Citation
Diario de Pernambuco

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
newspaper ( marcgt )
newspaper ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
This item is presumed to be in the public domain. The University of Florida George A. Smathers Libraries respect the intellectual property rights of others and do not claim any copyright interest in this item. Users of this work have responsibility for determining copyright status prior to reusing, publishing or reproducing this item for purposes other than what is allowed by fair use or other copyright exemptions. Any reuse of this item in excess of fair use or other copyright exemptions may require permission of the copyright holder. The Smathers Libraries would like to learn more about this item and invite individuals or organizations to contact Digital Services (UFDC@uflib.ufl.edu) with any additional information they can provide.
Resource Identifier:
002044160 ( ALEPH )
AKN2060 ( NOTIS )
45907853 ( OCLC )

Full Text
fu
i& ZMjuwel S^igtmroa de 9vria $ 'Mtyos
180600
301006
264000
100


Os Sf 9. Amede Prin-
ce & C, de Pars, sao
os nossos agentes ex
elusivos de annuncios
a publicares na Fran-
ca e Inglaterra;
ntc" darem cm j^ado odus para os ccfreapro
vincmes e municipaes, constituem favores ex-
cepeoes pessoaes contrarias consiituiyo e seu
acto addiciooal e finalmente ;
Considerando que na3 leis e dispaaigoei vi
gentes eticootrar o recurso os funcefonurios in
habilitados para o publico servico :
Resolve, de ac:ordo com o arte. 2V S 3o e 16
do acto addicionaI,.suspender a publicado da
referida resolucc, que sera subraetiida com o
presente seto ao (onhecimento do govemo im-,
penal.Communicoa-se ao Dr. i secretario da
Assembla Legislativa Provincial.
O coaselheiro presi late da provin :ia, de
conformidade com o officio do administrador dos
crrelos de honiem datado, sob*-, 1.117, roabl
ve declarar que o agente nomestid para o cor
reio de SertaogioJM Chama-se Manoel Vctor de.
rei-
y
-S.5

u.
'
-.
-


5SS7I53 DA tomiL UUl
LISBOA, 12 de Deaembro.
O capitao d'estc porto mandou urna
nota concebida era termos amigaveis ao
commandante do paquete Alaguen, afm
de mandar abaixar a nova bandeira bra-
zileira, visto que o goverao portuguez an-
da nlo reconheceu os Estados-Unidos do
Brasil.
Os officiaes portugueses a brazileiros
trocaram a bordo do Alagdeu muitos brin-
des prosperidade de Portugal e do Bra-
sil.
LISBOA, 13 de Deaembro.
Seguio hontem tarde para o Brasil o
pique te Alagos.
BERLIM, 13 de Deaembro.
Sas eleigSes municipal que acabam
de ter logar n'esta cidade, para segando
escrutinio, foram eleitos tres socialistas.
Agencia Hars, filial em Pernambuco,
13 de Deaembro de 1889.

.


i i


IHSTRUCflO POPDLAR
A LITT2SAT&A 2SA2ILSI3A
NOS
TKMPOS COLONIAKS
Mal
a LlfteriMura. Braalle'ra lo cal*
XVI ao cometo do XIX
EBBOfO HISTRICO
IV
(Continuas o)
Obras do judeu t Chama va o roigo as produc-
goes de tao peregrino engenho, multas das quaes
se encontram do primeiro \olome do Tbeatro c-
mico portugus ou Colleccio las operas portu-
guesas qtie se represeataram na casa do tneatro
publico oo bairro alto de Lisboa, publicadas na
mesan cidade em i744. Em vo o edictor occol-
tou o nome do autor, indubitavelmente para nao
iocorrer oo desagrado dos inquisidores. As
obras do oosso poeta destacam-se das temis,
nao so pelas loucamas do estjlo como pelo pre-
cioso acrstico que segu o prefacio, oestes ter-
mos :
>migo leitor. prudente
zao critico rgoroso
ne desejo, mas piedoso,
s meus deleites coaseote ;
5ome nao busco exeellente
nsigne entre escriptores :
-i applausos inferiores.
*-uIgo a meo plectro bastantes :
s eocomios relevantes
vaSo para engenho-. maiores.
tnsta coraica'Dannooia
-assa tempe out e era ve ;
sonesta, alegre e suave,

vertida meloda :
>pollo que iliustra o dia,
c^oberano me reparte
deias, facundia e arte,
C"eitor, pan r!i/ertir-le,
- >ffectu para agradar-te.
'
f
>
a
PARTE OFFICIAl
Goverao da Pro lucia
EXPEDIENTE D<> OA 1' DE OUTOBBO DB 889
Actos :
O coo8elheiro presidente da provincia, a
quem fot presente a resui. gao de 23 de Julbo
aHhuo adopta a por clous tercos pela Assem
Lia ProwO'-ial e pela qul se aotoriuam diver
sas cooresses de graiihcacoes e aposentado
as ; quo dasqua.?s se psu-ndem at a empre
fados ja ex. aerados sendo ornas rom venc
atontes na fui wa"di le e ootra-< rom ordenados
iategrae- ; s--m qu*.- te enn-i eiv n'estes O tero
po de servico oa fuocclonaiios ;
(ioosiaerando q 8 ues disposicdes alm de
A 5 de Outub-o de 1737 celebrava o oosso poe-
ta o segundo anniversarlo natalicio da sua film-
aba, quando viera n perturbar a alegra d'aquel-
la familia os repetidos golpes aue,davain oa
porta os esbirros do Santo Ollicio. Urna preta
para se viogar do castigo que Ihe havia iqQiiiki
do a mal de Auuiniu iodo, drnunclou este a In
quislc5o por novas pralicas de judaismo ; e
aquelie dia, que tao jubiloso raiara para o poeta,
acabou lgubremente na iintnumias prisoes do
Rock). Em vo a aecusacao careca de base,
pois nem a preta po lia ractificar u que dissera
por ter morrido de terror nos poucos das, em
Sie esvera encerrada oa priso a que tambero
ra recolbida; em vao d*punba u em favor de
Antonio los e de sivel conducta, a piedade mais acrisolada e con'
atantes praticas religiosas; em vao pessoaes de
todasas bierarchias recunhecidas petasen frrv. r
religioso iotercederam porellss ; ludo foi intil
nem os proprios bous offiaos. que interpox o
rei D. Joao V. foram bastantes para salvar o des
di toso.
(Conttna)
OfBcios :
AoBxn Sr. ministro do Brazil. em Loo
dres. Tenbo a honra de enviar a V. Exc. o
balance te da receia e despeza da estrada de
ferro do Recife ao S. Francisco relativo ao mez
de Agosto ultimo, acompauhado do devido d -
eoTolvimento e de. copia da acta da sessao em
que 03 com oissarios do goveroo liquilaram as
respectibas coutas -
Reitero a V. Exc. os protestos de minha alta
estina e coosideraco.
Ao Sr. coinmindante das armas. irva-se
V. S. de noraear ocia commissao para, oa forma
das disposicOes cm vigor, assistir no Arsenal de
Guerra a abertura de uro caixo viodo da corte,
cooteodo espadas para o destacamento do 10*
regiment da cavall iria aqu existente. Coo
muoicou se ao director do Arsenal de G ierra
Ao Sr. Dr. chefe de polica. Tend > em
vista as informacoes colbidas a respeito do for-
oecimento d'agua e luz guarda cvica, declaro
a V. S., em resposta ao seo ofncio de 7 de Agos-
to prximo passado, o. 963, que deve o comman
daote da mesma guarda examinar e providen-
ciar com referencia ao dito forneciuaoto oo
quartel do destacamento em Afogados.
Em officio de 11 de Setembro prximo pas-
sado sob o. 14, o Sr. cnsul da repblica dos
Estados Unidos solicitoa desta presidencia io-
formacOes acerca de imposto de pbarol c de lo
nclagem
Em resposta, remeti ao mesmo Sr. con ul as
informacoes por copia, prestadas pelos ospe
clores da.Alfandega e do Arsenal de Mariooa,
acompanhados dos appensos, em original, a que
ellas se referem.
Renov os meos protestos de estima e coosi
deraco.
Accuso recebido o ofBcio de boje sob n.
440, em que o Sr. Jos Antonio de raojo Li
vrameoto, consol d'Auslna oesta provin aa me
participa baver na mesma data, de volta de sua
viagem a Europa, reasumido as respectivas
fonegoes consolares.
Em resposta declaro ao Sr. cnsul que fico io-
teirado de semelbaots oceurrencia da qoal passo
a dar sciencia s estacOes com peten'es.
Aproveito o ensejo para apresentar ao Sr. coa-
sol os protestos de minha.estima e coosideraco.
rizeram-seas oecessanas commui:icar5es.
Ao Sr. inspector da Tbesouraa de Faz--n-
da.Transmiti a V. S. para seo coobecitncnto
copia do officio de 1S de Setembro no.io. do juiz
de direito da comarca da Flores relativo a. no
meaco e exerciclo do promoior publi:o interino
dessa comarca.
Ao mesmo. Era vista do teHrramma de
hontem, expedido pelo-Mimsteiio da Gierra,au
loriso V. S. a mandar abonar tres lU'-ies de sol-
do ao tenente do exercito Francisco Evaristo de
Sonsa, para ser descontada pela quiata parte.
Esse abono so ser feto no caso de que o re
ferdo lente nao tenha carga oessa Tneoo-
rana. *
Aos Srs. membros da commissao encarre
gada de administrar as obras de edificio da Fa-
coldade de Direito.Para os h'ns convenientes
commanico a Vs. Ss. que Jos propooentes ao for-
necimento de mat.riaes para a construe^o do
edificio da facoldade deixoa de assignar o. con-
tracto Cypnano Jos da Silva", segoodo declarou
m o iospector da Thesouraha de Fazeoda em
officio a. 358, de be je datado.
Compre, portaoto, a Vs. Ss. providenciar para
que se chame uovos concurrentes em substitu-
o ao referido cidado.'atim de ser la v ralo at
do rorrentt o respeciivo contracto com quem
melbores vantagens oflreca.
Ao director do Vrscnal de Guerra.De con-
formidade com as orden i do Exm. Sr. mmistro
e secretario de estado dos negocios da guerra
coudas em U-legramma de 3 Agosto ultimo
aotonso V. S. a promover a compra de 500 ki-
los de plvora para o servico de salvas oa for
laleza do Bruio- Fizerum se as oecessarac
communicacOes.
Ao mesmo. Com a inform.ico junta por
copia, de hontem datada, sob n. 3 A) do inspec
tor da rnesourara de Fazeada, respondo ao of
ocio de V. S. o. 105, de S6 de Setembro odo,
concern ote a dispessa dos operarios civis des-
se estanelecimento pelos notives expostos oo ci-
tado officio.
Ao Sr. inspector do Tnesouro ProviociaL -
Declaro a Vmc. para os devidos flns, que em
z8 de Setembro prximo passadu xare o se-
guinte despacho na petico do Dr. Fehppe Nery
Coilac a respeito do qual esse Tnesouro pres-
in a iofurmaco de 6 do illudido m-z de Se-
tembro u. 3,3x1 : < Interpretando a lei o. l,9zi
a de n. 1.415, mandando que seja raelborada a
aposeotadoria do upplicante, nos termos res-
trictos da que lora concedida ao Dr. Sjares de
Azeved >, cuja pensp era de 2:0i, abnese
ao Bappiicanfe de conformidade com a le nter
pretativa igual pennao .
Ao mesmoResoKendo a dovida constante
do officio de Vmo. de 12 de Setembro prximo
pas.-ado, si b n. 338 com referencia ao emprea-
do aposentado. Audias Bibiano da Cunha Sales,
fenho a dizer Ihe que deve ser observada a lei
que reconheceu o direito do dito empregado vis
to que por e.igaoo 'oi oulra mencionada oa le
do orcamenio vigente.
As.-im mande essu inspectora effectoar o de
vido pagamento pela verba do exercicio tlndo.
Ao engeiiheirc fiscal oa mpanhia Recife
Jrainage.Coumunico a Vmc qoe o Ministerio
da Agricultura, seg jodo o aviso n. 1,847 de 19
de Setembro uliiiun, solicitou ao da Fazenda o
crdito de l3* i40 par occorrer ao pagatneoto
do apparelho patete dessa companhia, colloca
do oa casa de residencia do inspector do Arse-
nal de M irinlia, sepiodo autorisei cm 26 de Ago-
lo desie auno. F,z rain se as necessarias com-
muoica^es.
Ao Sr. juiz de aaa, presidente da unta ra
alistameiito militar da pirochia do Altinho.Em
resposta ao ollkio le /me. de 26 de Agosto ul-
timo, dedaro-lbe qu 3, de accordo com o disposto
oo art. 3.* do dec eio n^. 10 2JC, de 5 ds abril
do correnie anuo, deognei Agostioho Cavalcante
d Aluquerque residente n'essa parochia para
cumnor a juuia de .ilistaioento militar. Fez-se
a necesearia commutncaco.
Por i anas:
Detennino Cmara Municipal de Niza
leth qoe expeya coromunnayao aos juizes de paz
u i as demais providencia* do estylo para qoe
>e proceda n dia 6 de Novembro vindouro,
a elejcu de um v. re.,d jr em substituido do ba
(*arei Uerculano Bandeira de Mello, que acei
ton eraprego publico retribuido, segundo com-
municou me a mesma Cmara em officio de 25
de Setembro lmdo.--Commao1coa-se ao juiz de
direito da comarca.
O Sr. gerente da Corapanhia Pernambu-
cana mande dar psaagem de r at Natal oo pri
m >.iro vapor que seguir para o norte, a Jos
Victoriano, por coota da presidencia da provin-
cia do Rio Grande do Norte.
BXPEutBNTE DO D. S(CaiT.VHK)
Offi.'ios
Ao Sr. inspector da Tnesourarii de Fa
zenla. O Exm. Sr. consefniro presidente di
provincia manda remetter a V. 5. a inclusa or-
dem do Thesouro Nacional n. 166.
Ao Sr. Dr. juiz de direito do I. districto
criminal.De ordera do Ex. Sf. conselbeiro
presidente dsprdvincia transmiti a V. S. copia
do officio de 17 de Setembro liodo^ em que o
director do pra
presta oaesclait^
Ao Sr. director do Arsenal Je Goerra.
Exm. Sr. conselbeiro presidente da provincia
tendo, em vista da informacao dessa directora
de 28 de Setembro fiado, sob ns. 106, defeno
por despacho d'esta data o requerimeato em quo
Marganda Iria Hruno Villela pede mais 30 das
de prorogaco da lieenca concedida seu lilho
Leo Mana Bruno Villela, menor da companhia
de aprendizes artilices d'esse Arsenal, para tra-
tar se na casa de sua residencia ; assira o manda
declarar a V. S. para seo couhecimento.
Ao Sr Dr. 1.a secretario da Assembla Le-
gislativa Provincial.O Exm. Sr. conselbeiro
presidente da provincia manda commonicar a
V. S. qoe !i:a ioteirado do assumpto de seu offi-
cio, a que respondo, de hontem datado, sobre a
falta de numero de depurados para a sessao
d'essa Assembla.
Ao mesmo.De ordera do Exm. Sr. conse-
Iheiro presidente da provincia devolvo a V. S.
um exemplar de cada orna das resolucoes en
viadas com o seo officio n. 134, de 27 de Julbc
ultimo, as quaes foram saoccionadas sob os. 2028,
2030, 2035, 2036 e 2038; sendo publicada sob
o. 2034 o decreto, enviado com o citado officio,
relativo ao exercicio flnanceiro municipal.
Ao mesmo. O Exm. Sr. conselbeiro presi-
dente da provincia manda remetter a V. S. para
os os de ser sobmettido delibericao d'ssa
Assembla a petico, por copia, dos Drs. Jero-
nymo Thom da Silva e Joaquim Pereira da Silva
Guimares, professores do Gymoasio Pernambu
cano, com as informacoes prestadas pelo Tne-
souro Provincial acerca de falta de crdito para
execuco do disposto no art. 19, j i.* da lei do
oryameoto vigente.
Ao Sr. commaodaote da canhooeira Cabe-
delto.O Exm. Sr. conselbeiro presidente da
piovincia manda declarar a V. S. qoe a Thesou-
rara de Fazenda acha-se habilitada a effectoar
o pagamento das folhas de qoe trata esse cora-
maodo em officio de hontem, sob o 61, as
quaes deverao ser apresentadas para o alladido
Ao Dr. director das obras publicas.0
Exm. Sr. conselbeiro presidente da provincia Q
i ou inttirado pelo officio de hontem, sob o. 145,
de baver V. S. mandado lavrar termo de recebi-
menio delinitivo oas ibras d; reparos do ponti-
loo sobre o rio Coruja, oa estrada do Bonito,
da qual arrematante Heurique Deocleciano Ta-
vares dos Santos.
Ao Sr. engenheiro Alfredo Li.-boaDe or-
dera do Exm. Sr. ccnselheiro presidente da pro,
viocia accuso o recebimeoto do officio de 25 d
Setembro ultimo, ao qoal participou ter chegado
da provincia~do Cear e qoe seguir para a de
Alagaa no prximo vapor da Compannia Per-
aarabucaoa, em cuotiouayo da commissao de
que esuli encarregado pelo goverao imperial.
Aos Srs. membros da commissao liquida
dora das contaa da estrada de ferro do Recife ao
S. Francisco.O Exm. Sr. conselbeiro presi-
dente da provincia dea boje o inveniente des-
tino aos documentos que acompanharam o offi
ci de Vv. Ss., de 25 de Setembro Ultimo.
Ao Sr. Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jacobi-
na De orden do Exm. conselbeiro presideute
da provincia accuso o recebimeoto do officio de
hontem, oo qual V. S. participa ter assumido o
exercicio do cargo de gerente da Companhia do
Bebenbe, por baver uesse dia segoido para a
Europa o bacharel Ceciliano Mamede al ves Fer-
reira.
--
wm
Per
do Governo do Estado de
13 de Deaembro de 1880.
O porteiro,
R. Morid da Silva.
Goverau da Estado
DESPACHOS DA SECRETARIA DO GOVKRKO
DO ESTADO DE PKBNAUBCCO, 11 DE
DEZKMBBd DB 1889
Aboixo assignadoe, negociantes desta
pracv .Informe o Inspector do Thesouro
do stado.
Alfares Antonio Valerio dos Santos
Nevi Informe o Inspector do Thesouro
do Estado.
Antonio Augusto de Lemos.Pasas
{tortaria e a respectiva carta de natura-
aacao.
Anna Elysa de Oliveira Barros.Inde-
ferido, vista da inforni-icao do Inspector
Geral da InstruccXo Publica.
Aurora Francisca Ribeiro. Informe o
director da Colonia Isabel.
Antonio da Suva Girio.Passe porta
ra e a respectiva carta de oaturalisayao.
Bar3o.de Muribeca e outros hedeiros
do finado VP.fin(l Aa Snxaaii.ii> Rujt
tido ao Inspector da Thesoararia da Fa-
zenda para attender em vista de sua in-
formajSo n. 349 de 25 de Setembro deste
anno.
Bernardino Bote ho. Sim.
Christovam de Barros Gomes Porto,
(nferiddo, visto que o anpplicante prestou
gratuitamente, nos ermos do art. 48 d.>
Reguiamento de 7 de Abril' de 1819, o
servico a que allude.
Cordolina Amelia da Paz.Remettido
Junta Medica do Estado
ticionario se aprese tara
ccionada.
Clarinda Mara da Conceicio.Dse.
Major Joo Salvador dos Sintoa.
Alem de nSo haver crdito na lei do or-
camento vigentu para ser atteadiao o aa
pplicante, aconteca que o attestad > do
juiz de direito nVcoate-m urna affirma
tiva, e portante nao corresponde exi-
gencia legal.
Jos toreira de Lemos.Pass9 porta
ra e a respectiva carca de nar.aralisac\>.
Jos Bezerra de liveira. A cadeira
que existe era Palmeira de Garanhuns
mixta e est provida.
Bacharel Manoel Gomes Viegas.
Passe portiria_na forma requerda.
Bacharel Pedro Jorgn de Souza.
Como reqaer.
a quem q pe
para ser aspe
Repartido da FoUels
jcc*.N-----.Secretaria de Po-
lica do latado de Pornambuco, 13 de^De-
fUe 1889. Cidad&o Governador
bo-vos que foram hontem reco-
Casa de DetencSo os seguibtes in-
do Dr. delegado do 2. dis-
Vicento Ferreira Lima,
Reoif,
Joa Francisco Segundo, Luiz da Costa
Amorim, Toao Mara Pereira, Francisco
Antonio 6> Costa, Galdino Lino de Espi-
rito Santa Antonio Goncalves Machado,
Daniel Jaquim Barbosa, Feliciano Perei-
ra de Ly, Januario Joaquim de S. Fa-
rias, Arqando Antonio Machado e Jos
ASotao Farias, por crime de furto.
A' orcem do de Santo ALtonio, Jos
Ferreira |o Espirito Santo, por crime de
fuete; IzVloro Francisco da CooceicSo e
Mara Fftncisca do Nasciment, por em-
briagiieza disturbios.
Conmuuicon-me o delegado do ter-
mo do Biique, que na noite de 30 do mez
fiado foi victima de um tiro de pistola,
disparando emboscada, o criminoso Ma-
noel Marraes de Souza, que se* achava
oceulto nopovoado do Carneiro.
Foram tores do crime oa individuos
de nomca kntonio Feitosa e Joa Feitosa,
3ue se evidiram e contra os quaes proce-
eu-se nos termos do inqnerito policial.
Pelo subdelegado da Magdalena foi
remettido ao Dr. jaia de direito do 5.
districto criminal, o inquerito policial a que
procedeu Bontra Adelino Francisco Anto-
nio de Oliveira, como incurso as penas
do art. 2*9 do cod crim.
Sade e fraternidadeAo brigadeiro
Joa Simslo de Oliveira, mui digno go-
vernador1 provisorio do Estado de Per-
nambucoO chefe de polica interino, Jos
Izidoro orint Jnior.
-
rhesouro do Estado
DE9PACHOS DO DIA 12 DE DEZEMBBO DE
1889
Carpo de polica, Domingos Gomes Cor-
reia, Companhit de axang, Jos Maria
Soares, Jco Joa do Espirito-Santo, Jos
Dsb de Kula Hornera, Luiz C. "de Car-
valte Paes de Andrade, Jos Soares do
Ama-al e Obraa Publicas.Informe o
dadlo Dr. contador.
ci-
DE
Hecebedoria do Estado de
l'ernambuco
DESPACHOS DO DA 1 OE DEZEMBKO
1889
Machado A C, Francisco Furtado de
Mendpoca e Eulalia Mara da Concei(3o
Informe a 1.a seccao.
Mtria Joaquina da Concei^So,A' 1.a
seccib para attender.
13
Fianc8C0 Augusto Pacheco. A' 1.*
scelo para os fins devidos.
Benigna Leocadia Marques da Silva.
Informe al.* secg2o.
Manoel Feroande Velloso.Deferido
de accordo com as informales.
Quinao Jos de Lima.Informe a 1.a
sec9&>.
laapeetoria geral da instraeeo
paMica do Balado de Pernana-
toueo.
DESPACHO DO DIA 18 DO COBaENT
Joaquim Rufo Beda.Junte attestado
da facultativo.
Elvira da Silva Santiago. Certifi-
que-se.
F
COKttEtfOMtCliS
Do Diario de Peraambneo*
8. VIJ1MTJ3, 7 do Dezembro
No dia 1 do corrate fot encerrada a
anta miasllo que teve lugir nesta povoa-
No dia 5 de Ninrembro, acurnpanhado
de muiios cavalheiros s.ihio de Tim'.aba
para esta povuacao o Revd. Fr. Joao Evan-
gelista d Monte-Mirciaoo,
Por tod parta por o.de passava a co-
mitiva, achavi-ee aggliimeradn muito p iv>
atira de reoeber a bencao d Revd. mia-
aionano. A's t horas da tarde chegou a
uoinitiva ao eugeatio Al- cidalao Fraac scj Cabral de M. t^avalean-
te onde pern litou. No da seg'uinte pela
rBaah parti d'a juelle ea^e.nho e s 9 ho-
ra < tez o R-.-vd. mnsion .rio s va entrad
s-deane n'esta loeaHd ide, q-ie regorgitava
de pivo As mas entava.u eraban Ijiim
das, e'oraad. hgado o Revi, missionario igrej i
matriz depois di ir finco orajio dirg >
bita eloqueatti palavra au. povo, convida i
do-o para >> trabalho n'io h da nova matriz,
como Umbrfm 'la lata la para a misal.
No dia lo deu o Ruvd. ra sai mano co-
mee a s.uta missl'i. De tolas a partes
cbigava povo para oovir a voz elocuente
lo ministro do Deus.' No referido lia eo-
inotjiu o trabalho da uova matriz pe.
conacruocij da empellaran
A afluencia de povo augmentava de
hora em hora. Nao bavia mais urna casa,
e por isto as familias hospedavam-se abai
xo das ardores frondosas.
Era quano isto se dava, o grave incom-
modo de sade do Revd. vigario Andr
Curcino de .\raujo Pereira inspira va re
ceios. Achava-se por tanto e o Revd.
missionario, j para administrar o servico
da matriz, j para celebrar os sacramea-
tos do matrimonio e baptismo, j para ou-
vir de confissSo a multidSo que procurava
o confissionario e j para com sua voz der-
ramar Bobre as turbas as luzes do Espiri-
to-Santo? !
A todos e a tudo elle satisfazla. Foi
convidado o Revd. Joaquim Avehno, mo-
rador da visinha freguezia da Vicencia,
que nlo accedes ao convite. Aiada d'esta
vez tinlia Fr. Jo2o de trblhar w. Fol\
porm convidado o Revd. coadjutor de
Timbauba padre Raulino S. Cmara e Al-
buquerque, que immediatamente seguio
para aqui, mas que depois de alguna das,
e quando mais se fazia preciso sua coad-
juvajSo, regressou para Timbauba, sem
dizer o motivo de sua retirada.
O trabalho da matriz augmentava e
tanto assim que o Revd. missionario con-
vidou ao povo para irem a floresta buscar
as madeiras.
No dia determinado mais de -l.OoO pes-
sas trouxeram aos hombros as thesouras,
caibros, cumieira, e outras pegas para a
capella-mr. Todos entoavam cnticos, os
sinos repiuavam e os foguetes estalavam
nos ares.
Diversos convites foram distribuidos
para paranyraphos das thesouras, porm
somos forjados a dizer que Jmuitos dos
convidado nem ti ve.-ara a delicadeza de
responder ao Revd. missionario.
No da marcado para o alevantamento
das ditas madeiras, a amuencia de povo
foi grande e depois de o Revd. missionario
benzcl-as, foram collscadas sobre as pare-
des.
No dia 24 foi annunciada a procissSo de
penitencia, que sanio s 4 horas da tarde.
Na frente ia o Senhor Crucificado segui-
do das mulheres, atraz segua o nosso
glorioso padroeiro S. Vicente, seguido des
homens.
Quando a procissSo deacia a ladeira do
Bom Gosto, grande multidSo descia pela
iadeira da Matriz afm de encontrar a pro-
cissSo. Este encontr deu-se na ra do
Commeroio, 15 minutos tic-arara todos de
p, sem poderem dar urna pasaada.
14.000 pessoas mais ou meaos achava-
se 'aquella momento em 8. Vicente.
As 7 horas recolheu-se a proeisslo, e
coraecou Fr. JoSo o ser So, oc rapando a
attenclo daquella inmensa raultido por
2 horas.
As obras da matriz tomaram adiaota-
meato admiravel j pela boa administra
co e j pelo servidos prestados pelo povo,
carregando pedras, tijollos, areia, etc.
No da 1, dia designado para o encerra
meato da Santa miasSo, a afluencia de
povo era tSo grande quo nao podemos fa
zer um calculo para avalial-a.
Chegada a hora da despedida, o Revd.
missionario depois de derigir sua cloquea-
te palavra aquella multidSo, tratou de dar
a ultima bencao.
Lagrimas do saudades saltavam de to-
dos os olhos. As 9 horas da noite fez o
Revd. Fr. Joao a sua ultima despedida, e
ao mesmo tempo agradeceu ao povo os
servidos prestados para a promptacon^truc-
9S0 da capella-mr.
No dia 2, tratou Fr. JoSo de dar suas
ordens para que o servico da matriz con-
tinuasse.
No dia 3, quasi todas as familias, foram
recebar do Revd. Fr. JoSo a ultima ben-
cao. A todos Fr. JoSo sempre com pala-
vras delicadas agradeca.
No dia 4 pela manhS mais de 1:000 pes-
soas estavam promptas para con Insirem as
imageasdo Revd. missionario at Timba
ba. As 4 horas da tarde acompaahado de
muitos cavalheiros, deixou esta localidade
o Revd. missionario, indo pernoitar em
casa do cidadSo Francisco C. de 51. Caval-
cante, segurado no dia 5 para Timbauba,
onde a 1 hora e 5 minutos tomou o trem
para o Recife. Ao embarque do Revd. mis-
sionario comparecern o Revd. vigario de
Timoaba, e o sea coadjutor, Dr. juiz de
direito e outras autoridades.
A nova capella-mr tem a frente para
Oeste, mede 47 e [i palmos de compri-
neato com 23 e 1[2 de largura. Aos lados
tem 2 sacbnatias com 47 e 1[2 palmos de
largura. -O Revd. missionario deixou em
preitala a continuado da obra, constfuc-
gio do altar mor, em fim o reste da obra.
o puleraiis deixar de el igiar o pro
cediraeut do c. iad-to fabriqueiro da ma
enz Antonio Jorge Gomes 'uerra, que nlo
poupou est'-ircos para serem realisados o,
tosejo* dos ^ioeutinoa*
No da 30 de Novembro ultimo, na
escola publica do sexo fe minino desta teca-
li iade, regida pela professora D. Nympha
Alum Ta vares, t veram lugar 03 exames
priman*ib de 3 almonas.
A soramslo examinadoraficou compos-
ta do 3id.d delegado litterario Jos Ro?
dri uiotos >r Francici 'luedc-s de Barros e
da protossora 11 sexu.ittj. Herni.-linda Agued\ de ilou-
ra, Itptez- de Araujo Coriolano o Isolina
SI mis Favares a-li.mtadas. O acto estove
bastante cun >rri 10. A digna professora
convidado.
.{Ao do cidadio Dr
befo do polica, para
o afean 1 que eatSo os lugares de
subdelegado e supplentes, assim como >3s-
Eeramos que o nosso destacamento em
rev estar de volta, pois precisamos de
garantios de vida.
Devido as obras da nova matriz, nSo
temos este anno a tradicional festa da Coa-
ceicSo.
O commercio animador.
O sol foi abrasador, porm de hontem
para c tem cahido alguma chava.
Ante-hontem uos suburbios desta pov-oa-
s2o, um individu atirou urna pedra na fron-
te de urna mulher, fazendo-lhe um feri-
mento.
O criminoso foi preso em flagrante, ma*
no dia segrate foi posto em liberdada,
por nSo saberse quem est no exercicio
de subdelegado
N.-B-Hittaoe as Santas tBJatflrn effec-
tuaram-se 122 casamento8,~190 bapt
e commungaram 2:006 pessoas.

-
M.
muscMPCEs
^-.

