Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18420

Full Text
v.-
;

.'
\
>
Stt.Ger.rdo AatonioAlTeedFilhos,no Par*; toncaJves d Knto, no Maranfaloj Joaquim Jose de OUtejrtdKlho, no Cetri; AnlJ^4te Lea^. Ir^.. no Amatj ; Jo*, aria Julio Chare., no Aa; Antonio Marques da SiWa, no Ratal; Joaa Jaat
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, aa Parahyha ; Antonio Jose Gomes, na Villa da Ptfca; BeJarmino do Santos Buicao, em Santo Antao j Domingos Jote da Costa Braga, em Nazareth;
Antonio Perreira de Aguiar, em Goyanna; Joao Antonio Maehaeo, no Pilar da* Alagdt; Aires d C., na Bahia; e Leite, Cerquinho d C. no Riojde Janeiro.
nm oiticial
30UZ1
fiavera* tin provincia.
fSMOjSWB to dia 13 dr ssrrMBRODK 1873.
i /.* tteakt,
Oaefos:
'AoExm. briga loiro c >rarr.irld*la sirva-se v. Exc. de exindir as anal ordens, afira
"i e \ pracas de ism i is corpas de i*
linha se apr-seutem na casa da det'ocao amanlri
as Thoras do dta para receber <> "riminoso Jesuina
rtozerra d> Kenans Batalha, a escnlta lo ate o
icrrao de Nazareth, onde tern de >3r julgado.
Art raexmi. -Sirv.vse V. Rsc. da mandar
i'oiteira. qne pravan isencao legal.
Ao mesmo. Transmitto a V. Ex?, para os
icridns tins, as guias junta* rma vieram annexas
^o ofllcio do couuuan l.tiiu do presidio de Fer-
nando do Noronba, de S3 do rae; nroximo passado
ob u. 30*. v
Au-'mesmo. Sirva-se T. "Cxc, de manlir
i^r am lit* Made o teernta .'oao Aniouio de
Saat'Auna. qua prevou isencao Vgsl.
Ao anit^iili ir das ooras militares. Dafe'
undo i) ro ;: iriiitcutu de Dot::ago* Franscisco
Curies, aobiriM Viur., i** tfnnps de sua infar-
nacao de 9 da eorrente sib r.. 14, a induir nn
eatraeta calehrada ci>n o supplicanfcj, para a
aiadura o pintura da (brtaleza do Brn.a, a clau-
#ila do qua o sea pagainento scrt effectuada cm
res pre*ta;oes igiues, realisaveia no earner,
ito main a depois la eooclqs* > daquella service,
itrestan-lo o mo ^cautele oj titnitm da fawnda.
Ao camul deS M. (sritack .*. Em resposta
.^) ulAcio MM ua daii de bootem me dirigin o
Sr. Bentinck W. D.iyle, consul de S. M. Bntaniea
testa proiuci, cal* me di.rr we na taguada-
iwra 15 (!> c irrenie ao ntaiodia receberei com
uaito#razer a visiUdoSr. C H. Buckle, com-
uiandanta da canh'>neira iiigle~.a Crtcktr. Com
da provincia, na razao das distancias a a vista dos
pret* que Hie forem apresentados.
Ao mesno. -Transmtio a V. S., para os fins
convenient^, o incluso decreto de immaa$ao de
Joiu M ir; lei do Freitas para o logar de 3.' escrip-
lurario da alf.uM-ga d'esla provin-'ia, afim de
que o faca ubtiiuir fielo ipio, par ommoon,iav>
nieara para o lit > lugar a Ji.ii Pinto de Freitas, a
que dee ser devolvid > ao goveruo imperial.
Ao mesmo -Tindo nesta data autorisad" o en-
geniieiro das ohras militares a contractar com Do-
miagiM Fraaeisco Dories, mediante o abate de 10
"/, puf elle oflerecido sabre a ijnantia de l:i(J! iOlO
em quc astao or^idas a cai.tdura a pintura da
fi>rlalt/.i da Brtim. e b mi assim resoivido, de d>a-
fanr.id ido com a sua inforinn;"io de 29 de ag sto
ultima, sob n. 48 serie E, qua o pagamenlo do refe-
rido arremat into seja air ctua4 em tres presta-
foes igoatts, reaiisavaii no caataco, uo inelo a de-
p iis da eooetusaa d'aqaelle xervi.^j ; assim o com-
munii-o a V. S. pira seu conhecimento e direc-
cao.
Ao inspector da tbesouraria provincial. -Mau-
de pagar V. S. ao eapitao Jjse Firmo Pereira do
Layi a quanua de 60WOO on que importou a
alugutl de 6 mazes da casa que serve de quartel
ao destaeametta do districto de Petrolina, sejtun-
do solicitou o Dr. chefe do policia em otfleio do i i
do eorrente sub n. 1591.
Ao mesm Tendo o Exm. Rvm. bispj dio-
cesano 4eclarado em officio de 11 do convntt que
n'essa data exonerara, a sen pedido, o Rvd. M.i-
Doal Je Harlins Alves de Carvaluo da fregaezia
de Pao d'AJtio, e nomeara para substituil o o Rvd.
Joao Olympio .le S iuia Lyra; assim o comraumco
a \. S. pra seu waltecimenti e devido- tins.
Ao mesmo. Toudo o director da escola nor-
mal daclarado em outdo de 14 >Io correnie, haver
aessadata desiguado o Dr. Jose AustregailoRodri-
aues Lima, professor da 1/ cadeira do 3. anno
da mat a escola, para substituir o da 1." cadei-
ra do 2.' anno, 0 baoaard Maximiano Lopes Ma-
chado que entrou no gozo da licenra de 8 dias,
conredida par esta presidencia; assim "o commuui
s! m>tivo ren-ivo ao Sr. Hontu-.k as segurancas ? a s- l,ara ,e'i conhecimeulo e (ins couvc-
i^ ainha perfeita estima e lUatlncUi consideracao.
Actos "
- O presW.mta da provlu:ii, altendendo ao
}ue requereu oalferasd) I- baMlhao da infan-
ria da guarda lacional delta mnnicipia, Gut-
harma da Silva Guiinara<, a i vista do que in-
lafmou o rospectivo coiiunauti-'.iKa snperior em
rffteio n. tt-lO daft da corrany, resolve eonoeder
ao (ht'i alfercs taiis um anno da iiceoca para po-
lar continu>r na Europa, otid: a a:lia
O prasiilente da proviur.ia, do conforniidado
i a propusu Ao Dr. chafe ds policia em offl-
:o 0. 1890 de li do oarrante, resolve, rectifi-
sn na prop>>3(3 feita. trans-
t^tr pan o aarft de subdelegado do -1 di i" tiruo d* I'jrt d'aAIha- o t;idaiio Francisco Vi-
>ra de Mni/.i, o-xnoada par* i; pas - vlbu.ftierque Ma*jt.araaadj par o >.
Officios ; /
-Aojuizda diraito do l disirielo criminal.
t'ransmitlo a V S, p ira >u ifavidos tins, couU
- Mtfi : i do cam.rian-tanto > presidio da Fer-
'ando de Normha, n. 3)6 d 23 do mat proximo
I'.assado, relativainento ao sectoncia-lo militar,
\ffouso Hibeico da Luna, qu vhio daquella pre-
nieutes.
4.' mcgSe.
Actos :
0 prcsidente da provincia, at'.ondenio ao que
requereu o bacliarel Jefferson Uuabaau de Aze-
vedo Snares, chefe do archive da secretaria da
[reiiiencia, resolve conceder-llia dous mezas de li-
c^nra com ordenado para ir a provincia do Rio
Grande do Norte buECar a sua lainilia.
- O [.-,.-idante da provincia, atteadeado ao que
reriuereii a professura public* da cadeira do pri-
maira* lettras da villa de Ouricury, Lucinda Rusu-
litula de Mclla, rosolve prarogar par tres ineaes o
praso que Hie foi marcado pala Jirectoiia da ins-
truc;4o puuliea, para eotrar no axercicio da rofe-
nda cadeira.
Offi:ijs:
Ao xm. presidente da provincia da Bahia.
0>i leodu uie si Jo apresentada a peti^i'-i iiielusa,
j mandei ouvir a i espeito o jmz do direito das c-xe-
cu(?s, o qual deu a iufurmacao qua par copia ea-
vio, peio que juiguei convenienlc levar tuda ao co-
nhecimento de V. Exc para providaaciar quanto a
remessa da guia respectiva.
Ao Exiu. bispa diocesano. Nesta data dou
sciencia a ihesouraria provincial de haver V. Exc.
Rvm., segundo ctuimunicou me em officio do 11
para esta capital, porter alii assasstnadb do corrante, exonerado a seu pedido o Rvm. Ma-
'otro, d some Manoul Barges.
Ao juiz do direito do Boiqaa. Transmit -
tiafaa Vmc.'o officio junto p)r :opia,(lo promolor
)>ublico dessa eomarca. Ilia ra-Mnimando que pro-
:ada de conformidada com a lai contra oserven-
i.iariads ofiicio da I* tabaUiao a ma is annexoj,
lonou a dita serventia, que toVwa 2er oppartuna-'
aieute posta a concurso.
3.* ttefSa.
OfBcios:
Ao inspector da thasoo/aria do fizeuda. j
t endo nesta iata uegada provimaato ao recursc-
tnierposto p-.r Candida Ca.abaiUa de Miranda
Varejao, no roquermioi.to qac Ihe davolvo e a
tue so refere mis jafornucao d- 11 do mrrentc,
-ob n. 150 serie E, po Imdo* dispensa da muita
ottl qua incorreu pela ini"ra3;iLo do art. 1 do re-
^ulamento de 28 do marco d; 1864*, vista ser a
aaleria de que so traia cootensiosa fiscal, e eomo
lai, da C")inpeteucia dassa ihesouraria ; assim o
teclaro a V. S. para sei ^:nhocimeato e fin?
oQvenientes.
Ao mesmo. Dania piovimmto ao rccurso
a"erpasto pelio major Paulo de AmtriiC Salgado,
iu requeri.neaM quo ill: dovoiva o a que se rr-
rne sua infonriacao d- boat am datada, sot n.
161 serie E, autoriso V. S. a mandar releva-lo
i; multa en que incorreu par ni > haver commu-
nlcado amudani;a de suas jscravas para fora
do municipio, conform) deiormina o ragulatnento
ia da dazem^ro de !*/!.
Ao mesmo. Dando provimento aos rocursoa
I'ltorpoatos por Joao Ferretra ilos Santos, Joaqoioa
Maria da Concei<;ao, bacUafei Arislides Jo Laaoe tenenle-coronel Josi liarmillo Cavalcauk-,
nos requerirnontos que Iho dovolv) ea qua se
'"ferem suas informaoojs d-j 10, llel2doccr-
n*uta. sob ns. 138, li9j lo), 170 serie E, autorisc
v. S. a mandar releva-rC3 di malta em que in-
orreram nor nao haveretD dado a matricula uo
t razo legal os ingenues fiihoi de suas escravas,
lc qua tratam os referidjs raqu^rimentos.
Ao mesmo. Remetta ;r::!-iso a V. S. o passe
le que trau oin seu oti.:'io d'osta data, sob n.
IdJL afim de que tenham f-r^sagens livres na es-
u'ada de ferro de Olicda Beberibe os erapre-
iidos de iinto.
aoel Jose Mjrtms Alves de Carvalho do cargo de
ecadjuctorpro-parochoda fregueziade Pao d'Alho,
c nomeado para substituil-o o Rev. Joao Olympio
de Sowa Lyra.
5' ser^ao.
Aclo:
0 presidente da provincia, attendoudo ao qua
reoaerea a Union Marine Insurance Company
Limited, resolve dispeusal-a di resto do intcrsti-
cio e canceler Ihc tirar a respectiva carta pa-
iccte.
Ollicios :
Ao presidentc da junta do emancipjcao de
esoravoa do municipio do Recife. Incluso acha-
ra V'lic. o requerimanto de Antonio Forqandes
Pertira Braga, pedindo sejam matriculalos seus
rscravus, alia, da que ossa junta o altenda couve-
niealanaate.
Ao engcaheiro encarregado da modii-ao das
terras publicas. Sirva-se Vuic. fornacer os os-
clarecinientes exigidos pela santenca do folnas 21
das autos de medicao a legilimacao da possa dc-tw-
minada < Sttio do Mi-io requerida por .loao Cor
r -L da Silva; cujos antes Ihe reinetto inciusos a
tae eerao dovalvidos.
EX.PEDIKNTE DO SlCRUTilUQ.
/.* seccao.
OUicio:
Ao Exoj. brigadeiro commandante das armas.
I>e ordeoi do Exra. Sr. presidentc da provincia,
ccmmucico a V. Exc, em resposla ao sou officio
desta data sob n. 918, qua a thosouraria de fazen-
da esta autorisada a satisfazar as pracas que se-
guem para a villa de Pao d'Alho, sob o commando
d; um subaltcrno, quinze dias de veucimentos.
2.* secriio.
Otncios:
Ao Dr. cuefe de policia. De ordain do Exm.
Sr. presidente da provincia, transmitto a V. S. os
Mules juntos do numoacao do subdelogados do 2
e 3 districtos do lermo do Pao d'Alho, de con-
formidada com a rectiticacao constante do seu offi-
cio n. io90, de 11 do corrante.
- Ao mesmo. Sua Exc. o Sr. presidente da
{.rovini-ia manda communicar a V. S. que nesta
data expedio as convunientes ordens i tbesouraria
provincial, no scntida do quo solicitou cm seu offi-
cio de 11 do eorrente, sob n. 1591.
- Ao mesmo. X) Exm. Sr. presidentc da pro-

no a qaintia de 65000, imr*}rnnTn'de-ccradne-\:r'
te diver sos object >s da arsenal de guerra para c
qoartel da Soledade ,na ejcformidada do quc St*
!.-itou o brijcadcir.i commaujaaia das armas cm
-an officio do hontem darado sob u. 916.
Ao me-i.io. Traasaiiti* aV. S. os iu .. .-
"Ms am duplicate, para one mande pagar a quern
-e moslrar autorisad-j a !:>;virtancia constante dos
lasaataa, refativa aos vaa;>met(os das pracas do
i>tal!iio ii da guirj.^ aaeioaal deslacadui i.a
. i!i J-j riwre.i, durauiacj lO-izes dc julho e ag-3-
'. segundo so'icitou o respective ccrannii'laots
. riarom officio de d do iorrente.
Ao iDfois >. Manda V. s. pagar, a quea. &s
maslrtr autorisado, os -/cacuncotOB do official o
; is da guarda luciOTal.Jestacadr.s na villa de
l'*roliaa duranU: a ijiaz \t julho proximo findo,
negr.ndo solicitou o rcapeetlwj coiamaudanle su -
! *rior em seu nfli-.io da. :T2 da agosi-j nltim'
Ao masino. Manda V. 3. pagar a quern se iaos -
tin- competeatcmentc aalonsado, a imports via
;.!ai;* d i-. prt't- r nhrt'i lnrln*n^ ri^alivi*
- : ...- dj -.::..:: I):
destacadas na villa dj rriurap'ia duraotoomez
le raaio a julho dh oxcrri'.io findo, na conforuii-
dade do qna aol>cit:>u o resaectivo commandent^
v.iperior em seu offlcio do 2( de agnqto ultimo
Ao mesmu. Do eonfornndadu enm o que oli-
ita o brigadolre commandante da> armas em olfiao
esta data sob n. 91, autoriso V. S. a satistazer :ii
l.i-ajas Jo linha qne iii segulr para a villa d-
Pi> d' jalnze dias de v-ncimeotos quo seraa tirados em
pret especiil, a beia as-hn abonar os venciuicn-
tos da qaaawiner dastacaroentos, que de bo;a em
liaola t'verera de marehar para qualquer pmio
- Ao commanJante superior de FlorrS. Sua
Exc. o Sr. presidente da provincia matida dccla-
rar a V. S. que por officio desta data ordenou a
tbesauraria de fazeada que pagasse a quain sc
tnastrasse autoruado a im()ortincia cousUntc dos
pTets e relafoes que remetleu V. S., relativas aas
vencimentos das prac>s de guarda national, des-
tacadas na villa dc Triumpbo durante os mezes
de maio a julho uUimos, na conformidada do seu
officio daladc do 21 de agosto proximo passado.
Ao mesmo. Sua Exc. o Sr. presidente da
provincia mania communicar a V. S. qua por
officio desta data expedio as n* cessarias ordens a
thesouraria dc fazenda, no scniido de ser paga a
impoitaacia retailva aos prats das pracas da guar-
da oacioual deslacaJas durante -is mezes de julho
e agosto na villa de Floras, segundo o seu officio
de 3 dg wjrrettte,
Ao commandante superior de Boa- Vista e Ou
ricury. Soa Exc. o Sr. presidente da provincia
manda communicar a V. S. que nesta data offieiou
a thos'uraila de fazenda, orden.ludo o pagamento
.: ,. :' lives aos vencimentns do official e
r: ..;- da cuacda nacional, destacados da \il.a de
Fetrotioa duraute o tnei de julho proximo ftodo,
seiucdu sclicitou '. S. em seu efflcio aatado do
ii da ag-jsto ultimo
Ao juiz dc direito de Floras. 0 Exm. Sr.
presiJeata da provincia manda aeensar reccM-
menti do officio de V. 6., de 1 do corre:
qua participa lar a 30 do mez proximo p .. tj u>-
sumido o exercicio do cargo da juiz de direito da
eomarca de Floras.
S.'MCCOO.
Officios :
Ao ecgeaueiD chefe da rcparcici? daa obras
publicas. S. Exc. o Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S, am reso.au ao seu offl-
cio de 11 do eorrente sob n. 338, qua eSectva-
meute p r olli.-ins de 4 a o desta inez orJQ >u a
tliesouraria provincial a pagar, nao so as despezas
dos repars do aterro a caes da ponte da ITchoa,
oread->s em 990400 >, coino as dos da casa a> de-
teacao, urcado em 6tiQM00.
Aos agantas da companhia de navegacao
brasileira. Podem VV. S., de ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia, fazer suguir hoja as 5
ti-iras da tarde para os portos do sul o vapor Pa-
rand, dessa companhia, chegado hontem dos do
norte, saguodo communicaui am seu officio desta
data.
KXPEOIENrE DO Dt\ 15 DE SKT8MBK) Dfi 1871.
/. tecfao.
Offlcios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas. Sirva-se V. Exc. da inlerpor o sau parocer
acerca da gra^a qua ao g.ivern > imperial i-npatra
no incluso raquerimaata o saateneiado militar
Joaquim Man-iel Bazarra.
- Ao ma-mo. -Sirva-se V. Exc. de iufrmar
acerca do qua no incluso r*querimento peda ao
governo imperial Arseuio Gustava Barges, botica
rio do presidio de Fernando de Naroulu.
Ao masiin. Sirva-se V. Exc. da mandw
por am libardada o recruta iwA iutonia da Silva,
qua provou isan^ao legal.
- Ao mesm-). Sirva-sa V. Exc. da uouear
uma commissaa para, da conformidada um as or-
den- em vigor e am salisiaaa) ao qua solicita o
director do arsenal da guerra, axamioar !> cai-
xoas romattidas pela iutanl -ucia de guarra da
corte no vapix* P rand, eontendo armamanto a
outros artig is.
\o iiiesma.-Teiido o ministerio da-guerra
resoivido incmnbir a thesouraria de fazenda c.alli-
gir os apontamantts tandanics aampliar a matri-
cula da todos os amoragados civis, sujaitos ao mes-
mo ninisterio, mauiada fazer pela art. 67 do re-
gulamento annexe ao decreto n. 4,17*6 de 17 de
abril da 1808, de moda a estabaleeor se um a.*sen-
tamento imnoai e perfeita, qua hibilile o g -
verno a connecer os services, comp riamenio e mai
circumstancias que possam intcrcssar a cada u.n
losses funacioaarios, reomnanl) a V. Exc. a
expedicao le suas ordaas aaj eha'es das raparti
coes que Ihe sao subordinadas, para que. am
cumprimeuto ao aviso circular da <'i do iwrreoU:
a das instruco.V.s juutas p jr copia re;aettaiu a re
ferida thesouraria todos os dados a esclarocimaa
tos precisos para o Um iudicado. Mutatis ma-
taudit ao director do arsenal le guerra e ao com-
mandante do presidio de Fernando de Xoronha.
2.' secQtio.
Actos :
0 presidente da provincia resolve noiuear
o bacbarei Garoncio Dias de Arruda Falcao para
o cargo da proinator public > da eomarca da Vic-
toria, Rcaudosem effait) a partatia do 1 de julho
ultimo, qua onomeou para hfiul cargo na da Bui-1
quo.
0 presidente da provincia. ra solve uomaac o
tenauta Clariodo Cavatoanle de Albuquerque, para
o cargo de 3.* suppteute do juiz municipal do ler-
mo da Aguas Bellas, vago por cao tar liradotl
tulo o prestado juram-mta no praso da lai o cida-
dao J ise Ramos do Vasconcclio-, devando o no-
meado satisfazer as formalida les exigidas por lei.
Officios :
Ao Dr. chefe da policia. TransmiUYi a V.
S-, para os devidos fln>, copia das iustruccoas de
13 do eorrente, pelaj quaes deve ser regulado
o fornecimenlo de alimeotos aos preso? pobres,
existentes na casa de dcleucao e demais prisoes
da provincia.
Ao mesmo. Acabo de QORWar uma coramis-
sao para encarrcgar-se da distribuicao de soccer-
ros aos iudigeutos atacados da variola no lermo
do Cabo, panda a sua disposic.lo a quantia d
200^000 para ease tim. Na inesma occasiao da-
terminei que fossem rcmettidos a V. S., com
dastino ao lelegado daquella Iccalidale, que faz
parte da dita commissao, tubas ccm pus vacciui-
co a uma carieira homeopatbica. Fica par esta
inodo respondido 0 seu officio do <1 do eorrente.
Ao commandante superior do Recife.De
V. S. as suas ordens, para que c official que cora-
mandou 0 4.' batalhao da guarda nacional daste
municipio, quo faz parte da divisao que arruuiou
nodia 7 da correnl'j, compareca no quartel-ga
neral no dia 17 desta mez as It boras da ma-
n a, afim de depor no procasso de invesliga^io
instaurado ao tenenla-coronel Alexandre Augusta
de Frias Villar, como solicita 0 Exm. brigadeiro
commandanto das armas cm officio desta data sob
n. 623.
Ao commaulante superior do Boa-Vista.
Declare a V. S, em respota ao :eu officio de 20
do mez proximo passado, que tica sen) efleit-i a
ordem desta presidencia, da 29 de abril ultim ,
que manda da-tscar 30.prai;as da guarda uacio-
nal em Ouricury.
Ao jaiz da direito da l" van civel do Re-
cife. -Informe Vine do conformidade com a lei,
0 recurso de graca jnnto, (0 qual dcwHvera) do
suntenciada Jose Domincucs da Costa, que sa acha
no presidio da Fernando do Norouaa. Igual ao
juiz de direito do Bonita, quanto ui sentonciado
Joao Soares Tcixeira.
Ao juiz de direito do Caby. -Tendo resoi-
vido por acto de hoja noniear uma commissao
composta de V. S., do Rvd Figario 0 do delegauo
de policia dessa localidade, para encarra^ar-sa de
di.-tribuir soccorros aos indigentes acornmetti los
da variola ; assim 0 eommunico a V. S., esperan-
do qua nlo se recusara a semi-lbania incumneueia.
Nesta data expeco as convenienies ordens no sau-
tiJo de remetter-se a racsnu ccmraissao, por in-
terniedio do Dr chefe de policia, uma carteira
homeopatbica, alguns tubos com lympha vaccini-
ca, e bem assim para ser-lhe enlregua pela col-
lecloria respectiva a quantia de 200*003.
Aojuiz municipal do Uoniio.Intuirado de
quant Vine, me comraunica em officio da 29 do
mez proximo passado, tenho a dizor-lhe quo deve
pCr a concurso, de conformidade com a lei, as ser-
ventias dos oflicios do i" e 2* tabelliia 0 mais
anaevos do termo de Bezerroi.
Ao commandante do corpo de polieu.--P6de
Vmc angajar no corpo sob 6eu commando, sen-
do idoneos, os paisaoos Vicente Farreira Pas-
choal a 'Uitouio Uorges da Silva, de qua tratam os
seus oJicios de 11 0 12 do correntt', sab ns. 523 e
525.
5.' sectf'io.
Offices:
Ao inspector da Uiesour&i ia da fazcuda.
Recommendo a V. S. qtu. a vista da folha e urats
juntas em dupiicata, que me remetteu 0 comman-
danto superior do municipio dV Santo Ant.a-> com
offici'. de 11 do corrante, noade pagar ao sargen o
Firnino Francisco da Rarros os voucimaut .s do Ao pi-usidante d
destacameulo da .guarda uacioaal existcuto ua ci
dado da Escadi, corrcspondenlus ao mez da
agosto ultimo.
Ao BiesiEO. Comrauaico a V. S. para os
devidos fins, que a 30 do mez proxim> passado
assumio 0 b.icharal Joaquim Gutdcs Correu G m
dim o exercicio do cargo deiui?. de direito da eo-
marca de Floras para o qual foi v.omoado por da
creto de maio ultimo.
Ao mesmo. -Comm uiico a V. S, para os
ievidos lias, q ta nenu.dala foi ua.uiado 0 teuea-
te Clariudo Cavaleanto da Albuquerque para o
cargo de 3 supptaaSa do juiz municipal do tar
mo de Agnas Bellas, o quad davara tirar 0 raspac-
tivo Utato no praeo legal
Ao me6uio. Comrauuico a V. S., para os
davidos ns. one nesta data eleelaro sem effeito a
ordem a ^wdida'a 2s de'abrit kiiiio, quanto a des-
lacareio a) Ouricury 30 pra^a* da guarda nano-
nal do iy inunieipio.
Ao wesmo. Sirya-se V. S. dar ordeaa a
collar-tor idaler.no Ao Cab. para p-ir a dispos*-
cao da e mai*s4.i qua acabo da numear para on-
earragarfe dot soccorros aos indigentes accom-
mettidoi da variola aaqu-lla loeilidada, eamposta
juiz dr direito. do vigaria da fraguezia a do
dalegade d- policia, a quantia da 200*.
Ao .rneima. Doudo proviiaeuta ao racursa
iaauwiKB uelo eapitao Caetano Correia de Quai-
roz Hir-i, no raquarimanto qua Ihe devolve u
a que sa refere sua iuforn'acao da i2 do corrante
sob a Ifl. serie E, autoriso V. S. a maadar rala-
va-lodspulta em qua iucirreu por nao haver
a 'orbadooo prazo legal a ^ompra da sau eseravo
Roquc.
A" mesm). Dando provimento aos raeursos
interposUs por lai* lpes Ferr.-ira, Mattnas Fer-
uaada- da Silva, 4anoal Igatcia do Albu |uarque
Maraabaa, barao da AracKV a Jae\ V*vares Costa,
aos requerimeiii-.s qua Hw davolvo a a qua se re-
ferent sas iafarmacoes da 12 a 13 da correula
sab its at). 171, 176, 177 e 173. saria E, autoriso
V. S. a iii-l.tr releva los da multa em quo moor-
rnmmtr iiii liavaram dado a uutricul*, nj
praea ajkl. os iug a qua aM/lam as cit.1J.1s infarmagoes.
A'mesmo,Dando provimento ao recurso
intci|>usw por Francisco VaseoncalbM Lins, no re-
laan.nanvi qua Ihe devolve e a que se refere sua
Mf^coai;*o de 13 do eorrente sob a. 179, saria E,
autoriso V. S. a m tn.lir raleva lo da multa em
que inerfVfaMi por nao haver daclarad > deutro do
praio kqgal a 111 -rte de seu eseravo Adeliuo, a qua
allude sua citada informacao.
Aw aiesmo. -TrausmiUo a V. S., para a de
vida uamcao, copia do aviso circular do raiuista-
rio da guerra, de S do eorrente, pela qual a essa
' '4>artiaa.) ineauibida da calhgir, ua forma das ins-
trucco>s, vtntai tambam p"r copia, todas os dados
0 esclaracimeotos toodenles a anipliar a matricula
garal do* eaipregadas civis, sujaitos aqualle minis-
ieria, maudado orgaoisar pelo art 67 do ro/ula-
maatii aa.iaxo ao dacreto a. Llafi, da 17 da abril
da 1868.
A9 inspector ua thesouraria provincial.
Tendo n -sta 4ala autorisado o engauiiein. chafe da
repaittcao das obras publicas a contractar com
Justmo J-tse da S tuza Cimpo- a eanaUsacao do
gaz na e-liiicio da e-cola moJalo.a razada 470 rs.
a pa de cano de chumbo, ncaado a cargo da
rn-.'sim raaartira-i a co npra das araadalas, gk)bos
a regctros ; as.-im o eommunica a V. S. para seu
caiiUec-iuiaiKi' o lias oonveiiiautas.
Ao musiao. Coumuuico a V. S, para es de-
vidos fins, que nesta data 11 en jai o baclurW Ge-
roocio Dias do Aa trade Falcao promotor publico
da eomarca da Victoria, ficaudo sem effeito a por-
taria da II de julho ultimo qua, 0 nomeou para
igual cargo en, Buiqua.
Ao mesmo. Providaoeie V. S. para qua, a
contry **. mez. n*>nna solicitou 0 proveJor
int^riuo #a Santa Casa da Misericordu, em name
da respoKva j-mla admiiiisirali>'a, pur ofll -lo da
12 do correula sob n. oSi. seja olavada a 5:00 )f
a quanta de 3:00 >, qua measalmenie e entrasua
ao tlie-oureiro. da mesm* Santa Casa, major Laii-
rantino Jos6 da Miran U paraoccorrer as daspezas
da obra do m.vo a do mendicidade.
Ao mesmo.-Transmittoa V. S., para os davi-
doc fins, cap! 1 das imtrui-coas di 13 do corrante,
pelas quaes deve ser rcgutado 0 f.M'nacimeot'j de
alimentos aos presos pohres oxisteate* na casa de
detencaa a demus prisoas di provincia.
As me-mo. Devolvendo a V S. a coata na
importaucia de 29*Tii, provonicate da despeza
feita durante os mezes da mir;a a'abril deste anno
com o sustento do praso Fraucisco Pimantal, reeo
lid to a casa de de'eucio, tain i a dizer que man 1 -
axtrahir outra coula desliuada|a provincia de Mi-
oas-Gar es, visto 0 meueionado praso a ella per-
tencar, conforma sa evidancia do ilfi;io do Exm.
presideute di do Rio de Janeiro, de a do corrante,
junta par copia, afim de ser solicitado 0 respectivo
pagainento.
Ao mesmo.Transmitto a V. S., para os fins
conveniontcs, 80 exemplaros imprassos do regula-
mento de 9 do eorrente, coafaccionado era virtude
do ark lo S lo da lei n. 1,1 to, de t" de juulio das
to anuo.
4.* secftio.
Acto :
0 presidealo da pravincia resolve ncmaar
uma commissao composta do Dr. juiz de direito,do
vigario e do delegado de policia da eomarca do
Caba, para ancarragar-sa de disiribuir soccorros
aos indigenles accommettidas de variola.
Officios :
Ao Exm. prosidanto da provincia do Rio
Grande do Norte.Com a remessa da ciixinha qne
a este acompanh*, conte'ndo sais tubos de laminas
com tluido vaccinico, julgo salisfaila a re juisicAo
constante do officio de V. Exc, da 0 da eorrente,
quo assim fica respondido.
Ao Exm. presidentc da proviueta do Coa-
ra.Transmitto a V. Exc. 0 recurso junto, da gra-
ca, do seulenciado dessa pravincia, existeate 110
presidio de Fernando de Noronha, -ntonio Bap-
tista de Oliveira, afim de que, depois de devida-
menle informado, teitha 0 convenient*.- destino.
Igual ao Exm. presidente di Parahybi, quanto ao
da I.uu Jose de Freitas.
Ao inspector da saiide publica. -Sirva-se V.
S. re met tet aa Dr. chef a da policia, com dastino
ao delegado do tenno do Cabo, uma carieira ho
meopathica contendo medicaraentos apropriados
para o tratamenta da variola, quo a li esta gras-
saado, fazeudo-a aoompanhar de iuslruccoes con-
venientes.
f Ao commissario vacciuador provincial. -He
metta Vmc com a possivel brevidadc ao Dr. chefe
da policia luaus com pus.i vaccinico, cam destiuo
ao delegado d> lermo do Cabo.
Offlcios:
Ao enirenheiro chafe da reparticao das obras
publica*.(nteirado do que expoe em seu officio
de 12 do corrante sob n. 331, relalivamaate as p-o-
postas para a canalisacao d > g 1* no edilicio da es-
cola mndelo, autoriso vmc. a accoitar a de Justine
Jose de Souza Campos, caso queira ella sujeitarso
a fazer a referida canalisa;ao a rasaV do 4/0 rdis
o pc da cano de cuumna, qualquer quo seja a
grossura exigida por Vmc -Quanta, porem, a com
pra das araudellas, glolios e registro>, davara ser
feita por essa reparticao, como prapac em seu ci-
tada officio.
Ao eugenheiro das obras geravs. -Mande
Vmc. orjar os reparos de que praeisa o lasarato
do Piua, e de qua trata o Dr. inspector da sauda
do porto em offi.ao dasta data, junto pov copia.
junta de eiiiancit)ai;ao dc
eseravos da muaicapia da Pauellas.luteirado do
que expoe em officio de li do eorrente, autoriso
Vmc a desjgoar outro dia para a reaniai da jun-
ta emancipadera dos escravos dassa villa, prece-
dendousrespeetivos editacs. -Incluso achara vmc.
0 exemplar do dacreto a. 5IJ5 de 13 de n>-
vemnro do anno passado, a que allude o sou cilado
ofieio.
Portaria:
- Os Srs. agriuUi.-. da C4>.upanuia da uavegacio
Urasi eu-a mau p.r vmta do mir.isterio da KUirra, no vapor es-
peralo da sul, a > anspe;ala Frelerico dos Santos
Pereira e ao desurtor FrancUco Xavier do Souza,
ambos perteocantes ao 5* balaluao do infaa-
Uria.
EXPEWE.NTE DO SBCRETABO.
1' seccuo.
Officio:
Ao Exm. brigadeiro commandante das armas
sua Exc. o Sr. pre-idento da provincia deler-
mina-ine que rasponda ao otttelo de V. Exc, desta
data, sob n. 923, dsalaranio-lhe que ficain dada
as eoaveniaates ordens, para que o official que
eommaudou 0 4* batalhao de guarda nacioaal des*
te municipio, na parada do dia 7 de setembro. com
lreca nessa quartel general a hora indicada 00
iritado officio, afim de depor no processo de invas
tigacio iusUurado a>i lenente-corou-l Alexandra
Augusta da Frias Villar.
2S stecio.
Officios :
- A> Dr. chafe de policia. -U Exm. Sr. presi-
leota da praviuaia manda declarar a S. qua fi
con de nenhum effeito a ordem expedida a 29 de
abril proxim 1 passa'lo, que destacava em Ouricu-
ry .10 pracas da guarda nacional daquellc muni-
cipio.
Ao commandante superior de Santo Antao.
O Exm Sr. presidauta da provincia manda decla-
rar a V. S. quo nesta data acaba de aularisar a
thesouraria da fawn la o pagamenlo dos veuci-
niantos do dasucameiito da guarda nacional, de
que trata 0 seu officio da 11 deste mez.
Ao juiz da direito do Buique -O Exm Sr.
presidente da proviueia m in la declarar a V. S,
para os davidos fins, que por portaria da hoje foi
declaraia de nenhum effeito a da II de julho ul-
timo, quo ui'iiaou 0 bacbarei Geroncio Dias do
Arruda Falcao pro nater publica dessa eomarca.
- Ao juiz de direito do Bom Conselho.O Exm.
Sr. presidania da provincia manda declarar a V.
S. qua par portaria da hoje foi uoraeado 0 tenen-
la Clariado 'Jivalcaata de Albiquerque para o car-
go da 1* auppiente do juiz municipal d) termo de
Agnas Bellas, lican sem effait > a nomcacao do
cidadaojost Rtmos de Vasconeellos, vista nao ter
tirado titulo nam prastado jaramanto ; devando
o rtuvo names la satisfazer Ues fonnalidades no
praso legal.
Ao bacliarel Antonio Mauoei de Madeiras
Forta-lo, juiz do direito da Garauhuus. -0 Exm Sr.
presidente da provincia manda declarar a V. S.
quo flea imeira lo pato sau o.'Ti :ia do t* do corren
to de ter nessa- data reassumido 0 cargo de juiz de
direito dassa eomarca.
- Ao juiz do direito da eomarca da Victoria.
ComiBuaiea a X. 5., de ordem do Exra, Sr. presi-
dente d* provineia, qua par portaria desta data foi
nomaado pwrn-itorpuhlico dessa eomarca o bacba-
rei Garoooio Dias Je Arruda Falcio. -Igual coin-
municacio an nomaado, bacliarel Gereocio Dias de
Arruda Falcao.
Ao tenente Clarind-i Cavalcaute de Albuquer-
que. Por este secretaria sa communA ao Sr. ta
neute Clarinlo Cavaleanto da Albuquerque qua por
portaria da haio foi S S. ntraeado 3- suppleote de
juiz municipal do termo do Aguas Bellas.
- Ao commandante do corpo de policia.0
^Exm. Sr. preai-leni- uuttir a V. S., pan as devidos fins, a portaria jun-
ta, que dasigna o c-mselho da iulgamer.to do cabo
Maih>al Petroiullo Alves da Figuairedo 0 da duas
pracas do corpo sob 0 sou commando, cujo pro-
cess a Oevolw.
4* seccao.
Officio :
Ao provedor interiao da Sauta Ca* de Misa-
ricordia. -Saa Exc. o Sr. presidcnle da provineia
inauda communicar a V. S., para seu conhecimen-'
to a tins convenientes, que nesta data se autoriseu
a tliesotfarii provincial a alavar a cinco a quan-
tia de tres cantos da reis, que mensalmentc e en-
tregue a thesouraria dessasanta caia para occor-
rer as despezas da obra do novo asvto de mendi-
cidade, conforma solicitou V. S. era officio de 12
do eorrente, sob n. aba.
DESP.VCHOS U intSIDENCIX DK 20 DiC XOVi:MBUO
dk 1S73
Amelia Aoguta de Haraas Quintal. -Passe por-
taria, eoncedendo a licenca cam ordenado na for-
ma da lai, sem a coodicao iudicada pela suppli-
cante.
Antonio Rufino Saveriaao da Caaba.Deferido
com officio desta data a thesouraria do fazembt.
Anna Bezsrra Cavaleanto da (Silva Costa. In-
deferido. k
Angusto Jo^e Teixaira. Inforrae 0 Sr. engo
nneiro das obras militares.
Antonio Maria de Castro. Inforrae 0 Sr. briga-
deiro comm indante das armas.
Fraocisca Seraphico do Assis Carvalho.Infor-
ms o Sr. director garal da instruccao public*.
Jose Paes de Lyra. -Sim.
Jise Caetano de Albu]uerquc. Deferido com
officio desta data ao Sr. inspector da thesouraria
do fazenda.
Bacharel Jo-c- Maria da Rocha Carvalho.Passe
portaria eoncedendo a licenca requerida.
Jose Fernandas de Almeida. Informs 0 S..
eammandante do corpo de policia.
Manoel Januario de Arruda. Daferido com
officio desta data a thesouraria dc fazenda
Maria Joaquioa do Espirito Saato. 0 filho da
suppiicante ja foi posto em libordade cm data de
17 do corre ate.
Keiiartipuo da policia.
t" seccao. Secretaria da policia de Peroambuco,
21 de novembro dc 1873.
N. 1916.Illm. e Exm. Sr.Participo a V. Exc.
qua fa ram hontem reculhidos a casa de detencao, a
minha ordem, Francisco Peroira dc Lyra, Joao Jose
de Magalhaes u Vicmte Ferreira da Silva, vindos
do Papacaca, c priraeiro camo scntenciado appel-
laJo, e os demais como criminascs de fartos de
cavallcs no lermo de Flares.
Por offlco da 8 do corrante, quo forara recolbi-
dos a respectiva cadcia, Laurcntinc Antonio da
Silva Vieira, Manoel Quintino de Fredas, Manoel
Joaqnim de Santa Anna, Pedro Celestino da Silva,
Ldiz Baterra da Silva, Herculano Bczorra de Vas-
coneolbs c Joaquim da tal, pranunciados uaquelle
termo,-os seis priuieiros como incurs: s nas penas
do art. 205 do codigo criminal, 0 0 ullinr, nas do
artigo 193 do mesmo codigo.
Deus Kuarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. com-
mendador Henrique Pereira de Lucena, dignissi
mo presidente da provincia. -0 cuefe de [Kilicia,
Antonio Francisco Correia de Araujo.
DI.\KlODKPKttaiHlrtU0
RtCIFt, 2-2 DE NOVEMBRO UL 1873.
\aticias da sal do imperio.
Viioos completar a serie de caticias do sul, de
que foi portador o- vapor iaglez lUmani, chegalo
aa quinu-feira, noticus que deixamos de pu-
blicar hontem por falta do espago :
nrPIBllCAS 00 PACIFIC).
A camara dos rcpresentantts do Chile approvou
p da le do associacao sem previa licnea, bom coma
affirmau o diredj de livra reuuiao a 0 de pe
ticao. ,
Outras projectos tamb.^m raereecram sua ap-
pravacao, aatee alias 0 que instHue a iastruccaj
gratuita e obrigatona e a libet iaJa do easil
Foi igualraeule voiado 0 piaject > dc iej do ia-
compatibifidade para 0 cargo de roprescnUate,
devend > sa ella entender somente corn os funceio
narws publicos e os nvmbros dos tribuuaos.
Da RepubUca dc Valparaizo Uadiuimos a sc-
guinte noticia, extrabida de am jornal da Co -
lum ia :
S* cidade do Pasta, fallecea ha dias. o ilr
Rafael Perez, in >co muito intelligent? e 4e dislipc-
las qualidadas, liberal infatigavsl que pre-toupw
mais de uma vez iuipurtautissiraos services a causa
do progresso.
^ O chefe do catholicisrao era Cauca, o blspo
Canute Cestrepe, conheeido em todo o paiz por
sua irrtolerancia e sede de exterrainio, eseoB-
nungm o seu cadaver a presenciou com feioa
alegria os sangrentos nltrages qne Hie atinra
cam sua approvacao e par iustigacoes suas uid*
iiojiulaci) faaatica e enfuraeida.
Expelhlo o cadaver do cainiterio, a fa mi ia
faz coustruir um mausuleo ao jardnn da sua casa,
e o bispa de-enierrando o laocou-o a um mohtaia
Ahi temos, pois, 0 ispectaculo que aa Columbia,
em piano seculo XIX olferece 0 catholicismo u
massas com um jovau liberal da graodca idea*,
sentimentus e aspiracoes I
MEXICO.
Pelos jornaos do Pacifieo recebemos a seguirjfc
notieias da republiea do Mexico :
Os jornaes de>sa republiea alcan-;am a H 4te
setembro e dizera quo nraa tromba de agua *>
rebellion em Guanajuato c inundou a cidad.
causaudo muttas mortes e perda dc propris-
dades.
As reuniSos preparatorias do congresso coau-
e.irim in dii I.*, da setembro. A nssemMt*
abr-so delinivamente no dia 16. Em Vera
Cruz contioAia a febre amarella. Falla-s* da al-
guns cases occorridos taraham na capital darepn-
blica ; |>orem tal noticia nao se confiruia.
Ks|wra-si; que 0 ex-ministro Nelsi n saia era
oreve da republiea pela bahia da Acapiilco paia
S. Francisco.
RIO GRANDE DO SUL.
De uma localidade ehamada Cara, nas margeciS
da ("alvy, escreveram em 14 do mez Undo ;
r.o Cahy comecou a subir na noile de 3 dt>
eorrente. JSo dia I, as 4 Doras da tarde. aleancari
0 rio a altura das agnas quo tivemos cm 26 d>
outubro do l&V, e os habilantes das margem-.
lambranda-se das tristas occurreucias pt.r 00013110
da en-.-hiMito de agosto de 1869, trataram de odr as
passoas de fam lia a o gado a salvo de perigo, Ifl-
vando-os para ragares ahos.
No dia 5, de uianha, cobria a agua todo o lar-
go valle do Call/, apresentaudo 0 asuecto de uri
ennrma rio. As va e fatjao cstavam cobcrtas de agua e as ondas dec
inn am as proprias arvoras seculares nos matt*
inuudados. Todos os riaehos estavam transformn-
dos em verdad*iros rios.
a No dia C estavam submergidas todas as casjis
uma ate as janellas, oulras ate ao telhado. Paioet,
etiiqueiros 0 todos ns graos com fructa havlam sido
ievados pelas ondas. Os ttastes dos pobres colonon,
sahindo pelas jauellas eram Ievados pela agm>,
cnegando eu proprju a agarrar um bercp qua v>
alia boiar.do
c Tudo quanto xctgou de movei3 nas casa* eats-
coberto de lodo e totalmente arruiaado So eata
valle ( Cara 1 sollreu. em plantacoes, um prejuixj
nao inferior a fiO.UOO.. Accresce que a coutiaur
cbuva arruinou tambom toialmento toda a plant*
que nao foi alcaucada pela inundaeao.
< Naste acto provavelmeote nao colheremof
fructa sufflciento para o nosso proprio sustent).
Millie da primeira celheita nao. apparecera ns-
daca du Porto-Alagro, ponpio as etiuvas doifck-
ram totalmente a perder tudo quanto estava plar:-
tado.
t Todas as pantos foram levadas pela encher-
to e as estradas cst.io cobcrtas do grossas ma-
deiras, etc., que ahi deixaram as aguas, de soria
que nao ha carro qua possa ir ao porto do Guit
mar tes.
E por einqtiauto nao ha cuidar na compos-
1 lira das estradas, porquo cada qual tem bastanlo
a fazer com os concertos de casas, cercados etc.,
accrcicendo qua alguns eolonns tentaram plantar
do novo faiiao 0 batatas para terem ao menos pant
0 gasto. Parece, porcm, que csse trabalho sen
baldado por ser tarde.
Notieias dc Pcdras-Brancas dizem :
a A enchenle daste anno foi tnaior do quo
neuhuma outra; os bomens antigos do lugar dizeci
que as aguas foram a lugares onde nunca cbe-
garam em oulras enchontes. Pelo lado leste da
freguezia sabem-se ja dos seguintes prejuizos :
< Foi desiruida a ponte do vapor Jurity, a
ponte do vapor Aviso ; uma parte do cauo de 01-
gota do matadoura ; cahiram paredes da casa do
tenente Marianno; cahio totalmente a casa de Ro- .
dolpho Alcher. 0 sohrado do Dr. Uhatuba (Icon
cercado d'agua, onde ellas nunca cbegaram tinham
uma profundidade de 10 palmos.
t Os- ventos e as aguas arrebataram a areia, fi-
caudo descobertos os alicerces, 0 9 terreno todc
diminuio quatro palmos da altura que tinha, ni(>
cahindo a casa por terem sido os alicerces feitos
com cal 0 areia, e Ho grande trabalho que o
mesmo doutor empregou, construindo estacadai
choias de areia que eram destruidas e logo renova-
das. A arrebentacao na praia era tao forte como
costuma ser a do mar grosso, principalraenteo)
domingo a tarde, quo 0 vento era tao violent) qua
dobrava, as arvoras. Um lance da xarqueada do
mesmo doutor cahio, e cahiram as paredes da
fre me da graxeira e da casa dos tan quo s. Teeirr
vindo dar a costa algumas madeiras e algunus
rezas mortas.
Na pica da bouve niuilos prejuizos quo ja sar
eonhecidos na cidade e quo deixo da relalar. At i
hoje ( 18 de outubro .1 ponco tem diminuido as
aguas, continuando a toinar os ventos S., SB, !
LSE.
a Toda a planlacao esta perdida ; somente es-
c'apou a de terrenes allot, 0 essa mes na c>ta ruim.
Ha muito prejuizo em gados e cavallos.
Dizia se qu8 0 vapor Ettflla, seguindo viagem
Taquary acima, encontrara no maio do rie on
Sranda madeiro que o furara na proa, metten-
0-0 logo a pique. .Nao in rrcra ninguem.
Fura capturado, em Qagrante delicto, 0 celebr
Ainaro Paid, muito conheeido como ladrao de
gado.
Cam referenda a excavacao da foz de S. Coo-
ca!:, disse a commissao eacarregada de examiix.
la, era um officio aprcsentado a directoria da a;;-
sociacio :
< Aos 16 de outubro de 1873 proccdendo-so ao
examo dos (rabalhos da abertura da barra do rio
S. Goncalo, verfficou-sc que, das priooelns
boias ao SE. em quo coraejou a abertura do canal,
pelo prolongamento do mesmo ao ramo da 7t* t5*
M). verdadeiro ate a exteos&o d 633 bracas cor-
respoudeales a 1,392 metres e C deciawtros, bem
como era toda a largura de 40 bracas ou 88 mo -
tros do mesmo canal, achcu-se 14 1(2 palmos on
3 metros e 19 ccntimetros de profundidade madia
nas baixas mares ; faltando aind t a excavar t <|l
palmo ou 33 centimetros cm toda a oxtansaa aeun 1
refviida.
Acham se ate aqui escavados 229,066 metres
cuticos, faltando abnr a extencaj linear de *(57
bracas correspoedenles a t,u27 metros e 4 dee -
me .ros
A. colania Santa Cruz fez nesta anno uma collie ..-
ta cle cerca dc 100:000 arrobas de fumo, das quats
'^AlO firr-e^s de excelleate qualiJada e muito
,. ., rias para a nv,ci- 1
A colhoila da c..l^,,.a uc aauto Angelo deve pa;-
sar do IC.OtK) arrobas, 0 a do mumciplo de '!.
Leopaldo talvez de 8,000 arrobas.
Podo se contar que as colonias do norte da prv
vincia exportari*. ne!a safra 100,000 arrobas ca
excclkoie famo.
\
r^



