Citation
Diario de Pernambuco

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
newspaper ( marcgt )
newspaper ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
This item is presumed to be in the public domain. The University of Florida George A. Smathers Libraries respect the intellectual property rights of others and do not claim any copyright interest in this item. Users of this work have responsibility for determining copyright status prior to reusing, publishing or reproducing this item for purposes other than what is allowed by fair use or other copyright exemptions. Any reuse of this item in excess of fair use or other copyright exemptions may require permission of the copyright holder. The Smathers Libraries would like to learn more about this item and invite individuals or organizations to contact Digital Services (UFDC@uflib.ufl.edu) with any additional information they can provide.
Resource Identifier:
002044160 ( ALEPH )
AKN2060 ( NOTIS )
45907853 ( OCLC )

Full Text
-
___A. '
"*-

\
mm xux. mmm %n
JP.1BA A CAPITAL E MGARES OSDE K\0 SB PAA PORTE.
Por tres mezes adiantados............- 69000
Por sets ditos idem.................. 129000
Por urn anno idem........,.......... 149000
Cada numero arulso.................. 420
TEltCA FEiKA 23 D MOVfillBHO DE 1873
- -
PARA E\THO E FOBA DA PBOFIHCIA.
Por tres mezes adiantados................. 697W
Por seis ditos idem.................-. 139600
Por noTe ditos idem.........;........ 2091M
Por urn anno idem................... 279000
DIARIO DE PERMMBIM
PR0PRIEDADE 0E MANOEL FIGUEIR0A DE FARIA & FILH0S.
9s Srs. Gerardo Antonio Alves 4 Filhos, no Par*; Gongalves 4 Pinto, no Maranhao; Joaquim Jose" de Oliveira 4 Filho, no Ceara; Antonio de Len* Braga, no Aracatj ; Joio ri Julio Chaves, no Asso; Antonio Marques da Silva, no !latai; Jose Jojt
Percira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, na Parahyba ; Antonio Jose Gomes, na Villa da Penha; Be'arraino dos Santos Bulcao, em Santo Antio ; Domingos Jose" da Costa Braga, em Nazareth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joao Antonio Machaeo, no Pilardas Alagdas; Alves 4 C, na Baliia ; e Leite, Cerquinho 4 C. no Rio.de Janeiro.
PARTE OFnCIAL
MiniMtcrio da justica.
J'ABELLA A QUE E KKFERE O DECRETO
HONTEM PEBtlCADO.
K->
*

t/> Id 1 -J Id RMPftEGAMS s < a 0 < u E m 0 0 Y. fj 2 i >
SoiT8Urio...... 2:4004 1:200* 3:6004
Amanuenses.... 1:000* -3001 1:300*
i 3 Porteiro........ 700* 3C0* 1:000*
480i 480*
Offlciaes do jus-
* 300* 360*
ski = s ; i4 & u v O Secretario..... Amanuenses.... Catilinuos...... A>) qua servir de 1:600$ 480* 800* 400* 480,4 3G0J 2:400* 1:200* 480* 480*
^ O -O Ui Offlciaes da jus- 360*
*9 Searetario...... Continuo, servin- 1:300^ 600* 1:8034
de de porleiro. 480* 240* 720*
9 1 Ofliciaes do jus- o< P.604
-i
Palacio da Hiu de Janeiro em 6 d inoel A iifoii:* Dttarte de . e noven izeoeds ibro de
Ministerio da mariuln.
Kin 3 do corrente expediram-se portaria*:
Noraeando 0 capitao de mar e guerra Joaquim
Fraacisaq Craves e 0 capitao-teoenie Joaquim An-
tonio Cuwvil Mmriiy para comman larem. 0 pri
:ii"iro a caahoiieira Aruijuuhy e o segnndo a cor-
vela Bahiana
I'linniltinda ao* I* lenente reforroado Jose Ignaeio
t* ailv* Goatinho embarear in nsvios do cora-
mercio.Fizoram-se as neeessarias communica-
I-O03.
* Concedendc ao 2' te;iente AristiJes Speridiao de
Siuza Braga ciuco mezoj ds liceni*a, com sold.) na
f.irma da lei
No dia 4 oflleii-u-so:
A" in- inn informe so naqu?lte estabi!;iiment> podem
ser feitas qi:itro boias d-3 ferw pvramidaes com
oito palmoa de co.nprimento e diameiro cones-
pondenle, para o baluamoaie das barras do Hos-
sflrt e Maca).
*
Ca>o%erno da pi*ovincia.
1 Al-EDIEXTiC DO DM 16 D3 SK.TEMBTO DK 1373.
if secyio.
Oflklos :
Ao Ex;n. brigadeiro co:n naafeuie d:ii ur-
11!-. -Bstando peodeate dii deliberacao do minis
terts da guerra, do qacm nosla data reclamo
licompla soidfio, 0 foinecimento do vasilhame ne-
i-^-sano para renioular a pharmacia do hospital
iiiilitar, dehuerac/ij quo .-6 poJeria %9t tomada a
irista dos esclareci neutos exigidos polo aviso de 26
Jo juuho ult;;no, e por V. Bxe. prestados em sou
ki!B:io de \ *o corrent% sob n. 834, cumpre agoar-
<1ir as ordens do goveruo imperial a respoito, c
portanto nao poJe tar lugar 0 forneoimento do di-
to vasilhame pelo arsenal do gueira, como propue
V. Exc. no olflcio de 13 doste nuz, sob n. 921 ; 0
-j-ta tira constar ao director daqnolle estab^lect-
meoto.
Ao mestno. -A" thosouraria do fazeoda se
\pedj orde n, como V. Bsc solicita em seu ofQ
cio desta data, sob n. 929, para maudar pagar por
adiantament) os vencimentos da escolta que tern
da conduzir quatro criminosos para 0 termo de
lugazeira. 0 que commauicc a V. Exc, para 0
sen conhecimeuto.
Ao mdsino. Transmilto a V. Exc. o incluso
musso de puicis quo 0 commandante das armas
da provincin do Rio Grande do Sul enviou ao aju-
jlaitte general do exercito, dociarando terem sido
deixados prlo capitao reformado do exercito, Vi-
cento de Paula Rios do Oiivaira, afln de que sejam
.-(itregties a seu tilho Satyro de Paula nios do Oli-
veira, existente nesta provincia, conformo delermi-
na 0 aviso d j ministcrio da guerra, de 4 do cor-
rente.
Ao mesin 1. -Manlj V. Exo. aproseutar ama-
nha, as 7 haras do dia, na casa do detonjao, um
oabo 0 seis >ra;as do linha aflsn de c 4 criminoso-, que, seguivi> o*u<;io do chefe de po-
lieia. de i3 do corrente, sob n. 1412, tern de res-
p nder ao jury de ingazeiraj quo se acha cono-
cado para 6 de outabro.
Ao mesrao. -Sirva so V. Exc. de mandar p5r
e n liberdadj o recruit Jose Joaquim dos Santos,
visto ser incapaz do servio] mditar, sogunJo o ter
in) de inspoocio, annoxj ao seu otncio do Udo
iii'ireata, sob n. 920.
Ao mosino.Transmitt > a V. S., para tor o
(,.-,ada por Alexandre*Amertoo do Cald3s Bran
dio, procuriJor do D. Maria Thereza do Jo3U#, ao
c.-oravo da mesma Joao, qua se acha alisMdo no
9- baulnao lo iaCantaria com o supposto nome de
11 i.ud Jose da Silva. modiante a quantia do.....
1 1004000, lue reoeboa oa tbosouraria do fazenda,
de conformi lada coin o diip;sto no aviso d) minis-
tprio da guerra, dj -4 ds maio proximo findo.
A) in-:-ni>. -Com a iuolusa copia da infor-
nu'"3o miniitrada polo do'egado do policia do ter-
m) do Klores, rolativamjnto ao soldaio do i ba-
fctlhao do ioran'.aria, Itaymindo Manoel do Nasci-
meato, quo alii flcou por doente, satisfaCp ao que
solicitou V Exc. e.n sou oflkio do 7 de agpsto na-
do, sob n. 793.
Ao inspector do arse.ial do inarinha.Ddter-
mio* V. S. a Joao Chry-ostonio Pereira Soares,
eoQtra-mes'je 4a offi i-vi da carapinas, e io opc-
rarjo do t eli*st> aJ *,::) C ul i." Harmj.-, awbos
daw ars-iial, que solioiio.11 na thesouraria do fa-
/.euda, parji ou lo lajram romettidos, os sous titulos
dj DumoaQiio, doprimeiro para mestre e do segundo
ivira contr -mottro da rcferida offlcina.
ao mesma.^Ein cumprimento ao aviso do
miafetdrib da iaariaha,de 5 do correate, mando V.
S onstrnir nesse arsenal, com destiao ao Rio
Gran le d N irte, doas OJcaJores, sendo um d: pa-
lamento l- oft* renvw e apropriados aos exercicios
do* apreo Hzas menoros da cempaahia daquella
p'ov nci 1, e oiitri do quatro reraos para 0 servico
jiiim luJante da mecrna compaahia.
ao nesmo. -Em camprlmonto ao aviso do
ministerio da mariaha, de 4 d> corrente, mande V.
S. c.instruir nesse arsenal, para 0 servico da capi-
tania do porto do Ceara, uma lancha com as dimen-
soes que vao determiaadas no otflcto junto da mes-
ma capitania, dirigido a presidencia daquella pro-
vincia.
Ao m;smo. -Dotenninando o aviso do minis-
torio da inarinha de 13 de-agosto proximo Undo,
a vista do qua representou V. S. em o!Hcio do 23
de junho ultimo, sob n. 138, que a cada um dos
patroes das embarcacSes do servico desse ar'enil,
si'ja abonala a gratilici 'ao diaria ue 300 rs~ alem
dos jurnaes que predentemente estao parcebendo,
em virtude da tabella annexa ao decreto n. 5163,
de 4 de dezembro do anno proximo passad >; as-
sim o communico a V. S. para o seu conheci-
menlo.
Ao mesma -Recommendo a V. S. que, sem-
prc que for avisado polo olScial da visita do porlo
de terem de desembarcar presos, mande prestar
embarcacoes sufflciontes para o dito desembarque.
Ao director do arsenal de guerra. Informe
Vine, se nesse arsenal podem ser feitos 80 tiaas,
70 baldes e 2'i cubes, que sao pelidos para a ca-
sa de deteo^ao polo Or. chrfe de p tlioia, em oQl'io
n. 1373, de 4 do raez proxim j paisado.
Ao commandante do presidio de Fernando
de Noronha. Envic Vine, para esta capital, na pri-
meira opjiortu'iidade, com a devi.la seguranra, os
criminosos Deodato Benedicto da Silva e Horacio,
que sao reclamados pelo Dr. chefe de policia, em
otlicio n 1601, de II do corrente.
2" seefdo.
Actos:
0 president da provincia, a vista dj offlcio
do Dr. chefe de policia, n. 16H de Udo corrente,
resolve conceder ao cididao Pedro Thenorio So-
(tueira a exonerai;ao por elle pedida do cargo de
24 supplente do delegado do termo de Iaga-
zeira.
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o tcnenCe aggregado ao 8* esquadrao de
cavallaria da guarda nacional uo municipio de
Santu Antao, Joao Marinho Palc.io Junior, e a vi .la
do que informou o commandante superior respee
tivo, em offici)de6 do correiiti-, resolve nomea-lo,
de conformidade com o disposto no art. 54 da lei
n. 602 de 19 de setembro de 1830, para pretneher
a on de igual posto oa 3 companhia do batalhio
n. 23 de infantaria do dito municipio.
0 presidents da provincia, a.tendendo a pro-
posta do commandante do batalhio n. 29 de infan-
taria da guarda nacional do municipio do Bim
Conselho, e a (nformagao do respectivo conunan-
daate superior em oflkiu de 28 do mez proximo
passado, resolve, de conformidade com o disposto
no art. 48 da lei n. 602 de 1 de setembro de t850,
oomear para o dito batalhio os oQkiaes se-
guinles:
1* companhia tenente, o alferes da mesma Fran
'.lino Braziliano de Figueiredo; alferes, o guarda
Pedro Urquiza de Carvalho Cavalcante.
Para o conselho de julgamento do cabo de
esquadra da 2' compaahia do corpo de policia Ma-
noel I'ctrolmo Alves de Figueiredo dos soldados
da 1* Julio Maaricio Perraz e Herculano da Pat
xao Barros, incursos em crime de fuga de presos,
designo : presidente, o major Joao Francisco da Cu-
nha; auditor, o Dr. promoter publico da capital :
vogaos, os capitaes Camillo Augusto Ferreira da
Silva, Alvaro C mrado Ferreira de Aguiar, Fran-
cisco de Siqueira Gaval -ante; os tenentcs eirur-
giao Joaquim Jjse Alves de Albuquerque e Manoel
Candido do Albuquerque.
Oftlcios :
Ao Dr. cnefe de policia.Expaca V. S. as
suas ordens, ati-ii de que amanlia, a 1 hora da
tarde, me seja apre, cun a precisa s-igu-
raaea, o sentenciado Manuel Goncalves Birrozo.
que se acha na casa de detencao.
Ao mesmn. Com a inclusa copia da infer-
macao do brigadeiro commandante das armas, de
hontera datada, sob n. 924, respondo ao offkio de
V. S., de 6 do corrente, sob n. 1571, cobrindo outro,J
8ue Hie dirigira o subdob'gado da freguezia da
oa-Vista relatando dous factos.criminosos prati-
cados por pra^as do 9* batalhao de infantaria.
Ao commandante superior do municipio do
Recife.Expeja V. S. as cjnvenientes ordens, pa-
ra que no dia 21 do corrente, pelas 4 boras da
tarde, se ache postada em frente da igreja matriz
da freguozia dos Afogados, uma guarda do 6' ba-
talhao de infantaria da guarda na'ioaal sub seu
commando superior, para fazer as devidas honras,
e acompanhar a imagem do glarioso martyr S. Se-
bastiio, que naquelle dia tern do ser expostaa vc-
neracio dos fleis.
Ao iuiz de direito da l* vara civel.Transmit-
lindo a V. S. o oflicio junto por copia, do Dr. che-
fe do policia,' Ihe recommendo haja de informar so-
bre o que pede o mismo chafe em dito offlcio.
Ao commandante do corpo de policia. -Podo
Vine eliminar d > corpo sob o sou commando o 2
sargento graduado Jose Felix de Araujo, de quern
trata o seu o'Bcio n. 532 do 15 do corrente, visto
ter sido julgado incapaz do servico.
Ao mesmo.Mande Vmc. ubstituir por ou
tras as pracas do corpo sob o seu commando, quo
se acham destacadas em Salgueiro.
3' secgao.
OfH :ios:
Ao inspector da thesourana de fazeadi.
Transmitto a V S. para os devidos effoitos a in-
clusa ordem do thesouro nacional, datada de 3 do
corrente, sob n. 172.
Ao mosmo. Devolvendo a V. S. todos os do-
cumentos qiio vieram annexos as suas inform a-
goes de 13 deste mez, sob ns. 196 a 199 serie E, o
aatoriso a mandar effectual' os pagameatos das
quaatias nelle* mencioaados, visto existir credito
na respectiva verba para lacs pjgmentos.
Ao mesmo.Providencie V. S. para que seja
pag) o pret especial, que pelo commandante do
2- battlhio de infantaria foi mandado apresentar
nessa thesourarii, tiraado vencimentos adiantados
para a escolta, qne tern deemduzir quatro crimi-
nosos para o termo de Ingazeira, afim de respon-
derem ao respectivo jury.
*o mesmo.-Dsterminando o ministerio da
mariaha em aviso de 13 do agosto ultimo, que
a cada um dos patrSas das embarcacoes ao servico
do arsenal da marinha desta provincia, seja abo-
nada a gratiflcacau diaria de 500 reis alem dos jor-
naes qve presantemente es'jU) vencendo em virtu
de di labella aanexa ao decreto n. 5163 de 4 de
dezembro do anno pa3sado ; asslm o coramuoico a
V. S., para os fins convenientes.
Ao raesmo.Transmitto a V. S. para os fins
convonienles, os inclusos titulos nomeanlo mestre
da offlcina de carpinas do arsenal de marinha des-
ta provincia, o contramestre JoSo Chrysostomo
Pereira Soares ; e para substitulr a este o operario
dj classe Adolpho Carlos Harmes.
Ao mesmo. -Communico a V. S. para os fins
convenientes, quo, em oflicio de 10 do corrente,
sob n. 718, participou-me o inspector do arsenal
do marinha que tendo Claudino Martins Coeiho,
podido exoneracio do lugar de 2 eniermeiro da
enfennaria do marii.qa, que servia intorinamen-
te; nomeara na mesma data a Manoel Joaquim de
Uma, para snbstitnr-lo de igual f6rma
Ao mesmo. Dando provimento aos recursos
interpostos por Dionisio Jose de Sant'Anna e Ma-
noel Joaquim da Aquino Melto, nos requerimeotos
qua lhe devolvo e a quo se referera snas informa
c3e3 de hontera datada sob ns. 192 e 195 serie E,
autoriso V. S. a mandar releva-los da multa em
que incorreram por nao haverem dado a matn
cula, uo prazo legal, os.ingenuos filhos de ua ses-
ojravK consumes de suas citadas iaformagdas |ba-
Ao mesrao.-A 11 do corrente assuraio o
charel Marcos Correia da Camara Tamariodo o exer-
cicio do cargo ue jniz do direito da comarca da
Victoria, para o qual foi nomeado por decreto de
16 de jul io proximo passado ; o que couiunieo a
V. S. para es levidos tins.
Ao inspector da thesouraria provincial.Re-
commendo a V. >., qae a vista das inclu.-as rola-
coes e conta, in ami; pagar ao forneceJor Loaran-
jo Chaves da Fonceca od a seu procurador para
isso indieado pelo Dr. che:e da policia em olflcio
do 13 do corrente, sob d. 1.608, a quantia le....
144*600, que foi dispendida com o sustento dos
presos pobres da cadeia do termo de Bom Jar-
dim.
Ao mesmo -Tendo o ex thesoureiro da re-
nanioio das obras publicas recebido a quantia de
2:618*000 para occorrer as despezas da construe-
c;io ile 2 pontezinhas na estrada da Escada em
substituicao de 2 bombas que desabaram, e des-
pcndido apanas 200*000, conforma declarou-me o
respectivo director em offlcio de hontein sob n.
343, autoriso V. S. a mandar entreijar novamente
ao actual tnesoureiro os ditos 2:618*000 para pa
gamento de taes despezas, visto como as ro-
feridas obras continuant e ajuella quantia entrara
no desfalme que se verificar do ex-thesou-
rei'o.
Ao mesmo. -Mando V S. pagar ao tenente
Suartel mestre do corpo de policia Antonio Jose
e Souza e Silva, a vista das rela/des e contas
juntas que me foram remettidas pelo Dr. chefe de
policia com offlcio de 13 do corrente, sob n.s 1.606
e 1,607, a quantia de 67*000, em que importaram
as de-pezas com o susteuto dos preios pobres da
cadoia do termo de Tacaratii.
- Ao mesmo. -Transmitto a V. S. para os fins
convenientes, a conta junta e documentada, que
veio appensa ao offlcio do Dr. ciiefe de policia de
13 do corrente sub n. 1604, e provenieate da das
depeza feita duraate o mez de agosto ultimo com
o Mraecimento de sustento a dietas dos presos po-
bres da casa de detencao.
Ao mesrao A Gomes & Inn o mande S. pa-
gar, conforms solicitou o Dr. chefe de policia em
offlcio dc 13 do corrente sob n. 1605 a quantia de
1184623, dispenlida cam o fornecimento de luz e
agua ao quartel do dustacamento do districto di
M igdalena, a contar de iulho do anao passado a
junho da.-te, segundo indica a inclusa conta.
Ao mesmo. Transmito a V. S. a inclusa con-
ta que me remetteu o commandante do corpo de
policia com offlcio dc 13 do correate sob n. 528,
afim de qae mande pagar ao negociaate Joao Ro
drigues da Moura a quantia de o:422*5CO, prove-
niente da 73 > capotes que fornoceu aquelle corpo,
em vista de.seu contract), celebrado a 27 de se-
tembro do anao proxim) passado.
Ao mesmo. Kecommeodo a V. S. que a vista
das inclusas contas, mando papar ao fornecedor
Lourenro Chaves da Fonceca ou a seu procurador
para isso indieado pelo Dr. chefe de policia em
offlcio de 13 do corrente sob n. 1608, a quantia de
14't*6n0, quo foi dispendida com o sustenfo dos
presos pobres da cadeia do termo do Bom-
Jard'rn.
Aacaesmo.Tendo esta presidencia, por of-
flcio de 14 dc agosto ultimo, autorisado essa the-
souraria a despender ale a quantia de 1.000*000
com r> conservarj&o e melnoramcnto do iardim do
Campo das Princezas, e so tendo sido disp- ndida
a de 52">*640, conforme declarou me o director da
reparticio das obras publicas em offlcio de 13 do
corrente sob n. 341, aatoriso V. S. a mandar en-
tregar ao thesoureiro daoualla repartigao o res-
tante, na iraportancia de 476*360, quo prefaz o
1:009*000, afim de occorrer as despezas feitas
com o dito jnrdim, no andante mez.
4.' secran.
Offlcios : *
Ao provedor da Santa Casa de Misericorcia.
Em resposta aos offlcios de V. S., da I e 12 do
corrente, tenho a dizer-llie que approve a resolu
cao da junta admiuistrativa d^.ssa Santa Casa de
adquirir a proprledade denomiaada Sant'Anna
pertencenle ao bach?rel Joaquim Fraacisco de-Mi-
randa, para nella ser cdificado o asylo da alliena-
dos, dando em pagameato o sitio Parnameirim no
val ord e doze contos de reis e trinta o tres contos
de reis cm dioheiro.
Em vista das condicoes verbaos, que me foram
feitas por V. S., acho mais conveniente que em lu-
gar de screra applicadas as apolices de que trata
o seu'primeiro offlcio, para dito pagameato, seja
coatrahido uai emprestimo da quantia precisa, nas
condicoes por v. S. indicadas, sendo destinados
os juros das ditas apolices a sua amortisa^ao para
o que once io autorisado a mesma junta admi-
nistrativa.
Sendo o sitio Parnameirim proprio nacional per-
tencendo o seu rendimento ao patrimonio dos or-
phaos flea nesta parte a transaccio em questao
dependente de approvarlo do governo imperial
devendo a caixa de caridade annualmenta debita-lo
em favor daquelle patrimonio pcla importancia
da renda do referido sitio.
Portaria :
- A" illustrissima camara municipal do Recife.
-Remetto a illustrissima camara municipal do
Recife os inclusos exemplares impressos, contendo
as leis geraes e decisoes do governo relalivas ao
anni proximo passado.Ig^uaes as demais cama-
ras municipaes da provincia. "
- A' camara municipal da villa de Sarinhaem.
-Declare a camara municipal da villa de Sari-
nhaem em resposta ao offlcio de 26 do mez Cado,
que lhe compete cobrar os reditos e os imposlos,
e pdr em arrematac.t o readimento do seu patri-
monio petencente ao lerritorio desmembrado
para o novo municipio de Gamelleira, cumprindo
Ibe indemnisar a raspectiva camara qnando for
installada da parte dos rendiraentos desde a epocha
da sua installagao em diante.
5.* secgao.
Acto:
- 0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu a companhia Ferre canil de Perntni
huco, e tendo em vista a informar io do engenheira
chefe da reparticao das obras publicas em offlcio
desta data sob n. 345, resolve conceder-lae per-
missao para os rospecrivos carros transparent pela
ponte da Boa Vista, privando quo as cargas pesa-
das, carros de carga e comboios tenhara passagem
por alii.
EXPRD1E.NTG DO SECRETAR10
/.* seccao
OflTi'os:
- Ao Exra. brigadeiro commandante das ar-
mas. 0 Exm. Sr. presidente da provincia mania
communicar a V. Exc que expedio ordem a th-
souraria de fazenda, afim de ser p>ga a despeza
de que trata o oflicio dosse commando, de 29 de
Janeiro deste anno sob n. 120.
Ao director do arsenal de guerra.0 Exm
Sr. presidente da provincia mauda declaiar a V.
S. que a thesouraria de fazenda foi nesta data
autorisada o pagamento das despezas de que tra
tarn os sens offlcios de 22 de Janeiro o 7 de abril
deste anno, sob ns. 342, 3.6 e 392.
2.' tcccZo.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia0 Exm. Sr. pre-
sidente da provincia manda dociarar a V. S. que
noun expedidas as convenientes ordens nosenti
do do qua trata o sea offlcio a. 1,612, do 13 do cor-
renle, allm de quo se apresentem 1 cab) o 9.
pracas de 1* linha amanha as 7 horas do dia na
casa de delencio, para a conduccao dos crimino-
sos para 0 termo de ingazeira.
Ao mesmo. -O Exm. S presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. qua foi nesta da-
ta concedida a.esoneraejlo quo pedjo do carg> 4a
2* supplente do subdelegalo do term-} de Inga-
zeira 0 cidadao Felix Tenorio Nogueira, de que
trata 0 seu ufflsio a. 1,613 de 13 do coirente.
Ao mesmo. -0 Exm. Sr. presilento da pro-
vincia manda declarar a V. S. que nesta data
se expedio ordem para serem por oulras substi-
tuidas a* pracas do corpo da policia. -jue se
acliaM destacadas em S.iliruairo, segando o sen
pedido em offlcio n. 1,616 de 13 do correate.
- Ao raasmiK 0 Exm Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S., quo uesta data
expedio ordem a thesouraria provincial, autorisau-
do os pagamenlos das despezas do que tratam os
seuiofflcius de 13 deste mez, sob ns. 1,604 a 1,608.
Ao mesmo.o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. qua ficam expan-
didasas convenientes ordens no sontjdo de quo
trata 0 seaofflcio n. 1,602 do 13 do corrente.
- ao commandante superior da Garanhuns. -
0 Exra. Sr presidente da provincia manda de-
clarar a V S para os duvidos tins, que par
portaria desta data foram nomeados os offlcites
consumes da nota junta, para 0 batalhao n. 29
da guarda nacional do municipio de Bom Conse
Iho, de corformidado com a proposta que veio
an icxa ao seu offlcio da 28 do rat z proximo pas-
sado.
- Ao commandante do corpo de policia, -0
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S. jue expedio ordam a thesouraria provin-
cial, iro senlido de ser effactuado 0 pagamento da
que trata 0 seu seu offl:io di 13 do corrente sob
a. 528.
5* seccao.
Offlcios :
Ao engeaheiro chefe da reparticao das obras
publicas, Do ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia, communico a V. S., para seu conhe-
cioieato e Bus. convenientes, que por acto desta
data conceded se pennissao a companhia Feiro
C'irril de Pernambaco para os respectivos carr s
transparent pela ponte da Boa-Vista ; privando que
as cargas pesadas, carros da carga e comboyos
tenham passagem por alii.
- Ao m;sinoS. Exc 0 Sr presidente ia pro-
vincia mania communicar a V. S. que aesti data
autorisa a thesouraria provincial a en.regar ao
thesoureiro dassa reparticio as quaatias da qua
tratam os seus offl;ios do 13 c 13 deste mez, sob
as. 341 e 341.
0 Sr.
0 Ness* dia, a noite, live occasiao de explicar 0
facto ao honrado Sr. Joao Jose Ro Irigues Mendes
e disse-lhe que raandaria retirar 0 offlcio e diri
gir outro.
Este facto nao e aovo e tem natural exotica
cao no avuli.i'l.) expediente da admiiistracao.
< Lament) qne o nobre Sr. secretario da asso-
ciacao commercial nao me houvesse prucurawlo
para ter de mini essa explicaclo e a troca do of-
licio, porque teria a prova de que nao oonve pro-
posito em faltar com a dehcadeza e atten^ao de
villas a associacao commercial beneficente. Adot
pho Lamenha Lias.
Fseola nurtnal para senbiM*as. -
Por ter sabido com algumas inexactidoes, publi
camos novamente o resultado dos exames da al-
gumas das alnmnas do primeiro anoo de 17 e
18 do corrente, presididos pelo Sr. Dr. Olympio
Marques, e sendo examinadores 03 Srs. professores
Moraes Mello, B. Barro<, e Monleiro Pessoa, a
saber :
1 D. Joanna T. di Silva Lins approvada na 1" ca-
deira, e approvada plenamenlo na 2" e 3".
2 D. Francisca Adoiphina de Assis, approvada ple-
namenie ni 1', e approvada na 2 0 3*.
3 D. Leopoldiua Amelia Gonzaga da Rocha e Sil-
va, approvada na 1" e 2', c approvada plena-
raente nt 3'.
4 D. Maria Leopoldiua Hires Ferreira, approvada
em todas as tres . 3 D. Leocadia Julia de asfo, idem.
6 D. Maria Hozana Pacheco, idem.
7 D. Liberata Maria da jConct icAo, idem.
8 D. Idalina Poriiria do Araaral, idem.
Nos dias 19 e 20, prasidmdo 0 mesmo Sr. Dr.
Olympio, sen lo examinadores os professores acima
iudicados, foram julgadas as provas da duas se-
nti iras, alamnas do mesmo anno, sendo este 0
resultado :
1
DKSPACIIOS DA PRESIDS^CIA DE 22 DS N0VEMB8.0
DE 1R73
Americo de Sa e Albuquerque. Informs
ias|M>ctor da thesouraria de fazenda.
Gmego Antjnio Euslaquio Altai da Silva.-En-
caraiuhe-se.
Co'ta Irrnaos & C Deferidojcom offlcio desta
data a thesouraria provincial.
Clara Maria da Con.eicao Ezequiel.-Reqncira
a supplicants ao c immandante superior.
Camillo Augusts Ferreira da Silva. -Em vista
da informacao do general commandante das armas,
nao lam lugar o que requer 0 supplicants.
Elisw do Souza Martins.Ao Sr. director geral
da WirtMiccio pubiiea para attender ao supplican-
te n<4 tormos do sua iuformac.to da 13 do correu-
te soda. 334.
Emlia Caudida de Mello Luna. Nao tem lugar
0 que [equer a supplicanle.
Jose Mariaho.de Hillanda Falcao. Prejudi-
cado.
Joao Manoel Pires. -0 supplicante junta ao seu
requerhneuto os documentos, (|uo exige 0 art. 3
do do.Teto n 1,930 de 12 de julho de 1871.
Joaquim Rodrigues Maia da Oliveira. -Concede
ao supplicante 0 prazo de 6 mezes para iiquidar
os seus ncgocios.
Tenente-coronel Jose de Moraes Gomes rerreira.
Passe portaria concc-dendo a prurogacao pedida,
sendo 0 supplicante relevaao di multa.
Teuonlc Manoel Tiiorni Alves do Coiilo.-Lomo
requer. _
Padre Menoel Lopis Rodrigues de Barros. Ue-
feridu com offlcio desta data a thasiuraria de fa-
zenda ,
Marcclla M uia.da Fonceca. -Sendo casada, com-
pete a seu marido repuerer, salisfeitas as formali-
dados do art 30 do regulamento da casa dos ex-
postos, conforme iniica 0 provedor da Santa Casa,
em sua iuformajao.
Martha Maria da Malta. Informe 0 Sr. comman-
daate do presidio de Fernando da Noronha, ouvin-
do 0 major da praca.
Manoel Ignaeio do Nasciraento. Informe 0 Sr.
Dr. chefe de policia.
Maria Cavalcante de Albuquerqu? Mello.-Ea-
tregue-se.
PorOrio Aires da Silva. -Seja nomeado 0 sup-
plicante para provisoriamenle exercer a scrventia
dos olflcios.
Peilro Ferreira dos Santos. Informa 0 sr. di-
rector do arsenal dc gnerra. _
Tliomaz de Carvalho Soares Brandao Sobrmlio.
-Informe e Sr. engonhairo chefe da repartcao das
obras publicas. .
Valentun Auxencio Ferreira -Projudicado.
iEEJSAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
Guarda nacioual.Por porUria da pre-
sidencia da provincia, de 22 do corrente, foi pri-
vado do posto, por nao se ter fardado no praso da
lei 0 alferes da 5* companhia do 27- batalhio de
infantaria do municipio de Caruaru, Antonio .Be-
zarra Maduro. '
TiTinii delpojaea.Por portaria da pre-
sideacia da proviocia de 22 do corrente no
meado Porfirio Alves da Silva para provi-
soriamenle exercer a serventia vilalicia dos olll
cios de labelliao e escrivao de orphaos 0 seus an-
nexos do termo dc Ipojuca
Termo de Caruaru.-Por portaria da
"idencia da provincia, de 22 do corrento, foi dis
pensado 0 lapso de tempo, afim de pod:r tirar
0 respectivo litalo c prestar iuramenta Manoel
Thome Alves do Couto, nomeado 3. supplente d-
jaiz municipal e de.orphaos do termo de Caruani.
rerno do btspado. Por actos de 4 a
Ciuverno do btspado
20 do corrente, passarara-se provisSes : de vigario
encommandalo da freguezia de Nossa Senhora
da Pa' dos Affogados, ao Rvra. padre Joaquim
J'ise de Torres; e de coadjutor da freguezia de
Pioca ao Rvm. padre Manoel Tavares de Sauza-
Campaahia do Beberlbe. -0 caixa res
pectivo.a rua do Vigari Thenorio d. 19, primeiro
andar, paga 0 81 divideodo das accSes, oa razio
de 3*000 cada nma. n
Secret aria do goveruo.-0 Sr. Dr.
Adolpho Lamenna Lins, secretario interim) da pre-
sidencia da provincia, aos pede a segumte pu-
blieacio : -
A Provincia, dc bonlem, sob a epigrapho
Uma desmoralisacSo, da uma noticla que nao devo
deixar sem explicac^o.
Tendo S. Exc. 0 *r. presidonte mandado fazer
uma circular as diveisas reparticoes, pedindo es-
cLvecimentos para 0 relatorio que deve apresentar
a assemblea provincial, e ootra pedindo dados es-
tatisticos par^ satisfazer uma reeommendacao do
g-tverno imperial, 0 empregado respeclivo redi-
gio-as unifonni'menle, e fe-la' sabir a assigoatara.
t Assign mdo-as, n itou S. Exc. qne a redaccao
nao devia ser aquella, 0 maadm reformar ambos
os offlci is.
a 0 euioregado, porcm, reformou um, e expedio
0 outro.
D. Maria Hermiua Correia da Silva, approvada
ptenamente e todas as tres caooiras.
2 D. Perpetua Felicidade de Albuquerque Fer-
reira, approvada em todas as tres cadeiras.
A alumna D. Maria Hermina oblsve um voto de
louvor pelo esmero e correc^ao com qua formuluu
suas provas escriptas, e foi premiada pelo conse
lh 1 superior da Sociedade Propagadora da Ins-
truce;io Pubica e pelo conselho parochial de Santo
Antonio do Recife.
Faculilade de Direito. Fizeram acto
do 5 anno no dia 24 do corrente 0 receberam 0
grao de bacharel os seguintes estudanles :
Francisco Leal de Miranda, approvado plenamente.
Gemil Augusto de Moraes Bitlencourt, idem.
Adelino da Silva Pinto, idem.
Manoel Felix Gitirana, idem.
Joao Baptista Gitirana, idem.
Antonio Pedro de Castro, idem,
Ralificacao.Na listi publicada hontera, dos que
se formaram no dia 22, em lugar de Francbco
Caraciolo de Paula Freitas, leia-se Francisco Cara
ciolo de Freitas.
Eloleao -Resultado di {quo procedeu. a Ir-
mandado das Almas, erecla ua matriz da Boa-
Vista.
Jaiz.Jose Rodopiano doa Santos.
Escrivao. -Manoel Hygiaa de Carvalho Couto.
Thesoureiro. -Domingos da Silva Perreira.
Procurador geral.Joaquim Francisc) das Cbagas
e Silva.
I* procurador.Candido Guedes Cavalcante.
2- dito,-Luiz Melanio Franco.
Definidores :
Manoel Antonio Cardoso.
Simplicio da Cruz Ribeiro.
Leoncio Gomes da Foncoca.
Marcolino Jos6 Pupe.
Francisco das Cbagas Pereira.
Joao Soares da Rocha.
Joaquim Candido Ferreira.
Francelino Domingues da Silva.
Manoel Braziliano de Andrade Poggi.
Joao Francisso da Costa Fialho.
Antonio Correia de Barros.
Jose Luiz Alves Villcla.
dub de Palestra e Lcltura Mediea
Sao convidados os senhores socios do club do
leitura e palestra mediea a se reunircm no dia 26
do correato mez, as 7 horas da noite, no edilicio a
rua do Imporador n. 3, junto ao aabinele portu
guez de leitura, aflm de tratarora da installacao e
organisacao da dita sociedade Outro sim, sao
convidados os Srs. Drs. em medicina e cirurgioes
qua quizerera fazer parte da dita sociedade, a ins-
creverem os sous nomes na lista dos socios, que
para esse fim se acha na livrana franceza de
Mrs. Lailhacar 4 C, a rua do Crespo n. 9.-
Dr. R. M. ViaOna.
Passaiuento. -No dia 15 do corrente, na
cidade do Penedo, proviocia das Alagoas, deu a
alma ao Creador a Exraa. seahora D. Julia Vaz
Pereira Ferraz, esposa do Sr. Dr. Silvio Peliieo
Pereira Ferraz, juiz municipal desse' termo, e ir-
mi do Sr. Justin) Campos, viclima d'uma febre
tiphica. A seu espaso e a seus manos mossos
siuceros pezames.
Dinheiro. 0 vapor Para levou de nossa
praga para: n.qnftannn
Ceara 8.i>00*t)00
Parahyba 6:000*00
Para J 670*000
Soeiedade patriotica Doze de Se-
tembro. Quinta feira (27) ao meio dia, deve ha-
ver sessao desia sociedade, na casa da exposicSo.
Via ferrea do Recife a Caxanga
Sn. Redutores. Em sua Recist-i Diaria de o-
je, dao Vv. >s. sob a epigraphe acima, uma noti
cia, que a parto aquillo qae ella possa cooler de
mais ou menos verdadeiro, segundo as informa
coes qae Ihes tenbam sido ministradas, envolvo
uma censura ao engenheiro fiscal dos trilhos ur-
banos do Recife a (Caxanga.
Acbando rae eu excrcendo interinamente 0
cargo de fiscal da referida via ferrea, permittan-
me Vv Ss. qne eu Ihes peca a iasercao das se
guiotes iinhas da sua coaceituada revista.
Dizem Vv.. Ss. que os treat da via ferroa do
Recife a Caxanga percorrem 0 espaco compreheu
dido eatre as eslacoes do caes it de Noverahro e
da rua Je S. Fraacisco, com carreira velaz acar-
retaado porigo para 0 publico; e, desta circuas
tancia, tiram Vv. Ss. as seguintes illar^oos : a ou
que a respectiva compaahia tem 0 proposito de
csmagar os transeantes, ou que o engenheiro fis-
cal d e para punir a passagem rapida, violenta das trens
dessa companhia pelo pateo do palacio.
Nao se di nom nma, nem outra das hypetbeses
por Vv. Ss figurada--.
A se adraittir a primeira d'ellaa, 0 qua repugna
ao bom seoso de qualquer, fdra mister acreditar sa
que a companhia nutre intencSes lao perversas e
allamoale crirainosas, que oatras, que nao multas,
deveriam ser as ponas a impor-se ihe.
A verificar se a segunda hypothese, caso fosse
verdadeiro tudo que Vv. Ss. publicarara; deveria
caber-me toda a censura por negligencla no cum
primento dos meus deveres.
Islo posto, devo assegurar a Vv. Ss., e isto com
0 testemunho de innumeras passoas quo diaria-
mente viajam nos trens, que a mareha dclie' en-
tre as est.ijoes supra meacionadas, 6 multo mode-
rada, a pool) de alguns passagoiros menos pru-
dentes dascerem dos ireus mesmo em movimento,
quando olles atravessam 0 largo do palacio, 0 qua
tambi-m 6 prohibido pelo regulamento.
Podc ter acoatecido que algum trem qne tenh 1
viado atrazado de cima teaha accelerado a march 1
ordinaria eatre aquelles poutos, qua e inf rnir a
6 kilometres por hora, do quo nay lire oonheci-
mento; pelo que estiraaria que 0 seu infarmaote
inlicasse as horas em que costomam os trans per-
correr 0 largo de palacio com carreira valoz e vie-
lenta; afim de que eu faca ob-ervar o regulamento
em vigor, qae, sem contar dispo-irao especial a
mareha dos trens com referenda ao largo de pa-
lacio, na seu art. 17diz 0 seguinte : < Avelocidade
dus trens nao excedera, eatre e-tacoas, de t2 kilo-
metres por hora dentro dos povoados, c 18 no res-
tante da linha.
Devo accrescentar que, segundo a tabella em vi-
gor desje 0 1* do corrente, os trens de7era gastar
de quatro a cinco miuutos entre a e(ai;ao do caes
e a da rua de S. Francisco, pelo qnese pode ajui-
zar da marcia que elles devera ter para naquelle
tempo percorrer tao pequena distancia, largando
do ponto inicial, como costuiuam as horas determi-
nadas.
Sou, Srs. redactores.De Vv. Ss., atteoto vene-
rador e criado.P. de Oliveira, engenheiro fiscal
interino.
Baionetivda. Em 22 do corrente, pelas 0
loras da noite, loii Gomes da Co-la. morador na
rua da Ponte Velha, da freguezia da Boa-Vista,
na occasiao em que se recolhia A sua propria ca-
-a, foi gravam)nte ferido por uma baiodetida ; lo-
grando cvadir-se o offaosor sem ter sido coahe-
cido.
Furtode cavallos. Por esse crime Fran-
cisco Alexandre da Silva foi preso em flagrante
pela delesacia em Bom Cunselho, em 16 docorrente.
Conllicto. No Atterinho do Giquia, distrie-
to de Afogados, deu-se aate-hontem. pelas 10 ho-
ras da ma-ilia, um conllicto entre Manoel Joaquim
da Siqueira e Joao Narciso de Barros, do qual
roullou ambos sahirem feridos. Sendo pre-
sos era flagrante, o primeiro defies proenron
evad r se, disparando uma pistola sobre Luiz Pe-
dro da Franca, que licoa morulmente ferido. A
autoridade procedeu na forma da leu
Gazeta jurldica. O n. 43 deste joroa?
co>item :
Gazeta Juridica : 1, (nsufflciencia numerica dos
agentes subalternos invosligadores dos critms
provada pela iasufficloncia dos resultados obtie'los.
2", Necessidade de um systema normal do vigi-
lancia. 3*. Modo racional de augmenlar, sera
grande sacrificio para 0 Thesonro Publico, 0 nu-
mero desses agentes. Jurisdicgao Civil: Belts
possuidos em commum, na constancia do raalri-
monio, nao se dividem a aprazimento dos con-
juges, sem seateoca que annulle o casaincato ou
decrete 0 divorcio 1\ Ninguem tera_ 0 direito
de usar de embargos de terceiro, qne sao sempre
inopportunos, na aecio de liberdade e antes que
esta seja decidrda e passe em cousa julgada a
senleaca ; 2s, E taes embargos sao tamtam tuinul-
tuarios, pois que, com den minacao diversa, con-
vertem 0 pnocesso era execucao de sentenca ainda
nao proferida.-Revogacao ou eraenda das par-
tilhas entre herdeiros nao se concede, tratandc-
de preferencia a um ou outro dos bens do casal,
e nao de leslo. -1*, Inventariante executado, se m
vemaser abmlvido do pedido, rode reivindlur
i>s bens levados a praca, de quero os possuir ; 8,
Nul'a e a cessao feita por procurador sera podre
especiaes.Jurwdicfao Commercial: 1% Gouci-
liacio nao e precisa seodo nma das partes imen-
tariaute e tutor de menores; 2*. Na expressis
poderes illimitados comprehendem se os espe-
ciaes Ipara a concilia?ao ; 3', Na 1 deve ser admit-
tido na causa advogado com quern nao possa
funccionar 0 juiz certo ; 4", Nao tem valor 0 jura-
mento suppletorio prestado por inventariante que
declara n.io saber a origem do credito que de-
maada; 5", Materia de direito nuaca e velha.
Jurisdiccao Criminal: Autoridade policial que se
ingere em negocios civeis, e por esta occasiao
ordeaa prisOes, e punido com as penas dos arts.
139 6 181 do Codigo Penal. Doutrina : Direito
Civil. Filiacao natural (contrauaQao de pag.
230). -Proce'sso Criminal: Interpretacao do art
332 do Codigo do Processo Criminal.
- 0 n. 44 traz:
Gazeta Juridica: 1, Insufficiency numenca
dos agentes subalternos investigadores dos crimes,
provada pela insnfflciencia dos resultados obtidos ;
2, Necessidade de um systema normal de vigi-
lam.ia; 3', Modo racional de angmeatar, sem
grande sacrificio para 0 Thesouro Publico, 0 na -
merj desses agentes (continuacao do n. 43A Ju-
risdiccao Civil: Intelligencia, em queslao de em-
phyteuse, sobre laudemio eslipulado. 1, Divida,
passiva do herdeiro a successao, nao e impuUda
integralmenta em seu quinhao, mas dividida com
igualdade entre os co-herdeiros ; 2', Neto que
succede ao avA nao p6de ser obrigado a pagar,
pelos bens da beraaca, as dividas de sea pai.
Jurisdiccao Commercial: Titulos exigidos ao acto
da apresentacio e sem prazo fixo para ?oo paga.
mento, nAo sao nolas promi-sorias, mas creiitos
commerciaes que so prescrevem em %\ annos.
Jurisdiccao Criminal: Parte que rajuria te-tc-
rauuha, embora allegue que nao podia contra-
dictal-a sem empregar os qualificativos iojuriosos.
commette crime.-Nullidades do processo: I*.
Teataliva do moeda falsa ; I', Aggravar^ao deste
crime pelo concurso de diversas pessoas. Dou-
trim: Direito Civil. Filiacao natural (contiouacai-
de oag 343.)
Nova publica^ao.-Chegaram asl'vranas
desta cidade qaatro novas publicacSes feitas por
coota do Sr. B. L. Gamier, destiacto editor e re-
commendavel livreiro da cdrte do imperio. Sao
el las : A corda na garganta, por E. Gaboriau,
0 volumes; 0 snbrevivente, por Paulo Feval, 4
volumes; Oi Hlhs do capitao Grant, terceira
parte, por Juls Verne. 1 volume ; e 0 bom do Sr.
Leitao, por Kock Junior, 1 volume
Os dous rimeiros romances foram ja pubiiea-
dos como folhetins nos jornaes da c6rte, e raerece-
rara notavel acolhimeoto, tantopela phrase cor-
recta como pelo bom deiineado da narrativa e
pelo interessaute assnmpto de que tratam.
A terceira oarte dos Filhos do capitao Grant e
a conclusao da narrativa do quanta occorreu
aquelles qae baseava/n 0 ousado nanta perdido-
era lugar ignoto, e romance cheio da scenas ani-
madissimas e de descripcao de factos sorpreilen-
tes e agradaveis.
0 bom do Sr. Leitao e romance de estyio fa-
cet, descrevendo ama das maius phases da vida
humana, em qae a mulher governa a casa e 0
marido, em quant0 este cria gallinhas e occupi-se .
em outros mist6res dessa ordem.
Sio todas essas publicans ;s dignas de apre^o.
Vendera-se em todas as livrarlas.
Vive em Paris um bungaro, 0 conde de Wal-
decb, qne reside na capital desde lunga data, e
Sue completou hap-ucos dias 97 annos. 0 conde
e Waldech, que e nm artisla, pois manda as ex-
posicdes annuaes quadros com este lema. oOcios
de um centenarion, tenciona agora abnr um
rauseu historico do bairro aos Campos Elyseos.
Esto anciao que desfructa perfeiu saude, nasiceu
dm 1776. Tiroud original 0 retrato de Maria
Antonietie, e deoois de viajar pel* Africa, foi no-
meado em 1793 adminitrador do theatre da Porto
de *. Mart in ho. Mais tarde foi ferido na bat alba
de Austerlitz.
Hollas.As ultimas de Paris sio assira des-
criptas pelo J01 nil do Commcrcio, de Lishoa :
Era Frana e costume, e principalmente aas'
provincial, inaugurar-se em dia de Tocos os Smtos-
1) trajo da inverno: comtudo na abertura das
salas de rcaepQao, no mpz de Janeiro, ainda ap-
parecem algumas novidades, mas a base da moda
11 cara til c >mo vam >s descreve las.
As polonezas e as tunicas coutinuar-se-liio a
usar na rua: mas com os vestidos chamado-*
luibillies esiao inteiramente banidas do trajo ; b
mtffti I


