Citation
Diario de Pernambuco

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
newspaper ( marcgt )
newspaper ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
This item is presumed to be in the public domain. The University of Florida George A. Smathers Libraries respect the intellectual property rights of others and do not claim any copyright interest in this item. Users of this work have responsibility for determining copyright status prior to reusing, publishing or reproducing this item for purposes other than what is allowed by fair use or other copyright exemptions. Any reuse of this item in excess of fair use or other copyright exemptions may require permission of the copyright holder. The Smathers Libraries would like to learn more about this item and invite individuals or organizations to contact Digital Services (UFDC@uflib.ufl.edu) with any additional information they can provide.
Resource Identifier:
002044160 ( ALEPH )
AKN2060 ( NOTIS )
45907853 ( OCLC )

Full Text
- -1
r
I

*

AflKO XLIX. MJMERO 26
o c 81
#>
PARA A CAPITAL B I.tJGJJftES OS UK Sii Ml PAA
SSSTJ?^ :::::::::::::::: 5
SABMDO IS DE IVOVEMBHO DE 18.75
WW MTMO FttRA A PROIf CIA.
Jor tni meres adiantadoa.................
ror seis ditos idem. ...
Por noTe ditos idem .... .........^
ror ura anno idem
-" uiiu.......... oAnii ^blBhPH rw/y w ire Inezes auianiaaos.
*r am anno idem.......... ..... "gJJ IgB Ut Por seis ditos idem. ...............
Uda numero avulso............ ***^J ^SIP** Por nore ditos idem ... .........-^ JJ
no ^n fc^. __ -j..................
"or um anno jdem. ..... ^ 17*004
DIARIO DE PERMMBIM
PAOPRIEDADE DE MANOEL FICUEIROA DE FARIA FILHOS.
'
* Sr*. CiM Antonio Alves4 Filhos>no Para. G0D^ves 4 ^ no ^ ^ jQsi ^ 0Jiye.ra4Fm|o nQ ^ A Le^ AftM. ... _
_.. __________ Art,Fe,re,r.deAgnt.enG.?M,Miio,o Antonio M.chM..MfiU,dllMto= Ah,. C, -Ml,, ute, Ce,,^. d c, Jgg ^^ "* """*""
PABTE ofhcial
^nerao ila
prutiiici.1.
IW3
wtf BOHWtf. di dm 3 or ssrruaa) or.
t.' stccrlo.
OBfoos. :
- AoExi.i. Lrigadeiro omniamliuto das ui-
iti> -A" vist.i do rssuttalo das arorif aaefrB a
daqnc c soldado i.i comp.nhia de cavallaria des-
ia Jjaaruirg ,, I.iifo do Kranea Beis, e u deserter da
armaaa.Lmz Cardoso de Ohvein, autoriso V Esc.
a manda-Io desligar da referida companhia e apre-
Wfltar ao commandante da divi-I) nival do 2* dis-
tficto, aum de tooce, coutinuando pre*i a disposicao da autori-
dade civil, qu.j ,hq proeessando p do crime de
haver ferido wi am rin a um in-liridno na fra-
cjuesisde S. Pdro Ooupilreg d,i Recife -Fis.i
JebUj uuflo mspondidn a oflkw de V. Bxe., de 4
4m fori'enle sob u 8S:.
- Ao eoRimaodaaie do divisa.) naval do t- lis-
Ao art. 7 7.............. .
Ao art. 10 | *>..............'.'
Ao art. II s 3*da lei do crfimenio
fo*. ........................ 3o&*2&3
4:47U839
829^839
inc'o. -T:ndo so recoahecido das averiauaciTes "h""* (!! olUcIo de 21 dc agosto liodo.
ium .*:306&'M1
UtBctos :
Ao inspector da. tttesuinirta de fazenda.
*H.!ndj!ndo ao nue requereu loaojuta D.uningues
da Costa no inclnso rc:|ueriment(. e tendo em vis-
la a sua intoruiaeao do 1^ do uorreato sob n. 58,
sorie E, autoriso V. S. a mamlar roleva-lo da tnul-
la em repartir*a eompi-tente, dentro do prazo da lei, o
na va Dionisia.
Ao mesiuo. Ueinello a V. S. os inclusus
ante em duplicnu, ralalitroj aos vencirnentos d
uma esc Ita da guarda nacioi.i.i gue veio trazer
presos da villa do Horn Gmselh. a esta capital,
para que inauJa V. S. satislazer a imporianda
rsspectiva ao .argonto Candido dos Sautos, nacoo-
formidade do que wlieitOB 0 cuimnandtiitu sujie-
nor intenno do Bom Ceiuelho, Buique e Gara- Bcaram
povoado Santo Araaro com o bairro do Recife.
O presidente da provincia, altenleado ao out
requereu a companhia de trilhos arbaaos do Re-
cife a Olinda e Boberibe, e consitleraadj que to-
ram pala mesma dlrectoria satisfeita^ a exigen-
ce do decrelo n. 2,711 de 19 de dezeinbro de
I860, resolve disoensar-lhe o intersticio dr 60
Bias, de que traU o cilado decroto.
OtBcios : v u
Ao presidente da associajao commerelal.
Tendo por acto desta data nemeado araa coram-
sao composts de Vine., do ajudaote do procurator
fiscal da thesouraria provincial e do chefe de rc-
cao da alfandega, Pedro Lopes Hodrifties, para
que infonne : i. Si Mo o algodao qae enira
nesia cidade 6 reduzidu a fardos na* preusas hy.
draulicas, ou si estas somenie eofardaia o atjro-
dao pertencent9 aos respective proprietarios; J
Si uos anuazeus preparam-se saccas com a deao
ininacao de -crioulas ; e no caso afflrmalivo, com
que algodao saa ellas preparadas ; 3. Si aos
qualro ultimos annos linanceiros deixoa d ex jortado nnmero crescido de saccas, a si eslas
em deposito aos armizens : 4.* final-
reote sob n. 3.
Mi-EWKNTB Dd MA 4 OU 8BTSHBB0 UK t87ii.
/.' cpao.
ieto :
mon'la'las. fazer polo brigadoiro ;oni!ii iidaiil..' das
.rniM, segund i c.nst.i do ofllcio deste, de h .iitoio
iatado .;. n. 8 l yimo p ir eopia, ser a desertor
ar.naJa. Luiz Cirdo^u doOiivoira, o individuo
Ao mesino. -Sirva ac. V. S. de mandar pa-
gar a Belmiro Jose Ferr ira a quanlia de tSU,
poi qno vendeu elle dons hois vivos ao inspector
do arsenal de marinlia, seguudo me communicoti
laente. qua! a providencia efBcaz a tomar-se para
que com o no.no d,: Luiz do Kranca Reis se alis- "'" et^ de bontein sob n. 7|o, afim de se
>ou volutiuriauioute n a companliu de cavallaria rem ''"""ccidog ao brigue-barca Itamaracd.
dflsta ajuarni'.ao, resolvi nas'Jt data mandar desli-
$pr o.ditc descrtoi' da rcforida cornpauhia e apre-
^ntado a V. S. para ser rcitttaMo a armada a quo
I'drtence. contiauaudo preso a disposi^J) da au-
(oridade c'vil, quo u esta proeassaado iield crime
de hivcr na freguezia de S. Pelro Gjncalvef do
Kocife iBrMo a um individuo em que desfechou
03) U'ru
Ao commandante do presidio do Fernanda
d? fferenlia. -Envie V. S. ptra esta copital na prl-
inaira cpportuiiidade < com asegaraucanecessaria
a wraui apre^enlados ao Or. chefe de policia, os
-^olenciadys c>n;tantes da relacao junta que fo
ram requisitados polo juiz do dircito em ofllcio de
t a t eorreete, caso alii se achem.
Ao director do arsenal do goerra Traas*
m it to a Vine, para os tins eonvetiiantes, o incluso
lermo da inspeccSo a quo se procedeu nos men i'hb desse arseoal, Antonio dos Santos Moura, ioa&
^-tra da Sllra e Snlustiano Valerio dos Santos.
- Ap nwsmo.Maude Vine, satisfazor o incla-
ki pedidc quo faz u ammaadaate da coaipanhia
f-; operark- militares.de barras de nuieira com
pes de rerr.' e oatros nbjaetoi de eqafpsmeaio pa-
i wferlda ompauhia.
2.* aarcao.
Actos :
0 prrMdente da provincia, a vista do ofti^io
l> r. cluft- de policia, n. |,3W de bnntem data-
H-v reaelw pxweraf, a seupedido, do cargo d? 3
sUju>loiiic w delejtailo du lermo do Bezcrrj o ci-
ludac Vtitcr.io Christiano da Sllva.
- 0 presMentp da provincia, d; confinnida-Je
io*. l,ol~> m liontem datado, roso ve notnaar o
i-'eate Luiz Bertrao Jorge pa'ra o cargo de 3" sup-
lileatffllb flcjegadi? i Term.) de Rezernw.
- 0 presidente d.i orovincia, de ooiormidade
t-oin a propvsta do Dr. chefe de policia om oRlcio
ii, 1,546 dc iiontoui data-Jo, resolve nomear o ei-
dadio Joaquiin Alves de Siqoeira Civalcante para
n cargo de 3' SOpplente dv> delegado do t-jrtno de
I'luPea. wc *e acha vago.
~- 0 pre-ideuto da provinc.a, de conformidade
i- )-u a aroposta do Or. chefe de policia om offlcio
ii. t,oi6 do hontem datado, resolve nomear para
n cargo ds siihdelog.ido do 1" districto do termo
dc Plures C cidad.io Antonio Joaquim Leite Urasil,
" para o dt- suppieoto do duo snhdeli'gado >
'dadaii Ur.noel Gonoaives dc Azevedo Duro.
0 presidente da provincia, a vista do officio
il-i Or. chefe dc policia, n. 1,346 de hontem data-
do, resolve exonerar, a sen pedido, do earno de
n .bdeiegado d-.- 1" districto do termo de Flores o
r.idafil"lgi!ac'!0 Itibeiro Leitc. e do de I" supplen-
IP do dito hubdolegado J)lo Rodrigues deMoraes.
Offleios :
- Ao Dr. chef
- An mesino Expeca V. S. suas ordens para
se reinetter com brevidade a eamara municipal da
villa de Hores uma tabella explicativa dos pesos
e nudidas do lysteata iwirico decimal f an-
cez.
evilar abuses que prejudiquem a agricoltura e a
boa arrecadrcao das reudas publicas ; assim o
comrauurco a Vine, o es^eio que, acceitando
essa incumbencia, prestara mais esle serrico a
causa publica.
Mutatis mutandis aos doniais membros de cora-
miao.
Ao engenheire Mauoel Buarque de Haeedo,
presidente da coinoiissao encarregada de dar pa
recer sobre os apparelhos da companhia Recife
Drainage.Fico inteirado do que expoe Vine, out
ao inspector da thesouratia provincial.Em officio datado do 1* do corrente, e aguardo o re-
respo3-ia ao tea oQicio de 2i< do cwrente sob n. suludo das trabalhos da commissao no curio es-
.J6i, que se roiere a requisicao de am livro de la- paco de t mpo que promettou.
I ao especial. Teiu pelu tiscal da collectoria de Pal- Ao presidente da jnata de emaneipacao de
mares, cumpre dizer a V. S. que me eonformo com escravos deste municipio. Atteudendo au que ic
* i.?.?imJ.i' 'lml;l defiH ""^'"'aria, a qur> allude | quereu Jos6 Gregerio Paes Barreto, autoriso Vmc.
receber as deciaracSes annexas ao re \u Tiniento
que Ihe envio, relativas aos escravos que o mesmo
de policia. -Com o officio Jon-
pof copia da eamara municipal ilcsta cidade, n.
76 dc 27 do tnez proximo passado. respondo ao
:- V. S, o I,4t4 de 12 dodito mez, quanto a von-
ii:i de liir.onadas fennentadas.
Ao mesmo.Em resposta a 2' parte do sea
dilicio datado de hontem sob u. 1,319, cabc-me di-
. r a V. S. quf, se o proprietario da aisaque ser-
ve de qoarle! ao de-tacamento da freo'uezia de
No3a Sen lora da Graca nS quizor continu.ir a
;iluga-la pelo preca delOO.iiK)>, deverio subdele
u"ido daquella treghezia procorar outra casa me-
diinte o allndido prei;-', para onde mudara o
qdartal.
- Ao juiz de direifo da comarcado Palraaro*.
ialorme Vmc. qaal u rcsultado do prooesso ins-
t-tnraao conlra Fratuiseo Alexandre Dutra, pelo
liirbaro espancamento feito a 19 da dezeinbro de
^868 na pesxoa de Manoel Candido dc Miranda no
terrao de barreiros.
- Ao mesmo.Informe Vine, qaal o resuRa-
coalra Caspar Acciiili Santiago Baraos, Manoel
Accioli de Santiago, J ;se de Barr.) Santiago P.a
nios e Ftcriaao (Joelho, pelo ci ime de tentativa
do murle o.atieado no termo de Barreiros na pes
sip, do subiel-gal i Joan Baptists 'Jabral.
- Ao bachanil vusterliauo Com?a de Crasto,
juiz do direif i interino do Limoeiro. Infonne
Vmc. sobre os fades cunstdntcs da corresponden-
hontem, no lugar quo v"ai tracado.
- Aoju:/. municipal '! T.icaratu.-Com o pa-
v-cer junto por copia, do deso nbargador proaira-
da roroa, em unlcii) do hoje, resiionJi ao de
Viot., de 31 de julho proximo passado, quanto a
iiomoajio de pritcorador ad k c para eausas cri-
i.-n-s, qoando ;iat se achar no lermo o eftectivo
Ao pnaJotor ouhlico do Palnares.Informe
Vmc em que estado se acha o pmeesso quo devo
ur sido instaurado no lermo de Barreiros contra
;jspaf Accii|i Santiago Ram >s, Manoel Accioll do
Santiago, lose de Bamn Santiago Ramos e Flo-
I iano Coelho. pelo crime de tentativa de morte
c..mtra c snbdetegado Joao Baplisia CabraL
- Ao m:smo. Inioruio Vine, em que estado
s- acha o processo que devo ler side iu>taurado
no termo de Barreiros contra rVaci'>eo \lexan
dre Dulra e seu irmao Jose ou Manoel Machado
Ujlra, peio barbaro espancamenio feilo a 19 de
leietnbro de 1868 na pessoa dc Manoel Candido
->> Mirands.
3- $e.c$a<>
Actos:
0 presidente da provincia resolve nomear
1'odro -AlL-xandriii i Coneide Mello e Dcmetri >
J-.6 Pinto pira os lugares di c ibradores, aqnella-
da coilectoria do municipio do Limoeiro e esle do
Vn^riHh
-0 pr'<'. i. ni.; i p ,'on !> ii vista as
'!. uonstia.Oi'S qu viuimu aiinuxas ... .idioio do
inspector da thesnoraria provincial de 29 de agos
to ultimo b n. 363, resolve abrir diversos crodi-
,-supplen:pnures na importonria d 5:3 "6*321
Iara a eorliuuacao das desperas decretadas pe-
lo art. V gf, 1 e 7' e art. 10 | 2ita lei d\i orca-
mcoto do exercicio proximo fluJo, em llipiidacao,
'bera awifi pele art. 11 J la d i vlgente, para
)ccrrer ao pagamento dos vencirnentos da pro-
faiaaa iuMUda, Alexandria de Lima e albu-
il^ff2{.*u,^8adj P8'" & da mesma lei, e
amtmmua 4a maaeira Mguinte :
a art. T ? H................. 1-680/330
o seu officio.
Ao mesmo.--Maude V. S. pagar a Joaquim
Antonio Alvis, e a vist.i dos doLiirnentos juntos, a
quanlia de 30/ em qne importou o alugarl de
ires mezes da casa quo servo de qnartel ao desta-
camenlo do Poco da Panella, scgnado solicitou o
o Dr. chefe de policia em officio de liontem data-
do sob n. lo'JT.
Ao mesmo.Em rcspr,?ia aosea officio de
Hontem sob n. 317, tenho a dizer a V. S. que nes-
U data acabu de nomear Dometrio Jose Pintoe Pe-
dro Aloxandrino Correia dc Mello para os lugar.!*
de cobradores, a.pielle da collectoria do municipio
de Nazareth a este da do dc Limoeiro.
Ao mesmo. Promova V. s., sem perda de
tempo, a desapropriacto do sltfo denominado -
Sant Anna penencente ao barharel Joaquim
rrancucude Miranda para nelle ser consiruido o
asylo destinadu aos alienados.
Ao mesmo. Expeea V. J>. suas ordens no
seninlo do ser paga a Puitira & Irmaos, a vista
da mclnsa conu em duolicain. a quautia de tO/,
pniveniente de objectos fon,ecidos por elles para
o servico do paiacw da presideocia, como se vt da
mesma coota, deveudo s*melhanto pagauiento ser
effectuado pela respect iva verba.
Ao mesmo. Co.n a portaria junta por copia
pela qual resolvi abrir diversos creditos supple-
mentares na importancia de 5:306;3Sl, flea V. S.
autorisado a mandar continuar com a despeza fie
que trata o sou officio de 29 de agosto ultimo sob
n. 363.
Ao ntosmo. -Dc V. & Baas ordens aflm de
quo seja paga a Joaquim Martins de Almeida a
importancia .dos alugueis vencidos da casa que
serve do quartel ao destacaraento da freguezia de
Nossa Senhora da Graca, segunio solicitou o Dr.
chefo do policia eni officio de hontm datado sob
n. 1339.
Ao mesmo. Attendendo a sun informai;ao
datada de hontem sob n 378 e as demonstracoes a
olla annexas, autoriso V. S. a mandar pagar a
comnanhia Recife Drainage a quanlia de........
44:403/8Sj, por conta do ernprestimo feito com o
Banco do Brasil, ileando a; demais qmnlias podi-
das no requerimento incluso. e reforeutes a canali-
saoao para serem pagas dapon do verificadas, e
inediante accordo entre esta presidencia e a com-
panhia
Ao mesmo. -Expeoa V. S. seas ordens no
sentido de ser paga a Manoel de Carvalho Paes de
Andrade Gouvin, a quanlia de 147/960, em que
impoitaram as despezas feitas duraute o mez de
agosto ultimo com o aluguel da casa quo serve de
quartel ao dostacamento do districto de Marangua-
pa e com o feaaeciinento de luz e agaa, na conlor-
midade das coatas e recihus inclusos, remettidos
pelo Dr. chefe de policia com offiric de hontem da
tado sob n. 1538.
<# SeC'r<:
Actos :
0 presidente da provincia, aittndendo aoque
requereu Antonio Uazilic Ferreira Barros, profes-
sor de instruccao primaria da o' cadeira freguezia
da Boa Vista desta cidaie, e tendo em vista a in-
forma;ao do director geral interino da instruccao
publiea, de 29 do mez findo etc offlcio sob n. 263
resolve conceder Ihe dou-: mezes de licen^a, com
vencirnentos na forma da lei, para tratar de sua
saiide.
0 presidento da proviacia, attendendo ao que
requereu Claudino Gomes Barreto, professor dc
iiHtrucca-i primiu'ia da cadeira da cidade de Na-
zareth, e findo em vista a iuformacio do director
gsral interino da instruccao publiea, de 20 do mez
undo em officio n. 233, resolve |jrorogar por mais
21 dias.com venciraeutos na forma da lei,.a licen-
ce que ultimatneate lhs foi concedida.
Offlcio :
Ao Rvm. Sr. Vicente Maria Ferrer de Albu-
querque, coadjutor pro parocao da freguezia do
Pop) da Panella. Coucedo a V. Rvm para func
cionar na beacio da primeira pedra do asylo dos
afledadoi, que tera lugar uo dia S do corrente pe-
Ias 4 haras da Urdejem Saul'Aon j.
Porlaria :
A' eamara municipal da villa de Flores.
Nesta data expeco ordens ao inspector da thesou-
raria de fazend i para que remetta a essa eamara
uma lahclla explicativa dos padroes de pesos e rae-
didas do systoma melrico decimal francez, eonfor-
mo solicitou em offlcio do 19 de agosto ultimo.
5.' scccao.
Actos:
0 presidente da provincia resolve nomear
uma cimmi sao, composta do presidente da Asso-
eiacao Commercial, do ajudaute do procurador
tiscal Ja tliesouraria provincial c do chefe do sec-
cao da alfandega, Pedro Lopes R drigues, para qne
informe si bre o segninte : Si todoo algodao
que entra uesto cidade e reduzido a fardos nas
prensas i ydraulicas ou si eslas somonle enfardain o
algodao p'.Tteocdme aos respectlvos proprietarios.
2.' Si nos annazen* preparam so saccas com a
denominacao de crioulas -; no ear afflrmativo,
com qne algodao sao ellas preparadas. 3. Si nos
qualro ultimos annos liaanceiros deixou de ser
exporud > uuinero crescido da saccas, e si ostas
ficaram em deposito nos arnnzens. \. Pinalman-
te, qual a providencia efficaz a tomar-se para evi-
lar abuses^ que prejudiquem a agriculture e a boa
arrecadacao las rendas publicas
O presidente da provincia, tendo em vista o
parecer do eagenheiro chefe da reparticao das
obras publicas, exarado em officio de i do cor-
rente sob n. 328, resolve appruvar as plaatat apre-
seuuuas pelo Barao da Soiedade, coooaasiooario
da ottrada de ferro do Recife ao Limoeiro, pan
a coDstrnojIo da ponfe de ferro que deve hgar o
possue e a. prorogar pDr um mez, a contar desta da
la.o praso ultimainente ftxado, para serem reeebidi
quaesquer declaracoes que nao lenham sido apre-
nenfbdas.
Ao da do municipio do Bonito. Sendo
procedentes as razSes que exp<5e Vine, em offi-
cio dc 28 do mez proximo passado, autoriso a a
prorugar por 30 dias o praso ftxado para os se-
uhores de escravos apresentarem as declaixdes
d'aquolles qne possuircm.
Quanto a consulta feita no final do sen offlcio, te-
nho a dizer Ihe que, nao uavando aiada promotor
publico, nem collector de rendas geraes no munici-
pio de Bezerros, devein os pissuilores de oscravos
qne ah I hoover apresentar suas dcclaracW perante
a juata desse municipio.
Pcrtaria :
O ir. ger.mte da companhia Pernambacana
mande receber a bordi do vapor Geqmd, e cod
duzir para o presidio de Fernando de Noroalia por
conta do ministerio da gurr;i, os objectos eos-
tanlesda relacao joota, cumprados ueto corrector
geral Francisco de Miranda Leal Save, por ordeai
do insjieetor da Ihesonraria de taacada.
KXPEOinNTK DO SBCRRTABIO.
1." *ecrHo.
Offlcio :
Ao inspector do arsenal de marinlia. Sua
Exc. o Sr. presidente da provincia, tando expjdido
ordem & Ihesouraria de fazenda para pagar a Bel-
miro Jose Ferreira, a vista da.oMnpelente conta, a
quantia do 130*000, porque vendeu dous bois vi-
vos para o brigue-barca Ititmarcd ; assim o
manda communicar a V. S, em resposta ao sou
offlcio de hontem datado sob n. 710.
2.' seceao.
Officio? :
Ao Dr. chefe de policia. S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia man U communicar a V. S.
quo nesta data expedio orlem a tlie-ouraria pro-
vincial, para que sola pago o aluguel da casa
que serve de quartel ao desiacaiueato do Poco da
Panella. na onf-irmidado do quo solicitou V. S.
cm seu offlcio de hontem datado sob n. 1537.
Ao mesino S. Exc. o Sr. presidente da
provincia manda communicar a \. S. que por
offlcio desta data expedio ordens a thesouraria
provincial, paia que seja paga a despaza feita com
o aluguel da casa que serve de quartoi aodesl^ca-
mento de Maranguape, e com o foraecimcnlo de
agua e luz, sogundo solicitou V. S. em seu officio
de hontem datado sob n. 1538
A > mesmo. De ordem de S. Exc. o ;r. pre-
sidente da provincia, respondo os officios de V. S.,
ns. 1544 e 1548, de hontem dal.vd is, communion
do-lhe quo liam expedidas as convemeates ordens,
no senlido de serem transportado* an presidio de
Fernando de Nironha, no vapor Gequid, o ssnten-
ciado de ju>tica Jose Ferreira da Stlva lihaves
com a rospectiva cscolta, e de serem conduzidos
para o termo de Pao d'Alho, onde v;io ser julgados,
os qualro criminoaos, quo foram requisitados
I'aquelle termo, o que se aeham na casa de de-
tencao.
Ao mesmo. S. Exc. o Sr. presidente da
provincia manda communicar a V. S. que por
officio desta data expedio ordens a thesouraria
provincial, para que fosse paga a Joaquim Mar-
tins de Almeida a import meia dos alugueis ven-
cidos da casa que serve de quartel ao destaca-
mento da freguezia de Nossa Sonaora da Graca,
segundo solicitou V. S. em offlcio dc h mtem da-
tado sob n. 1319.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia iranda tranamitt r a V. S., para os devidos
fius, os titulos iuntos de nomaacao dos 3.* sup-
plontes dos delagados dos termos de Beserros e
/lores, e bem asaim dos de subdelegado do I."
districto do ultimo termo e de seu respective 1."
supplente, de conformid.>do com as propostas em
seus officios ns 1343 e 1546, de hontem datados.
Ao com nandante superior do Bern Con>elho,
Buique e Garanhuns. -De ordem do S. Exc. o Sr.
urosidenle da pro incia, communico a V. S que
nesti data expediram-se as newssariiis ordens a
thesonraria de fazenda, para que seja paga ao sar-
gento Candido Jose dos Santos a importancia dos
prets relativos aos vencirnentos da escnlta que
cundazio presos da villa do Bom Conselho para
enta capital, segun lo solicitou V. S. era seu offlcio
de 21 de agosto findo.
Ao juiz de direito de Flores. 0 Exm Sr.
presidente da provincia manda aceiuar o recebi-
mento do offlcio de V. S., de (8 do mea proximo
passado, em ouo participa ter convocado para o
dia 6 do outubro. tambem proximo passado, a 2.
sessao judiciaria do mry do termo de Ingazeira.
Ao mesmo. 0 Exm. Sr. presidente da pro
vincia manda accusar o rccebimenlo do offlcio de
VS., de 16 do met proximo passado .na que par-
ticipa ter a 11 do Jito mez oucerradu a 2.a sessao
judiciaria do termo do Flores.
5.' seecao.
Officioa :
Ao cnuenheiro chefo da reparticao das obras
publicas. 0 xm. Sr.prcsideate da proviucia man
da communicar a V. S., para seu conhecimonto,que
nor acto desta Ana e om vista de sen p^recor da
2 do corrente, sol. n. 318, resorvou approvar as
pUatas da poate do ferro quo o cossionario da
estrada do ferro do Recife ao Liraieiro ten de
construir para ligar o bairro do Recife ao poviiado
de Santo Amaro das Salinas.
Ao mesmo. -V) Exm- Sr. presidente da pro-
viacia nnoda communicar a V. S. que nesta data
* expediram as coaveoieates ordens para ser satis-
feito o pedido annexo ao seu offlckt do I. do tor-
j- 0 presidento da proviucia, attendendj lo qde
raauereu Augusto Gwar Hallos Conssoiio, apon-
hlor dos operarins das obras do melhoramento
^C^ 7*** Cldadfl. res.dve conceder-lhe tres
anRs.de licenga com oi resptttiYos venctraentos
para tratar de sua saade.
Offlcios :
_? Ao Exia. brigadeiro ommandanle das ar-
raas.-Hemetio inclusos a V. Exc dezpnesde
mase oitotubos eapillares, quo me fjram en-
vlBios pelo mhisterio da guerra, c-im vaccina de
it,quahdade,afim de ser apblicada aos recrutas,
ap> ser de maqualidado e nlo produzir effeito a
vaefcina iuoculaja nos referidos recrulas, confor-
ma representoa V. Exc.
Ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de unndar por
eta liberdade o lecnta Albino Antonio Tavarte,
qtte provou isonca) legal.
Ao mesmo. -Sirva-se V. Exc. de mandar por
em Imerdadi: n reemta Anumio Joaquim dos Pra-
saras, visto ser elliincapaz do servico railitar, se-
goaao coflsta do ten*-, de inspeccao annexo ao seu
i>WUO de hontem datado sob n. 887.
A". insPec,or dl- arsenal de nurinha.Auto-
"[ Sj "omo pedoem seu offl.rio do hontem
jj s"h "' 7,<' a rean',ar collocar na enferma-
na de marinha dius pennasd'agua para o proinplo
abaStJ':imento da mesma.
Ao director do aneaal de guerra. Mande
yracjfornecer ao commandante superior deste
nwateipio, a vista do petido junto, iffy) cartuxos
eaBial nuin-ro de capsu":is fuliniuautes pira as
"MWarkas da parada do da 7 do corrente, e bem
assim. WO armas com os tompetentes curreames
que serao recolhldos nesse arsenal pela forca da
guarda uacional que tem da f.tzer o servico da
guarnifao no refcrido dia 7, e restttuldas logo
que as gtiardas forein renddas.
Ao uiesDn. -Seudo llxado para a cornpanliia
de aprandizes artifices desse arsenal, segundo dj-
efara o aviso do ministerio di guerra, de 26 de
agosto trltimo. o nuinero de iVO menores em Ires
divisSes de 30 cada uma; assim o communico a
vine, para sen conhecimentoedevida osecuca-j.
Odcios :
An Dt. chefe de policia.Transniittindo a V.
S. o olllcio junto, de 29 do mez proximo passado,
do juiz municipal suppleate do ferra-i do Bom Jar-
dim, Ihe recommoado que mamie proceder a um
inqnerito sobre os acaiitficiment- a quo allude o
dito officio, qne me devjlvera.
Ao commandante superior da guirdn nacio-
iiil do (iibo c Ipojuca. Para satisfaefto do u\ iso
do mttNeno da gaem, de 26 de agosto ultimo,
mformc V. S. si o individuo de nome Jtse Pedro
Velloso da Sllveira foi, na qualidade dt guarda
nacional do bataihao n. 39, desliroado para o ser-
vico da gacrra no anno de 186346 no caso alfir-
nwtivo, si to. sna aprosentacio volnntnrlnro^ote
ou to'IBonstrangida a esse- servijo.
mento da gnarda nacional, de qm trata o seu offl-
cio de 9 de agosto ultimo.
Ao corainandante docorpo de policia. -S.
Exc. o Sr. presiden:e da provhicia manda decla-
rer a V. S qne por offlcio desta data expedio or-
flens e thesouraria provincial, uo sentido de ser
paga a conta da despeza feiu com o oaterraroento
do soldado de*s eorpo, los6 Sjares da Silva, fal-
lecido no hospital Pedro If; de conformidade com o
que V. S. soltciton em sea offlcio de 29 do agosto
u llimo, sob n. 503.
5* seecao.
Offlcio. ^
So o juiz ou aaloridade ecclesiastica aiio *tu*
zer cumprir a- imperial resdfu^ffo, seri ell.i axe-
culada como sentenca mdicial pelo juiz de direito
da comarca, que procedera eoino detarmiiiatD os
*oo" J;J e '* do decreto de 19- de lever*iro de
1838, o qual so nesla parto lira em vigor.
B5Be detennini o a. aa ro ue 1838 '.
Cane nos limites da jurisdic$ao dor jai;:es de
direito a respeito do cumprimeuto das aealeofas'
mencionadas (decis6esde recursos 4 coroa) decla
rar na forma dellas, sem effeito algOro, as irenau-
ras e penas eccleslasticas que tiverei) sido impo-
las aos recorrentes provides pelas relacoes, iirohi-
Ao eugenheiro chefe da repartigao das obras
publicas.S. Exc. o St. pre ideate da nrovineta 11
manda declarar a V. S. qne per offlcio de*7a date "n,Jo f**1**?* 1e. P>*""> *M, ss Ihes
oraVnoit a thesouraria provmeial que satisflzesse' -lolencia ou cause prejuzo v.;ssoa!
a requisicao constanle do seu offlcio datado de
hontem, sob n. 329.
praso de
o Sr. di-
n tor teonsti
seccAo.
DBSPACnOS f>\ PRBSIDKNCIA DR H DE NOVEMBR1
DR 1873
Alexandre Jose da Silva. Coocedo o
oito dias.
Klyseu de Sonza Manins.-Informe
rector.garal da instruccao pnblica.
Felix^Cprcinio Villa-N'ova.Deferido com offlcio
desta data dirigido a Ihesouraria provincial.
Francisco Ferreira da Silva. -fnformeo Sr Dr.
chefe da policia, quanto a prisao do supplicante,
Bacharel Jose Cavalcante de Albuquerque Uchoa.
- Passe portaria concedendo a Ucn<;.a requerida.
Joao Gomes da Gista.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Manoel Nery Teixeira Burba. Em vista da in-
formacao nlo ha qae doferir.
Secretaria da presidencia de Pcrnanibnco, 13
de novembro de 1873.
- 13 -
Carlos Corruthers Johnston. -Reqaeira o suppli-
cante a thesouraria de fazenda as certidde< a que
allude, e advirto que nao devc usar do expressdes
desrespeitosas, sempre que tiver deso dirigir a um
funccionario pablieo, contra quein Ihe flea salvo o
direito de proceder. nos termos da lei, quaodo dei-
xar de cumprir o seu dever.
Jste Antonio de Sonza.Seja post) em liber-
dade.
Lourenco Laurentino Cesar de Meoezes Defe-
rido com officio desta data ao inspector da the-
souraria provincial.
Manoel Jose Goncalves Braga.Indeforido.
Maria de Deus do Nasciiueuto. Seja post < eia
.iberdade.
I'baldma Afra da Conceicao Vieira de Mello.
Passe portaria concedendo trisla dias.
Secretaria da presidencia de Pernambuco, n i
de novembro de 1873.
0 portHro,
Silvino A. Rodrigues.
prejutzo justoal
real, metteado os da posse de quaesquer direi-
tos o prerogativas ou rodilos de qae noavdsseni
sido privados e proceiendo c refponsabilitanio
na fdrrna da lei os desobedientes e que recuutrem
execucai.*
A proposito da presente logislacao, oxefaina o
calholico escriptor possuido de em phase qua dei-
xaria taivez de ser inopportuna se acaso se nou-
vesse posto em duvida essa curial intelligeucia :
Nao ha na la mais claro : a autoridad* ec-
clesiastica qae reeusar cumprir a decisao igo-
iBcorre
-'Ao inspector da this.mraria do razenoa.
Corumunico a V. S. que, segundo o aviso do mi -
nislerm da justtca, de 26 do mez proximo passado,
uessa data foi solicitada do da fazenda a expedi
eJo du ordens convenientes, allm de qut seja ha-
bilita la essa thesouraria com a quantia de 630/
para occorrer as despozas de viagam de priowiro
estabelecimento ao bacharel Joaquim Pereira Ar-
raes. mmiead.. juiz municipal e de urpbMs do ler-
mo de S. Luiz, na provincia de Goyaz.
Ao mesmo. -Recommoado a V. S. que, a vis-
ta das relacoss nominaes e prets juntos em Jupli
cata.que me foram transmittidos pelu commandan-
te do municipio de Caruani com officio de P ile
agosto ultimo, man le pagar a Jo*4 Joaquim de
-ant'Anoa Guerra os vencirnentos do destacamen-
to da guarda nacional, oxistente na villa de S.
Bent6va contar de 28 do abril a julho deste anno.
Ao mesmo. Representando-rae o inspector
do arsenal dc marinha, em offlcio de hoatom data
do sob n. 711 sobre a coavenieneia de serem eollo-
cadas no edificio em queaclualmente so acha a en-
fennaria de marinh i duas penms d'agua para o
prompto abastecimento da mesma enfermaria, au-
toriso-o nesta data a levar a effeito este melhora-
mento ; oqne cominunicu a V. S para seu coche-
cimeuto e fins convenintes.
Ao nvssnM. Transuiiito a V. S... para os de-
vidos fiu*. o incluso offl ;io de 2rt ag-jsto ultimo,
si* n. 4, oxuodido pela directoria geral das ren-
das publicas.
Ao inspector da thesouraria provincial. At-
tendendo a sua inform icao datada de I do corren
to. sob n 373, sobre o requeriinento de Fr. Felix
da Natividado Pimeotel. prior do coavento do Car-
mo, que pede o pagamento do aluguel da parte
daquelle conent-i, occupada pela hintiothera pro-
vincial, mande V. S. satisfazer a despeza com e
mesmo aluguel pela consignacao dasEver.tuaes.
Ao mesmo. Man le V. -. pagar a Agra i -L
a quanlia de 21/440, om quo importou a despeza
com o cnlcrrameato do soldado do corpo de poli-
cia, Jose Soares da Silva, f.illecido n > hospital Pe-
dro II, segualo solicitou o oinmindantc daquelle
corpo em o;H:io de 2J do agosto liado, c na con-
tormidade da conta luclusa.
Ao mesmo.Na conformidade do que soli-
citou o director das obras publicas em offlcio le
hontem datado sob n. 329, mande V. S. effectuar
o pagamento das despezas relativas aos reparos
feitos iu estrada da Passagem da Magdalena o aa
sapata do caes da f*oate dUcWa, avrtliaJos em
9au/C00.
4.' seccao
Offlcio :
Convido a lllina. eamara municipa. do Baei-
fe para assislir ao cortai > que nesio paUcio se tem
de f.izer ~^gie doS. M o Imperador pelas cin-
co hor ,arde do dia 7 de setembfo proximo
vind^uio, aanive^ar.o da ialepeodjncia e do im-
perio.
6.' seccao.
Officio:
Ao desembargador procurador da corOa, so-
berania e fazeuda nacional. -Sirva-se V. Exic.dc
emiujr seu parecer sobre os iucluscs aatos que
ma sao devolvidos, do medicao e legilimacao das
posses re-sueridas por Antonio Lopts N'etto e Joao
dos Santos e SiUa.
BXPBDIBNfB DO SiCKSTABJO.
/. seeato.
Offlcio:
Ao brigadairo commandante das arinas. S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manJa declarar
a V. Exc, em resposta ao seu offlcio d ( do cor-
rente sob n. 882, que Qca inteirado de haverem
sido dados eta consumo, por estarera iuservrveis,
os objectos a que allude o citado offlcio
2.* seci*o.
Officios:
Ao eomnaadanto superior do Recife. S.
Esc. o Sr. presidente da provincia manda leclarar
a V. S.*quo Qca provideuciado, nao so para Ihe
serem fornecidos 4500 cartuxos e outras taata-
capsulas fulminantos para as desc.irgas da pa'a la
du dia 7 do corrente, mas tambem i03 armas
para as pracasn.ua tem de fazer a guarni;i dc^-e
dia, como woo solicitou V S. om son officio desta
data cab a 6-8
A ciinnainjante superior da Caruard. -0
Exm. Sr. praaideuU da proviucia manda declarar
a V. i. qua a Uas-urana do fazen la foi ossU da-
ta aulansada. ao aaalido de pagar a Jose Joaqoim
de Sant'Aooa Ouerra 03 veneimentos do ds.'taca-
H<-|iiir(ictln dak pa>lieia.
!.-*hc^4j. Secretaria da policia de Pei-uarnbuix.,
14 a> novembro dc 1873.
S 188:1.Illm. e Kxra. Sr.Partfcipo a V. Exc.
que foram hontem reenlhidos a casade dotencao, os
ind'viduos seguintes :
V ordem J( subdelegado do Recife, Ber-
tinrdo Amauci-t dos Santos, A requisicdo
do capita-) do porto e o subdito inglez Arthur
Rocbanlson, A requisicao do respoctivo con-
sul.
A orlorn do do 2.' districto de S. Jose\
Haooeila Maria do Kspirito Santo, por dis-
turbios.
Por ofiicio datado do 4 do corrente. com-
mnnicou-me o dolegailo do termo de Naza-
reth, que pelo subdelegado do 1." districto
da freguezia de Traeunhiiem, daquelle ter-
mo, l'6ra r.'iiii'tti'io ao rcspectivo juiz muni-
cipal, o inqnerito policia), a que procedera
contra o enminoso, alii pronunciado, Jose
Antonio dos Santos, conhecido por Jose Da-
vid, 0 qua) ferira com oito facadas, no dia
25 do mez passado, a sua propria mulher
Ignacin Maria da Concei^So, conseguiudo
evadir-se, apos a perpetracao do crime
Segundo participa o delegado de Goyan-
na, em olllcio de 7 uVte mez, o escra-
vo Antoni), no dia antecedente e noonge-
nho Mussumbii ,d* mesmo termo, teuton
sssnssiuar A mi* propria mulber Joanna,
fazendo-lhe diversos ferimentos com uma
faca de ponta.
0 delinquente foi preso em flagrante, e
contra elle proc^deu-se ao competent0 in-
querito, o qual fdra na mesma data reraet-
tido ao Dr. juiz municipal.
Em data de 9 do corrente, parlicipou a
esta reparticao osulkielegalo d- districto de
Ponta de Pedraa, que n dia anterior, 0 indi
viduo de nome Manoel Severino, espancara
barbaramente a miseravel Maria Paula da
Silva, que procedeu ao respectivo inquento
policia), 0 qual tevelogo o conveniente
destino.
0 sub telegado da freguezia da Varzoa,
por officios de hontem e hoje datados, trou-
xe ao conhociiofoto desta chefatura, que no
lis 9 do corrente. pelas 4 horas da tarde, no
cngenho Cordeiro, daquella freguezia, foi
espancado o meuor Vicente Ferreira da Sil-
va, pof Miguel Francisco Gomes, que con-
segmo evailir-se, que procedeu ao r--specti
vo inquerito policial, qiie nesta data foi re-
mettido ao Dr. juiz diroito do 5. districto
criminal.
Deus guards a V. Exe.-II!m. e Exm. Sr. com-
mendador Henrique Peroira de Lucena, dignissi
mo presidente da provincia. -O chefe de policia,
Antonio Francisco Correia de Araufo.
verno em materia de recurso a coroa, nao J
por esse facto em outro crime quo nao sejji 0 dV
desobediencia, e s6 Como dcsobediente.e pronessa-
da.o
Sim, ta.nbem 0 dizomos uos : perfoitissimameu-
te de accordo. E qnem se aniraeu a dizer ocon-
trario ?
Precisaraos, porem, deixar bem claro ostepdnto :
0 quo se entendo por ndo cumprir as decisoo do
goverao, ou p>r outra quaes os elementos conse-
cutivos do crime do desobediencia.
Comprehendemos que denobedece aquelle que
nao cumpre as ordeus legaes do empregado p nWi
co em acto de exercicicio de suas inuccSes (art.
128 do Cod. Crira.) quando esse acto se llnHfa a
mera falta de cumprimento.
Se 0 bispo de Olinda, intimado pelo aviso de 12
do junho a re-ubelecer dentro do prazo do 30
lias a ordem de cuusas alterada, nao expedrtso
dentro desse prazo (como nao expedio) nov* cir-
cular annuilando os effeitos da de 28 de dtzera-
bro, e so limitasso souiente a isso, comprohtnde-
inos quo em lal caso se teria peneitisshnanieDte
dado o crime de de;obediencia. Nem outra intel-
ligeucia cabe a citada legislacio, clara de mais
para dar lugar a duvidas.
Fo-lo, porem, 0 revcreado preladof Limiiou
elle 0 sou procedimeato apenas a nao cumpnr 0
dlsposto uo aviso ?
Nao, nao 0 fez, 0 ninguera, om boa fe, otsara
coulesiar o que consla da imiuensa, nao dirtoos
da diocese pernambucana, mas de todo 0 Brasil
qae tem preseute diantc do suas. vhtas contiL-ta-
das o sombrio quadro em cujo fundo avnlta a R-
gnra arrogante ao iracando prelado.
Oquo o bispo nao se deaaorou a fazer, foi io-
uir os vigarios e unpor-lhes, sot pena do suspeo-
sao ex-infiirmata consciencia, que sc oppuzeisem
pnr todos os meios ao sou alcaucc, a quo sui'tissc
o mini mo effeito a resolucao imperial. Teirivel
coospiracao que, para logo, sobresaltou a todjs os
catholicos e perfoitos cidad.ios, c dissipou tod is as
Millions quo, a modo de sendal, velavam o retabulo
onde a ligara do pastor eslava flrmem nhada com cdrcs e meneios de rebelde. N3f.
aquilte nao era desobediencia, era atroz represa-
lia, acintosos primordios do revolta.
Desappareceu aqui, segundo so ve 0 pro(di-
ment) meramenle ncgatwo, que enlra com ele-
mento constitutivo do crime de ucsobelietieia.
paaaando a ser substituido por outro terminante-
mente positiro em opposieao a todo 0 transe as leis
e aos podores do estado."
Ura vigario que se moslron hesitanto em cum-
prir as iinposicoes illegaes c subvorsivas do prela-
4o, foi logo suspenso por elle ex-informata cons-
ciencia. Quem faz isso apenas desobedece f
Para mais accentuar a sua ja de mais aberla op-
posieao as leis e aos poderes do estado, probibio
ao clero fazer baptisamentos cm qne figuras:;em
macons como padrinhos.
Nao ficou ahi a deploravel demonstracao. Rpo-
hibi'j o casamonto de masons. 0 vigario dc Cioy-
anna que, por cquivoco, celebrou um casamonto
nas condi';oes precitadas, foi immediatamento sius-
pomo do ordens. Tudo Jisso teve lugar depoiii da
intimacao do aviso de 12 de janho.
Quem faz isso apenas desobedece ou insurgci-sc-
contra o impeno das leis e as auloridades, e 3n-
tra desempejadamento no raininho de feia e tristcr
rebeldia ?
Bespoada-nos 0 cathilico.
Ac-iando ainda iosufflcientes essas ruidosas de-
monstracoes de seus resolutos animos e afervora-
dos espiritos, foi alem 0 joven bispo de Olinda.
Mandnu publicar na sua folha e ler nas matrizes
um breve nao placitado, 0 de 29 de maio.
Tem sido de lal sorto imprudente e deHctaoso 0
proceder do diocesano que as provilencias toraa-
das oor virtude do citado art 13 do decreto de IS*
de fevereiro de 1838, era favor dos recorrentes
provides sc hao tornado perfe.itami*nte illusas, por-
que, a pretexto das censuras embora levantalas.
conlinuam as violences e prejuiz s pessoacs e
reaes das irmandaJes dim grave dtmno dos prc-
prios fieis qne nada tem co.a a mar-eoaria.
Ora, dopois de tantos e tao n*Herados teatecia-
nhos qne provam, nao ja a simples desobedieoeia,
de qne rogitou a s Dia consulta, ma uma se>ia de
aite itad-'s de tanto mais funesto e tristisslmo
exemplo, quanto partem de um alto funccionario
publico, vlo-sena indedinavel neces-idade de ex-
pedir o aviso de 27 de setembro. de conforraid;ido
com 0 parecer do conselho de estado pleao, anso
que mandou promover a accusacjio do bispo, co-
mo e de direito e reclamara os mleresses do es-
tado.
Rio, SO de ontabro de 18*3.
A QUEST AO REL1CIOSA.
II
0 eatkoiicj escriptor do Jorual do Commercio,
no intuito de innocentar 0 bispo de Olinda (lito
principal, sejiundo se advinha, da antecipadadefe-
za) ou pelo menos reduzir as proporcoes de mera
desobadiaucia as suas accoes contrarias is leis e
praticadas depoi* do aviso da 12 de junho, ciu pa-
lavrasda sabia cousulu de 23 do maio, e mais 0
art. 24 do decreto de 2i de marco de 1837, assim
como o art. 11 do da 19 de ever- iro de 1838.
De toda essa legislaca>, que, applicavei ao pe^
riodo agudo a primordial da questao deixou de se-
lo ao perio-Jo cftroaico em face das ullimas varia-
das transformacoes poc que torn passado, 0 quo cla-
ramoets se deduz e quo, no caso de nao querer
cumprir a antoridade ecclcsiaslica as decisoes do
govarno, caae insUararse-Ihe processo por crime
de desobedleacU.
Asajitj, diz 0 art, II do decreto i? 28 de pjarco
Qaera ignora como a estc novo acto do governs
imperial respondeu o prelado pernainbncano f- iPo -
ram interdictas as rest antes irmandaies onda pre-
sumio elle existir algum adepto da maconartn, e
ao passo que assim procede em acto de officio, ou-
alica a sua isnprensa palavras como estas, em data
de 12 deste :
Amamos a franqueza, detestames as mystifiea-
cdes-Mascaras abaixo I Toir.os ja dito matas
vena.
Veja, porem, esse goverao quo... vai tamteu
0 paiz caminhando para a perdlclo
A revo'ucao e incontestavel. Hoje pede dons,
amanha pedo qualro.
< As caroas to n sido qua' radas innnmeras ''-
zes, mas a tiara essa e infrangive'....
a Em um momeolo de humor maconico Luiz,
FMippe dizia ao picdoso Altre, arcebispo de Paris :
< Lembre-se Sr. arcebispo, que muitas mitras.
lem sido quebrabas... E' vordade, senlior, res-
pondeu 0 prelado; 0 eu peco a Deus que conserve-
a coroa do rei, porque tarab-m temes vista qne -
brarem-so muitas coroas.
c 0 rei estacu nas vesperas de sua queda, jmt
hsa nao podc quetntr a mitra do arcebispo, (too
as-i-tio affl.cto an quebramento da corda do rei.
Sera simplesmente desobediencia 0 qae tem pra-
ticaio, depots dos avisos de 12 de junho a de 57
de setembro, 0 bispo de Olinda 1
Quando um empregado publico de elevada Je-
rarciiia chop ao excesso d mandar sob son ies-
pcnsabilidade official, dar circul .(Ao a ideas de
lal gravidade, aoaara alguem em boa razao, crae
os tribaiaes so devem reputar incurso no crime
d. desobediencia?
Diz-nos, porom, 0 cnthrtiw escriptor (e ajifcurf,
IP
llfGiVfl


