Jose de Oliveira, Trajano Luiz de Frauca,
Victorino dc Almeida Rabello, Vicente Panlino Sil-
veira.
Correio de Pernambuco, 30 de outubro
de 1874. 0 official,
A. II. de Araujo Pernambuco.
P.11HMW.
0 brigue portuguez Triumph), pretende seguir
eem murta brevid.ide : para carga e passageiros
irata-se com os, eoflBtguatarios Thomaz de Aqniao
Fonceca A C. smeeasores, rua do Vigario n. iS
COMPANIIU
MESSAGEMES MARITIMES.
Ltnha naensal
Rio Grande
Espera-se da En*
ropa ate o dia 7 de
corrente, s e g u i n do
depois da demera de
costume para Bue-
nos-Ayr es, toe ando na
Baliia, Rio de Jaoeiro t Montevideo.
Para encorameBdae,passagens e frees, trata-se
com [i 1 k" *
OS AGENTES
Harismeady A Labille
9 Rua do Commercio 9
IJiiftm mensal
Gimnde
E' esperado dos por-
tos do snl no dia 9
do corrente, seguindo
depois da demora do
costume para Bor-
deaux, tocando em
Dakar (Goree) e Lisboa.
Para fretes, encommendas e passageiros : a tra-
tar com
OS AGENTES
Harismendy A Labille.
9 Rua do Commercio 9
4iUi
No arm a zero tie agendas de leildes, i rua
do Vigario Thenorio n. 11.
0 preposto do agente Pestana fara leilao por
conta e risco de quem pertencer dos olijectos
ataixo mencionados, os quaes serio vendidos em
inn ou mais lotes, a vonude dos Srs. comprado-
res
A saber:
SO caixas de 50 charutos cada uma, de superior
qualidade.
40 resmas grandes de papel de cores para cigar-
reiros.
10 ditas peiloraes de dito de cords para ditos.
90 caixas de 1,000 mortalhas de papel' de fa mo
para cigarros.
10 milheiros de cigarros do Rio de Janeiro,
Ager.te Pe&tana
leilao
** aTWi i saw it i i
DE
moveis. loujas, \idros, ouro prata e bri-
_. lhante
SEGUNOA-FEIRA DO CORRENrE
As' 11 boras em panto.
No armazern de agenda de leildes da rja do
Vigario Tbeaorio n. It.
0 preposto do agente Pestana fara leilao por
conta e risco de quem pertencer, de roobilias de
jaciranda, ditas de faia, ditas de amnrello, diver-
sas eadetras avulsas de todas as quaiidades, ouro,
prata e brilhaotes.
Em nra on mais lotes, a vontade dos Srs. com-
pradores.
COMPArVHIA Bll \*.ll I 1H \
DE
\AVEGACAOA VAPOR
Portoa do sul
Santo Antonio
Grande e pomposo espectaculo
eiu re^osijo a visita do
Esm. Sr. conselheiro
Ministro dolmperio
Joao Alfredo Correia d'Oliveira,
A esta briosa provincia de Pernambuco. *
Quartafeira 4 do corrente.
Honrado com a presen^a de
S. Exc. o Sr. ministro
e de
v Exc. o Sr. presidente da provincia.
Depois de tocada pela orchestra o
Hyiiino laciitnal
subira a scena o magnifico drama em S actos, dos
Srs. Dumanoir e d'Eanery _t
0
Velho cabo de esciuadra.
0 principal papel sera desempenhado pelo ar
Comma nilante Pamplona
E' esperado dos portos do 3orte
ate o dia 6 do corrente 3 se-
guira para osdo snl, depois
da denora do costume.
Portog do norlf
< om man da ii u- Carlos Gomes
E' esperado dos portos
do sul.inclvsive o da Vic-
toria ate o dia 7 do cor-
rente e seguira para
os do norte depoii da
_____ demora do costume.
Para carga, encommendas, valores e passagens,
trata-se no escriptorio
7RUA DO VIGARI0-7
Pereira Vianna & C.
_______________Agentes.________________
Companhia americana e brasiieira
de paqneles a vapor.
Ate o dia 31 de outu-
bro e esperado do sal
o vapor Ontario, com
mandante Weir, o
qual depois da demo-
ra do costume, segui-
escala pelo Para e S.
Agente. Pestana
leilao
DE
(23 barricas com cal de Lisboa, ultimaaien-
te desembarcadas
SEGUNDA-FEIRA 2 DO CORREN'TE
as 11 horaa em panto
No armazern de agenda de leildes da rua do
Vigario Thenorio n. 11.
0 preposto do agente Pestana fara leillo, por
eonta e risco de quem pertencer, de 113 barricas
com cal de Lisboa, as quaes serao vendidas em di-
versos lotes, a vontade dos Srs. compradores.
c m
ra para New York
Thomaz
Para passagens, trata se com os agentes
Forster A C, rua do Commercio n. 8.
tisla
Imperial Sociedade dos Artistas Mechanico
o Liberaes.
Tendo se ja effec'.uado a mudanca da sede desta
sociedade p*ra o 2* andar do sobrado n. 63 da
mesma rua da Imperatriz, conlinnam as aulas do
Lyceu d'ora em diante a funccionarem nos dias e
boras ja designados.
Secretaria do lyceu, 26 de outnbro de 1874.
0 secretario,
P. P. dos Santos.
Thomaz de Aquino Fonceca k G.
Successors
saccam por todos os vapores, sobre as seguintes
pracas ;
Lisboa. Regoa.
Porto. Chaves.
Braga. Villa-Flor.
Vianna. Mirandella.
Viseu. Alijo.
Guarda. Favaios.
Coimbra. Braganca.
Guimaraes Lamego'.
Rio de Janeiro.
Xa rua do Vigario n. 19.__________
SANTA CASA DA MISER1CORD1A DO "
RECIFE.
A Rlma. junta admintstrahva da Santa Casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
najsala de suas sessoes, o dia 22 de ontubro, pe-
las 3 boras da tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantagens offereeer, pelo tempo de urn
a tree annos, as rendas dos predios em -segnida
declarados.
ESTABELECTMENTO DE CARIDADg.
Rua das Calcadas
Idem n. 36........221*000
Vidal de Negreiros.
Casi terrea n. 114......362*000
Idem n. 94.........301*006
Rna larga do Rosario.
1* andar e loia n 24 A. .
1.* andar n. 24 A.......
3.- andar n. 2i A.
Rua de Antonio Henriques.
Casa terrea n. 26......
Largo da Campina.
Idem n 11 (fechada)......120*000
Rua do Coronel Suassuna
! andar do sobrado numero 94 386*000
PATROfONIO DOS ORPHAOS.
Rua da MoeJa.
Casa terrea n. SI fechada).. 400*000
Beeco das Boias.
Casa terrea n. 18.......42i*00(
Rua da Lapa.
Ca8aterrean.il. J02*000
Rua do Amorim.
Sobrado de 2 andares n. 23 .
Casa terrea n. 34.....
R uar do Bugos.
Casa terrea n. 11......
Rua do Vigario.
V andar do sobrado n. 27 .
4* andar do mesmo......240*000
Lojadomesmo.......300*000
Rna do Encantamento.
Sobrado de S andares n. 13 (fechada). 1:100*000
Rua da Senzalla velha
MeH,W.......K#000
310*000
408*000
251*000
99*000
Flavio Waideck.
Tendo o celebre artista
E. Dominici
pedido que se preparasse um espectaeulo, pela
companhia nacional, em que tomassd parte o ar-
tista brasileiro
Fiavio Wandek
coincidindo com a opportanidade da occasiao se-
melbante desejo d'ura irmao d'arte, e com a
prompta coadjuvacao de seus amaveis collegas,
e specialmente do artista Coimbra, pude o artista
Flavio preparar o espectaeulo acima, que tera lu-
gar no dia supra, pela ordem seguinte :
0 theatro estara ornado, como requer uma tal
festa, pelo Sr. Manoel Goncalves. Agra, que promp-
ta egiaciosamente accedeu ao pedido que para
isto lhe foi feito pelo artista proprietario do thea-
tro, Antonio Jose- Daarte Coimbra.
A' chegada de Ss. Exes, que sera annunciada
por uma gyrandola de foguetes, as bandas de
musica, collocadas em lugares respeitlvos, toca-
rao o
Hymno nacional
Em segoida a orchestra do theatro sefara onvir;
depois do que, tera coraeco a exhifaicao do grande
drama.
Corae^ara a chegada de Ss. Etcs.
THEATRO
SANTO ANTONIO,
_ COMPANHIA ITlUflU
Ter^afeira 3 de floveinbro.
Beneiicio da actriz
Catharina Bella
Com o drama em tres actos :
0 harpist! e o imilalo
A's 8 horas.
Companhia tie uavex"cao a va-
por bahiana, limitada
Macei6, Penedo, Aracajii e Bahia.
E' esperado dos portos
do sul ate o dia 6 de no-
vembro o vapor Goncalves
Martina, o qual seguira
para os portos acima no
dia seguinte ao de sua
chegada.
"fr fe Car'a encommendas passageiros e di-
Agente
Antoaio Luiz de Oliveira Azevedo.
37 Rua do Bom Jesus-57
nheiro a
Pacific Steam Navigation Company
ROYAL MAIL STEAMER
IBERIA
Espera-se. da Europa ate o
dia 8 de novembro e seguira
para Bahia, Rio de Janeiro,
Montevideo, Buenos A y r e s ,
Valparaizo, Arica, Islay o Cal-
lao, para unde recebera pas-
sageiros, encommendas e dinheiro a frete.
N. B. Nao sahira antes das tres horas da
tarde do dia da sua chegada.
AGENTES
Wilson Row e A C.
14PRACA DO COMMERCIO11
Ultimo leilao
DOS
bens do espolio do finado Eduardo Turpin
Segunda-feira de novembro
Ao meio dia.
ASABER:
Duas caixas com pnpsphoros, 2 ditas com sabao,
4 ditas com garrafas, extracto de absintho, 33
garrafas com bitter, e 3 caixas, garrafas de agua
de Vichy.
A 1 bora da tarde.
E depois da reuniao dos credores do mesmo fi-
nado, convocada pelo gerente do consnlado de
Franca para as 11 horas do dia, venders o mesmo
agente Pinto, o direito de arrendamento da mesma
casa da rua do Commercio n. 24, pelo tempo que
falta, 1 annos e 2 raezes.
LEILAO
DO
sobrado de 2 andares e sotao edificado em
solo proprio, em a rua do Pogo n. 18, e
a 51 parte do sobrado de 3 andares edi-
ficado em solo proprio, em a rua do
Amorim n. 31
Quarta-feira 4 de novembro
as lO lit horas
No sobrado da rna do Marquez de Olinda
primeiro andar.
0 agente Dias, competentemente autorisado,
levara a leilao, no dia e bora acima designados,
o sobrado de 2 andares e sotao, edificado em cbao
proprio, em a rua do Fogo n. 18, o qnal rende
annualmente 1:300000, e da 5' parte do sobrado
de 3 andares, ediiicado em solo proprio em a rna
do Amorim n. 31, o qual rende annualmente...
1:000000.
Para qualquer informacao a rua do Marqnez de
Olinda n, 37, .primero andar, escriptorio do
agente.
n.37,
Ultimo leilao
DE
am grande sltio com casa de vivenda, tendo 2 sa-
las forradas, 1 gabinete forrado, 4 quartos, co-
zinha toda envidracada, grande terreno, caeim-
ba, e muitas arvores fructiferas, junto da esta-
c3o do Salgadinho, em Olinda.
Quarta-feira 4 de novembro
as 11 h..ras da manhS
No escriptorio da rua do Bom Jesus n. S3,
1. andar.
SerWndo de base a offerta de 3:i00000.
0 agente Pinho Rorges vendera o referido sitlo
em leilao, por conta e risco de quem pertencer.
Os Srs. pretendentes podem desde ja examina-
lo, e para qualquer informacao com o mesmo
agente.
LEILAO
DA
arraagSo, fazendas e pertencas da loja de
rniudi zas da rua da Imperatriz n. 86
Massa fallida de Jose" Bernardo da Motta
QUARTA FEIRA 4 DO CORRENTE
0 agente Martins fara leilao, por maodado do
Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio, d arma-
cao, fazendas e penencas da loja de rriudezas da
rua da Imperatriz n. 86, pertencente a massa fal-
lida de Jose Bernardo da Motta.
A's f 1 boas do dia acima.
LEILAO
Leilao
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
.\'avegacJo eostelra a vapor.
A.RAHYBA, NATAL, MACAO, MOSSORO*. ARACa-
TY, CEARA, ACARACO'.GRANJA E AMARRAg,\0
X0 PIAUHY.
0 vapor Pirapama, comman-
dante Silva, seguira para os
portos acima no dia 7 de
novembro as 5 horas da tarde.
Recebe carga at4 o dia 6, en-
commendas, passageiros e di-
nheiro a frete ate as 3 horas da tarde do dia da
sahida : escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
Rio Grande do Sul
A barca brasiieira Mimosa recebe carga a frete
para o Rio Grande do Sul: a tratar no escriptorio
de Baltar, Oliveira & C, a rua do vigario n. 1, pri-
meiro andar.
Quinta-feira 3 de novembro
9.a recita da asslgnatura
A grande tragedia annunciada de V. Alfieri.
Para o Para.
AVISOS MARITIMOS.
602^000
22^000
153*000
X43MO0
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
NawegaeOo eostelra a vapor.
Macei6, escaias, Penedo e Aracaju'.
0 vapor Mando.hu,
commandante Mari-
nho, seguira para os
portos acima,ne dia 31
do corrente as 5 ho-
ras da tarde.
Recebe carga ate o dia 30, enco mmendas, pas
sageiros e dinheiro a frete ate as 3 boras da tar
de do dia de sna sahida ; escriptorio no Forte do
Mattos n. 18.____________________________
Rio de Janeiro.
JBrigae S. Paolo.
Sahira com brevjdade : para carga trata-se Da
rua do VfojWlo n. 7.
Pretende seguir com muita brevidade o palha-
bote Joven Arthur, tem parte de sen carregamen-
to engajado, para o resto que lhe falta trata-se
com o sen consignaUrio Antoaio Luiz de Oliveira
Azevedo, a rua do Bom Jesns n. 57.
Para Lisboa*
Seguira com brevidade o briiue portuguez Bella
Figueirense, capltao Hilario Bodrigues : para car-
ga e passageiros, trata-se com E. R. Rabello 4 (L
rua do Commercio n. 17, entrada pelo largo do
Pelourinho._____________
Ilha de S. Miguel
Segue com brevidade para S. Miguel o palha-
bote portuguez Novo S. Lourengo, para onde rece-
be carga e passageiros: trata se comosconsig-
natorios Thomaz de Aquino Fonceca & C. Succes-
sores, rna do Vigario n. 19, l1 andar._________
Libras esterlinas.
7endem Augusto F. d'Oli-
veira & C.
Rua do Commercio n. 42.
DE
moveis, louga e crystaes
Constando de :
Um piano forte do bem conhecido fabricanie
Hertz, 1 mobilia de jacaranda, 1 mesa de sofa, ca-
deiras de balanco, 18 quadros com finas gravc.ras,
Henry candieiros a gaz, jarros," 1 esteira, forro de sala,
2 mesas para jogo, 1 dita para xadrez, cadeiras
espreguicadeiras, 6 cadeiras de guarnigao, 1 mag-
nitlca secretaria de mogno, 2 candieiros patente.
Uma cama grande, 3 colcbdes, 1 guarda-roupa
com espelho, 1 mesa de toilette, 1 espelho, 2 por-
ta toalhas, tapete, 1 bacatella e pertengas, 1 es-
lante para livros, 1 cabide para chapeos, 6 cadei
ras, 1 mesa de jacaranda, 1 maquina de costura e
1 barcmetro.
Uma mesa elastica, 1 guarda-louca, 1 guarda-
coraida, 1 jarra de filtrar agua, (filtrador) 2 mesas,
1 arraario, louca para cha e janlar, copos, calbes,
garrafas, lou?a para lavatorio, I apparelho de
electro-plate para cha, 1 esftada americana e ou
tros muitos objectos de casa de familia.
Terca feira 3 de novembro
No Monteiro, casa alta depois da casa que foi da
familia de Henrique Jorge.
A. C. Coogan,_ tendo de fazer uma viagen a
Europa, fara leilao, por intervencao do agente Pin-
to, dos moveis e mais objectos de casa de sua re-
sidence no Monteiro, uma casa alta a eesquerda
da entrada da povoacao do Monteiro.
A's 11 boras em ponto partira da eslagao do ar-
co de Saoto Antonio um trem, servindo de con-
duc^io gratis aos concurrentes ao leilao.
0 leilao principiara as 11 1|2 horas._______
LEILAO
DE
fazendas, costumes de brim e cambraia pa-
ra meninos, e miudezas
Terga-feira 3 de novembro
A's 11 horas da mnha
Em a rua do Marquez de Olinda n. 37, 1* andar.
0 agente Dias, levara a leilao, por conta e risco
de quem per'encer, no dia e hora acima indica-
dos, as fazendas e miudezas, que abaixo se men-
cionam
A saber :
32 costumes de brim para crianca9, 90 ditos de
fustao, 15 ditos de alpaca, 33 ditos de cambraia,
8 duzias de punhos e gollinhas para senhora, 9
basquiaas para senhora, 10 babadores de brim pa-
ra criauca, 7 ditos de cambraia, 78 duzias de gra-
vatas de chita, 30 ditas de ditas de seda preta, 3
ditas de dita de seda branca, 21 pec^is de filo de
seda e de algodao de cores, 8 pegas de tarlatana
de cores, 4 ditas de cbaly, 2 ditas de granadine,
9 vestuarios para baptizados, 5 chapelinas de fel-
tro, para senhora, 100 baldes para senboras e me-
ninas, 147 pegas de fita de velludo prelo, com bieo
de crochet, 144 ditas de franja de seda, 179 ditas
de tranca de seda, 29 ditas de franja de seda,
com vidrilbos, 20 ditas de velludo, sortidas em co-
res e largnras, e outros muitos artigos que esta-
rio patentes ao exame dos Srs. compradores no
dia do leilao.
hMM
DA
armacao, medidas, balancas, candieiro v
gaz, carteira, escada, utensiiios e gen ti-
ros existentes na taverna sita & rua da
Senzalla Velba n. 102
Tercn-feira 3 de novembro
as 11 horas da manha.
Por mandado do Illm. Sr. desembargador juiz
de orpbaos e ansentes desta cldade, o agente Pi -
nbo Borges levara|a leilao o que acima se declars^
pertencente* ao espolio do fallecido Joaquim Gon-
calves de And rade.
0 mesmo agente garante a casa ao arrematant;
que Bear com a armacio e utensiiios da referida
taverna.
Acha-se em poder do agente o inventario ; os
pretendentes podem desde ja examina-lo.
DO
sobrado de 2 andares e sotao, da travessa do Car-
mo n. 16, edificado em chaos pr.'prios.
QUINTA-FEIRA 5 DE NOVEMBRO
A' 1 hora da tarde.
Por intervencao do agents Pinto
No armazern da rua do Bora Jesus n. 63.
Por occasiao do leilao de fazendas limpas e ava-
riadas que deve alii ter lugar.
Agente Pestana
leilao
DE
50 fardosde algodao vindos do Aracajii no
vapor Danlas, marca S
Quinta-feira 5 de novembro
A'S 11 HORAS EM PONTO.
No trapiche Companhia, largo do Corpo Santo.
0 preposto do agente Pestana fara leilao por
conta e risen de quem pertencer, de 50 fardos com
algodao, vindos do Aracajii no vapor Danlas.
Era urn ou mai3 lotes, a vontade dos Srs. com-
pradores.
LEILAO
DE
FAZENDAS
CONSTANDO DE :
20 pegas deffil6 preto, 2 ditas de setim
branco, 9\p_e$as de seda lavrada, 35 ca-
pas de seda, 30 pecas de damasco de \i,
120 veos para noivas, 63 pecas de sarge-
lim preto e de cdres, 96 chales de case-
raira,34 duzias delengos deseda, 100 di-
tasde lenco de cassa e 200 livros, copia-
dores de cartas
QUINTA-FEIRA 5 DE NOVEMBRO
No armazern & rua do Bom Jesus n. 63
Os adminisiradores da massa fallida de Pereira
de Mello & C. farao leilao, por intervencao do
agente Pinto, e de Gonformidade com a autorisacao
que tdm do Illm. Sr. Dr. juiz especial do commer-
cio, do resto das fazendas perlenentes a dita mas-
sa, e existentes no armazern da rua do Bom Jesus
n. 63.
CASA DA FORIM.
AOS 4:000#00 BILHETES GARAIVTIDOS.
A' rua PHmeiro de Mar go (outr'ora rua do
Crupo) n. ts t casai do costume.
0 abaixo assignado, tendo vendido nos sens te-
lise* bilhetes um meio n. Gd4 com 4:0001000, om>
infiro n. HOC com 700*000, doas metos n (237
com 200*000. um meio n. 3810 com 1004000, an
meio n. 2667 com lOOjOOO, e outras sertes de
40* e 20* da loteria que seaeaboa de extra-
hir (122*), convida aos possuidores a virein re-
ceber na conformidade do costume sem deseon-
to algnm.
Acham-se a venda os felizes bunetes garantidoM
da 9' parte das loterias a beneflcio da malr.z
de Jaboatao (123*), qoe se extrabira na onin-
ta-feira, 5 do mez vindouro.
PREgOS.
Biihete inteiro 44008
Meio biihete 2*000
Em porcae de flOOA BMtrss rima
Bitnete inteiro 3*500
Meio biihete 1*750
Manoel Ma-lint Finsa.
CASA DO OURO
Aos l:OOOrOOO
Bilhetes garantidos
Rua do Rarao da Victoria (outr'ora Nova
n. 50, e casa do costume
0 abaixo assignado acaba de vender nos sens
muito felizes bilhetes a sorte de t00**i00 cm
meio biihete de n. 3820 e um meio de n. 2067 com
a sorie de 100?, alem de outras sortes meno*^
de 40*000 e 20*000 da loteria qne se aear'n
de extraLir (122*) ; conrida aos posnido-re a
virem receber, que prom; tamente serao pago?.
0 mesmo abaixo assigtiado convida ao reapers-
vel publico para vir ao sea estabeleeimento ccm-
prar os muito felizes bilho'es.que nao doixarao it
tirar qnalqner premio, conw prova pelos me.-r
annuncios
Acham-se a venda os smite 'elites bilhetes p-
'antidos da 9*-parte da I Maria a beneflcio 3*
igreja matriz de Jaboatao, nue p extrahiri o? i'
qniota-feira, o de novembro vindouro.
Presca
Inteiro 4*0011
Meio 2*000
De 1C03000 parsa cisaas.
Inteiro 3*500
Meio 1*750
Recife, 29 de outubro de 1874.
Joao Jocomm da Cnsta Leite
0 ADYOGADO-
Ernesto d'Aquino Fonceca.
______Patco tie Pedro II, n. *
Aluga-se 3 aaaas terreas, eaaio duas com
sotao e bastantes commodes, a rua do liapi.i
Antonio de Lima, em Santo Amaro: trata se *
rua da Aurora n. 105.
Aluga-se ou vende-se.
o sitio da Mangabeira.em Olinda, tendo ranitos lt-
voredos de fructos e um sobralo com commod 9
para grande familia e muito terreno : a tratar na
rua do Bo:n Snccessu, em Olinda, com Marcu'.in')
Dias de Araujo. na fr^guptia de X. S da Gra-a,
rua da Capunga n. 9, com 0 Miranda Gn-
maraes.
Casa de ban bos
Em
OLINDA
Funcciona regularmente tcdos o dias, das 6
horas da manha as 9 da noite, no ediflcio da m-
panhia Santa Thereza, junto aos Mi'agres.
Banho Irk) (sem nlha) iOO rs.
________Dito frio (pom -a I ha) 300 rs.
\luga-se
uma casa naestrsda do Encauamento, lugar mni-
to fresco e saudavel, tera i salas, i ajui tos, l id is
comjan Has, cosiaba tori, qoarsaa para pre">,
terraco e si'.;.> com alguns arvoredos : quem >
pretender, dirija-se a loja de calcado ns. 37 e '
praija da ind-pendencia, ou na rua da Umao 1-
mero 58.
Preci-a se alugar
nesta typography.
um preti de meia idad-
Terreno.
DE
fazendas avariadas
CONSTANDO DE :
madapoloes, chitas e saccos vasios
QUINTA-FEIRA 5 DE NOVEMBRO
Por intervencao do agente Pinto
No armazern da rua do Bom Jesus n. 63.
___________Come^ara as 10 l|2 horas.
Vende-se urn terreno de esqnina, na rua '
Principe, na Doa-Vista, in.:. 4 casinbas de *
dra e cal, cdhi as mi
bom estabeleeimento
n. 22, sDbrado.
fropor^oes para nra
/rata-se na rua do Des:;3
Leilao
DAS
dividas da massa fallida de Bento da Silva & C,
sendo cerca de 13:186*900 em lettras vencidas,
cerca de 43:162*168 em conta corrente divros,
e tres sitios f ra Papacaca, servindo de base a
ofTerta de 180000.
QUINTA-FEIRA 5 DO CORRENTE
1 hora da (arde
No armazern da rua do Bom Jesus n. 63.
0 agente Pinto, autorisado pelos adrnioistradnres
da massa fallida de Bento da Silva A C, levara a
leilao, nio so as dividas, como os tres sitios que
fazem parte da referida massa, sendo que a venda
dos sitios e deliniliva.
Os pretendentes das dividas poderao desde ja
examinar 0 fraventario existente em 0 escripto
do referido agente, rua do Bom Jesus n. 43, e con-
correrem ao leilao no dia e hora acima ditos.
Enajommadeira.
Presisa-se de uma para lavar e emgommar para
casa de familia: a tratar na rua do Marqnez deG.-.i-
da n. 43, i andar, das 10 da manha as 4 la
tarde.
- Aluga-se um moleqne de 19 annos. b.ra
cosinheiru e :opeiro, intelligecte e activo, podeci"
ser empregado em qnalqner outro servico de casa:
a tratar no 3" aiidar do sobrado n. 20 da rna da
Imperatriz_______________________________
Aluga-se pela festa 0 s.brado n. 18 da rua
de S. Pedro Martyr em Oiinda, fresco, limpo a
proximo ao banho : a tratar no Recife, rna Jo
Cabuga n ", p.-imeiro andar.
Da-se 2 OXt* a premio raoJico. sobre hyp-
theca em predio : na rua de Hjrtas n. 86, w-
brado.
S\LS\P\RKI\LH\
DE
BRISTOL
^"is^W*!
LEILAO
LEILOES.
Agente Pestana
Leilao
DE
diversos objectos que abaixo se declara, pa-
fecbar diversas contas
Hoje
LEILAO
DE
am terreno devoluto na freguezia de Afo-
gados, rua de S. Miguel
Terca feira 3 do corrente
0 agente Martins fara leilao por mandado do
Illm. Sr. Dr. jnis especial do commercio, de um
terreno a rna de S. Miguel, onde existio uma casa
com 0 n. 1, pertencente a massa fallida de Siqnei-
ra A Pereira.
A's 11 horaa da manha
Na arnwiem da rna da Impera-
*ar n 419
DE
predios
A saber:
Um sobrado de 3 andares, edificado em chaos
proprios, na rua do Bom Jesus n. 63.
J Um dito na mesma rua n. 61, ediiicado em cbaos
proprjos.
Uma casa terrea na rua da Imperatriz n. 60, e
16 meia-aguas na rua do Camarao n. 9, em
chaos foreiros.
Um grande sitio na rua de Riachuelo, outr'ora
Corredor do Bispa n. 61, em chaos proprios, com
grande casa de sobrado e muitas accommodates
para grande familia.
SABBADO 7 DO CORRENTE
as 11 horas
No escriptorio do agente Pinto, rua do Bom Jesus
n. 63.
Os administradores da massa fallida de Pereira
de Hello & C, levarao novamente a leilao, de con-
formidade com o alvara de llcenea do Illm. Sr.
Dr. Jilt de direito especial do commercio, e por
interveneio do agente Pinle, os ipredios acima
mencionados, os quaes serao vendid ,s para pa-
Samento das hypothecas, as 11 horas do dia acima
ito, no escriptorio do referido agente, rna do Bom
Jesns n. 43, esperando conplnir a venda dos refe-
ridos predios no leilao d'aqnelle dia.
aVISOS OVEBSOS
Aluga-se dons banheiros de pedra e
Praia de S. Fransico ; a tralar na rna
a eCaxias n. 91.

