Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18344

Full Text


ANNO L. NIMER6 40 .Hal at-

i db
PAll.t A CAPITAL E LUGABB9 0> I>F !Ul SB PAA
Por tres raezes adiantados. *v rt {?T? ^\ ^ 0 '
Por seis ditos idem....../* II M,|l r f *
Por am anno idem......* V **.*^ / V* V .
Cada namero avulso ...... .,.
IV
RTB.
49000
19000
S49000
*>320
DI4RI0 DE

v 1 ftKIW* ffEIM 19 DE FEVERERO DE 1874
Por tres mezes adiantados. .
Por seis ditos idem .
Por nove ditos idem .
Por ura anno idem. .
IA DA PRVI\CIA
....>. WFI
......... 18500
1

379000
RNAMBUCO.
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGUEIROA DE FARIA FILHOS.
r
t Srt. Gerard Antonio Aires d Filbos, no Peri; Gonjalres d Pinto, no Maranhio; Joaquim Josd de Oiiwira 4 Filho, no Ceari;flntonio de Lena* Braga, no knoatj ; Jo*o Maria Jnlio Chafes, no Assa; Antonw Marqaei da ft'ta, no Ratal; Jose Justino
Pereira d'Almeida, em Hamangnape ; Carlos Auxencio Monteiro da Franca, us Parahyba ; Antonio Jose" Gomes, na Tula da Penha; Be'armino dos Santos Bolcio, em Santo Antio ; Domingos Jose1 da Costa Braga, emIUiaretb;
Autonio Ferreira de Aguiar.em Goyanni; Joao Antonio Machaeo, no Pilar das ftlgoas; Ahes d C, na Bahia; e Leite, Cerqninho d C. no Rio de Janeiro.
PARTE OITICIAi.

>
^
f
(
i


Govt'rni) da pre>vincla.
*X?SD1EN IT. DO Dll 28 DE NOVSliURO DE 1873.
1.' secqU'i.
Officios:
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
ma*.Devolve os papeis que vieram -annexes ao
aeu offlcio de 21 do corrente "sotnnlJlL. rjferen-
tea ao excabo de e*|uadra da compauliia d*,ca-
vallaria Francisco Antonio de Sorna, aiim deflue
este requeira a demarcate da data de terras a
que tem direit >, em outra qualquer localidaue ;
visto como a ex-colonia militar de Piraenteiras,
segundo consta de aviso do niinist-irio* da guerra,
de 18 de setembro de 1871, foi cedida ao minute-
rio da agricultura, commercio e obras publicas,
2ae tambem a cedea a earn provincia para o esta-
eleciraento de uma colonia nominal.
ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de expedir
suas ordens para que aruanhit a uma lura da
urde se apresenteiu duas prcas de primeira li-
nha na casa de detencao, aliui de conduxireni o
criminoso de morte Irineo Pereira de Lucena Freire
ate a provincia da Parahyba.,
Ao inspector do arsenal de marinha. -Trans-
M Hind j aV.S.i inclusa copia do olli:iu do Ex in.
Sr. presidente do Rio Grande do None, em que
accusa a proxima remessa para esla provincia, no
vapor Ipojuca, do escaler forneoido por esse arse-
nal a mesa de rendas de Mossoro, e que fora jul-
gado impreslavel, alini de ser subsliluido por ou-
tro Das condicoes de preslar-se ao servico a que
se destina, rec omm-mdo-lhe toda a brevidade na
remessa deste uitiinu ; attenta a necessidade que
delle tern a mencionada mesa.
Ao commandante do presidio de Fernando
de Noronha. Infonne Vote com urgeucia qual o
comportaraent-t que teui tido nesse presidio o
eentenclado Josw Alberto Vieira^
2.* seci&o.
Actos:
0 presidente da provincia, a vista de pro-
l)j=u do Dr. cbefe de policia em offlcio n. 1925
de 22 do corrente, resolve exouerar, a seu pedido,
Joao da Costa Ribeiro Coato do cargo de subdele
g. 1 .i da fregu ziade Xossa Senhora do 0', do ter-
:.!( ii GoiaDna.
0 presidenle da provincia, de conformidade
com a oroposia do Dr. chel'e de polieia em offlcio
n. 1923 de 22 do corrente, resolve nomear o alfe-
res Marcolino da Costa Rapu-o subdelegado da
Ireguezia de Xossa Senhora do U', do termo de
Goianna.
Officios :
Ao Dr. cbefe de polieia. Transmittindo a
\. S. copia do aviso do miniaierio da justica, de 19
do corrente, e das iafomucdes a que elle aliude,
Ilia rocommeodo que, proceden'lo as convenientes
iadagaco?-, iufonuc qual o desiino on iitn que teve
(i raenor, a que o mesmo aviso se refere.
Ao mesmo.TranfmiUo a V. S. para os de-
viJ >s ins copia do aviso do minisierto da justica,
de 18 do corrente, que declara nao uaMureiu exer-
Cer a medicina sem a necessana habilitacao, na for-
ma da lei, os dons cidadaos hespanhoes, Domin-
guez e Mascaro.
Ao mesmo. -Tendo a thesouraria provinital
eucontrado divergencia^entre a conta e a relacao
dos presos pobres, existentes na cadeia de Fetro-
liaa, quanto ao tempo de alimentaqao da escrava
sentenciada, de nome Canuta, segundo informacao
da contadoria, quo transimtlo por eopia, devolvo
aV. S. as ditas coula erela;ao, para que a aulorida-
de aulhenticadora dessas peoas docuiaentaes res-
labele^a a verdale das rnesmas pela uniformidade
que as deve caracterisar.
Ao Dr. juiz de direito da Boa-Vista. -Trans-
mute a Vine, por copia, o offlcio documenlado da
thesouraria de fazenda desta provincia, para pro-
ceder, nos termns da lei, contra o collector desse
municipio Jose Pereira Brandao, pelos faclos con-
Mantes do mesmo offlcio. -Igual ao promoter pu-
blico da dita coniarca.
Ao commandante do corpo de polieia. -Mau-
de Vmc. augmentar com mais duas pragas o des-
tacamento de Pimenteiras.
3* secgiio.
Acto :
0 presidente da provincia resolve exonerar
0 bacharel Marco Tullio dos Reis Lima, a seu pe-
dido, do cargo de fiscal da collectoria provincial
do municipio de Cimbres, e nomear para o substi
tuir o prooiotor publico da respecliva comarca,
hacbarel Joaquiu) Francisco de Uarros Barreto.
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Jtemetto a inclusa conta para que mande pagar a
Jose Maria Ferreira da Cunha a importancia das
diarias abonadas para suslento do recruta Jose
Cordeiro da Silva, que fOra remettido ao delegado
do termo de Limoeiro.
Ao mesmo.Transuiitto a V. S., para os de-
vidos flns, ur relacao contendo os nemes dos
sentenciada >. jusli^a, existentes no presidio de
Fernando ae Noronha, e das diarias que estes
venceram no mez de oulubro proximo passado,
remettida a esta president*ia com offlcio do Dr.
chefe de polieia, sob n. 1922, de 21 do corrente.
Ao mesmo.Transmilto a V. S., para os de-
vidos flns, quatro ordens do thesouro nacional,
?ob n*. 248 a 251, datadas de 13 e 17 do cor-
O
rente.
Ao mesmo. Atteudendo a sua informacio
datada de 25 do corrente sob n. i9 serie F, auto
liso V. S. a pagar. sob minha responsabilidade, e
nos termos do decreto de 1 de fevereiro de 1862,
& quantia de 2404, relativa aos veneimontos das
l>rac,as da guarda nacional destacadas na villa de
Flores durante o mez de junho ultimo.
Ao mesmo. Commuuico a V. S., para os de-
vidos fins, que a 14 do corrente reassumio o ba-
charel Joaquim Francisco de Arruda o exercicio
do Limoeiro.
Ao mesmo Communico a V. S., para os de-
vid i- fins, que a 24 do corrente o bacharel Au-
gusto Ernesto Vaa de Oliveira assumio o exercicio
da jurisdiecao de direito de Iguarassu.
Ao mesmo.Communico aV.S. para os de-
vidps fins, que a 25 do corrente declaron o juiz de
direito Ltnz Correia do Queiroz Barros acceitar >
carg) de desembargador la relacao de Porto
Alegre.
Ao mesmo. Communico a V. S. para os de-
vidos fin9, que a 27 do corrente declarou acceitar
o desembargador Silverio Fernandes de Aranjo
iorge a sn.i remold para o tribunal da relaeio
da Fortaleza ; cowinuando, porem. em exercicio
no tribunal do Recife ate o Qm do anno.
Ao mesmo. Communico a V. S., para os
devidos flns, que a 10 do corrente assumio o X*-
supplentc Joe Francisco Lope* Lima 6 exercicio
do carga de juiz muaicipal e de orphans do lermo
de Nazareth.
Ao nissmo. Autoriso V. S. a pagar ao ca-
pilao Jonas Fernandes de Araujo Santos on a sea
procurador a quantia de 23*93'.), const ante da
conta junta em daplicata, importancia das despezas
feUas relativas aos mezes de iulho a outubro deite
anno, com o for nee i men to de Iuz e agtia ao desta-
camento do termo de Bonito ; conforme solicita o
Dr. chefe de polieia em offlcio sob n. 1947, de 26
do corrente.
Ao mesmo. Communico a V. S., para os
dovidos fins, que a 24 do corrente assoaio o juiz
suhstitalo, bacharel Francisco Gomes Pinto
Ao raeamo.Communico a V. S., para os de-
vidos tins, que a 17 do convnte assumio o bacha-
rel Jose Alvar-es Pereira de Lyra o exercicio do
cargo de juiz de direito da comarca do Brejo, como
I." suostiiuio.
Ao mesmo. Communico a V. S., para os
devidos fins, que a 17 do corrente assumio Caeta-
n> de Oliveira Hello oexrcicio de juiz municipal
e de orphaos do termo do Brejo.
Ao mesmo. Sendo antorisado pefrj Exm. Sr.
ministro dos negocios da agricultura. commercio
e obras publicas, em aviso de 17 do corrente, a
mandar executar os reparos de que precisam as
ponies Sele de setembro e de Santa Isabel, por
conta do credito aherto para auxilio das obras pu-
blicas provinciaes no corrente exercicio, o qual, no
caso de ser insuffleiente para occorrer a essa e
outras despezas, sera em tempo opportuno eleva-
do; assim o communico a V. S. para seu conhe-
cimento e flns convenientes.
Ao mesmo. Communico a V. S., para os de-
vidos tins, que a 17 do corrente entrou o juiz de
direito do Brejo, bacharel Jose da Costa Ribeiro,
no goso da iicenca que lue foi concedida em 16 do
mez proximo passado.
Ao inspector da thesouraria provincial.
Autoriso Vmc. a pagar ao capitao Jose Firmo Pe-
reira do Lago a quantia de 102*300 rs., constante
da relacao e conta junta, despendida no mez de
outubro ultimo com os presos pobres da cadeia
do termo de Ouricury ; conforme solicitou o Dr.
chefe de polieia em offlcio seb n. 1946, de 26 do
c rrenle.
Ao mesmo. -Passo as maos de Vmc, para os
fins convenientes, as contas juntas das despezas
feitas na casa de detencao durante o mez do outu-
bro ultimo com o sustento dos presos das provin
cias de Sergipe, Minas Geraes, Bahia, Maranh'io e
Espirito Santo, bem como com os militares ira-
portando tudo em 2344336 rs.
Ao mesmo.Transmttto a- Vmc. as relajoes
e contas juntas da quantia de 2784000 rs., em que
imporlaram as despezas feitas nos mezes de ago: to
a outubro deste anno com o sustento dos presos
pobres da cadeia do termo de Bonito, aflm de que
essa thesouraria p3gue ao delegado do mesmo
termo o saldo de 784000 rs, abatendo-se 2004 rs,
que por ordem desta presidencia foram abonados
ao dito delegado para occorrer as despezas, con-
forme solicitou o Dr. chefe de polieia em offlcio
sob n. 1949, de 26 do corrente.
4.' secfao.
Acto:
0 presidente da provincia, atteudendo ao qne
requereUtTranci*ca Seraphfca de Assis Carvalho,
profess/ra publica em Xossa Senhora do u" de
Mamahguspe, resolve conceder-lhe vinle dias de
liceflca, na forma da lei
Officios :
Ao Exm. presidente da provincia do Rio
Grande do Norte. -Communico a V. Exc. que no
proximo vapor da companhia pernambucana se-
gue para essa capital nm caixote com livros, des-
tinados a enfermaria militar dessa provincia, cons-
tantes da relacao junta.
Ao Exm. presidente da provincia de Santa
Catharina. Na inclusa copia da informaejlo do
brigadeiro commandante das armas, datada de 26
do corrente, se servira V. Exc de ver os motivos
pelos quaes deixa de ser passada pelo 2 batalhSo
de infantaria a certidao de assentamento? do ca-
pitao Julio Augnsto Carlos da Silva, relativos ao
tempo em que como alferes pertencen ao referido
batalhao; conforme soli;itou V. Exc. em offlcio de
21 de outubro proximo findo, sobn. 391. _
5." sec(So.
Portaria :
0 Sr. gerente da cimpanhia pernambucana
mande conduzir para o Rio Grande do Norte, por
conta do ministerio da guerra, urn caixote com li-
vros, destiuados a enfermaria militar daquella pro-
vincia.
EXPBDIENTE DO SECRETARY).
1' sec^ao.
Offlcio :
Ao director do arsenal de guerra.S. Exc
o Sr. pre-idente da provincia raanda declarar a V.
S. que ficam expedidas as convenientes ordens
para ser transportado a provincia do Rio Grande
do Norte o caixote com livros, destinados a respec-
liva enfermaria militar, e de que trata o seu offl-
cio desta data, sob n 533.
2.* secgao.
Offlcios:
Ao desembargador Silverio Fernandes de
Araujo Jorge.0 Exm. Sr. presidenle da provin-
cia manda declarar a V. S., em resposta ao sen
offlcio de hontem datado, que fica inteirado de
acceitar a remofjao para o tribunal da Fortaleza
com as resalvas mencionadas no dito offlcio.
Ao desembargador Luiz Correia de Queiroz
Barros. 0 Exm. Sr. presidente da provincia man-
da accusar o recebimento do offlcio de V. S., de
25 do corrente, em que particioa acceitar o cargo
de desembargador da relaeio da Fortaleza, para o
qual toi nomeado.
Ao Dr. chefe de polieia.De ordem de S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, communico a
V. S. que nesta data remetteram-se, para os fins
convenientes, a thesouraria provincial as contas
das despezas feitas na casa le detencao com os
presos das diversas provincias do imperio, bem
como com os militares, no mez de outubro ultimo,
conforme seu offlcio sob n. 1896, de 17 do cor-
rente.
Ao mesmo. 0 Exm. Sr. presidente da pro
vincia manda declarar a V. S., para os devidos
flns, que ficam expedidas as necessarias ordens no
senbdo de que trata o seu offlcio n. 1958, de hoje
datado.
Ao mesmo.De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, communico a V. S. que a
thesouraria provincial nesta data fica autorisada
a pagar ao delegado de Bonito a quantia de ...
27840U0 rs., em que importaram as despezas fei-
tas com o sustento dos presos pobres nos mezes
de agosto a outubro deste anno, abatendo se os
200*000 rs.. que ja foram abonados ao mesmo de-
legado, conforme o sea offlcio sob n. 1949, de 26
do corrente.
Ao mesmo.-De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidenle da provincia, communicou V. S qne ex-
pediram-se ordens a thesouraria ie fazenda, afim
de pagar-se ao capitao Jonas Ferqandes de Arauje
Saates ou ao sen procurador a 'importancia de
Iuz e agua fornezida as destacameato do termo
de Bonito; conforme seu offlcio sob n. 1947, de 26
do corrente.
Ao mesmo. 0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda transmittir a V. 8. o litnlo junto
de nomexclo do sub4ele;i*do da freguezia de
Nossa Senhop.-do 0" ao termo de Goianna; de
conforjilJAtfe com a proposta de V. S. em offlcio
iw-1,925 de 22 do corrente. .
- Ao mesmo. De ordem de S. Exc o Sr.
presidente da provincia. eoniinanieo a V. S. que
deu-se ordeai a thesouraria provincial no senlido
de pagar-se a capitao Jose Firmo Pereira do Lago
a quantia de 102430"0; despendida com os.presos
pobres da cadeia do termo de Ouricury, con-
forme o sen offlcio sob n. 1,946 de 26 do cor-
rente.
Ao juiz de direito da 1" vara. 0 Exm.
Sr. presidente di provincia manda accusar o
de V. S., de 17 do corrente, em que declara entrar
nessa data no goso da Iicenca que Ibe foi conce-
dida a 16 de outubro proximo passado.
-r Ao bacharel Auguslo Vaz de Oliveira.
0 Esiii. Sr. presidente da provincia man la accusar
o recebimento do offlcio de V. S., de 24 do cor-
rente, em qne participa ter nessa data assumido o
exercicio do cargo de juiz de direito da comarca
de Iguarassu.
Ao bacharel Joao Alvares Pereira de Lyra
0 Exm. Sr. presidente da provincia mania ac-
cusar o recebimento do offlcio de V. S., de 17 do
corrente, em que participa ter nessa data assu-
mido o exercicio do cargo de juiz de direito da
comarca do Brejo, como seu i* subsiitnto.
Ao bicliarel Joaquim Francisco de Arruda.
0 Exm. Sr. presidente da provincia maoda
accusar o recebimento do offlcio de V. S., de 14
do corrente, em que participa ter nessa data re-
assumido o exercicio do cargo de juiz municipal
e de orphaos do termo do Limoeiro
3* secQao.
Offlcio :
Ao inspector da thesouraria provincial.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda com-
municar a V. S. que nesta data resolveu exo-
nerar o bacharel Marco Tullio dos Reis Lima, a
seu pedido, do cargo de fiscal da collectoria pro-
vincial do municipio de Cimbres, e nomear para
o substituir o promotor publico da respecliva
comarca bacharel Joaquim Francisco de Barros
Barreto.
EXPKDIENTE DO DIA 29 DK NOVBWBRO DE 1873.
/*. SCCC04.
Acto :
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu Francisco de Figueirda Faria, amanuen-
se do arsenal de guerra, resolve conceder Ihe 30
dias de Iicenca, na forma da lei, para tratar de sua
satide, a contar do l de dezemDro proximo vin-
donro.
Offlcios :
Ao inspector do arsenal de marinba. Pode
V. S., como solicita em seu offlcio de 26 do cor
rente sob n. 773, comprar as madeiras precisas
para a eonstrucrao de uma barca d'agua destinada
a esse arsenal, autorisada pelo aviso do ministerio
da marinba, de 6 do cotrente, e bem assim de
duas lancnas para as eapitanias do Ceara e das
Alagoas, nos termos dos avisos do mesmo minisle
rio, de 17 e 27 de setembro proximo findo.
Ao director do arsenal de guerra. De
conformidadecom o pedido junto,d) coraman tante
da fortaleza do Buraco, mande V. S. piotar a oleo
o novo mastro para bandeira, que alii fora collo-
cado ultimamente.
2." secqao.
Actos :
0 presidente da provincia, a vista do offlcio
n.]l,943, de 26 do corrente, resolve exonerar a sen
pedido o capitao Joaquim de Hollanda Cavalcanti
de Albuquerque do cargo de 1 supplente do dele-
gado do termo de Santo Antao.
0 presidente da provincia, de confi rraidade
com a proposla do Dr. chefe de polieia era offlcio
n. 1,943, de 26 do corrente, resolve nomear o ac-
tual subdelegado do districlo do termo de Santo
Antao, alferes Jose Francisci da Silva Cistro,
para o cargo de 1* suppleute do delegado do termo
acima dito.
. 0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu Joaquim Pereira da SiWa, partidor e
distribuidor do termo d'Agua Preta, resolve con-
ceder-lhe 6 mezes de Iicenca para tratar de sua
satide.
Ao commaniante superior do Recife. -De-
signe V. S. 3 offlciaes superiores para compiir a
junta, que cm ultima instancia deve julgar a 12
de dezembrojproximo futuroao meio-dia, neste pa-
lacio, duas pracas do corpo de polieia.
Offlcio :
Ao Dr. juiz do direito da 1" vara, Quintino
Jose de Miranda. Designo V. S. para fazer
parte da junta que, em ultima instancia, tem de
julgar o cabo Victor Tiburcio de Oliveira e sol-
dado Luiz Antonio Goncalves, cujo processo junto
envio a V. S. para apresentar o relatorio do estylo;
devendo a junta rennir-se a 12 do mez proximo
futuro ao meio dia.
3.' secqao.
Offlcios:
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Para os fins convenientes transmilto a V. S. os
titutos inclusos do bacharel Joae Hircano Alves
Maciel, juiz de direito da comarca do Bonito, remo-
vido para a de Nazareth, e de Francisco Ribeiro
Costa Vascincellos, tabelliao publico do judicial e
notas do termo de Goianna.
Ao mesmo. Communico a V. S-i para os
devidos fins, que a 24 do corrente deixou o bacha-
rel Jose Vicente Ferreira Gomes o exerccito do
cargo de juiz de direito da la vara civel da comar-
ca de Pao d'Alho, por ter sido nomeado desembar-
gador da relaeio de Cuyaba.
Ao mesmo. Mande V. S. pagar a Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, agentes e procura-
dores da companhia de navegacao a vapor bahiana
nesta capital, a quantia de 2804000, constante da
conta junta, importancia de passageas dadas a
bordo do vapor Gongalves Martins, da Cidade de
Penedo para esta capital, a uma escolta que con-
duzio desertor, visto ser despeza que deve ser
paga pelo cofre dessa thesouraria.
Ao mesmo. Tendo nesta data autorisado
o inspector do arsenal de marinha, como solicitou
este em offlcio de 26 do corrente sob n. 775, a
comprar a madeira para duas lanchas e uma
barca d'agua, mandadas construir pelo ministerio
da marinna em aviso de 17 e 27 de setembro
ultimo e de 6 do corrente, esta com desiino ao
referido arsenal, e aquellas as eapitanias do Ceara
e das Alagoas ; assim o communico a V. S. para
os fins convenient^.
Ao inspector da thesouraria provincial.
Communico a Vmc, para seu conhecimento e de-
vidos effeitos que por portaria de 27 do corrente
nomeei o bacnarel Celso Tertuliano Fernandes
Quintella para exercer o lugar de secretario do
gymnasio provincial, tendo resolvido arbitrar em
5:0004000 a fianca que deve elle prestar nessa
reparticao, por accumular as fune;ous de ecooomo
do mesmo estabelecimento.
Ao mesmo.Maude Vmc pagar a Joaquim
Ferreira Alves, proprietario da casa que serve- de
quartel no Poco da Panella ao respective desta-
camento, a quantia de 314800, em que importa o
aluguel da mesraa casa, a contar de 15 de agosto
ultimo a 15 do corrente, conforme solicita o Dr.
chefe de polieia em offlcio de 28 do corrente sob
n. 1950.
Ao nrsmo.Transmito a Vmc. a conta junta
para que essa thesoarana indemnise a reparticao
da polieia da quantia de 254000, importancia das
diarias abonadas aos presos pobres, que seguiram
para o termo de Cabrobd no dia 29 de outubro
ultimo, aflm 4a responderem ao jury.
Au mesmo. -Autori-o Vmc. a pagar ^ Justino
Jose de Souza Campos a quaptia de 2234250, im
portancia oa canalisac&o de gaz e agua na escoia
Modelo, constante do certificado junto.
Ao mesmo. Transmilto a Vmc as relaeoes
e contas juntas da quantia de 1304500 despendida
durante os mezes de julho a setembro deste anno,
com o sustento dos presos pobres da cadeia do
dor a quantia de 42400 J, constante do recibo junto
eflUuplicata, iraportancia.de 3 mezes de aluguel
da Casa que serve de cadeia naquelle termo, a
9 do agosto a 9 do corrente, conforme
o Dr. chefe de polieia em offlcio sob n.
9, de 25 do corrente.
Ao mesmo.Maude Vmc. pagar a Joaquim
Feweira da Costa e Silva ou seu procurador
a (fhantia de 664560, constante da conta junta,
despendida durante o ran de outubro ultiun c >m
os presos pobres da cadeia do termo de Beserros,
segundo solicita o Dr. chefe de polieia em offlcio
sob n. 1945, de 26 do corrente.
Ao mesmo. Acceitando o alvitre lembrado
em seu offlcio de hontem datado, sob n. 539, au-
toriso Vmc a prorog-ir por mais 30 dias o praso
marcado para o recebimento independente de
muha da contribuic*o indemnisadora dos appare-
llios e servico dos inesmos, pertenceates a compa-
nhia Recife Drainage. Ontro sim expeea suas or-
dens aflm de que, na reparti.-ao eeinpctente, se
proeeda desde ja e por novo preco, p^r Vme. de-
sigaado a arrecada;ao do debito proveniente d i-
quettes apparelhos e servico, pela forma inlicada
em sen citad > ctfl<;io; subsistindo em o todo caso a
multa de 9 por cento para aquelles contribuiotos
que nio realisaram, no praso dido, o pagamento
a que eram obrigados
Ao mesmo. Mande Vmc. pagar an arrema-
tante das obras do 5.* laneo da estrada
do Muribeca, Antonio Victor de Sa Barreto, a
qnantia de 5324110 a que tem direito por....
177-.373 cuhicos de pedras quebradas, conforme
o certificado passado pela repani;ao das obras
publicas em 21 do corrente, e bem assim a de
174120, proveniente do leito do arco n. 1, uerten-
cente a raesma obra e a que nao era elle obrigado
por forca do seu eontracto.
4.' seccao.
Actos :
0 presideute da provincia, tendo em vista a
proposla da camara municipal da villa de Seri-
uhaem, fjita em offlcio de 14 do corrente, resolve,
na conformidade do disposto no ait. 2." da lei de
1831, approvar provisoriamete e mandar quo se
executeni as posturas abaixo transcriptas:
Todos os armazens, depositos, caaas de nego-
cio. estabelecimento-' de irtdustria de qualquer
natureza que seja, tixos ou volantes, onle se
compre e venda em grosso e a retalho mercado-
ri.is ou geoeros solidos ou liquidos, serao obriga-
dos a ter colleicoes completas de pesos e medidas,
segundo a natureza de ssu commercio, na forma
do paorao do imperio.
Toda.- as pessoas assim obrigadas a ter balan-
Sis, pesos e medidas pagarao a afericao da ma-
neira seguinte :
Art. !. Por cada metro pagarao os logi>tas
240OU ; os mascates e boceteiras 14000
Art. 2.* Por cada lerno de peso, comecando
de vinte e nove kilogrammos ate o menor pes).
A' camara monicipal da villa de Jaboatao.' veneimentos na fdrma da let
recebimento do offlcio de V. S., de 7 do cor-' i rmo de Serinbaem, afim de que essa thesoura-
rente, em que participa ter nomeado o Dr. Tibur- i pague ao fornecedor Felix Pacheco de Me-
tino Barbosa Nogueira promotor publico interino i o zes ou ao seu procurador. conforme solicita o
dessa comarca. i,r- chefe de polieia era offlcio dataio de 25 do
jet A> bacharel Joaquim da Costa Ribeiro, jai* CamposTo exercicio do'eargcTaa juiz de direito da.' de diraiti do Brejo. 0 Exm. Sr. presidente d;. Ao mesmo.-Aatoriso Vmc. a pagar ao de
* vara civel da comarca de Pao d'Alho 1 provincia mania aecusar o re:ebimonto do offlcio legado do termo de TOrea.ou ao tea procur*
IjUJOO por terno; comdeando de dez kilogrammos
24560 por terno; comecando de cinco kilogrammos
14000. Os que exeiderem a vinte kilogrammos
pagarao 40 reis por kilogrammp. Pesos avulsos
pagarao 30 reis .por kilogrammo, menos de 20
kilogrammos para cima, %ae pagarSo 10 reis.
t Aft. 3 Cada marco que nao exceder de
meio kilogramma pagara 80 rCis por onca; os
quo excederem pagara 1 40 reis Baiaocas por-
tuguezas que nao excederem a oito kilogrammos
Dacarao 5o0 reis; as que forera de maior capa
cida ie e menor de vinte kilogrammos pagarao
I40OJ, e as que excederem de vinte kilogrammos
pagarao 2*000 ; baiaocas para marcos e granita-
rios pagarao 320 reis. As roraanas e decimaes
com peso ate trezentos kilogrammos pagarao....
64000 e as que excederem pagarao 10*000.
Art. 4. A colleccao de medidas para seccos
com oito vasilhas, comecando pelo decalitro a
meio decilitro pagarao 14600. Por colleccao de
cinco vasilhas, comecando pelo duplo litro ate um
meio decilitro, se pagara 14000.
t Art. 5.* A colleecjii de medida3 contendo
seis vasilhas para liquido, principiando pelo double
litre ate meio decilitro, pagara 14500. Por um
terno de quatro vasilhas, comecando de meio li-
tro ate meio decilitro, 14200.
t Art. 6.* As vendas e armazens sio obriga-
dos a tor tantos ternos quantas foretn a3 qualida-
des de liquidos que venderera.
t Art. 7." As medidas avulsas^quer para li-
quidos quer para seccos, pagarao 200 reis.
Art. 8." Os que venderera pelas ruas fazen-
dasou seccos, como areite, mel, leite, feijaj, mi
lho, etc., pagarao de aferiijao por cada medida
320 reis, e 0 mesmo pagarao os canoeiros, barca-
ceiros e navios que venderera cal, sal, farinha e
outros generos.
Art. 9.* Os que venderem liquidos em bar-
ris ou ancoras sao obrigadjs a aferil-os, marcando
no toxto dc cada um 0 que pode conter, e paga-
rao por cada par de barris on ancoras, 0 que
esta estipulado por uma so vez ao anno, 14000 ate
a proxima arrematacao, flcando livre da revisao
para nova arrematagao.
< Art. 10 Por cada regua de dous metres,
pagarao 500 reis, e sao obrigados a uoor parte
deltas os mestres de obras, carapinas, pedreiros,
canteus, vendedores de madeiras e todos os que
por sua proflssao della possam precisar.
1 Art. II.* As estacoes publicas continuarao a
pagar as aferic5es, bem como as estacoes da es-
trada de ferro e matadouro publico as balan.-as de
arrobacio. ...
a Art. 12." As medidas e pesos sao sujeitos as
revisoes que custarao metade todas, as medidas e
pesos aferidos pela primeira vez. ficam sujeitos a
mais metade da afericao prescripta.
Art. 13 As ateriQSes terao lugar de outu-
bro a dezerabro e a revisao de abril a junho, fi-
cando, porem, os asougues obrigados a rever seus
pesos e medidas de tres em tres mezes.
0 presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Christovio de Barros Gomes Porto,
professor publico da cadeira de primeiras lettras
da villa de Santo Amaro de Jaboatao, resolve c n-
ceder-lhe quinze dias de licanca, a contar de 17
do corrente, com orJenado na forma da lei, para
tratar de sua sadde
O presidente da provincia, tendo em vista 0
que expoz 0 Dr. director geral da instruccao pu-
blica era offlcio de 26 do corrente son n. 345, re-
solve, de conformidade com 0 art. 7.* da lei n.
369, de 14 de raaio de 1855, nomear 0 cidadao
Jesuino Archanjo de Albuquerque Pimentel para
exercer 0 cargo de delegado litterario da district.)
da cidade da Escada.
Offlcios :
Ao Exm. Sr. presidenle da provincia da
Bahia. Deferindo 0 incluso requerim'snto do sol-
dado do 2.* batalhao de ial'.tntaria Joao Onofre da
Suva, rogo a V. Exc se sim de transmittir-me
am documento authentico, coraprobatorio da alle-
gaqao qne faz a predita praca qo haver marchado
voiuntariamente para a guerra do Paraguav, na
qualidade de guarda nacionat designado do bata-
lhao da freguezia de Sao Pedro, dessa provincia..
Ao Exm. Sr. Dr. Francisco Teiteira de Sa,
presidente da provincia do Ceari. Accuse rece-
bido 0 offlcio circular de 13 do corrente, em quo
V. Exc. me communica haver n'aqueiu data pres-
tado juramento e tornado posse do eargi de presi-
dente dessa provincia, para qne foi iwraieado por
carta imperial da 13 de agosto ultimo Cnmpre-
me relterar a V. Exc. os mens protest <> de snbida
estima e distinct* consideracajo, assegiuandoJhe
que serei solicito no cumpri.mento de ois ordens,
qaer tendentes ao servico publico, o/ier ao parti-
cular laV. Exc
*0r1r1aa:
Comrannica-me a camara municipal da villa de
Joboatao, em ofB-io de 26 deste mez, que resolveu
mandar continuar em plena execneao no seu
municipio as postaras da IUm.* camara municipal
do Recife, ate que se organise um codigo de pos-
turas, adoptadas as suas necessidades, e pede para
esse acto a approvacao desta presidencia. Em
respcwrrnBabe-nw diznr a me^ma eamara qne
approvo a sua resotugao a tal respeito. cumprin-
do-lhe tratar de organisar suas postwas a t -mpo
de serem submettkias a approvacao da assemblea
provincial em sua proxima reuniao.
A' camara muicipal da villa de Serinhaem.
Rem -tto a camara municipal da villa de Seri-
nhaem, para seu couhecimeoto e devida exocugio,
copia do acto desta data pelo qual resolvi appro-
var provisoriainente as posturas annex as ao seu
offlcio de 14 do corrente.
A' mesma.l>oclaroa camara municipal da
villa de Serinhaem que prevalece a minha decisao
contida em offlcio de 16 pa setembro ultimo, rela-
tivamente a cobranca dos impostos pertencentes
ao territorio desmemhrado para 0 novo municipio
de Gamelleira. Fica assim respoodido 0 offlcio
que me dirigio a mesma camara em data do 14
do corrente, cumprindo Ihe dar execucao ao que
recommendei otn offlcio de hontem, quanto a ins-
tallacao do novo municipio acima referido.
S.' secgao.
Acto:
0 presidente da provincia, usando da attri-
bui;ao que Ihe concede o aviso do ministerio do
impario, de 2S de fevereiro de 1872, resolve
de-ignar 0 bacharel Manoel Pessoa de S'queira
Campos para exercer intcrinamente 0 lugar de
official da com nissao encarregala do recensea-
memo desta provincia.
OJucio :
Ao presidente da junta de emancipate de
escravos do municipio de Agua Preta. Inteirado
do que expoj em seu offlcio de 12 do corrente,
relativameate a recusa do escrivao de paz do dis-
triclo de Agua-Preta era concluir os trabalhos de
escriplurac,ao dessa junta, por ter sido transferida
para a villa de Pilmares a sede desse muaicipio,
lenho a dixer-lhe que deve Vmc. chamar para
esse dm o do juizo de paz do districto dessa villa,
a quera, nos termos do regularaento de 13 de no-
vembro de 1872, compete fazer esse servico.
EXPEDIENTK DO SKCRETARIO.
1.' seccao
Offlcio :
Ao E un. brigadeiro commandante das annas.
S. Exc 0 Sr. presidenle da provincia, tendo
provideuciado p tra que seja pintado a oleo 0 m -s-
tro novo para bandeira no forte do Buraco, assim 0
manda declarar a V. Exc, em resposta ao seu
offlcio de 3 do corrente, sob n. 1,068.
2." seccao.
Officios:
Ao Dr. Vicente Ferreira Gomes.-0 Exm
Sr. presidente da provincia mania accusar 0 re-
cebimento do offlcio de V. S., de 24 do corrente,
em que participa ter nessa data deixado 0 exerci-
cio do cargo de juiz da direito da 1* vara civel da
comarci de Pao, d'Alho, por ter sido nomeado des-
emhargad >r da relacao de Cuiaha.
Ao Dr. chefe de polieia.0 Exra. Sr. presi-
dente da provincia nunda transmittir a V. S. 0 li-
tnlo junto de noraea.-ao do I" suppleote do dele-
gado do termo de Santo Ant io ; de conformidade
com a proposta de V. S. ein^offlcio n. 1,943, de 26
do corrente.
A1 mesmo. -De ordem de S. Ex. 0 Sr. pre-
sidente da provincia, communico a V. S. que a
thesouraria provincial esta autorisada a inderani-
sar essa reparticao da quantia de 25*600, irapor-
laucia das diarias abonadas aos presos, que se-
guiram para 0 termo deCabrobo, no dia 29 de ou-
tubro ultimo, alim de responderera ao jury.
Ao mesmo. De ordem de S. Exc 0 Sr.
presidente da provincia, communico a V. S. que
aulJiisou-se a thesouraria provincial a fazer 0 pa-
gamento da quantia de 1304500, despendida com
0 sustento dos presos pobres da cadeia do Seri-
nhaem, ao fornecedor Felix Pacheco de Menezes,
ou a seu proeurador ; conforme seujofflcio datado
de 25 do corrente sob n. 1,917.
Ao mesmo.De ordem de S. Exc. 0 Sr. pre-
sidente da provincia, communico a V. S., que a
thesouraria provincial esta autorisada a pagar ao
delegado do termo de Floresta, ou ao seu procura
dor, a quantia de 424000, importancia de 3 me
zes de aluguel da casa, que serve de cadeia no
mesmo termo ; conforme 0 offlcio de V. S. de 25
do corrente sob n. 1,940.
Ao mesmo. -De ordem de S. Exc 0 Sr. pre-
sidente da provincia, communico a V. S. que ex-
pediram-se ord ;ns a thesouraria provincial afim
de pagar-se a Joaquim Ferreira da Costa e Silva,
ou a seu procurador, a quantia de 664560, despen-
dida com 0 sustento dos presos da sadeia do ter-
mo de Bezerros, conforms 0 offlcio de V. S. sob
n. 1,345 datado de 26 do corrente.
Ao mesma -De ordem de S. Exc. 0 Sr. pre-
sidente da prorincia, communico a V. S. que nes-
ta data foi a thesouraria provincial autorisada a
pagar ao proprietario da casa que serve de quar-
tel do destacamenlo no Poco da Panella a quantia
de 3040JO ; conforme 0 offlcio de 28 do corrente
sob n. 1,950.
Ao bacharal Francisco Gomes Pinto de Cam-
pos.0 Exm. Sr. presidente da provincia manda
accusar 0 recebimento do offlcio de V. S., de 24 do
corrente em que participou haver assumido 0 exer-
cicio semi pleno da jurisdicgae da 1' vara civel
de direito da comarca de Pao d'Alho.
4.' seccao.
Offlcios :
Ao Dr. director geral da instruccao publica.
S. Exc. St. presiJente da proviucia mania cora-
municar a \. S. que por aclo de 26 do corrente
foi concedida a exoneracao pedida pelo bacharel
Jose Joa mini de Oliveira Fonseca do cargo de de-
legado litterario do districlo da freguezia de
Nossa Senhora da Graca. da Capunga, e nomeado
para subslitui-lo 0 vigario da raesraa freguezia,
Rvdm. Augasto FJanklin Moreira da Silva, a quem
devera ser remettido 0 titulo junto
Ao mesmo.-- S. Exc 0 Sr. pre.ideata da
provincia, tendo nomeado por acto desta data 0
cidadao Jesuino Archanjo de Albuquerque Pimen
tel para 0 cargo de delegado litterario da cidade
da Escada, conforme propoz essa directoria em
offlcio de 26 do. corrente sob, n. 3 5; assim 0 man-
da comrauuicap a V. S. paraseucouheciraento, ea-
viando-se Ihe 0 titulo junto, afim de ter 0 conve-
niente destino.
A' lilma. e Exma. Sra D. Anna Peres ^ara-
pello Jacorae da Garaa. Pdr esta secretary se
coramuoioa a Ilima. e Exraa. Sra. D. Anna Peres
CampoJJe Jacome da G&raa quo, segundo consta
de pArlicipacao da secreuria de e-tado das nego-
cios do imperio, a 19 do ojrrente foi remetuda ao
miaislerio d.v fanenda a oarta de pansSo da aaM
Exma. Sra, aflm de que, depois de feitos no the-
souro nacional os raspectives assenlamantos, seja
a referida oarta eaviad.t a thejouraria de tazenla
desta provincia
Joaquim Correia de Oliveira- AndradeBeferi
do, com offlcio desta data, dlrifido a thesouraria
de fazenda.
Tenente-coronel Jose de Meraes Gomes- Parrel-
ra l>terido com offlcio desta data, dirigido A the-
souraria provincial.
Jose-Luiz Netto de Meodouca. lnforuw 0 Sr.
inspector do arsenal de marinba.
Jos fgnacio d'Avila. Infonne 0 Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Capitao Joao Francisco Antunes. Encami
nhe-se.
Joaquhn Ignacio da Ponseca. Infonne 0 Sr.
engenheiro chefe da reparticao das obras publicas.
Manoel Pereira Dias.-Concede oilo dias.
Oscar Destibeaux.Iororme 0 Sr. engenheiro
das obras militares.
Major Paulo de Araorim Salgade. Sim, pagoo
os direitos nacionaes.
Tiburcio dos Santos Portugal.Sim, satisfeitoj
0 srequisitos 1 egaes e pagos os direitos nacionaes
DESPACHOS- DA PRESIDENCIA, DK 17 DE FKVERBIBO DC
1874.
Antonio Francisco Paes de Mello Barreto.
Aguarde o supplicante o resullado do exame qne
nesta data recoraraendo ao engenheiro cbefe da
reparti'.-ao das obras publicas.
Dr. Augasto Caroeiro Monteiro da Silva Santos.
-De-se.
Doraingos Antunes Villaca.Informe o Sr. ins
[lector da thesouraria de fazenda.
Domingos Francisco Dories. Inform.- o Sr
engenheiro das obrai militares.
Dr. Estevao Cavalcanti de Albuquerque e TK>-
raaz de Carvalho Soares Brandao Aobrinho
Aguardem cs supplicantes o resullado do exame
que nesta data recoraraendo ao Sr. engenheiro
che e da repartijao das obras publicas.
Francisci Cavalcante de Albuquerque. Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Jose Cavalcante de Lacerda Informe o Sr
inspector da thesouraria de fazenda.
Joaquim Ignacio da Fonceca. -Junta a primeira
peticao, seja remetti la ao Sr engenheiro chefe da
reparticao das obras publicas Dara informar.
Jose A o go-to de Araujo. -Nesta data mando
Ser novamente em praca o casteio da illuminacao
e one se trata.
Joa4 Lniz de Magalhaes e outro. Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Joaquim Ferreira da Cunha. intorme o Sr
inspector da thesouraria de fazenda.
Lniz da Costa Porto Carreiro e outros. Infor-
me o Sr. director geral da instruccao publica.
ouvindo o regedor interino do gymnasio provin
cial.
Maria do Rosario Piobeiro. Como requer, na
forma da lei.
Itrpiirticito da polieia
2.' seccao.S'.cretana de polieia de Pernambuco,
18 de fevereiro do 1874.
K. 236, -IUm. e Exm. Sr.-Participo a V. Exc.
que foram hontem recjl'iidos a detracao os radivi-
duos segniotes :
A' ordora do subdelegado do Recife, o subdito
p riuguez Anicelo Fernandes, a requisi^aodo res-
pective consul.
A' ordem do da 86a Vista, Domingos, escrava
de Manoel Gjncalves Ferreira da Costa; Manoel,
escravo de Reid Krem'ienberg, e Camillo, escravo
de Jovino Bandeira, a requenraento dos respecli-
vo5 senhores.
Era data de 16 d corrente, declarou-rae 0 dele-
gado de Cabo que na raesraa data fora reraetltdo
ao doutor juiz municipal do termo 0 inquerito po-
0 feit0 pole subdelegado daquella villa coo-
htonio Jose Goncalves Pereira, autor das of-
; as physicas praticadas na pessoa de Roberto
^rudencid.
Dsus guarde a V. ExcIUm. e Exm. Sr. com-
raendalor Hearique Pereira de Lucena, dignissi-
m-j presidente da provincia. -0 chefe de polieia,
Antonio Fianctsc-) Correia de Araujtf.
INTERIOR.
RIO Fr>i: JWIiIRO
4 DE FEVKREIRO DE 187i
O resultmlo da missao Penedo.
Que nao faltariain os mais acerbos commenta-
ries sobre o resultado dessa delicala missao, de
que com tao raro fortunio acaba de desempenhar
se o Sr. barao de Penedo; e isto, qualquer qne
fosse a soiucao oblida da Santa Se e quaesquer
que fossem tambem os meios erapregados por
obte-la ; que esla soiucao haveria parecer defi-
ciente, incompleta, inutil. e para am certo namero
de espiritos racbitica e ate repugnante : que se
desejaria mais, muito mais, do qoe se hoavease
obtido; -nos o esperavamos, e esperava-o tambem
0 governo. _
Os que tinham comecado por dizer dessa missao
que nao passaria de uma trivialidade diploaalica,
sob pena de deixar comproraettida n'algurc possi-
vel accordo a dignidade nacional.prevendo em srde
triumpho que o pleoipotenciario bra=ileiro retirar-
se-hia do Vaticano, tenlobeijado inutilraeote o p*
de sua santidade; os que nie cessavam de invo-
car a iaflexibilidado dos principios da Sant Se como
formidavel objeccao em que se quebrariam impo-
tenles os mais habeis maneips do represenlante do
governo brasHeiro ; nib podtam julgar de resullado
dessa missao senao pelo aaodo por que o vao fa-
zendo. ,
Nao tinham elles. com uma sigaificativa aate-
cipacao, eondemnado por um trafo de penna
missao Penedn como medida altaoeate impolilica
comproniettedora e inefflcaz f
Que muito 6 qne, falhada a sinistra previsae.
tentem agora diminair a importancia dp resultado
obtid*t
O pai*. que sabe tlevar-se-aeima de apreciar>n
qua vftm denunciando a incontessavel erifera, ra-
1 ciccinara por sua vez que, lanto quaato podia ser
obtido do chefe da igreja, tan gir Ihe nas actuaes circumslancias, e laato como
o permittiam as leis do imperio e as- attribuicoe*
do pnder executive a missao Penedo o obleve sem
quebra da dignidade nacional e sera coapromi>so
ae qualquer natureza.
Ofim unico dessa missSo esta. mais qne defim
do nas instruccdes que a presiliram, e em que a
Refama reconhece n'um torn curiosamente sen-
tftnrioso MM eerta dinidade ctrtos lampejos *
boa inspiracao.
A missao Penedo corrsspondeu ou nao essa*
instruccoes *
Tal e a que :
B-ESPACHOS DA PaKStDENCIA, DE 29 DS JANEIRO DE
1874. (,
Antonio Vicente do Nas-uminto Feitesa Defe-
rido, com offlcio desta data, dirigido a thesouraria
de faseada
Alexandrina Umbelina de Preitas Ucboa.Passe
portaria concedando dous mezes de Iicenca, com
() Em Tirtudede extravio por parte da typo
Igraphia, slo agora pnblicados os despacho; aelraa
levaitla-
Ja o orgao liberal nio se preoccupa com a inop-
portuoidade da missao a Roma, com a inecacu
deste manejo dipbmatico, com turte isto que lie
fea ver na missJo Penedo uma fnrola teniaiiva.
alg.iraa cousa que cumpria nao tomar ao seno
Ja a Refortm reconhece por um jui*> riori que podia nao ser tempo per** fazer co-
nhecidos da Santa Se o verdadeiro esiado da TO"*-
tao religiosa no Srasil, as cansas qn Ihe deram
origem e a? provaveis eonsequencias a que pooena
>>irao a verdade tem seluccoes irresi-'trrejsj
Os que ainda hontem annuueiavarr. com" cow*
inevetavel o complete mallogro dessj missno, )
MM
rair**-