nt
1
--TZ
.^JfemarabuaC Terea (ejra 25 de l^oveihbrO de 1878.
porem, sllwfci dins moWns n qne madamoisdlc
Hataillon, uma da-. jTjBfiipaes modistas do Paris,
iiaer cons.rvar de polonoza o da tunics,
e quo I'm c segui ile teWo :o pnniciiu 6 uma
Iran-forma en o em SASftt) a princeza de cauda,
guarnecida Gom pejjea on plumas, c abotoada
adiante, Mas par nni s\sterna de co!cheles,toHi!to
engenhoso. e habilmenie" disposlo, a saia, dcsse
vestido arregaca em dous ou tres tufos, e toma so
era poloneza para visits,
QtiMido so dc.xa arrastar a saia, soltando-a
dos colchetes, dcsaboloa-se lambem adiante, pnn-
do-lhe por baix > 11 ma saia desetim rieamente
enfeitada a maneira de avenlal. Has so a polo-
Beta augmentou era proporcons, a tunica acfca-se
lioje singularnjenie redusida ; adiante apenas tem
as dimcnsdes do urn penueno avenlal, 0 atraz
form a urn tnfo insigniflcanto a vista, mas muito
commodo, on maw ;>ri)prto para uma senhora po
der seutai-sij sem !er atraz do ;Jsi um meirtao de
diversa* (sftradns.
A moiv coniauara neste invorna a des-
thronar 0 se'.im ; depois, as estofo} adama-cados
virlhe-hau lazec fern cmicurrencia, ate que pus-
sain recuperar a superieridade. E' preeiso notar
que two lallamos nas fazendas deaominadas -
pompvdour -, ma* sim adnmascidas, oque signi-
flca <|ue nac.se Mario rainos de Rores de cores
vivas, espalhados pelas fazendas, mas sim rama-
geas assetifiadas (ia exsma cor do tecido, gvnero
que convem perft-Hamcnto ao estfto da r bep'in
cesse. aberta adia te, e com naaagas a Lniz X\ I.
< Hi fazendas adamascadas de seda e la, mn to
liaratas u bouitas, de differentes cores. 0 qne sao
deslinadas Is foitetti para casa, on para s.iir a
compras e a visitas -em ceremonia.
Os vestidos do. faille, para pas.-cm, ou recepcao
de dia, fazem-se meio eompridos (porque nao se
vi";;n mtra vet saias curias, e raras s.ao as rentes
do chao), com (olbosate a cmtura, e com os pannos
de diante enfeitados divcrsameute do rcs'.o da
saia.
a Sobrc este vestido, quo da mais vantagens
ao busto ejue a tunica, usam-se tins lindos man
teietcs do vellud' com capuz forrados do cOres
claras, jaquctas do pannn com grandes virados
e botoas de metal amarello, ehailei tracados a ma-
neira de iduvpe, etc., atavios quo fazem 0 peior
effeito possivcj sabre 11111a poloneza ou tunica.
-La mais para 0 inverno vao u-ar-se grander,
mannas ou eapas com pouca rods, comprida-, com
mantiis l.irgas de velludV,, forradas on guarnecidas
com pellei, sob as quaes 0 pouf imprime forma
desengra'.-ada ao Corpo,
O typo d>) vestuario 6ea deflnitivnmente todo
pucliado para traz, e 0 mais justo possiv.il adiante,
de maneira que os enfeites, atavios, ou isso que 03
TVancczes cliamam Confu'tions, figuram quando
mnito ate aos iiuadcis. Ha certos trajos, como
por exejiipli 0 de imazoua, nos quaes as senho-
ra. parecem andar de cal^-is. Os corpus dos
vestid..< participan dos estylcs a Henrique IV,
Laiz XVI, e restaura;5o, epocas gua tambem do
penteado as senh. ras iguajinenw se aproxlmam,
lo qu.il pos resci'vanias para ilizi;r maravilhas
n'um de dossos p.-oximos artigos de modas, pur
isso que Iioj.j livemos cjue findar a quest.io dos
vestidos e 4"8 manto?, ou capas, quo vao nova
mettle representar importante papd.
Os n"Vos cintns nao teem menus detiinta cen-
limeiriis de larguea ; os ma!3 chiqiirs sao de rift-
as de moire e de .'elludo perpeuliculare*, e na>
Ifansversaes, como os cintos argetinns deste veri).
A vh,'i do azevicha para eniViies tima grande
iiitensidade ; o ago lambem torna a apparerer ;
n'uma pnlavr.1, 'a vidn.lbada e a ferraria entra
oatra voas em ^cena.
_ C"r ad' plada pels moda^ podo se diz^r qua
Bio ha, pcis quo i s!i a.-sentaJo opb 0 branco e
0 prvlj ni) sao cores. 0 trajo preto conlinua
a tcr ndopLidi por uma serta Classe do gpnte que
-c utter di-Unguff dos ouiri.s, s:Ja cornofdr, em*
b um dca ale as nnva's de man gusto, e mesmo
de Inm torn. h':.i .,>! ;."i 1 .: sjiili ira< sdteiras, 0
branc) lera a pri/iiazla duraote 0 Inverno.
) bnncos, ijue h.'i tempos a.''ta parta csta:
v.i:-.! mn pouco hi i.sqaetrfajema irpparecam ag .!.' 1:11 tauto niKJiiicados. i)s ultimos do inverno
passado estavam rediizidos a :1:1a simples perola
do vuluma Os briacos pafisienses compunham-so de um
simples botii qua?: rmpercppttvel, cujo onga< nao era visivel ; e.-te anno j botao aiymentou
con-ideravelniente de vu!i:;.' i tornon-ae do ta-
man'i-i de am atir:m!i >. ;:;.;r de uma padra so,
roiB'i Coral, ametysta, et-., qaer formadu por
muitas'jieJras petjaebas sobrs craracSo espherica.
&tes lirinc'is nao Ivcm pingcu'.es, nem por ar-
golas se prendem as orelbas ; um gancho qne
parte do encaste e 0 qaa 03 su*tem. Por csta
BiTtO*. b >t-w .'^condo uma narln da nrelha O
a diminuo sensivtlir.ento ; circnmstancia que 0
tjrua uiuto v.mtapiso para as pessoas qae por
deagraea possaem esso apendice mais volmnoso
do queoex'ge uma pliysmnomia regular. Taui
foem as enjoins tno.i.-t'os apparecem promiscua-
menle eora 0 botao protector de In beltd.
a 0 inlman qua substitnir 0 par ilessus tr?
diccimial 11-ar se ha ainda por muito tempo : as
aenhoras de cerfa i-i.i !; principalmeoteconservamo
o, fizen 1, 1:10. pirem, algamis miii!icaQoes. -s
scafijras easadas ai ida novas ajustam-o por de-
tra?, ,iinio l!ie ali .ii'.e abas de raantelete.
Cwliauar-se lu,a usar muito as collereltes
a Mini Stuart, d: !:':; branca 0:1 nreta, taipiea-
la p w cutiaiis J -. i'..ve'|j) missanga ou vi-
slriliim.
< Si nui'n'.i em qae lodis se preoccupam
can .1 mill h /ejiuarii), es'.ifali oaon te lem-
tirj nos .1; .11:..i< I,; uras a neitnr maneira do
Uttar i m la d; -i umjierfume saave c fug.ti-
voquedeaota cuidU-doeelegancia ria po-soa ; para
eheg.ir a esso ivsuitalo, basta apdvijnar'no al-
godn enri;in q 13 se met'.e n g firns, com, a
se vend 1 em caivas nos principals perfumistis
de Paris.
O eiuiro Me mais 60foin frdir.lu.nca' nap}'. Fen-> coitido de
/re;,->.
i) Si |ne t ua a i riuin ill I.ile, a name do nova
perfume mo deixa nada a desejar, mas e;ii|uauto
a ver I:: lcra d'si:;iric-ii do aroma parece-Qos
quo : trevo apankiito de fresco aproximavasc
tuiis da ve;'l 1 ie. 0 tal cheiro da moda nao pas-
sa do aroma da trevo, aiiris muito agralavel B*
a erva das fiiliceiias, o aroma que as nossas
boas avos deitavam na roupa, e" que Ivje esta
destinado a por per algum tempo de bmda a
-nave violeta das elegantes do theatro lyrico de
Paris e 0 >' boujuet do diwlj't
I.oteria A quo =e_ acha a venda e a 76.*,
a beneftcio da maliiz de
ao dia 28
Hospital I'ortugucz '" Beneflcen
i. Movirnents das enfertoarias desde 0 dia 16
a it d>, corrente:
Ficaram em tratamento 47 doentes.
Entraramclarant! a s.emana it, saliiram.cura-
Esta do .-cnana 0 Sr. mordomo Jose Pereira
Vianna.
dtsa det.enea,o.Moyiraento do dia
27 de novembro de 1873:
Existiam preso? 3Ji>, "nlraram i, ahio I, exis-
(am 32i.
A saber :
tfaetonaes 235, mulhcrcs II, estrangeiros 28,
wcravos 40, escravis G.Total 321.
Alimentados a custa dos cofres publicos 257.
Passas^ftipos.. Seguirac^ para os portos
do nurte no vapor Paid 03 segujntes:
F. Geovanni e I sobriubo, Scaettina Guesseppe
de Geovanni, Venancio, escrav i, Joaquim Germa-
no C rnejftL Hornardina e I liiba rneoor de 8 rae-
zes Jo2o Xo;;ueira da Costa, Maria Joanna da
Costa, Antonii Har.a da Costa, Antonio Luiz da
Co;U. Dr. Joij Fracklin da S. Tavora, Victor Mo-
reira Lopes, F. Peraandes Vielra, commendador
Carlos Emilia de Aiidrade Peixoto, D. Manuel JU:
venil Rodrigues da Silva, Hwnoiato Miranda, Cy-
pnano de A. Galvac Junior, D. Francelma Alves
Morcira, D. Ascendma A. Mdreira Galvaoe I cria-
da, Luiz Francisco de Almeida, Adolpbo da AI
raeida G. Alcoforadi/, Xi. J.' Rrtdrigues Elvas, Joa-
quim Clomentino da Silva Ffeire, Joso Joaqnim de
Araujo Machado, Jolo Coolfro Monte ro da Franca
lgnacio L. de Souza Rangel, Francisco do Rego
Barros Figueirudo, Alvaro M. de Barros OHvoira
J^iola, Fernando Antonio Correia Junior. -
Sahidos para 0 .sul no vapijr Penedo :
Pofliri-j Luiz,.SaoJ>s Vef^pcfc' Maujel Nasct-
uienio Lima, Aurejtaoo J/obrega Vascuucell.is, Ma
noer'Gnndido ^raujo Lima, Antoaio Moura. Castro,
Juveoiano a. P. Duarte, eommendad ir Jose M. S.
Coatfnho, D. Fraqcisco L. Cout;,i!io, Alipro Leite
Falca.1 Dus J, aV Carlos Accioli, Luiz T rres. Te-
misloclus I'. Alhui'ierque Figu'iredo e 2Tilln<,
Adjlpho Bjek, J^so RiJrig'ies tiastis Cbelho Jusi
Alve, Pranc seo Pedro, Antonio de Fanas
l;"b" Albuquerque, Praneisco
-F(intan, Divinn Xdui'./i > Aqiim). Francisco Alle-
ma>i Bal- za, Deotfa'o Jo^e da Silva.
O.nif.n ptihltco.-Otiitnano do dia 23
do no"embro :
i>E.do'd5 Al.npiia, branco,, Pornam-
buco, 6 aouos (i 8 miaes, S. Jose ; dtarrbe'a.
nrla JuIMr, i, .;as, Santo Antomo ;
ospnsmo.
Francisja feria h ConcelMo, preta, Pprnam
*-,e.;-,, 23 annos, sokeira, Bua-Wbu, bosnita! P.dro
II ; variola's.
Balbiua Maria djs Santos, preta, Pernambuco-
24 antm, solteira, Bda-Vista. hospital Ptdro II:
phtysica pulmonar.
Luiza, *>aerava, preta, Pernambaco, 35 annos,
solt'-ira, Recife ; febra pwniiiosa.
Angelica, eserava, parda, Parnambnco, 40 an-
nos, solteira, Boa-Visla ; ioterite chronica.
Francisca, branca, 1 eroambuco, ,'i annos, Boa-
Vista ; bexigas.
Joa0 Baptista Libo de Qneiroz, pardo, Perna-ti-
baco, 27 annos, solteiro, Santo Antonio ; vario-
la*.
Filomena, parda, Pernambaco, 9 dias, S- Jose ;
convulsdcs.
Manoel, branco, Pernambuco, 6 annos, Boa-
Vista ; bexigas.
Maria, branca, Pernambuco, 3 annos, Recife ;
variolas c< nfluenles
Maria, parda, Pernambuco, 4 mazes, BOa Vista ;
bexigas.
Amelia, branca, Pernambuco, 3 mezes, Boa-
Vista ; bexigas.
Joaquim, preio, Pernambuco, 3 '4 annos, S.
Jos6 ; convulsoes.
Tejucnpapo, a qual corre
1 HKUMCA JIDIi IARI1
lRIBi:i'iL Dl RKI..1C.IO.
SESSiiO DE 22 DK NOVEMBRO DE" 1873.
RR-IDUKC1A DO KXJJ. SR. CO.NSELHK1B0 CAETANJ
SAMTIAGO.
S'crrtario Dr. Virgtlio Coelko.
As 10 boras da inanba, preseoles os Srs. des-
-..'iibargadores Loureii'.-o Santiago, Almeida Albu-
querque, Doria, prucurauor da corda, Domingues
silva, Regueira Costa, Souza Leao, AraUjO Jorge e
Neiva, abrio-so asossw).
HIMt Mill I III
Recursos crimes.
RecoiTente 0 juizo de direito da Escada, recor-
rido Manoel Barros Wanderley. Juizes os Srs.
des-'inbarga'lores Almeida Albuquerque, Domin
gues Silva, Regueira Costa e Neiva. Improco-
dentc.
itecorrente 0 juizo de direito do Garanhuns, re-
corrido Antonio Pen-ira dos Santos. Juizes os
Srs. desembargadores Domingues Silva, Souza
Leao, Neiva e Arwjo Jorge.-Improcedente.
Rec>irreiite o juizo de direito do Recife, recorri-
do Manuel Rufmo Tavares do Almeida. Juizes os
Srs. desembargadores Regueira Costa, Araujo
Jorge, Almeida Albuquerque e Neiva. Improce-
dente.
Recorrente D. Angelica B. de Miranda, recorri-
dos Julio da Costa Cirno e uulru. Juizes os Srs.
desembargadores Neiva, Souza Leao, Almeida Al-
buquarquee Regueira Costa. -Nao tomaram co-
nhecimento.
Habeas corpus.
Paciente Amaru Gomes do -ant'Anna.Coneo-
deram soltnra.
Appellacoes crimes.
Dp. Nazareth. Appellantc Joaquim lgnacio Gon-
gajves da Luz, appellado Jose Martiniano de Sou-
za. -Reformad 1 a pena para 0 art. zOI.
De Sabieii 1. Anpcllante o juizo, appellado lo-
se do Nascimento Huy. A nnvn jury.
UoPilar.Appellante Juvenal Pereira dos San-
tos, appcllala a ju-tica. -Improcedente.
Di Imperatriz. Ap'pellante 0 jui o, appellado
Juliao Jose dos Santos A nuvo jury
De Cauiaragibe.Appellante 0 juizo, appellado
Ijjaudino Joso Tenorio eoutro. A novojury.
Da Imp-ratriz. Aiipellanto Bernardo Simiao
Alves, appellada a justica,
Ao Sr. Dr. curador geral:
Ii'Agoa Preta.Appellante Joao dc Queiroz, ap
peliada a justica.A novo jury.
De B.inviros.Appellante 'Antonio Felix da
Silva, appellaia a ju-tiea.Improcedente.
Appellatives civeis.
Do Recife.Appellante Josepbina Maria das Do-
res, appellado Antonio Joaquim Feriiandos da
Luz Desprezado* os embargos.
Appellante a fazenda naciunal. appellado Tasso
Irmao. Reformada a ntenca.
Appellante Beuto Augusto da "-ilva, appellada D.
Maria RicarJa de Souza Regu.Conlirmadaasen-
tenea.
Appellante Joaquim Salvador Pessoa de Si juei-
ra Caval-.-anti, appellado Salvador do Siqueira Ca-
valcauii. -Coufirmad- a sentenca.
Appellante D Hurtencia A. Alves Ferreira, ap-
pellado Jos6 M Bezerra da Silva Costa.Despro-
zados os cinbargiis.
Appellante ao-.mpanhia Drainage appellado Joa-
quim Dili da Silva Giiimaraes. Conlifmada a
sentenca.
Da Escada.Appellante Joao Carlos Cavalcanti,
appellado Martiniauo de Barros Branco. Conflr-
mada a seiiten.a.
De Camarijiibe.-Appellante 0 juizo, appellado
Cesario. escravo. Cuntirmada a sentenca.
D1 L:mociro. -Appellante Maria Lucina Barbo-
sa da Silva, appellado Manoel da Trindade Ca
niello Pessoa. Desprezados us emhargus.
Di Acaracu. -Appellante Jose Gomes da Silva,
appellada a africana Flonnda e seus filbos. -Re-
ceberara is embargo*.
Da imperatriz. Appellante Jose Vieira de Arau
jo Peisoto, appellado Manoel da Costa Pinheiro.
Desprezados os embargos.
DiCrato. Appellante Jose Ferreira de M9II0,
appellado Jo:6 Dias Guimaraes. Reformada a
sentenca,
PASSAC.RNS.
Do Sr. desombargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargailor Doria:
Appellacoes civeis.
Do Recife.Appellante lose Dias Guimaraes,
jppellado bacharel Joao Ferreira de Almeida Gui-
maraes ; appellante Antonio DuarteCarneiro v"ian
na. appellado Jean Raatista Gomes Penna.
Do Sr. desembargador uoria ao Sr. desembar
gador Domingues Silva :
Appeilacdos civeis.
Di Recife.Appellante D Josepbina Burle Du-
beux, appellados herdeiros le Joaquim Josd de Mi-
randa : r ppellantes herdeiros de Manoel Antonio
da Silva' R.os, appellado Joaquim Jose Alves de
Albuquerque.
Da Victoria.Appellante Goscalo Joso de Bar-
ros, appellado Manuel Gomes de Barros.
De Cimbrcs.Appellante lose Ferreira do Mel-
lo, appeUado Jose Martins Leitaa.
Do Sr. desembargador Domingues Silva ao Sr.
desembargador Rfg'ieira Costa :
Appellacao crime.
Do Cabo.Appellante o juizo, appellado Wil
Ham Scott.
1)0 Sr. desembargador Regueira Costa ao Sr
desembargador Souza Leao :
Appellacoes crimes.
Appellante u juizo e" Francisco Antonio da Sil-
va, appellados os incsmos ; appellante o juizo, apt
peliada Antonio Flerencio da Paixao.
Appellacao civel.
Appellantes Vicente Ferreira da Costa e outros,
aopellados os mesmos.
Do Sr. desembargador Araujo Jorge ao Sr. des-
embargador Neiva.
Appellacao civel.
Do Recife.Appellante 0 juizo, appellado Bal,
thazar Candido, pnr sen curador.
Appellacao crime.
De Maria Pereira. Appellante Joao Ferreira de
Oliveira, appellado 0 juizo
Ao Sr. desembargador Doria :
Appellacao civel.
Do Recife.Appellante Joso Alves Barbosa, ap-
pellado Antonio de Souza Braz.
Do Sr. desembargador Neiva ao Sr. desembar-
gador Almeida Albuquerque:
Appellacoes crimes.
De Borburema.-AppeHaa'e 0 juizo. appellado
Jose Joaquim de Brito
De Limoeiro. A.-peilanto- Severino Jose dos
Passes, appellada a justica.
DoBonito Appellante Antonio Alves dos San-
tos Grande, appellado 0 juizo.
Be Saata Qaiteria. Appellante Thomaz da
Aquino Souza, appellada a justica.
Appellacao civel.
De Alagnas. -Appellante a fazenda, appellado
Francisco Ferreira de Andrade.
Da Imperatriz.Appellante 0 juizo, appellado
Gaepar da Costa.
Appellacao crime.
Appellante* Felix da Costa Barbalho e outre,
appellada a justica.
Ao Sr. desembargador Araujo Jorge :
Appellaglo civel.
Appellantes herdeiris de Domingos Jos6 Mar-
ques, appellada Cecilia, pr seu curador.
Hiligeneia crime.
Appellante 0 promotor, 7pp>*llado Antonio dos
S ntos .ima : appellaute o juizo, appeUado Ma
nuel Luiz, escravo.
Diligencia civef.
Ao Dr curador geral :
Di Recife, .\pp4tant.-s Valentina e sens ulbos,
appellado Silviu-j Augi
------------^-------------------------------- ^E
^*si?noa* dia para julgamcnto dos "vfkHo^
seguiutes:
IppMIa-ocs cri nes.
W Jvaaar^ik -Ap .ell.-uit- 1 nizx appellailtsJiB-
noni Joip; <\w ;v.:it.is.
Du I'tiar. AiipclaiUo Juvenal Pereira dos San
tos, aniellada a justica.
Da Imperatriz.Appellante o juizo, appellada
Juliao Jc>6 dus iaotw. 0f~M
Oe Camaragiiie.Appellante 0 juiao, appellado
Claadino Jo>e Teaaria.
Do Assari. -Arpellante 0 juizo, appellado lgna-
cio Itiuardu Anaes.
De Bam-irus. Appellante Antuaio Felix da
Silva, appellada a justica.
Dalmperatnt, Appellante Bernardo Simeao
Alves, appellada a justica.
D'Agua I'reti. -Appellaatd Joaa do Queiroz, ap-
pellada a juslica.
Du Recife.-Appellante Joiio Jose de Araujo, ap-
pellado o juiio.
Appella^ues civeia.
Do Recife.Appellante Tasso Irmao, .ppailada
alizenda ; appellante Bento Augusto da Silva, ap-
pellada Maria Ricarda de Souza Reno.
De Olinda. Appellante Jos6 Goocalvas da Crux,
appell3d Franciscu das Chagas Salguelro.
Encerrou-se a sussau a 1 hjra da tarde.
ll/VJ |:
Q:'asta
THESOURARIA DE FAZENDA
24 de novembro.
Foram rcmetiidos ao Sr. tliesoureiro para se-
reni pagos.
Onicios :
Da presidencia, mandando pagar a empreza dc
illuiiiin icito putdica a qliantia pruveuiente do gaz
consumido no hospital militar, nos mezes de ju
Iho asetembro, na imporlancia de 449-100.
Da niesma, mandando pagar a mesina a quantia
de 6S8iS00, imporlancia de gaz consuumidu nos
mezes de julbo a setembru nos diversos quacteis.
Da mesma. mandando pagar a Carlos Walter
a quantia de 8O51MK).
Du eomniarubinte da fortaleza do Brum, com a
conla do furnecimentu d'agua a mesma fortaleza
nu mez Undo, na imporlancia de II38 0.
Do inspector d > arsenal de marinha, com as eon-
tas da despeza feita com 0 cnterramenlo do gru-
mete Silvano da Eucaruacio, na imporlancia de
131066, da lavagem da roupa da eufermaria, no
mez de outubro, naimpirlaucia do 6859i'1.
Do inspector da saiide du purto, com duas con:
las de Guimaraes & Obveira, na imporlancia de
1315740.
Do director do arsenal de guerra, com uma
conta de Jose dos Santos Obveira, na importancia
de 30*000.
D > engenbeiro da estrada de ferro do Recife a
S. Francisco, coin uma conta proveniente de
objec: is fornecidos a mesma, na imporianiia de
70*020.
Foram igualmente remeltidos au Sr. pagador pa-
ra 0 mesmo lim.
Ruqueriraontos :
1)3 Raymundo Can lido dos Passes.
Do Manuel Joso dos Santos.
De Manuel Zeferino Dias Uarreto.
De Jos6 Vicente Ferreira.
De Francisco Gomes da Silva.
De Clanndo Jvse Snares.
Secretaria da thesmraria de fazenda de Per-
aambuco, 24 do novembro de 1873.
Q secretario da junta,
Jesuino Rodrigiies Cardoso.
mBtimm a peoioo
*
Elei^ao
Dos devotos quo tAin du fostejar Nossa Se-
nhora do llosarin, na villa de Garaclleira,
no dia 8 de dezembro do 1873. '
Juizes por eleicio.
O-^ Illms. Srs. :
Barao de Una.
Barao do'Livramento.
Barao de Villa Hella.
Barao ic Gnararapes
Dr. Pedro Gaudiani Ratis u Silva.
Dr. Feli(ipe de Kizueirua Farla.
Juizas poreleiijao.
As Ex mas. Sras.:
"uroueza lu Camp;) Alegre,
Baroneza da Solo lade.
Uonsorte do teneaie-curonel Cinciuato Vellozo o>
SiUeira.
Consorte du capiUo Felippe Banicio Alves
reira.
Con-urte do Dr. Vic-nle Tavares de Lima.
Conorte do Dr. Antonio Venancio Cavalcante Be
Albuquerque
Juizes proteotores.
Gs Illms. Srs.:
lielniiro da SiUeira Lins
Hxnriijue M. da Silveir.i Lias.
Franci-co de Paula Cavalcante Wanderley.
Juizas protectoras
As Exmas. Sras. ;
Consorte d i major Jase Pedro VcHoso da Sil-
veira.
Consorte do Dr. Manoel Nicolao Regueira Pinto
Consorte lo Dr. Sebastiao Antonio Acciolis Lins.
Juizes por devogao.
Os Illms;. Srs. :
Major Francisco Pedro Snares Branlao.
Major Franciscu Manoel le Souza Oliveira.
Herculano Francelinu Cavalcante de Albuquerque.
Juizas por devocao.
As Exmas. Sras.:
Consorte de Bento Severianp da Fonceca Pitta.
Consorte du major Domingues Soriano de Azevedo
0 Silva.
D. Paula Joaqmna Cavalcante de Albuquerque.
Escrivaes por eleicao.
Os Illms. Srs. :
Manuel Thome de Jesus.
Major Americo Xavier Pereira de Brito.
Vicente Elias Cavalcante do Albuquerque.
Escrivas por eleicao.
As Exmas. Sras :
Consorte de Adolpbo Wan lerlny Lins.
Consorte de Manoel de Barros'Accioli Lins.
Consorte do major Manoel Germans Regueira Pe-
reira de Bastos.
Escrivaes protectores.
Os Illms. Srs.:
Dr. Jose Eugenie da Silva Ramos.
Dr. Joao Bento de Gouveia.
Dr. Medciros.
Escrivas protectoras.
As Exmas. Sras.:
D. Francisca Vellozo
Consorte do Dr. Barros Martius.
Gonsorte de Manuel Francisco Oliveira Arruda.
Escrivaes por devocao
Os Illms. Srs.:
Austreeliano Pergeotino de Almeida Andrade.
Adolpbo Astolpbo Lins dc Albuquerque.
Silvestre Pereira da Silva Guimaraes.
E>crivas por devocao.
As Exmas. Sras.:
D Edeltrudes Benigna de Qaejroz Coutiuho,
Consorte do Sr, Jerun>m B irreirus Rangel.
Consorte do Sr. Asseno Affonso Pereira Barges.
Mordomds.
Os Illms. Sr.s :
Jose Genuino d Silva. *
Joaquim de Paula Meira Lima.
Joiio Mauricio de Barros- Wanderley.
Manoel Antonio Barros,
Pedro de Me 116 a Silva
Jo>edtubno da Silva Santiago.
Pedro Dantas do Reg 1 Monleiro.
Jose dus Santos Aguiar.
Mordomas.
As Exmas. Sras. :
Consorte da Joao Baptista pa Cun'a Larangeira.
Consurte de Joio ft.vaes Cavalcante.
Cnosnrte de Lniz Jose da EspectacSa^
Gonsorte da Francico Gapalcaota.Accioli Lias.
Consorte de Antonio Francisco Garrea L na.
Consort* de Antonio Lniz Gonzaga ds Olivejrs.
Consorte de Matheus Antonio do Rego Barros.
Consorte de Joaquim da Silva Pinto.
Consi-torio da veneravel irmandade de Nossa
Senhora du Rosario erecta na matnz da villa de
Gamelleira, 22 de novembro de 1873.
0 vigario,
Floriano de QaeinaCnUinko.
Juiz,
Francisco Manoel de Araujo.
O secretario,
Luiz Benedielo de Souza.
0 tiiesuureiro,
Irajano Agoslinkade Burros.
|Be 11 artigos d* que so trata, puHict-
27 e 229 de 28 a 30 de .outnhro, nao
Btos p.i S. Exc, mas porbuwo amigo,
aito auscnte da curie.
[teivlenta d is tribunaes, a clasailicacaj
jiiridk:. Olinda nao altera, a nosso juizo, a natureza da
quesrao religiosa.
Aguardaodo raspeitosamente a decisie d 1 vane-
ran lo tribunal, a "ue a questao esta affecia, nao
rendemos m -nos j--':*i as rectas intem.-uas do in-
tegerrimo magitlral-i autor da denuncia do que
b faz o illustra Sr. Dr. Gu-mno Lobo nas linhas que
se seguem :
Nao falta ahi qaem me altiibua os dous artigos
com que de ultimo acudio a iVac doulrina juridica da denuncia a que tern de res-
ponder perante q supremo tribunal do justica 0
Rvm. bispo da Olinda.
Sem que me julguo obrigado a dar estendida-
menle as razues pelas quaes sinio a necessidade da
alien ar uma responsahilidade que me nao cabe, a
verdade 6 qne, nao somante nao fui o autor dessa
serie dc artigos, qae mamfestamente flcou ioter-
rompida. conn em rnais de um ponto me apirto
do escriptoj- no moiti de ver a classiflcar,ao juridi-
ca do delicto c, nomeadameate, de suas circums-
tancia.
Tenho, e certo, defenlido na imprensa 0 que
se conveio chamar a politica religiosa do gabinete.
Artigos recentem*nta'publicalos pela .V'icno 3.1b a
epigrapho -Confiicto religioso definem-mo bem
nesta lauienlavel quests 1 em quo u g iverno impe-
rial, scja ilitu para honra sua e tranquilbd ide do
paiz, tern sabido alliar a muita prndeneia |e muita
discripgao a bem entandida energia, que Ihe ira-
punha eimpoe a guarda do sagrados direito- da so-
berania nacional.
Desta politi;a sioto me oomplico, com essa cum-
plicidade quo vein de um perfeito accardo com os
actos de 12 da junlio e 27 de setembru. Mas do
muito respeito quo me iaspira 0 integerrimo auter
da denuncia, a enji rectidao da inten;6;s rendo
culto, nao possotirar uma ratau que iuflua bas-
tanleinenle em men espirito para veneer as duvi-
das que me suscitou J acto do illustra raagis-
trado.
So a gravidade do assumpto me detarmina a esta
declaracao
De outro modo. faria 0 quo hoi feit> de oulras
vazes, e, para lenibrar um uaso receule, o que fiz
ha ainda poucus dial ao atiribuir-se-me em uma
corresponlencia de Per aambuco, um artigo aqui
na corte publicado sobre negocios. daquella pro-
vincia, e a qua fui inteiramrnte estranbo. Esiao es-
tranho, devu accrescentar que, se memiviraoautor,
nao Ihe aconteceria bar de infoi macao incumpie aou
menus verdadeira sobre 0 inovim nto da imprensa
daquella provincia, attribuindo nao sei que influen
cia sobre a divisao do parlid 1 liberal de Pernam-
buco a um jornal que desde muitos mezes desap-
parega, c ao qual canfesso dever muita gratidau
pelo honrojo testomunho do apreep qtio lha mere-
ci ao agitar-se a ninha candiditura a assembiea
geral.
F. L. de Gasman Lobo.
( Da Naca<).
Ha (la^pancia ao proccNKo dos
liejMpaisliuesi Haseard e IKnniu-
snez ?
A publica: So, que se Id n'estejornaL de 22 do
corrente, sob a inesma epigrapbe, quo esta nossa
e assignada pur Um B/ibula, oppomus, apenas
as seguintes cunsideracoes
0 codigu penal francez diz, no arligo 1":
A iniraeeao, que as lais punem com penas dc
0 polieia, e uioa contravencjio.
A infracgao, que as leis punem com penas
correceionai's, e um delicto.
a A itifracgao, que as leis punem com pena in-
famanle, ou aillictiva, e um crime.
Esta qualiiieanao, que e legal, e tadavia consi-
derada viciusa pelos criminalistas francezes puis,
em vez de derivan da natureza de acto e da gra-
vidade do facto culpaso a gravidade do nome e
da pena, ao contfario, o legi -lad^r francez, sem se
inquitar com a maior, ou manor moralidade do
facto, deriva a qaalificagSu da graviilade da
pena.
Ora, 0 U0330 codigo. penal, ao inverso do codigo
penal francez, Jeclara, no arl'go f, qua a n5u h*-
vera crime, uu delicto, (palavras synonimas nu co-
digo ) sem uma lei anterior, que 0 qualifique.
E, no artigo 2, diz :
t Julgar-se ha crime, ou delicto, toda a acjao,
ou oraissiio volun'taria, contraria as leis pe-
naes. >
Conseguintemente pela nossa lei penal, qner o
crime seja particular, Bublico, uu pulicial, seja
qual fur a natureza da pena, e crune, e nao temos
portaulo, a distinccio feita pelo codigo penal
francez.
0 artigo 41 do codigo da instruegad criminal
francez diz :
0 delicto, que se commetle actua mente, ou
3 que acaba da cuinmeiter-se, e um ll.igraute de
a licto. Serao, tambetn, repuudos llagrante de-
' licto 0 case em que 0 rcu e perseguido pel 1 cia
t mur.public., a aijueUe em que 0 reu e amado
ainda com as armas, inslrumentos, ou papeis,
it fazendo presurnir que e autur, ou cumplice,
uma vez. que seja istu em lempu visinliu do
crime.
Releva notar que a expressao delicto, empre-
gada neste artigo, deveria, a ser aqui turnada nu
sentidojuridicofrancez, somente significar exclu-
sivamente as infracgoes, quo sao nuuidas coin pe-
nas correccionaes, segundu 0 artigo 1 do codigo
penal francez, mas e toinada em sentido geral, e
nao so se appiica aos delictos, cotiforme 0 sentido
eslricto da palavra em 0 refendo arrigo 1 do co-
digo penal francez, isio e, a factos criuiioosos, pu-
nidus cum penas correccionae>, como tambem as
infracgoes, punidas com penas afllictivas, ou iufa-
mantes, islo e. os crimes.
Nas infraccdes, punidas com penas policiaes,
isto e, contravengoes, nao pode ter lugar a pri.ao
em flagrante, prohibigao esta que, poslo seja legal,
nao e ahi criminalistas francezes pelos cmbaragos, que of-
ferece, uma vez respeilada.
Ora, 0 nosso codigj do processo criminal diz, no
artigo 131:
Quatquer pessoa do povo pode e os offlciaes
de justica sao obrigados a prender e levar a
presenca do juiz de p'az dp destricto ( hojc am-
a liado quautoao juiz) a qualqucr que for en-
a cont^aio, commeitendo algum deiicto, ou em-
quantu fuge perseguidu pelo clamor pu'dico. Os
que assun forem preso-, entender-se-hao presos
em flagrante delicto.
E, como pelu nosso codigo penal tudo seja crime
ou delicto (palavras synonimas), quer seja pulicial,
quer publicq, ou particular, tern lugar a pnsao em
flagrante nos crimes policiaes, como e expresso no
codigo do processo e se acha mautido na Nova
Ref. Jud.
Ora, desde quo pelas nossas leis se pede pren-
der em flagrante delicto nos crimes policiaes, uma
vez que sejam encontrados os delinquentes com-
meitendo algum desses delictos, ou em quanto fo
gem, per.-eguidos pelo clamor putilico, resta saber
se os Srs. Mascara e Domiuguez deviam e podiam
ser preaos em flagrante delicto.
Diz o nosso codigo criminal que a toda a accao,
ou oimssao voluntaria contraria as leis penaes,
< e crime ; que nao havera crime, sem uma lei
> anterior, que u qualifique.; e que nao havera
crimiuoiu soan 111a fe, isle e, sem conhecimento
do mal e inteugau qe 0 praticar.
Desde que 0 nusso cudigb peaal diz no artigo
301 que e crime, usar de titulo indevido, quern
nao liver um titulo e usar delle comraeije 0 crime
pn-visto neste artigo, pois infringe uma dispusicao
criminal probibitiva, practica uma accao,- conside-
rada por lei crirainusa, e tern intencao de practi-
cal-a, ja porqua deve conhecer a lei penal, e, em
todos os paizes, ate mesmo em Hespanha, 0 uso
de- titulo indevido e punido, ja porque em eoa-
sciencia, quando se diz ser oque se nao e, vio!a-se
a lei da, verdade.
para curar; 4e.sfeqae taes fvnos sepessarant
em presenpa do juiz perantc quern foram presos
em flagrante delicto os Srs kbutara e Domin
guez pelo uso indevido do htola de doulor ; que a
prisao devyi t;r lugar, ja p-irque ha prisau em
II igrante nos crimes policiaes, ja porque baria
moiivo para isso, moiivo autorisado, quer pelo
facto da nao ejhinicao de titulos de doutor, quer
pola propria cunlhsio dos res, cuja ounflssaa,
CiimciJmdo com as eircninstaucias du facto, pruva
0 delicto, qu r pelas presumpgies vehementes,
que haviaui, presumpedes, quo, dando lugar a
uma pronuncia, com maioria de razao dao lugar
a uma prisau era flagrante.
E, demais, 0 quo diz a lei ? 0 c>dig> do
processo criminal diz, no art. 131 :
t Logo que 0 criminoso, preso em flagrante,
for a presen;a do juiz, sera interrogado sobre as
arguigdes, que Ihe faiem 0 conductor e as losle-
muuhas, quo 0 acompanharem, do que se lavrara
tenao
E: no an. 132, diz :
a Resultando do interrogatorio suspeita contra
0 conduzido, 0 juiz u mandara pur em custodia
em qualquer lugar seguro, que para isso desig-
nar, excepto o caso de se poder livrar solto, ou
admittir lianca e elle a der, e procedera na for-
maga.i da culpa.o
Purtanto, dada a voz de prisao em flagrante.
nao se segue que os delinquentes, oa suppostos
taes, liquera logo irremissivelraenle presos, I pre-
ciso que se proceda ao interrogatorio dos reo3 e
que resultc delb; e dai arguic^es, feita* por con
ductor e testemuahas, suspeita contra os condu
zid is, para, entiio, 0 juiz deliberar, se devo per-
manecar a prisao preveniva, ou nao.
Esta e a nossa lei penal, e que, como lei pe-
nal, e propria e lave ser stricti finis.
Os criminalistas francezes, cilados pelo Sr. Ra-
bula, a quern respondemos, cmnme tarn a sua
lei peaal _e disposigoes de instruccio criminal
que niio sao as tnesmas que as nossas, e. pois, u
qua dizein nao node ter intei.-a applleaeao as
nossas leis ; e, quantu aos principles de direito
philosophico, a nossa lea penal, forca e confessar,
respeitou-us mcis que a le islagao frane-za.
Pode ser quo estejatnos em erra, e dasejamos
ser esclarocidos, t6mando-se unicamente por pon-
to de partida da discussao as nussas leis.
0 que e certo e que os Srs. Mascaro e Domin-
guez leem feito o que loom querido.
Apresentam t tnlos de licenctado, e, no emtanto.
se assignam d mtores em naedicina
Perguntadus ptdo juiz proeessante, se teem este
titulo, um, 0 Sr. Mascaro, diz que 0 que assignara
6 doi e nao doutor ( c contintia a so assignar
doutor ) e 0 outm, 0 Sr. Dominguez, diz que tizera
estudus de duuteramento, mas nao tmha carta ( e
assigaa se dou-top)
Depois destas solemnes declaracoes, quando re-
juereram ordera de habeas-corpus prerentiva, sen
do interrogad is pelo digoo juiz da direito. o Sr.
Dr. floncafves Lima, 0 Sr. Mascaro diz que e dou-
tor, que tern titulo i que nao muslrou ao- juiz ) 0 o
Sr. Dominguez diz tambem que e doutor e que
leixou a sua carta na sua lerra natal. ( Combi-
ne-se 0 quo disseram perante 0 hiia da direito com
as declaragSes feltas perante o juiz proeessante )
Emtim, 0 Sr Mascaro, em peticao dirigid a S.
S., 0 Sr. Dr. chet'e de polieia, pedindo prouidencias,
inculcou-e por o da Universidade de Barcelona, e, tendo o Sr. Dr.
chefe ordenado por despacbo que 0 supplicante
provasse a qnahdade allega la e vultasse, para en-
1J0 se tomar conhecimento do requerido, ate hoje
nao vultou mais.....
E, no emtanto, os dous hespanhoes sao tudo 0
qua dizem ser I
Os Srs Mascaro e Dominguez bao de consign
rir-sa do n6s, da nossa justica, convictos de que
com gritos e uma falsa popularidale, adrede le-
vantada e alimantada, pode in fazer 0 quo quize-
rem, desrespeitando as nossas lais.
Pobre paiz I
Temos, porern, esperanca de que, quando sesMT
esta tucta, travada a bem do cumprimonto da lei,
e quo os dous hespanhoes, entrei?ues a seu mere
cimento proprio e a sua proverbial philanlnpia,
puderem ser devidaraente julgados.o publico ibes
fara inleira justica.
Antes de cumcrarem os processos, ja as qnei-
xas a seu respeito eraui muitas, e 0 enthusias
mo, que haviam a pincipio provoca lo, estava ar-
refecido ; e vereinos se, quando a popularidade.
que e inconstaate, e a Daixio, que e passageira, ti-
verem penliaV> de iniaasidade e calor, o juizo da
razdo calma cacflr :;ara e applaudira 0 que noje
se faz.
Reeile, 22 de novombro de 1873.

