Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18342

Full Text
r
'V,

i
i
T

J
I
I
, f ?
I'*'
i*
4

/
ANNO L. MMERO 38
-----------" T
.1B4 A CAPITAL E LIUVRlV OX DIE VlO SB WMiA PORTE.
For tres Inezes adiantados. -.............. 6*00f>
For seis ditos idem................. 12&000
For urn anuo idem...............fc 24900O
-rf- ^i '
1ERCA FEIRA 17 DE FEVEREIRO. DE 1874
PARA DK1TBOK FOBA DA PBOYIX'CIA.
Por tres taezes adiantados.................
For seis- ditos idem.................
For ntwa- ditos idem............-....... SOfMO
Por ui moo idem................'. 27JSO00

PROPWEDADE DE MANOEL FHftgiROA BE FARIA A FILHOS.
"t Srs. ^jerardo Antonio Aires 4 Pilhos, no Pari; Gonc,alve d Pinto, no Maranhio; Joaquim Jose" de Oliveira d Filho, noCeaxa; Antonio de Lentus Braga, no Aaacaiy ; Joa M4ria Juiio Chavea no Assd; Antonio Marques da Silva, no Hatal; Jose" Justine
Fereira d'Almeida, em Mamanguape ; Carlos Auiencio MfcafO da Franca, na Famhyba ; Antonio Jose" Gomea, na Villa dp Penha; Belarmino do Santos BulciOv em Santo Antao ; Domingos Jose da CostaBraga, emHaxaretaj
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna; Joao Antonio Machaeo, no Filar daa Abgfta*; Aires d G., na Bahia; e Leite, Ce*|iiinho d C. no Rio de Janeiro.
PABTE 0ITICIA1.
ilotrniu da proviucia.
EXPEDIENTS DO BIA J5 DE NOVBMQRO DE 1873.
.' seccdo.
I ificios :
__Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas.-Sirva-se V. Exc. de mandar pdr em liberda-
de o recruta Eleuterio Goncalo de Barros, que pro
-vou isencao legal. .
Ao mesmo.Dou solugao ao offlcio de v.
Exc, desta data sob n. 11 i8, dizendo qua fa?a
apresentar na casa de deteucao, amanha as 7 no-
ras do dia, um cabo e duas praxis para o Cm in-
dicadO em raeu otllcio de hontem.
Ao director do arsenal de guerra. -Constan-
d > de olicio do iospector da thesouraria de fazen-
da, datado de hontem sob n. 27 serio F, haver o
almoxarife desse arsenal, Bernardo Falcao de_Sau-
za apresentado a sentenca de especialisagao da
hvpotbeca legal do immovel offerecido para garan-
ti'r a sua responsabilidade, e ter sido essa julgaJa
em termos de proJuzir todos os seus eueitos juri-
dicos ; assim o communk-o a V. S. atim da que
feca entrar o predito almoxarife no exercicio de
seu emprego, do qual se aeha suspenso por pin
ter satisfeito essa exigencia da lei.
Ao mesmo.-Mande V. S. receber nesse ar-
soaal, para serem concertados, os utonsis constan-
tas do pedido incluso, do coranel commandante do
orte do Baraco.
__Ao engenheiro das obras niilitares.uecia-
rando-me o brigadeiro commandante das annas,
em offlcio de 22 do corrente sob n. 1132, que a
parede do lado do sul do compartimenlo do quar-
tet do hospicio, em que funcciona a escola regi-
mental, ameaga ruiua, recommendo a Ymc. que
exaraina dita parede e faga o orgamento da des-
peza necessaria para reparala.
Ao mesmo.Defenndo o rcquenmento de
Augusto Jose Teixeira, contractante das obras da
abertura de janellas no hospital militar, resolvi,
de conformidade com a sua inforraacao de 21 do
porrente sob n. 38, prcrogar por 10 dias a contar
da data deste, o prazo para a conclusao das referi-
das obras, e relcvar assim o mesm j contractante
da multa em que ineorreu.
2.' seccdo.
Actos: .....
0 presidente da provincia, a vista do offlcio
do Dr. chefe de policia, n. 1900, de 17 do corren-
te, resolve exonerar Miguel Archaujo Bezerra do
cargo de 2." supplente do subdelegado do dijtricto
de Nossa Senhora das Dores do Po.;io, do ,termo
de Ombres.
0 presidente da provincia, de acordo com a
proposta do Dr. cbcfe de policia em offlcio n.
4900, de 17 do^corrent", resolve nomear para o
cargo de 2* supplente do subddegado do districto
de N'ossa Senhora das Dire* do Pocio, do terrno
da Cimbres, o actual 3 supplente Qementino da
Siha Rego, e para preeucher o lugar que esle
deixa vago o cidadao Placido Francisco Alves.
Offlcios :
Ao de^embargador Bernardo Machado da
Costa Doria.Communico aV. S., para os devidos
tins, que segundo o aviso do miuisterio da justiga
de 14 do corrente, foi V. S. removido para o tribu-
nal da relacao da Fortaleza, no Ceara.
igaaa. mutnti* n.iif..^; aos desembar>!aao-
res, Jose Nicolao Rigueira Costa, Manoel Joso da
Silra Nciva' e Silverio Furnandes do Araujo
Jorge.
Ao Dr. chefe de policia. Remetto a V. S.
quatro colleccSes de 12 medicamentos homcoopa-
thicos, com as necessarias instraccde*, afim de se-
rem enviadas ao d--legado do lermo de Flores,
ccaforme indicou V. S. em offlcio de 19 Ju e*T-
rente, sob n. 1908.
