Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18411

Full Text
ai- >
<
- rJ.
AKNO XLIX. MJMERO 260
t
PABA A CAPITAL I,ICABG OffBB i* SB PA.fi % POT.
i?or tres muaes adiantados............. 8*000
for scis duos idem.............-,
T urn anno idem........ .' ... ._ 14*000
Cada numero avitlso............fc......

DIARIO


QUARTA FEUtt 12 DE N0YE1BR0 1)E 1873
PABA DEXTMO E FABA DA PBOVIfGIA.
Por tret mexes auianttdos.
yi5d
mc
Por seis ditos idem...........- .
Por oove dilos idem............* ft
Por am anno idem.................

U
PROPRIEDADE DE MANOEL FiyPrtOA DE FARIA ft FILHOS.

Sri. Gerardo Astnrio AlvesA Filhos, no Part; Gonealves & Pinto, no Maranhao; Joaquim Jose do Oliveira4 Filho, no Cear^i Antonio de letuui Braga, no Aracaty ; Joio aria Julio Chatcs, no Assd; Antonio Marque* da Silva, no Saul; Jos* Jurt
Pereira d'Almeida, em Mamanguapo ; Augusto Gomes da Silva, na Parahjba ; Antonio Jose" Gomes, na ViHl'da Peoha; BeJarmino dos Santos Bulcao. em Santo Antao ; Domingos Jose" da CosUBragu, emRaxareth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joao Aatonio Machaeo, no Pilv dasAfagdas; Alvea d C., na Bahia; e Leite, Cerquinho d C. no Rio}de Janeiro.
t

1
i
I
1
>
Hm mm.
f*vcrii lit |ro%iucia.
N. 38f*.-Pernambuco. -Ropariirao das obras
publicas. em 28 de ontu! Sr. -Ttoii em mu uflieio du 23 do correnie sob
. 381 iteeUntdo me solno o o. gaisihi A) oCtuio
4> V. Eve, rtc 22 do corroule, qde DM dote.-miuava
iafonaasse se as madeiras inserviveis da ponle da
Escada Uohaui sido arrcuialaJas. qua! o sen valor
1 por queiu, qne naqnclU data maatfara imormar
jenferilitiio do district i, por nida cousjar a res-
peilo nesta repaili,:i", insiusi reineuo a V. Exc.,
per a*ia. a inform .'.i i dada pan dito eugeuliuir >.
yrue eaaalmeale eipliea as ciivumsuneaas qde so
dw rafparai >!;ssa pouta -
Dens guard; a V. fc\e. -Nun. e Exm. Sr. com-
mendader Di H.-uniua IVreir.ido Lu*jiu pi;o*i-
deale da provinsia. 0 eiiiouheiro chela - Hurcio trreira de }lugaUid;>.
like. Sr. Em cumyiiiueni > da or Mm d^ V
>., cxarad:i o.n olliuio dea;U'vlr):r..!.!iiialul.i, man-
laodo-me dei-lartr quaco ai muiieir.is qiw foram
.ulgaiiaj iusurtfivL-is a p:>iUu da Ssoadk, q>u valor
-e Aeu k '.!' i:ii>in a'- arramatuii oa -i'\e destine
tterauj. ...i. > j aiter o seguinlo :
F-jram ju'gadas inservivei* todas a nadeiras
(He tern sido substitaidas em diu poule e qne nio
yoderaai er aproveitadas para outrun lfaballu>
ia niasaia-|.:>:i, e uao dei valor al*.vn. 4ain fo
ram arremita-las as quo so para fog>V doviam
ier aprovejtadas, porque ems partaoeiaiB^ ao em
:)reiieiro, teg in o Odsso ajas9^D o meihor Bwio de sereui mai* *c voaaiJai; e
nio saia precis.0 graudo eifurca da ;:iiiilia part-.-
para provar iso, qus se deJui no protirio nuppa
dcmoastralivo que rcmetii a es direeloitia em
au de li de maii.o du orreofi) anno. 1
Eti me axplicu. C*uo V*. S. deve saber, aiponto
la Exrada eblava -.eudu reparada ]uaaJo siiA para
K distriato, cujo reparo foi feito por Alexandre
la Multa Cauio pelo valor total do respooiivo dar.a-
meoto, Wadti eu recebido orde< >ara nuopar
isectilar este ultimo reparo. ua. linportauwi de
..UOJOOO, depois da um pXHUM qU'i li/. em dila
iioate, na qual vwrilijuei malor numjro da pe^as
ja arrninadaS; dirigi'ine ao'mcsmo Alexandre da
Molta. e dim este reiolvi fazor <> servi.;o sob a for-
ma de pequeaas empreitaJas, mas uao pelo valor
r.otal do oryaintmti,. e siai para so receber o valor
le cada p;a que (o^se substttuila e algum outro
irabalho de aodaime'e moviment-i do estivas velhas,
;.orque ate live- a caulela de lii.s oxultar certas
Verbas do or>;au,enU; ; pruiueuendo lue eulao dar
peia sua admiuistru(;a.> loda a madeira vcluu que
aao nyetaa outra aerVnfitia nuis do quo para o
fogo. Acceitimdo o referido Molta aau eondiiao,
uieteroos raXe^ a obra, tendo a frente da mesma
am "i< quji S'i canipria as mici >as oriens, e a respoito
4a.^ sdbadtdi^eeidas pecas arruinada.', e Umbem
.din qnein eu me tuteouia rauito partieularmente
restfmtJ da -Jira ; e coiu:>.ou-se logo a descobnr
o differeates e*m da iionto, rada um por sua vez
.v!o?tando-se para o l*lo- depoii empniga-las, o at.rovsitando-se para o pas*a
dico para o iransito pof Bel*de da- largura da
pou'.e asqnsnao pudiam ser mai.s empregadas
onio t:ies, dopois do i'ie .issea'arain-so as uovas
madeiras, tod.is de Dim das extreinulades para o
eeatro, licando eslas l.idas juntas, e as vjlhas que
21 ditos de 2.50-, a 6*500
6 maos de for^a de 1,70", a 2*
Forros, pregos, enfnstas etc.
Movimento e limpez.t das estivas,
liuhas e ehapuces
'vn laimes o movimento para o livre
transito
i madivs .de 7,00">, a 18&
16 chapuze* de S.O0-, a 6*
18 ditos de 1,70", a Hi
360 estivas para acualur etc., a 1*
Pintura de piche
li') kilogrammos de ferro, a ->00
10 por ceuto embcueQciodo arrtsna-
tanl!.' .."
Somma
Ob.I AS IAECI f.VDVS
lifi.OO"' eorreotes de linius, a 34-50D
rtt.OO"" dilas de ditas rasas, a 2*
30,60 dius de ditas cotrioioa, a
tiO JO
u braces do croselas de estivas, a li*
112 estivas, a 104 -122"'
10 ditas, a I2 -I2i"
2 eh.apu7.es de 3,00", a 11
i dilos de 2,50", a 6d500
16 miios do mrca, a 26
30 enfustas, a 701) reis
Movimento das estivas vcluas, c-
viliias para vasas etc.
AuJainies e movimento para, o livr.;
transito
2 tirantes das estivas, a 6*
7J-, 50 cent, de iravessas, a 500
bo pilaslras das varandas, a l^oQO
2 ditas prides), a o^OOo
jidd'j do urcaiiiout j priinitivu
119io00
124000
1194--iOO
S0J8Qfl
:i0040UO
100*000
96*000
90iOOO
360*0 iO
100*0)0
11->>K))
:;tO*J0J
3:V10*O0.i
iOiiiOOJ
I6J*0)0
ti.SiO.)
70*000
1:1204000
120*000
<14000
134000
324000
21*000
49*950
754000
125000
364750
97*500
10*000
2:3024400
1:107460)
Reis3:410*000
O'jstrvardes. Alem das notas de verbas nio
despendidas e despezas nio iucluidas no orcameu-
lo, ve-se difTerencas bem sensiveis entru o nu-
niep> de pe^-as do or;amento do das empregadas.
C-ibo, 11 de marco do 1873
0 engentieiro. Joaquim Galena CoelltG.
Conform'.0 sejretario, Feliciano Rodriguez da
Stlts,
recepedes anteriores de outros soberanos. Notou-
se graade enthusiasmo da parte da popnlacao
vienense, naluralaieute fria ncslas occasides ; rajs
qae raanif^stava satisfa^ao ao ver dosembarcar
aquelle soberano.
A (nanifesUcao popular foi de tal of Jem, que 0
rei Victor Em.nanuel, segundo narrou um jornil
ies(a cida.le, disso a Francisco Jose, que nos 53
de sua vida so tove uma reeepcao tao cor
0 governo austriaco tinha despendido at6 30 do
passado 15,043:314 flirin< sendo a receita at6
aquella data apeoas de 2,681:627 florins. As des-
pczas raleuladas ate o flra do anuo, quando se
espera desombaracar todo o palacio (o que iulgo
iaipossivcl em tao poueo tempo) 6 de 4 milhdes
de florins.
Calcnle, pois, de qoantos mllhue3 de Horins nao
sera o deficit do governo no dia em qae finalisa-
0 palacio destioadsao illusire ujsnddo
Kofburque.
Um programma official tinha si.l-., drganisaao
para as feslas que devoriam tfa luar dnranV) a
estada do rei uesta cidadtij coDsistindo eq^ianta-
res, soirees, i-e.-ep^ods, est.;Ucalos, iBpllWoes,
cacadas etc., etc., mas nao foi restricumiBte obscr-
vado, porque Victor Em.naauel entotraeu passar o
annos _
deal como a que acabava do receber ; foi quando Bin todos os trabalrtos desla expiisicao, que sera
enttou em Roma. tiscerrada no dia 31 do cprronte.
io destimidoao illustre bJaaOdo foio ffc Isto pelo lado dos eofres publicos : agora pulo
Rocba Granj.1. Sim.
Belmiro da Sitveira Liu3. De-
itsta data a tliesouraiia de fa-
uoderaoi sei aprove^adas, foram siiUslituindo ou-
(ras velhas que nio p:.diam mais servir, arrunuu-
Gomecoa lo0o a desenvowor-so o furlo das ma-
doiras veihaS, e eu, roeBtaAo que enire estas me
i ilta-s; lambent as quu e^avam no caso de ser
:.: ..eitadas, pedi ao niesiHo ompreitjiro para
mai iar para o lado da sua msrada as dilas ma-
Itsiras que se fosse extraliindo, e foi o que se fez;
- alii entao erara escojhidai as pefeas quo deviam
lohat e voltaiam para a ponte
C 'llocadas lodas as lianas e estivas novas e ve-
luas, em bom ertado, traton so dasubstituijao das
pecas que foram encoutradas podres nas Varandas,
aproveiUndo-se os meihores pedacos do passadico
para pilastras e enfustas que foram substituidas,
taotq que, sendo 2*000 o preco quo cosiumamo*
pagaftjOor cada uma das pnmeiras, 3 U80) cada
:.na das segundas, eu paguei ao emoreitjiro estas
.; 700 reis, umas pelas outras, Je madeira nova e
velha, e da mesma forma pagariamos aquellas a
iiouo, deveudo tambein uotar a lavragom das es-
iiva uovas que exige'serem feitas, deixandose at-
mofadas' em e.iua das Iinhas, para assim evitar a
.rba do'fi<))3 que appareeaa semprel nos orga-
meaUis para oalcitj eulro a- estivas et:.
F. todo o maior trabafli', foi feito de molo que
i. 139*5)0 das cinco ver*as, estivas para pregare
movimento, lioipeza, auJaimes, forr-i e pregos e
10 por cento em benenelo da adminMtraeSo, etc.,
i'ocebeu o empreiteiro. iWio'OO, sendo "7oi de
wda a nlao d'obra lo passadico, movimeuto para
i> livre transito e o de-armar e armar de novo as
varandas ; 49*300 de moviraemo das estivas ve-
ihas, cavilha; etc., c 214 de trinla enfustas ;
ado de not ir que tambem nao se havia despen-
lido averbade 1154 de2l) kiiogrammjs do ferro,
at de se ter sotiecriaio algumus ferragens.
Nio quiz o empreiteiro Molta continuar com os
ifiibalhos, e estes, nao podendo sor accei'.os pelo ja
;itado mestre, e tendo um outro artisia me pedido
s* pela lavragem e collocacao de uma estiva,
:.\y.-Ad\ o S:-. Pedro Ramos, qua ate i*>je lem des-
vnpeubado hem" os seus traiiallios, c cam este
tgundo empreiteiro tonhn aeguido o mesmo sys-
tena de traOallio; e si-eH-4.w4ado ou vendido
ao piimeirc ompreiteiroia madeira Hie na> se
IMjde'mais aproveilar, nida tenho qie ver com
.!;, uem tao-poueo de.*c.:;^i a lorecUr e-sc preeo
Jc 4 a 5 patacas par uma carga da lonlia.
Poae-se, I ois, dizer <\'v. foi v.mdida a lenha
nao fnrtada ft noite, e da qnal eu nao teria apro:
M'.iti4o mil pan-pela quanlia de U;l-J, ou que loi
ista a ecooomw que rasukou da tenlu coincaja
.o csta h'oje augmentaudo b nnmero de estivas
to cada fila, e outros traoaibos qne estao *endo
-.'vccutadaa j i por or.lem vtrbst de V. S. E' esta
-t historia da piinie vistas sobve tolas as outrai qu-p se reparam Shi
.i.'f l'ira, ven(lcarcinos"q'i'! sdoOde se dispde d*
peiaeal para a vigilancia da* madeiras velhas so
odera con-eguir a veuia das m-ismas.
D -us guarie a V. & -Villa do Cabo, i de ou-
i i.,:o de 1873. IHin./Sr. Dr. iose loburcio Pe-
rora de Magalhaes, dignissimo direcfcir dasi obras
iHiblicae, 0 eogenbeiro, Jonqtttm Galeno Coelko.
Maim deiiiQiulralivo das obras u.Uimaiwnitetec-
(Sat na punte da Eieada, feitas por miuiuu
empreiladnt pr Alexandre da Uotta Coulo,
-u importumciat etc., comparando tudo oea o
ttffetUcu oryimento.
0RC.MIKN TO DAS l**S
K *) 8,00- de rompriniento, a '
-V-4)UO
i uiUs de 5,50" de coaipritOeiilo a
26*000
12 dxtaa da 7,00s de eomprimenio, a
mm
.) vasas d 25*000 30,000-
;; ceirinuo.- Je e.nO" de compn
Uuta,a 12*000-18,00"
* bra#Vs'de cru-eus de 8,00-
cdBprim>cto, a 14*
60 estivas, a 10 a
10 ditas. a 114
r. chapo*!. de 3,00-, a 7*
DKSr.VC'JJOS 1>A W1ESI0E.NCIA OK 10 OE H0VBMB00
DC 1873
Alexandrina
Teuente coiou
ferido com officio
zenda.
Beruardina de OVveira Cavalcaute Macindo.
ludefendo.
Francisco Xavier) dps Santos. Informe o Sr.
inspector da thesouifcria provinsial, ouvindo-o ad
ministrador do eonkulado. t.
Francisco de Papa Gonealves Ferreira.Satis-
ftca a exigencia 3a- lliesouraria de fazenda. I
joaquim BapMsta nogueira. Deferido com offl-
-M d.-su. duJ*" dfovedor da Santa Casa de Mi
sericurdia, mediant* a remuneracao measal de
20*000.
JoijPereira de micena. Coneedo o prazo fle
15 dias.
Capitid Jose Ga me n Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Jose Manoel Cavalcante d'Almeida. Informe o
Sr. inspector da tiesoararia de fazenda.
Manoel do Carmo Rodrigues Esteves. Deferido
com oftlcio desta data ao Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda.
Miguel de Figueiroa Faria. -Idem
Capitio Manoel Antonio dos Santos.-Idem.
Maria Jose da Camara Guedes. Idem.
Manuel Januario de Azovedo. -rlnforme o Sr.
inspector da tnesoararia de fazenda.
Maria do Carmo. -0 recruta a qae se refere- a
supplicante segulo para a cdrte.
Capitau Manoel Poreira Magalhaes.Informe o
Sr. inspect->r da tiiosouraria de fazeoda.
Manoel Francisco 43 Lyra Senna. -Como re-
querT
Nirbertj Muniz Teixeira Guimaraes. -Sim, sa-
tisfeita a exigeneia da thesouraria dc fazenda.
Oscar Dastibeaux.Informe o Sr. engenhciro
das obras publicas.
Paula & Mafra. -Nada ha a daferir.
T'noodoro Cavalcante Lima.Informe o Sr. br-
gadeiro coramanJante das annas.
Secreiaria da presidencia do Peruarabuco,
de novembro de 1873.
0 pott'iro,
Sileino A. R'tdrigues.
U
'.

Itejinrtii'ito da |lcia.
sec^ao. Secrotaria da policia dePernainbuco,
> 11 de. novembro de 1873.
N. Vitii.Illm. eExm. SrParlicipo a V. Exc,
lue foram hontcra recolhidos a casa de detemjao,
os indivldnos seguintes:
A' minlia ordem, o desassisado Joao Joaquim
Jose de Santa Anna, ate ter o destino ; Jose, es-
cravo de Aleixo Alves Bandeira e Tiienioteo, cs-
cravo d& Pedro Miguel Peres do Azevedo, por an-
dar fngidos.
a' ordem do subdelegado da Boa Vista, Fran-
cisco, escravo do Dr. Ezequiel Franco de Sa, a re-
querimento desie.
Em officio "de 7 do correute, declarou-mco sub-
delegado do 1" districto de S. Jose, que remetteu
ao Dr. juiz de direfto do 3s districto criminal, o in-
querito policial contra Anlonio" Monezes de Amo-
rim, autor dos -feriinealos praticados na pessoa dc
Francisco Xavier Cavalcante de Albuquerque.
Segundo cominunicou me o deh-gado de Aguas-
Bellas, por officios.de 23, 28 e 31 de outubro ulti-
mo, foram recolhidos a eadeia daquelle termo,
Francisco Anlonio de Barnes, prcso em flagraute,
por crime de furto de. cavallo, Antonio Propicio
\ ilia Nora, sehtenciado appellado por crimo de
morte; os indios Jose do Mattos. Jose Virismo e
Jose Loureuep Zebinlio, pronaocados all, como
lacuraus nas pouas do art. 192 do codigo crimiaa .
Por officio desta data, commuhicoume o subde-
legado do Poco da Panella, que honteni, pt las 8
boras e 40 nuantos da noile, o trem dos tnlhos ur-
banos que desta cidado, seguia para o Caxanga,
ao passar enlre o ppvoado de Apipucos e o enge-
nho Doiis Irmaos, esmagou ao preto Joao, escravo
de 0. Maria Locfa de Mendonca Paes Barreto, do
qao Ihe resulti.u a morte; que fez a compelante
vhttona e proseguia nos teruios do inquerito.
Deus guarde a V. Exc -Illm. e Exm. Sr. com-
mendador Henrique Pereira de Lucena, digsissi
mo presideote da provincia. -O ehefe de pelicia,
Antonio Frtnojaco Gorreia de.Ataujo.
t
d-
mm
extebioe;
tempo coin mats hberda-lo
tantas ceremonias : assim foi mvcrtlda a ordem
das festas, e as horas das vi.-itis aos lugares mais
uoiaveis, e especialmeute a exposicao.
I'M a visita do soberauo da Italia', tao natural
como deveriam ter sido as dos seu* collegas, deu
lugar a varios commenUrios na imprensa deste
coutiucote, quo acreditava ter olla um .fim p >li-
tico especial de giaude alcauco, um traudo de al-
lianca offensiva e dofensiava entre as duas nacoes,
tendo por Qin a garantia da uuidade do reino da
Italia, quo suppuuham amea^ada por uma possi-
vel proteccao ao partido nue advoga u resubeleci-
mento do podcr temporal do papa, prqteccio qne
ostentava aquelle partido, acreditaudo no auxiiio
armado da|Iraoca, e no apoio moral da Austria.
.Nada respirou, porera, para autorisar juizo da
impreusa. ao sentide do tratado de allianca entre
as duas nacoes, mas a satisfacao mamfestada pelo
rei da Italia, e|pela sua curie, deu lugar a acredi
tar-se -qne as relavoes de amizado entre os gover-
no- dos dons puvos foi cimeatada de modo a nada
ter que temcr a Italia de sen visiuho e aroigo.
Nao deve admirar que Victor Emmanue., vendo
ameacada a integridade do sua, palria, a cuja
prosperidade torn dedicado loda a sua vida ; tra-
lasse de precave'r-se contra qualquer eventualida-
de bem possivel.
O rei de Italia foi nomeado por Francisco
Jose, coronel do regiinento de infantaria u. 13.
Em nonra do mesmo rei love lugar uma pa-.
rada de vinte mil homens da guarnicao desta ci-
dade.
Em um jantar de gala, dado em Siihonbrnon
o imperador Francisco Joso Ic-vanlou a Viclor
Emmanuel o seguinte brinde :
Bebo a saute de S. M. o rei di It dia, mcu
illusire hospede, irnu'to e amigo.
0 rei da Italia respoudeu :
Bebo a taude dcS. M o Imperadar d A tulria,
e rei da Hungria, men innao e amtgo c tambem
a de S. M. a Imperatriz Elisabeth.
Por grave incommode de saude a imperatriz
d*Austria nio aseisiio a nenhuma das festas dadas
ao sen illtutre hospede.
Acba-se entre nos a raioha da Hollanda. Au-
tes de partir paraaquia princeza Sophia. Fre-
deric avisou que nao desejava ser recebida offl-
cialmeute, pois qnena gnardttf^o'niaior. iueogaito ;
por estb rnzao foi apenas recebida na- estacao pelo
tiarao Heckeeren, minislro da Hollanda', acompa-
nliado do pessoal da tegacio, iadoimmediaUmeh "
le para o hotel Munscli.
E' uma senhora de alia estatura, trajaudo de
preto : nota-se no semulante mudancad japidas,
ora de tristeza, ora de alegria. Tem visitado sozi-
aha a exposicio, danio sempre preference a sec-
cao do seu reino.
Tambem vaio visitar a exposicao 0rao duque,
e gran-duqueza de Baden. Vi-os houtem no pala-
cio da exposicao acompanhados pela prmceza
Gisele, filha do Francisco Jose, e du principe I-eo-
Soldo da Bavipra, tendo por ciceroni o bario
charz, director em chefe da exposicao.
A princeza Olga, rainha da Grecia, depois de
alguma demora nesla cidade.que porcorreu muitas
vezes ape, daudo as maos a duas criaiicinhas, re,
tirou-se na poucos dias, passando por Trieste-
aonde os Gregos alii resittenles Ihe lizeram esplen-
dida reeepcao.
Aflnal chegou anle-hoatem a esta capital o
imperador da Allemanha, Guilherme I, as 3 horas
e 5o minutos da tarde.
0 imperador Francisco Jose,' acompinhado de
quasi lodo o ministorio.archiduques, dignalarios o
otllciaes goneraes, linha ido esperar o seu augusto
hospede em, caminho, recebendo-o na estacao do
Saint- Pottdit.
Da estacao da cidade seguio Gqiliiermc I, em
carruagem de galla, acompanhado dc toda a corte
para o palacio de Schonbrunn. -
Segundo osestylos, o imperador da Austria tra-
java uuiforrae prussiano,e o imperador liuillierme
Uniforms austriaco.
0 principe de Bismark, que acompanhava o
imperador, trajava uuiforme dc general prus-
sianno.
Nesla mesma tarde houve jantar de galla em
Schonbrunn, a que assistiram o grao-duque e
gran-duqueza de Bade.
0 imperador da Allemanha veto acompanha-
do, alem do principe de Bismarck, dos seguintes
persouagens:
Ajudaiite de campo e lugar leoente-general, con-
de de!Gohz.
Marecha|.e general de brigada, o condc Perpon-
cher.
General, barao dc Sterna:ker.
Chefe de gabinete, o general dc brigada d AI-
bedyll.
Conselheiro interno, de Wilmowski. r-zlua
Vice-grande escudeiro, Ranch.
Ajudaotes de campoj)riucipe Radzivil, coroneis
I'.milc LeuHdbrfT e Alten; majorfls, Wmterfeld e
Liudequ st. ii bJr:f 3 J
Medico, Dr. Lauer.
Conselheiro intirao, Billow. .
Coronel Bajan de Wangenheim, coronel barao de
Heiniz e major Tassong. -
Alem dos eitados persoeagens, vieram mais 9
empregados subalternos e 30 criad*s.
Oprogramma official que se deve execoJar,
durante a esuda do imperador Guilherme uoeta
capital, e seguinte :
SoWiatto.-Pela manha, vmlt, a ex^osi^ao. A
uma hora da tarde, alrauco no pavjibao- imperial
do palacio da exposicao. A's cinco horas e meta,
jnl preeeulacao de gala na opera.
DomingxA's o boras da tarde, grande janlar
naembaixada da Allemanha, em casa do barao
Sehweinilz. A' noile, theatro e ceia em Schon-
brunn. Explendlda illuminaeio do jardim d'aquelle
palacio.
Seuunda-feira. Grande revisla militar pela ma-
nha. Jantar em Schonbrunn. A' noite, Uipatro.
Terra-feira. Caeada em Tniergarten. Jautar
qua diz respcito ao commercio e aos particulares
imagine, que associacSas se lizeram para a cons-
iruccao de dispendiosas e provisarias conslruccfies
de boteis, theatres, circos, cafes, na esporanc v da
uma fabulosa concurrensia; c que o apurado nos
wis mezes da exposicao nao chegou para o simples
costeiode tiuiitos destes csjabelecimentos : ainda
nao sa sujeitando a "toais, qu<: ostes ediiicios, uns pelo- tins especiaes,
outros polas localidadcs, e a maW parte pela na
tnreza de suas constrocc/itiJ If quasi todoj'de ma-
qoira do pinho) somente podem prestar ntilidad
proviwria. durante o pratfT'da expoSjcao. e que
fittda esta, nao valerao 20 por cento w seu, cp>:
qual sera o resultado A desgrae> dos rtscai am assim seus cauitaes, e conseguintemonte
a ruiua do commercio, d'onde na sua itatorla s;ibi-
ram estes capitaes.
De um jornal francez, publicado aqai, extrahi o
seguinte quadro du movimento de entradas no pa-
lecio da exposicao, desde u dia da saa abertura
ate o dia !. do corrente.
e .

a-.
oo
ao

s?


2 I


a -
Bm
2E -2 ~"S
52 3 3
S
30
91
4
n o
5 8
r^ ^ <
Oa ** BN
K t^ X
CO
r* >9 c. o
r* 90 ac 5^
a 30
c^ ti H
m
^* tt >;
= l-N mmd
2 CO ^P
30 5-5

f ^ i*
s ^ a
,
3
*
*.
%
i--
c.
ii
.
M
t '
i I 1
Era nma memoria impressa, quo os acorapa- tir, rauito menos pelos modes porque o lem feito,
nliqu, se demonslra com factos fundados em ex- ao governo imperial. Apenas a sua imprensa de
' orciinario pouco moderada e attenciosa, comeccu
564000
60i4000
1204000
Crrepndeael. parlleular do
Uiurio de Pernainbuco.
viknna d"ai'stki\ 19 AB ourueao OK 187J.
Vou resumir nestas linbas os acontecimenlos
mais nolaveis que aqui liveram lugar depeis da
ramna ultima carla.
Comecarei pela visita do rei da Italia.
Victor Emmanuel chegou a esla capital no dia 17
do mez pass&do, sendo recebido na estacao do ca-
minho de ferro do sul pelo imperador Francisco
Jose, archiduques, duques, ministros e embaiw-
*000! dore's, segaiadi se o ceremonial observado nas
epiou
disse,
Moncionarei os de pessoas mais notaveis succedi-
dos uos intervaltos das miuhas ultimas carlas.;
Saicidou se com um tiro Jo rowolver c coude
Eslerliazy. Este cavadheiro soffria de uma mycti-
tea, para cuja enra tinha procurado os banhos de
iddo o dc douches em tun ustabelccimento hydro-
llierapico de Graz, mas seb resultado algum, o
que percebendo o doente recolhen se a sua casa,
nesta cidade, resolvido a p seus dia;, deixantfo uma declaracao dus niotivos
que o iovanmi aquelle acto, finalisando com as
seguintes palavras : deixn-se a vida, quando se
torua insuportucel, como sc dcixi dma casa quan-
do o fumo a invade.
Ao conde seguio-se a baronez:. Bertha de Piuo
Fri-.-deutoal, envenenandose.
Fi encontrada morta no sou quarto de dormir.
nacasa,d sua residenciaem Weyringgasse. Era
uma senppra de 60 annQS de idade, mai do go ver-
nador de Bukowmel Tgnora-se o motive : sup-
poe-se um accesso de loucura.
0 exeraplo da infeliz Berf a foi logo tornado por
outra senlrora da aristocracia.
A baroneza do Wittenbach, quo residia em seu
casicllo do Burgstall, em Graz, muito estimada na
alia sociedade d'aquella lo alidade, poz termo a
seus dias, dfsparando em si uma carabina. Tam-
bem ignora-se o motive que ?. isto a levon.
Os accidentes dc caminhos do ferro (como
aqui chamafn aos encontros de dous trensj repe-
tem-se a miudo : os jornaes reeistram-nos quasi
lodos os dias. Os ultimos dias do mez de setcm-
bro foram-aziagos para as estradas de.ferro da
IngUterra"; alguns acstes factos se succedcram
com pequenos intervallos. Ha poucos dias uns
desencarrilhamenios teve lugar na via-ferrea aus-
tro-htingara. entre Fcldbac i e Fiehring, dos quaes
resullaram mortes. e muitos ferimentos graves.
*- A exposicao de'cavallos, annmciada desde
o priucipio de maio, realisou-se no dia 18 do
passadu, sendo aherta solemooraente pelo imprs
dor Francisco Jose e em presenca do' rei Victor-l
Einmaimel. 6s dous sebTanos demoraram-se alii
por algumas boras, percorrendo a|diversas Iinhas
de baias em que estavam iustal|ados 460 cavallos
de differentes rafas e de diversas procedencias.
Querem 03 enleadidos que os cavallos francozes,
e os das estribarias iiWperiaes d'Austria, de raca
hungara,' fossem os primeiros entre os mais bellos.
Um grande proprietario francaz, vtr. de la
Ville, loi quern enviou o maior lote destes ani
maes. Sdmente elle expoz 34 lindos cavallos. 0
rei Victor Emmanuel admirou-os muito, e por
algum tempo conversou acerca delles com raada-
me de la Vflle, que narecia muito entendWa a res-
peilo da cria^ad e educacao desles animaes.
0 que dopois de Mr. de la Ville mandou maior
loU foi o eopde Dzieduszycke, rico proprietario da
Polonia, que expoz 24 specimens muito notaveis
da raca cavallar do nnrte. .
Saguiam-se outros expositores, tornando-sedig-
nos de atteneao 4 cavallos arabes de puro saugue,
trazklos do Egypto e nerteneentes a Sefer-Pacha.
Um destes cavallos foi offertado o rei da Italia.
Esla exposicao encerrou se no dia 27 do me*
passado, tendo sido os premloe pruclamados pelo
archiduuue Louiz no dia 25, e eabendo o premio
dehonrt a Mr. de la Ville e a Safer Pacha meda-
Iba de merito.
- ria mesma occasiao inaugurou-sc uma ex-
posicao de agricultura e a1 borlsacio.
Tambem inslallou-se um ooagresso de pomola-
got altemaes, com o ftm de*onferenciar sobro os
melberamentos da cultura dos fruotos.
?- Acabou-se de fundir, na fundioao Imperial
de 'bronzes^ estatua que v* erigir ncsta capital a
periencias no* campos, a sua superioridade aos
arados ja conhecidos.
Em varias exposicoes agricolas de diversos
poizes foram premiados ; e em maio do corrente
o sen expositor tomon parte no conenrso regional
de Stoczov, (Galizia auslriaca) de arados de lodos
os systemas; e, depois de dous dias de experien-
cia, os seus arados foram julgados os melhores, e
premiados com duas medalhas, e os tres primei-
ros prcmios destiaados aos arados de sulco? mais
on menos fundos, e para cobrir a sememe.
Nas ii. in has carlas passadas, se nao me en-
gaao, fclleilhe na reconstruccao da igreja do San-
to futevio, cathedral desta :apRal; nessa rocons-
truccio ja se lem despendido de W38 at6 hoje....
1,028:029 florias.
Houtem leve Ingar um espectaculo em gran-
de galla n3 opera, levando-se a scena o Fausto de
Gotino!. Os camarotes e bilhetes de platea e de
cadeiras foram distribnidos pela gente dt cdrte e
da aristocracia de Vienna. Comparccerara quasi
todo o corpo diplomatico, duques, archidnques,
officiaes generaos, "He., etc., etc. Todos trajavam
fardas, notando-se apenas um individuo do casa-
ca : era o ministro dos Estados-Umdos.
As primeiras or dens de cadeiras estavam occu-
padas por offliiae* generaes anstriaeos, as segun-
das por offieiaes do raariuba. O imperador da
Allemanha trajava uniforme de corouel austriaco,
e o da Austria o de coronel prussiano.
Eatre os offieiaes da mariniia de guerra aus-
lriaca destacava-se uma farda da marinha brasi
leira ; era a do capitao-lenente da nossa arm .da,
Luiz Saldanba da Gama, que aqui se acha em
coairaissao do ministerio da marinha.i
Os con^^tes para os esliaageiros, de passagem
nesia capital, foram feitos pelos pedidos das res-
pectivas legavoes.
Amanha deve ter lugar nma espleudida re-
vista de toda a tropa de Vieuna, pass.ida pelo im-
perador da Allemanha.
Esteve entre nos a celebre cantora Adelina
Patti. E' uso nio sc admiitir no theairo da Opera
o canto italiano, sendo vertidas para o allemao as
melhores operas italianas ; mas manifestando-se
grande desejo da corte em ouvir esla insigne can-
tora, foi ella admiltida a canlar naquelle theatro,
em algumas operas de sua predilecijlo. Nao ha-
veuio companhia italiana, e nao cantando ella cm
allemao, foi a sua pane cantada em italiano, e as
outras na lingua altema, o qne e muito agradavel
ao ouriio. Assim, quando alguma vez cantava
elfa era duetto com o tenor, e diria, rrfci gratia,
io t'amo, ou,via-se a gutturalich Hebe dich -pro-
nuueiado pelo amante apaixonado. Como sempre,
foi cUa muito applaudi la. Os bilhetes de platea e
os camarotes vendoram se por precos fabulosos.
Ba:tara dizer-lhe que as sennas de entrada para
a;ststirde po o espectaculo custavam 20 florms.
K2o setem fallado mais em casos de cholera
morbus. Estamos em mais do meiado de outu-
bro, e ainda se nio senje frio ; ao couwario senii-
aws no dia 16 algum calor, como se estiveramos
a* vera>\
Hoje amanheceu o dia um pouco chuvoso, mas
do nieio dia cm djante limpou-se o ceo das nu
la uao cssnq a mania (chamarei meihor
Ao* sluteidids. Como nma vezja the
o dias ha de nnra Joos teKJiat M3 *ne o encobrum. e parece que teremos ami
nha um bello dia.
carta? falran-
Pinalisei as mir.has nttlmas
do-lhe em uma linda poesia 1*1 recilada em casa
do nosso ministro, na noite de 7 de setembro, pelo
douti o veneraudo aaciao Manoel de Araujo Por-
Id Alegre, distincio brasilciro, secrelario d.i com-
musao superiora da exposicao e consul do Brasi!
em Portugal; aeab.irei ciita transcrevendo a
mencionada poesia.
A. de A.
INTERIOR,
Rio, 188 de ontubro de 188.
A QUESX&O KELICIOSA.
. Completam-se hojc dez mezes que, no seio de
uma populacao cuja indole branda, educacao e
babitos, desde as mais affastadas origens, sempre
Ihe assignaram lugar de honra na ordem das mais
fervorosas e crentes do catholicismo chrislau, se
lancou, com sorpreza de todos, um germen de dis-
cordia de que so Deus sabe que resultidos ainda
poderao provir, quando reveste a coutroversia as-
pecto nao muito tianquihsadoi.
Quem entao se achasse no Iheatro da luta que
se iniciava, nem de leve talvez quizesse crer que na
ciicular de 28 de dezeinbro, do bispo D. Vital, es-
tava iucubado, nao esse germen, filho da rretle-
xao de um espirito ainda vasio das licoes da vida
e dos avisos da alia administra>;ao, como eotao se
ajuizawa, mas umnovello deque se deviam desen
rolar fios electricos de funeslas reaccoes e pre-
meditadas resistencias.
A opraiao em peio, ao passo que,. justiceira e
pevera, condemnava o aclo, generaes o radulgente
attonuava tambem a inlencao de quem o pralica-
j ra. Elevada como s6e ser a rarao publica nas
suas indagacocs.lancava-o a conta, primeiro dos ver-
des aanos para uma posicio madura, e depois...
mez
memoria de Schiller.
de gala no castello do Burg (palacio- da cidade.) Por toda a parte da culta Europa trata-se do
A' noite, cha em familia em Scnonbrunu. elevar estaluas dos homens que bem leem servido
Ouarftt fcira. -Visita a exposicao ; a tarde par- a ^arria, perpetuando assim a memoria de seus
tija. t^M^^B^^fc-. b^v' ,(*. c estimulando aest'arte os brios da mo
"ii- ciladf
Do 1 do corrente em diante comecou
mar-se aconcurrenciade visilantes a ex.
(que ate entao parecia ir sendo abandooada) dr
manejra que em meiados deste era extraordiuario
o nam*ro dos visitaates, eataadu quasi tbdovbs
boteis repletos de hospedes, e, como consequeccia^
mais care o viver nesta oi lade.
tade
Quando sora aceita esla sabia theoria em nossa
palria
- Na *eC'.5o agricola da exposicao russa foi
oxposta uma' eolleecao de aridos shnples, e poly-
socs (de muiUs velhas). Estes arados, em numero
de oate, vleram da Pohnia ; sao moito simples na
Esta tarde a coarurrencia nao p6do evitar os consicuccao o de forma differeola dos conhecidos
graades prejuizos publicos e particulares, devWos ate boje, e foram expoatospor um Sr. B. Chiww*-
a escasset de visilantes nos cinco mezes ante-lki, qne e agricultor por vocacao c proprietario
riores. lnaqaeUe pail.
das turvacoes proprias daquelle que, deshabitua-
do a occupar summidades, sente, quando nestas,
a vertigem natural a quem, pela vez primeira e
de chofre, leve de olhar das eminencias para as
planicea. ....
Fosse qual fosse, porem, a diversidada de pen-
sar e seniir da populacao alonita, um ponto ho-
mocentrico exislia no qual todos estavam de ac-
cortlo. Sem distinc^ae de qualidade, de posicao,
de poliliea acreditayam todos que a palavra do
governo, uma vez proferida, reporia as cousas nos
subvertidos fundaraentos ; que o bispo havia de
voltar as suas raias. .
E, gracas a esta legitimap lisongeira conuauca,
foi que s'cenas, talvez de sangue e luto, dessas que
sao quasi sempre inevilaveis quando conuictos de
tal nalureza vem per era fenneutacao uina grande
massa, se pouparam, com relicidade rara para to-
dos nos, qualquer que seja o modo de ver dc cada
um nessa meliridrosa querella. .
Se bmnos recordamos, ale do palacio da b le-
dadc se fazia circular, a boccas pequonmas que,
se o governo decidisse 3 quesllo em favor da ma
couaria immedialameute reliraria o prelado a sua
pastoral. A algumas pessoas de mais esphera que
pela pnvanca em que estavam com o bispo, e jul
garam no caso de Ihe fazer judicio-as pondera-
coes, respondera elle que ettava etimprindo or-
fans. Houve quem chegasse a suppor que e>sas
ordens liuham parlido do governo central, atlen-
lo eerto modo do insinoante reserva com que o
prelado se exprimia. Era isso u o meio eslrate-
gico, depois o vimos, de ganhar tempo e novos
elemenlos de luta^ no seio do um po-o credulo e
predisposto sempre a ser explorado. Era um
meuicamenlo soporifero para adormentar a dor da
pro'unda aggressao qua escandalisara os pacificos,
mas briosos peruaaibucat-os, Umbem prorcptos
sempre a acudir em defeza de um direito ; e que
direito! .
Foi nesta ordem de ideas e factos que, ouvido
por S. M. o Imperador o conselho de esudo, delta
emanou a sabia e luminosa consulta que sorvio
de base ?o aviso de 12 de junlio.
Nao havia eulae acto algum do prelado, bem
que neste se lessen; dando a conhecer residutos
animus, que revelasse'daro picsut|iosto de resis-
() A
p3gina.
poesia aUadida s.cha-sa em nossa itava
de agitar ideas que, condensadas mais tarde em
ados nao erara consideradas entao senao como
outras tantas maneiras de eacarar as cousas dc-
correntes.
Em taes condie5es julgou a sabia consulta pro -
ver sufficientcmenle as urgencias da occasiao in-
dicando ao govorno providencias para o caso, uni
co certamente que era licito prevor, de simples
devobedteticia do prelado a decisao do governo qne
condemnasse o seu procedimento.
Nao havia razao, uos o dizemos na meihor fe,
para que o conselho cogilasse do hypotheses ira-
provaveis, taes como as que se lem ultimamente
realisado ; e p?ra quo, deveudo expressar parecor
sobre a hvpothese di desobodiencia, so adianta?:
a consultar sobre outras series de crimes.
Xem era presumivcl que o poder religioso, a
quem assiste, mais qae a nonhum outro, o dew r
de editicar com exempkw de maasidao, de cordu-
ra. de docilidade e de respcito aos poderes do er-
tado, arvorasse, longe disso, o estandartc fatal da
rebeldia, tanto menos fora das previsSes naturaes,
quaulo o rebanho estava babituado a contomplar
nos seus pastores. espalhos vivo.- do christianismo
doutrina que liberalisa o amor e a concordia, a
nao ateia o odio e a guerra civil.
Nan havia ainda motivo para qae a consulta
fosse mais loagc do que fora se considcrarmos
alem disso am milbar de precedents. Nunca
nesta terra os bispos deixarara de mo3trar-se obe-
dienies ao supreno peder do estado. Quem per-
correr as paginas da nossa historia ha de ver que
desde os tempos colotiiaes ate nos, sempre se dis-
tinguio o episcopado pelos mais eompletos exem-
plos de patriotismo, brilhando pela sua sciencia e
circumspeccao. D. Vital esta desacampado no
passado, c segnramenle o estara no future Pre-
suppor a desobeeiencia ja era moito ; era presnp-
por um caso virgera nesla terra quo recebeao pri-
meiro leite da civilisav^o do seio do proprio catho-
licismocatholicismo que durante quasi quatro
seculos nunca exigi de seus filbos outras licoos
que nao fossem as do evangelho catholicismo
que nunca, por isso, deixou de prcparar c anxi-
liar essa grande revolujao moral que e o seu pr;-
meire brazao, e a face mais energica do seu pro-
vidential destino.
Mas perguntarcmos: o procedimenlo qne lent'
tido o bispo D. Vital depois do aviso de 12 de ju-
nho. sera o mesmo que tivera da data da sna cir-
cular dc 28 do dezeinbro ate a data da cxpedicao
do aviso ?
Perguntaremus ainda : caso teuba sido oulio
o seu procedimouto, dererao os tribunaes, no Jnl-
gamento dos posteriores deliclos d> prelado, estax
adstrictos t eonsidera-lo apenas incurso nas pa-
nas de desobodiencia, crime uoico que cogitou a
consulta r
Trataremos de res ponder a uma e a outro del-
tas duas ordens de ideas, fazendo-as seguir das
eonsiderayoes qua nos parecerempertiuentes, quer
sc* o ponto de vista social, quer sob e poato de
vista da legislaeao.
Nessa marcha iremos acompanhando tao de
perlo quanto possivel. ao catkolieo escriptor, qne
no Jornal do Gommereta se esta occupando com a
materia, sob o litulo que por epigraptie adoptamos.
PERNAMBUCa
REVISTA DIARIA.
Deputndos provineiaes. Reccbemos
hontem o seguinte resultado eleitoral :
% districto.
Collegio de Goyanna.
Amaral
Ferreira de Aguiar
Joao Vieira
Gonealves Ferreira
Oliveira Andradc
Gondim
Parentc
Travassos
Barros Rego
Vaz Curado
Herculano Cavalcante
Collegio de Itanibe.
Gondim
Oliveira Andrade
Joao Vieira
Ferreira de Agniar
Barros Rego
Herculano Cavalcante
Travassos
Parente
Amaral
Gonealves Ferreira
Vaz Curado
Collegio de Liinoeiro.
Oliveira Andrade
Travassos,
Parente
Barros Rego
Gongalves Ferreira
Ferreira de Agniar
Joao Vieira
Gondim
Amaral
Herculano Cavalcante
Correa de Crasto
Praxedes Pilanga
Resumo final: .
Dr. Joaquim Correa de Oliveira Andrade
Or. Joao Jose Ferreira de Aguiar
Dr. Jose Francisco de Barros Rego
Dr. Joaquim Guedes Conea Gondiiu
Dr Antonio Gonealves Ferreira
Dr. Francisco Gomes Parente
Dr. Joao Vieira de Araujo
Dr. Manoel T. Travassos de Arruda
Joao Francisco do Amaral
3" districto.
Collegio da Escada.
Dr. Cunba e Figueiredo
Dr. Oliveira Maciel
Dr. Olympio Marques
Dr. Francisco A. da Costa
Dr. G ispar Drummond
Dr. Peretli
Dr. AWaro Cavalcante
Umego Baptista
Dr. Alipio C'-sta
Dr Barros Franco
Dr. Ratis e Silva
Dr Antoow Venancio
Dr. Miguel Archanjo
Dr Goes Cavalcante.
Collegio de Agua-Pieia.
Sendo composta a mesa da seguinte maneira .
Pietidente.Commendador Francisco da Cnnha
Machado Pedrosa. .
Secretaries. Theophilo Xavier Cavalcante e
Joao Verissimo do Rego Baros. ..
Esorutadores.Jose Abilio de Barros e Leonar-
do Orlando de Barros.
Dr. Barros Franco.
Dr Oliveira Maciel
Dr Ratise Silva
Or. Oiympio Marques
Dr. Alvaro Cavalcante
Dr. Gaspar Drummond
Dr. Francisco A. da CosL
Dr. Peretli
Dr. Antonio Veoancio
'.
89
85
83
83
83
70
C9
67
66
23
45
45
45
16
43
34
34
34
25
8
110
108
108
108
108
9i
90
80
It
n
at
30
437
411
'409
3!5
379
376
373
36)
360
40
36
33
33
33
34
30
30
30
30
26
5
4
1
27
24
24
24
24
2i
22
21
20
-*
41
I IrlM