f.fai ju o&
.U/ 3(1 M OflHRffc Pernambuco Sabbado 22 de Novembro de 187S fjjji i)i|;^'|/,

as comma-
Jti
lesde Conventos ate o Tri-
6 casa em pe.-
,cs. Ha gente abastada,.
ia. .
a eneontramos no Wio
Ss'stdo, transcriptes de ana1]
ais do 30ft iv* e
foulMo em S3 a 30:0003.
pm as aguafi 16 ca>as do
qua
cilo
Aro ia estmm iniercentadas toda9
icaeoas com as eoleoias.
Era loda :\ mar
ampno, nio fieo
Os prejuizo-i
jne fle<>u reiiux
Os seguinles p
Grandense de 21
cart.i do Taquary :
< O Sr. Marianle pe;
Na colonia Estrella I
cokino-.
a Urn pmico ahaixodcsta villa, atirau a eorren
teza uma casa do negocio, sobre a margcaa, igno
rando-se aiada a sua pracedencia.
r- Aqni em Taquary elevm-se a agua "6 palnios
aci'iia j i -e i nival ordMorio.
I'nr emquaAto -o sab' .nos |i r
tro p-rdas de Wa ; m% jjfuc h
Bias?
A Teutonia solTreu menos ; apenas perderam
17 familias todas as suas plantacoes.
A allura das aguas sub;o ainda alguos palmos
aciiaa da nivel, ga- a|cancou em 1810.
a Caleula-se o damno ja c nhccidn, eausado pe
las aguas, em oOO.ntlOa (em todo a manicipio, fal
tan lo aiuda noticias de muitas partes das colo-
nias). tg^ w- L :ju if
Dizem uo os inais prejudicados sao os habi-
tant das margens do arroio doOura.
t Algamaa leguas aeima do Taquary sotTreram
dons lanchoes serio transtorno. Descendo a mhos
o rio. |uand j veto a cnchante, liverain de passar
a uiargum, navegandj nas terras alagadas, para
eviiarem a umailua; a rapida d'JM Ml An BgtrJrs
ahi eta Jo rio Umilolles (0 ratao) tem'oarga de 800
a 9*> saceas do milbo, mas pareee qua alii ficara
depositado ad irternatu .rei mem'riam, porque as
despezas a fuer-se com a transporte o navio ate
excedem ao ?eu valor 1
Hiviam eaegado presos ao Rio-Grande o major
Pal.uares. Qlivoirn, Vergara e mais i9 companbc
ros apr.:sadori's do vapor argontino Purtcuhi. Xa-
queila ciliae foram os emigrates Jordauista* re
coihidos ao quarlel a ordem do cnmmaulante e
nepois transporudus a Porto- legru no vapor de
guerra Fluminmse.
Drestanteda rripolacao havii tambemfidoprc-
sa^jm Santa Victoria.
S.bre a prisao Jesses emigra.lus nada dneni a-
f ,!!i is .1) Ri .-GrauJ
livUora.n epi terriior
cassc.
0> emiiu-a.l.'S declaram quo lomaram pos-c do
vapor Porienha pir onlom ijue tin am do genera
Moay-mirim/ Pora preferida e fl
Francisco fle Freilas Villalva, ambus
residcntfs em Mo^v-iBirim.
ido, nem qual o critn-' quo co;n
ritorio brasileiro, qae a ju-tili-
'i Jordan, emno prova o 4>jeamen!o, que om
scguida pubikaiuos :
0 qoo subscreve, enviado om cornmissao com
p'-na autorisafio do peneral em chefa do exerrito
liboQafor do Entre-ttio*, D. Hicardu Lopez Jm-
dap, e dama-s membros iiue compoVm a junta ci-
vil'j.i ii.sma, roMiUvram uomear V. .. nesla da
ta, almiranti: da psquadra entre-riana no post i yc
oruUil, ros ivaiido-se o general eiu cuefe do dar,
'>n;a Ja dita ivomcasab a queui i!e diroti> corros-
p niJei', lojjo .jue .-;; ostal.olei^i a ordem n.i pro
vinqu do l-.'ntre-Rios e suja integrado o g ivoroo,
j:i dovo regT sous, dostinos.
Rr I'-iio in itivo dove V. S. immi'diatamcnto par-
se a froato da floliiha ontro-riaua, di-teniiiuar siias
iKifyiu e pi'ocodor pom a unior 1/rHvulaJo n i so.i-
lili ife a,ir,--,ir a < y,i ulra do presidonte Sarmien
to, son projudieir o cominercM livie e licitd do
to.tojl os |>ov is d) li;oi-,l do EutruMios.
[guaJmonui proueiferi a captura d.- todo u navio
.; i navc^'an.lo com baudeira- argontiua, nao lo
nia^w seiu. papeis pivviaiwnto rovisados uelas
n'.iturilaoos ile Eatroliios, toiuando as precaii ;*>'s
.p-\ jH'guihlo as iuslruei;o>'s rcsorv.idas, ja Ilio fo-
r.nu-presentos.
It.'ooiuumo la-so-Iliy niuiti especialmontc o res-
ji'to a I oJu o uavio quo, navo'^ando oi in bandoira
istrangbira c:ii aguas ;iontras, naa cummetta ac-
t li i-ti- ;i rcvoiaoao outre liaoa.
A~>ini, dovo V. S., por lodos os meios que esti-
u a sou aloanoo. favorec. er o commercioli-l. .Ni,, |u vinta dias ipie livemos miia'bnriviB'a
v; m ..las as o >.-tas ddjitor.l, rolaiivamoiitQ ii:nl. tambem segnlda ue pedras, 6"qtw*a#^in
^randos estragoa a lavonra, quo" so ;ifttiqnHft
Na barrwra do Cuhataa pa*saram coin- de*-
tin,o a.Santos, no niez.de piitubro.os.seguinie'" ge
neros de exDorlac,aj: alg .dao 1.001 arrobas, cafe
6-T ditas 'toueinlio 78 ditas', fei]ao '56 alqdeires,
L'im ^VWiwJ* ^,s Alagoas deplora
i^f-OW de sens disuitstos fiilios, o > parti
fazendeiros | dor a d';,mfl - A in'si a tiniArsIrativa c as ooumii
27 ditas.
269
ren

farinha !i dit, milbo 56 dims, batatas
avs 4,470, tabuados 167 dtinas, gado aajMnn
cabeQto, ovellium 70 4IU$, roBTOSMitaflBm
dimento de U9*900. .
A mesa de nndaa, em Santos, arrocad ira
no nwsmo mez a quaatU de 81:071.-,708endo d
direitos do sahida ^8:17446 IS, imfosic9>>8 do po
to 2:30648."i8 diversos impostoa 890*023.
No cemiterio municipal da capital foram se
pullados em setembrj 82 cadaveres, hivendo on>
IP' olles 42 bexiguontos.
Loan no Ypaiuma de Sorocaba, do I do cot-
r^nle:
N'a noite de 29 do Mffcd% tf lianos alcoolisados vuif,:rr.va na rua la Pi
aineacando segundo ditfflf.TO*aroo ft C
Scliimit, o di-pararam alguus tiros d; revolwor.
O inspector do respectivo (juarteirao compa-
receu acompanhado do-10 pracas do destacamento
c auxiliado pelo italiann Carlos Ranier, mas nao
os (Mjda inter, sendo elle e as pracas apedjada*
polos italianos que, entrando na casa do niencio-
nado Carlos Ranier, resistiram e disparando do
dentro algons tiros de rewolver, que felizmente
nao oirondoram ningaom, apezar di- se hweV ag-
glomerado muita gente na rua. 0 commandantc
do destac imento tuaudou bus-ar o ar.oaiuentu c
BaYinclrsc f'-z carregar as armas c cercoa c^n-
_venienl mpnte a casa, seado coadjuvado pelo*
paisanns intimados para esse fim, e pelos quo se
apresontaram.
; i Apparcceram raais dous italianos Manoel TKin-
a-oii c Paulo Colli, quorendo cnlrar em casa do
Carlos, e sendo revistad*, encontrou-se o primei -|
io com uma faca de ponta e uma 'peqnena pi*
tula de d-.iis canos carregada. e o segundo com
os Ijolsos cheios de pedras, pelo que foram am-
bos presos e reeolhidos a cadeia.
A's 2 e 1/2 hocas da noite chegou do sea siiw
o Sr. delegado Marqa<-s, que fora cbamado b qw
ficon na porta la casa ate as "i 1/2 da manliaV
bora em qua foi aberta a porta por Carlos.
sanos, gem se des'azer o cerco e furam presos bs
1: italianos seguintes: Egydio Turri, Gandnncio
I'oiosori, Gnilherme Paulino, ieronymo Btrnar-
diue, Joa> ^'enturoly, Luiz Mirquczota I'&lro Po-
cai, Pedro CoMi, Rafael Bonngli, Rafael Ant-mio,
Vicente de Joanne e Henrique Honugli, e-te ultimo
foi encontrado no form ia casa.
I'uramapprehcndidos 9 canivetes do di*or*os
tamanhos, 1 faca de ponta, rewolwrs dti 6-(ifoaf
p I pi-tola de 2 eanos, tudos descarro<;.uios. Bflaf
annas do logo foram encontradas dentro do fogao,
cobertas com einza e tifijes. Foram soltos no di
30 Paulo Colli e Manoel Toudoni, pre-tando e^U1
ftanca provisoria
A variola ia graasando iu>m inten-idade Ansa. Guaralingneta, l*indammliangaba, Cunh i.
Eacraveram de inJaptuba t-m data4e 4 :
C>m a apparicao da vari ta a pow corre e-
pav.-rido p:na os suburbio*. A villa aclm-se
desert a o us infelizei aflectaitoa pelo ma I estio era
completo alian lono.
N^o ba facnltativi, nem pharmaeeulico, n-m
vacoina, e-iando arrtscado numcro avaltadfrdw
criancas a serom victim**.
fodos fogein do* infelizes varioiosos, deixan-
ii i-ou as-im fallecer em unpleto despreso. Ja
tomos novo i'.isos. fallecendo inn, voando-Re kbI-
os pela Provjdencia dous o gravemente onformos
seis. E'o que por horame cumpre informal'
l/'-sfi no i.nrenens* do 0 :-
< N"o ilia 2W do passado bouve uma grando tor-
ca ooa. pi Ingar den>:mioada I'ao-GraiKlo, aeom*-
panha la do urna chuva de pelra quo necessaria
monte devia cansar graves projuizo?, altciKWndo
a sua oranda quaniidade.
Hi'**into :irc! aiM|a>stai)>ar*ujiVk'ide re'i:
lVesi.fcoW If insutvia.'- -Dr. Roberto
de Mello.
I Vi.-e-pro-iJente.!)r. Thomaz
in lol
do
Calhei
Bom-Fi
01
> Joao
Carfts
lj5e*
"onego Dnarte. Dr
Espiudola, Dr. Menezes.Dr.
Mum
istoricos e arcbeologicos.
saafjaaa-
o, "wwwsoi
A rau jo Jorge, llUl i Rraga,
Dr. Silveira o padrTAmancio;
De trabaliurgoejfi*ia*eeitathtioaa.- .'
Filogonio, Dr. Espin lota. Dr. Jaragui, Souza
firagav o.nh;nenda4aT aitewaadfi(iitafyi
Da pesquizas de manuscriotos e raonu-
i T < anenibs- Cooego Dnarte, Dr. Silve ra e Ignacio de BaT-
Maa.
De admlssaiT de socios.
Aranja Jorge. Dr. MdaoziaietVasaoncrtle-
Da fundw oroaaJiBedta f t+i?
Os Sr. RilrgtiMo, SiMQoaqeMs e Parieio Maia.
am A crian^a queita
a p iucos dias so deu na rtrs in id da tal, do queia^, Auuiccupam is
scccilo, c.n noiina inttluladi .1?-
nvin. Reoebemos agtadeccmos o
ar do quo foi apre*eolado<>i assembled ge
ral da sooiedade propigadjra di imtruccilo p.i-
bli*-a, oo dia 28 da ag nto ultima pal > presidente
i i mi >r,ph d
riuu'iio, Ksfa
Escreve-foslda
so corresp HeiB
publica vaBhi^^&dfl_
ola, postOB ninda grassc mBtealidade, pa
:e quo ounaca a doclinar: nab menos,
ande o numero d>s aoonimeltid *, na > tem si
uito no renww o de mortaa, pois quasi que lua
f-jsso afflrraJB^ue nao UMfewuiflP-dizor qne
alguem morrcsse, depois da ultima missiva que es
cravi. lH/MJlll. 9stf rji
a A tniniuilkidad||iajj^ nao teio soff^H
a moiKir aHeracao.
A va-
da*U-la- prte interna ifiie ?c abre de baixo para elm a.
mencjio; fal-
RBV13TA WARIAv'-
Iteputaihis prTlfiefaes. Recel^mos
hontem o seg8iril9'resnl*ad-leHor4 :
.-5' Ash*W."'
Coil^M da VirW-BHIa.
Cincinato Carnb-Pii ""4U*
Or.