JfleSpanha nRrf srjn dirut^r, d, r%mo tal, nan
pussa assignar-so ?
A' tii lo wsist-sc twste miinJa, n'.iS m s-
rao d Jura moftn. so naa sc reside a \
lissimi itilclligrticia u pr.dunda suiencia d-i
Sr. Jitaquitn Antonio Cameiro da Cunh.t
Miranda!
S. Mc. jd esta muit > mofruiio.,%, portantn,
j4 e muilo cenhecido.
iwslus.
Oleo |mh. mmlicinul de flgailo
do baculhcao, de Lanniiun lie
Kpnes*
Quassdo as doeneas do pulmoes ot da gargan-
lasochegam a desenvulver em forma dephtv-
sica, a crenga geral e, que ja nSo ha esperan-
ga pira 0 misero doeute. ism e um erro perfgos->.
Milhans de pessoas qua se achavam nesse caso
curaram-se com 0 oleo puro medicinal de figado
de bacalhao, de Lanman tk Kemp. Porcm ba ca-
sos em que 0 oleo de ligado de bacalhao, aio pro-
duz bem nenbum. E sabeis porque ? E* porque
0 artigo era uma preparacao espurea, adullerada
com azeita do baleia, loucinho e oufros iugredien-
tes nao means despreciavcis, destituidos do toda a
virtude medicinal. Por ventnra, teaJes alguma
vez ouvido dizer que o oleo de ligaJu de bacalhao
de Lanman & Kemp, for a administi ado sem pr -
duzir os mais fciizes eUeitos, nos easos de phty-i
ca, broncbiies asthma, affoccAo do-flgido ou V-
crofulas ? Nuucal Com Uid-i aiudanao. so ba cj-
tado um so caso em que teuha Talha-.l 1. Em tad..
as partes da muml 1 -, p irqno con-arw-se prr-
fe.itamente em todos os clirhas -eIB gmnda rerr..
dio, tern triiuaphado amao outea vea.oode kidvs
os mats foram inuteia. A sua supeiuor fresrura
oureza sao proverbiaes, em todos oslvjspitaes dos
Eslados-Unidus. i.uidado eom as imibgoes II
Agues d 1..tn man.
Em conscquencia da sua grande a vasta ponu! 1
ridade e justa celebridade cm todos os more:
da America do Sal e das Antilhas, para 0 aso cujos paizes, ella fui exclusivamenia manulaetura
da, ha mais de 2o annos ; a mesma tern sidb ck-
tensivimente limitada e contrafeita neste paia Pu-
rem presentemento 0 artigo- original sit litfrsilati
do, e em virtude do mesmo apresentar 3 distiactiva
marca commercial dos proprietaries, pode facil-
mente ser distingutda pela sua appareneia exte-
rior dessas ootras simnladas e frandulentas com-
posicSes. 0< signaes internes de perfeila gentii-
dade s.to muito meiios facil da engan.>, porquanio
aAgua Florida de Murray e uanman tern e des-
envolve 0 aroma proprio das frescas e flirescenttn
floras c plantas do tropico, das (juaes elta deriva
a sua bella e exqnisita coiaposiga", e acxposir'i
ao ar, cm lugar de uimiuuir. augmenta a delica-
deza do seu lino aroma, em lugar da seu fino aro-
ma, era lugar d prodozir uma emaoagao aare
ou uma certa effluvia desagradavel, como aconfe-
ce, 00m esses perfumes e aguas do chxiro.as qua' s-
sao prcparadas e compnstas com oleos baraie- a
fortissHnos de esjencias.
Para todos.
A casa mortuaria do: Paula & Mafra con-
linua a bem servir ao publico, en> quanto*
sous proprietarios ou sao deferilos no ro-
curso que iutcrpdetn. ao conseUio d'ostado-
contra 0 inonopolio concedido a outrem, on
sao a conlento indumnisados pesos.monopo-
listas. E para que ninguem se illud.i n res-
peito, scienlificam ao respeitavel publico quo
se acham providos do material necessarh e
com enrros novos.
CaMWEBSK
C0MPANH1A ALL1ARCA
maritimos e terre.-
tres estabelecida na Bahia
em la de Janeiro em 1870.
seguros
sExposicSo agrlcola.
I'roseguein coin toda a actividade os pre-
paritivos para a exposi^ao que a siciivla le
patriotica Dom fazer no dia 2 de dezembro.
Os saloes do magmfieo palacete da ordem
terceira do Carrno prestam-se perfeitamente-
a essa festa quj tantas vantagens promettc
.i agrieultura
E'iligno do todot os auxilios o esforco
dessa patriotica associacAo qua tomou a si
tao penosa tarefa.
Quern poder mandar qualquer produclo d
exposiga), prestar^ uoi grande servi^o a es-
forcada direc^ao da Doze de Setembro.
E' inexacto que o Sr. conogo Antonio
Marques de Casulha, parocbo da freguezia
de Santo Antonio, tenha li casamento na igreja matnz da refurida fre-
guezia, e sim na do Rosario dos pretos, para
onde mudou a matriz, celubrando ahi todos
os aclos parochiaes.
Recife, 2i do novembro de 1875.
lost Hufino Clhnnco dm Silva,
Juiz.
Agradeeiiuente
Eternamente penliorado ao Sr. major
Mannel Caetano, pelo beneficio, que acaba
do fazer-me, rjstabelecondo a saiXiie de mi-
nhamullier, ja deseiiganada como phtysica ;
resta-me assegurar-lhe quo minha gratidao
S'.ra- eterna, e que em qualquer parte me
achard como urn de seus criados.
Jnio: Kvanyelisla da Cruz.
Boa-Vista, 2Vtfe novembro de 1872.
CAPITAL 4,000:0003)000.
Toma seguro de mercadorias o dinhoiro >
ico maritimo ein navio de vela e vapore*
para dentro e fdra do imperio, assim com*
contra fogo sobre predios, generos e f-
rondas.
Agente : Joaquim JoseGoncalvesBeltrioK
rua do Commercio n. 5, 1* andar.
SEGUROS
MARITIMOS
CONTRA O FOGO
Acompanhia Indemnisadora, estabelecii!*
nesta praca, toma seguros maritimos sobr*
navios e seus carregamentos e contra fogf-
era edificios, mercadorias e mobilias: na-
rua do Vigario n. *, pavimento terreo.
Capital.
r'undo
NORTHERN.
de reserva.
Mills
20,000:0009GU
8,000:0009000
Agwtes,
Latham & C.
RUA DA CRUZ S. 38.
. Oeminguez eJ^[^ ^"^^'^pT^le/l^"
pel erajjarbis, .cC'ino auteciorniente.
aguslu V. de Mello.
Rfa'DKJANfiiKD^ia DE NOVEMBRO DE 1873.
O SR. DBPUTADO GUS.MAO LOBO-
0 nosso distinct) amigo, r. Dr. Gusmao Lobo,
nos eovia a seguiote declaraeau, para que efaania-
mos a attene- OS
Ma-caro usam de I'tulo indevido '.'
Para eomprehender se que se practica crime, e
preciso, ou que o acto seja por natureza tao cri-
minoso, que se iinponha por si inesnso, como tal,
sempieclsarde mais prova, como seja ruubar,
malar, deftorar, on qne haja a proposit. do facto
circumslaaiias antecedentes, bem como ha subse-
qoentes, que deuuaciem b acto, como crimimMo.
Ora, desdo que os 3rs\ Ddrlngue2 e Mascaro,
forrados judicialmente a exbibicao de seu? ti-
tulos, medicos, apenas apresentaram titulos de
Ifcenciado, grao este distiactoe inferior- ao de
doutor, como o iulailivo, geralments sabido e fui
provado com os relatorios dos wissos agentes di
plom-iticos em Hespanha, e se assignaram dmtloret,
quando nao provaram se lo ; desde que o Sr. Mas
Bra, instado pel i juizo a expliear-se sobre o nso
quo fazi* do titulo de doulor, declaruu qae nao
era doutor e -un dom, e ao depois, de- nuvo as-
slrfna se doutor, e o Sr Dominguez declarou Um
bem publicamente. em juiz i qoe tinha feMO os
- Desde que o assegura o iilu>tre escriplor, po^e-1 e-tu lo du duuloramento, mas nao linlia a ifarta
riauios julgar-nos desobrigados de afflrmar por Ide doaJor, porqu; bistavalbe a de Itcenciado
O li<-eiicialo e doutor f
Extracto do telatorio do Exm Sr. Caetano
Maria de Paiva Lopes Gama, ministro bra-
sileiro, em Madrid, em dactade 26 *le julho
de 1872, ao Exm. Sr. ministro dos negocios
estrangeiros, cansolhoiro Manoel Francisco
Correia.
Vide Diario Official, n. 2.1,l; .de 16 de
outubro de 1872.
Aos estudos das faculdades hespanho-
las correspondent os graos acadeniicos de
licenciado o doulor. Os estmlos necessmlos
para obter esses graos estao consignadus no
dactada de T de raaio de 1870 foi abolido o
grao de bacharel, quo antes se conferia,, e,
era.virtude da mesma lei, esse grao e eiclu-
stvamente conferido ao qua tera complelado
instrucgao seeunJaria, e a sua collseao
nas Universidaiies hespanholas, eram 6 pela
lei de 9 SflJ^ep^bro do 1857, a saber :
1." Philosophia-a lel^ras ; 2." Scienciasexac-
tas. physicas e naturaes; 3 bannacM ;
4." Medicina ; 3. Direito ; 6. Theologi .
Pelo decreto de 2i de outubro de 1868' t
supprimido a faculdade de theologia, que
passou a ser leixionada oxclusivaraajrte nos
seminartos.
Ate o anno de 1869 s6 na Unjversida-
CQMPAM-IA
Phenix Pernambucana.
Toma riscos maritimos em, mercadorias,.
fretes, dinheiro a risoo otinalmente de qual-
quer natureza, em vapores, aaniosd velnm>
barcagas, a preraios muito modicos.
UUA DO COMMERCIO -N. 3i^
Seguro conlrii-lugo
CHE LIVERPOOL & LONDON d GUjt
INSURANCE COMPANY
A^entea
SAUNDEKS BROTHERS <4 C
11Corpo SantoId
ALFAifDRGA
iendimento do dia. 1 a 22. .
Mem do dia z*.....
78V:79Mt*
32:221 <669
816:99#fW
Descarregam boje 23 do noTembro
Lugar francez Rio Grande materias inOam-
maveis para o trapiehe Conceipao, para>
despachar.
Barca fraoceza -Figaro varias mercadorias na-
cioaaes e esirangeiras la despachadas
Conha.
Iiara o tranictae
ca fraqceza Fedelite mercadorias para al
landega e trapiehe Cc-nceicAo, para coft-
As fswuldadeav ctsrsudss privativamente j,L' !*5'" .
, it;__,:.i..i_ i______u..i_____fl._i- Uailera pjitpjfuezaLisboa diversos generos-da
(abotagem para o trapiehe Angelo.
Hiate anuricano -Negretta diversos gefieros parA-
o tratiichp Omcercao^ para, oesparha*.
Lugar portugnez Jutio pedras.de cantarm para
o trapiehe Coneeicao, para despachar.
Lqgar ujglez Conttanca ViUsmt carvao j.i
despacharto para n 2 pnnui.
Vapor i glex, Neva fesperadoi met cadorias
bagagen > oara alfahdeja e'frapie. GBtr-
cei-.ao.
Hinta inglez-D- ttnsagpneros nacionaespaia 9
caes do RarSo do Livramento.
IiuporCttftso,
Hiate nacisndl D. Luiz;. entrado d>
Araeaty
Lai
de da Malril se cursavam tolas as facul-
dades. F-i *6 depois do dec. do 14 de Ja-
neiro de 1869iquecompletaram osKuensin**
as faculdades do -Bircolona e G-Mna >n.
Ora, & vista disto haver^ duvida aindaf^ Gomes de Matts ^ue quoin s6 tiver o grdo de licenciado em] \lgodiio46 saccas aos consignatarios.
<*..
s.

w


J&
. K
#
Dusm tokmuwm* -- Toga fei^a 25 de Novemoro de i8
Gen dc camauba 8 barricaW a" "ofHW.
''.ouro* osjiiclu-toi 31, a P-tfejn Vumra &
Kama do mandi.ica ^-Wrfiefc #11
saceos, i ordem.
Soli 4R Hj'iios acs consigiiatanus.
Sumca liospanhola Hnnrk/ue, entrada
do Ri > mda a P Barpjeai vazias 200 aos aonsignatarios.
Barca uijjeza Traveller, ontrada de Bal-
timore em ti Pliipps Brothers &C, manifestou:
Farinha dotrigo 3,075 barricas aos con-
i-itmatarios.
.ttriguo nacio .a\ Sorpresa, entrado do
ltro-*Wi*lo do Sa! na mosnaa data a om-
signnd:x a Manodda Silva Maia & C, ma-
nifestou :
Courtis siUadus 60. Xarqus 177,*3
Kllogrammos aos consignatarios.
Swyoa naoioB 1 Fraafifcp t", i)ntr lo RMOradio'do Sul oa mesma data, e
--otisigiiada a Silva & C, aseao. manifestou :
t'.o :i's Slides 30. SiUi em rama
I.i0 J liilograinmos. Xarque 187,00ft kilo-
icramrafli, tudo a jManoel da Silva Maia
Galon portugueza Lisboa, entrada do
li.o du Janeiro na mosma data e consigna-
da a Tito L>vj. Soares, manifestou:
oarrioai vaf.ias 80ft a M. T. Marques,
>70 a orde.n, .oOO a J. da S. Rego flra-
4., 1,000 a Amorim & Irmaos, e -2,''00
Irl a Antonio .1 Furtado & C. 400 i[i e
iSUO a Balla & Oliveira.
Cafe 78 saccosa J. F, Ferreira, 300 a J.
. .Ijse Leite & C 20 a R. 6. da Luz & C,
to a Antonio Atuies Jacane, 10 a Alheiro
I Oli .eira AC, 30 a Magalb.'es & Irmao,
3d a J. d j Reg ) Lima, 130 a Jose Marce-
!ino da Risa A Filhos, 65 a Soares do
\marai & C, la Pereira Vianna & C,
10V a n j li .1 Jose" Ram is, 40 a Antonio
I lanciuco G-rgi, 5 a l.uiz oosti da Costa
\morim, 2) a Jose" Maria Palmcira, 38
a J. .foaquin Alves A C, 5 a D. Jose da
' i.jn!ia Lagos, 70 aos consignatarios, 50 a
Lebrfl H Reis, 80 a Joao Jose" Rodrigues
Men les, 50 a S. Bastos & C, 25 a J. Thales
h Me4!o, 25 a Joao Martins de Barros Fi-
IWs dt C.
Caiyrros i barricas a J. J. N.
Fannhado mandioea 9 barricas a F. R. l'in-
RECfFE DRAIN AGE.
ien'Icrooat!-) do dia 22. .
(fcra. dadia 2i......
21:UJ*75
2:iiV
2i:551*J3i
! ''iiiimaraes, 1 a Pereira Vianna & C.
F.-rt i ira S5') caixas A companhia Ferro
I irril !d'Pcrnambicot
Pj'lra marmoVo 15 caixas a Manool Bas-
i Abreu Lima. Sabao 3G caixas ao colle-
8 o do S. V/conte.
Vnili,* t5 Bipis, 05 barrisde 8 e 20(10
i.>3SPA Mas HE EXPORTAgAO NO DIA 22 DE
K IVKWIRO DE 187i.
Par* o:= portot do exterior.
N i p'.t.cli) I'.cpaiih')! i'reilito, para Barcel-
I i3, earregaraui : B. Olivoira & C. 190 swcaa
>'ii I19S! t|J kilos d." algoiao.
Nn uaviai ingle?. MetUcor, para o Canal, car
I iram S. Brothers it C. 3,500 saceos com
iffcj&JQ !;i!-i3 di-asaear naaseavado.
X'i p.iyio italiaao Verezuella, para > Canal,
iMi-n.'Mia n : .-i. Brothers & G. 900 BMaos com
A7,3t0 Kil'iiido assuear mascavado.
Xc lugar iugiez Iteltree, para o Canal, Rar/d
gr/nn ; J r'atrr ^ C. J,s00 aaeoos cam J.Ij.OOO
i.:! >= de assucar mascavado.
Na c earrapFaan ; J. PatiT v C. 2,0 0 saocos com
; i",00') kls de assucar mascavado,
fit l|uarJaglez S. June, para o Canal, ear-
ic-:aram : Simpson i C t,'K)0 saceos com 75,000
dciloa drt aasaoar mascavado.
N"o lugar iuslti E'luard Vu'etcry, para o Ca-
nal, <\tri .'g train : Simpsm 4 C. 150 saceos com
II -~2o0 ;.i!us doasfacar mascavado.
No briguo portugttez R. Figueir.'nsc para
l.i-b->a,.'"^rrciraram : L. J. S Guimaraos 450 sac-
t eom 31750 kilos do assucar mascava'lo e 50
dttos can .t,7o0 ditos de dito ; P. M. M. Torres 1
I* i Tica cam 60 ki! is do cafe.
Xj uavi) partmzuez .S. Min-iel II, para o
I'oit), ciireg.ram : M. S. Maia ( C. 12ft couros
espiebados.
?aru o: porlos do interior.
I'ara oitio >le Janotro, n> vapor francoz Yillc
d Rio de Jitneirc, carregaram : j. S. Loyo & Fi-
Ino 1,50-3 saceos com 112,500 kilos do assueal-
liran-o ; -Garvallio & Xogueira 60J dilos com
-45,000 ditis^tfa dito.
P. ra oRia Grande do Sul. no pataclio lira-
siteiro '). FrtmritM, carr.'garam : Amorim Ir
imoj i 0. 75'* bf.rricas com 518,S75 kilos do
a-suoar braaco.
Para i) Ria Gitnlo do Sul, n> nivio brasi
I i i Principe, carregaram : Carueiro & Xajmei
r.i : 100 saceos c- m 7,->00 kilos do assucar branco.
P.fa Mossoro, na bar^aca Ayde", carroga-
i n : 0 i. I'ticeira < Inniio 4 barritas com-2^0
kilos o at6Mtr relinada Para Macao, B. GJm^s
& C 2 dit.i-.c nil liC ditos tie dito branco.
Para o P.ira, no vapor brasileiro Para, earrn-
p.an : A Quintal v C. 33 barricas com 1,512
Ic asacar bianco ; E Oubeux 15 dilas com
V5i ditos do dtU.; A. F. Rallhar S^annlio 300
ra;n2i,51Q dit<*s de dito ; J. Bruno 100 ditas
< n 3.9 in d:t >3 dG dito rclina lo ; P. Vianna & C.
'< H ditis com 49,ol5 1|2 Jitis do dito branco.
Para oUaranliao, A Quintal & C. 2ft ba/rieas
< ai i.+t-5-fcHod -de assu&tr .branco; A. Cordeiro
25 ditas cam 1,961 ditos do dito mascavado; J.
{". de B .-I'M Hi saceos com 2.625 dilos de dilo
diranco ; P.tR.-Pintn Guimarajs 50 barricas ,com
.'1.705 ditos de dito ; Carvalho & Nogucira 78 di-
t cam 7,875 diW3 do dito, o 5 ditas com 575 Ij2
'o. s de dito mascavado.
Para o.Rio Grande da Noil na Larcaga
ftiiomn, carregou : M. J. Rodrigues 1 barrica cam
&< kil Para .Alagoas, no vapor brasileiro Rtnedo,
t regju : A. A P. da Silva 4 barricas com 240
"I.i.>-> an assucar. refla'ado.
' XI I i IX U '!
WfltfiMENTC 08 i'OBTC
Navio entrado no din 23.
Sautos20 Uias, ldgar ioglez Ferdinand, de 229
toneladas, capilao R. R. Drew, equipagem 8, era
lastro; a ordem. Segui >~pra a Parahyba.
Naviot sahids no mesmo dia.
Portos do .Vorte Vapor naciooal Paid, comman
dante capitao tenente P. 'A. Duarto, carga carne
o outros generos.
Bahia e escala Vapor national Penedo, cornman-
danto Pereira, carga varios g>-neros.
N-iviot entrados no dia 24.
Rio Grande da Sul 30 dia<, brigue nacional Spr-
preia, de 221 toneladas, capitao Fernando Jesd
Teixeira, cpjipagem 1 carga 18 .:000 kilos de
carne ; a Manoel da Silva Maia k C.
Rio Grande do Sul32 dias, liii/ar brasileiro
Francisco I', de I7' I mel das, capita. Porlirio
Prirao da Costa, equipagem >0, carga tGO:5O0
kilos de carne ; a Silva & Casca >.
fakimore -34 dias, barea ingleza Traveller, de
|0 toaaladas, capitao Proneld, equiaagom 13,
Carga 3:073 barricas com farinha de trigi; a
Phipps Brothers & C.
Bio de J4oeiru 23 dias, lugar inglez Ann' (t S-
phie, de 193 toneblas, capitao W. Crocker,
equ|paxem 8, em lastro: a ordem.
Santos SO dias, escuna iqgleta Hyaline, de 171
toneladas, capitao"Peterson, equipagem 8, em
lastro; a ordem.
Rio de Janeiro16 dias, barca ingleza Elfin, de
279 toneladas, capitao Alexandre Malhew, equi-
pagem 10, cm lasiro ; a ordem. Seguio para a
Paranvtoa.
Rio de Janeiro -rM dias, pataaho americaoo Kricn-
tin, de 326 toneladas, capitao Wyman, equipa-
gem 8, em lastro ; a Henrjr Forster & C
Bio do Janeiro-i7 dias, barca franceza Ville de
Frontizman, de 282 toneladas. capitao Roux,
e.piijiag-'in 12, em lastro; a ordem.
Rio de Janeiro -17 dias, brigue altemao CJlmu;
de 335 toneladas, caoitao Wulff. equipagem 9,
em las'xo ; a Keller & C
Rio de Janeiro -23 dias, barca allema Unkel Brae-
sig, de 276 toneladas, capitao J. A. Wsc'ieibner
equipagem 8, em lastro ; a ordem. ,
Rio de Janeiro 15 dias. galera portugueza Lisboa,
de 572 toneladas, capitao Joao Vieira Paulo
equipagem 17, carga cafe e outros generos ; a
Tito Livio Soares.
Rio de Janeiro -22 dias, galera portugueza Ada-
mislor, de 515 tundalas. capitao Clauli'io Do-
mingos Goncalves, equipagem 20, era lasiro ; a
Cunba Irmao &. C.
Terra Nova -32 dias, pataclio inglez Slennie lira-
ce, de 187 tonela las. capilao Searle, equipagem
9, carga 3,l"7 barricas com bacaltiao ; a Johns
ton Pater ,V C
Observagdo.
Nao houve sahidas.
Su>ponderam do lamarao para Parahyba o lugra
inglez Bezabeell, capilao Slwrfard, com o mesmo
lastro quo trouxe do Rio de Janeiro
Idem idem barca ingleza June Ure, capitao Jen-
kens, com o Dies mo lastro que trouxe do Kio de
Janeiro.
U(i>,' .,.7.1.1 DA Al.FANDEGA
b ..loiii-iiio dc dia la 22 14:4S*008
de* 4n -iis t..... 702^904
t--;: 1474912'
mm.
Consulado provincial
Para sciencia dos c mtribaintes do imposto de
1:0004000 por estabelociramio em qua so vunde
polvora, e os sous ciieitos leg.ies, em seguida pu-
b'icam-sc as altera^ocs verilicadas no lancamento
do mesmo imposto ho en rente anno tinanceiro de
1873 1874, lieaudo abarto o prazo as rcclamacoes
Sue por venlura possam ter a fazer os interessa-
03 na forma da lei c rogulam-ntos respectivos.
Alteracoes verilicadas pel>< laugadiir Joaquim de
Gusmao Coelho, no lancamento do imposto de
l:UOOj000 por esiabelecimento ou escriploiio
em que se agen ia ou se ellectua venda de pol-
vora, das freguezias de S. Jose e Boa-Vista.
Ilu i Imperial.
N. 185. Clorindo Ferreira Catao 1:000iOOO
N. 187. Valdevino Rilieiro da Silva 1:0004000
N. 221. Clando Dub-ux 1:000*000
Rua da Imperalriz
N. 42. Alheiro Oliveira & C 1:000*000
1* Seccao do consulado provincial, 22 de no-
vembro de 1873.
0 cliete,
Eduardo Augusto de Olnetra.
i:dital n. lOO
Pela inspect -na da all'andegi se faz publico que
nio se tend > elTectuado, por falta de concurrencia,
a arreinatacao dos^objecios abaixo declarados. an-
nuuciaJa por edilal n. 94, se transferc a_ mesma
arremataeio para as 11 horas da manha do dia
26docorfenle. na parta de>ta repartira-.
56 paos de diversos c imprjmentos.
60 caibros de 23 palmos.
2 portas.
8 janellas.
32 pedras de canlaria de 5 palmos.
50 folhas de ferro para cMierta.
8 grades de ferro para janellas.
8 rolos e algumas folhas de zinco novo, pesando
3,539 kil.
Alfandega dc Pernambuco, 24 de aovem'aro de
1873.
0 inspector,
Faliin A. de C. Reis
I par de esCarfadeira; de vidro por 3/.
1 mesa,para jattar por *'*
v fviifnf eielooovWpor U.
1 J.arf* d> ^ri-o ijbrtiV i
1 mea de cozinha por i S.
21 pratos graudes e pequenos, 1 terrina, 1 mo-
Iheira, 1 bule, 1 assucareiro, e 1 mantegueira, tn-
do de loaca hranca por 10i.
I fogartaro e i i.haleira de ferro por %&
1 lavatbrio de ferro por li.
Diversos livres de direito por 3Cf.
1 estante de pinho por 3f.
1 mappa por it.
1 caixa de amarello com serventia secreta por
2*000
1 traocelim e urns medalha pesando 32 oitavas
a 3* por 96*.
I trancelim fino com unu chave de relogio, pe-
sando 7 oita*a a 3*, por 21*.
1 par de boiijos de punhos, 1 alfinetc de peilo,
c I butao de aoerlura, tudo de ouro, pesando 4
oitavas a 3*, por 12*.
1 relogio con caixa de ouro Br "u-
12 facas e 12 garfos com cabo de prata, obra
hanburgueza, por 24*.
1 salva de prata pesando 169 oitavas de, lei a
320 rs. a oitava, por 51*200.
22 colheres de prata pesando todas 225 oitavas
a 240 rs., pur 54*.
Cujos bens forara do propriedade do inventaria
do bacharel Antonio d'Assumpcio Cabral, o vao
a praca a requerimento dj Dr. Jtfse Antonio de
Figueiredo, testameateiro e inventariante do prc-
dilo inventariado.
E para qne chegae ao conhecimento d>- todos,
manaei passar o profeate qi.e sera publicado pela
imprensa c aQixado nos lugares do costume.
Dado e passado nesta ctdada do Recife de Pcr-
nanibtico. aos 20 do novembro de 1873.
F.u, domingos \uncs Ferreira, escrivao, escrovi.
Joaquim Correia de Oliveira Andrade.
Ao sello 300 rs. v*lha sisin sello ex-causa.
senhoreiacclmi-tas, a commissar, liqnldador.a na
Ivpariodo da companhia n |>* pela sfgunSa
If L^mPnr#wlamo|mf adft ie |e#,;.a ftira 25
d4 cjr*nte, no # arrlaf da casa n. 7 da rua do
aenhor Bom Jesns, para resoltertaa sdbre o as
surapto indicado no urimeirb annuncio. Esperan-
do o sen compared men to a bem dos proprios in-
teresses, Ihes recorda a disposican da 2" parte do
art. 33 dos e*utulos, pela ipial a assemblea geral
nesta segunda convoca.;ao poda sar constituida
com o numcro de senimn-s accionistas que se ren-
nir, tendo a^ suas resolucoes inteiro vitror.
Bccife, 21 de noveOi>ro de 1873.
Miguel Jose Ajves.
Jnse Joaquim Moreira
__^________Francisco Joaquim R. Ilrto.
Edital n. 98.
Pela inspectoria a alfandega se faz publico que
achando-se a mercadoria abaixo raencionada no
caso de ser arreraatada para consumo, na forma
do n. 1 do art. 18 da decreto 3217 de 31 dezmbro
de 1863, o sen dono ou consignatario devera des-
pacha-la dentro do prazo de 30 dias, sob pena dc,
Undo elie, ser vendida por sua conta, sem que the
lique competindo allegar contra os effeitos desla
fends.
Trapiche Conceicao.
Vime encarnado SOgarrafOes com genebra
vindos de Hamburgo no navio allemao Miranda,
descarregados em 48 dc abril proximo uassado.
Alfandega de Pernambuco, 22 de novembro de
1873.
0 inspector
i-'dfcio A. de C. Reis.
1 ilititl ii. 99.
Pela inspectoria da alfandega de Pei uambuco se
faz publico jue achando-se as mercadorias abaixo
declaradas, sujeitas a cpnstimo na forma do art
300 | 3 do regulatnento, os seus donos ou consig-
natarios deverao Uespacha-las no prazo de 10 dias,
sob pena de> flndo elle, serem vendidas por sua
conta, sera que lhes lique coaipetindo allogar con-
tra os effeitos desla venda.
Trapiche Conceifjo.
Marca CM 50 saceos com farcla, viudos de Lis-
boa na barca portugueza Noca Sympathia, descar-
regados em 12 de agosto pas-ado.
Sem marca 1 .grade com plantas, vin la do
Po to no brignc ponuguez Recife, descarregada
em 29 de oatubro passado.
Alfandega do Peniainbuca, 22 de noveoibro de
1873.
0 inspector,
_____ _________Faliio A. de C. iteis._______
De ordem do lllm. Sr. inspector da theson-
raria de fazenda faz se publico para conhecimento
dos interossados, que. segundo fui declarado em
ordem circular do tribunal do thesouro nacional
n. 4*. de 4 do correnle mez. tica prorogado o pra-
zo sem desconto para a subsiituii.ao aas notas de
2*000, 4" e-tampa, atti 31 de maio de 1874, e o
das de 50, igual estampa, ate 30 dejunno do rc-
ferido anno : devcudo do 1 dos scguintes mczes
em diante com^car o desconto progrcssivo do 10
OjO mensaes no valor das netas qacr uao tiverem
atao stibslituidas ate aquello dia.
Secrets ria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 22 de novembro de 1873.
0 secretario da junta
Jezuino Rodrigues Cardoso.
^l"F^.i------- ______1______ XI.! !----------
*>
I
\VW&/B& SAJUDUS
Dta 24
1) Ji l-.tW
-1- males, porta .
Vrnnda parta .
' -chiti iari:i .
Q tartfefflrta
U ;ec|!- ',i...,H-;a.,
.Ki'.ViCO Al.iiUTlil*.'
Hlvareb4K icscarrogadas no trapieli*
al/anijegf. d .Dia 24.
'Xa-.ujtAlr^tiuV-i-P'-' V*P- da alfanuO-ja
\ trapirlift (ifff.'^o ...
IfcavbalnAfrTr......
26,J67
51
92
66
l,t7
i!*7,8M
49
1
**XSm\>*m ,W : RKNDA3 INTEP.NAS
PERNAMBUCO
W22.
5uio:.*^-:
Consulado proviucial.
Aiha-se aberio por 30 dia< ntei-, acontar de
boje, o recebimento dos apparelhos o annuidades
pelo servico da companhia Recife Drainage, cor-
respond mte ao trime.stre qne ilndou em 31 de
dezembro do 1872, flndo o que licarao oscontri-
buintes obrigados a multa de 6 por cento: sao por
taulo chamados p ra talfim os proprietaries das
easas na- segtiiiites ruas : Rua do Imperador,
Cadeia Nova, Travessa dc *. Jose, Assump.ao, No-
gUeira, Livramento, Marciiio Dias, Santa Cecilia,
S. Francisco, Largo da Ribeira, Santa Rita, Padre
Nobrcga, Passo da Patria, Dias Cardoso, Travessa
do CaUeireiro, Vidal de Negreiros, Travessa do
Marisco, Pescadores, Domingos Theotonio, Antonio
Henriqne, Jardim. Trav ssa do Carceroiro, Forte,
Largo do Furte, Coronet Suassuna, Lomas Valen-
tinas, Padre Floriano, Marquez do Hervai, Santa
Thereza/Travessa d a Matriz de Santo Antonio, Caes
Vinle e Dous dc Novembro, Primeiro de Man;o,
Duque de Caxiat, Larangsiras, Pas, Nova de Sa ita
Rita, Travessa das Flores, Becco do Lima, Luii de
Mendonca, !, Recco do Nasceiite, Imperial,Diqu',
S. Joao, Travessa da Concordia, Travessa do Poci-
uho. Largo da ConcorJia, Ossos, Becco do Faicao,
Penha, Largo da Penlia, 1. becco da Camboa,
Largo do Carmo, Travessa do Cabieireiro, I^irgo
de S. Pedr.a, Viracao, Travessa de S Pedro, Tra-
vessr. da Viracao, Praca de Pedro II, Travessa do
Peixoto, Cbristovio C >lomb j, Becco da B-rniba,
Travessa do Carmo, Travessa das Flores, Estreita
do Rosario, Travessa das Crazes, Travessa do
Qu ,'imado, Camboa do Carmo, Mathias de Albu-
querque, Trincheiras, Barao da Victoria, Cabuga,
Santo Amaro, Calaboueo, Becco do Caju, rua do
Cajii, S. B.im Jesus. Paios, Recco Tapado do Ma-
trix, Expostos. Largo do Rosario, Travessa da Ou-
vidor, Roda, Travessa da Rua Bella, Becco do
Ciume, liha do Carvaftio, Joao do Rego, e Santa
Izabel.
'Consulado provincial, 3 de novembro de 1873.
' > 0 administrador,
Antonio Carneiw Macltado Rips.
0 Dr. jloaquim Coroia de Oliveira Andrade, juiz
sub.s|Ruto da provedoria dc capella's c residues
nesta cidade Jo Sanio Antonio do Recife c seu
tcraio,prj.vincia,de.Pernambuco, por S. M. o Im
, perador, etc.
ij-'aceippljpfaos qejO;prcsente edital virem e
delle qpticia iuvrerrj qne no dia.quirita-feira, 27
do cqtir^tp^^dyci^idaTeipeetivaaudiencia ira a
praca para serem arrematados a quem mais der os
bens- saguiales:
,1 m/^iltajde jacaraada,, comuMj de 2 consolos
" a jardincira com tampo's de pedras, 12 cadei-
'-^.rnieafv* ditas'dc biiflosVt sofa
te
.If )'T ir,