_____<.'
sm Mi ojmkww id si
SfHcf deMNfeflinibuco Quarta bfea 12 de Novembro de 1873.
i-titi
Dr. Alipio Costa.
Dr. Goes Cavalcanle
Collfgio
Or. Gaspar Dnunrao1
Or. Goes CavaKante
Dr. Peretti
Dr. Alypio Costa
Dr. Oliveira Maciel
Dr. Alvaro Cavalcante
Or. Olvmpio Marques
Dr. Ralis e Silva
Vigario Baptist a
Dr. Archanjo
. Or. Barros Franco
Dr. Antonio Vcaancio
Dr. Cunha e Figueijk
Resnmo do:, eollegios do Cab
Agua-Preta e Sinto^htao .
Dr. Gaspar Druramond
Dr. Olympio Marques
Dr. Peretti
Dr. Alypio Costa
"Dr. Alvaro Cavalcante
Dr. Kalis o Silva
Dr. Oliveira Maciel
Dr. Goes Cavalcante
Dr. Francisce. A. da Costa
Dr. Barros Franco
Vigario Baptists
Dr. Antonio Yeuancio
Dr. Antonio da Cunha Piguciredo
Dr. Miguel Archanjo
0 mesmo resume, inenos o collegio Jo
o seguinte:
Dr. Gaspar Dri.mmond
Dr. Olympio Marques
Dr. I'oretli
Dr. Alvaro Cavalcante
Dr. Oliveira Maciel
Dr. Alipio Co.-da
Riiis e Silva
Dr. Goes Cavalcante
Dr. Francisco A. da Costa
Dr. Barros Franco
Vigario BaptiMa
Dr. Cunha e Figueiredo
Dr Antonio Venancio'
Dr. Miguel Archanjo
Mlssa caotada.Cclobrou, no domingo de
madrugada, a irmandade de .\03.sa Senhora Mae
d >s llomens. nma missa cantida aqutdla Senhora,
erecta ua igreja da Madre de Deus; nao deixando
assim de soleir.nisar 0 dia de sua palrocira, que,
coufonne o eompromisso e na sejunda dominga
tic novembro, em qua so commemora 0 patroci
aio dpXossaSenn>*a.
OfJciu e missa de requiem. Tenda
0 reverendo vigario da Capunga feito trasladar os
ossos do fiuado padre I'rimo Feliciano Tavares, do
cemiterio para ; igrejana S. Pedro, celebra a res-
pertiva irmandade amanhs, i, anniversario do
fallecimenlo d'aquello sacerdoto, ollkio, missa do
requiem e libera me por sua alma
O act) principia as 7 e meia haras da maulia.
Poiitc da liseada.-Sob a rubrica -Par
te u'n.'ial -pdhlicamos hoje a resposta dada polo
Sr. JoaquimGilfiio C'lilho, engenheiro ciiefe do
5* districto das obras publican, as accusaeiJes qne
Ihe foram feiUw* era dirersosA pedidosnoste
D"irio.
lustitutn JVrclicologlen e Geojrra-
lhieo. Deve liaver amanlia sessao ordioana, no
lugir e hora d> costume.
Faculdade de Direito. Fizeram cxamc
bouiem \lt) os seguintes alumnos :
I' anno.
Esperidlao Eloy de Barros Piraentel, approvad
84
175
17i
166
147
146
146
131
117
10J
96
80
63
44
Cabo, 6
153
119
148
147
146
140
132
115
91
90
70
63
34
14
Santidade copJa>essem a vsrdade acerca dos nos"
so*-nogrcie% naosori* noasival que Vossa Sanu-
dadc podea suppor jue 0 men governo totqa de-
l.bcraraoA re.provadas p >r mim. Segundo a cons-
tituicae dos meui ostados", mii tit" cas. nao sfe pd-
do dar, porque a< leis e as medidas do geverno na
Pru?A* carecem da sanccao do soberano.
t Com erofunda dor tenho vistu .que uma. parte
dos metis aubditos "eatholicos loom orgtniaido,
acerca de *ou- 20003, urn parlido nolitico quo
procura pertarl)ar paveis, a pajentreas conibsdes one esistem na
Prussia IiamcuIos.
Desiflmdamente. membra dttalt.i cleroteem
Jjfjgm-------------------------
1a. Quanto ao volho rei sen pai, 0 seu e.-tado
nil. so approvado esta agitacao, mas aie se teem
associad 1 aella a pnoto de se dedarareoi em aber-
ta rebelliao contra m leis existentes. Vossa San-
tidade nao Itfa deixadu de nolar que essas toes-
mas ngitacSes se reproduzem hoje na maior parto
dos estados europeus c em algous estadus trans
atl .nticos.
t Nao tenho que indagar os motivos que podem
Invar 03 padres e os lieis de uma conlWsao chris-
ti a ajudar os inimieos de toda a ordem social
para comhater esta ultima. Mas 0 que para mim
se torna um dever 6 proteger a paz interna dos
estados de que Deus me couCou o governo e fazcr
respeitar a autoridade das leis. Sei que devo
prestar contas a Deus do.modo coino desempe-
nhei os meus deveres reacs e salva'guardarei nos
meus estados a ordem 0jl lei emquanto Deus me
der forcas.
< i.'omo monarcha christao cumprc-me ainda
dosempenhar este dever da reale^a, em quanto
que, ajneu pesar, devo exercer osla missao ein
altenffio aos servos de uma igreja que, devo sup:
por, nao reeonbece menus que a igreja ev.ingeli
ca, 0 dever de obedecer a autoridade temporal,
como sendo a emanacAo da voitado divina revc-
lada.
a Contrista tne 0 ver muitos padres snbmettidos
a Vossa'Santidade renegaros principios da dou-
irina christa, que ordena esta nbediencia. Sao es
sas quo collotsam 0 meu g iverno, apoiado ppla
grande maioria de metis fieis va-sallog catlulicose
evangelicos, na necessidade do obrigaif is recalci-
trantes, por meios temporaes, a respeitar as leis do
paiz. Espero qua Vossa Sinti lade, quando esti
ver mellior informado da v.-rdadeira situacSo J.:s
cousas, usara da sua antorid^do para por termo a
esU agitaeao qua se alimenta so pelas n-prehensi-
veis alterafoes da verdade e por abuses da autori-
dade sacerdotal. A reiigiao de Jesus Christo, pos-
so aUinna-lo diante de Deus, naJa tern de c >m-
mum comealas in'.rigas, n*m mesmo a 'vajulade,
i-uja bandeira invocada por Y.ossa Santidade lam-
bo,0 respeit'}.
H* am la uma passagem na carla 9e Vo-sa
Santidade que eu nio levodeixarpassarsdra con-
testa.'.ao, se bein quo sinta que ulo fora fuudada
em informacSes erroneas, mjis sobre a fe ue \'os.-a
Santidade; quero fallar da alfirmativa de que to-
dos os que receberam 0 baplwqu, portoncem ao
papa.,
A fe evangelica qua profess.1, cjmo meus ante-
passados e a maioria do- uious subditos, nao jios
per niile a lmitur am nossas luiereassoe* para com
Deus, outro mediador seuao N'osso Senbor Jesus
Christo. Esta liUuraoca, em malaria da fe, nio
rue impede de viver em paz com a iqejles que nao
pariitham da nos-a fe, ;um de oHerec^r a Vos Santidade a expressao do u>i*u aifocto pes>sual
e dos meus sentimeutos respeitosos'. Guillwr-
me. a
n,\r.
Uoua a er gratejia^ v>?
- FalU-su ho caiauiento da infanta Is;
ue IJ^panlia ao:n 0 arohiduque Victor, da A
Iria.
- Desde o dia 13 de ou'.ubro deramse em
Vienna 11 eases de cholera. Desde 0 f* de Ja-
neiro ate 30 de r elembiy, os af
111.1 epidemia foram em oumere
do 2,138.
Vive em Bejar (Respaaha) u
nome D. Antonia-Rodriguez, que c
18 deoutubro 100 annos, poisnascenetn 177.1. A
referida senhora, que conserva cm todaa pkmilB'
de a3uas facuWades mpiitaes j qnejjnila co'se
sem oculos, teui actualmente t2 B hisnetos
e -j te!ranetos. A sua familir tcnc^^Ki festejar
esleanno 0 .-eu centonario por -meio^Hma ays-
sa, cm que sena cclobr.inte um seu^R^ prenmt'
ciando.o panegyrico um bisneto ; poreni.por des
fracasTecentementesuccedidas na ~
desistio se desseproposito.
Estao em Paris, de regresso de 1
rei e a rainha Jcs bclga?. Tambwn era
rado o rei do Hanover, que "itit mm, iijlplii il
ennde de U rnemborg, acompalhadaJlrmoez;
Frederiea, sua filba e do outras pessoas de coroi
tiva.
Os jornaes do Havre e de Rn$o annuncjam
quo 0 cholera desappareceu completamente da-
quellas cidades. -_ ^
Cofre em Berlim que a ralnfia' ^hiva, da'
Prussia, perdeu mais de 700 000 thalers na fallen-
cia que u'timaimmle se declarou do tamoso ban-
co berlinez Quistorp. Diz-se tambem que um ou-
tro principe da casa real perdeu igualmenle gros-
sas sommas.
Segundo refcre um periodico de Bilbau, 03
carlistas fuzilaram cm Valmaseda a D. .Jeaquim
i^Hernaiz,. inspector da ordem publica e muito co-
nhecido em Bilbau pelas suas 'Idfias liberacs. O
conselho de guerra carlista, quo 0 sentenciou*. ao
que parece, pelo delictd de ser consequente na
sustentagao das suas ideas politicas, resolveu tam-
bem que" cada corapanhia do ^atalhao de Navar-
rote rezasse um rosario por alma do infeltz que ia
ser fu.ilado No julgatnento 0 seu defensor, offi-
cial carlisla, por provar que 0 Sr. Hernaiz estava
innocente dos crimes qu6 Hie imputavam, foi.por
seu turno condemna Tambem intercederam por elle'.o cabecilha Zapatae
alguns membros da partida Xavarrtte, porem inu
tilmente.
0 rei do Hanover, quo se acha actualmente
em Paris, visitou ha dia| 0 mare:hal Mac-Mahn
Morreu,do bexigas) em Milao, 0 notavel es-
culptor onstaiitiiio Corti, a quoth se deve, alem
do oujros trabafjios, a estatua colossal de Lucifer,
quo tao admirada foi oas exposlcoes de Florenja,
Londres e Pafis^ e que tornou o'seu nome popu-

bercffl^BR^ tf,
solteiro, Boa- Vista
- \
^^Ia da Oftnccigio, par
annos, casada S. Jose ; pfrela, Pernambuco, 1-1 mnW>
variolas.
Francisco da Silva Borges, pardo, 25 annos, sol-
Afogados ; phlysica. ^
stinj, jferda, 40 annos, soltelra, Sarito
-xia'"-1 /
iano, p^H Pernambuco, 7 annos, Boa
nos, iolteira, fioa-Vi-i.-, i.oUkh:
leci
fe, 10 dc novembro de 1873.
America Netlo- se Antonio'de ^Imrida, branco, Portugal 22
s, solteiro, S^oe ; variolas.
Wm. Moraes,' preto, fernamLuco,
I Joso ; astlupa. f''
icisco de
inos, casad
Mauoel Barbosa de
Iranjci.
NO TUMULO DE SEI' F1LHINHO.!
ABttr-lBfllo^rchanjo, ve" qoesigno ^u
Preslttio 0 teu nascer,
Qua 0 mundo nao bra dlgno
u destine comp/flpder I
(raste de azas abertas,
Iabiosluz esparglndo,
Com pouco. 0 de feriodb,
Foste no ceu te escondor.
-Jbjpa.
^^*>- 9 _T^
^eUno, pardo, Pernambuco, 20 boras, Sauto
totano. j,. ,, m ,Mfm
parda, Pernambuco, 2 afl&o
coftfluentes.
pieuamioate.
J iaa do Rego Barros, idem.
Jofto Augusto de Al'.uquerquc MaranhSn, idem.
Crnelio Teixeira de Magalhaes 0 Almeida",
idem.
Ja-e Fr.in:isco.do Rcgb Mai, spprovado sim-
plesmeote.
iiuoel de Carvalbo Souza, approvado plena-
IlXIitO.
FraneRco Bapt:sla Vicira, .ipprovado simples-
inente.
Vicente Ferrer de Barros Wutiderby Araujo,
appruvado plcuameute.
tJilon da Cunha. idem
i' ann".
Frattdsco Antonio Bezerra da Costa, approvado
plcnaraente.
Th?maz Gomes da Silva, idem.
Jeronymo Materno Pereira de Carvalho, idem.
Nvlo da Silveira Ramos, spprovado simples-
lileilte t
Aristides David Madeira, approvado plena-
mente.
AHrcdo Alves Matheus, approvado simples-
nient*.
o anno.
Jos6 Jaciutlio Borges Diniz, approvado plena-
men te.
Joio Telosphoro da Silca Fragozo, plenamente.
Carlos Thomaz dj Almeida, idem.
Democrito Cavalcanti de Albu<|uerque, idem.
Francisco de Gouvth Cunha Barreto, idem.
Olympio da Silva Costa, idem.
ile^iita. Coramunicara-nos :No domingo
proximo, 16 do eo;rente, havera regata entre os
escaleres dos navio- de guerra surtos no porto,
arsenal, capilania, alfandega, dos do commereio
0 de amadores quo tambem couoorrerem a essc
divertimen:0 0 iiunto tnarcado pora a corrida
sera ,,o que medcia do forte do Mattos aooharol
da barra.
Duranie esse divertimento tocarao alternativa-
mente diversas musicas marciao<.
iVtteudivel. Moradores da rud do Lima
chatnam a attoncf 0 da niuniripalidade para um
a.-angue que al i ha, ondc se vende constante-
iRcaie carne verde putrcfacta a 240 reis a libra.
Que ao menos atiaixem no pre:o.
Ini|ucHtu policial. 0 snbdolegado do
!. disticto do S. Jose remetteu ao Dr. juiz de di-
reito do 3 districto criminal, 0 que procedeu con-
tra Antonio Menezes Amorim, autor dos ferimen-
tos praticados cm Francisco Xavier Cavalcanti de
Albuquerque
Capturas Foram recolhidos presos a ca-
deia de Aguas Bellas, era ouiubro ultimo : Fran-
cisco Antonio de Barros, em 23, preso em lla-
grante, por crime de furto do cavailos ; Antonio
Propicio \ ilia Nova, em 18, sentenciado appella
do par crime do merle; em 31, os indios Jose de
Mallas, Jose Verissimo e Jose Lourenco, aili pro-
ouneiados no art. 192 do codigo criminal.
Illustracao bespanhola e ameri-
'ana A cab a ds chegar a respctiva agencia,
rua do Commereio n. 18 primeiro andar, 0 n. 37
deste Jortial illustrado, que se publica cm Madrid
tr-zendo os retratos de D. S. Olozaga, fallecido a
26 de setembro ultimo, e de D. Jose Prats. capiUu
general da Catalunha, e diversas vistas de occur-
rencias ultimas do Hespanha, cada qnal desses
trabalhos mais iuteressante e digno de aprego.
Pfo IX e i mperador Guilhcriae.
PaMicamos em seguida a traducgao das duas
cartis (rocada- entre 0 papa c 0 imiierador da \l-
lemanha 0 de que tanto so lem fallada:
Valicano, 7 de agosto de 1871. \fagestadl
Toda-< as raedidas que teemsido tomadas ha algum
tempo pel > goveruo de V. M., lendem cada vez
mais ao anniquilamento do eatholicfcmo. Quan
da ^r uro indagar as catlsas qw poderiam ter
moltvad'i es-as tao rigorosas medidas, devo can-
fes'ar que me e impossivol explicar a razao del
las. Por outro lada dizem-me <|ue V. M. nao ap-
prava as idt'as de sen gvernn nem 0 rigor das me-
didas contra a reiigiao catholica. Mas se 6 verda-
de que V. M. nao apjirova essas- medidas -e as
carta* que V. M. me tem dirigidodemonstramsur-
fieieniemente que nao poderia anpwar 0 que se
pas-a actualmente -so, repito, V. M. nao ap irava
que 0 seu goveroo continue no camlnho em que
t-ntriu, a-estender cada vez mai* os rk^ires con
tra a reiigiao de Ji' vempnte, entao V. M. nio deve nutrir a couvic-
paa de qu>- as referidas medidas nao teem oolra
Jim senao 0 de ahalar 0 throno de V. M. J Fallo
com Tranqueza, porque a verdade e a minha ban-
deira ; fallo para desempenhar um dos meus de-
veres. 0 de dizer a verdade a tndos, mesmo aos que
nao sao cathofieos, porque todo aquelle que rece-
ben 6 baptismo, p-rtenee, pur qualqaor mitivo ou
de qnalquer maneira (]uo nao posso indi'-ar aqui
mais prerisamenie, p Ttenee. epiti, a> papa. Mu-
tro a esperaoca pje que '. M. c -IHera eota a sua
bemdade habitual a- nimrras o!)-,ervai.,ri',s e que
toman u- casa de que se irata. as necessarian dis-
pasii;d>-t Aiir.'sontando a V. M. a txpreatae da
iaeu alT-'cto.e respeqv, peco a.:)eu* para que elle
una, V. M eu, nos tnesmos hcos de raiserie r-
dia P-o IX.
A'^ta carla 0 imperador r?spondeu da sestDialfl
fonna:
fleiii a, 3 de setembro. Cmsid ro-me feTiz1
por Vo-sa Santidade m fizer a h >nra, coma 0 Ta
zia "m ouiros tempi.s, de m.j ..- -rever; regasijo-
to* i^r,'.' "i.;ii quanra m- i.|f-,-,.,-M .3 l-dBaaOo
li roojiiu-ar ioi', .'^e^'gudirtot'nerda cartu >
Vo- l ; : i-.'^di'.veni ter sida
itrtr is in v\ C I'leSp? *er*o rido
trar iiwlti '- a^"TO^es. Se
sas communicates que teem sido feitas a^Vpssa
Reecita e dcspiv.a da exposleao
de Vieaua.Seguudo os esclarecimenlos* da-
dos pel >s jornaes de Vienna, resulla que a conta
da exposicio universal aaldar-se-ha com um defi-
cit consideraval, cuja cifra ainda n.io pode ser
caleulada exactamente.
Eis as cifras quo servem de base as acluaes
previsoes :
a A exposigao foi.visi'.ada : em maio por___
244,393 pessoas qae'pagaram e 189,883 que en-
traram de graea ; em junho houve 797,133 pagas
e 418,784 gratis ; jullio 771,687 papas 0 4i3 808
grans ; agosto 8SJ.200 pagas e 3'ii;6la gratis ;
setembro l,O99,0Sa pagas e 326,3j'" gratis. Cou-
taram-so, pois, ate ao 1' de outubio 3,696,498 en-
trad is pagas e l,78o,07.*; gratis.
Accresceulando no mez de outnbro um milhao
de culrad.is, obtem-sc uma cifra total de 7,700,000
visitantes que pagaram cerca de 2 milhoos e meio
de florins.
As despezas elevaram-se a 17 milhoes de florins,
prevendo-se portantoum d-ficil de i2a 14 milhoes
de florins (25 a 29 milhoes de francos) que 0 pro-
ximo roichasralh tera de cobrir.
Reis e prlncfpes que visituram
Vienna.Ets a lista dos personagens prinii
pescos que teem ido a Vienna para visitaram a ex-
posicao universal :
0 shah da Persia; dous imperadore?, os da
Russia e da Allemanha ; tres reis, dos belgas, da
Italia, do Wurtemberg ; quatro ramlias, dos Rai-
zes Baixos, da Grecia, do Wurtemberg, e de Sa-
xo ; tres gran-duquezas, de Mecklimburgo, de 01-
denburgo, e de Bade ; quatro gran duquo--, de
Saxe-Wcimar, de Oldcnburgo, de Mecklemburgo
0 de Bade ; cinco duques soberanos, duw duque-
zas soberanas, cinco principes ratnantes, treze
principes heredilarios presumptivos, cinco pnncc-
zas hereditarias, vinte principes do casas impe-
riaes ou reaes, e linalmeute quatorze princezas
pertencentes a casas soberanas. So as cortes de
Constantinopla, de Lisboa e de Dermstadt nao fo-
ram represontadss,
F.veencao de pena capital.Funccio
nou novameote a guilaotiua em Franca. Desta
feita Roch teve de ?c acompanhar com tres aju-
dantes. 0 condemnado era temido pelas suas for
ras physicas. Chamava-se Ant jine Fradal e tinha
apenas 32 annos de idade.
A sentenca de morle recahio no crime do homi-
cidio voluntario, praticado n'uma sobrinha de 4
annos do idade.
Roch alcm da prevencao de levar tres ajudantes,
tambem se munio com segundas cordas, parao que
desse e viesse.
Quando a justica entregou ao carrasco 0 con-
demnado, apoderando-se deste Roch e seus trc3
ajulantes, 0 miseravel lutou com elles desespera-
damente, e com dilliculdadepolerara ser delle se-
nhores. Entao conieeou soltando taes berros que
os carrascos entenderam deve-lo amordacar.
Ml*eelanea.-Opoder oxecutivo de Hespa-
nha presenteou 0 general Sickles com uma espa-
da; pela sua parte este mandou a Emilio Castel
lar um raagniiicio retrato a oleo, de corpo inteiro.
do fundadur da granae republica dos Estados-Uni-
dos. O general Sickles acompanbou 0 presente
de uma carta felicitando 0 Sr. Caslellar, e dizonJo
nella qne espera da sua alta intelligencia e do seu
acrysolado patrioiisnio a consolidactojla republica
era Hespanha, obra analoja a de Washington.
Diz uma folha hespanhola que algnns irlan
dezes fanaticas de Cork tencionara ir encrossar as
Tileiras de D. Carlos..
Foi publicado era Genebra 0 texto da senten-
ca de interJiccao que monsanhor Merraillod lao-
con contra os novos abbades da seita dos velhos
eatholicos nas parochias daqnella cidade. A ins-
tadagao dos rnvos abbades na igreja do S. Germa-
no, que estava lixnda para 19 de outubro foi adia
da pan 0 damingo ultima, aflm de so cnmpnrcm
certas formalidades que faltavam. Os eatholicos
romanos compraram a antigo salao de franc-ma-
cans, afim de trasladar para elle 0 cnlto publico
Sue se celebrava na igreja do S Germano, e no
ii 19 ia tinbam celobralo na crypto do edilicio
dos franc-magons, chamada o (Mico Templo, osof-
ficios divm is. Nao houve disturbios.
Um periodico snisso aconsclha os cultivado
res que antes de toenrem no guano examinem se
teem algnm ferimonto ou arran^adura nas maas,
pols, que deste mode aquclla substancia pmlera pe-
netrar na ferida e envonenar 0 sangoe, cansando
a morle, como succedeu ultimaraente a um lav/a-
dor do Zurich.
Um contrabandista nespanhol, chamido Ca-
lao, de Torrevieja. que commanda 0 falucho Ter
neel, dirige actoalraento um dos navios da esqua-
dra in-Urgente.
E:n Arichulegui (Gaipnzroa) foi oetos ares
uma casa onde 0 anbade de Purtueche se occtipa-
va com outros era fazer cartuchos para os carHs-
us, Do desastrs ficaram mats ou uimos frridas
Id pessoas, entre ellas a referid6 padre.
0 periodico A Nooa Imprens* Licre, de Vj mi-
na, foi vendido a casa 81 Mctrreler.'de Berlin, oela
ora:na de 1.200,000 ftVius nu 4 milhoes de fra-i-
eos Ni> dia 19 de outubro foram pagos |a a conta
.'Ji.OOO norl'js. o banqueiro Bleichioeder e ami-
go do principe do Bismatk
0 gabiaete de Vienna exige do Divan uma
repaaca.i pel is ataques que a sua imprirnsa offi-
cial dirigi 1 a Austria a respeito da Servia.
- A flaii ia tornou posse de tuda a parte da
Turkoslan, que Ihc foi cedida plas ultimas victo-
rias e tratados.
A imprensa official de Berlim rlecfara quo 3
visiti de G liHic rnie I a V'ieona A a t ToaHo
nificativa de uma potttica qne
liauca das grandes pj.jooias no
Europ
lar na Ital.-.
Achavaselaii.Lem em articulo-morlis otheo-
logo David Frederico Slrauss, aulor da celebra Vi-
ta de Jetus ; a raedicinaja tinha desesperado do 0
salvar. 0 doonte cijtita 60 annos.
-r 0 emir Abd-'el Kader acaba de envtar ao
presidente da republica franceza, tres magnificos
cavailos arabes de par a raja.
Um telegramma recebido ultimamente em
Liverpool confirms a perda do vapor Missouri,
succe lida no 1 de ouiubro nas alturas- das ilhas
Bahama. Os passageiros e a tripolacao poderam
gauhar a terra, dirigindo se para Nova-Orleaes. 0
vapor que media 2,000 toneladas, fora construido
cm I8i3,em Glasgow.
A-cldente mortal. Ante-hontem, pouco
ante's dasuove horas da noite, 0 tren) da via-fer-
rea do Caxanga, que deste povoado descea para 0
Recife ris 8 boras e 49 minutos, ao aproximar se
de um local, perto de .Vpipueos, ondo tem rancho
um Sr. Bento, passou sobre 0 corpo de ran mdi-
vlduo de cor prpta, de nome Jo5o Rebollo, e es-
cravo de D. Maria Luci3; matando-o quasi instan
tane;meuto.
A escuridao da noite nao pcrmittio ao machi-
nisla distioguir 0 infeliz Rebollo, quo, pela posigao
em que flcou 0 seu corpo, parece que se achava
sentado sobre os trilhos, na occasiao do acti-
dente.
0 infeliz escravo cos'.umava embriaga r-se, e
a!6m disso, segundo dizera. era surdo, pek) que
nao vio aproximar-se 0 trem, nem ouvio 0 apitar
da locomoliva.
A autoridade local tomou canhecimenW do
facto e procedeu nos termos da lei.
Proeesso.Eslao sendo processados, no foro
ds Recife, pelo juizo de direito dp 4.* districto cri-
minal os Srs. Drs. A. Masaro-.e E. Darainguez,
em viitudc de denuncia contra elles dada pelos
Srs. Drs. Luciano Xavier de Moraes Sarmento,
Adriao Luiz Pereira da Silva, Joap Ferreir fia
Silva, Jacintho Silvano Santa Rosa, Joaquim
Aquino Fonceca, Joio Honorio Bezerra de Me
zes, Alexandre de Souza Pereira do Carmo, Aff<
so Arthur Cesar do Albuquerque, Francisco Go
mes de Audrade Lima, Jesuiho Augusto dos San-
tos Mello, Jose Felix da Cunha Amaral, Silvio Tar-
quiaio da Silva Villas-Boas, Antonio Jose Ferrelra
Alves, Ignacio Alcibiades Yelloso, Alexandre Leo-
poldo da Camara, Americo Vespucio Moreira de
Almeida, Francisco da Cunha BeltrSo de Araujo
Vieira, Joao Raymundo Pereira da Silva, Raymun
da Mendes Vianna e Esievao Cavalcanti de' Albu-
querque, de crime de estellionato.
Continuou hontem a inquiricao de testemunhas,
comecada uo dia anterior.
AmanhS devera ter lugar a formacao de um
outro provesso que, a requerimento daquelles
medicos, 6 instaurado contra esses mesmos medi-
cos hespanhoes, pelo crime prcvisto no art. 25 do
dor ret j n. 828 de 29 de setembro de 1851.
!,> ter ia. A que se acha a venda e a 7t* a
beneficio da matriz da Boa-Vista, a qaal corre no
dia 15.
L.eil6es.Hole effectua 0 agente Martins 0
leildo da taverna da rua do HospicFo n. as 11 ho-
ras da manha.
- Araanha 13, deve ter lugar 0 leilao das. di-
vidas da massa fallida de Amorim Fragoso Santos
& C, na importancia de 806:918*527, as quaes
serao vondidas era lotos, as 10 1 (2 horas ho eserip-
torio do agente Pinto, rua do Bora Jesus n. 43.
Sexta-feira 14, deve ter lugar por intervoncao
do agente Pinto 0 leilao de uma burra, cartetras e
mais objectos de escriptorio, na rna. ae Vigario
a. 6.
Hospital Portugrnez de Benefice n
ela- Movimenta das enfermarias desde 0 di a
a 8 do corrente:
Ficaram em tratamento 44, entrarara 13, sahi-
ram 8, ficam exislindo 49.
E>ta de
Araujo.
Casa de detencao
10 de novembro de 1873:
Exisliam presos 30L entraram ", sahiram 4,
existem 302. 1
A saber :
Nacionaes 217, mulheres 1 J, estrangelros 28,
escravos 39, ascravas 5yTotal 301
Alimentados a custa dos cofres publicos 238.
Movimcnto da enfermaria do dia 10 de novem-
bro de 1873.
Teve baisa :
Salustiano escravo de Bellanriino Alves Anichi.
Hospital Pedro IE. 0 movimenta deste
etabeleciinenta, de 3 ao dia 9 de novembro de
1873 foi 0 seguinte : exisliam 383t entraram 61,
sahiram 48, falleceram 15, existem 380, sendo :
233 homens e 145 mulheres.
Adcertencia.
Foram visiladas as enfermarias nestes Jias as
7 1/3, 8, 8 1,4, 8, 8, 7 \t, pelo DrT Beftrao : as
9, li, 12 iiJ. 2. 2 l|J, 1, pelo ,>r. Sarmento :
as 7 1,2, 10. 8 lii,. j, .2, 9 I18, 8 1/2. pelo Dr
Mhlaquias ; as 8 1|2, & IjSL 8 l[2, ii, pe|o Of.
Vianua ; a* 7 1|3, 8, 8 lfo4, 8, pelo Dr. Andra-
de Lima. .
PaUecidas.
Maria Francisca da Conceicao ; variolas.
Joao Jose Alungo de Santiaga ; febre typhoide.
Vjceocio Gomes da Silva ; variolas hemorbagicas.
Antouio Pereira da Silva ; hepatite e anemia.
Jua/juim Jose Ca ueiro; variolas confiuentes.
Joao ; vanoUs confiuentes.
J >ao Gomes Barbasa ; variolas confiuentes.
M P-Hciana; variolas.
Luiz I'areira de Lyra; velhice. Li.
J->.t|iiiaa Fraacisc* de Lyra ; dearrhoa.
Rita ; aypoiuupliia eardiaca..
Pedro ; vaiiulas hemirhagicas.
Mauo' I do *Tw> ; variolas,,canfluentes.
ia Pastora da GonceiciSo, parda, Pernambneo,
annos, solteira, .Sauto Antonio ,. variolas.
*B-Francico tins -de Carvalbdl pardo, Per-
nambuco, 28 annos, casado, Graca ; phty-"ica pul-
monar.
Guilherraina Leopoldina Pereira do Moraes,
branca, 37 annos, casada, S. Pedro Martyr : phtv-
3i|a. .
*VanoerArco, branco. Pernambuco, 22 annos,
casado, Boa-Vista, hospital Pedro II; variolas con-
flgaiBM
Pedro, escravo, pardo, Pernambuco, 30 annos,
solleiro^ Boa-Vista ; bexigas.
J-jsepha, escrava, preta, Pcrnaxbuco, 30 annos,
solleira,. Boa-Vista ; bexigas.
Eulalia Maria da Conceicao, parda, Pernambu-
co, 75 annos, viuva, S. Jose ; dyarrhea.
Joao Manoel do Valle Nepomucono, branco, Per-
Bambuco, 49 annos1, casado, Boa-Vista, hospital
l^edrd H ; dyarrhea.
Antonio Alves Quintal, branco; ignora-se a na-
turalidade, 34 annos, solteiro, Santo Antonio ; he-
morrhagia cerebral-
Francelida Maria da Hora, parda, Pernambuco,
28'annos, solteira, S. Jose ; phtysica pulmonar.
Mathiai^ preto, Pernambuco, 70 annos, solteiro,
Boa-Vi=ta,ilpspital Pedro II; marasma.
Joanna mdBfca de Lima, parda, Pernambuco,
26.annos, solteira; Boa-Vista; tuberculos pulmo
nares.
Emilia, preta, Pernambuco, 9 mczc3, S. Jos6 ;
variolas.
Jorge Augusto da Silveira, branco, (ignora-se
a naturalidade) 4 annos, solteiro, Santo Antonio;
apoplexla.
Banoclla Guedes do Rcgo, parda, Pernambuco,
28 annos, casada, Boa- Vista; bexigas.
Candida Marqn.es do Mello Bayna, Pernambuco,
33 annos, casada, Boa-Vista ; bexigas.
Thereza Maria de Jesus, preta, Pernambuco,
45 annos, solleira, S.'Josfi; molestia organica do
coracao.
Viclorlana da Trindade, parda, Pernambuco, 46
annos, solteira, S. Jose; bexigas:
Filomena, branca Pernambuco, 14 mezes, Reci-
fe; convulsoes.
E' assim I 0 ceu trabalha
*> Jlfcdseeueao Jo um primor.
E depots que 0 agasalba
Na concha de algum amor,
s, S. Jbsf; b* Tarece qne lem saudade
De vd-lo de si distante,
E estende um braco radiante,
E colhe a n'tbida flor.
Tu, creatura mimosa,
Terno espirilo mfaniil,
A-sim foste ; qual a rosa
Cedo pendeste no hastil;
Cordeirinho de innoceqeia,
Den# foi teu pastor zeloso,
Que tc quiz dar outro goso,
Dando-te um outro redd.
Somente uma araarga queixa
Ha quem to faca a chorar:
Teu pui... tua mad... ai, deixa
Es Quando leus brincos contemplam,
A camisinha, 0 teu berco,
Percorrem' todo 0 universo,
Te procurando encontrar.
E com razao I Tu deixaste
Teu semblante tao impresso
N'alma defies, que este excesso
Nio fera loucuia, nao I
Um pai que perde 0 seu filho,
A pnbre mai que 0 gerara...
Ve-lo roorto I oh sorte araan !
V* morto seu coracao.
*
PARTE POLITICA
semana 0 Sr. Antonio Jose da Costa'
-Movimento do dia
CACOES A PEOIOC
Ji dau'ft.i J. Vnie JKuceno ; dysonierla.
PassaReiros.Sahidos para 0 snl no vapor
portuguez Julio Diniz:
Alfredo da Cosu Marques, jnrge da'Costa Mar-
ques, Jose Flonano Joao Pereira.
Oinit*-rto publleo.Obttuario do dia 8
de novembro :
Hermina, parda, 14 annos, solteira, Santo Auto-
; a a c Tuaeio sig-1 in bexifas. _, i ^ ,
afflanca, co*n a nl-1 Luiz. parda, Pernambuco, 2 annos e meio, $.'&).
^laSrSii,; eroara! uco,6 mezes, Santo Aa-|ra-e aUrihn:' cl,r "
1'ARTIDO < i\SJ IIV \IXMl
RECIFE, 12 DE- NOVEMBRO DE 1873.
Asylo de ulionados.
Sob a epigraphc acima traz a Provincia
urn artigo no qual so conta a Tiistoria do
urn phantasiado peJido lo trinla coutos de
reis, feito polo presidente da provincia, 0
Exm.Sr. commendalor Lucena, 4 Associa^So
dos Praticos, a qual, no dizor do articulista,
teve a uecessaria sensatez para nao se deixar
illudir.
Eis ahi um verdadeiro o geniiino parto
da fertil e sempre apaixonada imaginagao
dos escriptorcs da Provincia.
Sdo sempre sonhadores esses prooincia-
nos. Como romancistas ninguem Ihes leva
as lampas.
Onde e como foram os Srs. da Provincia
descobrir queo Exm. Sr. Or. Lucena pedira
e procurara obter da Associacio dos Prati-
cos a quanlia de trinta conto3 de r&s como
"offerecimonto para 0 asylo de alienados"?
Por certo que so em sua sempre disposta
e vigorosa vontado de fazer opposicaoa todo
trans-, e soltando as redeas & bossa da
cavillacio., nelles tao pretuborante 0 notavel.
Plutarebo disse : nao ha poesia sent mn/i-
tira. Esta* dito I Os provincianos paro-
diaram 0 peiisarftento do illustre escriptor
0 assentaram que nao ha opposicao sem
mentira,
F.stao no seu direito... de mentir : nio
ha duvida. ?i6s, pore"m, estamos tambom
no nosso do fallar sempre a verdade e do
demascarar a montira.
Fique, pois, tirado a limpo que essa his-
toria de pedido de trinta contos de re" is &
Associacao dos Praticos para o asylo do
alienados e uma verdadeira peta.
Se alguma cousa houve a tal respeito foi
entao do lembranQa ou iniciativadealguem,
pratico ou nao, que nao 0 presidente, 0
qual nem sequer disso teve noticia.
Ainda adTiittiamos semelhante hypothese
para acharmos um principio para mentira
da Provincia, que na verdade e de fazer
cabir 0 queixo.
- Mas, verdade e {ue a Provincia o que
quer um pi para aggredir 0 illustrado e
criterioso presidente da provincia,, e cha-
mal-o de inoonsiderado, irreflectido, leviano
e tutti quanti.
Isso explica tudo. Tal e a razao do cons-
tante mentir da Provincia.
Pensam e pensam devorasos provincianos
que com sua desarrazoada opposi^So, com
0 seu mentir incessante, hao de fazer eclipse
ao merecimento do illustrado- admimstrador,
o Exm. Sr. Dr. Lucena, 0 qual dotado de
vistas largas e sumrno cr teno, sabendo e
podando fitar 0 sol do futuro, que s6 os
administradores-aguias podem Qtar, vai
dando a esta terra, que 0 vio nascer, visivel
impulso.
Der rot a presitlencial.
A gente da Provincia tem boas batatas I
Foi 0 Exm. Sr. Dr. Lucena lerrotado na
eleiclo provincial do 1. districto, nao <>bs-
tante nao ter tido candidnto, nem htver
cnostrado por nenhumo minimo interesse I
Todosos candfdatos que foram mal succe-
didos, diz a Provincia, eram can lidatos de
S. Exc. I
E' muito engragada a Promncia Mas na
pntiia cjncltiir a'Jristbria se n uma intriga.
Diz que os inlimot da presidencia tiveram
votos do Sr. Dr. Portella !
0 colleaio compoi-se de 260 eleitores, 0
Sr. Portella obteve 23', perdendo unica-
mnte,.39- Quem obteve tal votagio soffreu
corte T
Ora bolas I
E o que importa que 0 Sr. Mello Rego
escrevesse 0 ^protesto qtie am eleitor quiz
presntar ? ~
Ora bolas 1
1 bnchnrel America- Metlo de
Mendonea e o elironlsta da
aIBrovluciai de hojedataila.
Nao-me dofendo .dessa leviaiidade quo la
Depois e que entao medita,
Erguendo p'ra os ceos os olhos,
Si buses entre os loseos felbas
Das nuvens seu anjo ver ;
Acha quo se e tao ditoso,
Quando nos vem cedo a morte,
Quejnlga feliz a sorto
De quem no berco morrer.
Recife, novembro de 1873.
J. Candida.
" 1'iiwMi in .......iijihum1 pp^macat
ART. 33-2 DO COD. DO PROCESSO CRI-
MINAL.
Uma questao. alia"s importantissima, se
torn agitado sobre 0 modo porque se deve
entender aspalavras do art. 332 doCoJ. do
Proc. Crm., que diz : as decisdts do jury
serao tomadas por duas tercas paries di
volos ; sdmente para a iniposicio da pena
de morte e necessaria a unanimidade ; mas
em todo 0 caso, havendo maioria, se im-
pord a pena immediatamenlB menor.
A questao. c verdade, emquanto a mim,
nao e daquollas, sobre as quaes se p6de
emittir uma opiniao segura, maximo so se
attender quo leis posteriores a" promulgacio
do Cod. do Pr>c, tratando a respeito de
docisdes do jury, fallam em maioria abso*
luta.
Em minha opiniao, porem, nao ha ja
monor duvida de quo as palavras hajxhdo
maioria da 2* parte do art. 332 sclent re-
ferencia aos casos, em que .w tenfaa do ap-
plicar a pena de morte 5 porqusr; qnalquer
quo seja a votac,ao superior a/raetado do
numero do votos, a imposie'o a pena serd
a lmnediatamente menor aquejja em que,
rospondido o quesito por uoarlimidade, 0
juiz, q&tjf preside o tribunal e a quem com-
pete pro'ierir a sentenca, nab ise podendo
afastar da irtteral disposi^ao- dof art. citado,
tem de Impdr ao reo a referioVi ponn Jo
morte. ) /
Assrm^-so no crime de honlieidio houve-
rem circunnstnncias taes que v* applicacao
da pena deve ser a do grao maXimo do art.
l'J2, e ojury houvor respondido'ao quesito
do ponto principal da causa tao1 somente
por 7 votos, jimais podera ser injposta a
pena de morte, em bora 0 crime se ache ro-
vostido de todas as circumrtancias aggra-
vantes estabelocidas pelo Cod. Crm. ; por
que ontendcu 0 legislador que para appli
cajao do pena t3o grave era necessaria a
opfniap unanime de todos os juizes que t^-
vessem de decidir da sorte do re"o.
Nao quiz 0 legislador que um crime tao
grave deixisse deser punido ; e foi assim
que determinou qde, neste caso, se impo-
ria a pona immediaUmento menor.
0 legislador attendea sobre tudo a in Joio
altamente liberal do povo brasileiro, quo
sempre manifestou, como hoje mais que
nunca manifesta, 0 desejo da abolicSo da
pena de morte.
0 que se segue, pois, d'ahi e que, se
nao houver unanimidade na votai;ao, quan
do se tenha de applicar a pena de morte, a
imposigao da pena seja immediatamente
mem.r.
Diviso na lettra da 21 parto do art. 332
do Cod. do Proo. duas ideas que perfeita-
mente se harcnonisam-duas iddas eminen-
teemente liberaes : punir;ao severa do cri-
me de hrnicidio, e um certo estorvo a fa-
cilidade com que, naquelle caso, se pode-
ria impor a pena de morte, caja aboli^o
6 rcclamada pela propria inddte do pevo
brasileiro, e ja* e uma reah'Jade nos paizes
civilised is.
Mas, dizer se queoem todo casodo
art. 332 do Cod. do Proc. tem referencia ds
duas hypotheses estabelecidas na mesmo
art. nao posso comprehender) tanto mais
porque. tendo 0 art. 66 da lei de 3 de
dezerabro de 18 *1 revogado rntetraraente
a disposicao do art 332 do Cod. do Proc., o
que prjva exuberantemente que elle 6 per-
feitaraento opposte dquelta disposisao ; ten-
do sido restaurado agora pela nova reforms
judicina o mesmo art. 332, evidentemrn-
te nao se p e-n quo s tenha de impdr a pena de mor
te, se p issa tomar as decisdes de jury, se
ti.'io por duas terras partes de votos.
E, a pensar'se o contrario d'isto, 6 certa
meute qiiorer se confundir as disposic,f3es
dsquelles dous artigos, que intuitivamente
s&o diametralmente oppostas.
Alem d'isto, se se fosse admittir que 0
em tcdn caso -do.art. 332 do Cod, do Proc.
comprehendesse as duas hypotht-ses estabe-
lecidas no mesmo artigo, ea nao-Mi que
pena poderia impdr o presidente do tribu-
nal, quando, por eiemplo, no'crime de
roubotfll.- lives jo do impor a pena do gra"o
minimo pi'las circumstancias que houves
sem a favor do accusalo, tndi> 0 jury-res-,
poudido aos quesitos propostos por 7 tUtns
simplesmente; porqtie diz a 2* parte do
mesm art. 332 que em todo 0 caso, ha-
v ndn maioria se impord a pena imme-
dialnmeuti: nienor
versarius da opiniao quo sustefclrf.
O muito illustrado advogado Dr. Alvarr
Caminha, em sua epiniao transcripte'na Ga
zela Jundxca, argitmentatido o-n argfa?
da hermoi:eutica,dizqueas patavMMn lode
caso do art. 339, nao se acham all super
fluamente.
, Opino do mesmo modo; mas penso qu(
Ullas nio teem referencia alguma com i.a parte do art., porem sornerrte Se appli
cam ;i 1.* parte, tendo sido posWs alii parn
darem mais forca a expeessiio ~-~kavtndc
maioria e distinguil-a^perfeitamenle do caso
da inftimidade.
K se attendormos & rodaccao e poatuoQao
do art. 332, veremos que as palavras em
todo caso da 2.1 parte, ndo tem applicacao
a 1.' ; porquanto, depois da oraeao at
decisdes do jury tcrdo tomadas por ,*'l/^^ ..,
tercas partes de votosacham se um ponto
e virgula, e, como todos sabemos, depois
do ponto e virgula segue-se uma oracaoqci%-j
posto que tenha urns certa relagao com a
anterior, todavia pole conter um sentUU
independente.
E', pois, minha opinido que toda vnz quc-
0 jury nao houver respondido aos quositoft..
por duas torcas partes de votos, exceptuado ~
0 caso em que tenha de ser applicada a pena
do morte por se verilicar a hypothes* de
art. 33 2 do Cod. do Proc, 0 presidente -do
tribunal do jury nao pode proferir jQiiWafr
condemnatoria, muito embora veriuque-ew -
0 resultado de 7 votos na decisao do con-
selho.
Goyanua, 4 do novembro de 1873.
Lydio Mariano d'Albuquerque,
Pergiinta innocente.
Pergunta-se aos encarregados da festa d*
N. S. dos Navegantes qual 0 motivo pelo
qual uao se celebra este anno a fesiividade
da rtferidaeercelsa senhcra, maxime tend
havido um bom beneficio, cujo produclo
foiapplicado desse mysler?
lldverd impecilho de ordem insuuera
vel? "
A' na,o haver, que so faca uma boa j e di- -'ci
remos mesmo uma magestosa festa, cfsM*^'
pera gj
U ZANUADl.NUO. w. j
0 baixo assignado, tendo de seguir para a
corte, a chamauo dp governo de S. M. o'im- '
pcrador, uao poJeu lo despedir-se dos sen5
numerosos amigos a quem sum.uamente e
grato pelas provas do sincera amisade e de-
dicaQao nao equivoca que lhe mintstraram
por occasiao do sua prisao, vem pela present
te por a disposigao derlodos seu fraco a di-
miuuto pfestimo, quer alii quer em outro
lugar, ondo por vontura tenha de se achar,
certos da quo summo prazer terd de oneta^*'
cer-se occasiao de poder manifestar a gMli-
dao que 0 domina.
0 mesmo offorecimento faz 0 abaixd^'
signado a todos aquolles que nao mantoodo
com idles relaooes de amisade, toda ua por
aquella occasiao 0 foram visitar; mantteatan-
do assim ndo serem indifferentes d po^ae-
em que 0 collocara semslhante incidente.
Recife, 12 de setembro de 1813. "
0 tenente coronek ul -
Alexandre A. dc Frias Villar
.
Os passageieos de 1.', 2.' e
Pernambuco a bordo do vapor portuguez .
Diniz, sahido da cidade do Porto em 23 de outu
bro proximo passado debaixo de um fort* tempo
ral, apreciando a puricia e cuidado de seu digno
commandante e mais ofneiaes, das maaeiras ur-
banas e attenciosas com quo foram traiados per
tio ji^iids L-a> mesa, e com tudo quanto se podia desejar a bor-
do durnnte a viagem, veem por este meio dar-
Ihes uma prova do seu etern reconhecimento, pc-
dindo-lhes desculpa se co::i islo oflendem sua-
susceptibilidades.
A bordo do Julio Diniz em Pernambuco, 9 de
novembro de 1873.
Bernardino da Silva Costa Campos.
Elisa Campos.
Domingos Pinto de Matlos.
Mat garida Praupisca de Matlos.
Joao F. da Silva.
.Vanel da Silva Amorim.
Joanna Baplista da Costa Amorinx,
Albino Jose de Andrade.
Manoel Jose Alves.
Eduardo Pereira de Mello.
Antonio Rodrigues.
Bernardino Jose de Azevedo.
Joaqnira Antonio de Oliveira.