cal, na
Duque j
CURA OS CASOS MAIS DESESPERADO? v
A SAFSATARRILUA DE BRISTOL par>
fica a m&ssa do sangue, expelle para fc -s
todas as materias e fezes viciosas e impurw,
regula todas as secrecdes, di vitalida energia a todos os orgaos e di for$a e ti-
gor ao systema afim de poder melbor resis-
tir a todos os claques da enfermidade. P
pois este um remedio constitutional. EDa>
nunca distroe afim de poder curar ; porem
constantemente assiste a natureza. Portanto
em todas as doencas constituciotuies e em to-
das as molestias locaes dependent* d'utn ts-
tadovicioso e imperfeito do systema em ge-
ral, acbar-se-ha que a Salsapariulha si
BaiSTOL e" um remedio seguro e eflicassk-;-
mo, possuindo inestimaveis e incontestavii*
vrtudes.
As curas milagrosas de
"'scrofulas,
riceras,g
Chagaa antlcas^
ENFERMIDADES SYPfflU'lICAe
ERTSIPELAS,
RBEUMATISMO,
NEVRALGIAS,
ESCORBUTO,
ETC..ETC., ETC..
que tem grangeado e dado o alto renort-
Salaaparrilha de Bristol
por todas as partes do uni verso, ato tio to.
raente devidas i
UM1CA LEGIT1MA E ORIGIItAt
SalsapurriOia de Bristol
PHARMACIA CENTRAL
"I



%

Jiario de Fftrnamouoo Segunda foira 2 de Novembro de 1874.
ioosooo.
Gratifica se com a quantia suppra a quem ap-
prehender o escravo Joio. ce c6r preU," crioafo,
qae ragio do poder do abaixo asfigaado, sea de-
positario. Presume se andar pelo none da Pa-
rahyba, Bananeiras, da oode t natural ; levou
cali;a e camiaa escura, chapeo de Manilha e urao
rede, altura regular, 40 annos poucp malt oa
menoa de idade, roeto redondo e sem barba, tern
uma marta de ferida em uma das peroas, e falla
descaneado, mas com u.n pequeuo sutaque de ga-
go: quem o apprebender leveo o, ou a rua do Vis-
conde de Guymna n. 89, ou a roa Direita-o. 71.
' Aloga-ae o armaiein de recolber, do aobra-
do da ma dos Burgos n. 11, por detrax da rua do
Vigario : a tratar com Jose Feliciauo Nazareth
rma da Praia b. 20.___________ ,
Massa fallida de Azevedo
<& C.
0 arrenaUute das dividas activas desta mas-
sa, rxrovida as pessoas que ficaram devendo a
me?5*> *. oiparecereiD a raa das Trincheiras
n. 48, primeiro andar, aflm de saldarem seus de-
bitos, certos de que o nao fazendo em dez dias
da data deste, se empregarao os meios judiciaes.
Recife, U de oatnbro de 1874.________________
Lava-se e engommase com perfeicao e com-
modo pwfo : na rua imperial, becco do Coxicho
B. 23.
ConsBltorio medico
DO
Dr. Murillo.
RUA DO VIGARIO N. i, l ANDAR.
Reoem-cbegado da Europa, onde fre-
quentou os hospitaes de Paris e Londres,
Sodera ser procurado a qualquer hora do
ia ou da noite para objecto de sua pro-
fiasao.
Coosuttas das 6 as 8 horas da manhi e
de meio dia as duas horas da tarde.
GRATIS AOS POBBES.
Bspecialidades ;. Molestias de senhoras,
da pelie e de crianca. Q
S CONSULTOBIO *
MEDICO-CIRURGICO I
m do 5
^ Dr. Pedro d'Athayde L. Moscoso 2
PARTEIRO E OPERADOR
JHuuu do ViHConde de AIbuqaer-9
, CRIADO
Para tratar de urn eavallo e mais algum servijo,
co, precisa se de nm de 14 annos : no Mangoi-
nbo, sitio n. 8, ponao de ferro.
Ainga-se por anno ou festa sobrado de dous
andares nos Quatro Caulo*. em OlioJa, com cora-
modos para grande familia, agaa encaaaiiuda e
cano para despejo, mui to fiesta, perto do banho e
das estates : a tratar na rua da Uniau (llha dos
Ratos) n. 53, detraz do Gymnasia. ,
Aluga-s* o I'et1 andarcs n. 22, a rua da
Imperatrfz : a Iratar na rua dt Hortas U; it:6.
que n. 39.
ESPECIALIDADE
Molestias de senhoras e
mcnlnoK.
Consultas das 7 as 10 horas da ma-
nha, todos-os dias.
Das 6 as 8 da noite, nas segundas, quar-
tas e sextas-feiras.
Os doentesque mandarem os sens cha-
mados por escripto at 10 horas da ma-
nh2 serao visitados em snas casas.
m
*
m

pwncjiouiuniiiw
f ADVOGADO
B4GHAREL JOAQUIM GUE1ES DA
'A HELLO.
*3 Rna estrelta do Rosario *3
primeiro andar.
j- : i b a a
3.8 I* Sgag-oS. !
-a n.
< O OD
3S
1*3.3
"3K.I
5 s
1=3-3
4 3
1 1 B"
o.2.ni-*
O BO
So.3
"SOU
= i* o
IS*" 8
o.o
s.8g-
s =
g -a
o
32^
a> "a
CS a* CD
55*2
III
c B 2
B a
a
o H"
law
II89
*1 &
-_. -^ ~-
CD
as
3 i
V (9
ll
11
Ss
CD CD
SB
r>
5 c. ~
<
o

II
i.
a-
CD __
pi
X o
go
ec-3
- S"
tej
1 0*
fi 3
0.-0
"5. co
Na Praca da Independencia ns. li e 16 pre!
^isa-se de uma ama para cozinhar.
Boa casa com sitio murado.
Alaga-se a casa e sitio de Dr. Castello-Branco,
junto a po^oajao do Beberibe : quem a pretender,
dirija-se ao segando andar, por cima da loia do
Sr. Rolim.________
, Precisa-se da qaantia de quatrocentos mi|
reis a juros, dando-se por garantia nma escrava
moca, bonita figura, perfeita engemmadeira, boa
Vozinheira e coze : a pessoa que quizer fazer ste
negocio dirija-se a rua do Coronel Suassnnan.
i 87, 3.* andar.
Quem preeisar de uma ama para cozinhar,
procure no pateo de S. Pedro n. 4.
Lava-se e engomma-se com perfeicao, pres-
lear-e por commodo prego : a rua da Praia do
Caldeireiro n. 35.
Muito a proposito.
Chegaram iindas camisas bordadas proprias
para casamentos, bailes e actos dos Srs. acade-
micos : a loja de Arruda Irmao, rua do Barao
da Victoria n. II.
Para a festa
Alnga-se nma excellente casa na povoacao do
Monteiro (travessa do Xisto), com bastantes accom-
modac^es para familia, a qual se acha em perfeito
estado de Haipeza, e aloga-se por commodo preco :
a tratar na rua de Marf o n. 20 A, loia de Gur-
gel do Amaral & C.
Alnga-se
o sitio da estrada dos Afflictos n. 30, caiado e pin-
tado de novo, tem dnas grandes salas, 7 quartos,
gabinele, cozraba, tanque para banho, cacimba,
etc., ete., janto a priraeira esUcao da estrada dos
Afflictos e perto dos bonds de Fernandes Vieira :
trata-se na rua do Apollo n. 30, armazem de as
sucar.
Aluga-se
os armazens ns. 65 e 69. na praca do chafariz em
Fera de Portas, um onde teve tenda de ferreiro
o falleeid > E. Mahalt. 0 ontro qae esteve ccca-
pado com venda de molbados, para o que e op
timo pela locaiidade e ser de esqnina. ambos livres
e desembaracados de impostos: a iratar com o com-
mendador Ta Jos6 Antonio DominguQS de
Figueiredo
para o nm de evitar ineommodos ao seus fregue-
zes de virem tan ionge comprar cigarros, resolveu
abrfr um depo-ito no bajrro de Santo Antonio, a
rua estre.Ua do Rosario n. 16, Mquiaa da raa das
Larmgeira?, ahi encontrario os consumidores de
todos os cigarros manufactnrados em sua fabrics,
tanto em grosso cc/no a retalbo, pelos mesmos
precos da fahrica.
Precwa-je fallar ao Sr. Joa Azeyedo, a negocio de sea interesse, dentro de
oit? -'a C0DUr da dau 'e,ta Publicacao .' na
padana da raa do Coronel Suaasuna, antiga rua
de Hortas n. 5.
Sahonete vegetal pre-
servative do conta*
gio venereo.
A de?ci berta de um meio preervativo
da infect syphilitica tern occupado a (V
attenrao de muitos medicos nutaveis ';
desde epoca mui remota, a isto movidos,
sem duvida pelo desejo de pouparem a
bumanidade as funestas consequents
do contacto e absorp^ao de um pus tao
malefico.
0 Dr. Antonio Ferreira Mnutinho, dis-
tincto medieo na cidade do Porto, e ho-
mera abastado, que com o mais desiu-
teressado empenno se entregou por
longos annos ao estudo e ensaios para at-
tingir um tao louvavel quao humam'Urio
desideratum, julga ter descoberto subs-
tancias vegetaes, que reunidas. era for*
ma de sabonete, produzem com efflcacia
e de nma maneira infallivel o pretendi-
do effeito.
Sua conviccao 6 tal, em vista de nu
merosas xperiencias feitas no hospital
da cidade do Porto, e do bom resultado
qoe o pnblico tem obtido do uso de tal
preparacio, qne tile offerece o premio de
um conto de r&s fortes, ( como se 16 no
jornal Actualidade do Porto de 2 de
maio deste anno ) a quem Ihe provar a f\
improflcaidade de spu invento.
Por autorisacao do Dr Muutinho, o
unico depo-ito de seu sabonetes para
esta provincia e para todas as provin-
cias do norte, 6 a Pharmacia Central, e
para obstar a qualquer fraude 3erao corf-
siderados falsifies dos todos os sabonetes (1
qae nao levarem o rotolo deste estabele- '
cimenlo.
Ph rmacia Central
38 -Rua do Itnpera'dor 38
Paiia, 36, Rna Vivienne, D'
[HIM'.iM M&DKCIlli SPtCIH
u inrBitHiD>Da ota sexoabs, Al tnic;on
Cirr*tRS >' ALTEBAgOHS DO SiRCDE.
ri''),000euras das impin-
I jens.puslulos, herpes,
[ mihb, comixoes, aeri-
I mpnia, e ullercoes, vt-
\ciosas do sangue, vi-
rus, e alleiaioes au sangue. I Xarnpe vegetal
tem mercurio). Bepar BANUM MKEBtiM tomao-se dous por
semana, seguindo o tracUmeoto Dcpurativo : *
empregado nas mesmas molestias.
i Este Xarope Citracto d
|ferrodeCHABLE, cura
mm^diatamenie qual-
Iquer pttrgacao, rela-
e deb '
FUIVDICAO m FERKO
4' rna do Barao do Trimiipho (rna do Brain) ns. 100 a \l\
CARDOSO IRMAO
AVISAM aos senhores de engenh' s e outrca 8gricult';res e ao publico em geral qu
.(uitimiatn a receber de Inglaterra, Franca e America, todas as ferragens e macuinaa ne^
essar,ias aos estabelecimentos agricolas, as mais modemase melhor obra qne tem ?indoy
to mercado
apOreS de forja de 4, 6, 8 e 10 caTallos, os rcelhores que tem vindo ao naerado
jaifleiraS de sobresaleute para vaporee.
WOenaaS inteiraS e meias moendas, obra como nunca aqai teio.
CaixaS fundidaS e batidas, dos melhorea Jabricantes
ttodaS U agUa com cubaje de ferro, fories e bem acabadaa.
RodaS dentadaS de todos os Umanhos e qualidadea.
Relogios e apitos para evaPors
DOrnbaS de ferro, de repucho.
AjadOS de diyersas qnalidades.
gormas para assucar,grande8 e pqueuaa.
VarandaS de feirO fiindido, france** de dirersos e bonitos goatea.
f OgOeS iranceze8 para lenha e carvJo, obra auperior.
DitOS'dltOS paragaz.
Jarros de ferro fundido
Pesde ferro
Ma china
Valvulas

ODILON DUARTE k IRMAO
oABELLEIREIROS
Premiado8 na exposicao de 1872
RUA
DA
IjIPERATRIZ
(1/ ANDAR.j
Acauam de reformar o sen
RUA
IMl'ERATRTZ
1-
N. 88
ANDAR.
estabelecirnento, coilocando-o nas melhores con-
e is Exmas. Sras. n'a-
ardim.
DEPURATIF
do SANG
Pj-US DE
CO PAH a
xafuo,
ebilidade.
mulheres. Esta iajeccao beniena empregass*
com o Xrope de Cttracto de Jem.
rB>*rroidai Pomada que as cura ems dias.
POMAOA ANTIHERPETICA
Contra: nas affecfoes rut one at e comixoet.
PI/.ULAS VEGETAES OEPURATIVAS
da Ohable, cada frasco vrai accumpaliad*
da am folheto.
AVISO AOS SRS. MEDICOS.
Sirop du
DrFORGET
I Can ealarrkei,
coqueluchei, irriiafttt
ncrvoiai SOI dot bro-
ehioe e todai at doettem
' do peilo; buta >o doenU
inn colhe rohde* deete iarope D' Forgst.
Vr. CBAHU Deposito bot'ea Franceza
22 Rna da Cruz 22
para
para mesa e banco,
para gelar i-gua.
para bomba e banbeiro.
Correias inglezas para machinismo.
t>anCOS e SOfaS Com uraa de madeira, para jardim.
^OncertOS c0"061^ com promptidao qualquer obra ou machina, para o qne teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
llnCOmmendaS mandam T'r P0' encommenda da Europa, qualquer machirjismo,
para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londres
i com um dos melhores engenheiros de Inglaterra; incumbem-se de mandar' ass^nta?
utaa machinas, e se respunsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FURDICAO DE CARDOSO d IRMAO.
diccdes possiveis de bem servir ao publico desta illustre cat.ital
quillo que for tendente & arte de cabelleirciro.
Fazem-se cabelleiras tanto para horoens cnp.io para senhoras, U'pete, chignon,
coques modernissimos, tran^as, cschepeign, tecidus, dt-senbos em cabellos, quadros ta-
mulares, (lores, bouquets e todo e qualquur trabalho imaginavel em cabello.
O estabelecirnento achB-se provido do que ha He melhor nos mercados estran-
geiros, recebe directamente por todos us vaporvs da Furopa, n snas encommendas e figu-
rinos de modas, e por isso pode vender 20 /<> menos qne ouiro qualquer, garantirrio
perfeicao no trabalho, agrado, sinceridade e pre^i razoavcl.
Penteara senhoras, tanto no estabelecirnento como fora ; vende-se cabellos MB
porgao e a retalho e todos os utensilios pertencentes a nrte de cabelleireiro.
ESSENCIA C0HCENTRADA
TO
DE
AB0C\0RS
Pharmaccutico
Pela esrnla dc
Successor de
I'arii*