Olhaado o futuro
( Diario de Noticias, do Rio )
L que o povo brasileiro tem ama es-
trHa feliz, a guiar-lhe os destinos e a sal
val-o miracnlosamente das crises mais te-
merosas, nSo ha duas opiniSes a tal respei-
to, e seria at o cumulo da inepcia con-
testar um facto de tSo irrecnsavel eviden-
cia. Circumstancias das mais propicias j
acompanharam a questSo do elemento ser-
v i, de modo a poder realizar se, em meio
de Adres, urna reforma, que toda a gente,
tanto no paiz como fra d'elle, esteva con-
victa de que s chegara s mSos do povo
brasileiro, batida pelo sopro da tempesta-
de, e cuspida de onda era onda no dorso
congestionado de urna rear de zangue.
E, todava, a lei fez-se sem perturba-
ctas de neohuma especie, desfazenio-se,
como por encanto, a desencadeada tormen-
ta, que a todo o momento nos acenava coa
as perturbares econmicas ameacadoras,
com os quadros mais trgicos da desorga-
nissglo de um paiz e com os horrores
mais imminentes das latas civis.
E logo anno e meio depois d'esse des-
lumhra monto da HbertacSo de ama raga,feita
em meio da resignacSo de ans e dos trans-
portes de alegra de outros, nuvens teme-
rosas encastellam-se sobre os nossos hori-
sontes cobrindo de sombras pavorosas, de
gigantes e de monstros, o sereno azul do
nosso co, mostrando nos a natureza em
furia e os elementos prestes a d-sencadea-
rem-se e a juncarem de romas o solo sa-
grado da patria.
A Repblica, era, sem contostagSo, a
predestinada d'este torrSo da America a
havia de vir, mais dia, menos dia, como
atilin* s portas de Roma, bster ao so-
lar dos pagos imperiaes e intimar a sua
desoccapagao. era aufes nem depois do
dia 15, por mais optimista que se procu-
rasse ser, niuguem absolutamente imagi-
nara a possibilidade de vel-a triumphante,
sem ter passado na praga publica, sobre
os corpos mutilados dos patriotas, com as
mSos tintas do sango.e fratricida, respirando
fumo e fogo, como os hroes de cem bata-
Ihas. As iustuuigots fortificadas nos seos
baluartes quasi seculares, nao abdicariam
da resistencia mais desesperada, nem ca-
pitularan! sera haverera queimado o ulti-
mo cartucho. De parte a parte a lata se-
ria desesperada, porque a una a victoria
estava promettida pelas ligoes da historia
e pelos augurios dos coraudes, e a outros
rodeavam torgas bastantes para resistir ao
bloqucio e para tomar a offensiva logo de-
pois, pondo em debandada pela superiori-
dade das armas e das posigoes o voluata-
riado heroico, mais tumultuario, que lhes
intimava a reudigSo.
Ante de 15 de Novembro era impessi-
vel prever urna hypothese, em que as for-
gas vivas da nagSo confraternisassem com
a torga armada das instituigdes, recebende
a palma da victoria em meio das acciama-
g9es dos dous lados belligerantes. Depofs
do dia 15, ou fuese a 2 Deaembro em meio
do massacre que se pie para va s claras,
ou ao raiar do terceiro reinado, o certo i
que a naglo estara dividida, e que os dous
lados, a democracia e o privilegio, dispu-
taran! a victoria, pegando era armas, lu-
tando com dessespero, e ensanguentonda
do norte a sul o elo sagrado da patria.
Para qne a Repblica se fizesse em meio
do accIamagSes, rodeando de respeito e de
bem estar a dyuastia deposta, toi preciso
que o acaso ou Deus de.-sem aos patriotas
a inspiragao sub ime de aproveitarem o
nico momelo psychologioo em que as
Eumenides dormiam, em que o Siva de
todas as viogaagas andasse ausente da torra,
em que o german das luas civis. por falta
absoluta de tempo, nlo pudesse fecundar
e explodir. Urna questSo de minutos, que,
so fosee precipitada, nos merglharia a
todos na mais infrene das anarchiaa, e, se
fosse retardada, acordara o povo brasilei-
ro ao estrondo das batalhaa e ao desmoro-
nar de tais o que pacientemente e cora
sacrificios de tuda a especie haviamoscon-
struido em meio scalo de escravidaoe de
tyrannia mansa.
Quera foi que fez com que o espirito pu-
blico s visae silvaglo ontr'a os abusos do
goverio na proclamagSo da Repblica ?
tuera foi que fea o Sr. B-rao do Ladario
sabir do arsenal transformado em fortaleza
iaexpugnavel ? Quem foi que fez o rewol-
ver do ministro violento negar fogo e pou-
par assim a vida do marocha!
Q >6ui fez urna rede de balas res|

:'"d

I

-'i

%

w
1


bado 14 de Dezembro
artas
i
I
I
: I
aojsgao oa o mr ao mi
;" rio .'
Hinguem sabtitfaer. ,
BMiik maianarfiss, oa m torio
?etna*ctidll^.teraAo^ ae,r~
anYuUionasWtodiaa naci boaailen, el
opado de amwie b HM;fej
sOias. O tasror, a m daps*. sonp-
aria em noaso^artUprio e es w do osa
asrmal de todos os negocios, teamos, a
ata hora, todos os horrores e todas as tra
gedias que podem apavorar as imagina
?es.
Fes-ae a obra que ao o sangue costuma
ciau'tr, em meio de vivas e de palmas ;
MUMoa-se de um rgimen a outro, de modo
ue immensa gente nem deu por isso
randou-se a Repblica sem perda de urna
s vida, e opaii expande-Be em umademo
racia pura, satisfeito, regosijado de tanta
felicidade e certo de que na marcha victo
vioea para o seu futuro, nenhuma institu
lo, nenham interesso pessoal, lhe podori
embargar os pasaos.
No prrmsir momento, a impressao geral
foi grande, mas urna idea dominou os co-
racJtes mais impacientes e as organisacoes
ais conservadoras. Salvemos a ordem e
respeitemos a propriedade foi o grito que
e ouvio, Unto entre os que acehtmavam o
evo rgimen, como entre os qui se arre
oeiavam d'elle e lhe tmham sempre mani-
festado arraigada aversao. B, mal os che
fes da revoteeae tiram o p do estribo,
rennem-se e dio providencias enrgicas,
de modo a ser absolutamente impossivol
qualquer motim. Vergando i fadiga, com
corpe ardendo em febre, queimados pe!o
(i indo8tanieo do dia 15, com custicos
hartos em varias partes do corpo, os che-
es da ravobi*" #o 1ue J0
fcomens e passam tres das e tres, nortes de
vigilancia em seus postos, providenciando
som energia e bom senso sobre a ordem
oabtfa^ aatvagtnirda da propriedade, man
tendo a capital e todos os dominios bra-
aileiros na paz mais completa e mais patri-
archal. Pediam-lhe, supplicavam-lhe essas
duas coaeeesee, como os fundamentos mais
Tita es da soaiedade, de tifo sabida impor-
tancia, qae para os obter em toda a sua
plenitudo ato se Caria questio de que urna
u outra fbrmalidade fosse postergada. A
poca era de excepoio e s a calma e a
energa indomavel do gobern poderia, por
medidas iasUalaaeaa, salvar um poro das
garras da anarchia.
Em horas, em diaa, o governo reorga-
aisa todo o pas, faz o capar todos os
pontos e toma precaucoea, que mais j>a-
recem o fructo das tongas netacoes, do
Iue a resolucSo instantnea dos espirites
Ivorocados.
Todo isso apressadamente, como as cir-
eumstancias impunham, sem tempo para
peosar, sobre o joelho, em ordens ver-
baes, por monosyllabos, mas Uto acertada-
mente, que a cidade, aperar de congestio
nada, mantem se na mais inalteravel or-
dem, sem um motim, sem um roubo, sem
um ataque aoa dkeitos dos cidadaos, sem
ama s depredacao proprledaie,
os constructores lhes des
eamieira. Na
H apkca menta das
coa pci-
consrioar,
o asas prs ria faaaasis
tsi sjue oasansea estaketeoondo sabr basas m-
avsas. Aisamar espirita publico, eriti-
r fftsr goal*, acobr os deapeitos, ntlo 4
que a iasa
tetn por dever desempenhar em
scalo XIX.
Na actual ordem de cousas, s vemos
dois logares franeos a quem. quiter occu-
pil-os, ou ao lado do governo eollsboni
na paa e no futuro da patria
dos despeitos, aculando
------------------------ -W
toro da F nt e
outro* omWbvm qu sos* novi
nisasa ym lae aaasgaca a ::ea,
-tainsassast'iii:* kiU i cidado,
capad tssCQ? CosM; a aos>
n lilSW oatsnoni JsaaannM ty, mntt
coi is*i agradea asspjles ivammimos j
apMSVWejHV seonr iy sfre y-*. apartar-
se a stavo e-tiisasko ll batattte mw que
reoaUseia %* era justos* aatjS) da* seu-
regraorar sos sea* tris
om
ca
Fu ara
RaBuV
laaaaT ntl da^jio^Ternador, que para o SF*araao ele
fine do iDfai,taria.
Mtorta -Bm sepuida a e*M B ti/estaclo.
a reenda comaaUsao, dirigiudo-3 ao gr. le
nenU-JoiC Maciel da Silva, secreta-io do com-
mando das armas, fheofteriuu ouUvj extinnl"1
da illudida photographta. em sianaf de estima,
oraodo o Sr. teoeute Araujo e o sr. wj'>r Sou >
aenetes.
EMrada de ferro do Mee lio ao *
lado
ou ao
narchia.
Tanto n'um easo como no outro, os he- rrmmHmr^ -Fooio obiequialoa pelo respe
roes ja consagrados do dia 15 nao detxa- ( cljv) guperiatendeaie cem um eceiiolar d
rao de levar a fim a obra providencial que : gulameaio e tarifas dos traospjrte da referida
tm em mSos a que ha-de ser ooroado do V^rAt?^..J!lloJ^Kl0 "H0,311 eti
mais brhaate exiio.
1
HliaaatoaeAo o Ha dies, e a propo
sito do parecer lavrado pela commissao incum.
bida de apteciar as propoetas off< recidas para
servrem de base ao no?o contracto de iltuinina-
cao 4 gas da cidade do Recife, criticmo-|es3e
parecer pelo facto de, nao se acbaudo aeaouiua
de tees propostas nos termos precisos ao ediul
que abri a coaeurrencia para o contracto, ter
wUbetectdo preferencias sobre duas de tees pro
postas, taxendo, porai depender sua soceessiva
cettaca >, por parte do goverao, de modificares
a ellas feitas pela alludida commissao.
"Disaemes enlao que, ou e9as propo Uas esta
vara do accordo un o fe, nesse cjo po
d:am ser aceitas iaepenJeoteraente de modifl
cacOes, qoe lhes alteram profundamente a asea-
cia, ou se afasia vasa dos termos do ediul, e nesse
caso nao demm ser aceitas, e a consequencia
lgica seria a unnullurao da concurrencia bavida,
para ter lugar outra.
0 bom senso e as conveniencias do Bstaio de
Pernambuco, sobre o qnal pesarao as responsa
bitidales de um deficiente ou mo contracto,
acjnselbam um daqueltes alritres, especialmeote
o segunde, tanto taais qaaoto, no conceite da
referida commissao, neabuma das propostas est
precisamente de coBformidade com o edital de
con carreaeia, visto como essa commisao acn
se.bou que e se fhesse o contracto com um dos
dous coocurreotes, que preferio, no caso de acel
tarem elles modiflcacOes em suas propostas.
As nossas observacoes sobre a especie parece
terem callado no espirito do honrido governador
interino, pois que mandoa esee eidadfto ouwr a
respeito o Thesouro do Estado, o, opinando este
pela audiencia de umaorporaco teohnica do
Ministerio da Agricultura, Commercr e Obras
Publicas, eBtava resolrido aquelle oveniador,
segando o affirmou o Jornal do Recifi, a seguir o
arvitre do Thesouro sujetando as propestas ao
exame e estado do referido Ministerio. -
Ignorando se esse alvitre foi efTeclivameote
posto em pratica, nfio nos parece fora de propo
sito insistir, nelle visto como, t.-atando se de ob-
eeto de grande importancia para o Estado, s&o
-

sem o
unimo saque, sem o mais ligeiro atten-
tado.
E asaa se passam oito dias de paa e
de orgaiisacSo nacional, em meio do con-
teatameato geral e dos applausos do mun.
do, que nao pode crer no que v, que
inquire em que escola aprendemos a tazer
revolucOea, que nos applaude, quaado,
conaidaraodo-se ja. garantidos, os despei-
to aaoontado comecam a maoifestar-se
da parte de urna certa imprensa demasa
do apressada a por se ao lado dos venoe
dores no momento do perigo, como de
nxasiado ex geatt: agora, que ni estamos
anda em poca normal, com os podares
sonstitucionaes funcionando por interme
dio dos seus orgaos competentes.
Crear qualquer diffiouldade ao governo
no actual momento, semear a deaocnliauca
moesirito da popuiacao, mo.trar-se por hulgamento arbitral, e wPNgQoa
quantum do arbiir.uaeuto, allegando que fora i
poacas t jdas as cntelas a tomar (.ara sal .aguar
dar legtimos interesses.
foi pela mesaa raio que solicitamos do il-
lustre governador do Estado que, remetiendo
aiuelles papis para o Rio de Janeiro, desse
igual deslino as reclamacOes e protestos da
actual empresa de illuminacao a gax, protestos
c reclamacOes refrentea a legilidade da avalia-
cao fcita do seo material e ao quantum dessa
av.liaclo, visto como nao nos pareca uquiia
essa qaestao, da qual poderiam surgir dif&cal-
dades serias para o E-udo de Peroaiubuco, dado
o caso,de que se cogita, de urna inusrMBfiao
do governo inglex.
Segundo consta de pablicacOes feUsna im-
prensa em tempo-oportuao, a actual empresa do
gax tmpugnou o modo piaMoo de aotnear o ar
bitro deaempataaor oa questio da avbliaco, o
que importa aixer que cuutestuu a legalidade du
tasiOem o
de mais escrupuloso na saaijse dos actos
que a gravidade de momento inspira, nto
desejar que a arvore iocxuenta da li-
berd-de uctifique, nao obedecer aos
dictames do patriotismo, nao colla >orar
no bem publico.
Pois vos meamos, que do actual gover
no s exigistes a manutencao da ordem e
a garanta da propriedade, sem faz?r
qnes!o de outras formalidades e at
dando de barato algam arbitrio que as
circumstancias tornassem inevitaveis, como
que fugis ao cumprimento do pacto
salvador, e comjcaes a nao respeitar os
vossos proprio.s conselhos e a voasa pro
prta palavi-a ? Nao, is.o nao- leal, ist?
nao de quem quer a felicidade publica,
uto na> de quem quer orgaoisar a li
berdade e lgala a seus nlhos cerno a
heraaca maior que um povo pode leg >r
4e gera^Ses vindouras.
Se a poca de excep^lo, se vos
nosmos reconheceis que tudo o que pode
vir peior do que o que temos;". se a
prudencia e a magaanitnidade do governo
provisorio, o o sed respiito por todos os
direito3 vos inspiraram ja mais de um
dyihirambo, como que, conservando-se
anormal a situayao, queris j fazer chi-
oana, a pretexto de- coisas mnimas c
inteiramente provisorias, aproveitando d3
posicSes pass ^eiras, qua as circumatau-
oias mpoja?. ao governo, para aemeiar a
discordia entre os cidadaos, para anmal-
os descontentamentos, para
despeitos ?
Exigir do governo mais
tem dado, em ordem, em
do crdito publico, em medidas de ea^ue
Liento ou d(3 equdade, em trabalh de
reurganisaco da patria, em homenageni
dedic.i-
insuir os
do que elle
maautencio
pimo publica, em trabalho, em dedica
fio, em civismo, mostearse de todo iii
ontent^yel, despeitado, movido pr pai-
x3s, antes qne santinella ncorruptivel e
esperta da liberdade e da ordem.
Essas macainacoes, todava, nao darao
resuludo algum aos quo as iaspiram ouas
animam, porque nao encontram o menor
eh > na alma popular. Os que as exter-
aam nlo alo nem toram legionariosde qual-
quer reforma e o paiz tem consoiencia de
quo muito pequeo o cabedal de bem
qne* Ibes de ve.
Todavia, n'om momento como este,
insensatez querer dosccr a pomenores e
armar qnestb.s por coisss mnimas. O edi-
icio esta architectado com vastidao e
sumptuosidide, e, se apresenta algum de-
feito, nao 6 nem nos alicorees nem no pru-
mo. Asseguremos a sua estabilidade e sao
nos ponhames j a escarvar o slo, antes
avaliacao fela em lempo improprio e quaudo o
valor dos-mileruts era menor do que na poca
de termiaaco do *u coutraelo, em que, teguu-
do urna das clausulas deste, devia tffectuar-se a
ine3ina avaliacao.
Se ai entrar oo tiento das t reclamave* e pro-
testos, temos a rtttiusta eonvicgo de que nao
devem sertlies despreades, porque, como j
fixemo sentir, factos de ordem semelbanle de
termmaram a interveocao da iuglaleira em
questoes anlogas, e o reaullado foi pagur o
Braiil a sua improvidencia, sainado se mal de
negocios que deixou correr em certo modo
revellia.
Sabeade qae a actual empreza de illuminacao
gas promove m Londres urna iniiirvencao
dipfomalica ; su6)eitando qu eesa nterveacao'
se dar, como se leo no caso 'Waring Brotlers
nosso intuito itreviull a, fuzendo sujeitar
ama reparcao ou commissao 4ecbnicn as re
clamecoes e protestes da mesma empresa.
Dj honrado c a:tual Govrnadordofistado de
Pernsmouco solkilamos, pas, a esclarecida
atenco para ess-is a^scmplo?, pedindo Me que
os examine com o seu elevado crileri j, que o*-
medite com cal na e desejo de bem servir aos
nteresses poblii3 fob sua gaarda ; e liamos
que ao seu espirito se apresen:aro as mosma3
zpprehensocs qui aos arsuMaai-pcto futuro dessa
milfadada questio.
Sjberaoi quo lia intereaes privados que fe
. gitatn e torvelnbam em torno da mesma ques-
to, no ponto de vista do novo contracto ; mas,
de urna vez por ulas, pre:iso. fazer predomi-
nar os interess's pblicos, de irdem muito
superior, e estes aroeselbam muita ponderaco
ns deBar des3a.i!mbru!hadi rabiada di iilumi
uaco da cidade do R'.-cife.
O nosso deter era por de sobrealzo ohon'
rado cidado general Jos Simco de Olrvejra.
Esse dc?er esa cnmiirido.
lionera! Nimeao de OlivHra Uma
coininlssao de ol itaeh do z2^bitalh5y de nfao-
taria, temporaridmente oeste E^lado, dirigi se
liontem ao palacio goveroameaUt alitn do com-
primonlar ao brno general Jos SimeiVo de Ol
VJ.ra, sign'lcan(lo-il^ a sntisfaco fio ::;
bataltio por vi't o tcsla dos d atrios do E
d ile IVmaaibu .o. e ugra lecer I be a inicial: .a
Exc. tonara, solicita do ordioi do co-
venio proi.orio para o rgresso ao Rio de Ja-
neiro d) m--iro IxiUnio, cujos ollicioe:
cu foran ex abiapto alTastado dos aroB<".bcgos
das respetivas jiuiLas pelo gover .o de
Arlenla eosssMSsao ofl
verja'!' jaodeO!
do referido oo prca di: gi
.; os retratos
e lodos os olli .les do
n'um ri oquain.; presente que mu:
liou a S. Exc, ^ela sua sigaitlcay.'
Foi orede
, n'um L
discurro pat^^^^^^^p
de Agosto do torrente auno.
NriMa No vapor Mansa**, coja ebega
da esta anuuucaada para boje, parto para o Eio
de Janeiro o cidadao coronel los fr rqueira de
Aguiar Lima
Agradecemos a S. Exc. a flnjxa do sna visita,
deaejando lhe felix viaueai.
H.rianu Ciclonal Braiileiro -A res-
peno da suDstituico do bymoo iacit>nal por ou
tro da Repblica Federal, tem se pronunciiio
em dissentiiaento a essa idea a iuprrnsa do sul;
e pareea-uos que cem procedenaa.
Nesse xordo de pensamento,ipoi^ ^tiremos
ao ccmhe:imento ios nossos leilve-i o que tem
dito sobre o assumpto algons collgs^o sul.
O Corre Paulataw escieveu o *ioiate :
A substituicao do hyoono braxiiiro outra
preoccupjvSo do intransigentes iniovijdores.
Dir fe hia que nao querem uv bgMfe naci
nal, que falle a alma do povo, qoe m lasperte
o seiitiraeuto do. patriotismo. Queren^iun hym
no politicOj. que record outraa, lilfc) e
ao espirito a exaUgcao Kvosnciocsult.
Kra maito Mttrral qn>' no regfnran aligc pre
ferissem oa ciemocraUs. revoludoaariosentao,
aos soos festivos e eotlmsiaUco^do hymno ua-
cional, as mscalas mo lulacejdu Marselhezn
ou dos hymnos de Garibaldi e general Bou
fanger.
Hoje. porm, essa predilecco teria ama ano-
mala | Sena um acto de lesa pariotismp.
O bymno braiileiro qo tem siinilicacSo poli
tica. E*nacicnal, e nao imperial Corneja por
nao ter lettra, e rene a vantageu)qih,"c(H rea
cao biodeira, expresivamente-;tynthetisou o
decreto de 19 do corrate siiMlisa a per-
pe'uidade e aiategridade da patrp entre as ou
tras hages. "*!-
E' eesa a msica qae, desdebrgos ano s,
tem soado en'.husiasti em lodos os dias festi
vos di vida nacional. O exercito,a rmala, to
das as classea, a naco inteita aua a e comino
ve se ao ouvil-a. Nao ha um cor|cao brazlteiru
que se conserve indiflerente aosem do nosso
hymno nacional.
ConTumos, pois, que, mais urna Ves, o gover-
no geral sabr-r respeitar a susi^p'.ibilidade do
povo, corre8pond ir o -en arde* anhelo man-
iendo o hymno brasilefro de i6J.
Praticara por esse medo mais jin acto de ele-
vado criterio poltico; porque, se outra fr a
musi-a adoptada pelo governo, se a Repblica
repugnar o nymoo di meo, esti adquirir com
sVo ama signiticacio polilioa qui nao t^u. Ser
urna mostea icaocionaria, creada pel (/csaeertc
ao governo.
Nao, nao esperamos, nao eremos que se pra
tiqne erro tamanho.
O governo dar mais urna pro^ de previden-
cia e de civismo, o|ipon-1o-se pojeolada pro-
cripeo do nosso hy uno nacional.
Embarque de (ropaDive embarca
para o Rio de Janeiro no prximo vapor a ser
guir para esse porto o tfl* balailuo de infanta
ria, sob o commaodo do distincto brano eoro
nel cidadio Garlos Magno da Sil a,
E' de sentir que "se retire desta ruarnico to
distincto cerpo, que sem* offensa (os outros da
hlu.ni rao dete Estado, faz honras classe mi-
litar.
Ao sen digfto coanandante e noiso compro-
vinciano coronel Carlos Ma :no, aisimcomo of-
ficalidade deste Pravo baUhao, aposentamos
as nossas despedidas e desejamos-lties felix va
ge aa.
kra* rwbilca -Hoje, na directora das
Ob'BiPubl'oasProvinciaeo.reeebem se propostas
en cartas fecbadas para a consirurclo ie urna
ponte sobre o no Pirangy ass, etu ierra* do eo-
geo'u> Calende, ory-ida em 6:9t>MI963.
Fenta da elane camote retal -A classe
<:omtr>merc al, associaado m aos regos|os pi
bucos pelo advento da Repblica, conmemora
atuanbo 30> dia d'esae grande acontfcimenio
poltico, faz-ndo urna procissao cvica, que se
orjaniaar ui fre.ite do AaiU 4 Mfioba, as
3 i/f no-as da Varile-
prog-anma da festa d este :
A marcha cvica precedida pete esqua
dro Fiatemidade com o seu uniforme alopiado e
dous clarins. i -' V
f urna bmda marcial, acompanhaodo.esU
a respi-ciiva commissao, com seo estandarte, os
Esudos, e o batalbo da Liberdade com eus pe-
loioes e distincliv8.
Aos 23 dias do mez de Jallio, deste presente
- de 1718, uesta cidade de Olinda, a Igrsja
U e S da dita cidade, ao acaavara os Srs.
awadores D. Lowencode Almeida Maaoel
ia Tavares, sm pntMca do senado da
da mesma cidade, aafcrosa e povo deiia
_ ah ii a carta qae el-re, om(sO saehor
osMMeu ao dito secUiorgeverna 'ar I. IgMarea
co 4o Aliueida, em qae o ha por dasoorwatlp do
prado e o.aenagem qoe ca saas reaes mauadeu,
peta governo da capa una do Peruajaboco, o-
deuao4c-lhe pela dita caria, que n pawe do di
lo governo o dito Sr. Maooel de Souxa Tavares,
em virladeda real, patente em que o dito senooi
o faz governador, a qual tambem li ueste mescco
a lo de posse, de que Sua Magestade que D3u<
guarde, por real firdeui na, manda se faga este
termo, em que ambos os ditos Srs. goveraadorc>
assiguaram e os ministros que se acaram pre
-ii es e mais oOi;iaes da cmara da dita sidade
de Ola da
Em seguida acnam-se lavralos os -guiates
autos de posse dos governa ores: D. Manuel
Roliin de Moura, em 17; Duarte Sodr Pereira.
em 17i7; HenriqueLuizPereira Freir, em 1737;
. Mareos de Noronha em 1746 ; Luiz Jos Cor-
rea de Sa, 1749; Luiz Diogo Lobo da Silva, em
I7M ; Cootta de Villa Plbr, em 1763; Cunde do
Pavoltde em 1768; Manoel da Cunba Menezes,
em 17i; Jos Cesar de Mendses, em 1774; e D.
Thomaz Jos de Mello, em 1787 ; segu se o go-
verao interino da capitana, daquelle anno t
1804, quando lomou posse o governador Caeano
Pinto de Miranda Montenegro, cuj administra-
cao se proiongou at o anno le 1817 quanlo foi
deposto pela revoluco que proelamou a inde-
pendencia da patria, son a forma republicana.
Nao Agora no livro o termo de posse do governo
provisorio de 1817. Itestabelecido o amigo re-
gimen, ligara em seguida o termo de posse do
governador e capito-general Luiz do Reg Bar-
reto, cujo to teve tugar na igreja matriz de
S^ato Antonio do Reclfe, em i de Julio do in-
dicado anno.
Proclamado o governo' constitucional em
18l, coonlra se o termo da primeira junta go-
veruatii qonMilucional e das que se lhe se^ui-
r*m t""( p4, quanio (o piot-lamada a Cuufedu-^cujjove
por Manoel de Cirvalho Pao* m ds
e modesta do quo aos arduos labores dos cam
pos de btalas e ao fogo reahido das b irric adas.
Mas assiunnesmo, soldado bisoutio, dat-ma
a cirabioa e o carluxirae. que combatorei at o
ultimo alalo pela maualencao de umi Rep-
blica, qoe traga o progresso da aacao e a felicl
dade de todos.
E coouajgo, estou certo, correrao a postos
os patriticos Totalitarios do Monte Pn Popular
Pernarabu ;soo ; e sao faltar ao toquti de reunir
um s trainera de bem. m
m> General, ha tres estadios gran liosos n'este
secuto, qne asignalara, como bausas sagradas,
a evolufiio republicana de Pernambuco: 17, 24
e 48.
As pedras das calcadas d'aqaelles lempos
ainda se conservara tintas de sangu; dos mar-
tyres da nossa liberdade.
Pois bem general, vos que sabis da nossa
historia estrellada de martynos; vs qae co
ahe:eis os nostos sacrilicios as laclas porfa
la e na conquista das grandes aspiracoes na
ci laes ; vos que dispondes d'um fiaracter so-
'lir-inceiro e de seniimenios nobres e. elevados ;
vos qu cingis urna espada laureada nos campos
do Paragnay, em defezi da honra e integrilade
da patria : s Je o noneiro amestrado, justo e
Lm?^iaJ:;iB^'L^^n* J2..2 deIe"' racu dfl ,
de '.nilraJe, cojo 'Oto de posse foi lavrado em
li de Janeiro.do mesmo anno.
-Sao consta do livro o termo de posse do ge
neral Francisco de Lina e-ilva, cuj goveruo
comnreoeade o periodo decorrido de i i de Se-
lembro de 1824 a 23 de Maio de 1825. quando
enlregou a administracao ia provincia ao pr si
dente Jos Carlos Mayrink da Silva Ferrio; d'ahi
por diaule ligurain os termos de posse de todos
os presidentes e vue.-preiideotes qae dirigirn] o
goverao da provincia, at o ultimo, r. Sigis-
mundo .Antonio Goocalves, em 14 de Novembio
liado.
Figurara, em li n. os dous ltimos autos de
posse dos governa Jo* do Estado le Peni atu buco.
cjino parte integrante da Repuolica d03 Estados
Unidos do Brasil, sendo o pnmeiro, proviscria
mente, em 16 do indicado mes, e o segundo
concebido nos segrales termos :
Aos 12 dios do mez de Dezeuibro de
1881), a rbora da tarde, no Palacio do Go
Verno do Estado e Pernambucano onie se
ochava o coronel Jos Cerqueira de Aguiar Li-
ma, Investido interinamente do governo, eorapa
receu o brigadeiro Jos Siraeo de Oveira, no-
meado governador do mesmo Esta lo por decre -
to da 21 de Noveiabrs anterior, e presentes as
autoridades civis e militares, os chefes das re
particoos publicas, funecioaanos e o povo, ahi
por mim foi lido o lelegramma de 6 do correte.
expedido pelo ministro do interior, mandando
qae o mesmo governador assamisse a adraais-
Irac&o, uidependenle do decreto de sua uomea
cao, que, nos lennos do referido tetegrainma,
Ule seria na priiu ira opporluoidade remettido
l > Rio de Janeiro ; e, em obediencia a essa de-
teriuinaco, o brigadeiro Jos Siiuea de Oli
veira, depois de haver prestado peraote a Ca
raa:a Municipal o juramenio d bem e fielmente
desauoenhar se da commissao de que fora in-
cumb Jo. s t :u lo em vista as preseripi/ies do
patriotismo, da houra e do dever, se.undo os
liclames de sua consxiencia, toinou posse do
goveruo deste Estado de Pernaralwco. E eu se-
cretario do Estado o Sz escrevet e subscrevo
.int mo Ignacio de Mesguito Nev?.
S.'guem se as assiggaturas.
Como sp v, este livro que conja quasi doss
seculos de existencia, atravessou urna grande
park do governo colonial sob a monarchia por -
ngueza, todo o periodo lo imperio e entra em
tira na aova phaae do rgimen da repblica, que
acaba de ser proclamado, cuja data memoravel
marca o dia 15 de Novembro de 188J.
Hoale-pio Popular PeriMmauea
o Esta sociedaoe, resoLvendo manil'eitar $ us
aeotimeslos de ad'iesao Repblica, uooieou
ama commissao composla dos ci la aos Beuja
mira A udes Jos da Fooseca, Candido Jos de
Goes olles, Faustino Jos da Fooaej, Joaquim
rigindo se bontem ao palacio do governo, falln
oestes termos ao gmeral Jos Siiheaa de O.i-e:
ra, pelo orgo do Pr. Mello ioiues :
Cidado goveroador.Quaado esta ti Jal-
era devastada por ama' cruel epidemia, e o lu
/abre archaojo da morte baa a tolas as portas,
levando por toda a parte o 'uto e o exterminio,
a desolacao e a dor; quando o sol, que emerga
4o lionaooie. v.nha multas vvzes aiiu mar a face
linda doe cadveres estendidos as calcadas
J \Z- taSoT- marola., com^aljlho da ft**^ tS^o^^Z^
t-^TStaSS.-0eXerCU0 e arlBa COm SsaSS emadf hum^nSe C
5" A classe acadmica, com urna banda mar-
no altaneir-i do Estado Peroarabucino. Pren
deiJodoa os filhos dedi sidos de Pernambuco no
mesmo laco de fraternidade, progresso e amor
Repblica; para que o futuro -e a opiniao des-
prevenida dos homens serios, do povo e dos ca
racteres illibados deste paiz, possam syothetlsar
a passagem de vosso vulto sympatbico e vene-
rando pelo alto scenario da administracao deste
Estado liv.-e, como am governo qup teve por
no-ma tres sentimeatos nobres de que esta Ier-
ra hoje muito eare;e: Justica. Lealdale e Igual-
dade ReCie, 13 de Dezembro de 1889Dr.
MeUo Gmete *
O {overuador respond ia agradecido, duen-
do que era eom soc edades, como o Monle Po,
e com todos ca caracteres puros e devotados
Repblica (nao fazeodo setaeco le carnada so
cial) me elle contava para auxiliar e apoiar o
verno.
sejava de eora;o. a felicidade e a. gran-
raade aaoetnealoNa seocSo com
ptente inserimos boje o programma do espec-
tculo que a 19 do corrente ser levado scena
oo theatro Santa Isabel e cojo resaltado do pro-
ducto ser cedilo commissao militar que tan-
to se tem empenhado em agenciar neste Estado
donativos para auxiliar a extraccao da divida
publica.
E' de esperar qne da parle do publico teoham
a mxima aceitacao os bilbetes dirigidos mxi-
me aos I lustres cidadaos deste Estado, aos
quaes feram em carta 'fechada enviados os mea-
mos bilhetes.
iseunlo militar -A's 6 horas da tarde
de hoje oe cffectuar no quartel da Cora pan hia
de Bombeiros do Recife, a renniao militar, pe-
lln lo se para ella o comparecimento nao so los
membros da com aissio central como de todos
os prociradores doi diversos distados
Haveodo urgencia em resoler-se certos as-
sumptos, rcuiiio ter lugar e de.ibersr com
o numero que comparecer.
Pasamento da divida publica In-
terna Jamos a relaco nominal do pessoal
do cruzador Meduta, da Alfandega do Estado de
Pernambuco. qae concorreu para o pagamento
da alludida divida interna, por interine lio do
Commandante Fabio Rio
I inmediato Antonio Gonca l vos Penna
4 machinista Antonio Goncalves dos
Santos.
1* dito Maooel dos Santos Siqueira
Me.-trc Jos Thiago dos Santos
Fogisla Martanno Ferreira do Bomfim
Dito Jos, Amancio Ferreira do Bomfim
Dito andido Joaquim de Moura
Carvoeiro Francisco Gamillo de Oii-
veira .
Oito Jos Leite da Silva
Marinheiro Joo Seabra Lima
Dito Antonio Siropliie
i ito Joo Pedro Gomes
Dilp Lourengo Joo dos Santos
niio Pi Antonio dos Santos
Oito Jos da Costa
Dito Manoel Joo dos Santos
yT
cial
> t
ei.l.
6o A clisse artistica, com urna banda mar-
7* O povo e carros com as oemussoes de
diversas sociedades, para este tira convidadas.
Una-ario-Largo do Arsenal de Marraba,
ras Hora Je;us. Marqusz de Olinda, P>jQle, Cres-
po, Cabng, Bario da Victoria, Ponle, Iraperatriz,
Maciel Pitihniro, Hospicio, Formosa, Aurora, Po li-
te. Palacio. Imperador, Ouidor, Caxias, Livra-
melo, MurcjlioaDias, S. Joo, Mrquez do Hpr.
val i liialilut A^ilieulogico.
Depois le peieorrido o ituaeraria.ia moci
dade do commercio ser recebda ppr unja com
Lraisso do loslitjito Archeologico, e n'essa occa
alo, Apois da solemnidade do estylo, far en
trega ao mesmo Instituto do respectivo estndar
te, orandj ento o director da commissao.,
Em seguida, a mocidade commercial dirigir
se ha ao theatro Santa Isabel, levando oreitaa
larte dos Esudos, alim de serera collocadopor
ordem nos camantes do mesmo theatro. Achar
se-ba tambem galhafdtarte preparado o-Thea-
tro Santo Aulooio.
Neste mesmo dia sera distribuido um jora u
especial, dediado mocidade do commercio,
oerecido pelo cidado Augusto Figueira.
A commissao pede aos oradores que sejain
breves nos seus uisoursus. -
De convidados se associarem mocidade commer-
cial era suas manifestages patriticas.
Becrelatlva divaniude-Hoje a So3ie
dade Recreativa Juventude faz o seu sarao bi
meslral do corrente mes.
caalleiro da Cruc -A's 6 12 horas
da larde de 16 do correut, a Sociedaoe B
cente Cavalleiros da Cruz, celebra se.so, na
respe;liva sede, para ele?er os seus uovos tunc-
ciorios para o anno delKfl91.
Xat*f uta Oeaufl rente rtoo flsotaea
da ttaara Nacional Essa associacao.
funecioua amanhi, pelas 10 horas do dia, em as
neral, uo I" andar do predio n. 18 da
rui Larga do Rosario, para eleger a sua nova di
ria p.ira o anno de 1890.
lia livro laltorioo-D 3 r. Francisco A.
iVrei' ta ronettea nos os*
O livro em qu ainda sa lavram lermo
ie pi
. ico, -i m i eelouiaes-, ao
) de 1718, teu !o por C0nseguftte, ceoto e
Ha e un aioos >le exatcncia
E' u l ta-ftKio, de 289 paginas, de ptimo
1 deliabo,multo bara e:\strvado, ab:rtvi
Jo pelo secretario de entao Tliom de
Giri e t
Livro priracii termos
o O-
vern .jtaatas
por >ua Mag
ciridade, respeitadospelo povo. l3ia"do Ocano Atlntico.
tripotago.
lora, sufocando oos peos masculos e genero
sos os solugos e os gemidos da alma lacerada
pela perda rcenle de amigos e prenles idola-
trados ; resisti lo impvidos ao medo e ao ter
ror qu avassallavaiu toda a popnlago, abeira-
va-se curapassivo dos moribundos abandonados
cu dos doenles necesitados, prodigalisando re
me dios a lodos,auxj|io e conforto; e, se era
baldado o esf reo nessa tola gigante, nao -
coufe.>savam vencidos ou abandooasam a victi-
ma do ffagello da peste, no ultimo transe d'ago-
nia: scqipre reunidos n'um batalbo cerrado
de abgaco c
ooupados pela epidemia, leravam os tristes
despojes dos morios ao campo do eterno repou-
so.
Esses < peregriuos audazes, > romeiros in-
cansaveis da cruzada santa do bem, laucramos
alijerces do Monte Po Popular Peroambaeano.
E o Monle Po um ncleo de confrater-
aisaco, era que botuens de todas as cores, do
todos os amigos credos polticos, de todas as
hierarchia3 e carnadas sociaes, presos no mesmo
lago de soldtiriedade humana, trabalham pela
beneBcencia mutua, progresso e felicidade da"
carporaco.
Al nao Um logresso a poltica, prohiben)
que ella transpouha o reoioto os diclames de
nasia le fundamental. E d'aui talvez que re-
sulta prostigW, o Qayrandapinpnln d n Hur.i
gao desta sociedad?, que co'nta boje centenas de
associadoi c mais de 33 anno^.de fundac,.
Apcsar da poltica ser do Monte Po com-
pletamente baDida, foi tal a commogo porque
passou este paiz, que a onda assoberbada do
movimento republicano foi bater forte e espu
uosa de encontr as uraralbas do reducto do
Monte PiO Popular Pernambucano.
E o vi oo te Pi mandou-me aqui, como in
lerpreteiiel de seus sentimentos, bem como estes
deno lados companheiros de commissao e le nos
sas lides sooiaes.
Elle veni dizer-vos que adhere com Ormeza
a moviraenio republicano da patri?.
Se a Repblica a vestal imraaculada (eomo
toloiesperain e duve ser) que preside aluraei.-a
ai grande convivio das.liberdalesdo povo; se
ella transforma a chlatyde alvinitente e bella
na ban leira braaca da pazsyraboio de confra-
, o e amor ; se ella n \o traz urna s gol ti
de sangue as vestes irapollutas, ou um
M de odios inveterados, de *le de vio-
mal lasiada, do iol pequeniaos-e
sordflos, de axbigoes e prepolencia^ iacorifes
saveis; so ella voui a ser, lo smente, a faina
de to los os borneas de talento ou bem intencio-
nados; de tolos os caracteres allivos, sincerse
desimeresaado, irabalhan 'o pelo progresso e a
felicidade da patria, se ni oufra recompensa ou
o alem da con9~ien.ia sulisfeita d
s operarios do bem ; sea Repnolica o
i) das mas
eas e a sati.- .pleta das lvres aspiragoes
da grande alma
ctdsdio goternador,
deza deste povo, que lo caro e com tantos sa-
crificios paseados ha-ia comprado sua lber
dade.
A Repblica nao era constituida s pelo go
veruo : ella era todi do povo, como urna aspi-
rago nacional.
Eque nos sentimentos de justiga. iguildade ^
lealiade e que elle de3ejava firmar o seu go
verno.
A repblica e oa nntigo* partido*
Continuando nessa pubcaco, damos a opi-
niao do Sr. senador Saraiva :
c lllra. Sr. redaetor do Correii Paulittano -Q
Sr. J3 Antonio Saraiva, ao retirar-se ho|e para
a Bahia, recebeu de V. S. urna caria, provocan
Jo ua opiniao relativamente'aos acontecimen
tos que determinaram a deposigo da nunarcina
e proca.m;ic8o da RppabLea.
Nao tendo temp> de responder liic. rae au
lorisou a fazel o era seu noipe, visto i?a conbecer
os seus sentimentos e ideas, fraocaraenle raaoi
testados,desde qae se consammou a raudang)
de rgimen poltico.
Os sentimentos e ida3 do Ilustre estadista
syntbetisam-se era um telegrararaa que a 20 do
correte dirigi ao Dr. Ulyss.'s Vianna.ex depu
tado por Pernarabu-o, e redactor do Jornal do
Recife
Esse te-egrarama do tbjor segqinte :
A repblica um facto consummalo. D--
vemos adoptal a e servil a lealraente. A iin-
prensa deve dedicarse a obter a ordem e a li-
berdade. >
Abstendo-se o Sr. Saraiva de apreciar o
modo por que foi proclamada a repblica, en?
teode qae seria causar grande mal a nago,
ludo que f >sae inciitir no espirito rablico iia
de restaaracao.
Em tal emergencia nao ha se nao un cami
nao indicado pelo patriotismo : nao embaracar
por qualquer modo a evotocSo, alim de que, as-
seguradas a ordem e a paz, o governo proviso
rio compra suas promessas ; cuidando o maisl
cedo possivel, da or4aai9agao definitiva da rep-
blica, tanto mais forte e moderad qlano mais
geral f." o concurso e apoio sua cousolidaco.
Pelo que respeita 6 forma da repblica, suas
opinies de hoje sao as que manifestara sob o
rgimen decahido : a repblica federativa,
como coodicao indispensavel da integridade e
uaidade nacioaal, que deve ser o grande des-
idertum de todos os brazileiros.
pensando como fica exposto, x.nsequentc
o Ilustrado estadista, considerando a prtmeira
condico para que se aitiojam os tins, a raanu
t^nco da tranquiliidade, de modo que o gover-
uo possa desassombrado eitregar se obra da
orgaoisagAo definitiva do rgimen proclamado,
sob a base segura e facunda da aoberaava na
cional.
Pensaoioter flelmente interpretado e ex-
posto o peasaraenio do eminente estadista, auto
'iso a Ilustra la red icgo a fazer desta caria o
uso que loe parecer c nivea ente.
Sou com es ion e cous'derago -He V. S.
.etc.Pedro Leao VeUoeo.
ConferenciaO Sr. Bar&o G J dlierpent
real'.-oa ante-hontem, oo Gabiu t_- Portugus
de Leitura, a primeira de ama sene de coof -
reacias Literarias que annuuciou.
Foi objeclo dessa coaferencia Moliere, celebre
Iliterato francez re sobre ,-ua vida e trabalhoa
deocorren o coofereai;ionista mais de i hora,
sendo muito applaudido.
Corveta BartltolonaeaBiaa -Este na-
vio da armada poriugueai, sob o commandi do
capito-tenente Julio Ferreira, ebegou bontem,
pela manb, ao Lamaro, procedente de Lisboa,
com escala pela madeira e 8. Vicente, ende,
toado se demorado alguos dias, observen a pas
sagem do paquete Alagos, que conduzia para a
iuropa o ex-imperador e sua familia.
A corveta ticou tundeada no Lamaro, de on le
salvoa a trra a 4 horas da larde, depois de ter
sido visitada pela sale e ter trocado comrau
ni'^aces com o coosul re3peotivo.
A Barlholonuu Dias gastn 25 dias na travs
Tem 263 pessoas de
9*000
5*000
7*000
5*000
3*000
2000
2*000
2*000
15C0
1*500
.1*500
1*500
1*500
iSS
1*000
WOOO
s A
47*000
Esta importancia Foi entregue ao cidado ins-
pector do Arsenal de Marraba pelo*commandan-
te do mesmo cruzador.
Taboletaa escolare**Pela inspectora
geral- da iustrocgo publica foi reeommendada
ao3 profeascres pblicos a subsliluigo dos ds-
ticos actualmente existentes as taboletaa das
escolaa.
No edital que pela secretaria publicado na
parte competente, determinada a forma dos
dizeres das al ludidas taboletas.
Exame primario-No dia 9 do cor-
rente, tarde, na 4* escol i publica do sexo fe
.omino da fregueza de Santo Antonio, regida
pela professora Amelia Augusta de Moraes
Quental, sob a presidencia do delegado Iliterario,
ceado examnadoro proressor Fiorjaoo de Oli-
v.'ira, e em presenea do prof:asor Ernesto da
.iva Miranda, pcocedeu sea exame das respe-
ctivas alumnas dadas por hab litadas :
O resultado dos exames foi o seguir.te :
/. jrro
Amelia Cavalcante e Fraocelina Mara Cleto,
allantadas; e Laura Ferreira, Marciojjilla de S,
Mi'Ciomlia Justina e Josina da Costo, pouco
adiaalalas.
grao
Georgina Aurelia de Lima, Belmira Baptista
Machado, Victoria Ferreira Piafo da Costa,
adi ratadas ; e Maria do Carrao Leonor da Costa
e Cacilda dos Saulos pouco adiantadas.
3. grao
Afra Bernardina llorges e Mara das. Neve3
Silva, approvadas coin disiiaccao ; e Francisca
Gertrades da Silva Santos e Maria Luizi dos
Santos, approvadas plenamente.
mrfcto-la da obras de conent-
< do porto de Pernambuco-Reci-
e, (2 d i Dezembro de 1889.
Boletim isleorologiec
Barmetro a. Tenso % S
6 m. 2S-.9 759-06 19,51 78
9 29-,4 760-08 18,79 62
12 28,7 759 85 29.39 18,94 71
3 t. 2,2 758-17 788-69 63
~ 8 27,8 19,87 71
Temperatura mxima30*00.
Dita mnima- 2, 50.
Evapo-acao em 24 horas: ao sol8,-3;
sombraSm
Cira va- 4,*2.
Direcgo do vento : ESE com ioterrupges de
ESE dorante todo o dia. -
Velocidade media do vento2,-64 por se-
gurdo.
v balosidade media-0,-58.
Boletim do porto

