Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18425

Full Text
.rf_'
iflWO MIA. MMEKO 274


' >
PABA A CAPITAL M76ABBS OIDE !AO SB PAGA PORTS.
Por tres roezes adiantados................ 69000
Por seis ditos idem.................. 12&000
Por am anno idem................... 142000
Cada numero avulso.................. i20
SEXTA FEIRA 28 DE NOVEMMO l)E 1873
PABA 1>K YTR(1 f! POBA BA PBOVISCIA.
Por tres mezes adiantados.
Por seis ditos idem. .
Por note ditos idem .
Por urn anno idem. .
4
69764)
189500
109380
879006
DIARIO DE PERMMBUCO.
PROPRIEDADE OE MANGEL FJCUEIROA DE FARIA A FILHOS.
0. Srs. Gerardo Antonio Alves* FUhos.no Para; Goncalres Pinto, no Maranhao; Joaquim Jose de Oliveira d Filho, no Cert; Antonio de Lexu^ Bra*,, no Aracatj ; Joao a Jnlio Ch.v, no Ass6; Antonio Marques da Silt., no Saul; Jo* Ju
Pereira d'AImeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, aa Parahyba ; Antonio Jo* Gomes, na Till, da Penha; Belannino dos Santos Bulcio, em Santo Antfo ; Domingos Jose da Costa Braga, em Iteareth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joio Antonio Macnaeo, no Pilar das AlagOas; Aires 4 C., na Bahia; e Leite, Cerquinho & C. no Rio;de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Ctoverno ilu provineia.
MSPACHOS DA PHSIDK.NDRCIA DB 26 DE SOVEM-
BHi) DE 1873.
Abaixo asslgoados membros da direccao da so-
ciedade dos ArtisCas Mechanicos e Liberaes.Inde-
lerido em vista da informacao do engenheiro chefe
da reparckao das obras publieas.
Bacliaref Aquilino Gomes Porto.Defend.) com
liflcio desia data, a Ihesouraria de fazenda.
Companiiia ferro carril de Pernambuco.Nao
lia lei que prohiba ao supplicante a introdiccao do
melhoramonto a quo allude.
Carlota V-eira Ribeiro. -Entregue-so.
Candida Lucia de Cesar Baptista.Nao ha vaga.
Florenci.i Maria da Coneeicila-Deferido com
tificio desti data, a camara municipal da villa de
1'alraares.
Florrada Maria do Rosario.Gmeed) o prazo
ile SO dias.
Jose Francisco Nunes Soares Palcm-Informo
o Sr. director do arsenal de guerra.
Joaquina Maria do Espirito SaMo.fnformeo
Sr. Dr. chefe de policia.
Manuo! Ai.rs Ferreira. Deferido com officio
iJesCa data, a camara municipal de Ipnjusa.
Simplicit da Cruz Ribeiro Depots do cvtmpri-
la a pena que Ihe (oi imposts pelo coaaetho di-
rector, poder.i ter lugar o que reqner j suppii-
eanfe.
Trtoinaz de Carvalho Soares Drandio Sobrinho.
Intorme o Sr. inspector da ihesouraria provin-
cial.
Urania Nympha da Silva.Past* porfar/a con-
'odendo prcr-'gaciu por mats 30 dias, a conlar de
hoje.
dar am Athenea para a iriscroccao dos obreirosc
pequenos artistas.
Logo que se encer.-e a exposieao installar-se-ha
este eslabell-ciraento, fundaJo segundo o modelo do
con-ervatorio de artes e offlcios de Paris, e do
MM de industria de Bruxellas. 0 local eseolhi-
do foi o centro dss quarceiroes industriaes de Nen-
ban, Schottenfeld, e Mariahilf. Serao transferidos
para este esCahelecimento os objectos d'arte cedi
dos pelos expositores. Alii se eneontrara series aeguintos :
Co ruin it ii do das arnntv.
QUARTEL GENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS
DE PERUAMBUCO, EM 27 DE NOVEMBRO DE
1873.
Ordem do dia n. 773.
\ 0 brigadiirq cornmandante das araus i'az pu-
blico guarru'cao para o sen cooheeituento :
Que pela presidencia (oi na data de nontem
cidade Dr. Quintiao Jose de Miranda, para servir
la auditor de guerra, em sobslilui-jao ao Sr. Dr.
Maooel TrtrtulianoThomaz ilenriques, que f ii no-
mea4o desembargador da relac^ode Cuyaba.
2* Que a mosma presidencia, en execucao do
,-iviso do ministerio da guerra de A> de fevereiro
ultimo concedeu a 26 do corrente ao Sr. capitao
i-eformade do exerrito Antonio Maria de Castro
Delgalo, 3 mezes de licpnca para ir a corte.
3" Que approvou o engajamento ifue bontem con-
irakio para servir por mais 6 annox, perceben-
lietirem o prereio de WU, o soklado d iJ com-
panbia do 9' batalbao da inftntaria Joao Felix de
Moraes, que a 22 de Janeiro desta anno concluio o
tempo de sarvico como recruudo, a foi julgado
era inspecjSo do saude apto para continuar no
mesmo service
O mesmo brigadeiro determina, < ic na ma-
nna do dia 1* de dezembro vindcuro se passe re-
vista de mostra em seua respectivos quarteis
aos batalhoes de infantaria, deposits de recrutas
e contpanhiiis isoladas, pela ferma seguinte :
A's6 boras a companhia de operarios as 6 }4
jo 2* batalbao, as 7 a companhia de eavallaria, as
7 y% ao 9* e flualmente as 8 ao deposito.
(Assignado.) Manoel da Cunha Wandtiiey
l.ins.
Conforme. -0 major, Joni B. dos Santos Alcr-
laliido, ajudante de ordens eucarregado do de-
ulhe.
EXTERIOR.
4/orreapoii Diario de Pernaiubnco.
vibmna D'.'.r-rHi\ 2-5 db ourcaao db 1873.
i) iraperadcr Guilherme I retirou-sc para Ber-
liui no dia 23, as 8 horas da noilo, tomando o trein
na estaca i de Nordwestbahn, que estava (espieu-
lidamente illuminada por inuitos locos de luz elec-
uica : foi acompanhario pelo imperador Francisco
lose, e pela suacotte. As despediias foram omito
oordiaes ; e Guilherme 1 parecia urn pouco coin-
movido pelas provas de attencao e amisade que
Ihe diepensara o imperador d Austria, e sua fa-
nilia.
Em urn Jantar de gala, que tovo lugar na sala
de ceremonlas do palacio de Hofbtirg ( palacio da
.'.idade ), e r.o qual assistirara o principe Carlos da
Prussia, a princeza Maria da Prussia, o tiran du-
me Fredenco de Bade, gran-duqueza Luiza de
Hade, o principe Leopoldo da Haviera, princeza
iJisille da Baviera, principe real da Dioamarca, a
(vmdessa de Girgenti, duque Guilherme de Wur-
teraberg, o principe Gustavo de Saxe-Weimar, e
utros personagens da corte de Vienna, o impera-
dor Francisco Jose, levantou o seguinte brinde em
idlemao:
a 0 meu desejo intimo de dar a boa vinda ao
iueu c arc aniiso e irrnao em Vienna durante a
oxposiijio, tendo sido satisfeito, levanto, com o co-
ragao cheio d'aiogria e gratidao, o meu copo ao
hem estar do meu charo hospede, a saude de sua
magestade o imperador da Alleinanha e rei da
i'russia.
0 imperaicr Guilherme respondeu:
Permitt.i vossa magestade qua cordial e aiai-
.; ivelmenio Ihe agraile^a as palavras elevadas que
icabo de ouvjr: junto a este o meu agradecimento
(ielo sympathies acolhimento dado aqui a ininha
mulher e a rnrus nlhos.
a Senti unia satisfafao particular por ter podido
pagar a visita amigavel que vossa magestade, e o
imperador da Russia me lhcrara em o anno pas-
passado cm Berlinf.
t Os sentimentos araigaveis eatoo, como agora,
n'jcados, sao para raim una garantia da paz eh-
'^pea, e do oein estar de nossos povos.
i Bcbo a saude de sua magestade o imperador
J'Austria t- rei d:i Hungria, mau cliaro amigo, e
innio.
0 imperador Fran.'iseo Je, depois d ter
u-ito ueni visita de despediJa ao principe e prin-
ceza da Hinamarea, parlio ante hontem para G>-
dollo em companhia de sea genro o printipe Leo-
poldo da Baviera.
Corre que toda a cCrte deixara, em principio
de novembm, esta canital, indo rcsidir em Buda-
Pesto ate o dia do anW bom, (! da Janeiro de 74).
A exp>sic.;io foi prorogaJa ate o dia 3 de
iiovembro. 0 ^numero de vhftantes tem sido ex-
Iraordinarto, mn n? lalvnopn m^dVnrn H*nun
Ihe fait; '
rteoniefa a FSter frlo: is arwres c^fw,
-jaasi toda" despida da folhagem, a em breve o
leserto se fara no amerfo PfaVr:
apezar da qnormo desp^.Vfefta.pelcs eofres
oubllcos, \i.nni lucrou mnito com a exposr*\
Aa artes e indi^lrias tiveram grande Impnlso; a
jdiacajao augmenton: novas pracas ruas, e ma-
ymficos jardins se flzerim: as !Vlac/5cs commer-
ciaes se estendecam; os muaeus se enrinuaeeram
iota valiosos donatives de differentes nacees: em
flra, Vienna como que modoa de face.
Entre eatros melhiiramenlos emprehondidos para
ruigmennr : intraccjo puHlea, traiase d fun-
de desenhos, de modelos, de instrumentos. de m-
ohinas, de ferramentas, c<>llecc6es de amostras de
materias primas, e produclos fabricados, ou em
principio de fabricacao.
0 barao Scwarz, "director da actual exposieao,
ja fez donativo a este ath>>neu de uma bibliotbeca
por elle reunida desde I8i5 e que tem por objecto
as exposicSes universaes. A nascente bibliotheca
ja conta 3,412 volumes, encerrando 2,205' obras
Este estabeleciawrito tem em caixa 115;618
florins.
Forque nesta terra fazem as artes e industrias
tanto progresso, e a instruccaopublica conta tanto,
protectores !
Nio sera porpue a politica nio se entromette
nestas cousas 1
Em uma da> minhas cartas passadas fallei-
Ihe de urn grande melhoramento material, do que
em breve Vienna entraria no gozo ; o abastece-
mento do excellente e abundante agua potavel, tra-
zida das m inxagtirada a aberfura do eactmamento destas
aguas em urn monumental chafariz, collocado no
centro da cidade, prac.a do pilacio do principe de
Schwarzemberg, e que p6de dizer-se que 6 um dos
mais bellos ornamentos de Vienna.
Foi uma festa muito concorrida pala aristocra-
cia e raundo elegante
O imperador foi recebido pelo burgo most re da
cidade q Dr. Felder, que Ihe dirigio uma pequena
allocncao, a qne o monarcha respondeu, exprimin-
do a sua satisfagio por ver termioada em prazo
tao curto a obra mais grandiosa que tem einpre-
hendido a municipalidade de Vienna : em seguida
abrio-se o chafariz, que de todos os conheeidos
a* Europa, 6 o que tem um jorro mais forte e
mais alto: com effeito o jorro do centro, estando
abertos os lateraes, attinge uma altura de 140 pes,
e fechados estos chega a 180.
Como ja disse, o aqueducto de Vienna 6 aliraen-
Udo por nascentes das montanha*, e e o maior
de todas as capitaes da Europa. Nio e muito ex-
tenso. mas relativamente ao volume e a limpidez
d'a^ua crystalina, a frescura qne conserva nio e
excedida por nenhuma oulra construccao hydrau-
lics.
0 volume d'agua, que em 24 horas traz ao val-
le da cidade, e tao consideravel, tao abundante,
Sue eclipsa completamente o de todos os aque-
uctos de R >ma, que ahmentam os raagnificoscha-
farizes de Acqua Paola, Fontanone dell' Ac pia fe-
lice, e de la Fontana de Trevi. que ha pouco tem-
po visitei.
O empre!trio e diMctor deta <*ra foi Mr A-
tonio Gabrielli, estrondosamente victoriado no acto
da inauguracio. 0 imperador, durante esta cere-
monia, entretev-se a coaversar com elle, e em
vjzes alias o felicitou pela rapidez e bo. direccao
que deu a trabalhoi tao difflceis.
A' tarde houve um jantar na Cur-salon offere-
cido ao heroe da festa, Mr. Gabrielli, alvo de mil
felicitacdes. Foi um nunca acabar as saddes que
Ihe foram dirigidas. Os jornaes do dia vieram
cheios de descripedes desta obra e de felicitacdes
ao seu autor, cujo rftrato, acempanhado de uma
biographia, foi di-tribuido pelo povo.
Ninguem se lembrou de indagar qual a sua na-
cionahdade, e nem de saber se elle ganhcu muito
ou pouco naquella obra.
- 0 imperador Guilherme I, em nma de suas
visitas a exposieao, passou pela galeria brasileira ;
mostrou satisfacao ao ob-ervar alguns grupos de
nossos productos agricolas, e parando diante da
vitrina era que esta a bandeira brasileira ber-
dada na casa das expostas dessa prvincia,
perguntou a um dos membros adjuntos da com-
missiq superior, qual a razlo por que na nossa
bandeira se tinha posto un>ramo de cafe o outro
de fum i, o bem assim a cruz sobre o gloDo, o que
ate entao nio tinha podido comprehender: tendo
recebido resposta sati^factoria, retirou se, fazeodo
uma cortezia ao brasileiro que o acompanhava du-
rante a visita a nossa galeria.
Exposir/io internacional nos Estudos Unidos no
anno de 1876.
0 congresso daquelle grande paiz, determinou
por acto de 3 de marco de 1871, que por occasiao
da festa do primeiro anniversario secular (cente-
nario) da independent dos Estados-Uniaos, se
faca uma exposieao internacional de artes e in-
dustrias, assim como de productos do solo, de
miuas, e que tera lugar na cidade da Philadelphia
no anno de 1876.
productos a exposieao. empenhando-se vivamente
para que elles isto fai;am. Espera qne a troca de
relacoes amigaveis que tera lugar nesta occasiao
entre os dous povos, aproveitara grandemente a
sciencia e a industria, o que fortiflcara notavel-
mente os sentimentos de amisade que existem en-
tre o governo e o povo do vosso paiz e o dos Es-
tados Unidos.
Este circular foi acompanhada das instruc5es
para
r-
cna-
sera
No dito acto (lei) se determina o seguinte :
Logo que o presldente for informado pelo go-
vernador do estado na Pensyivania, de qne todas
as raedidas ostao tomidas para a constrncpao de
edificios conveniences, o que ja esta nomeada a
commissao le organisagao e vigitancia, dirigira a
nacao uma proclamacao relativa a exposigio pro
jectada, fazeodo conhecida a data da sua abertu-
a e o lugar em que ella se fara. Depois remette-
ra aos agentes diplomaticos da todas as nacoes
uma cdpia dos regularaenCos adopCados pela com-
missao directcra, aflm de que elles possam faze-
los publicar em seus respectivos paizes.
Em visCa desCa disposicao de lei, o presidenCe
dos Kstados Unidos em Washington publicou, em
data de 3 de jnlho do corrente anno, a seguinte
procl-raacao qua acaba de ser distriboida na ex-
posieao des!a capital, assim como aos agentes di-
plomaticos de Codas as nacoes.
Eis o acto do pre.-idente Grant:
Attendendo a que S. Exc, o governador do
estado da Pen>ylvania me communicou em data
ao 24 de junho de 1873, qne tado esta disposto
para a construccao dos ediflcio nfcessarios, e
que a commissao de crganisacao pre vista pela lei
est;i dijposta para funccionar ;
Attendendo igualmente a que o presidente da
conMssao da festa do centenario dos Escados
Unidcs me informou sobre a data flxada para a
abertura e c-neerramento da exposieao, assim como
sobre o lugar escolhido ;
a FkQO SABFR Qt'E ED I'l.YSSKS GRANT, PRESIPEN-
te dos Estados-U.mdos, conforme as prescripgSe
do Acto |o Congresso, declaro f. proci.amo que
Cera lugar na cidade da Philadelphia (EsCado da
Pensylvaoia) uma exposi;5o inCernacianal de ar
tes e industrias, de productos do sob e de minas,
quo comecara a 19 de abril de 1876, e soraencer-
rada a H de ontnbro do mesmo auno.
t E no interessc da paz, da clvihsacao, das re-
la vies dc amisade entre as cidadaos dos Estados
Unidos, e Jo tedes os povos do mundo, assim co-
mo no iuteresM do commercio e Crocas interna-
cion.ip'. peco mrdialmenle em nome do governo
o d' l-cvu atr.ericano a todas as na>.5es amigas,
queiram tomar parte nella.
t Em fi dc imp, assigno os presentes o os ro-
vlsto mm o sello dos E-tados-L'nidos.
a Dado cm Washington a 3 de julho de 1873,
anno 07.' da independencia dos Eslados-Unidos.
Assignado U. S. Grant.d
Transraittindo e9ta proclamacao aos represen-
tantes dos governos estrangeiros acreditauos em
Washington o secrelario de estado, Hamilton Fish.
aerrescentou :
o D presidenCe espera quo vosso governo fara
conhecer a seus subditos a resolueSo tomada po-
los Estados Ucidc, e os convidara a" enviar setu
Fin da exposieao de 1876.
0 ilm a qua se prop5e a exposieao internacio-
nal de 1876 e amplo e liberal. Esta exposiclo de-
ye comprehender todos os productos da arte, da
industria e da civilisacio moderna : propoe-se a
apresentar um quadro fiel dos recursos de todos
os paizes, do sea estado social, do desenrolvimen-
to de sua industria, de mode a que uteis compara-
tors se possam esCabelecer, e que defla resuKe
para todos os paizes muluas vanCagens.
N3) sera s6mente uma nova occasiao para ta-
zer crescer a harmonia entre os divtrsos povos, e
convida-los a um esforco commum para augmento
do bem estar e felicidade da especie humana ; esta
exposieao deve exercer grande e especial intluen
cia sobre o desenvolvimento desenvolvido nos Estados Unidos, estabelecendo
uteis relacoes, abrindo na America novos merca-
dos para diversas industrias europeas, que IhesSo,
de alguma sorte, ainda desconhecidas.
Lunar da expoiigtlo.
Um local magniileo, dotado de todas as vanfa-
gans desejaveis, foi escolhido no bello parque de
Fairmount, perio de Philadelphia. Muilas enl
nasde terreno separaram-se para este dm neste
esplendid'i passeio : jumnu-se-lhe mais am gran-
de epaco piano para os principaes edificios, em
um lugar cercado de terrenos ligeiramente ondu-
lados (pequenas colinas), muito apropriados a pa
vilhoes isolados, e a exposicdes especiaes.
Ha naquelle parque abundancia d'agua mui
limpida, o qne faciliCa a conslru'gao de fonles, e
servira para a installacao de machinas motoras.
A drainage e lambein excellente.
Classificacdo e arranjo dos objectos expostos.
Para determinar a ordem da classificacao Ja
adopCar-se, teve-se sobre tudo em vista collocar
os objectos na ordem do seu desenvolvimento, ou
em outros terraos, seguindo-se as diversas evolu-
coes de seu estado natural, a saber:
!. Os productos nataraes do solo e das minas,
quer sejam uteis ao homem, quer sirvam para
aliraentar o trabalho das manufacturas.
2.* Os productos manufaeturados, e os resulta-
dos obtidos pelas combinacdes diversas dos pro-
ductos naturaes.
3.* As machinas e o material que servlo
obter-se estes resultados.
4. Os eneiCos desta actividado productiva.
ECe e o piano geral para a classificacao.
mar-se-hao dez grandes divisoes collecttvas,
madas departamentos, e cada departanuoto
JivMido a seu tonw m de grnpos.
Se se Jnlgar util cada grupo podera ser subdivl-
dido em dez classes.
: Tanto quauto for possivel, os objectos serao clas-
sifieados no interior das galerias, na ordem acima
indicada. Serao collocados segundo sua natureza
em gilerias paralellas.
Os productos de cada estado, de cada regiio,
serao ao mesmo tempo aproximados uns dos ou-
tros : o local destinado a cada paiz sera um seg-
ment) ou uma porcao de cspaco, que estendendo-
se a direica e a esquerda da galeria a corte cm an-
gnlo recto.
Esta collocacao facilitara os estados e as C'-mpa-
racoes, e, segundo o pensar unanime dos visilan
tes, e ella preferida a disper.-ao dos objecCos da
mesma naCureza em diversos lugares muito alas-
Cados.
Regulamentos
Os maiores cuidados serao empregados, para
que os expositores e os visitantes enconCrem na
exposieao tolo o conforto desejavel e toda a faci-
lidade para seus estudos.
Os productos expostos serao objecto de uma vi
gilancia o de uma proteccao muiCo aCtenCa da parte
dos guardas.
0 governo dos Estados Unidos compromette se
lazer amplas e liberaes modificaroes nos rgu
lamentos das alfandegas; e medidas serao to-
madas em favor dos expositores, de maneira que
gosein elles de grandes vantagens nesta expo-
sieao.
Pelo que diz respeito- aos transportes, 6 de espe-
rar que os governos estrange,ros serao genero-
sos com os seus expositores, concedendo-lhes li-
vre transito por mar, com) em todas as exposi-
coes tem feito o governo dos Estados-Unidos.
' onsideraado a facilidade e barateza de traos-
porte por mar, Philadelphia nio esta na realida-
de mais longe do que Vienna, da maior parte das
grandes cidades da Europa e da Asia.
Grandes preparativos se fazem para a recepcao
e guarda dos volumes, assim coino para a sua
prompta installacao nas galerias. E de grande
inceresse para as pessoas que desejare.n tomar
parte na exposieao de 187tJ, porem se logo em
communicacio com a commissao e dar-lhe a co-
nhecer de uma maneira, ainda que geral, a na-
Cureza dos objectos que pretendem expor. A cor-
respondencia sobre esCe assumpto sera gratis.
Os deCalhes relativos a exposieao, serao objecto
de um programma especial.
Divisdes da exposieao.
(Deparcaraentos.)
Sera dividida em :
1
Materias primas. Mineraes, vegeCaes, ani-
maes.
U
Subscancias alimenticias de toda a especie.
Processos usados para a sua confecgao. Extrac-
Cos e combinacSes de diversos productos.
HI
Industria das materias textis e filtros.Testua-
rios; costumes e ornamentos para pessoas.
IV
Moveis o obiectos faoricados de uso geral nas
construcfoes das casas, e sua ornameolacao in-
terna.
V
Ferraaientas, machinas e processos de fabri-
cas.
VI
Motores e apparclhos de transportes.
Apparelhos o methodos para o augmento e dif-
fusao dos conhecimentos humaaos.
VIII
Trabalhos publicos. ArcbitecCura, engenharia
civil.
IX
Art03 graphicas e plasticas.
Objectos illnstrados. Resultados dos esfot^os
tentados para melhorar a condicSo physica, mo-
ral o intellectual do homem.
A. de A. .
AMAZON AS.
Teve lugar na tarde de 26 do passado a elei
cao dos fuoccionarios da Sociedade Portugueza
Beneficente, cujo resultado foi o seguinte :
Presidente, Jose Teixeira de Souza, vice-presi-
dente, commendador Franciso de Souza MesquiCa ;
primeiro secrecario, Domingos d' Imeida Sooto;
segundo secrecario, Bernardo Jose de Souza ; the-
soureiro, Jose'Ferreira de Barros ; procuradores,
Antonio do Souza Chaves, Joaquim Pinto Ribeiro ,
mordomos, Marcal Goncalves Ferreira. Claudio
Manoel Velloso, Manoel Ventura Roque, Jose Joa-
quim Ribeiro Couto, Alexandre Saldanha da Ga-
ma, e Bernardo Antonio d'Oliveira Braga.
Por portaria da presidencia, de 28 do passa-
do, foi dissolvido e corpo provisorio de guardas
nacionaes de^tacados nesta cidade.
- Foi creado por acto da presidencia, de 28 do
passado, um destacamento de guardas nacionaes,
composto de 103 pracas, 3 curuetas, 6 cabos, 4 in-
feriores, e, commanda'lo por I tenente e 2 al-
feres.
Lemos no Diario do Aimzonas :
Como estava annunciado, no dia 31 do mez
findo teve lugar o juramento e posse dos funcio-
nsrios que corapoem a directoria, e dos quaes Je-
pende o seu desenvolvimento no seu primeiro anno
de existenjja, que maito inflaira nos seus destinos i
e no seu porvir.
Se o deainteressj, a perseteranija e a intelli-'
gencia sao ontreCanto actribucos essenciaes aos que (
dirigem e tem de dar movimento a inslicu/coes
desta ordem, cremos qne os nomes que compoem
a directorii erapossada, augur am dias de prosperi-
dade a S iciedade Beneficence Portugueza.
0 acto da posse realisoa-se na casa do actual
presidente o Sr. Jose Teixeira de Souza, para esse
ftm ornada e decora Ja com gosto e simplicidade ;
e senCimos que nio nos fosse, permittido publicar
alguns discursos entao pronunciados, e nos quaes
vazaram-se os sentimentos e os desejos nobres de
qua se acham possuidos os que se tiliaram a as-
sociacao.
na madrugaJa de 6 do corrente, manisfestou-
se um incendio em uma das barracas existentes
na praca de Uruguavana. N da houve de laraen-
uvel.
Por portaria da presidencia foi nomeado pro-
visoriamente para o cargo vago de 2 tabelliio de
notas e escrivao do civet e crime da capital, o ci-
dadao Manoel Antonio Lessa.
Falleceu no dia 10 o capitao Antonio Luiz
Coelho.
0 Dr. Mininea offereceu-se a presCar gratui-
tainence os seus servicos de ad /ogado a Sociodado
Portugueza Beneficente.
No dia^t) tete lugar em toda a provineia a
eleicio para 20 membros a asse nblea provincial.
0 resultado. tioal ainda nao era conbecido.
A recebedoria provincial arrecadou no mez
le ontubro a quanta de 48:477^674, sendo :
** a pronbeia 38:7081980
Companhia Fluvial 9:770*688
ra de Tabatinga o coronel Porto-Car-
reiro.
107
107
107
107
98
DIr\RlODEPEKNA.MBUi>
RECIFE, 28 DE NOVEMBRO DE 187a
Natieias daaorte do inaporio.
Aroanheeen hontem em nosso porto o vapi)r
brasileiro Bahit, trazendo datas : do Amazonas
II, da Para 18, do Maranhao 2-1, do Ceara 23, Rio Grande 24, e da ParaUyba 26 do corrente.
EU o quo coiherxio? q>s jornae? e carlas l
PABA.
Em 18 do corrente escreve nosso correspon-
dente de Belim :
a Em poucos dias decorridos, depois da partida
do vapor americano, nada tem havido de impor-
tance.
a 0 barao de Maua, acompanhado de varios ca-
valheiros, seguio no dia 16 para o Amazonas, no
vapor Joiio Augusto. Falla-se em melhoramentos
que esle cavalheiru pretende iniciar, Canto no Para,
como n'aquella provineia.
0 commercio offerece no dia 6 de dezembro
proximo um baile ao Exm. collega. As primeiras
lafluencias da praca oncorreram para elle.
Continua a fallar-se na mudanca do presiden-
te Dr. Cunha Junior. Ainda, porem, nada ha de
positive
i Ja se acha entre nos o Dr. Franklin Tavora;
constando mo hoje tomar posse de secrecario do
governo.
a Continuamos por aqui felizmente era paz ; os
acontecimentos de Breves estao dominados. Para
osse districto seguio forca de linha e outras pro-
videncias para auxiliar a capcura dos desertores e
malfeitores que por alii andavam a fazer correrias,
come Ihe noliciei.
t 0 Exm. Lispo diocesano publicou na Boa No-
va, um officio em que pede ao governo imperial o
seu processo, pi-r ser i\*> criminoso como o Exm.
bispo dessa diocese. E' conveniente dar a publico
esta peca official para conhecimento dos seus lei
tores e para se inteirarem do estado das questdes
politico-religiosas nesta provineia. Cada vez a
quesCao azeda-e e complica-se mais e mais !
Do commercio tem raelhoradu a situaciio da
praca com a entrada de generos da nova safra
0 estado samtario vai melhorando, porque declina
a variola.
< Foram uomoados promotores publicos : da
coraarca de Gurupa, bacbarel Francisco Maximia-
no de Seuza R^beilo; da de Santarem, bacharel
Pedro Regaladi Epiphanio Baptist*.
Acba-se no porto a canhoneira a vapor brasi-
leira Aragwjiy, ]uc anda no exame dos pharoes.
Presuram jura.uento de 3 e 5 vice-presiden-
tes dfsta provineia os Drs. Guilherme F. Cruz e
Francisco Mendt.s Pereira.
A alfandega arrecadou de I a 17 do corrente
160:33 2*77..
MARANHAO.
Procedeu-se em toda a provineia a, eleicao
de deputados provinciaes. 0 resulCado conhecido
era d seguince :
I* district.) ( capital, S. Bento, Razario, Guinia-
ries e SanCa He Una.)
Capitao Joao Alexandre Ewerton 94
Tenente ccronel Francisco Pinto do Prado 94
Coronel Ignaciu Antonio de Viveiros 93
Major Joao da HaCU Moraes Rego 93
Dr. Jose Francisco de Viveiros 93
Dr. Candido Vieira Chaves 92
Major Joaquim Pinto Saldanha 86
Dr. Alfredo da Cunba Martins 81
Dr. Ignacio Vieira da Silva Coqueiro 83
CapiCao Jose Joaquim Pinheiro Hemem Junior 84
Joaquim Ramos Villar 84
Dr. Erailiano lose Rodrignes 84
Capitao Casimiro Dia Vieira 84
Tenente-coronel Marcelino Goncalves Machado 83
Alferes Alexandre Collares Moreira Junior 81
Dr. Joaquim da Costa Barradas 16
Dr. Francisco Domingues da Silva Junior 16
Dr. Jose Marianno Ribeiro 16
Dr. Jose Marianno da Costa 16
Dr. Theodoro Thadeu da Assumpcio 16
Tenente-coronel Josd Coelbo de Souzn Junir. 16
Sergio Antonio Vieira 16
Major Jo5o Manoel Gomes Tinoco 16
Major Raymundo da Costa Freire 16
Tenente coronel Luiz Antonio 0. Junior 16
Major Manoel Goncalves Teixeira 16
Padro Lino da Vnnunciacao 16
Antonio Bernardino Jorge Sobrinho 16
Teienb; coronel Francisco Manano A. Cerveira lo
2'ili-tricto I Baixo-Meirim, Vargom Grande, Ita
pecurd mlrrm; Caxias a 3. lose dos MaltSes.)
Tenente coronel Francisco Borees Frazio 109
Coron?! Antonio Carneiro da Silva OliVeira 108
Tenente-coronel Antonio Luiz Lavor Pres 108
Dr. Eduardo Leger Lob ao 108
Francisco Louren^o Ribeiro da Silva 108
Dr. Joao Paulo Dias Carneiro |0<
TenenCe Mam>;l D. Boge.i do Valle Mi8
Coronel Marcolino Jose Drandao 108
Dr. Kartiniano Mendes Pereira 108
ToneaCo-rronel Tito JoaquUnde Lemos 108
Tenence-coronel Joio Rodrigues da Silveira
Dr. Joaqnira Jose Teixeira
Capitao Astolpho Henriuue Serra
Tenente coronel Sympliroiio E. Leitao
Dr. Theodoro Thadeu da Assurapcao
Foi pela presidencia la provineia concedida
ao commendador Joao- Murtios da Silva Cootinho
modiflca^ao para o contra :o de abastecimento d'a-
gua potavel do rio Anil, em relacao a poder elevar
o eapiCal da mesma companhia a 500:000*000
Pelo juizo commercial foi julgada a causa em
que e A. Jose Fernandes Lima & C, e R. a com-
panhia dc seguros -Garantia do Portosendo con-
demnada a R. ao pagamento da quanCia de......
12:000*000 porque toi seguro o hiaCe 0 procu-
rador, por parte da companhia, interpoz appellacao
para o tribunal do commercio.
Asecrelaria do governo rendeu de emolu-
mentos, quo foram arrecadados pelo Ihesouro
provincial no mez de oulubro a quantia de......
1:159*242.
Na cidade de Vianna foram tratadas pelo Dr.
Tolencino Machado 174 pessoas aCacadas de saram-
po e febre iacermittentes.
Foram captur.idos, na cidade de Caxias, por
ordem do respectivo delegado de pottcia, Joai de
Senna, seu filho Antonio Franciscq de Senna e
Reiualdo Pereira da Luz, por havorem assasinadV)
com tres tiros a Jacintho Pereiri da Silva, conhe-
cido por Antonio Gato.
No dia 17 de agoslo ultimo, na freguezia de
Santo Aatnnio e Almas, foi oncontrado morto em
sua roca o preto Miz.tel, escravo do tenente Marian-
no lese Gomes de Castro, tendo o cadaver 4 gol-
pps na cabeca, 1 ferimento no peseoco e outros era
difterentos panes do corpo. Ainda nao se desco-
brio o autor ou autores desCo crime.
Na cidade do Caxias, no dia 30 de outubro,
no lugar BuriCy brabo, foi assassinada Lourenca
de Cal por Jose Ferreira dis Chagas, conhecido por
Cabeca.
- Na villa los Picos, no curral da fazenla Mu-
quera, Carlos Jose da Silva, traicoeiraraente assas-
sinou a Viriato Antonio de Medeiros, desfechando-
Ihe um tiro.
- No Piauhy, no lugar Morro, 10 leguas dis-
tante da cidade do Amarante, foram assassinados
por um bando de ciganos, com o ftm de roubarem,
os individuos de norae Maaoel e Francisco. Por
naa haver alii delegado e jubdelegado, deixaram
de ser pcrscguidos os crimioosos
No dia 5 do corrente fm pela presidencia da
provineia assignado o contrato celebrado entre es-
ta e os eogenheiros Ernesto Diniz Street, como pro-
curador de Reinald) von Kroger, para incorpora-
cao de uma companhia para a construccao de nma
estrada de ferro, que, partindo da Barra do Copda,
va terminar aa cidade da Carolina a margem direi-
ta do rio Tocantins.
Do dia 1* a 15 deste mez sepultaramse no
ceraiterio da capital 43 pess.oas.
Entre ettes nota-se o alferes Pranclsco Ferreira
Pontes Junior, o portuguez Antonio Jose Goncalves
Agra, D. Emilia Pinheiro, ir na do Sr. Mario 0. Pi-
nheiro, e o alienado Joao de Dens de Azevedo
No alto-inearim falleceu a capitao Euclydes da
Carvalho Reis, que boos servicos prestou a patria
como seu volunCario.
Mo dia 30 de seCembro ult mo foi encerrada,
no mnnicipio de S. Bento, a matricula geral dos
escravos com o n. de 3,588, dos quaes se alforria-
ram 23 o morrerara 77.
Entre os malriculados contain se 47 fugidos, e
destes II perteucentes ao mijor Rayraunlo Anto-
nio da Costa Ferreira, 11 ao alferes Francisco Hay-
raundo Ja Cosca Homera, os quaes fugirara todos
de uma vez, 9 a D. Maria Rosa de Viveiros, e os
demais a diversos senhores.
A nova directoria da sociedade HumaniCaria,
Qcou assim composta:
Directoria.
Homing is Ennes Pereira 40
Jose Manoel Vinhas 3*
Manoel de Figueiredo Couto 36
Joaquim Coelho Fragoso 36
Jose Maria Correa de Frias 34
Antonio Francisco Malta 24
Domingos Goncalves Branco 24
Assemblea geral.
Joao Marques da >ilva P. 23
Francisco de P. Silva V. P. C9
Bernardo J. B. Noguoira, S. M
IticrJo Joaquim Teixeira, 2 S. 19
Commissao de exame.
Manoel Ferreira Campos 26
Antonio JoAo Furtado 19
Luiz Maria X. de Carvalho 16
Do 1 a 13 desde mez foi o seguinte o rendi-
mento das repartn;oes dscaes.
Alfandega 31:554*554
Thesouro provincial 16:300*741
Estavam no porto,enCrados ultimamente, 4 na-
vies portuguezes e I inglez. e o vapor Braganza.
Ha fa ita de carga attenCa a quasi nulla colheiCa de
algodao este ando.
0 preco deste genero regulava:
1* qualidaiekil. 610
Assucar bruto < 105
Couros t 550
Farinha sccca < 160
Dita d'agua 190
1'IAUHY.
0 grcmio conservador organisou a seguinte
lista para deputados provinciaes :
Dr. Firmiao Licinio da Silva Soares.
Dr. Raymundo de Areia Leao.
Dr. Elvidio Clemeolino de Aguiar.
Dr. Jose FurCado de Mendonca.
Dr. Lindoro Augusto de Moraes Rego.
Dr. Lino Leoncio de Assump;l>.
Dr. Jose Rodrigues Elvas.
Coronel Manoel Ignacio de Araujo Costa.
Coronel Coriolano Cesar Burlaraaque.
Coronel J.jao Martiniano Fontanetle.
Tenente-coronel Manoel Rodrigues de Sampaio.
Tenente roronel Joaquim Doraingues Moreira.
Tenente corenel Lysandro Francisco Nogueira.
Tenente-coronel Luiz de Sonza Fortes.
Tenente coronel Norberto de Castro e Silva.
Ma or Antonio Gentil de Souza Mendes.
Ma or Custodio Jose Alves de Lobio.
Via or Jose Goncalves Pedreira.
Ma or Benjamin do Rego Monteiro.
Ma or Antonio Jose de Araujo Bare ell ar.
uapitao Joao Goncalves Magalhaes.
Capitao Jacob Rolrigues de Souza Uchoa.
Padre Joaquim Marianno da Silva Gninwaes.
Padre Manoel Ribeiro Goncalves.
CEABA.
F-i pnblicada a lei provincial n. 1,551 de 4
de setembro ultimo, que eleva i categoria de co-
marcas o termo de Tamboril, comprehendendo o de
Santa Quiterla; o termo de Maria Pereira, oom-
prehendendn o de Pedra Branca ; o termo de Ca-
ninde, comprehendendo o de Pentecostes.
No dia 13 do corrente aun,io as redeas da
administracao o Exm. Sr. Dr. Francisco Teixeira
de Sa
A Constituir-n.o diz a esse respeito o seguinte:
i II ntem, S. Exc. assume a adrainisCracao da
provineia, como seu presidente, nomeado por car-
ta Imperial du 3 de agosto deste anno, prescando
o juramento do estylo peranto a camara municipal
da Fortaleza.
t S. Exc. reeebeo as re.leas do governo nas me-
Ihores Condoles le exerco-lo com proveito para a
sua repntacao o niio menos para esCa provineia,
abundance ile recursos e nobres esCimulos.
Ja amestrado na ardua tarefa de governar, S
Exc. torn talentos de sobre para saber empregar
as forcas vivas d.n provineia era realida*!?s provet-
tosas, a continuar para si um nome, digno dos
seus honrosos precedences e do governo geral, que
o escolheu para adminisCrar-nos.
< Fallando esta linguagem simples, que nao e
Cao abundante como Srrera, e-nos graco assegu-
rar a S. Exc. o nosso mais decidido e fraaco apoio
na altura do sea patriotismo e de muito qne ama-
mos esle torrao abencoado.
Faztmo* ardentes votos pela prosperidado de
sua adminisCrai;ao, que estamos cerCos ha de cor-
responder ao elevedo conceito que S. Exc. nos rae-
rece.
Falleceu, na capiul, o medico Dr. Rodrigo
Aprigio de Carvalhal, com 27 annos de idade, na-
tural da Bahia.
0 vapor ioglez Jerome levou do porto da For-
taleza para o le Liverpool: 1,000 saccos com as-
sucar, 2 846 saecas com algodao, 300 saccos com
cafe, 163 ditos com borracha, pesaodo tudo 310,142
5 kilogrammos.
Commuoicain do Assare a Constituicuo :
No mez proximo passado D. Maria Franoisca "
de Jo la, conceden liberdade sem condicio alguma a oito
escravos; sendo Maria, de idade mais ou menos de
30 annos, com sete filhos, Raymundo, Joao, Leo-
MM, Manoel. Alexandrina, Antonio e Thereza.
A Exma. Sra D. Maria Francisca de Jesus e
nma matrona (viuva) distincu a toda prova, uma
verdadeira catholica, e pelos seus actos, uma gran-
de heroina. Este acto de lanta magoaoimidade
de honra a sua autora e a terra que teve a (e-
licidvde de a ver nascer, e uma licao edmcaute"
para as almas mesquinhas dos escravocraCas, qua
ainda hoje sustentam a lei da escravidao.
hio gbande.
Em 24 d) corrente oscreve nosso correspou-
dente da capital:
c No dia 15 do corrente, o guarda de policia ui -
bano Galdino Lopes Ferreira, achaodose na feira
da Macahha, dera voz de prisao a Ignacio Jjse de
SanCa Anna, que, embriagado, estava coramettendo
desordens; e nessa occasiao este descarregon-lne
uma punhalada, de que Ihe resulCaram graves fe-
rimentos.
c 0 criminoso foi logo capturado e consta que
se acha em andamento o respectivo processo.
t Ha mais de dous mezes, corria nesta capital a,
noticia de baver sido baroaramento surrada na ci-
dade de S. Jose de Mipibu a escrava Maria Pinhei-
ro, pertencente ao padre Joao Paulino Pinto de
Aguiar m
i 0* protectores da Camilla dasse sacerdote, c
pessoas alCaraente colloeadas ftn posicoes offlciaes
daquella cidade, empregarara todos os meios,
ainda os mais torpes para occultar a verdade do
facto, e desta arte embaracar a autoridado puMica
nas diligencias lendentes ao descobrimento do de-
licto e de seat autores.
< 0 Sr. Dr. chefe de policia, nio recuon ante os
enrbarava* e diincuMaues que the foratmcreados
por semelhantes protectores.
c Demittio nra seu delegado, que se mestrava
oraisso no cumprimento de sens deveres, e nomeou
oara substitui lo o capitao Focio Joaquim do Rego
Barros, que acaba va de desempenhar igaal com-
missao na cidade de Mossoro.
Com essa aeertada e energica providencia
conseguio aquelle distincto magistrado arrancar do
engenho Canada,pr priedade do Rvd. Joao Pau-
lino, a escrava olfendida, pobre e mesqninha cria-
tura, victima da ferocidade da mai dos filhos da-
(|n -lie ministro do Senhor.
a Comparecendo em juizo aquella infeliz, depois
de procedido o corapetente corpo de delioto, foi
interrogada e fez declar3f5es bem compromette-
dura*.
< 0 castigs que se Ihe intligio foi com-etTeito -
barbaro e cruel.
c Assim o denunciam as contusoos, as cicatri-
ze-, esses medonnos vestigios, que foram observa-
dos por todo o corpo e ate pelas partes pudenda-
da offendida, que disse ter soffrido todas es as tor-
turas, atada de maos a um gancho de arraar reJ.-, .
licando suspensa pelas pontas dos pes !
< Disse mais que sua senhor* excedara-se tanto -
nesse casCigo, licara Cao furiosa, que, horas depois,
ttra accommettida de um ataque de congestao, do
que Ihe resultou a morte I
t Consta que a offendida foi posta a disposicao -
do Dr. juiz municipal do termo de S. Jose, para
manda la pOr em deposito, dando se Ihe curador
para intentar em seu favor a competente accao de -
liberdade, attentas as sevicias, que soffrera, e
mesmo por se achar eomprehendida na disposicao
do art. 8 9* da lei n. 2,040 de 28 de setembro
de 1871, combiuado com o art 19 do regulamenio
n. 4,835 de primeiro de dezembro do mesmo anno
e art 87 g 2 do regulamento que baixou com o
dec re to n. 5,135 de 13 de novembro de '872.
< No dia 20 de outubro ultimo, pelas 9 horas
da inanhii. n sitio denorainado Caciinbas do termo -
de Pao dos Ferros, Martini Valerio dos Santos, en-
contrando sua mulher em aduiterio com Pedro
Jose Dias, e, depois de feia e reahida luta. que se-
Cravara entre elles, dara nesto um tiro e uma faca -
da, e em sua mulher uma outra facada sobre as
cruzes, soffrendo tambem por sua vez nui grave
ferimento. Terrain ou se essa vergonhosa e san-
(juinolenta scena com a morte immediaCa de Pedro
Jose Dias e os graves ferimentos daquelle desdito-
so casal, ficando o marido em perigo de vida.
Procederam-se aos corapetentes corpos de delicti
e aos ioqueritos polieiaes, que tem de servir de-
base aos respectivos processos que vao ser instau-
rados na forma da lei.
< Pelo delegado de policia d'aquelle mesmo ter-
mo, foi preso o criminoso de morte na provineia
da Parahvba, Manoel Joso de Mendonca, que sa
acha recolhido a cadeia desta capital, e brevemen--
te seguira a seu destino. Esse criminoso e o mes-
mo que ja uma vez foi capturado naquella villa alii pode constguir sua liberdade por meio dc
habeas corpus no anno de 1869.
Le se no Conservador :
t O major Miguel Ribeiro Dantas, rico proprie-
terio do Valle do Ceara-rairim, resgatoudo capti-
veiro ura escravo que ja era liberto por metade^
perCencenle ao capicSo Jose Ferreira da Costa.
c Foi mais ura acto de geoerosidade daquelle
cavalheiro, digno de todo o elogio por semelnant >
accao
a 0 Sr. Jose de Goes e Vasconcellos Borba con-
cedeu gratnitamente liberdade a um seu es-
(ravo.
t Actos como este merecem sempre especial
mencao e o applause geral .
Os professores da villa de Canguaretanw e da-
povoajao da llrxa do Espirito Santo representarani
ao director da instruccao publica sobre boatos do
recrutamento em suas escolas, adredc espalhado*
para della afngencar os alumuos.
0 director offlciou an Exm. presidente da,
provineia pedindo providencias, o Sua Exc. in-
continence dirigio ao mesmo director o officio qua
abaixo transcrevemos, e que deve desfazer todas)
as apprehensoes e todos os receioss uscitados por
oessdas mal Intencionadas.
0 officio a que nos referimos t: um solemna
testemunho de que as escolas publicas e particu-
lares encontram no illustrado Sr. Dr. Bendeira de>
Mello Filho, n5o so uma garantia, como um desve-
lado protector.
I" Srccao.Palacio da presidencia do Rio>
Grande do Norte, 13 do novorabra de 1873. In-
Ceirado de quanto expozei am os professores da po-
voacAo do Espirito Santo no municipio dc Goian-
nhia, e da villa de Canguaretama, nos oflieios por
copia annexos sob n 186, tenho a dizer-ltio que
teressaado-rae, como ( de meu dovcr, pela b-