LmVmhmjVmmmmmm^mmmmmv^^
c
Eji'

* '
-------.___a


H8I 3fl (MH3H37X* M l MiaHifWW frnambuco Quints Wa 19 do Fevereiro de 1874. WJrfW I 0/7 ft

4b1
lias, vaifttfeft Reform*. .Ells, ja reconhece, c
nio 6 poucasaHptf & totttmsigentes adversarios,
que as insraffllctransmittidas to St. baracr de
Penedo reiWWWJis certa dtgnidade t lampejos
4e boa iNsdMiMCC ....
0 quo impressiena neste momento o orgao li-
beral e, segundo as suas proprias palavras, a re-
rW.ifdo ourwi infanMf tt%-,incafmtnhfie d neo-
visitor e a Itviand&t comfHe o ftrerno ttinuncia
eu paiz a bm nova.
Vejamos, antes detud<\>nt que o govafno foi
leviano an annuncUr a boafcva.
A missao Penejaaao tiotMSra por flm, 8ns ter-
roos das instrueg8ja\do nobraSr. ministra do* es-
trangeiros, senao aayor at tanteal secrMario e
mui 'particular mente.a snn mntptade tudo quanto
occorrera r.trm'astl, aporUm us males qut podiam
resmltar de ados tad\uwKiares e illtgaes, e pro-
eurar obter que o papa dei-xassc de antmar os
bispos na sua 4esobedreneia e, an contrario, Ihes
tttonselhasse toda ca-nformi&nde com os preceUos
da constituicm i das leis e com as regras que tem
sidi seiapve attendidas desde os tempos uiais remo-,
tos nas relies a igreja com o estado.
Evidentemente, nao se iratava de discutir do
placet, do recorso a coroa, de todos os ontros di-
reitos qae a soberania 'temporal se resarva como
meios de impair possiveis excessos da junsdiccso
espiritual.
Boa tees pantos nao seria mesmo licito ao go-
verno iuvocar a auwridade e o apoio do cheTe da
igreja. -Governo, que o tenUsse, teria dado uni
prof undo gxdpe nas iastituiciks.
B 2 de aue" alguns bispos se jutganm ampara-
dos na antoridade -do cliefe da igreja para iajus-
aiftcaveis eAB$os tie jurisdiccao esprrUual, era
dc todo panto'-caavehienU e opportune provocnr
4e parte da Santa Se uiiia explicila assapprovapao
desie insolito proceder.
Ora, esle resuluda obteve?o incoqtftjtavelmcnte
a missao Peuedo, obtendo que a Santa Sa estra-
nbasse acs aispos. o use ila sjveridades raal aeon-
selhadas, e Ihes ordejjasso. volttr ao aotigo e&Udo:
ad pristinum-stalum.
Que facto tinlia provacado o conflicto qua todos
'.aiuentaraos, ou qoe todos deveinos Umenlar ?
A igreja o o eslado viviam no Brasil no ipais
perfeito accordo, que nada arai^acAva quebrapUr.
0 qae trouxe. a pertorbayaa actual, foi sabid.i-
raente-a interdlccao iaqQada a uma irmandade e a
EiuiUs outras em ados suecessivo*. Daki, como
de uma causa mediata, irrorapeu o coofUcto om
qne, muilo a ssu contragosto, seotio se o governo
envtilvido.
No meio disto, e quando os acoatecimBntos ja
levayam um curso adiantado, fez se publico o
breve pontificio tie 20 de inaio quo tao mal in
terpretado devia de ser.ppr uma p:trle do episco-
pado.
Ivu taes ciccumslaucias o que cumpria ao go-
ver.nu I
Niio podendo resignar(S,e a.espftrar da Santa Se
a sulu.ao do.couUicto, que as. leis o habilitavam
a resolver, o governo julgou opportuno faitec sen-
lir ao cliefe da igreja o verdadciro estado da, qaes-
Uo, e obter dellc quo deixas$e-de,anM.r os bispos
i'j sua desobediencia.
Ora, pelo que nos e dado saber da carta expe-
dida ao Sr blspo de Olinda, o santo padre., nao so
meule Ihe otranha as severidades ae que usou,
:otno lle raanda o/ie rept.nlia as cousas no seu
prjinitivo estado.
(ju-r-sc uiais brilhante desenlace da diQi-ul
dad! ?
ff evidente qu^ se os bispos, prestando a pala-
vra da Santa Sti a obediencia. q^ie nao Ibe pode-
riam recus.ir lioando bispos ca'.h"licos, restituirem
.is irmandades intordicias a plenitude do exercicio
de suas faucet*;?, dflsapparecera a primeira causa
de conflicto e com elja a origem de futuras per-
tujbat.'tjes.
li'certo, entretanio, que niio oessa por is to o
citnflicto, se este nome eoijvem a accao do poder
judicial contra o proceilimonto criuiinoso do epis
copado.
Mas poderia o governo Icr dispensado na lei ?
Devi-r se his suster o proctdi:no.:ito intentado ?_
Entao as leis nao seriam luis. 0, poder judicia-
rionao seria mais um poder independeute. A
ordem da? jurisdic^de; cstarja iaycrlida. Nao vi-
vvriamos mis em tuna socierjade urganisada.
Os que censurara por dplicieute o resultaio da
missao-Penedo, coraecaio p >r nao comprehender
o pensamento que a' inspirou.
Essa missao nao tinba tpie ver com a,questao
religiosa senao na parte cm que a Santa Se po-
deria influir sobre el la sen oflen'a a soberania
nacional.
Nio se foi pedir ao papa constittiifao politica do Brasil e as suas leis or-
ganicas, ou que as deelarasse conformadas com
os interesses do catholiotsmo e com os direitos da
igreja.
seal do resultado dessa missao fez o governo
depender o tmprego dos mt'ios legae- para router
o ^piscopado nos limits* de sua jurisd'ccio. Tanto
assim (i tjne, nas instrncco-is communicadas ao
St. baiao de Penedo, o governo fez-lhe saber que
a ordem para o processo do Sr. bispo de Olinda
nao se faria demorar, e no memorandum submut-
tido a Santa Se, pela nota de 2!) de outubro, o
plenipontBticiario hrasileiro falla dos meios que
nas leis do imperio inn o governo imperial para
man'.cr illesos os direitos do estado.
Yt'-se bein claro tpie nao foi uma traosacfio o
tim la missap-Penedo,
Ella 0'teve, ralretaoto, que o santo padre in-
!frpuws travado cnir^ o poder eceleslaslico.e.o prtder civil
evtaodo a repr^dncfao de artos \ne poderiam ser
a occasiao de futur.t.-' pr:urbaQoeS,
Nao era este um icsuHado que o governo de-
vesse annunciar com satisfyoao ?
Quiz^sse a Reforma jub^ar da missao-Penedo
e dadeiro terrono de que o gpvecno uao poderia
apartar se sem ex'ceder o circulo das allribuiroes
que Ihe s5o commettidas, e certamenie niio hou-
vera escripto que o espirito recusa acred tar o
que os olhos leem enlre us documeulos publi-
cados.
Do motlo pelo qual ti plenipot''nciario brasileiro
f. hoove no desempenho ''a missao qne o levou a
lloma, occupar-nos-betuosno arligo immediato.
(.Vai.ao)
iiJiMieo.
4 REVISTA DIARIA.
Calleotoritt provincial. Por portaria
-da prcsidencia do provineia, de 16 do corrente,
lorain con&ideradas sem elTeito as portarias de 2H
de Janeiro ultimo, a primeira exonerando Jose de
Barros e Silva, de collector provincial do iuunici-
pio de Garanbuns, e a 2' nomeando Jos6 Pacheco
Leite para o mesmo .lugar, flcando em inteiro vi-
gor a nomeacao da .referido Barros e Silva para
exorce lo, visto ter elle provado nao ser parente
proximo do fiscal intecino da mesma collectoria
Vapor Garonne.Sahio da Bahia para o
jiosso porto no dia I' a noite. Deve cbegar
boje.
Cruzeirw do Sol. Por telegrauima do Pa-
ca, consta que esle vapor brasileiro sabio para o
nosso porto, peias escalas, no- dia 17 do corrente,
a tarde.
Administra^ao doeorreio.Em.vieta
do resultado do cancurso a que se procedeu ne-
u reparticao, forara assim classificados us concur-
rentes : Uanoel Augaslo da Fonceca e Silva,
Antonio de Medeiros Mafra, Antonio Pedro Cysaei-
ro da Costa Reis, Jose Pereira Monteiro Pessoa e
Candida Ceeiliano Autran da Malta Albmjuer-
qne.
Por portaria do Sr. administr^dor foram hon-
lem nomeados praticantes os dons primeiros con-
currentes.
lastituto Archeologrieo.-Deve reunir-
66 hoje, em assemblea geral, as i 1 huras da ma-
obi, pan Brocedar a eleicafi da mesa adrninistra-
liva e coramis5?s rerpectivaa.
Passaateato.-Victima de um v61vo, falle-
eu hontera o Sr. Manoel da Costa Bibeiro, 2"
cscripturaro da Ihcsouraria de fazenda.
Anlmaes soltos. -Contra a exprcssa pro-
bihi<;ao de uma postura municipal, andara soltos
pel) pateo das Cinco Pontas e suas immediacies
varios carne/ros, cabras e porcos, que, em certo
modo dilDcultam o transtto, sem contar que nio
pouco contribuera para tornar iramundos aquelles
lugares.
Nao sera possivel fazer visorar a referida. po3-
lura ?
Cremos qua sim, e, ao Sr. Hscal de S. Jose cam-
pro ter presente a lei proliibiliva e faze-Ia res-
peitar.
a ?*nt? v9ar< las Salinas.- Hoje, as
8 boras da noite, sera hasteado, com todo o e.v
Dlendor possivel, o estandarte do milagroso Santo
Amaro, que se venera na saa capella das Salinas,
com o programraa seguinte, que nos foi remet-
tida :
a A baodeira sahira da
mcplnos, e acorap nhada por nm gra.irf^ nuoMr
&o senhoras e menirias a'lc o'iugir eni rjne tern de
serhasteada, e luraitef> trsj9Ct i^earaa most'
ca do 4* bataluio d arttihera esevAliidas -pet^as de
seu renertorio. ...
Depois de bastcada a baa^eira, queimar-se ha
um lindo fogo de artiacio, execucio do habil ar-
usteiKinpw. r~wmk. aflT
fWo di imme-iWe comeciH^o ovonas, sen-
do oj versos aatoado* por"Bma scjfcora que a isio
se pwsta Bprdpvocio ao meuno sarlto
i Uma wfcda de mo-ica aurcial tocara em to-
das a Hottes das novenas.
< A cownissao ecarregada da festa roga aos
nioradores da rua do Bom Go-to e outras, para
que Wuminem as Trentes de suas aasas, alim de
iornr-se mais esplenditlo o ado
taqacrtta polivial. Teve a convenient
direccao o que foi effectuado pe'.a subdelegacia do
Cabo contra Antonia. Joee Goncalves Pereira, autof
de olTensas physicas praUc>das na pessoa do Ho-
berto Prudsncio.
'mpagadnrw da lastrneyao. A's
seis e meia boras da tarde de hoje, havera no lu-
gar do costume, sessao orainaria do conselho su-
perior dessa associacao.
Gofanaa.^Eui 16 do corrente ocereve aos so
correspondente desta cidade :
Bar agora aao*posso ter muito cxtenso por-
qne.-alem de escrever-lhe esta as carreiras afim
deaao perdero coreeio, aceresce que desejo dar-
Ihe algumas noticias mais positivas, e de nisior in-
Lttresse, com relacaa ao facto de quo foi victima o
negociante Gaspar ; e, para isso, 6 mister que eu
espere. o.que se verificar por estes dias, alim d-.
coirununiaar-lhe -m seguinte missiva; o qua fare!
sem d.ivida algwna.
(( A coui'raria de Nossa Senhora do Amparo.
reuuindo-sa em mesa geral,.deliberou-. pedir provi-
lencLis ao juiz de capellas sobre o facto, qae ja
Ir.e communiquei, na missiva passada, do haverem
os encarregados da festa do Senhac Bern Jesus dos
N .vegantes lirado violentamente do saa igreja, islo
e, das maos da mesma confearia, a. respectiva tma-
gem, quando se recolbia da prucissao, requerendo
tambem. a entrega da mesma inugam por certas
razdes allegadas na pet cao qua apresentou Ten-
do o Sr. jniz de capellas mandado onvir a irman-
dade do Divino Espirito Santo eada.Ordem 3.*
do Carmo, ainda nao houve deipacbo, pelo que
nao se acha resolvida, por ora, a questao.
i Aclam-se cntre nos, as meninas Riozas que
cstrearam na quinta-feira no theatre Gymnasio, le-
vando a scena, alem de outros trabaihos, as duas
interessantes comedias Dous infernosa Paulo e
Virginia -e a sempre applaudida scena coraica do
actor Correia Vasques- 0 Sr. Domingos fora do
serio.
t A penna nao pode precisamente exprimir a
admiracao de qae se acli;.m todos possuidos pela
importancia e delicadeza do trabalbo destas duas
criancas, e pnncipalmente da menina Julia, que,
tao joven como 6, bem merece os foras de grande
e espirituosa artiste.
i A scena comica- 0 Sr. Domingos fora do se-
rio e um desses bellos e arrebatadores trabaihos
da penna do intelligente artista brasileiro Correia
Vasques : eu mesmo ja a vi execntaJa pelo seu
autor, e ultimamente pelo applaudida artista Flit-
vio Wandeck, mas niio esperava, com certeza, ver
que a menina Julia Rioza interprelasse com lanta
propricdade o pensamento do Sr. Correia Vasques,
pois que a perfeicao do trabalho desta crian$a, o
e?pintrt bem compreheadido e applicado, excedeu
e excedeu assombrosamente a minha espectativa.
Os applauso?, alias estrepitosos, quo ella rece-
beu, foram amanifestarao mais solemnc doqoanto
o publico goyannense sabe apreciar e admirar o
verdadeiro niorito arlistico.
< Ilonlem foram a scena diversas comedias, a
respeiti de enjo desempenho e do mais que houve,
eu, se tiver tempo, tratarei na missiva seguinte.
c 0 carnaval cada vex mais vai desapparecendo.
< Nesia cidade, raros e bem raros foram aquel-
les influidosque se apresentaram dignos de ver-se.
Tudo e a palhacada e j>alhaeada ridicula.
c A' rua da Imperatriz houve corridas denomi-
nadas cwalhadas. Nao mereceram as honras de
uma apreca'.-ao. Faca, pois, idea de como esti-
veram.
Ainda temos, segnndo ouco dizer, este diver-
timento hoje e amanha.
t Desejo sincerameate que passem logo esses 3
dias, porque o entrudo d'agua ti tao forte aqui,
que dilGcil e sahir a rua.
Falleceu hontem, as 2 horas da tarde, pouco
mais ou menos, a Exma. Sra. D. Anna Ferreira
da Rocha Bastos, esposa do negociante desta cida-
de o Sr. Serafim Alves da Kocha Bastos e irma do
negociante do Recife o Sr. Antonio Gonoalves Fer-
reira Casi'So.
Infelizmente eu a conbecia de pcrto, e entre
as nossas familias haviam relacoes de amiade.
Digo infelizmente, porque doe e doe no fundo
d'alma daquelle que presa uma sincera e verda-
deira amisade, uma perda que somente o que a
experimenta, a pode avaliar.
Nutava-se naquella senhora rarissimas quali-
dades, que nao convem descrever aqui minuciosa-
mente para niio augmentar a dor do quern fazia
della talvez a ima?e:n do culto da mais profunda
amisade; para nao augmentar, emfim, a d6r de
seu irmao o Sr. Ferreira Cascao, que, mais do quo
ninguem, sabe avaliar a importancia da perda que
soflren.
O enterramento deve ter lugar hoje, as II ho
ras do dia.
Para as ntolestias do peMo Pedem-
nos a publicacao da seguinte receita : Tome-se
uma casa de cupim, tal como for encontrada, e em
uma panella de barro, nova, seja cozida com a
porcao d'agua conveniente, para depois disto ser
tal r.osimenti espremido e coado, e do succo pro-
duzido prepararse com assnear branco, um
lambedor. 0 doeate o devera tomar, a vontade,
de espaco a esoaco, em colheres de sopa.
Do effeitp deste rcmedio esta precisamente infer
mado o Sr. Elias Emiliano Ramos.
\avio encontrado.Por participacao do
capitao da barca ingleza Talisman, procedente de
New-York, sabese que no dia 15 de fevereiro na
lat. 4 a'O' S., long. iiO" 30 W., communicu com
o lugre americano Maggie E. Gr y, procedente de
Baltimore para o Rio de Janeiro, com 55 dias de
via gem; tudo ia bem a bordo.
JLotcria.A que se acha a venda e a 88*, a
benelicio da matriz de Serinhiiem, a qual corre no
dia 21 do corrente.
Leilao Hoje, ( 19 do corrente ) eflectua o
agente Pinto o da farinha de trigo avariada, con-
forme se acha annanciado na secc.au competente
deste MM*.
ChavVe* JWrot, branco, Franca, 17 anaa*, soldi'
po4hste,f hospital Pedro II ; fc"
wwrJi
Antonio Ha'jftl, brsneo, Hospanha,
^Mdo.'llnaiVrsti, hospital Pedro II; ai
nmVJo*iaim do Natduemto, pnsio, .
buco, 26 annos, soltciro, Boa Vista, hospital Pedro
II; tuberculos pulmoaares.____
Augosto Lembouig, bfimro. I^anftj, 36 aoo?,
soltciro, Poco ; (ebre aourcila. ,
Isabel Maraelioa Sawipina de Oliveira, branca,
PernatibuflO, Bi annos, casada, Boa-Vista ; ajy-
|ite.
Ernesto, branco, Pernambuco, 2 m-zes, Boa-
Vista ; eaterito.
Maria, pteta, Pernamboco, I fljjezes, Boa-Vi$ta ;
anemia.
Belcbior escravo, preto, Pernambueo, 27 anaos,
saiteiro, Boa-Vista ; delirium treraens. .
Francisca Marques das Chagas, preta, Pernam-
bueo, 50 annos, solieira, Santa Antonio ; *N*>'
tao cerebral.
Jalio Soares do Amaral, branco, Portugal, 17
anaos, soltciro, Santo Antonio ; fence biiiosa.
voean*>, choia do Cohnaft'ea*! vifotefc*) de
B Wppatriotas, e de todos eaeMpgageiros illus-
jradon aonunciante e suas irmj^jno campri-
awtuo dos sous deverei, esperanjA-pwrneltem en-
vidar todos os esforeos, afim de provar que", entre
, cxistem pernambucauas vinwientcincnte ha
iiitadas para inslruir e preparar nossas innocen-
i amaveis_ patricias, nao s6 a desempenharem
op faturo o'nobre e respehavel miaisterio de
mais de familia, como a se tornarem aqui, ou em
qoalquer paiz, onde se ackarein, o brilhante or-
aajento qa mais culta e distinct*.sociedade.
As aulas^rera se a 26 de Janeiro.
Philomtna Minervina de A. Of Conneil Jersey.
inezes, Sa^to Au-
Jovina, preta, Pernambueo,
tonio ; febre amarella. |^
Rosalina, bran;a, PernambucD, 5 annos, Qrana
varietes. 1
Cm homem mandado pela policia, de noma Joa
quimFefeeiralerit,ttcia^te variolaT
153
L-il-JLJL
POLITICA
rua do Lima, iendo
Hospital Pedro II. 0 movimento deste
e^tabelecimento, de 9 de fevereiro ao dia 15 do
mesmo de 1874, foi o seguinte: existiam 328, en-
traram 35, sahiram 37, falleceram 7, existem 339,
sendo : 216 homens e 123 mulheres.
Advertencia.
Foram visitadas as enfermanas nestes dias: as
7 1|2, 7 4(2, 7 1|2, 8, 8, 8, 7, pelo Dr. Beltrao ;
as 11 1|2, 1, 12, I Ij2, 12, pelo Dr. Sarmento; as
9, 8, 8 1|2, 8 1[2, 8 1|2, 8 Ii2, pelo Dr. Malaqnias.
Fallecidos.
Manoel Silvestre ; hepatite chronica.
Rosa ; cachexia syphilitica.
Joaquira ; infeccao uiinosa.
Claudino Jose da Silva ; variolas confluentes.
Gertrudes Maria da Conceioao ; bronchite senil.
Generosa Maria da Conceieao ; amollecimento ce-
rebral.
Joao Ferreira ; scirrosa do figado.
Casa de detencao.Movimeato da easa
de detencao do dia 17 le feverViro de 1874 :
Existiam presos 339, entraram 4, sahiram 5,
existem 337.
A saber :
Nacionaes ill, mnlhere3 I i, estrangeiros 28,
escravos 42, escravas 2.Total 337.
Alinrentados a ensta dos cofres pnbiicos 266.
Cenrfterio publico.-Obituario do dia 16
do corrente :
Antonio Mendes Hnheiro, branco, Portugal, 14
annos, solteiro, Bia-Vieta, hospital Portugaez ; fe-
bre amarella.
Lydia, branca, Pernarobuco, 4 raezes, Santo An-
toaij; espa.'mo.
Josepha Maria Teive de Freitas, branca, Per-
nambueo, 39 vinos, casada, Boa-Vista ; tubercu-
los pulraonares.
Antonio/ Luiz Vianna, pardo, Rio de Janeiro, 24
annoa, solteiro, Recife, hospital de marinha ; va-
riolas.
Joao, pardo, Pernambueo, 8 dias." S. Jos* ; te-
tann.
Alfredo,jrdo, Pernambueo, 6 mezos.Boa-Vkta,
inflammacao.
Francisca Maria dot Santos, branea, Pernam-
bueo. 65 annos, viuva, Recife ; iiemorrhagia ce-
rebral.
Luiz, escravo, preto, Africa, 80 annos, solleiro,
Santo Aaionio ; cangestao cerbral.
m 17
Anda Joaquina Bezerra, branca, Pernambueo,
64 annos, Santo Antonio ; eongeslao cerebral.
Maria, parda, Pernambueo, 10 mezes, Boa-Vista,
convolsrjes.
! lit T11IO < OYSIIll \I>SIK
RECIFE, 19 DE FEVERfelRODE 1874 '
NOVWADE DO DIA.
Ja que a I'roiincia appellou para a Columna
Conservadora quanto a noticia que se le eojisna
Chronica do 15 do corrente. sob o titulo aciioa m-
in os ex plica r a noc i dade, e pretendeiaos faae-lo a
cpBtentodos provincianos.
E' verdade que veio um telegramma da ctirte
sobre a pre^idencia de Pernambueo, como muito
own disse a Proeuicia, mas esta telegramma nao
mandou consultar ao constjlheiro Diogo vellio
sim ao barao de ViMa Bella, se aceitava on. nao
a presidencia de Pernambueo.
S. Exc. o Sr. Df. Luccna repebeado-o imraedia
tameate respoadeu ao nainiatecio : que o Sr. ba
rio de Villa Bella esta tie viageni para a Europa,
onde, dizem vai receber ltcqes de alia polititfa.de
Bismark, Thiers e outras notabiljdades, e que por
essa razao, talvez nao aceitasse a presitlencia. Ate
hoje ajnda. S. Exc. nao teve resposla do minis-
terio.
E' provavel que a vista da viagem do ba^jki, o
rainisterio se aguarde para a sua vinda da Boropa,
onde, para voliar um politico de mao oheia, gasia-
ri aunca meuos de dous a ires annjs oom os seus
estudes.
Ora, duraate este tempo nao se da a presiden-
cia de Pernambueo a pessoa alguina, mesmo por-
que o miaisterio quer qoe seja o barao que a ho-
mem grave, o. nomaado. presidente de Pernambu-
oo para para substitute o actual, por conseguinle
afuancamos aos proviin:ianos quo nestes dous a
tivs annos o Exm. Dr. Lucena administrara esta
provineia.
Ten ham, pois, paciencia osprovincianos per mais
ires annos, peram ao barao de Villa Bella qae.
conclua ao menos em dous annos os seus estudos
politicos.
Se o Sr. barao se demorar mais tempo, mas tem-
po tambem estara o Exm. Sr. Dr. Lucena na pre-
sideacia.
0 que convem em todo caso, para tornar o ne-
gocio mais breve, 6que o barao de ViHaBellacom-
pre desde ja alguns livros. sobre politica, e va fa-
zendo algum ensaio.
wSSsSss a tSm
\o Sr. Alleluia o Qiiiuiii-i.'iitt
! Cinza.
0 ex-juiz da irmandade de Nossa Senhora do
Terco, Lourenco Ribeiro da Cnnha Oliveira, nao
contratou com artistas, sob sua responsabilidade,
services feitos a igreja ; apenas cite, de acordo
com o thesoureiro, ajustou para a irmandade a
entalha da capella-mdr, na importancia do 1:5005
e o estuque na de 1:000jl, depois disto se tor
naram precises outros services one o thesoureiro
contratou, certo de que o primeiro ajuste foi pago
e parte do segopdo, o cstucador pela mesma for-
ma fez mais que o primeiro ajuste, esjando pago
com pequena differenca do primeirq, e alem
destes nao interveio era;outros ajustes. v
Se e caso virgem a irmandaie dever 3:'i0'5,
tambem v>rgem gastar-se em pouco mais de dous
annos quan'ia superior a vinte cinco contos de
reis, quando outras administracoes apenas gasta
vam de quatro ate sete contos de reis, sendo o
ultimo desta cifra caso virgem. Poucas mesas
deixarara de entregar debitos a nova mesa como
se prova corn documen!os, e sabem que o dinheiro
do jniz e da mesa todo se applicau na obra da
igreja, e se com a igreja se contrahiram dividas
sendo ella propriedade da irmandade so ella deve
pagar, e nao aquelles que despenderam grandes
sommas e trabaihos, nao tendo em recompensa
mais que ser irmao como outro qualquer.
Para molestia de peito.
Uma casa de cupim, ou parte della, deita-se
era uma panella nova com porcao d'agua para
cozinbar, depois do que.,espremase n'um guar-
danapo para tirar a parte limpa, e junia-se a esta
uma porcao de assucar branco, fazendo-se assim
um lambedor, que devera ser tornado as colhe-
res, eonforme a disposicao do doeate, de es
pago em espaco. Do effeito deste reraedio tem
informacSes Elias Emiliano Raiuos.
Oleo puro medicinal de iigado
Kemp.
Nas molestias que conduzem a phtysica nao na
tempo a perder-se com experimentacSes inutes.
Ellas sao rapidas e as mais das vezes fataes. A
tosse que hoje se despresa, pode converler-se
n'uma semana depois em uma pneumonia, bron-
chites ou phtysica.
So existe um remedio para os casns agudos da
molestia pulmonar, qner ella seja cbronica ou re-
ccnte. Tal 6e assim o proclama toda a facul-
dade medica-o oleo extr.ihido do tigado de baca-
lhao. Porem e mister que o doente esteja perfei-
tamente seguro e certo que possue a remedio ver-
dadeiro. Se o mesmo for o oleo puro medicinal
de figado de bacalhao, de Lanman & Kemp, o dcen-
te nesse caso tera arnelhor preparacao pessivel do
pulmonico o mais segnro e efflcaz que se coohe-
ce. Lanman & Kemp empregam agentes peritos
que residem nas pescarias, os quaes cs colhem
para este lim, osjigados saos do peixe mais flno
que se colhe nos bancos da Terra Nova. Delles
se exlrahe o oleo em quanto estao ainda perfeita-
mente frescos, e depois de concluida a operacao,
toma-se tao transparente como ambar ou crystal.
E' o melhor cspecifico moderno no seu estado mais
efflcaz, enao tem igual no3 casos de tosse, res-
friamentos, aslhma, anginas, inflammacao dos pul-
moes e bronchios, debilidade, cmmarecimento e
tedas as mais enfermidades que teminam em
phtysica ou na affeccao tuberculosa eonfirmada
do bofe.
COLLEGIO
DA
m
20-Rna dos eelk*-20
A abaixo assignada, licenciada pelo Exm Sr.
presidente da provineia, e pelo Illni. Sr, Dr. direc-
tor geial da instruccao publica, tem estabelecido
na rua dos Coelhos, n. 20, a poucos passos da
igreja de S. Goncalo, um collegio para meninas,
sob a iuvocacao da Sastissika Tiuxoaue.
Au-xiiiad.: por suas irmaas D. D. Landelina Jer-
sey e Olindina Xersey, ambas as quaes, em com-
mura eom a abaixo assignada, receberam igual
educacao, duraote quasi sete annos, em um dos
melfiores coilegios irancezes da eidade do Porto,
esta por certo nabilitada para transmittir a, suas
alqmnas todos os conheeimentos aaquirides nasse
longo espaco de tempo.
Caaroando a a(tocao dosillustradospais de fami-
lia, nacionaes e estrangeiros, para os eatatutos
abaixo, a ;rujuseiante espera merecer decidiJa
preferencia, pois o seu cstabcleejmento se dLlin
gue, nao so Rpraue pada pagam em separado pelo
e>tuio da* arfes de resreio, como tambem pelo das
lioguas estrangeiras que, era geral, somente se
en-ma a traduzir, ao passe que no Cojjegjo da^SAN-
tissima TnraOABe se aprendera a fa liar e escrever
correctaraente; o que se torna sem rJuvida de
uma yaniagem s utilidade incontestiveis.
ESTATUTOS
DO
Collegio da Santissima Trindade, sob a
diracgaa de Pr^le^sna Minervina d'Al-
buquerque 0' Counell Jersey, coadjuvada
por suas irmaas D. Landelina d'Albuquer-
que 0' Conneil Jersey e D. Olindina d'Al
buquerque 0' Conneil Jersey.
Art. 1.* 0 Collegio dirigido por Philomana Mi-
nervina d'Albuquerque 0' Conneil Jersey denomi-
nate -Collegio da Santissima Tsinoadb.
Art 2.* As alumnas recebem nelle Qtruccloin&
iiriinaria, secundaria, religiosa, de civilidade, e de
recreio e pr-ndas.
Art. 3.* A iostruccao priroaria e leitura, es-
cripta, contabelidade (as tpiatro operates) nocoes
^< grammatica portugneza, costura cha a cro-
chet.
Art. 4.* A instruccao secundaria comprehende
lingua nacional, francez, iuglez, italiana, histo-
ria, geographia e arithmetics.
Art :' A iuslrucsao religiosa e dada pelo ca-
ttiecismo ; as alumnas aprendem doutrina cbris-
ta, e todos os deveres religiosos a cumprirpara com
Deus, seus pais e parentes, e em geral com a so-
eiedade.
Art 6. A instruccao de civilidade abraaga to-
dos. os actos da vida de uma senhora, em relacao
com as pessoas de sua familia e com a socie-
dade.
Art. W A instrticQio de recreio consta de
desenho, musica, piano e danca.
Art. 8." A instruccao de prendas reupe todos
os trabaihos de agulha, e toda a especie de bor-
dados, que deve Saber uma senhora da melhor so-
ciedado.
II
Art. 9. 0 Collegio admitte alumnas intcrnas,
meio pensionistas e externas.
Art 10. A lingua que se falla no interior do
Collegio e a franceza; e durante as auias de inglez
e itariano so se faIIam estas lingua-.
Art II. As alumnas que estodam francez, in-
glez e italiano apceadem a fallar, escrever e tra-
duzir estes idiomas grammaticalmente.
Art. 12. A raensaiidaJe para as internas e de
40*000, para as meio pensionistas 20*000, e para
as externas 54000, pages adiantados por trimes-
tres que, uma vez comecados, consideramse ven-
cidos.
Art. 13. A instruccao da3 alumnas externas,
remunerada segundo o artigo antccedente, e a
dos arts. 3 e 5; as internas e raeio-pensionistas
teem direito a dos arts. 3, 4, 5, 6,7 e 8 ; podendo,
todavia, qualquer alumna exteraa frcqueutar as
aulas superiores mediante a iniemnisacao, que
se convencionar.
Art 14. As despezas com livras, papel, etc' sao.
da competencia dos pais ou correspondentes das
alumnas, e bem assim a materia prima de borda-
dos, e estes executados sao propriedade das mes-
raas.
Art 13. As aulas no Collegio da Saxtissima
Tiuxdadi: trabalham duas vexes aodiade manha
das 9 as 12, e de tarde das 2 i|2 as 5 i<2.
Art. 15. 0 enxoval das internas 6 ao gosto de
seus pais ; assim eomo a roupa lavada, engomma-
da e pertences por elles serao fornecidos.
Art 17. As pequenas indisposicoes e molestias
das internas sao tratadas no Collegio-; na" graves,
porem, a directora, fas avisar aos pais ou corres-
pondentes para providenciarem s bre o tratamen-
to, que pode ser em suas easas, ou no Collegio.
Art. 18. Os feriados sao os das aulas pubticas ;
salvo as quintas feiras que, no Collegio, fleam des-
tinadas a iastruccAo de recreio.
Art. id. Todas as materias leccirnadas no Col-
legio da Santissima Trinuadi-: sao professadas pela
directora e suas irmaas, ou outras senhoras com a
aptidao precisa, e que a directora juigar necessa-
nas.
Recife, 30 de dezembro 4j 1873.
Philomena Minervina de A. O'Connell Jersey.
apApprovo-Directoria geral da instruccao publica
Pernambueo, 8 de Janeiro de 1874.
Joao Barbalho Uchda Caoalcante.
SEGUROS
NARITIHOS
lttl
CONTRA O FOGO
A companhia Indemnisadora, estabelec
aesta praja, torna segnros maritimos sobrt
navios e seus carregamentos e contra fogt
em edificios, mercadorias o mobilias: n
rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
' I 31 Il-Ttn f lllBV
Cfrrh, carga assacar.
ObservacaQ*
Suspenleu do laraario para Bahia, o lu-
gre inglez Aurora, capilio Treuunck, rar-
ga a mesrna quetrouxo de Terra-Nova.
Fuadeou no lamario um lugre allema .,
mas nao teve conMnnnknt^o com a ter
A
mihis.
Capital.
f'undo
.NORTHERN.
. 20,000:0005001
de reserva. 8,000:000jJ00(
Agontes,
Mills Latham & C.
RUA DA CRUZ N. 38.
PKACA DORECIFB 18 DE FEVEREIRO
DE 1874.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDB.
Cota^Ses afBciaos.
i^uabio sobre Londres a 90 d[v. 26 e 26 Ii8
A. por 1*080, hontem.
Dito sobre dito a 90 d|v 26 d. por 1*000, hoje.
a. de Vasconceilos
Presidente.
A. P. de Lemos
Secretano.
ALPANDEGA.
tsndunento do dia 1 a 17 .
'deni do dia 18
583:319*638
44:8194706
627:339*344
......-< _______
'
AngHsto F. d'OHveira k C.
A casa commercial e bancaria deAugusto
F. d'Oliveira & C, a rua do Co:nmercio ns
42, encarrega-se de execugao de ordens
para cmbarque de prodoctos e de todos o-
mais negocios de commissao, quer commer-
ciaes, quer bancarios.
Deconta lettras, e toma dinheiros a pro-
mio, cornpra cambiaes, e saca a vista e a
prazo, & vontade do tomador, sobre as se-
guintes pragas estrangeiras e nacionaes :
Londros. Sobre o union bank of
LONDON, 0 LONDON AND HANSEATIC BANK,
limited, e varias casas de 1.' classe.
Paris. Sobre os banqueiros fould
& C, MARCUARD ANDRE & C. e A. BLtCQUE,
VIGNAL & C.
Haiuburgo. Sobre os Srs. joAo
SCIIU BACK & FILII S.
Lisboa. Sobre os Srs. fonsecas,
SANTOS & VIANNA, e SEBASTliO JOSE DE
ABREU.
Porto. Sobre o banco uniao do porto
0 Sr. JOAQUIM PINTO DA FONSECA.
i'arii. Sobre o banco commercial
do para, e os Srs. FRANCISCO gaudencio da
COSTA & FILHOS.
Harnnliito. Sobre o Sr. jose fer-
reira DA SILVA JUNIOR.
Ceara. Sobre os Srs. j. s. de vas-
CONCEtLOS & SONS.
Buhiu. Sobre os Srs. marinuos & c.
Rio do Janeiro. Sobre o banco
INDUSTRIAL E MBRCANTIL, BANCO NACIONAL e
BANQUE BRASILIENNE FRANCAISE.
Descarregam hoje 19 de fevereiro de 1874.
Barca ingleta Ifitck of the Teignmercadorias
para alfandega.
Barca inglezaCam'soroofccarvao ja despacha-
do para o caes do Apollo.
Barca ingleza Seraphina carvao ja despachado
Sara o cacs do Apollo.
_ euMargnrethe \filkeicarvao j a des-
~pachado para o caes do Apollo, e canos
para deposito no trapiche do Barao do
Livramento.
Barca inglezaTalismanfarinha ja despacbada
para o caes do Apollo.
Hiate americanoI. P. Angersfarinru ja despa-
chada para o caes do Apollo.
Brigue inglez Dora bacalhao ja despachado pa-
ra o trapiche Conceieao.
Barca ingleza-Lavinia-bacalhao ja despachado
para o trapiche Conceieao.
Patacho nacionalArabevarios generos para o
trapiche Conceieao, para despactiar.
Patacho inglezLady Mary polvora para depo-
sito no forte do Bnraco.
Patacho hespanholAwafia-pipas vasias ja des
pachadas para consumo. para o caes do
Ramos.
de New-York
a Phipps Bro-
Hartery.
aos coasigna-
COMPANHIA ALLIANCA
seguros maritinios e terreB-
tres e^tabelecida na Bahis
em 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:000*000.
Toma seguro de mercadorias e dinheiro
nco maritimo em navio de vela e vapore
para dentro e f6ra do iraperio, assim come
contra fogo sobre predios, generos e fa
-ondas.
Agente : Joaquim Josd GoncaJves Beltrao
rua do Commereio n. 5, 1* andar. -
mm
Seguro coatra-fogo
THE LIVERPOOL & LONDOS d GLOI
INSURANCE COMPANY
Isentetf
SAUNOERS BROTOERSd C.
11Corpo Santo11
COMPANHIA
Phenix PernAmlwcana.
Trama risen* mnrkimfts em mercadorias.
{retes, dinheiro a risco e finalmente de qual-
jur n'atureza, em vapores, navios va" el& or
asreaeas, a premios muito modiGos.
RUA DO COMMBRCIO If. 34.
luaporta^ito.
Barca ingleza Talisman, entrada
em 17 do corrente e cpnsignada
thers & (L manifestob :
Escarradeiras 1 volume a Nicolao
Farinha de trigo 3,6Ji bairicas
(arias,
Lagostas 1 caixa aos mesmos.
Machina para fazer creme 1 volume a Nicolao
Hartery.
Ostras I caixa aos consignatarios.
>2SPACH0S DE EXPORTACAO NO DIA 17 DE
FEVEREIRO DE 1871.
Para os portos do exterior.
No navio francez S. Louis, para o Havre,
carregou: Keller & C. 200 saccas com 14,293
kilos de algodao.
No brigue hespanhol Sjberono, para Barce-
lona, carregou : P. M. Maury 323 saccas com
24,640 1[2 kilos de algodao.
No vapor inglez Laland, para Liverpool, car
regou: M. M. Monteiro 432 saccas com 33,76-5
kilos de algodao ; T. Christiansen 600 saccos com
45,000 dilos de assucar mascavade.
No patacho inglez Rival, para o Canal, car-
regou : R. Schmmettau & C 200 saccos com
15,000 kilos de assucar mascavado.
No lugar inglez Habit J. Olive, para Por
tland, carregou : H. Forster & C. 3,400 saccos
com 235,000 Kilos de assucar mascavado.
No brigue portuguez Ovarense, para Lisboa,
carregou: E. R. Rabello & C. 674 saccos com
50,.j80 kilos de assucar mascavado e 50 d tos com
3,730 ditos de dito branco.
Na escuna allema Ernie, para o Rio da Pra-
ta, carregou : Amorim Irmaos 4 C. 250 barricas
com 27,034 kilos de assucar branco.
Na polaca brasileira Marinho III, para o Rio
da Prata, carregou: A. Loyo 20 barricas com
2,418 kibs de assucar branco.
Para os portos do interior.
Para o Rio Grande do Sul, no brigue nacio-
nal Prazeres, carregou : Amorim Irmaos & C. 600
barricas com 85,068 kilos de assucar branco.
Para o Rio Grande do Sul, no nav.o nacional
Abilio, carregou : L. J. Silva Goimaraes 100 sac-
cos com 7,500 kilos de assucar branco.
Para o Rio Grande do Sul, na barca portu-
gueza Arminda, carregou : P. Vianna & C. 310
barricas com 30,444 kilos dc assucar branco.
Para o Para, no patacho portuguez Maria
Jose, carregou : P. Vianna & C. 70 barricas com
4,491 kilos de assucar branco o 20 pipas com
9,600 litres de aguardente.
Para o Para, na barca portugueza Linda,
carregou : A. M. de Souza Machado 500 barricas
com 36,801 kilos de assucar branco ; A. Cordeiro
341 ditas com 21,499 dilos de dito ; J. G. de Bas-
tos 20 pipas com 9,600 litros de aguardente.
Para a Bahia, no patacho inglez Cheviot, car-
regou : L. J. S. tjuiuiara.es 200 volumes com
18,980 kilos de assucar branco ; A. 0. Leite 300
barricas cam 31,878 ditos dc dito.
Para Mossoro, no hiats brasileiro Tres Ir-
maos, carregou : J. F. da Costa 20 barricas com
1,017 kilos de assucar branco e 10 pipas com
4,800 litros de aguardente : para Macao, G. dc
Mattos Irmaos 4 ditas com 1,920 dilos de dita.
CAPATAZ1A
3 end i men to do dia 1 17
'dem do dia 18
DA ALFANDEGA
. 10:845*063
. 1:575*608
12:420*671
VCIXttSS SAHIDOS
No dia 1 a 17.....
No dia 18
Primeira porta.....
iegunda porta.....
Terceira porta.....
Quarta porta......
(Sapiche Coaceigio .
SERVICC MAFUTMO
uvarengas descarrejjada? no trapiebs
alfandega do dia 1 a 17
No dia 18
KaMM atracados nc asp, da aifandegs
Alvarengas........
Vo trapicbe Conceive.....
22.238
101
185
183
1,900
24609
36
2
4
42
RECEBEDCUMA DE REND AS INTERNAS GE-
RAESiPE PERNAMBDCC
tendimento do dra 1 a 17. 28:7474575
demdodial8. .. 3:024*400
31:771*975
CONSULADO PROVINCIAL,
teadimento do dia 1 a 17. 104:412*362
Idem do dis 18. '..... .7:970*328
Alfandega de Pernambueo.
Edital n 131
COM O PRAZO DE 30 DIAS.
Pela inspectoria da alfandega de Pernamboco se
faz publico. que achaodo-se as mercadorias con-
tidas nos volumes abaixo mencionados no caw de
serem arrematadas para consumo, nos termos do
capitulo 6. do titulo 3. do regulamento de 19 d>
setembro de 1860, os seus donos ou consignatarios
deverao de^pacha-las no prazo de 30 dias, sob
BMW de, findo elle, serem vendidas por sua eocta.
sem que Ihes fique compelindo allegar contra os
eueitos desta venda.
Armazem a. 1.
Mtrca C G & C contra marcs L P & C n I
1 caixa vinda do Havre na barca franceza Ca-
ligny, descarregada em 13 de jaoeiro de 1873 *
consignada a C. Guimaraes & C.
Idem E A B it C contra mar?a B D n. I. 1 * idem no lugar francez Jean Baptiste, descanvfad*
em 12 de fevereiro de 1873 e consignada a E .A.
Burle.
Idem A I H ns 12 a 15. 4 ditas idem Mm
Amaral & Mutta.
Idem idem ns. 31,26 e 27. 3 ditas idem em la
idem idem.
Idem R P & C n. 3216. 1 dila idem na bar a
franceza Jean Baptiste descarregada cm 6 de n..r-
cp de 1873 e consignada a Ramos, Peixoto & C.
Idem A 4 M n. 16. 1 diu idem era 7 idem *
consignada a Amaral & Motta.
/Idem idem contra marca A P ns. .'>8 e "'., I
dkas idem idem idem.
wem A & M n. 303. 1 dita idem era 8
idem.
Idem B A S contra marca S. & A n. 160 I
dita idem em 10 idem, consignada a Basto A
Silva.
Idem M B M n. 571. 1 dita idem na hires
francez* Fidelite, descarregada em 14 de abni if
1873 e consignada a Matorino Barroso de Mel!-..
Idem A 4 M ns. 1 e J. 2 ditas idem em 10 idn
eomignadas a Amaral & Motta.
Idem diamante S no centra n. 43. 1 dita w : i
em 17 idem, a Azevedo & Mendes.
Idem A \ Jl u. 38. 1 dita idem idem a Anurai
& Motta.
Idem M A A C contra marca Z n. 330* i Ma
idem em 21 idem a Mendes, Atevedo A C
Idem P C I n. 8. 1 dita idem aa barca fran^tia
Guilhaume Tell, descarregada em 31 de raaio a*
1873 e consignada a Pereira da Cunha A bin.. .
Idem M A & C contra marca L ns. B7S, 1KS
2 ditas idem idem a Mendes, Azevedo & C.
Idem J L M & C contra marea R & M n. tK I
dita idem na barca franceza Veridiana, descarre-
gada em 13 Je junho de 1873 e consignada a Joa-
quim Lopes Maehado & C
Idem F R A C ns. 28 e 29. 2 ditas idem iotm
a Ferreira & C.
Idem R. n. 5. 1 dita em 14 idem idem a Ma-
noel da Silva Faria A C.
Idem F R A C ns. 23, 24, 23 e 27. 4 ditas in a
idem a Ferreira A C
Idem idem ns. 22 e 26. 2 ditas idem no It-
idem idem.
Idem R P A C n. 3581, 1 dita idem em 17 nit:).
idem a Ramos, Peixoto & C.
Alfandega de Pernambueo, 16 de fevereiro dV
1874.
O inspector,
Fabio A. de Carralho /Jr.;.
Alfandega de Pernambueo.
Edital n. \%%
COX 0 TRAZO DE 30 DIAS.
Pela inspectoria da alfandega de Pernanu
se faz publico que, achando-se as mercadcr.a-
contidas nos volumes abaixo menciooados, no .-
de serem arrematadas para eoasnmo, nos ten. -
do cap. 6 do tit. 3* do regulamento de 19 de ae-
tembro de i860, os seus donos ou cmsignatari"-
deverao despacha-las do prazo de 30 dias, sob ;--
na de, findo elle, serem vendidas por >;ia cc
seni que Ihes fique compelindo allegar contri -
effeitos desta venda:
Armazem n. 2.
Marca triangulo S no centro. sem numen t
latas, vindas de Liverpool no vapor inglez La..../
kishire, descarregadas em 5 de fevereiro de '.'''
e consignadas a Keller & C.
Idem V S sem numero.1 porta de ferro, i
no patacho inglez Princess, descarregada em I k
abril de 1873 e consignaaa a Von Sohsten A C.
Idem A X B A C, n. 23 I caixa idem no vap .i
inglez Fire Queen, descarregada em I d.^ m-
1873 e consignada a Joaquim Rodrigues Cutia*.
Idem idem. n. 21__1 dita, idem idem.
If. 2199.1 diu idem idem, a Elysio Albert.
da Silva.
Idem A X B A C, o. 23.-1 barrica. idem
a Joaquim Rodrigues Cutias.
Idem P O contra-marca L B, n. 1634.1 c*txa
idem, em 3 idem, a F. Gomes de Oliveira Sobn-
nho.
Idem J L I, ns. 5,198 a 3,200, 5,211, 5,212 >
3,214.-8 ditas idem no patacho inglez Rhhm.
descarreeadas era 7 de maio de 1873 e consign
a Joaquim Lopes Machado & C
Idem idem, ns. 3,203 e 5,213.- 2 dita- idem.
8 idem.
IderaJLM, ns. 5,191, 5,197, 3,201, 5,2'.
5,215. -3ditas, idem idem.
Idem M S F & C, ns. Ml a 326, 330 e 331. -7
barricas idem na barca ingleza Gazella, deseai.-t-
gadas em 4 de junho de 1873 e consignadas a Ma
noel da Silva Faria & C
Idem idem, ns. 327, 328 e 329. -3 dita-.
cm 5 idem.
Idem A X B Sf C, contra-marca F L E, ns. II t
32.-2 caixas, idem no brigue inglez Robert
derson, descarregadas era 23 de junho de 1ST
consignadas a Joaquim Rodrigues Cutia*.
Alfandega da Pernambueo, 16 de ianeu' i '
1874.
0 inspector,
______________Pabio A. de Carvalho Reit.
De ordem do Illra. Sr. inspector desta i>.
souraria se faz publico que peraute a junta
fazenda, tem de ir a praca no dia 18 do me; de
fevereiro viudouro afactura dos concertos do -
do Forte do Mattos, avaliados era l5:328*7i<>
pelo que sao convidados os que se propozerem a
fazer os ditos concertos a compareccrern as 12
horas da manha do indi*ado dii com suas propis-
las em carUs fechadas e competnlemf ale sellai...-
declarando o ultimo preco por que se offer*,
faze-los; podendo desde ja examinaro respec; -
orcamento, que se acha patente nesia secreurii
Sicreuria da thesouraiia de fazenda
Pernambueo, 23 de Janeiro de 1874.
0 2 escripturark). servindo de secre^ru
Carlos J. de Souza Correia.
0 Illra. Sr. inspector da ttiesourana pro-.a-
cial manda fazer publico que em enmnriroento ca
jrdem do Exm. Sr. presidente da provineia de 7
ie Janeiro corrente. perante a junta desta tbeswi-
raria se ba de arremaUr no dia 23 de abril art
xirao vindouro, a obra da poute deneminada I ,.v
Sangue sobre o rio Serinhaem. oread a em 9:570*.
psgos em apolices da divida provincial a jur
7 por cento ao par.
As nessoas quese propozerem a esta arremu-
(io comparecara na sala das sessoes da me-i, t
tbesouraria no dia indicado acim.i, pelo ra*io
competentemeole habiliudas.
E para constar se mandou public.ir o pr nl
delo Diario de Pernambueo
112:382A90
ir
Navios sahidos ne dia 18.
Rio de Janeiro.Patacho brasiMro.Jfana
Emilia, cap tao Mauoel Jose" Prestello,
carga assucar.
New-YorkBarca iDgleza Miranda D. B.
Sccreuriada th^sourar provincial, 29 di j.-
neiro de 1874.
Vicloriauo JosJ M. Palhares,
Official maior interine.
Clausulas especiaes para a arrematacao da pon^i
denominada Pao Sangue sobre o rio Ser'
nhaem.
1." A ponte denominada Pao Sangue sera exe
cutada de confonoidade com o orcamento e pun
ta approvadris pelo Exm. Sr. presidente da prr.
vincu, no valor de 9:570*.
2.* 0 arrematante dara i.nncipio a obra do pra-
zo de um mez e a eoncluii i no de 12 mezes.
3." O pagamento sera ir^ctuado em 3 pretta-
roes iguaes a proporeao da labella eiecuuda
4." Para tad* j mais tpie nao se achar eapee^-
cado sera regulado pelo ; dispde oregolarawiiu
de 31 deiulho de 1866 <> engenheiro chete, Je
se Tiburclo Pereira de Ms.-aihaes.
Victoria > Jose M. Palhares.
\
I
}
"
,