\
IU\ 3tl
xi-
IMDttlM&de Pernambuco
..---
4amo* o ene|> para nos demor3rmomra(''toita
que os bispos Qto sin empregndos publicos.
Com.) i p.>f wra*
ha quoin poiha .'in duvida
te eluciJada Que sao o.s
xnatena tao
bispos en tao;
Aqui transi
mgs, pfir deraais as segnintes II-
nhas'do primfflR^wiptor que nos eahio sab as
maos, e para ellas chamamos a attencao do articu-
lista do Jurnal doCmamrcio :
Chama-se eraprp^do publico a todo aquclle
q:ie tern asse.ilonafolhti, isto e, que pereebe or.le-
nado rerto. Tom c* lispos assento na fofjha T Te-
roos prova- de suttojo uas provisoes do thesonro
publico do Hi.) fle'Janeiro.
A primeira da 19 de Jnlho de 181", dirigidi a
junta di fizenda de IVrnambuco, mandando pa-
gar, p.T oriom do principe rpgenie, a congrua res-
pective a>> Wsp> dam \-raa capitenia, tendo prin-
cipio o sett venciinecto desde o dia em quo em-
bar car n.- porto dnqaHIa ndade, reguUndo-se
pela i*eriidao do capitao do navin em aue se trans
portor: mandando-llie fazer assentamenta nn Jo
lha para continuacao do pagamento da dita con
grua
A segunda de 17 de Janeiro do '812, dirigida
a junta do lavnd.i do reino de Angola, mandando
pagar ao bispo a congrua ; tend > principio desde o
dia em que emb:ircar; regnlaudo se pela certidfto
do capiton do navio ; mandindo-se-Ihe fazer assen
tamento na folha competent* para a continuacao
do pagamento da me-ma congrua.
A lerceira de 2 de outubro de 1821, dirigida
a junto de fazetida de Pernamboco, mandando pa
gar ao bisp do Cochira. nomeado governador do
nt<*mo bispad", a respeetiva congrua, proeeden-
do se ao necess t:o assent amenio na folha, afim
de poder pereeber a mencionada congrua. E as-
sim muitas o nras provisoes.
Continua o esrriptor a quern tomamos empres-
todas csfas citacScs :
Ha tamhem a carta regia de 8 de novembro
de 16*S. passala pnr el rei Felippe III de Hespa-
nba* e tt trador da ordem da cavallaria do metrado de
Christo, mandando acereseentar os ordenados dos
ecclfsiasticos do estado do Brazil. Aqni nao se
falla de congraas, mas de ordenados que e o que
percebem <* cmuregados publico-.
O aviso 3o 19 de junho de 1832, mandando
rcspon-abili^ar o juiz de paz de Olinda por nao
haver cumprido o sen regiment.) quanJo o bispo
eloito ,; vigari) capitular de Pernambuco recusou
obedecer a notiflca^So qne recebera para nma
conciliacao em vfnufle da lei que nao exceptua ci-
dadSo algum por maior que seja o emprego de que
olio g >ze na Ainoa mais provas. OIBcio do ministro do
r.inn marque? do Aguiar, de 30 de julho de 1816,
ilirigido no arcebUpo eleito de Evora, respondendo
a sui'i"lica quo este fir.era a el rei, prdindo-lhe que
oescisa Hie fern causado as duvidas sohre a confiriracao (
e porqui' entende que, pelos seus annos e acha-
ques e superior 3s suas forr;as o emprego para que
fflrf no.'iiead .. Eis alii o proprio arccbispo usan
do da pal.ivra emprego sem menoscaho da sua dig-
i.iJad<:, e o feiiVeino repetindo-a, lirmon a verda-
leira accep.So da palavra, isto c, utna funeeHo pit-
Idk-n.
0 aviso do i dc junlio de 18.I2, dirigido ao ar-
lietFspj i!a Rihia, esiranliando-lre o ter-se negado
a d..r ao pre quo este 111; pedira ; e ilizeudo Hie (jue os prro-
ebog doBrasil fflo verdadilros emprrgidospublicos
em r.i'.Xci do or'cnado e emoluments qne rece-
b. in. A regeneia espera quo, salisfazendo as ri-
qaisicSes do presidente, cumpra assim o sen do-
er, dando o cxemplo, de obediene.ia as ordens
da govrnv, u evilafldo assiai ulterior procedi-
meulo.
a Finillmcnto, rdem de tudo isto, ha o art. 10 S
'" do acto additional, collocando o bispo enire os
mupregados geraes, depois do presidente da pro-
viacia. Esle artigo conslitucional da lei de 12 de
ajj jsto dc 18;ii rejolon a lei de 3 dc cntiibro do
mesmo aono, decraranda quo o presidento da pro-
v.n.-i.i era a primeira autoridade delta ; e quo to-
d.K os quo nella se acharem Ihe sao suhordinados,
>*ji nunl for a sua claf/e ou graduarao. A rr-
usa do arcehispo da Bahia snggerio tambein n g
ifi do art. ")" da mesma lei de 3 de outubro, auto-
n.-an 1 o o presidente a exigir dos empregados as
infonuacoes, quo julgaiem convenientes para a
ti-.a execujao das leis. o
O que sao pois os lispos ,m face de toda esta
legielaeao ?
fSacdoj.
\
ilECin:, 15 DE NOVEMBRO DE IS73.
%'i*ias i! 4mcrica do \rl-.
<1 .liuazonns c tlo I'ani.
Amaniieeeu hontein em nosso porto o vapor
atuericaoo Merrimack, trazead > dat:is: de Hew
Yoric ii de outubro, o Jo I'ara 7 do corrtnie.
BSTAOOS-DWOOS.
Xada adian'.am as r.olicias as que rccebemos por
via de LisbOa.
IAHA.
Em 7 do correnle escreve nosso correspondenle
de Bt-letn :
A incsperada chegada do Merrimack esta nol-
le, para sahii Uoje, obriga me a ser mais breve no
mea noticiaiio do que esperava, tanto mais que
nao ihe ocrevi pel j Parana, salndo a 3 do cor-
renle, e quo de icito alii nao tocara primeiro que
;ojmlle.
As noticias que transmitto nao =ao de graude
pcnitera.;ao, excepto as mudancas que sc vao ope-
^"^; rando na adminisiracao da proviniia.
a Como sabe, alciii da nomeaclo de novo secre-
tario, quo e o Dr. Franklin Tavora, ahi assas co-
nheeid i, hoove alterajao nos vice-presidentes
sendo Domeados para S." Dr. Guilherme Franci-co
Cruz, 'i- Dr. Antonio Francisco Pinheiro, o. Dr.
Francisco Mendes Pereira e 6" Dr. Antonio Lopes
dc Mc-Jdonca. Todos esle?, menus o Dr. Pinheiro,
qne 6 o principal dissidente, sao adeptos do cone-
go Maooel Jose de Siqueira MeHdes, chefe dos
onservrtdores da situajao dominante.
Segundo estoti informado, o Dr. Pinheiro re-
ijeitoti a vice presidencia por terem-no passado de
3. pat a o i.c lugar, e nem podia proceder de ou-
Ira maneira, sendo Pile quern fez a dissidencia no
partido couservador, por a situa;ao dominante ha-
v5-lo exelaido da depuuicao da assemblea geral
por u>la provineia, eespecialraento quaudo duran
ie a legislatutas passadas, tinha prestado impor-
lantss serviQos ao pariido conservador.
Oirre hoje tambem a notieia de que o Sr. Dr.
itoiiiiugos Jo-e da Cunha Junior fora substituido
na j>re>idencia pulo teueiite-coronel de eugeunei-
ro Francisco Jose Cardo^ Junior, presidente de
Matio (jrosso. Nao sei, porein, o grao do veraci-
ilade d,' temalhaote boato, rnuito mais nada c>r-
renjo, isto i, se S. Exc. o Sr. Cunha Junior foi
Ir^unferido para outra provineia ou exoi.erado.
0 Dr. Antonio dos Bassos Miranda, nomeado
setrelario do governo desta, aiuda nao segue neste
vapor americano, apezar da recomineoda^ao que
ihe foi feita para ir tou.ar posse quaulu antes do
eeu lugar.
< & transferencia foi quasi inesperada ; cstando
oOr. Miranda aqui estobelecido ha tempos, uati
Ihe sera pouw sensivel esta resolujio do governo,
iwrque uma nmdanca, quando se esta bem. sem
ire e ma e prejudicial !...
Entreianto a sitnaqao politica, apezar de tae
iudan>,as. ainda corre pseillante. Os h irisonles
nao e-tao de todo claros para aqoeiles qne estoo na
infliieneia da situacao, c prineipalmente e-tando
ain la a testa la adminisiracao da provineia o Dr.
Cw >a Junior.
S. Exe. tern proeurado achar-se acima das
jhvtencue> partidarias, embnra, como ja Ihe tenlw
dit^i. Mo .uif de sou governo teub.i soffri
do opposicao, win especialidade de certos periodi
os, como o Jornai do C- mmei'cio, lri^una, Santo
O/pjio. Pelican e outros de meuor imporlancia.
_ IJltiimiiiiente s. Exc, tendo revogado a^xecu
cao .I. ret'Uiauienlo do curso, dcu is! uf-trro a
algnmas censurs, porque o dito regulameuto, dn
pnocipio nao foi bem recebido, lanto do publico
CMBu dos marcliantes do gado.
Oifra |ue>tao iasasntando a presidencia com
. aoainara municipal, logo depois de gua aoprova
\'a>> pelo governo imperial, como Ihe Doticiei u i
auuha pre edente carts, e foi ter dado provimento
a rwhd fnterposM por Antonio Rodrigues d.
Lnz, propr'.elario o redactor do periodieo Luz d-i
ferdide, em quo i*te se queixara contra u prore
diinemo da cinara municipal," vcdando-lhe a en
Irada e:n seu fi riuto, e assistettia as respeclias
sessii ,
t A Luz & an', versa a sttuaglo dominant?, e toda
deiioada a d!.-;.idencia, que" em g.'ral aggride os
memhri'S d-iqu-- la cortiorncSo, com partb-ularidade
j s.'u presidutilo, Dr. Joao Lourencij de Pac> t
Jwuj
!>;: ::rio da presiden.-M causiu alarma entre
i^^^Bri'' -is da situaea) dominante, foi
iili'dieono '
Frei vital M-ria ou|al*'s
id. I'.rnambu.M, com'piwa
lha e dos vo^J^ quo t
felaio a frenle Jo seu rcbanbo.
ipiiime;ida-.se por diver-os lituloi e es
livraria franoeza, na rua Primeiro d.
0 I* volume da ftbra A Franc M mlucAlt, it pebn* do illustrado
realisando se coin as altera'.ues cjseo Xavier iaalrelel, di eompanhiir
publica.ld-comjj^rovajar da autorida
jlica, vertida pa/a^iossa 'ingua pelo not
di; to porto'gnez o Sr. conde de Samodaes, mi
e secretario de estado honorario, e precedida
uii lU'oemiu do iraductor a rgspeilo ja
portugueza. ^fl
0 traductor ledicajBfc=eu iraljallio ao
Rvin.,3r
veira, h'\
elii>?a|a
cao de
A obra
p-a-ialmente pelo eoawiodo prejo de 2.t.
Com n i-onipunliia Drainage. Pa
rece-flp>]uc as casMias de zinc > que s.rvem de
dofiosito aos instruments do trabalho Jessa com
panliia, e que se aeliain obstruindo a rua de San-
ta Tberfcza, com incommoao'da visinhanja, flea-
riaui a tnelhcr pel) m aos, sew erabaracar a at-
guem nj largo do Carmo : veremos.
Faculilade dc Direito. Fl'.eram acto
hontcm (11) os iegumles ostudantes :
4" ann.
August" Hygino da Cunha Souto Maior, approvado
plenamente
Aureliano da Nobroga Vasconcellos, approvado
simples nente.
Jose Domiugucs Porto, idam. ,:. ^ .4
Antonio Luiz de Mello vieira, approvado com dis-
tlnccjLo.
Jt>4 Sovaes de Souza Carvalho, approvado jilena-
mente.
5 anno.
Vicente SimOes Peroira de Lemos, approvado po-
nampnte.
1 .io dp Barros Franco, idem.
Joao Gonjalves de Azevedo, idem.
Francisco Barbosa Aranba Franco, idem.
Joao Americo de CaivaJ.no, idem.
Eneas de ArroxellaGalvai, idem.
Gymnasia provincial Fizeram exames
neste estabelecimento, do 1 auno de iatim, no dia
12 do corrente. e foram approvados: com (T(sjiac>
cao os alumnos Jose Jorge Dias up Brito. Firraino
Francisco da Cunha, fiodolpho d* Paula Lopes,
e Apolonio Zonaydcs Peregrino e Albuquerque,
>implesiiiente Jase Paulino da AnJrade, e Presci-
liano Pnsco Paes Barret" ; e fonm dousjutgados
no caso de re.p-tir o anno. Fojara.exaimnadore*
TtVQpra todao. provineia.
Como, pots, as esperau.;as- deste partido vJo
mais ou mono
que (icam meneionadas, o negoeio tern >e tijio
quillfsado, tanto mais que so afflrma a retirada do
actual pre'idente.
Chegoti aqui hontem, pela manha, no vapor
Ontario, o barao de Maua. ^_.
Circulam lifferenies verscos sobre a sua via-
da a esta parte do imperio.
Ha queni diga que, alem dos grepar .livos e
predisnosicSes futuras a senatoria, se purventura
passar na Samara viciiiicia o angmento dos re
presentaotes do Para, outros calculos e interesses
raoveram 3. Exr a fater esta viagem.
t 0* jornaes em geral lem-lhe feito pomposa re-
cepcio ; mas 1'aqui ale a sua retirada aguarde-
mos o reverso ffa medalba, sobretudo >o *. Exc.
traz na sua digressao calculos de posiQJlo pollti a,
como se apregoa.,
I'm facto grave e deploravel notieiam. do dis-
trict!) de Breves para esta capital, succedhtn a 21
do mez findo no rio Jobwa e que 6 como ~e se-
gue :
t Em a noite de 21 de outubro appareceram no
rio Jaburii, no p rto de Joao Felippe Lobato, sejj
liomens acompanhados por uma raulher branca
e ainda moca e atracarim a canoa de regatito de
Jacintno Rodrigues da Fonceca para comprar pol-
vora e outras mercadorias.
a Tendo c que quenam, nao so nao pagaram
como amea.' >rani Jacinlho
Os faccinorosos seguiram depois pslo rio Am-
mi acima, emqmnlo Jaciutbo proeur^va no Ma-
pua tun dos supplentes da subdelegacii, a quern
dava notieia do attentado de que fora victima. Es-
ta autoridade, sem fi.rgas regulares, coovidI >u al-
guns cidadaos e segulo no encal^o dos fugitivos c,
avistando-cs nas proximidades dc uma ilha, seguio
para dies e intiinou-lhes que se entregassem a
prisao. Conheceram entio que erara scis des
eriures do^iolicia, dentre os quaes Leonardo An
tonio Balieiro de Freitas servia de chefe.
o Estes seis desertores receberam a diligencia
armados e com ase-pingardas engatilhadas.
Retrocedeu a diligencia por conrsiderar impru-
dencia u:n atoque alii e os desertores penetraram
no Furo do Mapua miry.
a A autoridade fez -eguir quatro cidadaos para
cercar as cabeceiras desle Furo e com os deinais
foi a barraca de \m Sr. Leao e intimou-o paraau-
xiliar a diligencia com a geute que estivesse corn-
sigo. Foram.
a Enconlraram os bandidos e os cidadaos des-
armados atracaram-se coin Leonardo e um com-
panheiro e, depois de demorada luta, ficaram fe-
riJos com punhaladas e cacetadas o.s cidadaos Ma-
noel Gaspar de Santiag) e Raymundo Seralim Go-
mes, sendo que os ous primeiros eslao om risco
ie vida.
Os faccinorosos seguiram e o 1 supplente da
subdeli'gacia de Breves fez partir para persegui-
los o inspector do 24 quarteirao (Melgaeo) com
20 pessoas. Poz-se em marcha esta diligencia no
dia 29 c encontrou os criniinosos uas cabeceiras
do igarape Arapa-pocu
Alii o inspector intimou-lhes que se rendes-
s.-m e ell s receberam a intiotacao com uma des-
carga de mosquetaria, quo matou o cidadio Flo-
rentino Antonio da Cruz, terio gravemente outro
chamado Germane lose de Oliveira o levemente
outro.
Travott-se entao um luta horrivcl, em que
morreram dous dos desertores e foram feridos ou-
tros cidadaos da diligencia. terminando pela fuga
dos quatro desertores resumes.
Como e natural estes successos derramaram na
populacao da comarca um panico tal quo fe-la
ahandoiiar sous haveies e fugir do trabalho para
os centros populosos.
Fogio a tranquilidado pnblina da comarca e a
popnlacao expoeta a perder o fructo de sous tra-
balbose a propria vida, volve nlharcs angustiosos
para a autoridade e espera della o soccorro que
as leis Hit promeltem.
A antnHlllii dove cumprir n sou ilover, so
bram-llie meios para faze-lo e DOS cremos .since-
ramenle ijue o tori.
Nao obstante o referido, acabo de saber que
os desertoos canibaes acabam de ser presos pelo
subdelegado daquella districto, esUndo ja em se -
guranca, alim de serein remettidos para esta ca-
pital.
Outros factos, ainda que msienillcantes, tern
succedido por outros lugares do centro desta pro
vincia, como hontcm o deauueiou o Dian}0 de Be-
lem em artigo editorial, chamando para idles a
attencao do Dr. chefe de pplicia.
< Estaraos na festa de Nazareth, que este anno,
pelas circumstancias precarias do commercio e
outras causas attinentes, nao foi como os mais an-
nos, a~sas pomposa ; em compensacao, porem, a
natureza tem concedido bollUsimas noites de Inar
para a concurrencia pnblica.
t Domingo 0 do corrente, deve c la tcrminar, c
veremos si a directoria do anno vindouro sera
mais feliz do que a actual, que lulnu com grandes
ditiruldades a poder realisar esta festa popular do
Pard.
t Do commercio nada Ihes digo a nao ser quo
ainda continuant as quebras : assim como o esta-
do da salubridade publica nao 6 de tr.do muito
satisfactory, porque alem da variola, qne ainda
grassa tem apparecido nestes nltimos dias algnns
casos fata es de angina.
A alfandega rendeu de 1 a 0 do corrente ....
30:76'ij2l2.
ado 15 de Novembro de 187S.
1/
rmo, um escravo do Sr. Jtof*M0*d**lif,b flMloit) Straoet & C, pedtodo ascertWoe*
REVISTA DIARIA.
Cnllcctoria prot'incial. Por portaria
da presidencia da i>rovincia, de '3 do corrente :
Foi nomeado Joao Francisco do Amaral, collec-
tor do muniuiuio de Iguaras-ti.
Foi nomeado Franci.-co Antonio dos Santos, co-
4>sprr
do
preriso,
inuita pro li .i.'ia, explic...5i>s e
conego Siqueira Menies para pio
acalina-setn cs aaimos, visto eouiu pretendia-iol
brador da collectoria do mumcipio de Paoellas, fi
cando sem efleito a nomeacSo de Weneeslao Flo-
rentino dos Santos.
Coasuladu provincial. Por portaria
da presidencia da provineia, de li do corrente, foi
exonerado, a bem do servieo publico, Miguel
Lueio de Albuquerque Mello, de feitor conferente
do consulado p'ovineial. e foi nomeado para o
substituir F-linto do llego Barros Pessoa.
Haspicio de aiicaadas. S. Exc. o Sr.
commendaJor presid.-nto da provineia acabade re-
ceber o seguinte offlcio :
Promotoria publica de Cahrobo, om 22 do ou-
tubro de 1873. Hint, o Emu. Sr. Accuso o rece-
bimenlo da carta de V. Exc, datada do il de sc-
tembro ultimo, em que encarrega-me de abrir
aqui nesta comare.i, nma subscripgio de donati-
vos para o asylo de alieaados, que V. Exc tomou
o nubre empeuho de exigir, dando deste mode tes-
teiiiu ilio aopaiz e aomundociviiisado dos genero-
sos e humauitarios sputimentos que se aninham
no corayao de V. Exc. Em resposto a tao nobili
tario convite, enmpre me dizt r que nao sera in-
fruciifero o appello de V. Exc, que envidarei to-
dos us eslorcus que couberem na limitada esiih'ra
de meus diminutos prestimos para con.-eguir o
o.eu pequeno contiugante, quo em concurrencia
com outros mais avultados, vao a'uxihar a reali>a-
cao do empreliendimento da mais gloriosa torefa,
que por si so sena suiUciento para lustrar o nome
11 actual adininistrador desta proviacia, se nao
houvessem outr.s litulos, que Ihe dao jus a esta
Jistmccao. Em summa, confe.-so a V. Exc. que
me darei por bem pago e serei muito feliz se tiver
conseguido o meu desideratum e que satisfaca a
V. Exc. Sou de V. Exc, allouto veuerador e cria-
do. Jo$e Leandro Duntas Seira. a
Diaria de Pernambuco Se chegar
hoje o vapor fran-'ez Ji?ndoza, di -tribuircmos auw-
nha nos Vniiiversario. -CorppleUtn seamanha 203
ami is jup foi Crea to o bispado de OlmJa.
S.ciedade Patriotica Doze de Se
teuibra. Hoje, io, Uavna sessao desta mcie
lade, no lugar e hora do costume, para tratar-se
de negocio ur^ente.
Eslac.do proximo o dia da inauguracao da ex
posijao agricola, pede-se aos socios que Dio dei
xem de eompareeer a sessjo.
ifuventnde. Esta sociedade dara amanba
em -ens al6es uma reuniao f.oniliar.
Dlniieiro.-O vapor Merrimack trooxe.......
9:OK)it>iO ara os Srs. Joaquiui Jose Gmcalves
Beltra. & F.lho-
0 vapor Parana ievoa de nossa praca para :
Macrio 2-nOOfiOOO
Ifilna 3:i20-OiO
Rio de Janeiro 309:4826000
sendo des-ta qnantia 30O:OO0iOCO para o tliesouro,
riUcmoai.
0 vapor lirapami Jcvon de nossa praca
Pra : .
Parahyba 76:SiU0iH)
Natal 2R:000J 0
Mo-surt 10.000^00
i'OUS'IO .i:o80ci?0
Nova publica^ao. Aeaba de chegar #-
os Srs. professores Francisco Jaiintho ue Sampaio
e Jose Vicaeio da SiKa e a cunpiissa" dc julga-
mento compoz-se Joj Srs. profosores Dcs. Manoel
Pereira de Moraes Pinneiro e -uiz Cailos d: Ma-
galhAes Breves, sob a presidencia do Sr. regclor
iutenno Dr. Augusto Carnero Monteiro da Silva
Santos. i
No dia 14, com os mr-snos examinadores e
a mesma commissiio de julgimeato, lk>Tara exa-
me do 1* anna de lalira e foram approvados os
alumnos Andre Ferrelra, da Costa, Pedro So*res de
Macedo Xetto. e Cel-o Flonntino Henrique de Soo-
za ; e approvado com di.linccao Julio de Mello
Junior ; tendo sido julgaibs no caso de repetento
do anno tres examinandbs.
Itlohtc Pio Kant Amaro. Aiuanha
havera snssao da assemhtea geral, nesta sociedade
ben'-fieente.
Auxiiiadora da Instruccao Se-
cundaria.- Tera ligar atnanha u espectaculo
em beneficio desta assiciacao itteraria.
Espera-se cuncurrereia e auimaQao.
A commissao encariegala de promovjr esta fes-
ta nao tem poupado esforcos : que o publico seja
a inda uma vez genertso.
Attentado. En 8 do corrente mez, um in-
dividuo de nome Minoel Severino, espancou bar
baramente, no distri:to de Ponlu. de Pedras, a uma
m'iseravel, Maria Riula da Silva. A policia local
tendo condccimcnlc do facto, providenciou na for-
ma da lei.
Espancamento.Um menor de nome Vi-
cente Ferreira da Silva foi espancado por Miguel
Francisco Gomes, no cngenhn Cnrdeiro, da fregue-
zia da Varies, a> i horas da tarde de 9 do mez
corrente.
Conseguindo ivadir se o dcliquenle, a autorida-
de competente procedeu do conformidade com a
lei. c remetteu ao juiz de direito do H* districto
criminal o respective inqucrito.
Ini|iierito. Ao respectivo juiz municipal foi
en via Jo pelo subdelegado do i. districto de Tra-
cunhilem, termo de Nazareth, o inqueritp policial
a que alii s@ procedeu contra lose Antonio dos
Santos, ennheeulo por Jose David, que no dia 23
do mez ultimo ferio corn oito facadas a sua pro-
pria mulher, Ignacia Maria da Conceicao, a.-cva-
dio-se, perpotrado o crime. 1
Tcntativa de morte.-JioengenfcJyJJfHS-
fiiunbu do termo de Goyanna, um escrovo de
nome Antonio tentou assassinar sua "propria mil
Ihcr, Joanna, daado-lhe diversas facadas. Tendo
sido preso em flagrante. procedeu-se ao compe
tente inquerito. que teve logo o coveniente des-
lino.
Jaboat4o.-Escrevcm-nos desse lugar cm
i3 do corrente :
Hoje teve lugar a instollacao da cainara muni-
cipal d'esta villa, com assistencia dos .vereadores
do numero, barao de Morenos, Dr. Manoel do Re
go Barros Sooza Leao, tenenle-coronel Jose Tho-
maz Pires Machado Portella, capitao Antonio de Sa
e Albuqneraue e do supplente tenente Jo.e Fer
nandes Monteiro, assim como de muitas pessoas de
dislincgao dosto e de outras freguezias, que es-
pontaneamente compareceram.
Depois de deferido o juramento, na fo ma da
lei, pelo commeudador Manoel Joaquim do lb-go e
Albuquerque, presidente da camara municipal da
cidade do Recife, aos novos vereadores, foram
e?tes empossados.
A casa da camara achava-se decentemente mo-
biliada, derorada e preparada de todos os objectos
indispensaveis a sua installacao e expediente,
tendo sido tudo fornecido pelo presidente da
mesma, o Exm. Sr. barao de Morenos, que gene-
rosamente offereceu a quanlia necessaria para
esse fim, dando assim uma prova dos sentimentos
patrioticos que o animam e tornando-se assim mo-
recedor dos maiores encomios e da gratidao dos
babitantes do novo mumcipio.
_ Fir.da a ceremonia, prouuncinu o Exm. Sr. ba-
rao de Morenos um breve e bem elaborado dis-
eurto, analoge a occasiao, tendo em seguida um
profuso lanch, e mais tarde um abundante, varia-
do e bem servido jantar, para o quai concorreram
efficazmente a Sr. capitao Jose Francisco d Kego
Baros o Dr. Manoel do Rego, e duraute o qual Ji-
zeram-se enthusiasticos brindes, conclumdo-se
com um brinde levanlado a prosperidade do novoj
municipio.
Goyanna.Desta cidade escreve o nosso cor
respondente em 10 do corrente :
na. de nome Antonio, tentou niatar sua pro
ulher, a preta Joanna; *tebem escrava do
) Sr drdciro. j,f
i arto dessa teutativa toi preso o referido es-
frustrando-se assim osstsns intentos, apesar
ficar gravemente ferida a preta com uma faca,
de que servio-se Antonio, para commetter o crime.
Mfde B pfcroprio slHurdnro apresentados ao
lelega.lo policia, Focedea este ao inquerito e
corpo de deiicto, recoainindalM pels lei.
0 pomado da-Lapa, ptrteijcente ao districto de
Nossa Soa^ora do 0', distfi^iJesta cidade eerca de
6 lejjiias, acha-se i-m e>taflo seriamente aterrador.
Uiaapani disciplinada quadrilha de ladroes,
ri uqiostafa'diversos criininosos tem feito quanto
6 possijjiio medouhp e assustad .r,' anieacando
ataear as casas e engtnhos daquella L'ircumsvisi-
nhanQa c pondo de so'bresalto a tolas que por alii
moram. ^
. 0 tenente Moraes, delegado de policia,. ja fei
por alii om recrutamento, remattendo para ahi seis
recrutas, dos quaes voltaram tres, a pretexto de se-
rem casados.
c E-ta iseoRO, emquantoa mim.naodeveapro
veithr senao aquelle individno i]ue mereee la por
sen eoinportainento, ma*, nnnca a individuas co-
nhecilampnte reos de policia e perfeitos cavalhei-
ros de industria.
Convgm, pois, que o Exm. Sr. presidente da
provmeia tome serias medidas, que melborem a
soite dos que se veem por alii ameacados do ata-
qne de tao famosa quadrilna.
t Toda e qualquer medida que nao seja a de
unservar alii um de>tocamento permanente, nun-
ca menor de 12 pracas, e improlicua ; pois que
seinprc que os da quadrilha tem notieia de que
para la se dirige alguma for.;a, ausentam-se para
a Parabyba, t-K*nanJo a regrossar logo que a forca
|,se retira.
Vino .Hondo. -Pelu vapor Merrimack eha
gou hontem o n. 37 do apreciavel jornai Novo
Mundo, que se publica cm New York, trazendo :
os rotratosde D. Carlos de Bourbon, preten tente
ao throiio de Iiespaaha, do conselheiro C. OttoBi,
do Dr. V. Saboya, e do marachal Jose Antonio
Carreia da Camara; e diversas vistas de uma via-
gem ao Egypto.
Com o preseate numero come;a o seu quarto
anno de exisluucia este.noportonte jornai, conton
do o sea proprietario melhora-lo bastanie, nao s6
com ;. acquisii? o de novos collaboradores littera
nos, como ai tisticos, para o que se acha de pre-
sente oa Europa.
Aquellas pessoas que desejarem possuir essa
iuteressante collecpao die importautes arligos litte-
rarios e de gravuras, devem quanto antes irem
inscrever-P" na respeetiva ageneia a rua Primeiro
An Vl-r,-,i ii Q iJi-rari-i /1i\a Qr>i I oilhii'ir A- ('
t Comegamos a soffrer os rigores do verao ; o
calor tem sido intenso e por isso a variola continua
em sua marcha ainda assustadora. Nao sei quando
nos poderemos ve> livres dessa medonha peste.
Communiquei-lhe na minha anterior missiva
que se achava gravemente enfenno o honrado
commercianle desta cidade, capitao Aicino t.orrea
Gayao.
t Infelizmente, pordm, t^nho agora occasiao de
dizer-lne que die rendeu a alma ao Credor na se
gunda-feira, 3 do corrente, deixando os seus pa-
rentes e ainigos transidos de ddr.
Uma terrivel febre escarlatina zombou dos es-
forcos medicos desveladamente em 'os pelo
seu parente e amgo dedicado ir. Luq 'orrea
e o fe tombar a sepultura, arrancando assmT-dos
bra.;os da esposa e do innocente lilninho, o marido
e o pai extremoso.
i 0 linado era geralmente estimado aqni por
cxcrllentes qualidades.
t 0 enterramemo teve lugar na ordem 3.* do
Nossa Senhorn do Carmo, e a elle compareeeu
grande numero de seas amigos, fazendo-lhe as de
vi Jas houras militores uma guarda, que den as tres
descargas de e^tylo.
Hoje termmou se aqui aapnraeto de votos para
depuudos piiivinciaes, tendo-se formado a mesa
hontem, qne ficou assim composta :
t Presidente Dr. Praneisco de Paula R jdrigues
de Almeida.
Secretaries Antonio Ferreira de Agniar o
Paulino Norberto de Sonza Pinto.
t Escrutadores Joaqu.m Jorge Figueirs da SH-
va e Joao Jose Tavares de Sa e Albuquerque.
Da apuracto dos Votos dos 90 eleitores que
eompareceram, colheu-se o resnllado qne jo co-
nhece.
Em uma das missivas antprioras He um pedi-.
do ao muito digno : dministrador do eorraio, re-
querendo o augmento do numero de estoWtas para1
esta cidade, attentas as f.equenla* transaerJW- des.
ta praca com a do Rncffe, e, > digno admtmstrador
interino ,o Sr. Poircinnrula) fez a proiwsa de que
satisfaria o nteu'pedid.r, que achava justo, logo
que organisass> raeliior o servido dos astaMtp.-
t Soabe, porein? agora |ue assamio a a'TOinjs.-
irara i o etfecttvo adfflinistrailer' do qnal espero a
saHsfacao do meii pfcdrJp, vist>ra^Wrfa)^g,j(,r,, 0
nao menus zatoW e' amsnte dis m#Hnirmanto
Maes de quo preeiaa a-provmcia.
No dia 6 do corre&le, no engeuho Mussurabu,
de Marco n. 9, livraria dos Srs. Lailhacar & C.
I. beaeiicio da matrix, da Boa-Visto, a qaal corre
hoje.
Casa de ueteueao.Movimento do dia
13 do novembro de 1873:
^xistiam presos 304, cntraram 3, sahiram 9,
cxistem 298.
A saber :
Nacionaes 219, mulbcrcs 12, e sir anger 30,
sseravos 32, escravas 3.ToUi 298.
. Alimentados a custa dos cofres publicos 235.
Movimeoto da enfermaria do dia 13 de novem-
bro de 1873.
Teve baixa :
Pedro Monteiro de Oliveira, ftbre.
Teve alta:
Manoel Antonio de Barros.
PassaKeiros.Vindos de New-York e por-
los intermedios no vapor americano Merrimack:
Henry Hitck, Alonzo F. Cbalierton, Antonio La-
cordaire, Amelia Lacordairo, Maria Umbelina de
Albuquerque, sua mae e 2 criannas, Antonio An
tunes e Joaquim Geraldo de Bastos. .
Vindos dc S. Miguel no hiate americano
Galena :
Francisco Pereira de Azevedo e 2 filhos, Jose
Pereira e sua mulher, Januario Souza Rocha, Ma-
noel da Costa Pividia, Virgino Carreiro Rabello e
Jose Cool ho.
Sahidos para os portos do sul no vapor ame-
ricano Merrimack :
Fuhrman, Joaquim F. da Cunha, Joao V. do
Mattos, Manoel A. F. Costa, Alexandre A. de F.
Aguiar Joao da Silva Meudes, Carlos T. de Almei-
da, Jose S. Alvaro Boagerth, D. Causser, J. C. M.
Filho, Jose C. Pereira, Leopoldo V. Duque Estrada
Figueiredo, Manoel de Pinho, Joaquim de Pintio,
J. I. A. da Silva e Manoel J. da Silva.
Sahidos para o sul no vapor brasileiro Pa-
rand :
Paulo da Costa Espinheiro e I criado, Antonino
P. de Souza. Manoel Joaquim do A. Lios, Dr. Jose
de Souza Rein, Angdo R. Soares, Cupertino G.
Bastos, Francisco G. da Silva Costa, D. Maria
Christina, Alexandrino Guimaraes e 1 crialo,
Francisco Dias de A. Falcao, Ehdio P. Barrcto,
major Raymundo L. Santas Gonveia,Jos6 Carlos V.
Teixeira e 1 filho, Francisco de S. Machado, Ro-
berto Octaviano Souza Machado, Antonio Fran-
cisco Leite, Eugenio Jose Nunes Andrade, Olympio
S. Costa, Manoel Brune, Jolio Bruue, Carlos An-
gusto Lozana, Malheus G., Francisco Jose da Luz,
D. Rosa Maria da Conceicao, Querubino Bandeira.
Antonio Diogo de Mello, Bento Jose Ribeiro, Ma-
noel Joaqnira Ferreira, Jose Placido da Costa,
Bento Jose Pereira, Jtse C. Ferreira, 2 soldados 12
recrutas e 73 escravos a entregar.
Sahidos para o sul no vapor brasileiro Jlon-
daku :
Bernardo Antonio de Mendonca, Jose J de Sa,
Manoel Cardoso Duarte de Figueiredo e sua mu-
lher, Espiridiao Filho, Silvestre Gil Braz, J. se
Auto, Josephina Amelia Farias Netto, Xico de
Moraes, Jose Antonio Costa, Manoel Correia de
Araujn Mello, Tb.imnz A. Wanderley Gusrnao e
sua senhora, Jose Typissnnga de Almeida Barros,
Manoel da Silva Branco. Ksperanca Luiz da Luz e
sen irmao. Jose Goncalves Torres, Joso Bento
Vieira. Bernardino de Azevedo Cruz.
Sahidos para o norle no vapor brasileiro Pi-
ropama :
Manoel Coelho Cm tra Junior, sua mulher 3 fi-
Ihas, 1 criado -e 1 escravo, Estev&o Archelande
Souza, Manuel Pinto Brandao de Vasconcellos. Ju-
venal Rodrigues Pinheiro, Manoel Rodrigues No-
gueira Pinheiro, Francisco Gomes Marques da
Fonceca, J.ise de Mdlo A. de Albuquerque, Jose
Antoni i de Figueiredo, Thomaz Gomes da Silva,
Fabio Cabral d'Oliveira, Joaquim Monteiro Diniz.
Francisco Rodngues da Costa, Antonio JuXino
Pereira da Silva, Antonio Fradorico Rodrigues de
Andrade, Antonio C Prreira Junior, Jefferson Cle-
mentino Correia, Mauncio Rubsli, Benor A. Luvy,
Z-ferino J. Barros Moreira Manoel de Abreu Ma-
cedo, Manoel dp Carvalho de Souza, Victorino A.
P. Vinagre, Antonio Manoel Ferreira Maia, Ma-
nod Francisco Pocas, Firmino Fr..ncisco Cunha,
Antoni.* Ferreira Pinto, Francisco Gurgel de Oli-
veira, Ismael Gaudencio Furtodo de Mendonca,
Henrique Cao, U Gull e Antonio Gurgel d'oli-
vwra.
Cemlterio publico. Obituano do dia 13
de novembro :
Pedro, branco, Pernambuco, 18 mezes, Boa-
Vista ; anazarca.
Jose, pardo, Pernambuco, 9 dias, Recife ; tetano.
Manoel, recemnascido, branco, Pernambuco, S.
Jose; aonascer.
Deliina Maria do Sacramento, parda, 78 annos,
solieira, Santo Antonio ; catbarro pulmonar.
Amdia, parda, Pernambuco, 5 annos, S into An-
tonio ; variolas.
Jose branoo, Pernambuco, Bda-Vista, ignora-se
a molesiia.
Manoel Jacinth", pardo Pernambuco, 40 annos,
easado, Bda Vista, hospital Pedro It ; variolas.
Jose Francisco dos Anjos, pardo, Pernambuco,
30 annos, S. Jos*, variolas.
Manoel Moreira da Sdva, pardo, Pernambuco,
45 annos, easado. Boa-Visto ; cachexia.
Leopold) mi, par la, Peraainbuco, 42 dias, S.
Jose ; bex.gas.
Erm-lnido. preto. Pernambuco, 4 mezes, Bda-
Vista ; gaetro enter., colite.
^HfttllVICA UnNfUUL
Trilkiiual de cnoioiercio.
ACTA DA SF.SSAO ADMINISTUATIVA DE C DE
NOVEMBRO LE 1-73.
PRKSIDENCIA 00 KXM. n. CfWSBLHRinO ANSBLMO
KRANCISCO PKRITTI.
A's 10 horas da manha, presentes es Srs. de-
putodoa >ecr.4ario Olinto Bastos, Lopes Machado
e supplentes Sa Leitio e Alves Gnerra, S Exc.
o 8r. conselheiro presidente deelaron aberta a
sossao.
C>mparaeeu o Sr dasembargador fiscal.
Foi lida e approvada a acta da precedente
sessie.
BXPEWENTE.
F.iram a rubrica os-sMobHen livros :
Diario e copiador de Joe Angtisio Pinio & C.,
dirio de entrada- lo afanta de leiloes Joaquim
Dias dos Sant .s, dito >io mo'rtio agente.
OK*PA(3fWS. .
Requerimentos:
dc idade de sons raixeiros Antonio Leite Pereira
Bastos e Adotph.i Qulntillano Altes Gaifflaraes, li-
cando copia. Na forma requenda.
Do Dr. Felippe Nery Cullaco, uiterprele do com-
mercio, m.isirando haver pago o seu impo?to.Re-
gis t re se o cbnhecimento junto e entregne-se ao
supplicante, sendo que foi o pagamento leito fora
de tein|)o. J^^WKT
De Bento Machad) 4 C, requerendo o rogistro
da nomeacio que decani a Dominfos d ; Gusmao e
Silva.-Boglatre se.
De Firmino Alves Ferreira, submeltendo a re-
gistro a nomeacio de Bellarmino Fernandes da
Cunha.Como node.
De Moraes & Pint), trazendo a t egistro a no-
meae-io de Alipio Ferreira An tones. Coao re-
querem.
De Negreiros 4 Irmao, solicitando o registro da
nomeacao de seu caixeiro Cicero Maria da Apre-
sentacao. Sin.
De Raymundo Remigio de Mello Junior, pedindo
qne se regi tre a nomeacao junta de Joao Francisco
Pestana. Na forma pedida.
De Antonio Machado Gomes da Silva, para re
gistrar-se a nomeagao inclusa de seus caixeiros.
Seja rpgi-trada.
De Manoel Francisce dH Souza & d, apresen-
tando a registro a nomeacao de Joao Baptisla de
Souza. Como requerem.
De Manoel Francisco Marques, sujeitando a no
ii eacao annexa a registro. Deferido.
De lose Marlins do Rio, para ordenar se o regis-
tro da nomeacao que deu. a Antonio Marlins do
Rio. Rcgisire-se.
Dc Jose Marques dos "antos Agniar, para elTec-
tuar se o registry da nnmea.;ao de Jose dos Santos
Aguiar. -.Na forma requerida.
De Fernandes > Seixas, para proceder-se ao re-
gistro da nomeacao de seu caixeiro Antonio Ferrei-
ra da Luz.Sim.
De Jose Francisco do Rego Mello, para fazer-sc
o registro da nomeacao do Cos me Damiao Monte-
negro. Deierido.
De Bernardo Ferreira Loureiro, offerocendo a
registro a nomeacao le seus caixeiros Manoel
-iniplicio Tories e Joao Carlos das Chagas.-Na
forma requerida.
De Ducrte & Irraaos, para mandar-se registrar
a uomeavao junto de seus caixeiros. Como po
dem.
De Guimaraes & Oliveira, requerendo que se
faca o registro da nomeacao que traz junta. -Como
requerem
De Mano.'l Jose Teixeira Fonte, trazendo para
reghtra* se a inclusa nomeacao quo conccdeu a
Tuomaz de Aquino Fonceca Deferido.
De Moreira Baptisto & C, submeltendo a regis-
tro a nomeacao dj seus caixeiros.Proceda-se ao
registro pedido.
De Firmino Gomes Leal, para registrar-se a no-
meacao de Joaquim Felippe Santiago. Regis-
tre-se.
tie Antonio Soares Fernandes de Oliveira, regiss
tro da nomea;ao da nomeacao de Jose Felippe
Santiago. Fa^ase o registro requerido.
De Jose Antun-s da Molta, impelrando o regis-
tro do litulo junto de sua nomeacao do caixeiro de
Severino Ribeiro da Cunha & Irmio. Como re
quer.
De Antonio J >se Pereira da Cunha, registro da
nomeacao de Jose Machado de Salles Guimaraes.
Seja regisltada
De Bernardino Mactiado Coelho, registro da de
Firmino I. de Franca Conceives. Sim.
Oe Emllio Bedel, registro da do Bernardo Luiz
da Rocha. -Como pede.
De Bernardo Duarte .ampos, Joaquim Fernandes
da Silva Campos, Joaquim Duarte Campos e Anto-
nio Duarte Campos Junior, replicando ao despa-
cho que negou o registro do seu contrato. -Volte
com vista ao sr. desembargador fiscal
Autos de rehabilitacao de Jose Maria Palmeira
0 tribunal concedeu a rehabilitacao impe-
trada.
Suramario ex offlcio contra D. Vicencia Espin-
dolade Mendonca, armadora do hiate Mata-fome.
0 tribunal, a vista do parecer do conselho de es-
tado, de 18 de sctembro proximo passado, appro-
vado em 13 de outubro ultimo, parecer versando
sobre c>pecie identica, c qual foi publicado no
diario official de n. 2i8, resolveu quenaoconti-
nuasse este summario, o qual foi mandado ar-
chivar. |
0 Sr. Sa Leitao assignou-se vencido, porque se o
conselho de estado nao era couipetente para co-
nhecer do reeurso que para elle so interpozera,
devia limiiar-se a declarar a sua incompetencia
sem decidir, como fez, que o negocio pertence
nao ao administrative, mas ao cootencioso, e outro-
sim, que .' de opininiao que a summariada deye
pagar as custas, ponto que foi ouiittido na decisao
do tribunal.
Ao meio dia, nao uavendo mais o que despachar,
S. Exc. o Sr. conselheiro presidente oncerrou a
sessao.
SESSAO JUDICIARIA EM 13 DE NOVEMBRO
DE 1873.
PRESIDENCIA DO EXM. SB. CONSELHEIRO A.NSEI.1X
francisco mam
Secretario, Julio GuimarSes.
Ao meio dia, estando reuuidos os Srs. deseui-
bargadores Silva Guimaraes, Reis e Silva, os Srs.
deputados Olinto Bastos e Lopes Machado e os Srs.
supplentes Sa Leitio e Guerra, faltondo com
partioipacao o Sr. desembargador Accioli, B" Exc.
o Sr. conselheiro presidente abrio a sessao.
Foi lida e approvada a acta da sessao ante-
cedeote.
JULGAMKNTU8.
Appellante the Liverpool and London Globe in-
surance, appellado Josue Materno de Azevedo San-
tos appelloute Joaquim Antonio de Laivalho, ap-
pellado Jose Joaquim Guerreiro,Adiados a pedi-
do dos Srs. deputodis.
Appellai tes Severino, Irmao & C, appellado
Francisco Pinto de Sonza Neves ; appellante J. a-
quim Jose Alvim, appellado o Dr. Lourencn Accio-
li Wanderley Cannavarro ; embarganle Joao da
Azevedo Ramos, embargado Antonio Goncalves
Ferreira Caseao ; appellante Amalia Leiden, appel-
lado Henrique Quanz. Nao foram propostos, por
nao estar presenle o Sr. de-embargador Accioli.
Appelante o bario de Bemflea, appelbdos Jero-
uymo Delsuc e outros.-O Sr. Guerra nao apre-
sentou.
Embarganle J-se Alves de Faria, embargado
JosO Pereira o'Arauji.-O Sr. Sa Leitao nio apra-
sentou,
PASSAGRU.
Fica sobre a mesa o feito a pesentado pelo Sr
desembargador Reis e Si.va para passar ao Sr.
desembargador Accioli, enire paries :
Appellanies Sa Leitao & C, appe'iados os cura-
dorees fisraes da massa fallida de Manoel Jose
Monteiro Torres.
Encerrou-se a sessao a meia bora da tarde.
Irateriaw. *eo, ebra- *^
bnrtivoLjjgppsde
efcr.'i
despezas^^p*'5,''' ft86l:i
Pagamcntq de dfo..
sitos
;
Saldo quo. passa para
mez sejuinte
Escriptorio da c
do novembro de 18
ft
(:96|J>K
l:lttgti3
16:023 ISM
Jiia dotrilhos urbanos, li
0 tHesoureiro,-
Luiz J ti Fint i da Coslm.
n
o
5'
13.
O
3
a