%
4
4
-)

_.,..
MHTIUUH f
Ml M
!^.
^awkik^iwkwktw


i
V I

5fofitf dr&rnainbuco Sexta felra 28 de Novembro de 1873.
truccas popilar, procuro desenvolver nesta provincia, laraento quo
individuos obseoadosts mal intencionados pcop,v
lera baatosaterradpressobre roecrutamenta de me
nores, infiuindo deste modo para que sejam as os-
eolas abandanadas e contrariado o nobre ftro, a
que com louvavol e patriot ico desenteresse so tern
proposto alguns professores com a abertura de es
colas nTctuina'.
E' certo que o tenente Francisco Cezar do
Rego Barroj, command ante de urn destacauiente
volante a-) sul da provincia, assmi como am
juizes de orphaos do* termos da provincia, reeom-
mendei que enviassena para a eeapanhia d'apren-
di es martuheiros nmwres nas clrcunstaucias d'a-
quelles, a que se reterem as iastrucgoes que bai
xaratn com o decrem n. 1,591 de 13 de abril de
1855, isto (':, itosValidus e sem amparo, caso cm
que nao estiio os quo frequeatam as eseolas e que
tern paes, tutores ou protectores.
a Autoriso Vmc a fazer esta declaracao aos
mencionado* professores, e a quern mais jnlgar
convenience .
PARAIIVBA.
Foi sanccionada e pubiicada a lei n. W9 fazro-
do diversas altera.oes no contrato de illuminaicao
a ga?. da capital da provincia.
Pelo gremio fio partido censervadar foi sssim
organisada \ chapa Je dcputades jirovinciaes:
1.* districlo
1 Dr. Leonardo Antunes Meira Henriqnes.
2 Padre Aitanio Baptism Espinola.
3 Dr. Benlo Alvis Yiann?.
\ Dr. Chrispiiu A. de Miranda Hcnriques.
0 Dr. Claudino Francisco de Araujo tiearita.
t> Capiiao Sareolino Xavier Tavares da Silva.
7 Dr. Joan Tnemaz Arnaad.
8 I)r. Man -ol Lette Heutt Loureiro.
( Dr. Miguel Peixote de Vaseoncolias.
10 Dr Francisco de Asms Pereira Rcha.
11 Dr. Rrn"*t Adotphoue ?seocellos Chares.
1? Capitto Joao Kodolpho Gomes.
13 Padre Tlicodolino A. da Silveira Ramos.
14 Dr. Jose Luiz Peixoto de Vasconeellos
15 Francisco Jo*A da R. sario.
16 Dr. Samuel TVrtnlian > Henriques.
17 Or. KmiltaHo G wins de Andrartee Silva.
18 Padre Luiz C de Albuquerque Burity.
ft" dbfneto-
1 Dr. Jiiifuim Moreira Lima.
t Or. Autoiiio da T. Antunes Moira Henriqnes.
'' Mr. Ctouditiu flezerra Cavnlcanfe.
i Dr. KraHctco Felix Villar do Carvalke.
i Dr Samrdman.
6 Dr. Manwl Juvenal Rodrlgues da SiWra.
7 .Dr. l.'iu-en '> Bezerra Vicira de Matte.
8 Padre b& Ambrosia da Costa Ramos.
'J-T-.ieiHe-c)r#nwl Francisco A: A. C a;on.
10 J >aqitim Jos1 Mertdesitibeiro.
llCaptti oel C. de A e Abuqucrqne.
12 M :nv-l Melquiades Pereira Tejo.
Sis as ii"iicia3 c^.-nmerciaes da niiima
dal.. :
u l de no\v.m*v.M de 1873. r.""c '> da
flrica.
\.!. .!"," IP or**'. W8 Vt kilo.
de 2. W:
de 3.* i.:3 <
\--it'a d- I." qiwlidade SO .
^ -' is il'jados ."i!)0 t <
Cam! I; ^ibro 1/mdros 2H^?.26 Sj8dpor{!>
68rt8l UlagragiiBM do Hagagens 3.S 12:0*1 ki-
logrammos 3e mercad.-rias e 331 animacs
Nas^ morcadotias cslio c mpreJienJidaJ 483
saccas de algodlo, pesando 37,349 kilograminns, a
13:732 saccos dsassucar, pcsando 1,019:087 kilo-
graratnos.
J<>sA vapor Bahia, em viagem para a corte do imperio,
o distincto liuerato Erastleiro conselheiro Jose de
Alenaar, de volla da sna provincia natal, ondc es-
tcvc desdc agosto ultimo
A CoasW'i/f/Io, do Ceara, dando eoata do sen
err.barque, diz o scguhMe :
'< Hoie deve regressar para a corte com Jsua
Exma. familia o eonsaifaeiro Joe de Alencar, que
aqui se acliava iesdo' agosto cm demanda do me-
Ihoramento para a srta prciosa satide.
S. Exc. voita quasi restabelecido de todo, e
deixa os sous nomcroaoa amigos, ns erilttusiastas
o sea graaie merecimenlo, verdadeiramente pe-
Bhorados com os ados coostanles de cavalhei-
rismo e afenegagao, que sao tSo peetfliares ao sen
catacter.
Desejando esses amigos dar-Rie uma prova
Je consideracao por occasiao ffo seu embarque,
resolveram offerecer-lhe um jantar como prova
da alia eslima em que teem o illustre cearense.
S. Exc, sahendo de tao nobre e generosa
resrflu^ao, agradecea-a com verdadeiro reconne-
cimeolo ; mas, cedcndo % iBPlaneias do amigos,
itidicou-lhes .juc Ifce seria mais agradavel que
mandassem re>af uu missa em acpb dc gracAs
psio estado Iisogeiro de sua sailde.
Tao piedoso alvitrp fraq podia deixar de scr
item reeebidfl ; e com effeito ante h.mtem cele-
!
i)


REVISTA DIARIA.
.#r."i>:ihMfs provfuariiies. it*>*fli's
oi'.i- I .-"fjuirr*; res'ilta-!^ d>;>' dislficlo :
i ollcgi }< Hogazeira.
T-.il-?n':v > 28
AOfinio P-- '-i- 28
Aivineio 28
*JaHHrtoi W
Mitel Mtts 28
Barr w lltk 28
I'.i's'jir. i do.* ..' vi" Brcjo Canbre:, Vil-
la!;-: la, >>.'trol)i>. F. mrnts, taearatd 9 HtjmaUj :
Dr. AaWnin Pauliu CawMOOli de A. 189
Dr. !'>*' N'tcoli i tM afim de CarvaMto 180
Dr. ArciHwo Pereira da Silva 171
Dn Oli!ciBat' A. 'V,al.-aate '.amb'Wra IGt
Aiiioniii A'vtxo d> < )uzn l>iite 138
'Gooego Ant 'iio J sc Fir.nino de Swaos 126
Dr; J >aqnim Fran...-..-.: Karros BuMSQ 97
Dr.'NU.i'oel da SHw IPUfip i)6
Dr. BraacLseo Alves .li Silva 86
Dr. 6at)io.A. dw fi*ia e Silva 80
\ t: rM-re *? i iiubiMaha -Imh 26 do
corWMlfc foi expediilo o segaiulc aclo :
'!lq-resideote da p.ovlnoia, alienAcrA*.h> ijue
represEi.tarain diversas propriejtartos, rawdetos na
fregitC7ia i\> Ti.aliau'ia, ivlatnainea'.e a tfeastrcc-
ij5o d- -isirada ^e rorro de lieyanna aquflila fre-
ju-*ia, c, lend? am vista as Tazoes apresenudas
pekjoageaheiM chei'e da rep-q'tican das obras pu
blicas, '-.insianSe-" fe seu offioio de 11 do correnie
sob u. 103, nc.pare--er do r. Kacoel de Barros
l!:irr-J:. rcaolw qpe liqoem sem elleilo as propos-
la< i bapbaioil M^uel JeFigueiroa Faria e Ger-
nnijftl'iiliiijiiii I Campcllo, irecebidas, em virtudc
da ex* ucio da !e: a. lti-i de 47 de junijo deste
ittoii. Ml 8 -"onsiruc^.u. da referida estrada, ate
que a :sseinbl-'; legisfativa provincial, a cujo co
iihurk.i aiD ssfa subiiicl'ida a inateria, r^solva a
:'cspoi|>.
viitiwl. Por portaria da
praaideflcia ila jinwiucia, de 26 do ccrrenle, fi
noateat1) u ln-licr^l (ieUq Terluliano Fernandes
Qai gwiua'iio prowiiicw' visit nao fer aoeltado. o naes-
mfilusar J-wq BefCi: Seve.
B.'4''^.ml litlerM-ritM. -In porUarias
<=4t pre ii'.'.ncia da proviscifi, de 2' da wrreate,
foitcxjnsradoc ibactard Hw6 Jovquiui du QUvewa
I'ojhx'c. tig carje de iieUgad.o haorario do i* d
fiiii* on ';*.jjet.u. da .N..-s*a SenUora da Graca da
<7%iui!i-.\ foi etaoado piiM o sufesliluir o Uvtn.
vig.ir;-.- 1'rj.nkliq AugiKto Moreira da S:ha.
Sile l'a de Wifievh'oivtiM. S.
Eae. t> Sr. *-j!:vaendador prendeiit* da provtcia,i
atleiidJndo ad grande las na eidtfcte da Pecife, eao augmento progressi
vj ilo nn.'ifTi. 4" pessoa* necessitadas, recolbidas
diariataentv' ao ijospital dedro ill, affeoiadas desse
mal, e em (data de reolaiuafao da junta aJraims-
trawa ladBaptt Casa de IfcseriourdiB do Keeife,
resolves htijldar ootregitr essa corpacacao, petes
^.ofres 6a Uie^ouraria de faaenda, a oaaalia de...
-~>;900ftiDh), para ser applieada- a inelboramenios
snJbpeiMaveis para a .idiowsao alii do maior nu-
mero do doeutes.
Honnasit Soh proptwla de um msmbro
<>ordia, foi, em sessao' jpfirovado pela m?sma Jutna. iue se mande firar
jx ofeo 0' r'etrato do Exnt Sr. cOrritnertdador lleari-
^jue Pereira de Luccna, motto digno" presldeate
^lesta^rovineia^ afini do'scr" coflweadp r.o salao de
^lotira do hospital Pedro IT, pWrpetnardo assim a
oieinwia do maito com que fl Exc. 6eneBcJo
jquetLi Santa Caea.
Um sj|emne,: seaicf sagrado applapso acorapa-
iiha eU ac'o i* jaata da Sajita Casa o das la-
t'rimab consbladaf.. das beo^aoe reconhecldas do*
infidizp.s a quom ella ampara. Se pelas ..maos da
Santa Caaa-recebam elles. os lufeiizus, o boaeficio ;
iicito 6 que por ellae Qiesmas agrad&;am ao beni-
feitor.
Huspitt&n d adina^| nativo. para as obras deste novj eslafceleci-
mento:
a Cabrobu, 3 d-j outahro i!e 1873.Ii|m. a Exm.
Sr. coinmen lador Dr. Ksnriqae Peroira de Luce-
na.Di'soulpa peco a V. E\'% de (Diuha oiisadia,
:mdiiigir-me a V. Esc,'pel* forma quo fa<;o.
Junto lenara V. Exc. 20*000 #b-do, one offere^jo
para o aeylo de aKenaduq, do qoal e, V Exc, **$
Eupodja mandar cst obtiio wr int^r-
l:7I3i')00
l:6li64O80
1:511*200
1:300^000
1:500*000
1:300*000
1:000*0 <0
9-^84760
908*00 i
592*220
35 '30 "0
-120*000
50*000.1
que segue Me1
acfeza produiida
que Ihc foi ius-
brou se na caihedral a miseaa que S. Exc as-
sislio com S. Exma. esposa.o com grande oon-
curso de 4istinCtos caA-'allkeiios.
No fim da tnissa S. Exc. foi sorpreheadido
com um aclo de distincta piedad* que o seu havia
inspirado.
Com o Tesultado das assignaturas, prornovidas
para o jatitar, foi alforriada uma escravinha, cuja
carla de liberJade devia ser enlregue daqoella
occaia?vpelq illiwlre consellieiro em ho/aenagem
ao majto que Ihe tern cabido fazor embeaa de
todas aij' ideas ^eaerosas, que so tera levanlado
nestejiaU.
riiram notaveis e summameatt- repas^adas de
sKnsiveis emo^oes as suas eloquentcs palavras ao
ntregar a c.-craviaiia o documcato de sua finer-
dade e ao agradecer aos arnigns a'qaetla lembran^a
piedsa, serito como uma das mais gcat&s recordacoes de
sna p;i?sap'ui peja terra natal.
Soniiiiio? nao poder represenfa-las, mas os
CMreuses que se orgulbam de admirar a-pielle
ta'onlo sempre inspiraJo, poaVm ajuizar do sou
valor intnnseco e da sua forma elegante.
Depois foi acompanliad) por todos os assi'-
rentes ale a sua casa a praca da Assembler.
Besta-nos agora d+rigir as nossas ard-mtes
siippliias ao Todo Poderoso para que, reslituin
Ji em paz e salvameatx ao porte desejaio, Iho
dilate os annos para gloria da palria, c desvane
cioienio dos seus innameros amigos e admira-
doros.
Oiuhciro. 0 vapor Biihi'i trouxc para :
Luiz Aalonio Siquetra 19:794*500
?ionics do Uattos A Irmao 10:873*00
Bqmingos GoiK-alves da Silva Torres 9:200i00
loaquiinJose Gjucalves BellrSjdi Filho 3:000*ou0
Silva & Alves
1'iioinaz Rndrigues Ferreira
Vianna Castro & C.
Joan Ramos & Machado
Carneim & Nogueira
Alfred'.& C.
J. 0. C. Doylo
Antonio A. de Soeta Agniar
Jofiii J.ise 1! Infi;-'- Miifld'-'S
Jose Ro.lrignes deSouza
Dr, Antonio Cpejfo Rodrlgues
Cyi-illo O. P. la Hniia-
Gcntil A. do ytoraos Rittenourt
Respesta C. msta-nos
para a corte no vapor Bafna a
por S Ex in. Ileviii. no pivcesso
lanr.ido peranle o supremo tribunal de jusflca.
Fotiviiliirlf rdi^riesa. A do Senhor
Boni Jesus dos 'Passos da matriz de Sao J >se do
Manguioti) foi transferiJa para o dia 14 de de-
zentbeo proximo vinlouro.
\rs-nds Nao podem ser mate insisten-
(es as queixas levantadas pelos habltantes dessa
frcguezia contra a fafta dagna polavel qnc aHi se
seiita ; Hquoin, pordm, ccrtos eBes que clamatn
no deserto.
0 mettior e dirigirem nma representa^So formal
ao Exm. prosideste da provincia : log apparecera
quern I es de agua.
liM|t>si4 pcssital. Tormina amanha o
prazo para paganiento livre de mulia, do ?. se-
rnestr deste imposto, do exercicio de t873 a'1874.
MK>.as Funebres. Hoje, as 7 horas da
ifanhi, mamia o Sr. Eustaqnio Antonio Gomes ce-
lhrar. na igreja do Paraizo, uma missa pela alma
d* seu tinado pai o commendador \ntonio Jose
Gomes do Correio, por ser esse o trigesimo apSs
seu pitssatneuto ; e as'8 horas sera cetetirada uma
oirtra mrssa, topi memento, acompanhada pelas
educand:is da casa dos expostoS, aeto este promo-
vido pelos empregados tit Santa Casa de Miseri-
cordia.
Amanha, as-fi horas do dia, na igreja do re-
colhimeflto da Gloria, a mai e irraaos da Exma.
Sra. 1). Julia Vaz Pereira Ferraz, fallecida na ci-
dade d eterno lescango.
Instiliito Arclienlogr'^o <* Cengra-
|thlc*. Rennio-so Imntem, sob a presidencia do
Exm. conselheiro monsentior Munlz Tavares, e
com assistencia dos Drs. Soares de Azexedo e Pau-
la Sales e dos Srs. Tones Bandcira, Augusto Cesar
e cirurgiao Ferreira de Almeida.
E' Iida e approvada a a'eta da sessao antece-
dente.
0 Sr. secretario perpeloo menciona o seguinte
expediente :
Lmoffkio do Sr. Rento Muniz Barreto de \lello,
ofTertando bilhete da loteria extrahida em 1807 em
beuelicio do theatro de S. Carlos e ileclarando que
opportunatnente compareeeria a solieilar deste
lasti.ulo um diploma de socio correspondeate.
laieiradu, si-ndo recebida a offerta com agrado.
fi tnesmo Sr. secretario perprtua da conta das
sagekinte) nffertas.: varjos ns. do Tthvi > de Per-
miMbitc*, #elo crihsocie Or. Fignetroa : aigans ns.
dkPh'Vitia'a.e Lrberti, pelas resrtertivas 'reda.c-
goes ; um exemplarda FJHnrthn Cntkohoi para o
ahoo de 1834, pelo Sr. tieraldo 11. de Mira. -Estas
offertas sao recebidas com agrado e nundani-.^
arcfclvar.
- Vein a mesa uma proposta para admissao de
tiin.-spcio correspondeate, ijue o. remetlida a com
mrssao ros|iectiva.
Gausas Iiuiiin^; 8r. -Br. Joaquim Goncalves Lima, juiz de direilo,
-substitute reoiproco do 4 districto crhniiiat, Ju^gon
npliu o processo policlal contra esses Srs. insttu-
,-rado pelo exercicio illegal da medicifia, em vista
da sxopc'i i p .: .'lies allegada.
Coftsta que cs mediees'^ocu*idores appeHa-
ram dessa scalenca para o tribunal da refa
HO.
0 precetso par crime de esteHionato, iaobei
instaurado contra os mespios 8ps., n3o. tomtidean-
damento.
Sun diaSMle. -Lemos bo Cem'eiue:
Do anno de 1*74 em diaitfe, o dia do patriar
4< N'a faia de adjuotos. que aindaj^e forara
propos'os, pot cir^umstancias iudopcBdentes da
voiitadudQ Jhiv Jo direilo, no dia 7 do orrcnte
foi por elli! nouteijo promoior iaterino o Dr. Ti
Imrlin., ^r)im\ Sftgueira, quo nesta qualidaic
servio loco rf, nltinio Jia da sossao do jury, qnaj*n
offlcialmente consfou se achar o eflectivo remo-
vido destl para a comarca do Bom Conselho.
Pelo-delegado deste termo foram descob er-
le-s c presos Qoiriao Antonio da -Silva e toe Frao-
sco da Silvav Mpnunci*** na villa dos Milagres,
provincia. do Qmi, pela leatativa de morte do te-
oeote--:oronel fanuel de lesus.
AclU-se preso e e*i sendo proccssado por
crime de ro*o Ricardo Roberto de Lima, que
mi'io de etiave |falsa ha mi
por
desta
fazendas e ojjros objecjpa duma das lojas
villa, eso.agera pilhado e descoberto.
|iais.anEi vez esquecWas as sagradae leis da
natureza: mais uma vez concnlcados os natnraes
seotimeuU)'da maternida.de. -- J
No terrao de ViUa-nallaestA aendo processada
uma muftor, pe'o horroroso criiae do. ter enter-
rado viva uma criauca logo depois de a dar a
(uz. C-nsfa que "a infelfz conTessara o crime, pre-
textando lor sido levada a isto para occullar sua
deshonra e a'onselhada pw aqnelle qne Ih a cau"'
saria.
GrandTe Oriente do ^(orte. -Lemos no
PaiZ \
Informam-nos que alguns morabros das Jiver
sas lojas rua;onajas desta cidade promovem uma
reanfao na q ial so deve tratar da crea?ao do
Grande Qritn&e do Norte ott do il iranhao, que
sera o centre da maeonaria da provincia, o qual
por esta forma em nadadjpendera dosOrientes do
Rio do Jaaeiro; consta-nos mais que esta idea vai
erean lo progelytos.
S ii U'id in de um vice consul brasi
Iciro. Lemos no Dtdno da Gram Para :
As fillias norte ameri^anas trazidas pclo Jfer-
riifMck, dio-nos a noticia de ter so suicidaJo no
dia.17 de outubii em Boston o Sr. Maaoel Bar-
ges, vice consul brasileiro e consul portuguez na-
quella cidade. 0 iafeuz>matoa-se' disparando um
tiro do pistola n> coracao- Foi no sea escriptono
que commetleu e$t'e acto fc desespcro, que nada
faria prever. Vm mstaate anies sahindo de sua
casa abracara sua mulher e dissera-lhe alegre-
aiente adetis.
Atfribue-se fMc suicidto a emharagos pecuoia
rios 0 desvent'nrado publicara ba tentpjs uma
obva^pf .1' jres, .paee muito apreciada.
I*li:trol do Aracatj.-Lemos no Cearense:
t 0 goveruo ja celqbrou ) coatrato com o Sr.
Ha'noel RudrigUes dos Sanlus Maura para a olio-
Cacao do pliarol do* Aracaty.
Deve ser c dlocadj ao lugar Barranca Ver-
mclha, medmdo 31 metros de aitura, ficando a luz
a SO metros. A poucaoc a seguinte : 4, 2V e
3" 0c lat. S. e 3\ c 20" de Ion. E.ll. J.
i A posigao foi dejenuiuada pelo Sr. capitao de
fragata Antonio /faufu'w de Mcllo Tauiborini.
0 govern) iiicimibio ao engenheiro Dr. Julio
Alvaro Te/xeira de Jdacedode flscalisar us obras.
d Dr. Macedo ja esleve iKumella cidade e exarai-
nou a posn^ao.
Brevemente ocontralador devera dar comeco
aos tralallwsjj
Vapor Ipojuoa.-Accrca deste vapor, da
compauhia peniauibucaaa, esperado cm nosso
iwrto, lomos no C-uirnsc :
i< Ja .sao conhccidQs.os niotiyos da domora desle
vapor, ha tantus dias esperailo.
Ao deixar a tiarra do Acaracu', de v.Ita para.
p nosso |Kirtu, pai'tia uma pe;a da raachina, can-
seguinJo alcan^ar o Mundahu, depois de 2i hi.ras
amerce do vento e das on das, segundo virtjes de
uma carta do respcclivo commandanle para a Sr.
agente nesta cidade.
o Tern de dcinorarse uaquJIc potto bastante
tempo, por que a pei.a tern de ser re.nettida para
Pcrnambuco. auiu die ser alii concertada.
VUpor Pirupuiua Scguio do porlo da,
Forlaleza para os ao Acaracu' c Granja no dia 22
do corrnnte
Iiniiortaf-ao de ti-igo.- Em conseqoen-
eia da escassissim.i colheila que liouve este anno
oni diversas provinciasda Austria e cspecialipente
na rtungria, o gp.erno d'aquelle imperio pubficou
na Gaze/a Ofpci'rfa seguinte decretp:
Ficain supprimidas tomporariatnentc os direi-
tos do ioip irtafao para trigos'e plantas legumino-
sas, com referaficia ao i\. da lei fundamental
de. 21 do dozjmhn de IW7', relativa a ropresenta-
caenacional.
. Ficain sapprimidos desie o I." de outnbro de
1873 at-i ao fun de setembro de 1874 os dtreitp>
de iraporta;ao para trigos o plantas leguu ?3Rs
deslgnadas rio art. 10; tH. A, K, C; das tai-f ge-
raes austriaeas de a de dezembro de 1 jA, etc.
Bsia_ disposicao serajtosta em vigor a cAntar do
1." de o'utubro' de 1873.
Breton de los Herreros. Morreu em
Madrid o roais fecundu escnptor dramatico lies
panhol do presente seculo, D. Manoel Breton de
los Herreros, cognominalo pelos seus admiradores
it [I'niT dos engrnhon.
Desde 1824 ate i849 escreveu 78 obras origi-
naes, e com as traduecoes e anropriao<5es do t ea-
tr> ant.tfo, i'onnavamjao total le 136 producfdes.
0 genero cainico era o predilecto do notavel
atltor, e dclle deixoa preciosos modelos.
Os funeraes verificarani so com grande po.npa
e snlemnidade.
Modus. 0 Jornal do Commercio, de Li-boa
da a seguinte d^scripcio das ultimas modas de
Paris :
Os efaartSoa mais baratos. os quo as senhoras
economics devom preferir, sao os chamados de
mcia estacao de grosgrain ou de feltro, como nesio
momento "as pessoas st-nsataR estio adoptanto. Coin
o accessorio de 'fannies on de lajos de velludo
tiansforrtiam-se facilmente em chapeos de invert
no ; ao passo qne ftzendo sabstitu'ir esses enfeites
por nm?. rctmrpe de crepe e (lores, podem sef
usados no verao ; Unto mais que as passadeiras c.
as (has de atar'por baixa da barba, de'setim ou
de vellndo nao-s6 estao perfeitamente arcita. pela
imda actual^ mas usam sedurante todo annti. E'
preciso comuldo nlo esquecer'que, comipianto se
controver'a a ordeTn das lazendas, adtnittindo-se
ho verao o veludo e o setim, a moda nuoca1 per-
mitte o uso da palha o da rausselma. no invi>rao:
Em lugar da irtoda dus ctmpeos de cor idcutica
a dos trajos, o qijte obrigava a ter um chapio para
cada toikrtt;, adopLlram-se dons exjoedientes mais
ecoh'ohiiros : uin-qUceu nao; adodsemo,' po que 6
acho -vulgar, e de gosfo duvidoso, consisto efn ter*
Un chaps^) preto carregado tie flSres e de' plamas,
np genprt jHrdiiiettd, isto e, de todas as cores,
amarell'i-, cor de-roSa; verde, etc., de m'aneira qnp
esse amalgama diga com quaf que se 096. O.eutrO, que'e de muito mclhbr gos-
to, e adoptado nelas sehd(Jra% da melhor' socieda-
dp, cmsistq igiial'meinte em ter um cliapeo'preto1,
i lacos e litus dH nw*sma eir^ e uoia carxa de
pppellao cheja.de extreinidades de plum'as, aigret-
tes c de Boi'i's ''u* digam' perfeitameBte' com a cor
dp cada vestido que se possue; depois, quando a
dona se veste, troca deueadamente o enfeite do
chapeo por aquelle qnc1 sfeja di C5r do tr'ajo com
flpe sahe nesse dia.
As, plumas :unes em chapeo preto, que tanto
foram moda nos annos anferiorps, haofazem furor
presentemente; a cor dp palha de milho e cor de
rosa desthronaraovas ; as pridw^ras has -senhoras,
catadas, e as scgundas, oas solleifasimas o azevicJie
tatUde do sen compriraenb regnlar; frwzaaa o
panuo peJomeio e do cada lade transversalmente
cm todo o comprimento. e forma-se um largo
boailtoun-: ou serie de lufos. Pfiem-se-lhe os vie-
zes depois. segundo o costume, u cosem-se os
franzilos aos pannos dos lados, hue e-1ao a chatb
on lisos, cemo lhe quizerem chamar; estas costu*
ras guarnecem-se ao comprilo e a vontade, assim
como as do mcio, onde ficaratn. os Iranzidos. Oa
paqoos dos ladoss^H lisos como deordinario ; mas
os de iraz funaau, tafo, franzi:los nas costuras.
Este model: sando feito ile velludo, fi;a muito bo-
nito, e pode esecutar se com uda a fazenda.
A proposilo de velludo, nao devo omittir qae.
mais do qua Bnca, e usam gaias d'essa fazemfa
com p lonezas, ou vestuario de qualqaer outro
tecido, a vontadj. Ainuiciam as casas de nego-
cio saias de velludo inglez muito elegantes, por
prcco fabulosaBiente baralo. Mas at vellndos em
toilette neglige's tornam se felssimos ; sao :omo os
brilhantes tanto uns como outras, para fazer
effeito predlsam do brilho dasluzes e das gramdts
toilettes.
As vestes parisienses,sem mangas continuam a
gozar de voga'que vai augraentando de dia para
dia; e dc vettsdo proto, com ellas se fazem de
preferencia, tem a irrn-.cn-a vantagem dc tornar
mais in'igra quom as usa. Os collettes a Luiz XV,
com abas compriuas e algibeiras partilham do mes-
mo favor ; pdem-se por baixo das vestes on do?
corpos decotados, ou por eima dos corpos afo-
gadps-.
Loteria. A que se acha a venda e a 77.",
a beneficio da malriz do Bam-Jardim, a qual corre
no dia 3 de dezembro.
Casa de deteuyao.Moviraeut-; do dia
S6 do novembro de 1873:
Existiam presos 315, entraram 5, sahiram 4, exis-
'em 3 6.
A saber ;
Nackraaes 2j'3, mulheres 8, estrangeiros 29,
etcravos 39, egeravas 7.TotaJ 310.
Afimentados a custa dos cofres pub|icos 253.
Movimenio da enfermaria no dia 26 de novem-
bro de 1873.
Tiveram baixa:
Jaafjuim Jojse de Oliveira ; rcphalalgia.
Maaoel Antonio da Silva; embarao gastrico.
Antonio Pereira dos S-ntos ; sarnas-
Passajfeiros.Chpgados dos portos do nor-
te no paqucte brasileiro.BuAVa:
Alexandre Richard. Francisco da Silva Azevedu,
R. M. Hyde, Joao F. de Oliveira, Antouio Pinlo da
Graca, Mapoel la Silva Xalacio, Barral C. Joseph,
John N. Crope, Fraacisco Ramos e sua mulher;
Augu*to C Steubor, ig-wtininj P. J. M. de Olivei-
ra, tenente A. R. Cbaves, \V. Henseng, Ildierto.Mor
jole, Joao Carlos Figueira, D. Tlviodora Jaaquina
de Souza Braga. Dr. C. P. deOlivuira C;nraes. pa-
dre Joaquim Manoel do Oliv.-ira, S_G do Oliveira,
D. Gtelviiia F. C da Silva, Manoel Joaqnim B. Ri
don, Jose L. da C ista, Jpaqpim P. Ro liigiies da
Silva, Francisco do Paula Rodrigues, Jo.io Btptis-1
ta do Albuquerque Junior, Antonio 0. de. Mesqui-
ta, Juvencio Ferreira Marinho, Joaquim Gonealves
Filho, padre Bernardo de S. F L>9ilaa, Francisco
R. da Silva, Jose" Joaquim de A- 'Machado* Dr.
Elias Frederico de Albunupriiue, Julio M. de B ir-
ros, Antonio Furtado da Motia. Jasii Rujlqe S. Ran
gel, Manoe} Olivaira Gabaclo, Mao ml -\1. D.mradj,
Lui P. de; Alcantara e 2 eseravos a eniieyar.
Seguem para os portos do sul no mesmo pa-
que*e;
Consollieiro Ajeacar e sua familia,, 2* tenente
Fefippe F. de Castro, capijio Esl(ev.lo Joaquua P.
P. Santas e saa inulhor, Jose dos Santos Carrega.
padie Jose da Gloria Santos, i praeas-e 90 esera-
vas a oa^rog.-ir.
Vindos de Mamanguape no vapor hrasifciro
Cur&ripc :
Joao Felizarda e sua irma, Andre I*eile Leao,
Jose Gomes de Pinto.
Sahidos para os portos do suluo [lapiota in
glez Sem :
Manoel C. da Cunha Marques, Dr Hmoriq A.
Ribeiro, Joaquim A. Alves Ferreira, Airtoaio Vian-
na Junior, Jose CaUelloes, Antonio II. Cordeiro,
Kloy Jequitinhoaha, J. iiaptisla Pereira, A. C. do
Naseimento c Silva, Joaquim de C. Carvaldo Pe-
reira Lagos, Bernardo T. Miguel.
Cemiterio publico. -Obiluaho, do dia 26
do novembro :
Tneodora Maria do Espirito Santo, parda, Per-
oambuco, 28 annos, solleira, 15 la-Vuta, hospital
Pedro II ; tubcrculos pulmonares.
-1:1.-1; Antonio.Serving, pardo, Maceio, 25 annos,
solteiro, Boa-Vista, hospital Pedro II; varjolas.
Joaquim Jose dc Santa Anna, pardo, Macaui, 36
annas, easado, Boa-Vista, hospital iniliUr ; gastro
enterite. *
Maria Constancia Vieira I'oreira, branca, Por-
nainl.uco, 30 annos^ casada, Afogados ; party.
Manoel, pardo, Pcrnaniburo. t annos,' Recife ;
febre perniciosa.
Maria, preta,. Pernambuco, 14 mezes. Baa-Vista ;
gastrite.
Antonio, branco, Pernambuco, 3 mcze.s, 5. Jaso;
variolas cofluentcs.
Joanna Belizaria da Silva, parda, 20 annos, ca-
sa la, Santo Antonio ; marasmo.
Jaemtba Antonio Galvao, prelo, Peruambuco,
25 annos, easado, Graca ; pneumonia.
Joao Pedro de Azevedo, branco, Portuiial, 26 an-
nos, solteiro, Afogados ; tuberculos pulmonaros.
Maria Joaquina Dantas, parda, Pernambuco, 50
annos, solleira, Recife ; bexigas
Alfredo, branco, Pernambnc), 3 mezes, Boa-
Vista;: febre remittente.
Wf/edo, pardo, t annos, Sauto Antonio; variolas.
Severina Maria do Coracao do Jesas, brauea,,
IVmambuco, 90 annos, viuva, B<>aYislai volhice.
Can, lij'a Joa juina de Carvalh >, branca, Pernam-
buco, 64 annos, viuva, Boa Vista; gastro onterita.
. Candida, branca, Pernambuco, 3 1(2- annos. Boa-
,Vista; febre cerebral,
Jose, eacravo, preto, Africa, 50 annos, s^Itairo
Santo Antonio; diarrhea.
o que nao negamos c ate adniittimos por hypothese.
Por hypothese adnuttimes, parque ate- enlio nao
tinhamos conhecjmento da .quo havia feito o Sr.
Dr. Moscoso.
Do Todo o escarcea. que te:n feito a Prooinciaa
proposilo de asylo de alienadoe, so reaolta uma
cousa e 6 a d6r d'alma com que os provincianos
veem essse gigantesco empreliendimenlo, que tan-
to honra e abrilhanta os sentiiaentos e o? ereditos
Administrative* do actual a'lmini-'.raior.
Esta e a verdadc.
^iBI ICAOOtS PEWDB
tiiestilo Hascaro e Ilonaingaez
Do jornal inglez Tke Lancet, de 20*de- setembro
ultimo, traduzimoso seguinte:
Outro phariwceutico. preci'lente no tribu-
nal.
Algdns dlas ddpois de nJtieiarmos a condicao
vergonhosa de uma pharmacopea previdente dm;
gida por um adjunto inhabi!, debaix'o das vistas de
aous pralicos, residindo ambas, apparenlemcnte,
a alguma distancia, temos a noticiar em outro caso
muito somelhante no tr'.bunal de policia de C1-,t-
kenwell.
No dia 4 de setembro o Sr. H. lier, 110, Co-
penhagen Street, foi accusado perante o Sr.
Cooke por te falsamenie pretendide ser pratico,
logalmente habilitado.
A falsa preten^ao aile^aia iai exercida com
o que chamase pnamracopea previdente de Ca-
d'mim toed, na qual 'a Sr. Ker veeeitava os
doentcs. debaixo das vistas do $r. p. m. Harding,
Guipwd Street, Russell Square.
a Havia um pequeno eartaz, como w oulru
caso, no qual o Sr. Harding apresent*-s cemo
cirurgiio, e o Dr. H. Ker se dtz medico resi-
denta
c As vantageas peculiare:* da instilntcad vorse
had de uma vez Extrahimos do eartaz o se-
guinte :
Subscripcao: MeJieina *consaKa -um shil-
ling por seutana, durante a molestta soniente. -
Visitas em casa, se for pre;iso. ires shillings por
semana. somente durante a molestia, ete, etc.
Appareceu uma testemunba para deper que na
Pharmacia foi vista e receila dapelo Dr. Ker. e
aliegou que, com quanto o name da acousadonio
estivesse no regisiro, tinha preenchido a sua mis-
sao o era perfeitamente np o para desempenbar a
cirurgia. A perfeila aptidaa do accosade pa
recia consentir na posse de eertifieados do collc-
gio de Philadelphia No; tern s sampre aeonse-
lhado aos que tern a infehcidade de possuir graos
de Philadelphia que guard-.ni o maiorSegredo. O
Sr. Ker provavelmente far., tssim para o fa-
turo.
Foi multadi de t. 5 pub ttsif de, nao eslan
da registrado, ter feito usa do titubj de Dr. por
forca de um grao estrangeiro.
a Nannum diploma eslraDgeira, disseeSr. Cook,
da ao accusado odireito de: usat desse-litulo :
e accressent-u : ainda qu alguia ostei* ao re-
gistro e tome um litulo mais ilw, pratica uma of
tensa contra a .consiituii.-Ao >.
Se o Sr. Ker fizar usa da atole oatra vez
em virtude de um gruo de impostor iateira-
mente sem merecimento, infailivelmeate sera mal-
tado cm uma quantia maior.
t 0 Sr. Harding nao tom mui'.a ra/aa para Hear
saiisfeito Com a palrle qae tjmoa- o accusado ne-te
caso. Disse qUe Hao aatamoa o accusado a as-
siiniir o titulo de Sr. Dr. -. e juiz qae elle se
apreeeotasse como i empcegada nsMMtt ".
Notamos a liaguag-m das carlazes, e i custo-
90 relirar do Sr. Harding a rftsponsalHlidaie que
nelles tern- Porem, ainda quanoo alia nao os vis
se, e estranho e iucivil ver um pratico em Guil-
del'ord Street, um peiisioinsia do.colragM de cirur-
gioes, Irabalhando com Um Dr. da Philadelphia
4iara restabeleceriJms phirmaei+p#ovideBtfeemCa-
ledoaian l-ouil para tratar dw hahitantes (sic}, em
lermos qae Oao ado compallvjis c-ain o supprimon
to de boas medicainemos, e udai dizer a raspeit')
de jiericia e informacoea <.
Lendo no Diario de PertambtfCJ um aHnunc'e
com visas 6o edited da coropaahii Recife Drainage,
cm que deelara- que se acham proinpUs para
fnnceionar os apparelho-; peihwljoi ids predi-as
de diversas ruas que mencionj, enire ellis a do
Ha.-picio.de us. 4 a 34, e .seoda.de ininba propne
dado o de a. 14, vepho protester que6 falsa ter
dit.i companhia callacadu apiiarelha algum n'elli
1,'iuio mais qua nio eoasiiMiiuaCoHocacio de taes
apparelhos na referida casa a em outras de mina
propriedade, que oblive por herafica de :neu tina-
do pai. coino por carta its sciente a comnaahia, e
a raza que tenlia para ass;.m proceder, resaua de
se ter demonstrado a nenhUna-uiilldade das obras
feitas por ella, quo nao estio na conformidade do
contrato, a de na*. ter ainda S. Bid o Sr. presi-
dents resolvido arespetta dos esamai \ pie man-
d-ju pr- coder.
Depois que S. Exc.dacidir tal pe-ideucii, a que
tomarei qualque* reaulncao.
Recife, 27 de novembro de 1873
JjVu'a fA'iuino Fo/mom,
tfete#,*tlfrihoio e ri*co t ftt!mente de qual-
juer natureza, cm vaporos, navios & vela oi
barcagas, a preatios muito mniiieos.
RLA DO COMMEliaO-N, 34.
PRACA DO RECIPE 27 DE ITOVEMBRC
DE 1873.
AS 3 1/fi HORAS DA TASM.
i otm^*vm meiaves
Algodio do Pilar sem inspeecao 7*100 jr 1-'
kilos, hontcm.
Cambio sobre Londres a 90 djT. 26 ii8, J
1)4, edo banco 26 d par it
Cambio sobre o Porto a 3 dr. 1120|0 de pre
ralo, do banco.
Saque sobre o Rio de Janeiro a 15 djv. a: pai
Leal Seve
Pelo prtsidente.
A. P. de Lemos
Pelo secretark
__ ALFAXDF.GA
HHRHRHI de dia 1 a w;
Idem do dia 27 .
889:526 W3S
24:629*6:
914:i5tiOi:
Descarregam hoje 28 de novembro
Vapor nacional Cwurtae generos naeioaae-
parao trapichc Travasso.
Hiate ameriranoJVqpWfafarinhaja desp;:ha't-.
para o caes do Apollo.
Patacho. Inglez Malaga -fariaha ja desf-a.'.h**.
para o caes do Apollo.
iiportacao.
Vapor nacional GuruWp?, eulrado d-; Ha.iuaa
guape em 27 do cofrente e consignad" a edmpa
nhw prnambiieBa' de navegacae cosleira porw
por, manifeslou:
Algodio 230 safceas a Fernanlee da Costa, IW
a ordem, 100 a Raubach Caha & C, 100 nd-
menle Lima.
Couros salgadas 2d0 a ordem.
Milho 250 siceds a Pereira Carneiro & C
Para todos.
A casa mortuaria dc Paula dc Malra con-
tinue a bem servir ao pffbituo; cm quantos
seus proprietaries ou silo deferidos uo re-
curso que iutorpoom ao lous'.'itio d'estado
contra o monopolio conccdido a outrera, ou
sao a contento iiidemni-sadijs pelos monopo-
listas. E para que ninguem se illuda a res-
poito, scieutiiicam ao rospeitiveL pubiwoqoe
so acham providos do material nocessario e
com carros novos.
Vapor nacional Bahia, entrado das poniH
norte no mesmo dia e consignado a Pereira .Vim-
na R C manifestoa:
Carga do Para.
Borraeha ftaa 1 caixa a A. Ca'jrs.
Espingardas 1 caixa a S--aw Hawkes & G.
Carga do Maranhio.
Arraz de casca 50 saccos a Francisco G. R e
Sa. 50 a Joaijuim Jose G. Beltrao & Filho.
Barricas vasias 4J5 a J. J. R. Mendes, 2Wa
Joaquim G. de B istos. Bon,ets de casemira 1 ci
xa a J. Ramos & Machado.
Panno de linho para lencoes 1 caixa aos <*<-
mos.
Qneijos londrinos I caixa a Francisco Goneal-
ves B. e Sa.
Carga do Ceara.
Cafe 50 saccos a Joaquim Jose Gonealves BeW.i*
Si Filho, 50 a RI Lal>ill: 30 a D. da Costa-Perrewa
10 a Theodora Christiansen.
)FSPA::H0S DE EXPORTACAO NO DIA 2*. IIP
NOVEMBRO DE 1873.
Para os portos do exterior.
No havio inglez Isander, para o Can*;, car
regaram : J. Paler & C. 3,000 saccos com 225,000
kilos de as3ucar mascavado.
- No na io inglez Bloomer, para o Canal; car-
rcgaram : A. H iwia C. 1,000 saccos com 7S^0(>
kilos de assticar mascavado.
- No navio inglez Balclnthi, para Liverppai.
carregaram : 4. Paler. & C. 108 saccas com 9,15"
kilas de algodao ; T. de Aquino Fonseca 4 C.
Successores 100 dit'as com 8,742 Ii2 ditoS di dito.
Na vapor inglez Doaro, para Liverpaa', car
regaram : Rodback Cabin k C. 300 saccavcorr
27,144 kilos de? algodio.
Na lugar frartcez Rio Granle, para a Havre,
carregaram : E. A. Hurl-' 4 C 18 couros saiga
dos com 378 kilos c 1-5,000 ditos de ossos dc brji
No navio itafiatito IVrezuefta, para o carregaram: S. Brothers & C 200 saccc-: com
.'10,(100 kilos de asaucar mascavado.
No navio portuguez S. Manoel II, para' c
Porto, carregou : M. G. S. Leal.4 barris cilH 110
lltros de agnardenta.
Para, os portos do. interior.
Para o Para,, na barca partugueza lucife
carregaram: Atnorim Innaos .4 C. 45 barnca.-
com 2,580 Ii2 kilos de assucar brinco ; A. Cor
deiFo 331 ditas cam 13,4J9 ditos de dita : P.
Vianna & C I nipa.com 486 litros de aicool ;'A'.
A Galmarles 90 hirrieas com 1,3.7 lit kilos dr.
assucar branco; M. I. Alves 23 ditas com 1,738
ditos dc dito.
Para o Rio da Janeiro, no vapor- brasileifo
Bahia, ctirrogoa: I. Gonealves 2 barricas cam 24
abacachis.
Para o Rio Grande do Sul, no pataeb.0.bra
sileiro D. Francisca, carregaram : A. Cordeiro
376 saccos com 27,750 kilos do assucar branco .
P. Vianna 4 C. 350 ditos com 23,300 ditos de dito.
Pan o Coara, po vapor brasileiro Giquiu,
carregaram : Costa di C. 70 barriqniMhas com
4,243 kilos do assucar rcfiuadq.
Para Alagoas, na barcaja Vene:a, carrega-
ram : Algonez & Car.\alho 2 barriquinhas com fit)
kilos dc assucar refiuado.
Parao Rio Grande do Norte, na barcaea Mi.r-
ttca Cut .de, ^arregeu : J. B. de Canalbe 3 barri-
quinhas cam 3*2 kilos- de assucar refinado.
CAPATAZlA DA ALFA.NDEGA
lUodimento di. dia 1 a 2 1630SWW
lde/0 do. dia 27 ... 631*5?!