Ao mesmo.Pr-avidencie V. S., de con'or-
uiidade com a lei, sobre o (|ue representa o sup-
plicante no requerimento incluso.
Ao mesmo. ProviJencie V. S. no sentido de
ser temettida a commissao encarregada de dis-
tribuir soccorros ans indigentes atacados da va-
riola na villa do Cabo a caixa, que a este acom-
panha, contendo desinfeclantes.
Ao juiz da vara de orphaos da capital.
De conformidade com o aviso do ministeno da
justica, de 6 do corrente, recommendo a V. S. todo
o andamento no processo mandado instaurar aos
mpregados da alfandega desta provincia.
Ao commandante do corpo de policia.Para
(sausfaclo do que solicita o brijjadeiro coraraan-
nte aas armas, em offlcio de 12 do corrente sob
1137, remetta Vmc. uma certidao dos assenta-
entos, que tirer no corpo sob feu commando
jeverino Jose da Costa, que a elle pertenceu e 6
a\tualmenle alferes do 17 batalhao de infantaria.
3.' secQao.
Ho:
icia
expoi
n. 959
corrent
verba
cente ao
a importa:
ciooal desi
de maio a
Offlcios
Ao
Passo as maos
que resolvi
ba Exercito
presidente da provincia, a vista do que
thesouraria de fazenda, em seu offlci sob
serie E, com data de 18 de novembro
resolve abrir o credito de 233J280 rs. a
ercitoo do ministerio da guerra, porten-
ercieio em liquidacao, para completar
dos prets d;is pracas da guarda na-
adas na villa de Pesqueira desde 2V
de junho.
mspfl
abn
tor da thesouraria de fazenda.
V. S. por copia a portaria em
o credito de 233*280 rs. a ver-
d^-jninisterio da guerra, perten-
cenia ao exercicio eisa liqnidagao, para completar
o pagamento dos prets das pracas de guarda na-
cional destacadas na^illa de Pesqueira, conforme
o seu offlcio n. 95/ serie E, da 18 do corrent?.
Ao mesmo./Mande V. S. pagar, nao haven-
do inconvenientel a Manoel de Oliveira Juior a im-
pertancia do9 piets juntos ds pracas da guarda
nacional destacjflas m vi^a de Flores, relativos aos
mazes de setejpbro a outubro proximo passado,
conforme ofUcio do respective commandante su
perior intaruio, data lo de 3 do corrente.
Aarroesmo.Mande V. S pagar a quern se
mostra/ competentemenie autorisado a quantia
coa*ianle dos inclusos prets, relativos aos venci
mentos da forca que veio"do Bom Conselho condu-
zindo presos para esta capital, na eontormidad ede
qasolicita o Dr. chefe de policia em seu offl cio.
aajheje datado sob n. (938.
Ao mesmo. N'os termos da sua inforraacao
de 22 do corrente sob n. 2o serie F, mande V. S-
fornecer ao 9* batalhao de infantaria, de con'or.
midade com o pedido junto, uma besta para tirar
a carroca deslinada a conducgao do rancho para
as pracas do mesmo batalhao, em sertico da guar-
nijao.
Ao mesmo.Dando provimento aos recurso>
interpostos p da Concic..! nis rn|.it-riiiir-n!os que lh^ d^vuivn,
e a qiw se i\;V.o :>u:i iui/ruucaj ae ii dj cur-
rente Job n. 1'J serie F, auloriso V. 5. a mandar
releva-losda multa em que incorreram por intrac-
ciodoregulamentodel.de dezembro de 1871,
depois de revalidado pelo piimeiro dos recorrea
tes o respectivo sello.
Ao mesmo.Transraitto a V. S., para os 9ns
convenientes, os dous inclusosjprets especiaes era
doplicata, tiraido a gratincacao de engajado, a
que tem direito o 1 sargento do 4* batalhao de
artilharia a pe Manoel Carlos de Sa, a contar de 26
de novembro de 1865 a 30 de, junho de 1873,
conforme o offlcio do commindante das armas sob
a. 1143 de 24 do corrente.
padre Manoel Ferreira da Rocha, a congrua cor-
respondence aos mazes de ag >sto a outubro ultimo,
a vista dt) atiestado junto.
Ao me.ino. 0 Dr. Manoel Tertuliano Tho-
niaz Henrii|ues em offlcio de hontem declarou-me
acceitar o cargo de desembargador e procurador
da coroa, soberania e fazenda nacional na relacao
de Cuyaba, deixando o exercicio da 2." vara civel
de*ta capital ; o que communico a V. S. para os
devidos fins.
Ao mesmo.Communico a V. S., para os de-
vidos fins que, em virtude da ordam dasta presi-
dencia, vein a esta-capitil, aservi^o, o juiz de di-
reito da comarca de Goyanna, bacharel Abel Gra-
Qa, deixando o exercicio a 20 do corrente.
Ao mesmo. -dminunico a V. S. para os de
vidos tins, que a 22 do corrente assumio o exer-
cicio da 2.J vara civel de direiti desia comarca o
substituto respectivo, lueharol Francisco Alves da
Silva.
Ao mesmo.Communico a V. S., para os fins
convenie.ntes que, segundo offlcio do commandante
superior da guarda nacional deste municipio, de 13
e 21 do corrente sob ns. 737 e 471, que desde o
dia 1 deste raez deixaram de ter cornetas o 3*
e 8' batalh5es de infantaria do dito municipio.
Ao Inspector da thesouraria provincial.