.
'

C x
\


v
^\
v
*>
-..


ir
M^MMMf^MMi
Duib>i6#etatMm <* fetofr-ttf-'-M tfe *#bm$k -fttf1**1
3
*

=
.^ulUa'de'ernancipacJo de escravos deste manicipto faz publico que se acha cga-
Ja a classiBcaco dos escravos que deveraser libertados pelo estajja, ua conformid^de
. 28 4to rogulamento que baixou oom odecrelo n. 5,135 de *3 de novembro Cte
e que em virtude do disposto no artigo 87 do mesmo regularaento foram prefeVi-
do>6 seguintes:
Silvia* e teas fllhos menores de D. Josephina Benivinda da Cunha Sonto-Maior.
Francisflade Paula Cavaleante.
SllVUU
Delfbina
FrafWina
#
Bernardino
Mara
Jeroaj'mo
Luie sea filho menor
Mam; seu filho menor
RuflBa e sea filho menor
BonjBeia e seus filhos raenore-
Generosa e seas Mhos menores
Constanca e seu filho menor
QuiWta e seas filhos menores
Mar%# sua lilha menor
JoaajM e son filho menor
Severina e sua filha menor
Josejha e seus filhos menores
Anna e seu filho menor
FSentdicto e sells filhos menpres
Innofiencia e sea filho menor
da e sea filho menor
pta e sea filho menor
e seu filho raenoi
la e seHS filhos menores
i e sua filha menor
iicia e seus filhos meaores
Isabel e seu filha anar
Bomana e sap filhos menore.-
JanuSrta e seu lino menor
Keliciadade e sea filho menor
Benedicta e seas filhos menores
Luiza. a seus illhus menoras
Anionfa e seus filhos meaores
Luiia e seu filho menor
Vicloriana
Pedro
Paulina
Luiz
Isabel
Ignez
Senforinha
Rayniunda
Marl?'
Luiza
Benedicta
at
Frafjcelina
F'.or'encio
Luiya
Lu/ja
Isabel
Thoreza
Raymunda
Miquelina
Maria
Caetana
Delfina
Maria Isabel
Matnilde
Bomana
Isabel
Oihilia
Zeferina
Acurcia
Margarida
Primitiva
Josepha
Antonia
Raymunda
Maria
Amaro
Virginia
l.uiz
l .eopoldina
Benedicto
Martha
Jose" Estevao
i.uilhermina
I'rbano'
Herculana
Fortunato
Maria
Manoel
Joanna
IjmlCIO
Salviana
Thomaz
Maria
Manoel
Joanna
Jose
Feliciana
Joaquim
Josepha
Cesario
Joanna
Joao
Krancisca
lijiaiao Felippe
Maria
Jose
Escolastica
Angelo
Oreneia
liermenegildo
Constanca
Bartholomeu
Floriana
Marcolino
Luiza
Marcelino
Eduarda
Rufina
Lino
Luiza
Candido
Francisca
Antonio
Rita
Domicio
Florinda
Marcolino
Manoella
Domingos
Bomana
Trajano
Itita Maria da Conceica
Klias
Emilia
Joanna
Jose
Felippa
Thomaz
Luiza
Justino
Isabel
Manoel
Tertuliana
Francisco
Maria
Antonio
Maria
Manoel
Christina
Gertrudes
Benedicta
Luiza
Ignez
Manoel
Joanna
Luiza
Lucinda
Primitiva
Januaria
Angelica
Rosa
Eduvirges
Paulina
Basilia
Benedicta
Vicencia
Ainbrosina
Constanca
Luiza
Maria
Luiza
Maria
lgnacia
Joanna
Guilhermina
Luzia
Eduvirges
Vicencia
Lucia
Thereza
Laiza
Luiza
Cosma
Benedicta
SWveria
Benedicta
Tertuliana