5'
I ss
ii
1 3
3-
S-3
S' a.
|
?
3

>
s.
o
as a i
L to
o g a
r. H C.1 >
o a-.
CM

Oi
o I O
- B
*^ : ere
oo ii.
CO
-^. ex
> ~ 8
te
i* ex *
.. v t*
- oc
IP-
8
1
ci:
PARTE POLITICA
PARTIUU COKSBRl Al
R1IC1FE, 15 BE NOVEMBRO DE 187,1
A 0EFE7.A
DO
I
SR. LUCICSA.
Estrada deferro do Recife a
Olinda eBeberibe.
MOVIMKNTO DA CA1XA EM RESUMO DA COMPA-
MIIA DOS TR1LHOS URBANOS DO RECIFE k
OLINDA.RELATIVAMENTE AO MEZ DK OUTU-
BRO DE 1873, A SABER.
Entradas.
Receita :
Mm
Assignaturas
Carga e lastro
I2:U0#S20
2:01o00fl
S63i290
15:318*810
Materiaes vendidos,
inteirainente inuti
I i sad is
Muitas impostas a em-
pregado.s
SOiOOO
4*JW0
Deposito dos
gados
empre-
Saldo do mez de setomb.o
34*000
0<0 0
15:59'#8I0
4..14691
rt:01|JW
Sahidas.
Ordenados e ferias :
M.ivioiento 2:078ia
EstacAes l:60si8M)
Carga e lastro :5(M)*750
Conservacao da linha
permaiunte 9!I9|395
Ojnserva;a.i do trem
rsdantn I'.V'fitm
Administra^lo 4.':8A;t34
Obra nova:
Perlas mtwo
Mderiaes r7oX)
Um terrpnoiiara a es-
tacao do Pirw 2:fXO# 00
Conlas dw mezes an-
teri. res SRTO^Bfln
Despezas diversas :
6:75*2o3
t:37l *880
A A'ucao em seus numeros de 10 e It. do mez
ultuno.publicou a resposto do Sr. Pereira de Laceua
no processo contra elle iniciadu peranteosj-
fremo tribunal de justice, p.ir denuncia do Qbb
opular desta cidade.
A Pr vinci t que ja mais fez cabedal de seme
Ihante denuncia, mesmo porque o presidente .!
club o Sr. Floriano Brito nao andava raoito ccr-
rente coai o Sr. Villa Bella, vem agora aprecii^
em dous pontos soraeute, como declara a dbfe-i
publicada.
Comeca porem mat o orgao liberal, porque des-
de que se coutrapoe a defeza a denuncia ve-se qu<
esta era um acervo de falsidades provadaSftao so-
mente pelo eelebre manifesto Ao Brasil do centre
liberal, relatorio dos facanhudos Jose Mariano
Corte Real, attestados do Sr. Ur. Pereira de Brit"
e outros documentos de forca igual.
Ao contrario, a defeza nao fez uma allega^uo que
nao estivesse comprovada por documeulo Irrer i
savel.
Nos fuudamentos do accordao. que julgpu ir- -
procedente a queixa, ve-se quanto pesaram no
animo jasticeiro e cspirito esclarecido dos wne
rand-js ministros do supremo tribunal as raz8*^
oppostas a denuncia e as provas que por si. so ex
hibidas a reduziriam a seu venladeiro v.Jur.
E' fora de ques tao que a denuncia peccara por
excessivamente ridicula, o nunca foi tomada <
serio, a mienos de Loa fe.
0 artiguista da Provineia fez aim passeio pela
Franca, foi a inglaterra, citou fMveleye e esqur.
ceu-se de que havia promettido apreciara tiraAo
da defeza em forma doymatica sobre o direito &
remuSo.
Ora, a defeza nao ataca o direito de reuniao : s
Provineia eleva castollos para derrubar.
Na terceira parle da defeza, expoo esta a dou-
trlna corrente, ineontestovel, legal acerca do reito de reuniao : para abi remeltemos os loitort-
da Provineia.
Oiremos entreianto logo, que a defeza consegi.--..
descriminar, contorme a mesma natureza das con-
sas, o direito da reuniao para fins iicitos, que
incontestavelmenle uma prerogativa legal e >
ajuntamentosillegaes c criminosos feitos com oflm
de praticar bellas facanhas, iguaes as da Jornada
de 14 de maio.
0 direito dc reuniao como o podem comprebe i
der comervadores e liberaes, abstraccao feita ik>
communist us c petroleiros, nao pode importar o .!
fazer desordens e coinmoller crimes.
A san. cao do art. 28S do codigo criminal 0 clari.
prevenindo hypotheses mais simples e menus gri.
ves do que as que infelizmente se realiaaram In-
dia li dt- maio.
A defeza do Sr, Luceoa, por isso que assents em
terreno legal, e invulneravel como o seu.proceci
ineuio, d talhadamente exposto e justificado ate a
evideucia nesse documeulo.
Com o Um de invahda-lo, a Provineia ataea u
primeiro tribunal do pai'., suppondo que havia ii-
conceder em todo caso ao Sr. Lucena a impui".
dade, e despresa as provas exhibkd integros juizes.
Mas, como o Club Popular nao pode instrair *
eelebre denuncia se nao coin as peyas a que allo-
dimos, ahi vem a Prwincia dar. forca da verdao.
aos manifestos de sua gente o aos relatarios do-
autores das desordens de U e 16 de maio, qiu-
deuunciaram o presidente ao mesmu tempo pe >
que elles praticaram, porque deixando-os prati-
car atteutados oo dia 14, pruhibisiie que fossej"
elles repetidos no dia 16 I
Isso 6 irrisorio e revela tanto falla do sen.-.
commum, que nao mereceria resposto seria, se a
defnza na i se dovesse revi>iir de lorma adeqnada
a soiemnidade e importancia dus actos judiciark*
Para os liberaes da Provineia scmelnante de-
nuncia deveiia parecer nao taver none? tis-
tido.
Os homens da Piocincjn leam com animo
desprevenido a denuncia do Gub Popular e co i
fessera, obedecendo aos impulsos de sua coascien
cia soinente, que clla nao era digna da defeza pu
blicada, do Sr. Lucena, senao fosse o respeito Ai-
vido ao venerando tribun 4.
A defeza acatou o dire.to de reuniao; desconhc-
ceu, porem, como conquisto de liberdid*K> >
espanc.ir o desiruir a propriedade- alhou.
Esses como apmaqios do cidadao, a Pr-vimfiit
os defendu e o Club os de.-envolva em suas aes-
soes fauiiliare*.
0 governo nao e o arbrtro supremo dos noun
desimus, mas executor e guarda da lei, d- ve w-
pfllir os alaques que Ihe dirigem os diseoios e-
aquelle* que contain sobresahir e aproveitar-ee f
occasioes azadas para tins crumnos >.
A Provineia que procura reiiaUiliiar-se, pogcai -
do pela iiinnarebia, pela ordoin e pela conaer^acao
de tanus inslituicd^s nossas, porque nao-enta j-s-
deseahidas que rev lam as suas paixdes raois, c
vices e defeitos dc sua g-nte, incapaz incoutesta
velm-nte de ser um parUdo que aspira a gover-
nar?
Tudo quanto contem o arbgo sobre a deteaa do
Sr. I ucena, e pura drclaracao.
Se sob o regimen em que vivemos, a isapreata
6 liherrima e faz-se reunides para coiunv-lfer-se
ate ciiiues, a que vem como autiilies.- yten.H
ingiez. e como paralello de nosso estado de coos*1
o sy>iema francez de compres>ao, a quo wjio Lav< -
leye?
0 liomens da Pwincit soohara deeidiiameni^
on procoraiu riludir os palvs.
Proseguirom.is so continuarem.
A CHRONtCA DO INl'ANA CA HtOMHIA.
Coiitiiiiia o seculo a progre ir, e com eljA a ftt
vincm (d papei). man a ( u;a.- do Cnrmmfmi*-
S.uiprp! 6 uma diversao para, o* l<-*fco*# *ar
sos em vela mantur para tbaote, flanawwfci ym *
eaquerda e para direita.
Agora, era fait", do melhor inveri^ao leapbron ,l"
I MUTILftDD
ftEGlVEL
I

r"
.

J


\
f
m
Di*i*i*%&wimm gr iHwfodi & Itemm**
1 O'
^uatro vent .s <:urdeae<. D. Quixote acoutou os
veaios o moinhos,- a chrmba, os venlos, os raoi-
Bttoa e os eapfcegato* provinciaes.
Nao (era ItMrsao tin s*r a apignpho Esiecu-
tM&o da chronic* na Prt)mntia,dkak no lamuria
do* a crocodillo os empregados anenas removidos
de uma para outras reparUfdVw. Doa v>z a goi-
xatada foi annaia as co.-tisdo Sr 0 Aurelian j,
peUrecusa formal q:ie Jella fizera o Dr. Miriano
orator d-is carrocat, o o sttplorio do Dr. Austro-
gesulo e i) Dr. Nobro p or ftiflbfse, qne t-jdos re-
po.lliram o ridi ulo
iis,oDr. Aureliauo, send) alto.como lorro, con-
vinna arrunrar-Mic a Protlncia de ptpel o moinho
de vento para que todos o vissera caminhar coin o
tz&ifri da clirouici. E' unia in.lignidade, quo o
Or. AureYiaao repelle com totis viribus, tanto mais
'}* nia eneon*raeiidu tao ridiculo sormao, se-
obpnOkdf Praoincia pupel. Essa victima do pro-
grfMfi quixotico da Chromca, tern ba-tante crite-
rijjs pudez para n.io aceitar tao funesU jere-
inilda dos crocoMhi da Provincia, e bastante bom
*.nso para axuardar justiea do illus'.rado admi
nistralor da provincia. Lanes a jteute da Pr>vin-
-io*uas vistas para" as cliibistas me os trazem
* taTic, por alii vi inediudo a folha de saa
formidarel daYinianu, em fall a de qual pier ar-
r*acada ventos* quo enlretenha o limitado uurac-
ro de seus loilore*.
;tro offleio novos Quixote's da impreiiaa
A i ni.To.
XII A
A minha passima leitra e a principal causa de
tudWw errata^ que se notam em lado que esereva
cJfaa-pui>'i<;.ir pel a impreusa, ale alterando seme
mHas ezes o psusaui. nt i. Julgn iouiil fazer re
oianiacoe.''. ponjue a uruas supre com facilidade o
Wftr. autras nao sao de natureza a mereeoreTj o
'nhaJho de quein a? oirrige e a attencao de qnem
as IA.
Wo mnu artigo piiblica lo f'oje. porem, da-so uma
'/Tnfa que nan pole passar sem rcparo.
\bi esta publirado : s\ST* assht.iac.vo em
rptorfocia a ma^mana. Ku encWO vasia 1Mb
<&*. Jti.i sou ficil om (!i l>ara ""haoiar $aata a ina;oaaria, p.iia, apauar lo
ro;uaoecer os iiooieasos benellcios que tern pres-
bdii a pMijr.'ss.) miral e, indireclain<;nte, an ina-
fc'fial da hmnanidxle, uinguem |M>Ie de-onliecer
'"OS.jtriraeir.js esenlhidos. At6 a propru igr.'ja,
mjft-dizer quo nao p mfallivel na canonisai;a dos
Cham3i embora os hyp.tcnt is sanla itu/tusiete
qoeioiiva gente viva para obrigar a Am
me, etfe pvd*-n fu-v, e sou privilegio quo oon-
o c iiii a iia a/ialidide do falsos christaos, visio
-i itoje restaurar, camo pretenJe n, esta instituigao
lUtrnai que. sem oowihio atgwa, sj ptoluzio
h irrara* c ou o c-jKjjo cou-oijwuto de todos os
wiaos.;.Bij .isposo) u >r laiiio i.nitar para aanji
Agente : JU>A[uira Jos^Gon
a dfttlM
Ives Beltrio
SE6
M)n IHARITIMOS '
CONTRA 0 FOGO.
Acotnpanbia ludemnisariora, ostabf'Isci'lf
aesta pra5, toraa seguros maritimos sobrt
navirts e seus carregamentos e contra ogi
itn edilicios, mercadorias e mobilias: n*
rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
PKACA DO RECIFE 14 DE NOVEMBHO.
DE 187:).
JkS 3 l/i HORAS DA T.UIDB
Cotacdca oHlci.if,
Algodao de sorte de Macao e Mossoro 8|S00
por 15 kilos, iiontenr
Algodao (fair) jgarantido 8i300 por 15 kilos.
hoatem. ,
\lgodo -de Goyantw 1' sorte 8*000 por 15 kilos
hrnitem
Dito-deilitasero inspecgao 7*400 por 15 kilos,
boj#.
^arabio sobre Londros a 90 djv. 26 Ii2 d. por
\t, hoje.
ambio-sobr< Lfsboa a 90 djv. 105 OjOde premio,
do banco, taoje.
Carv "m de pedra a 23i a tonellada, hoje.
Oesconto do letras 10 OiO ao anno, bontera e
inglez t
na m..\s.-na d^MHQi^fMUMtec^^^Wt' Pater <$
C, manitesjojf; **J***Xt$\Bn
B;ica^rjio"S,'*9 ao icowwdalKnot.
)ESI'A':HO.S Og EXPOIIT vCAO .NO DU43P-i
X.iVEMBRO DE'l87l
Part or 'potion So pataeho ainericaBo. J, P. Anger, para o
Canal, carregaram : J. Iuyr 4 iL l.ulO sacco-
cora 82.500 kilos de ass^car maseavad).
No pataeho aus'riaeo Sfoj'j. para o Canal,
carregaram : J Paler & C, f, 00 saccos con
90,0i H) kilos de assneaj fijlijca^do.
Xa sumaca hespanhala Vetituritu, para Bar-
celona, carr^garam : P. Carneiro & C. 10.) saccas
com 7,272 l|2 kilos de algodao.
Xa barca ingleza BeU-i. para Liverpool, car-
regaram : G. .\eesen 4 C 156 tordos com 18,2i8
krtos do algodao.
Para ot por lot do interior.
Para o Rio de Janeiro, n > vapor brasileiro
hoje.
Oanourcq
Presidente.'
Leal Save
cecretano.
Barrus 200 aba-
leiro Pirap
isJSO barncas
L#Para o Xa-
[2'ditos de ill to.
bra-iUjko Duria
' com
ALPANDEGA
-^endimento Ac 4>s 1 a 13. .
'd*m *> dia ?1. ....
Hl-.905*32i
5C.60l)j80
168.516*211
o man attn qailili.'iliv.) a gente ou assuciacao
purmenos peccaminosa que scja.
Recife, li d>4 nov^nbro lo 187).
.iffonto d*~Albuquerque e Mello.
f Mv fa Fseada.
i-JTlou 'j tmg-nhoiro d 12; dislricb); e fo-lo olli-
TOilte no Diirii I; 11, por entro C'.ithusia- <*> palmas ie son eliefo.
') engooboirn rineia cim M.itta compromoltera so a dir-llie
j"r iiia adiuinistracao (e a cousa era de pequen s
apreitadasj i.>Ji mntisM, tdparu o fogo tervi-
rtl. E' esti a base da dofeza, ponjue... ponjue
4elM e lempre p>fwwel.
lapafcaaainss provar qan a madoira tirada por
2aniiaa gae coisegujriauvw Aecrubar a forfiflcagao
lo engenheiro do 2 di-iricto. Poisbch :
pnwifftMkliRtiRle eseandalosd a E
iiwnu.dos diihoir.is publico* na poiiu Galleno-
MltUi pruv.ireiOwi : Quo bua UWdolra de sapu-
ata, sapacaiana. embiriba, etc., foi ulilisada polo
Mi*chado pan otarla, e lalvcz alguma empre.ada
i rt/asirui'c io de Mia casa, nTtimaflisnte cons-
tnmh.
Si o amigo do cngenlieiro do 2' districto, a i co Qoja i>rosca;.(, c >ni tao 4*uJo franqjeza,
Jallou v. aotr'ora dak-gado Dr. Seriio Jo Maitn.-, por
'i -t 'l.-'lo ban'di.lt ile.itinr - A c*Ua1 (jagttado > on.'fu) ie>posta do enge-
niwifi6a veil mais uma vez uioslrar a qu ui'o cs-
','. hibit-md') a foliar ofjicialnienla d ver-
Bm po a grave acom.ici > < iliro a pinto Giilo-
ui-*tatt i, aguardamos a cabal explicaQao offloial
li.ui.n Felix, polagio e Pedio, uma e oulra
uuneatos erguidos s oio o Ipojuca e Pirapa-
ii'n a pfobi lal'' e z.'lo do i. district > das obras
imfclicas ; espcran lo que soja tambom tirada a
biapo o aegocio do praticaate it;t estrada do Li-
inofiira.
Aiespon>aoili lade, a cesi>onsabiifdadepara nos,
h IMiwjia de \'i*t;il.
A conunissa a lininistr tiva de Nossa Senuora
it aiatido dn conveuto do S. Francisco desta :ida-
solvi'l > f i/.it na n >ile de .Natal missa
sofeaa, visto nrin haver em ontra igreja; espera
*tue os fipi a c >adjuvcm com suas esmola*. po-
la cadn. pos-oa depestla-lM na caixada rnesma
ora, tollocada na portaria do meuno con-
Daacarregain boje 15 da novembro
Barca hoi!andeza Blis Atetke (atracada) varios
.generos para o trapiche Conceicao, para
despachar.
Lugar inxlez Conslanca Wilson machinismo
para o trapiche Conceicao, para des-
pachar.
Brigoe ponuguoz Ligeiro 111 pedras de can-
tana para o trapiche Conce.cao, uara
d-'spacliar.
Pnrami, carregoa : 8 do
cachis
- Para o Ceaca, no v^por
ma, carreifaram : B. do; Ke
com 2,103 kitode. asjfciM
tal, J. Uruno 10 dilas com 181
- Para o Aracaty, uo hiite .
Amelia, carregoa ; M. .A, Seifna i2 bacrfcas
1,428 kHos d-? ajsucar brinoo'.
- Para Maceid, jb ban-Taca Abismo, ca/rega
rani: J. M. Rarros Kiho-. & C. 1 caixa com V
kilos de doca ; J T.'Cordeiro &. C. 1 dita coji 1
ditps do dito.
- Para Vfacei6, na barcaca Diligejicia, carre-
(faram : Souza Jtwqaeira 4 C. 4 bjirricas
zSI Rilos ia assucar b'ranco.
Para Alagoas. na borcaga Ditina
cia, carregarain : J. D. Cunha Lag'-s 2 birriMS'
com 133 Kilo- da as?uctr reflnad); J. B. de'Car-
valho 1 dita com 45 difos de "dijo ; M. V. de Lima
Junior 2 d'Ua- cum 19J (lito de dito.
- Para Macei'6, na arc??a 6. ics Anjos, car-
regaram : J B. de Carvalho 2 barricas Com' li*
kfl >s de a-su>-ar br.inco ; Pcrnatiles '* rrfnfo
caixa com 30 kilos de doce ; J E. da Co.4a 1 dita
cnrit-143 dllos de dito ;JT de MhHo 4 C. 3 bar-
ricas com 18;)'Kilns de assucar retinado.
- Para o Xatal, n.i harcaea Silvmt, earrega-.
ram : P. da Cunha Irmaos harrfna* cim 190
kil"S do assucar refinado ; A. J. Pt-reira da Cunh i
.II2.48P "
|Wr*aaa*r por
fllravftisa doCampello.
j Autonio Ju.e RoJrlguea do Souza,
nra sobrado do d ?u*Trntfares e loia
arrendado por
>-Joa.juiin G.u;..lv-ps Forrk*, urn
il sobrado de dous andares elojaar
reendado nor idl
sedo Carvalho Hones
^ da pur
,^.-% CorptfSaor..
J^l s'ar'a Justina, u.na casa tcrrca
jitcadafla por Oi> 1*5
Rua Jus ilascatei.
H. 2. Angela Befnardade Minn la,
nma casa t rrea arrenla la d ir
Trayesij do Bom Josas.
. 2. Manoel Jose do Xascimento, uma
casa terrea arrenlaja pir
' Rua dalRe%TOrei.>.
5 2. Joao Jose Rodriguea Ksffler, nma
ca*a arrendada por.
X. 6. Vinva do Joao Antonio da Sit-
(arttn-.