fundador.
m>*dio da camimssjLi que uiandau V. Ekc. aquj,
'rear, mas apreaso-me em Tazedo. aiitos. Manil^
V. Exc. suas brdens.Do V..Jixe..mmto respejta-
dor e obrigado. Berlitio- Iobs de Araujojt
Gabiuete da presid--nci3. jde Peiaiajiibuco, ein
25 da novembro de 1871 -Ilbu. Siv Bertino Lop-s
deArauio Fio de p .ssi- iLi..quaiu de 20*000.
que V. S. me' remett-iu am carU 4'|3 do correuta,
aig_uando sd decoriesjioBJ-a- assim ao appello que
ihe._fiz, om.proldo as>io de aliKnadfs. Louvaado
c a^raJeceaflu a Vj S.,a sua twnevola coadjuva'.**,
:u^up(t^-mea?3t*uar-lhe 03 ineus protets de
res^auoU'ic'oasiderasao. De V. &, muijo attentu
venerador e criado Henrique Pereira de Lu
Ettrada. de fferro do Recife ao S.
Franei**!*.-Esu via de commanieagao, a>.
pr.'Ximo fipdu mvz de outubro :
lleudeu ."O:8fl4*3S0i
De^pen-teu 34:249*710
efca S: 119 de rnarc^) padrie.ro universal, ^^ p^UmhTl^a&l^'lm^^Q "'^^ lificamdMe meDt|ra "quanfoescr^vera sobre ope
'^ca, e de tulle musm,: eepa muito alu de Prafcos, prova exuberantfenieote o espirito de
,.jdo preto, r^caawate,eiif^ado .com conUa* de ve^aJJf. que(presidia a n-wj' contestacao.
azeyiche, bemxoiiio; A poasrmade aigrette de E ^ <6fto Di^ eSUt ? aiwche, posta n'um'tope, esjieciede laco, aace- ff- Dr- LuWni *? *. a .As?0,,|afio dos Praticos
curdc, de velludo >alpicado.com rai.sganga, fonde .pedido algum de dmheiro /
sbe um marabus br;mcp.ody 'orroa de cb.rao ; as -iJ^J1 8st* br' 0r-MojC--
*ri*s ou.faeitas,de|t/fe,-braaca, preadeada muito,?0 ,0 corrcute appareceu declkraado que n
atflaz, cercaa aicuia ouythignan, wu am por baixa f**ra e.'n,sano do E?m Sr. Dr. Lucena quando
d(vuca, vo/taado para diante, e, circumdando >; J* d,n!J,ra a at? dos Ptaticos e Ibe fallara em
peaco.xi, at.ni>.*;- lady.'
-,()8 feilios Jeaoininados,^!!^? *l*getj Mediiis
oorigacao de assfstifef* nesse dia o-santo
da missa. m
J!%"ovena.Come.-.-ira ;rmaajj,i a da Nossa Se-
ora da Coaceicao i;a convento de S. Fraafiitcd,
icedendo-a uma missa solemae, que sera cete'-.'
bra-la oa madrugada, dasse dia.
Pre*p|ia Pram-item ser iminor^iissimos e
porigo-*isims osque.se preparaw paw o Natal
-deste aano, attentu a modo porque ja .eorf em os
eflsaios de al^uaj
Facamos 0 nosso' .de,ver e a policia que iaca.o
seu : I'siao p us. em c-nsai'is, um na r.ua Augusta,
outro no lara-i da, fortaleza das Ciuco Ponlas eou-
trb no bereo da Raraba-, E' a que saliemos.
I, usi Hr osileira Havera hoje sessao do
con-elli" li-eal, as, 7 ivras dancile.
Prihoes. Em il.tgraotc, por criove de furto,
foram hontcm presos : a ordem do Dr. ebefe de
policia, Manoel FiriHiae da Silva; a ordem do sub
delegado deSanlo anwro dag Salinas, Jose Ge-
ms do.Va-eiuaento.
Inqaorito p*ja s5delegacia de'Afqgados
fi houte remeHiijivasj ftn. juiz dc djreito do pea/
n-'Ciivo di-tricto crinijnali 0 que ae efbctuou con'
tra.MapopJ: Joaqpim *ajiqaefea e Joio Narciso de
Uarros, pelo ferimentp grave pralieade aa pe-soa
Id Pedro Luiz de Franca, e do qual veio elle a
fal'ecor.
Triunipho -Dizcm-nos dessa villa a 10 de
ooveoihro :
Effectivameute fomeoou a 4 e lindouse a 7
PARTE POLITIGA i
I1 h'< I .' I .'1
K tH I UMt (((VMvKHDIIR
HEWrE* 28 D NOVEMBRO DE 1873
Aindu o usvl< lie alienailoN.
Momentoso assumptp para os arlicOlistas." d^
Vrovinciqr a tfonptrirecia, do asylo de.ajie0ao6s-
es e"peceadfl'mortiil do Exm. Sr. Dr: Lucaba, que
jS'iials lhe,.'sera perdoado polos coafessores'prtf*
.tinCia'nW.'
Ha algufn tempo a estaparte.abicou a Provincia,
a historTa da um pedido de 30 cotitos de rijis feilp
pefo attuaj aBmmisfrador e a tem e^p>Jorad) de
sdbta', escrevend'o seguraraente un. qdstfo aro-
.gps a respeitb, incfasrve 0 putilibado sob a epiKfa-
pliesupta'enl seu rtumero dehoulem,
A iraporfahcia' daoa ao assuihptOtem semprc
subido de ponto, teudo sido hodtenisagradi aa
ppblicacao de am artlgb. dd funda, que e 0 quo
afcs esta merecendo resposla
Befere se a Provincia no, seu artigo do hoatem
a contesl^cap que lize-aos ao seu priineiro artigo.
sobre 0 pedrao dos trfnta contos a Associate das
Pralicos e diz que flzemo-la formal.
; De facto ,.assim foi, nem podia deixar, de ser
assim, attenta a inexactidao de.qje so rcsentia a
~BBa
COMPANHIA ALLIANCA
s<^uros maritiraos e teire^-
tres estabelecida naBahif'
em* l!& de Janeiro em 1870';
CAWTAL 4,000:000SOOO:
foroa seguro de mercadorias c dmheiro i
ocomaritirno em rmVid de vela 6 vaporsi
ipara, dentro e f5ra do imperio, assim, cook
; 'qiiidas.
Agefite f Joaqaim -'os4 troncalves B^ltrik).
-ua do Commercio n. 5, 1' andar.
el i^ marabus braac'o, I'syam ihes a palma, em dj*-, infrri?50 f?lra P?^' Ml-disant ofgio Uberal,
tmccao. Ew a_ descripcip d> an Jindo; modflK A '">P;*v"fez c0"1 1ue d-a }a que qua-
Danla de sal Io cm pio) da garaulia
d- jiiros 16.-494*r,l
A rcheio enlre a despeza d a reoeila lai, puts, de a fguada sessao do jurv deste termo, convacada
-i>9,07 0.0 pira 3 da correnie, sundo apresentadosa subnet
No mesmo mat acima traasMaram na linha tides a julgamenio cmco processos que deram lu
16:336 '/j fsssageiros; e foram transportados gar a tres condt'Oinacoes e a duas absolvicdes.'
e Qireetorie, se ate h-de tuJ;ltqaad9 de muito fe-
vor como souveni fen^nf .Vffft, ^ao'owsso affiriaai
que.se usem ainda jpoVi alg'aBa.aifizes,
'.Eiu quanto -e e-pera que .as senhoras da
;p|n donative de diiiheirb por parte da respectiva
n O Sr. Dr. tfosciiso declara mesmo. qae- o- iMus-
jlrladu e benemerito adiiiiujstriidor da provincia ne
n!iniaainteFfe:eBcia liver* erasemelhanle- negocio.
E oorque nao ha de ser crida a palavra do Sit,
moda ,-i|irps'nt>-m alguma feliz ianova<;ao, os cba- Dr. Uiscoso, que por um semelhant-moda se
ii6(is vao avaocandi uw pquca. mais. na cabeea ; pronuociaa respeito da nolicia da Prouiiw;" t
ja otto se traaem a-nianeira de respjeadorou aa-. Qaal o motivo por quo, devemos despi"esar a
reete como 6 anne paasado ; camtadp, laubem, deelaraeae do.Sr. Dr, Moacoso, qae sob.sua assig-
.apjse poem sobre os olhos ambas as exagera- fttara a- tea, para darmos todo e peso e credito
-pfes. sao mai porUet. Itegra geral, taode os cha- /4 eonjecluras dos Sr-. pvavinriaMS 9
u*-<. ledoadpSi ceraa.qs iuchado*ileiaai ver oca- QuaMv'-aa Diario de 12 oegamos o facto d pe
beljo.' dido dos trmta cantos de i Oschai>dqs de feltro gozam de axtraorlinaria dfnte a Assorjacdados Praticus, disseraos :
voga aos -meius toilettes; Nao tendo duvida tun Se alguma cousa houve a tjlrcsphlto/eieo-
afflnsclha-los, porque d4o sao daspeza perdida, -^taa de lembrancaou infciatijra de algnem, pra-
poM podem servir algans anno*,- fzende-Mies to V tiro ou nao, que nao o presidente, o quil nem
njar a forma em voga. iao faci|men:o igmao peosde paha; atode queqaaiaueri^nato servo -. Kmmee diqto e pafcnte uue p qafc n*sabaolatt-
para fnfeita los, ficando,sempre elemmies,, -itiente conttMamos foi o. pedido dedinhaira aos
i Tratando do !rjo, em geral, passo a fallar de prauCos pejii paesidimte- ou p>tr iaiciativ* ua. E o
uma innnvacao que, pn#r* dasjiuada para um -qae erjiao. dissemos esta ainJa de n^, porque a
grande futuro. %*enlada e que nio houve pedido do Exm. Sr. Dr.
Antes de- se pdr,vieze8 .de alto a baixo aofwicena a,Afociacao djs Pratieos, embora tivessa
panno da Irjnte da saia, o qual se orta com mais t navido esse pedido por parte do Sr. Dr. Mbscoso,
MAWTIHOS
CONTRA B0 FOGG
A companhia Indemnisadors, estabelecidr
oesta pra^a, toma segnros marilimW sob'r*
navios e seus carregamontos o contra fogi
-m odiucios, mercadorias e mobilias: ns
rt|a do Vigario n. 4, pavimento \crrm.
Seguro CHiiira-l'og'
phb LivKRPOOL & wmw-d-
tti:9ii)*o:(:
VOLUMES SAHIDOS
Do Jia 1 a 20..... MtMl
fiia i7
frimeira porta - tm
>eganda porta .... N
Tbrceira pert* .... 5JB
Quarta porta...... tV*?tehe rimcw^o 10 l.J3Wt
1 l3,l-:>
SERV1CO MAMTIMO
Vxarenga^ descarreipdas no trapichs
alfiftdeRa do dfe-i a W .
Dtt7.;
Navijs atrasadas ne trap, da alfaDdeg
So trapic**' Conoeieso'
wieatra^adb.....
Mi
4
2
f*
ftUCEBEDWJA DS RENDAS INTERN-AS Gfc'
RAES DE PEtWAMBFik)
fendimento do dia laffl; 61:147JHSK5
demdodiat?..... 2:6fiSi39>
63:732i9'
CONSULADO PROVINCIAL
teadimanto do dia 1 a 25. 80:
fd-em aoaUtJ...... 4:4'
LIVHKPOOL & LONDON'-rJi GUA
INSURiNCE COMPANY
SAUNDGRSBROTHERSA
11rCorpo Santo11
C
.apimi.
ytindo
NORTHERN.

... 20,000:t>(>000(
de roserva. 8,000:000e0i
Agptes.
MiUp, Latham ft C.
RNA DA CUUZ W, 38.
5a:1176dl
RECIFE DRAINAGE.
Kendimenlo do dia 1$. .
idem do dia 57. .... .
26:5^461*
3:612*^
30:389*Oj*.
mrnf
^OViMENTO 00 ?0RTt
COMPANHIA
Phenix Pernambucanai
Toma riscos rharitimos
Sa^iot-eiUrtdftt %o dia 37.
Pbrtos.dd flprtp^S.dias, vapor . 1,539 tonetadas, command'ante capitao-teaeoter
', TetK^ir-i. efflaiDagemieft. carga varios geaeros .
apai^nlftyianna &C.
Mamangu'ape IVaoras, vapor.aacionai Curunp*
de iti :toneiadas, c'ommandante Santos, car?".
1 algodtd e oulsos generoS ;. a :ompaflbM vw.r-
, namrmrana,
Navies sakidos no nesmo dia.
tanal-LOgar inglez BeMreet, capiiao P. St-'an-'
' earita a-sucar-
Jljo Grande do Sul.-Palaclv brasileiro Pntnew*.
capiiao Alfre-to A. Gadre, carea asaucar a.-o:i
.tros.g'Oeroi
iabal ajkpa^ogleaa JMwrv capiiaolwn, oatgt
ObmrvqfafK
Suspeadvcam do lamaoto-
r Para Maceio^ a esQM Hyaliuey capitao, Paito-
sdn, com o memo l*s|r Para a. Parahsbas-aWigue ooruaggense 3w-
!' aavsJp/d,- capiiao J,- Bm d, -com o mesmo Us'
cm mercadorias, tro que trouxd do Rio de Janeiro
f.
wmyrj
ILEllH