p,|tovi.\c;.\i.
.'886i
-
72>8i7*J9fi
4C:7lfMfc7 i 4iWra-eiipi^uii}a4eira,por.i*.
>7#8*Af* ) nf.tWrfWH^P.W^Iloiwrtf*.
i aniiaria. do dito por.!*
f ratante de dito, envidrocada por 25*.
1 -%Aifca de jaear'anda-, obra antiga, eom' ,duas
0 gr]atoe^)op,15*.
^ijb^guinha de ,amarello.j>or i*.
ueno apar.ador por $1-
1 cTiSpeo. de pasta por f*.
1 earirJelabrddoVidro por 20*.
>'*%,pares de-lanternas dc vidro por 20*.
t par dc \ntm do vidro- verdo par 6j.
Santa Oasa da Misericordia
do Recife.
A junta adniini-'trativa da Santa Casa do Misc
ricordia do Recife, ; mpetentemente autorisad^
pela presidencia, em data de 3 de setembro do
anno proximo flndo, e de cenformidade com o que
dispoe o 9.* art. 52 do seu com romisso. per-
nuta por apolices da divida publica a fazenda dc
criar gados ipie possue o patrimonio dos esta-
belcciraentos de caridade a seu cargo denomina-
da Carnauba sita no termo de Flores desta
provincia, com terrenos para criar c plantar, e
com algum gado cavallar e vaccum.
Recebe para isto propostas nesta secre'an'a ate
o dia 10 de dezembro do eorrente anno.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
:ife, 1ft de ontubro do 1873.
O escrivao,
Friro Rodrigues de Sauza.
SANTA CASA DA MISCUICOKDIA lJO
RECIFE.
A Hlma. Jnnta adminisirativa da santa casa da
'isericordia do Recife, manda fazer publico one
aa sala de suas gessoes, no dia SO de novembro
pela? 3 horas da tarde, tern de ser arrematadas a
quem mais vantagens olTerecer, pelo tempo de urn
a tr s anno?, ae rendas -dos predios em seguida
ieclaradoe.
ESTAP.ELECI'-'ENTOS DK CARIDADE
Rua de Hort.?;
Loja do sobrado n. 41.....306*000
Bua dr. Viracao
Casa leorea n. 7. 312*000
Cinco routes
Casa ;errea n, 70^ 251 *0n0
Travessa tie S. Joi
Casa tcrrea n. ;i".......201.-4000
Becco do Abren
Sobra.lo dc 4 an lares n. 2. 180*000
Bua da Gloria
Casa tcrrea n. 93.......180 f000
PATRIMONIO OB ORPHAOS.
Bua da Scnzalla velha.
Casa lerrea n. 16.......2093000
Becco das Betas.
Sobrado n. 18 .......4215000
Bua da Cruz
Sobrado ji. 14...... 1:0005090
80ft*OlKi
COMPANHIA
bo
ItEBEfUBE
0 oaixa desta compaiiliia o Sr. Gorbi-nia-
tio do Aquino Fonci;ea, acha so autorisado
a pagar no seu escriptorio rua do Yigario
Tenorio n. 1!). das 10 borifc do dia as 3 da
tarde o 51 dividendo da imflna companhia,
U* wz5o de 3#000 por apolite.
Esmiplorio da companhia, 22 de novem-
bro de 1873.
0 secretario,
______Lniz Manoel RoAriqucs VaLv.ra.
0 admioistrador da recebedoria de rendas
interrfas, gpraes, seipnttnc'i dos contribuintcs do
imposto pessoaI ijue e nesU aiez de novembro que
tem de ser pago sem multa, o 1- semeslrodo wjcr-
cicio eorrente de 187371, e com a multa defj*/.
dep Recebedoria de Pernambuco 4 do novembro de
1873.
Unnoel Carneiro de Souza LacerJa.
Adelaide, typo de toils a rau-
Ib'rque confia no marido D. Olympia1.
Francisea, serpent* em forma
de porteira biscblhoteira que
v<- um mosquito da autra
dbana Q. J. Jsnuaria.
E esto o especteculo qne o b-neliciado offerece
aos seus sympathicos eonctirrentes e por Isso as-
pern, cotno sempre, prote -cao.
N. B. Nao seodo passive! ao beneficiado ir
pessoalmente agradecer pelos camarotes aos sens
c nvdados, manda em >m lugar sua senbora
quo preenchefa devidamente essa commissao.
Principiara as 8 1(2 horas.
THEATRO
mum DiiuiiTico
com E R. Rabeilo 4 C, rua do Comrretrro nu-
aiero >8. .
X 9
COMPANHIi
1K)S
TRILHOS URBANOS
DO
Recife a Olinda.
E Soberibe.
Esta companhia contrata com quem porJ
menos o fizor. a collocagao tie 40 d 50 pos-
tcs, de madeira de quali.lade, como seja :
ombiriba preta. sapucaia .et;., para (to tele-
graphico da estucAo da Aurora a Encruzi-
Iha'la, com 2o a 30 palmos de altura e 5
pollegadas degros?ura. Com a respectiva
gerencia se cnlendorao os proponentes.
0 gercnte,
Laurentino Josd de Miranda.
INSTTUTO 11
GRAPHrC
ce
PE
0 E GEO-
Havera sessao Ordtnaria quinta-feira, 28
do eorrente novembro, pelas 11 horas da ma-
uhf;.
OnDEM DO DIA.
1'areceres e mais trabalhosdecoramL*-
Quinta-feira 27 do eorrente.
Ileueficio
para a couclusilo dus bi*as da
i^roja | !%' S. Bepresenfer-se-ha a muito afplaudida opcreta
burlesca em 3 ados ;
Original do Exm. Sr. D.\ Joaquim Manoel de
Macedo.
Musica do maestro brasileiro
1." acto.Os dous candidatos.
8.* Vernielhoj e amarello;.
3." A cabala e a eleicao.
Tomam parte os artistes D. Manuela, D. Olym-
pia V., D. Joanna, Baliia, Vic-nle, Julio, Santos,
Flormdo, Silva, Pedro, Menezes, Emiiiano, etc.
A sceoa passa-so n'um curato do interior.
A parte cantante compoe-se de 18 numeros, fi-
nalisando com o
Fadinho brasileiro
cantado e dancado por todas as figuras.
Precipriara as 8 l|2.
Ao publico.
A commissao endrregada desta beneficio fai
nm apello ao espirito bemfazejo e r.digioso da
populacao desta cidade, e com espeeialidade aos
fieis da freguezia de S. Jose, para que concorram
com o seu obolo a realisar um fim.tao meritorio.
N'um des. intervalios a mesma commissao ira aos
camiirott:3 agradecer aos seus illustres convida
do?.
eiro
"wal segue para a Rio de
0 palacho portdgddz .. --u carreg?iei#o en-
Janeiro por ter ja p irte d ^vem os pretcn-
gajado, epara o resto da car*!* >. '> escripto-
d> mes entender so com Silva 4 Caae*. ndar.
rio a rua do Marquez de Oinda n. 60, l* Ppra o Bio Grande do&ut^
saliira brevemento a escuna porlogueza ^miia ;
para carga c passageiros trata-se com El. R. Ra-
beilo Si C., ran da Commerrio n. 48.
Para Lisboa
para can? e passageiros trata se i*a 15. R. R;
bello it C, rua do commerrio n. 48
Rio Grande do Sul
O palacho nacional Fortuna sevijf para o Rio
Grande "do Snl, lendo ja pdrtc do sou can egamon-
to engajado ; e para o resto da carga c.evem os
pretendentes cntender se com Silva a Ca;c5o, es-
riptorio a rua do Marquez de olinda o. 60, pri-
eirA ariilir
tneiro andar.
mm
i."
sues.
2." Palestra li'tleraria.
Secretaria do Thstituto,
do 1873.
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
21 de novembro
de
Sjciediile Palrijlica Dm
l',\.josivki:i (lo iliu '& dc; dczciubi'o
Itoga-se eiicnrecidaineiito as pessoas que
quizerom manlar productos & oxpositjao
que 0 fagain logo, alim le nao haver atro-
pello nos ultimos dias, que faltam para a
inaugurarao.
v20s proJuclOa dovern s^r remetttdos para
o^alacele da Or.Jem leroeira tlo Cirmo, das
9 horas da manha &s 4 da tardo.
Facnldade de Direito
De ordem do Exm. Sr director faco publico
q.ie quarti-fcira, 26 do cT>rrente, as 10 horas da
manha, comecara nesta faculda Ie, pela prova es-
cripta, o coucurso de grammatica e lingua nacional.
Secretaria da Facnldade tie Direito do Becifo. 24
de novembro de 1873
0 secretario,
Jose Honorio li. de Venezec.
Sexlafeiia, 28 do eorrente mez, linda a au-
dienria do Dr jtiiz de orphaos, na sala do au3i-
encias, vai a praoa, da venda". a casa de taipa,
no largo do Peres, avaliada em 5005, perlcncente
ao inventario de I.ilania Maria da Penlia.
co.uiMiVHi.fc nu fcsii-i<:ir %
DE
\AVEGACAOAVAP
Porios do hiiI.
H
A.
0 paquele a vapor Bihi; e do none ate 27 do eorrente, segui ra para os do sul.
depois da demora do costume.
Para carga, eneommeudas valores, passageiros
a mais informac^es. dirijarase a rua do Vigario
a. 7, escriptorio da agenda
Pereira Vianna & C.
_______________________Agootes.___________
COMrANHIA 1'ER.NAMBUCANA
DE
.lave^aeSo costoira a vapor.
MAMANGUAPE.
0 vapor Corutipe, com-
mandante Santos.-seguira pan
o p >rto acima no dia 28 dt
eorrente, as 5 horas da tarde
Recebe carga, encommen
das, passageiros e dinheiroi
frete ate as 2 horas da tarde do dia da sahida :
escriptorio no Forte do Matto? n. 12.
Para o referido porte pre'eine'ifepnh' cop^ a pes-
sivtd brevidadc o brigue pai.ugue^ U. Anna, por
ter ja alguma carga engajada ; e paia a qne Ibe
alia, que recebe a frt:t os consignatarios Joaquim Jose Gonenlves BelUao
A Filho, a rua do Corrrmeriio n. 5.
Para o Porto.
Segue com brovidsd
Manoci II. Recebe
tar com Tito Lurio
17.
a barca portuf ueza S.
carga e passageiros : a tra-
Soares, a ftia do Vigario n.
LEILOE*.
Agenda de leiloes.
RUA DO MAKQt.'EZ DE OLINDA S. 37, 1 VNDAR.
0 abaixo assignado lem a honra de scimtiflcar
ao respeitavel publico, com aspecialidade .o corpo
it nimercial desla praca; que acaba de ser nomea-
do agente de leiloes, em cujo exercieio, p.-omelle,
se csforcara para bem mereoer a confianci 4o to-
das aquellas pessoas que se dignarem honra-lo.
encarregando-lhe de negccii s tendentcs a sua
prolissao.
Desde ja o abaixo assignadn anU'Clpau; sens
agradecimentos para com aquclles que o procora-
rera : o que poderao fa'.er diri^tnda-se i rua do
Marquez de Olinda n. 37, 1 andar
Becifo, 7 de novembro de 1873
Joiqum piai rfos Sun's.
Affente Dias
.I)E
10 dti/.ias do muito acredUadu Iioflr he-
poredina
iZO agente DIAS, autorisado, vendcra em 'eila at
10 men-ionadas dozlas, da" hesperedioa
HOJE
as 10 horas em poulo
Nn seu escriptorio, a rur. do Marquez do Olinda
n. 37, primeiro andar.
Agente I Hi. s
diversos moveis
Con
Jara
Santo Antonio
EMPREZA
Quarta-feira 26 do eorrente.
4-ranilo c variado capcclaculo
ilivldido oin partes ena
benpiicio do aelor
Sobrado n. 30
Bua d;. Madre de Dpos
Casa lerrea m 2 .......
Casa tcrrea n. 25.
Casa terrca n.
Casa teree t a.
Idem n. 10'. .
Idem n. 102 .
Idem n. 108 .
Bua jda-Guia
Bi.o do I'Uar.
99.
Case
Rua do Rosario da Boa Vjste
terrra n. 58.......
3Q0^00ft
200*000
iiUO'O
.'to'^000
2il*-00
24I5O0
207iOOO
2455000
Os pretendentes dever o aprosenlar no aclo da
arrematacao as suas fiancas, ou coruparocerem
icoo.panfiadfts dos rpstjajGtiyos liadores, dewndo
pag'ar alem da renna. o premio da quantia qa
que for scgiiro o predfo que 'eo'ntiver Aitabeieci-
mento commercial, ns'sim" eonio o"servtc^-da lim
peza e precos dos apparelhos.
Secretaria da santa casa da misericordia do l(e-
cife, 5 de novembro de i873.
.0 escrivao
_________Pedro Rodrigues de. Sauza.
a
de ferro do 'Recife
S. iVandsco
AIMMSO
Pelo presenfcS sao-'Oenvidadili'o'senhores aeio
nistas desta c-irapanhia a receberem o vigesimo
divideodo roncernente ao scme-tre de Janeiro a
junhoj4tit<. anno.
Villa dp Caho, 4.1 ,de.novt.t,.roJdQ 1*73.
, foQyMvm
Compaiihia utflMade
-pu1lioa

onvocada
Proxro m ma.
' 1.' PAI1TE.
Symphonia d opereta de Verissimo Qbarci Ju
nior e musica do maestro Colas, Funio ao sul e
fumo ao norte.
Tera principio o espertaenlo com a repre3erita-
cao da mniMi applandida omedia-drama era 4
nctos, ornada do music a. do espirituosissimo es-
criptor francez Lambert Tiboost :
Keeofiljifflps da mocidade,
% PABTK.
Grande polka .
M'Ak in u Tie.
SAUDACAO AO BAHIA.
Com;wsicao do sympathies e talentoso maestro
Colas c por elle offerecida ao beneficiado
Segue o 2-' acto da poca.
3.'1 parte.
Brilhatiie execucio do hndo Poppt-pourri da
ope* do Verdi '
Tin balo in ma-schera.
3." acto' da peea.
4." parte.
:|-iftiantcs.iirtadrdhas uela^r^es.lra.
Execucio final a< drama.
!i.3 parte.
Walsa intitulada:
0 canto d iSuziirina
composia p'efo beneficiado, arraojada para^rches-
tra par seu amibi) liilas o olTeTeciaa;ao''bellOi9exo
Para o referido porto pretende ?oguir com pou-
.a demora o brigue porluguez R>cife por ter a
raaior parte do carreganrmlo tratedo : para o
resto que Ihe falta trata-se com os consignatarios
Joaquim Josd Goncalves Beltrao 4; Filho, a rua ao
Commercio n. 5.
COM PA NII1A IEK.NAMBtilLANA
DE
.liavega^Ao costoira a vapor.
MAC.EI6, ESCALA- E PENEDO.
0 vapor Giquid,
p-Tiimandante Martins
seguira para os por-
tos acima no Oia 29
do eorrente, as 8
horas da tarde.
Recebe carga at6 o dia 27 dd"corrente. eucom-
mendas ate o dia 28, passageiros e dinheiro a fre-
te ate as 2 horas da tarde do dia da sahida :
escriptorio no ^one do Mattos n. 12. ______
COMPANHIA PF.K.NAMBUCAiNA
DE
.'Yavega?iio costnlra a vapor.
ARAHYBA, NATAL, MACAO, MOSSORO', ARACs-
TY, CFARA, HANDAHU, E ACARACL'".
O vapor Ippjttca,
coramandantc Moura,
seguira para os por
tos acima no dia 29
do eorrente, as 5 ho-
ras da tarde.
Recebe carga ate u dia 27 do corrontc, encora- \
aie'ndas ate o dia 28, pasiagens e dinheiro a frete
ate as 2 horas da tarde do dia da sahida : es-
criptorio no Forte do Mattos n. 12
P iTiHO
D. NANGIsTl
Para o Rio do Janeiro protendc seguir com
ponca demora par tor dous tercos do seu carro-
gamento engajado e para o resto quo Ihe falta,
irau-ae com os consignatarios Joaquim Jose Gon-
calVes Bollrio Filho a rua do Commercio n. 5.
, mesa de mei) dt- sala com tempos de
pedra, snfas, guarda-veslid is, gttarda roupn,
gtiarda louca, aparadores, commodas, lavato-
ries, cadeiras americanas, cama francera com
colchao, banheiros, mesas de Jogo, travesseiro
bordados para sofas, jarros para flores, costu-
reiras, casticaes e salvas da metal lino, e mui-
tos outros oojectos de casa de familia e liso do-
mestico ; tudo em pcrfeito estado
0 agente DIAS fara leilau d-'S objectos acima
meiicionados o por conta e risco de queno perten-
rcr, no si-u escriptorio, a rur. do Marquez ce Olin-
da n. 37, primeiro andar.
Leilao
- iisa:
_ espec'acalo com a chislosa come-
tBrW'^ift, imila.-T p >rtngUeT.a de ^o%zai
^i^ri^rv-eiuiliSSSRS?
rapai^dq leutr, atado
I'olintra, do Co an
I com-tfettMirf'ademnnes
i dc.udiqnp wdo4g> .'.iaaiptacid0.'WlajaiK ^dc.Jaja-
o.
Sr,iCamara.
M.arh B.ihia.
DK
25 barns do 5- com vinho do Porto, ch^gados ul-
limamentc pelo brigue portoguez Recife.
0 preposto du agente Pestaoa fira lei So, por
conta c risco de quetr. perteucer. !' i.'i barris de
5- com vinho do Porto, marca S M, chcg*di s ii"
brigue porttijuez Recife
HA
Noarmazem do -r. Annes, djl'ronte. da alfindega,
AS II HORAS EM PONTO.
LEILAO
Hoje
0 agente Dias veadeia cm ci.iilinuacao ao i
de moveis 4 -a-ticaes e tim.i salva grande do pra-
te obra antiga: Em seu cscripterio, a rua do M.i -
quez de Olinda n. o", (rimeir > andar.
Capitao Pedro Vianns.
LEILAO
Real companhia depaqueteci
inglezes a vapor.
Ate o dia 27 do.eorrente, e?pera-se da F.qropa
o yappr inglez Ne/sa, commandaute H. Bax, oqu?l
depois da demora.:do costumo seguira para Bue.
nos'Ajres, tocamtp nos portos da Baliia, Bio do Ja-
neiro e-Uon'.cvi'deo.
-No dia 28 do eorrente, .espera-sc dos portos do
snl o. vapor inglez Dowrf, aomifcandante Thwaitds,
o qwlidlebrl d# 'costume, seguira
parJflonlafHpljn, tecindo nos pones de S. Vi-
eento a Lisboa.
Para frfetes, passagens, etc,, trata-se aa agenda.
egk cVi'Commereir) b. 40.
^ajra^L^boa
sogaiia ccm hrevfdlde oWoiipartugucz Bella
"?!<:; [ jeiros trata se
(L:ti cotki'tm-Kja i)
be
caulellas dndas cm penhor
QUARTAFFIRA 26 DO CORREIS IT
0 agente Martiu~ fara leilao, em continuaeo-.
de cautellas dadas eiri penlior (vencidas), coat-
tando de sbiectos de brimantes, prata e ouro, sen-
do quasi todos os objectc's dc gosto, os quaes
rik) vendidus p ir c jnta e risen du queni |(erfco-
eer.
Na casa de penhoMs da twessada rua das
Crnzesn. 2, priocipbra as 10 horas^Btaanlr".
lougas,' vidrot tuv= i 1 rna*i;Ti!nle
tucos
QjA^ieira:ib de tovenibr
no sobrado da rua daCrdz i. 50, prirtieiro
andar
A'S 11 HOUAS DA MA.NHA.
A S A B E R :
Um rico piaqn^l mobilia de jacaranda, ajiiuou-
dfl-sedo 12 cadeiras de guarnicao, I mesa rcdoml.i
com uma impertantc pedra, 2 con- -< dr
toadeira, t date de amntcllc. fcorafrWa); 1 gtiarda-
vostidos, Tguarila-roupa, l nca corftiuwda, 1 mosa
clastica, t marqneMo, 1 riama pnri solteiro, t
machina de costuras, 1 secretari.-, cade[ra! avul-
sas escarradeiras, jams, figaraj, servie para
jantar, dito para almoco, quadtos. espelhos, toca
dores de mogno, eabidts, quaninheiras, cam*
f anceza para casal, c o.nlros ranttos"Obt"
0 agente Pinho Bcrges'lL-vara a leilao, os ino'
., loucas o oulros artlgos, por ordem da Sr. Fraa-
.; eisco da Silva Bamos Jx:or, qae para
fora desta pWln
Os mpveii sei
sobrado, j-.r tlr*via
nhor.

