Citation
Diario de Pernambuco

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
newspaper ( marcgt )
newspaper ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
This item is presumed to be in the public domain. The University of Florida George A. Smathers Libraries respect the intellectual property rights of others and do not claim any copyright interest in this item. Users of this work have responsibility for determining copyright status prior to reusing, publishing or reproducing this item for purposes other than what is allowed by fair use or other copyright exemptions. Any reuse of this item in excess of fair use or other copyright exemptions may require permission of the copyright holder. The Smathers Libraries would like to learn more about this item and invite individuals or organizations to contact Digital Services (UFDC@uflib.ufl.edu) with any additional information they can provide.
Resource Identifier:
002044160 ( ALEPH )
AKN2060 ( NOTIS )
45907853 ( OCLC )

Full Text
I
I
I
i
i
ANNO XLIX. NUMERO 273
-lAA A CAPITAL B LUSAMS O*PH BE SB PA6A PORTB.
*or *<* me* idinUdoj..........f...... 69000
-Por seis dil................. 129000
foe .................. *4fooo
Gida niiaero avulso.................. J10
QUL\T.l FEIRA 27 DE NOVEHBRO HE 1873
PABA PBIITBO B FOBA DA PBOTUICIA.
Por tret mezes adianttdoB.................
Por seis ditos idem...................
Por note ditos idem.................,.
Por am anno idem...................
*
fTM
189100
S09S50
179000
RNAMBUCO.
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGUE1R0A DE FARIA ft FILHOS.
I
*. 3rt. Garardo Antonio Alvesd Filhos, no Hxi; Goncalves & Pinto, no Maranhao; Joaquim Jose* de Oliveira d Filho, no Ceart; ABtonio de Leiuua firaga, no Araeaty ; Joao Aria Jaiio Chaves, no Assd; Antonio Marques da Silva, no S.tal; Jot* Just
Pereira d'Almeida, em Mamangoape ; Augusto Gomes dafiilva, aa Parahyba ; Antonio Jose* Gomes, ntVIHada fenha; Be'armino doe Santos lulcio, em Santo Antio ; Domingos Jose* da Costa Braga, emfiaxareth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna ; Joao Antonio Machaeo, no Filar das Ala|&as ; Alves dC.ua Bahia; e Leite, Cenjuinho d C. no Rio jde Janeiro.
?ARTE OFFICIAL

[-.
GOVERN \ YROVIKCiA.
Hegiilanieiito do Corpo Polieial de Per-
nambuco.
( Con', i n u a PARTE SEGU.NDA
T'JLXO I
Capitulo I
'r'oriuulario para o processo dos conselhos de investigate'.
Autoamento.
Anno do nascimento de Mosso Seahor Jesus Christo de mil oi-
w'catos o......aos tantos dc tal nez e anno, autoei os seguintes
Jocumentes relative ao proresso do conselho de investigate do
Acial (deelaracao do sen posto ou companhia) ou soldado (declara-
^lo do ana companhia) pela imputacao de crime de tal. Eu, F....,
assim o fiz o subscrevo.
__ Depois do autoamento feito na I.1 folha do snpradito termo,
-riio annexos imraediataoiento :
i ,u O oincio do presidente uomeando o conselno, o quai sera com-
.;csto de urn otlicial do patento superior a do accusado, ou de um
apitao, so for inferior, ou de um tenente, se for sollado, bem como
i resjiectiva fe de offlcio.
2.* Todos os docutnentos relativos ao facto, ou que tenham
ido reinellldos pela prasideneia etc.
N. B. Tildas as folnas do processo serao numeradas e transver-
siirneato rubricadas pelo presidente do conselho, bem como no verso
^imente p>-l> adjunto do promoter publieo, o qua! sera auditor do
:-onsel ho do investigacao.
Fwmula da orJein de intimacao ao accusado para responder ao
processo a quo e submettido.
0 soldaJo ou official F.....da companhia.... do corpo de po-
eu 6 accusado do crime.... pelo qual vai responder a conselho de
arosligacan no dia... as... boras, e para alii devera ser conduzido,
:* estiver preso, afim do vir jarar testemunhas; contradicta-las, se
ire convier, responder aos interrogatorios que se lhe flzerem, prepa-
<*r e produzir sua defeza e aflnal ouvir a sentenea. E deste aviso
tara copia ao accusado, passando certidtu com assignatara de daas
usslemuiihas presenciaes no acto da intimaeso, a qual voltara imme-
tiatamenle ao meu poder.
(Lugar e data.)
Como auditor,
O adjunto do promoter publieo,
F.....
N. B. No verso desta ordem Ira o rol das, testemunhas de ae-
:-*ac,:io. .
Certidao de intimacao.
Certlllco,queintimei o accusado F..., soldado ou official, para
umIo couteiido supra ou retro, que lhe foi por mim hdo, e do que
the dei copia e elle ficou scieote.
Fjram testemunhas a tudo presenciaes F.... e F..., es quae?
.-vgnaram com o accusado F.... e commigo ...
Lugar c data-...
8 logo eompareeen-l) o accusado, procedeu-se ao auto de qua-
(; icacAo, que se segue :
Ai.s-----do mez.... do anno.... nesta cidade do Recife, e na
-\4a d corpo de policia d Pernambaco, aonde se reunem os conse-
ics do investigacao e d-i julgamonto das respectivas pneas. ahl pre-
date aquelle conselho, qae tern ii soldado do mesmo corpo, o seu presidente fez-lhe as seguintes
, rguntas :
Qual o seu nome ?
Kespundeu chamar-3i?........
Oo quem 6 lilho ?
Oe.......
Qae idade tem f
Tantos annos.
.Sen estado 1
Solteiro, casado ou vitro.
5ua prolissao ou modo de vida ?
Official, ou praca do 'orpi do policia desla provincia.
Sua nacionalidade f
Brasileiro, etc.
0 lugar de seu nascimento ?
Pornambuco, etc.
Se tem sido ate ho]e pag) i-->gularmeule de seus reacimeatoa ?
Sim ou nio.
ik: sabe ler ou esorever f
Sim uu nao.
Em acto continuado procedeu-se a inquirigao das testecnunlias
[ to modo seguinte :
"n'meira testemunha.
Nome, nlade, naturaltdade, estado, profissao, residencia, teste-
.unha jurada aos Santos Evangelhos pelo interrogate F.... e do
-stunie nada disse, on alias disse que e pai, sogro, filho, genre, ir-
aiSp, tio, pruno, compadre, alllhado, amigo iotimo, ou iaimigo capi-
i"; de alguns dos comprom Utidos no facto, isto 6, accusador, e ac-
-sr.de.
.Sendo-lhe perguntid.> se sahia que......disse......
A requenm-mto do auditor Hie fol perguntado (isto ou aquillo)
- que respondeu.....
0 mesmo se precede a respeito do accusado.
E nada mais disse nem lhe foi perguntado, e sendo-lhe lido o
- -a depoimento, ratiftcoa-o per acha-io conforme e assignon-o com
P...., interrogante.
Eu? F.., sccretari) deste conselho de investigac,5o, o escrevi e
i'Hgnei.
Rnhrica do presidente.
F.....[a testemunha)
N. B. Assim se prooedera a iuquincao das outras testemunhas,
-nlo ser ellas era numero de cinco nos crimes menos graves e de
'o nos mais graves.
I. Qnando for notoriamente reconhecida a difflculdade de serem
inquiridas perante o conselho as testemunhas scientes do facto de-
i.ctuoso, por morarem era grande distancia da sede do corpo de po-
licia, o presidente do mesmo conselho deprecara essa inquiricao ao
Dr. juiz municipal da respectiva comarca, remettendo-lhe cfipia an-
rontira da parte accusatoria e pedindo-lhe que nao so para essa
mquiricao seja ouvido o Dr. promoter publieo, estando no termo, e
in sua ausencia quem _o substitua, senao tambem que assim se pro-
da com a maior brevidade possivel.
II. Para expedi;io dessa procatorla inquiritoria, sera avisado
19 tlias antes o accusado, d III. So houver alguma testemunha referida, sera chamada a
Jt-pdr, qiier a reqtinrimento d j auditor, quer do accusado, quer tx-
1'do.
VI. Nao sabendo Wr a testemunha, sera a3signado o seu depoi-
. ,>nto por outrem, fazendo-so ussa declara^ao, aldm de tambem as-
-inar o mesmo depoirooute plo interrogante com o nome por in-
- >.
Depots do serem assim inquiridas todas as testemunhas da' ac-
i itscTio, pass&tj se para roaior csclarecimonto da verdade, a pr>cc-
' f o interrogatorio do Kcoaadq pelo modo seguinte :
Pelo interrogante P..... foi-lhe perguntado :
Qual o seu nome, naturalidade, idade, estado c protissao 1
Respondeu chamar-se F...... natural de...... com......r.....annos de
le, sottefro, casado on viuvo, profissao......
Foi-lhe perguntiJ) sv; cormccla as testemunhas, que cor.tra elle
.ram o desde quando 1
Respondeu quo sim, desde tal epoca, ou nao.
Foi lhe perguntaJ) w tinha algum moiivo particular a que
trihna a prusento acensnj-to '
Respondeu.....
Foi-lhe linalmente pcr/uul.tdo ?e tfni factos a allegar. ou alls-
- 6e!i escriplas em sua defaza a effectuar ?
Respondeu, que oiTerec? as seguintes consideraciks cm sua de
*za,e para.mais conobora-Ia,tent de prodnzir nSo so as testemu-
Riiatlaes e taes, pelo quo dus*i ja requeria fosse n inquiridas, se-
"; Umttem |i"inen;o^ qni tijsde j.i exhibia (em tal numeml
" :'i"ijlU i'.lllfi- .i 'Tv. >
El porqua uada mais ii-v-, em lhe foi perguntado, den-se por
do o interrogatorio. qae sendodhc lido, raliflrou por achar con-
rme e assfgnou cori o official interrogante o com as testemunha*
p F. .v. a tado -r^.-;1.r";1:^.
Flu, F......seeretsrii dj -ns.-lho dc investiga^an, escrev'
Rabrica do presidente.
F.....(interrogante) (po.to;
(A pedido do interrogante)
F...... (testerannha)
F......... ()
>. B. f. No caso de Dtto qu^rer o accusado assignar o interro-
terli assignarJo por eile com e3ta declaracao daas testemunhas.
I'(. Este interrogatorio deve er rubricado transvewlmente em
odas as folhas pelo presidente do conselho, e no verso dellas pelo
auditor
Formula da sentenea do conselho.
Vistos_ e bem examinados todos os depoimentos, interrogatorio
e mais pecas deste processo verbal instaurado contra o aceusado
F.....ou aecusados FF ..., foi deeidido pelo conselho de inrestiga.ao
(por unanimidade ou pluralidade de votos) qae o mesmo acoasado
r.....se acha suspeito de haver perpetrado o crime tal, quo se lhe
imputa, e por isso esta inourso no art.... do regulamenlo de..
em qae o dim conselho- pcoaaaaa. a sahmlle-< a juinaraenio, pelo
que manda quo assim se execute, sendo preso como no caso con-
ber) se porventura nao estiver previamente.
Recife, etc.
P.....(presidente.)
P.....(auditor.)
F.....(interrogante.)
F.....(TOgal.)
F..... ()
Sala das sessoes do conselho de investigate no estado-maior
do corpo de policia. aos. .. do mez.... de....
Seguem as assignatnras.
No caso de nao pronuneia dir-se-ha :
Vendo-se nesta cidade no estado-maior do corpo de policia, o
!irocesso verbal instaurado contra o accusado, ou aecusados, FF...,
oi depois de bem exaninad >, deeidido pelo conselho de investiga-
cao (por unanimidade de votos ou pluralilade deltas) nao estar pro-
vada a imputacao do crime.....qae se lhe fez, pelo que julga im-
procedente o mesmo e manda que fiqne em perpetuo silencio, sendo
solto desde logo o me>mo accusado (se estiver presente).
Sala do conselho, etc.
Seguem as assignatnras.
Formula da publicacao e intimacao da sentenea.
Foi esta sentenea pubiicada e intimada por mim ao accusado, e
o fiz scieote de que o sea processo vai ser remettido ao Exm. Sr.
presidente da provincia, aiim de resolver se elle deve ser submettido
a conselho de julgamento plenario, perante o qual podera defender-
se, allegar em seu favor o que lhe convier, quer por si, quer por
currdores, p..r.i cuja occasiao devera ser de novo notilicado.
E para constar fiz este termo.
Secretaria do conselho de inves'.ig cjio, etc.
F.....que escrevi e assignei.
F.....
TITl'LO II
Copituh I.
Formulario -para o conselho de julgamento.
A' vista do offlcio do presidente da provincia, nomeando o pre"
sidente. auditor e togaes do conselho (no caso de ser official o accu-
sado), dara o commandante do corpo de policia o seguinte des-
pacbo :
< 0 secretario do corpo, sem perda de tempo faca remessa do
presente offlcio e documentos annexos ao Sr. P. ., presidente do
conselho de julgamento, que se vai proceder contra F...., soldado ou
official do mesmo corpo
Recebendo o presidente do conselho os papeis, dara o despacho
seguinte :
0 secretario F......que nometo pora servir no conselho de julga-
mento a que vai proceder-ae contra F...., soldad > ou official deste
corpo, auloaodo todos os documentos inclusos, faua defies remessa
ao auditor para articular a accusacao no prazo de 48 boras, conta-
das da respectiva entrega.
Recife, etc.
Dentro de 48 horas, o auditor offerecera a accusacao articulada
pelo modo seguinte ;
Por libelto crime accasatorio diz a jnslica public*, pelo seu au-
ditor, perante o corpo de policia de Pernambuco contra F.....official
(patente e companhia) ou soldado de tal companhia do mesmo cor-
po o seguinte :
f.
P. qae no dia.-... e a.... bora P....., soldado ou official do corpo
polieial desta provincia commetteu em tal lugar o facto...
(ExpSe-se o facto.)
2.'
P. qae este facto foi revistido das circumstaneias aggravantes
taes e taes designadas nos do art. tal do codigo penal' do corpo
polieial desta provincia.
3.
P. que este facto constitue o crime previsto pelo art... do mes-
mo codigo penal do corpo polieial.
4.'
P. que nestes terraos o presente articulado deve ser recebido,
para que julgado e provado seja o accusado condemnado nas penas
do art. (grao inaximo) por haver sido revistido o mesmo crime das
circumstaneias aggravantes dos ... do art... do codigo penal do
mesmo corpo de policia.
Data e assignatura do auditor.
Com.....documentos.
Como testemunhas F. P. P. residontes em tal lugar.
Recebila pelo secretario essa accusacao articulada, passara
a seguinte certidao :
Aos... dias do mez..... por parte do Dr. auditor me foi entregue
este processo com a accusacao articulada (supra ou retro) e de tudo
faco remessa a F..... presidente do conselho de julgamento. E eu,
P...., secretario do mesmo conselho, assim o escrevi.
Despacho do presidente do conselho.
Recebo a accusacao articulada ; entreguese copia della e dos
documentos annexos (se os houver) e de rol das testemunhas ao ac-
eusado ou ao sen procurador, e notifique-se o mesmo para respon-
der a conselho de julgamento no dia e perante elle offerecer sua
contrariedade articnlada, nomear testemunhas, produzir sua defeza
verbal ou escripta, sendo esta apresentada no termo de 48 horas.
Recife, etc.
Certidao do secretario/
Aos.... dias do mez.... do anno de.... liz entrega das supra cita-
das copias do presente processo ao accusado, ou ao sea procaradoi
F....., de que passou recibo : assim como Ibe dei sciencia do despa-
cho supra, de qe ficou entendido. N. B. Vede o art. 106 )
F.......
Dentro das mencionadas 48 horas podera o accusado offerecer
a sua contrariedade articulada nos seguintes termos mutatis mu-
tandis, com documentos e rol de testemunhas.
Contestando o libello crime accu3atorio a fls.... diz F..... (posto
e companhia) o seguinte :
E. S. C.
!.
P. e coiuta do libello ser elle outorgante accusado de haver
perpetrado o crime tal, revestido das circumstaneias aggravantes
taes e taes ; mas infundada e esta accusacao, porquanto.
1*
P. qae no dia tal, em que se attribue haver sido praticado esse
facto pelo accusado, acha vase elle em tal parte, oa alias elle o
praticoa em defeza propria ou levado por taes e taes motivos.
3-*
P. que o accusado e menor de 21 atinos e a sea favor coueor-
rem nao so e3ta circumstancia attenuante, como as dos ||.....do art.
tal do codigo penal polieial.
4.
Nestes termos e nos de direito
Pede, quo a presente contrariedade seja reccbida e atinal jul-
gada prevada para absotvic3o do accusado.
Com tantos documentos ou com o rol das testemunhas taes,
residentes em tal parte.
P....
N. B. A contestacao sera assignada pelo reo ou seu procu-
rador.
Certidao.
Iloic, tantos dc tal mez e anno, acabo de receber por parte do
accusado F...... soldado ou official, a contestacao retro ou supra,
com tantos documentos annexos ; o que tudo remetto immediata-
tamente ao Sr. presidente do consolho de guerra. Bu, F....., secro-
tario do mosmo conselho, dou fe e assim escrevi.
P....
Despacho.
Rocebo a contestacao retro ou supra coni os documentos, que
a acompanaaram.
Notifique-se o accusado e as testemunhas da accusacao, aquelle
para ser julgado e estas para serem inquiries no dia tal perante o
conselho de julgamento, cujos vogaes e o Dr. auditor sejam avisados
para timbem comparecercm ncssc dia na sala das respectlvas
sessoes.
Recife, etc.
(Pcsto) F......presidente do conselho.
Certidao.
Certifico, queflz as notificacoe3 e avisos supra. En, o secreta-
rio do conselho, o escrevi.
F... .
No dia designado para o julgamento, o presidente do conselho,.
collocado a cabeceira da mesa, tendo a ua direita o Dr. auditor e
de ambos os lados os demais vogac pela oraera de srffs patentes e
antiguidadc, ficando o secretario do mesmo defronte do auditor, ao
toque da campainha dedarara aberta asesssao o manda a vir o ac-
cusado (que so colloeara defronte d'elle), e lhe fara ahi o interroga-
o accusado
tori seguinte :
unlado ao accusado presente a barra deste tribunal de
de julgamento (livre do ferros c de outra qualqner coae-
ftiojjqual o seu nome, naturalidade, estadj, prolissao e resi-i
deolia?
lespondeu chamar-se F....., natural de tal parte, solteiro, casa-
do oi viuvo. soldado ou official (posto) do corpo de policia desta
profjlncia, residente em tal parte.
Perguntado se sabia le> e escrever ?
Respondeu.....
Perguntado se sabia o motivo. por que era accusado c se pre-
cisata de algum esclarecimento a respeito ?
Respondeu .....
Perguntado se tem sido regularmeiile pago ate hoje dc seus
venelmentos e fardaraento ?
Respondeu.......
Perguntado se oonhecia as testemunhas, que contra elle jura-
cam e se tem de arguir-lhe aigutna cousa ?
^Respondeu .......
JPerguntado se tinha algum motivo particular a que attribuisse a
acepsacio 1
' Responrteo........,v
Perguntado se tinha (ados a allegar ou provas que jusuhquera
ou tMstrem a sua innocencia ?
Respondeu.,.......
Perguntado como foi pratlcado- o facto, que se lhe argue e onde
elle se aehava f
Respondeu.........
Perguntado se sabia quem eonitnettera o crime, sc houve com-
plices e quaes elles foram f
Respondeu........
N. B.
1. Seguem se as demais pergnntas que entender necessarias
o presidente do conselho, as quaes se escreverao, bem como as res-
postas do accusado.
Concluido d interrogatorio, sera elle entregue ao accusado para
16 lo, indicar as ratificacdes a fazer-lbe, depots do que assignara
com n int.-rrogante do conselho,
III 0 dito interrogatorio sera rubricado pelo interrogante trans-
vertalmente e no verso pelo auditor.
IV. Em segnlda, o presidente do conselho mandara pelo secreta-
rio ler em v..z intelligivel todas as pecas do conselho de investigacao
e as que lhe tiverem sobrevindo ; depots do que dara a palavra ao
Dr. promoter publieo para fazer, em termos breves, a accusacao que
eomistira na leitura do anthoamento edas pecas que comprovem a
culpabihdade do accusado, na exposicao dos factos e rasdes que os
sustentem, e na Indicacao dos artigos da lei e no grao de pena.em que
pelas circumstaneias dos mesmns factos elle se acha incurso, serapre
em lioguagem commedida.
V. Concluida a ac<:usa;So serio inquiridas e acareadas as tes-
temunhas, que ja juraram no eonselho de investigacao, se assim re-
querer o accusado, bem como serao inquiridas as que de novo o Dr.
auditor tivor offerecido ao mesmo conselho de julgamento ; o qual
tera direito de requerer a reinquiricao das testemunhas do accusado
produzi las no conselho de investigacAo, sendo escripta a substancia
desses depoimentos, segundo o accordo das partes, e assignado pelas
testemunha.-.
1 VI. Logo depois trausmittido o processo ao accusado, on ao sea
dofensor, desenvolvera um delles a aefesa em terraos habeis e com a
possivel brevidade, im.stranlo a lei, provas, factos que sustentam a
sua tanocencia SegUT se-ha a inquiricao das testemunhas de deiesa
indicad^s na contraridade.
VII. Fiaahnente, poderao tanto o Dr. auditor, como o accusado ou
o seu defensor repltcar e treplicar concisamentc; cada um para res-
ponder oi argumentos contrarios, serapre e VIII. I'ltimados os debates e inqoiricoes, o auditer faraumasuc-
cinta e dara exposicao delles; sendo estes e todos aquefies actos a
portas abertas. Em acto cootinuado, serao por elle raandadas reti-
rar todas as pessoas estranhas ao conselho, afim de conferencia-
rem entre si sobre a sentenea, que devem proferir ; a qual sera da
forma seguinte :
Sentenea.
Vendo-se altentamente nesta cidade todo o processo verbal, ins-
taurado contra P.....soldado ou official ( posto e companhia), o
conselho de julgamento, que o tinha de julgar, entrando em confe-
rencia seereta sobre o merecimento da accusacao prodntida e cons-
tante deste processo, contra P.....soldado ou official de tal com-
panhia do corpo de policia desta cidade e em face de toda a defesa
por elle apresentada, julga o memo F..... conveacido do crime, e
Jor isso incurso no grao maximo, medio ou minimo do artigo tal
o codigo penal do dito corpo, e o condemna a pena tal iraposta pela
referida disposicao.
Recife, 4.
Oa alias julga que nao se acha provado o crime,de que 6 ar-
guidoo accusado, nem delle convencido, por quant j raostra-se pelos
diversas pecas do presente processo quo (seguem-se aqui as razoes
ou fundameniosi; e por >ssooabsolve e appelia ex-offlcio para a junta
dejustica.
Recife, &.
F.....
F.....
F.....
F... .
F.
OESPACUusio.K PRSIDK.NOBCtA DE 2o DE NOVEM-
eno de 1873.
Bacharel Adolphu LamenhaLins. -Deftrido com
o offlcio dirigido nesta data ao Sr. inspector da
thesouraria porviacial.
Antonio Manoel de Amorirn. Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Antonio Jose Teixoira de Mendon;a Belem.
Indeferido.
Augusto Jo.-e Teixeira. -Concedo o prazo de
trinta dias, con t a dos desta data, e lica o'supplican-
tc relevado da multa em que ineorreu.
Domingos Lynch de Amaral Mello.Indeferido.
Eloy Jose Bezerra. Deferido com offlcio desta
data dirigido ao Sr. inspector da thesouraria do
fazenda.
Joio Baptista Coel o. -Inleferido.
Joao de Araujo Cezar.Informe o Sr. Dr. Juiz
dc direito de Nazareht.
Maria Cavalcante de Albuquerque Mello.In-
forme o Sr. director da instrucgao publica.
Lavrada a senteuca pelo secretario e assignada pelo Dr. auditor,
presidente e vogaes sera o accusado de novo introduzido na sala das
sessoes e pelo secretario lida a sentenea em alta voz; do que passara
a certidao seguinte :
Aos .. dias do mez .. de depois de proferida a sentenea su-
pra ou retro, foi de novo chamado a sala das sessoes e foi-lhe ella
lida em presenca do accusado F..'... de que ficou seient* e intimado.
Para coustar faco o presente. Eu .. P..... secretario o escrevi.
Julgado assim o processo na t* instancia, feixado e lacrado pelo
Dr. auditor, sera logo remettido ao presidente da provincia; o que
tudo se fara em acto continuado e em presenca dos membros do
mesmo conselho que assignara o offlcio de remessa, passando o se-
cretario do processo a seguinte certidao :
Certifico, que estando concluido o presente processo verbal do
accusado P.....fayo delle remessa a auloridade competente, e para
constar passo a presente.
Recife, 4'.
F.....secretario o escrevi.
Recebido pelo presidenfe da provincia o processo, designara ires
vogaes para com elles constiluir o tribunal de junta de justica, e um
juiz de direito a quem remettera o processo para fazer o relatorio
designando-se-lhe dia para a reuniao.
Os vogaes serao offlciaes superiores do exercite, raformados,
honorarios, ou da guarda national, aos quaes se offlciara marcandc
tambem o dia e hora da reuniao no palacio da presidencia.
Reunidos no dia designado os ditos vogaes em numero de quatro
sob a presidencia do presidente da provincia, o juiz de direito apresen-
tani por escripto o relatorio de todo o processo, o qual submettido a
discossao, sera posto a votos, comerando pelo official mais antigo.
Se houver empate decidira o presidente da provincia pelo vote de
Minerva, e esta decisao sera escripta, sob a redacao do juiz de di-
reito, quer contra, quer a favcr, pelo vogal mais moderno, como se-
cretario da junta e em que todos assignarao. Julgado d'est'arte o
processo, o presidente remettera ao commandante de policia para dar
prompts exeeueao a sentenea.
(Continuarse-lM).
constitneionaos.
0 minlsterio, porem, nao den a sua adhesSo a
este pedido o que parece indicar qne a luta entre
o governo e as direitas por um lado, e todas as
esquerdas reunidas pelo outro, se empenhara so-
bre Lima proposta teadeudo a transformar a pre-
sidencia em uma verdadeira dictadura.
A assembI6a occupou-se logo nas primeiras ses-
soes da proposta relativa a prolongacao dos pode-
res do marechal Mac-Mahon. I'n.a mensagem do
presidente lida pelo Sr. duque de Broglie servio-
lhe de algum modo de relatorio.
Este documento que insiste muito vivamente so-
bre a necsssidade de dar ao poder actual mais au-
loridade e solidez, e singularmente ameacador
para a liberdade de iraprensa e para a libcrdade
municipal.
oiz, por exemplo quo o espirito antihierarchico
; dos conselhos municipaes, deixa, sobre uma grands
parte do territorio o governo sem represenlacjio
real, e que a imprensa se entrega a violencias in
Paula Seraphina Jos Santos Leraos. -Informe toleraveis que ameacam corromper o espirito das
o Sr. provedor da Santa Casa de Misericordia.
Quiteria Maria- da Conct-icao. Deferido com
offlcio desta data dirigido ao Sr. inspector da the-
souraria de fazenda.
Trajano Alipio do Carvalho Mendon^.-Forne-
ja-se.
Trajano Alipio de Carvalho Mondonca.Forne-
ca-se.
Beparll$a da palicia.
I.' *ec{ao. .Secretaria da policia de Poruatnbuco,
26 de noverabro de 1873.
N. 1941.lilm. e Exm. Sr.Participo a V. Exc
que hontem nao foi rceolhido individuo algum a
casa de detencao.
Em data de 21 do corrente, communicou o de-
legado d'Agua Preta que, era dias deste mez, em
terras do engenho Una Grande, do dislricto de
Cassuipe, tora encontrada ".ssas-iuaJa a escrava
Maria, de propriudade de Joao Mauricio, alii mo-
rador ; que o i espectivo subdelegado procedeu a
corpo de delicto e proseguia uos termos do in-
querito.
0 subdelegado dos Afogados communicou-me,
em offlcio de hontem, qae na mesma data re-
metteu ao Dr. juiz de dirsito do respectivo dis-
tricto criminal o inquerito polieial que fez centra
Maaoel Pereira Lins de Araujo, pelo crime de rou-
bo praticado na casa de Fehciano Paes Barreto.
Deus guards a V. Exc Illm. e Exm. Sr. com-
mendador Henrique Pereira de Lucena, dignissi
mo presidente da provincia. -0 chefe dc policia,
Antonio Francisco Corrtia de Arau/o.
populacoes.
A conclusao forgada destas recriminacdes e que
o governo esta resolvido a apresentar projectos de
leis que trarao boa ordem a este desvergonha-
mento.
A questao de prolongacao dos poieres foi o ob-
jecto de um debate prejudicial ern que os partidos
A quadrupla e!eit*J du Diiaistro dos oulioo o du
instruccao publica o Sr. Falk e considerada com
razao como uma ad'iesao a politica anticlerical do
go7erno.
A camara dos deputados de Hepe-Darmstadt.
adoptou na sua sessio de 3 de novembro p >r 41
votos contra I uma mocio pedindo a introduccao
do casamenlo civil obrigatoria, e a apresentagao
de uma lei ecclesiastica.
A sessao das caraaras de Baviera abrio-se no
dia 4. A attencao publica na Allemanha dirige-se
para esta parte do imperio, c esta curiosa de saber
se a Baviera se ligara francamenlo a i lea nacionai
ou se elle perseverara na posicao defensiva e isola-
da que ella tomou.
Sabe-se iiue dos ires reinos do sul, a Saxonia
se pronuaciou a favor do um direito civil unitario ;
esta questao deve necessariamente vir a ordem do
dia no parlamento da Baviera, ate agora a attitu-
de do minislerio tem sido conforme as exigencias
da nova ordem de cousas estabeleclda na Allema-
nha, e tudo faz provar que nao desfallecera A mis
sao qne aceitou.
Por outro lado, a par do governo ha a corte dc
Mumick. 0 rei Luiz pelas suas manifestacoes ver-
baes, e ainda mais pelo seu absentismo persistente
mostra se excess'vamente adversario da idea na-
cionai.
Seja porem como for, passou ja o tempo para a
tnediram as suas foreas. 0 Sr. Dafaore pedio, com Baviera de persistir numa politica particulansta e
toda a razao e justica, que a proposta fosse envia-
da a commissao que a assemblea tinha de nomear
proximamente para o exame das leis constitucio-
naes eiaboradas pelo governo precedente.
' 0 duque de Broglie ospoz-se apoiando uma pro-
posta do Sr. Goulerd qne pedio qne a questao fosse
tratada immediatamente de preferencia a qualqner
outra questao, e que fosse nomeada uma commis-
sao esi ecial para estudar a proposta.
A camara por 362 votos contra 348, deu
razao ao Sr de Broglie contra o Sr. Dnfaure. Foi
um choque para as esquerdas reunidas. Notar-
se-ha entretante que o numero de votos sao iden-
ticamente os mesraos que os do escrutiniode 24 de
maio sobre a ordem do dia que motivou a queda
do Sr. Thiers. Mesmo numero de votantes c mes-
ma maioria para a ordem moral: 14 votos.
Na sessio do dia 11a esquerdi apresentou uma
proposta para se proclamar a republics, fazendo-a
ratificar por um plebiscite.
A commissao eleita para estudar a proposta da
prolongacao dos poderes presidenciaes approvou
por 8 votos contra 7, a proposta do Sr. Casiinir Pe-
rier ten den te a garantir a votacao das leis consti-
tucionaes. Foi noraeado relator o Sr. Laboulaye.
A commissao aceitou em principle por 13 votos
contra 2 a prorogacao dos poderes a Mac Mahon ;
rcconhece na assemblea o direito de conceder ao
chefe do poder executivo poderes mais largos do
qne a duracao da actual assemblea nacionai.
Os joraaes monarchicos publicam peticdos do
mcio dia e do oeste a favor da rualesa.
Resolveu se a formacao de Ires vastos acam-
pamentos intrineheirados na fronteira de leste.
St'ISSA.
A assemblea nacionai helvetica comecou a dis-
cussao do projecto de revisao da constituicao fe-
deral.
No conselho dos estados, assim como no con-
selho nacionai os presidentes expnmiram votos
pelo culto da obra da revisao, deMinada a temar-
liberda
DIAR[QDEPE{J^4MBU RECIFE, 27 DE NOVEMBRO DE 1873.
Motiolas da Europe.
Aroanheeeu hontem em nosso porto o vapor in
glez Neva, trazendo datas de Lis''oa ate 14 do cor-
rente, dous dias mais modernas que as trazidas
pelo Garonne, que chegou ante hontem.
Eis o que coihemos de jornaes e cartas :
FnANQA.
As fraccSes monarchicas da assemblea de Ver-
sailles, tem lhe custado muito a restabelecer se do .
desiquihbrio em que as pozeram o mau exito d3 se para a patua em uma nova origem de
suas combinaQdes. 0 primeiro pensamente dos de, de indopendencia e de prospendade.
chefes do centro direito foi de constituir, apesar de ] aixem.\nha, .
tudo, uma monarchia constitucional, com regente,' 0 Times tevo pressa em aonnnriarem um tele-
ou um tenente-general do reino, tornado entre os gramrpa de Be.'lnn, a nomeacao de principe de
membros da familia Orleans. / Bismarck como presidente do cons-dho, e a do Sr.
Esta eorabinacao que oao tinha a approva^ao Camphansen como vice-presidente; esta mudanca
dos legitimistas, foi apresentada ao conde dc Paris fiea decidida, mas nao estava ainda terminada,
o ao principe de Join ville, pelo general Changarnier; nem formalmento regulada na data prematura-
e foi regeitada terminantementc por estes em nome raento indicada pelo jornal inglez.
da honra de sua casa. | A diela do reino da Prussia uevia abrir-se a
A maioria vultou se depois para a prolonga^o 12 de novembro ; a sessao nao devia ser aberta
dos poderes do marechal Mac-Mahon, as condi^oes pelo imporador Gjiilherme em ennscqaencia deste
que lhe appronvesse tmpor como premio do seu s-oflrer ainla do nnpeqnena indtsposicao.
concurso.
0 general Mac-Mahon oxigio a prisidencia v:
talicia, ou pelo raenos por um longo pericdo ; a
constituicSo da camara dos pares, e o diroito de
dissolver a assemblea.
0 Sr. Casimir Perier teuton, em nome do centro
esquerdo, um esforco junto do marechal Mac-Ma-
hon, quo tinha por fim li^ar a prolongacao dos
poderes do. prosidente com a disenssito das leis
0 resnltado das eleicoes conheeido ate agora,
nao desdiz dos calculus que sc tinham feito. As
fraceoes libcraes do todas as cores apreseutam j:i
amn'maioria con avslmente no resultado total Os nltramontanos
guardavam pouco mais ou menos as suas foreas.
0< que soffreram maior derrota foram os conser-
vadores feodacs, que multas vezes fariam causa
commum com os ultramontano?.
antinacional; a torrente unitaria e tao poderosa, e
os seus progressos tao sensiveis, ate mesmo no sol
da Allemanha, que nem as reslstencias particula-
rs tas, nem o man humor de cert as cortes, pode-
rao deter o desenvotvimento das instituieoes na-
cionaes. Os governos que tentassera retrogradar,
assumiriara a responsabilidade dos perigos qne ac-
carretariam a seus paizes.
Effectivamente numa das primeiras sessoes
da camara a questao do direito civil unlforme para
toda a Allemanha foi levantado por dous deputa-
dos liberats, que depozeram uma proposta convi-
dande o governo a lutorisar os seus representan-
tes junto ao conselho federal a votarera a favor da
proposta Lasker e a reconhecer a competencia da
legislatura central em materia de direito civil.
A primeira camara da Dieta da Saxonia
approvou por 39 votos contra 1, o decreto real
qae reivindica era materia da competencia, do im-
perio, o assentimento previo da legislatura do reino
da Saxonia. E'verdade que a camara dos depu-
tados tinha aoteriormonte approvado o projecto do
governo, para recommondar no seio do conselho
federal a confeecjio de um codigo civil uii-
forme.
AUSTHO HUNGRU.
A sessao preparatoria do primeiro Reichsratn
cisleitbano sahido das eleicOes directas comecou
no dia 4 de novembro por uma sessao preparato-
ria. A sessao solcmnc devia celebrar-se no dia t>.
Espera-se com impaciencia o texto do discurso dc
throno que devo expor ao programma politico do
ministerio e dar iuiicaooes sobro os projectos de
lei de alta importancia de quo aqnel'.a camara tem
de se occupar.
Effectivamente, o que desse disourso connece-
mos pelo telegrapho, mostra-o como um program-
ma complete da maior parte das grandes medidas
e das reformas reclamadas pela opiniao liberal o
constitucional que o ministerio apresenta as ca-
maras: medidas dctinadas a combater a crise
flnanceira, e a consolidar o credite; orcamento,
revisto. e roduzido com uma severa economia ; re-
visao do cstatuto do banco nacionai, e reforms dos
impostos directos e indirectos, tal e a parte flnan-
ceira e ecoffomica do programma. OJmperador
aponta o alcance politico, o a significacao das vtsi-
tas e dos soberauos quo rocebeu durante a expo-
sicao. .
As duas reformao princioaes relativas a politica
incerta, referem-SO aos codigos do processo dvil e
criminal, as-im como as rolacSes entre a igreja e
o eslado. _,
So o roichsv.ilh consegue desempenhar a mrnw
que lhe e conQada, tera born mcrecldo do paiz, e
justiflcado victoriosamento as espennc.as qua sc
fund vara sobre o syslema das eleicfies direcUs
que fenrri- nr. pela primeira voz.
DTOA\RCA.
0 conflicto na Dinamarca .entre o ministerio e a
opposleao parlamentai1 lama um carackr dos mai-
serios.
Sab ilcscrnfiauca;
anliga eama#