)
&i&o^&m*sm&o9 ~SiKia fiftfe-^28 de Eovimm de M9o.
-*-
13<

H7
Jonsulado provincial
Para scieacia dos contribuintes da divida urba-
na e tibjfo| togles, em seguida oublicam se as al-
leracSej eifealos no to do mesmo im-
poslo aaWofe anao flnaocwro de I873-I87fc.
licaado aberto o prazo as reclamacoes, que por
ventuni possam ter a faier os iateressados, ua for-
ma da lei e regulamentos respectivos.
AlteracSes verilicadas pelo laaeador Joaquim de
iusmao Coellio, no lancamento da decima ur-
biaa da fregu.'zia da Bda-Vista no anno or-
rente de 1873 a 1874.
Rua do Sooego.
N.4W. Antonio Goncalves de Oti-
voira, c.ma casa terrea arrendada
por 240*000
M. 17. Francisca Joaquina de Jo-
-ui,.uma meia agua arrreodada
I Recife, Ufa dita avaliada por
tosjo9aifa alWa for
90C/000
Prtacipe.
leSok-
5. loaqaim Pinto Lapa,
-utucaua tercea arrendada por
tji^./Jose Jeaquim Ribeiro, uma
lita dividida em duas, arrendada
por
N. 35. Bernardo Gomes de Sou-
'.a,*** dita arrendada, por
. SI luldnio Martin* de Car.-
valtao A::evedo, aiua dita arrenda-
da por
W. 81- Joaquim Fernandcs dos
Santos, Ama dita iarrendada por
X 83 0 mesmo, uma dita arren-
***'* Principe.
Wl rt. Antonio Ontes Martins,
uoiJbdu arrendada por
N. 34. Joaquim Ito.irigues Duar-
(e, uma casa terrea com urn sobra-
Jv :i'uado avaliada por
".TB.' jJo'aqdim Marlins Mo"eira,
uma casa trrrea com sotao avalia-
da por
N. 38. 0 mesmo, uma dita ava-
liada por
N. w. Bernardino Jose da Sit -
va, uma dita avaliada por
Travessa do Princip.;.
3i. .1. Felicia Maria da Goacej-
;ao, uma dita avaliada por
N. 3. A mesina, uma dita avalia-
da nor
a. 5. Maria Rosa Pinto Goncal-
ves, uma dita avaliada dor
N. 7 A. Miguel Jo.-i da Costa.,
uma dita avaliada pop I
N. 7 B. 0 mesmo, uma oita ava-
liada por
2' travessa do
K> IB. Bernardo Gomes deSul
u~.a dita avaliada por
A. 3. Jose Firmino Ribeiro, uma
meia agua avaliada por
Sahida para Joao de Barros.
.V. 13. Anna Joa nioj da Sdva,
uina.casa terrea avaliapa por
Santa Cruz.
.V 36. Vi-ente Teixeira Bacel-
lar, N 38. Antonio da Silva e Mello,
uma dita avalia Ir por
N. SI. Cinidido de Souza Mirau-
da Couto, uma casa terrea avalia-
da por
>H. 61. Dr. iesuino Lopes de Mi-
randa, uma dita avalida por
X 68. 1'ranceiina B. Soares Mon-
teiro e outra, uma dita avaliada
por
S. 70. Maria Ferreira da Annun-
iacao, oma dita avaliada pur
N. 27. Dr. Bento Ceciliano dos
Santos Ramos, u.na lita avaliada
por
S. Gonoalo.
N. 3. Leopoldo Ferreira Martins
ilibeiro, uma dita avaliada por
X 16. Christovao Guilherme Bra-
\enfeld. uma dita avaliada por
N. 10. Htdcna Rosa Ramos, uma
lita avali.-.d a
Coelhos.
.V. 16. Antonio Dominies Mar-
ines Romao, uma dita avaliada
por
V. 7 Dr Jss6 Goncalves da Sil-
.a, uma dita avaliada por
N 13. Liiiz AnionioPereira.uma
lita avaliada por
General Seara.
N. 1. Joaquim P-roira do Carrao,
.iraa dita avaliada por
N. 3. 0 mesm), uma dita avalia-
da por
N. 5. 0 mesmo, uma dita avalia-
da por
N. i9. Joaquim Francisco Fran-
co, uma dita avaliada por
S. 21. Jiaquiui Francisco da Sil-
va, uma dita avaliada ior
N. 31. Antonio da Costa Riboi-
ro e Mello, uma dita avaliada por
N. 33. u mesms, uma dita ava-
iada por
N. 35. 0 mesmo, uma dita ava-
hadapor
91. 39. Caadido T. da Costa Mel-
lor,uma dita avaliada pr
N. 41. Siieaando da Costa Mello,
ama dita avaliada por
S. 43. 0 mesmo, uma dita ava-
liada por
Corooel Lauwnha.
N. 6. Dr. Amaro Joaquim da Fon-
oca e Albuquerquo, uma dita ava-
liada por
N. 8. Alcxandrina Amelia Morei-
<-a FranQa e outras, uma dita ava-
linda por
N. 10. Dr. Amaro Joaquim da
i'onceca Albuquerque, uma dita
ivaliada por
N'. li. llcrraina de Senna Pe-
relti, uma dita avaliada por
N'. 18. Viuva de Custolio Do-
niingaes 'iodeceira, uma dita ava-
iiada por ..
N. 10. Raphael Fernandes Abran-
tes, uma dita avaliada por
N. 28. Antonio da Costa Ribeiro
e Mello, uma dita avaliada por
N. 42. Calisto Jose de Mello..
uma dita avaliada por
X. 48 A. Jose Carneiro da Cu-
aha. uma dita avaliada por
N. 9. Pa ire M noel do Monte
lurraello e Almeida, uma dita ava-
liada por
,\\ 17. Jose Joa juim da Silya Gui-
maraes, uma dita avaliada por
N. 45. Francisco Martins ft;
uma dita avaliada por
N. i. iaria Marbura de iAlmei-
Ja Neves, uma dita avaliada por
Travessa das Barreira-
N. 11. Jcao da Cunha Mereira Al-
vWJ uma (Wa avaliada; por
>'. W. JDaquim Antonio da Sii-
veira, uma ditu avaliada por
Travessa do Vcras.
V. 12. Isabel Emilia da Costa,
ama dita avaliada por
N. 16. Luiz Jose di Costa Amo-
riro, uma dita avaliada por
X. 20. 0 mesm,), uma dita ava-
iiada por
N. 22. 0 mesmo, uma dita ava-
liada por
N. il. Tiburcio'.ValerianoJBap-
tista, uma dita avaliada por
Travessa do Quiabo.
.\. 4. Manoel Carlo? Texeira,
uim dila ppr _
fnif95a de Joao Fraawso.
N.-M). FilhisdeftuUootloie-'Car-
najfo 4e AHnekl*, -owa dia, Afa-
liada por
.N l. Joao Pedro de Oliveirt.
umad'laavaiiada ^r
Rua da
v. 4. losft Ferr&ra
uma dita avalia la por
N. 10. Fransjseo Jose dos Pas-
os Gulio*&& e outroK, ofia wINidapor
:>'. JJ.#>im Fhinwda Gdrta.
,nnadaa liiiada uo.
N. 16. Antonio Cardos*idi 41h
veira, v/bh dita avaliada 18. I^iz -Mbrelr^ ftW
dita-.ivarHada ,
AiKpnto JeArarfo,
axnta
v. 30. imm ao^HMfe^e
96JOO0
2OI40OO
360*000]
210^000
240*0000
129*000
I'i6*000
ai')ioo
1:000*QP0
800*000
iliiOOO
4M4000
96*000
lOSiOOO
144*000'
168*000
168*000
192*000
i*G00
faposo,
legria
(jnsta.
Alteracoea feitas no lancamento da decima urba-
na da freguezia do Poco da Panella, no exer-
cicio conrente 1873 1874, pelo lancador
isidoro Theodulo de Maitos Ferreira.
Travessa da rua da Casa Forte.
N. 5. Manoel Ferreira da Cruz,
uma casa terrea arrendada por
N. 6 A. O mesmo, uma dita dita,
por
N. 13. Francisco de Souza Re-
go Monteiro, uma dita dita por
Menteiro.
N. 4 A. Manoel Ramos Correla,
uma casa terrea arrendada por
N. 4 B. O mesmo, uma mta di-
ta por
N. 4 C. O mesmo, uma dita di-
ta por
N. 4 D. O mesmo, uma dita di-
ta por
N. 4 E. O mesmo, uma dita di-
ta por
N. 18. Joanna Maria da Trin-
diide, uma dita dita por
N. 36. Estevao da Cunha Me-
deiros,4ima dita, avaliada para o
3* aeaestce .em
' N. 5: Jose Igoacio Pereira da
floob* iuma dila 4rrendad .por
N.'9. O.mesmn, uma dita dita
por
N, '11. a mesmo, uma dita di -
ta por
M 13, O mefmo, uma dita di-
ta por
pi. J.i>...Q-tue&mo, uma dita di-
ta por
N. 19. Rita Muniz do Carmo,
uma dita dita par
>'. 4o. Dr. Jaciutho Pereira do
Rego, uma dita dita por
N. 49. Jos# dos Santos Olivelra,
uma dita dita por
N. SI. Jose H'Klrigues do Passo,
uma dita dita por
N. ol 0 mesmo, uma dita di-
ta por
N. 55- Manoel Martins Fiuza,
uma dita dita por
N. 73. Aatonio Prieto, uma dita
dita pot
Largo do Monteiro.
N. 11 Companhia dos trilhos
200*000
300*000
240*000
240*000
240*001
940*0*4
240*000
700*00*
300*00*
130*000
192*000
192*000
168*00*
150*00*
120*00*
1:000*000
600*00*
300*000
300*000
240*000
100*000
60*000
60*000
60*000
120*000
100*000
urbanos do Recife a Caxnngi, uma
dita dita, que serve de eiWcio
avaliada por 200*000
Travessa^la rut da PaBW do Monteiro.
N. i. Jose Franeiieo do Rego,
uma caja term, meia agua, ar-
rendada por
N. 3. 0 mesmo, uma dita dita
por
X 5. 0 mesmo, uma dita dita
por
W. 7. 0 mesmo, uma dita dita
por
X 9. 0 mesmo, uma dita dita
144*000 por
X 11. 0 mesmo, uma dita dita
por
Ilha dos Ratos.
X 1. Francisco Geraldo Mo-
reira Temporal, uma casa terrea
com uma meia agua no fundo, di-
vidida em 3 paries, arrendada to-
da por tityutoa hiu'I
X 3. Francisco BBr-oa^a, tuua
diuditepor
N. 5. Rita, uma dita dita por
n. 7. Maenado, uma dita- dita
por
Rua da Apipiwos.
H. 4. Fraacisca Qliaiim d* Si-
queira, uma casa terroa avaHadi
por
N. 3. Ilarthoimneu francisco de
Souza, uma (!,(* 4ua por
X b. Hauwl ,SStaT,da' posu
Alves, nma dita dita por
i* *3. .^paahu do? jtfilbps
urbanos do Recife a -Cafanga, uma
dita dita por
Rua por tra?. da igteja.
X 3, Innocencio Rodrigues Li-
ma, uma dita dita por
Estrada de Santa Anna.
N. 1 A. Mmervino Avelino Pluza
Lima, uma dita dita por
X 1 B. O mespio, fima dita dHa
por
Largo da Casa Forte.
X 3. O mesmo, uma orta diia
por
N. 5. O memo, uma dita dita
per
! Soccao do coBsulado provinoial,
vembro de 1873.
- O chefe,
' I Dita
:
36. DomingflB.MqitirgTlo Valle
AmpTro a"!" SSSI
Bm Sucesso a. 18.
iarbosa de Souza
Coelho
Mariano* Theffara de
Fitncisce Barbosa do
Albu-
Am-
m
*9*0
*t00
2(1400 7*300
SeocSo do coateneloso provincial de Pernarabuco, 8 de novombro de 1873.
-^ OP official,
Horaeio Walfrido Peregrino da Silva.
_________________ (Conlinuar-ie-ha.i
*000
mm
10*000
80*000
JI300
JI300
*3t0
11*200
11*300
11*200
11*300
11*800
89*600
DECURACOES.
180*00*
96*000
72*00*
72*00*
800*0?*
600***
340*O0*i
iO*009
300*000
144*00*
300*000
300*00$
26 de nor
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A junta administrativa da Santa Casa de Mise-
ricordia do Recife, -unpetOBtemeate autorisada
pela presideneia, em data 'de 3 de seiembro do
anno prosirao flndo, e de confonmdade eoni o qu
dispoe o % 9.* art. 58 do: seu com romisso. per.
mnta por apolices da divida pnblica a fazenda de
cnar gados que pofcsne o patrimonio dos esta-
beJecjiM^tos de caridade a seu cargo dejiominar
da t %Tul>a t- ita pe tafmb de Fleres dest*
300*000 *fPWWa, com Urrenos para criar pWHar, e
convalgum gado cavalUr e vaecma
Kecebe wa isto>#rqpolaa ^esta secretaria afit
0 n.a-_ dezembro do correrite aano.
&$*?** A* 1"">> ;fB*J.-d*-Mseri6ordia do Re-
cife, 10 de oululro da 1873.
O escrivio,
.ftfro Rodrigues de Souza.
V8*NTA CASA r>A MISERICORDIA DO
arrerratacaO e feita a requerimente de Fructuoso
Martins Gomes consenhor do referido sobrado ;
assim como tambem ;ao coaseahores Apoliaario
Pereira Badnem e saa mnlber.
I. <$ R. eonsujlado 'd'Austria-
Hungria, em Pefnambuco
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
!V*vegapS eelri vapr.
MAMANCUAPE.
0 vapor C.rutipe, jjonj-
mandante Santos, seguira oara
o porto acima no aia "38 do
correate, as S boras da tarde.
Recebe carga, encommen-
das, passigeiros e dinbeiroa
frate ate as 2 boras da tarde do dia da sahida :
escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
Para
RECIFE.
A Hlma. junta administrativa da santa casa da
Kiaericordia do Recife, raanda fezer pubtico que
Pede-se ao Sr. TomasrBassfch, subdito austria^
co, de comparecer nesle consulado a negocio de
sen interesse.
Pernafabafeo, 8o de novembro de W73.
Jose Saporite
Gerente do consulado.
ADMIMATRACAO DOS CORRE108 DE PERNAM-
. BOCO 28 l)E flOVEMBRO DE 1873.
Malas' peloi vapor Bshim da companhia
brasileira.
A correeaandeucia quo tem de ser expedida
hoje (28) pelo vapor acima raencionado para os
portos do sol, seni recebida pela maneira se-
guinte :
Maeos de joraaes, impressos de qualquor natu-
reza e cartas a regisir.ir ate 2 horas da tarde,
ear,tas ordiaariaa ate 3 boras da tarde, e estas ate
3 1[2, pagando pOrte duplo.
As cartas ejornaes ojiie se dirigirem ao Rio da
Praia, pagarao previamente, aquellas a laxa de
Para o refcride ports preleetuir com poa-
a. demora o brigue poriugaez Rttift for ter a
OMior parte do carregamento Irattdo' [iara o
resjo que lhe falla trata-se com p coftskoa^rio?
Joaquim Jose Gootalvee Bellrio iPUho, a tmtto
Commercio n. 5.
i i k SUa^ Wf6*' n0 ,dia 50 & novembro 300 rs. por IS grammas on fraccio de 15 gram-
360*000
Eduardo Anfuuo de Oliveira.
_________________--
>
216*000
360*000
300*00"
360*000
6!)0*000
360*010
300*000
300*000
240*000
300*000
240*000
240*0*0
300*000
------O procurador fiscal da toesourana provincial de Pernarabaco doclara aos cootnbuin
tes do imposto de decima, 4, S e 8 por cento, sobre carros, bilhar e kerozenodo exercicio de 1872 -
1873, a cargo da collectoria de Olinda, qae ihes flea marcado o prazo improrogavel de 30dias, a
contar da publicaeao deste, na conformidadfljda lei n. 891, art. 53, para solicitarcm da seccao dp
contencijso as respectivas guias, afim de reeolherem seus debitos provenieates dos mesmos im-
postos, certos de que nao fazendo dentro deste prazo, prooeder-se-ha a cobranca judicialmeate,'
publicaado -sc_ para isto a relacao dos devedores abaixo traoscripta.
Soc^iio do c-ntencioso provincial de Pernarabuco, 8 deaovembro de 1873.
O procurador liscal interino,
Miguel Jdsf-de Atmeida Perritnubuco.
Relacao da dlndado exercicio
I
de 1872 a 181&, praveniatte
cdrros, bilhar e kerosene.
DECIMAS.
I
dos iwpostos 4,8 e 8 por cento.
Aropare a. 16. Lauriano Jose da Costa
Xavier Santa Rosa a. 5. Laiz Jose Belmiro Pereira
Estrada Nova de Beberibe a. 12. Luiz Antonio Gon-
zaga
Beberibe de Baixo a. 9. Dr. Luiz Lopes Castello-
Braaco
4*320
3*240
10*800
36*000
a
Is
*129
*087
1324
o

.
1
*388
*291
*972
2*140
|
4*837
125096
40*330
!'i000
D. Maria Fraacisca Marquos de Amo-
da
Aliufce a.
0 ujP^V
240*000
240*000
240*000
240*000
216*WK)
216*000
2404000
400*000
300*000
300*000
300*000
240*000
240*000
300*000
.360*000
180*000
480*000
3008000
o00*000
300*000
216*000
300*000
240*000
WO*000
300*000
96*000
360*000
Boa-
S. Beato a. 47.
rim
Ladeira da Bica de S. Pedro a. 6. Manoel de Mattos
Teixeira Lima
Cabral n.i 19. Maaoel Clemente de Santa Rosa
Dita n. 24- Manoel Jose de Aguiar
Bica dos Quatro Cantos n. 13. Manoel Carreiro
Sdva
Aljube n, 14. O mesmo
Amparo p. 34. O mesmo i
3. Manoel Jo>e" da Silva
Maria da Conceicao Carneiro Rego '
e a. 23. A mesina I
Floit... a. 12. A mosma
S. Joao a. 3. A mesma
Largo do Amparo nil. Maria Francisca de Lyra
B )in Fim a, 20. Manoel da Silva Neves
becco do Fundao n. 5. Manoel Goncalves
Ventura
Dito n 6. Maria do Carmo Maior
Dim n. 6. Manoel
Esperanca a. 3. Manoel Francisco do Paula
Regeneracao n. 5. Manoel Antonio de Lyra
Constaaoia n. 2. Marciano de Castro Leao
Santo Antonio n. 1. Manoel Goncalves Agra
Clerigas n. t. Maria Firmina da Coaceicio
Estrada d'Agua Kria n. 20. Manoel Jose Gomes
S. Joao de Bebenbe n. 8. Maximo Jose das Neves
Estrada do Canbenga n. 37. Major Manoel Eliars
Moura
Estra la do Porto da Madeira a. 6. Manoel de Caldas
Barreto
Dita a. 32. Manoel Pinto da Silva
Dita n. :t4. O mesmo
Diia n. 3a. O mesmo.
Estrada do Foruo da Cal n. 1. Manoel Pinto Ribeiro
da Silva
\
Estrada d'Agua Fria n. 24. Nemias de Paula e
Silva
O
Largo do Amparo n. 6. Olegario Francisco Mendes e
RuOno A. Mendes
P
Bica de S. Pedro n. 15. Os orphaos Philadelpho e
Olvmpio
Aterro do Vara-Joaro n. 3. Pedro Victor Boletreau
Dita n 4. O mesmo
Dita n. 5. O mesmo
Dita n. 6. O mesmo
Dita n. 7. O mesmo
36*000 1*080 3*240 40*320
384*000,
300*000
300*000
1.68|0O0
192*000
de
6*480
6* '.80
3*240
5*400
16*200
8*640
4*860
4 i860
4*320
44J40
4*320
8*640
12*960
10*800
242*0
10*800
6*750
3*240
7*560
27*000
10*880
10*800
7*480
*194
*193
*097
*162
**86
*23!l
5145
*143
*129
*139
3129
*259
*388
*32'i
*097
3H
*202
4097
*226
*8I0
*324
*324
*1!)4
*583
*583
*291
*486
1*458
*777
*437
*437
*388
*388
*388
*777
1*166
*972
*20J
*972
*607
*201
*680
2*430
#972
*972
*583
M8
7*257
3*628
6*048
!8Ati4
9*676
5*442
3*44.2
4*817
4*8:t7
4*837
9*676
14f514
12*096
12*096
7*559
8*466
30*240
12*096
12*096
7^257
36*000 1*080 3*240 40*320
10*800
21a600
18*000
105800
*324
*618
*540
*324
8*640 -*259
*972
1*944
15620
*972
*777
8*640 *+39 *777
Ladeira do Varadouro n. 33. Padre Raphael
Coelho
Becco do Fundao a. a. Romana
II
Antonio
Maria da Conceicao
H
S. Bento n. 6. Severina Maria do Coraglo do Je^us
T .
Carmo a. 5. Tiieodoro Antonio de Jesus Borges
!V
S. Beoto n. 21. Vicente Ferreira da Costa
Bom Successo n. 1. 0 mesmo
Regeneracao a. 3. Vicente Ferreira de Souza Reis
Triumpho n. 7. Vicente Ferreira da Costa
8*640
8*640
44320
44320
4*320
4*330
18*000
6*480
10*800
*2o0
*259
*129
*129
fl29
*129
*540
*194
*31S
*777
*777
*388
4388
*388
*388
1*620
4583
*972
27*0.X) *810 2*430
5*400
*162
*480
22*?00 364000 4*320 8*640 *675 1*080 *)29 *259 2*025 *388 *7?7
12*096
24* 192
20*160
12*096
9*976
9*690
8*676
9*676
4*837
4*837
4*837
4**37
2(,*I60
7*257
12*096
30*240
6*048
238200
40*32o
4*837
9*676
pelas 3 horas da tarde, tem de ser arrematadas a
queui mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tr-'s annos, as rendas dos predios em seguida
doclarados.
ESTABELECIMEOTOS DE CARIDADE
Rua de aortas
Loja do sobrado n. 41. ... 306*000
Rua da Viracio
Casa teorea n. 7 (fecliaJa) 312*000
Travessa de S. Jose.
Casa terrea a. 41....... 301*000
PATR1MON10 DOS ORPHAOS.
Rua da Senzalla Melha.
Casa terrea n. 16.......209*000
ecco das Boias.
Sobrado n. 18........421*000
Rua da Cruz
Sobrado n. 14 (fechada) .... 1:000*090
Rua da Gnia
Casa terrea n. 85.......300*000
Ruo do Pilar.
Casa terrea a 98.......241*000
Casa tereei a. 99 (fechada) .... 33)5000
Idem a. 10'.........24l300n
Idem a. 102........24l*OOo
idem n. 108 .- 307*000
Rua do Rosario da Boa Vista
Case terrea a. 58.......245*000
Os pretendentes dever*o apresentar no Seto da
irreniataeao as suas flancas, oa comparecerem
ico'rpanhados dos respectivos iiadores, devendo
pagar aiem da renda, o premio da quantia em
que Tor seguro o predio que contiver estabcleci-1
meoto commercial, assim como o servigo da Urn-1
peza e prejos dos apparelhos.
Secrataria da santa casa da miseFicordia de Re-
cife, 5 de novembro de i873.
O escrivao
Pedro Rodrigues de Souza,
Estrada de ferro do Recife
a S. Francisco
Pelo presente sao convidado* ossenhores accio-
nistss desta companhia a receberem o vigessimo
dividendo concernente ao semestre de Janeiro a
junho destt anno.
Villa do Cabo, 21 de novembro de 1873.
G. 0. Mann
__^____________________Superintendente.
Sabbado 29 do correate depois da aadien-
cia do tllm. Sr. Dr juiz de direito da 2.* vara,
'nil a praca a casa terrea n. 17 do largo d i u a-
trb de Santo Antonio, avaliada por 1:300*'00
cdja casa v. i a praca por execucAo de Manoel de
Asevedo Abdrade, contra Galdinn dos Santos Nu-
nes de Oliveira e sua mulher, com abatimento
da S* parte:
mas, e estes a de 40 r-. por 40 grammas ou .rac-
c5o de 40 grammas, na progressao estabelecida
nas tabellasC e D -aanexas as instrucjSes do 1
de dezembro de 1806.
0 adrainistrador
Affuaodo Rego Barros.
Para o Rio de Jane
ponca demon for ter doa leroos deseu^arre-
gamento eagajado. e para o resto qne lhe falta,
trata-se com os consignatarios Joaqpin- Jose Gon-
calves Belirao Filho a rua do Commer-in n. 5.

BHH
TIU1M
Santo Antonio
EMPREZA
Sabbado 29 de novembro
RecRa-em beneflcio da actriz
MANUELA LUCCI
l.a rcpre^t'iilnoiio
neste theatre, do drama em 5 actos, original fraa-
cez do escriptor
A DUMAS FILHO.
2:267*010 67*979 203*991 2:538*3801
QUATRO POR CE.YTO.
Antonio Rodrigues,
240*000
3UO/000
300*000
"3W*000
..,4"-
^*|0OO(
:-V4*>io*oj
Bica dos .Qualro Caalos n. 12.
taverna
Mathtas Ferreira n. 2. Beaedicto Duarte Gedrim,
dita
Dila a. I. Clemente Antonio da Silva Araujo, dita
Dita a. 37. Dotningos Mereira do Valle, dita
Ladeira do Varadouro n3. 23 e 24. Jose" Maria Lapa
cocheira
Quatro .Cantos n. 24. Laiz lose Gonzaga Junior,
bilhar
Bom Success* n. 18. Marianna Theodora de Albuquer-
que, taverna
Amparo n. 7- Manoel Joaquim Coelho, dita
Cuarloi* a. 25. Trajano Prancisco B. do Amparo, dita
3*840
4*800
7*680
4*800
2*280
8*000
2*880
64010
3*400
*U3 *345
514'.
*250
8144
4*300
5*376
8*6"!
5*376
COMPANHIA
DO
BEBERIBE
0 caixa desta companhia o Sr. Corbenia-
node Aquino Fonceca, acha se autorisado
a pagar no seu escriptorio rua do Vigario
Tenorio n. 19. das 10 horas do dia as 3 da
tarde o 51 dividendo da mejfcna companhia,
na r8zao He 33P000 por apolice.
Escriptorio da companhia, 2i de novem-
bro de 1873.
0 secrotario,
Luiz Manoel Rodriques Valen^a.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
Recife a Olinda.
E Beberibe.
Esta companhia contrata com quern por
menos o fizer. a coIloca^So de 40 & 50 pos-
tes, de madeira de qualidade, como seja :
etnbiriba preta, sapucaia ,etc, para fio tele-
graphico da estacao da Aurora a hicruzi-
Ihada, com 25 a 30 palmos de altura e 5
pollegadas degrossura. Com a respectiva
gerencia se entenderao os proponentes.
0 gerente,
Laurentino Jose" de Miranda.
DANA DAS CAMELI.VS
Dlstribuifao.
Margarida Gauthier A beneficiada.
Nichette D. EmiRa.
Nanine D. Olympia.
Pradeneia Duvernoy l. Joanna.
Olympia D. dlympiaV.
0 Sr Duval Sr Ba ia.
Armando Duval Sr. Eduardo.
Gastao Rieux Sr. P. Angusto.
0 Barao de VarvUle Sr Santos.
0 conde de Girahy Sr. Silva.
Saint Gaudens Sr Camara.
Gustavo Sr. Emiliane.
Arthur Sr. Philadelpho.
0 doutor Sr Plorindo.
Um criado Sr. Procopio.
Um carleiro Sr. Antonio.
Convtdados e criados
A scena 6 em Pariz, na actualidade.
Principiara as 8 1|2 horas.
Havera trem ate Apipucos.
theItro
GVMVISIO lUUTICO
Companhia anierieaiia e br^siWra
de paqueles a Yiipar.
Ate" 9 dia 1 de dezembro e es^erado 4os portos
do sul o vapor amerieann Merrimtek, comaudan-
te Lwir, o qaal depois da demora do costume
seguira para New-York, locando no Parses.
Thomaz.
Para freles e passagens, trata-se com os agentes
Heary Porster AC, rua do commerciii. 6
COMPANHIA PER^ASltlPclSA"1 '
DE
\avega9a0 ooateiraa vapor.
rARAHYBA, NATAL, MACAO, BOSSOltO', ARACJl-
TT, CF.ARX, MANDAHU, E ACARACD'.
0 vapor Gequid,
qeiflaaadante Manias
seguira para os por-
tos acima no dia 29
do correate, as 5
horas da tarde.
Recebe carga ate 0 dia 27 do correate, eacom-
mendas ate o dia 28, passageiros edinheiro a fre-
te ate as 2 horas da tarde do dia da sahida :
sscriptorio no forte rto Mattos n. 18.
COMPANHIA PER.NAMBUCANA
DE
Ifavegaeffo eoetelra a vapor.
MACEld, E3CALAS E PENEDO.
0 vapor Mandahu,
commandante Julio,
seguira para os por-
tos acima no dia '29
do corrente, as 6 ho-
ras da tarde.
Recebe carga ate o dia 27 do correale, encom-
mendas ate 0 dia 28, pamagens e dinheirb a frete
ate as 2 boras da tarde do dia da sahida : es-
criptorio no Porto do Mattos a. 12.
Penultimo espectaculo
Domiti-'O 30 de novembro.
A's S lj'-J da tarde
Eni lieucfirio do aetar
SANTOS SILVA
1 primeira vez, neste 1
rnada de musica :
Diseordias de
Pela primeira vez, aeste theatre, a linda come-
dia, ornada de musica :
CINCO POR CELN'TO.
L iBenvo u. 7. Cvnveato do Carmo $6 Olinda
?strada du Canhenga'n.- 20. Irmandade do Santissimo
6ftcramentod igreja de Beberibe
OITO POR CENTO.
Cabral n. 3. Meichiadcs Antuues de Almeida
BILHAR.
tjaatro Canto3 n. 2'i. Luiz Jos6 Gouzaga Junior .
CAIROS.
Ladeira do Varadodro ns.'23 e 23. lose Maria Lipa
ffcKraiaido Porto da Madeira n. >. Manoel do Galdas
Barreto
KEROSENE
Quatro Can.t,os 11. 12. Aafpaio R iJrigae*
WTeira a. 2- Reoedieto Uaarte Cdrim
Ampare n. 1. Cleajgnte jatonio to SUrr Araujo
Socii'dade Palri.liea Doze de
Seleffllw.
Exposicfto da dia 9 de dezembro
Koga-so encarecidainente 6s pessrws que
quizerera maodat* productos d exposigao
que o facam log, afim de nao haver atro-
pello nos ultimos dins, que faltam para a
ioauguragSo.
Os productos devem ser remetttdos para
0 palacete da nrdem ter. eira do Ctrmo, das
9 horas da manha ds 4 da tarde.
Sexta-feira, 28 a"o corrente mez, finda a au-
diencia do Dr >uir de orphaos, mssla de audi-
encia3, vai a praga, de venda, a oasa de taipa,
no largo do Peres, avaliada em, oOfu, pertencente
aoJnveBtario de Libaria Maria da Penha._______
casa do Recife
De ordem da IilToa. juaia admiuitraiiva da
santa casa da m>sericorJia do Recife se faz pu-
llioo. quo a mesma junta, aujorisada pela lei pro-
vincial n. 1121 de 17 de junbo dcate anao, acaba
decontratar com Manoel Guneaives Agra, inajores
Miguel Bernardo Quinteiro e Auioojo Beraardo
Quiuteiro, jb a firuia social de Agra it C 0 >er-
vico mortnario e 4e carro* fn^aebi^s desta eidado,
a coutar do 1 de awembro proximj vindouro,
e que por eonseguiote dofa data por diaate so-
meute os coutratautos ^pedarao /azer seiaeiaanle
servifo.
Secoetaria da sanla casa de misericordia do
Recife 21 de novembro de 1873
Oeserivao,
is de Souza.
Santa
representada pelos artistiis Xisto Bahia e Maria
Bahia.
Pela ultima vez
Deflultivamente
0 primeiro e segundo actos da phantasia burlesca:
1 Hill CRINOLINE
on 0
Reinado das mulheres.
A's o li2 da tarde.
Real companhia de paqueceti
inglezes a vapor.
No dia 28 da corrente, espera-se dos portos do
sul 0 vapor inglez Douro, commandante Thwaites,
0 qual depois da demora do costume, seguira
para Southampton, tocando nos portes de S. Vi-
cente e Lisboa.
Para fretos, passagens, etc., trau-se na agencia,
rua do Commercio n. 40.
Rio de Janeiro
0 patacho portugnez Rival segue para 0 Rio de
Janeiro por ter jap.rte do seu carregamento en-
gajado, epara 0 resto da carga d;vem os preten-
di-ntes entenderao com Silva & Cascao, escripto-
rio a rua do Maruuez de Oinda n. 60, 1- andar.
Para o Rio Grande do Sul
sahira brevemente a escuna purtugueza Aguia ;
para carga 0 passageiros trata-se com E. R. Ra-
bello & C, rna do Commercio n. 48.
' Para Lisboa
seguira brevemente a barca portugueza Gratidao ;
tara carg > e passageiros trata se im E. R. Ra-
ello A C., rua do commercio n. 48
1OU0OO
-idjiioo
ioAooa
*3O0
4800
- Sabbado XWkhrt&ii, finda a audiem
cia do Dr. luiz substituto da 2.' vara do civeL
tuo em praea per arVeadhmeato annoal, as ala-
aet* do aoWado tfa rtta e*tr>ita ^Ttosario n.
4, servindodw.ifcBsepaf* a arrehritMift'o-'. preco
por quanta e^ilalatado aoe *, fle P0, dita
Santo Antonio
emprezaJyicente.
Domingo 30.
Recita em beneflelo
ciijo product* deve ser appliea-
da Am abras do ajardiaa-
mento da praea
Pedro II
Represeatar-se ha o qui-proquo eomieo musical
em 3 actos :
Meus olhos!
Meu narizl
Minhabocca!
Musica do maestro brasileira
LISIMK
Para o referido porto pretenle seguir com a pos-
sivel brevidade o brigue portuguez D. Anna, por
ter ja alguraa carga eng;ijada ; e para a que lhe
alia, que recebe a frete cmmodQ, trata se coin
us consignatarios Joaquim Jose Goncalves Beltrao
& Filho, a rua do Commercio n. b.
Para o Pwlo*
Segue com brevidade a barca portugaeza S.
Manoel II. Recebe carga e pa tar com Tito Livio Soares, a rua do Vigario n.
17.
LEIL0E$.
Os intervallos serio prt ncludos por escolhidas
pecas de musica executala* pelos disiioctos ar-
tistas
J. POPfE E CAXDIDO SILHO
que obzoquiosanaeote seprestam.
ftineipiara as 8 lr2.
Pede-se ao illutre.nplieo desta oidflde, e com
especialidade aos hamtattes da freguezia de San-
to Antonio,; i> sea vaJiofO; concarso pan a realiaa-
c5o a*am raelhuramonlo tio neceslario e de Wo
recoahecida, utihlile. para, ostft capital-
-n------1----------------~~-------'~~"--------
Para Ijisbp*
iflgaira com brevidade o brigue portugoez Bella
Flguttrenie; para eatga e passageiros tra'a se
:om E R. Rabei!o 4 C, i'ua So. Comctercia uu-
mcro 48.
Agencia de leiloes.
RUA DO MARQUEZ DE OLINDA S; S7, 1" ANDAR.
0 abaixo assignado tem a honra de scientificar
ao respeitavel pnblico, com especialidade ao corpo
commercial desta praga, que acaba de ser nomea-
do agente de leiloes, em cujo exercicio, promette,
se esforcara para hem merecer a conOanca de to-
das aquellas pessoas qne se dignarem bonra-lo.
encarrt-gando-lhe de negocios tendeatos a sua
proflssao.
Desde ja o abaixo assignado antecipa 03 seus
agradecimentos para com aquellas que a procura-
rem : o que poderao fater dirigindo-se a rua do
Marqnez de Olinda n. 37, 1 andar
Recife, 7 de novembro de 1873
Jo'iquim Dias dos S*nt .<.
DE
11 fardos com fuino para charutos, sendo
de 1.*, 2.'e3.a sorte
SEXTA-FEIRA 28 DO CORRENTE
As 11 horas da mauha.
0 preposto do agente Pe-tana fara leilio por
conta e risco daqiiem perteacer, de 11 fardos
de fumo para charutos, sendo de>.% 8.' e 3." sorlo
1 A's It horasua manha
No armazem do >r. Annes, defronte da alfandega.
Loilao
DA
ftotica da rua do Barao da Victoria n. 30,
pertencente d massa fallida de Josd Fran-
cisco Bittencourt
HOJE
A' 0l42ho-3
I____MOTILADO
| ILE6m
I