M
M.
M.
M
Dias
12de Dezemb.
a
13 de Dezemb.
Horas
1-51 da Urde
7-44
2 38 da manh
8IS
AJlura
liso, quer
lo not
Prava de patriotismoO cidado ca-
piUo honorario Antonio Graciado d3 Gasmo
Lobi>, secrelapio do prolongaraeuto de S. Fran-
cisco C estrada de ferro de Caroar, em officio
de hontem dirigio-. drecloria deasaa ferro-vias
offereceu 5"|o de seos veocimentos lquidos,
para amorlisaco da divida publica inter-
na, e cuja educgoder feita a cootar de 1 de
oeiro a 30 de Junho do anno prximo de 1890
* l'oi o capitno Lobo o primeiro dos emprega-
doa da 1* divisb desaa3 estradas que fez e;se
offerecimento, o qual, de certo n tardar a en
contrar imitadores.
Faculdade de Oirelto -Eis o resultado
dos actos de bontem :
*> aenp
Sisenando Valente Carneiro di Cuiiua, plena
mente.
Joo de Macedo Franga, iiem
Thomaz de Aquino Fsnseca, idem
Joaquim de Lima Pires Ferreira, idem,
Luiz Francisco do Amaral, dem.
Do ningos de Souza Leo do Reg Barros, idem.
Euzebio raadao da Rocha, idem.
- Hoje haver oa aeguiotea exames de prepa-
ratorios.
Francs, ultima chamada geral dos quo n >
eompareceram, as 10 horas ; rhetorica, s 12 ho
ras ; geographia, s 10 hora3 e philosophia, tf
12 horas.
Club Bepuhllcano Paritckial do
ecifeEn cumprimento de sua missao
leva esse Club ao conhecimento do publico que
tontera sanio a lommissao encarregada de agen-
ciu- donativos em prol da lvida interna deste
Estado por parte des3e "Club e que o quantum
agenciado elovou-sc a quantia de -83*040 que,
secundo Hcou determinado, est em deposito em
mo8 do cidado Antonio Baptisla de Araujo,
ihcsoureiro do mesmo Club.
A Era ova-Com o titulo A Era Nova,
aera distribuido amaolin (domingo), n'csta cida-
de, um numera nico de una ralba lelicada
mocidade commercial, em horaeoagera ao glorio
to d'i 15 dtf'Novembro, da proclamaco da Re-
publica dos Estados-Unidos do BraMI.
Tiro -Mandaram disor do termo j Buique.
que, na noite de 30 de Novembro, o cnmin.so
Manool Marque? de Sooza, que m achava ti
aiado no povOlo do Carieiro do mesmo termo,
foi victima de urn tiro de pistola, que contra elle
djparai'am de emboseadu Antonio e JosFei-
.;t0.
uelloesEtTectuar-se-bo os segrales :
Hoje:
Pelo agente Brillo, s 10 1/2 horas ra da
Bodan 29, de K.oveis de hotel.
Pelo agente Brlto, s 10 1/2 horas, ra Prin-
cesa Isabel n. 12, de 1 piano, mo.eis, joias,
etc.
Pelo agenie Alfredo Guimares, a ti horas,
ra do Bom-Jesus-
Segunda-feira:
Pelo agente Modesto Baptista, s 11 horas
ra do Padre Ftoriano, de armago e perten-
cas da taverna ahi sita. '
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra da
Santa Cruz n. 70, de movis, esperaos, quadros,
livroa, etc.
Missas f onebresSero celebradas :
Hoje :
A'a 8 horas, na igreja de S Goncalo, pela at-
la do marido de D Clara Maria da.Corceigo.
Paesagelroo -Sabidos para o norte no va-
por nacional Pernmtbuco:
Francisco de Brito Lyra e 1 aobrinbo, Joaquim
Garca de Castro e 2 filhas, Antonio da Coala
Lima, Jason Rigbet, Heary Watts, J. H. Goonel-
ly,-H. Niemeiyer, Francisco Maooel Carneiro dt
Lyra, Alfredo Augusto Pe reir, Cari Tbormack, "
V. F. Sanlao, D. Mara Lina da Cruz, Affonsina
Cruz. Francisco Antonio Salluce, Josepb Salm-
eo, Paulo Malileae, Braz Segalis, RaphaetAlge-
ros e sua sroboFa, Clovin Bevllaiiua, sua senho-
ra e 2.filhos, Joo Cruz Dr Joo H. G Almea-
dra, os Luiz da Silva e 1 irnt, Bibiana Tava-
res da Sila e 1 irm, Dr. Antonio Ferreira Bor-
ges Castello Branco, Antonio Joaquim de S Ri-
beiro, Jos Gil Castello Branco, Dr. -Frederic*
Pirca bampaio, Dr. Alfredo A de Jess Ferrei-
ra, governador Dr. Gregorio Thaamatargp de
\zvodo, aua senbora e 2 filhos. Jos Martras de
Freilas, Thauma urgo S- Vaz, Aurora Maria da
Conceico, Mello Rezende, Jco Glirysoslomo, F.
Lopes Guimarfles, Francisco Monltiro, Jos-Fer-
rea, Candida Mara da Silva, Carlos Augusta
Carneiro, Joo F. Pares Porto, Domingos A de
Oliveira, Augusto A de Oliveira.
casa de BeieacaMuvimcato.aeg-.pre-
os da Casa de Detenco do Recife do Estad
de Pernambuco em 11 de Dezembto e 1889.
Existiam 491 entraram 15; sahiram 2; exls-
;em504.
A saber:
NacioDaes 469; amlheree 30, estrangelros 5.
-Toal 604
Arragoados 44o.
liona 420. .
Doentes 21.
Loucos 4-
-total 445.
Movimento oa enfermaria
Tiveram alta :
ranciseo da Silva conhecidj por Gamba.
vojo Leonardo da Silva.
Candido Ferreira Gomes.
Foram hontem visitados os pra ata
ion
9>s>itit f'Aro' jte
*
i
]

1
^snisssssssl


ario de PernambucoSa
>ro dt
S89

i
408
as respectiva!, enfermartat
i
H
irsfli
alleceram
;em
Fora'm visitadas
pelo6 Dni.
Hoscoso as 8, Cysneiro s 9 i 4, Barros So&rt-
aho s 7, Malaqnia's s 10 i/4, Pootoal s 9 1/2,
Simoes E-arbosa s 10, Berarao is 10 li toras
O Dr. ,'iscevao Cavalcaiite nao ce rapareeeu.
O cirnigiSo dentista ama Pompilio nao com-
parecen.
O pnarmaeeutico entrn s 8 i4 da iaanba e
sabio As b i/t oras da tai de.
O ajutlante do paarmiceutico entrn as 7 VI
sabio as i2 da tarde.
tira Je lotera di crteA 4' parte
desta grande lotera, cuja sorte delOO.oGO*.
era extrahid no dia do correte, nstranfe-
rivel.
Lotera do tJram-raraA 6a parte d
SI* lotena desea provincia, enjo premio grand-
de 5000**, sera extrahida no da 16 de De
zembro.
A 3* parte ds 33a lotera, dessa provincia
cajo premio grande 1J0:900*0U0, ser extrahi
dao dia .. de Dexeratiro.
A1 parte, da 34* lotera, cajo premio
grande de 60:0001, sera extrahida no dia .
de Dezembro.
Orante lotera do araabao A ii
serie da i* lotera, dessa provincia, cu}0 premu
grande 300:u00*oe0 ser extrahida no dia 13
de Dezembro.
Isoterma da corteA 9* parte da 131' lote
ria, cajo premio maior de, 10:000*000 ser ex-
trahida hoje 14 de Deterobro.
Ceaalterto PuOilcoObituario do dia 12
de Dcaembro:
Thomaz de Aquino Oveira Santos, Pernam-
buco, 33 annos, solteiro, Santo Antonio ; syphilis
constitucional.
Felippe, Pernambuco, 7 annos, Ba-Vita; fe-
re typboide.
Isidio Lius de Franca, Pernambuco. 20 annos,
olteu*, Boa-Vista ; tubeiuloa pulmonares
Baria, Pernambuco, 3 metes, S. Jos: ente-
rite.
lalb Antonio Moreira, frica, 60 annos, sol-
teiro, S. Jos ; bemaptyse tuberculosa.
De Justino aos Santos Vieira, u
vel da firma Casemiro de Andrade & i
do-se ao registro da marca, socitadu
los ile Arroda dt :.Weelare a roa e numero
seo estbetecimenlo emmercitl e* junte connect- re
ment de que yaga imposto.
Ue Jarlo de Arroda & C. solicitante o regia
tro da marca flor Indiana para ana qmlida *e|
de cigarros de sen commercio. Contioi adiada
em vista do protesto apre sentado por Jostino.doa
Santos Vieira.
Dos meamos sobre o protesto aprsenla 1o por
Justino dos Santos Vieira.Vista ao fiscal.
De Antonio Rodrigues da Costa, comffle>ciante
de gneros de estiva e do paz, para que se regs
tre a marca do seu commercio de agurdente de
canna que exporta para o Para e Amazonas, sob
a firma Rodrigo Moraes & C. Vista ao fiscal.
De Alfredo James Price Clarkson para que
se registre o substabelecimento da procura
CHB011CA JDICtAKIA
Tribu! da Relafi*
SESSAO ORDINARIA Uk 13 DE DEZEM-
BRO DE 1889
PWtSIDENCIA DO CIDADaO DK8EMBAKGAD0E
QCINTIHO I 3U1UNDA
Becrstorio, o cidoda* T. Virgilio Coelho
A's horas do costme, presentes os cidadrs
deaembargadores em numuro legal, foi aborta a
sessao depois de lida e approvada a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
seguintes
JCLQAKSHTOg
Uabeas-corpas
Paciente :
SPORT
V

Derby Club de Pemanburo
AmanhS festeja o Prado da Estancia o primel-
eo anniversano de saa nauguraco, e abre a
rimeira corrida da sua segunda estaco sporti-
va com o Grande Premio Derby Club de Pernam-
buco, disputado em 2,500 metros por 13 asi
stes, d'eotre os quaes destacam-se diversos
magnficos parelbeiros.
Nesse pareo instituio a directora paules de 3'.
e disto deve resultar mais animaeo s apostas
por abnr nova vlvula s probabilidades.
Todo expediente dessa corrida encerra-se ho
je, s 3 horas da tarde.

Para a corrida a que cima alludimos, tem a
digna directora envidado todos os esforcos pos-
tiveis, alim de que ella corresponda aos seos
desejos de proporcionar urna diverso condigna
aos embanastas pelos divertimentos sportivos e
as pesaos que frequentam o Prado da Estn
OS.
m
No *3 pareo, que se denominaFerro-Carril
de Pernambuco,a compacihia que Ibe deu o no-
He destina um brinde ao propnetaro do animal
?pae netie fdr o vencedor.
O peneamento da gereacia da Ferro-Carril de
Pernambuco urna gentileta que a eleva e dis-
tingue.
Disputou-se ltimamente em Liverpool,
The Liverpool Antumn Cap, handicap,
1,000 libras, 2,200 metros.
O resaltado da corr da foi o seguinte :
Philomel, 4 annoa, 49* 1/2 kilos por
Philammon e Chrysals, do coronel
North (J. Woodburn) 1
Bve d'or, 5 annos, 46 1/2 kilos, (Mul-
len) 2
Teosophiat, 4 annos, 46 1/2 kilos (T.
Loates)
?
Mousset, o conhecido jockey francez,
rae abandonar a sua profisslp e retirar-se
para o sea departamento natal, onde vae
rozar a pequea fortuna que conseguio
juntar as corridas.