KJ, i .1J I
nando os lavrndoros, cheios do esperanrja.contenv
lilavam os s^as cafosaes tio cheids de fiore?.
:-, n:..;> i vi-niiio.- iiniitrophes, fazendo vigorar a
v. ;-Jaleiia iibfidade de uavegacao d is rios para
In I a in ii: 11.
X.!.-ta data o por igaal rosolu^ao se nomeia para
.: ::i los-h i: da llotilhn cntra-riana MtajlCQ|pi
.r.i : fi. i.o.-as Viergara, no posto de corocei, .\o'iciaM tie SvMMrtpe
! .! ooi i;;uiaiiioiUc coiita dessa nomeacao, a
jno'-ii o o:os;;nda.
T.i' in general-em.oliffp como
a junta civil da
Entitf-Hfoi esperani do V. S. o flol c cxacto cum-
liriiu-'iii > o >sias litituitOcs.
!>ens uiianle a V. S. Itiias A h Oliveira.
Hi > da l4r.ita. i", da setemoro do 187LAo Sr to-
aeatfi ran '. Jo mariuua, U. E-luardo J. P.li-
mor,
Eiie mtranioj) no Bole de S Leopoldo os se-
fui'fey detallies:
Xa ultima terca-feira foi achada eBforcada oina
lnonin.i 1: |:l .inn'is do idad-. Ulna do Guilberme
Td'oari, tabeiecido'co;n m-.inho na cstrada do
Dim Jardini. Decl.ua o pai quo achou a monina
onforfaia e cortou a ciirda, coin quo ella propria
.puzora lira aos dias. Oizem que urn irmiosiubo
della, ile a7 annns de id d-, presenoiara o^",
acto do ihso-pero, naopi !.>ndo, porem, chamar au-
xi!i>. por ail haver inn's pessoa alguun em casa,
ro-r.mdo os yiziuhos a grand*! distancia. Singu-
lar fn a oisi'ao em que acbaram o corpo; a ine-
uioa eslava coin i iin.'tado do corpo deltado no
cba ;. do *ir:o quo icvo da.eiupregar exlraordina
ria f^rca.le vuntado, parecenilo que bouve nj no
gocio iut'rvenyio viok'iita de terceira possoa. Ha
mystenn no caso
Em vist; de sa aoticia da folba allema, quo doi-
xa percelier que talvez so tiata do mn assassinate
c na dc un: soicidio, c de suppor quo a poiicia
pioccda a serias indagaeoes.
Realmento baveria para uma meui ia de '3 an-
nos Becessidada do extiaordinaria forga de vonta
de para consuminar o suicidio, dosde qua, semi-
reco.tada sabre o chai, Ibe leria bastado um ins
tinolivo movimento para salv.r-sa.
Saoquatri suioiJios Je mocas na llor Jda i.la-
A inez.
Que Uvte mania I
L-5 so no Diarii de Pelolas :
F'Z da S. Gongalo. Foi ante-boptem exami-
ii.ir os trabafbos da axcavacao da Fnz de S. Gun-
Silo uma eotnuiissao camposta das Srs. eommen-
ador Poss\donio VianciO da unlia, Joaquiia da
Silva T.ivaras commendador Josii Vioira Fimenta e
engenlieiro Jos j Pedro Soares,
irocedidii ao examo, loooulioceu sa que das 16
seccocs am que astavam divididos. os trabala is, 0
e inou achavam-se escavadas, isio a, 633 bracas
m tis ou inenosde oxtensao.
A' entrada do canal encontrou a commissao 6 >
brae ,s de largo e maior profundiJade do que
aquella qua existia, flcando as.-im coinprovado que
a parte excavada aprofunda e alarga, em .ve6 da
arw.r, coma (ireviam os possimistas.
Pelas i'lfonnacdes quo ins foram miuistradas
teem iMu l-vantadas 300,000 jardas cubicas de
alerre, faltaudo apenas levantar 17 ;'<&) mais oa
menos.
A commis*ao (Icon satisfoita com Irabalbos ja
festos pelo Sr. Scbimit e muito mais por ler sa con-
venci io da exequibilidada da obru coin a ultima e
ex'.raordi laria enobonto que tivainos.
SANTA CATHABLNA.
Datas ate 4 do corrente
Co-iieoara na dia V a fazor sa a elei;ia de de-
putados provim-aaea.
No dia 3' de uutubro aaufcagou na costa do
Cainacho a escuria Cmolina, ^alvando-se a tripa-
laeao.
Ha via de.z dias que cbovia na capital a arrabal-
dos; ossa invorna la ja camecava a causar ta-
on,
PABAJli.
Escroveram de Morretes om data de 28 do pas-
sad |
Um ti-agico aconteciiBento leva lugar anto-
hantom na villa uo Porto da Cima, quo deixou cj
berta de Into tuna nuinerosa (aciilia a contristuii
seii-iwiint iito tod a a p-ipulacao.
a Bin uma corrida que alii house, disparando
um cavallo aobro o pov >, foi da eacou'.ro ao Sr
Manojl Ant-cio BiKencourt, rklaiUo muito csii
niado, o uialtraiiti-o de modo tal qua sobrovek,-
ihr mhmeutos depois a motto. 0 amador, quo
montava a animal, lloji tambam fariJo, e corro
perig.- de vida.o
PaJateHTii em .Smtnnina, na idadc do 80 annos,
D. \niM M ii'ciii do Hat'os Gini'S.
Comecava-so noi-apital a publii-acao da um so-
man ifio intitnln a ft'ii Paran ienu
O Ir'S.Pitrjr.neiine diz quo ja m-dora um caso
do boxigas na caoilal, o qu- .tanta o governaicomo
a nm.4ioip;iliila> e tiubam dado provi.iancias, a:i:n
do ovi: ir n i .-iticuuar^os estragos d i flagello, no
caso -.uo ella tamo inciom ut-i.
:i. PABLi I.
da Co/np unirt Hogyana em set
o Aln;*ttff.
Amai'hercu hontem em bo-so piirto o vapor bra-
sileiro Pcaed-. da comiianhia Bahiana, trazendi
datas: do Aracajii ate 9 e de Vaceift ato 20 do
cirrente.
Sis o que colbemos dos jornaes :
SE'lOfPR.
Lemos no Jnrnnl do A^'acnju :
' Ni dia 23 de outunrn, os amigos d<) Sr. Dr
Maine I Ignacio de Vascmoellos, no designio de
daivm Ibe uma prova publica a solemne do quan
to asBsideraifl un medico assas di-tincto e huraa-
no p-ir cxcelleneia, dingiram se a casa do me>mo
eahi apiresent-jda a sua espontaoea ovaeao, lize
ram ellos com que mais uma Vez fosse galhardoa-
d.-i u merecimento.
O'Dr. Vasconcello* receben sens amigos do
modo o mais urbano e delicado, taoto mais aca-
nhado qaiuto a sua modestia priva o de qualquer
expansao.
Partiram elles, acorapanhando o di>rno medico
para a casa do dutiicio Sr. Dr. Andrada, e ahi
foi ollereoido um copo d'agua.
Diversos brinies e entre outras manifestai.-Oes
a olTorta da um primorosu beuquet, foram os meios
que q entbusiasmo |iodo eucontrar para a sua ex
!iibi;"i .'.
Da casa do digno Sr. Scharamm partira o
acoiiipanbamouto e na trajecto feito, nao hauve
nada qne sequer p idesse altorar a ordem e o s-
cego publica.
Foi deste modo qua nnicamento com o lim do
niastrarem o apreeo de quo e digno o medico brin-
dado, as habitants desta cidade, em nu nero de
dmaotas pessda-s Kzeram realisar um'deseij de ha
muto tempo alentado. a
So dia 13 de outubio, foi barbarameute as-
sassina a cm Nossa Senhara das Dores uma liber
la do nonie Luizi, ipir mn ferreira de ncme
FHincisco, que lha dascarregara algamas punbafa-
dSh n> caminho da fonte denominada Po-
dreira.
d crirainoso entregou se a prisao e confes-
sou o sou ternvel acto, no acto do interrogators
a qua sa procedeu Faz-se o corpo do dclicto, e
trata se de in-taurar o competento processo.
Teve lugar no dia 26 de outtibro, no palacio dn
presid. ucia, um baile offerecido pelos amigos do
Exm. Sr. Dr. Maajel do Nascimeoto da Fouceca
Galv'n, om prova do alto apreeo e consideraeao a
pessoa de S Exc.
Prometteulo se uma modesta reuniaa, foi, en
tretanto. uma das mais csplandidas que so tem vis-
to nesta capital, pela grande numero de convida-
UJas, a:e do mteriar da provincia, pela aaimaca-i
3ue reiuoa das 9 as 4 a nieia horas da madruga-
a, pelo e-raero com que se achava decorado o pa
lacio, pela bella execucao & inusica, o especial-
raente polo grando numero de senhoras que urna-
vam os saloes. Podemos assegurar que Kra um
baile completo. ?fo nnmoro segtiinto darcmo*
mais minunosa descripgao, que por um amigo nos
foj promeitiJa.
M.AGOAS.
Era conhecido o resultalo da cleicao de depu-
tados provinciaes pelo segundo distrtcto, sendo
os eleitos as Srs.:
! Padre Patury 322
2" Dr Felippe de Vasconcellos 321
3." Dr. Muntiba 321
4.' Coronal Theotmio 320
3." Dr. Cnaves 320
6. Advogadi Tnara 3>9
7." Tenente cornel Irabuzciro 3i7
8/ Major Miran la 3 6
9." Dr. Floriano de Miranda 315
|o. CaoitaoNicolauTolentiuo 3 3
11. Paulino Salvador 313
12. \ igano Baracho 298
- FallccbU, na povoacio de Coquclro Sfccn. o
distincto advo/ado Ja e Crrea da SHva T.tira,
ocerca do qual Jiz o Jornil dis Alagdas :
?ra o linado um cidadao distincto pela sua
(uUlig ucia, i!lusira;aj oyvisino o extelloytos qua
lid.id-'s pessoa-s.
To-noa p;irte activa nos acontecimentos poli.
ticos mais n .taveig que, era ilataa remota*, agita-.
ram e*ta provincia ; represeiiiou a por vezes na
camara temporaria e na assemble! provincial ; fez
part* de ui"a li-ta tripbea ; exerceu cargo? pohli-
css de elevada jerarehia. e desi mptnhuu a uebre
profi-sio de habej. advi^jado.
<( Em to las as phases da sua longa vida publi-
distinguio tnbratada pela flrmeza
10
101
Iftl
100
80'
68
60
63
51
43
21
Dr. ArMncto
Vjgarw Novae*
Antonio Attico
Dr. Josd Nf^dlao
Dr. Antonio Pfttliiti
Dr. B*rro-iBary'ew "aW '- .'*" '
-Kdsiim.-d*MhVfeR*)-i'nrvej(1 rV'lueira e
Vilh-Bi-Ma^: *"'* ?* '
Br. Antonio P.urfiiW W
Dr. Josa Nicolao .' '
Dr. Cincinatt *J,1;"1
Dr. Alves .14 $H*A l'
Dr. A-rcondo l < :w
Dr. Fa bio
Dr Barms Barreto
Vigario NbfWg
Antonio Atlico
Dr. Silva R-go
llaleiciilii de cavnllos.-Por porUria
da pre foi prorogaiM por m-iis ej*e*a dias, a contar da
laia da coniinunica^o ein'itt#ii manicipio, o pra-
vi miroaJo piVa o 'ocerr4tt*nfo ~da mairibala
croada pela lei n. i,H3 "&V11 (fo Janlio do eor-
rente anno '"'''"''
Ciunrrlu naciunal. Par portarias da pre-
sid.-n-ia da pr-irhiofttW. 19 c 59*edrreate :
M ibdon se dar giiia de pa^saffejii para o mani-
cipio do R.vifij.'-Tiiialferes ds C.a cimpatmia do
23. batalliSu dft intantiiria. do manicipio de San-
to AnlAo, .rt)ii5 Paes ile l>yra.
M i'i I oi se aggregar ao -t." batalnao do serrieo
ifi reserva, do munfripio do Rerfre, ao capitao do
l. kitalhao do infantana. da capitar do Coara,
Firmipo Candid) do I'"iL'iiiredo.
Foi transferii'-), a ttd po-dltta, para- o service da
reserva, li jmdo n^jtogado ao 2." batnibaa desse
servico, no uvinioipn do Reelfe^ o cajiitvido 8.
hatalhao do InfanWm. desse manicipio; JoSo Fran-
ci.'so Honrinie- rVrtdla.
Dinlieiro. -0 vapor inglez IHimnni trouxe
da praca !l-i Rfo Ad 3;Bi'ro paVa os srs. Borstal
man & C. 8B#9O8.'O00.
0 vapor.l)i:a>i'"ir i PetUth, trouxe para :
Pedro Osoria.de Cerqueira- Jl ''"'"''*'' 8:0110 tO'-O
lose da Silva Lovo & Filho l1:26Ji5770
Mie-uol Jose Alves |:H^iOO
Vaiini- Peneilo. Segiiivjioje a iarde tm'ra
a B.i'hiii' polas esoalas. '** *-f\
Vapor l*ara.Chegou hontem pela imnhS
a Mareio. Steve a'nanhecer hoja em nosso < Diurio te Pernainbaco.^S" che^arem
hop; os vapores P'ai, G roane ou Cutopuxi, dis-
(ribuireitos amanha nosso n. de segunda feira.
Annirersnrio. 0 impletam-se boje 242
ano is que os h lland'-zes incendiaram a cidado de
ObnJa, antiga capital da provincia de Pernambuco.
Lutcria I Ilio ile .1 uicini Ro-u
modilista dos |)remlos maiores da 111.* lateria
coneedida para o Monte Pio Geral de economia d.w
servidores do estado.(nova coucessio); fextraliida
no dia i :
X. 2913...................... 2':00 5000
N. 477*i...................... 10:00-4000
X. M82..................... 4:-003000
N. lir<..................... 2:000*000
N's. 2710 e 3't00 1:00)3 a cada um.
Ns. 214. 1805, i99Q e 4 91 800 i a cada um.
Ns. 6, 1941, 3027, 3720. 3842, 4i90, 4457,
49i'.>, 5333 e 5810 !00i a cada um.
Ns. 297, 661, 719, 10 W, I4"7, 1776, 1795,
L2IS4, 287', 1467, 3839, 392'i, 4113.. 41->1, 4460.
4650, 5020, 5103, 5636 e 5988 100* a cada am.
Ns. :<6, 99. 4-^2, 513, 80i, 841, 1452, 151 i,
1562, 1568, 1569, 1172, 1851. 1880,
2J0I, 232?, 2V55. 2489, 2543, 25 3,
2678, 2789, 286), 2-8 2'49, 3125,
3333, 3453, 3670. 3076, 3741, 3899,
4735. 4743. 4757, 4772, 4829, 571,
5135, 5215 5i40, 5iSt 5601, 5644,
5704 5841, 5944 e 5945 403 a cada um
Lista dos lUiioTO' premios da 8' loteria con-
cedi la a favor da irmandade da SS. S>. da fragile-
zia da Candelaria, como aibninistradora da impe-
rial hospital dos Lazaros, extra-iida em 7 :
N. 9:>8...................... 2-i.-0l)3000
M- 38i..................... 10- 0030ii0
N. 17i..................-.. 4:00i(X)0
X. 5*4.......... ........... 2:0001000
Xs. 3317 e 5272->t: .Vs. 1503, 3550, 4314 e 4451 8003 a cada nm.
Ns. 376. 377. 425. 994, 1229, 219J, 4246, 4691,
5356 a 55 8 2003 a cada um.
Ns. 2. U, 10s. 251, 316 3II. 385, 5U, 602,
12.57, 128., 2168, 2274, 308?, 3512, 4171, 4292,
4;25, 3293 e 5759-10>3 a.cada mn.
Xs. 99, 30. 458, 495, 350. 931, 1061,
1U3, 1222, 1237, 1258, 1263, 1315,
1480, 1482, 1715, I73S. 2 00, 2272,
2792, 2975, 3 '62, 320 3233, 3358
3i4 ', 3380, 3631 3693, 3819, :<895,
4K79, 4182. 4;74, 43*9, 4447, 4475,
4637, 4844, 3114, 5208, 3298, 53n4,
5581, 5754, 3803 e :-9:W-43 a cada am.
I'liiouliliiflc de Dire!to. Fizeram acto
da 5' anno no dia 12 do cerrente e receberam 0
Jrao'Ift bach ire| os seguiules estndantos :
,iso Maria Ferreira da Silva, appnivado plena-
meute.
E laminoidas Band ira de Mello, iJem.
Avebnu Ildefnnso de Oliveira Azevodo, idem.
Caiioido Alves da X-brega, idem.
Antonio Alfredo da Gama e Mello, idem.
Joso da Cuuha Taixeira, idem.
Sooiftdrtdft Bt-npficenle dos Typo
g*rpht*. Amanlia as 10 horas do di uevi-
reuair-se a aifemblea geral dos membros desta
sncieaade, afiui da tlegerem um novo presidente
provisorio.
Corpo de pnMela. 0 fornacimo.m.odecal-
Cadi> e f. rdamento. para as pracas de pret drte
corpo foi, pur ordem da presidencia da provincia,
su.-pen.io por dever tn coatratado perante a the-
snir.ria provincial.
Reuaiao de Irmandade Deve reali-
sar-xi amanha, as o>z ho>as do dia, a rennian da
mesa geral da irmandade das Almas, da niatriz da
Boa Vista, aflm d" proceder & oleicaoda mesa re-
gedora para 0 anno de 1874.
Vapores esperailosHojeoa amanha, o
brasilein Para, do Rio de Janeiro- e escalas, o
franeel Ville de R'ode Janeiro, da Kuropa ; a 24,
0 inglez G'iroitiii? oil C-topOjci, da Europa'; a 26.
0 inulez Neva, da Kuro|ia, a 28, 0 inglez Dowo,
do Rio (la Praia 0 escalas.
Representaeao.Ao Exm. Sr. presidente
2 60,
2610,
3284,
4393,
.102.
5662,
2190,
2062,
13 6,
4405,
5110,
5666,
1381,
1287,
3362,
3952,
4621,
5317,
10 7,
H24.
2682.
3 02,
41)72,
4634,
5.67,
ca, dhiraguio an sonreliwo pcta urmeza e honnsti
dado do >eu caract'r; e, na calma ilas paixSesos j da provincia fi apresentada uma represent icao
seos adversarius oao lha t an rccusado a justija as dovida ao son merecimenti. jBreja, manife-taDd-. impiissibilidada em qu# se
Pre.-i u ,'os mai reb-vanles servicis a cau.-a! aeha o pio da satt^fczer a contnbuicao do impos-
puMioa a ao panid > euuncrva lor, quo idle se.npre to uliim.nnente rreado sobre a veuda ou permuta
11 Pel 1 quo toca a no
cabdade, nada ha qne pagsa mececcr
feJM JRdBT
t .\o posso, poie.n, dizer 0 mesmo com relaca'i
a oatres ponton d'aqui, pois que tenho a noliciar
Hie um facto que, em minha opiniao, devp enver-
gonhar a nossa proviacia.
a Xa outra missiva ja llz-lhe ver 0 estado, por
asaim dizer, d ploravel lim que se acha 0 povaado
da Lapa. pertencente a esta comarca e distante
d'aqui w..8 cinc-i_u seis leguas.
Reitcro 0 peiilo de sen s o energieas provi-
lencias do digoo presidente da pvovfacia, o Exm.
Sr. Dr. L'-racna, ad*eatt.1> de moralwar mn piiuco
aqnoila povoado, qne esta eiitregue a um ineJduho
cojto de ladraos e criminosos que'-trazem a pouca
e pobre gonta qne nlli Inbua cm complelo sobre-
?alto.
K para espantar 0 quo commette alii ssa ca-
fila de salteadoros; e o qiie*mais h, sem nma re-
pulsa soria, poia falta qa*i ja Ihe flz ver de unn
forea regular q os intnnide e os obsto a que
pratiqaem qnmta sorte ha de desmanlds.
Os mocadores da circumvisiunanca astao to-
rnados de susto diariam mte, pois qne, pelo grande
nnmeio de que se ennpoe a qualnlba, qne di em
ser para mais de trinta, esperam a todo 0 instante
ser atacados. "; -
1 A lei da refonna judieiafla, le"um certo modo
antonson estas cousas, facilitou 0 angm nto d 1
nunipro dos la troes, desde que nao permittlo que
se podesse premier sem eulpa forma ,1a. E" b que
se ouve todjs os dias eBes ditere.n.
1 XiiiVna m 80 que istj 'ignore. E contando
aXsim, quo so podem ser presos depois de cul|a
foimada, van commettendo attentados de to-Ia a
sort", s?m rospe to a pessoa aluuma.
c Ontra coitsa rtra lamentar e- a pequena for^a
polcial do que dispoi&o< para sati-fazer as necessi-
dados de toda a provincia, de mancira que, ten
do virrlo para aqni nm refbreo de 15 pracas,
ficou 0 destacamentp composto de 35, das quaes,
lend0 sido tiradas 5 para Ponta de Pedras e 6 trnr'a
Itaaibe, ficon 0 dsslaeamento daqni redttzido ao
liuiitado uumero de 24 pracas. I) -stas, quasi sem-
aiV. ha docnt'S como agora, que hi 3 de bexiitas,
e algnmas sao mandadas ao Recife, conduzindo
praso-; deJuzindo-se do destacamento nmas 6,
youoo mais ou menos, e 7 para a guarda da ca-
deia, restam II, inclusive 0 sargento, 0 corneta e
as ord -nanjas das autoridades.
Avalie hem, do qua arabo de dizer, que e ab-
solutarnenfe impossivel cnitar com forja'do desta-
camento daqui para fazer u na dibgencia qualqu-r
qua jjeia.
licia, tm^nte Moraes, tenta fazer alii uma diligen-
cia, para 0 qne pretenda sahir com 0 pequeno nu-
mero do pracas do destacamonts da quo pader
dhpor.
a Nao sei 0 gae fara elle, ptl 0 quo podora fazer,
vino como e taolimltala a firca com quo cmti
que duvido mesmo do bom resultado da diiigencia.
Logo que elle volte, ooticiar-lhe-hei 0 que oc-
ewrreu.
Pelo subdelegado da policia de Prata de Pelras
foram remettidos ao Dr. juiz municipal tres in
qaeritos pro<;eliios, um co itra Manoel Estevao de
Sant'Anoa, por crime de ferimentos leves pralica-
dos na pessoa da sua propria mulher, Maria Mag-
daleoa da CanceicS-t Silva ; outro contra Manoel
Severino, p ir igual crime omne'.tkli na pessoa
de Maria Paula da Silva ; c outro, finalmente, en o
tra Joai Paolo do tal, por ler espancado ao ms a
cato e subdito itabado Jos* Liggorio.
Todas ostes in jueritos tiveram 0 cpnveniente
destino.
Consta-mo que ha 12 processes preparalos
para a proxima sessai do jury que, comi ja Ihe
communiquei, deve ser installada no dia 27 do
corrente, e qua igual namera so aehi em anda-
mento.
lsto mesmo confirma 0 quo venho dizcr-lhe
com relaijAo ao pequeno contiugcate do forija pu-
blica do que dispomos para a repressao do crimes.
1 nomeacao do Dr. padre Pelinca- para viga-
rio desta fraguetia foi para nos uma sorpreza as
sas agrailavel; por quanto, cnnhecenlo todos nos
mint 1 b6m o Dr. Polinca, eontamos que a saa pre-
S'Mi.'.a aqui acalmara alguma cousa os animos agi-
lados contra 0 axra. Sr. D. Vital, pela magna ques-
tao roligmsa.
Estou a espera do resultado da diiigencia da
Lapa p ira communicar-lhe immediatamente.
Presum > que seriojb ddados o esforcos do'
tenente Moraes, pois que elle nao podera deixar
alii praca alguma do destacamento.
n Ate outra vez.
Eteada. Desta cidade enviam-nos o se
gointe :
Ti'va logar no domingo, 16 do corrente, como
se achava annnnciado, a beneao da banleira de
Nossa Seuhora da Escada, que devia ser hastea-
da no centra das obras da nova matriz. sob a di
receao do incansavei missionario Fr. Caetano, so-
brinho do immortal Fr. Caetano de Messina.
t Um nnmeroso conenrso de senhoras, trajan-
do de branco, e precedido de quarenta meninas
bem preparadas, com pendoes e bandeiras de co-
res, formava dnas extensas alas, no centro das
quaes conduziam a bandoira as Exmas. senhoras
qua foram e-colhi las para madrinbas e o Rvm.
conego vigario.
c Ao sum de uma linda marcba, percorrea as
raas designadas pelo Rvm. missionario, depois do
quo, parou junto ao altar qne se preparou para a
sania raissao, e abi a multidao immensa que se
achava reonida, teve a felicidada da ouvir par se
gunda vez, um eloquent* discurso proferido por
Fr. Caetano, acabado o qual. foram dirividos a
Santinsima Maria festivos cantos em accao de gra-
ces e hastoaOa a bandeira.
A obra da matriz achava se caprichosamente
embandeirada a esior^os da commissao.
To.las as classes sociaes estiveram represen-
ta las no acto, reinando a mais perfeila harnioma
a conlialidade
Queira o Senhor proteger tao sincaras dedi-
cates, afim de swr uma verdaaV a reconstruccao
da matriz de Xossa Seuhora da E*cada.
Seilnl s falsas. Lemts no Diurio Official
de 7 do corrente
t Foram apprehendidos na provincia da Bahia,
em casa de Estevio eretra de Souxa Cnnha, sub-
dito portnguei, nm molde de vasar-moedas de 1,
tres deltas ja preparadas, uma de 300 rs. e dez de
100 rs.; procedendo-se aos respectiv m exames
na thesouraria da dita provincia, reconhecen-se
serem toda- faUas pelos seguintes caracteristicos :
as tres de 13. sao feitas de nm metal ordinario e
sen trabalho e uma imitacao das moedas de prata
de-s valor, do penultimo cunho ; teem como as
verdadeira-, de nm (ado o emlilema imperial e a
inscripcao In Hoc tigno vince* no alto da moeda ;
denuiro lado, em lorma eirrnlar, a inscripcan Pe-
Irut II D O. Const. 4mp. Et-ferp. Def. 1856 ; a
coma de foi ha.- e us aigarisraos signinrativos do
vwlor, e os dous travasKdes ^cima a baixo d >s
algarismos, cada um cortadoporum ponto no
centra ; todo o trabalho e mui grosseiro e 0 peso
nao corresponde as de prata. A de 200 rs. e as
de 10 rs. iinitam a4 de nfkei; f> metl de qae
sa> feitas pareee chnmbo com alguma mistnra ;
leeiri n carimbo e a iancrtpcao em cirrulo De-
ereta n. 1,811 de 8 de tttembro de 1870, senara-lao oommandante da gnarda
do e-te ultimo algarisma da lettra D da pulavra "
Dacretopor nma estrella ; o emblema im
" e tuJo
ma sonaar e em cujo oxo e
cajor que mistrao numero de revuloefiea .feita* | _- y
pelo dito cylindro; cjnlij:ii _umi a(avapoa para'
imuoJi'r qua ii fii corra com traiiH rapidez, e
igiiabmnte para saspenftr ft sua qilela .juin lo,
pela mudanca de pouAldi aivie, na0 pnssa-cm-
servar a linha vertical. Do cylialri passa 0 lio
r baixo da roldana^de uiiL^^oamimeiro, pau4-,
par cima dewunvrolJana e vai liear fixo ao
m > da s iii4agem.
0 dyna.n imelr 1 corapoo se_ de um banco com
daas hastes delarco. Um dos exlremos das hastes
esta lixo no banco e no outro gyra una rol>lana.
Perpendieulanaaate a hastea djuyiiaio-irootro ha
nma escala qos indica qualquer vanacao na des-
eida do prumo; inl Imi e-iaaoli j'ali en ions
pes acima di mid ana do dynaaiom tro, do midi
qne 0 Ho consenra sompro a poii;a> BerpouJica-
IStm 1 mosini dyuamimotro, ^laTJlri^qua seja a
nosicao do navio. 0 Drumo, de forma aliptica, e
pesando 30 libras poaco miin on menos, lem no
fundii ami rosca oode seaiarradia uin mbo ie
metal c rastruido com umi valvula ordinaria na
-4tt.'v-jn.*rj j
Quand-i 0 prumo toca a fundo, a valvula abre-se
a reecbo a ma'eria de que ella se cainuoa, a qual
nau se pode mais escoar, ja polo saa propria pa->o,
la pela pressao da agua sobre a valvan quand) 0
prumo o suspcndiJo. A cssala do dynauvooetro
miistri pelo atrito do fio quand0 0 prumi t ica 0
fundj, e nessa pecasiaj para^m zero^ 0 iudi:a
dor mostra 0 Bnmoro do bracas arrraTas ou sus-
pendidas. 0 prumo pode sar suspendid > par meio
de uma tallia e da duos, maiuvellas Cxas no eixo
do cybnlro, coma actualinouto se pratic >u ua Pn
raense ou par mow de um galncjiQ a vapir cam>
se usava a bordo d ll.iop'r. Muit is vozes pel 1
estado do niar gastamos daas e mais horas em
suspender nove renlas bracas de flo.
0 fio de jue u
pianos fortes e pode resistor a um peso de duzen
tas libras poacu mais ou mouos. Uma milba des-
te fio pe*a 14 libras. Para a sua conservacS) ba
nbam-uo em uma sorajao de potassa catbtica.
a A exactidlo, simplicidado e prasteza deste
apparollio, em quo se pode sondar as maiores pro-
fuudidades, ajsim coon 0 pe,jieuo diamotro do lio
qde tan pooca resisiencia qflerece a pressao
das aguas, de.monstram as tagens. Adaptindo o systema dc sigaaes em-
pragados, si- Wifliara Thomson pr-apoz ao at-
mirante inglez applica Io aos diversos phar6es
que itlumioam as cost is da tnglaterra de mod 1
a apresentarem em vez de eclypses de maior
ou menor duracao, sempre c uulcaraente a
m sma lettra do alphabeto. Por este meio,
alcm da certeza da po.-ijiio do. navio, quan-
tosdesastres se evitari im ai juella co-ta,pela coa-
fuso de se toraar um pharol por outro I
Que descnlaee Xa camrauaa de Clie-
nas, situada a pouca distancia do Ljon, dease um
facto bastanto singular.
Uma viuva abastada e sem filbos tinha promet-
tldo fazer sea testamento iastituindo por sua her-
deira universal umi sobrir.'.ia, Joven urpha, dotala
das rnel bores qualidades.
Carlo dia, porem, araanhe'e ^ tia indisposta,
scute aggravarera se-lho os iiijommjJis, a uwrre,
apezar dos tern is e soii:itos cuidados juo a moca,
mais por dedicacao do quo por in'.eres digalisara.
A rapidez da molestia nao dera tempo a boa se-
nnora de exprimir as suas ultimas vonfailes, do
maneira lua a pobre orptva, tii 1 de chofre asaim
de.-anipar.ida, eslava por.raais. de um motivo in-
con'Olavel.
Banhada em pranlo c possaida de desespero,
procurou fallar a alguns amigos do sua fa nilia.
etpoz lhos sua cruel situacao e inquirio 0 quo
citmpna Ihe fazer; e?es perfi I03 conselheiros
propuzeram e conseguiram qne ella sa prestasse a
reiiovar 0 eslratigema d i Chrispim do Legntano,
isto 6, occultar a marto do saa tia, toraar 0 seu
lugar no leito riwrtoario, mandar chamar o ta-
balliao e as testemunha? e dictar o testamento em
seu proveito.
Era pr'ciso animo ; ma*, temerosa da miseria,
a joven sentiosecom forcas do representara hor-
ripilante scena. Tudo correu as mil maravilhas :
0 quarto fora de piopo-ito mal allumiado; a
moca, metti la no fund) da cama de i-orti.hados
quasi corridas, e envalvila n'umi poreao de led-
coes e rondas, ia dictandocom vaz pauada e qua-
si exiincta as dispostefie* te^limeiitarias.
0 tabelliao tinha acabad de redigir em devida
forma 0 importanle auto, as testemunhas passa-
vaia ja a xssigaa lo, qaando uma dellas, assaz ma-
ligna, e que fora, nao so sabe como, pravenid 1 do
caso, declarou que nao assjgriaria se nelhanta d 1-
curaento, sobre cuja validade protc-tava, visto co
mo a testadora, que se procurava agora sub-ti-
tuir, havia morrido, segundo estava informado, ha
seis horas palo menos ; e qde, portanto, nao que
na ser complice detao criminosa fratide.
Os circumstante* ficara n tornados de pasrao
um d is imjiruJeiites cmselheiros ia liUpognaf a
assercio da testeinunha ; o tabelliao, p .rein, re-
clamou silencio, dizend i qne ?e dissiparia qual-
quer engano pondo-se nfcis a descoberto as fei-
c5es da raoribunda. K en:aminhoii-se para o
leito.
Imagine-se os traases
ro^ miardadb ptc
irVeYKfaha-e
suis*oS/.. : .*
Oa.! |irincaoa*inbn|ih mtkhV^csta, iofei
rompeu suliandu wogafgaitwcP bBtIhI.
venla 6 a K-
qual cun*
ras da mo-
de caoiel
." an lar do
(casa do pit-
aR> do &*
iraraS, exts-
Lbteria. A que se aeba
a benegcio da matriz lo Tejiuu
iu Jiagv ymg
I.ol*.i.-So|BMi fe
nb., effeciiii 0 agante \Iji
las vencidas, daoW m m|
sobiadoa. 2, Ja irav^sa das
11110 res)
Casa ill' iletencao. '!
2d de novembro da 1173:
Sxisti un presos JM, pomrain
tent 3 9. W
A tabor "-j* aW^.
Xacionae.s 236, mnlheres 11, estrangeiros iV,
iscras-os 37, escravas 6.Total 319
Aliraentados a custa dos cofres publieo> 234.
Passageiro?. Cliegados dos portos do sal
D. Maria do Sacrament 1, Adolpho Beck. Jose R.
BasAs Coelhi, Jase A da Figueirelo, sua senho-
ra, ama cunhada e uma esrrava, Julio Sunohro-
"10 Ferreira, D. Virgiau Adtaaxia -Aranjo.iHliBf
da Silva Porio, Maria Pareira da Couceicau L,
Jost P. de S mza, Manoel Evaristo do Sauza Co'-
(jn, Jase Luiz S.ures, Manoel Fentuu Francisc:
Goncalves, Jose Games itodrignes, Jose Joaqoka
Fonles Gannaraei, Manoel Pinto outintio. Jofr
Alvo.- da \muar, Cuu Faiiuua- L*inp. tnw|>
Xazaniel Ferreira de Ar.uijo, J.isc F P. do Fn'iit.v"
Jose Francisco da Silva Br*ff\ tntMtWfc
sus Man ie| Cilen Jam r, nfi-^of djf>p^9fo
Sahido p.ira u Rio Grand* do Xvrlc no Jaatr
Joiio Vail* :' llv ^"1 MUHmW
Xicolao Laguarde. ., ....
Cemiterio pulilieo. -ObBuario do dia'if
de novembro : -j^
Manoel Justf Francisco Mariz, brauct, Pernan-
duco, 38 annas, soltoirci, Graca ; ga*ro hepatite. ,
Adeiioa, parda, Pernambaco, i annos, {taeifc :
sarampo.
Maria, parda, (jjgaora-se a naturalidadoj 2Tai.-
nos, iplteira. Saul Antonio; abtyslca pulaiosar.,.>
Antonio Manoel de Oliveira, par Jo, iVruatniascii,
36 annos, casado, Daa. Vista, lwspital Pedrji Jl j, jia-"
riolas.
Manoel Francisco do- Santos, pardo, Ceafi^ 2
ami 1^, casado, Recife; variolas.
Amaro. branco, Pernambuco, 6 dias, Boa-Vista-r
ospasma. to
Fortuna'.o, pardo, Pernambuco, .4 jnezos'^ S|n^>f.#
Antoni0 ; enterile agnda. v-
Rosa Maria da Cuoceteao, brauca, Pcroaat^ajG*/.'
40 annos, viuva, S. Jose ; variola-.
Juao Foales, pai-do, Ponuuibuco, 24 anrh^.aa-^.,;
sadi, S. Jjsa.; .cougestao pulraouar.
Antonio, branco, Pernambuco, 17 mczes-S-J>:
se; denticao.
Cuistai'.cio, pi-etp, Pcrpambuco, 17 mozos. S.7i>-
se; denticao. .q *
Isabel, paida, Pecnambuco, 11 mazes,. 8oa^|J- ^
ta ; bextgas. w
Candida, par Ja, Pcrnambuas, a annos, Boa Tij,- ^
ta, hospital Pedro II; variolas.
Sebastian Jose Pernandes, branco, HeRpnnlia,'7i>
annos, solteiro, Boa.\Tista, hospital Bedru II i au> -
lecimeiilo cerebral. .
Manoel l>i..s de Cafvalba, branco, Portugal,. 29
annos. casado, S. Jo>c ; totaoo.
Firmm 1, pardo, Pernambuco 2 nioxes, Bpa-^-
ta ; ontero-culite*.
Loareuea.Haoa.Ferreira, branca, Paruamb3{'>.
82 auuoi, viuva, iU-a;il'o ; m-rasmo.
Joaqumi, pardo, j'ornambuco, 82 annos, viuvo,
Recife ; mara-mo.
Eufrosma, parda, Pernambuco, IB dias, Boa-i*r
ta ; bexigas.
Candida, par Jo, Pernambuco, 2 Inezes, Boa'-yis-
ta ; gastru enterile.
Claudia. Jose Theodor*), pardo,, Pernauibuco,i7.w.r-
annos,.solteiro, SanUt Autonio ; tohgeislao.
Jonriqueta Manculiuada Silva Guimaraes,. bran-
ca, Peraambuco, 21 anno> soltcira. Boa- Vista ,
baxigas.
Paulino OiiaCro Nunc, pardo, (ignora sp a b.v
turalidade) 33 annos, 5anto Antonio ; febi;e.
Isabel, branca, Pernambuco, 6 mazes, Boa-Vis-
ta ; bexigus
Maria, pardi, 1 aano, Boa-Vista; bexigas.

porqne passara a pobre
orphi nnviud 1 o protostj da tcstemunha : pensan
do no opprobrio qae. a esperava logo que se rtes-
cobrisse o embuste, um astremecimento perpas-
son Ih2 todo o corpo...
Qaando 0 tabelliao des:obrio 0 rosto da suppos-
ta d >ente, a infeliz estava morfa.
Boa sahida. 0 marquez de Pontelima oon-
versava um dia com uin do- reis do Portugal A
conversacao versava sobre a obediencia dos sub-
dites. Entendia 0 marqn<*z que ella devia ler li-
mites ; 0 rei, que a queria era qualquer ea"o, dis-
se-lhe arreba'adamente :
Se eu desse-ttie ordem de lanear-se ao mar,
Sr. marquez, era de seu dever arremesar se nellc
de cabeca para baixo.
0 marquee, em vez de rrplicar, volton-se pres-
tes em pro-ura do caminho da porta.
Aonde vai, marquez ? pergantou-lhe 0 rei.
Vou aprender a nadar, senhor, responden 0
fidalgo desapparecendo.
O jis -0 vicio de jogar e 0 qne mais im-
po-se a imaginacao do horaem. Sirva de prova o
seguinte facto :
Uurante uma das festa* do camaval em Bor-
deaux diversos individnos estavam a jogar seuta-
dos debaixo de uma galeria, qaando de repento
soaram gritos de qne otecto ia desabar, pr ter
a principal das vigas dado um estalo Hoove
grande alraroco, porem, os jogadores nem meelm
ram-se : uns nao tmham ouvido os gritos, outros
nao lhos prestavam atttnelo. Para arranca-los a
uma morte certa foi necessario carregar a mesa
do jo se, e foram seguindo em Silencio es-e altar ambn-
lante, nio cessando de ter s olbos flxos nas roaos
dos qne a levavam.
Que padre !Um rapaz aldeao, tndo ido
confessar-se, accusouse de ter arrombado uma
cerca para tirar am ninho de melros.
E o qne fei das aves ? perj-untou Ihe de tes-
ta franzida 0 confessor.
Deixei as no seu lngar, responden a treraer
0 aldeao, p;>ra crescercm mais e entao ir tira las
amanha do lard-, afim de aimocar uma boa frita-
da depois de amanha, quo 6 damingo.
0 confessor o absolven e aunduo-o embora ;
mas, aproveitandose do aviso, foi na manha se-
gninte tirar 0 ninho para si.
Quando 0 aldeao foi ao Ingar achon-se kigra-
do ; bouve, porem, qaem Ihe descrevesse 0 an'tor
do li'gro.
Mezes depois houve na fregnezia nm jnbileu. e
e pai do rapaz obrigon-o a ir outra vez ao cunfes
sionano. Ajoelhou eHe diante do mesmo padre
que a'enganara, e acensou-so de ter obtido nm
beljo de uma joven aldea :
3 Aonde mora ella T perguntou 0 confessor
com o mesmo ar carrancudu.
Quera nao te eonhecer que t*o diga, resmun
gow 0 campnne7 se levantando.
So assiin! Um fidalgo bretao em extremo
taciturno e Ueonieo, nnnca dirigia pergunta algu
ma a ninguein, e s6 por monn>ytlab -s respondja
as qne Die eram dlrigidas lado uma orcatiao
jantai em casa da prineeza de____, desafinn i-sta
suissa, mo.o muito
iMRWCA Jl'DKIAl
I i-ibiiiiiil da coaniierelo.
SESSAO JUDK'JARIA EM 20 DE NOVEMBRf
DE 1873-.
PRBSIDSMCU DO KXM. Si\. COSSBLIIBtno AS9ICUK'
FRA^CUOO PBRBTTI.
tSecretarbt, Julio Guimardes.
A meia hora di tardeestando reunidos >s Srs,des-
eranargadores Silva Guunaraes, Reis e Silva e AcciK.
os Srs. deputados Oh'nt 1 Basios e Lopes Machadp 11
os Srs. supplenles Sa Leilio e Guerra.
Foi lida a approvada a acta da scssSo alsf"-
cedeole.
HCCOnDAO ASSIGN'ADO.
Embargantc os administradares da massafaliiri .
de Fernanda Slepple da Silva e os herdeiros <5,;
Luiz Amavel Dubaurrq, embargada3 0 barao (Jo
Livramento 0 outro.
HILOAMUNTllS.
Juizo especial do co riraereio. Erabargante, ap-
pellante, autor omingos Rodrigues de AndTade,
embargados, appellados, reos, os admioistradorr/*
di maasi fallili da Marqti-s Barros & C. ; juizen
os Srs. Silva Guimar.ies, R-is e Silva, Sa Leita
fiuerra.Foram daspresados os embargos, sendi
vuto venclJo 0 Sr. desombargador SiK'a -Giiiinn -
raes.
Juizo especial do eommereio. -?ipneHank' r6
Joa |uun Autonio de Carvalho, appeUadu ant.* Jo-
se Joaquim Guerrciro ; juizes os Srs. iha Gsi:
maraes. Reis a Srtva, Lopes Marhafdn e Sa Lei-
tao. Foi reformada a senteofa appellada.
Juizo municipal 0 do eommereio de Nasaretfj,
desta provincia. -Emfcargantes appetlantes aoto- -
res everino, Irmao rfr> Francisco Pinto de. Sonca Neves ', jafaes.. 0*
Sr9 Reis e Silva, Accluii, Sa Leiiao e fjipfea M-
chado.Foram dospresados os embargos.
Presbftmcia do Sr desombargador Silva Gnimr*
r5es Juizo ospecial do eommereio: apptHant(!
autor 0 barao de Bemfic appallaHhs reos Jeruny-
mo Delsuc e outros : jniws us Srs. Reis e Silva,
Accioli, Sa LeitJo e Guerra 0 Sr. desembarga-
do' 'ccioli par motivos supervonientes jarau as-
peieao, e0 Sr. presdeote ad hoc officinu ao Exm.
Sr. conselneiro presidente da relacao, reqoisitandf.
a Jesigtiacjto do um joix revisor.
Appellante Manoel Rodrigues Toixoira, appena
dos a viuva 0 herdeiros de Henriqno do Miranda.
HMnriqiies.Adiado a pedido de um dos Srs dfr-'^.
putados.
Jnwo municipal e do.eommereio de Goyanna.
Embargantes executados Joaq de Azevedo Ranw
e sna mulher, embargado-exequente Antonio Gon-
jarves Ferreira Cascao : juizes os Srs. Reis e Sii-
ya, Accioli, -a Leitioetlnerra.-Fi,ram despresa-
dos ns embargos, seudo voto vencido 0 Sr desem-
bargador Accioli.
Jniio municipal e do eommereio do Passo de
Camaragibe. Appetbinte exequente Joaquim Jose
AIvhii. appellados executados o Dr. Lourenco Ac
cioli, Wanuerley Canavarro e sua fllba : Juizes os
Srs. Silva Guimaraes, AcciotiiOlinto. Basle's'e Lo-
es Machado. Foi reformada a sontenca appel-
ida.
Juizo especial do caminercio. AppeUanle au-
tora Amalia Leiden, anpetladdreo Henrique Quahz ;
juizes os Srs. Silva Onimarae*. Accioli, Oi into Bas-
tes e Lopes Machado;-7<*tri ceoflrmada a sentenea
appellada.
i)Sr Olinto Bastos nao apresentoa 0 feito aifla-
do, a -^u pedido. entre partrs appellante tneli-
verimot aod London and globe insurance company,
appelbido Josne Matcrno de Azevedo Santos.
C -ntmiia em poder do Sr. 'A LeHSo o feitii entre
partes, embargai^i Jue Aives de Faria. embarga** -
Joso-Pereira de Aratrjo.
PA-SU^KHS
0 3r. dosembnrgador Accioli recebeu 0 feito que
estava sobre a me.-a, com daclaracSo de pass gn
pour"Q pela 111a ledicacao < laloatn.
BJ|do-,.abrira quairo propo-tas para j, u Era ultiiiianienta director aposentalo da re-
de ravallos.
a legalididii do acto
leito da des-j-paiiicio do inmruci.-ao publica 0 membro a asaom-jo que melbor ha de recommnndar a apreciafao,-
de a margem Hiroita lio Jag; ary, ale a cidade deifclea b'gislalita provincial. Ida presidoocii da provin-ia. |. t f>apparall coni-ti em am cvlindro de sh
penal e tu.lo o mais romo as verdadefras.
.\|ip:irrllio de aoadaojem -O >r. capi
tao la fragala Francisco Jo-^ O eiho .Vetto, com -
m mdante da oorve'.a brasiteira Piiraense, no rela-
torio qne apresentoa ao commandante d 1 2' dis-
trincto naval, danlo conla dos terv.cos da mesma
corvuta na colloca.-ao dc c'abo snbmarino do Per-
nambuco ao Part, em auxilio ao vapor inglez
Hoarier, assim descreve .0 apparelho de sondagem
de qne u-iiu naqaelle servico :
Passarei anora a rtescrever n apnarel 0 de
sendgein inventad par sir Will am Tluunsm e
U-ado a bord 1 do Paraente, para a e-tir>elo imen-
d)s habitantes da Brejo e*to do cabo tolagraptaieo submarino entre P'ernam
aondar a aprecia#5of bflcoie 0 Part.
t
I espintno de uma palavia. Foi o desatio aceito mediantejappelbntes Sa Leiiao & Colmbra, appellados 0*
apo-ta. Dahi a pnuco, estando n jantar na mesa,
0 olDcial tnmu lugar junto do bretao, e dispoz se
a servi lo.
De que prato gosta mais, senhor f ihe per-
guntou.
Arras. '
E que vinho prefere Y
Branco.
Segu'ram-so ma d.is respondidas nor monosyiUbos.
A prineeza exn'lava de prazer.
V Exc, coutiiiitou 0 ofll;ial, 0 natural dc
MiorMalo T
Sou. j
E' verdade que C3la cidade e guardada por
cacherros ?
r radores fiscaes da wiassa falliJa de Man >el Jose
llonieiro Torres
Do Sr deseiobargador Srtta Guimaras aoSr.
cksemtiargadnr Reis 0 Silva. App. Mante Da-
vid Alves da Costa Leile, apptihdo Manael Joaquim
Duarte Goimaraes, vice-consul portuguez e on
\( l>> Sr dwemhargador Reis e Silva an Sr de-
emnarpad r Accioli. Appetlantes Machado &
Braiidao, appet ado Francisca Antonio de Albn
querqu- Mello.
Eiicerrou-se a sessao a uma hara 8 meia ia
tarde.
\ numtm
mi
riBfiO

!
;
a-
j.

i


(
L





>
s

N*uM<*toaramou i* feabbadd 22 dei'Navem&o.feotef*.
ikrr:

..3-------------------
dlMilUMihoveyio OF. 1873
r**u*em dito e tula no mos'.ra qua* o
actual. wiaUterio vivo apena* da omoipotcncia da
m X exist mr-.ia doesc miniateria e am cani^m-
qptUurmto, qua oada dia pate efescer mua
JEia.t'n D-JJI I H iila a pdiuca dos inculcalos
Viiwiraiaes di Procimm.
S* ifetivqrfMn ello* no padar, cetfimaate qua
vmmm -y 4^' '* nnrnipataacia 'it opimaa pu-
Wica e a sy.*toina partara-'ntar teria sid> obser-
*j.i* en tod* sua pnreza ; coiao p>r: ti e-sa
aesoaa apinfila as tern irr>m,ttiWnvate rralam-
*4,-ftj-l >s a d-.nupciare a paiz -ijae o actul
aiiniiri-i five dpttvii da aWtyLilsmcia 11 curua
It.qu sabeoj esses discolag jpi ate a ultima
k>ii d)-pij-trr.in i; i dis eamiras, pre-tar.un
eAa* a VilseS|.oatIuao J ieAdna apoie a i pa
ariutiea 7 dd maflrro a qui nennura ouwo gabi-
?*aaa*<5ii reeolhiaa be'icaas m.tU mM>cidn ds
Miiipjiz .igradecide ; mas c que esses cegos
ate a, Writ in nt-' da anroala quo reaplandece na frontc
<#a-Uaui- onto* d posit trios dj poder publico.
-wir|iaeitt. ig MMaatl reureseotalivo u; raiiii*lros mosep.-
"maator e ultra a rationi dacamira tenp-
n; siali j>rtanti inlnpaiwawl an a s.dajio
4ferU.'a a retirala da gtbiuele.
UdsJ- 111e at caioaras ap otam a apoiaulem p
aiasa-iri.>. i tar q it oUo viva ^'is h uraai
#aaaa*-fa d-t Mrtui1 av.vrar. wu ravaltante fal-
AitatV, qua uia pnla janan abooar o caractor
4emsriptor.M attain e coiiveoci.los
ft* a s ma u ,e v-w-la le. q io a eXHtencia desse
jjtjiita*ri.) e, con > dizain os p>\>vincianis; tun
CdWjWJ uoitim'iit) qua oala dta pole croseor
Ci>ib efeito, se em curta espaco de te npo ja o
aifudo liberal pirdaua trammtani yunda rea-
lintin* p.)io actual goverao a.i inais inimediatas
e i jbres a-pirji,'oos d so^iaiitde brasileira e ar-
Uvi U'lji! urn* vida dc maius expadientase mys-
siffca^o }n ba ias para illudir a opiniA que ada
4ix u abandmiM- sau* famantidis aposblis,
ii c fora de propn^ito o acraditar uua, daeor
Titus tu.iis l'us outro?aniMs, t-ra ella rfesapp*-
reciil) to aim :nto ilit ta-a la^ta pare, qua n.i) Hie
aeH't devadir do molhoranvnto algum, so lha
patle attriouir t *|aa tarn pa^s.ido.
A ciitinui.-T) dss;C mini^teri >, nao Inja du-
4ii\ e ptra olle urn aeno ca npromattim .'iilu
O que ti porom laraentaval e trwtonho a osja
tiuix iunliria inutil da tod.)* 03 dias a quo se
trjk,i;Z 3. Product 1 da iscrever ariigaa da [ulitica
^eai ii:.l'-iu, s.'in apptwacio e sera o&xo.
A qu'-. vam. cam effaito, a doiitica da Leopolds,
4.;. .yiiiaria, la Amadou ?
'^(4110m ~quarois applicar o grnnde cocho* 0110
^jili'.iU dwfciraaj 1, do que fallava Napoleao 11
O (no signifies t >li ea Non0 da vassa Pro-
fimrr- d^ &da eorrente?
Scnliores liberaoa consorvailorcs, dt-senjanai-
yai. quo as vossas amea;as aao vus levarao ao
patler, cnrai) pensais.
Tcin.'S uuia e muitas vazos vos iadioado o ca-
#^U.\ pai.i la chagardas pacifi.'a 0 hoae-ta
.PuTirmtai otj vawladiiiros estimulis 0 apirac5es
4a^aiz, pugo.ti pclas gan".ro.*as idoas ; cdlaeai-
vas- 4 freniu da movimbre e rogeneradar ;
s?4p leaes, siactiDM 0 c i.'i^tanti's em vassas opi-
(U>.;5 ; deixai eisa mania da insulto e dascom
11M a< adorsafios e sabre lu lb da a nea(|
:t pe>soa invi'davel c licai ccrius da quo. iialgada
ueii vi a esiina publ'ci. 0 pudar vas vira as
bV ^#la asaal ida e quo jamahs a pcJcreis obtor c
new itara til itm pomti eoaSac 0 auxilia da
-tfdTila
- llmciins a quo vrm p>sa historic da corrt-spon
Arik io Luiz Felippa 0 do Leupoldo 1 Que appli-
rajan torn io cao ?
C assuj que granJas erros i oulpas d is mo-
aiiicba: teni sido muitas wzea in^asutaflate Ian-
.!:. a f-iiita da lib'.Tdade.u
in, uias o qua q or ista diz^r ?
CenaineDte quereis lanoar a conta da imparanle
torasileijo a culpas e os erros di vosea liber-
Ri-almente c a acfruoira do wssa transviad^ea-
ritol
^I'.'ii c que m.mioai no Bra-id- nma pditica do
jtoCBBliant)^ 0 rejtrn^uas par.', oow os prinoipias
^eraes ? .
. TmJ..;. ; vussas sctias voam ccroiras para 0
Mteu nartc. ., "
Kcsic p.-iu a hbcnlade nio torn cornd 1 pertso se
4f,v> na tail do tudos, so o.< con.-erv.idorc- na > viessem,
ie tempos a tomi'.o-, par hombrus a laborio-a em-
"'apWra da salvajao do e-tadu, que sempre deixais
Mnbunio pnlaa extravagaooaa e abosos inerivois
fazeis da poder, quaudo v>s 6 olle can-
iadn.
jpaea sao os vussna ereditos, que, a priori podea-
)r juaUiemalicamanta cjdealar o futara polo muito
leudes dfixa.lj em epocas bom ui;lancolicas
?av~33sas passadaS administraoucs.
Ij.ia a* ^dmiramos mai< a caragam dossos pro-
JiMicimos e:n rela^aoao imperad.r, a enja conta
t&acara tudo quanta (' d > maa, e depots totr.^ a in-
jjweencia, para naadiiar a alToiteza da quercrem
? mtiilo amig -a da monar-
',Uia c quo tod o gran le fim do sou partidi) ft Con
sareiar sincera celfirazmenle a nrnarcbia com a
' rJade, coadamnand > e aponianda com todo3
i exeestt)S diqu ll.i; >\c fcuau que basta candom
siM o apootar asses excessos para quo tal consorv
.4}iie.cab.-casth puldici.-las a patri -tas !
. Nwiwcrevem urn artiga qua so aproveite, prin-
'.rucato ijuando se mattem a liquidar qtv.-toe*
-4t alta p.;liiica.
Ko artigo chele do 18, que twins sobre os olnos
- fti eiles qua 0 imporador tern 0 piano de an
iiiqiular 09 partidos, e porianto, quo nao se Ihe
B1 HiitavtH a ma fo: de>scs prouincianos que bom
l,ai:! qua nao 6 0 imperador que anniquila os par-
I -, in is -i 11 I'll ts procincinnot sao qua so annij
.^ailam evidentemeute, par falta de prine'rpios e de
^abeieacia pobtioa.
So para acautalar 0 anniqnilamanto dss partidos
dwa aapprimir-se ao imperador a livra oscolha
das o)ini>iros, a que outco ppder irao esses pro-
mummm c.mlerir a faculdada da oscolha, de mo,-
dij a saH.U" da uma vaz tadas os males a tal re-
lp?,iU)!
Que cabooas notaveis qne sin esass !
0 jna s en'gragado 6 ijue Icpob de repctidos rcr-
osoquas ao imperador, ta/.em do masire-escola e
- 4 i'euu: soiiamento o augusto eleilor das minis-
Ve* na ntua;ao da p.iiz. .
A rotirada do actual pahinete, alia* gasto, das'-
aralisado e iiniMp'ilarissima, aba fan-as pan
4iffxzar as graves exigencies palilicas e adaiinij
?ftcicas da actuabila le, t opriineiro pass* para
ana hoc i linAa da conduct* que tend* a cvitar
km i'U-le fulurj.
c Bm pobtioa as posicdos 1'alsas sw a^ mass pe^
iaa Jh oxistencia desse ministorio 0 mn campro-
swltiuient.i, que cadadia pada crascer mais.
j^is^Ui a inoiguiu da pr<*Uema djs prooin
Java succcdt'.r iim nutra lihcrai. sanao, nada se
.fjitfi f.-ita e continua a omprometlimentQ.
a iiinis'torio de coalifaa quo r^uaa os ctnfas
^eiigiKBEs i nvm. <
Ilia flu-rauciu no procewso do*
kP)jifcuhues 31 mcitraoDaiuia-
Nil) p6J ha*qr ieliquentak sem quo ha-
ja a pruva 'lo facto material puuivel.
I)uas s."o as taanaaras 1 pmvar so n fac-
to criiiiiuosiij exa ne par instru nonto pu-
blico, ou p'tr t'jstBmuithas presenciaes.
Gstas velmwite a plenitude da prova do facto
criminoso.
Raieva domonstrar se estd prova.lo o fac-
puuivelattribuiilt) ao> Srs. Mascar6 e Do-
mingiTez ; isto e, que usam de titulos inlo
viflos, cliamaudo-se de doutoros sem 0 se-
rein.
So aiada se nao provou o facto material,
digno de punigao, nao p6de haver agetibi
criminoso.
Rosalia a qualquer intelligoocia, ainda 0
raais fraca, on jurispruliMicia. que nap
p61e haver criminoso, quando nao estri
prova.lo o fact) que constiUe o crime.
Nao liavcndo crioie, aao podo haver 11a-
grancia.
Dosapparece a llagrancia, desde que nap
ha os requisitesd terraiualos no art. 13f.
do Co I. do Proc. Crim quo diz:
a Qualquer que for ciuoutra.4o.o-ninetr
ten Io algum delicto, ou MiquaRtd fogo per-
snguido pelo clamor publico. Os que assim
forem prosos enti'ler-se-har) presos em
fla-gnnto dolicto.
Visjanos so os dous hespanhoos foram en-
contrados praticando 0 crime de que sao
accusudos, para quo tivesse lugar a flagrant
cia, e consequentemoute a prisao.
Senao esta provado o facto criminoso,
porque nao foi exhibida a prova do nao so-
rem 11c lios. co.no dar-se a flagrancia e
exigir so a prisao 11
Se s6 p61e haver flagrancia qianlo hou-
ver prova material do facto criminoso, nao
tendo havilti essa prova, e obvio qua dos-
appareco essa flagrancia.
Jh ausencia da circumsUincia da prova
do facto material, imprescindivel, eabsolu-
tameuto tmp)ssivcl a Bagraucia.
Nao trati-so d'u n 1 simples queslao, co-
mo se suppoo, ao coutrario e uma queslao
que requer investigir-se no campo da scien-
cia jurrlica cri ninal, se a doutriua de urn
lente d'acddeuiU e verdadeira, se tern 0 sol-
lo tndelevel da pliilosophig do dircito.
Averiguada com aquoll* cerlamen da lo-
gica se a doutriua &. irrefutavel sem alinit-
tir in orprotacao, lioa assentndo que ha 11 a
grancia antes da iufraccao da lei, antes dp
abaio a SAcfaila la, para que cada urn posshl
pautar sua liuha do coa lu.ta, afin de ga-
rantir-se da saneoao poual
Se, porcm, a doutrina e ante jiiriJica,
e condoumada por todos os junsconsuIUiS,
entaoesta salva a plenitude da garantia da
liber.lado individual, qualquer quo sej 1 a
nacionalidale do inliviluo ameaijado.
E' doutrina corronte cm direit 1, que
aquell) quo allega, eobngado a provar sua
all.oKaQao, sob pena de decahir d'uci;ao.
Nao sao doutores osdous hespmhoes, mas
elks assignam-sn como taes, cumprc a quern
nega-lltes os graos, exhiuir a prova plenu.
de que nao sao com elToito doutores. pa-
ra tec lugar 0 crime previsto no art. 301
do <".od. Penal.
Nao appareceu ainda a prova cm contra-
rio de que nai> sao doutores os lit'spaiiho.es
Mascaros o D mingii'Z, eooto dar-se o cri-
me de usir de titulos indevidos ?
Co.no dar-se a flagrancia c a cxig-mcia
da prisSo em flagrante delicto 1 E' impos-
sivel.
Em conclusao dirci, qucr a questao de
flagrancia c^m reli^uoaos hespanboes Mas-
car6 e 1)ominguez, e contra a 1 'sica, ilesj
deque nao houve ainda a prova do facto
material, que constitue o crime quo s: pre-
tende punir.
Nao tenh 1 cm vista discutir com quem so
acha alt uneiite eolioendu ; oponas procuro,
como cidadao brasileiro, saber se p61c ha-
vor flagrancia de um crime, antas do pro-
var-se 0 facto que 0 constitue.
Ah I como tudo cstd mudado nestc Bra-
sill
Quem tern liio (Ihauveau, Rossi, Orto1
Ian, Carmignani, Faxinac.io, Bartauid, Boi-
tard c outros vnllos jurisconsultos, ha de
conlemna-los coujo ignorantes em face da
nova doutrina.
Recife, 21 de novembro do 1873.
UmHabulu.
UBpjttU*;lw*WP'A r*\'"
o na 1 a mais procroso, 0 tempo e
Brejo, 15 do iiv<'iln* li* 1W3 3
Copia d uma rtprescntacao feita ao Exin. prosi-
dante da provincia polos habitantas de term > da
Brejo.
Illm. e Exm. Sr. commendador "ir. Henrique
Pereirade Luaena.Os abai.xo assignados, race-
cliecendo os bans desejos que tern lid) V. fcxe.
conw digno presideute de ta provincia, que para
bum mant-r a ordem poUiaa, nao se tem poupa-
do, ja procurando eaaaegotda pelos meiosos mais
pei'sua.-ivus, ja fazonda distribuir com equidade,
justica ao3 sous g ivernandos, e ja unalmcnt pro-
movondo tudo qnanto esta ao sou alcance para a
prosperidailc dasta parte do imperia que Ihe foi
conliaJa ; pela q.ie tem V. Exc. gozada de um al-
to conceito para com 0 governa da Sua Magesia-
de ; sao as predfcadns que os aniraara de virem
peranta V. Exc. repraseotar sobrc o atropella
e vaxaroea em quo so veem os povo< do centro cam
0 novo imp isto cicada pela lei pravincial deste
anno score a .." itricula das cavallos.
Esta tnatricula, Exm. Sr., contendo em si mes;
ma o germ--:! para questoes porquo nenhum
animal 6 mais suscaptiv.-l mudar de adr do que 0
earaltar, que se em pnltro tein uma cflr, no fazer
das mulas torra uma outr.a difTcrcnte, em lugar
da ycdar o furta, v<:in c^usar ao commarcio gran-
des dilliculdades, e impor aos povos um onus que
nao podemos comprehender, camo possa ser ub-
scrvadu com a devida rastriccao, coma passamas
a expor.
Quanta ao furta Os que furtaJas nesta pro-
>iacia, nao pol-rao scr vanlilos nts pravincias
liinitroph-'s onje nao ha esta lei 1
Ksia inatrieifla inhibira ai#8 que eslao viciadas a
csse tnfp.tne trafaga, e a >s qua esta> acostumalos
a comprar por dirainnta praca, palo quo dcviam
vuua os co no? iBl-irar.g ,,uo eram Cartado* T
*'e path*, os vel 104 fanaticos 0 os nucos fogo^os, e A,.WeHc3 so nao furtarao quaudo nlo podercm.
ABjtria sera salva. .., c eites s6 daixaraa de comprar quaada n4o lhas
torn ties pn:ipios e qua. ?s lornara passive! foro, offerePido?.
i-maaaccjua O'Mpaizeslivrcs. Inhibira tambom aos cigaaos, quo era magotes
p> 0 Unpera lor aitaudar aos votas quo Ihe din- ^rc,^ ^ cmit(n aas pravincias, cujo raeio
^ii3 dasta b .a terra as hanrados poovinaanrx, en uo ^ a normutaram ani:nae> com o fim da per-
SH uova palitica tera do surgir e n
val'as t
< Wespcwrfo patfientmente parafcuves-a
pra, on pcrmata juand as teans -11 le, qii '*'
passagam a nccessidade os obrigam para cantim
sua Jornada f
0 me almoci've-, aaosqoe tranzitam d-^ta cotoarca, e
da ou atro para e*aa capital. Acanteae
por ea i-a a a lougitule cancar. ou emmanquecer
um animal, i|Uf 0 alraocr.-ve trocar 0 .rontro pa
ra nao Mxar a carga alheia, ha deflenvra; e.-te
comtwyo, vnltar para tlrar um tltnlo para fazer
o legoas das nessoas, quo so acham encarregadas
de concede l ?
E quanta de pagresso, que alom de serom can-
ductaras do fazendas, saa lamb >,m do diuheiros
cujo< douos e-tio a espera ; hao de seffrar a mes
ma damora, causando cuidado as uas familias, c
antique porelles remslteram cu* gotW< e es
perara outros odinheiras'?
Es-as deinaras nas_axradas nao daraa azo a
qualquer dtscuida a serein roubados 1
^E! oque beuipode aaautecer. purque la diz n
faa ta.la demora causa prcjoizo. E dcinais,
para veaderm -s ou p'rmutarm is 0 quo no* per
tance, ser precisa um titulo ou antes uma li
Qial a nossa garantia. e libordade em ump.'iiz
eoustiiueional e livre como e o noso 1!
E a que ft.rjlujllf %/^ifcpulacao, se na>
gozam.is de aouuanca, se som^lBos e.u ma (f>, e
como taes cmninaidos com 0- fraudulent'sYl 8'
essa, puis 0 brilhauto fu:uro, que.se nos aauarda I
Exm. Sr., 0 bom aenao a a razi damonstraui, quo
foi sobremanaira prejudicial a oreacao de, uma tal
lei, por que alqm da parder'nns 0 direjto^de pra-
priadiiila garaatiJa paja Q que: 'io- da
em tada sua plenitude, sq acarratar podu.qu'-st^a-
e mais questo 'S, par causa da inultas e mais mul
Us, ao qua nao pade sufeifar-se os pdvot do boa
vontvie, e muito sentlr-se-hii os hatatantes deste
term 1 so forem executa nao devum, ou a ncarentsom obem que tauto llios
custou a gaifhar. fieleve-nas, V. Exc, usarmoi
do uma hnguagem franca porquo nada devemos
amittir parue-'ai aquein-^e quoiu dependemos,
lavaad ) aaseu caaKiMiniMlo os 'malivos da nossa
ju -Na), nao sao a-tifl) outras a quo taos madid is
que podam vedar 0 farlo. 0 nosso imperio 6
muito extonso, o quo exige 6 tav raelhar pubcia
do. Eleve te a inaior nuaero a farca policial 8in
cada provincia. De sefar^a as autoridaue^ ceu-
traes. Iiesappareca e^ta lot que sii en flagrante
classiflca 0 cri.uo da furta, quesainpre 6 camm.^t-
tido as iieaultas; que fruiramos de paz e serao
nosso- bens mais garautiJos.
Nos, Exm. sanbor, coohBiiendo que uma tal lei,
par sua uatureza nao se com|>ad^ca ,com a docil
indole das brasileiros, quo suBmiio* cM& sap
aos imposios que via surgiodo uns apos outros, a
nassa tranquili la lo e o nasso woego exigem que
rccarraraas a V. Exc, para quo p >r sua bone Va-
lencia digne-seattendero quo fietmento represen
tamos, fazeudo desapparecer esso imposto, afim de
cas'sar os vexajnes eiii que se ach/Bi os sens sua-
ditas. Naopadnaas-.o iaipaj^ivel, _pao impugna-
mas, sujeitarma nos a qualquer lov comlanla que
seja consent maa e do ublidaie para os subditos
de uma nacaa livro ; trio bein n .0 imiiugnauios
snjeitarmo nos a is tributes, porquo sabemos, qne,
sem as quaes, nao poda a noss;i provincia fazer
face as saas.prccjsoes; mas qua se nos manta-
nharn no livro gaza Jos nossos hens, p ira delies
di.-pannos quaiida bem nos convier, sem o mini-
ma obstacula. Se formas attendidos, ajuota V.
Exc. mais asta acto de justica aos quo tarn feita,
panhoraaaoa.toilos os que esperarn no digno da-
lagado da goverao rcmed^o para sous male Apra-
veitaraos este enseja para tributarraasa V. Exc.
os nassas votas do estiraa c consideraijao.
Deos guardo a V. tSxc. por muitas annas. Villa
do Brejo, 8 do novombro de 873. Barao dc Bui-
que. Gerainiano do Rego Macial, capitao da guar-
da nacimial -Manoel Cesar*-do Andrade, capitao
do esquadriio de cavallaria Jose Ajvas Marinho
Falcao, presidente di c.nnara. Joao Marinho Pair
cao, subdelagada db policia. -Jos6 da Rego iJauto
Maciel, tenenta cjranel.- Andre Alves t'.avalcauti
Cambnim.'Franci.-co de Banevidas Muniz Falcio.
fieliarmino Jose da Silva. Francisco Rorenguor
Ce?ar do Andradj,, tanente-caroncl do corpo de
cj vallaria. -Joao d Rego Maciel, major da scccao
da reserva.Francisc) das Chagas Pareira, capi-
tao da guaiJa nacianal.Antonio Ridfigues Lu-
na, tanente da gaarda a.vion.1. Icj lor > Cavai-
canti de Albuquerque, alFdres da gaarda nacia
nal. Sebastiao Francisco dc Araujo. Pedro
Francisco Pareira.America Vespucio Curdairo
J tao do It.-ge Maciel F1II10. Antonio Franc:sca
Xavier.Jo-e da gilva Amaral, capitao da uuarda
uacional. Io.1o Etelviuo do Berievidas. Francis-
co UeO.iveira Travasso, capitao da gnarda na-
cieaal. -Loonilio do Oliveira Moll >, tenonte socrc-
tario -Joao Gou;alvas do Araujo.-Mariiiino Jose
d-> Souza Limeira. liomingo^. do Souza Ramos. -
Joaquim da Paixao Pereira de Brito. Evaristo
Cavalcanti de Albuquerque. Francisco Antonio
do Castro. -Seguem-se mais GIG assignaluras.
Ao liiiii'fiil
Em sou n. do 19 do correnle, traz u Liberal
uma noticia, em que atlribuo faita do paga-
ineota dc vencimentos a ex-praea do corpo de
policia Jose Fernandas do Almeida, que sob 0 n.
57 sorvio na 6' companhia
Nao me occuparda da semelhaule noticia. so
ella nao envolvesse uma aceusacaa da caractar
grave ; e por itU\ daii-mo pressa cm cxplicr ao
publico a verda le do fact.), qne e a saguiuto :
Feroandes do Almeida engajou-se 11a 1 da dc-
zenibn da 1870, c foi excluido nadia 7 do raaio
do 1872, conforrao consta da arJem do dia n.
i09.
Durante esse tempo dasconlou na thasouraria,
para fardameuto, a quanlia de 6Gi72().
Pelo corpo foi. farnccido n) uiesjua espaco dc
tempo de
Caina
nnTJBsnrr
race ca
ConserV*s*Jn|r*iJ o-jm riiiB4do cabello canj-
tin^damanta satura laa c im nlao*, e a cilrfca.
ultada w-'gujFu,- i>M0IV'
xifQitA lefal da m'amnrana am qua as
fibras nascem. as faz afrouxar e cahir. Porein per
eutra hdo. neto conirario os tejzumeptos, e vasns.
sup-rli io, da c9UI aqjtMpBf9| fortilicara
c-.m aipMftinmaU.niivv'A1 lflP)nBbr vegeul o
Tonico oriental, 0 quat se aUom e ailh-re tirma-
inoute as,raizes do cabello,. dando cur e mitri-
raentaein abundan'ia Sbs tunas, a* este mado uma mjuntfica cabelladura, evilanJo
aa inesmo tempa a apparencia premttura das
cam. _
IMMMCi C. 30 pipas com li,400 IKros de aguar-
dante.
s^ Para o Aracaty, uo hiite *ra*ile ro Maria
Amelia, carregaram : Costa k C. 15 barricas cam
<5V> kilos d- as-uear bianco.
Para Macae, no hlate naemnal A. dos Anjns,
carregaram : Costa A C. 4 barricas com 4 iV
kilos de asMicar brancn.
' P.ira a Villa da Peuba, na barcaca Uniiio,
ftirrrguu : A. '^ordeiro 1 barrica com 67 ki!o> de
ass near branco.
"ara a Rio de Janeiro, na vapor francez Vilfc
de flio de Janeiro, carreg >u : A. G. da Silva 150
saccos com li,550 kilo^ de assucar bran.
Para, todos.
A casa uiorluaria do Paula* .M.hacon-
. rPlMHJiNKerfilfBo publico, m q mntos
sus proprietarios 011 sao deferidos 110 re-
curso que ijiterpO'tn no conselho d'est.ado rl,uj porla
contra 0 mon^io|ui coiieedido n outrem, ou -'
sao a contcnto indnmnisndos pelos monooo-
listas. E para que ninguem -e illuda a rcs-
peito, scientilicam ao respeitavel publico que
se acham providos do material "necessario c
com carrosnoim."""'JI
Yliiiu
mt
mmm
soguil
maritimos e terrob*
tees ^tabeleoida na Bahi
em 15 de Janeiro em 1870 ^
CAPITAL 4,000:00031000.
CaPATAZIA l ALFANUECA
Roodimento d<. aia 1 a 20 13:041 *30O
'ie/a do dia 21. 13^876
___
VOLUMES SABIDOS
Do dia 1 a 20
Dia 21
13:6S5*176
rvceora pojta
juarta porta
. .
. .

li *picbe Canceici"

ts, nma
SfiRyiCO MAIUT1MO
\l\areiig;ts dascarregadas na trapicn*
aJfindeRa do dia 1 a 20 .
Dia 21.
Va\us alracados na trap, da aifan.'-.-f..
"- > iran",l>" iViuceicao -
Navioatracado.....
'Wll Hll '/II ll *<
-
iijif:; ;}!.-,| ,;
foma segu.co dc morcaalorias e dinbeiro *
,ico maritimo em navio dc vela 0 vapora
oaradeujxo e fora do imperio, assim come
>ju^ fogo sobre prelios, geperos e fa
fondas.
Agents :. Joaqu i m Jose (ion^alvis Baltrao
ua do Commercio 11. 5, l'aadar.
MAKITIHIOS
E
GONTRA 0 FOGO
A companhia Indemnisadora, estabelecids
testa pra^a, toina seguros maritimos
sobn
aavios e seus carregamentos e contra fogo
jtn edificios, mercadorias e mobilias: na
rua de VigarTo n. 4, pnvimonto tcrreo.
Stpitel
-'urtido
N0RTHE1UN.
.... 2f.OO0:t003MM)(
de reserva. 8,000:00B00(
Ag.ntes,
Milis Latham <& C
RUA DA t'-IU'?: Mi 38.
I fardamonto campbta do pauno azul
I par ilt- sapatos
1 catca e uma jaqueta de brim
t outro fardam.;nta complete de pauno
azul
I bltisa de brim c 1 calca
1 par de borzaguins
25Jar0
2*800
:t$62u
28*00
75000
44800
ciunda.
oncabera-mai>
"iiiiilVlo ^Jestruir, cyiifuadirou rajstS
iitid,s; cm da -diyiJir para j-eiaar; nt
i>.tao ia 0 imperaAar nao concabera^nafao pla;
^car aj
iem os
leriojvivcraa daomnipotencia da cardaj
#em a iraoeradpr -acbar.i a homam, da quo pre^
a aha, tjnta procurava ; 00m 0 ministerio sal
si cais ciraai6>.rado can 1 0 unica dapixitarii da|
Intida I) P-i ; m uma palavra d.est
^araferi-para *mpre n gaverno peaseak e t
m
>raaeira.
conduzirain os qua com
ella* fvram negociados para p.Tiiiutarem ou ven
darn em Uigarcs loagiquos f
.f 5lv*era ousta-o aos quo sao uzeiros e viz^iros a
ewo^cnme tirarara cdr -s, signaes e ferros de ani-
oats'albcias, da -U>< a matri -uli com o nomesup-
pu-to, 0 depais uvai furla-los e vender pubiica-
owta ondc bam I lias parccor ?
Vi*iu isso, neniiqin jiruveita tiraraas par as-
Total 714920
Portanto, cstando ao sahlr da earpo, debita \o
em 54200, foi essa quantia recedbida a th sou-
raria.
0 qua acima iica expoUo, pole ser veriQcado
das contas do corpo, existeules na referida tlie-
souraria.
Ora, a.vi^ta da facto. ,-LNsim explicado, nad.j mais
devo accresceutar, para n:lo parecar qua mo in-
coinin i.lou a falsidade com que o redactor do
iinmuuda jornal, a que raa relira, pretandau m >
leatar me.
Tenho a convicaao de que os negocios do corpo
sob o meu cumoiaii la correu regU'armento, e qui
a ascripturacia alH 6 tao cdmpleta-o fial, como
nnnca 0 foi.
Se em aluum. lampa naquelle eorp.o occorreraro
abusos, e asi;auil.i|iis se praticaram, nao datam dc
868 para ca.*rain eltes pcaticadis pelos liomon*
do progrts$i4m>, e pelos apreciadores do cafe da
raonltmha rust a.
Eaganam-so os maus adversarios quaudopen-
sara que solicitei cartas de Exm. Sr. conseilwiro
J'tao Alfredo, para assim conseguir baoevolancia
em relacao a quesloes do corpo de policia.
Pasto quo mo hmra do ser amigo 'le S. Exc,
nunaa o incommadei nara apadrm ar faltas quo
me po lessein ser aUrrliuidas : sempre eonfioi in
censciencia quo tinha d,os ujeus actos, e ua jusii-
ja a que tmba o Uireito de esperar do Exm. pro-
sidimte da prprtneia.
A^i'n, daspreso Janto. o qua diz da mi.m a Li-
beral, como ao seu per verso redactor.
Reciie, il de novembro de 1873
Francisco Citrneiro.M.ickado Mo Junior. ,
COMPANHIA
Piienix Pernambuoana.
Toa^ariscosmaitimos fin niorcpitorins,
i'iet# i diyqeuo, j^oc lfr\/n<* te 4<^qtal-
juer natureza, cm vapores, navios a vida ou
oaroacas, a premios muito medicos.
IlUA DO COMMK11CIO >' 31.
. Seguro cenlra-fogo
I'ShL LIVEBPOOl. & LO.NHON & GLOl
7 INSURANCE COMPANY
A%e>nte>m
SAUNDEUS BltOTHEKS A C.
IICorpo Santo11
PUACa DO RECIFE JI DE NOVCMRRO
DE 1873.
AS 3 1/2 HORAS DA TAROE.
CotaoSes oitieiitf*
Algadaodo Mamangu ipe sem laspcc^ao 7jGO0
e 7*800 por Io kilns, hont'ni.
Algodia do Rio Gnwide da Xorlo 8ii*i0 por
la kilts pasta a bardu a frelo de 11|I6
d c IS 0|0, hoje.
Algodao -de I1 sorte 8i300 por la kilos, hoje.
i,aal Seve
l'olo pi>sidcnle.
D. de VaaoaaaoHos
Pelo secretirio.
uadiowota Jo A'l 1 a 80
[,1m Ho dia 21.
7ll:011i79l
11.666-929
732:708 .i 723
Datcairegaui uoje 22 do novembro
Barca tranwza' Fedelite mercadorias para al-
fandega.
Lugar. portuguez -Julio -vario- generos e pedras
da cautaria para 0 Iranicbe Coaceicjta,
para daspachar.
Iliata americano Negiella -aduelas ja despacha-
das para 0 caes dj Apollo.
Vapor nacianal -Pentda gaupros nacionacs e es-
trangeiros para a trapielia da companhia
e alfandegn.
Briaue hollamlez WeicUlunicr farinha 0 cu-
nhetes d'aco ja dcpaciiados para 0 coe?
do Apollo e trapiche Conca'cao. para
conferir.
Iiii|urtucito.
Vapor nacianal Psncio, cntradu da Baliia
em 21 do corrente e cotisignaua a Atilonio
I., d'Oliveira A/.oveda, manifostou :
Algodao 469 saccas a ordem, 48 a Gon
calves Torres, I aos eonsigiiatarios.
Lal^ado f eaisn a Lyra i Vianna. Cba-
rutos 1 ciixas a 0. Alves ttataeu*. 5 a Cu-
iiJki dJIuita. Courts salgadus C5 a G011
calves Torres, !>' a P roira Vianna & C.
Miudoza I caixa a Goncolves Torres.
Oleo de ricina 180 latas a or Iem.
Saccos vasios 3 f.irdos a M J. Alves.
Tapioca to barricas a Franco da Cunba
& C.
ttECEBEuORIA DE RENDA5 1NTEIUVAS
RAES DE PERNAMRIir.O
^acdimrtntn da dia 1 a 40. 4-3 800
dem da dia 21.....
20,031
Hi
loo
17
7\
.2,457
22.839
44
1
I
1
47
GB
80
2:266j587a
46 0H74767
CONSL'LADO PROVINCIAL
aendimpato do dia 1 a 20. 56:9474581
Mam 03.1934446
RECIPE
Sendifiicnto do dia 20.
idem do dia 21. .
DRAINAGE.
18:4174977
.1:715*321
20:1314298
.^OVIMEMTO W WB18
Navio entrado no dia 21.
Bahia e escalas7 dias, vapor nacioual Pe-
nedo, do 028 toneladas, commauJante
Francisco Pereira, equipagem 25, cargo
algodao e outros generos; a A. L deO.
Azcvela & C.
Navios sahidis no mesmo dia.
Hio Grande do NorteHiate uacional Jodo
Yalie, capitao Aulonio Barbosa do An-
drade, carga varios generos.
Liverpool -Barca ingleza Bella, captlao
Bradford, carga algo lao.
Obsarvacuo.
Suspendeu do lamarao p3ra Paraliyba, 0
bri>tue allemao Hedeioy, capitao kiolf, com
o mesmo laslro que trouxo do Port Natal
(na cosla d"Africa.)
. -........ aHMMWU
N". 58. Jose Duarta
ditadita por
N. 62. Rernarlo da Silva, um portae
que da entrada para 3 meia aguas
i.r enilada's p'-r
N. 71. Maria Francisea dVAlmeila
Gomes, uma casa terrea arrenda-
da pur
N. 76. Joao Gomes da Costa, onia
dita dita p >r
Travessa de Areal. "
Sf. 4. Joao de Souza Pertira, uma
casa terrea arreudada por
Rua do Areal.
N. 3 Francisco Jnsa das Passes Gui-
maraes, uma casa terrea airenda-
da por
P aca dp Chaco
N 18. Ludgero Teixeira Lupes, um
subrado de I andar e foja avalia-
da para pagar decima no 2* Se-
meslre em
N. 1. Jose Goncalves- Torres, uma
casa terraa arrendada nor
Rua de S. Jorge.
N. 20. J ao Francisco I'ardelhas,
uma casa terrea arrendada 4>or
N. 34. Franciso dc Miranda Leal
Seve, uuudita dita par
N. 50. Francisco Gomes de Miranda
Leal e outro, lima dita dita por
N. 62. Lourenca Maria da Silva
Mauta, uma dita dita por
N. 66. Jose Fernanje.s Lima, uma
dita dita por
N. 74. Francisco de Hello dralcauli
de Albuquerque, um robrado de
2 andares 0 loja arrandada por
N. 80. it. Manoel Franciico Taixei-
ra, uma casa terrea arrenjliida por
N. 86. Mostairo dc S. Bento, uma
dita dita por
N. 21. Maria Joaquina da Silva
Manta e uutro, uma di;a dita por
N. 2t. Francisco At Mello Cavalcanti
de Albuqberqne, um abrado da 2
andares e loja, em obras, para pa-
gar decima no 2 semestre avali.i-
da em
N. 25. Manoel Jose da Nasjimento
Silva, uma casa terrea arrenJada
por
N. 41. Domingas Henriqao ..Mafia,
uma dita dita par
N. 43. Manoel Custodia Peixoto Sil-
va, uma dita dita por
N. 65. Hardeiros da Clara Tbereza
de Jesus, uma dita dita por
N. 71. Alexandre Rodriguas dos An-
jos, uma dita dita por
N. 77. Maria Justina, uma dita dita
por
N. 83. Jose Ganralves Pereira, um
sabrado do i audares e lo]a ar-
rendado por
N. 83. Viuva de A^ostinhn da Silva
Neve?, um sobrado de 2 andares
e loja arrandada por
X. i2l. Joaquim Jose da Silva San-
tos, uma casa terrea arrandada
por
N. 125. Viuva e herdeiras de Jose
Francisco Ramos, uma dita dita
por
N. I3'i. Joaqnim Baptista Nogueira,
uma dita dita, em obras, para pa-,
gar decima no 2" semestre ava-
liada em
DiT
-.
^"^ tauuiio, pel 0 qua! os n/.-ssos rcpresentintes pro
r"1? vinciaes quizeram veiar 0 furta.
UyiiJiAsbosita-las na altar da p;Un*q -
Quanta aa commerc;>>. Sando ogado cavallar
l.-arc- la Rbarlade navaja'a com- bom vontOi anj'grjjQJe ram,, da aegacio, que as vczes aeoa-
*ai mar-i,ctap.j.j projwias,anraandi sempre para, ^.^ qnanlo h areiinioes de pessoas, que am ani,
] dia, era meio dia e mesmc era hi.ras, e isto pat
exempla distanto c'tneo, sais e mais legoas dos cali
tecteres.ou fiscaos; seri passive!, que a povo para
essa nog'H'iacao tome esso insano trabalno do tirar.
(itulo.i para cotidai-ht
H&t stra uaia iapossibilidadc
onus ?
Cftmo*, faguoiro Galerno vos a
flrigo a s^uro parto da paz e- saj
ir Has terras.'bvres
iiaen parlamen;
pablico mo:
Una reanetliw vej;etl de ii.mi
;>iiMlis>t iil4o m<4imUrea.
Alinal cheg'Ki a dia,n,i|iB! s!#fwMU d^satro
da concaotrada csseiich il um producto. vi^etaL
um ra.neJio pro iigias 1 e absoluio. p.ira a pu a
de I'idis as m dastias precurtof.tJ dt p'oty^ira. A
arvore salutac da vida, poe qiassim e i|n vei*
daJeiramente se' a devera chaniar ; da qual se ex
Ira .ee-ta precioseoin9xti eahuita do Mexico, 0 a peitaral de aoaealuiH.'i e a
preparacSa por t>xeetlehcia qWe oktem coal a iriaior
faciiidado a victoria sobre tadas as etfftlfAiida-
des' pulmonaros. JumaU h^ye.remaaio ilgiiin|
quedentrode tft-o aarto tfip'a'-.-a de tempo so tori
nasse tao uuiversalmonla paeular. Os tastemuj
nhos e atusladas d||A||Miilrieraveis cura-, em
casos da tosse, angiBIf HutpJuaa, iufl.imma(iodo
peito, brochitos asthina^catarrhas, canstipaQocsl
etc., se reccbgui aos centnnares por cadi cjrreipl
cnfi-idos i\c tolas as" part's -lo'matfdo.
iK-P V;MOS Dtt EXPOKTACAO NO DIA 20 DE
NOVEMBRO D8 187 I.
i'-xra os port:* ilo cxtrrtcr,
No vapor inglcz Lilandc, para Liverpool,
carregaram : Braga -'on & C 1 caixa com 11
kuV dedaca ; S Brothers It C 20 volume* com
abacaciik LVa Lisbaa, i. S. C. Quyle 2 barrijcas
cam 24 'altacachis.
No vapor iaglez llim n;r, para Sou'hampton,
carrogaram : G. Ni:-en &C..S barricas com 3g N. b7. D amingos Jo^o da Cunba La
Consulado provincial
Para scienma dos conlribuintes do imposto da
decima urbaua 0 os abitos 1-aaes, cm segmda
pubbcam-se as alteracocs veriticadas no lanija
meoi 1 (Jo mesmo imposto no carranto anno Bftan-
ceiro da 1873a 1874, liaaudo alurto 0 prazo as
reelamacdes, que por ventura possam ter a Tazer
os mterassados, na forma da lei 0 regulameiilos
respectivas.
ol'.i-raooas verificadas polo lan^adar Joao Pedro de
Jesus da Malta, no Inucimauto da decima urba
na da freguezla da S Fr. Pedro Goncalves dy
Recife, o qual tain de servir para o anno do
1873 a 1874.
Dacca do Pascoal.
N. 4. Francisco Xavier Lopes, uma
casa terrea arrendada par 144*003
Ti.avassa da Fundiclo.
X. 4. .lose Rrau^sco do Sa. Laitao,
uma casa lerrea arrandada por 91! .5000
N 6 Joao dos Santos Coelho, uma
dita dita por 120^000
Rua dos Guararapes.
X. 14. Joaquim Baptista Nogueira,
uma rasa terrea arreudada par 180-3000
N. 16. 0 mesmo, uma dita dita por 1804000
N. 18. 0 mesmo. uma dita dita por 240*000
N. 20. 0 mesmo, uma dita dita por 180 :000
N. 22. 0 niesino, uma dita dita por I8O40OO
N. 64. Jose Luiz de Souza, uma dita
dita por 1 2734000
If. 70. Joaquina Bencdicta Vieira,
uma dita dita por 2404000
N 86. Manoel Coellio f'inheiro, uma
dita dita por 360^000
N. t. Manoel Gomes dos Passes, uma
dita dita por 9G4000
N. 7. 0 me.-mo, uma dita dita por ISSjOuQ
N. 9 A Antmio Josddos Santos,um
porlao que da entrada para duas
ineia-aguas arrandadas por I20400J
N. >3. Francelina de .Jlello Cabral,
uma rasa terrea arrendada por 2G440JO
N. 29. Herdeiras da Feiix da Cnnha
Taixeira, umai dita dita por 192 JO00
X. 3o. Antonio Henrique Mafra, uma
dita dita por 1444000
N. 49. Aula-iio Murcira dos Reis,
uma dita dita por 192'v'Oi
N. 61. Jose Dativu dos Passos Bas-
tos, uma casa terrea em obras
para pagar decima no 2* semestre
avaliada por 3005000
Visconde-de Itaparica.
N. 32. Herdeiros de Manoel Jose
Chalaca, um sobrado de 2 andares
loja e um annazeui no [undo ar-
rendado tudo (tor 2.000^000
X. 7 Oarlofa Libania topics Pinto,
um sobrado de 2 andares c loja
atiendado por 840j5000
X. 13. Domiii'us Jose Ma^hado, uma
casa ternw arrendada par GOOiOOO
N. 17. M;inoel Coellio l'iuheiro, nma
diU dua p. r 30040)0
N. If. Joao Carlos Bastos do Olivei-
ra. uma dita dita por 240^000
N. 3t. Silviiii.Feraanit-sde Souza.
um sobrada da 2 andares e loja
arrendado por 7564090
JH 33. Anna Maria daConccisao, um
sobrado dc 1 andar, Mdaa a loja
arrendado por 3IG4000
N. 3* Joao Jose Rodrigues Soffler,
uma casa terrea com sotio arren-
dada paf 4564000
N. 43. Marianna Bcrnarda de Oli-
veira Tarrozo, um subrado de 3
a adarcs e loja arrendado tu.la par
abacacbis.
Na lugir franivz Mo t}rnde, paia o Havre,
rrego a : L Fivr- 1 c.nxa cam 50 kiloa.de
n'iias.
Ni barca narln^mrttGra^wM, para Lispoa,
ea'rearam : E R. Rftello A. C 1,|00 conro3
salfadoscam 13,20 kilos.
' --No brigiv: partugirez B. fiaiteirensa para
Lisbea, carregaram : E. R Ribello 4 C. 380 sac-
cos com Al.Btt-kilos AiAjfUcar branco, e :'50
ditos ainwflwii Jndli mascara io.
-.No patoclu) bo,pajj|i.4Pa*Jaj| para Baicel-
tonaJJcaSiKrt 3^UP'4 170f#ca^
:o, lifiti t\l kilos ii oJ|. n
Paia 1 Rio Graa-le. do Sal, ua escuaa pur-
Sttej^jtfia,eafr-iiaraiii: li. R. RaMla 4. C
K> Para a Rio iS'aade; du-Sul, no.walaalw.ura-
sileito f>. Francisa, carawgawnt 1 Atnftnm Jt-
ges, uma
por
asa terna arren.lada
Rua do i'harol.
uma
N. 2. Jose, Gonaalves Torres
casa lerrea arrendaU par
N. 4. 0 mesmo, uma dita dita par
X. 10-, Manuel U idcigiu).- Costa .M,i-
aal aes, mn sobrado do I andar 0
loja arrendado por
N. 4. Jaao Joaquim da Costa Leite,
um sobrado de 2 anlares c loja
arrendado por
N. 18. Maria Joaquina, nma casa
terrea arr- ndafla par
N 34. Manoel Jo*6 d) Nasciraento
Silva uma dita por
X. 38. ltf,'8*ao Gavaleanti de Al-
buqderq?,'mna ait.t dita por
X. Six Frauci&ci Maria do Rosario.
iioa dit* dita par
1:1045000
2404000
1924001
IGS.OK)
300300O
3SSJO00
12 JKJOO
2404000
i 8:) 50)0
240^000
l2*00O
1141000
216^000
\mxxtt
300^000
3031000
r-)jooo
4J3*000
t:l&l7.i0U0
piXMOOO
ifJMOOO
SoJ^O 0
i.ixojOPO
^
3G0|0t0
303i^O
3C04(iO0
20(J40QO
40^000
240JWOO
77U5IW
303*000
2iOiO0J
3GQiOOO
Al'eracacs vorificadas pelo lancador Jaaquim do
Gusmao Coellio, no lancamento da decima ur-
baua Ja freyuezia da Boa Vista, no auna ivr-
reuto de 1873 a 1874.
Rua da Sandade.
N. Elias Raptista da Silva, uma
casa terrea arrendada pot
N, 1 A. Manoel Martins Final, um
portao que da entra la para uma
casa terraa avaliada por
N. 28. it. Jose Bernardo pulvSo Al-
cof.rado, uma casa terraa arran-
dada por
Rua Sete de Selembro.
N. i4. Elias Baptista da Silva, in a
casa lerrea arren lada por
X. il. 0 mesmo, uma dita dita par
N. 20. 0 mesmo, uma diia dita por
N. 14 Sominario de Oliuda, uma di-
ta dita par
N. 8. Domingos Antonio t'a Silva
Beiriz, uma dita dit por
Rua do Camarao.
X. II Herdeiros de Joao Pacbeco
de Queiraga 0 Antonio Martina do
1 arval 0 Azuvcdo, uma dita dita
por
N. 13. Os nie.-mos, um sobrailmho
coa uma casa terrea no fun Jo ar-
randada par
1! na da Ho-picio.
N 79 Francisca Tliamazia da Con-
ceicao Cuuha, um sbbrado do um
andar arreudada por
N. 59. Dr Vicente Pereira do Rego,
urn sobrado da um andar e loja, 0
andar occapada pelo sanhorio
avaliado por 6005 o a loja arren
itada por 3004, tuda par
N. 53. Jose Pire- Forraira, un so
In' ul 1 de 1 andar arrandada por
N. 39. Manoel Gomes Vlegss Junior,
uma casa lerrea arrendada por
N. 37. Heliodoro de Aquino Fonco-
C 1, uma diia dita por
X. 2a. TlierezaCarolina da Foaeeea,
uma dita dita par
N 50 Dr. Joao I'aulo M mlciro,
uma dita dita par
X. 36. Arcclina Xaviar (.arneiro R.
Campello, uma dita dita com so-
tao avaliada por
N. 34. Jus'ino J0.-6 da Souza Cam-
pos, uma casa terrea arrendada
por
X 30. Antonio Joaquim I'creirt Por-
to, uma ditadita por
N. 28. Jose Carlos Manco da Co-it
Reis. uma diia dita por
N. 22. Isabel Maria Ribeira do
Aguiar, uma dita dita por
N. 12. Heliodoro do Aauino Fonce-
ca, uma dita dita por
N. 4. Manoel Marft Rodrigues do
Nascimonto, um sobrado de 1 an-
dar arrendado por
Rua do Rosario
N. 2. Jo'to Martins do Barros, ifiiin
casa terrea arrendada por
S. 46. Manoel Gomes Vlegas, uma
dita dita por
N. I. Fredenco da Silva Ferreira,
uma dita diia por
N. 7. Francisco Jose Rapuzo, uma
dita (lit 1 por
N 19. Dr. Bent 1 Ceciliana dos >an-
los Ramos, uma dita dita por
N 29 Rita Maria da Conceicao
Passos, uma dita dita por
N. 31. Maria Antonia Teixeira, uma
dita dita par
N. 35 Dr. Manoel Forreira da Sil-
va. uma dita dita por
N. 37 Irmandade de Saul'Anna da
Santa Cruz, uma dita dita por
N. 3J. A raesma, nma dita diia por
N. 41. Amcsma, uma dita diia par
N. 55. Marianna da Farias Bolellio,
uma dita dita por
Rua do Gervazio Piras.
X 48. Dr. Cbristova dos Santos Ca-
valcanti, uma casa terraa arrea-
dada por
X. 5u. 0 mesmo e Valeriana Mango
da Costa Reis, uma diia dita por
X. 19. Fdhosdn Antonio Maria Mar-
ques Krreira, uma dita dita por
N. 27. Joaquim Teixeira Peixoto,
uma dita diia par
N. 43. Antonio Jose- de Oliveira Bra-
ga, uma dita dita por
N. i5. 0 mesmo, uma dita dita per
N 51. Herdeiros de Francisco da
Carvalha Paes de Andrade, uma
ditadita por
N. 55. Viuva c herdeiros do Jos6
Pereira Vianna. uma dita dita par
N. 57. Os mesmo*, uma dita difa por
N. 59. Antonio Rodrignes Pinto, uma
dita cam sulao, em obras, avaliada
para pagar 0 2 semestre 11 a ra-
zao do
N. 03. Jose Ferreira da Castro, uma
ca*a tarroa armnihaa por
N. 8;. Mauo.l Antonio da i^H
HK)S, 11 in .
rf. 83. Luiz Jose Pereira Sito^H
SflOiCOJ
3 O/jCOO
7115000
500*900
5404O0!
8O)4OL'0
' 3CO400O
6 04000
3C0*0t0
780*000
\-.mnm
OO'iOOJ
2^004080
7208WO
8OO4OOO
i^OJOOO
7i040fi4
l:.03>000
400400i>
0j0M
ms.&>
'iCs)Ji0O. .
721iO>)
who
afo#oou
30WO.*!
300JO'')
3004000
lapjmo
mifm
168100>
Si'Ufi-.io
240 SO 0
3JJtJO0
300^' DO
300oo>
30O*0CU
.23*00.
800/jCOO
300 do
;!0O400O
noiOto
acoioop
MV)b>
I :tiCO30U
00 i*i)V>
15SJ0O3