!;
.rf_
3Hri<> H& l^fuainbuco Quiuta feiia 27 de Novembro
ximas ameacam de rejonduzlr, seaao a me'-ma
raai)ha ant-ministerial. pdeiTSBnos uma oppqsicvo
bastante tarte para noatraluar a forei do go-
verno.
Os ministros ps.resem dlspostos entretanto a ar-
rostarem com a tsmpestade. 0 presidente do, con-
selho conda de II dsten declarou em uma reuniao
eleitoral qae nio ced-ria, e qua se a luta gaslasse
as foreas do ministerio actual, o Mtro qae Ihe
succedcsse havia n :essariaato defeuder os mes-
nios principios.
oniESTE.
A crise linanceira ecmonfjca a qttt a Tar piia
neste momenta esta atacaJja, pareeeser inuito mais
intensa, do que se dizia ao-principle.
As correspondoncias de, Coastantinopla nao di-
simulam a sua gri'.-idade. As ref ormas doeretadas
pela Porfa, sa se oxeeBfcrem, podera-o trater-lfce
nm remeiio ettiaz; mas antes one tenham proda-
zido am resultado, sera sempre "necessario recor-
rer as neeessidades mais urgen'.es: 6 ainda ao em*
prestirao, meio roiaoso de qne a Pnrta conhece
^-perfe'an>aafc> 9 i'-'P, US? devera provisoriainente
vir em auxilio ao mesmo tempo ao thes'ouro e aos
embaracos da prara de Galata.
Nestes ultimos dias houve outra modifn-acao mi-
nisterial. Foi subsiitnido o mioistro dos negocios
estrangciros ; mas estas inudancas tem-se tornado
de tal modo frequentes e tern sido tao pouoo en-
plicadas,que na Europa tem-se a-oabado pot Ihea
nao dar importancia alguma. -
Om telegramma do Belgrade annuncia uma
mudaoca ministerjal na Scrvia : o mioUlru presi-
dente o Sr. Ris'ties don a sua deniissiio por moti
vos de saude. OSr.IUsties tern na nastantes an-
nos desempenhad* urn papel imporfanto nos ne-
gocios political do seu pate.
I'm decr-'to do principe Milan wnfua a Sknot-
:hina em KragnjeVaez para o dia 27 de novein*
bro.
Annuncia-sa que o principe Frederico Ilohen-
zollern. official do tfBeijeifs prussiano, obtivera li-
cenca de 6 mazes, que tou.-.ionava ir passar com
seu irmao o principe Carlos da Roumania; al-
guns jornaes tinham attnbuidoi esta visila am car-
lo alcance politico.
Ojomul Burin.vst da respoude Ihes qae a visita
do principe Frederica a Roumania, o facto mala
natural do mnndoy poU o priocipa Frederico de
Hohenzollern 6 roamano, em vlrtwte do um veto
solemoe da aswiMiraa nacional ; e em virtude
da lei, ojm cb.iinou principe i^ulM ao t ,rono, a
seu irma> e o seu ^fi^cesso eventual.
hespasha. 4
Sobfe wm ittiz.esi'rave tfitst -firre-ponden-
le delMtda :
Fallei Ifcia na minna ultima do lallecimento e
raneral de Rios Rnsas-
Trata se agora em Madrid da c-mstruceaa da
ura mausoli'ii), que conserve os restes daqueile es-
tadhtla. Falla impress&o de loxo, das obras a discursus do sabio
academico, enja edidki vendida dara a somma
preeisa para aquWa cinstrufio.
'< A Tertalia p-ogr^ssist* !Tactuu, na noite de
6 do &jrr3ate. uma- ossao coi|i:ne:u)rativa ei
hoinontgam a I) Sabastiao da Olizaga soli a pre-
eideneia do Sr. H in y i'arsi.
Fiuforirim-sa varioi discurs>s palrinlicos e
libames, hmranI> *i serviosdo prestilio h:s
.pinh:.l.
FailacaueQ Bareel n ata o i?.rir.!ieiro ias/i
Cirr.it.da de alcunba o Hpmem leliz. Otutava 9:i
man da iiUiio, "ra n unico finriakeiro qo axis
tia :ia H'sp.inha dm f|*k asstsfiram ao celebre
combate do Trafalgar.
Os chafes dos iiisurgentes culitno*, Quesada,
Sol, BambelM, y Tespedes Alton, apaiibados ho
sapor flihusieici Viryimim loram fuziUdas em
Santiago do Cuba.
j o gorerno hespauhol rnoaiwa pfposLis de
n na ea$a i'l.- .'.:i< qua >e prop-"'! a construir o pa
lacio da 1-xpoiie.vi !i>unal, scm subvenrao l-
cama e con .< uatc* iiil.c..-w de que o cstadu
Ihe eada os lnnvus bra as qnaes se levaalar-a
ediltcin.
Na minlia nUifm :.n*l.!i,>|a.o (p cariislas :on
centrad-M em i.'-r-'i tinham suiiVilo uiaa verJa
detra d-rrota.
Kis em rasn .:: a i/ffi si^ctlou lal inoviuieii:
io <).> earlistas. ; ,. iocm (wa de tudo, quite-
rani metier viwre* naiira.a p.ara e. darani uns :,t I fii.iueii- occuyar as povo.igoes
vjiinhss mais impactaMM'*, lac sabiio pelo ge-
neral cm chefe da? l* leraiinidi urn ver ladoiro atijie qoi: poz em de
ban lala aquellas ii'o|>.i.i, i:q:n pcnlaa onsidera-
veis. As tropa-s reputiucanas licaram de posse da
toda a liHha que cireuh E-tella, pernoitan-
do nas posicoes conquistadoa.
O cfcew cailista Olio, e encarregado de de-
rendr o. Soate .Im.ir a- txppaa eontinuavam
occupaudo as piisJv'Oes que formavam a prlhwira
Jinha du' -.J4list.;>. EstQA iMntinnam de posse de
uma spgaaaa e da '.:ia ter^-ora linna de forrni-
daveis :\n>ii;oes, que nao poder.io ser tomadas seiri
grandes perdas.
K' natural qiio o gouei'al Morriones depois
de dar desc*HQ-i As snas fropas, ordenara as dis
posirdas Beriessarras para o iwro ataque.
''niiiiin-se a a-iti "ia .l.-. eleijao de uma rova
j;nta em Cartai.'iia, di qua! foi eleito presidi-n-
te <;.'.ro.:z, c vogaes o fiho deste, Conlreras e
oatras. A geilla armada <3sta dividida om tres
grnpos : tn)|i:(, piisi;t:s e prasidiarios.
"iiirtinna lavranuo a dn'-ordm. e onvia-ae, em
um dos ultiiris dias fogo de fnzilaria no interior
da praija
Kmdi 'i '.:ii!e oscrbva nosso coiTes-
pondeate de li-lia :
0 o.-!.ii!'i 1" I'lieit.i o -iiinplar tr.ni]uili).ide
no paiz coniin-ia lacilmeiite, grlcas ao bom sen-
so do nosso p ivo e an habil tacto polifico e admi-
oistrati|rq da gante qoc esia no poder.
As elei.'..'- r.iiini.-ip.i;; jue -ao a I'i oCi'.U-
pani ;ilgun.sj?ra;i ><, :>mo lies lenho dito, ism
circuriado algumas I stoj coat.endo nouies cophect-
dos dos efotores, mas a jrrtmde venlade a que a
graade massa da pqpute ;ao uao tem lom^do to
do o iotqwjse restes ;r;ib;dhoi jjreparatori.is.
<*uanjo ,;os I .out:- d'ama, nova eombina^r.o
por p;mtv dps, parlidos mor.arc|ncos liberaes da
He sr. D. I.uiz I seja o ehcfe
politico, e ^obeiano dqs. doui estajji auiinombs,
Portugal*) Hespanha, i'oi :udo Uto, creio, arenas
um pr.-ieito pat^ votfar a Iberia a tola da di-cu=
-4o a~sumpto iut:: e de la, mas i|ue nao .ipresenta Ja novidade, e
ada vez tern nieaos razao de -;er.
.
< As folhas pomugaezas. .qua .yiresf nta;n mats
tendeacias ouaolidao para s^ ^eeujiarem da as-
sumpt. lin.iuetiiroi ainda dj*culv:n eiilru si u
estado -da di.vida. publi-ra national.' ilonU'.o; Ji-
ia uma d-ill.Li.qiia o roeur-os extraordioarius d<
thasouraico aauo iiailo, Wio e, ^uw:o dpeqiiili-;
brio eatrc todas .is reaeitas e, /iepczM prdinarias
e extraerdinarias,do thesnuro. m %M& eoatoi,.e
que no aaao actual, este desiqaiiibrio desappare-
cera : ...
lorn a eobranja 4as ^oiri|>uicoas 4u-
dustnai, sompUiaria a da renda de ea
sas, que.passsu da "%-~'i para 73-7i
e que audapor .<:outas *>0d
Com iguad guanlia pr,pri-. de 73-74,
que de cerio nao passara de 71-73 iOfl
f'om a cobranca da eonitibuieao [ire-
dial na Horia e Oy Fun-' i! eou-
tros impoetos, su^por.do mesmo
que o a'trazo em que e acaa essa
cobranca iMQliiiaa. 1^0
Com a cobrukea daciiiH-ihi-.i^ao ban-
caria, por ser. este_ o primei'ro anno -
da sua arijacada<;ao ... ^ 147
Com o melhoraneoto da,.ai\ :adac"o
do imposto do wllo ( pane do cafcu
lado ) visto *iae eni-ianeiro ja deve
cstar en) o-s^ ) papel .sJ la io -w
Com o augniento ,a rea!UuJo cm
inezes na raceita das alfandegas TOO
, To:a! _. i;i't~
so m:alfandei;ad-ip.A.jno^ij iirodm^ip -ra***
700 coniof, nos '* r->untcs nao produziraa 3Qi
I'ortfos a maior Parepijue sim. aqni tern uraa
gereneia sera deficit, a*(o$fc mrwijo. que.^ taaluuius
de gasfar no anno eorreate pom resesva, -jMajnl.t'
de suesta, Anguia, forti.'Jca-;oe^, Mocambiqiw, .etc.,
as mesuKis sommas extraordmarias quo no .nou
passado.
0 c*Ke qua )j nassos lundos .eaasolidados
uao temctthid} agora, parqaa- a laxa to deseottto
fic-m noidi^do oorreat* a 9 por c. nto eu.;I*ou-
dres. Ao jsesmo pa to os luqds de oufi'is j-,ji;6e teiu descido 6
cento, arfeuijadus aosso* foj iaiigajfu!anw.,
_ Ora< c .-ao o r#iltai3b ojaxjoraas; ,vivaa. da na .io, aiuito
mais qua da sabadoria (tij.-govftcao, i> <^tal t >davia
te sabido tirar partidi) das cireinstaneia.
no pescoco. a Sra. visceodejaa do tosrio, D. Maria
dj Carmo Guedes de Portugal n v}eneze.
< Tmba nascido .21 de mai > de 1823 na casa
solar da 'into em S- Marti.,h- do Maneello*,
viiiho e Menezes, visconle da Costa, do'ronsrlhoi* 1>r. Mauoel Cardoso Vioira de Mello
da rainha D. M.4r;a I, commonlador da ordera de
Christn, goveraador e capitao general de'Mi^am-
biqua, e coronel d"o regimcnta de cavaltaria de
ChaTe-, a a viscondessa- 0. Anna Jose a Meaezas, da casa dos Brandoes de Mello, da Tor-
re da Marca, hoje marquezes de Terena e de Mon-
faJJjo.
Casou em 1811 cam o Sr. Jerooymo de Ma-
galaaes Mexia Salema, viseonde do Torrao, villa
do Alentejo, em cu|o termo possna imporfantes
propriedailes, e seahor de difierentas morgados na
Till! da Louia e em outros silios. 0 pai do Sr.
viseonde do Tor ao era o deseoibargador Joaquim
de MagalhM* Mexia Macndo, fidalgo da easa real
e sanhor da casa de Louza; a m.ai ropresentava a
illustre familia das Sandes, Salema*, Langas e
Baiflcs, do Alentejo.
'< Tiveram tres filhas os Srs. viscoades do ToV-
rao. A mais velha falleceu ciuasi repentinamente
ha noucof annos. deixando geral jaudade. A Sra.
P. AQtia Vlexia vive soluir* WM seu* P3'8
A Sra. D. Thomazia e hoje condessa up Aleajo
vas pelo seu casamento com o conde ilcsle lllVlXo,
futuro herdciro daquella illustre casa, e ja com
successa1.1.
Torrao, e em poucos dias aggravou se a eufermi-
dado a ponto de a arn-baur ao affecto dos seus
parentes e a geral estima, apesar de todos os es-
fercos da sciencla.
Era senhora de espirilo vafoail. de senlimcn
t'> piedosos, .alTiaetHosissima nas relacoes. da fami-
lia, de mm agradavel trato, igual para tolos na's
divsrsas circumstancias da vida, e dotada da na-
tuTuI bondade que de muitos annos grangooua
desoendencia do* viseonde* da Costa ahecios, coa
sideracio e rospeitos da toda ageote; Sou pat ri
cio e visinho quasi desda a infancia, sentimos com
sinccra e profuada magoa a morte da Sra. viscoa-
des??. do Torrao ; pedimos a Deus que conceda a
sua alma o descanso eterno ; e damos as duas fa
milias Guedes o Mexias os bossos affectuosos pe-
zames.
Falleceti tambem, em Viantla do Cajtello, a
Sra. marqueza de Terena. Tmba 96 annos do
idade, pois nascera a 28 de ou'ubro de 1777.
Era vmvadasde 1849 do Sr. Sebastiio Correia
de Sa, sonhur do Parades, par do reino, 1 viseon-
de de S. Gil de Perre e I" nvarquez de Terena.
A finada era lima e herdeira de Balthasaf Ja-
come do Lago Bezem, senh\>r do Couto de Pare-
fles a das casas de S. Gil de Perre c da Torre do
'Paco.
Hoava hontem ontra sessio do consdho de
euorra, no Castullo de S. iarge, para julgamenio
dos rcos mililares implieados no processo da ro-
volta. A ultima sessao fora tumultuosa ; um dos
advogados dos reos, protestanlo contra a pareiali-
dade dos juizes, despio a t"ga, em plena audien
cia, e abandonou a dffi'za, dirigindo algumas
phrases de resignacao ao$ roos. Foi o Dr. Anto-
nio Maria de Carvalho. Foi hontcm convidai6
pelo auditor para o substituir, o Sri D. Pedro de
Portugal e Castro ( da casa dos coqdes de Vinico-
so) qua se achava tteei os es|)ecta Behateu se a manifasta<;a>i de opinioes anteci
padas sobre a final rsolOBlB da causa que o pre-
sidente o juizes tinham feito na srssao precedent*,
e o advogado Rr. Seixas pedio em consequencia
disso que Ihe fosse tornado lermo de f'xcerieao de
suspeieAo.
0 auditor pe.iio a palavra e de.-laroa cstar
persuadido de que nenbiim dos membros do con-
selko fos-e capaz de enunciar por qualqaer m<>do
tima opiniao antecipada e que linha todos os jui
zes por tao tinnes no tribun-il, como o eram nos
eampns de hatnlha. 8 Dr. Seixas insistio no re-
queriiu uto para a excepi;an de suspei}io contra
todos os nvinior.is do conseltio de guerra, ex cop to
0 Br. .in litor. Suscitou-se m-alorada discussao a
prcpisit.i da redact io. HSve altercacao ( assim
o ilizcm as n'>tas steaographicas. ) Lavrado o
lermo, a Dr. Seixas jetdia a palavra ; mas o audi-
tor pr iji iz que so Hie t'oS-e coneedido sobre a re-
daco;iu e qu..' fosse ^fUMrrarnente ouvide o ollkial
promotiir. ll'iiive eMplicac<)es e protista! do au-
c'.iior contrn o di doga.
Segjiio-se depois de innitas tri'aa e chicaaas
o recolhor-sa o tribunal era sessi> secieta, voltan-
do depois o conselho a)in a.deeisao de (jue nao
admiue p.r exlemporanea aextepi.ao du .sqspei-
;.io :i.iresi:iuada pelo advog.nlo Dr. Sebastiao. de
Seixas, e dotarminando qae prosiga o julgamanto
e discus se a deci-ao em divarsos artigos da mvissiraa re
formaqudiciaria.
do auditor, para qua nio seja admittida a apre-
ciai-ao da deeisao. Qua priteste o advogado, e
mais nada.
0 advogado nota-lhe uue so pode ser inlerrmn-
j'idy pelo prosjdente, e conlintja coutostamio a al
legacio de extemporaneidade exarada no lermo
da deeisao.
i Depois d'este. longo incidente, p'rosegufoa in-
quiiicio das testemuiiti.is.
Isto vai-se pnlongando muitissimo ; alguns
dos reos yao adoecendo porque ha muitos mazes
quo jazem em calaboueos humidos c agora frigi-
gidi-simos.
0 ba-io de Pom.irinho tem li.alo caida vez
mais comproinettido com os dapoimentos dos sar
gentos alliciados.
Foi agraciado, por decreto de 6 do correnta,
com a commenda da Coacaljao, em sub^tituicau
da de (ihristo que Ihe havia "sido concedida, o Sr.
Joaquim Ferreira dos Santos Lima, medico, resi-
dente no Rio da Janeiro.
Foi conferido o habit) da ordain de. Chrislo
aos Srs. Antonio Lopes Machado, tenente. coronel
da gnarda nacional, e Ismael Americo de Aadra
de, sol.ditosde S M. o Imper.idor do Brasil.:
a AHlrma'se que ahio d'eputado p.r S. Thonie
e Principe, o Sr, caoita-j tepoote da armada Pedro
Carlos do Aguiar Craveiro Lapes, que ha pouce
governou aqoella provinci i.
'< Estaja ,i bordo do vapor Hibcrnia o caba que
ha le (!oastruir a 2." aecca/. e que ba de ligar a
i:ha da Madeira a Cabo Verde, assentaudo na ilha
de S^ Vicente Infolizmentc, porem, o cabo da l.1
secQao, do conlinente aquella ilha, partio, de for-
ma qne, foi addiada indilluidamente a abertura
,ao ser\i';o publicu.
r A's 8 horas de 0 do corrontoliveiaus emXis.-
boa um Lrilhante meteoro, lia direecao de nordes
te e sudoesie. Deu caujaa muitos susto's e episo-
dios bnrlescoL
.%(tieia<4 ilu liiii'i'icn
Por via do LishOa rec*bemos.is seguinles :
F.STADi.lS-b'MBaS,
0 Coiigio.. dot BsUulos Uiudot, reeebou (or via
telegraphic graves ootieias de S. Domingo*. Diz-
se que rebentara alii uma revolacao a 17 d'e.ou-
tubfo naparta da ilha sujeita a autoridtde do
.prasidente Baoz.
Esta, em dous dias, e depois de uma Incta san-
guiiioli'iiia, am que o exereito se tiu'.a divide em
duas paries da forca igual, fci voacido.
(kiaJTrancez por noine Giuier. d'Abain, camprp
mettido nas desardans da coiamana de Paris, e
recenlemente ahegado de -larlagena, teria.sidoo
ehefe da insurreiea). Proclamado prasidente vi-
talicio ; o sou primeiro acto teria sido um dacre
to de aiaaistia geral, salvo para o seu procedcr, a
aos antigas chefes do gaverno.
{''.->: iiH-am deslerradas, e enibarcados no dia
21 da oulnbro paraas EsUdos-Uuidos, no meio
dos gritos de alegria da papulapao.
-.0s ult moa telegramjuas de Washiagtoo de
12, dizi'in qua naquella cidade os mini>lros discu-
Uram por muko tempo o nagoeio do navio -.Virgi-
*ius, e -rcsolv.ju uao tomar resolucao algana an
tes de receberem astcotmaonicacoes offlciaes.
0 gaverno hespanhol ordeuau que se sobreesli
vesse iiu procasso contra os pnaiuueiros do Yi-.gi
niiu ainda nao execu:ados. .
i-miQ eommaadaate hespanhol mandou fuzilar
80' iasurgenies, aprisionados n um combnte em
Cuba.
f>g)ver*> aaiericnna., maadou. ref'rear a si
esquadi i que se acha uas aguas de Cuba.
212
212
2f
JoaqaiiB Caudido I'essoa dc Seixas
Arcyu/efte. Ji>-e SoTOro A$ \leiieze*.
n -Antimio I'ropln'riao de Man >s Lima
Dr. Mabool de l.-mos Souia Machado.
t A Dr. Rosendo Lobo 183
Dr. Valois Galvao 182
Dr. GuilhernV C uapos IW
Dr. Manoel Luiz 162
(i Dr. Madureira 161
< Dr. Gniniaraas 160
Major Erico f. da.Ponce.-a 160
Commends dot SiWa Ramallio IS
. Coronel Dantas 13*
a Dr. Porflrio de S. Freire 15*9
Dr. Bemvindd Lofcao 15S
Dr Silvio Ramos 15*
No dia 36 *passado foi aasas-inado com ora
tiro de rewolver, nas terra* do engenho Taboleiro,
mo df letups na, urn iadividuo d : nome Mann of
valves dp Nascimento, send" art** da seme-
ant- crime Manoel Joao Pereira Vail?. FeT-se1
0 ei-rpg de ^.li'ii>i a pfavjdan,tfi*-$e oa{ ampaal)"
SOiire a Captufa do oriuiiii'is >, qne infelizmente
evadio-se,
4 Na v Ua da llahaiana dcu-se no lia 10 do cor-
rente um conflieta entre duas praca3 do corpo de
policia, reulta||do ser espancada ama dellas de
nome Domingos Jos6 dos Santos pela de nome
Baymundo Jefca Pedro. Piovidencia-se na formal,
da lei para a puni-;ao do cnlpado.
diplpmc d doiabr da Universidadc Americana do
REVISTA
DIARtA.
-.1
.Vutoriilinles polieiaes. P,n portal ia
da presidencia da proyiAcia,i do 2o do correnta,
furam nomeados ; subdelegalo do djstrictb da
Jfossa Senhora das Dores do Poi^ao, do tarm> de.
Chnbres, Clenienta da Silva Rego.e 3> supplente
Placido Frapuiscio Alvgs. .
I'ortos liuapos. Foram de-larados limpo*
de febra amarella, aelo conselho de saudo de Lis-
bi")a, os portos de Dakar na Gocoa, e o de Araca-
jd, no Brasil. ,
Porto d I-Kraion>l.-rChagaraia o$ nag
vws : a 24 d$ outut.ro Ju/hiHe, djp.Araoa^ ; a 27
.Voidk'U, de Mossoro ; a .It Europa, do *racajii ;
a t do oorreile Suoanillft, id'-tn, e K-Ue, de Per
namhuco ; a 'A Minn, idem.
Ciimpaiiliii pernanihucaiia.-No Jia
2S do corronte. dayara. sahir : para o Acaracd.e
esealas, o vapor Geqw'4, :omm.indanle Martins ;
e para o Araraja e escalas, o vapor .woadaau., (l
Vnpor .fitsuarihe. -i:on>ta nos quo, no
principio de Janeiro proximo deve :hegar aotnissj
porio, procedente da Europa, o vapor brasileirg
JiujwU-ebe. cameJeUiuente roformailo, .'.om machi-
nismo do novo y,sfema e coin optimas accoinmo
dacSes oara pass.'igeiros.
Uiubeiro.O vapor Mindnku Irauxe parv
P>drfl O-orio de Car jueira 8 MliofK]
Tasso Irmaiw ?S*ffi2-
Pere'ra Carneiro Jfc C iUOitwii
Vapor A'eva,, -Trpuxe liouifiu para o nosso
porlo (54 pa^sageiros e. copdiuio para os do snl
cerca de .300, sendo t2 repebfdos neste. .
.t- Cbegaram pelp Xeoi, liiuleni',ao .nosso
porlo, torn train desan passew a Europa, e a:h;yn-
se.antremis.os.-Srs. barao do Livr.uneiito e Anto-
nio Luiz dos Santos a suas excaHeutissiinas rainj-
lias ....-,. ii
0 granite numaro de operarias que jjanha a 'vi-
da occupado a v.ista esplida d-' acglo commer-
cial do piimoiro d'aquelUs senp ifes, olTeroceu Ilia
uma re(ep;ao eslroiido.sa ie aciiama^oes de ale-
gria, foguetes, ol0i, quo muil i o dove tor penho-
Itfrurso. -.0*. Srs. Paula A Mafra .icabh()i
oe uttarpor rceur.-o ao eonsolho Je Esfadi cftiitra
a lepcuolfj Ja loi provincial' n. 11*1, 'pie coffefi'
leu privilegio do servico mirtuario dosfa cid:tde
a Simla Casa da Misericordia da inesini.
C-se recurso, que foi entregue ao l",\m. Sr^
presidcn|e da prov^ncia.. ja se acha no corrcio parA
ter o d'evido destiho.
Os me,siaos >rs. Paula & Mafra, nr itesl.iram pe-
rauie o juuo.de dlreito da I.' vari, pelas perdas
adi.iino>- (jae Ihes possa acarrc-ar a deliheracao
'.asa em' 2\dp "VJrKnte, como
Philadelphia, qpe e uu.i da* mais a.'amadas dos
Ksiados-Unido*, cajos asiatutas Ihe i-nvio qae rogo
L-ia c>en toda a auen.-ai.
2I0J Ea faco tolas as do-p.v.as a niinha ensta, V.
inte: 5:"T'H^H(!a o sen diploma sem que para isso te-
uha necessidade de fazer nenhuma viagem.
t Cn-tar-lhe-ha somente a quantia de 230^000,
sem mais dusembolse.
Fico as on^Bs de V. S''para tudo o iue
julgauiilou agi ilawl.
a Son le V. S. miuto attcnto, veoeradtor e cria-
do. F .4. Vamler Yn:c. -
Aliueijla Gaatrcit I' a esperado a toda
monwnto no Pr'rfc>aate novo vapor da companhia
/raawsso M'it/mo.
V <1 uem ia)ercssap.-0 Biatit, joreal
de Lwlioa, publics :
Palo juizo ordinario do julgadado Santo An-
dre do Poyares estaose habilitando herdeiros de
Joje-HaMNjues de-CarvaR Juaior, faMaeUka no
Kit-da Janeir) em ?! le maio d 1869.' os pais
Jose HenHques do I'afv i!iiu e sda rnulfier, Oor-
rondo jj,;s a clramar tnteressailTra.
IgualmeBte corrwv ediles de sois mezes cha
'mart*)' a qnem se jolgar" intaressado na curadoria
dellnitiva que >e primove s JuaoFarreira de Quei
roz e Balthazar Ferreira de Queiroz, ha mais" de
30 4B.nps,' aiweiUes no BrasH, a conjunct?uionte aos
sobnnhos aos dit'os ausentes, Antonio, Bernardo,
Fe-iro a Joao, f|lhos le Antonio Ferreira e mnlb''-,
auscntes em parte in?erta hes.-e imperio park as
s^tirem querendo, ao dito processo, tudo pelojul-
gado de CabecoiiMS de Basto.
Mais e ihamado, tamhem por edit is da 0
mezes, Joao de Matto*, aasente nesse imperio. pelo
julgado de Amarante, para opppr embargos a cu-
radoria de seus bens, reqoerida por seu irmao e
cuhhadbs.,*. .. 4 .... _. ..
>'ctIc-ia iinportante. Lcmos
do Commettio, de Li-boa ;
Notieias de Rariim.wldicadas pelos iornaes
fraueezas iLsseguram que o Sr. dc. flism&rk deu
ordem k esquadra allemit, iiue- estri em MaUga,
afim dc part r iinmediatamenle para Cartagena a
levar a effeito o ataque das fragatos hespan olas
insurreccionadis contra o governo da republic'a, e
se necessario for ctitra a propsia cidade, se nao
se.derein promplas a iminediatas .satisfaQOos palos
insullos feitos ao consalad > dj Alleuviuln.
, Se esta resulucao d goyerao aUeuiaa tor car-
ta, e um novo c -ulRcta, de qne os reKublicauos
teem qpe dar agradacimenta* aos rantoftaes; e
um novo motive para aeabar .quanta antes com
aijnellaf foco de pertnrbacde! .n
Aiiis;iiveii;ii')ilailh:n|p!>i. Minnia
gos. Sobre a e-tranha iasurreiijao que houve
em S Domingo*,. jornaes hespanhoes republics-
nos di propnas oores o tvpo da jusurroifio canlbiuL qua
hmnens assal.iriados.pcldij agentes mouareliistas
da todas as .core? suetaiit im em Cartagena, alim
da poroin tolas os olntaculos p.'ssiveis ao astaba-
lacimento da republica.
Eis o que a asse respuito escrcve n;na foi ha bem
informada :
Cm avpntureiro fr;aic.;x, Gainer do Abin, ca-
fiitao qtie.foi daa.tropas do r<>i de; Siam, eoronel
nos tempos; da dialadufa lie Gambetta, a ganeraj
do distrieto da. Moimoirtre, duranie. a diiqmuna
de Paris, qiiando esta su'xambio, pole o-capar-se,
mf'igi.-Bido-se pin. Ifcspanha. .
A J'evolucao de Cartagena, ericonlrou-o ea:
tre os Galvez, Barcias, Arans e Cmlrvras., sen-
do um dos muitos communistas cbegadae de
Fram;a. ,
Cqmprehendaado, porem, quo alii afflwfia
as suas facanhaa, par ser mais faciliioott ;ltn"
nhado de qua em l-Vantja, partio para S. Oj-
tmingos.
t Chegando afli nos uiim-'ntos en ijne 3? in-
Surreccioifava'u'ni rcjttm'efftb c-inlra B.iez, presi-
deiite da reptiliffca; po"e-ie i\'testa ifb' lewtntachen-
?bio, pretifl'ijriiain-
-vi-ta; .'elhie*
r-3-Vista r
-Chogbu
cpin-
JO da
cstabelecer-sa na'
tomiHia pela Santa Cn
se vi- do annuncio h'ontem pUujcVdo-
Fultrira il<- lin.'ao e tip-'oiilos
hontcm da Eurapa, pelo pijpoete XCp'ti'o Sr.
mendador Antonio V. da >i'>'a liairo a, gere
f.iiin "a de fiaeao de tecidos a ~
passagein da Magdalena
Fotgamos em annunciar que > material m*^ani
co destinado a essa fubiiea, ilcou a s;r em?>aiS?ado
em Anvers no v-jpir Ville tDr&ititto*, que d'via
d'alli partir pa.a o nosso porto cm 24 do
rente,,
Viriio tambem par essa vapor um mustro ongfl-
nheir > industrial e outros operarios i>ntendidos,
qua. coin os que devem aqui irhegar do Pmto
ptlo brigue IJlikdn, ja viagem, ciitiporao o pessoal
techuico com que aquella fabrica serl inaugu-
rada
Fazamos votos para que tud) clisglic a salva-
mento.
A inaujura^ao dessa fabrica, poinamos nos, ser*
a inauguraeao da injiistria nesta piovincia, onde
a, que dizem |U0 existe, e taohumildc, tao obscu-
ra 4UR nenhuma garantia pode offenscer a classa
operaria que, entre n6s, niio passou ainda do esta-
do embryonario.
0 Sr. commendador Barroca, cuj* esfor^os nSo
deixaromos de applaudir, com o passo que esta
dando, dizeinl o nos, por muito que possa conse
G-rtrndas Maria do
buco, 85 annas, Lniz, brabco, P
coiivul-Sfs.
Jiao Frauci do, S. Pedro Martyr.; paralysia.
Joio, pardo, Parnambuc, 11 mezes, S. Jose :
variolas confluentes.
Eatrasia, preta, Pemantburo,- t^'meze*, Boa-
Visia : bexigas.
Ctanenta, pardo, Pernaraboc-, t dia, Sabto An-
t nio ; espasmo.
Lniz, branco, 6 Inezes, Santo Aalacio ; clam-
ps Ml.
Anton ia Maria Kavier Ferreira, htawra, Pernam-
buw. 38 annos, soMaaia, S. Joe ; .tubcrcjfcjapul-
nionares.
Cawito, pardo, Poraanbaoo, 0 oamos, Saato An
tonk) ; bexigas.
Francisca Candida da Silva Oliveira, branca,
id?eraambuoo, 88 anaos, *iu*a, Ba*';^ta ; hvdro -
pericnttfr.-
j'o^, 1,ranco) PflnraniDuco, 4 ijhks. s. Jose ;
angina".
Jalia, branca, Perdahibuco, ? inno?, S. Pedro
Martyr; convulsae*.
to. arrasta com.igq.outros batalhoos de negros e
MBlatos, e, dpesir- d'. (igcira-nente fendo, depois
da ires dia; ile' comhate,-acaha
OS g.'-
e declarase presi-
guir cm bam, do sous mteresses particoBre*. con- t\manh,i, 28, levara o raqsmp
seguiri se npre menos que a provin'-ia de Pernam ^^ vev a ph'irmacia ii' ra
buco, que as classes trab ilhadorcs desja terra, ViCt-oria pertencente a massa fallid;
para quern o borisonte do tral>alho e tlo cerrado1
ainda; mas para, quern a porta e-'trerta que -e
abre hiija'bade ra^gar-se em arco triunpha! ; qne
o acto d-j Sr. commendador Barroca nruitoi. se
cund.ino. E sera esta a melhor gloria deile a
dos qiie o acompanharem. __
ItiMii-lii'io r i a hoje lugar no tbeatro Gym-
nasia Hr.unatico nm banbrieto em favor das obras
da igfeja de Nossa Senhorsdot Tereo.
Ao empecario dos nossos'theatros, o Sr. Vlcen-
te.de, Olivetr.i..'qBe o o^'recou, e ao KtnK diractbl'
do arsenal do guerra, qda concedett a musiea dos
meiiores para abrilhantar aqualle espectaenlo.
seute-se a respeetiva inndudade deved-.ra da mais
ac^isolada grStidao, fazendo votos para qae secoil
dnths pelo rjablico as aceoe9 plas e ganerosas de
tao generusos.cav,ilheiros,"possam as obras daquel
la greja ree.ebei- um inpulsb importante com o
producto desse espeet;ictilb.
l>M'lara;ao necessaria'.-Poii cngan'o
dft nosso pagiaario sahirao trocodas as glassiliw
c.im t'id is
nera--s de B;lez^, pfenda e-te,
oeiite Yitalieio da republica de S. Domipgos.
,,.a Assim slo os den'oniinados canToftaes: !!
-h* para elles patria, nein ideas, nem bandeira,
nada absolataftreble'; Aventurclros seal lug ir
aonde raiidTtfer-Sc, se'Mi'eis'as.iffeieojs qae e'nim?ai
a alma, e d.^o m'Jbil'ao trab'aih), rooipeiidb l6ios
os lac*, qftc ligam o ho.nem a so'ciclnda, corrc-n
.0 muriJo em busca da dinheiro e do poder. sem
mais nprinj le que* o s-u caprielio, se antes disso
nao osicofrWm e exphram os JesWtas', a damafeb*
Sia uegra, on os monarcljistas irreconciliaveis, a
emagogia' branca e perlida.que para os lia. a qae
os leva um^ ambfi.-ao iufrcne lan;a!n mo diisses
human! qaa'vivfeifi de tS i iuiigiio nogicio, e qne'
doelar.iram guerra a tudo quanto hi de mais no-
bra'e santo ueste inunlo.
t Afgumas vezfesie!-sJe3 in-enfmviros explorani
l*oT' cartas ideas a logram seduzfr muitos inoan'tus1
como sao a maior parte dos hespanhoes que foram
a Cartage.ia para se acharem dominadoj |ibr um
tiando de griindes eriminosos sentenciados a pre
sidio, ou por estraagtjiros como o ehaJfu Ganier
de Abio, e outros la sua laia, que sao os verda-
Jeiros scohores la oil ^da insurrecla.
Agora que tee.ii territorio onde pxercer o seu
maiido e um a mi go no po ter q le os proteja, far-
nog hii'i um se/yico assignaiadissimo se se (ussem
para o seu co'mpanheiro. Abin cstabafecer em S.
Douiigos um eantjo onde possara river as" largas. n
Loterla.'- A qae.se atjha a venda ca"6,'
a beneficro da malriz doTejacupapo', a qual corre
no dia 28.
., dLeilao.Hoje, 27, deve ter lugar pela I*
yejjo leilao das divida^ da matsa fal|ida de Amo-
riin Fragoso Santos &' C. eouforme esta ahnttu-
c.iado.
;np agente a leilao
rua do Barao da
pertenftente a massa fallida de Jose Fran-
cisco Bittenoourt'
Casa de dcten^ao'.Moviraentb do' did
15 de novembro da 1873:
Existiara presos 317, entrou I, =a!iiram ;!, exis-
'^,3 5.
Nacaoniite-2J33J miilheres 8, estrangelros 27'
c .eravos 30, eferavas 6,Total 315.
Alimentados a duata'aos'cbfres'pttbllcos 258.'
. Movimento da enfermaria no Jia 23 de novem-
'brb de 1871 ,
Joii AnVmilj dfoi Santas', oplitalmia.
Passa^'lros: Vindos a.i Europa, ni vabor
ih^lci Neva :
Jose M. ftirratra e t lilnos, W. *.lesar]Jfcin
hart, Wilson soa senhora al fjhio, \V, Scnfielif,
J. D. C- de Garni, M. J. Gomes de Aaiorim e.sua.
senhora, Jose Joao .da, AnwrinJB.'nK senh oa, J.
Ferreira da Souza, Dtiarto Xntoni6 de Miranta,
>ar}
por
.antigo conselho do Santa Cruz de Riba Tamega.t
.\JjI residiam seas jafs, Pranci-co Gnedes de Car-I
no,a
<
\(i-iaw de *er-*Tpe die lia-
.. Pelo vapor11/iiuduku rei*hmos jgrnaes do Ara-
ieaju ate 20 e da Maccip(a<^:2o do cotrente.
r- -io dia II dp corrente .4Snmio a> re.leaa.da
adtoiuistr.T;":" o 1. vice prasidente Dr. i.ypriano
de Almeida Cibi:aq..
Lfiaos no 'forn#k& *r'gcq^.::
a A .caiii4ra.inu*iiCipal,4qsta cia>Je.:proerfi}u a
apufa-ja i gera(, dqs vataa para roemoros. da as-
^emblea proviueial, no futuro bienoio de 1874 a
WiVLfi eipedio dipfanjaj aos doze cidadaos mais
voiados. >yii) sao os jfigOHrtas : .
Dr. Fra^.vco Alvarea da Silyejra Brito
k Dr. Afltaaio Dias de Pina Junior
Dr. Padro Antonio de Oliveira Ribeiro Ju-
nior .. ;,
i Dr. Gainioiano Brasil de OliveiraGws
Dr. Joao Biptisu da Costa Carvalho
Dr. Martinn j Cesar da Silvaira Garcaz
Dr. Francisco Xaviar de Mattos Telles
Or.-,Pedro Affdnsp.Ferrbi^a
Set-vi^o mortuarlo. Teafo a, junta.ad-
ministrativa da Santa Casa de Misericordia Ifrma-
do-com os Srs. Agra A G. o eontrato para b ser-
Tiea oiortuario da cidade do Re-Ife e seus arra
baldes, deve file co.mecar a vigorar do i. do de-
zembrp em diante '
Assassinada. Assim ioi encoalrada em
dias.deste icsz, nas terras do ,aogenho Uha Gran-
da do distrieto dc Carsuipo, da Agn'a Proi.t, a os-
erava Maria, da propriedade de Joao Mauncio,.alli
rncrador. A autoridade procedeu na conformida-
ded lei.
liu|u<-rito.-r>m data Ja aate-honteoi rainet-
tM,a subdelijgaria da, Atqgadps(ao Dr jnjz, de dj
reito dafaspoe'
luau wmtia "'
crime de ro
Paei Barreto.-
, JBenellRrnie ds typr^*pnos Esta
asaociav-ao reiAnersp-ilwjo,, V* as.7 hyras aa, uoae,
suas se*oes, i,afn. de eleger o seu di
282
214
*'*
ai3
213
fid
212
oto Rego, Joao Pedro de Mello? Manoel Joaquim de
Almeida, Manoel Mafia Moriteiro, Maria* do Carmo,
Juaouim Lopes anella, Francisco Alves de FaWa,
Joaquim Goncalves, Antonio Francisco Ne"to, Adc-
lina Fran '
innio de L
Me Carv'a
Jesi Mjranda, ,Pjnto..L^te,..A. M. N/lnes Gon-
gajves, sAa senhora, uifi'i'maha, a I lilh'o.
. t Chegados dos portos do Snl no vapor brasi-
lairLo..lfan(/a/ia :...... ., .
\ ..fjojflingus o*i Silva Nogueira, Manoel FsperidiSo
da'C. Marques, Antonio Taran, Joanna .Maria da
Cohcelcap, Joijj de Aim tda. Monteiro, Man et Au-
tapio, Lina.Sa/4 da ConCeicao, Galdina Eulalia
emala.& saas seses, ^in, de.eleger o.ae^'iii .a 3,til|ios ni.anpr^, .,,
rector provis no ; para o que convida os respec- Ceiniterio pahtleo. Obituano d6 dia 22
tivoa. socips ,*->. fojembro : ., ,
SantAMtao.-rl^m9s i)P,-V7ifjj r a Con$VtjB04 qua fi-Mibe a/ ndipeto^Te ,&;, Anlpnio ; inviabilidade
mtf as cavallos matriculados na ooftestorla desta. AnJOnio, escrayo. nrelq,. 33 anuos, solteiro, San
cid^dp. ta Antanio ; ahetirisma aiifluertte.
A wlropoplia^o. -Refer o P-ti(f!QP\ Jpcero Meuezes, da R.eRresent3y4n, branco, 18 an-
da, ilha da Madeira, liiri caso de anfropophagia ex- nos, 96ltefr.1v, Sadlii Anlofl'iQ ; variolas. .
tra^i-id iiarip.. ...-',.,. v-lij.aai in ifa^'*1*1*0' pardo, Peruambifco, 4 mezes; Be-
NafregueziadaRibeiraBravsi,uo.siUo,aQCanmbJ ii^is, ,, ;,
.Cbao, emumacwadegentepobrt-irp.rapaynno de; Racem-nascula, Maria, parda, Pernambuca, Boa-
trev inaos.-da ulade aproximou-se dp, ber.p de, Vuu ; congestao cerebral,
um irmaoj e eomeu Jhe as deal-ilaa uma parte,ity qtaurinda Maria da CoaceijEap,. branca. Pernam-
peilo. Opeq,uetio arrtropophago tem dado mbstras iOUGol 24 annos, casa'da', ''oa-vista ; piilmbniEa;.,
Lile^^r idiota. Dijriingoi? Clemflnte,. branca, fortugal, 43 aniios,
Qu.il jera.a,.p3layra da ^ciencia sobre esta aber- 'solleirb, Boa Vista ; herrfopfla.
raei-fida,nafitr^fa,.'?(, ';-..Aaldnio Francisco de Burg**, preto, 70 annos,
,\'ijvo* fautortm I -i-eraos no Brasil,jor-, j^asado, Boa-Vista ; apoplesla'pulraonar.
pe Severmo & Inriao, pi
do^livro diano que servio
ma6'& C Na forma requeri
De Jo.'qaiin Virira ,de -M
sua senhora e 1 lilho, B.irao do Livramcnto^'ua
sermora e I filho, Antonio Joaquim R. dp Brlto e
t lilHb, Antonjo .Augusta ,da Costa, Manoel Tavares,
Cravo, X. V. da ;i!va Bar'roi-a e sua spuhora, Luiz
Tho'mo Gonzaga, Maaoe) Lopes Martins,, .Carlos
HK0.M1 \ Jl-WK:,l.WH.
Tribunal ita couiiu>rcl.
ACTA DA SESSAQ ADMINISTHATIVA DE20 DE
NOVEMBRO UE 1873.
PRESIOENCIA DO BOW. SR. CO,SSEI.KFI0 AXSELMC
fiiwctsco EERrrn:
. A's 10 horas da mapha, presents os Srs. de-
p'utados secriitario Oljnro Bastos, Lopes Machado
e supplentes Sa Leitao e Alves Guerra, S EXc.
0 ST. conselheiro presidente de:!arou aberta a
. s'essSo.
no jomal p,i>i "da e appfb^ada a acta da* p$-?c^A^nft>
jessae.
EXPEDIENTK.
Di.-tribuiraiii-.se oaseguiutes livrcs :
. Dia'rio e copiador de Brora Thomson A <)., co-
piadur de Urios Jo-e de" Medeiros v\ C, dito de
Joao Pereira MoUtibno, 4to de Mora* A Irmao,
diiirio de Joao LloT.& Fitho.
OESPACHoi.
' Requerimentos :
De Bastos A Silva, impbtranies do morataria.
para se mandar ioatar aos respeojlyos antos a
m-l'isa certidao. Junte se.
(Foi secretarip ad-hoc o Sr. Si L*it5o )
P Marcei'moiS; C,',..para certifi'ar-'efhec a no-
meacao de seas cai^eiros Ulysses Ponce de Leon c
Joao riiito de'Castrq hineird.Como reqnerem.
levermo & Ir-nao, podmdo iranslerendia
io, a tlrma Scvdnno Ir-
enda. .
Mello Pinb, tambem
translerencia do? livros copiador e diarid da ex-
ti'dttj tjrmi Pinto 4 Martiniano.Sim.
JjW'.empreza das ubras 0 capatazia da altaHdega,-
oirereeeadi as duas publicas formas junUis, para
satisfazer 0 dcspacliodo tribunal da IS SJ9 >elem-
Brb proximo prrtsado. Tome a informar a se-
cretaria.
Be Jo-e I.uiz .Alves Villela e loao Pereira da
Sih-a, para reglstr,ar-se o,seu contra ta- social junto.
-VistS ao Sr. desembargador tiscal.
De Antorlio'Marqiies da Costa1 Soares pira que
seja 'regi'strada a'.jnilusji nomeacao da seus cai-
xeiros. -Na forma padidi.
Ue'Joapiiiu Vioira de Mello Piuto, soli-.itan.lo 0
pvistro da n neiicia de sous i-aixsir-M. -S-^ja ro-
gisfradi a rtdrft-^a^.io junta.
Da Manool Barnabe de Deus Lima; ra me-endo
0 registro da inclusa nomea.ao de :aiteir'o.- Pro
ceda-se ao registro pedido.
"De Frail-isco Pereira Cainedo, para pTo-Mder-se'
ao rogistrodo do'euineuto amezo. Dafesido. .
De Sa l.eitao Poncoca & C, para registrir-so 0
documento jonto. Como pOdem.
De Pereira Simoe$& C, anrosen:.i'ido a registro
o documento junta. -Itegistre se.
De Felix l^>reira A Siuza, olTer.'jeudo'a regis-
tro a tomeaeao de sen- caixeims. -ra*a-se > re-
gistro pedido.
De Luiz Jose da Silva Gui-nari-!-, [Wdindo qua
se registre a nomeaeao iefous ci'-.airo.-Como
requer.
Da l/?hre A Reis, para cae -inaf-se 0 registro
>da inclusa nomea.-ao ife seus dous c.iiielros.
Sim. j ..
Do Firmino Gomes Leal, para :r.;;rse 0 regis-
tro da nom'e'acao d* caixeu'o dada a Joaquim Fe-
li|)?e Santiago. Registre-se.
De Antonio Soares Fernandas Ai Oliveira, 'ra-
-zvnd'O a registro a'nbmeacao de Jose Pciippa 3an
tiaigii. Como pelc
D'Jose Horeira da Silva, submelteodo ;a regis-
tro a a 1 neaijao de eaixeSrojurtta: Deferfdo.'
Do Francisco Antonio TeixHira-de-Fariasyre)
gistro da nome'acfi > A-. Joao Ap d-'i'.'.o dos Anjo-s.
Como rnqner.
De TaVirns de Mijllo A C, registro da nomea
cab junta de Joao Ruiino Barb isa.Prooaiase ao
registro roquerido.
De Josd Pinto Ribeiro, ri gistro da do Guilbar-
me Con;atv^s dos Santas Co no requer.
De Jose Pinheiro Lopes de Almeida, registro da
do Jo3o Capistrano le Almeida. -Registra-sa.
De Agostinho Bezoria da Silva .avaleanb Ja
n;or, registro da de Manoel tfathias dc Sjuza.
Deferido.
Do Marcolino Dornellas Camarn, registro da no-
me.njao que apresenta. -Sim.
De Manuel Mendes da Silva, registro da de Joa-
quim Mendos da Silva. -Como pede.
De Clorindo Ferreira Catio, rogi-tn i\ ia Pres-
ciliano de Almeida Cajii.-Defondo.
Da D. Mariana Athanazia Moreira, regr-tro da
liomcacao do Silvestre Baptista de Santa'RioSa.--
tunto procuracio 0 que assignou a potieao.
De Manoel Jose de Bsstos Hello, registro da
nomeacaO de Jose Quirino Calara Burll.Pa;a se
0 registro potfido.
Dp Joao Joaquim da Costa L*ite, ragatrod* uo-
nieacao que apresenta.Na forma requcridat
De Goncalo Jo.e Affonso, eorretor geral,' pedin-
do tres mazes de'liccnfea por molestia, cfkando
em sefl lugar Mandet Jwe Alfonso.Vista ao Sr:
deseinbarg.idor fiscal.
Informacan da' secretaTiafavoravel a prelencao
dd Jose Joaiiuim Dias Fernaadas Junior. Como
requer, a vista da ultima informggSOT
Autos de m iratoria da Bifsto* e Sil7a,.'convum
carta do Sr.1 desembargador fiscal, jurando sss-
peicao.Vista ao. Sr desimbargsdor Sijva'.-Gal
maraes no impedimento do Sr. desembargador
fiscal.
(Foi secretario ad.-hoc 0 Sr. Sa Leilao )< -
Ao meio dia, nao havendo'mals o que aesii*ebar.
Si'Exc. o Sr. conserlteiro presWn*e ollewwr
sessao.
rpgillaranSfa ormelw mv.$ ade^jnados a boa exe-
cuea. : tis proviuciaes; segua-ae Jogioamenta
que podem eonsignar em taes regulamentos a i:n-
pdsiefit i!e niQlta-", iuifepenleirtWrheirte'de'express.!
aiitorisa;*- da assemMea prJv.HCtalj ifue, a se d..r
scria supei flua.
A au'.i r;acio exarada nas leis n. 2033 de 20 do
sctembro de 1871 e n. 2010 de 28 do mesmo aw.
eaiim c ;;.mbfin na de 3 de daaenibr* 4e 18*1,
nae prova 0 que pretende a Proiinciu; assim
como a autorisacao dada 10 presidente desta prc-
viacia ;e!a lei a 1113 de 17 de jtuiho, ja meneio-
nada. 1:00 prova qua 0 mesmo presidenie nao
tiaha :, atlnbuijao de dar regotamenla a dita lei.
Sao .-cdoodancias mais dc uma vez eoebnlradas
eai nossaa leis qu.- nae podew seivir de princi-
pios para as condusoet da Provtmria.
.-;-ls'J.m *mo 9elos m"P|0 aprnttAs ficoit
c1hido^e^>,am?- & Western
. rrnundancia, autonsando 0 govemo
bem pelo aviso de 21 de outubro de 1882 prova-sa
que mys de uma vez tem as leis provinciaes cahi-
do em rcdundancia, autcrisando os presidentes a
expedirem regulamento para a sua execucao.
Ao di pois ainda ha uma cxplicacaa para a aa-
tarisagSo expressa das leis gc-raes, apontada^,
acerca a imposicao de multa por parte do gover-
no nos regalatoentos que rtpedio.
Esta e:\flieacao consiste no deliberado propo-
sito que ten a nsemblea geral de limitar ai
multas. q'.ie 0 governo houvesse de impor nos
seus regnJanientos.
Come prova da doittrina que temos exposta,
citaremos as patetras do illu-tre viseonde do
Urufnay r-m soa excellcnta ubra sobre direito ad-
ministra'tlvo. Sao elfas as segnintes :
" Prove a exeemfoo lai Iris, compTetcmfo-H*
qntintlc.i i?.s execueae,.
PiVei^aj pal?vr,as bent sc v^ que.na altrihuiva >
de dar regiilaniento as leTs esta" comprphendida a
de impor notfttas, qae e' um modo do completa-la*
para Ihes dar vida e t-xeencib.
As paljvras ritadas do viseonde de Uruguay so
referern ao governo .geral com relacao a execuija
das leis' goraes ; mas como 0 que dispoe a cons-
tituigao a. talresneito e ju:-lamcnte 0 que consagra
o acto addicionai com re!a.._-ao aos presidentes Se
provincia a resioeiio da execu^ao das Iris provia-
ciaes : scgue-se que a doutrma do viseonde do
Uruguay tem neste ul!im> caso a mais complete
applca;3c. .
Ja ve a Protiftcif qua isso de,comniissionad<>
cum fnaTs pedtre'1 dd qne 0 cominittente nflo pasa
Hi- sonpc" srtnJ
' A spa a'rgumeut;(i,*ao la mais para menoS, -ni
face dp'qui flea dito, e in:eiramente 'improertlent'*.
Saberr.os.i,ue b'qtie quiz foi materja, para'ataoar
0 Kxm. ,^r. Dr. Lucena : fc-lb. Deve estai* silis-
feita a f'-ov I'nrii 4. Exco *r. prciiilena^
da pravlucia coliheccr.
. Ill'n Sr. -Motiyas de sefi-jjo pin uma dascs-
tralis que ar.ri-.'natei. obrigandb-mo a official'
ao engenr.pi're do 2 distrieto, e njo .estaudo efte ha
dias 110 gabioete. por achar-se atarefado core'.qnoa
demar.caca'i j.i,i,di,cial (intre as engeiihos Pao Santo
e llarralas, peVH a V, p., qOe sirva-se dizer me a
quern davo djrigir-rae. .
Deus icuarde a v. s.Cabo. 26 de novembro
de 187?.Hlm.'.Sr. Dr. J)-e Tiburcio Pereira de
Magaluaes, digno'enefe ai reparti.ao das obras
publicas. .,. ,-.-
Anlinio Vi'lor de Sd Barreto.
Jose Pinto, Domingos Antonio da 'Silva Beiriz,
de Almeida, Joa/juim da Costa Teixeira, A"ug
Jose"
U3lO
PABTIOa < OVHL\ 4(>H
RECIFE, 27 DE NOVEMBRO T>t t'ff73
. Malta* regulamentaw.
Poderao os presidentes de provineia noS twj&{-'
mentos que expedirem para a execuJjSo' 3* leis'.
provineiaes impor multas aos infraitores^'-'lias?
,. Djz a Provincihie Jioje em seu artwo'Imiifitlaao
Malriculd de cavallos que nio ; e d ahi conclne
que 0 presidente desta proyiacla, 0 Eim'.Sr.Dr.
Lucena, afaci a propriedade dos ciddMik.tptt) as'
miiltas qua dacretou no regjilamentb'p>a1iao'pa
ra a_Ma e^eencao dp. art. 13 13 da lei a 1115 Jise^e, rjue rabstrac-lh"e-,hei,
de 17 de jnnlio do correhie anno. boaaesj que r.ao daixa de s*
Pojj; Dein, nos ress^idenAisa pe'rgaiiWfeiHetn*
prineipro dest afflrma'tivtimente, isto e, qde'"os
presidentes,nos regulamentos quo exjoedjrgra.j)^ra(
s li'ia execueio nas leis pnivineiae? pooem fapdr
multas.
Diz o actp^addwioual nonrt. 24
das ajIritiuijSes, do's nresidebfes
que Ihes compete', entre ou'ras cou;as": Rxpeiir^
ordi'ns, instrucQpes. e regalamen'o.' .tdeqpados.0
t if, iralando
ik prfrTneias
hda exenirno dis le s provimcttied.
Eis j'onde tfariva a compttencia dos presidentes
para impdr multas nos regulaoaentas jue espedi ;|
rem paraa execu""
las leis provinclaeS.
Ao major Mandinga.
Cilia?* t. u major Mandiiiga,' os collegas teas
iniaiigqs a sio cSe> que !a Iram a lua f
Para que es po'dante mm commendador dfl
eabicaem sacco -.'. dMJC
' Pois nao vas, que os-es leusdesaffeicoaJos, tee:a
mars dignidade e brio qne nunca has de ter ?
Ni i ves 'iai' aao s.Vi elles trade antes a doshv
nestbs ccmo tii es '1
Para qae has de.ser fuio, meu animal de ra:
suiaa,. men. cara de.castanlia murctiat-
S ib'e*. lu a quem se deya cliamar flSo ?' Esca-
ta (se nao for'verdaae, conte-ta 0).
_, Gao, e o eote vil e desprezivel, que traaendo 3a
Parahyba d) n'orte, uma inpariga,.tirada da cpm-
panhia de i:m frada, ajui abandod'Hi-a, qilabdo
alia adooceu de bexigas (
Gao,.' 0 i-avalhairo de iuliistria, qua mand m
pof seu cor-i-spoiidente. ua ii'iesmi provincia, v'ea-
dar,os trastes da pVbre vi-tiiua. (s<"n autorisaja>
di'll'a'i e aqai esbanjou 0 producto da venda I
Cao, e 0 capdo que pede a.iuulher com qnem vi-
ve amaocabado, para escrever a um irmao quo
ella tem no Ceara", pediu'io a quantia de 400i, il-
ludiudo-a, qae essa qnautia seria para os arrapj >s
de seu casainento com ella, e, a recebendo, csban-
jou-a, maud in Io essa segunda victi na para aquel-
la provincia, com um lilho racem nascido (unico
beneflcio que Ihe fez) promettend j que iria depois
reunir-se a alia; a em sua aaseit-ia, empenha-se
para ir parao, sal I
Cao, e ainda aquelle, que irfdo a cerla repirti-
^ao militar, e vendo um rewolver, offerecense pa-
ra mandar limpar par sou camarada, e nuiv:a
mais 0 restitaio (
Gio, e aqi.elle, que pedio emprestado ao ex-ca-
dete MTraoh um piricenez. jiara ir a um soirie
(so se foi no Cisco cu no quadro do Padre Jose
Antonio) e nunca mais' 0 re.-biuto t
CAo, e 0 laiseravei que fiz propo-tas de.....mo-
dianta '!0 J, como aohteceu com 0 surdo, e por
qua assea liwsse fl-iuteado. fdrapreso por fait.s
im'aginarias, ncndqjkafto fur haver divulgado a
origehi de saa pri>a Cao, e 0 deshumano, que iudo njorar coin una
pobre' yelha na Soledade, proraettendo fazer os
.cpneartos da casa e pa gar as deeimas ; mudanoV-
se depois de um anno, sem cmnprir com sua pa-
lavra, pelo que a pabrevelha escreveu a aitt'seu
jjorapanhelro (um dos ei'\ para ver se cobseguia
ease mlagre, e es'te' esgotauuV todos" os nieios, nai
pole consegair til ituligrc. .
. | Cio, e q iufairie, qiie lend 1 compradb em 16ftl
um relogio no Souza, 0 eai 1871 oatro ao Loureiro,
(coirio gos'la de relogibs)"negbu. as dividas, ex m-
{'rnu,ta, conscientf*, pediftdo dbcumentbs que Com-
provassem semelhante deliclos I (me em'presta tna
cara, para eu aegar uma divida).
,...Cap,.e 0 sem vergonha, que servindo as orde ;s
de ceri-i aul rid.ule,-pedio Ihe emprestado 3 J, a
o calotiiou'!. ,.,
Cao,equeil., que aiandando biiscar generis
por rneio de vales, a cerio agente, negbn-se a pa-
gar-lha I ,, .
j Fjnalmiiate, cap t-s,lu,,eulo v'^1 e miseravei; liu-
igua'da vjoera, animal pe'.-on'ften'o, eScbria da ao-
ciedaae! _. .
A 'niao de finada.
Li com a-s-!..bro aas Pulolicarjoes solicitadas
do Jriiil do Recife de'iaoje, uma pergunta aos
llscaes, na qual sb procpra indispor- me, dizendosa
que nefibd (como e*t >rsao) e exigindo, 40 rs. dia-
Ycot ae coda talhaior a {Halo de capatazia.
Sou incapaz de pratiiar infamias couio estas, de
que sJ a'capaz b ahoiiymb riieirtiroso e cilttnibiador,
e para mostrar que_ essa publicacao e (Una de
a)guem queja foi por rriirp censurado por delapi-
dijQSes nos pesos qne usano venda de carne verde,
des.if.o para -jue assighe seu nome e r*'pon>abi-
L?L arrastandoo aos tri-
ser um vil c embusteiro
qne anon^mameiite urocqra ferir pelas costas
qnem nio se.deixa ferir de fren'te'.
Erh rfMencao aoo'qblico, faeq esia declaracio a
espeVojque'inea det'r_acto'r'appaj:eca.para', tirar Ibe
4' iha'sfttra c' ifaos'trardne.' as feridiS de'.qoe esti
^hajada iua alma, ja ccrrupta polos Virios que
'n'erTa nabitam.
A .yenpa,jfois, 0 calumniaifor autor da p'bblli-.-.-
;aq aJludlda e, verl' :
Tlecife", 26 ie-^eaJftw.dxo 1873.
Cl4'rrhdo \irdciaria da Silva,
Capalaz.
Llsboa :
j
v M
* ..Vev^aapra P.aR qsu i-idad,a gr^nde copia doi;-
carta* circiDairas, djiwdo o" ^gumta : ^1
ji Senhor. S. Josje-; colira.
Teiiho a h'onra de iniorinara V. S. ^ueienho Anrania Guilheravna de Assis, parda, 20 annos.
em men poder os meios de obter para V. S. 0 solteira, Santc ^ntonio; variolas.
^fexBaljra Maria da Cjiieeicio, par'da, Pernam-
>,*> ana^, casaiv Hve^-i variolas- .
"ndr-i, preta, Pernambuco, 0 annos, softeira,
reconhecer qua a quern 6 djado 0Ipode'j- 1Je;}oaj'^ar
regulamentos tendentos a boa nxeeucfio das lrt, a
a exccugSo das' le"
dado implicitamente. 0 de impor ma'ias,
forem eslas necessarias ao fim, que defe SBT1
vu dos regulamentos. ''
? 0 escriptor di Proviiicia nao acnoii 'Tel 'rjSa^
ejipivessamnnte conferisse aos presideab'
biiicio, qn/; nega .10 BxmJ Sr. Dr. I
porque leu sem r-'fte'etir 0 jti citado ar!i&ffl.;
^d'bcipnal, achaodo se com,o espirrta privferit
obcepado pelo desejo da aej-usacao. ,
Sendo sabido c incontestavel que um dos rnebg
rna\s adequados c afflcaMs para se consflgoLr.a b
execu.clo de leis semelliantes a de n^ 1,1'j
de juuho do c-irrente anno, 1: a impnal^Si 0
'as, e estando fbra da q'nesiao que tenV'bs pVesT-
dentes de provincia a attribu^ac d c-oasigoar em
lirrata priucipaes uo iliscMf**
1 4o Dr. Jove l,oiiarlii>o e Me-
rtcro* Va^ortc^ll d IPfMm-
111 oml qae toi puhlioado net
H.' patina dtste alftiarioM, d
dia *4 do vi^ate meli
Wt 1.*'c>.lum^,Wffla!s 20, ontte Se te
Na 2>f coluinna. Fmtias 2. onffe se le
^^-e,n^ltonto as Thermopglas, lea-seem-
\fatj,rd4^nas Thcrmopylas.
' V9 %.* i-o!umna, Imhns 51, onde Ic-se
_iw-3P ctrltimna, ^tehns B3, ottde.e1d
Hamor dn pdlfia -.< pio-frr, ffi-se0
amor da patria iaPtyl/>nii.
I
A
r