O Sr. Tertuliano Fraga deve receber
per estes das, tres eguas inglesas, podre-
adaa na Europa, por celebres reprodu-
atores.
as coadelarias do Rio de Janeiro tem
kavido o seguinte movimento nos jockeys:
Sabio da Coadelaria Excelsior o jo-
ckey Joaqaim Bastos.
Seguia para Franca o jockey Beale,
que sahip da 'Joudelaria F. Schmidt.
Consta que sabio da Coadelaria Por-
rir o jockey Arthur.
O jockey Joaqaim Bastos qoem tem
tratado os animaos daquella coudelaria.
O Clui Olympico Fluminense realisoa a
sua 6.* corrida, sendo o seguinte o resal-
tado dos pareos, que todos oram bem
disputados, com a melhor ordem possivel
e grande concurrencia de assistentes ao
divertimento:
1.a pareoAnunagao150 metros, sem
vantagem para socios que nlo tinham ga-
nho.
Chegcu em 1." logar H. L. Wheailey e
m 2." Julio Barre i ros.
2." pareo Infantil 120 metros, com
tageio, para meninos at 10 afanos, que
tinhim ganham.
Chegcu em 1. logar O. Freir e ton 2.
. Oliveira.
3. pareoProgresto:260 metros, com
antagein, para homeDs.
Chegcu em l. lugar M. Va o ejn.2..
ulio Karreiros.
i 4." pareoJuvenil100 metros, com
i vantagem. para meninas at 12 annos.
Chegcu em l.4 lugar B. Zucen i e em 2."
Ifi. erniyon.
5." pareoJos Sonto150 metros sem
vantagem (vae Teta).
Chegcu em 1. logar Alberto.Goimar&es
lio houve 2. lugar.
6/ pareo18 de Julho150metros com
rantagein, para mocos at 17 annos.
Cbegou em 1. lugar M. Vaz e em 2.
rulio Barreiros.
8. pareoClub lympico Fluminense
1,000 metros, com vantagem paca bo-j
ens.
Havendo algumas opiniSes contrarias as
dos juizes, a directora annullou este pareo.
Mo se realisaram os 7. e o 9. pareos
por ser tarde, ficando transferidos para a
primeira. corrida que houver.
No intervallo do 6.* ao 8. pareo foi or-
.ganisado um pareo snpplementar, pelo Sr.
A. Alves Sonto.
Foi ginho pelo Sr. Alypio Oliveira.
Durante as corridaa tocou urna excel-
lente ba:ida de msica.
A'a 7 horas da tarde retiraram-ue oa con
vidados penhoradiseimoupela brMbttnte festa
ue assistiram e pela delicadeza com que
oram tratados tanto pe,o director do diver-
timento, o Sr. Reinaldo Vieira da Costa,
como pela directora.
bargadores Alves Ribeiro Tavares de Vascon
cellos e Monteiro de Andrade.
Recurso crime
De i'amaragibeRecorr.mte Beimiro de Albu-
querque Lias, recorrido J)8o Antonio Mauricio.
Relator o desembargador -raeida Santos. Ne
gou-se provimento, ananiaemente.
AppeUacoes crimes
De BananeirasAppeante o juizo, appellado
Manoel Rodrigues de Oliveira. Relator o desem-
bargador Del fino Cavalcante.Mandn sea novo
jury, unnimemente.
Do Panc -Appeante o juizo. appellado An-
tonio Virgo lino de Marrocos. Relator o desenv
bargador Delfino Cavalcante.Mandn se a novo
jury, unnimemente.
Do Piar Appeante andido Pereira Leite,
a mellada a justica. Relator o desembargador
Delfioo t avalcante. Mandou-se a novo jury,
unnimemente.
De-CabaeeirasAppellante o jnizo, appellados
Pedro Alves dos Santos e outro. Relator o des-
embargador Monteiro de Andrade.Mandou-se a
novo jury, unnimemente.
Do Goarabira- Appellante Olinto Jos da Sil
va, appeilada a juatica. Relator o datembarga-
dor MonteirO de Andrade.--Confirmou-se a sen-
tenca, unnimemente.
De Cajateiras Appellante o juizo, aopellado
Amancio Pereira da silva. Relator o desembar-
gador Almeida Santos. Mandou-se a novo jury
contra o voto do desembargador Pires Ferreira.
Do IngaAppellante o juizo, appellado Anto-.
nio Pellarmioo de Oliveira. Relator o desem-
bargador Monteiro de Andrade. Mandn se a
novo jury, unnimemente.
De Olinda Appellante o promotor publico,
appellado Manoel Mara Bandeira. Relator o
desembargador Alves Ribeiro. Mandou-se a
novo jury, unnimemente.
AppeUacoes civeis
Do Bonito Appellante Jos Piaubylino Gomes
de Mello, appellado Simplicio Goncalves dos
Santos. Relator o desembargador Monteiro de
Andrade. Revisores os desembargadores Alves
Ribeiro e Tavares de Vasconcellos. Julgou-se
prejudicada.
De PalmaresAppellante Armando Pedro Luiz
Massy, appellado Francisco Ferreira Borges. Re-
lator o desembargador Monteiro de Andrade.
Revisores os desembargadores Pires Goncalves e
Alves Ribeiro. Confirmou-se a sentenca, un-
nimemente.
Do Recife -Appellante Joo Gualberto de An-
drade Lima, appellado Joao Gonealves de Souza
Beirfio. Relator o desembargador Deltino Caval-
cante. Revisores os desembargadores Pires Fer-
reira e Monteirodc Andrade. Foram despresa-
dos os embargos contra o voto do relator.
PA8SAGENS
Do desembargador Pires Ferreira ao desem-
bargador Monteiro de Andrade :
Appellacao crime
De ItambAppellante o juizo, appellado Jos
Felippe.
Do desembargador Monteiro de Andrade ao
desembargador Alves Ribeiro:
Appellacao crime
De Porto '"alvo Appellan'e Jos Zeferino dos
Santos, appeilada a jostica.
Appellacao civel
De S. Miguel ppellantes D. Rosa de Moura
Castro e outros, appellado Francisco Ignaeio de
Araujo Jatob.
Do desembargador Pires Goncalves ao desem-
bargador Alves Ribeiro :
Appellacao civel
Do Recife Appellante Joe de Mello Albu-
querque Montenegro, appellado Manoel dos San-
tos ViUaea. _^.. .....
O desembargador Pires Goncalves como pro-
motor d justiga deu parecer nos seguintes fei-
tos :
AppeUacoes crimes
Da Parahyba Appellante o juizo, appellado
Elydio Francisco dos Santos.
Da Palmeira dos Indios Appellante o juizo,
appellado Jos Correia de Araujo.
De Traip Appellante Manoel Ferreira da
Costa, appeilada a justica.
Da Parahyba Appellante Joaqnim Calixto da
Silva, appeilada a justica.
De S. Miguel Appellante Benedicta Mara da
Con ;eicao, appeilada a justiga.
De Campia Grande Appellante o juizo, ap-
pellado Rozendo de Arroda Cmara.
Do desembargador Al vas Ribeiro ao desem-
bargador Tavares de Vasconcellos:
Appellacao crime
De Cabrob -Appellante o juizo, appellado
Gregorio Gomes Agapito.
Conflicto de jurisdiccao
Entre os jnites.de direito de orpbios e o da
provedoria do Recife.
Appellacao civel
Do RecifeAppellante Jos Antonio, appellado
Eduardo A. Burle.
Appellacao commercial
De MaceiAppellante Antonio Casado de Li-
ma Jatob. appeilados Borstelmaa t C
Do desembargador Delrino Cavalcante ao des-
embargador Pires Ferreira :
Appellacao civel
Do Recifeppellantes Manoel Luiz dos San-
tos. Mareell no Goncalves de Ate vedo e outros,
appellados os meamos.
DILIGEXCIAS
Mandou-se baixar ao juizo a qu as seguinte/:
AppeUacoes crimes .
De Nazareth ppellantes Hereolano Mondes
da Silveira e outro, appeilada a justica.
De CimbresAppellante o juizo, appellado F-
lix Gomes dos Santos.
Encerrou-se a sessao 1 1,1 bora da-tarde.
Limited, constituindo o snpplicante gerente da
Caixa Filial desta pagaRegstrese.
Do pbarmaceutico Jacome de Mattos Coelho
Sampaio para lhe ser registrada a escriptura an-
te-nupcial que celebrara com D. Marta Elisa dos
Guimares PeixotoRegistre'se e publiquen.
Nada mais havendo a despachar, o4r. presi-
dente encerrou a sessao s 11 horas da inanba.
NBLICACOES 4 PEBIDO
hdro 4,'A Pro-
iio o nomo do
conrmitaao,. qae devis
_enral SimeSo !
Dial* '* frtfto demcrata qae a alma
do povo pernambuenno esta < a triste ; qae
ella senta algnma cousa ; que ella se
ausentava das testas da libordade, porque
nao te onvia a "Toa do tribuno nos comi-
cios !
Qae desgraoa 1
# *
Era, realmente, ttrico o quadro, mas
nlo mereca tanto esforcopara desenlalo,
quando o Jos Marianno vire sob as vaias
assobio, apupadas, e at ceblas podres !
Para no* honre elieidade em nlo se
convidar o Jos Marianno, que se havia
fejto lembrar convidando o povo a re-
cepgao do bravo general, e at se falla
va. em certo jantar, que se annava por
effeito de carie telegramma de oitiva !
a va
As tres ovajoes
(Caitos phsB4asUei)
Era urna velha monarchia. Andrajosa,
poenta, alqnebrada pelos annos e carcomi-
da pelos vicios, caminhava vagarosamente
pelos seos dominios, tropezando a cada
momento as ideas novas qae se levanta
vam e assustando-se sem cessar diante do
phantasma do progretso que a persegua.
Um dia dte ve os pastos A bojea de um
abysme; eram as bordas de sepultura. A
consciencia dos seu/ erros apavorou-a, a
idea do aniquilamento fel-a estremecer.
O ultimo grSo d'areia ameayava cahir na
ampulbeta do tempo; era preciso conjurar
a mor te. A velb desdentada voltou-se
para o seu squito e destacou um principe,
incumbido de mendigar popularidade para
mantel-a.
O principe parti, mas o progresso des-
tacou tambem um emissario aeu. O emis-
sario era como a sombra do principe, se-
guia-o sempre. No primeiro porto em qae
pozeram p em trra travaram lucta os
partidarios de ambos. A velha monarchia
estremecen ao sbelo, e ordeno* aos seas
escravos festas e evaces ao principe.
O principe parti, e mais tarde aportou
em -trra sospeitas, porque tinha tradig3es
gloriosas, porque era appallidadaLeda
do Norte.
Os velhos patriotas estremeceram nos
tmulos, choraram lagrimas de aangue e
de vergonba; o Leao do Norte transfor-
mou-se em cor de ir o, e deitou-se aos ps
do forasteiro viajante.
Entre as festas ha vidas o director das
eriancas, dos meninos de ent&o que de-,
viam ser os homens mais tarde, encorpo-
rou os, poz-lhes as m&ozinh&s delicadas
pendres da monarchia, ensinou-lhes vivas
\o principe, aos mandos da trra, i ve-
has instituicoes, e foi tambem beijar o p
do aventureiro.
Mas tudo gorou !
O Jos Marianno nao foi convidado, e,
conhecida a commissao, o orgn demcrata
a&o fez mais convites ao povo ; dizendo-
se at que Jos Marianno fallir a Gam-
ba, Paula Mafra e outros para qae o povo
nlo compareceste ao desembarque do ge-
neral t
E por isso A Provincid deitou artigo
grosso, honten !
Era Oais/ ama especulacao, como o
Iribuno e a Lanceta, porem sem o effeito
desejado.
*
O daserabarfloe do general foi pomposo,
a festa foi ni altara do acto: e a ella
< isto estradas de forro movidas
por. *
Ora, a Companhia Ferro Carril tnba
desde 1879 em sea contracto a obrigagSo
de revar ama de suas liabas a <.'aponga ;
mas nio o podera fazer porque dependa
de accordo eom a Companhia de ('axan-
g, visto achar-ae aquella povoado sntro
da sua zona privilegiada.
Esse accordo foi por diversas vezes
tentado em vio pela Presidencia da Pro-
vincia, porque as duas corapanhias nao
chegaram a entenier-se.
Mas em 1887, terminando o priroeiro
privilegio e comecando a vigorar v Bogan-
do concedido em 1883, onde havia a clau-
sula 5* que cima ctei desappareceram
sociaes
isto ,
apenas
---------+ssm*
JtiDf a C'emuirrelai da ridade do
- Heeie
ACTA DA SESSAO DE 12 DE DEZEMBRO
DE 1889
MUtsnWHBA M COABlO UKrmW 00MS8 M KHAN-
DA LEAL
Secretario, Dr. Julio Gmmaraet
A't 10 boras da manb declarou se aborta a
sessao, estando presentes os Srs. deputado3
Olinto Bastos, Lopes Machado, e Hermino de Fi
gueredo, faltaadocom pailjipagao verbal o Sr.
Bel tro.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente e fez-se a leilura do seguinte
BXPEDIO'TK
Oficio de 7 do correte da Junta dos Correto-
res desta praga, enviando o boletim das cotagoes
ofciae8 de 3 e 7 do presente mez.Para o ar-
chivo. -
horam distribuidos rubrica os seguintes h-
vroe:
Diarios, de Almeida CosU & C. e da Caixa Fi-
lial do Banco Nacional do Brasil, e cooiadres
de Guimares Valente e ds Caixa Filial do
Banco Sul-Americano.
Diarios of&ciaes de ns. 331 a 332Sejam ar-
chivados.
Foi asignada i carta de matricula de Carlos 1
Jotelbo de Arroda, commercante portoguez, de
36 annos, de idade, domiciliado e estabelecido
oesta praga com sua casa de commercio de ei
garres e fumo em grosso e a retalho.
DCSPACHOS
Peticocs:
De Bittencourt & C, para que seja archivado
o distrete de sociedade do dita Arma, da qual
eram socios Jos Clemente Levy e Eugenio bit-
tencourt ficando o ex socio Eugenio de poste
do esiabelecinwnio denominado Hbarmacia cu-
tral e do activo e oongaoo pelo passivo da ex-
mela sociedaae.Arwuve-e ua forma da le.
De Alfredo Pinto di C, para que registre-se a
marca que adoplaram para o seu commercio de
cigarros i roa i. de Margo n. 3, sob a denomi-
naste General Deodoro da Fonseca.- Satisfagan)
o parecer fiscal.
Pouco tempo mepois, mal havia voltado
o principe de sua prgrinagSo, um baque
:norme encheu os echos do paiz inteiro e
levou o pasmo e a adm racao a todos os
cantos do mundo. Tinha de sbado a ve-
lha carcomida, o edificio apodre ido, a in-
iititaicao anachronicaa monar liia.
E os velhos patriotas, as trras do
Leao do Norte, uurgiraTm dos turnlos; et-
::aram escapar dos largos peitos nm pro-
fundo suspiro de satisfacao e de triumpho,
o voltaram satiafeitos e vingados, ao som-
ao sem fim.
E novas festas vieram, mais expansivas
e ruidosas, para celebraren] a vinda. nao
de nm principe desta vez, mas de urna
fada, candida, cheia de luz, rodeada de
promessas e esperancas, com os longos ca-
bellos soltos ao vento, tendo em urna das
mos uns grilhSes partidos, e com a nutra
apontando o caminho do futuro.
E entre as festas, l voltou o director
das eriancas, pondo-lhes as maosinhas
outros pavilhSes, enBnando-lhes outros vi-
vas e acclamacSes; e o bando infantil, in
consciente, passivo, praguejava contra os
acclamados de hontem, e aoclamava os pra
guejados de outr'ora.
A' noite, depois das festas, caneados o
corpo e a consciencia do director das cri
ancas, adormeceu elle aos ltimos echos dos
vivas aos vencedores.
Adormeceu..,
compareoerawVs classes
o novo, que paisa, quer, e sent
faltoa o povo d Jos Marianno, isto o
pevo, que assssina, o que corto orelha,
qae provoca dOsordem, pois eonta os he
res, Nicolao, Rozeudo, Ricardo, Bico-
Doce, Bocea ds Velha, Man Miau, Paula
Neves, Jos d Benta, Bentinho etc.
Esta gente o comparecen, como a 22
de Julho, poisque hoje nao ha o asylo do
Poco, nem a JJcenca da facca de ponta e
do ccete !
**#
Mas se o Jm Marianno nao compare-
ceu, como nunoro de commissao, lizia se
que elle comparecera por si.
Entretanto homem nao veio, apezar
do reclame asaignado pelo vereador mais
eomprido, e Ajae accode por Tito Livio,
aem ser o romano.
O Jos Marianno pensou bem, pois as
vaias tem sido mtitas, e a da vespera o
havia posto a caldjs.
Mas elle aioda luerer ligar-se ao Joao
Alfredo? f
Eu se. O Joio Alfredo honesto.
*#
Marianno nao compareceu
dado com o Ulysses ?
nlo appareceu, apezar do
zer parte da commissao !
Mas se o J
o que ter-se-!
Elle tamber
trabalho para
Ahi ha coi
Ec nlo sei i
E novas festas,mai ores, mais animadas,
cheia de gritos ede fogos, se faziamanda.
Era um novo personagem, um novo ven-
eedor, desconhecido, mysterioso...
E o director das eriancas cedendo ao
habito, obedecendo ductbilidade das con-
sciencia, e procurando vencer o canaacodo
corpo, de novo reuni o bando infantil poz-
lhes as mSosinhas uns pavilhSea negros da
cor do manto do mysterioso personagem,
ignorando o nome deste, ensinou lheu uns
vivas a quern vence, e l se foi...
Quando o novo personagem deizou cahir
o manto aos ps, oavio-se um enorme es-
tampido,, e o ambiente ficou impregnado
de chairo acre de enxofre...
Era o Diabo em pessoa !
E o director das eriancas acordou sobre-
saltado, e saltou do leito, tendo em urna
das mos o pavilhSo da monarchia e na
outra o da repblica.
Tinha sonhado.
diz-se, por ahi, que havia
para o homenj tambem ama vaia, que fcl-o
correr.
Mas a verfade que na Cmara havia
um desejo etewne de se' pegar um Lord
ortalha, el avidez era tanto, que com
insistencia se procurara o hoaem.
Mas qusl o Ulysses sumi se, levando
os courinhos, 0 gaz, o empfestimo, e... e o
Balthazar.
E o Jojo.jlifredo p aceoitar ?
E' o saso de duvidar pela rtao da ho-
nestidade; mas o Ulysses terrivel, pois
sabe curvar-se; adula, chama meu senlior,
e se fr preciso leva at cadeira para o
Joio Alfrtdo sentar-se no banheiro, entornar
o banho !
Mas o Jlo Alfredo ja est farto de
aduladores.
Em todo caso o Ulysses tem o Sigis-
mundo.
y*
Quem est maito eatita o Lacerda,
pois er que levar a Repblica para o S.
Francisco, afm de reescravisar os negros !
#
Nos tobamos notas ; e os republicanos,
que dgam a esta genteroaroaaven-
toreiros t
13189.
Tcito.
w.
que
lea
as notas de hontemonde se lde
leia-se queonde se l poltica
eia se patria.
Ah I liberdi.de, que acabas de surgir nos
horisontes da patria, inspira melhor teas
tubos, lava as consciencias. polluidas, e am-
para contra mos guias e contra os ruias
exemplos as pobres eriancas, que van ser.
os cidadaos do futuro !
Notas contempora-
neas
Em momento da aborraciment, ou
nostalgia, na nguagem moderna, lomos
hontem, A Provincia do Jos Mariauno, e
deixamos escapar afinal urna estridente
gargalhada, grande, immensa, homrica,
mesmo !
Dir-se-hia que haviamos lido algum es-
cripto de Calino, alguna artigos lavoura,
as quotidianas do Marrocas, oa as riaias
sertanejas do Pereira Jun
Nlo: nlo laaoa nada disso : emos
A Companhia Ferro-Car-
ril de PerDambuco e a
Provincia .
Os leitores da Provincia devem andar
intrigados com a publicacio dos edicto-
riaes dos altimos nmeros deste jornal.
Com effeito, ver um grande orglo de
publicidade oceupar, com o servigo de
urna insignificante companhia, as columnas
de honra, geralmente..reservadas aa altas
questoav polticas e sociaes, em um perio-
do de traasformaco como este, quando tan-
tos assumptos transcendentes devem estar
a desafiar a competencia e o patriotismo
dos seos alustrados redactores, motivo
para se fioar intrigado.
E Bupponho^sto porqne o mesmo teria
acontecido commigo si nlo percebesse lo-
go a razio de tanto enthusiasmo, razio
que entretanto 09 leitores da Provincia
desconhecem, pelo que julgo prestar-lhes
um servigo esclarecendo os.
A historia um ponco longa, mas eu
procurarei resumil-a.
A Companhia Trilhos Urbanos do Re-
cife a Casanga, foi estabelecida n'esta ci-
dade com um privilegio exclusivo de 20
annos sobre ma certa zona. Esse privi
legio que camecou a vigorar em 1867,
devia terminar em 1887.
Com a precisa antecedencia, como faxem
geralmente todas as companhias em taes
condicSes, Ha procurou em 1883 obter
do governo urna prorogaclo, qae effecti-
meute lhe foi concedida por mais dea an-
nos. Mas o governo te ve a cautella de
nlo impedir com a ora oozwcaslo a pos-
sibilidade de vir a estabeleoer-se na mes-
ma zona, algum systonaa de transportes
mais commodo e mais adiantado, incinin-
do no contracto ama clausula muito clara
e positiva essim concebida :
1 0 privilegio de des annoa concedidos
c pela lei n. 1,716 entende-sc apenas
c comas empresas da mesma natureaa,
todos os emharacos e a Ferro-''arril re-
queren ao governo permisslo para ejecu-
tar a linha da "apunga, apreeentando as
precisas plantas e allegando o qae fica
exposto.
0 governo, ouvio os orglos competen-
tes da administracSo, inclusive o proprio
jngenheiro fiscal da Casanga, e sendo to-
dos accordes em que o negoeio era liqui-
do, conceden a licenga pedida. "
a Companhia Trilhos Urbanos do Re-
cife a Gaxang protestou perante o gover
no e foi desatteadida ; recorren ao poder
judiciarie e tere a mesma soluclo, por
sentenca do meretissimo juia da Ia rara
civil e depois pelo Superior Tribunal da
Relaclo, para o qual appelloa, restando-
lhe b o recurso de revista, que nlo in-
tentou., naturalmente porque se convencen
de qae perdis o sea tempo e o seu di-
nheiro.
A Ferro Carril fez a linha da Capunga,
como poda ter ferto qnalquer outra, den;
tro dasona da sua contendora, por igual-
dade de direito.
Esta resignou-se e espern alguma oc-
casilo favoravel para readquirir o terreno
perdido. Era difficil, mas a f rtuna lhe
deparou mu ensejo favoravel em urna po
ca lamentavel em que todos os negocios
di ficis tornaram-se riareis, e ai mais
absurdas pretengSes tizeram caminho.
onseguio a protecglo de quem domi-
nava a situacSo e obteve da Assembla
Proviucial a lei n, 2,044, que foi sanecio-
nada pelo conselheiro Alves de Araujo,
auctorisando o governo a conceder lhe
novo privilegio de rinte annos, com clau-
sula expressa de que, no privilegio seria
comprehendido qualquer systema de trac-
$3o, destruindo assim a limitaclo da clau-
sula 5* da concesslo de 1883, pela qual a
Ferro Carril entrara na Capunga, e ira,
mais para onde qaizesse, privando-se ao
mesmo tempo, por 20 annos, toda aquella
importante e populosa zona da possibilida-
de de melhorar de systema de transpor-
tes.
A pablicacao desta lei me surprehen-
deu. Recorr immediatamente ao presi-
dente Alves de Araujo, a qoem expuz to-
do o negocio, e, para me garantir contra
qualquer nova empresa e impedir mais
(jfficiizmente a consumacio do escndalo,
requer immediatamente permisslo para
prolongar a linha de Fernandes Vieira
desde a Capunga at o Caldereiro, pro-
longamento que a Ferro Jarril tinha as-
sentado fazer, mas que estova adiando, a
espera de ama occasilo mais farorarel
sua m situaclo financeira.'
O conselheiro Aires de Araujo assegu-
rou me que nlo concedera o noro privile-
gio companhia de Caxang e qae deferi-
ra a minha pretenclo cuja incontestavel
m veoonbeeia.
O requerimento comecnu a correr as re-
partieses competentes, obtendo de todas
ib informaedes as mais farorareis. Mas o
conseiheiro Aires de Araujo era fraco,
embora bem intencionado, de forma que
os protectores do privilegio companhia
de Caxang, que, elle m'o disse, eram os
actuaos redactores da Provincia, si alo
conseguiram fazel o consamar o escnda-
lo, tiveram forca bastante para obter snc-
cessivas protelacdes, a ultinia das ques
foi ama celebre idea de mandar organisar
um plano geral de viacao para ser execato-
do pela Ferro arril, oa por outra qualquer
compaahia (? !) si esta se recosasse ; fi-
cando, porem, entendido qae, antes da
axecaclo do tal plano n$o poderia Sk Fer-
ro Carril prolongar nenhuma das suas
grandes linhas.
Esta idea foi apresentada pela denotado
Jos Marianno, como emenda celebre lei
do orcamento, que estova em discusslo
na assembla.
Afinal o conselheiro Alves de Araujo
deixou a administraclo sem resolver a
questlo. Os protectores esperaram outra
occasilo favoravel mas a occasilo falhou
A auspieiosa administraclo do Dr. Sigis-
mundo dorm dois das e sobrerieram os
acootecimentos do dia 15 de Novembro,
qne jogaram por torra a dominaclo qae
tonto mal fez a esta trra.
Logo que as coasas se consolidarais e
que se restabeleceu a confianca por mo-
mentos abalada, voltei a advogar a minha
pretenclo perante o Ilustre governador in-
terino. Apenas lhe expua os tactos o
objecto da pretenglo, elle me declarou qae
nlo tiaha a menor duvida e que resolvera
a questlo apenas lhe fossem presentes os
papis. Comeoeientlo a trabalhar para qae
a secretaria fizesse subir os papis a des-
pacho.
Havia muito trabalho, me diziam, era
quasi impaBsivel cuidar de prepara! os etc.
Desconfiei afinal de toes difficuldades
e roaolvi-me a obter urna soluclo,
O Ilustre governador declarou-me, isto
no sabbado 7, que. no dia 9, voltasse se-
cretaria que elle requisitoria officdmente
os papis.
No domingo 8 appareceu na Provincia o
primeiro grande artigo de fundo contra a
oompanhia Ferro Carril,, que at entlo
nunca conseguir pasear do noticiario em
tudo quanto se dizia sobre ella. No seguin
te numero veio o segando artigo et rdiqua.
Eis a explicaclo dos artigos ; os pro-
tectores nlo podiam mais trabalhar junto
do governo, recorreram ao jornal, nico
recurso e nico consol que hoje Ihes resta.
Mas voltemos secretaria do governo,
para dar o epilogo brilhante deste arranjo.
No dia 9 deu-se minuciosa busca e es-
tava-se nella, quando um distincto empre-
gado da mesma reparticlo deolaroa que
abia TEEEM SIDO 08 PAPIS RASGADOS SO
GABINETE DA PRESIDENCIA.
1 A declaradlo foi levada ao conhecisaen
to do governador. Indignado, elle me dis-
e fizesse novo requerimento e novas plan-
e anreaantassa.
Fiquei tranquillo e estou rrstandp -dis-
to certo de qne a- pretengSo da compschia
Farro Carril, ser despachada pelo Ilus-
tre general Jos Smelo, como sl-o-hia
pelo coronel Cerquen de Aguiar, eu por
qualquer entro administrador honesto. Nlo
hesito em facer tal a fu r macuto porque es-
tou seguro- da justiga do que pretenda, e
o tempo em qae a justiga nlo inspirara
confianca felizmente passou.
A Provincia pode continuar cera mea
artigos de fundo, que a Ferro Carril b tem
a lucrar com essas estiradas objurgatorias.
Becife, 13 de Dezembro de 1889.
Carlos Alberto de Afenezes.
Gerente.
A guarda negra pelo uves-
Sempre a mesma essa institnicao mesaoinna
farejaora das gragaado mailogradoterceiro rei-
nado, terrivel e sanguinaria, cujas armas vis
banharam-se da sangne em S. Joao d'Sl Re, na
capital do ex-imperio aos 30 de Dezembro do
anno passa'do e quasi que aqu aos 22 de Julho
prximo.
Pelas ras desta cidade, o Sr Gastn d'Or-
leans passeiou em triumpho aos gritos de viva
a. monarchia, abaixo a repblica.
No laiz, o Sr. Joaquim Nabuco empentan-se
n'uma verdadeira campanha contra o moviaeoto
boje trintnphaate.
Em daos conferencias seguidas, o victorioso
cidadSo Su.va Jabdim derroton de alto a baixo o
ex-deputade isabehsta.
Veio a revolocao com que essa gente nao con-
tava e urna vez apanhada de sorpreza a guarda-
negra muda de tctica.
Impolenta para a (ata, finge-se republicana,
prompta a servir o mesmo rgimen que tantas
iras provocara t
Has inventa a mensagem Nabuco. Prepara fes-
tas para o Sr. Joo Alfredo.
Na mtiraidade insurge-se contra a dictatura
militar.
Falla de unitarismo e federalismo sem orienta-
gao e sera base.
Pretende revi ver a questo abolicionista, como
se por ventura a corda desse realejo oso esti-
vesse j de ha muito acabada.
Naturalmente cogita de novas msdalhas.
A guarda negra, porm, delira.
Quer s direitas, quer pelo avsso, sempre
a guarda negra I
Estamos todos a postos: hontem, como hoje,
amaoha, como sempre, pela Repblica, prom-
ptos a frusta r os planos d'aqutues que nao po-
dem ser nossos amigos em l boras.
Triste destino o da guarda negral
Carlos FalcSo.



----
Cruzador Meduza
'



Este pequeo vaso, que to bons servicos tem
prestado a este Estado, leve a desdita de se ar-
ruina r a ponto de Mear inavegavel; felizmente
houve da parte de nosso transacto governo, nma
dcliberacao que antorisou um cou.-erto radical,
pelo que fel-o tornarse em condigoes de corres-
ponder s despezas qae com elle se fiseram.
Infelizmente, como todas as coasas d'este Es-
tao, curaram do corpo, despresando a alma;
isto quer dizer concertaran] o casco e nao trata-
ram de fazer o mesmo na caldeira, que reclama
serio concert.
Hoje, porm, qae temos frente do nosso ar-
senal, o digno cidadSo Ferreira da Cruz, que nao
pode desconhecr esta urgente irecessidade, ere*
mos que em pregara todo o seu val ment para a
consecucao de urna real economa para os cofres
do thesouro.
Assim o esperamos.
Um patriota.
'-
m
Declarado
-.

O abaixo assignado vem declarar que
nlo foi despedido como operario da estra-
da de ferro de Carnar( pelo Dr. actual
chefe do trafego Figueiredo Bocha, e sim
pelo Sr. Dr. Arroda Beltr3o, e como l -se
na Provincia (jornal) um abaixo assignado
dos artistas demittidos da dita estrada a
nelle encontrasse o seu nome incluido, vem
declarar que nlo assignou nem autorisoua
ninguem assignar o seu nome para detra-
tar do Sr. Dr. Figueiredo Rocha.
E' verdade qne vieram em minha resi-
dencia alguns operarios demittidos da refe-
rida estrada com um papel constando ape-
nas de assignaturas e pediam-zce, tambem
assignasse, que era um requerimento aQj* .
Governador Geral dos Estados Unidos d&C
Brasil, pedindo a nossa reintegraclo na-
dita estrada, ao que annui qae elles se
serrissera do meu nome, e nlo para desa-
bafo de paixlo contra ninguem.
Nicmcio Luiz Pereira.



I
*
feucttacOes
I Ao prestigioso e distincto cidado
8 Abilio de Albuquerqne Cmara Li- | *
x ma, pelo seo 33." anniversario nata- |
licio do dia de hoje
* Recife, 14 de Detembro de 1889. |
A. G. de Gusmao Lobo.
1
Aviso aos seuhores de enge-
ohos
0 Sr. Emile Dol, ongenheiro da casa Ma-
riolle-Pinguete, de Saint Quentin (France), tem
a honra de lembrar aos Srs. fabricantes de as-
0 Laucar que teaconam mandar estabelecer appa-
*elhos aperfeicoados ou usinas completas para
a prxima safra, qae acha-se sua inteira dis-
posigo para o fornecimento do material e a
mstallagao as melhores condieges de prego,
entrega e execugao.
Pode se apreciar nesta provinciaj como pro-
vas, as seguintes usinas de assucar cujo mate-
rial foi fornecido pela supradita casa :
. Usina Nova Conceigo-Ipomea1885.
Usina PinteRibeirao1886.
Usiaa Colonia Isabel Colonia1886.
Usina BandeiraIpojuca41J87.
Usina CarassBarreiros1888,
Usina Cabega de NegroFrexeiras1889.
A casa Marlolle Pinguet est habilitada para
estabelecer os systemas de extraego mais aper-
feigoados por defi madores, uoiahos derepres-
sSo e diflusio.
Esta casa acaba de ser premiada com urna me- -
dama de ou-o da Exposigao Universal de 1889,
para os secs appar^lhos da industria assaca-
reira
0 Sr. Emile Dol compromtese a fazer to-
dos os estados, projectos, plantas para instal-
lages parciaes ou completas, tambem como
dirigir ot trabamos de installagao dos appare-
lbo8 e machinas, assim com o fabrico do assu-
car pelos dito sapparelbos.
Dirigir os pedidos : Poste Restante, Pernam-
buco .
tas e apresentasse.
Dr. Pitanga
EUA DA IMPEBATBIZ N. 64
Tendo voltado do Rio de Janeiro con-
tina no exercicio de sua profisslo me-
dica.
Consultas das 6 s 10 horas da manhS.
Chamados "a todas as horas por escripto.
Telephone n. 437.


i) ..ce

m
I
L
Ordena do da a. 1
ordem do c;dad3o commandante
avilo a comparcereta pontaalmente no
domingo 15 do corrate s 3 horas da
tarlc, na praca la Independencia, para
d'aii enoorporados seguirem para o largo
do Arsenal de Marinha.
Grandt uniforme :
Fato branco, gravata vermelba, chapo
de palha branco .fita escarnida, luvas,
perneiras, etc.
Jote Collado Lia,
Ajudante encrregado do detalhe.
N. OS
Oleo Paro Medicinal d lacalhao. de Ubmd dk Keaap.
Aioda mesmo qaando a febre htica tenha
marcado las faces, nao din-fia muito Urde
deBiais, porque iiempre uave* tempo de se
atalhar o mal. '
Emqaanto houver no eviterna vital ama so
sombra de vigor recuperativo, iniusai a com o
Oleo Puro Medicinal de Figado le Bacalhao, de
Larrman Kep. porque este pode reviver a
energa vital do systema.
Se exislem ulceras, aada tao balsmico como
elle ; se ba irritaco nada o sua vi sanie ; se ha
debilidade, nada tao vigorisador; se ba exteoua-
cio. nada tao restaurador. Porem mister ob
terse o artigo verdadeiro.
Os teos ordinarios de ligado de bacalhao, sao
sempre impuros, e as vezes netles nao se encoo-
tra urna so gota do artigo legitimo.
Nio os eropregueis jamis.
P.eparai bem se o nome desta firma respeita-
vel, a qual por si so 6 ama garanta da pareza e
legilimid*de do genero, acha-se no letreiro e so
bre a eapa do Oleo de Figado de Bacalhao que
lechas de comprar.
lm tai caso podis Hcar descansados de que a
preparacSo a saibor qoe o taleoto'e sciencia
podem produiir. .
Acha-se 4 venda em todas as boticas e lojas de
drogas. ______ _
A la Rosa Alemana
A carreja La Rosa Allemana nao con-
tara acido o productos chimicos.
A preparaco da cerveja La Rosa Ale-
mana chegou ao mais alto grao de perfei
co. E SUBLIME, muit ssinoo agrada-
ve 1 aa paladar, e finalmente urna combi-
nacao de substancias podescras para a boa
alimentacao. As mais afamadas cervejas
bao traaem o nome do fabricante. Entre-
tanto o proprietario da cerveja La Rosa
Alemana tendo conquistado o segredo da
toa saudavel cerveja regibtrou a marca
com a sua firma no rotnlo.
E como teve a honra de requeatar a
sympathia publica e para qno a cerveja
La Rosa Alemana continu a gozar do
conceito do respeitavel publico, amiudadas
roses manda examinar a sua cerveja pelas
celebridades chimicas.
Diversos attestados de chimicos e douto-
rea em medicina justificis que a cerveja
La Rosa Alemana muito saudavel a um
gob rano allimento, cujos documentos fi-
cam a disposiclo do respeitavel publico.
Diz o Dr. Vernier: Tenho por muitas
vezes examinando no laboratorio publico o
creveja La Rosa Alemana e nao encontar
materia chi mica e sim ama gigantesca pre-
para co de substancias que representara
ama valiosa riqueza para a alimentacao.
A cerveja La Rosa Alemana goaa de
grande conceito na Europa e um illastre
cavalheiro desta prac,, a pouco chgado
do estrangeiro, animou o fabricante a ex-
portal-a convencido de ter grande acceita
cao aqu.
Tm venda em grosao e a retalho,
Machado A C, rus do Vigario n 19;
Albino Fornandes A C, ra do Marques
de Olinda n. 2; Jos da Costa Uaseiro
di C, ra da Crua n. 13; Lopes d Arau-
jo, na do Livramento n. 38; Vasconcel
los Sobrinho A C, ra da Aurora n. 81;
aira &
traveaaa
reir 4 C, ra do Imperador; Joa<
vhiatovl d C, ra do Cabug;
andes Lima 4 C, ra Nova ; Salga-
do & C, ra das Croaea n. 20; Antonio
Almeida Rabello, roa de Unilo n. 3; An-
tonio Souxa Duarto Ferreira, ra da
Unilo; Antonio Jos Martins, praca (3on-
de d'Eu ; Marcelino Martins Geateira, ra
do Vigario n. 6; Azevedo Maia d C ra
dalmperatria; Manuel de Oliveira Menor,
ra do Visconde de Goyanna; hotel da
Magdalena; Ivo Scbrinho d C., Goyann<;
Franciseo NunesM.onteiro, Goyanna; Cus-
todio Figueiredo* C, Parahyba; Ftnse-
ca Irmloa & C, Parahyba: Benvenu &
Parahyba.

COMMERCIO
Revista do Mercado
Raros, 13 d dezemhro dk 1889.
0 movimento oa praca coostra de lransacc,6e6
no mercado de c; mbios e co de algodao.
Cambio
PEAgA DO EEC1FE
0 London pela maub retirou a tabella de 37
1/1, continuai do o Nacional e o English a sac
car qojlla laxa at ao meio dia, exigalo de
jwis 27 i/8.
0 LondoQ continuou a saccar reservadamente
a 271/4. y
Papel particular foi passado a 37 5/16.
PBAA DO E10 DE J vXEIRO
Rio constou alteracao algumi ao mercado.
I
TABELLAS AFTIXADA8
rrrm
3 2.
a

mi!
c
!
. : C : 8-s
EH1TAES
O Dr. Jos Podro de Almeida Pernatabu-
co, juiz subatitulo do commercio dasta
cidadtt do Recifo, capital da provincia de
Pernambuco, por S. Magostado o Impe-
rial e Constitucional o Senhor Dora Pe-
dro Segando a quem Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o presente e di tal
vireni ou delle noticia tiverem que por
parte de Alian I'aterson 4 C. me foi di-
rigida a peticao que do modo, forma,
maneira c theor esguinte :
Illm. e Exm. Sr. Dr. juiz de direito b
pecial docommerci j. Alian Paterson 1 C.
sendo credores d> Jo5o Pires Goncilves
da Silva da quant ia de dous contos seis-
centos e setenta treo mil reis inpor-
tancia das duas letras juntas, sendo: urna
de um cont e cento e trinta mil reis,
vencida a seis de Dezemhro de mil oito
centos e piten ta e quatro e entra de um
cont quinbentos c, quarenta e tres mil rs.
vencida a seis de Janeiro do mil oitocen-
tos c oitenta e cinco; ecomo o supplicado
nSo as techa pago ncm feito innovaco al-
guma com os niciplicantes, estando ditas
letras a prescreverem, e o supplicado au
sent em lugar incerto e nSo sabido, os
supplicantes. em resalva de sen direito,
protestaos contra n respectiva prescr pcao
e requerem a V. Exc. para que se digne
mandar distribuir 4 autar a presente afim
de que/ tomado por termo seu protesto e
justificada a auzeacia do supplicado, Be
pause edital para ser elle intimado com o
praeodalei. Pede deferimeoto c recc.ber
merce. Recife sete de Novembro de mil
oito centos e oitenta e nove Lydio Ale
rano Bandeira de Mello. Esta va legal men-
te sellada. Despacho:
D. e A, tome-so por termo o protesto e
o escrivao marque dia e hora para a justi-
ficacSo da ausenc'.a do suppbcado. Keci-
fe sete de Novembro de mil oitocer.tns e
oitenta nove. S. Goncalves. Destribuico
A Ernesto Silva Oliveira.
E mais se nao continua em dita peticao,
despacho e distribuic&o aqui bem o fiel-
mente copiado, dopois vi-se o termo de
protesto que do modo, forma, maneira e
theor segrate. Termo de protesto: Aos
sete de Novembro de mil oitooentos e oi-
tenta e nove; em meu cariarlo, perante
mim compareceran .oa supplicantes por
seu procurador Lyo Alerano Bandeira de
Mello o por elle toi dito que pelo presen-
to reduzia a termo o proe.o constante da
petizo retro que offerecia como parte
de s te em que depoia de lido asigna com
as testemunhas.
Do que fiz este. Eu Ernesto Machado
Freir Pereira dn Silva. Lydio Alerano
Bandeira de Mello, Innocencio Garca Cha-
vea, Jovino Rodulpho de Oliveira.
E mais se nao continha um dito termo
de protesto aqui fielmente copiado, de-
p'jis do que va se que tendo os justifi
i^mbio sobre Pars, vista 385 rs. o Franco,
do banco. v
u presidente,
Candido C. G Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
% I soda 4*
Cota-se o de 1" sorte o sertSo de 6,5030 4
6;150,
Aexportacofeiiapelaalfandega ueste mes ale
o- dia 10, atlingio de 50.320 kilos, seudc 28.335
para o exterior e 21.935 para o interior.
As entradas verificadas at a data ce boje
soliera a 9. t0 sancas, sendo por:
arcacas..... 1-35 Saccas
'apures '. '. 366
vnimaes..... 1.649
/ia-ferrea de Cmara. 567 '
/ia-terrea de S.Pranasco. 367
'ia-jerrea deLimoeiro 3.119
Soir.ma
9 430 Saccar
Assnear
Os precoipagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
>s seguintes:
Usinas..... 3*000 i 3*400
Branco ..... 3*700 a 3*000
>omenos. .... 3*400 a 2*800
tftacavado purgailfi I *fi00 1-1*700
. 1*000 i 1*300
*700 i *9*)
A exportaca,frita pfla slfandega ne?te mes al
o dia 10, subioa3 35i.99:kitoa,seafkW.*^
para o exterior e 1033.147 para o interior.
As entradas veri&tdas at a data de lioje se
bem a 98.313 saceos, sendo por:
Bareacas .... 41.5-t. Sacco
Vaporea..... ..
Anlmaes. 5340
Via-terrea de Caruarfc. *!
Via-ferjea de S, Franciseo. 34430
Via-ferrea do Limoeiro 11.30)
Soinma.
enten<,
de Joo Pi
gar nlo aabido, p|
com o prazo da le
mado pelo cont
duas, dos seue ere rson &
. Gustas %x-oauza, Recifo treee de N -
vembro-de mil oitocentos e oitenta b nove.
Segismundo Antonio Goncalves.
E mais 83 nao continha em dito termo
de protesto e sentones aqui fielmente co-
piada, em virtude da qul o respectivo
escrivao fez pasear o presente edital, pelo
qual e seu theor chamo cito e hei por in
timado justificado auzente para que com-
panca ante este jnizo dentro do prazo de
trinta dias allegando e provandotudo quan
tofor a bem de seu direito e justica.
E pana q e chegue ao conliicimeto de
todos mande passar o proaente edital, que
ser publicado pela imprensa e afnxad
nos lugares do coetume.
Dado e passado nesiacidade do Recife,
aos quatorze de Novembro de mi oito
centos e oitenta e nove. Sab;revo e aa
signo Ernesto Machado Freir Pe reir da
Silva, Jos Pedro de Almaida Ptrntb'buco
Estava legalmeate sellado Reoite, 14
de Novembre de 1889. Subecrivo^i as
signo. Ernesto Mechado' Freir Pereira
da Silva.
14, de Novembro de 1889. Jh* fe-
dro de AlmJda Periwm
Obras publicas
De ordem do cidadac enreibe-ro director,
caco publico que no dia 21 do corete, nesta
HCretaria, teraa ab. ria as propesus que forem
recibidas aBm de ser u>ntractado, com quera
aelbores vantagen3 offereter, o f irt imenio de
irtigos para o eipedieute e trubalb tecbn'cos
desia reparticao. Os preces devm ser invaria
veis.
Secretaria da repartilo ae Obrai Publicas, 2
de Deiembro de 1889.
O engeulieiro aja^tite.
Ant ioHegdJMto.
7S.B.J. i
Sociedade Recreativa Ju-
ventuJe
Sero bimetral em 14 dt Dezerabro
Convites na secreuria; deti Sciedade; o in-
grsso o recibo do correte rae. I*4o se ad-
miten) aggregados.
SecreUna da Sooierlalc Reereaiita Juventude,
10 de Dez^mbro de 1889. \
O 1 Serrfi'.ario,
M. 1. BuH8ta.
V ft1.\ di i Sup.*. mrcL.\
do Un/.
.. Cvall ro dn proa
De orjdem do Rp.\ Ir.-. Ven convido a
tod os i Opp.-. dita Aug.. e Resk.\ Off.- a
cimpare-ereui na sede da mesiha ai 6 i/i ho-
ras da taroe do dia 16ilo correntr,.^n \ie se
proceder eleicao das LLnx e m,ilrD>g. .
une tem de funccionar no futuro hdoo wac de
5890 a 689 V.-. L.-. cunipnndo ;. lOd obser
var o disposto no art\ 393 dos RReg.-. Ofier. .
Recife, 12 de B^mbro de l>-80 g.". 1 .
Ednardo 0oocalvt;18.-.
Secret.- '
Empreza Miflina
D ordem jo director e gcrcrifc' interino, ariso
a lodos os conpcios em ceral. qie deixop de
cio Gu lavo
Ferreira da Silva, sendo subitiluido este logar
pelo sonsetcio los Ignacio.
Recite, 12 de Dexunbn e IS89.
O secretan i.'
Frncico Cosme le Oliveira.
de 1890
i relldo de 1* sorte, dem.
'.ro.
i de uraruta, kilog
den.
n, idem.
noido de 1* qualidade, dem.
Carne secca do llio Grande cu do Rio daPrala,
idem.
Carne verde, idi
Parinha de mandioca da trra, de 1* tfuadade
litro.
Soiabada, kilog.
Peijao iiiulatioho ou prcto, litro.
Lenha secca de boa qualidade, a.ha.
anieaa inglesa, kilog.
Martnetlada, dem.
Maearrio, dem
Queiio tlameogo, um
Sal, litro.
Toucinho de Minas, kilog.
Banha de porco de Porto Alegre, idem.
Vinbo do Porto nao, garrafa.
Vinagre de Lisboa litro
Bolacha, kilog,
Tanha do Alagas, idem.
S ipjtos de cuuro de beerro, pares, 150.-
Prixe Breca, kilog.
Pao de !50 grammss, um
pao de l3 grammas, um
Lavicem e tngoniaiade de bluzas de b im
pardo, i: leas de brira branco, ditas debrim par-
do, lav^gcm e concert de caruises brancas de
algodsinbo, camisolas de briui pardo, ditas de
orii branco para a enfermara, calcas de brun
pardo, nerouus cobertaa de ;luia, cuhertores de
i, fronhas, len6es, lencos, luvas fpares) m;iai
(pares) t-.alhas de mesa, di'.as de rosto e ditas de
aio.
S poder*- concorrer aos f jrnecinientos annun-
(iu/rus peKenselbo o qw f.ebabilUtr presiu-
mente exhibiodo um requerimento dirigido ao
mefmo cenjelho, prestando documento que prove
tiaver pago como negociante stabelecido o Im-
posto de casa rommcrcial relativo ao ultimo se-
mestre vencido.
Os propooeotcs devero a presentar r-uns pro-
postas nsta secretaria at s II lu-ras da{rran':p.
do dia 17 do rorrete n et. stndo laes prepestas
em daplica'ta, era Ci-rtag recinida*, com (retara-
co expressa de sujetar se i seguintes con
dlc023 : '-"'
! No caso de do assignarem o COOlrasto pa-
ga rao a multa de 500t0
2 Seudo recusado? pela comiuisso os i.'er.pros
conlractados pela >ua rn qualidade scio obr
dos a entrar com outros deutro do praso d 2
ti ras, lindas as quaes s:'ro comprados no mer
cado e pago-- por conta do contractante.
3. oSsaactante ser-5 obrigfdo a entrar para
o <'0|I jonselho com a quantia que fc a bi
tra(irvHBme8mo na ocea iiao 'le seren a ci ta
as pro'nOJtas.
"i'Final!ntntc, recusando se o contraclanlc o
ooprir com as eondicoes de seu contracto. llc:i-
ra -sie resnindid^ e pagar* a multa de 200.
03 proponentcs devero ap (ventar as amos
tra dos gneros que se propiueram a ccnlractar.
Secretaria doAuenal de Garrea do E-talo de
PernamhucQjdBiia DeX'iubro d>> 1889.
O secreiano,
leisco Hibeiro Hachado.
S. R. M.
98.211 Sacccr,
Cottros
Couroesalgidof, 340 ris, e os verdea a SIS
ris.
Aguardeaue
Cota-se a 84W(io, por pipa de 480 litios.
Al0l
CoU-se a 1784000 por ptpa de 480 litros.
el
Cota-se a COJOO por pipa de 480 litros.
rnktn da Alfaaegtt
OUU >1 9 A U Dt BEX8MBB0 M 1889
Vidc o )/uno de 8 de Bczmbro
Mav las descarga
Barca nacional Jlana Angelina, xarque
Barca atlemi Ana. carvio.
Barca ingleza BirlofDevtm, carvao.
MxaBbl'c. cartao.
*arca norasflMmiW Nmo, ear\
i e Fanititm, vanos gewr
*" {xuto, carco.
je C'ler cjrvSo.
Barca norueguense Adeiplita, carvio.
Barca norueguense Loxtlaade, carvao.
Barca bollandea Guyana, vanos gneros
larca norueguense Zeus, carvo. \ .
Borca americana Eihel, alfafa.
(Urca norueguifQSf Hrsoer, farello. i ;
liirca ingleza Corpavm, bacalhao.
Borca nacional Mimosa, vares gneros.
Lugar allemao Harold, varios generoB.
Lugar norueguense Christtne EiyMbetk, nos
gneros
Lugar americano Lucy A, Datas, farello.
Lpar americano Edward Johnstcn, vario ge-
n ros.
Lugar nacional Duas Americas, varios geoefjs.
Lugar eglez Siivrr Sea, bacalhao. j..
Lugar inglez Mangie. bacalhao.
L.Uj'ar noronal Oihelo, varios gneros.
Patucho dinamarquez Mete Katanue, varios ge-
neras.
Patacho norueguense Aalong, xarqne-
Patacho holands Clara, xarque.
l'atacno nacional RmxjL varios gneros.
Patacha allemao Fian, xarque.
Patacho hespaoriol Encarnacin, xarque. I
Patacho inglez Tiber, bacalhao.
Importadlo
Vapor nacional Pernambuco, entrado dos
portos do sul, em 11 do andante e etnsig
nado a Pereira Carnetro, maiiifestou :
Garga do {lio de Janeiro ,
Caf 36 saceos a Soares QumarSoa AC,
220 a D.saingoa Cntt &.., 50 a Pinto &
Ribeiro, 80 a Baalo Jos Alvos A fi- 60.a
"LiopesMagalhaes d -. Chapos 2 oa5es
a Augusto Fernandes, 2 a Adolpho 4'Fer
rio, 1 a Carvalho d IrmSo, 1 a Antonio
Dias & C la Samarcos d C, 1 a'Ma
noel Joaquim Fe mande?, 1 a Raphael Dias
d C>
FogSes de ferro 13 voluntes i ordem.
Fumo 243 volamos a Xavier de Simas
d Irmto, 60 o 5 caixas a Moura Borges
& C, 3 caixas ordem.
Lampadas 1 caiza a Manoel Botelho t C
Massas alimenticias 100 caixas a Paivs
Valente 4 C. Mobiliaa 32 volamos a A
T. Gama. Meiadorias diversas 3 volumes
a ordem, 1 a Albino Amorim d C, 5 ao
Catacioaaro do Telegrapho. Maehinismos
3 cairas a Gomes do Mattoa Irmao, 3
amarrados ordem.
Objectos 3 volamos i ordem.
Papel 2 caixas a Ramiro Moreira da
Ct sta d C Panno da algodao 50 fardos
a Guerra Se. Fernandes, 50 a Machad* &
Ferroira d Irmao, 60 a Rodrigues Lima
d C.
Quadros 1 volume orden.
Tinta 2 caixas a Medeiroe d C.
Xarque 1,073 fardos a Josquim da
Caraeiro.
Carga da Babia
Artigos diversos 2 eaixaa i
Charutos 11 csixoes S Air
d C, 1 a R. de Drozin; >ot
4 caixSes a Antonio P C. ^^m
aoricitade Recreativa Moridade
Safa" tiimi'ft al mi 21 toe. .rente
Couvido aos sentime* socios que que ram ti
rar convites para su- sarao a apies:ntarern os
aomes'ne seus couv-d >i sao Sr. presiden! :
assim como proeurcn seus mor'seos em mfio do
Ihcsouniri. *&> s< admii.em agjrrtgados.
Secretan i da Sociedade Rcreatifa Mocdade,
8 de Dezembro de 1W9.
O secretaria,
Uarlinia&o Cruz.
Faculdade de Direito
Si rao chamados hoje a examc os seguintes
estudanlts.
phiksophia
1 Alfrdo.Al'es d.S'ha Fn- re Jnior
2 Paulino Augusto VeHe-o Freir
3 B-nto Arat-nro iavaltituv Sobrinho.
4 Pedro Corroa-los Si no-.
5 Joaqnin'da Frota Vi con'ellos.
6 Opiato JMiemiw'Eu* taqun Oarajr.
7 AH'red.iTavap-s Crdeiro Cupiios.
8Zefi?riuo Jos Cird.i*n. _
9 Antonio Aovus'o Pe eir d;i Silva Jui.ir.r.
10 Elias dos Santo*.u Asev.-do e Silva Jnior.
11 Jo* 1a Frota e Va*ro-f ellos.
UG spar A'it"ni Vieir: GiiimiraeS,
13 Miguel d Mecero.j Bapoto
!4 Amono L'i.eiia da M .-ti.. Silv^ira
Mercudijrias diversas 3 volumes or-
dem
Vapor nacional Principe do Ora-} Para,
entrado dos postos.do sul, eui igeal data e
consignado a Pedro Ozono de Cerjueira,
manil'tftou :
Oleo de recio 100 caixas a Mondes Li
ma & C
Panno de alg'dao 78 fardos a Ferreira
& Irmao 5 a Machado A Pereira. PiaSBava
42 betas ordem.
Vapor naeional Jacu'type, ent ado dn
Babia e escala, em lie consigf.rwlo
CompanhU Pcrn^mbucan, manitostou :
AlpistaC saceos a Amorim IrmSoa A C.
Algodlo 166 sacos a J H. Boxwell.
Barricas vazis 113 crdem
Barra vazios 54 ordem.
Couros salgados seceos 31 a Rossback
Brothers A C.
Drogas 4 barricas e 6 caixas orJom.
Marmore 8 ciixas ordem
Pasaas.65 caixas a Amorim IrmSos & C.
Panno do algodao 6 fardos a Machado &
Pereira, 20 a Andrade Lopes ft -*.
P^ssava 100 molhos a Joaquim Gon
calo da Silva Santos 20 a Pereira tirito & C.
Pipas vazas 70 aos meamos 50,a ordem.
Pellas d cabra 35 atados a RwsBback
Brothers AL',, 34 a Abe Ste
Vnho^6 brtia
Lugar inglez Fanny, entrado deTerra-
Nova, em igual data e consignado a Black-
burn Needham d C. manifestou :
Bacalhao 2373 barricas e 1686 meas
ditas aos consignatarios.
Vapor francs FiWe dt Buhia entrado dos por-
tos do sul, em 12 do rosrentc, e consignado a
Augoste Lablle, uanifestou:
Barrs vasios 130 a Jos Rodrigues Macieira.
Pomo 40 volumes 4 ordem, 12 a Costa Lima*
C, 3z a Almeida Machado & C.
Me 11 barril 4 ordem.
Exportadlo
ucrn, 12 oa DzsBao roa 1889
J*ra o exterior
No vapor ingles Author, carregaram :
Pata Liverpool, i Pater &C. 23$ saccas com
37,656 kilos de algodao.
No vapjr allemao Qubenpetet, carregos :
Para Liverpool, J H. Boxwell 1,800 fardos
com 318,060 kilos de algodao.
No TSpor francs VdU de Baha, carrega-
ram :
Para Havre, Lsbille tt) couros salgados
com 1,68 kilos : H Burle 4 C. 2,115 c oros
salgados com 45,045 kilos.
para o Mterior
No brigue allemao Inttl, carregaram:
Para Rio Grande do Sul, J. Borges 100 saceos
COtr 37,000 kilos de assucar mascavado; P. Car
neiro i C. 300 saceos com 22,500 kilos de assu-
car mascavado ; H C. Fernandei 280 barricas
30 ditas
o patacho u surques Jf. ZathriM, car