5004000
68ij000
7204000
i68|000
108*000
1444000
2044000
IrrancBW'dn Rrjjh Baricln.
_ MMdmo'da Curttifigueireda.
Jos* Roberto de Uora^ e Silva.
Francisco Carneiro Machado Ilios JutBor.
Manoel Tobias do Bego Albuquerque.
Pedro de Albuquerque Autran.
Conforoia-O secretnio, Pedro da Albuquorqufl
Uui
va, ama casj terrea arrendada por
Y 41. Manud da "Siffa Santos, urn
sobrado '! ma auJar ar.-enkdu
X. 10. Fraucbco do Pinho Barges, uraa
casa terrea arrendada por
X. 4i. Manoel da SilV.a Santos, um so-
brado de um audar 0 loia arrendado
por
.X 24. Jgajtum Y;eira de Barros, uma
icas com casii tenea arr.'udada p .r
JJ. 33. Bariio de'Cimvo Alegrc, m
Providen- bradc de dous aiidafes is lui;
36040,0
30040W).
Secrptaria de policia de Pernambaro, 14 de n*
vembro de l73. Por'esta reparticae se declara,
de ord-^rn do Illu. Sr. Or chefe de policia que,
tendo S. Exc. o Sr. pre-o'dente da provincia, pnr
act" 1 de Hi de outnbro ultimo concedido fierraissio
a compan ia -Ferro Carrd de-Paraambuco para
que pela ponto da Boa-Vista possam trausitar
os respoctivos carros, privando ao mesino tempo
que as cargas pesadas. carros de cargas e com-
boyos teuham passagem por alii, assim 0 face
ounstar para conhecimento de todos, e sua fiel
Pel,, seerotario,
1___________ Fronciscoc. da sUpo Barroso.
IMitHl n. 93
Pela inspeet'iria da alfandega so faz pnblico qne
as H horas da manhS 60 dia 17 do corrente te
U1Z0
Sexla-felra
viSsf,
Kscri'vio. Eii
' do corrente, dopois da
forcira *"''
4.004,
iros de
n. 11,
3604000
360^900'
2i04H)
............para
alfandega.
Vapor partugupz Julio Diniz vinhos i posit" nos trapiclios Cunha e Barbosa.
luayoria^itu.
Palacho hollandez Elizabeth, entrado de Ham-
burg.) em 14 do corrente, consignado a Joao Mar-
tins de Barros, FdUos & C, raanifesiou :
Alllnetes 2T5aixas a Si Lotao & Coiinbra, I a
Parente \ lanna & C, I a Silva Neves & C. Apa-
radores 1 caixa a Jasquira Antoni > Poreira & C
Adereco l.c.uxa a.Sllva Neves 4 C. Amoslras 1
caixa a Silva Novos ^ C 3 a Cunha & flanta.
Bnmuertos 3 caixas a Otto 3oheres, 6 a Canha
& Mania. iJutoe-. 1 caixa a Otto Bohres, 1 a Pa-
rente Yiar.ua &C. Bezerros 1 caixa a Parente
vianna & C. Bnncos 1 caixa a Silva Neves & C.
Cirdoes 1 caixa a Otto Bohres, 1 -\ Pereira Si-
nioei 4 C. Co fro da ferro 1 em 2 caixas a R.
Kruckenberg. Cartdes I caixa a Barns Junior 4
L Chapa do granite I a Borstelmann & C.
Ccrveja~?8 caixas a Borstelmann & ti, 52 a
Jose Joaquim Goacalves -eltrao & Filho. Con-
serva-. 4 caixas a llorstdmann & C. Chape03 2
caixas a Chrittiani & C. 1 a Basto Oliveira & C.
Capsulas l caixa a Augusta Caors., 1 a Sa Leitao
& Loimbra. Cimento 300 oarricas aos consigna-
tarios. CacoimtKM t caixas a Sa Leilao & Coim-
bra. Lanella 6 caixas aos consignatarios. Co-
Iheres 1 caixa a Souza e Sa 4 C. Ca leiras I cai-
xa a Pac eco & Azevedo, 7 a Cunha A Mauta. \
Lhapas de mannore II caixas a Pacheco <& Aze-
vetlo. Llia 9 caixas aos consigaatarios
Droga^ 3 caixas a Pedro Maurer 4 C, I barri-
f,a a p-/"''eira & C. 1 caixa a M:.noy| da- Silva
l-aria Si C, I dita e I barrica a Ferreira Maia &
C, 1 caixa ao hospital portuguaz de boneficencia.
Estopa 20 f ird .s a Keller & C. Escova 1 caixa
a Silva Neves & C F.-puletas 1 caixa a Dimin
gos Teixeira Basto, 1 a Monhard Mettler & C. Es-
pelhos caixa a Siiva Neves & C. Etiquetas 1
caixa a Francisco Ramos. Envelopes 1 caixa a
Silva Noves & C. Ether sulphurico 1 caixa a M
da Silva Faria 4 fi
F10 de vela I fardo a Oito Bohros. dito de algo-
dao 1 caixa a Basto Oliveira 4 C. Fitas do algo-
dao 1 caixa a Basto Oliveira & C, 2 a Silva Neves
& C. Frascos vazios 4 caixas a Aiiguto Caors.
Flares arlifn-iaes 1 caixa a Poreira de Meliu & C
Fundas I oriia a Ferreira Maia & C. Faof)es I
caixa a Parente Vianna & C. Parinha de
103 barricas aos
o pipas cum 2400 l.tros da a,jnarde|(a|
Para 0 .Natal, na iwrcs^ Welli mar, earre- '
g.)u : i B de Carvalho 1 barrica com 60 kilos d
assucar Jjfaiir.6
Pa-a o'i?.;t.al, na barcaca Flor da JardinL
carregaram : A. QuI'daL ACS barricas com 125
kilos de assucar braoco.
Para 0 X-dal, na baecaja Cautclosa, earre
g iu : J. B. de Carvalho 8barjteai Com 491 kilo,
de assucar relinado.
I:'00/000
9O94W0
4:0004910
tuYPATAZU
R -.oduAento do dia
doin do dia li.
A DA ALFANDEGA
1 a 13. 7:46692i8
. 740*693
8 40R#921
VOLUMES SAHtPOS
0 dia 1 a 13 ...
-Yimoira pom p' dia 14 .
ieganda port*.....
"Vreeira porta ....
ijuarla porta.....
'r-ipicho ConceigSo .
SiiUVlCO MAlUTiMO
vUaren^as descarregadas on tra^i- .-
4 alfandega do dia 1 a Vi .
Idem idem no dia 14 ,
'a>us atracado* no trap, da a'fandega
vlv,reagas......
^'o tr.tpicho i^nceicSo ....
tit<
(K.'^JiiiDttaiA DE I'.ENDAS 1N1ERNAS
RASS Dt PKRXAWIII0
iend^euto do di* I a 13. 2i:9z8i.:i02
dBB) dodis 14 1:7264700
26 6:i54202
CONSIXADO PROVINCIAL
trigo
Represent n^iaO.
Contra a lei provincial, quo >Jou a* Santa
Casa de Hisericordia privilegio para os cn-
nont >s, prornovciri uma ropresentacao
-gov.rni goral, a qual sera assigiiada
i-1a papula.;Ao.
Si escriptorii do Jornal do Recife,
its Provhicia, America Illustradn,
sjjriaao, Cistre&C, a run da 0\ leia e
'-ola & flafra. no pateo do Paniso, acham
eternp'arusdellas par.i que-a queira as-
-^unr.
coolra-!bg
Segiiro
W* UTERPOOL
INSURANCE COMPANY
SVJ.'NI)ERSBROTUERSA C.
II Corpo Santo11
NORTHERN.
-r.fnl.il..... 20,000:00000l
Aindo de reserva. 8,000:0005001
Agwtes,
Mills Latham & C.
UjA DA C1UZ X. 38.
compLnhia
Phenix Pernambucanu,
1 oma riscos roaDitirnos em nwri diitjjm,
votee, dinbeiro a tiseo 0 Gnalmente do qual
4w natureza, em vaparos, navios a vol;'. 011
'arrows, a preiflios muito modicos.
RUA DO COMMERCIO N. 34.
C0MP4NHI4 ALLIANC4
^j^uros maritimos e terres-
tres estabelecida na Bahib
em 15 de Janeiro em 1870
GAM TAL 4,000:0000000.
ma segu*n ile mercadorias e dinhoiro <
j.oo maritimo em navio de vola o vaoor-i
s*Hi# dontro e 6ra do iiaperio, a*sira coitk-
fotfo sr>))rp predios, gewros e ft
consignatarios.
Genehra 300 fraa.pjeiras a Costa Irinaos & C
20 caixas a J>se Prancisco do Paula Ramos. 500
frasqueiras e 100 caixas a Antonio Fraucisco Cor-
ua, 170 caixas a Luiz Jose da Costa Ainorim &
C., 100 barricas a-s c .naignatarios, 300 fras-iuei
ras e 200 caixas aos mesinos.
Lima* 2 caixas a Parente Vianna & C. Lona9
13 far Jus a Rollrao & Fillio.
Moliili i t caixa a B-uto & Sobrinho, 5 a JL
Rarnosi Machado, 22 a Th. Christiansen. Ma-
chinas iiara costura 3 caixa* a Souia e Sa & C.
Mantciga 3 caixas a Rellrao & Filho. Miudezas 3
caixas a Joa.iuim A. de Araujo & C., 2 a Olio
Rolir^s. i a Francisco Ramos, 1 a Silva Neves &
L., 1 a Cunha & Mania.
Objoctos de viiro 1 caixa a M. da Silva Faria &
C, 2 a Losta 4 Soares. Objectos de aco I caixa
a Joaquim a. de Araujo & C Objoclos de ferro
o caixas a Otto Bohres. Objectos de barro 1 cai.
xa a J. Ramos A Machado.
Ouvid.ig'para Mpiagarda I caixa a P. Vianna &
L. Oculus I r,-.:. Pcrfumaria I caixa a Basio &. Sobrinlio. Papel
\ iii.-iiin--,ai" do dia I a 13
II i:l 00 d: -. li
ItKCIPK
Hendimsoto do dia M
Idem do dia It.
DKAINAGi:.
39:1064010
2:115-960
U: 4214976
11:3354872
19I48:<1
H:527470j

PaiBtT8 -8^ mnn
Cunha & Mania, 2 a Domingos Tei-
10 caixa^
xeira B.isto, 1 a A. Caors. 500 fardos a Magalhaes
& Irmao, 1 pacoie a Ferreira Maia A C, 5 fardo<
a Jose Maia de S. Aguiar, 200 a Luiz Juso da Cos-
ta AflMCin A C Pus de sapato 1 barrica a Pe-
dro Maurer 4 c.
Folhhani 1 ferdo a Monhard Metller &C.
Pentes I taixa a Basto oliveira, 5 a Silva NetM
Jt Phosptases 5 caixas a Jose Maria Palmei-
ra, JO aos c .:i3 guittarioe.
Ulensilios para cosinhii e mobilia 3
souza e Si Voltas uma caixa a Silva Neves & C. Velas
sioarinas 50 caixa- a Joaxi Ignacio da Costa, r>0 a
Jose Leilao A C, L>0 caixas a A. Francs
caixas a
400 a Bellrao &
iaia 4 C, 1 a.>
para
fii
CAS.
Joaquim
c> Corgi. '00 ;>.o: c insjgnalarios,
Filho. Vidros i uiu a Ferreira
hi)spi!.u portagucz de benoQccncia, e ditos
vidrara, 50 caixas a Jeie Jose de Carvalho Moraes.
Vinho do Porto 100 c.uxas a >s consignatari is, dito
Ma teira 25 caixa? aos omsidos, dito Xorez 25
caixas idem.
Barca ingieza Meteor, enlrada de Terra Nova
em 14 do corrente, e ronsignada a Saunders Bro-
thers & Cvmanifastou : .
bacalliao 3 322 barricas aos consignatarios.
Palhabote iogioz Gatne Cock, entrado do Rio
Grande do But, na mosma data, consignado a Bal-
lar .i Dliveffa, man festou :
Con ma kmcos
Xarquo *7,sn:. hHogrammoA, tudo aos consig-
nalariog.
Barca ,portb
data c consignada
Filho, maoifcstou :
Couros seccos it).
Xi qua J0Pj979, kUogrammos a Francisco
da Costa Araujo.
Anninda, cntrada na mpsma
a Joaquim Jose G. Bellrao &
Jose
Barca bra-ileir. R-ipida, cntrada de Liverpool,
na me-ona data B Cuniigaada a Johost >n Pater &
C, manif.'sl.iu
C irvSo de p*5ra i91 toriolnda?, e 8 quintaes.
Preg- 5 caixas.
Zmtco 9 caixa?, 'udo ao barao do Livramento,
Rrii'ii" ia&szCoila, ontrad) da Liverpool na
r'>m. data e con^igaado a SauaJers Brothers A
C, manite Cirvae de p^ra 276 toneladaa aos con*igna-
tarios.
Navios entradoa no dia 14.
Liverpool49dias, barca brasileira Rapkfoi
de 564 toneladas, capilao Joao Soares
Monteiro, equipagem 13, carga cat vao ;
a Jounstou Pater & C
Livorpool48 dias, brigue inglez Coiln, de
175 lor.eladas, capilao Alexander Re l.lio,
equipagem 8, carga carvao ; a Sauuderes
Brothers & C.
Torra-Nova44 dias, lugro inglez Leander,
de 227 toneladas, cap.tao T. Davis, equi-
pagem 13, carga 3,36>barricas com ba-
calbdo ; a Johnston Pater & C.
Terra-Nova35 dias, barca ingieza Miteor,
de 247 toneladas, capitao Ironie, equi-
pagem 14, carga 3,322 barricas cora ba-
calliao ; a Saunders Brothers & C.
Rio Grande do Sul22 dias, barca portu-
gueza Arminda, de 236 toneladas, capi-
tao Joaquim Jose da Silva, equipagem
12, carga 12,350' arrobas de carne; a
Jose Rio (iranile do Snl 24 dias, palhaboto in
glez Game Cosk, do 91 toneladas, capi-
tao Robert Duglas, equipngern 6, carga
6,650 arrobas do carne; a Ballhar Oli-
veira &C
Now-York por S. Thomaz c i'ara21 dias,
semlo eo Mernimack, de 2,000 toneladas, com-
maniante W. Wier, equipagem 75, car-
ga differentos generos; a Henrv Foster
S.'Migu^l pcla ilba Brava29 dins, palha
bote amencano Galeno, de 115 tonela-
das, capitao Jose da Silva, equipagem 8,
em bistro ; a Ju&o do Rego Luna.
Hamburgo 51 dias, pataeho hollan lez
Elisabeth, de 151 touela las, capitao 0
G. Butje, equipagem 8, carga varios ge-
neros ; a Joao Martins de B irrbs & Filho.
Navios snhidosnn mesmodia.
Aracaju c portos intermedios vapor nacio
nal Maiidahu, commandanto Silva, car
ga varios generos
Granja o portos intermediosvapr.r brast-
leiri) Pirapama, commandanto Jose H.
da Silva, carga varios generos.
m so-
-jus aodnfes o loja ar-
.. r'.r'''MJ P'W* i ^. a4. Miguel Joaquim iLi Costa, urn
sobrado de Ires andares c luja ar-
rendadApor I.J604000
D. Maria Cesar.
N. iO. Kviuini Fjilipne da Ctsta, urn
: sobrado dc. dons auaares, t tao eloja
arrendado poc
N. S. Iri'n.indlid? do R.>s:irio do Corpo
Santo, uui solKado do dous andares
arrefniadn por
Prei-'iiena do Santo Anlonio,
Rua do Livruiient-i.
;N. 6. tea* Evangolista do 3a, am so-
brado da dous aOJ&res e loja arrea
dado por
Alterai^es fejias no-laa^amenlo la decinia urbaaa
da freguezia do Pncoda* Pane!la,fio nxercicfo do
1873 a 1874, pelo unfidor Isidoro Theodnl) de
Mattos Ferreira.
.]\ua da Ca-a, Forle. fk
N. 13. Jrwj J.w.|Ulia RitJCi.;;, u;na casa
terrea pur
N. lo. Bonto Jose DprniagOiS, uma dila
por
N. lo A. 0 mojrao, urn sobrado dja,
arrendado pvA AV' JLWft<
N. 19. Jose Jguacio Pereira ia Rocha,
uma casa tetrpa por
N. 23. Ari-tides Duarte Carncirt da Cu-
nha Gama, uma dita por
J,507 S. 29. getdeiros de Joaquina Vhria do
Espirilu Santo, uma i.ila nor
Rua Real.
N. 4. Francisco Jose Alvea Guiaaraes,
2" uma dila por
* Rim do Puco.
N. 13. Uerdei-os do Juio Pacheco deftuei-
10,35, roga, uma dVla per
N. ia. Os uiosmop, uma dita arremhla
por
Largo da Malriz.
20 N. 2. Anrtidea Duarte Carneiro da Cu-
nlia Gama, urn suhrado de urn andar
avaliado por
Rua do Rio.
I N. 4. 0 mesmo, uma casa terrea arren-
dada.pnr
5 N. 6. 0 mesmo, uma dila arrendada por
N. 6. 0 meinn, uma dila arrendada por
X- 10 0 mesruo, uma dila arrendada por
N. 12. r nvsmo, uma dita arrendada por
M. 14 0 mesm >, uma dila_rrendada por
N. Hi. O inosm), uma dila-arrendada por
N. .18. 0 mnsinn, uma dila, arreud.nla por
N. 20. 0 mesm", uma dila arrendada por
N. 22. u meatnoi uma dila arrendada por
N..S3 Luiz Candido Ferreira, uma dila
arrendada por !',,>
Rua do Ouiabo.
X. i. AmaifzH Carolina da Gama Mar-
nier, uma diia divioida cm ires narte.
lui) arreuda^o por ,';;.;.
" Rua da Mangnelra.
N. A Dr.'Jose .Bernardo 6 Alcoforado,
uma dila por
N 10. 0 :i*smo, uma d:t por
GaWt'ireiro.
N. 1. Antonio Luiz dos Santos, uma casa
terrea avaliada para o 2 semestre em
Travessa do Caldeiroiro.
N. 3. Euzebio Raphael Rabello, uma casa
terrea com urn sobrado no fundo, tudo
arrendado por
Caboco.
N. 10 A. Jose Rodrigucs dos Passos, uma
casa terra por
I.' seecao do cii-ulado provincial, I'i
veml.ro 0 chefe,
Eduardo Augusto d Oliveira.
hi de arrematar, a-pnrta dosta repartican, li\Te de
direito de consumo e sajelto ao imp to da capa
tezia, duas caixas numeros 127 e 128, marca A B
M, cr.ntendo gomma taea (lorida, avariada, pesan-
do liquido 213* kiloa, no valor de 90A880, vindas
de Liverpool no navio ingl z Duchess afSuterl nd,
desoarregadas rin 8 o 16 do agosto proximo passa-
4o, e abandonadas aos direitos por Manoel Joa-
quim P-ssoa,
Alfaudoga do Peroambuco, li do novembro de
1873.
O inspector,
!___________________Fi^io A. de G Reis
|) Dr. Delfino
Augu-slo Cavalcante ie Albuquer-
que official da rden da osa, o Juiz de direi-
to, orphans e au-cnles da comarca de Oiinda
por S. M. I, a quern Deos guarde. etc
396*
apof
6605
360i
2i05
14V3
H2J
3401
; Hit
U
81S
844
Hi*
81S
844
8ii
Hit
la comarca
.e Ruarde, eL.
l?aco siborqao Undo sb procelido a arrecada
cao do epolio do F.xoi. finado conselli-iro An'onio
Iguaciode AzeveJo, por have em foito abstencao
da heranca os respeelivos herdtiro*, sao peb> pre-
*.HDte edit d chamad is os credores a mais inte es-
sadue no refori 11 e.-polio i virera habdiur-M na,
forma do regulamento do lo de jtuiho de 1859.
Da lo b passado nesta cidade de Oiinda, aos 10
do novembro de-i87i. E cu o bacharel Francis
co bins Caldas, escrivao o escrevj, Delfino Aii-
gnsW {V.valivinte 3e Vim nici* nie.
,0 Dr. Fr nci'co de \-si- Oliveir.. Maciel, olll-
cial da imperial ordeoi ila Uosa, desambarga.ior
Imu ,rario e juiz de diMlo privativn de orphao.-
d-itormodo Roirife, per S. SI. o 'mperador, a
qucm Deus guarde, etc
p*W sabrr a >s qne o pr**e-'te edilal virpm one
por eslc juizo vai ser arrvmatada em ha-la publi-
C:., por venda, findas iro>- prafis, a motade d... go-
br.idon. 2darua da Iruperalrii, leodo dons an-
dare^ e 3Dl5o, com Ires poitas de 'rente, tendo 28
palmoa de vao c 104 de fu l lo, o armazem e occu-
pado por urn esinbelacimento de molhados, o pri-
meiro andar tern 2 sala*, 2 alcovas e corredor ao
lado, que forma dous quartos, e cozinha fora ; o
segundo andar lem 2 salas, 2 aicva., gabinele e
corredor ao lain, iftle forma dous udaTti*, o sotao
tern dous quartos e eo nha, no juintal tern run
telhei'o e cacimba, e portto para a rua Sete de
Seiembro, o cjtfal e ediftado em cliao foreiro, e
sendu a-alialo por 12:000*00il, vein a ser a me-
tadj de 6:0003 que servira de base para a arrc-
matagao.
\ qual metado do dito sobrado vai a praca por
ordem dede juizo. e deluzida a quantia separada
para o inventanahte o tntordos mem res filhos do
finado Joao Martins Rib"iro, deveri reslante,
lerteneeote a ditos mewires, ser recolhido pelo
am.inataulo, por empreslimo, na thesouraria de
fazeada.
E para que chegue ao conhecirmmto de todos,
mandei passar o p.-eseuie quo >era-publi imprensa o afflxado nos lugares d> costume.
Dado e pasaaJo nesta cidade do Recife do P.-r-
uambuco, aos 4 de novembro d 1873.
Eu, Hyp.iiyto S-ve. escrivii), o sobscrevi.
_________Francisco de Attit Oliveira Model.
u-aas U Iiuras
da a casa n, 2 na an
7n palmos de com
2 salas, 4 quartos, cozintii rora, jar
sitio com diversos p santa casa da mis
para pagaoienli
Henry Gibson:
Idem a parte do
silo li rua do Aroornn, pnrtaiteeut* aoa herdptio*
de Jose da Cunha, avaliada data parle em 710*.
Recife. 7 de uuvembro de 187. 0 aoiicitaidor
da fazenda provincial,
________J. r'irwiiia Curreia de Araujc.
Juizo de .paz (Ja fregiifziTt
do P6f96* >|nella.
De ordem do juiz de paz mn exercicio /az-sa
publico que no dia 19 do curreute mez, as ijlM-
tro boras da tarde depois da audieucia, te b
de arreaiaiar em basta pubhea a quern Biaa*
der, uo lugar do Muntoien-casa de rHdn-
cia do juiz de paz, os trasiaa seguinie* : Ui ca-
deiras de guarnicao, ouas drtas da braco, 1-Wrfti
lado de madeira de jancp pretoreTOiis' nra qoa-
dro com moMnra dourada, repreaeutaudo ama
paysagem suissa, peuhorados a Severino Duarje.
por execucao que contra o mesmo move Gtirgel
do Amaral & C, para pagamento d.- j.
custas.
Juizo de paz da freguezia (frJ PVjco da P
10 de novembro de 1873.
Eu, Mantel FraneiK'o Coeui) Ju' i .r,
que o escre^lr Jr Jr. I
______________Ro-U Lm-
Pela thoaouraria provincial -
que. am obaervancia da ora>ni da nrr-deri
10 do corrente, perante a h)*pcuiva jum
posto em prar^a, no dfa 2o d.j-tn met', o jrrenda-
menlo por trcs anno-, do sitio adjudicado a fazenda provincial.
Secrelaria da thesoirsria provincial dc iVft.ain-
buco, 13-de novembro do 18't.
0 olDcial-malor.
Miguel Alfonso Ferreira
GABI.Ntii: UQUTrjCL'EJE'jJiE UITUR.V EM
PRnSUMBUCil.
(birccloHa.j
Por ordem da direcloria se .'ivisa aos Srs. socio*-
que o Gabmete do hoje em dfante se f.'chara das
dua? ale as quairo horas d tarde, .ale sepi qdj
"Secrelaria da dinxtoria, ti de .^vembro'd
IO/-).
ipalr
ao.
V. Chaves Junior,
1 s.-cri-i-irin.

SAnta. Cecilia,
(i Senhera do
Consulado proviucial.
I68i
I08A
I?S80J
1:0.104
400<
de no-
Cf
OITiUES.
Consulado provincial
M'ara scionria dos contribninles do unpouo da
decima urbana e os e(f-?rtos l-;aes, era'segwda
pubheam so as alteraeoes vamoMai no lanca
menlo do mesino imposto no corrente anno Dnan-
ceiro de I873a 1874, ficando alxrto o prazo a-
reclama^oes, que por ventura possam ter a fazer
i interossados, na forma da lei e regularneolos
respectiv.is..
Alb-raQ54- vprificadas pelo lancador Ja.v> Pedro de
Jesus da Malta, no hftC/MAeptu da decima urba
na da freguezia de S Fr. Pelro Gn-icalvw do
Recife, o qual tern de scryir para o anno de
1873 a 187i.
Rua de D inUqgo* jlj S. 9. Manoel Antonio da Cunha, uma
casalerrea arnmJ-ila jior i4MIO0
N. II 0 inesmji, nma casa terra*
ronlada por
2.6.50OJ
A camara municipal da cidade do Heeile, fat
pnblino para conhecimenlo de todos, e auto qnv se
segno da h!*taHac!m da nova villa -de Sante Aioa-
ro do Jaboaliio, c'p>ssc dos vrreadores da camara
da mesma villa, que (eve lugar no d:a 13 do cor-
rente.
Pajo da camara municipal do Recife, 1'idc no-
vembro de 1873.
Manoel Joaquim do Rego e AlDuqucrque,
Pn si leule.
Pedro de Albuquerque Autran,
Secrelario.
Auto do iustallacao da nova villa de Sanlu Aiuaro
de Jaboatao e po^se dos vcreadorcs eleitos_para
a respectiva camara municipal.
Anno do nascimento do Nosso Senhnr Jesns
Christo de 1873, aos Ireze. dias do mez de novem-
bro, nesta villa do Santo Amaro de Jaboatao. on
de fi;i vindo o presidento da camara municipal do
Recife, lencnie-coroin'l Manoel Joaquim do Rego e
Albuquerque, comigo -ecretario da mesma cama-
ra, para o Bra (Iff instaliar a nova villa de Jaboa-
tao e dar posse aos vereadorcs eleitos, reunldos em
a casa deslinada para as sessScs da camara, em-
possados os Films. Srs. barao de Morenos, Dr. Ma-
uoel do Rego Barros do Souza Leao, leneote-coro-
nel J.ise Tliomaz Pins MachaJo Porlolla e capita
Antonio de Sa Albuquerque, e por nao torcni com-
pare ido .is Sr-. major Manoel de Souza Leao, al-
fercs (gnaeio Francisco Catral Cantunil e major
Jose Francisco do Souza Leao ; e convir.do effee
tuar se lo?o o acto solemne da install.u.ao e posse,
o S>\ presidento empjssante, para completar o nu-
mero legal, coiividon o Sr. tenento Jos6 Francisco
Monteiro, q,uarto sujipjenle, por niorarem disiante
da villa o primeiw ti torceiro. tenenle Eduardo
Carneiro Lea; e apitao Jose Pereira dos Santos'
Alvarenga e o segundo capitao Jose Francisco do
Rego B.rros, pur est ir imp*lidj, visto ser escri*5o
na cidade-do 8<'cifc, verilicados os seus respocti-
vos diplomas, deferid > aos me.-iiio- o jurameuto do
esiylo em urn livro dos santos Ev'aog-lbos ; o Sr
presidente eiapisaanto deelarou in-tallada a nova
villa de Santo Amaro de Jabnata), creada p^Ia lei
provincial n. 1,093 de 2t de maio de 1873. a qu.".i
se compoe das fr.-guezias desle nome e da Muri-.
heca, tendo por lioiites ,:s da< referidas (regbezlas,
o e iiposiwduS os vcreadures da respectiva ca-
mara.
0 que feilo, o Sr. prc-i.Ienle empossante cum-
don Sr. narjo de Morenos, presidente erapossa-
do, a occupar a cadejra presiJencial, oa quaudadej
de vereadur mais volado.
K para consiar, lavrei o presente auto, quo vai
assigna-Jo (wlii president) da caniara municipi! do'
iRecife, voreadoros empossados e r.i.;i pessoa's pro-
sentes.
Ku, Pedro de Albuquerque Ai.tran, secrelario
da camara municipal do tUoiie, escrevi e assigoo.
Manoel Joaquim do Rego e Albuquerque.
Presidente.
Rarao de Morenos.
Dr Manoel do Rego Barro- do Souza L
Jose. Thomaz l>ires Maenad'') PorKHa.
Antonio de Sa e Albuquerque
'emandes Mmiteiro.
Vigario Manoel E*periUi5o Mimiz.
Aiuaro Joaiulm Fofccao Albu-jucrqti-"
Migoel Gcrmano dos Santos Hefeira dc r
Francisco Apoligario Leal.
Atignsto &jsar da Cunha.
Joso Fnracisco d|< R*go Barros.
Manoel Vicente da Cunha Junior.
Luiz Pereira-ie Mello.
Pransci*eo de Paula de Souza Leao Jnnloi
Luiz de Hollanda C^rgloaBte do AlbuqueTfin"
A:ha-se aberlo por 30 dias ntei-, acontar d
hoje, o recebimento dos apparelhos o annuidades
pelo servico da companhia Recife Drainage, cor-
respond-'nte ao trimestro qne lindou em 31 de
dezembro de 1873, Undo o que liearao oseontri-
buiutes obrigados a mnlta de 6 por cento: sao por
tanto chamados p.ra lal fim os proprieiarios das
caanl Ma soguintes ruas : r.u do imperador,
Cadeia Nova, Travessa do Josti, Assump.ao. No-
gueira, Livramento, Marcilio Dias, Sanla'Cecilia,
S. Francisco, Largo da Ribeira, Sanla Rila, Padre
Nobrega, Passo da Patria, Dias Cardoso, Travessa
do Caldeireiro, Yidal de Negreiros, Travessa du
Marisco. Pescadores, Domingos Theotonio, Antonio
Henrique, Jardiui. Trav ssa do Carcereiro, Forte,
Largo do Forte, Coronel Suassuiia, Lmnas Valen-
tinas, Padre Fioriano, Marquez do Hervai, Sanla
Thereza, Travessa da Malriz deSanio Anlonio, Cae
Vinte e Dous de Novembro, Pnmeiro de Marv'o,
Duque de Caxias, Larangeiras, Pas, Nova do Sa .la
Rila, Travessa das Flores, Bceco do Lima, Luiz de
Meudonea, l, Recco do Nascenle, Imperial.Dique,
S. Joao, Travessa da 'MpCordla, Travessa do Puci-
nho, Largo da ConorJia, Ossos, Bocco do Fa cao,
Penha, Largo da Penha, 1." beceo da Camboa,
Largo do Carmo, Travossa do Caldeireiro, Largo
de S. Pedro, Viracao. Travossa de S. Pedro, Tra-
vessa da Viracao, Praca de Pedro II, Travessa do
P-isoto, Chris to vao C'lomlj, llccco da Bornba,
Travessa do Carmo, Travessa das Flores Estieita
do Rosario, Travessa das Cruzes, Travessa do
Queiniado, Camboa do Canno, Maibias de Albu-
querque, Trincheiras, Bari) da Victoria, Cabuga,
Santo Amaro, Calabouco, Becco do Cajil, rua do
Cajti, S. Bom Jesus, Patos Recco Tapado do Ma-
lriz. Exposlos. Largo do Rosario, Travessa da Ou-
vidor, Roda, Traveasa da Rua Bella, Be.vo do
Ciume. liha do Carvalho, Joao do Rego, e Santa
Izabel.
Consulado provincial. 3 de novembro do 1873.
0 adminitrador,
,_________^Antonio Carneiro Vuchudo Rio*.
Edital nf927
Pela inspecloria da alfandega se faz publico. que
no dia 17 do correnle, as 11 horas da manha. a
porta desla reparticao, se ha de arrematar, livres
lo direitos do consumo e suj^ilas ao imposla-da
capaiazia, as mercadorias abatxo declaradas, ,.n-
nunciadas a consumo por edilal u. 87 e qne dei-
Sacan dr- ser despachadas denlro do prazo mar-
cade.
Trapiche Gmceiriio.
Marca M. V. Duas caixas vasia, vindas do
Lisboa pelo vapor inglez Neva, entrado em 2o de
ago>to do correuie anno e consignadas a J R. P.
Guiroaraes, sem valor.
Marca C. 200 aneoretas, vindas do Perto na
barca portugueza No'a Sympathia, cntrada cm 27
do mesmo m>-z, consignadas a Carlos Aires Bar
bosa, contendo azeitnnas brau ras com principio
de avaria, no valor de 9846.-0.
Alfandega de Pernaaobueo, '2 de novembro de
1873.
0 inspector,
Fa'iio A. de Carvalho Reis.
V'eueravel irmandade u>
erecta na igr^a de Nos:
l.ivraaieiito.
Por ordem do Illm. Sr juiz. e do tonforu^irif
com o nosso ompromissu ; e i^ual dcspaclm do
Sr. Dr. jsia-de Cipellas, convid > a i< dos os irniaoa
de-ta irmandade para compaivcerera em .ojsso
consistorio no da 15 do correnle, a 10 horas da
manha, para pro ederraos a elejcao it. nova meea
no anno de l873-7i.
Consistorio, 12 de novembro do 1873.
Amaro Joaquim do Cspirito Santo
_________________Secret arm inlcrifio.
De ordem do Illm. Sr. inspector da Iheaour*
ria de fazenda desla provincia se declara para co-
nliecimento do quoin niterc-sar, que o prazo para
a subsliluicao d.is notas d; 2i0u0 da 4' esaoipa,
lii:da n > dia :t0 de aovemfcro eorrcate, c.jinecaiido
em I" de dezembro via Cmro o de-couto, sendo 10
OjO no p-imeiro mez, 20 0|0 no segnndo, e assim
successivamne nte a extiuccao do valor da no la.
Secrelaria da the-ouraria de fazenda de Pernam-
buco, fOde noveiubro da 1873.
0 secrelario da junta
*____________Jezuino Rodrigues Cardoso.
0 adminisirador da recebedoria de renoas
internas, geraes, sciaatifica dos contribninles do
imposto pessoal quo e nesis mez de novembro que
lem de ser pago sera inulta, o I semestre do e.:>;-
cicio corrente de 18737), e com a mulla defi '.
depois do Undo o referido mez.
Recebedoria do Purnambuco 4 de noremtro ib-
1873
Manoel Carneiro de Souza fMceTd*.
TiEATM
Santo Antonio
EMPREZA
Sabbado 15 de novembro
O drama em o ados :
., M UII 1)011
e o dueto :
0 istndmilfia lara&ira.
Have.ra trem ate Apipucos.
especiiculo scrao di.-lrirmidi>s pr-
\o dia do
grammas avubos.
Principiara as 8 1|2 horas.

- Por ordem do Illm Sr. Dr. juiz supplente
em exercicio do juizo. de direito de cipdlas e re
Siduos tern de ser arremalada per venda por
quem mais dr, no dia 17 do andante, depois da
auiliencia desu mesmo juizo, uma propriedado
ta na ua da P Ima n. 4, pertencenle ao espo-
lio do linado .miingos Jose Barbosa. enja pro
priedade vai a praca a reqoerimento do to-tameii-
teiro daquelle finado, Victurino de Almeida Ra-
b.llo.
Recite. 12 de novembro dp. 1873.
Oescrivao interim),
Thcopbilo Aires da Silva.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A lunla adminMrativa da Santa Casa de Mise
ri -ordia do Recife, mpetmtemonte aulorisada
pela prci-idoncia, em data de 3 .ie seternbro -do
anno proximo find->, e de conforrnidado com o que
Idispoe o % 9.* art. 52 do seu com ro.mi'sso. per-
.miita opr apolices da divida publica, a fazonda (*t
crhr-gados quo possne o palriitlonJp dos esia
jbelecimenlos de caridade a S'm earg.-- dfnamina-
da Carmnba srta no lermo de Flores d/>'
bflfwiflcla, com lerrenos para eriar e nl>- -1
com algum gado cavaUar e ne r- f
Rene be para ito propostas nesta ?
o dia. 10 de dozirohro do oorf^a^ -ecretana ate
Secretaria da saata caw *' aD""-.
cife. 10 de outubro da "' '^rdia do Re-
0 cscrivao,
Pedro Roirigiics de Sou:*.
SANTO ANTONIO.
Domingo 16.
Lspi'dai*!!!** A larde.
Bcncficio da aciriz
Olyinpta Valladas.
e por ella dedicadu a nob re
C1hs.sc caixoiral.
0 progranuna do esptctaculo sera di
em avulsos, no sabba lo.
Principiara .is 8 1(2 boras
!>
THEiVTRO
Santo Antoriio
EMPREZA^VICENTE.
Domin/o 16 de novcmbi'o. /
Em bitnollcio du efro
da Nitcipiiaili* L ttoraria. >'
lludora da
PAACiRAJP*
Represenlar-se ha <. tyr
em tres acios .
'tdlOS.
lens
-iliu-ri.
-H.4:
.p o-quo c
Men
iHlaiia been
iiarr/.
^'.'ica do mar
JPV COL
Termmara o especlacuhj cuiu a r
da c media em 1 aclo :
0 cbSr? Hm,rks
:0
nuH__T
i

X
jr
w m


____J*-'
MSHHHB^G
Diario fce Pattiftmbtito Babbado 15 de Ndttembro de Iff*.
3C
-5
AY. 8 l|ft Mnw. .
N'om dos iatmalloa a eoramissao ira ass c-.
maroles agradecer aos seas convidado^,
"".WRS* MARfThMiS
L1SH0 \
Par* o refer** porto prten*>i>eguir com a pos-
*ivel brevidade brigoe portapiez U. Anna, por
ter ja algowi carga ongajada Pra ue the
alia, que recelw a frete anamodo, trata se coin
os coMigaatariOH Joaquim lose Goucalves Bellrao
A Ftfbo,* Tua do CoromeToio n. S.__________
|o_\ie crochet, c^ales de merino, eollarmhw.Wes
e bordados, jrahas, rttr.ix. traticas brancas C to-
re*, pennas de ae<>, elasticos para Jwrinats eha-
peos de pellocia, castor, roassa, p:tlha, Chile, ma-
nlilia, bunetes do panoo e de seda, ehapeos de
velludo, de palha da Italia, imHaofto, Amazouas,
sapalinhos para baplizados, costumes para rian
gas, flores, ramos, capelhs para noivas, grinaldas
elaslieos j-ara clupes, transpa rentes para j*-
nellas, formaa c perlencas para fabrico de eha-
peos
SEGUNDA-FEIRA 17 DO CORRENTE
as It Kara*
No armazem n. J4, a nra do Marquez de Olinla
- (onlr'era Cadoia)
0 mesmo agente Pinho Borges ach*-c antori-
sado a alugar o annatem onde. eftVctwira o leiU-
atancar avariado d'agoa safari*, r1e *t> earn-1 T?Tl?Ommadeira
gamento do dito navio, raiatoa* m amazem ai-1 jaiiguiumouuiia
fandegado do Barao do Livramento. bo caea dot Precisa-se de tuna periU engomiuaaelra : a tra-
Apollo, onde so efTectuara o leilao ao meio dia do | tar na rua do Bom Jesus, ontrora roa da Cruz n.
dia acima dito.
Para
Pva 0 referida porto pretende seguir com pou-
t demora o brigoe portuguez R-cife por ter a
nsaior parte do eaffegamento tratado : para o
-resto que Ibe faltt rrala-se com os oonsignatarios
Jeaquim Jose Gonjatves Beltrao 4 Filho, a roa ao
Commercio n. 5. _____
LEILAO
DE
foievbs avariadas
Quinta-feira 20 do corrente
A it 1|9 hww.
Por inwrr*wao do agente Pinto, cm seu es-
erinlori) a roa do Bom Jesus n. VI.__________
33, andar.
Precisa-se
de dons moleqaes de (2 a 15 anuos para ura tra-
balho inuito leve : a tratar no tiot-l do Bordeaux
rua Primeiro de Marco n. 7 A, I" andar.
Aviso.
Leilao
Kio de Janeiro
0 palacho dnamarquez J. P. Latsen, segue com
pouca demor* par* este porto, podeado levar cer-
ca de 55 eseravos no convex, por passagem razoa-
vel: a tratar com H. Lundgren. rua do Com-
mercio n. 4.___________
PATAtHO
B. fr4m:isc\.
Para o Rio de Janeiro pretende seguir com
pouca demora por ter dous tercos de seu carre
gameoto engajaJo e para o resto que Ihe falta,
trau-aecora os cansignaurios Joaquim JtiseGoa-
^aiveg^eltrao Filho a rua do Cominereio n. 5.^___
DA
metade do sohrado de 2 andares, sotao e meias
aguas, 9ito a rua do Marquez de Olinda n. ii
(outr'ora Cadeia), o anal esta bem localisado,
da os lundos' para a rua da Senzalla, e rende
annualmeMe todo o sobrado i:2li4*KX)
SEGUNDA-FEIRA 17 DO CORRENTE
As 11 boras da manha.
0 agente Pinbo Borges basUnte aulorisado le-
vara a lerfio o referido sobrado, por conta e rise*
de qaem pertencer.
Os Srs. pretendantes poderao desde ja exami-
nar e torn a r alguin esclarecimento ; no escripto-
rio do mesmo ageute, .a rua do dom Jesus n.S3,
primeiro nndar.
Leilao
DE
2 cai\as com marroquim avariado, conten-
j.. 30 duzias caiJa uma, 1 cofre de ferro,
prova de fogo, t dito francez, 1 iiteiro de
amarello, eovidra^ado.
Segunda-feira 1 do corrente
0 agent? Piuho Borges levara a leilao, por conta
e i isco de quein pertencer, os inencionados objec-
tos a rua do Marquez de Olinda, loja n. 24, onde
lera Ingaro l>-ilao annunciado, de complelo sorti-
mento de ehapeos.
ASH HOBASDA MANBJ.
r-aeifir. Steam Diavi^atiuu Compaq
Linha quinzenal
0 PAQUETE
COTOPAXI
-*spera-se aqui da Europa ate o dia ii de novembro.
depois da demora do costume seguira para o sul
onde rccebera passageiros, encommendas e dinhei-
ro a frete.
OS AGENTES
Wilson Rove AC.
14 RUA DO COMMERUQ1*
Para oRio Grande do Sid
sahira brevemente a escuna prrtugueza Aguia ;
para carga e passageiros trata-se com E. R. Ra
bello & C., rua do Commercio n. W. ______
LEILAO
DE
50 barricas com cerveja Bass, sorlidas, des-
embarcadas ultimamente
SEGUNDA-FEIRA 17 DO CORRENTE
aa ft haras em pwnlo.
0 preposto do agente Pestana fara leilSo, por
conta e risco de quern pertencer, de 50 barricas
com cerveja Bass, sorlidas, desembarcadas ultima-
men te.
SEGUNDA-FEIRA 17 DO CORRENTE
as 11 Ikoras em panto
So armazem do Annes defronte da alfandega.
DE .
L'ta piano bamburguez, i excallente mohilia de
jacaranda, cum I sofa, I jardineira, 4 eon^ilos,
com pedra. 4 cadeiras de braco, i de balanco e 14
de guar tican (em um on uiais lotos), 4 lindos es-
pelhos doiirados, 1 quadro cum 1 nco ramalbete
de flores de escama, I lustre de crystal com 14
mangas, 4 serpentinas de crystal, 3 sane fas e cor-
tinados, 4 pares de jarros finos, tapetes, pannos
de chrochet e escarradeiras.
Sofas, cadeiras e conc/ilos de Jacaranda (aval-
sos) cadeiras de balanco, I piano de mesa, mesas
de jogo, I tocador. lavatories guarda-ronpas, com
modas, camas para casadns, aolteiros e meninos,
cabides, columnas, e esteira, forro das salas.
Uma mobilia complete, de faia hranca, i eta-
gers, 1 mobilia de amarello, 1 mesa elastca, 2
aparadores, 2 ditas torneadas 1 sofa, 12 cadeiras,
2 quartmheiras e espreguicadeiras.
Cm guarda-roupa com espelho, 2 commodas de
mogno, I meia commoda, I estante para Uvros, 2
espelnos, machina de costura, e muitos outres
objectos de casa de familia e existentes no
segund-i andar d > sobrado da praca do Cor-
po sauto u. 19
SEXTA FE1RA 21 DE NOVEMBRO
0 agrnte Pinto levara a Ici'io. por conta de
uma familia qoe llxou sua residencia na Europa,
os moveis e mais objectos acitna ditos, existentes
no sobrado de aailejo da prafa do t.orpo Santo n.
19, segundo andar.
O Uil4i princtpiara as 10 l|2
horfls.
O aiiaixo assignade previne ao respeitavei pa-
blico. que nao se responsabilisa por qualquer di-
vida qnt- ir(Hitrhirem em sou n-ne. os seus 11-
Itios Franiisco de A. Carvalho Siiiucira Vrejae e
Marliniano le A. I'arvalhu Si.|ue;ra Varejao, por
osla razio faz scieute para que nao te chame a
igimrancia.
Recife, 14 de novembro de 1873.
Joaquim Jose de Carvalho Siqueira Varejao.
LIQUIDAfjAO DE FAZENDAS
Vj NA
Imperatriz n. 60