3.a classes, par
Julio
b .
Ill.ll
da va-
Sir. eoimuanlaiate
por Julio ltiniz.
Tendo feito dirersas viagens nos vapores das-
carreiras dp Brasil, e nao tendo em nennum def-
ies eocontrado 0 tratamento que acabo de ter no
vapor de me V. S. 6 mnito digno commandante,
ja pelas comidas, ja pelas maneiras cuidadosas
e attenciosas, quo sempre me dispensaram -a
bordo, venho por este meio dar-lhe uma prova '
do reconhecimento e eterna gratidao.
-'ou com esiima, de V. S. amigo eobrigado e
criado
Bernardino da Silva Costa Carapc*.
A bordo do Julio Diniz, 9 de novembro de 1873.
Despedida
Parlindo para a Europa, e nao me permitlind >
a brevidade do tempo despedir-me individualmen-
te das pessoas que me honram com ana amizade,
valho-me da imprensa para cumprir este grato
dever e as-egurar aos m<-us bons amigos qua a
continuacio da minha tamporaria ausencia nao
afrouxara jamais os lacos de cordial atTecto que a
elles me prendem e a esta formosa terra cuja
prosperidade sincoraraente almejo.
Recife, 8 de novembro de 4873,
Joaquim Pinto de Campus
Para todos.
A casa mortuaris de Paula & Mafra con-
tiniia a bom servir ao publico, em quanto
sous proprietaries ou sao deferidos no recur-
so quo antepoem ao Conselho d'Estado coni-
tra o monopolio concedido a outrea, on sao
a couteuto iademnisadas pelos monopolistas>
para qua ninguem se illuda a respeito,
scientiftcam ao respeitavel publico qutle
acham provides do material necesscno
com carros novos.
0"l sera a pna immediatamente mfnor
do grdo inmimo do art. 269 do cod.
- Acna-se livre de perigu o principe real da'ionio ; entero c/Ilite. '?''' lr m"apw de praticul a, 6" falso q-ue
Saxonia, que como e sabido cahio do trem em que I Bodolplw Rodrignes Viraes, branco, Pernambu-i houvesse denuueia. a resp. ito.
;iNi-riliiin-. ecrtamente.
his auto aiisurdo em que ca hem os ad-
As raiahaa eoreada*.
Assenhorasa pie-n a naturaza ha dotado com
coroas de abnndantes e lozidiasmadeixas teem di-
reito a este tituln. Porem > a milhares de eahecaa
femiciaas sulncieotemente c<*ertas de cabello*.
qn8 carecem de assisteocia artificial, amn de s
aformosear.
As Ibras se bem quo nntiei'-as pod^m ser
secras, ere^pas, inela.-nc.M e d-ffl '-is d* mauejar :
requerem nma preparacai que as ^rl.e fl-Kivvip^
que melhore sua cuntextnra, e a? ad >pu para fa-
xf r trancHS, madeixas 00 andlado cxrne6es. R-te
fragrante a delin-.x. artigo, a uma, alt-mrnte emo-
lieute e fertilizidor, coohncido pm tnd;.- d.< naioe*
0 Tbnico Orient I, 6 1 unica nreparaca-i naeft-
saria Nao soint-ete (trxmove 0 crecimeoto e eonfe
serva a r&r d< <*a *iU\; porirn ouUirga-lheftWni-
maciae luzidia flexihui.iadn exquisite e rarii'
Periuittlr-Mr-.uisM-lia rxpeadex
umipaliw,, sobre as eaileTr-
aaaada li-s -? ,* puhuoes e da
Unrj^'jtn
Quando r.s pui ., ics se cuugaai a enMkmr^fafe '
d*-s dir ij.i,< ir,,.nt8 s*aoha i* .borA*a tToom-
enferraidade incurs-el, e o primeiro passo dado
H
A
\
.,

\
mim 1


-jL.
liffimot^imwmw. i&m&d**-12 de Xwapro 4, a a
d.
3
/
11 oof wiso.porguourd-* do. go* "
-r,,f8*Mi;M5p'M**piiae conscghi'r, proinpumcnleIre*
pondot'nw 1 com o I'eitoral de Anucjhuita de
iTcmp, cuj > excellent"* xamoe e prepara to c com
posto torn 0 maravilho'o e balsamico sncoo d'uuia
arvure do Mexico cmhecija de^do .i muitos seeu-
los pelos ahorifenes, como remedio cxcelso para as
cnferroidads ; i ajio isnrari a tos*e dentro e.n poncos dias, e as
vezea o.nj.oucos hora<; aihviara a a-4brfii, cura-
ri a irritada memhran.i 1a trachea e unpedira G-
ralmente o dcsenvolvinn-nto da thisica. Ao eon-
irario de tod"* e*ss pettoraes e xaropes feitos de
iruclis e outras subslatieia* acres c d'uma nata
resa duvid isa, ella nao encerraem si nanhum
acido pra-sico, e com > igualmente uad conlcm ne-
nhuma niixtura de antimonio, ingredtontc este, que
;U'iindanteiiii-n'e so eneontra nas preparajSes da
quelles por con.-eguinte o seu gusto ni> prodin
gOMMEft&W-
PllACA DO RECIFE U DE NOVEMBRO.
DE 1873.
AS 3 12 HORAS DA TAItllR
otMp#es ofliciaes.
. .MgO'iio de 1' sort* 8 J6U0 pur 13 kilos.
UuDourcq
Pre.-idente.
Leal .-eve
Secrelano.
HaiiJimonib do
4S.PMtlW.GA
dia 1 a 10 .
Ui
to dis 11.
oi 954*739
53:7331121
346:709*8^0
Tl.-scairegam hnje |2 VafOI national Ciuunpe generos nacionaes
para a zrapiehe da companliia pernam
bueaua.
Vapor inglez f.ilinic (.tracado; raereilorias
para alfand -ga.
Lojraf injili-j Comtannt WitfM rnercadorias
para alfan lega.
Brigue punnguwj Lujtiro III vinh.i, vina-
gro : azcite part o traolctia B.tibosa.
Paiieho national -Ormtzind'i -morcalnas para
alfandega.
Vapor portuguez Julio Diniz -varius generros
para o trapicho Conceejaa, para despa-
char.
AaucLdento do di*,t p 10.
an do dia (l.
19.001*966
1:33* #53*
CQNSULADO PROVINCIAL
i4adimtfatolo dia 1 a 10 28 072*585
lismrtodiill ... 4:687*961
RSCIFE DRAINAGE.
rtendimente- do dia 10. .
idem do dia 11......
3:9361519
8:078*870
6:0'J9*--93
'_
Ianportnfito.
Brigue ingluz Constance Wilson, entrado
de I.ivorppd em 10 do corrente,consigido
S.-iumlere, Brothers & C. manifestQu :
\rroz 100 saccas & ordorn. Amqalaco a
M. de C. do Mello.
Barrillia +0 bar-is a Santas & Aranjo.
H-.icout'js tScatxasa J. M. da Rosa & Fi-
4hos. Burras de ferro o caixas a Phipps,
Brothers & C.
CarrSo de pedra 61 toucladas aos consig-
natarios. Caldeira 1 i caixa com perten-
<;as a ('ardosi & Irmaes. Chapcos 52 a
Joaqutm A. d'Araujo & C. Candieiros I
caixa a Simpson & C* Canos de ferro 260
aos mesmos. Cerveja 5i barricas a Johns-
Jon Pater & C.
Ferragem 10 barricas a Silva Abreu,
13 e 2 caixas & or lorn, 3 barricas a Joa-
ricas a Parente Vianna & C, li caixas,
27 barricas, 118 amarrados e 2 volumes a
Shaw Hiwkes & C, 7 caixas, 7 amarrados,
:i barricas, 1 sacco, 70 volumes a A. B.
^Hwrjr. Fogareiros 11*7 a Joaquim A. de
iraujo & C. Flandres' 4 caixas a Simpson
AC, 110 a ParHntj Vianna AC. Forra-
;^en 2 barricas a Parent') Vianna & C. Fa-
... c garfos 1 caixa a Faria it Irmaos.
Grai(i de ferro i barrica a Joaquim A.
d'Araujo <$ C.
Lampedes 2 caixas e 1 barrica a Joaquim
Antonio Pareira & C. Louca 20 gigos a
Magalhaas Irmao, 83 & ordem, 3 a Barros
Junior A C. Linhara 10 barricas a Phipps
brothers & C, 10 a companhia Itecifo Drai-
nagem.
Obra? de ferro 16 caixas e 2 barricas &
..jinpanhia da linha ferroa do Recife a S.
Francisco.
Pgpel 2 caixas a Piuto da Silva Cascao.
Pregos 2 volumes a Simpson & C. Pezos
SO a Joaquim V. d'Araujo & C.
Saccos vazios, 20 firdos fa Braga, Sousa
# C, lid ordem, 15 a Johnslen Pater
G.
Tecidos dolinho, 2 caixas a Johnston Pa-
: r &0. Tapetcs 1 fardo a Johnston Pater
f C.
Vidros 12 barricas a Shaw Hawkes & C,
11 a Simpson AC.
Vellas 50 caixas a T. d'.V. Fonseca ilarca portugueza Octania, entrada do
, Grande do Sul cm 11 do cor rente,
crtsignada a Amorim, Irmaos <&C, mani-
'. tou :
Couros seccos salgados 70
\arque 15,026 arrobas, tudo aos con-
-cmatarios.
fSSPACHOS DE EXPOitr\i;.\0 NO DIA 10 DE
N'JVEMBRO DE 1873.
Para os portos do exterior.
No lugar allemao Nicotine, para Hamburgo,
carregaram : T. Christiansea 2 caixas com 50 li
de aguardente. Para Liverpool, G. Ne3sen- &
. lCr saeca- com 12,258 kilos de algodao, e 27
'.os com 5,')09 ditoi de dito.
Ho vapor Draoccz Mcnd-jsa, para Bordeaux,
-vrregju ; H L. HoJrigues Junior 1 caixa com SO
hi'.os d-s gomni.
No nivio norueguense Mathdde, para o Ca-
c.tl, carieg.'.ram : S. Br-nhcrs. & C 1,912 saccos
- -n 14 l,iK) kilos do assucar rnascavad).
No patacho amerieano /, P. A nger, para o
* oal, carregaram : J. Pater k C. 2.800 saccos
com 150,000 kilo* d asiucar mascavado.
So patacho aus riaco Silago, para o Canal,
.regaram : J. Pater & C. 1,000 saccos com
7;i,000 kilos de assucar mascavado.
Para os portos do tntertor.
Pira o Rio d Janeiro, no iiavio brasileiro
^frMfo*?, carregaram : L. J. Marques de Araajo
two & Filho 300 ditos com 22,509 ditos de
*Ro.
Part Macao.no vapor brasileiro Pcrajnma,
rrcgou : J. M.Palmcira 6 barricas com 501 ki-
ie as-near refinado.
Para Mossord, na barcac.i Doits Amigos.
cgou : J. D. da Gunha Lagas G barricas coai
^90 kilo; de assucar relinado, e 7 barris com 691
/ifros de aguardente.
OAPATAZ1A DA ALFANDEGA
'1-mdime.oto d< dia I a 10
^r.fl do dia 11
5.432*464
840^531
6:873*015