l'24 A
22 Tocotislsase
3 Si'.
2i eitor da Si
25 Carlos L
id Biaz Carne i re Le.
27 Antooio Leouardo Fitho
28 Virgilio Bi'cellar Caneca.
i9 Pedro Cavalcaute re Albuquerque 11
30 Jorge Augusto Stuart.
31 Fran'-isco de Albuquerquc Mello.
32 Dio-h'Cio Marinho. aeCam
33 Antonio Leile de Mn-: h; e* B-if(o Jipior.
34 ArliurBelIcgardePr.
3a Uwdrigo Jacimi Tonoio.
06 Domingos Jr.ciotho Tonorin.
37 Jo;6 D.as d Fnita* Sohiiho.
38 J 8o uaplisW de Laru- e Silva:
39 Arlhur Go.i;-i de Cu valiio.
40 io:6 Helvecio do Soorj.
41 MjoccI Alvc Pires U-j.l.
42 Manoel Xavier Paos Karteu) Flio.
43 Manoel FreJerico R de Andrade.
44 Odiion Nstor de B-T s Rioeiro.
45 Ernetcr Alfredo Peispto Jarenia,
4( Hemique Daniel dn Cmara-Pteentcl.
47 Cirios Jeioino Rorlrijues.
s J ..-i; Quedes Corris Gondim.'
19 Francisco Vi loso de Alhuqucrque Mello
!>0 vasco da Gama Lamento L;m.
51 En.est o2 i .y.ue Goiues i AgoHo Parrap Ipaior.
53 Reinaldo Rodrignet i!e Souza.
51 Joao Paulo Cdintiro LeSo.
55 Mancel Tariano dos Res Carapell .
56 Alfredo Ernesto Vaj de Oliveira.
57 'anc 1 da Paixo Vieira.
Mantel GBC-tves Nunes Mochado.
59 Jote Scfcn de 9eHo.
CO Demosthonoi de O'iuda Almeida Cavaloante.
61 Virgiho Gsiic he; Torres.
63 Jo^ Krimo de St u u tjai i
Gcograpifa
1 Alfrrdo Al ves da Silva F. Jnior.
2 Paulino Augusto Velloso Fitirc.
3 Deotkcio Miirinho de Campos.
4 Antonio Al ves de Lima Caula Pilho.
5 Ernesto Sanio.
ti l):t AulCic Ce7.ar de Va-eoncellos Junkr.
7 Jo-.quiui da Frota Vasioncellos.
8 Tilo dos Paseo? Amiu da R. R'.lho.
9 Reinaldo Bodcigues de. Soosai
tu Genuino Amrz:;n..s di F:gu- iredo.
II Jos da Frota e Vaso mcH>is
i 2 Torquato Ruliuo Jorjfe di- S.nxa.
13 Autoiiio Vicenn- 11 i.iiu de Audrade Jnmor.
14 Jos Gi ruido Gonc* ves Gue rj.
10 Jos juedes Coneia G..in.m.
16 II,.-h,llo Flonniiiic Uirreis de M-lio Filho.
17 Augusto Tavares de Lyra.
16 pao Gccdes Crrela Gouoiro.
19 Alcibiodo; de Paiva Marliar,
20 Alonio Ayrcs de Ahu4ueraae Freitas.
2i Jof Hunriquc de Aievcdo Soares.
22 Edgar de No raes Carvallo).
23 Bei.io Marinho Alves.
.24 Anuivio Benriqoe L >ne3 de l!arr- ?.
i5 >oaquim pereira da StIvo.
'6 Conolaco Goim-s ae Mottos.
27 Jauo-I Cosar de AlbiHjucraae;
28 Maood da l'aixao Vieira.
29 Triuquiliiio T. U" Olidra.
3") Elysio Amaneo Guaira de M-o.
31 Francisco Uach .do D.-.s.
32 Viclor avaRne i .\r0uqaer.4ue.
-33 Jos Marqua> L'os.
3'' Antn o M-ixiuh 1 o Rodos Valengi.
35 Luir BeltrSo de Anetarto ^ 1
36 ento Ame)ico Cavahante SolirichQ.
37 A-nlrosio Hw-ttado a Cumia Cavalcantc.
38 Samocl Hi:diun C^vulcaute de Albuqnerque
39 Viiil SorihOO re Souii.
40 Ji'S di Sil'a L>m.
41 Fraiici-eo Do uigaes Cavaicaole YUoea.
42 Con.eo .OI'KjIi.
43 Fi-an is.o SalvaduT da* :"-.i'
41 Pedro Cele I no da Silva.
45 M^uol PrvoVnrO Rudiigoes de Andrade.
16 Manoel C .valtanle 47 ZcariaaAugBU CaDrjl de Vas. oncellos. %
48 Franciseo Augusta ia Fuostcj Silva Jnior.
49 Antonio deUiv.-ira R4ICO-.
50 J'aulo Gi.ncalv.> de Arroda.
ol Antonio Jdiiquim Baerwo Braga.
52 Pi.uk- de Ffeitos Fragoso
53 F marido CavatCante de Albuquerque.
51 lleitor da Silva M.iia.
55 Francisco da '.unU Riheiro.
56 Julio GelfO Je All.uqerque Bello.
57 Domingos Anbaro Alv'ai U. Janior
58 Claudio da Costa RU>eiro.
59 Arliur Belle^iir le F eir Miriz.
GO Jos dos Aojos C- /.r urlamaqut.
61 Domingos Alws Fol'.osa.
62 Zeferiou Jobo CurJo.-u.
um m 1 .-agacaMriiiWiMiimiiW'"*
Para Rio Graode do Su', M. Borges & C. 5:0
saceos com 48.2i9 kilos -re usucar orauco e 50
(filo* com 5.553 ditos de rii o mascivado
Nolfai nacional Z^qumha, carregaram :
ara Santos. Amohm limaos C. 1,57J sac
eos rom 94.->oO kiloa de assucar branc e 3 350
ditos com 213.000 ditos e dito mascavado, 10
pipas e 100 uarris com 11,400 litros de agur-
dente. ,
No lugar i orueguense C. Elmoetu, carre
gou :
Para Sanos, V da Sveira 40 saceos com
24,00(1 kilos de assucar mascavado.
No vapor oactoal l'ermimhueo, carrega-
ram : _.,' _.
Para Mandos, Amorim Inoaos C. /' la. ris
com 6,72^ litros de agua-dente e 40 barricas
com 2.113 kilo, de assucar branco ; 41. F. Mar
tins 120 barricas com 6.5 kilos de assucar
branco ; P. Alves C. 40 liarris com 3.810 l-
tres U3 agurdente e 5 {amcas com 2,7-5 kil s
de assacii- oraaco ; P. Pinto C. i pipas e 80
barris com 6.480 iuros de agaardenle.
Para tari, M. Ja Silva Loyo 3"0 barricas com
18.450 kilos de assocar brauco ; C. M. da Silva
100 barricas com 5,122 kiloi de assucar branco ;
11 C. Fftandes 130 barricas m 9.353 Kilos de
assucr branco ; P Carnsiro A C. 60 barricas
com 3,610 kilos do assucar branco e 1- birris
com 960 litros de agurdenle ; M. J. Aves 30
saceos com 2 25' kilos deassucer branco; A
Guimaraca- 300 barricas com 18,839 kilos de
asnear branco ; C. F.. Martins 130 barricas cora
9 S kilos de assucar branco ; Alves a C
lO barricas com 12,125 kilos de assucar branco,
5 pipas e25 barris com 4,416 litros de agur-
dente ; E. C Beltro A inciso *) barricas com
1,2431 kilos de assucar Minado e 80 ditas coro
F.-ra Cear, J. rf-Dis? 18 caltas com
kilos de rap.
Para Maranbo, M. Das 3 caixas com 151
i/1 kilos le rap.
neuillnactsle* pblicos
MIZ d N'ovaxaao
Alfandega
Renda geral :
Do dia a 1S 316:453*368
dem de 13 47:210*657
Moeida B. I
66 Ascanio de Alemara dos GuimaraesPeixoto.
67 TJm ly3ses Ferreira de Mello.
68 O ua'iio Ribeiro Pinto Guimares*
<59 Edmundo Lopes d Mendonca.
70 Emilio Bonifacio Ferreira de Almeida.
71 Augusto Jico-bina Romaguera.
72 Julio'Jacobina Romaguera.
73 Atfrerio Ernesto Vaz de Oliveira.
71 Jo.*c So'on de Mello.
75 Alfrc-de G.raidb Tbimes Pereira.
76 Tib'cib Januario de Oliveira. -
77 Hila le Cassia T. de Medeiros.
78 Jmj Teixtira Lias le Borros Loreto.
79 E|rhrem Esdras Eustaquio Erubirass.
80 Francisco de Paula Pessoa.
81 Custodio Guama Ucha de Carvalho.
82 Henrique Pereira Cmaro de Lncenn.
83 Joo liiberak) Pereira de Mello.
84 >:ilvndor Ribeiro de Albuquerque.
8a Pedro Alejandrino de Mello.
86 Ovidio Bello da Cunha L:bo'.
Jnizo do feitos d Fazenda
E&rivSo Torres Bandeira
No da 20 do trrenlo, depol4a audiencia do
cidadao juiz substilute, irao praca por venda.
os predios abaixo declarados ;
Repife
Casa terrea mei'agua, ra dos Gmirarapes
n. 9, com porta e janeila, 1 Mtla, 2 quartos, 3
metros e 90 centmetros de frente, 6 metros e 30
centmetros d^ fuado, avallada em 300, per-
lencite a Antonio Jos Dantas.
S. Jos
Deas eass Ee"agnas situadas dentro de um
portae iua de Luj de Meadonga n. 36, tendo
tuna porta e janelia, 1 sala.. 1 quaito, 3 metros
e 67 centimeHos de fren'e, 5 metiese 30 cent-
metros de fundo, avallada cada urna em 120*
pi'rtencentas a Tneonla Correia Lima.
Urna casa sita no pateo da Cabanga, com 1
porta, sem repartimento por ser salgadeira, com
3 tanques. 8 metros de frente e 8 de fundo, ava-
liada em 300, pprtencente a Manoel Paujo de
Albuquerque.
Casa raei'axua ra Sete de Setenjbro n. 12
cora 2 portas e 2 janellas, 10 metros e 14 etnti-
melros de largura, 6 metros e 60 centmetros de
fundo, 1 quarrro todo murado e portan de ma-
deira, medindo o quadio 25 meiros e 45 centi-
meiros de cumprimtnlo por 800*, pertencente.a
Tito Jos do Couo.
Afogados
Casa roa de S. Miguel n 182, com 2 janel-
las e 1 porla. 2 salas, 2 qiarlos, cosinha fra.
quintal em lierto, terreno p.oprio, 5 metros e
60 ceat|metros de fn-ieell metros e 5 cenli-
melros da fuudo por 400.>, peiteucente a Fran-
cisco Ignacio da Cruz Mello.
Poco
Casa em S.-nt'Anna n. 5,com 2 salas. 1 qnarlc,
8 metros e 10 centmetros de cumplimento, 5
metros e 60 centmetros de largura, arruinada,
avahada em 30000, pertcnecnte a Manoel de
Azevedo Andrade.
Caa no largo de Apipocos fl. 38, COM porta
janeila de. fivnle, 2 salas, 2 qu-irtos, cosinlia fOra
p quintal c-'icado, 4 metros e 0 centimetros de
trente r 8 metros c 10 centmetro* de fundo
per 400jSf>. 0. perlenceuTe a Domingos da Silva
Guimaraus.
Alugnel
Roa Vifta
Casa em caix3o. i ra da Iroperatrz n. 69.
com4pjras, quintal murado e caemba, por
31*333 mensacs, pertencur.ie aos herdeiros de
Joo Dias Vilella.
Motis
Dm espelho grande, moldura dourada c p de
amarello, avallado por 50000.
tjilcio de amarello, eav^rnisado, avallado em
30*000.
Duas cadeiras de amarello, avliadas em
liOOO.
Doas machinas de costura, de p. avalladas
ein 5''000; ditos movis pertencm a Carlos
Sindcn.

'.
'..
2.a pra^a
Pela inspectora desta Alfandega so faz publi-
co que as 11 horas do da 3 do correte mer.
ser.'o arrematada- porta desta reparticao, as
mercadonas abaixo de;lar.ida3 :
Qialro barricas marc- triangulo, DCno centro
e >etta em cima, na. 2187/90. contendo bolas de
vHro de ir. vinrtas do Havre no vapor fraacez
Ville de Pernambuco, entrado em 15 de Agosto
ultimo, abandonados aos direitos por B. D. Lam-
pos & C.
3. Sergio da AI andega de Pernambuco, 13
de Dezembro de 1889.-o chefe,
I 'ominaos Joaquim da Fonseca.
itccic Dralnage
Do dia 2 a 12 2:1054232
dem de 13 58/383
2:lr4l6J5 -
Mercado de S los
Eulraram para o consumo d> da 12
zembro de 1889 :
26 1/2 oms pesando 3.031 kilos
542 kilos de peine a 20 rs.
161/2 cargas com farioba a 200 rs.
8 ditas de fructas diversas a 300 rs.
22 taboleiros a 200 re.
Fonim oceupados :
14 sumos a 200 rs.
28 1,2 columnas a 600 re.
t escriptorio 130 rs.
73 compa timen os defarinha a 500
rs.
28 ditos de cernidas a 500 rs.
99 ditos de iegumes e fazcodas a
400 rs.
15 ditos de salaos a 700 rs.
9 ditos de fressoras a 600 re.
11 Compartimentos da camaroes
a 200 rs.
33 talbos a 34
deDo-
10J810
3*300
240->
41400
11800
17*100
300
36*500
14*000
39fGOU
10*500
3*400
2*200
66*000

!

Ren dimeato ae i a 11 do correle
213*340
1:7341880
l:930l2O
Rebda provincial :
Do dia 2 a 12 64:517*884
dem de 13 9:78**172
373:673*0
74.344*056
Sorna )lal 448.017*08.
Segunda seceo da Altand^ga de Pernambuco,
13 ie Dezembro do 1889.
O thesoureiro ioDomiogues.
O ebee -Cicero B. de Mello.
Reeebedorla goral
Do dia 2 12 17.322*793
dem de 13 3:244*
20:566*846
Recebedorla provincial
Do dia 2 a 12 26:841*343
dem de 13 11:325*461
Presos do dia:
Carne verde d 369 a 480 ris o kilo.
Caraeiro de 560 a 800 idem.
Sainos de 180 a 600 ris idem.
t-arinha de 380 a 560 ris a cuia.
a4.*ritidSB.
a idea.
MaladoHro pablico
Neste esuroelecimeto foram abatidas para o
consumo de hoje 7g retes pertencentes a diver-
sos marchantes.
Vaporea a aahlr
MEZ DE DKEEMBBO
Fernando .... Jacvktjpc.......... 11 as 12 b.
Sol..........MartmMo......... 13 as 5 b-
-antos e esc.. Adoonee.......... 18 as 4 h.
Monterdo S*ratn............ 15 as 10 -
Neit-York.... Aioifo.......... 17 as 3 b.
Norte.......Par............. 17 as 5 h
Santos e esc Htlitdn........... 20 as 4 h.
Moriaeato do porto
Navios entrados no dia 13
Lisboa e escala23 dias, corveta portogueza
Barlho'-oiheu Dias.de 1243 toneladas, comman-
dante capitao tenente Julio Ferreira Barba?,
equipagera 263. carga muoices de guerra; a
ordem
Genova e escala -26 dias, vapor italiano Opera-
rio, de 149 toneladas, commandante Selozias
Fructuoso, equipagem 12, em lastro; i ordem.
Navios sonidos no mesmo ata
Macei Vapor ingles Author, commandante
bert Bovre, carga varios gneros.
Barbados-Barca norueguense Locetand, cap
G. L. Tnomsea, em lastro.
Havre e escala-Vapor francez I ilte de Bahta
commandante Voisiu, carga varios
Rio de Janeiro Barca inglesa Ea
am ftkort, carga assi
ci orte-Hiate
meatre Manoel Antonio da S



I
I
I
-
.
*
\
m
Dezem 1889
m
GIUNDE PREMIO
mm mm m mmmm
Eui conimenioiado ai Io. Annlvers no da Inaugurado do
PRADO DA ESTANCIA
eioiuasi u --A miin
A REALISAR-SE NO
Dia 15 de Dezembro de 1889
Comeeando s 10 horas em ponto
'j^CTPJPCXO 33CWXO
DO
CAMPO GRANDE
3.
4."
5.c
rvomen

s
Pello*
Cor da veatl-
nenta
Pr*prtr tartos
Parco de i>eeBtbr-S00 metros-Animaes de Pe-Bambuco quejiao teaham
/ gaolio nos Prados do Rncifr oestes ltimos 5 mezes. Premios : 100/000 a ao 1' e lOOOO ao 3'.
Lucifer.....
Transclavc .
Tri'ueiro
i. Hercules...
Esculapio
ex Sneca.
Potos......
itoyal ....
Coltector, ex
Vida Alegre
Monarchista
RoldO.....
Visas........
Mylord......
Uuro.......
9
10
11
:s
1
Rodado......Fen
Zaino.
Rodado.
|Russo pedrez.
Caslanno. ...I
Russo...*.
Mllalo.....
Castanho -.
Baio........
Alazao.. ,.-'.
57
55
55
53
53
57
55
55
55
55
55
53
55
Asul e encarnado..
Branro e encarnado..
Lyrio, ouro e Jaco ene
Verde e amarello
Lyrio e ouro-----
Ouro e oreto.......
Azul e branco.......
Azul ene. laco branco.
Azul ..............
Branco..........
A. braoc. e laco verde.
Marrn e encarnado-
Encarnado e ouro
Antonio Uclida.
Rodolpho A. d'Araujo
Josu A. da Nobrega.
Jos Caetano Pinto.
Coudelaria S. Jorge.
J. Ferreira Marques.
K. Mjrtios Pereira.
S. C. Albuquerque.
Joaquim M. Pestaa.
A. P. Das Torres.
Fraoktin R. Ramos.
Osud. Pombal.
Jos Ferreira da Costa.
*. Pareo-TrUkos irbmiot do ssecife aCMi-l.liO metros Animaes nacio-
naes de menos de meto sangue. Premios : 300* ao i*, 604 an re 304 ao 3.
1
*
3
4
5
6
7
8
9
10
Galilo ..
Vulcano.
Aymor..
Recife .
Cometa.
Alazao..
Castanho
Aluza i.
S. Paulo.. 51
50
58
Rio de Jan. 56
S. Paulo... 56
Preto e ouro......
Atol e preto........
Azul, encar. e ouro
Verde e amarello. ..
Azule ouro........,
Coud. Frateraidadc.
Coud. Nacional.
Coud Independencia.
a
A. C Albuqtierque.
pareo -Ferro Carril de Permanbu oo
sangue. Premios : 350* ao I"
1.700 metros Animaes nacionaes at meto
704 ao 2. e 354 ao 3'.
Cruseiro----- 4
Ruy-Blas ... 7
Minerva 4
Mimosa.. 3
5
Maestro .. .. 5
S
Ch i ron, ex
Corcovado. 4
5
6
Castanho .
Alazao----
Douradilha -
Alaza.......
Castanho-----
Tordilho
Castanho.. ..
Alazar..
R. de Jane.
S. Paulo..
Paran
S Paulo..

Rio de Jan.
54
58
51
49
56
56
56
54
56
56
LyriQ...............
Preto e ro.'i........
Azul, branco c encar.,
Azul e preto........
Encarnado e branco.
Azul preto e lago ene.
Lyrio e ouro.........
A. branco e encamado
Azul ene. eouro.
Paulo Soare.
Coud. Paulis.
Coud. Cru6eiro.

Coud. Nacional.
Sydrooio I. de Mello.
Coud. Nacional.
Coudelaria S. Jorge.
Gabriel H. Araujo.
Coud. Independencia
.PROJECTO E-INSCRPCAO
Para a corrida a realisar-se domingo 22 do Correte
f. PAREO ENSAIO -* 8t)0 metros. Aimaes de Pernambueo que nao teebam
ganho premio nos prados do Recife em 1889. peehios : 2000000 ao
prime tro, 40||000 ao segundo* e 20)J000 ao tereeiro.
.'PAREO 1. DE NOVEMBRO 800 metros. Animaes de Pernambueo
que nao te.iham ganho em raior distancia nestes 5 mezes nos prados
do Kccife. premios : 200(Wf*0 ao primeiro, 40-5000 ao segando e
204000 ao torceiro.
PAREOOOMPENSACOJ.6lv? metros. Egiuw te qoatyc? paiz, que
nSo tenham ganho n'esta otf raaior distancia, nestea ltimos 7 mezes
no Hippodromo. PKEsnos : o"50iJ000 primiva, 70000 a segunda e
S5JO0O i forceir.
PAREO VELOCIDADE 850 inetros. Animaes da Tcrnambuco PBE-
mios: 200,5000 ao prmeirn, 40(5000 ao segundo o 20|J000 ao
tereeiro.
PAREO TRILHOS URBANOS 1.400 metros. Animaes nacionaes at
mcio sangu;. preuios: SOO0OOO ao pritneiro, 60#000 oo segundo
e 305000 ao .tereeiro.
PAREO ANIM \AO 850 metros. Animaes de Pernambueo que nao
tcnhtin ganho em maior distancia no Hippodromo em 1889. PREMIOS:
OOiJOUO ao primeiro, 4O0OOQ ao segundo e 20,0000 ao tereeiro.
PAREO KXPEBIENOIA 1.300 metros. Animaes de Pernambueo qae
nao tenhan ganho em distaacia superior a 1.609 metros nos prados
do Rc'.fe. premios: OiSQOO ao primeiro, 40)5000 ao segundo e
200000 ao tereeiro.
Observacoes
Nenhum pareo se realisar sem que se inscrevam pelo menos cinco animaes
de tres proprietarios di rieren tes.
As propostas que nao Vierem acompanhadas da importancia da inscripcao,
serSo recusadas. .
A inscripcao encerr ir-Be-ha segunda feira, 16 do enrrente/ s 6 horas da tarde
na secretaria do Hippodromo, ra do Imperador n. 55, 1. andar.
IV. R.O cdigo de corridas do Prado Pernambncano toi admittido por esta
Directora sendo que por elle se regularlo as nscripcoea, corridas e o mais que re-
lativo a esta sociedade, at ulterior deliberado, fcando portanto sem valor nenhum
o cdigo ds corridas pelo o qual se regulava esta sociedade.
Recife, 13 de Dezembro de 1889.
O secretarlo.
Anesio A. C. Serrano.
1.a
Obras Publicas
De ordem do cidadao engenheiro dire-
ctor, e em virtude da autorisacao de S.
Exc. o Sr. conselheiro presidente da pro-
vincia, de 8 do corrente, faco publico que
no dia 14 de Dezembro prjimo vindouro,
n'esta directoria, recebem-su propostas em
cartas fechadas, competentemente selladas,
para a construccSo de urna ponte sobre o
rio Pirangy ass, em trras do engenho
Catende, oreada em 6:963(5063.
O orcamento e mais condicoes do con-
tracto acham-se n'esta secretaria, onde
podem ser examinados pelos protendentes.
Para coneorrer praca cima dverlo
os licitantes depositar no Thesouro Pro-
vincial a quantia de 3485198, equivalente
a 5 /0 do valor do respectivo orcameuto.
Secretaria da directoria de Obras Pu
blicas, 14 de Novembro de 1889.
O engenheiro ajudante,
Antonio Reg Netto.
irmandade de Nossa Se aho-
ra da Conceicao dos Mi-
litares.
De ordem do irmSo presidente, e con-
forme prescreve o nosso compromisso,
convido aos membros desta irmandade, a
comparecerm em nosso consistorio no
domingo 15 do corrente s 10 horas da
manha, afm de contii.uida a mesa geral
precederse a eleicTio da mesa que deve
reger a irmandade no anno de 1890.
Consistorio da Irmandade de Nossa
Senhora da Conceicao dos Militares, 12
de Dezembro de 4889.
O secretario,
Jo3o Pau'o Bota Ceta.
THEATRO
Domingo 13 de Dezembro de 1889
BENEFICIO DA ACTRIZ
SS7SCTACULQ Eli IUM GA
EM HOMEHAGEM AO 30. DIA DA PROC1A-
MACXO DA RRPCBI.ICt BRLILEIRA
Derticailo ato Excrello a Armada
\adonsp do Etlado
le Pernambueo. representados na
peaftoa do etdadio licncrul Som
Si mea o de Ollvelra, Kovr mador
d'eote Bulado
Lrgo que o cidadao governador houver assu-
mido a sua tribuna, abrir o espectculo com a
grande marcha executada por trez bandas de
mueica marciaes
a
4. PareoProaperldade900 metrosAnimaes de Pernambueo que lio tenbam ganbo
no D.-:by neeta oumaior disfin a. Premios: i00t ao t*, i0 ao f e SOi so 3*.
i I Delegado ...
t l'o Brasil. .
'JJUaranguape
'. i.uihy......
3 Cyclone.....
(i E-cu la [no. ..
7 Turco f ....
8 Dixia van.....
Castanho
Hosilho.....
Alaiao......
GasUnho-----
Rodado-----
Russo pedrez
lAlaxao ...
Castanho..
Pfern...... 55
55
. 55
55
55
55
55
55
Grenat.............
Encarnada e branco..
Amarello e ai ul......
Azol e encarnado-----
Amarello............
Lyrio e ouro.........
Lyno, ouro e laco ene.
Azul e ouro..........
Joaquim Mik to Maris.
Candido H. Kibeiro.
Bfitu B. da F. Fiih).
Alfredo Marques.
Alfredo S. tiarboza.
Coudelaria S Jorge.
Jos F. de Moura.
Fredenco Al ncod.
3. Pareo -GRANDE PREMIO DERBY CLUB DS PERNAMB'O 500
de qualquer pas. Premios: 4iOo# ao !, iieoao
metros.Animaes
, sooa ao 3. e
3to* ao 4*
l ero, ex-As
modo
Eiffa!......
3 Gladiator, ex-
Derby-----
4 Filie duCiel.
3 OamietU-----
Diana......
7 Do:idon ....
5 Apollo.....
9;Vesper .
tO%lfred, ex-
Falstaff..
II Brazil ....
li^Tic-Tac ...
i'-i Pandego...
5
3
3
3
3
2
4
4
3
3
4
2
Castanho
Zaino.___
Alazao-----
Castanho.
Zaina.....
Alaz.....
Preto
Alazao-----
Cast escuro..
Alazao-.
Castanho-
Inglaterra. 56
Franca ... 48
Inglaterra 48
Franca. .. 46
Inglaterra. bl
Franca. . 46.
Inglaie'ra. 44
R. da Prata 53
Inglaterra. 51
\ * 48
Franct..... 48
53
Inglaterra 46
Card. e resed em list.
V. e ouro em listras.
f. e escarate em list.
NOVA HAMBURGO
(MJAKIUM
I-CAES SANTA ISABEL--1
HOJE ABERTURA HOJE
Sabbado, J4 de Dezembro de 1889
A LLSTRADA SQGKBADE PERNAMBGANA
Em conforraidade ao annuncio dos proprietarios, em data de 10 da Dezembro
corrente, vimos oflFerecer ao Ilustrado publico pernambncano o nosso programma,
{contentando-nos, simplesmente, em expr as reformas eitas e.jnlgadas necessarias.
Este estabelecimento, bem conbecido pela sua situscSo e lugar aprazivel, de-
pois de nmii reforma enmp eia, offereco ao'pabtico que gost do bem estar, tudo
quanto se pode achar n'um estabelecimento deste genero, como seja:
Sala de buffet; de refeicoes, de buhares, jardim, jogos de bolas, de
bagatella.
^io Jardiui ; jo^os de recreios para cHanca, estes ltimos a premios.
Torrac e salo : exclusivamente reservados para familias.
t'OBBidas fras e queotes, conservas inglesas e francezas de todas as
qualidades
Celas e jantares sob encommenda.
C'ozlnha de I.a ordem; a cargo do socio Sr.Lafourcade.
Debidas: (de,premier choix) refrescos.e mais novidades.
Urna machina especial em viagem do Rio de Janeiro, para fazer caldo
Branco e verde......
a. e preto em linas.
e ouro em listas.
Verde salaio
A. Marques d e Amorim
Coudelaria Eiffel.
Coudelaria Temeraria.
M. Fernandes a C.
Coudelaria Nacional -
Coud. Allianca.
Dr. loto de SlC.de A.
Ouro e branco.......Coud. Eniul>.cbo.
Branco..............fH. J. Perman.
V,, amar, e bonet ene Coud. Independencia.
A. e preto en) listas- Coudelaria Nacional.
E. e ouro em listas. Coud. Allian ;a.
G. Pareo -Estado de Pfraaataaco 1.100 metros Animaes de Pernambueo que
oso tenham ganbo no i erby em distanci superior a 1.409 metros.. Pre-
mios : 200* ao 1*, 4Qi ao e 101 ao 3. .
.!
li Cndor.
Florete..
. Gyronle
i Ida .. .
i'umbo
Cupido
Preto
Baio......
Castanho.
Rodado...
Caxito ...
Russo...
Pera..... 56
56
54
54
56
54
Lyrio...............
Encarnado e branco-
Preto e ouro.........
Lyrio e ouro.........
oro, preto e lyrio. .
Enarcado c preto...
Rufino Csrdoso.
Francisco Pieire.
Ant. T. dos Santos.
Coud. S. Jorge.
Coudelaria Victoria.
Salvador Nigro.
de
canna.
Servico prompto e limpo. Todas as diligencias serlo empregadas para satis-
Eaeer c merecer do Ilustrado publico pernamDucano a sua. benevolencia, honrando-
nos com a saa visita.
Attentos, obrigados e criados.
CharUt Botur C.
7.* pareoIaaoreaoai 60P metros.
40/ ao
Animaes de Pernambueo.
*> e KfOOO ao 3.
Premios: 1001000 so 1
l Guarany 1.*..
OerbyCiub..
V'illage......
Templar.....
:> Monitor.....
Rodado. .
Cast. oveiro.
Mellado. ...
Rodado......
Rusao.....
_
51
51
51
* 54
51
Lyrio e onro........
Azul e braoco.....
Verdee amarello....
Bran., azol o laco vrd.
aearnado e branco.
los de Mallo
Feroandes Asevedo
Jos Joaquim Dias.
Carvalbo & Pereira..
Coud. Pernambocana.