ALUGASE
0 predio n. 28, sito a raa do Barao de S. Borja,
com commodos tiara grande familia : a tratar a
rua da Ponte Velha n. 75, com Roeha Seabra.
Vende f'azendas para liquidar, por baratissirao preco eomo
abaixo sc ve:
Pereira d Silva AGuimiraes tendo em ser um grande depoziti de faaendas^
tem resolvido fazer uma liqui-la?ao das mesmas com grande abatimento nos pr^c/)*,
com o unico fim d ; purar dinheir para a que convidam nao s6 s sous numer>.so*
freguezes, cmo o respeitavei pu blico, a vir surtir so de muius fazeudas, bos ebarata*
no seu estibeleciment i denominndn oPav5o raa da Imperatriz n. 60.
No dia 3 do corrente max fugio do engeoho
Timbo-Assii, freguezia de Ipojuca, o escravo Joa-
quim, crioulo de cor fala. chcio do eorpo, esta-
tura medianna. dentes iimados, sera barba, e
representa ter 22 a 23 annos. Foi escravo de I.uiz
Autonio Muuteiro, de Moxol6, sogro que foi de
Andre Cavalcante Arco.- v"erde, para onde sup-
pde-se ter ido. Quern b apprehender e leva-lo ao
dito eogenho, ou no Becife a rua do B >m Jesus
n. 31, escriptorio, sera generosamente recompen
sadu.
Precisa-se de 6 a 8 contos de reis a pre-
mio, dando-se por garantia hvpotheca em predios:
quem quizer este negoei-i deixe carta ne-ta ty-
po t;raphia com a> ioi<'iaes T. G., ou annuncie^
Ao coinwercio.
0 Sr. Nelson de Serra Lima nio e mais oaixeiro
dos abaixo assignadns, de?de esta data. Recife, 13
de novembro de 1873.
Frederico Pinto 4 C.
CAMBRA1AS A M>, i500, 59, 69 79-
. 0 Pavao vende um magnifn o sortimento
das mais finas nambraias brancas transpa-
rentes, tendo 10 jardas cada pe^a, pelu ba-
rato prer;o de *9, 4^500, 5?5, 63, tendo tam-
bem das mats iinas que custumam vir ao
francez tnuito fino a 39000, apenas precisa
I. /* metro para um lencoi.
CHALES B RATOS
a 4, 29500, 49.
0 Pavao vende cbales a emitat;3o de me-
riti6 a 22>, ditos de merit)6 lisos de todas asr
Para Lisboa
segaira com brevidade o brigoe portuguez Bella
Figueirense; para carga e passageiros trata se
;om E. R. Rabeilo & C, rua do Commercio nu-
inero 48.
PACIFIC STUM NHVIEI1110K COM
PAMY
I.inltu quiuzenul
0 PAQUETE
ILLIMANI
ospera-sedos portos do ^ul ate o dia 21 le novem-
bro, e depois da demon do costume, seguira para
Liverpool, via S. Vieeste e Lisboa, para onde re-
tebera passageiros, encommendas e carga a frete.
OS AGENTES
Wilson Rowe A C.
14RUA HO COMilER'.in14
Para o Aracaty sahe nestes diaso hiale Ma-
ria Amelia, capitao Francisco Thomaz de Assis,
tem parte do sou carrejjament i eng.ijado, para o
resto que lhe falta, trata so com Antonio Alberto
de Sowa Aguiar, a rua do Amorim n. 60.
Para Lisboa
seguira brevemente a barca pottogueza Gralidao ,
para carg. o passageiros trata se i >m E. R. Ra
bello A C, rua do commercio n. 48 _______
Rio Grande do Sul
O patacho nacional Fortuna sepue para o Rio
to engajado ; e para o resto da carga deyem os
pretendentes eolender se com Silva -\ CaseSo, es
criptorio a rua do Marquez de ulinda n. 60, pri-
meiro andar._________________________,
Para o Porto.
Segue com brevidade a barca portugucza S.
Mauoel 11. R-'cebe carga e passageiros :.a tra-
tar com Titn l.ivio Soares, a rua do Vigario n.
17.
ilLOB.
LEILAO
DE
2Q caixas com cebolas
as 1 I horas la m.tnha
SABBADO 15 DO CORRENTE
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
tvmla e risco de quem pertencer, de 20 caixas
com cebolas, para fechar cuntas.
No armazeir, do .Vnnes, defronte d'alfandega.
Ildje
A's II horas da manha.
LEILAO
DE
175i barricas com baealhdo, reodoteraente
cbegadss no briguo ioglez Eduard Wi-
tty
Hoje
A'S 11 HORAS DA MANI1\
Jio trapicbe da compauhia pe-nambucana.
0 agente Pinho Barges, antorisado, levara a lei-
lao, por conta e risco de quem |eriencer, asm-
praditas barricas com haca'hao, em loles a vmita-
Mis aompraJfres ; onde cspera a concurrencia
dr-s seus amigosa Ireguezes
Por casualid!*foi nnuunciado pira o dia K
----------------------
s>
DE
fazendas limp is e avariadas, miudezas, ehapeos
para homenr 8 menino*, para senhoras e nieni-
nas, ar igos de phantasia e mitros innit n
ASlBHIl:
Chitas de cores, madap >li, bri.u branco, reda
decdres e bnaca, alg->da" az d^apaieao, rasemi-
ias de cores, corte de tlita, ba^qiifas d'tseda, caia-
LEILAO
DE
pianos, moveis, louga, crystaes, objectos de
electro-plate, 1 bote, 1 vacca com cria,
1 selim e 1 sithao.
A SABER:
Um piano forte do fabricante Chickornig Bos-
ten, i mobilia de jacaranda (massica) 1 estante
para musica, tapetes, candieiros, quer para azeite,
quer para gax, 1 candelabra. 1 mesa de jogo, en-
feites de mesa, quadros iuurado-, pinluras i oleo,
2 telescopios, cadeiras americanas, 2 almoladas
1 excellente piano de armario de Bauselt & Fdhos.
una cama de ferro com pcrtencas, I lavatorio
e perlencas, 1 commoda grande com 11 gavctas,
1 mesa oval com pedra, 2 espelhos, 2 porta-toa-
Ihas, 1 apparelho para lavaturio (gosto rhinez).
Duas camas de ferro para solteiros, i dita para
menino, 2 commodas, 2 lavatorios, 2 espelhos, 1
eama grande de ferro, 12 cadeiras, 2 porta tua-
laas, 1 guarda-roupa e 1 guarda vestido.
Uma mesa elastica, I gnarda-louca, I aparador
cum tampo de marmoie, 2 quartmheiras, 1 relo-
gio, quadros cum flnas gravuras, 2 lindos pa roe, 2 ni'.'-a. 19 caUeiras, l si-rvnj rhinez, l tin-
do sortimento de eopos, garrafas, calices de fino
crystal, garfes, facas de cabos de marfim, objec-
tos" de electro-plate, 4 candieiros, 2 caaeira3 de
braco, louca para cha e jantar, lalas, Flandres,
trem de cuzinha, 1 fogao americano, c muitos ou
tros accessorios.
Uma magnifica secretaria de jacaranda, I es
pingarda de 2 canos e suas perlencas, 2 pistolas,
1 burra de ferro (cofre). e um t >noj
Terca-feira IS do corenle.
Na Passagem da Magdalena.
Rowland Brotherhood tendo de fazer uma via
gem a Europa com sua familia, levara a leilao, por
intervencao do agente Pinto, ns moveis o mais
objectos acima mencionados, existentes em casa
de sua residen ia na Passage.n (becco do Come-
dado) ultimo sitio a direita da entrada do becco,
no oitao da casa do Sr. commendador C^ndido Al-
berto Sod re da Motta.
A's 10 l|i partira da estacao da rna do Brum
um bond, quo conduzira gratis os concurrentes : o
leilao.
A's 10 Ij2 horas em ponto.
LEILAO
DOS
utcnsilios, bmfeitorias, faznndas e dividas
da padaria da rua Imperial n. 135
ao correr do marteUo
'IVrq.-feira 18 <1o CO'rente
0 agente Martins fara leilao, por conta e rise i
de quern pertencer, de dous cylindros, masseira,
tend>.'deira, caixoes, latas pira depusito, panacuns,
toaihas, halcao, carteira, balancas, encanamentos
d'agua e gz, barricas com farinha de trigo, bola-
chas, massas, toros do manguo e mais utensilios da
padaria acima,- que serao vendidos por junto on
em lotes, ao correr do nartello.
Na mesma occasiao serao vondida- as dividas
activas da dita padaria, cuja relaqao se acha em
mao do respeclivo agente, onde podem ser exami
nadas.
A's 11 horas do dia acima na mesma padaria, a
rua Imperial n. 135.
LEILAO
DE
predios
Quarta-feira 19 de novenbr
S E N D 0:
Uma casa terrea n. 23 na rua da lluia.
lima dita dita n. 47, na mesma rua.
Uma dita dita n. 7, na rua das Aguas Vei -
des.
Uma dita dita n. 11, na mesma rua.
0 agente Martin* fara leilao, coinpetentementc
autansado, dos prcilios acima, que podem desde
ja ser exammadiH pelos pretendentes, e para
qualquer explicacao enteudam-se com o mesmo
agente
0 leilao lera lugar as II- horas da manha, no ar
mazein da rua do linperador n. 48.____________
DE
cerca de-iOcaxas com assucar, avariado
QUARTA-FEIRA 19 DO CORRENTE
Ao meio dia
No trapiche .lo Barao do Livramento, no
cans do Apollo.
A. Lindinann'capitS*, do patacho allemao Aean-
fa, vindo de Ar c^jii eom cairegamento de assu
car, com dwtinn a Falmonth, eulrado neste porto
com >gua a,beria. fara leilao, com licenca do Sr.
inspect >r ila ah'sndega, em presenca de um em
pregado da mesma rpparlican, para o fim noma-
dn, co n a--isteuei;i d<> cDnl do imperio allemao,
per mterv.-ncao d> agente PiBt'>, e p-r conta e ris-
quem peri^ncor, de cerca do 20 caixas com
Casa de penhores
LEILAO
No dia 24 do corrente se fara leilao, por inter-
venes do agente "artins, dos penhores Constan-
tes das caulellas aoaixo declaradas Os donos das
cautelia* podem resgata-las e refonnalas ate o
acto do leilao, na travessa das Cruxes n. 2.
M. 938, 104$, 10-1, 1064, 11 3, 1162, 1220,
1231, 1268, l<83, 1420, 1435, 14>6,14>, 1300,
1'02, 1303, JS28, 1540, 1565, l->83, 1604, !6l6,
1638, 16 6, 1659, 1673, 1685, 1709, 17<8, 1733,
1735, 1739, 1743. 1748, 1771, 1784, 1791, 18"3,
1812, 1861, 1868, !8 198\ 20(17, iOIO, 203 2044,
2094, 2129, 2138, 2141, 2143,
2184,2192, 2205,2207,2213,
2231, 2232, 2249. 2254, 2261,
2277, 2296, 23 < 2, 2324, 2331,
2371, 2372, 2381, 2391. 23%,
2412,2421, z4i5, 2i28, 2432,
2443, 2446, 2448. 2449, 2454, 2it>6, 2469,
2476, 2477, 2478, 2481, 2 82, 2485, 2486,
2*95, 2498, 2i9', 2502, 2503, 2309, 2513,
2523, 2531, 2536.2554, 2557,25-9,2560,
2570, 2--.7I, 258 2-85, 2595, 2598, ?600.
Cautellas B. Ns. 10 B, 25, 29. 40, 53, 64, 87,
91, 142, 159, 170,171. 194,208, 212,220,222,
223, 227, 2-J3, 234, ia, 335,371, 375, 417, i54,
499, 504, 515. 547. 566, 577, f-81. 584, 585,
592, 620, 633, 651, 657, 66 ., 687,692, 707,
739, 74", 742, 745, 746, 718, 751, 752, 759,
761, 7n5, 767, 769, 771. 781. 785, 790, 802,
8(.'7, 810, 812, 815 87, 822, 823, 82, 839
842, 856, 864, 882, 886, 8*, 889,892, 897.
1832, 1835, 1840,
1913, 1923, 1936,
2050, 2061, 2078.
2'44, 2165, 2 77,
2219, 2221. 2229,
2264, 2270, 2275,
23>2, 2365, 2:(68,
2397, 2402, 2403,
2441,
2i74.
2487,
2517,
2567.
Em Olinda
mercado.assincomoum grande sortimento eoros a 2500, ditos de menn6estampados,
de ditas tapadas e victorias que vende .le 49 muil fin"sa 4S ,,tos,. nnissitnos com lis-
ate 8?,sendo lazenda quevallo muito mais trasdeseda a *o00, ditos muito fiuos diuheiro. | cropom a 108 e 12.
COM SALPICOS DE CORES A 59. | Alsadaa c-iiIcnIa.lo a 19 e !-?.
0 Pavao recebeu um elegante sortimento 0 pavfio veode |KOdao eufestado com 8
de cambraias brancas com bonitos salpiqui pa\,ns delargura, proprio para lengow
nhos miudtnhos de cores, tendo 10 jardas ^^ do j^^ encorpado que tem vindo ao
cada corte de vestido e vende pelo barati) inercaj0t iis0 n i|j avara etrarojadoa_____
preco de 5i?, por ser pechincha, ditas com jAggo.
salpinos todo branco sendo fazenda iinissima; ATOAI.IIADO A 155600, 29, 5^.
a 79500 e ditas a 39000. q Pavao vende otoalhado tran$ado com H
PEfiTrnAS i l n n* rnRTF I9 Ipalmosde largura a 19"20 e 19600, dito-
\EsllJObALS0DA C0R1E 129 Umascado a 29, dito de iinho adanttsca-
0 Pavao vende um bonito sortimento de _. ,.-.
, i j no a cortes de vestidos a uso da corte, trazendo
SEDA PARA VESTIDOS
a i9>00e29.
0 Pavao vende um bonito sortimento d<*
Aluga se um excellente sobradinho com bolas
de vidro, na rna de S. Pedro Novo n.... com com-
modos para grande familia, o melhor lugar para
quem quizer f.-^er uso dos banhos salgados: a
tratar na praca doJCrpo Santo n. 17,1* andar.
0 adnnnisirador da massi fallila de Bostoon
Booker & ',, em observancia do que foi determi
nado pelo Sr. Dr. juiz do commercio e de confor-
midade com a annuencia dos credores, faz publico
que vai ser pos to a venda per leilao, us direitos
que a massa tem sobre os terrenes de marinha o
o sitio da Torre, enjos direitos dos terrenus sao o
dominio e posse que tem na metade dos ditos ter
renos, sitoi no caes do Bamos e no sitio da Torre,
em consequencia do julgado pelo Sr. juiz dos fei-
tos da fazenda desta cidade, julg.do que pjnde por
appellagao.______________________________
Caixeiro.
Precisa-se de um caixeiro com pralica de mo-
Ihados e qne queira ir para uma casa boa em San-
to Antao, dando tiador de sua conducta : dirijase
a rua Direita n. 14, a tratar com Jose Tavares
Oarreiro 4 C.
c-da c6rte todos os enfeiies necessarioscomo
sejam: babadinhos, entre-mtios, rendas,
rcqucfifes, e vende pelobarato pre^o de 12?
cada um, assim como, df os a 2 de julno! ^^ co"m iJ^Hnhas proprias para vesti-
com todos osenfmtesa 109. cortes de cam- dos Uc me,,inasede seuhora a 19600 oco-
braias brancas arenas, com listras e lav res vaJo> ditas lavradinhasa 29,ospadr6es sao
a 69, ditos fimssiinosa 89, ditos de cam- muito bonitos o vende-se por este preco para
braia branca com listras de cores, para aca- j aC8Dar.
bar 39500, e pechincha Botinos a 56000
rnBTirc ROfininns i qn v *u* Paviio tem um completely sortimento de
CORTES RORDADOS A 209 E 359. botinflS ,nuilo bem enfoitadas pHra senboras
0 PavSo vende r.cos cortes de cambraias ^ bi4_al0 -e & artig0 qut>
^S^mS^T^' ^-moutra^ualquerpLecusta^e^.
CASSAS FRANCEZ.AS I ^*J^
a 300 rs, o covndo 0 Pi-vao vende len,os brancos ab-inbi-
0 Pavao recebeu um grande sortimento j^doii tant0 p.rahomens'como para senhorjs,
do cassas francezas com delicados padr6ese'a 2-e 3951-0 a duzia, ditos de esguiao e
cores fixas, que vende pelo barato preco de cambr 477,
590,
728,
760,
806,
840.
AVISOS Ov-HSOS
HBIiATA
buiuiugo, 10 do oorrent regata enire os cscaleres de guena do arsenal, da
alfandega, capitania, praticagem e amadores, e do
commercio.
A's tres horas e meia em ponto partira 0 primei-
ro pareo.
"" ponto de partida sera determinado pelo vapor
linperador, que esiara fundeado em f:enle dos ar-
mazens da Compauhia I'emambucana, tendo a a-\\
bordo a coiumissao Bsealiaadora da urdem da par
tida.
0 pouto de chegada sera determinado pelo va>
|i ,;'."(;/!.iraijibe. qu'.' esiara fundiado na bn'a da
Co upauhia Krasileira, e tera a sou bordo os juizes
quo sao os Illms. Srs.commandante da divisao na-
val Jo 2 dislricto, capitao do porto e inspector do
arsenal de marinha.
0 signal da partida sera um tiro de pega dado
pel > vapor Imperudur.
flaver.io n seguintes paroos:
!, e-caleres de 6 remns, alfandega, p aticagom
e arsenal.
2", amadores inglezes, escaleres do qoatra ra
mos :
He/trees -----capitao Hinner.
Meteor------capitao Imire.
3", pareo de 6 renos dos vapores Paroense c Re-
cife
4\ pareo do 4 ramos lo arsenal e capitania do
porto.
.)', paroo de 8 remos dos vapores Paraeuse c
Recife.
ii5, pareo de 12remos do arsenal, Paroense e
Recife.
0 ultimo pareo sera 0 do vencedor dos venco-
dores.
Nosponlos de partida c chegada esiarao musicas
para tocar nos intervallos, a-ssnn como no vapor
Recife, c anetsd do marinha, quo esta a franco ao
pu M ieo.
Tenninadas as corridas, far-se ha a distribuieao
dos pr^inios aus vuncedores por uma commissao
de souhoras, no pavilhao armado uo arsenal de
marinha, para ease fun, em presenca dos juizes,
director da regata e S. Exc. o Sr. prosidente da
provineia,
Uuran'.e esta ceromonia, tocarao t 'das as mu
sicas, em roda do navilhin.
No dia 21 docurnui^-, uop-i-- u. au.i.cu^ui
do Dim. e Exm. Sr. desembargador juiz de or-
phao, irao-a p.-aca por arrendamento as seguin-
tes casas : rua de Vidal de Ncgreiros n". 188, tra-
vessa da Mangueira n. 9, rna do linperador n.
29, caes 22 de Xovtmbro ns. 6 e 24, larga do Row
rio n. I, sitio e casa do Huspicio n. 81. 0 escrip-
to se acha em mao do porteiro das audiencias
(Eserivio Urito).
De ordem do llim. Sr. iu.-peci>.r ua uie,u-
raria de fazenda desu provineia sao convidados
pelo prefente os hcrdeiros do fallecilo I' cunfe-
rente da alfandega, Pedro Alexandrino do Barros
Cavalcante, para no prazo de 30 dias,que lhes flea
mareado, a contar desta data, allegarem por es-
cripto, 0 que for a bem de sen direito, produzirem
documentos, etc., smre a tomada de coutas do re-
ferido I' conferente pelo lempo que servio iuteri
namentc de thesoureiro daqnella repartiaao, a con-
tar de 9 de julho a 3t de agosto de 1865.
Secretaria da thesnuraria de fazenda de Per-
nambuco, 16 de novembro de 1873.
O secretario da junta,
Jcsuino Rodrignes ''.ardoso.
I Precisa-se do um caixeiro com pralica de
moihados e que de fiador a sua conducta : no
largo da Ribeira n. I. _j_________
Aluga-se nesta povoajao uma boa casa, pintada
de novo, cum mobilia de jacaranda na sala da
frente, quintal murado e portao que se cummuni-
cap.raorio: a tratar n > largo do Oorpo .Santo
n. 4, andar.
No 2" andar da rua do.lmperator n. 38, pre-
ci-a se de um l>--m cozinheiro e um enpeiro, quo
afBanc sua conducta.
iff VIR
0 Sr. Antonio Heurique de Miranda, empregado
no arsenal de marinha, queira vir a rna do Im-
perador n. 28, a negocio de seu interesse.
Moleque.
Precisa-se de um : na rua da Soledado numc-
ro 28.
Ainda sc precisa do uma ama leite, que
seja mo<;a c sadia : na rua do Capibaribe
n. 40._________________________________
Precisa-se deum- >zi-
nlieiro para o Hospital Por
tuguez: a tratar na rua Pri-
meiro de Marc.0 n. 13.
a
pode ser pmcurado a qualquer hora do r_/
dia ou da noute para objecto de sua pro- Q
fissao
Consultas do meio dia as duas horas
da tarde.
Gratis aos pobres.
Especiatid des.=MolestiM da pelle, de g
crian'.a e de mulher. rg
Kmprega no trataraento das molestias Q
do sua especialidade as ducAaf frias e O
banhns a vapor, para os quaes trouxe
os apparelhos mais modernamento em-
prcgados na Europa.
Tambem applica com grande proveito
no traiamento das molestias do utero a
electricidade, pelo processo do Dr. Tre-
_ pier. Cura p.ir um processo inteiramento
J novo as btennorrhagias e sobre tudo a
9(8

jotti militar) dispensando as injeccoes.
0
ft
ft
MEDICO-CIKURGICO
DO
Dr. J. ii. Curio
9
J*
m
ft
ft
Rua do Marquez de Olinda n. 2, Pri-
meiro andar.
Consulta das 9 horas as 11 da manha. 37
Chamad-is a qualquer bora. ^gf
(S^^r-ftftftftftft ftft^.ft9
i ?
A Coiisullorio fiieiKc-ii-i-irurgieit y
DE ^
A. B. da Silva Maia. g
Rua do Visconde de Albuquerqao u.
11, outr'ora rua da ma'riz da Boa-Vista
n. ii.
Chamados : a quaiqner hora.
Consultas : Aos pobres gratis, das 2 as
4 horas da tarde.
i
%
1
Precisa se de uma escravt para cozinhar
e comprar : na rua Primeiro de Marco n. 23
oj______________________________' _________
Aviso.
Jo-^e Thales de Mello & C. scientiflcara ao res
peitavel puhlio e com especialidade ao corpo do
coinmercio que, da data de hoje em diante. deixa
do ser se.u caixeiro o Sr. Arthur de Moraes Silva.
Recife, '4 de novembro do 1873.
Silio.
Aluga-se ura sitio era Beberibe, com ca.-a pro-
pria para familia, perto do banho : a tratar na
rua da Cadeia n. 36.
300 rs, o cjvado, organdy branco e lis-
tado e de quadi-inlios a 640 rs. a vara fi-
nissimo fil6 branco liso o do salpicos, e tarla-
tanas do todas as cores.
RORNOUSA 129.
0 Pavao vende um bonito sortimento dos
mais modernnsbornous combonitas listras e
vende pelo barato preco de 129 cada um,
assim como urn elegante sortimento dos mais
bonitos abates demerind e com listras de seda.
LAZINHAS A 320
0 Pavao vende bonitas laziuhas lisas,
sendo verde e car da lyrio, po o barato preco
de 320 rois o covado, assim como delicadas
laziuhas do quadrinhos a 280 reis, d pe-
chincha.
fwraiiadiiies a <4 lO
0 PavSo vende urn elegante sortimento
da- mais bonitas granadines ou gazes de
i '.; para vostidos. tendo de todas ascores
j .uride pelo barato preco de 640 reisoco- :
i .j:__r.-__r i i todas pretas com listras e salpicos, vado e granadtne preta com listras de soda .. 1...... ,..
a 19800.
3^500, 49, 59, d tos francezos escuros, para
rape (i IW, a duzia.
CAMISAS PARA HOMEM.
0 Paao vende ricas camisas com peilo
de linho bord das, proprias p ra noivo a
10(5 e 129 cad uma, ditas de linho sen se-
rem bor 1 das 49, 49500 e 59, ditas com
peito de algodao muito finas 29, 29500 e
39, ditas de etiita lina miu !itih> a 29,29500,
e39, ssim como grande sortimento de ce-
roulas francezas tatito do linho como de al
godau de 19600 ale 39, gr ndc sortimento
le mei s cru s inglezas de 49 aW 89000 a
duzia
FAZENDAS PARA I.UTO.
0 Pavao tem um grande sortimenw de
fazendas pret s para Into como sejam : c?s-
S'S, las, ou laziuhas lisas que vende a 400
e 500 rdis o .covado, bombazinas de 19600
ate 29 o covado, cantao a 19 e 19200,
granadine lisa com listras, cassas e chitas
LAZLNHAS A 360 0 COVADO.
0 Pav8o vendu bonitas laziuhas transpa-
rentes com palminhas a 360 reis o covad ',
ditas ditas indianas com lindos dezenhos,
tanto em listras como em quadros a 280 rs.
todas pretas c lavtad.'S de branco, merinos e
outras muitas fazend s apropri das, que se
veude por menos do que em outra quarquor
parte.
MADAPOLOESENFESTADOS
a 39000
0 Pavao vende pecasdemadapolao enfea-
o covado, e grande sortimento de alpacas c tadocom 12jard sa 39, dito a 33500, dito
com 20 jardas a 59, 59o0u e 63000, dito
com 24 jardas de 59 ate 89 e 109, sendo os
mais finos que tera vindo ao mere do.
Algoilaoziuho a 4?000.
0 Pavao vende pecas de algodaozm&o
inuito i Dcorpade a 49, dito a 59 e 69.
TAPETES
CORTES DECASEM1RA A 59.
0 Pavao vende um grande sortimento de
laziuhas de 40o a 800 reis.
CHITAS f)E CORES
a 20", 24t), 28)I e 320 rs.
- 0 Pav&o vende um grande sortimento de
bonitas chitas tanto claras como escuras e
vende de 2iK) ate 32o rs., assim como ditas
com listras aolado muito finas a 360e4 rs., finissimas percales miudinhas com lin*
dos dezenhos a 360 o 400 reis, garantindo
serem odas do Cures fixas.
COBERTAS A 29, 29500, 39, 49.
0 Pavao vendo bonitas cobertas de chita
com ramagem grauda, polos baratos precos cortes decasemira par* calgas, com bonitas
de 29,2930', 39 e 49, ditas bncarna forradas a 59, ditas defustao branco e de cor 79, 89. ate 109, superiores casemiras fran-
cora barras a 49 e 59, ditas decrochepara coz se inglezas, para covado, de 39500 ate
cama de noivo a 69, ditas muito ricas a 169, 6#, paunos pretosede c .res dos mais -bar.*-
ditas de damasco a emita<;So de seda a 109 tos o mais finos que tem vindo ao mercido,
e 149. por prejos muito razo vois.
FitsUtes Bottpa feita
0 Pavao vendet'ustdes brancosede cores,! 0 I'avao, tem constatitemente um grandt:
sendo as mais bonitas cores quo tem vindo ao sortimento de roupas foitaspara homem, que
mercado, tanto para roupa de criancfsco.no yende por preco muito em conta, como se-
para vostidos P roupas de homem, e vend" jam :
pelo barato |>r -X) da 360 ate 1, o covado. | Cnlcas do brim du cores de 235f>0 at^ 63.
BRAMANTE8
a 13600, 2^2 0 e 29500.
0 PavSo vende bramantes de algodao com
10 palmos de largnn para lencdes, pelo ba-
rato preco de 136 0. rtito do liuho com a
mesma largura a 23, 29200 e 29500, dito
Cortes de chita a 9, S9&00 e
35000.
0 Pavao vende cortes de chitas ascuraso
claras com 10 covados :ada c6rte, pelo ba-
ratismo prngo de 23- 23500 e-390i0.
COHTES DE BRIM A 19400.
0 Pavao vende cortes de brim pardo para
calga, a 19400. Ditos de cdr, fazenda mui-
to boa, a I3J6cO.
Espartilhos a 3^ e 4|000.
0 Pavao vende os mais modernos esparti-
lhos, proprios para senboras e meninas,
pelos barati-si'iios pregos d* 33 o 4-3000.
Ditos muito superiores, brancos o de cflr, a
53 e 69000.
Ditas do casemira escura a 33500.
Pnlitotsda mesma fazenda a 43500.
Calgas de brim pardo de 29 ate 5)5.
Dd s de casemin de cdrde 7)5 ate 12d.
Dit s do casemira preta de 79 ate 140.
Palitots do panno pret > de 49 ate 123
Fraques de panno preto fino de 203 ale
3590OO.
Calr. s brancas de linho de 49 ate73.
Colfetes de casemira de cor do 39000 fttti
59000
Ditos de dita preta do 43 ate 79.
Cortes tie la a 43000.
0 Pavao ven lo bonitos cortes do lasiniid-,
padrdes miudinhos com lin las cores, iendo
15 covados cada corte, pelo barato precc
49000.
CORTES DE ORGANOY A 39000 e 33500.
0 Pavao vende rdrte de organdy branco.
com listras e quadrmhos. sendo fazenda mui-
to ftna. pelos baratissimos prefOS
33500 o c6rte.
de 39 a
Ceroulasl'r ncezas de linho e algodao, para todos os precos e qualidades, assim
como granilesortiinent) do meias cru s, ca.misas, colennhos, que tudo so vende po-
precos muit > r. zoavois".
Para 0 amanhpeer do dia 6 do corrente fu- 0 lllm. Sr. Dr. Leopoldo Csar Duque Eslra
giodo eogenho llcrrigerante 0 escravo Ezequiel, da, formado naacademia de Pemamhneoem 1873.
de idade do 0 annos, pouec mi is (u mpnos, -6r fllho do lllm. Sr. Joaquim Leopoldo de Figueiredo,
fola, barba serra la, b^ixo eespadaddo, falla roan- e mamado a loja de Amaral, tfabuco AC, roi
sa, levou chapoo de cotir^ e um matulao nan mu Nova n. 2, a negocio que nao ignora.
pa. grata de andar de prawn, e nitmal do Br p-------------------------------------------------------
da Madre d 1 i-ns, elm fara li no Altinho : Precisa se de um caixeiro flel e activo, que
quem o pegarlevge ao dito oageuho, ou no enge- de 'onhecimento de sua conducta : ao largo da
nho Bfwque que |W4 bera recompensado. Santa Crnz n. It.