Premiada na expo-
fi^ao de Vienna d'Ans-
tria.
MEDALHA UE MEBITO
1
I
Adniinhlra9lo: PARIZ, S2, boulevard Uontmartre.
GRANDE-GRILLE. Affcc^oi; Ijmphtic docnea.
das via. dlgeatlvaj, obslractfles d.) fiKado e do baco,
obstracfOes vlsceraea, concnjSes calculosa. da bllo.
H0PIT1L. Affto;fl.... das Tins dlgesliras. incom-
modas do estomago, dlgeslio dlftlcll, inappetencia,
gastralgla, dT>pepsia.
CEIESTINS. AITectfies dos r!n, da bexiga, artlas,
concresO^s das oartnaa, gota, diabetes, albuminuria.
HUTERIVE Atr.-csfiosdos rins,da bejlga,arelas.
concre90es das ouriuas, go!a, diabetes, albnminoria
EXIGA-SE
o NOME da FUENTE n CAPSOLA
I
As Fontcs de Vichy, aclma nom.adas, achlo-se :
Em Pernnmbuco, HARISI9EH0T e LABILLE. rna
do Commcrcio. |
RETALHASE
Na botica franceza n. 22
Rna do Itoiu Jesus
NAO MAIS CAS
n
DO D0UT0B WILLIAM N0BTH
Para reitituir progressivsmente aos cabellos
A SUA COR PRiMITIVA
Ella snbstitae comvaptagem aspommadasparao toncador.
ACUAPARAPESTITUIRiMPOUCOSntAS AOS CABELLOS
A SUA COR PRIMITIVA
Bora exito infallivel desde o loaro ate ao
Supcrlorldade incontestavel; emprego
FERFUMARIA ORIENTAL. 3, rue Brrgere, PARIS
Deposito era Peruambuco. A. BEG0BO.
o preto
oflensiro.
Lindas popelinas de linh) com salpicos edelistras
assetinadas pelo baratissimoprego de 320 rs. o covado: na
rua Primeiro de Marco n. 13, loja das columnas, de
Antonio ; orreia de Vasconcellos.
N.5 A.Rua do Barao da Victoria.N. 45 A.
LOJA DE JOIAS
DE
JOSE JOAQUIH DI4S DO MM.
Isto sina Ju nao e liquidacOio e queima! !
O proprietario deste nov estabelecirnento aturdido com o ine?perado etrid3r dos gritos que
surgem de todos os angulos de*ta gra> de cidade, annunciando a liquidacao dos estabelecimentos de joias ;
e, receio?o de ficar -OSIN'HO, apezar de b^m avaliar as grandes vantagens que neste caso deveria au-
fenr; tomou a inabalavel resolacao de QUEIMAR todas as suas joias, com o nnico fun de eneorporar-
se a grande caravana, a, com ella, seguir em romaria para......." 6 segredo 1
A pyra esta ardente- as victimas aguardam brilhantes o momento do sacrificicso fal
os sacrificadores.
Mo posto, esperase.com justa r.izao, uma prande conenrrencia dos amantes da econ
que d3o devtm perder o ensejudese proverem de objectos taes; e devem-n'o ainda assim fazer,
qne depois de todas essas liquida^oes, com o novo anno, acabam-se as JOIAS desta cidade, e nao
tera publico aonde deltas so possa prover.
A ellas! A ellas !
ARISTIDE SA1SSET E. J. SOUM
Ttatamento puramente vegetal verdndeiro purificador do sangue. sem mercurio.
A Essencla de Cnroba e dm remdio lmje reconhecido como um poderoso depura-
tivo e especial para cura de todas as molestias que teem a sna origem na impureza do aangc-,
como sejam : as molestias Stphllwicas, Boubaticas k Eschofolobas, Hhfumatismo, Ejipisgf::s, em*-
tros, Ulcer as, ErupcSes, etc etc
Os prodigiosos elTeitos qae tem produzifo a Essenrla rto (arofea. por toda pare
onde ella tem sido apropriadamente esperimentada, a tera feito adoptar como um dos medicamen-
tos mai3 jegnros e mais energicos para a cura de todas as mole?ti;: de natureza syphilitica
boubatica.
A cada frasco acompanha uma insirnc^ao para a maneira de c?ar.
Pomada anli-darlrosa
cmichoes, etc., etc.
dc Carols
t
Contra as affec^oea cutanens, darthros,
Li:glU;IllO
Para cura das boubas, ulceras, cbagas nntigas, etc.. etc.
UNICAME.NTS ri'.EPARADO POH
RODQDAYEOL IBMAUS, SUGCES^ORES
Botica Franceza
22 Rua do Bom Jesus 22
ANTIGA RUA DA CRUZ )
PBESERVATIVf DA ERTSIPEL.4
PREPARADO POR
BARTHOLOMEO & C.
hannaceuticos da casa real de S. I. F. el-rei de Portugal
Premiados em diversas exposigoes com o primeiro pre-
de sua classe.
mio
O xarope vegetal amencano, garantido puramente vegetal, nao content em sua composicao
umsoatomode pio, e Mm -dmente succps de plantas ndigenas, cuias propriedades benencas na
cura aas molestias quo pertencem aos orgaos da resuiracao, tem sido observadas por longo tempo pe-
los medicos mais distinctos que o re-OTimendarn e prescreveji todos os dias no tratamento das brou-
chites, tanto audas como chronicas. as.hma, toss-s rebeldes, escarros de sangue, tnisica no primeiro
grao e contra as irnta<;oes nervosas. -
DEPOSITO GERAL
54 Eualarga do Rosario 34
PFRNAMRU*
0.
AGUA DIYINA
E.COUDRAY
DITTA AGUA DE SAUDE
Prcconlaada park o toncador, craw cooaerrando
eoaatantemento aa ballaa eon* At mocldada, i pra.tr-
rando da peate do cbolen morbo.
ADURTENCIA IHPORTAHTE
Cmai imitacJes 0 falsificacfies frandnlenUj,
As mais vent damnosas a saii'de, eiciudas pela
faraa Uo jnstamente adquirida pela Agna di-
vina, obngao-me a recommendar aos coniumi-
dores ie reconhecer nnicamente como legitimas
is garratas no gargalo das qnaes acha-se uma
Kqaenaa fiia cod a minba
a marea do fabrica.
PARIS, IS, me dl'EBchlcn.
Kaoontta ..meaaadatodo.o.prlDclpM.Perfumlit
a Cab.llar.iro. d. Amflaca.
VEROADEIRO ELIXIR DO D" GUILLIE
T0NIC0 AHT1-FLEIM0S0 E ANT1-BILI0S0
PREPARADO POR PAUL GAGE, pharmac'eutico
Unico proprietario, rua de Grenelle Saint-Gtrnai, 9, m Poru.
A accto do Elixir OaJMd 4 inuiramenie banaBca.
Cone poritaUvo nlo d.blliia como os oatro. remedlo.
doou qualldad., por.m tnnlBca NfTMca no m.amo
leropo : aazilla a corrig. todaa a. secracB..; di forca
M dhrorso. orrdo.: nlo nig* uma dl.l. .ev.ra, polo
eonlnrio pracito lom.r oat hot refeicao i lard*
qoaodo a. oaar deile; pod* a*r adminisirado com
egual eillo na mala Wnr* Id.d* como na mala adlan-
lada velhio. .em ooaca caoatr accident* qualquer.
Na dot* pouco do agoa aaaocarada, stja anies aeja depot, da co-
roida, esiimula 0 .pp.Uu, a viva laa fuoccde. dlgeilWaa,
.ub.lltu.* loaaa (uiiiA)i 0 icrmnlh bebida. am.r-
gaa que a* coaunna tomar.
Un folheto qu. d 00 verdadeiro traUdo i* medicine
!,nS! itrnV*1 ik 4 "! com cada garrau
As ELIXIR. Elle Indict M doenc.s inlet ELIXIR
0 Dill 0 modo de our dell*.
A* puaoas qae qalteran consnlttr tsie folheto
utM de Dttnm de.t* BLIXIR, podem diriglr nu
pedldo franco to 8. Paoi Gal em Part. na
SroTlncU oa not ptiztt tilrangefrot, em can dos
poaiurioi; tM* folheto-lh.. .ert antngat de
grata at Immedlaitmente.
ixsd* cincotnu tnnot t repuuenodo Auairaima
..palhoa-M n* mood* inlerlo p.lo. sorrlcos qn*
qu. cada dia elle pr**u ao. medlcoa tot enferme. n
Clio* grava. oa aeaanganido*.
HO
Bacharel |ane! de Siqueira Gavalcanli
Remedio efilcaz, nao so para curar qualqcer ataque de ervsipela, >*omo
para impedir 0 seu reapparecimento.
Approvado pelo Governo Imperial, acha-se a disposicSo do PoMico
,com as respectivas instruecoes, aitestados de pessoas notaveis, e de Medicos
do grande reputacao.
Depositos unicos.
Pecife: rua do Barao da Viet ria (rua Nova) n. 10, casa
Rocha Siqueira,
Rio de Janeiro : CGrte, raa do Ouvidor, n. 78.
Gratis aos Pobres.
E sobretudo util & classe operaria, a quem elle poupa gastos considera-
veis de doencaa e tempo perdido, pois com o elixir odhxix, as enras
sao rapidas. *
O Elixir QmBU6 vende-se em todaa aa principaes pliarmacias das Aturicai nomeadamente
no Pernambuco: A. REGORD; BARTHOLOMEO EC..
ASTHMA
fPRISSiO, C1T1IIN, TOSSB 0ISTI.VDA
irrrccois bis tias as lispiueio
Cora immediala pelo imprego do PAPEL e
dos CIGARROS de Vicquel. pharma-
ceatico de 1" class* da Escbola de PARIS.
Eocontra-se em todas at principasi pbar-
mtcias.
Depoeitoi em Pernambuco : A. RES0RD;
BOTICA CENTRAL DE PHARMACIA.
Ter cautela com at imitacoes fraudultuas.
VINdePUINQUINA
FERRUGINEU/deMOITIER
Cea*
it Tiihel
iji aphaipattto tie
EtteTiaUM prteeniutlo por teda a
empretn DMdkal como tendo e mais podfrat*
so*** prHido para enar a Csoaaona,
Aauu ElIAMTACAO M f AKSOS.
Deposito geral em Paws, 14, raa des Lem-
*arAs, aamretMel, phtrmacentice.
*V^omo*eo, A RECORD, a nu princi-
ae phtmtcitt.
OLEO
DE FIGADO DE BACALHAU
IODO-FERREO
COM. QUINA
B CASCA DE LARANJA AMARA
STDontor OOCOCX, 1 J, galerie eTOrletne [Paeo Real), Parit.
E*M tMdkaaeaW ftcil do tomar, t*m r*s*ibo, do cheiro agradtT*!. P.U taa coaposiclo,
** todts *J ntJMaAM mm* Um ptrm.Utcn ttbttitiir con vaatacem toda a sorio do modlcutoiioi,
come ptiuiai ftrruginotat, vinko de quina, oleo de figado de bacalhau, xarope de catet de
lar^aam**,tmm)t*tMn man cembaUr a anemia, a chlorost, as o^cccoV* do petto, a bnmehiU,
oteatarrhoi, a hc, a ateJAeee ettrtmota, etcromJiulota, He., etc
Nr omUto do t omDroco facil, da taa ace*. moittaUeo 0 s.gnra, da oooaomia para 01 dooatot,
os DMdico* prooonvoa u\ por profereacia a o^algMr oatro aaadieamaalo similar.
% RECORD.
Constructor e afmaor de pianos
55Rua do Imper .dor55
Ex-afinador das antigas e afamadas casas Pleycl & Herz, e antigo direc ttrdar
officioa da casa Alphonse Blondel.
Tem a honra de declarer ao respeitavel publico desta cidade, que tem aSerto
sna casa de concertos e afinagdes de pianos, qualquer que seja o e-tado do instrniiento.
A' mesma casa acaba de receber uai grande sortimen'.o de pianos dos melho-
res fabricantes de Paris, como Erard Pleyel, Henri Herze .ilphons? Blondel) todos
os pianos sahidos da casa Dhibaut s8o garantidos
Compra-se e recebe-se em troca os pianos usados.
FUNDICAO DO BOWMAN
RUA DO BRDM H. 52
(PgiSsando o chafariz)
PEDEM AOS senhores- de engenho e outros agricultores, e compradores dem:
chimsmo o favor de fazer uma visita a seu estabelecirnento, para verem o noro sortime-
to completo que ahi tem ; sendo tudo superior em qualidade e fortidao ; o que com a n
truccfio pessoal pode-se venficar.
ESPEQAL ATTENQAO AO NUMERO E LUGAR DE SU\ FUNDIQAO
Vapores e rodas d'agua dos ^ modern08 e em tamanho9
vementes para as diversas ctrcumstanc.as dos senhores proprietarios e para descarcv
MoendaS de Canna fc todos os.tamanhos, as melhores que .qui exiatea,.
Rodas dentadas para ammaes, agua e vapor
Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
Machinismos para mandioca e algoda0| e para serrar ..a.^. lMr2SBr.-SB
BombaS de patente, gar.ntidas........ (^.V^^
Todas as machinas mti3 de que m ^^ precisar>
h az qualquer COncertO de ffiachinismo, a preco mui resumido.
rOrmaS de ferrO tem as melhores e mais baratas existentes no mtwado.
linCOmnienaaS. Incumbe-se de mandar yir qualquer machinismo 4 tooU* *o
clientes, lembrando-lhes a vantagetn de fazerem as compras por inleriiiedio de ptMO*
enttndida, e que em qualquer necessidade pode lhes prestar auxflio.
I Arad0S americanOS e iostrumeptos agriorlas.


-V. ....... '

.
'


Diario i Ffersamtraeci Segamk to* 3'-de Novembre ! in novi rival!
Para uma cidade tao populosa cwio a nossa, 6
por certo insnflkien.e a exiaten de uui utiico
astabelecim-nto no geuero daijuel e que se-denu-
mina Conftilaria do Camros.
E' tste o niolivo '{wro/ie acaba de ibrir-se a
concurrence publics no baino do Recife a rua
do Commercio n. 22, uma casa commoda e de-
cente, sob o titulo de AssembUn do Commercio
onde o respeitivel publico enjontrira sewpre
Sie precisar, o necessario para :
m casamento.
Uma soiree.
Uui bnptisade e
I'm lanche.
Ha iambi m :
Grande variedade do bebidas float.
Complete sortimento de doce? para embarques.
Boliohos sortidos e fructas de delicado sabor.
Bandejas caprichosaraente preparadas.
Fiambrts e lanche a qualquer hora.
Tudo com esmerado aceio, presteza e precos eqni-
tativos.
22 Ru. do Commercio 22
Hcira & Lima
__________Asaemblea do Commercio.__________
AitaBio de Azevedo Villaroueo.
Pelo presents sao eonvidados os afilhados e afi-
lhidas de Antonio de Azevedo Villaroueo, falle-
cido em Portugal no mez de outubro de 1873, a
apresentarem dentro do prazo de 60 dia-, a con
tar de-ta data, a certidao da sen nascimento, em
casa do ahaixo assignado, testamenteiro instituido
pelo dito fallecido, ahm de que sejsm devidaraente
attendidns na partilha a com a precisa igualdade, de accordo com a d'spo-
sicao testamentaria. Recife, 10 de setembro de
1874. Man el Azevedo de Andrade.________
Exmas. noivas.
Chama-. os a vosaa atu ncao para o novo esta-
belecimento que acaba de abrir-se a ma do Com-
mercio n. 22, denominado ASSEMBLEA DO
COMMERCIO onde se preparam nca" bandejaa
com uraude variedade de buliuhos caprichosa-
mente enfeitados, tambem se apromptam bou-
quets.
As.-emblea do Commercio
Ueira 4 Lima
22 Rua do Commercio 22
Catharina fugio.
No dia 28 de agosto proximo passado, ausen-
tou-se esta escrava, a qual tern os signaes seguin-
tes : esiatura baixa, rosto redondo.cdr preta, pes
peqren-s, costumava vender leite, anda sempre
com um <." -to que Ihe serve de arrimo por sof-
frer de rhenmaiismo, ja 6 iloaa e de najao Cam-
bioda : qnem e enconlrar, pegne-a e leve-a ao sitio
do Cafcndd, estrada do Joao de Barros, que sera
graliticaub.
HOTEL
Restawxmt de Bordeaux.
Aberto tuda a ooite, dos dias de espeeta-
culo da coTipanhia italiana.
!<> m in go s Ferrcii-a Mala.
Alguns arrrigos do fallecido Domingoa Ferrei-
ra Maia, raandara dizer por sua alma missas ns
dia 10 do correnle, setimo dia, na igreja de S.
Franoisc, as 7 horas da man ha, convidam aosj
amigos do fallecido, para a ellas assistirem.
Dr. Alexandre de Sonaa Perelra do
Carmo
D. Anna Lins Accioli do Carma,
seus fllhos, nora e maao (aosente),
agradecem cordlalmente a todas as
pessoas.e a eorporacao medica, oi
cuidados que tiveram para com o
sen finado marido, pai, sogro e ma-
no, assim como as que acompanha-
ram ao ultimo jazigo os restos mortaes do mesmo
finado; e de novo rogara o caridoao obsequ o de
assistirem a missa que pelo repoaso eterno do
mesmo finado, mandam resar na terca-feira, 3 de
novembro, as 8 horas da manhi, na capella do
cemiterio, T dia do sea paasameuto, pelo qne
desde ja confessam eterna gratidao.
mmmammmomammmammmmmmmmmB
.llarticiiio da Nilva Costa .Junior
Joao Vicente da Silva
Costa Junior manda resar
uma missa no dia 4 de no-
vembro, pclas 7 horas da
manha, no convento do Car-
mo desia cidade, por alma
de sea primo Marliobo da Silva Costa Junior, tri-
gesimo dia de sea fallecimento; e convida seas
parentes e amigos e os do finado, para assistirem
a esae acto de religiao e caridade ; pelo que desde
ja se confessa eternamente grato.

4Iugam-se
BBuas casas de campo, na Cruz das Alines e
Pofo da Panella ; a tratar com o corr.mendador
Tasso.________________________________________
Moleque f'ugido
Fortunato, moleque de l'l a l\ annos de idade,
preto, fia'xi. cheio do eurpo, roat) redondo, boni-
tos deots o c.ih'U i cof tad'i d fresco ; auaentou-
ae na lard-' le id do c rrente, com cami-a de ma
dapola ca'-a de brim de cor, detbotada, chapeo
de massa nreto, conduzindo am aerrote grand i e
ui.i amarra lo i!e ires tabicaa, sobre o beico supe
rior an lava oltiinamealo ;.i:n uaias fendiobts.
Grati e a quern leva h a raa da Aurora nu
mem 163.
mmm.m
Dr. Alexandre deSouxa Perelra
do Carmo.
0 coronel Antonio Pedro de Si Barreto con-
vida as pessoas que quizerem assistir as missas que
manda rezar na capella da Torre, pelas 7 horas
da manhi do dia 3 de novembro, 7.* dia do
paaaampnto do illustre Dr. Alexandre de Souza
Pereira do Carmo, e desde ja, como amigo e gra-
to que sempre foi ao mesmo ttnado, agradece es-
te acto de religiao e caridado.
A!ug
o 2" an "8r e sotSo do subrado
da rua d !1. ngel n. 73, tortorccons'.ruido e
S6seia o, rum bastantes comtnodos, escada
indepi ndetrte do !. aodar, e bem assirn o
ini; I ; spndn n;uito fri'SCO e com excel-
'. :u i visl [' ra a nova praja do mercado :
: s rii-iVi-s. estSa no estuboUicimon-
ih-i-Ins '!o mesmo predio, e para
' ibHsournrta das loterias com Ante-
[lodrigues de Sauza (seu pro-
I .i ..
CiScnptas
r -" ci in'hahili'ini-a, diap'rdo ainda
i .. i, se propoe a fazer algumas es
; r parti das dyhradas on aim-
o'.ir ilTectivida.le ou mesmo tempo-
rariam Bt<*. A mnita pratica adquirida nesae
inte a perfeic^o de sen irabalho, e a
--rliii lade, em davidu, satiafari a qu^ra Ihe
. os -i rv.rn- : qu :o. precisar utiliaar-se
se ; reatin o, pode deixar nota na loja do Passo,
in ir il) o name e lupar para ser procnr.ido.
Ctii'i fraaeisco de Paula Ucbda Cavalcaate
d pre'isa se f-illar com urnon:ia : na ru,
Marc,o n. 1G, 1 andar
Ei-'xeuho Santos Maudes
1 OD rJF. ORATil-lCACAO.
Cont'mQa fingida deede 20 de deumbro de 1873,
; i s Uende comarra dc .N'.zareth,
i in&aem, > escrava Vari3, crcou
' >!e iia 1e pouco ni'is ou men a,
baixa, '.t..- a cor pn-ta, rosto alqaebxado, p^a
- panadoa, tern cahell- s brancoa, cauelas
lina-, d ua ignaes cabelludos no qnpixo, e e bem
; g :a - 'll t da a probabiliiftde de que eaie-
ja I la i r algucm, e desde ja protesta se con-
tra qnuiii ;.-liver acoitada. A pessoa que entregar
(a es rava a >eu don ', que 6 o stnhor do enge-
nho aci'i.., Laarentino G mes da Cuuha Pereira
3 Recife, larg i do Cnrpo Santo n. 19,
. i-erarecympen-ado com a quantia
de e-
? Aiuga-se a ja lo acbrado a. 1 da rua do
Ar t **.- e com am proprielario. a rua do
llo^i n. 33.
Na travessa da rua
dasCruzee n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e briihantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
MOFINA
Esta encouragado !! !
Aajua mole em pedra dura
Tanto da ate que a fura.
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de Mall
dserivao na cidade de Nazareth desta provincia,
fayor de vir a raa Daqae de Caxias n. 36, a eon-
clmir aqnelle negocio que S. S. se compromettea a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
Qns de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou i;fevereiro e abril de 1872, e nada enmprio;
por este motivo 6 de novo chamado pan d
3m, pois S. S. se deve lembrar que este nagoei
de mais de eito annos, e qaando o Sr. sen nlho
achava nesta cidade.
AiUGA-SE
uma grande casa terrea com bastantes commodos
siia na estrada do Lucas : a tratar na rua do Vi-
gario*. 31.
AMA
. Para comprar e cozinhar :
a tratar a rua N >v.i n. 12.
loja.
m* a Precisa se de uma aina para en-
lwJl iikV gommar, para casa de familia : a
tratar na rua do Hospicio n. 46, casa terrea de
bolas amarellas.
* rna' Preetea-se de nma mulher morigerada
J\llia> para tratar de duas meninas crphas de
mai: na roa Duquede Caxi.is n. 84, I )ja.
AMA
Preciia-se'de nma ama qne saiba
eozinhar: na fabrica a vapor de cigar-
ro, a ma larga do Rosario o. 21.
Ama
Precisa-ae de uma ama livre on es
crava : na rua da Uuiao n. 47.
Ama de leite
de leite :
a tratar no
Precisa,-se de ama ama
largo de S. Pedro n. 24
Precisa se de uma ami livre ou escrava,
para eozinhar em casa de pooca familia : na rua
do Imperador n. VI, 2 andar.
Escrava fugiifa,
Josepba y.usenloa se da casa de sua scnuora
no dia 5 de outubro e tern os signaes aeguintes :
crioula, cor preta, repreaenu ter 23 annos ponco
maia ou menoa, tern os dedos da mSo dfrei'.a
cortado*, levou o taboieiro em que andava ven-
dendo cangiea e contmiia a andar eom o dito ta-
boieiro com loda louga para n5o ser agarrada,
ievon saia de chita com urn babado esrreito em-
baixo, traja camisa com labiryntho no talho e Ie-
von cbales preto: roga se as auteridades poll-
ciaes on capitaes de campo, a apprebensio da
dita escrava e leva-la ao Caminbo Novo, sitio n.
110, a sua senbora, en na raa da Cacimba, pri-
meiro andar, a eulregar ao Sr. Joao Francisco
Leite, qne sera geoerosamente recompensado.