HEGfVEL



DHrvno
mto ^<}ttAta*feira t*^fflm*)kmo*m<$9U.
=
(fir
Na
onde
liuhas1 90, unue -
i, lffa-se~-.l/HM #.;
-I wo?
Na S-* columna, linhas 52, onde se le
.suo negligentia ou missdo, lea-se cut ne-
9Wr&* ou omissdo.
' "columna, Rnhas 99, onde se lii
Poi:i bem, mocidade, vos, d quern sobre,
lea-sePot's bem, mocidale, pds, d mem
sohra.
A naorte no taugue
Sim, do sangno 6 onde se gera as seme., -s Jas
oaforrai lades e da morte. Aiaquemolas peis com
esseiletergente, o mate poleroso do todos, a Salsa
parritha de Bristol, e a salvacio e certa. Pouco
importa que molesiia seja pois quer sejao escro-
fulas, erysipellas, canons, humores salilrosos, fe-
hres tercans, molesiia do figado, ou febro biliosa
^^erSes, a origem deltas todas dcve se bnscar no
tangtte, ataeande-se para logo a causa irritaite.
Hste'grando antidto neutraliza a -matoria onrbosa
que be acha dcrraniada uas vcias, e aijual da ori-
gem aos desiuanchos e desordens as mais terrivew,
e os alimenta e aggrava. Destroe a hydra oc'enl
la no syslema venenoso, e a extermina com a ra
pidei e certeza. com qua Ib-rcujes deslruia a ser-
pente' (fe cem cabepas de ciijos attje! rooriaes e
clle o am*grese
rtist os' que soffrwn, pOr quarrto isto e uma vjrdade
inrcntesttvel.
Mttferiniila Milhares de pessoas padecera, as qoaosn^o tern
iithuma m.'testia specifici. No eritietant ten
t>*nr se apatftica-V rasensiveia e differentes, oomem
*e*iiv*)ntade, dorrnem sem o dtwejado dhcaapo,e
no todo sentemse miseravotmeute-deijvalidas sem
causa plausivel A causa apparente de tudo isto
i*rov<-ra de uma relardada digestao-, do estado semi
ftfp.db do figado, da ina'elividadc dosintestmos.
Afiro-de se restltUirem os erglos merte3 a um es-
tado de'salutifera activtdade, nao-teem mais do'qne
lancarem mao das Pilulas assucaradas de Bristol.
0 doutur Benjamin WaUis,de Boston, e de opiniao
quft nao ha nada que torn ellas se nossa compa-
nr para os ca>os onde ha (alta de e'hc'rgia vital
no estbraaga e suas dependencias, e onde existe
uma debilidade geral e depressao apparente sem
com tudo apreseutar uma distiucta forma de mo-
lestU qualquT. fodosos que padecem de pros-
Irajfto pliysica acompanhada de abatiinento de
e3pirito acharao que as oilulas asiUi-aradas de
Mris.ol Ihes servirao de immenso beneGcio. Como
se a chain mettidas dentro de frasj linhos de vidro,
ellas conservam-so perfeitas em todos os dim as.
Em todos os casos aggravados ou provenientes de
injpurezas do sangue, a Salsaparllha de Bristol, de-
vfri i wr usada conjunctamente eom as pilulas.
Para todos.
M casa mortuaraa dc Paula & Mafra con-
tinui a bem servir ao publico, err. quantos
jwus f)foprictario5 ou s3o dcferidos no re-
curso que interpocm ao cOn'sclho d astado
contra o monopolio concedido a outrsm, ou
s8o a contento Indemnisados pelos monopo-
iistas. E para que ninguem se illuda a res-
jietto, scientificamao respcitavel publico que
so acham providos do material neoossario e
con: earros novos.
/
/
> i
'zmesmi
COMPANHIA ALUAKCA
seguros maritimos e terretr
tres estabelecida na Bahi*>
em 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:000000.
foma seguro de raorcadorias e diiiheiro
ico maritimo em navio de vela vaporei
para dentro e f6ra do imperio, assim conu
contra fogo sobre predios, generos e fa.
'ndas.
Agonte : Joaquim Jose" Goncalves Beltrio,
rua do Commercio n. 5, f'andar.
SEGUROS
JIARITIMOS
CONTRA O FOGO
Acompanhia Indemnisadora, estabelecid^
testa prar^a, to ma seguros maritimos sobn
navios e seus carregamentos e contra fogi
ian edificios, mercadorias e mobilias: n*
ma do Vigario n. 4, pavimonto terreo.
iNORTHERN.
ijipital..... 20,000:0005001
rMrtdo de reserva. 8,000:000JJ00(
Agnts,
Mills Latham & C.
RUA DA CRUZ N. 38.
COMPANHIA
Pkenix Pernambucana.
I'oma riscos maritimos em mercadorias,
fretes, dinbeiro a risco efinalmente de qual-
quer natureza, em vapores, navios & vela ou
h.iT,acas, a premios muito modicos.
RUA DO COMMERCIO N. 3i.
Seguro contra-fogo
fUE LIVERPOOL & LONDON & GLOr
INSURANCE COMPANY
Agentes
SAUNDERS BROTHERS & C.
11Corpo Santo11
PHACA DO RECIPE 2 OE NOVEMBRO
DE 1873.
AS 3 1/2 HORAS DA TAREE.
CotttcSes aflBeiaes.
Algodaa do sertao 1 sorte 7$800 por 15 kili.>,
hoatem.
hontem.
Alg>diodp Goyanna sera inspeccao 7M00 por
IS kil.u, hontem.
Canibio sobre Londres a 90 djv. 25 1|4 d. por
1*. hoje.
Dito -sobre dito a 90 d|v. 26 d. por 1*000, do
banco, hontem a hoje.
Dito -sobre dito a vista 25 1 [i d. por 15')00, do
banc hoje.
Carribio -sobre Lisboa a 3 8[v. 112 OfO de premio;
do baneo, hoje.
8M06 sobre o Rio d hoje. I
Leal Seve
i/ejoiprtsidenk.
P. J. Pinto
?e!o secretary
ALFAVDEG^
rtondimento do dia 1 a 25. .
idAin do dia 26.....
,1
882: (80*961
889:826*43^
Descarregam hoje 27 de noveaibro
V*y>3r naekmal -r-Mandtihu feoerjs na^ionaes
j. para e wamche da companhia .pernam
Ihlcana.
tiuwca'hespanhMa-H^r^^ pipas va'^iai' )i
i .deipacliadas.para o caesdj Raioo*^ "'
Pati.otio lagle.z -WUkad -taVtiiha ja deipacjhaiif
, para e caei fc Tai-frOeflSrd9 Attfto.
Hiaraurleano-^a^fea--ffttfiifcaia^spfttl*li
.vMfbra o caesuWiAjMillo.
Escaaa'iiipfew- M*ryoreth Laedlliau ja ddspa
ohadc r-art( o trapfche ColceMo.
Ku|ar poAu(ezflwit> pedray* caiuria para
d: traplc|BTl<>Bi*eicao, piri Hejpacllar.
Barca -frahcraa fedtlite leitra^pfra a trapi-
che Conceirlo, para despadiaf.
Barca franceza Figaro varias mercadorias na-
cionaes e estrangeifas ja despaehadas
para o trapiche Cnnhi.
liupoi'IncAo
Patacbo uacional Abilio entrado do Rio Grande
do Sul em 2*5 do eorrente e consignado a Manoel
da Silva Maia & C, manifestou :
Archotestl feixes aos consignatarios.
Couros salgados 88 aos mesmos.
Fumo em folha 88 fardos a I Esmaty & C.
Graixa em bcxixas 5.434 kiiogrammas aos con-
signatarios.
Peixes seccos o caixas ao3 mesmos.
Sebo 78 barricas aos mesmos.
Xarques 180,298 aos mesmos.
Vapor nacior.al U-milnhu entrado do Araeaju
em 26 do eorrente e <*o'asignado a companhia
Peraambueana, manifestou :
Algodao'366 saceas a Francisco Gon^alves Tor-
r s,*6 a A. Rego. Arroi de easca 110 saceas
a Francisco Goncalves Torres. Assucar 103 sac
cos a Miguel Jose Alve*.
Barricas vaaias "180 a Pereira Vianna A C.
Ceuro salgstlo- "526 a Franciseo Goagalves
Tprres,*)a^ewSra '"arneiro 4 C. Ditos seccos
283 a Francisco G. Torres.
"Milho 30 saccos a Francisco G. Torres.
TSbwf^ dp lotiro 19 dorias a Pereira Tlaiina &
C.
CONSULABjO PROVINCIAL
^eodlra Idem no dia 27..... 3:789*726
80:6^i*857
' RECIFE
rtendimento do dia 25.
'dera do dia 26. .
DRAINAGE.
2a:W3*628
1:173*986
23:517*814
Vapor inguez Neva, chegado de Southampton
no dia 26 do ah'dante o consignado a Adamaon
'H6Wfe A C.,' BnttHiftJtbu : .
Amostras t pacote com livros a de LaMhacar*
C, I a Antonio C- de VasconceHos, 6 a Urown
Thomson JkG.'l Volume a Azeveao & U, 1 a
Mendes Azovedo 4 C, I Goncalves Irraao & C,
1 a J. L. G. Kerreira & a, 3 a Cramer Frey & C,
1 a Braga Son & C, I a Mills Latham & C, 1 dito
contendo modas a A Iriano Castro db C, 1 amos-
tras a O'KeK Biridloss, t a Mesquita Cardoso &
C, 2 caixas a Kabe Schmettau 4 C, 1 a Johnston
Paler v G., 1 contendo bilhetes a P C. Batlerbee.
2 amostras aos consignatarios 1 a H. Gray, 1 a
Cardoso & Irmao, t a Otto Bohres, 1 a Tasso ir-
maos.-l ao Dr. Barros Barreto. Agua mineral 2
barricas a I Bloxau, 2 a Alcoforado Vieira & C,
Artigos par!siense3 2 caixas a Soaia Castro A Al-
meida.
Barbanle 3 fardos a S. P. Johnston & C. Brin-
quedos 1 caixa a Rocha & C
C apeus 4 caixas a Monteiro Gregorio 4 C, 1 a
S. Castro &. C. Almeida, ditos para meninos 2 aos
mesroos. Ditos de feltro 1 a ordem. Ditos do sol
a Monhard Mettler & C. Cha 4 caixas e 2 pa-
cotes a J. O. C- Do\le, 20(2 a ordem. .Cadar^ 1
caixa a Carvaiho Guimarae? & C. Calc.ado 2 cai-
xas a ordem, 2 a P6rto A Bastos, 5 a J. L. Gon-
calves Ferreira & C. Chocolate 3 caixas a Wm
M. Webster. Chnrutos 1 caixa a Parente Vianna
cV C.
Ferragen. I caixa a Lehmann Freres.
Gravatas 1 caixa a Silva Barroca & Filhos.
Joias 1 caixa a HvVernat A C
Ma^as (carga de Lisboa) 4 caixas a Luiz Thomo
Gonzaga. Mercadorias diversa* 16 caixas a Cra
mer Frey & C, I a Beltrao & Filho, 4 a Duarte
Irmaos, 374 volumes a Brown Thomson & C., t
caixa a Manoel A. Barbosa, 2 a Mendes Azevedo
& C., 1 a Francisco Manoel da Silva, 2 a Keller 4
C, 1 a Paooula & C, 1 a M>>nteiro Gregorio 4 C.
Ditas francezas 7 caixas a E. A. Burle 4 C-, 3 a
ordenr. Mercearias 1 caixa a Basto OliveiraAC.
Moda 1 caixa a Mendes Lobo & C, 1 a Menron
& C.
Objectos diversos I caixa a de Lailhacar & C,
4 a Mendes Azevedo & C. Ditos de escriptorio 1
mobilia 1 dita a P.
MOViMENTO 00 PORTO
Navios entrados no dia 26.
Aracajii e port >s intermedios5 dias, vapor
nacional Mandaha, de 222 toneladas,
coinMaMNSW i\ OV4a Silva, cquipagem
19, carga Igodi-i e 'oatros generos; i
co.npanhia Pernaitibtlcatia.
8outhamptfn]e^)ortos intermedios17 dias,
vapor inglez Neva, de 1*655 toneladas,
commandante H.' A. Bat, equipagera 115,
carga fazehilas a olitros generos 5 a
' Adums >n Howe & C.
*Inlevide^o2ft *as, eseena ingleza U S.
C, '*dfe IWIodeiWfis, capitao JaiOds,
BqWaaSem t'yrti hretW; ii ordeth.
Navios sahidos no iriesmo dia.
Pottos do aolVapor inglez Neva, com-
fnaudentc Bx, carga parte da quo Iroui
xe dos portos da Enropa
ParanjDaBrigue holrandez Oooreclden
Otdeinbt,' capitao Reritania, em lastro.
_______________ 1 mamma*
ttlTAES.
Ditos para
Manoel Jos6 Tinoco de
dita a ordem.
Emile Robert.
Presuntc? 6 caixas a
Snuza.
Queijos 22 caixas a ordem, 27 a Lima & Silva,
50 a Fornandes da Costa & C, 17 a Jose" Joaquim
Alves jfcC, 51, a Magalhaes & Irmao, 35 a Car
doso Martins & C 47 a Jose Joaquim Leitao &
C, 25 a Aoteniii Marcelino Monteiro, 50 a Souza
Basto &C, 10 ditas e 20/2 a Luiz J. da Costa
Amorim 4 C, 28 a Jos6 Cirrda Braga, 65 aBel-
trSo A Filho, 104 a Antonio Francisco Corga, 63 a
Antonio Ferreira de Carvaiho, 21 a;J. J. Rodri-
goes Mendes.
Rendas' 1 caixa a Souza Castro & Almeida.
Tecfdos de IS 2 caixas a E. A. Burle & C, 1 a
Keller A C. Ditos de la e algodao 1 dita a, Mo
nhard Mettler a C. Ditos de algodao e seda 3
ditas a Cramer Frey & C. Ditos de linho I dita
a ortfem, I a Monteiro Gregorio & C, 2 fardos a
Johnston Pater & C, 5/2 caixas a Cramer Frey
4 C. Ditos de algodao 4 fardos a Brown Thom-
son AC., 3 e 3 caixas a Mendes Azevedo A; C,
12 e 4 caUas a Alcof .rado Vieira & C, 22 10
caixas a Cramer Frel & C, 2 e 30 caixa* a O'Kell
Bindhiss A C., 8 volumes a Brown Thomson & C,
22 caixas a Mills Latham & C. 11 a ordem, 35 a
Braga Son & C. Ditos e calcado 3 caixas a Ro-
drigues Irmao & Guimaraes, 1 a Monteiro Grego
rio 4C, I a J. L. Goncalves Ferreira 4 C, 1 a
Guimar3es Irmao & C, 1 a Costa Irmaos & C. Ta-
petei 2 fardos a Ferreira & Matheus.
(ESPACHOS DE EXPORTAfpiO NO DIA 25 DE
NOVEMBRO DE 1873.
Para os porlos do exterior.
Nc navio inglez Balclutha, para 0 Cenal.
carregaram : J. Pater & C. 650 saccos com 48,750
ki-los de assucar mascavado. Para Liverpool, M.
Lathan & C. 300 saceas com 26,860 ditos de al-
godao.
- Na escuna ingleza Mary Luzie, para 0 Ca-
nal,, carregaram : J. Pater a C. 1,5 0 saccos com
112,500 kilos de assucar mascvado,
No nav'o inglez Metheor, para 0 Canal, car
regaram: S. Brothers 4 C. 500 saccos com 37,500
kilos de assucar mascavado
No navio italiano Verezuella, para 0 Canal,
carregaram : S. Brothers 4 C. 1,000 saccos com
75,000 kilos de assucar mascavado.
No lugar francez ilio Grande, para 0 Havre,
carregaram : E. A. Burle 4 C. 2,000 couros ver-
des com 21,000 kilos
No brigae portuguez B. Figueirense. para
Lisboa, carreeou : F. R. Pinto Guimaraes 1,011
couros salgados com 12,132 kilos.
No iiavio portuguez S. Manoel II, para 0
Porto, oarregou : A. Cordeiro 295 couros salgados
com 2,430 kilos
Para os portos do interior.
Para 0 Para, na barca partugueza Recife,
carregaram : P Vianna 4 C. 170 barricas com
12,185 kilos de as-ucar branco.
Para 0 Rio Grande do Sul, no patacho bra-
sileiro D. Francisco, carregaram : Amorim Ir
silaos A'C'S'X) Aotumes com 26,196 kilos de assu-
car braacoe 800 saccos com 60,000 ditos de dito;
J. J. Ferreira 200 barricas com 23,167 ditos de
dito.
Para Villa da Penha, na barcaca Mistica Ci
d'idd, carregou : C. A. Barbosa 2 barricas com 126
ktlnyde aasuear reflnado : T. Times 2 ditas com
126-ditos de dito.
Para vlagoas, na barcaca Benigna, carre-
gou :' B. F. Guimaraes I barrica com 65 kilos de
assacar refihado.
CaPATAZIA DA ALFANDBGA
Rofldimento do dia 1 a 23 15:796*089
dea) do dia 26..... 5i2*420
Do dia 1 a IS.
VOLUMES SAHIDOS
Dia 26
'mneira porta .
%eg;tnda porta .
Tbrceira porta ,
'Juarta perta .
fi^iche ConceiQao
16 308*509
28,762
60
7i
797
176
1,544
31,413
SERVICO MARJT4MO
ttUMW descarregadas no trapichu
' aawlea do dia l a 25 .
Dia 26.,
4a>t)satracadosno trap, da alfandega
* trapiche ConCSljIo
Vavio atracadf'.....
59
90
'tbCUBBboRIA DE | KENDAS INTERNAS GE
RAES DB PERNAMBUCO
tendlm^nto dn dia I aw. 58:4?5607
tfeni trr/'dra'S?...... 2:641 *9i8
Perante a camara municipal desta eidade
estwA empraca publica nos dias. 27 do eorrente e
4 do mez de dezembro proximo vlndouro, para ser
arrendado por quern mais 0 'erecer, um terfeno
com il palmos de frente e 267 de fundo, sito a
rua do Bispo Cotrtifrho, cajo r>rrenO 6 entre a pro
priedade que foi Jo Rvd. conego Manner da Trin-
dade e 0 terreno pertencenie a mesma Camara,
aforado antigamenie a Maria do Caimo e hoje na
posse dos herdeiros de bento Jose Machado, sob a
base de 1* annualmente.
Paco da camara municipal de Olihda, 20 de no-
vembro de 1873.
BarSo deTacaruna,
pn-sidente.
Marcolmo Dias de Araujo,
secrctario.
enja casa v.
Azevedo
nes de
da ft' parle
xecurio dc Madoel de j assim "Coma tamfcerrt Jio consftlfcores Apotmario
ialdinn dos Santos No-j Pereira Baduent e a9 tfiftfftcr.
ulher, com abathnento*
CompaHhla utilidade
publlca
Nao tendo comparecido a retmiao convocada
para 0 dia 20 do eorrente numero snfQciente de
senhores accionirtas, a jommissio liquidadora no
1* period:) da companhia Hies roga pela segunda
ve a compnreeerein ao roeio dia de terra feira 25
do eorrente, no andar da casa n. 7 da rua do
Senhor Bom Jesus, para resolverern sobre 0 as
sumpto irrdicado no primeiro annuncio. Esperan-
do 0 seu coropareciniento a bem dos proprios in-
teresses, Ihes recorda a disposic^o da 2' parto do
art 39 dos estalutos, pela qual a assemblea geral
nesta segunda eoavocacio pod* ser constiiuida
com 0 numero de senhores accionistas que se ren-
oir, tendo af suas resoluc5es inteiro vigor.
Recife, 21 de noveqii>ro de 1873.
Miguel JosS Ajves.
Jose-Joaquim Moreir.i
Francisco Joaquim R. Brto.
DO
iu iti kii;i
0 cafia detta'dompanhia 0 Sr. Gorbenia-
no de Aquin ) Fonccca, acha se autorisarJo
a pagar no- seu escriptorio rua do Vigario
Tenorio n. it), da? 10 rinr* do dia as 3 da
tarde oST dividendo da mrjna companhia,
na razao de '3$(M)0 por apolice.
'Eseriptorio da companhia, 'ii <\v aovem -
bro de 1873.
0 secretario,
Luiz Manoel Rodriques Valeria.
Goasulado provincial.
Aiha-se aberto pol* 30 liia-; titei-, a contar do
hoje, 0 recebimento dos apparelhos e annuidades
pelo servico da companhia Recife Drainage, cor-
respond-'nle ao trimestre que findou em 31 de
dezembro de 1872, Undo 0 que ficarlo oscontri-
baintes obrigados a multa de 6 por cento: sao por
taKilo chamados pra tal fim os proprielarlos das
casas nas scguintes ruas : Rua do Imperador,
Cadeia Nova, Travessa do S. Sos6, Assurnp'.Jo. No-
gui-ira, Livrainento, Marcilio Dias, Santa Cecilia,
s. Francisco, Largo da Riheira, Santa Rita, Padre
Nobrega, Passo da Patria, Dias Carduso, Travessa
do CalJeireiro, Vidal de Negreiros, Travessa do
Marisco, Pescadores, Domingos Theotonio, Antonio
Henrique, Jardim. Trav ssa do Carcereiro, Forte,
Largo do Forte, Coronel Suassuna, Lomas Valen-
tinas, Padre Floriano, Marquez do Hemi, Santa
Thereza, Travessa da Matriz de Santo Antonio, Caes
Vinte e Dous de Novembro, Primeiro de Marco,
Duque de Caxiai, Laraogeiras, Pas, Nova de Santa
Hita, Travessa das Flores,. Becco do Lima, Luii de
Mendouca, l,'Reec6,do Nascente, Imperial,Diqae,
S. Joao, Travessa da ''.oncordia, Travessa do Poci-
nho, Largo da Concordia, Ossos, Becco do Falcao,
Penha, Largo da Penha, 1." becco da Camboa,
Largo do Cartno; Travessa do Caldeirrfiro, Largo
de S. Pedro, Viracao, Travessa de S. Pedro, Tra-
vessa da Virayao, Praca de Pedro II, Travessa do
Peixoto, Christovao C'lombi, Becco da Brniba,
Travessa do Carmo, Travessa das Flores, Estreita
do Rosario, Travessa das Crazes, Travessa do
Queimado, Camboa do Carmo. Maihias de Albu-
querque, Triochefras, Bara da Victoria, CabugA^
S^nto Amaro, Calabouc<>, Becco do Caju, rua
Cajd, S. Bom Jesus. Patos, Becco Tapado do
triz, Expostos. Largo do Rosario, Travessa da
vidor, Roda, Travessa da Rua Bella, Becco do
Ciume, Iiha do Carvaiho, Jo5o do Rego, e Santa
Izabel.
Consulado provincial, 3 de novembro de 1873.
0 administrador,
Antonio Carneiro 'Machado Rios.
, 0 administrador da recebedoria de rendas
internas, geraes, scientifica dos contribuintes do
imposto pessoal que 6 nesle mez ds novembro que
tern de ser pago sem multa, 0 semestre do exer-
cicio eorrente de 187371, e com a multa de6/.
depois de findo 0 teferido mez.
Recebedoria de Pernambuco 4 de novembro de
1873.
- Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
Recife a Olinda.
E Beberihe.
Esta companhia contrata com quern por
mefi06 oQzer. a collocacSo.de 40 a 50 pos-
tes, de madeira de qualiJade, como seja :
embiriba preta, sapucaia ,eto., p.ira Qo tele-
graphico da estac,uo da Aurora a Encruzi-
Ihada, com 2ii a 30 palmos de altura e 5
pollegadas de grossura. Com a respectiva
ger'ericia se entcnderSo 03 proponentes.
0 gerente,
Lauren!ino Jose" de Miranda.
I GEO-
)Ug4.
Mfl
oq?
^-URACOEl
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A junta administrate da Santa Casa de Mise
ricordia do Recife, s mpetentemente autorisada
pela presidencia, em data de 3 de setembro do
anno proximo findo, e de conformidade com 0 que
dis|M5e o 9.* art. 52 do seu com romisso. per-
nuta nor apolices da divida publica a fazenda de
criar gados que possue 0 patrimouio dos esta-
oelecimentos de caridade a seu cargo denomina
da Carnauba sita no termo de Flores desta
provincia, com terrenos para criar e plantar, e
com algum gado cavallar e vaccum.
Recebe para isto propostas nesta secreuria ate
0 dia 10 de dezembro do eorrente anno.
Secrotaria da santa casa da misericordia do Re
;ife, 10 de outubro de 1873.
0 escrivSo,
Pedro Rodrigucs de Souza.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A Hlma. junta administrative da santa casa da
>iisericnrdia do Recife, manda fazer publico que
oa sal a de suas sessoes, no dia 20 de novembro
pelas 3 boras da tarde, tern de ser arrematadas a
quera mais vantagens offerecer, pelo tempo de urn
a tr s anuos, as rendas dos predios em seguida
declarados.
ESTABELECI CENTOS DE CARIDADE
Rua de Hortas
Loja do sobrado n. 41.....306*000
Rua da Viracao
Casa teorea n. 7 (fechada) 312*000
Travessa de S. Jose.
Casaterrean. II. ... 201*000
PATR1MONIO DOS ORPHAOS.
Rua da Senzalla velha.
Casa terrea n. 16. 209*000
Becco das Boias.
Sobrado n. 18....., 421*000
Rua da Cruz
Sobrado n. 14 (fechada) .... 1:000*090
Rua da Guia
Casa terrea n 25.....'. 200*000
Ruo do Pilar.
Casa terrea n. 98.......241*000
Casa tereei n. 99 (fechada) .... 33i*000
Idem n.'lO .........241*000
Idem n. 102 .,......241*00 >
idem n. 108 207*000
Rua do Rosario da Boa Vista
Case terrea n. 58. 245*000
Os pretendeiites dever 0 apresentar no arto da
arrematacio as suas ianeas, ou eomparecerem
ico 1 panhados dos respectivos hadorcs, dovendo
pagar alem da renda. orpremio da quantia em
qtte for seguro o predio que contiver estabeleci-
men to commercial, assim como 0 ser vie 0 da Uro-
peza e precos dos apparelhos.
Secretaru da santa casa da misericordia do Re-
cife, 5 de novembro de i873.
0 escrivao
Pidrp Rvdrigues de Sous a.
Estrada de ferro do Recife
a Si Francisco
AVISO
,e sao-codHladw os senhores accio-
mpah^a'a^e^feberem 0 vig>simo
ebneernente ao semestre de Janeiro a
junho dest(. banno-.,
Villa de Cabo,:21 de no>>?mbfode 1873.
______ .-, Saperlnlendente.
^~8W)ado 2t dd eorreate depois aa ahdien-