De conformi lade com o parecT da contidoria
dessa thesouraria, com a qual concorda o seu offl-
cio sb n. 531, mande Vine pagar ao offlcial-
maior da secretaria da presidencia, bacharel Adol-
pho Laraeulia Lins, os veucimanios a que tiver
direito, correspondentes ao periodo dee-orriJo do
15 de setembro a outubro proximo Bndo, em que
servio imeiraraenteo lugar de secretario prcoe-
dendo do mesmo mo Jo ; quanto ao chefe de seccao
e o Inofficial que substituiram o referilo ba-
charel na ordem descendente.
4.' secqdo.
Offlcios :
Ao Exm. presidente da provincia do Rio
de Janeiro.Rogo a V. Exc, em deferimanto ao
que pede o soldado do 1 batalliio do infantaria
Vicente Jose da Soon Mendes n) incluso reque-
rimento, se sirva de transmittir-me um documento
comprobatorio de haver a referiJa praca seguido
para a companha do Paraguay na qualidade de
voluntario da patria desia provincia, conforme al-
lega.
Ao Exm. 3r. prasidente da provincia do Ma-
ranhao. Annuindo ao que no re merimento junto
pede o soldado do 9' batalhao de inf.iotaria. Juven
cio Rayraundo da Silva, rogo a V. Exc. se sirva de
transmit ir me um documento authentico, com-
probatorio la allazacao que faz amencionada pra-
<;a de haver marcliado para a guerra do Paraguay
na qualidade de voluntario da patria dessa provin-
cia.
Ao Dr director geral da instrucgio pub'ica.
Providenrie Vine, para que, conforme solicita
o director geral da estatislica em offlcio da 12 do
corrente sob n. 2,909, sejam organisados os qua-
drosjuat'S, relatives a iustrucga* publica desta
provincia.
Portaria :
A' illm3. Canaan municipal do Recife. -Ten-
do a Santa Casa de Mi^ericordia, de conformida-
de com a lei provincial n. 1,121, de 17 de julho des-
to anno, effectua.lo o eontracto, que tera vigor do
M de dezembro proximo, com Agra k C, para
fazerem exclusivaraante o.sarvicn m.rit'-> ^
de carros TuneDres desta cidade, recora.neudo a
iilma. camara municipal do Recife quo mande
cassar as licengas que houver dado a outros esta-
belecimentos para semelhante servigo, cumprindo
a mesma Illma. camara nao dar licenga daquella
data em diante para conduuegao de cadaveres a
cargo, cujo servigo nao f6r feito pelos referidos
cejsionarios Agra k C
5.' secgao.
Porlarias:
i Os Srs. agentes da companhia da navegagao
brasileira raandem dar passagem para as Alagoas
por conta do ministerio da guerra, no vapor Ba-
hia. esperado do norte, ao soldado desertor da
companhia de infantaria daquella provincia, Fe-
lisberto Cardoso dos Santos.
Os Srs. ageutes da companhia de navegagio
brasileira aaandem dar passagem por conta do mi-
nisters da guirra, no vapor Bahia, esperado do
norte, ate a provincia da Bahia, eora destino a do
Erpirito Santo, ao soldado loaquim Campos de
Queirox, que foi transferid) do 2 batalhao de in-
fantaria para a compaokia da referida provincia.
EXPEDtEXTE DO SECRETARIO.
/.' secqao.
Offlcios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas. S. Exc. o Sr, presidento da provincia, tendo
providenciado para serem transportation a seas
destiaos os scldados Felisberto Cardoso dos San-
tos e Joaquim Campos de Queiroz ; assim o man-
da communicar a V. Exc. em resposta ao seu offl
cio de hontem datado sob n. 1,142.
Ao mesmo.De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, communico a V. Exc, era res-
posta ao seu offlcio de 7 do corrente sob n. 1,088,
que nesta data se autorisou o inspector da theson
rarie de tazenda a, fornecer ao 9s batalhao de in-
fantaria uma besta para puxar a carrooa desti-
nada a eoaduc;ao do rancho pragas em servi-
ce na guarnicao.
Ao mesmo. -S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, tendo por despacho desta data, autori-
sado o fornecimento. ao hospital militar, de 30 ataii-
des de pinho ; assim o manda communicar a V.
Exc, em resposfa ao seu offlcio de hontem datado
sobn. t.l'.l
Ao mesmo.S. Exc o Sr. presidente da
provincia man la declarar a V. Exc, em resposta
ao seu offlcio de 24 do corrente sob n. 1,138, que
nesta data se expels ordem ao director do arse-
nal de guerra para receber e maudar eencertar os
utensis perteucentes ao forte do Buraco, mencio-
nados no pedido qua veio annexo ao citado offl-
cio.
2.' secq&o.
Offlcios:
Ao desembargador Manoel Tertuliano Tho
maz Honriques.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda accusar o recebimento do offlcio de V.
Exc. do2't do corrente, era que participa ter dei-
xado o exercicio do cargo do juiz de direito da 2*
vara civel e acceitar o cargo de deserabargador e
procurador da coroa, soberania e fazenda nacio
nal do tribunal da relacao de Cuiaba.
Ao Dr. chefe de policia. De ordem do
Exm. Sr. presidente da provincia, transmits a V.
S os titulos juntos de nomeagao dos 2 e 3' snp-
plentes do subdelegado do districto de Nossa Se-
nhora das Dures do Pogao, do termo de Cimbres,
de conformidade com a propose de V. S. em
offlcio n. 1,900, de 17 do corrente.
Ao mesmo.Do ordem de S. Exc. o Sr pre-
sutmlv -h provheia, c :n a-ini-o a V S. q:v a s-
ta dau ljcx-a ex^e.lilas as convenientes ordens
a the.-onriria de fazenli, no senlilo de serem pa
gos os vencimentos da forga que conduzio presos
de Bom Conselho para esta capital, segundo soli-
citou V. S. em seu offlcio sob a. 1938.