Ama de leite.
Precisa se de ama ama de leite : na raa de S.
Bom Jesas das Crioulas n 40.
<&&
Pillulas Gatharticas
de Ayer.
F.ti to~(tos os effeitos dj
um remedio laxnnta.
Nao ha--segnramcnte, ut
remodio tam universalmente
procurado como um cathar-
tico ou pureante, e nenbum
outro tern siao lio usado cm
todos os paizes c por todas as classes, como estas PIZLU-
I,AS, suaves mas efficazfs. A raziio 6 evidente, fomiao
m remedio rouito mais ccrto e efficaz que nenhum outro.
Aquelles que os teem ensaiado sabem que se teem curado
su 11=0, os quo nao os cnsaiarai sabem que seus amipos
e visinhos se teem curafte, e todos conhecem que o resultodo
tiv ido uma vcz, se tirari Wdas as veze^, e que as i*nxrj-
I.AS nunca fall.So por ebbsequencia de erro ou negligencla
ti BOA comrjosiciio.
Temos milhares sobre milhares de certificados referentes as '
distinetu curas que hao effectuado estas pillulas, nas moles- !
tias q;:e em scguida mencionamos, pore"m aemlo taes cura3
C'Ohecidaa em toda a partc aonde teem penetrado, des neces- !
B:trio e publica 1-os aqui. Adaptadas & todas as idades e a
- coudifoes, em todas as climas, nao contendo caloin-
elnno ncm outra qualquer droga deleteria, ella3 podem ser
is por qualquer pessoa com toda seguranca. Sua
capa d'assucar as conserva sempre frescas, e as tun-.a costo-
fi:is ao palladar, sendo tambem puramente vegetaes, nao po-
dera reiultar effeitos prejudiciaes se por acaso forem tomadas-
em qoze de."masiada. 0 papel que serve de coberta para
i !.i vidro leva dircccoes miuueiosas con. relacao as secnin-
tes mole>tias que as PIZ,ZTrZA8 CATBAJLTICAB rapi-
damente curao. Para a 7>yspep>ia oh IndtgeHao, ZHt-
plicencla, Zangttidez, Falta de Appetite, devem ser
t. :iadas em dose moderada a fim de estimular o cstomago e
r- tablect r suas funccaos gaudaveis.
Para t\''Doeneas do Flyado e suas divcrsas symptomas
JEnxaquceat BUiosat, Dor de Cabeca, Ictericia, Col-
*ra tiiVu,M, e Febrei Blliosa: devem se tomar tambem
laments em oado caso, para correger a accao iviiada
ou rem'iver o obstaculos que a causao.
Para a Dytcnteria ou Diarrhea, 4 geralmente bastante
nu dose p^-uena. *i
Put- MMruntmUrmo, Gotta, Arrclai, Palpitacao do
Curacao, Doret ao> oUrM ou oottat, devom ser
tomadas continuadamente, *e" alterar a ac^So dos orgSos
disregulidos, do sorte que a ^lolestia disapparepa.
Para a ITi/dropegtm e XncftncoV* Bydroptcal, 4 preciso
toma-l-ac frequeutemente e em porooes assas grandes para
produzir o efleito de um purgativo drastico. (Suno Dig**-
tivo para o Jantar ou comida, toma-se uma ou duas para
promover a digestSo e ajudar o estomogo. Uma ou duas to-
a las de .rez em quando, estlmuSo ou estomago i obrar sfto-
davelmente.
Qualquer que m iota* regukmiaata bom, tomando ama
ou dual d'estaa pillulas se achara, muitas vezes, decidida-
cijnte liilbor, par razao que eUag purificam e restaurao a
jyparcDio dlgedM.
PBEFASASaS POB
J. C. Ayer & Ca., Lowell, rTIass., E.TJ.
VBJNDB 8K POR
PARA 0
\alal-ftlia
Da fjata lodos desejam
Ver o dia reaplendente,
Dia que nos leva a mente
Do iniiniio a3 alturas :
Oade os anjrs o amor beijam
E a caridade festejam,
Teem a- abnas sepulturas
Nas estrdlas que flammejam 1
E nesse dia em que tern
Do jubilo raag3r o seio,
Saindo Ihe bem do meio
A cratc-ra da alegria :
E' preciso que os amantes
Da pura gaslronomia,
Vr-nham ja e quanto antes
Do Campos ao armizem.
1'orqne ao aasim lerao
a sciencia do prazer :
Comer bem, melbur beber
Sem reeeto da maldade
ffein da vil aopersticSo,
Q.e jauiaH eonseguirao
Supplant r a iiber'dade
Nos carceree dain .oisic^o I
a do Inipciadot n. 2
Do przer viva o requinte
Alegre coao o trovao,
E da mesa a descripciio
Keparem : 6 a sc-guiute :
Mesa giganta.
Presuulc?. fiambrcs, paios, chourifa-.salchicbas
e linguicas ; lombos de porcos c de carneiros ;
avc3 em 'conaervas, pe ixes e toucinho ; caraaroes,,
oatraa, lagoataa e coe'hos com hervilbas; conservas
legumes e champignons ; queijos fhmengos, pra-
tos e 1 r. -i.i. ; doces em calda e de goiaba ;
fructas em conservas, passa3,amendoas, nozes e
amoixas ; aletria, talharim e mac&rrao ; ararnta,
topicca e cinerenta qualidades de massas finas e
nulrientes ; cba, mate, cafe e cb colate francez,
bespanbol, portnguez e nacional ; bolachinhas,
bolinhos e coofeitos, manteiga inglezt e franceza;
banba, arro?, batatas, cebollas, alhos, cominhos,
pimenta, moatarda e molho inglez ; cervejas, ci-
dra, champapne, cognac, genebra, hesparedina,
bitters, lioores e aguardente de canna ; vinhos
de Lisboa, Figueira, Carcavellos, Collares, Bair-
rada, Bftstos, Porto, Borgonha e Boideiux ; ci-
garros, charuloa e uma graude( giganta ? ) quan-
tidade de victualhas raras e excilanles, nao fal-
laado nas eapeciaiidades dos preparados francezes,
allemae-, inglezes, lur:os, chinezes, hollandezes,
tialianoa, prussianoa, hamburguezes e america-
uos I
Alem do que:
Encontra-se um immenso deposito de novida-
des, como sejam : velas furada-, (?) t^rcidas (1) e
Je ecores, bilhas, quartinhas, oatros mui-
loa objectos de grandea phantasia- ; assim romo o
maravilhoso oleo de mmamona pi parado expres-
samante para eombatera gigantonania e appla-
car o s\"stoma nervoso 1 Ver para c:er.
DistracQoes:
Oa amantes das palestras e boa pinga, encon-
tranVi no fundo do estabelechnento, alem de tnui-
tn fresco e agua fria, buncos macios e mesas as
s--iida--, des'inadas ao aervi;o doa lunchs, que os
mtsmos amantes poderao saborearcm ao som ma-
vioso de uma elegante musica eomposta dos me.
Ihores cantores americanos e q.e sao coadjuvados
por uma bicharia doroeatica e interessante.
Moralidady dacousa.
E' immenso o sortimento
E se vende pelo ensto,
Pelo que e muito jasto
So ao Campos comprar ;
Visto que e um portento
Dos generos o paladar !
Alto la!!L.
0 CAMPOS DA CONFEITUU
R"o seu# genero nenhum
estabelecimenco o pode
igualhar.
E senlo vejam j
Recebe encommanda1.
Para a recopcao do Exm. conselneiro mi
. istro do imperio.
E esta" com a sua confeitsria do Campos
muito bem provida de tudo tjuanto e pre-
ciso para que a ninguem falle xisa til-
W' MTTOE:
kCEPXPES nSLIGIDSOS
E liili qiisntti.
massa fallida de azevedo & c
0* abaixo assignados administradores da massa
fallida de Azevedo & C, rogam aos credores da
meama queiram itir apresentar seus creditos a raa
do Marquez de OKadi a 36, afim de proceder-se
a respectiva classlBcacSo, devendo apresentalos
dentro de oito dias, a contar dsu data.
Recife, 30 de oatuftro de 187ir
Monhard^tiprAC.
Monna
Cozinh<
iinneira.
Precisa-ae deuma ama para comprar e eozinhar:
a tratar na roa do Marqnaz de Oliada n. 43, t
tndar, das 10 da manhi as i Ja tarde,
E. A. DELOUCHE
24-Rna do Marquez de Ollnda-24
IvsquJna do becco Larga
Participa a seus frpgnezes e amigos que mudou
o sou estabelecimento de relojoeiro para a mesma
rua n. 24, onde encontrarao nm grande sortimento
de relogios de parede, americanos, e cima de me-
sa, dos melhores gostos e qaalidades, relogios dt
algibeira, de todas as qualida.es, patente suisso,
de ouro e prata dourada, foleado (plaqnet), relo-
gios de onro, inglez, descuberto, dos melhores
fabricantes, cadeia de onro, plaquet e prata, lunetas
de tod?s as qualidades, tudo por precos muito ba-
ratos.
Carros de luxo.
' E' inquestionavel que a cocbeira da rua do Bom
Jesus n. 15, de Joaquim Paes Pereira da Silva, 6
a que tern as melhores berlindas, caleches, meias
caleches e Victorias de luxo, proprias para qual-
quer noivado, visita da etique'.a, bailes, e actos
da academia, seudo o> mesmos ajaezados de ex-
cellenles parelbas de animaes, arreios luxosos e
bolieiros com fard-mentos do ultimo gosto, para
o que se convida ao publico a vir por si mesmo
scientiOcar-se da wrdade do que deixaraos dito,
eertos de que niio encontrarao pomada e sim rea-
lidade, e commod<>3 pr<. i; s
Deseja-se fallar com o S>\ Joao Leite Torres
Gallindo, a negocio dc um amigo que quer ser in
forraado: a tratar no armazem do Campos, rua do
Imperader b. 28.
Boa moradia.
Vende-se um excellente sobrado, com uma
casa pequeca conttjua, sitas no Poco da Pa-
nella, rua Real n. 30, com bons commodos
para uma familia grande, tendo diversas sa-
l8S grandes e muitos quartos, todos com
janellas; quartos para criados, cocheira,
estribaria, grande copir, casa de banbo
e jardim do cada lado. A casa estd era
perfeito estado, e e situacSo e a mais fresca
o saudavel poasivel :a tratar com a proprie-
taria D. Maria Purcell Raulinsoo. na mesma
casa.
___
O Monte Lima
tern am coppleto sortimeHto de gallo e franja de
ouro e prata, venkdeiro, de todas as larguras,
abotoadurat dooradas pftra oflci?.es, canutilhos e
enfeites pan bordado. Tambem se eccarrega de
todo e qualquer fardamento, como seja ; bonets,
talins, pastu, espadas, dragonas, rtarlateiras, ban-
das, abotoaduraa lisas edooradas, para criado
etc.; assim- como nm cwnpieto sortiownto d
raajas, gaito falip para ornaments, corlio de li
com borla -para quadras e eapelhos (cenforrae o
goito da elKcmmeMa) tad* per rffaito menss
preQo que em outra qualquer pane : na prac^t da
Independencia n. 17, jWWatleteda Sr. Arantes.
- Aluga-*e o priraeir'o andar da casa da rua
do Torres a. 8, propria para escriptorio. oa pouca
familia: a ttttar no segundo andar da rua do liar*
qnez de OMada. -,
Toa attentjao
Ketalha-A Com frentepara a raa da'Amizade,
sobre 194 palrrif* de fundo, uma parcio de optiaw
terreno pata edifioAgio, lirada do site eootiga*
a igreja de^. Jose' do Mangninho, da prof* "
W0
por pa law.
bem ciwo a parte aeMarior a iMani-tftrama
oe praaarfentes {Jottr euteUiW^e com o Sr Dr.
Witranfc
Em Am
mra'ta
Leia
ande casa que_ tem grande
ft'
qnhtal e
dften-
Boos pianos.
Cbegadoa de novo.
Vende-se.
Troca-ae.
E aluxn-iie.
No armazem de vapor francez, a roa do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
MOBILIAS
de vime e de faia.
Vende-se muito em eonta ; cadeiras avulsas, de
balanco, de bracos e de dobrar : no armazem do
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, outr'o-
ra Nova n. 7.
Perfumarias.
Finos extractos, banhas, oleos, opiata e pos den-
trifice, agua de flor de laranja, agua de toiiete
divina, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
crosmeticos, mnitos artigo delicados em perfnma
ria para presentes em frasccs do extractos, caixi-
nhas sortidas e garrafas de diff>:rentes imanhos
d'agua de Cologne, tudo de primeira qnlidade
dos bem conhecidos fabricantes Piver e C> ndray,
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da Victoria, ontr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos de dilTerentesi g'jsto/i r
phantnzlas.
Espelhos, leques, lnvas, joias d'ouro, tssourinhas,
canivetes, caixinhas de costura, albuns, quadros,
e caixinhas para retratos, bolainhas de vellado,
dita.de couro, e cestinhas para bracos do meninas,
chicotes, bengalas,. eculo, pencinez, pocteiras para
charutos e cigarros, escovas, pentes. carteirinha de
madreperola, tapete para lanternas, malas, bolsas
de viagena, venesianas para janellas, esterioco-
pos, lanternas magicaa,cosmoramas, jogos da gloria,
de damas, de bagatella, quadros com paisagens
globos de papel para illuminaeoes, machinas de
fazer caf6, espanadores de palhas, realejos de veio,
accordaos, carrinhos, e berijos para criangaa, e
outras muitas quinquilharias.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de to-
dos os brinquedos fabricados em differntea partes
da Europa, para entretimentos da3 criancas, tudo
a preQos mais resumidos que e possirel: no ar
mazem do Vapor Francoz, rua do Barao da Vic-
toria outr'ora Nova n. 7.
Signaes de Raymunda
{$.50*000.
Continda fogida a parda Raymunda, de cor
clara, approxlmando-se a branea, de 16 annos de
idade, gross* do corpo, cabellos eorridos, corta-
dos curtos, nariz e bocea pequenos, desdentada
na frente, bem fallante, representando pelo sen
todo ter mais idade. Foi escrava de Henrique
Pereira de Mello, do municipio do Bonito, vendi-
da depois a Joao Correia de Queiroz Monteiro, do
engenho Minhocas, comarca de Santo Antao.
Protesta se nsar de todo o rigor da lei contra
quern a tiver occnltada, e gratifica-se com a
quantia acima a quem a levar on der noticia
certa da mesma, na rua larga do Rosario n. 28,
ioja._____________
Um preto e uma ama
Precisa-sede um preto para todo service de uma
casa de familia, assim como de uma ama para en-
gomraado, prefere-se escravos : a tratar na con-
feitaria do Campos.
Tende-aw
uma casa na villa It How(trw, na-Tsa do Cm
mercii., por pre0 modica,: a tratar com las*
Jrm5os& C .
Compra se um balcao e um caixao de pada-
Hi :na rua Imperial n. 147.
Offerece-se uma mulher para casa de ho
mem solteiro, que faz todos os services de cozinh
com perfeicao : na raa da Senzala Velba n. 1
VSNDAS.
ado
A
francez
9^
Botinas para homem
Acabam de chegar grandes jacturas de botina.
de bezerro, de cordavao, de pelica. de duraqut
com biqueira, de bezerro com bot5es, o com ilho-
zes a 9-$iOOO (a escolher) por ter vindo grande
quantidade por conta e ordem dos fabricantes;
ao armazem do Vapor Francez, a rua do Barao de
Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Para lenhora.
BOTINAS pietas, brancas e de cores, diflerentes
lisas, enteitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, brancos,
pretos e de c&res diflerentes, bordados,
SAPATOS de tapetes, chariot, castor e de tranoa.
Para meninas.
BOTINAS .pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para meninos.
BOTINAS de bezerro, lustre e de cordavao,
ABOTINADOS e sapat3.es, do bezerro, de deversas
qualidades.
SAPATOS de tranga.
Botas de montaria.
Botas a Napoleao e a Guilherme, pen.**
meias perneiras para homens, e meias perneira
para meninos.
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7.
Vende-se a taverna da rua da Ponte Velba
n. 1, propna para principiante por ter poucos fun-
dos : a tratar na mesma.
Grande descoberta
Curativo das molestias do
peito pelo
Xarope de sulphito de sada
DE
A. BERKET
Este importante medicamento que acaba de ser
reconbecido pelos distinctos Drs Zalloni e Paras-
cbevas eorao nm verdadeiro eape.;i6co contra a
phtysica, segundo provaram nos grandes nnme
ros de casos por elles experimentados, como^e vO
oa seaaao da academia de Paris de 24 de marco
1o corrente anno, encontra-se unicameate no
Deposito da pharmacia 3 arogaria
de
Bartbolomeu S C.
N. 34 Rua larga do Rosario N. 34
II8HBE
LiaUIDACA
Loja d^ feznto
DA
Rua do Crespo n. 20.
Las de cores miudae muito boa* pan revpa #
meninas a 160 e 200 n. o covado.
Li pretas. superior, a 400 rs. o eovado.
Alpacas de cores finas a 320 e 3C0 rs. o eoradc
Se se veodo.
Ditas com kstras aberUs, (aaeada fina, a 0 r*.'
eovado.
Chitae de core* a 240 e 280 rs. o covaaa.
Metios de cores mindaa a 280 rs. o eoraao.
Cretones, o meibor qn tem vindo ao naarraao i
400 e MO rs. o- eovado.
Cambraias brancas, bordadas abertas, (aaaftai
mais fina qne tem vindo ao mercado, e tateait
de 2*000 o metro, por 1*000 a vara e p*
caincaa.
Ditas pretas com flores miudas a 200 rs. o eovado
Cambraia transparent^, Hna, a 3i a peca.
Dita Victoria, fina, a 4*000 a peca.
Organdy de assento braneo e de cores, eon lo-
re* miudas de seda e de la, a 400 rs. o covaaY
E' pechincba.
Cortes de casemira de cores aodernas a 5*500 i
corte ; e faieada de 8*. E' pechincha.
Camisas de linbo finas, lisas, a 35* a duzia, e fa
zenda de 55*.
Brim braneo de linho a 1*400 a vara.
Dito Angola, verdadeiro, a 600 rs. o eovado.
Madapolao francez verdadeiro, 24 jardai, a ft*
74 a peca.
Algodao T, largo e superior, a 5* a peca.
Gorgorio preto de seda para vestido e para collou
a 3* o eovado
Toalbas alcochoadas a 4*500 a duzia.
Colchas grandea a 3*500 uma.
Cobertas de ganga, forradas, a 3*.
Lencoes de bramante a 2* am.
Lencos de linho, abainhados e em caixinhas >
3*500 a duzia.
Ditos de caca de cores abainnados a 3*500 a du
zia.
E ontros mnitos artigos qne se vende por roe
nos do que outra qualquer parte e para se de?
So na lorem queiram mandar ver as amoitras.
enganaja de
Gnilherinc k C.
Camisas.
Camisas franeezas brancas de algodao flno con,
frizo de e6r a 2*000 uma, em duzia a 23*000;
e pechincba : na rua do Creapo n. 20 loja do Gui
Iherme & C
Atteneao
Fugio no'di-. 7 de setembro o eseravo" do abai-
xo assigoado, eom os siaaes seguing* : Egidio,
cabra, idade de 20 annoa, cabellos carapinhos,
olfcos atiolcados, atara tagtltr, r6ste um. taut)
e&npado, belcos |rrss, bocea refilar e um
tanto bicodo, cabeca pequena, orelhas regularen,
1)raQ'os, a meama Cotrsia, pernas reguhres, tenae
a esquerda e o pe iocbado, por lbe da- erysipefa,
nariz regular, e bom ablh*der d? elarta, e
tambem I boleeiro, natural desta cidade do Re-
cife, e foi comprado ao ex-capitao do perto desti
nroviaeia, Jose Joaqim da Silva Jacques : roga e
abaixo wsignado as amloridade* policraes e ca-
pitaes de campo e de navioa, a soa captura e le-
varero-oo a povoacao dos Afogadoa, qne serio ge-
neroeainerite recompensados.
Jos6 Baarqao LCisb<:a.
a se o 1* e 2 andaros da eiaa n. 19 da
raa ao iNogueira, jnotos ou aeparados : a tratar
na rua do LivrameBto n. 23, 1 andar._________
Aluga
aa do Noi
CRIADO.
Na rua N*ova n. 7, segundo andar, precisa se de
im que seja eseravo.
AO COMMKRCIO
Jose Petrelra Braga, soeio da fir ma Mtnoel
ose Tinoeode Soaza, decrara qne tendo ttrado
im liquiaaedo a dita firm*, aeha-se e'le encatre-
1*40 da mesma Hcraida^So'.
4luga-s
o seg*uid*aridar do sobrado sito a rua de
liluu* 1.89, com agua de Beberiba : a tralar i
Wilson Howe 4 U vendem no sen armaica
a rua do Commercio n. 14 :
verdadeiro panoo de algodao aiul amancano.
Excellente flo de vela. .
Cognac de qualidade
Vinho de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as qqalidades.
Cheguem 4 grande pechin-
cha
0 Desengano esla vendendo pelo baratiasimo
prego de 500 ra. o covado alpacas de la e seda,
fazenda muito (ina e de lindos padroes, fazenda
que mu tos vendem a 1*200 o covado ; e grande
pechincha ; cheguem a ellas antes que se acabem :
na rua do Crespo n. 25. junti a loja da esquina.
0 Desengano esta quei-
mando
0 proprietario deste estabelecimento tem resol-
vido vender as fazendas exiatentes em seu eatabe-
lecimento, por menos da que em outra quabuer
parte.
Brotanha a 20JJ a pega
0 Desengano esta vendendo pelo diminuto preQo
de 20^ a peca, brttanba muito flna e com 23 varas
cada peca ; e grande pechincha.
A'pacao a 800 rs.
0 Desengan i esta vendendo pelo diminuto prec.
de 800 rs. o covado ; eta fazenda de lindas core
e pidrdes, 6 fazenda que muitos vendem a 1*."00
o covado ; aproveitera.
Cortes bordados a 55?
0 Desengano esta vendendo pelo barato preco
de 5, um c6rte de cambraia bordada, branea e de
cfires, e pechincha ; 6 fazenda que muitoi vendem
a 10*000.
Madapoloes
0 Desengano esta vendendo madapolao francez
com 20 varas cada peca, pelo barato preco de 4*,
e grande pechiacha; ditos inglezes e francezes,
linos, a 5*, 5*500 e 6* a peca; apr.veitem.
Organdy a 320 rs.
Organdy braneo, de listras, fazenda muito Gna,
pelo diminuto preco de 320 rs. o covado ; e gran
de peehincha.
Cambraia anjo da meia noite
Vende se esta linda camoraia pe o diminuto pre-
co de 3#"500 o corte; Bprovettern qae o D?sengano
eat aquelmando. _________
Chocolate do ittaranhao
I'nii'o deposito nesta cidade,' em Maa de Jose
Tavares Carreiro dt ma Direita n. 14, onde s*
vende pelos precos e vantagens da fabrira. .
Para o fabrico de chapeo^
A NOVA ESPERANCA recebea o arame propn
para armaQHo de chap'eos._____________________
BAZAR
DAS
FAMILIAS
Rua Duquc de Caxias d. 60 A
Grande queima.
Corram a pechincha 1...
Riquisimas sa-.iJaa de baiie, de la, para senh.
ra. Verdadeira novidade no mnndo elegante I
Capinbas de la e seda para senbora. C u-
inteirarcente nova I
Excelleutes cachincis de !a e aeda para scnl,
raa, por 5*500.
Casaquinhos de gorporao preto de seda. I
meote bordados, pelo diminuto preco de lOfOit
Excellente acquiaicaoo I
Chales de seda a 13*. Baratiasimo !
Grosdenaple preto a 1*200 o covado.
Popelinas de seda a 2* o covado.
Faia de seda, fazenda modernissi aa, pelo c ~
modo pre;') de 2*200 o covado.
Popelioas de seda, cbjecto da ultima mi-, i
1* o covado I
Ditas dc linho com listras c agradavcis p:.
droes, a 440 rs o covado.
Cambraias transparentes,fazenfia mui fina e a-
grande proenra, a 6^500 e 7* a peca.
Alpacas de seda a 1* o covado. Grande pecsic
cba I
Granalinas de c5r:a com listras asetinadas,;
800 rs. o covado. A ellas emTuar.to restam 1
Cambraias bordadas a 1*1'0 o metro.
Rcas r-olinaises, bordadas com eamero, a 38^
cada uma.
Tapetes para sofa, grandes e pequencs. Padroe
especiaes 1
Ditos para portr.s.
Ditcs para cama.
E oatros artigos para bomens, scahora-
crian^as, os qnaes artigos nao se meaciouara par.
nao massar sa a benevola attencio dos leitorea
leitoras, amantes do bom e do barato, e enti.
siaatas da grande virtu le domestica a ecoc
mia '
Corram quanto antes a grande pechincha,
fregnezes !
Vinde ver, comprar e admirar I
Para concertar meias
A NOVA ESPERANCA, a rua Duque de Car:*-
n. 63, receben desta neeeasaria linha.
Aos cigaiTeiros
A NOVA ESPERANCA vende papel de Jin*
prcprio para cigan'.-. dc diversas largora*.
Alpacas a 400 rs.
0 Desengano eata vendendo pelo diminuto pn
Co de 400 ra o covado, alpacas de la e mi, d
lindos padroes, fazenda muito fina e larga, qu
sempre se venderara per 1*200 o covado, e pari
acabar; a ellas antes que se acabem : na rut
Primeiro de Marco n. 23, junto a loja da esqnic*>
Las
A 160 reis o covado
Rua d* Qoeimado n. 43, junto a loja da Mag-
OOria.
La;iatias a chjneza, padrSes modernos, pelo
modieonreco de 160 ri-'is o covado.
S6oM3.
a
Gal de Lisboa
Vendfe-sa ,cal de LiahM : na praca doCorpc
Santo n, 17, r* afiaar, escriptorfs de Joaquim Ro-
drig '63 Tavares- de Mallo.
Vende se nm peqoeno sitio a estrada de Joao
de Barros, oa a* eaaa awaaeoos tarreooe aa-aws-
mo sitio, conforme se entender mais convenieBte e
vaBtajos : qnem pretender, pode-se dirigir ao
I proprietario Antonio Peficiano Rodrigues Sette,
ita estrada de Joao de Bat^aa, caaa n. 9.
irio D. 31.
se Trma peqileTia afttracao
pertencaa, sita na cfdade-
raa d*
Tendo-se deaencamlnhjdo os taiu
e-flJOa, petfeMWea.' ao: *,'de vi
cvUdfto, d* aMbie do r^rtDierfjrortuj
do ^Mfre JosrLfjpwDrWHllllirvWh
22-de nffn*ro de 1870, na fregue'zia de Sa
excell
garraf;
qoalid
aa
tHimr^io dtw Bbbw^
Aiaga- aa eseaaw iMnnelo-ierv t Gloria n. 118.
gnar
Vende-se trma casa em aberto, aa ladeira da
ica de S. Pedro, na cidade de Olinda,
m 33jft>almos de fr-ota e grande quintal'
se*vee $tr barato preco : a tratar na rua
uque # Caxias A 9*.
Asunicas verdadeira?
liichas hamburgnexas qne vem a estea;rw
na ma do Maraaex da olinda a. 51
Farinha demandioca supe-
rior.
Ttim para vender, Joaquim Jose Gongal-
ves Beltrio & Ftlho, a bordo do palhtbot--
Rosita, fundesdo so pe do caes doCollegio
e para tratar a b ir lo ou no seu escriptorio
& rua do Commercio n. 5.
Chocolate hespanhol
mnito fino, tem para vender na Assemblca d.
Commercio, Meir? & Lima, raa do Commercio nu
mero 22.______________________________
A 120 rs. o covado.
Na raa da Imperatriz n. 60, vende-se para aca-
bar ama grande qaantidade de 13s, restos do di
versos sortiraeetos, desde 120 rs. ate 800 ra.; no
tandb-se qne, qaando havta sortlmentos compie
tos, se vendiam a 1*280 e 1*600 o covado, a*
grande variedade em padrSes, os qne primein
ichegarem melhor pechincha farao, a ella a rna d
Imperatriz n. 60.__________^^^^^
Gal de Lisboa novissima
Vende se era grandes e pequena* porfOta : aa
rua Direita n. 14.
eqiltea grandes e modernos. f Agora sim, ^5_P??f2??
de Margo n. 7 A, de
Na loja da Passo, rua
ordeiro Simo'ea &X
i
em uma das principles ruas nsra ne- Antonro^de Garanhuns, nesta provinc a de P
m a pretender, dirija se ao oitfe da le *J1bu^' ,*!R e herdeiro Joao Rodigaes Diad,
rWfldenW no ftrgax de Sarnadella, freguezia da No araiaxem da Jorge Taaso, raa fa Araorim n.
Tr. ,----------------- PMAeiw- jrrprr de- Arganil. no dto reino la 7, eno-caw do Apollo, armazem de farinha de
V mho Superior P8atH^*sto^P*llMananilo qnalquef; T'E0. d comaiBBdador Taaso
, daha^i-^cLa-eedeleter ^$J^&^gbg& A06 5,000 COVadoft de lft
Te X*/ra^ta5r,n r^ 7f m n*Mn "eUm*f *** do^fcv'a
aaa. iiianii-....."-*- --- -
n
nia
iflar fl*Sd^ o 8T1B0
stt pi'OCOl'aflo,
A MO n.
Na loja do Pavao vende-se lazinhas de mnito
bonitos iostoi e delicados padroes, fazenda nova
""* aarado oa ttm oovaflo ; qnem Utiit&l At far vestldds de
amo Anto- U \ao bonitos e por Itobonco dinhdtro? Fonw-
Gama it SJva Brito, com armazeoe de moaVadai
no largo da Santa Cruz ns. 2 e 4, vendem gat
(Devoea) liquido a?240 rs.a garrafa, viubo musca
lei do Douro a 1*200 a garrafa, cfc do Rio, de 1"
sorte, a 320 ra cada 450 grammas, caa aljafar,
superior, a 3* cada 450 grammas, mantetga ragle-
la cm barris a b80 rs., 1* e 1*100 por cada 4*1
grammas, vinho* do Porto, finoa, por precos t^tt
tiisimos, vinho Pigaeira a 3*600, e maitoj; oaaros
artigos que ae torna enfadonho me^eionar. Os
Ieneros compraio* em nosios ar^aiens serao eoa-
uzidos a casa do comprado; ralis. .prat^taai:
1 l4r?c^ W Z* 0>.fe 4, armaxeaa ae
tama A Silva, f^a.
Comara-te aim caaa. 4arwa ou i
- AJaiga-se 2 casas^muato irescay na. Capuaga am andar, yeferinde-y no batrro 4g Saoto AWo- 15 \ao bonitos "e por tto'fo
: fiS J!Tff e &** T*'*T? Wmutda para tem -se as amotr; aa- rua da lmperatrii name*j Venham antes one se acabem na loja at Mfe
10 w- ml.' d Marc/) n. 7 A.
ediOiias 4 1#500 o covado.