cia do lllii). Sr. Dr juiz do direito da 2.
61:117*553 I vai a praca a eaa terroa n. l/.-do largo
'tr:z di Saoto AntODio, avaliada por
liSTIUTO AfiCHEQLQGICO
GRAfHiGQ PE "
Haveri sessao ordifiaria quinta-feira, 28
loeorrente norembro,pelas 11 hbras'da ma-
nh5.
ORDEM DO DIA.
1." Purcceres e mais trabalhos de comrnis-
sdes.
2." Palestra litteraria.
Secretaria do Instituto, 24 de novembro
de 1873.
J. SOARES D"AZEVED0,
._________ Secretario perpetuo.
Suciediule Pirtri itica Bozc de
Setembro.
K vpoMa^ilo do dita 9 de dezembro
Roga-sc enenrecidamonte as pessoas que
quizerera mandar productos d exposi^ao
que 0 facam logo, afim de n3o haver atro-
pello nos ultimos dias, que faltam para a
inauguragao.
Os productos devem sor remetttdos para
0 palacete da ordem ter^eira do Carmo, das
9 horas da manlia ds 4 da tarde.
Sextafeira, 28 do eorrente mez, flnda a au-
diencia do Dr juiz de orphans, na sala do audi-
encias, vai a praca, de venda, a casa de taipa,
no largo do Peres, avaliada em 500*. pcrtencente
ao inventario de Libania Maria da Penha.
Santa casa de misericordia
do Recife
De ordem da Ulna, jun'.i admiuistrativa da
santa casa da msericordia do Recife se Taz pu
blico. que a mesma junta, autorisada pela lei pro-
vincial n. 1121 de 17 de junho deste anno, acaba
de contratar ccm tfarjoel Gmcalves Agra, majores
Miguel Bernardo Quintelro a Antonio Bernardo
Quinteiro, sob a flrma social de Agra 4 C. 0 ser-
vi^o mortuario e de carro< fuoebres desta eidade,
a contar do 1 de dezemhro proximo vindouro,
e que por conseguinte de-sa data por diante so-
menle os eoutratantes podorao fazer semelhante
service
Secretaria da sanla casa de misericerdia do
Recife 24 de novembro de 1873
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza
I. (Se R. consulado d' Austria-
Hungria, em Pernambuco
Pede-se ao Sr. Tomaso Bassich, subdito austria-
co, de comparecer neste consulado a negocio de
seu interc-sse.
Pernambueo, 25 de novembro de 1873.
Jose Saporite
___________ Gerente do consulado.______
"COMPANHlF
RECIFE DiMME
Acham-se promptos para funccionar os appare-
lhos que foram ollocados nos predios abaixo de-
elaradHs. Os senhores proprietarios so deverAo
delles fazer uso depois que receberem um cartao
da companhia que os autorise para isso.
Preguezia da Boa-Vista.
Rua da Matriz
Den. la 21.
Rua da Ponte-velha
De n. 12 a 26,
Rua do Barao de S. Borja
De n. 8 a 54.
Rua de Gervasio Pires
De b. 1 a 53y ede n. 34 a >4.
Hua do Jeriqniti
Den. 5 a 9.
Rua do Destino
D n. 53 a 59, ede24 a 36
Rua do Hospicio
De n. 4 a 34.
Rua do Conde da Boa-Vista
Cen. ai a 39.
Rua do Atalho
Den. la 19.
Fregaezia de S.'Fr Pedro Gon$alv do Rdclfe
Eda dos Guararapes
De n, 2 a 12.
, iRua do Bruro
De n. 31 a 86.
Escriptcrio da.'ompanhia Recife Drainage em
Pernambuco, 26 de nopembro de 1873
I 0-gerente
, .______JobaH'Bloant. .
- SaAhado 28 do Ortrf*te^flttda a audien-
eia'do j Dr.- juiz substiiuto da 2i* vara do civel,
vao etn praca por arrcndamenlo annual, os atu-
fueisdftisoDraeo da ra- esuvila do Rosario n.
, ser.viftdo de base para a afreowtftoio q preco
por quanto esla alugailo que e de 000*000, dita
mtmm
THEATRO
mum DRffiTico
KHPBEXA
Quinta-feira 27 do eorrente.
Beneflclo
para a eonclnsito das obras da
tgreja de X 8. do Terea.
RepresCntar-se ha a muito applaudida opereta
burfesea em 9 aetos :
Original do Bxm. Sr. Dc. Joaqnim .Hanoel dc
Musica do maestro brasileiro
!. icto.Os dous candidates.
2.* Vermelhoj e amarellos.
3. t A cabala e a eleigao.
Tomam parte os artistas D. Mannela, D. Olvm-
pta V., D. Joanna, Bahia, Vicente, Julio, Santos,
Flonndo, Silva, Pedro, Menezes, Emiliaoo, etc.
A seena passa-so n um curato do interior.
A parte cantante compSe-se de 18 numeros, fi-
nahsando com o
Fadinho brasileiro
cantado e dancado por todas as figuras.
Precipriara as 8 1(2.
Ao publico.
A commissao encarregada deste benelicio faz
um apello ao espirito bemfazejo e relighso da
popula./io desta eidade, e com especialidade aos
fleis da fregoezia de S. Jos6, para quo concorram
com o seu obolo a realisar um fim tao meritorio.
N'um dos intervallos a mesma commissao ira aos
camarotcs agradecer aos seus -illustres convida-
dos.
Santo Antonio
EMPREZA
Sabbado 29 de novembro
Recita em beneficio da actriz
MANUELA LUCCI
l.a reprewentacao
neste theatro, do drama em 5 ados, original fran-
cez do escriptor
A DUMAS FILHO.
DMA DAS CUIELUS
Distrlbuicao.
Margarida Gauthier A beneGciada.
Nichette D. Eeiilia.
Nanine D. Olympia.
Prudencia Duvernoy D. Joanna.
Olympia D. Olympia V.
0 Sr Duval Sr Ba da.
Armando Duval Sr. Eduardo.
Gastao Rieux Sr. P. Augusto.
0 Barao de Varville Sr. Santos.
0 conde de Girahy Sr. Silva.
Saint Gaudens Sr Camara.
Gustavo Sr. Emiliane.
Arthur Sr. Philadelpbo.
0 doutor Sr. Fiorindo.
Um criado Sr. Procopio.
Um carteiro Sr. Antonio.
Convidados e criados
A scena 6 em Pariz, na actuahdade.
Principiara as 8 1|2 horas.
Havera trein ate Apipucos.
IV1S0S MMITIMflS
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\avcgaciio coaiteira a vapor.
MAMANGIAPF..
0 vapor Coruripe, com-
mandante Santos, seguira pari
o porto acima no dia 28 dc
eorrente, as 5 horas da tarde
Recebe carga, encommen
das, passageiros e dinheiroa
freteateas2 horas da tarde do dia da sahida:
escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
COIIPAI'III A Bit 4*11.1:1 IK i
DE
\AVEGACA0AVAPR
Portos do sul.
0 paquete a vapor Bahii, esperado dos portos
do nnrteate27 do eorrente, seguira para os do sul.
depois da demora do costume.
Para carga, encommendas, valores, passageiros
e mais inforraacSes, dirijam-se a rua do Vigario
a. 7, escriptorio da agencia
Pereira Vianna 4 C.
Agentes.
COMPJfllftA' rafcNAMBUGMU
DC
l%avi;aea eoartelra a vapvr.
PARAHTBA, NATAL, riMCi*H>SSO0', ARAGi.-
TT, CRARX, HANDARf, t. *tAUACO'.
0 vapor Mandahu,
commandante Julio,
seguira para es por-
tos acima no dia 29
do eorrente, as 6
horas da tarde.
Recebe carga ate o dia 27 do eorrente, encom-
mendas ate o dia 28, passageiros e mnhetro a frc-
te ate as 2 boras da tarde do dia da sahida :
sscriptorio no Porte do Mattos n. 12.
Real companhia ^ie paqueted
mglezes a vapgr.
No dia 28 do eorrente, e5pera-.se dos jjortos do
sal o vapor tiglez Douro, cwmaandaute Thwaites.
o qual depois da demora do ostume, seguira
para Southampton, tocando nos portos de S. Vi-
cente e Lisboa.
Para fretes, passagens, etc, irata-se na agencia,
rua do Commercio n. 40.
----;^
Rio de Janeiro
O patachi) portuguez Rival scgiie para o Rio de
Janeiro por ter ja pirte do seu carregamento en-
Sijado, epara o %ste da carga devem os preten-
entes entender-re com Silva 4 Cascao, escripto-
rio a rna do Marquez de O'inda tf 60, 1' andar.
Para o Rio Grande-do Sul
sahira brevemente a escuna p rtugueza Aguia ;
para carga e pasiageiros trata-se com E. R. Ra-
bello & U, rua do Qjmtnercio n. 48.
Para Lisboa
seguira brevemente a barca poitogueza Gratiduo;
para carp- e passageiros trata se ;->m E. R. Ra-
bello & C, rua do commercio n. 48
LISIMH
Para o referidc porto pretenle segaii com a pos-
sivel brevidade o brigue purtuguezD.il/ina, por
ter ja alguma carga engajada ; e para a que the
alta, que recebe a frete commodo, trata-se eom
os consignatarios Joaquim Jose Goncalves Beltrao
& Filho, a rua do Commercio n. 5.___________
Para o Pwto.
Segue com brevidade a barca portugueza S.
Manoel II. Recebe carga e passageiros : a tra-
tar com Tito Livio Soares, a rua do Vigario n.
17.
LEIL0E&.
Agencia de leiloes.
RCA 00 MARQUKZ DE 01IXDA N. 37, 1* ANDAR.
0 abaixo assignado tern a honra de scientificar
ao respeitavel publico, com especialidade ao corpo
commercial desta praca, que acaba de ser nomea-
do agente de leiloes, em cujo exercieio, promette,
se esforcara para bem merecer a coofiarfca de to-
das aquellas pessoas que se dlgn;irem honra-lo,
encarrrgando-lhe de negocios 'tendenles a sua
proflssao.
Desde ja o abaixo assignado antecipa os seus
agradecimentos para com aquelles que o proenra-
rem: o que poderSo fa;er dirigindo-se a rua do
Marquez de Olinda n. 37, 1 andar
Recife, 7 de novembro de 1873
____________Joaquim Dias dos Santas.
Novo leilao
DA
metade do sobrado de 3 andares, sotao e meias
aguas, sito a rua do Marquez de Olinda n. 24
(outr'ora Cadeia), o qual csta bem localisado,
por estar em rna muito commercial, da os fun-
dos para a rua da Senzalla, e rende annual-
mente todo o sobrado 4:2121000.
as 1 I hi)' as ila tnanha
Em seu escriptorio, a rua do Bom Jesus n. 53,
servin lo de base a offerta de 16:200*000.
0 agente Pinhc Bffges, ba>tante aut'jrisado.Ic-
vara a leilao o referido sobrado, por conta e risco
de quern pertencer.
Os Srs. pretendentes poderao desde j^ exami-
nar e tomar algum esclarecimento relatives no
escriptorio do mesmo agente._______________
Leilao
DAS
divides da massa fallida de Amorim, Frago-
so, Santos & C, as que foram 6. leilao
pela primeira vcz no dia 13 do eorrente
mez
HOJE
as II boras
0 agente Pinto levara a nuvo leilao de conlor-
midad.) < om o despacho do lllm. Sr. juiz especial
do commercio, servindo de base as offertas obti-
da, as dividas da mas-a fallida de Amorim, Fra-
goso, Santos & C, aquellas que foram a leilao no
dia 13 do eorrente.
0 leilao tera lugar as 11 horas do dia acima
dito, no escriptorio do referido agente, a rua do
Bom Jesus n. 43.
LEILAO
DE
Para
Para o referido porto pretende seguir com pou-
ca demora o brigue portuguez R-cife por ter a
maior parte do carregamento tratado : para o
resto que Ihe falta trata-se com os consignatarios
Joaquim Jose Goncalves Beltrao 4 Filho, a rua ao
Commercio n. 8.__________________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
7 DE
NavegacSo costelra a vapor.
MACEK5, ESC ALAS E PEN EDO.
0 vapor Ipojuca,
commandante Moura,
seguira para os por
tos acima no dia 29
do eorrente, as 5 ho
ras da tarde.
Recebe carga ate o dia 27 do eorrente, encom-
mendas ate o dia 28, passagens e dinheiro a frete
ate as 2 horas da tarde do dia da sahida : es-
cfiptorio no Forte do Mattos n. 12_________
P iTAlllO
Para o Rio de Janeiro pretende seguir com.
ponea demora por ter dons tercos de seu carre-
gamento engajado epara o resto que Ihe falta,
trata-se com os consignatarios Joaquim Jose Gon-
calvea Beltrao Ftiho a rua do Commercio n. 8.
Para Lisboa
segoira com brevidade 6 brigue portuguez Bella
Figueirense ; para carga e passageiros tra** ae
R. Rabeilo & C, rua do Commercio na-
godi ii a- arre*. atacae- e feita a reqaerimente de Fraetuoso ccm E P
1:300*'00,'Martin? Gomes con^enhor do referido-sobrado ;rm?ro 48.
um complete e vaiiedo sortimento de cha
\}i':iji de diiferentes qualidades.
as 10 l|-2 horas em ponto
Por intervencao do agente Pinto, em seu es-
cirptorio a rua do Bom Jesus n. 43. ..-,_____
sendo
DE
11 fardos com fumo para charulos,
de l., 2.ae 3.a sorto
SEXTAFEIRA 28 DO CORRENTE
As 11 horas da manhS.
0 preposto do agente Pestana fara leilao por
conta e risco de qnem pertencer, de 11 fardos
de fumo para charutus, sendo <\ l.\ 2/ e 3." sorte
SEXTA-FEIRA 28 DO.CORRENTE
A's It horas da manha
Noarmazem do -r. Annes, defronte da alfandega.
Leilao
/
DA
botica da rua do Barao da Victoria n. 30,
pertencente a massa fallida de Jose Fran-
cisco Bittehcourt
SEXTA-FEIRA 28 IK) CORRENTE
A' 0 I 2 horas la wjuha
0 agente Pinto lerara a feilSoj por despacho do
lllm. &r. Dr. juiz especial do comMrcio, a rma-
c3o, bartao, vasllhimes, mnveis e'mjiis objectos
pertencentes, exi>tentes na butica daVua do Ba-
rao da Victoria n. 30, bens que fazew parte da
massa fallida de Josd F. Bitteueourt, as 10 1|2 ho-
ras do dia acima dito na referfl
Leilao
DE
12 /os co.TA tiniho Bor 25 q_uiu


.i
g
Diario de Pernambuco Quiuta. feira 27 Uo Novembro do 1873.
tos :,om"vioho do Porto, 2 caixas com su-
perior lieor francez
t m^wjLiArVguui as do corwnte
V If 1| horao.
0 preposto do agente Pestana fari lenao, por
conta risco de quern pertencer, de 12 quartos
com Vinbo Bordeaux, x5 quint Porto.e 2 caixaa com sHperior licor irancez,-aes-
canarcadns ultimanicnte____
SEXTA-rEIRA 28 DO iXinRESIE
a< 11 1)2 da manha
So armazen Jo Sr. Anaes. dcfrontc da aflandega..
/
Agents Difts

siiagiiilH'ds predius, edilfcados em
chaos proprios
SABBADO 29 DO GORBEMIE
0 agente DIAS, autorisado, fara leilio de urn
magnitko snnrado de 3 airfares, bem construido,
e com grandes accommodates para famllia e w
criptorio, por ser bem repartido e senir para duas
rasas, c edificado ua rua de Domintos Martins n.
138.
Um gran do silio com sobrado a com grande
commodos para familia, muitos aposentos pai-a
escravos e criados, estnbaria, excellentes viveiros,
jardim e muito bem arborisado e de boas quali-
dades ; ost* silio torna-se muito secoramendavel
por ser fresco e Rear perto da eslajao da via fer
rea, e eliflcado na Capunga, porto L asserr por
cujo nome e bem onfaecido s pretenden-
tes poderao examinar dios predi**, ou entende-
rem-se con. o mesmo agente.
JSabbn (o 29 do c>rrente
Ami i lir* eaaa |unto.
No escriptorio do referido agente, a rua do Mar-
queido Olinda n. 37, jjrimeiro andar.
LEILAO
OE
bens pertenccntes & massa lallida do Anto-
nio Jose dos Reis
SEGLNDA-EEIRA 1DE BEZEMfiRO
as 11 horas
O agente DIAS levara a leilao, por despacho do
Illm. Sr. Dr.joiz especial do commercio, os referi-
dos bens, sendo : jf ias, moveis, um eofre do fer
ro, fazendas e armacio existentes na loja a- 60 do
caes do Passeio Publico, servindo de base a ava
liacao fcita que sc acha cm mao do agente, a rua
do Marques: de Olinda n. 37, primciro andar, aon
de pode ser examinado desde ja.
Em segnida \ender-scha, a porta do referido
.estabelecimento, 2 cavallos pcrteneentes aos bens
de dita ma-.-.i.
AVISOS OVERSOS
Precisa-se de uma ama
que engomme e faqa outros
servicos domesticos, em casa
de pequena familia: na rua
do Capibaribe numero 40.
Precise sc de uma cscravi para cozinhar
e comprar : na rua I'rimeiro de Marco n. 23
loja.
Aos senhores negociantes.
Continiia'' a fornecer comedorns para fora
por precos commodos ; algum sonhor negocianle
que tenha de retirar suas familias para ir passar
a febta c quizerem deixar os seus caixeiros bem
servidos, qaanto ao fornccimento do eomida, diri-
ja-se a rua estreita do Rosario n. 33, primeiro an-
dar.
E' ler e aproveitar
O invcrno nao qucr doixar-nos. Muito papol
albuminado cm risco de perder-se. Se ha do ha-
ver prejuizo do um, haja proveito para todos.
AI'ROVEITEM.
GfOOO por uma dezenu de ret rat os em carldes!
Avisa se a quern se quizer retratar em carldes
de visita, que na imperial phoU>grapkia, a rua do
Cabuga n. 18, ao voltar para o pateo da matriz,
tiram-se retratos em caitoes de visita a 6000
cada dezena.
APROVEI7EU !
0 que e Um dura pouco ...
Todos os dias uteis ou sautificados, chova ou
faca sol, das 9 boras da manha as 4 da tarde ti-
ramse retratos.
Offerecese uma mulher de boa conducta
para coz9r em casa de alguina familia ou mesrao
om casa d-; inadame : na travessa do Forte n. C.
Banhos cares saudavcis do
Monteiro.
Alaga-?c alii duas pequenas casas muito em
<:onta para quern precisar de bons ares e banhos
frescos : a tralar a rua do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7.________________________
AO COMMERCIO
O abaixo assignado, lestamcnteuo de scu falle-
ido ii mao Jo>e Joaquim da Silva Guimaraesj faz
todos tiBCiedores do mesmo fallecido ; comtudo
sc alguem se julgar credor apresente suas contas
no prazo do oito dias, a ccntar de hoje, na rua da
Madre de Pens n, 7, para serem pagas.
Recite, 2G de novembro de 1873.
_______Antonio da Silva Ponies Gnimaraes.
Perdcu sc uma carta dirigida ao Sr. Dr.
Francisco c:e Paula Goncalves da Silva, contendo
Jinoeiro, desde a rua da' Ventura (Capunga) ate
a rua Nova : quern a liver achado e quizer res-
titui la. entregue-a na drogaria homeopathica a
rua Nova n. K, sera hem recompensado.
Precisa-se de dous reiinadores para o Para :
a tratar do escriptorio de Joaquim Jose Goncalvcs
RellrSo & Filhos, a rua do Commercio n. o.
Tnma-se roupa de homem para cngommar,
vindo Ja lavada e por lavar, com todo o asseio e
promptidao, e por prcgo commodo : na rua do
Barao da Victoria n. 51.
Paris 36, Rua Vivienne, D"
WT^fnf^ \\tmm srficin
OU ENF'.F>1inAD*g DSS SEXCiES, AS /'.''I'ECCOII
ALTEfHCOi'8 DO SANODE.
I i'i,0O0curas das imp in-
I lens.pustulas.herpei,
wrna, comixoet, aeri-
nonia, e ollercoes, ri-
__\riosas do sangue, vi-
rtu, e aim ves U-j sangue. (Xarope vegetal
sem merenrio). Deparsil in regetaei
*lfH*H MIMEB.4E9 tom.io-se dous por
MBaoa, iieguindo o tracumento Depurativo l i
croprcpai n naft mesm.is nioleslias.
I Este Xarope Citracto de
| fcrro deCHAllLE, cara
>mmi quer purgacao, rela-
\xa(ao, e debiltdade,
c nju-iuitiiic us jiu-io* e floret brancat das
miiberet. Esta injeccao benigna empregasse
eom n Xirope de cllractn de ferro.
rridaa>Pomadaqe as curaema dias.
FOMAOA ANTIHERPETICA
Contra nas aJTeceoe* cutaneat t comixoe$.
PILUI.aS VEGETAES OEPURATIVAS
do ciiakle, cada frasco vrai accumpahada
da um fdheto.
- TBSiAiK aromiras
PILULAS
VEGETAES
BRISTOL
I ns bofos sadios*saos
lima digestaa \i^orosa,
Um exccHtJirtc appetite,
*ao alguns dos benaficios rue sc ^jedern ile-
rivar, tazemio se um so regulm- tlas
l'iliilas %'e^etacrM l<> Bristol.
Una cura certa e effica-z dos intestiivjs,
Um remedio ftdmiravel para es run,
Um tonicopoderoso para oestomago,
Sfio as inapreciavei6 qualidades medicas
que se podem encootrar, usando-se das
Pi I ula n \cgetmem 4eSritol.
Uma medicioa que nao produz dAres nem
colicas.
Um purgante que nSo debilita nem en-
fraquece.
Um laxante que nfio causa a menoi
nausea.
Formam uma ds amuitas virrudes que
possuem a s
Pilulas vegetaaes de Bristol.
Um medicamento suave c favoravel para
o bello sexo.
Um correctivo seguro dos desarranjos dj
systema.
Um remedio cempleto e seguro para as ii
regularidades.
Sao es effeitos sem falta, rcsulUntcs d
uso e emprego das
Pilulas vefetae* de RriVtol.
Uma complei^ao clara, alva e transparent*,
Uma pelle macia e delicada e um
Hafito doce e agradavel.
Sao os resultados certos e infallivois, de-
pots do se
baver tornado algumas d6ses desU
raolhor dos
Kerned ios as
Pilulas vegetaes de Bristol.
Em todos os casos de molestias d'uma na
tureza escrofulosa, ulcerosa ou sypbilitica
ou quando a massa do sangue se haja tor-
nado turva ou viciada pelo uso de ferro
mercurio, ou por outra qualquer substancii
mineral a
Sw l,u|iuii-i Mm de BriMiol.
devcra ser usada de conjuncto com as pilu
las, e asskn obrando-se, em restricta con
rormidade com as direcc,6es inscriptas m
envolto; os doentes podem Itcar certos que
uma vez usada conjunciamente uma com i
outra, nenhuma enfermidade ou molestia,
por mais severa ou arraigada que se ache,
nao podera" resistir ao combiuado porlcr se
crotorio e sanitario destes dous
Caixeiro.
Precisa se de um caixeiro : no catt doa arcos.
ALU(iA=SE
O ufedi<> u. 28, shi h rua do Barao de S. Bqrja,
com commodos para grande familia : a tratar na
rua da Paste V-ulban. 78, com -Uocha Leal.
ATTENCAO.
1)4 bovo p>'de-se aos crednres da massa lallida
de Joia Hj-^in de Souza, qne apresenlem sens
tiiulos a ra do Vigario n. 19, t*"an(lar, atim de
-erem omforidos.
REHEDIOS.
Ambas estas medicinas acham-se ;! venda
cm todas as principaes boticas e
lojas de drogas.
Acha-se a venda cm todas as boticas.
H. Forster & C.
_________ AGENTES.______________
Tern sido apresentada a publics
Durante o espa^o
DE
4 0 A N N 0 S.
DE
RBISTOL
Caixeiro.
OSerece se am rapai brasileiro para caixeiro
com pratiea de oiothado e padaria, anlancando sua
oondueia : para informacao a tratar na taverna
da travessa de S. Pedro n. 10.
Qnem precisar alugar ura escravo, com tan
to qoe nao seja para servico 4e peso, dirija-se a
rua do Hospicio n. 61, qne enoonlrara um bastan-
te intelligento, e capaz de encarregar se do traba-
lho de jardim ou de hortalicas.______________
Alfa-se um silio em Beberibe, com casa
propria para familia, com moMia ou sem ella :
a rua do Manquei ^ Q'inda n. 36.___________
Sacerd Deseja ter um sacerdote -que queira dizer
as missas do Natal, e dos dias de Anno-Bom e
Reis, em um engenho de commmticaQao facil com
c estacao de *ibeirao. Para ete fim trata-se a
rua do Marquez d'Ulinda n.-60, escriptorio de Sil-
a\ A Caacaa.
Aiuga-se
a casa terrea com sot'to, a rua do rlospicio n. 62,
esquina da rua Riachuelo : a tratar no armazem
n. 2o da traessa do Corpo Santo.
D. Julia Vaz Pereira Ferraz.
>a