038s3a"vjv.g0t3es
Os animaes inscriptos para o 1* pareo devem achar-se no ensilhamento a
2 horas da manha.
Os animaes inscriptos para os outros pareos, deverlo estar no ensilhamento
i menos urna hora antes da determinada para o pareo em qae tiverem de correr.
Os jockeys devem correr em cada pareo com as cores especificadas no
j-tgramam.
Eai vista das despssas extraordinarias feitas para esta festa sportiva, a di-
rectora resolveu nao distribuir convites.
Tendo-se terminado o anno social, ficam sem effeito os cartSes annuaes.
No pareoGrande Premio ha ver pontea de tereeiro lugar.
O expediente desta corrida encerrar-ne-ha sabbado, 14 de Desembro do 1889
s 3 horas da tarde.
A venda de poulet encerrar-se-ha 20 minutos antes de cada corrida..
Entrada geral......... l(JO00
Archibansada......... 25000
Bilhete para 1 cavalheiro e 5 damas. W000
Ensilhamento "...... 2*000
So ter ingresso oo ensilhamento, quem tiver o respectivo bilhete.
Pela companhia Ferro Carril de Pernambueo ser offerecido tun brinde ao
propretario do animal vencedor no pareoFerro Carril de Pernambueo.
HORARIO
1. pareo
2.* pareo
3. pareo
pareo
pareo
preo
pareo
4.
5."
6.
7."
11 horas e
11 e 50
12 t e 40
1 e 30
2 e 20
3 > . 0 10
4 >
El.
1
Recita, 12 de Desembro de 1889.
GERENTE, fenrique ScJiutel d*$
Obras Publicas
De ordem do cidadao engenheiro director des
ta repartico faco publico que do dia 11 do cor
rente em diante lica interrompido o transito de
vehculos na ponte dos Afolado* por ter de pro
ceder-se aos r paros de que necessita o lapiro da
mesma ponte, devendo os vehculos transitaren
pela estrada dos Remedios ou Capu ga.
Secretaria da directora gerd das obras pu-
blicas, em 9 de Dezembro d 1089.
O engenhei o ajudante,
A. Mego Netto.
Taboletas para escolas de
instruccao |nmaria
Secretaria da InulrurrCo fublica t\m
F.itiHdo de Pernamitaca, 1S de B-
zrlabro de ISSS
N. 8 De ordem do cidadao Dr. inspector
geral da instruccao publica de>te Estado, e de
conforraidade com o que disi.oe o art. 116 do
regiment interno das escolas, faco saber a todos
es p'ofeseores puhlicos de Pernambueo que os
dsticos existentes ketualmnte em >uas tabole
tas devem ser substituidos pelos seguintes:
Escola do atado de Pernambueo, para meni-
no? ; Escola do Estido de Pernambueo, jara
meninas; Escola do Esta:o de Pernambueo,
mixtas.
- 0 secretario,
____________PergentinoS. de Araujo Galvao.
Derby Club de Per-
nambueo
Em vista das desposas extraordinarias fazer
se para o GRANDE PREMIO DERBY CLUB DE
PERNAMBUCO, a directora resolveu nao distri-
bu! convites para a corrida de 15 do corrcnte.Q
Ootro8m : declaro para sciencia dos inters
ii dos, que fican sem valor os coa vites etpe-
ciaes, distrital aos para o anno tocial fiodo.tJ?
Secretaria do Derby Club de Pejnambuco, 9
de Dezembro de 1889. O gerente,
__________ _____ Benrpie Sckutel.
1 .* praca
Pela inspectora desta Altandega se faz publi-
c que sil horas do dia 10 do corrente mez,
serSo arrematadas porta desta repartico, o Janeiro a Junho de 1810.
seguinte :
Cinco fardos, marca JF, ns. 17,11, viudos iei
ns. 17.11,
Liverpool do vapor ingles Mtrc/umt, ent ado em
Oulobro do correte anno, coniendo 1,979 kilo
grammas de saceos de eanbamaco, poso iquido
legal, abandonados aos direitos por Julio Fues-
temberg.
Em continuarlo ser arremauda em 4.* praca
urna caixa marca APSS&C, n. 46, contesdo mol-
daras de madeir douradas, pesando liquido
legal 94 kilograramas, vinda de Hamburgo no
vapor allemao Uruguay, entrado em 19 de Abril
de 1888, P. de Souza Soares &
secc&o da Alfandega de Pomambnco, 11 de
de 1889-0 ebefe,
Domingos Joaqni a
Instituto Beneicente dos Ofliciaes
da Guarde Nacional
De ordem do cidadao presidente da assembla
grral, e de conformidade com o que dispfte 0
n.58|r dos nosso! estatutos, conrido aos
senborts socios a com >arecerem em nossa s le,
ra larga do Rosario u. 18,1- andar, no dia 15
di crente, pelas 10 horas da manh, afim de
em assembla geral proceder-se i eleico dos
no vos fuoccioniriOB para o anuo de 1890.
Secre fra da assembla geral do- In ni tato. 11
de D zembro de 1889. O 1 secretario,
Joaqui n de Medeiros Raposo.
.. ...... -- ------------- ,
Becebedoria do Estado de
Pcroambueo
EDITAL X. 13
O cidadao administrador da Recebedoria
do-Estado de Pernambueo fas publico,
par conhecimento dos respectivos contri-
bointes, que, dentro do praso improroga-
vet de 30 dias nteis contados do 1.* de
Desembro prximo, serlo arrecadados por
esta reparticJo os impostos de decima ur-
bana e 25 #i sobre a renda dos bens de
raa perteocentes as cerporacSes de mao
morta relativos ao 2. semestre do exer
cicio em vigor de 1889.
Recebedoria do Estado de Pernambueo,
27 de Novembro de 1889.
O administrador,
Lu* Cetario do Rtffo.
Thesouraria de Fazenda
De ordem do cidadao inspector, convido os
negociantes sbaixo mencionado* a virem no
praso de 5 dias, assignsr na seccio do conten
cioso o contracto para o fornecimento de vive-
res, forragens e ferrugeus para a goaralcao e
artigos Dar a enfermara militar no semestre de
Escola de aprendiaes mari-
nheiros do Estado de Per-
nambueo.
De ordem do cidadao commandante desta es
cola, fuco publico que, perante o conselho que
comecara ; 11 horas da manha do dia 17 do
corrente, serao abertas as propostas que at o
dia anterior, 16, aj as 3 ho-as da tarde forem
recebidas, afm de ser contradado com qunm
melhores rantagens offerecer. o fornecimento de
fardamento para os aprendizes marinbeiros da
mesma escola, a saber .
Bonet de panno enm arco de ferro, um.
Calca de panno, urna.
Camisa de panno, urna.
Caiga de bnra branco. urna,
Camisa de brim branco com pola, urna.
Cana de dito para bonet, urna.
Calca de algodao msela, orna.
Camisa de algodao msela, com gola, urna.
Colcbao de capim vegetal para macea, nni.
Cobertor de 14, encarnado, um.
Lenco de seda preta, um.
acca de lona da Russia, prooipta, urna.
Sacco de dito idem idem, um.
Par de sapatos por medida, um.
1. Todo o fardamento ser feilo por medida ;
sendo a fazenda igual s amostras existentes na
escola, e conforme os padres do corpa central.
1.a Neohoma proposta ser recetada sem que
o proponente nella declare por extenso, 6em
claro algum, emenda, enlrelioha, o prego de
ca la artigo.
3. Conforme o recommendado em aviso do
Ministerio d Marinha de 11 de Maio de 1880,
nao serao admittidas as propostas dos nego-
ciantes ou firmas sociaes, qne nao apresentarem
os docjmentos, cer;ido ou matricula da Junta
Commercial. imposto de industria no ultimo se
raestre e certido do contracto social extrahido
do registro da lunta Commercial.
Outrosim. nao serao acceilas as propostas que
contiverem artigos nao menciona ios neste e li-
tal, ren: tambem aquellas cujos pregos estivo
rem sojeitoi a abatimento ou descontos por isso
que os mesmos preces devem ser iavariaveis.
Escola de aprendizes marimViros do Estado
de Pernambueo, 14 de D- zembro de 1889.
Ernesto Jos de Souza Leal,
Official de fazenda, secretarlo.
Aires Fernandos.
Antonio da Silva tamoi.
Joo Walfredo de Medeiros.
Vasconcellos Sobrinbo & G.
Candida Julia Cavelciote Roses.
Antonio Dosrte de Figueiredo.
Joto Igaacio Ribeiro Roma.
Joaqnun Nicolao Ferreira.
Alheiro Fernaodea & C
Alves da Costa & Filho.
Manoel Bento Pioneiro
Francisco Pinto de Magalbaes.
-a Castro & C
arara do Estado de ersambuco, 13 de
isemboj de 1889.O secretario da junta,
Dr. Antonio Jos de Sant'Anua-
Domingo, 15 do corrente
' EM
Alm dos grandes festejos promovidos n'esse
dia na visinba cidade, pe- iniciativa da socieda-
de dramtica MELPOMENE OLI.NDENSE, e que
se acham annunciados em programmas distri-
buidos eai avulso, haver entre s 7 e 8 horas
da noite um esplendido
Fogo allegorico
no Campo da Abolico, em frente a estatua da
Liberdade.
Esse fogo. especialmente preparado pelo exi-
mio artista pyrotecbnico
Leoncio daPonseca
digno Htho d'eete Estado, e tao vantajosameote
conbecido pela ioexecedivel pericia com que uas
anas horas vaga trabalha na arte, a que verda
deiramente ama e com tanta felicidade cultiva ;
constar das seguintes pecas :
A LGTA INGLORAf
combate de serpentes symbolisando os vicios, as
preteoc&es e a m f, que por tanto lempo tra-
varam o carro do Progresso, arrastando a Patria
Brazileira atravz cincoeota annos de mos go-
vernos. A' primeira vista representa a peca um
triangulo de faiscas eiuptivas a girar no espaco,
destacan lo-se logo depois em sen centro tres
serpentea de fogo que, em mltiplas evolucoes,
lactario deaesperada>, entremeadas em seguida
por circuios de suaves cores, que cada vea mais
repetidos, acabara por circumscrevel as, ani-
quilando as em repetidos estoros.
0 BAMALSEISIITZTBBIOSD
bomenagem ao advento da Repblica Nacional
iSymbuio da m. rcha milagrosa da grande idea
vencedora. Em primeiro lugar representar a
peca um grande disco de ratos coloridos, qual
aurora boreal, apparecendo em seguida urna ra-
inatiem de folbas verdes de cujas bastes paula-
tinamente brotarao flores luminosas at que Oque
totalmente completo o ramalh- te. Para termi-
nar, se transformaro essas flores em grandes
raios que abrirao para o espaco.
Intervallos
Os intervallos serio preenchidos por BOMBAS
LUMINOSA} ou bolides esplendidos, coloridos
de verde e le vermelho MRTEIROScoloridos,
como e o Leoncio faz; FOGETES A CON
GREVE e FOGOS DE BENGALA.
No Pa\ hio do Carino
executar dorante esse lempo as melQores pecas
do seu repertorio a PhiLrmonica Oliodense do
Club
13 DE MAIO
Esta fest. que promovida pelo CLUB DOS
TREZ, tem por fim creiir ama digressao agrada-
vel aos bannistas de 01 inda e aos dignos cida-
daos que se diguarem visitar a heroica cidade
de lio gloriosas tradices, ao dia em que orna
commissio saluda do sen seio all festeja o pri
meiro mes ds gloriosa data
18 OK NOVEMBBO
A coinmissio agradece desde j a todos q
shi comparecereio, con e BEM PAGA
de ter proporcionad iTIS.
se conseguir satufaser a ti
seguindo se a represenlago do drama em 5
actos, origigal francez e que tem por titulo
HONEA NO CRMB
Tomar parte neste espectculo, alm dos ar-
tistas, o corpo scenico do Club Dramtico Fami-
liar, que generosamente acceden ao convite da
beneficiada.
A commisso dos festejosempregados do
commerciodeliberando tambem tomar parte
nesta festa, presidir o espectculo em honra as
11 baDdeiras do3 II Estados do URAZIL-que
serio cotlocadas nos camarotes de 1.* ordem.
A beneficiada queiendo tambem coneorrer para
o engrandec ment da PATRIA BRAZILEIRA,
resolveu destinar urna porcentagem do liquido
do espectculo para o fim de ser inscripta na
lista nacional, para pagamento da divida interna.
Os avulsos distribuidos ser mais esplicito.
Bonds para Femandes Vieira, Afogadoe e Mag-
dalena.
Principiar t 8 horas
Todas as bandas marciaes fario as honras ao
governador d'este Estado.
Qainta-feira, 19 de Dezem-
bro de 1889
Grande espectculo para solemnisar a chegada
do cidadio general governador deste Estado,
sendo ao mesms tempo urna manifestafSo de en-
tusiasmo pela proclamacao da Repunlica des
Estados Unidos do Brazil.
Por accordo com a distincta commisso cen-
tral militar, metade do producto liquido deste
espectculo destinado ao resgate da divida in-
terna da Repblica.
Ia Parte
Depois da ouvertura executada pela orchestra
regida pelo distincto maestro A. Martins Vianna
ser cantada em sena aberta pela actriz M. Ali-
Yerti
O HTMlf O
DOS .
ESTADOS IMDOS DO BR4ZIL
__
.
Levar s?-ha depois pela prime'ra vez nesta
poca a chistosa comedia de A. de Azevedo
AMOR POR AMBIIN8
pela actriz Aliverti e o actor Peres.
* Parte
O distincto barytono Comoleti cantar a cau-
Cio do
A7SSIBSIB0 mUHT)
e pelo popular Rocha a
Viagem a p ao redor do
mundo
3 a Parte
Pela segunda vez nesta poca ser representa -
da a linda comedia i
Por causa de um al-
garismo
pelos srti3tas : Pacheco, Lisboa, Lyra Rocha,
Angelina e Aliverti.
Terminar o espectculo com o duetto cmico
o ssiAo s a wwm
pela actriz Aliverti e pelo actor Lyra.
Dorante os intervallos formario as delicias
dos e-pectadores as bandas de msica do 14"
batalho de infantaria, corpo da. polica e apren-
dizes m .rinheiros.
O tbeatro acbar-se-ha convenientemente orna-
do e Iluminado.
N'um dos intervallos serio comprimentadas
as familias que tiverem a complacencia de ac-
ceitarem camarotes.
Esperase a mxima acceitaySo por parte dos
cavalbeiros a quem foram remedidos os camaro-
tes e as cadeiras attento o tira i qae vai ser
destinada a metade do producto do mes no es-
pectculo
llavera trem para Aplpucos, Olinda e Bebe-
ribe e bond para todas as linhas.
~BANC0 SGL-AMERICA\a
Capital 20.000:0001
Este Banco funeciona
A'
38-Rua do Cnumcrcio38
J^. E FAZ AS SEGUINTES OPERACOES
Crdito*
Abre crdito aos negociantes, lavradores, ar-
tistas e innslriaes.
p^a^ owitow
Desconta e redescona letras de cambio e da
trra, notas ponisso-ias e outros quaesquer t-
tulos de divida. *
Depowilo*
Recebe dinbeiros por simples deposito oo a
juros, em conta corrente de movimento a 3 % oo
por letras a prazo fixo, conforme for cooven-
cionado.
Canrne bypotkec**
Faz tiaQ8acc0es sobre quaesquer valores ou
effeitos que possam ser admittidos ou dados em
hypotbecas, caucio ou penhor mercantil.
r*.ir renta proprl oa albetn
Sub&creve. compra e vende ttulos de divida
publi^, nacionaes ou estrangeiros, letras bypo-
tbecarias dteniuret. acgdes. quinhOes de socie-
dade em commandita e em conta de participa-
cio.
Cobranca e liquMaeoea
Faz cobrancas, pagamentos, remessas e lia. ai
dacoes.
Cartas de crdito
Cosede cartas de crdito, abono e Sanca, cotn,-
prehendidas todas as operace." del credere.
Basprr *!
Negocia quaesquer utnprestiinos dentro e I
do paiz.
AdlaHtaaaento
Adan ta dinheiro sobre mercadorias, nio.su-
jeitas a fcil deterior. gao, que est- j. m devida-
mente seguras, depo itadas na alfandega, trapi-
ches e armazens ou em viagem.
Immtfraco
Contrata a introtluccio e localisacio de
lonos.
M*v>BBieBt de fund
Brevemente iniciar su
costa e sobre o estranac:


-:'.^



o
nano

ICTITMOS
Joyal Ma Steam Packei
Gompany
O ya^or Magdalena
Commandante Lenbrraand
Espera-se da Europa at e dia 19 dt
* Desembro, seguindo depois da demo-
-----------Jra docostatee para
Baha. HJ de Jaaelr, aatos.
teridoe BtieBoa-Ayies
Para pasHagens, fretese encomnwnuas trata
K Con 08 AGENTES.
Ufe
Orapor Don
aa** *. F <*
E* esperado do sur no da 19 de De
zembro, seguinCo depois dademon
isaria para
B. Viowte, Lisboa, Vigo, e SouthamptoD
Reducto de passaaens
Ida Uaevoito
\' Lisboa 1 claaee JO 4 30
i'SoBtbaaptoni*clas8e < ***
Camarotes reservados para os passageiros *
trnambuco.
Para passagens fretee, eccommendas, trata-
:om os
AGENTES
Ajoaorim Irmos & C.
K. 3Rus d Bon JessN. 3
ttion
Pacific Steam <
Company
Paquete Sorata
Espera-se da Europa at o dia
,15 de Deaembro e seguir de-
ios da demora do coetume paaa
Talparaiso por
Baha, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di
ueiro a freve: trata-se com os
AOKsrrFS
Wilsoi. Sois & t, Limited
14RA DO COMMERCIO14

Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO SOL
O Yapor Maranho
^mmandante o eapit&o de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
aa** E' esperado dos portos do norte au
aires, o dia 44 de Dezembro e depois da de
Blmora indispensavel seguir para o
^ssiiiiiiWportos do sal.
As encommendas serio receidas no trapicb'
larbosa at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
rea rata-se com os AGENTES.
__
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
3emmandante Antonio Ferreira da Silva
^gp E' esperado dos portos do sol at *
l Tal H" '7 *" nc""""hr" seguindo de-
mm tpo!.- da demora indispensavel pare
^bibbbbbbbVo.' portos do norte at Manoe.
As encommendas s serao recebidas na agen
'la at 1 hora da tarde do dia da sabida.
QPara carga, encommendas, passagens e valo
w trate-se com os___
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
1 andar
CHARGEURS REUNS
Companhia Fraarna
DE
Ifaregafi a vapor
.inha quincenal entre o Havre, Lisboa
Pernambnco, Babia, Rio de Janeiro *
Santos.
O vapor
VilledeSan Nicols
Com man dan t e Henry
E' esperado da Europa at o dia 16
de Dezembro, seguindo depois da in
nsavel demora para
un E' esf
obbw.de De
fcdispe
Macei, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga peles
'apores desta linha, qneinim a presentar dentrc
la 6 das a contar do da descarga das al varengaf
aalquer reclamago concernen te a volumes que
torveatura tenham seguido para os portos de
ti afim de se poder dar a tempo as provi
'.encas ne ees sanea.
Expirado o relerido prazo a companhia nao se
tsponsaoilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di
. ..heiro a frete : trata-se com o
AGENTE
Angoste Labille
9RA DO COMMERCIO-9
comPAvnk pebabbucana
DE
favega<"io costelra por Vapor
Para Fernando de \oronha
O yapor Jacnhype
Commandante Esteves
Segu no dia 14 de Dezembro as 12
'horas da manh. Recebe carga at o
dia 13.
Passagens at as 10 horas do dia da sabida.
ESCRD7TORIO
Ao caes da Companhia Pernambucana
n. 12
United States and Brazii
M. S. S. C.
O vapor Amanea
E' esperado dos portos d
sol at o dia 16 de Dezem-
bro o qual depois da de
,roora necessana .seguir
I para o
Yaranho. Para, Barbados, .
Thoaaaz. Martlnlquc e New-
York.
Para passagens carga, encommendas di
aaeiro a frete. trata-se : com oe AGENTES.
Ovapor Advance
E' esperado de NewYork-
at o dia 14 de Dezembrc
too qual depois da de-~
mora neaassaria seguir
_J pana
Jahia. alio de laaeiro e ftaatos
Para carga, passagens, encommendas edi
i ieiro a frete trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Corunecior8
l'andi
s*
ompanhia Bahiana de Na-
vegacao Vapor
Macei, Vla-Nora, Penedo, Araca-
j, Estancia e Babia
O VAPOR
Principe do Gao-Para
Commandante Laeerda
Seguir para os
portos cima
indicados no dia
114 do corren te as
'4 horas da tarde
Para carga, passagens, enxtuimendas e dinhei
o a frete trata-se com o
AGENTE
?edro Osoriode Cerqueira
J7Bua do \lgmio- 17
F O veleiro e be-, conhecido hlate D. Antonta
seguir p.ra os portos cima uestes dias. receba
carga no caes do Loyo, S ponto ; a tratar na
ra da Madre de Deas n. 8, com Bartholomeo
Lonrencn.
Acarahu e t/amossim
Seguir brevemente e cter Sania Cruz por
j ter a bordo pa.-te de seu carregamento, re
cebe carga no caes do Loyo, i- ponto ; trata-se
na ra da Madre de Deas n. 8, escriptorio de
Bartholomeo Lourenco. ________
Lisboa e Porto
Lunar porlasnei Mau-la
E' esperado da Babia, e receber carga a fre
te para sabir sem m ior demora com destino a
Lisboa e Porto ; a tratar com amorim Irmos
& Compaubia.
LEILOES
Leilo
Age ote Britto
De 1 plaste, aaovela, loaieaa, vl-
droa e Jola
Duas mobilias de Jacaranda, 1 mesa elstica
grande, 1 guarda tonca, 1 guarda-comida, 1
aparadores, 1 tone'.te, 1 guarda-roopa, 1 estante
grande envidracada, 1 secretaria, i qnartinfaei-
ra de columna, 1 cama para menino, S bercos.
1 commod8, 1 lavatorio com pedra e espelbo
1 dito de a mar el lo, i camas francesas de jaca-
randa, 1 marqueio 1 mesa grande, 8 camas de
ferro, i mesOes de classe, 6 bancos grandes, 23
carteiras para criancas, 8 bacas com vlvulas.
3 cabides de columna, 1 reloglo de parede, 24
cadeiras de junco. 8 ditas de amarello, 1 espe-
lbo oval, S ditos menores, jarros, louca para aI-
nioco e jantar, copos, clices, compoteiras, tape-
tes, garrafas para vinho e outros muitos objec-
tos que estaro patentes no acte do leilo.
O agente cima autorisado por urna familia
que mudou de residencia, vender os objeetos
cima ao correr do martello.
Ba Princesa Isabel n. 13
A'$ lOlfi hora
Sabbado 11 do eorreate-
Agente Stepple
2/ leilo
de urna grande casa terrea e sota corrida
sob n. 1 ra de Pedro Affmso, antiga
ra da Praia
Mabbado. Id do frrente
A'b 11 horas em poni
No armazem ra do Imperador n. 39
0 agente cima', por mandado e assistencia do
cidado Dr. juiz le direlto de orpbios e ausentes
arequeria-enlodolllm. Sr Dr. consol de Portugal,
levar a leilo a casa cima mencionada,
Os Srs. pretenden tes desde j poder o ir exa-
minar a referida casa.
Agente Stepple
Leilo
Di 1 terreno com S meiaa aguas e 1 grane!
i lbeiro, ra da Palma n. 23, espolio de Jos
' Caetan9deCaua*o.
IMta'fein, ir dt correte
Jfll: BOMW
No armazem da raa do Imperador u. 16
0 agente Miras far leilo por mamado do
Illm. Sr. Dr. juiz de direito da provedoiia. em
sea presenca, de 1 terreno ra da Palma o 23,
todo mirado, portio de madeira, medindo de
frmte 15 metros e 85 centmetros e de fundo 65
metros e 30 centmetros, foreiro ao Carmo e per-
tencente ao referido espolio.
Agente Pestaa
Leilo
De piano, movis, louca, vidros e outros
muitos objeetos necessarios a urna casa
de familia
Terca-felra, i do correle
A's 11 horas
No 2. andar do sobrado sito d ra Mar-
juez de Olinda n. 34, (outr'ora Cadcia
do Recife)
0 agente Pestaa, autorisado pelo Sr. D. Au-
gusta de Cometi Bittencourt, que se retira para
rora da provincia, far leilo dos excedentes
movis abaixo declarados:
Orna mobilia de pao carga, composta de 1 sof,
2 consolos, 2 cadeiras de bracos, 1 piano, 2
grandes espelbos para consolos, 2 consolos de
jSicarand para claros de sala, 8 cadeiras pretas
americanas, 6 ditas dourdas, 1 quadro a aqua-
rela moldura de veiudo, 4 palmeiras para sulo,
1 mesinha de Jacaranda com pedra, 1 figura
bronzeada, 1 cama de Jacaranda, 1 toilette de
dito, 1 mesinha redonda, 1 commoda modetlo do
Rio, 1. mesa elstica grande, 1 dita pequea, 2
aparadores, 1 dito pequeo, 1 sof envernizado
de preto, 1 columna de pedra com urna grande
fruclelre para flores, 2 cadeiras austracas com
batneos, 1 mesa com tampo bordado, 12 "ca-
deiras e junco preto, 2 caniieiros de bronze
com lf dupla, 1 repucho para cima de mesa, 1
cideirn de bracos oordada, 1 guarda-louca de
amarello, 2 pares de jarros para flores, 2 ser-
pentinas de nikel, 1 jarro para agua, 1 marqueza
de amarello, 1 mesinha prcta redonda, 2 lava-
torios de ferro, 2 meias commodas de amarello,
1 marqueza de dito, 1 cabide de columna, 1 mesa
para cabecera de cama, 1 mesinha preta pe-
quea 1 quadro dourado, 2 candieiros para fce
rozene, 1 mesa de pinho envernizada, 1 carrinbo
cijm 2 assentos para crianca, 2 camas de lona,
palmeiras, avencas, bigonias, 1 baca grande
para bantio, 1 marqueza de Jacaranda, 6 cadeiras
americanas, 6 ditas de amurallo, 2 cabides de
amarello, e outros muitos objeetos que se acha-
r.'io presentes ao acto do leilo, e que se vendero
s _>m reserva de prego.
Leilo
De 11 saceos marea A C 4C contendo pimen-
ta da India avariados e descarregados de bordo
do navio norueguense Familiar.
Moje. -14 do correle
A'S 11 HORAS
No 1" andar do sobrado da ra do Bom-
Jesus n. 44
POR DTERVENCAO DO AGENTE
Alfredo Guimaraes
Leilo
SEGUNDA FEIRA. 16 DO COMIENTE
as f t horas
Na ra do Padre Ploriano n 5
Da armacao, pesos, balunca, medidas, dep-
sitos, registro d'agui e candieiros, canteiros e
alguns artigos.
Leilo
De movis, espelbos, quadroe, livroe de
direito e litteratura, louca, vidros e di-
versos ps de crotons.
egaada-felra, Itt do correte
A's 11 horas
Na casa sita raa de Santa Cruz u. 70
Constando de:
Urna mobilia de Jacaranda com 12 cadeiras de
guarnico, 2 de braco, 1 sof, 2 consolos e 1 iar-
dineira eom pedra 1 espelho oval, 2 quadros
grandes, 2 caatoneiras dourdas, 4 tageres. 4
casticaes com lanternas, 8 jarros pare ores, 2
candieiros, 1 tapete para sof1, 2 escanradeiras,
diversos livros de direito 6 litteratura, 2 meri-
nbas para fumantes, 1 cama franceza de jaca-
randa, 1 lavatorio, 1 cabide, 1 banca com 2 ga-
vetas, 1 marquezo largo, I marquezo estreno,
1 cabide de parede, 1 guarda louca, i aparador,
1 meza para jantar, 6 cadeiras de Junco, 1 ar-
mario, louca para almocn e jantar, copos, cli-
ce.', colheres e muitoi outroj objeetos.
0 agente Gusmo, autorisado por urna familia
[me retirou-se para fra da cidade, far leilo
dos objeetos cima mencionados.
Ageste SI ppe
Leilo i.
De nata parte do liiaportaote so-
brado de aodarea, alto ra
do laaperador o. S.
Terc-ifara, 17 i(o torrente
A's 11 horas em ponto
O agente cima, a mindalo do cidado Dr.
juiz ue direito de orphios o ausentes, a reque-
rimento do Sr Dr. cnsul i 3 Portugal, levar a
leilo a parte do sobrado arima, pertepcente ao
espolio do finad j Antooiu T>;i\eit K^mos.
Os Srs. preiendentes desde j podeao ir exa'
minar o referido sobrado.
No armazem roa do Imperador o. 3)
Leilo
De 1 carteira de amare! o. 1 taboa com ca-
chorros, 30 caixes vastos para gaz, 4 4ote de
caos de ferro, 1 lote de csnnos.de cobre, 1
tanque pequeo de ferro, 4 lote de feros gran
dea, 1 lete de madeira, 8 telhas grandes de fer-
ro, 1 braco de bomba, latas vasias, amostras de
Ipapei8 e papis escribios, i carramacho de fer-
io, 5 aros de ferro paraj;rdi j. 1 boio com
acidn.su!furico, 6 bancos com peneiras, trilhoo
de ferro, barrotes de pinho, 1 telheiro da fabri-
ca de oleo, constando d'annaco da coberta de
madeir.i, telhas de ztnco. tri bos de ferro e gra-
des de madeira.
Terea-felra, fl V do correte
A's 11 horas
Na Fabrica Apollo, sita i ra do Hospicio
O agente Gusmo, autoris ido por despacho do
Exm. Sr. Dr. juiz de direit* do comraercio far
leillo dos objeetos cima i: endonados perten
cenes massa fallida dt D Maris Amelia da
Cuaba, leilo que ser efl cttiado aa referida
fabrica.
) com 17 palmos aforado para outra
casa de Manoel Antoi
Don sa terrea^ em ruinas*, onde mora Ese-
qniel da Beseurreicfto Aleluia com 28 palmos de
ma dita na esquina da ra j Commercio,
junto i matriz eom 21 palmos de frente, em ter-
proprio.
Metade do engenho Poco d'Antas, na villa de
Agua Preta
- Os Srs. pretendentes poderlo desde j exami-
nar tudo o que se acha descripto : e para qual-
ir iofbrmaco o mesmo dar ra do I npera-
or n. 39.
AVISOS DIVERSOS
Aiugam se casas caiadas e pintadas nos
un dos de S Ooncalo, a 8000; a tratar na ra
la Imperatria n. 76. __________
A uga-se o 1 andar da casa n. 43 ra
Viconde de Jnbama, com agua e commodos
para fan ilia ; a chave no andar terreo^_____*
Preclsa-se de urna boa cos-nheira, paga-se
ba-m ; a tratar na ra Baro da Victo.' ia n. 39,
W-_________________________________
Na engenboca de Bemflca ra Beal da
Torren. 21, precisa se de un machinista para
servicoe de moinhos e machina a vapor, assim
coate de urna pessoa para vender larmhaj, que
d dador de sua t nducta. ^_^_______
.Precisa-se alugar um piano em bom esta
do ; a tratar na ra do Imperador n. 71, loja.
Precisa se de urna ama para casa de pe-
quea familia ; a tratar na ra da Madre de
Dos n. 7. ou ra Visconde de' Goyanna nume-
ro t7.
Na eegeohoca de BemQca precisa-se de
am empregado de 16 annos de idade, para ser
vicos de moinhos ; a tratar na ra Beal da Tor
re n. 21.______________________________
0 Sr, francisco Mareira Fragoso chami-
dafsT'vir ao bceo da matriz de Santo Antonio n.
11.a otocio que nio ignora, isto do preso de
orto dtal, de contrario ser declarado qual o
negocio.
A luga-se
PECTORAL de CEREJA
Do Dr. Ayer.
a> ufermldadea mala olorotw da cargaata
* dot pulmaei, ordinariamente denvolTenu,
tendo porprlnciplo baaei peqcenai, en Jos resalta-
do* nao sao dlfflels de corar se promptam
tratlo com o remedio conveniente. Os 1___
oo e u Tese dio reciprocamente o resultado
de Larliisltls, Aathmm, Bronchltl, Afleo-
cao Pulmonar e a TUlca.
Todas as familias que tem erlaneas derem tef 9
Peitoral de Cereja do Dr. Ayer
em caja para o usar ehj tato de necessldade.
A perda de um S da, pode em muitos aaoa
aooarretar serlas consequencua. Por tanto na
e dere perder tempo precioso, experimentando
remedios de efflcacla duvidosa, emqnanto que
a enfermldade se apodera do systema e se arral
profundamente, e enilo que se necessita tomar
mu Instante, o remedio mals certo e activo em
seu effelto, e este remedio sem dnvlda als/uma
Peitoral de Cereja do Dr. Ayer.
preparado pelo
DR. J. C. AYER & CA,,
'LoweU, Mass., Est.-TJnldos.
DEPOSITO GKRAL
.Licor depurativo i
Agente Stepple
Leilo ;
De gneros de estiva existentes no astabeleci
ment n. 26 ra do Sol em Olinda.
Qaairta-felra, 19 do corrate
A' 1 hora em ponto
0 agente cima, por mandado e asstslencia do
cidado Dr. juix de direito do civel de Olinda, le-
var a leilo em um ou mais lotes, vootade dos
Srs. licitantes, os gneros existentes no estabe-
I 'cimento cima, na aceito que move Claudino
Coelho Leal e outros, contra Julio Gomes Pe-
reira.
3.' e iillimo leilit

de am sobrado e pavimenta tarreo sito
ra 4o S. Bento sob n. 24, boje raa 27
de Janeiro (em Olinda), o qual sobrado
foi construido de novo ; aproveitem a pe-
chincha ; servindo de base o preco do
2. leflao
t|uarta feir, f 9 do correte
As' 11 horas em ponto
iva Cmara Municipal de Olinda
0 agente cima, por mandado e assistencia
do cidado Dr. juiz especial do commercio, a re-
qoerimento do cidado Dr. curador fiscal da
massa fallida de Palmeira & innao, levar a tei-
ao o sobrado cima mencionado, em amito bom
estado
Os Srs. pretendentes desde j podero ir exa-
minar o referido sobrado.