i


"-
Oiario de Jtewmbneo*-Seguftd& tea 2 de "Novarnhxt de !M*.


EXPOSIQAO
DE
Fazendas e artigos dV alta
novidade
NA
LOJA 00 PASSO
M Primeiro de Marco n. 7 A.
OCordelro Simftes 4k C, proprietaries
deste importante estabelecimento, no louvaTel pro-
jrosito de nio desmentireia o coneeito qua os
seus numerosos freguezes lues teat dispeusado,
icabam do receber de sua conta o mais rico sor-
iimento de sedas, popelinas, 8s e artigos de ul-
tima moda em Paris, e continuarao a receber
por todos os paquetea daquella proeedeneia ; por
.sso chamam a atteuoao de seus freguezes e os
eonvidam a Carera am- passeio ao seu estabeleci-
mento, garantiudo-lhes qae encontrario a reali-
dade do que fica dito, e para prova die urn pe
queno resumo, cujo iolallivelaients despertari a
tttengao dos preteadeotes.
Maoiam fazeadas a casa dos freguezes, o dao
amostras mediante penhor.
iVriigos *e alta novidade e
ultima'mu da.
Cortes de ve.-tido de linbo guaruecidos do bico
la mesma fazeada e cur, trazeada fivella, bolca,
Unto, etc etc.
Riqnissimos chapeos para senhora, de cores e
oretos.
Cortes de cambraia braaoos com lados bor*
lados.
w de cores com enfeites da mesma fazenda,
nrino, e*e. etc.
Capas de la para menraas e senhoras, guarne-
:idas de arminho.
Vestaarios para baptisado.
Riquissimas camisas bordadas para senhora.
Leqnes de madreperoia, para noivas.
Ricas colehas de seda, para casaaeato.
Cortes de seda, limks cores.
Gorgorao de seda brauca e dito preto.
Sedinhas de delicalas padrSes.
Setim Macao de tolas as cores.
Grosdeoaples pretos e de cores.
Velludo preto o damaseo de seda.
Granadine preta e de cores.
Pilo de'seda branco e preto.
Ricas basquinas de seda.
Gasaco* de merino de cores, 12, etc.
Manias brasileiras.
Capellas e manias para noiva.
Carabraia de cores, ditas mariposas brancas, de
tores, lisas e bordadas.
Plor do bosque (novidade).
Percalioas dequadros, Itstras, etc.
Brias de liubo para vestidos.
PustSo de cores.
Saias bordadas para senhcra.
Grande sortimento de camisas de linbo lisas e
oordadas. para homem.
Meias de cores para homem, senbora, meninos
% meninas.
Sortimento de chapeos de sol para feoraens e
*>nhora.
Meriuas de cores para vestidos.
Dito pieto trancado e de verao, bombasina, can-
to, alpaca, etc. etc.
Atoalbado de linbo e algadlo para toalhas, e dito
aardo.
Damaseo de 12.
Brim de linho branco e de cores.
Setins de liadas cores com listras.
Chales de merino de cores e pretos
Duos de toaquira e ditos de caaemrra
Camisas de cbita para homw i''tas de fla-
aella.
Ceroulas de linho e ditas de algodao.
Pannos do crochet para sofa, cadeiras, etc.
Lencos bordados e ditos de labyrinth.
Ricos cortes de vestidos de tarlatana, bordados,
jara bailes, e tarlatana de todas as cores.
Colchas de damaseo de U, e ditas de crochet
Esparttlho." lisos e bordados.
Foulard de seda, lindaa cores.
Meias de seda para senhoras e meninas.
Casemiras prelas e de cores.
PopeUoas.
Neste artigo temos urn variadissimo sortimento,
iao so em gosto como em qualidade.
Um
om listras de seda, ditas com pal -a as bordadas,
litas tran?parentes e de outras muitas qualidades.
Lnvaa
'e pellica brancas e de cores, do verdadeiro fa-
ricante Joavia.
Flaalmente :
.apetes para sofa, cadeiras, earna, entrada, etc..
-.ambraias branras, chitas de todas as anal'dart".
. ii,ii-n -j j,i mi j I'lCHumas, oramantes, afgo-
,063, collarinhos, punhos, meias para homem e
enhora, punbos e collar inhoe brancos e de co-
es para senboras, gravatas para homem e senho-
a, peitos bordados, lencos de linho brancos e de
. .ores, ditot de carabraia de linho, toalbas, guar-
laeapos, panno lino, etc., etc.
Loja do Passo
Rua Primeiro de Mar^o n. 7 k
sntiga do Crespo.
E' com as senhoras.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 43, par-
icipa ao bello sexo que acaba de receber da Eu-
-opa, urn completo sortimento de artigos de ulti-
oa moda, e como acha desnecessario fazer um
infadonhu anuuncio, por ja ser bastante eonhe-
:ida, e caprichar sempre em tor bons correspon-
lentes, seodo a pnmeira que apresenta o que ba
ja mais moderno e por prejos mui razoavcis, por
sso limita-se a descrever somente o seguinte:
Seitan dooradas.
Btcoa de cores, tanto de seda como de guipure.
tieqnea douradds, de madreperoia, marfim, tar-
tarnga, osso, etc.
anidas de baiie.
Prr-mentem. diversos artigos proprios para pre-
sentee.
Collnnas e punbos.
Manual para missa, eom capa de madreperoia,
tartaruga, marrlm, velludo, etc.
lapailnhos de setim para baptisado.
Canal aas bordadas para senboras.
U(aH de seda.
Franjas mosaicas.
iderecoa de tartaruga.
foitas de madreperoia.
PnlaalraV de madreperoia.
Ltndas fleres para cabeca.
oiias de velludo.
Perfumarias dos me.hores e mais afamados
fabricantes.
rbapeoa de sol para senboras.
fi las de velludo de todas as cores e larguras.
Moscas.
Quereis livrar-vos destes malditos inseetoaf com-
?rai uma machina de matar moscaa por 3 jOOO
is Magnolia, a ma Duque de Caxias n. 45.
Calvice.
A Magnolia, a rua Duque de Caxiaa n. 43, van-
le o verdadeiro Vigor de Ayer, que impede a
:ihida dos cabellos.
Sardas epanos.
So tern sacdaa e panos quern quer: porqoe a
Magnolia, a rna Duque de Guoas n. 45, tern para
?eader a-verdadRira Cuticuleria, que far desappa-
-eeer estta mamshaa em poucos diaa.
Aproveitem
O PARIS N'AMEBICA, .4- rua Duque de Caxiaa
a. 59, primeiro andar, esta vendenda calcado pelot
epiintPB precos:
Botinas de doraque para senbora a 3JSO$tHk
Ditaa de dito preto a 4,000 reis.
Ditas de dito com, bctdes.ao.lado, a 4,000 ren.
Mas' gaspeadas; caao alto, para senhora, a
5,000 re a.
Ditas de pelHca, ingleaav a 4/KK3 relit
Ditas da duraqn* bersaAo. para senbora, a
1,000 red.
Ditas de dura que, de c'nres, para meninas, a 3*.
Hbj qaanto e tempo
_______aproveitem.______
Grosdenuples
Vende-se grosdenaple preto, fosenda nraito flna,
a que sempre se vendeu nor 3*80 o covad>, a
ilSOO ra.; aproveitem, si o Desepgano, a ran 1*
U Mar;o d. it, lontc loj da -
Ao barateiro
A' rua 1 de Marco n. 1
Conlronte ao area dc Wan to
Antonio.
Os proprietarios deste estabelecimento, tendo
gande deposito de fazendas de la, linho, seda e
algodao, e achando-se proxima a occasiao do ba-
lanco, resolveram fazer grande rednccSo em pre-
cos, alim de que naqnelle tempo nao tenham gran-
de trabaiho em balances ; a saber :
GORGORAO de seda preto, para collele, um
ccrte por It. E' fazenda que sempre cu&tou 7 j.
AMAZONAS, linda fazenda para vestidos de
passeio, a 500 rs. o corado.
GROSDENAPLES de cores, verde, encarnado,
iranco, cor de rosa e cravo, a 900 rs., it e,
U200 rs o covado. Quern e que nao comprara?
POPELINAS de'linho, de quadros e listras, bo-'
nitos gostoa, a 500-rs o fctfvado. Aproveitem. |
POPELINAS de lisho e seda, gostos inteiramen-.
te novos a 900 ra, '
DITaS com listras largae asfelioadas, o mais,
moderno que tern vmdoae mercado. a 2*.
CRETONB francez com listras e, de qoadrinhc s
de ceres e pretos a 400 440 ra. o coa*3. Isto
s6 no baratii o 1
DITO francez de lirfras, proprio para camisas
e vestidos a 300 n. ; pois so se vendo se pode
crer.
ES jU AO de linbo a algodio, proprio para ca-
misas, fronkas, etc., etc., eom 7 jardas, a 3*200,
com 10jardas a 4#d00 a peca.
MUSSULINA branca, com listraf, para vealids, a
400 ra. o covado. E' pechincha'!
Grande liquidacao de'fazeiufcs
Imperat riz
DE


N.
Mendes Guimaraes & Irmaos.
Tendo os proprietarios deste estabelectmente resolvido diminuir o grande dsposito de fa-
zendas, entendwam Tazer esta grnd liqnidagSo, eomo-ae ve" dos precos abaixo mencionados :
Brim de cores a 400 rets.
MULT 1 HI
Chitas Ir.rgas a 160, 200 e 280 reis.
Vende-se chitas francezas e Unas a 120,280 e 320
o eovaie.
I.fuiuhas a 120 rvis.
Vende-se lizinhas para vestidos a 120, 240, 320 e
400 reis o covado.
Chitas para cobertas a 280 reis.
Vende-se chitas para coberlas a 280 e 360 rtis 6
covado. '
Alpacas de cores a 640 reis.
Vesde-se alpacas de c6res, 6nas, para vestidos de
senhoras, a 640 reis o covado.
Metira de cores a 320 reis.
Vende-se metim de cores para vestidos de senho-
ras, a 320 reis o covado.
Cas6as flnas a 280 rtis.
360
Vende se cassas francezas. Cnas a 280, 320 e
re"is o covado.
Carabraia Victoria a 3*000
"uS^jSL^fmm^Smmm, por U-\We$^cc^JjIi!i **Tt vestido, a3*'
Cambraia transparence a 2e 3*000.1
E' barato.
CAS;;illRAS de. cor.n, para osstumes (roopa de
homem) a 3* -a covado. Ver |)ara crer I
LAS eseoceras, estamos acabanJo aos pretos de
120, MO e 203 rs. Apressem^el
CHITAS escuras e claras, fazenda flna a 240,
260 e 280 rs. ; *6 a rua Primeiro de Marco a. 1.
CHAPEOS de alpaca, para sol, para soahora, a
?#600. E' admiravel 1
BRIM branco n. 5, expesirSo superior, a l| a
vara.
CAMISAS de cretone francez de coros, a 2*oG0
uma.
CAMISAS brancas, inglezas e francezas, gran
de sortimento por piecos baratissimos.
BRIM pard.. trancado, para 180 rs. e 400 rs. o
covado.
BRIO Angola, superior, a i'00 rs. o covado; islo
so na loja do Barateiro 1
CHAPEOS de sol-tie seda para homem, fazenda
superior, a 8*500, 9000 e 10*000.
BAI'TISTAS ir-aiisadas, gostos miudinhos a 300
rs. e 360 rs. o covado ; so confronte ao arco de
Santo Antonio!
L)-;m :0S de linho snperiores, abanhadoa a 3&
1*500 t> 5*o00;a duzia.
TOALHAS felpudas snperiores a 6*500 a du-
zia. Em outra parte vtDdeni por 9* I
MEIAS cruas, snperores, para homem, a 4*,
4*500 e 5*. E'pechincha.
BOTINAS superiores para senhsra, a 4*5X10 o
par.
ATOALIIADO alcochoado, fazenda superior, pa-
ra mesa, a. 1 *5G0 a vara.
ALGODAOZINHO tranco, com pequeno toque,
a 3*500, 4* e 4*500, e marca T, a 5* a peca.
Alem das iazundas acima mencionadas, encon-
trar3o muitas out; as que ; gradarao em qualida-
de e pree s, e que para uao massarmos a paciencia.
de nossos freguezes, as deixam"s de enumerar,
So no Barateiro
A' rua Primeiro de Marco n. 1.
Loja de Agostinbo Ferreira da Silva Leal & C.
Nio se enganem
Pois sao os verdadeiros barateiros 1
Oura das hernias, pelas fun-
das de borracha.
As melhoros e mais aperfeicoadas das ale hoje co-
nbecidas.
vende-se
na
Pbarnaeia e Drogarla
de
nariolomeo 4b C
A'
34. Rua larga do Rosario 34
Vaccina. Vaccina.
Tendo 0 Sr. Or. Jose Lourencp de Magalhaea,
montado na eorte am completo eervico deste ar-
tigo, tern aqui aberto um deposito da melbor e
mais recente, cajot) tnbos se encontram na
Pharmacia e drogaria
A*
34 rna larga do Rosario 34.
E' BOM SAFEK-SE
Que a NOVA ESPERANCA, a rua Duque de
Caxias n. 63, bem coohecida pela superioridade de
seus artigos de moda e phantasia, acaba de rece-
ber diversas encoromendas de mer-adorias de sua
reparticio, que pela elegancia bem mostra aptidao
e bom go-to de seus antigos correspendentes da
Europa, e por esta razao a NOVA ESPERANCA,
a rua Duque de Caxias n. 63, convida a sua boa
e constante freguezia e com especialidade ao sexo
amavel, a visitarem na, afim de apreciarem ate
onde toca o primor d'arte.
A NOVA ESPERANCA nao quer entrar no nu-
nero dos massantes (verdadeiros aznerins) com
ex!ensos annnncios e nem pretende descrever a
immensidade de objectos que tern expostos a ven-
da, o que serta quasi impossivel, mas limitarse-ba
a mencionar algnna daquelles de mais alta novidade
e toma a liberdade de aconselhar ao bello sexo,
que a visitem censtantemente, para depois que
comprarem em outra qualquer parte oJo se arre-
penderem, a vista do bom e escolhido sortimeato
que ba em dito estabelecimento, esta razao um-
nem dem- -nstra que qualquer senbora do bom torn,
nao podera completar a elegancia de sea toilet
sem que dd um Sasseio a NOVA ESPERANgA, a
rua Duque de Caxias n. 63, a qual acaba de rece-
ber os seguintes artigos de luxo e inteira novida-
de :
Modernas settas para prender os cabellos.
Primorosos leques de phantasia.
Bonitas sahidas de bailes para senhoras e meni-
nas.
Interessantes gravatas para senhoras.
Elegantes fat-has de touqwm.
Bons aderecos de madreperoia.
Delicados auereeos pretos de pufalo e borracha
(gosto novo).
Aos legitimos fogoes econo-
mics,
Acabam de chegar esta cidade os ver-
dadeiros fogoes economicos, ja muito conhe
cidos nas provincias do Rio de Janeiro,
Minas, S. Paulo, Sergipe, Rio Grande, Ra-
bia e Alagoas, aoode Mm- merecido do pu-
blico a maior aceita^So possitel,. e s4o ji
preferidos aos de qualquer outro systema,
conbecido pela sua muita solidez, especia-
lidade na ooUooaoiOv aoderrjo systema,
o sobretudo grande economia no coaibusti-
vel ; tnbslbam corn leohsv coke, carvao de
madeira, etc., etc Ua de diversos tama-
nhos, proprios para casas da ponca, regu-
lar, e da muita farailie, coUspaa, boteist
casas pias, hospiUes, etc. Aetwa-s* esi
pottos ao publico, aoode sa darao tfldas as
,e*pliea(oes naoessarias
n. 6.
n rua da Cruz
mm u nm.
A' pracja circular dc Apollo
veode^se':
Vende-se pecas de cambraia transparente a 3*,
3*300,4* e 5*.
Cortinados a 14*009.
Vende se cortinados bordados para camas a lif
16* e 18*.
Ganga amareNa a 400 reis.
Vende se ganga araareWa para vestidos de senho-
ras e re a; a pararaenraos. a '408 reis o covado.
Vende se brim pardo e de cures para ca'cas t
400 reis o covado.
Toalhaa para rasto a 700 r 'is.
Vende-se toalhaa de linho para rosto a 700 e 800
reis cada uma.
Cbales de IS a 640 reis.'
Vende-se chales de la de quadros a 540 reis, cha-
les de metim a 1*160 reis, chales da merino
lisos a 2*, e chales de merino estamnados, a
3*600, 4* e 5*.
Abertnras a 2^>009.
Vende-se aberloras de linbo bordadas, para ca-
raisas, a z* e 3*500. Ditas de algodao a 200 e
400t*ia.
. Cortes de casemira a 5*000.
Vende-se cortes de casemiras finas para calcas a
8*. 8*500 a 6*
Cortes de brim a 1*400.
Vende se cortes de brim de cOres a i *400. Dilos
de brim de Angola.a <*8O0 e 2*500.
Cobertas a 2*000
Vende-se cobertas de chitas de cores a 2*.
Colchas a 2*000.
Vende-se colchas de fustao para cama a 2*. 3* e
4*.
Paletots a 3,000 rs.
Vende-se paletots de alpaca preta t. 3, 3,60 -
5,000 rs. ;!calon de casemira prelate de cere
leies darcasemira preta e de cores, e outra a
las roopas feitas baratas e fazendas que est
quidtndo no Bazar National, a rua da Im
Ml a. 72.