D. Hormelinda H. de C
Souza, Justino Jose de Sou-
za Campos, Or. Carlos Au-
gusto Vaz de Oliveira, Dr.
Augusto Carlos Vaz de Oli-
veira, Dr. Atfredo Ernesto
Vaz de Oliveira, Matheus
Vaz de Oliveira e D. Amelia Augnsta Vaz de Oli-
veira, mandam celehrar algumas roi>sas rocolhi-
mento da Gloria ao dia 29 do correote, as 6 ho
ras da manha, peto etcrnn repouso de sua presada
filha e it-mii D. Julia Vaz Pereira Ferraz, esposa do
Dr. Silvio Pellico Pereira Ferraz, falleeida no dia
IS do presentc mez na cidade de Penedo, provincia
das Alayoas.
Oommendador Antonio Jose
Gomes do Correio.
Os empregados da secrelaria
Jda Santa Casa de Misericordia
(tendo do mandar celebrar na
igreja de N. S. do Paraizo.pelas
_ 8 horas da manha do dia 28 do
corrente, trigesimo do fallecimento do com-
mendador Antonio Jose" Gomes do. Correio,
mordomo da mesnoa Santa asa, urn missa
do Requiem, com memento, acompanhada
pelas educandas da casa dos expostos, pelo
pescanso eterno d'alma daquelle finado,
convidam ans parentes, amigos e collegas
do mesmo para que se digncm de assistir a
esse acto de pura carida is. ______
DEPfJRATIF
AIVG
PLUS DE
COPAHU
AVI80 A08 SR8. MEDIC08.
I Can catarrhoi, lositl
coquttuchet, irrHafbu
r------- J ncrvotai tat de* bron-
I Ml H chioi t loiut at doen(M
*^"**"JtJaiJ do peiio: buta ao doenU
i coiht rchdea dete xaropn D' Forget.
f aaiUBaji em Partx, naa VWIcaae, .
ii)op du
RGET
Depoaita em casa de Augusto Caors n. 22j
rua da Cr n.
CURA OS CASOS MAIS DESESPERADOS '
A SAFSAPARRILHA DE BRISTOL puri
Qca a massa do sangue, expello para fdra
todas as materias e fezes viciosas e impuras,
regula todas as secrecies, di vitalidade e
energia a todos os orgaos e di forga e vi-
gor ao systema afim de poder raelhor resis-
tir a todos os ataques da enfermidade. E
pois este um remedio constitutional. Elle
nunca distroe afim do poder curar ; por^m
constantemente assisle a natureza. Portanto
em todas as doencas constiluciomies e em to-
das as molestias locaes dependents d'um es-
tadovicioso oimperfeito do systema em ge-
ral, achar-se-ba que a Salsaparrilha de
Bristol 6 um remedio seguro o efficassissi-
mo, possuindo inestimfiveis e incontostaveis
.vrtudes.
As curas milagrosas de
Eflcrofulas.
Ulceras,
Chajjas antlgas,
ENFERMIDADES SYPHII.T'*/CAS
ERYSIPELAS.
RHEUMAT1SMO,
NEVRALGIAS,
ESCORBUTO,
ETC., ETC., ETC.,
quo torn grangeado e dado o alto rouome i
Salsaparrilha de Bristol
por todas as partes do universo, sao tao so-
mente devidas a*
UNICA LEGITIMA Z ORIGINAL
Salsaparrflha de Bristol
H. Forster k t
AGENTES.
NA PHARMACIA CENTRAL
Antonio Jose Gomes do
Correio.
Eustaquio Antonio Gomes, sua raulber e
filhos, convidam aos parentes e amigos de
sou finado pai, sogro e av6 Antonio Josi G--
mosdo Correio, fallecido a 28 do paf"ido,
para assistirem ds missas que manda ce-
lobrar na igreja do Paraizo desta cidaae no
dia 28 do corrente, pelas 7 horas da manha,
trigesimo ilia de seu passaiiiento, pelo que
desde j so confessam Hgradecidos.
Recife, 23 de noveoibro de 4873.
wwaaaaWgWiMiiiiiiMW' M.'igcaea
Manoel Pedro Noronha
A vinva de Manoel Pedro de Nc-
ronha convMa aos parentes e ami-
gos do mesmo linado para assisti-
rem algumas missas quo manda
celebrar na matriz de S Jose, sab-
bado 29 do corrente, as 7 horas da
manha, i auniversario de seu fal-
lecimento.
Precisa-se
de dousmoleques de 12 a 15 annos, para um tra-
balho muito love : a tratar no hotel de Bordeaux.
Precisa-se
do um nrco que tenha pratiea ne servir a mesa
uos hoteis : a tratar no hotel de Bordeaux._____
Aluga-oe a loja do sobrado n. 25 na rua
nova de Sauta Rita a tratar ua rua Ouque de
Caxias n. 44, ou na rua do Itangel n. 4", 2' andar.
- 0 abaixo assignado participa ao respeilavel
publico e princ palmente ao corpo do commercio,
que o Sr. Antmio Francisco Arms deixou de ser
caixeiro do mesmo desde e?ta data. Recife, 23 de
novembro de 1873.
Francisco Anlonio de Albuquerque Mello.
Altiiia->e a casa terrea com ^tao para gran-
do familia ou estabelecimento, na rua da Fogo,
casa da esquina n. 32 : a fa liar na rua da Santa
Cruz (Boa Visia) n. 62, das 6 as 8 horas da ma-
nha, ou das B as 7 da tarde.
Alnga-se
Sociedade Liberal Uniao
Benehcente.
Nao se tendo realisado no dia 23 do correute a
eleicao do novo conselho que tem de reger esta
sociedade no anno de 73 a 74, como foi annun-
ciado, pelo presente s4o de novj convidados os
senhores socios a comparecerem domingo 30 do
corrente, as 9 horas da manha, afim de dar-se cura-
primento ao disposto no art. ''i ae nossos esta-
tutos, concorrendo, porem, para este acto os que
estivorem de accordo com o art. 38 e mais let
que rege esta sociedade, ficando prevenido todos
cs associados qee com o numero que apparecer
estando elle na plenitude do artigo 38 procedcr-
sc-ha a eleicao na forma da lei.
Sala das sesaoes 25 de novembro de 1873.
Adriao Rozendo Sant'iag",
_______________Servindo de 1* secretario.
IrgeBcii '"~"
Precisa-se alugar por dous mezes um
piano de armario, de bom autor ; quern ti-
vor annuncie.
Previne-se a quern interessar possa, que a
taverna n 41 A da rua Dnque de Caxias e-ta "u -
jeiu e dividas, e por isso n?o pode ser vendida
sem que esteja desembaraceda dessas dividas, su
Jeitando-se a ellas em devida f6rma o respecuvo
I comprador.
duas casas proprias para passar a fesla por ter
commodos para familia o banho perto, proxiinas
a estacao de Caxanga, e uma outra junto a mes
ma estacao, propria para um hotel-ou botequim :
a tratar junto a mesma estacio, taverna.
0
I
m
m
m
*
m
MEDICO-CIRURGICO
do m
Dr. J. M. Curio J
Rua do Marquez de Olinda n. Jo, prj- w
meiro andar. W
Consults das 9 horas as 11 da manha
Chamadoe a qualquer bora. a
DE 10 PALMOS
E D'AHl PARA BATXO
- SapoUseiros muito bonitos e aapoteiros em gran-
de quantidade e preco commodo.
Am destas, as plantas de ornato e de fructo se-
guinles:
Jaboticaba
Laranja rravo
Lima da Persia
de umbigo
AO ARMAZEM
BO
VAPOR FRANCEZ
CA DO BARAO DA VICTORIA
LV. 7Outr'ora NovaN. 7
Calcadt,
francei.
Abaca te
Alecrim
Aritirum a pA
Canella
Coracio da India
Carolina do principe
Figueira
Pionboyant
Prucu-pao
Goiaba-branca
Jaca
Jarmim laranja
E ontras plantas tambem por pteco commodo :
na Capunga, ma da Ventura n. JO.
Aluga .e uma casa terrea na cidade de Olin-
da, na ma S. Pedro Apostolo n. 11, ao pe do
Passo Castelhano, com bastanti commodo, 4 quar-
to*, quintal nrado, eslribaria para cavallo, por-
tio ao lado e penna d'agua : qnem pretender di-
nja-!e a rn dc Santa Thereza n. M.
i.
Li mao francez
Oity cor6
Palmeira imperial
Parreira
Pinheiras
Romanzeiras
Reseda
Rozeiras
Para laaaaeaa.
BOTtNAS-de bexerro, cordavao, pettica, lustre
de duraque com biqueira, dos melhorei
fabricantes.
SAPATOES de be?erro, de cordavao e de case-
mira.
SaPATOS de lustre com salto.
SAPATOES atamancados com sola de pao, pro-
prios para banhos, aitios e jardins.
SAPATOS de lapete, chariot, castor e de tranca
francezes e portuguezes.
Para senhora.
BOTINAS pretas, brancas e de cdres differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
^APaTINHOS de phantasia com salto, brancos,
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca.
Para uieuiuas.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTTNADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para laeninos.
BOTINAS de bezerro, Instre e de cordavao.
ABOTINADOS e sapatoes de bezerro, de diversas
qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e portuguezes.
Botas de montaria.
Lotas a Napoleao e a Guilherme, perneiraa
meias perneiras para homen-, e meias perneiras
para meninoa.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de guernicoes,
sofas, jardineiras, mezas, conversadeiras c costu-
reiras, tudo isio muito bom por serem fortes e
levos. e i'S mais proprios moveis para saletas e ga
binetes de recreios.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7, outr'ora Nova.
PIANOS.
Acabam de cbegar muito bons pianos fortes e
de elegantes modelo*, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff & C.; no
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumarias.
Fiaos extraclos, banhas, oleos, opiata e pos den-
trifice, agua de flor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arrez, sabonetes,
cosneiicos, muilos artigos delicados em perfuma-
ria para Dresentes com frascos de extractos, cai-
xinhas sortidas e garrafas de differentes tama-
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira quali-
dade dos bem conhecidos fabricantes Piver e Cou-
dray.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos de differentes gostos e
phantazias.
Espelhos dourados para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e para meninas.
Luvas do Jouvin, de Qo de Escocia e de camurca.
Caixinhas de costura ornada com musica.
Albuns e quadrinbos para retratos.
Caixiniias com vidro ae augmentar retratos.
Diversas ohras de ouro bom de lei garantido.
Correntes de plaque muito bonitas para rclo-
gios.
Brincos a imitacao e botoes do punhos de pla-
que"
Rolsinhas e cofres de soda, de velludo e de cou-
rinho dc cores. ,
Novos objectos dc phantazia para cima de mesa
c toilette.
Pincinez de cures, de prata dourado, de aco e
de tarlaruga.
Oculos de aco fino e de todas as guarnicSes.
Bengalas de luxo, canna, com castSes de mar-
Qji.
Jengalias diversas em grande sortimenlo para
homens e meninos.
Chicotinhos de baleia e de muitas qualidades
diversas.
Esporas de tarracha para .-altos de botas.
Ponteiras de cspuma para charutos e cigarros.
Pentes do tartaruga para desembaracar e para
barba.
Ditos de marfira muito finos, para limpar ca-
beca.
Escovas para roupa, cabellos, unhas e para den-
ies.
Carteirinhas de medreperola para dinieiro.
Gravatas brancas e de seda preta para homens
e meninos.
Campainhas de mola para ch-mar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do-
mino e outros muitos differentes joguinhos alle-
mies e francezes.
Maias, boli as e s^ccos de viagem de mar e ca-
minhos do ferro.
Argolinhas de marflm para as criancas morde-
rem, bom para os dentes.
Bcrcos de vimes para embalar criancas.
Cestmhas de vimes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro rodas, para passoios de
criancas.
Venezianas transparentes para portas e janellas
Reverberos transparentes para candieiros de
gaz.
Estereoscopos e cosmoramas com escolhidas
vistas.
Lanternas magicas com ricas vistas de cores em
vidros.
Vidros avulsos para cosmorama.
Globos de papel de cores para illuminacocs de
festas.
Baloes aereostaticos de papel de seda mm facil
de subir.
Machinas de varios systemas para cafe.
Espanadores de palha e de pennas
Tesourinhas e canivetes finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lantemas.
Tinteiros de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para
quadros.
Quadras ja promptos com paysagens e phanta-
zia.
Estampas avulsas de santos, paysagens e phan-
tazias.
Objectos de magicas para divertimentos em fa-
milia.
Realejos peqnenos de veio com llndas pecas.
Realejos harmonicos ou accordions de todos os
amanhos, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias difflceis de moncionar-se. No armazem do
vapor francez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Medidas de 40 a 100 metros.pes e palmos para
medir terrenos.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de todos
os brinquedos fabricados em differentes partes
da Europa para entretenimento daa criancas tudo
a pre os mais resumidoe que e possivel: no ar-
mazem do vapor francez, rua do Barao da Vie-
oria, outr'ora rua Nova n. 7.
Ceslinhas para costura
Grande sortimenlo de bonitos modelos chegados
ao armazem do vapor francez, cua do Ba-ao da
Victoria (outr'ora Nova) n 7._______________
LIQUIDA'CAO DE FAZENDAS
M
Rua da Imperatriz n. 60
Vende fazendas para liquidar, por baratissimo preoo como
abaixo se ve:
Pereira Ja Silva it Guimaries ten Jo cm ser tun grande depozit < de fawnd.'.--,
tem resolyido fazor sma liquidac,3o das mosmas com grande abatimento uos precos,
com o unico fim di jpurar diulieir.i, para o que convidam nfio s6 -s seus numerosos
freguezes, c uno o respeitavel publico, a vir surtir se de muit's fazendas, bo.s ebaraHs
no seu estabelecimento denominado oPavfio-a run da Imperulriz n. CO.
CAMBHAIAS A 49, 4?S00, 59, 69 79- francez muito fioo a 3JOO0, apenas pm.is*
O Pavio vende um magnilico sortimento !> V4 metro para um lencol.
das mais finas cambraias brancas transpa- CHALES BRATOS
rentes, tendo 10 jardas cada peca, pelo ba- a 2*. 2?500, 4*.
rato preco de 49, 425500,5JJ, 69, tendo tam- O Tavio vende chales a omitacio cKi n.o-
bem das mais finas que custumam vir ao|r'11(5 29, ditos de merin6 lisos de todas im
roercado, assim como um grande sortimento cor?| a 29500, ditos de merimlestampados.
de ditas tapadas e victorias quo vende de 49 muifo finos a 49, ditos Dnissimos com lis-
ate 89, sendo fazenda que vallo muito mais tr,,s deseda a 69500, ditos muito finos de
dinbeiro. crepoma!09e 129.
COM SALPICOS DE CORES A 59.
0 Pavao recebeu um eleganto sortimento
de cambraias brancas com bonitos saipiqui-
nhos miudinhos do cores, tendo 10 jardas
cada corte de vestido o vende pelo barato
preco de 59, por ser pechincha, ditas com
salpicos todo branco sendo fazenda fmissima
a 79500e ditisa 59000.
VESTIDOS A USO DA CORTE 129
Algodrto enfes(d al-"e l^M>
0 Pavao vende algodao eufestado com 8
palmos de largura, proprio para lenc^-
sendo do mais encorpado que tem vindo ao
mercado, Uso a 19 a vara c trancadoa...
19280.
ATOALHADO A 19600, 25, S*
0 Pavao vende atoalhado tran^ado com 8
palmos de largura a 19200 c 19600, dito
0 Pavfio vende um bonito sortimento de adamsclJ'J a 29, dito de linho adamasca-
cortes de vestidos a uso da corte, trazendo jdo a 39 c 59.
cada cdrte todos os enfeites necessarios como
sejam: babadinhos, entre-meios, rendas,
requefifes, e vende pelo barato preco de 129
cada ura, assim como. di os a 2 de julho
com todos os enfeites a 109. cortos de cam-
braias brancas abortas, com listras o lavures
a 69, ditos finissimos a 89, ditos de cam-
braia branca com listras de cores, para aca-
bar 39500, e" pechincha.
CORTES BORDADOS A 209 E 359.
0 Pavfio vende ricos cortes de cambraias
brancas delicadamente bordados, pelo ba-
rato preco de 209 o 359.
CASSAS FRANCEZAS
a 300 rs, o covado
0 Pavfio recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padrQes c
cores fixas, quo vende pelo barato preco de
300 rs, o covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a OiO rs. a vara fi-
nissimo fi!6 branco liso e dc salpicos, o tarla-
tanns de todas as cores.
BORNOUSA 129.
0 Pavfio vende um bonito sortimento dos
mais modernosbornous com bonitas listras o
vende pelo barato preco do 129 cada um,
assim como um elegante sortimento dos mais
bonitos chales dcraerin6 e com listras de seda.
LAZINHAS A 320
0 Pavfio vendo bonitas Ifizinhas lisas,
sendo verdo e cor do 1 yrio, pe o barato pre^o
de 320 rdis o covado, assim como delicadas
Ifizinhas de quadrinhos a 280 reis, d pe-
chincha.
Gra uatli uea a B40
0 Pavfio vende um elegante sortimento
SEDA PARA YE5TIIXX
a 19000 e 29.
0 Pavao vende um bonito sortimento du
sodas com listrinhas proprias para vesti
dos de meninas e do ssuhora a 19600 o co-
vado, ditas lavradinhasa 29, os padrdes sao
muito bonitos c vende-se por esto preco para
acabar.
Botina* a 5 jOOO
0 Pavao tem um completo, sortimento de
botinas muito bem enfeitadas para senhoras
e vende pelo barato preco Je 59, artigo qu<.:
em outra qualquer partecusla t>9e79.
LENCOS BRANCOS
a 290f>J'.
0 Pavao vende lencos francos ab-mh:-
dos, tanto para homens comi) para senhoras.
a 29 e 29500 a duzia, ditos de esmio n
cambraia dc linho t-mbem ab 39500. 'i9, 59, d Ios francezes cscuros. parja
rape a <;-, a duzia.
CAMISAS PARA HOME.M.
0 Pavfio vende ricas camisas com peit<>
de linho bordadas, proprias p ra noivo a
10)5 o 129 cadi uma, ditas do linho sen se-
rem borl das < 49, 49500 c 59, ditas com
peito de algodfio muito finas a 29, 29500 e
39, ditas dechita fina miudinln a 29,29500,
e 39, ssira como grande sortimento de ce-
roulas francezas tanto do linho como deal
godfio de 19600 ate 39, gr nde sortimento
do mei s cru s inglezas de 49 ato 89000 a
duzia
: iZCNDAS PARA Ll.TO.
0 l'avao tem um grande sortimento do
fazendas pret s para luto como sejam : cas-
s s, las, ou lazinhas lisas que vende a 400
das mais bonitas granadines ou gazes de 500 r6ls cov&io> bombazinas de 19600
seda'para vestidos, tendo de todas as cores at<5 2"5. c9vado cantfio a 19 e 19200,
e vende pelo barato preco de 640 rdisoco- ?rana(lme lisa com listras, cassas o chitas
vado e granadine preta com listras de seda t0(Jas Protss com listras o salpicos, Ipcas
a 19800. t^as pretas c |avsadas de branco, merinos e
outras muitas fazend s iipropri das, que se
LAZINHAS A 360 0 COVADO. veude por menos do que em outra qu.lquer
0 Pavfio vende bonitas Ifizinhas transpa- Parte-
rentes com palminhasa 360 reas o covado, MADAPOLOES ENFE8TAD0S
ditas ditas indianas com lindos dezenhos, a 39000
tanto em listras como em quadrosa 280 rs. ^ Pavfio vende pecas de madapolfio enfes-
o covado, e grande sortimento do alpacas e tado com 12jard sa39, dito a 39500, dito
Ifizinhas de 40U a 800 r&s, com 20 jardas a 59, 59500 e 69000, dito
j com 24 jardas de 59 ate 89 e 109, sendo *
CHITAS DE CORES ; mais finos que tem vindo ao more do.
a 20", 24t>, 280 e 320 is. j
0 Pavao vende um grande sortimento de! Algodftoseiulio a 8-rOOO.
bonitas chitas tanto claras como oscuras e' ... n .
vende de2(KJ at5 32nrs., assim como ditas' ^ Pavao vende pecas de algodaozmlio
com listras aolado muito finas a 360 e 400 jmuit0 flKOrPado a 49, dito a 59 e 69.
rs., finissimas percales miudinhas com lin-'
dos dezenhos a 360 o 400 reis, garantindo
serena todas dc cores fixas. roRTix detacu'miim i fi
COBERTAS A 29, 29500, 39, 49. CASLMIKA A 09.
0 Pavao vende bo'nitas cobertas do chita 0 Pavfio vende um grande sortimento tie
com ramagem grauda, pslos baratos precos' cortes decasemira para calgas, com bonito?
de 29, 2950 1, 39 e 49, ditas oncamadas gostos, claros eescuros a 5-*, ditos de 69,
forradas a 59, ditas defustfio branco e de cor (79, 89, ate 109, superiores casemiras fran-
com barras a 49 e 59, ditas decroch6para'cez cama de noivo a 69, ditas muito ricas a 169, j 6#, paunos pretos e de c >res dos mais bara-
ditas de damasco a cmitacaV de seda a 109, tos e mais finos que tem vindo ao mercado,
e 149. por precos muito razo veis.
FusUtes Roupa foil a
0 Pavfio vendefustoes brancos ode cores,; 0 Pavao, tem constantemente um grande
sendo as mais bonitas cores que tem vindo ao! sortimento de roupas fcitaspara homem, que
mercado, tanto para roupa de criancas como vende por proco muito cm conto, como se-
para vestidos e roupas de homem,je vende jam
TAPETES
Atlencao
Vende-se barato a arm&cio da taverna n. 60, si-
ta & rua DireKa 4os ftfagaios : a tratar na pada-
ria de junto n. 66.________________________
- LUG %-HE
Umsegnndo andar e sotao com muilos commodos
ra rua do Barao da victoria n. 39.
pelo barato preco de 560 at4 19, 0 covado.
BRAMANTES
a 19600, 2ry2(i0 e 29500.
O Pavfio vende bramanles de algodfio com
10 palmos de largura para lenjoes, pelo ba-
rato preco de 196'O, dito de liuho com a
mesma largura a 29, 29200 e 29500, dito
Cortes de chita a 99, S9&00 e
35000.
0 Pavfio vende cortes de chitas oscuras e
claras com 10 covados cada c6rte, pelo ba-
ratismo preco de 29. 29500 e 39000.
CORTES DE BRIM A 19400.
0 Pavao vende c6rtesdebrim pardo para
calga, a 19400. Ditos de cor, fazenda mui-
to boa, a 19600.
Espartilhos a 3$ e 4#000.
0 Pavfio vende os mais modernos esparti-
lhos, proprios para senhoras e .meninas,
pelos baratissimos pregos de 39 e 49000.
Ditos muito superiores, brancos e de cor, a
59 e 69000.
Calcas de brim de cores de 29500 ate 69.
Ditas de casemira escura a 39500.
Palitots da mesma fazend4 a 49500.
Calcas de brim pardo de 29 ate 56.
Dit-s de casemiri de cdr de 7(5 ate 12#.
Ditas de casemira preta de 79 ate1 140.
Palitots do panno pret" de 49 ate* 129.
Fraques de pann i preto fino de 209 ad*
359000.
Calg^s brancas de linho do 49 ate 79.
Colletes de casemira de cor do 39000 ate"
59000.
Ditos de dita preta de 49 ate" 79.
Cortes de la a 43000.
0 Pavio vende bonitos cortes de Ifisinhas,
padrdes miudinhos com lindas cores, tendo
15 covados cada corte, pelo barato preco de
49000.
CORTES DE ORGANDY A 39000 e 39500.
0 Pavfio vende corte de organdy branco,
com listras e quadrinhos, sendo fazenda mui-
to fina, pelos baratissimos precos de 39 e
39500 o corte.
Ceroulasfnncezas de linho e algodfio, para todos os precos e qualidades, assim
como grande sortimeuto de meias'cruas, camisas, colennhos, que tudo se vende por
precos muit < r^zoaveis.
. Companhia do Gaz.
A empreza do gaz tem a honra de aonunciar
ao publico que recebnu u' timente um esplen-
dido sortimento de lustres de vidro, candiei-
ros, arandelas e globos, cujas amostras estfio
no escriptorio fi rua do Imperador n. 31,
e serfio vendidos aos seus freguezes pelo
preco mais razoavel possivel.
-<< -
Sobrado para aftigar
Aluga-se o sobrado n. 28 da ma D. Maria Ce-
sar (outr'ora Somalia Nova) eom 1 salas. S quartos
1 sotao com coiinha, uma sala e 2 quartos : a tra-
tar na mesma rua o. 20.
Aioga-se o 2* andar soiao, cam todos os
commodos para grande familia, do satmdo n. It,
sito a rua de Hortas : t tratar na ma do Trapkne
n. 13, armazem de asaoear. Tambem ae vende
rcace de 3|4 partes do mwmo obrtdo.


I
AMA
tOJA
Rua do Marquez de Olinda 56 a
(tatr'ora rua da Cadela)
DE MACHINAS
Sendoeste antigo estabelecimento assaz cJonheeido como principal e rec-Sfmen-
dado pelos grandes depositos e bons sortimentos com que sempre prima em tor das
melnores, mais acreditadas e verdadeiras machinas anicrlcanas pra aljro-
Eo, desde 10 i 60 serraa, e havendo era todosos tamanhos diversidades de syste-
mas b melhoramentos para perfeito e rapido descarocamento ; tornara-se dignas de
wreni vistas e apreciadas pelos Srs. agncultores; os quaes, alem disto, encontrarao
tambem mais :
Apurados vapores locomoveis, deforga
de 2Vi e 3*/a cavallos com todos pertoncas
precisos para trabalharem 4 machinas para
algodio, ou para outro qualquer mister.
Machinas para lavar roopa.
Arados americanos para varzea e ladei-
ra.
Carros de mio para atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com valvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apoarelhos parajardins.
Guards-comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafuzos de ferro.
Dita dita ditos de madeiras.
Trens para cozinha.
Emfim muitos outros artigos, que sdavista e neste estabefei)modcrao^nlp s i
exsmmados. r
Ternos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Perten^as avulsos para machinas.
SalHre refinado.
Breu* superior.
Moinhos de diversos fabricantes para mi-
lho e cafe.
Debulhadores para milho.
Azaite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Cannos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos de chumbo.
Ditos de borracha.
Folles para ferreiros.
Precisa ?e de uma nma que compre c]
cozinhe para casa de pouoa familia : a
fratar narua atraj da matriz de Smlo .lii'.'iiio n.j
18, g'arul;.;-._________________________
I'ici-isa- se de uma para rozinliar
para casa de pouca fainili.i : a tratar
a rua do Hospicio n. Hi, rasa fern a
que leni hulas anian-ii.-i.- ria eur-
njj;'-_______;____________________
Ama deleite
Precisa-se de uma na rua da Praia o. 33, 3* an-
dar ; preferindo se srm filhos.
\ma de leile
Precisa-se alugar uma ama que teoha bastanle
ite: na rua Furmoza o. 18.
leite
Precisa-se de uma ama
no becco do Padre" n. 23
ou um cozinheiro :
Ama de leite.
Prscisa-e de nma ama deleite, sadia e moca :
na rua do Hospicio n. 27, pagando se bem.
Precisa-se de uma ama que saiba engom-
mar lavar e cozinhar : na rua dos Guararapes
n. 84.
AMA
Precisa-se de uma ama que saiba
c >zinhar e comprar para casa de
homem solteiro : na rua de Ped o
Alfonso n. 7, antiga rua da Praia.
Precisa-se de uma ama ane saiba cozinhar :
na rua do Rangel n. 8, sobrado.
A ma ^a rua ^a Pon,e ve'n* n- Precisa-'e
cxuia' de uma ama que saiba cozinhar e en-
gommar para casa de familia de duas pessoai.
KOTOpAO DO BOWMAN
RUA DO MUM N. 52
(rassanilo 6 eftaft::-,/.)
PEDEM AOS soubore* de engenbo e ontros agricoI.oi*, e mofeg*6 ,ie <;e m
aipjsmo o favor de oma visit! a seu eatabelecioiento, para verem o wo lortimeote
omelet) qoe abi tern; aeado todu superior cm qoalidade e lortidJ-j; o que (Jcte a to*
*ccao pees >a) pode-se verificar.
ESPECIAL ATTEiNCAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
vEDorda 6 rodaa d'aeria dos "wi' mo,ers y-'-temas eem u
JZ2\ .ww** ** **5** manbos convenieDles para as diversas
jjcomaunciaa dos senbore. proprietariot e pan descarocar ilgodao.
Moeilda8 d6 Caniia de.to<1o iMMnhos, as>elbores que iqoi
&odas dentadas praaDimM'ao-ep<>r.
raixas ae ferro fundido, batido o do cob re.
llambiqnes o fandos de alambiques
ttachinismOS p"1 mandiocaeal8odaol Podendo todoi
Bombas
PENHOBES
eparaserrarmideira.
Ilfll
ANTONIO JpSt DE AZEVEDO.
Rua Nova n. i 1.
Precisa-se de nma
abundancia : na rua
Ama de leile.
ane tenha bom
o Brnm n, 65
leite e com
Escravos fugidos
Felippa, negra, cabra. ja idosa, cozinheira, alta
e secca, foi escrava da viuva do fallecido Jacin-
thoBotelho, tem um filho escravo do Sr Jose
Antao de Souza Magalliaes, que andava fugido,
e que veio seduzir a mli para acompanha-lo ;
esta ausente des le o dia 6 do corrente.
Roga-se a pulicia e capitaes de campo a cap-
tura das mesmas escravas que sao do engenho
Sapncaia de Beberibe.
ser movidos a mio
por ago i, vapor,
de patente, garantidas........ jou animaes.
"odas as machinas e **"d6 qoa *CMlDa,a prflciMr-
de machiiiismo, a preeo ccai resDmido.
do mer-
F*as qualquer concerto
Fornias do ferro tem M mt^an*e m,u **n\*s existente*
^nCOTTimfln (iRPI Incombe-e de maodar vir qoalqoer macbinismo i von-
aa comprai por intermedio de pessoa enteodida, e qoe em qualqner neresaidade DOdc
ia preetar aoxilio.
Irados americanos e iMtromeD,o, w^i**.
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFA1UZ
PIANOS.
os que tem, 'novoso
W Querendo definitivamente liquidar este negocio, vende todos
usados, pelo precp do custo de factura.
Tambem acaba de receber o seguiute:
OLEADOS inglezes para assoalho de salas, de muitos lindos desenhos de 11 a 33 palmos
de largurae 100 de comprido, podendo forrar-se umasala porerande que
: seja com oleado inteiro.
MAGN1FICOS espelhos ovaes para omamentos de salas.
ANNE'S electricos para curar dores de cabe$a. nevralgias e nervoso.
MUITU lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
GRAMPOS para segurar roupa estendida nas corJas, a 200 rs. a duzia.
TALAGARCA e papel picado para bordar com la ou seda.
VERDADEIRA agua de colonia em garrafas empalhadas.
E muitos outros artigos, e por rouito barato projo.

CASA DA FORTH
AOS 4:000#000.
BILHETES GARANTIDOS.
A' rua Primeiro de Marpo (oulr'ora rua dc
Crespo) n. 23 e casas do costume.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantido^
da 1' parte das lotenas a benelicio da matriz de
Tejucupapo (76'), que se exlrahira na quinta-
feira, 87 do correnle mez.
PHE^OS
Bilhete inteiro 'i/OOO
Meiobilbete 2^000
EM PORCiO DE 1009000 PARA CIMA.
Bilhete inleiro 3*500
Heio bilhete 1*750
Minoel Martins Fiuzo.
SAQUES
Carvalho & iNogueira, na rua do Apollo
n. 20, accara sobro o Banco Commercial
de Viaiina e suas agencies em todas as ci-
dades o villas de Portugal, a" vista e a prazo
por todos os paquetes.
Attencao
Os abaixo assignados rogam a sens devedores
Sue qaeiram tor a bondade de virem saldar seus
ebitos ate o lim do correote anno ; os que nio o
(izerem serao chamadiis por e*to Diario pelo seu
proprio nome a vi.-era cumprir com os seus de-
veres.
Recife, S2 de novembro de 1873.
_____________________Gama A Silva Britto.
Uma parda escrava. boa coslureira, precisa
de 1.000* para sua liber lade, offerecendo em
paga desta quantia os seus servijos pelo temp i
que se c^nvencionar : quem quuer fazer este ne-
gocio. dirija-se a rua da Imperatriz n. 30, segundo
a ndar. __________
Proprio para noivo
Alaga-ae o 1 andar da casa da rua da Impera.
iriz a 24 a quem pagar algumas bemfeitorias : a
train* n i Ibesouraria das loteriss.
Jornaes da Europa.
Assignaturas para 1874.
Acham-se abertas conforme o respectivo cau-
logo.
_____________Livraria Franceza.
OTENCAC
19000
2000
laooo
r
Precisa se de um homem
mente chegado, que tenha boa conducta e pratica
portugue* recente-
ducta
Sara feitor de engenho : quem estiver nestas con
igoes, queira apparecer no largo do Corpo Santo
n. 19, escriptorio.
A tten^ao
C4SA.
Aluga-se metade de uma casa no pateo do Ter-
(0 a peqoena familia : a tratar no p,.teo do Pa-
raiz j n. 26.
Escravo fugido
Acha-se fugido desde o dia 18 do corrente o
escravo Gregorio, crioulo, cor fnla, baixo, tendo
um dos dedos p..llegares do re cortado : quem
Srende-lo, queira dirigir-se ao pateo do Carmo, em
linda, aobrado n. 2, que sera generosamente gra-
Ilneado.
mm
0 quarto andar da
n. 4
ma do Marquez de Olinda
lajummAcio: PABg. it, tmnkxt imum.
wumuuB meumruubiuifmvkki
com Saat ulraki^M u FmIm. Sle Mil*
*~*f^ "CS^ ewta OMtra a AiU
as diMt( difireii.
| Keft**' '" *~~ "*"
Para mtitar at imitteu,
txijir em todos mi yrodueU* a mama da
cortrmh a* UTMt rawx
Antonio Fernandes Itaplista.
Deseja-se saber noticias dos filhos do finado
Antonio Fernandes Baptista, portuguez, natural
dn lugar Bominha, freguezia de Santa Maria Mag-
dalena era Alvaiazere, e que no anno de 1826 re-
sidia no engenho ou lugar Camocin.
No anno de 1861 ainda existiam, ignorando-se
o lugar onde. E' negoeio de interesse para dies.
Quem souber c quizer ter a bondade de dar no-
ticias, p6do dirigir-se a ma do Imperador n. 45,
!. andar, ou a Luiz Jose Btptista, em Lisbfla, rua
dos Fanqueiros ns. 35 e 37.
Aluga-se o lm andar da casa da rua das La-
rangeiras n. 13 : a tratar na rua do Marquez de
Olinda, casa n. 1, segundo andar.
Aluga-se
uma boa casa nova com muitos conrandos para
familia, com gaz e quintal todo murado na Capun-
ga ao Pe dos Quatro Cantos, muito perto da esta-
ca:>: a iratar na rua do Vigario n. 33, primeiro
andar com JoSo Josd da Cunha Lages.
Aluga-se uma excellente casa na povoacao
de Duarte Coelho, em Olinda, com bons commo-
dos para familia; a tratar com Jorge Tasso, rua
Amonm, b. 37.
Attencao
Os abaixo assignados fazera sciente ao respeita-
vel ooroo do commercio que dissolveram nesta
data araigavelmente a sociedade qne tinham no
hotel da rua larga do Kosario n. 311, ficsndo a car-
go do socio Francisco eis todo o activo e passivo,
e o socio Manoel Carpinteiro pago e satisfeito de
ou capital e lucros. Becife, 20 de novembro de
1873.
Franciszo Beis.
Manoel Carpinteiro.
NOVAS PUBLICACOES MUS1CAES.
i. J. a'AsevedolluaHovan.il.
Acabam de publicar-se, e acham-se &
venda as seguintts musicas :
PIANO SO'.
Dasse espamiola, por Ascher 25000
Arabella, mazurka, por G. Wer-
theimer 1J500
Valsa do Fausto, por Croyzes 1JM)00
Sonho de uma virgem, por Alber-
tazzi 19000
Anna la Prie, cavatina 15J000
AoClair de la Lune, por Bussmeyer 1500
ESTRELLA DO NORTEI D ... .
SAUDACXO AO BAHIA[P0lkabnlhante 15N)0
Cricket, por Seixas, offerecida aos
chrickets club pernambucano e
bahiano
PIANO E CANTO.
Desespero, muito lindo romance
por I. Smoltz
Non m'amava, romance por Guercia
Tambem recebeu da Europa grande sor-
menide musica para piano, piano e
antoudos, methodos, etc. etc.
Joaquim Jos6 Gon^alves
Beltrao & Filhos
Teem para vender no seu escriptono a ma do
Commercio n. 5, o seguiute :
AGUARDENTE de cajU : caixa de 12 garrafas.
de laranja, idem idem,
ARCOS de pao para barril.
CAL de Lisbda, recentemente chegada.
CHAPEOS de sol, para homem e senhora, cabo
de mar lira e osso.
FEIXES de ferro, para porta.
FIO de algodao da Bahia, da fabrica do commen
mendador Pedrozo.
LINHA de roriz.
OBIIAS dc pall eta.
PANNO de algodJo da Bahia, da fabrica do com
mendador Pedrozo.
RETROZ de todas as qualidades, das fabricas de
Peres e Eduardo Militao.
ROLHAS proprias para botica.
SALSAPARRILHA do Para.
vELAS de cera de todos os tamanhos.
V1NHO engarrafado do Porto, caixas de 12 gar-
rafas.
dito Moscate do Douro, idem idem.
dito Setubal, caixas de 1 e 2 duzias.
da Italia engarrafado, caixas de 6
rafas,
de Collares superior, em ancoretas.
de cajd, caixas de 12 gar afas.
Malvasia do Douro, caixas com 12
rafas.
Carcavellos, idem idem.
FUNDICAO DE FERRO
V rua do Bario do Triumpho (rua do Brnm) ns. 100 a 104
CARDOSO RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e machinas para en-
genhos, as mais modernas e raolliorobra que tem vindo ao mercSdo.
VapOreS de for^a de 4, 6,8 e 10 cavallos.
LaiueiraS de sobresalente para vapores.
jlOenaaS inteiraS e meias moendas, obra como aunca aqai veio.
laiXaS IUndldaS e batidas, dos raelhores fabricantes.
KOdaS d aglia com cubaje de erro, fortes o bem acabadas.
ttodaS dentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
Relogios e apitos para V8pores.
BombaS de ferro, de repucho.
AraQOS de diversas qualidades.
Formas para assucar ^ndes e poquenas.
CoilCertOS concertam com promptidSo qualquer obra ou machine, para o que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EnCOmmendaS mandam vir Por encommenda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londres
e litas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalbo das mesmas.
ftbadoBarao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
" FUNDICAODE CARDOSO & IRMAO.
gar-
gar-
Fugio, ao araanhecer do dia 16 de outubro
do corrente anno, do engenho Paraizo, do termo
do Rio Formoso, o mnlato Cyrilo, de idade de 23 a
24 annos, escravo do padre Miguel Peres d, Aze-
vedo Falcao.
0 referido mulato e" de estatura regular, c6r
rdxa, cabellos preto?, nao soltos, por6m nao muito
pegados, com estrada de liberdade, ja tem buco
de barba e pouca baiba no queixo inferior, e bem
parecido, sabe ie>, por6m escreve n al. 6 muito fal-
Iante, bom montador em burros, trabalha de oleiro
em formas e e" canhoto.
Ao amanhecer do dia 9 do corrente (novembro)
fugio do mesmo padre o escravo Themotheo, criou-
lo, idade 26 annos, estatura regular, bem preto,
ponca b.arba, dentes limados : ha prababilidade
de que fugissem para a capital com o intento de
assentar praca. Quem os apprehender sera b>-m
recompensado. e os podera entregar ao Sr. major
Jos6 Antonio de Brito Bastos, no engenho do Meio
da Matriz da Varzea ; e sendo preso em outro lu-
gar fora da capital ou seus suburbios. sejam con-
duzidos para o refeiido engenho Paraizo, que se
recompensara bem, d vendo ser conduzidos com
toda a cautela, porque sao muito ardilosos, maxi-
me o mulato.
)lalri( iihi d(is cavallos.
Acham se a venda era todas as livrarias map-
pas impressos para matricula dos cavallos con-
forme deterraina a lei provincial de 7 de junho
de 1873.
mm
Ot indKtM it aebM leaaa n.
[ timPfnambuco.naatT f~j1. RBGOaO. I i
Agencia geral de emprega-
dos.
0 agente Santos Coelho reunio as suas agencias
da rua do Marquez de Olinda n. 30, segundo an-
dar, pateo da matrii de Santo Antonio n 6 rua
estreira do Bosario n. 38 e caes de Capibaribe n
12, ao pateo de S. Pedro n. 3 aonde tem sempre
boas amas de leite, seccas, caixeiros e criados.
Uma pessoa sujeita, coai muito pouca idade
e quf ganha 2 j por dia, precisa de 400* para sua
liberdade, obrigando se a dar flador. e a entrar
todos ot mezes com 404 rs. ate realisar o paga-
mento do principal, juros e i.das as maisdwpezas
respectivas, e tudo isso por meio de uma escriptu-
ra. Quem e*tiver em
, tal negocio, annuncie.
Precisa-se alugar uma ama de meia idade, po
rem que seja preta. aue nao n-nha vicios nem
achaques, e que affiance sua conducta, para com
prar e cozinhar para uma familia de 3 pessoas :
a tratar na cidaJe d> Olinda, sitio do Atnparo, ca-
sa terrea grande, com p.irtao ao lado.
Aluga-se uma casa no Porto da ffiadsira, era
Beberibe : a tratar na rua do Imperador n. 28, ou
na Estancia n. tl
Casa de campo
Offerece se a quem quizer fazer os concertos
necessanos, o arrendamento por alguns annos, de
graca, da excellente casa sita na Porta d'Agua,
que foi do finado Dr. Joaquim Pires Carneiro Mon-
teiro, passando-se escriptura para maior seguran-
ca. A locaiidade 6 muito salubre, e a casa muito
fresca, tem magnifico banho de agua doce em
frente, e 6 moito commodo visto que o trem passa
lefronte : quem pretender node dirigir-se ao Sr
Francisco Carneiro Monteiro, em Apipucos, ao
Sr. Francisco Ignacio Pinto, na rua do Bom Jesus,
ou ao Sr. Cannan, a roa do omrnercio n. 40.
triatfa e engommadeira
No collegio da Conceicao pr^cisaae de um cria
sj ede oraa engommadeira perita.
Precisa se de uma ama paia casa de ponca
familia : a tratar na rua do Marquez de Herval
n. 14.
Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria n. 36, precisa-se
allar aos Srs. Pedro do Bego Chaves Peixoto e
os6 Paes da Silva, a negocio de particular inte-
*sse.
Aluga-se um escravo pedreiro para qualquer
obra : a u-atar na rua do Hospicio n. 61, an-
dar.
fi Consultorio medico-cirnrgico
d A. B. da Silva Maia.
0\ Rua do Viscoride de Albnquerque n.
Jr 11, outr'ora rua da matriz da Boa-VisU
tf Chamados : a quaiquer hora.
Consultas: Aos pobres gratis, das 2 as
Q 4 boras da tarde.
Carlos Pinto de Lemos, admini.*trador da
ma>sa fallida de loaquim Silverio de Souza 4 C,
roga aos devedores da referida nuspa, queiram
quanto antes saldar seus debitos a rua do Mar-
quez de Oilida n. 1, sob pena de recorrer-se aos
meios judiciaes. Becife, 21 de de novembro de
1873.
Joaquim Jose Goncalves
Beltrao & Filho.
Roa do Commercio n. S, andar
Sacca por todos os paquetes sobre o banco
\ Minho, em Braga, e sobre us segi'intei
'gares de Portugal:
Amarante.
Arco de Val de Vez.
Baroellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
Covilha.
Faro.
Guarda.
GuimarSes.
Lamego.
Lisb6a.
Mirandella.
Moaflo.
Ponte de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna do C&stello.
Villa do Conde.
Villa Nova de Famalicao
Villa Nova do PortimSo
Villa Real.
Vizeu.
Valenca.
Figueira.
Aveiro.
Agueda.
Caminha.
Evora.
Oliveira deAzemeis.
Penafiel.
Na liuvc^n Ha rua
(\>itiCm/#x !i. 2. pri-
iiitiivj aiHlar, da-se
diiilieiio sobre pe-
. nhores de ouro, pra^
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
- Aluga-se o segundo andar d< sr>bra do Bario da Victoria n. 31, com commados par.*
familia : a tratar na loja do mesmo.
Escravo fugido
001:000 degratificacao
Ax-entou-se desde 0 dia 13 de maio de 1872 0
pi.to de nome Alfredc, representa ter de 3" a 40
annos de idade, i perfeito cozioheiro, alto Lasiante.
e bem magro, p^oca barba, olhos grande*, e muito
ladino, con*ta que tem pai no engenho do Sr. Lulrt
de Caiara, cm S. Lourenct) da Malta. Este preto
foi cozinheiro dos n^gociantes Adriauo & Caslro 0
Sr. Jose Joaquim Goncalves Bastos, e julga-$*>
que esteja alugado cm algnra hotel on ca- cular nesta ridade, como forro : pede-se a ledas
as autoridades c capities de campo, que 0 desco-
brindo, 0 tragam a rua Duque de Caxias n. 91, loja
de miudezas do rival scin segundo, que serao gra-
tificados com a quantia acima.
Antonio Doiuingns Pinto, queieudo resiiio 0 seu negocio de mobilia, tem resoivido fazer um
zbalmwuto de 2"i por cento noa precos de suas
mobilias, as quaes sao : ricas niubilias de juca-
randa a Luiz XV, fabricadas em Franca, ditas de
nogunira 0 de anab'.e, guardas-roupa de jacaran
da de mogno c de anable com e.pelho, rico-=
guardas vestidos de amarello, rieos guanlaskm
Sa, toillettes de jacarnda e de mogno, apnrador<;
e mogno com tampo de pedra, duos doamartllo
cora armario, mesas elastica- para jantar. dit-
de mogno com abas para almovo, mesinhas d%-
mogno nara costura, c uma infinidade de objec-
tos que seria enfadonho meneionar ; tem um
grande sortimento de cadeiras de muitas qualida
des : a rua do Barao da Victoria n. 57 e 58
31
Aluga-se um excellente souradinho com Mas
de vidro, na rua de S. Ptdro Novo n.... com com
modos para grande familia, 0 melhor lugar para
quem quizer f.-ver uso dos banhos salgados: a
tratar na pra^a d.)]Corpo Santo n. 17,1 andar.
Na rua do Barao da Victoria 11. 36 precisa j
laliar ao Sr vigario Andre Cnrcino de Araujo Pe-
reira. a negocio de seu interesse.
0
m
m
m
0
0
Consultorio liomeopa-
thico
Do Dr. Sautos Mello
41-------Bua do Impera lor-------41
Consultas todos os dias das 11 a t da
tarde.
Gratis aos pobres.
Besidencia a rua Nova n. 7, segund'
andar, onde da consultas das 6 as 9 da
manha e das 3 as 5 da tarde.
Chamados a qualquer hora.
0
0
0
0
0
0
0
cjreumstancias de fazer
ipt
faz
CHAMAIMI
0 Sr. Jovino Fernandes da Cruz 6 cnamado a
rna do Cor..nel Suassuna n. 281, a negocio do
particular interesse.
PEKIIEII-SK
Do tb-atro Santo Antonioo ate a rna do Crespo.
uma pulceira de ouro com pedra* de mozaico
pede-se a pe.-soa que arhou a, ten a a bondade'
de a levar ao armazem a rua da Companhia Per-
nambucana n. 4, qua. sera generosamente gratifl-
0*0:0000*:000
2 MSKO *.
W. DE
0
MOFINA
Est4 eneoura^ado 11!
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de Mello
escrivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir 4 rua Duque de Caxias u. 36, a con-
cluir aquelle negocio *que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
fins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou & fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
e por este motivo 6" de novo chamado para dito
8m, pois S. S. se deve lembrar que este negoeio e"
de mais de oito annos, e quando o Sr. seu Suio se
achava nesu cidade.
000000 00000 000.
CASA DO OURO
Aoa t.OOO-0(f>
Bilhetes garantidos
nua do Barao da Victoria (outr'ora A ova
n. 63, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender n-is sen
oiuilo felizes bilhet.'s a sorte de 7U0i'00 em
dous meins de n. 587, alem de outras sorter me
nores de 40*000 e 2uju00 da ioteria que te aca-
bou de exirahir (7o> ; e convida ao? possuidore-
a virem reeeber, que promptamonte sera > pagos
na forma do costume.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeiu
vel puhlico para vir ao seu eslabelecimcnto com
prar os muito felizes bilhete?,que nao deixaran de
tirar qualquer remio, como prova pelos mesmc
anuuncios.
Arhain-se a venda os muito feli'es bilhetes ga-
-antidos da 1' parte da Ioteria a beneflcio da
matriz de Tejurupapo, que se extrahira no dia 27
do corrente mez.
Prefos
Inteiro 4/000
Meio 2/000 -
Ifte 1003000 para cltui..
Inteiro 3/500
Meio J/750
Recife, 21 de liivembro do 1873.
Joafi JooQium da Costa Leite.
OOaXS itXfiiX!C5QK3D ^
C'liisullorio medico 8
no rj
Dr. Murillo. fw
RUA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR. V
Recem-chegado da Eurepa, wide fre- S
quentou os hospitaes de Paris e Londre 5
pode ser procurado a qualqner hora do
dia ou da neute para objocto de sua pro- r,
fissao. Jy
Consultas do meio dia as duas horas Wi
da tarde. /
Gratis aos pobres. "g
Especialid d><.=Mole8tia-) da pclle, de Q>
criam.a e de mulher. fv
Fmprega no tratamento das molestias ^
de sua espedalidade as duchas frias e Q
banhos a vapor, para os quaes trouxe Q
os apparelhos mais modernamente em- *'