nMH


J_

<
A
Qiario de Pernambtico Terija feira 25 da Noveinbfo de 18fa.
LEILAO
DE
tfu 2 grandes brilliantes, no valor
<**
ibDj2^n^abSI,--n,r-' s*"a do pra,la (Por,.o)'
..1)00*000.
A SABER:
Cma piils8ira de llta, l dila de atacar, l volia
oom 148 perolas, I cruz com 8 hrilh&ntes, 1 di
a, 1 iliim't; com brilhantes, 1 routa com 18
bnlhaui-.*, 1 par de boides (tara abertura, i tt-
flB~te p ra rebate, anneis prata, i cafeteira, 1 bule, assucareiro, maate-
(Ut-ira, leiteira de prata, 1 medalhao de ouro,
Tozetas, pulseiras, brincos, argolao, jvtaicos,
broxesa outras muitas joias de ouro
QUARTA-FEIRA 26 DO CORRENTE.
O agente Pinho Barges vemlera em teiSo, as re-
ferida* joias de ouro e brilhantes, no sobrado n.
30, a rua do Bom J*mis.
Novo leilao
DA
tuetade do sobrado de 3 andares, sotao o raeias
agaas, silo a rua do Marquez de Oiinda n. 2i
(outr'ora Cadeia), o qual esta bem localisado,
por ester em rua muito commercial, da or lun-
dos para a rua da Senralla, rende annual-
raenlfl todo o sobrado 4:242*000.
Qanta-feira 27 de novembro
as 11 horas Ha manha
Era sou escriptorio, 4 rua do Bom Jesus n. 33,
jservinlo de base a offerta de 16:2004000.
O agente Piabo B< vara a leilao o referido sobrado, por conta e risce
de quern pertencer.
Os Srs. prHtendintes poderao desde ja exami-
nar e lomar algum esclarecimento relatives no
.escriptcrio do mesmo ageute._______________
AO ARMAZEM
BO
VAPOR FRANCE!
HUA DO BARAO DA VICTORIA
{<. 7Outr'ora NovaN.
Iraiicez.
LIQUIDACAO DE FAZENDAS
60
Rua da Lmperatriz n.
NA
Leilao
DAS
Jividas da massa bdllda de Amorim, Frago-
se, Santos & C. as que foram a ledao
pela primeira vez no dia 13 do corrente
mez
QUINTA*FEIRA 27 DE NOVEMBRO
as 11 horas
O agente Pinto temra a novo leilao de confor-
uiidadj iom o despacho do lllm. Sr. juiz especial
do commercio, servindo de base as offertas obti-
las, as dividas i*a mas-a fallida do Amorim,_ Fra-
goso, Santos & C, aquellas que foram a leilao no
dia 13 do corrente.
0 leilao tera lugar as 11 lions do dia aeima
dito, no escriptorio'do referido agente, a raa do
Bom Jesu? n. 43.
LEILAO
DE
QtlR-
-um complcto e variado sortimento J
pdos dc diJlerentes qualidades.
QUINTA-FEIRA 27 DO CORRENTE
as 10 1|2 horas cm ponto
Por interveneAo do agente Pinto, om seu es-
eirptorio a rua do Bom Jesus n. 43.___________
Leilao
DA
botica iu rua do B3rao da Victoria u. 30,
pertencente k massa fallida do Jose Fran-
cisco Biltencourt
SEXTA-FEIRA 28 DO CORRENTE
A's lO 1.2 hocts la manha
0 agente Pinto lecara a leilao, por despacho do
lllm. S>\ Dr. jim espoeial do commercio. a rma-
<;ao, barcao, vasilh unes, inoveis c mais objectos
pertencentes, exi>tcnt>>s na b iiica da raa do Ba-
rao da Victoria n. 30, bans quo fazem parte da
massa falliila de Joso F. Batencourt, as 10 l|2 bo-
ras do dia ai'ima dito na refer! la bc.tiea.
Aarente Dias
C*3
us jiredis. odilicad'is em
eliios jir |irios
SABBADO 20 DO CORR?rNTE
0 agente DIAS, autorisado, fara leilao de um
magnifico sobrado de 3 andares, bem construido,
a com grandes accojimoda';oes para familia e es-
criptorio, pr ser bem reparlido e servir para duas
casas, e cdificado na rua de Doming03 Martins n.
138.
Um grande sitio enm scbrado ccomgrande
commodos para familia, muitos aposentos pai a
escravos e criados, estriharia, exccllentes viveiros,
jardim e muito bem arborisado e de boas quali-
dades ; cMe silio loroa se muito recommendavel
por ser fres :o c Bear pei to da eslacao da via fer-
rea. A editieado na Capunga, porto L asserr por
cujo nomo 6 bem onhecido Os pretenden-
tes poderao examinar di os preJio*, ou entende
rem-se com o mes no agente.
>Hbbi o 29 (i < C'irren'e
as AO horaw cm ponto.
No oscriptorio do rererido agente, a rua do Mar-
quezde Oiinda n. 37, piimen-o andar.
m%Q 'i RSOS
Precisa so de nma escrav* para cozinhar
e cociprar : na rua Primeiro de Marco n- 23
loja.___________________________________
Aos senhores negociantes.
Coratiniiafe a fornecer comedorhs para fora
por precos commodos ; algum ^enbor negociante
quo tenha de retirar suas familias para ir passar
a festa e quizerem deixar os seus caixeiros bem
servldos, quanto ao fornecimento de comida, diri-
ja-se a raa estreila do Kosario n. 33, primeiro an-
dar.
Ciiixeiro.
Precisa so de um caixciro : no cafe dos arcos.
ALUU\=SE
0 pre.dio n. 28, sit > a rua do Barao de S. Borja.
com commodos para grande -familia '. a tratar na
rna da Ponta Velha n. 73, com Boclia Leal.
ATTENCAO.
De novo pede-se aos civd ocs da massa fallida
de Jo5o Hygini de Souza, quo apresentem seus
tiiuloi a rua do Vigario n. 19, 1 andar, afim de
serem conferidos.
c
aixeiro.
Oflerece se um rapaz brasileiro para caixeiro,
com pratica de molhado e padaria, aflian^ando sua
conducta : para informican a tratar na larerna
da travessa do S. I'edro n. 10.
Quern precjsar alugar um escTavo, com tan
to que nao seja para servieu de peso, dirija-se a
ma do Hospicio n.- 61, que eneontrara um bastan-
te intelligento, e capazde encairegar se do traba-
ibe de jardim ou de horlalicas._____________^
Aluga-se um sitio em Beberibe, com casa
jpropria para familia, com mobilia ou sem ella :
a raa do Marquez dp Oiinda n. 36.
Para homent.
BOT1NAS de bezerro, cordavao, peHica, lustre
de duraque com biqueira, dos melhore*
fabricantes.
SAPATOES de be-erro, de cordavlo e de case-
mira.
SPATGS de lustre cem salto.
SAPATOES atamancados com sola de pae, pro-
prios para banhos, sitios e jardins.
SAPAIOS de tepete, chariot, castor e de tranca
fraacezes e portuguezes.
Para Ncnhora.
BOTINAS pretas, brancas e de cores dlfferentes,
lisas, en(ettedas e bordadas.
sAPaTINHOS de phantasia com salto, brancos,
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca.
Para tueninaa.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differontes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para niciainoa.
BOTINaS de bezerro, lustre e de cordavao.
ABOTINADOS e sapatocs de bezerro, de diversas
qualidades.
SAPATOS dc tranca francezes e portaguezes. -
Botas de moniaria.
F^otas a Napoleao e a Guilhcrme, perneiras
meias perneiras para homen-, e meias perneiras
para meninos.
No armazem do vapor francer, a rua do Bario
da Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de gueraicdes,
sofas, jardineiras, mezas, conversadeiras e costu-
reiras, tudo isto muito bom por serem fortes e
levcu. e is mais proprios moveis para saletas ega
binetes de recreios.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7, ontr'ora Nova.
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes e
de elegantes modelos, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; conio sejam : Alpbonse
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff C.: no
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumarias.
Finos extractos, banhas, oleos, opiata e pos den-
trifice, agua de flor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arroz, saboaetes,
cosneticos, muitos artigos delicados era perfuma-
ria para nresentes com frascos de extractos, cai-
xinhas sortidas e garrafas de differentes tama-
nlios d'agua de cologne, tudo do primeira quali-
dade dos bem conhecidos fabricantes Piver e Cou-
dray.
No armazem do vapor francez, a rua do Bario
da Victori?, oulr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos de differentes gostos e
phantazias.
Espelhos douradi's para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e para meninas.
F-uvas de Jonvin, de fin de Escocia e de camurea..
('aixinhas dc cosiura ornada com musica.
Albuns e quadrinhos para rctratos.
Caixiniias com vidro de augmenlar retrains.
Diversas ohras de ouro bom de lei garantido.
Corrontes do plaque muito bonitas para relo-
gi s.
Brincos a imitacilo e boiSes de punhos de pla-
que
Bobinbaa e cofres de seda, de velludo e de con-
rinho de cores.
Novos objectos de phantazia para cima Jo mesa
e toilette.
Pincinez de cores, de prata dourado, de af;o e
de tartaruga.
Oculos de a?o fino e de todas as guarni'.-oes.
Uengalas do luxo, canna. com castSes de mar-
fui.
.Jengallas diversas em grande sortimento para
homens c meninos.
Chicotinhos de baleia e de muilas qualidades
diversas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembaracar e para
barba.
Ditos de martini muito linos, para limpar ca-
beca.
Escovas para roupa, cabellos, unhas e para den-
tes.
Carteirinhas de raedreperola para din eiro.
Gravatas brancas e dc seda preta para homens
e meninos.
Campainhas de mola para ch mar criados.
Jogos da gloria, de dama, do bagatellas, de do-
mino e outros muitos differentes joguinhos alle-
maes e francezes.
Malas, bol.as e sw,cos de viagem de mar e ca-
minhos de ferro.
Argoliuhas de marfim para as criancas morde-
rem, bom para os dentes.
Bercos de vimes para embalar criancas.
Ce^tmhas de rimes para braco de meninas.
Carrinhos dc quatro rodat, para passeios de
criancas.
Venezianas transparentes para portas e janellas
Beverberos transparentes para candieiros de
gaz. "
Estereoscopos e cosmoramas com escolhidas
vistas.
Lanternas magicas com ricas vistas de core; em
vidros.
Vidros avulsos para cosmorama.
Globo3 de papel de cores para illuminacoes de
feftas.
Balocs aereostaticos de papel de seda mui facil
de subir.
Machinas de varios systemas para cafe.
Espanadores de pallia e de penna3
Tesourinhas e canivetes flnos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lanternas.
Tinteiros de louca liranca, modelo bonrto e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para
quadros.
Quadros ja promptos com paysagens e phanta-
ua.
Estampas avulsas de santos, paysagens e phan-
tazias.
Objectos de magicas para divertimentos em fa-
milia.
Realejos pequenos de veio com lindas pecas.
Realejos tiarmonicos ou accordions de todoa os
amanhos, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias difflceis de mencionar-se. No armazem do
vapor francez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Medidas de 40 a 100 metros.pes e palmos para
medir terrenos.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de todos
os brinquedos fabricados era differentes partes
da Europa para entretenimento das criancas tudo
a precos mais resumidos que e possivel: no ar-
mazem do vapor francez, rua do Bario da Vic-
oria, outr'ora, rua Nova n. 7.
Ccslinhas para costiira
Grapde sortimento de bonitos modelos chegados
ao armazem do vapor francez, cua do Ba-ao da
Victoria (outr'ora Nova) n 7.________________
Vcmle fasendas para liquidar, por baratissirao ptfeco como
abaixose ve:
Fereira da Silva d Guimraes tendo era ser um grande depozit'de fazendas,
tern resoHido fazer uma tiquidac^fio das mesmas com grande abatimento nos precos,
com o unico fim d : pnrar dinheir para o quo convidaw nao s6 freguezes, c mo o respertavel publico, a vir surtir se de muit s fazendas, bo s c harass
noseuestibeleciment "denominado o Pavao-arua da Imperalriz n. 60.
CAJWBRA1AS A 49, i500, 59, 69 79. francez muito fino a 39000, apenas precisa
OPavao vendeum magnifico sortimento V* "^{f/.V"'6"^-
das mais finas cambraias brancas transpa-, a a \
rentes, tendo 10 jardas cada peca, peio ba-1 a *9t 28500, 49.
rato preco de 9, 49500,59, 6, tendo tam-' Pa?a0 vende chaIes a emitacSo de me-
bm das mais finas que custumam vir ao r"10 a *>, ditos de mennd lisos de todas as
roercado, assiu como um grande sortimento cores a 29500, ditos de merinoestampados,
de ditas tapadase victorias que vende de 49 muit0 finosa 4* ,iltos "nissimos com lis-
ate 89, sendo fazenda que valle muito mais
inbeiro.
tras de seda a 69500, ditos muito fiuos
crepoma lfJ9e 129.
de
.COM SALPICOS DE CORES A 59-
0 Pavio recebeu um elegante sortimento
Algodito enfestado a 19 e l$SO.
0 Pavao vende algodao eufestado com 8
do cambraias orancas com bon.tos salpiqm- ,mos de Iargura proprio para len 6es
nhos m.udmhos de cores, tendo 10 jardas ^n(Jo domajs encorpado que tem vindo ao
cada corte do vestido e vende pelo biirato mercado Vlso 3 19 avara etrancadoa.....
pre^o de o9, por sor pecbincha, ditas com ]280
salpicos to.lo brancosendo fazenda finissiina, ATOALHADO A 19600, 29, 59.
0 Pavao vende atoalbado tranc^ado com 8
palmosde Iargura a 19200 o 19600, dito
HOTEL
Restaurant de Bordeaux.
Rua 1. de --Marco n. 7 A, 1. andar.
Nesto hotel, onde se eneontrara-aposenios bem mi-bilia! >s, garanle sc as pe3SO>
que o frequcntarem, n3o sd a boa qualidade dacozinha, como tan.t)em 0 aceio e prom]>-
tidao em servir-so aoscuicurrcntes. Situado no mellior l>airro desta cidade, 0 hotel Bordeaux offerece todos os commodos possiveis, quer com rclac^ao ao* nposentos rnobi-
liados com gosto o acoio por modico prego, quer com n-lngao a sua posicao.
A!mot;iis Vinhos ilo t.vlas as qualidados.
LutK-iis Conservas idem idem.
Jar.tares C rvejas iilem idem.
Ceias Licores idem idem.
Aguade vichy verdadeirae nova a 1J000 a garrafa.
Assignalnras mensars a 35$ 000!
DO 1." DE NOVEMBRO EM DIANTE. _____________
GRANDE LIQUIDACAO DE FAZENDAS
NO
AZAI RACfONAL
Rua da Imperatriz n. 72
DE
Uureoco Percira Mendes Guimaraes
Declara aos seus freguezes que tem resolvi "o fazer uma gran'c liqui la-;.ao, ate o
Bid do corrente anno.
A SABER :
a T500e ditas a 55000.
VESTIDOS A L'SO DA CORTE 129
0 Pavao vende um bonito sortimento d8.;,am^?!ad a W' dit0 de li,lho adamasca;
cortes de vestidos a uso ila corte, trazendo a e *'
C'da corte todos os enfeites necessarioscomo SEDA PARA VESTIDOS
sejam: babadinhos, entre-meios, rendas, '_ |c00o2S
requefifes, e vende pelo barato preo de 129 j 0 Pava0 vcn(le um bomto sortimento lle
cada um, assim, como d, os a 2 de julho ^^ com |islrinhas proprias para vesti.
com todos os enfeites a 109 cortes de caa:-.^ de meninasede seuhora a 19600 oco-
bra.as brancas ahertas. com lislras o lav. rest vad ditaslavra,linhasa 29,ospadr6es sao
a 69, ditos fin.ss.mos a 89. ditos de cam-! muit0 bonitose vende-se por este preco para
braia branca com hstras de cores, para aca-! ar.Kar
bar 39500, e pechincba. Botinas a 5 OO
CORTES BORDADOS A 209 E 359. IL 9 Pavao tcmLum ^.P1^0' sortimento de
0 Pavao vende ricos cortes de cambraias j boUnaf muito bem enfeitadas para senhoras
brancas delicadarnente bordados, pelo ba-|e vende P^o barato pre5o ,e 59,artigo que
rato preco de 209 e 359. em outra 'lualquer parte custa t>9 e 79.
LENCOS BRANCOS
a 2900U.
Saeenl.lc
Den^a-so < ler
as ob-sas io Na
isaeerdote que queira dizer
-J/fio* dias de Anno-Bim e
Reia, em um ongenho' de coramunicacao facil com
a Ucio dci Ribeirao. Para cle Am trata-so a
rna do Mar mez d'Olinda o. 00, esciiptorio de Sil-
xx 4 Cac3?.
Attengao
Vende-se barato a arma.;ao da uverna n. 60, si-
te a rua Direita dos Afogados : a tratar na pada-
ria de junto n. 66. ___________
tlilTClVME
Um segondo andar e sotao com muitos commodos
na rua do Barao da victoria n. 39.
CASSAS FRANCEZAS
a 300 rs, o covado
() Pavao recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padrdes e
cores fixas, que vende pelo barato preco de
300 rs, o covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 640 rs. a vara fi-
nissimo (116 branco liso ede salpicos, c. tarla-
tanas ile todas as cores.
BORNOUSA 129.
0 Pavao vendeum bonito sortimento dos
mais modernos bornous com bonitas listrase
vende pelo barato prego de 129 cada um,
assim como um elegante sortimento dos mais
bonitos chales demerin6 e com listras dc seda.
I.AZINHAS A 320
O Pavao vende bonitas lazinhasr lisas,
sendo verde e cor de lyrio, pc o baratApre$o
de 320 reis o covado, assim como deV-cadas
lu/.inhas de quadrinhos a 280 reis^o pe-
chincba.
Granadi ues a 040
0 Pavao vende um elegante sortimento
das mais bonitas granadines ou gazes de
seda para vestidos. tendo de todas as cores
e vende pelo barato preco de 640 rois o co-
vado e granadine preta com listras de seda
a !3>800.
I.AZINHAS A 360 O COVADO.
0 Pavao vendo bonitas lazinhas transpa-
rentes com palminhas a 360 reis o covad >,
ditas ditas indianas com lindos dezenhos,
tanto em listras como em quadros a 280 rs.
0 Pavao vende lengos brancos ab inha-
dos, tanto para homens como para senhoras,
a29e295l0a duzia, ditos do esguiao c
cambraia do liuho t mbem abainhados a
39500, 49, 5, d tos francezes escuros, para
rape a 69, a duzia.
CAMISAS PARA HOMEM.
0 Pavao vende ricas camisas com peito
de linho bord 10#e 129 cada uma, ditas de linhosen se-
rem bori das 49, 49500 e 59, ditas com
peito de algodao muito finas a 29, 29500 e
I 39, ditas dechita fina miudinln a 29,29500,
! e 39,. ssira como grande sortimento de cc-
roulas francezas tanto de linho como de al-
godao de 19600 aid 39, gr nde sortimento
le mei s cru s inglezas de 49 ate" 89000 a
duzia
FAZENDAS PARA LUTO.
0 Pavao tem um grando sortimenlo fazendas prct s para Into como sejam : c s-
s s, las, ou lazinhas lisas quo vende a 400
e 500 reis o covado, bmnbazinasdc 19600
ate 29 o covado, enntao a 19 c 19200,
granadine lisa com listras, cassas o chitas
todas pretas com listras e salpicos, s-lp-cas
todas prelas o lavradas de branco, meriu6s e
outrasmuitas fazend s apropri das, que sc
veude por menos do que em outra qu Iquer
parte.
MADAPOI.OES EN1ESTAD0S
a 39000
0 Pavao vende pejasde madapolSo enfes-
o covado, e grande sortimento dc alpacas e tado com 12jard sa 39, dito a 39500, dito
li.:_l___1. eam biirt .^:. nnm OO ia*dac a S"f ">.">';On i, K.-OOO ililr.
lazinhas le 40J a 800 rdis.
CHITAS DE CORES
a 20 >, 24t., 28'i e St<) rs.
0 Pavao vende um grande sortimento de
bonitas chitas tanto claras como escuras c
vende de 2'H) ate 32 rs., assim como ditas
com listras aolado muito finas a 360c4OU
rs., finissimas percales miudinhas com lin-
dos dezenhos a 360 o 400 reis, garantindo
serem 'odas ilo c.res (teas.
COBERTAS A :'9, 29500, 39, 49.
0 Pavao vende bonitas cobertas de chita
com 20 jardas a 59, 59500 e 69000, dito
com 24 jardas de 59 ate 89 e 109, sendo os
mais Qnos que tem vindo ao mere do.
Algodaoziuho a 49000.
0 Pavao vende pecas de algodaozinho
muito i ncorpado a 49, dito a 59 e 69.
TAPETES
CORTES DE CASEMIRA A 59-
0 Pavao vende um grande sortimento de
com ramagem grauda, pelos baratos precos cortes decasemira para caloas, com bonitos
de 29,2950", 39 o 49, ditas encarnadas gostos, claros e escuros a 5""1, ditos de 69,
forradas a 59, ditas defusiao branco e de cor 79, 89, aid 109, superiorcs casemiras fran-
com barras a 49 e 59, ditas de croche para cez se inglezas, para covado, do 39500 ate
cama de noivo a 69, ditas muito ricas a 169, 65, paunos pretos e de c 'res dos mais bar-i-
ditas de damasco a emitacao de seda a 109 tos e mais linos que tem vindo ao mercado,
o 149. por pretjos muito razo veis.
Fusto'cs Roupa feita
0 Pavao vendefustoes brancos ede cores, 0 Pavao, tem constantemente um grande
spndo as mais bonitas cores que tem vindo ao sortimento de roupas feitaspara homem, que
mercado> tanto para roupa de criancas como vende por preijo muito em conta, como se-
para vestidos o roupas de homem, e vend jam :
Calebs de brim de cores de 29500 ate 69.
Ditas de casemira escura a 39500.
Palitots da mesrn* fazend. a 49500.
Calcas de brim pardo de 2a ate 5$.
Dit s de casemin de cdrde 7# atd 12^.
Dit^s de casemira preta de 79 ate 14(5.
Palitots de panno pret de 49 atd 129.
Fraques de pann > preto fino de 209 at<5
359000.
Calc s brancas de linho de 49 ate 79.
Colletes do casemira de cor de 39000 atd
CAMBRAIAS BRANCIS A* 390002
Vende-se pecas de cambraia branca, tapa-,
da e transparente, a 39, 3fl500, 49000 e
59000.
LASINHASA200RS. _
Venle-se lasinhas para vestidos, a200,
320 e 50o rs. o cova to.
ALPACAS A640RS.
Vendo-se alpacas de cOres com listras a 640
8 800 rs. o covado.
GRANADINE A 800 RS.
Vende-se granadine preta com listras de
cores, para vestidos, a 800 rs. o co-
vado.
POLPELINA JAPONFZA A 19800.
Vende se uma fazenda nova com listas,
com o nomo de poupelina japoneza, propria
para vestidos de senhoras, a 1900 o co-j
vado. Todas estas fazendas sao vendidas no
Bazar Niicional, a rua da Imper ariz n. 72.1
CORTES DE CASSA A 295 0, ,
Vende-se cdrtes de cassa para vestidos,
com 10>ovados, a 29500.
CHITAS IARGAS A 240 Rs.
Vende-se chitas francezas, largas, de cores
fias, a 240, 300, 320 e 360 rs. o co-0
vado.
CASSAS DE CORES A 260 RS.
Vende-se. cassas francezas finas, dc cores,
a 2IS0, 320 e 400 rs. o covado.
SAIAS A 29000.
Vende-se saias brancas com barras de co-
res, a 25000.
CHITAS PARA COBERTA A 280 RS.
Vende-se chitas para cobertas, a 280 c
360 rs. o covado.
MEIAS PARA HOMENS A 69000 A DUZIA.
Vende-se meias cruas vordadeiras, para
homens, a 69000 a duzia, a qual val
8?000.
CHALES DE I.A A 800 RS.
Vende-se chales de 15, a 300 rs. cada
um.
CHITAS UNAS A 400 RS.
Vende-se chitas finas de campo largo, fa-
zeuda muito boa, a 400 rs. o covado.
CHALES DE MERINO' A 2#000.
Wnde-sc chales dn merind estampados, a
29, 39, 49000 e 55000.
Ditos Jo listras a 59000 e 69000.
BRLNS EM CORTES A 19500
Vende-se cortes de brim de cores c pardo,
a 19500, para liquidar.
COBEHTAS DECHITA A 19600.
Vende-se cobertas dechita, a 19600 o
29000.
BRIM PARDO E DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim pardo e de cores, para rou-
pa de homens e meninos, a 400 rs. o cova-
do, para liquidar.
COLXAS DE CORES A 29000.
Vende-secokas de cores para cama, a 29,
e 49000.
TRANSPARENTES PARA CADEIRAS A
19500.
Vende-se transparentes para cadeiras, a
19500, para liquidar.
BONETS A 500 RS.
Vende-se bonels de seda para homens, a
500 rs.
CUAPEOS A 29500.
Vende-se chapeos de castor para ireninos
e homens, a 2500 e 39000.
pelo barato pre^o do 56o atd 19, o covado.
BRAMANTES
a 19600, 2^2 0 e 29500.
0 Pavao vende b/amantes do algodao com
K) palmos de Iargura para lenc,6es, pelo ba-
rato prec,o de 196 0, itito de liuho com a
mesma Iargura a 29, 29200 e 29500, dito
Cortes de~chita a 99, S-NfcOO e
35000
0 Pavao vende cortes de chitas escuras e
Ditos de palha, a 29. 39000 e *90C0.
Ditos de massa, a 49000.
PERFLMARIAS EM LIQllUyAQ.
Vende-se sabonttes de diversos tamanbo-,
a liO, 200 o 240 e 320 rs.. todo bom.
Frasco de banha, a 160, 320 e 400 rs.
Frascos com aguade colonia, a 240 e 3510
rs. cada um. E outros muitos extractos quo
se vende muito barato para liquidar.
TOAI.HAS A 800 RS.
Vende-se toalhas felpudasva 800 rs. cada
uma. Lenc,os braneos, a 29000 a duzia, e
39000 abainhados, fazenda que vende-se
por 59000.
GRAVATAS PRETAS A 500 RS.
Vende-se gravatas pretas, a 500 rs. M.n-
tas de cores a 200 rs.
Chapeos para baptisados do meninos, a
39000.
BENGALAS E CHI COTES A 800 RS.
Vende-se bengalas c chicotes, a 800 es.
cada uma, para liquidar.
GRANDE LIQUIDACAO DE ROIPA FEITA
Vende-se ceroulas de algodao, a 19000.
Ditas de linho, a 19600 o 28000.
Camisas de chitas finas, a 19600.
Ditas de peito de cores, a 25000,
Ditas brancas finas, a 29J00, 39060 e
49060. -
Calcas de brim pardo e de cores, a 29000
e 29500.
Ditas de casemira de cores a preta, a !>9,
69, 79 00 e 89000.
Palitdtsde alpacas de cores, a 29500.
Ditos pretos, a 39000 c 39300.
Ditos de casemira de core*, a 4$ e
69000.
Ditos ditos pretos, a 5900C. 6950>
89000.
Colletes de casemira do cores, o 29, 3?) e
49000.
Camisas dc flanella, de cores, a 29000 e
29500.
ALGODAO A 49000.
Vende-se pec,as de algodao, 6 49, 59 o
69000.
CASEMIRA DE CORA 29500.
Vendo-se casemira de e ras, a 29500 o
covado.
MADAPOI.VO A 39000.
Vende-se pecas de madapolSo enfestado,
a 39000.
Dito inglez, a 49500, 59, 65 e 79000 a-
peca.
BOTINAS A 49500.
Vende se botinas para senhora e meninos,
a 49500, 59 e 65000.
Ditas de enfiar, a 25000.
Sapatos de tapete, a 19500.
Ditos de tranca, a 19800 e 29000.
BRAMANTE A 15600,
Vende-se bramante com 10 palmos do
Iargura, para bmc6es, a 19600 *> 2950!) o
metro. E outras rauitas fazendas proprias
do mercado, que. >e vende setn reserva, de
preco, para liquidar ate e firu d> corrente
anno, por isso convem aos eompradores sor-
tirem-se de fazendas bnratas, para a presen-
te fosta que estd na porta, 6 rua da lmperalriz
n. 72. Baztr Na--ioual.
Aiuga-se
a east term com sorio, a rua do Hospicio n. 62,
esquina da rua Riachuclo :
n. 25 da trave?a do Corpo
a trat.-.r m
Santo.
anoaz-m
Roupa perdida
Dssappareceu da estacao dos trilhos urlianos df
Caxanga, uma trouxa de roupa lavada ; suppoe-se
que alguem levou a por eugano : qnem della li-
ver noticia, pode levar ao escriptorio n. 62, 1*
andar, da rna do Marquez de Oiinda, que sera
gratificado._________
claras cum 10 covadoscada cdrte, pelo ba- 59000
ratismo preco de 29. 29500 e 390u0.. Ditos de dita preta de 49 atd 79.
CORTES DE BRIM A 19400.
0 Pavao vende cortes de brim pardo para
Cortes de la a I5OOO.
0 Pavao vende bonitos cortes de lasinhas,
cal?a, a 19400. Ditos.de cdr, fazenda mui- padroes miudinhos com lindas cores, tendo
to boa, a 156(10. 15 covadoscada cdrte, pelo barato pre^o de
Espartilhos a 3^ e 4^000. *gooo.
0 Pavao vende os mais modernos esparti- CORTES DE ORGANDY A 39000 e 39500.
lhos, proprios para senhoras e meninas, 0 Pavao vende cdrte de organdy branco,
pelos baratissimos precos d* 39 o 49000. com listras e quadrinhos, sendo fazenda mui-
Ditos muito superiores, brancos e de c6r, a to fina. pelos baratissimos precos de 39 e
59 e 69000. 39500 o cdrte.
Ceroulas fr ncezas de Ijpho e algodao, para todos os precos e qualidades, assim
como grande sortimeutj de meias cru-s, camisas, colennbos, que tudo se vende por
precos muit r^zoaveis.
Companhia do Gaz.
A empreza do gaz tem a bonra do annunciar
ao publico que recebeu ultimente um esplen-
dido sortimento de lustres de vidro, candiei-
ros, arandelas e globos, cujas amostras estao
no escriptorio a rua do Imperador n. 31,
e ferao vendidos aos seus freguezes pelo
pre^o mais razoave! possivel.
Sobrado para alugar
Aluga-se o sobrado n. 28 da rua D. Maria Ce-
sar (outr'ora Senzalla Nova) com 2 salas. 3 quartos
1 sotao cm cozinha, umasala e 2 quartos : a tra-
tar na mesma rua n. 20.
Aiuga-se o 2* andar e sotao, com todos os
commodos para grande familia, do sobrado n. 12,
sito a rua de Hrtas : i tratar na rua do Trapiche
n. 13, armazem de assuear. Tambem se vende
roses 'le 3|4 paries do mowno sobrado.
' ,{\ *? )'
D.Julia Vaz Pereira Ferraz.
>Qi D. HermelinJa M. dell
Souza, Jus-tino Jose de Sou-
za Campos, Dr. Carlos Au-
gusto Vaz de Oliveira.Dr.
Augnsto Carlos Vazde Oli-
veira, Dr. Alfredo Ernesto
Vaz do Oliveira, Matheus
Vaz de Oliveira e D. Amelia Augnsta Vaz de Oli-
veira, mandam celebrar algumas missas na ma-
iriz da Baa-Yisu no dia 29 do corrente, as 6 ho
ras da manha, pelo eterno repouso de sua presada
fiiha e Irmi D. Julia Vaz Pereira Ferraz, esposa do
Dr. Silvio Pellico Pereira Ferraz, fallecida no dia
15 do pressnte mez na cidade de Pcnedo, provincia
da? Alagoas._________________________'
Commendador Antonio Jose
Gomes doOorreio.

Antonio Jose Gomes do
Correio.

Euslaquio Antonio Gomes, sue mulher e
filhos, convidam aos parentes o amigos de
sou finaJo pai, sogro e avfl Antonio Jose Chy-
mes do Correio, fallecido a 28 do passado>
para assistirem as missas que mandam ce-
lebrar na igrcja do Paraizo desta cidnde no
dia 28 do corrente, pelas 7 horas da manha,
trigesimo dia de seu passa.nento, pelo quo
desde ja se confessam agradecidos.
Recife, 23 de novembro de. 1873.
Ponipilio Pequelis Ponelo Cha-
ves de Almeida.
JoaoJuvino de Al.neiUa e Prancisca Maria
Chaves de Almeida c -rdialmente agradec* -n
a todas ds pessoas que se dignaram acomjia-
nhar aocemiterio publico cs restos mortaes
deseu presado filno Pojnpilio PequelisPrn-
cio Chaves de Almeida.____________
ft
ft
ft
ft
MEDICO-CIRURGICO
Os empregados da secretaria
Ida Santa Casa de Misericordia
tendo de mandar celebrar na
igreja de N. S. do Paraizo, pelas
8 boras da manha do dia 28 do
[corrente, trigesimo do fallecimento do cotn-
mendadcr Antonio Josd Gomes do Correio,
mordomo da mcs'Da Santa casa, urn missa '
de Requiem, com memento, acompanbada ;
pelas educandas da casa dos expostos, pelo
descanso eterno d'alma daquelle finado,
convidam aos parentes, amigos e collegas
do mesnio para quo se dignem de assistir a
ease 3cto de pura caridade.
*
DO
M. Curio
ft
ft
ft
ft
8
^ Dr. J.
jM Rua do Marquez de Oiinda a 5jB, pri-
^ meiro andar. ,
Wt Consulta das 9 horas as 11 da manha. ;
^ Chamadjs a qualquer hora. M
ft ftftftftftft ftftftft ft
. Sliva Barroca & Pi lhos teem para vend
sea a mazem, a rua do Marquez do OHnd"
segulnte :
Folha de Fiandres.
Estanho em vergainhas.
Machinas para descarocar algodao.
Cerveja escossm branca e preta.
Fillele para bandeira.
Vidros para vidrara, 1" qualidade.
GuinchoB para iear.


|
/'
I


___ A. i
Jiano de Pemambueo 'fer^a teira 25 ae Novembro ae 18?3.
-as.
m Precisa se de uma ama que compro e
cot in he para casa tie pajganfamilia : a
irai;,r narna ntraz da matriz de Siifw Antonio n.
18, t- an Jar.____________________________
I A f i P'Crisa-sc i!e uma para cozinhar
Mil para easa de p.mca familia; a iratar
' \ '\! 'I r"n,!" "wpWo n. 46, i#aa lerria
*-*--'---*- que (fin h.'l.ii uina'rcllasua ''
ni jo.
Mr *<
56 aRua do Marquez de Olinda 56 a
(outr'ora rua da Cadela)
LOJA DE MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recommen-
4ado pelos grandes depositos e bons sortimentos com que sempre prima em ter da*
melhores, mais acreditadas e vordadeiras machinas auici-icauas para algo-
4o, desde 10 a 60 serras, e havendo em todos os tamanhos diversidades de syste-
mas e melhoramentos para perfeito e rapido descaro^amento ; tornam-se dignas de
*erem vistas e apreciadas pelos Srs. agncultores; os quaes, alrjm disto, encontrarSo
tambem mais :
Apurados vapores locomoveis, de for$a
de 2'/* e 3Vt cavallos com todos pertengas
precisos para trabalbarem 4 machinas para
slgotUo, ou para outro qualquer mister.
Machinas para lavar roupa.
\rados americanos para varzea e ladei-
ra.
Garros de mao para atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Oitos de ferro estanhado.
Ditos com valvula para lavatorios.
Oitos de madeira para compras.
Apparelhos para jar-dins.
Guards-comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafuzos de ferro.
Dita dita ditos de madeiras.
Ternos de bandeijas Unas.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Pertenjas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinhos de diversos fabricantes para mi-
Iho e cafe".
Debulhadores para milho.
Azoite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro paten te.
Cannos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos de chumbo.
Ditos de borracha.
Folles para ferreiros.
Trens para cozinha.
Emfim rauitos outros artigos, que soavista e neste estabeleomotk ruoontp s i
'xaminados.
Iffil|ii"~~~
ANTONIO jpsl DE AZEVEDO.
Rua Nova n. 1 I.
PIANOS.
1 Querendo defmitivamcute liquidar este negocio, vcnde todos os que torn, novose
usados, pelo pre<;o do custo de factura.
Tambem acaba de receber o seguinte:
O LEA DOS inglezes para assoalho de salas, de muitos liudos desenhos de 11 a 33 palmos
de largura e 100 de comprido, podendo forrar-so uma sala por grande que
seja com oleado inteiro.
MAGNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos de salas.
ANNE IS electricos para curar dores de cabe^a. nevralgias e nervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
4BAMP0S para se>jurar roupa estendida nas corJas, a 200 rs. a duzio.
TALAGARCA e papel picado para bordar com IS ou seda.
VERDADE1RA ngua de. colonia em garrafas cmpamadas.
E muitos outros artigos, e por muito barato preco.
Ama de leite.
Pncisa-se de uma qne leuha bora e abundante
leite; paga-se hem : na rua Formosa u. 24, de-
frontc do becco dos Ferreiros._________________
Precisa se de uma ama para cozinhar e
comprar para easa de homem soltoiro : na run Di
n-ita n. 8.__________________________________
k li i Olfereceseuma poriugueza demeia
\ ill \ idade para c<>zinhar para algum es-
1 lI "1 'tabeleeimento commercial : a tratar
na rua de Lomas Valeniinas n. 9.______________
Ama de leite
Precisa-se de uma na rua da Praia a. S3, 3* an'
dar ; preferindo se sem filhos.________________
Ama de leite
Preeisa-*e alugar uma ama que tenha bastante
leite: na rua F*rmoza n. 18.
Precis a se de uma ama on am eozinheiro:
no becco do Padre n. 28
Escravos fugidos
Felippa, negra, cabra. ja idosa, cozinheira, alta
e secra, foi escrava da viuva do fallecido Jacin-
tho Botelho, tem am Glho escravo do Sr. Jose
Antao de Souza Magalhaes, que andava fugido,
e que veio seduzir a mai para acompanba-lo ;
esta ausente desie o dia 6 do coitente.
Roga-se a p.licia e capitaes de campo a cap
lura das mesmas escravas que sio do engenho
Sapucaia de Beberibe.
CASA DA FORTDNA.
AOS 4:000#000.
B1LHETES GARANTIDOS.
ENR11IN
Tejucupai
feira, 27
A' rua Primeiro de Marco (outr'ora rua d<
Crtspo) n. 23 e rasas do costume.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantido.'
da parte das lotenas a benetlcio da matriz de
papo (76"), que se extrahira na qainta-
do correnle mez.
PRECOS
Bilhte inteiro 4*000
Meiobilhete 2*000
EM POR^aO DE 1007000 PARA CIMA.
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*750
Minoel Martini Fiuzo.
No dia sextafira 21 do corrente dcsappa-
recen ou fuitaram da casa da rua do Aragao n.
12, uma ca auna muito roana, que andava solta,
comia na mao e acudia pelo norae quaodo se
cnamava : quem dell souber ou mesmo a liver
comprado, dirija-sea mesma casa, que se paga.a o
importe que tiverem dado, ou se recomponsara; b'asiaiite
com generosidade.
Fugio no dia 10 do corrento mez de novembro
o cabra Duiqingos, junto com a negra Andreza, Tu-
la tirandoa cabra, do engenho Bom Jesus, freguezia
dos Afogados, cujos signaes sao os seguiutes : o ca-
bra Domingos tem o> cabclJos carapinhis, cor meio
fula, pernas grossas, falta de denies na frenle,
corpo regular, nao e alto, meio peitudo, andar
apressado, muito regrMa, intitula-se por forro,
costuma mudar o nome, fuma cigarro, lem o offi-
cio de earrciro, e bom trabalhadtr de eoxada, e
i filho da villa do Cabo, onde tem parentes, esleve
. fugido na cinco annos, e foi preso no Bouito com
\ o nome trocado ; a negra Andreza 6 gorda e gros
sa, tem ja alguns cabellos brancos na cabe?a, bem
impcrnada, tem muitas pintas de sarnas ja antigas
nas pernas, mao? e p6s grosseiros, e coz'nheira e
engommadeira, foi cimnrada a um senhor que
rnurava no Brejo de Joao Pereira, provincia da
Paraliyba, onde ella tem parentes, e muito fallan
te. Fugiram ambos, e e de suppor que se incul
quem for casados e mudem os nomes ; levaram
roupa, sendo que todas as camisas da
Attencao
Os abaixo assignados rogam a sens devedjres
Jue queiram ter a bondade de virem saldar seus
ebit-is ale o fim do correnle anno ; os que nao o
I negra sao cheias de renda : quem os pegar ou
| der nolicia certa, sera bem rcc.impensado : no
Recife, a rua da Camb6a do I'armo n. 2H, 2 an-
dar, onde mora o sea senhor Luiz Gome3 Silveira,
ou uo engenho f'om Je que h a'-.hara pessoa encarregada para pagar.
serSo chamados por e nome a vi.-em cumprir com os sous de-
llzerem
proprio
veres.
Recife, 22 de novembro do 1873.
Gama & Silva Britto.
Uma parda escrara. boa dstureira, precisa
de lU(i* para sua liber lade, efferecendo cm
paga desta quaotia is seus services pelo tempo
que se'Coaveucion >r : quem quiier fazer este ne-
gocio. dir;a-se a rua da Imperatriz n. 30, segundo
aodar.
tDE\TISTA DE PARIS
19 RUA NOVA19
J. M. Leroux, cirur-
^ giao dentista, succes-
jit
-3

SAQUES
T.irvalho & Nogueira, na rua do Apollo
n. -20, accam sobre o Banco Commercial
do V innna o suas age'neias em todas as ci-
dads-s'e villas de Portugal, & vista e a prazo
por todos os paquetes.
sorde F. Gautier, es-
m
pera continuar ame-
recer a confianqa do6
clientes da casa, edo
respeitavel publico em 1
geral. "-k
km rt h m tm mtmm* m
?
Jornaes da Europa.
Assignaturas para 1874.
Acham-se abertas conforme o respectivo cata-
logs
Livraria Franceza.
Cozinheira
Precisa-se de uma cozinheira para casa estran-
geira de pouca familia : a tratar na rua do Com-
mercio n. :<8.
HUJi!^
PA8TILHA8 DIGESTIVA8 fabricadw mVkhy
con m Sai attrchidos iu Ftnle. 8le *> get to
frdavel mui ucl* e Mrla CMtra a Alia
U di*et6e drei.
8itE8 DE VK3TT PARA BAHHOS. Dm rote
V 'vLk *"b*'Mfm ** rtm*** ** Uo P04'"
P*ra nitarat imtUeUi
ttigir em todos u pradvclot a marc* do
csnTRant m htm num
ATTENIjAd.
Precisa se de um homem portuguez recente-
meato chegado, que tenha boa cmducta e pratica
Sara feitor de engenho : quem ostiver-nestas con-
i<;6cs, que'ira apparecer no largo do Corpo Santo
h. 19, escriptorio.
Os praducto* d scion achaVt* i
En Peroa-fwo, TI881T f~;-A. RECORD, i