^Mmmi

Itfario de Ftawabuoo -~ Saboaao 22 de Novembro d* liU.
y
*


!
*,
I

ofltres. am* *te diu por 600J0O0
N. 131. Francisco ae Paula Ccrrea
de Araujo. ana At* diu por 300 J 000
Travessa da rna do Gervaaio Pire?.
N. B.jViuw o herdelros de Frederi-
ck Gettalrid Bulyineu, u:na ca torrei arrendala por GoOfOOO
Rua do Atolho.
^f. 2. Antonio FOrreira da Silva
Uaia, um porUo que da entrad:i
para uma meia-agua arrendada
Jwr 210*000
SL 1. Antonio Teixeira Peixoto, uma -
ca3a cerrea arrendada por V20J600
31. 3. Amaru de Barros Correa, uma
dita dita por 600*000
. S. 7. Vwtorino Jose Motiteiro, uma
dita ditt por WU000
X. 9. O mesmo, uma dita ditapor 600*0) 0
Travessa do Palacio do Bispo.
M. 14. Jose Gomes da Fonccca, uma
casa terrea arrendada por 360*000
^. 6. Miguel Archaoj j d. Figueire-
do, uma dita dita por 336*0 0
H. 12. O mesmo, am a dita dita por 276*000
N. 24. 0 mesmo, uma dita dita por 240*000
X. 31. Joaquim Rodrigues Tavares do
Mello. uma casa terrea com sotao
avaliada por 1:200*000
N. 33. 0 roemo, um portao qua da
entrada para uma ineia aeua ar-
fendada por rXr*0W)
1* seccao do consulado provincial, 19 de no-
-rembro de 1873.
0 chefe,
_______Eduardo Au-giuto de Oliveir.
0 Dr. Sebastiao do Rego Barros de Lacerda,
joizde direito especial do commercio nes-
la cidade do Recife de Pernambuco, por
S. M. o Imperador, a quem Deus guarde,
etc.
Face saber aos que o presente edital vi-
rem, e Jelio noticia tivore.n, que no dia 4
de dezembro do corrento anno, se ba de ar-
reaiatar por vemla, a quem mais der, em
praca publica deste juizo, depois da respecti-
va audiencia, o seguinte :
Quinze pipas de vinho branco, marca
Privat, avaliada por 1509000 cada pipa,
as quaes foram penhoradas por oxccugao de
Joaquim Severiano Nogueira, por si e como
administrador de sua mulher, contra Tas-
so Irmao.
E nao havendo lam;a lor que cubra o pre-
50 da avaliacao. a nrromatacao sera feita
pelo preco da adjudicagao, na forma da
lei.
E para que cbegue ao conhecimento de
todos, mandci passar o presente edital, que
sera* affixado nos lugarus do costume e pu-
blicado pela imprensa.
Recife, 19 de novembro de 1873.
Bu, Manoel Maria Rodrigues do Nasci-
mento, escrivao o subscrevi
Recife, 10 de novembro de t873.
Sebastiao do llego Ilarros de Lacerda.
Sobrado n. 30 .......
Rua da Madre do Deos
Casa terrea n. 2........ 300*001
Rna da Guia
Casa terrea n. 13." t 200*000
Ruo do Pilar.
Casa'torrea n. 98....... .. 24(*{jfl0
Casatereei i\. 99. ......:iSl*Q00
Idwnn. 10>.........24J*0O
Idem n. 102.........24lfl0
Idem n. 118....... '.' 207 1/00
Rua do Ror-atfo da Boa Vista
Case terrea n. 58. ... 245*000
Os pretendentes dever^o aprasentar no acto da
irrematacao as suas fianc-is, ou co:tiparecerem
*''-oftipaihados dos respectivo* liadores, devendo
pagar aiom da route, o preinio da qi:.miia in
que tor seguro o prodio que cualivxr estebalm:^
menio commercial, assim como 0 serving <* lim-
peza e precps dos aeparelhos.
Secretana da santa casa da misericordia do Re-
cife, 5 de novembro de 1873.
0 escrivao
Pedro liodrigues de Sauza.
Irmandade das almas, erecta
na matriz da Boa-Vista.
Pela quarta vez roga-se enearecidameote aos
nosso* carissimos irma-is, a comparecerem no cua-
sistono da nossa irmandade, domingo 23 do cor-
rente, as 10 lioras da raanha, para reunidos, elege-
rem a mc-a regedora que tern de funecionar no
anno e .mpromissal de 1874.
Consiiiorio da irmandade das almas, erecta na
matriz da Boa- Vista, 19 de novembro de 1873.
0 escrivao,
Francisco das Cbagas Pereira.
Sociedadc Benelieente dos Typo-
graphy em Pernambuco.
De ordem do presidente desta so:iedade sJo
convidados todos os seus membros para compa-
recerem a sessao que tera lugar no dia 23 do cor-
rcnte, as 10 boras do dia, na casa do costume,
afim de eleger-xe um novo presideute provisorio.
Sala das sessoes, 21 de novembro de 1873.
0 !. secretario,
_______Bdmivo Ferreira du Fonceoi Cadaval.
Estrada de ferro do Recife
a S. Francisco
AVISO
Polo presente sao convidados ossenhores accio-
nistas desta corapanhia a receberem o 2* dividen-
do concernento ao semestre de Janeiro a junlio
desk anno.
Villa io Calio, 21 de novembro de 1873.
G. 0. Mann
__________________Superintendente.
Santo Antonio
EMPREZA-VICENTE.
Quarta-feira 26 do corrente.
B*n*Holo do aetor
Pw;a em 4 aetoa. <>rnad* RecordacAes da mocidade
0 b neficiado fara o panel de Maurisset.
Imporlante comedia em 1 acto :
14s lealco>s
O programma sera publicado na segunda-feira.
0 boaefleiado recebe encoaunandas desdeja.
AVISOS MARITHWOS
Companhia Franceza de Yivega-
<,iii) a vapor
Linhamensalerdre o
Companhia utilidade
publica
Sec^ao 2.* Secretaria da presidencia
de Pernambuco, em 21 do novembro de
1873. Por esta secretaria se faz publico
para o conhecimento de quem interessar
possa o edital abaixo transcripto do juiz
municipal e de orphaos do termo do Aguas
Bellas, pondo em concurso a sorvontia vita-
licia dos officios de tabelliaes o escrivaes do
civel o orphaos e mais aunexos do termo.
Os pretendentes deverao no prazo marca-
do em dito edital aprcsentar osseus reque-
rimentos devidamente preparados. 0 se-
cretario interino, Adolpho Lamenha Lint.
EDITAL.
0 tenente Deodato Rolemberg d'Albu-
querque, juiz municpal e de orphaos, 2.
supplente em exercicio ilo termo do Aguas
Bellas, comarca de Bom Conselho, provincia
de Pernambuco, em virtudeda lei, etc.
FaQO saber aos que o presente edital virem
que de ordem do Exm. presidente da pro-
vincia, e na conformidado dos decretos n.
817 do SO do agosto de 1851, n. l,29'i de
16 dc dezembro de 1853, n. 4,668 de 5 dp
Janeiro de 1871, acham-se cm concurso corn
o prazo de 60 dias, a perventia vitalicia dos
officios vagos de 1." tdn'lliAo, escrivao le
orphaos, provedoria do capellas o residuos,
de 2- tabclliao, escrivao das exccugOes ci-
veis, e de escrivao do jury e execugdes cri-
minaes deste termo, ora instalado, creados
aquelle pelo decreto de 30 de Janeiro de
1834, e este pelo artigo 108 da lei de 3 de
dezembro de 1861.
Os pretendentes, portanto, que se quize-
rem apresentar ao mencionado concurso,
deverao, exhibir na f6rma dos citados de-
eretos, exames dosufficiencia, o ccrtidao de
idade e folha corrida, sendo dispemados,
pordm, de examo de sufliciencia osdo'itores
e bachanis em direito, advogados e pessoas
que servircm em empr.go semelhante, da
folha corrida os que oxercerem func$6es
publicas, da ccrtidao do idade quando cons-
-tar dc qualquer modo que o pretendente e
maior do 21 annos. '. -
Dado e passailo nesta villa de Aguas
Bellas, aos vinto quatro dias do mez de
outubro de mil oitocentos setenta e tres.
Eu, Jose Faustino Marinho Fakao, escrivA
queescrevi. Ik dalo Uotemberv d'Albuquer-
que. Ksta" conforme. Aguas Bellas, de no-
vembro do 1873. 0 escrivao d'orphaos
interino, Jose Faustino Marinho Falcao.
Nao tondo comparecido a ronniao convocada
para o dia 20 do corrente numcro sufllciente de
senbores accioni>tas, a commissio liquidadora no
I* period.) da companbia Ihes roga pela scgunda
vez a compnrccerem ao meio dia de terca-feira 25
do corrente, no andar da casa n. 7 da rna do
Senhor Bom Jesus, para resolverem sobre o as-
sumpto indicado no primeiro annuncio. Esperan-
do o seu coraparecimento a bem dos proprios in-
teresses, Ihes recorda a disposicao da 2* parto do
art. 39 des estatutos, pela qual a assembled geral
nesta segunda convocacao pode ser constiluida
com o numero do senbores accionistas que se reu-
nir, tendo as suas rcsoluc3es inteiro vigor.
Recife, 21 de novembro de 1873.
Miguel Jose Ajves.
Jose Joaquim Moreira.
Francisco Joaquim li. Drito.
vre, Llsboa, Pernambuco, Rio dc
Janeiro, (Santos, sonaente na vol
ta ) Montevideo, BuenosAy res,
(eom baldea^no wara oRosario)
STEAMER
VILLE lE RIO E JANEIRO
Gammandaote, Fleury
. E' esperado da Europa, ate 2t do corrente, se
guindo^lepois da demora precisa, para os port
do snl de sna escala^
Relativamente a fretes, enommendas, passagei-
ros, para os quaes tern excellentes acommodaroes
por precos rcduzidos : trata-se com
OS C0NS1GNATARI0S
AUGUSTO F. D'OLIVEIRA 4 C.
42Rua do CommercioEntrada pela rua
do Torres.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\Tavegacfto co^teira a vapor.
MAMANGUAPE.
0 vapor Coruripe, com-'
mandante Santos, seguira para
o porto acima no dia 28 dc
corrente, as 5 horas da tarde.
Recebe carga, encommen-
das, passageiros e dinheiroa
frete ate as 2 boras da tarde do dia da sahida :
escriptorio no Forte do Matto? n. 12.
Para o Rio Grande do Sul
saMri brevameme; a escuaa pnrtagoeza Aguta ;
para carta e passageiros trtU-se .cooi B. R. Rav
bello A C, rna do tk>minercto n. 48.
Real corapanhia de paqueie
inglezes a vapor.
At6n Jia 27 do convule, espera-se da Kuropa
o vapr imlex Nev, commandante H. Hax, oqual
dfjMs da di-rnora do wstnine seguira'para Bue-
nos-Ayres, tocando nos portos da Bahia, Rio de Ja-
neiro e Montevideo.
No dia 28 do corrente, espera-se dos portos do
snl o vapor inglez Douro, commandante Thwaites,
o qnal depois da demora do costume, segnira
para Southampton, tocando nos portos de S. Vi-
cente e I.isboa.
Para fretes, passagens, etc., trau-se na agencia.
ma do Commercio n. 40.
seguira brevemente a barca pottogueza Gratidao,
para eanra o passageiros trata se eom E. R. Ra
bello A C, rua do commercio n. 48
Rio Grande do Sul
0 patacbo nacional Fortuna segue para o Rio
Grande do Sul, tendo ja pane do sea carregamen-
to engajado ; e para o reato da carga devem os
pretendentes entender se com Silva & Cascao, es-
criptorio a rua do Marquez de inda n. 60, pri-
meiro andar.
O agente WAS, aatortsado, Tendera em IeUao as
10 meneionadas dvzias de besperedina
TERCA-FEIRA 25 DO CORRENTE
As 10 horas em ponto
No sen eseriplorio. a raa do Marquez de Olinda
n. 37, primeiro andar.
Agente Di;>s
LEILAO
DE
diversos raoveis.
Consoliis, mesa de men de sala com laujjjos de
pedra, sofas, guarda-ve.-tidns, guarda roupa,
guarda looca, aparaUores, comoi-Hias,' lavato-
rios, cadeiras americanas.. cama franceza eom
colchao, banheiros, mesas de jogo, travesseiro
bordadot para solas, j.irros para Oores, eostns
reiras, casticaes o salvas de mewl lino, e mui-
tos oulros objectos de casa de familia e uso do-
mestico ; tudo em pcrfeilo cstado
TmQrt-feira 25 do corrente
Oagente DIAS fara leilio dos objectos acima
mencionados e por conta e risco de quem perten-
cer, no seu escriptorio. a rna do Marquez da Olin-
da n. 37, primeiro andar.
LCILlO
DE
0
PiRi
Acha-se proposta a escuaa portugueza Favorita,
de 1.* classe : trata se a carga no escriptorio dos
seus consignatarios T. de Aquino Fonceca & C.
Successorea, a rna do Vigario n. 19.
USbU\
Pan 0 refcrido oorto pretendeseguir com a pos-
'v........ i origue portuguez D. Anna, por
ter ja alguma carga engajada ; e para a que llie
alta, que recebe a frete commodo, trata-se eom
os consignatarios Joaquim Jose Goncalves Beltrao
& Filho, a rua do Commercio n. 5.
Para o Porto.
Segue com brevidade a barca portugnera S.
Manoel II. Recebe carga e passageiros : a tra-
tar com Tito Livio Soares, a rua do Vigario n.
LEILOES.
ADMINMRACAO DOS CORREIOS DE PERNAM-
BUCO ii DE NOVEMBRO DE 1873.
Malas pelo vapor Penedo di companhia
Bahiana.
A correspondent que tern de ser expedida
hoje (22) pelo vapor acima mencionado para os
portos de Maceio, Penedo, Aracajii e Bahia, sera
rccebida pela maneira seguinte :
Maeos de jornaes, impre-sos do qualquer natu
reza e cartas a registrar, at6 2 horas da tarde,
cartas ordinarias ate as 3 horas, o estas ate 3 1J2,
pagando porte duplo.
0 administrador
AITonso do Rego Barros.
mm
Santo Antonio
EMPREZA
Para Lisboa
scgaira com brevidade o briguo portuguez Bella
Figuctrense; para carga e passageiros trata se
com E R. Rabeilo k C, rua do Commercio nu-
mero 48.
Bio de Janeiro
0 patacho portuguez Rival segue para o Rio de
Janeiro por ter ja p^rte do seu carregamento en
gajado, e para o resto da carga dsvem os preten-
dentes cntender-ie com Silva k Cascao, escripto-
rioa rua do Marquez de Olinda n. 60, 1* andar.
Sabbado 22 de novembro
Definitivamento
LIJIMA REPRESENTAC10
do drama phantastico em 6 actos, de grande 03-
pectaculo :
\\,lll D\ MEI.\ W1TE
Os bilnetes acham-so
criptorio do theatro.
a venda desde ja no es-
&$
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A junta administrative da Santa Casa de Mise
ricordia do Recife, ; mpetenteinente autorisada
pela presidencia, cm data do 3 dc seteiubro do
anno proximo 6ndo, e de conformidado com o que
dis])de o 9.* art. 52 do seu com romisso. per-
muta por apohces da divida publica a fazenda dc
eriar gados que possuo o patrimonio dos esta-
belecimentos de caridade a seu cargo dennmina-
da Carniuba sita no termo de Flores desta
proyineia, com terreno* para criar e plantar, e
com algum gado civallar e vaccum.
Recebe para isto propostas nesta secretaria ale
o dia 10 de dezembro do corrente anno.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
cife, 10 de outubro dc 1873.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A fllma. junta administrative da santa casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
na sala de suas sess<5es, no dia 20 de novembro
pela? 3 horas da tardo, tem de ser arrematadas a
quern mais vantagens ollcrecer, pelo tempo de um
a tr s annos, s rendas dos predios cm seguida
dedarados.
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE
Rua de Hortas
J-oja do sobrado n. 41. ... 306^000
Rua da ViracSo
Casateorea n. 7. 3 312*000
Cinco Pontas
Casajerrea n, 70 Mlttm
Travessa de S. Jose.
Caa terrea n.;i.......201^000
Becco do Abren
Sobrado de 4 an lares n. 2. 480ii0OO
^ Rua da Gloria
Casa lerrea n. 93......180*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
_ Rua da Senzalla velha.
Casa terrea n. 16...... 209*000
llecco das Boias.
421
Aviso.-
Nao sendo possivel promptilicar-se para o dia
22 o importauto drama
ftAHl DAS CANELIAS
annunciado em beneficio da actriz Manuela LuccL
fica o mesmo espectaculo transfcrido nara sabba-
do 29. '
Havera trem dopois do espectacnlo ate Apipu-
cos.
Contintia a recober-se
resto dos mlhetes.
Pacific Sltam >'jhigaliin Contpaii)
l.is.lu* |aiuzenal
0 PAQUETE
0OT0PAXI
OU
espera-se aqui da Europa at6 o dia24 do novembro
e depois da demora do costume seguira para o snl
do imperio, Rio da Prata e costa do Pacifico, para
onde recebera passageiros, encommendas o dinhei-
ro a frete.
OS AGENTES
Wilson Rnwc C.
14 RUA DO COMMERCIO14
Para
Para o roferido porto pretende seguir com pou-
ca demora o brigue portuguez Recife por ter a
maior parte do carrcgamf-nto tratado : para o
resto quo Ihe falta trata-se com os consignatarios
Joaquim Jose Goncalves Beltrao 4 Filho, a rua ao
Commercio n. 5.
Para
encommendaa para o
THEATRO
AMANHA
Dominu'6 23 de novembro.
Vs S I|2 da tarde
Em beneiicia do octor
FLORINDO
1.* reproMentncfio
nesle theatro do muito applaudido qni-pre.quo
couico msieal om 3 actos :
Metis olhos I
Meu nariz!
Minha bocca!
Musica do maestrn
Para o refcrido porto pretende segnir com pou
ca demora o brigue portuguez Recife, por ter a
maior parte do carrcgainento tratado, o para o
resto quo Ihe falta : trata so com os consignata-
rios Joaquim Jose Gong lives Beltrao & Filho, a
rua do Commercio n. !i.
Sobrado n. 18
Sobrado n. 14.
iv
421jA
l:00(flHH
1." acto.
Um pai quo nao e pai I
i. acto.
Um markto q;o nao 6 marido !
3. acto.
Uma mulher qoe na.i e mulher !
Terminara o espactaoulo com o scmpi>3 cnthu-
siaslico-dueto :
0 esliidaotc c a layadeira.
mpia V. o uel" btneflciado.
A's 3 -Ifj da tarde.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Havn^ncflo eosteira a vapor.
MACEI6, ESCALAS E PENEDO.
0 vapor Giquia,
commandante Martins
seguira para os por-
tos acima no dia 29
do corrente, as 5
horas da tarde.
Recebe carga ate o dia 27 do corrente, encom-
mendas ate o dia 28, passageiros e dinheiro a fre-
te ate as 2 horas da tarde do dia da sahida :
sscriptorio no Porte >u Mattos n. 11
Para o Aracaty sabe nestes dias o hiate Ma-
ria Amelia, capitao Francisco Thomaz do Assis,
tem parte do seu carregamento engajado, para o'
resto que Ihe falta, trata-so com Antonio Alberto
do Souza Aguiar, a rua do Amorim n. 60.
COMPANHIA PERNAMBUCANA "
DE
.Uavegueao casteira a vap,r.
PARAHYBA, NATAL, UACAO, MOSSORO', ABACx-
TY, CFARA, MANDAHU, E ACARACU*.
0 vapor Ipojuca,
commandante Muura,
seguira para os por-
tos acima no dia 29
do corrente, as B ho-
ras da tarde.
Recebe carga ate o dia 27 do corrente, encom-
mendas ate o dia 28, pasiagens e dinheiro a frete
ate as 2 horas da tarde do dia da sahida : es-
criptorio no Fort do Mattos o. 12
P ITKHO
D. FKAMISIlt.
Para o Rio de Janeiro pretende seguir com
pouea demora por ter dous tercos de seu carre-
Bamento engajado e para o resto que ihe falta, i
trata-se com os coosignatrios Joaqniin Jn* Gon- i
calves Beltrao Filho a rua do Commercio n. 3. I
Agencia de leiloes.
RUA DO MARQl'EZ DE OLINDA N. 37, 1" ANDAR.
0 abaixo assignadn tern a honra de scientificar
ao respeitavel publico, com especialidade ao corpo
commercial desta praca, que acaba de ser nomea-
do agente de leiloes, em cujo exercicio, promette,
se csfor?ara para bem merecer a conGanca de to-
das aquellas pessoas que se dignarem honra-Io,
encarregando-lhe de nogooios tendentes a sua
profissao.
Desde ja o abaixo assignado antecipa o> seus
agradecimentos para com aquelles que o procura-
rem : o que poderao fa?er dirigindose A rua do
Marquez de Olinda n. 37, l. andar.
Recife, 7 do novembro de 1873
_____________Jotquim Dias dos Santos.
Casa tie penhores
LEILAO
No dia 24 do-corrente se fara leil5o, por inter-
vencao do agenta Vartins, dos penhores constan-
tes das cautellas abaixo declaradas. Os donos das
cautellas podem resgata-las e reforma-las at6 o
acto do leilao, na travessa das Cruzes n. 2.
Ns. 938. 1043,, 10-"3, 1064, U-3, 1162, 1220,
1268, 1283, 1420, 1435, 14116, Mf, toOO,
Iii28, 1340, 1365, li83, 1604, 1616,
1659, 1673, 1685, 1709, 1728, 1733,
1748, 1771, 1784, 1791, 1803,
1842, 1861, 1868, 18!'6, 1897,
1987, 2007, 2010,203', 2044,
2094, 2129, 2138, 2141. 2143,
2184,2192, 2205,2207, 2213,
2231, 2232, 2249. 2254, 2261,
2277,2296,2312. 2324,2331,
2371, 2372, 2381, 2391, 2396,
2412, 2421, 2425, 2i28, 2432,
2448. 2449,2454,2.66,2469,
loujas, ridros linos e 1 machiua de cos-
tiiras
Quarta feira 26 de novembro
no sobrado da rua da Cruz n. 50, primeiro
andar
AS 11 HORAS DA MANH.V
A SARER:
I m rico piano,[i mobilia de jacaranda, compon-
do-so de 12 cadeiras de guarni^ao, 1 mesa redunda
com uma importance pedra, 2 consoles, tampo de
madeira, 1 dita de amarello (completa), 1 guarda-
vestidos, 1 guardaroupa, | rica commoda, 1 mesa
elastica, l marquezao, 1 cama para solteiro, 1
machina de costuras, 1 secretari*, cadeiras avul-
sas, escarradeiras, jarros. Bguras, servijo para
jantar, dito para almoco, quadros, e3pelho?. toca-
dores de mogno, cabides, quartinheiras, cama
franceza para casal, e outros muitos objectos.
0 agente Pinho Borges levara a leilao, os moveif,
Iougas e outros arllgos, por ordem do Sr. Fran-
cisco da Silva Ramos Junior, que se retira para
fora desta provincia.
Os moveis serao transportados para n refcrido
sobrado, por previa autorisacao do rnc^mo se-
nhor.
LEILAO
1231,
lo02,
1638,
1735,
1832,
1913,
2o;iO,
2144,
2219,
2264,
23.2,
2397.
2441,
1303,
1646,
1739,
1833,
1923,
2061,
2163,
2221,
2270,
1743.
1840,
1936,
2078,
2'77,
2229,
2275,
2365, J368,
2402, 2403,
2443, 2446.
2567. 25.0, 2371, 258n, 2. 83, 2595, 2598, ?600:
Cautellas B. Ns. 10 B, 25, 29. 40, 53. 64, 87,
31, 142, 159, 170,171. 194,208, 212,220,222,
223, 227, 233, 234, 273, 335, 371, 375, 417, 454,
477, 499, 504, 515. 547. 369, 577, 81. 584, 585.
590, 592, 620, 633, 651, 657,66 >, 687, 692, 707,
728, 739, 740, 742, 745, 746, 748, 751, 752, 759,
760, 761, 75, 767, 769, 771, 781, 785. 790, 802,
806, 807, 810, 812. 15 8:7. 822, 8*:), 82, 819
840, 842, 856, 864-, 882, 886, Sit', 889, 892, 897.
LEILAO
DE
60 saccos eom arroz avjriado, marca S R
AC.
SEGI NDA-HEIRA 24 DO CORRENTE
ii 9 horas em ponto.
0 preposto do 3gonte Pe-tana fara leilao por
conta e risco do quem pertimcer, de 60 saccos
com arroz avariado, vindosde Liverpool no navio
inglez Constant Wilson, desembarcadas ultima-
men te
Segunila-feira 2 1 as 9 horas em ponto
No armazem do Sr. Anncs, defronle da alfandega.
LEILAO
DE
30 duzias da marroquim avariado
SEC-UNDA-FFJRA 24 DO CORRENTE
As 11 boras da manna.
0 agento Pinho Borges vend^ra em leilao as re-
feridas 3d duzias de marroquim, por conta o risco
de quem pcrtencer, no seu escriptorio, a rua do
Bom Jesus n. 53, primeiro andar.
DE
joias de ouro e brilhantes, sal/a de prata fPorto),
bules de prau (Porto), assucareiro, cafeteira, lei-
teira e mantegueira de prata (Porto), e um par
de rozetas com 2 granaes brilhantes, no valor
de 2:000*000.
A SARER:
Uma pulseira de flta, 1 dita de atacar, 1 volta
com 148 perolas, 1 cruz com 8 brilhantes, 1 di-
ta, 1 alfinete com brilhantes, 1 rozeta com 18
brilhantes, 1 par de botfies para abertura, 1 al-
finete p.ra retrato, anneis de ouro, 1 salva de
prata, 1 cafeteira, 1 bule, assucareiro, maate-
gueira, leiteira de prata, 1 medalhio de ouro,
rozetas, pulseira*, bribcos, argolao, jndaicos,
bruxeso outras muitas joias de ouro
QUARTA-FEIRA 26 DO CORRENTE.
0 agente Pinho Borges vendera era leilao, as re-
fendas joias de ouro o brilhantes, no sobrado n.
50, a rua do Bum Jesus.
Novo leilao
DA
metade do sobrado de 3 andares, sotao e meias
aguas, sito a rua do Marquez de Olinda n. 24
(ouir'ora Cadeia), o qual esta bem localisado,
por estar em rua muito commercial, da os tun-
dos para a rua da Senzalla, e rende annual-
mente todo o sobrado 4:212000.
Oiiinla-feira 27 de Dovembro
as 11 horas da manha
Em seu escriptorio, a ma do Bom Jesus n. 53,
servinlo de base a offerte do 16:200*000.
0 agente Pinho"Barges, bastante autoris3do,le-
v i' l?:!;i oferido sobrado, por conta e risco
de quem pertenccr.
Os Srs. pretendentes poderao desde ja exami-
nar e tomar algum c-clarecimento relativos no
escriptorio do mesmo ageule.
CASA 14 FORM.
AOS 4:000^000.
BILHETES GARANTIDOS.
4' ruo Prwmro rf Marco (outr'vrs rnm 4f
Cresfo) n. t9e msit do cortunm,
Acham-se a ven^s "s falizes bilhetn ganntidfrt
la 1* parte das lutertas a benefi.-ioda matriz Si
rejnropapo (79*,, que se c.rtrahira na qttlslfc-
feira. 27 do correafe mez.
PltECOS
Bilhcte Inteiro 4*I0
Meio t-i'hele MOtO
fM rofcttor.E lOOJOOOrAlucm*.
illie iutoiro .*3)0
Meio i-iil.cte 1*750
Mtnotl Martins ftmta_______
AttenQao
Recommenda-se ;i policu e aos Srs. eapilievia
eampo um cubra de SO annos, qua desapparecan
m noite de quarta feira, 19 docorre.-te, de casa'A
Sr. I'loriano Girr--a de Kritto onde estava alafk-
do. E" um cabra forte, de altura ahaiio da ref-
lar, sem barba. dentes largos na frente, nao ahwe,
falta grossa, olhos grandese abotoados. bo. cvgra*
de, cabello ruirr,, e com uma verruga graoAe
n'nm dedo da Bio. Chama-se Manoel, pores*
talvez mudasse o nome. Hontem foi risto a na
Formosa as 6 bouts da tirde na oscasiio do aaer-
eicio dc fogo. e fui mesmo por ordem da tea so
nhor p^rieguido por duas praca-^do 9 ate *>
tbeatro de >anta Isabel, e d'ahi stitnira-se. A
pessoa que o apprehemler, qneira lefa-lo a rua d>
Camarao n. 3, quo sera reoompensado.
A irmandade de N. 8. da Conccicai dos Mili-
teros,em mesa leral de 13 de outubro priiiao
passado delibereu que aos domingos, dias -aatifi
cados e mais dias como do costume, se abrissa a
igreja da mesma invocacao, e se illuminassem o
altares pelas 9 horas da mantn, para qoo fica-iso a
mesma igreja franqued.i aos irmios e lieis de^o-
tos qne qneiram fazer euas orapios ; di-liberc>>
esta que se publica de ordem da mesma mesa.
Consultorio da irmandade de N. S. da C^nreic*!
dos Militares, 14 dc outubro de i73.
0 secretario
__________Jose Fraacisco do Sulles Oavica.
Transferencia
0 escrivao dos protostos, Jose Mariano, orevim'
a quem interessar possa, que nesta data tranefe-
rio seu cartorio para a rua Bella, loja do sobrado
n. 37.
i\o dia sexta-ftira 21 do corrente riesappa
receu ou furteram da casa da rua do AragSo n.
12, uma caauna muito mansa, que andava solta.
comia na miio c acudia pelo nume quando se
charaava : quern dell a souber ou mesmo a tim
comprado, dirija-se ix mesma casa, que se paga. a r
importe que tiverem dado, ou se recompensara
com generosidade.
Criait* e cugouiiiiadeira
Xo collegio daConceicao precisa-se de am cr
do c dc uma engemmadeira perita.
Aluga so uma grande olaria em a raa A
Visconde de Goyanra, com boa casa e am boo)
sitio a tratar na rua do Rosario da Boa vista
n. 80. ,
Aiuga-se
a casa terrea com sctio, a rua do Hospicio n. 61,
csquina da rua Riachaelo : a tratar no armazem
n. 23 da travessa dc Corpo Santo.
Manoel da Silva Faria 4 C, a rua do Vigario
n. 20, administradores da massa fallida de Ignacio
Pessoa da Silva, convidam aos credores da mesma
massa para que no prazo de oito dias, contados da
data deste, aprescntem seas titulos, aflm de serem
verificados e classiQcados. Recife, 20 de novem-
bro de 1873.
Agente Dias
Preeisa-.e de uma casa mobiliada com todos
os arranjos de casa, para um estrangeiro sem fa-
milia : queo a liver, pode dirigir-se para tratar.
a loja do Sr. Grandin, relojoeiro, a rua do Mar
qoez de Olinda._______
Caehorra
Perdeu-se uma caehorra de ra^a da Terra Nova.
;otn os signaes seguintes : muito nova, cdr sm
zenta com malhas pretas, fucinho comprido, cauxk
enroscada, p6s pesunhos : quem a pegarlevs-a, a
rua de Pedro AITonso n. 3, que sera recompensado
Quem precisar de um moco de idade de~27i
annos, chegado ultimamente da Europa. que sabe
bem ler e escrevor, e entendo de escripturacac.
para qualquer um negocio : dirija-se a rua do.
Marquez de Iferval n. .".7, padaria.
Aluga-se

gnificos prediijs, cdileados m
cbuos proprios
SABBADO 29 DO CORRENTE
0 agente DIAS, antorisado, fara leilJo de um
magniflco sobrado do 3 andares, bem construido,
e com grandes accojimodacScs para familia e es-
criptorio, pur ser bem repartido e servir para duas
casas, c ediflcado na rua de-Djmiogos Martins n.
138.
Um grande sitio com sobrado e com grande
commodos para familia, muitos aposcntns pai a
escravos e cnados, estribaria, excellentes vivoiros,
jardira e muito bem arborisado e de boas quali-
dades ; cste sitio torna se muito recommendavel
por ser fresco e flcar per to da estacao da via fer-
rea. e ediflcado na Capunga, porto L asserr por
cujo nome ej bem onhecido Os pretenden-
tes poderao examinar di os rredios, ou entend^
rera-se com o masmo agento.
Snblvvfo 29 a corrente
hs IO Iioi'hm eiin ponto.
No escriptorio do refcrido agente, a rua do Mar-
quez de Olinda n. 37, primeiro andar.
MS0S 6.YRS0S ~"
LEILAO
DE
chapeos de sol, pegas do la para vestidos,
casacos de chroclii-t, basquinas dc soda,
- cbales do morin6, collarinhos lizos e bor-
dados, costumes para creancas, pp^as
de brim irlande?, gravatns o outros ar-
tigos
SEGITSDA-FEIRA 2V DO CORRENTE
as 11 horas
0 agente Pinho Borges fara o leilao acima do-
clarado, por conta e risco de quem pertencer, no
sea escriptorio, a rua do Bom Jesu-> n. 33, primei-
ro andar-
- Precisa se de uma escravj para cozinhar
e comprar : na rua Primeiro do Marco n. 23
loja.
Aos senhores negociantes.
Continiia-se a fornecer comedori'ts para fora
por precos commodes ; algum sonhbr negoeiante
quo tenha de retirar suas fainilias para ir passar
a festa c quizerem deixar os seus caixeiros bem
servidos, quanto ao f^rnecimenlo de comida, diri-
ja-se a rua estreita do Rosario n. 33, primeiro an-
dar.
o primeiro andar dn sobrado da raa dj Duque de
Caxias n. 44, proprio para escriptorio, ou rapaz
solteiro : a tratar bo mesmo, loja.
Precisa-se de c^na mulher de maior idade.
que alliance sua conducta para, occupar-se com
a cducacao de uma crian a de 4 annos de idade.
senda preferivel portugueza : quem interessar di-
rija-se a rna dos Gaararapes n. 96.
Attencao
Os abaixo as3ignados rngam a sens devedores
Sue queiram tor a bondade de virem saldar seus
ebitus ate o fim do corrente anno ; os qne nio (>
flzerem serao chamados por e^te Diario pelo sen
proprio nome a vi.t-m cumprir com os seas de-
vans.
Recife, 22 de novembro de 1873.
____________ Gama & Silva Britto.
AVISO
0 3r. Joaquim Clemente de Lemos Duarle tenba
bondade de vir ou mandar a rua do Corouel
Suissuna n. 282 a negocio de seu interesse.
a l
ManoelJose da Fonseca
Mariz.
Jose Antonio de Carvalho, saa
mulher, tilhos e canhada agrade*
cem cordialmento a todas as pes-
soas que se dignaram assistir aos
suflr.ifcios que se eelebraram por
occasiae do fallecimento de seu
presado cunhado. irmac c tio Ma
noel Jose da Fonseca Mariz j e de novo convidam
as niesmas pessoas para assistirem a algumas m>s-
sas que mandam celebrar na igr>-ja do convento
de S. Francisco, no dia 24 do corrente, as 7 i [2
horas da manha, setirao dia do sen fallecimento.
Por mais esto acto de caridado :hrlsta desde ja se
confessam eternaniento reconlucidos.
Agente Dias
10 duzias do
DE
limito acredilado
perodina
Altencao.
Si iua estreita do Rosario preparam-se ban-
deijas com bolinlios linos do todas as qualidade.%
com bouquets, muilo bem ornadas, tudo com as-
seio o presteza, e por l-aaalo preco, para casauien-
tos c bailes ; bordam so fitas a ouro e prepararr
se bouquets de cravos r.atnraes com fitas borda
das a onro, por barato preco, sendo a encommen-
da feita seis dias autes. Na mesma casa prepa-
ram-se, como sempre, bouquets, capellas, diade
mas, coroas de ouro e de louro para os inOuentes
de presepes, tudo de muito gost.j o barato; liadw
bouquets arlifieiae3 de dhalias, rosas, cravos, de
dores de cf ra, do panno e pa pel p3ra offertas as
pasioras, para o theatro. !c, tudo se acharasem-
pre prompto. c por preco commodo.
0 administrador da massa falli la de Rostooo
Rooker cv C, em obsorvancia do que foi determ'
nado pelo Sr. fir. jaiz do commercio e de confor-
midade com a annuencia dos credores, faz public
que vai ser posto a venda por leilao, os direito*
que a massa tem s.ibre os terrcnos dc marinha r
o sitio da Torre, cujos direitos dos terrenns sao o
dominio o posse que tem na metade dos ditos ler-
r.'nos, sitoi no csjs do Ramos e no sitiu da Torre,
em coDseqnencia dojulpado pelo Sr. juiz dos fei-
tos da fazenda d'-sta cidade, julg. do que p.'iidepor
appellacao.
Garanh
arannuns.
' it rua do L'arao da Victoria n. 36, precisa-se
i..'xr aos Srs. Podro Co Rego Chaves Petxoto e
Paes da Silva, a negocio de particular infe-
essa.
Caixeiro.
licflr bes-
l*T"?isa se de nni caixeiro : no cafe des m
Coxinheiro
i rua do Cor-
don iz a. 1.
Na Magdalena, travessa do
Luca
Alnga-se um bom sitio com grande easa reedi-
Ccada de novo, que accommoda grajd tamMia,
Um quartos para escraves e cocheua duas gran
dos ba.aas de capim, dhersos arvorotos Itoctife-
ms o 50 pes de coqueiroa : quem o dito sitio pce-
tender dinja se a Passagem da Magdalena. t
de Manoel da Unhn Rrandlj, qne aehara
T"-n tratar, .
<
JjW'



*'->

le Pernambuoo Sabbado 22 de Novembro ae 1875.