A
n ">

mwtroi
i
de D. Maria .
de Joaquim Demelrio de Almeida Cavaleante e Manoel Antonio
Cardoso.
de I.ourenco Jastiniano de Hollanda e Souza.
do Dr. Marillo Mender Viinna.
de D. Maria das Merces Mendonca Lins.
de Marcolino dos Santos Pinheiro.
do Juviao Bandeira.
do Dr. Pedro de Albuquerque Aulran.
do Elysio Alberto Silveira.
de Manoel Joaqaira do Rcgo e Albuquerque.
de Jose" Antonio de Oiiveira e Silva.
do mesmo.
da Joaquim Pacbaco da Silva.
do Dr. Antonio Estevao de Oiiveira e seus irmaos.
de D. Theodora Francisca do Espirito-Santo.
de Jose Antonio da Costa e Sa.
de Jose Antonio da Costa e Silva.
de Alfredo Cardoso Pereira.
de Joao da Crnz Macedo.
de Pedro Osorio | de Cerqueira.
de Augusto Cesar de Abrea.
de Manoel Albino de Amorim.
-deD. Anna Isabel de AraujoCastro.
de Joao Ramos
do mesmo.
de Bellarminp Alvcs Arouxa.
dos herdetros de Manoel Prancisco de Carvalho Paes de An-
drade.
de Antonio Pedro de Sa Barreto.
de Luiz Jp%Hd,a Costa Amorim.
de D. Veridiana Carolina Soares.
de Jose Victor da Silva Pimentel.
de Francisco Pereira da Silva.
da Franciaco AmanjP. ds Figueiredj
de, Luiz Caetanp Bques.
de D. Julia Aaeeljca. Prqs Ferreifa.
de Ange|o,Baull3ta do iS'ascimento.
de Luiz Antonjp GoqcalYes Penna
de D. Umbilwa Rosa de Lima Prabo.
de D, Majja TheodoCada .Penha.
de Mamiei **1' S*""83 d avellar.
deD. Isabel Augusta Rjrqs de Pigaairedo,Canjargt'
de Jose aarceline da Boza,
do mesmo.
de Joaquim Upmatrw da Almeida Qavaleanta.
de D. veridiana Carolina Soares.
dp Or, Nabor Carneiro Bezerra Cavaleante,
de ABtqoio p> Pjnho Qorggs,
da D.C3ih3.Finade,SernjBraodio.
de D. Jacquefina Carneiro de Albuquerque Lacerda.
de Odurico Alves llapoza da Camara.
de Antonio Bernardo Vaz de Carvalho.
de Jose Ribeiro de Souza Brilo.
de Jose Joaquim Pereira de Oiiveira.
de Jose Pedro da. SUy*.
de U. Maria Raymunda Malheiro.
da masrpa.
de Joaqufm Pereira SimiSes.
de AntonioTavares Lima.
de D. Delfina Tavares da Costa.
de D. Rosa Goncalves de Jesus.
de Francisco Jose Alves Guimaraes.
do D, Maria Norberta Schefler.
de Candido Thomaz Pereira Dutra.
do D. Auionia Baymunda dos Aajos Moreira
de D. Candida Jo'aquina Lopes.
de D. Marinha Amalia da Silva.
da mesma.
de D. Ursula Maria de Araujo.
de D. Ambrozina Fernandes de Souza.
de D. Rita Deodata de Souza Monteiro.
de herdeiros da marqueza do Recife.
de D. Thereza Florentina Leite.
de Marcolino D. Camara como tutor de Joaquim e Caetano.
de Maximinp.da Silva Gusmao.
de Antonio Carneiro da Cunha.
de Bernard iao Francisco Junqueira.
de Acistarcho Eduardo Carneiro da Gama.
de D. Francisca de Panla Leal Cavalcanti.
de Marcolino D. Camara como tutor de Joaquim e Caetano.
de Manoel Joaquim do Rego e Albuquerque.
de Joao Fernandes Lopes.
de Valariano Manso da Costa Reis.
de Jos6 Goncalves da Silva Bastos.
de Valeriano Manso da Costa Reis.
de D. Josepha Maria da Rocha Falcao.
ut; Juau BdjiilM.1 Tcltca.
de D. Anna de Souza do Espirito Santo.
de Valeriano Manso do Espirito Santo.
de Demetrio Acacio de Araujo Bastos.
de Valeriano Manso da Costa Reis.
de Iguacio Alvim da Silva.
de D. Candida Cavalcanti de Miran VarejdSo.
de D. Maria das Neves Pereira de Lyra.
de herdeiros de Anna Maria da Conceicio.
de Jos6 NM dos Santos.
do Dr. Francisco Augusto da Costa.
de Coriplaao d? Ab,reu.
de D. Maria Carolina Peieira de Carvalho.
de D. IdaUna de Souza Moutinho."
de D. Emilia Nobre de Almeida e Castro.
de Jose" Peres da Crnz.
de D. Isabel Maria Baptistade Castro
de Jos6 de Barros Pimenlei.
de Salvador Ayres de Almeida F.-eitas.
de Luiz Fonceca de Macedo.
de Manoel lgnacio de Avila.
de D. Maria Carolina Tavares da Silva.
de D. Francisca Maria de Figueiredo.
de Jose Cecilio Carneiro Monteiro.
do D. Joaqnina Theodora Gomes Barreto,
de D. Januaria Camara Vasconcellos de Siqueira
do Dr. Raymundo Mendes Vianna.
de D. Anna Antonia de Jesus.
do Dr. Munllo Mendes Vianna. _
de D. Maria Clara da Assumpcao.
de Aristides Duarte Carneiro da Cunha Gama.
de Caetano Cyriaco da Costa Moreira.
de Elizio Alberto Silveira.
de Joao Paes de Moura.
de D. Januaria Camara Vasconcellos de Siqueira
do Dr. Antonio Justino de Souza.
de Manoel Theotonio Freire.
de Francisco de Paula Leal Cavalcanti.
de D. Anna Zulmira de Souza Pimentel e outros,'
de D. Anna Francisca Lins.
de D. Anna Samico do Rego Barros.
de Manoel Joaquim Rodrigues de Souza.
de D. Juaquina Ignez de Siqueira.
de I). Maria Margarida da Cruz Lobo
de D. Augusta Carolina dos Reis.
de Joao Pereira dos Santos Farofa.
de Manoel Joaqnim do Rego Albuquerque.
de Vicente Ferreira da Silva Fraga.
de Fraga & Rocha.
de Guilherme Halliday.
de Joao Paes de Moura.
de Jesuino Carneiro da Cunha.
dos herdeiros de Jos6 Maria da Paixao.
de D. Francisca Escolastica Jo-cpha da Costa.
do Dr. Anteio Manoel de Medeiros Furtado.
de D. Josepha Maria da Rocha FalcJo.
dos herdeiros de Jose Maria da Paixao.
de D. Antonia Bernarda de Souza.
de Pedro Jose" Fernandes.
de Antonio da^ftucha Wanderley.
de Marcolino D. Camara como tutor de Joaquirae Caetano.
de Henrique Guilherme Stopple.
de Antonio Jose da Silva do Brasil.
dos herdeiros de Francisco de Paula Marinho Falcao.
de Joao Fernandes dos Santos Bastos.
de D. Augusta Lamenha Bahia da Cunhs e filhos.
de Jose lgnacio Xavier.
de Demeterio Hermillo Costa.
de Manoel Nunes da Fonceca.
de D. Maria das Neves Miranda Oiiveira.
dos herdeiros do desembargador Francisco de Assis Pereira da
Rocba.
de Antonio Machado Pereira Vianna Junior.
de Dr. Alvaro Uchoa Cavaleante.
do mesmo.
de P. Maurer & C.
de D. Maria da Silva Campos Guimaiaes.
de Henrique Lasserr.
de D Candida Rosa de Carvalho Bessoni.
de Antonio Jeronymo da Silva Campello
do Dr. Cosme de Sa Pereir.
de Manoel Joaquim de Castro Madeira
do Dr. Jose Vicente Duarte Brandio
de Francisco Jose Martins da Costa,
de D. Candida Rosa de Carvalho Bessone.
de Joaquim Jose da SUva Guimaraes.
de desembargador J096 Nicolao Regueira Costa,
de D. Maria Damiana Aodrigues Campello.
de Manoel lgnacio de Torres .Bandeira.
de D. Maria Amelia de Oiiveira.
de D. Anna Cordeiro Goncalves Moreira.
de .D. Emilia Joaquina'de Medeiros.
do Dr. Raymundo Mendes Vianna.
de D. Maria Francisca"Borges Leal,
de D. Joaquina Theodora Alves.
da Antonio Ferpandee Raraoe de Oiiveira.
de Candjdo Moreira in Costa.
de Joao Fernandes do* Santos Baalos
de Franeisco Xavier de Miranda e Mello.
de Thoma* Soares de Almeida Sarzedas
da Uajuel Jose Machade.
thereza
Rita
Anastacia
Andreza
Maria Amelia
Anna
Clara
Felicia
Clara
Eufrozina
Izidora
Mequilina
Delfina
Faustina
Joanna
Felismina
Francelina
Thereza
Perpetua
Luiza
Eduvirges
Fellcidade
Francisca
Constanca
Constanca
Micliaella
Joaquina
Antonia
Margarida
Margarida
Joanna
a aria
elena
Lniza
Fortunata
Joanna
Luiza
Lucinda
Francelina
Silvina
Bamara
Paual
Joanna
Sabina
Maria
Felippa
Cyriaca
Ffancisco
tgnqfl* -**
86
t
;
de Joao Peretaa dos Saotos Faro
de J#oiB|p*U daBftnuL
de r. Pdfapo de fa|rrQi Falea
de MiBoeNJwnes Viegas^ '
do Dr. Bento Jos6 da Costa.
de Antnuio Jos6 do Azevedo.
de Domingos Pinto de Freltae.
de Francisco Pacheco Soares.
de Antonio Alves de Carvalho Veras.
da Joao Mar.ins de Barros.
dS 1). Hermelinda Gomes de Sa.
de Jose Antonio da Costa e Silva]
de Manoel Francisco de Azevedo.
de D. Deolinda Clementina da Silveira.
de Candido Caiimfro Guedes Alcoforado-
de Joao Paulo de Souza,
de D. Joaquina Candida de Oiiveira Borges.
de D. Maria Emilia Sobreira de Mello.
de D. Maria Jose Lins Soriano,
de D. Candida Rosa de Oiiveira Abreu.
de Dr. Francisco Augusto da Fonceca e Silva.
de Francisco Guedes de Araujo.
de B. Majia Damiana Rodrigues Campello.
de D. Mariana Adelia de Loyola Fragoso.
de D. Francisca da Cunha Bandeira de Mello.
de Joao Cavalcaqte de Albuquerque Mello.
de Joao Hermeiej{ildo Borges Diniz.
de D. Arcellna Xavier Carneiro Rodrigues Campello.
de D. AptiVJJita Cavaleante.
fa B. M^noela togusta de Mello Rego.
3 D. Augusta C3lenha Bahia da Cunha e Filhos.
de JoseT into RibeirSy-
de Jose flodrigues da Sn,:*ocha.
de Manoel Rodrigues da Costa Magalhaes.
de Maria Emilia da Cunha Hallidaiv
+de D. Maria Candida de Mello.
r de D. Maria Amelia de Barros Lima,
de D. jirchanja Bernardina de Oiiveira
de D, Angela Maria dj> Espirito Sa
do 0. Alexallrina Flora Ferreira os
de Jose" VictoNa Silva Pimepxil.
de Antonio Lopeade Siqu.e^a Braga.-
do Dr. Balbino deSlatmes Pinheiro.
do Dr. Bafino Augusto de Almeida,
de D. Antonia Luiza Barboza da Cunha.
de Joaquim Jos6 Silveira.
de Maria Candida da Trindade.
do Dr. Bento Jose da Costa.
de Joaquim Antonio de Castro Nunes.
de Herdeiros de Pedro Tavares da Costa,
do desembargador Manoel Tertu.iano Thomaz Henriques.
de Antonio Camejlo Pessoa de Lacerda.
Uvarcnga.
itos Silva.
E para coqstar delerminou a referida junta fazer pubUcar 0 presente edital. Salla das ses-
soes da junta de emancipa^ao no Paco da Camara Municipal 00 Reeife, em 7 de. feyereiro de II
Manoel Joaquim do Rego e Albuquerque.
Manoel Joaquim Silveira.
Francisco Augusto de Almeida.
De ordem do film. Sr. inspector da thaseuraria selladaa, acompanhadas
de fazenda, se declara que parante a junta da nesta secretaria ate 0
mesma thesouraria tern da ir em basta publica douro.
respective orcamento
la 49 de fevereiro vin-
para serem arrematados, por quem menosoffere-
cer os concertos dp caes da rua da Aurora, na
esteosao de 97,3 m orjados am 4:B9I4829 rs. |
Os interessados sao convidados a comparecerem
as 12 horas de dia 25 do eorrente, com soas pro-
pos'.as em cartas fechadas devidamente selladas,
podendo desde ja exaicinarem 0 orcamento que
se acha na secretaria desta thesonria.
8ecretaria d^ thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 5 de fevereiro de 1874.
0 2. escripturario, servindo de secretario,
Carlos Joao de Souza ComSa. 1 do eorrente, vends ou permuta por
------K~ - Pela hesourana provincial V1 faz publico ao ^ de Joaqui=B da Si^va Lo^it fr ^ 6
que ficara transfendas para 0 d.a 26 do eorrente admmistradora \or\e do MaU0Si mel'adu ^so.
asarrematacoes segumtes : ... brado do, 3 andares n. 17, por K:500$ ; becco do
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 17 de Janeiro de 1874.
0 escrivao,
________Pedro Rodrigues de Souza.
SANTA. C.*$A. DA M1SK.RIC0RDIA DO
RECIFE.
Vrnda de predios
A lllma. junta administrativa ce-ta Santa Casa,
devidamente aulprisada pela. presideacia, na sala
de suas sessoes, peas 3 horas da tarde do dia 26
do eorrente, venia oa permuta por apolices da
200 metros de empedrameno na estrada de
Limoeiro, orcado era 484*. 1 da tf j b d de doqg andare9 n 69 pQr
Costeio da llluminacao publica da cidade de a.^m ,i Aa a ,, !,,,;, n M* r
, Abreu, 3' oarte do sobrado n. 1. por 2:6665666
Goyanna.
Objectos do corpo de policia.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernara-
buco, 16 de fevereiro de 1874.
0 offlcial-maior
Miguel Alfonso Ferreira.
%j <*j 4*
Pela recebedoria de rendas internas geraes
se faz publico que 6 no eorrente mez de fevereiro
que deve ser paga, livre de multa, a taxa dos es-
cravos, relativa ao exercicio de 1873 a 1874 ; de-
pois do que se lo-ha com a multa do 6 0|0.
Recebedoria de Pernambnco, 5 de fevereiro de
1874.
0 adiuinis'.rador
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
INSTITUTO
GRAP
AflCHEOLOGICO
PE
ASSEMBLEA GERAL PARA ELEIQUES.
Era conformidada do artigo 27 dos ros-
pectivos estatutos, sSo convidados todos os
socios do Institute a se reunirem em as-
semblea geral no dia 19 do eorrente feverei-
ro, pelas tl horas da manha, para sa proce-
der d elei^ao da mesi administrativa e cotn-
missoes da casa. que teem de servir no anno
social de 187475.
Secretaria do Instituto, 16 de fevereiro
de 1874.
J. Soares d'Azeaedo,
Secretario perpetuo.
SANTA CASA DA MISERIGOttDIA DO
RECIFE.
A Hlma. junta administrativa da santa casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
oa sala de suas sessoes, no dia 19. de fevereiro
pelas 3 horas da tarde, tem de ser arramatadas a
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de am
a tres annos, as rendas dos predios em seguida
declarados.
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE
Travessa de S. Jos6.
Casa lerrea n. 5........201^000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Rua da Senzalla velha.
Casa terrea n. 16.......209*000
Becco das Boias.
Sobrado n. 18 ....... 421*000
Rua da Cruz
Sobrado 14 (fechado).....1:000*090
Ruo do Pilar.
Casa terree n. 100......2414000
Idem n. 102........241*000
Rua Velha.
Casa terea u. 44 (fechada). 4505000
Rua das Larangeiras.
Armazem n. 17.......361*000
Os pretendentes deverao apresentar no ado da
arrematacao as suas (iancas, oa comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores, devendo
pagar alem da renda, 0 premio da quantia em
que for seguro 0 predio que contiver estabeleci-
mento commercial, assim como 0 servico da lira-
peza e precos dos apparelhos.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
cife, 18 de fevereiro de 1874.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza.
EMPREZA
Sabbado 21 do eorrente
A's 8 1|2 horas da noite.
manssItcc&sso !
Grandes reformas !
Grande macliinismo I
Scenario sumptuoso I
Sublime oratoria I
Representada a capricho I
Estriia da actriz
D. Virginia de Barros.
Primeira representacao do importante drama-
sacro em 4 actos e 7 quadros original brasileiro i
MILAGRES
DE
11 DA APPARBCIDA
Adores.
D. Virginia.
Sr. Eduardo.
Sr. Augusts.
Sr. iVnante.
Sr. Flavto.
Sr. Braga.
Sr. Ayrosa.
D. Dorothea.
D. Isabel.
Sr. Vicente,
povo, Pescadores,
6:000* ; rua de S. Jorge, casa terrea n. 92, por
1:400*. sobrado de um andarn. 30, por 2:000*,
dHo mcia-agiia por 500* ; rua dos Gpararapes,
casa terrea n. 63, por 1:!00/ ; rua dog Acougui
nhos, cosa terrea n. 26, por 600* ; Largo da Cara-
pina, dita n. 3, por 400* ; rua da Soledade, dita
n. 72. por 700* ; becco do Teixeira, dita n. 5,
por 250* ; largo das Cinco Pontas, terreno, por
1:000*000.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Racife, 14 de fevereiro de 1874.
0 escrivSo
___________Pedro Rodrigues de Souza______
Armazens da companhia per
nambucana.
Seguros coutru o fogo
A compr.nnia. pernambucana, dispondo de ex-
cellentes e vastos armazens em sea predio ao for
te do Mattos, offereceos ao commercio em geral
para depbsito de generos, garantindo a inaior con-
servacao des mere idorias depositadas, servico
prompto, precos modicos, etc.
Tambem recolhera, mediante previo accordo, ex-
clusivamente os generos de uma so pessoa.
Estes armazens, alem de arejados e commodos,
sao inteiramtnte novos e asphaltados, isentos de
cupim, ratos, etc., etc.
As pessoas que quizerem ntilisar-se destes ar-
mazens, pederao dirigir-se ao escriptorio da com-
panhia pernambucana, que acharao com quem
tratar._________________________________
0 Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial manda fazer publico qua em cumprimento da
ordem do Exm. Sr. presideote da provincia de 16
do eorrente se ha de arrematar no dia 5 de marco
proximo futuro, perante a junta da mesma thesou-
raria, por tempo do um anno, o custeio di illumi
na.ao publica oa cidade de Goyanna, servindo de
base a arrematacao o preco de 280 rs. diarios por
eada larapeap, offerecido por Jos6 Augusto de
Araujo.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
cao, coin|jerei-.ani na sala das sessoes da mesma
junta no dia acima indicado, pelo melo dia, com-
petentememe babilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelj Diario de Pernambuco.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco, 18 de fevereiro de 1874.
0 offlcial-maior,
M. A. Ferreira.
Personagens.
Archanjo Raphael
Satan
Fernando Corte Real, sob o
nomc de Joao Alves
Francisco Dias
Padro Antonio
Luiz Corte-Real
Pelippe Pedreso
Maria
Leonor
Lucio, criadq
Anjos, soldados, mulheres,
etc. etc.
A accao passa se em S. Paolo o l., 3.# e 4.' ac-
tos e em S. Pedro do Sul o 2.*.
Epocha-1718.
DenouiinaciCo dos quadros.
"l. acto.
1. A apparicao da Senhora da Conceicao.
2. 0 primeiro milagre.
2.* acto.
3.' A visao e a sedoccao.
4.* 0 archanjo fulmina satan.
3. acto.
5. A morte de um justp.
4." acto.
6.* Vox popoli, vox Dei.
7.* A apotheose.
A erapreza Bio se poupando a esforcoj, acaba
de montar esta importante peca oratoria, que tem
sempre sldo calorosamente applaudida em todas
as parted onde tem sido representada.
A peca a ornada de
Mutaijoes e vista.
Fogos cambiantes.
Appari^oes.
E musica
do maestro Cleto Lima
Scenario novo
de Mr. Chapelin.
No intuito de melborar as condicocs do thea-
tro a empre/a acaba de fazer importantes melbo-
ramentos, chamando os camarotes a frente e
deixando araplos corredores para passeio. 0 thea-
tro acha-se tambem todo pintado de novo.
Nestes melnorameptos e nos prepares do dra-
ma, Milagres da Senhora aa Apparecida, a em-
preza acaba de fazer a despeza de
4:000|000
confiando oa pjotescaa do publico, de quem es-
pera a anima.-So devida aos seus esforcos.
Desde ja recebem-se encommendas de bilhetes.
PACIFIC STUM
PANY
I.inlia quiuzeual
0 PAQUETE
COM-
Por telegramma do Rio de iaaeiro e
rado o vapor desia companhia, o qnal devera e-
tar neste p irto ate o dia 20 do eorrente, o qoal ae-
pois da demora do costume, segniri para Li-
verpool, via S. Vicente e Lisboa, para onde receba-
ra passageiros, encommendaa e carga a frete.
OS AGENTES
Wilson Howe 4k C
14RUA DO GOMMEnr.1014
COMMHA BAHIA.Yi
l/nilTADV
Muceio, 1'cnedo, Aracnju
e Bahia.
E' esperado dos portos do snl ate o dia 23 da
eorrente um dos vapores desta cospanbia, o qnal
sabira para os portos acima no dia seguiole ao
da sua chegada.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di
nheiro a Irete.
AGENTE
Antonio Lutz de Oiiveira Azevedo.
57Rua do Bom Jesus57
Santo Antonio
Companhia Mmh de Navega-
0o a vapor
Linhamensal entre o
Havre, Lisboa, Pernambnco, Rio de
Janeiro, (Santos, somente na vol
ta ) Montevideo, BuenosAyres,
(com baldeacao para o Rosario)
STEAMER
Banco Commercial de
Pernambuco.
0 banco paga o segundo dividendo na
razSo de 8 '/ ao anno ou 2JHO0 por aegfio,
relativo ao sentestre findo em 31 de dezem-
bro de 1873.
Arrematagao
SeguBda-feira 23 do eorrente mez de fevereiro,
depois da audiencia do Exm. desembjrgador juiz
de orphaos, vai a pra^a de venia um terreno com
55 palm is de frente e 210 de fundo, com alicerces
para duas casas ou uma so, em altura de receber
as soleiras, avaliado por 1 100*, no lugar denoml-
nado Estrada Nova do Cordeiro, na ffeguezia do
IVico da Panella, no sitio que foi do Silva Compa
ulii'a, que hojc esta retalhado, sendo dito terreno
um dos melhores de dito lugar, por estar perto da
estrada real da Casa Forte, e deitar os fundos para
defronte do sitio conhecido do Nuno Maria de
Seixas, a requerimento da viuva e inventariante
dos bens do casal do linado Antonio Francisco de
Sant'Anna
Grande companhiu draaialiea.
Pessoal de 25 artietas.
( 8 DAMAS e 17 HOMENS )
i:sit*i;a
no sabbado 28 do eorrente, com o importante dra-
ma original francez:
UM NAUFMGIO
MAS
COSTAS Di BRET.4NHA
A empreza conta com um pessoal lubilitado,
inclusive o primeiro centro draraatico Thomaz
Espiuca, que a convite do emprezario fara par-
te da companhia.
Os dramas que hao de ser reprcsontados nesta
nova epoca theatral, serao de reconhecido merito
e nomeada.
0 emprezario conta que justiea lhe sera feita
pelo illustrado publico desta capital a quem deve
o melhor acolhimento.
m$m MARSTiMOS..
Pacific Steam Navigation Cosjipanj
Unha quinzenal
0 PAQUETE
JOH^J ELDER
Espera-se da Europa, ate 23 do eorrente, e
depois da demora do costume, seguira para o
sul do imperio, Rio da Prata e cost as to Pacilico,
para onde recebera passageiros, encommendas
a carga a frete.
Santa Thereza.
De conformidade com os artigos 15 e 21 e 6"
dos estatutos, sao convidados os Srs. acciomstas
para reunirem se em assembled geral no dia 26
do eorrente, ao meio dia, no primeiro andar da
rua do Vigario n. 13.
Recife, 18 de feyereiro de 1874.
0 gerente,
________________Justino J. de S- Campos.
Santa Casa da MinerIcordia do
Recife.
A junta administraUia da Santa Casa da Wise
ricordia do Recife, Dreclsaqdo fa^er os concertos
da que necessita o predio que possue o patrimo-
nio dos orphaos, a rua da Cruz, hoje do Bom Je-
sus n. 12, cbntrata cam quem sa propopha a rea
lisar d|os concertos, mediante ceru renda e al
guns anqo d# pr-azo para desfoctar ; devendo
oi que disso se qyiierea encarregar, apresentar
suas aropostas em oartas feohidas, devidamente
Correio geral
Relagao dos objeclos regislrados existenles
na adininistrafao dos correios desta pro-
vincia, para as pessoas abaixo decla-
rados :
Antonio Pereira de Carvalho, Anna Joaquina do
Amor Divino, Antonio Anselmo, Antero wrneiro
de Lacerda, Albino Goncalves Meira de Vasconcel-
los, Antonio Augusto da Frota Uenezes, Bal'.-ina,
Cosme Maximiano Lorejo, Ealaha Maria da Con-
ceicao, Francisco Antonio de Castro, Francisco
lose dos Santos, Prancisco da Silva Sampaio, Geo-
vanm La Rosa, Garassina Magulla, Goncalo Jose
Affonso, Hermeneiildo Eduardo da Rego Monteiro,
Henrique da Cunha Rodrigues, Joed Sanches Re-
erra Cavaleante, Jaelntho Paes de Mendonca, Jose1
Lourenco da Silva Milanez, Jose Arthur Cisneiro
de Albuquerque, Joio Luiz Ferreira Ribeiro, Jos6
Lopes Alheiro & C, Joao Raptista dos Guimaraes
Peixotp, Jose Manoel de Araujo, Julio Alves Tei-
xeira de Macedo, Luiz Jose da Siva, Manoel Octa-
viano de Carvalho Pinto, Miguel Gomes de Pigaei
redo, Manoel Joaquim da ConceicSs, Placido Mar-
ques de Oiiveira, Raymundo de Almeida Sampaio,
Sergio Francisco das Chagas, Salustiano Jose Al-
ves de Carvalho, Salvador Martorelli, Telesphoro
Marques da Silva Junior.
Aaministracao do correio de Pernambuco, 17 de
fevereiro de 18TL
Jose Candjdo de Barros
Encarregado do registro-
THEATRO
mm BR.yt.4TUA
CAntigo Gyinnasio)
Para Lisboa.
0 lugre portuguez Cidral, capita > Joaquim
Adriao da Silva, vai sahir com brevidade : para
carga e passageiros, trata-se com Silva Guimaraes
4 C., a praca do Corpo Santo n. 6, 2. andar, ou
com o capitao.
Rio Grande do Sul
Para o referido porto pretende seguir com mui-
ta brevidade a barca portugueza Arminda, por
ler a maior parte de seu carregamento tratado, e
para o resto que lhe falta, trata-se com os consig-
natarios Joaquim Jose Goncalves Beltrao & Filho,
a rua do Commercio n. 5.
0
Rio .de Janeiro.
Pretende segair com brevidade o brigue nacio-
aal ItabM, por ter dous tercos da carga engajada.
Para o resto que lhe falta e escravos a frete,
trata-se com o sea consignatario Antonio Luiz de
Oiiveira Aievedo. rua do Bom Jesus n. 57.
Para.
Pretende seguir para o indicado porto, com poa-
ca demora, a barca portugueza Social, por ter
porcio da earga engajad ; e para o que lhe falta,
trata-se. com os consigoalarios Joaquim Jose Gou-
caiyes, feltrao A Filho, a rua do Commercio n. 5.
PARA'
ft Georgiana
E' esperado do Rio de Janeiro por estes dias
a sague com nonca demora para o Para, tendo ja
Mrte d carga engajada : trata-se cam Tasso Ir-
maos it C
Commandante Capelle.
E' esperado da Europa, at6 21 do eorrente, m-
guindo depois da indispensavel demora para os
portos do sul de sua escala.
Relativamente a fretes, encommendas, passagei-
ros, para os quaes tem excellences acommodacoe*
por precos reduzidos : trata-se com
OS COLVSIGNATARIOS
AUGUSTO F. DOLIVEIRA 4 C.
12Rua do CommercioEntrada pela rua
do Torres.
Companhia Allianqa Mari-
tima Portuense.
A galera portugueza Saudnde, seguira em pou-
cos dias para o Porto, com escala por Lisboa.
Ja tern contratada grcnde parte da carga ; >
para o resto, trata-se com os consignatarios e
agentes da companhia,
Jose da Silra htm & Filho,
era seu escriptorio a rua da Companhia Pernam-
bucana.
LEILOES.
De fazendas finas, limpas e avariadas. raarroquim,
cordavao.
Hoje
As 10 1[2 horas da manha
0 agente Pinho Rorges, veniera em leilao neste
dia, 20 pessas de gro-denaples preto, 6 ditos de
gorgurao de seda, 36 com feir;dcs de seda preto,
6 duzias de cordavao e 10 duzias de marroquim
de diversas cores e outros artigos : no seu escrip-
torio a rua do Rom-Jesus n. 53, 1." andar.
S5S>
ricos moveis, K.uqas, crystae3,
vidroi e 2 r* log'us de ouro
UNI
as 11 h no sobrado da rua da Cruz n. 50, primeiro andar
A saber:
Um piano forte e novo, 1 mobilia de jacaranJa.
contendo 12 cadeiras de gnarnicao, 2 ditas de bra-
cos, 2 consolos com tampo de pedra, 1 mesa re-
donda com tampo de pedra (a Luiz XIV), 1 dita
de faia, contendo 12 cadeiras de guarnicao, 2 ditas
de braco, 2 consolos, tampo de pedra, 1 jardinei
ra, tampo de pedra, cama para casal, guarda-lou-
ca, guarda-vestidos, costureira de mogno, 1 mesa
elastica, 1 importante carleira propria para banco,
ou escriptorio de grande monta, espreguicadeiras,
bancas, mesas, apara lores, cadeiras para sala de
j an tar, ditas avulsas, jarros para (lores, redomas,
pares delanternas, apparelho para jantar. escar-
radeiras, garrafas de crystal, sofa, 2 relogios de
ouro, um inglez e outro suisso, e eaTos muitos
artigos de gosto.
0 agente Pinho Rorges, autorisado pelo Sr. A.
Bezerra de Farias, qne se retiroa para a Europa,
venderaos moveis e mais artigos acima declara-
dos, os quaes serao transportados para o sobradn
indicado.
LEILAO
DE
FAZENDAS
em porcao oa a retalho a vontade dos compradores
(HOJE
e sexta-feira 20
Comerara as 10 horas da manha, em
ponto
Na loja da rua do Barao da Victoria n. 39.
0 agente Dias. competentemente autorisado pe-
lo proprietario d'esse estabelecimento, que tem d*
mudar d genero de negocio, levari a leilao nos
dias e horas acima mencionados, differentet fa-
zendas alii existenles, que se venderao por bara-
los precos, pelo motivo acima indicado.
Chama-se portanto a atiencao do publico para
ma optima occasiio que se offerece, de se prover
do bom com grande economia, e assegnra-se que
nao ha alcaides, po s o esubelecimento nio conta
amda um anno de existencia.
Fazeodas, a saber :
Calcas, paletots e coletes de casemira de cdflN
Co4e(es de brim branco e de cores.
Collarinhos
Chapeos de sol para homens e senhoras.
Ceroulas
Camisas brancas e de c6r, finas.
Casemiras pretas e do cores. i
Brnu de eoVes, finos.
L
^



i


*



Quintal
#1
Dito tfanco, fino.
Lencos de seda e de cores.
Dttot de cambraia bordada, para senhoras.
Meiaa toraneas a de cores. a
Tapetes.
Gorgario prela e de cores. "-.
Fusuo de cores.
f.:*-,i.\
an de cores.
leeda.
Granadine.
Cortes de vestidos de casa*.
Ditos de tarlatan*.
Alpaca de lisiras, flna.
Baptisies com barras e listras.
Caisa preta e de cores.
Cambraia branca flna.
Colchas de la.
Cortinados.
ChiUs pretas e de cores, e percales finas.
Casaas lisas.
Filo de linbo de salpico.
Algodio de listras e azul.
DE
Cerca de 145 barricas corn farinha de tfigo
com avaria d'agua salgada.
is 11 horas da manhS
O agente Pinto, fara leila > por coata e risce de
qoem pertencer, de cerca de 115 barricas com fa-
rinba de trigo, avariadas a bordo do aavie Eaima.
na sua ultima viagem de New York, para este
porto; o leilao sera efTectoado as horas do dia
acima dito, no armazem dos Srs. Joao Qnirino de
Aguilar & C, no caes de Apollo.
uti
LEILAO
Em continua^ao
ao correr do marteUo
De uma armacio de amarello, envidracada,
canteiros, depositos, caixas de folha com phospho-
ros de seguranca, palitos de denies, garraf as com
vinho branco, caixas de vinho do Porto, frasquei-
ras de genebra, potes vidrades para manteiga e
ontros muitos artigos para liqaidar, rua da Sen
zallaVelhan 88
pelo agente Martins
A's ii horas do dia acima.
DE
charuto?, cigarros, cartoes de papcl de seda, fuzis,
caixas com pavios, fumo picado, famo Berwik,
papel de cor, caximbos e bolsas.
Massa fallida de
JOAQUIM VIEIRA COELHO DA SILVA
SEXTA-FEIRA 20 DO CORRENTE
O agente Martins fara leilao, por mandado do
Sun. Sr. Dr. juiz especial do. commercio, dos ob-
jectos existentes na fabrica de charutos do Pateo
doCarmo n. i, pertencente a massa fallida ds
Joaquim Vieira Coelho da Silva
As 11 horas do dia acima.
LEILAO
(victoria) ponco usado,
assentos para 4 pessoas
arreios para 2 cavallos,
De nm carro francez,
de 4 rodas, coberto,
e dons na boleia, com
tudo em bom estado.
Sexta-feira 90 do corrente
Por intervencao do agenie Pinto, em Cruz de
Almas.
Por occasiao do leilao dos moveis e mais objec-
tos, em casa de residencia do Sr. Mendebaare.
0 trem expresso, partira as 10 e meia horas da
manna, do arco de Santo Antonio.
LEILAO
DE
moveis, louca, cristaes, urna
carroga e boi e 3 espin-
gardas.
A SABER:
Uma mobilia de jacaranda com urn sofa, uma
jardineira, 2 consolos com pedra marmore, 2 ca-
deiras de bracos, e 12 de guarnicao, 2 espelhos
ovaes, dourados, 3 quadros, duas escarradeiras,
enfeites de mes i, tapetes de sofa e portas, e am
dito forro da sala de visita.
Uma cama franceza de jacaranda ( nova ) uma
mesinha, 2 cabides, duas camas de amarello, 1
toncador e um guardaroupa.
Uma mesa para iantar, 2 aparadores de ar-
marios, 12 cadeiras de guarnicao, uma marqueza,
nma quartinheira, 1 relogio de parede, quartinhas,
frncteiras, porta-qneijos, talheres, bandejas, por-
celana para cha e jantar, copos, garrafas, compo-
teiras, calices, trem de cozinha e outros objectos
de casa de famiha.
Dons bancos para jardim, nma carroca de dua
rodas, 1 boi manso, 1 banco para carapina, l lot
de ferros, ferramenta de jardim.
Um oculo de alcance, 3 espingardas de 2 canos
e 1 rewolver.
Sexta feira 20 do corrente
Na Tra\essa da Cruz das Almas.
Joao Mendeboure, tendo de mudar sna residen-
cia para Europa, fara leilao por intervencao do
agente Pinto, dos moveis e mais objectos acima
mencionados existentes na casa de sua residencia,
Crnz das Almas.
As 10 ii2 horas em ponto partira da estaeao do
arco de Santo Antonio um trem expres?o que
servira de conduccao ( gratis) aos concurrentes
ao leilao.
Principiara as 11 horas.
Em continuacao, e no dia terca- feira 24 do cor-
rente, vendera o niesmo agente a casa e sitio, con-
forme fica annunciado.
rax cempletaraenu novos.
Garante-se o tnspasse 'da casa, ene se acba em
tenfetto estado de as9eio, e a9sim onerece-se nma
oa opportunidede a-qualqoer acMendeme qw
oeseje morar Tora da cidade, encontranflo uau
asa inteiramente preparada.
C0LLOLAAO DOS MOVEIS.
Sala de visita.
1 magnrfica mobilia de jacaranda com fricos de
madeira rosa, composta de
2 sofas.
4 cadeiras de braco.
12 ditas de guarnicao.
2 consolos com espelhos e tarapos de pedra mar
more.
2 eUgers de. jacaranda com tampo de marmore
eocamado.
i ricos jarros chinezes, grandes, para os mesmos.
t par de bonitas flguras de bronze.
1 porta-canois.
2 peanaas doaradas para parede.
2 ricas jarras chinetas.
2 bellos quadros aquarella com moldara dourada.
2 ditoe ditos a fumo.
2 gravuras.
3 bonitas sanefas para cortinados.
3 pares de cortinados.
2 pares de escarradeiras de vidro.
3 tapetes pequenos.
1 esteira para forro de sala.
Gabinete 1.*
1 elegante secretaria de mosaico de madeira com
tampo de pedra.
6 cadeiras de fantasia, pequenas.
1 consolo dourado para parede, com tampo de
pedra.
1 relogio de bronze (alto) do melhor gosto.
3 ricos quadros chinezes (pintura em vidro.
1 par de castlcaes.
I paysagem, obra em pedra chineza.
1 tapete pequeno e 1 esteira.
Gabinete 2.*
2 magnificos gnarda-roupas de jacaranda com es-
pelnos.
1 lavatorio de jacaranda com marmore.
6 cadeiras dito.
1 quadro com meldura dourada.
1 cabide para chapeos.
1 tapete e 1 esteira.
Gabinete 3.*
1 bonito aparador de nogueira clara, com pedra.
6 cadeiras pequenas dito, de abrir e fechar.
i caixa de magno.
1 tapete e 1 esteira.
Sala de jantar.
1 mobilia completamente nova e de optimo go-to,
toda de nogeira, censtando de
1 mesa para jantar, elastica e de i so pe.
1 rico e grande aparador.
81 cadeiras de guarnicao.
1 quartinheira.
4 quadros com moldura dourada.
2 jarros de porcellana, 2 ditos e 2 para plantar
flores.
Qnantidade de louca e crystaes para almoco e
jantar.
Em cima.
1 toillet de jacaranda.
6 elegantes cadeiras de mogno a Lniz XVI.
1 mesa elastica de um so pe, de nogueira. com
frises pretos.
1 lavatorio e guarnicao.
2 aparadores pequenos de mogno, com tampos de
pedra.
1 mesa com pes torneados.
2 magnificas camas de ferro com colchoes de mol-
la, obra completamente nova.
3 tapetes e difTerentes ontros artigos.
0 trem partira da estacio do arco c"e Santo
Antonio, as >0 1/2 boras em ponto.
Ultimo leilao
DO
grande sobrado de 3 andares e sotio em chaos
proprios reedificado ha pouco mais de um anno,
pelo que esta de todo novo, a rua de Marcilio
Dias, ontr'ora rna Direita n. 120
TERCA-FEIRA 24 DO CORRENTE
A's 11 horas
0 agente Pinto levara novamente e pela ultima
yez a leilao, servindo de base a maior offerta ob-
tida, o predio acima mencionado, o qual torna-se
recommendado pelo perfeito estado em que 9e
acha, altendendo ao rendimento que da.
0 leilao sera effectnado as li horas do dia aci-
ma dito, no escriptorio do referido agente, rua do
Bom Jesus n. 43.
DO BOWMAN
BDA DO BRDH H. 52
(Passando o chafariz)
PEOEM AOS teDhore* de engenho t oalroa agricohores, e empregadores de m
ibinismo o favor de nma visita a sen estabelecimento, para verem o novo aortimentt
wtapleli qoe ahi tern; seado todo superior etn qtialidade e (ortidio; o qoecoma ins
fv&o pess >al pode-se veriflcar.
ESPECIAL ATTENCAO AO NUMEBO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
^Tapores e rodas d'apna doe fai8 moderD08 ,yteM ? u
^ ** vr u ag ua maubos convenieniea par as divenaf
arcnmaunciaa dos senhores propnetario* e p. ra descarocar algodio.
M[08LCliiS d6 CaUHa ^ l',do8 lamJDh08' ".meloorei qoe iqm
Rodas dentadas pwM'nwpw-
Taizas de ferro fandido, batido e de cobre.
ilambiques e fandos de alambiques.
Kaehinismos
Bombas
w^