Ao commandante superio interino de Flores.
-De ordem de S. Exc o Sr. presidente da pro
vincia, communico a V. S. iue nesta data autori-
sou-sea thesouraria de fazenda a pagar a Manoel
de Oliveira Junior a importancia dos prets da forga
destacada na villa de Flores, conforme seu offlcio
de 3 do corrente.
Ao bacharel Francisco Alves da Silva. 0
Exm. Sr. presidente da pr ivincia manda accu-
sar o recebimento do offlcio de V. S., de 21 do
Ao mesmo.Mande V. S. pagar ao parocho,. -----------
jawmmeniado da freguezia da Gloria deGoita, I corrente, m que participa ter nessa data assumi-
do o exercicio da 2* vara de direito civel. desU
comarca.
EXPEDIENTS DO DIA 26 DE NOVEMBRO DE 1673.
1' seer do.
Acto :
0 presidente da provincia, attendeado ao
que requcreu o capitao reformado do-oxercito,
Antonio Maria de Castro Delgado, e tendo em vista
o aviso do ministerio da guerra, de 20 de feverei-
ro ultimo, resolve concederlhe tres mezes de li-
cenca para ir a corte.
Offlcios :
Ao Exm.. bngadaifo- eoawaaadilP -a** *e-
mas.Communico a T. Exc. para souconheci-
mento que, em execugao ao aviso do ministerio
da guerra, de 20 de fevereiro ultimo, ooncedi nesta
data ao capitao reformado do execcito Antonio
Maria de Casiro Delgado tres mazes de licenga
para ir a curie.
Ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar
p6r em liberdade o recruta Dorotheo Gongalves de
Barros, que foi julgado incapaz do servi^o, segun-
do consta do termo de inspeccao annexo ao seu
offlcio de hontem datado, sob n. 1147.
Ao mesmo. Ten lo nesta dat i designado o
Dr. juiz de direizo da 1.* vara Q lintino Jose de
Miranda para servir o lugar de auditor de guerra,
em substituigao do Dr. juiz de direito Manoel Ter-
taliano Tlioraaz Henri \ ios, que foi nomeado des-
embargador da relagao de Cuiaba ; assim o com
raunico a V. Exc. para seu conhecimento.
Ao mesmo.Transraitto.a V. Exc, e em sa-
tistacao ao que solicitou em seu ollieio desta data
sob n. 1152, o incluso passe -na via ferrea do
Caxanga para os tres offlciaes que vao em dili-
gencia a freguezia da Varzea, e de que trata o ci-
tado offlcio.
2.' secgao.
Actos :
0 presidente da provineia, de conformidade
com o disposto no art. 48 da lei n. 602 do 19 de
setembro de 185) e aviso do ministerio da justica,
n. 81, de 13 de fevereiro de 1860, resolve nomear
para a 3.1 companhia do batalhao n. 2 do sarvico
de reserva da guarda nacional do municipio de
Pao d'Alho, que se acha em organisagao, os offl
ciaes seguintes :capitao, o alferes Man>el Alves
de Souza Cavalcanti ; alferes, o guarda Juse Go-
mes de Souza.
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o alferes da 1.* companhia do 8. bata-
lhao de infantaria da guarda nacional.d > munici-
pio do Recife, Antonio de Albuquerque Paes Uar-
reto, e a vista do que informou o respecti/o com-
mandante superior em offlcio n. 7i4 de 22 do cor-
rente, resolve que se de ao mesmo alferes a g tia
de que trata o art. 45 do decrelo n. 1130 do 12
de marco de 18i3 para o de Olinla, onde passou a
residir.
Offlcios:
Ao Dr. chefe de policia.Inteirado do que ex-
po* V. S. era seu offlcio a. 1926, de 22 do corrente,
tenho a dizer-lhe qua nesta data expedi as conve
nientes ordens para serein p-istos a disposigao do
subdelegado de Nossa Senhora do 0', do termo de
Goyanna, 6 pragas do corpo de policia ; esperan-
do que sejam capturados e punidos os enrainosos
a que allude o dito offlcio.
Ao commandante superior do Recife. Mande
V. S. dar ao alferes Antonio de Albuquerque Paes
Dam-in a ffllia, oe line trala n >' CT lo Ov^t-,
o. 1130 de 12 de mar;o de 1850, para o municipio
de Olinda, aonde passou a residir.
Ao juiz de direito de Palmares Informe
Vmc. o que ha relativamente a Bernardo Vieira da
Silva, que se diz processado no termo de Agoa
Prota, onde deve responder aojury.
Ao commandante do corpo de policia Man
de Vmc p6r a disposigao do subdelegado do dis-
tricto de Nossa Senhora do 0'. do termo de Goyan-
na, seis pracas do corpo sob o seu commando para
diligencias policiaes.
3.' secgao.
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda
Achando-se prompto o ultimo dos dous escaleres
mandados censtruir no arsenal de marinha, em
virtuJe de requisiyao do V. S. contida no offlcio de
20 de julho do anno passado sob n. 192 serie A,
para o servico da guarda-moria da alfandega desta
cidade ; assim o communico a V. S., para seu
conhe:imento, e afim de que, a vista da conta jun-
ta em duplicata, mande indemnisar o ministerio
da marinha da quantia de l:575i033, >mportan-
cia da dei-peza feita com a construccao do referi-
do escaler, com > solicita o inspector daquella ar-
senal no offlcio junto por copia.