*->

56 aRua do Marquez de Olinda 56 a
(outr'orn rua da Cadola)
LOJA DE MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhccido como principal e recommen-
4ado pelos grandes depositos e bons sortimentos com que sempro prima em ter das
melhores, mais acredrtadas e verdadeiras machinas americanaa para algo-
!*, desde 10 a" 60 lerraa, e ha vend o em todos os tamanhos diversidades de syste-
ms* e melhOramentos para perfeito e rapido descarocamento ; tornam-se dignas de
erem vistas e apreciadas pelos Srs. agncultores; os quaes, alem disto, encontrarao
tunbera mais :
Apurados vapores locomoveis, deforja
de 2'/ 3V cavallos com todos pertcngas
precisos para trabaiharem 4 machinas para
algodao, ou para outro qualquer mister.
Machinas para lavar roupa.
Axados americanos para varzea e ladci-
ra.
Carros de mfio para atterros.
Tinas de madeiras.
. Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com valvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guards-eomidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafuzos de ferro
Dita dita ditos de madeiras.
Ternos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Pertengas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinhos de diversos fabricantes para mi-
lbo e cafe.
Debulhadoros para milbo.
Azeite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas amcricanas.
Cofres dfe ferro patonte.
Cannos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos dechumbo.
Ditos de borracha.
Folles para ferreiros.
Trens para cozinha.
Emfim muitos outros artigos, que sdavistaejiesto estabeleomodcraoentp i i
txaminados.
ANTONIO JOSE DE AZEVEDO.
Rua Nova n. II.
PIANOS.
BP Quorendo definitivamente liquidar este negocio, vende todos os que tern, novos c
esados, pelo prego do custo de factura.
Tambem acaba de receber o seguinte:
OLEADOS inglezes para assoalho de salas, de muitos Kudos desenhos de 11 a 33 palmos
de largura o 100 de comprido, podendo forrar-sc uma sala por grande que
seja com oleado inteiro.
MAGNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos de snlas.
\NNEIS electricos para curar doras de cabeca. nevralgias e uervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
'JRAMPOS para seaurar roupa estendida nas cor las, a 200 rs. a duzia.
TALAGARQ.A o papcl picado para bordar com la ou s.'-.ln.
\'ERDA1)E1RA ogua de colonia em garrafas empalhadas.
E muitos outros artigos, e por muito barato preco.
VINHO.eBORDEAUXQUINADO.iCHEVRIER
, lonico, fortificanle: emprega-se nas febres rebeldes, dm
D uma riqacia incomparavel em principios aclircx, lonico, fortificanle: empre|
conTaletcenciai tardias, nan diarrheas chronicas e em todos os casos d'atonia.
VINHObeMALAGA QUINADOdeCHEVRIER
Powoe as mesmas propriedades do one o anterior, mas eroprega-se com preferencia para as mulheres, at
criancas e as pessoai cuio estomago 6 debilitado.
VINHOsiOUINAFERRUGINOSOtCHEVRIER
Que reone os dons agentesmai. poderosos da therapeutics, goberano na chlorose, na anemia, loucorrhea,
pjsmenorrhea, nos meninos dnrante sen crescimento e nas dootellas no momento da poberdade.
YINHO,tPEPSINAEDIASTASEECHEVRIER
O digestiTo mais heroics que se conhece, farorece a assimilacSo e restabelece instantaneamente as funccoei
oo apparato digestive
VINHO^oPHOSPHATOdeCALdeCHEVRIER
Ha lirica polmonar, fecha as cbagas do pulmao attaeado, cura as alporcaa, o raquitismo re-labeUco a saud*
das pestoas exbaustas pelas vimlias pelos excessos. Nnta'eU successos ohtidos nos bospitaes.
VINHO DEPURATIYO DO D?CALVO/SOBRINHO E
DrSClPULO 00 CELEBRE PROFESSOR RICORD
Sirar a cura ladical de todas as moteitiassyphilitii-i? nniigons oo recent**
eposito em Pernambuco, A. REGORD.
Prccfsa se de nma ama que ;-ia
cozinhar e engommar. prefere-se
escrava : n trat.ir na rua ti<> Mar-
i'A-ii ijiiez de Olinda, sobrado n. 31, se-
gnndo andar.
Prwi-a se d.- uma aina que (Mismtb e
AHA ,
r.iube [);ra rasa de pom-a familia : a
Irataf liania atraz da matrix at Sanltt Antonio n.
18,2 aadar. % ^__________________
IVvi.-a-su du u.'tia par* cuziuhar
para casa de pouca familia; a tratar
a rua do Hospicio n. 46, casa terrra
que torn bolat amarellas na cor-
AMA
nija.
\ 1111 rua lla Abwia n. 40 precia-?e para
'" andar rnm uma menina, nma aar> a*
coodncta aflianraoa.
PnseiM-w de uma ama para comprar e cozi-
nhar para caea dp pouea f milia : a tratar na rua
do Marquez do Herval n. 60, antiga do Cnncordia.
Ama de leite.
Prrcifa-se dc uma qne tenha bom e abundante
leite; paga-se betn : na rua Formosa n. 24, de-
fronte do becco dos Ferreiroi1. ___________^
- Precisa se de uma ama pare cozinhar e
comprar para casade homem solteiro : na rua Di-
reita n. 8.
Especiflco indispensavel para asse
Escravos fugidos
Maria, cabra, moca, bem parecida, ladina, de
boa aliura e corpo corre>pondenle, tem os bracos
iiin'.ido* com linta encravada de janipabo, em
orma de eoracio e o nome delta, natural do Cea
ra, e cozinheira, sende ua ocenpacao actual de
enchada ; ota escrava costuma embriagar se e
n^xte cslado e atrevida, e foge conslanlemenle
para o Recife e seas arrabaldes, aonde 6 muito
conhecida, estando desta vez ausente desde 5 do
corrente.
Felippa, negra, eabra, ja idosa, cozinheira, aha
e secra, foi escrava da vjnva do fallecido Jacin-
thoBotclho, tem um filho escravo do Sr Jose
Antio de Souza Hagalhles, que andava fngido,
e que veto sedazir a mai para acompanba-lo;
esta ausente des lo o dia 6 do corrente.
Roga-se a pulicia e capitacs de campo a cap-
tura das me>mas escravas que sio do cngenbo
Sapucaia de Beberibe.
NOVAS PUBLiCAGOES MUSICAES.
i. .1. d'AzcvedoUuaAovan. 11.
acham-se 6
Wer-
Alber-
29000
19500
19000
19000
19000
Acabam de publicar-so, e
venda as seguintbs musicas :
VIA NO SO".
Danse espanhola, por Ascher
Arabella, mazi'rka, por G.
theimer
Valsa do Faosto, por Croyzes
SONHO DE DMA VIRGEM, por
tazzi
Anna la Vrie, caratina
AoClair de la Line, por Bussmeyer 19500
ESTRELLA DO NORTEI.. ..." ,-.
SAUDAC-lO AO BAHIA|P0,kabrl,hante m0
Cricket, por Seixas, offerecida aos
chrickels club pernambucano e
bahiano 19000
PIANO E CANTO.
Desf.spf.ro, muito Undo romanco
por I. Smoltz 29000
Non m'am.vva, romance por Guercia 19000
Tambem recebeu da Europa grande sor-
menidc musica para piano, piano e
antoudos, metbodos, etc. etc.
Precisa se do 6 a 8 conlos de rcis a pre-
mio, dando-se por garantia hvpotbeca cm prcdios:
quern quizer este negocio dfise oarta ncsta ty-
pograpiiia com as iniriaes T. G., ou annuncie.
Joaquim Jose Gonqalves
Beltrao & Filhos
Teem para vender no sra escriptono a rua do
Commercio n. 5, o seguinte :
AGUARDENTE de cajii : eaixa de 12 garrafas.
< de larania, idem idem,
ARCOS de pao para barril.
CAL de Lisboa, receutemente chegada.
CHA.PE0S de sol, para homem e senhora, iabo
de mar firs e osso.
FE1XES de ferro, para porta.
FIO de algodao da Bahia, da fabrica do common
mendador Pedrozo.
L1NHA de roriz.
0BBA8 de palheta.
PANNO de algodao da Bahia, da fabrica do com
mendador Pedrozo. .
RETROZ de todas as qnalidade9, das fabricas de
Peres e Eduardo Mililao.
ROLHAS proprias para botica.
SALSAPAHRILHA do Para.
ELAS de cera de todos os tamanhos.
VINHO cngarrafado do Porto, caixas de 12 gar-
rafas.
c dito Moscate do Douro, idem idem.
< dito Setubal, caixas de 1 o 2 duzias.
t da Italia cngarrafado, caixas de 6 gar-
rafas,
de Collares superior, em ancoretas.
de caju, caixas de 12 gar afas.
c Malvasia do Douro, caixas com 12 gar-
rafas.
t Carcavollos, idem idem.
AuENfAO
Precire-se alugar uma ama de meia idado, po
r6m que seja preta. aue n2o Unha. vicios nem
achaques, e que affiance sua condncta, pra com
prar e cozinhar para uma familia de 3 pessoas :
a tratar na cidade dA Olinda, sitio do Amparo, ea-
sa terrf a grande, com p rtao ao lado.
bUNDIQAO DO BOWMAN
RUA DO BROM N. 52
(Passa.nt.lo .o .(\i|Wariz)
PEDEM AOS aeiiborea de eogmho e onlros agncoliorts, eempregad.it* tie m
ctuismo o favor de cma visits a seo elbieciaj.nlu, pra vcrim o oovo torlisMMn
oraplei i que abi tem; reurlo todo superior n qoalidsde e tortidio; o que ore a Sr*
*aflo pes ril pode-ae veriflcar.
ESPECIAL ATTENCAO AO.NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDigAO
^aporet e rodas d'a&raa d0' ?** nBo^crno, *j>t** em ia
" "'^ maaboa conveDieoiea ptra as diversas
jrcwitanciM do seoboret propriotario* a pra deacaro^ar algouJo.
)l-06ndaS dG CaHHa d(,llKj08 oa laD>aDbos, c-s.melDrras qoe tqm
8.odas dentadas fw",taw',KMv-
raixas le ferro fundido, batido a de cobre.
ilambiqnes e fandos de alambiques.
Wftllhinifimna P>r> awQdioca e algodao,* Podendo todos
^wiuuwiuw* e pararerrar madeira. !er mocidos a mao
Bombai a (pr ?<. *<>*>
wmvot de patoote, garanudaa........ fooaoimaei;.
rodas M machinas p<*"d*q0* co*xom 9**.
Faz qualquer concerto **machiai,mo'a pw oQi t***^-
PorTJDaS de ferrO tem M DMmorM e mai* baralas exisleutes no mer-
^nPr>mmnHaa iDcumbe-se de maDdar vir qoalqaer macbinismo a vod-
auuuuuuoilUiWt U(te dot ciieme,, |eabrando-ibea a vantagem de fazerem
aas corapraa por intermedio de peasoa eoteadida, e que em qoalqaer Decessidade pode
oat prestar anxilio.
iradog americanos 6 inslraiDeD,o ricolM-
RUA DO BRUM N. 52
PASSAN1H> O CHAFAKIZ
FUNDigAO DE FERRO
A' roa de Barao do Triampho (rna du Brain) ns. 100 a 104
CARDOSO & IRMAO
RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e machines para on-
genbos, as mais modernas o melhorobra que tem vindo ao mercado.
Vapores de for^a de 4, 6,8 e 10 cavallos.
v.alaeiras de sobresalente para vapores.
Aloeiiaas int61TaS e meias moendas, obra como .tunca aqai veio.
LaiXaS IUndluaS e batidas, dos melhores fabricantes.
KOQaS Q aglia com cubaje de erro, fortes c bem acabadas.
tCOdaS QentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
Rel0gi0S e apitOS para vapores.
ijOIIlDaS de ferro, de repucho.
Arad08 de diversas qualidades.
FormaS para aSSUCar grandes e poquenas.
ConcertOS concertam com promptidao qualquer obra on machint, para o que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoai.
ElnCOnimendaS man(^ara v'r Por encommenda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondem com uma respeitavel casa do Londret
e com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar asscntar
iittre machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalbo das mesmas.
Rwa do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUMDIQAO DE CARDOSO d IRMAO.
- Fugio, ao amanhecer do dia IC de outubro Tna/inim 1Va fiAnnolwoa
do corrente anno, do engenho Paraizo, do terrao wOU|UIin tlOSe VTOn^dlVeS
J. JJl'I-
mciro andar, d^-so
dinhefro, sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qua! for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
Tarn carrcocircs.
Aluga-se um t*rreno murado, na roa da Sau-
dade, que lorn com palmus de frente e 3i 0 de
fundo, com pequena ". teHieiro j>aia ani
mats, pn.piiii ijara phatefdefl : a tratar a rua
Primeiru de Maryu n. 23, loja,
Alug.i-jc n scgnndi) andar do 'brado a rna
do Barao da Viet" na n. 31, com conimados para
familia : a tratar na lou do memo.
Criado
Escravo
Em S. Jo-6 do Manguinbo, sitio de iost-
Duartu das Neves, pn cisa do um para tratar
de dous cavallos e mais algum service ; no
mesmo sitio.
fngido
3001000 degratificac>o
Au.-entou>se desde o dia 13 de maio de 1872 o
preto de nome Alfredc, representa \p.t de 3t> a 40
anns ue idade, t perfeito coziuheiro, alto bastanu-
6 bem magro, pouca barba, olhos grande*, 6 muito
ladino, consta que tem pai no engeotio do Sr. Lulu
de Caiara. em S. Lotirenco da Malta. Este pmto
foi cozinheiro dos n< gociantes Adriano 4 'j?iro e
Sr. Jose Joaquim Gnn?alves Bastos, e juiga se
que esteja alugado em algnin hotel ou ca^a parti-
cular neata cidade, cmo form : pede-so a tr da<
as autoridades c capitae? de campo, que o scc-
brindo, o tragam a rua Duque de Caxias n. 91, loja
dh miudezas do rival stm segundo, que serao gra-
tiQcados com a quantia aeima.
Antonio Domingns Hinto, quciendo rtsumir
o seu negocio de mobilia, tem reaolvido fazer um
abatimento de 25 por cento nos preQos de HUB
mobdias, as qnaes sao : ricas m ui'iias de jaca-
randa a Luiz X fabricadas em Franca, d'as d*
nogneira e de anable, guardas-roupa dc ja:aran-
da de mogno n de anable com cspelho, rics
guardas vestidos de amarello, ricos guardas k>u-
ca, toillcttcs de jacar nda e de mogno, apanHor >
de mogno com tampo de pedra, dito* d^ amarello
com armario, mesas elastica- para jantar. dit s
dc mogno com abas para almoco, mesinlus dt*
mogno para costura, o uma infinidade de objer-
tos quo seria enfadonho mencionar ; tem i ra
grande sortimento de cadeiras de muitas qualida-
des : a rua do Barao da Victoria n. 57 e 58
No becco do Padre n. 28. pre:isa-?e de um
criado livrc ou escravo, 1e 14 ou 16 an nos de
dade.________________________________
Precisa-sc de um caixeiro com pratica df
taverna, e que seja bom balcao c di^ conhec m'n-1
de sua coi.ducta : a tratar na ma do Santa The-
reza n. 60.
do Rio Formoso, o mulato Cyrilo, de idade de 23 a:
21 annos, escravo do padre Miguel Percj de Aze-
vedo Falcao. Rna
O referido mulato e de estatura regular, c6r
roxa, cabellos pretos, nao soltos, porem nao mnito
pegados, com estrada de liberdade, ja tern buco
de barba o pouca barba no queixo inferior, e bem
parecido, sabe ldr, porem escreve mal, 6 muito fal-1
lante, bom monlador om burros, trabalha dc oleiro
em formas e e canhoto.
Ao amanhecer do dia 9 do corrente (novembro)'
fugio do mesmo padre e escravo Themotheo, criou-1
lo, idade 26 annos, estatura regular, bem preto,
pouca barba, dentes limadus : ha prababilidade
de que fugissem para a capital com o intento de
asscntar praya. Quern os apprehnnder sera b. m
recompensado, e os podcra entregar ao Sr. major
Jose Atitjnio de Brito Bastos, no engenho do Meio
da Matrix da Varzea ; e sendo preso em outro lu-1
gar fora da capital ou sens suburbi'S. sejam coa-:
duzidos para o referido engenho Paraizo, qne se
rccompensara bem, d-vendo ser conduzidos com
toda a cautela, porque sao muito ardilosos, maxi- !
m6 o mulato.___________________
Monhard Mottler A C, administaadores da
mas^a fallida de Mendes & Carvalho, estabelecidos
que foram com loja de fazendas a rua da Impe-
ratriz n. 46, rogam aos senhores que se a chain
a dever a referida massa, queiram vir quanto
antes saldar sens debitos a rua do Marquez de
Olinda n. 36, poupando assim aos annnnciantes o
desgosto de recorrer a outros meios.
Recife 17 do novembro de 1873.
Aluga se o 1* andar do sobrado da rua Di-
roita n. 8 : a tratar na loja do mesmo.
SAQUES
.Aluga-se uma casa torrea na rua do \i lil d.; Carvalho & rloweira, na rua do Anollo
>flgreiros n. Ml, antiga rua Imperial, *om has- n .in o,.,.-,ri Mi,,. u___ r- r ,
tames commodo* : a tratar na rua do Marine! He ^ 3 attam sobre .Banco Commercial
otinda, armazem n. 52. go \ isnnn e suas agendas cm todas as ci-
j dades o villas de Portugal, & vista e a prazo
' por tedos os paquetes.
\mm.
i
Aloua-se o sowo da rua do Rangcl n. 54, por
134 memoes, dan lo tiad>>r; so se aluga a faimla:
a tratar na rua dt. Praia n. 34, anaaww.
Extreinauieiite grato aos a:rugiM que mooli-
^oquiararn e visitarain nos (Jias ijue lend* pasado !
nesta cidade, no intnito de restabelec^r minha
sadde alterada, e na impossibibJade de rcs-oal
mente dirigr me a cadi um ; por isto vc-nho a
imprensa manifeta- meu rec.mlifcimento c oflb-
recer-lhe3 metis diininulos>pestimos na cidade do
fioyanna. ondo me encontrariio prompto o a dis-
posiyao de ta-> distinctes amigos u cavalheiro?.
Recife, 19 de novembro do 1873.
Barao dc Goyanua.
iVTTENUVO.
Jornaes da Europa.
Assignaturas para 1874.
Aehtm-so abort.is conforme o respectivo cata-
logo,
_____________Livraria Fran coxa.
f-ozinlinra
Preci-a-se deuma cozinheira para casa ostran-
geira de pouca familia : a tratar na rna do Com-
nierrio n. 38.
Precisa se do nm homem airtiiguez rccont.
mente ;hegado, que tenha boa eonducta e pratica
para feitor de engenho : quem esiiver oejtas con-
dic&s, queira apparecer uo largo do Corpo Santo
n. 19, eauriptorio.
Alnga-se a ca
para Caxanga, caiada e pintada, prnpria para fa-
jnilia ou i '('i-lmpnfo : qum prouder
dirija-ie* rua dc S. Bom Jesus da >;.:.ias ni.!
m?ro II
Sociedade BeneLcente Luso
Brasileira.
De o:dem do Sr. praMdente desta sociedadc
Bonvide nos Srs. conselheiros a comparecerem a
possao do eonseln fiscal., quq tera luaar as II ho*
ra* da rnanhS de domingo proximo vindonro.
S;!crc'aria da S:>-ii si^ -i, 20 de oovriiihro de 873.
0 !. si-cretario do eonsellio,
_______________Theophilo Alvcs da Silva.
Aioga-se o 2' aadar u s.^iao, com todus os
commodoj para grande familia, do sobrado n. 12,
si1 < ,i ru?" de H rtu- a trilar na nu do Tropiche
IBi d >acar, Tini>:iii se v^.-nde
le part :obrado.
Aluga-se nesta povoagSa uma boa casa, pintada
do novo, com mobilia de jsraranda na sala da
frente, quintal murado c portao que se cummuni-
ca para o rio : a tratar no largo do Corpo Santo
n. 4, andar. ___________
Alnga se uma excellente casa na povoagao
dc Duarte Coelho, em Olinda, com bons commo-
dos para familia; a tratar com Jorgo Tasso, ma
Amorim, n. 37.
Casa de campo
Offerece-sc a qucm quizer fazer os concertos
necessarios, o arrendamento por alguns annos, dp j
graca, da excellente casa sita na Porta d'Agua,
quo foi do finadoDr Joaquim Pires Carneiro M >n
teiro, passando-se esi-riptura para maior seguran
ca. A localidade e) muito salubre, e a casa muito
frcsca, tem magniGco banho de agua doce em
frente, e 6 muito commodo .isto quo. o trem passa
left-ante : qiiem pretender pode dingir-se ao Sr
Prancisco Carneiro Monteiro, em Apipncos. ao
Sr. Francisco Iguacio Pinto, na rua do Bom Jesus,
ou an Sr. Cannan, a nia do oramereio n. 40.
ALUGA-SE
o sobrado n. 20 a rua dos Coelhos, com coramodos
para grande fandlia, inclnsive as lojas, com gran-
de quintal e estribaria : a tratar no largo dos
Coelhos n. 15, com Antonio Carnriro da Cunha.
Matricula dus cavailns.
Acham-se a venda era todas as livrarias map-
pas impresses para matricula dos cavallos con-
forme determina a lei provincial de 17 de junho
de 1873._________________________________
- Aluga so uma escrava para casa de pouca
familia, sabe cozinhar e ensaboar roupa : a tratar
na rua do Marquez de Olinda n. 1, 2* andar.
Aluga-se a casa n. 103 a rua dos Martyrios:
a tratar na rua Dircita n. 8.
O auaiau assignado, lilho e nerdeiro do major
Marcelino Jose" Lopes, declare que m-ahuma
tranaci;ao, venda, ou outro qaalauer convenio
pvdera realisar-so sobroo engenho d'Agua, sitna-
do na coinarca de IguarassU, visto que existe um
protesto pela preferencia intentada pelo pai do
mesmo abaixo assigoado ; e que deinais, hoje
exjstcm herdeiros menores quo n5o podem Iran-
sigir em juuo, o qua pelo fallecimento daquelle
flcou sustado o processo da execucao, e nada se
pode innovar na mesma sem que corapetenteiuen
te sejam habili'do? t dos os fierdeiros como e de
direilo.
f rppe da Silva h>ppe$,
Na rua da Madre de Deu? n. 3, botica in-
gleza, precisa-se de nma ama para todo o servi-
po para pe^nena familia._____________________
Os abaixo assignados, administradores da
massa fallida de Mendes A Carvalho, rogam aos
erertores da mesma queiram vir ai>resentar sens
crc'itns a rua do Marquez de Olinda n 36, afim
dc proceder se a respecliva classiOcacao. dovendo
apres nta-los deutro do oito dias, a contar desta
data.
Recife, 17 de novembro do 1873.
_____________________Monhard Mpttler & C.
Alcga-se a casa n. 77 da rua dc S Joao : a
tratar na rui Duque de Caxias n. i4, ou na rua
do Range! n. 41, 2 andar.
Tourtitin cm Olinda.
I m tiogocianti; do gido, achatido cntre
Beltrao & Filho.
do Commercio n. B, I andar
Sacca por todos os paquetes sobre o banco
*t Minho, em Braga, e sobre os s gares de Portugal:
Amarante.
Arco de Val do Vez.
Baroellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
Covilha.
Faro.
Guarda.
Guimaraes.
Lamego.
Lisbda.
Mirandella.
Monc,ao.
Ponte de Lima.
Porto.
Tavira..
Valpassos.
Vianna do Caitello.
Villa do Cobde.
Villa Nova de Famalicao
Villa Nova do Portinrio
Villa Real.
Vizeu.
Valenca.
Figueira.
Aveiro. j
Agueda.
Caminba.
Evora.
Olivelra doAzemcis.
Penafiel._________^^
"WfTna ~~
Esta encouraqado!!!
Boga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de Mello
escrivao na cidade de Nazaretb desta provincia, o
favor de vir a rna Duque de Caxias n. 36, a con-
cluir aquelle negocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira cbamada deste jornal, em
fins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou a fevereiro e abril de 1872, e nada enmprio;
e por este motivo 6 de nuvo cbamado para dito
dm, pois S. S. se deve iembrar que este negocio e
de mais de oito annos, o quando o Sr. sou filho se
achava nesta eidade.
Alnga-sc um excellente sobradiQho com b<-las
de vidro, na rua de S. P. dro Novo n.... com com-
modos para gra:ide familia, o mclhor lugar para
quern quizer f;-a'r uso ds banhos salgacos: a
tratar na prara do|Corpa Sasto n. 17,1" an-lar.
Na rua do Barao da Victoria n. 36 precisa-se
fallar ao Sr vigario Andre Curcino de Araujo Pe
reira, a negocio de seu interesso.
^ Consultorio homeopa- 0
^ thico SI
4Ht Do Dr. Santos Mello $
Jfc 41------Rua do lmpera lor------41 4*
.jh Consultas todos os dias d.i3 11 a t da X
tardc. {*
jgi Gratis aos pobrcs. ifiL
^ Residencia a rna Nova n. 7, scgut do X
andar, onde da consultas das 6 as 9 da W
i& manha e das 3 as o da tarde. XX
SJ Chamados a qualquer hora.
0
Chamados a qualquer hora.
ca
A Franc-Maconaria
Revfiliicao.
Pelo padre Gautrelel da C. de J trd. pclc CouJf
de Samodaes.
Obra dedi ada ao Bispo de Pernambuco
1 vol. br-.ch. 2 .'000.
Na Livraria Franceza.
AVISO.
Moraes & Motta, proprietanos do armazem l-'i-
delidade, a rua do Imperador n. 14. convidam
pelo pre seme ao9 sous dpvedores qne tem debitos
antigos na mesma casa, de virem sa da los ate 0
susrc7.i!srumamuit-)animadaaa>remecr, ;fim do corrente anno, certos de qne se assim 0
a evpAra, no doningo 23 do cormnto, no
curial do pateo do Carmo, em Olinda, &
dispoaicao ilos ama'lores do br.iiqucdo:
alguns campinas ja so akrtaram para com-
baler.
Aluga-se
0 primeiro andar d"o sabrado da rna da:' Trin
rheiras n. 4x, que ftra dVfronte da rna PStrcita dc
Rosariu, coiitendo ditas salas, dous gabinetes e .6
quartos, jiequeno quintal, com racimha e 'anquf
para ban- o : trata sr na rna do Inippradi.r no es-
cri|.torio 11. 73, por cima da livraria classica.
CASA DO 0UH(f
Ao* 4:M0?00f
Bilhetes garatitidos
itua do Barao da Victoria (outr'ora ,\ova
n. 63, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender n >:' seu.
aiuito felizes bilhetes a sorte de 7U04HK) pit
dous mei.is de n. 887, alem de outras sortes me-
nores de 40*000 e 2onoo da Interia que Mi acs-
bou de extrahir (75* ; e envida aos possnidore*
a vin-m receber, que promptamenle sera 1 pago*
na forma do costume.
0 mesmo abaixo assignado cnnvida ao respeiU
vel pnbliro para vir ao seu estabelecimento i-om
l>rar os muito felizes bilhetes que nao deixarao de
tirar qualquer rcmio, como prova pelos n.e>m: ;
annnncios.
Acham-se a venda os muito feli es bilhe;e- ga-
*ai!tidu<> da 1* parte da luteria a beneflci.: ri,-.
raatnz de Tejucupapj, que sc extrahira no dr. ?7
do cut rente mez.
Pretos
Inteiro 4*000
Veio 2*000
liitO-^OOO part* clmi4.
Inteipi 3*500
Wcio 1*750
Hecife, 21 de u ivembro de 1873
Joao Joaquim da Costa Leiir.
Roupa perdi'la
Deaji|iarecen da estacao dos trilhos nrbanos dc
Caxanga, uma trouxa de roupa lav.-;.J,i; suppoo-e
que algiioiu levoii a par eugano : qin-m della ti- 'baria
nao fizerem, obrigam nos a proceder a cobr.mca
judicialraente, sem excepcio de pessoas.
Recife, 19 de novpmhro de 1873
Oasas para alugar para a fes
ta ou por anno
Um sobrado no Poco da Panella, na rua do Rio
n. 5, com 4 silas, 5 quartos, sa eta, cozinha fo.-a e
[quintal murado. ,
Uma boa casa Urrea nova com coeheira, ,iri.l1u' u'1, ">'> eiitrey* do tu.lo p *
ver noticia, ifOde levnr ao Cicnptono n. 62, *! mp-na rna
an^ar, da rua do Marquez dc Olinda, qua sori
gratificah.
peqaeno sitio, a marges i- rio, ..
Precisa-se do
Aurora n. -!i9.
Uma casa pequena. pire'm com bons <
__^____________________ 11a travessa da '.rnz as Almas ao i ^ la
tun cozinheiro : na rua da 1 melha n. 2. Todas a tratar'i-
I Tasso.
IIEBtVH.... j
Perd-use h.^e, no fim da rua Nova, delron-
te do bilhar da ca? n. 67, pelas 4 hjras da(;.id?
uma carteira CuOtr-ndo : dnas Uras, nma de
400* e outra de 276*4o7, e um fica de 20* 11 m iis
m'ss. nta e tuito- mil rcis P'n dinheiro, sen I ? oma
n-.ta le ?. du .s .le to* 0 as r.:. de 5*. dc U
e *, e outm> p.-.pris de iinportancia : n*a
!> ".r.s acl'.m, ime p..r 4f<>r lev*' d4t~
carteira a iiiph en** 11.67. i
ar corn o Jl
r pritiftracSii vt |iu> os dosen da> rf-
tra> j.i i>ta-i scintes. iU
2"^le novrruhttt de 873 ^^___
'.-recp se nm_tn'1' p.rtngnpz pa
p. i- 1.111 la t
- ''Q (ill

1


jrS. i
<
|
'6'
ti
Oia*ip< dcqge^a^iM^y 3a;joa B.);i casa para a festa.
Al cNcelli'u'c casa no M-mteiro, tra-
i a .|.ial.sewha em muito lv>ip es-
a trainr na mi Primriro de
f. J Crespe a. Sk A. loja de uiirgel
ft___________________
(hrros de luxo.
5* in |j ,-ii.;'.ivol que a cocheira d.i rua do Bom
,Us u. 13, dp loa iuim Paes Pereira da Silva, 6 a
ne ttMii a> melhores berlindas, calecas, meias ca
-tecas o victorias do luxo, proprias para quajtjuer
ivado, visa .s do etiqueta, bailes e actos da aca-
mii, nio os mesmos ajaczados de excellent s
Fnlbas fin aniniaos, arreios luxuosos e boleeiros
in fardamentos do ultimo gosto, para n qiie se
avida &o |iu-.!i-. a vir por si inesmo scientifi
** -erdado do que ddixamos dito, certos de
"io pomada, e sini realidade e
Compra-se uma eserava boa engommadet-
ra* na rua ^Mfemi gm*\n.guuSBm del
molhados, se dirVi ^u.Mprfc
>s pais de familia e ao pu-
blico em geral.
Uma pessia eompelentemente habilitada pela
iostrurcm publira desta pmvmria e residente em
a casa n. ti, n
pn-parar a qnalqur pessoa, sein distinccfto de
sexo, para as f-inc 5es do magisterio, empregos
tiubli'-'is e i|iiae<|aer outros cargos depend. nt-'S
de concursc, com toda solicitude, esrnero e mt--
resse; afim m-conseguir o progresso e aprovei
tament'i >i' sens alumnus e aluinnas. 0 preten-
demo pude di.-igir ctunada ilas 3 ate" as 6 boras da tarde, que acha-
ra com qm-m tratar!
Alfencao
llita Maria do Espirito Santo, viuva de Jose
E-ia d.i- .'..; >-. fa/, publioo que ninguem faca
ntgoeio algmn em rela.ao a bens que Ihe pert-m
V-.m, com sen nelg Jose" I'ereira dos Santos, vi cu no ha cassadu a procuracao que o mesmo seu
ncto i-dds ha poaeus dias obter da annunciante
pormei' de Bovcinbro c'o 18 3.
Fructyoso M. G, antigo importador e expor-
lador dc ccsta* e balaios, acaba de receher da
Europa urn espiendido sortimento dessas ohras,
no deposito di: i>3o e cest is di rua larg do Rosa-
rio. .Aelia-sc pois este munido a bem servir os
haliilantes lesla cidade, e fazer remessas aos sen*
(rental s de ontras provincjas : express mani-
festo, ber.os vpiantes para' rescemnascidos, ba-
laios quo (!e proropto faeilitam as criancas apren
dprera aan-lar, arafates em colleccdes do mai-ir ao
m> :i i", r-oadegat alias na? mesmas r r.iigoes, ditas
para aeon licionar vestidos de passar dias no cam
p), bandeijas ;:randes para rouua eogommada^
baJ.ios cobert.i> c descooortqs para miles botar se
tnilo qne queirim presentearde festa>, salvai com
pe para (idr-se o jiao e fractas na mesa, pratinhos
lie v;-i-e pnra massas torradas e briuquedos dc
iii'ii .-..!! as para meninas de escala, mara-
ea<, liol'inba para ninbosde pa saros. ja ros eba
l&ios pur.. :iju:.tar sc o pupil rasgado no- escrip-
Vai 'S. bab4 para talhdres de mesa, gigos gran
d.'; do i it o p&b ca pa.lana, nuip.-iris
para dep i-ito Ui. roupa -ervida du 1 a 12 ijessoa ,
eesias d rime e madeira.felpuila para compras de
ca-ne, canastras, pa.ia^iis para cooducf-ao do ob-
\'. a posados, capachos curios e redondos, pao >4p
exce'l-oie larinha de trij;o, brihchas e massas de
aranUa. tor'adas, tddo cedemosa preco< madicos.
Ksow higidi).
100?000 de gratificacao
i de nova, de borio da barca bra-
;' ira S J-\'(:, u escravo Joaquim, prelo de na-
o qrjal aiiila bem vestido e cal;ada, deixan-
- s ci- cabellos a modo de meia cabeileira.
UssC Ckcrkvu ."efteiiLva ao fallecidti Dr. Olym
: '-'..r. Ilin da Silva, que o havia comprado na
! Minas ^em S. Join d'EI rei ou Onro-
' ) com file seguib para o Rio de Janeiro e
ali ; ; i ..r..vinoia, flood* fni para Maceio,
t&oda v i liuu alii a Jnstino Epaminondas Ne-
ves, a i! n .1 cjmpraram os abaixo essignados.
. copaeao a que estava dedicado.
t eoin, i 'ylla-que e afncanc.
OU:i-..' a yiaiiiicagio acima a quero o ap
preb.i.: roga-so a todas as autoridades a sua
eafttm '.
I I : lie nutuiro de 187.1
.!...e da Silva Lovo A Pilho.