^.
an*-
'"*o
IO BXO
V^
P*ra ma
eptr
idioca e algodio.l Podendo todos
rrar madeira. fser movidos a mio
[por agoa, vapor,
de pateote, garantidai........ | on animaes.
rodaS aS inachiliaS Pevad6qae secoetama precisar.
Fas qualquer concert^ de m,chiai8nBo p^co moi resomido.
FoimaS de feiTOs ttSM n*lbores e maia ban us existentes do Mr
KnftnmmATUJ'flg Incombe-se de mandar vir qoalqner machinismo i von-
. ^^ "de dos clientea, lembrando-lbea a vantagem de faierem
oas compras por intermedio de pessoa entendida, e qoe em qoalqner neceisidide pode
bee prestar aoxiho. *^
lr&dos amerioancs e inlrD|neDlo, gr'coias.
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
IABOPB PKITOML JAMES
OPTIMO HfciiEDlU CONTRA
TOSSES, M0LEST1AS m PEITO i PHTMAS
ensaiado e approvado nos hospiUes de Lisboa,
legalmente auctorisado pelo Consselho de Saude Public*,
auctorisacao que se acha reconhecida pelo
CodsuI geral do Imperio do Brazil.
UK ICO DEPOSITO E.H M IIMllOKO
x>
FUiVDI^AO DE FERRO
i' m do Barao do Triompho (roa doBnim) ns. 100 a 104
CARDOSO IRMA0
BARTHOLOMEU et C*
Pharmaceuticos premiados em diversas exposiQoes
ELIXIR SEDATIVO PEITORAL
ANTI-ASTHMATIGO
ESPECIALIDADE
Novo tratamonto da Atthma, tout, convulsa. defluxo catarrhaes, e todas at molestias dot pulmts
que tem feito imporUntes curas, e que 6 hoje o nnice acceito pelos roclhores MedicoaT '
TJEPOSITO GERAL, 34, rua Largo do Rosario, PERMAJCBUCO.
et
Em tempo
previne-se aos Srs. pretendentes do referido pre-
o ultimo leilao.
dio qoe este sera
Leilao
DE
qaatro volumes com drogas pertencentes a massa
fallida de Jose Francisco Bittencourt
TERCA-FEIRA 24 DO CORRENTE
A's 10 Ij2 horas em ponto.
O agent* Piuto, autorisado por mandad> do Illm.
Sr. Dr. juiz especial do commercio, levara a leilao
4 volumes marca J F B, ns. 1, 2, 7 e It, com dif-
ferentes drogas, consumes do inventario existen-
te em sen escriptorio, na rua do Bom Jesus n. 43,
onde poderao ser examinaias ditas drogas, cohs-
tando de :
Mereurio doce, (lor de sabugueiro, lupulo, ras-
pas de veado, gomma galbana, peneiras de seda e
cabello e muitos outros artigos.
RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e machinas para
^nbos, as mats modernas e melhor obra que tem vindo ao mercado.
VaporeS de brprde 4, 6, 8 e 10 cavallos.
UalaeiraS ^ de sobresalente para vapores.
MOendaS inteiraS e meias moendas, obra corao..unca aqoi teio.
TaiXaS fundldaS e batidas, dos melhores fabricantes.
K,0daS d agua com cnbaje de erro, fortes e bem acabadas.
RodaS dentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
Relogios e apitos para vapores.
BombaS de ferro, derepucho.
Arad0S de diversas qualidades.
Formas para assucar g^es e wmm.
Concertos conHtn com proraptidio qualquer obra on machina, para o qoe teen
_ sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EnCOmmendaS man(lam | por encommenda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondem com uma respeitayel casa de Loodre
!i com um dos melhores engenheiros de Inglaterra; incumbem-se de mandar assentar
mas machmas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
RuadoBarao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
F P D ICAO DE CASDOSO & IRMAO.
ODILON DUARTE k IRMAO
CABELLEIREiROS
Premiados na exposigao de 1872
Para aboaconserva^ao
DE
YOSSG CABELLO
\ eventual.
Na modicidade de suas cf-mmissoes, na exacti-
j dao de suas contas e do creilito longamente tv
1 belecido faz consistlr toda a garantia de bom a> o-
Itiimento.
Tem correspondentes em Sevilha e outra* pra-
fas de Hespanha.
N. B.- As commissdes sao reguladas pela praxe
rtw praca
Precisa-se de um cnado de 14 a 16 annos,
preferindo e portnguez : a traUr nos Quatro Can-
tos da Capnnga n. 16, ou rua Duque de Cax.ii
n. 41, 1.' andar.
/Tir^n
RUA
DA
5
DO
Grande sitio com b6a casa de moradia, a qual
tem 73 palmos de frecte e 37 de fundo, chaos
Proprios com cerca de 500 palmos de frente
e 2^K)0 de fundo, com bons arvoredos fructi-
feros, baixa de capim, cacimbas com bombas e
Unques para banho, e muitas outras accommo-
dacdes ; sendo que dita casa torna-se recom-
mendada por ser mui fresca, perto das estacoes
da Jaqueira e Tamarineira.
Terqa-feira 24 do corrente
A's 11 horas em ponto
Por intervencao do agente Pinto em seu escio-
tono, rua do Bom Jesus n. 43.
Ospretendentes poderao desde Ja examinar dita
casa, on no dia 20 do corrente, por occasiao do
Joilao dos moveis, louca e eristaes. ou no dia 21,
p-r occasiao da entrega dos mesmos moveis.
AVISOS D'sTrSSOS
- O Dr. Joaquim d'Aquino Fonceca, previna
aquelles individuos que, a noite e sem autorisacao
sua, tem penelrado ultimamente em seu sitio a
rua do Hosp cio u. 33, saltando pelo muro e tiran-
do o que lhes nSo pertence, que ja deu as provi-
dencias para que sejam bem recebidos e tratados
de maneira a nao quererem repetir a graqa ;
porquanto os considera como ladroes, e ignora ate
que ponto quererao levar sens desejos, sabendo
somente que, ha tempos, recorrendo ao mesmo
expediente, foi bem succedido.
IMl'ERATRIZ
. 82
1." ANDAR.
Vigor do Cabello
DO
Dr. Ayer.
Para a renovado do ca-
bello, restituiclo de sua cor
e vitalidade primitiva e -*.
ural.
IMPERATR1Z
ANDAR.
Atten^ao.
Prtcisa-se com arger.cia de uma ama de
leite, que seja sadia, e que tenha bom e
abundante leite, para tomar conta de uma
crianca de dias, dando-se preferencia A mu-
iher do matto : quern, pois, estiver nestas
circumstancias apparega no 3. andar desta
typngrapbia para iratar.
A rre?a
regedora da confraria de Ncssa Se-
nhora da Soledade da freguezia da Boa-Vista con-
vida a todos os sens irmaos a reunirem-se no res
pecti vo consistorio no dia 22 do corrente mez pe
lai 10 h..ras4a manhi, aflm de elegfrem um pro-
enrador do patrimonio, vi:to nao ter aceitado este
cargo um do* eleitos era dezembro proximo nas-
100, r
O secretario,
_^_________ E. Tamborim.
4cabam de reformar o seu estabelecimento, collocando-o nas melhores con-
dicgoes posstveis de bem servir ao pubheo desta illustre canital e ^s F^nifl.! Srns n'a
quillo que for tendente a" arte de cabelleireiro. P S txm8S' Sr8S' D a"
Fazem-se cabelleiras tanto para, bomens como para senhoras, tupete, chignon,
coques modernissimos, trancas, cachepe.gn, tecidos. desenhos em cabellos, quadros tu-
mulares, flores, bouquets e todo e qualquer trabalho imaginavel em cabello
O estabelecimento acha-se provido do que ha de melhor nos mercados estran-
geiros, recebe directemente por todos os vapores da Europa, as suas encommendas e fiu-
rtnos de modas e por isso pode vender 20 / menos que outro qualquer, garantindo
perfeir;ao no trabalho, agrado, smcendade e preco razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fora ; vende-se cabellos em
porcao e a retalbo e todos os utensihos pertencentes a arte de cabelleireiro.
Elle e um preventivo seguro e certo contra
a calvice.
Elle da" e restaura forca e sanidade a" pelle da
cabeca.
Elle de prompto faz cessar a queda prema-
tura dos cabelles.
FUeda" grande riqup7a de lustro aoo ca-
bellos.
Elle doma e faz preservar os cabeilos, em
qualquer forma ou posicSo que se dese-
je, n'um estado formoso, liso e macio.
Elle faz crescer os cabellos bastos e compri- JSL c*bel.lo e preparado M
. wuip.i me8mo tempo agradavel, saudaveLe efficaz pax
TO- conservar o cabello. Por meio do seu uso o
tile consent! a pelle e O casco da^cabeca ; cabello ruco, grisalho, e enfraquecido, dentro de
limpo e livre de toda a especie de caspa. pouco tempo revolve a cor que lhe 6 natur .1
Elle previne os cabellos de se tornarem bran primitiva, e adquire o brilho e a frescura do
COS. t t cabello da juventude; o cabello ralo se t Elle conserva a cabeca n'um estado de fres- denso e a calvicie muitas voze, posto que rib
cura refrigerante e agradavel. em todos os caso? e aaataliarik
Elle nao 6 demasiadamente oleoso, gordu-1 j o SS T16 pode reformar **
rento ou pegadico. i fSS. fo!,,cu,0?1 estarem destruidoe, e as
Elle 8o 4*. o menor cbeiro des,^,. I ^ "X^VtSS' 7 StT^
P1i .' ^ .. .. apphcacao do Vigor. Libre de essas subatanciaa
tile e o melhor artigo para os cabellos das deleterias que tornam muitas preparacoes de esto
criangas. f genero tam nocivas e destructivas ao cabello, o
Elle 6" O melhor e 0 rri8is aprasivel artigo i Vigor somente lhe e beneficial. Em vee J
de
CHAPEOS DA ULTIMA MOM
Chegaram lindos e bem enfeitados chapeos do mais apurado gosto, para senhora i
!oja das columnas, de Antonio Correia de Vasconcellos, a" rua Primeiro de
50 n. 13.
Mar-
I
para a boa conserva^ao e arranjo dos ca-1 ^J8* cabello e o fazer pegajoso, o conserva
bellos das senhoras. | limp e forte, embellizando o, impedindo a qut-Ia
Elle 6 0 unico artigo proprio para o pentea-, e ? *fnaiV8e > e Pr consequinte previne 4
do dos cabellos e barbas dos senhores.
NENHUM TOLCADOR DE SENHORA SE
PODE CONSIDERAR COMO COM- '
PLETOSEMO
TOJsICO ORIENTAL
0 qual preserva, limpa, fortiflca e aformosea
O CABELLO.
Acha-se a" venda nos estabelecimentos de
H. Forster & C, agentes. E em todas as
principaes lojas de perfumarias e botieas.
Agente Dias
Leilao
DE
magnificos moveis, bellos quadros, jarros e qua-
dros cbinezes, com pintura sobre vidro, figuras
de bronze, louca e vidros.
Terca-feira 24 do corrente
as 11 horas
No Manguinho, rua d'Amizade, casa de residencia
do Sr. Vaz de Carvalho Junior, junto a esUcSo.
Om trem especial partira da estacao do arco de
Santo Antonio as 10 Ii2 horas da manha e condn-
ora gratis or concurrentes.
Os agentes Dias e Pinho Borgeg, coropetenG'
menta antonsados pelo Sr. Vaz, qne pretende r*"
nrar-se para a Europa, levarao a leilao no dia"
Bora acima designados, 09 moveis e mais artigo
seriptos, os quaes sao de optimo gosto e acham
1-*e_eni lao perfeito esudo que podem-se copside
Precisa-se de duas ama?, sendo uma para
engommar e outra para cozinhar para duas pes-
na rua do Bom Jesus n. 9, segundo andar.
soas
Alngase a casa n. 79 da rua de S Joao, e
0 tereeiro andar com sotao da casa n. 3 da roa da
Penha : a tratar na rna Duque de Caxias n. 44.
Preciea se de um feitor capaz para tomar
conta de duas casas com sitios, perto desta praca
na travessa de Joao Fernandes Vieira Adverte-
se que uma das casas ja esta vaia e que a ontra
sieve tambem flcar vazia ate 0 1. de marco, e
que ofeitor 6 preciso para vigiar as ditas casas
e iratar deltas e do sitio por certo tempo ate cne-
garem os raqoilinos, e agradando pode ser que
n!E?.Vapr ura ajaste dePi8 Pr mai tempo:
na rua do Commercio n. 22, armazem.
Constructor e aGnador de pianos
Atte
ngao
Alugamse os vasioa armaiens dos predios sitos
a rua do Visconde de Itaparica n. 26 (outr'ora do
Apollo) e caes do mesmo nome ns. J5 a 17 a
tratar na rua do Bora Jesns, no escriptorio deE
A* DQriG
Roubaeh Cahn (& C.
mudaram 0 sen escriptorio para a rua do Com-
mercio n, 32, 1 andar, entrada pela rna do
Torres.
33Rua do Imperador33
na caSAlShonse m^T** afamadas Ca9a9 P,eye' & He"' e anti *"** ds" offl=i-
**. JTJ h0"ra.de dleclarar MrespeiUvel publico desta cidade, que tem abertosua casa de
concertos e afinacdes de pianos, qualquer que seja o estado do instrumento
A mesma casa acaba de receber nm grande sortimento de pianos dos melhores fabricantes
de Pans, como Erard Pleyel, Henri Herz t Alphonse Blondel) todos os pianos sahidos da caa
Dbibaut sao garantidos. r v ** ^^
Ccrmpra-se e recebe-se em troca os pianos usados.
Na rua do Imperador
n.28
precisa-se 'allar* aos seguintes senhores:
Domingos Mai tins de Barros Monteiro.
Eraigdio Marque^ de Santiago (Dr.)
JoSo Vaz de Olive.'"*.
Jose FrancUco Lopes Lima (Vazaretb).
Manoel Perelra Brandab;
Manoel dos Passos Miranda.
Theotonio de Barros e Silva.
Fran:isco Pinto Pessoa (Dr.)
Francisco de Paula Borges.
Francisco Antonio Pontoal Junior.
-*L O advogado Francisco de Paula Penna Xg
25 continua no exeroicio de sua profissio : 2
& a rua do Duque de Caxias n. 71. &
mmm&mmmmm *****
Empregos.
Precisa-se de dons rapazes de 13 ou 16 annos
para service facil : a tratar na rna do Hospicio
n-126;__________________
Criada ou cpiado
Para servir a um homem de idado avan&ida :
quem a isto se quizar prestar, entenda-se no i.r-
mazem p. 37, a rua do Marquez de Olioda,
ESCRIPTORIO
COMMERCIAL.
W, Rna da Praia, 2.
!ASBO\
Luiz Fdippe Leite k Innio
Executam por commi^sao quaesquer ordens das i
provincias d,. reino,' ilhas e provinces ultrama-
nnas, bem como do Brasil e outrcts paizes estran-'
geiros. |
Recebem a consignagao generos nacionaes, co-'
loniaes, hespanhoes, (rancezes, inglezes, allemae? '
do Brasil, ou mesmo de outros paizes, para se-
rem vendidos no reino ou fora deile.
Executam ordens para compra e venda de fun-'
Jos ptblicos, nacionaes e estrangeiros. Tratam-
da cobranca dos respectivos dividendis. .
Promoveui no me?mo escriptorio, inventario* :
liquidacoes, causas civeis e comraerciaes, armel-'
lajoes e recurso de re vista.
Tem os melhores advogados na capital.
Para os negocios de natureza especial, como
causas forenses, administracio de bens, etc que- i
rendose, pode proceder accordo previo con'forme\
i natureza do negocio.
Solicitam-se dispensas matrimoniaes e quaes-
4uer outros breves apostolicos concedidos em Roi
ina ou pela Nunciatura era Lisbda, annullacao'
Je ordens, e quaesquer ouiras dependencias dos i
tribunaes da Santa Se.
Tratam da arrecadacao de herancas e adminis-!
racao de bens no continente do reino.
Obtem documentos de qualquer diocese, distrlc-
to admintstrativo, conselho, on freguezia do reino,
ilhas e provincias ullramarinas.
Farem -adiantamentos sobre consignacdes de'
juaesquer generos que tenham prompu sahida!
nos mercados inglezes ou allemaes. Tambem com-
pram aquelles que se offerecerem em condicdei
vantajosas.
Fazem transacSes por consignacio ou compra,
wbre minenos, taes como de cobre, chumbo,
phosDhatos ou outros quaesquer, se convierem as
condicdes de qualidade e precos.
DSo-se boas refereneias em Lisboa e no Porto.
Esta ca a tem correspondencias senas em tedos
os pontos do remo, em Paris, Inglaterra e Ham-
ourgo, na Africa portugueza, em Macao (Cbina
reino de Siao, iftas dos Acores e Cabo-Verde,
ei aceita as nropostas que do imperio do Brasil
me rorem feiiaspor correspondencia efrectivao
calvicie.
Para uso da toilette nao ha nada mais a tsiS*-
jar; nao contendo oleo nem tintura, nao pode
maochar mesmo o mais alvo lenyo de cambraia:
perdura no cabello, lhe da um lustre luxurioeo,
e um perfume muito agradavel.
Para reformar a cor da barba, e necesoario
mais tempo de que com o cabello, porem se pode
appressar o effeito, envolvendo a barba de noite
com um lenco molhado no Vigor.
PREPARiDO POR
Dr. J. C. AYER & CA., Lowell, Mass-
Estados TJnidoa,
Chimieot Fracticot e Anmlytico:
VENDK SB POR
AMwnui I
PASTILHAS DiGESTlVAS Uric* a- ra W-
cliv HW o$ Sacs exlr.iilos rins Knnirs. S.-io <
go.-lo dgrail.iTcl e a ua aorin t tort* con'.ra a
Azia p as digPfioes d:IIlceis'
SAES DS VICKY PARA BAHHOS. I'm rcio
por um banho, para a iie$-oa< qu oio podea
ir a Vichy.
Pan evitar at tmitnrSes
exigir em Ux/as at proditc'os 'a marca do
CONTRaSU DO EST.D0 FRMCEZ
Os produclos de acima acl:ao-s :
Em Pcrnnm'mcn, HARISMENDY e LABILLE,
, rua do Commercio. ;
.*****,
Verdadelros
NS \** GRAGS DE SAUDE
dootcur / *
/* O melhor e o ur-i-t
ii'i! '-.s pg g i .
hi -:-.-. >!,
---------*** fllataijei
^^^trt^JOUtiiS *imtrm*m.Ctiair
aioui il.i H-ia, rtir.i em linla VEB!:P:.3A
de A. HAOTlKZUa, o lelreiio. aqi.i MM,
icilo em 4 COt<..s.
Parit, pharmncia UH|, IS, rna H'Ant:n.
Deposiln
,>':
ft. nccor*?.
'1TS03T" 'T ---,- r". fun
SIIVJ .4S:^I -J t IViKiiiu \|VHR1I3<
0*(tii>8tMU o!f,->.uui4 !t4'1..i ,m>.ui -t>rtj ..uA oiajd *ne who. n p^p pufitmi nix tn--.a
MUTI1M0
1


^
I
~\.
^
-<
%

-
-----------------------i----------- -.'


f
r
)



'-:.
i


I
:/T'
I
)r
Dfcrid d* t^rtftmbacQ -- Quiak feira 19 de Fwereiio de 18T4
A. B. da Silva Maia. &
W, Rua do Wsconde de Albuquerque n. K
_jqoerqne _
11, outr'ora ma da matrii da Boa-vtst*
B. It. .*
Charaados : a qtraiqwer hora.
Cousultas : Aos p. bfes gratis, das 2 4s
I boras da tarde.
(M M FORTIA
Rua 1. de Marco n. 23
Aos 20:1
DB
SETKOZEDE.4J.no-
PAO
DE
0 abaixo assignado tem sempre exposto a ven
da bilhetes da loterla do Bio, caja extracclo an-
uunciara netos jornaes.
Precoei
Inteiro 24*000
Meio 12*000
Quarto 6*000
Manoel Martins Fiuza.
it *- Precisa-se alugar uma ama para casa de
poaca familia : na rna do Imperador n. 33.
ALUGA-SE
uma east na Gapnnga, rna das Penumbueanas,
com coxeira e quartos fora : a traur na rua do
Vigario Tenorio n. 31.
PrttetMra publica.
A professora interina da 4* eadeira do sexo
mascnlino da freguezia de Santo Antonio abrio a
escola era data de 12 de fevereiro, e fnncciona no
1* andar do sobrado n. 24 da rna estreita do Ro-
sario.__________________________________
Venda ou arrendamento
Na freguezia de Serinbiem e distante daas le-
goas da estacao de Gamelleira, do engenho Bura-
rema, com terreno de macapd, a raaior parte de
vane a, de optima produc^ao, e para 3,000 pies
de assucar annualmenle : quem pretender, diri -
ja-se ao capitao Jose de Castro Paes Barreto, no
engenho Matto Grosso, on a Leal k Irmao nesta
prtca-______________________________________,
Nos abaixo assignados deelararaos ao res-
peitavel corpo do commercio quo compramos ao
Sr. Jose Fernandes Paquete a taverna sita ao pa-
too da Ribeira n. 12, livre e desembaracada de
qualquer debito quo possa appareeer : quem se
julgar com direito, apresente suas contas no prazo
de tres dias, a contar desta data. Recife, 17 de
fevereiro do 1874.
Sant09 4 Ferreira,
No dia 3 de fevereiro do corrente anno fugio
da fazenda Jaboticaba, tenno de Caruaru, o escra
vo Benedicto, idade 22 annos, com os signaes se-
Suintes: cabra, cdr de laranja, ponca barba, ca-
ellos carapinhos, am peqaeno talbo no rosto, en-
torta urn pouco am pe no aadar e e um pouco
gago, principalmente qaando veixado. Roga-se as
autoridades e capitaes de campo queiram appre-
bender e leva-lo ao lugar pe de Serra do Mendes,
a soa senhora D. Rita Francisca da Assumpcao,
ou a rua do Livramento n. 24, ao Sr. Raphael
Francisco Pereira. qae serao recompensados.
Furto de cavallo,
Na nolle de 13 para 14 do corrente furtaram da
freguezia da Escada, dous cavallos com os sig-
naes seguintes: um poltro melado, grande, com o
ferro B A R A, sends le primeira muda, no quar-
to esanerdo tem a marca 6 e no queixo esquerdo
uns 4; o outro e um poltro ruco, bebe em branco,
com o mesmo ferro e tem no quarto esquerdo o
carimbo M. : a pessoa que os apprehender ou
delles der noticia certa a sen dono Martinho Gar-
cia de Araajo, sera recompensada com 50*
de gratifieacao.
Escada 16 de fevereiro de 1874.______________
Na raa de Santa Thereza n. 60 se dira quem
vende 60 paimos de terreno, em Belem.
MOFINA
Esta encouracado!!!
Agua mole em pedra dura
Tanto da at* ue a fura.
Roga- ium. Sr. lgnacio Vieira de Mell
escrivao na cidade de Nazareth desta provincia,
favor de vira rna Dnqne de Caxias n. 36, a con-
clnir aquelle negocio qne S. S. se comprometteu a
realisar, pela tereeira chamada deste jornal, em
fins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passoa a fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
por este motivo e de novo chamado para dito
fim, pqis S. 6. se deve lembrar qne este negocio
de mais de oito annos, e qnando o Sr. seu lilho se
achava nesta eidade.______________________
Sao mui precisas
A pessoa que tiver acbado duas chaves de
ama banca, as quaes perderam-se da raa do Im-
perador 4 estacao da eatrada de ferro a rua da
Aurora, ou em algum dos wagons da mesraa es-
trada do Recife a Olinda, querendo restitui-ias,
dirija-se a raa do Imperador n. 20, onde genero-
samente sera gratifisada.
D. Rufina Custodia de Luna Cavalcante pre-
vine ao pablico qae ningaem faca transaccao ai-
guma com a east sita na travesea do FalcJo n.
12 ; pois dita casa foi deixada a mesma para uso
frnetaario, e por soa morte pertencer as suas
daas fiiha-i, isto por testamento de sna tia D.
Anna Maria de Souza, que se acha archivado no
cartorio do escrivao Domingos Nunes Ferreira ;
e nopoder do mesmo a copia do dito testamento e
mais documentos pertencentes a dita casa : por
tauto, qualquer transaccao qae alguem lizer ou
ienha feilo sem a sua assigaatura, sera nulla.
Recife, 18 de fevereiro de 1874.
Aluga se o !. e 2." andares do I sobrado do
largo do Terco n. 18 a tratar a raa do Bom Jesus
n. 8, 1. andar. _________________________
Attengao
A commissao encarregada da liquidacao do pre-
dio sito a rua do Visconde de Itaparica (outr'ora
do Apollo) n. 26, teurto de proceder ao dividendo
do producto da ronda apurada, previne aos con-
senhores do mesmo predio que se sirvara apresen-
tar sens titnlos de quiahSes, no prazo de 20 dias,
no escriptoria de E. A. Snrle, na rua do Bom Je-
sus n. 48, aflm de serem veriQcados e aber-se ao
certo qual a somma a que deve-se applicar os
4ivideaaos. Recife, 18 de fevereiro ie 1874.
Aluga se para (|tialt/per servico de uma casa
um moleque de bons costumes e proprio para co
zinbeirp de qualquer estabeleeimento : a tratar
na rdaPrlmeiro de Marco, no escriptono do Dr.
Angelo Henrique da Silva.
Barbeiro
No salao de eabelleireiro de Odilon Daarte &
Irmao, raa da Imperatriz n. 82, precisa-se de am
bom official de barbeiro, pnga-.-e bem.
- Gratinca-secomgentrosidade a quem acbou
umacestinha de veliudo roxo guarne:ida de dou-
rados devmetal, com um len;o de labyrintho den-
tro e um tfickftf-tteJ'O rs., qne seperdea desde a
encrazilbada de BeleflP' ate a rua da Praia, antes
de hontern : a entregaV na rna do Imperador n. 9,
onde recebera a gratificVcio.
Aloga-se o 3* andaF e s<"ao do sobrado sito
a rua da Imperatriz n. 5V a '*>j*: a trator no
2* andar do mesmo.
Aguardente de cann
de duzia : na rna do Encj
. Quern precisar de
ainda moco, com prati.-a d
mesmo de taverna, e con
de escripturacao, dirija e.
n. 11. Omeimo chegoa ba
ropa.
LIHH*S -
10DAS
Am
CORES
A&ULSAS
E
.^1MM m
Accessor^
PARA
PARTE
A
Machina
Com as falsifica^des que tem apparecido
DAS MACHINAS PARA COSTURA
DE
SINGER
Precisa se de nma perfeila eozinheira, nao im
orta q
imilia estrangcira,
porta que seja ferra ou pscrava, para casa de nma
familia estrangtira, pa(
rna do Bom Jp*(ts n. 55,
pagst-se bem: a tratar
easa Ac Kel'er & C
Bl
Carvalho <$l Nogwira, na rna do Apollo
b. 20, accatu Su'ure 0 Banco Loiuiuorcial
de Vinnna e suas agencies em todas as ci-
Jades e villas de Portugal, a vista e a prazo
por todos os paquetes.______________________
Na rua do Barao da Victoria n. 36 precise-*
ailar ao Sr. vigario Andre Cnrcino de Araujo Pe
eira, t negocio de sen interesse.__________
- ^^%
Agencia de leiloes
0 abaixo assignado declara ao respeitavel pu-
Wico, qae, tenao aborto o sen escriptorio de
agencia de ItUiks a rna do Marquez de Oiinda n.
64, andar, continua a receber moveis, louca,
fazendas, obras de ouro e prata, predios e todos
Jaantos objectos se lhe remetta para serem ven-
idos, em leilao publico on particular, a vontade
de seus commitenles: e eomo quer qne o sen
novo estabeleeimento se ache o methor possivel
localisado, ale-n de qae offerees as melbores
proporcdes para a boa conserva^ao dos objectos
qae tenha de receber; o abaixo assignado com-
promette-se nto so a empregw toda a actividade,
zelo e pontnaliiade no enmprimento de seus de-
veres, come mesmo sens pagamentos serSo feiots
com a cosmnada promptotio, que lhe e coohe
cida.
Recife, 17 de Janeiro e 1874.
________^ymnndo Remigio de Mello JafllcT.

NOVAS PUBLICACQES MUSICALS.
i J dlzevtdo ltutt\oan it.
Tw-
Alber-
2CO00
1C500
l?O00
190C0
irooo
1J500
QO
I
Nenhuma ma-
china Singer 6 legi-
tima se nao levar
esta marca fixa no
bra^o da machina.
Porq
uer
Paraevitarfalsi- S
ficacoes notem-8&
bem todos os deta-
inee da marca.
X
I
e a prazo
das Exmas. familias
A dinheiro a r^^^
A contento
MACHINAS DE SINGER
Sao maisTjaratas.
Sao de dons pospontos.
Sao simples.
SSo rapidas.
Sao duradouras.
MACHINAS DE SINGER
S8o de dous pospontos.
Abainham.
Franzem,
Pregam tranr^as.
Ma ream pregas.
Bordam de linha de scda.
Alcolchoam.
Progam onrdfios.
UNIGA AGENCIA
EM
U
V Torre
Aluga-se para pssara festa um sitto com
excellente casa de habitagao e banho no rio
i frenta desta: quem a pretender, pode
procurar a raa de Gervasio Pires n. 24.
A Sra. Bella Maria da Qonceicto, moradora
nos Afogados, tem uma carta do Rio de Janeiro,
na raa do Marjuez de Olinda n.'6J, 1* andar.
Casa de campo
Aiuga-se a excellente casa da travessa de Pay-
sand ii n. 3, proximo aabospilal iportagnez, com
commedos para grande familia : para tratar, na
rua do Aworim n 36, V andar. ___________
E. A. DELOUCHE.
49Rua do Marquez de Olinda 4
Acaba de receber um grande sortimento de re
logios americanos para parede e mesa, de corda
de 24 horas e de corda de 8 dias, com despertador
dos melhores gostos e qnalidade.
Relogios de ouro patente inglez verdadeiros, des-
ccberto com ponteiro grande no meio, dos mais
modernos e do melbor fabricanle de L< ndres.
Grande sortimento de relogios de prata, prata
doarada, cobertos e descobertos. Ditos de prata
foliada (plaque), orisontal e patente, de todc
preto.
Cadeias de plaque e de ouro.
Lunetos e oculos de todas as qualidades.
Verdadeiros Vidros de chnstal da Rccha, para
vista cansada.
Vende-se tudo por prec.o mais baratc que em
ontra qnalqner parte._____________
CJiSA DA FORTIM.
AOS 4:000*000.
BILHETES ARA\TID0S.
M'rtta Primtvnxk Marfo(outr'ora rua dt
iJretpo) n. '93 e casas do costume.
0-abaixo assignado tendo vendido nos sens fe-
llies bUhetes, om -meio n.-l>007 com 4:000*000,
um inteiro n. 451 com 100*. am meio n. 3038 com
100*, e outras sortes de 40*e20i da loteria qae
seacabou deextrabir (87*), eonvida aos possui
dores a virsm receber na conTormidade do costu-
me sem desoonto algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantidot
la 5* parte das totems a -beneficio da matri
de Serinhaem (88*), que se extrahira no sabba
-do-Sl'do cowente
PRECOS
fiilhete inteiro 4*000
Meio biiiiete 2*000
tu rongAOB IOOJWOOpara cima.
Bilhete inteiro 3*500
Meio-bflhete 1*750
_________________Manoel Martina Finxa______
O ADVOGAUO
Affonso de Albumieraue
ICOcO
2?000
UOt'O
45
A CASA AMERICANA
RUA DO IMPERADOR
45
Rna do Imperador
Ha neste estabeleeimento o melhor sortimento de pianos dos mais afsmados autores,
como sao : Herz, Pleyel, Plap, etc. Offerece-se tambem uma qualidade de pianos sups-'
riores, mandados expressamente construir para este clima, o qual os amadores dos
bons pianos s6 encontrarao nesta casa.
Recebem-se pianos usados em troca.
Concertam-se e afinam-se pianos.
Tambem avisa-se aos Srs.
concertadores de pianos
que ha sempre o mais completo sortimento de materiaes para concertar pianos, como
sao; cepos, folha para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, camursa, cordas,
marfim, etc., etc.
49 RUAIKOOIPERiOOR 49
f eitraUna, em caixas
ntamento n. 5.
im bomem portuguez e
caixeiro de padariaou
algumas habllitacoos
a rua de 8, Francisco
locos mezes da En-
r.~T..A,a*a"seam molecote :
Cecilia n. 10.
rua de Santa
D. Umbelina Precisase saber aondemot
gocio de seu interesse : na
66, loja 4a Rosa Branca.
esta senbora a ne-
ia da Imperatriz d.
PARA
Marcar vestidos, roupa de cama, guardanapos, lengos,
meias e todo genero de roupas
COMO TAMBEM
CarlOes de visita, Ibris, cnvehipcs e toda a qualidade de
papeis, tiara e exactamenfe com o nome competent da pessoa
Garan/e-se dar uma cbapa tao boa como poderia conseguir-se em Landres ou Nova
Yor, eaflian^a-se igualmente que a tinta serd iudelevel.
You can bet your bottom dollar on that
Cada chap8 com o nome da pessoa e acompanbada de dous fraspuinbos de tinta,
um pincel uma d.'reccSo sobre a maneira de empregar a chapa e uma receita para fazer
tinta. costando tudo
Preco fixo ..... 3J00O
Em letra de mao e gothice. 55JOOO
VUCOI,\S AMEKlCA^iAS
PAKA CHAVES
SSo muito commodas e possnem as seguintps vantagens:
Servem para ajuntar 8S chaves, e ao mesmo tempo rendo chatas, ha lugar para o
nome e moradia do dono.
Sao faceis de abrir e fechar, deixara entrar a maior chave sem offender a
jrgola.
Sio feitas de prata allemS e nao sSo sujeitas a enferrujar, quebrar ou abrir ; como as
irgolas de aoo, sao muito fortes e bonitas. Cada arjjola smericana com o nome e mora-
ji do dono, aberta na mesma, custa :
Preco fixo 2^000
P. LAURO MACPHERSON
:i\0 HOTEL ESTAMITVfiT
Rua do Imperador n. 32
TODOS OS DIAS UTEIS DAS 9 HORAS AO MEIO
incumbe-se de promover -cobrancas amigavel.
ou judicialmenle.. assim como de oulros negecios-
concernentes a sna profissio, nos lugares proxi-
mos a linha ferrea, e nos ootros termos proximo*
a esta cidade; para cujo auxilio tem o annun-
ciante soicitadores babilitadose probos, respon-
sabilisando-se no entanto pela boa gestio e conta
do qae lhe for con Dado.
Mediante medico honoraria acode aos chmados
para diligeocias ou consnltas fora da cidade e do
terrao e iocnmbe-se da defeta de appellaroes ante
o tribunal 4a relacao. Pode ser procurado de
meio dia as 3 horas da tarde em aeu escriptorio
rua do Daqae de Caxias n. 37._______________
E' barato.
Valente & Irmao avisam seus freguezes, qae
d'ora em diante serao regulados os pregos dos as-
sucaree pela forma seguinte : de 1.* sorte 4*200
arroba ; de 2.* 3*600 ; de 3.* 3*200 : isto to
na rua Direita d. 10. refinagao.
PENHORES
Ha trave&sa da rua
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma. casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
Aprectem como se vende barato
So o n. 20
RUA DO CBE8F0
UNA DAS % PORTAS
DE
Guilherme ft C
CASSA-LA
Acaba de chegar esta fazenda com bonitos pa-
droes, e que se vende pelo diminuto preco de 200
ts. o covado III
METIS!
Metim trancado, padrSes bonitos, a-3W rs. o
covado 111
ORGANDY DE CORES
Cambraia organdy de cores, fazenda fina, boni-
tos padroes, pelo diminato preco de 320 rs. o co-
vado 111
LAS ESCOCEZAS
Novo sortimento desta faz-anfia, com borjios
padroes, que se vende a 240 rs. o covado!! I
CRETONE
Cretone olaros e escuros, bonJtos padrSes, e fa-
zenda flna, pelo diminuto prepo de 400 rs. o co-
vado 111
LAS MODESNAS
Completo sortimento de la de todas as qualida-
des, pelos diminutos precos de 40O rs. o covado,
6 pechincbal I I
Cortes de casemira di cores, a. 5*(00.
Colchas estampadas e com barra a 3*500 e
4*080.
Cobertas de chila adamascaua a 3*o00.
Lencoes de bramante a 2*000.
Ditos de algodao a 1*400.
Toaliias alcocboadas, duzia, a 3^800
Lencos de cassa com barra a 1*000 a duzia.
Ditos de cassa abanbados a 2*000 a duzia.
Ditos de esguiao abanhadiw, em caixinhas mo-
dernas, duzia, a 3*500.
Cambria transparente fina a 3*000 a peca.
Chales de todas as qualidades e precos.
Bramante de algodao e linho a 1*600 a vara.
Dito de linho puro com 9 e 10 palmos de lar-
fura a 2*500 e 2*800 a vara.
Algodao marca T, largo, a 5*000 a peca.
Dito domeatico a 3*000 a peca.
Brim com listras, irlandez, proprio para cami-
sas, a 440 rs. o covado III
Madapoloes Iraneezea de todas as qnaltdades de
5* a 6*500 a peca.
Ctapeos dt sol de seda com 12 asteas, pelo di-
minuto preco de 8*500.
Camisae ingiezas, todas forradas, fazenda de
linho euro, a 44*000 a duzia ; e pechincha, so se
vendo.
Popolinas de linho e seda pelo diminuto pre.'o
de 800 rs. o covado; e pechincha, e dio-se amos
tras.
Acabam de publicar se, e acham-se a
venda as seguinlts musicas :
PIANO SO1.
DaNSF. F.SPANnoL.v, por Asri.er
Arabli.la, uazomu, p'" 0.
theiuief
Valsa d<> r*A08TO, por CroyHi
Sonho ue uma virgem, por
tazzi
Anna la Prie, cavatina
AoClair de i-a Lune, por Bussmeyer
ESTRELLA DO SORTB po)ka briIbante ,-000
SaudacAo ao Bahia(
Cricket, por Seixas, olTerecida aos
chrickots club pcrnambucano e
bahiano
PIANO EC4NTO.
Desespero, muito lindo romance
por I. Smoltz
Non m'amava, romance por Guercia
Tambem recebeu da Europe grande sor-
menide musica para piano, piano e
antoudos, methodos, etc. etc.
Convida-se
aossenhfres escriptores, littera'os, chiles if ?-
pai licoes e oninnercianie' a vMUrm a
E.NCADEK.N'ACAO BRASIUBOU
a rua Duque de Caxias n. 21, onde v.r",,-. iU^ e
este o estahele.'imento one distJw dos /^ ix.ru
meios e processes para hem wrvi lot rx aT.e ^*
encadernar, e o nniro que
rOSSUE A MELHOP
machina para pautar papel, ri manifestos, folhas de empregad jumScIim, fic"
'uras, contas cerrentes e d" v ,^-,0 Vx\.
sera regulado pela seguinte f"?a ',v SLm
Papel pequeno **J ?* '
Para pautar 1 caixa I cai^inna*
Idem 4 ditas a 500 r *"0.
Idem 10 ditas a 40> c-tda uma ,
Idtin 20diusa : ^rs. ^
Idem 50 diUs a *>r*-
Idem 100 dita- **'-
Idem 200 dit- j a wo rs.
Mais de if f '* r?-
Panel em a "0 rs.
p0{rpa,, wmaaho 6nme contas ti*ac' *
Idem" -or 1 resma-US00.
Idem ^ 1*20<> c?itU uma.
\7 m 30 a 800 rs.
! jm 100 a 600 rs..
KlemSOOa 400 irfc
-"Mais de, 300 a 32 0 rs.
Outros trabalhos conf ;rme oil
A differen^a em pr*co do i*\>
pautado, no aoato meroddo, e Ht
rs. em resma, sen-do p: r iso vai
IMPORTADGliES LE P.,
mandarem vir o papel liso para aqi
podeaio assim veihlerem mais bar
mais dinheiro, para o que
GAP.A.NTE-SE
a bondade e limpeza do trabaiho, i MMM -
os volumes de resma com a mesma perfe
igualdade que .ce tiver nrebido na
ENuADERNACAO PRA?II.EI. lA
21Rua Duque de Caxias-2 1.
i
i mt pan o
> Mipenc-r a ;;:o
ser ** *
u' ser XM|
gashatJ-.
Os Srs Jovinr. F.Tnandes da Ojz e Joaquim
mente de Lemo* Duar'e, ao rhamados ai r=i "
t-oronel Suassuna n. 862,
interesse.