X' ruado Cahoajra n. l A.
Os proprietaries da Prcdilecta, no iatiato da
censervar o bom conceite que teem merecido do
respeitavel publico, distinguindo o seu estabeleci-
mento dos mais que nogociara no mesmo generc
veen: scientificar aos sens tons freguezes que pre-
vexirarn aos seus correspoadentes nas diversas par-
cS d'Europa para lhes caviarem por todos os pa-
auotes os objectos de lnxo e bom gosto, que se-
yim mais bem aceitos pelas sociedades elegantes
daqaelles paizes, visto aproximar-ae o tempo da
testa, em que o belio sexo desta liada Veaeza
mais ostenta a riqueza de suas toilksttes ; e co-
mo ja recebessem pels paquete francez divers o
artigos da ultima moda, veem patentear algues
d'entre elles que se tornam mais recommendavew,
eaperando do respeitavel publico a costumarfa
concurrencia.
Aderecos de tartaruga os mais liados que teen
vtedo ao mercado.
Albuns com ricas capas de madreperoia e da
veKudo, sendo diversos tamanhos e baratos pre-
oa.
Aderecos completos de borracha prc'prios para
lotto, tamoem se vendem meios aderecos multo bo-
nrtos.
Botoes de setim preto e de cores para ornate da
oeatidos de senbora ; lambem tem para collets
alitot.
Bolsas para senhoras, existe um bello sortimei-
de seda, de paiha, de chagrim, etc., etc, pur
barato preco.
Bonecas de todos os tamanhos, tanto de Iouc*
como de cera, de borracha e de juassa ; chama-
mos a attencao das Exmas. Sras. para este artigo,
Lustres, candieiros e
araniicllas.
A empreza do gaz, tendo recebWc ultimamentc
ama quauudade de lustres, candieiros, arandellas,
I globoa etc. etc., tudo obra de gosto e de primeira
j qualidade ; acha se em posicao de .-upprir a seua
i freguezes, por precos menores do que antigamen
te. Para verera as amostras, dirijatose a rua do
Imperador n. 31. _________
Cortinados para camas
Na loja do Pavao vende se um graode sorumen-
to de cortinados bordados proprias para camas e
janellas, pelo barato preen de 8, 9 e 10,000 rs. o
par, ass im como colchas de damaseo para camas
de noiva a W e 12,000 reise peebincha: a
rna da Imperatriz n. 60, ds Felix Pereira da
Silva.
E' muito barato
w
so
com as noivas
NO
BAZAR DAS FAM1LIAS
A' RtA BO DUQUE DE CAXIAS N. 60 A.
Riquifsimos v6os de blond bordados 4 ;-da com
capelia, proprios para noiva, o mais moderno que
iia, or
tem vindo ao mercado I
Hi'iuissimas capellas de flores de I aranjeira, pelo
diminuto prego de 3 : uma.
Lindissimoa lacinbos com fivellas, proprios para
pois as vezes tomam-se as criangas um pouco im-1 senhoras, a 2^500 um.
pertisentes por falta de um objecto que as ea-) Lmdissimas gravatinhas de seda com blonds
tretenham. proprias para senhoras, a 33000 nma. I
Camisas de linho lisas e com peitos bordados i Riquisaimos alfinetes com nma flor, proprios para
para toomem, vendem-ee por preco commodo. o peito de aeuhoras ou para a cabega, pelo dinil-
Ceroulaa de linho e de algodao, de diversos pra- nnto preco de 2:000 um.
;. L : Reis e Sliva Caixmhas com musica, o que ha de mais undo,
com disticos nas tampas e proprios para presen-
ce
Coques os mais modernoa e de diversos forma-
ts.
Chapeos para senhora. Receberam um sortimento
da ultima moda, tanto para senhora, como para j
meninas.
Gopoiua imples e com v6o pra noivas.
Calcas bordadas para meninas.
Entremeios estampadot e bordados, de lindos
ilesenhos.
Escovaa eleclricas para denies, tem a proprie-
dade de evitar a carie dos denies.
Franjas de seda pretaa e de cores, existe um
grande sortimento de diverjas larguras e barato
preco.
Fltas de saiia. de gcrgurao, de setim e de cba-
alnt9, de diversas larguras e bonitas cores.
Pachas de gorgurao muito lindaa.
Fi. tm artinciaes. A Predilecta prima em con-
arvar sempre um beHo e grande sortimento des-
tas flores, nao so para enfeite dos cbelloa, como
ambem para ornato de vestido de noivas.
G aloes de algodao, de la e de seda, brancos, pra-
os et de diversas cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Lacos de cambraia e de seda de diversas corea
para sennora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
noiva.
Livros para ouvir missa, com capas de madra-
Vende-se
No escritorio de Thimaz da Aquino Fonceoa k
C. Successores, a i ua de Vigano n. 19, primeiro
andar:
uinento t'ortiana verdadeiro.
Cera em velas e era grumo, de Lis.joa.
Vinho Sherry.
Vinho do Porto em caixas, flnlssimo.
Idem em barris de quinto e deoimo, lino.
Retros.
Fio.
III! ,, I -, I .11.1
para senhoras
Como sao lindas e modernas as gravatinhas qua
a Magnolia, a rna Duque de Caxias n. 45, acaba
de receber I_____________________________
Vende-se
na rua do Vigario n. 19, primeiro andar :
Vinho do Porto engarrafado, em barris e em
ancoretas.
Cera em velas, de Lisbon, superior qualidade
Retroz do Porto.
Cimento Portland, legilimo______________
PARA LUTO
Vende-se chitas toglesas pretae com pintas a
perola, marflm, oso e velludo, tudo que na dt.aoo ra.o;covado,diufrancezamuitofina,tantoUsal
bom. como com pintas de 320 rs. para cirna ; cantad
Pentes de urtarufa e marfim para alisar os ca- preto.a 800 ts. e multo n'no a 1,000-rs.; bomba-
bellos ; teem tambem para tirar caspas. I ZiBaSi pnacezas e alpacas de todos os precos ;
Port bouquet. Um bello- sortimante de madra- lazkihaa pretas lisas de 400- ate" 500 ra.; assim
perola, marfim, 6sso e dourados por barato pre?o. con^ ama grande porcao de reulaoa tanto de
Perfumariaa. Neste artigo esta a Predilecta bem' ,-iiitjig pretal como je 15^ q^e M ^fndem po
provida, nSo s6 em extractos, como em olew a' pref0g baratissitrfos ; tambem uma grande porgao
banhaa dos melhores odores, dos mais afanaados ,je cnaleg pret03 je ns t (;ojb n: po, e.iarem um
tabricantes, Loubin, Piver, Sociedade Bygiemea, poncj TWiM< a rua da lmpefatrii u. 60, de F*
fix Pereira di Silva.
Coudray, Gosnel e Rimel; sao indispeaaaveis para
a festa.
Saias bordadas para senhora, por commodo
preco.
Sapatinhos de la e de setim bordados ,paxa bap-
tisados.
Tapetes. Recebeu a Predflecut uW bonito sorti*
men to de diversos tamachos, tanto para soft co-
me para entrada de saias.
Vestimentaa para, baptisado o que ha .da melhoj
gosto e os mais moderno recebeu t Predilecta
de or arat'o preco, para ucarao alcanca
qnalqner bolsa.__________________________
Ceroulas e camisas1.
Na loja do Pavao, vende se ceroulas fran-
cezas de' todos os tamanhos para beotem-A
19600,e ditas de linuo a 200, 2*500 e
39060.
Camisas branca* comi peitos de algodao, [ Na lojr do1 Pavaovende^se lazltfhas' jarjondxa*
fazenda fina e- por estarean umipoucoen- de cores muito modernas pelo baratiisinto preoo
iovalhadas a 204000 duaa, ou a 19800 K* ^ M oo*ado,#*ra aeafcaj; Mbmdo^Mmt
cad* uma,. ditas com peito- de.eagu.do-* iA%*figfe^feftSSA
linho a 39000 e 39it0ftcedM utCT, dttrt^ <>jgS>WtftWlBte\S&-$WEr
com peitos e punhos de cor a 390001
Pentes girafe.
Pentes girafe, proprios para senbora, ( ultima
; moda): a Magnolia a rua Duque de Caxias n. 45
e so quem tem.
Papai, mamat
Como sao lindaa ai bonacaa de cera que cha-"
mam papai, mamii, choTam, andam. etc So na
Magnolia a rua Duqae de Caxias n. 48.
Gaiolas, galolais.
A Magnolia,, a rua Duque de Caiias n. 45, re-
cebeu gaiolas da arame da lindissimos modelos,
Eroprias para passaros ; a ell is antes que se sea
E
Extractode came de Liebegs e vinh) de Arrault de qui-
nium, ferroeextracto de carne deLebegs, preparados
com vinho do Porto.
qntiuiam (jue 6 urn extrecto de quioa obtido pela cal. prjporciona aos Srs. me-
dicos urn producto de uma dosabilidadeinvariavel. contendo Utam os prioripios activot
da quioa, planta sem igual como medicameuto tonico, nevrosthennico e rconstittuinte,
e como tal applicado no tratamento das debilidades organicas, cachexia, o das fcbres de
qualquer csracter.
Para se obter o quantumn3ose pode roubar & quina a quinina c a ckiucho-
uu, seus principios activos, como geralmente o fazem os que prcparam esses compos-
tos de quina, que nos sao bem conhecidos ; e 4 grammas e 50 cenligramroa de qui-
ntans representam exactamente 1 gramma de quiainn e 50 centigrammes de data-
cbonina, o que serve de norma para ser administrado aquelle poderoso agento the-
rapeutico, conforme reclamam os diversos padecimentos, com quasi certeta de t-bter se
o resultado desejado, principalmente se se tralar uma febre intermittente, de que a q^i-
nina e o antidoto.
Devendo no maior numero de casos o qninluna ser empregado como tonioo re-
constituinte, procuramos fornecer aos Srs. medicos um composto, quesatisfazenlo ple-
namente suas vistas por aquellle lado, tivesse alem disso proprieiades analepticaa* e t3-
colhemos oanaleptico por excellenciaa Carne.alimento o mais aceitavel pesos or-
gaos digestivose o mais reparador quese conbece.
Nao sendo possivel obter loios os principios nutritivos da carne em preparado me-
Ihor, do que o mui conceituido extracto da carne de Liebegs, adoptamos este extracto
para preparar o nossoVinlia de qiainiiaau e extracto de carne que se
reconimenda como 0 melhor composto para nutrir, fortificar o reparar osorg&os, qoan-
do a economia se acha exbausta em consequencia de qualquer grave padecimento, e como
remedio intallivel ou antidoto para a cura dasl'ebrts de qualquer caracter, principalmen-
e as endomicas dos lugares paludosos.
Associamos em outro compostoVinho de quintans, ferro e extracfa
de carneeste metal que sendo uma das partes constitutes do sangue, em muitos
casos a sua applrcac.ao 6 urgentemenle reelamada, quaudo por uma causa qualquer elU
elnmen to da vida perde sua riqueza, fazendo ipparecer, principalmente MMMMboras,
essas graves molostias denominadaschloroie, pallidusc6res, aneania, fla-
res brancas, ancna,truacGes difYlceis, ctet Escolbemos o melt.or dos ferru-
ginuzos pyro|>Iao9pliuto de ferropara o nosso preparado com este metal, e
empregamos optima vinho do Porlo, que nos e furnecido directamentd p. la com-
panhia do alto Douro, em amb ;s os nossos compnstos.
Nao teraosduvida vem ser preferidos e continuarao o grande successo obtido nos bespitaes d Paris e da
Allemanba, onde os prescrevem os clinicos mais notavei?. Ksses vinhos repres dosede 30 grammas 5 centigrammas de qulniuui, ou 5 centigramraas de quiaina,
e 30 grammas de carne.
A dose dos vinhos de quintain e exlracto do came de Liobegs, simples ou 1*. rru-
ginoso e : como tonicoUm copo a licOr antes de qualquer refeicio, e na MW
dose no tratamento de anemia, chlorose, menstruai;oes dilliceis, etc.C*aata fcbrl-
fu^o De 2 a 4 pequenos copos ,'' vinho de Bordeaux, de 4 cm 4 horas.
i Como preservativeNos paizes onde grossam febres, e mesmo para preve-
nt o apparecimento das molestias hereditarias, e util tomar pela ruauha em jejuna urr.
opo de vinho & Bordeaux, do vinho de quintana e extracto de carne Lie-
begs.
Exigir nossa assiguatura na tarja posta sobre a rolha.
Unico deposito na pharmacia e dr.'garia de Bartholomeu d C
N. 34.RUA LARGA DO ROSARlN 34.0.
Chapeos para senhora.
A loja da Passo, a rua Primeiro de Marco n.
7 A, recebeu um rico sortimeato de chapeos
aesna horas, pretos e de cores.
Cortes decasimira a
e 6#000.
Na loja do Pavao, vende-se cortes de ca-
semira para calga a 49, 59 e 64000, ditos
muito Gnosde uma su cor com listras ao la-
do, fazenda que sempre se vendeu a 99 e
109000, liquida-se a C$000 para acabar :
& rua da Imperatriz n, 60, de Felix Pereira
da Silva.
Aos iiieuinos
A NOVA ESPERANCA, a rua Duque de Caxiu
n. 63, acaba de receber um bom scrtiments de fi-
nas bonecas que fallam, que riem se e choraa ;
tambem astern mudas e snrdas ou .-arda-mudka
venham ver se nao e verdaie.

Salame de [yon
A laSOO a libra
So na Assembled do Commercio n. 22, rna do
Commercio, Heira & Lima,
0 sitio junto a igre-
VE1DE-SE
IsstadS ?Fg2S&& ruadolmp.radorn.8
fln. rnm dn frontoo f orri las |iur |iui Idu de ferro,
dando para a rua da Amizade e para a do Man-
guinho. Tem de terreno proprio 194 palmos de
largura e 354 de fundo ; e a casa me de 52 palmos
de frente e 84 de fundo. A situacao e a melhor
possivel para morada, e quem quiaer edificar, tera
bastante terreno para isto, pelo lado da rua da
Amizade. Tem a'gumas plantacoes de gozo e re-
creio, havendo bastante agua fornecida por dnas
cacimbas, uma das quaes e nova. A entender-se
como Sr. Dr. Witruvio quem 0 pretender.
YENDE-SE
Na rna do Vigario n 1% vende-se 0 seguinte :
Cimento de Portland, em primeira inao.
Vinho do Porto, engarrafado, finiasimo, em eaa-
xas de duzia.
Dito dito em barris e ancoretas.
Vinho Sherry, inglet em caixas de duzia
Vinho Collares em ancoretas.
Cera em velas, de Lisboa.
Cera em grnme, idem.
Vende-se em series de 3U palraospara cimi
os terrenos sitos na estrada do Lamciran, a mar-
gem do rio Capibarihe, pertencenies a viuva o>
Henrique Jorge : qnf m pretender, node se dirigir
ao engenbeiro Antonio Fcliciano Rodrigues Sette.
a estrada de Joao ae harro*, caaa n. 92. ou a Sr
Vicente Ferreir* da Pcrciuncula, cm sna casa da
Cortes de cambraia
Na loja do Pavao vende se cortes de cambraia
transparente com b&bades largos, tanto branet s
como de cores, por baratos pre;os, por terean al-
gum pequeno defeito : a rua da Imperatriz n. 00,
de Felix Pereira da Silva.
Colchas para
Naloja do Pavio vende se
Salsa parrilha
Muito nova e grossa.
Vende-se por barato preco, em porcao ou a re-
talbo : na rua larga do Rosario n. 34.
Espartilhos.
Na loja do Pavao, vende-se espartilhos
dos mais modernos a 39500 e 49000 cada
um ; assim como bonitos cintos com lagos
de setim a 59000, e sedinhas lavradas com
toque de mofo a 19000 0 covado: a rua
da Imperatriz n. GO, de Felix pereira da
Silva._________________________________
Casemiras
Na loja do Pavao vende-se um grande sortimen-
to de casemiras de corea e meseladas, tanto claras
como escoras, proprias para calca; paletots e eo-
letes por precos muita baratos, assim como no
mesmo eslabelecimentos se manda fazer qualqner
obra tendente a alfaiate, com a maior presteza a
por precos muito razoaveis '- a raa da Impera-
triz n. oO, de Pelix Pereira da Silva
A ptte G*c*>va*iO'
Liquidacao de roupa feita
Na loja do Pavao liquida-se uma grande por-
Qao de roopa para homens e meninos,como sejam:
calcas de casemiras pretas e de cores, para todos
os-preens e qnalidadas ; ditaa de brim de An-
gola para differentes precos; ditaa de brim da
cores, pardos e brancos a paletots saccos, oasaeos
e fraka de panno preto e de casemiras de corea
coletes de todas as qualidas, por precos bara-
tissimos, assim como grande porcSo de camisas a
ceroulas por menos 3 0|r> do sea valor s6 para
aeabar : a rna da Imperatriz n. 60, de Felix Pe-
' B' eeonomioo.
Grttagh/ceriBa proprla para a eonsemcao do
oordovio; van*) a NOVA BWERANCA, k rua Do-
que de Caxias n. 63.
0
.....-T
I
Tltafaa de marmore, do. differentes ta-
manhos e qualidades.
Tijoloe francezes, sextuplos.
< imrntn Portland verdadeiro.
^zulejos grandca mnito proprios
rg rodapes.
Aatii^l verdes e amarellos, tamaaho
regular.
Ma(|uinae Jc desc&rogar algodao.
Cadeiras de7 ferro, pssen to de palhi-
nha, proprias'para campo.
25J5O0: a rua da Imperatria n. 60, de Fe- \ T\T
lix Pereira da Silva.
Sitio 6 caaa
> V-eaie-seunVsna eoannma oaaa.nova,. tendaioi.
sitio SOO palmos d freaU-e- 4,Wo de fuodo, aaatt
ediflcada com bons commodos e boa caclaba, nai k
estrada nova de Beberioe, perto da encrtzllhatia,"
o que se toma commodo por ser 230 rs. par'n*. **aPai. ^m
aa 1' ordem( no tram da via-ferrea ; acha-se des- Orande varialade
occupado : quem pretender, dirija sa a rna lar|* .eafj
ao'Rosarld n. 2U
I Ull I HI...... I I
I
lT0'
oaaat aafea s pawn seaaora.
da cores para^veatloVa. ,
Aos nervosofl
' A NOVA ESPERANCA acaba de receber agna-
tes nrilagrosos anneis electricos, cara infallivel dos
nervosoa._____________________________-
Rendas da terra
Rendaa, bicos e grades de todas as larguras :|
vende-se no pateo do Terco n. ox
am
settt
r fi
deotoea.
E outraa mnitaa fazendas ou artigpa da BKda,
""f
Fumo exporte bet Siirds Eije
Amaral, Nabuco & C. vendem fame- fnglex para-j
cachinibo : no Bazar Victoria, rna do Bario da
Yictorta n. J.
oWnv braeaw, pretaS'e
I? com as nofviw
A 88PBriAr;A, rna Duque ie u da receber boas roeiaa de ajda pronif"
^lva>.;e OS apreciavels ramoa, Jit larangal
a-tavema.
VEKDE-SE
saa ama. io Barao da Viet
J Victoria n. 61,
a tratar na rua eatreita do
ira-Aw eslreitaneito dwetra
pela facif apprreacab das
SONDAS OLIVAES
(TE
^-"'-"-l 0D111 ELiSTKA
de alpaca, aneitaiea-eoB As maia odefls e aperfeicoadas de todas
as conhecidaa
ifuliTilt-Svj
camas
colchas de fnstar
brancos, para cama a 2,500, ditas de dito de cor
a 4,000, cobertas de cbita e de cretone, de 2,300
para cima e ditas de metira escarlate fiirradas com
madapolao a 5,000 : a ma da Imperatrix o. 60,
de Felix Pereira de Silva.
Salsa-parrilha do Pard
Tem para vender Anu nio Luii de Oliveira Aza-
vedo, no seu escriplorio, a raa do Bom le*M na-
mero 57._______________________________
Organdy
Organdy de assento branco com Acres d.1 la e de
seda, fazenda inteiramente nova, pelo baralissim >
preco de 400 rs. So na rja do Cre-,-o n. 20, kj<
de Guilherme & C.
9,000 covados
DE
Alpacas de cores lisas, de (lore;, de listras e com
barraa, a 320, 360,400, 440, 500 e 600 rs. 0 cv-
do. K' fazenda Gna e de padroes lindos, a mm
barata vale 15000 0 cavado. E* grandepechinch..
so a rna do Crespo n. 20 loja de Guiibenue & C
CORTES DE COLLETE
Cortes de colletes de gorgorao de seda preta a
2S000, 0 corta; e pechincha, na raa do Crespo r..
20, loja de Guilherme & C
Madapolao
Madapolao francei largr* a 4S00 a peca de 3*
jafdas, e fazenda de 6g90: na rua do Crespo
n. 20, loja de Guilherme 61 C
Merino
Merino azul fino de dnas larguras a I600 < co-
vado e fasenfla de 4000, na raa do Crespo a. SO.
loja do Guiroeme & C.
Aos Srs. deengenhos
Chila' com 4 palmos de largura, fazenda mnit:
superior, afWfrrs. 0 covado, prepHaa para esrra-
voi: sOarua de Crespo a. 20, loja de Gui-
lherme A C.
Mr
' As a!mofada3 bordadas de la mausadas qua r*
cefcea a Wova Eaperanra, a rr.a DOqua a*
CaxlMi,#\
SA
PHaBMACIA E DROGArUa
DB
Bartholometi- A 0,
34 Raa larga do Rosario -* 34
Cankas.
Goanio A Leal, ton grande qnanfchde de can
misas linbo para homem, c vendem por 1*000.
3zfl60'e'tfjWO ; aproveitem a peefcincha
qne se acabe.
MADlPOlOlW
Ma k4a do Pavao. venda^jjnadap*
zes muito corpadocom.20 jhrdaa
dito nhlTto fino com jaroas a 3,000 l
shMeinttmin paa* soTUsaaio dei
in^ew'delLO0ato8,0OaVa,0iO: a
peratrra n. OOT.ia Pela Passjraje !va. ______i
Grande novidadiry em leques
Joae Ferreira da Silva. sueeessor de *ant. Htf-
ves, a rua Primeiro de Marco '. to, aoaba 19 re-
i oeaer um boaito seftimeMrta aaauw aqnh 4t
rnaia goato ena Paris.
nhora