Oiario de Peraambaoo
B
I
r
/
0 agente Pinto lefara a leillo, por despaeho do
lllin. Sr. Dr. juiz especial do commercio, a rma-
cao, barcao, vaaw#, moveis e ma* objectos
pertencenles, oxu.lentes. na botiea da rua do ua-
rao da Victoria n. 30, bens quo fazem parte da
massa fallida de Josd F. Bittencourt, a* 10 l|i bo-
ras do dia acima r.itu na referi la hr.tica._______
DE
12 quartos coir* vinho Bordeaux, 25 quinc
{)$ com vinho do Porto, 2 caixas com su-
perior lioOr francez
SEXTA-FEIRA 28 DO CORRENTE
A's tt 1|* IWas.
0 preposto do agente Pestana fart leilao, por
canto e ritm de quem pertencer, de 12 quartos
com vioho Bordeaux, 55 quintos com vinho do
Porto e 2 caixas com superior licor francez, des-
embarcados ultimamente
*,
as li 1|2 da manha
So armazem da Sr. Annes, defronte da alfaadega.
Agente Dias
CSS
itiagnifieos predius, edificados em
chaos proprios
SABBADO 29 DO CORRENTE
0 agente DIAS, autorisado, fart leilao de urn
magnifico sobrado de 3 andares, bem construido,
e com grandes accomroodacSes para famllia e w-
riptorio, por ser bem repartido e servir para duas
casas, e edificado na rua de Domingos Martins n.
138.
I'm grande siiio com sobrado ecomgrande
commoaos para familia, muitos aposentos paia
escravos e criados, estribaria, excellentes viveiros,
jardim e muito bem arborisado e de boas quali-
dade* ; este sitio toroa-se muito recommendavel
por ser fresco e ficar perto da estacao da via fer-
rea, e edificado na Capunga, porto L asserr por
?ujo nome e b?m onhecido Os pretenden-
tes poderio examinar di os predios, ou entende
rem-se com o mesmo agente.
abba o 29 do corrente
as lO horas em jionto.
No escriptorio do referido agente, a rua do Mar-
quez de Olinda n. 37, primeiro andar.
LEILAO
DE
bens pertenccnles & massa fallida de Anto-
nio Jose dos Reis
SEGINDA-FEIRA 1 DE DEZEMBRO
as 11 horas
0 agente DIAS levara a leilao, por despaeho do
lllm. Sr. Dr. juiz especial do commercio, os referi-
dos bens, sendo : jeias, moveis, urn cofre do fer
ro, fazendas e armacao exisientes na loja n. 60 do
caes do Passcio Publico, servindo de base a ava-
liacao feita que se acha em mao do agente, a rua
do Marquez de Olinda n. 37, prime in andar, aon-
de pode ser examinado desde ja.
Em segnida enderseha, a porla do referido
estabeleomento, 2 cavallos perteneentes aos bens
de dita massa.
LEILAO
(El
iji\ roiitmuiiqao)
DE
cautellas vencidas e dadas em penhor
SEGUNDA-FEIRA 1 DE DEZEMBRO.
0 agente Martins fara leilao de todas as cautel-
las vencidas e dadas em penhor, constando de
objectos de hrilhantes, ouro e prata.
A's 11 horas do dia acima, no sobrado n. 2 da
iravessa da rua das Cruzes, primeiro andar, casa
de penhores.
s
roupa, louca de cozinha, 228 libras de mas-
sa de tomato, 9 latas com paios e hervi-
Ibas e uma bengala de unicorne.
Espoho de Joaquim rsimao dos
Santos
Tertja-fcira 2 de dezembro.
0 agente Marlins fart leilao, por autorisacao do
lllm. Sr. consul portuguez, de 1 mubilia de ama-
rello, 1 cama franceza d~ dito, 1 marquezao pe -
queno, 1 commoda com formato de carteira, ca-
bide3, bahus de couro, 1 carteira de amarello, 1
prensa de copiar cartas, 1 candieiro, 1 tinteiro, 4
escarradeiras, 1 mesa de amarello para sala de
jantar, 3 bacias de Flandres. ferro de engommar,
1 caldeirao, cassarolas, frigideiras, trinchante, ta-
Iheres e colheres.
Palitou de casemira, calcas, coletes, chapeos,
chapeira^camisas de meias, seroulas, camisas de
madapolao, toalhas, guardanapos e uma bengala
de unicorne, 38 latas com 228 libras de massa de
(ornate e 3 latas com paios e hervilhas.
No segundo andar do sobrado n. 42 do pateo do
Terco, as 11 horas do dia acima.
AVISGl>lH KSOS
CASAMMTIl
AOS 4:000#000.
BILHETES GARANTID0S.
t' rua Primeiro de Mar^o (outi ora rua d>
Crespo) n. 83 e casas do costume.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantidi.-
la 1' parte das lotenas a beneticioda matric de
Bom Jardim (77'), que so oxirahirt na quarta-
feira, 3 do niez vindouro.
PRECOS
Bilhcte intciro 'i*000
Meiobilhete 2000
BM POR^AODE lOOCOOOPAKA Cl.MA.
Billiete inteiro :;*SO
Meio bilhete U730
_ ________Manoel Martins Fiuia.
NORTIMENTO
MEDICINA
Preparado poi
I.anman & kemd
para thi aiaca
tod a a qualidade
de doencas, quer
seja na garganta,
peito ou bofes.
Expressamente
escolbidodosme-
lhoresfigadosdes
quaes se cxtralie
o oleo no banco
da Terra Nova
porificado chimi-
calmente, e suas
valuaveis propri-
edades conserva-
das com todo o
cuiiiailo, cmtodo
o frasco se garan-
teperfeitamen-
te puro.
Este oleo tern
sido subrnettido
a umexame mui-
to severo, pelo
cbimico de maU
talento, do go-
verno bespanbol
em Cuba e foi
pronunciado por
olle a conter
MAIOR PORQAO D'lODINA
do que outro qualquer oleo, que elle tern
examinado
IODINO E UMPODER SALVADOR.
Em todo o oleo de tlgaao de bacalbdo, e na-
quelle no qual conte"m a maior porcao desta
invaluavel propriedade, e o unico meio pra
curar todas as duencas de
GARGANTA, PEITO, BOFES, FIGADO,
Phtysica, bronchistes, asthma, catbarrho,
tosse, resfriamentos, etc.
Uns poucos frascos da carnes ao muito
magro que seja, clarfia a vista, e da" vigor
a todo o corpo. Nenhum outro artigo co-
nhecido na medicina ou sciencia, da" tanto
nutimento aosystema e incommodando quasi
nada o estomago.
As pessoas cuja organisa^ao tem sido des-
truida pelas affeccdes das
ESCROFULAS OU RHEUMATISMO
e todas aquellas, cuja digestSo se acba com-
pletamente desarranjada, devem tomar
OOLEO DE FIGADO DE BACALUAO
BE
I.ANMAN & KEMP
Se e que desejam ver-so livres e isentasde
enfermidades.
Acba-so & venda em todas as boticas e
Jrogarias. H. Forsler & C, agentes.
0 INEXTINGUIVEL
PERFUME
Caixeiro.
Predsa se de nm calxelro : no eafe dos arcflT
alui;a=se
O predio n. 28, sit) a rua dj Barao do S^Borja,
com commodos para grande familia : a tratar na
rua da Ponte Velha n. 73, com Hocba Leal.
ATTENCSAO.
De novo pede-se aos crodores da massa fallida
lc Jufio Hygin i de Souza, que apresentcm sens
tiinktf a rua do Vigarin n. 19, 1" andar, alim de
serem contcridos.
Uut'in incdsar alugar urn cscravo, com Ian
to que nao foia para rvi<;o de peso, dirija-se a
rua do Hofpicio n. fil, quo emronlrara nm bastan-
te intelligeiuo, e capazde eucarregar ?e d> traba-
Iho de jardim ou de hortalicas.______________
Aluga-se um sitio em Beberibe, com casa
propria para familia, com mobilia ou sem ella :
a rua do Marquez dp Olinda n. 36.
Saccrdote
Deseja-se o'-ter um sacerdote que qufeira dizer
as missas do Natal, e dos dias de Anno li m\ e
Reis, em um engenho de communiracao facil com
v. estacao de Ribeirao. Para este nm trata-se a
rua do Marquez d'Olinda n. CO, escriptorio de Sil-
a.\ & Cascao.
ffS
T
r.
ulia Vaz Pereira Ferraz.
D. Hermelinda M. de C.
Souza, Justino Jose de Sou-
za Campos, Dr. Carlos Au-
gusta Vaz de Oliveira, Dr.
Augusto Carlos Vaz de Oli-
veira, Dr. Alfredo Ernesto
vaz de Oliveira, Matbeus
Vaz de Oliveira e D. Amelia Augnsta Vaz de Oli-
veira, mandam eelebrar algumas mi*sas rocolhi-
mento da Gloria no dia 29 do corrente, as 6 ho
ras da manha, pelo eterno repouso de sna presada
filha e irma D. Julia Vaz Pereira Ferraz, esposa do
Dr. Silvio Pellico Pereira Ferraz, fallecida no dia
13 do presente mez na cidade de Penedo, provlncia
das Alagoas.
Comraendador Antonio Jose
Gomes do Correio. '
Os empregados da secretaria
da Santa Casa de Misericordia
tendo de mandar eelebrar na
igreja de N. S. do Paraizo, pelas
8 horas da manha do dia 28 do
corrente, trigesimo dofallecimento do cora-
mendador Antonio Jose Gomes do Correio,
mordomo da mesnaa Santa asa, um missa
de Requiem, com memento, acompanhada
pelas educandas da casa dos expostos, pelo
pescanso eterno d'alma daquelle finado,
convidam aos parentes, amigos e collegas
do mesmo para que se dignem de assistir a
esse acto de pura caridadc._____________
Manoel Pedro Noronha
lecimento.
A vinva de Manoel Pedro de No-
ronha convida aos parentes e ami-
gos do mesmo finado para a-sisii-
rem algumas missas que manda
eelebrar na matriz de S Jose, sab-
bado 29 do corrente, as 7 boras da
manha, 1 anniversario de seu fal-
Preeisa-se de uma ama
que engomme e faca outros
servicos domesticos, em casa
de pequena familia: na rua
do Capibaribe numero 40.
Precisa se de uma escrava para cozinhar
e comprar : na rua Primeiro de Marco n. 23
loja. ________________________________
Aos senhores negociantes.
Continua-se a fornecer comedorins para fora
por precos commodos ; algum senhor negociante
que tenha de retirar suas familias para, ir passar
a festa e quizerem deixar os seus caixeiros bem
servidos, quanto ao fornecimento de eomida, diri
ja-se a rua estreita do Rosario n. 33, primeiro an-
dar.
E' 16r e aproveitar
O inverno nao quer deixar-nos.- Muito papel
albuminado em risco de perder-se. Se ba de ha-
ver preiuizo de um, haja proveito para todos.
APROVEITEM.
CiOOO por uma dezena de relratos em cartSes I
Avisa-se a quern se quizer retratar em cartdes
^le visita, que na imperial plu>tcgraphia, a rua do
Cabuga n. 18, ao voltar para o pateo da matriz,
tiram-se retratos em cartoes de visita a 6#000
cada dezena.
APROVE11EM I
O qne e bom dura pouco...
Todos os dias nteis ou santiflcadot, cliova on
faca sol, das 9 horas da manha as 4 da tarde ti-
ram-se retrato9.
Aviso.
Itoga-se as pessoas que encommendaram b te* para este esipectaculo, o favor de procura los
ate o dia do espectaculo ao meio dia.
i 1 ---------------------!----------------------------
aix~iro.
Precisa-sc d> nm caixeiro com pratica de pada-
ri. e de 16 a 18 aenoa de idade : na rua ao Ba-
JSo de S. Borj* n f.
A eelebre a;ua Florida
DE
HURRAY t LAHHAN.
Uma pura distillacao das mais raras IL-
r<-s dos tropicos. Contem, para assim ui-
zer, quasi o oddr odorifero das flores ao
tropico da America, e sua fragancia e" quasi
tiiexhausta ainda mesmo por continuada
o/aporacSo e diffusao. N'este respeito e
i icomparavel a qualquer outro perfume
qne ha de venda para:
UESMAIOS, ATAQUES NERVOSOS, DOB
DE CABEQA, DEBILIDADE E
HVSTERICOS.
E um certo e ligeiro allivio. Com o bom
.in, tem conservado sua influencia para
cima de vinte e cinco annos sobre todos os
perfumes, nas Indias Occidentaes, Cuba,
.dexico, America Central, e do Sul e n6s
otm toda a confianca o recommendamos
oomo um artigo, pelo seu aroma muito de-
licado, riqueza de odor e permanencia, nao
pode ser igualado. Tambem faz remover
da pelle:
ASPEREZAS, EMPOUS,
QUEIMADURAS DO SOL,
SARDAS E BORBULHAS.
Sendo reduzida com agua, se torna uma
excellente mistura para banhar a pelle,
dando um aroseado e cdr clara a complei-
gao nublada, sendo applicada depois de
barbear, evita a irritacao que geralmente
occorre, assim como tambem garganteando-
se, o cheiro do cigarro desapparece, e me-
Ibora a condicae dos dentes e gengivas.
Como ha muitas imitacdes, as quaes n8o
possuem nonhumas d'estas propriedades,
deve-se tomar cuidado e contar s6mente o
o famoso perfume e cosmetico do sul da
America, cham
\l a FLORID I
DE
MURRAY 4 1A>M1\.
Sj acha & venda em todos odroguistasg
porfumarias da moda.
Criado
Ainda se precisa de um
eriado para oompras, recados
e outros servicos domesticos,
preferindo se um molecote
caotivo : na rua do Capiba-
ribe n. 40.
Aluga se a casa n. 77 da rua de S. J >Io : a
tratai na rua Deque de Caxias n. 44, ou na rua
do Rangel n. 41, andar.
*A IV*
Marcelino Antonio Pereira e seus
filhos agradecem do fundo de sna
alma a todas as pessoas que acom-
panharam ao ceaiiterio publico os
restos mortaes de sua sempre lem-
brada e chorada fsposa e mai D.
Maria Canstanca Vieira Pereira ; e
as convida. bem como a todos os seus p3renles e
amigos para ouvirem no setimo dia, terca-feira 2
de dezembro, as 7 horas da manha, uma missa e
memento que mandam eelebrar por sna alma, na
igreja do Carmo ; e por esse arto de pisdad* *
confessam elernamente gratos a todos os qu^to -
marem parte na sua dor.
a
MftiJfclinii'i-M
Precisa-se
de dousmoleques de 12 a 15 annos, para um tra-
balho muito leve : a tratar no hotel de Bordeaux.
Precisa-se
do um m co que tenha pratica ne servir a mesa
uos hoteis *: a tratar no hotel de Bordeaux.
Aluga-ce a loja do sobrado n. 25 na rua
nova de Santi Rita : a tratar ua rua Duque de
Caxias n. 44, ou na rua do Rangel ft 41, 2* andar.
O abaixo assignado participa ao respeitavel
publico e princ pahnente ao curpo do commercio,
que o Sr. Antmio Francisco Areias deixou de ser
caixeiro do mesmo desde esta data. Recife, 23 de
novembro de 1873.
Franeisro Antonio de Albuquerque Meilo.
Aluga->e a casa terrea com sotao para gran
de familia ou estabelecimento, na rua dj Fogo,
casa da esquina n. 32 : a fallar na rua da Santa
Cruz (Boa-Vista) n. 62, das 6 as 8 horas da ma-
nha, ou das 5 as 7 da tarde.
Aluga-se
duas casas proprias para passar a festa por ter
commodos para familia e banho perto, proximas
a estacao de Caxanga, e uma outra junto a mes
ma cstacM propria para um hotel ou botequim :
a tratar junto a mesma estacao, taverna.
Aluga se uma casa terrea na cidade de Olin-
da, na rua de S. Pedro Apostolo n. 11, ao pe do
Passo Castelhano, com bastant- commodo, 4 quar-
tos, quintal murado, estribaria para cavallo, por-
tao ao lado e penna d'agua : quern pretender di-
rija-se a rua de Santa Thereza n. 12._________
AO COMMERCIO
O abaixo assignado, testamenteiro de seu falle-
cido irmao Jose Joaquim da Silva Guimaraes, faz
sciente a quern interessar que se acham pagos
todos os credores do mesmo fallecido ; comtudo
se alguem se julgar credor apresente suas contas
no prazo de oito dias, a contar de hoje, na rua da
Madre de Deus n, 7, para serein pagas.
Recife, 26 de novembro de 1873.
Antonio da Silva Pontes Gnimaraes.
Perdeu se uma carta diriglda ao Sr. Dr.
Francisco de Paula Goncalves da Silva, contendo
dinheiro, desde a rua da Ventura (Capunga) ate
a rua Nova : quern a liver achado e quizer res-
titui-la. entregue-a na drogaria homeopathica a
rua Nova n. 42, sera bem recompensado.
Precisa-se de dous refinadores para o Para:
a tratar no escriptorio de Joaqi.im Jose Goncalve3
Beltrao & Filhos, a rua do Commercio n. 6.
Toma-se roupa de homem para engommar,
vindo ja lavada e por lavar, com todo o asselo e
promptidao, e por prece commodo : na rua do
Barao da Victoria n. 51.
Sociedade Liberal Uniao
Benehcente.
Nao se tendo realisado no dia 23 do correute a
eleicao do novo conselho que tem de reger esta
sociedade no anno de 73 a 74, como foi annun-
ciado, pelo presente slo de novo convida dos os
senhores socios a comparecerem domingo 30 do
corrente, as 9 boras da manha, afim de dar-se cum-
primento ao disposto no art ''-4 ae nossos esta-
tutos, concorrendo, porem, para este acto os que
estiverem de accordo com o art. 38 e mais lei
que rege esta sociedade, ficando prevenidos todos
o associados qee com o numero que apparecer
estando elle na plenitude do artigo 38 proceder-
se-ha a eleicao na forma da lei.
Sala das sessoes 25 de novembro de 1873.
Adriao Rozendo Santiago,
Servindo de secretario.
Attend.
Precisa-se alngar nm sitio perto da cidade, que
tenha plantacSes e proporcdas para ter vaccas de
leile : tas coadii.-oes, dirija-se *
rua do Barao da Victoria n. 63, loja.
LIQUIDACAO DE FAZENDAS
AO ARMAZEM
BO
VAPOR FRANCEZ
RUA DO BARAO DA VICTORIA
l<. 7Outr'ora NovaN. 7
NA
Rua da Imperatriz n. 60
fraocez,
Para heniem.
BOT1NAS de bezerro, cordavao, pettica, lustre
de duraqne com biqueira, dos melhore*
fabricantes.
SAPATOES de beterro, d eordavao e de case-
mira.
SaPATOS de lustre com sal to.
SAPATOES aumancados com sola de pao, pro-
prios para banhos, sitios e jardins.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca
francezes e portuguezes.
Para senhora.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPaTINHOS de phantasia com salto, brancos,
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca.
Para meninas.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para tueuino*.
BOTINaS de bezerro, lustre e de eordavao.
ABOTINADOS e sapatdes de bezerro, de diversas
qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e portuguezes.
Botas de montaria.
I^tas a Napoleao e a Guilhenne, perneiras
meias perneiras para homen-, e meias perneiras
para meninos.
No armazem do vapor francez, a rua do BarSo
da Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de guernicSes,
sofas, jardineiras, fnezas, conversadeiras e costu
reiras, tudo isto muito bom nor serein fortes e
levos. e os mais proprios moveis para saletas e ga
binetes de recreios.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7, outr'ora Nova.
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes e
de elegantes modelos, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henrj- Hers e Pleyel Wolff 4 C.: no
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumarias.
Finos extractos, banhas, oleos, opiata e pos den
trifice, agua de flor de Iaranja, agua de toilete,
divina, florid a, lavande, pos de arroz, sabonetes,
cosiieticos, muitos artigos delicados em perfuma-
ria para presentes com frascos de extractos, cai-
xinhas sortidas e garrafas de differentes tama-
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira quali-
dade dos bem conhecidos fabricantes Piver e Cou-
dray.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victori?, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos de differentes gostos e
pliantazias.
Espelhos dourados para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e para meninas.
Luvas de Jouvin, de fio de Escocia e de camurca.
Caixinhas de coslura ornada com musica.
Albuns e quadrinhos para retratos.
Caixinhas com vidro de augmentar retratos.
Diversas oh ras de ouro bora de lei garantido.
Correntes de plaque muito bonitas para rolo-
gios.
Brincos a imitacao e botSes de punhos de plat
que
Bolsinhas e cofres de seda, de velludo e de cou-
rinho de cdres.
Novos objectos de phantazia para cima de mesa
e toilette.
Pincinez de c5res, de prata dourado, de aco e
de lartaruga.
Oculos do aco fino e de todas as guarnipSes.
Bengalas de luxo, canna, com castSes de mar
fim.
<)engalias diversas em grande sortimento para
homens e meninos.
Chicotinhos de baleia e de muitas qualidades
diversas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembaracar e pafa
barba.
Ditos de marfim muito finos, para limpar ca-
beca.
Escovas para roupa, cabellos, unhas e para den
tes.
Carteirinhas de medreperola para dinaeiro.
Gravatas brancas e de seda preta para homens
e meninos.
Cam| iainhas de mola para ch-mar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do-
mind e outros muitos differentes joguinhos alle-
mSes e francezes.
Malas, bol..as e saccos de viagem de mar e ca-
minhos de ferro.
Argolinhas de marfim para as criancas morde-
rem, bom para os dentes.
Bcrcos de vimes para embalar criancas.
Cestinhas de vimes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro rodas, para passeios de
criancas.
Venezianas transparentes para portas e janellas
Reverberos transparentes para candieiros de
gaz.
Estereoscopos e cosmoramas com escolhidas
vistas.
Lanternas magicas com ricas vistas de cores era
vidros.
Vidros avulsos para cosmorama.
Globos de papel de cdres para illuminates de
festas.
Baldes aereostaticos de papel de seda mui facil
de subir.
Machinas de varios systemas para cafe.
Espanadores de palha e de pennas
Tosourinhas e canivetes finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lanteiias.
Tinteiros de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para
qnadros.
Quadros ja promptos com paysagens e phanta-
zia.
Estampas avulsas de santos, paysagens e phan-
tazias.
Objectos de magicas para divertimentos em fa-
milia.
Realejos peqbenos de veio com llndas pecas.
Realejos harmonicos ou accordions de todos os
amanhos, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias difficeis de mencionar-se. No armazem do
vapor francez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7. '
Medidas de 40 a 100 metros,pes e palmos para
medir terrenos.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de todos
os brinquedos fabricados em differentes paries
da Europa para entretenimento das criancas tudo
prei-os mais resumidos que e possivel: no ar-
mazem do vapor francez, rua do Barao da Vie-
oria, outr'ora rua Nova n. 7.
Cestinhas para coslura
Grande sortimento de bonito* modelos chegados
ao armazem do vapor francez, cua do Ba-ao da
Victoria (outr'ora Nova) n 7.________________
Vende fazendas para liquidar, por baratissimo prceo como
abaixo se ve:
Pereira da Silva d Guimaraes tendo em ser um grande depozito de fazendas,
tem resolyido fazer uma liquidagao das mesmas com grande abatiraento nos precos,
com o unico fim d: npurar dinheir para o que convidam nao s6 os seus numerusos
freguezes, c>mo o respeitavel publico, a vir surtir-se de muits fazendas, bo^s ebaratis
no seu esUbelecimentidenomiuada oPavfio a rua da Imperatriz n. 60.
CAMBRAIAS A 49, 4o00, 55, 69 79- francez muito fino a 355000, apenas precisa
O PavSo vende um magnilico sortimento V4 metro pa Ufn len$ol.
das mais finas cambraias brancas transpa- HALES BxRATOS
a 29, 29500, 49.
0 I'aviio vende chales a emitaoSo de me-
rino a 29, ditos do merin6 lisos de todas as
rentes, tendo 10 jardas cada pe<;a, pelo ba-
rato preco de 49, 49500,59, 69, tendo tam-
bem das mais finas que custumam vir ao
mercado, assi-u como um grande sortimento cores a 29500, ditos demerin6estaropados,
de ditas tapadas e victorias que vende de 49 muito linos a 49, <)itos finissimos com lis-
ate 89, sendo fazenda que vaflo muito mais tr8S deseda a 69500, ditos muito fiuos d
dinheiro. |crepom a 109 e 129.
COM SALPICOS DE CORES A 59.
0 Pavfio recebeu um elegante sortimento
de cambraias brancas com bonitos salpiqui-
nbos miudinhos de cores, tendo 10 jardas
cada corte de vestido e vende pelo barato
preco de 59, por ser pechincha, ditas com
salpicos todo brancosendo fazenda finissima
a 79500 e dit VESTIDOS A L'SO DA^CORTE 129
0 Pavfio vende um bonito sortimento de
cortes de vestidos a uso da corte, trazendo
cada c6rte todos os enfeiles nocossarios como
sejam: babadinhos, entre-meios, rendas,
requefifes, e vende pelo barato preco de. 129
cada um, assim como, diios a 2 de julho
Cftm todos os enfeites a 109. 3ortes de cam-
braias brancas abertas, com listras e lav'-res
a 69, ditos finissimos a 89, ditos de cam-
braia branca com listras de cores, para aca-
bar 39500, 6 pechincha.
CORTES BORDADOS A 209 E 359.
0 Pavfio vende ricos cortes do cambraias
brancas delicadamente bordados, pelo ba-
rato preco de 209 e 359.
CASSAS FRANCEZAS
a 300 rs, o covado
0 PavSo recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padroes e
cores fixas, que vende pelo barato preco de
300 rs, o covado, organdy branqo o lis-
tado c de quadrinhos a 610 rs. a vhra fi-
nissimo fil6 branco liso e de sslpicos, C tarla-
tanas de todas as cores.
BORNOUSA 12-5.
0 Pavfio vende um bonito sortimento dos
mais modernosbornous com bonitas listras e
vende pelo barato preco de 129 qada um,
assim como um elegante sorumentd dos mais
bonitos chales de merino e com listras de seda.
LAZINHAS A 320 i
0 Pavfio vende bonitas lazinlias lisas,
sendo verdo o cor do lyrio, pc o barato preco
de 320 reis o covado, assim comofdelVadas
Uzinhas de quadrinhos a 280 i
chincha.
Granatliues a G-ftO
0 Pavfio vende urn elegante sortimento
%Isoilae enfestado a 19 e I98SO.
0 Pavfio vende algodfio eufestado com 8
palmos de largura, preprio para lencoes
sendo do mais encorpado que tem vindo "ao
mercado, liso a 19 avara etrancadoa.....
19280.
ATOALHADO A 19600, 29, 59.
0 Pavao vendeatoalhado trancado corns
palmos de largura a 19200 e 19600, dito
adamascado a 29, dito de linho adamasca-
do a 39 e 59.
SEDA PARA VESTIDOS
a 19000 e 29.
0 Pavao tc-ndo'fiin bonito sortimento de
sedas com listntihas proprias para vesti-
dos de meniniBsede ssuhora a 19600 0 co-
vado, ditos lavradinhas a 29, os padroes sao
muito bonitos e vende-se por este preco para
acabar.
Botinan a .V>000
1 0 Pavfio tem um rompleto, sortimento de
botinas muito bem enfeitadas para senhoras
e vende pelo barato preco Je 59, artigo quo
em outra qualquer parte custa 9e79.
I.ENCOS BRANCOS
*a 290OO.
0 Pavao vende lencos brancos abiinln-
dos, tanto para homens como para senhoras.
a 29 e 295U0 a duzia, ditos de esguifio c
cambraia de linho t-mbem abinhados a
39500, 49, 59, d tos francezes escuros, para
rape a 69, a duzia.
CAMISAS PARA HOMEM.
0 Pavao vende ricas camisas com peito
de linho bord-das, proprias piranoivoa
10e 129 cadi uma,ditas de linhosen se-
rcm bori das 49, 49500 e 59, ditas com
peito de algodfio muito finas 29. 29500 e
39, ditas dechita fina miudinh* a 29,29500,
e 39, jssim como grande sortimento de ce-
roulas francezas tanto de linho como de al-
godfio de 19600 ate 39, gr nde sortimento
Je mei-s cru s inglezas de 49 ate" 89000 a
duzia
FAZENDAS PARA LUTO.
0 Pavao tem um grande sortimento de
fazendas pret s para luto como sejam : cas-
s s, lfis, ou lfizinhas lisas que vende a 400
das mais bonitas granadines ou gazes de e J00 t6is c,)yado. hombazinas de 19600
seda para vestidos. tendo de todas as cores 8t(S *?. vado, cantfio a 19 e 19200,
e vende pelo barato preco de 640 r&soco- Sranadine sa com listras, cassas e chiles
vadoegranadine preta com listras do soda tds preta? com listras c salpicos, alpica?
a 19800. todas pretas e lavradas df branco, merin6s <
outras muitas fazend s apropri das, que se
LAZINHAS A 360 0 COVADO. veude por menos do que cm outra qualqu.r
0 Pavfio vendo bonitas lfizinhas transpa- Var{0-
rentes com palminhas a 360 reis 0 covado, MADAPOtOES ENFESTADOS
ditas ditas indianas com lindos dezenhos, *v fl 39000
tanto em listras como em quadros a 280 rs. 0 Pavao x^jide pecas de madapolao enfes-
0 covado, e grande sortimento de alpacas c tado com 12 jartl-sa 39, dito a 39500, dito
lfizinhas de 40i) a 800 reis. com 20 jardas a 59, 59500 e 69000, dito
com 24 jardas de 59 ate 89 e 109, sendo os
mais finos que tem vindo ao mercidd.
Algodaoziuho a 4rOOCi.
0 Pavfio vende
) a
TAPETES
Attencao
Vende-se barato a armapio da taverna n. 60, si
ta i rua Direita 4os Afogados : a tratar na pad*-
ria de junto n. 66._______________^^^
IjUG% ME
Um segundo andar e sotao com muitos commodos
na rua do Barao da victoria n. 39.
CHITAS DE CORES
a 20>, 2It., 280e 320 rs.
0 Pavfio vende um grande sortimento de i
bonitas chitas tanto claras como escuras e!
vende de 200 ate 32i rs., assim como ditas 9Pava0 vende P"? de "Igodiozmlio
com listras ao lado muito finas a 360 e 4001mu,t0 encorPado a W. d'to a 59 e 69.
rs., finissimas percales miudinhas com lin-J
dos dezenhos a 360 e 400 reis, garantindo!
serem todas de cures fixas. CORTES DE CASEMIRA A 5>9.
COBERTAS A 29, 29500, 39, 49.
0 Pavfio vende bonitas cobertas de chita I 0 PavSo vende um grande sortimento de
com ramagem grauda, pelos baratos precos cortes de casemira para calcas, com bonitos
de 29, 2950 >, 39 e 49, ditas encarnadas gostos, claros eescurosa59, ditos de 69,
forradas a 59, ditas defustfio branco e de cor 79, 89, ate1 109, superiores casemiras fran-
com barras a 49 e59, ditas decrochepara cez se inglezas, para covado, de 39500 ate
camade noivo a 69, ditas muito ricas a 169, 6)5, paunos pretos ede ores dos mais bara-
ditas de damasco a emitacfio de seda a 109 tos e mais finos que tem vindo ao mercado,
e 149- por precos muito razo veis.
Roupa feita
FusUies
0 PavSo vende fustdes brancos e de cores,
sendo as mais bonitas cores que tem vindo ao
0 Pavao, tem constantemente um grande
sortimento de roupas fcitaspara homem, qua
mercado, tanto para roupa de criancas como vende por preco muito em conta, como se-
para vestidos e roupas de homem,e vende jam :
pelo barato preco de 560 atS 19, o covado.
BRAMANTES
a 19600, 2A2Oe 29500.
0 Pavfio vende bramantes de algodfio com
10 palmos de largura para lencoes, pelo ba-
rato preco de 196 0, dito de liuho com a
mesma largura a 29, 29200 e 29500, dito
Cortes de chita a 99, 99&00 e
35000.
0 PavSo vende cortes de chitas ascuras 0
claras com 10 covados cada corte, pelo ba-
ratismo preco de 29. 29500 e 39000.
CORTES DE BRIM A 19400.
0 Pavab vende cdrtesdebrim pardo para
calca, a 19400. Ditos de c6r, fazenda mui-
to boa, a"1960.
Espartilhos a 3# e 4000.
0 PavSo vende os mais modernos esparti-
lhos, proprios para senhoras e meninas,
pelos baratissimos precos de 39 e 49000.
Ditos muito superiores, brancos e de cor, a
59 e 69000.
Calcas de brim de cores de 29500 ate1 69.
Ditas de casomira cscura a 39500.
Palitots da mesma fazen !> a 49500.
Calcas de brim pardo de 29 ate" 54.
Dit s de casemira do cdr de 70 ate" 12#.
Ditas de casemira preta de 79 ate" f 40.
Palitots de panno preto de 49 ate* 129-
Fraques de panno preto fino de 209 ata"
359000.
Calc-s brancas deiinho de 49 ate179.
Colletes de casemira de cor de 39000 ate
59000.
Ditos de dita preta de 49 ate" 79.
Cortes de la a <9000.
0 Pavfio vende bonitos cortes de Ifisinhas,
padroes miudinhos com lindas cores, tendo
15 covados cada corte, pelo barato preco de
49000.
CORTES DE ORGANDY A 39000 e 39500.
0 Pavfio vende corte de organdy branco,
com listras e quadrinhos, sendo fazenda mui-
to fina. pelos baratissimos precos de 39 e
39501) o corte.
Ceroulasfr ncezas de linho e algodfio, para todos os precos e qualidades, assim
como grande sortimento de meias crus, camisas, colennhos, que tudo se vende por
precos muit r zoaveis.
Companhia do Gaz.
A empreza do gaz tem a honra de annunciar
ao publico que recebnu ultimente um esplen-
dido sortimento de lustres de vidro, candiei-
ros, arandelas e globos,* cujas amostras estfto
no escriptorio & rua do Im[>erador n. Si,
e serfio vendidos aos seus freguezes polo
preco mais razoavel possivel.
Sobrado para alngar
Aluga-se o sobrado 28 da rua D. Maria Ce-
sar (oir'oraSentaJla Nova) com J salas. B quartos
1 sotao cm cozinha, ama sala e I quartos: a tra-
tar na mesma rua a, M.
Aroga-se o f andar a sotao, com todos os
comraodos sara graade familia, do sobrado n. 12,
situ a rua de Hortas: tratar na rua do Trapicbe
n. <3, armazem de aasacar. Tambem ae ven*"
rcceo-3i4 partes4aM*mo ntonox

] HUTIIAM I
/
\
(


V" V
^


Jjmo ae fernambuco Sexta teira 28 ae Novembro ae 1873,
I IK in

aRua do Marquez de Olinda 56 a
(outr'ora rua da Cadet*)
LOJA DE MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recommen-
ado pelos grandes depositos e bons sortimentos com que sempre prima em tor da*
melnores, mais acreditadas e verdadeiras machinas anicricanag para algo
daa, desde 10 A 60 aerraa, e havendo em todos os tamanhos diversidades de syste-
mas e meihoramentos para perfeito e rapido descarojamento ; tornam-se digoas de
erem vistas e apreciadas pelos Srs. agncultores; os auaes, alera disto, encontrarao
tambem mais :
Apurados vapoues locomoveis, deforca
de 8% e 3'/t cavallos com todos pertencas
precisos para trabalharem 4 machinas para
algodio, ou para outro qualquer mister.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e ladei-
ra-
Carros de mao para atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com valvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparethos para jardins.
Guards-oomidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafuzos de ferro.
Dita dita ditos de madeiras.
Trens para cozinha.
Emfim muitos outros artigos, qne sdavista e neste estabeleomodefaoentp
examinados.
Ternos de bandeijas finas.
Con-eates para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Pertencas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinhos de diversos fabricantes para iai-
lho e cafe*.
Debulhadores para milho.
Azaite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Cannos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos dechumbo.
Ditos de borracha.
Folles para ferreiros.
s i
AMA
Precisa se de uma ama qne comprc e
cozinho para casa de pouca fanPjHft
iratar narua atraz da matriz de Santo .fnlomo d.
18,2' andar._____________________________
Precisa-se de uma para cozinhar
;ira casa do pouca familia ; a Iratar
rua do Hospiciu n. 4G, rasa tern*
quo teiu hulas amarellas na .cur-
AMA*
nij.i.
Ama deleite
Precisa-se de uma na rua da Praia n. 53, 3* air
dar ; preferindo se sem filhos.
Ama de leite
Precisa-se alagar uma ama que tenha bastante
leite: na rua Fermoza n. 18.
Ama de leite.
Prscisa-se de uma ama de lei
na rua do Hospicio n. 17, pagai
sadia e moca
se bem.
Precisa-se de uma ama que saiba engom-
mar lavar e cozinhar : na rua doe Guararapes
n. 84.
AMA
Precisa-se dc uma ama qne s ama
c 'zinhar e comprar para casa de
homem soHeiro : na rua de Pedro
Affonso n. 7, antiga rua da Praia.
Precisa-se de uma a ma que saiba cozinhar
na rua do Rangel b. S, sobrado._______
Na rua Aa Ponte velha n. 1,
Ama
. precisa-se
de uma ama que saiba cozinhar e en-
gomroar para casa Ana de leite.
ifTiifie
ANTONIO JOSfi DE AZEVEDO.
Rua Nova n. 11.
PIANOS.
Precisa-se -de uma que tenha bom leite c com
abundancia : -na rua do Brum a, liS
Escravos fugidos
Felippa, negro, cabra, ja idosa, cozinheira, alta
e secca.fei escrava da viuva do fallecido Jacin-
tho Botelho, tern urn fiiho escravo do Sr. Jose
Antio de Souza Magaihaes, que andava fugido,
e que veio seduzir a mai para acompanha-lo ;
esta auscnte desle o dia 6 do corrente.
Roga-se a policia caprtaes de campo a cap-
tura das mesmas escravas que sio do eugenho
Sapnraia de Beberibe.
h'UNDLCAO DO BOWMAN
RUA DO BRUM R. 52
(Par-sando o' ohafanz)
PEDEM AoS seubores de eng-Dbo e ootros gricuaf)t*&, e empressdjrc ile di
uinismo o favor de oma visile sou eatabelecimento, para verem o novo sortimeate
ompiet i que bi tem; secdo lodu aoperior em qualidade e forttdao; o que cm a in-
ccio pewjal pode-se veriSear.
ESPECIAL ATTNCA0A0 NUMEROE LUGAK DE SUA FUNDIQAO
?&Dores 6 rodas d'a?aa d08 ?8'8 mo1erno8 yB" ?m u
rvigo *wuw ** *6 u* maabos convenieotei pira as diversas
trcamatJDcias do* tenhoret proprietaries e para detcarofar algodao.
tfOftUdftB d8 C&HH& de.lodo8 8 Umanao8 as^melnorea qoe aqai
Sodas dentadas **n anUMM-*gM e vapor-
raixas ie ferro fandido, batido e de oobre.
Mambiqnes e fandos de alambiqaes
tfachinismos
Bombas
para maodioca e algodiio.J
e para aerrar madeira.
mai resamido.
uo mer-
Podendo todos
ser movidos a mlo
'por ago i, vapor,
de patente, garanlidn........ | on animaes.
Codas aS maohiliaS eP<*a*de Pas qualquer concerto d6 m,cbwi8mo' m
Formas de ferro ^h**************
ft.ntinmmanriao Incombe-se de mandar vir qaalqaer machinismo i von-
^UVUUIlUDUUaBi U(te do8 6iientet, lembnndo-liMS a vantagem de fa zerem
oai cempraa por intermedio de pessoa enteodida, qae em qaalqaer aecesaidade pode
tea prestar aaziiio.
irados americanos in'tro*80to **
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFAR1Z
PENHORES
Na Iravossa da rua
t]aoCi'u/.o.s it. 2, ari-
"iiieiro uudar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
os que tem, 'noves e
& Querendo definitivameate liquidar este negocio, vende todos
usados, pelo prejo do custo de factura.
Tambem acaba de reeeber o seguinte:
OLEADOS inglezes para assoalho de salas, de muitos lindos desenhosde 11 a 33 palmos
de largura e 100 de comprido, podendo forrar-se umasala porgrande que
P*** seja com oleado inteiro.
MAGNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos de salas.
ANNEIS electricos para curar dores de cabeca. nevralgias e nervaso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
GRAMPOS para sexurar roupa estendida nas cordas, a 200 rs. a duzia.
TALAGARCA e papel picado para bordar com IS ou seMa. ^
VERDADEIRA agua de colonia em garrafas empalhadas.
E muitos outros artigos, e por muito barato prer^o.