a negocio de part,-: >.r
So o n. 20 da rua do Crespo
Loja das tres pot-la*,
DE
Guilherme & C.
JUNTO A LOJA DA ESQUINA
selecta e de umbigo
(Enxertadas)
Sapotizeiros
S^? de P*10'08 M varos) ede
os tamanhos e prep-s mais ct-mmodos que da^-
tSL. 1" como as ''KU'i'tes outras
fructa e de ornate :
plan:.:
-
Escrava fugida
Ansentoase da casa de sea senh/ r, no dia 26
do corrente a escrava Felicia com os signaes se-
guintes : cdr parda clara, cabellos cemprido ate
os hombros, rosto redondo, falta de am d'ente
quasi na frente, corpo reforcado, maca do rosto
bastar-fe saliente, foi acompanhada por um no-
mem, pra ;a de cavallaria de nome Vasconcello
foram vistos no dia 27 do corrente, em Santo An'
tao : quem a levar "a Camboa do Carmo n 3
seri gratificado generosamente.
Abacati.
Acacia.
Ariticum a pe
C* nel la.
Casaarina.
Carolina do principe.
Conde^a.
Coracao da India.
Figueira.
Flamboyant.
Fructa- pao.
iDga do Para.
Jambo.
Jasmim laranja.
Laranja da China.
Dita do ceo.
E outras planlas :
ura n. 20.
Laranja eravo.
Dita de doce ia Para.
Dita Lr;nca.
Dila Ungerina.
Lima da Persia
Pita de umbigo.
Limao fraaen.
Dito doce. mnM
Oiticoro.
Pa meira imperia1
Parreiris
I inheiras.
Romeiras.
Roniraa.
Rozerfa.
I'baia.
na Capuoga a rua da \
Cozinheiro
ou eozinheira, precisa-se de am para casa de duas
Eessoas : trata-se na rna do Passoio n. 60, das 10
loras da manhs as 4 da tarde.
CASA DO OURO
Aos 4:000$0OO
Bilhetes garantidos
Rua do Barao da Victoria (outr'ora Nova
n. 63, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender nos sen1'
nnito felizes bilhetes a sorte de 4:000* em um
meio bilhete de n. 2f07, e om meio de n. 1198
com a sorte de 200*000, alem de outras sortes
menores de 40*000 e 20*000 da loteria que se
acabou de extrahir (87* >; eonvida aos poesuidores
a virem receber, que promptamente serai pagos.
0 mesmo abaixo assignado eonvida ao respeit*
vel publico para vir ao seu estabeleeimento com
prar os muito felizes bilhetes,que nao deixarao de
tirar qualquer premio, como prova pelos mesmc r
innuncios.
Aeham-se a venda os muito felires bilhetes ga
antidos da*5" parte da loteria a beneficio da
malriz de Serinhaem, que se extrahira no dia 21
do corrente mei.
Prepos
Inteiro 4*000
Meio 2*000
De lOOcOOO paracimh.
Inteiro 3*500
Meio 1*750
Recife, 13 de fevereiro de 1874.
Joao Joaqum da Costa Leite.
ESCRAVO FUGIDO.
Desappareceu ao amanhecer do dia 4 do cor
rente, do engenho Serie: comarca de Goyanna, o
escravo de nome Jose" Borge?, mestre de assucar
tendo os signaes seguintes : cabra, idade 30 an-
nos, pouco mais ou menos, boa figura, um tanto
grosso e espadaudo, .sendo o signal mais visivel
uma gomma na junta do pe esquerdo : roga-se a
todas as autoridades e capitaes de campo queiram
apprehender dito escravo e leva-lo ao referido en-
genho, on nesta praca a Oliveira Filhos & C, lar-
go do Corpo Santo n. 19, qae serao generosamen-
te recompensados.
e esper...
ivncorram a este act '
m
DIA.
Esta fagido o escravo Jose, eaLr.i, idade de
15 annos, leicces miadas, cabellos froxos, pes
Jargos, veste calca e camisa branca, go?u do mu-
sica ; pede se a policia a sua captura, e gratiflca-
se a quem o levar a seu seubor, a rua do Hospi-
cio n 85, on a ma do Qneimado a. 83,1 andar.
Para principiaiite
^.Traspassa-se a k|a de fazendas da esquina da
praca da Independencia n. 2, de duas portas e
rom poucos fundos : a tratar na mesma.
AS70UD0
AYRES GAMA
m
I
RUA
DO DUQUE DE CAXIAS
V
Trimeiro andar. @
Amaro de Barros* Cofreia e Captulino Ro-
driguei do Passo vendem terrenos, regularmente
tracados, no seu sitio de Beberibe de Baixo, ba-
vendo orgamsado nma planta de sea perimelro,
em que se desenha visivelmente a distinccio
e regularidade no sea projecto de arruamentos
novos, approvado nela camara municipal de Olin-
da. A fert.lidade do terreno, a sua proximidade
da estacao do Fundao, da linha ferrea do Recife
a Beberibe, conseguinteraenle do rio Beberibe e
commodidade dos precos convidam os pretenden-
tes 4 compra, que os poderio procurar a Amaro
deB.Carreia em Beberibe, a Captulino Rodrignes
do Passo, no Recife, e ao engenheiro Antonio Feli-
ciano Rodngues Sette, 4 estrada de Joao de"Bar-
ros n. 9.
,. ALUGA=SE
o2 andar do sobrado n. 52 da rua Marquez de
Ulinda : a tratar no armazem do mesmo predio.
it- Precisa-se alagar uma escrava para poznibar
e comprai i a fatar na rna PrinwrW'de Marco n.
23, loja. j*TT.
r
- tntxn (^?-
cao, o baeharel Aulonio Goncalv*-
Ferreira e CanJido Goncalves Per-
reira mandam rcsar missas na igre-
ja da Madre de Deo, polas^ h
da mauha do dia 21 do corr
era suffragio dalma de sua irma k
tia, Anna Ignez da Rocha Basto. estwa de S-ri-
phirn Alves da Rocha Bastos, f^llecid.i b
de Goyanna no dia 15 do orrente :
seus parentes e amigos
caridade.
Bernardino Alves Ferreira, coavida a
seus parentes e amigos para ssistirem a nma i
sa, que pelo elf-mo repouso de sna siuie I
brada mil D. Francisca Maria dos Santo-, .,.ar.u.
celebrar na capella do ce.niterio publico, peliS
8 1|2 horas da manha do dia 21 do corrente
timu do sen fallecimento._______
Jo&epha Maria Teves
Freitas.
Joio Justino de Souza Fre us
seu lilho. cordialroente agradec
a todas as pessoas qae se dignarao:
a acompanliar, a ultima raorada
restos rnonaes de sua mui pi
da esposa e madrasu D. Jjsepi -
Maria Tcves Freitas; e de l
Ihea rogam o candojo ob^equiu de assislirem .
roissa do 7. dia, que pelo repouso eterno de na
alma, mandam celebrar na segunda feira 23 J
corrente, as 6 horas da man; a na igreia do
vento de R S. da Glo ia ; por cuk, act, de ca-
ridade, serao eternamenle reconheeidos.
D. Francisca Maria dos
Santos
Bernardino Alves Ferreira, Theotonio Alves Fer-
reira, Jose Antonio Moreira e sens fi'bos agrade-
cein cordialmente a todos os seus parentes e mai.-
pessoas de sua arnizade, que lhes fizeram o carido-
so obseqoio de assislirem aos ultimos soffragiot a
de acompanbarem ao cemiterio publico os restos
mortaes de ^a querida mai, sogra e avo, D. Fran
cisca Maria dos Ssntos, fallecida no dia 16 ii
eorrente ; e de novo convidam a todos os seu>
parentes e amigos para assislirem as missa* mt
pelo feu eterno repouso mandam celebri- i,a
igreja da Madre de Deo, pelas 7 horas di m mhi:
do dia 21 do corrente, setimo do sen jtUJa
0 abaixo assjphnlo^enlea aos Srs.
& Ferreira a^oa taverna sita ao pateo da Ribeira
n. 12, life e desembaracada de qualquer onus :
fntVendo quem queira enlender-se com o vendedor
dirija-se a rua estreita do Rosario n. 9.
Recife, 17 de fevereio de 1874.
Jose Fernandes Paquete.

MUnUDO



IPIPW
6
A 9:000
3ia*Ml>ftraabfeBfll -rf, Sturtftofrmifr de- IeTt^ i67tlC
Bfctraas para namem
Acabam de chegar grandes factnras beoi sor
lidas de bolinas de bezerro, de cordavao, de pellt-
ca, de dnnque com hiqueira, de bezerro com bo-
to"es. e com ilnozes a 9*000 (a escolh r) por ter
vindo grande quantidade por coota e ordera dos
fabrmantes : ao armazem do vapor francez, a rua
do Bai5o da Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Calfado
frlMH.
case-
i pao,
rdii
pro-
Para home m.
60TINAS de bezerro, cordavao, peHica, lustre
de duraque com biqueira, dos meihorei
fabncanles.
SAPATOES de bezerro, de cordavao e de
mira.
SAPATOS de lustre com salto.
SAPATOES atamancados com sola de
c iteMwu P."09 para banhos> *>tios e jardins'.
SsAPATOs de tapete, chariot, castor e de tranca
francezes e porluguczes.
Para senhora.
BOTINAS pretas, branoas e de cores differentes.
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, brancos.
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca.
Para meitinas.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisa*, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para meninos.
BOTINAS do bezerro, lustre e de cordavao.
ABOTINADOS e sapatoes de bezerro, de diversa.*
_. qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e portuguezes.
Botas de montaria.
totas a Napoleab e a Guilherme, perneiras
meias perneiras para homen-, e meias perneira*
para meninos.
No armazem do vapor france?, a rua do Baric
g- Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de guernicSes,
sofas, jardineiras, mezas, conversadeiras e costu-
reiras, tudo isto muito bom por serem fortes e
(evo3, e os mais proprios moveis para saletas e ga
binetes de recreios.
No armazem do vapor francez, a rua do Bara<
da Victoria n. 7, Outr'ora Nova.
PIANOS.
Acaliam de chegar muito bons pianos fortes t
de elegantes modelos, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henry Hers e Pleyel "Wolff A C. Be
vapor francez, a rua do Barao da Victona, on-
tr ora Nova n. 7, a precos muito cojnmodos
-Amada.
r,ii!t ^Ac Bar5 ** YJgoria n 36> precisa-sf
S a Sr-{2* enteB Maria Pestana, a ne,
gacio de seu mteresse. .
Precis :se de
duas arnas para
casa de pouca fa-
milia, sendo uma
para cozinhar e outra para engoratnar, pre-
ferindo-se escravas, paga-se beat, se agradar:
a tratar na travessa do Vigario Thenorio n.
1, escriptorio, das 9 as 4 da larde.
AMA
Precisa-se de uma ama para
cozinhar em casa do pouca fa-
milia : na rua de Pedro Affonso.
outr ora da Praia n. 3. '
AMA
Precisa-.se dCiuma ama pa-
ra comprar e cozinhar para
caaa de dus pessoas: a tra^
tar pa travessa de S. Pedro .n. 8.
Ama de leite
Precisa-se de uma ama de leite em IHho :
tratar na rua Pnmeiro de Marco p. t$ (aoJiga d
Crespo).
N. 271.
Vende-se ou troca-se uma grande casa de .to-
boa, na rua Imperial, com quintal cercado, com
grande aterro. portao de urn lado e no quintal
que bota para a linha fewea, com madeiras no-
vas, preferindq-se a trpea por uma nasta cidade
o preco 6 rpqifc) eownodo : quem pretender di-
gw a mm mrm-Amimmpura:
AMA
Precisa se de uma ama para casa da
pequena famiJia : na rua Duque de
Caxias n. 54, loja.
Ama de leite
Precisa se de uma ama de leite, e que nao lenha
filho : na rua Duque de Gaxlas n. 111.
AMA
Precisa-se de uma ama nara cozi-
a tratar na rua do Imperaflor
Aos s^ohpyifvt ngenho e
outros proprietaries
qne pretendorem c.utiralar edificacoea de predios,
casas de campo, ou chalets, damarcaciies de ter-
ras, nivellamentos, assenjamento de macbinas a
vapor, plantas ou outros qoaesquer trabalhos Ma-
te genero, queiram dingir-se pessoalmente ou por
escripto a A. Coutinho, a rua do Crespo n. 18, if
andar, escriptorio.

'fiflMWiilv
^^ "I ,9
J U,l
cartes.
ft>npa.3e.la,vfindrTse traste* novos J
am*3 lJ'k'wm*w'n da raa donlm-
nhar
n. 14
Ama Precisa-se de nma ama que saiha oo-
"** zmhar e engummar, pjr.a casa de pouca
familia: na rua do Marauea de Olinda n. SJ (ou-
tr'ora Cadeia do Recife).
Ama
Precisa-se de nma
Pedro Affonso n. 40.
ama : na rua de
Precisa-se de uma ama due saiba cozinhar
para casa de homem solteiro : a tratar naruado
Barao da Victoria
Perfumarias.
Finos extractos, banhas, oleos, opiata rpos den-
trifice, agua de flor de laranja, agua .de toilete
divina, Dorida, lavande, pos de arrez, sabonetes'
cosmeticus, muitos artigos delicados em perfuma-
na para u xinhasi sortidas ( ;arrafas de difterentes tama-
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira quali-
Jade dos bem conhecidos fabricantes Piver e ton-
dray.
No armazem do vapor francez,
da Victoria, outr ora Nova n. 7.
Quinquilliarias.
.*r;5go phantazias.
spelhos dourados para saias e gabinetes.
. "qnes para senhoras e pra meniu.is.
is de Jouvin, de fio de fesep'ix e de camnrca
ostura qrcada c m, musica.
a rua do Barat
Antonio Jose' Rodrigues de Senza, em sou es-
criptorio a rua do Crespo n. 6, compra, por iwns
prepos, escra7os das diversas c$res, sejos e
dades.
Na rua da Penba n. 2 lavase e engomma-se
com presteza roopa de homem e senhora : quem
pretender, dirija-se a mesma casa.
Compra-se na rua do Amorim n.
rrnts
iwwwtem nmmhs
M
BHa da Imperatriz n. 60
MlO
Aluga-se a loja do sqbrado n 9 da rua da Au-
rora : a tratar na rua do Hospicio n. 26, taverna
on na rna da Imperatriz n. 10, taverna.
iixinbas de
liUllS E
".;u '
relrati.'
xuibascoin vidrode aufmentar totratos.
Diversas obr.is de onro bom de lei garantido.
;o.-rentes de, plaque muito bonitas para rel<
plaque muito bonitas" para relo
bou3e.^ de punhos de pla
par
de marfim muito Cnos, para limpar ca-
para roupa, cabellos, unhas e para den
i'i". .COS
| '
Bolsinbas o coireo de seda, dn velludo e de cou-
i inho de cures.
Hums objectos de phantazia para cima demes
let'e.
Pineinez de cores, de prata dourado, de aco
is tartarn'gai
Ocoloe de aco fino e de todas as guarnicoes.
Bengaias de luxo, canna, com castdes de mar
5m -
JengalJas diversas em grande sortimento
omens i> meninos.
Chicotirjiios de baleia e de muitas qualidade*
diversas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Poirteiras de espuma para charutos e cigarros
Pentes de lartaruga para desembaracar e oar
barba.
Ditus
beca.
Escova
Carteirinhas de medreperol.i para dinr.eiro.
Grava'.,;-, brancas e de seda preta para homen>
e meninos.
Campainlias de mola para chsmar criado3.
Jogos da gloria, de datna, de bagatelles, de do-
mino e outros muitos differentes joguir.hos alle-
e frrmcezes.
Malas, bolcas e saccos de viagem d^ mar e ca-
minhos de ferro.
Argolinhas de marfim para as criancas morde-
retn, born para 03 dentes.
Bercos de vimes para embalar criancas.
Cestiuha-* de vimes para brago de meninas.
Carrinhos de quatro rodas, para passeios At
enaneas.
Venezidnas transparentes para portas e janellas
Reverberos transparentes para candieiros de
gaz.
Estereoscopos e cosmoramas com escolhida*
vistas.
Lantemas' magicas om rjCas vistas de cores era
vidros.
Vidros avulsos para "osmorama.
Globos de papel de cores para illuminacoes de
festas^
Baloes aereostaticos de papel de seda mui facil
de subir.
Machinas de varios systemas para cafe.
F-panadores de palha e de pennas.
Tesourinhas e canivetes flnos.
Tapote.^ corn vidrilhos para mangas e lantemas.
Tjnteiros de louca branca, modelo bonito e bom. I
Tiras de molduras douradas e pretas para
quadras.
Quadros ja promptos com pavsagens e phanta-
zia.
Kstampas avulsas de santos, paysagens e phan-
tazias.
Objectos de magicas para divertimentos em fa-
milia.
Realejos pequenos de veio com lindas pecas.
Rea'ojos harmonicos ou accordions de todos os
amanhos, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias difflceis de mencionar-se. No armazem do
vapor francez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Medidas de 40 a 100 metros.p^s e palmos
medir terrenos.
Grande rcuaiao!
Para todos
Republicanos e monarchistas.
Uemocratas e aristocratas.
Federados e confederados,
Communalistas e communistas.
Catholicos velh'S ou noyos.
Todos (lovem i r
Reunidos ou nao reunidos
Fazer cmquanto antes
Suns encommendas
Dos saborosos filhos
Tao preconisados!
Fabricados a capricho
Dos pasteleiros
S6 e sorueute
Na confeitaria do Campos
84, lmperad.or 4.
Santa Cafliarina, dio Impvo*
Vende-se farinha,noya e^xsellqpte, a bordo dos
refendbs niyips : a ttatarqom p capitao, ou com
Amorim^m.aos Ati-_________' Tr
J^s^cpm olhos.
A rosa Branca recebiu nmas lindas las com
olhos, mas nao ve", e estoii perto que nenhuma
senhora quereria um vesticte que tivess'e olhos ;
a fazenda e superior, larga e modernave c'nsta
780 rs. o eovado : Veoham ver ou ma'ndem bus-
car as. amostras com penhor na rua da Impera-
triz n. 56, toja de Azevedo & "
Toalhaseom 4' Ij2 palmos de
oomprido a 5(>0 r^.
Isto e grande pechjneha. e o preco de uma.yara
de algodio, sao alcjcnoaaas, e 6 fazenda muito
boa ; aprevekem quo dislo nao ha sempre : na
rua da Imperatriz n. 56, loja da Rosa Branca, de
Azevedo & C.
------------------------------------------------------- ____________________________________________________________________________________________________________ .
Chapeoajde sol para senho-
100$000 de gratincac^o
Engenho Santos Mendes
Fugio no dia 20 de desembro, do engenho San
tos Mendes, comarca de Nazareth, freguezia de
Tracunhaem, a escrava Maria, crioula, 50 annos
de idade, pouco mais ou menos, balxa, grossa, cor
preta, rosto alquebrado, pes seccos e espanaAbs,
dedos curtos. cabellos braneos, canella,s flnas, torn
dous signaes cabelludos no queixo, e 6 bem ladi-
na. A pessoa que entregar esta escrava ou ao seu
lono, que e" o senhor do engenho acimaj iauren-
tino Gomes da Cunha Ptreira Beltrao; ou no Re-
cife, largo do Corpo Santo n. 19, 1 andar, sera
ecompensada com a quantia de 1001.
Garanhuns.
Na
allar
ose Paes
ease.
rua do Barao da Victoria a 36, precisa-se
aos Srs. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
da Silva, a negocio de particular inte-
Constando aos abaixo asslgnado acliar-se nes-
la praci o Sr. Manoel Fernandes de Garvalho, ren-
deiro dos engenhos Barra e Preguica, era Ma-
manguape, provincia da Parahyba, veem rogar ao
mesmo o obztquio de vir entender-se com os
abaixo assignadus immediatamente sobre negoeio
tendente aos referidos engeuhos. Rua do Amorim
37, escriptorio.
Tasso Irmaos & C.
-?as a
- A rosa branca acaba de receber chopeos de sol
de seda para senhoras on meninas com lindps ca-
bos brancos e superior seda'.'.e vende-se a 4^000 ;
nao julguem que ppr ser barato sao ordjnarios,
porque sao dhapecs que sempre se venderam a
74 e St, aprovekem a peChincha : na rya da
Imperatriz n. f6yioja de Azevedo & C.
Boi e carro^a.
Vende-se dous bois e uma carroca : nara tratar
na taverna do Corre a Roda, na Casa Porte.
ALUGA-SE
uma excellente casa construida de novo, sjia na
entrada dos Afflictos, tem commodos para grande
familia, -itio muito bem plantado, jardim e banhei-
ro': a tratar na rua Primeiro de Marco n. 2, u'vra-
ria economica.
para
Brinquediis para meninos
A maior variedade que se pode desejar de to-
d>sos brinii'tedos fabricados em differentes partes
da Europa, j ara entretenimento das criancas, tudo
a precos mats resumidos que e possivel : no ar-
mazem do v^-por francez, rua do Barao da Victo-
ria, outr'ora rua Nova n. 7.
Osiinlias para coslura
Grande sortimento de bonitos modelos chegados
an armazem do vapor francez, rua do Barao da
Victoria, outr'ora rua Nova, n. 7.
Escrow fugido.
Contimia fugido o eseravo Sebastiao, crioulo,
fulo, altura regular, corpo rerorcado, falla um
pouco descancada; foi aqui vendido em 15 de
dezembro peln Sr Jose Francisco Pontes de Aze-
vedo, tendo sido escravo do Sr. Alexandre Ribei-
ro' de Sobral, todos da freguezia de S. CaetaBo da
Raposa; esta matriculado no municipio de Carua-
ru', e foi ba poucos dias visto em S Bento : ro-
ga-se a todas as auturidales e capitaes de campo
a captura de dilo escravo, e traze lo a rua do Li-
vramento n. 38, armazem Baliza, que serao gene-
osamente recompen^ados.
Venham todos apressados
E com o& bolsos recheados,
Do Campos ao armazem ;
Venham, nao falte uiugum
Ver o grande s->ftim;nto
(Um verdadeiro portento)
Que para a qiiaresma tem ;
Comprcbendem i ora bem I
E' com as Uipas pulando de contentamento que
me apresento ante a onJa gastronomica das sa-
bias e illustres barrigas pernambucana>, felicitan-
do-as por ja so acharem livre da peoa de ioterdic-
to e poderem sem receio de alguma indigestao ex-
commungada, c merem os, mais lino? e saborosos
comestives, coadjuyades por uma cascata de vl-
nhos de: todas as qualidades, deixaado a quern
dezejar o direito ae grilar: viva o triumphodas
barrigas I !..
Mas, cpmo ia dizendo, nao podia deixar de
acontecer assira, considerando-sc como foi sabia e
bem barrigalmeute planejado o ataque das bar-
rigas grandes, contra a sucia dos bandulhos ca-
ninos, que ostriffcadys a id6a ficticia'do infer-
no bicho inventado pelas grandes barrigas, pa-
ra horrorkarem as harrigas sem tripas, sustenta-
vara a mais ab-urda das monstruosidades : a
infallibilidade do principal bojo do amor as avessas
e de tripas dadas e a forca de tripadas queriam
hypocritamente alimentarem a peHudae famigera-
da exquestao do dia centopea negra que en-
rolada no capote cbaomscado da inquisielo, pre-
tendia assar o mundo das barrigas, privando an-
tes a humanidade de ganhar dlnlieiro e de era
tempos como e*te de qnaresma :
bazar wnm
Rua do Barao da Yicloria n. 22.
Caridro Vianna.
A' este grande estabelecimento tem che-
gado um bom sortimento de machinas paxa
costura, de todos os autores mais acredita-
dos nltimamentena Europa, cujas machinas
sao garantidas por um anno, a tendo um
perfeito artista para ensinar as mesmps, em
qualquer parte desta cidade, como bem as-
sim cor^certa.-las, neb? Jonjpo t^mbem d'am
anno sem desperiaio algiira do comprador.
Heste estabelecimento tambem ha pertencas
para as mesmas macbinas e sp suppre qual-
quer paca qoe sega necessario. Estas ma-
chinas trabalham com toda a perfe^ao de
nm e dous ppspontos, frapze e" hortJa toda
qualquer costura por fin* quo s-ja, seus
pregos sao da seguinte qualidade : jura tra-
balhar a mao de 3Q#O00, 40P00.U. i5j0.00
e &05000, para trabalhar com o pe" sao de
80JJ000, 90JJS000, 100*000, U03000,
120^000, 130*000, 1503000, 2005000 e
2505000, emquanto aos autores nao ha al-
teracao de precos, e os compraiJores poderao
visitar este estabejeqjniienty, que muito de-
verao gostar pela variedade de objectos que
ha sempri para vender, conio sejam : qadei-
ras para viagem, malas para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de ba^ngo, dkas para
crianca (altas), ditas para .eseolas, costurei-
ras riquisapmap, para j^nhora, despensaveis
para criancas, detodas as qualidades, camas
de ferro para homem e criancas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelhos de metal para cha, fa-
queiros com cabo de metal e do marfim,
ditos avulsos, colheres de metal fino, condiei-
ros para sala, jarxqs, ^urda-co;nidas de
arame, tampas pa/a xsohrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatorios completos, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mui-
tos artig3s que muito devemagradar a todos
que visitarem este grande estabelecimento
que se acha aberto desde as 6 horas da ma-
nha ate" as 9 horas da noute &
Rua d&Barao da Victoria n.
22.
yea abaixo se ve:
. i?-f*lIa da Silva Giiimaraes tendo em ser umgrande depozito de fazeodaa
rynW-f*K\ uma l>quidac5o das mesmas com grande abatimento nos precot'
fr^Z^rllim aPurar,dinhe|ro, para o que contain, nao so. os m# numerosot
ezeh f$80. r^6tavel pubtfeo, a vir surtir-se de. wvifcH Wdas, hw e baraU.
^eente denominado oPav^oa'rua da Irnjeratrjz u. 60.
i 45, 4550Q, 55p fiji. 75- francez muito fino a 35006, openas precis*
1, V* metro para um lencel.
cJjaJLes baratqb
a 85, 25500, 4#.
0 Pavae vends cbales a erahacao de me-
rin6 a 2^, ditos de merin6 lisos de todas u
cores a 25500, ditos denerindestampados,
muito uoo6 45, '.ditf# fciissiroos com lis-
tras de seda a 65560, ditos muito fiuos da
crepom a 109 e 12.
Al*odao enlesin>\< a 15 e t?%H*
0 Pavao vende algodio. eufestado com
palmos de largura, proprio para leocoea
sendo do mais encorpado foe 4m vindo ac
mercado, liso a lp a vfra e traqgadoa.....
J5280.
ATOALUlftO A 15600, 25, 55.
0 Pavao vende atoalhado tranc.ado com
palipps de Ifim a ^OQ e U(*M, dito
adamascado a 25, dito de linho adamasc*
do a 35 e 55.
0 Paj^e vaqde um magnifico sortimento
das mais Bnas cambraias brancas transpa-
rent^, teodo W jardas cada peca, pelo ba-
rato preco de 4, 45500,55, 65, tendo tam-
bem das mais finas que custumam vir ao
mercado, asstn como um grande sortimento
de ditas tapadas e victorias que vende de 45
ate 85, sendo Xuenda gue valle muito mais
dinheiro.
COM SALPICOS DE CORES A 55.
O.Paygo recebeu um elegante sortimento
de cambraias brancas com bonitos salpiqui-
nhos naiidirihos de cores, tendo 10 jardas
cada corte de vestido e vende pelo barato
preco de 55, por ser pechincha, ditas com
salpicos todo branco sendo fazenda finissima
a 75500 e ditas a 55000.
VESTIDOS A USO DA CORTE 125
0 Pav3o vende um bonito sortimento de
cortes de vestidos a uso da corte, trpzendo
cada c6rte todos os enfeites necessarios como
sejam: babadjohos, entre-meios, nendas,
requefifes, e vende pek>barato preco de 125
eada um, assim como, diios a 2 de jnlho
com todos os enfeites a 105, cortes de cam-
braias brancas abertas, com listras e hxvores
a 65, ditos finissimos a 85, ditos de cam-
braia branca com listras de eores, para aca-
ba? 35500, e" pechincha.
CORTES BORDADOS A 205 E 355.
0 PaySo vend ripos corte* de cambraias-
brancas delieadamenje bordados, pelo ba-
rato preco de 205 e 355.
CASSAS FRANCEZAS
a 300 rs, 0 coyado
0 Pavao recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padroes e
cores fixas, que vende pelo barato preco de
300 rs, 0 eovado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 640 rs. a vara fi-
nissimo fil6 branco liso e de salpicos, e tarla-
tanas de todas as cores.
BORNOUSA125.
0 Pav5o vende um bonito sortimento dos
msis modernos bornous com bonitas listras e
vende pelo barato preco de 125 cada um,
assim como um elegante sortimento dos mais
bonitos cbales demerin6 e com listras de seda.
SEDA PARA VESTIDOS
a 15600 e 25.
JO Pavao vende um bonito sortimento d
sedas eom listrinhas proprias para vesti-
dos de meninas e de seuhora a 15600 0 eo-
vado, ditas lavraJinhas a 25, os padrdes sin
muito bonitos e vende-se por este preco par*
acabar.
Botina, a 53000
0 Pavao tem um complete, sortimento d
botinas muito bem enfeitadas para senhoras
e vende pelo barato preco de 55, artigo qu
em outra qualquer parte custa L e 75
LENgOS BRANCOS
3 25000.
0 Pavao vende lencos brancos abainba
dos, tanto para homens como para senhoras,
a 25 e 25500 a duzia, ditos de esguiao
cambraia de linho tambem abainhados 1
35500, 45, IM>, d.tos franceses escuros, par
rape* a 65, a duzia.
CAMKAS PARA HOMEM.
0 Pavao vende ricas camisas com peit*
de Unho bordadas, proprias para noivo a
JO0e 125 cada uma, ditas de linho sen se-
rem bordadas a 45, 45500 e 55, ditas coo
peito de algodao muito finas a 29, 25500
35, ditas de chita fina miudinha a 25, 25506
e 35, assim como grande sortimento de ce-
roulas francezas tanto de lipho como de al-
godao de 15600 ate" 35, grande sortimentt
de meias cruas inglezas de 45 at6 85000 1
duzia
0 IREXTIHGDIVEL
PERFUME
Aluga-se
nma sala na raa Duqae de Caxias p. 61, propria
para advogado ou cartorio : a tratar na loja.
Pteeisa-se
alugar para servico muitj leve, dcus negros ido-
sos. ou aon9 moleqaes: a tratar na rna do Hos-
picio n. 26.
A pessoa que perdeu um chapeo de Sra.
no demingo 8 do corrente, em um dos trens qne
sabia a tarfepara Caxanga : diriia-so a rua do
Bom Jeii n 43.
Aiuga
49.
ma escrava no pateo de S. Joee
7* -
y Barbeiro
'-'mcua-se de um official de barbeiro e que en
lenda bem d'arte : no T andar da casa n. 36,
rna Dnqne de Caxi^
Terreno.
Retalha se a vontade dos compraderes um ter-
reno na Torre, 30 passos da linha dos bbnds e
perto da machambomba. Este terreno esta coilo
cado entre duas eslradas que vao ter a lira do
rio : a traUr na Torre com o Sr. Assls Pirltb, na
raa do AranU-s, e no Recite rua Formosa n. 27.
Na rna do Rosario da Boa-Vista p. 24 ven-
de-se um compendio e quatro expositores ou ma-
tens do t anno, por 301000. '
Precrsa se alugar uma escrava que saiba
ownhar: aa rua Nova n. 7, loja.
De fazerem penitencias
Enchendo bem as barrigas,
Pois nao e tempo de brigas,
E sira e, de abstinencias.
Mas, como ia contando, custou, porem aOnal,
depois da rasurada que lhe passou no pescoco 09
poderes pederosos, a cabefa 'foi parar no fun-
do do rio e 0 rabo, como ruim de esfollar, ficou
no secco exposto aos pontap^s de qualquer gato
pingado, deixando e verdacle, nlagra as collegas
barrigas, qne despeitadas vao tratar'de se nutri-
rem, vindo ao armazjenj do Campos, a rua do Im-
perador n. 28, onde com certeza encontrario alem
do que desejarem, 0 s'eguinte : ovas de diversos
peixes e de bacalhao ; peixes de vio,te qualidades'
em conservas, sardjnhas em latas, camaroes sec-
cos, bacalhao, pescadas, sardas, Iagostas, salma^,
batatas, arroz, fei]ao, cebobs, azeite, vinagre ;
manteiga ingleza e franceza; doces, fructas e
cincoenta qualidades de vinhos linos do Porto e
outras tantas de ou,tros lugares mais afamados de
Portugal, alem 4e um completo sortimento de ace-
pipes raros, deliciosos e qne
Cahinio em qualquer barriga
Faz a melhor digestao,
E nao faz mal a bexiga,
Como comendo, verao.
Mas, cojno ia fallando, iamos entrar na vida de
outr'ora, isto e, na epoca das festas, e portanto
vamos ter Testas, festas e mais festas, e como todos
comem das festas, visto que uma parte da para as
festas e ires recebem para preparar as festas, e":
logico que 0 bregeiro dinheiro qne anda tao vas-
qneiro, saia dos cofres dos amantes orthodoxos e j
se va familiarisando com as algibeiras vasias dos '
necessitados, e ejtes por sua vez venham ae arma-'
zem do Campos a rua do Imperador n. 28, prepa-1
agua
DE
HE.'BB.4V #. I. V\M i\.
Uma pura distillasa das" mais ra'ras fl^-
tls dos tropicos. Contem, para assim ui-
zcr, quasi 0 oddr odorifero das flores do
tropico da America, e sua fragancia e* quas
uiexhausta ainda mesmo por continuada
o/aporacao e diffusao. N'este respeito e"
i.icomparavel a qualquer outro perfume
qne ha de venda para :
OESMAIOS, ATAQUES NERVOSOS, DOB
BE CABECA, DEBILIDADE E
HYSTERICOS.
E um certo e ligeiro allivio. Com o bom
on, tem conservado sua influencia para
cima de vinte e cinco annos sobre todos os
^rfumes, nas Indias Occidentaes, Cuba,
idexico, America Central, e do Sul e n6s
oom toda a confianga 0 reeommendaraos
como urn artigo, pelo seu aroma muito de-
licado, riqueza de odor e permanencia, nao
pode ser igualado. Tambem faz remover
da pelle:
ASPEREZAS, EMPOLAS,
QUEIjIADt'RAS DO SOL,
SARDAS E BORBTJLHAS.
Sendo reduzida com agua, se torna uma
excellente mistura para banhar a pelle,
dando um arosoado e cor clara a complei-
2ao nublada, sendo applicacla depois d<
barbear, evita a irritarjao que geralmente
occorre, assim como tambem garganteando-
se, 0 cheiro do cigarro desapparece, e me-
Ibora a condicao dos dentes e gen'givas.
Como ha muitas imitacoes, as quaes nao
possuem nenhumas d'estas propriedades,
deve-se tomar cuidado e contar s6mente 0
0 famoso perfume d cosmetico do sul da
America, chain
AUA FLO.RIDA
DE
MURRAY tf lYWM.tA.
Sj acha a venda em todos o'drogu
perfumari as da moda.
Ceroulas francezas de linho e algodao, para todos os precos e qualidades, assin
como grande sortimento de meias cruas, camisas, colerinhos, que tudo ae ude po-
precos muito razoaveis.
iffiiill '
ANTONIO JOSS DE AZEVEDO,
Rua Nova n. 11.
PIANOS.
Querendo definitivamente liqnidar este negocio, vende todos
asados, pelo preco do custo de fectura.
Tambem aeaba de receber o seguinte :
OLEADOS inglezes para assoalho de salas, de muitos liudos desenhos de ii a 33 palmoj
de largura e 100 de comprido, podendo forrar-se uma sala ro-erande ant
seja com oleado intejro. H
MACNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos de salas.
ANNE IS electricos para curar dores de cabeca. nevralgias e nervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
&RAMPOS para segurar roupa estendida nas cordas, a 200 rs. a duzia.
TALAGARQA e papel picado para bordar com la ou seda.
VERDADEIRA agua de colonia em garrafas empalhadas.
E muitos outros artigos, e por barato preco.
os que tem, novos t
FUMO DO PARA
0 verdadeiro fumo de Borba, em chicote, picado, desfiado e crespo, assim
como cigarros do mesmo fumo; na fabrica a vapor, antiga rua dos Quarteis n. 31
Na dita fabrica, os Srs. fumantes encontrarao os seguintes e bem conhecidos
fumos manufacturados na mesma casa,
Flor do Brasil
Novo Caporal
v ,, B^s Bird'seye, ( Olho de Passaro. )
_______Vende-se a retalho, e em grande quantidade se faz grande abatimento.
GRANDE
w
que
l*ara acabar!
Grosdenaple pretp
Sendo lisos e de cordao, e o mais largo
vem ao mercado, e qne se vende pelos diminutos
precos de 2*100, 2^800, 31200 e 3*500.
SO- NA RCA DO CRESPO N. 20, LOJA DAS
TUBS PORTaS DE
Guilherme & C.
Junto a j**j.et *^a osquina
Rua do Brum n. 76
Vende-se zinco pnro de superior qnalidade
proprio para cobertas de casas, medindo 11 pal-
mos de comprido e 4 de largo, por prece nuu'U
em conta.
Casa po MonteirQ.
Aluga-se a ao n. 6 > junto ao sobrado, com qnin.
lalesabida para o baoho : a tratar na~ rna d
mperador n. 87, 1 andar. f o
Aluga-se o soprano de um aadar asotio com
commodes para grande familia, ito a rua de Hor-
as n. 17, e a loja do sobrado sit a travessa de S
" 17 A : a tratar na rua de ~
Pedro h.
taverna.
rarem-se para a quaresma, tempo de abstinencias
e no qual se come" sem ricenca, eomprarem o' que
ha de mais gostoso, saboroso, cheiroso e tudo aue
acaba em ouso.
Dizer aos amantes
Dos generos especiaes
fjue se querem set/^Iizes
Wnhain ja e 'rraShlD antes
Sllfer a causa rftWiz
Dtt' Campbs n5o tef. rjyaes
E'poder ?6 fohjlceir '
DelFcias, gosjp e, wier.
Rieos chapeos para senhora : s6 na rua Duqne
de Gaxias n. 60 A loja da esqnina.
- Wilson ftowe & 0. vendem no seu armazem
a rna de Coramercio n. Ii :
Q vera4eiio paoop de algodao azul amencano.
Excellente Ho (krvela.
Cognac de 1* qnalidade
Vinho de Bordeaux: '*
Carvao & P^dra de todas as qnalidade"_______
Vende se nma Uverna na rua Uas carro-
eas, esqmna da jna de S. Joio, com boa casa de
vivenda e bastante": commodos para familia : quem
pretfflde-la dirija se a mesma.
Nao ha mis cabellos
brancos.
Por
Vende-se um preta de _
JFTJW'S iJ, ie proprio para rquaTqaer
Engenho.
r fv^ na.'? ^ SstSo"
Vende-se o engenho denominado Barra, termo
demarcado legalmeaB,; e que dista
T1NTURARIA JAPONEZA.
See unicaapprovada pelas academies de
sciencias, reconhecida superior a toda qne
tem apparecido ate hoje. Deposito princi-
pal a rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
quei de Olinda, n. II, 1. andar, e em
todas as boticas e casas de cabellei-
reiro.
As unicas verdadeiras
Bichas hamburgueias one veni a este mercado:
aa rng Marquez dp ulinda n. 51
tuva de pelca
Amaral. Nabuco 4 C. vendem luvas de pellica
de cores com toque de mofo a 1JL li500 e 2* c
par : no Bazar Victoria, rua do Barao da Victo-
ria n. 2.
\
Lindas las escooezas.
De varios padroes, e inteiramente modemas, a
"; ^ covadP : na rua Prfmeiro de Tfawo
antiga do Crespo n. 13, loja daa cojofflnas. de An-
tonio Correia de Vasconcellos. ~ ^^
(Cm
Bazar Viefttoria.
; wjico leguas da esucio % Una ?Ife#j wdo, ^ preo mo*w: a'traJ
VENDE-SE
Bqu.cata.na villa de Barrerros, na raa do Com-
Tasao
com
E^te estabelecimento acaba ie receber comple-
to sortimento de cinlos de eoojro preto com flvel-
la e corrente de metal, punhosfe golHnhas de li-
nfco e gravatas escbeezas, tod* para senhora : na
rua do barao da Viotoria n. 1:
Vende-se uma casa terrea, sita aa raa do
Marquez do Uervaiu. 93:/a tratar com o eonmen-
dador Manoel Alvei Guetfra, ou cont o soBclWoT
Fredeiyco Chaves.
Alpaca ^prela
com Qdces de cdreg, pad
no mercado, a 500 reis o
cha ; dao-se amostras : n^
43, defroote da pracinha da
wmiHn

"
L Mfc
I
A
>
"^
T.