V0LCME3 SA1IID0S
Ik 10.
taporun- dia II .
juia porta......
co^ra p*wta ...
afji'v**
Mih GftacaiQl'i
SEJltigo 'MAfSfUID
-j/mtitrawt'u no trapicii*
altkudua do dia l a 10 .
-^*raten*>dia H......
iraedo^ no trap, da alfandega
">*roia- .
't^5**'0C5iu.....
6,o2t
122
71
7'J
M
' 6,949
rtOVIMENTO 0 tnm
A'ovt'o sahido no d Portos do sul Vapor portugnet Julio Di-
niz, conaaundante Confute, carga parte
da que trouxe d Europa.,
Aavio entrado-no dia 11.
R'o Grande do Sul-19 dias, barca portu-
guez Ocemia, Antonio M. ae Al o^idi. equipagem 12,
carga 14,000 arrnbas de c.irne ; a Amo-
rim Irrna* d C.
Obsirvacao.
N3o bouve sahidas.
imm.
FacuMade A* Dirdito.
Ju-
U 3
Do orne.fl do Exia. sr. director Xw JdniiO a>
lisias dos est'idi.itos inscriptos para exauia ue tid
gua- i|uu devran comecar uo dia 12 do corrente,
as 9 h'.Tas da aaahi.
.'.ecretaria d;i Fa'uidade de Dir.'ifo do Recife, 11
8e novembro dc 873.
0 iecretari),
Juse H iiurm B. do Mene^os.
Porluguez.
1 Francisco Ribeiro de Freire Argollo, 7 exames.
2 Agkea Eduardo vrelloso Kr-ire, 4 ditos.
3 Basilio da Silva Santiago, 4 ditos.
4 Eduardo Augut.i de S-mza Pitanga, 4 ditos.
5 Francisco Pmheiro de Almeida e Castro, 4 di-
tos.
G Joaquim Pedro Cavalcante de Albuquerque,
4 ditos.
7 Jose Henriques de Salles Abreu Filho, i ditos.
8 Joao de Oliveira, 4 ditos.
9 Manoel do Nasciraento Vieira d.f Cunha, 4 di-
tos.
10 Manoei Marques da Fonceca Mello, 4 ditos.
11 Juvino da silva Santiago, 4 ditos.
12 Henrique Capitulioo Pereira de Mello, 3 dilos.
11 Jose Alves Vilella, 3 ditos.
14 Jos6 de Barros de Andrade Lima, 3 dito?.
15 Gercino Ferreira de Lemos Rabello, 3 ditos.
16 Mauoel Maria Tavares da Silva, 3 ditos.
17 Sebastiao Lins Wandeiley Chaves, 3 ditos.
18 Toeodero Ulysses Torres Tavares, 3 ditos.
19 Andre Dias de Araujo, 2 ditos.
20 Francisco Xavier Pies de^Mello Barreto, 2 di-
tos.
21 Jose Ernesto de Moraes Sarmento, 2 ditos.
22 Joao ZtferiHO Ferreira Velloso, 2 ditos.
23 Proho da Silva Cama-a, 2 ditos.
24 Abilio Leile Falcao Dias, 2 ditos.
25 Antom "i Al*. s Vilella, 1 dito.
26 Archimedes Cavalcante de Albuquerque, 1
dito.
27 Antonio Ferreira de Moraes Mello, I dito.
28 Bento Manoel Ribeiro Carneiro Montciro,
dito. i
29 Cyndiao Herniillo de Santa Anna Durval,
dito.
30 Henrique Augusio de Albuquerque Millet,
dito.
31 Ignacio de Barros Barretc, 1 dito.
32 Joio Pompe\i-de Andrade Lima, 1 dito.
33 Jos Augu3to de Souza Araarantho, 1 dito.
34 Joaquim Pereira do Rego, 1 dito.
35 Jse Antonio Moreira Dias Junipr, 1 dito.
36 Themistocles Pompeu de Albuquerque Piguei-
n-Jo, 1 dito.
37 Targuiuio Braulio de Souza Amaranth.6
nior, 1 dito.
38 Vicente Oscar Duarte da Gama. 1 dito.'
39 Antonio Alves Pereira Lyra.
40 Alvaro Moreira de Oliveira Lima.-;
41 Antonio Cesano P.ibeiro. [|V(u
42 Antonio Francisco de Albuquerqdf.''
43 Antonio Jose Lcite Pereira.
44 Antonio da Trindade Antunes Meira.
45. Argemiro Alves Ferreira de Miranda.
4G Antonio Alves da Silva Accioli.
47 Anlonio Baptista de Mello Peixoto Junior.
48 Animbal tureljo Falcao.
49 Antonio Ferreira de Mello Santiago.
50 Antonio Gomes de Macedo Coutinho.
51 Antonio Pacifico de Lima.
52 Antonio Plutarcbo (todrigues Lima.
53 Antonio Sebastiao Basilio Pyrrno.
54 Antan-o Ibyapina.
55 Amaro Roarigues de Albuquerque.
56 Alfredo Hemeierio Ribeiro.
57 Antonio Carlos de Castro Madeira.
58 Antonio >unos da Costa.
59 Angustc Lopes da Assumpgio Pessoa
60 Augusto Guedes Corr^a Gondim.
61 Alvaro Lopes Machadi.
62 Alejbiade? .avaicante de Albuquerque.
63 Antonio Rptterir de Giuvtfa Freire.
64 Antonio Pedro de Cysneiro Costa Rois.
65 Alvaro Augusto Carneiro Leao.
66 Adolpho Jacomc Martins Pereira.
67 Antonio Augusto Alves Maciel.
68 AfroJi no Vedegal
69 Anizio de Carneiro Paiva.
70 Adolpho Alves Simoes Barbosa.
71 Alfredo AIvjs Simoes Barbosa.
72 Antonio Cleraentino Coelho Catanho. j.
73 Alfredo Menoa Barreto Barros Falcao
74 Arlid6ro Wcncealao Carneiro.
75 Augusto Leqpoldo Raposo da Camara.
76 Adolpho Firrnino de Mello.
77 Antonio Rabello Quiotella Correa.
78 Abdon Feli&to Milanes Junior.
79 Antonio Luiz Msdureira Maciel.
80 Abilio Ferreira Balthar.
81 Alvaro Barfcalho Uchoa Cavalcant.
82 Antonio da Costa Pereira.
83 Affonso Jose de Oliveira Peixoto.
84 Arthur Bezjrra de Menezes.
85 Arthur Gomes de Mattos.
86 Antonic &>86 de I'igueirCdo.
87 Alberto Vaz de Carvalho.
88 Alvaro Cirbaiho Uch6a Cavalcante.
89 Antonio d,1 Rocha Hollanda Cavalcante.
90 Antonio de Muura Castro.
91 Antonio Cunha Soares Guimaracs Junioi-.
92 Bernardino Cavalcante de Albuquerque Ma
ranhao.
93 Bclanmino AHt.res da Nbbrega Pinag').
94 Bernardo Gomes de Mello Junior.
95 Brasiliano Alv-s do Monte.
96 Carlos Alberto Burie.
97 Rodolpho Albuquerque de Araujo.
98 Christova.i A.ur*liano da Rocha Wandork-}. ,
99 Capitulino Pereira de Barros e Silva.
100 Carlos Alves Ardxa.
101 Constantino da ?ilva Tavarc.
102 Cezldio do Albuquerque Martins Pereira.
103 Dinamefico Augusto do Rego Rangel.
104 DIomedes Theodoro da Costa.
103 Dervino.Juse da Silva.
106 Eusebio Bemvenuto Pires Brandao.
107 Epaminotoljis Francisco Nngueira.
108 Eraydio KWelr'a Petsoa da Costa.
109 Elpidio dos Santo? Reis.
110 Eduardo.Cocf?a do Rego Barros.
111. Emilia AmDcosio Mannho FalcSo.
'^!81BdUardi1)IJ1r^'ic, Ferreira Barbosa.
113 frtmci9co-6omes Leopold-i de Aranjo.
114 Franklin Eaguento de Magalhaes Sew
ii^FuMNNKn da B.N|tt Sant.>.
116 Francisco 117 Piiniino Joe da Stlva Burgos.
118 Francisco Samfe^o iamos,
119 Francisc^ifcfcV'a Ifglez de Souza
120 Francifco GonQalves do R^gi Barroi.
121 Francisco dd'U.'go Barros F'gLieireMc.
122 Fausto Teriiiliano Bandeira Ferrer,
m
VaV
.J
Caval-
186 Frlndscd d* Rego'Barros.
., iff FrajuSmkiMs Ayque de Meira.
- *** Ef*P*i*% Serbia do Rego Dantas.
28 189 FTrn^aTifchdco Snares da Silva.
130 Francisco BerWtfacf Cesar de Andrade.
I'll Eredtfrico Alves Cavabantcplacid.
132 Fraicheb "em* aNSl Junior.
133 Felippe \\vee Oliveira.
I ii Krancwc* UoiwtAo'JfcrtoU* tie SoOza.
135 Fortnnato August.) da Silva
20.337*501 136 F! .nsinundo Torres Gallindo.
37 Francisco de Barros Mendonca.
138 (iniiino M "desto Soares
139 Francisco Salusiiano de Oliveira.
140 Franeisc-1 AcoWi de Albuquerque Lins.
141 Frincisco de Borja do N**ciro^nto.
142 Francisco Ferreira da Costa Mullo.
32:760*'46 141 Frannsro J.we Rabello Filho.
144 Gabriel Azevedo de Andrade.
Ii5 Gibriel Ildefm 146 Gaspar d<> Nascimento Regueira Costa.
147 Graciano Xavier Carneiro da Cunha.
148 Gabriel Cercaliro da Camara Gondim.
149 Gast*6 at Aragae e M.dlo.
l'iO Gaunno GonCalves de Albuquerque Silva.
151 Geuesio 152 Honorio Moreira de Carvalho.
I'>3 Hercolano Augu-to Gencalves da Rocha.
15* Henrique das Merces Jansed.
155 H-rcirano de Oliveira rorres Gallindo.
56 Izidoro Carneiro Gou.alves da Rocha.
57 Innoeenflo Pervgrino Alvea Arficha.
158 ignacio da Costa Brito.
159 is-aias Bellino dos Santos Aranda.
160 Israel Bemamin Nunes de Oliveira. j
161 Joe Eliis d'Avila Lins.
16i J.se Luix Genai WWirley-
161 Joao Correia dos Santos.
164 Jo-e Cavalcante Ribeiro da Silva.
165 loaquin Rodcsino de Albuqu'-rque.
166 J.o Taciano Canwiro d" Altmqaerque.
167 loan .V.ptista de Mello Peixoto,
168 Iulio Angusio .1^ Ldna Freire.
169 Jo*e" fgnado Pereira >lo Lago.
70 j ... | urn J >^e 1'i.i.lrigiie* (flares.
171 Ju-e i.aqiiini &< S- tua Junior.
172 J. li" L Jz de Serra Cavalcante.
j73 Joao Cl idoaMo M>nteiro.
74 Jn e Solan.) d.rpejr-1 a Cunha.
175 J .:'.) L.i^t--a d^ Cunha Pedrosa.
176 l.e ii Rocha Lima.
i77 J.>*i H-.I :ie.ni'j.'ilJ G-iiiveia Mnra.
78 J">a-|nim Dmiicio L oftoidioo"Fcrreira.
179 J.iw da Hilva Mainos N.ves.
180 Illfc Carlo* Ai-CioH.
i8l Join *. Ro^o Burr.M.
!82 J .s-1 Pi->n.ino Correia de Brito.
183 J.^A Hrafld3o da Rm-ha Junior.
184 Ji.a'imm >yres da Silva Otta.
185 J.se T.iva/es da Can a Mello.
Iv6 Juveniau.. L-uneuha Lii's.
i87 Joaq i (Jarta'ho Siqueira
reiao.
188 J .se Paulino Cav.aleante de Albuquerque.
.89 J .se ibani.i Lms <\- Sonza.
19>l Justinian Barbosa de Lucena.
191 Jose de Azevedo Maia Filho.
192 Jayme Je Albuquerque .osa.
193 Jos6 Emydio Goncalves Lima.
194 Jose Fi-ruan.le> de Sail* Jorge.
195 Joao Baplista dors SantostAlmeida.
196 Jos6 Jariano Carneiro de Aguiar
cante.
197 Jose d'Arnorim Paes Barreto.
19* Jose Franciscj do Rego Rangel.
199 Joio Maria Scvo Junior.
200 Jose Candido de Sampayo Miranda.
2il Jos6 Maimel de Araujo
202 J laquim Mauricio v\ anderley.
203 Jesuino Firmo de Azevedo.
204 Joao Jacome vlarlins Pereira.
205 loaVi Felippe de Souza Leao.
206- Jo-e Cordeiro do Rego Barros.
2 7-Jose Goncalves da Albuquerque.
208 Joaquim Raphael de Melto Sobrinho.
209 Joilo Alfredo do Medeiros.
2i0 JoseTIilario da Silva <*esar.
211 Joio da Cruz de Oliveira.
212 lose Antonio Pinheiro Lyra.
213 Joaquim Alves da Sou a Carvalho.
2ii Jorge Jac .me Tas-o.
215 Jose do V'alle Pedroza e Souza.
2 6 Joaquim Augusto da Souza Rangel.
217 Jo*c de Souza Castro Feitoza.
218 Leonardo Pereira Maia Vinagre.
219 Luiz Gonzaga de Almeida.
220 Libanio Milton de Aguiar.
221 Leopoldino Cornelio Ferreira da Silva
222" Lourenco Leocadio de Menezes.
223 Lindolpbo Isbello Correia de Araujo.
224 Leoncio Gurgel do Amaral.
225 Luiz do Reg > Cavalcante de Albuquerque.
226 Luiz Dnarte Pereira Junior.
227 Leopoldo Marinho de Paula Lins.
228 Leocadio Leopoldino da Silva.
229 Luiz Barbosa de Siqueira Maciel.
230 LnizAntonio Ferreira Gualberto.
231 Miguel Archanjo do Nasciraento Feitoza.
232 Miguel de Souza Borges Leal Ca-lello-Rir.n-o.
233 Manoei Candido Rihoiro Menezes.
234 Moyses Alves Vilella.
235 Manoel Rodrigues de Albuquerque Figuei-
redo.
236 Manoel Celestinc da Silva Pereira.
37 Miguel Alves Feitosa.
18 Manoel Clementino da Conceicao Moute.
239 Mauoel Rodrigues Leite Imbuzeiro
240 Manoel Xavier do Moraes Vasconcellos.
241 M.inocl Filgucira? do Menezes.
242 Manoel Francisco Cavalcante de Albuquer-
que.
243 Manoel Cavalcante de Albuquerque Wander
lev.
244' Manbel.Cabral do Mello.
245 Manoel Anlonio Pinheiro Lira.
246 Manoef Ramos de Araujo Pereira.
247 Misael Domingiies da Silva.
248 Manoel Feijo de Carvalho.
249 Manoel Maria de Araujo.
2)0 Manoel Paes Barreto Pereira dos Santo?.
251 Nilo Cahete Pereira de Andrade.
252 Numeriano Honorio de Serpa BrandSc.
253 Olavo Augusto de Magalhaes
254 Octaviano Coutinho Espindola.
255 Perminio de Abrou e Lima Figuciredo
256 Paulino Xavier de Moraes.
257 Porfiro Manoel de Castro Araujo.
858 Platao Cavalcante de Albuquerque.
259 Paulo Martins Pereira Montoiro.
260 Pedro Olestino Felicio de Araujo.
261 Pelino Joaquim da Costa Guedes
262 Prescillo Prescilliano dos Passos Vianna
263 Itavmundo Alexandre Pereira.
264 Rodolpho Gonzaga de Menezes.
265 Ra,mundo Vieira Ribeiro.
266 Rodolpho Gersino dos Santos.
267 Rodolpho Honorio de Serpa Brandao
268 Secuudino Epiphanio Mauricea.
869 Silverio Fernandeg de Araujo Jorge Filiio.
870 Sergio Fiorontino de Paiva Meira.
271 ^everiauo do Rego Chaves Peixoto.
272 Theodoro Didimo Correia de Abren
273 Tobias Cezar da Andrade.
27^ Thomaz Fernandes dc Caldas Lins.
275 Theophilo Modesto Soares.
276 Theobaldo Alipio Martins Saldanba
277 Thome Alves Arocha.
278 Victorino Tossano Bezerra.
279 Victorino Jose Carneiro Montciro.
280 Vicente Liberalino de Albuquerque.
281 Valeriano Bodrigues Collares.
282 Virgilio Ramos Gordilho.
883 Xisto Xavier da Cruz.
884 Zosino Zenadio da Camara Lima.
I.atim.
1 Perminio de Araujo Lima, 9 exames.
8 Manoel do Nascimento Castro e Silva, 6 ditos.
3 Joao Carlos da Silva GuimarSes, S ditos
4 Juliao Tenorio de Albuquerque, 5 ditos.
5 Oetaviano Augusto' de Figueitedo. 5 dilos.
6 Francisco da Rocha Wahdertey, 4 ditos.
7 Joao Pedro Bandeira de'HeHo, 4'ditoe.
8 Augusto Leopoldo Raposo da Camara, 3 dilos.
9 Anlonio Luiz de Araujo Maciel Sobrinho, 3
ditos.
10 Arthur Orlando da Silva, 3 ditos.
11 Pretence do Rego Barros, 3 ditos.
42 Henrique Capitufino Pereira de Mello, 3 ditos.
13 Joio Capistrano P.ibeiro de Souza, 3 ditos.
11 Jose Umbelino de Albuquerque Mafaohao
Mattos, 3 ditos f
15 Luiz Joso Correa de Sa Junior, 3 ditos.
16 Manoel Carlos Mayrinck Montciro de Andrade,
3 ditos.
17 Pedro Cavalcante de AliniMa, 3 ditos.
18 Kpiphamo Francisco de Samoaio, 8 ditos.
19 Prribo da SHvi'CMnara, 8 ditos.
20.Ambto:iW*!:Vllellft,';iIdfco. -
31 \ntonio Ferreira *> NeM*l|8!lo, dito.
28 Arc;imede Cavalcante de Albttqaerijue, 1
2-t Henri jue Augusto do AlWquerqne Milet, 1
dito.
24 Joaquim PeWira do Rego, :4 dito.
25 Mamwl Cyridiao Kuarque, 1 dito.
26 \nt ioio AlvB.Perfllm de lifHi
27 Antonio Aires"d*Silva 'Crtoly.
28 A'liho Ferreira' BaR'riar.
29 Alfredo Mena Barreto de'MrrVS'TMci
o >.no-!) d Carvalho'ParVa.
31 d epho Jacome Harms' nmira.
38 Angelo Custodio C<5rtda.
86
87
88
91
,33.Auti)tuo Augusto Alves Maciel.
U Ant.xio riojerto de uourea Freire.
35 Antonio Pedro de Cysnefro Costa Reis.
36 >l/arn Lopes Marhadn.
7 Alcibiades Cavalcante de Albuquerque.
38 Alvaro Barballio Cchoa Cavalcante.
39 Art ur do-Sbuza Carvalho
40 Antonio da Trindade Antsnes Meira.
41 Antonio Ferreira de Mello Santiago.
18 Antonino Augusto de Araujo Jorge.
43- Antonio Fran -.isco de Albaqnerque.
44 Antonio Paeifico de Lima.
45 Agostuihii Jose- de Oliveira Junior.
46 Amaro da Roclia Wandorley.
47 Antonio Ibi .pina.
48 Antonic Plutareho Rodrigues Lima.
49 Antonio Jose Henriques.
50 Anlonio Klpidio Alve3 da Silva.
51 Autoniu Rabello Quintella Corn'a.
52 Antonio Le.jdegano Castello Branco.
53 Antonfo Pacheeo Soares da Silva.
54 Ueraardino.Cavalcante de Albuquerque Mara
55 Carlo* Aires Arocha.
56 esidio de Albuquerque Marlins.Pereira.
57 Cosme Augusto Pereira da Luz.
58.Carla Buarquede Macedo .
59 Candido Alcoforado.'
60 Christovao Aureliano da Rocba Wandcrley>
6: ttervino Joso da Silva.
62 Davlao Nomysio de Aq.uino.
63 Elpidio dos Sant03 Reis.
64 Eduardo Augusto de Araujo Jorge.
65 Emigdio Mdeiro Pessoa da Costa.
66, Epaminonlas da Costa Trayasso.
67 Francisco "lo.ncs Leopoldo de Araujo.
68 Francisco ifcMniagu.es da Silva Netto.
69. Francisoo Lin^^Ayque de Meira. i
7i. Fausto Tertu'i mo B-ioJeira Ferrer.
71 Francisco djtftego Barro3.
72 Francisco Joaquim da -iiva.
73 Ffau'-ieo Swallco d"As1?-Carvallio
74 Franoisco da- Rocha Santos. .
73 Francis., LwpoMo Marinho do S5dza.
76 Pranefsco RUftno d.s Reis Lima.
77 Franeiseo Gomes da Silva
78 Francisco Alves deSouza Carvalho.
?9 Franeiseo Liiz Osorlo.
80 Francisco'Ferreira da (.o.v* Mh1i- ...
81 Francisco Berenjer CesS.r do ^ndrade Filho.
8* F orismundo Torres GaUindd.
83 Francisco dfi Barros Wauderlev.
84 Francisco Jose Rabello Filho.
j Fraiicisco Salustiano de 0 iveira Costa.
Gabriel Ildefonso das Neve- Cardoso.
Graciano Xavier Carneiro da Cunha.
Gene^sio de Albuquerque Martins Pereira.
Gabriel Cercalis da^Camara Gondim.
G.istto de Aragio e'Mello.
Honorio de Oliveira.
92 Herculano de Carvalho Goncalves da Rocha.
03 Ignacio da Costa Brito.
94Iaias Bellino dos Santos Arruda.
95 Jo-e Tu -opliili) Gomes de Mello.
t 96 Joaquim Augusto de Souza Range!.
97 'Joaquim Alves de Soa/.a Carvalho
98 Jose Antonio Pinheiro Lyra.
99 Joao Candido de M'irae? Rego.
100 JuiQ do Prado Miguel Baptista.
101 fnstfniario Bjcliosa de Lucena.
102 Jose I'auliuo Cavalcante de Albuquerque.
103 Joao Jacome Martins Pereira.
104 Jose da Rocha Lima.
105 'ose" Eiias d'Avila Lins.
1" 6 Joio Antunes de Araujo Pinheiro;
107 Julio Augusiodo Lima Freire.
108 Joaquim Ayrcs da iilva Costa Filho.
109 Joao Ferreira da Silva.
110 Jose Manoel de Araujo.
111 Joao Lias des Reig Nalio.
112 Josii de Amorim Paes Barreto.
113 Joio Agostinho Carneiro dc Aguiar Cival-
cante.
114 Jose Cvrdciru do Rego..Barros.
115 Joao Baptista-dos Santos Almeida.
116 JoaQ Quintiliano de Azevedo e Silva.
117 Joac-.Uodoardu Mpntuirj Lopes.
118 Jayme de Albuquerque Rosa.
1'9 Josd de Azevedj Maia Filho.
120 Jose Moreira Alves. da Silva.
121 Jose Fernandes dc Salles Jorge.
122 Joan Felippe de Souza Leao",
123 Jose Neto dt Siqueita Cavalcante.
124 Luiz do Rego Cavalcante de Albuquerque.
125 Lourenco Leocadio de Menezes.
120 Lauriudo Arjstoteles Carneiro Leao.
127 heopjldine Cornelio Ferreira da Silva.
188 Libmio Milton d'Aguiar.
129 aianocl Rodrigues Leite Imbuseiro.
-T30 Manoel Antonio Pinheiro Lyra.
131 Manoel Domiagues da Silva.
132 Manoel Ramos de Araujo Pereira.
l33.Maaoel Cafcral de Mello.
134'Jdanoel Francisco Cavalcante de Albuquerque.
135 Manoel- Clemcaiiao da Conceicao Monte.
136 Miguel Alves Feitosa.
137 Manoel Falcao d'Azevcdc.
138 Mauoel COel'ir Ciufra Ramalho.
139 Manoel Candido Ribeiro de Menezes.
140 Moyses Alves Vilella.
141 Miguel dc Souza Borges Leal Castello Branco.
142 Manoel Lias Ferreira de Albuquerque.
143 Manoel Alves Vilella.
144 Manoel Feiie de Carvai'no.
145 Nilo Cahete Pereira dc Andrade.
146 Perminio de Abreu e Lima.
147 Pedro Celestino Felicio dc Araujo
148 Pedro da Roc a Cavalcaate.
149 Rainero Jose de Almeida Pernarcbuco.
150 Raymundo Nina Ribeiro.
151 Sidronio Rodrigues Machado. .
152 Silverio Fernandes de Araujo Jorge Filho.
'53 Sergio Florentino do Paiva Meira.
154 Sofror.ic Eutiquiniano da Paz Portella.
155 Tobias Cesar J. Audrado.
156 Tho.i.az Fernandes de Caldas Lins.
157 Thome Alves Arfirha.
Xisto Xavier da Cruz.
Iny'.cz.
Lourenco Justir.iano Tavares de Hollauda, 9
exames.
Joio Gualbcrto Coraos de Sa, 8 ditos.
Honorio dc Barros Wanierley, 7 ditos.
, Manuel Eugnic da Rccha Sinico. 7 ditos.
5 Franklin Eugenio dc Magalhaes Seve, C ditos
6 Malachias dc Lages Ferreira |Costa Junior, 6
ditos. ii'. i
7 Marcolino Dort-ellas Camara Junior. 6 dilos,
SXroesto Maruues da Silva, 5 ditos.
. 9 Genezio de Souza Campos Barros, 5 ditos.
10 L-indo Lima Verde, 5 ditos,
11 Jacin ho Rios de Paula S jares, 5 ditos.
12 Jose Cardoso Alvira da Silva, 5 ditos.
13 Juliio Thanorie de Albuquerque, 5 ditos.
14 Lauro Augusto Castello Branco e Sliva, b
ditos. ^
13 LKIso Ciotliildes do Azevedo e Silva, b ditos.
16 Adalberto Correi; de Sa, 4 dilos
17'Affonso Lopes d<- Miranda. 4 ditos.
.18 Jo5o Pedro Bandeira deldello, 4 dilos.
19 Jose Antonio Wanderley Junior, 4 ditos.
J20 Joss Gomes dr. Silvcira Junior, 4 ditos.
~2I Luiz Francisco de Paula Mesquita, 4 ditos.
22'Arthar Orlando dr. Silva, 3 ditos.
23 Antonio Luiz de Aranjo Maciel, 3 ditos.
84 Christovao Lrekenfeld Vieira da Silva, 3 ditos.
23 Francasco Franciao Alves de Agu-ar, 3 ditos.
20 Gercino Ferreira de Lemos Rabello, 3 ditos.
27 Henrique Caiiilulii.olVieira de Mello, 3 dilos.
28 Jose AVes Viiejla, 3 ditos. t
29 Jose de'Barrc! de A-idrade Lima, 3 ditos.
30 Joio Capistrano P.ibeiro de Souza, 3 ditos.
31 Joso UmlJeUflo de Albuquerque Maranhao
Mattos, 3 ditos.
32 Jose Francisco c,cs Santo* Almeida, 3 ditos.
33 Luiz Jose" Ccrrtia de Sa Junior. 3 ditos.
34 Manoel varo%nd.i Silva, 3 ditos.
35 Manue: C: rlos MarincK Monteirode Andrade,
T'dftoi.
36 Marcellint Jjss LopeiFdho^S ditos.
37 P.dro Cavaicaute de Abmeida, 3 ditos.
33 Tu'riano tins Meira de \'asconcel,los, 3 ditos.
"9 Andre Dias de Araujo Junior, 2 ditos.
Felippe twiewNctto, 2 ditos./ m
( Te Antedftiiwav % ditos*
s \iJt d| ttahJh 2 ditos.
3~Joauurm Mauri'co Wanderley, 2 ditos.
44 Joao fcferiu^Ftcrehta Vellozo, 2 ditos.
45 Jose Erteto>*s^M$M& Sarmento, 2 dtto's.
46Lu.l>antelr*r*tfaJiu.4&r,8 4? Airenco Cac^tacc de Aihuqueruue, 2 di:
de Apao .Ebla, 2 dilos,
0sfcl dc Araujo Sales, 2 ditos.
4 Villa, 1 dito. I""*"
rfr. CTbciro, 1 dito.
sc CurvaUi.1, I dito.
" W. Bin *
HN1) dl!'-'
otii. A dito.
A^Sarantho, 1 dit*
oRejfc,v|.dito.
, Aomajw >tppl n "Silva,.! d*>.
P^1^^ Briu'io d> \nuranth.
fpm*iM> 61 vBEE#SMVWiVllP^&i; i dito
158
1
2
3
4
49 Teli
50 Anto
51 Antoi
"
62 AMti Flinto Milanez Jnnior.
|63 Anlooi.) Rodrigues Autran.
64 Alvaro Moreira de Oliveira Lima.
65 Antonio Francisco de Albuquerque.
66 Antonio PiVSpina.
67 Antonio Pa -iflco de Lima.
68 Anton'o G.raes do Macedo Continho.
69 Arisflifc da Costa Lima.
70 Antonfo Ptutareo Rodrigues Lima.
7i Annibal .urelio Falcao.
72 Affonso Jos6 de M^ndonra Junior
73 Antnnii. BantMta-de Mello Peixoto Junior.
74 Alceb-aics Cavalcante de Albuquerque.
75 Alvaro Lopes Machado.
76 Antonio Alves da -iiva Accioli.
77 Ant >nio Rabello Quintella Correia.
78 Antoaio da Rocha Hollanda Cavalcante.
79 .iitonio Pereira da Camara Lima.
80 Afrodizio Vldigal.
81 Affonso Jose do Oliveira Peixoto.
82 Bento ^an-n*) RiViro Carneiro Monteiro.
81 Dioinedes Theodoro da Costa.
84 Davmo Nomisio de Aquino.
8 > Estevao Carneiro Leao.
86 Eduardo Olympio Ferreira Barbosa.
87 Eduardo Correia do Reo Barros.
88 Praninsco Pedro de Lima.
89 Francisco do Rego Barros.
90 Franwsco Salu-tiano de Oliveira Costa.
91 Francisco Jose Rabello Filho.
92 Francise. > Alves de Souza Carvalho.
93 Francisco Jerunymo do Albuquerque Mara-
nhao.
94 Francisco de Carvalho Goncalves da Rocha.
95 Francisco de Barros Wanderley.
96 Felippe Alves de Oliveira.
97 Felix Joaquim Daltro Cavalcante.
98 Gniiherme Aristarco.
99 Ga~par do Nascimento Rigueira Costa
100 Honorio de Oliveira.
I0i lleurique Dnmlngues' da Silva.
H'2 Joao reuppe de Sou*.a Leao.
103 Joio Alfredo de Medeiros.
i04 Joao Lopes de Siqueira Santos.
10; Joio B-ptista de Mello Peixto.
K6 Joio Hermeuegildo Gouveia Moura.
107 Jose Antonio Pinheiro Lyra.
108 Jo>6 de Amorim Paes Barreto.
10.) Joso Mariano arncfro. de Aguiar Cavalcante.
110 Jose Pinto Nogueira.
111 lose" de Mendonca Mattos Moreira.
112 lose L-iiz Buarrai! Paes Barreto.
113 Jose da Rocha Lima.
..' >se de ooza Ca 117 Javme -Ie Ibuqucr.,:10 *>*
118 Jaciotho L-o,)oldino d* Wl*?;,.
119 Isaias Bellino dos Santo* -ani.
120 Joveniano Lamnnhi Lins.
Ill Libanio Milton de Aguiar.
122 Luiz Gonzaga de Almeida Araujo.
123 Luiz Barbosa da Silva.
124 Luiz Francisco Pitta de Albuquerque.
125 Miguel de Souxa Borges Castello Branco.
126 Manoel Hodrigues de Albuquerque Figuclredo.
127 Manoel talcio de Azevedo.
128 Miguel Alves Feitosa.
129 Manoel Xavier de Moraes Vasconcellos.
130 Manoel Bamos-de Araujo Pereira.
131 Manoel Anlonio Pinheiro do Lyra.
132 Misael Doniingues da Silva. '
133 Manoel Feijos de Carvalho.
134 Manoel Martins Fiuza Junior.
135 Manoel Paes Barreto Pereira dos Santos.
136 Manoel Coelho Ciutra Ramalho.
137 Manuel Cavalcante de Albuquerque Wander-
ley.
138 Manoel Francisco do Rego Barros.
139 Octaviano Coutinho Espindola.
14'l Pedro .Nolasco dos Reis Lima.
141 PorQrio Manoel de Castro Araujo.
142 Paulo Martins Pereira Monteiro.
113 Pedro Celestino Pol cio dc Aranjo.
144 Priscillo Prisciliano- dos Passos Vianna.
145 Rodolpho de Albupuerque Araujo.
146 Raymundo Xina Ribeiro.
147 Silverio Fernandes dc Araujo Jorge Filho.
148 Sergio Florentino do Paiva Meira.
149 Ljndolpho Isbello Correia do Araujo.
150 Theophilo Barbosa da Silva.
151 Vicente Liberalino de Albuquerque.
152 Victorino Tossano Bezerra.
153 Victorino de Paula Ramos.
154 Zozimo Zjnaide da Camara Lima.
Frances.
1 Marcolino Dornellas Camara Junior, C exumes
feitos.
2 Genesio de Souza Campos Barros, 5 ditos.
3 Antonio Jose Froire, 4 ditos.
4 AggeV) Eduardo velloso Freire, 4 ditos.
5 Firmo Antonio Dourado da Silva, 4 ditos.
6 Joio de Oliveira, 4 ditos.
7 Christovao Brechcnfold Vieira da Silva. 3 di-
los.
8 Andre Dia3 de Araujo Junior, 2 ditos.
9 Adolpho Moreira Gomes, 2 ditos.
10 Epiphanio Francisco Sampaio, 2 ditos. -
.11 Joao Zeferino Ferreira Velloso, 2 ditos.
12 Antonio Ferreira de Novaes Mello, 1 dito.
13 Antonio da Silva Cabral, 1 dito.
14 Luiz Ignacio do Andrade Lima Junior, 1 dito.
15 Jose Cornelio Leilio Rangel, 1 dito.
16 Jo*o Pompeo de Andrade Luna, 1 dito.
17 Manoel Coelho dos Hois, 1 dito.
18 Antonio Alves Pereira de Lyra.
19 Alvaro Barbalho Uchoa Cavalcante Junior. J
20 Antonio Moreira da Silva.
21 Antonio Ferreira de Faria
82 Abilio Ferreira Balthar.
23 Antonio Luiz de Madureira Maciel
24 Alvaro de Souza Carvalho.
25 Arthur Bezerra de Menezes Lyra
26 Alvaro Barbalho Uchoa Cavalcault-
27 Albino Carneiro Lins.
28 Antonio Elpidio Alves da Silva.
29 Antonio Jose Henriques.
30 Antonio Lopes de Carvalho.
31 Antonio de Moura Castro.
32 Antonio Rabello Quintella Cor 33 Antonio da Rocha Hollanda Cavalcante.
34 Artidoro Wenceslao Carneiro.
35 Adolpho Jacome Marlins Pereira.
36 Anisio de Ca-valho Paiva.
37 Antonio Cunha Soares Guimaracs Junior.
38 Antonio da Costa Pereira.
39 Alfredo Octaviano Moreira Guerra.
40 Antonio Cleraentino Coelho Catjn'io
41 Antonio Augusto Alves Maciel
42 Alcides do Aquino Fonseca.
43 Alfredo Alves Simoes Barbosa.
44 Adolpho Alves Simoes Barbosa.
45 Antonio Maria da Silva Oliveira.
46 Antonio Cesario Ribeiro.
47 Augusto Netto de Mendonca.
48 Anlonio Augusto de Araujo Jorge.
49 Alvaro da Rocha Wanderley.
50 Antouio Jose Leite Pereira.
51 Antonio Sebasti5o Basilio Pyrrho.
58 Alfredo Hemeierio Ribeiro.
53 Antonio Nunes da Costa.
54 Antonio Pacifico de Lima.
55 Antonio Correia Gomes de Almeida Junior.
56 Antonio Ferreira de Mello Santiago.
67 Antonio Ibyapina.
58 Amaro Rodrigues de Albuquerque Figuei-
rcdo.
59 Antonio Roberto Moreira.
60 AngU3to Lones da Assumpcao Pessoa.
61 Alfredo Lite Alves Guimaracs
62 Antoaio Pedro de Cysneiro Costa Reis.
63 Antonio Rogerio de Gouvea Freire
64 Astolpho Jose" Meira.
65 Augusto Guedes Correia Goadim.
66 Alcibiades Cavalcante de Albuquerque.
67 Adolpho Duprat Costa da Cunha Lima.
68 Alvaro Lopes Machado.
69 Alvaro Augusto Carneiro Leao.
70 Antonio da Silva Pessoa.
71 Arthur Cavalcante de Barros Rabeilo
72 Bellarmmo Guedes Correia Gondim.
73 Bernardino Cavalcante de Albuquerque.
74 Basilides Getulio de Leiros e Silva.
75 Carlos Alberto Burle.
76 Cesidio de Albuquerque Martins Pereir.-.
77 Christovao Anreliaao da Rocha Wanderley.
78 Cosmo Aagusto,Pereira da Luz.
79 Carlos Buarjna de Macedo.
80 Dinamerico Augusto do Rego Rangel.
81 Dioinedes Theodoro da Costa.
82 Edelberto Licinio da Costa Campcll-
83 -JjaaminonJa Francisco Nogueira.
84 Epaminohda? da Costa Travasso.
85 Euzeoio Bcnverlut0 Pirns Brandao
86. Emilio Ambrozio Mariano FaleSo.
87 Ernesto da Cunha.
S8 Elpidio do< Santos Reis.
89 F.luar lo Augusto de Araujo Jorge
90 Enigdio Madeira Pessoa da Costa.
01 EduaM") Olympio Ferreira Barbosa.
99 Edmuodo Pedro Cascao.
M "raacisc. G mes LeopoHo de Araujo.
94 Francisco Gome* da Silva
95 Fortnnato August* da Silva Junior.
96 Francisco Le-opoldo Marinho de Son:?
97 Francisco Ferreira da Costa Mello.
-^S Fttrtcisw Marcoa lagioz de Soniia.
0
99 Pirmino Pacheeo Soare? da Silva.
100 Francisco BHW'AyqUfr***!
101 Frandsen Do*ajgnes da Sil Wto.
108 Ftm^n Terloliano Bindelra Ferrer.
103 Franr*M0 do Rego Barros.
104 Franeiseo Velloso da Sir%era THJes.
103 Francisco Seraphieo de Assis Carvalhi.
106 Francisco Mariin.ano de Oliveira.
107 Firrnino Jo-* da Silva Burgos.
1 8- Franeiseo Joaquim da SHva.
109 Francisco Santiago Ramos.
110 Francisco da M.eiia Santos.
111 Prsncisco G ncalves d Reo Barros.
112 Fraocisco do R-go u.trros Figueiredo.
113 Praneisco Ferrao Castello Bronco Junior.
114 Florisrnundo Torres Gallindo.
115 Frederico Alves Cavalcante Maciel.
116 Francisco Salustiano de Oliveira Costa.
117 Finnino Modesto 118 Gabriel Corcales da Camara Gondim.
119 Genesio d Albuquerque e MartM* Pereira.
120 Graciano Xavier arneiro da Cunha.
121 Graciliano da Costa Lyra Menezes.
122 Gabri-d Ildefonso la* Neves Cjrdow.p
123 Gregorio Magno Borges da Fonseca.
12V Gaurino Gon..alves do Albtltjuerqae.
125 Honorio de Oliveira.
126 H morio Moreira de Carvalho.
127 Herculano d Oliveira Torres Gallindo.
128 l.saias Bellino dos Santos Aranda.
129 Ignacio da Costa Brito.
130 Izid.ro do Carvalho Gn;alves da.Rocha.
13 I-rael Benjamin Nunes "Ie. Oliveira.
132 Lmoi-encio Peregriuo \lvoi ArOcl:0.
133 Joao As.'o.-tinli Carneiro de Aguiar.
134 Jose Manoel do \raujo.
135 l.rge Ja -ome Tasso Filho.
136 Jose de Amorim Paes Barreto.
137 Joaquim Franeiseo -to Miranda.
138 Joe Euiyg.lio Gon; lv..s ds Luua.
139 Jajni d<* .lbuquerqoH R ia.
1.0 10*1 lacime Martin* Poie.ira.
UI J.isC Paulino Cavalcant.- do ABjUtuarqn->
148 Joao B.ipti4a id Mello P.-ixelo.
143 Juvi'uiano Lamenha L1",.
144 l"iao Tavares 0 rroia Jo \ndri.de,
{ it tsi> favr 146 lo*6 Mauricio R-rge- Junior. t
147 J *( da Suva Kami* Ne^os. "*
48 Ji-.a-' F.'r''. ira da Silva.
H9 Joso Civ.=ilea.i!i- Ribeiru da Silva.
150 Joaquim -yn-.- d.i ^ilvaC>'ia Filiio.
15i Jao l.ustsa da Cuclia Pelroso.
152 Jaao l..doaldo Monteiro Lones.
153 Jose .Wtti .ie Siqueira Cavalcante.
154 Jose Enas d'Avila Lins.
1 5 Joao Correia dos Santos.
56 Jose Fhiriano Correia de B|ito.
iS7 watimm Raphael de Mello Sobrinho.
158 J So Hermenegildo de Goavola IbmU
15:1 Joaquim Jose Rodrigues ''Oil ires
160 Julie augusto dc Luna Freire.
161 Jeiuino Firmo de Azevedo.
162 Jose Julio Fernandes Barros.
/63 Joio do Prado Mizael Baptista.
164 Jose Theophilo Gomes do Mello
165 Jos.? Gon?aIves do Albuquerque
166 JustinuUJo Barbosa de Lucena.
167 Jos6 Gome8 Leal Netlo. ?
168 Joaquim Augusto de Souza Rangel.
169 Jose Francisco Bello Junior.
170 Jose Hdario da Silva Costa Cesar.
171 Joao Carlos Accioli.
172 Jose Francisco do Rego Rangel.
173 Joao Luiz dos Reis Netto.
174 Joao Felippe dc Souza Leao.
175 Jose Moreira Alves da Silva.
176 Joao Quintiliano de Azevedo e Silva.
177 Leopoldo Marinho de Paula Lins.
178 Luiz Antonio Ferrei a Gualborto.
179 Luiz do Rego Cavalcante do AlbuquWue
180 Luiz Bezerra Augusto da Trindade.
181 Loopoldo Cornelio Ferreira da "iiva.
182 Laurinlo A'istoteles Carneiro Leao.
183 f.ydio Purpurario Cavalcante Simdes.
184 Leoncio Gurgel do Apaaral.
185 Lourenco Lrocadio de 8nezes.
186 Leonardo Pereira Maia \inagre.
187 Luiz Barhora de Siqueira Maciel.
188 Leccadio L'-opoldino da Silva.
189 Liberalino da Rocha Guedes.
190 Manoel Cabral de Mello.
191 Misael Jomingues da Silva.
192 Manoel Ramos de Araujo Pereira.
193 Manoel Maria de Araujo.
194 Manoel Cavalcante de Albuquerque w, .
derley.
195 Manoel Francisco Cavalcante de Albuqiv.-.v/
196 Moyses Alves Villela.
197 Manoel Cavalcante Ferreira Mello Junior. .
198 Miguel Nunes Vianna.
ISIS Miguel Alves Feitoza.
200 Miguel de Souza Borges Leal Csstello llranj,
201 Mauoel Rodrigues d'Albuquerque Figo 1
202 Maaoel Candido Ribeiro de Menezes.
203 Manoel Lins Ferreira de Albuquerque.
2i>i Manoei RoJrignes Leite Irabnzeiro.
205 Manoel Alves Villela.
206 Manoel Paes Barreto Pereira do3 Santos.
207 Manoel do Nascimento Vieira da Cunha Jttnioi.
208 Nilo Cahete' Pereira de Andrade.
209 Numeriano Honorio de Serpa RrandSp.
210 Octaviano Coutinho Espindola.
211 Paulo Martins Pereira Montoiro.
2 Platao Cavalcante de Albuquerque.
2 3 Porfirio Manoel da Costa Araujo.
214 Perannio de Abreu 0 Lima Figuoiredo.
215 Patrick) Moreira da Silva.
216 Pompilio Jorge de Campos.
217 Pedro Celestino Felicio de Araujo.
218 Rodolpho Honorio de Serpa Brandao.
219 Raymundo Alexandre Pereira.
220 Ricardo Romualdo das Chagas Piles
221 Rodolpho Gonzaga de Menezes.
222 Rainero Jose de Almeida Pernambuc
223 Raymundo Nina Ribeiro.
224 Sidonio Rodrigues Machado.^
223 Silverio Fernandes de Araujo Jorge.
2 6 Secundino Epiphanio vlauricea.
227 Severiano do Rego Chaves Peixoto.
228 Sergio Florentino de Paiva Meira.
229 Theophilo Modesto Soares.
230 Thomaz Fernandes de caldas Lins
231 Theodisto Aristlieo de Souza Castro
232 Tobias Cesar de Andrade.
233 Victorio do Nascimento Accioli Lins Junior
234 Vicente Liberalino de Albuquerque.
235 Valeriano Rodrigues Collares
236 Virgilio Ramos Gordilho.
237 Victorino Jose Carneiro Monteiro._________
Soccao 5.aSecrotaria da presidencia de Per-
uarnbuco, em 8 dc novembro de 1873.Edita!
Por esta secrotaria se faz pnblico quo, leadoo
Exin. Sr. presidento da provincia de dar exacucao
;i lei n. 1097, de 28 de maio deste anns, aba.xo
Iianscripta, convida a quem quizer contralar** ca
nalisagac d'agua potavcl c Hluminaclo a gaz para
a cidade da Victoria, a apresentar suas propestas
no prazo do sessenta dias, a coatar da preeente
dataf
0 secretario interinc,
A. Lamenkt Lint.
LEI N. 1097.
Art. i. Fica 0 presidento da provincia.atilcnsa-
do a contractar com quom melhores vanta{.ens of-
ferccer a canalisacao d'agua potavel c illuinina..ao
a gaz para a cidade da Victoria, sob as se..-'uinte<
bases :
1 P'rivilegio ate trinla annos para a ::gua c
trinla para 0 gaz.
2.* Pnvilegio ate dous annos para cada cliafa-
riz que tiver de ser collocado por ordea do pre-
sidento da ptovincfa, alem dos designados no con
liacto.
3. 0 preijo da iilaminacao nao padcra cx?e
der do maiimo fixado nalei n. 831, de 22 do mak>
dc 1868, para a cidade de Olinda, c 0 da azua no
que f-3r determinado pelo J l. do art. z. d lei n.
46 do 14 de julho de 183/; podendo 0 presidento,
de uccordo com 0 coniraclante, modiflc.:' para
menus o prego da illumina.ao, quanrto hoaver o-
trada de ferro para a mesma cidade.
Art. 2." 0 contract into se obrigari:
l. A collocar os chafai'izes c lampetes nos
lu^ares que polo presidento da provincia foreiu
designados. nao excedendo 0. uumcro de lanpeoes.
a quaronta.
J 2," Findo 0 privilegio para a canaiisacio d a
gua, aceder a provineia todas as obras res>3cUvs
das quaes fara eatrega 4 adminiitrajao, <80-rencto
por oonta do mesmo coutractaniu ladas a; ikspc
zas com as mesmas obras n a do gaz.
Art. %.' O presidento -entregara ao contra itante,
no esudo em que se achar, o agpde m uidado
construir na dita cidade por conla d%po>^ai:ia.
Art. 4. Ficam isenias dc dirnitiW ^pjir.cbaes
toda- as materias necessarias as roJertda; em-
prezas.
Art. 5. 0 contraclo flea Icpendente da :.
vAQio da assemble*.
Art. G." Ficam rcvogaiasasd.
trario.
Secv-ao 5.*Secrotaria da pra-l P*.
aambuco, 8 de.novsmt.ro do t87? "t ita so-
eretaria se faa nnblico, que ten-lo > Exm. Sr j
sidente da provincia de dar c "< Q. 1081
mv^
i
1 HLEGNa


____Jr.

I
v
<
4e M de afrit *timo, abaixo traasoriptt, eoni
4a a qoem ijuiMr contrattr a coastruecAo de in;i
onu Mfcre j riaCa-me-voa, fregnezia de Bo-
nito, a apr&ieotir suas praposlas em prazo de
seeaoata dia.i, a contar da presente data.
O seereUrio interiuo,
A Lamenha Lins.
LEI N. 1081.
Art !. Fta o presidente da provincia autori-
salo a contralar ewn Joso Correa de Hello, nn
-om quem nwlhores vaatagens offerecer, aeon*-
traec*o do tima poute sobre o rio Ca-me-vou, da
freguezia do Bouito, sub as seguioles ceadicSes :
1.* Coaoes-ao ou privUegio por qainze annrs
pan usufruir a dita poMe, cobrando um pedagio
-rssqavel por cada uma pessoa on animal qua uella
transkar.
2." Eotrega da ponte am perfeito cstado de con-
servacio, a provineia, a quern passari a pertencer,
sera que poi isso tenha direito a indemnisacio o
coatratante.
Revogadaa as disposicoes era cootrario.
fi
O Dr. Sebastifio do Rego Barros de Lacer-
da, juiz de direito especial do comraer-
cio da cidade do Recife de Pernambuco,
por Sua Magestade o Imperador, que
. Deus guarde, etc.
Faco saber pelo presente edilal, qae dentro do
razo de 30 dias contados da data da publicacao
lo presente, recebe este juizo propostas em cartas
fechadas para arreraatacao por venda a quern mais
der, sobre avalincao dos escravos seguintes :
Antonio Qaaresma, africano, com quarenta
oito annos do idade pouco mais ou menos, por
900*.
Romana, crioula, idade cincoenia e cinco annos
$ iuco mats ou menos, solteira, do servico de cam
po, por 500J.
Anna, preta, crioula, idade vinte seis annos pou
eo mais ou menos, solteira, do servico de campo,
por 800*.
Antonio Pajeu, prcto fula, idade dezeseis annos
pouco mais ou mems, do servico de campo, por
4:1000.
Antonio Capueiro, preto, erioulo, idadi quartor-
ae annos poaco mais ou menos, solteiro, do servi-
co de campo. por 1:100$.
Antonio Ilananeira, prcto, erioulo, idade qua-
torze annos pouco mais ou menos, do mesmo ser-
vico, por 80)t.
Jaeintha, preta, crioula, idade de trinta annos
pouco mais ou menos, solteira, do mesmo servico,
a qual tem .em uma lilhinha forra, de nomo Sa-
lustiana, de cor parda, com um anno de idade
pouco mais ou menos, por 900 J ; cujos escravos
pertencentes a Joao Xavier Carneiro da Cunha e
vao a praca por execucao que a este move o ba-
na de Nazareth ; a arreraatacao sera feita pela
forma que determina o art. 1 do decreto n. 1,695
de 15 de setembro de 1869, cujos escravos acha-
se sob a guarda do depositario particular Severia-
oo de Siqueira Cavalcante.
E para que chegue ao conhceimento de todos
mandei lazer o presente edital que sera afBxado
nos lugares do costume e publicado pelos jornaes.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, ao* 8 dias do mez de outubro de 1873.
En, Ernesto Machado Freire Pereira da Silva,
escrivao o escrevi. i
Recife, 10 de outubro de 1873.
Sebasttao do Rego Barros de l/icerda.
0 Dr. Francisco de Assis de Oliveira Maciel, offi-
cial da imperial ordeni da Rosa, desembargador
honorario e juiz de direito privativo de orphaos
do termo do Recife, por S. M. o Imperador, a
quem Deos guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem, que
por este juizo vai ser arrematada em ha-ta publi-
ca, por venda, lindas tres praeas, a metade do so-
brado n. 36 da ma da Imperatriz, tendo dous an
dares e sotao, com tres portas de frente, tendo 28
palmos de vao e 104 de fnndo, o annazem e.occu
pado por um estabeleciraento de moibados, o pri-
meiro andar tem 2 salas, 2 alcovas e corredor ao
lado, que forma 2 quartos, o cozinha fora ; o se-
gundo andar tem 2 salas, 2 alcovas, gabinete e
corredor ao lado, que forma dous quartos, o sotao
tem 2 quartos e cozinha, no quintal tem um te
lheiro e cacimba, e portao para a rua Setc de
Setembro, o qnal e edificado .em chao foreiro, e
sendo avaliado por 12:0004000, vem a ser a me-
tade de 6:0004 nue servira de base para a arre
matacao. A qual metade de dito sobrado via
praca" por ordern deste juizo, e dednzida a quan-
ta separada para o inventariante e tutor dos me-
nores fllho< do Dnado Joao Martins Itibeiro, dove-
ra o rc3tant3, psrtcncente a ditos menoies, ser
recolbido peloarrematante, por emprestimo, na
thesouraria da fazenda.
E para quo :hegue ao cenhecimanti de todos
mandei passar o piesente que sera publicado ufla
imprensa c afflxado nos lugares do c sturae.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos i da novembro de 1873.
E eu Hypolito Save, escrivao, o subscrevi
Frar.cifc- il". .issii Olir.-ira Maciel.
INSTITUIO ARCH
PE
GEQ-
Havera sessao ordinaria quinta-feira, 13
do corrente novombro, pclas 11 horas da rna-
nha.
ORDF.M DO DIA.
1." Parcceres e mais traba'hos d-j comrnis-
soes.
2." Palestra lilteraria.
Seiretaria do Institute, (0 ia novembro
da 1873.
T. Soaiies d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
ESTRADA DE FERRO
DO
Recife a Caxanga.
Por ter havido engano
no prirneiro aviso pu-
blicado neste Diario,
do novo se faz saber
que os Srs assignantes
devem renovar suas 3S-
sigoatu-'as ate o dia 0 de cada mez.
Escriptor:o l.i -/ompanhia, 10 dc novem-
bro do 1873.
II. C. Battavbie,
Gereiije
De ordem do I!lm. Sr. inspector da thtesoura
ria de fazenJa desta provincia so deolara para zo-
nherimen'.o dc quem interosssr, quo o prazo para
a substituicao das notas de 24000 da 4* estampa,
finda n > dia 30 de novembro corrente, cimecando
em de di-zerabro vindouro o da-eonto^sendo 10
0[0 no p imeiro mez, 20 0|0 no segundo, e assim
successivanvme ate a extin^caodo valor da nota.
Secretaria da thesouraria de faienda de Pernam-
tmco, fOde novembro de 1873.
0 secretario da junta
Jczuino P.odrignes Cardoso.
fiynnasi) provincial de Periiiii-
boc.1,10 denoveuihnde 1873.
Os psis e correspondentf s dos alumrtos Jo Gym-
nasio s3o cbamadus \ satisfazer dentro em cinco
dias a- pensoes d -s alamnos que se acnara de-
vendo, nan s6 relativas 303 trimestres anteriores
e ja venridos eomo ao trfm&hre Ac outubro a
dezembro do corrente anno, visto coma segundo
a disposicao regulame^ur 0 pagamento deve ser
adiantado
Findo este prazo sera feita a cobranca do con-
formidade com cs prcceitos legaes.
0 regedor tatermo,
Dr. Carneiro MontWro.
Tribiin;il do Oommercio de
Pernambuco.
Eta serretaria faz pablico que 0 inerttteimo
trmnaal da eommercio -lesta provincia a 6 do pre
Mite mez concedVu seis mezHS d* hren<;a ao a r-
* ger>| desta praca AntoBioBoMho Pinto de
Mequita, para tratar de sua sadde tier, sendo durahte.esse tempo suh-,tituide uo
xwiri.i Ax* fnnccoe* de dito ofllci) pelo preposto
Joao Lniz Pereira Lima.
Secretaria do tribunal do coranvrrio de Pernam-
baco, 10 de nortmbru da 187 ;.
0 official niaior.
Jutio'Gutmaraes.
Esta secretaria fax igoalmente pablico qne, em
cumprimento 4e despchos de merUwgimo tribu-
nal, foram na data infra arcliivados os segaintes
contratos de sociedades connnerciae;
De Jose Antunio Serapkico do Ass Tarvalho e
Joao Felix Pereira, sob a firma de Pereira & C,
com 0 capital de 6:000*000 para a compra a ven-
da de geaeros mcioaacs e esirangeiros, a groso
a retalho, na villa de Palmares desta provincia.
De Edaardo Adoor e Henri Adour sub a firma
desle&C. com 0 capital det:OOUJ0O< para o
eommercio de compra c wula de mercadorias de
producroes nacinnaes 0 estrangeiras em Mosson'),
prnviacia do Kio Grande do .Vorte.
Secretaria do.tribunal do commccio- de P).ir-
nambuco, 10 de novembro de IS73,
0 offl.:ial-maior,
Mil) (liiimiiriies.
Consulado do jmperio ger-
manico em Pernambuco
0 capitao A. Lindimann do patacho allemao
A ranee, entrado neste port0 na sua recente via-
gem do Aracajii para Falmouth com agna aberta,
precisa contratar com quem por monos fixer es
concertos de qne neeessKa 0 ditojiavio, cenforme
as declaracSes dos peritos, as quaes podem ser
examinadat neste consulado, aondo se recebem
propostas em cartas fechadas ate ao meio dia de
12 do corrente mez.
SANTA CASA DA M1SER1COKDIA DO
RECIFE.
A Hlma. junta administrativa da santa casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico qne
na sala dc suas sessdes, no dia 13 de novembro
pelas 3 horas da tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tr-s annos, as rendas dos predios om seguida
declarados.
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE
Rua de Hortas
Loja do sobrado n. 41.....3064000
Rua da Viraeio -
Casa tcorea n. 7. 9 3124000
Cinco Pontas
Casa jerrea n, 70 25U000
Travessa de S. Jose. .
Casa terrea n. "1.......2014000
Becco do Abreu
Sobrado de 4 andares n. 2. 4804000
Rua da Gloria
Casa terrea n. 93.......I8O3OOO
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Rua da Senzalla velha.
Casa terrea n. 16.......2094000
Becco das Boias.
Sobrado n. 18.......4214000
Rua da Cruz
Sobrado n. 14. ...... 1:0004090
Sobrado n. 30......8OO4OOO
Rua da Mad re de Deos
Casa terrea n. 2........3064006
Rua da Guia
Casa terrea n. 25. -.....2004000
Ruo do Pilar.
Casa terrea n. 98.......2414000
Casatereea ft. 99........35U000
Idem n. 10 1.........2414000
Idem n. 102........241400"
Idem n. 108........2074000
Rua do Rosario da Boa Vista
Case terrea n. 58.......2434000
Os prelendentes deverio apresentar no acto da
arreraatacao as suas fiancas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivos liadores, devendo
pagar alem da renda, 0 premio da quanta era
que for segnro o predio que contiver estabeleci-
mento commercial, assim como 0 servico da lira-
peza e precos dos apparelhos.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
cife, 5 de novembro de 1873.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza,
0 administrador da recobodoria de rendas
internas, geraes, scientifica dos contribnintes do
imposto pessoal que 6 nesta mez de novembro qne
tem de serpago sem multa, 0 l* semestre do exer-
cicio corrente de 187374, 0 com a multa de 6 /
depois de findo 0 referido mez.
Recebedorla de Pernambuco 4 do novembro de
1873.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
CQMPANrM
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
Recife a Olinda.
E.Beherlbe.
0 presidente d'assem-
blea geral dos accionis-
tas dacompanhia aci-
ma menciona la, man-
da scientificar aos Srs.
accionistas ue por fal-
ta de aumero legal deixou de funccionar
ordinariamente dita asssmbtea no dia 31 de
outubro proximo passado", para o qual fdra
convocada ; por isto 6 novamente convacada
para 0 dia 19 do corrente mez as i boras
da tarde e no lugar de suas sessdes, certus
de que agora funccionara com qualquer
numero d'accionistas presentes segundo 0
art. 11 dos ostatutos.
Devem os Srs. accionistas ter em consido-
ragao que a reuniao tem por fim a aprc-
soatagao das contas e relatono da directoria
em relacao ao semestre proximo findo
como tambem nella tratar-se-ha das impor-
tantes materias adiadas, c quo muito inte-
ressam a companbia.
Recife, i de novembro de 1873.
0 secretario.
Luiz Lopes Caslello Branca.
^m