501000.
Fugio do wngeoho Araquara, do termo da Es-
cada, no dia 26 do corrente, o escravo, Antonio,
crioulo, de 34 aonos de idade, com os signaes se-
guinte* : altura regular, falta de dentos na fren-
te, pe"s apalhetado-i o locador de viola ; foi com-
prado nesta praca e julga-se andar pela fregue-
zia da Varzea, onde tem mai e irmis : Qaem o
pegar leve-o na estacao das Cineo-Pontas : a tralar
com Olympio de Souz* Galvio, ou no dito enge-
nlio a seu Sr. Antonio Jose Gomes Junior.
Recife. 27 de novembro de 1873.
SAQUES
Carvalho dc Nogueira, na rua do Apollo
n. 20, accam sobre o Banco Commercial
de Vianna e suas agencias em todas as ci-
dades e villas de Portugal, A vista e a prazo
por todos os paquetes.
Banhos temperados.
Aluga-se por festa ou por anno, uma casa
com commodos para grande familia e muito fres-
ca, situada na pitoresca ilha do Retiri (Magdale-
na) a margem do saudavel rio Capibaribe : atra-
tar na rua do Visconde de Pe.otas, outr'ora 4o
Aragao b. 44.
Attencao
Os abaixo asaignados rogam a sens devedores
Jue queiram .ter a bondade de virem saldar sens
ebitos at>5 o fim do corrente anno ; os que nao o
fizerem serao chamados por este JDiario pelo eu
proprio nome a -vi.-em cumprir com os seus de-
veres. ,.
Recife, 22 de novembro de 1873.
___________________Gama & Silva Britto.
Uma parda escrava, boa costureira, precisa
de 1 000* para sua liber lade, offereceodo cm
paga desta quantia os seus servicos pelo temp?
que se convenciooar: quern quizer fazer este ne-
gocio, dirija-se a rua da Imperatriz n. 30, segundo
andar.__________________________________
Proprio para noivo
Aluga-ae o 1 andar da casa da rua da Impera.
iriz n. 24 a quem pagar algumas bemfeitorias : a
iratar na thesonraria das loteriss.
cm.
Aluga-se metade de urea casa no pateo do Ter-
50 a pequena familia : a tralar no pateo do Pa-
raizo n. 26.______________________________
Escravo fugido
Acha-se fugido desde 0 dia 18 do corrente 0
escravo Gregorio, crioulo, cor hat, baixo, tendo
am dos dedos ptillegares do 1 e oortado : quem
prende-lo, queira dirigir-se ao pateo do Canno, em
Olinda, sobrado n. 2, que sera generotttmente gra-
il^do._________________________________
HLM~
Jornaes da Europa.
Assigiiaturas para 1874.
Acham-se abcrtas conforme o respectivo cau-
logo.
Livraria Franceza.
VTTBNCAO.
Precisa-se de urn homem portuguez recente-
mente cbegado, que tenha boa conducta e pratica
para feitor de eugenho : quem estiver oestas con-
duces, queira apparecer no largo do Gorpo Santo
11. 19, eschptorio.
0 quarto andar da
n. 4.
ma do Marquez de Olinda
Anoronujio FAIH. U. mbhtaw Umnutm. I
PA8TILHA8 DIGCCTIVAg (tixUUM Vicky
eoBMSMf extrafeMffeiFMu.M4gMU
e at dtewt iMem.
8AD DIi VICHY PARA BANHOS. Da roU I
Para nitar at imitafUi
iVicby.
*fffr em todot mi prUuctdm
COaTMVTt M IITtN riMN
.Os awtoetoi de *dm* >cMn i
I Effl Pernamhucn, TI88ET f~}-A. R100RD. 11
Attencao
Anlniiio Fernandes Baptisia.
Deseja-se saber noticias dos filhos do finado
Aatnnio Fernandes Baptista, portuguez, natural
d*) lugar Rominha, freguezia de Sanu Maria Mag-
dalena em Alvaiazere, e que no anno de 1826 re-
sidia no engenbo ou lugar Camocin.
No anno de 186l ainda existiam, ignorando-se
o lugar onde. E' negocio de interasse para clles.
Quem souber e quizer ter a bondade de dar no-
ticias, pode dirigir-se a rua do Imperador n. 45,
!. andar, ou a Ln'iz Jose Baptista, em Lisbda, rua
dos Fanqueiros ns. 35 e 37.
Aluga-se
uma boa casa nova com muitos commodos para
familia, com gaz e quintal todo murado na Capun-
ga ao Pe dos Quatro Cantos, muito perto da esta-
cS) : a tratar na rua do Vigario n. 33, primeiro
andar com Joio Jos6 da Cunna Lages.
Aluga-se uma excellenle casa na povoacao
de Duarte Coelho, em Olinda, com bons commo-
dos para familia; a tratar com Jorge Tasso, rua
Araorim, a. 37.
Attencao
Os abaixo assignados fazem sciente ao respeita
vel corpo do commercio qoe dissolveram nesta
data amigaveJmente a sociedade que tinham no
hotel da rna larga do Rosario n 3', fiemdo a car-
go do socio Francisco neis todo o activo e passivo,
e o socio Manoel Carpinteiro pago e satisfeito de
seu capital e lucros. Recife, 20 de novembro de
1873.
Francisco Reis.
_______________Manoel Carpinteiro.
Agencia geral de emprega-
dos.
0 agente Santos Coelho reunio as suas agencias
da rua do Marquez de Olinda n. 30, segundo an-
dar, pateo da matriz de Santo Antonio n 6, rua
estreita do Rosario n. 38 e caes de Capibaribe n.
12, a i pateo de 8. Pedro n. 3 aonde tem sempre
boas ama de leiK, seccas, caixeiros e criados.
Uma peuoa sujeita, com muito pouca idade,
e que ganha 2* por dia, precisa de 400* para sua
liberdade, obrigando se a dar fiador. e a entrar
todos os mezes com 40* rs. ate realisar o paga-
mento do principal, juros e todas as mais despezas
respectivas, e tudo isso por meio de uma escriptu-
ra. Quem stiver em circnmsunclas de fazer
tal negocio, annuneJe.
NflHS PUBL1CAC0ES MOSICAES.
A. J d Aiea eda IImh \outn It.
Acabam de publicar-se, e achara-se a
venda as seguintts musicas :
PIANO SO'.
Dan&e espanhola, porAscher 22(000
Arabella, mazurka, por G. Wer-
theimer 1500
Valsa do Fausto, por Croyzes 13*000
So.nho de uma viRGBM, por Alber-
tazzi 19000
Anna la Prie, cavatina 19000
AoClairdela Lune, por Bussmeyer 1500
Estrella do norte (n ., ... .^_
SAUDAgiO A0 3AHIAlP0lkabn,hante t9^
Cricket, por Seixas, offerecida aos
cbrickets club pemambucano e
bahiano 19000
PIANO E CANTO.
Besespero, muito linde romance
por I. Smokz 29000
>'on m'amava, romance por Guercia 19000
Tambem recebeu da Europa grande sor-
rmenide musioa para piano, piano e
antoudos, methodos, etc. etc.
Joaquim Jose Goncalves
Beltrao & Filhos
Teem para vender no seu escriptono a rua do
Commercio n. S, o seguinte :
AGUARDENTE de cajii: caixa de 12 garrafas.
* de laranja, idem idem,
ARCOS de pao para barril.
CAL de Lisbda, recentemente chegada.
CHAPEOS de sol, para homem e senhora, cabo
de iiKirliw e dsso.
FEIXES de ferro, para porta.
FIO de algodao da Bahia, da fabrica do commea-
mendador Pedrozo.
L1XHA de roriz.
OBRAS de palheta.
PANNO de algodao da Bahia, da fabrica do com
mendador Pedrozo.
RETROZ de todas as qualidades, das fabricas de
Peres e Eduardo Militao.
ROLHAS proprjas para botica.
SALSAPARRILHA do Para,
v EL AS de cera de todos os tamanhos.
VLNHO engarrafado do Porto, caixas de 12 gar-
rafas.
< dito Moscate do Douro, idem idem.
dito Setubal, caixas de 1 e 2 duzias.
da Italia esgarrafado, caixas de (
rafas,
de Collares superior, em aucoretas.
de cajti, caixas de 12 garrafas.
t Malvasia do Douro, caixas eom 12
rafas.
Carcavellos, idem idem.
gar-
gar-
FUNDICAO DE FERRO
s
A' ma do Barto do Triumph (rua do Brum) ns. 400 a .04
CARDOSO & IRM10
RfiCEBERAM de Inglaterra corrrploto sortimento de ferragens e machinas para en-
genhoe, as mais modernas e melhorobra que torn vindo ao mercado.
VapOreS de forbade 4, 6,8e fO cavallos.
UaiCieiraS ftlOenaaS inteiraS emeias raoendas, obra comoaunca aqai veio.
TaixaS 'fundidaS e batidas, dos melbores fabricantes.
KOCiaS Q aglia com cubajede erro, fortes e bem acabadas.
IMKlaS uentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
EelogiOB V apitOS para vepores.
-DOmDaS de ferro, de repucho.
A-radOS de diversas-qualidades.
Formas para asaicar grandes e p.squenas.
Concertos conccrtonipromptidao qualquer obra oumachm?, parao que teens
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EllCOnmiendaS m*n<^am v'r Por encommenda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londres
com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
dit*s machinas, e se respousabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
BSadoBarao do Triumpho (ma do Brum)ns. 100 a 104
FUNDICAO DE CARDOSO < IRMAO.
- Fugio, ao amanhecer do dia 16 de outubro T/v/iIwy T^oA rl
do corrente anno, do engenho Paraizo, do termo wOdqilim JOS6 (jfOIlCalVeS
do Rio Formoso, o raulato Cyrilo, de idade de 23 a I "RrtHX, J>~ 1?:iU
24 annos, escravo do padre Miguel Pere3 de Aze-' r>eiiraO OC llllO.
TedoFalcio. Rna do Commercio n. 5, % andar
pegados, com estrada de liberdade, ja tem buco ? M,nh0 em Braga, e sobre off sognntei
de barba e pouca baiba no queixo inferior, 6 bem
parecido, saDe ler.porem escreve mai. 6 muito fal-!
Iante,tom montador em burros, trabalha de oleiro
em formas e e canhoto. |
Ao amanhecer do dia-9 do corrente (novembro)
fugio do mesmo padre o escravo Themotheo, criou-
lo, idade 26 aunos, estatora regular, bem preto,
Souca barba, denies limados : ha prababilidade
e que fugissem para a capital com o intento de
assentar prapa. Quem os apprehender sera bem
recompensado, e os podera entregar ao Sr. major
Jose Antonio de Brito Bastos, no engenho do Meio
da Matriz da Varzea ; e sendo preso em outro lu-!
gar fora da capital ou seus suburbim. sejam con-'
ouzidos para o referido engenbo Paraizo, que se
rocompensara bem, d- vendo ser conduzidos com
toda a cautela, porque s5o muito ardilosos, maxi-
me o mulato.
Escravo fugido
300#000 degratifica^ao
Au-entou-se desde o dia 13 de maio de 1872 o
pret' de nome Alfredo, representa ter de 30 a 40
ann s de idade, e perfeito cozioheiro, alto bastante.
e turn magro, pouca barba, olhos grande*, e" muiu>
ladino, consta que tem pai no engenho do Sr. Luln
de Caiara, em S. Lourenco da Malta. Este preto
foi cozinheiro dos ncgouantes Adriano k Castro r
Sr. Jose Joaquim Gontalves Bastos, e julga-se
que esteja alugado em algum hotel ou casa parti-
cular nesta cidade, c as autoridades e capities de campo, que o deaco-
brindo, o iragam a rut Duque de Caxias n. 91, loja
de miudezas do rival sem segundo, que serao gra
tificados com a quantia acima. ____
- Antonio Oouiingos Pinto, queieudo resumir
o seu negocio de mobilia, tem resolvido faier nm
tbatiuiento de 25 por cento nos precos de suas
mobilias, as quaes sao : ricas nubilias de jaca-
randa a Luiz Xv, fabricadas em Franca, ditas de
nogueira e de anable, guardas-roupa dejacaran-
da de mogno c de anable com eapelho, rices
guardas vestidos de amarello, .icos guardas-lou-
Sa, toil let tes de jacar.nda e de mogno, apara*1or.
e mogno com tampo depedra, ditos de amarelln
com armario, mesas elastica- para jantar. dito
de mogno com abas para almovo, mesinhas d>-
mogno para costura, c uma inlinidade de objec-
tos que seria enfadonhn mencionar ; tem bin
grande sortimento de cadeiras de inuitas qualida-
des : a rua do Barao da Victoria n. 57 e 58.
Aluga-se um excellenle sobradinho : mi I L-
de vidro, na rua de S. Pedro Novo n.... com com-
modos para grande familia, o melhor lugar para
quem quizer fj-^er uso dos banhos salgados: a
tralar na praca doJCorpo Santo n. 17,1 andar.
Na rua do Barao da Victoria n. :JC precisa--
fallar ao Sr vigario Andre Curcino de Araujo Pe-
reira, a negocio de seu interesse.
Nalricula dos cavallos.
Aeham-se a venda em todas as livrarias map-
)as impressos para matricula dos cavallos con-
orme deterraina a lei provincial de 17 de iuaho
de 1873.
MTENCAO
Precisa-se alugar nma ama de meia idade, po-
rem que seja preta, oue nao tenha vicios nem
achaques, e que affiance sua conducta, para com-
prar e cozinhar para uma familia de 3 pessoas :
a tratar na cidade di Olinda, sitio do Amparo, ca-
sa terrea grande, com portao ao lado.
Casa de campo
Offerecese a quem quizer fazer os concertos
neeessarios, o arrendamento por alguns annos, de
graca, da excellente casa sita na Porta d'Agua,
que foi do finado Dr. Joaquim Pires Carneiro Mon-
teiro, passando-se escriptura para maior seguran-
ca. A loca'idade 6 muito salubre, e a casa muito
rresca, lem magnifico banho de agua doce em
frente, e e muito commodo visto que o trem passa
iefronte : quem pretender pode dirigir-se ao Sr.
Francisco Carneiro Monteiro, em Apipucos, ao
Sr. Francisco Ignacio Pinto, na rua do Bom Jesus,
ou ao Sr. Cannan, a rua do Commercio n. 40.
CHAMAflO
0 Sr. Jovino Fernandes da Cruz e" cflamado a
do Cor.mel Suassuna n. 281, a negocio de
particular interesse.
Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria n. 36, precisa-se
allar aos Srs. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
os6 Paes da Silva, a negocio de particular inte-
esse.
Consultorio medico-cirurgieo
DE &
A. B. da Silva Maia.
Rua do Visconde de Albuquerque n.
11, outr'ora rua da matriz da Boa-Vista
Q. 11.
Chamados : a quaiquer hora.
Consultas: Aos pobres gratis, das 2 as
4 horas da tarde.
Carlos Pinto de Lemos, administrador da
massa fallida de Joaquim Silverio de Souza & C,
roga aos devedores da referida massa, queiram
quanto antes saldar seus debitos a rua do Mar-
quez de Oliada n. 1, sob pena de recorrer-se aos
meios judiciaes. Recife, 21 de de novembro de
1873.
mm m
gares de Portugal:
Amarante.
Arco de Val de Vei.
Bar cellos.
Beja.
Chaves.
Coirabra.
Covilha.
Faro.
Guards.
GuimarSes.
Lam ego.
Lisbda.
Mirnndella.
Moncao.
Ponte de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna do Castello.
Villa do Conde.
Villa Nova de Famalicao
Villa Nova do Portimao
Villa Real.
Vizeu.
Valenca.
Figueira.
Aveiro.
Agueda.
Caminha.
Evora.
Oliveira deAzemeis.
Penaficl.
Pergunta-se aos Srs. flscacs do municipio do
Recife, qual a postura municipal que a'itoii-a o
capataz ds talhadores reeeber de cada um drii-s
40 rs. diarios dizendo ser de capatasia e protnei-
tf ndo suspender o que nao quizer pagar, pois ha-
vendo para mais de 150 talhos imports cm seis
mil e tantos reis, 6 uma renila menos ma caso
o Illm. Sr. nao tenha autorisado a isso pedimos
aos Srs. fiscaes providencias para tao descomunal
procedimento.
_________________ Um prejndicado.
Hotel duas na^oes alliadas.
No becco do Padre n. 28 faz-se comedorias com
todo o asseio e perfeito, e se manda levar em
casa de qualquer pessoa que quizer ser assignan-
te por mez ou mesmo avulso, pelo preco muito
commodo de 30* e 35* por mez p- os Srs. que se diguarem obzequiar-medirijan sc fi..*
mescmo hutol que achara com quem tratar. Tarn
bem havera no mesmo hottl, papa de kite todos
os dias as5 1|2 horas.
Attencao.
Na rua do Aragao n 32, ha quem se eaaarre-
guc de pr parar com aceio, pmrnptidao t> preco
commodo, tudo quanto e necessario e indi'p[-
savei para guarnecer uma mesa em dia de casa-
mer-to, haptlsado o;. qualquer outro acto de ra-
goziio, a vontade de quem eocommendar, seia
qual for o pedido, e satisfeito.
Banhos cares saudavcis do
Monteiro.
Aluga-se alii duas pe.juenas casas muito cm
conta para quem precisar de bons ares e banhos
frescos : a tralar a rua do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7.
Irgeneia
Precisa-se alugar por dous mezes um
piano de armario, de bom autor ; quem ti-
ver ai>nuncie.
I'ERDEH-SE
Do th-atro Santo Antonioo ate a rua do Crespo.
uma pulceira de ouro com pedras de mozaico ;
Sede-se a pessoa que achou-a, tenha a bondade
e a,levar ao armazem a ma da Corapanhia Per-
nambacana n. 4, que sera generosamente oratifl-
cado.
Para passar a festa.
Nao se precisando mais de uma casa na Boa
Viagem, que foi alugada ate o ultimo de feverei-
ro, traspissa-se a chave da mesma : a fallar na
rua d oronel Suassuna n. 182.

*

i

DE
PHTLOSOPHIA, GEOGRA-
PHIC e HISTORIA
Durante as ferias
POR
ELIZEU MARTI AS
Rua da Imperatriz n G
0
0
*
Aluga-se uma earn mnito fresca, na Capnn-
ga, com commodos para faraili*; a tratar no raes-
, mo lugar, a rua das Crjoulas u. 5,
0 Dr. Jose Antonio de Figueiredo. testamen-
teiro e invenUriante do espotio do fallecido Dr.
Antonio da Assumpglo Cabral, convida aos cre-
dore's do mesmo espolio para que apresenlem suas
conUs on titu'os, para em teajpo serem devida-
mente apreciados.
ATTEW
Quem qaizer taihar carne va para a Boa-Visu.
que alb todos cortam carne, quer tenham ou nao
lieenca, qner seja ou nao escravo, quer corte com
macnado ou som elle. Quem da essa ordem 6 o
poderose
Dunga da travessa.
Offereca-a# uma mulher de boa conducta
para cocer em casa de alguma familia ou mesmo
em casa. de madame ; na traveasa do Forte a. 6.
MOFINA
Estd encouracadorl 11
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de Mello
escnvao na cidade de Nazareth desta provlncia, o
tavor de vir 4 rua Duque de Caxias n. 36, 4 con-
cluir aquelle negocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
fins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro
passou 4 fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
e por este motivo e de novo chamado para dito
fim, pois S. S. se deve Iembrar que este negocio 6
de mais de oito annos, e quando o Sr. seu nlho se
achava nesta cidade.
AVISO.
Previnese a quem interessar po-sa, que a
tayerna n 41 A da rua Duque de Caxias e>la su-
jeita e dividas, e por isso nao pode ser vendida
sem que esteja desembaraceda dessas dividas, su-
Jeitando-se a ellas em devida forma o resp^cuvo
comprador.________
riihliciifilO lilli'rarja
0 FIM DOS TEMPOS
A PROXIMA V'Sda DO BEINO
DE DEOS,
tudo mostrado pelos f?ctos que se eetllo passando
no mundo, e que se acham claramente annuncia-
dos na prophecia de Daniel, Ezequiel, no apoca-
lypse de S. Joao, e nas epistolas de S. Pedro e de
S. Paulo Acha-se prompta esta interessante obra
e a disposicao do pub.'ico, na livraria universal, a
rua d > Imperado. n. 5i. Na mesma livraria po-
dem os senhores assiguaules procurar os exem-
plares que subscreveram.
asa para alugar.
Aluga se a casa n. 63 da rua do Ho9picio, can
bastantes commodos eagua, propria para uma
grando familia : os pretendentes que queiram
examina la, acharao a chave na mesma rua n. 53,
collegio de Santa Genoveva.________
Cnixeiro
Precisa-se de um menino de 14 a 16 anno., com
pratica de taverna : na rua do Amorim n. 62.
Precisa-se de um enado livre ou escravo :
no becco do Padre n. 28.
Moraes 4 Motto, proprietaries do armazem Fi-
d^iidade, 4 rua do Imperador n. 14, convidam
pelo presence aos seus devedores que tem debitos
antigos na mesma casa, de virem sa.da los ate o
fim do corrente anno, certos de que se assim o
nao fizerem,. obrigara nos a proceder a cobranca
judicialmente, sem excepcao de pessoas.
Recife, 19 de novembro da 1873.
ILEBfVl
Oasas para alugar para a fes
ta ou por anno
Um sobrado no Poco da Panella, na rua do Rio
n. 5, .com 4 sxlas, 6' quartos, saeta, cozinha foia e
quintal murado.
Uma boa casa terrea nova com cocheira, estri-
baria. pequeno sitio, 4 margem do rio, n. 35 da
mes'qa rua.
Uma casa pequena. porem com bons commodos
na trivessa da Cruz das Almas ao pe da casa ver-
melba a. S. Todas a tratar com o eommendadoj
Tasso. '
CASA DO OUiiO
Aos 4:0009000
. Bilhetes garantidos
hua do tiarao da Victoria (outr'ora Nova
n. 63, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender nos sen*
aiuito fehzes bilhetes a sorte de 4:0004'>00 *m
dous meios de n. 1341, alem de outras sortes me-
nores de 40*000 e 2n*G00 da loteria que se aca-
bou de extrahir (76' ; e cunvida aos possuidt.res
a virem reeeber, que promptamente serin pagos
na forma do costume.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeitt
vel pnblicn para vir ao seu estabelecimeMo mm
prar os muito felizes bilhetes.que nao deixarao de
tirar quaiquer remio, como prova pelos mesmc s
aniiuncios,
Acham se 4 venda os muito feli-es bilhetes ga-
-antido.- da parte da lolcria a beneficio da
matriz de Bom Jardim, qu se extrahiri no dia 3 -
do mez de dezembro vindouro
Inteiro 4J00A
^^eio_ 2*000
e lOOaOOO para elmtt.
Inteim 3^500
*v,eio 1*750
Recife, 21 de uovembro de 1873.
Mo Joaqum 4a Qnla


.

6
JiftMOideiPeraaintaico r _3x4a feka d&8 4e Ifowtttoo jdeltffi.
Boa casa para a festa.
Aluga-se u.aa excellente casa no tfonteiro. tra-
vessa do Xist.*, a qual se acha em mnito bom es
Uoo de fimpeza : a tratar na rua Priineiro de
Marco. ?aiig% do Crespo n. W A, loja de Gurgel
do Amaral & C.__________________________
Oarros de luxo.
E inquestionavel que a cocheira da raa do Bom
Jesus n. 15, de Joa-mim Paes Pereira da 8ilva, e a
que tem as uwlhores berlindas, calecas, meias ca
lecas e victorias de luxo, proprias para qualquer
nor ado, visitas de euqueta, bailes e aclos da aea
demia, sendo os mesmos ajaezados de excellent-s
parelhas d amiuaes, arreios luruosos e boleeiros
SrJflaineu!? d Uhimo os,0< Para 0ue *
n^ nanl. f dlde ,do <-ae drixamos dilo, certos de
2SyXr410 p0"ada'e 8im reaUdade G
' ------- | t -
Escmw fagiib.
10 ($000 de gratificacao
i?iro'P?arfJ1 ^ novo da bordo da b"c bra ,
. ueira s. Jott, o escravo Joaqaim, preto de na-
Ao, o qnal aDda bam vestido e eaHade' deixan-
lo crescer os cabeJfca roodo de>jm4Hbeileira}
eS!7avo Pe^wcen ao faBetfao Dr. Olya*
* arcellmo da-SUva, que o havia eomprado na
prov.ncia de Minas (em S. Joao d'GI-mi ou Onre-
"eto), e cot. ell* 8efajo para o Rio de Janeiro e
a ai i para esta provincia, donde fni para Macei6,
tenuo o vendmV alii a Jastlne Epa/ninondas Na-
ves, a quem o compraram os abaiso essignados.
saoe cozmbar, iwcopacao a que estava dedicado,
0 c se pel% ^ aue afncano. J
oiforece-se a gratiflcacae acima aquemoap-
vreheDdr e roga-se a todas as auloridades a sua
CflfKQTjL.
Recife, 6,de outoaro-de 1873
_________Jo^da Silva Loyo & Filho.
A pcsso.i q.e aqnun-.-iou precisar de SCO* a
preniio sub l.ypotheca eju4)cas de rail, aupareca*
rna do Hospicio n. J5, las 4 hfas da -tarde em
diante
\ttencao.
1
Na rua estreita do Rosario n. 35, preparam-se
bandeijas com bolio* os finos de todas as qualidades
com bouquets, muito bem nrnadas, tudo com as-
*eio e presteza, e por baaato preco, para casamen-
los e bailes ; bordam se fltas a euro e preparam-
se bouquets dn cravos naturaes com fltas borda-
das a ouro, por barato preco, sendo a encommen-
da feita seis dias antes. Na mesma casa prepa-
ram-se, como sempre, bouquets, capellas, diade-
mas, coroas de ouro e de louro para os influentes
de presepes, tudo de muito ao.-tu e barato; lindos
bouquets artifleiaes ae dhatias, rosas, cravos, de
(lores de cera, de panne e papel para offertas as
pastoras* para o thealro, etc., tudo se achara sem;
pre prompto. e por preco comtnodo.
0 abaixo assignado declara ao respejtavelj
publico e ao corps do commercic que se despedio
desde o Jia 25 do corrente mei da asa do Sr.
Francisco Antonio de Albuqoerque Meiio, e io
foi despedido. Recife, 38 de iioverabro da, 1875
Antemo .FraaebU) .Are*
*H8H55H5HHHHBHHSHHHBSHHH
JACAMNDA'.
Tem para vender
I o Filho : a tratar
do Commerqio n. 5.
Joaqtiim Just Gunjalves r!'!-l
no sea as^riptorio a rua
COMPRAS.
G>mpra-se uma escra-va. boa engoiumadel-
ra : na rua de. Santo Amaro n. i, armazem de
molhados, se (fira qtiem precisa.
Escravo fngiilo
Desanpareiteu ao amanheoer d dia i do eor-
rente, do engpn-o Swiai, coinarca de Goyanna-, o
;scravo de nome J ise fforgra mestre de *mrr,
'endn os signaes segultate-s: cabra, idade 30 anno* I
poueo mais ou menos, bop fignra, umlanto grouse jam sitlo nos arrabaldes desta ctdade.
e espadaud>, lendo o tt'gnal mais visivul uma | linha do bonds : a tratar na rua do Ira
Irastes.
Leques, luvas e sahidas de
bailes.
Amatal, Nabuco 4 C. receberam um completo
sortimento de loqnes de madeira mosaico cou-
ro da Russia, rnarlim, madreperola de diversas
cores e tariaruga, Juvas de pellica frpsca, e peaux
de sued, e sahidas de bailes ou capas de casemi-
ri para pteservar quaewuer incommodos aas sa-
hidas de reuniiies : tmmd no Bazar Victoria, a
rua-do Barilo da Victoria n. 3.
Amaral, Nabuco & C. vendem raaguifieas
colohas'de seda, fluissiraas abertufas de cam-
braia de- iiobo bordadas, par* camisas de senlio-
rHs, e meias de aJgodao, fio de E^cocia e de seda,
para bomens, senlioias, iLcniuoa e meuinas: no
Bazar Victoria; a rna do B'arao da Victoria n. 2.
&
Com,
e its.
perador n. **.
mpra se .yenda-se trastas. aovos^
ados no armazecn.da rua, do. Im-
Coapra-se
gomma na junta do pe es^toerdo : mga-se a todas
as aotorida~des e capiiaer de campo qaeiram ap-
prenender dito escravo e leva lo ao referido en-
genl'.o. ou nest* praja a (Hiveira Filhos & C, lar-
go do Lorpo Santo n. 19 qe serao generosamen'.e
recompensadns.
Recife, 19 de novembro de 1873.
Acredilarfto ve(fo
Retalha se urn vasto e bello terreoo a
mnrgtjm do rio, nos fumlos da povoaoao de
Beberibe, ainda nSo visto peln maior parte
da po; ulayao, pur tt-r si lo fan pooco d*ru-
ba qual eonsta de uma graude pianicie, pro-
pria para edilicagio, e distancia ue 3, minu
tos a ultima estacao da via ferrea, achan-
do :o ja dividtdo em ruas, com approyagSo
da cumara de Olinda
Quem pretender p6do ir ver que sem du-
vida ticard agradaJo, e entender-se com o
Sr. Jose Hunorato Medeiros (Zumba), en-
carregodo, ou com o proprietorio, junto a*
poute da dila povoac_ao.
FABRIC
s.
IMPERIAL
V 1>E UGARROS
DE
BE
Riu clc lueiru
Cons^ndo ao abaixo assignado, onifo sgente
iiesta nrovineia, da imperial fabrica de\ cigarros
de S. JoOo ''.e Nictheroy, no Rio ile Janeiro, que
exis'.e ou intrcadu cigarros qua sao vindos como
fabricados em dita fabuca, imitando para isso a
etiqueta cm que von clles envol:os, npressa se a
preveair a loin os ^eus freguezes que os unicos e
ver kadeirue cigarros de exposigiio de dita fabrica
so sio vendidos nos armazens dos Srs. Francisco
Gue( raoBS Junior e Fan a Filhos, unicos deio-iios de
dita fabrica. Recife, 22 de novembro de t873.
Domingos Alves Ualheus.
Mauoel da Silva Faria & C, a rua do Vigario
n. 20, ,i'!muiUra lores da inassa fallida de Ignacio
i !;i Silva, convidam aos ere lores da mesma
massa para qoe no prato deoilo dia-, coiitados da
daw deste, wpresentem seas titulos, -afim de serem
veriflcados e cla^iQcados. Recife, 20 den>vem-
bro de 1873.
Aluga-sc
48, armazem.
ipefldo
I.asse
or o.
tfr;N0A.
'
LWJtTDACAO GERAL
If. 21 BUA BARAO DA VKT^lAr- /Jfc, &
Onde tem a bandeira encarmda com lettra* /
LiqHidiifao
Junto a loja do Carnmo
Viemna.
Um rico sortimento de mohilias genovezas, ditas
de \ ieuna d'Austria, caddras avabas para sala
de jantar, ditas para jardnM, ditas de balancp, dje
vime, ditas espregui^ad^ir,*, ditas proprias para
fumar se. mesiiibas para qiwrio8,.e.- de ferro ,iara tn mens e mancas, faqueiros para
mesa tampas para cobrir pratos, guartlaj-coaiida,
objectos de m- lal, ele tr > Silver Plate, estojos com-
pietos para bomens e senhoras e tuna rica- seraQna
(instrument)) musical) ; e oatros muitos artiges
que com a presen^a dos visitantes beta se devem
sortir de tudo. por ser muito barato tudo e qoe se
acha expostoa venda : rua do Barao da Victaria
n. 24, bandeira encarnada.
FttDdiffto da Aurora
Grande.sortimento de:
Meemdas de todas as qualida-
deie e tamanhos.
Tackas fuadidas e J^atidas,
lcfem.
^oda^dentadas eaagulares,
idem idem.
MaGhiMsmoy idem.
VaraDidlt?, grftdrea-meirtos pa-
~ra jfti^mre*eT ete.
IpdQ ge;veij|ie por pfe^
rmrito era conta para aiea-
bar.
jK:lSjtari&C., emjli^uidia-
qpiptf pjt.fap^icao da Aurora,
em 'Santo Iwaro.

M
Caraciro Vianna.
LINHAS
DE
UETROZEUEALGO-
DAO
DF.
TODAS
As
COR^S
aAW
ir\tOJ \
Vende se na rua do vjgario n. 19 :
C'ttnac da melhor qualidade.
Relroz do Porto.
Vellas o>- :er~.
Vinho do Porto engarrafado em dnzias.
Farinha de mandioca nova
Ti-em para vender Joaquim Jose-(Goaoalves Bel-
trao & Kilbo. a bordj do patacbo Sa^jta, chegado,
de Santa alharma, fundeado itefrnnte do trapicbe
Barao do Livramento ; e para tnttar'^bordo, on
no seu escriptorio a rua do Ci mm "rein o. K. I
11 primeiro andar do sobrailo da rua d j Duque de
Caxiaa n. ti, pr>prio para escripUirio, ou rapaz
solteiro : a tratar no mesnio, loja.
AVISO
ft
I
i>
%:##
e*

#

0 Sr. .1 oaqu'm Clemente de Lemos Duarte tenlia
a bonuade de vir ou mandar a rua do Coronel
Snassnna n. 282 a negocio de seu interesse.
DESCOBERTAS MEDIC1NAES
I'El.O BACHRKL
Manoel de Siqueira *
avalcanti. @
la o Preservalivo da ery-
s.p-!:i : para cura-- com cerfza, c
'jol, en. poaeo tempo, qualqaer ataque de
^ er^sipela, c preveoir o seu reappare
cimi'U'.o.
Este mt-dicamento tamhera e muito
podemso para o rheum itismo.
'Z' o Regulador da mens
trua^ao : para falta, irregularida-
de, suppre-sao repentina damenstrua-
yv>, "i dos lochios, as-im como para
ibdo- os so'rimeulo* devidos aquellas
lft'toes. Ambos esles mediramentos
ja slo niuitf conceiluados, e procura-
dos neta provracia, e na do Rio de
Janeiro.
.Achanvse a venda somente em casa
de autor, das 9 boras do dia as 3 da
tat le, e a qualquer hora em casos ur-
("PlltPS
GRATIS AOS POBRES
Rua da Imperatriz n. 14, 2 andar.
Para earMceiniS.
Aluga-se, um terreno murado, na rua da Su-
dade, que tem e^ra palmos de Irente e 300 de
fundo, com pequena casa e telheiro para ani-
mae, p^oprio para plantac^es: a tratar a rua
Primeiro de Marco n. 23, loja. ____________
- Alcatifas ou tape es d I into u4iui proprios para salas : a venda no armazem de J.
O. C. Doyle, rua do Cominercio n. .19.
a rand as de ferro
Na fundican de.Gardojij & IrmAo, i tua do Ba
rao do Triurapho, outr'ora do Brura u. 100 e 104,
vende-sc varandas de ferro fundidas", de bonitos
modelos c preco commode._______________
Cosmoramas.
Amaral Nabuco & C, vendem r,9 mais commo-
dos cosraoramas coin vistas aetualraaatB'-.-aovas :
no Bazar Victona, rua do Barao da Victoria n. 2.
Venda de taverna
Vende se uma taverna no VaradourO nY48, em
Olmda, com annaeao nova e si-m alcaide1,' boa lo-
calida le, propria para principiante, tem rooradia
para familia e lugar para montar fabric* de ci-
garros, o o motivo por qne se vende- se dira ao
comprador : a tratar uo sargo da Santa Cruz nu
mero %. _______________________
Bom negocio
Vende -e muito barato uma casa de taipa, com
2 salas, 2 quartos e cozinha for*, com um terreno
de 72 pjlmx de frento e 200 de fundo, com algu-
mas fructeiras em ponto pequeno, silo no Ingar
das Areias, freguezia dos Afogados : a fratar no
pateo do Carmo n. 8.____________________'
Para acabarl
Ricos chapeos para seniora =6 na rua Duqne
da Gaxias n. 6n A, loja da esquiua.
UMi
9
ft
m