Grande liquidacao.
de mindrns chapdds: no nvo Bazar, raa do; toJe praca, pot W;' J5*:.*U
MajquaadoOlindaTKJ. 3J0 w.: aa raa do Paaieio n. wj.
Vea*% *^**g?TiJZ


'


8
^iario da Pernambuoo Segunda teifa 2 de Novembro de 18*4..
VARIEDADE
OS BONDS.
(Conclusdo.)
Oescriptor destas linhas tem em mdos
um romance iateiro, acabado no suicidio,
qne principiou e terminou n'um bond. Ndo
e um romance filbo da imaginijd>: e uma
histona acontecida, c quasi que e uma his-
toria que contitnh ainda, p)is quo o sobre-
\ivente, ndo direi se e elle ou se e
a ella vai todas as senanas uma vez, ale
o ceraiterio do Cajii, e vai de bond. Os quo
vipjampor aquellles lados terdo encontrado
iiO bond da nianha a pobre creatura, sem-
pre com uraas llores, e logo que se ap'ea to-
mar aquelle camiuho da ra.rteeenvere
dar por aquollas tristonbas ruas...
Pois passou se, repetimos, o romance den
tro do carro.
Viajavam os dous ao madrugar ds vezes
outras ao eQtarde:er. Ora era a Tijuco o
popto escolhido para a leitura do mystico
livro do coracdo, leitura qua faziam nos
olbos um do outro.
Ainda de todo nao rompera o dia quo jd
por alii aciraa, respirando as frescas
ftabelecer uma baa communicacSo metalli-
ca das cbaminds e do pdo de fileira para as
goteiras, contaodo com que a chuva com-
pletard a comraunicacdo com o solo na oc-
ra.iis digoidade, fins mais elevados ao gran-
do pensamento da creagdo.
Felizraente para nds existe am principio
mais elevado, mais nobre, mais coustante,
fflndflnTJif-S8 ,F" V lu.b8 deS' rcha 8T ^ sociedadesf. Pr.vfdeocia.
cendentesepodemaprove.tar.fazeadoamrr E a Providencia, senboM. que dir.ge o
i!EF!!f22T ^emidade inferior' universo em sua marcha magelsa atrSvez
,,V, e sol; SuPP9 qe se podem ds immensidadesdo tempo e doespaco ; e
it"" ?S K0nAUCt0r6S Chei0S d0S Pdra- eIia 1ue S',ia 6nero humane no carainho
mlLP 6f-0S COm mesrna massa diffici mas com manr dia neiro e rejeita o em- Aquelle que sabiamento traeeu orbits aos
pre0o aas cordas metallica3, porque o raio planetas, ndo podia em sua grande justiei
segumdo sempre a superGcie do conductor, e em sua inGnita s;iencia deixar a human*-
MWOts toca um pequeno numero dos seus dade entregue ao cego impulso.
bos qua elle pode vqlatdisar e espalhar Cremos pois, com Vico a direccdo e or-
fcdo ratuitivos os beneficos resultados qiie dens providencDNg, com Bissuet admitti-
podem eqloar-ra deste novo apparelho, se mos a progressiva tendencia da humanida
condisser aos desajos do Sr. Novel. de para oseu aperfeicoamento; centos ain
UPUfDI- ~ | da que esse todo admiravel de povos e de
j iv ^ >ntompora-jOi}688diffjraiitest de familia* edeindivi-
o,de Diogues, decorava todos os discursos duos, percorre sua carreira atravez o espaco
e conversacoes que ouvia. Tbemistocles o- immenso dos seculos sera parar, e sealitu-
nheciapelo nome todos oshabitantes de A-
thenas Cyro, roi da Persia, sabia o nome de
hendtti quena segunda cidade do vasto im- insafOcientissirao e mesmo as-jira incomple-
perio J>ul-.4.mencano os medicos nao aoreu- to, e prestou os miis