era vo fugido
Fngio no i!;:'. G do eerrenie o cscravd Benedic-
to, peri ; to Barao da Tacarana eomosato-
:..,.(-: ealirs, com 35 aanos de idade.
a! i ie alguas denies na (rente falla
baix compassadpj tern um dos dedos po-
ll- s a c.-.rapnca, olbos pequenos, Docca c
n:.; i i ires; i natural da cidad-; de Soiiza, pro-
jruicia .i I a rahyba, comprado a Antonio Leile
'y a i! i Uor 's, cm 1832. Pedc-se a t^das as
aoi ridadcs polieiaes e eapitaes de campo a sua
apjii'd,i:ii-a.> qne se gn!;fl.:ara a qticin o luvar a
s 'Minor, em Olimla.
Escravo
o
]> 'i ao amaphecer do dia i do cor-
rente, (!<> riiuen'-o Serigi, romarca de Goyanna. o
escra' : ,i J -e Boijet uiesiiu de'a iendo os i.aes seguintes : caiira, idado 30 annos
jsorjco mais ou inerios, boa fignra, um lanio grosso
is| 'daiid..; -ilid.i o signal mais visivel uma
giifnina i'. junta do-S ccqucfdd : roga-so a todas
i,' ..I e e c.ipitaes da campo queiram ap-
pr 'bf:.i].'i dilo e-cravo e leva I> ao referido en-
genho, ou nesta pra-.jia Oliveira Fillios & (-"-, lar-
go &j Gorpo Santo n. 19'quo scrlo g.ib'.rosanjente
; compi 11
Recif i'j J..- novenibro dc ib~'j.
kreiliiarao vcailo
lielalha se um vasto e bellu Luxrcno mar;'"ii! ilt) I'.O. i;;ii fun !o- do |H,v,i,i ^3i..,i!,f ninda na i vi !u pela mamr psrto
0 ;, ;.,._ail, (Kir t' I si !r; li;, jhiiuo liorril-
i os uialtos ([;:' cobiianrjJua lerrtim, o
I iM.isi:< ild uma ^iv!.'! i |r'nicie, |>ro-
t'ri.i para r-iliiic.eao. n (iisuociailfl :j rninu
n ultima Cstr.^lo ria via.feB'ea, nrhnn-
:i -li. lilii em ruas, coin appruva(do
,:i! i a de Oliiula
Q:iprn preb-n !ur \j it; ir vor quo som du>
vida iii: .:.i agradaJo, 0 ctHoti'Jer-so com o
>.-. joy. iloiHirato MeJoiros (Zurntin:, i.n-
i iie^v!,i, ou cum o proprietorio, junto &
i!.t lit.i povonean.
-
I/TV1I4
iTZ
\S.
N0VID4DE'"
A Predilecla aeaba de receber um lindo sorti
menlo de filas e>cocezas achamaloiadas.proprias
para facias ; assim como um lindo sortimento de
leques de madreprrola; a elles antes que se aca
bem, a rua do Cabuga u. 1 A.
FLORES
0 jardim da Nova Esperanca, a roa Duque de
Caxias n. G3. esta replecto de tlores ac -mais de<
licadas qne 6 possivel imayinar se, desde o mais
smgello ramalbi-l a mais elegante rosa, finteira
novida Ji') : ao hello sexo compete, quanlo ant
virem iMilhe-las emquanle estao vicosas. -
Prensa para timbrar.
Vende se uma pren-a para timhrar papel, ear-
toes, etc, etc., acompaohada de uma grande col-
lec^ao de typis e mais periences: na limria eco-
nomica ao pe do arco do Santo Antonio.
:
Ao bello sexo.
Gusmao & I^eal receberam ricoa corles de gase
de seda, Tazenda inieiramenle nova, e vendem
pelo barato pre.o de 40^000 o curie : a elles, antes
que se acabem: so na loja da rvu Prmeifo de
Marco n. 14.
Famos especiaes
para o fabrico dos melbores cigarros Cnos de seda
e linho, e para caximbo, a saber:
(i ver lad iro fumo de Daniel.
Idem do Rio Novo desliado
Idem cabello s e picado.
Id*ra de Kaependy.
Idem de Goyaz.
Idem dePomba.
Idem do Mmeiro. ^
Idem de S. Paulo.
Idem de Minas.
No aima'em de fumo a rua da Madre de Deus
n. 10 A, do Jo 6 IJouiingues do Carmo e Silva.
0. propnetario deste esubeleciraenlo lem tido o
maior caprieho possivel em obter-de Rio de Ja-
noir.o'as qualiJajes do fuums mais especiaes,
alguuas ate mesmo nao conhecidas heste merca-
du ; porem muito apreciado em outrag provin-
eias do imperio, comu os fumos que-acaba de re-
seller pelo vap ir nacional Bthia, entrado em 6
do corrente e por isso cobvida a t doa seas frt
guezes c amigos para varem e eixarainarem as
melbores qualidades de-fumos fiaos, e prometle
conservar semprq, em seu armazem o.que honver
de n.elli ir neste ariigo, d>:sde 5& arroba ale 8 a
I.bra ; tulo a contento dos seus.HBmerosos.fre-
guezas c amigos.
Vende-se
nm sitio no largo da Casa Forte, com 520 palmos
do frt-nie e 570 de fondo pouco m: s ou menos-,'
om casa de pe zinba fdra, i cicinbas diversos arvoredo* de
ru-t s ; assim como, um ntro. menor na tra-
ves-a da mesma, voltan-lo para a estrada qne vd
para o Arraial, com casa de pedra e cal, com 4
quartos, cozinha fora, cacimba o al .-uns alvoredos'
de fruelo : no pateo do Carmo n. 3,. ou na rua
das Triucheiras n. I.
Vende-se
muito barato um relogio do ouro, palente suisso,
e outre de prata dourado : no pateo do Terco nu-
mero 21.
Ao bom torn
Chegaram a roa do Queimado a. 43, grandes
sortimentos de las fiinas com liiulas iistras de so-
da a litW o covad i, ditas d6 qliadros padroes
muito cinques a 480 rs. o covadb s6 na rua do
Queimado n. 43, junto a pracmiia, loja de Guerra
iSi Fernandes.
Ciieguem ao bajcato.
Calcas'feiiasp.ira o irahnlhi ordlnarln, a POOts.
Girtes da mesma fazenda, a 500. |
Risca liubas indiahos para vestido, a 200 rs.
Chitas de oons pannos e (has, a 200 e 240 rs.
Lencos do core*, a 100 e^'SO rs,
E outras farendas que se vendem scm reserva
df preeo para acabir, na loja n.' lb' da rua da
Madre de Deus, defr.mte da guarJa da alfandega.
Bolcas, malas e indispensa-
veis
Amiral, Nabuco & C. receberam comple.'.o sor-
timentj de bolcas, malas e indispensaveis d) cou-
ro, madeira e chagrin : ven-Je-so no Bazar Vic-
toi la, rua do Barao da Victoria n. 2.
Xaiope d'agriao do Para
Antigo e conceituado medicamento para
cura das molastias dos orgSos respiratorios,
ROmo a phtysica, bronchites, asthma, etc.,
applicado ainda com optimos rcsultados no
seorbiito.
Matricnla para cavailos.
A' venda na livraria clas ica, a rua do lmpcra'
dor n. 7). Pi eco 40 rs.
Compra-se
uma e lava qne seja coziubeira e de hoa condne>
i.i : na ;.ri h do OftTM .S.intn PAGA-SEhBEM
da cliapeoa de sol, bengata, l.'que e de oulro
rua Du.jita de Caxiai n. 28. deposito dc- carvao
nal.
C
pit) sc e venl.'-se U;..l is novos ^'
e ii;..!:.s uo anu.i't ;:i A\ rua do Im- XT
Ipsta eidade... on-ia JUtt*c
: a tratar m raa da impera"
S;1, armawm.
CwtfsHe
SouzaeSa&C.
Rua do Bom Jesus n.23
Neste estabflecimento ti-m para vontler, a
commodos jire^os, o seguintc :
Tacos muito leyes para bilhar.
Carrinhos de 3 rodas paracojidivzircrian-
5as.
Toraetras de bmo de .systema
derno.
Mains para viagxm.
Espelhos com moHura dourada e vv'to
dop imeira qualida le, com 1/4 de pojlega
da de espessura, eovemisado para, evitar
o inOfo no aco.
Ban Ifjts boas e ordfoarfas,
ltelo{,'ios f'-ancezes, bons reguladores, pro
P'i dins.
Cadeiras de loim com e som encosto, mo-
bilia ligeira, proprta para casas do canpo,
em tempo de festa. peta commodidadodo se
fectiarem, serem baratas e fortes.
Completo sortimento do fechaduras fran-
cezas para gavetns, crteiras e piano.
Alaouinas para costura, o m.lis bem aca,-.
bado quo tt:in vindo a este mercado, pro-
prias pura trabalhar com a m8o. trabalho
feito sobrca direcrao dos Srs. W. F. Tho-
mas & ., de I.oudres.
Saiw netes de abatrao do iabricanto A.
N Ctstro, os^eUu^u.&mais medieinaes
quo te n vindq a e.ste njercado.
imw
Tern para vonaef ji
do Commorcio u. 5.
Joaquim
liOSCU
.- .
mneal
(jcriptorio
a rua
Leques, luvas e sahidas de
bailes.
Ama-al, Nabuco A. C. receberam nm complete
sortimento de leoues de madeira mosaieo*. eon-
ro da Russia, marflm, madreperola de diver-as
c&res e lariaru^a, luvas de pcllica fresca, e ptuur
de sued, e sahidas rle bailes ou capas" de casemi-
ra para pre-rvar qnaesquer incommndos nas sa-
hidas de feuuiGes : vendem .bo' Bazar Victoria, a
rua do Barao da Victoria n. t.
Amaral, Nabuco 4 C. veadem.magnificas
eolcbas de keda, flulsjimas aberturas de eim-
braia de Uoho Bordadas. para cantisas de senhn
ra*, e meias de^alpwao. fio de feHa de seda,
ira bomens, sonboras, meninns e meninas: no
azar Victoria, a rua du Barao da Victoria n. i.
UfiBiMGAO
Fundicflo k Aurora
OFandesortimento de:
Moendas de,todas as qualida-
des e tamauhos.
Taehas fim^das e batidas,
idem.
Rodas dentadas e angulares,
idem idem.
Maehinismo, idem.
Varaudas, gradeamentos pa-
ra jardim, ete^ etc.
Tudp se/veode por precps
muito em conta para aca-
bar- .**
G.Starr&C, em liquida-
gao, na fundigao da Aurora,
em Santo Amaro.
mm
Rua do Barao da Victoria n. 22.
DE
Carneiro Viamia.
A' este grande estal)elecimento tern cho-
fdo um bom sortimento de machinas para
costura, de todos os autores mais acredita-
dos ullimamentena Europa, cujns macbinas
s4o garantidas por um anno, e tendo um
perfeito artista para ensinar as mesmas, em
qualquer parte desta cidade," como bem as-
sim concertadas pelo tempo tambern d'um
anno sem despetidio algum do comprador.
Neste estabeleciflBpnto.j. mbjBOi ha portenjas
para as mesmas maqhinus e-sei*i;imjj qual-
quer peca chinas trabalham com toda a pcri'eirao de
um e dous pospontos, franze eTborde toda
LINHAS
DE "
RETROZEDEALGO
sDAo
TODAS
Am
iA>fV.S 4
AlOtBAS

E
10$
PARA
QtUlflrJI
PARTE
DA
Maehiiiii
11. MU
.
Com as falsificai;6es que tern apparecido
DAS MACHIHaS PARA COSTURA
O
00
a
ne.rti
um excellento sitio Com ca-a de mofadia, no logar
oVnominado Salodmho, district V'dfevlinda: a
iratar na rua do finperadnr n. ICr, ttftSv/8^r, :pela
inanha, das 7 as (Mioras. e a tarde daYfc horas em
djanje,____________ "- '-'
W!l ca Rowfl o\ L. vunduni naaeu, armaapm
a made Comm D vertadeiro panflp-de.algodao azpl araericioo.
Excellente od?-Usla. *r*"* ***
Cognac de 1' uualidadc
Vindo de Bt>rMai
Carvao do Pedra de t>Jas as qualidade*
TtW

na villa de Barreiros,
r '! r ':' >: a Iri
.'"ta<|
na_.rua\..do Co^-
rata c. com Tafag
.
A' pi: d Cubusa n. A.
Os proprietaries da 'redilecta, no jntuito de
conservar o bom coneeito que teem merecido do
respeitavel'publico, distinguinilo o seu estabelecj.
menlo dos mais quo mgociam ao mesmo gen-ro,
veem s'ientificar aos sens, bens fregnezes que pro-
veniram aos sens correspondent** nas di versas par-
gas d'Europa para ihes enviarem por todos os par
quotes os object >? de luxo e bom gosto, que se-
jam mais bem aceilos pelas sociedades elegantes
4aquelles paues, visto aproaimar se o tempo de
festa, em que o hello sexo desta linda Venezji
m.-iis ostenta a riqueza da suas'torll^tles ; eco
mo ja recebessem pelo paqoele francez diverges
artigos da ultiioa rooda, veem patentear aluuus
d'entre elles que" se torriam mais recomrnqodavee,
espcrando do respeiuvel publico a coslu'uuda
coucurrencia.
.Aderucos de lartaruga os mais Gndos-que teem
vindo ao mercado.
Albuns com ricas capas de madreperola e de
velludo, sendo diversos tamanbos e baratos pre-
cos.
Aderecos coinplctos de borracha pr prios para
luto, lambem s." vendem meios alerecos muito bo-
nilos.
BouJes de setim preto e de cores para omn/fc de
vestiJo* de scrdiora; tamb.eni tern para col{te e
paBtot. v
Bolsas parasenlioras, exisie um bello sortimen-
to de se la, de palhaj do chagrim, etc, etr., por
ba/alo preco.
Bonecas de todos os tamanbos, tanto de louea
como de cdra, de borracha e de massa ; ehama-
"mos a altenea'o das Exaia5. Sras. para este artigo,
pois as vezes tornam->e as erianeas um potreo jm-
rtim-ntes por falta do um obieeto qua as en-
enham.
lamisas de linho lisas e com peitos bordados
para homem, vendem se por preco commodo.
Ceroulab de liulio e de algodao, de diversos nre-
cos.
Caixinhas com musica, o que..ha de mais lindo,
.com djsticos nas tampas o proprios para prcsen
tes.
Coqnes os mais modernos e dc diversos forma-
tos.
Chapeosjiara senhora, Receberam urn sortimento
da ultima uioia, taii'.o para, senhora, como para
meninas.
CapeHas simples e com veo paca uolvas.
Caicas bnrdarlas para meninas.
Entremcins estampr.dos e bordados, de lindus
desenhos.
Eeovas ctoctricas para^ ionle^, tem a proprie-
dade de evitar a carie das demos.
Pranjns de seda pretas c de cores, exL-le am
grande sorlintentu de divereas iarguras c barato
preco.
Pitas de sarja, de gorgurao, de setim e de etsa-
raalote, de diwrsas largmas e bonilas cores.
I'achaa de gorgurao muito. liadas.
l'lores artiiiciaes. A Piedileiti prima era con-
servar seroprc um bello e grande sortimento dee-
tas no &s nao s6 para enfeite dos cbWIoe, como
tambern para.ornate di vo>lido de noivas.
Galoes de aigodao. de la e de seda, brancos, prc-
tos e de fllyraas cores.
Cravatas dn *c,ia para l^ntem, e scnlioras.
l.-icos do eiuiibraia e do jeda de #%ersas cores
para senhora.
Ligas.de seda de cores e brancas bordadas para
noiva.
Livros para oovir. niissa, ocm eapas ue-madre-
-rola, marli'.n, 6s-o c veltado, tudo qne ha de
mi.
ivntes de i;n taruga e nriina para altaar o< ca-
belps ; teen lambent para tirar caspas.
Port bouuu' t. I'm bcilo sortimento de madre-
porola. oiarljo!, Asso c dourados p^r barato prefh,
Perfuuiarias. Nbste artigo esta a Preddeela bora
prpyjda. nSo so ..cm exlractos, coin. en oleos c
banhas dos ineltiores od'Tes, ilos mais afamados
fabrieantcs, Loubin. Piver, R.ciedado Hygienica,
Coudrajt, Gosdel e Rimel ; fio indispensaveis para
a festa.
" Salas tordadas para sonbora, por commodo
preco.
Sapalinbos de !a e de setim bordados ,para bap-
IWk
Tapeles. Recebeu a Predilecla um bonito sorti-
menlode .liv.-i.-u.s tamanbos, unlo para sofa co-
mo para ntiad.i de salas.
\estimentas p.irafl[itisado o que ha de meihor
gosto e os mais nn.dernos, recebeu a Predilecla c
vende per b:-r#o prccOj para Bear ao alcancc de
quakjuer bolsa.
Rua do Cabuga n. 1
Nenhuma ma-
china Singer legi-
tima se nao levar
qualquor costura por finn qne s-ja, sous' ^
precos sio da segutnte quah lade : para tra-! fl esta marca IlXa nO
halhara-mSo de 30j000, 405K.VO. 45?000 hrnon Hn ma/*hina
o 50^000, para trabalhar com o ;, sao de 02 Dra(? aa ma na-
808*000, 903000, 10OD000, 1105W00,
i209000, 1309000, 1505000, 200-3000 e
2509000, emquahto aos autores. nao ha1 al-
tcraQ5o de.precps eos compt.idoi. spoderao
visi^ar este estabelecimentu, que muito de-
vc'rSo gostar pela variedade de objectos que
ha sempre para vender, como scjam : cadei-
ras para viagem, malas para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de balance, ditas para
crianca (altas), ditas para escolas, costurei-
ras rjquissimas; para senhora, despensaveis
Sara criangas, de todas as qualidades, camas
e ferro para homem e criancas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelhos de metal para chd, fa-
queiros com cabo de metal e de marfnn,
ditosavulsos, colheresde metal Qn>,condiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
arame, tampas para cobrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatorios completes, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mut-
tos artigos que muito devemagradar a todos
que visitarem estegrando estabeleeimento
qae so acha abi;rto de-de as 6 horas da ma-
il hi ate as 9 boras da noute &
Rua do Barao da Victoria n.
22.
Por que?
Para evitar falsi"
l
ficacdes notem-se
bem todos os deta-
inee ds-marca.
1
Nao ha maiscabeilos
brancos.
TlhTURUUk JAPDNEZft.
S6e unicaapprovada pelas acadenitas de
sciencias, reconhecida superior a toda que
tem apparecido ate boje. Deposito princi-
pal a rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
quez de Olinda, n. 51, 1 andar, e em
todas as boticas e casas de cabellei-
reiro.
pe
bi>
Macbinas a vnp"r.
Maehinas de desrarogar aigodao.
Macbinas de cortar fumo.
Arailos mericanos.
Colres d--ferro le variostamanhos
Prensas para copiar cartas.
fUu casa de, >k iM,.H^kes i C.
Rua do Bom Jesus n. 4
..'... ... ___________._______i
Cavailos andadores
Ha para vender oito cavailos gordosecom bons
andaroa^ vlndis do se.rbto qiieip prejender pdde
dirigir-se a rua nqito dp Caxias n. 91, que
De forca do d tus a sois cavailos : a venda no
arinazerade Joaquim Lopes Machado & C, tc-a
vessa do Corpa Santo n. 2o.__________________
Aleaciana
A ifiOllS. 0 COVAD0.
Fazfiida inteirament^ nova opronria para a pre-
sente esta^a>, peIo*aratis-imp [ireco deiOOrs o
covado, a loja *js arcos do Gurgel do Amaral &
C, a rua 1." do-ttarco, antiira do Crespo n. 20 A.
)\adapolSo francez
a 6^500 a peca!!
- Madapolao-franrw! fino com pouco snjoa W50
a pega ; e pecbindia na rua do Qunmado nu-
merb 43.
Sal do Oabo Verde.
Tem para vender Joaquim Jose Goncal-
ves Beltriio & Filbo, a bordo do b-igue por-
tuguej D. Anna, fundeado drfronte do tra
piclie Alfandega Velha : a tratar a bordo o\
no seu esctiptorio d rua do Commerci
n. 5._________" __________' ^
Vende-se um elegante e piloresco monle,
proprio para a proxima exoosicao do Menin i Deos,
tendo uma.cidade do madeira que 6 em relacao
ao monte, tbdo por barato :predo. Aproveilem os
amadorcs de prcsepe, qac o tempo urge, e da-se
par barato pr'Co : a Iratar na rua Nova n. 27,
loja de selleiro.
m BJ/srt!
!Adinheiro eaprazoj
A contento das Exaaas.; f#4ilias
I
is* m
Sao, as mais baratas
Sio de dous pospontos
Sio mais simples e rapidas
Sio duradouras


MACIIINA DE SINGER
DOUS POSPONTOS
Abainham
Franzcm
Pregam tran;a
Mart-am pregas
Bordam de linba de s6da
Alculchoam
E pregam cordaos.
UN ICA AQENCJA
EM
'
v
A CASA
45 RUA 1)0 IJIPEll

PECHINCHAS
5.6 o n. 20
RUA DO GMESPO
LOJA BIS S :-IUtTA8
coatinua a T*oder muito barato para apurar
muito dinheiro.
CASSA L\
Chegou esta fazenda, sendo lindos padroes, ev;m -
do-so pelo dimiauto preco dc 2o0 rs. o covado, c
pechincha I t dao-se amostras.
METINS
Proprio para vestidos o quo ha dc mais gosto,
padrSes novos, pelo prep de iOO rs. o covado, 6
pechincha I I r doi-se amostms.
LAi EsCOCEZAS
Ijbinbas eseocezas, padrSes boaitos, a 240 rs. o
covado.
Dilas com Usrjas, padroes modbrnos, a 580 rs. o
covado.
Ditas la e s^da, padroes modernos, a GiO rs. o
covado, e pechincha 1 1 dao-se amostras. i pe ; .sanicntos
ALPACAS DE CORES Qe buptinados
Alpacas do cores, padroes bonitos, fazenda do e biUtes
15000 a 400 o covado, 6 peshiocba! I I dao-se ^ so|ees-
am,SlraS- CRETONC
Cretone era pecas pequna;i, com bonitos pa;
droes, pelo.diminuto prec'i de 400 rs. o covado, e
peebjocha f! I dao-se ornoslras.
Cortes de casemira dj cores, a S# Ob cada nm.
Cainbraia dc linho da cores, a 360 rs o covado.
Ditas pretas para lato. a 2& Fustao brauco para roupa de maninos, a ii60 rs.
o covado.
Brim pardo e do cores, a 400 e 440 rs. o co-
vado.
Cobertas de ebita adanscaila, a 3o00 rs.
Colchas brancas c com barra de cores, a 3*50&
e 4*000.
Lencoes de bramante, a 2iC00.
Ditss de algoda.i, a 1^400.
Toalhas alcochoadas, a;6i000 a duzia.
Ditas felpudas, a 64500 a d jzia.
Len^os de cassa emu barra, a t &000 a duiia.
Ditos do cassa aban' ados, a 2*0 ^ aduzia.
Ditos de esguiao finos, a 3*300 a duz.a.
Cambria lisa transparent a 3*000 c 4*300 a
Aguas Ak^^toisas to Pe
Villa Bouca de-. Agoiar.
HICAROMATADAS-8''DICAS
Analyses d Dr. Jose- olitliu Rodrl
gucs, lenie da csts^tM-Puiytr
c-huiea de I.lsJ>oa.
Esta excelleute agua usada com vantagem nc f
padecknentos das vias djgestlvas, orinaT"-,
e^tomago etc., etc
Ven.de-se
NA
I'l.ar.uo. i e *U ^ivrin
Rua larga do Rosario a. 34.
d<
peca.
flg|-irHte?!B Pode^e^mlDar.
se
W*de>e uma optima egoa para earga e
se|lar-lestacom criiWpOacosd'as, e afeita a qoal-
^r praana tiracrhe o leitc, que, com ex,.trie >cia,
m^tteif pa^arlt*ilkla.tes,,m6lestfa de"paitpj re
Cambraia Victoriaa a 380Cl
Aloalliado adamascado, a 2*000 a vara.
Dilo tran;ado, a I siOO a vara.
Fnstoes de cores, a 1/fOO o corte.
Chales d" aierino liso, a 2*000.
Ditos eslampados, a 3*500,4*0 0 e 4*300.
Dilos com Iistras nTuito 6nos, a >*80o e 6*000.
Esguiao muito flno, a 2*000 a vara.
Brim .preto tranrado, a 2*000 a vara.
i propms para 6s nanhos em Olinda : na n|i dos Bnm*m do a|g0(ii0,a t^600 a vara.
j Iff^TM Pnmft.ro de Marco (antlga do Lrespn) Dj)0 {,9 Hnno de 9 e l0 paImo3 dc iarglira) a
2*500 e 2*800 a vara.
Aigodao marca T, a 5*000 a. peja.
Dito domestieo, a 3*000 a poca.
Brim de alg.id.io com listra i j^oprio pan cami-
sas, a 400 rs. o covado.
j Nanzuc cambrau de c&ros aiuito flna, pelodi-
minuto prego ie 400 rs. o covado.
Superlino creme do Javme, ganntia dos cabci-
aUe So na rua do Crespo n. 20.
L.oja de
Quilherme^r C.
Banhos em Olinda
Camisas e ealcas ,de fazonda d* boa qaalidade,
"**~i: na loja dos
die"? a lua ->iiiit;ii \j u\- inn y" V"V
n. 20 A. At Gurgel do Amtral v C.
Para o cabello
Tonjco de Javmo, contra a caspa e a calvicc :
enronlra se a vejlda no deposito. central deperfu
ma'rias a rua Duqoa de Caxias d. 28
perfuiBarias. a rua Duqtio de CUxias n 28
Vende-sj! nma boa armajao para molhados :
na raa dojahgef n. 41 a tratat* na inesma
Me luncues.
!< Weknieks
I*e eeiits.
eul>ridades oas senlioras, etc. : a Instep
'^fifc;||9.
Vende-se sal do Asri a 'aorda do hiate Joiio
VaJjle, confronle ao trapiche do Cunba, caes da
Se enearrega a confeitaria do Campos
Ealem disso
A cpnfeitaria do Campos
Esta* sempro provida
De tudo quanto 6-preciso para
Uma boa mesa.
Rua do Jmpergdor n. 24.
FIO IrE
L(U)DiODAB\HIA
Tem para yonder em seu escriplorio. Joaqaiar
Jose Goncalv&i Bellrao Filbo, a rua do ConBHer-
cio n. 5.
Hj,Doyle;
Tem para vei^ :
Cognac de Ilennessy, superior e vflrdadwo.
Vinho Xeres d'aa melbores qualidades.
Biuers de Angostura.
Whisky ,.w
Cha preto em ltua,;de 10 hbras.
Todas as prepar;3es chimicas do Dr. Ayer : n*
armazem da roa do Cominercio n 38.
Papno de .aigodao da
pallia.
Ha para vMiderda-^se^uiojesfabrieas :
Coneeito.
ValenCa.
Modcw.
Na escnptjr.'o de.Luii. Daprat, iru*-d* Cum-
mercion 34, I andar.
Vende so quatro caix&oi proprios para estabe- VnlU% confronle ao trapiche do Cunba, caes da! Vende-se uma
rua lociraentoede mollwlo^ a rua tie Marrllio Dias Companbu fernambnea, a tratar com Jo1o JjvJ drapda, com baleiOjjj
p, 76. da Cuuha Lagea ou com o meslre a bordo, 6ocio : a tratar na roa
I


I
\ i

>-r

I
4
J]
r
t

'
Diario de reniamDueo
o 22 do 2ttNmte*'tfe'"1tf
;<

DE HOWE
SOARES LEI IE, IRHtAOS
UNIGOS AGEHTES
In do too da Victoria n. 28
is mais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
Na exposigfio de Paris, em 1867, foi coneedido a
Elias Uowe Junior, a medalho de ouro e a condecora
c*o da Legiao de Honra, por serem as machinas mais per
fditas do mundo.
A medalba de ouro, conferida a E. Howe Junior, nos
Estadofr-Unidos por ser o inventor da machina de coa-
tura.
k medalha de ouro na exposicio de Londres acreditaro
estas machinas.
A 90000
Cabe-nos o dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Rova-
torfc, estabeleeeu nesta cidade a rua do Bariio da Victoria n. 28, urn deposito e agencia
art d Howe. Estas machinas sao justamente apreciadas pela perfei^ao de^seu trabalho,
mpregaado uma agulha mais curta com a mesma qualidaue de linha quo qualquer outra,
< Delft iatroduccao doa mais aperfeicoados apparelhos, estamos actualmente habilitados a
terpcer aoiarae publico as melhores machinas do mundo.
As vantogms destas macMnas sao as segmrUes:
Primeira.0 publico sabe que ellas s5o duradouras, para isto prova incontestavel,
irsnmstancia de nunca terem appaxecido no morcado machinas d Howe em segun-
> aio.
Segunda.Coutem o material preciso para reparar qualquer desarranjo.
Terceira.Ha nellas monor fncjao entre as diversas pec, as, e menos rapido estrago
*o que nas outras.
Quarta.Forraam o pontq como se fora feito a mao.
Quinta.Permitte que se examine o trabalho de ambos es fios, o que so nao consegu
.ji ortras.
. Sexta.Fazem ponto miudo em casemira, atravessando o fio de am & outro lado,
Jogo em seguida, sem moditicar-se a tensao da linha, eoxem a fazenda mais
Setima.0 compressor e levantado com a maior facilidade, quando se tem de mndar
t tgulha ao comegar nova costura.
" OitaVa. Muitas'companhias da machinas de costura, tem lido epocas de grandeza e
'ecadejicia. Machinas outr'ora populares, s4o hoje quasi descothecidas, outras soffreram
* idangas radicaesparapoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
<4optando' a opiniao de Elias. Howe, mestre em artes mechanicas, tem constantemonte
ugaientado o seu fabrico, e hoje nao attende a procura, posto que fa$a 600 machinac
*br 'dia.
Oda machina acompanha livretos com instructs em portuguez.
A 9 SOARES LEITE, IRMAOS
do Barao da Victoria n. 28.
Os verdndeifos
%
Vinhos de Bourgogne
das maim
?Aambertin '
Poimnard
Virits
Volnay
Beanoe
Monthelie
i*ito Bordeaux em quartollas.
Vende-se por barato pre^o
PARA LIQCIDA^AO DE CONTAS
NA
Raa Larga do Rosario 34.
Botica.
Dace lino de G iaba.
na vpihI.i I.:pa
Vende-se no paleo do terco- ns. 4 e 6, doces
linos de todas as qualidades e gelea, a reiatbo e
' por atacado : unica casa que melhor pode servir
aos comp'adoro?. A's terras e sextas feiras ha
I requeijao._______________
1ST. 4Rua do'Cahuga^-N, 4
JOSEPH IrKArT SE & C.

" .

**
l"*#'
_DB'
fcendas finas
NA

1. k iHarc-6 b. 7 A.
DE
Cordeiro Simoes & C.
COMESDE MATT0S
Avisamao rcspeitavel puiilico'desta cidade quo o sortiniento dejoias, do subido E' esta casa, sem duvida, uma das qne hoie.
lor aue eiistia em seu cstabulcanienlo, estd complcta'mefite- reforcado com o maiseie .; pode com prjrnaia aprewntar aos seas fregueie-
gaJsortimento de novas joias. que rcceberam dUrectamenW j^lo ultimo *$&,*.$ ^^tZ^^oS^fl^X
vanlaio-
fazem am pe
i "- -i i i "' para o qi
de botoes para punhos e peito, com emblen.as majonicos, de omx. tecido de ouro, can>a- tras mediante pentior.
feu, etc., bnlhantes mQnstros de r'arTssimas'ago.as, em anneis, rozetqs, pulseiras, alfiie- Con
Cortes de seda de lindas obres.
qores
cores.
tes e botSes; e outros muitos ohjectos de ouro dcmelhores fabri'c'antes de Paris,, qua i* Sjift^JBJBffl*6 ^
venderao com grande reduc^ao de precps, por serem ellcs recebidos di^ectamente de seu> GgurKaDcoe pret)'
committentes. SetimUaau'eretoa decflres.
Os proprietaries do acreditado MJJZEU DE JOIAS, tendo seu estabelccimento aberU. Grosdeaaj>)es idem idem.
at6 8 hoi-as "da noute, convidam as farailias que se quizeram.prover. de lindas
virem escolbe-las a vontade, para o que ee,J em eiposi^ao nos rnostradores.
------------------
joias, k

MCHIMS
A 30|000 e 30^000.
DOUS PQSPONTOS
Na lojade Scares Leite Irmaos, a rua do Batao da
Victoria n. 28.
pollfca com pequ
"rande soiii-
Veiudo preto.
Granadin.t, Vefla preta e eclismasrt Je'cores lin-
dissima1* padroes e fan>nda da ultima moda.
Popclinas de lindos padrdes.
Filo de seda branco e preto.
i Ricas basimtnas de seda.
Mantas brasileiras.
Coirbas d seda para noivos.
Cortes de cambraia branc* com lindos bordados.
|.Capellas e mantos para ft ivas.
: Riqiiissimo sortinwnto de las com listras de seda.
1 Cauibraias de r0r.>s
| Dilas maripin; brancas e de cores.
| Nansuck do lindos padrdos.
I Baplista, de padrdes inui delicados.
Per.'alinas de quadros pnios e brancos, de lis-
tras, etc.

com pequono toque, ^Espejhos de .moldura dourada, de todos ^t^J*^' prpri9 pa" VeS,id?
OS tamanhos e pregos. [ Fust4e.de lindas cores.
de la e de todas as cores, para se-

"SRFUMARL4S E MlLDEZAS.
ofpo Onza verdndeiro, a
Casaquinh:i
nhrras-.
Luvas df
i 200 rs.
4botoaduras para eollete, .
Caixa do linha de tnafcrf, a 3C0 rs. Frasco com ofpo Onza ver-lndciro, a cSfaSnTw* ,wshor3S
Lamparinas d gaz, damlo uma luz muito H>000. Ve?tuarios para meninos.
aoa, a 1J?000. Idem com toiiicO de Kernp, verdadeiroj a Ditos paaa, paptisados.
Garrafa d'agua japobeza, a 15000. CoWxa^^Jt^
Idetn idemdlviria, a 15000. Oirtinados WdtfJos.
Idem idem Magdalena ^noviJade) a Camtsas bordadaspara hajliem
1 "Mtta Meias de euros' para homens e meninos.
n- j j 1 a. Com|iteto.Brttmento de ctapeo de sol para bo-
Laixa de pes pflra dentes, a 200 rs. mens e svnhoras, com cabo de marfim.
Idem idem de pos chinez, muito bum, a Merino de cures para ves'iido.*.
500 rs. e 15000. Wt;> vPrglQ- ,. ... ...
PoteoonvopiaudeRie^, RimeloW A!^^ ^ ^
ncl, 15' 00. Brins -de Mqht>*ganco, pre!o e de cores.
Ouzia de sabolietes de amewtoa, a Setim ile li'mdas' cores e coin listras
Chales de' merino de cores >; pietos.
240 rs.
Caixa ue Liotoesde ossO para ca!<;a, a
100 rs.
Duzia decarreteis de linha, 200 jardas,"?
800 rs.
Idem idem 60 jardas, a 540 rs.
Maco de fita chineza, a 800 rs.
Caixade linha com 48 n<>vellos, a 500 rs.
Meios aderedjos com camafcU,' a 500 rs.
ilarrafa de tinta roixa extra-fina a 150
Potes com dita ingleza, preta, a 100" e
t60 rs.
Caixa do pennas Perry, muito boas, a
15000.
Idem idem, a 400 rs.
Caixa de enveloppes tarjados, a 500 rs
Idem idem forrados, a 700 rs. 15000. Cerou!as d(J brim e algodao
Caixa de papel amisade, beira dourada, Caxa com sabonetos, formatoido fractal; Damasco d la de cores.
* 800 rs a I50OO e i*00. Pannos de crochet para c.deira, sofa c consollos
Mem idem idem lisa, a 600 rs. (".osmotieos* gralidos e pequenos, e ^'fV.l'1^!^ 1.. /-->
rv 1 it J. x vb J onn TariattBa d^todas as ewe?.
Duzia dc talhcros cabc branco, 2 B., a* 800 rs EspartUwa-flsoa e bordados.
45000 Frasco.coraagHi de,colagi>e, a 200, 320,' pouiarj- de seda.
Casacos a' tricot.
Riuas Wrtes'de'vestidos do linho para senhora
de di ems dirts, com os competentes enfei
tes, ultima moda.
Casemiras i>retas e de cores, chitas, madapoldes;
cambrafaS, panpo fino preto 0 azul, collarinhfl*.
Sanlws. 'fera*fts-, ravas de pelliea, ditas d flo
b Escjeia, brancas e de dores, tapetes de todo>
os tamanhos, bul Na loja dp.'Pa-o, ma Primairo de Mar^o n.
g^gOO.'. Cbales de'iberlno de cores e p;
Duzia daiabonetes de anjinhu iransparen- Rgiiif SSjSi o de cores,
tes, a 3*200., jmo de tou(|uira.
' Idem 'idem com' fldres, a 15500. Camisas,,de tiujio.
Sabonetos Gijcorino transparcutes. a Ditas
Ditas de flane!I.
e
Extraordinaria pechincha.
3#500
Colclias de alg iJao adamaacadas para cama
pel 1 baratissimo pre?o do 25-"f 0 na loja do*
arcos, de Gurgel do Amaral a C. a ma Priraelro
de Marco (antiga do Crespo) n 20 A.
Vende-se uma excellente casa com urn pequem-
nseimo
sitio sita no Arraial junto a caa do Sr. Anse!
a tratar na mesma casa, e para informacdes
taverna do Qnfimado n. 3, I* andar________
na
Hesma do papel pautado, a 4500<>'-80ft'S. IjJOtfO^
5 55800. Extractos muHofntes dos m'lhorosau-
Idem idem liso, 3 25800, 35800 c 55000. tores.
Coques tnodernos, a 35000. Lindas e elegantes caixinbas com perfuma-
Duzias de pedjas de trancjas de caracol rias, pcopfias para pnsspates, dos autores
Dranca, a 400 rs. E. Codray, Rie|ir, ^pI16 Freres. etc.
Idetn idem lisas, a 200 rs. Qaadres-com sarrtose estampas separa-
l.eques dcosso 0 sandalo. a 25000,45" Jas*
i Q9000. Entremeios 0 baba** trdnsparentes e ta- -V a
Fita de velludn de todas as cores e largu- paJos4
r5. Uma grande taboleth propria para qoal-
MicrosropiOs com 12 vistas.fa 65000. ,qQi*%j".'#
Frasco com oleo para ma^hlna a 400 i*s.
iiiia do Barao da Victoria d. 28.
i
Vende-se
no eslado em quo se acha > sitio cxistente no
lugar dos Remedios. freguezia dos Afogados a.
21, hojo becco da travessa dos Remedios n 18,
em ehao pmprfo, quem o pretender entenda-se
com o seu pmprietario na rua de S. Francisco,
como quem vai para a rua Bella, sobrado n. 10,
d|ue se fara todo negocio
(lliap^s pra seflh ias.
A loja do Passo, a rua do Crespo n. 7 A, rece-
beu pelo nltimo paqueto, ricos chapeos para sc-
nhftra ultima moda.
! Casa e-terpeno.
Vende-se a casa do ferro e terreno em Sant;*
Anna, pertoda HObjiM da estnfda de ferrobi a
ratarom Shaw, Ilawkw A fi, 4 rua do Bom
lesus n. 4.
ATf &%k0
Vende-se uma taveraa no povuado do Apipueoa,
confmnte a estacfio dos trdlms urbauos do Recife
a Caxanga, a qua! tem maito boas livguezias e
vende maito : sd sei*snd-por moiWos argentes
que se Vender se um sobrado de 3andareseso-
ta, & rua do Bom Jesus, outr'ora rua di.
Cruz n. 63,"e drri ditorle 1 andar na mesma
ruan. 61, sendoestes no melhor local da rua.
junto a igreja" :matriz do Corpo Santo : a
tratar no mesmb sobrado n. 63, arma-
>2em.
Rna-doBrum n. 76
Vende 'se zraeo puro de superior qualidade.
proprio para coberus de casas, medium 11 pal
mos de co*npri4o e .4 de largo, por pre^o mnito'
em conta. -'
Mirros a ve
J. Deir6 avisa a smt fr'jjit'( qoa e.ta sm
viagem para as provineias de AlagGis Ivmain-
baco, coiiduiindo excdlebte in-i-s uu burn-s :
passari por Peoedrt, War, Cat<.uiM ?h.ma., Pir-
to CaWo. Barrciros, Rio Furmosu, c> nda, Obu r.
pn>vavelmenie por Santo Ainsn do JaWBtdki a
Nazatetu ; por isso pode ser avi-ano ou^udsm-
iradu cm quatquer desles logarci.
Larangi'iras, 20 do outubro Ue 1873.
Agua florida, de Guiislaio,
para fazer os cabellos pre-
tos.
A aguia hranca, a rna Duqne de Ca\ia n. 50,
acaba de receber nova remessa da apreciav.'l ajna
Ijrida para fazer os cabellos pretos. O bum re-
sultado eolhido por quem tem feito iim. di
inoffensiva prepararao a tem altanipnte enn.-eitua-
do, e por isso apenas Se fax leuibrar a i'\<-m Bo*
vamente detla precije e queira se apnve;,ar da-
sia utilidade. Tambem veio agua do n.|i uIdo florido para o mesmo uso, e ti., acreditades .
como aqnella.
Vbltas c brincos de grussos
aljofares de cores.
A aguia brsnea, a rua do Dnipie d Caxia! nr
50, recebeu novas e bonllas vt.ltas a I r nci,- d
grossOf Ijofares de cores, e como >empre conti-
nua a vende-las por preco comraodo.
Novos uiademas dourados e*
com pedras.
A aguia branca, a rna do Duaue da Caxia* u.
50, receben novo sortimento de lonitos C.':-'"
mas dourados e com" pedras, tanto para
como para senhoras.
Collecc,oes de traslados ou
Qornias pam escrever-se.
A aguia branca, a rca Dnque de Camv p SO,
recebeu novas collcccdes ou normas p.rra as crina-
gaa, apreuderem a escrover por si nu >mo, bvje tio
usadas nas aulas e collflgUts; e Co:uo seinpre 3
de-as por prevo cornniodo.
Meias cruas tiniis para mem-
nas e senhoras
A loja (faguia branca, a rua f.-uque de Caxias
a 60, recebeu novo sortirneato da-m-iias ii..yiix>
curadas meias cnias para senhora, findy .g"'a|-
mentepara meninas, e continiia a vfiide-lM |ior
precos comiuodo'-.
Veos ou mantinli".spit-t:ifi.
A le.Ja da agnia branca, a rua do I imjue de Ca-
xias n. 30, recebeu bonitos veijs ou ma'"mtas
pretas de seda com flores. o outras a rmitacSd de
croche, e vende as pelos naratos precos de 'i%>
\l e 6^000. A fazenda e boae esta em pen'eiio
estado, pelo dme continiia a ter proropta exti;x-
<;ao m '
Perfeita novidade.
Grampos com borboletas, bezouros e gala-
nhotos dourados e colon;'
A loja da aguia Branca, a rua do .uque da
Caxias n. 50, rtjcebeu novos grampos cum-baj^
boletas, bezouros e gafanhotos, o que de cei to e
perfeita oovid-de. A quantidade e pepuerji, e
por isso em breve se acabara.
Novas gollinhas orpadas com
pelucia ou arminho
A loja d'aguia branca 4 rca Dmjue de Ca.\ a*
- 50,' recebeu nma peqnena qwantlflado de boni-
s e novas gollinhas, trabalho de la e seda, eu-
oeitadas com armiubo, obras estas do muito go.o
eI inteiramente novas.
Grampos, brincos e rozeias
dourados.
A loja da aguia branca, a rua do Duqne
(Caxias n. SO, recebeu novamonte bon'rms ixwft'
pos, brincos e rozetas dourades \ Mstm ci:r^-
novos diademas de a<;u, e comosemprj couii-
nua a veade-los por predjos tazoaveis
Caixinhas com p6s dourados
e prateados, para cabollos.
Vende-se na loja da Aguia Oranca a rua do Bl-
i|oe de ( ax ias n. 50.
Luvas de pelliea pretas e do
outras c6res.
A loja da Aguia Branca, a rua Duque de Ca-
xias n. 50, receben novo sortimonto do lovas d*'
pelliea, pretas e de outras cores.
As unicas verdadeiras
Bichas hambnrgnezas qne vem a estemercado
na rnt- Marqtwz de uliada n. 51
Mobilias baratas
No armazem de Joaquim Lopes Mac dft 4 0.
ba nm bom stirliinento de mobilta* de Vienna
brancas e pretas, quo so venlem a pre^s com-
modos.____________________________,___
~ Vende-se a taverna da rni do Rsrao rial*.
Borja n. 27 (antiga rua d> Sebo) por seu don0 se
retirar para tiurupa, a qual ebcm loraus.tai, !aa-
te para a terra como para o ma to : a tratar ca
mesma.__________
DOS PBEMIOS DA
i6:
75
PARTE DAS LOTERIAS CHWCEDIDAS POR LEI PRWINCHL-N. 9iS A B^NEFICIODA SANTA" CASH DA JIISSRlCOftQn DO-ftBCffg, EXTRAHIDA EM 21 DE NOVEMBRO DE 1873.
NS.
PREMS. INS.
40 3299
3301
3
11
18
35
36
i
hi
hi
1
BRElBi
m
.