Attencao
Antonio Feraaodet Baptista.
Deseja-e saber noticias dos Allies do finado
Aiitnnio F^rnandes Baplista, portugaez, natural
d'> lugar Rominha, freguezia de Santa Maria Mag-
dalena cm Alvaiazere, e que no anno de 1826 re-
sidia no engpnbo ou lugar Camocio.
No anno de 1861 ainJa cxistiam, ignorando-sa
n Ingar onde. E' oegocio de interesse para elles.
Quem souber e quizer ter a bondade de dar no-
ticias, pode dirigir-se a rua do Imperador n. 45,
!. andar, on a Luiz Jose B^ptista, em LisMa, raa
dos Fanqneiros m. 38 e 37._______________
Aluga-se o i* andar da easa da ma das La-
rangeiras n. 13 : a tratar na ma do Marquez de
Olinda, casa n. 1, segundo andar.
Offerece so um moc/> portuguez para feitor
de pngmho, pou tem ba?tan!? pratica: a tntar na
rua Direita d, 69, padaria.
NOVAS PUBLICAGQES MUSiCAES.
A. J. l'.4zcvedoUna \o a n. 11.
Acabam de publicar-so, e acham-se a
venda as seguintts musicas :
PIANO SO'.
Danse espashola, porAscher 25000
Arabella, mazurka, por G. Wer-
theimer 15300
Vaisa do Fausto, por Croyzes 1JW00
Sonho de uma virgem, por Alber-
tazzi 1^000
Anna la Prie, cavatina 15?000
AoClair de la Lune, por Bussmeyer lffSOO
Cricket, por Seixas, offerecida aos
chrickcts club pemambucano o
bahiano 19000
PIANO E CANTO.
Desf.9Pero, muito Undo romance
por I, Smoltz 2*000
Non m'amava, romance por Guercia 19000
Tambem rccebeu da Europa grande sor-
menide musica para piano, piano e
antoudos, methodos, etc. etc.
Joaquim Jose Goncalves
Beltrao & Filhos
Teem para vender no seu escriptono a rua do
Commercio n. 5, o seguinte :
AGUAROENTE de cajii : caixa do 12 garrafas.
i de larania, idem idem,
ARCOS de pao para barril.
CAL de I.isboa, recenlemente chegada.
CHAI'EOS de sol, para homem e "onhora, cabo
de martin* e osso.
FK1XES do ferro, para porta.
FIO de algodao da Bahia, da fabrica do commen-
mendador Pedrozo.
LINHA de roriz.
OBRAS de palheta.
PANNO de algodao da Bahia, da fabrica do com
mendador Pedrnzo.
RETROZ de todas as qualidades, das fabricas df
Peres e Eduardo Militao.
ROLHAS proprias para botica.
SALSAPARRILHA do Para.
ELAS de cera de todos os tamanhos.
VINHO engarrafado do Porto, caixas de 12 gar-
rafas.
dito Moscate do Douro, idem idem.
dito Setubal, caixas de 1 e 2 dnzias.
da Italia engarrafado, caixas de 6 gar-
rafas,
de Collares superior, em ancoretas.
c de cajii, caixas de 12 gar afas.
- Malvasia do Douro, caixas com 12 gar-
rafas.
Carcavellos, idem idem.
ATTENCAO
Prcei*a-se alugar uma ama de meia idade, po
rem que seja preta, aue nao Unha vicios nem
achaques, e que affiance sua conducta, para com
prar e cozinhar para uma familia de 3 pessoas :
a tratar na cida te d1 Olinda, sitio do ^mparo. ca-
sa terrf a grande, com p. rtao ao lado.
Aluga-se nesta povoacSo uma boa casa, pintada
de novo, com mobilia de jacaranda na sala da
frente, quintal murado e porlao que se communi-
ca para o rio : a tratar no largo do Corpo Santo
n. 4, andar.
Aluga se uma excellcnte casa na povoacao
de Dnarte Coelho, em Olinda, com bons commo-
dos para familia; a Iratar com Jorge Tasso, rua
Amorim, n. 37.
Casa de campo
Offerece se a quem qaizer fazer os concertos
necessarios, o arrendamento por algnns annos, de
graca, da excellcnte casa sita na Porta d'Agua.
que foi do finado Dr. Joaquim Pires Cameiro M in-
teiro, passando-se escripturapara maior s'guran
ea. A loca'idade e muito salubre, e a casa muito
fresca, lem magniflco hanho de agua. doce em
frente, e e muito commndo visto que o irem passa
iefronte : quem pretender pode dirigir-sa ao Sr
Francisco Cameiro Monteiro, em Apipucos, ao
Sr. Francisco Ignacio Pinto, na raa do Bom Jesus,
ou ao Sr. Cannon, a rua do < omniercio n. 40.
0 abaixo assignndo, filho e herdeiro do major
Marcelino Jos6 Lopes, deelara quo nenhuma
transacfao, venda, ou outro qualauer couvenio
Stdera realisar se sobre o engenho d'Agua, situa-
o na comarca de fgnarassu, visto que exisle um
protesto pela preferencia inlentada pelo pat do
mesma abaixo assigoado ; e que deirais, hoje
existem herdeiros menores que nao podem Iran-
sigir em juiro, e qae pelo fallocimenlo daquelle
flcoa sustado o processo da execucio, e nada se
pode innovar na mesma sem que competentemen-
te sejana habililados todos os herdeiros como 6 de
direito.
_____________Jose Ptfipe da Silca Ijoppes,
MNDICAO DD BOWMAN
RUA BO BRUM N, 52
(jT^Ssan'ilu o chaiHiiz)
PEDEM AOS fcenbores de eogt-nho e ontros agnculiona, e emprtK''^ '' d* ml
jmismo o favor de etna visits a sea est^belectmtnl.), pm verem o aovo .'Oitlrncntoj
cmiileti que abi lem; sejdo tuda soptrior cm qaalidade e fortidao; o qne c-io ins t
**C5o pesf ^I pude t< vorificar.
ESPECIAL ATTENCAO AO NUMERO E LuGAR 5E SUA FUNDICAO
/nnnroit A rnHoa A'acrna dos mais mo'ernos systemas e em ta
puiO W ruu U ttgUtt maubos convenientes para as dhersas
ircamsUDcias dot senboraa proprietarioa e para descaro^ar slgodio.
%[06I1(1&8 dfl OaHTlA de.,od08 8 taman008> as^melbores qae jqm
SLodas dentadas para aD'!mae8'lgaa e 'apor-
raixas e ferro fandido, batido e de eobre.
ilambiques 9 fdndos de alambiqnes.
ttachinismos
Bombas
y*jrs.c,~
V*
para mandiocs e algodao,! Podendo todos
t pan eemr madeira. Tser movidos a mfo
| por agaa, vapor,
de patenie, garantidas........ fon animaes.
rodas as machinas e pe?"dfl qDe M C08tnma preci9,T-
tnoi r.-suasido.
Faa qualquer concerto de m,cbiuinD0' apf
Formas de ferro
Sncommendas.
tem as melbores e mais baratas exlstentes no mer-
cado.
Incnmbe-se de mandar vir qnalqner macbinismo i von-
tade dos-clientes, lembrando-lnes a vantagem de fazerem
on compras por intermedio de pessoa enteodida, e qae em qnalqner necf ssidade p6de
3s prestar anxilio.
Iradcs americanos e m,^mmt w1"-
RUA DO BRUM N. 52
PASSANPO O CHAFARIZ
FUNDICAO DE FERRO
.3
V rua do Bardo do Triiimpho (rna do Brunt) ns. iOOa 104
CARDOSO & IRMAO
KECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e machinas para cn-
genhos, as mais modernas e melhorobra que tem vindo ao mercSdo.
V^apOreS de forca de 4, 6, 8e 10 cavallos.
L&luCira.S ,je sobresaleute para vapores.
MOGIlS llltGirftS e meias moendas, obra como ,iunca aqai veio.
laixas IUnclluaS e batidas, dos melbores fabricantes.
EvOdaS Q aglia com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
KOdaS ClGntadaS de todos os tamanhos e qualidades.
Rel0gi0S e apitOS para vapores.
.DOIllDaS de ferro, de repucho.
AradOS de diversas qualidades.
FormaS para aSSUCar grandes e pequenas.
CoilCGrtOS concertam com promptidao qualquer obra ou machine., para o que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EnCOITimGIldaS man<^arn v'r Por encommenda da Europa, qualquer maehinismo,
para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londres
e com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
Htas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
RuadoBarao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDICAO DE CARDOSO & IRMAO.
a___
Fugio, ao araanhecer do dia 16 de outubro
do corrente anno, do enyenho Paraizo, do termo .
do Rio Formoso, o mulato Cyrilo, de idade de 23 a
24 annos, escravo do padre Miguel Peres vedo Falcao.
0 referido mulato e de cstatara regular, cor
roxa, cabellos pretos, u5o soltos prem nao muito
pegados, com estrada de libordade, ja tem baco
de barba e pouca baiba no qaeixo inferior, e bem i
parecido. sabe ie"r, porom escreve real, o muito fal- j
iante, bom montador em burro?, trabalha de oleiro
em foi mas e e canhoto.
Ao amanhecer do dia 9 do corrente (novembro)
fugio do mesmo padre o escravo Tliemotheo, criou-
lo, idade 26 annos, estatura regular, bem prelo,
Sonca barba, denies limados : ha prababilidade
e qae fugissem para a capital com o intento de
assentar praca. Quem os apprehender sera b> m
recompensado, e os podera entregar ao Sr. major
Jose Antonio de Brito Bastos, no engenho do Meio
da Matriz da Varzea ; e sendo preso em outro la-1
gar fora da capital ou seus suburbius. scjam con-
loadofl para o refet ido engenho Paraizo, que se I
recompensara bem, d vendo ser conduzidos com ,
toda a caulela, porque sao muito arlilosos, maxi-
me o mulato.____________________
Monhard Moitler & C, adminislaadores da
mas-a fallida de Mendes & Carvalho, estabelecidos
que foram.com loja de fazendas a rua da Impe-
ratriz n. 46. rogam aos senh.tres que se acham
a dt-ver a refenda mas.-a, queiram vir quanto
antes -alilar seus debitos a rua do Marquez de
Olinda n. 36, poupando assim aos annnnciantes o
desgosto de recorrer a outros meios.
Recife 17 de novembro de 1873.
Halrinila d<>$ cavallos.
Acham so a venda em todas as livrarias map-
pas impressos ?ara matricula dos cavallos con-
forme determina a lei provincial de 17 de iunho
de 1873._________________________________^
Alaga se uma escrava para casa de pouca
familia, sabe cozinhar e ensaboar roupa : a Tatar
na rua do Marquez de Olinda n. 1, 2* andar.
~ Aluga-se a casa n. 01 a rua dos Martyrios:
a tratar na raa Direita n. 8.
Na rua da Msdre de Qeus n. 3, botica in-
gleza, precisa-se de ama ama para lodo o servi-
co para pequena familia.____________________
' Os abaixo assignados, .idministradores da
massa fallida de Mendes & Carvalho, rogam aos
credores da mesma queiram vir apresentar seas
crciitos a rua do Marquez de Olinda n 36, atim
de proc^er se a respectiva classificacio, devendo
apres' nta-los dontro de oito dias, a :ontar desla
data.
Recife, 17 de novembro de 1873.
______________________Monhard Meliler & C.
Precisa se de dm eozinheiro: na rua da
Aurora n. 39,
Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria n. 30, [jreeiKMt
ailar aos Srs. Pedro do Rego Chaves PpitofcJ e
o?e Paes daSilva, a negocio de particular inte-
nse.
Criadfl e cngoiiiiiiadeira
No collegia da Conceicao pr^cisa-^e de am cria-
so ede uma engommadeira perita.
Preeisa-se de uma casa m ibiliada com todos
os arranjos de casa, para am pstrangeiro sem fa-
milia : que a liver, pode dirigir-se para tratar,
a loja do Sr. Grandin, relojoeiro, a rua do Mar-
qnz de Olinda. W
- A:uga-se um escravo pedreiro -:,.\a rjail [UOf
obra : a tratar na rua do Hospicio a. 61, 1- an-
dar.
5 AnsritoA) irodico-i'ir!ir>i* :) &
% 1>E
% A. B. da Silva Maid, ft
ff\ Rua do Visconde de Albwjrierqae t\. fl
f( lrroutr"or3 rna da matriz da BotuVfati Jf
d p. ft, S-
if Charaadoi : % quaiquer hora.
V Consalus: Aos pobres gratii, das: 2 as
Jf horas da tarde.
tVVl).WVI lSS3i?e* I
Joaquim Josg Grongalvcs
Beltrao & Filho.
Etna do Commereio n. 6, 1.* andar
Sacca por todos os paquetes sobre o banco
"o Minbo, era Braga, e sobre os sognnte*
gares de Tortugal:
Amarante.
Arco de Val de Vea.
Baroellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
Covilha.
Faro.
Guarda.
Guimaraes.
Lamego..
Lisboa.
Mirandella.
MontjSo.
Ponte do Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna do C*Jte!lo.
Villa do Conde.
Villa Nova de FamalicAo
Villa Nova do Portimao
Villa Real.
Vizeu.
Valen^a.
Figueira.
Aveiro.
Agueda.
Caminha.
Evora.
Oiiveira de Azemeis.
Penafiel.
MOFINA
Esta encoura^ado I!
Roga-se ao film. Sr. Ignacio Vieira de Mello
escrivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir a raa Duque de Caxias n. 36, a con-
cluir acmelle negocio que S-S.se compromettea a
realisar, pela terceira cbamada deste jornal, em
flna de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passon a fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
e por esie motivo e de novo chamado para dito
am, pois S. S. se deve lembrar qpe este negocio e
)e mais de oito annos, e qaando o Sr. sea filho se
acbava nesta eidade.
AVISO.
Moraes k Motta. propiietanos do armazem Fi-
d'lidade, 4 rua do Imperador n. 14. convidara
pelo pre*enta aos seus ievedorea que tem deliitoa
antigos na mesma casa, de virem sa da los ate o
lim do corrente anno, wnos de qne se a?xim o
o3o fizerem, obrigam nos a proceder a ccbrjnca
judicialmente, sem excepcao de pessoas.
Recife, 19 de novembro da 1873
(jasas para alugar para a fes
ta ou por anno
Um sobrado no Poco da Panella, na rua do Rio
n.6', com 4Silas, 5 quartos, saeu, cozinha f6ra e
quintal murado.
Uma boa casa term nova com cocheira, ostrf-
baria pequeno sitio, a margera do rio, n. 35 da
me>ma rua.
Uma casa pequena. porem com boos eommodos
na trivessa da i.rua das Almas ao pe da casa ver-
melha u. 1 Todas a .tratar com o commendadoj
Tasso.
32 Sal
PENHORESi
X;i Iniv^ssn J-.i. rim
ilusCnizcs n. 2, pj> 1
uioiro andar, da-sc
dinhciro sobre pe-
nhorGS de ouro, pra-
ta g brilhantGS, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepGdras.
WMtk
m
I
- Alaga-so o segundo andar do sobrado a rua
do Barao da Viet' na n. 31, com commados para
familia : a tratar na loja do roe-mo.____________
Escravo fugido
300*000 dc gratificacao
Au.~entou-se desde o dia 13 de mail de 1872 o
pre to de nome Alfredo, represent:* ter de 3 i a 40
annos de idade, t perfeito eozinheiro, alto bastante,
6 bem magro, pouca barba, olhos grande4, e muito
ladino, con^ta que lem p'ai no engenho do Sr. Lulu
de Caiara. em S. Lourcnco da Malta. Este preto
foi eozinheiro dos negociantes Adriano 4 <'.3stro e
Sr. Jose Joaquim Goncalves Bastos, e jnlga-se
quo esteja alugado em algum hotel Ml casa parti-
cular nesta cidade, cimo forro : pede-se a todas
as autoridades e capitals de camp), ine o deaeo-
brindo.o tragam a rua Dnquedo Caxiaa n. 91, loja
de miudezas do rival stm segundo, 'jue seras gra-
tificados com a quantia aciina.
Antonio Domingo* Pinto, uuoiendo resumir
o seu negocio dc mobilia, tem resolvidij fazer um
jbatimeuto de 25 por cento nos pre.'03 de aa.<
mobilias, as 4uaes sao : ricas m>bilias de jaca-
randa a Luiz Xv, fabricadas cm Franca, ditas de
nogueira c de anable, guarias-roupa de jacaran-
da de nmgno c de r.nable com e-pelM, ric.s
guardas vustidos de amarello, ricos quardas lou-
ca, toilletles dc jacar.mla e de mogno, aparndor s
ae mogno com tampo de pedra, ditos de amarello
com armario, mesas elastica- para jantar. dit s
do mr.gno com abas para almovo, mesinbas de
mogno para costura, e uma inMnidade de objec-
tos que seria enfadonho mencionar ; tem tm
rande sortimento do eadeiras de muitas qualida-
es : a rua do Barao da Victoria n. 37 e 38.
No becco do Padre n. i8. precisa-?e de am
criado livre ou escravo, ie li ou 16 annos de
dade.
Aluga se um cNceilentc sotiradinho :om bolas
de vidro, na rna de S. Pedro Novo n... ;om eom-
modos para grande familia, o mclhor lugar para
quem qnizer fr^er tiso dos batihos salgados: a
tratar na praca dojCorpo Santo n. t7,1" andar.
Xa rna do BarP.o da Victoria n. io precisa-se
faliar ao Sr vigario Andre Curcino de Araujo Pe-
reira, a negocio de seu inleresse.
0 0
0 Consultorio homcopa- 0
# thico 0
# po Dr. Santos Mello &
jpk 41-------Rna do Impcralor-------il &
2 Consalus todos os dias das 11 a 1 da X
A tarde. W
0 Gratis aos pobres. M
Residencia a rua Sova n. 7, -*gunaO ?K
9 andar, onde da consultas das *> as 9 da jfii manba c das 3 as 3 da tarde, >gi
S Chamados a qualquer hora. f
A Franc-Maconarin e a
Rewlucao.
Pelo padre Gautrelet da C. de J li'd. poio Conde
dc Samodaes.
Obra dedi ada ao Bispo de Pernaiubuco.
1 vol. br. oh. 25000.
Na Livraria Franoea. ______
CASA DO OURO
Aos 4:00034100
Bilhetes garantidos
Mia do flardo da Victoria (outr'ora Nova
n. 03, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender n-w seu:i
nnito felizes bilhetis a sorte de "OOfooO em
dous meios de n. 387, alem de outras sortes me-
nores de 40*000 e 20*000 da loteria que se aca-
bou de extr.ihir (73* ; e convida aos possuidores
a virem receber, que promptamente serai pagos
na forma do costume.
0 mesmo abaixo iissignado convida ao respeita-
vel publico para vir ao sea eslabelecimento com
prar os muito felizes bilhete-s.que nao deixarao de
tirar qualquer remio, como prova pelos mesmc j
annuncios.
Acbam se a venda os muito felies bilhetes ga-
"antidOe da 1* parte da loteria a beneficio da
matriz de Tejucupapo, que se extrahira no dia 27
do corrente mez. "
Preyos
Inteiro 4<00
Veio 2*000
lie IOOsOOO para cliua.
Inteiro 3*500
Veio 1*730
Recife, 21 do ii tvombro de 1873.
_____________Joao Joaquim da Costa ltU\
.Precisa se de uma mulher de roaior idade,
qne affiance sna conducta para, ocenpar-se com
a edac.ar.ao a* uma riau a d 4 annos de idade,
send* prefemel pTtugu.-za : quem inleressar di-
rija-se a rua dos Guararapes n. 96.
Coiisullnrio medico
i
DO
Dr. Murillo.
' RUA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR.
V Recem-chegailo da Eurepa, onde fre-
\J quentou os hospitaes de Paris e Londn
O pode ser (imeurado a qnalqner hora do
*j dia ou da noute .para objecta de sua pro-
_n fissao.
~F\ Consultas do meio dia as daas hon^
jK> da tarde.
^ Gratis aos pobres.
Btptetoiid d>s.=Molestiij da pelle, de
rff crianca e de mulher.
J Kmprega no tratamento das molestif -
C de -ua especialidade as duchas fria$ e
^r banhs a rop-ir, para os (fuaes troux*
r os apparelhos mais modernamente en -
# pregados na l'ur>q>a.
)t Tainbem applica com grande proveit
* no traiaRicriio da molestias do alern
ft el*ctricidailf, pelo processo do Dr. Tro-
0 pier. Cora p,r um processo inteiraroente
J novo as hPnnorrhagias e sobre tudo ;i
^ (gotu unlit r) Jispensando asinjeccoos.
^,X*VHXVX> iXXXHXVl>lg
llicsouro hoiiK-opatbleo on VaHw,.
iiK-cmii do HmnropatlM, pelo Dr. h+-
Who 0. L. Pinbo, 3* etficao accrescn|ada ni*-
Ihorada.
Pcrjurnn ffuia homeopathic*, ^nirn-
do as indica. den necessarias t ara o em rego
dos principals r> medkM homeopalhicos
DcfMTipyao e tratamento das te
cxonthcniaticas (bexiga, sajramp>
rarlatina), acoinpaa ado de um arliga -
erysitM-la. etc
DeKcripeao, hysjiene e tratejaarnto
da fehrc aaiarrlla.
i
i
|
k


8
Oratfc 4e fterfiammico Terea feira-25 de Novembro ste ietS.

1
Boa casa para a festa.
e uma excellenic casa no MoDteiro, tra-
\'-to, a qual se acha em nurito bom es-
a tratar na ma Primeiro de
i. aju^-a do r.mpo a. %) A, loja do Gurgel
B'T.'il (Jj. C
Carros de luxo.
E' in instil .navel que a cocheira da ma do Bom
Jesus n. 13, de .'oaquim Paes Poreira da Silva, e a
quo Join a." m-lmres berlindas, calecas, meias ca
tejas a victorias de luxo, proprias para qnalquer
noivado, vixtas de etiqueta, bailes c actos da aea-
aeuna, ssudo 03 mesraos ajaezados da excellent^
.par.-Hn-; S.-animae*, arreios luxnosos e boleeiros
eoovtda a,, pnblico a vir por si mesmo scientifi
car-se da verdade do que deixamos dito, certos de
qne nao ;< mtrario pomada, c sim reatidade e
commodo-; pivcos.
Spais de familia e ao pu-
blico era geral.
Precisa-se de urn' criado
para fazercompras e recados
e para outros misteres de ca-
sa : na ma do Capibaribe nu-
mero 40.
CMADi)
Precisa-se ileaii criade, que seja bom copeiro
c asseiado : noa rua da Uniao n 17.
- Aluga se o segundo
do Imperador n. 50
andar da casa da rua
L'ma
pess-ia compr-tentemente habilitada pels
inslrutc .o puhlica desta provmcia < residente era
a ra-a it. t*. no largo da Soledade, incumbc-se de
pr.-parar a qiwlqaer pesso::, sem d.stinccAo de
sex^para a? fancies do magisterio. empregos
POMir..s e i|!iacsqaer outros rargos dependrnt-s
de e.inci!r-.\ com tola solicitude, esmero e inte
rese; alnn do eonseguir n progresso o aprovei
umentu it.' sens alumnos e alumna?. 0 preten-
dome node dirigir se ao lugar e casa 'upra men
-lonada das 3 ate as 6 horas da tarde, que acha-
ra com git, m tratar.
Escravo fiigiik
1001000 de gratificaeao
Dftsapji.-.r.'ceu de novo, de borJo da barca bra-
ra S. Josi, o escravo Joaquim, preto de na-
Bio, o qual auda bem vestido e cal-;ade, deixan-
4o crascer oa cabellos a modo de meia cabellcira.
Rs-e ewavo pertenccu ao fallecido Dr. Olym
i ''arcs!I :.> da Silva, ijue o havia comprado na
provinoia df Mmas fern S. Joao d'EI rei ou Onro-
Pret i), e com elie segoio para o P.io de Janeiro e
J'alli para eH p-ovincia, doode foi para Wacelo,
tended ventido alii a Justino Epaminondas Ne-
ves, a .!,. n ii compraram os abaixo essrgnados.
Sabn cozinliar, occupacao a quo estava dedicado,
e omhf o se peh falla que 6 afncano.
OUtTT" > a gratificaeao acima a qnem o ap-
n lor i n.ga-se a todas as autoridades a sua
"apfftfa.
Recife, G de outulro de 1873
___ Jose" da Silva Loyo & Filhn.
J\ri\ll\NilV.
Tem pare, vepd.-r Joaquim. Jose Goncalves Be-I
a o Filho : a iratar no sea escriptorio a rua
do Comroercio n, 5.
CAZA DA F0RTUNA
RDA 1. DE MARCO (OUTR*ORA DO CRF.SPO) KU-
MERO 23
O abaixo assignado tendo vendido nos seas fe-
lizes bilhetes da loteria do Rio n.* 481 a sortexie
4:OUO*, convida aos sens possnidores awem Te
ceber na forma do costume.
Manuel Martins Ftuza.
A pessoa que annunciou precisar de 5 premio sob hypotheca em bens de rai/., apparecaa
rua do Hospicio n. 25, das & horas da Urde em
diante
Carlos Pinto de Lemos, administrador da
ma-sa fallida de loaqaim ^ilverio de Soura 4 d,
roga aos devedores da referida nussa, queirafn
quanto antes saldar seus debitos a rua do Mar-
quez deOliida n. I, sob pena de recorrerse aos
mejos judiciaes. Recife, 21 de de uovembro de
1873.
rir-
Sscravo fngido
.ru :.o amanhecer do dia 4 do cor-
Attencao.
Na rua estreita do Rosario preparam-se ban-
deijas com Ixdinhos Qnos de todas as qualidades,
com bouquets, muito bemornadas, tado comas-
seio e presteza, c por baaalo preco, para casaiueo-
tos c bailes ; bordam se fitas a ouro e preparam-
se bouquets de cravos naturacs com fitas borda-
das a ouro, por barato prego, sendo a encormnen
da feita seis dias antes. Na mesma casa prepa-
ram-se, como semprc, bouquets, capeilas, diade-
mas, coroas de ouro e de louro para oa utflnentes
de'presepes, tudo de muito gosto e barate; findos
boniueu artifteiaes de dhalias, rosas,.oravas, de
(lores decera, do panno e pa pel para ottertas as
pastoras, para o theatro, etc., tudo se acliara sem-
pre pron.pto. e por prec/. commodo.
Leques, luvas e sahidas de
bailes.
Ama'ai, Nabuco & C. receberam urn completo
sortimento de leiues do madeira mnuTco con-
ro da Russia, inarfim, madr-'iierola de liver-as
cores e tanaruga, luvas do pellica fr^sra, e peavx
de nM, e cahida? de bailes on capas de casemi-
r para pres.-rvar quaesqucr incommodos nas sa-
hidas de reuniSes : vend em no Ba?ar Victoria, a
rna do Barao d i Victoria n. 2.
Aroar.il, Nabuco 4 C. vendem magnificas
colchas de seda, liuissimas aberturas de eam-
braia de linlio bordadas. para camisas de senlio-
ras, e meias de algodao. Go de Escocia e de seda,
para homens, senlioras, meninos e meninas: no
Bazar Victoria. a rua do Barao da Victoria n. 2.
LiQUIDACAO
DA
nou i in ii- ou ir.cncs, boa figura, nrn tanto grosso
<-: daod-., sendo o signal mai; visivel uma
i? y pc esquerdo : rogasc a todas
isautoni] d c capilaes do campo quciram ap-
pretie lii-i escravo e leva lo ao referido en-
genho. mi n --la praca a Ofiveira Filhos & C, lar-
go do O.rpo Saulo n. \ rprontpensmliM.
' n ivcmlTo do IS'.'!.
Irroiiiarfio vend*
se urn vnsto e bollo lerreno A
iln rin. no-; fiinlos da novoarao do
bbbftiiw, nijls tift. i visto pel a maior parte
bado ns m.iitos quo cobriam dito torrono, o
qol consta dc tirna graulo planicio, pro-
pria para edffica^io, a diaUneifoe 3 minn
aalltnM ('Si.'if-.' .! via f.-rr.'a. a^n-
1 ii .livtiil.. on rtias, com approvacao
i dc rtlii la
(Jr.-.:) prrten ler po* i,. ir ver que em du-
ird agrad!o, entcnder-Sp com o
"-' i 'I "iuri. Mi loiros Zumhu,, en-
carrpgudo. ou c >m o proprietorio, 'ja&to A
!.i dita i.
Ao publico e ao commercio
O abaixo assignado tendo comprado &
Diniz Alves Pereira a parte qua tinha na ta-
verna n. 8, a travessa dos Martyrios, desta
cidado do Recife, ficando unicaroente a de-
ver duas letras a veneer, arabas da quantia
de cento e vinte mil oitoccntos setenta e dous
rs. declara que nesta >lata celeu a parte que
havia comprado ao mesmo Sr. Diniz a Can-
dido Jose da Cunba, .nano daquelle, fican lo
o mesmo Sr. CanoidO obngadu ao pagamen-
to das duas lolra- a veneer, 0 a tpdo passivo
da casa, por Hie perlencer todo o activo, o
o abaixo assignado desonerado de todas as
transacrocs, nao te sojeitandoaoscasos for-
tuitos, solitosoji insolitos, cogitados ou nfio
cogitados.
Recife, -2'i <*e novembr.^ de 18*3. *
Fro n cisco AI vts Ho reira.
Para caiweiros.
Aluga-se um terreno murado, na rua da Sau-
dade, que tem com palmos de frente e 300 de
fundo, com pequena casa e telheiro para anl
maes, proprio para plantacoes : a tratar a rua
Priipeiro de Marco n. 23, loja.
nOf^PRAS
FundifSo da Aurora
Grande sortimento de:
Moendas de todas as qualida-
des e tamanhos.
Tachas fundidas e batidas,
idem.
Rodas dentadas e angularesr
idem idem.
Machinismo, idem.
Varandas, gradeamentos pa-
ra jardim, eter etc.
Tudo se vende por pre^os
muito em conta para aea-
bar.
ff.'B.
G. Starr &C, em liquida-
eao, na fundigao da Aurora,
em Santo Amaro.
LINHAS
DE
BAZ4R II
Rua do Barao da \irtoria d. 22.
DE
Cariiciro Vianoa.
Compra-se
KVBillOA OE UIGARROS
AH OE ilCTHEBBy
uma oserava que spja cozinheira e de boa eondac-
ta : na prara do Corpo Santo n. 17, I.' adar.
1 Trastes* f
p
"tin lc Janeiro
. ustando ao abaixo assignado, unico ;penic
pmvii -i .. da imperial lahrira dc cigarros
I .ItcHieroy, no Rio le Janeiro, que
inercalo cigarros que s5o vindos eono
i lit; ti : imilando para i~so a
:ii pie vem Mies en-voltes, apressa-aea
to i-ii -. ".> froguczes qne os nnicos e
rigarrcs d' do dita fabrlca
I 3o= Sr*. Francisco
dc vra-'tj '' Sonz Cordeiro Si-
Paria A Filhos, unicoa do^ositos do
ri Retifc,22 de Bovembro do 187;<.
Domingos Alves MaflieoA
S1 iiiiiel da Silva Paria &C, a rua do Vjgario
, idm :;(:.] I ;:v: ,1a massa fallida de Ignacio
' s 'a d,i Silva, convidam aos i redores da mesma
i -a para qiw r praio da oil i dias, cintados da
l si.-, presentena seas litnlos, alim de rierem
-',.: iticadoj. Recife, 20 demvem-
iiroda !":.
%
Compra se c vende-sc trastes nevos
e usados no armazem da rua do !m-
peradc-r n. 48.
&@
&.
%
Compra-se
um sitlo noi arrabaldes desta cidade. ondi^ pas %,
4nha de binds : a tratar na rua do [mperador sq'
il, armazem.__________________L_______
Compra se uma eserava boa eag^mmadei-
ra : na rua dc Santo Amaro n. i, aimazcm de
molhadus. se dira .ju.-m precisa.
\iuga-so
rimeiro audar do sobra-toda run dj Duque de
s ii. ii, proprio para eseriptorio, ou -apaj
ire : a iraff.r R | ': i.
mu$
UOD
GERAL
A,,,
O .Sr. Joaju:m Clen nle de '.-;.- s Hna, ;<: tehita
lade d'- vir rumaqdar i ma do llesdnel
ina n 23i a BdgociOfde seu intercssc.
_


Kfam*t* uma'casa tcrrca n:i rna dc Vidardo
-v^r.iroi ,i. IT", antiga rua Imperial, com baa*
tante' n)ni;:iodn> : a tratar na rua do Marqucz de
dinda, anna tem p. 59-.____________________
Trai^ferencia
quor, lnt!tes>airi)OJsa, que nef.a data ttnsf..>-
-ri i para a rua Bella, loja do ?otrado
^v rES^onratTAS medicfxaes
*&: PKI.0 BACH ABEL
0 Mansel de Siqueira
'0, 'avatcanti.
>jv. I3 o Prcsprvalivo da erj -
V?/ s:y pla :. ,4iara curac com earteza, o
*k en. pmi"' (empti, qualquer ataqno-de.
i? ens pe'a, e prevenir o son reapparc
*? i-y.'..-- mcdicamciuto tarabem SnraiW
a j : ira 6 rlicum-itismo.
2 ;> Kepuhtdiw 1a meAs
truiieao : pan falla irregujanda"-
d f.i .prc-sa i repentina di nie'-slrua-
- focliii.-, as-;:.. Par*_.
'rltmnln.' v1W}tt',1
Ki\\\h>? <:.l.~s Tiedivaweatos ^j
(K^tfflibHteitnado?, r.rr.r-um- <&
i\ provincin. e m r3o Rio 6i> _jO
L'M'a *i--rri? fl.-< V.i as ? dn
N. 2i BUA (JARAO DA VICTOKIA N. Vi
Ond'.- tern a handeira encarnada com r.i Ifi'.'.r.^s
Liquidacao
Junto a loja do Carneiro
Vianna.
Um rice sortimento dc mobilias geno-veias, ditas
do Vienna d'Austria, cadeiras avnlsas para saia
de janlar, ditas para jardins, ditas ile'bslan^o.de
vimc, ditas espreguicadeiras, ditas proprias par*
fumarse, mesinhas para quartos, espalhos, carna*
de ferre ,iara homens e cnancas, faqueiros para
mesa tatnpas para cobrir pratos, guarda?-comida,
objectos de m-tal, clo-tr' Silver Plato, estojos com
plctos para homens e senhoras e urtiaiirica-'serafina
(instrumento musical) ; e outros muitos artigos
que com a prcseoca dos visilante3 bem se devrti
sortir de tu Jo, por ser muito barato tudo o que se
acha exposl i i venda : rua d i Barao da VictorU
n. 21, bandeira encarnada.
Vende-se
A tvac-rna da rna da Penha n. <5, feem afregne-
j.ada tanto para a terra coroo para o mate; a trata'
na rttesma.

GiKTra AOS POHRES
iiperatriz n. li,'2 andar.
Vende-se
Uma casa terrea'na rna de S. Mignei n. fit, por
commodo preco : a tratar na rua do -taperador
D. to.
(iaifiinriiirs c punhos
Amaral A'abnco& C", v^udein camiiinhas e pu-
nhos para senhoras,'branCos-do.algodao, de linho
bordados e de cores;' no 'Bs'.ar^VretSrHa rua do
Barao Vleto ia n. 2.
Cosmitraflias.
Amarai Nabuco & C, vend em 'w nraHccmmot
dos cosmoratnas i*Hm vista* sciua'fiirtde^tlovaaj
no Bazar Victoria, rua do Harao dajjctpfU n. f.
X' run df> Calm^a u. 1 A.
0* proprietaries da I'redilecta, no intnito de
conservar o bum conceit.) que teem-merecidb do
respeitavel publico, ditSn$uindo o sen estabeleci-
mento dos mais que negociam no mesmo genf rr>,
vcem s'"ientificar a' seuw bons fregaeies que pre-
veniram aos seus corresjondentes na* diversas par-
cas d'Europa para Ihes eaviarem por todos os pa
quetes os objectt de taxo e bom gssto, qoe se-
jam mais bem aceitos pelas sociedades elegantes
daquelles paiies, visto aproximar se tempo de
fe.-larem quo o hello sexo desta linda Veneia
mais ostenta a riqueza de suas loillettes ; e co-
mo ja-recebosaem pelo paquete fraocei diversos
artigos da ultima moda, veem patentear alguas
d'entre elks .que so tornare mais reeoramendaveis,
e.-perando do respeitavel publico a eostumada
concurreacia.
Adereces de t2rtaruga oy mais lindos que teers
vindo ao mercado.
Aibuns com rieas capas de madreperola e d&
veliudo, sendo dWersos taraantios e baeatos prc-
cos.
Adereeos completos de borracha pr. prios para
Jato, UQittecn sc vendem mcios aderecos muito bo-
nitos. r
Boi5& de Mli'i. prcto e da eurts para erna(o de
vesidos de set.li.ra ; tamfcein tem para eollSe c
paliUt.
Bolsas para scafeoras, exirte um bel!> svrtit len-
to de sotla, de paHia, do chsgrim. etc sic, por
barato preco.
Baoecas dc todos os tamanhos-, tanto de louca
coroo decCra, do-borracha e dc massa.; fhama-
mos a attencao das Exmas. Sras. para aste artigo.
pois as vezes torBam->e as orianca*-nm aouco im-
pertiaentcs p :r lalia dc um obieelo (jae as en-
tretonham.
Camisas do Rnho lisas o com peitos. bnrdados-
para homem, vwdemse par preco commodo.
Ceruulat At 'tnlio c de aSgoduo, de dtvenos pre-
cos.
Caixiohas cen mnsica, o que ha do- hwiis lindc
com disticos a.".s lampas e proprios para prescr.-
tes.
Coques os amis modoracs. e, do dbersos forma-
tes, i
Chapeospmrasenhora Jteceberam ihb sortiraeato
da ultima nvjda, tanto aara senhora, eomo para
meninas.
Capetlas simples c com veo para aorvas.
Oalfas boritadas imn .meniflas.
Entremeios estampad^s c fcordados, de liados
desenhos.
E*cova electricas para dentes, tem a proprio-
dade de eyitar a cariedo^ denies.
Franjas do seda pretas e de o'xes, exi.-tc am
grande sortimeulo do diverf^.s la*guras o barato
preco.
Fitas dc sarja, do gorguiao, dc selim o de cha-
malole, de diversas larguras o boaitas cores.
I'aehas de porgrjSo muito lindas.
Flocea ariiliuiars. A PrcddecU prima ea con-
servar sempre um bello e grande sortimeato des-
ta* do es, nao b4 para rnf liic dos c^belios, como
tamliera para ornato do vestido de noivas.
Galoes de algodao, de la c de seda, braacts, pre-
tos e de diversas- cores.
Gravatas do seda para homem c senhoras.
Iiacos do ejmbraia c d,? seda do diversas cores.
paraenhora.
Lrgas de seda de cortp o braneas bardadas-para
Boiva.
.iLivros i para on vir missa, com cajas de maikc-
perola, inaxfun, os-o e-veliudo, tudo quo bit de
bom,
Pentes de tai tavuga c marfim para alisar es ca-
bel os ; teem i.itnhem para tirar easpa*.
Port bouqu>:L Um bello sortimento de madre-
perola, mariiir.. ubso o doarados pur barato preco.
Perfaraariiis. Noste aetlgo e-Ja a Predileela bem
iirovida, nao sj cm eittractc*, coniu era oleos e
laahasios nwlhores odores, dos mais afamados
fatricentes, J. mbin, Piver, Siciedade Hygienica,
Coudray, Gosuol c Bimel ; sao indispoesaveis para
a festa.
.'Saias bordadas para senhora, por commode
preco.
Sapatinhos de !a e dasetim bordados .para bap-
tsades.
Tapetes.Recebeu a t'redilecla um-bonito snrti-
ehto de divf rsos tamanhos, tanto para sofa co-
mo para entrada do salas.
Vestimentas para, baptisado o que ha de melhor
gosto e os mais mudernos-. recebeu- a Predilecta c
vende por barato |rf,:r>, para Bear ao atcance dc
rualquerbetsa.
Rua do'Cabnga n. 1
Machinas a vapor.
Machinas ilo ilcscflrngar algoJSo.
Macbinas dc cortar fumo.
Arailosmericar.ns.
Cofres drt ferro de varios tamanhos
Prensas para copiar cartas.
RSTROZEDE ALGO-
DAO
DE
TODAS
As
CORHS
iWLSAS
E
Accessftrios
*RA
atHU-QUER
PMITF
OA
Machinal
\

Com as fakificagoes ^ue tem appaxecido
CO
dt
X
o
A' esto grande estabelecimento tem che-
ga'do urn bom 9oitimcnto de machinw para
costura, de todos os autores mais acredita-
dos ultirnarnerrtena Europa, cujas maehinas
sao garantidas por am anno, o tendo um
perfeito artista para errsiqar as mesmas, em
qualquer- parttr-deati cidsde, como bem as-
sim eoncerta-fes polb tenjpo-fanibem d'um
anno sem despeiMio algum do comprador.
Nesto estat>elecime>ito t ml*m ha pt-rten^as
para as mesmas machinas e se suppre quri>-
quer pe?a quo seja aecessario. Estas ma-
chinas- trabalham eo toda a perieiYao de
um e dous pospontos, franre e borda toda
qualquer costura por ftna qae seja, sens
pre^oss8o da segtiinteqsialidade : pra tra-1 g
balhar a mdo de 30900O, 40^*0f. ojpOOO o
e 50JJOOO, para trabalhar com a p6 3ao de ,OQ
803000, 903POOO, 109&000, IfOJJOOO,
120000, 1309000, 15O9000, 90,5*000 t
2S09000, emquanto aos autoics neo ha b1-
terar;ao de preeps. e os compradtmw poder'iio
visitar este estabelecimento, que suito de-
verSo gostar psla variedade de iriJ^iWtOa que
ha sempro para-vender, coiao sejant: madei-
ras para viagem, malas para viager^^ cadei-
ras para salas, ditas dc babn$o, dils^'para
crian^a (alias), ditas para escolas, castariii-
ras riquissimas, para senhora, despensavfcis
para criancas, de todas as qualidades, camas;
de ferro para hnmem o criancas, capsehos,
espelhos dourados-para sala, grandesepe-
quencs, apparelhos de metal para chij fa-
queiros com cabode metal e de mcrfim,
ditos stoIsos, colheres de metal fini), eotidiei-
ros pa?a saja, jarros, guarda-comidas de
arame, tarapas para- cobrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatorios completos, ditos
simples, objectos pera toiletto, e outros mui-
tos artigos que muito devemagradar a lottos
que visitarem este grande estabelecioento
que se acha abertode^de as & horas da-iaa-
nhg ate as 9 horas da noute -
Rua do Barao da Victoria n.
DAS MACHINAS PARA COSTUBA
DE
SINGER
Porque?

Nenhuma ma-
china Singer 6 legi-
tima se nao levar
esta marca lixa no
bracjo da machina.

Paraevitarfalsi
fi cacoes notem-se
be m todos os detar
Ihes dfc marca.