Agente Stepple
Leilo
Das dividas na importancia de cerca de 7: 18<040,
perlencente massa fallida de Palmeira & Ir-
mo.
Quinta-feira, 18 do crvente
A's 11 oras em ponto
\"a cmara nuolcipal de Olinda
0 agente cima, por mandado e assistencia do
oidalio Dr. juiz especial do commercio e do ci
iladao Dr. commendador fiscal da massa fallida
>ie Palmeira & Irmos, levar a leilo as dividas
cima mencionadas.
Os Srs. pretendentes po lero vir ver a relacSo
'los devedores, que se acha em meu poder.
------------------------------ ...... i i, .i i.
Leilo
De trras situadas no termo d Rio For-
moso e metade do engenhoPoco d'An-
tas, na villa d'Agua Preta.
Sexta-feira 20 de Dezembro
BA DO IMPERADOR N. 39
Aa lt horas
0 agente STEPPLE, por mandado e assistencia
do Exm. Sr. Dr. jais de direito privativo de or-
Dhos e ausentes, a requenmento do Exm. Sr.
oonselbeiro Quintino Jos de Mirania, invent-
bante dos bens deixados por fallecimento do
naior Lanrentino Jos de Miranda, levar a lei-
lo os bens abaixo descriptos:
Um terreno devolnto, com 10 palmos cima da
asa de Severino Marques Pereira, na ma da La-
ieira, coui fundo at a deaiarcaco do en^euho
iiqufira.
Om dito com 40 palmos, aforado a Severino
Marques Pereira.
Um dito com 100 palmos devoluto abaio da
i:asa de Severino Marques Pareira, com lundo
ata a de arcacao do engenho Siqueira, e os fun-
iios dos terrenos da ra do Canto.
' TJm terreno proprio, com O palmos de frente.
Um terreno com 30 palmos de frente, aforado
ii Joaquim Luiz.
Um dito com SO palmos aforado a D. Ignacia.
Um terreno proprio, com fundo at encontrir
os terrenos da ra do Canto. """
Um terreno devolnto entre a casa de Antonio
.' 'reir da Silva e as de Jos Ignacio dos Santos
com 49 palmo
Urna casa terrea de tjolo com 23 palmos em
erreoo proprio onde morou o portugus Antonio
los da Costa na roa do Commercio.
Um terreno com 22 palmos de frente forado
D. Sabina, viuva ue Miguel Severino dos
tantos.
Um dito com 22 palmos aforado ao capito
Pedro. Joaquim Vianna Lima,
Um'dito com-22 palmos, alorado a Antonio
.los Correa.
Um dito com 22 palmos, aforado a Antonio
Jos Correia.
Urna casa terrea com 22 palmos de frente em
i Treno proprio onde mora Joo Baptisla de Leo
fonteiro.
Um terreno com 20 palmos, aforado a Fran-
cisco Bernardo de Oliveira.
Um dito com 17 palmos, aforado a Jos Igna-
ro dos Santos.
Uma casa de tipa eom 16 palmos de rente
jnde mora D. Mana Flavlana da Costa e Silva
en terreno proprio.
Um terreno.com 17 palmos aforado a Manoel
los de Oliveira.
Um dito com 33 palmos aforado aos berdeiros
1 i Antonio Gomes de Macedo.
Um dito com 22 palmos aforado a Joaquim
irtins dos Santos.
- Um dito com 38 palmos aforado a D. Zo mira
Augusta de Souza e Albuquerque.
Um dito eom 19 palmos aforado para casa de
Manoel Antonio Soares.
o sobrado ra de Gervasio Pires n. 18, com
agua e gas, e o 2- andar do sobrado roa do
Rangel n. 60, com agua e gas ; a tratar com
Tempaial Filhos, rm do Bom Jess n. 87,
Precisa-se
de umeaixeiro com pratica de 14 a 16 annos de
idade ; na roa do Rangel n. 31-A.
Caixeiro
Precisa-se de um menino de 10 a 12 annos de
idade, que d fiador de sua conducta ; a tratar
na travessa da Piedade n. 3, em Santo Amaro
das Salinas._______________.________,
Barcada
Vndese urna barcaca com capacidade para
re cebe r 1,000 saceos com assucar, em bom esta
do, e convenientemente apparelhada para car-
reira larg Para informacOes, na ra Mrquez
de Olinda n, 83, loja de louca. _____
Jaboato
Aluga-se ama boa casa no largo da matriz ; a
tratar com o fiscal na mesma cidade.
En gommado
Na rea dos Agouguiohs n 8, lava-se engom-
ma-se faz-ss vesiidos por barrto preco. _
Aluga-se
o 2- andar e soto roa Csronel Suassuna n
119. antigo palacete, tem commolos e barato
o aluguel ; o armazem ra de Domingos Jos
Martina n. 126, paro estabelecimento ou mesmo
para morada ; a tratar na pharmacia Conceicao
a ra Mrquez oe Olinda.
Alug
a-se
a casa n. 42 roa < e Paysand, prxima a pon-
te da Mag Jalena. com agua e gaz encanados e
bou oommoJos, e a casa de sota. com agua,
gat e excellentes commodos, 2.' travessa do
Principe n. 1-C ; a tratar na ra da Imperatriz
n82.
Aluga-se
o sobrado de um andar e soto, caiado e pintado
de novo, na roa Mrquez do Herval, tro vessa do
Pocinbo n. 33; a tratar no largo do Corpo
Santo n. 4, 1- andar,
Ama

Precisa-se de uma ama para casa de pouca
familia ; a ti atar na rea do Crespo n. 17, segn
do andar. *_________________
Ama
Precisa se de uma ama para cosinbar; na ra
dos Guaraiapes n. 88.
Am
Precisa-se de uma ama para cosinbar, para
casa de pequea familia ; na raa do Imperador
n. 40, armazem.____________________^^^
Ama
Precisa-se de uma ama para cosinhar e xim
prar ; na roa do Cabug n. 3, 2 andar.
Amas
Pre ;isa -se da uma ama para cosinha, e de ou
tra para andar com ama crianca ; a tratar na
ra Direita n. 131.
Ama
Precisase de uma ama que saiba cosinhar e
durma em casa do patrio ; a tratar na roa Du-
que de Ca:as n. 48, toja. ______________
Cozinheira
Na roa da Aurora n. 133 -precisase de urna
ue durma em casa e d flanea de sua conducta
9. Mara Mcuhorlnha dos Pra-
zerea
Procisa.se fallar com esa senhora a negocio
de seu. inleresse ; na roa Duque de Caxias nu
mero 91.
Baro de Tacar una
0 hachan 1 Manoel Antonio dos Pasaos -e Silva
convida a todos os senj pareBtes e amigos para
assistirem as miss^s q.je por auna de seu mu
Erezado pai o Baro de Tacaruna, manda cele
rar ao i ia 16 de correte (segur.Ua-feira) s
7 i/2 horas du manh, na matriz da Boa-Vista,
2. aouiversario de seu infausto obilo, e desde
nroteato a sua gratido por este acio da cari-
-
Ciara Mari* da Ceno icae manda celebrar
urna aJjasAs 8 horas da manh, na igreja de
i) dia 14 do corrente, trigsimo do
pasameato do seu tinado marido; e para este
gluOj convida a seos prenles e ami-
ado. Desde jd agradece a todas aa
1 peaapa que se digo.erm aaitatir aquella acto.
O OLEO PURO
DE
MADO e BACEBO
-CE-
LAMAT & ZEMP
produz effeitoa anlogos a os da
corn Hypophosphites
dos meninos senhores, no caso da
ser preferido o tractamento neeta
forma para o curativo dos ineom-
modos
do PeitOi a Garganta e os Palmitos.
CAXANGA'
PESSO DK FAMILIA
Sr, Cini, chefe da cosinha
ao antigo hotel Farfa.



Este notabilissimo depurante que ven
precedida de too grande fama infallive ns
cura de todas as doeneas 'syphiliticaa, es-
crofulosas, rematicas e de pella, come
tumores, ulceras, dores rheumaticas, os
teocopas e neurlgicas, blenorragias agu
das e chronicas, cancros syphiliticos, in-
flamacoes viceraes, d'olhos, ouvidos, gar-
gantas, intestinos, etc., e em todas a*
molestias de pelle, simples on diathericas
assim como na alopecia on queda do ca-
bello, e as doeneas determinadas por sa
turacao mercurial.
DSo-se gratis folhetos onde se encon
tram numerosas experiencias feitas con
este especifico nos hospitaes pblicos c
muitos attestados de mdicos e documen
tos particulares. ,
Faz-se descont em casa de
FARIA SOBRINHO d C.
Roa Mrquez de Pilada 21
Criado
Precisa se de um rapaz de 14 a 1S annos ; na
ra Mrquez de Olinda n. 31.
tjajtoOfi
Preaarado tinwo dfiaralivo
Fitas e bordados de al-
ta rio vid de
NA"'
Rainha das Flores
Ba Baro da Victoria 41
Na metma casa encentra ss o melhor sorti-
mento de
Perfumaras





j Apprmdo pela Hlustrada Juta de
H-giene Publica da Corte.
Auctorisado por Decreto Imperial
de 20 de Junho de 1883.
COMPOSIpO
de
Firmino Gandido de Figueiredo.
i
Empregado com a maior efficacia no
rheumatismo de qnalqaer natnreza,
em todas as molestias da pelle, as
leucorrheas ou flores brancas, nos
soffrimentos occasionados pela impurea
do sangue, e finalmente as differentes
formas da syphis.
-} DM Nos prmeiroi seis dias ama
colher das de cha pela manha e outra
1 noite, puramente ou diluida em agua
j e em seguida mudar-se-ha para colhe-
-) res das de sopa para os adultos e me-
j tade para as enancas.
Rgimen Os doentes derem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor- lr-
duroso; derem usar do* banhos f-ios ou
momos, segundo o estado da molestia.
e grande variedade de papis de escreve ea-
veloppes, artigos de escriptorio, para part alia-
res e para o commercio.
mprimera se cart&es de visita em poneos.mi -
utos, com a maior perfeigSo.
Presos sem
Dinbetro A vista
Ra Barao da Victoria41
Liyraria Contempor-
nea
Inalrumciiioa de mnalra
Bomnardo, bombardino, barytono, trompa
tromhone, helicn, saxaphone carrilon, bombo,
caixa, pratos clarinitas Bauta8:rabeca8, violoei.
realejos, caixas de msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de salas, quartos, gabinetes, corredo-
res.
Molduras
dourade s, pretas e dourdas para quadros.
Malas
para Tiaeerr, diversos formatos, especialmente
para roupa de senbora e camarote.
Novidades
para presentes, escriptorio, toucador, etc., etc.
RAMIRO M. COSTA & C.
Boa Prlmelro Je Barco
Alugne! barato
O 2. andar da ra Visconde de Itaparica n. 4J.
Ra do Rosario da Boa-Vista n. 39.
Ruada Rodans. 58 e 60.
Largo do Mercado loja n. 17.
Becco do Campello n. 1,1. andar.
Visconde de Goyanna a. 167, com agua e gas.
Loja do sobrado do becco do Calabouco n. 4.
Ra do Nogueira n. 13.
A tratar a rea de Commercio n. 5,1 andar,
escriptorio de Silva Guimaraes & C.
*!

*




.-;v:





.


-;-
;-
f
r
r
r
DEPOSITO CENTS Al
Francieco Manoel da Silva &C.
Orogol a tas
23 Ba Mrquez de Olinda
Pernambuco
-
t-
H-*+,+,+'+++'!-,++!fl+l+l+9(
Yivam us Esladoss-lnidos do
BraiU
A FAYOBITA
25 RA i. DE MARCO25
Sob este trtulo acha-se profusamenjke
preparada uma loja de miudezas quer'es-
pera do respeitavel publico e especialmen-
te das Exmas familias, o seu valioso aoo-
lbimento. -
A FAVORITA tem um capendido sor-
timento, recebido das melhores priicae
commerciaes, tem bom gosto, tem neces-
sidade de afrognesar-se e ser oonbeeida ;
trata com delicadeza e lealdade, e faz as
maiore8 modificayoes possiveis nos procos
desusa mercado rias : querem ver a reali-
dade ? ia^em a Favorita Rna l.| de
Marco n. 25.
Recife^ 16 de Ncvembro de 1889.
BARBOS ote C.
VENDAS

Vende se centos de sapotas para embarcar,
muito baratas a 34 e 44000, palmeiras e ps de
arvore da fortuna, e cajados de S. Jos ; no Ca-
minho Novo n. 128. Tambera fazem-se ramos
de flores naturaes para quadros, espelbos e re-
tratos.
Vndese a officina de latoeib e fondicio
de-bronze, tem porco de cobre e latao velbo e
ferramentas. 1 terno de tarraxas novas para fer-
reiro, de 1/8 a J pollegadas ; na ra Conselnei-
ro Pereti antiga da Roda n. 62T



Engenho a venda
Vende se o engenho Cumbe-de baixo, fregue-
zia de Ieuarass, moente e corrente, motor
d'agua copeiro, ecm muitas matas e vaneas,
tem estrada i e rodagem at a :idade do Recite;
pessoas quepretenderem comprar podem di-
r se cidade de JaboatSo, largo 13 de No-
as
ngjr
vembro n. 82, onde acharao com qntm tratar.
Leite puro
Na estrada de Joo Feraandes Vieira, sitio lo*
go depois das casas novas da direita, vende-tt
todos os das leite puro de vaccas taurinas e dt
erra, garante-se a qualidade do leite.________
Yende-se .
portoes de ferro com columnas, ditos sem ella*,
grade de ferro rara cima de muro, jardim e ter-
racp gallinheiro de ferro, bandeiras de ferro,
com lancas. dobradice de chumbar, bocea da
foroo, carrinbo de mo e roda para o mesmo
tambem se vende ferrorK deseguranca; no lar" .
go do fte das" Cinco Pe Blas n. 4.


MALS DE 10:000 CUBAS
' MOBTfi SO SSnUZSXQ-
dores e Pedentes
PKKPAKAUO ITCiJaTtNTB
POB CALASaKS & CMA BAHA
Medicamento heroico contra es rhottmi
tismoe, incbacSes, dores aciatioas, nevnv
cas, dormencia, etc., empregai.do-se er
fomentaoJJes sbre os lugares affectader
Cara o beri-beri, as paraJyaias e as d3re
de den tes.
Todos os frascos levam direceljes par
oso d'eate medicamento admiravel.
Freco 1^200. Descont do' urna duaii
em diante.
DEPOSITO NO RECDTE
Franciao Maoool da Silva A C. nu
Marques de Olinda n.23
FIftil'ElBKDO & C.
64ROA DA IMPERATRIZ64
Grande liquidpco
Pechincha
* O O ra. o o o v a d o
Lis de cores, quadros de s. da, lindos pa-'res,
faiendade 14400 a 401) rs. o cavado, aproveitem
a pechincha.; rpa do Crespo n. 21.
Oliveira Campos & C
_______ | 1 1 1 1 i..
Oleo de lahffiona
Vende-se em grandes e pequeas porgues, na
fabrica ie leos de Antonio Geraldo CofcQ, aa
cidade Caranho
Vend-8e o pu o-saogue Krnani ex B:apar-
te, inglez, que tantas victo ias alcancou na corte.
Ernan t o animal de nelhor fll.a- ao do losso
tuif- Hlho de Rtsi crucian' e Belie Agn, oa
sens irmos e primos tm feito a melhor figura
no turf nacional, distingaindo se entre outros,
Duc na corte e Pandcgo aqui. S' portaste uma
encllente aequisicSo, podendo os se hores la-
zf ndeiros dirigirem se a Coudelaria ^sulistf, aa
O a punga, roa das Pernambucanaa a. 42.

1


de Dezembro de
lo*
1A--RUA DO CABUG--1A
OFFICHV4 DE COSTURAS
Mme. Kblet, de volt a, de sua viagem a Pars, offerece as
JExmas Sras. e ao respeitavel publico o explendido sortimento de fa^
lendas de la, linho e seda, chapeos de sol e chapelinas da moda e apurado
gosto, veos, meias grava tas, fichs, mantilhas, leque* e outros artigos de bom gosto.
VittrlQ oeEXTRACTOpeFGAIOO de bacalhao
t Drogaras.
1
21, Faubourg Uontmar'.re, 21 >
Deporte geral
P.LRIZ
0 VINHO de Extracto de Figado de Bacalhao, preparado polo Snr. CHEVRIER, ^harmnceutico de 1'* classe,
d Parii, possue ao mesmo tempo os principios aetivos do Olee de Pifado dt Bacalhao o as propriedades tierapeuticas dos.
jreparados alcoolicos. E' precioso pai-a as pessoas cajo estomago no poce supportar as susbstancias graxas. O seu effeito,
eomo o do Oleo de TiaiAo de E^eallwko, soberano contra as Escrfulas, Rachitismo, Anemia, Ghlorose.
Bronchite e todas arMolestias do Paito.
Pira es feslivaes
a da soledade o. 56, preparara-
oom 1 impesa, metria e commodidade 62
Dprocos: oolo, pSo-de-lt, cangioa, arros i
pirmides de doces d'ovos, vatap
Bijas para casamentos e baptisado*, etc
Reeebem-se as encemmundas qner para i
oidade, quer para fora d'ella.
Beberibe
Alaga h nma casa no rumbe, perto da esta
Ci da va-frrea, com cxccllente baobo e fres-
ca ; a tratar ni pbarmaea GonceicSo, ra Mar
quyt de Olinda.________________________
tikia Viagem
Aloga se por barato preco a melbor casa de
tlm rrabarde. nao s pelos bous commodos que
tem, como por hcar muito perto do banho ; s
tratar na roa larga do Rosario n. 34, botica.
Caixeiro
^ecisa-se deum menino < e 8 a 10 annos de
idade, com pratica de m lbados ou sem ella ; na
ra Visconde de Goyanna n. 191.
Para corinhar
Precisase de urna ama que saiba cozi-
nhar!; ao 3. andar do predio n. 42 da ra
Duque de Casias, por cima da tjpogra-
phia do Diario.
1
VINHOeEXTRACTOoeFJGADOoeBCALHAO CREOSOTADO
nnnucu ma
aunnriiamu.
44-fclIA UU 110 TRIlMH- 44
.fachinas a vapor
Moendas.
Rodas d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Tai xas batidas sem cravacac
Arados
Os GRANULOS
ANTIMONIO-
Deposito geraV :
PAHIZ
21, Faub)ur tioittm&rtrt,
Vendo-s
ea tota > irise.! Piatznaeii *a
e Dro-ar' ai.
A CREOSOTE de FAJA, suspende o trabalho destruidor da Tnica pulmonar, porque diminue a expectoracr
despert o aDoetite, faz ceesar a febre, supprime os suores. Os seus effeitos combinados com os do Oleo de igado de Saoalhao,
lazem do YINHO de Extracto de Figado de Bacalhao Creosotado, de CHEVRJER, o remedio por
exceltencia contra a TIS5CA declarada ou imminente.
Pereira & Magalhaes
Recebedores directos dos mercados estra&geos
S--Ra Dique deCixias-Sd

v
1

UejmldaM os srguii'ca artigos com desecantes
retalas ene grosso
Superiores percales para vestidos a 200 e 240 rs. o corado.
Cretones suissos, finos, qoasi 1 metro de largo, a '80 rs. o dito.
Baptistas de corea e lisas a 100 e 120 rs. o dito.
Brim pardo trancado superior 260 rs. o dito.
Flanelta de cores para camisas a 280 rs. o dito.
Senda bespanhola a 20800o metro.
Bramante francos a 800 rs. o dito, 4 larguras,
dem de puro linho a 1*600 e 2,5000 dito.
PannoB de odres para mesa a 1(5000 e 1400 o eovado.
Meias-casemiras, duas largaras, pretas, a 800 rs. o dito.
sumir diagonal, dem a 14400, 15800 e 2*000 o dito.
Cheviot preto e azul, idean, a 2JO00 e 3*000 o di o.
Tapetes avelludados a 14*000.
Cortinados bordados, ultimo gosto, a 6*000 e 8#000 o par,
de id / nai


"

-
-

lint ie uiyki
larguras a 360
rs. o
IpiCOB






Lo.: ees do linhos a 8*500 a duzia bonitas cama has.
Meias inglesas e nacionaes, para homem, a 2*500, 3*000 e 5*000.
Camisas idem superiores a 28*000, 30*000 e 36*000 a duzia.
Ceroulas bordadas de bramante a 12*000 e 16*0&) a dita.
ToaThas grandes para rosto 4*000 a dita.
Madapolio americano oom 24 jardas a 5*500 e 6*000.
Oambraia Viatona e transparente a 2*800 e 3*000.
dem bordada branca e de efires a 4*000, 12 jardas.
Cortes de seda para collete a 4*000.
dem do meia-oasamira para calca a 1*500 e 1*800.
dem de cretones, no idade, com figurino, a 8*000.
GuarnicSes de crochets para sof e cadeiras a 6*000 e 8*000.
Colchas de crochets a 7*000.
dem de fasta* de coree a 2*000 e 3*000.
(..obertaa de ganga, forradas para casal a 2*500.
Leneces de bramante idem a 1*800.
Cobertores de 13, superiores, a 5*000 um. *
Chales de la a 1*500, casemira 3*000.
Fichs e mantithas a 1*000, 1*500 e 2*000.
FufltSos bordados de cores e brancos a 280 e 960 rs.[o[eovade.
Linn lira neo para no i vas a 500 rs. o dito.
Setins de todas as odres a 800 rs. o dito.
Sargelins de cores, diagonal, a 200 rs. o dito. .
Sortimento completo de marinos pxetos e brins para lutos, casemirai pretas
azues e muitos artigos verdadeiras pechinchas.
59Ra Duque de Caxias-59
Cretones de duas
eovado.
Colchas de odres a 1*800 urna.
Pecas de esgniZo de algodao a 3*500.
Baptista de cores a 120 rs. o eovado.
Cambraia branca com saTi
de odres a 4*000.
Leques transparentes a 2*600 um.
Gasee arrendada a 400 rs. o eovado.
Fustao branco a 360 e 600 rs. o dito.
Cretones claros e escuros a 240 rs. o
dito.
EsguiSo pardo a 360 e 460 rs. o dito.
Renda da Austria a 300 rs. o dito.
Percales de odres a 200 rs. o dito.
Etamine arrendado a 500 ni. o dito
Setim do JapSo a 240 rs o dito.
Popelina de seda com ramagem a 1*000
o dito.
Voile de quadro a 320 rs. o dito.
Zephvros de listra, o que ha de fino, a
400 rs. o dito.
Oambraia Victoria a 2*800 a peca.
Sabida de baile a 1*000 nma.
Espartilho duraca a 5*000 um.
Cortes de vestidos em oartoes a 8*000,
9*000, 10*OOU e 15*000.
GuarnicAo de crochet a 7*000 urna.
Merinos de cores duas larguras a
800 e 1*000 o eovado
At Hilhado bordado a 1*100 o metro.
olch as adamascada a JjjKJO urna.
Cachimira mescladas a 400 rs. o eovado
Chachemiras lisas e de listra a 1*200 o
eovado, duas larguras.
epe preto Inglez a 2*000 o eovado.
tone s escuros padrees no vos de 480 i
400 rs. o metro.
Tapetes para sof a 13*000 um.
Veibntina preta a 700 rs. o eovado.

MJNDIfjAO DE-SINOS E BBOHZJ
LUIZ D4 CRUZ MESQUITA
66ra do Baro do Triumphofff
Tem para vender o seguirte:
aeMaas de csrtere para faaer espirito de destillar e ros tilia...
AlaMblfHes de cobre.do ant'go e novo systema com esquento ge rapa
Serpentinas de oboe c de estanho.
Cnrapaess do-cobre.
Tnliaa, taixos e oaldoiran de cobre.
tambal de todas as qualidadee de repuchos, aspirantes o contijuaa.
Torne? ras de bronae e madeira de todos os tamanhos.
Canos de cobre, -de chumbo e de ferro.
RepartldeJras, passadeiras c escumadeiras de cobre e de ferro astsebd
Cofcrf em lenool e arrualas
fitola inglesa e do Riu. ,,
radlnnon patale ,e de lapis.
AlnsMt de 1 libra at 110 arrobas.
E muitus outros cbjectos. -
*E..STCAKREGAM-SE le'qualquor concert e oiras de encommenta, gt-rej
o pvst&sa, perfeicao e preeos mdicos, para o qqe tem pessoal habilitado.
I'EA'DE a oraso ou dinheiro com descont.
Guarda p para senhora '10*000.
Guarda-po para homens 6*000.
Palitots de esguiao pardo a 4*500 um.
Punhos e collarinhos de celuloid
Roupas para bachos saldados
Pra homens a 8*000. I Para seahora a 10*000.
Pata me.oincs a 5*000. | Boleas para o mesmo fim-
CASA DE COOTAHCA
DE
AMARAL &C.
Alpaea preta a 300 rs. o eovado.
Alpaca preta fina, a 700 rs. o oovado.
Al.taca branca a 380 re. o dito.
Setineta branca oom listra de corea a 5C
rs. o eovado.
brancos e Baleias a 240 rs. a dnzia.
Cortinados bordados a 6*000 o par.
Cortinado de crochet para janella a 7*0C
o que ha de lindo.
Brim pardo a 280,400 e 600 re. o oov
Lindas caixas com lencos para presect
a 2*500, 3*000 e 4*000.
Reada hespanhola, a 2*000 o oovado.
P* .no da Costa de listras a 1*000 e c
quadro a 1*200 o dito.
Sargelins, todas as odres a 200 re.
eovado.
Toalbas de odres para banho a 1*800 a.
J Toalhas brancas para banho a 1*500.
neos brancos a 1*200 e 1*600 a dus
Soda palha a 1*000 o oovado.
Setins de edres a 800, 900 e 1*000 o c
vado. -
Bramante de linho a 1*600 o metro.
Cobf>*tores escuros a '1*800 um.
i obertas de ganga a 3*000 urna.
Ceroulas de bramante a 15*000 a dos
Regatas a 1*000, 1*500 e 2*000.
Lencos de seda a 1*900, 1*100 e 2*
'Jo te de seda para collete a 5*000 o
Casacos de Jersey a 6*000 um.
Chambres a 4*000, 5*000 e 6*000
Lences de bramante a 1*800 um.
Camisas allomaos a 36*000 a dujda.
Camisas de flanela a 1*800,3*500, 4*C
o 5*000 urna.
Cortes de fustao para collete a 2*500 ui
Luvks de seda a 2*000 e 2*500.
Bfcos de edres a 2*000 e 2*500
Bordados e ntremelos.
440,
FSRRoso doDPAPILLAD
gontum o Vre^arado ferrorlnoio
mal ffisai wnprand* pala aummidadaa madioaa oom nf ha maii da
ao AISTKTO
0*Hr* a Attemim, OUerese crttet couleurt), Serralfiam, Agtoeett 0m rO*.
MLATORIO FAVORAVCL. POR FASTB DA afiADBMIA B8 MEDICIMA BSI VARIS
Eiijt-* ubrt ciit truco o omt a B. JBotumier St L. Papillaud.
Dkkxuto asaAL: Pharmacia GIGON, 7, rae Coq-Hrom, 9&&L
_________________Fm Ptrnambwo : fRAll- M. U SUVTA o O. _____________
E^CA DERMC40 NIR4DA
39-RA DUQUE DE CAXIAS-3.9
Este antigo estabelecimento, hoje compltamete reformado com maohmsK
maia aperfeicoadas e movidas a vapor, acha-se em condicSes de execu'ar qualque?
trabalho em

Cartas, memoranduns, recibos, eirculamemorres iaes, despachos, cartees dt
indicagSes, mappaa, preeos correntes, acedes, bilhetes de loteras e rtulos de todat
as qualidades em preto, ouro ou edres.
l

Brocharas, cartonados, enoadernacSes, livros em brauco para o cemmercio
repartiedes, tendo para este fim urna excellente machina de pautar.
CARTtfES BE VISITAS
Variado sortiment em CafrtSes para visitas, participaedes e convites de cata*
ment, bailes, menus, felicitaces, etc., etc.
- Livros de recibos de aluguel de casa, papel de impressdes tintas vernise i*
maia artigos para (ypogrAphia e lyhographla
i
E5PECIALIDADES
Palitots de seda palha a 8*000.
Palitots de alpaca preta a 4*500.
Palitots de alpaca de odr a 4*500.