Ao raesrao. A' vista des prets qne inclusos
remetto, mande V. S. pagar a quem se mostrar
competentemente autorisado, a unporuoeia dos
venciment is das pragas de guarda nacional des a
cadas em Ingazeira durante os mezes de setembro
e outubro ultimo.
Ao mesmo. A' vista do attestado junto em
duplicata, mande V. S. pagar a Joio Raymuudo
Alves Feitosa a gratificacao de 8, a que tem di-
reito como apprehensor do soldado do 9/ bata-
lhao de infantaria, Victor Jos6 de Souza.
Ao mesmo. Teado nesta data designado o
juiz de direito Quintino Jose de Miranda para ser-
vir de auditor de guerra, era substituigao do
juiz de direito Manoel Tertuliano Thomaz Honri-
ques, que deixou o exercicio daquelle cargo por
ter sido nomeado desembargador da relagao de
Cuyaba; assim o communico a V. S. para os fin3
convenientes.
Ao raesrao. -Mande V. S. pagar ao bacharel
Aquilino Gomes Porto a gratificajao a que tem di
reito por ter exercido interinamente as func.oes.
de proinotor public i da comarca da Escada desde
o dia 22 1e setembro a 11 do corrente ; conforme
o attestado incluso.
Ao mesmo. Transmitto a V. S., para os lins
convenientes, a inclusa conta da receita e despeza
da enferaiaria do presidio de Fernando de Noro-
nha, relativos aos mezes de agosto a outubro do
corrente anno, e bem assim o parecer e.n dupli-
cata da junta de inspeccao que examinou as ditas
cootas na fur ma dis ordens em rigor.
- Ao inspector da thesouraria provincial -An
toriso Vmc. a deeidir a reclamapao do D. Joaqui-
na Rosa de Oliveira Pinho Borges, coustante da
petigao que devolvo, no sentido de sua inforraacao
datada de 15 do corrente sob n. 514, com a qual
me conforrao.
Ao mesmo. Em resposta ao seu offlcio da-
tado de 22 do corrente sob n. 529, curopre mu de-
clarar a Vmc. que concordo com o Dr. prscura-
dor fiscal dessa thesouraria, quando opina que, em
vez de se lavrarem protestos contra Eduardo Mor-
nay pela importancia que raanlei pagar ao eige-
nheiro arbitro Charles B. Vignolle, se abra ao re-
ferido Mornay assentamento de divida para 3er
opporiunamente cobrada.
Ao memoMandeVmc. entregar a Jose Fer-
Diinles Mniteiro. arromttaBte da nbr* do rebai-
xamonto da ladeira doTimbo, a quantia do......
2.940*300, constante do incluso certificado, im-
portancia da terceira prestacio que lhe 6 devida,
vis to iuformar o engenheiro chefa da repartigao
das obras publicas em offlcio de 24 deste mez sob
n. 414, haver o referido arrematante feito a eatre-
ga da obra dentro do prazo qne lhe foi concedido,
sera que tiresse incorrido na multa de que trata
o seu offlcio de 13 do corrente sob a. 513, quo
fica assim respondido.
4.' teccto,
Actos:
0 presidente d.i pr >viacia.toado em vista o que
expoz o Dr. director geral da instruccao publica
em offlcio de 22 do corrente, sob a. 338, resolve
pa
r,
exonerar o bacharel, Jose" Joaquim dp Oliveira
Fooceca do cargo de delegado litteraaio do l.# dis-
tricto da freguezia de^^ossa Senhora da.Gcaca da
Capunga, pur assim o haver pedido.
i 0 presidente da. provincia, tendo- em vista a
proposta do Dr. director geral da instruccao pu-
blioa am offlcio de i. do corrente, sob. u. 338, re-
solve, de couformidade com o art. 7.* da lei u.
369, de 14 de maio de 1855, nomear o vigario At
freguezia; de Nossa Senhora da Grxga da Capun-
ga, Rvd. Augusio- franklin Moreira da Silva
para exaccer o lugar de delegado btterario do 1."
aUfWU. mawft.. tragu^zia.
Offlcios:
Ao Exm. Sr. vjsconde de Camaragibe, direc-
tor da faculdade de direito do Recife. Coavido
V. Exc. para assistir ao cortejo que ueste palacio
se (em de fazer a. effigie de S. M o Imperador as
5 boras da tarde- do dia 2 do dezembro viudouro,
anoiversario natelicio do mesmo augustu senh >r.
Ao director geral da instrucgao publica.
ReoKtio a Via;-, para seu conhecimento, copia do
acto de 18 do corrente, pelo qual resolvi .iddir ao
gyiMasio provin :ial o professor da fxtincta ca-
deira do latiia da freguezia de S. Jo?e desta ci-
dadfj Manoel Francisco Coalho.
Ao mesjiao -Junto achara Vine os autos do
recorso uiterposto pelo professor Simplicio da
Cruz Rihatro ; ficando assim satisfeito o que solici-
ta essa liirecturia em offlcio de 20 do corrente,
sob n. 330
Ao provedor interino da Santa Casa de Mise-
ricordia. Em resposta ao offlcio de Vmc.de 21
do corroate, sob n. 658, tenho a dizer que fica
approvada a deliberagao tomada pela junta admi-
nistrate va dessa Santa Casa de conceder a An-
tonio Alves da Oliveira a entrega de sua irmi e
tutelada Anna de Oliveira, educanda do coilegio
das orphaas.
Ao 2." juiz de paz do l. districto da fregue-
zia do Liuioeiro. Nesta data tenho .designado a
segunda duminga de Janeiro proximo para ter
lugar a eleicao de juiz de paz e vereadores nessa
freguezia, beracomo na de Tuiuaretinga, devendo
a d'aquella ser fciu pela qualiiica.ao de 1871, e a
desta pela do corrente anno. Fica assim respon-
didao offlcio de Vmc, de 23 deste mez.