! A dinheiro e a
A cootento das Efcmas.
razot
ilias
22.
Nat ha Hiais cabellos
braicos.
nmnm japbkza. .
S6 e anicaapprovada pelas academes de
sciencias, reconheeidn superior a toda que
tem apparecido ate hoje. Deposito pdisci-
pal a" rua da Cadeia do ReGifc, hoje Marr
qez do Olinda, n. 51, 1 andar, e em
todas as boticas. e casas de cabellai-
reiro.
-^Precisa'sc'rle(fma ama pira'casaae poiica
familia. a aatar b*too do^ mtquez de Hcrval
n. 14.
ArararSabnco'4 C.,'vrtrdh* poia,|)irato
rlrec/>, cortes I.', vftiftftWde In,, de cliagf^g'BMa >
de gao de cores, vestimenta dc? 'eJSemfiirJ'fthtio
:<' para menlns. n6,,Tr^atfda'->lto1l"n. |
rhi HoftarSrt da Victoria. "*
rtta floBarao da VIetoria.
Vrndc so na rna do Vigario nfl9 r
n-?m.ic'fta nwltior qaalidade.
heiroi do Porto.
'Vcllas 0'- 5#ra.
Vinbo &" P>rto onjarrafado em dorias.
W IJ
Dc forca de d .us a seis cavallos : a venda no
a?mazom do Joaquim Lopes Macliado A C, tra
vepsa do f'orpo Santo n. 2S.
Al^aciana
A 400 US. 0 COVADO.
Kazenda- inteiramer.Je nova a propria para a pre-
sente esla^ao, pelo baralis-imo preco do 100 rs o
covado, a loja dos arcos dc Gurgel do Amaral k.
C, a rna K* de Marco, antiga do Cre piapolao francez
a 6^500 a peca!!
Madapolao francez fino com poaco snjoaG^SO
a peca; e pecttincha na rua do Qucimado nu-
nioro 43.
Sol do Cobo Verde.
Tem para vender Joaquim Jose Goncal-
ves Beltfao & Filho, a bordo do b-iguo por-
tuguci D. Anna, fuudeado deironto do tra
piclie'Alfandega Velha : a tratar a bordo oi
no seu escriptorio & rua do Gommerci
n. 5.
m
Sao as mais baratas
S8o de dous pospontos
Sao mais simples e cftpidas
Sao duradouras
MACHINA DE SINGEB
D0U8 POSPOKTOS
Absinham
Franzem
Pregam t^an^a
Mart-am pregas
Bordam de Imlta de soda
Alcolchoan:
E pregam cordaos.
UNICA AGENUA
EM
[1
A CASA AMERICANA
45 RUA DO IMPKRA 1)0(1 l>
PECBINCHAS
>6 o n. 20
KUA DO CliESPO
BanhosemOlinda
Carriisas e calcas de fazenda dn hoa qualidadc,
proprias para os bauhts era Ollnila : na loja dos;
arcos a rua Primeiro de Marco (aotiga do Crespo)'
n.; JO A, de Para o cabello
Tonico de Jayme, contra a caspa e a calvioe
encontra se a venda no deposito central do perfu
marias arua Ouijue de Caxias n. tS
Superfinr. crome de Javmc, garauiia dos caltel-
Emcasa de_Mi^,awkes t C. ^grga^Vcsy; Ttal d0
I ,'Vande-se a armaoao e utensilios da tavernaido
'palc.-do.Terca n. il, barato, o propria para qnem
se qnizer estabdecer naquello lugar
Rua do-Bom Jesus n. 4
Cavallos andadores
Ha para" vender to cavallos vordos o com bons
andaros, vindns do sertao ..quern pretender pdde
mesma.
continua a vender muito barato para apura:
muito dinheiro.
CASSA LA
Chegoa esta fazonda,sendolindospadrdes,ev<" -
de-so pelo dimiouto preco de 2u0 rs. o covado, t
pecliincha 11 dao-se amostras.
METINS
Proprio para vestidos o que ha de mais gosto,
padroes novos, pelo preco de 400 ra. o covado, 6
pechincba I I I doa-ae amostras.
LA> E^COCEZAS
Lasinrras escoceias, padr6e3 bonitos, a 240 rs o
covado.
Ditas com listras, padroes moderoos, a 280- rs. &
covado.
Ditas la. e soda, padroes modcfoos, a 6i0 n. c
covado, e pecliincha I I I dio-se amostras. pe cAsaixentos
ALPACAS DE CORES De baptisajlos
Alpacas dc coras, padroes bonitos,' fazenda de [>e bailrs.
1*00 a 400 o covado, 6 pechiacha I I I d.-.o-se i>e soirees-
amostras. ^ i e almocos.
CRETONE Me lunches
Cretone em pecas pequenas, com bonitos pa- 0e bicknioks
uroes, pelo diminuto preco de 400 rs. o covado, ( n0 cdma.
pochincha dao-se amostras.
Cortes do casemira di cores, a SI' 00 cada nm.
Cambraia da linho de cores, a 360 rs o covadv-.
Ditas pretas para lato. a 240 rs. o eovado.
FustSo branco para ronpa do msnioos, a 560 rs.
ocovado.
Brim fardo e do cores, a 400 e 440 rs. o co-
vado.
Cobertas de chita adamascada, a 3JS00 rs.
Colchas brancas e com barra do cores, a, 3f i'-OO
e4a000.
Len;oes de bramantnva 2/000.
Ditws dc algodao, a M400-
Toalbas alcocboadas, aS6i000 a duzia.
Ditas felpndas, a 63300.a dazia.
Lencos dc cassa com barra, a 1000 a duzia
Ditos de ca.*sa abantiados, a a#0in> a dazia.
Ditos de es{miao finos, a 31300 a duzia.
Cambria lisa transparento a3*00Oci*o00 a
poca.
SCambraia Victoriaa a 3^600-
Atoalhado adamascado. a 2*000 a vara.
Dito transado, a 1*400 a vara.
FuslSeade cores,.a 1*080 o corte.
Ghalcade njirino liso, a-2*000.
Ditos eslanM>dos,ia3*580,4*floO e 4*a00.
Ditos com lisuas murto finos, a 5*800 (6*000.
Esguiio mnito fino, a-MfWft a vsra.
Brim preto tranoado, 3*000 a vara.
Btamanta. d-? algodao, a l*0O a. vara
'Dito ide linho *s 9 e W palmos- de-largur*, I
WS00e*00a vara.
Algodao marca T, al000a peea.
Dilodomestics, a 3*M6a -peca
Brim de alt;ifioeom listras proprio para earn
gas, a 400 rs. d eovado.
tarna Nawnc eaarhraia de ceres nmto flna, 'pelo
' minnto preco do 400 rs. o eovado.
lAgiias Ahilhio-Gaziisas das Fc-
dras Safeadas.
Villa Rouca de A^niai.
B1CARBONATADAS- & DICAS
: Analyses do Dr. .lose Julio Rodrt-
fpues, lente da esoola Pelyte-
ebuiea de I'.lsboa.
Esta excelieule agua usada com vaatagem dc s-
padecimentos das vias djgestivas, urinana?. d<-
f4ooiagu etc., etc
Vende-se
NA
Pharmacia e drogsria
Rna larga do Rosario n. 34. ___'
<
Be lirfo de (ttdo
Se enearrega a confeitaria do Campo?
Ealem disso
A confeitaria do Campos
Esta sempro provide
De tudo quanto e precise para
Uma.boa mesa.
Rua do Invpevodor n. 24.
Tem para veader- n sou eocrifttotio Joaquiar.
JcseVGoncahes Beltrao,< Filho, a rua do CoaKner
cio n. 5.
t.% %fa ;
ToBuaara veic' :
ftofnaeidBlltoBeasy, superior e yetdilMl
IV.
Chartf eto em aaMas. do^.10 Jibra..
"^Todaaas propaai-o>s chwicaa it anafi datfua (la Corruaarcio-i 38
dirigir-aei'mi uquode Caxias n. 91, que se ^ateas-fcitascara.o.trabamoj ofulinarias, a'800-rs.
dira aondese node exammar. _____________ (^^ da rawmafaa Vende-se uma optima egoa para carga o-Wseadinbos iadianos para vestidos, a HOO. ..
sella, esta com cri /ild ponces dws, AaMu a qual- Chitas dc" Bi>n? pannn c flxss, a 200 o *40 reis.
r.enc,os'dc6rvsa 00e"l20 rci*.
^ChmeiU tofe> Sdna rua do Crespo n. 2
Guitherme^a
i t quor pessoa tirar-lhc o leiMk.qun.icom exi*rtancia, ft
;' eo mclhor para debdidados, molestia de peitqjfree-
a tratar-na rtta'dt .
, Madre do wnMHrfronte da guarda da nlfanaapa
gulrtdades nas scmora, etc
Velhan.H9.
F.'iutras" faifefcdas qne sc vendem s.mi' re:eiva' Voile, confrento ao trapiehe do'Cunha, cacs
rlta' de'breco'para acabar, na loja n. !R da rua da Companhia Pfrnambuca, a tratai
- Vcnde-se-al do Assti a bordo do.\biate /(
a1
k
tratar com Joao
da Cunba hajes ou com o neslre a bordo.


.at- >

'
Diario vie Kcrnambuoo Teiqa feira 25 de Xovemta* de lb
<*-
COSTURA DE H0WE
MS PftSi
SOARES LEIfE, IRiAOS
UNIGQS AGENTES
N. 4Rua do CabugdN. 4
JOSEPH KRAUSE K
d
A*
Rua do Barao k Victoria n. 28
Vs maifl simples, as mais baratas e as melhores do mundol
Na exposicao de Paris, em 1867, foi concedido a
Elias Howe Junior, a medalha dcouro e a condecora-
{io da Legiao de Honra, por serem as machinas mais per.
feitas do muado.
A medalha de euro, eonferida a E. Howe Junior, nos
Estados-Unidos por ser o inventor da machina de cos-
tura.
A medalha de ouro na oxposi$ao de Londres acreditam
estas machinas.
GOMES WE MATTOS & IRMAO
Avisarn ao respeitavol publico desta tirade queo sortimentu de joins, de subido n
lor, quo existia em seu estabelecimento, csla" completamcnto ref T(,ado com o mais ele
ganto sortirnento de novas joins, quo roceberam directamente pelo ultimo vapor da Eu
ropa, constando elle do mais variado sortirnento de aderecre a Boulevard, pulseiras di
ultimo gosto cum pedras prcciosas c sem ellas, brincos d'argola; agraffes para rulogio de
senhoras, dolicados aderecos para meninas, meios aderecos de camafeu lindissimos, volta?
de nogordios para senhoras, correntes inglezas de ouro e de platina, variada quantkJadf
| de botoes para punhos e peito, com embletnas maconicos, de onii, tmdo de ouro, carta
feu, etc., brtlhantes raonstros de rarissimas agoas, em annets, rozetas, pulseiras, alfire
tes e botoes, e outros muitos objectos de ouro de melhores fabricantes de Paris, que st
venderao com grande reduccao de precos, por serem elles recebidos directamente de seu>
committentes.
Os proprietarios do acroditado MliZEU DE JOIAS, tendo seu estabelecimento aberti
ate" 8 horas da noute, convidam as familias qu se quizerem prover de lindas joias,
1 virem escolbe-las & vontado, para o que es'i.3 em exposicao nos mnstradores.
DE
90S000
Cabe-nos o dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Rova-
jeraj^para em Pernambuco c mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
Bra d Howe. ( Estas machinas sao justamente apreciadas pela perfeicSo de seu'trabalho,
tapregando urni agulha mais curtn com a mesma qualvdade delinhaque qualqucr outra,
o!a mtroduccao dos ms^ sperfeicoados apparelhos, estamos actualmente habilitados a
Grocer ao e*amc pubhec as melhores machinas do mundo.
As vantagens destas machinas sao as seguirdes:
Primeira.0 publico sabe que ellas sao duradouras, para isto prova incontestavel, a
4rcnmstancia de nunea terem apparecido no mercodo machinas d Howe em segun-
mio.
Secunda.Contem o material preciso para reparar qualqucr desarranjo.
Terceira.Ha neltas menor friccSo entre as diversas peoas, e menos rapido estrago
'%> que ncs outras.
Quarta.Formara o ponto como se fdra feito A mio.
Juinta.Permitte que se examine o trabalho de ambos os fios, o que se nao consegu
't optras.
Sexta.Pazem ponto miudo em casemira, atravessando o fio de um i outro lado,
. logo era seguida, sera raoditicar-se a tensfio da linha, corem a fazenda mais
a.
Setima.0 compressor 6* levantado com a roaior facilidad.-, qnando se temde mudar
igulha ao comecar nova costura.
Oitnya.Muitas companhias de machinas de costura, tem lido epocas de grandeza e
ecadencia. Machinas outr'ora populares, sao hoje quasi descoi.hecidas, outras soffreram
udancas radicaes paranoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
^optando a opiniao de Elias Howe, raestre em artes mechanicas, tem constantemente
agmentado o seu fabrico, e hoje nao attende a procura, posto que faca 600 machinas
or dia.
Vdji machina acompanha livretos com instrucc,8es em portuguez.
(V 96^000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS
A'
do Barao da Victoria n. 28.
Fazendas finas
NA
Rua l. dc Marco n. 7 A.
DE
Cordeiro Simoes <* C.
E' esta rasa, sem duvida, uma das qne hoje,
Agua florida, de Gkiislainr
para fazer os cabellos pre-
tos.
A agnia branca, a rua Dugno de Caxias n. 80,
acaba de reeeber nova rernessa da apreciavel agua
florida para fazer os cabellos pretos. O bom re-
sultado colhido por quem tem feito use dessa
iuollensiva preparagao a tem altamente conceitua
do, e por isso apenas se faz lembrar a qnem no-
vamente deila precise e queira se aproveitar ie
ni utilidade. Twnbem veio agua de topasioe'
oiao Dorido.para o mesmo uso, e tao aereditados
como aqucila.
ri,?ia2ia_^resc.nI''La,osse^ fr.euez^ Voltas e brincos de grossos
um variadissimo sortirnento de fazendas linas pa
ra grande toilette ; assim como, para o uso ordi
I nario de lixlas as classes, e por prefos vanlajo-
| sos para os.compraderes, de enjas fazem um pe-
qucno resumo.
Mandam fazendas as rasas dos pretendentes,
para o que tem o pes>oal necessarin e dao amos-
tras mediante penhor.
Cortes de scda de lindas c6re.
; Ditos de gorgurao de cores.
Grosdenaple de todas as cores.
Gorgnrao branco e preto.
Selim Macau preto e de cores.
Grosdenaples idem idem.
Vcludo preto.
Granadine, sola preta e colismasri de cores lin-
i dissimas padroes c fazenda da ultima moda.
Popeliniis de lindos padrdes.
Filo de seda branco e preto.
Ricas bas<(uinas de seda.
Manias brasileiras.
. Coirhas de seda para noivos.
Cortes de camnraia branca com liudos bordados.
Capellas e mantos para n ivas.
Riqutssimo sortirnento de las com listras de seda.
Cambraias de cores
Ditas maripozas, brancas de cores.
I Nansuck de lindos padrdes.
Baptista de pa Hues mui dclieados.
Per.'alinas de quadros pretos e brancos, de lis-
tras, etc.
aljofares de c6res.
A aguia branca, a rua do Duque J: Caxias n.
o<>, reccbeu novas e bonitas voltas e brincos de
grosso> Ijofares de c6res, e como sempre conti-
nua a vende-las por preco commodo.
Novos diademas dourados e
com pedras.
' A aguia branca, a rua do Duque de Caxias n.
30, recebeu novo sortirnento de bonitos diada-
mas dourados e com pedras, tanto para meninas
como para senhoras.
Colleccoes de traslados ou
1 normas para escrever-se.
, A aguia branca. a ma Duque de Caxias n. 50,
recebeu novas colleccScs ou normas para as crian-
cas aprenderem a esercver por si mesmo, hoje tao
usadas nas aulas e collegios; e como sempre ven-
de-as por pce<;o commodo.
Meias criaas finas para meni-
nas e senhoras
A loja U'aguia branca, a rua l-uqtio de Caxias
n. 50, recebeu novo sortimenlo da-mntlaslao pro-,
curadas meias crnas para senhora,'vindo ifiial-
Brins de linho de c>"rea, proprios para vestidos mente para meninas, o corrrhrua a tende-las por
MGHINAS PAM COSTURA
A 301000 e 30#000.
00US P0SPQNT0S
Nalojade Soares Leite Irmaos, a rua do Barao da
Victoria n. 28.
Lavas do pellica com pequeno toque, Espelhos demoldura dourada, de todos
200 rs. os 7l20r8i P8ra Wllel0' 8randG Srti'; pERFUMARIAS E MIUDEZAS.
Caixa do linha de raarca, a 200 rs. Frasco com oleo Oriza verdadeiro, &
Lamparinss a gaz, dando uma luz muito 19000.
oa,,a 15000. j Idem comtonico de Kemp, verdadeiro, a
Duzia de pe^as do cordao imperial, a 1JW00.
i40 rs.
Caixa do botoes de osso para calca, a
aOQrs.
Duzia de carreteis de linha, 200 jardas, a
600 rs.
Idem idem 60 jardas, a 240 rs.
Ma^o de fita chineza, a 800 rs.
Caixa de linha com 40 novellos, a 500 rs.
.Meios arlerecos com camafeu, a 500 rs.
Garrafade agua florida verdadeira a 19200
Garrafa d'agua japoneza, a 19000.
idem idem divina, a 19000.
Idem idem Magdalena (novidade) a
19200.
Caixa de pos para dentes, a 200 rs.
Idem idem de p6s chinez, muito bom, a
500 rs. e 19000.
com barra e listras.
Fustao de lindas c6res.
Casaquinhos de la c dc t'xlas as cores, para se-
nhoras.
Saias bordadas para senhoras
Camisas idem idem
Vestuarios para meninos.
Ditos para haptisadus.
Ctiapcos para ditos.
Toalhas o guardanapos adaouseadM do linho de
cores para mesa.
Colchas de I .
Cnrtinados bordados.
Camisas bordadas para homein.
Mcia;- de cores para liomens e meniaos.
Ccini'lelo sortimeuto de chape'os de sol para oo-
mens e scuhoras, com cabj de martini.
Merin6 do cores para veslido?.
Dito preto.
Atoalhado de linho e algodao para toalhas.
Atoalhado pardj.
Brins detinh" branco, preto o de draft
Sotim de lindas cores e com listras
Chales do merino dc cores e pietos.
Ditos de casemira.
Dilos de seda preta e de cores.
Dito de i in iimn.
Camisas de linho.
Ditas de chita.
Ditas de flanella.
Ceroulas do brim e algodao.
Damasco de la de cores.
Pannos de crochet para cadeira, sofa e eonsollss.
Colchas de dito.
Tarlatana de todas as cflr-cs.
Espartilhns lisos c bordados.
Foulard' de seda.
Ca-.-iL'os a tricot.
Rio)s corles de vestidos de llnhj para senhora,
de di ersa cores, com os competentes enfet-
tes, ultima moda.
Casemiras pretas e de cores, chitas, madapoloes,
cambraias, panno lino preto e azul, collarinhos,
punhos, gravatas, luvas de pellica, ditas d fio
precos ccmnnodo>.
Veos ou mantinhas pretas.
A loja xias u. 30, recebed bonitos veos ou mantinhas
pretas dc soda com (lores, e outras a lm4tac5o d>
croche, e vende as pelos baratos pre?os de 3^
iiS e 6*000. A fazenda e boa.o esta 6m perfeito
estado, pelo que contimia a tcr prompta ^xtrac-
cab
Perfeita novidade.
Gxampos. cora.Uorboletas, bezouros e gafa-
nhotc^ duuxdos e colondos.
A loj*i aguia branca, a rua do Duque de
Caxias t 80, recebeu aovos grampos com bor-
boletas, ibzearos e gafanhojos, o que de certo 6
perfeita. novid de. A quant)dade e pepuena, e
por isso em breve se acabara>
Novas gollinhas ornadascom
pelucia ou arminho
A loja d'aguia branca a re a Duque de Caxias ^
- .jO, recebeu uma pequena quantidade de boni-
s e novas gollinhas, trabalho de e seda, en-
neitadas com arminho, obras estas-do muito gosto
e inteiramente novas.
Grampos, brincos e rozetas
dourados
A loja da aguia branca, a rua do Duque
Caxias a. g>0, recebeu novameote bonitos gramt
pos, brincos e rozetas dourados ; assim como
novos diademas de aco, e como.sempre conti-
niia a vende-los por precos raaveis
Caixinhas com p6s dourados
e prateados^ para eabeilos.
Vende-sc na loja da Aguia Branca a rua do Dn-
que de Caxias n. 60.
Pote com opiata do Rieger, Rimel e Gros-
Gamifadetinta roxa exbea-fina a lJNM'O'nel, 1:00.
Potes com diu inglees, preta, a 100 e Duzia de sabonetes de amendoa, a
lOOrs. i 39000.
Caixa de pennas Perry, muito boas, a, Duzia de sabonetes de anjinho transparen-
tes, a 29200.
de Eseocia, brancas e de oores, tapetes de toios! LuVaS dg'pelllCa pret&S e de
os tamanhos, bolsas de viagem, etc etc.
Na loja do Passo, rua Pnmeiro de Marco n.
A, antiga do Crespo.
Idem idem com fldres, a 19500.
Sabonetes Glycerino transparentes, a
19000.
Caixa com sabonetos, for ma to de fructas,
a 19000 e19500.
Cosmeticos, graudes e pequenos, a 100 e
800 re
Frasco com agua de colagne, a 200, 320,
19000.
Idem idura, a 400 rs.
Caixa de onveloppes tarjados, a 300 rs.
Idem idem forrados, a 700 rs.
Caixa de papei amisade, beira dourada,
800 rs
Idem idem idem lisa, a 600 rs.
Duzia de talbsres eabc branco, B., a'
59000
Resma do papel pautado, a 49000 500 re. e 1 e 59800. j Extracios muito finos do* melhores au-
Idera idem liao, &29800, 39800 o 59000. tores.
Coqu.es .inodemos,. a 39000. | Linda&eeiegantescaixinhaacomperfuma-
Duuas de pogas, de trances de caracol rias, proprias para presenUs, dos autorea
branca, a 400 re. ,Ei Codray, Rieger, Gell6 Fre'res.etc.
Idem idomlisas, a aoOire. Quadros com santos e estampas separa*
Loques deosaae sandalo, a 29000, 49 das.
e 69000. Entremeios e babados transparentes e ta-
Fitade vellada de todas as icocesie larga- pados.
r*s. Uma grande taboleta propria para qual*
Microscopios com 19 vists,|a 690OO. querloja.
Frasco com oleo para machina a 400 rs.
Rua do Barao da Victoria n. 28.
--------------------------------------------------------------------^___________________________________
Fumos especiaes
para o fabrico dos melhons eigarros lino* de seda
e linho, e para caximbo, a saber :
O ver>iad<*iro fumo de Daniel.
Idem do Rio Novo desiiado.
Idem cabello s e picado.
Idem de Uaependy.
Idem de Goyaz.
Idem dePocnba.
Idem do Mineiro.
Idem de S. Paulo.
Idem de Miaas.
No armazem de fumo a ma da Madra de Deus
n. 10 A, de Jo^e Domingue; do Carmo e SHva.
0 proprietario deste e9tabeIecimpnto tem tido-o
maior capricho poivel era obter do Rie de -Ja-
neiro as qualidades de fumo* mais especiaes,
algurnas ate mesmo nao conhecidas neste merca-
do ; porem muito apreciado em outras provin-
outras
c&res.
A loja da Aguia Branca, a rua Duque de Ca-
xias n. 50, recebeu novo sortirnento de luvas de
pellica, pretas e de outras cores.
Mobilias baratas
Ndarm;em.'de Jwaqnim LoJeMae ado k C.
ha um boaortimntO' de mobilias de Viennai
brancas e pretas, que se ven Jem a prejos com-
mopoir-
A loja do Passo, a rua Jo iGresjn b.- 7>A; rece-
bea pelo ultimo paquate,, ricos cbap4o para se-
nbora ultima moda.
Burros a vend*'
l Detrd* avisa'a .ens frPgueaes^ que eat* ett
viagem paraias pr i' la villa de Paris TASSO KMA0S 4 C,
Oiliviera & Irmao.
Rua doViscondeds Inhauma (outr'ora rua
do Rangel) n. 25.
Vende- *e ean porcile Tem am grande e variado sortirnento de cha-
bl-os de sol ge seda, de alpaca e merino, tamo
para bomeni como para senhoras e meninos, con-
certa-se e cobre-s^ os meanum a prvcos com
modus. Qui'in comprar uma duxia para mais tera
9 desconto da praca.
FAZENDAS
LiquWa-se por tod > o pre^o o resto das fazen-
das existenias na loja n. 16 da rua da Madre de
Dcos, defroate da guarda da alfiidega. Aprovei
torn, porUnto, aqui-lles menos favorecidos da for-
tuoatao imt>ortanteuccasiio, aoud< podt-rao sor-
nr-se cim potico dinfleiro. E*la feira serrranal
pjiucipiara Jiariamente as 7 horas da manlia ate
as 6 da tank, terminando impreterivelmente no
fun da corroute semana.
Potassa
Nova em meios barris a 5' 0 rs. o kilo: veodem
Cunha Irmaos 4 C, ma da Madre de Deos nome-
ro S4.
Caniaiia de Lisli a
lloaibreiras.
Capiteis.
Soteiras.
A' venda no armazem n. 25', a travessa do Orpo
Santo.
Chales de merin6 de 5^000
por 3^500.
Gostos CBioezes ; vendeso na Rosa Branca, a
ma da Impera-riz n. 56.
Las de quadros de 500 rs.
a 280 rs. ocovado.
E' para acabar.
V ende-se ua Rosa Branca a rua da hnneratris
n. 56.
Las para vestidos de gente
sinha.
Fazenda ie 800 rs., vende se a 500 /6. na Rosa
Branca* dao-se amostras: a rua da lmperotriz n
56.
Colarinh,os de esguiao. de Sf
a 51 a duzia
iambi in se retalha : vendc-se na rosa branca a
ma da Impt^ratriz n. 56.
Lenqos de cassa a 1$000 a
duzia
Vende-se na rosa branca a rua da Imperatriz
nnmero^d
1'atetots de casemira de 18#
por 12|000
Obra 1 eB*ommenda : vrnde se na rosa bran-
ca a rua,da Iiupt-ratriz n. 56
Casemira eseiara de 5r, a 3~0OO
o covudo
Para pakttia ou roupa d* meninoporser muito
ieve vendc-se na rosa branca a rua da Impera-
triz n. 56.
toicaltaode G iate
na venda Lapa
Vi-nde-se no pateo do ter^o ns. i e 6, daces
tines .do todas at por auiftdo : nic> e*W que merhor pods servlr
aoa compradores.
teicas e sextas (eiraa ha
Extraxirdi^ria^(jliiHolt>.
3#50rf)
Colchas d algxllo adaraa?c.idasi para.ean
pel.) bjiratissJroo prafo de.2*500 na k>j dos
arcos, de Gnrgei do Amaral \ C. a rua Primebro
de Marco (autij? do Crespo) n 20 A.
Vendose tima excellent* casa com um pequeno
sita no Arraral junto a casa *a tratar na mesma casa, e para inforroaedei na
taverna do Queimado n. 3, i* andar.
Os verdadeiros
Vinhos de Bourgogne
das paras
Cbaml*rtin
Pommard
Virits.
. Volnay
Beanne
Mouthelie
Dito Bordeaux em quartollas.
Vende-se |r bart pre^-o
PARA LIQUIDA^AO DE CONTAS
KA
Ran linrga do Ronario 84.
Botica.
cias do impeno,'como os fumes que acabSMdftro. bafoj. condu^ode excelleotfl trepa, de Atorrowjd
ceber pelo vapor nacktoal Buhia, entradom 6 pasarpor Penedu, Pilar, CastanhH-Orandrt, Por-
do corronte e por isao coBvida a t dosraaesr fre- to Calvo. Barfeirts, Riu Formoso, Escada. Caboe
gueces e amigos para verem e examinarem as prdvavelmeate'' por-'SahW AmaMde Jabiiatitt'*
melhores qualidades' de fumos flaos, o promette Nafeaai ; por iss^pttdecsei" avsa*>' 'ou-eOeofl^
conservar sempre em seu armazem G"qm>'rK.ovef *3d e.f>ratqaer oestPB lugares'
de mcihor neste arii^e, desde 6;-arrBbwaCe8*-a- Laraagciras,. 20 da ontubf.ade 187-'J.
libra ; tudo a contento dos sens numerososY/re- _______ ,
**& fi-amigos- Gasa,,e ter*eno>
Veitwe'jtiw dafferii'iflrrenioffeaBt>
Aitna, perto da etapao da estrada de' ferro : a(
raiarcora Shaw, Uawkes A,C, A^raa do.Bom'-
esus v. 5.
..... 11
Veude-so um sobrado de 3 andares aSO-i:
tao, & rua do Bom Jesus, outr'Ora ^ua da '
Crux n. 63, e um dito de 1 andar na.mesma
rua n. 61, sendo estas no melhor loca 1 da rua,
junta a tgreja matriz do Corpo Santo : a
trataxi no musmo sobrado n. 63, anma-
zara...
)
IHJ
E sempre assim.
Quando.parece ter-se esgotado o reperto^Jo das
medas, pela immensidade de aitipos de no idade
qne Muvapparecidn, eis que o* velhos e in ansa-
veis corre9(*6adeutes da Nova E.-i>rranc.a, a rua
Duque de Caxias n. 63, descobr>-m ontros uo
mundo elegante, aonde se conservam esogitando
mlnuciesatriente as novas inven'.oes ; rpmeltem
para a .Nova Esperaoca e aut-risam na a dizer
aos seas freguezes-e especialmeute ao bello rexu
|ue nao ere.am em tal : e para prova evidente
lo que acaba ds expor, vejam o que abaixo se
deserave :
MANITAES para missa, com capa de madreperola
ou. tartaruga, tendo no centro da capa
um pequeno relogio perfeilo regoia
dor.
CARTWRAS, po't charutos, port eigarros e ports
moneys no mesmo gosto.
CARTEIRAS para notas com capa Je marfim, ma-
dreperola e tartaruga, com o distico
Lembr-m'.a.
BOLSAS para senhora, o melhor qne tem vindo a
este raereado, de di versus tamanhos,
qualidades c modelos de nova inven-
,P0RT BOOQDBTS de lindos gostos e t?manhos
especialidades para as nnivas.
CAIXINHAS com musicas e sem ellas, proprias
para presentes.
E outros de inteira novidade.
E com os meninos.
A Nova Esperanca, a rua Duqne de Caxias n.
63, recebemos bonecos de birracha de f-irmatos
inteiramente novos : os meniaos muito apreciarao
tW. briaquedo.
6 verdade.
Qualquer senhora de bom gosto, parece que
jnao pede-conioletar e ua toillette, sem dar um
DMsela a-hova Esperanra a rua do Du me de Ca
xia! n. 6i, pi>rqne e a loja de miudezas que mais
completo e?ta em sortimentu, e uue maisnovida-
des apreser,ta ao publico cm geral.
E com as floristas.
A'ltova'lDsperSBca, a rua do Duque de Caxias
to 63, rscebeuoeio ultimo vapor, um inteiro sor-
timeBt..de Mpeis para fl'res I a elles.*
rara crian-^a.
A Novy Bspernea, a rna do Deque de Caxias
n. 69ojeenaei m- sortirnento de vestuarios de
caseraiM-e akpaoa para criancas: modernos ebe-
Las mescladas.
11 Uffl'iwm>iortiinefrto>de las mescladas em c6-
MB, Caxias n. 63.
_______" estraageiro,
AprWtiiWIr-se o ra de enibro, tempo enVf
joe o Pan's na America, a rua Duque de-Caaias n
W, if aadj.r, tem ds dar o seu balanco, por este
motiVb," ospToprrptarios deste estabelecimento es-
uo reSotvMte' B venderew sens calc dos pelo cus-
(6, atoidiiaaiaorarem o trabalho ; assim pois os
apreador<# do booij ecouj especialidadeo seco
amavet, para qnem a Paruna America conserva
,com a devida decencia) o sen gabinete reserta-
paraMsViJSW-IWrdecaicado, aproveitem e ve-
Em sous armazens & rua do Amurtm.
n. 97 e caes do Apollo n. i7,
tem para vender por precos cr)mmodo'
Tijolos enearnados sextavos para ladnlho.
Canos de barro para esgoto.
Ciiuento Portland.
Cimenlo Hvdraulicc.
silaebmas de descarocar algodao.
Machinas de padaria.
Potassa da Russia em barril.
I'bosphoros de cera.
Sagu em garrafoes.
Sevadinha em garrafoes.
Lentiihas em garrafoes.
Rhuin da aJinaica.
Vinho do Perto velho engarrafa^
Vinho do Porto superior, dito.
Vinho do Bordeaux, dito.
Vinho de Scherry. .
Vinho da Madeira.
Potes com linguas e dobrauas injjezas.
Licores finos sortidos.
Cognac Ganlhier Freres.
Latas de toncihho inglez.
fiarris com repolbo em salmoura.
Folhinha de variedades pant
o anno de 1874
Contenlo alem do kalendario, a tabella do-
emolumcntos cobravtis no tribnnnl do loiumer-
cio desta provincia, precos e partiil.is do* ix\>ore*
dc mar e terra, no nas novos da- man lesia ci-
dade, tabellas dos ecu lumentos paviebi icsttc. etc.,
a venda em todas as livrarias do Rd-ifc.
Vende-se
nra sitio no largo da Casa Forte, com 320 p.ilmne-
de frente e 570 de fuudo pouco ms s ou menor,
>oni casa de peiira e cal, 7 quartos, 3 safes, co-
zinua fbra, i cac'mbas < diversos arvuredaM dr
tniduil ; assim como, um eolro manor na tra-
ves-a da mesma, roltaBdo para a esfada que vii
para o Arraial, com casa de pedra e cal. coin S.
quartos, coziulia fora, rarimba e al un> alvor das ,
do fructo : no paieo do Carmo n. 3, ou na ru;
das Trinchticas n. 1.
Vende-se
muito barato um relogio de ouro, pat-nl" suis
e outro de prala dourado : no pate > d > IVrc> nu-
mero21.
Ao bom torn
Cbegaram a ru do Queimado n 43, erandftj.
sortimeiitos do las fiinas com linda* Iistras dp se-
da a 14200 o covad>, ditas de quadros padroes
muito chiques li 4B0 rs. o covado so na rua a
Queimado n. 43, junto a pracinha. I<>j i de Gui;rr
& Fernandes.
Bolsas, ma-L s e imlispensa-
veis
Amaral, Nabuco & C. receberam comple'o sur-
timento de bulcas, malas e maJspi mumiii d eon-
ro, madeira e chagrin : vende-se no Ifazar Vic
toria, rua do Barao da Victoria n. i.
Xarope d'agriao do Para
Antigoo conceituado medicaniHita para
cura das molestias dos orgaos re;piratorios
como a phtysica, bronchites, osUima, etc.,
applicado ainda com optimos resuimJus n*
escorbuto.
Matricula para cavailos.
A' venda na livraria clas-tca, a rua do Impera
dor n. 73. Preco 40 rs.
l
Lanzinhas com listras estampadas pebdinioatoi Mata'nRiniRM-sa' doiqaa'praeisarem.
reco da'400 /* coxada .
Ditas com lisu-as asseuhadas1 a IWtw o 6*
RuadoBrum n. 76
Vende se zinco puro de superior qnalidade.
prpprlo para cobertas de casas, medindo II'pal'-'
mos em com*, i
-I, i ,.
Asunicas verdadeiras
Biohas haraburguezas qne vem a estemercado-
na rur Mri|iie7 de ulinda n. 51
Vende-se
no estado em qne se acha > sWo exirterne no
lugar do* Reme-lios. freguezia dos Afngadrt* n.;
21, hnjo becco da travessa dosiRerrledios n 18,
em chao pn prio, quem o pretender
com o feu propritlario na rua de
como qnpm vai para a rua Bella,
que se fara todo negocio
I
1
Granadinas pretas com listra*d'oPesia fi06 Hi
o cd**aav>
Mrt%iraod9.proprios#ra:vasiida,^ 326 is*
o covado.
Alpaca? denuadros, prrjpti' para vestlao#i-a.
4;4O'K'0W)vMrJ:
BrimibrancK, lonav para oalcaeadi36*a'Varati
DRo 4 nuaoadn, a U 60Q 4 vara,
Dito de.cOrespliuho puro, a 11400" a var*.'
Pcrhinrha
Chapeo? desol de-scda, rstbo do'ana,'a-8iaW
catinnm, istotruto-6 no n. 2011a rua; de Crepoy
loja-das 3 portas. drf GuHhenne & C______
Wll on Rowe ^ L. vendem no seu armazem
amarfe Commnroio n. 14 : '
OiverJadcim pnnn du algudSoazul atnencano.
Eicelleiile On de vela.
Cognac de 1' qualidade
Vinho de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as qualidades.
Souza e ha & C?
Rua do Bom Jesus n. 23
Neste estabelecimento tem.para vpr.der,
commoiios precos, o segointe :
Tacos muito leves para bfllmr.
Cnrrinhos de 3 rodas para Cuiitluzircrinn-
cas.
Torueiras de buro de systema mc--
derno.
Malas para viagem. *
Espelhos com moHura donr.-ii i c vHro
deprimeira qualidade, com l/i tie pollegit-
da de espessura, envernisado para eviUir
o mdfo HO ago.
Bandejas tinas e ordinaries.
Retogios francezes, bons regularlorcs, pre-
p'i dias.
Cadeiras de lona com e sem arwo*tr>, mc>
bilia ligeira, propria para casas ile ra npo,
em tempo de festa, pela oommndiuade de se
fecharem, serem baratas e fortes.
Completo sortirnento de fecbalnras frati-
cez.'-s para gavetas, cartoiras p piano.
' -liinas para costura, o mais bem acii-
bado que tem vindo a este mi-r.-ado, pro-
prias para trabalhar com a man. trabalho
feito sobrea direc^ao dos Srs. W. F. Tho-
mas & C, do Londres.
Sabonetes de alratrao do fabrirantn k.
N Cjstro, os melhores e mais medninat*
que tem vindo a este mereado.
NOVIDADE
A Predilecta acaba de reeeber um Undo .- .
mento de litas escocezas achaiaalotatta". pnprias
[iara fachas ; assim como um hndo scirtimento d
eqaes de madreperola; a elles antes quo se acii-
bera, a rua do Cabuga n. 1 A. ,
VENDHf
uma casa-na villa- de Barre*os,- ns rna do 0t-
mercio, por preco modico : a tratar com Tao
Irmaos & C
Calqilo
Vende se por commodo prefd uma das
Mficasas a Boa-Viagem, comprehendendo
qnano sitio, para pastagem deyraeas e
fresco, para planti de capita : a tratai na
Imperadoi n. 83, 1. andaA.
mel be-
im po-
ti-ircao
rua to
I
Armazem di) fumo
Rrra da-MaHre-de Deus n. 10 A.
Jose Domingues do Carmo e Silva'parfielpa aet
Aeusifragaizesie lamqMaiqxsf no sen armazem a
ruaida Matlre4e Dea*n. 10 A, se acha um.com-
pleto sortimento de fumo em fardss de patente 4 '.
0'3ys6ltd*,drls,n1elh8reS fabrlfames da'Sshia
e bem assha a IW"de todos os fumos do--cord*
em rofn^pieotM, latas granies e peqaenss, Um-
bem dos mui aereditados fabricantes Torres a
Aranip,, Lutanr, Adolpho Schmdt A C, Lizaur
SchnWia C',' Veigas 4 Araaio, Trmdade 4 Ave
Iar,'TOx%ii-a; Wrrto Portella (garaotido pelo*
mesmbaj'e^ de outens ainde nao conhecidos pel<
|WblieodesU capital. 0 annunciante declara qut
todo fumo qne for -vendido em sua casa sera pelt
S?u justo valor, e que qnanilo garantir a respecti
a a^ialidade, sera siBeero, mui |iarticnlarment
com as pessoas pois para Iwm sernr a todos tpm o annnncianU
' alonga pratica de 15 aunoa deste commercio.
. 0 jardim da-Neva Esperane*; a rua Duqne de
Caxias n. 63, esta replecto de fjores a- mais do-
lleadas qae e possfrenma*ilir'&tvaV9-le o ma s-
smgeilo i ramalhes* a mais' elegantor.isa, (inteira
novidadei : ao bello sexo compete, quauto auten,
.virern colhe las emqiianto estao viyosas._______
Ao bello* sexo.
' Gtttmao 4 Leal 'rt!cer*ramTfo cortes di gas j
deeda^i fazenda inieirameot* nva, e vendeel'
pelo barato preco de 40*000 o 6r^ : aelle-.anks
que se arabem: so na loja da ftz. rr;n>eir 3e
Marco n. 14.
JLazinJias
fescocezas a ZSO'rft'-o covado.
Run doQueiannao n. 43
Lizinhasescocezas,padroes mniti boniL.s u!t -
de Paris, pelO dirnijButo preco-
ma m>da de Ville
de 280 rs. o covado
Queimado n. 41.
dao se amostMs'-: na rua d*
(mm

m
Venle-se quatro caixoe? proprioi
lecimentos de molhados, a rua de I
76.

anal

-.


.
8
Diario de Pternambuco fef$
de NoveinbM do 1&73.