1
11
-'!

%1
33 .

4i

50
68
76
77
-80
83
87
94
3419
20
36
44
47
64
73
84
94
95
98
3511
12
19
21
32
44
51
53
57
70
72
7*
40a
194
44
NS.
PREMS NS.
- 1 ,
m
w
3576
77
82
93
3612
14
17
2J
33
43
50
51
54
56
60
63
64
o5
66 10.-5
lOOj
4<5
V
4A
82
3700
2
4
10
li
13
16
21
25
28
44
45
53
63
75
78
88
98
4.5
3800
30
38
45
Co
ft
78
82
89
91
95
97
3900
2
7
11
13
14
16
19
21
22
24
31
I^ilS:
45
m
40
44
3i
43
90S 44
w 46
- 58
- 60
61
70
- 78
82
90
92
- '.'4
99


___ ^L'
Q
8
Diario de Pernambuco Sabbftdo 22 de Novefflbw do 1672.
V

lTURJL
Pel* Cr, rlo
POR
iiacomo de Martorello
/
(Conclusao)
Ndo sof cc>;.)u fui, ir.as o crto e que eu
u a prima fo.ao> jmr.ir em urn banco, de-
biixo dalatada, e la nos assuiitam >s. 0
teiimito desa*pprocera.
S'. a tilioidade, miiiino, consisto era ter
a gwifc unti pessoa ju nos estime, uma
mulher que deixe-s-! subju^.r por nossa
causa, siibmissa, curia, ten lo por d'-seios
os ncssos caprichos, no osplwnlorde uralera-
pnrameoto. robust.., no brilba.itisraode tuna
car..avio sadia u q.i.'iite; so a felici la ilee to-
la assim, e ser geooroso depois, ser digna, ser
frioe deixa-la immaculada, c c.un a iilno-
enncia de seus impulsos fataes e inconscien-
t*s, eu oonfesso to que tlve essa felicidade.
Poiquo, afiiiat do coutas, eu sou urn bom
SUJi'ltO I
I in pouco leviano. um pouco ligeiro,
oas de bons instinctos. E a prova disso
live eu uessa tarde.
0 lugar, onde me achava com a Zaria,
ora o mais seluctor pssivol. Essa meia
sombra da tarde, esso claro-escuro da apro-
ximacao do crepusculo, essas ti.itas par-
das melancolicas quo descetn cooi a oite,
tudo isso jd era bastante para nos levar a
iraagmar;jo pardusviosperigosos, eeollocar-
uos em urn esladodo sordadoiro axtasi sen-
Uinental.
Aceruseeula a isto a presenca do uma ra
iga t-mtadora, cotno e a Zana. as vozes
tmctas quo zumbera ans nossos ouvi-
1 emperatu-a tepida do uma tarlo
al, o cheiro e.itoi.tece lor e excitan
"tas (lores o j'ismim do cabo
>lo, a angelica, que abra a ca-
a chegaJa da noite, ogrito agi-
e ao loiigo, esse rumor con-
o de uma fazenda que vai
"ds quo a natureza inteira
ini.n.
ello banco tosco, mudos,
'adas, uos canservamos
Em quo pen-avaraos
o
MM
inlu
dot. .
oqualoi
te d ce.
por e-xera^
coula^om
do de u>.ia a\
fuso e complex
de eonspirava contra
Asse tados n'aqt
Callados, de tnaos a
our muito tempo,
tu rnesmo
lias?
iii.
saberia dizer-te,
progressivamente
haviam reti.a-
"KZ OS uuicos
Ja
ea
brusco
lagan me
ledrosa.
;ulgaudo por mim.
A obscuridade iuvndia
n lata la em que. estavamc*
Pmvavelmuntu ludus jd se
;io para a casa-yrande e tel\
iju stivessom alii fosseaios uc&
Nisto, semi um mo*tiaeiito
ana, que unio-se a mini e
com ambos os bracos, tremula a n.
Qneeisso, prima ? Que foi ?
Ai, que medo me fez! Oihe...
K apontava para f6ra. Olhei o vi
causa do me lo da prima era uma lagarti.
moffrnsiva, que retirava so apressa.lamen
para a fenda de um esteio proximo e que.
passando, tocaralbo levemciite nobra^o.
Mas o que eu tenao posso descrever foi o
oSriita rapido que me fez aquello enlace da
prima.
Subio-me o sangua a cabe^a do tal mo-
do, que temi uma congestao. As orelbas
ardiain-rae.
E flla continuava com um dos bracos for-
lonrmtc aferrado a mim.
Naosei o que (be disse nem o que alia
use respondeu. Tambem nao po>leria es-
crever ordenadanente o nosso dialogo, se
e que se podia chanoar aquillo um dialogo.
Pbrases mterrompidas, ioterjeifdes destaca-
i s. raticencias, isto sem ocxo, sein ordem
dlguma.
E. has de acreditar-me ? so alii, com uma
caulher qua amava-me, pelo menus naquel-
la occastao, dqual eu beijava soffregaHWO-
t, na conlian;a cega do uma tia ainda mais
cega, eu tive tempo para i-aciocinar!
Raciocinoi, Jorge Talvez passasse
jar um tolo, aos olbos de outro qualquer,
ijor um pedaco de gelo, aosolhos da prima.
Has, em minlia cousciencia julgava-me ura
boinom de bem.
Diras tu : e os beijos ?
Cirasa naturalissima, filho 1 Naquellas
condi(;6es o beijo era fatal, necessario, a
menu* que eu fosse o pcJa'70 de gelo atraz
cttado.
Sabe Deus a lula quo eu sustcutei coutra
o meu organismo!
Levantei-me afinal e disso ii Zatia :
Varaos para dentro, prima. quo so faz
toito.
IDei-lheo braco. Eu estava entregue a Eu ardia m desejosda me achar a afe
um tremor uarvoM. a ttnJa sabreexcitacio com o t,nente. Bwp-di-mJda"" da U
' Ouando sabirnos de sob a .atada. avUtei ZT^^Lr^ ^^ '*U'
uma'Tui11 on'' eT1,nha da Zaia' ~ Vah, ate o nea quarto
?w"fn ?2nK80,aTa aPre^dia,n,eQl?- quo^eromo5tr.rdbeumas c^sjue
Parcceu-me raconhecer a ex.gu.dade do te- roc-bi h,jeda capital. Fum.remoV.mcha-
.. ,' ruto...
t J;r?'"0S T ^ ^ h0Uve d0 Enfiei Iho o braco e arrastei-o.
S Zi. J6 tAp?aa,S S brin(l,,e- A*e,ws 'ntramos.eu pas^i volta a cha-
dosdo eostume e a retirala de tolas as fa- tee larguei-lbe o braco.
milias ic.Hifid.dos, feita hontem de ma- Nao houve aviso previo : P.ssei-!he uma
ii descirnpostura formal, em rexra. insulto sa
H..jo, porem, julgada m.nha admiraca., e elleouvio-a sem pestanWjar!
quando. a assemar-me a mesa da ceia, DhSCuIPou-s muitb el por instantes
no meu lugar do costume, e vind a Za- quiz reagir. Foi peior. V ,nstanteS'
L'm^nn Tl, T^'- *" Mri?1M en* Afi,"'l disse-lhe qua se ello conUnuasse a
grossou a toz, franzio o sobr'olho o faz^r intrigas daquelle modo, eu levaria a
:^ minha vicganca mais longe.
-- senta-tepara c4, meninal Dei-lhe deconselho que se fosse embora
r ,? omais breve possivel. Elle disse-me que
Lntao nao me ouves ? Faltava es- era essa a sua intencao.
Mas, minha tia hoje estd na mare das 7 de Janeiro.6 tenente foi-se. Livrei-
mulangas... Vamosa ver para onde vou me da sombra de Joao Goucatves. Rao to
eu, vwto quo a prima vai para junto de posso cxplicar a interrupcao desta carta por
C"v te ..* "8 ra- Se tne lembrar, a-Io-hei era on-
vocciicaau. raesrao. tra.
-Aquiraes.no? j A'braga-o- T. do coracao. Francisoc
Admira-se? Joa0
AquoUetratamenti ceremonidso da tia para Jorge 20 de Janeiro de !8i6. -Escrevo-
corn.go deu-mo que pensar. A Za.ia ainda te as pressas. Recebi cartas do velbo, que
nao houvera mudado de lugar. cham.-me com instancia para a capiul.
~ V\ P!',rn''' *^e-lhe eu. : Nao sei que nuncio tera elle commigo,
hlla obeJeceu pr.nptamente e foi asson- para assim exigir a minha presenca.
lar-se junto a tia Mariauna. Algurn emprego? Nao sei. Nao parto
Uei tie pedir uma Hxplica^ao d'.sto, agora mesmo no vapor, por ter recebido a
uisse eu com.g... carta (j0 ve||10 um Q Ur(Je 9 n-o hayef
guamlo levante. a cabeca foi que onxer- tempo para arrumar-.no
guei of nente. Tinha ura riso de fehcida-. Espera-rno no primei'ro barco que seguir
ue bestial nos beicas viscosos. Nos cantos viagem para essa.
da bocca enxergavam-se prquenas manchas Nao imaginas as saudades que estou id
branc.ceuas, causadas pelaespuma atrabi- tendo da Zana Ella chora, coitadinha I
liana que a mucus* expelle de si em mo- Se nao fosse o velho.. da*a ao diabo a
mcatos de grandes commocoes. vida e casava-me em breve. Mas nao posso
Ao encarar o tenente, nao me pude ter fazel-o.
que Ihe nao pcrguntasse um pouco brusca- A prima ja comeca a latismar-se :-que
meD il a a- .'0U vou eSllll,'Cpl-. araar a outra etc. Nao
haz-mo tavor dedizer porque se r. acre,iita nos meus protestos. Faz.nal.por-
t..o. a.egremente ? que a estimo seriamente. P
T?ZCn'U 6 dcu,Pu^e : t i Ate a vista. Nao te posso ser mais ex-
^mSar-'**" en8ana"Se- A,e,SV^^o-TeudoCora,o-Fra-
E' c -barde, de mais a mais, bruto I
Contive-me e apenas acabei do ceiar ( e!
olha que ciei bem ), charnei & tia d parte \ ge",~8 de marC de 1866- Cbeguei
e prguutei-lho qual a razao daquella mu- nont,'m.a tar'e n'esta cidadedo Recife, com
danca do lug .res e du gesto carrancudo que Urn'* via8e,n pessiraa. O Parand, veio
ella tomara durante a ceia j0n,i um 0V0, AProveito algumas horas
Nao foi nada, menino disse ella. &?* para. dar_te noticias a'nbas.
Apenas cotuas minhas... I Vuasi nao tiveraos tempo de ahi coover-
A tia Marianna tinha soffrido uma altera- 2jf! (juranteura rapido mez que estivecom-
tigo.
tei com m.nha tia, para que me con- L
in- razao da scena, e ella alinal mrnilim ?rac"s' as P,laenas, as anecdotas, os lunchs
J"J' me: ', improvisados, tudo isso e de fazer bem ao
_Asiv ^minhas, menino! Foio Fild-i^P,"*^.'
ca aue me ve, contar uraas moatiras, e eu !fl ~?"S ?.rande Parte d" ^"dantada
caquerae. flea aqui. Tenbo mais tres corapanheiros
o aereduei. Jfaff contoue0 ? de belicbo : dous quinto anoistas, que
.. **--* .---. 'aqui ficam. o um ranaz otr.Hn. fr,n,Q7
Mentiras
va ma
nSo sei que d.ga.
AgUl>s passadas I Eu esta- aqui "cam- e ura raP" "*" *****
Z.,d>';qu.''iuot . .'M I ** e''e 1uera mils rae dstrai nas minhas
jeiJ*ue ?'8a/ | horas de melancholia. Falla por quantas
nenta. Imara para divertimento de todos.
_ E que -f qe~ "J^- ( Debaixo d'esfe vernirbrilhante, Charles e
_ Pois vdla... Coutou-me q uete tinha observador ^u,^ uma j^j^,
visto com a Zana, na latada, e qu. u... j illustracao.
Acabe... .,... n;m, I Embarcou no Cerrd, em cuios sertoes-an-
_ Equetuhouverasbejadotuapim.!doU( g conta muhas historias d'essa pro-
Ora, se isto fosse corto, nao sei o ^ue te vjncia# r
diga... Mas era raao \ Porem eu sef que Quand() e,|e mlrm a j^^ w j ^
6 mentira >ao c assim. Lh.quinho I I cado> e d.abi & uma horg ^^ relacionado
Dou-lhe minha palavra de bonra, tia com todos os rapazes#
Marianna, cm como nada fiz a prtma que go nSo fosse ette, faze idea da rainb*
podesse compromette-la. j viagem d'aqui em diante. Os eorapaunei-
Eu estava certo disso. So qz aquil- ros sao bons sujmtos, mas um pouco bar-
lo... {rigudos na maior parte. Figure que- vai
lucbbc:a bob&xa
MEMQRIaS oe satanaz
se do um pe jueno cofre de ebano que en- freainho de ebaoo.
controu, dirigio-se de novo & janella, e' Nada, nada, disse BonvioeUo^ unica-
saltou para arua. mentepapeis prova velraente cartas do amor.
Em aeguida afastou-se correndo, chegou Veremos, porem, o partido quo se podo
d praga do Hespauha, parou c verificou o tirar d'cllas. Fntretanlo guarda isto.
POR
f. Hanoel Fernandez y Gonzalez
PRIMEIRA PARTE
0 GRAN-CAPITAO.
X.VI
HOMO CUMPRIO B0NVINETT0 A COMMtSSAO DE
LUCRECIA E O QUE FEZ DEP0IS.
(Continuae&o do n. 2tt7)
Era demasiado joven, faltava-lhe a ex-
porioncia, estava dominada por uraaexcita-
^8o fc-bril e nem sequer suspeitou quo po-
dia ser um laco quo Ihe armavam.
Pois bnni, disso ella, vieram os ho-
tiens e a liteira ?
Sim, minha senuova, respondeu Bon-
-oeUo ; estao esporaudo na extremidade
'.; rua o nao ha tempo a perder.
Espero ahi, disse Angi Una retirando-
se da janella, quo deixou aberta.
Attene,ao, disse Bonvinetto aproximan-
lo'se de quatro bomens que estavam eu-
. stados 4 paredc. v3o dous para cada ura
: >s lados da porta. Quando ella sahir,
v.oderam-sed'elLa, tapem lho a bocca, raet-
u n'a na liteira e a caminho. A senha
V.tra qua abram a porta del P6pulo o Sauta
Wiria la Nova.
Pouco depois ouvio-se o ruido de uma
: avedando volta, a porta abrio-scoAa-
rMiqa sabio.
No mesmo iostaate procipitaram-so sobro
,#a os quatro homans.
Angiolit-a soltou um grito, mas n8o o
E tirou da algibeira os escudos romanos
que Ihe havia dwlo Lucrecia.
Marietta pegou com inditYerem,a no di
nheiro, abrio a area e guardou-o n'ella.
Entretanto Bonvinotto tentava abriro co-
peso do cofre.
Aquello pesava pouco.
Depois d'aquelle desapontaraento Bonvi-
netto exclamou :
Papeis, unicamente papeis 1 Com
tudo pode ser que estes papeis valham mais fro sem o arrombar.
do que joias de subido valor. Ella cons- j Da-me alguma cousa de comer, disse
pirava e quom sabe ? ; elle, continuando na inspec^io do cofre, ta-
E Bonvinetto poz-se a caminbo para o nho fome porquo, nao como desde hontem
centro de Roma. j ao nieio dia.
Passou o monto Pinciano, e, depois de. Marietta sahio.
atravessar variasruas, chegou Deocleciano, a uma casa isolada que ficava poz-se a examiua-lo fixa e sombriamente,
junto d'aquelle magnifico monumeuto, ba- devorando com os blhos uma especie de
leu o a porta abrio-se, apparecendo uma jo- verniz transparente que cobria o mosaico.
veu, traz-mdo ha mlo uma lampada de bar- Ah I disse elle, se eu estivesse cega-
ro, semelhante as antigas lampadas ro- mente apaixonado por este demonto, beija
manas. r>a a sua imagem e... Quernseria a
A joven era alta, esbelta, morena, cora'pessoa quo esta fera quiz matar? Dizem
abundantes cabellos negros que Ihe cabiam que a obngam a casar, mas Lucrecia nao
em desalinho sobre os hombros. se tena feito retratar de um modo tAo lu-
Trajava um vestido dela parda, ji tanito brico para enviar a sua imagem ao noivo
usado. que Ihe destinam.. E quera sabe ? Elle
Na expressiio dos seus rasgados e formo-[6 napolitano, Napoles esti mats corrompido
sos olhos havia tristeza, dosalento, fadiga, do que Roma, se e quo pode haver alguma
e na pdlidez que Ihe cobria as faces liam-se cousa de mais corrompido do que esti cor-
todos os vostigios da miseria. teza velha e gasta. Oh I a imagem de Lu
Contaria quando muito vinte annos. crecia como aqui osta reproduzida, em-
Tudo n'ella revelara ura individuo d'essa briaga.
raga oriental prosenpta, cujos filhossecha- Sempre essa infame mulber 1 disse
mam cigauos em Hcspanha ebohemios em Marietta que acabava de eutrar, traieodo na
Franca. raa0 um prato ordinario com alguos peixes
A voz tiuha a accentuac^o do mais puro fritose um pedaco de pSo, e na outra um
romano. jarro com vinho.
Deus to guarde, Julio, disse ella a Marietta poz o prato e o jarro sobro a
Bonvin.-tto ; ixtensa foi a serenata esta noi- mesa, e continuou conteroplando com odio
to e devem ter-te page mal, porque trazes o retrato de Lucrecia.
A h mejir po,qae Ihe taparam a bocca. bem ma cara Que notas n'esto retrato ? disse Bon-
Logo que a Miira se poz em marcha, Succt-lor.-.n grandes cousas, Marietta, vinetto.
vim-tto trcpiui pela grade* qoa iicava rospoodeu B .uviiwtto -ntrando para um pe- Que esse mosaico osta um pouco em-
p,r ba.x. l|i, alcanna esta, neno-lqueuo aposeatoo.de se vie umleito raise- baciado.
iron no deixou sobro a i.iesa a ravel, uma mea, tres bancos do maaeira, Nao te parecc quo sobro o retrato,-
ataeolhou .... t >o : 'u. lica i;obres vestido, pendu- tendera.n um liquido espesso. porem traus-
upm wdiJtevar alguma cousa de y ..' parente que forma essa camada um tauto
valor. Bonvinett' c lie :fi rofrs sobro a mesa, oleosa T
Diri^o^e ao aimario coia chava estava peiidujit a c>ihara ii'uin prcgo o-sentou- Sim, eque6isso7
a fc bador... al,rio-o, espalbou pelo chao! so a m^ i u ^rrivu "W" d' ^8^' 9*bw
a.s ruupas quo ello c'uiitinhu o apoJ:r:ndo-.| MariaBa r.ac lvsp Ihos iv co-. como se faz esie veneno T
Vai ura judeuo David.
E' o homem mais original que conheco.
Tem a mania para fazer discursos, i todo o
tempo, por qualquer rnotivo, em estylo bi
blieo e iinpresso em grandes cartazes o com
lettras garrafaas. Faz esta viagem de pn?-
posito para reciter ura dos seus discu-sos ua
presenca do impcrador. Espera alcancar
com isso uma cocuraenda.
A Jovita, que erabarou ahi, tem sido
objeclo de adrairajao por todos us lugares
ondrt passamos. Pareee-.no uma boa ra-
par.ga. E' muito dada, mas um pouco
tdla. Acho-a admiravel com a vestimeuta
que usa.
Mas nada c mo o Charles.
No Rio Grande do Norte, jd nos tratava-
mos por tu. Paramos defronte da Pitilinga
o lugar dos bahiis do tartaruga.
Lerabrf i-mo do mandar um a Zana ( de
quern ainda nao me esqueci um moraento.)
Era uma Icmbranca que a boa da raeni-
na havia le agradecer-me. Qiando estava
procalendo a escolha, Charles chegou-se
a ...in.
Tieus ( disse elle. Qu'est ce que tu
veui faire a veu ce'a ?
Un tout petit cadean...
Dame I Via la pate que so raontre...
Quelle pate, douc 1 Farceur C'est
pour ma cousme...
Douc... nous avons une cousine !
Jolie ? Hue tuute petite brunette ? Pas ct& ?
Ja conuais bieu les cousines, moi! J'on ai
eues ausi... Oh I los jolis petits amours !..
Qu'elles m'agacent, les petites cl.iennes I..
Tiens! Tais-toi Pas du comique
a ce sujet. Jo I'aim*, moi I
Eh I la I la Tu te piques, bichon?
Mais oui I II y en a de quoi !
Ventrebleu Chico Tu te inoques
de moi I...
Pas du tout,
Alors, c'est serieux ?
Tres seYieuK.
Ben Je te fais des excuses Ci te
va?
Joliment I Morci I
Done... Tu'as quitte la cousine, ou
elle est a Rio ?
Je I'ai quittee.
Et le manage?
Quel maiage?
Darae Le tien ?
Je ne me marie pas.
Et ta cousine "f
Je I'aime, c'est tout.
Tu 1'aimes et tu me l'attranpes ? C'est
drole I
Charles, depois destas palavras, deixou-
me bruscamento e comegou a passcar pelo
tombadilho.
Eu recostei-me a amurada, ollwnd-.' para
o mar, esquccido do homem dos bahiis,
que esperava-mc a resposta.
Afinal sahi d'aquelle lorp6r, comprei o
bahue fui guardal-o na nrala.
De volte do balicbe, encoutrei Charles no
tdpo da mesa de jantar. Ao avistar-me,
disse :
Viens, Chico! Allons boire un vefre
de Were.
Ha fa is 1'Amphttrvon ?
Oui-da 1
Na outra cabeceita da mesa quatro ra-
pazes jogsvam o scHo,
Assentei-me o babemos. Atraz de uma
garrafa voia outra, ajxis-esta ainda mais ou-
tra. Bebia.aos a pequenos- servos. Na e-
pttisibibilidadb d'aquolla prosa, coatei a
Charles os meus araores- com a Zana.
Elle ouvio-sne silenciosiiiaente e, quando
terminei a narreeao, I'.harfes ficou pensatSvo,
com- a testa ligeiramente or.ruKada.
I.eve tti, Chiries! Depfcbeetfilona-...
Le paquebot va partir.
Je- suis faebje!
Mais de quoif
Tii mas fail Hirer, avee ton histoir&
& toi I
Ef apres ? *
Ta Mais, Charles.'-'
J'af lache le mot. C'en est fait! Va
done I
Est ce que tu te feis- aimer com me ca par
une toute naive enfant, une
en-
eu
Via I
Elle est jolie ?
Prends-la en mariago.
Je ne poux-pas.
Pourquoi done ?
Corame un ange
Ricbe ?
Mais, oui I
Bien elevee ?
Comme ca... Entrfl le zist et le zest.
Ello t'aiiue ?
Cd me st-mble...
Alors...
Qu'est ce qu' il y a ?
Tu vas la preudre.
1 oi possible !
, Par exeinplo Je to le dis I
Mais nun I
Mais, oui I
;tj Pas possible. Jo
Mamis I
De la vie?
i t De la vie ?
C'est bun I Fais ce qui bon te sem-
blera. Je fais comme ce mauvais sujet de
Pilatosje me lave les mains.
Desde esta prosa com b Charles, pouco
fallamos ate aqui. Parece-me que o rapaz
nao me ficou querendo muito bera.
aasm
ne mc raanerai
Acaba de sahir d'aqui o Charles. Vou
perder mais este companheir de- viagem.
Disse-rae quo arrependeu-s.; de ir ao Rio e
volta para o norte. Podio-rae cartas de r-
commendagao para ahi, e lu Ihe fards o que
estiver ao teu alcance. Disse-me tambem
que ird ao interior o pe.lio-me cartas para a
tia Marianna. Dei-lh'as de bqa vontade.
E' mais original do que eu julgava.
A partida do vapor foi trausferida para
amanha (9), por causa do conselheiro Para-
nagud, que vai tomar assento nas cameras.
>ahiremosds 5 horas da tarde.
ai a caixinba de tartaruga, pelo correio,
c mandards a Zana, logo que possas.
Adeus I Vou d Passagem, agora e depois
correrei alguns arrabaldes mais.Teu do
coracSoFrancisco Joao.
Giacomo. Junto i esta eocontraras um
masso de papeis, do qual po Icris fazer al-
guma cousa Escreve a hUu.ria que se de-
prehende d'elle<. E' um ligairo inctdente
sem joK de paiiao, sem tableaux i tiarriere,
sem intriga A Turrail, mas verdaueiro e real.
Procure acoeutuar o typo do Chico. Se
quizeres, podes publicar algumas, ou todas
as cartas.
A ultima carta do Chico, no lugar ondo
estd riscada e tem duas linhas de r.-ticencias,
tf m me dado que pensar. Repara bem
para ella i.'osse lugar. Parece que foi es-
criptu aqu. lie poda^o com rao nervosa, de-
pois risca.lo raivosamente. Quera sabe se
aquillo ndo era o despeito ? A Zana, via-.
ha um mez, esti surprendente de belteza.
Cada vez eufeita raaia. 0 Chico actual-
mente estd mettido ate o pescoco na politica.
Conserva-se s>iltiro a tern adquirMo ura
genio irascivel, cousa que elle nuuca teve.
Por qualquer eousa tica zangado, range
os denies, lz astieiras e doidices.
Vive quasi sempre 6, porem vai adqui-
rindo fama o posicao. Desde o 16 de julho
que se tem conservado firme com o governo
e espera s6 idade, para entrar no seuado.
0 Fil6ca estd major. Veio cd ha pouco
tempo, para mandar fazer a farda. Gonti-
nua cada vez maisestupido.
Ahi tens o que set d respeito e podes por
ahi escrever d tea bel prazer.
Esquecia-roc dizer que a D. Marianna,
tia do Cbico, continua forte e tralwtbauWa
na fazenda. A III ha e o genro Id estavam d
esta bora.
0 que f.zeres, sobre isto, mauda-me logo.
E' pedi-lodo -Teu a.oigo smcero Jtrge
de Sa.20 de jun!r de 1873.
na.
Chico. Tu es un grand sot I Je suis
dans la fazenda de ta tanto et j'ai vu ta
cousine.
Elle est jolie com-ne une petite diablesse !
Je parle dejd lo portugais passablement
et Suzanna s'est chargee de me I'apprendre.
Elle fait la moue. quan I jo dis des betises,
ce qui arrive tres sou vent. Je I'aime plus
que toi, et j* vais I'epouser.
Apres, je partirai pour ITurope.
Adieu. Etreigne-moi la mam, mauvais
cousin. le 22 de juin de 1B0G.Charles.
Chico.Paris, le 17 deceubre de I860.
Je suis arrive" icr, il ya quinze jours, avec
ma femme, ta cousine. Je t'ai dresse uotrs
carte, avant de quitter ta province.
L'as tu recue ? te me suis marie Jroc-
tobre.
Tu pourras me dreiser les lettres pour
I'IMieisstfM Bbrdeauxr Je pars poar Ve-
nise, l'apres-do main.
Vdrrise la rouge
Pas on bateau qui bouge,
Pas u fallot 1
To sooviens-tu* Au bord^ du Parax-A?
Sur le tiffac, au cla*r de lia Iboo, quand tu
freilonnais cette mussquoId T
Jorevaisdejd a Sumnna.
Elle t'enveio des lembranoas, Tout 4
, |<|uuiiu a iiiwu uuii.sun ou u>:uviNra uilUi
Jorge. l.do maio de 1868.Abnram-|,jiante de si, mas que se torna rebeU.do,
so as camaras e eu eslou na oppos.cao. [s^ando a autoridade qae Ihe erige obedien-
lenbo audado_ muito aapalhado com os|Cia e divina.
DISCtKSO RECITADO NA AWRTCRA DAS AHLAS'
DO SEMINARIO DO PORTO PARA O ANRO DE
18731874 rtLo ex. k rvdh. sr. d.
AMERIGO FERKBIKA DoS SANTOS SILVA,
MSP0 DA MKSMA MOCESE.
Srt., e seminarislas :No lo.igo p-rio-
do de dezoito secuios e meio qea nosa re-
ligiao conta de existencia, tem ir rgreja ca-
tholica passatlo pel.is vanadas virw-iiio-les,
ora de prosprridade, ora de decadenria, a
que diidsm ligada<< as sociedades homanas,
sem que todavia n'un.as ou n'outra* me te-
uha faltado a visivel prod^ccdo e 3s-
tencia promettida pelo seu kiivino Fund.*
dor.
Sem querer estabelecer compara^ao entr.
essas epocas assignatadas todas- na hlstori.
da igreja, apoirfarei someute aquella que-
tem iutrma n-lacdocom o acto religioso 0"
litterano qae neste die nos reune, e Ihe dS*
especial rmport^ncra.
Corria o secalo decrrrro sexto, e-desde o'
seu principio sen'Jra seo edilicio diigrttja
eomo que atalado desde- oseu cume atd'aot-
aiicerces, tdo porfrados e te algum modo
certeiros eram os golpes- sobre elle descar-
regados.
Nem novo nem desconheeido era o-ini-
migo que assim a assahiiva ; pois era o
c-rro, a heresia, e este tem' vivido conlera-
poraneo com a prepria igrejav Era porem
novo c mais seduetor o priacipio iuscripto
na bandeira de re volta mais uma vez has-
teada ; proclama a-se a independencia da
razdo humana conrn o jugo da-autoridade,
independencia que pode ser um direito
quando a razao humana so encootra outra
negoeios, por isso ndo te posso ser estenso.
Creio que o unnisterio boo segurar-se-ha
por muito tempo*. A' opposicdo 6 numerosa
Se encontraros por ahi o conselheiro,.dize-
Ihe que-responda-me quarto antes a carta
que lhcf escrevi. E' sobra- a- patonft do
Fil6ca.
Ndo sei se poderei fazer a vontade d gente
do 2 districto. Estes hometts peusanvquo
isto e uma cousa muito facil 1
A Suzanna, chegou ha trej dies, da Eu-
ropa, com o raaride. Encoatrei-a jd no
baile da baroneza do *** Estd causando
iuror, pela bellcza-e espirito .feqae disp?le.
Aqui paia nos, trooxe uma c6r de tijoHo
que desagrada-rao e aeho-a muito gorda.
N5o peuses que tendo inveja. N&o.
Ainda acho-a bonitinha.
Qu'est ce que veux tu que je fassc *
N50;
Pois ouve : cae,arSo a lai.-o umjavali,
mette se n'Uma gaiola, da-se-lhe a comer
fariuha com laite e mistora-se n'este alimen-
ts uma grando quanUdaile de arsenico.
Quando o animal comeca a scntir os effeitos
do veneno, pendura-se pelos pes erecolho-
se a baba que lha caiio da bocca. Este baba
eo veneno liquido dos Borgias; qpando
se quer tomar solidov deixa-se condenar e
seccara- baba que e gelatinosa^ moe-se e
reduz-se a um p6- bramo como o assucar.
Fica, pois. sabeudo q,ue a proparajcao eslen-
dida sobre este mosaico e o veneno liquido
dos Borgias. Ai do que beije este retrato !
Ai do kifa.ne Carlos Orsini !
Carlos Orsini I exclamou Marietta. Oh!
quando poderei eu ver o seu cadaver feito
pedacos 7
Com este retrato, respondeu Boavi>
netto.
Carlos Orsini a ma Lucrecia 7
Com toda a sua alma ; e ponto de du-
vida ainda se se rebelou contra o papa para
augmentar osseus estados, ou para oobri-
gar a que Ihe de Lucrecia por osposa.
Marietta inclinou a cabeca o permanoceu
por algura tempo entregue d uma profun-
da moditacao.
Entretanto Bmvinettp fazia honra aos
peixes, aop&o ao vinho, com 6 melhor
appetite do mun lo.
Eu sou formosa, disse Marietta, tenho
o olhar terrivel e vejo erapallidecer os ho
raeos quando olho para elles. Carlos Or-
sini nio me conhecc, niio sabe que sou filha
de Juliette
E indo abrir a janolla accrescentou :
Vein rompendo o dia... Era que
caverna habite osso infame Orsini ?
Passou a noite na orgia Q provavel-
meute rcpousa eiubriagado.
Tambem Holofernes repousava quando
Judith o matou I exclamou a joven. Vou
por o meu melhor vestido, o meu collar do
coraeo, a minha cadoia de prata dourada,
peptear os cabellos o preparar-me para o
combate.
Marietta 1 exclamou BonvineUo pa
gando-lhe com forca u'uiu brago ; ai de ti
se'te vais tomar bella para esso homem !
Ndi sabes quo to amo ? Nao sabes que es a
| minha vida, a mioha eterQido.de, o incu ser
Sem mais, Teu do coracucFrancis
c- Joao.
intetro ? .Nao sabes que par teu respeito me
senteocioi d pobreza, d miseria,.d-servida**?
Nao sabes que para que te nio falto cousa
alguma, para que nao soffras, para que nio
teemas de frio no invemo, arroUei comtudo,
ate raesmo com o crime 7 Nao sabes quo
por tua causa ternei-me terrivel, exterraina-
dor ? Cobrireste de galas,, lu, alma da mi-
nha alma, pousar o tea- olhar divino n'esse
ho nem T Ctbir nos sous bracos ainda que
soja para o suffocar n'elles ?. Nao, Marietta,
por essa pre^o nao qaaro a viuganca.. Se
te visse sorrir para um bomea, mataria esse
homem, ainda que fosse meu irr.rao, e
despedacar-te-hia a ti para quo nao tivesses
sorrisos para outro.
Minha mai, tua irma, pedam-nos.viu-
ganca contra Orsini I
Sim, mas mais tarde, quando elle li-
ver repousndo. Entao vat, nao como a
amante, mas sim como a cigana j ndo- como
a mvdher enamorada. e louca, que busca o.
delirio do amor, mas sim como a cigana
pobre, vagabunda, que vai bascar oouro
do grando senhor, desgrenhado, coberta de
farrap s, hedionda, selvagem I E ainda
assim permitta Deus que Caskis Orsiai nao
amhicione a tua formosura. Oil I ndo vds...
tenho mi do... irei eu.
Tu tens zelos, Julio ? exclamou Ma-
rietta com inftexao grave o energica. E por
quo os nao terei eu ? Julgas por venture
que nao te amo como tu amas a mim ? Ah ?
a.no-te como tu ndo es capaz de amir \ Nos
outras, as mulberes, amamos infinitamente
mais do que os bomens ; nascemos parao
amor, para um uoico amor ao qual sacrift-
caraos tudo, a vida, o corac,ao, a alma I
Tens zelos ? E porque os ndo terei eu tam-
bem? Nunca tardasto tanto corao hoje,
ndo trouxeste nunca tanto ouro e esse re-
trato de Lucrecia Rorgia, da poderosa so-
nhora, esse retrato guarnecido deouro e de
pedras pr.:ciosas que valem um thesouro,
udo sard um ponhor de amor ? Porque nio
hei de eu malar tambem essa. mulher a
quetn sorri1?. quo to dd ouro o o jeu ro-
trats 1
V.ax retrato envanado '.
Enlio para quo te dw esse retrato a
senhora Lucrecia Borgia ?
i Nao m'fi don eHe ; roObei-0
Oade?
Protestantes se chamaram a si proprios
os- que nesta revolta se separarara -de nos, e
do protestarrtis.no Ihe ficou o nome d sua
dcutrina, pela his tori a cessagrada ndo como
iojuria, mas eomo exeeio de expxessao.
Prctestando tem ido os seus desoeodeotes
contra quasi toda a fe catholica; o todavia
tao profundas eram as raizes destay qoe tres
sccilos tem levado a prcdtizir sun derra-
deira- consequencia, que boje com > noiue
de pacionalismo protesla por ultimo coutra
toda a intervenc.do da divradade nas cousas
humaoas.
Se porem era Irsoujeiro para a soberbado
homem, e como tal bem recebida, a nova
doutrina da in.lcpendencia ua sua razao pe-
ranie a autoridade da igreja, tembem^d for-
roso e justo confassar que eram do- boa
tempera as annas manejada> para afazer
propagar, co.aa se propagcu, com assom-
brosa rapidez.
(ContiMtar-se-ha*}
Em casa d'ella.
Em casa d'ella I
Bonvinetto eoatou a araattle as aventu-
ras d"aquella noito.
Quaudo faltava de Lucrecia, o olhar. quo-
Marietta fixava. n'Ollo era sombrio e ter-
med.
Marietta nao>podia duvtdar de que Bon- -
vinetto amava Lucrecia, ou que peloraenos
estava desl umbra do por ell*.
A joven cigana-fez um violento osforcof o
fogo aantbd. do seu olhar foi-se exiingutn-
do, desappareceii o leve tremor que a agi-
tava, ficou corapletamente tranquilla, e,
quando Bomiuetto acabou a sua narrative,
sorrio para ello, rodcaudo- Ihe o. pescoco
Qom os bracos, como uma mulber tranquil
la e feliz.
Obrigada, Julio, obrigada t exclamou
clia ; soflri muito julgando que araavas-
aquelia mulher infame. E' Uo formosa h
Parece que satanaz Ihe deu toda a sua sc-
duccdo, todos os seus encanU*. Perdoa-.
me, querido, perdoa-me o ter duvidado de-
li. 0 amor e descoufiado, tudo o agita,
tudo o assusta ; agora, porem, estou tran->
quilia, nao ves ? Tu amas-me e ndo doi-
xards nunca de amar-me, meu Julio.
Tenho sorano, disse Bonvinetto por
unica resposta ds caricias de Marietta.
Dormu, dorme, respondeu a joven
sempre moiga e risonha. Jd e dia, e como
estamos ricos, vou ao rawcada; teremos
hoje um bauquele como o do santo padre.
BonvineUo guardou o retrato de Lacre-
cia, pegou no cofre de Angiotma e entrou
para um pequeno aposento cuja porta fe-
chou.
Ah I exolaraou Marietta, antes de qua
rae abandones e sacrifiques, sacrifn-arei eu
essa mulber, que te enfeiticou. A morto da
pessoa que amamos desespera-uos, mas .
<16> passa, e vem o esquecimento. Oh I
esaa mulher ba de morrer ds minhas mdos I
Marietta abrio a area, tirou d'ella um
escudo do ouro, cobrio-se com uma espe-
cie do mantilha ozul e pogondo n'um pe-
.jueno cesto de juuco, sahio do casa, caroi-
uLando na dirocc,ao da prar;a da Triudad-)
del tfonte.
Conlinuar-se-ha.
t::\'jq diario hua duoue de caxia$
.*
1 !J
V
.'
I
'