tarn
os
que
aigens daquellesalcantis e olhando e fltan-
doosceos, asarvores, o moute ao long*, a
relva e os capinzaes.
Voavam os anneis do seus cabellos,
della e as arvores, no curvar, como
saudavamna I
A' tarde era a raesma bistoria. 0 poema
era o mesm). S6 ouir j era o scenario.
EntSo eram as estrellas, os vagalumes e o
aroma das esponjeiras.
NSo ouvis como elles cantam, os sabids ?
Mas era no bond e o bond c um assas-
sino.
J< dissemos que no bond ba de muita
gento nascer e de bond tem jd muita gente
morrido.
Bern depressa, sob a epigraphe d s nas-
chnentos, ha de ler-se nos jornaes :.
Ezequiel, natural do bond.
E nos Obituarios :
Etelvina, 15 annos, por casar.....de
bond.
Foi o que aconteceu d heroina do roman-
ce que confiaram-nos, um romance que ha
de um dia vir d luz, com estampas, em pa-
pt-1 setim c6r de rosa, com Glaraeiitos dou-
rados e com dedicatoria em verso alexan-
drine
A heroina, como se ve e foi afinal indis-
" cretaracnte relatado, jd esld morta.
Era uma alma de rdla, branca como um
cysne branco. Hoje dorme o somno eterno
no cemiterio de S. Francisco Xavier.
Orai !
Ide Id e encootrareis a sua sepultura. Co-
bre-a uma pedra de marmore branco. e,
corao foi no bond que apanhou a_ constipa-
gao que Ihe trouxe a phtysica, ^escreveraia
era cima, em letras de ouro, os piedosos
versos de Victor Hugj :
Elle aimait trop le bond.
O'est le bond qui la tuie.
0 que em portuguez e em prosa expri-
raese deste raodo altamente philosophico,
raeditai bem :
Yivera ainda... se nao fossem aspassa-
gens a duzentos re~is !
Fundo e melancolico I
Diziam : fizeraa>-so os bonds para nos le-
var para casa.
Mentira I.... Forara feitos para nos tirar
de casa !
E se fosse isso s6mente...
[Jornal do Commercio, do Rio.)
tnnta mil dos seus soldados. Mitbridates fal-
lava 22 liaguas. Julio Cezar dictava simul -
taneamente 10 cartas a seus secrotarios.
Simplicio, um dos amigjs de Santo Agosti-
uho, sabia de c6ras obras de Cicero. Pico
do Mirandola recitava immediatamente e
com evtrema facilidade tudo o que se lia
diante delle. Jose Scaliger decorou em 21
dias as obras de llomero e as dos outros
poetas gregos em 4 mezes.
Em Portug.il tambem tivemos um verda-
deiro prodigio de memoria. 0 celebre pa-
dre Bartbolomeu Lourenco do Gusmo,
chamado o Voador, e que foi entra n6s o
inventor dos baldes aeroslatos, tinha tsl
memoria, que abrindo-se um livro de folha
que elle nuuca tivessa lido, depois de ler
duas ou quatro paginas uma so vez, as tor-
nava a repetir fielmente ; e o que mais
aimirava, era repetil-as tambem de baixo
p ra cima !
UM BANQUETE CHINEZUm manda-
rim do celeste iraperio, mandarim dos de
botao de porcelana, deu recentemente um
jantar de ceremonia, cujo menu chinez fi
o seguinto:
Arroz dc.gatinhaS, que 6 como Id "se
como ; sopa de ninhos de andorinhas, bar-
batanas de tubarao, mais sopa de caramu-
jos, linguas de abatardas guisadas, miolos
de peixe com manteiga negra e podim com
... oleo de ricino [vade retro/). Tudo o-
piparas iguanas de fazer crescer agua na
bocca ao mais pintado... chinez.
SCIEJYCIAE ARTES
luaiituto
Peruumbu-
QUE LHE FAEA BOM PROVEITO.Em
Nova Orleans ura individuo apostou comer,
em bora e meia uma quarta de queijo e doze
pas, bobeido 12 garrafas de vinho. A a-
posta foi aceita e o nosso homera abancou
a n esa na sala O'Neal, d esquina da rua
Delphim o dos Campos Elysios.
Metteu mdos d obra sera mais demora, e
conseguia lovar por dianto o que havia
proraettido, no tempo prescripto; nao te-
ve indigestdo, raasficou completamenteem-
briagado.
UTIL DESCOBRl.MEN'TO.Mr. Novel,
n'uraa nota apresentada a academia das
sciencias de Paris, dcerca das trovoadas, e
dos pdra. raiosjconclue por indicar a sim-
plifica 6 facil, com pequena despeza, por as casas
ao abrigo dos effeitos do raio ; basla es-
FOLHETIM
JOANNA
BH JOGfl DEPAIXOES.
aPOR
Oeorge Sand.
vTRADUCgaO de]x.
X. X.
PARTE QUINTA
I
(ContinuacSo do n. 218).
Decididaraente, disse minha mSi, 6
1-reciso tranquillisar-te afim de impedir inu-
teis e penosos conflictos com o Sr. Brudnel;
e cedo, bera sei, e mais cedo ainda do que
eu quizera ; e eu preferia fazer-te crer ainda
que haviam entre Joanna e tu obstaculos
insuperaveis; mas tu queres arrancar-me
a veidade. Seja assim.
Tu viste a certidao authentica do aas-
fcimenlo de tua irm3 Joanna, morta ao nas-
cer : mas eu ndo te mostrei a certidio de
obito, eis tudo ; mas esta certidao existe, e
niaguem foi enganado, nem illudido.
Joanna, a filha de minha amiga Fan-
ny Ellingston, foi levada 6 casa dos expos-
los, do onde foi tirada depois para ser
araamentada e educada.
<( Tal foi a vontade de sua mai, que nao
queria oeixa-la exposta aojusto ressentimen-
to de s u marido.
As circumstsneias foram taes que elle
nSo pAde duvidar do seu erro, e elle era um
homera terrivel, capaz de tudo ; mas para
fazer-te comprehender as necessidades por
qoe p^ssei e aceitei, e preciso que eu te con-
tt a historia da minha pobre amiga e bem
assim a do sir Richard BradneJ.
Conheco, sei o principio, rephquei-
lhe. Desse principio fallaste algumas vezes
com raeu pai diante de mira. Ei-lo : Fan-
ny EHiDgston era orphi, sen fortuna, e pa-
renta da raarqueza de Miufille, qae edu-
cava-a juntaraente comtigo e seus fflhos ; o
joven marquez de Mauville amou Fanny, e
desposou-a cootr4 A tontade da mii, que
quizera para eUe an casamento mais van-
sjoso. h^se casamento tere lugsr em Mau-
medico
mm,
belatorio apresentado em sessao de 21 de
OUTCBRO PELA COMMlSS.iO DE REDACgAO E
LIDO Ha SESSAO SOLEMXE DE INAUGURAQAO
NO DJA 25 DE OUTUBRO DE 1874, PELO
SR. DR. MALAQU1AS ANTONIO GONgALVES,
REtATOR DA MESMA COMMISSAO.
Senhores.A bumanidade vive, a socie-
dade marcha, os povos soffrem mudanras e
vicissitudes, os individuosobram.
De quern recebem elles o recursj ? Tu-
do isto se dard de um modo fatal? Acaso
devemos suppor a sociedade humana aban-
donada ao acaso, ou governada por leis phy-
sicas e necessarias, por forcas ce"gas da na-
tureza, sem guia, sem objecto, sera um fim
nobre e digno de tdo grande creaQdo ? Ad-
mittir isto, e, antes de tudo arrancar ao ho-
mera toda a idea consoladora, esterilisar
a virtude a mais fundamental da nossa exis-
tencia, a esperanja, e depois supprimir to-
do 6 principio de justica e de moralidade
de bom e de mal, de recorapensa e de cas-
tigo; emfim, e fazer da sociedade fuma
macbina movida por raolas materiaes e oc-
cultas.
Passiveis narrariamos os factos e seria-
mos dispensados do sentimento e da refle
xdo ; veriamos morrer o innocente sem amor
e sem lagrima; contariamos sem indigna-
gao os crimes dos mdos, ou antes nao ha-
veriam innoceutes nem criminosos ; uns e
outros teriam obedecido ds leis inexoraveis
do seu destino respectivo, teriam obrado
sem liberdade.
Longe de n6s, porem, tao sorabrio syste-
ma philosophico, concedamos ao homem
mas vezes parece parar ou mesmo retrogra
dar, isso constitue apenas uma ano.nalia
esubelecida para a coDflrmac^a e em beneii-
cio da propria lei do progress. A vida da
huraanidade 6 pois uma piramyde, cuji ba-
se repousa na terra e cujo apice se perde
nos c6os.
Nesta marcha magestosa, os iodividuos
morretn e se renovam-corao as plantas ; as
families desapparecem e se renovam tam-
bem ; as sociedades se transformam, e, das
raizes de uma sociedade, que Mm perecido,
nasce e se eleva uma sociedade nova. Os
anneis da cadeia do tempo, chamados secu-
los, passam, e no meio destas desappari-
coes, dessas mortes, dossas mudangas, uma
cousa persiste ; marchando acima de todas
as geracdes e de todas as i Jades ella cami-
nha ineessantemente para a sua perfeicfio ;
essa cousa e a grande familia humana.
Todos os homens, diz Pascal, durante o
curso de longos seculos podem ser conside-
rados comoum ur.ico bomem que subsiste
sempre, e que sempre apreude. A hu-
manidade e" um gigante immortal que ca-
minha deixando ap6s si os tracos do pas-
sado com um pe no presente e levando o
outro para o future
Como em todo o organismo cada parte
deste gigante e encarregada em umas func-
c6es proprias.
Cada individuo, cada familia, cada povo,
cada nagdo, cada sociedade recebe sua mis-
sdo especial, porem todos concorrem para
um Gm unico e commura.
Os medicos de Pernarabuco, compenelra-
dos do principio do progresso constaute e
interrompido de todas as cousas, corape-
trados do grande movimento que se opera
em todas as partes por intermedio de gran
des descobertas, julgaram ndo s6mente util,
porem mesmo necessaria acrea^ao de uma
sociedade que representasse na florescente
cidade do Recife o ponto central onde elles
deviam effectuar a troca dos seus conheci-
mentos respectivos em bem da sciencia e da
huraanidade, de uma sociedade que alem
desse fim principal procurasse elevar a pro-
fiss5o ao grdo de consideracdo e de respeito
que merece pela sublimidade e genetosa ab-
negagao de sua importante missao
Eis, senhores, os dous pontos objectivos
da sociedade, cuja inauguracJo, neste mo-
mento saudamos repletos de enthusiasrao,
de prazer e de jubilo ; eis o espirito na qual
fora ella concebida, eis as tendeocias que
ella deve representar.
Na creacao do Intituto Medico Pernax-
bucano vemos a satisfacao de uma necessi-
dade, ha muito por todos sentida ; veraos
a regeneragao da sciencia e da arte rnedica,
proraovida por seus cullores, vemos a se
mente, que deve gerrainar, crescer, flores-
uci o por uiumo irucuucar em Dem Ue al-
tos interesses.
nam era o.-porajda em bem da sciencia do
quo sao apostolos, e fiquem, por inercia, es-
tranbos ai movimento scientiGco do se-
culo.
0 quietismo da corporacaj rnedica em
Pernambuco, que coniuzia fotahnente ao
exclusivismo e d rotloa, era mdpoea actual
um verdadeiro anchronismo, que nio podia
durar no meio da actividado dovoiadoura
quo procura tudo avassallar ; gramas a alguns
medicos, verdadeiros apostolos das boas
idtJas, saudamos hoje a creacao de uma so-
ciedade, quj vem destruir osse ruinoso
quietismo, e por consogu nte o exclusifis-
rao ea rotina, tao prejudiciaes ao progresso
da sciencia, filha do Divioi patriarcba de
Leos, o fundar sobre suas ruinas a acti
vidade das intelligen ias e o mil comraercio
ias ideas.
A scieiim raeJica, tem pois, kilo a ga-
nbar da crdacdj do Instiluto M dico Per-
uambu^auo e a popuiaciu deita cidade de
ve bem <1izer o dia de hojft como a aurora
auspiciosa de uma epoca regeneradora, em
que a sua saude e vida vdo ser e.itreguei a
medicos mais esclarecidos, e mais destra-
dos nas poderosas annas da sciencia.
A creacao do Instituto Medico Pernam-
bucano, ale n ao progresso da SQMIKM, n5o pole ser estrd-
nha a prosperidade da prolissao, que de ho
je em diante devora ser mais respeitada e
mais considera la quer polus parliculares,
quer pelos poderes publicos.
Pennitti, seiihores, que como historiado-
re^ dolnstitut., vos digamos algumas pala-
vras sobre as actuae? condifdes ila pr .ussa >
meiicas b o ponto de v sta politico-social,
e da grande iuOuencij que exercera essas
coodico-s sobre o exercicio cousciencioso da
medicina e sobre o progress > da sciencia
Oqua Iro, que varaos apresentar-vos ndo
e bello, bem o sabemos j pororn somos me-
dicos, e aprende.-nos no exercicio da nossa
penosa tirefa a cinbecer que c necessario
oxarainar e tocar as mais hedioadas ulceras,
para puler cural-as.
Levantemos com peztr, porem, com a
consciencia de que cumprimos o uosso dever,
oveoqueencobre esse quadro, emostremos
ao pubheo osdefeitos, que elle encerra, as-
segurando- be que estamos dispostos a cdr-
rigil-os corn todo o uosso saorilicio pes-
soal. Entremos em assumpto-:
N4o existe classe alguma, cujos servicos-
sejam tao descoosiderados pel.) goverm
como a classe rnedica, e esse facto deve
excitar toda a admiragdo. Uma clas e, que
cura da saiile poblica, objecto tao impor-
tante, devia ser man considerada- e os seus
servicos mais bem remunerados
governo grato.
E'um facto incontestavel, nao ha nada
quo mere$a menos do governo do que os
servicos medicos prestados & populacao
quer durante asepocas normaes, quer du-
rante as epidemical.
Senhores, o que acabamos d dizer-vos
e uma verdade ioconcussa, e elk fere todo
aquelle que langar suas vistas sobre seme-
Ihante assumpto. Abramos a historia ; era
suas pagjnas, que tratam das epidemias, o
que vemos ? A dedicacao inexcedivel dos
mportant-jj servicos,
e mono* per lera n a vida e estragafam a
saii le naquellas inhospitas regioes, victimas
das epidemias ; que recorapensa imporlao-
te Ihes cdncedeu o governo brasieiro ? Ne-
nhuma.
Recife Drainage A C. executa o seu contra-
por um
Nem aomenis aprendeu naquel
la liccAo, que Ihe forneceu oficto para or-
ganisar de um regular o corpo de saiilo,
que deve ser inteiraraente independente dos
olfic.aes do exercito.
Os servieos medicos sSo sempre pagos
pelo governo de um modo insullkiente, de
tal forma, que as especiali lades n3j se po-
dem formar estudos ndo se podem pro-
fun lar pela necessidade, que tem os me-
dicos de satisfazerem as exigencias da
cientela.
Agora mesmo que se trati de satisfazer
uma grande necessiilade da provincia,
creando um asylo para os alienados, acto
digno de todo o louver, vemos que u5o se
cura f*.e fconslituir ura especialista para se
collocar d frente do eslabeleciraento.
Qualquergeverno, quetivesseem consi-
deracdo a corporacdo rnedica, e que desujas-
sesinooramenteo progresso dessa sciencia.
deveria concaJer a algum medico distinct >
uma subvencSo para estudar nis mais im-
portantes es'.abel.;ciraentos da culta Europa,
o dos Esta ios-Uiiilos o; pro^ressos realisa-
dos nossa parte da sciencia, o depois colh
ca-Io corao medico do eslabeleciraento pro
jectado era conlic&es taes quo uSo neceisi-
tasse elle de se distrabir, com ou'ra cliente-
la, que nao seja a de sui especkhdade.
Dramas vantagens deviam provir de proce-
diraento semelaante, quer para o estibeleci-
mento, quer para a populacao em geral,
quer para os poderes publicos. que Wriam
um medico ontendido nos dellieeis/iTsu-mp
tos, que se agitam sobre a alienacdo mental,
e que poderia, poderosauiente com sua aba-
lisaia opiuido esclarecor a justica nas ques-
toes medico-lagaes ; p>rera, isso |nao se
fard, nao sejulgard util gastar alguns con-
tos dereis pira a creagdo de uma especiaS
dade tao importante, e tao ingrata em re-
sultados pecuoiarios.
Para os loucos ndo e preciso s6raente um
edificio magestoso, e que re'iua todas as coo-
diQoes de salubri Jade, 6 necessario mais
que isso, um m.-dico ou medicos intelligen-
tes", conhecedores de todos os meios de que
a sciencia dispOe para a cura de tao tristes-
molestiai, ido digiws da attencdo. dos b ns
governos, e da carKjade- puWfca e particu
lar, de medicos dignos emulos de Piuel, cu-
jo nome devemos pronunciar com reconhe-
cimentoe adawraQao pelos irameusos servi-
gos que prestou d huraanidade mostraodo
que a loucura era uraa raohsstia, que devia
ser tratada, e quo a loucura era ura ho-
mera, digno de nossa cacidade e de nossa
co Bpaixdo, d quern deviamos tratar com
brandura e alliviar a triste sorte e nao um
crkninoso, digno de castigo.
Seharamoda sciencia rnedica em que
a especialidade e ndo s6mente util-,, porem,
ate" necessaria, e certamente aquelle-que tra-
ta da alieoacAo, e a razio desse facto e pa-
tente de mais para que nos dennremos em
demonstra lo.
A magestade grand-iosa do edificio que se
projecta levantar para os Ioujos era Peruara-
medices, e o mais completo esquecimento buc0 rec,ama urn medico especialista, nin-
drxr- -.nrlnann ,..LI!_ ^_ at. i ffllPm nilC.'4r:I r>Anla. ville, nas cercanias de Marmande, e pouco
depois deixaste esse paiz para casar com
raeu pai, em Bordeaux.
' Ate alii, continuou minha mai, estas
bera informado ; mas devo dizer-te que
uraa das razoes que me levaram a casar-me
foi que a minba posicdo em Mauville tinha
se ioruado penosa.
II
a Fanny nao amava seu marido. Co-
nhecera earaara sir Richard Brudnel du-
rante algumas semanas que elle passara no
caslello de Mauville. Sir Richard era entao
um rapaz brilhante e seductor, muito fes-
tejado pelos seus successos na sociedade para
deixar de ser algum tanto frivolo.
Ao partir para Inglaterra elle deu a
miss Ellingston esperangas, que todavia ndo
se realisaram. Nao tornou a voltar ; e,
dando pressa o marquez a decisao de miss
Ellingston, esta decidio-se era seu favor.
rSao o approvei, porque previa gran-
dres desgra$as, visto como, se o marquez
era ciamento ate o furor, ella era a propria
imprudencia, amara sempre Richard, ainda o
amava, e escrevia-lhe cartas que, embora
innocentes a esse tempo, nem por isso dei-
xavam de ser inuteis e perigosas.
Fanny quiz que eu servisse de inter-
mediaria para esses cartas e qae fosse con-
Gdente de seus araores occultos ; recusei-me
a isso, e ella, achando-me assim rigida,
queixeu-se de que eu ndo a estimava como
ella me distinguia.
Comprehend! que ella perdia-se, e que
podia perder-me juntamente comsigo, tor-
nando-me complice de relates suspeitas.
Confesso tambem que offendi -me com as vi-
vacidades de Fanny, maxima quando ella
me disse, n'uma oceasiao de rai va e colera,
que au tinha ciumes, porque, como todas
as mulheres da casa, inclusive sua sogra,
amava sir Richard. Talvez houvesse um
certo fundo de verdade n'essa idea ; mas
no que me concernia era absolutamente
falso, porque, ndo obstante minha mocida-
de, era en muitd"razoavel, alem de que era
a unica de todas as mulheres do^castello a'
qaem sir Richsrd ndo ousaria nem ousara
ainda cortejar.
No moraento em que Fanny assim me
offendep, leu paj araava-me, e eu the era
dedicada. Fomos para Bordeaux com meu
E ndo se diga que exageramos a impor-
tancia da sociedade, que acaba de ser fun-
dada, pois para proval-a basta fazer conhe-
cer a obrigacdo, que voluntariamente nos
impomos, eoGra que resoivemos proseguir.
No momento em que o vapor, eaelectri-
cilado encurtam as distancias, aproximam
os povos, e facilitara a troca das ideas e dos
pensamentos, no m mento em que a scien-
cia, na. phrase de um illustre escriptor, em
sua marcha progressiva ndo limitaseu impe-
rio a umanagdo privilegiada, conta por
obreiro3 os trabalhadores de todo o inundu
e tem por apanagio os progressos realisados
em toios os paizes, ndo se pode corapre-
pai, e alii nos casamos, e alii tivemos a
desventura de perder esse excellente pai,
que nos deixou uma pequena heranca, que
meu marido buscou augmentar pelo com-
mercio. Alii, pois, estabelecemos, perto
de Bordeaux, um modesto estabelecimento,
e foi ahi que naceste e que passei tres annos
da mais complete ventura.
Depois desses annos de paz sobrevieram
grandes desgostos. Esperava eu com verda-
deira alegria pelo momento em que devia
ter uraa inenina, quando recebi de Fanny
uma carta concebida nestes termos : Fui
muito culpada para comtigo. ReaUsarara-
se as desgracas e crimes que me predisseste.
Cumprio-se a minha triste sina. Estou era
vesperas de ser mai, e a ausencia de meu
marido na epoca do meu crime torna impos-
sivel'qualquer tentativa.para engana-lo. Cor-
re, vem ter comigo, minha Adelia|l Ate agora
pude occultar minha situacdo; mas n'estes
quinze ou vinte dias, se R.... ndo vier e
se me abandonares, estarei perdida. Offen-
di-te,... razAo e de mais para uma alma
como a tua I P. S. Passeio todas as tar-
des no exlremo da contada, debaixo dos ce-
dros.
Eu quiz partir immediatamente para
Mauville, visto como pelo vapor a viagem
nem era longa nem penosa ; mas Bielsa op-
poz-se, dizendo : Tua presenca ndo faria
sendo conQrmar as suspeitas, se as ha ; e
dete have-las porque o marques e* muito
desconfiado, a donataria do castello 6 mui-
to mal intencionada e invejosa, e as cunha-
das sio muito ciumeutas. E* preciso que
o que e inevitavel se passe fora do castello.
Eu tra'rei a marquezinha, rouba-la-hei se
for preciso ; tra-la hei seja como fdr e oc-
culta-la-hei perto d'aqui. Deixa-me obrar
como penso ; se houver alguma possibilida-
de de exito, fa-la hei produzir se, mas s6 e
ndo comtigo.E eUe partio, depois de ter-
me dado iostruccoes detalhadas e precisas.
Teu pai, o contirabahdista, tinha um
grande e bom coragdo, e nos bem que tive-
mos razdo em ama-lo 1 Resoluto, actifo,
prudente e andacioso, elle levou a empreza
a boas Qus. Ndo se flpresentou no cas-
tello, porque de certo teriam alii reconheci-
do o Moreno, tal era o seu appellido de
pastor. Espreitou Fanny ; falloulbe & noi-
te na contada, e persuadip-a facilraen'.e que
dos poderes publicos. Nenhaiiia pensdo
capaz de amparar de um raodoeilkaz a fa-
milia daquelle*, ojae succumbiram lutando
no mais glorioso dos combates, c&rabate, em
que ndo se mata e s6 se procura salvar, ne-
nhuma distiuc^ao importante, como mani-
festagao de gratiddo, e ao mesmo tempo
corao estimulo, para aquelles que sahiram
victoriosos da luta depois de terera por mui-
tas vezes corapromettido sua saude e vida
para saivareiu oa doe outros.
Aqui seacham sentados medicos distinc-
tos pelo seu sabor e por suas virtudes,
quer publicas, quer domestic**, que toma-
rara uma parte activa n'uma luta tremen-
da desafiada por um terrivel e insidioso
inimigoo mortifero filho do (iangeso
cholera-morbus, e que recorapensa recebo-
ram ,elles? Para alguns pequenas dis-
lincgOes, que sao dianaraenle coucedidas
sob os mais frivolos motivos.
Na luta que tivemos contra o governo do
Paraguay a corporacdo medico-brasileira,
animada do mais sagrado patriotismo e da
mais santa virtudea caridado, acudio
promptamente ao reclamo do governo, qne
nao dispunha se nao de um corpo de saiile
guem ousafd contesta lo.
Porem, deixemos esse ponto e volteraos
gs nossas anleriores considerajoes.
Era nosso paiz pouco se cura de hygiene
publica ; a hygiene municipal e- sciencia,
que ndo se couhece ua cidade do Recife,
onde os seus raais comesinhos preceitos sdo
desprezados por incuria de to Jos, e igno
rancia de muitos. Lan cidade destinada pela natureza a ser o gran-
do omporlo oo.n.o,rj;,.l da .Vmorio* do Sui,
pela sua posicdo geographica e a represen-
tar entre os suas irnaas ura papel importan-
te pela sua belleza e pela sua salubridade, o
que veraos ?Ruas tortuosas e estreitas,
onde mal circula um ar insuflicente e vi-
ciado por innumeros f6cos de miasmas, crea-
dos pelas immundicias accumuladas no cen-
tro da cidade, falta corapleta de ura systema
de edifica^do apropriado ao clira'a, insuHi-
ciente, abastecimento d'agua, uma das con-
digoes, que mais infiue sobre a salubridade
de uma cidade, falta corapleta da limpeza
doscanosde esgotos, ou limpezi feita de
um raodo anti-hygienico, como so estd pro-
cedendo actualraentev completo desprexo do
governo para o modo irregular porque a
devia fugir com elle. 0 marquez estava
ausente pelo esparp de oito dias. Fanny
tiuha vivamente'questionado n'aquella mes-
rna tarde com sua sogra. Sirva-so d'este
pretexto, disse Ibo teu pai. Corra a casa,
escreva-lhe e deixe-lbe uma cam dizendo
que o odio da raarqueza oxpelle-a, e quel
ella ndotornard a ve-la viva. Nem mais
nem menos Suppor-se-ha um suicidio e
procura-la-hdo em torno de Mauville ; en-
tretanto a senhora terd tempo para ir a Bor-
deaux sem que se lbe siga os passos.
E depois ? perguntou Fanny.
Depois veremos. Entretanto nada
traga, nem roupas nem dinheiro, porque
quern quer matar-se ndo faz preparativos.
t Um quarto de hora depois ; a senhora
de Mauville, tendo seguido os conselhos
de Bielsa, sahio com elle, coberta con uma
capa que elle tirara da nossa loja eque da-
va-lhe ura aspecto de camponeza. Tambem
ella calcara sapatos grossos afim de qne ndo
podessem ser reconhecidas as pegadas de
sens pesinbos. Demais Bielsa teve o cui-
dado de apagar os vestigios dos primeiros
passos de arabos na areia da contada.
a Seguiram a pe* ate a marge ra pouco
afastada do Garonne, e ahi tomurara um
barco, em que foram ate Podensac, pouco
distanlede Bordeaux. Ahi esperava-os eu,
e todos juntos fomos para casa da Ramonde,
inteliigente parteira, irma mais velha de
meu marido. Era ella uma mulher de
eonfianca, devotada e habil, sem contar
q&e, por fore* da sua proGssao, era obn-
gada a guardar o mais absoluto segredo.
Meu marido tinha calculado todas as even-
tualidades que podiam fa?oreoer-lh.e o pro-
jecto.
tanny ndo se achava muito fatigade;
dous dias depois deu a luz Joanna, e forte
e corajosa, cheia de esperancas e do illusoes,
julgou-se sslva.
x Sua Glha, blU e bem conforraada, foi
levada para o bospicio dos engeitados, ahi
inscripta como nascida de pais incognitos
com o nome de Joanna ; mas pouco depois
fni retirada e levada por uma boa ama de
leite, que a Ramonde nos indicou na sua
vizinbanca.
Oito dias depois, Fanny achou-se suf-
Gbientemente restabelecida e emestadodcir
para nossa casa, onde foi acolhida e passou
por nossa parenta. Foi s6 entao que trata-
mos de faze-la fallar acerca de seus orojec-
tos futuros.
Ella nao queria voltar para a compa-
nbia de seu marido, e ccntava que sir Ri-
chard, logo que soubesse que ella se achava
em estado de viajar, iria busca-la para le-
va-la para a America. Elle sabia da sua
situacdo, e fOra buscar o dinheiro preciso
para a viagem, visto que na occasido acha-
va-se em difRculdades ; mas sem duvida
acha-lo-ia e se poria em circumstsneias de
p'oder roubar Fanny e leva-la comsigo con-
forme promeltera-lbe.
Mas onde a encontrard elle ? per-
guntou-lhe Bielsa.
Vou escrever-lhe.
Para onde ?
Ah I nio sei, elle foi para a Ingla-
terra ; mas devia estar de volta e ooculto nas
vizinbancas de Mauville, quando, ndo o ven-
do apparecer no dia convencionado, escrevi
a sua mulher pedindo-lhe qae corresse era
meu auxilio.
Jd Id vdo dez dias depois d'isso ;
elle portanto estd atrazado ou retardado, e,
quem sabe T talvez esteja ainda na Ingla-
terra ou entdo se ache de viagem. Para
onde Ihe escrevia a senhora ?
Oh I para toda parte, visto que de
cada vez me dava um novo endereco. Desde
algum tempo que elle ndo se demora muito
n'um mesmo lugar ; e eu sei que tem pro-
curado por toda parte os meios precisos para
effectuar nossa fuga e residencia na America.
Observei docemeote a Fanny que ndo
devia contar assim, cegamente, com a pro-
messa de sir Richard, visto que elle jd tinha
faltado ama vez...
Cala-te, disse-me ella ; n'esse tempo
elle ndo me amava como amon-me depois, e
demais ndo me tinha feito promessas posi-
tives Agora conto com elle, conto abso-
lutamente. Escrevamoslhe, pois, esefdr
preciso, dirijamos cartas para todos os pon-
tos e enderegos que elle me deu ; e. demais
oenderego de sua irmi lady C...
Se elle cumprio a promessa, obser-
vou Joao Bielsa, deve estar agora Id para
as bandas de Mauville. Pode a senhora
indicar-mo o lugar em que elle. costumava
occultar-se para ve la em segredo ?
Occultava-se disfarcsdo na cabaaa
to, creando em cada casa ura verdadeiro
co de infeccdo permaaente era vez du ser
ura meio de destrui-los, ora > devera ser
etc., etc.
A que e devido tudo isso T A' nenhama
importancia que liga o gorerao aos parece*
res medicos.
Procureraos, Srs. obviar esse mal pela
aossa unido, e fizenJo pressdo- beaeGca so-
bre o governo com os njssos pareceres, fi-
Ibos da meditagdo e do estudo, pareeeres,
quesirvara tanebem aos 'bem intencionados
deescudo Contra critic js injustos, filbts de
uma politica mesquioba. cujo lira ndoe bem
encaminhar, portm, sera tudo ceasorr.
Sa Unto nos temos along tdo sobre a pouca
ou nenhuraa consider.i5ao, que ligira o po-
deres d classe rnedica, i porquo juigt-aos
esse ponto assds important* e digno da mais
sena attencd, e porque esse erro infloe
grandemente sobre o progresso- da medeciu#
era nosio paiz, e sob e a coosTderacao qae
nos prestam os particulares, consileracao
que augraenta ou diminue na razdidirecta
daquella qua nos concede o governo, e isto
factlmentocoraprebendera aquelles que cj
ubecerao uo.so machinismo politico-.
Em toda a parte o governo, solisito no
cumprimentcrde seus deveres, velaodo so-
bre a saude pubbca, uma de suas priosfiras
obrigagojs, procura reprirair o cbarlatanis-
mocom nie.lidas sereras; aqui, porem-, nos
o veraos alcar ousado o collo affruntaado 8
tudo e a toilos sem eucontrar o raeoor
obtce.
Nao e tuJo, o ebarlalanismo nesta flors-
cente cidade, no que dizresp;ito a progr*i$--
so material, ndo se liraila a especular por
todos os mo Jos ora a credulida le publica,
ousa, dizendo se depositario da medi. in?
revelatfa, (mirabile dicta) aUcar e depritnir
a reputacdo scientiGc* uos medicos corao
meio de elevar-se. Quando terera paradeiro d taut a ousadia, ndo Glha da
ignorancia s6mente, porem, sim da tniis
sordida ganancia e do mais co.opleto indif-
ferentisraoTI Ndo o sabemos, porem
acreditamos que o Instituto Medico Pernam-
bucano muito p'deri fazer nesse sentidc
reclamandoo Gel curapriraeatj das leis sa-
in Unas ; teinos fe que a hygiene publica,
araparada pela associacdodos medicos, se le-
vantard do olvido em que infelizmeote tem
permanecido.
E isso ndo poderd deixar de ser assim,
porque as cousas corao estdo, nao podem
ndo devera Gear.
De que modo, senhores., sao feitos os
examese as autopsias medieo-leg.es nesta
cidade ? Basta dize-lo, porem e forcoso que
o digaraos, esses exaraes e esaas autopsias
sao feitas de ura mo Jo todo irregular e in-
eompleto, de sorte que rauitas vex-*, elles
longe de esclarecerera a justice, a ioduzem
d- erro. Ouerasdo os resp msaveis por esse
estado de cousas ? os medicos^ nao, porqu
elles nao podem ir alem de suas forcas. Os
responsaveis sdo os poderes qjue julgera ado
dever pagar trabalhos .do penosjs. tdo did
ceis, e de tamanha responsabilidatk; sio
os poderes que ndo coraprebendera que pa-
ra taes eiamos sio necessarios medicos com
babilitaQdes especiaes ; sdo os poderes inal-
raente porque nao criara um aecrosterk
on le sejara depositados os cadaveres e oade
os medicos encontrem todos os mstrumon
tos necessarios para taes exames. E' ver
gonhoso que sa pergunte ao medico qual a
causa da morte de um individuo-, cujo ca-
daver lheapresentam, e qoe nio Ihe forne-
aem nem ao menos os instrmentos nem c
lugar apropriado para as pesquizas e exames
qua elle deve fazer para dar uma resposta
Glha da verdade. E' rauitas votes em uma
praia e outras no corredor escuro dc alguraa
igreja, que sib feitos esses exames em an*
Se preUJIlUO 4uG olloaavj----C.w. I q.. Jf..
Ganca podem elles raerecer ? Nenbuina, ne-
nhuma absolutamente para aquelles,
sabem qudo dilliceis sio taes exames.
Esperemos a attencdo do lnstiiuto para
esse ponto, digno, bem digiu de ser reme
diado.
Jd vos dissemos quo o modo porque no
consideram os poderes publicos muito m-
Gue sobre a coasideracao, que nos prestari
os partieulares, e esse facto 6 bem patente
nesta cidade.
Do facto, senhores, os particulares aqu
olham para os servicos medicos coma ser
vicos de pouco ou nenhum valor.
(Contin uar-se-ha..'
T"'
a
que
de um cacador furtivo que morava a tres
leguas do castello ; c d'esla vez deu-r.os
informacdes precisas.
Ndoescreva, disse-lne teu pai, p>i,
que irei ; mas antes disso reflicta f
Em que ? perguntou Fannv adm>
rada.
Oh I convem refleclir, disse lbe eu
Teu crime e um facto consummado, occui
to, ressalvado ; tens uma Glha a amar. ella
viverd longe de ti, mas eu velarei prrelli
e asseguro-te que sera" feliz e bem educada
0 tempo e um bom comportaraento apagirr
as suspeitas; e um dia, que podes apresss:
por tua vontade, ha de vir em que poderd
approximar de ti essa Glha sem que nin-
guem saiba quem ella e. Para isso e pre-
ciso regressar d casa de teu marido, dizer
que quizeste morrer, mas que ndo tiveste
coragem para cumprir o teu designio, e que
por isso foste procurer a roim que sou tua
melhor amiga... 0 espaoto e emocdo que
deve ter produzido teu desapparecioentc
for^ardo tua sogra a ter consideracoes qoe
outr'ora ndo tinha, o quanto a teu marido
apezar das suas violencias, d certo qne elle
ainda te ama, e com paciencia e submbsic
podes vir a modi6ca-lo, porque a vida i
sempre possivel para quem compre os seus
deveres. E' preciso romper com o Sr.
Brudnel, cre-roe ; e* preciso abseluUraente
que o fagas, e convem metmo occulUr-lhe
a existencia da menina...
-~ Nio, nao I exclamou Farray, pelo
contrario, quero que elle seja informado a
esse respeito. Prerendo que podia morrer
departo, escrevi-lhe uma carta... Depoi
d'isso ainda escrevi-lhe outra de casa da
Ramonde para dar-lbe parte do nsstiraeitu
de Joanna.
a Foi uma terrivel imprudencia; da-rae
essas cartas I
Ainda outras-existem ; t^nho todas
as qoe Richard me escreveu Foi a noica
cousa quetrouxe da Mauville.
a Dd-me tudo isso ; e" preciso quei-
raa-las.
g
[Continuar-te-ha.)






iTYP oo DiAiUO^-flliAtlULt. i)E CaJtkS
L