pregados na Rurcpa.
Tambem applica com grande proveito

AVISO.
PHILOSOPHIA, GEOGRA- 0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
00*0:^fHt0:0ft>0
PHIA e HISTORIA
Duranle as ferias
POR
EUZEU MARTINS
Run da Imperatriz n
Moraes 4 Motta. proprieUnos do armazem Fi-
53( delidade, a rua do Imperador n. 14. convidam
pelo pre antigos na mesma casa, de virem sa da l<>s at6 o
fim do corrente anno, certos de que se assim o
nao fizorem, obrigam nos a proceder a c ibranca
judicialraente, sem excepcao de pessoas.
Recife, 19 de novembro da 1873.

,11
Quern quizer taihar carne va para a Boa-Vista,
lO kill trulcva A.... -_____ __T a '
?!*"'todos c?rUm ^rne- 1er tenoam o\x nao r
ncenca qner seja ou nao escravo, quer corte com
Casas para alugar para a fes
ta ou por anno
Um sobrado no Poco da Panella, na rua do Bio
n. 5, com 4 silas, 5 quartos, sa eta, cozinha fora e
quintal murado.
Uma boa casa terrea nova com cocheira, estri-
baria. pequeno sitio, 4 margem do rio, n. 35 da
Quem da essa ordem e o
machado ou sem elle.
poderose
Dunga da travessa.
Uma casa pequena. porem com bons commodos
na travessa da Cruz das Almas ao pe" da casa ver-
j melha n,
'Tasso.
ipequ
daCr
Todas a trarar cora
o commendadoj
no traiifiiento dat mole>tias do utero a
electric idade, pelo processo do Dr. Tre-
pier. Cnra por um processo inteiramente
novo as bUnnorrhagias e sobre tudo
(gotta miliiar) dispensando as injecp5es. 'j
^xxxio ikVXHJAX^
Pergunta-se aos Srs. fiscaes do munlcipio do
Recife, qual a postura municipal que autonsa o
capataz dos talhadores receber de cada um Mies
40 rs. diarios dizendo ser de capatasia e promet-
U ndo suspender o que nio quizer pagar, pois ha
vendo para mais de 150 talhos importa era seis
mil e tantos rfls, e uma renda menos ma nao
o IHm. Sr. nao tenha autorisado a isso pedimos
aos Srs. ftscaes providencias para tao desconiunal
procediraento.
_______________________Um prejudicado.
Hotel duas na^oes alliadas.
No becco do Padre" n. 28 faz-se comedorias com
todo o assein e perfeic^o, e se manda levar em
casa de lualquer pessoa qne quizer ser assignan -
te por mez on mesmo avnlso, pelo precp muito
commodo de 30* e 35/ por mez p>ra uw\ pe- oa:
I ns Srs. que se dignarem obzequiar-me dinjam -p ao
mesemo h..tel que achara c>m qnem tratar. Tarn
bem havera no mesmo hot< I, papa de kite lodo
os dias as 5 l|2 horas.
Attencao.
Na rua do Aragao n 31 ha quem se emarre-
gue de pr parar cora aeeto, promptidio e preco
commodo. tudo quanto 4 ancessario e indi-ppn-
savei para giiarmcer hhm aisa em dia de me> to, hapti>ado o fualquer outro arto it re-
ttiln. a vontaje de quera eocommendar, seja
qual for o peMo, t satisfeito.
I WHTIlftDO 1
iuM
aoaaaaaaaVHaaaaan


6
ftutffc *lW*ttflaitti Qukitfl'^ra 21 ^etfeveAtto HP&73.

ss
Boa casa para a festa.
Aluga-se uma excetlente casa no Monleiro, in-
vessa ttdo de lhipeza : "a-tratar na rua Primeiro de
Marco, anlipa dc Crespo u. 10 A, loja de Gorgel
do Amaral & C.______________________'
Carros de luxo.
E InqufstionaveJ quo a cocheira da rna do Bom
Jesus n. !.', de Joai|Uim Paas Pereira da Silva, e a
que tern a.* melhores berlindas, calecas, meias ca
lecas e Victoria* de luxo, proprias para qualquer
noivaJo, visitas de etiqneta, bailes e actos da aca-
deinia, sndo os mesmos ajaezados de excellent--?
parelhas de animaes, arreios luxoosos e boleeiros
com fardainentos do ultimo gosto, pan o que se
convida ao publioo a vir por si mesmo scientifi
car-se da verdade do que deixamos dito, certos de
que nao encontrario poraada, e aim realidade e
commodo? precos.
Aos pals de familia e ao pu-
blico em geral.
Urn* pessoa competentemente babHitada pela
tustrucc/io publica desta provincia e residente em
a rasa n. li, no largo da Soledade, incambe-se de
prenarar a qualquer pessoa, sem distinecio de
90X1, para as fooc.&es do maffcterio, empregos
pubiicos e quaeaqaer ontros cargo* dependents
de concnrso, com toda solicitude, esmero e into-
resse; alii de conseguir o pregresso e aprovel
tan; ml > di' sous alamnos e alumnas. 0 preten-
denM pod* dirigir se ao lugar e easa supra men
ciun,-.da das 3 ate a 6 horas da tarde, que acha-
ra com q-,<-m tratar.
Escravo Jugik
1004000 de gratifica^ao
Deeappa:-.wen de novo, de bordo da barca bra-
silcira S. Jotf, 0 escravo Joaquim, preto de na-
clo, 0 qtal anda bem vestido e calcade, deixan-
do croscer os cabeilos a modo de meia cabelleira.
E=se escravo pertenceu ao fallecido Dr. Olym
Marcel lino da Silva, que 0 havia comprado na
provincia de Minas (em S. Joao d'EI rei ou Ouro-
Preto), e com elle segnio para 0 Rio de Janeiro e
d'al'i para esta provincia, donde foi para Maceio,
tendo o vendido alii a Justino Epaminondas Ne-
ve.-, a qumi 0 compraram os abaixo essignados.
Sab<: cozmhar, occupacao a que estava dedicado,
e c<)Dhe:e .so peU fella que 6 africano.
Ofbreoe-se a gratifies gao acima aquemoap-
prekeniier e roga-se a todas as autoridades a 3ua
eaptura.
Recife, 6 de oututro do 187:1
Jose da Silva Loyo & Filho.
Escravo liigido
Desapparereu ao amanhecer do dia 4 do cor-
rente, (to engenrio Serigi, comarca de Goyanna, 0
escravo de muue Jose Borges roestre de assucar,
kudo os Mgnaes seguintes: cabra, idade 30 annos
pnu:o mais ou menos, boa figura, um tauto grosso
c espadaudo, sendo 0 signal mais visivel uma
gomma na |nnte do pe_esquerdo : rogasc a todas
as autoridades e capitaes-de campo queiram ap-
pieleodcr dito escravo e lcvalo ao referido en-
geoho. ou msta praca a Oliveira Filhos & CL, lar-
go do Corpo Santo n. 10 que scrao generosamente
recnmpensa'tna.
Recife, 19 de novembro do 1873.
Arredilarao veodo
Rctallid se um vasto c bello terreno
morgorn do rio, nos fundos da povoa^So de
Beberibe, ainda nao visto pela maiorparte
da po[ ulai;ao, por ter silo ha pouco derru-
jju.lo os m.ittos que cobriam dito terreno, 0
qu.il cousta de uma grandc planicie, pro-
pria para tdifica^ao, e distancia ae 3 rainu-
ios a ultima esta^Ao da via ferrea, achan-
do-so ja diviiido em ruas, com npprova^ao
da narnara de Olinda
Quern pri'tender p6de ir ver que sem du-
vida Bcara* agradaJo, n entender-se com 0
Sr. Jose. 11 Miiurato Mcdeiros (Zumba), en-
corregodo, ou com o proprietorio, junto &
ponte da dita povooeSo.

IMPERIAL
KABRICA DE (JIGARROS
DE
JMO DE NICTHEROY
S.
IS10 de (luiieiro
Constaodo ao abaixo assignado, unico zgente
uos provincia, da imperial fabrica de cigarros
de S Jo5o de Xictlieroy, no Rio de Janeiro, que
n 1 mercado cigarros que Ban vindos eomo
bbrieados em dita fabrica, imilando para isso a
etiqueta em que vcm elles envoltos, apressa-se a
prevenir a tod is os teat freguezes que os uniros e
vur laduiMs cigarros de exposicao de dita fahrica
-1 >.Vi vendidos nos armazeas dos Srs. Francisco
r.u'ti-s de Aranjo, Manoel de Souz 1 Cordeiro Si-
iii'i is Junior e Faria 4 Filhos, unicos de^ositos de
dila fabrica. Recife, 22 de novembro de 1873.
Domingos Alves Matbeus.
Manoel da Silva Faria & C., a rua do Vfgario
n. SO, a'tmini-tradores da massa fallida de Ignacio
Pessoa da Silva, convidam aos credores da mesma
massa para que no prazo deoilodia?, oontados da
data di-ste, :ipresentem seas titulos, aflm de serem
verifiCr.dos e classifleados, Recife, 20 demvem-
bro de 1873.
ga-se
0 primeiro andar do sobradoda rua do Dnque de
Caxias n. 4i, proprio para eseriptorio, ou rapaz
solleiro : a tratar an mesmo, loja.
AVISO
CAZA DAFORTIN
afA 1 .* t)F. MARCO (bUTP.'o&A DO'CBEStO) NU-
MERO 13.
0 abaixo assignado tenJo vendidonos sens fe-
lizc* bilhete^ da loteria do Rio n.1 i8t a sorte de
4.000ft, etnvida aos seus possuiiores aTirem re
ceber na forma do costume.
Manoel Martins Fiuza.
1
A pessoa q .e annunciuu precisar de 5t!0A a
premio sob hypotheca em bens de raiz, appareca a
rua do Hospicio n. 25, das 4 horas da tarde em
diante
Attengao.
Na rna estreita do Rosario n. 35, preparamse
bandeijas com bolinr-os linos de todas as qualidades
com bouquets, muito bem ornadas, tude com as-
seio e presleza, e por baaatc preco, para casamen-
tos e bailes ; bordam se fltas a ouro e preparam-
se bouquets de cravos oaturaes com fitas borda-
das a ouro, por barato pre^o, sendo a encommen-
da feita seis dias antes. Na mesma casa prepa-
ram-se, como serapre, bouquets, capellas, diade-
mas, coroas de ouro e de louro para os influehtes
de presepes, tudo do muito gos(o e barato ; lindos
txmqnets artifieiaes de dhaiias, rosas, cravos, de
ftofes de cera, Oe parn? e papet para offertas as
pastoras, para 0 theatre, etc., tudo seackara sem-
pre prompto. e por preco commodo.
Ao publico e ao oommercio.
0 afcaix assignado tendo ceraprado a
Diniz Alves Pereira a parte que tinba na ta-
WM n. 8, a* travessa dos Martyrios, desta
cidade do Recife, Qcando unicamente a de-
ver duas letras a veneer, arabas/da qnantia
de cento e vintc mil oitoecntos setenta e dous
rs. declara que nesta data cedeu a parte que
havia comprado ao mesmo Sr. Diniz a Can-
dido Jose da Cunhs, mano dqeHe, ficando
0 mesmo Sr. Canoido obngado ao pagamen-
to das duas letra* a voncer, e a todo passivo
da casa, por Ihe pertencer todo 0 activo, e
o abaixo assignado desonerado de todas as
transaccdes, nao se sujeitando-aoscasos for-
tuitos, solitosou insolitos, cogttadoa oufllo
cogitados.
Recife, 2i deuovembr.^de U73.
FrunciscG-Alve* Moreira. -
0 abaixo assignado dei-taraiag respeitavel
pnbtico e ao corpo do oommerciftiiquejse'despedi*
desde 0 dia 25 do oorrente inez da casa do Sr.
Francisco Antonio 1e Albuquerque Mello, e nao
foi despedido. Recife, 2G de novembro de-1873
___________ Actonio Feancj*!>e Aaeias.
Aluga-se uma cam muito fresca, na Capun-
ga, com commodos para familia : a tratar no me=-
mo lugar, a rua da; Crioula* n. 5,
C0MPR4S
Compra-se uma escrava boa engommadel-
ra : na rua de Santo Amaro n. 2, aimarem de
molhados, se dint quem precisa. 1
'^

J rastes.
Compra se e vende-3e trastes novos
e usados no armazemdairaa dolm-
pcradur n. 46.
Compra-se
um sitio nos arrabaldes desta cidade: onde paSse^
linha de bonds : a tratar ax rua -do 'l!pepad0r, a.
48, armazem. 1
VINDAl


LKHJIDACAO -i KBRAL
X. 24 BL'A BARAO DA ttfMhHf A 24
Onde tern a bandeira encarnada com as lettras
Ltqiiida^ao
Junto a loja do.Carneiro
Vianna.
Um rico sortimento de mobilias genovezas, ditasi
de Vienna d'AuMiia, caderras avolsas para saJa
do jantar, dilas para jardins, diUs (te *alanco< de
vime, ditas espregui;adeirjs, ditas proprias para
rainar-se, mesinhas para quartis.espelbos, camas
de ferro para himens e criaocas, faqueiros para
mesa tampas para cobrir pratos, guardas-comida,
objeetos de in- tal, ele 'tr > Silver Plate, estojos com-
pletos para homens e senhoras euma rica seraflna
(instrumenlo musical) ; e outro muitos artigee
que com a presenca dos visitante's bem- se devem
BOTtir detudo, por ser muito barato tudo e quese
acha exposto a venda : rua do Bttrio da Victoria-
n. 24, bandeira encarnada.
- Vende-se na rua do Vigario n;'.W :
C^enac da melrmr qualidade.
Relroz do Porto.
Vellas o- cera.
Vinho do Porto engarrafado om duzias.
Farinha de mandioca nova
Trem para vender loaqatm Jose.Oun Iran & 1'ilho, a bordido patacho Sapho, chegado
de Santa atlianna, fundiado defronte do trapiohe
Barao do Livramento ; e para tratar a bordo, ou
no seu eseriptorio a rua do Ommerp'o-n. K.
Tern pan; vnioVr Joaquim Jose Goncalves B'-l
0 FHIki : a watar no seu eseriptorio a rua
do Commercio n. 8._______________________
Leques, luvas e sahidas de
bailes.
Amaral, Nabuco 4 C. receberam um completo
sortimento de leiues de madeira mosaico cou-
ro da Russia, marfim, madreperola de diver^as
cores e tartaruga, luvas de pellica fresca, e peaux
de stUd, e tahida? de bailes ou eapas de casemi-
ri nara preservar quaesquer ineommodos nas sa-
hltfei dft reunioes: veadem no Bazar Victoria, a
rua do Barao da Victoria n. 2.
Amaral, Nabuco A C. vendem magniflcas
colcbas de seda, luis-imas atwrturas de'eam-
braia de linfto bordadas. para camisas de senho-
ras, e meias de algodao, fio de Escocia < de seda,
para homens, senhoras, tneninos e meninas: no
Bazar Victoria, A'rna' do Barao da Victoria a. 2.
UOUIDACAO
DA
Ftfndicfio da Aurora
Grande sortimento de:
Moendas'de todas as qualida-
des e taraanhos.
Taohafffundidas e batidas,
idem. -, m/,|
Rodas dentadas eangulares,
idem idem.
Mafiihimsmo, idem.
Varajidasj. gradfeamentos pa-,
Tirjardim, etc, etc.
fiwo sewende por precos
muito em conta para aca-
bar.
NTB.
Q. Stair &C, eaa Jiquida-
cjuo> he fundit^ao da Aurora,
em Sauto Amaro.

UNHAS
-RETROZEDEALGO
DAO
DE
TODAS
As
GOftfiS
Rua do Barao da Victoria n. 21
DE
Caroeiro Vianna.
@
<9
0 Sr. Juaquim Clemente de Lemos Buarte tenba
a bond .Jo de vir ou mandar a rua do Corouel
Suassuna n. 282 a negocio dc seu interesse.
#^^^@^#@
^>. DESCOBERTAS MEDIGINAES ./a
Manoel de Siqueira t
< 'avalcanti.
I1 o Preservative da Cry-
Blpe'.ia : para cutar com certeza, e
en. pone* tempo, qualquer ataque de
er}si|jela, e prevenir o seu reappare
cirr.nto.
E pnderose para o rheumatismo.
" o Rc^nlador da mens
ti'iiacao : para falta, irregularida-
d<',' suppfessao repentina da menstrua-
cht, e dos lochios, assim como para
i- r-o'Trimentos devidos aquellas
atTecgiies. Ambos estes medifamentos
jS sao nuitn conceituados, e procdra-
dos neta provincia, e na do Rio de
Janeiro. i
Acham-se a venda somente em caja.
do aui'jt, das 9 horas do dia as 3 da
tarde, e a qualquer hora em casos cr-
Mttf.
. GRATIS AOS P0BRE5
Rua. da Imperatriz n. 14, 2 airdar.
AflugiJBe'&if Wrreao murado, na rua da Sau-
dade, que tern com palmos de frente e 360 de
fundo, coin pequena casa e telheiro para ani-
maes, piNH>i> tra -pljBtatSes: a tratar a r
Prim^l^ iefMareb in; 23; loja.
mwm

Prec*f.a-Ba datn eriado, que s'ja bom cop^eSro
e a^8d(i: nnfrtia da Dtit&oh. 17.
--------------._---------------- _- .i 11t-
i ec ;4;8fi de urri cr ado livre Qu eicravo ;
''adre n. 2.
Alcatifas ou tape s de linho adamascados,
proprios nara salas s a vonJa no armazem de I.
0. C. Doyle, rua do Commercio n.'!38._________
Varandas de ferro
Na fundicao de Cardoso & Irmao,. A ma dd Ra
rao do Triumpho, outr'ora do Briim n. 100 e \Q\;
vende-se varandas de ferro fundidas, de bonitbs
modelos e prer^i commodo.
mtmas.
Amaral Nabuco & C, vendem os mais corarao*-
dos cosraoramas com visits actualmente novas :
no Bazar Victoria, rui do Barao da Victoria n. 1
Venda de'taverna
Vende se uma laoma no vraddufo n. 12, em
Olinda, com annacai ivva e sem alcaide, boa lo-
calida te, propria para principiante, tern moradia
para familia e lugar para moutar fabrica de ci
garros, e o motivo por que se vende se. dira ap
comprador : a tratar, no jargo da Santa ru* nu-
njero 4.
Bom negocio
Vende=e muito barato.utna casa detaipa, com
A' rua do'Cabosa.n. A.
Os proprietarios da Hr^drTeWa. n-i mluit-i de
conservar o bym penceito-qne tem meraoido do
respeitavel puMico; mento dos mais qua negociam no mesmo gom-ro,
veena ai-iBotiicar iaa sew bons freguezes qne pre-
veniram aos seus correspondentes nas diversas par-
?as d'Eusapa para Hi's enviarem por todos o pa-
quetes os objeetos de luxo erbonj gasto, janriiaaia'ibeii fteeihw-pelas sociedirdes elegantes
daquelles paizes, vistp aproximar se o tempo de
faitaveaiMe Aetld 'e'o desta Rada' Veneza
mais ostenfa a riqueza dc suas toillettes ; e co-
mo ja reoebessein pole paqu-'to francez diveraos
artigos da ultima moda, veem patentear > ahruns
d'eutra eUei-que se tornam mais recunMTiendaveis,
esperando do respeitavel publico a costum*da
coBetrrreaeia.
. Adurocos de tartaruga os mais liudos qne teem
vindo ao mercad.>.
AH>uns:'corn ricas cabas de madreperola. e de
'vellude, MM diveraos tamanhos e iaritoe pre-
cos.
Aderccos coijipli'.tos de borracha pr.prios para
lc.to, tambem se vendem meios a lerecos reuNto bo-
n*t08- /-,
I Bot5es de setiiA ,preto'e< de Corel para "Aatode
vestidos de seahora ; tambem tern para, .colleto e
palitet. \
Bolsas para senhoras, existe um bello &>rtimen-
to de seda, de palua, de.chagrim. etc) etc., por
barato preco.
Bonecas de lodes os tamauhos, tanto -de loufa
cprao da oera^ de horracha e de massa cfeama-
mos a attencAo das Exmasi Sras. paraeste artigo,
jjois a* veiea tornam *se as crianca^ uni pouco kn-
pertiuentes po' fa.Ua, dc> .um obieclu que as en-
ireteobatn..
, CartMsas do linlu lisas e com.peitos bordados
.para homem,,yendemse por preco commodo.
Ceroulat d^ I'mbu e de algodao, de di versos pre-
cos.
Caixinhas cpmr,musiea, o que ha de mais liudo,
com distico- nas tampas e proprios para presen
tes.
CoqUes os niais moderaos e de diversos forma-
Cqape)}s.paraseuuora.Beceberam um sortimento
da ultuna moda, tanto para senhufa, como para
meninas.
CapeRis simples, c com veo.par* nokas.
uairas boi-Jadas para meninas.
Eotremeios. e^lampadps e bocdados, de liados
desenbps.
Escova*. electricas.para dentes, tern a proprie-
ddde de evitar a carie do> dentes.
Franjas do eda pretas e de cores, existe um
graade sortimento de divercas Jarguras e barato
pre^o.
Fitas do sarja, de gorgurao,-de setim e de c^a-
malotev de diversas larguras e bonitas cores.
Fachas do gorgnrao muito lindas.
Flores artificiaes. A Predilerta prima em con-
servar sempre um bello e granJe sortimento des-
tai flo es, nao s6i para enfeue dos c^bfllos, como
tawrliehfcpara oraato d: ve>tida do-noivas.
Galoes de algodao, de la e de seda, brancos,pre-
tos e de diversas cores.
Gravataj de seda para homem e senhoras.
tacos de cambraia e de seda de diversas cores
para senhora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
noiva.
Livros para, ouvir n**a,.ccm ennas de madre-
perola, marfim. o>-o e velludo, tudo queha de
bom.
Pentes de tartaruga e marfim para alisar oe ca-
bel os ; teem tambem para tirar caspas.
Port-bpuqiu-t. Um bello sortimenU) de madre-
perola-martini, (sao- e dourados por barato preco.
Perfumarias. Nesta artigo e>ta a t'redileeta bem
Erovida, nao so era *xtractos, com. em oleos e
aoha dos niWIi-ircs odores, dos mais afamados
fattficantes, Loubio, -Piver, Snciedade Hygienica,
Condray,'Gonel,e Rimel ; sao indispensaveis para
a festa.
de 72 piim ) de frente 2*' de fuodo, cem-algu
mas fructeira* em-peato- ueqaeo'i,-silo no lugar
das Areias. freuozia ,ds Afogados : a tratar no
pateo do Carmo.fi. 8.
Para acabail
Rr&'jgchapeos para sen^ora : s6oa rua Duque
de Gaxias a. 0 A, fejada esqnina.
Na ha mais cabeilos
TINTMIh- japoneza.
S6 e uiiica approvada pelas acad'jmias de
sciencias, reconhecida superior a toda que
tem apparecido ate" hoje. Deposito princi-
pal d rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
quez de Olinda, n. 51, 1 andar, e em
todas as boticas e casas de cabellei-
reiro.
De forca de d us a seis cavallos : a venda no
armazem de Joaquim Lopes Machado & C, tr-a
vessa do Gorpo Santo n. 25.
Alqaciana
A 400 RS. 0 COVADO.
Farenda inteiraraente nova e propria para a pre-
sen te estacao, pelo baratissimo preco de 400 rs o
covado, a loja dos arcos de Gurgcl do Amaral &
C, a rua 1. de Marco, antiga do Crespo n. 20 A.
Hsdipolao fraocez
a 6^500 a peca!!
Madapolao francez ftno com pouco sujo a 6^50
a peca ; e pechincha I na rua do Qaeimado nu-
mero 43.
Sal do Cabo Verde.
Tem para vender Joaquim Jose Gonc,al-
Saias bordadas para seahora, por commodo ^es Beltrao & Filho, a bordo do b-igue por-
preco.
Sapatinhos de la e de setim bordados .para bap-
tisados.
Tapeles. Recebeu af Predilecta um bonito sorti-
mento de diversos tamanho?, tanto para sofa co-
mo- para entrada de salas.
VeoWmenta-* para, haptisado o que hn de mellwr
goatoe-os-mais miidernos. recebeu a Predilecta e j
tuguez D. Anna, fundeado dofronto do tra
piche Alfandega Velha : a tratar a bordo ot
no seu eseriptorio d rua do Commerci
n. 5._______________________________^_
Banhos em Olinda
Cambas e ealpas do fazenda de boa qualidade,
&#./JII
/
AEULHA.l
E
Aeeessorios
ARA
JIUUER
PARTE
HA I,
Maeliina
/

Com >kkt&ca(ut3-qaaatoMaappeeado
DAS MACHIMS MM COSTDBA
c3

A' este grande estabelecimento tem che-
gado um bom sortimento de machinas para
edstura, de' todos es autores mais acredita-
l^dos tritimamentena Enropa,,cujas machinas
sao garantidas por am nno, e tendo um
paffeito artiMa para^enainar as nsesmas, em
qualquer parte desta cidade, como bom as-
sim concetti-las pelo tempo tambem d'um
anno sem despendio algum do comprador.
Neste estabelecimeuto t-mbem ha pertencas OO
para as-mesmas maehinas e se suppre qual-
quer pe$a que seja necessario. Estas ma-
ciiiiias trabalbam com toda a perfeic,ao de
um e dous ppspontos, iranze e borda toda
quaJquer eostu/a por ftna que stjn, seus
prejotfsao.tla seguinte^quaUdade ; p'-ra tra-
balhar a mao de 30U000, 4035000, ioJJOOO
e 569000, para traJialfear com o pt- sio de
80JWO0, 90O00, 400*000, UOJJOOO,
120*000, 13O3M)00, laOJJOOO, 200C000 e
250&000, emquanto aos autores n3o ha al-
tera^ao de precos. e os eompradores poderao
visitar este estabelecimento, que mnito de-
verto gostar pela variedade de objeetos que
ha sempre para vender, como sejam : cadei-
ras paraviagem, malas para viagem, cadei-
ras pata salas; drtas de balanco, ditas para
crianga (alias), ditas para escolas, costurei-
ras nqnissimas, para senhora, despensaveis
para crian^as, de todas as qualidades, camas
de ferro para homem e criangas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelhos de metal para chd, fa-
3ueiros coin cabo de metal e de marfim,
itos avulsos, colheres de metal fino, condiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
arame, tampas para cobrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatorios completos, ditos
simples, objeetos para toilette, e outros mui-
tos artigos que muito devemagradar a todos
que visitarem este grande estahelecimento
que se acha aberto d^de as 6 horas da ma-
jihS ate- as 9 boras da noute &
Rua do Barao da Victoria n.
22.
t
Nenhuma ma-
china Singer elegi-
tima se nao levarj
orque?
g esta marca fixa no
bra^o da maehina.
taja evitar falsi
ficftfoes notem-se
bem todososdeta-
lhes d marca.