m
w
CHIADO
Cliitas a 2i0 rs. o covado.
A 2i0 rs o covado.
A 210 rs. o covado.
So na rua Duque de Caxias a. 60 A, loja da
esquina.
A 280 rs. o covado I
Lazinhas de cores para vestido* : s6 rna roa do
Duque de Caxias n. W) A, loja da esquina,
Para pr^epes.
Caixas comp'etas com liguras pa a presepes de
3 s a 5;0n0 cada uma : a wnda no Basar da rua
Direita n. 51.______________________
Boas, me alsinl (Jispensa^-
veis
Araaral, Nabuco & C. receberaro coa^ieto sor-
timento de boleas, malas e mdispensaveis de ou
ro, madeira e chagrin vende-se no Baaar Vic-
toria, rua do Barao da Victoria n. 2.
Xarope d'agriao do Pard
Antigo e conceituado medicametrto pars
cura das molestias dos orgaos respiratorios,
como a phtysica, broijcbutes, asthma, etc.,
applicado ainda com optimoa tesultados no
Hscorbuto.
Precisa-se de um criado, que si-ja bom copeiro
e asseiado : ana rua da L'ntao n 17.__________
- Aluga-se uma ca-a no Porto da madeira, em
Beberibe : a tratar na rua do Imperador n. 28, ou
na Estaneia n. 2. _________
O vagahundo capataz dos talhad >res com
sens ciunp'iees as'ignad s no protest> aoittra a
pat ta punlieada neste jornal, quer ju>tiric:ir--e
depcis de 4dr! ramid* bom cobre, faz bem, porgne
a camara mumei()at Bode premia-lo com a demis-
sao, o iiua itao tardara muiio Se nFw conlinuar
a receber os 40 rs. de sua capatazia, este iinnosw
creado por sua livre vontail.- e unanime votacao
de sens Mtioa, nuda sdirei, uem mesmo que n 10
e de &>aJii;io liv e.raas se abisar, pro netto levar
ao conhcc formali Itde da lei, servindo-rre de prova -ua de-
claracao, que diz er os 10
seu illustre cargo.
Matricula para cavaHos.
A' venda na livraria clas ioa-aTaa. do topera
dor n. 73. Pieco 40 rs
-Lazi
escoceza^ a280 rs. o ^vado.
ICiia ln Queitnndo n. 419
i Lilzinhas escorews, padriies muifo boditos,'mti
ma m >da de Ville de Paris, pelo dimlriuto ,prtco
ile 880rs. o covado ; dSo se amoatras : na fna do
Qneimado n. 43.______________________
Taverna.
nma ita Olinda, narua -do
mercio o. 9 : a tr.-.tai- ua mesma taverna.
Nenhuma ma-
china Singer e kteir
se nao levar
larca fixa no
braco da matihina.
A' rua do Cabuga n. f A.
Os proprietsnos da tredilect.i, no intuita-" do
conservar o bom concetto que teem merecido do
respeitavel publico, dfwtii^iindo o sea- estabeteer-
mento dos mais que negociam no mesnw geaeny
veem scieutiecar aos seus boos- fvegoezesque pre*
veniram aos seus correspondentes nawdiversas par-
cas diEuropaiiara Jheseoviarera povtodes m pa-
quetes os objecto; de luxo e bom gosto, que se-
jam mais bem arceito* pelas sooiedhdes- olegaotesv
daquelles paiaes, visto aprojimar se o-tempo oe
fesla,.em:qe o belle sexo, desk. !mda Veneza.
mais osteata a riqneza de suas toillette? ; e cp
mo ja recebiss*;m e|e patjuute fraacez divtrsof-
artigos da ultima moda, veem patentearr alguos
d'eotre ellt&qap se traarr mais reeooimeBdaveis,
esperando do respeitavel publico. a costuipada
poncarceocia
Adewcps. de tartaruga-os. mais lmdos goe teem
viBdo ao mereado.
AHrans com ricas capas de madreperola e de
veflndo, sendo di versos lamanbos eaaralos pre-
oas,
Adarecos corapletos da borracha pr prios para
Into, tambem s vendem meios a lereoosrmaito bo-
nitos. a
I BotSes da sctim preto e da edres. aara orna' de
vestidoa de seiiKira ; tambem tem para- eollcfc e
'palitot. *
Bolsas para senhoras, exiete um bello scrtimen-
to-dB seda, de palha, deooagrim. etc, ate.,- por
barato pceco.
Bonecas de todos os taataBhos, taoto de lonca
como de cera, do borracha e de maRsa ; chama-
mos a atten.-.Mi das Exmas.Sras. para este artigo,
poia as vezes to.-nara-.-? as eriain;as am-oouco im-
pertiaenles por /alia do um obiecto que as en-;
tretenbam.
Carajsas de linho lisas e com peitos. bnrdados
para bomem, vendem se por preca comiaodo.
Geroula- do linho e de algodao, do di versos pre>
COS. ,
Caixinhas com musica, o que ha- do raais lindo,
com disticos nas tampas e proprios para presea-
tea.
Coques os mais modernos e de di versos forma-
tes.
Chapeos parasenbora.. Receberam un> sortimento
da ultima uwda, tanto para stiaaora, como para
meninas.
Capellas simples e com veo paraaoivas.
Calcas bordadas, para meuiuas.
Eulremeios estaropados e-borda'Jos, de lindos
deseobos.
Escovas eleclricae para-dentes, tem a proprie-
dade de evitar a carie dos dentes.
Frnja de seda pretas e de cores, existe am
grande sortimento de dtveroas larguras e barato
preco.
Pitas de sarja, de gorgurito, de setim ode c!^a-
m3lote, de dwersas larguras e bonitas cores.
Vachas de gorgurao muito Hndas.
Flores artificiaes. A Predilecta prima em coa-
servar sempre um belle e grande sortimento des-
tas flo es, nao so uaraieofeite dos c-bidlos, corao
tambenj para ardato da vestido de noivas.
Galdes de algodao, de la e de seda, brancos, pre*
tos e de divi-rsas cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
I^acos de cambraia e de seda de diversas cores
para senhora.
Ligas de seda de cores e brancas. bordadas para
noiva.
Livros para ouvir missa, ccm capas de madre-
Eerola, rnarlim, 6so e-velludo, tudo que ba de
ora.
Pentes de tartaruga e martim para alisar o$ ca*
beLos ; teem tarobem para tirar caspas.
Port houquct.tUm DeBlosortmento' de- madre-
perola, rnarlim, osso e dourados pur barato pre^o.
PBrmnjarias. Neste artigo esta a Predilecta bem
provida, nSo so em extractos, comi em oleos e
banhas dos rm-lhnres odores, dos mais afamados
fabricantas, Loubin, Piver, Sociedade Hygienica,
Coadray, Gosnel e'Rlrael ; sao indispensaveis para
a festa.
Saias bordadas para senhora, por commode-
preco.
Sapatinhos de la c do setim bordados .para bap-
tisados.
Tapetes. Rocebeu a Predileota um booito sorti-
mento do lisvrgos tamanhos, tanto para sofa co-
mo para *Btrada de salas.
Vestimeiaas para, baptisado o.quaha_de melhor
gosto e os mais modernos. recebeu a Predilecta e
vende por barato preco, para dear ao alcance de
qualqaer holaa.
Rua do Cabuga n. 1
A' este grande estabelecimento tem che-
gado um bom aertunento de noachinas para
costura, ^rie todos os autqres naaia acredita-
dps t?Uimamentena Europa, cujas machiaas
s^Mf^W^** ppx: um.appo, ,e tendo um
perfeito artista para enstnar as mesmas, em
guaka/rer parte des-a cidade, cpmo bem as-
sim eoocertjt-las pe}b.tempo ta/nbem tfum *,
anjpp ,sem despeullioi algijra do comprador, o
Neste. estabelecimentot.mbeaa ha pertenoasj 00
para as raesmas rnachinas- e.se.suppre qual-j
quer pega que seja necessario. Estas ma-j o3
chinas traj^alhamj copvtodai' perfeigao de .^ i*
um e dou* j^ospi^tos, Aarze e'barda toda' e3 luu<*
qualquer cpaliu-a por Anai^ae .saja,'seus- _
pre?ossapdaeguifltequali4ad; para tra-t ef esta niarca UXa flO
^oSii!"*' de,3?(!?,>' M"*- ^ J Krann rla m^}aa
e 509000, para trabalhar com o \<*i sio^de SQ
809000, 903000, 100JMJO0, liOjfOOO,
120*000, 138W00, 150*000, 2069000 e
2509000, eaaqoaato aos autores r&o ha al-
teragio de ptejoa. eoa compradoraoder5o
jvisttar este estabefeeimento, que muito de-
iverSo gpstar pela variedade de ulijpetor que
,ha sempre para veier, comosejara : oadei-
raa para viagemt rawlas para viagerav cadei-
ras para salas, ditas de balance, dites- para
icriarwja (altas) r ditas- para eseotas, caatwrei-
ras nqoissimas, para senhora, despensaveis
para eriancas, de-todaa as qualidades, camas
de ferro para bomem e eriancas; capaehos,
espelbos dourados para sal8, grand** epe-
quonos, apparelhos-de metal para cba\ fa*-
queiros com cabo deissetat e de*fnarfimr
drtosavulsos, comeres de metal finst, condiei-
rospera sala, jarros, guarda-eoraidaa-de
avame, tampas para cobrir pratos, esteiras-
para ferrar salas, la-vatorios completos, ditos
simples, objectos para toilette, e outroa mui-
tos artigos que muito detemagradar a todos
que visitarem este grande estabeleciraento
qoe se acha aberto dede as 6 horas da ma-
nba ate as 9 horas da noate a"
Eua do Barao da Victoria xl
bem todos osdeta-
mes de marca.
1
!A (Mnlieiffo e a prazoj
A. eontento
das Exmas. "ifamilias
22.
Nao ha mk cabetlos
brancos.
TiNTUBnaiii mm.
Se- e nnica approvada pelas academias- da-
Kciencias, reconhecida superior a toda que
tem apparecido ate hoje. Deposito princi-
pal A rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
quez de Olinda, n. 51, 1 andar, e em
toda& as boticas e casas de cabellei-
r&jro.
-YANMH WCOMEIS.
De forca de d-'Us a seis cavallos : a venda uo
armazem de Joafjuim Lopes Machado 4 C, tr-a
vessa do Corpo Santo n. 25.
SSo as mais baratas
SSo de dous pospontos
Sao mais simples e rapidas
9o duradouras
bous 9omm
Abinham
Franzem
Pregam t^an^a
Mart-am pregas
Bordam de lioha de seda
Alcolchoam
E prpgam cordSoa.
UNICA AQENIIA
EM
A CASA AMERICANA
RUA DO IMPEHAUOft 4^
K
Macbinas a vapor.
Machinas ile ('escaroijar algodtio.
Machinas de corthrifdmo.
AradosKmeiicanos.
Cofres dn feiw -ie varios tamanhos
PrensasKpara eoptar oartas.
Al^aciana
A 400 RS. 0 COVADO.
Farenda inteiBamenta nova propria para a pre-
seute esta^ao, pelo baratissirao preco de 400 rs o
covado, a loja dos arcos de Gurgel do Amaral k
C. a rua 1." de Marco, antiga do Cresno n. 20 A.
ptlapolfio francez
a 6#500 a peca!!
Madapolao fiancez fino com pouco sujo a 6^a0
a peca; 6 pecliincha na rua do Queiraado nu-
mero 43.
Sal do Vabo Verde.
Tem para vender Joaquim Jose Gonr;al-
ves Beltrao & Filho, a bordo do b-igue por-
tuguez D.Anna, fundeado defrontedotra-
picho Alfandega Velha : a tratar a bordo o\
no seu escriptorio a" rua do Commerci
n. 5.
PEGHINCHAS
&6 o n. "20
RUA DO CHES-0
iom das i mm
continua a xender muito barato para apurar
muito diuheiro.
CASSA LA
Chegou esta fazenda, sendo lindos padroes.e ven-
de -se pelo diminuto preco de 2o0 rs. o covado, e
pechineba I I dao-se amostras.
HERBS
Proprio para vestidos o que ha de mais gosto,
padrdes novos, pelo preco de 400 rs. o covado, 6
pechineba I I I doa-se amostras
LAS E^OOCEZAS
Lasinhas escocezas, padrSes bonitos, a 240 rs. o
covado.
Ditas com lisrras, padroesanodernos, a 280 rs* o
covado.
Ditas la e seda, padrdes moderaos, a 640 rs. o
covado, e pechincha I I I dao-se amostras.
ALPACAS DE CORES
Alpacas de cores, padrdes bonitos, fazenda de
1*000 a 400 o covado, e pechincha I I I dao-se
amostras.
Agnus Ak'iilinndazi sas das h
dras Salgadas.
Villa Eouea de Agniar.
BIGA^tBONATADAS-SCDICAS
AnahscstloDr. Jose Julio Rodrl
gueH, lepte da escola Polyte-
oluiioa de I.isboa.
Esta excellente agna nsada com vantages no
padecimentos das vias digestivas, urinaria-, d.
, estomago etc., ete.
*Vende-se
NA
Pharmacia e drogarta
DA
Rua larga do Rosario n. 34._______
*v
De CAsamentos.
De baptisados.
De bailes.
De solrees-
Bankos em Olinda
Camisas e calcas de faatnda d bea qa;.lidade,
proprias para es banh is em ORnda : na loja dos
arcos a rua Primeiro de Marco (antiga do Crespe)
n. 20 A, de Gurgel do Amaral > C.
Vendese a armacao e utensHios da taverna do
pate'- do Terco n. II, barato, e propria para quem
se quizer estabelecer naquelle lugar : a tratar na
mesma._________________________________
fJipgwi!. ao Ihralo
i Calcas feitas para o trabalho, ordinarias, a 800 rs. t*30O e-2*800 a vara.
Algodao marca T. a 31000 a peca.
Dito dometii5Pj_ a 3 JOOO a pe;a.
Rrtm r?o !,f*rl'.n fr\m Hotuno f\if
Cretone em peca3 peqneaas, com bonitos pa- ne bicbnlel-s.
dr5es, pelo diminuto preco de 400 rs. o covado, e ue ccias.
pechincha I I dao-se amostras.
Cortes de casemira dj cores, a 5i- 00 cada uta.
Cambraia de linho de cores, a 360 rs o covado.
Ditas pretas para lulo, a 240 rs. o covado.
Fustao branco para roupa de moninos, a 360 rs.
o covado.
Brim pardo e de cores, a 400 e 440 rs. o co-
vado.
Cobcrtas de chila adamascada, a 3/1500 rs.
Colchas brancas a com barra de cores, a'3,500
e4*)00.
Lencoos de bramante, a 24000.
Ditws de algodao, a i 400.
Toalba? alcoch*adas, aj6$000 a duzia.
Ditas felpudas, a 6*300 a duzia.
Lengos de cassa com barra, a 1J00O a duzia.
Ditos de cassa abani-ados, a J*0; a duzia
Ditos de esguiao finos, a 3*500 a dusia. .
Cambria lisa transparente a 3*000 e 4#800 a
MM.
Cambraia Victoriaa a 3*800.
Atoalhado adataascado, a 24000 a vara.
Dito trancado, a 1**00 a vara.
FustSes de cores, a 1*('00 o eorte.
Chales de merino Uso, a 2_0f.
Ditos esumpados a 3*900,4*0*0 e 4*500.
Ditos com listras murto finos, a .i*800 e 6*000.
Esguiao muito fino, a 2*000 a vara.
Brim preto trancado, a 2*000 a' vara
Bramante dc algodao,a t*W0 a vara
Dito de linho de 9 e 10 pjlraos fa. largura, a
|Cortes da mesma fazenda, a 300 reis.
'I'm PQl da 'ih-iu' II >wLa. .i&. r '-Riscadinhos indianus para vostldos, a lCO.
I/HI ld>tl flrj I'llilW, IldWHes t. c.Kltas de bons pannos e fixas, a 200 e 240 reis.
Ilfl dn *Rom JpRllfl Tl 4- Tjengos de cdres a OO e 120 reis.
Udi \iu uvjiu ocoun 11. j? (Utrasfazendas.quo se vendem sem reserva
7J-------f|------------11----------------- de preco-para acabar, na loja n. 16 da rua da
UaVailOS andaClOreS Madre de Dens, drronte daiarda da a1fan3ad
Ha para venden eito-cavallos pordos ecom bons
aDdaresv viDd>s do *ertao quem- preiender pode
dlrigir-se a rna uiiue de Caxias n. 92, que se
diraaondese node examlnar.
Anural Nab^co_jT^7~vinTliii_po7rTanito
pte^n, cortps MvcsUdlM ftp l_,'de chaiy de seda e
de gae d.> .inw, testtioenta ae 'eaaemUrai'taatao
e brim pa a ine*,ino Sazap *a iModa a. 2
ruaidoiUarao. da^Viotaria
Vende=se uma parte do engenho' Trombeta,
proximo 'da villa de Palmares : a pessoa que pre-
tender dirija se ao eogenho Pindobal, freguezia de
'Agua-Praia, a tratar como a-aixo assignado,
eousenhor da dita parte.
S(Tcriano Jorentiod Caltede.
Vende-se daa3 casas terreas na rua do Co-
ronel Suassuna : a tratar na rua Di-eita n. 10,
refina^ao.
Brim de alg;idao com listras proprio para cami-
sas, a 400 rs. o covadp.
Nanzuc cambraia de cores muito flria, pelo di-
minuto preao de 400 rs. o covado.
S6 na rua do Cxespo n. 20.
Lojade
' Guilherme & 0.
De tndo de tudo
Se enearrega a confeitaria do Campos.
E alem disso f
A confeitaria do Carapjos
Estd sempre provida
De tudo quanto 6 preciso para
Uma boa mesa.
Rua do 'Imperador n. 24.
Tem para vender em sen escriptorio Joaauiir
JoseGon<;alves Beltrao & Filho, i rua doCommer
cio a 5.
J. 0, C. Doyle.
Tem para ve 16 :
Coguac de Heunessy. superior e verdadetro.
ViaVo Xeres-aas meftiores qnaHdades.
Bitlrs de/Anaostura-
wffiky
ChJ ffvi' em fiattas da *'bms
To-lasap pMMracias Aimieas do Or. *^er
armaaeavda aaaTda flpg.aaa:io at -B8-________
fww A3eTaJgoMo i}a
Haara vender das seguintes- *bricas :
" 9i_vidor.
-'.
Valen^a.
Nai
mercil
Yeade-se l do Assu, a bordo do.jiia,ta.>o*> ?HS
a AAnf><.Mita 1 fk lr*lr\iiVrQ A,-\ f'unll'V naUQ lit I ~-
ValleK confror.te ao trapicbe di Cw
Cpmpanhia P'Tnambun, a trafci. jjnc
da Cunha Lajis ou
caas tja I 9odflri
ia Jose drac^da, c
*ro a bordo. gcio a tratar na
Icr^rlo^jlttijjftWWt, .irpii^Cem-
J^nnaf *a ^a amareilo
rcprla para qualqotr tk
'Crespon;"*).
llEGiVH


<>
*/
Diario de Peraambueo **- Bexta feftar-28 ^e ^0VMte xtefclMlsr
die tmm.
UMICOS ACENTES
Rua (It tiara* da Victoria n. 28
Vs mate simples^ as mais baratas e as melfeores do rnundol
Ha e*posicao de Paris, em 1867, foi concediip a
Elias HO we Junior, a medalha de ouro e a condecora-
c,ao da Legiio de Houra, por serem as maehinas mais per.
feitas dct raundo.
MCHJJAS PA8A mWM
A 30#p0 e. 3*#Q0O.
Na loja de Soares Leite Irmaos, a rua do Barao; da
Victoria n. 28.
A medalha de ouro, conferida
-Estados-Unidos por ser o inrentor
rtrra.
a E. Howe Junior, nos
da machina de cos-
A medalha de ouro na oxposicSo de Londres acreditam
estas machinal
A 908000
Cabe-nos o dever de aonunciar que a compaiihia das macfair.as de Howe de Rota-
fork, estabeleceu aesta cidadc a rua do- Barao da Victoria n. 26, urn deposit e agenda
(eral, para em P,ernambuco o mais provincUs se venderem as afamadas maehinas de cos-
ra de Howe. Estas iriachiaa*5o.jusUmcate apreciddas pela perfeijio de seu trabalho,
uapregando uma agulha mais curta com a mesma qualidaue do linha que qualquer outra,
i ttala iutroduccao dos ma* apdrfeicoados apparelhos, estamos actualmente habiiitados a
"fcracer ao ejamc pubiicc as melhores maehinas do mondo.
As vanfiogens desttistrnaehinas sao as segiantes:
FrimeiMu-0 publioo sabe que ellas sao duradouras, para isto prova incontestaYel, a
ttreomstaacia de nuuca terera a'pparecido no mercado maehinas- d Howe em segun-
mio.
Segunda.Contem o material preciso para reparar qualquer desarrarijo.
Terceira.Ha nellas menor fricgao entre as divorsas pecas, e menos rapido estrago
o que ncs outras.
Quarta.Formam o pwto como se fdra tetto a m*o,
Quinta.Perraitte que se examine o trabalho de ambos os fi.es,. o que se nao consegu
jKtras.
Seita.Fazem ponto miudo em casemira, atravessaiido o fio de urn a outro lado,
i logo em seguida, sera modificar-se a tensao da linha. cozem a fazenda mais
Setima.0 compressor 4 levantado com a maior facilidade, quando se tem de mudar-
agulha ao comecar nova costura.
Oitava.Muitas companhias de maehinas de costura, tem tidu epocas de graudeui e
acadencia. Maehinas outr.'ora.populares, sao boje quasi descoi.h. udaa, outras soffreraw
adancas radicaes.parapodorem suhstituir : entretanto a companhia das maehinas.de Howe
doptandq aropimao de Elias Howt^ mestre em artes mechanicas, tem cqnstanteraente
agmentado o seu fabrico, e hojs nao attende a proeura, posto que faea 600 maehinas
or iia,
Hada max^Una.acompajib/a,h.vretos com instruc$oes em; portugue*,.
I *fiH
Lavas de pellica com peqwenoi toqae, Espefeos -demoUuec doucada> do todosi^j,^'1'51."1^
200, rs, ostamanbjfis.epreeosy i Mi{aS'0ar
Abotoaduras para codleto, grandc sorti- prntnviiDiic r u--~-^---:' "''
tiento a WO rs. | SHF^MARIAb E, M
Caixa de linha de marca, a aOO-rsJ I I'rascoeora nfco Orir
Lamparinas A ga, dan4o uma \rk mllito UPOOOv -'..
ooa, a 19000. i hl comloaioode Itemp, vcrdadeiro, a
Dotia de pecas de cordao imperial, a 1*000.
140 rs. riartafade'aguafloridaiverdadflira alJWOO
osso papa calcrf, a iGarrafa' d'afctfa japOnez, IflMWO.
Idem idem drvkra, a 1*000.
jSoHza e b &C.
i Bua d Bora Jesus' n. 23
' Neste estab^lecuiiento tem para vender,
| comrxodos promos, o seguinte :.
Tauos muito leves para bilhar.
: Carriuhos.de 3 roiias para conduzir crian-
cas.
Ao bom tem
buxo de systema mo*
a via grill.
Espelhos com inol lura dourada e vidro
^.^fr*i ,4i!JA6,rIm''e^1,,nliu>Je. co'n t/# depollega
Caixa
tOOrs,
de botdes de
Duzia de carreteis de linha, 200 jwrdas, a i Idem
iOO M. 1*200.
idem 'Magilalerfal (H8*iijtde); {*l\)\\]* lipira
da de espessura, envevnisado para evitar
o inol'o no ago.
' Handejsstinas eordinarias.
R'elogios lrancezes, bons reguladores, pro
piics para pendurar, com corda para 15
Cadeir^s le lona comesero encosto, mo-
Idem idem 60 jardas, a 240 rs.
Maco de fita chineza, a 800 rs.
Caixa de linha com 40 novellos, a 600 rs.
Meios aderegos com camafeu, a 500 rs.
Garrafa de tinta roxa extra-fina a 1*000
Poles com drta ingleza, preta, a 100 e
160 rs.
Caixa de pennas Perry, muito boas,
1*000.
Idem idem, a 400 rs.
Caixa de enveloppes tarjados, a 500 n.
Idem idem forrados, a 700 rs.
Caixa de papel amisade, beira dourada,
t 800 rs
Idem idem idem lisa, a 600 rs.
Duzia de talheres cabc brahco,
5*000
Caixa de p6* para denies, a 200 rs.
Idem, idem jde. pte cuinei, muif) bom, a
600 rs. e 1*000.
.Ugly,,vt
1 em tempo de fi
propnn par
:'fd. pela
remi>aratas
Resma
5*800.
de papel pautado, a
ra casas de ca npo,
a commodidade.de se
! fecharejp, sereinT)aratas e tortes.
Tompjelo sortimento de feebaduras fran-
! cezas para gavetas, enrteiras e piano.
Pote om optata de Rieger, Rimel Gros-; Ma jhina, pva ^stura. o maif bem aca-
uel, 1*-0Q: jjaj0 qU^leu, vt0,io a este mercado, pro-
DuWr.lle aabojietes. de.am.mdoa, nrias para trabalhar com a mao. trabalho
] 3*600. ,. m=; i | Ui\o sobre a direcgao dos Srs. W. F. Tho-
a ( Duzia de sabouetes de aujtnho transparent j ^95 g (-,. > fa [.on(Ire6.
tes, a 2*300.. Sabonetes de al.trSo do fahricante A.
Idem idem com flAres,. a 1*500. !^. Castro, os melhore, e mais medicinaes
Sabonetes Glvderiiio transparenles. a
1*000.
Caixa com .sabonetes, formato do fructast
a 1*000 e 15o*r0.
Cosmetioosy graudes e pcquenos^a IOO*
2 B.; a ',800 rs
Erased eomaguade culagne, a 200, 310,
Cbegaram are* do Qtwhaaeo ir. 43, grandes
sortimtes da a jifOQ 0 covado, ditas ae ruadros p?dcQes
rnniW chWfles a 480 rs. 0 covado -fi na rna do
Qteimado h. 43, JwaW a pramnha. bja ae Cmerra
& Feraaoaaa
Asunicas verdadciras
1 qne vent a este mercado-
Sfal-quej; 'de ulioda n 51 _____
Bicbaa haniburguezaa
na rur
A Predilecta aeaba de reeebw um lindo sorti-
memo de filas o-cocezas achamaloiadaa, proprias
para facaas a-im como urn hain sorlimeuto de
leqnes de madreperola^ a e)tes antes que $e aca-
bem, a rua do lUrbrlga'n. fA.
VENDE-SE
uma casa na villa tie Batreiros, na rua do Com-
roeryo,, por.preco nwdico-: a tratar com lasso
Irmaos 4 C. .
Vende se por coramodo'pwf?0'ii'a das' rneHio-
re* ca queno sitio, para paslagem de vaccas c terrene
fresco, para planta de capim : a traiat na rua do
Imperadoi n X3, l. atida>.__________^^
que tem >indo a este mercado.
--------------------_.,-----------------
Mobilias baratas
Sdarma^eUi de Joaquim Lopes Mac ado k C.
Ha am Lo sortimento de mobilias de Vienna
1 bra*c.i3 '^pretas, que &e venlem a prc;os com*
modq;..,.
.*000;&0Or*-e.l$0t0.
Extractos muito finos
dos ra> Ihores an-
I
A 90&G00 A
S
do Bkrao da Victoria n. 28.
Din* lino dp (iiiiaha
n ventla Lap.
Vende-so no pateo do tergo ns. i e. 6, doces
finos de todas as quilidades e geWa, a retalho e
por atacado : uniea-caa que -melhwr ;podc servir
aos compradores. A's ter^ai e sextas feiras ha
requeijao.
Os
ExtraordmariapeohiBclia.
3^500
Cokbas de nig 'dao -adanjajcadafi para cam.
pelo baratissimo preco de 2$hM) na loja dos
areos, de Gnrgel do Arrraral a C., a rna Primeiro
de Marco (antiga do Cfespo) B.'SO A.

Vende-se uma exceWente casa com um p
-;tio. 3it>. no Arraial junto a casa do Sr. Anse'
a tratar ua mesma casa, a para in/orraajoes
tavflrna do Querraado n. 3, t# andat
Vinhos de Boulogne
das mareas
r.hambertin
Pommard
Virits
Volnay
Reanne
Monthelie
Dito Bordeaux em quartollas.
Vende-se por liarato pre^o
PARA LIQlIDArAO DE ttMUm
NA
Rua Larga do Rosario 34.
Mi Bdtica.
eno
Uip.'irs j> i a spiik ras.
A loia d->Passa, a rna doX>espb n. 7 A, rece-
Idem idem liso, a2*800, 3*800 e 5*000. tores. beu pelo ultim) paTjuete, ricos cha'p^os para se-
Coqnes modernos, a 3*000. Lindas e elegantes caixinhaBCoro.perluMa- aH'.ra nhlnia moda.___________________ ^
Duzias de pe^as de trancas de caracol rias, proprias para presents*,. dos auterea "''feiwAo'ft Trtr/lQ
branca, a 400 rs. ;E. Codr*i Rieg, Ge Freres.e*. j DrrOSavenaa
., ., ,. .. i ,. 1. l>ttr\j 8>i?a a seas fremiezes qne esta em
Idem idemlisas, a 200 rs. | Quadros dom santosc estairtpas separa- via^em para as-uroyUicias da Alafoas e Peraam-
Leques do osso e sandaloj a 3*000,4* -dirs. jbuco, conduiindu taccttente iropa du burros:
6*009. EntremeiOs e bMHos transpartnttSe;tB^ P-^/ara tor^ WMto,'fitkj, Casfanlia-Grande,Por
Pit* rift vAlIurln dp tid m fnros n lanjii. nd^Ac to Calvo. B3rroiros, Ri,. Furmoso, Estads, Cabo e
r-ita ae venurto ae toaas as cores e langu- paaos. 1HKjTOWIiraiife. pr,r sanu Aan> de Jab-^tao a
as. Uma grai.de taboleta propria para qoaiA .\a^r*w., por. iu po-k'ser avisaUo on oncun-
Microscopios com 12 vistas,|a 0*000. qucrloj*.
Frasco com oleo paran>a,Ghinaa ^00 rs.
Rua do Barfto da Vidoria b. 28
trado .
Lata
iu Dud
ciu quatjii'-r de;-ti-s !ugares
JtigoiraV, tO de outub-o de lfc'73.
Casa.e-terreuo.
i -
VenOM4V casa de ferro e terreno em Sam.
Aiitoa> pAr{o4ai e- II
Ml
Fumos especiaes
para o fabrieo dos melhores cigarros finos de- pfeda
c linho, p para caximbo, a sabtr: ,
0 verladeiro fumo de Daniel. Rrii 'sciis 'arrhhzens '& tba d6 AMorim
Idem do Rio Novo destiado. A i.^-. '/i UkhLw i'*
> Idem cabello s c picado.
Idem de Saependy.
ratar }om Shaw, ,llawkcs &
C, a rua do Bom
JU'D-
Idem de Goyaz.
Idem dePomba.
Idem do Mineiro.
Idem de S. Paulo.
Idem de Minas.
Jio arroazem de fuio a rua da ,Ma.h%3 ik'.Deus
n. 10 A, de Joe Dumingue* do >rmo e Silva.
0 proprietario deste estabeleclmeiko tem tido o
maior capricho posjfvel em obter do ffio de-5a-
neiro'as qualidades de fumos mais espeeifles,
algumas ato.-mesmo nao conhecidas neste rnerca-
do; porem muito-apreciudo em outras provm
cias do imperil, como os (uraos'que-aeaba'de ro-
cebw pelo-'^prir-Bacional Bithia, entrado'irrh C
do corrente e poriconvida dos seosi'frO''
guezes c amigos para verem e examinarem a>
melhoros qtralidades. de fumos fiao?, e .promote
conservar'wmpre em sea- arrtweenvo qne ftoww-
de melhor neste artigo, desde Hi arrolia atASf-n
libra ; tudo a coatento dos seus numerosos fw
guezfls o amigos. ,_^t,______________
n. 3*7 o cos do Apbttb ti.: 47,
pafa' vcttder por prejjofe corotpodoj
Tf}otds;enirn^d<*'sfextaVd% 'pa*rt- ladVrfbc:
Caaos dfe biHtW^arai-esloio; '
Cimento Portland.
Cimenlo Hydraulicc,
Maehinas de dej Maerimas 4t Ha'^fcrt..V r?
Potassa-'da< fei* em-ba*!-
pht*pbocoa;a>ic*n&. -
Sag^ijem jpvera^oes.,..
SeVidtnba, efn. garrkfoe* .
ntiinte^'em ga-rtfarteS ; >

r fV '
LefltHl..- v.-
KhwBHi>aflmiM.
VintotfofPertaiitelko wcanafadtf
Vinho.iia.PorJ#)supe^i(ir,>i!o -
Vmho de Boraeaiix, dito.
Vinho de ScberVy.
. VbAd teejeojii li'- *ieiinglt>tit''
Barfistcow Wpelh^enV salrnoUra *
Folhiaihad vairiedadcA-para
oaitnode I.8W
Cuntuci !o alem do kaleudarjo. .a iaballados,
r Lanziiihas com litras eanmpadas pelo diminuto
<'C-o 400 w. o-covado.
Dito? :4m -iwiras asseUuadas a UitOO 0 co-
Graria)Jina p'ret.i-. com listras de cores a 500 rs.
o'epyade.-
Melins'tran^o- prnprio> para ve-tido, a 3S0 rs.
0 cpvadti.,-.,
Alpacas dc na.kdro>, .propria .para vestidos, a
- {#73/8 4bvaSo.
I
Brim branco, lona,para cal^as a 1 JJWOa vara,
DiuJ Wnf?ao (J U090 a vara
Ditorde eftpvltoiw.'ifUiro,a ljl400 ;i varan-
P^liiiH'hir
Cbapioj.J^^jt de seda, cabo de eauna, a 8#o00.
cada um, ftto'ra'do r6 no 11 SO da rua do Cre>po,
logMlgj 3 portal !- t'.nilherme & C._________
~W\i oil 5V<^e (Sit.^enderhno seu armazern
a rua de 0Dnmrai 0 ver^adftiro p^ww ttealgodaoaznl amencatoo.
KxcellerAe Sip de >ela-
: Cognac de f* qujlidado
Vinfco de Ooraeawx.
Carrao de Pedra-de ;to*u as qnalidadea.
Vende-se
0 jardim da Nova Esperanca, a rua Daque de
Caxias n. 6), esla xep|ecto-de florcs a? mais de-
licadas que 6 pos.sivel imaginar se, desde o mai.<
sinpellb ramalhetea mais-elegan'e ra, fintrir
novidadel : ao bello sexo compete, qnanto antes,
vireiri colhc-las omquanto esU'> iiyyhs.
Ao bello sexo.
GusmSo \ i,eV recebenia* ric* cortes de gaze
de seda, fazenda inteiramente nova, e vendem
pelo barato pr6<;o de iOiX)Oo corte : a elles, antes
one ?eabem: s>i na loja da nv. Pr'meiro it
Mar>;o n. 41.
Liqnida se por tod) o nreco 0 resio das faztn
das existentes na loja n. 16 da rua da Madre d<
De. tem, portanto, iquellfls' menos favitrecidos da fer-
tuaa tao importante occaeidOj aond- poderao sor-
tir-sc om poueo dinbeiro. E>ta feira semanal
urinripiara diariameatq as 7 boraf da maiilia ate
a-* 6 da tank, (jrminando impreterivelmente no
flm m corrente -emana. -__________________
Potaasa
Nova em meios barri? a'S'Or^Jo kiio: vendem
Cunha lrmfw?,i C, rua da Madre de Deos nume-
ro 34.________________________
(jiMJiiria df Ltslwa
Hombreln*.
(Japitcis.
Soteiras.
a' venda no armazern n. 2o, a travessa &< U>rp 1
%&*+-<__________1-------------------------
Las para veslidofi: de gente
V<-nde-se umsobrado de 3 andareseso- emolumehro? cobfaVeTs no iributiaL do ,commer- "ra2l!!0 u?JLr8i da ^sa Forte, com 520 palmos
tao a rua do 80m Jesus, outr'ora rua da cia *** prb*tna-,^prto* priftidas Ajs Spores d0 ^^w '* 'nndo pouco ms-s ou menos,
r&. m V.f aua11 in ~T* de err*-j.>festyos das*ow deste/ei- cpm.as!de**!ra e cal, 7 quartos, 3 salaa, eo-
Crutn. 03, e um ditode 1 aodarna mesma. dada,taboas Jo* c.-^omanhM Datwb^eta etc*-Iinha fra. ^ cac^robas ^ divetsoj arvoredo* det
fructus ; assim, cono, um nutro menor na tra
,j vfcssa danlesma; vultando para a estrada que vi
I para 0 Arraial, ruan. 61, sendoestesuo mellior local da rua,
junto a igreja matriz do Corpo Santo : a
tratar no mesmo sobrado u. 63, arma-
zem.
mar e wrra; jMmfes wayos: das mil* deste c
lu,taboUas des ci^umantos.pasMbhes
a vebda em todas as ilvrarias ido, Recife,
Veride-sOv
Rua do Brum n. 76
Veade se zinco puro de superior qualidadc,
proprio para cobertas de caaas, medindo 11 jial -
mos 4e eomprido e 4 de largo, por pre^o- rmiito
em oonta.
SuartoJ, eoiinlia Rea, caeirana e at ^nn* aWorfdo-
e.frueia .. no.paieo do G*rmon.
das Trincheira> n. j.
Vende-se
3, ou
lugar. ,des Rsmedios,, {cegnczta flm Afo^a^pa/JB:.
|f, ho(o becCo da ttaVessa dos Remedios n. 18, *
em-aa- prr^rlo, quow t> pretender etrtenda-se
Com o seu proprietario .na rua de S. Francisco, A tvaerna da rua da.Penha n. 6, bem afreirue-
como quem-wffl para--naB tmyWMtifitfL iO, 'zada'ta'ntopara* terra:como para o m'ato: a tfata
que e lu-todo oegoejo na vmma:
~' :u f r >' I'M IM I t < I' I li II 'I
Fawnda de-800 ., veade-jw-a jOO fa. na Ro.-*
Branca e dacse amostras: a rna d^ unprTolriz n
i 'aletots de casemira de 13^
por 12*000
Obra de eneonimenda : vi-n!; se i;a f033 bran
ca a rua da Impt ratriz n. 36. '
Vende-se
lima casa terrea ua rua.de S. Mignel n. 6S,
commodo urecn : a tratar na rua do Im'-erador
n. 7&
(aiiii/jiilias t pwtks
Amaral Nabuco C, veadom camiziohas e pu-
nh<* pare senhoras, brancos de aleodac', delinlu
bordadi>a e de cores, no Ba ar Victoria rua (L
Barao Vieto ia n. 2.
------------------
Vende se quatio caisvos propriu* pax., i-.-iali-.*-
lecimentos 1" molhad?, d rua de Marcil j Dii-
n. 76.
I.
i-
r
h
DOS PKEMI9S E>A I a PARTE DAS LOIERJAS C0NCED1DAS POR LEI PROVINCIAL K 481
A Bpy^ft' D.\ MVfRt/, DE/TULfcUPAf Q; E^TRAH^ EM 1 DE_NOVfiKRO-Wt, *87a.
Ptifiis.TNS." PREMS.tNS.
; -t
PREMS.|>iS.
i^:iOI3
17
m.
HHKM.
4,5
1*1
44


46
32SO
56
65
71
72'
80
m
8#
H
96
3301
8
13
u
33
84.
64
T
88:.
98;
3402
10
49
tJ6
b7i
58
7fcV
82'
89
90
3515
23
35
40
45
40
35b I
67
71
84
88
_ 3608
13
4,5
NS.