.___ J&.. ^
aaaW
-
I
*$*
Diario de Pernambuco Sabbado 15 de Novembro de 1873.
Companhin ferro Carrll d Per
namlu<-< (outr'ora PePmamlMieo
Street Railway .
Convid.i ,1 todos us pos-u, liilhet-it de
passagKin n is cirrus i|e>la cmiipauliia, aimla ens
lenlts em ':irviila';."in cihii a assignalur* de H
li. Swift, .Wi In-.i-r. a tra8los an m-co |.r iihi-ir> nd i'-ii;ili.ri da oonipanliia a ro dc
llritin, rin Inil.is us dias utris, das 10 hums da ma-
nia as .1 da i.uilc at* M do d<-ziMiiiir proxiiH"
vinaluufu ; prevenindo, uuiro siiu, que os ditos bi
Iheles serao reputados sem mais valor para qual
quer efleito, a partir do l. de Janeiro de 1874 em
dianntc, os termos do aviso do miimterio da ft-
zenda de 6 de agotto proximo passado e da por-
taria da prtsidenoia desta provineia tie 6 de ou-
tnbr corrente.
Recife, em 7 dc outnhro de 187-1.
0 gerente,
Gustavo Adolpko Schmdit.
MOT
ft
56
aRua do Marquez de Olinda 56 a
(outr'ora rua da Cadela)
LOJA DE MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recommen-
dado pelos grandes depositos e bons sortimentos com que sempre prima em ter da*
melhores, nais acreditadas e verdadeiras machlnaa americanas para algo-
dao, desde 10 4 60 aerrai, e havendo em todus os tamanhos diversidades de syste-
mas e melhoramentos para perfeito e rapido descarocamento ; tornam-se dignas de
erem vistas e apreciadas pelos Srs. agncultores; os quaes, alem disto, enconlrarSo
tambem mais :
Apurados vapores locomoveis, de forca
de S'/t e 3*/ cavallos com todos perUncjas
precisos para trabalharem 4 machinas para
algodao, ou para outro qualquer mister.
Machinas para lavar roapa.
Arados americanos para varzea e ladei-
TBl.
Caxros de mio para atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanbado.
Ditos com valvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guards-comidas.
Tampas para cobrir prates.
TarrachAS para fazer parafuzos de ferro.
Dita dita ditos de madeiras.
Ternos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira.
Cy lindros americanos para padariaa.
Pertencas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinhos de diversos fabricantes para mi-
lho e cafe.
Debulhadores para milho.
Azaite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Cannos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos de chumbo.
Ditos de borracha.
Folles para ferreiros
AM A
a. 16.
Preeisase de uma ama para
cozinhar e comprar para poaca
familia : a tratar na rot Nova
Precisa-se de ama ama forra on escrava
para eozinlur o comprar : Da rui da Conceicao
d. 8, andar.____________^^^
Ami Precisa-se de uma ama para eozinbar
iA-iU** e comprar tara pouca familia : a iratar
na rua do Imperador n. 33.
AMA
Prerisa-se de uma ama pa
ra tratar de criancas: na rua
df Paysandu n. I. Chora-Me
nino.
AMA
Precisa-se da uma ama de boa con
Ju;ia, que esteja pratica em torn a r
conta de meniuos ; na rua da Impe
ratriz n. 37, i' andar.__________________________
Precisa se de uma ama forra ou captiva, de
bons costumes, para tratar d'uma menina de 2 an-
nos: a tr tar na rua do Marquez de Olinda n. 57.
A,M\
Aluga-se uma escrava para o ser-
vico interno de casa de pouca fami
lia: na raca tla Independent nu-
mero 39.
Ama ^a Praca ^a Independencia n. 27 e 29
^ villa, precisa se para con.prar e cozinhar.
Precisa se de uma ama para tres pessoas :
no pateo do Terco n.ii3.____________________
AMA
Precisa-se de uma ama boa cozi-
nheira : a tratar na rua larga do
Rostio n. 26, l>-ja. _____
Ama "a rua do RanKe' n- precisa se de
VIHl nma ama para cozinhar em casa de ho-
mem solteiro.
Trens para cozinha.
Emfim muitos outros artigos, que sdavista e neste estabeleDmoderSoentp s
txaminados.
ANTONIO JOSE DE AZEVEDO.
Rua Nova n. 11.
PIANOS.
Querendo dednitivaoiente liquidar este negocio, vende todos os que tem, novos e
asados, pelo preoo do custo de factura.
Tambem acaba de receber o seguinte:
0LEADOS inglezes para assoalho de salas, de muitos Kudos desenhos de 11 a 33 palmos
de largura e 100 de comprido, podendo forrar-se umasala por grande que
seja com oleado inteiro.
MAGNIFICOS espelhos ovaes para ornnmentos de salas.
iNNE'S electricos pora curar dores de cabeca. nevralgias e nervoso.
MUITU lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
GRAMPOS para se^urar roupa estendida nas cor las, a 200 rs. a duzia.
TALAGARCA e papel picado-para bordar com la ou seda.
VERDADE1RA agua de colonia em garrafas empalhadas.
E muitos outros artigos, e por muito barato preco.
Escravos fugidos
Maria, cabra, moca, bem parecida, ladina, de
boa altura e corpo correspondente, tem os beiges
pintados com tinta eocravada de janipabo, em
forma de eoracio e o nome della, natural do Cea-
ra, 6 cnziiiheira. sendo sua occupacao actual de
encliada ; esta escrjva costnma embriagar se e
neste estado e atrevida, e foge constantemente
para o Recife e seus arrabaldes, aonde 6 muito
conhecida, estando desta vez ausente desde 5 do
corrente.
Felippa, negra, cabra. ja idosa, cozinheira, alU
a seci-a, foi e-crava da viuva do fallecido Jacin-
tho Botelho, tem um filho escravo do Sr Jose
Antao de Souza Magalhaes, que andava fugido,
e que vpio sednzir a mai para acompanha-lo
esta ausente desle o dia 6 do corrente.
Roga-se a p. licia e capitaes de campo a cap-
tura das mesmas escravas que sao do engenho
Sapncaia de Beberibe._____________________^^
PUNDICAO DO BOWMAN
RUA DO BRUffl N. S2
(Passaiuio o chalariz) *
PEDEM AUS aeuborai de engt-ono e ontroa igricul.or**, e eiuprtgad..ii <1f mi
jioiamo o favor de cma vinta a 8cu e.-tabcieciuitnto, pira verem o iiovn snriiu)i i.t'i i:
irlet> qne abi lera; reado tod sopprior em qoilidade e torjidSo; o qco ci-oj a id>
-M*4T>n peas >ai pode-ae verificar.
ESfECML ATTtNgAO A0 NUMERO E LuGAR DE SUA FUNDICA0
7flnn>Aa a rnrinfi d'acrna do9 m>t* m0!fsraot y*tmaa earn u
a|Al OS 6 ruiiao u agUtt moho coDvenieDtes para ai diveraas
rcumsuDciat do* aeobores proprieurioa > para deacarocir algodio.
ffoendas de canna HHH "umanb09, as;me,tlorM qoe *qn'
aodas dentadas par"Dln,,M'**"****<-
raixfts de ferro fundido, batido e de cobre.
llambiqnes 9 fandos de alambiqnes.
iTaftTllnlfintna para mandiocs e algodio,! Podendo todos
aaUlliUlSIIiUB a para aerrar mideiu. laer movidoa a mio
Qnmhflfi jP01" agDa' V3por'
'JUiuuoo d paleote. garaotidaa........ \ oo animaea.
Fodas as machinas *"*" *q0* M C08l0IDa preciMr
Fae qualquer concerto d6 ^6biataD0' aPre?0 """
Pnrmftfl Ha fiftrrn leD3 *8 m*ibore* e mai' bar,us esisteotes no mer-
GPnAnmmanrlas Incnmbe-sa da mandar virqualquer raacb'nismo a von-
QiUi/OlUlllOlltlao* tl(je doi ciientea, lembrando-lbea a vantagem de faxerem
oaa coapras por iDtermedio d pessoa eoteodida, e qua em qoaiqaer necteaidade p&de
"i prestar inxifio.
irados americanos 6 iDt^0,BfD,0 I**1
RUA DO BRUM N. 52
O CHAFAIUZ
PENHORES
N:i travessii i)si rua
ri-
mqiru andar. dii-.se
dinlieiro sJljrc pc-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhant.es, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
eompra-se os mes-
mos metaesepedras.
aaixo a?*ignado encarregado da liquida-
cao da massa da firma J.e d.-s Santos Neves &
IrmSo, de novo convida aos cred-res da mesma
firma e de cada um dos socio? em particular, j-
ra que no pratu de oito dias. na rua do Apo k)
n. 18 arm zem de assucar, apresentfm os srus ti-
tiinl.i> aftm rfc >erem estea vprificados c pnder se
assim ronhecer em qnanto mnnta o passive, se m
o que nao se pode regular a form do pagamenij.
Este ronvite ii etensivo aos Iwrdeirns de I). Ad-
na Dellina Paes Barreto, eniiora do enger.tv.>
Garapi). da qual foi inventariante o socio Jos<5 di>-
Santos Nevei.
Recife, 5 de novembro ae I873.
Jose Francisco do Rego.
O balanciador
Jeronyn>o Jos6 da Oista, mais antigo desta pvc-
vincia, pode ser piocurado no patoo do Carmo n.
13, venda, que se Iho dir.i aonde esla trabalhani-i,
ou ua moradia_________________________________
Alugase a ca?a terrea. de novo prepaa1a,
na povoa^ao dos Afogados, ultima do lado esqwr-
do anles de checr a barreira eta punte do Mo-
tocolnmho, tem duas >alas, dons quartos, (aeima
do regular) boa cozinha, foaSo e fcrno de asfa-
dos, cacii. ba e dous quintaes rercado de mures,
tendo no c utro outro com portao, pelo qual da
communii-arao para ambr.s os quintaes, m-ste poc-
to avista-fe a via f>-rrea e gosa-se do bello freiico
da manha c da tarde : os pretendentes qneir.un
dirtgir se a rna larga do Rosarlo n. 36, depon<
de pao e cestas, qne ahi indere^ar so ba quen: e
o proprietario^_______
I'ani
carrcems.
Aluga-se um terrenn murado, na rua da Snv
dade. que tem com palmos de Irente e 3tO de
fundo, com pequeua casa e telheiro paia fnt-
maes, proprio pan plantarBes: a tratar a fna
Primeim de Marco n. 23, luja. ________^^
P6d oltMtr ^m p-?'ico temp') com o nao -! iffyBUMt*
Yzi oi< *Dt> qu ft MiDtMMtido eate preciuMi touicu,
ine tandoMxperimeniadi. iioalmeDto, nao fall** em Ma tavor, ja -'im.
I auetisadct, v.matido um.ea.ix della aDtea de jaotar, on como faciitiad
apetiaade
tomanoo-aa d>>pow
e e .'. .ii: n aciiar nan nce..
ooin bott! >ai'iaei
or 'is disKtt*'
A BASK
da HESPEHHMNA e LAMANJA AMAHGA, Bio h? cm 6 iiabitaote dJ HRASIS. (a terr
especial das '.ar^j?) qoe 5t conbeca ss proprindartes meiicinaea da don-ada frne.u
ora Hem. >
NOVAS PUBLICAQOES MUSICALS.
.4. .1 l'.4zevelolu \ova n tl.
Acabam de publicar se, e acham-se d
venda as seguiults musicas :
PIANO SO'.
Danse espanhola, por Ascher 2#000
' *.kabki.i.a, M\7rnKA, por G. Wer-
theinicr 15J300
Valsa ii i t.\i sro, poi r.reyzM 15000
SOMiO DE DsTA VIRGEM, pot A1D6T-
tazzi 15000
Anna la Trie, cavatina 15J000
AqClair de la Lose, por Bussmeyer 1C500
ESTRELLA DO SoMrEJ|WJu| bri|hanle JJ^OO
Si.vuD.vgAo ao Baiiiai
Cricket; pur Seixas, offerecida aos
chrickets club pernambucano o
babiano ?M)00
PIANO E CANTO.
Desespero, muito Undo romance
por 1. Smoltz 2#000
Non m'amava, romance por Guercia 15000
Tambem recebeu da Europa granile sor-
menide musioa para piano, piano e
antoudos, methodos, etc. t-tc.
FUNDICAO DE FERRO
4 rua do Barlo do Trininpho (rna doBrom) ns. .00a .04
CARDOSO IRMAO
RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens o machinas para en-
genhos, as mais modernas e melhorobra qoetera vindo ao mercfido.
VapOreS de forca de h, 6,8 e 10 cavallos.
CaldeiraS de sobresalente para vapores.
MoendaS inteiniS e meias moendas, obra como ,-iunca aqai veio.
TaixaS fimdidaS e batidas, dos melhores fabricantes.
RodaS d'aglia com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
RodaS dentadas de todos os tamanhos e qnabdades.
Relogios e apitos para vapors.
BombaS de ferro, de repucho.
AraClOS de diversas qualidades.
FormaS para aSSUCar grandes epoquenas.
PonpprtnR concertam com promptidao qualquer obra oumacbitw, parao que teem
vuuucituo sua fabrica bem montada, com grande ebom pessoal.
EWnmmAndflQ mandam vir por encommenda da Europa, qualquer machinismo,
CiUCUiluiJiiuj,a correspondem com uma respeitavel casa de Londres r
ecomum dos melhorS engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assonur U^^como- Pjje ^--ei!^^94^
litas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas. cmf P||a ae ama que nao sahe a rua, quo se gra-
RuadoBarao do Triumpho(ruado Bram) ns. 100 al04 ii-ajm^
F u N D 1 C A O DE CARDOSO 4 IR MAO.________
I in aiular e n loja,
Aluga-se o brceiro andar do predio a rua de
Marcilio Dias n.. 1:0, muito fresco, bella vista.
exeellrntes commolos, e com sotao, c a loja do
mesmo, proprin pa. a qualquer estahelecimt mo :
a tratar a rua do Imperador n. 81. Todus os pa-
vimentin tem agua._________________ .___
\inda csli fugida
a escrava Matildes desde 17 de mareo do corrente
anno, de 32 annes de idade, preta criou'a, esi.ttQ
ra regular, cheia do corpo, pemas flnas, tem un*
caroi-os no rosto que prece espmhas, faltf. de
d^ntes na frente da parte de cima, falla muito
mansa que as veres desatia compaixao, boa cozi-
nheira e eiigommadeira, e (ilha do Para, foi eonv
orada a s gra do Sr commendador Lucena, e
muito conhecida por ter estado alugada em casa
da Manoella do inspector, pn Montriro, ella uiitu
la-se de forra e tern sido vista no Poco da Panella,
Monteiro, Caxanoa, Magdal^na e aqui no Recife :
pede-se em-arc: damente a todas as antoridades
policiaes e capiiaes de can po a siio apprenensao.
rr.testi*.
ao meu conhecimentu
Sitio.
Pra tratar de um pequeno sitio, precisa-se de
Chegaii'lo ao meu conhecimeuto que o Bm norat,m qne ^ja caliadoso e entenda tam-
subdeli-gado da Varzea annunciou que o meu Dem deflores : no cae3 do Apollo n 69.______
cavallo, que esl& em seu poder apprehendi-
do, deve ser arrematado, venho protestar
contra semelhante proccdimento, visto como
Forneiro.
Para fora da provineia, precisa-se de um bom
ZSafT^SHmrS, cou^ que Jjjfca, aMtggg T"1 "^
._____1 i a 1 <>.. l-.l.i.l,. I il > .'Il _:_______________-----------------------------^
duvi.la faca a 1-gali.lade da pnsse. Arrenda-se a propriedade Barra de Seri-
Estou tratando de meu dire-ito para a e beira rio, com bastantes coqueiros a desfructar,
as mt-lhores
quirir meu cavallo.
Recife, 12 de novembro de 1873.
Francisco Xaoier.
aierito da Heapendioa co-
'oresenU-la como
em sec eaiaua aa.nrai tem '.cj Rosto ponco agraJavtl, ^ ,,
iste to reter^nas boas pr< pn^dades, e ao mesain t'-wpo
EXQUISITO LI0OR
A HESPERID1NA tomn INDUSTRIA NA<*NaL uan tem u*d ii> bveiar
melhores importacww miropAaa ie c^tl.eKoria (wife^'banl*; Eslaa, qaMdo mnilo, po4t
er gn!tnas, por*m a Ht-sosi . Afia^DAfEL E SiODAVEL
Para Biwva <1* qua e nm ari t mnorente. ata dizr-e q>ie foi plen?oiene .-i -' wHariaa^-a P'!'
JU^TA Oh HHUIENE
do Rio d Jiw-n...}..>.,i,d> sua iivre elaboiacao do imperio; o itra
riili
i.--W H^fporidioa para obter
VIGOR
o tXHoefj 4nmat ..)0) rlesperididi para ohter
I ll.llll.-'.
I
1
%J>
IF
O bomem debit "ina rfe(te-:diBa p-ira ohter
VERDADEIRO ELIXIR DO D" GUILLIE
. T0NIC0 ANTI-FLEIMOSO E ANTI BILI0S0
PREPARAD0 POR PAUL GAGE, PHARMACEDTICO
TJnico proprletario, rua de Grenelle Snir.t-Germain. 9, em Parit.
A (CClS de illx" euilU* t Inwlnmenu bncflo
Cnmo pnriiaiiTO oo JttoliU com* o oulroi r.mdios
du aoilidtdi, orin iodISc* a rerreica mo mioo
tempo : aonlla t corrif* iod aa acrete; !* for^.
ao. divarsoa orggoi lo lg <" dl'la scvera, po.o
eonuwio e prrt:ao lomar uoa boa lafenao a larda
qoando sa aaar dells: pod* aar atamiMrado com
egoal ciiio oa mall nra Idada como na mais adwn-
lada lalhica aea aoaca c*af *. Idenla jaalquer.
Na doaa d'nna colhaiad* p ponco da agua aaaocarada, eej anna a)a deoola oa uo-
mida, eaiimola oappaiU*., a-via la* funt.cCes digeiiiTea,
Kubultoea loana (ihi.HO, > nrmtml* babWaa inar-
gai qoe M caaioma lamsr.
E sobretado ntil A closse ope:
veis de doenfas e tempo perdido, poi
s&o rapidas.
O Elixir Ouillle vende-se em todas as principaes pharraacias das A mtrieat, nomeadamonte
no Pmatntmd: A. RECORD; BARTHOLOtoEO E Ca.
Ud folheto qna t am vardadelro tratado da madlcina
usual a doiwsiic* a* Jt da graca com cada garrafa
da ELIXIR. Blla Indica a< doancaa asnda o BLIXIR
6 uiil a o modo da u*ar delta.
Aa paisosa qua qauaran coniultar aala foihelo
amaa da usarem deito ELIXIR, podem dirlglr aeu
pedido franco ao S. I'adl Gaoc, am Parte na
pr.vlncla on noa palzea aatrangelroa, em caaa dos
dcpoallarioa; esta folheto I baa aeri enlregne de
grace ei innneJIeiamenie.
Iieade cincoania annoa a reputacto do EUxtrOailll*
eepalhou-ae ao mundo Ioierlo peloa aarvicoa qua
que cada dla ella presto ao> raedicoe e aoa enfermo! en
caaoa graves ou deacnganadoa.
raria, a quem eLle poupa gastos oonsidera-
Dols coin o ELIXIR GUILLIE, as ouras
Aluga-se o armazem n. 3i a rna Duquo de
Caxias (antiga rua das C.ruzes) : a tralar na So-
ledade n. 27, ou com lose Henrique da Silva Gui
maraeg.____________________________
E' sempre assim.
Quando parece terse esgotado o repertorio das
mod;!?, pt-fa immensidade de aitlgos ae novidade
que tem apparecido, eis que os velhos e incansa
veis corre^p<.ndentes da Nova E^icranca, a rna
Duque de Caxias n. 63,'descobrt-m outros no
mundo elegante, aonde se constrvam cscngitando
niiuucio.-'aniente as novas inveni.oes ; reinettein
para a >ova Esperanra. e autirisam na a dizer
aos sous freyuezes e especialmeute ao bello >exo
que nao ere am em lal : e para prova endente
do que acaba 6t expor, vejam o que abaixo se
descreve :
MANURES para missa, com en pa de madri-perola
ou tartaruga'. teodn no eentiM (la cap^
um pequeno rologio perfeito regula
dor.
Ca RTE'.RAS, pot cliarutos, port cigarros e ports
moneys no mesmo gosto.
CaRTEIRAS para notas com capa de marfim, ma-
dreperola e lartaruga, i>om o distico
Lcniljr im.-ii.
B0LSAS para senhora, o melhor qne tem vindo a
este morcado, de diversos tamanhos.
qualidades e modelos de nova inven-
cao.
PORT BOUQUETS de lindos gostos e Utnanho:-,
especialidades para as noivaa.
CAIXINHAS com musicas e sem ellas, propria.-
para presentes.
E outros de intrira novidade.
E com os meniuos.
A Nova Esperanto, a.rua Duquc de Caxias n.
63, recebemos bonecos de b.rracha de f >rv>ali s
inteiramente novos : os meninos muito apreciara.
es'.e brinquedo.
6 verdade.
Qualquer senhora de bom gosto, parece qur
nao pode completar e soa toillette, fern dar u"
passeio a Nova Esperanca a rua do Dmiue de Ca
xias n. 63, p >rque e a loja de miudezas que niao
completo esta mi < rtimento, o que mais novida
de: apresenta an publico em geral.
com as floristas.
A Nova EspernnQa, a rua do Duque de Caxia*
n. 63. recehru pelo ultimo vapor, um inteiro sor
timento de papeis para il res a elles.
Para crianca.
A Nova Ksperanca, a run dii Duquo de Caxia-
n. 63, iec.-bea um sortimento de ve easemira c alpaca para criancas : modernos e bo-
Brtos,
Las mescladas. -
Um bnoftii sortimento de 15s meticladaa e
rr-s, rtcebeii a Nova e.-peranca, a rua Dti;
Caxias n M
Fugio, ao amanhecer do dia
d) corrente anno, do engenho Paraizo,
do Rio Formoso, b mulato Cyrilo, de idade de 23 a
24 anno?, escravo do padre jiguel Peres de Aze-
vedo FalcAo.
O referido mulato e de estatura regular, c6r
roxa, cabellos pretos, n5o sollos, p'ir6in nao muito
pegados, com estrada de liberdadf. fa
e rendas das terra a cobrar; e cam
propor<#e3 possiveis para um grande e lucrativo
estabelecimento de seccos e moihados, alem de
6 de outubro ser localidade muite salubre, abundante em peixe,
1 fructas, etc. a tratar na rua da Aurora n 65.
deli,iha u pouca ba:ba no qucixo inferior, e bem
arc -Ii). sabe ;r,poren escreve inal.O muito fal-'
i
em Minnas e 6 caiihoto.
Ao auianncN-r do dia 9 do correnle (ivrhro)
fugio do uu'si-io ptdre u escravo Tbem-ittiao, ciiou-
lo, idade annos, estatura regufcir, bem pretn.
pouca barba, dentes limados : ha prababili.lade
de <|ue fngis-ein para a capital coui o intento de
assentar pra<;a. Quem os apprehrnder sera b m
recoin|nsado, e os pndera entregar ao Sr. major
JosC At.lonio de Brito Bastos, no engenho do Meio
la Matiiz da Varzea ; e ^endo preso em outro lu-
gar fora da capital ou sens suburbia.-sejam con-
duzidos para orefetido engenho I'.irnizo, que se
recoiupensara bem, d vendo ser coiuiuzidoa com
toda a cautela, porque sao muito ardilosos, maxi-
ma o mulato.
r- Alnga-se uma casa terrea com tn s portas
de frente e bastante elevada, com sotao dentro e
commodos para familia, na rua dos Martxrios
n. 160 : a tratar na ma do Rosario da Boa-Vista.
tem bnco segundo andar, por cima da refinacao.________
seu seuhor, na rua do Livramento n. 1, a Artomo
de Paiva Ferreira; e protestase haver os das d*
servico de toda e qual mer pessoa quo a tenba.
occulta em sua casa, na forma da lei. _____
. F S = 3 3 Sft.
* C ffl r> m
2-3 ." -
i i v J* a
5.1 & =
2 o 2
5!"
= O c. W
>
1 a
sib
C'o/.inheiro
Precisa-i-c "de um cozinheiro Iivre ou escravo :
no hotel de Apipucos : a tratar no mesmo.____
Desai'pareceu do siUo Cafundo da estrada de
Joao dcBasriis, dou carneiros, sendo um branco
e o ouiro eeeuro : quem os pegou leve ao mes-
mo sitio,qne >eralecoinpensado._______________
- Alnga seu.ua excelltnte casa na povoacao
le Duart CceUtn, em Oiinoa, com bons commo-
dos para familia: a iratar com Jorge Tasso, rua
Amori'ii. P. 37. ____
ESTA B EL KCIVI EN TO T KMAL.
v'i m ; a
i^^^^^(TrTi!^^itfraaruiiriiT^io 'tier,
rora.tD.of%o iiiaaa raalieii
AmuratTiaQln : FARO, tl, aouuTaao M(WIKiT.
E8TACAO DOS BANH08.
Noestabeleamen'ode Vicky, um dot mtlho-
rei da Europa, w-har-se-ha Banhos e Bmbrnca-
cOti de toda a sorte pnra a euro 'Ins dnenfis do
e.mruago, dn nu- da brilga. BMeaW,
dlak.-,i> go to, 9arrrftrH clrulo-.",
tm prdraa na* nrlnata. ejlc-
Cad bi*,dB8dU o* Maioati 16 p S*rrmiOi
Teatro a Concertoe no Caalno. Moale. no P""!"";-
8a-... de leltnra. Sallo re^errado para as Sachsraa.
- Saifle. da logos. eoneiwln "' -,,,"
T0BOS OS URIMNOS O^FERHO IEVH I KHT._
"bTpcalt. am>^ao. TlSSfT ,'":-. RISOUD
VINdeQUINQUIiNA
FERRUGINEUXdeMOITIER
Corn Malaga f ryrnha>ataat* ate
r*>rr>a. Este Ti'nho foi preeonizado por tod* a
empreaea medical como tendo o mais poderoto
Iodico empregado para rurar a Chlorosis,
Asian o Eibahstacao do sangce.
Deaesito grral em Paris. Ii. rue dee Lorn-
bud*, Laarrarrl, pharmireulico.
PtnuiMibmo, A. RE60RD, e nas princi-
paes pharmacins
Joaquim Jos6 Goncalves
Beltrao & Filho.
Rua do Comiiieri'lo n. S, !. andar
Sacca por todos os paquetes sobre o banco
o Minho, em Braga, e sobre us sop'inte.
gares de Portugal:
Amarante.
Arco de Val de Vei.
Baroellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
GovilbA.
Faro.
Guarda.
Guimaraes.
Lamfigo.
Lisbda.
Vlirandella.
af i'otite de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna do Caitello.
Villa do Coude.
Villa Nova de Famalicao
Villa Nova do Portimao
Villa Real.
Vizeu.
ValenQa.
Figueira.
Aveiro.
Agueda.
Caminha.
Evora.
Oliveira de Azeraeis.
Penaftol.
Regda.________
^IiOFlNA
Estd encouragado!! !
Roga-se au Illm. Sr. Ignacio Vieira de Mollo
escrivao na cidatle de Nazareth desta provineia, o
favor de vir a rua Duque de Caxias n. 36, a con-
aquelle negoeio que S. S. se comprometteu a
r alisar, pela terceira chamada deste jorual, em
ins de dezembro de 1871, e deuois para Janeiro,
a a fevereiro e abril de 1872, e nada cuwiprio;
* por este motivo e de novo cbamado para dito
Im, pois S. S. se deve lembrar que este negocio e
le mais de oito anno*,e quantr. n Sr. sou filho *
jchvfl nesta eidaats.
O i. O v> OS C
^S' g.q
c .
> s | g.
cascr^cSoo
S g-f 3 3 |^
-i 3 Qj -* -1 X'
os of O
- 2 ~1
& %"
* C s
Si =o> .
sr = = xr =
a !
J= 5-

* 5"
j.
-
V)
-a =T ? Z-* '*
T-i o> 2
i til If
??!;
-2 3 =
Z t /' ^ t
It
p
o
a
ST co
Joaquim Jose Goncalvee
Beltrao & Filhos
Teem para vender no seu escriptono a rua do
Commercio n. 5, o seguinte :
AGUARDENTE de caju : caixa de 12 garrafa;..
< de laran a, idem idem,
ARCOS de nao para barril.
CAL de Lisbda, recentemente chegada.
CHAPEOS de sol, para homem e senhora, wW
de mariiiM e osso.
FKIXES de ferro, para porta.
FIO de algodao da Bahia., da fabric* do commen-
raendador Pedrozo.
LINMA de roriz.
OBUAS de pal eta.
PANNO de algodao da Bahia, da fabrica d- & w-
mendador Pedrozo.
RETBOZ de tn.la.- as qualidades. das fabrica? 6e
Peres e Eduardu Militao.
ROLHAS proprias para botica.
SALSAPAURILHA do Para.
'ELA- dc '-.'ra dp todos os tamanhos.
VINHO engarrafado do Porto, caixas de tS gv-
rafas.
t dito Moseate do Douro, idem Idem-
a dilo Selubal, caixas de 1 e 8 dmias.
a da Italia engarrafado, caixas 4) 6 gar-
rafi,
de CulUres superior, em ancoretis
c .ie cajii, caixa- de Ii par afas. .
c -Malvasia.dn Douro, caixas co iS ,
ralas.
i Carcavpllos.
ATiENCAO
Preci^a-se alngar nma ama de meia kiade,
rein .|iic seja p.eia. .iue na.. t-nha vicios '
achaqnc-. e que affiance sua conduct*. pjTa com-
prar e cnniiar para nma familia de 3 pes-Miaa
a tralar na cj.la sa leir. a grande, com p- ao lado.


i


____ .*L
6
OiariC <'fc
Sabbado 15 de Novemabio de U7&
Boa
casa para a festa.
Atefra--".' aiiw excellent* caa no Monteiro, tra-
*es d>> XhK), a ifial je acha om muito bmp es-
ta** de limpeza : a tratar na roa Primriro de
Maren. astist J.', tfraspofl.*! .*, loja de uOTtfel
* AaKir.il & C.
DESCOBERTAS MEDICINAES
PEW BACH*RFX
0 Manuel de Siqueira
< avalcauti.
i" o Preservativo da cry
siprl.-i : para curar eom certeza, e
. en. pou?* tempo, qualqner ataque de
' rjfipela, o prevenir o sou reappare
tcimiiitor
Esto medicamento tambern e muito*
. pedTOso para o rheumatism).
9' a Re^ulador da mens-
. triiiiyiku : para falta, irregularida-
( deF_supprv"sa> repentina dame .strua-
; ci", e do* I"chios, asim como para
lod> os .loi'rimeutox devidos aquellas
f affeec5es. Ambus estes medkameotos
i ja sao mnitn eoneeituados, e procura-
. dos !iota proviacia, e Da do Rio de
' Janeiro.
i Acham-se a venda somento em casa
>.do autor, das 9 horas do dia as 3 da
* tarde, c a qualijuer hora em casos ur-
" rentes.
s GRATIS A05 POBRE5
r Rua da Imperatriz n. ii, 2 andar.
$
9

*
0
aca-a
**nt*
u
terrea iu Una dos Ratos n. 68, com a
para a. >trada do Hospicio, com batante
ir.i familia : a iratar na roa do Mar-
i';\ n. 4.
para
Mill I,
BOH
ri
pr-.-< <,
aa
'ibura hotiesta que sab bem
mtchina e pur pequenn sala-
t. a morar om casa do familia,
-. sens servigos : quem pretender
i>or este Diario.
Garros de luxo.
E" >it jii--u..navel quo a cocheira da rua do Bom
imm n. 1">, it Joa itiim Pies Pereira da Silva, 6 a
qp* s>:i:i a.- mWliores berliodas, caleeas, meias ca-
; victorias de luxo, proprias para qualquer
aoirado, visitia de eliquela, bailes c ados da aca-
i. snndn ns mesnios ajaezados do excellent s
far.-Ifcas d> animaes, arreios luxuosos e boiecinm
ardainrnUM do uliimo goslo, para o que se
',i an puhlico a vir por si mesmo scientifi
tamwda ventarle do que deixamos dito, certos de
in 'lie mtrarao pomada, e sim realidade e
O'Sdui !os pri^.is.
ft
0
0 Consultorio homeopa- *
thico %
Do Dr. Santos Mcllo
4i-------Rua do Itiipera.lor-------4|
Oinsultas todos os dias das II a i da
tanle. A
Gratis aos pobres.
Resilpncia a roa Nova n. 7, segnndo X
andar, onde da consultas das 6 as 9 da W
rnanlia e das 3 as 5 da tarde. x*
Chamados a qualqoer hora.
EscraYo lugido
300*000-degratificaqSo !
Au-enton-se desde o dia 13 de maio de *8J o
Dr.'to de nome Alfredo, representa ter de 30 a 40
ann-s de ldade, # perfeito coziuheiro, alto bastante
6 bum magro, pouca barba, olhus grande*. 4 muiui
ladino, consta que tern pai no engendo do St. LuW
de Caiara. em S. Loureoco da UaNa. Eate preto.
foi coziuheiro dos n^gociantes Adriano ft-taairo
Sr. Jose Joaqnim a>ncalves Bastos, e iaJga.-u,
que esteja alugado em algum hotel ou caaa parti-
cular nesta cidade, como forro : pede-se a tod
as autondadrts e capitaes de campo, oe o desco
brindo, o tragain a rua Duque de Caxiaa -b; 91, loja
d* miudezas do rival m segundo, que serao gra-
tilicados com a quantia acima. *
Cozii.lii'ir.i
Precisase de uma cozinheira para casa e&tran-
geira de pouca familia : a tratar na rua do Com-
mercio n. :<8
- Tra-passa-se a chava da loja da travessa d
Duque de Caxias n 14. com uma arma$ao to
da envidra^ada, propna para cignrreiro, ou ou '
tro qualquer negocio : a trat ,r na venli junto,1
ou com Manoel Azevedo de Andrade, a rna do
Crespo n. 8.
Aluga se o*an
com Ji*e Keli
~=
All
Na rua do Baraj
(allar ao Sr vigario,
reira, a negorio de seu interesse.
iJS. VfcS,' -.36
> Andre CurdnB de
precisa-se
Araujo Pe-
4 Franc-Maconaria e a
Revolucao.
Pelo padre Gautrelel da C. de J trd. pelo Conde
fate Ssmodaes. A fWlfi
Obra dedi-ada ao Bispo dj Pernambnco.
UvL Bfoch. HiW,
________Na Livraria Fraficeza. ______
Permuta-se oa wende-se a casa terrea e urn
lerreno Junto com 33 paliqos de frente e 3J0 de
tundo, ja Com aKraves, ninro e portas na frente
e com boa cacimba, sita na freguezla do Boi-
Vista a rua de Joao Fernandas Vieiia n. 74 ; a
diu propfiedade eslA sitnada em chaos proprias :
aeai pretender pude dirigir se a rua da Impera-
Nz a. JB, que se dira com quem deve zratar a
e ialg^aej^252:_______________________'
AVISO
O Sr. Jo
a bondadn
juiin Clemente de Lemos Duarte tcnha
vir oa mandar a roa do Coronet
Suassuna n 282 a negocio do seu interesse.
C0MPRAS.
Corapra-se
um siuo no., arrabaides destt cidade, on4e passe
linha de binds : a tratar na rua do Imperador n.
48, armazetn.
Compratn-se antnmas accdes da estrada de
terro do Recife a S. Francisco : a Iratar om Au-
gnsto t. sard* Mbrcu. nd-artpwem-don Srs. Sonza
Ustre & AlmeWa. a rua do Vfeirqa^z de Olinda,
*tr7ofc rua-da-Cadeia de Recife n. 37.
- Pcfea-e ap eftmprar dons fiteiros de
Macao : oa rua .'Imperial a. lift
ar-
riaii
Para banhos de mar.
linr'.Ml, NabOco A C, receberam do Pa
. mtressaMtt:s costumes do'ultimo gosto"
j*ira botaeiM e soahuras quo dcsijarcm to.
raar baoh.ts sulgados, alein da solidez da
famina para resistir a agua salgada. a clo-
ia (]>isa de campo
Olftrece so a qu.an quirrr fazcr os concertos
sarios, o amrndameiMu por alguns aaaos, de
gr.i;, da "xcellonte ca.-a sita na Porta d'Agua,
i do Una Iu Dr. Joaiuim Pires Cameirg Mm-'
-1. pa*.in lo-se escriptnra para maior seguran-
'. -* idade 6 nttiitu saluitre, e a ea$a muito
ftt i.niiiiM I iri'i'i Ip agua dnoe em
I in ii'i comra i-i" wsto quo u treni passa
*efraul |ii m preteadw h',.|p dirignr-se ao Sr
^^au- icini Monloiio. em Apipucos. ao
Casas para alugar para a fes
ta ou por anno
Um sobrado no Poco-da Panella, na rua 'Sb rtfo
n. 5, com 4 3*las, 5 quarlos, sa-tta, eoainfia fcra 9
quintal murado.
Uma boa casa terrea nova com cocheira, eatri-
bana pequeno silio, a marge n d. rio, n. 35 da
mes-narua.
Uma casa pei|uena. porem com bons eonnledea
na triwssa da >ux .ias Almas ao p*5 da Osaver-
mt'lha n. 2. Todas a tratar com o commendadoi
Tasso.________ t .
iHTiAuinnnm'n *i ^"^^ ^^ wceberam- rfcos eortes -de gaie
1^|\|t( I VI \'I A'IiKlK A fldeseda, fazenda rateiramente nova, e vendem
UilUVJ >1 JlAJJJLHiA-. pelo baratobcefode 40*000 o eorto : a elles, antes
Precisa 'e de umaptrieita engoranladbira rtU qM *-*ajMeni: so aa loja da foi Prmeiro de
casa n 199 em S. Jose do Mangninho.'nJa do Vfe4 MaTfO a. .
c nde de Govan-ia -<-.'
Fumos
LINHAS
DE
RETROZEDBALGO-
DAO
TODAS



bazar M\mmi.

Am
CORHS
Ao "belfb sexo.
AlleneAii.
Precisa-se d>- um criado para uma MM de*
pequona familia : a tratar na travessa do
Vigario n. 1, escriptorio.
Ao publico.
As;<>iicia Rca do Marquez du Olinda, n. 37
1." ANDAR.
O abaixo assignado tern a honra de sci-
especiaes
para o-labrlcodos melhorv* aigarros finos de seda
e linlio, e para caximbo, a saber :
'11 *er*ad. i.ro fipnode Daniel.
Tdem do Rio Novo desliado.
Idem cabello e picado.
Idem de rtaipendy.
Idem de Goynz.
Idem dePoniiia.
Mem do Mmeiro.
Idem deS.'Paulo.
Idem de Minas.
No armazem de fumo a rua da Madre de Peus
.n. JO A, de Jo 6 Domingoe* do carmo-e Silva.
O proprietario deste ostabelecimi'nto tern tido o
14
C3

emific.ip ao respcitavcl publico, com espe- ma,or c*Vr,eb &>*>>** em obter do Hio de Ja-
Apipucos
iiciii I'niio, na rua do Bom Jcsuf,
Sr. iaiiii.ni, n rua do oinmercio p. 40.

G a rani
Ma
site.
w
K9SI
j a ran nuns.
'"' I Rarao la ''; -i.,ria a. :i(i, precisa-st-
., "-rs Pedr- d>i l! 'go Charon Peixoto e
l*'SIVi. de partionlar inte
cal,,,,!* ,o corpo commercial desta pra^a, =^ ff^Z & ^Jffi
qaoai-abailescrnotaeadoAgenteiteletlde*, d. ; porem muiM aprecfado em outras provia
em cojo exercicio promette se esfor^arS cia5 do imperio. como os fumos que acaba de re-
para bem merecer a confianca de todas jeber pel V3p"r nafel0,1f,l 'Buhia, entrado em 6
aqneilaspessoas quo se dignarem honr^^
encarregamlo-lbo do negoctos ten**tes tf ftemores qualfdades de fumos fioo... promette
sua profissao. i aiwisarvar sempro em seu armazem o que hr.uver
Desde id o abaixo assignado antectrm os' vtmelhor.na8te arti6. A-sdc 3* arrona aie8^ a
.lecimentosparaccmimni^WS'e^te^ sens nnmerosos fre-
sous agra
oprocrirarem, o quo poderaofazer dirigtn--
do se a rua do Marquez de Olmda, ti. 3ff:,
l. andar.
Recife, 7 de no\ Joaquim Dias dos Santos.
I
100^000 de gratificacao
liesaftwrei-eu de novo, do borlo da barea bra-
S. Jaai, o iMiavii Joaijuiin, preto do oa-
o qual anda bem vagtido e ca&ade, deixau-
Teseer us uabellos a modi de nuia eabelieira.
aeravor pertenceu ao fallecido Dr. Oiyin
iManellino da. Silva, one a ham cotnprado na
incia de Mjnas fern S. Joa i il'EI rei ou Ouro-
e rom file seguio para o Rio de Janeiro e
'i provincia, donde foi para '.'.aceio,
uado o ven lido alii a Jusiiao Epaminondu N'e-
i^>, a ifiifiii ,i cefiipraram os abaixo tssignados.
;.o a quo eslnva dedicado,
"I', falta que 6 afneano.
r.. :-e a gratificaaao acima a qnf-m o ap-
:ender o roga-sc a todas as auloridid-.s a sua
.ira.
ife, 6 de ootu'-ro do 187H
________Jje da Silva l.oyo & Filho.
Antonio Derninsos Pinto, quoionihi resamir
negocio de mutNua, tern res dvid fa*er um
'a.; le ?! por cento n pfcos do niaa
'i'-s, as j'l.i.; sao : ricaj mibHiaade jaca-
. i i.iuz X fabricadas cm Franga, di'as de
ira e do anablo, goarlas-roapa de jacaran-
'"- m go e ;i_ auable com espelho, dcos
'as vestidos de amaroHo. ricos guardM-1ou-
-. loiJIettes de jcarda c de mogao, aparalor s
- mogun coin tempo de pedra, ditos <\- aniartllo
annario, nies? elasUca- para jantar, dit s
I eniM abas para almo-n, mesinhas de
qg" nara costnra, e uma inlinidade do objec-
rpie seria cnfidonJi'i menci riirncnto de cadeiras do muilas qoaMda-
2e* : a rua do RarSo la Victoria u. 99 t .'i8.
Sitio para alugar.
Aluga-sc um sitio na Capunga, rua da.^ .fier-
nambu'-anas n. 66, com bastantes comraodos, ten-
do dez quartos, tres salas, cozinha, coxeiral'taa-i
que para banho, pallinheiro, com dtversos pes de
fructeuas: a trater na rna do. Marquaz de Oiiu-
da ii. 63.
Criado
Vende-s? duas excellentes caas, solida e re-
; centemente coastruidas no mais b.-llo sitio do pit-
' 5*8?00 e eandawl Charon. Recommendamse
*inda nis tanti |-Ia sua proximida le a estifSo
ao no, como |>elos sciiP muito- commodos *es-
tarera a pouca distancia da capital; pelo quf> .ao
eilas muito proprias para moradia, maxim\ na
presente eslavao Na casa n. 171, a rua do Vis-
conde de Albuquerque* ou da Gloria, se dira
quem vende.
Rna do Barto da Victoria o. 1%
DE
Caraeiro Vianna.
A* este granile estabeleciraento tem cbe-
gado um bom sortimento de machinas para
costura, de ludos os autores mais acredita-
dos ullinaamente na Europa, cujas machinas
sio garantidas por um anno, e tendo nm
perfeito artista para ensinar as mesmas, em
qnalquer parto desta cidade, como bem as-
sim concerta-Ias pelo tempo tambern d'um
anno sem despendio algara do comprador. <
Neste estabelecimento t mbem ha portdncas OO
para as mesmas machinas e se suppre qual-
quer peca one seja oecessnrio. Estas ma-
chinas trabalhara com toda a perfoicJo de
uraedous pospontos, franze e bordo toda
Iqualquer costupa por fina que s<>ja, seus:
'j pregos siio da seguinte qualidwie : tara tr.i-{
balhar a mao de 80000, 40500!1, -V350U0
e 5D?M>O0, para trabalhar com o pe s3o de
805000, 0O3OOO, 100C000, 1103000,
12OJ5O0O, 136000, 150COO0, 2008000 e
25UJJ000, emquanto aos autores rrfk) ha al-
teraQao de pre^os e os compradoros poderao
visitar este estabelecimento, que muHo de-
verao gostar pela variedade de objectofi que
Ita sempre para vender, como sejam : cadei-
ras para viag^m, malas para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de balango, ditas para
crianca (aitas), ditas para escolas, oosturei-
ras nqiiissimas, para senhora, despensaveis
para criangas, tie todas as qualidades, camas
de ferro para homcrn e criancas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelhos de tnt-tal- para chd, fa-
queiros com ca bode metal e de marfim,
ditos avulsos, colhepes de metal ftno, eondiei-
Tos para sala, jarros, guarda-comidas de
iirame, tampas para eobrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatorios completos, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mui-
tos artigos'que muito devemagradar a todos
que visitarem este grande estabelecimento
qae se acha aberto de-de as 6 horas da ma-
nha ate" as 9 horas da noute 6
Rua do Barao da Victoria n.
22,
AMESAS
E
Accessftrios
PAM
mm
PARTE
l>4
, Madiiiw
#JMKI
Com as faliiika^Oes que torn apparwido
DAS MACHINAS PARA
#1% >olftq
ma-
Nenhuma
china Singer 6 legi-
tima se nao levar
g esta marca fixa no
braco da machina.
evftarfalsi
m
ticagoes ntem-se
f>em todos oa-deta-
lbes de nrnrea.