06
J
! A diiiheiro e a prazo!

A oontefito das fixiftas/'femilias
Sao as mais baratas
S5o de dous pospontos
Sao mais simples erapidas
Sao duradouras
BOU8 POSPOWTOS
Abainham
Franz* tn
Pregam tranga
Martam pregas
Bordam de lihha de seda
AlcolChoam
E pregam cordfios.
UmCA AQEXGTA
EM
II
A CASA AMERICANA
& RUA DO IMPERADOR 4>
2 salas, 8 quarto, ecozinba ton, com umWedo veade-por ba^to prero, para dear ao alcance de ^^^T^J^ OltodaTna loj7*8
arcos a rua Primeiro de Mareo (antiga do Crespo)
n. 20 A, de Gurgcl do Amaral C.
Para o cabello
Rna db Cabuga n. 1
.
Cuitas a 2i0 rs. o covado.
r-AKdrrlfO
A 240 ti. o covade.
So na rua Duijue-dajGaxias-h. 60 A, loja da
esquina.
A^SO'rs o covado!
Lazinhas de c6-es |wra vesti l* : 6 tl fna do
Duque de CariaS O. 60 At*jfe'rta e^qrtina,
i'^'l >ri
, Caixas comp'etas ecn ri,;ur:i-* ^i; a prosepPar de-1!
3S a .") 0 o cad a uma : i ir dajrua
la n. rl.
Machinas a vapor.
Machinas uV descarogar algodao.
Machinas defeortar fumo.
Aratlosftiaarucanos.
Cofres d--. ferro le variostaraaniios
Prensas p.ita*copiar cartes..
I'm i9C1 lilt V'b'iii' II \vLoi & C Perfa">artasa rua Duque de Qtxi|s n. 2
hffi CaSd Oe-Miln. n^WMeS ;t. Vende-se a armacao e utenMlios da ta
Ruadb^Bom Jesus n.'4
(iavalios andadores
Tonico de Jayme, contra a caspa e a calviice :
epcontra se a venda no deposito central deperfu
marias a rna Duque de Caxias n. 28
Superftno creme de Jayme, garaiitia dos cabel-
los :: eneontra-se a vnda no d<'posito central de
28
--------------1
armagao e utensmos aa taverna do
pate^ doTeroo n. 41, barato, e propria para qnem
seifluizer estabolecer uaquelle logar : a tratir na
mesma.
PEGHLNCHAS
SO o n. 20
RUA DO GhESPO
LOJA DAS "8 PORTAS
continua a vender muito barato para apurar
'muito dinbeiro.
CASSA LA
Chegou esta fazenda,sendo lindos padroes, e ven-
de se pelo diminuto preco de 4u0 rs. o covado, e
pechincha 1 dao-se amostras.
METINS
Proprio para veatidos o que ha de mais gosto,
padrSes novos, pelo preco de 100 rs. o covado, 6
pechincha I I dos-se amostras.
Lkl B^COCEZAS
Lasinhas escocezas, padrSes bonitos, a 240 rs. o
covado.
Ditas com listras, padroes niodernos, a 280 rs. o
covado.
Ditas la e seda, padrSes moderoos, a 610 rs. o
covado, 6 pechincha Ml dao-se amostras.
ALPACAS DE CORES
Alpacas de ceres, padroes bonitos, fazenda de
14000 a 400 o covado, e pechincha I I I dao-se
amostras.
CRETOSE
Cretone em pecas peqaenas, com bonitos pa-
drSes, pelo diminuto prego de 400 rs. o covado, e
pechincha 1! 1 dao-se amostras.
Cortes de casemira di cores, a 5J1 00 cada nm.
Cambraia de linho de cores a 360 rs o covado.
Ditas pretas para luto, a 240 rs. o covado.
Fustao branco para roupa de m^ninos, a 560 rs.
o covado.
Brim pardo e de cores, a 400 e 440 rs. o co-
vado.
Cobertas de cbita adaraascada, a 3*500 rs.
Colchas brancas e com barra de cores, a 3*500
e 4*000.
Lencoes de bramante, a 24000.
Ditos de algodao, a 1 #100.
Toalbas aleocboadas, a;6ii000 a duzia.
Ditas felpudas, a 6|500 a duzia.
Lencos de cassa com barra, a 1|000 a duzia.
Ditos de~cassa abani ados, a *|0ou a duzia. .
Dilos de esgaiSo finos, a Z&SOQ a duzia.
Cambria lisa transparente a 3#000 e 4*800 a
peca.
Cambraia Victoriaa a 3*800,.
Atoalhado adaraascado, a 2*000 a vara.
Dito tran-ado, a 141O0 a vara.
FustSes de cores, a l*oD0 o corte.
Ctales de merino Jiso, a 2*000.
Ditos estampidos, a 3*500,4*000 e 4*500.
Ditos com listras muito finbs, a "iisOO e 6*000.
Esguiao muito uas a 2*000 a vara.
Brim preto-trangado, a 2*000 a vara
Bramante de algodao, a 1*600 a vara
Dito de Jinho'de 9 e-dO -palme$> 2*:50(*e *800 a vara.
Algodao marca T, ajS*00i) a peca.
Dito dome-tico, a 3#TJ00 a pega.
Brimde aigadlo 'com 'lfetras propriopara cami-
sas, a 400 rs. covkdo.
Nannie c minuto pVeeo de 400 rs: o' covado.
Agiias Alcaliiio-Gazosas das Fe
dras Salgadas.
Villa Roncade As^uiar.
BICARBONATADAS-S'DICAS
Analyses do Dr. Jose Julio Rodrl
jturs, lente da escola Pol j te
cliniea de I. is boa.
Esta excelleute agua usada com vantagem sc .*.
padeoimentos das vias digestivas, urinana;; dc
estomago etc., etc.
Vende-se
NA
Pharmacia e drogaria
DA
Rua larga do Rosario n. 34.
De r.vsamentos.
De haptisados
De bHiles.
De soirees-
De almocos.
Me lanches.
De biekmeks.
De ceias.
De dido de tudo
Se enearrega acoafeitaria do Campos.
Ealem disso
A confeitaria do Campos
Estd sempre'provida
De tudo qua.nto i preciso para
Uma boa msa.
Rna db Imperador n.<24
FIO ISJE
Tem para vender em seu eseriptorio Joaquirr
Josl Goncalves Beltrao & Filho, a rua do Commer
cio D. 5.
J. 0. C. Doyle.
Tem para ve i i :
Cognac de Ueaaes6v, superior e verdadeir .
Vinho Xere. das-uieibores qualidades.
Bitters dt Algosmra.
Sa1SrSi em h*r\ 10 l*gl|..
ltdaa-asiprafbralles chinjltas o^)r. *yT : nc
armtoam da roi ^Mmui9Hht- >;.
,'Pannolie 8%odo da
Ha para vender oito cavallos gordos e com bons
andares, vi ert^i! ^aera Preien|ler Pfde
dirigir-se a-.maii a'qto*'D6iCixias n. 9l, que se
jdjriaonde e pode examinar.
Imrato
S6na rua do Grespo n. 20.
I-n>ja de
Gnilherme dt 0.
-r^nAmafaTNabuoot* 6i/ vend m 'pOr Wrato jiliitaii S& bons ^annori e'ffxas, i 200 eAO'rtis. I_____,____.___, ; ,,,,.i___,.__ t >>. -
' preto; eortas de ;elidotl8'lati;aeiH4ly',de Wfla e tw?os'd^'c0res a OOe'120 reis. Vende-se sal do Awl:?, bordw doiibiate Jocu>
do gBsederoift^vBtli'neitta-'ile eoserlllra, fustao V. "pirHi Carehdas qne se vendem sem re^erva Vaik, coufninte ao trapiohe.do>Chtt ca'1*
ebrimparamenins.no Bazar da IfrMfa^'Df.. 2 tldipreCo para aeabar, nu loja n.tfi'ua rua da Cornpanliia Porni-n' '
do Barao dn Victoria. Madre ae Deus, defronte la guarda da alfrimftpa. da Cunha Lagcs ou cm
ChogiftiR ao
Calcas fe^tas para 0 ttabatio, ordinaria?, a 8'jO is. ]
Cortes da mesma fazedda, a .500 reis.
_ 'Rlstarlinhbs inflranos para vestidos, a 160.
Mttto-'Mfltfrt S& bons rfannoJ e" fix as, i 200 e ftO rr^is.
00 e'120 reis.
'Ha, par.
ia.
ir.dasaag'niafes fabrlcas :
Jose
QwSfi
?alma
i^Modeir
No escniWHflWllilzTDUptiat, i rua do;Grr;
^io-b"54;j:,nd: _
, VNMtoteAutpaiattsuffo de wmtfeiWfnvi
ri.adi.ijwu fcilito, mimr'
[ocio : a tratar na rua J Crespo n.


r
^4.'
, ,
Dima: Je< Peinambuco ^- Qmuta foira; 2,1. ,de~NaveiiiW:tei ]*tf*j, >


4Rua..dcr
i;r

UNICOS AGENTES
A'
Rn do flitu da Victoria n. 28
COMES lE MATT0S4>lMfifc
{ Avisam zb re>peitavel 'p'tiMico dc-,{i cidade.que o sortitnento de joias, dcsoMflb
lor, que exlstia era seu estabetcclmchtir, csta" compJettoetite^tefi^-Sedb com' o m'afe'ele1
'gantesorlimeuto de novas j6ias, quc'rocebcram directamente pelo ultimo vapor da Eu '
'ropa,constando elle do .mais variado sortimeuto de aderecos i Boulevard,, pulseiras. di
ultimo'gbsto com pedras preciosas e sehi'ollas, trincos d'a^c^7agiW^;parai'_ryte^fc-.oV
senhotras', delicados aderegos para meriirias^metos adeVe^ba de eamafl&'ltatiittiHiQ*, voltat
! de nqgordios para serthoras, corrchtes ingleiaS de 0u.ro' ede plallria, VferWd4,'jatl>^fd<
i de botfles para putiho's e pelto, com embleiias magodicos, de oriix, teefete-'de euro, eaile
feu, etc.,brtthantes monstros de rarMraas' agoas^ em arinelsi, rbrirtas*;1 pW^rts^lfire
tes e botoeS, e outros muitos ohjertos dc euro derhelhores fabrjcantes de(Parjs, que s
*- de preQOs, por sereim etles reeebiiWdirectam1*teWsev
Vs maiB simples^ as maisbaratas e as melhores do mnfido!
Tfa exposicJo de Paris, em 1867, foi concedido a j venderfio com grande rediiccao
_.'... ... comrtittentes.
Enas Howe Junior, a raedamade ouro e a condecora-l 0s pr0prietarios do acreditado MUIEU DE JOIAS, tendo tea estabelecimento abert.
Slo'da LegHW de Honfa, por serera as machinas mais per. 'ate" 8 horas da noute, convidam as familiaS que se quiZereW pfe-reV def'lihdas5 "jdias, >
feltas do rnundo.' virem escolbe-las d vontade, para o que es'ii em o^posicao nosmojtradores:
A raedalha de ouro, conferida
Estados-Unidos por sero rarentor
hrrtir1
a E. Hove Junior, nos
da machin* de eos-
DB
A
A medalha de ouro na erposicio de Lcndres acreditatt
cstas machinas.
.
Agua fk>rid% de Gkiielainy
para fazer o&iCabeltdSpre--
tos.v
NA
Una .. de larcofl. 7 A.
DE
Cordeiro Simoes <& 0.
Cabe-nos o deter de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Sova-
?o*k, estabeleceu qesta cidade a* rua do Barao da Victoria n. 28, um deposito e agenda
*ral, para, era Perriqrabuco e mais prorincias se vendere|bi as afarr.adas raachinaa de cos-
*'% de^Howe. Estas machinas s8o;justamente apr^ciadas pela perfei^Ao de seji trabalbo.
atpregaodo uma agulha mais curta com a mesma qulidade de linha que qualquer outra,
a*la injrodnccjio dos nuv* ape/rfeicpados'appa-reihos, estamos actualmente habilrtados a
fereeer ao oxarai publicc as mplhoTe's machinas do mundo.
As vaitta^ev^^ssiasrfmcMnaJs sdo asseguinles:
PrimSii'a.O'^TibHco sabe qlie e!!as s3o f?ur'adouras, para is^o prova incontestavel, a' panTiTinie
^OTinwuicii de'h'dnc'a tefbhiapp'Jirccido no mercado machinas d Howe em segdn- tras mcaiantc penhor.
miq." Cortes deseda de lindascorf!.
A aguia branca, a ma Dnqtie detaxtas n. SO,
hcaba de receberfiova Wme^sa ih apr*ia.vel afua
n.irida para fazer os cabellos pretos.. 0 bomfe-
suluafr olhi inofft:ti>iva prefiaracau a turn .allainenw coneeitua-
d "rjuotra se aprcrveifer de"
veio agna de tcJpasio e
o riiosmo um, e t&> acrdditado.i
vamente de'lja predte e q'uetra se
ro'tiiilid*de.:> TwuSferti
olaoflorido para
R' e.?ta caia, fern, duv^fla. uma das qiie hc>|e, ua)'i aajuella.
pude com primazia apreteniar aos seus freguezes Virtttfttt p Krinnnc t^p um variadisjimo sorhmcnio de fazendas ffaaspa- *^1*ai* '-Hwi^Ki -grWSBUS
ra grande toilette; assini como, para o'dsoorJi- n!?Afnrf> f?fiKr^>/>ti
;nario de todas as classes, e por prefos vanfajo- a-ijU^fU^a ut yuiVS.
sos para os compradores, de cujasfarom mil pe- A aguia liranca, a rua do ,Duque 4f Casias,D,
qneno resumo. 50,, receteu po\s e bouitas vpl^s c, brincoa de
Maridam fazendas .as casas Jos j.r^lendento*, grqsspf ljofares de corei, e'coiiio sempre conu-
tern o pesjoal necessario e dao amos- na a vcpde-las por preco comraOd.
No'tos dia'demas ;dQtuaidoS ^
I

com
pedras.
! A aguia bianca, a tua Uo Buuiie -de .Gaxiai n^
'60, reeobeo novo sprtimeiyf (^..(i^ni^a, diade-,
mas dourados e com pedras, tanto para meninas
prao para siinhoras.
S^ndk^ntem o mki^^isb p.fA'rnp.rar qualquer desarran^.: SenaWSdat2S.
Terceira^-i-Ha nellas menor rncgJo entre as diversas pe^as, e raenos rapido estrago Gorgurso branco e preto.
o ^ae hes ot tras. j Seiim Macau preto e de^ores.
Quk'rta.-^Fo'rmara' o ponto corhb se f6ra feito A m&6. Grosdenaplas idem idem.
j*SfirPermilte ^ Se Xamine lrRbafh0 ,,C "mbS S fi'' ^esenSoconse^ GSm^daereUecplUmasrv^ ^,to t &jgjj& fo' irM*dftat
Ricas basqumas de seda. A aidia'bfaoca, a 'ixa'Dti'iitie' de iOikia%-'n. '56,
c,-.:. a j_'< ^t^j??.r^?H? ?,Iev!a/i!S(l0 com a ma,or "cilwad", q-jando se tem de mudar j Coichas de seda para noivos. cas a'preftii*eWtt etrirevef^oeJsi.mefjoa^h^ tin .. Cortes de cambraia branca com lindos bordados. 'usada3iasiaBfes.ec*"olteKi; e como scrapre.wiM,,- L,,J>!i-*KM!?Jft;?*-''*
Capellas e wiantos para.'n ivas. ,. ; dfras |VF.pr^o (Boromodo. .-an/tua.tta i.mperaxru n. pp. ^
SttaSdeorcS8to de & com lislm de seda' Meias ciuias finas,par.a menln.
Ditarpiaripoza^, branedse de core*. '-; nac P opnVinriio
Ninsuric 'de liridos fad^e* \idtP) M-^vUilU* 4f?i s
Ba'ptista de padrdes mui delicados.
Seita.Fazem ponto mirido em cascmira, atravessando' p fib de am i outro lado. Popelinas de lindos pa'drdes.
!ogo'. em segbida,: sefn'' rabdifi'ca'r-se'"a terisSo da hnrja", cozem a fazenda mais *? iedi Dffcb ^ prew.
na.
jgulhajto 'comejdr nova costura,""
0^ja.^MQ|^-,compaQ^j|a ecadencuji.. Machinas' bulr,'ofa pbpulares, sao hoje' quasi descdr hocidas,
A'fivfffe tie Paris
Di
Oliyfera & Irimo. ,
Rua'do Vitoontkdsihliaoaoa- (oufr'ora rua
lo Rangcty n. -lb.
veiaalb*.
j)m-ftai(ie a variadu sortiaicnte de cfca
sol de seda, de ajaacja e merino, tanto
seifhora
mem como para setfhoras e niettiifos, coii-
cenil?e e cobrese os mesmos" a precos com
mo*.;,(jB8roamprar nma doa'aeaii maistera
p-desco^-dapra^,.; ., ;
DE *
JFAZBNDAS
' 'Liqu^ftPpb*' fefe o preco o resto das fazen-
das exisfcftrha'4pl^^ 16 da ^rna da! Ma4re de
Dcos, defroate da anarda da alfa ,dega. Aprovei-.
t6F1' P.?i^}r??''lBt.1'J9 nwnoa favqrecides da >lof-
luna lao impoftauiei-ccasiio, aond- poderaosor-
lirse c principiaricdlartementa as 7 horas da manhSate
as ft.da.lairfto-itenninando impreterivelmente no
,tu%dac.oKaate^maia.;. _______
Potassa
NoVa crt'inAoH barris a o'"0 rs. o kilo : vendem
Cnnha Wiiw'iiC, riia'da Midre de Deos nnme-
ro .14.
Hdmbrentan.. .

' 'A*S'fi)da no..rmae:;
BUMS

k Lisbra
u. 2-"J, ,i havessa do Coipo
5#000
por 3*500.
G. nra da Impenf.nt ri *i1.
Us W'mdros de 500 rs.
a-2% ft r sj 'o cwado.
1. E' para acahar.
VehdeWe ni R Wirica
Era 'vim armaiens 4 ftia do Amorim
n. S^e" cafes do'A'pOllq n. 47,
tern para vender ^r, precos' coramodbs
Tijolos encasraados'saxtavos para tadrilho.
Canos it barro para esgota'.
Cimento Portlaad. <.
Cimento Hydraulico.
Machinas de descarocar ai|odao.
Machinas de padaria.'
Potassa da Russia embarril.
Phosohoros de cSra.
Sagii em garrafoes. ,
Seyadinha em garraifSes.
Lentiihas em garraroes.
Rlinm da aJmaica.
Vinuo do Perto yelhe esgarrafado
Vinbo do Porto superi9r, disc
Vmhx> de Bordeaux, dlto.
Vinbo de Schernr.
Vinho da Madeira.
Poles eoni Imguas e dobradae iaglvai.
Liceres finos sortidos.
Cognac Gaulhier Frerea^ ,
Latas de touelnho irtgrex.
Barris com repolho em salmoora
ariiada ftnperatrls
n. 56.
Lrs mite' vestidos- de eente
,, smlia.
FazenAhidr WO *., vend se a 0C1O a, na ftosa
Bfaoca)e dac-se amiHtras: a rua da Imperotriz n
se:-
pi*
Je^asemiira de 18(3
jjft;I2J|N0O
se na rosa bran-
;cas de grandeza e
Sutras soffreram
*ad?I^*r^l$J$*fi$ffi&ffil$ir'i entretanto'a conipahhij! das"rhacninas de Boire'
as Howe, rntestre em'artes mechanicas', tem1 constantcraenfe'
600 machinas
^optando a opiniao de ElTa's 'ffoVe.'rnlesire em'artes'mectianicas1, teni
agav?ntado o sen fabrico, e hoje naV'attehde a procura,' pbsto que
faca
"^aa mfl'chin
'in'mstrucdB'es em'portugnoi.
A 90*000
'.'If
A,
do Bar'aO jt
9&|fo00 e 30^000.
Xaiojade Soares Leite ifmaos, a rua do Barao da
Victorian. 28.

de cordao imperial, a
osso para caicai ai
'.ivas de pellica com poquonb toque,
200 rs,
Abotoaduras para collete, grande sorti-
oiento at20 rs.
Caixa de lioha de marca, a 200 rs.
Lamparirms a* gaz, dando uma luz muito
:>&, a 15>00O.
Duzia de pegas
2i0 rs.
Caixa de botSes de
tOOrt.'
Duzia de iirMeis de linba, 200 jardas, a
GOO rs.
Idem idem 60 jardas, a< 3*0 i.
Ma^o de fit.* ehinefti, a 900 rs.
Caittde finha com 4 nbvft!Ws,a'B00 rs.
MelOs'ader^bs coW-eAhiafete.^'WM) rs;
Gafrafft! deiirtta rdx* extrtMllK^ii l#oi0
Poted'com diW irigl***, prtrta^ a 100 e
160 i*;
Caita de pednasPerryi ttttrifft boas1, a
Espelhos demoldurs iourada,
os tamanhos e precos.
^EJtFl'MAniAS
oleo
de todos
F. MIIDKZAS.
Onza verdadeiro,
FrAsco com
13000.
Idem com toaico Je Kemp, verdadeiro, a
19000;
Garrafa de agua florida verdadeira a 19200
Garnrfa d'ngua japoneza, a 1*000.
Idem idem divioa, a 19000.
Idem idem Magdalena (novidade) a
19200.
Caixa- de-pbs para' dentes, a 200 rs.
Percalinas de quadros preuis e brancos, de JU-,%io0, rec
tras, etc. 'curadasn
Brihs de' Hriho de cCres, pniprfos fa'ra"ve'stTdo^'yeVrtepaW'iWiOM^^y oi>BflS* com bafra e listras. pre^oafC4njd(i .-. .
Fnstao de-lindas cores.
Casaqainhos de la e de todas as
nhoj-as.,
Saias bor'da'aas para sehlio'ra*
Cainisu ldeinidem '
V'estuartOs "para jiieninos.
Dilos para liaplis^dos.
Chapels para ditis. .
Duando pifrpee teV-se e^gofado o reperto^-o das
imodwi, jeJa'' irtimeit ,a^0tfnOappamriifeiiew- (fiat* velheaie iaaasa-
vcis coriesjjynjleq^s, jla .Nvva..|*p.eran(|a, a rua
trarfBe Qa.Caxias p. 63,. Jefcobrehi outros ho
nttia#a hufam; 'aobSe le ilriscrvam csCngiiando
imwi*Mn<4lte -&s 'rinvas Inwn.oes.; remettem
,Pftra-a .5ovaf E.'peraa.a. e aitturisam a a dizer
aos s^u^ freftO.0??" j ; epefii*lmeute ao boJIo &e\a
Toa'lhas o guardanapo? adhniSscaffos 9e; lihlio dd'-ijai'
cores para' mesav
,0rej> V6b9; oip^wwintmhwsqp^etasj;
| A lota da aguia branca, a rua do DttqW^ftrHS*
'52121^LeC^eaM bl[tC)a v(Sr oa-22l?,-hSJ/ffl nldree5m "em \zl: e para prUva evidente
! ccocIkS,e^tm*T;ajpeM-'*(4?i*W8 ^r ^ff, dej
is p
Coichas de M.
Cortinados bordados.-
Catmsas bprdadaji para homem.
Meiac Ue, cores pgin 'hrimem e tiicnlno.-.
Combfc'to' sortlnfrtito de chrrpeVis Se sot fiara ho-
mns e srtilibrrts, com otlrfr de maifim.
Merino de cures para vestidos.
jGTain^vcoift^or^^!^M,b(jzt}yn>y, egafar,
Dito preto.
fir

I perMitfa^pv&-*fi 'A. ijom(daJ e pot istoiehKirevt/se^dafcaW/. I
Noras golhnhas ornadaSiOOBft
pelucia ou arp^^o.,
A l.fja d'agaii hrafcea a.raa Offme .de.CaRia?
' s c-ndva's goflmhas,' -'tVabllno ne IS'fle'da, eif-
neibkAis com arminho, Mirte'esfaa ! e inteiratiiettleif*l*as. I' .
Grampoa'j brfneos e rozetas
(lourad()64 :
I sempre assim.
mam
vfiBuyaea icuea, cua>.c*pa de raadrepernla
ou,*trVaroaa, ^eniioo centro da papa
um'.pi'quono relog.o perfcito regata
- ifor.1' '
CAftTE*BaS,;f*>Hlfe!'u<9, $m cigarros e ports
m nfcHB5B.nj)imoi gosio.
CaHTPIRAS para nota? com capa ile ntarfim, ma-,
(Jrcperolfl e,;artnrnga, com o dutico
I
dreperola. ft
t.eihh^7i.;r-
,BOt.AS' para s'^nbara^ 6raeihnr qne tem vmda a
osic', jsercad", do- diversas tamaphos,
qualidades e mfldelos de noya inyen-
' cao.
80Ry BOUQUETS de lindos gostos e t?manho.
)?p^eiB#da:le.5aj-a as n>fivas.
e sem cllas, proprias
r BWidade:
E com (Js meninos,
A Xd^EMi^i-apcaw> rua Duque.de Caxias n.
ios' Wftiec-bs de bt-rracha de formatos
V* rr'nimn nmito apreclarao
verdade.,
rece
Wra
este trinqhe*
Afpepwna,.
Atoalnado de linfio e algoflao para toafBav.
Ate'alhado pardo.
Brins de tinho bniaco, frito e de cfires.
Si'tim de lindas cores e com listras
Clialcs do merino de cores e pietos.
Ditos de casemira.
Ditos de seda preta e dc cores.
Dito de touquim.
Caorisjas de linho.
Ditas de ctula.
Ditas de flanella.
Ceroalas de brim e algodab.
Damasco de la de cures.
Pannos de crochet para cadeira, sofa c consdUos. i
Colchaj dc dito. A;U>a da^igim branea, a m^do. BHqae
Tarlatana de todas'as cores.' f Gaxiaa^-tMjQO, MMfenMmM(Nll^hfi
Espartilhos lisos c bordados. |pos,;brincos e rnzetaf wmj* j,,A#?: 9
Pnntarrt' up Ai nevosi diademas ae, afo, e coino.isentpre eo
SSa tricof' n^avbnde.y^ifr^^*^r^ >
Muisicortes de vestidos de linhr para senbi, OailXinngB C0IT1 ggCTOMHWO SB
de di orus corca, com os competcntas, euje*- v r ,,
tea, ytima jnoda. g pratcawosL^fittra cawGiei
; Caserairas prrtas e de cores, chltas, maflapoHlM, f[ ,. ! cambraias, paano fino preto e azal, coUnrTnte^ Vrfoli-JM.lpja^iAgdiiprtnAl^tepi\- A^NovaEsperanca a raa do Doqne de Cax.as
' prabosv gravntas, lur|P de pelHca, ditas d!flo. eder(,axi* n. JO. zJh?*?*m'Vt** """noj^f. unJ ,,ntfl,ro p-
Idem idem de pe* ohineik moko-bem, a-' a* Escocia, brancas e de ddres, taoetes U todos IjttvaS dfe DemCiLtJr^taB A '^B P?n P3^-^8 a e,'es-
500 rs. e 19000i < tamanhos, bolsts de viagem, tc ate. !"**f t**r^rft* Pote com opiate de Rieger, RimeLe &ros- A^g,^ ^^
Duzia de sabonetes de amendoa, a
'awoo.
Foihinha de variedades para
oanno de 1874
Conten 'o. alem do kalendario, a tabella dps
tmolumentris cobrnveis no tribunal do coramer-
cio dc'sta provincia, pre^o< e partidas dos vapores
de mar e terra, nones novos das ran desta ri-
dade, taballas dos emrdumeatos pamchiaesetc. etc.;
a venda em todas as livrarias do.Recife.
Veiide-se
um aitio no^largo da CasaFort%com 526 palmos-
de frtnte e o70 de fundo poncqnus ou raenos,
i-om casa de pedra e cal, 7 paries, 3 salas, co-
zii.ha t"oro, i cac'mbas f diversos arroredos d
fru-?: s j. asMtp eono,. um urr menor na tra-
veft'a da ;esina, jvollando para a esirada qua vai
para o Arrtfcil; com caaa a>pdra e cal, com k-
quartos, cozinha ton, cat-usbae aLuas alvorcdos
de fruc.to : no pateo do Carmdn. 3, ou narua
da? Trin>'b"lras n; <:' ________
Xo bom torn
Chejaram a rua sortimentiis de lis riinas.com Jindas listras de. so-
da a 1*200 o covado, ditas ie qnadros padroos
mnito ghiqbcs a- 480 rs. o covado so na roa uo
Qoeimado n. 13, junto a pra^rtiha l(ja de Gnerra
&'Fortran des.
Bo r as. mais'e indispensa-[
veis
- Amaral, Nabuco & C receberam completo Bor-
timento de bplijaa, rualas e inakpensaveis d> eon-
rotti:adeira e chagrin..: veuJe-se no Bazar Yi--
torta, raa d Xarope d'agriao do Para
Intigoe conceituado medicamento para
cu'ra das molestias dos orgflos mspiratorios,
como a phtysica, bronchites, asthma, etc.,
applicadoaindacom optimos resultados no
escorbuto.
MatricUra para cavallos.
A' venda na livrarfa' clas-Vea1, a rua do Tmpo:-t-
dor n. 73. Pre^ 40 W.<
rhrrinhos >tft buxo >\o, syslema mo-
Quaftfuer SPhhora. de. botn gosto, parece que
tofo'Da^ fauviewatNttvaiCsptrdnca a roa du Duroe de Ca
xias a. 63, p rqi^e 4 a loja,de miudeias quo mais
completo esta em si rtiment), e que maisnovida-
a^reaenta ao pabbco. em gerai.
Eon>as floristas.
9000. les, a 29200.
Idem idem, a iOO Idem idem com fibres, a ift&OO.
Caka de^entetepwes'ttirjado*,ii500rf. Sabonetes Glfycerino transparentea.
Idem i Caia; depapel afflteadej feeir* dcmrda^ Gaixa com.lsalonftes, formato de fructas,
800rs 8 19000 g 196O0.
Idem ideniidem Iwa, al0f ra. Casraeticoa, graudes 9 pequenos, a 100e
Dutela" de'tirfher* ettfie- Srno, 2 B., a 800 rs
W000 I fiasco, com agua de liagB, a 200, 3*0,
Resma de pltpe* pawfcto, a 49000 300 ra. e. ItfftOO,
para o fabrico dos.meHKires cigarros,finos de sedaj
DuEia de sabonetes de acjinho transparen- e linho,,a para caxiuibo^a.saber:
O te^ad'iro fumo He Daniel.
Para criauca.
0rlOT,A.8"HOfvR.< : A So*a Bspifttanca, a'rua-tio Duque de Caxias
A toji da Aguia'BT3rtca,i i raal(lH|Oe da-, I3L recebeu um sjr'.imento de vestmuripa (Jfl
rimiOS eSDCcfaeS ^ V ^ reWbe ivo"soWmaHJ dfl luaai4* ieasem^^. ajpajsa #aja frvm^v ; modernos e bo-
^ ^ ,,.-_"_ -!^_ ptc{.brMift'deofcw) Warn-do So NevO destlado.
Idem cabeJlo s.e picado.
Idem de Kacpeudy.
Idem de G->yaz.
Idem dePonibB.
Mem do Mineiro.
Idem- de S. Paulo.
Idemid^Mrtiaaf
*
n< um>-
1
i -Um topniioaftBtinieDtDde;. las mescUdas em *
&<*M.mr*w> Krua Du-iuo -
lao^Bflj)fi m.i f^teBftfl Bfmt*
Oxtcadd eslraBgciro.
Mobilias barataS'
.NoarmazfeiBI'fte- ibaqtm -fcfpeeJMa*"aa ha nit* om-siiTtiirrfiJo 'de> i>MKa>, 4e .Vienna 1 i(T*rsA*i n-
com-
(IlilD i'S lil'tk SCUll FAS. ^Hm&a**** tB%'dfede*eB*rv.t
a i ao .1rWTViiVpVftB* .^e d Pwji>*i^* 0'proprietario' flerte egtatoelechiMWotem.'4idDi u P-Wf ioY.ni\T %li Juiiii u ^r+- ^G^2^ LT^S^ ^Tw^? !do P*1".0*
'mafcr capricho possivel em obter do Rj^*t-^ ffiu^ia-nrflr, J&^T^i^*^ t**flbaK*?' 9>&M^
h 590O; -- Eitraetoa auito finos dos mtUaoros au-!aSJas qual'dades de fumos maisi esnEaaf", fMJ*Wtd,e ldi-iaVKi fiso, a2il90i(39fMie900O.'tor. latenaias ate mesmo no conhecidas .neste'WehS- J- jWdri'-avWai J'*ef4ie8 -qo:-4Mft. em .aapmel,parfiqnem 0 Pam na Amepca conserva
Go|ues'mcd%rt*, -4S^mm'.- | Lia^s.eelentescaixiniiajcomMruim- aV;,porem mnito apreciado em oiitras1- ftri^fc ^mpwa- as pwws toAkghfiKfiegmn- ,ffiMWjf$$lLUW fib,S^S
rwi rV* .-- a* -i*./i *-^^i,'^ ^*^^^^ ^^ i "^ chu do imDorio como os f* oaaaoaba&tftt'-'; b*W conduzindo exec ente tmpa de burros : dp.^rea'eltonw de-cSTcaflb, apToveftetn-d'W
Duas oV pecas U ****** Me earaeot riaaipropriaa.faM.preaeotea, doa aotores tSLf0ff^eS^ WwSSSS^ M&iWWB.nWde o^fMciMrena.
do correte e por isso coavida a t< dps saik Jaa- -to D lvlT^rtreW^'ltW FoM6/5s'eaWpCa1W'"e. J
'grafts e amigos pajra verem e exa^inXrem^a 'Jw WtirtoW'-'pAr MtefACiMi-toilMMMAtdU <
melblores qualidades dc fumos /ffao?i e p!rbiBeftV'JWet>' ; por i,-nptde.'ti!'. a^tHa*^ .ou.etfo*,
conservar sempre em seu amazem K> qna.liawodr'OB* eiq^uatpur. da^tej|, lujanBa^^
,, v -dn, Khtremeios-o babados transparentea e ta- de melhor witearthjo, deade o*awt*a ,*#!& Ua-ju^eiras, ,2? d, ouffihro de-TO.
Fita dC velludo de todas aS cords e largu- padOJ i libra; couionto dos. seuswimcr^os. for, rr-H------- ___ ,------- ]W1JoitfagB&s"6ao ^ftnb'e-Silva pawMpa a*
irm*^.ar,detabolela propria para quad* gaez^ e amigos. ; ,,! Caaa Q.XMWL'' '^&^ inflp-Xto^u arm^j-
Microscopios com 12 vistf^69000. qnerle^.; .. ^L* ,.-
iiranda, a 4W.;
Idem idemlisas, a 200,'if
Loques cfeoaso e sandalb,
>9000.
a 490o\ das.
^iii^leo^ara^macluiii a ^OO'rs.
Rua (To Barao da Victoria o. 28.
i
.<.
-*
na venMHI IMp*
Vead4.sa Bot}pa*jMjdarn'earBfc'***1.iJ linns
por atacai
aos comp'-adbre?. 1ft teftar e* JeitasffWrHft 'ha
requ(*j4o.
Os verdiMteiws
i-a^itu^ a--i
-J1Jt'"JUB. te-Miw
Cpanhertia
'rtwnUrd
Vits
Beanne
Monthelie
! Dito Bordeaux em quarJoHas.
VeBde-se por banito pre^o
PARA HQUfDACAO DE COWtkS
Baa I>arga do Rosarlo 34.
Botica.
Kxtra^irdliia^i'^iticfia,
Coichas de iil^dW idamasraAas feaia cama
pelo barathl!Mlpre#'*P?S9r na Ma dos
arcos, de Gnnte* Amaiia** a, a^rnaifriinalro
de Marco(antig do Cees*a) a, 20 A.
\TTA0
Vende-:.e uma excellente casa com um pequeno
itio slta no Amlarjnoto a caaa do Sr. Anselmo :
a tratar na niesma casa, e para intofmaroes na
taverna do Qucimado n. 3; 1* aodar.
Vewk ae um^bradx)
____,_ ,tie,. & rua do Bom Jesus, outr'ora gftMpa
Cru* q.;ti&,e,Uqa.,l aadar pa me^ffq
ruan-Ol,swidoestsiiomelbqrloqaii4a,ru,f(M x,
jui>t|j a 48r*i raariz d Corp^vSaoto i,^,
t w mesmo soiwado n. fi|,, .offfs ^
'sdtt/iyiuati'e a
rua da|lajiip.de;t
II If. 1 II____:____., i .; ., m---------;-J. Dad Moat* an4ita4h-ifltiristes, forwa:
T^"' } -i ,,.,,' #t*jj Lizabr, Adolpho Schmdt 4 C, Lizaui
t
hmjwf IMai la Vltode se ico pure de, superior qi
wrifl.para cobertas d/ caste, 5 medind
Juaida
oltr
pridd e 4.ile largoy pt^-'prajtt maito
Rua do1 Bom Jm\B n. 2 3
Nesjte estalR'tefiniontu y=m para venfler,
comWoilos prendsi' o segOmtPr
Tacos muito leves para nllhar.
CBrrinhes lo 3 rodas p;ira riuniUizir crian-
ca=.
Toroeira^
demo.
'' M|as para viagem.-
Espilhos coin mol !ura Ooo,rada c vidro
de primeira quolidade, c> in 1 > do pollege-
da de espessura, onvernisado' para evitnr
o mbfo no aco.
Bandejns'iinas e ordinarins.
Belogkis irancozes, bons reguliiu'ores1, pro-
p'irs pa'ra (lendnrar, com oorda para IS
dies.
Cadeiras de lona com e som encosto, mo-
bilia ligeira, propria para casas de canpo,
em tempo de festa, p^ia jcommodidadede so
fecharera, serera baratas e lories.
Conipleto,;sortiraenfo de fechaduras fran-
cezs para-gavetas, cart^iras e.piano.
Machinas para costura, o mais bem aca-
bado que tem vindo a este men ado, pro-
prias para trabalhar cum a mao. trabalbo
feitosobrca dirocc^o dos Srs. W. V. Tho-
tnas & C.,de f.ondres.
aabi netos do. alcatrao do fabitcante A.
N Csstro, os melhores e raais ntedicma's
que fiem vindo a este mercudo.
A Predileela aeaba de r.veber um Jindo .-orti-
mentd de fitas escocezas achaWalotadas, prqprlas
para faphaa ; aj-im- oomo um lindo surUinento
(eques tie m'adi+pVi'ola; a enes awes-(pie se'Vca-
bem, a rua do Cabuga n. 1 A.
-------
VENM
uma easa na villa de Barrens, na rua do Com-
ntfereto, por preco modico: a tratar com Tasso
trraadVA'O. .
^_^ i,- ,' i ,', ,;-------------------------------------------------
r.v'f v
WmmM fiinw
Rua da Madre de Deus n. 10 A.
fresco,
Lizanr, Adolpho Schmdt A
mtefiintift,orihvcido9 pef
-----uaaiial JbCbaunKfente^eaiara^Dr
. inadinas preus com listras de cores a adOni OJfftfp^i i ifatylfo&'ifaurMHd da1 t
0 Slfft''*-' '*. ^L oaltLfc v i*4-2' P0*? P""* **"> "*** i tm sfaawrtaW
cas, ver
BipKaa ba^woeaaa,qM;7e na faf. y rqq^- de 'Hip.'S O-F
Vecde-se

no ostado em que se acha sHio exislepte _
htgar A^Be^eak* .foeguajia.dea Afog* 1 a1wf.d"1KqmmrWi
St)k4edifM o>travaisa. fosj^NflffK p^.^'JtMMS.W"*!
^aPJ^?,'P^>i'S',^;^^,*
Mm hranci., toaa^a cafcaa, a 4*5^)^ vra> v
fiifoJI^es,wmm^^M^^3.-'
Chapeos de sol de seda, wiKd dft candw, a %fS00
cada dnt, i*)roa? da Crespd,,
loja to Jyrta^.-da gai^ytqg fy T-_________
'imp Aml)iimrfc{*9McmaW-*a armwen^
em cblo proprio, quem 0 preipni
com 0 sea prnprietario na rna de
.raft KX^elie'nte'flird'eVi
WfBac'jd^. )k (|QalI3Wle
ajheripa.!*},.
, como quem val para a rua Bella, sobrado n. 49', 'VMwo;* ftordeanx.'
qua se fara todo negocio. Carvlo de Pedra de 1
-se-
?! Veriif, _
Uma easa terrea oarta'detB. Hignet n. 64, par
eoirtmodopi*oat: a trelaT'9, rua do Impefado'
fr n
1
in
hps para sfc'fi
brdadoee de ores, no
fBafao'Viet* ia n. *.
e;
[|err. camiunhas e pu-
d algodao, de linho
Ba ar Vict>ria rua do
Taverna.,
todas as qualidades.

r wniinmw 1
ki^MaaaiBHnHgaHMiHHBl
de de Olinda, na rua do
tar na inesina taverna.
'

'?teade se por eoramodo pwco nma das melho-
ibs cirt *ftaTVrtfrim,icMB|Behenitenik) .'im;per
mno iitio..;para.pasJageflr dfl-yacr'as e. Wren..
ara p|
1 h.
,mti dp.
* 'I1 'I
p
a trafai na rua rf<>
0 jardim da ,S"ir J!' ^'^^r^|:4^0wee .inajs $#
W'Pr-RPrSW'i IIT1VflfK-,ft de3t'e ,l,,a,s
siflge|!o ramalnete a maiS elegan,te rosa; fintoif
) 'f ao-WWb sexfl to^Wele, ^aa'bfo; anftte \
elh-tas eaiqaanto estao I vicosas.1
fazenda
fe^eper^m ricos corlee de gaze.
intdiramenter nova, e' vencfeDi'
reco de 40*000 0 e6rte : a dies, antes
peio paraio preco de 4O0OUU 0 c6rte a elles, an
JUer t*a***Wd: JP'W k#^di rovf.JHaaSro
laro^-n.'t'K1 "' (i: j ",
|fc-rJ-l-----r_-------------5------=------------------
h
eaqocezas a 280 rs. o coFanfc,
'' Itnu (^OnHmttdfl n AJt
LSfhOiaS eser<#eztt;'padrt>muto bomt s. ulti-
ma- rtcda:dei yille ,'dfe PazM,i Ipatof d|minuto pfr
Sn3naa%r n H^ W ^^ "3 "^
Gaixlrs
Yeade se jaatro caixSe^ proprins para estabe-
'" rtnr de Marcilio. fifes
lechnentos de. molhado*. a-
Vende-se
A tvaerna da rua da Pnh. m:afrrgao-
ra como para < tftta;
zada tanto para a f-'rra co
na mesma.