Manoel J. de Miranda
Telephone i94


___ t>ttaaaMS>
"^o lJ00 lr.,^"
i LABOCHE, rhermaoawMoe FAJUS, V1BNNE, NIQE, sos.
Juina-Laroche mo i mm aMMimr prtptrodo, portm 0 muliadei* iraiaib* f$
t tilas ruotnpous do Estado. O
O Quina-Laroche mi i um qmdmw profan,
gmgob ao toe autor at muu altos rtcompuas do E
\
2.* andar para alujar
Aluga-e osegund andar do predio
n. 4 da raa do Vigario Thenorio a tra-
ciar no pavimento terreo do mesmo,

i riado
Precisa.se de um criado
Caxiasn. 70, anda .
na roa Duque de
ANEMIA
as VEBBADKtaSh
CHLOROSE
PILULAS BE VALLET
NAO 8O frateadas
sasaa fALLIt'T huftosao asa preto aooro oada pHola.
A maior pars do* mdicos concordso con s Academia dt medeeina em qan,
as mprmem a preferencia que se Ibes di sobre os ostros forrpgtnoooss.
Exittem atmtfot < imitofSe* dos
PILILAS E ViLLET
Exigir m toda txlrtmidade do frat-
a tVb improue em obatso cSrks.
XMIS A
S y^/,
Eniwaa
cackal a M-l
J) 1m coaWan, I
A, t~*.<.
m iacob, Paris.
Venda na maior parte das pharmaeioa
Pf EN HUMA
Paita peltcrsl tcm adquirido fama mais merecida
do quo a da FASTA de NAF de DELANGRE-
IQER, ra Vivienne, 53, Pars.
A sua cofia utupcrtul 6 bastada :
1' Na sua poderosa efflcacia contra ce Rbau-
mas (Oou'-ipac&oa), Bronohits, IrritavOes do peito a da
gntgant; afflcacia eata, Teridc-ld. ir SO mdicos dos
Hospitaoa du-Pnris.
i'- Xa sua *ujteri<*i:i rcconbcclda pelos membros di Acaileaiia de tlcdlciiu do
Bu*.
Hm analyaes de chmices da Fac-.:ldadc de Parla
que Tcriflcrao quo n pi, tac como Korphiua e Codojia, rcmediua etlee,
cujos iiieos fio acm coiiuccidos.
Ama para cosinliar
Na ra do S(l, n. 28, em (linda, se
precisa de urna ama que emenda de
cosinha=paga-se bem.
aAAAAAAAAAAAAAAAAAAsAAJ
\ ANEMIA, CHLOBOSE
EMPOBRECrMENTO DO SANGUE
* CDBES PALUDAS, COSVALSCEgA
4 Esadg dos Hollis tt varis
4 BK-nJE DIPL9JA e HOKai.UiiwiSSS
jGOTTASCflnceiilritoyK
2 lI^Cc-r:,-2iioaj,duniml me ^r^em^^k^k
VINHO E0BIN j4birw'."'i'hu
4 TcnlJUitHUta Udconi- JG&tsJr mOiEH"
..x'. ^BarSa>>>B. dsk*ohs
I^VaTVXy' Brutsllts II7-U)
^SS^rra"jss*te:
.mp^pHU jCSCZr aaataiSS

- |
*
TmCP sao os ttulos antbui:tUos que rccomiucndao a
I RLO PASTA o XAROPE e KAF a con-
fia, dea Uclioos. o cates tliub ulu (orlo -eauceddos
a jcitorai algum, quu mitigo, qjuei recente.
Vtsle-ie nat priicip;es Phanaacs to Buade iatairo.
Casa para alugrar
01- andar ra larga di Ro.-ario n. 37, es-
quina defronte escriptoro ; a tratar no pavimeoio terreo.
Patacoes
Compram-se patacflf s ; na prsca da Iodepen
dencis n. ai.
Largo do Forte n. 54
Vende se assucar pe os presos segnintes
I. sorte 3*600 a arroba
>.' dita 3*000 idem.
3." dita 2*800 idem
Casas para & lugar
T3, 30, K e 18, na ra Capitn Antcio c
Lima em Santo \maro das Salinas ; a tratar i
ra Marquezde Olinda n. 8. lythogrt.phta.
Alfafii
de superior qualidade e vinda direclamente do
Rosario de Santa S. vende se do trapiche Fiuna
& C no largo do Corf o Santo, a prego razoa-
Cafando
Na estrada de Jlo de Barron, sifo Cafund,
rndese nmi vaca sol eir p>r bartii simo
preco.
Cautelas do Monte de Soc
corro
Compra-se Cautelas do Monte de Sot
corro de' qualquer jola, brilhantes c
gios, paga-so bem na pra dencia n. 22-Loja de relojoo
as ptssou cma aSo ae |
prwtam a qaalqar tra-
taaaaato lermjinoao, ot
rehilados os auis rapMoa a
consunte. saa nunca acca
sionsr dorea laaniam aai
coaatipacao (pnaaa da Team).
leisecad:rBBaBAeaS gm fentmbuoo : twf *. S*T tJ
Attenfdo
Mercearia Comparativa
Os proprietarios desta acreditada mercearia
paricipam aos seus diglioetos freguezes eto.
respeitavel publico que receberam nova re neesa
do ja rauito acreditado -e especial
Vinho Douro
o qual se torna re^ourtbendadi por ser puro de
uva das melhor; s procedencias do Douro e s se
retalha etu nossa mercearia a par de ua a inlini-
dade de gneros de prirreir qualidade. como
sejan, Tiobos do Porto Gnos, licores, cognacs,
cervjas, diversos presentes e muitos ontros ar-
tigos que no3 imoossivel mencioar, Preeos
razoaveis sem competencia, a ra fasga do R0;
sario n. 20
arases Sobrtotao C
----------;--------------------1-----------;------1 J"-'
Caixeiro
Prensa-se de um caixeiro de 12 a44 anuos,
que tenha pratica de molbados e Sansa de con-
ducta ; na ma do Rangel n. 73 se dir queaa
precisa.
Attenpo
Aluea-se a casa e sitio do Dr. Caslello Bran :o,
em Beherjbe ; trata se l a ra estreita do Rosa-
rio n. 2, prim'eiro andar. _"________-
, Caixeiro
Precisa-ge de um caixeiro qne tenh pratica
e motilados-, de 12 a 14 anuos de idade ; na
ra da 'onta Velhs n. 77._________________
ptima acqtsicao
Vendem-se dua3 casa? no ovoado -da Torre,
era terreno proprio e uieieirc
junto a curva doi boDdc
tissimo ; trata se cora op

Na engenb
n. l
i-ne n-
Attengao


I
ara engennos
Aran ien;
a precos sera, competencia
garantindo a boa qualidade
os artigos abaixo mencio-
nados.
Cal de Lisboa.
Dita de Jagunribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite cte coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplsivel.
Potassia da RusSia em caixat
de 10 e 25 kilos.
Cimento Portfc. nd.
Graxa em bexigas.
Roa do Livraienlo o. 38
Telephone 316
Superior yinho de Al-
coba 0 acreditado e antigo armaiem do Lima par
ticipa ao publico e aos eeos fregueses que acaba
de receber orna nova remessa doste especial
vinho, escolbido propriamente pelo chee desta
casa, lomando-se recommendado por ser purc
e de boa qualidade. Jote Feraandes Lima & C.
ra Barae da Victoria numero 3, Telephone383
CARDUZO & IBMiO
AIRUA BARAO DO TRIUMPHO
N. 100 A 104
Tem para vender tri-sulphi-
to de cal, que nao s faz alve-
jar muito mais o assucar, co-
mo evita o grande gasto de
cal no fabrico do mesmo.
O grande e importante estabelecimento di
Pocas Mendes & C, sito roa estreita do Rosa-
rio n. 9, contiguo a igreja, acaba de rec eb
ama grande'remessa do acreditado e efpecial
Vinho Maduro
O nnico que, sera a mnima confeccAo, u
Sortado neste mercado, e s e vende no refer
o estabelecimento. Este precioso nctar st
torna cada vez mais procurado aqu. Queren
saber porque ? Vejam : o vinho Maduro, scnd<
como e, feio nicamente da uva madura, tes
as seguiotes vantageus que as out-as qualidade;
de vinho nao tem ; facilita sem a menor pertnr
bago a3 digestoes do estomago, anda mesme
o mais enfraquecido, dandyJhe vigor, pois nnir
a olb08 vistos as pessoas debilitadas, e da forcat
as que as tiver arruinadas pelo oso de bebida.'
viciadas.
Recebemos tambem
Kequeyao
em latas, de procedencia de engenhos, enjo
proprijtarios capriebam em bem trabalhar nest-
artigo, afim de terem a primaria sobre tanto
outro* similares, cuja composi^ao dnvidom.
Em outros artigos como sementei de kortalic<-
i flora, lingual ucea do Rio Grande, objeettt d
time e tomrteos do Porto para homens e senbo
ras, para isio lo pouco temos competidor,
soasa e-?a ecneoialista, e as pessoas que disu
se queiram certilicar podem comparecer, con
-o que muito nos boorarao. Aps urna infini
dade de artigos de prmeira ordem, que acham
se em exposicSo, acresce a amenidade do trab
eom que timbramos tratar todos os que not
ionram com a su presenca, junto a modicidad*
de precos sem rival.
na c-NireitA do Bonario n. Junu
n txrrjA
Po^as Mendes & C.
Vende-se
ama carroca e boi para vender agua, em estado
de conservaeao ; a tratar em Olinda, ra do Bom
3uccc880 i. 39, ou ra da Senzalla Vdha n. 96,
nadara.
/i. L Li\
Fitas lavradus c< m um palmo de lai*
ra a
ae as cores,
apelinas 5#000.
Iiendas he3panb< las as cor *
pretas eom "e setn ridrilhos.
. Lindas guanic^ss de vidrhoB pretos jr>
cosaco.
Grande sortiraerJo de galSes, palmi*
rozas de vidrilho p reto.
Bicos matisados le uma s o> como se
'am, granad, azul, i osa, beije, palba, chira
io, salmn, terraco:e e muitas outra* cores
Sabonetes perfumados a 600 rs. a duzis
Lindos desenhos para talagarca.
Lencos de seda i 600 rs.
Bicos de seda e de algodSo com se
vidrilho.
Mantilhas de seda a de algodSo.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda heapanhola.
Collarinhos para hi mom a 30000 e 4400
a duzia.
Bordados de catnbiaia tapada a 400 f O
300 e 800rs. "a paci.
dem com 3 e lj2 metros, de qualqft
argura a 10200.
Longos de Unho em cai-rinhas a 30000
dita.
Meias para hornea, duxia a 40000.
dem para senhora, duxia a 40000.
Finas pulseiras americanas a 40, 50
85000 o par.
Cortinados todos de crochet para caria
124000, 170000 e 190000 o par,el|rut
do cores.
Ditos para ianellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 i
10000. ^
Ditos para sof a 20000.
Capellas com veo para noiva a 60030 .
Lqui
icabar
Lindos enxovaes Laptisados a 80 1C0 <
120000.
Toucas de setim para baptaado a 30, 40
60000.
Grinaldas e ramos de seda, o que hn 4
melhor.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 20 s pal
Ditas de seda para creanca a 10000.
Dita para moca 10600 o par.
Espartilhos para creanca a 40 e 40600.
Ditos para senhora a 40, 40500, 60COO
6)JO00.
Linha de machina a 60 rs. o carritel.
Lanha de machina a 600 rs. a duxia.
Albuns de p Unca de diversas cores.
Livros de missa a 10600, 20000, 206OC
30000, e 30000 cada um.
Lindas luvas de seda com salpicos e coa
listas, gosto moderno, a 20500 o pos.
Toajhas para banho a 10300.
Toalhas para rosto a 300.
Toilhas para mao a 160 rs.
Babadores com nscricSes e paiaagiun
500 rs. e 400000 a dosia.
Espelhos grandes com molduras finas t
cantos redondos a 40000 e a 60000 tuna
Bengalas flauta.
Orando sortimento de luvas de seda arren-
dada, com palmas canno comprido i
10500, 20000 a 20600.
Roa Duque de Caxias n. 103
Vende-se
orna mercia ia em b m local, prop ia para prin
cipiante por gjrar com pouco capital, retalb
s ;ffrivelmente para oformaces, na roa Capi
tfto Lima a. 3a.
Loja de Calcados
Vende-se a bem afreguesada com urna
importante armaglo.
Na mesma casa vende-se um bfdanco
para marcar calcados, um baldo de volta,
um fiteiro especial de Amarello e #ums
bomba de repncho. :
LIQUIDACAO
De Calcados, formas para sapattiros e
aviamentos para acabar.
Ra do Uvramento n. 1
fOLFTIM
AKTA PARTE
HERMINIA E GABftIKLLA
(Continaacao do n. 281 )
X
Mentira*
No emtanto, c necessario nSe abai-
donarmos aquelles que se batem l em bai-
lo 1 accrescentoa um marinjieiro.
r- E' verdade Estamos aqai quarenta
sem fazer nada .diese um terceiro.
A caminho Vamos em seu soccor-
ro !...
i Has condessa e i menina temos
ordem de guarda! as !
Eu u3 > qu^ro ser commandado por
aquelles dous salteadores !
Concarnet nio d signal! o qte quer
isto diier?. .
Murmurios, exclam^^oes, opiniSs oon-
tradictoriaa, observagfles do todos os g-
neros se cruzavam.
A-confueao augmentava.
Enta<>, Edicb, testemunha das hesits-
<;yes^a tropa, pedio silencio, e obtere-o.
Fiquem aqu dez hemena dediuidoc,
disse ella / mas o senhor c remandante,
tem razio; vSo, vAo aaxilia'r os nossos
amigos. Voltarfto a buscar-nos aqui de-
pois da victoria.
NAo qnnreroos estar sob as ordene
desses aalteac.ores! murmurou a muln-
dSo. Venha commandar-nos o senhor Cas-
tolat.
Nao .' Nao, Petrs, oque exclamava
Herminia, neV> nos abandone !...
Pe *n*t.>rn.ido. Teria de
ado os milos do
Pao Centeio
Mello & Biset, tendo recebido nova rsmessi
de farinha centeio. avisam aos leus tniguezei
que contianain afabriar este delicioso pao cen-
teio todas as tercas e sextas feiras; na ros larg
do Rosario n. 40.
Pede-se ao resp.
tenda aos precos ai
Set'rn da China, asenda atasia,
alta navidad n.
Amor da China, a 200 rs.
Zcfiros arrendados, o que ha de mais no-
vo, a800rs.
Vestuarios jersey, ultimo gosiio, a 100
e 120000
Renda oriental a 50 rs. o oovado.
Cretonos para coberta, 600 rs. o covado.
Pannos de crochet, todos os tamanhos.
MadapolSo largo a 60000.
Flanella aiul, muito bsa,- a 10200 o co-
vado.
Fichas de phantasia a 10000.
Luvas de seda a 20000 e 30000 o par.
QuardaiiapoB- a 14600 a duzia.
Sargelins de qualquer c6r a200 rs. o oo-
vado.
Grinaldas para noiva*, Fcouso c;hic e ba-
rata
Nunmoks, grande sortimento.
Cambraia Victoria e transparente a 2i800
apoca.
Cortinados bordados a 60000.
Flanllas para camisa a 390 rs. o covado.
Setins, qualquer cor, a 800 rs.
[tenda da China a 200 rs. o covado.
FustSes branoos a 320, 400 e 600 ra.
Vestuarios para bbaptisados, o que ha de
mais novo.
Camisas francesas, com collarinho, por
20000!
Grande sortimento de setins 1 aviados a
10000 o covado.
Crinolina* a 400 rs. o metro.
Zefiros a 160 e 200 rs. o covado.
Merinos, sortimento grande, a 600 e 800
rs. o covado.
Cambraia suissa, a 70000 a peca.
Cambraia com salpicos brancos e de cSrcs
a 40000 a peca.
Babados e ntremelos a 600, 800 e 10000
apoca.
Lencos de seda, muito bonitos e baratos.
Cachemira eombinaco com batas de seda
a 10400 o covado.
Bramante de quatro larguras a 800 rs.
a vara.
Ifantil' as pretas a 40600.
Atoalhado, lindros padrSea a 10 o metro.
Espartilhos com couraca a 40000, 60000 e
60000.
Colchas brancas e de cores a 20, 30000,
40000, 50000 e 60000.
Grande sortimento de fich* de coi es para
todo preco.
Cassa baptista a 120 rs. o covado.
Chitas brancas e escuras a 249 rs., so se
vendo a boa qualidade.
detones muito bonitas a 320 e 400 rs. o
covado.
Meias para homens, senhoras e criancas,
grande sortimento.
Comisas de meias a 10000.
Grande sortimento em merinos pretos.
Cortea fde fostto para ooleto, alta novida-
de, a 10000.
Camisas de flanella francesa a 30000 uma.
Brim de Unho de cor a 500 e 600 rs. o
covado.
Tapetes para cama, sof e porta; barato !
Velbutinaa, qualquer cor, a> 800 rs.
Cassinetas, muito bonitas, a 400 rs. o co-
rado.
Cortes de cachemiras, em cartSo, usa
chic.
Ditos de cretone muito bonitos a 80000.
Ditos de casemira de cor a 40000, 60000
8001.
Alm de outraa muitas faaendas que
impoBsivel mencionar.
D-se amostras sem penhor a qualquer
pessda.
45 Kna Duque de Callas ftft
Fernandes Azevedo & C.
. _L----------,----------------T-------------*-
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os proprietarios do Armazem Central, i ra
do CabugA n. 11, avisam aos seus distinctos tre-
geles e ao respeitavel publico que receberam
nova remessa deste especial vinho, o qual se
recommendapor ser puro da ova, e s se reta-
Iba em sea armasem.
Joaquim ChristovZo & C.
Telephone 447
Revolado
commandante e de Belmas ; tinha desejos
de correr em soccorro de Gustavo ; no
emtanto, as instancias de Herminia, a von-
tade de Edith retinham n'o.
Um dos gageiros que haviam acompa-
nhado Concarnet ao castello de gelos es-
carpados, que oesupava o centro do pro-
montorio, reappareceu de repente, dizen-
do:
NSo estao n'oma ilha de gelo....
Este banco est ligado trra por este
lado (e mostrava o lado da Oeste). Os
officiaes e os marinheiros da chalupa ba-
tem se nos morros da esquerda, onde os
selvagens os arrastaram por estratagema,
com toda a cortesa !... senhor de Or-
neuil e a sua bolla companheira esto pri-
sioneiros n'uma caverna da direita nKo
muito longe dt.qui. Eis o que vimos l
em cima .. de modo que Concarret par-
ti directamenlo para a caverna, enriando-
me aqui a pedir reforcos !
-r condessa; servir-Ihes-ha de guia aquelb
gageiro.
A estas palabras, seguio-se extraordina-
ria desordena; os marinneiros precipita
nmee tumultuosamente as lanchas, que
partiram.
Joao Bredette e Belmas nao einbarca-
ram. .
Oito ou dez marinheiros apenas, e nao
eram os mais valentes, ficaram de guar
da s duas passageiras.
Herminia den um grito de espanto, por-
que Belmas, temando uma attitude inso-
lente, ousava clhar para ella com iro-
na ; Petrus ecgatilhou as suas doas pis-
tolas.
O que csxclamou idith vendo qae
os dous officiaei na tinham partido, -sao
tambem covardiss!... O qne Nlo teem
vergonha! De-iam estar frente dos seus
marinheiros !.. .
Para trai;! dizia Petrus ; partam
d'aqui, ou fa"co logo!.. .
Belmas sorria com irona e maldade,
porque Herminia, tornando a si da estipe
accAo, paralysava todos os movimsntos do
rnoQo naturalista.
JoSo Brede.te cruzou os bracot, disen-
1
Atire sobre um homem indefeso,*se
se atreve, senhor LasteUot I.. >.
Dcpois, respondendo a Edith, acores-
centou :
Para que nos insulta, senhora con-
dessa ?... os viemoe aqui para tomar o
commando desasa lanchas ; bem vio qne
partiram sem nos, com criminosa precipi-
Ucio?...
J as embarcacoes tinham dobrado o
promontorio, e deixaram de ver-se
Dirigiam So forca de remos, para a
mesma praia onda tinham atracado suc-
oessivamente os Nibouais e a chalupa.
A legiao do criados que formava a es-
colta de Joao Bredette era numerosa era
reiacAo os poudus marinheiros que ti-
nham ficado com Edith, Herminia e Pe-
trus.
-* Pois que deixam-nos, continuou
J.>lo Bredette; e senhor Petrus pretende
expulsar ao ? Bate posto o meu quar-
tel-geueral- reuir-se hlo aqui os meus of-
ficiaes e os valentes tripolantes da chalu-
pa. J que estou impossibilitado de me
juntar a eiles no combate, devo espe-
ral-ua !. ..
NAo podemos tolerar a sua presenca
entre nos disse anda oom furia o natu-
ral sta.
Maa os companheiros de Jlo Bredette,
tendo co nprehendido que a sua intenclo
ero intimidaros ltimos protectores das
passageiras, foraiu todos da mesmr opi-
ai&u.
Saibam, dizia Belmas, que, indo
pendentemente dos officiaes, todos os ho
meus que ficaram no lugar do naufragio
voitarau ao seu dever. Estavam eomnos-
co na chalupa I ..
Mentiras 1... exclamou Petrus, qne
quera expulsar, por forca ou por vontade,
JuA<> Bieiette e Balmas.
Es as meLt ras nao tinham, porra, dei-
xado de pioduzr deploravel mprestao nos
gUarcUs da condessa.
Edith quera a paz. Herminia chorava
delirava, e CJntradiziaa e a todos os instan
tes.
Meu Deus! nlo sao n.ndaba
tantas de*graca ?... Petrus, *
tino, detenda-me contra Bel;
ra Dujue de Caxias o. 48
starmoa no fim do anno, resolve-
os 50 por" cento as!
seguintes fflzendas.
Eta mines de cor a 300, 400 500 rs. o co-
vado.
Cachemira com toque d mofo com duas
larguras de 20 800 covado.
Zephir de quadro modernos a 120, e 160
e 200 o covado.
Lis de quadros modernas a 200 e 240 o
covado.
Crotones miudinhos a 200, 240", 280 e
320 o covado.
Cachimira modernas de quadros de 20000
por 10000 o covado.
Merinos lisos a 200 e 440 o covado.
Ricos cortes de cachemira bordados de 11 e
seda, de 800 por 300 e 400.
Ditos bordados de Ivnon de 180000 por
100000.
Ditos de cretono com barra a 65000.
>itos modernos do setineta a 20.
Lis com listas de seda a 400 o covado.
Seda Japonesa a 200 e 240 o covado.
Bramante com quatro larguras a 10000 e
10200 o metro.
AlgodSo trancado para toalha a 10OCO o
metro.
Cort'nados bordados para cama a 60 o par.
Ditos de crochet a 100.
Etamines finas para vestido de 160|a peca
por 100.
Setins de todas s tres a 800 rs. o co-
vado.
Fusilo de cor para roupa da homem a 500
o covado.
EsguiSo pardo e amarello ,para vestido a
360 o covado.
Velbutinaa de listas e quadros a.800 o
covado, para acabar.
Setins chamarlotado de todas aa cores a
10500 o covado.
Bicos brancos e de cores a 10500 e 20000
a peca.
Lencos brancos com barra a 10200,10800
e 25000 a duzia.
Fechus d retroz a 10000 um.
Luvas de seda.todas as corea, para senho-
ra a 10000 10500 e 20000.
Saias bordadas para senhora a 30000 uma.
Espartilhos couraca a 40000, 60000 e 60.
Cachones para homem e senhora a 10500
um.
Costumes de Jersey para criancas de 4 a
6 annos a 7 $000 um.
Caaacos de Jersey para senhora, a 60
um.
Pannos de crochet para cadeiras a 600 rs.
um.
Lencol de bramante a 10600 um
Cobertas forradas para casal a 20500
uma.
Toalhas para crianca a 120 e 160 uma.
Cobertores brancos de 11 com pequeo de-
feito a $0000.
Lencos de Unho a 20000, 30000 e 40000
a duzia.
Ceroulas francesas, a 10000, para acabar.
Colchas adamascadas, a 20000, 30000,
40000 e 50000 uma.
Ditas de crochet, a 44000, 50000, 60000,
70000 e 80000 um.
Cortes de cachemira a 30500, 40000. 50
e 60000 um. a*
Cortes de fustlo par col tete a 500 rs.
e Mh9Q0 um.
Ditos de velludo bordado a seda a 20000
um.
Camisas brancas de linho para homem a
20000 urna.
Ditas de meia. superior qualidade, a 10
- uma.
Brim branco de linho^de 40000 por 20 a
vara.
Man ti I he tas pretas a 50 e 70 uma.
Renda hespanhola a 20 o corado.
Completo sortimento de cachemira de co-
res e pretas para costumes, precos sem
competencia, assim como aprom pta-s i qual-
quer costume em 24 boras.
So.ua Revolucao
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
wiBian
obm/s,_____
** *5LRV YeMe-a em tos sirto
"-MBaMSSSSMSSlSSSSSSSBJBBBSBSSZ
Edith e etrus foram obligados a ocen-
par se de Herminia, que chamava por Gus-
tavo, com gritos dilacerantes.
Os criados e os marinheiros conversa-
vara pacificamente entre si.
Belmas tinha recuperado toda a sua au-
daciosa insolencia.
JoAo Bredette sustentava o seu papel
de commandante, mas apoderava-se delle
o desanimo.
Eslava reservado a Belmas reanimar lhe
todas as suas covardes esperances.
XI
i tourina com uma cria de d mezes e
ota com annos, tatub m tourina ; a
tratar na estrada do Mon 5, lam-
peao 38 W.__________
WEf
Rojal Bleed marea YUDO
Este escolente Whisky Escoces pre
ferivel ao cognac ou agurdente de cana
para fortificar o corpo.
Vende-se a retamo nos melhores armu-
aens de molhados.
Pede Roy al Blead marca Vlado
cujo nome e emblema sAo registrados para
todo Brasil.
BROWNS & C, agentes.
A JALO MAIS BABATKfflA
PARIZ N'AMBRIOA
AZEVEDO, HiMaO 4 C.
16Ra do B. da Victoria16
200 Tdephtm*200
Tendo recebido directamente da Euro-
grande sortimento de faaendas e modas
que ha de mais novo e precos sem con
potencia.
A. Beber ;
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de 11 e 11 seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 10000 e 102OO
Crinoline preta e tranca 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante do linho a 10500, com 11
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 10500
Chachemiras com 2 larguras a 800 rt
Ditas de l e seda 2 larguras a 10000
Madapolao trancado a 90000 a poca.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camiseiro a 70000.
Dito B6a-Vista, verdardeiro, a 60000.
Fichs de 13 e seda 10000.
Brins de linho cdies fixes a 600.
Espartilhos couraca a 40000 e 5000!
Colchas de fustlo a 20000 e 30000.
Capellas para noiva oom veo bordado
60000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de sais a 10500
Renda de 11, preta, para quaresma.
Pao verde para buhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sala
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama .
100000.
Chitas de cores a 200 rs.
Crotones com 2 larguras a 400.
Baleias oom forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 10000.
Extracto Rita Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
Guarnieres, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Cacas com extractos para presentes.
Rendss hespanhola a 40000.
Capachos de coco
Palavra de paz
Belmas dizia,a Jlo Bredette :
Este banco de gelo uma pennsu-
la ; logo, conseguiremos chegar a trra e
fugir de Concarnet. Esperamos, com man
dante, ter algumas noticias da expedioao
Kervor ; trata-se apenas de ir a bordo da
Alerte para readquirir todos os seus direi
toe.
Belmas, ha duas horas que pensei em
tudo isso ; mas quem nos guiar n'um
paiz habitado por selvagens ?
Os proprios selvagens, replicn Bel-
mas. "
Matar-nos hlo.
Nlo, commandante, partiremos com
ellos. Revoltam-se contra nos. Pois bem !
Nlo teremos dous partidos a tomar, unir-
nos-hemos aos selvagens...
Jlo Bredette "fez um movimento de
sorpresa.
Anda mais, continuou Belmas, cha-
mando parte o seu commandante, ou an-
tes o seu cmplice, nada est perdido, se
conseguirmos fazer uma allianca. Edith e
Herminia pertoncer-nos-hlo.
Como ?
Porque adivinho o que deve ter-se
paseado. *
Cucamos, disse Joao Bredette.
' O rapto de Helena do querido Gus-
tavo de Orneuil deve ser causa da guerra
declarada entre ps Pelles-Vermelhas e as
tri,;olac5es da Alerte e do Eclairtur. Gus
lavo, querendo libertar a sua bella, dei-
xou-se eahrr no laco.
Simples hypotheses sem verosim-

Luvas de seda a 20000 o par.

Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Fianellas de cores para roupas.
Panno da Costa para meas.
Vestuarios para baptizado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep ingles para enfoite"
Grande sortimento da chapeos de so
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustlo de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
100 rs.!!
Folbloba para 1889, vende se o cento por 61:
na livrariaoote mero 8._______________________________
Nora remessa
lOO ra. o covado
Merino de cores, duas larguras. 1S pora, a Mt
rs. o covado ; ra do Orospo n. St.
' Oveira Campos & C.
lhanca, interrompeu o commandante. A
guerra de que falla, nlo existe senlo no
seu cerebro, e essa pretendida Helena
simplesmnte urna ind'gena.
E' uma branca, loura e bonita, uma
mulher civilizada, tenho a certeza...
-Certeza !.... exclamou Jlo Bre-
date, encolhendo os hombros.
- Completa certeza, tornou Belmas.
Observava todo. Vi tudo e muito bem.
J'onde veio aquella encantadora desconhe-
cida ? Das colonias dinamarquezas da
Groenlandia, ou tal vez da Islandia... E'
uma compatriota ds Karen, Dartk, Chris-
tian e Elnora.
Adianto!
A Alerte ancoran na Islandia primei-
ro do que nos. Gustavo de Orneuil tinha
a bordo uma companheira. A traqueza de
Kervor pelo seu protegido torna a minha
verslo verosmil. Ora, algum Pris, de
polle vermelha. Taptou o objecto em ques-
tlo ; vejo isto claramente. Achemos esse
Pris, commandante ; liguem nos a elle.
Ajudemol-o nos seus amores, elle ajuda
nos a raptar, por meio de algum estrata-
gema selvagem, as njssas duas paaaagei-
ras. EntSo, o que nao podemos fazer a
bordo, ffcl-o-bemos em terra firme, antas
de ter encontsado Kervor. Este o pon-
to essencial.
Admittimos tudo isso, disse Jlo
Bredette com impaciencia. Onde? Quaa-
do ? Como encontraremos esse singular
Paria ?
Onde? respondeu Belmas, a quatro
passos d'aqui, perto deesa caverna de que
fallaram diante de nos, onde guarda a sna
prisioneira. Pr<>ponho-lhe que venha c >m-
migi>. O oomo_ a difficuldade,. porque a
grande quesillo fazer se comprebender.
Mas iiz uuia viagem no Bltico, sei algu
ma couaa de dinauarquez e aperfeiyoei.
em Reykiavik, emquanto l estivemos.
Entre os naturaes desta costa, encontrare-
mos interpretes dm^marquezos.
Ouvido, murmurou o cipitlo de fra-
Subamos sempre a esta eminencia ;
facemos 8'gnaes de paa aOs primeros in-
dios que av.starm08. Nao dovemos aban-
donar um prajecio como o meo, sem ao
menos o ter ensatado.
TEODOS NO VOS
4 Laja das Listras Aies
RA DQ.E DE CAXIAS N. 61
Capas-e visitas tecido com vidrilhos a 250
edas arrendadas,, core3 : creme branco
zu!, v&r claro, a 1)5500.
iarsh tecido fantazia a 10400.
Sedas de listras largas uma s cor com
branco, preto com todas as cores 10200.
Tecidos abortos fantazia de uma s cor e
com listas matiz a 400 rs.
7oaile com ramagens cores, claras a 700
cores escuras a 400 rs.
Jasemiras escuras fantazia lizas ou com
ramagens a 300 e 400 rs.
Fecidos fantazia em quadrinhos, cores:
azul claro, marinho, caf, e matiz.
Creps com ramagens cores claras a 500 e
600 rs.
Sanzuc com lindas cores e desenhos 240rs.
Tecidos de linho em listas ou quadros fa-
zenda muito larga a 500 rs.
Cortes de vestidos de casemira bordados a
200, 250 e 300.
Vestidos brancos bordados para noivas a
160 180 e 200.
Cortes do linho de quadrinhos com 161[2
covados a 40.
XoTidades
Vfosquiteiros americanos comarmaclolO0,
. 120 e 150.
Sabonetes para sardas e pannos a 500 rs.
Pentes fantazia paraenfeites a 400 rs.
Fichus prateados e delirados a 800 rs. e
10000.
Sordados com 4 12 metros cada peca 10
e 10200.
Grinaldas com ricos veos para noivas a
70, 100 e 150.
Cortinados bordados para cama ou janel-
1 as 50600.
Cortinados crochet de cores em peca a 10
e10500.
Luvas de seda prcta3 e de todas as core
10800 e 20.
Colzas de fustlo de cores a 20 e 20500.
Bramantes com 4 larguras puro linho a
10600 o metro.
Espartilhos ingleses desde o n. 40 at 80
centmetros de grossura.
Bicos e rendas para enfeites de vestidos
todos os precos. v
Caaacos de Jersey tecido de meia a 50.
Fazendas Baratas
Chitas claras finas e seguras a 200 rs.
Tecidos de linho lindas coi es a 120 rs.
Cassas de uma s cor a 100 rs. ou 10500
a peca.
Baptistas miudinhas cores finas a 120 rs.
Brim pardo para roupas de meninos a 240
reis.
EsguiSo pardo infestado para vestidos a
300 e 320 rs.
aforim das Listas Asues 20 varas a 60 a
peca.
Uadapollo com 1 metro de largo a 40 a
peca.
Morim lavado pecas eom 10 ou 20 varas
a 30500 ou 70.
Algodaosinho a 30200 a peca.
Lencos finos a 10600 a duzia.
Guardanapos superiores a 10800 a duzia.
Atoalhado bordado a 10 o metro.
Panno da costa para mesas' de jantar a
10000.
Toalhas felpudas grandes a 50 a duzia.
Saias bordadas, e casaco branco a 30.
Cambraia Victoria a 20600 a peca.
Crinolina de cores a 360 rs.
Sargelins finos a 160, 180 e 200 rs.
Baleias furadas a 240 a duzia.
Fitas de sedas de listas differentes larga-
ra e cores a 400 e 600 rs.
Leques transparentes lindos desenhos a
10600 e 20.
Con tas lapidadas todas as cores a 500 rs.
o maco.
Retratos em tatuando Yatural
Qualquer familia que desojar possuir
m lindo retrato em sua sala de visita,
>u mesmo para um presente, bastante
mandar um retrato pequeo em cartlo, e
iizer a cor dos olhOs, e do cabello, para
chegar um lindo retrato
Por 85* eom moldura
Para fazer encommends dirijam-se
A' LojadasListasAzues
JOS AUGUSTO DAS ,
r';.-




.


Jlo Bredette e Belmas, afastando-se
da condessa e dos marinheiros, tinham su-
bido altura que interceptava o horisonte
do lado de Oeste. Por nlo terem explo-
rado os lugares, as canoas tinham dado
tongas e imitis voltas, porque os dous of-
ficiaes viram, no fim de alguna instantes,
um isthmo estreito e arenoso que commu-
nicava com a costa.
Inmediatamente gritos selvagens resoa-
ram em terra; uma forca bastante consi-
deravel de indios se arremessou para o la- -
do de Jlo Bredette, que examinou, nao.
sem modo :
Diabo !... O seu bello projecto Va
ser a nossa morte!...
Com vez de Stentor, o capitlo de fra-
gata chamou s aimas, retirando para o
planalto onde estavam reunidos os cria-
dos, os ltimos marinheiros, Petrus e as
passageiras.
Emquanto a Belmas, de espada na bai-
nh, uma das mos sobre o peito, a outra -"
sobre a bocea, e affectando urna posicSo
humilde, avanyou para os selvagens.
O que queres ?... Quem s ?... lh
perguntou em francez muito intelligivel
aquella que, evidentemente, era o chefa
do bando.
Um pennacho de pennas vermelhas, col-
lares bnihantes, armas notaveis, taes oo-
mo uma hacha de metal e uma comprida
carabina, o tornavam fcil de reconhecer,
Belmas, entbuaiasuuwlo por ouvir qut
era interrogado en francez, responden coa
calor :
Son enviado a ti pelo grande choto
do meu p )Vo.
Onde est elle ?
Do outro lado desta muralha de ge-
lo. Q.er a paa e uma allianca de irmlos
entra nos.
A> paz! Uma allianca de irmlos I
torik-u Aguia Vermelha, admirado da pro-
pusta. o i.uves na montanha os tTO-
v8es dos leus guerreiros?
Urna espingardada bem mal sustentada,
resoava efaectivamente a grande distancia

nos morros.
Typ. de
(Cont-nuar se ha.)