1 '

, -
a*
i
VM
Dfci* k Fnmbtlco -^ iQMLMMsl9~d#Mmm&<&JM&*
us mmm
Rua da Imperatiiz a*
IDE
UNIGOS AGENTES
A.'
Una do Barao da Victoria n. 28
U mais simples, as mais baratas e as melhores do mimdo!
Ha eiposicao de Paris, em 1867, foi concedido a
Elias Hove Junior, a raedalha de oaro e a oondeoora-
580 da Legiio de Honra, per serem as machines mats per.
feitas d*- uado.
A medalha de ouro, conferida a E. Howe Junior, nos
Estados-Unidos por ser o inventor da mackina de cos-
tura.
am
Lourno Percira Iei4esUuiinaraes
Declara aosseus ireguexes quo tem eesoU&o ferar umafjrande bquklacao, ate1
do corrente anno.
A SABER :
CAMBRAIAS BRANGaS A 33000*
Venderse pecas de eambraia brancav topa-
da e transparente, a 3, 32500, 4*0W e
5000.
LASLNilAS A 200 US.
Vende-se Jasiaiws para vestidos, a200,
320 e 500 rs. o covado.
ALPACAS A640RS.
Vendo-se alpacas de cdres com listras a 6*0
e 800 rs. ,o covado.
GRANADINE A 800 RS.
. Vende-se grenadine preta com listras de
cdres, para vestidos, a 800 rs. o co-
vado.
POUPELINA JAPONEZAA 15800.
Ditos de p*.lba, a W, 8*000 e 45000
Ditos de roassa, a-/0O00.
PEUFCJMARIAS EM LKJtJIDACAO.
Vende-se sabonttesdediversos lamanhos,
a 1*0, 200 e 240 e 320 rs.. todo bom.
Frasoo de bwiha, a 160, 380 e iOO rs.
Frascos com aguade colonia, a 240 e 820
rs. cade urn. E outros muitos estraetos se vende muito bara'.o j>ara liquidar.
TOALHAS A 800 RS.
Vende-se toalhas fclpudas, a 800 rs. cada
uma. Lencos brancos, a 29000 a duzia, t
30000 abainhados, fazenda que vende-se
por 5000.
GRAVATAS PRE'XAS A *00 RS.
Vende-se gravstas pretask a 500 rs. Man-
Vende-se uma fazenda nova com listas,
A medalha de oo/o na exposicio de Londres acreditam! com o nome de poupolina japoneza, propria tasde cores a 200 rs.
para vestidos de senhoras, a 19800 o co-1 Chapeos para baplisados
estas macbinas.
90W00
de meninos, a
Gabe-nos o derer de annnncur que a corapanhia das macbinas de Howe de Hova-
tvtk, estabereceu aesta cidade 6 rua dn JMrao da Victoria n. 28, um deposito e agenda: CHITAS LAB.GAS A 240 Rs;
tartl, para em Pemarab? oiHais-proTmeiasse venderem as afamadas macbinas de cos-1 Yende-se ehitasfrancezas, largas, de core6
ra < Howe. Estas maefcinas sio justamente apreciadas pela perfeicfio de sen trabalho, ^^ a 240, 300, 320 e 360 rs. o co-0
vrpregando uma agulha mais curta com a mesma qualidade de Hnha que qualquer outra, Ya(j0-
' twla introduccio dos roai* aperfei^oados^apparelhos, estamos actualmente babilitados a
'fweeer ao-eraroe pnblieo as melhoFe* tnaeainas do mundo.
As vontagens destas macldnas sao as segumies:
friaeir*.0 publico sake qu* elks sio duradowras, para islo prova incootestavel, a
ceomsUnoi* de nuuca tereiu apc'^'ido no- mercado macbinas d Hove em segun-
ia mid.
Sefoftda.Cr.itaai o material preoiao para reparar qualquer desarraajo.
Terccira.Ha nellas menor fric^ao entre as ditersas pecas, e menos rapido estrago i
qne aas autras. ,
Q&6rta.Furntam o ponto como so fora feito a mio.
.fcainta.-Permitte que se examine o trabalho de ambos os fios, o que se nsc consegn
*olras.
Sexta.Fazem ponto Buado em cssemira, atravessando o no de am outro lado,
logo em tegoid*, s^ro ojoditi-c-.r-se a tensao da linha, cocem a fatenda mais
vado. Todas estas fazendas sao vendidas no 39000.
Bazar Nacional, a rua da Imper ariz n. 72.! BENGAUS E CH1C0TES A 800 RS.
CORTES UECASSA A 295 0, Vende-se bengalas e chicotes, a 800 rs.
Vende-se cortes de cassa para vestidos, .cada uma, para liqiiidar.
com 10 uovados, a 25500.
aa.
Setima.0 compress6> 6 levantado com a maior facilidade, quando se tem de mndar
tgulta ao cemesar nova costur*.
OitavG.Muitas companbias de macbinas de oostura, tem tido e"pocas de graedexa e
adenoia. Mflcbinas outr'ora populaces, sao boje quasi deseonhecidas, outras soffreram
ccdaocas padicaesparapoderent substituir: entretanto a compankia das macbinas de Howe
4optando a opiniao de Elks Howe, mestre em artes meebanieas, tem constantemente
ijmentado o seu fabrico, e hojo nao attende a procura, posto que faca 600 macbinas
Cada macbina acompacba livretos com inslruccdes em portugnez.
k 90^000 A 90^000
MM LEITE, IRMAOS
A*
do Barao da Victoria n. 28.
E
fazendas finas
n.
7 A
Rua Pr-imeiro de Marco
DE
Cordeico Simdes & C.
E' esta Hma das casas qne hoje pode com pri-
uoazia offerec.er ao& sees freguozes ura variadissi-
mo sortimento de fazendas finas para grande toi-
lette, e bem assim para uso ordinario de lodas as
classes, e por prejos vantajosos, das quaes faz um
pequeno resumo.
Mandam fazendas as casas dos pretendentes,
para o que tem pessoal necessario, e d3o amostras
mediante penhor.
Cortes de seda de lindas cores.
Grosdenaples de tod Gorgurio. branco, lizo, de listras, preto, etc.
Setim Macao, preto e de cores.
Grosderiafrtes preto.
Velludo preto.
Graoadine de seda, preta e^li> cores.
Popelinas de lindos padroes.
File de seda, branco e preto.
Ricas basquinas de seda.
Casacos de merind de cores, la, etc.
Manias brasileiras.
Cortes com eambraia brajica com tiados borda-
dos.
Ricas capellas e mantae para noivas.
Riquissimo sortimento de las com listras de
seda.
Cambraias de c5res.
Dilas miiripczas, brancas, lizas e bordadas.
Nanzuqaes de Irados padroes.
aptistas, padroes deiieados.
rcalinas de quadros, pretos e brancos, listras,
etc.,
Brims de linho de cor, proprios para vestidos,
com banra e listras.
Ricos cortes de vestido de lioho, com imeites da
mesma civ, ultima moda.
Ditos de\caflibraia de cores.
Fnstao die liidas cores.
Saias bondadas para senhoras.
Camisas flprdadas para seuhora?, de linho eal-
gpdao. \
Sortimento veiuvas daverdadeira fabrica de
Jouvin, para hoMens e senboras.
Vestuarios pana meninos.
Ditos para btfJnzado.
Chapeos para *to.
Xoalbas e guarlfnapos adaouscados de linho de
cor.' para mesa.
Colchas de li.
Cortinados. bordados)
Grande sortimento dq camisas de.linoo, lizas fc
bordadas, para,homens.
Meias d cores para Rumens, meninos e meni
nas.
Dltas egeqeezas.
Completo swrtimente de chfpeos de sol para ho-,
mens e senhoras.
Merino de cores para vesados.
Dito prete, tran^ado e duo de verao.
Atoalhade de linbo e algodio para toaibas.
Atoalbado,pa'do.
Danaasco ,de la.
Brids de tinho, branco de,cores e preto.
Setim de hndas cores com-lislras.
Chales de merino de cores e pretos.
DHos.de .ea^era/ira, <
Sito? de.seda.gieia.e de c^res.
hos'de'touqufmS.
Camisas de cftita paYa bomens.
Si'itii de ftanella. \
Cerwila* de.lin^o e. algod*Q-
PaqftOsd.6 crochet para sofe. cadeiras e conso-
1 encos bordado9 e de labyrintho.
I olohaide crochet.
Varlatana de todas as coi
Bicos cortes de vestidos
para cdrtes.
Espartilhoe lisos, bordadoi
Foulard de seda, liddas c(
Meias de seda para senhori
Ricas fachas dese.da e la pa]
Rico sortimento da Jeques
osso.
Damasco de seda.
Ricos chapeos e chapelinas
ma moda.
Casemira preta e de cores.
Chita*, madapo'ao, panno lino preto e azul, cc 1-
larinhos, punhos de linbo e algodao, gravatas, !u-
vas de no de Escossia, tapetes de todos os tama-
ohos, bolsas de viagem, peitos bordados para ho-
mens, leqcas de linho branco e de cores, toalhas,
guardaaapos, etc, etc.
VENHAM VER
A Nova Esperanca, a rua Dugue de Caxias n. 63,
apressa-se em convidar a seus fr^uezes. com es-
pecialidade ao bello sexo a virem apreciar os se-
guintes artigos expostos a venda e todos por precos
commodos, como sejam:
FINAS BONECAS mansas e choronas.
BONITAS E ENGRACADAS vistas para sterios-
copios.
COMMODAS LATAS para guardar cha.
ELEGANTES BOLSAS para senhoras e menina*.
BON1TOS VASOS com Una banha e cbeirosos
extractos, trazendo cada frasco um nome, uma ini-
cial ou um dietico.
FINAS MEIAS Dfi SEDA, vindo entre ellas cor
de came.
Para quern guslar.
A' Nova Esperanca a rua Duque de Caxias n.
-63, acaba de reeeber tentos e carxas para o jogo de
VoltareUe.
HMi s< lire das pernas.
A Nova Esperanca, a rua Etauue de Caxias n.
3, acaba de reoeber as proenradas meias de bor-
racha para que: soffre das pernas.
FLORES ARTIFICIAES
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias n.
63, acaba de reeeber um Undo e completo sorti-
mecto de flores actificiaes das meihoros que tem
vindo .ao mercado
A ellas antes que se acahem.
Costumes para erianqa.
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias n.
63, acaba de reeeber bonitos costumes para criaoca
e esta se vendendo por precos razoaveis.
CASSAS DE CORES A 200RS.
Vendo-se cassas francezas finas de cores,,
a 200, 320 e 400 rs. o covado.
SAIAS A 2JC000.
Vende-se saias brancas com barras de co-
res, a 2000.
CHITAS PARA COBF.RTA A 280 RS.
Vende-se chitas para cobertas, a 280 e
360 rs. o covado.
1 MEIAS PARA HOMENS A 63S000 A DUBA.
Vende-se meias cruas verdadeiras, para
'bomens, a 65000 a duzia, a qual val
85000.
CHALES DE LA A 800 RS.
Vende-se cbales de la, a 800 rs. cada
um.
CHITAS FINAS A 400 RS.
Vende-se chitas finas do campo largo, fa-
zenda muito boa, a 400 rs. o covado.
CHALES DE MERINO' A 20000.
Vende-se|chales de merino estampados, a
29, 39, 49000 e 59000.
Ditos de listras a 59000 e 09000.
BRLNS EM CORTES A 19500.
Vende-se cortes de brim de cdres e pardo,
a 19300, para liquidar.
COBERTAS DECHITA A 19600.
Veade-se cobertss de chita, a 19600 e
29000.
BRIM FARDO E DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim pardo e de cores, para rou-
pa de koraens e meninos, a 400 rs. o cova-
do, para liquidar.
COLXAS DE CORES A 29000.
Vende-se co I xas de cores para cama, a .2$,
e49000.
TUANSFARENTES PARA CADEIRAS A
19500.
Vende-se transparentes para cadeiras, a
19500, para liquidar.
BONETS A 500 RS.
Vende-se bonets de seda para bomens,. e
500 rs.
CHAPEOS A 29500.
Vende-se chapeos de castor para rrenino*
e bomens, a 29500 e 39000.
GR4NDE LIQLTDACAO DE ROLPA FEITA
Vende-se ceroalas.de algodao, a 19000.
Ditas de linho, a 19600 e 25000.
Camisas de Gbitas finas, a 19600.
Ditas de peito de cores, a 25000,
Ditas brancas finas, a 29^00, 35000 e
49000.
Calcasde brim pardo e de cores, a 25000
e 25500.
Ditas de casemira de cores e preta, a 59,
69, WOO e 85000.
Palitotsde alpacas de cores, a 29500.
Ditos pretos, a 39000 c 39500.
Ditos de casemira de cores, a 49 e
69000.
Ditos ditos pretos, a 59000, 69500
89000.
Colletes de casemira de cores, a 29, 39 e
49000.
Camisas de flanella, de cores, a 29000 e
25500.
ALGODAO A 49000.
Vende-se pecas de algodao, a 49, 59 e
6900O.
CASEMIRA DE CUR A 29540.
Vende-se casemira de clres, a 29600 o
covado.
MADAPOLAO A 39000.
Vende-s pfoas de madpolao enfestado,
a39O00.
Dito inglec,- a 450#, 59, 69 e 79000 a
BOTIN'AS A 49500.
Vende-se botinas para senhora e meninos,
49600, 59 e 09000.
Ditas do eufiar, a 39000.
Sapatos de tapete, a. 19500.
Ditos de tranca, a 19800 e 29000.
A' Mk i OS proprietaries da Freailedta, no mtaito dt
conservar o bom conceito que teem merecido dc
respeitavel publico, distinguindo o seu ettabeleci
mento ffo* ma'is que negociam nb mesmo geaero,
veem acientificar aos seus bate fregnezes que pre
venirara aos seus oorrospondeates nas diversas par
cas d'Eurojia para lhes eoviarem por todos ospa-
quttes 6s objeclte te luio e bom gosto, que se-
1 Jam mtfis btWi aidtos pas socieflades elegantes
daqueHes paiu:s, visto aproximar e o tempo de
festa, m que o bello sexo desta linda Veneu
mais ostenla a riqueza de suas toillettes ; e co
mo ja recebc^seth pels paquete francer diverse
arugw* da ultima moda, veem patenlear algun?
d'entre elles que se tornam mais recommendaveis.
esperando do respeitavel publico a coStumada
coocurrencia.
Aderecos de tartaruga os mats lindos qne teea
vindo ao mercado.
Albuns com ricas capas de madxeperola e de
velludo, sendo diversos tamarihos e baratos pre
<509.
adereooseompletos de borracha pr.pnospara
It to, tambem se vendem raeios aderecos muito bo-
nitos.
Botoes de setim preto e de c6res para ornato de
vestidos de ser.hora; tambem tem para oollete
palitot.
Bulsas para senhoras, existe um bello sorUmen-
to de seda, de palha, de chagrim, etc., etc., por
barato preco.
Bonecas de todos os tamanhos, tanto de louca
corao de odra, de borracha e de massa ; chama-
mos a attencao das Exmas. Sras. para este artigo,
pois as vezes tornam-se as criancas um pouco im-
pertinentes por falta de um ob|ecto que as en-
tretenham.
Camisas de linho lisas e com peitos bordados
para hemem, veudera-se por preco commodo.
Ceroulas de linho e de algodac, de diversos pre-
cos.
Caixinha9 com musica, o que ha de mais lindo,
com disticcs BJfi tampas e proprios para presen-
tee.
Coques os mais modernos e de diversos forma
tos.
Chapeos para senhora. Recebcram um sortiment*
da ultima moda, lanto para senhora, como pars
meninas.
Capellas simples e com veo para noivas.
Cal^as bordadas para meninas.
Entremeios estampados e bordados, de lindoi
desenbos.
Escovas etectricas para dentes, tem a propne
dade de evitar a carie dos denies.
Franjas de seda pretas e de cores, exi.te urn
grande sortimento de divercas larguras e barate
Fitas de sarja, ae gorgurao, de selim e de eta-
malote, de diversasjarguras e bonitas cores.
Fachas de gorgurao muito lindas.
Flores ariificiaea. A Predifecta prima em con-
servar sempre um bello e grande sortimento des-
tas Hoses, nao so para enteite dos c^bellos, como
tambem para orn3to dc vestido de noivas.
Galoe9 de algodao, de la e de seda, brancos, pre
tos e de diversas cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Lacos de eambraia e de seda de diversas cores
para senhora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
noiva.
Livros para ouvir missa, ccm capas de madre-
perola, martin, Cs-o e velludo, tudo que ha de
bora.
Pentes de tartaruga e marfim para ahsar os ca-
bellos ; teem tambem para tirar caspas.
Port bouquet. Um bello sortimento de madre-
perola, marfim, 6sso e dourados por barato preco.
Per/urcarias. NestQ artigo esta a Predilecta bem
provida, nao so em exlractos, como em oleos e
banhas dos melhores odores, dos mais afamados
fabricantes, Loubin, Ptver, Sooiedade Hygienica.
Coudray, Gosnel e Rimel ; sao indispensaveis para
a festa.
Saias bordadas para senhora, por commode
preco.
Sapatiohos de la e de setim bordados .para bap
tisados. .
Tapetes. Receteu a Predilecta um bonito sorti-
mento de diversos tamanhos, tanto para sofa co-
mo para entrada de saias.
Vesnmentas para,baptisado o que ha de melhor
Dumnte oespa^H)
BE
4 0 ANNO?.
DE
ItBISTOL
CURA OS GVSOS MAIS DESESPERADOS
A SAFSAPARRILHA DE BRISTOL puri
rica a massa do sangue, expelle para fdr*
todas as materias e fezes viciosas e impuras,
regula todas as secrecoes, da vitalidade e
errergia a todos os orgJos e da" f gor ao' system* afiin de poder raelb' r resis-
tir a todos os ataques da eofenuitladt. E'
pois este um remedio conslituclonal. Elle
nunca distroc afim de poder curar ; portm
corrstantemente astute a natureza. Portanto
em todas as doencas consliluciunnes e em to-
das as moleslias locaes dependt lite dum ts-
tadovicioso cimperfeilo dosystemaemge-
ral, achar-se-ba que a Salsapariulha dk
Bristol 6 um remedio seguro e gleMU-
mo, possuindo incstimaveis e mcontasUwt
vrtudes.
As curas milagrosas de
Itacrofulas,
Ulccrnsi,
(IniKUsnntit'H'i,
r.NFi;K.MinAl)KS SYPTllLIWCAS
".RYSirKl.AS,
R1IEUMATISMO,
NEVRAI.CIAS.
ESCORBITU,
ETC., F.TC, ETC.,
que tem grangeado e dado oalto renoi -i
Salsaparrilha de Bristol
por tolas as p.irtes do universo, sao ftV
mciile devidas &
L.MCA LKG1T1MA 5 ORIGINAL
Salsaparrilha de Bristol
.NA PHARMACIA CENTRAL
A N>va EsperanQa, a rua Duque de Caxias n.
63, recebeu um pequeno sortimento de anneis e
pulseiras etectricas, proprias para quem soffre dos
nervos.
tarlatana bordadoi
nemnas.
nhoras.
adreperolas
ara senhoras, ulti-
fts verfedeiros
Vinhos de Bourgogne
das marcas
Chambertin
Pommard
Virife
Volnay
Beanne
JJtonUielie
Dito Bordeaux em quartollas.
Yende-se por barato pre$o
PARA LIQUIDAgAO DE COITAS
NA
Roa Larga do Rosario 34.
Rotiea.
BRAMANTE A 19600,
Vende-se bramaute com 10 palmos
iargura, para lenc/Ses, a 19000 e 29500
metro. E outres jnuitas fazendas propria
do mercado, que se vende sem reserva, de
preo/.i, para liquidar ate o liui d ) corrente
anno, por isso con vein aos eompradores sor-
tirem-se de fazendas baratas, para a presen-
te festa que estd na porta, & rua da Imperatriz
n. 72. Bazir Nacioual.
Verajzes espeeiacs para cihtto-
fOflS.
Este verniz, cuja falta aqui tanto sentera
os Sre. febricar*ts e possuidoces de carrua-
gens, acaba de chegar para seu unico depo-
sito, das seguintes qualidades.
VERNIZ SUPERE1NG PARA CAIXAS DE
CARRUAGESS.
verniz
gens.
superfine para caixas de carrua-
gosto e os mais modernos, recebeu a Predilecta
vende por harcto preco, para Bear ao alcance
qualquer boha.
Rua do Cabuga n. 1
NURTIHENTO
Lindo chfariz.
Vo.n4e-ss cor prrco bar; to um rico du&i .1
de Qiarmore src^piio pan j;:rdiin. o qual se acha
armado na uflkiaa de marBKtra dn sr. I.i.na, i
rua do Imperador para quem qoizcf ver : a
iratar na rua do Crespo, hja n arco do Sanio Antonio.
JO c
hik.
hi
im*
i
Tem para ve i c :
Cognac Ae Otmmttsf, nperiore
Vinho Xeits ua^ naihwrca quaiidttJ
Bitten de Angostura.
Whisky.
Cha preto tm IsttU de 10 !itra.
Todas as pn.'para(5es WMlinM do Dr. Aycr
annazem Conimerci-
n :ts
g_ Aguardeiile de WH ex'ia-iina, m c
de duzia : taruadb BneaatamenUi n -i
O Extraeto couipesto ue
VERf SECCAiSTE.
Mistura-se co as tintas de appareUio, e
sobre tudo coin as tiutas niuidas, para que
sequem mais facilmente e para Ihes dor
maii consistence.
Como nao enecessariodar lustro aultrma
demao de vern empfegado nas- caixas-de
E' um verniz muito claro e duravel para carruagens e no dos jogos, coovem dado
as caixas de carruagens, para todas as de- 'o^ 1,5^1 separado aonde nao heja p6.
maos, ou para a uitima someate, sobre Quando a obra urge*- deve.pdr-se i sombM
outros veroizes. A superficie secca em 12 e ao ar livre depois de seeco, isto e, passa-
boras, depeis das quaes se expde ao ar por ^ ja \xttnat lMa-se eerwuga-se bem com
algum tempo, 0 que faz eudurecor, o passa- uma eSponja humida. Quantas mais veaes
das 15 a 1-8 horas p6de passar-se-aeaixa a gefizer.isto, mais bwlhante ficard o verniz,
pedra pome edar-lue em seguidaautia.de- e maisdepreesass-'termiDaid, a' carraagen:'
mao. DaoTse com facUidade tFes demAos I ^ caso necessario tree dias depois da uhi-
deste verniz sobre as tintas, em tres dias.; ma demlo). Dlirante a*duas outrespri-
A primeira demao servindo de apparelbo,! meiras semanas deve-se la-var a carruagerr
ajuda a seccar as ultimas demaos e produz: com 8gBa, freeca,, depois' de ter ser-
um excellente brilho. diclo,.
Veruiz superior seccante para Qg fras08 devem conservai-se sempre
earraagens. herraoticamente tapados, o rest do vernii
Este verniz e" da mesma cor que 0 antfc-' ng0 ^ cedente, mas endurece e secca com mais ra- naarvse para as prhneifasideMaos.
pidez. Emprega-se com bom exito nasi Nao deve mislurar-se com este-vecniine-
obras urgentes, e pdde misturar'Se.com 0 nbumioro. ingredieoto, nemnagna'.raz, t
anterior. A dura^fio do verniz permaneotei, je nenhum modo com 0 seccaoto. E' pre-
diminue na proporpao da mistura. 'ctsolimwir'bemosvasos e os.^)inceisr e c
VERNIZ SUPERIOR ELASTICCO PARA-06'; ^^or 4 ^^ um piucel naM cada ver,
JOGOS DAS CARRUAGENS- I oa.
eslrangeiro.
Paris n'America, a rua Du-
que de Caxias n. 59
primeiro andar, acaba de reeeber um completo
sortimento de calcados estrangeiros para homem e
senhora, vindo entre elles um lindo sortimento de
elegantes cbiquitos, sapatinhos e botinas para
criancas, que tudo vende por precos razoaveis.
Nao e tao claro como o. verniz para as
caixas das carrua^ana. Empfega,-se. nosji)-
gos das carruagens e tambem para, as pri-
meiras demAos-sobre cdres eacuras. P6de
passar-se a pedra pome passadas 10 boras,
podendo dar-se em seguidaioutra.deraao.
Verniz pre to do Japao, superior.
Para tranalhos em preto. de carruagena.
Produz o preto mais escuro e brilbante, e
p6de passar-se a pedra pomes 10 boras, de-
pots. Deve dar-se doas.demeos sobre um
fundo preto e cobrirrse corxL.outras duasde
verniz que se emprega nas caixas das;carrua-<
gens.
VERNIZ PARA COUROS, BRILHANTE B
EUSTICO.a
Este verniz, contendoiiafiua^comppsif^o
Deposito unico .para o Brasii, Bartholo-
meu & 0., Peroambuco, Rua d Rosa-
rio n. 3i.
mmmmm
A' rua do Cneepo, n. ttO.
Loja das 3 portas
IflBDOM
Cbegou esta fazend Hows, eque-se veoxJaTpela-diainuta Draco de 200
r*. o covado : iato por ter .grande quantiaade.
SF'NA-ROA W
itiantidj
W 20
da emfea
grande quanUdaded'umasubslancia" muito jSuH&eriia&^&.C!,j.UntO- a loja
semelbante ao azeite deaominadopisdj bceuft
6o unico que da" fiexibilidade ao co'uro ve-
rtio envernisado. Em geral basta uma de-
mao quo deve ser applicada muito ligeira-
jfteple,' com um pincel. depois de ter limpo
o couro com agua-raz. Ejcppsto ao sol sec-1
ca em 1 ou 2 horas, e & somb'ra mas ao f
secca em 4. Em tempo humido e inutil tal
trabalho, por. que,nSo e* possival tornar o
verniz elastico e seccante ao mesmo tempo,
Verniz para apparelbo.
Depois de ter appbeado 2 ou 3 demSos
deste verniz n'ura intorvallo de 8 horas, de-
ve-se deixar a obra intacta por 2 ou 3 dias,
no fira dos quaes se pode pulir com extra
ma facilicidade. E' essencialmente neces-
sario cobrir este verniz com duas deroaos do
UrdtKte DecHiehi.-flp ^ rs o
GSssa II, padr5es novos,- e de-mais gosto que
D vindo ao- mercado, s6 naroa do Queimado
13, loja de Guerra & Femandes, pe!o diminu
preco de 200 ra. o covado I
theguem freguezes que se acaba
MeninOj olha.
Lenco a seis vinteus
E' muijo feio limpar o. nariz na manga da ja
queta, como muitos costumam faaer, tendo lencos
de cassa finos com barrinha a 120 rs. cada um :
na loja da Rosa Branca, rua da Imperatrii n. 56,
de Azevedo & C.
MEDH1IM
Preparado poi
Lanman & Kemd
para thi siaca
toda a qualidade
de doencas, quer
seja na garganta,
peito ou bofes.
Expressamente
escolbidodosme
lhoresfigadosdos
quaes.se extraht
o oleo no banco
da Terra Nova
purificadochimi-
calmente, e suas
yaluaveis propri-
edades conserva-
das com todo o
cuidado.emtodf
o frasco se garau-
teperfeitamen-
te puro.
Este oleo tem
sido submettido
a um exame mui-
to severo, pelo
chimico de mais
talento, do go-
veruo hespanhoi
em Cuba e foi
pronunciado por
, elle a conter
MAIOR PORCAO DT0D1NA
do que outro qualquer oleo, que elle tem
examinado
IODINO E UM PODER SALVADOR.
Em todo o oleo de figado de bacalhab, e na-
quedle no qual content a maior porc^fio desta
invaluavel propriedade, e o unico meio pars
curar todas as dtencas de
GARGANTA, PEITO, BOFES, FIGADO,
Phtysica, bronchistes, asthma, catharrhO,
tosse, resfriamentos, etc.
Uhs poucos frascos da carnes ao muito
magro que seja, clarea a vista, ed^ vigor
a todo o corpo. Nenhum outro artigo co-
phecido na medicina ou sciencia, da* tantc
mitimento.aotsystema e incommodando quasi
pada o estomagp.
As ppssoas cvya orgaOisagfio tem sido des-
truida pelas aflecgSes das
ESCROFULAS OU RHEUMATISMO
e todas aquella?, cuja digestao se acha com-
pletamente d'esarranjada, devem tOrnaf
0 OLEO. DE FIGADO DE BACALHAO
K
UNfiAN db'KEllP
/ Ao n. 9
No Progresso do pateo do Carmo vende-se mao
toi^a ingleia muito boa a l& ; assim como conti-
nda a ter bom sortimento para qualquer cbefe de
famiHa fazer sna despensa, que encontrara precos
mais commodo- do que em outra pane.
Vende-se 12 pipas em barris com muito bom
mel, prompto a embarque : bo caes do Ramos
n. 42._______________________________
W Pacheco 4 Azevedo tem para vender ta
pioja de araruta, qualidade especial, em seu ar-
I mazam, na rua d Duque de Caxias n. 39.
ALSAPARRILHA
Do Dr. Ayer
0 PURIFICADOR DO SANGUE
Para curarestas moUttiai ipu pmvrym <{ riri n,.
pure na Ao Sangue, e da JEicrafula.
MOLESTfAS CUTANEAS. CALLOS. MANCHAS.
IRRUPCdES, ETC.
Rheumatlsmo e Gotta, Dores o
Affeccoea dos OMM, Mai dos Ol-
boB, Debllldade ou fraqueza geral,
Dyapepsia, Incommodo do Fig-ado, i
Uma falta geral de saude uma*
diapoelcao facU ao eoffrlmento, tm fallur roriiii outroi incomnodot, algwm ptgaeno$, outroi ttric:.
sio oi rultados e eonleqacncUi qne maU Urde ou Mt>
ce4o ocoonem.
AS MOLE8TIAS de qne padece o ttxo /^minir-a, U -
bem, quasi sempre sio devidas i mesma cauMi.
O unico traUmento efllcaz a
manelra segnra de readqiiirir a.. i
de restabeleoer o corpo. 4 medianT
emprego oel e constante de n-a P: .
fieador Alterant* ccmo a
SALSAPARRILHA AYER.
sdettcia medica apreeeat* esttj reme-
'dio ao povo como o ni<.'lb->r o o mais
seguro que eUa conhecc para o av
deeejado.
Alem da rait da SaltaparrilHa ettat ermpotln das prm-
cipatt $ub*tanciat nedici*atiqxtatxptritneia lem .'rm. j-
trado serem as metheres que fomeee a natureza e qut a.
aril tern dtsooberto para tztirpar do sattgv, < d < humor- .
euos vicios e corrupttet queshoa germen dt lasOa twImCu.
Logo qne a Salsapakstlba Ateb haja ponetrado M
systema, comeca entio a obra de restabelociiuouto.
Kio e Com momento nem em um dia
que a moleaua desapparece.
Pouco s pouco, degrao sobre degrao,
0 sangue vas readquirindo ana pureza, o
mal vae cedendo e a saude, o vigor
robustex, appareoem 1
Medicos de alta reputaeio coneordam
DO valor e uUBdade d'este iitesUmavel n .iimlia.
Todos os dias appaMeeta novas piovas da suas vtitsdo*.
Todos os dias augment* o consumo.
0 povo todo, tnteWgente e obaervador ri n'clle aat am
fidedlgno de livrar-se das suas principaes doaafas e ue
rastaurar sua aaade e por oonseguinte tonuu- mais aWgie
eua existenda e mais duradoora a sua vida.
B1 un Eipecifico contra grande parte ehronicas, Bheunustismto, tnetetrlae rul.,o.fi,
'fiat *oV> eamadas pela lr\ftcrQo vtnerea, oa araH^a ou htr-
e# Vim*"
A'maior parte da* uiuleau.
chronicaa, e mesmo d. .mtras &
que soffra o povo, .....igiari..
n*um eatado doeati*1 aotbi<.>
do sangue
Logo qne ete al>mrvtv in ..-
dMo- esUver para ^a.
acharcarregado com a infeccio da sy mu"i .. i-
annos paasados), a molcstia ha de *:>pare< vi _; -i. -
outra t Jtrns, e apreaentaneo diflerent^e htbjIcit
/\s. c.
I-BEPABADO POa
AYER & OA-
Eatados Unl>'
CVMkvi rrtN*v*M -