Sodedade patriolica Doze de
Selembro.
Devendo ter lugar no dia 2 de Jczembro
proximo, a exposifjao que faz osta >ociedade,
de productos agricolas e naturacs desta pro-
vincia, sao convidados todos aquelles que
quizerem concorrcr com os productos men-
Ciouados a remettej-os ate o dia 20 do no-
vembro, com enderetjo A Commissdo
central da sociedadz Doze de Setembro
10s seguiutes pontos :
Recife, Forte do Mattos, arraazetn do
Dias.
Santo Antonio, raa do Imperador n. 83.
Bda-Vista, rua da Ilniao n. s3.
Quanto ao arranjo e accommodocSo dos
productos no edilicio da oxposicAo, os pro-
dcutores deverao entender-se com a cohj-
missaonomcada para este fim, composta dos
Srs. :
Capitao de fragata Francisco Romano
Stepple da Silva, Dr. Felippe de Figaeirda
Faria, Joaquim Dias dos Santos, Dr. Fran-
cisco Gomes Parente, Dr. A. Lamenha Lins.
^eerttaria da. sociedade patriotica Doze
do Setembro, 3 de novembro de 1873.
A. Lamenha lins,
_________________1." secretario.
No dia 14 do corrente, depois da audiencia
do Illm. e Exm. Sr. desembargador juiz de or-
phaos 'rio a p.-aca por arrendam-'nto as seguin-
tes casas : rua de Vidal v.-ssa da Martgupira n. 9, ma do Impera Ir n.
2H, ^aes 22 de Vov embro ns. 6 e 24. larga A Rout
rio n. 1, sitio c casa do Huspicio n. 81. 0 escrip-
to se acha em mao do porteiro da^ audiencias
(Escrivao Brit(-).________
da -Carnanb* aita ta tamw de Fleres deeu
orovmcia, com terrenos fin criar e plantar, e
com atgum gado eavallar e vaccim.
Recebe para isto propostas aesta secretaria ate
0 dia 10 do deacmbro do corrente anno.
Secretaria da saata casa da misericordia do Re
cife, 10 de oatabre de 1873.
0 escrivSo,
Pelro Rodrigues it 8mm.
ADM1M-TH.MUO DOS CORHEIOS DE PERNAM-
BUCO 9 DE NOVEMBRO DE 1873.
Mates pejo vapor Cnruripe da companhia
pernambucana.
A correspondencia que tem de ser expedi4
hojellS) pelo vapor acima mencionado para Ma-
iiMDgu.-ipe, sera reoebida ate as 3 horas da tarde.
0 administrador
Affonso de Ri'go Barros.
THE*
SANTO ANTONIO.
KMPBEZJl
Quarta-feira 12 do corrente.
3.a reprewntacilo
do muito bem aceito drama em 5 actoa, de Mr.
Lambert Thiboust:
REPiiiti tos mm
3T>rminara o espociaculo com a scena comica,
excutada pelo Sr. Camara :
O Sr. Pedro Guerreiro
Recife.
Principiara as 8 fj2 boras.
THEATRO .
Santo Antonio
EMPREZ^TICENTE.
Quinta-feira 13 do corrente.
Beneflcio do artista
Depois que os professores da, orchestra execn-
tarem uma brilhante ouvertura, subira a scena
0 magniiico e sempre applaudido drama em 5 ac-
tos, do distincto dramaturgo portnguez Pinheiro
Chagas, e intitulado :
NttGADIMl DE Y.UFLIR
em que toma parte toda companhia.
Terroinara o espectaeulo com a comedia em 1
acto, ornada de musica :
Por um triz!
Principiara as 8 1|2 bom.
0 beneficiado epera mais uma vez a protec-
cao do illustrado publico pernambneano.
Os bilhetes podem ser procurados no hotel Cen-
tral, residencia do beneficiado.
Os bilhetes passados em beneficio, oara quartt-
feira 5 do corrente tera ingresso nesta especta-
eulo.
4VIS0S MARITIMOS.
COMPAIUHIA
DE
\AVEGACA0 BRASILEIRA.
Portos do sal.
0 vapor nacional Parand, e esperado dos portos
do norte ate 14 do corrente, segnira para os do sul
depois da demora do costume.
Para carga, encomraendas, valores, passageiros
o mais informa'.oes, dirijam-so a ma do Vigario
Q. 7, escriptorio da ag.'ncia.
Pereira Vianna A C.
'____ Agentes.
americana e brasileira
de paqnetes a vapor.
Ate o dia 14 do corrente e esperado de New-
fork por S. Thomaz e Para, o vapor americano
Merrimack, commwdante Weir, o qual depois da
j-inora do costume, sognira para os portos do sul.
Para fretes e passngens tratg-se com os agen-
tes Henry Porster & C, rua do Commercio n. 8
Para o ArScaty ?aho n^ste* dias o biaie Ma-
ria Amelia, capitao "Francisco Thomaz de Assis,
tem parte do sen carrogamento engajaio, para o
rosto que lhe falta, trata-so com Antonio Alberto
de Sou7a Agni3r, a rua do Amorim n. 60.
PlTitHO
D. FWJSCA.
Para .o Kio de Janeiro pretende segnir com
pouca demcra por ter dous tercos Je sen carre-
Raraento ongajado e par3 o resto que lhe falta,
trata-se com os consignatarios Joaquim Jose Gon-
gatves Beltrao Filho a rna do Commercion. g.
LISl)\
Para n referido porto pretenleseguir coma po3-
sivel brevilade o brigue portnguez D. Anna, por
ter ja alguma carga engajada ; e para a one The
falta, qne recebe a frete commodo, trata se com
os consignatarios Joaquim Jos5 Gongalves Beltrao
A Filho, a rua do CnmmTcio n. 5.
Para Lisboa
*egnira brevemento a barca poitugueza Gratidai ,
para carg o passageiros trata se zim E. R. Ra
belle A C, ma do eommercio u. 48
GOffTANHIA PERKAMBUCANA
OB
Milra m vapwr.
HARVA, NATAL, MACAO, MOSSORO*. A&AC1-
TT, CEARA, MANDAHC', ACARACU' E CRANIA.
0 vapor Pirapnma.
commandants Silva,
seguiri para os por-
tos acima no dia 14
do corrente, as 8 hr-
ras da tarde.
Recebe carga ate o ilia 12 do corrente, encom-
mwdas ate o dia 13, pasiasjens e dmbeiro a frete
Ue as 2 horas da tarde do dia da sabida : es-
cripterio no Frte dc Motion n. It
Para Lisboa
i-nira com brevidade o brigio portugnez Bella
Fmw-enu- para carga e MsmtKirnS trata se
com K R. Kabuilo 4 C, rua do Couimereio nu-
mero 48.
COMPANHIA PERKAMBUCANA
BE
H*ve,g*e-mm cmtelraa vaper.
RIOFORMOSO ETAMANDARE.
0 vapor Pnrakyba,com
mandante Oliveira, segni
ra para os portos acima
no dia 15 do corrente
as 9 horas da noite.
Recebe carga, encom-
mendas, passageiros e di-
nheiro a frete : escriptorio no Forte do Mattos
n. 12.
L,ista dos dovedores eonstantes de sentencas |u-
diciaes :
Francisco de Barros Rego J:247*201
Joaqnim Sarrador Pessoa de Siquei-
ra Cavalcante 8:930*000
Mello Andre de Abreu Porto 15:000*000
Francisco de Paula Pereira 2: Francisco Bolelho de Andrade (em
appella;Ao)
fionralo Jose Affonso
Joao Luiz de Oliveira Azevedo
Joao Pinto Regis de Souza
Joao da Cunha Wanderley
Manoel Gouvia de Souza
Octaviano de Sonza Franca
Joao Pinto de Letnus Junior
2.K00X0OO
1:463*100
2:680*210
fi:ooo*ono
;;.-9iK*!B6
2:484*520
2:151*540
t.SSD/HW
io de Janeiro
0 patacho dinamarquez J. P. Lassen segue com
pouca demora para este porto, podendo levar cer-
ca de 25 escravos no con vez, por passagem razoa-
vel: a tratar com H. Lnndgren. raa do Com-
roercio n. 4.
Rio Grande do Sul
0 patacho nacional Fortuna segue para o Rio
Grande do Sul, tendo ja parte do sou carregamen-
to engajado ; e para o resto da carga devem os
pretendentes entender se com Silva A Cascao, es-
criptorio a rua do Harquez de Olinda n. 60, pri-
rneiro andar.
Para o Porto.
Segue com brevjdade a
Manoel II. Recebe targa
tar com Tito Livio Soares,
17.
barca portngneza S.
e passageiros : a tra-
a raa do Vigario n.
LEILOES.
Leilao
DA
tavcrna da rua do Hospicio n. 61, junto ao
quartet.
Hoje
0 agente Martins fara leilao em um ou mais
lotes, da armacao, generos e mais pertencas da
taverna da raa do Hospicio n. 61, a qual se acha
muito bem localisada, e propria para qualquer
principiante.
A's II boras do dia acima.
LEILAO
DE
de fogo
el
lou$as, vidros, 1 cofre prova
piano de jacarahdd
Hoje
as 11 horas em pouto.
' 0 preposto do agente Pestana fara leilao poi
couta e nsco de qnem pertencer, de l mobilia de
mogno com tampos de ptdra, 1 dita de jacaranda.
nas mesmas condicSes, 1 dita de junco, 1 dita d>
aroarello com pedra, marqnezdes, marqnezas, so
las, cadeiras de guarnicao, ditas de balanco, ape
radores, gnardas-loucas, gnardas roupas, mesa-
elasticas, ditas redondas, concolos, cabides, qnar-
tinbeiras 1 bom cofre inglez, prova de fogo, 1
piano inglez de jacaranda,'com excellentes vo
zes, bercos, camas francezas, camas para menino
e muitos ontros objectos que serao patentes n
acto do leilao
QUARTA-FEIRA 12 DO CORRENTE.
A's II horas da manna
RUA DO VIGARro N. 11, 4R.VAZEM
LEILAO
DAS
dividas
14:000*001
2:0iM300
l:000il'0
1:C00*C00
7^5O0*(>0
1:000*000
2:000*u00
Para Maceio
Invensivd
Este patacho re ebe carga a frete barato para
dilo porto : a tratar c-m Anvriin Irmaos k C.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A junta admini-trativa da Santa Casa de Miso
ricoruia do It p'la pie-id-neia, era data de 3 de setembro do
anno proximo findo, e d- couformidade com o que
dispSe o g 9.' art. f$2 do .-"eu com -nunl-m. per-
nnia nor apoliees da divida public;, a faznd.n de
criar gades que possue o patrimonio do* esta
beleojmentos do caridads a sea cargo deaomina-
Para
Para o referido porto pretende segnir com pou-
ca demora o brigiw portnguez R cife por ter a
maior parte do carrcgam- nto tr^tado: para o
resto que lhe falta trat sh com an consign*lark*
Joaqnim Jose G.n.alvi-s Beltrao & Filho, a raa ao
Commercio n. 5
Para oRio Granda.do Sul
I'itoi N>veBiile a rarnna p rlogneia Aguia ;
para c re a e passagetro* irzU-i* jqm R. R. Ra-
bello & C, rua do Comwe/CH a. 4*.
activas, direitos e echoes da raassa fallida d-
Amorim, Fragozo, Santos d C, na im
portancia de 806:918527.
A SABER :
Commanditarios qne firmaram o contrato
social e que ainda ndo entraram coni
os 50 por cento de suas assignaturus,
sendo o valor ndo realisado o que abai
xo se segue :
Antonio Machado Gomes da Silva
Antonio Vicente do Nascimento Fei-
tosa
Antonio Alves Ferreira
Antonio Eustaqnio Gomes
Antonio da Silveira Maciel Jnninr
Antonio Francisco de Soar. Maga-
lliaes Junior
Antonio Jose de Siqueira
Antonio de Oliveira Antuncs (accitou
letra
Bento Jose da Costa (idem)
Candido Thorniz .Pereira Dutra
Francisco Simdes da -ilva
Francisco de Paula Andrado
Frederico Miguel de Souza
George JSestt
Isabel Maria da Costa
Ignacio Jose Coelho
Jose Mamede Alves Ferreira
Jose Alexandre Gubian de Verdun
(cessionario, Bento Joso da Costa)
Jose Cavalcanti Lins
Joao da Silva Ramos
Jose de Barros Lima
Jose de Alenquer Simoes do Amaral
Jose Victorino de Paiva
J. P. Adour & C.
James Olivier
John Lilly
Jose Joaqum de Miranda
Joaqnim da Silva Castro
Joaquim Francisco de Mello Santos
Jose Joaqnim Jorge
Luiz Jose Marques
Manoel Buarque de Macedo Lima
Manoel Antonio dos Passos Oliveira
Manoel Joaquim de Oliveira (cessio-
nario Francisco Guedes de Araujo)
Manoel de Azevedo Pontes
Mar'inho & Oliveira
Manoel Goncalves de Oliveira
Ramos. Duprat & C.
Seve, Filhos & C. (admittido ao pas.
sivo da fallencia)
Tito Avdino de Barros
Vi-rtorino Jose do Souza Travassos
Vicente Meudes Wanderley
Cessionanos de commanditarios qne
com 5< /. das asignaturas ou eapitaes a que
estao obrigados pole eontraUvsociaK e que restam
ainda W) /. para completar todo o fundo subscrip-
to o Sfguinte :
Bento Jo-e da Costa Junior por Jose
Alexandre Gnbisn de Verdun
Francisco Guedes de raujo, por Ma-
n >el Joaquim de Oliveira
Lista de diversos dcredores, prowniente de let as.
vales o recibos.
Lelras. Ramos Duprat & C^ Cae-
tano Goncalves Pereira da Cunha 977*386
Idem. Os m smos.Jo.e Agostinho
de Sa Pereira 991*725
Idem. Os mesmos.0 mesme 891*155
Idem. 0 mesmo.-0 mesmo 495*000
Idem. Os mesraos.Joao Rodolpho
Gomes l:04235''2
Idem. Joao Lniz Vianna.Jose Cae-
tano de Magalhaes 985/200
Idem. Siqueira & Pereira.Camillo
Idepino Emerenciano 3:212<0"0
Francisco Jose Fernandes Gitirana 100*000
Antonio Joaqnim Panasco 119*400
Faria & C e Francijco da Cunha
Machado Pedrosa 440*025
Os mesmos ii0*025
Os mesmos 440*025
Os mesmos U<>*0J5
Os mesmos 695*700
Os mesmos 733*9i8
Os mesmos 733*908
Os mesmos 733*908
Os mesmos 733*008
Os mesmos 733*!KH
Os mesmos > 1:117*600
Francisco A. de Mendonca 281*442
Victorino Jose Ferreira o Manoel Jo
so Mendes Bastos. 387*330
Os mesmos 387*330
Os mesmos 387*36"
Os mesmos 114*000
Antonio Joaqnim Maduro Brandao 212*330
0 mesmo 1443600
0 mesmo 297*600
0 mesmo 115*600
Joao Rodolpho Gomes 430*760
0 mesmo 430*760
Pedro Paulo dos Santos i:3&'*640
0 mesmo 742*640
0 mesmo 742*640
Manoel Lins Wanderley 739*001)
Manoel Pereira da Costa 145*580
Joao Paulo da Silva r 229*201
Joaquim Jose Medeiros 500*01 >0
Jose Bento Goncalves Carneiro 546*498
PedrqJose da Costa Castcllo Bran:o 464*000
Manoel Firmino da Silva 500*000
0 mesmo 400*000
0 mesmo 400*000
E. H. Wjht 2:024*980
Machado & Souza 188*000
Os mesmos 412*418
Os mesmos 180*000
Os mesmos 284*000
Os mesmos 85*000
Francisco Moreira Dias 1:170*000
Joao Rodolpho Gomes 800*000
0 mesmo 500*000
Joaquim de Albuquerque Mello 1:000*000
Rego & C., IrmAo 250*000
Ramos, Duprat & C. 11:408*270
Os mesmos 1:404*500
03 mesmos 3:690*000
Os mesmos 10:000*0 '0
Os mesmos 454*780
Os mesmos 4:000*000
Os mesmos 1:230*000
Os mesmos 3:700*000
Os mesmos 11:600*000
Os mesmos 10:000*000
Os mesmos 3:700*000
Francisco de Barros Rego 650*000
0 mesmo 490*000
0 mesmo 4:2704126'
loao Jos6 Medeiros CorrSa & C. 1:134*208
Joaquim Jose de Mello Junior 793*350
O mesmo 101*000
Copia de lettras.-Joaquim Jos6 do
Mello Junior 363*640
0 mesmo 705*530
Recibo. Joaqnim de Albuquerque
Mello 300*000
Idem. -James Oliver 18:204*400
Vales.Joaquim Salvador Pessoa
de Siqueira Cavalcante e Anto-
ill Goncalves Ferreira Cascao 1:600*000
MOD. 'aniel Guimaraes & C 1:001*924
Idem. -Fabriea dn Monteiro 900*000
. ..^aloJose Affonso 1:000*000
) mesmo ):000;000
Antonio Marques de Amorim 92:912*000
rituln3 veriOcados e admittidos em
massas fallidas e liquidacoes.
Lima & C, Martins & Sebastian.
Jose da Silva, saldo 4:584*906
Mesquita & Uutra 4:148*070
Viuva Amorim A Filhos OoVtoUCiO
loaqnim Jose da Silveira 3:458*330
Travassos Junior 4 C. 51:198*000
Joaquim Francisco de Mello San
tos
Sexta-feira 11 do oorremto.
A's 10 1[2 horns
POR INTERVENE AO DO AGERTE PINTO
So armszem da raa do Viyario n.
LEILAO
m^vfis. li,t>o, ric., etc.
Mrvln frira II frrmmes
as 11 horas
KEIRA SE-UANAL
It-Urn tin liKpmdif-W
mobilias comjil'.tas.trasies av:'.--, (jtihvirfHbaTias
e mais artigos do uso domestico.
Leilao
DE
e objectos de prata
SEXTA-l'EHU 14 DO CORRENTIT
SENDO:
Diversas mobilias dc jacaranda e amarella, cact-
ras avulsas, marquezoes, marquezas, aparaio-
res, camas francezas, lonca, vidros, e oatrne
muitos objectos dc casa de faroina. Ifa mo*ma
. Ccasiao serao vendidas diversas pecas de pra-
ta, constando de rasticaes^eolhcres para soipa,
ditas para c!i:i, ditas para arroz, um paJiteiro e
2 conchas para tirar soupa
pelo agente Martins.
No armazetn da raa do Imperador n. if, H It
horas do dia.
iSS/
DE
fazendas iimpas e avariadas, miudezas, :liai>-ioi
para liomens e meninos, para senhoras e ireni-
nas, ar.igos do phantasia o ou'.ros muitos
A SABER:
Cliitas de cures, madapolao, brim braneo, S" la
de cores e branci, aljrodao azu), apatcao, casemi-
ras de cores, corte de dita, basquinas de seda, csisa-
cos de crochet, C'-ales de merin6, cnllarinhoslizns
e bordados, linhas, retros. trancas brancas e de co-
res, pennas de aco, elasticos para botinas, cha-
peos de pellucia, cast, r, massa, palha, Chile, ma-
nliha, bonetes de pa.ino e de seda, chapeos do
\ el I ndo, de palha ("a Italia, imitacao, Amazonas,
sapatinhos para baprizados, costumes para rrian-
cas, flores, ramos. capdlas para noivas, grinaklas,
elasticos para chapcos, transparentes para ja-
nellas, formas c pertencas para fabrico de cua-
peos
SEGL.NDA-FEtRA 17 DO CORRENTE
Am tt horns
No armazem n. 24, a rua do Marqnez de Olinda
(ontr'ora Cadeia)
0 mesmo agente Piohn Borges acha-se autsri-
sado a alugar o armazem onde effectnara o leilao.
1:666*066
2:96**6"7
2:000*0'0
1:000*000
1:000000
6:000*0 0
3:i!)*0 0
1:000*00
5:000*00
1:000*000
d:000^000
4.000*00
2:50 *00
1.000*" On
1:500*0 0
4:000*000
3:000*000
1:500*100
2:000*000
5:00ii*000
1:500*000
2:000*00
2:500*000
2 000*00
3:000*000
2:000*000
3:000*000
3:000*000
3:000 (KO
2:0i 0*000
2:500*000
3:000*000
1:000*000
5 000*000
5:- 00*000
entraram
4 000*000
LEILAO
DA
metade do sobrado de 2 andares, sotao e meias
aguas, sito a rua do Marqnez de Olinda n. 24
(ontr'ora Cadeia), o qual esta bem localisado,
da os lundos para a rua da Senzalla, e rends
annnalmente todo o sobrado 4:212*000.
SEGUNDA-FEIRA 17 DO CORRENTy.
As 11 boras da manha.
0 agente Pinho Borges bastante autorisad ':
vara a leilao o referido sobrado, por conta e risce-
de quem pertencer.
Os Srs. pretendentes poderao desde ja exami-
nar e tomar algnm esclarecimento; no escripto-
rio do mesmo agente, 4 rua do Bom Jesns n. 53,
primeiro andar.
240.017*900
jiiinla-feira 13 de ouiubro de \ 875
(as I012 horas)
0 agente Pinto, cumprindo o mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz de direito e especial do commercio,
evara a leilao as dividas, direitos e accoes acima
mencionados, pcrtenrentes a massa fallida do Amo-
rim, Pragoso, Santos & C, em muitos e dlfferentes
lotes, is 101/2 horas do dia acima mencionado,
em seu escnptoria, rna do 8cm Jo?u; n. 43.
730*000
Entraram p.ir ouiros que dcixaram de realisar
com 50 J, e ainda rvsum 50 '/, os seguintes :
Joaquim Salvador Pessoa de Siquei-
ra Cavakvwte 2:500*000
Jose Jeronymo Monteiro 2:500*000
jso Bapuwa Fragoso 7.-00 unOO
Jose A. de A. Santos 5:000*000
LEILAO
DE^
joia, moveis ftnos' c crystaes
A saber:
Um piano, 1 raobilia de mogno. rontendo 18 ca-
deiras de guarni..ao, 2 ditas de bra^is, 2 concolos,
i sofa, 1 jardineira, I guardavestidos, 1 secreta-
ria de jacaranda, I cama para caal de dito, 1
imporlante commoda deamarello, 1 mesaela-ti-
ea, meslnhas chin.'z.as psra costnras, espelhos
com molduras douraJas e pintuns a oleo, cadei-
ras inslezas, toilettes, Javatorios, jarros, ricas fi-
unras, alcatifa, cap.ichcs, tapete-, e?carraJeiras
de norcelana, .^paradores, camas do farro, cabides,
canJiwros a t?az 1 relogio donrado, copos, calices,
ditos para champagne, compoteiras, garrafas de
crystal para vinho, porta-flores, lou^a para almo-
co,' dita para jantar, e differeotes artigos de gosto
e phantasia que serao vendidos
ao correr do tnaHetto
Quinta-feira 13 do corrente
as 11 hiM.-js da manha
A' roa das Gruzes n. 37. segundo anda r
i. Joaqnim Pessoa tendo de se retirar para a
Enropa v^ndera, por interven-.ao do agente Pinho
Borges, todos os artigns acima declarados, e cm
ronliaoacao o mesmo agente vendera brincos de
brinlbantes, casticaes de prata, salvas, um appa-
rclho para cha, paliteiros, voltas, pnlceiras, alt)
netes, br.toes para punho, anneis, e ontros muitos
artigos de onm c prata, de ga'to.
LEILAO
Leilao
DE
um rico sanrtuirio de se-Iro, obra de gosto
gUlNTA-FEIRA 13 DO CORRENTE
As 11 hi ras da manhi
No sobrado a rna das Crazes n. 37, seenndar.
Por Intervenoao do afreaie Pinho
____ Bor*r*
Leilao
DE
duas carteiras grandes, burra (cofre), 1 ra-
logiD, 1 mi>Sa com gnvrta, coberta de
panno, 1 ditn fnenor, 1 carteira para
uma pessoa,- I2cadi-ira- de guarnicAo, 4
ditas de braco, 1 lvtorio, 1 jarra, 1
armarto, guard.-' rovpa, moxos e outros
objectos dc escripoSaM
DE
pianos, moveis, louga, crystaes, objectos de
electro-plate, t bote, 1 vacca com cria,
1 selim e 1 siShao.
A SABER:
Um piano forte do fabricante Chickornig Bos-
ton, 1 mobilia de jacaranda (massica) 1 estante
para musica, tapetes, candieiros, quer para azeire,
(|ucr para gaz. 1 candelabro, 1 mesa de jogo, en-
feitcs de mesa, qnadns donrado*, pinturas a oleo,
2 tefescopios, .ead-irns ameri?ana-, 2 almofadas e
1 excolleiite pian^ do aiiiiMrio ,| Bausedt A Filhos.
(Jma cama do fcrro cum pertencas, 1 lavatorio
c pertencas, 1 commoda grande com 11 gavetas,
1 mesa oval com pedra, 2 espelhos. 2 porta-fia-
lhas, 1 apparclho paraJavatorio fgosto chinez).
Duas camas de ferro para solloiros, 1 dita para
menino, 2 commodas, 2 lavatorios, 2 espelhos, 1
cama grando de ferro, 12 caderras, 2 porta toa-
lhas, 1 gnarda-roupa e 1 guarda-vestido.
Uma mesa clastiea, 1 gmrda louca, I aparador
com tampo de marmme, 2 quartinheiras, 1 relo-
gio, quadros com finas gravuras, 2 lindos pas?a-
ros, 2 mesas, 12 cadeiras, I servico chinez, 1 lin-
do sortimento de copes, garrafas, calices de tiao
crystal, garfes, facas de cabos de m.irfim, objec-
tos de electroplate, 4 candieiros, 2 cadeiras da
braco, lonca para elia e jantar, latas, Flandres,
trem de cozinha, I fogao americano, e muitos ou-
iros accesserios.
Uraa magnifica secretaria de jacaranda, 1 os-
pingarda de 2 car.os e suas pertencas, 2 pistolas,
1 burra de ferro (oofre).
Terca-fcira 18 ilo eorente.,
Na Passagcii da Magdalena.
Rowland Brotherhood tendo Je fazer nma via-
gem a Europa com sua familia, levara a leilao, por
mtervencao do agente Pinto, os moveis e mais
objectos acima mencionados, existcntes em casa
desua residen ia. ra Passagem (becco do Coine-
flado) ultimo sitio a direita da rnirada do becco,
no oitao da casa do Sr. commcnda.ior Candido Al-
berto Sod re da Motfa.
A's 10 l|i partira da estacao da rua do Bruai
um bond, quo conduzira gratis os concurrente; io
leilao.
A's 10 1(2 horas em ponto.
Casa de penhores
LEILAO
No dia 24 do corrente so farA leilao, por inter-
venoao do3genle Martins, dos penhores constin-
tes das cautellas abaixo declaradas Os donos das
cautel!a.< podem re^gataTas e reforma-la* ats o
acto do leilao, na travessa das Cruzes n. 2.
N>. 038, 1015, IO-\ lOfii, 11 3. 11.62,1220,
1268, 1283, 1420, 1435, 14-6, 14H\ 1500,
1503, 1523, (510, 1565, 1583, 1604. (616,
10 6, 1659, 1673, 1685, 1709, 17 z8 1733,
1731), 17i3. 174S, i77(, 1781, 1791, 1803,
1833, 1810, 1X42, 1861, 1868, 18H6, 1897.
192 J, 19.16, 1987, 20o7.?OlO, 203', 2044,
2061, 207R. 2094, 2129, 2i:. 2141. 2143,
2165, 2'77, 2184,2192, 2205,2207,2213,
2221, 2229, 2::l, 2232, 22.9. 2254, 226,
2270, 22'5, 2277. 2296, 23 2. 2324, 2331,
2171. 2:372,2381,2391. 2398,
2412, 2421, J4J5, 2*28, 243*,
2448. 2449, 2454, 2no6, 2469.
2477, 2478. 2481, 2 82, 2483, 2486.
2i98, 24M 2302, 2303. 2509, Ml?
1331,
1 02,
1038,
1735,
iKtt,
1913,
2050,
2 44,
2:! 19,
2il64,
2JI.2,
2M97.
21-41,
2 74.
2!:87,
2iH7,
236\ 2)68,
24I2, 2403,
2443, 2446,
2476,
2495,
2331, 2536
2837.25 9, 256
7:8,
:fo,
806,
810.
739,
'61,
87,
842.
74 ,712, 745.746, 7>a -SI, ,,
7 5, 767, 76'\ 771. 781. 7HS. 190, tVi,
810. 812, *i& 8 7 822.8Jl,8,iJJ\
X88, 864. 882. 886, 8-n, ^8S till.

Ji-a
-
Aluga-se o annaaran a. 34 4 nu Dw)W' *
C;ixi.s (antiga rua leil.'.de n. 27, ou com lose Henrique # 84n Cai-
rn \raes.

/





M. '
Jiano de Feniambucu Quarta feirfc 12 de Novembro cte 1873.
J
-

1
Mm it hriw.1.
ACS 4:000#000.
B1LI1ETES GARANTIDOS.
A' rua Prirneiro dc Mar;.o (oulr'ora rua d-
Cre&po) n. 23 e casa-s do costume.
0 abaixo assignado tendo veudido nos seas (e
Mies bilhetes, um inteiro n. 438 com 700*, um
meio n. 2060 com 20n*, dous meios n. 2130 com
100# e outras sortes de 40* e 20* da lotcria
que se acaboa de extrahir (73-), convida aos pos-
suidores a vir am rcwbcr na conformidade do eos-
tnme sem deseonto algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantidr*
da 4* parte das lolerias a beueticio da matriz da
Boa-Vista (71*), que se cxtrahira no sabbado lo
do corrente mez.
PRECOS
Bilhete inteiro 4#000
Meio bilhete 5*000
IM PORCiO DE 1009000 PARA CIMA.
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*750
Minoel Martins Fiuza
FUNPIOAO DO
RUA DO
BOWMAN
52
cl&fariz)
AMA
Preciase de uma ama para casa
de familia, que saiba eozinhar : na
rua de Marcilio Dias n. 66, loja.
Attengao.
20#000.
Precisa-se de duas amas, scndo uma para
comprar o eozinhar, e outra para engom-
mar para casa de uma familia de duas pes-
soas, preferindo-se escrava, paga-se a quan-
tia acima : a tratar na travessa do Vigario
Tenorio n. 1, das 9 boras da man ha ate as
3 horas da tarde, escriptorio.____________
Am Na rua da Ponte Velha n. I precisa-se
flaHH (je uma ama que saiba eozinhar e en-
gommar para casa de familia de duas pessoas.
A ma 'Na rua ? Visconde de itaparica *32,
Ama
prccisa se de uma ama para engommar
No Gorredor do Bispo n. i> precisa-se
de uma para eozinhar e engommar.
AMA
Precisa-se de uma ama para
eozinhar e comprar para pouca
familia : a tratar na rua Nova
D. 16.
Precisa-se de uma ama torn ou escrava
para eozinhar e comprar : na rua da Conceicao
n. 8, andar. ______________
Precisa-se de uma -ama para cozinbar
e comprar para pouca familia : a tratar
na rua do Imperador n. 33.
Ama
(P^::;:vVj o
PfcDtiM ACS woboi-M de engfubo a ontros agricohorcs, eempregadores de m
oinismo o favor de etna visila a sen est?.belecimenlu, para veirera o novo aortimepto
omolet" qce abi tetn; aeudo lodo superior em qnalidade e fortidSo; o qae cote a ins
actSo Dess ial pude-se ver'ficar. ,_
ESPECIAL ATTENCAO AO NCMBRO E UGAR DE SUA FUNDICAO
T -> *. -3^ ^1%^ .-,/-, .U'S tnais aioiernoa ajatema* eem U-
VapOi*e* 8 rOCiaS d'agaa Bimbos conveoientes para as divaraas
ircntnstanciaa dot aenhorei proprielarios e p ra descarocar algodlo.
Koendas de canna *;ot ;8uhos' a8^,bore8 qae 8qo'
aodas dentadas ***
raixas de ferro fundido, faatido e de cobre.
ilambiqnes 9 fandos de alambiqaes.
tfof Viiniomnfl oara mandioca e a!godi>o,l PodeDdo todoa
TX&UnluISIIlUS e para terrar madeira, f ser movidos a mio
QomKoa lpor a80,, Vap0r'
IQUlUaB de pateote, garantidas........ |on animaes.
rodae as maehinas w-*<* *-
Faa qualquer concerto de m8<*iflisa10-apreco QiM'Dttid0-
Formas de ferro j melbore'e mais bmlas ukm Q0 mer*
ffnAnmmaniloa iDcombe-ae de mandar virqaalqoer machioUmo 4 von-
^UCOinillOllUa.S tj,ie doe clieotes, lembrando-lbes < vantagem de fazerem
oat compris por iotermedio de pessoa eateodida, e qoe em qnalqner necewidado p6de
lea prestar aaxitio.
iradoa amerieancs iMlramo,M *""
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
Aiiula so (iitnisa
.-.rjii nii)..a u s.'ili i :
n. 40.
lu nr.i* t.nui li.-ite, iatt
U4 rua \o L^pibaribe
Precisa-se deumcozi-
nheiro paca o Hospital Por
tuguez: a tratar ua rua Pri-
meirode Marco n. 13._____
Antonio de Azevedo Villa-

rouco.
0 commendador Mathias dc Aze-
vedo Villarouco, Jose de Azevedo
Villarouca (ausente), Joaquim de
Azevedo Villarouco (ausente) e
DelGno de Azevedo Villarouca, pos-
suidos de pro fu ado peiar e senti-
mento, pelo passamento de sen
sempre lembrado irmae e tio, o Sr. Antonio de
Azevedo Villarouca, fallecido na cidade do Porto
em 13 de outubro proximo passado, mandam ce
lebrar no dia 13 do corrente na igirja do con
vento de S Francisco, pelas oito horas da ma-
nna, trigesimo dia de seu fallecimento, uma mis-
sa de requiem, em suffragio pelo repouso eterno
de sua alma : assim como, no mesmo dia e na
niesma igreja celebram-se missas pela mesma in-
lencao ; para o que so convida aos Rvms. Srs.
gaccrdotes desta cidade, que as queiram celebrar,
receberao a esmola que se acha aesignada na sa-
cristia do mesmo convento.
Con idara. portanto, a todos os seus amigos e do
finado, se dignem de assistir a este acto pio de
caridade e rehgiao, protestando desde ja profundo
reconhecimento e gratidao.
No Bm do acto, distribulrse-hao esmolas aos
pobres.
Joaquim Jose Goncalves
Beltrao & FiiUos
Teem para veader no seu escrijlono a rua do
Couimercio n. 5, o seguifite :
'GnAP.DFNTR lo ra|Q : raixa .:.. li jsrrafa>.
i dc ;...;t.:., :'. m :.!iiii,
Ar.COS J^ ia.i para :.ii.
CAL 8e ISatZa, rvca* ;,K tkufafo.
CHAi'K'Ji c iJ, ji^i^ !l.-::.fiu t (;li!". do mariiiii a uMO.
FE1XES de ferro, para purta.
PIO de algodao da Bahia, da Cubrica do cemmen
meiiJador l'ettrozo.
L1NIIA do roiz.
08 HAS dc palaeia.
PANNO de algodao da Bahia, da fcbriea do com
mendador Pedrozu.
RSTROZ do todas.as quaJidadrs, das fabricas dt
Peres e Eduardu Militao.
ROLHAS proprias para botiea.
SALSAPARRILHA do Para.
ELAS de cera do todos os tamanhos.
VINHO enaarrafado do Porto, caixas de 12 gar-
raias.
dito Moscate do Douro. idem idem.
dito Setubal, caixas de 1 e 2 duzias.
da Italia engarrafado, caixas ite 6 gar
rafas,
de Collares superior, em ancontas.
de cajii, caixas de 12 gar afas.
t Malvasia do Doum, eaixaa com 12 gar
rafas.
t Carcavellos, idem idem. _____
c
ft : -o j r.
B> c -I w
^m sr S S S
* n -a *
..si z~ i-z-,
3 3 -'. f 3
3 _
o s
C a
- *


I
\r r *-j t.
flflHll
c S S-= 1 S
o = 2." a 2.
a.c.|5 c a
5 =. ~ s. ??
* ^S o JL S
a 2 = [S S"- *
if*ili;s
AS,**
* ^ = = c ==
ip s:
-3
K
eerie
-- T
-B
0 Illm. Sr. Dr. Leopold') Oar FHiqne Estra-
da, formado naacademia di Pernamtiuco rm 1873,
fllho do Illm. Sr. Joaquim LeopuMo de Figueiredo,
e chamado a loja de Amaral, Nabuco ft C, rua
Nova n. 2, a negocio que nao ignnra.
Aluga-se

tsTE
A casa da rua do Padre Ni com Jorge Tasso, a rua do Amorim n. 37.
Precisa se de uma ama para eozinhar e fa-
zer alguma costura em casa de um hometn so :
aa ma do Padre Floriano n. 69, 2* andar._______
Precisa-se de uma ama pa-
ra tratar de criancas : na rua
de Paysandu n. 1, Chora-Me-
nino.
AMA
Novidade
Retratos de S. S. Pio IX; do R. P. Beck, gera
da Companhia de Jesus, e do R. D. Vital, bispo de
Pernambuco : na photographia imperial a rua do
Cabuga n. 18, e
\ naesnaa casa.
Retratos da infelit Maria Ja ConceicSo, aa-
sassinada pelo desembargador Pontes Visguei-
ro.-500rs
Alnga-se um silio em Beberibe, com casa pro-
pria para familia, perto do banho : a tratar na
rua da Cadeia n. 36._______________________
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratisa
e padana : na rua de Marcilio r>- n. 69.______
Almas da Boa-Vista.
Pela terceira vez sao rogados os nossos charis-
simos irmaos a comparecerem no consistono de
nossa irmandade, quinta-feira 13 do corrente, as
6 horas da tarde, para encorpirados elegerera a
mesa rfgedora qne tern de fnnccionar no anno
compromissal de 1S73 a 1874
Consistorio da irmandade das almas erecta na
natriz da Boa-Vista, 10 de novembro de 1873.
0 escrivao,
Francisco das Chagas Percira.
_AnECA0
Precisa-se alugar uma ama de raeia idade, po-
rem que seja preta, one nao tt-nha vicios nem
achaques, e que affiance r-na condncta, psra com-
prar e eozinhar para uma familia de 3 pessoas :
a tratar na cidade d^ Olinda, sitkj do Amparo, ca-
sa terrea grande, com p. rtao ao lado._______
FUNDICAO DE FERRO
k' roa do BarSo do Trinnipho (rua do Brain} ns. (00 a 104
CARDOSO 4 IMAO
RECEBERAM de Inglaterra complete sortimento de ferragens e maehinas para en-
genhos, asmais modernas e melhorobra quetcin vindo ao morcado.
VapOreS de forea de 4, 6, 8 e 10 cavallos.
IjalaeiraS do sobresalento para vaporcs.
MoCndaS inteiraS e meias moaidas, obra corao .iunca aqai veio.
TaixaS flindldaS e battdas, dos melhnres fabricantes.
IvOCiaS (I RodaS dentadaS dc todos os tamanhos g qualidades.
Relogios e apitos para vapores.
i>OmbaS ,lo ferro, de rcpucho.
AraOOS dc diversas qualidades.
Formas para assucar gnodet o pqaeDas.
OonoOl'tOS concertam com promptidao qualquer obra .yimachm?, parao quo teem
^ sua fabrics bem montada, com grande e bom pessoal.
Fripommonda^ mandam vir Por encommendada Europa, qualquer machhoismo,
uiiu^xiiiii^uuajo pgra o ^ue ,e correSp0n,jpm com uma respeitavel casa de Ldres
e com um dos melhores cngenheiros de Inglaterra; incumWem-se de mandar awentar
ditasmaehinas, o se resfonsabilisam peln bom trabalbo das mosmas.
RuadoBarao do Triumpho (rua do. Brum) ns. 100 a, 104
P U N D I C A O O V CARDOSO & I R M A O.
Antonio de Azevedo Villa-
rouco.
Manoel Azevedo de Andrade,
testanoenteiro de sea prezado ami
go Antonio de Azevedo Villarouca,
fallecido na cidade do Porto no dia
13 de outubro findo, manda cele-
brar missas por seu eterno repou-
so no trigesimo dia de seu passa-
mento 13 do corrente pelas 7 horas da manna,
no convento de S. Francisco, e convida aos ami-
gos do mesmo fallecido a assistirem a este acto,
pelo que ae confesfa grata.