-i Ao juiz de paz mais vutado da freguezia de
Taquaretinga.-Declaro a Vine, que a eleifio de
juizes da paz e vereadores devera ter lugar nessa
freguezi- na segunda dominga de Janeiro proxi
mo, dia que nesta data designo para elfectuar-se
igu'al eleica> na freguezia do Limoeiro. Cumpre
accrescentar que teuho expeJido ordens nesto
seutidu a camara municipal do Limoeiro, atim de
que remetta a Vmc a qualificavao deste anno,
pela qual devera -er feita a eleigao.
P irtarias: _
A' lllm.' camara municipal do Recife. -Con-
cedo a aut-n-agao p did a pela lllm.* camara mu-
nicipal do Recife em offlcio de 19 do orreite, sob
n. 112, para despenJer pur cr nta da verba even-
tuaes> a quantia de 1:000*000 com a arborisar.io
da-cidale. <
A" camara municipal da villa de Ipojuca.
Nao tendo ate p preseute prestado jurameiito o 4."
juiz da paz eleito do I.* districto da villa de Ipo-
juca, recommendo a rospectiva camara muuici-
qua som perda da tempo de cumprimento,
i paries nao coiitinuem a ser prejudicadas em
seus direitos por semelhante falia.
__ A camara municipal da villa do Limoeiro. -
Fica sera effeito o meu offlcio de 21 do corrente
marcando a 3.* dominga de dezembro vindourc"
para ter lugar a eleicao de juizes de paz e verea-
dores da villa do Limoeiro, e designada para a dita
etoicao a segunda dominga de Janeiro proximo
curaprinli a camara municipal da mesma villa,
expidir ordens no sentido de, no dia novameute
lesignado, ter lugar tatubem igual eleigao na fre-
guezi?. de Taquaretinga. Couvem declarar ainda
a mesma camara que a eleigao do Limoeiro de-
vera ser feita pela qualiflcagao de 1871, e a de
Taquarelin"a pela deste anno cujas, authenticas
sollicitara em tempo desta presidencia, case seja
_ a" camara municipalda villade Palmares.
Nao tento ate o presente prestado juramento oj
V 3 e 4* juizes de paz eleilos na freguezia >te
\iua Preta, recomineudo a camara municipal da
villa de Palmares que sem perda de tempo de
cumpriioento, relativamente aquelles juizes, ao dis-
posto no final do artigo 105 da lei de 19 do agosto
de 1846, afim de que as partes nao venham a
ser prejudicadas por semelhante falta.
5." secgao.
0 presidente da provincia, attendendo ao que
represeataram varios proprietarios, residentes na
fregaezia de Timbadba, *"""*> a construe
raodaestrada de ferro de Goyanna aqoeUa fre-
guez.a e tendo em vista as razqes apresentadas
peTo engenheiro chefa da ireparlicao das obras pu-
blicas, constantes de seu offlcio deildo corrente,
sob n 40J, eo pareeer do Dr. Manoel de Barros
Barren, resolve que Ii quern sera effeito as ptopos-
Kos bachareis. Miguel daP'Retrda Far.a e .Jer-
vazio Rodrigues Campelo. Mkn v.rtuda
da execugaS da lei n. M. de 17 da junho deste
anno para a construccao da refenda estrada
ale qu!, a assemble* UJM provincial, a
cujo conhecimento sera submettida a materia, re
solva a respeilo.
0 preiidente da provincia, attendeido ao que
requereu o tenente coronal Jose de Moraes Gomes
. Ferreira, arremataate das obras do 6 lango da
ramilicgao da estrada do sul, teado em vista a
informagao do engenheiro chefe da repartigao das
o^ras publicas, de 18 do corrente sob n. 409, re-
solve conceder lhe mais o prazo improrogavei de
tres mezes para a conclusao das ditas obras, e re
leva-lo da raulu em que incorreu por nao te las
concluido dentro do prazo que lhe foi ultimaraen-
te marcado. Esta sera apresentada aas estagoes
competences.
Offlcios :
Ao enjenheiro chefe da raparticao das obras
publicas.-Devolvo a Vmc. as represenlagoes que
me dirigirara o gerente da companhia e alguns
rooradores de Beberibe, e a que se referem seus
offlcios de 24 deste mez sob ns. 415 e 41b, para
que informe si procedeu pessoalmenle ao exame
que lhe foi determinado era 17 do dito mez.
Ao presidente da junta de emaneipacao de
escravos do municipio do Bom Conselho -Inteira-
do do quo expSe em seu offlcio de 14 do corrente,
tenho a dizer-lhe que os livros de que trata Vmc.
em seu citado offlcio ji se aeham em poder do
agenle do corroio dessa villa desde 18 deste mez,
como consta do recibo passado pelo mesmo agente,
e me foi comraunicado pelo admlnistrador dos cor-
reios em offlcio de hontem datado.
Poi tarias:
0 Sr. gerente da companhia pernambucana
mania du* r>asagem pur conta do ministerio da
justiga, a proa do prim 'iro vapor dessa companhia
quo seguir pa.-a o presidio de Fernando de Noro
nha, a Camilla Maria d >s Anjos, mulher de Hen-
rique Cardozo da Cruz, o qual vai alii cumprir
sentenca.
03 Srs. agontes da companhia de navegacao
brasileira mandem dar pissagetn para a c6rte por
conta do ministerio da guerra, no vapor esperado
do norte, ao capi'ao reformado do exercito, Anto-
nio Maria de Castro Delgado.