UTMLATDlli.
MSCC1UO RFCITADO NA ABERTUdA DAS AULAS
D<> SEtflNA&IO DO PORTO PARA O ANNO DE
18731874 PELO EXM. E RVDM. SR. D.
AMEU1CO FERREIRA DOS SANTOS SILVA,
BISPO DA MF.SMA DIOCESE.
(Conelusto]
E' verdade sabi la ao ponto de axioraa,
quo qu dqucr prjfis^do requer conhecimeu
tos proprios, e na proporgao da sua digni-
da le ; quo quem a cxer-:e sum as devidas
habiiitugoeS i causa tie prcjuizo e ruina para
si o para os outros, e do>e comas a Dous e
a socie ia Ic por t > lo o mal provenieute de
sua inepcia. Surd o ministeno ecclesiastico
a unica excepgdo a esta regra geral 1 Qual
das funcgdcs quo.exerce po lord ser conside-
rad3 do tao pequeoo alcdnce, quo u:n igno
r3nto a possa desempeithar sem incon-
venieote ?
Nao e por certo no pulpito, onde impoe
como de le o que e opiniao, coma preceito
0 que e quaudj muito consullio; onde ata-
ca como vicio o que e licito, e corao abuso
o quo s6 e novo uso : naofaliando nas ira-
propri- lades do linguagem, nas inconve
nicncias de persouaiida les, na incompott-u-
cia das s ntongas, na offeosa das lois huma-
nas a t'tulo de defeza das divinas que ne-
nhum perigo correra. e pr ultimo e mais
grave do torpe elogiods ideas mais em voga,
sacrific ndo-lbes a verJade pura adquirir
aura pnpular.
Ese quern nao sabo nao p61o iostruir no
pulpito, muito menos polerd explicar a
doutriii.i do cathecismo. l*6Ja urn audito-
rio du mdog'isto e pouco cxigento contcii-
tar-se com Bores do rhetoriea e sonora ver-
bosidale; pue muito orador com fama de
eb.quenio assim encobre a deficienciade dou-
trma. Nao t, porem, a primoua juventude
que a'guem ha de iostruir com taesarhfi-
cios. S6 quern estiver bem senlior du ma-
teria 6 que chegard a ensuiar os meiiinos
por methodo simples, claro, brevo, e tauto
quanto baste.
Nao ml tambom na adrainistragao do;
sacramentos, cujos efl-itos nunca soubc ou
jd esqiu-oeu, a ponto de os confonr co.no ro-
tioa que nadi edific3 e m-ito escandalisa ; e
muito menos no altar, cuja victima oflere
co, sebendo que e sacrosanta e divina talvez
uni amente porque dcsdc pequeno assim
Ih'o di>scram.
Por ultimo serd neeessario apontar o que
6* ou p6 le ser o confessor ignora >te ? Raras
vez-s, e verdade, recusa absolvigao a quem
e devida ; rnuttns e muitas, porem, a dara
ate coin escaudalo publico: ndo lembra
restitui'.bes obrigatorias ; vai tirar do erro
de boa fe a quern melhor fdra permanecer
nf lie : pergunta indiscretaracute com ouVn-
sa ia b nira ou pudor ; ou ensina o mal a
quern ainda o ignora : e emfun quasi que e
louvar a Deus se toma como regra nunca
fazer rep.iros e ludo deixar passar. Se ao
menos alguma vez hesitasse I mas nao : o
sji-er duvidar jd e meia sciencia, e confessor
igooraole nao tern duvidas, para elle nao
ha diHicii!dados.
E' assim que o inimigo da religiao se
apresenta a negar a cbhfissdo por prejudi-
cial e instil, quando a verdade e que insti-
taida por Deus, e o preceito mais moriitera-
dor do homom, scndo cumprido por since-
ro penitente aos pes do digno ministro de
Deus.
As verdades da Eseriptura nao morrem,
porque c Deus quem nellas falla : aos sa-
cerdotes i!e h >jo ainda e o raesmo Deus que
diz Oseas. cap. 5 v. 6: Por isso que rpjei-
i.isle dr tciencia en te rejeitarei e nao exer-
cerds o meu sacerdotio : e iotige de ser ri-
gorosa a igreja, nao faz ella mais do que
oumprir urn preceito de direito divino e de
direito natural ao excluir das ordens como
irregular aquelte a quem falta a sciencia
indispeusavel.
Naojulgueis, seminaristas, que n-stasmi-
ubas oxpressoos vd incluida alguma amcara.
Bem soi que a vossa presen^-a aqui e prova
de quo nao presumis entrar para o santuario
sem a necessaria instruc^ao ; e que obe-
dientosdlei de Deus, prucurais ad.uirirco-
nhocimonto das funccOes que cm seu nome
um dia havei* de exercor. Tambem tenho
plena coofianca em que a aporovacao dada
polos vossos illustrados professores. e docu-
ment da vossa prcparacdo para o ministerio
Baldados, porem, sao os esforcos delles
para vos darem instrucgao, e baldado e o
vosso trabalbo para a adquirir. se a consi-
derais unicamente necessaria para receber as
ordens e nSo para as oxercer ; para ser se-
minarista e ndo para ser padre; em uma
palavra, se nao sahis do seminaraio com o
firmo proposito de conservar e augmentar
os conhoeimentos nello adquiridos. Inter-
rogai os vossos professores e elles vos dirao
sem disfarce, que ndo vos ensinara nem po.
dem ensinar senSo os principios geraes de
cada um dos nimos da sciencia ecclesiastica,
e com elles pretendem tdo somente babilitar-
vos a estudar. A vds compete depois con-
servar essas nocdes fundamentaes, aperfei-
cnal-as e desenvolvel-as, applicand<>-as ao
estudo e indagacao das especialidades e dos
motivos da pratica.
Frincipia o magistrado a estudar a lei
quan lo comeca a administrar justi^a : o
medico ndo cessa de consultar nos livros a
experienuia dos outros, emquanto a ndo tem
propria ; s6 o presbytero fecha os sous e dd
por completa a sua sciencia quando princi-
pia a S';r padre. Nao ac^ntecerd o mesmo
comvosco, seminaristas, assim oesperamos.
Nao inutilisareis na ociosidade dez annos de
trabalho vosso e de sacrificio dc v ssos
pais. Nao repartireis o vosso tempo por
forma que vos chegue para tudo menos para
o estudo. Emfim estard sempre presente ao
vosso espirito a recommendacfie de S. Pau-
lo a seu discipulo Timotbeo, e que eu com
a mesiaa instaiicia a v6s dinjo : i." Tim.
4 v. 13 e 16 : Applic-.ite d licao, a exhor-
tagSo o d instrucgao, porque fazendo isto te
salvards tanto a ti mesmo como aos que te
ouvem.
Por muito recommendnda que seja a ne-
cessidade da sciencia para o clero, e por cer-
to nunca o se.-d de mais, ninguem creiaque
nella se resurne a perfeicao sacerdotal; an-
tes inulil deverd ser considerada, se nao se
manisfesta em todos os actos da vida. 0
presbytero e christao para si e padre para
os outros ; tanto pois por causa de si como
por causa dos outros dove o seu procedi-
mento ser ensino do doutrina, e exemplo
pratico da sua instru '(ao : de outro mo lo
incorre na sentenca do apostolo Sant'Iago,
e com elle se lhe poderd dizer : Tun fi &
morla, porque nao tem as obras.
Nao seremos n6s quo estabclecendo a
diffireiiQa e distincgao entro o sacerdote sa-
bio, mas discolo, e o qu; e santo, mas
ignorantc, perguntarcmos depois qual e
menos prejudicial ou mais aceitavel. Sdo
de natureza diversa os males que causam ;'
de um e outro, pore"m, a igreja torn igual-
mente modo, e a ambos repelle do seu san-
tuario. Eis o motivo porque, ao fundar!
os seminarios, se ella tanto instou pel en-
sino da doutrina ; nao foi menos solicita em
preparar a santidade dos seus mimstros por
meio de educagao moral e religiosa, e ex-'
perimeiitar-lhes a vocacao em longo tiro-
cinio.
0 sacerdoeio na igreja catbolica, oto e
um privilegio de carta corao entre os indios;
nem ainda uma honra de tribu como a ti-
nha Lew nos israelitas, e nem mesmo uma
profissao do hnranca de pais a filh >s como
succede nos outros estados da sociedade.
0 seu clero e recrutado entre todos os mem-
bros da christandade sem oistincgao. Se
por escolha Je Jesus Christo um pescadorda
(lalilea foi o primeiro papa com o nome de
Pedro, depois por eleicaoda igreja tambem
um lilho de carpinteiro foi Gregorio Vil ;
um ft I bo de criado de servir, Adriano IV \-
e um mfimo pastor Sixto V. Tem pois, a
igreja, as portas abertas a todas as classes,
e dellas aceita os seus futuros ministros,
exigindo-lbes somente natural e voluntaria
vocagao.
Uouve um tempo em que as famiKas mais
nobres e abasladas j.ulgavam receber bonra
do sacerdoeio, e nao deixavam de lhe dar
um de seus filhos, sendo- por veaes neees-
sario rejeitsl os e nunca pedil-os. Tinha
entao a igreja bens mais appoteciveis do que
os da graca, bonra s mais considered as do
que a simples virtude. Seriara neaso mun-
dana> essas numerosas vocacoes, e vinham
ellas unicamente em busca do ouro ? Nao,
senhores; sejamos justos para com todos.
Nao ha duvida que em outras epocas as
immensas riquezas da igreja eram attractivo
poleroso, e chamavam ao altar a muitos
que tudo lhe trariam menos vocafao inspi-
rada por Deus. Tarminararo essas ambi-
qohs e ainda bem; que ao menos sao hoje
mais generosas as aspiracdes d'aquelles que
ds commodidades domesticas peeferem a
penuria do sacerdote. E', porem, certo
quo tanto as creogas religiosas como a ve-
neragao para com o padre, eram tao geraes
c tao arraigadas em todos os fieis, que em
cada familia desde o pago real ate a humilde
cboupana, ao marcar o destino dos filhos,
o pai roservava um para a igreja, e nfto era-
esse o que se julgava lesado na distribuicao.
E' por esto modo que se mantinha um
reciproco a flee to e auxilio entre a. igreja e o
estado, e nunca um era tido pelo outro em
conta de estranbo, e muito menos de inimi-
go ou adversario. Com razao, pois, a igre-
ja lamenta, nao s6 a falta de ministros, mas
ainda mnis que lh'os nao deem as classes
elevadas da sociedade, aqdellas q-ie consti-
tuent a forca da nagao pelos seus baveres,
pela sua sciencia, pela sua influencia moral,
civil e politica. Diz um escriptor fpancez
dos mais abalisados e insusp*fo.-tteste easo,
porque 6 secular e publicist* : Nao deve
a igreja reerutar os seus ministros muito em
baixo, porque entao nao teem elles nem a
urbani laJe, nem as maneiras de bomens
bem educados; e sem quercr antepor a
poli lez d virtude, e* certo que pra quifa
igreja tenha na sociedade a influencia que
lhe compete, precisa que a virtude dos
seus ministros nem seja grosseira, nem
selvagem
Feli mentc para n6s, senhores, ( seja-nos
tambem pormiltida alguma vaidade nacio-
nal, que mais oc na apparencia ] felizmen-
te, digo, para n6s nunca foram insuperaveis
as barreiras entre as div^rsas classes da
sociedade portugueza, e hoje desapparece-
ram dos costumes assim como das leis; e
se a sociedade nao pedo d entrada os per-
gaminhos a quem se apresenta, muito me-
nos por elles pergunta a igreja. Erabora
veja ella com algum sentiment., quasi estan-
cada hoje uma fonte outr'ora perenne para
a sua miiicia, rcsta a outra. que nunca lhe
faltou. Nascida do povo, pelo povo abra-
Qada e conservada, d'elle tambem lhe ivrd
o sacerdoeio digno da sua missao. Ojino
nos primeiros seculos, seja do pdo a sua
cruz, sejant de barro os seus calices, mas
tambem permitta Deus que, como entao,
seja de ouro o corac/io dos seus ministros
Bemvindos sejais poU, serninaristas,
aspirais ao sacerdoeio com sincera vontade
de cumpir osseus oncargos pelo desejo de
servir a Deus e d igreja, e pels/ a;nor ds
fuuecoes eccbisiasticas mais do qoe a inte-
resses, que nenhuns tem a dar. E' com
esta intcnedo que vos apresent us n'esta casa;
e com a mesina que ella vos recebe. Se,
por^m, em qualquer t<-mpo conheosrdes,
quecimfun lisiesuma lig.-ira inclinarao com
a decidtda vocagao, e toinastes por apr>ld
natural para o ministerio ecclesiasticoy o
que era auto ignorancia dos seus deveres,
entao nao accrescenteis ao- erro um crime,
que tanto 6 o ordenar-se ^aIre som (era
necessaria vocagdo.
. E' crime para com Deus, ao qual se inr
poe como sou ministro a quoielle nao cha-
ma ; crime para com a religiao, continua-
mente accusada pelos delictos dk>s seus sa-
cerdotes: para com a igrnja, cujos precei-
tos incessautomente transgrtdenv:- para com
o estado, no qual o mdo padre e tambem
mdo cidadao : para com os lieis, escandalisa-
dos sempre e por vezes descrentos com os
seas desvarios; e por ultimo, crd'ne para
corasigo proprio, eavando a sua ruina com
um passo imprudente e precipitado, mas quo
uma vez dado nao ha recuar.
Nao ma leveis pois a mal que, cent a ins-
tancia ainda mais de amigodo que deprelado,
ndo efftindeji os principios fundamentaes da
moralidade e boa disciplina.
0 aproveitamento ndo se perde s6 pelo
descuido de um dia : a not.i de applicagdo
ndo e riscada s6 pelo deleixo de uma vez:
a piedade religiosa para com Deis, boa mo
rgHra.do para corasigo, indole benevola para
com os outros, e ubediencia para com o-
superiores podem dar se na mocidade sem
quedeixe por isso de ser leviana, impacien-
te, incauta, irreflcctida e. fogosa. Sdo de-
feitos proprios dos verdes annos, mas care
cem de adverteucia para ndo degenerarem
em outros tantos vicios
Ouvi, pois, com gratidao os conselhos dos
vossos suporiores quando errardes ; >ecebei
com docilidado a admoestagao quando de-
linquirdcs ; e se o erro ou delictochegar a
mereccr a correcgao do castigo, aceitai-o
sempre com o esdirito christdo de arrepen-
dimento pelo passado e bOra proposito de
em- u -a para o futuro. Longe de '6s o sen
timento da inlifferouga, e'o nao vos vexar-
des com a rcprohonsao ; mas ao sentir-vos
huini'.iado, lembrai vos que e mais a cul-
pa do qje a pena morecida que vos deve
MMrergonhar, e quo- a mdo quo castiga e
sempre de bom amigo.
Pela minha parte, semin ristas. bem ten-
des visto quo jimais me reeuso a ouvir vos,
item me eufadam voss >s desej is la pude
OMiburar o vosso conf.irto e bem estar nes
ta casa, e mais ainda espero co.-iseguir se
Uwus a-~si:u m'o concede. Na> merce/i
iouvores ; pois tudo d:vo ao mais affeetuo-
so e de.-intoressado au*Hio ; mas a viva fjra-
tilao con que reecho fcto relcvantes servi-
gos, e a divida impagavei qoe jd tenho csn-
trabtilo por amor de v6s deve ser-vos pe-
nhor o itKtisseguro ile que- sots para mim,
0 quw tenho de mais caro & diocee como-
I>relado.
Assim os considerareis, tambem, dignos
professores. vice-reitor o prefeitos, o assim
vo los reeommeiKlo. Nao careoe uor certo
o vosso afclo da ser excita lo ; careco, po-
rem, eu ao lado vosso nolosravol empenho do pro
.'inovenles instrucgao, aproveitam-nto e
edueagao destes nossos serninaristas-. Nellos
estdo deposrfadas as esperangas dssta r>Ii-
g*>sa diocese, e da igpeja catholica^ eu na parte, pequena se Hie c mtarmos o
nwnero dos bfcis, granJb pela delica^do que
lhe consagrara.,
Nao serao balda las sssas esper.wgas;
ouga Deus as praces que-ae^trt dia lhe diri-
gimos aos p6s do-altar e abengdeo trabatho
de todos, superiors e alumnus, no emto
lectivo que vam >s principiar.
Nao torminareraos o acto religiose e litte-
rariodeste dia, sem apresentarmos os mais
eu vos pecommender que esto tempo de pre- cordeaes agradeciraent-i a tc*>as as;psses
assim ecclosiasticas- como secuiares, que
bonraram com a sue-presence
Porto, 5 de outubro de 1873.
Americo,. bispo do Porto.
a sciencia ecclesiastica seja
preparagao para a ordem.
paragao para
sobretudo de
Sondai bem attentamente a vossa conscten-
cia ; reparai que as obrigagdes do semi-
nar io sao uma leve sombra das que vos ha-
de impor o sacerdoeio;- e pela facilidade ou
repugnancia com que acuttais as de agora
podeis araliar se Deus vos conviila para as
de futuro.
Sem pretengdo a enunebr principio novo
e deaconhecido, antes nao receiando repetir
axioma, eu vo-lo affirmo sem medo de urn
dia ser desmentidoquaieoalumno em
quanto sem in arista, talalle depois serd como
eeclesiastico.
Ndo serd zeloso no culto quem achava
pesa das as de vogues do seminario : nap auar-
dard o decoro clerical, quem nao conut*
a gravidadw.embora juvenil e alegra^em
quanto ordeoando: ndo terf cuidado-em
conservar e augmentar os- coohecimentas,
quem tinha-na conta de muito bastante osa-
tisfazer ao iudulgonte professor: jd livre na
sociedade mal obedocerd quer ecclesiastica, quem se naosoube sujei>-
tar a um regnlamento disciptinar; e por
ultimo nunca obterd deestranbossympatbia
ou estimate nunca se fara aceitar cemo
bom pastor, quem nao pode inspirar ami-
sade ao geueroso coragao dos eondiscipulos,
e delles fazer-se receber como bom compa-
nbeiro.
Ndo quizera eu, serninaristas, que minbas
palavras fossem tomadas em sentido nimia-
mente rigoroso, e que esta exhortagao im.
primisse desalento em qualquer de v6s jyi
gando-se menos digno da aha posigao a que
se desiina, por ndo se sentir tao peofeito
quanto era para desejar. Bem sabeis que
do presente depende o vosso futuro, ceo
meu maior empenho-que desde jd o prepa-
res o mais> prospero e util para vos e para
a igreja.
Neste de^ejo me acompanbam e comigo
cooperam todos os vossos dignos superiures,
cada um na parte que Ibeestd attribuida;
nenhum dc n6s, porem, affrouxa nem em
desvelo nem en afleigdo para comvusco,
emboca de vez em quando apparacara faltas
aque se p6de dar desconto, em quanto se
VARIEDAM
MISCGLANEA.A.censura (hrainatica de
Londres acaba de prokibir alii, a repreen-
tagdo do drama de Legouve A* duas rai-
nhas, em que entrava a tragica Ris-
tori.
Di^umafolhaestrangeiraqueestdpres-
tes a installar se o maguiiico telescopio des-
tinado ao observatorio de Washington. A
nova torre e cupula em que deve ser collo-
do estdo terminadas, e concluidoo objectivo
que 6 o maior do munio, pois tem t> polle-
gadas e meia de diamelro e 32 posde dis-
tancia de foco. 0 custo do novo rastrumen-
to, com o niachiuismo indispeusavel, serd
de uns 30,(M) duros, e o da torree cupula
de uns 12,000. Alem disso, o referido ob
servatorio torn adquirido novos opparelhos,
a Gm do observar a proxima passagem do
planeta Vaaus.
As bod as da g:&-duqueza Alexandra
da Russia>com o pnncipo Alberto do Ingla-
terra vdo ser celobradas nao so gooi a pre-
senga em-S. I'etersburgo, da rainba Victo-
ria, mas Umbem com as dos bnperadores
da Austria e dos principes herdeiros da
Allemanha, e irmdo&do duque ds Edim-
burgo.
Pelo ultimo censo que sefez da po-
pulagd* de Madrid, ve-sc qua na referida
capital ha 335.549 almas. O uumero de
estraugwros alb residentese de-a,3j>0.
Goraram-se asprimoiras oxperiencias
feitas pelo chimico Harrison para levar d
Inglaterra carites conservadas fi^scas, prooe-
dentes da Australia. 0 uavto que as coit-
duzia tardou 69 dias, e aos trinta, as carnes-
corrompidas, tiveram.de ser langadas ao mar.
0 douior, porem, ndo desiste da sua tentati-
va. crendo que esta experiomiia foi feita em
mds condigocs. Outro chimico bespanbol
estuda em Paris esta questdo interessantissi
ma, para a humanidade.
Confirma-se a noticia de que Bismar*
o Andrassr se pozeram de accordo sobre a
eventualiuade de uma eleigao de pontifice e
acerca do restabeleciment i da monarchia era
Franga.
Jd partirara de Inglaterra dous regi-
mentos para a grande expo ligao contra os
ashaotees. Tambem foi mandado o novo
caminho de ferro que deve collocar se ins-
tantanearaenle na Costa de Ouro e cujo rails
pesam a quarta parte dos carris ordinarios.
0 general sir Garnet, me commania a ex
pedigdo, deve t^r jd chegado d costi de
Guine.
Os jorn es inglezes referem que os in-
transigimteii deCarhiagena capturaram o na-
vio mercantc inglez Bilbao, pertencento a
uma casa de Liverpool, apropriando-se do
neu carregamento e fazendo prisioneira a
tripolagdo.
Ntufragou o paquele inglez lsmalia.
da linha do Ancre, durante uma viagem do
Nova-York a Glasgow. 0 referido vapor le-
vava a seu bordo 42 posaoas, entro passa-
geims e tripulagao. 0 casco valia 50:000
^, eo carregamento calcula sc em outra!
50:000 2?.
Dous commerciantos, quo dirigiam
u na imporUnte casa de coro>nis-s6es no
bairro Pissonie're em Parts,-fugiram ha
lias, deixando um enorme deficit, de que
serao victimas muitas casas bancarias dar
quella cidade. As autoridades teleg-raidia-
ram immediatamente para as fronteiras para
aerem presos os -fugitives, porem aiu la ndo
S3- podeia con eguir agarra-los.
A agricultura em Franca, com os seus
ccre8Fos> assucare^, vinho, fructas, legumes,
alcocls, cervejas, eidras, saettes, tabacos e
plantas industriaes, produ-z uma totalidade
annua4 de 6 a 7,00t) milhoes comprehendendo o valor do rendimento do
gado, efcva-se de 9 a 10,000- milhoes. A
I'ranga possue 17,00f> kitomeiros de cami-
l)0 do ferro, 38.000 de estradas- nacionaes,
4<8,0 '0 de caminhos provinciaes- e 12,330
de' rio e canoes navogaveis. Na grande in-
dus'.ria Iran eza empregam-se do 13 a
14,090 00O de operarios e 600,000 cavallos
de vapor.
Nn prisdo principal de Amsterdam
acham-se 1,080 presos, dos quaes 758 sa-
bem ler e est^rever. Isto prova que a ins-
trucgao preliminar desajudada de conbeci-
menfcs pratictw e dos principios de moral,
e tdo perniciosacomo a ignorancia.
Bstd-se coHBVroindo ua Escossia uma
ponto colossal, a maior que ate agora se
torn cosstruido ncmtin lo, exemplo do po-
ler da indusUia, moderna, earn quanto a
obra ndo tenha n^ahuma innovagdo impor-
tame na sciencia da-engenheira.
Entrara- ua coestrucgao 6,290 tonela-
das de femt, 2,550 raetros cubkos do pe-
dra, e ^000 metros cubicos de ma-
deira.
Os empreiteiros obrigararQ-ie a dar a>
obra conctuida por tedo o anno de
11874.
SUICIDIO. Os artistas do theotro de
XJhatsaux-itEau, em Paris, conduziram em
& de outubro ao ccmiteriod'lvry.uma pobre
rapariga, dancarinado rnesmo tbeatro e que
:eontava apenas 19 annos, chamada Blanche
Maletrez e que se suiciddra na vespers no
meio das ciroomstancias as mais tristes e
dssgragadas.
Mile. Maletrez, tinha urn Glhinho de um
anno, que ella adorava e ostremecia. 0 fi-
Bia morrera Esa oito cHas. Na manhd se-
gninte a pnbre dangarina-fiii ao cemiterio
do Pere Lachaise, seguirnto o pequeno cai-
>8odofilho e anoite foi ao tbeatro como de
costume. Ia triste, desfigurada, e o sulco
des lagrimas dMunciava- se profundamente
apezar do pee- dc arroz & do carraim das
faees.
As companbeiras acolboram-a com muda
sympathia.
Olhem bom para mim. diss^ ella, em
oite dias irei ao encontro do meu pobre fi-
lUomas como o contra-regra a advertio,
FOLHETIM.
LVCEECIA SQB&U
MEMORIAS OE SATANAZ
POR
, II ttnoel t'ernaiidezy Gonzalez
PBIME1RA PARTE
O GRAN-CAPITlO.
XVIII
l> GRAN-0AP1TA0 METT1D0 CONTRA SUA VON-
TADE, N'OMA INTMGA QUE TINHA POR BASE
O AMOR.
(Continuagdo do n. 268)
Qrado me levantei eu d estas horas?
\ ,rdade e que dormi muito pouco ; deitei-
me ds s-s da manha e o caso e" que estou
inoido como se tivesse passado todo o dia a
tavallo e em batalha. Ah I mulheres I
m!heresl prefiro estar em guerra com os
turcos, com os francezes, com o mundo
ioteiro, a 'er negocios com ellas. Que noi-
to I Que noite e q''e tros mulheres I E o
cas 6 que ndo posso esquocer-me de ne-
ikbiiina. Lucrecia parece-me um demonio,
mas que demonio tao formoso 1 Angiolina
.- mo, Isabel embnaga-me. Esta Roma
ic'( onvflrteu me n'um Iibertino. Que
'ohajkilher se me visso n'e-.tns aven-
.lulgaria que a ndo amo, o qu'5 ndo
a. E sendo vejamns. A minha
. sfnhora D. Isabel estd sempre ca-
uas damns, do'ando as bem, e
Cfivi nt-lo is corn os maridos para longe da
i porque razio procede assim a
, ibel ^ Porque o meu s>*nhor o
-nando galanteia as suas dimas, e
a rainha, para evitar os galanteios do rei.'da sua patria.
desfaz-se das suas damas, do melhor modo Havia n'isso outro interesse ainda, e esse
interesseera ABgiolina.
Era fora de duvida que Lucrecia se apo-
que po le. Quer isto dizer quo o meu se-
nhor e rei nao ame com toda a sua alma a
di
san in
rainha? Ndo, rail vezes nSo. Quando a derara d'ella,e Gonzalo interessava-se mais
rainha adoece, o rei adoece tambem e fica'que razoavelmente pela formosa joven.
de mdo humor. Pois se isto acontece com' Nao podora esquecer aquella tez alva,
um rei tao christdo, tdo bravo e tdo caval- suave, transparente, aquelle olhar puro ej
leiro, porque hei de envergonhar-me u de apaixonado que se havia pousado n'elle
me achar de volta com tres mulheres 1 Nem com amor. No pensamento do gran-capitdo
que fossem trezentas... minha raulher estd Angiolina era essa tentagdo com a qual lu
longe... acho-me em campanbae... ndo tamos obedecendo d nossa consciencia, ape-
sei mesmo o que deva fazer. zar de que isso que se i hama voz secrete, o
A verdade era qua o gran capitao sentia sentido intimo, nos diz que a tentagdo com
lisonjeado o seu amor proprio, vendo-se o que lutamos ha de vence la.
alvo do amor das tros mulheres mais for- A luta n'estes casos 4 tdo somente um
raosas de Roma. tributo vdo que prestamos d nossa conscien-
Isto nada tinha de estranho; Gonzalo de cia* .
C6rdoba reunia em si todas as qualidades ^ por tornar a verAngio-
necessarias para agradar ; possuia tudo 1,na
quanto um homem pode possuir para ser Em quanto d duqueza de Urbino, encon-
araado. trara nfella um encanto, uma voluptuost-
A mulher 6" toda vaidade ou coragao, e dade que haviam sido para elle, ate entao,
Gonzalo de Cordoba era o homem mais um mysterio.
proprio para ter sido, se quizesse, o amante Quer isto dizer quo o beroe fdra colhido
universal. pelo diabo, com uma tripbee garra compos-
Por outro lado era um profundo politico, ta de tres mulheres.
um grande homem de estado, alem de ser Onatudo. nio esquecera ainda a missao
um grande general. que irouxera d Roma e por cousa algu-
Corao politico, como homem de estado, ma do mundo, faltaria d essa missao.
corao general, comprehendia que lhe era Felizmente, aquellas tres mulheres que
conveniente romper langas com uma mu- se lhe revolviara no pensamento, podiam
lher como Lucrecia, que alem de ser de servi-lo, pela sua posigdo, para chegar me-
fai-to a rainha de Roma, era temivel pelo lhor e mais promptamente ao flm que se
sou talento e pela sua valentia. propunha.
Uma de duas ; ou Lucrecia se apaixouara Gonzalo vestio-se com todo o apuro dc
nor elle, como parecia demonstra-lo e ter- um galan, oque n3o levou menos de bora
soapoderado de Angiolina. ou pretendia e meia, e depois mandou chamar o alfores
seduzir Gonzalo. Maldonado. .
Devia, pois, cslc encobrir-se, csperar, Quando aquelle se apreseotou, disse-lhe
observar, tirar o partido possivel das suas Gonzalo '...,
relacoes, fossem quM fossem, com aquella Hontero d noite deste-me parte de que
tremendji mulher, cm favor dos seus reis e se haviam visto arcnotes o homens a ca-
----------------- p.. :---------i | .M
I IminM jfci,
->',-
as noites e
ante-hontem ndo
entrou em scena e dangou o seu solo-no
Patte k Coeo .
Depois continuou a ir todas
sempre triste, ate que
appareceu.
A pobre mai cumprira a sua promessa.
Afogara-se no eanal Saint Martin o fdra en-
eoutrar-so com a loura crtauca que perdora 1
QUE ESTftOINA A virtude de MUe
Pierson escapou milagrosamonte a noite
passa 'a. Felizmente ella estxva ausente...
Mile Pierson, entenda-se bem, e ndo a sua
virtude !
Como dtsse, Pierson, nao estava em casa,
linha ido para o campo e os raios da lua,
livresde nuvons, reQectiam-se sobre es&tim
gris-perle do sou quarto do dormir 74
boulevard Haussman segunda janella do
lado csquerdo.
vallo pela raagem direita do rio, na direc-
gdo de Borgo-Eortesse. Mandei quo fossem
observados e quero saber o quo Gzerata.
Jd leria dado parte do resultado d'essa
commissdo k vossa senhoria, se nao estivesso
repousando, respondu o alferes.
Muito bem, vejamos.
__Mandei o cabo Navascue's comquatro
cavalleiros, pela margera esquerda do rio,
e elles tirara que aquella cava^ada, na
qual ia mna dama, entrou para o antigo
palacio que ha no campo, junto do rio, 4
meia legua de Roma.
E Navascues voltou so com essas in-
formagdes T
Ndo seohor. 0 palacio perraanecera
silencioso e completamente asescuras. Na-
vascues, que e* um soldado mui bravo, para
observar melhor, determinou atravessar o
rio, aproximandc-se do palacio, o que effec-
tuou mettendo d agua o ca vallo, sem cm-
siderar que podia Gear enterrado no lodo
da margera. Fel zraente ndo havia lodo e
pode ccultar-se entre umas arvores junto
da porta d palacio. Duas horas depois, re-
soaram passos de homens no caminho ou
alameda que vai dar ao palacio. Os ho-
mens bateram A porta, es-a abno-se, e, gra-
ces d luz 'que tinha na rado aquelle que a
abrija, Navascues vio que tiravam de uma
liteira lima dama,que, segundo parecia, leva
vam i forga, fazendo-a entrar para o palacio
cuia porta se fechou. A liteira e os homens
voWm pelo mesmo caminho. Navascuds
atravessou de novo o rio, enviou-me um
siil lado para dar-me parte do que tinha
visto e licou ainda occulto entre as arvores,
observando o palacio Fortesse.
Muito bem. Ren la-sc esta noite Na-
vascues e os que estdo com elle e continue-
se observando o Borgo-F&rtcsso o mais pro-
ximo que seja possivel, procurando que ndo
saia d'elle uma pessoa sem ser vista. So
os que sabirem forem homens, doxem-n'os
ir, mas se do palacio sahir alguma liteira na
qual possa ir uma dama, sigam-n'a ate* aonde
ella parar, sem com tudo deixarem de ob-
servar o palacio. Diga a Hugo de Monca-
da que vou sahir, que ndo sei quando volta-
rei e quo entretanto governe a gente d'ar-
raas.
Serdo cumpridas as suas ordens.
E o alferes Maldonado sahio, seguindo
ap6s ello o gran-capitdo.
Au descer as estadas do Vaticano, Gonza-
lo notou um certo movimento estranho :
homens quo sabiam e dosciam apressados,
entrando e sahindo dos aposentos do santo
padre.
Que serd isto? Que so passara do no-
vo ? disse comsigo mesmo o gran-capitao.
' E continuou descendo.
Ao sahir do Vaticano. *io a poote de San-
t'Angelo completamente cheia decuriosos.
No .rio, alguns poscadores do Traslevere
vogavam nos seus barcos em differentes di-
recg6es, doitando-so d agua e procurando.
Jd sei, disse o gran-capitdo, procuram
o duque de Gandia, e visto que o procura n
tdo abaixo 6 signal de quo percorreram jd
inutilraente o rio desde a ponte de San-Sixto
ate d de Sant'Angelo.
Depois, dirigindo se a urn dos curiosos
que estava na margera do rio perguutou :
Ndo se oncontrou ainda cadaver al-
gum ?
Sim senhor, respondeu o interrogado
3uo tinha cara de sacristdo, desde o meio
ia todos os barquoiros do Tiber andam pro-
urando o duque de Gandia que dizcrr. foi
assassinado clangado aorio. A busca tem
se feito desde a ponte de San-Sixto ate a
ilha de 6. Bartholomew tirando-se jd dez
cadaverof. dos quaes s6 cinco eram-recentes.
Os ontr 5 eslavam jd dentro d'agua ha mui-
to tempo o nao chi||Sfl.!|i nada bom.
De repent* om visinho frontoiro qu<)
olhata por acaao p*n alii, ve uma sombra
negra trepar pela frofltana da casa o.galgar
o parapeito da janelfa.
Old, disse elle, e Alraaviva que prd-
cura Rossina... A lua e que estd {endo bem
in Jiscreta para aquelle amorosoif
Entretanto a sombra quo eaa^a de uni
rapaz joven e elegante gosticulava febril-
mente soliaudo de v.-z em quando palavras
soltas e sem nexo.
Almaviva e poeta, disse 0 visinho.
Passada ineia hora um som crystaliano,
como o de um vidro partido, altavessou
para o outro lado da rua.
Almaviva, atrazdo primeiro vidro partic
o segundo e depois o terceiro, exclamaodo-
no fogo da paixab.
Abri Blanche, abri... chamo-mc
Paulo I
Como na > tivesse res post a, o impaciente
namorado pass m dos vidros aos caixdhos,
que coraegaram a ccder.
N'este moraento a lua que desejava dor-
mir, puxou sobre os olnos o seu barrete du
nuvens e desapareceu de todo
0 visinbo nao vendo mais nada, descent
e for d casa do porleiro de MUh. Pierson.
Subiram conde Almaviva, ajoelhado em freute dtr
um fauteuil fazendo uma declaragdo apai-
xonada.
Citico minutos depois era eonduzido ao
posto de policia do boulevard llaussmann
um pouco muiios embriagtdo, pete surpreza
e declarava ehamar-se Paulo B.
Paulo B... tinha encontrado eB meio
original e noctUrno de fazer sentir' a su,
aha e disliucta consideragao d encantedoni
intcrpretre de Dyimis filho.
TERRIVEL DESCL'IDO. 0 trisie cmr
quo vai ler se paesou-so a'u.ua diligencia
que seguia de Pezezas para Lacaune, e" i*
referido pelas folhas- francezae do seguinte
modo :
/Era de noite. Urn dos viajamtes levavtr
por debaiso do logar quo oceopava, umo1
vasilba com espirito de vinho
0 carro fez um solavanco ; *> vasilha caic-
e partio-se, espalhanlo oalcool.
Occorre'ao dono a idea-de salvar algum.
Accende um phosphoro, e sent mais reflexdo
aproxii-se do liquido.
No mesmo mstante uma lbgueira enche
a diligencia.
0 fogo e o panico toraam de sobito os
novo viajnnles, bomens e mulheres,. que se
achavam entallados naquelle estreit> recinto.
Gritos de dor at roam os ares; mar nin-
guam sabe quo fazer. Apenas um censervu
o sangue frio sahindo para fora sdo e salvo.
A este tempo torn > cocheiro parado.
cortado os tirantes que prendem o gado, 0
scudido aos ineendrados.
Os viajantes do cou^e sabera precipitaaa-
mente, e vdo tambem em auxilio delles.
Conscguem emlim tiral-os para fora da-
quelle purgatorio improvisado,. mas todes
fendos, ha vendo muito poucas esperangas a
respeito dedoos.
Noloa-se uma pobre mulher, que saindo
para fora u'uro- estado lastimosav-tet o seu
primeiro cuiJado tratar do Glho edo mari
do, nao fazende caso dos seus feneaentos.
A diligencia, com as bagagens-de que ia
carregada, foi devorada em pouco tempo
pelas chammas, que o vento atea-va cem
furor.
Apenas as rodas ficaram inteiras.
O form e ztneo appareceram fundidos, os
vidros voararaem pedagos. e tudo mais se
reduzio a cinzas, que mesmo vento espa-
lbou pelas montanhas.
Eis como um pequeno descuido, uma
irrefiexdo momentanea, deu lugar a tdo la
mentaveis desastres, que alias podiam ser
maiores.
CHOLERA MORBUS. 0 joraal Timei
de Shreveport dd algmaas noticias relativas
aepidemia dafebre amarella que actual-
mente assola os Esta los-Unidos.
0 numerodos mortos e" consideravel. A
niortalidade e sem preeedente e poacos ata
cados estao em condicees de se restabclece
rem ; a maior parte dos doentes estd entre
a vida e a merte. Citam-se alguns exemplos
de familias inteiras que desapparecerara no
cspago d'urna semana.
Uma rapida variagao atmospberica foi
fatal a cresci Jo numero de pesioas, o que se
explica pelos numerosos enterramentos des-
tes ultimos dias.
Na maior psrte dos casos, os tratamentos
medicos nio melhoram o doente. Alguns
ha que parece sentirem grande allivio, mas-.
e momentaneo: mas-em poucos tnomentos-
sobrevem a morte.
Todos os armaaens estao coovertidos em
enfermarias, todas as casas pirticulares-sao
verdadeiros hospitaos.
Emfim, Shreveport nao e mais que- um
grande hospital e um vasto cemiterio.
Effectivaraente. esta aqui um cheiro
desagradavel, disse com ropugnanciao gran-
capitdo.
Pois olhe, proseguio o sacristdo, esse-
mdo cheiro prov^m de uma mulher quo
tiraram debaixo da prate de Sant'Angelo ba
uma hora. 0 cadaver quasi que temso-
ossos, o que prova que foi lancado ao rio
ha muito tempo. Estd em tar estado quo
se ndo pode recoobocer, uns amnletos. que
tinha comsigo, fizeram com que uma uma.
que estava na margem do rio a reconbecesse.
Essa irrad 6 uma famosa cigana chamada
Marietta, que vi e junto das Termas de Dec -
cleciano, feiticeira afamada que, segundo
dizem, adivinha onde estdo as eousas ou
as pessoaf que se perderam, resuscita os-
mortos e muitas eousas mais.
Pois se adivinha'onde estao os que i
perderam, e pode resuscitar os mortos, distie
rindo o gran-capitao, ndo quiz tirar do rio
nem resuscitar sua irrad.
Isso ndo sei eu, replicou o sacristio,
mas a verdade e que a inquisigao nao an-
dou bom deixando de queimar aquella
bruxa, ou pelo menos tirando-lha do corgo
d forga de exorcismos, a legido dedemonios
que alii habiUm. E' de crer, por6ra, que
ndo soubesse que a i'md estava alii, porqio
quando a reconheceu pelos araoletos, suite iv
ura grito e ouviamos quo dizt :
Estavasalli, desgrac;Mla. e durante um
anno busquei-te em vdo, e debalde Segui 3s
pasos de Oi-sini I Maldito sejas, miseravel,
assassino Orsioi I
Onde vivo e^sa Ceitieeira? perguntou
o gran-capitdo,
ContuiMr-se-ha.
CMfl


I

TVP.DO. HiAlUO RUA DUQUE DE CAXU;