^

-
A. '
____..
: "rr .'.;
;.
8
Diario de Pernambuco Qaiiita feira 27 de Novembra do. 1873.
VARIEDAOE
0 CI10LERA--A Gaseta, de Madrid, pu-
blica n'um dos sens ultimos numeros as se-
guintes noticias sanitmas :
Genova.Cholera 'e 11 a 12 casos dia-
rios.Desde quo so manifestou a opidemia
ate 11 de outubro tinha navido 482 accom
rflettidos o :88 nortos.
Vcneza -0 cholera diminue.
PalermaOc?talo sanitario e satisfacto-
rio.
Leorne 0 cholera diminue.
Civita Veccbia -0 estido sanitario laetorio.
Singapore0 cholera decresee.
Syria0 estado sanitario c satisfacto
rio.
Palestina -San le publica satisfactoria.
Athenas -Estado sanitario satisfactory.
SmyrnaIdem.
Pans -CholeraDesde 20 & 27 de outu-
bro houve 54 casos.
Havre do GraceCholeraAcoramettidos
desdo i a 11 de outubro 6, failed dos I.
Hamburgo CuoleraAcommeltidos des-
de 28 de sctembro ate" 11 do outubro 66.
ChristiansundEstado sanitario satisfac-
torio.
AalesundIdem.
AnvorsCholeraDe 20 a 26 de outu-
bro houve 13 accommettidos e 5illcciraon-
tos. J
NovaOrledes Febreamarella De 29 de
setembro a 5 do outubro 14 casos.
GRANGES DESASTRES.Segundo reforo
uma folha estrangeira, as autoridades dos
Cstados-L'nidos termiuaram jd o inquerito
dos desastres causados pela terrivel tempes-
tade que robentoa nas costas americanas no
dia 24 de agosto ultimo.
Resulta do relatorio quo 1,032 navios,
dos quaes 435 escunas do pesca, perderam-
se nas visinhancas de Saint-Laurence, e nas
costas da Nova Eseocia, do cabo Bretdo o da
Terra-.\ova. Mais de 90 navios americanos
naufragarara, alem disso, na travessia para
a Nova Escocia, o que eleva as perdas totaes
a 1,112 navios.
Registraram-se tambem as mortes de 232
que o encerrassera no cemiterio, junto da Navios de vela totalmente perdidos 252,
sua familia, para contribuir por esse modo dos quaes 144 inglezes, 35 americanos, 23
para infesinr os vhinhos. allemfies, 13 francezes, 8 holtandezes, 7
Zimmerman, outro excentrico, dispoz no italianos, 4 austriacos, 4 noraegMtes, 3
seu lestamento quo ninguen acompanhasse dinamarquezos, 3 russos, 2 de Nicaragua,
o seu corpo a -epultura, nem se tocassem os 1 argentino, 1 de Guatamala, 1 bespanhol,
sinos, enterranlo-o aponas decentemente, e 1 turco, 1 grego, 1 Wga. Nestenuraero
que se nao procoiessem desse molo, viria sao comprehendidos 6 navios dos quaes
outra vez, te podesae (palavra* suas) para nunca mais ho lve noticia.
tomarcontas aos testamanteiros dafaltadol Navios a vapor totalmente perdidos 22,
obser francezes, 1 hespanhol, 1 bollandez, 1 no-
SI'FPRESSaO. 0 governo hespanhol rueguez, 1 sueco.
vae supprimir o bispado de Victoria, sendo De urn vapor francez nunca mais houve
encorpor.idas as provineias vascongaiias na noticia
sua antiga diocese.'
Tudo quanto leoda a diminuir a porni- COMMERCIO DE FRANCA. Ocomraer-
ciosa icitluoncia que exorce o clero naquel- cio exterior do Franca nos nove primeiros
las desgracadas comarcas serf muito con- mezes de 1873 subio ao enorrue valor de
veniente. fr. 5 bilidese 529 milhdes: e superior 156
bispado de Victoria ha tempo que estd miihoes ao commercio de igual perioJo do
servindo de ceutro ds intrigas e conspiracies anno anterior
carlistas, c civil que hoje estd desolando o norte de Hes-
panha.
Dizem as folhas hespanholas que muitos
A exportac,do de fr. 2,974 milhdes.
PECA MONSTRl;OSA. Ld-se no Sord
alguma.
Art. 2." 0 raatrimonio d urn contracto
civil. Este e os demais actos de estado civil
das pessoas, sdo de exclusive cvinpetencia
uomeas de tripolagao e passageiros, porem[dos funccionarios e autoridades da ordem
cre-se que o numero verdadeiro se eleve a civil, nos termos previstos nas feis, e terao
a fun;a o a validade que as mesmas Ihes
attrihuem.
Art. 3." Nenhuma instituic,do religiosa
pdde adquirir bens de raiz nem capitaes
impostos sobre estes, com a unica excepr.ao
estabelecida no ait. 27. da tonstituigao.
Art. 4.* A simples proinessa de dizer a
verdade o de cumprir as obriga^des, subs
'(tituira o juraraeuto religiosocom seus effeitos
e proatessas.
Art. 5." Ningucvn pode ser obrigndo a
pre star trnbalbos pessoaes sem justa retri-
b'jigao e sem pleno consentimento seu. 0
sao os ecclesiasticos que naquellas provin- do dia 3, o seguinte :
cias abandon ram o seu paciheo ministerio, Manlam-nos de Ostende alguns porme-
pela pouca evangelica villa de guerrilheiro ; nores sobre as experiencias que se estao
e que nao hs .uoticia quo o pastor dessas fazendo ha quiuze dias consecutivos, com
oveliias desgarradas o Oispo de Victoria te-|um canhao monstruoso, que seacha asses-
nha feito a nais pequena cousa para cha- lado na praia em frente do pbarol. 0
malas ao cuinprimeiito dos seus esquecidos feiio desse engenho assemelha-se a uma
deveres. |garrafa gigantesca de champauhe. A alma
Isto il;i idea do procedimento da maior-da pec;a tern pouco maisaumenosa dimen-
parto das autoridades ecclesiastieas para com 'sao de 25 centimetro), e o nezo e de perto
os govprnos constituidos ; e de quanto aide 164>00 kSogrammas ; carrega-se pela
separacao da igreja o do estado 6 necessaria culatra/ Os artilheiros raettm-lhe uma*bala
em to Jos os paizes. de ferro da forma de ucn pao de assuear,
pesando 130 l.ilogrammas, necessitaudo a
REFORMAS DEMOCRATICA^. Segundo carga de 25 kilogrammasdepolvora.
se le nos jornaes do Mexico, o congresso] Prompta a carga, dd-str urn signal tete-
daquella republica, na sessio de 27 de se-'graphico reciprocamente da peca ao alo
temhro ultimo, approvou por 118 votos que estd collocadb nas dunasr e o tiro parte.
contra 10, a seguinte proposta de let: Adetonagae prodnz utn rib>mbo grave
Art. 1." 0 est- (I i e a igreja sao indepen- e sonoro, acompanhade por am estridop
dentes ontro si. 0 congresso nao pdde di- agudo-que se ouve distinctamente seis ki-
tar leis ostabelecendo ou prohibtndo religiSo lometfos de distancia.
500.
A mesma tempestade lancou por terra, na
exteusao das costas, ccr^a de 90 ) construe
g.6es, resultauJo da queda morrerem umas
100 pessoas.
Estes sinistros affectaram muito osinte-
resses da pesca nos Estados-Unidos e no Ca-
oacli.
PRKSENTE DE PIO IX A S. M. A SK-
NHORA D. MA1UAPIA.Segunio se le
u'uma folha franceza, Pio IX presenteou S.
M. a senhora D. Maria Pia, sua afilhada,
por occasiao do seu anniversano nata-
licio.
0 presente consiste em uma dupla foPaa
de ouro. macisso, abrindo em forma dp ai
bum, oqualcont(5.n, encanadas na D'rle
interior, duas reliquias, que s3o urn JOcado
do veo da Virgem Maria e um esp mn0 ,ia
corda de Jesus Gnristo. As duas V jces extc
riores sao ornadas de das bellas mimaturas
correspondences ao lugar era qy est3o en.
caixalis as reliquias. A m miatura
oorrespon le & reliquia do
estado nao pdde permittir que se leva a
effeito eontrato algura, pacto, ou convenio, LUarenta e duas nabitac/iescomtado quanto
A bala percorre em doze aegondos dez
mil e quinse melros.
INCENDIOS. Standard insere tele-
grammas daudo eonta de do& grandes in-
cendios.
Cm desses incendios foi em Auckland
(Estadbs-l'nidos), occasionandb perdas no
valor de 60 mil libras ; das quaes 40 mil
estSo cobertas por companhias de seguro.
O outro fogo aconteceu em COnstantinopla
no dia 3 do corrante, tendo sido devorada
pelas cham.nas quarenta casas> coofinantes
com o Cr6dit G4n6rat, mas o eiihcio era
que funcciona este estabefecimento nada
soffreu.
Tambem na villa de Frassem ( Belgica )
so inamfestou am terrivel lacendio. Os soc
corros tinham de ir de Arloa. Quando che-
garam ao logar do sinistroy jd tinham ardido
em mar alteroso.
As ollras de arte que defendiam os terre-
nos cultivados, foram derrubadas, o as aguas
invadiram largos tratos de terrenos culti-
vados.
Na provincia de Girgenti, um furacio es-
panloso, e sem procedeiite, causou gravissi-
mos estragos, e a perdi do muitns vidas, e
do grande quantidade de gados. A chuva,
cahindo a jorros transformou em lagos in-
findos communas inteins.
As correntes arrasaram casas e levavam
ante si cadavcres de ho'iiens e de animaes,
e immensidade de objectos. Era uma ver-
dadeira dor d'alma.
PLANTACAO DE CAFE'.Diz una folha
estrangeira quo em consequencia de ser
muit > bom e ter por isso muita procura o
cafe" da ilha de Ccllao.ttem augmentado de
tal modo o numero do fazuudas em que
elle se. produz n'aqtiella ilha.que do 17 ha
annos a esta parte esso au'gmento tem cres-
cido em ITS jo cento das que esistiam
dam-is. A colheita actualmenle e de uns
760,000 quin aes.
O PESSOAL DA OPERA DE PARIS0
tbeatro da Opera le Paris, Bltimamente-re-
ihizido a cinza, occupava csrea do ..WO
pessoas, a saber ; 100 cwristas, 100 danca-
rinas. 60 machinistas, 80 musicos, 60
vesxidores de aml>es os sexos, aO emprcga-
dos subalternos, Sfecompnrsas, 1 euipro-
ga>los secundarii>s de cauto e danca, 50
trabaHSiadorcs, 50 erapregados na adinims-
traQSo, 3 0 pintores, decoradores o alfaia-
tes, e5c.
Quanto a rova Opera qae se vai edifi-
car, di^-se que apesar de todos o* esforcos
e trabaHiando de dia e de noite, nan pode-
r& estar terminada senao dentro de 16 ou
18 mezes, istoe, para o invern de 1875 ;
nenhumaa das antigas di>corac.des poderao
servir no novo theatro, devendo tambem
ser renovados os vestuarios afim de estarem
em harmenia com as imuiguracao la nova Oxera dover* efTec-
1uar-se c-)ra- qualro grandes obras e dous
bailes. lotios estes traballios deverao elTec-
jtoar-se simultaneameote eom os do tbea-
tro.
O AUTO* DA FANNY.Morreu ha pou-
ao em Paris na idade de 52 annas, Er-
nesto Feydeeti, o aut'ir tao conhecido da
Fanny e uV um numero considoravel de
outros romances muito apreciaJos. Suc-
eumbio subtomente a uma molestia Jo; co-
ra^5o.
que
uma Mater dohrosa e, a '
hoino.
veo representa
jutra um fc'cce
KXCBNTRICWADES.
de I.ondres, deirou por
fortuna^da 5,000 co-
de 200,contos aohr
que o ombalsam*
J. L. Greffulhe,
seu fallecimeuto uma
utos, destin ndo cerca
is de caridade. Dispoz
ssem e o guardassem em
caiiio. com tamp-. ne crysul para que lhe
ue se alia e abert0 a que entrasse
O flr.
Em conhW li0 ieit WMmn Keuseutt,
ao morrar disr Jt entregssem o su
coroo .1 urna das ^ornpannias ae gaz da.
quelia capnal para que % deitassem em uma
or a e o r cc]U7.i5som r ciuzas, dando-se
por esse tra ba|hlJ uma doterminada quantia.
m' ^ os herdeiros se negassem a fazer
isso por f anatismo fpalavras suas),entJo
que tenha por objecto o menoscabo, a perda
ou o irre ogavel sacriQcio da libordade do
homem, quer seja por causa de trabalho,
quer por educacAo ou voto religioso. A lei,
por consequencia, nao reconhece ordem mo-
nastica, nem pdde permiltir o seu estabele-
cimento, qualquor que seja a sua denomi-
nacao ou objecto com que pretenda erigir-
so. Tao pouco pdde adraittir convenio em
3ue o h uncm pactue a sua prescript > cmi
esterro.
Art. transitorio. Os anteriores actos
addicionaes e reformas da constituicSo serfio
publicalos desde logo, com a maior solem-
nida le em toda a republica.
CONSEQUENCIAS DA CRISE FINANCEI-
r\. Noticias dos jornaes inglezes dizem
que dez companhias de caminhos de ferro
dos Estados I'nidos fizeram constar, que nio
podiam satisfazer os dividendos em dinheiro,
o o fariam em brigncdes. 0 capital que
essa forma de pagamnto representa, monta
a elevada somma de vinte oito mil contos.
SINISTROS MARITIMOS. A direc^o
da companhia de seguros Veritas publicou
a lista dos sinistros acontecidos durante o
mez do setembro de 1873. a saber:
FOLHETIM.
LUC&ECIA BQE&U
MEMORIAS DE SATAHAZ
continham. Os prejuizoa eram orcados em
avultada somma.
PHYLOXERA. Na sessao do dia 27 de
outubro, na acaderaia das sciencias franceza,
o Sr. Petit apresentou um relatorio sobre a
present do assucar de oanna e do glucose
nas folhas da vinha, bem como muito. tra-
balhos relativos ao phylosera.
Entre estes ultimos encontra so uma nota,
do Sr. GueVin Menneville, persistindo na su
opini&o de que a doen^a da vinha nSo 6 de;
terminada pelo desenvolvimento da pbylr1
xera, mas que, pelo contrario, o estado*..
thologico d. vegetal 6 que di logar a rnulti-
plicasao do insecto.
TEMPORAES NA ITALIA. Dfio OS jor-
naes italianos conta de grandes desastres
causados pelas chuvas e vendavaes, em va-
rios pontos do seu vasto paiz.
No territorio que corre a* esquerda do
Adda ate Lecco, desencadeou-se um tempo-
ral com tamanha furia, que seraelhava o
am do mun lo. Houve pontos, como em
Mapello, Ambivere, Pontida e Cisano, onde,
em um quarto de hora, cahiu cant a agua,
como nunca memoria ha via de tal.
Os regatos se tor na ram em rios, e os rios
duz fructos orleanistas.
ChesnelongArvore repuWicana bona-
partista, que produz fructos monarchistas.
MACROBIA.Segundo refere a Epoca,
de Madrid, no mais fertil da Serra Morena,
a umaleguade Despenhaperros o em uma
pobre cabana rcdeada de bosques quasi iin-
penetraveis, vive com seus filhos. todos
carvoeiros, Angela Carmbna, de 105 an
nos de idade, viuva, com filhos, netos e
bisnetos, natural de Sorvas (Almeria), a
qual diz nao ter pa lcciJo enferiiidades gra
ves, gozando actualmunte perl'eita saude e
possuindo tolas as suas faculdades iirtellec-
tuaes. E' notavel o sen desembarar;o para
trabalhar nos misteres proprios do seu offi-
cio : tem a dentadura sa e corapleta, e nao
padece achaque algum. a *
CAI'SAS DE I.OUCCRA.Por um impor-
tante escripto publica do pelo director de
uma das casas ue bucos de Inglater a, pes-
soa quo exerce aquelle cargo- ha cerca de
20 annos, ve-se que sao muitos (45 por
cento } os quo enlouquecem pelo effeio de
certas substancics- com
as bebidas alcoofieas.
que se aromatisam
ASSUMPTO PAPA ROMANCE.E' bem
conhecidtt a poetica historia qua precedeu
a resolugao daquelio que abanJonando o
mundo, se ficou chamando desdo qjne mor-
reu para a sociedado Ignaciode Loyola.
Em Franca acaba de darse um successo
que tem alguma analogia com aquelle. 0
joven marquez Carlos Chavenay foi not dos
heroes da nunca esquecrda carga dcaval-
laria dada por Mac-Mahon em Reichotfen.
Ferido, lucta ate que cahe do cavalhv jul-
g.vndo-o todos morto. Ta ser onteirado
pelos cavalleires de S. Joao da Cruz verme-
lha, quando percoberam qne respirava ain-
da Prisioneiro* e conduzido para a Prus-
sia oriental, onde curado ja", pdde fugir pa-
ra tornar a alistar-se no exercicio do Loire,
cahindo de novo ferido e prisioneiro'no'
combate de Rolande.
Lago que foi feita a paz, volta do sen se-
gundo captiveiro e sabe entSo que uma
joven aom quem devia casar fdra victima
da sua ddr e do zelo com quese [empregava
a curar os feridos, esperando sempce enoon-
trar entre elles, aquelle a" quem amava.
Seu pai tinha tambem raorrido na aoc.ao
de Patay, e estas ddi-es, affastando-o duran-
to dous annos do mundo, fa/.om revigorar
cello a resnhica que afinat levou a cabo,
professando coma religioso no convento de
Trapa, cujas p para as agitac;des desta vez.
POR
fa. Hanael Fernandez y Gonzalez
PRIMEIRA PARTE
O (iltAN-CAPITlO.
XVIII
i. iJR.VN-GAPITVO METTID0 CON'TRA SUA VON-
T\DE, S'UMA INTRIGA QUE TINHA POR BASE
O AMOR.
(Contiuuacao do n. 270)
Aproveitaste a occasiJo. Pelo que
vejd eu estorvo todo o mundo n'esta terra :
o papa porque quer dispor livremente do
seu feudo, o reino de Napoles ; o rei de
Franca, porque sabe a* evidencia que em
quanto eu tiver quinhentas langas e seis mil
infantes em Italia, nio ha de passeiar por
;lla como pelos seus jardins do Louvre ;
Orsini porque ve" que estando eu em Roma
uSo pode faltar ao respeito ao santo padre ;
sem citar muitas outras pessoas d quem pa-
ieceqae estorvo tambem. Pois se a mi-
nha vida os irrita, teem tempo para vive-
icm contrariadas. Parece-me que nio se
idrjou ainda, nem se forjara" o ferro que ha
da matar-me. Ha tres dias que estou em
Roma e tentaram jA assassinar-me tres
\ezes.
0 gran-capiUio contava como tenlativa
de assassinato, a seduccjSo inutil de Lu-
..recia.
Proteie-o Dous, sechor, disse Bartho-
iomeo, e visto que se livrou-ae mim, pode
assr-gurar que nao nasceu para morrer de
morto violent*.
Em Roma nao tenho conhecido se nao
..ssassinos! Pareco que se criam e se oc-
altam debaixo das pedras. Ah quo nflo
possa eu exiinguir toda esta raga mal
dita !
Agora quo lhc confessei tudo, "disse
l>3t(boIu(neu, porque mo nao solta ?
Nao, necessito de uma guia que me
;eve d casa de Carlos Orsini, e nenhum mc-
Ihor do que t j.
. Isso nr.uca, replicou Bartholomeu,
j Orsini sat>e one veudi o seu segredo,
manda-me aintar, Solte-me, so!*.: me, o
fugiiei de Roma para sitio endo Orsini nao
possa encontrar-me.
Silencio, ou raorres... aproxima-se
alguem, disse ogran-capiWo.
E, com effeito, ouvia-se o ratirmurio
das vozes de duas pessoas que se aproxima-
vam fallando.
A julgar pelas vozes eraro um homem e
uma mulher.
O- ELCAEJrrUS GLOBILUS.Nawltima
ses64o da academia de seiencias de- Paris,
tratou-se detidamente da acclimacao em
Franca do admiravel vegetal da Australia,
o eucaliptus globulus.
Demonsh>ou-se que a referida aavore sa-
neia os terrenes pautauosos a pouto de fa-
zer desapparecer complecamente a febre in-
termitentte nossitios onda ella fdr cultivada
am grande escala.
OancjftpJus globulus erased eom uma
rapidcz incrivel e absorve dez veios o seu
peso deagua em 24 boras ; espalha no ar
emanagoes camphoraiks e antisepticas, de-
prehendendo-se d'ahi que possue- a faculda-
de do punficar os terrenos miasraaticos.
No Cabo, nos arredores Je Alger. de Cons-
tantina e mesmo em Franca, nas margens
do Var, segundo as numerosas communi-
-'C.des dirigidas d academia, tem-se co se-
^ido com a sua plantagao sanear os terre-
nos insalubres.
O eucaliptus globulus, de uma cortica
particularmente dura, estd destiuado a pro
porcionar grandes servicps & marinha para
as construcQdes navaes. Alem disso as
suas folhas sao empregadas com eflicacia cm
certas doenc,as e particularmente em affec-
c;des do peito.
SILVICULTURA POLITICA.Em um pe-
ri >dico politics francez encontram-so as se-
guintes definigdes de tres homens politicos
da Franija :
OlivierArvore republicana, que produz
fructos imperialistas.
LaurierArvore republhana, que pro-
gran-capitflo ; ella que chora assim, nio
pode ser mi de todo ; vejamos.
Junto de Lucrecia, de pd, com a cythara
ao hombro, estava Bonvinetto examinando
um punhal que tinha na mdo.
E' singular, dizia elle, quando che-
guei pizei este punhal e apanhei-o ; e uma
arma como as que usam os bravi ; mas
nSo se lhe ve o mais pequeno vestigio de
[in iiiuiuei. ---------- ------- r -i------ -----"
0 gran-capitao julgou reconheoer a vozjsangue. Foi afiado recenteraente... que
sonora, accentuada, energica de Lucrecia.
Que vira" ella aqui fazer ? Quem a
acompanha ? exclamou Gonzalo.
E apczar da prevenc,ao era que estava
para com Lucrecia, sentio um impulso de
respeito muito parecido com ciumes.
Oh as mulheres, as mulheres I mur-
murou elle, Deus as amaldi^de I
O horn ;m e a mulher. chegaram A* porta
da casa, metteram uma chave na fecha-
dura e ouvio-se o ranger da porta que se
a brio.
A porta tornou a fechar-se, sem que se
ouvisse a chave dar volta, o que queria
di'er que ficara aberta, ou peio raenos no
fecho.
Pouco depois appareceu o refk-xo de luz
atravez das fendas da porta.
significara isto ?
E que importa esse punhal ? disse Lu-
crecia. O essencial d que tua irmft nSo
esta* aqui ; estou desesperada e quero saber
com certeza quem foi quem matou meu ir-
mao Giovitum.
Tera pouco que adivinhar, raioba se-
nhora, replicou Bonvinetto ; nio o dizem
ctaramenta os cinco esbirros que foram tira-
dos esU tarde do Tibre ? Nio foram re-
conhecidos como esbirros do seu irmdo o
jduque Valentino ? Nao trajavam a sua li-
br6 ? Nfto haviara sido mortos a estoca-
das ?
Sira, mas isso raesrao faz-me duvidar;
aquelles homens foram mortos, sem duvida
alguma, por Gonzalo deCdrdoba.
Lucrecia jironunciou de um modo tal o
OAiESTOES Dli MULHERES. -Conta-se
nos circulos de Paris, refera uma folha, que
uma das cousas quo mantem mais viva a
.uta entre o centoo esquenlO da assemblda,
hoje-republicano, e o centro diroito, hoje
monarchico, e uma cjuestao de saias e de
rivalidades, ds rezes tao terrivel entre as se-
nhn-as de uma mesma familia. O* dous
presidentes dos rcferidos centros, o duque
Amiifret-Pasquier e Casunire Perier, sa-> ca-
sados com dua> sonhurasirmds. A duqueza
estd orgulhosa com o seu titulo e a esposa d
Perier ndo o esta menos pela sua immensa for
tuna e pela aureola liberal do filhodo grande
ministro de I.uiz Felippe. Quando este
ehegou d prosidencia do coiudho nos ulti-
mos dias de Thiers, seu cunhado o duque
Pasqmer foi um dos sous mais terriveis ad-
versaries, derruban*lo-o do po xilio] lo que de Broglie.
Agora tocou & esposa de Caeimiro Perier
a occasiao do se disforrar. N5o pdde, co
mo sua irraa, cin^ir o diadoma ducal e ser
uma das primeiras damas de Maria There/.a
do Bourbon em Versalhes, mas pd>le impe-
dir por meio da influencia que exerce n
marido, e este junto do centro esquerdo,
que os deputados consorvadores deste gru-
po parlamentar deem os votos necessarios
para que haja maioria a favor do restabele-
cimento da monarchia. Sem Henrique V
ndo ha presidencia do conselho para o du-
que Audifret-Pasquier nem cdrto em Ver-
salhes para a duqueza ; porem, pdde ha-
ver atd presidencia da republica para Ca-
simiro Perier ; e eis aqui como o copo de
agua de Seribe, d muitas vezes nroa verda-
de, na comedia da politic*,
AINDA 0INCENDIO DA OPERA DE PA-
RIS.0 ministro das bellas-artes de Fran-
ca e a cumraissdo da Opera off receram ao
Sr. Halauzier antecipar-lhe sobre o subsi-
dio algumas sommas necessarias para mi-
norar a sorte do pessoal que ficou este iu-
verno sem trabalho em consequencia do in-
eendio da Opera. 0 Sr. Gamier compro-
mette-se a reconstruir o theatro no espa$o
de quinze mezes. Trata se tambeiB do ver
se se coatinuam as representagdes em outro
qualquer theatro de Paris que Unna as ne-
cessarias condi^des, por^m por era quanto
ainda ndo foi escolhido nenhum.
0 theatro incendiado, que era considera-
do o primetro da Earopa, tinha sido eons-
truido pelo architecto Debret, no tempo da
restauracAo, depois do assassinato do duque
de Berri ; durara, portanto, 52 annos. Foi
durante este espac.0 de tempo que se repre-
sentarjm aili as obras primas de Meyerueer,
Rossini, Halevy,. Auber, Donizetti, etc. As
decora^des e os vestuarios do Pr&pheta Faus-
lo, Hamlet, Favorita, Africana, e de mui-
tas outras operas e bailes, ticaram destrui*
dos. Poderam salvar-so os vestuarios de
certas obras do reperterto, porem ticaram
era tal estado, que se acham coraplefamen-
te na impossibilida le de tomarem a servir.
Salvaraxn-se tambem as armaduras, que
com poo uma das mais- bellas collee.oes que
ex is tem.
0 thentro era todo construido de madei-
ra, ndo i rUrando nem pedra nem ferro, ex-
cepto ncs cimbres. Coutinha l,'891uga-
res. A hrgura do paK-.o era de I2,n60. A
da sala do tb,S0 e a attura de 2^ aietros.
A scena tinha treze pianos de longitude.
A custica era uma das melhores das que se
conhecem e o talhe am- dos mais elegantes
da Europa.
Parece que o incendio jd durava havia
dous dias, pois que os artistas, quando na
segunda feira representa vain 0 Prophtta,
tinham sentido fumo. Oxjue aJmira, po-
rem. no dizer dos periodicos, d que ndo se
Jesse pelo fogo, quando naquelle theatro
havia maior vigilancia do quo em nenhum
outro, fjizendo-se continuas rondas, e ha-
vendo perfeitamente dispostos bora&as e
apparelhos para a extincdo de qualqaerin-
cendio.
A Opera estava segura por uma somma
de 600,1'00 francos nas companhiaso Sol,
Phenix, a Central e a Gonfianca, porem
este seguro era-sd applicado ds decora^des,
vestuarios, accessorios, e mobilia da> scena
o da sala. Quanto ao edilicio, que era pro-
pried a de do estado, nao-se achava seguro.
O servieo dos bombeiros>era feito nos dias
de representacAo por 24 homens, e nos ou-
tros dias por 12-homens, 1 official, 1 sar-
gei'to o 2 cabos.
Alem de outros, perderam-se totalmente
os seguinte* tnstrume'ntos : dez harpas, no
valor de 24,000 francos ; trinta violinos,
S.000 francos;; trinta e dnis instrutientosde
{metal, 24,0*0 franco* ; flautas e chuinetos,
15,000 francos, violoneellos, 30,000 fran-
cos. Perdeu-se tambem um violino de
Stradivarius e muitos bustos de Hondon.
As unicas decoraodes que se salvaram foram
as do GuUherme Tell, da Muda, do Rober-
to do Diabo e de alguns bailados.
__Tu deves conhecer esta casa, disse o norae do gran-capitao, ^ue este estremeceu
gran capitdo a Bartholhomeu j dize-me, j de um modo voluptuoso.
pois, se alem da porta, ha algura sitio doi Como ama esse horaera 1 disse sora-
qual se possa ver e ouvir o que se faz e se briamente Bonvinetto.
diz Id dentro. J E* o unico homem nobre, grande e
Sim, senhor, respondeu Bartholomeu generoso, que tenho conhecido, replicou
a casa tera do lado direito uma jahella Lucrecia ; amo o, sim, anao-o com todas as
baiX8> forces da minha alma, e estou certa de que
Vamos atd Id, Bartholomeu. Estava quando me lance aos seus pes e Hie peca
aborrecido e ndo esperava ter uma tal di- due me vingue, elle vingar-me-ha do assas-
versao esta noite. Leva-me d tal ianella. sinode raeu irmdo. Com tudo quena sa-
Bartholomeu, seguro serapre pelos dedos, ber com certeza quem foi o assassino.
levou Gonzalo d um lado da casa onde ha- Cesar Borgia, repetio lugabremente
via uma ianella baixa, por cujos iotersticios Bonvinetto.
se via o reflevo de uma luz no interior. Pots que, n3o estd em Roma Carlos
Duas grandes fendas perraittiam ver o Orsini ? disse Lucrecia com voz vibrante em
qua se passava no interior. que palpitova o odio. .
0 gran-capiHo esproitou, e vio'uma Carlos Orsini I exclamou Bonvinetto
habitacao pequena, a mesma onde vimos cuja voz maispareceu um rugido surdo.
na noite ante e lente Bonvinetto e Marietta. Dizem que a cigana que five comtigo,
Sobre a area estava Lucrecia sentada. tua amante. tua irmS, tua amiga, pouco
Como na noite antecedente, trazia um importa, 6 feitieeira, que evoea os mortos,
manto eo chapeo d veneziana.. que osfaz fallar e respondcr, quo ve o
Pela abertura do manto, via-** um trajo passado e o presente, que le o heroscopo, e
couipletainente prcto, on por outra, um eu quero isso tudo, toda a sua sciencia cm
train do luto. servic.o meu. Onde estd essa mulher 1 que
Conservavn na mao uma mascara o com venha, que falle, que illumine o meu pen-
a raboca iuclinada cborava em aneQcio. samerito que se perde nas trevas ; que me
- Ndo imaginei nunca quo fosse suscep- dia quem o assassino de meu irmdo, que
livct da; lagrimw, disso comsigo mesmo o leia o>uieu-.destinol que mc diga o quo tc-
PRESEN'E DNUPCIAS.-omo e sa-
bido, a gran-duqtwza Maria da RussA deve
esposar, do proximo mez do Janeiro, o du-
qu de Kdimburgo, segundo tnho da rainha
Victoria. 0 imperador da AUemanba aca-
ba de raaodar i futura duqueza um adorno
de coral, de grande riqueza. Compde-se
de um collar de duas fileiras, de muitos
braceletes, de duplos altinetes, dos quaes
um, leito de um sd pedaco de grande bel-
leza, de doze grandes botdes para vestido de
amazona, de botdes soltos para punhos e de
a I fi notes para o cabello. Este adorno foi
collocado em um estojo de velludo guarne-
cido de coraes e encerrado em uma lindu
caixa do pdo de larangeira. A inscripijao
desta caixa ;ompde-se de bocado? de di-
versas madeiras, formando um bellomo-
zaizo.
nho que esperar, o que tenho quo temer;
estou agonisando, tenho um intVrno no co-
racAo ; soffro, amo e estou desesperada I
Que venha essa mulher, encher-te-hci de
ouro, ennobrecer-temei; ndoserdstu, Bon-
vinetto, o prhneiro miseravel a quera fiz
patiicio de Roma e a quem enriqueci. Fran-
cesco Buotti era um infame condotkro na-
politano, servio-rae borne d rico, nobre e
cavalleiro. Tenho na minha mdo todo o
poder de Roma ; quo essa mulher me diga
0 nome do assassino de meu irmdo, que me
diga que sou amada por Gonzalo de Cdr-
doba, que ndo casarei com esse odioso bas-
tardo de Napoles, e c mta desde jd com a
recompensa queexigires.
Pode dar-m'a, disse Bonvinetto, por
que eu, sem valer-me de conjuros nem da
magia branca ou preta, affirmo-lhe que o
assassino de seu irraao, d seu outro irrado
Cesar Borgia.
. A prova ?
Mataram-n'o ds estocadas no portico
da igreja de Regina Cceli.
No pavimento do portico ndo havia
uma sd gotta desangue, disso Lucrecia, pes-
quizaram-se todos aquelles lugares e n8o se
encontrou vestigio algum do assassinato.
Envolverara o cadaver na sua propria
capa e em mais tres das pertencentcs ao?
assassino*, antes de que o sangue filtrasse
pelas roupas do duque ; por isso, ndo cahio
uma sd gotta de sangue no portico, nem
flcou rasto algum (Telle desde o largo de la
Longara, ate ao rio.
Mas quem foi que vio isso ?
Qum vio, nunca mais tornard a ver.
Falla.
Havia em omaum pobre louco que
vivia da caridade dos trasteverinos ; davam-
Ihe um pedacjo de pdo, mas tirayam-lhe
com ePe como sc fosse d um c*o; ninguem
se atrevia a t icar-lhe, nem a dardhc um
abrigo debaiio do seu tecto, porque o des-
gra^ado tinha lepra. Dormia elle, pois,
aqui ou alii, nos porticos das igrejas, por
que Deus nao repelle os leprosos. Deus
quer que hajam serapre uns olhos occultos
na sombra para verem o crime. Giu*eppe,
o imberil, o mendigo, recolheu-se hontem
.1 ini'.' !o')ii':i da caixa do* expostos no
p-.-i tico da igreja (le Regina '".Cfili ; abraza-
va-o a lepra e nao podia dorrair. De re-
pente vio que um homem apressado, com a
espada na mdo, sa dirigia para as grades do
portico da igreja, e Giusoppe teve medo, e
'occultou-se o mais que pdde debaixo da cni-
1 a dos expostos, para vM ser visto. F.ra
I"*
esso o olhar occulto que Deus permitte que
veja o crime. Apenas o tal homem se en-
costara d porta da igroja, cahiramJhe em
cima nove homens quo recuaram vendo-o
com a espada na mdo. Eu sou o duque
de Gandia, disse o homem que se encos-
tara d porta da igreja. Entdo Giuseppe ou-
vio uma voz terrivel que excitava os assas-
sinos, e reconheceu essa voz. Era a de Mi-
chelotto, o cap'tdo dos esbirros de Cesar Bor
gia. Giuseppe tinha ido mu tas vezes ao
palacio Farnesio, onde hahita seu irmdo
Cesar, pedir esmola ; muitas vozes encon-
trara Michelotto que o exptilsara irritado, do
vestibulo do palacio. A Providencia de
Deus combina as cousas de modo que o
autor do crime possa ser reconhecido sem
que reste a mais pequena duvida. Hoje ao
meio dia, ouvi um cantar lastimoso d porta
da minha casa ; era assim que Giuseppe, o
pobre louco pedia esmola. Eu acabavade
levantar-me, porque, como sabe, tinha per-
dido a noito, cheguei d porta e vi Giuseppe
sentado sobre a herva, com o rosario na
mdo, entoando a cantilena habitual.
( Retira-te, disse-lhe eu,e ndo venhas
trazer-nos a tua lepra.
Ah 1 meu senhor, replicou elle, te-
nha dd de mim, desdo hontem que nao co-
mo. No Trastevere derara-me um bocado
de pdo, porem eu tenho medo do Traste-
vdro, muito medo ; o Trastevere estd mal-
dito, mataram-n'o, mataram-n'o diantade
minha mSi a Santa Madona de Rogina
Cccli.
A' quem matarara T perguntei eu
impellido pela suspeita que atravessara o
meu espirito.
Eu sou o duque de Gandia, disse o
louco como quera.ropete o que tinha ouvi-
do e Iho ficara impresso ni memoria. 0
desgracado gritava : N3o me matem 1 como
se o maldito Michelotto tivesse caridade.
Mataram-n'o nove espadas.... envolveram-
n'o nas capas e levaram-n'o. Ah I o Tras-
tevdre estd maldito o eu ndo volto mais Id.
Davara me sempre alii um pedac/> de pdo,
porque teem dd do pobre Giuseppe, mas eu
ndo volto mais dquelle sitio, tenho medo.
Entrei cm casa, peguei n'um peJac,o de
pdo e atirei-o ao mendigo quo o devor- u
com anr-ia. Depois, pdxanJo por umi
mood a de ouro difse-lho :
Com este dinheiro porks construir uma
choga no campo de Martc, por Qndo uin
guem passo. pordm, 0*0, e melho' que
o nmpregues em comer As termas de Deo-
cleciano n5o te r.'pcf(tr3d ; debaixo das suas
abobadas pbdes arranjar uma habitacfio i
os lagartos ndotemem a lepra, vemconoigo
e eu te direi onde podes habitar.
E comecei a andar. Giuseppe seguio
apds mim, ancioso porque lhe desse o escu-
do de ouro que levava na mdo. Quando
estivemos dentro das Termas, debaixo de
uma arcada sombria, parei, interroguei o
leproso e sube tudo quanto acabo de lha
re velar. Entdo disse comigo mesmo : Quem
s,be se ella d quem eu amo, por quem
morro, tem manchadas tambem as mdos
com o sangue de ser irmdo Giovanni ? E
quando as ndo tenha, que sabe se a sirvo
occultando este horrendo crime dos Bor-
gias 1 Este louco assim como m'o revelou
i mim, pode revela lo d outro, e quera saba
se o revelou jd? Sob o impulso d'este pensa-
mento emmudeci o leproso, que estd ain la
nas Termas, mas cuja bocca ndo fallard.
0 gran-capitao estremeceu de horror, de
indignarSo, de colera ; teve tentacdes de
arrombar aquella janella, saltar dentro e
exterminar o miseravel assassino dc um
dosventurado. Avanc<>u os punhos certados
para a janella e com este raovimentosoltou
Bartholomeu que fugio correndo.
Todavia, um raio da reflexdo veio domi-
nar a colera de Gonzalo de Cdrdobr, e lho
deu a conhecer que devia escutar mais.
Foi entdo que notou quo Bartholomew
fugira.
Nao importa, disse elle, coraecava j4
a cangar-me ; para ajustar as minhas con-
tas cm Orsini, nAo necessito d'tquello irr-
fame.
E poz-se de novo a escutar com toda a
atten$ao.
A's ultimas palavras de Bonvinetto sucr-e-
dera um intervallo de sombno silencio.
Fizestebera, disse Lucrecia com voz
sumida ; meu irmio matou o irmdo ; o
castigC' d'este crime ndo pode partir dos
Borgia? contra utn Borgia ; deveraos occnl-
tar esta horror para que o fiundo ndo se
horrorise de ods. Deus castigard esse crime
que en crimino, porque amaldicoo meu
irmdo Cesar, do mesmo modo que nosso
pai o a.naldicoard, e essa maldito da ter*
ra d a maligdo do ceo. Cesar Borgia mor-
rerd de md mortee chegard d present '
Deus envolto n'um sudario roxe.
Honvnum outro momento desilenri-v
V
Cmtfinmr-w-ha.
TYT.DC D1AB10 I'.'JA DUQUE I'
\ wimnuw I
UEGfVEl