-
4#-


19
23;
24
36
63-
75
91
92
99
8708r
10
MoJi
12
ca
39
41
47
i7
70
,7*.
72
73
77
78
84
86
89
, 9*
3803
PREMS
a
4*
4A
PREMS
*
__

NS.
3804
23
30
36
41
42m
47
48'
5i
70
44 iiit
77
85
8C
88.
9:
3Wf
14
1
m
3!
:; 47,
56.
6&
fit
65
66V
6!
73
?8
H5
88
89
90
92
93
98;
4#
A
.4*
/*-
i mm I
I ILEGIfEL


.*->

8
<*,
Diario de Pernambuco Sexta feirtf. 28 de Novembra do 1873.
'i ----nrnwin-rrra


VARIEDADE
APONTAMENTOS BIOGRAPHICOS De
um jornal hespanhol transcrevemos os so-
guint-s apontaroentos de alguns Jos chefes
cautonaes que se acham era Cartagena.
0 cidadio Cdrceles, ostu lanto do medi-
ciua, e de nascimonto humilde, geralmente
conhecido pela sua dosraelida ambigao,
estdjd rocebendc o castigo do seu procedi-
meuto, pelo desprcstigio em quo cahio na
opimio doo sublevodos,
D. Pedro Gutierres, que passou a moci-
dado na America, onde a lquirioalguns bens
do foriuna, esta em Cartagena, dUtinguin-
do-se pelas suas i (eas exageradamente repu-
blicauas, unica qualiJadeqtieorecom neuda
d attungao publica.
D. Estevio Nicoldo Eduarte, veterinario,
foi quem mais contribuio para exaltar as
massas com os seas discursos, parodiando
as phrases dos homens da revolugio de 93,
cujo cinhecimento constitue todo o seu pe-
culro liilerario e seientifico.
0 cidadio Sauvalle, fui capitao do exercito
de D. Carlos, e e hoje ministry da fuzenda
do cantiomurciauo. Era absolutista ardente,
e hoje furioso federal.
Toneto Gal vez, pequeno lavrador, e ho-
uiem ousado e valente e o principal auctor
dos males quo avoxam as povoagocs do
littoral.
Omittirei por sabido, diz o citado jornal,
as biographias do Contreras, do carlista
Posas e do 'nonarchico Ferrer, assim como
as do Real e seus camaradas, quo se fizeram
cantonaes, por se julgarem sem razio pre-
teridos na carreira militar que scguiam.
0 magarefe Plinilla, e hoje coronel; e
uti vendelhao de fructas, charaado o Moro,
que foi tambcm coveiro, e tenento coronrl o
amigo intimo de Contreras.
Couservam-se ainda na praga dc Carta-
gena, Galvez, Pernas, Posas e Carroras. E'
falsa a noticia que deu o primeiro d'estes
her6es como afogado na catastrophe do va-
por /' rnaudo o Catholico.
A commuua do Paris que tio ruins fir-
mas tcve ao seu servico, nao dispoz ainda
assitn de uma ninhada tao auspiciosa de re-
for.nadores aualphabetos e sanguinarios,
como Contreras, tern a honra de comman-
dar dentro dos muros de Cartagena.
0 pessoal da esquadra insurgente anda
pela mesma forga do pessoal civil que Gal-
vez, tem as suas ordens.
RIOS ROSAS. Verificou-se em Madrid
o enterro do illustrc homem d'estado o Sr.
Rios Rosas.
0 feretro sahio da igrcja de S. Jose,
onde ustava depositado, cerca de uma bora
da tarde, dando por essa occasiio 20 tiros
uma b? teria de artilharia que estava situada
f6ra da porta d'Alcald.
Era aberta a marcha por um piquete do
exercito e guarda civil; seguiram-se de-
pois os estabelecimentos de beneficencia, o
clero, o coche de estado, o carro funebre,
uma escolta dc honra, e o general Pavia,
capitio general de Madrid, com o seu estado
maior.
lam em seguida os membros do poder
executive, o corpo diplomatics, as corpora-
goes de estado; os convidados, deputados,
commissio de congresso, a mesa levaudo o
nojo, for<;a do exercito, carruagem do presi-
dento da camara, carruagens do podor exe-
cutivo, iilein dos deputados, idem dos par-
ticulars.
As tropas da guamigao, que faziam alas
uas raas do transito. iam deslilando, a en-
corporando-se no acompanhamento.
Iam as cinzas do linaJo n'uma urna de
bronze, com enfeites dourados.
Compareceram muitos homens notaveis
de toil' is os partidos.
Pegiram ds borlas do caixdo, os Srs.
marqnez leMolios, Figuerola, DiazQuintero,
Elduayen, D. Juan Bautista Alouso, Leon y
Castillo, Cervera, e Fernando Gonzalez.
0 numero de carrugens era incalculavel,
pois quando a comitiva chegou a Atocha,
ainda muitas se nio tinha movido das por-
tas de S. Jose.
FOLHETM.
1UC8ECIA B0S5IA
MEMORIAS DE SATANAZ
POR
11). Mauoel Fernandez yQonznlez
PRIMEIRA PARTE
0 GRAN-CAPITAO.
XVIII
0 GRAN-CAPITAO MSTT1DD CONTRA SUA VON-
TADE, N'UMA INTKIGA QUE TINHA POR BASF.
0 AMOR.
(Continuagio do n. 271)
Foi Bonvinetto quem o rompeu dizen-
do I
Sem magia nem feitigarias, sabe jd
quem foi o assassino de seu irmio. Quer
saber tambem se amard esse hespanhol a
quem chamam o gran-capitao ? E pode
Juvida-lo ? Esteve ao seu lado d noite
passada, por espago de algumas horas...
a ma-a, senhora, porque ninguem a pode
ver sera a amar, nem se pode ouvir o som
da sua voz sem que se perca a razao. A
unica cousa que defende esse homem e o
receio. Julga por ventura que se pode
confiar na palavra ou no olhar de um Bor-
gia ? Borgia e morte sao uma e a mesma
cousa. Esse homem veio d Roma com um
grande fim, com um dm que nao en vem
ao santo padre, e esse homem sabe-o, esse
homem receia. Alem d'isso, hontem d noite
quando ia na sua eompinhia, esteva d ponto
ga, nao pode existir o amor. Com tudo a
sua imagem nio pode apagar-so-lhe dame-
moria c do coragio.
A senhora tem a formosura de um anjo,
ainda que esse anjo seja um anjo ternvel.
Confie n'esse homem," faga-o comprehender
,ue para elle a fera se converteuem pom-
ba, e ama-Ia-ha com toda a S'a alma e go
zara* de uma felicidade nova, porque o amor
de Lucrecia Borgia dove ser um amor de
satanaz
Lucrec;a cscu'ava sombria o preoccupa-
la a palavra audaz dc Bonvinetto, e era
scus olhosbrilhava um f"go ardecte, atra-
.-z do qua. parccia transpareccr uma ale-
gria inen*a\el, por^m terrivel.
Bonvinetto parecia ter lido na sua alma.
Sim, sim, disse Lucrecia, tens razao ;
homem nao me ama, porque dcsconlia.
I 0 Sr. Salraeron, nio pronunciou o an- occupadas.
[nuiiciado discursa^; tinha-se tambem dtto Eis a explicaglo do mysterio :
que is portas do congresso se poria sobre o Ha vinte annos, treze amigos, enlre os
feretro uma corda de prata, mas nSo che- quaes Alfred de Musset, Theophile Gautier,
gando esta a tempo, nao se verificou aquella o conde do Flobac, etc. etc., Unham-se
cerimonia. reunido no restaurant em questao Convie-
O povo enchia materialmeute as ruas por ram em que todos os annos, no mosrao dia,
onde havia de passar o prestito funebre. e no mesmo local, se reunissem d-novo,
~ e quo o lugar dos fallecidos durante o anno,
DESCANCEM OS ASSUSTADICOS. Esta fosse conservado como se a sombra do fi-
provado que interessos particulares lizeram nado devesse assistir ao banquete.
levantar em Franca uma poeirada, arguin- No anno seguinte n4o ostavam senSo
dose os tubos de chumbo, como nocivos & onze; deus annos depois, dez; tres annos,
saude publica, quando erapregados nas ca- sete, etc., etc.
nalisaijdos da agua. Chegou-se at6 a *for- 0 penultimo dos convivas, morrera no
mular uma peti^So e endere^al-a ao conse- anno fmdo; era o >ondo de Flavigny.
lho municipal de Paris, ponderando a ne- 0 ultimo sobrevivente, Gel ao compro-
ceisidade de substituir a tubagem Je chum- misso.jantou pois como nos annos anteriores,
bo ; adduzindo-sc opinides de homens de mas so, em fn-nte das doze cadeiras razias,
tciencia. esperando agora que a morte o venha tam-
Essa peti^So acaba de ser redondamente been surprenender. Este conviva o o Sr.
indeferida. Rubelles, um pintor muito estimado e que
A este proposito diz oSr. Charmolue, na conta 8 V annos de idade.
revista scientitica da Pulria. tratando d'este
assunipto : # Q pnuxgNDENTE TICHBORNE.Conti-
Nao sei Aue motivos prorocaratn. os nua o julgamento da causa Tichborne, no
honrados pet.c.onar.os a erguerem-so con-, tribu J, ^ueeH-s ^ach.
tra o omprego do cliumho, cujo uzo o con-
Na 120.* audiencia de 21 de outubro, foi
i ^M c exP,nenc,a d- t0JS S taS. 1 inquerida uma unica testemuoha.
Mr. Bulpett, banqueiro de Winchester,
declarou que conheceu Rogero Tichborne
de todos os se';ulos, por assim dizcr. Metal
algum, e e isto facto bem averiguado con-
serva tao bem a agua ou nativa ou de rio,
na sua pureza e limpidez natural.
0 chumbo nSo altera a agua, nem 6
por ella alterado.
Em apoio da sua opiniao, cita Mr. Char-
molue, a tubagem numerosa que se ve em
Versalbes, a qual esta" exposta a* accao at-
mospherica, ha tantos annos, e alii se verd
que apesar das causis de altera^ao e damni-
licagao, se conserva perfeita. Continiia
dizen lo :
Se pois o chumbo n3o foi destruidoem
dous seculos, porque se pretende que os
tuhos conductores a coberto, sen terera de
sotTrer a intemperie das esta^oes, sejam
mais facilmente, mais frequentemente e
mais promptamente convertidos em saes
toxicos, dissolvendo-se na agua que trans-
mit tem, communicando-lhes suas proprie-
dades venenosas?
Mas, a certidao nao se limitava a cla-
mar contra os tubos de chumbo, senSo quo
pedia a substitui^ao J'elles por outros de
estanho.
E quereis saber o que 6" o estanho do
commercio? E' um estanho impuro, em
que se encontrarao misturados em grdos
diversos, mas todavia sensiveis, o chumbo,
o cobro e o arsenico.
Era entao que so poderia bradar contra
o envencnamento das aguas pela tubagem,
e entao com verdade e justa razao.
Objectar-se-ha que desde tempo imme-
morial se usa o estanho para forrar os uten-
silios do cobre que se empregam na coccao
dos alimentos, e que d'isso nao resulta ne-
nhum inconvenieute. Sim, mas sob con-
digao de n3o deixar alii demorar ou esfriar
o que se tenha cosido em taes vasilhas; e
teem de as conservar sempre n'um perfeito
estado de asseio e limpcza.
N'estas condigoes, o estanho nao se torna
nocivo. 0 que nao impede que muitas
vezes acontecam acidentes era alguns casos
mortaes. E de mais, a agua que tenha
estado por muito tempo em contacto com o
estanho, nao contrahe ella um gosto insup-
portavel a peixe podre? NSo e" possivel
fazer uzo della para uzo domestico.
Entre o estanho geralmente impuro e
o chumbo que facilmente se obtem n'um
estado de pureza conveniente, nao podera*
haver sobre a escolha um momento de hesi-
tagao,
F1DELIDADE DE COMPROMISSO. Le-
sc o seguinte na France :
Tcve hontem lugar um jantar bem
extravagante em um dos restaurants mais
da moda, de Paris.
Tinham sido pedidos trezo talheres o
appareceu um s6 conviva, que, com grande
espanto dos criados jantou so, depois de t>-r
tido o cuidado de aproximar da mesa as
doze cadeiras vazias, como se estivessem
e que e o reo presente.
Um dos factos allegados no processo e :
jque Rogero Tichborne antes de partir para
a America entregoa a Gosford um mayo
de papais lacrado, contendo variascartas, e
que Gosford para reconhecer o pretendenta
como o ver ladeiro Tichborne, exigia para
prova que elle declar isse o conteudo nas
cartas que lho deu a guardar.
A testemunha declarou que era junho de
1867, de combinagao com o advogado do
accusado, tinha convidado Gosford a jan
tar no hotel Grosvenor.
0 fim era ver se Gosford, encontrando-
se com o accusado, o recenheceria. 0 ac
cusado nao se lembrava do que continha o
referido mayo, parcceu porem a" testemu-
nha, que ello sabia qual era o conldedo,
mas quena guardar segredo, e na divulgar
a substancia do que havia escripto, e pelas
perguntas e respostas, entre Gosford e o ac-
cusado, colligio que estes dous homens se
tinham conhecido muito n'outro tempo.
A testemunha declarou que Gosford Ihe
devia 50 i a 600 libras.
Entre o depoimento desta testemnnha e
o de Gosford ha grande divergencia.
Diz a testemnnha que Gosford em 1867
Ihe dissera : que o masso das cartas que o
pretendente Ihe tinha entregado estava em
Londres.
Gosford no depoimento que fez na chan-
cellaria disse: que o mago de papeis que
Tichborne Ihe deu a guardar foi destruido.
A testemunha disse : que o pretendeute
foi o primeiro a fallar a Gosford do mago
queIhe deu a guardar
Gosford nega esse facto.
Disse tambem a testoraunha que nunca
foi banqueiro de Rogero- Tichborne.
Foi lida uma carta do accusado ao ban-
queiro Cottie da Australia, em que dizia :
Vi o meu antigo banqueir i Bulpett de
Winchester. Reconheceu me immediata
mente. Abrio-me um credito de 500 li-
bras, e adiantar-me-ha vinte vezes esta
somma, se me for precisa.
Na audiencia lil.'de ^.2 de outubro,
coat in u ou o der' testeir*-
nhas -mm -l
Godrich. Richards e Matlinson disserimf
que em 1854 viram em Melbourne um na-
vio chamado Osprry.
Godrich accrescentou : que nessa e"poca
subscreveu para soccorrer uns naufragos.
Instado se Mr. Onslow, membro do parla-
mento e pr tector do pretendente, Ihe tinha
promettido alguma cousa pelo seu depoi
mento, respondeu : que Onslow Ihe disse-
ra : se contribuisse com um iota que
fosse para dar esclarecimentos com o seu
depoimento, teria direito aos agradecimen-
tos delle Onslow.
Jose Smith, jardineiro de Eduardo Dou-
ghty e de James Tichborne, John Dorey,
Ah I deixara* de desconfiar ; conhecer-me-
ha, sabera quo tenho uma alma virgera, e
que o seu amor e o meu primeiro amor, a
minha unica esperanga.
A porta abrio-se n'aquelle momento e en-
trou uma mulher pobremente vestida, mas
de um mod'i garrido.
Os cabellos estava m entrelagados com
cootas de vidros, os bragos niis cheios de
braceletes do cobro dourado, c na mSo tra-
zia um pandeiro.
Era Marietta.
Na sua phy^ionomia lia se uma expressSo
do ddr, de colera e de vinganga.
Vemlo que Bonvinetto nao estava s6,
parou.
Quem e essa mulher ? disse ella apon-
tando para Lucrecia.
Esta senhora e* a duqueza de Rouma-
nia, respond'-u Bonvinetto.
Ah I tu es Lucrecia Borgia e estds
aqui ? exclamou Mari'-tta avangando amea-
gadora e terrivel para ella.
De repente, a sua expressao mudou com-
pletamente, e disse com voz suave e respei-
tosa :
Perdoe, senhora duqueza, nSo sei o
que digo nom o que fago, estou tranzida
de dor. Sabe o que passou por mim esta
tarde ? Vai ouvi lo e julga-lo. Encontrei
minlu irma Julieta. Estava eu na ribeira,
junto da ponto de Sant'Angelo o havia rauita
gente, porque o caso n3o era para menos.
Os pescadores do Trastevere andavam pro-
curando em barcos o cadaver ds um grande
senhor, do Sr. duque de Gandia, assassi-
nado n3o sei por quem ; nem sempre o Ti-
ber produz um peixe tao graudo e era caso
para ver. Os pescadores mesgulhavam,
voltavam d superficie para respirar, torua-
vam a mergulhar e por fim appareceu um
d'elles trazendo u n objecto que parecia um
corpo humano Ahi estd, ahi estd, disse-
ra m todos, e corremos para o sitio onde
esta vam os pescadores. NSo era, porem, o
duque de Gandia, mas sim quasi que um
esqueleto, coberto coin uns farrapos de mu-
lher Aquelle esqueleto tinha ao pescogo
uns amulet is, eram estes, veja ; um cha-
velho de cabra, uas sapatos decrianga mor-
ta antes de um anno e quc serve para curar
o mdo olhado, um coragfio do prata com o
sello do Salomao, tudo ennegrecido por ter
estado muito tempo no lodo.
E Marietta nmstrpu 4 Lucrecia aquelles
object-s asque.rosos,
Masque teqhoen com isso-J Para
quo mc mostra esses objectos ? disse aquella.
-- Ah f5 ver.iade, que tem a senhora
'kiqueza com Julhrtta Qjjero era Julietta?
Uma pobre rapariga branca, loura e for-
raosa, mas cigana, vagabunda, dangarina
publica, lendoa buena-dicha, uma mendi-
ga, uma miseravel que nao possuia mais
que o seu pandeiro e a sua saia azul com
bordaduras de prata. Ah I quem era Ju-
lictta Era minha irme. Que titulo I
Irrni de Marietta a feiticeira, a cigana 1 Que
importunos somos nds, filhos de uma na-
cao maldita espalhada pelo mundo som saber
d'onde viemos nem para onde vamos, que
estamos hoje aqui, amanha acold ; sem mais
roupa do que aquella que trazemos no cor-
po, sem mais fazenda do que a terra que
pizamos, ou aquella que cobrimos com o
nosso corpo quando nos serve de leito. Fe-
rir ou matar um dos da oossa raga, c o
mesmo que ferir ou matar um cdo, menos
ainda, porque o dono do cio maltratado
pode levantar-se irritado contra quem o mal-
tratou, e por nos ninguem se levanta. Um
cigano significa menos do que um cio le-
proso.
Mas & que vem tudo isso ? perguntou
Lucrecia olhando estranhamente para Ma-
rietta. Desprezei-a eu por ventura ? Mal-
tratei-a ? NSo vim eu procurar a sua scien-
cia, e isso nSo 6 despreza-la.
Nio veio, trouxeram-n'a, disse Ma-
rietta cujo olhar immovel e frio estava fixo
em Lucrecia. Trouxeram-n'a para aqui
porque... logo verd a razao porque a
' trouxeram aqui.
Lucrecia vio uma araeaga nos olhos de
Bonvinetto, e levantando-se, disse com ener-
(gia.
Dene-me passar ; nao quero estar
aqui nem mais um momento.
- Espere, minha senhora, acudio Bon-
vinetto pondo-se diante da porta. Atira-se
fora a mascara t Amo-a sim, como o lobo
ama a sua preza, como o carmceiro a ret.
como o algoz a victima I Pois seria cousa
facil tirar vinganga de Lucrecia Borgia T
Nao, era necessarioganhar a sua confianga,
fazer-lhe crer que tem um escravo da sua
raaravilhosa formosura, do qual pode dis-
por, no qual pode confiar cegamente. Di
ga-rae, ndo oncontrou de menus um rctrato
que tinha na sua papeleira ?
Ah I foste tu que m'o roubaste ? ex-
clamou Lucrecia cuja voz tromia ndo de
medo mas de colera.
Sim, fui eu. Roubaudo um retrato,
roubei a minha vinganga. Como ve estou
forte, os meus membros nSo enfraquece-
D,m, oque prova que n&o aamo, que para
mim nao c formosa, que menti quando Ihe
fiz crer que estava louco pelos seus encan-
tos. Se isso fosse yerdade, teria beijado o
lavrador em Old Airesford, reconheceram
o accusado como Rogero Tichborne.
Samuel Samuels conheeeu Orton o Castro
em 1858, em Castlemaine, declarou que o
accusado era Castro.
0 Dr. Keneaty retirou-se da audiencia
doente, o ioterrogatorio continuou dirigido
pelos ad vogados Wilde M'Mahon.
H. Times, modico de lady Tichb rne,
disse : quo esta senhora estava sempro em
seu perfeito juizo.
Isabel Thompson alugou quartos a lady
Tichborno, a qual esteve sempre em seu
juizo, e fallou Ihe do accusado como
sendo realmonte sou lilho, e do oka signal
que este tinha no corpo.
Os advogados pediram o adiarnento da
audiencia, por quererem doixar para o Dr..
Eonealy o dopoimont das ultimas tostemu-
nhas.
O presidento disse : quo eram 3 horas, e
quo o ioterrogatorio coniinuava ate as 4.
Crowhrst, agent* de policia em Bruighton,
prendeu em 1851 John Broom e outros,
por fizerara trapacas ao jogo, mas n8 > co-
nhecia a pessi.a quo foi defraudada.
Quando o pretendente estava na Austra-
lia, podindo-lhe lady Tichborne provas da
sua i ientidade, elle citou dous factos : o
signal cOrdo castanha quo tinha no corpo,
o a trapaca quo lho lizoram ao jogo em
Brighton.
A accusagSo affirma quo Rogero Tichbor-
ne nunca foi victima d' trapaga alguma ao
jogo.
II. Fearow disse: que o capitao Broom
havia muito que julgava ser o accusado
Tichborne.
W. Fergussou, medico, occupou quasi
toda a 122* audiencia do ilia 23. Declarou
ter examinado o corpo do accusado, e on-
contra lo nelle todos os signaes, vestigios
de cicatrizes e defeitos, que as testeraunhas
attribuirain a Rogero Tichborno.
Mr. Hawkins fez a testemunha longas o
miudas mstancias scientificas. Em relavao
ds orelhas furadas, disse a testemunha que
nao achou vestigios alguns dos furos, e
que as orelhas, uma vez furadas, nao per-
dem os effeitos da operagao.
Dr. Kenoaly requereu quo f ssem lidos
os depoimeutos de algumas testemunhas,
que haviam deposto no processo civil.
O presidento nSo deferio, porque eram
diyersas as partes nos dous processes, no
criminal e a corda parte e pede uma pena,
no civil eram partes a accusado para reivin-
dicar bens, e os Iterdeires que os pos-
suiara.
Na 123' audiencia do dia 2i, continuou
a inquirigdo das testemunhas.
David Wilson, medico phrenologista,
disse : que em 9 de agosto esteve duas ho-
ras com o accusado a exammar lho o cra-
neo. (Riso).
Mr. Hawkins : Por f6ra ou por dentro.
(Grandes gargalhadas.)
A testomunha disse : que examinava a
fdrma e a organisagdo, debai.vo do ponto
de vista phrenologico.
O presidento perguntou se acreditava fir-
memente n'aquelta sciencia. sem comtudo
ser ella o seu estudo especial.
Perguntado sobre o resultado do seu exa-
me phrenologico, disso : quo n8o o podia
apresentar, porque ndo estava proparado,
e que ndo tinha refiectido o sufficient e para
dar uma opiuniao definitiva
Depoz largamente sobre os signaes, cica-
trizes e defeitos do corpo do accusado, di-
vergindo n'alguns pontos do Dr. Fargus
son.
Mr. Whalley, advogado, membro do par
lament i c juiz de paz em dous condados,
disse: quo nunca preparou testeraunhas,
nem interrogators algum, nem deu infor-
magao aljuma ao accisadi antes desto ver
a pessoa que Ih'o apresentou ; quo Line,
depois da ter uma couversa com elle, foi
para a A uerica ; quando veltou, deu aos
defensoros do accusad i um relatorio da sua
viagem ; que estd intimamente convencido
que este pr icesso nao passa de uma tra ma
dos jesuitas, com o fim de despojarem um
herdeiro legitimo da sua lortuua.
Burnell disse : que era 185 vio Rogero
seu retrato e jd iido cxistiria, porque esse
retrato estd envenenado.
Mas que fez d'e'le ? disso Lucrecia.
Ouga o que Marietta vai contar-lhe
emquanto ndo chega o Sr. Carlos Orsini.
Ah Carlos Orsini vem aqui ? Pois
bem, espero, disse Lucrecia.
E sentou-se de novo sobre a area.
Marietta foi buscar um banco e sentou-
se em frente de Lucrecia.
Gonzalo de Cordoba continuava osprei-
tando pelas fendas da janella, escutando
com toda a sua alma, aspirando o leve e
delicieso perfume quo se exhalava de Lu-
crecia, cujacabega tocava quasi na janella
por detraz da qual o gran-capitao estava
observando.
Lembra-se de Julietta ? disso a cigana
com voz grave e palavra accentuada.
Nao a conhogo, ou por outra nao a
conheci e por tanto nao me posso lembrar
d'ella, respondeu Lucrecia com intlexao de
desprezo, fixando um olhar tao dominador
em Marietta que a fez baixar os olhos. Con-
tinue, porem ; comprehendo que vai con-
tar-me uma historia que deve ser interes-
sante, e me serv rd de diversdo en quanta
nao chega Carlos Orsini.
E nao lbo causa terror o pensamento,
a idea de encontrar-se aqui so. abaudonada,
ern poder ds Carlos Orsini ? disse Marietta.
Continue, para que tenha tempo de
acabar a sua historia.
Visto que diz ndo ter conhecr4o mi-
nha irma, bom serd puc saiba quo cra-mais
formosa que a senhora.
Continue, disse Lucrecia sem alte-
rar-se.
Ah embora queira fingir que ndo
tem medo, estd a terra la, replicou Marietta.
Ndo sabe que o seu retrato estd em podnr
de Carlos Orsini ? E' verdade, ndo Ih'o
tinhamos dito Ora como Bonvinetto, 6 um
musico das pragas publicas, uma especio de
pelotiqueiro, podo, sem que ninguem o
estranhe, exercer o officio de racnsageiro de
amore. A senhora havia dito d Bonvinet-
to : Na tua companhia vive uma feiticei-
ra que adivinha as cousas mysteriosas o oc-
cultas ; quero que ella me diga quem foi
o assassino do meu irm3o. Isto foi dito
esta tar-Je, e Bonvinetto, para ganhar tem-
po, rospon luu-llio que s6 me podia oncon-
trar d noite. Foi prorurar-mo cencontrou-
me ao por do sol no cemiterio da igreja e
S. Marcos, vendo como enterravam a minha
pobre irma. Bonvinetto disse-me : Pode-
mos finalmente vingax-nos da envenonadora
de Juliettn.
Tichborne accusar John Broom de 0 ter
defraudado ao jogo, e meaga-lo de o le
var ao tribunal.
Thomaz Summers disse : que em 1852
ou 1853 comprou na Australia, proximo de
Castlemaine, um cavallo a um iadividuo
de md reputagSo, e pagou-o a um homem
quo dizia chamar-se Castro, e que e o ac-
cusado ; o accusado, que estava outdo era-
briagado, deu-lhe um recebido assig-
na lo por R. C. T., que ndo pod a apresen-
tar, porque o queimou.
Na audiencia 12*', da 27 do outubro,
terminou a inquirigao das testemunhas de
defeza, tendo sido pergontadasS -7.
W. Forward foi criado de lady Tichbor-
ne, 6 mazes antes della otorwr; sua ama
estevo sempre om perfeito juizo, e disse-
Ihe quc o accusado era o seu filh > Ro-
gero.
Isabel Burrows dngou com R >gero Ti-
chborno em Souptbampton oo anno de
I8i9, e p rcce-lhe ser o accusado o mes-
mo Rogero. .
Mr. Hawkins requereu o adiarnento ate
quarta-feira 29, para produzir testemunhas
residontes nas proximidades de Londres, con-
tra a prova testemunhal do accusado devendo
term mar no dia 31 ; tendo do requerer de-
pois novo adiarnento, para perguntar algu-
mas testemunhas quo ostao em pontos dis-
tantes da capital.
Segue-se fallar o Dr. Kenealy, para ex
por as provas dos dopoimenos das testemu-
nhas.
Mr. Hawkins ha de tor a palavra, para
sustentar a accusagdo.
O presidento fard depois o resume do
processo e das provas produzidas.
Espera-se que no Natal o jury dard o seu
v:redictum.
No dia 23 do outubro, Mr. Whalley,
membro do parlamento, protector do pre-
tendente Tichborne, e que dopoz no dia 2V
no julgamonto do seu protegido, assistio a
um banquete, e n'um discurso disse : que
tomava um verdadeiro intererse pela causa
que so ventilava no tribunal Queen's Bench;
que somento so podia conseguir uma sen-
tenga justa, empregando-se perseverantes
esforgos; qne o governo tinha gasto mais
de um milhdo e meio de lib.as para servir
o catholicismo romano ; quo se ndo fosse
auxiliado pelos operarios de todas as nagoes,
teria vendido as suas carruagens, o sou fa-
to, e tudo que possuc, para poder sustentar
a luta at6 ds ultimas.
Na 119.* audiencia de 20 de outubro
continuou a inquirigdo das testemunhas.
James Leader, ex capitao de navies, dis-
se : quo podia muito bem acontecer que
um navie se enchesse de agua no espago
de uma noite ; que acontecia no Rio de Ja-
neiro em consequencia do eicessivo calor
desconjuncta em-se as costuras do navio,
e este fazer agua.
Carlos Lewis foi empregado de um mer-
lador de pannos em Airesford. Em 1846
foi d Tichborne levar fazendas d amostra a
la ly Doughty, vio Rogero muitas vezes em
companhia de miss Doughty. Teve uma
vez uma briga com Rogero, do que resul-
t'-u dear este ferido - pode jurar se do ferimento ticou cicatriz,
mas affirma que ndo Ihe vio no brago signal
algum feito com tinta. Vio o accusado em
1871, e reconheceu-o logo como Rogero
Tichborne, e mais certo ficou pelas respos-
tas que Ihe deu ds perguntas que Ihe fez so-
bre os factos a con tec id os entre elles.
W. Haycock. Estava em Melbourne em
1851, e ahi conheceu um homem que usa-
va do "ome de Arthur Orton, e o qual ti-
nha uma cicatriz na cara ; em 1864 com-
prou lbo um cavallo; Orton assignou o re-
cibo com o nome de Raid : Arthur Orton
tres dias depois furtou-lhe o cavallo, elle
testemunha usou de tres names na Austra-
lia, porque era alii costume fazer-se isto,
mas asaignou sempre o sou verdadeiro
nome.
E. Marshall conheceu no Rio de Janeiro,
em 1854, um capitao Brown, mas nao sabe
se c o mesmo quc depoz como testemu-
oha.
R. Food vio muitas vezes Rogero com os
Eu I exclamou Lucrecia ; pois eu en-
venenei sua irma ? Mentira I
Logo dird isso ao Sr. Carlos Orsini que
se queixou de si d quem o quiz ouvir. Eu
araava, dizia elle, uma pobre jovon ; arran-
cara-a da miseria, tinha-a no meu palacio,
e uma noite encontrei a, envenenada, sof-
frendo dores agudas e atrozes. Tinha a en-
venenado Lucrecia B rgia, porque me odoia
tanto quanto eu a amei, e quiz f--rir-mo o
coragao, o que conseguio matando a minha
Julietta.
Oh que curaulo de desvarios I ex-
clamou Lucrecia '; vejo que enlouqueceram.
Ndo sei o que se occulta em tudo isto, mas
entrevejo jd uma historia miseravel.
Ouga, disse Marietta ; vou comegar a
minha historia. Um dia, ha mais de um
anno, um cavalheiro, joven e formoso apro-
ximou-se, na praga da Trindade del Mente,
de um grupo de gente que estava vendo
dangar uma formosa rapariguinha dequin
ze annos. Quando ella acabou de dangar e
de recolher no pandeiro as moedas do co-
bro que Ihe deram de esraola, retirou-se
sendo seguida pelo joven e formoso cava-
lheiro.
Rapariga, disso-lhe elle, queres vir
dangar e caular na pesenga de umas forrao-
sas senhoras ?
E porque nio, senhor ? respondeu
Julietta ; o meu officio 6 divertir por pou-
co dinheiro, e essas taes senhoras dar-me-
hdo mais do que eu poderia colher em to-
da uma semana cantando o lendo a buena-
dicha nas pragas publicas.
E seguio Carlos Orsini atd ao velho pala-
cio dos Orsini, no qual entrou e do qual
nio tornou a sahir senio ricamente vestida,
como a senhora duqueza quando vai ao Va-
ticano beijar o pe ao santo padre, coberta
de joias, em liteira com a competente es-
colta.
Julietta era feliz, rica, nao havia amado
nunca o amou pela primeira vez quando
Carlos Orsini so enamorou d'eila.
Ainda nio tinha decorrido um moz quan-
do Julietta desappareceu,
Procuramo-la por toda a parte inutil-
montc.
Eocontrei-a fina'mente esta tarde, reco-
nheci-a pelos seus amuletos, dos quaes se
nao apartava nunca, porque acreditava quo
aquelles amnletof a livravam detodo equal-
quer perigo.
Eu havia suspeilado dc Carles Orsini,
porom, quo intoresso podia elte ter em a
matar ?
Esta tarde quando a vi morta, o meu
pansamento tixou-se cm Orsini c smajdi-
bragos nns e nunca Ihe vio marcas feitas
com tinta ; declarou reconhecer o accusa-
do como Rogero Tichborne pelo seu sor-
riso.
0 individuo que appareceu em Lon-
dres inculcando-se como Arthur Orton, des-*
appareceu sem se saber para onde.' Osior-
naes de Londres julgam que era um im-
postor,
FIDELIDADE DE COMPROMISSO.Le se
o seguinte na France :
Teve hontem lugar um jantar bem ex-
travagante em um dos restaurantes mais da
moda, de Paris.
Tinham sido pedido treze talheres e
appareceu um s6 conviva, que, com grar.de
espanto dos criados jantou so, depois de ter
tido o cuidado de aproximar da mesa as
doze cadeiras vazias, como se estivessem oc-
cupadas.
Eis a elplicagao do mysterio :
Ha 20 "iinos, treze amigos, entre os
quaes Alfroi de Musset, Theophile Gautior,
o conde Flehac, etc., etc., tinham se reuni-
do no restaurante em questao. C em que todos os annos, no mesmo dia, e
no mesmo local, se reunissem de novo, e
que o lugar dos fallecidos durante o anno,
fosse conservado como se a sombra do Qna-
do do-esse assistir ao banquete.
No anno seguinte nio estavam senie
onze ; dous annos depois, dez; tres annos,
sete, etc., etc.
O penultimo dos convivas morrera no
anno Undo ; era o conde de Flavigny.
O ultimo sobrevivente, fiel no compro-
misso jantou pois como nos annos anter o-
res, mas so, em frente das doze cadeiras
vazias, osperande agora que a morte o ve-
nha tambem surprehender. Este conviva 6
oSr. Rubelles, um pintor muito estimado
e que conta 8i annos de idade.
NOVA SEITA.Le-se o seguinte no Pall
Mall Gazette, de Londres :
Os russos e os americanos teem de lon-
ge em longe descoberto entre si affinidades
de diversos generos. Entre essas affinida les
pode-so notar a propriedade especial ds duas
nagoes de produzirem seitas religiosas muito
exquisitas. 0 ultimo exemplo de que aca-
bamos do ter conheci men 11 vale apenas re-
gistrar-se. Fundou-se ha pouco na ckiade
ile Porchow, na Russia, uma nova reiigiio.
As bellas sectaries, que, por excepgao, nio
eram senio mulheres, tinham o nome de
seraphinowaki, do nome do seu fundador e
iniciador, o pa Ire Seraphim. A sua fe im-
plicava uma confianca cega ao reverendo
coefee a pratica religiosa consistia em cor-
tarem os cabellos. As mulherej convertiara-
so todas o a final nio haveria mais cabel-
los compridos na cidade de Porchow, se a
policia nio interviosse no caso. Descobrio-
se afinal que o padre Seraphim tinha um ir-
mio cabelleireiro, de sorte que um e outro
iam feitos em um commercio muito pro-
ductivo, proveniente das trangas sacrificadas
pelas devotas mulheres.
0 seraphico doutor jd esta sob ferros,
on ie poderd meditar bem d vontade sobre
as vamagens resultantes da corabinagio da
reiigiio com o negocio-
NOVO PROCESSO PARA SE CONHECER
A PUREZA DO LEITE.0 Sr. Sacc com-
municou d socidade Central de Agriculture
de Paris um novo processo para se averi-
guar se o leito con torn agua. Consiste este
em misturar duas partes iguaes de leite e
alcool 90., mistura que dard em resultado a
coagulagao do teite. Se a coagulagio uao su-
bir completamente d superficie, e" prova evi-
deate de que o leite levou agua.
CARVAO DE PEDRA.Acabam de dea-
cobrir-se na Croacia novos bancos de carvdo
de pedra, na extensio de uma dezena dc
milhas geographicas. Os geologos manda-
dos dquelles lugares deram com tres veias de
carvao proprias para a exploragio, as quaes
se estendem paralellamente umas ds outras
n'uma extensio de 5 a 8 leguas, conteudo
uma quantidade consideravel de carvio.
goei-o ; porem Boovinetto disse-me, ao sahir
do cemiterio de S. Marcos : Nio accuses
s6meute Orsini ; foi elle a causa, mas nao
a m3o que matou tua irrai : matou-a Lu-
crecia Borgia. Eu havia suspeitado tambem
de Orsini, euma noite em que o encontrei
so, n'um lugar desviado pedi-lhe contas de
Julietta. Ah I respondeu-me elle, nio me
recordes essa criatura ; a sua perda 6 uma
dor aguda que nao deixard nunca de delace-
rar-ma o coragio Pede contas d'ella d
Lucrecia Borgia, que a matou para amar-
gurar-mea alma. Nio foi isto que mo
disseste, Bonvinetto ?
Sim, respondeu aquelle, 6 essa a ver-
dade.
Ah disse Lucrecia como que illurai-
nada por uma inspiiagio subita, o seu
amante, Marietta, Jnio lho disse, senio hoje.
que eu tinha matado sua irml, nio e ver-
dade?
Assim e.
Pelo quo me diz rospeito a mim, pelo
que tenho visto n'esso homem, adivinho
e que elle foi relativamente d sua irmi.
Oh I de quc cavorna infernal sahiste tu,
miseravel ? 0 inferno nio pode center no
seu seio paixoes tio infames, tio malditas
como as tuas I Ah I vem, eu nio te cora-
prehendia I Se te tivesse c<>mprehendido,
ter-te-hia adorado I Nao sabes que amo
tudo quanto 6 eiterminador ?
Marietta olhava com assombro e inquieta-
gio para Lucrecia e para Bonvinetto. Lu-
crecia sorria, acariciava com o seu olhar
amoroso o cantor ambulante que caminhava
para ella como o passaro attrahido pela
serpento.
De momento para momento o sem b Ian to
de Lucrecia, illuminava-sc mais e mais com
uma expressao de amor.
Marietta estava pallida, anhelante ; Bon-
vineto fascinado ; o gran-capitio dava-sea
todos os diabos e sentia furiosas tentagoes do
arrombar a janella e eotrar am scena. .
Que importa esta mulher, Julio T disse
Lucrecia. Que importa Orsini ? Que ve-
nha, muito embora, porque a ;ui, na som-
bra e no silencio, libertaremos o papa do
um rebelde. Ah 1 eu nao te conhecia Bon-
vinetto, nem tu me conhecias a mim; ti-
nhas zelos, porque me araas, cemo nunca
amastc, nio 6 verdade *
E pegoe n'uma das otaos de Bonvin>
qu"?e havia onroximado d'ella.
Continuar-se-ha.
typ;do diawo IWA P^'Q^'E pb GAXIas





I imuiie
i ILcBiilL
* K H