>a.
r wifliO
,.,-,


MPi^
"*?* ~y --*
8
Diftfjp de Pemambuc M
$


**--
JDBWBUDEIICIA.
Relatorlo
A^RESPKITO DO NKG0C1U DO MAKECHAL BAZAINE
PX-COMMANDANTt EM CHEFE DO EXERCITO
DO RHENO.
AUDIENCIA DE 12 DC NOVEMBRO
f ContinuafQo)
R.3& n2o vram consider,veis, mas o
general Coffinieres deehr ,n a 29, que ainda
reaUtam viveres para cihco on sois dias.
Nao era porem optimista. Quanto a mim,
creio quo teria podido dizer oil) dias,
0 Sr. BouteUiermembra do conselho
municipal de M-jtz, entrou no desenvol-
mento dos mesmos factos. Havia aiuSa, dis
se elle, no mo.nento da capitu'acao, em
lossas casas, recursos que toriamos que-
lido dividir com o exercito para prolo gar
a sua resistencia. A populagao supportou
os soffrimentos physicos com uma coragem
e uma energia que nenhuma linguagem po-
deria descrever. 0 que a cidade do Metz
qaeria, era resistir, resistir sempre, & custa
de quaes^uer sacrificios.
Para am ciJalSo de Metz nio Ihe im-
portava ver destroida a cidade, comtantb
que-a bandeira frauceza coaiinuasse a fluc-
tuar nas suas ruiaas. Queriamos nao ser
desligados da pallia, e a morte nada leria
sido, junto da ddr que experimentavamos.
A nossa resolugio, apezar de tttdo a que
nos-.tinhimos su'unetti lo, era parmanucer,
e este resolugio consertra'rao-la iutacta ate
a" ultima bora.
A testemunba tragou um quadra das mi-
serias que soffreram os nossos soldados na
occasiao da capitulacau. 0 m ior numero
sem yiveves, sem roupa, ficaram expostos
debaixo de u na chuva pocbada pelo vento,
nao tendo outra cama senio a Jama do ca-
ninbo.
0 Sr. BouteUier. ao concFuir, deplorou
a sort da cidade da Metz: 0 exercito,
disse die, apezar das suas humilfeagoes e da
sua miseria, tinha pelo menos a consolagao
de contiuuar a ser f-ancez, em quanto
nos... A commocfio da testemunba nao
permittio que continuasse.
AUDIENCIA DE 14 DE NOVEMBRO
Comegou a sessdo do conselho, depondo
O Sr. Bcndin, couselheiro municipal du-
rante o bloqueio de .Metz, o qual se expri-
raio nestes tennos.
E' necessario que diga senhores, que nao
era possivel capitular por falta de viveres
em Metz, sem tor a mais ma* vontade. As
immediacoes deMeU form am umdos paizes
inais ricos do munlo.
0 marechal Bazaine tomou o commando
a 11, o bloqueio comegou a 14. Nenhuma
medida se toinou para assegurar as subsis-
tencias da populagao e daqui resultou ter-
se morrido de fome em Metz, e declaro-o
altamente, foi um sacrilegio. Nao havia
mais direito para se morrer de fome. em
Metz do que nos campos de la Beauce.
Apresentarani-nos rauitas vezes cum um
punbado de facciosos, n6s que somos dedi-
cados, que nao mercadejaraos as nossas
vidas, 116s, cujas mulheres e fillias, com
uma dodicacao infatigavel cuidaram dos fe-
ridos, e soffremos sem nos queixarmos todas
as miserias do cerco.
Vou dizer-vos o que tinha, com justa ra-
zao, sobreexcitado os espiritos da nossa
patriotica populagao. 0 ex-arcilo tinha en-
contrado em Metz 30:000 quintaes de trigo
que lhe permittiam viver ate 15 de novera-
bro, recebendo diariamente a sua ragao de
500 grammas.
A 13 de outubro, declarou o general
Coffinie'res ao conselho municipal que os re-
cursos pstavacn exhaustos. De que provi-
nha isso ? Do desperdicio horrivel a que
se tinhim dado. Esse desperdicio e" facil de
demonstrar, e as causas sao conhecidas.
De tempos a tempos, fazia se pegar em
armas o exercito sera motivoserio distribuia-
se is tropas quatro dias de viveres. As tro-
pas partiam e voltavam, ao cabo de vinte e
quatri e de quarenta e oito horas, com os
burnaes completa mente. vazios. Por outro
lado, dava-seotrtgoa comer aos cavallos. impotente para wme Ma$ todoisto ainda oao e" nada^ ft da do commandante militar, unico que tinha
. Has aldeas qua cercam Metz, encontra aatoridade entlo, e que nio queria fazer
ram-se recarsos consideraveis, a qua se tbsolutamente oada, apezar dos appellos
podia recorrer sejigrandessacriGcios. Nada reiterados que se Ihe faziara, e do que exi-
se tentou para esse fim. Havia aili 38:000 gia a situacio ; e todafia oaso dizer que
quintaes de ceraae? da todas as e*species na e"poca da capitulac^o, ainda nio estaram
QuS loram voluntariamente abandonados ao exhaustos todos os nossos recursos ; sei que
ini nigo, qu entregues as chamas. os camponezes refugiados deviam possuir
Foi um crime monstruoso e nos perguo- ainda uma parte o\ que tinham Ira-
tamos ainda com espanto quae? podiam ser zido.
os projectos do commandante, guaes eram A testemanha estabeieceu com dados es
os sens projectos. Havia n'isto seguramente tatisticos mqitn pasitivos, que dependia da
preoccupacdes politicas, mas nenhum senti- vontade do governo de Metz e do general.
mento dos ioteresses da patria. ,em chefe assegurar, com os unicos recursos
PQue podiam ter trazido os campone-' d.as regides que cercavam a accSo do exer-
zes que se refugiarara na cidade ? fIl0 "s subsistencias das tropaa e da popu-
R.-Os homens de campo sao muito pru- ^* duPnte um JPraz. mu't0 m*s longo
denies e foram bastaute previdentea para tra-' *> 1" duracio do sitio. (te depositos da
zerem mais provisoes do queseria necessario' c,Jde Pod'am tambena satisfazer a todas
para seu proprioconsu.no. As provisoespo- as necessidades do vestuano do axercito.
dram ter sjdomolhor empregadas, e nunca Ms a mouna da admimstracao mihur, t.-
fa:*i ao general Coffinieres a honra de reco- nha-ae, por assnn dizer, engido em syste-
nhecer que elle fez o que Ihe era necessario ma. e os soldados prussianos foram os uui-
fazerpara assegurar as subsistencias da ci- cos-queaproveitaramasriquezasassim aban-
dade. i donadas ; dividiram-n as entre i no mesmo
P.Podets calcular o que elles trou- niomonto em que os nossos soldados prisio
xeram ^ j neiros expiravam nas estradas com frio,
R.flao pmferef ilxar uma cifra, mas o' foe0e miseria.
deposito era coDskierdvel. E um crime, um! Sr; enlro(u em todos os porme
sacrilegio dizer que se p6de ter morrido de i D(>^ }i rafendos pelo Sr. Cbampigneiles.
fome em um paiz taw rieo, tao fertil como po elle que o general Cofflnierei dirigio
o paiz messino. I68185 PalavrM 9ue. fic8ra'? f,tfbres : T''
P.-Citaios (actos, e afcstende-vo? de con-! ^s vfs panotismo, v6s T
ciusoes Presidente.v conselbo agradece-vos o
' R.-E' muito difficil ser senbor da nossa! esMjo que tendes feito apezar des vossos
commocSo qoando se falla de Metz. Com-1 soffrwaealos, para fazer este mteressante de
prehendo que devia liinitar-me ao dominio P0IinPte' \ ,
dos tactos-, seio apresentar opwiao. Esara-| 0 Sr, Maguin pergunb.u se agradava ao
mos promptosatodos os sacrificios para I coselho autonsa- o i.depositar nas was
salvar a honra da cidade. A populacao foi!m*< coltecgao de todos os jorrwes puMi-
admiraveL Para nao citar senao am facto, i^dos em Metz du
le.nbraiei 9 maneira admiravel por que os-
feridos foram tratados. Pois bein Ficamos
3,000 homens, dos quaes morreram 400,
e nos tivemos de recorrer aos camponezes
para os fazer enterrar. Nada se fez, entao
que a populacao de Metz estava resolvida a
muito siirpPehendidos e muito penalisados
por ver que ornarechat nunca foilevarcon-
solaQOcs iqueiles infeJizes feridos.
P.Julgaisque terfesido facil fazer en-
trar na cidade a ultima eotheita de trigo,
que ainda estava por apanhar?
R.Nao havia mais de-que mandar bri-
gadas de gondarmas fazer um appello aos
camponezes, e sepvir-se dos-carros doieser-
cito ; os camponezes teria-m respondidO' ao
appello, toda a populagao s prestaria aquelle
encargo ; teria trazt^b provisoes em quanti-
dade consideravel. Mas qae quereis ? Era
necessario morrer de fome, estava decidido
que deviamos morrer deforae!
Ocemmissario dogoverne e o defensorl
foram convidados a dirigir as- soas j>erguc->
tas ci testemunba.
Mr. Lachaud,com-um toramelodramati-
eo, soltou a seguintu phrase : ha donesque
e necessario saber respeitar, e eu abstenho-
me, a respeito dos nossos infeiizes c> mpa-
triotas de Metz, de lhe fazer nenhu:aa per-
gunta.
Seguio se, nestes termos, o depoinliento
do Sr. Magnin, antigo oonselheko gensl.
No principio do b'loqueio de Metz, qaando
o investimento ainda nao estava- cooifileto,
fui procurar o general Cofllmeros e propuz-
lbe dirigir em utna cinouiar aos- habit antes
dos-eampos para o-s con-vidar- a mandar as
suas colheitas para Metz. Tende eui dado
nisso, me respondeu, porque seria om esmo
que atemorisar as popula^oes. A'.lguns
dias depois, tendo abid.que oe-expla-rado-
res prussianos levarvam das berdadi >s da-
quella regiao todos os generos que alii se
haviam voluntariamente deixado, to rnei a
procurar o general Cof&iieres, e-diss-e-lhe:
Tendes uma nuinerosa cavalivria, e dei-
xai-la inactiva ; vao alguas ubJana-s per-
correr os nossos campos-, e truzeu. os re-
cursos que serao preciosos para n6s.
Esti diligencia foi ainda inutil.
No dia seguinta, vi um grupode- idad5os
na praca de Metz, e como sediscutia em vozj
alta naquelle grupio, aproxiraei-me e ouvi
estas palavras p E' uma traieio 1 Quem
e pois trahido? p'erguntei^eu.Mass v6s, me
responderam, que -vedes o q*e sd passa, e
nao vos oppondes I Era desgrac;adameute
P.Tinheis vds, a f2, feito diligencias
para pedir a destruic5- das postes do
Seile?
R.Sim, Sr. presidenter mas sem resul-
tatJo.
F.-Tinheis tembem indicad'o a prasen-
ija dos exg>loradores prussianos- nas aldiiias
de Metz ; n3o appareceram nessa epoca pela
primeira wz os exploradores ?
R'.Foi a 13 ; foi isso que me fez dizar
que se podiam oppor is suas requisites ;
mas era como uma resolu^ao tomada aban-
donar-lbes tudo quanto- podiapormiittir nos
resistir.
O Sr. Brian$onr autigo maire de uma
commonasuburbanadeMetz.Omovimento
de emigra^io comecou a & d'agosto; os
camponezes qae se refblgiaram em Metz fo-
ram mais uteis do que inuteis- a defeza da
cidade, porque levaram comsigo mais pro-
visoes do que era necessario para o seu
consumo. A 13 d'agosto, quando soube-
mos da nomeagaodo marechal Bazaine para
o commando em chefe, ficamos cheios do
alegria ; havia confian^a -no seu- valor e di-
zia-mos : Este aioptari a divisa da nossa
eidade, Seaai submergido nas ruinas, ou fi-
card victorioeo. Oecapei-me da quests
das subsistencias a 18 para ajuJar a levar
um comboio de fannha, e ainda nesse dia
para fazer sauir da gara as mercadorias que
a obstruiam.
. A-19, entwra o-exevdto- no aampo in-
trincheirado.- Disse qae s nio tinha feito
nada para fazer entrar na cidade os provi-
mentos que se podiam ter colhido em volu
de Metz. Bates proviments foram saquea-
dos pelos uhlauos, que- tiveanos oocasiao Jo
Ver, que se arriscarair> ate a nossa raia. C
trigo foi desperdicado, per iss que o derain
a comer aos^cavailos. Quero acreditar que
talvez houvesse alguma > certa utilidade em
proceder deste modo ate ao meiado de se-
tembro, mas oao era urgente dar trigo aos
cavallos no fim d'outabroye vi nos ultimos
dias de outubro levar trigo aos ca-
vallos do estado-maioc no Ban-Saint-Mar-
tin.
Consideraveis que quantidades- de pannos-j
foram entregues aos soldados prussianos,
quando tor-iam podido ser distrlbuidos aos
soldados, dos quaes a maior parte morreram
de frio. Acompauhei uma ookunna de
F0LHETM.
LUCBECU SOa&IA
MEMORIUS DE SMAHftZ
POR
0.11 a no el Feroandeay Gomalea
yiARTTpARTE
LUDOVICO ARIOSTO
(Continuagao do n. 39.)
III
GIKEBRA MALATESTA.
Uma tarde do maz de maio de 1511
sahie Ariosto de Ferrara pela porta do P6,
e seauindo a margem do no, avancou
para as amenas espessuras que nao longe
Ha cidade orlavam essas margens.
Na algibeira levava um rolo de papal e
um lapis. _
la entregar se a" sua mspiracao, entre a
verde espessura, e caminhava recitando em
voz alta os versos que improvisava, e que
certamente se perdiam. ._____
Os que o encontraram nao estranharam
i-so porque todos o conheciam em Ferrara,
e pa'siaram coraprimeutando-o respeitosa-
mente, sera quedle retribmsse esses cura-
primentos, porque os nao via.
Que boas cousas \r& dizendo oAnosto!
exclamavara alguns que o encontravam,
paesaade de largo, depois de o cumpnmen-
tarem. ....
Ariosto, distrahido, improvisando oitavas
admiraveis, vendo Lucrecia atravez dos
versos que recitava, caminhava sem parar,
afastando-se para mais longe do que tinha
por habito. ... ,
De repente fe-lo parar o latido de um
cao que avancava para elle. Para se de-
fender, vio-se obrigedo a puxar da espada.
Porem nio foi preciso fazer uso d ella,
Tjorqiie uma voz pura, sonora e argentma,
como Ariosto nio ouvira nuoca, exclamou :
Kaa\, Maofredo, aqui Que mal te
iez c-se senhor? Julgas que sera algum
Ocio voltou docilmente para onde o
chamava aquella voz harmoniosa.
Ariosto vio no portSo de ferro, aberto no
maro qae rodeiava uma formosa qumU,
uma creotura esbelta, vestida de branco, de
cabellos louros, a formosa como nunca
Ariosto, nem mesmo* dog-seas sonhosde
poeta, sonhara uma mulher. JrV
Apressou-se em embainhar a espfP^
aT.ra;ou para a jovea que acariciavo a caj-
be^a do soberbo, animal; e, tirarndo o gorro
com toda- a cortezia, disse :
Queira perdoar,. mioba. senhora, se
puxei da espada eontra o-seu cao, expondo-
me a causar-lhe involuntar'jamente um
pezar eonsisUria em de esti vera a ponto de ser atropellado pelo
cavalleiro. Sera o tal empenbo a javen que
eu vi ha pouco ?
Este pensamento inquietou de tal modo
Ariosto, que, apezar de que se sentou
n'uma pedra junto, do rio, ao pe" de uns
alamos, e tirou da algibeira um. papel cheio
todos os sacrificios para salvar a Franca, e
conservar a sua naciooalidade.
Sobre os pormenores, e especialmente a
possibilidade de fazer entrar na praca a co-
IbeiU do trigo, a testemnnha respor.deu
como as precedeutes.
O Sr. Vilgrain, negociante.Depois de
me tor dirigido ao intendente Mony para Ihe
propfir, em nome do commercio messino,
alguns meios do municiar a cidade, e depois
de ter recebido delle como resposta, que
nao tinba nenhuma inQuencia no marechal,
decidi-me a tentar uma diligencia junto des-
te ultimo, no Ban-Saint Martin. Eram en-
tao 6 ou 7 de outubro. Chegado ao quar-
tel genoral com um dos raeus amigos, bo-
mem de grande energia, que prestou gran-
dos servigos, fiz conslar os nossos uomes ao
marechal Bazaine, o qual nos maud a per-
guntar, por um joven official, o fim da
nossa vijita, recusando-se depois da re:e-
ber-nos.
Re;nduzindo-no5, aquelle official, disse-
nos : -< .la nao ha nada a fazer ; os solda-
dos ja n8o querera bater-se. w Partimos
entristecidos e levamos esta respusta aos
nossos compatriotas, que comprehenderam
entao que estavam condemuados.
Algoss dias mais tarde, fiquei murto ad-
rairadcj de reeeber uma carla, que me cha-
mava ao quartel-ganeral. Drrigi-me alR^ e
fui imaiodrataiweute recebioVpelo marech'ttl
Bazaine. live com elle onw explica^ao
muito viva da qual nao poderei reprodu>-
zir os termos exacUw, mas qu vou resu-
mir.
_Q\je me quereis? me perguntou o
marechal.Ven&o, lhe respond* eu, trazer-
vos o concurso'do commercio de Metz, par*
o municiameuto da cidade e do exercito:
A estas pahwras m^strou- elle uras- gran le
colera e queixou-se amargamente dos ata-
ques que, segundo disse,-s dirigiara'contra
elle-.
Mostrou-me um pacot'e decartas, eespe-
cialmente as qua fallavam de mim. Pra-
testei eontra semelhante procedi.mento, e
procure! voltar de novo aoassampto da mi-
nha missSo ; mas n3o qjaiz-'oovir o pta-no
que eu estava encarregado de lbe submetter,
e que, tenho a convicgao, era facilmente
realisavei. Sabeis onde- ha cereaes e
ado ; tambem eusei, ha-oem Beaucia*e
oa Normandia.
Depois disto, eu nio tinha- senao que me
retirar. 8' este o depoimenio que tenho a
faser. D&70 comtudo accrescentar algumes
palavras aoconcluir, Unto ern men qoiik-.,
como no dos meus .desgragados- compatrio*
tas. Drsse-ae-me : Os nossos soldados ji
sa nio queretn bater.
Estou persttadido que o official qae se
expresseu asstra obedeceua uraa-palavra de
ordem, porque era d^ um aduairavel e va-
lente exercito corao o-de Metz, e se ha no-
mes qae havemos recordar aos nossos Qlhos,
sao os dos nossos soldados que nao pediam
senao para corabater e morrer. Se tivessem
tido-um chefe digno deltes, Metz aiada seria
francer.
A estas palavras, proo-uneiadas- em voz.
verdadeiramente commarida, segaio-se um
certo estremeciraento emtodo oauditorio.
(O sangue assoawu neste momento a sem-
blante do accusado.)
Aqni a audienaia foi suspensa por espago^
de vmte minutos, e quaa Poz o Sr. Worms, banqueiro eat Paris,
ex-membro do conselbo munieipal de
Metz.
A testemunba apreseBtou em pdrmenores^
bs depoimentos dos membros do conselho-
municipal que o-precederam.
P.A-.15 de aigosto !iaham-se dado or
dens para os pr^vimentos ?
R.Nao; antes daquella daU. conse-
lho municipal nao deu nenhuma ordem.
Foram os primeiros. desastres do exercito
que despertaram os raessinczes.
P.Em que data se eomegaram a dar ra-
goes apopulagio?
R.S6 em outubro, o conselho solicitou
esta medida.
P.As vossas primeiras relag6es com o
commandante da pn.ga datam de...
R A 13 desetembro; nossa epoca al-
guns membros do conselho municipal apre-
sentarara ao governadorumamensagem dos
habitantes em que expressavam as inquieta-
obes da populagao.
P.Em que data pediram os offieiaes da
guarda nacional para ver o mirechalT
It.A 12 de outubro. A guarda nacio-
nal era composta de cidadaos de todas as
classes da sociedade; podiam offerecer um
recurso serio para a defeza
A doputagao dos offieiaes foi recebida
pelo marechal, e voltou satisfeita. Os re-
ceios da populagao eram s^rios, a popula-
gao queria ver o exercito sahir, e ficar en-
tregue a si mesma. Nunca cessou de mani-
festar aquelles receios da maneira mais ener-
gica, e ao mesmo tempo mais respei-
toai. *
O Sr. Doncholte, era, antes da guerra,
depositario defarinbas da cidade de Metz.
Naquella qualidade, esteve ao corrente de
todas as medidas tomadas desde o coflMfO
d'agosto para assegurar as subsistencias 3a
cidade. A 13 de agosto, depois dos mais
serios calculos, podiam-se garantir 05-, ou
70 di'as de poo' a uma populagao que se cal-
culava em 5t>,U00 almas-. Nessa 6"poca as
colheitas do anno estavam ainda em parte
na terra, e o resto estava- nos armazens, e
podiam encontrar-se na plaurcie de Tnion*-
ville ainda desoceupado pelo naimigo re-
cursos consideraveis, qae se despreza-
ram.
P. Tivestes algumas entravisias com
,o general Cbffiui6res, e com o marechal Ba-
|zaine para lhes dar esplicagSes sobre a si-
tougao dos provimentos ?
K.Sim. senhor presidonte ; mas devo
diaer que elles n8o tinbara feito. nenhuma
determinagao coiitentaram-se em ouvir as
nossas communieagOes.
P:As compras ordenadas pelos cora-
mandantes dos oorpos do exerrito-, nao ti-
veram uma influeneia na questao geral das
subsistencias ?
R.Uma influeocia deploravel; nSo sO-
estabeteceram uma-verdadeifa desigaaldide
entre os corpos, mats, produziram a concur-
rencia, e o encarecimento dos-generos. Teria
sido conveniente nao fazer suseitor entre os
habitantes e os soldados competencias des-
gragadas. 0-exercito e a popalagao acha-
vam-se felizmente nos-melhores sentimentosj
de fraternidade, diaate da desgraga com-
mum."
Seguio-se depois odepoimento do abbade
Damokard.
Mr. LarhaudiSr. abbade, n8o foi no
dia 23 de agosto ao forte de S. Juliao ?
Testimunha.Eracapellao da-4." divisao
do 2. corpo, e a 13 da agosto, it noite di-
rigi-me a carruagena
desviou-se, e foi-nos impossivel oneoatrar o
eaminho. Nio havia^ sentinellaS' que nosi
podessem iformar.
Mr. Laeh'aud. Nao teve o abbade um^
eon versa com um offiaiel doente ?
R.Na ambulaneia disse-me: Tudo
esta acabado ; cahinaos- n'uma ratoeirao
exercitoe eu sei alguma cousa por isso
gue fui quem distribuio as raumgoeso
exercito nao- tem mais- que dia e meio de
munigdes de batalba
0 Dr. Poggioll, daclarou que tioha sido
ehamado pelo marechal para dar eiplica-
goes tendfentes a amassar o pao coin agua de
uma nasoente proxkna do forte de Bellecroix.
e que tinha-tambem sido ehamado para fa-
zer conservas de carne decavallo* Esta ul-
tima questao nao foi conduzida a bom
termo.
0 Dr- Poggioll accrescentou que o hospi-
tal militar tinha recebido caixas de medica-
mentos. Foi po6to em rel&g6es cjm o ge-
neral Coffinieres para estu Jar os meios da
fabricar projoctss.
P.Pediram-vos projectos ?
R.Nunca.
O Sr. Mortain, pharmaceutico.Esta
testemanha por ordem do m&rachal Bazaine
pezr.
lhe tivesse^ feito mal, neplieou a joven bai-|de versos, n8o p6de emendar um unico.
xando osolhos e corando -sob o olhar ar-|Fugira-lhe a mspiragao, ou, para, i
dizer, mudara de objecto.
A poesia fdra abandouada por caasa da
formosa joven dos cabellos- loaros, e> com a
poesia, Luereoia.
Sigamos o Sr. Luigi Barthelemi.
Gbrtamente para que o nao vissem da
quinta oodababitava a jovea Iowa, fez um
rodeio pela espessura, passou de largo, e
continaou galopando ate" que, tendo acabado
o crepusculo, cerrou-e a noite, profaada-
mente escura. mas serena.
Ao chegar is ruinas de uma ponte, Luigi
parou o cavalLo e assobiou.
A" pequena distancia respondeu-lhe um
outro assobio.
E* o senbor t perguntou uma toz sec
ca, em cujo accento havia o quer que fosse
de ameacador.
Sou eu, respondeu Luigi.
Traz o que se combinou t
Trago.
Mil escudos de ouro, nem um de me-
nos, disse 'aquelle que certamente era um
bandido.
Abi os tens n'um sacco, no argao do
dente de Ariosto.
Obrigado, miuha seuhora.
__ Deus o guarde, dis^e a jovea.
E, entrando com o cao, fechou o portao,
afastando se de corrida atravez de um jar-
dim para a casa, seguida pelo. animal que
corria atraz d'ella saltando oparando de
vez em quando para olhar hostiunente para
Ariosto, que ficara junto do portao, vendo
afastar-se a joven.
Esta e o c8o desappaceceram no vestibu-
lo da formosa casa de caropc que se via no
meio do jardim.
__ Casa de marmoee e excellente archi-
tictura, revella no seu proprietario. pessoa
rica e de elevada condig8o, disse comsigo
mesmo Ariosto. Quem sera o dooo d'esta
casa ? Nunca cheguei ate aqui, nem sabia
que existia este edificio. 0 anjo que me
appareceu 6 por certo filha o parenta pro-
xiraa do proorietario.
Saberei quem e.
Ariosto comecou a compor na sua ima-
ginagSo um sonhado poema de amor, do
qual devia ser a heroina aquella joven bel-
leza aue apparecendo de improviso na sua meu cavallo. rephcou Luigi. Mediou um
pres'enga, o deslumbrara. breve intervallo de stleucio, durante o qual
De vez em quando voltava-se para ver a jo bandido tirou o sacco.
auinta ate" que as sinuosidades da espessura Pelo peso parece que deve estar certa
a esconderam, e tao distrahido ia, nio Ma quantia, disse elle ; queira esperar.
com o seu poema, nem com Lucrecia, mas Ate" quando T -
com a desconhecida, que esteve apontode No Wo posso mzet, ir*^s; cousas
ser atropellado por um cavalleiro, ao sahir ignora-se o tempo que sera necessario em-
A(. nm italho Pgr J P r6m ^o passa" d esta noite.
0 cavalleiro parou, reconheceu Ariosto -Cuidado, nio pretendas enganar-me.
assim como esteP o reconheceu. e disse sor- E quem se ntaitde aim se. wata-
do 8em 1ae u4 cumPr0 ern ** minnas obn-
" Desculpe Sr. Ludovico Ariosto, nio gagoest Descance, v esperar-me tranquil-
o vi, e Mm d'isso ia muito distrahido com lo, e. antes de que acabe a noite, mais hora
um mlZSo que me traz louco. menos bora, estari tydo concluido.
- Nao se amofine pelo que nao succedeu, Pois entao ata logo.
Sr. Luigi Barthelemii r^pondeu Ariosto; LuigiB-nbelemi, poz se a eaminho, a o
siga em paz o seu eaminho e Deus favoreca bomem que fallara com elle afastou se em
o seu deseio direcgao opp -sta aqnella que tomara l.uig-.
_ Boa ventara espero, por isso qu* tiv*-. Em breve chegou ao mura quo ctrculava
o prazer do o encontrar, replicou Luigi. Ja quinla onde chogara Ariosto, mas do lado
tentou fazer aonaarva de cavallo, o que nao
conseguio ; faltavam oa elemantoa do prepa-
ragao
Seguio-se a este depoimento o do Dr. Cu-
veillier.
Mr. Lachaud.Peco, Sr. preMdeote,
para pedir ao doutor que se explique sobre
o estado sanitario do exercito, sobre a -
tuagao das ambulancias.
R.Tinhamos uns 15,000 feridos, e alem
disso tstavamos preoccupados pelas conse-
quencias que poderiam resultar da accu-
mulagao dos hospitaes, os quaes se tinham
tornado verdadeiros f6cos de infecgSo ; to-
davia o estado sanitario era muito bom ate*
ao fim de setembro.
A 2i, dizia eu n'um relatorio que estava-
raos ameagalos era conseqeunciada falta de
sal, e pela insuScieneia do sustento; julo
poder aifirmar qoe a populagao e o exercito
estavam muito dizimados.
0 conselbo ouvio arada o general Saint-
Sauveur, o qual declarou tar feito pesqmzas
nas casas de Metz, a 10 de outubro para
procurar alii subsistencias.
AUDIENCIA DE 15 DE ROVEMKRO.
Restando ainda ouvir raurtas testemunhas
de defeza, passaremos rapi mnente a pri-
meira deltas. 0 doutor GreHois, antigc
medico dos hospitaes e ambidnncias de
Metz, e" aut-jr de um livro a respeito do ai-
tio, no qual diz que, no momento da capi-
tula?ao jd nao havia Mains disponiveis ; de-
pois respoudeu-se-lbe pela imprensa local
que estava engmado.
O doutor GrellOis u8o quer uegar qjue te-
nha podido engauar-se, nws explica o seu
erro de tr.na maneira completamente nova,
quefaz a maior fconra a soa intlligencia
So houvesse vivews em Metz, disse elle,
qoem os esaondena 1 Quenv teria interesse
em o fazer ? Nao e certamente o general
era ehefe, nem o commandante da prat,a
Quem era pois ?
O Sr. Masse, medico militar, fez um de
poimauto ainda mais admiravel, iolerroga-
do por Mr. Lachau*. Declarou que c
commandante soperior do exercko- de MeU
se conJuzio admiravelmente, e que sempre
mostrou a maior solicitade a respeito dos
feridos. A testemunha eneontrou-o uma
vez n'uma ambulaneia.
0 general Pourcet.Xto se ietnbra a"
testamunria de quo no seu regresso aCastel-
rwndary, depois-da< capitulagao de Metz,
foi interngado pelo sub-prefeito e pelo
procura lor da ropublica ?
R.Eflectivamente, tive uma conversa-
g3o com aquelles senhores na sub-prefei-
tura.
P.Nao vos lembrais das perguntas que
se vos fizeram, e das respestas que destesT
R^_Nao tenho a monor idea ; mao-per-
guntque impertancapoderia isso ter.
P.Pergun*aram-vos se o marechal: Ba-
zaine tinha feitotudo qjuanto delle exigia o
dever para eutroter o espirito militar no seu
exercito. Sabieis o que havieis respon-
didot
R.Nio-sen.
p.Tinheis responii lo : nao. ( Riso
no auditorio).
Mr. Lachaud.0 dbcumento em que o
commissario do governo-apreseata estas in-
dicagdes nao esta no proeesso.
0 general Pmrcet E' um docamento
official transraittido peh ministro da gJier-
ra ; nao esta no process, mas ha de vir a
estar.
Mr. Lachaudlr-Mo k uma cousa seria ;
nao se trata senio de ujoa con versa.
Presiienle Este document ha de ser
annexado ao proeessoj 4 inutil fator ieitura
delle.
0 commissario do governo quer insistir,
mas adnal passa-se adiante. Mas nio dei-
xou de resultar de tudo que o doutor Mas-
se, actudmente- testemunha de defeza, ti
nha outra lingaagem na epoea em uue foi
interrcgado pete sub profeito do Castelnau
dary.
; tro-
e vio
talvez
f, opposto.
. Estfto
todos ahi? disse aquelle bo-
prazer
E, cumprimentando cortezmei.te AnoslO
proseguio o seu csninhi.
_ Devia t-'- procurado inforraar-me com mem
saaaciJ-ide ,1'L, sedu'tor inc^rr^givel, murmorou obscurldade.
IS. !-> 11 parado no mosrro \^v on-4 o, ,oito T ldercmos fallar sem correr o menor pengo.
Os oito.
Quanta gente hana quinta t
Griados velhos e inuteis, seis ou oito ;
agora devem estar resando com oamo, por
que o:di8bo, depois_de farto de earn, met-
teu-se a ermitao.
E os cSes- ?
Nao ha qui ter cuidado ; doitei os
bolos envenenados por cima do rauro, e
senti que acud-iam & isca.
Muito bem, quer isso dizer que nao
ladrar8o; p6e a escada
Os nove homens, depois deterem en-
costado a escada ao maro, subiram um por
um, e descerauQ para o jardim.
De repente o que ia adiante parou
pegara n'um vulto,
Em seguida inclinou-se, apalpou
que aquelle vulto era urn cao, morto,
o Manfredo.
Eu bem disse que n8o ladrariam,
murmurou elle.
E, tomando por um atalho, dirigio-se
para a habitacao.
Ao chegar a uma das portas, disse Aquel-
les que o seguiam:
Ponham-se de ambos os lados da
porta e quando ella se abrir para Giovanna
sahir, entrem voces. Vejam, pordm, o que
fazem, nio se assustem nem matem alguem.
Em seguida aquelle homem pjgou n'uma
pedra pequena e bateu com ella oo vidro
de uma das janellas.
Pouco depois appareceu na janella o re
flexo de uma luz, e em seguida o vulto de
uma mulher.
A janella abrio se, e a mulher que pro-
jectara a sombra, sahio para a varanda, io-
clinou-se sobre a balaustrada, e disse em
voz baixa:
E* o senhor?
Sim, sou eu, replicou o homem ;
curapri a miuha palavra expondo a vida,
agora cunpre tu a tua.
Nio deixarei de a cumprir, ospore.
E, retirando-se da janella, fechou a vi-
dragae em breve deixou esta de estar ittu-
minada pelo reflexo da luz.
Querera" aquella imbecil descer com
a luz T disse o hom?m ; em todo o caso,
para que nio ladre, avU-la-hemos como
fizemos aos caos,
K foi cullocar-se no vio da porta com
mM no cabo do puhhal Minutos depois
ouvio se o ranger de uma chave, e a porta
abrio-se. Felizmont-i aquella queaabrira
viuha sem luz,
Eltfre, disse a mulher.
Nio, nio quero entrar, rep icou o ho-
1 mem ; a noite esti escura e no jardim po-
(Continuar-ae-ha]
E os cies ? disse Giovanna. S3o duas
fecas, particularmente Manfredo, e nio o
conhecem ; nao sei mesmo como p6do che-
gar ate aqui.
Deitei-lhes uma to boa ceia por cima
do muro, que nio nos far&o o mais pequeno
mal, nem se quer nosladrario.
Como Pois matou-os t disse Giovan
ni, com voz tremula. 0' meu Deus I e a
minha senhora que tauto queria ao Man-
fredo.
Consolar-se-ha com outro; porem
nada de perder tempo, temos. muito que
fallar.
E pegando na. mao de Giovanna avan-
gou com ella para o jardim.
Apenas ficou franca a porta, os oito ho -
mens que tiaham permaaecido immoveis e
s-ilenciosos, o a quem Giovanna nao podera
ver por causa da escuridao, entraram pela
porta tao recatadamente, que nem sequer
se ouviara as suas pisadas.
Aquelle que levaxa comsigo Giovanna,
apenas vio que os sous ja tinham tempo de
ter eotrado, tapou a bocca a Giovanna com
um longo, atou-lhe as mios atraz das cos-
tas, fez o mesmo aos pes, e deixou-a esten-
dida no chao.
Na realidade, murmurou elle cami-
nhando para a porta, sou um heroe, mais
valente oo que julgava, quando abandono
assim uma rapariga tao formosa ; pordm
comprometti-me a nao deixar apds mim
nem sangue nem lagrimas, e, o que um
homem cjmo eu promette, deve cumprir,
sobretudo qumdo pagam bem.
Ao mesmo tempo o-ie proferia estas pa^
lavras, transpunha o limiar da porta.
Como todo o bandido que sabe do seu
officio, procura informar-se, pagando a al-
guns raisenveis qae tinham entrada n'a-
quella casa, e alcangara uma especie de
piano d'ella.
Esses mesmos miseraveis tinham-lbe ser-
vido para entreter com Giovanna uma apai-
xonada correspondencia amorosa por es
crip'., que dera em resultado a entrevista
d'aquella noite.
0 bandido sabia, e sabiam-n'o tambem
os outros homens que haviam entralo an-
tes, que i esquerda da porta havia uma
escada de serv.co, depois u u corredo* pelo
qual se chegava i galeria do pateo, e A
direita da sahida d'esto pateo, na galeria, a
cap dia onde o dono da casa, ia resar i uji-
tv com todos os criados.
Quanlo o ban lid) penetrou na capella,
estava j feito o negocio.
Os homens que o precediam tinhsm en
trado pouco antes alii,
i: i- .uiciao de cabeUos brancos, d^-bil e
pailido, de semblante austoro, estava sen
tado n'uma grande cadetra de espaldar com
brazao, A direita do altar de uma bonita
capella gothica, e lia com voz aspera am
livro de haras, cuj\ oracio era rapabda
por uma joven que estava ajoolhada e era
a mesma com quem Ariosto trocara algu
mas palavras, e mais uns dez criados entre
homens e mulheros, que estavam. do joelhos
no meio da capetla.
Os oito homenn entraram de improviso.
Vio-se entio que tinham eapacetes e cou
ragas por sobre os seus trajos, e as caras
cobertas com mascaras
Um d'elles correu com a espada nua sa
breo anciao, e aterrou-o, apontando-P^1
ao peito. J|
Outro d'e'les fez o mesmo relativ j^noot?
a joven, que, ao ver-se de tal mod^N mea.-
gada, soltou um grito e perdeu /os senti-
dos. /.
Os criados haviam sido domu^800* P^os
0'itros seis homens.
Muito bem, disse o uluo* chegado
que certamente era o chefe -Jos outros, e
tinha igualmente o rosto cob/110 com ?
mascara. Voces sio lignos 1do.se caprtio.
Ahl a senhora desmaiou T fs*"n J melhor,
escuso de ouvir gntos e ver ^gr^as.
Que querem fazer d> m,.nD* *
grita o anciao. Matera-r- muito embxa.
5refiro mil vezes a nrrte do <\ nma
tal infamia. ,. .
Coratudo, o homer W ,4^ ?* a
chegar, em vez de >*"!*' .**>'J0-
ven! correu para '*Z> "****<*
braios e prendfluih d" to m
"Z outs band** haviam feito 00Mao
al!rSdq^ quere" f- da tu. filha T
respondoJ o chefe i***%* ;
entregar a troco de ^ote mu ^""toa de
our0- <.. m
Da-los hei agora n^110.' *n'
ciao com umrugido, dili^Pc,ao resgate de tua filb-'
I




T
illr
I
(ContiHttarse-ha.)
-
f YP.D0DL\MO.yA PU^'g rS CmAi-
^7
/ .
MMJ -------
fBlfilQ