EXPEDIENTS DO SECBETARIO.
i* seccao.
Offlcios: ,
1 Ao Exm. brigadeiro wmma.ni.iata a as-j[
rafts.-O Exm. Sr. presidente da provincia manda
declarar a V. Exc, em resposta ao seu offlcio de.
hunt -m datado, sob n. t,l3!>, que a thesouraria de
fazenda foi autorisada a pagar a Joao Rayraundo
Alves Feitosa a gratilieagao a que tem direito
como apprahensor do soldado desertor do 9' bata-
lhao de infantaria, Victor Jose" de Souza.
- Ao mesmo. -S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda communicar a V. Exc, para os tins
convenientes, que ao recruta Francisco Jose de
Souza foram concedidos por despacho desta data
viola dias para provar iseocao legal.
- 2' seccdo.
Offlcios :
- Ao commandante superior de Pa> d'Alho.
O Exm. Sr. prasidante da provincia manda decla-
rar a V. S para os dnvldos tins, que por p rtaria
de hoje foram nomeado* para a 2* secgao do ser-
vigo de reserva da guarda nacional desse munici-
pio os offlciaes const-ante* da relagao junta.
Ao commandante superior de Flores. 0'
Exm. Sr. presidenie da. provincia manda eommu
nicar a V. S. que nesta data expedio as neces*a-
sias ordens a ttie-oupam de fazeuda, no sentido de
serem pagos os venrimenios das pra..as de guarda
nacional destacadas na villa de Ingazeira duraate
os mezes de setembro e outubm ultimo;, na con-
formidade do que solicitou V. S. em sen offlciu
datado de I do corrente.
Ao juiz de direito da comarca d-. Cabo. 0
Exm. Sr. presidente da provincia manda accusar
e recebimento do offlcio de V. S.. d9 24 do corren
te, em que particifia ter adiado oara o ilia 1 de
dezembro proximo fultiro a reuniao da 4* bassi-i
judiciaria do jury do Cabo. por estar gnssaado
nessa villa, com intensidade, a variola.
DBSPVCaOS DA l'.IESID.C.NinA. DB 14 Di tEVERKIRO M
1874.
Amcrico de-Sa e Albuquerque.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Antonio Jo6 de Moraes Sarmento Passe por-
taria concedeod) a licenga pedida com ordenado.
Antonio de Menezes Cysneiro Bandeirade Mello.
-Sim.
Companhia franceza de paqnetes a vapor Mes -
sageries Maritim-s. Seja romettido ao Sr. inspec-
tor da thesouraria provincial para satisfazer a sup
plicante.
Clemencia e Ignaeia. Ao promotor publico da
comarca do Cabo pan requerer o qua fir a bem
das supplicantes, na forma da lei.
Elias Jose do Carmo. -Informe o Sr. Dr. chefe
de polioia.
Francisco Goedei Ban lei'a Mcrgulhao. Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Francisco da Silva Miranda. Dcferido cm offl-
cio desta data dirigido ao Sr. inspector da the-
souraria provincial
Capitao FirminoTheotonio da Camara Santiago.
-Infirme o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Joaquim Ignacio da Fonceca. Declare o sup
plicante qual o objecto da petigao a que allu le.
Coronel Joaquim Cavalcante de Albuquerque. -
Informe o Sr. Dr director das obras publicas.
Jose Mathias de Araujo Lias.-Sim, era termos.
Joaquim Pi res da Silva. Coacedo a liceaga pe
dida, com ordenado.
. i...i riiiMiain ikLiMnU _.r4iin.i reamer.
Miguel Felippe de Souza Leao.-X MB ao que
informa a thesouraria, nada ha a deferir.
Manuel Henrique Pereir da ?ilva. Dirija-se a
thesouraria, a quem se offlcia nesta data.
Tertuliano Carneiro da Cunlia e Albuquerque.
Como requer.
Ilcjiiirtit'au da policia.
2.* seccao.Secretaria de policia de Pernambuco,
16 de fevereiro de 1874.
X. 230. -lllm. e Exm. Sr.-Participo a V. Exc
que foram rec.lhidos adetngao os radividuos se-
guintes :
No dia 14 do corrente, aminha ordem, a desasi-
sada Maria de til. ate tar o devi.lo destino.
A' ordem do Dr. juiz subr-tituto do 4* districto
erininai, lleraentino Machado Breves, por crime
de roubo.
A' ordem do subdelegado do 1 districto de S.
Jose, Honorio Jose da Cunha e Ilermelinda Rosali-
na do Amor Divino, por disturbios, e Luiza, escra-
va de Joaquim Januario Nunes da Silva, por ter
sido encontrada depois denove horas danoila sem
bilnete de seu senhor. .
A' ordem do da Boa Vista, Josd Gomes Ribeiro,
pres6 cm flagrante, por crime de raorte.
No dia 15, nio foi recolhida pessoa alguma
aquella casa.
Deus guardo a V. Exc. -lllm. e Exm. Sr. com-
raendador Henrique Pereira de Lucena, dignissi-
mo presidente da provincia. -0 chefe de poiicia,
Antonio Franc sco Corrtia de Araujo
INTERIOR.
RIO DE J.WEIRO
0 APOSTOLO.
Abaixou em um ponto o diapasao,
Asaalariados, descortezes e ignorantes : -sao as
unicas qualificagoes que rae-ecemos a Rev. redae-
gao no ultimo numero do periodico puolicado sob
os auspicios de S. Exc. o Sr. D. Pedro Maria de
Lacerda.