ce
a
O
3
o
0>
fiflli
I" 11 ? f 1
c i. 2 -j c
W 9 *
= 3
5
Fr ncisco Jose Ferreira
Monteiro.
Antonio Jose Peireira Monteiro,
convida os seus amigos e os de seu
irm5o Francisco Jose Ferreira Mon-
teiro, fallecido na Rio de Janeiro
no dia 21 do passado, a ouvirem
algumas missas que pelo descanro
eterno da alma de seu referide ir-
mao, manda celebrar na igreja do convento do
Carmo, no dia 14 do corrente pelas, 7 horas (
manha.
JdodaHc
NOVAS PUBLICACULS MUSJCAES.
i.J.d Azevedo- Muu \ova u. II.
achuui-se a
Wer-
Alber-
25000
19500
19000
15000
15000
o abaixo assigoado encarregado da hquida-
cao da massa da flrma Jose dos Santos Neves &
Irmao, de novo convida aos credores da mesma
firma e de cada um dos socios em particular, pa-
ra que no prazo de oito uias, na rua do Apollo
n. 18 arm zem de assucar, apresentem os seus ti-
titulos afim do serem estes verificados e poder-se
assim conhecer em quanto monta o passivo, sem
o que nao se node regular a forma do pagamento.
Este convite e extensivo aos herdeiros de D. An-
na Dellina Paes -Barreto, senhora do engenho
GarapO, da qual foi inventariante o socio Jose dos
Santos Neves.
Recife, 5 de novembro de 1873.
Jose Francisco do Rego.
--------1--------------------------=--------------------------------------------------
j* Attencao
Aiuga-se a casa n. 36 da rua da Ventura na
Capunga, com commodos para familia, estando
perfeitamente limpa, por se ter mandado caiar a
pintar ha houcos dias : a tratar na rua do Duque
do Caxias n. 44.
Acabam de publicar se, e
venda as seguintes mosicas :
PIANO SO'.
D.\sst espanhola, por Asiher
Arabella, mazurka, pur G.
theimer
Valsa do Fausto, por Croyzes
SOMIO HE UMA VIRGEM, por
tazzi
Anna la Prie, cavatina
AoClairde la Link, por Bussmeyer 19500
ESTRELLA DO NORTE ka fc j|h ^ mQ{)
Saudacao ao Bahia (
Cricket, por Seixas, iff:recida aos
chrickets club pernambucnno e
bahiano
PIANO EGA MO.
Desespeuo, muito hndo romance
por I. Smoltz
Non m'amavv, romance por Ouercia
Tambem recebeu da Europa grande sor-
mento de musica para piano, piano e
anto estudos, methodus, etc. t-tc._______
Joaquim Jose Guncalves
Beltrao & Filho.
Run d CMin-*r-io n. 5, t.' amdat
Sacea por lodoa os paquctes sobre o liuor
-i Minho, era Braga, c sobre us vft^iam
gares de Portugal:
Amaraiite.
Arco de Val dt Vei.
BaroeHoa.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
Covilha.
Faro.
(uarda.
(iuimaraes.
Lamego.
UsWa.
Mirandella.
Mon^ao.
Lima.
15000
25000
15000
\ seu-ura que se offcreceu para morar em
casa de familia, presiando seus serrifOB dfi costu-
ra por peaueno salario, p6de dirlgjr-se a rua d
Marquez &
brado.
Ie Olinda n. 34, *. o 3." andare*, so-
Escravos fugidos
Maria, cabra, raoca, bem parecida, ladina, de
boa altura e corpo corre-pondenle, tem as heicos
pintados com tinta encrava'da de janipabo, em
forma de eoracid e o nome delta, natural do Ctt-
ra, e cozinheira, sendo sua occupacao actual c"e
enchada ; esta escrava costuma embiiagar-se e
peste estado e alrevida, e fuse consiantemente
para o Recife e seus arrabaldcs, ronde e muito
conhi-cida, estando desta vez ausente de*J'i 8 lo
corrente.
Felippa, negra, cabra, ja idosa, cozinheira, alta
e secca, foi escrava da viuva do fallecido Jacin-
tho Butelho, tem um 31ho escravo do Sr Jose
Antao de Souza Magalhaes, que andava fugido,
e que TOW seduzir a mai para acompanh:i-lo ;
e3ta ausente desde o dia 6 do corrente.
Roga-e a