.EfllA^AliS S
!A dinheiro e A contento das Skmas.
azo
Nao ha mais eakllos
Sao as mais baratas
Sdo de dfus pospontos
Sao ma* simples e rapidas
Sao duradouias
o f r, rr n
Frecisa-se
onlros
na ru
de um criado para comprar-e
Aiuga-se o 2 andar e so tan, com lodos os,
commodos para grande familia, do sobrado n. 18,
Mlo a rua de Hortas : a iratar na rua do Trapiche
n. 13, armazem de assucar. Tambern se -vendeC'
cerca dc 't|i paries do nvsnio sobrado.
Engomiaadeira.
l.i.M-53 ; cng com promptidao e aceio:
iflciuio da \\& d>' .S. Mipuel tin Afngadus.
wnfrtmte ao poi u 4a Sr. CaoniUa Chafes.
- Fiigio no dia to de ouiunio proxtuiu y^>
-ado dn eqgenho Arendepe frcguczia de IpigauaJ
o men escravo Ignacio, Com os signaos seguintes;
cabra acaboclad>, 26 annos de idade. altura e'
corpo regularea, cabellos pretos e orespos, bigode
lino, muito pouca barba na ponta do queixo, tem
um earuciaMo de um lodo da canella ,por 'fora,:
na i tern uobas nos pes, a excepcao do um dedt>,
tem no eoroo marcas de chicote, e no pe dteeito
um pequeno callo, falla manga c baixa, carabe-
xigosa e olbos braucus.
Dhu cem mil reis de gratificacao a qnem o
irouxer ao dito engenho.
Arendepe, I." de nevembm de 1873.
Manoel Felippe de Souza Leao JtfnUor.
fi para quem tem gosto.
Vealitlos braof os eoia bsbados crespos.
A Ro Branca vende veetidos de cambraia
brancacom babados do ultimo gosto e prcjo mui-
to baratissiuio.
Colxas para camas a 2$800.
e metadc de seu valor : quem quizcr vc-
Isto
nha.
1
argo
a
m TiNTUfiARIA JAPONEZA.
SOe unicaapprovada pelas academias tie
scioncias, reconhecida superior a toda que
tem apparccido ate hoje. Deposito princi-
pal a rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
quez de OHnda, d. 51, I.0 andar, e em
todas as boticas e casas do cabeHei-
f6iro.
MACHINA DE "SINGER
DOIS I'OSIIMOS
Abainhacu
Fraazem
Pregam fanca
Mart-am preg3s
Hordam do linha do seda
Alculchoauj
E preg UNWA AGENlfA
mmm
A CASA AMERICAN
45 RUA DO IMPEltADOR 45
E' utadapolao de 8*. I.-to 6 para acabar.
Atoalhado moderno.
Rico atoalhado de superior quabdade c novos
gosios a 1.4600 o metro. I.-to e por metade do
preco.
Utimbraias pretas
Para luto, go^t.lS inleiramente novos o precos
razoaveis : na rua da Impeiatriz n. 36, loja da
Rosa Brant-a.
.I\I1\I1\NI!\'.
m
I'ugiilo
receu no a:nanhecer do dia 'i do cor-
, do r nho Sirijri, oomarca de Goyanna. o
tvo '! n -mi! io-(-. Borges, mestre de-assucar,
lo signaes srguiMea : cabra, ilade :-0 an-
ms, peac-i .o as u nieaoa. boa ligura, um Ufnto
i e espadaudO, sendo o signal r.iais visivel
gomnuja junta do pe ewpte do : roua-se a
dad .- s apit.ies d" campo qiifiram
Ijrfite iiscravo e leva-lo ao reft-rido en
o, offUPBrpia-.a a Oliv-eirn Filhos &C, lar-
i (', p i Santo n. Ii, quo serao gfltierosamente
idos.
JMM\INT"
wino PernandP8 d.i Cnu e chamado a
0 r m I Buasstiua n. 282 a negr.jio de par-
p iiiterwse.
A -:i ra quo jc offerecm para morar em
. iiUia, pi'.! j lo srii- -,-rvicos do costu-
r mMiii-n- salarin, p6de dirigir se -a rua do
yar.jiiea Je Olinda n. o"t, ?. o 3. andares, so-
Aluga-se
uina casa na Torre, com comraodjs para 'fennlia.
caiado o pmiada, ha pouco acabada : a iMtar-no
p rto d Lacer're na Capunga n. 32,
latrieula
Acham se a venJa cm todas as livrarias map-
pas impresses sara matricula dos cavSfbscon-
forme determma a lei provincial de 17 de-juoho
de 1873.
(Is eavalhi.s.
- Silva Barroca 4 Pilhos teem para wwd r *n,
seu a mazom, a rui do Marquei d Olinrf
segnintc :
Follw do Flandres.
Esianlio em verguinha<.
Haebiiias para descarncar algodao
Ctrveja eseoanaa branca e prota.
Fillele para band.-ira
Vidros para vidrar-a, 1- qnalidad?
Ouinchus para icar.
Tem
i o
do C.ommercio n. 5.
para vender Joaquim Jose Gonjalves B>-
Pillio : a tratar no seu escriptorio a ru;
Aluga-se
oprimeiro andar do sobrado da rua da Doqut) de
Caxias n. ii, proprio para escriptorio, ou paz
solteiro : a tratar ru mesmo, loja.
ALUGA-SE
uma casa no largo de Apipuci.s, com 3
Mobilias baratas
No armarem de Joaquim Lopps Machado &. .
baum bom sortimento de mobilias de Vienna
brancas e pretas, que se venlem a procos com-
modos^____
Leques, luvas e sahidas de
bailes.
Ama-al, Nabnco & C. rereboram um complete
sortimento de le'iues de madeira -mosaico cou-
nt da Russia, marfim. madrenorola de diver-as
cdres e tartaruga, lavas de pellica fresca, e peuux
de sued, enhidas de bailes ou oapas de casemi-
r para ptwervar quaesquer incommodos nas sa-
hidas de reunion.-; : venlom no Bazar Victoria, a
rua do Barao d i Victoria n. 2.
Araar.il, Nabnco & C. vendem maguifleas
colcht* He seda, Ti..is-imas aboftaras de cam-
*raiaJe Unho bardtnlas. par caraisaa de seohorf
ras, .meias 6> irf}pitlao, fio de Escom e para 'hamens, aenlioras weninns -e inaiinas.: no
Bazar Wctoria. a rua do -Varan da Wictofia n. 2. !
Cafe do Kio
Vende so na rua do Marquez dc Olinda
ro 66.
nv.:ii
Fiado!
wvm WMM.
l for^a de d ius a seis cavallos : a venda no
anoazniii do Joaquim Lopes Maehado & C, tr-a
vessa do 'lorpo Santo n. S3.
Caleado cstrangeiro.
Aproxima so o mez dc dczembro, tempo om
jue o Paris na America, a rna Duqnc do Caxias n
69, I ;mdar, tem d*. dar o seu balanco, por este
raotivo, os proprietaries deste estabelecimento es-
tao resolvidos a venderesn sens calr^idos pelo cus-
to, aflm de minorarem o trabalho ; assim pois os
apreriadores do bom, e com especialidade o sexo
amavel, para qnem o r*ori na America, conserva
com a devida decencia) o seu gabinete reserva-
do, para a c-colha de caleado, aprovcitem e ve-
nham munirom-se do que precisarem.
PECHIiNCHAS
ao o n. 20
RUA DO 0KE3 0
LOJA DAS II PORTAS
continua a vender muito barato para apurar
muito dinbeiro.
CASSA LA
Chegou esta fazenda, sendo lindos padroes, e .:
de-sc pelo diminnto preco de 2u0 rs. o covado, e : propnetono do estabelecimento Bazar I'm
pechincha I I I dao-se amostras i versal tendo de trans'erir o mesmo para outre
METINS llugar e tendo grande deposito de Machinas da
Proprio para vestidos o quo ha de mais gosto, {Sf"^ de ,0llos os antores, resolveu vender a
padr5es novos, pelo preco dc 400 rs. o covado, c ""AZ0, mediante a conveugao quo se puderfa-
pcchinchal '
Rua do Barao n, Victoaia
n. 22.
doa-se amostras.
L.\> E-4MCEZAS
Lasinhas escoceza?, padrScs bnnitos. a 2i0 rs. o
covado.
Ditas com lisiras, padroes raodernos, a 280 rs. o
covado.
Ditas la e seda, padrOes raodernos, a 6i0 rs. o
covado, e pechincha I dao-se amostras.
ALPACAS DE CORES
Alpaca* dc cores, padroes bonitos, fazenda do
13000 a 400 o covado. c pechincha dao-se
amostras.
CRETOXE
a rua do Bar5o da Vie
zer com cs pretendentes
loria n. 21
Antonio Duarte Carneiro Vianna.
r
Potassa da Russia em meioi
barns a 509 rs. o Jrito
Desemharcada ha poucos .dias veude-se a<
escriptorio de Oliveira Filhos 4 C, largo do Corp'
Santo n. 19.
De CAsanientos.
De bapti.satlos.
, De bailes.
Crelone em petas pequenas, com bonitos pa- De soirees-
drues, pelo diminuto preco de 400 rs. o covado, 6 Dc nlisiocos.
pechincha 11 I dao-se amostras. j Me lanches-.
ffffiHIciSfrW
Lattinmte eom lisiras i^-tampadas pelo dHttiiiutof
precu.de 4(H) rs..<*eMMfc.
Ditas own iWr.v awotlnadas a 14600 o co-a
vado.
Graoadlnas pretas com listras de cores a S00 rs.
o covado.
Banhos em Olinda
Caraisas e caifas do fazenda d boa qualidade,
pr.prifis para os banhw em Olinda : na lop dos
aro >.- ;i rua Primeiro de Marco (antiga do Crespo)
n. 20 A. de Gurgel do Amaral \ C.
na rua da Cont-orlia n. 239.
Mi\
iic por^ngano levoii df- bord-i
lui, chi-1! > hoje ivstc p r-
ualfios, '!;:, liovn,
idos, q.; ir.i man iar en-
oa itd Imperador n. 77, w iih
Wi.'. TV. ] > I i.i I5";i-i..
, uci.s, com ; quartos, 2
salas, cozinha Bra e copiar, quiuial mur'ao'o, tor
na-se recomin-ndavcl p ir ser muito fres-a irtra i
r na es.acao dc pipucos cm o sT IW^^u 0 covSo .^ liT0r"W ""^ ^ *j
Al(casrlp qnadro-, proprias psra vestidf, aj
440 ri. o covado.
Brim branc.ihma.'para ca^as a UBO&.a -rara.
Dito trancado a I 600a Bra.
Ditode c6res, linho pitro, a l*'(X) a vara.
- Precisa-se contratar um saceidote para ce-
lebrar inlssas no dumingos e dus sai.lifiraaos, na
cap.Ua da estrada de Joao de Bar,-'.s : a iratar na
mesma estrada, sitio n. 34, das a haras da tarde
em diaiile.
8
, _'..
i* an-Iar.
10, a ir.itarf
1 r' "' :* d I V*.:.
Carvatbo & Nogu< ira, na rua do Apollo
n. 2D, accom snbro o Banco Commercial
de iiimi.-i f suas agporias em todas asri-
s c vill.s -In Portugal, d vi9fifo*^>r8fO
todas os paqurtfs.
Aluga-se ii 2. andar da rasa da 9m|
--rangeiras n. )3 ; a tratar na rua de 4lNne*
I de O.'inda 2 andar da casa n. I.
Manuel da Silva Kai ia & C., a rua do Viga-
rio n. 20, vendem o seguinte :
Vinho tinto B rdcaux engarrafado deChs. Silliman.
Brau de primeira qnalidade. em barri*.
Vermifugo de B. A. Fahnestock.
Colla Una do Rio Grande.
Zan-ao inglez.
Sncante dito.
Lampadas a relogin.
Chlfcfew dn snf rfe-seda, rabo de eanaa, a 8i380
,cadaw> Mtotti-ln -dnw a. 20 da-ma do Cro-jHj.
M.ija ds 3 pnrtrt<. rfe Guflftptlw & r-
le*-#p lima'laverqa cxmjioucos fundin *
no B^fo yermekio, en;rada-do -Ochoa, freHezta
dos "
V^nde-se por barato pre^od rua I.arj^a do
Rosario 0. 34.
OIpii dc linliiifa
Vende-s em grosso e a rctalho, na rua
larga do Rosarii n 3i.
VENDE-SE
Um exceJIente silio emo casa de moradia, no lugar
dpnominado Salgadiuho, distrii-to do Olinda : a
tfatar^najtia do Imperador n. 16, 2 andar, pela
Cortes de casemira di cores, a :>& OU cada um.
Cambraia de linho de ores, a 360 rs o covado.
Ditas pretas para luto. a 240 rs. o covado.
Fustio brauco para roupa de rasninos, a 560 rs.
o covado.
Brim paido e de cores, a 400 e 440 rs. o co-
vado.
Cobertas de chita adamaseada, a 3*500 rs.
Colchas brancas e com barra de core:-, a 34500
e 45000.
Lencops de bramante, a 2*000.
Ditis de algodao, a 13400.
Toalbas alcochoadas, a;6i000 a duzia.
Ditas felpudas, a 63500 a dnziii.
Lencos de cassa com barra, a 1*000 a duzia.
Uitos de cassa aban'ados, a 2*0^' a duzia.
Ditos de esguiao finos, a 3*500 a duzia.
Cambria lisa muito finas, a 3*000 e 4*500 a
peca.
Cambraia transpartnle a ;*.
Atoalhado adamascado, a 2*000 a vara.
Dito tranjado, a 1*400 a vara.
Fu*t6es de cores, a l#i-00 o rcrte
Chates Avmer.a.'j lUo, a 2*080.
Ditos estampnilos, a 3*oC0, *C.O*' 'J800.
Dilos com lisiras innito unr.s, a s<80i> I 04000.
Esfuiao muito fino, a 2*000 a vara.
Brim preto !ran;ado, a *0O0 a vara.
Bramanio de algodao, a 1*660 a rara-
Dito de linho de 9 o 10 palmoi de larcura, a
S^-'iOO-e 2*800 a vara.
Algodao marca T, a 5i000 a peca.
Dito dumerticn, a 33000 a peca. *
Bran de alg.idJc com listras proprio p&r,Vcami-
sas, a 400 rs. o evade.
Naaiuc camera U da cores muitD.fina, felodi-
j minuto prego de iOO r-. o oovjfdo.
:S6 na rua do Crespo n. 20
Loja do
Guilherme & C.
De hiekniebs.
Do reias.
ck> a S.
De (udo de lirdo
Se enearrega a con.feit.iria do Campo;
E alom disso
A confeitaria do Campos
Lsta sempro provida
De tudo quanto e preciso para
Limn boa mesa.
Rua do Imperador n. 24.
fio in:
aj;on\0D4B\HiA
Tarn .(ara vender em sea aeT.iktorio Jaig"iir
Jose Gon^alves Bettrio cfr-Who, a rua aoTJwraen"
.
Vende-se nm terreno cm mrra pprnicna
oasa dp taipa, ten lo o te.ren; 5.' pdm .s d frente
o 7S8 de fnrrto. Mm aJpms p*s lie atv..re.h> de
1%, C. "Doyle, i.
Tem para mit :
Cognac de Usoaossy, joporior e verda^ro
X'inho Xeres das mclhorti jqualidades.
BiMerde Aiig^tura.
Whisk;
Cha preto'eut laUas do 10 Jifcras.
Tbdas aa-prepatayoas biaMes do Pr. Ayw :
armaz*m da rua 1o OimwweM n M.
Panno de
Bahia.

, -JJ^yJjrM drias^rWufts ehi 'bom e*tado, aa4. -
mm cgno Btrinem'se venae ura oaUao-que n\rvt manha, das 7-4s 9 Iroras, e a tarde das S horas em
para fuarfei; palaaqmnroa-padeira : -qwHBqui* **ii
^rraXT? rtSawt^"iJ^J**!?* <. Vond-se uma carro5a c am boi: a tratar frncto, em Beberibe rieb.ixo/nia'dr'p.egencr^f NTescVmto^o de f.mr. TXTOtat, a rua
Ha para vender das segnlfites'laftrtoas :
8 Salvador.
nhncfnj*.r.
5 Valen^a.
j Mode*o.
1 gao : a tratar aa rua da Par n. .
-Imanio *.",,> **.




I
I

It
/
Diario de Pernambuco Sabbado 15 da Jgdiwiliifl # MtiiU
-rr
COSTURA DE HOWE
DINS NIMiM
SOARES LEI IT, IRHiOS
UN1COS AGENTES
A1
Rua do Barao da Victoria n. 28
N. iRua do"Csbtrg4W. 4
JOSEPH KRAUSE &
>
*
C.
D?cc IIiuHte fi iiflw
a* ves4 Lapav
Vende-se no pateo do terco ns. 4 e 6, doces
e toda? as qualidade* e gelea, a retalho e
Ulrica rasa qne melhor pode servir
es. A'* tor^w sextan feiras ha
DE
. | Extraordinariapechincha
2#500

Is mais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
Na exposicdo de Paris, em 1867, foi concedido a
Elias Howe Junior, a medalba de ouro e a condecora-
$io da LegiSo de Honra, por serem as macbinas mais per
foitas do mundo.
A medalha de ouro, couferida a E. Howe Junior, nos
Estados-l'nidos por ser o inventor da machina de cos-
tura.
A medalha de ouro na exposicio de Londres acreditam
cstas machinas.
Colchaa de alg >dao adaranscadas para cama
raafr *baraii>iiiKi preeo de SfJicO na loja do^
M>M, de Gorge! do Amaral > C. a rua Primeiro
da Marco (antig;- du Crespo) n 20 A.
A 90$000
Cabe-oos o dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
?ork, oslabeleceu nesta cidade 4 rua do Barao da Victoria n. 28, urn deposito e agencia
jaral, para em Pernambuco e mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
ora de Howe. Estas machinas sao justamente apreciadas pela perfeicSo de seu trabalho,
?capregaudo uma agulha mais curta com a mesma qualidade do linha que qualquer oulra,
mU introducc,ao dos mais aperfeigoados apparelhos, estamos actuaimente habilitados a
eraser ao exame publico as melhores machinas do mundo.
As vantagens destas macfrinas sao as seguintes:
Primeka.O publico sabeque elias sao duradouras, para isto prova incontestavel, a
4rOTinstanoia de nnnca terera apparecido no mercado machinas d Howe era segun-
U mao.
Segonda.Contem o material preciso para reparar qualquer desarranjo.
Terceira.Ha nellas raenor friccao entre as divcrsas pec,as, e menos rapido estrago
o que uas outras.
Quarta.Forraara o ponto como se fdra feito i mao.
Quinta.Permitte que se examine o trabalho de ambos os fios, o que se nao consegu^
*s outras.
Sexta.Fazem ponto miudo em casemira, atravessando o fio de urn i outro lado,
. togo em seguida, sem moditicar-se a tensao da linha, cozem a fazenda mais
toa.
Setima.0 compressor e" levantado com a maiorfacilidade, quando se tem de mudar
: agulba ao comecar nova costura.
Oitava.Muitas corapanhias de machinas de costura, tem tido epocas de grandeza e
tacadencia. Machinas outr'ora populares, sao hoje quasi desconhecidas, outras soffreram
cadanjas radicaes parapoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
doptando a optniao de Elias Howe, mestre em artes mechanicas, tem constanteraente
nigmentado o seu fabrico, e hoje nao attende a procura, posto que fac,a 600 machinas
>- dia.
Cad* mackina acompanha livretos com instruccSes em portuguez.
A 9(>|>000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS
A'
do Barao da Victoria n. 28.
ICHINAS PARA COSTURA
A 25#000 e 45#000.
SOUS P0SP0NT0S
Na lojade Soares Leite Irmaos, a rua do Barao da
Victoria n. 28.
pellica com pequeno toque
para collete,
de todos
grand'e sorti-
COMES DE HATT08 & IRMA0
Avisam ao respeitavel puMico desta cidade que 0 sortimwto de jeias, de subkte va>;
lor, que existia cm seu estabeteefmento, esii completamctite refrrcado com o mais ele-
gante sortiuienlo de novas joias, quo receberam dtrectamente' peto ufcgno vapored* Etf",J wil on Row* & L. vendem no-seu armazem
ropa, constaudo elle do mais variado sortimento de adere^os A BunteTard, pulseifas dt' 4-rua-deComnnTcio n. IV :
ultimo gosto com pedras precrosas e sem elias, brincos d'argola, agraffes para rdlflgfe dr g^2Sj,r^fden^lade alodao ^ amene.no.
senhoras, dclicadus aderec,os para menmas, meios aderecs de caroafeu lindissimos, volta^*1
de nogordios para senhoras, correntes inglezas de ouro ede platina, variada quantidad*
de botoes para punhos e peito, com embleiivasmaconieosrdeoni,-tek> de ouro, can. a
feu, etc., brilhantes monstrosde ra'rissiraas agoas, em anneis.^ozetts, pulseiras, alflr e
tes e botdes, e outros muitos ohjectos de ouro de melhores-ftbrienntes de l*aris, -flue l*
venderfio com grande roduc^So de precos, por serem ettes recebidos directamente ae seu?,'
committentes.
Os proprietaries do acreditado MUZEU DE JOIAS, Vendo %ea estabelecimento abert
ate 8 horas da noute, convidam as familias que se quizerem prover de lindas joias
virem escolbe-las a vontade, para o que es'iJ em exposic^o nos mostradtores.
DE
Fazendas finas
Cognac de I" qualidade
1 Viofco de Bnrdeaax.
'Carvao de Pedra de t>das as qualidades
Antonio do M urn R liinU..
VFNDEM :
Optimo cafe do Ceara, e algodao
Maoei6 preferivel ao da Ba-
ViewJe-io mm:-excril*>ite <^>cfni uni peqano
sitio. MU no Arraial junto a casa a tratar na mwrna ca lavema do QiuinK-d.' n. 3, <* andar
Vende-e sal do AsmJ a bordo du Yrate Jg
Valle, ctinfronte ao trapiche do Cunha, eaa 4a
(>jmpanhia Pernauiliuca, a-iraur otui Juao .tort
da Cunha Lages ou com o mestre a brde-
Vende-se
de
bia
y,K
Rna \. ik Marco n. 7 A.
DE
Cordeiro 8imoes & C.
E' csta casa, leu duvida, uma das que hoje,
pode com primazia apesentar aos seus freguvzes
urn variadi.-simo sortnneDlo de fazendas finas pa-
ra grande toilette ; assim como, para o uso ordi-
nario de todas as clause*, e por precos vantajo-
sos para os compradores, de cujas fazem um pe-
queno roaurao.
Mandam fazendas as casas dos pretendentes,
para o aue tem o pessoal necessario e dao amos-
tras meotante penhor.
Cortes de seda de lindas cures.
Ditos do gorgurao de cores.
Grosdenaple de todas as cures.
Gorgurao branco e preto.
Setim Maeau preto e de cores.
Grosdenaples idem idem.
Veludo preto.
Granadine. seda preta e colismasrt de cures ,lin-
dissimas padrocs e fazenda da ultima raoda.
Popelinas de lindos padrocs.
Filo de seda branco e preto.
Ricas basquinas de seda.
Manias brasileiras.
Coichas de seda para noivos.
Cortes de cambraia branca com lindos bordados.
Capellas e mantes para n ivas.
Hiquissimo sortimento dc las com listras de seda.
Cambraias de cores
Ditas maripozas, brancas e de cores.
Nansuck de lindos padroes.
Baptista de padroes mui delicados.
Percalinas de quadros prelos c braucos, de lis-
tras, etc.
Agua florida, de Guislain,
parafazex os cabellospre-
tos.
A aguia branca, a rua Duque de Caxias n. 50,
acaba de receber nova remessa da apreciavel agua
fljrida para fazer os cabetlos pretos. Obomre-
sultado colbido por quem tem feito uso dessa
inoffunsiva preparacao a tem altamente conceitua-
do, e por isso apenas se faz lembrar a quern nor'
varaente detla precif e e qneira se aproveitar de
sui utilidade. Tambem veio agua de topasio e
oleo florido para o mesmo uso, e t*o acredttados
como aquella.
Voltas e brincos de grossos
aljofares de cores.
A aguia branca, a rua do Duque dj Caxias n.
60, recebeu novas e bonitas -voltas e brincos de
grossos 'Ijofares de cdres, e como sempre conti-
nua a vende-las per preeo commodo.
Novos diademas dourados e
com pedras.
rua do Duque de Caxias n.
A 400 RS. 0 METRO
VENDE-SE
uma casa na villa de Baneiros, na rua do Com-
mercLo, dob preoo modico: a tralar com Tasso
frmaos
H
Novo estabelecimento de
cera.
Na cidade da Victoria, a rua da Imperatriz n.
*8 A, vende-se e troca-se cera de toda qualidade,
a quat se afflania por s<;r feita na terra, e o seu
autor foi promiado na cxposicao de 1869.
Vende-se a bordo da barca portugueza S. Ma-
n*rl II, ou na rua do Vigario Tenorio n. 47, es-
criptorio de Tito Livio Soares.
A aguia branca, a rua do uuu
30, recebeu novo sortimento de bonitoe.diade-
mas dourados e com. pedras, tamo para meninas
I como para senhoras.
Collec^oes de traslados ou
normas para escrever-se.
A aguia branca, a rua Duque de Caxias n. 50,
recebeu nevas eoJteecoes ou normas paracrian-
cas apreaderera a escrever por si mesmo, huje tao
usadas nas aulas e collegios; e como sempre ven-
de-as por prejo commodo.
Meias cruas finas para meni-
nas e senhoras
A lpja (Tagpia branca, a roa Duque de Caxias
n. 50, receben novo sortimento daquellae t5o pro-
euradas meias croas para- senhora, viado igual-
Brins'de'linho de cores, proprios nara vestito, epar* mankiiis, e aMtinua a vende-las por
precos cuimiiodob.
V6o on mantinbas pretas.
A loja da aguia branca, a rua de Dttque de- Ca-
xias n. 50, recebeu bonitos veos ou manlinhas
pretas de seda com flores, e outras a imitacao de
croehe, e vende -as pelos baratos prec-os de 3J,
11 e 6*000. A fazenda e boa e esta em perfeito
estado, pelo qne eontintia a ter prompta extrac-
Perfeita novidade.
Grampos com.borboletas, bezouros e gaia-
nhotos dourados e coloridos.
A loja da aguia branca, a rua do Duque de
com barra c listras.
Fustao de liudas cores.
Casaquinbos de la e dc todas as cores, para se-
nhoras.
Saias bordadas para senhoras
Camisas idem idem
Vesluarioa para meninos.
Ditos para baptisados.
Ctiapcos para ditos.
Toalhas o guardanapos .%damascadoS de linlKi de
cures para mesa.
Coichas de U.
0>rtinadus burdadus.
Camisas bordadas para homem.
Meias de cdres para bomens e meninos.
Joriial de Fabio Riisiico.
Revelat-Ocs ao pevn.
Esta. folha, destinada a desmascarar o jezniusmo
aos olhos do povo, e deoicada exclusivamente a
qnestao do dia ; schase a venda na typograpbia
Oo Commercio, aas livrarias da cidade.
Preco 100 rs.
Summario do 1 numero.
Mo6na.Ao povo. Prospecto. Jesus. Ju-
mento. Loyola assassino. A mac/maria. fiom
exempto. Expulsio dos jesuitas. O processo do
bispifc Ultima phase. Destacamento. As madres.
Caisapia. Catholica -Seminario.Avi9o.
Q abaixo assignado julga ate a data de hoje
naff dever nada a pessoa alguma e aquelle que
fc jstiftaT ta credor qneira comparecer na cida
de de Qliada rua das Mangueiras n. 7.
Jose da Graf;a Torres.
Sal li'Aveiro.
Yende-se na rua do Commercio n 48, primeiro
andar.
Luvas de
200 rs.
Abotoaduras
uvento a 120 rs.
Caixa de linha de marca, a 200 rs.
Lamparinas d gaz, dando uma luz muito
boa, a HWOO.
Duzia de pecas de cordao imperial, a
240 re.
Caixa de botdes de osso para calja, a
200 rs.
Duzia de carreteis de linha, 200 jardas, a
000 rs.
Idem idem 60 jardas, a 240 rs.'
Maco de fita chineza, a 800 rs.
Caixa do linha com 40 novellos, a 500 rs.
Meios aderec,os- com camafeu, a 500 rs.
Garrafa de tinta roxa extra-fina a MMMO
Potes com dita ingleza, preta, a tOO e
160 rs.
Caixa de pennas Perry, muito b<6s, a
1000.
Idem idem, a 400 rs.
Caixa de enveloppes tarjados, a 500 rs.
Idem idem forrados, a 700 rs.
Caixa de papel amisade, beira dourada,
a 800 rs
Idem idem idem lisa, a 600 rs.
Duzia de talheres cabc branco, 2 B., a
59000
Resma de papel pautado, a 45000
e 5W00.
Idem idemliso, a29800, 39800 e 59000.
Coques modernos, a 3?M>00.
Duzias de pogas de trangas do earacol
branca, a 40o rs.
Idem i Loquos de osso e sandalo, a 29000, 49
e 69000. Entremeios e babados transparenles e ta-
Fiu de velludo de todas as cones e lar^u- pados.
res. lima grande-taboleta propria para qual-
Microsoopios cost 12 vistas,|a 690Q0. quer loja.
Frasco com oleo para machina a 400 rs.
Rua do llarilo da Victoria n. 28.
Espelbos demoldura dourada,
os.tamanhos e precos.
PERFUMARIAS E MIL'DEZAS.
Frasco com oleo Ortza verdadeiro,
19000.
Idem com toaico de Kemp, verdadeiro,
19000.
Garrafa de agua florida verdadeira a 19200
Garrafa d'agua japoneza, a 19000.
Idem idem divina, a 19000.
Idem idem Magdalena (novidade) a
19200.
Caixa de p6s para dentes, a 200 rs.
Idem idem de p6s chinez, muito bom, a
500 rs. e 19000.
Pote com opiata de Rieger, Rimel e Gros-
nel, 19 00.
Duzia de sabonetes de amendoa, a
39600.
Duzia de sabonetes de anjinho transpa ren-
tes, a 29200.
Idem idem com flores, a 19500.
Sabonetes Glycerino transparentes, a
19000.
Caixa com sabonetes, formato de fructas,
a I9<>00 e 19500.
Cosmeticos, graudes e pequenos, a 100 e
800 rs
Frasco com agua de colagne, a 200, 320,
500 rs. e 10000.
Extractos mnito finos dos nulhores au-
tores.
mens e senhoras, com cabo de marflm.
Merino dc cores para veslidoi.
Dito preto.
Atoalhado de linho e algodao para toalbas.
Atoalhado pardo.
Brins do linho branco, preto e de cures.
Setim de lindas cores e com listras.
Chales de merin6 de cores e pietos.
Ditos dc casemira.
Ditos de seda preta e de cores.
Dito de touquim.
Camisas de lioiio.
Ditas dc chita.
Ditas dc flaneila.
Ceroulas de brim c algodao.
Damasco dc la de cures.
Pannos de crochet para cadeira, sofa e consollos.
'Coichas de dito.
Tarlatana de todas as cores.
Esparlilhos lisos c bordados.
Foulard' de seda.
Ca^acos a tricot.
Riv.us curtes de veslidos de linlia para senhora,
de di ersas cores, com os competentes enferi-
tos, ultima moda.
Casemiras pretas e de cores, chitas, madapoloes,
cambraias, panno fmo preto e azui, collarinhos,
punhos, gravatas, lavas de pellica, ditas d flo
de Esc jcia, brancas e de dores, tapetes de todes
os tamanhos, bulsas de viagem, etc. ete.
Na loja do Passo, rua Primeiro de M ar;o n.
A, anliga do Crespo. .______^^
Coniplelo sortimenlo ^cliaj^os^ desol pwaik- Caxlaffn. S, receben novos gTampos com bor-
bezonros e gafanhotos, o que de certo i
Hovid de. A quanlidade e pepuena, e
om bxeve se acabara.
Novas gollinhas ornadascom
pelucia ou arminiio
A loja d'aguia branca a ma Daqne de Caxias
- 50, recebeu uma pequena qnanudade de boni-
s e Boras joHfnhas, trabalho 8e la e seda, ea-
neitadas com armnibo, obrae as de muito gosto
e intairaroente novas.
Grampos, brincos c rozetas
dourados.
A loja da aguia hraaoa, a rua do Duque
Caxias n. 50,rea*ta noaanvente bonitos gram-^
pos, brincos e rozetas dourados ; assim como
novos diademas de aco, e cumo.serapre conti-;
nua a vende-los por precos razoaveis
Caixinnas com p6s dourados
e prateados^ para cabeHos.
Vende-se na loja da Aguia Branca ana do Dn-
que de caxias n. 90.
Loivas de pellica pretas e de
outras cores.
Asnieas verdadeiras
Bichas hamburguezas one vem a e.-te mercado-
na- nK Marqnez de ulinda n. 51_________
Xarope d'agriao do Par4
Antigo e conceituado medicamento para
enra das molestias dos orgaos respiratorios,
comcna..phtysica, bronchites, asthma, etc.,
applicado ainda com optimos resultados nr
escorbulo.
Rua do Brum n. 76
Vende se zinco puro de superior qualidade,
medindu 11 pal
proprio para cobertas
meo dseomprido e 4
em eonta.
de casas,
de largo, por prejo
mnito
LIQUIDACAO
DA
A loja da Aguia Branca, a ma. Duque de Ca-
xias n. 60, recebeu novo sortimento de Kivaa de
pelhca, pretas e de oairae coBea._____________
FnndicSo da Aurora
Grande sortimento de:
Moendas de todas as qualida-
des e tamanhos.
Tachas fundidas e batidas,
idem.
Lindas e elegantes caixinhas com perfuma- RodaS dentadaS e angulareS,
rias, proprias para presentes, dos autores ; j___ i JrtW1
E. Codray. RieKHr, Olid Freres.etc. laem laem.
Quadros com santos e estampas separa- MachinismO, idem.
Varandas, gradeamentos pa-
ra jardim, etc, etc.
Tudo se vende por precos
muito em oonta pra aca-
bar.
N.B.
G. Starr &C, em liquida-
c>o, na fundi^ao da Aurora,
em Santo Amaro.
Os verdadeiras
Viahofi de Bourgogne
das Diarcas
Chanrbertin-
Pomroard
Yirita
Votmy
Beanno
MentMw
Dito Bordeaux em quartollas.
Vende-se por baralu preco
PAAA. UGUIDACiO DE COHTAS
lm E.ar;a do VUnri n. 34,
^Botiea.
Lin'las poupelinas de linho e seda de cores, lazenda muito
em uso Actuaimente na Europa, e inteiramente propria para
a prosente eslac^o, pelo baratissimo prego de 400 rs. o co-
vadn.
Ma run Primpiro dc Margo (tnliga do Crespo) n. 13, loja
das Columnas, de Antonie Correa dc Vascoucellos.
mm

Sal do Cabo Verde.
Tem para vender Joaquim. JoteGongal-
ves Beltrao & Filho, -a bordo do b'igue poi-
tuguez V.Anna, fundeado defrootedotra
piche Alfandega Velba-i a,tcatar a bordo o
no seu escnptorio & rua do Commerci
D-5-___________________________,_______
1
Fi Para aiiender aos nnmer*-
% so* padutos esta resolvide a
bl vender suas afamadas machi-
W MideovsUira
A
Burros a venda
J. Deiro a visa a seus freguetes que esta em via-
gmu- para as provincias de Ala/oas e Pernambuco,
condmindo excellente tropa de burros ; passara
r Pe'nedo, Pilar, Castanha Grande, Porto Calvo,
.rreiros, Rio Formoso, Escada, Cabo, e provavel-
mento por Santo Amaro de Jaboatao a Nazareth ;
por iss. pode ser avisado ou encontrado em qual-
ner destes lugares. Larangeiras, 20 de outubro
Armazem do fiimo
Rua da Madre du Deus n. 10 A.
Jose Domingues do Carmo e Silva partieipa ao;
seus freguezes e amigos aue no seu armazem a
rua da Madre de Deus n. 10 A, se acha nm com-
ileto sortimento de fumo em fardes de patente 1.*,
. e 3.* sertes, dos melhores fabricantes da ?ahia
a bem ae#im a dor de todos os fumos de cords
6 ni*>, pacotes, latas grandes e peqnenas, tarn-
ftxm'do* mui acreditados fabricantes Torres a
ATMrio. lizaur, Adolpho Schmdt 4 C, Liraui
Schmidt A C, Vetgas A Aranjo, Trindade & Avt--
lar, Teixei Pinto 4 Portella (garantido pek*
jnesnws) e de outros ainde nao conbecidos pel<
publico desU capital. 0 annnnciante declara qne
todo fumo que for vendido em sua casa sera pk
>en jMf*Mor, e que quando garantir a respecti
va faakdaie, ieaa> MBflero, mui partirularmentt
com as peesoas que ponco ontendam da materia .
por; para bem servir a todos, tem o annuucianu
i mripa pratica de 15 annos deste commercio.
no estado em que se acka sitio exi>tta M
lugar dos Remedios. freguezia ds Af"gail->
21, hoje becco da travessa dos Remedwis n H
em chao prrprio, i|iipm o prelender cutea3a-
com o seu proprietario na rua de S. Francen,
como quern vai para a rua Belle, sobrado n. It,
ime =c fara tod" negorio._____ **f
Aguas Ak'ji.liiio-Gazbsas das i'e-
dras Sal<;adas.
Villa Roucade A^'uiar.
BICAKBONATADAS-S' DIC->S
Analyses do Dr. .lost1- Julio Rndrft-
gues, lnl 1 PNmtlu Itljl*-
elinica de Littlton.
Esta excellente agua u>ada eom vantasetn |H8
padecimentos das vias digestivas, uriuarias, db
estoniagi> etc., etc.
Vende-se
NA
Pharmacia e drogari*
DA
Rua larpa do Rosario n 3i._______
Vernizes esiveciaes para lantia-
gens.
Fsto verniz, cuja falta a:ui tanto s*>nlem
os Srs. fabricates e possuidnres de canua-
gens, acaba de chegar para seu unio depo-
sito, das s"gtiintes qualidades.
VKRNIZ SL'l'KRFINO 1ARA CA1XAS OE
CARRUAGENS.
E' um verniz muito claro o dura vet para
as caixas de carruogens, para todas as Je-
mfios, ou para a ultima somente, swlare
outros vernizes. A superllcie aeoea era 19
horas, depois das quaes se expoe ao ar |jor
algum tempo, o que faz endurecer, e passa-
das 15 a 18 horas pode passar-se a caixi a
pedra pome e dar-lhe em seguida out.-a iie-
inao. Dao se com facilidade ires demaos
deste verniz sobre ns tintas, em tres diias.
A primeira demao servindo de apparelb0,
ajuda a seccar as ultimas demSos e pro-iui
um excellente brilho.
Veruiz awpcrior seccante paraa
cnrrHRgeMi.
Este verniz e da meiraa cdr que o ante-
cedeute, mas endurece e secca coin mais ra-
pidez. Emprega-se com bom exito uas
obras urgentes, e p6de misturar-se com o
anterior. A durac,ao do verniz permaneute
diminue na proporpao da mistura.
VhRNIZ SUPERIOR ELASTHXO PARA OS
JOGOS DAS CARR-IAOENS
Nao 6 tio claro como o verniz para as
caixas das carruagens. Emprega-se nos jo-
gos das carruagens e tambem para aspn-
meiras deinSos sobre cdres escuras. Pode
passar-so a pedra pome passadas 10 boras,
podendo dar-se cm seguida outra demao.
Verniz preto lo JapOo, Miperi-Mr.
Para trabalhos em preto de carruagijns.
Produz o preto raais escuro e hrilhame, e
pdde passar-se a pedra pomes 10 horas de-
pois. Deve dar-se duas demaos sobre um
fundo preto e cnbrir-se com outras dtia-> de
verniz que se emprega nas caixas das carrua-
gens.
VERNIZ PARA COEROS, BftlLilAOTL K
ElASTr0.
Este verniz, contendo na sua composii;3o
grande quantidade d'uma subslancia muito
semelhanto ao azeite denominadopwd* bouif,
e o unico que da" flexibilidade aocourove-
rho envernisado. Em geral basta uma de-
mao que deve ser applicada muito ligeira-
mente, com um pincel depois de ter rapo
o couro com agua-raz. ricposto ao sal :kc-
ca em 1 ou 2 horas, e a sombra mas ao ar
secca em 4. Em tempo humidc e inutil tal
trabalho, por que nfto 6 possival torntir o
verniz elastico e secc8te ao mismo tempo,
Verniz para apparelh*.
Depois de ter applicado 2 ou 3 demaos
deste verniz n'um intervallo de8 h"r.s, de-
ve-se deixar a obra intacta por 2 ou 3 dias,
no lim dos quaes se p6de pulir com extre-
me facilicidade. E' essenciafmente neces-
sario cobrir este verniz com dua^ demaos. do
verniz superfino para caixas de carrua-
gens.
VERNIZ SECCANTE.
Mistura-se com as tintas de apparclho, e
sobre tudo com as tintas moidas, para que
sequem mais facilmente e para Ihes dar
mais consistencia.
NA
CASA AMERICANA
45 Rttdm'Im^Maadttr 4?
MSSO1KMA0S & C
Em seus armazons a rua do Amonm
,. 37 e caes do Apollo n. 47,
tem para Tender por precos commodos
Bjows eacarnados sextavos para ladrilho.
Canos de barro para esgoto.
Omralo Portland.
Ctanlhidrauliec.
liMMna* de desearoijar algodao.
Machinas de padaria.
Potasea da Russia em barril.
PttoBphoro* de cfira.
Sagu em garrafoea.
Srradinba em garrafoe-.
Lenti'has em garrafdes.
Rbum da aJmaica.
Vmho do Pwrto velho engarrafado
Hnhodo Porui superior, di;o.
Viaho de flordeaaa, dito.
VinbAila Scherry.
Vinbo da Madeira.
fttes com linj/iias e dobradas ingleuu.
L"res boos sortidps.
.-Cojaac Gaulhiei Freree.
liatas de toucmho inglez.
Barri3 com rep-'ho em .-^lmoura ____
Como nao 6 necessario dar lustro a ul iraa
demao de verniz empregado nas caixa:> de
carruagens e no dos jogos, convem dd lo
n'um local separado aoode nao haja po.
Quando a obra urge, deve por se & s aao ar livre depois de seeo, isto e. psssa-
das 12 horas, laMa-Sfteenxuga-se bem eom
uma esponja humida. Quautas mais selizensto, mais brilbante ficard o vnniz,
e maisdepressa S6 teranaaia a carruiigem
(emcaso necessario tres dias depoia d| ulti-
ma deci-fi"). Duranie as duas ou tres pri-
meiras semanas deve se lavar a carru; gem
com agua fresca, depois de ter ser-
ido.
Os frescos devem oouservar se srrnpre
beruieticameute tapados, o resto 3o vi i iiii
nao so deve deixar ficar no frasco, e \AA
usar s<- para as primetres demaos.
Nao deve misturar-se com este verni? ne-
nhum outro iugrediente, nerii a^ua-ra:*., e
de nenbum modo torn, o seccautoi, I. i re-
Na roa-wtadrtftd^Roeario.ii. 48. vende-se Bbi-
kas de jacaraada, uma rnesa-elastica de 30 palraos,
um guarda louca grande,,uiua cama de ferro e
mais pecas avulsas, todas bem coostruidas, por
pre,o mais commodo do parte.
Pechincha
Vende-se uma linla victoria com 4 asaenios,
feita d" encoiiunenda em Paris, cum arreios para
dous cavallos : oa rua da Aurora n. "0, onde pe-
id-ra i-er exa.ninada das 9 haras da mantaa ate as. Lisinha., fareBdli fle pnr 400 rs o covado,
8 da tarde.______________________|________sendo *a largura -to ajpac^, padr6w-l"nitos ; dao-
V>n'e-se nma rabra (bi.-hwi). bft; 4 : 'se amu-ira*: na rua du Crespo n. 20, loja de Gui
'na rua da Feuba u, 25, l. andar. lherme & C
Vende-se
um sitio no lugar da Casa Forte com ?>80 palmcs
df iroaia e 070 de fund.) (mjuco mais ou aieaa*,
comeasa de pedra e cal, 7 quarto*, 2 alas, co-
ziuha fAra, i ca"imbas e diversos arvoredos
de Tttrtos ; asim como, um outro BflW na tra-
vessa da mesrna, voltando para a e?trda que vai
para o Arraial, com ca-a de pedra e cal, com 4
quartos, coiiiiha Tora. cacimba e algnns alvorp-
do^ de fructo : in pateo
ciso limpar bem os vasos e os [> UCI*- o
melhor e servir um piucel pr Pflr \-jr-
niz.
Deposito unico para, o Braso . lo-
meu iSl C, Pernambuco, Ro.> s-
rio n. 34.
do Carmo n. 3, ou na
BATISTAS
a 400 rs. o covado, a rua do
. Queimado n. 43, em (rente
a pracinlia.
Huiistas Unas eom lindos desenhos aM ><. o
r ivadu : s6 a ma du Queimado n. i' I ja d^O. ter-
ra F-rnan^es^________________
Jfaihipolito fraiwti
rua d Tiinrheirae n. t.
Chap es DarH m\\ ras.
A loa oo Passo, a rua do Gr*S|w n 7 A, re,-e
itjeu pelo iiltnoo paqoetJ, ricos chapeos para $e-
Inhura ultiuia moda.
a 6.^500 a pec:i!!
Madapulao frarirez Hnn com e
a jm \ e pecuincha I na rua do |
u.er.i 43.
-------Vr- \
''"
<"'?.'
[tHtur. a-. Jerda., ^.ar dito
' pii piira '.< f-a*f
Jt a tra'rT no inesroo !i'.0ar,
, pdstando a bomb*.