licia e capitaes de campo a cap-
tura das me-mas escravas que sao do engenho
Sapucaia de Beberibs.
Mulato fugido.
No dia 7 do corrente fugio o mnhtto Geminiano.
que foi escravo do Sr capilao Firmino, em Mari
cota, o jscravo tem os sipnaes seguint?3 : estatu-
ra regular, cheio do corpo, falta de denies na
frente, tem no braco direito um coracao com as
inicia^s A M C, sanio com cal^a de brim de listra,
camisa de chita e chapeo de manilha, costuma tra-
balhar no carvao, e quando foge sempre vai para
Beberibe, Olinda, Maricota, Ignaras'rt e Afogados:
roga .e a* antoridades policies e mais pessoas a
sua apprehensao, fazendo conduzir a rua larga do
:Roario n. M, que 9frao gratiftcadas._________
FABRICAeLAB0RATORI0,53,CITE DES FLEURS,BATIGNOLLES PARIS
VINHOEBORDEAUXQUINADOCHEVRIER
De uma riqneza incomparavel cm principios adhos, tonico, fortiflcante; emprega-se Das febres repeldes, naf
eonvaleKcncias tardias, nas diarrheas cbronicas e em todos os casos d'atonia.
VINHOkMALAGA OUI.NADOkCHEVRIER
Possne as mesmas propriedades do qne o anterior, mas emprega-se com preferencia para as mnlherei, U
criancas e as pessoas cujo estomago t debilitado.
VINHO.EOUINAFERRUGINOSOCHEVRIER
Quo renne os dons agentesmais poderosos da thcrapentici. ?otcrano na chlorose, na anemia, leucorrhea,
pjsmenorrbea, nos menines dnrante sen crescimento o nas aonzellas no momento (fa poberdade.
VINHOtPEPSINAEDIASTASE.tCHEVRIER
0 digeetiro m;iis beroico qne se conhece, favorece a aesimilacao e restabelece instantaaeamente as funcc6t
do apparato digestivo.
VINHOaoPHOSPHATOoeCALdeCHEVRIER
Na tUica pulmonar, fecba as chagas do pulmio attacado, cura as alporcas, o raaailismo rettabeUce a saude
das pewoas exhauetas pelas vigilias e pelos excessos. Notaveis soccessos obtidos nos boapitaes.
VINHO DEPURATIVO DO D! CALYO, SOBRINHO E
DrSCIPULO DO CELEBRE PROFESSOR RICORD
JsMciBco idi6pnsavel para assegnrar a cura radical de todas as molestias syphiliticas anliguas on recentefc
Depeslto en Ptrtambvco, A. RECORD.
Da-se 10:000^ a premio
Hortas n. 86, sobrado. ___
10:000$
modico : na rua de
0<7^ilanciador
Jeroaymo Jose /a Costa, mais antigo desta pro-
vincia. pode ss* procurado no paten do Carmo n.
13, venda, que se lhe dira aonde esta" trabalhando,
ou sua moradia. _____
Preaa-se de um criado para hotel
.iNova a. 32, andar. _______
na rua
ilfc VIR
O Sr. Antonio Henrique da Miranda, emprojado
no arsenal de marinha, queira vir a rua do Im-
perador n. t#. a negocio de s^n interesse________
Irmandade de .Dossa Wcnliora
do Ctaadalupe erecta em sua
Igreja na cidade de Oliada
Convi la-se em geral a todos os irmaos
de Nossa Senhora doGuadalupe da cidade
deOiinda, para que eomparecam no consis-
torio da igreji respeetiva, no dia 16 do cor-
rente (domingo), afim do tomarem parte
na nova ukicAo, que por sentenca do jurzo
de .iireito opelUs, se mandou proceder,
por nullidade da que fora feita em 26 de
Outubro proximo passado. E para que se
nao eli imem a ignorancia, o eonste quo dc
proposito nSo querem annunciar, faz-se o
preseate era que assigna o irmao
-V. JY da Costa,
Aluga-se uma ca
dnas !;'!, oiiiuha fora, com mn grande quin
tal, nsnho perto de rasa
Vidal (je Negreiros n. 39.
SAQDES
N'a r:Ta do n5r" Vfctorfa n. k pretiaa-aa rarvalh? & Nogueira, na .rua do Apollo
fallar ao Sr vigario .\i,Jre Carcino de Araujo Pe- 20 acttm sobro o Banco Commercial
reira, i negveio desen interesso. !o Vianna e suas ageryjias em todas as ci-
; dadfs e villas de Portugal, a* vista e a prazo
por todos os paquctes. 'M__________i
t ara passar a festa.
Alnga-ee n-na i**a no Pocorla Panella a rua Jo .
Rio n. 26, com 2 sates, qnartos, cozinha fora, j
quintal murado e trwa alii'm Ire na frente, muito i
propna para a eatfein calm'isa por fi ar proxima '
ao rio, licsfructand o osci llente lunhn, e prcco |
commodo : a (r&tar n;i travessa da Malre de D0.13
n. IB. _________________,_________i
Arrendfe *e pur iirecn eomm'ido um bum ?i- j
tio a margem da "'strada nova, proximo a huha
de bond?,' com terrt-nu cspaeoso para plantar e
criar, niuita a Tores i!e fructo, baixa do capim,
boa casa com 2 ssfas, 'i quartos, eaeimba fora,
quartos para criado?, estribatla e grands teltwiro
para vatcas ; arronra;? com uma niaria ou >ein
el!3 : 3 tratar no m^'fo -itio coin Juio Cavalcan
te l.ami'nha Lins, ou com Jer.inymo in Hullanda
Cavalcantc dc rtlbn^c r-iuc.
Sitio.
P^.ra tratar de um p^quano Silio, preclsarsd dc
nm iioni-m qne sej;i cui-Jadoso e entenda taai-
biin do fliirra : no caes di A|iol!o n 69.
Forneiro.
Para fora forneiro, e qoe seja mast:e (te maceira, paga-se
bn : no caes d A'io||. fi>).
i:\s\s.
Alaganvfo toj/i graufles casaa sitas na nov6a>
cao do MontriiM, am e.^lad-i de as rio e com optti
mos comuu'do.-i. a trltar Da raa Primeir i i!e vi.ir-
fo, loji n. IS. ^^^^
- Preri-se eantratar um >ac."r.|.>te para ce-
lebrar uiixsaii io doojiOxoa e dias j-.i.tiU^a loa, na
capflla da estiada daia&o de ftarro? : a tratar ua
mesma i-itradi, iM i a. -i, d:i- 8 tmras da tarde
em diant*.
Odon.i da c i.'.'Ua 0 Ju 8, IcuJj peiv..o-a,
avKa ;io Sr pi pri-iirio dac:isa de penbora-t >jue
site .xO 31 pr;.tiir'J-r losta ciiade o Sr. te-
neate Ur.*u m" TyrreaTi poJuri entregar o seu pe-
tihor._____________
Arrenda-se a propriddade Barra de Sen-
tihacu), u* fretftieiia do ni'.-mi n>'me, iieira-mar
e beir.i-rio, oo.u bi<*.inies cojueiro a desfrnetar,
a rcndiis das terra a cobrar ; e ciin a melhoie-'
piop.irc3** p-waiveu O'Ti uoi gr^ude o lucrativo
C'UbelecinieuLo do aw'rku e in.nliados, alem dc
sitlu-alida i:; inrjia Jakibivtj al>undnte em WW,
;rnt:>, if. a irawr ii rua
uranea, lendj entre o ol o o a
or ilii 8*>|UMila e na "spin!" ilorsd no principio
da caiida uin.i inaiii'tui ;i:uarelij, as orelhas p a
1- A!ug<> uma *a3 0 M' n!f r<> n. -VJ. corn cautla CDriaifcn : r .-jia-ie a ,.i(Jw.eui.ontrar de
commodos pira famuia io Ba-, ivh i.i a UiUca u->i*i*, iu.nU Cj a. 82, onoo
ryWn .H, Bi^rja u. o? "2 -ai4Ci:iu i ',-"injkiuado
CASA DO OORO
Bilhetes garantidos
6ua do Bardo da Victoria (oulr'ora Nova
n. 63, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender no3 seus
muito felizes bilhetes a sorte de i:0(iO|000 em
dous meios de n 2643, e dous ?eios de n. 1371
com a sorte ae 100#, alem de outras sortes me-
norcs de iOiOOO e 20*000 da loteria que se acabou
de extrahir (73* ; e convida aos possuidores a
virem receber, que promptamente serin pagos na
forma do costume.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeita
vel publico para vir ao 3eu eatabelecimento com
prar os muito felizes birhetee,que nao deixarao de
tirar qualquer ^remio, eomo prova peles mesmc s
annuncios.
Acham-se a vanda os muito femes bilhetes ga
"anlid03 da 4' parte da loteria a beneficio da
matriz da Boa-Vista, quo se extrahira no dia 16
do eorcante mez.
Pre^o
Inteiro 4*080
Meio 2*000
De fdO^OOO paraelmu.
Inteiro 3*500
Meio 1*750
Recife, 29 de outubro de 1873.
Joao Joaqwm da Costa Leitc.
A POIIVIH.
(3a transacijao)
Pertoncem-lhe os regcu'ntes bilhetes :
Bio de Janeiro Loteria 481
INTEIRAS
o0584300
MEIOS
i06&-903-4100 -1078 -3091.
QUARTOS
2l<8-3S96 -3587 545-1 3595.
?3H-2349-23524730 4751.
3.S2-365 355 353 3584.
2726-17HI-I723 1716-1718
Recife, 11 do novembro de IS73.
F. X Ferreira
Tjwsourelro.
1 mns Amorim
Secretario.
Aluga-se uma excelk-nto casa na povoajao
de Duarte Coelbo, era Olinda, com bons commo-
dos para familia; a tratar com Jorge Tasso, rua
Amorim, n. 37.________
Engommadeira e ama de
leite.
Prer.^a se do uma engommadeira e de uma
ama de leite, paga-se bem uma e outra : na rua
Formosa n. 2i.
MOFINA
Esta encouraqado !!!
Roga-se ao film. Sr. Ignauo Yieira de Mello
escrivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir & rua Daque de Caxias n. 36, a con-
cluir aquelle negocio que S. S. se comprometten a
realisar, pela terceira charnada deste jornal, em
6ns de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou a fevereiro e ibril de 1872, e nada cumprio;
e por este motivo e de novo chamado para dito
Bm, pois S. S. se deve lembrar que este negocio e
de mais de oito annos, e quando o Sr. seu ulho se
achava nosta cidade.______________________
Fan carrocf iros.
Aiu^a-^e um terreno murado, na rua da Sau
uade, que iem com paliuos de frente e 300 di
fundo, com pequeiaa casa o telheiro para nni
maes, proprio para plantar3es : a tratar a rua
Priraeiro de Marco n. 23, loja.___________
Aluga-se uma casa terrea com tn s poms
de frente e bastante elevada, com sotao dentro e
eommodos para familia, na rua dos Martvrios
n. 160 : a tratar na ma do Rcsario da Boa-Vista,
segnndo andar, per cima da rofinacao.
Precisa-se de um caixeiro portuguez on bra
3ileiro iom pratica de padaria : a tratar na rua
Imperial n. 204, padaria Encnuracada.________
Aluga se o 2* andar do sobrado da rua de
Agnas verde? n. 100 a tratar na rua [ireita nu-
mero 10.
Para o amanhecor do dia 6 do corrente fu-
gio do eugenlio Refrigerants o escravo Ezequi .
de idade de ."0 anno.!, poueo nuis ou menos, r-3r
fata, barba serrada, oaixo e espadaiido, falla man-
sa, levou chapeo de court e um uiatulao com rou-
Sa. gosta de andar do gravata, c natural do Brejo
a Madre de Deos, a t m famdia no Altinho
quem o pegar levo ao dito e.igcnhn, ou no enge-
nho Bosque, que sera bem recompensadeh_____
liu andar e a loja,
Aluga-se o tcrceiro and?r rio predio a rua de
Marcilio Dias n. 120, muito fresco, bella vista,
excellentos commoJos, e com souo, e a loja ao
mesmo, prjpria pa, a qualquer estabelecinnmo
a Iratar a rua do Imperador n. 8i. Todos os pa-
vimento." tem agua.
Aluga-se a ca^a terrea, de novo pieparada,
na povoajao dos Afogados, ultima do lado csquer
do ante* de chejrar a barreira na ponte do Mo-
tocojuinbd. t< m du alas, dus quartos, (acima
do rcgulai) boa c ziqha, foaao e fnrao de assa-
*, eaci ha e dous qninta9s cereado do muro?,
tendo imc ntro ontro com portao, p-'.j qual da
cmnmiw^ao para amnns os qninia> ii'-sto pon-
t' avista-M- a via ferrwi o gi.sa-se d>> :>fllo fresco
da uwuhi c da inrde : <> prefr'ijdenti's queiram
dirijur-se a run larga d^i -Riisnrio o. oti. d'-posilo
do po e fwiw, qiie abi md re^ir-vi-ha riem ^
o pre; -:
~~~
Aviso.
Procisa-sp d" uma senhura franceza, que seja
liabilitada p.ia *>Hi|iahia e Inccionar ama meoi-
Ba de i circuujiMciaj dirija-se a rua Imperial a. liO.
DE 10 PALMOS
E D'AHl PARA BAIXG
Sapotisefros muito boniliis e sapoteiroi em gran
de .nuantidade e prcco Cc nimndo.
AI6nj destas, as plaatas du ornato e de fructo sa
uintes:
Jabolieaba
Laranja iravo
Lima da Persia
t de unihigo
Liman francez
,Oi'y euro
Abarate
Alei-rira
Ariticum a p6
Canella
Cora<;ao da India
Carolina do principe
Figueira
Flonboyant
Frncta-pao
Goiababrauca
Jaea
Jarmim laranja
E outras plauta; ianib^m porprejo
na Capunpa, rua da Ventura n. 20.
Pai'neira imperial
P Pinlieiras
Romanzeiraa
Reseda
Ruzt'iras
Ponte de
Porto.
Tavira.
Valpasjos.
Vianna do Coitc-ilo.
Villa do Coii.le.
Villa Nova oe Famalksio
Villa Nova do Portimao
Villa Real.
Vizeu.
Valency.
Figucira.
Aveiro.
Agueda.
Caminha.
Etnra.
Oliveira de Azumcis.
Pcnafiel.
RcgOa.______________________________
\inda csla fag'wta
a escrava llafildes desile 17 Je ruarco do corrento
anno, de 32 isnes rie idade, preta criou a e-iiaiu-
ra regular, cheia d corpo, pernas finas, Iem ua*
careros no rosto que parcce espmlias, f;ilta de
denies na frente da parte de cima, falta mnfto
mansa que as vrzi s desalia compaixao, bna *i-
nhcira e eiieonin.adoira, e lilba do Para, foi mm-
urada asigra do Sr. commendador tu.ena. &
muito conherida pi r ier estad alugadaem rasa
da Manoella doin&pacUir, no Monteiro, ell- iMita-
la-se de forra e !fm sidr. vista no Poco da I'wnella,
Monteiro, Caxangi, Magdalena e aqui an Recife .
pede-se enrarc damcule a toda? as ai'luridadea
policiaes e capitaes de oarrpo n sUo apprehensan,
assim como se pedc a quem trnhrs amas ijim ve-
rifique nessas qua dizi-m ier forras. pa4 cjimU
estar ella de ama quo nao sahe a rua, que se-pm-
tilicaracoma quantia de 10:'<> a quem a i.vara
seu senhor, na rua do Livranier.to n 1. v Ant>>nio
de Paiva Ferreira ; e protesta-se haver 09 i!"i de
Bervifo dc toda e qua! |tier prssna q,ie a tenha
occnlta em sua casa, na forma da lei.
; -. ?8

MQW
Xa travessa da rui
das Crazes n. 2, pri-
rneiro andar, da-se ^
dinhciro sobre pe-
lihores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
quai for a quantia.
Na mesma casa
eompra-se os mes-
inos metaesepedras.
sr-'Ai

tf Z^' >W iA -. **> *"
Aluga-se o armazem do recoiher nx 'qa Jc
Burgo* n. 11 : a tratar na rua da ?raia r,. ID,
a tratar com Jose Feliciano Nazareth.
commodo
- Silva Barroca it I'ilhos teem para vend
seu a mazeiT- a rna dc Marquoz do Olinri'
seguiote :
Follia oe- Flandres.
Estauho cm verguinhas.
Narniaaa para devarncar algodio.
Cerveja c-cosseia branca e preta.
Fillele para bandeira.
Vidros para vidr'.^a, V mialidads,
Guinchos para i<;ar.
r cp
FERJ6rft<0, CL<*? E TRI6UEIR0
m: i siKt rifr
' i l. .. 'U Honra, Oflitxlfl**
|i V '.:' ''. ndadordacrdftn d'te/t -
ii' CaU lica.
*
Oiil.-o rtpC't*Trler dove oseimmma
j -nl i: : Vis |..i|sa irfls quo I'inrtn aux
i.= propnodaries tlienrpeatt-
, ..s: j-o CfU otornaoagradi-
.. .,-, an I ra -'.
r: () .- -' '"'vi-ier .onipletnu n nn
PiUi .'..-.-o-:Tn''oo loi'iiritii iteferro
'i olwi fisulo r)f Haea Nun. F-tr
!"filr f'citd)' cli-hncnlliau f.-rr. rlan-
\i'tm p.:?!.' toiins ns prop ieilatles i'o itf
i!i feivo. e iio faeil pris n do vr n!re
ns celi'iirMlades mpdicas o pw-
ii'itrns iii-'parni.iVs fprrumno-
.1=. Oxivr-m rm tor"os os casos pm q.n>
ppjri'Tw <. ir-rn : T'nteii itulmoaa.v
llipnurhlli-a. K."-li'f'Kino, F.-crofi.tn*
FmplVfH Ciln llhpumatiaaiu. !>.
: fpiv4!:i. cu:>lpcpcla deiuoradaa
Frnniina ifp ,-nnS ' dt.postto r.;.irip, s: Pha-m CHBTRIXR
?1 Fii'ibonrg Vtmtmart .
Na mpsma pharmai'in 'hSn wnViMio
r F.i lvm rie Cor.*, PXCPllPntPH nrppoa
n?n .- lL,,ii;*i. Os prannlos ilo B'>nmth
compostos contra as diarrhea
terms, dores doeetomayo, etc
I
c
cn'rs
To
iVr-m is
i
riiwiwi
nBMBBHVI


.t-1
K)
. >''!; .it. .-m-hKih .i-ia j-i V.v.ti ro, tra-
v i (} XM", ;i i| >al se auha -fii r> -ho bom e-
tai .h> li.>".-i : a tratar ha roa Primciro d*
uwefa. ,nii-2 ., .respo n. SO A. loja de Gurge!
d.- UB-n.! A C
ikk.-...MhHTAS MEbtClNAES .os
"* i i.o i lAOnaaa x9
$*; \i lud de Siqueira
i:
avalcanti.
"" **reservatlvo ila ery-
s",*; ;, : para curar com e rl-'za, e
]i !! uunpo, qmlqiicr
<
;.ta.|ue de
reappare

a casa
6:
et
'i'si(ji''a, ) prevenir o scu
Cj.U lit ..
!' I'- I'lroi.-amento 'anibem e muito
p.,!. r,w., j.;,,.. rh.-umitisino.
rJ R<-:.-nIailor da metis
tt'u:V'*' i l"i' falta, irregulariJa-
d, sui prn-sa rfiiienlina da me stroa-
ca dug l-H-hi >s, as-im cjuio para
t.l n -o rinuoio* devidos 4quelras
ain--ocs. Ai:iti s esles raedicameutos
P -;u uuil' ci'ii-eituados, e procura-
d. ifla pruvincia, e na do ft de
Jan. iio.
Mkam-w a-wada .iomento era casa
d dia as 3 da
lard a qualquer hora em casos ar- *
(rentes. V5
. GRATIS AOS P0URE5 ft
Uua da Imperatrit a. 11, 2 andar.
lortea ua Una dos Rams n. 68, com a
,u:a a .stra.la do Hospicio, cum bf ate
J parn familia : a iratar ua rua do ar-
' 'lliinla ii. 4.

$ Consultono homeopa- 0
thico &
Do Dr. Sjut.is Mello
0 41------Kna do Ioipera lur -----41
Omsuitaa todos iw tlias das II 4 1 da
tarde.
^H Gratis aos pobres. f
Resiiencia a ru Nova n. 7, segundo ^5
andar. <>udp da consnlta* das 4 as 9 da w
M manlia o das 3 as 5 da tarde. VX
S Chamados a qoal|iier hora. ?
Escravo fiigiiio
300*000 ile^atiHcacao
Ao,-entoo-se ilesdji o dia ,:. pri-to de nornn Aifredc, repr^senln ter de 30 a, 40
aim-is de iij.ide, e perfi'it ti\ itieiro. alto bastaote,
e bem nWK'ro, pnuca barba, h|Im prandes', 6 raaito
Udra '. ouQ-i.i >|ue torn pai n niwa'io do Sr. Luld
di'G.iara. em -v L-iiir-iign .la M foi ...ziiiheiro .|s n p..i-iant'- Adriuo & Gaalro e
Sr. Jose J'l.itfiijin G.im.alve< HxnU*. e julft-se
qoe esteja alugadu em algum hotH ua casa parti-
ular nesta idado. rmu f.ifm : |nvle-se a lodas
as. am Tiiladrts e ai.itaes d i-ainpt, que o desco-
brindo o irapaoi a rua Unquo d Caxias n. 91, leja
dr mmde/.as do rival -i m sejfiiiid^. ym serao gra-
tiiii:ado.~ c<>- a nuaiitia afiuia.
(iozinli'ir.i
Precisa-se de nma eoi'iihpira para rasa estran-
g"ira do pouca f.ninlia : a Iraiar na nia do Conx-
uiorcio n. HH
I na %!n!i'>ri honesta que silw beui
c ii sua tp-ichina e por peMinn sala-
tix. jreJnh a mo'ar cm pr ^t,.,]'( i n^ seus *iTV!(jrts : qnflm pretender
atiiiu .c"i por aste Diario.
Garros de luxo.
E' in jui-mmiavel qne a -..clioira da rua d.-B'-m
Jesus n. IS, i\f loa^uira Pies l'ereira da Silva, 6 a
que it-in at. molli'irei berliudas, caiecas, meias ra
' ;- e vici,,'ia- do luxo, proprias para quMi]aer
Duivitdo, visitas de etiqueta, bail"* e ado? di. lea
demia, sendn os nieginiM ajaezado- de exc<4l^nt s
par. ikas in animaeg, arreios Ihxu.ks.i. e boieeim
coin fanlamenliis do ultimo gusto, para o que- se
OOlivida aopablieo a vir por si insmn sen ntili
car-se da verdade do que d.'ixamos diu>, certo? de
; uao ',( intrario pomada, e sin realidade e
eommodas preeus.
Para \m\\m de mar.
Ainar.il, Nabuce *t C, reccberam r|fl Pa
A- intnsantes costumes do ultimo goiti -
p na homens o senhoras que descjarom to.
mar banbos salgados, alem da sohdez la
faZHii la par., resistir a agua sal^add. a jaucia des tr jos nada deiia a dese-
fff;______________________________
Casa decaiiijio
OTerece so a qu.?m qaircr fazer os concertos
ecc-sarios, o arrendamento por algnps annos, df
gn... ia cxcellente ca.-a sila na nirta d'Agua,
que f-i ili llnadoDr Joaquira Pires Qarneiri Mm-
i. ,. pn eseriptnra para rnaiur sp^uran
g- A I idnd Bjnuilo aaliibre, e, a casa mnito
frr-.-:, uiapiiifico l.anlio de' agtta dnce cm
fri-i'i 'i nil i LMinmodo vilo qu-> o treai passa
aefr.Mii.! qii<'in pretender p6de d!r>gir-se ao Sr
t'r:'n : Gamcira Monteiru. em Apipucos. au
Sr. I'1 Ij-nai-io Pinto, na rua do Itom Jesus,
OU to Si. i aonan. a rua d.> omniercio n. iO.
- Tia-pa^sa-Mj a cliave da I ja da ira^-e^a d
Duque d Gax'as n 14. iiwi nma arm.i'; o l>-
da envidragib, pn.pna (i^ra wa m- ru, ou on
.o j.: 'twt; neg.icii : atiatrna venla jnoto,
nu com Mauufl Azevedoide Audrade, a rua do
Group" n. 8.
Jasas para alugn r p-.ira a fes
taou por anno
Urn sibrado no Poeo da Panelia. na rua do Rio
ii. S, com 4 s das, 5 quartos, sa eta, eoainba fota e
quintal murado.
Uraa boa casa ti>rra nov3 com cocheira, estrl-
bana p<*queno sitioj a marireai d rio, n. 3o da
mes'f.a rua.
Uma casa pnquona. por^m com tons commodos
na lravcs.-a da rur oas Almas ao |>e da casa ver-
melba n. i. Todaa a tratar cum o commendadoj
Tasso. ''
EMiOilMAUrd.HA.
Yeci-a casa n 199 t n S. Jose do ManguiDiio, rua do Vis
c ndo do Guvair>a
rrecis.i-se d urn.criado part.uma casa de.
poqu.-na familia : a iratar na travessa do
Vigario n. 1, i-sr.ripti.irio.
M ttitateJittj* 12 **JBmmto06.4*M&.
ISULTORIO *
MEDICO-CIKLRGiaO
DO
Dr. J. M. Curl*
Rua do Marquez de Olinda n. J3, pri-
meiro andar.
Consulla das 9 boras as II da mahhJ.-i
Cbamadjs a qoalqudr hora.
i
I Consiiltfirio ineilico-c-irargico
A. B. da Silva Maia.
Itua do Visconde do Albuquerque n.;
H-, otr'ora rua da matriz BoaiVista.
n. II.
Cbamados.: a qualquer hora.
Consultas: Aos pobres gratia, das 2 as
da tarde.
*; ?
C*;\
!
N;,
iailar
- e*6
fuannuns.
lo ISarai h Victoria n. .'1G, precisa-st
- -v.- : .i; di RegoChaves Peixoto r
-( USifVa, a negocib de particular iute
Ao publico.
A ; u*'ii Uua do a! Mtuuicz-Dic Olinda, n. 31
1." AN A.t.
0 abaixo assignado tem a bonra de sei- iflN^f^MHp'
entificar ao rtspoitavnl pulili.o, com espe-
cialid...|i! ao corpo commi-rci.d desta pra^a,
que a aba em cujo exercicio pro'intte se esfbrgari
para belli mer^cor a coniiaii$a de todas
a.juellas pessoas que se riignarem honra!-Q
Coflsullorio medieo
Jfi DO
7 Dr. Murillo.
V. RUA DA CRUZ N. J6, 2.. ANDAR
V Recern-chegado da Eurepa, onde fre-
!2t quenlou os bospitaea de Paris e Londres
^ pode aer procurado a qualquer hora do
*j dia on da neute- para objaete de saa pro-
1*j tissao
m Omsuhasdo meio dia as daas horas
f da iar.1 .
jf Gratis aos pobrs.
d EspeciiUd d>j.=Molestias da peUe, de
rf crian.a e de rnulhcr.
J > mprega no trauroento das mohstias
J de sua especialidade as duchas frias e
% oauhos a rapw,. para og quaes trouxe
M os apparelhos mais modernaniente em-
f. pregados na Europa.
/ Tarabom appliea com grande proveilo
aT no traiamento das molestias do utero a
m electricidade, peio proeesso do Dr. Tre-
0r pier. Cura p.r nm proeesso inteiramente
vi'soro as blennorrhagias esobretadoa
)Q)(gotta militar) dispensando asinjeccoes.
f.'^kniBTA DE PARIS
t*- 19 RUA NOVA19
To#. M.Jjeroux,. cirur-
giao dentista, succes-
J sor de F. Gautier, es-
pera oontiauar ame-
recer a confiaa^a dos
clientes da casa) edo
respeitavel publico em
geral.
k Nenhuma machina
BAZAR IWVIRSAL Singer 6 legttto. se
Rua do Barao da Vidoiia n. 22. t -,
nao levar csta marca
>
_M tm
DE
m
r..;
fts-
SSr
a
-Sii
4jU
W1?"
Escravo lugiik
100,5000 do gratificacao
Desappan 1 Ij bovd, de borJo da barca bra-
s I lira S Josi, a eeravo Juaquim, preto de na-
o qual aoda ben veslido e calfadi}, deixan-
Uo ereaoer os eatolloa a modo do moia cabeileira.
Base wcravo perteaeaa ao fiHnnirto Dr. Oiym
c ^arcellinu da Silva, quo o havia comprado na
!rovin :ia dn Minis ^m S. Joao d'EI rei ou Oura-
reto), e oom elle segan para o Itio do Janeiro e
d'alli para c-ta provincia, d - ado o v;:n lido alii a Juslino Epaminondas Ne-
=-. a qnem n compraram ns abaixo essignados.
SaJw eozRihar, nrcupacao a quo eslava dedicado,
rnahe to se peU 'alia quo e afrieano.
Offeree*-?e a gratii.cacao acima aqnemoap-
I rehender e roga-se a lodas a< autoridades a sua
eaptura.
Recife, 0 d-; outu'.ro do 187.'!
_____________Jose da Silva l.oyo & Filho.
Antonio Doraingos Pinlo, queiendo rcsuinir
o sen Degiirio do mobilia. torn resolvido fazer um
'iiatmi'iiu de 2-"S por cento nos preens de suas
qpbdiaa, as joaes Bio: ricas :n >biiias de jaca-
randa a Luis X fabricadas em Franca, ditas de
"ir^ e do anable, guar-las-roupa de jacaran-
da de m igno o de anable com espelho, rieos
-iiaiila- restidoi de amarcllo, ricos guardas-lou-
ca, luillrttPs di? jacar.nda c de mogno, nparadnr s
com armarin, mesas elastica> para jantar. dit-s
Ue mnpni com abas para almo.o. mesinhas do
nogao nara costura, c uma infinidade de objec-
lea (|;; sflria eafadonho mencionar ; tern um
.ran b3 s.irtimento de caJeiras do muitas quaiida-
des : rua d i Barao da Tietoria n. i!7 e 58.
Engommadeira.
Lava-se e engomma se com promptidao e aceio:
M princiuio da rua do S. Miguel em Afogados,
tea c.:i:'ront6 ao poriau do Sr. Gamillo Cliaves.
I. on lar.
Ketife, 7 de novembro de 1873.
Joaquim Diis dos Santos.
Sitio para alugar.
Aluga-se um sitio na Capunga, rua das Per-
naiiiliii'-auas n. 66, com ta.-.tantc* commodos, ten-
do dez quartos, ires salas, cozinha, coxeira, tan-
qu'- para banho, gallinheiro, cm diversos pes de
fructeiras : a tratar na rna do Marqaaz de Olin-
da n. 63.
Aluga-se
nma easa na Varna; no Gorredor de S. Joao, mui-
to fresea. e perto do rio : a tratar na rua da Im-
pesr
;a.
Aluga-se tres casas proximas a estacao do
iiearrP".iiKlolbe de neu.uius ti^nrlflntpc ^ ,Lax?na' Proprias parapassar-se a festal porter
iitdrr. aiKio me ue negonus tenaentes & -banho-perto : a tratar n. taverna jaato a estacao.
sua pronssao.
Oesiie jd o abaixo as*ignado antecipa os
Sens agrailocimentns pra cum aqueltes que
o procuraivm, o que poderao fazer-.idirigin-
do sn a rua do Marquez de Ottada, n. 37,
SE
o 2* andar do pateo do Livramento n. 36 com
commodos para pouca familia : a trat?ia loja do
rnastta, das f> boras do dia-as 6 da lard.,.
Aluga-se
Criado
Frecisa-se de um criado para comprar e
oulros mysteres de casa de pt-quena famiba:
na rua do Capibanbe n. i0.
- Aiuga-?e o 2 andar e soiao, com todos bs
mmmodn.i para graude familia, do sobrado n. 12,
sito a rua de Hortas : tratar na rua do Trapiche
n. 13, arroazem de assucar Tarabem se vende
ccrca de 3|i paries do nv^mo sobrado.
Fugio no dia 20 de outuuro proximo pas
sado du e igenbo Aren lepe fregupzia de Ipojuca,
o men escravo Ignacio, com os signaes seguintes:
cabra acaboclado, 26 annos de idade, altora e
enrpo rcgniares, cabellos pretos e crespos, *igode
fino, muito pouca barba na pmita do queixo, tern
um cancinho de um lado da eaneila por fora,
na i tem unhas nos pes, a oxfepcao de um dedo,
tern no enrpo marca* de chicote, e no p6 direito
um peqaeno callo, falla manna e baixa, cara bc-
xlgosa c ullios brancos.
Ddu com mil reis de gratiflca^ao a quern o
trouxcr ao dito engenho
Arendepe, I.* o> nevpinbro do 1873.
______ Manoid Felippe de Smiza Leao Junior.
o primeiro andar do sobrado da rua do Duque de
Gaxias n. 44, proprio para escriptorio, on rapaz
solteiro : a tratar ho mesmo, loja.
TASS0 IRMA0S declaram ao publico e espe-
cialmenteiac^ se&s bons fre-
guezes que o ayiso ineertono
Diario de Pernambiico, de 5
e 6 do corrcnte de C. Tasso
Irmaos, pedindo aos seus de-
vedores o pagamento de seus
debitos e ameacando-os de
declarar seus nomes no mes-
mo jornalnao foifeito por
elles.
DOMPRAS.
Aluga-se
Escravo lugido
De-aiiparccaa ao amanhecer do dia 4 do cor-
r nio. do KOgenho Sirigi, cotoarca de Goyanna, o
..cravo da mime Jose Borges, meslre de assucar,
leada >s lignaos seguintes : cabra, Made 30 an-
- =, pouc-i mais u menos, boa Qgura, um Unto
;. oso e espadaiido, sendo o signal mais visivel
'._ gomma na junta do p6 esquerde : roga-se a
iotas a* aitturidades o -apitaes do campo quairam
Fehender dito escravo e leva-lo ao refrrido en-
w'enho, mf nsta praca a Oliveira Filhos & C, lar-
gg dii ll'i-|i.i Santo n. 19, qae serao generosamanle
raMmpensadts.
lima peqneni caa na rua de S. Francisco n 1 :
a Iraiar na rna di Imperatriz n. 8, loja.
Sobrado a alugar.
Aloga- -c o 3 andar do sobrado sito a rua do
iiarao do Triumpho o. 8i, outr'ora Brum : a tra-
lar na rna la ga d > P.osario, botica.
ATTENCAO.
uma casa na Torre, com eoramodes para familia,
caiado e pinlada, ha pouco acabaJa : a tratar no
porto do Lacerre na Gapnnga n. 32,
Acha se justa e -oontraiada a compra da ta"
verna na praca do Capim, lugar deoominado Barro,
com a Sra. D. Rosalina Maria da Conceicio.: quem
so julgar com direito a mesma apresente seus ti-
lulos para ser pago no prazo de tres dias. a con-
tar desta data; senao perdera todo o direito a
mesma. Recife 10 de novembro de 1873.
Malrieula dos catallos.
Acham-se a venda em todas as livrarias map-
pas impressos ?ara matricula dos cava^los con-*
forme determinaa lei provincial ds 17 dejunho
dc 1873.
Atten^ao
Acha-so justa e coatralada a compra da taverna
do largo da Santa Cruz n. 12. om o Sr. Joa*n Mar-
quco Fernandos : quom e julgar ci.m direito a
mesma, aure.-euie seat titulos para ser pago no
prazo de tres dias, ao contir desta data, seuao per-
dera todo o direito a, mesma. Recite, 10 de novem-
bro de 1873.
Cobre e latao.
Compra-so cobre, latao e chombo telho :
no armazem da bola amarella travessa da
rua dr Imperador.
Compra-se duas venezianas novas ou
com algum uso, e que estejamem bom es-
tado : na rua do BarSo da Victoria, n. 5.
Carneiro Vianna.
A' este grande estabetecimento tem che-
gado um bom sortimento de machinas para
costura, de todos os nutores mais acredita-
dos ultimamente na Europa. < ujas machinas
sio gsrantidas por um anno, etendo um
perfeito artista para ensinar as mesmas, em
qualquer parte desta cidadc. como bem as-
sim concerta-las polo tempo tambem d'um
anno seat despemlio algum do comprador.
Neste estabelecimento t mbem ha pcrtenjas
para as mesmas machinas h se supprc qual-
quer pe^a que seja necesswrio. I^stas ma-
chinas trabalham com toda a perf>i(;JJo de
um e dous pospontos, franze e borde toda
qualquer costura por fina que st^a, seus
precis sflo da seguintequalidado : para tra-
balhar a m5o de 3O3S0OO, 409000. ioj?000
e 50^000, para trabplhar com o p4 sao de
809000, 90000, 1009000, 1-109000,
1209000, 1309000, 1509000,2009000 e
2509000, emquanto aos autores nao ha al-
teragao de prajos. eos compradores poderao
visitar este estabelccirnento, que ihuilo de-
ver^o gostar pela variedade dc objector que
ha sempre para vender, como sejaffl: cadei-
ras para viagem, malas para viagom, cadei-
ras para salas, ditas de balanc,o, ditas para
crian^a (altas), ditas para escolas, costurei-
ras riquissimas, para senhora, despensaveis
para criangas, de todas as quali.lades, camas
de ferro para homem e criancas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelhos de metal para cha\ fa-
Sueiros com cabo de metal e de marfim,
itos avulsos, colheres de metal Ono, condiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
arame, tampas para cobrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatories completos, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mui-
tos artigos que muito devemagradar a todos
que visitarem este grande estabelccirnento
qae se acha aberto de^do as 6 horas da ma-
nhS ate as 9 horas da noute &
Rua do Barao da Victoria n.
__________22^__________
Nao ha mais cabellos
brane-os.
sa TPRUL'itJinillEZL
So (r anieaapprovada pelas academias de
scieacias, roconhecida superior a toda que
tm appare.uido ate" h^c. Deposito princi-
pal i rui da Cadeia do Recife, hoje Mar-
qnez de Olinda, n. 51, 1." andar, e em
todas as boticas e casas de cabellei-
reiro.
fixa no
china.
brac.0 da ma-
Para evitar ffleiti
agoes* netem-se ben;
todos osdetalhee d
n.arca.
AS MACHINES P4R4 GOSTffllA
DE

\sbm m
smA
f
"'%J^ NAO TEM RIVAL
JAIS DE M TllLlliO TEH-nE WtoM
Porque?
Sao as melhores
Sao as mais baratas
Sio de dous pospontos
Sao mais simples e rapidas
Sao duradoras e-aperftigoadas
Sao util em uma casa.
BS.
Faz m&hor costura com mettide daUnhaque gastam
as outras e fornecem urn meio de
VIDA
Para aqueiles qoc tem de susleirlar-se
DE
\
13 IJ
'" Da forcer de dous a seis cavallos : a venda no
armazem deJoaqttim Lopes Machado 4 C., tr-a
yessa do Corpo Santo n. 25.
Querem agradar a yaya ?
Querem agradar a esposa?
Querem agradar a iilha ?
C0MPREM CMA
MACHINA DE SINGER
Nenhwnia casa estci complete sem uma
IA6HINA DE SINGER
Sem cam'8^-000. Com caiia;90?*000
TftNCA AGENL1A
EM

45
UUA?DO IMPERADOR 40
-----------
. ,__,
Compra-se
um sitio B63 arrabaldes desu cidade, onde passe
mha de bands : a tratar na rua do Imperador n.
48,-armazem.
Compra-se uma escrava do uaeia idade, que
saiba lavar, i-^mma^-evitah^ti^jMs- xAi tenha
vieio algum e v-jj sadia : Mjuem Hvernessas con-
aicoes e qaeira vender, anmmcie po- este Diario,
ou njriia se a esirada de Joaede Barroi) sitio n 21
quo achara com quem tratar, das 9 horas da ma-
ntis as 4 da tarde.
Jal$ado estrangeiro.
i Aproxima se o mez de d^zembro, tempo em
StrcrParis'n'n America, & rna Dnqne'de Caxias n
, 1 andar, tem d^ dar o sen balancor por este::
motivo, os' proprietor!os deste estabelecimento es-
tio tesorvidos a venderem sens alc to, aOtn de mioorarera:o trabalho ; assim pois os
apreetadores do bom, e com especialidade o sexo
amavet, para" quom o Pa, is -ua America, conserva
"com a fleviifa dc'celicta ) o seu gabiudte res'erva-.
3b, para'a e-rclha'de"calcado;- aproveitem e ve-j
nhanrmunirera-se do que precisarem.
Potassa da Russia em mewi
barris a 500 rs. o kito
Desemharcada ha poucos dias : vende-se a-
escriptorio de Oliveira Filhos & C, largo do Corp.
Santo n. I.
EO
5>6 o n. 20
RUA DO CRESP0
im m rmTAs
Tem para vender Joaquim Jos6 Goncalves Be-1
o Firao : a traur no sea escriptorio a rua
do Gomroercio n. 5.
1

Desde o dia 22 do feveroiro deste anno aup esto
'a*__* ef*r;!vo ^ nome Francisco, o qua! tem
ea sign:ies seg'mutus :' e alio, secco, cabra. cabeilo
carapinlii., t.-m pi,ura barba e c'oslama raspar, p^s
vi>ta espantada, falta de dous
- o,i /i. nut, ]pUt e, no qufixy inferior : peda
U4idaJ"s e capitaes de.campo a captora
uconsei.iir capturar, di
ii'.: n. Ij, i.j.i do Centro
Una queiii iraiar, e stra

-lnga-w n f andar da
tar na
ATTENCAO.
O abaixo aasignado faz tci tavel corpo do conmercio, qae tem justo o con-
tratado comprar ao Sr. Jose 1 ires B rroaoasua
taverna siu na rua da Penna n. 6, livre e des- n ."" .*'uii
embaravada de. qualquer debito se alguem se--^m^LTV?lT^cl2? bom a f
achar com algum direito, apresentese no prazo
de tres dias, tindos os quaes nao se attendera re*
clamacao alguina.
Recife, 9 ue nnvcmhro d^ 1873.
_________ Antonio loaquim da Costa.
Daces, Ihiclas e flares.
iVaxuada Cruz n. 6 tem todos os dias
sorvete das 11 boras em diantp, gplaslos,
refrcscos e xaMip. s d tndas as qualidades.
Oowera ver!
A loja da Rosa Branca, na raa da Iraparatriz
oOvonde madap.7l3o francez nrnito "
e 7JQ0Q a peca, todfts vendem por 8/.
Cerveja framtza Bottom iitmt
Yende-se
nma casa terrea n. 43, ca villa de Una, perto da
eitacSo, a rua Bella : a tratar na loja de calca'do i
n. 5, 4 rua do Livramento, ou na uiusina villa com
o Sr. Amaral.
Banhos em Olinda
Camisas e calcas de fazenda de boa qualidade,
proprias para os banhos em Olinda : na loji dos
areas, a rua Primeiro de Marco (antiga do Crespo)
n. SO A, deGnrgel do Amaral ^ C.
Vapor de nova invencao.
Vende-se uma machina de novo systema uue
trabalha por meio da uma luz do gaz carbonico ,
da ferca de dous cafalloe, proprio para qualquer
saachinismo, sem uso algum : a tratar na rua do
Vidal de Negueiros n. 38, padaria.
o gigo dc 12 garrafas.
Venda-se de pfeferenoia, ou arrendu-sc o [
enseaho 8. Caspar, sRo na freguezia de Seri- >
Bo acha a venda na rua do ComaieiTio n. 24,- oWeni: aom honV nartid^w do einna. de paul cl
naassap^, a roda da raoeoda. muito perto do em-,
narque e coin oufra*s proDoroes desejavcis em
taei. proprielades. Did se algun* anno3 de fogo-
morto ; a traur a rua da Anrora n. 65.
'- v"6B.le-se nma- taverna
Doyle.
contmua vender muito baratc^'ba'ra apurar r-0 66
muito dinheiro.
GASSA LA -_____'
Chegoo esla fazenda.sendo lindos padru&s, c ven-
de-se pelo diminuto preco de 200 rs. o eovado, e
pechincha r dao-se amostras.
, BfBTINS
Broprio para veslidos o que ha de. Hiaii gosto,
padroes novbs, pelo preeo de 400 re. a eovado. c
pechincha t 1 I doS-se amostras.
LAS E3COCEZAS
Lasinhas escocezas, padrSes bonftos. j 250 rs. o
eovado.
Dftas-ebnf li8fraS,;,pftdroes rnodernoa. a 280 rs. o
eovado.
Ditas ia c seda, padroes modernos, a 010 rs. o
eovado, e" pechincha I I I d5o-se amostras.
ALPACAS DE CORES
Alpacas de cores, padr6e3 bonitos, fazenda de
1*000 a 400 o eovado, 6 pechincha I I '. dao-se
amostras.
CRETONE
Cretone em p_ecas pequenas, com bonilos pa-'
droes, pelo diminuto preco de 400 rs. o eovado, e
pechincha I t dio-se amostras.
ortes de casemira di cores, a 52'. 08 cada nm.
Cambraia de linho de cores, a 360 rs o eovado.
Ditas pretas para Into, a 240 rs. o eovado.
PastSo branco para roupa de m?ninos, a 360 rs.
o eovado.
Rrim pardo e de cores, a 400 e vado.
Cobertas de chiia adamascada, a 3 Colchas brancas e com barra de cores, ;i uSOO
e 4*000.
Lencoas de bramaute, a 2*000.
Ditos de algodao, a 1*100.
Toalbas alcochoadas, a|6*000 a duzia.
Ditas felpudas, a 0*500 a dnzia.
Len^os de.ca'ssa com barra, a 1*000 a duzia.
Ditos de oassa abanbados, a 2*000 a duzia.
Ditos de esguiuu Ono?, a 3*500 a duzia.
Cambria Iisa muito finas, a 3*000 e \$Sw
Cambraia transparente a *.
Atoalbado adamascado, a 2*000 a vara.
Dito trajacado, a J400 a vara.
Fustoef df cores, a 1*000 o aorte.
Chales de merin6 lisq. a 2*000.
Bftos1 cstampados,'a SJBOO, 4*0"0-e 4*800.
Ditos com listras motto finos, a siSO'l e 6*000. |
uS6 na rua do Crespo n; 20.
I-oja de
Guilherme & C. '
' Cafe do Rio 7~
Vende-se na raa do Marquez de Olinda odi le
Fiado!
Rua do Barao n. Vietoaia
n. 22.
O proprietario do estabelecimento Bazar L'ti
versal tendo do transferir o mesmo para outre
lugar e tendo grande deposito' de MacHiaasd*
custura de todos os autcres, resolvea vender s
PRAZO, mediante a convencao que se ptider fa-
zer com cs pretendeules : a rua do Barao aa Vic.
toria n. 22.
Antonio Duarte Carneiro Vianna.
De CAsainenfos
De baplisadoss
De bailes.
De soirees-
De nlmocos
Me lanuhes
De blckiiirks
De reins.
*
He todo de (ndo
S&eneafwga a coafeiWriddo- Cdcnpo.
E alem disso
A confeitaria do Campos
Esta seoapre provida
De tu'lo qnanto e precise para
Uma baa mesa.
Rua do Mpemdor n. 24
FIO frE
MH *. aadar da caa n. t.
casa da rua das
rua do Msrqucz
- Aiuga--o i:y;a ujcraya^Bara cu/.!iibar oa en-
K'lmmar em ca a i!.'T.miilia p-t pr.^.anniniodQ,
rr u-r um lllli > de 1. X annoj <,uwn, |)reci*a/
dinja-so cm Ha n uoaru da* uliuu a sobrado
junto do camiioi i > ingii-c
J. o c.
Tem para WPT*
Bitter, de Angostura
.;,Whisky
Cha ftretOMH iaM 4*'40 Moras.
,iLt!11Br.^g^> '^^^wAm : M^*^7^w on a prazo, na raa de Hor- Jna> pelo di -
*ruaa>*u*.ai iMMlli m. *. tai n. 8i, aatiada jaimo preco de 400 r*Ucr)Vftfr.
em pon'o peqneno,'
; JjjrupR'apara qnau anizt-r prioi-ioiar : aa rua do i
vSidiigael, em Afogados,. 89 : a tratar na mesma'
.4 ceta o sau praprieiario. i
Esgniio mnito fino, h 2*000 a vara.
Brim preto trangado, a 2*000 a vara.
Bramante de algodao, a 1*600 a vara.
Dito de linho de 9 e 10 paimos da largnra, a
2*00 e*800 a vara.
Algodao marca T, a 5*000 a peca
Dito domestico, a 3*000 a peca.'
E-
TBm nara ttmd^etri a^^i
JoeG*caveiBra Ao feeHb sexo.
Brt^ r?S i*O02i-pes*- '. J;<^^^^ireoeperarari.ti5orttAdetaza
Brim de aljDdio com hstras propno.para cami- de *da, ftzenda,., intaiiamaou .nava.' atndenv
^"r I**.!!?1111 de amarello em_p_or- sas, a 400 rs p ciJvado. ^p^ baratiriw't|
ileM I
barat
|u se ai-ibeai
Marca a. 1*.
25



t
%
I
i
\


)
i

V
Diario Je Peniamtweo Quarta feira 12 dfr N DE HOWE
DOIS POSPOMOS
SOARES LEITE, IRMAOS
UNICOS AGENTES
Rita do Barao da Victoria n. 28
N. *--Riia do, Cfebuga.^-N'.
JOSEPH KRAISE & C.
GOMES l)E!UAtTOS4RHAO
A\isam ao respeitavel publico desta cidado que b sortimento de jojas, de siibido va
lor, que existia cm seu estabelecimento, esti coropletaraente reforcado com o mais h>
gante sorlimonto de Dovas joias, que receberam directamente pelo ultimo vapor da Eu
ropa, constando elle do mais variado sortimento de aderecos a Boulevard, pulseiras dt
ultimo gosto com pedras preciosas o sem ellas, brincos d'argola, agraffes para relogio de
senhoras, delicados aderecos para meninas, meios aderegos de camafeu lindissimos, voltaf
de nogordios para senhoras, correntes inglezas de ouro e de platina, variada quantidad*
de botoes para punhos e peito, com emblemas maconicos, de onix, tecido de ouro, etna-
i-S tnais Simnlefl a,H mfliq hflrfltas A A mAlhnrAa Ai\ mnvwi/J feu* t16'' bri,hanles monstrosde rarissimas agoas, em anneis, rozetas, pulseiras'alfire-
BiiiipieB, dS I DaraiaS as meillOreS aO munaOl | tes e botoes, e outros muitos objectos de ouro de raelhores fabricates de Paris, que s
Extraordinaria pechincha.
2#500
Colchas de alg )Jao adanaascadas para caraa
pelj baratissimo preco de 2*500 na loja dos
^aicoa, deGurgel do Amaral 4 C. a rua Primeiro
de Margo (antiga do Crespo) n. 20 A.
Na exposicSo de Paris, em 1867,
Elias Howe Junior, a medalha de ouro e a condecora-
cSo da Legifto de Honra, por serem as macbinas mais per.
foi concedido a. venderao com grande rcduccSo de precos., por serem elles recebidos directamente de seii*
1 committentes.
Os proprietarios do acreditado MUZEU DE JOIAS, tendo sen estabelecimento aberti
feitas do raundo.
A medalba de ouro, conferida a E. Howe Junior, nos
Estados-Unidos por ser o inventor da machina de cos-
tura.
A medalha de ouro na exposicio de Londres acreditam
estas machinas.
ate" 8 horas da noute, convidam as familias que se quizerera prover de lindas joias,
virem escolbe-las & vontade, para o quo esi> em exposicao nos mostradores.
A 90S000
Cabo-nos o dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
fork, ostabeleceu nesta cidade a* rua do Barao da Victoria n. 28, um deposito e agencia
aral, para em Pernambuco e mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
do Howe. Estas machinas sao justamente apreciadas pela perfeicao de seu trabalho.
ARMAZEM
-r^ DE
Fazendas Unas
NA
Rua de Marco n. 7 A.
DE
Cordeiro 8imoes <&G.
Agua florida, de Guislain,
para fazer ps: cabellos pre-
tos.
A aguia branca, a rua Duque de Caxias n. 50,
acaba do recebernova remessa da apreciavel agua
florida para fazer os cabellos pretos. 0 bom re-
sulttdo colhido por quern tern feito uso dessa
inoffensiva preparacao a tern altamente conceitua-
do, e por isso apenas se fa* lerabrar a quern no-
vamente dclla precise e queira se aproveitar de
sua utilidade. Tambem veio asraa de
Dice fin*ile Gi.ioba
Vende-se
na vrnila I.apa
no patuo do terco nn. 4 e 6, dnees
fiaos de todaj a imalidades e pelpa, a retalho
pdr ataeado : unica casa que raelhor pode servir
aos compradores. As terras e sexlas feiras ba
reqneijio.
Wil-on Rowe & L. vendem no seu armazem
a rua de Commercio n. li :
0 verJadeiro panoo de algodio aznl amencaoo.
Excellente fin de \ela.
Cognac de 1* qualidade
Vinho de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as qualidades.
E' esla casa, sem duvida, uuia das que hoje,,000*" aquella.
veio agua de
oleo Qorido para o uiesmo vao, e Uo ac
topasio e
rediiados
- pode com primazia aprcscntar aos seus freguezes \ Vnllfl i A hrin*nft t\a crmasma
ue g!USU
oela introduced dos mais aperfeicoados anparelhos, estamos actualmente babilitados a ra ?rande toi>ette; assim como, para o uso ordi- [ aliofarpq nano de todas as classes, e por precos vantajo-) o-ijvxaico UG VUICS.
sos para os compradores, de cuja fazem um pe-' A aguia branca, a rua do Duque ii Caxias n.
queno resuir.o. SO, recebeu novas e bonitas voltas e brincos de
fcreeer ao exame publico as melnores machinas do mundo.
As vankigens destas machinas sao as segumtes:
Pnmeira.0 publico sabe que ellas sao duradouras, para isto prova incontestavel, a
.ircuinstancia de nunca terem apparecido no mercado machinas d Howe om segun-
'-* nao.
Segunda.Contem o material preciso para reparar qualquer desarranjo.
Mandam fazondas as casas dos pretendentes, grossos ^Ijofares do cores, e como sempre couti-
para o que tem o pessoal necessario e dao amos- nu a vende-las per prejo commodo.
trasmediantopenhor.. Novos diademas dourados e
A aguia branca, a rua do Duque
recebeu novo sortimento tie bonitos diade-
50,
mas dourados e com
como para senhoras.
Cortes de seda de lindas cores.
Ditos de gorgurao de cores.
Terceira.-Hanellas menor frfccSo entre asdiversas^cVs^menoVrapido estrago gSSS^"^*^
o que nas outras. ^ I Sciim Macau preto e de cores.
Quarta.Formam o ponto como se fdra feito a" mJo. Grosdenaples idem idem.
Qatuta.Permitte que se examine o trabalho de ambos os nos, o que se nao consegn Xf!^, Pfet0-^ ,
**j outras. HUD ao uo <^!i Granadine, eda preta e cohsmasrt de cores, lin- finllpnnopq <1p trflfllnrlna
' W, P.TAm j .. -d,ssimas P^r5os e fazenda da ultima moda. v*met'Voes ue tiaSiaaOS
sexta.Fazem ponto mmdo em casemira, atravessando o fio de um i outro lado,
logo em seguida, sem modiiicar-se a tensao da linha, cozem a fazenda mais
tea.
com pedras.
Caxias n.
os diade-
pedras, tanto para meninas
AnloniodeMuraRiliiiiH,.
VENDEM :
Optimo cafe" do Ceara", e algodao
de Maceid preferivel ao da Ba-
hia
A 400 RS. 0 METRO
VENDE-SE
uma casa na villa de Barreiros, na rua do Com-
mercio, por precp modico : a tratar com Tasso
Irmaos 4 C
Novo estabelecimento de
cera.
Na cidade d Victoria, a rua da Imperatriz n.
i8 A, vende-se e trora-se cera de loda qualidade,
a qua! se affian.a por ser feita na terra, e o seu
autur foi premiado na exp< sii,-ao de 1869.
Vende-se uma excellente casa com no r"iu(no
Hio, sita no Arcajai junto a casa 4u Sr. AA>rimo :
a tratar na mesma casa, e para incrmaiom 2a
tavarna -j Queimfdo n. 3, landar
Venle-sc a taverna do paieo d" Ti-rjo n.
II, bastante afreguezada e com p< uc s fi.i.iJos,
prepria para principiante, e a razao se uira ao
oomprador : a trator na Vende-se
no eslado em que se acha 0 sitio esi-tenre at
lugar dos Remedios, freguezia d .< Afn^ad s o
21, hoje becco da travessa dos RfinVdi s n 18,
em chao proprlo, quem 0 pretender m" a* se
com 0 sea propriutario na rua de S. Francis'-),
como queni vai para a rua Bella, suLrAdo u. ltt,
que se fara todo negocio.
-jit

Agoas Ak(ilino-ttazos8S ds Pe-
dras Shlgadas.
Villa Roucade Agjuiar,
BICAKBONATADAS-Si \W*S
Analyses tlo Dr. .Iiise J >! n.>i!rl--
gues, lenie da cscoli. I*>|te-
<-!ipiu dn Lisbon.
Esta excellente agua usada com van'aero nr a
padecimentos das vias digestivas, urioanas, do
eslouiago etc., olc.
Vende-se
NA
Pharmacia e 4roxaria
DA
Rua larga do Rosario n 3't.
Vende-se a bordn da bare* portugueza S. ila-
notl II, ou na rua do Vigario Tenorio n. 17, es-
criptorio de Tito Livio Scares.
SeUma.0 cdrapressdr 6 levantado com a maior facilidade, quando se tem de mudar
'- agolba ao come$ar nova costura.
Oitaya.Mtiitas companhias de machinas de costura, tem tido e"pocas de grandeza e
eoadencia. Machinas outr'ora populates, sao hoje quasi descoi-hecidas, outras soffreram
aadancas radtcaes parapoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
ogmentado 0 sou fabrico, e hoje aS attende a procura, posto que fa^a 600 machinas
C*da macnina acompaiiha livretos com instruccdes em portuguez.
\9fe000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS
do Barao da Victoria n. 28.
Popelinas de lindos padroes.
Filo de seda branco e preto.
Ricas basquinas de seda.
Manias brasileiras.
Coichas de seda para noivos.
Cortes de cambraia branca com lindos bordados.
Capelias e mantes para n ivas.
Iliquissimo sortimento de las com listras de seda.,
Cambraias de cdrcs
Ditas maripozas, brancas e de cores.
Nansuck de lindos padroes.
Baptista de padroes mui delicados.
OU
normas para escrever-se.
A aguia branca, a rua Duqqe de Caxias n. 50,
recebeu novas colleccSee ou normas para as crian-
cas aprenderem a escrever por si inesmo, hoje tao
usadas nas aulas e collegios, e como sempre ven-
de-as por preco commodo.
Meiae cruas finas para meni-
nas e senhoras
A loja d'aguia branca, a rua Duque de Caxias
PersaJinas de quadros pretos e brancos, de Jia-.j>n- 60. rec'ebcUnovo sortimento daqnellas tao pro
tras, etc. \[curadas meias eruas para senhora, vindo igual-
Brins de linho de cCres, proprios para vestidos mente para meninas, e contimia a voade-Jas
com barra o lisiras.
Fustao de lindas cores.
Casaquinbos de la e do todas as
por
MCHINAS PARA COSTURA
A 25^000 e 45#000.
mm pospontos
Na lojade Soares Leite Irmaos, d rua do Barao da
Victoria n. 28.
pellica
compequeno toque, j Espelhos demoldura dourada, de todos
os.tamanhos e precos.
para collete, grande sorti-1 pDJDmg E MIUDEZAS.
Lavas de
a 200 rs.
Abotoaduras
monto a 120 rs.
Caixa de linha de marca, a 200 rs.
Lamparinas A gaz, dando uma luz muito
boa, a 19000.
Duzia de pec,as de cordao imperial, a
240 rs.
Caixa de botdes de osso para calca, a
200 rs.
Duzia de carrcteis de linha, 200 jardas, a
GOO rs.
Idem idem 60 jardas, a 240 rs.
Mayo de lita chineza, a 800 rs.
Caixa de linha com 40 noveUos, a 500 rs.
Meios aderecos com camafeu, a 500 rs.
Garrafa de tinta roxa extra-fina a lt00
Potes com dita ingleza, preta, a 100 e
160 rs.
Caixa de pennas Perry, muito boas, a
19000.
Idem idem, a 400 rs.
Caixa deenveloppes tarjados.a.500 rs.
Idem idem forraaos, a 700 rs.
Caixa de papol amisade, beira dourada,
a 800 rs.
Idem idem idem lisa, a 600 rs.
Duzia detalheres cabo branco, 2 B., a
59000
Rosma de papel pautado, a 49000
e59800.
oleo
E
Onza
verdadeiro, a
Frasco com
19000.
Idem comtonico de Kemp, verdadeiro, a
19000.
Garrafade agua florida verdadeira a 19200
Garrafa d'agua japoneza, a 19000.
Idem idem divina, a 19000.
Idem idem Magdalena fnovidade) a
19200.
Caixa de p6s para dentes, a 200 rs. -
Idem idem de p6s chinez, muito bom, a
500 rs. e 19000.
Pote com opiata de Rieger, Rimel e Gros-
nel, 19U00.
Duzia de sabonetes de amendoa, a
39600.
Duzia de sabonetes de anjinho transparen-
tes, a 29200.
Idem idem com fldres, a 19500.
Sabonetes Glycerino transparentes, a
19000.
Caixa com sabonetes, formato de fructas,
a 19000 e19500.
Cosmeticos, graudes e pequenos, a 100 e
800 rs
Frasco com agua de colagne, a 200, 320,
500 rs. e 10000.
Extractos muito linos dos mtlhores au-
cures, para se-
nhoras.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas idem idem
Vestuarios para meninos.
Ditos para baptisados.
Chapeos para ditos. .
Toalhas 0 guardanapos aJaraascados dc linho de
cores para mesa.
Colchas do h.
Cortinados bordades.
Camisas bordadas para hometn.
Meias de c6re para bomens e meniuos.
Complete sortimento de chapeos de sol para he*
mens e senhoras, com cabo de marflm.
Merino de cores para vestidos.
Dito preto.
Atoalhado de linho c algodao para toalhas.
Atealhado pardo.
Brins de linho branco, preto e de cOre?.
Setim de lindas cores e com listras.
Chales dc merino de cores e ptetos.
Ditos de Casemira.
Ditos de seda preta c de Cures.
Dito de touquim.
Camisas de linho.
Ditas de chita.
Ditas de flanella.
Ceroulas de brim e algodao.
Damasco do la de cores.
Pannos de crochet para cadeira, sofa c consollos.
Colchas de dito.
Tarlatana de tudas as core?.
Kspartilhos lisos e bordados.
Foulard' de seda.
Ca?acos a tricot.
lliios cones de vestidos de linlu para senhora,
de di ersas cores, com os competentes enfei-
tes, ultima moda.
Casemiras pretas e de cores, chitas, madapoloes,
cambraias, panno fino prelo e azul, collannhos,
iunhos, gravatas, luvas de pellica, ditas d Bo
le Escocia, brancas e de dores, tapetes de todos
os tamanhos, bolsas de viagem, etc etc.
Na loja do Passo, rna Primeiro de M arco d.
A, antiga do Crespo.
precos coininodos.
Veos ou mantinhas pretas.
A loja da aguia branca, a rua do Duque de Ca-
xias n. SO, recebeu- bonitos veos ou mantinhas
pretas deaeda com ilores, e outras a imiUcao de
croche, e rende-as pelos baratos precos de 34,
i 0 6^000. A fazenda e boa e esta em perfeito
estado, pelo que coniiuua a ter prompta extrac-
gao
Perfejta novidade.
Grampos com borboletas, bezuuros e gafa-
pliptos 4ourados ,e coloridos.
. .A loja ljdji aguia branca, a rna do Duque de
Caxias nJ^V recebeu novos grampqs com bor-
boletas, KKuros e gafanhotos, 0 que de carts e
perfeita novkl.de. A quantidade e pepuena, e
por isso em breve ae, acabara.
Novas gollinhas omadascom
pelueia. ou arminho
A loja d'aguia branca a rua Duque de Caxias,
Jornal de Fabio Rusiico.
Revdatoes ao povo.
Esta folha, destinada a desmascarar 0 jezuitLsmn
aos olhos do povo, e de ic.ula exciusivamente a
guestao du dia ; schase a venda na typograpbia
do Commerrio, nas livrarias da cidade.
Preco 100 rs.
SunHnario do i. numero.
MoGna.Ao povo. Prospecto. Jesus. Jn-
mento.-Loyola xsassino. A majonaria. Pom
exemplo. Exjinls'-o dos jesnitas. 0 processo do
bispo.Ultlma-phHse. D^stacamento.As madres.
Caixa pia. Cattwlica Seminario.Aviso.
0 abaixo assiguado jul,.a ate a data de In je
nao dever nada a pessoa id^uma e aquelle que
se julgar seu credor queira ojmparecer na cida-
de de Olinda rua das Manpueiras n. 7.
Jose da Graca Torres.
f*^]Sal d'4veiro.
% Vende-se na rua do Commercio n 48, primeiro
ahdar.
as pri-
1'd.le
Idem idem liso, a29800, 39800 e 59000. tores.
Coques modernos, a 39000. j Lindas e elegantes caixinhaa com perfuma-
Duzias de pecas de trancas de caracol! rias, proprias para presentes, dos autores
branca, a 400 rs. e. Codraj, Rieger, Gene Freres.etc.
Idem idem lisas, a 200 rs. Quadros com samos e estampas separa-
Lequea de osso o sandilO] a 29000, 49 das.
e 69000. Entromeios e babados transparentas e ta-
Fitade veil ado de todas as cores e largo- pados.
J*' Uma grande taboleta propria para qual-
Microscopios com 12 vistas.^a 69000. quertej*.
Frasco com oleo para machina a 400 rs.
Rua do -Barao da Victoria n. 28.
ras.'
FAZEND4
A
400 rs. o eovado.
Lindas po&pelmss de linbo e seda-to cores, tazenda muito
|j"eraiisofl(uaOmerJW!Ba Eoropa, e ioteiramente propria para
a presenw ta^loV|telo baralissimo prego de 400 rs. --
vadf. M
hit run Prinrieiro dc Marco (?,ntiga do Cwspo) n. it,
dus Columnas; de Antonin Correa da Vascoucellos.
fearj-

rnwio
UQUIDACAO
Fundicao da Aurora
Grande sortimento de:
Moendas de todas as quaiitfo-
des e tamanhos.
Tachas fundidas e batidasy
idem.
Rodas dentadas e angulares,
idem idem.
Machinismo, idem,
Varandas, gradeamentos p^r}
ra jardim; etc/eto.1
Tudo sevende por preoesi
muito em conta para" aca-'
bar.
N.B.
G. Starr AC, em liquida^)
cjio, na fundi^ao da Auixwaj
em Santo Amaro.
Sal do Cabo Verde.
Tem para vender Jo.iquim Jose enoal-<
ves Beltran <$ Kilho, a liordo do b-igo#po-
tugui-z V.Arma, fundeado drfronte-do tr
piche Atfnnd^ga Velba; a tratar a bordVot-J
no seu escriptorio
n. 5.

AT
Vende-se nma linl.i
victoria com 4 assentoav
fe>3 d. encnminenda em Paris, cum arreios aafa
dims cavallos.: na rua da Aurora n. '0, onda
dna -er exaniu rh manhJ a
da tarde.
na rua da 1'ei.ha n. 25, andar.

- SO, recebeu nma pequena (iuantida.de. de boni-
s e novas gollinhas, trabalho'de \& e seda, en-
neitadas com arminho, obras estas de muito gosto
e inteiramente novas.
Grampos, brincos e rozetas
dourados.
A loja da aguia branca,' a rua do Duque
Caxias n. 50, recebeu novamente bonitos gram-
pos, brincos e rozetas. dourajoe,;. assim como
novos diademas de aco, e crJmo.sempre conti-
ntia a vende-los por precos razoaveis
Caixinhas com pos dourados -
e prateados, para eabeUoft.
Vende-se na loja da Aguia Branca a rua do Du-
que de Caxias v. 50.
Luvas de pellicapretas e de
outras cdres.
A loja da Aguia Branca, a rua Duque de Ca-
xias n. 50, recebeu novo sortimento de luvas de
pelliea, pretas e de outras orea
Vinhos *de Bourgogne
das marca*
Chambertin
' PomrdaTd'"'
As unicas verdadeiras
Bichas hamburguezas qne vem a este mercado
na rur__Marquez de ulinda n. 51__________
Xarope d'agriao do Pard
Antigoe conceituado ruedicamento para
cura das molestias dos orgaos respiratorios,
como a phtvsjca, brOnchitas, astbma, etc..
appbeado ainda com optimos resultados n<'
escorbuto.
Rua do Brum n. 76
Vende se zioco puro de superior qualidade,
proprio para coberia? de casas, medindo 11 pal -
4 de largo, por prejo mnito
mos de comprido o
em conta.
Burros a venda
J. Deiro avlsa a sens fregneses que esta em via-
gem para as provinrias de Aia conduzindo excellente tropa de burros ; passara
Kr Penedo, Pilar, Ca-tinha Grande, Porto Calvo,
rreiros, Bio Furmoso, Escada, Cabo, e provav-el-
m'ente por Santo Amaro de Jaboatao a Nazareth ;
por isso pode ser a vis ado ou encoutrado em qual-
3uer destes lugares. Larangeiras, 20 de outubro
e 1879.
Armazem do fiimo

Vofnay' "
Bcanne "
MdbtheKrf"
Dito Bordeaux era quartoHa&i-'
Vende-se por toatw prep
j PARA LIQUIDAQAO BBOOIWM*
Rua Larga Romtrio n
Botica.
Rua da MadrodeDcus n. 10 A.
Jose Domingnes do Carmo e Silva^ariicipa aot
sens freguezes e amigot* que no seu armazem a
rua da Madre de Iteua n. 10 A, se acha um com
nleto sortimento de fumo em fardos de palente t '.
J." e 3.*i sortes, dos melhores labricantes da Sahia
e bem assim a flur d- todos os fumos de corda
em rok%pacote>, lata- grandes e peiiuens, tain-
? dee mm acrwlKados fabricantes Torres a
Araujo. Luaur, Adlpbo Schuidt k C, Lizaui
Schmidt & C, Veigas a Aranjo, Trindade & Ave
lar, Teixerra Hinti) A ivrttll* (garantido pelos-
otesmos) e de outros aiudx nao conhecidos pelo
publico desta capital. Oaununciante declara que
todo fumo que for vt-ndido em sua casa sera pelc
seu justo valor, e que quando garantir a respecti-
va quaKdade1,"Hra 8ince*o, mui particularmentf
com as pessoas i|Oe pouco eutemtam da materia .
pois para bem *enir a todos. tern o anounciantf
aionga pratica dp 15 an nos rieste commercio. .
Vernizes especiaes para tarn1,
gens.
Este verniz, cuja falta a^ui tanto ser-om
os Srs. fabricdiit s e possuiJeres dp "nrrui-
gens, acaba de cb>gnr para seu urr 'epo-
sito, dts s-'guintes qualidades.
VE1MZ StlKRFI>'() PARA LA*X. BE
CARKLACKNS.
E' urn verniz mnito claro p durjupl ; Ta
as caixas de carruagens, pnr- t<>|lns a? maos, ou para a ultima simmui-, sohre
outros vernizes. A superfine si-ccn tin 12
horas, depois das quaes se expde ao .ir uc
algum tempo, o que faz endurvver, c. p -.-s;i-
das 15 a 18 horns p6de paajar-se a caixa a
pedra pome o dar-lhe em segniila out a de-
mao. Dau-se com-facilidade ires -i.-inar;*
doste verniz sobre as tintas, elp trns >.ias.
A primeira demao scrvindo cIm apparvlbv,
ajuda a seccar as ultimas detolos e proJuz
um excelluute brilhn.
%'erniz Miijici'iui* seccanic porflk
fi-.rriiK^en*..
Este verniz e da mes.ma c6r que o tnte-
cedeute, mas endurece e'secca com mais ra-
pidez. Einpregn-se com bom exilo nas
nbras urgentes, e p6de misturarse ci.n o.
anterior. A dura^ao do verniz permanetlte
diminuc na proporjao da mistura.
VERMZ SUPERIOR ELASTiCl.O PARA OS
JOGOS DAS CAHRUAi'ESS
Nao e" tao claro como o vernrz para as
caixas das carruagens. Empr.-gi se nosjo-
gos das carruagens e tambem para
meiras demaos sohre cdres esnira?.
passar-se a pedra pome passad-is in horas,
podendo dar-seein seguida nutra r!pm*t>.
Verniz preOu do Japuo, Nii|iirtor.
Para trabalhosem preto de (.iirimgens.
Produz o preto mais escuro e hrilhuite, e
p6de passur-se a pedra pomes 10 boras !o-
pois. Deve dar-se duas deinaos solne um
fundo preto e Cobrir-se com outras duas de
verniz que se emprega nas caixas das carrua-
gens.
VERNIZ PARA COUROS, aBRlLlIANTL E
ELASTICO.
Este verniz, con tendo na sua composirao
grande quantidade d'uma subslancia mnito
semelhaute ao azeite denomii.adi.^/-ds ba-uf,
6 o unico que da* flexibili'tade aocouro ve-
fbo envernisado. Em geral bnsta uma de-
m5o que deve ser applicada muito lig.-ira-
mente, com um pine-el depois de t limpo
o couro coin agua-raz. Exposto ac ;ol aao-
ca em 1 ou 2 horas, e & sombra mas ao ar
secca em 4. Em tempo humiloe iuutil tal
trabalho, por que nao 6 possivai t mar o
veroiz elastico e seccante ao miasmn tempo,
Vcruis para appar^lho.
Depois do ter apphcado 2 ou 3.i!om deste verniz n'um intervallo de 8 h-ras, de-
ve-se deixur a obra intacla por 2 ou 3 dias,
no rim dos quaes se p6de puhr com extre-
ma facilicidade. E' essencialinente neces-
sario cobrir este \erniz com duas dem.los >lo
verniz superlino para caixas de carrua-
gens.
VERNIZ SECCANTE.
Mistura-se com as tintas du apparuho, o
sobre tudo com as tintas moidas, para ijue
sequem mais fncilraente e para lues dur
mais cousistcucia.

T<
:


V
I
INGER.,HHI*rfH
Para attendervaes numero-
ses pedidos stl 'resolvido a M
tendersuas.afamadas ittacki-'i
nas de costura
A
)
CASA AMEANA

TntWat
Narua eslreiudo Rosario n 28, vende-se mobi'
a rua do tomroera i na, dejacirandaj uma' mea etaethJB-de.80 pMOot;
um guarda louca grande, uma caraa de ferro e
mais pe^as avulsas, todas Dem constrnidas, por
preco mais coaimodo do que eta outra qualquer
part*
Pechincha
Lisinhas, fazenda de U por 40O.r- o eovado,.
l*!?!^? J^largurade alp'C-.j-iJrdes.b'
tnOfl-MEuiu: _cabra (b.}h6), W-feitehif*' AVnmtras r na rua drj SMfp9l% Ha do Gui-
Iherme dt C
Em seus armazens a* rua do Amorim
< n. 37 ci'-- do Apollo n. 47,
tem rpara vender por precos commodoi
Tijolea eaearnados sexuvoa para ladrilho.
. Canos de barro para esgoto.
Cimento Portland.
CunffljW-HvdraiJlicc.
Macnteas ie d*scarocar algodao.
i Macmaaa .de padaria.
, Potass* da Russia em barril.
, Phospnorps de cera..
SagU em garrafoes.
' Sevadinha em garrafSes.
1 LeatMnOl eat garrafoes.
Rhum 4a aJmaica.
Vinho toPftrto velho engarrafado-
"VmbdwPorto superier, dito.
ViaWrle Bonleanx, -dito.
ioVinno de Seherrju
^;Vinho d.tt*Ueira. -
Potes com linguas e dobradas ingleza*.
.Ltceres finos sorti dos. .
''Cogtfae eaalfeier Freres.
Latas de toucinho inglez.
nJBarris aaa em sa I moura
*J
*se
um sitio'no higar da ''a-i Korte com 520 palmos
W frente e 570 ib> lOstata poaoQ mais ou meaos,
com casa de p.lra e cal, 7 quartos, 2 =ala, co-
ainha fora, i ca'-imhas e diverts arvoredos
de ructos ; assim como. nm outro menur na tra-
vessa da mesma, voliambi para a estrada qne vai
para o Arra'al. ema ea-a de pedra e cal, con 4
Snarlee, -tviiuha fora oaciniha alguns alvore-
n de frnrtj : n {-..:: do Carnw n. 3, on na
rua das TrJBsh?ira- n. I.
th* es |i r:i srnii m.
Como nao e necessario dar lustro a ultima-
demao de verniz empregado nas caixas do
carruagens e no dos jogos, convein da lo
n'um local separado abnde nan i ;.j. p6.
Quando a obra urge,- deve pdr se a son.bra
e ao ar bvre depois de secco, isto e, paasa-
das 42 horas, lava-se e enxug.i-su bem con
uma esponja humida. QtiMflWfc mais vexes
seltzer isto, mais bnlhante fu.ua o vvrnii,
e mais depressa ss terminara* a carriMgeru
(emcaso necessario tres dins depois d- ulti-
ma deroan). Durante as duas ou tres pri-
meirassemanasdeve-.se lavar a ennuagem
com agua frtsca, depois do ter ser-
ido.
Os frescos devem conservar-su s- mpro
hermetieamepte tapados, o n-stw rli vi-mic
nao se deve deixar Gear no fmsi-o, e podo .
usar-se para as primeiras demiios.
NiO'deve misturar-secomuste verria oo-..
nhum outro iugredieute, nem aj:ua ra/, o
de nenhum modo com o secratite. L' pre-
ciso limpar bent os vasos e os puueis e 0
melhor e servir um piucel para cada ver- .
niz.
Deposito unico para o Brasil, Bartbolo-
meu <& C, Pernambuco, Rua do H<.a~
rio n. 34. V
BATISTAS ~
a 400 rs. o eovado, a rua do
Queimado n. 43 j em f ente*
a pracinha.
Batista* linas com Jindos desenho- a 400 rs. c-
eovado ; sd a cua do Queimado n. i(, loja di.Guer-
ra .I
Jjadajiolao fami
a 6,^500 a peqall
Madapoiao frawez nno com U'-n-' njoa 6150
a peca ; e oechincha 1 na rua do Que.au.;.. uu-
mqru.il
A loja rto ':.i,, a ma uo i.n*,..- a. 7 V, roce
:u pelo
beu pelo nll..u.> :-.|u>-i", ncu:
nhora ulttaa muda.

ftelha. no Jordlo, lugar muit'->
, pun |'ura -e
oi..it>cos para se- das a tra>*r no me I de telha, pauando a bouiba.
V.
s.t*
-.


8
Diario de Pernambueo Quarta feira 12 de Novembw dc 1673.
JJTTERATDEA.
Nati RECITAD.Y NA LEGAgAO BRASII.F.IRA E OFFE-
RIXrOA AO EXM. Sft. BAKlO DR PORTO
SKGURO, ENVIADO EXTRAORDt.NARIO E MI-
MSTRO PI.ENIPOTENC.IARIO DE S. M. O
1MPERADOR I>f> BRASH., E VJCE PHESIDENTE
DA CO.M.MISSaO BRASH.EIRA NA EXPOSICAO
UNIVERSAL IiE VIENNA, POR MANOEI. DE
ARAl'JO PORTO-AIXGRE, SEGRETAR10 DA
HBSMA C.OMM1SSAO.
Ao dia ? de. setembro dc i&73 em Vienna,
Quo jubilo de amor, de santo onlcvo,
Neste Jia augustal saudar a Patria ;
Re.passados da fe mandar nossa alma
Sobre o mystico adejo da saudade
Ao bergo em que vagimos, ao Elysio
Omlc folgamos junto ao seio amado
De nossas boas mues, onde colhemos
Beijos vitaes, amplexos de ternura,
K esse amor, queendeosa a Brasiieira.
Eu que servo nasci na idade inculta,
Quando a plants rent pisado o solo
Do immature Grasii inda 1.80 tinha ;
Que na nrdento pufricia ouvi o brado
Do Principo expandir-sc como o liune
Da sacra rede.:r.pg."io ; quo vi a marcha
De briosas phalanges ao combate,
Tendo no brago da aggro-sao a espada
fi no que csruda o coragno, fulgindo
Esta divisu : imiltendkncia Of morte !
Quanto nao de\o ao memorar tal dia,
Abrasar-me de nfTeeto o de saudades.
Fundindo os coragdes n'um voto acorde,
Que ventura r.Eo 6 hoje reuuidos
Neste piso, q te e patria, asylo, e guarda,
Igualment'j saudar o berco augusto
Era que as auras vitaes fruio d Virgem,
Quo unida a Pedro, o Kdador, nos dcra
Aditaodo o Brasil, Pedro Segimdo,
SaKc I Eilho de Pauonia !
Eu te vi co' o Esposo ovante
Quando o Brasil cadiante
Bradou : Jd nao sou colonia!
E rempeu com heroismo
0 sccptro do despotismo.
Quando o Siho do sertao
Aecorreu ao litoral;
E a assembled cm Portugal
]Nos votavfi a escratidao :
DOS [be dissemos : Basla ;
Nao es irmfi, es madrasta !
Vem, minua musa esquecida,
Dame a lyra abandonada,
jftemoga.est'alma quebrada.
Alenla-me o estro, a vida,
Que eu nao piso urn solo bostil
Ao Iraperio do Brasd.
-Piso a terra da seiei.cia,
A que a voz nossa acolheu,
Que prima reconheceu
0 verbo da Independencia,
Que fundou n'outro hemisphcrio
Nova naguo, novo imperio.
Oh nao foi urn vot > dubio,
Foi a sancgio gencrosa
De um Pai d Filba amorosa;
Foi o abrago do banubio
Ao Janeiro triumphante,
E a* Bahia militants.
. VTadobona irrnS querida,
N) ten solio hospitaleiro
Acoita de urn brasileiro
Esia prece.agradecida:
Do Seithor, rei das alturas
Sobre ,: desgam ventures.
i. o que era entao esl'Austria ? Era a atalaia
Da puz, e o zek Do direito dynasties, abrogalo
Pelo gla.lii e canhao do novo Attila,
Quo onde punha o pe um rei calcava.
fi nos thmnos, dos evos rospeitados,
Seus amoucos imbe'ecis assentava.
FGLHETM.
SUCSSCIA SQfiE-ZA
MEM0R1AS OE SATAKAZ
POR
fi.SIuiiuelFernandezy Gonzalez
PRIMEIRA PARTE
0 GRAN-CAPITAO.
XI
EM Ql!E LUCRECIA COHEgA A CTILISAR-SE DE
BONVINETTO.
(Continuagdo do n. 258)
Que pega o que quizer I Ah para
tssoseria necessario que eu acaba^sii de ce-
gar, que eu acabasse de enlouquecer. 0
quo eu quero, ja" a senhora o sabe ; faca de
conta quo lh'o nai> pego, q"ie nao estou lou-
coainila,que nao quero mo-rer, porque
quando morrer deixarei de a ver ; nao se
mostre on fa ! lh fallarei n'isto. Quer ter em seu poder
a fonnosa Angiolina Crespi ? Te-la-ha, e
te-la-ha por baixo prego, porque eu nao exi-
jo cousa alguma.
Quando ?disse Eucrecia accentuanlo
sombriamente a sua perguuta.
Quando ? Quanto autes, esta mesma
noite. A seutiora odeia essa mulhnr pela
mesma razao que eu odeio desde este ino-
r^ento Gonzalo do Cordoba. Odeia-o por
que julga que o capiuo Gonzalo a ma e eu
odeio o capitao Gonzalo porque a sonhora o
ama a" file.
Lucrecia olhou para Bonvinetto de um
modo tei rivel.
Tem rnzSo, proseguio aquelle ; esque
ci-me da minha promessa, e nunca mais tor-
narei aproferir uma palavra a*cerca do que
sinto. Quer que me apodere esta noite
rncsmo d'essa rapariga ? Apoilerar-me-hei ;
nAo sei como, pnrein e esse o seu de^ejo, e"
essa a sua voutade, e por seu rpspeito sou
capaz de um impossivel. Ah sim, ja* sei
o meio. Se essa mother estd eoamorada do
gran-capit.1o, rleve estar louca por elle, e
dos loucos faz a gente o que quer quando
Ihesafaga a loucura. Eu sei onde dormera
as daraas da duqueza de Urbiao ; mais de
urn namorado me pagou parr the cantar de
baiio das janellas. Desagradava-me o men
offiek) de cantor mondigo, mas agora ale

K o ine era n Sfh^nbrnnn, inda em restauros
Dos horruras da giwrr.. oesta Europa
Desangrada -' calcada
Tola pi.tnu ,i^ uursu, sepoltado
Na roeha, em fur^nte o mar lancava
A seu pallido rosto e nua fronte
No mesmo vagalliao bisonos gritos
De guias e salves, de martyrio e gloria i
0 que era o velho throno, inda agastado
Da pocema e tripudio dos sequazes
Da falsa liberdade, que ensoparam
De sangue insonte o throno e o tugurio;
E abrindo os diques da Lllacia ao poYO,
Seus direitos mostravarn, occultando
Adrede alfos deveres, construindo
Na propria elevagio fdfo alicerce.
Gratos sejamos, ponderando os factos,
Ao grande genitor da Madre excelsa,
D'Aquelle a quem se devo a honra o gloria
De veneer e Brasil na plaga infesta
0 safio repto do verdugo insano,
Que em vez de louros sobre a terra patria
Deixou seu craneo n'um pendao rasgado.
Nobre imperio do Brasil,
Ja* n5o e"s timido infante :
Ao leu bra<;o do gigante,
Ao teu golpe varonil.
Morderam o ch3o mil bravos,
Do monstro cegos escravos.
Terra de amor e clemencia
l>e porvir alto e fecundo,
Onde o bom Pedro Segundo
Rasgou a lot antinomica
Pela de Deus, pela harmonica.
Onde, oh diviua Providencia !
Candida mao do Princeza,
Symb'lo de sanla pureza ;
D Rio-Bra neo a eloquencia.
Rasgaram da eseravidao
0 crimiuoso pendao !
Salve asylo pereunal
Da sagrada liberdadu,
Em que o humem ua iguallade.
Na harmooia fraternal,
Dice ao hornem : A'em Irmao,
E o cingio ao cora<;ao.
Agora, um so pensamenio
Devo o Brasil dominai,
Que e todo o povo educar :
Dar-lhe na idea o aleuto
Para igualar a graudeza
De sua aha tiaturezi.
Palma d'ouro amazonca, beliavrainba
Que em meio orbe teu imperio assentas,
Orlando a margom dosse mar corronto.
V6a. ao ceo do Eruzeiro, attrahe mil astros,
E siderea e falgeote adorna a fronto
Do Nume tutelar dos brasileiros ;
Planlas virentes, que do etherco asseuto
Bivernal estagao colheis, as auras
Mil perfumes langai; favonios, zophyros,
Condtizi-os a Pedro, o pai da patria,
Quo vela em Guanaba>a almo futuro !
Eedro, queelevas tua copa a*s nuvens,
E vos reis d s florestas, millenarios
Monumoulos, assombro da sciencia,
Correi ao mar talhados, pompeando
Sobre aladas antenas a bandeira
Creada neste dia glorioso.
Auriverdo pendao I Voai a*s plagas
Onde outr'ora cedeu itnpia phalange,
Deixando em Piraj^ orgulho e armas ;
Vai onde Sigismundo o giadio ousado
I'erdeu, e sobre a serpe de rochedos
Qua o mar de Olinda furioso encobre,
Fulge de novo, c com bondoso aspecto
Desvonda a gente ourada, uneseus peitos.
V'oleja ds regioes em que niteutc
A frigiJa Aearnar no ceo se mostra ;
Enlra nas aguas dessa estancia elysia
Onde gallopa a belhcosa tribu
De invef.civeis centauros; paro e acolbe-os.
Mostra-llies PoncheverJe, o sangue inutil,
E o perdido denodo em prol de um sonho,
Que encubava o desorto na anarchia.
Volta ao pego, caniinba, e para iutrepido
Fronteiro ao monte de infiel mcaaoria,
Que ao ver-te, OS Jias ds passadas ancios,
Se amor o arnasse, te sei'ia grato.
Avante segue," o aa achanada margem
Da odiosa Palermo lembra o sangue
Genoroso dos teui, quando expulsaram
0 feroz mazorqueiro, o algoz cruento,
Que a tetra cscr vidSo, e o idiotismo
Firmaria, se tu la" nib vencesses I
Hoje que avultas sobre a ingente cupola,
Gloria do I'rater, on 1c o mundo unido
Arte e induslria estadea, onde n6s outros,
Modestos cperarios, offerlamos
; Da natura e do fabro o fructo esponte,
j Vem a leus servos nesta patria estancia,
: Nesta casa que e a tua, e estendu alegrc
: 0 campo d'ouro em que resplende ovante
! No escuilo sid-iral a cruz, a esphera,
E o diadema de Pedro, o lago augusto
Da uniao, d > poder, da liberdade.
Segue o peryplo em que colheu assombros
Do Tejo ao Sena, do Taraisa ao Nilo
I Teu n jbrc vexillario. 0 que nos carnpos,
: Riograndenses venceu horda invasora ;
E calmo entre seu povo so mostrara
Na corte, em face da aggressSo estranha ;
E wide a Patria reclamou seu brago !
Vem com Elle a nos outros, que o.amamos,
Ri -o do esp dio de ovagOes do orbe,
De amor e pasmo, de resp^it > e espanto,
E de um nobre orgulho nossos peitos encbe.
i'i'eus Glhos aqui estao : tu llrs deiramis
Celeste lenitivo, bafejando
De teu alto esplendor o grande insuflo
Que em saucto arroubo o corag3o dilat ,
E leva a mento A cariuhosa Patria.
lira voto an dia de hoje, -um briade, amijos,
Dia de vida,do memorin excelsa,
E de iogenle porvir, gloria da America,
De um surto vingue o azulado pelago
Nossa grata ablagao, bradando todos :
PEDRO SEGUNDO; INDEPENDENCIA OLT MORTE

gro-me de o ter sido, por isso que o meu
oflicio Ihe po l servir do alguma cousa. As
damas da duqui-z* de Erbino tem os seus
aposentos por cima do postigo por onde en-
trou Angiolina< irei ate la*, cantarei uns
versos queella comprehendera" perfeitamen-
te e abrird a janella. EntSo dir-ihe-bei
que o grau-capitao a espera e que tem que
revelar-lhe cousas muito importantes.
Espera h completemos o nosso projec-
to ; disseram-meou disseste-ir.e tu esta noi-
te, nao sei ao certo, porque confundem-se-
me as ideas, que falsiticas adrairavelmente
a lettra de qualquer pessoa.
N3o a enganaram,minha senhora.
Eucrecia levantou-se, abrio uma papelei-
ra, tirou d'ella.uma carta e apresentou-a a
Bonvin*-tlo, dizendo:
V6 se podes escrever uma carta, cuja
letra seja inteiram^nte igudl a" esta.
Nan kd posso falsilicar esta carta, como
tambem imitar o sello de armas com que
esteve fechada, isto e um escudo ducal.
A carta dizia assim :
Senhora.Recebi uma carta sua na
VABIEDADE
UM CYCLONE.Segun lo refere o Timts,
no dia 15 de abril ultimo,.a ilha de Zanzi-
bar (36 51'3i>" longitude, este, fl 9'
W latitude Sui) foi devastada por um ter-
rivol cyclone, que teve o seu centro por cima
da cid.-ide de Zanzibar e abragou un raiode
proximamente 20 a 25 milhas. Eis al
guns detalhes sobre a marcha da tempes-
tade.
A 11, ;i.i 9 boras da noite, vento fresco
do OSO, e cbuva ; a partir das li boras o
vento augmenta, o ceo escurece successiva-
mente no sul, e a meia noite ha uma ver-
dadeira tempestade; o barometro des-
ceu a 756 millimetros, e continua a des-
cer.
A 15, ao amanhecer, a tempestade conti-
nua : fortes rajadas e cbuva, o barometro
ostd em 751 mil rnetros, o vento do SO,
rondando pouco a pouco para o sul, ceo
sompre carregado.
A's oito boras da raanhS, o vento e* um
pouco menos forte, mas o barometro desce
com successive rapidez e chega a 7*3. 0
vento SiSO sempre com tendencia a rondar
para o sul. A chuva 6 constante e muito
forte e o ceo ameagador. Na costa as vaga
sao curtas e vem do SO.
A's oito horas e trinta minutos, o ceo
aclara em parte, mis uma hora depots o
vento augmenta ^e forga e sopra do sol;
violentas rajadas com cbuva e vagas or-
mes vindo do sul. Das 10 horJs^ao
meio dia, o vento passa do sul ao SSE ; ra-
jadas, a chuva continua sempre. Ao meio
dia o barometro marca 829 millime-
tros.
Depois do meio dia o vento vai diminuiu-
do, e pouco depois da uma bora e trinta
minutos acalmou cornplctamente. Aonorte
e a NO o ceo esti coberto de nuvens cor de
chumbo, que parecem tocar a suporficiedo
mar. A este, apresenta-se carregado de
vapores avermelhados, ao sul e a oestc o
ceo esta" mais claro, o que parece indicar-
nos nio haver cousa alguma a tenter por
este lado.
Mas atnda nao tiudou tudo. A's 2 horas
Io barometro estava em 7 19 millimetros, a
fraca ara/em que vinha do NO acalma ;
R'juco depois comega um vento froco do
NO e que augmenta rapidamente di for-.a.
A's 2 horas e dez minutos sopra sobre a ci-
dade um furacao violento do NNO. 0 ba-
rometro so be rapidamente, emquanto que
de minuto em rainuto augmenta a riolencia
da tempestade. A's duas hora c trinta mi-
nutos, o barometro acha-se em 735 milli-
metros, o vento torna-se variavel c passa do
NNO ao N, e algumas vezes an NOiN. Das
duas h >ra e triota minutos as tres hora3 o
furacdo attinge a maxima violencia ; o von-
le irapel'e sobre a cidade nuvens enormes
de escuma, que obsourecem a atmospbera,
tornando impossivel dtstinguir qualquer ob-
jecto alem de aois mctros do di^tiucia. Os
desgragados que se aventuraram a irem a's
fraias durante a calma, foram derribados o
anga ios ao longe como podagoa de pa-
Ihi: uns foram mortos e outros rautila-
dos.
A's 3 horaso barometro estd em 75 mil-
limetros e continua a subir, mas com mjtis
leoti-ia*.). Das 3 ds 4 horas, 0 furacao di-
minue sensivelmento. A's i horas, 0 bar.i-
metro esta em 7 millimetros; o reo tor-
na-se claro, a chuva e o vento diminuen.
0 bar ,:notro continua a subir alt; d meia
noite, marcando entao 756 millimetros.
Km Kokotoni, plantagdo situada a -20
milhas de Zanzibar, as 2 horas da manha,
de 15, o furacao soprava de SO rondando
para Ooste, e era desla ultima direcgab quo
elle soprava ds tO horas da manha. Ao
meio dia tinha rondado succossivatncBte
para o NO, aonda permanoceu ate as V horas
da tarde e foi entao que abonangou. Ao
meio dia a tempestade ostava em toda a sua
forga em Kokotoni, o sopruvt do SO em-
quanto quo entao, era Zanzibar softrava do
sul com igual violencia.
As cartas recebi la i da cidale de Baga-
mayo, situada no conliaentc a distuicia
aproxiiitad.i de 2j milbasjia OSO de Zanzi-
bar, annuueiam que o furacao comecou alii
a 15 ;is It horas da manha, e que dirou
ate ds It horas da noite, soprando sempre
do norte. As aldeias de Saadani e de
Kipoombwi, uma a 15 e a outra a 20 mi-
lhas ao norte de Bagamayo, parece nao te-
rem sofffido o temporal.
Pe'o que acabamos de expor parece que
a direcgao do cyclone foi do NE ao SO ; e
teve o seu centro proximamente. por cima
da eid'idc de Zanzibar, mas faltam nos ain
da dados authenticos para determitiar
o raio da tempestade d'um modo convn-
niente.
Muitos navios e um gran Je numcru de
emban.-agoes do paiz naufragaram.
Eis os nomes dos navios que so achavam
no porto no comego do cyclone: Shah A l-
lum fragata de 50 pegas ; Secunder Shah,
corveta ; El Aladjidi, vapor a heliceoutr'ora
Shenaixdoali; Sultana e Estralla vapores a
helice, pcrtencente tu lo ao Sultdo de Zanzi-
bar assim como muitos pequonos vapores.
Alem destes uavio* estavam, Adelia Owald
brigue de Ramburgo, Bushirc merchant,
navio inglez de Bombjim ; Lobvlia, navio
de 263 toneladas, de Londres ; Abydos, va-
por de Londres ; sem contar proximamente
150 dhows e outras embareag&es do paiz, a
maior parte promplas a navegar, com car-
regamentos preciosos, especialmente de cravQ
da India, com destiuo a Bombaim e d costa
norte da Arabia.
Quando a tempestade abonangou, o uui-
co navio que resuva fluctuandoera o vapor
ibydos, salvo pela vigilancia e sangne fri
do capitdo Cumming e de seus officiaus : o
capitao fez seguir o vapor aJola forga con-
tra o vento que era o unico meio do inipe-
dir o rebenlar as amarra-. O Lobelia foi
impellido sobre o eas, da alfandega, o ca-
pitao e a equipagemforair. salvos ; o Adelio
Oswald foi despedagado ao pe dos penhas-
cos de Manga Pany, proximamente a dez
milhas ao norte da cidade ; tod* a sua equi-
pagem composta de 13 homens sem duvida
morreu. Cinco cadaveres desfigurados ap-
pareceram na costa. Coustou quo muitos
cadaveres de europeus tinbain sido encon-
trados na margem oriental da ilha, n6sex-
pedimos soccorros. O Soliaian S/wi/t, na-
Apezar de que estes papeis nSo servem para
cousa alguma, estou me entreteudo com
elles.
E, pondo os papeis nositio onde estavam,
abrio uma das gavetas interiores.
A sua mao encontrou um objecto liso e
duro que tirou.
Era um medalhao de ouro guarnecido de
rubis;
Sabemos jd que a cdr roxa era a cor da
terrivel divisa dos Borgias.
Aquelle medalhao era um magnifico re-
trato om miniatura de Lucrecia, em moisa-
co, que a representava coroada de pampanos
{com as roupas soltas, com os hombros e o
seio descobertos como uma verdadeira ba-
chante.
Ah exclaraou Boninetto, guardando
apressado o medalhao na algibeira.e fechao-
do a gaveta : uma prenda ie amor destinada
talvez a Gonzalo do Cordoba e que veio
cahir no meu poder. Mas... ella abi vem ;
agora jd n3o importa.
A porta abrio-se c appareceu Lucrecia
com uma vela e um porno de ouro que ti-
qual me pede para trtar de assumptos que rara do seu toucador.
importatn muito A sua santtdade, aos reis Collocou ambas as cousas sobre a mesa
meus senhorese aoorbe christSo. Irei pro- de mosaico que ha via no meio dogabinete,
oura-la secretamocte esta noite, ao seu pa- e foi fechar a porta.
lacio, junto do qual encontrarei um dos Depois tirou da papeleira um tinteiro de
seus servos para me conduzir d sua presen- ouro, uma carteira de marroquim estampa-
ga. Tenha toda acerteza que irei. Vati-'do, e um pedago de cera encarnada, dura
cano, 15 de agosto 1497. Gonzalo dejeconsistente, mui semelhante ao lacre, qua
Cdrdoba. servia entao para sellar.
Comecemos pflo sello, disse Bonvi- Bonvinetto cobrio com uma porcSo. de
notto necessito de uma vela acceza, deum oleo, que tirou do pomo, o sello da carta
pedago de cera e de um pouco da azeite. do gran capitao.
Azeite I exclaraou Lucrecia. Pedir! Depois tirou da carteira papel e derreteu
agora azeite pode parecer estranho !sobre elle parte d'aquella especie de lacre ;
Nao tem alum oleo perfumado dos deixou-a esfriar um pouco, e branda ainda,
que usa nos cabellos? collocou-a, carregando, sobre o sello ducal
Ah 1 e verdade. Espera que eu vol- de Gonzalo de C6rd ba.
to jd. Gragas ao oleo, a' cera nao se unio d ou*
E sahio do gabinete fechando a porta. tra cera, e quando Bonvinetto levantou o
- Dessonlias de mim, exclamou Bonvi- papel- appare eu perfeitamente ostampado
netto, fazes bem ; porem deixasto aberta a o sello do gran-capitao.
papeleira. Ah I exclamou Lucrecia, vales mais
Bonvinetto aproximou-se da papeleira e doqueeu pensara ; raereces que teprote-
apodurou-se de al^uns papeis. jam,
Isto ndo servo, disse elle comsigo Espere, minha senhora, disse Bonvi-
mesmo, sSo centas diversas. ; netto.
E leu : j E, pegando no papel, voltou d earta do
u. Ao Picardo duzentos oscudos. gran-capitao, eiaminou um momdito alet-
~ Provavelmente o prego de algum as- tra, pegou na penna e disse I
sassinato I murmurou o pocta-canlcft. Diga-me o que quer que o "s_enhor
A Bernardiiii cincoooUl : Kudos para Gonzalo de Cordoba escrcva & menina Aogio-
uma librdv Una Crespi.
Esta mulber torn em ordem os contas Lucrecia dictou :
da sua casa como sc fOra um mordomo.: Angioliua da minha alma : por succes
sos imprevistos, con vem que saias imme-
diatamente eentres para uma liteira quo to
esperard e te trard para o meu la Jo. Teu.
Gonzalo.
Quando Bonvinetto acabou de escrever,
Lucrecia sohou um grito de alegria.
Comparada a carta escripta por Gonzalo
de Cordoba com a falsificagao feita por Bon-
vinetto, nao existia differenga alguma entre
as duas lottras.
Concluamos, disse Bonvinetto, pegan-
do no molde do sello de Gonzalo de Cdr-
doba e untando-o de oleo.
Depois fechou a' carta e disse : -
Como quer que ponha o sobrescripto?
A' senhora Angiolina Crespi, respon-
deu Lucrecia.
Bonvinetto escroveu.
Depois de estar secco o sobresjripto derre-
teu cera sobre o fecho da carta, esperou que
esfriasse um pouco, e imprimio sobre ella o
molde do sello.
Aquelle ficou admiravelmente falsiGcado.
Para quo serve esta carta ? perguntou
Bonvinetto ; elles escreveram-se jd ?
Ndo, couheceram-se esta noite.
Visto isso e inutil a falsificagao.
Imbecil I disse Lucrecia.; abre essa
carta.
Para que ?
Abre-a porque Angiolina nao a devo
abrir.
Nio a comprehendo.
Por isso te chamo imbecil. Essa car-
ta deve apparecer amanhS na habitagao
abandonada por essa mulher.
" Ah ndo e sem razdo que dizera que
os Borgias sao filhos doxhabo I observou
Bonvinetto.
Sim, para vingar um amor ultrajado,
desprezado 1 exclamou Lucrecia com o
olhar incendiado.
Muito obrigado, minha senhora, vejo
que me falla como deve fallar-se d um bom
confidents, como se fallasse com a sua prur
pYia conscinncia.
E a inflexdo de Bonvinetto era fria e pro-
fundameiite tmarga.
Sim, e verdade, proseguio elle, ama-
nhS oncontrard t essa carta na habitagao de
Angiolina ; encontra-la-hdo porque eu pe-
netrarei n'essa habitagfto, ainda que tenha
de abrir passagem atravez das paredes. E'
esse o seu desejo e serd cumprido, e cahird
sobre esse capitao hcspauhol uma manch
indelevel. Pedir-lhe-hao contas de uma
mulher que desappareoeu, e em vao se en-
tregard ao maior desespero e aos m stores
accessgs d<) colera, Oh I a vingai^a dos
vio do Sultao, que voltava de Bombaim no
memento da tempestade, foi encontrado
pelo cyclone e langado d costa na altura de
Choomby ; estd cheto d'a^ua. Toios os
mais navios oncalharam ou furam ao fundo.
Do toda esta esquadra resla apeuas ao Sul-
tao um pequcno vapor a helice de 60 tone-
la las. que so achava em Mombasa na ocea-
sido da tempostade.
Em terra, as casas e armazens occupados
pelos europeus sofi'reram muito; as cober-
turas do f-rro estriado foram arrebataJas as
janellas arromba las, os rauros aba lidos
Emquanto d partida la cidade occupad
pelos indegenas, pd le dizer-so quo deixou
do cxistir, e so as chuvas continuassem
babilanles. A feme parece iuivitavel em
vijta dos campos intuiramente devastados.
As. plantagdes do cravo e de coqueiro foram
quasi lodas destruilas, e assim ocommercio
do paiz parece estar arruinado por muitos
an nos.
NOVO PdOCIiSO I'ARA A CONSERVA-
CAO DA CtttNE. Refere uma folha in-
gleza o seguinte:
Acaba de scr cxpedilo pelo vapor
Norfolk, para o morcado de Londres, um
carregamenlo de carnes de Australia, con-
scrvadas por um novo procosso. Este na-
vio partio da Australia no dia 23 de jul io.
A earne de crneiroou doboi, foi o.itbarcada
crua, sem ter sido tocada por nenhum an-
tisep'.ico. 0 unico agente perservativo em-
pregailo e o gelo artificial, que se amou-
toa por cima do resorvatoiio onde se collo-
cju a carno. 0 aulor d'esta descoberta e
o Sr. James Harrison. A experiencia que
sc renovou por ma'-, jd fdra feita em terra,
on Je deu os melhores rcsultados. A carne
do carneiro ou de boi conscrvada durante
85 dias, foi cneoutrada em tao boas condi-
go;-s, como no primeiro dia, nao tendo per-
dido ncnhu-'iia dassuas qualidales. De[>ois
dc conssrva las desta forma, as carnes po-
dem ser de novo couservadas pelo sal como
a carr.e fresea ordinaria. Resta agora sa-
ber sc o calir o o movimento de uma via-
-gein itnpcdtrao o processo de dar os rcsul-
tados exigidos. 0 carregameuto do Norfolk
e mais uma experiencia do que uma eSpe-
culagao. Compoe-se de 25 toneladas de
gelo para 15 toneladas de carne, porcn
iiasexpedigoos em grande escalao e:n navios
dispostis para este genero de exporlagao,
po ler-se-La transportar a came e o gelo em
partes iguaes. 0 gelo comprado d compa-
nbia de Melbourne cusla libras sterliuas
por tottelada, mas poder se-ha fabricar por
muito iiienor prego.
As carnes que forem destinadas d via-
gem dovem scr levadas diroctameote do ma-
tadouro do navio e collocadasem um reser-
vatorio de ferro, umas sobre as outras e
sem algum outro arranjo. Este reservatorio
e collocado em um outro maior, de modo
que a agua possa correr por entre os dous.
0 gelo c disposto sobre a tampa do rosor-
vatorio interior, cuja agua correndo, cobre
as paredes d medida que o gelo vai derre-
tendo. Esta agua e recolhida no fundo dos
dous reservatorios e volta por meio de tubos,
por cima do gelo, emquanto so conserva a
temperatura baixa. 0 gelo e os dous reser-
vatorios collocam-se no meio do navio om
uma especie de pogo e protegido por serra-
dura dc madeira e outras matorias destina-
das a conservar a frescura.
TUMULTOS KM CONSTANTINA.Le-se
o seguinte n'uma folha estrangeira :
Na segunda-feira passada, 6 de outu-
bro, houve uma grave desordem era Cons-
tantina, no bairro habitado pelos judeus,
entre israelitas e musulmanos. A's It ho-
ras da manha, passava pela extremidade da
rua Nacional, proximo de um barranco, e
nao longe da ponte de El-Kanlara, um safii-
meuto judeu. Lia sargento indigena, de
atiradoros, insultou, segmido se diz, o
prestito fuuebre ua sua passagem. Estava
so ou quasi so. Os judeus, muito num ero
sos, langaram-se sobre elle e depois de o
cobrirein do murros procipitaram-o no bar-,
ranco, que nesse sitio tem mais de cera rne-
tros de profundidade. E' uma fonda a pi-
Borgias Deus me litre d'clla !
Pois bem, procura ndo a merecer ;
nao ouves muito, fiado em quo me sirvo
de ti. Aquelle que nao saho despedagar o
instrumento de quo se serve, e nao pode
evitar qit" esse instrumento volte contra si,
que o nao empregue. Advirto-te de que
sou muito prudente.
Eu nao lhe possa- sor traidor, disse
Bonvinetto.
Melbor e assim. Vou mandar pro-
parar a liteira : o homem que a for acom-
panhando receberd instrucgoes do que deve
fazer. A ti pertence-te unicamente tirar
Angiolina de casa da duqueza de Urbino e
conduzi-la ate d liteira. Depois, faz de
modo quo essa carta ftquo no aposento de
Angiolina. Ahi tens, accrescentou Lucreci3
tirando da papeleira um punhado de escu-
dos de ouro e dando-Di'os ; vive bem, gas
ta quanto quizeres, mas n3o fiques em mi-
nha casa ; es demasiado util para que niu-
guem saiba que estds ao meu servigo.
A sua vontade e" um preceito para
mim, a que nao posso desobedecer.
Lucrecia fechou a papeleira, guardou a
chave e saiiio.
Fechaste-ajd tarde I murmurou Bon-
vinetto. Quando a deixaste aberta, estavas,
como agora, louca. Se a tivesses deixado
aberta agora tambem, talvez que ao fecha-
la logo tivesses desconfiado, examinado tudo
e encontrado a falta do teu retrato. Assim,
ndo comprehenderds corao desappareceu
ese retrato, ou pelo menos nao terds a cer-
tezade que fui eu que-t!o roubei, porque
te nao recordards de me ter deixado aqui sd
com essa papeleira aberta. Estds cega de
raiva, de zelos o do vinganga. Ah 1 tu cos-
turaas osmagar o instrumental de que te
serves? Veremus.se me esmagas d mim,
forraoso demonio, ou se sou eu que te es-
mago a ti I
Bonvinetto callou-se porque se ouviam
os passos de Lucrecia que se aproximavam.
Aquelia abrio a porta e entrou.
Vinha mais pallida e irritada do que
antes.
Vai, disse ella a Bonvinetto, esperam-
te em baixo oito homens e a litoira que fi
cam ds tuas ordens. Para que esses homens
te reconhegam basta quo lues digas : En-
via-me a senhora.
> E depois ? perguntou Bonvinotto*
Depois, quaado Angiolina esteja ;.i na
liteira, vai para onde quizeres. So. preci-
ztres dinheiro pede a Francesco Buolti.
Quando me fores necessprjo mao^ar-tediei
Jcbamar. ftetira-to.
que entre duas rauralhas, no fundo da qua
cor re o Rumel. Os arabes correram a vin-
gar o seu correligionario, travando-se entao
uma luta sanguinolenta na qual toroaram
part" muitas ceutenas de individuos, tanto
arabes co no judeus. m-
tstes, qoaieram em maior numero, fi-
caram veowihjires. Iuformado do que se
passava, o official de servigo no posto visi-
nho, um capitao de saphis, mandou montar
a cavi.Ho algitns cagadores que estavam ds
suas ordens de guarda no palacio da divisao,
e tratou do reslabele:er a ordem e de soccor-
rer os feridos. Uns viute arabes tinham
(icado feridos, dos quaes tres mortalmente.
.'f este interval lo, uma vordadeira bata-
Iha se travdra n'um outro ponto, na peque-
na rua acima da praga Negrier. Os judeus
tinham i lo procurar a pohcia, que ao atra-
vessar a jnultiddo judia, podera prendertres
dos p :i lurbad jres arabes, os quaes foi obri-
gada a deixar na rua, sen Jo por isso logo
depois espancados pelos judeus.
Foram lomadas immediatamento pelas
auloridades as medidas mais energicas, a
fini d 3 serem pn sos os promotores do tu-
muito e evitar novo conflicto.
A noite, em que se tumiara algumas
represalias, passou-se tranquillaaiente. Os
rabbinos e os israelitas influeules foram ins-
tados para recommendarom aos seus corre-
ligionarios que ndo sahissem de suas casss.
0 prefeito ordenou que se fechassem os
cafes mouros e israelitas ao toque de reco-
Iher e a autoridade militar pela sua parte
lomou tambem as suas disposigdes.
No dia 7 foram chamados ao tribunal
correeciooal uns quinzc judeus e arabes
presos em flagrant'-.
Parece que na luta tome ram parte
mais de 300 nomens. A tropa, quo fdra
chaniada, vio-se na necessidade dc se matter
no tumulto para separar os combatentes.
Um petotao de cavallariar teve de bater du-
rante algumas horas as ruas proximas, afini
de impedir que o combate se cstendesse por
outros ponlos.
0 PROCESSO IICUBORNE. -0 processo
Tichborne, continua o seu curso no tribu-
nal da rain ha em Londres. Uitimamente
deu-se um facto quo sora i;ortameute u:n
dos iucidentes mais estranhos desto ncgocio,
de si jd tao celebre.
A accusagao mostrdra, por meio do pro-
vas irrecusaveis. que o prelendente nao era
outro senao um tal Arthur Orton, que das-
apparecera dc Londres quasi na mesma
occasiao em que o verdadeiro Sir Roger
Tichborne partira de Iuglaterra, nao o teudo
visto pessoa alguma depois dessa epoca.
Apenas se poderara encontrar alguns vesti-
gios delle na America e na Australia.
Ora, ha dias, um individuo dc tstatura
elevada o bem constituido chegou a Wap-
ping, declarando ser Arthur Orton. Um
grande numero-de pessoas pretendem ate-
conbeceF nelle o referido personagem. Fo-
ram-lhe feitas perguntas relativas aos ante-
cedentes de Orton, as quaes respondeu de
uma maneira muito exacta e sem testemu-
nhar o monor embarago.
Todos so perdem era conjecturas. Serd
realmenie Arthur Orton, ou algum intri-
gante, que aproveitando-se de semelhangas-
com a pessoaa quem se procura,quer fazer-
se passar por aquelle, afira dV haver as mil
libras que se promelteram a Arthur Ortoo,
no caso de. se apresentar 1 Ninguem o
pode asseverar e ate a propria justiga ha de
haver se era difficuldades para descobrir a
verdade. %
RECORUACAO CURIOSA.Uma folha
belga conta o seguinte com o titulo desta
nossa noticia :a Quando Napoleao III en-
trou cm Bordeus em 1851, sendo entao
ainda presidents da republica, Mr. liauss-
inann, prefeito de Bordeus, tinha feito
prepnrar, no caminho por onde o principe
devia passar, um arco triumphol. Na occa-
siao da sua passagem devia descer uma co -
rOa, com esta inscripgao : bem a mee-
recur.
Mas um forte temporal que rebentou
pela manha, destruio a corda, e quando
l.uiz .Napoleao passou, sd desceu a corda
com a bandeirola na qual se lia.- bem a mee
recur I
Lucrecia era para Bonvinetto um senhor
que mandava e pagava.
Bonvinetto inclinou-sc e sahio murnui-
rando ao atravessar os aposentos de Lu-
crecia :
Dds-me ouro e mandas-rae como a
um cao ; nao 6 isto, porem, oque eu que-
ro de ti. Em brove o vereraos, Lucrecia
Borgia ; chogard um dia em que saberemos
qual e* o escravo, se sou eu ou se estti I
Em seguida sahto da galena, dosceu as
escadas e encontrou no pateo do palacio
uma li.eira e oito homens com mascaras
nos rostos.
Um d'elles sahio ao encontro de Bonvi-
netto e disse :
Quem e, o que faz aqui ?
Envia-moa senhora, respondeu Bon-
vinetto.
Estamos d sua disposigao.
Vamos ao postigo do p lacio da duque-
za de Urbino, disse Bonvinetto.
0 homem corn quem Bonvinetto havia
fallado aproximou-se dos outrode deu-lhos
algumas ordens.
Dous d'elles carregaram com a liteira e
sahiram todos com Bi nvinetto pela porta
principal do palacio.
Em breve se perderam na escuridao.
Apenas Bonvinetto acabava de sahir/do
gabiueto de Lucrecia, abrio-se a porta e ap-
pareceu Francesco Buotli, trazendo ao peito
o brago esquerdo.
Ndo sabia que eras tfto misoravelmente
cobarde, disse Lucrecia. Protegi, enrique-
ci, edei cartas de nobreza a ura vii instru-
memo que s6 servo para malar a traigao
Se ndo fugisse, morria. e de um
modo inutil. Nao podia jd defender-rae, e
necessitava salvar-me para a salvar i si ou
para a vingar, vejo que estd irritada e que
diz aquillo que ndo pensa. Sabe perfeita-
mente que o velho lazzarone napohtauo ndo
conhece o modo e que nao se esquece nun-
ca de ser prudente. Quem me ferio foi
Gonzalo de Cdrdoba. Quo fez esse cavab
leiro, esse soldado iuvoncivel, esse hero T
Salvou-a ou fugio tambem, obrigando-a t.
que so salvasse d si proprta.
Gonzalo de Cdrdoba ndo se chamti
Francesco Buotti, ndo d um miseravel laz-
zaronne fugido de Napoles; Gonzalo do
Cdrdoba matou pela sua proprta mao qua-
tro dos homens de Cesar Borgia.
E quem matou o quinto ?
Como I Pois sahes ?...
fCoM inuar-se-ha).
TYP.D0 DIARIO RUA &UQUB D CAXIAS '

4

r
I
v
{i
P^wwPI
MUTHADD