i0O
W
m
*0
a-
le
.< y
a-
ja

V4t


____ Ji-
8
Diark) de Pernambuco Sabbado 15 de Noveinhra do 1878.


O IRETEN!ENTE TICHBORNE.
Abundam as excemricidades nos julga-
tnentos Na causa Tichborno pela longa duracdo,
u porfia la discussao quo win ti-io, sao mui-
tos os tnei denies curiosos, quo so tern sus-
ciudo.
Na 102 audiencia de 25 de setembro o
presi lento do jury requereu que o tliesouro
fornec'-sse o almoco aosjura 10s.
0 juiz Mel lor acliuu j.sto o pedido, tank*
reais sendo costume nos outrus tribunaes
dar do aluiocar aos jurados quanJo a can
sa era looga.
M Gray, represontanle do thesouro, dis-
st : que nmhuma duvida bavia em satisfa-
/>-r an pedido.
O Dr. Kenealy, advogado do re i, decla-
rou que nao se oppuoha ao pedido, o ate
recommendava que o thesouro desse urn
almoco lauto e e>plendi lo aos jurados.
0 represontanle do thesouro observou :
qae ndo ptrlencia ao advogado fazor a lista
do almoco.
Ate ao dia 16 de oulubro o julgamento
do preten Itnitc Tiobborne tem occupado
1 47 audioncias.
Ate d 113." aulieiieia foram iuquiri las
192 testemoohas de defeza.
Para provar a idenlidade do reo como
Uogero Fkhburne, depots do ultimo enrae
10 que dom is, depozeram lb' t ;stemuuhas,
>ondo as inais ootaveis :
Buwit, lacaio, e F. Baker, mooo da c>-
cheira da avo de Rogero Tichborue, Filzpa-
trick quo servio o pai do dito Rogero, Mus-
ton quo tii criado deste, Benjamin Dawson.
< sua uiuliior Auua, lavradores em Tiobbor-
ne, P. Chick ourives e rol >joeiro da familia
Tichborno; V. Mines, esteve ao servico de
lady 0 lUghty, de 1838 a 1840, u dopois
em 1848, disso: quo vio Rogero Tiobbor-
ne, passes* muitas vezus com miss Doughty.
c que o reo era o proprio Rigero,; Biuglev
disse ; que conheceu R. Tiohuorne em San-
tiago no Ciiile em 1853 aH854 ; que vio o
reo om Birmingham, e fazeulo-lhe muitas
perguutas sobre pessoas e faulos de Santiago
.. todas o reo respondeu acurtadamento ; A.
Markham, dizendo conhecer a familia Tieh
boroe, e o reo como Rogero. quan lo lhe
foi rnostrada a ph otograpbia doste disse :
quo parecia ser do Henrique Tichborne, e
seudo-lue obser'ado que entao o reo nao
era Rogero. elia redarguio : o relrato pare-
oo so com Uonrique, masede Rogero, o que
fez rir muito o auditorio : \\. Quin, criado
da mai de Rogero, dociarou que sempre co-
uheceu sua ama com o juizo perfeito : 13
lestemunhas, soldados e muiheres de solda-
dos de carabineiros reconheceram o reo
como Rogero Tiohborue, que foi olticial
d'aquelte regimen to, entre ollas depoze-
ram os capitaes Brooks e Sankcy e o co-
rone 1 Norbury.
Para provar que o reo nao era Arthur
Orton depozeram 13 testemunhas, queco-
niieceram A. Orton e n Wa jpiug e na Aus-
tralia, seodo as testemunhas mais importan-
106 : John Palm-r de Warping que tendo
30. annos, disse ter conheoido em 1851 A.
Orton e que nao ora o reo ; o advogado da
iccusa^-io Sergeant Parry prescindio de fazer
instancias d test-munha, pois quo depunba
do que tiuha visto ha 22 annos, contando
,menas 8 de idade, isto produzio alguma
r^nsacao no jury, e um jurado exelamou :
o um insulto ao triounal produzir tostemu-
uhas desta qualidade; R. Gardener, c E.
Lock que conheceram na Australia A. Orton
o Tho'iiaz Custro, como pessoas diversas :
W. Pole disso : que A. Orion passeava em
Sydney qjanJo o reo partio para luglaterra
para reclamar seus direitos; J. Jones do-
ciarou ter conbecido A Orton e '"'homaz Cas-
tro, na Australia, que o reo eT. Castro, o
qual em 18S8 vendia oavallos em Sale, e
die testeniunba comprou lhe um cavado
D>H)lararam nuuca ter visto em Rogero
Tichborno maroas no braro : Knoyle que
eom eilo foi muitas vezes a ea\;.j, A. Mines
que servio lady Doughty e vio Rogero la-
vando-se com osbra^os mis. \V. Robinson,
ei-cara -ineiro, que tendo associado muitas
vezos cm Rogero. pois este gostava de coo- uma testeraunha : quern acreditar isto,
viver com os soldidos. vio-o em frequertw aeredita tmio que se pode dizer.
occa.ioes com as manga?da camisn arrefa- Mr. Hawkins disse : que estava fallando
1" m 4 ... i ct-m o seu nollega Parry, em cousas Hcitas.
Sobre a mesa do tnbuoal estao doas re- I'm jurado de^larou nio ter ouvido cou-
tratos a daguerreotypo de Rogero Tichbor- sa alguua.
oe. Um def6rma quadiada pertencia ao 0 presidente lastimou que a discussao se
e*polio do la ly Ticnborae, miide Rogero, tenha azedado tanto, e qae os advogados
e estd depositado no tribunal da chancella- se tratem de um raodo improprio do tri-
ria. Outro,def Doughty, est4 guardado no tribunal Com- Mr Hawkins prometteu nao tirar naquel
mom Pleas, e archivado com os documen- le terreno desfor^o algum qualquer que
tos do pr cesso civd. Muitas das teatemu- lossc a provoca^i i. Explioou depots que
nhas que dopozeram sobre a identidndc do nas suas palavras nao ha via ameaca disfar-
reo, c que de lararam que elle ora Rogero cada, queria dizer que nao se desforQava
Tichborue, recusavam-se a examinar os re de qualquer offensa feita na discassao da
trtos para dizerem se eram do reo, pretex- causa.
tando naoentenderemnadadephotographias. Na.- ultimas andiencias, e principalmeuto
0 capitao Brooks disse : que o retrato qua- nodii li, mil hares de pessoas espera ram o
drado estava parecdo com o original, mas reo & sahida do tribunal, eqaando elleap-
o oval ainda estava mais. pareceu. as senhoras agitarara os lenjos, e
Esta causa jd celebre de si, tem-se torna- romperam clamorosas acclamagoes.
lo mais notavel pelos episodios da discus- Apezar dos esforeos da policia que man-
sao. Por vezes os advogados se torn tratado dou psra alii centeuares de ageutes, n3o foi
desabridamente, eo advogado do reo faltado possnel impedir a agglomerac^o de gente e
ao respeito devido aos juizes, o que nao e as maiiifestagoes ruidosas.
usual no fdri inglez. Na au liencia 107." Nestc dia pela primeira vez os juizes
de ide oulubro, di \ue logo que o pretendente reo no proces- do tribunal.
so, chegou a luglaterra, lhe escreveu uma Agora as provas foram dadas aos seguin-
carta, e elle testemunha 'tanto que vio o tes factos :
sobrescripto c goro Tichborne. Rio de Janeiro em 185i, uo navio chamado
O pre>i lente perguntou onde estava o so- Billu.
brescTipto ilessa carta. j 2.- Que o Bella naufragou, e que 10
0 Or. Konealy, advogado do reo, disse :rnaufrago? foram recdhidos a bordo do Os-
que das notns tachigraphicas constava que prey, o desembarcados em Melbourne na
existia em poder do Mr. Hawkins, advogado epoca em quo o reo dizter chegado alii,
da .iccusagao. 3/ Que um navio com o nomo de Os-
Mr. Hawkins negou ter tal sobrescripto. 'prey, e correspondendo i descripgao, que
O Dr. kenealydisse ; quedavamais credi-| fez a defe/3, do navio que salvou Rogero
to 6i notas tachigraphicas do que is palavras Tichborn--, esteve no Brasil e chegou a
de Mr. Hawkins. Melbourne.
Mr. Hawki is irrita lo proleslou contra a 4. Quo outros uavios com o raesmo
grosseira o insultanto observa^ao do seu col- uome de Osprcy estiveram na Australia e
lesa. I em Melbo-irne.~
0 presidente estranhou a linguage.n usa-1 W. Clive dispenseiro do navio Bibby,
da pelos advogados como iopropria do fdro disse : quo estando no Rio de Janeiro em
inglez, reconnecendo comtudo que a censu- 185*. vio a bordo do Bibby Rogero Tich
ra mais grave cabia com toda a justic,a ao borne, que e o re), e que o seu retrato ti
provocador. rado a dagucrreotypo no Chile esU pare-
Dr. Kenealy sustentou que do relatorio' cido.
official do processo civil que tinha na mao, j James Broson, ex-capitao de navio;, de-
oonstava que a carta e o sobrescripto haviam poz no dia 8, occupando o seu in'erroga-
sido entregues a Mr. Hawkins. Itono a maiorparteda audiencia deste dia,
0 presidente disse : que o que cons'ava'a do dia 9, e parte da do dia 10.
do processo civil era que a carta tinha sido
apresentada & testemunha.
Um jurado lastimou que se estivesse per-
dendo tempo com cousas da pouca importan-
cia n'uma discussao jd tao longn.
Dr. Kenealy disse: quo a elle so como ^"e^u'erdor'eunleiTirate7
advogodo competia apreciar o que era im-
portante ou nao para a defeza do seu clien-
Disse esta testemunha: que em 1854
conheceu Rogero Tichborue no Rio de Ja-
neiro, que ddriuia no raesmo quarto com
elle, e por isso o vio tomar banho, obser-
vando que elle tinha dous signaes uo bra-
termmamos este
te ; que respeitava o jury e as suas opi-
nioes, mas que a opiuia > de um s6 jurado,
nao era a do jury ; que em todo o caso ha-
via do servir-se do relatorio official do pro-
cesso civil, e nao da declara^ao de Mr. Haw-
ki s.
Presidente : assim nao
incident?.
Dr. Kenealy : a justica julga bem terri-
vel a minha oonclusao !
Juiz Mellar: a mim nao me mette ne-
nhum medo.
Dr. Kenealy: ou tambem n3o tenho
medo nenhum do que o Sr: juiz tem dito
neste processo.
Presidente : assim com semelhantes dis-
cussoese impossivel consorvar a boa'har-
monia quo (leve haver entre o tribunal e
os advogados.
F0LHET1M.
MEMQBIAS BE SATANAZ
tor
H. Manoel Fernanilez \ Gouzalez
PRIMKIRA PARTE
O GRAN-CAPITAO.
XIII
< UISTANCIA. QVE VAI DE UM ASSASSINO A UM
CAVAU.E1RO.
(ContinuaQao do n. 261)
_, Ocorpo foi levado tao r*pi.lamnnte
d'alli, que nem uma s6 gotta de sangue
ficou sobre o pavimento do portico, num
demos tempo 4 que acudisse alguem. Na
oecasiao em que o lanQavamos ao Tiber,
balrnou um barco com a nossa lancha e
voltou a, de modo que tivemos do n^s sal-
var a ha lo. Como ve, o meu fato esti rao-
I'aado ainda.
Afogou-se algum esbirro ?
Neuhum.
P.ideram reconhecer os do barco ?
Foi impossivel ; a noite estd muito
I'icar .
Visto issD nao podem provar que sou
iratricida ?
NSo, senhor.
Pois bf*m, vai preparar a minha par-
perarame com impaciencia em Napoles
para a eoroac,'0 do rei Frederico. 0 ar-
tleal (pgado que ha de acompanhtr-me nao
' ve esporar, t por tanto tern tu lo prompto
para dentro de duas horas. Eu vou ao Va-
t:'cano despfdir-me de sua santi lade, que
< i'O deve ter-se recolhido ainda.
E Cesar Borgia, embuQando-se na capa,
partio seguindo pclo Corso, para a praja
A P6puIo.
A' hora e meia entrava na camara do
, com oqial esteve fallando mais de
hora, seni que em sua physionomia
ipparecesse o i iais love signal da rocorda-
lo horrtndo crimo que acabava de cora-
rn.''ttfT.
Quando des:ia as escadas do Vaticano
voltarpan? casa, encoutrou um homein
iue -ubj^, e que ao ve-lo parou olhaudo
i f-ofun lamenle ptra elle.
*h I Sr. duque de Sessa, disse e5ar
aos que
tem o reo, nao lhe vendo, porem, marcas
algumas de tinta no bra^o ; que no dia da
sahida do Bella vio Rogero Tichborne a bor-
do ; que o reo era Rogero Tichborne. A
instancias do advogado da accusacao de-
clarou : queer, facto ter muitas divides e
nSo possuir os meios necessrios para as
pagar ; que abandonou sua mulher deixan-
do-a sem recursos por estar em penosas
circurnstancias. Sendo lhe apresentado um
decuraento assignado por elle testemunha
em que doclarava ter servido no navio
Equidade, de 15 de dezerabro de 1853 a
15 de Janeiro de 1858, e notando lhe Mr.
Hawkins que assim era impossivel que elle
tastemunha estivesse no Rio de Janeiro em
1854, a testemunha disse : que era falsa a
data de 1853 ; que servio no navio Equida
de, de dezembro de 1854 a Janeiro de
1S58.
Perguntandodhe o mesmo advogado pela
Cm uma das audioncias em que depoz sua certidao de capacidade, disse : quo a ti-
urna irlandeza, o auditorio rio muito porjnha perdidono naufragio que fez em Table
oecasiao das instancias de Mr. Hawkins. j Bay.
0 Dr. Kenealy reclamou contra osystemaj Mr. Hawkins mostrou-lhe a certidac, re-
empregado pela accusajao de atemorisar as ferida, tendo algumas nodoas de agua sal-
lestcmunhas com o ridiculo.
0 presidente observou que nao via mo
gada; affirmaudo que a testemunha em
186' requereu a renovacio d'ella, deposi-
tivo para se affirmar que seatemorisavam as tando na reparticao cempetente o documen-
testemunhas porque o publico so ria.
Na audiencia 108a, de 3 outubro :
0 Dr. Konealy protestou contra Mr. Haw-
kins, por estar desconceituaudo as teste
to por elle assignado, declarando os navios
o as opocasora que servira.
A testemunha negou estes factos, o reti-
rouse no meio de um grande sussurro.
ternunhas, pois havia dito em voz alta para Jorge Nash e Liandet disserara, que em
ser ouvido dos jurados, depois de depdr 18b4 viram ern Melbourne um navio com
Borgia, sorriudo como sc sorrisse ao seu'sejas, por^m desdehoje menao sahirfc mais
uiolbor amigo, aproveito a oecasiao para me da meraoria. Farei.de modo com que me
despedir de si. Jperdoem os meus peccados, e levantar-me-
E estenduu a mao para o gran capitao hoi & sombra do Sr. Gonzalo do Ctiruoba.
o ome de Qsprey.
R. G-xidyaar disse: que na mesma epoca
"Io desembarcar em Melbourne do navio Co-
meta, 7 ou 8 individuos com bagagens,
que tinbam sido salvos pelo navio Osprey,
de uma embarcacSo que havia naufragado;
que os naufragos parociam marinheiros, ex-
tcepto um que mostrava ser pessoa fina.
Lockbart vio desembarcar as mesinas
pessoas, mas sem bagagens.
Russel disse que comprou em Melbourne
um navio chamado Osprey, escossez, vio
outro de tres mastros com o mesmo nomo.
A testemunha mais importante noste pro-
cesso foi Joao Lino, diuamarquoz, marin ;ei-
ro, e foi inquerida no dia 14 do outubro.
Servio no Osprey, de Nova-York, que
sahio de Sttelin para Melbourne : no fim de
feveroiro 'e 1854; omabril eucotitraram
proximo da cosla d'Afi ioa uma chalupa com
seis homens naufragos, quatro dos quacs
estavam quasi insensiveis e era delirio ; re-
colhoram-nos a bordo, e entre ostes ultimos
havia um que so via que era pessoa Una,
tinlu as maos poquonas, e um signal c6r
de ciiitanha ua natioga ; a testemunha tra-
tou doilo, lavando-ihe a cabo<;a violhu nesta
uma cicatriz, e que nao tinha marcaas de
tinta um parte alguma do corpo ; soube que
se chamava Rogero Tichborne, que vinha
do Brasil, e que naufragou no navio Bella,
em julho chegaram a Melbourne, os naufra-
gos desjmbarcaram e nunca mais soube
delles. Disso in.tis :
Que em julho ultimo vio o pretondent'-,
o qual logo quo o avistou, perguntou-lhe
em hospanhol como estava; elle testemunha
nao o conheceu logo, mas sim depois que
elle lhe fallou.
Deolarou que o reo e o mesmo Rogero Ti-
chborne, que salvou e tratou.
Instado pelo advoga-lo da accusacao para
declarar se estava sen lo sustentado por Pul-
leyu, erapresario dos mertings feitos pelo
reo, respondeu que era verdade quo estava
hospodado em casa do Pulleyn, e que ainda
lhe nao pagou nada, mas que ajustou com
ello dar-lho duas libras p r semana, e pa-
gar lhe quando o processo aoabasse ; que
nao foi isto por necesjidade, pois tinha suf-
ficientos jneios de vida.
Perguntado porque motivo foi procurar o
[releu lento, disse : que veio a Londres ora
julho ultimo, com tencao de voltar a Ame-
rica, ouvio fallar no apparccimento de um
Tichborno, e nSo sabia do quern se tratava,
mas 0'iviiido dizer que este individuo bavia
naufragado no Bella, decidio-se a ir vel-o.
Perguntado se havia algumas pessoas quo
conAraiassem o seu depoimento, disse ; que
nenhumas havia, porque os homens do lei
que aconselhavam o accusado, disseram-lbe
a elle testemunha que nao failasse a nin-
guem sobre estes factos, e que nao procu-
rasse os tripolantcs do Osprey, porque a
accusacao havia de dizer depois que havia
combinacao ; tcrmitiou exctamando : juro
que disse a verdade, e que pessoa alguma
me subministrou as iuformafdes que dei.
Seguiram-so applausos da galeria. 0 pre-
sidente advirtio ao publico -me o tribunal
nao era theatre, e que sc houvesso mais ma-
nifestacoes, faria sabir os espectadoros da
galeria.
Mr. Hawkins, observou que nao tinha
conheciment desta testemunha, porque o
advogado da defeza no seu discurso iizera
menc.au do Osprcy de Bedford, v nao do
Osprey do Nova-York, por este motivo a
accusaeao chamou a Lon Ires o cap^'.ao do
Osprey de Bedford, fazeudo assim dospezas
inuteis.
Na audiencia do dia 15, foi a testtoiutiha
Luic iustada pelo advogado da accusacao
declarando : que desertou do Osprcy, para
as minas dc Caltao ; que quando o navio
chegou a Melbourne nao vio os empregados
da alfandega e por isso suppoe que a en-
trada nao foi registrada na alfandega do
porto.
Instado sobre os seus antocodentes, per-
guntou se era obrigado a responder, o pre-
sidente disse-Ihe : que era obrigado a dizer
a verdade.
Respondeu que foi marinheiro, tavornei-
ro, e teve hospedaria em Chicago ; que sua
mulher lhe fugio para a Europa, onde a
rar ; que lhe disserara que estava
mas indo alii uio a encontrou,
por isso^rlgio-so a luglaterra para veltar
para a America ; qua (n as^uas primeiras
declarat;Oes sobre o accusado a Mr. Walley.
O advogado da accusacao requereu que
Mr. Walley, entregasso essas declaracdes.
Mr. Walley ficou de as apresentar.
Na audiencia do dia 16, requereu Mr.
Hawkins, quo I.uie fosse intimado pelo tri-
bunal para comparecer, pois tinha de lhe
fazer ainda instancias, e constava-lbe que
elle se preparava para sahir de luglaterra.
No dia 17 compareceu Luie, declarando
que precisava partir para a America, mas
que alii vinha obedecendo as ordens do
tribunal.
Agitou-se questao sobre quem devia pa-
gar as despezas desta testemunha.
0 presidente disso: que a parte accusa-
dfira devia pagar a inauteuca do tempo da
demora, porque tinha retido a testemunha
e impedido que elia fosse para o seu dos-
tino.
Mr. Hawkius fez a Luie minuciosas ins-
tancias sobre as circurnstancias dos factos
que referio nos seus depoimontos. As ou-
tras testemunhas depozerarn sobre pontos
menos importantes.
SINISTROS MARITIMOS.0 navio hes-
pnnhol Enrico, de 400 toneladas, em via-
gem de Cuba para Marselha, com carrega-
mento de assucar, sossobrou em resultado
de um abalroamento com o vapor hespa-
nhol Boaventura, que la de Marselha para
Cadiz A tripolacao do Enrico pdde ser
salva por um navio inglez.
0 navio francoz Perse"v6rance, que seguia
de Earache para Falraouta, foi tambem
abalroado, proximo de Sorlingues, polo
navio inglez Olinda, podendo a tripolacSo
sit salva.
Em Marselha e no Havre havia grandes
receios sobre a sorte que teria o vapor fran-
cez Ardent, empiegado no servico do Medi-
terraneo e do Mar-Nogro. 0 vapor quo le-
vava a seu bordo mercadorias para Marse-
lha, havia muitas semanas que nio ap-
parecia, tendo partido de Kertch, no Mar-
Negro, nos primeiros dias dc setem-
bro, nao haven lo notioiis algumas delle.
Como tem reinado mdo tempo no Mar Ne-
gro, cre-se quo o vapor se perdesse comple-
ta'nentr. Alem das mercadorias levava
tambem a bordo passageiros gregos. 0
casco do navio esta" seguro no Havre por
urn valor de cerca.de 55 ',000 francos. Me-
dia 633 tonoladas e. fora construido em Sun-
derland no prinoipio dosto anno. As mer-
cadorias tinbam sido seguras, em parte, em
luglaterra.
Na Nova Escocia naufragou tambem o na-
vio francez Tres Irmdos, do que nao havia
noticiaha miito. 0 casco foi encontrado
no mar no dia 22 do setembro. completa-
raeote desmantelado, e no porao acharam-
se oscadaveres do sete homens da tripolacao,
dc quatorze que levava. Os restantes ti-
nbam sido provavelraonte levados por um
golpe de mar.
Iber do reo, por ter morrido por Uo pouca.
a Coiuideraodo tudo o que flea dito, o
govaruo da fqjublica docretou a commuta-
clo da pena a que o reo fdra primeiramente
coudemnado.
-
DUELLISTA8 NO TRIBUN1L.-Ha pou-
co tempo bateram-se ao florete Mr. Hertni,
redactor do Journal de Paris, e Mr. Ed-
mout d'About, redactor do XIX' Stick.
0 combate terminou logo que Mr. About
recebeu um ferimento na mao direita.
0 delegado do ministerio publico procedeu
contra os duellistas e s'tas respectivas teste-
muuhas, uma das quaes ora tambem jorna-
lisUs, e outro deputado.
Na audiencia compareceram todos, menos
o deputado, que se prevaleceu da sua invio-
Inbihdado parlamentar.
Os factos que deram causa ao duello refe-
re-os o libello accusatorio.
Os Srs. do Mahy e de Lasserve haviam
escripto uma carta em resposta a um artigo
do Journal de Pans, tendo n'este jornal
sido a deputacao das colonias crit cada com
alguma aspereza. 0 jornal nao quiz publi-
car a carta dos deputados. Estes levaram-a
para o A/A1 Siicle e Id foi estampada.
1'ass.nlos dous dias, o Journal de Paris,
eensurava em termos asperos a redaccao do
outro periodico por haver iuserido a carta.
D'aqui soguio-se uma cintroversia, que se
foi azodan lo cada vez mais; ate que Mr.
Herbe pedio a Mr. About, reparacSo pelas
armas. Foram ao campo c teve o combate
o resultado que fica dito.
0 delegado do ministerio publico susten-
tou a accusacao, iuvocando a jurispruden-
cia adoptada pelo tribunal do Sena, era 10
de maio de 1872, e confirraada pelo tribu-
nal d'appellacao, em 18 de julho do dito
anno; sogundo a qual jurisprudencia, basta
cruzar os ferros, para o acto ser classificado
como vias de facto bem caracterisadas,
ainda mesmo quo nao resulte ferimento.
0 tribunal condemnou, pois, os duellistas
em trinta e seis rail reis de multa, e as tres
testemunhas em dezoito mil r^is.
Com esta correccao figuron-so ao tribu-
nal, que os dous jorualistas seriam para
outra vez raais prudentes e eommedidoa ua
linguagem.
quo conservou as suas dobaixo da capa.
Cesar deixou cahir o braco e como sc
nao livera notado a desfeita de Gonzalo,
continue!] com um sorriso affavel :
Quer alguma cousa para Napoles?
Que volte tao depressa que o nao possa
eu encontrar no caminho, com o que teria' peudia" da abobada, viam-se
mdo agouro corao o teuho agora por nos nellas.
havennos encontrado esta noite. Uma era um suisso ia guarda de honra
Nao o comprehendo, disse Cesar, sera que o papa raandara pdr ao servico do her6a
E seguio camiuhando.
Gonzalo eutrara por uma graude porta de
rn irmore, situada n'uma galeria, obra loag-
nifica, ainda quesevera, do arcuitecto Bra-
raautt.
N'aquella porta, i luz do um pharol que
duas senti-
perder a sua serenidade.
Ouja, proseguio o gran-capitao.
Eu
de Granada.
A outra era um alabardeiro da guarda
gosto de que as pessoas que me vejo obri- particular do CApitao general do exercito de
gado a desprezar e mesmo a castigar, quan- Hespanha em Italia.
do me seja possivel, estejam avisadas por| Por uma coincidencia casual, arabos tra-
mim ; nao Iheatiroa luva & cara, porque javam de roio. que, como dissemos \i, era
n3o poss<> bater-me com um assassino ; po- a cfir dos Borgias.
r^m, aidesi se alguma vez oencontronol 0 grau-capiuio vestira de roxo os seus
campo entre gente armada. Receie tudo alabardeiros porque, tendo de entrar em
de mim, e com quanto oseu pensamento batalha ao lado d'elie, queria que fossem
me esteja ameacando, desprezo-o completa-. tao cssignalados como ello.
mente. 0 foldado do papa tinha sobre o peito
Sr. duque de Sessa, replicou Cesar um brasflo dividido em dous, a" direita as
sempre trmquillo, nao o comprehendo, e armas de S. Pedro, isto d, as duas chaves
vejo que tambem me nao comprehende a cruzadas, k esquerda o brasao particular dos
mim ; nSo tardard. porem. que nos com Borgias, e sobre estes dou* escudos corapre.
prohendarnos ; ate entdo, adeus. hendidos n'um sd, a triplice ooroa pontifical
E Cesar e Gonzalo continuaram um des- ajtiara.
cendo. o outro subindo.
Deus proteger-me ha contra a traigao,
murmurava Gonzalo.
1
Tinha na mao um pique de infantaria, e
cingia espada e punbal.
0 alabardeiro de Gonzalo de Cdrdoba ves-
Aquelle bnmera estd visado e 6 forte'tia com grande luxo, e daa um ar de gala
e invencivel I Rodeiam-n'o servos leaes, & porta dos aposeotos que oseu general oc-
e sabo tudo I Tal vez que, quando me cha- cupava no Vaticano
mou assassino se referisse a" si mesmo e nao No peito e nas costas brilhava o escudo
a Giovanni I Tal voz que minha irm5... (d'armas dacasa de Aguilar, e sobre oes-
Ah I minha irmi esti protegida por si mes- cudo uraa corda ducal.
ma contra o meu foror. Pois bem, lute-; Estava arraado com uma alabarda de aco
nos. Ate agora levo eu melhor partido na e prata, espada comprida com puahos de
luta, e nao tenho m tivo para juigar que o ferro.e o competente punbal.
diabo m* abandona. | Esta guarda de alabardeiros, que se com-
MaribuMtodo estas palavras, sahio Cesar punbade duzentos homens, era magnifica e
B-.rgta do Vaticano, e tomou o caminho de formidavel, quando levaodo em vez de
sua casa. ^ alabardas arcabuzes, entrava em batalha ro-
Tflo entregue ia & sua meditacio que nSo deiando o cavailo do gran-eapitao.
rep rou em ura homcra que, quando elle Gonzalo que tirara a mascara ao entrar
eneontrara c gran-capitao siibia a oscada, no Vaticano, passou por entre as duas sen-
quo parara quando ogran-capitSo encontrara tineilas, dando-lhes affavelmoiite as boas
Cesar Borgia, e continuara subindo quando noites.
Cesar Borgia r o 4,rao-capilao se cruzaram. Os dousjoldados fizeram-lhe a continen-
Esso homem "ra Cliristob! do Vdloslada, cia militar.
que ao paaMr p*>rjmto de Cesar Borgia 0( Deixem passar a pessoa quo veraatraz
envoiveu n'um olbar. _dc mim, disse o gran-capitao.
E's laimigo do gran-capilao, disse ( E entrou.
Vdloslada vcmsigo ai^smo ; ni sei q^em. Poucc dopois, CUristobai de Villoslada
passou livremcnte por entre as duas senti-
nellas que estavam immovcis como esta-
tuas.
Grandes soldados tem o gran-capitao
disse Vdloslada olhando mais para o alabar-
deiro do que para o suisso.
Um criado da camara de Goazalo levou
a camara d'este o capitao Vdloslada, que
se descobno respeitosamonto e perm neceu
immovel
Gonzalo, sem gorro, sem capa e sem es-
pada, pisseiava profundaraente abstracto,
na sua esplondida camara.
No pensamento do G nzalo rcvolvia-se
a tentadora formosora de Lucrecia, a magia
le Augiolina, o assassinato do duque de
Gaiidia, o aspecto hypocrita de Cesar Borgia
e a situacdo grave em que se achava Ro-
ma.
Estava escandalisado, indignado, irritado,
interessado, ainda que de um modo distinc-
to, por duas mulher.-s ; excitado pela co-
lera que desportava n'elle a recordac&o im-
mediata de Cesar Borgia ; com a attencao
do seu ospirito posta no papa, no reide
Franca, om Orsini, no cardt-al Julio de la
Rovere, em Joao Sforza, senhor de Pesaro,
em Napoles, onde estava o direito dos seus
reis, em Hespanha, d'onde aquelles tinham
os olhos fixos n'elle, esperando tudo da sua
prudencia e do seu valor.
Gonzalo de Cordoba n'aquello momento
era um homem, um embaixador, um gene-
ral, um naraorado, um diplomatico e um
soldado.
Comecava a aturdir-se, nao queria dei-
xar de ver claro e meditava sem reparar em
Villoslada, como se elle alii nao estivesse.
Atiual, depois de alguns minutos de re-
QexAo, reparou n'elle.
Perdde, senhor, disse elle, porem te-
nho n'esta cabeca um muudo I Famosa
noite de a von turns, bein ?
Gonzalo de Cordoba que parecia mui serio
e mui grave, era somtudo muito affavel.
Cora todos aquelles que nasceram gran-
des e verda leiramento nob res, tratava os
seus inferiores com franqueza, sem com
tudo diminuir nunca a distancia que o se-
parata d'elles, e sem tornar o Jiosa essa dis-
tancia.
D.iva se este caso quando os seus infe-
riores lhe eram .sympatnicos ; quan lo, po-
rem, alguma cousa o dosgostava d'elles tnos-
trava-se soveramente duro, repreheiidia-os
on breves palavras, impoudo Ihes penas
correspoudentes as suas filtas, mis sempre
coin rasderacio e digni lade.
Os seo aervos e os sous soldados adora-
CONSlDERiCOES SOBRE I'M CRIME.-
V Epocha, dc Madrid refere o seguinte:
A Lucas Sanches Gomes, sentenciado a
prisao perpetua pelo tribunal de Caceres,
por crime de assassinato, foi-lhe c.nnmutada
aquella pena em 16 annos de cadeia tempo-
raria. A historia deste horrivel successo dd
lugar a consideracoes originaes era que o
indulto se funda.
0 r!-o deu um pontape em sua esposa,
do que resultou esta morrer pouco tempo
depois, porem o criminoso sentio-o muito
logo que aquella coraecou a padecer, e foi
accommrtttido de febre.
Alem disso Sanches commotteu o facto
n'um momento de desespero, excitado pelos
iusultos de sua esposa, que se negava a dar-
ihe de ceiar. E' de prcsumir, portanlo, que
com boa cara e excelleuto ceia o criminoso
ter se-ia portado como um cordeiro. E por
ultimo e nocessario ter presonte que o meio
empregado na execugao do facto ran
vez pode produzir a morte. Com effeito,
elle proprio o disse : um pontape Quasi
da vontade de culpar de raelindrosa a mu-
ram-Q'o c faziam-se matar por elle.
E' verdade, meu senhor, respondeu
Villoslada, d vossa senhona perseguem-n'o
as grandos aventuras ; estamos n'uma
terra infamc, onde a generosidade c o valor
estao sempre ameacados pela traicdo ; por
isso eu, ha duas semanas que osenhor ge-
neral chegou, o espero e o sigo, espocial-
meote quando sahe dc noite stS, resolvido a
perder a minha vi la por vossa seuhoria.
Fualmente osta noite tive a felicidade de lho
servir de alguma cousa.
De muito, de muito, replicou o gran-
capitdo, sc nao fosse o senhor, sabe Deus
o que aquelles infames toriam feito de mim;
valeram-se do nuraero edas trevas, e s6 gra-
mas d minha cota de malha e d sua boa es-
pada, senhor capitao, devo eu ndo ser um
homem raorto a esta hora. Que dosoja ?
Que ambiciona ? Se 6 tdo honrado como
valente, pode csperar tudo de mim. E' ver-
dade, como so chama, que jd mc ndo re-
cordo ?
Christobal dc Villoslada.
Que occupajdo tem ?
Agora sou um desterrado do Hespa-
nha, senhor,
Bom, bem : mas em que seoccupa ?
No cerco de Granada era capitao de
umabandeira do infantaria, a soldo da or-
dera de Santiago, dobaixo das ordens do
commmdador duque de Maqueda, D. Gut-
tierres Fernandez de Cardenas.
Bom capitao e grande amigo meu. E
porque o desterraram de Hespanha, Sr.
Villoslada ? D. Guttierres ndo tinha ds suas
ordens nenhum capitao que nao fosse ura
homem do honra e um bom soldado.
Nao me desterraram, senhor, eu 6" que
fugi do rigor das pra^maticas. Era Medel-
liu, minha patria, inatei um homem que
por inveja bavia diffamado uma seuhora
honesta, a quem eu araava, e com a qual
ndo pude casar, porque a tinha deshonra In
a calumnia d'aquella infame.
E matou-o tendo vantagera? disse o
gran-capitdo paraniio defronlo de Vilb slada
e olhando para elle profundaraente.
BOMBAS ESTREI.LAS. -I.e-se o aeguinte
n'uma folha estrangeira;
0 goveruo inglez estd actunlmente man-
dando fabricar, em vista da guerra dos
Ashantees, bombas-estrellas, ou por outras
palavras, cylindros de ferro deslinados a
serem lancados ao ar, durante a noite, por
cima do iuimigo, afim dc se conhecer as
posicoesem que se achara. Estes petrachos
rebeutam quando attingem a sua mator ele-
vayao, lancaudo em todas as direccdes, ou-
tros pequenos tubos carregados de uma roa-
teria inllmamavel, que ao arderespalha uma
luz intensa, durante dous ou tres minutos,
por sobre os campos visinhos. Estas bom-
bas-estrellas teriam o inconvenience de se
toruarera tambem utcis ao inimigo, senao
fossem lancadas a uma grande distancia do
canpo do assaltantes. 0 governo ingle/
manda alem disso fabricar tambora appare-
lbos que ndo projectarao a sua luz sendo
n'uma determinada direcyao, deixaudo o
resto dsescuras, bem como bomb-is defumo,
cujo effeito serd desalojar o inimigo dos seus
acarnpamentos por causa da suffocacao que
produz o referido fumo.
Quasi todos os navios raercanlcs que
partein p3ra a costa occidental de Africa,
levam a bordo material de guerra por conta
do governo.
NOVO TUNNEL.Os jornaos da Sicilia
occupam-se muito do estabelecimonto de
um tunnel submarine que una aquella
ilha ao continente.
Para esse effeito coustituio-se uma com-
missao em Catana. A construcgdo das
obras iudispemaveis para tao graude com-
nettimento, por baixo do estreito de Meni-
na (sete kilometres) estd avaliada ora sete
mil e duzentos coutos de reis.
Com grande vantagera, respondeu
tranquillamente Villoslada.
0 rosto do gran-capitdo annuveou-se re-
velando uma grande severidade.
Fez mm, muito mil. dis,e elle com
ir.flexao breve esevers.
A vaulagem que eu tiuha sobre aquel-
Lo homem, ora a vantagera que tem sobre
todo o qualquor miseravel o homom de
honra o do corac^o, e ndo outra. Matei-o,
frento a fronte, espada contr3 espada, em
duello c com perigo, porque recebi uma es-
tocada quo me ia matando.
E abrindo o gibao e a camisa mostrou
uma cicatriz profunda no hombro, accres-
centando :
Aqui estd a prova da estoca la que re-
cebi em duello, do alferes Jorony.no Mene-
zos, a quem matei.
E estas duas outras cicatrizes do area-
buz ? perguntou o gran-capitao.
Rocebi-as na Vega do Granada, no dia
de S. Luiz, no anno de l9i.
Na Agubia ?
Si ', senhor.
No dia em quo a nossa senhora a
rainha D. Isabel teria cabido em poder dos
mouros, so nao nos Uvessemos valido das
l.incas como sub litos leaes e desUmidos.
Visto isso, ia comigo Sr. Villoslada, e 4
mru irmSo de armas, porque n'aquella dia
valia n tanto capitaes como sol lailos. Era-
inos um contra vinle. Folgocom te-Io co-
nhecido, e aqui estd a minha mdo, capitao
Villoslada.
Aquelle pogou na mao que o gran-capi-
tdo lho estendia, e beijou-a coir.movido.
0 meu capitao de alabardeiros, Nemo
le Navascues, morreu ha oito dias, d*essas
tereds que se apanham em Roma ; o seu
lugar estd vago, epor conseguinte nomeio-o
ao senhor para elle.
Ah I exelamou Vi'loslala cahindoaos
pes de Gonzalo de Cordoba, ser capitao da
sua guarda de alabardeiros vale tanto como
ser general.
La van to se, Sr. Villoslada : faco-o
meu capitao de alabardeiros, porque o julgo
apto para isso tem, porem, de jurar-me
por Douse por Santa Maria, qua ndo prati-
cou traicao matando um hoinera.
Pela Virgem Mai de Deus e pela Sau-
tissiraa Trindade, juro pela minha alma I
Sendo assim; proroetto-lbe que, por
minha intercessdo, os reis metis seohores o
indul arSo do rigor daspragmaticas contra o
duello. De hoje em diante perteuce d mi-
nha casa, Sr. Villoslada, porque alea de o
noraear capitao de alabardeiros, nomeio o
meu geutilhomem.
N'aquelles tempos os grandes seohores,
como o gran capitao, eram quasi reis f ti-
nham grandes estados, e mantinham guarda
de honra. 0 poder da alta nobreza, apezar
do muito rorcoado [ieo poder real, sustenta-
va-se ainda sobre grjndes privilegios.
fiontinuar-se-ha).
TVt'JX) DLdJAIO UUA DUQcE CE CViL'S