Por ahi avatiem os que tem a fortuna de nao
ler ./periodic > episcopal qual e a sua habitual
linguagera.
Como estes beduinos de 3otaina se atiram as
caravanas que encontram no caminho Tanto
por tanto : e como eHes cemprehendera a dedi-
cacao!
0 Sr. D. Pedro de Lacerda nao medio ainda
bem o que esta fazendo em desservico da causa
catholica. S. Exc. nao se racolheu ainda comsigo
mesmo para pensar uma vez qne uma Iraprensa,
consagrada aos inieresses da religiao e declarada-
mente mantida sob os auspicios do um bispo ca-
tholico, nao deve ser a priraeira a dar o triste
exemplo da immoderacao da linguagem, de injus-
tificaveis demasias. de irritantes rererencias a
quantos combate. .
Quer S. Exc. saber como uma iraprensa religio-
sa pole ser um instrument para a defeza da fe i
E" como faz em Franca o Univers, era Dublin o
MM, em Roma a Civittd Catholico ; e como fez
sempre o Nottciador Catholico dos bons tempos de
D. Romualdo Antonio de Seixas, a Tribuni Calho
lica aqui no Rio de Janeiro, este mesmo Apostolo
nos seus -primeiros annos de existencia, em Per-
nambuco o Progretsoe um outro erudito periodi
co que viveu longo tempo e le que nos ficou uma
preciosa colleccao em 5 volumes.
Confront* os V. Exc. com o periodico que ainda
hoje declara viver sob a influenza moral do Sr.
bispo, e que ja corarnette um sacrilegio com o do
nominar-se Apostolo, e pelo menes nio permitta
que o seu nome, e mais que o seu nome, a sua
clevada dignidade de bispo diocesano, saja invoca -
da no frontespicio de uma tal gazeta.
Ha defeza9, Sr. bispo, que nao defendem.
Os que invocara a influencia moral de V. Exc,
trahom-no manife9tamente, trahindo a verdade.
E se nao, veja-o V. Exc.
N6s tinhamos escripto quo bispos de outr'ora
defendiara a causa catholica n'uma iraprensa era-
dita e altamante miralisada.
Eis aqui. Sr. bispo, mo nos responderara :
Os bispos de outr'ora nao tinham a illustragao dos
de hoje, 03 raeios moraes, materiaes e inteiiec-
tcaes do actual episcopado ; nem havia mesBKi
entto uma imprensa reiigiosa.
Seja V. Exc. o |uiz neste ponto
loterrogue-lbes V. Ex. se o Noticiador Catku-
lico nio 6 um antigo e vasto repertorio do dootri-
ua, de eruilii'.Au. de exegese catholica; se a Tr#w-
na Ciitholica, orgio do Instituto Episcopal Reli|ro-
90 do Rio de Janeiro, nao deixou grata recorda-
i; hi nos annacs desta diocese ; se o Pmyream de
Pernambuco, publicado de 1837 a 1861, nio me-
receu os mais claros e publicos testenranhos d
aprego do veneravel marquez de Santa Cruz e
do sen anecesMr^Da cadeira arrhi episcopal no
tempo em ipia, siinles D. Manoel Joaquim da
Silveira, aiJminislrava a diocese do Maraohao ; se
a Verdade, publicada nessa mesma provioria du-
rante annos, e em era ainda mais aparlada, nio
h mra a memorU de im illnsire r -dartir. o sa-
ino e modest > padre Francisco Jus.- Tavaras da
'iama, do seu activo- collaborador padre Francisco
Ferreira Barreto, jadito naquelle tempo o Bo^soet
brasileirj, e de outros que nao viria a ponto no-
mear.
Era a homons toes, Sr. bispo, que estava eMoa
entregue a imprensa reiigiosa. Os <|ae V. Etc.
bem inlencionadamente assalaria, sao pelo meaos
sinceros i|uando eonf-'ssam que uada tem de coin-
mum com essa imprensa que nao conhecetn.
Jomoa imitariam elle- '
Caus >u-nos profunda magoa Sr. bispo, qne, son
os auspicios de V. Exc, se tenha escripto que os
bispos de outr'ora nao tinhorn a illnstrarao do-
le hoje new os meins m/>ri. m-iterinn $ i'n'elftr-
tuaes de qne tin nossns dint dispoe o episenpodo.
Nao se insalta assim a verdade da histuria 1
Ainda quando o episcopado de hoje se avanta-
jasse ao de outros tempos ?in illustra'.-io, que em
v nude e sobreludo em piedade, sna tetneraho
a juste de preferencia. nao seria V. Exc o mais
competente para julgar om lamanha severidade
dus sens ir.naos de ap oram por V. Exc. para que o Espiriio-Santo o es-
colha, como fez ao Sr. bispo de Marianna, para
seu orgao.
V. Exc. Sr. bispo, e virtuoso, moderado, pru-
dente, muito prudente, mas nio ha de ser na ga
leria dos bispos sabios que lhe sera reservado
um lugar.
Como e, poi-, que julga ou man-la julgardeil
lustradissiraos predecessores naquelle torn severoT
Ao escrever ou maudar escrever aquillo, V. Bxc
esqueceu-se de que. nessa sua cadeira episcopal
em que os seus mais arlentw admiradores vein
hoje um bispo discreto e conteraporisador, ass*o-
lou-so o coode de I raja....; nem levarerno-
atiante o confronto que o Apostolo talex muito
de industria provocou pira aquellas insidiosas
palavras.
0 Sr. conde de S. Salvador e hoje o metropo-
hta do Brasil. Mas o seu antecessor cbamou-se
D. Rumualdo Antonio de Seixas, inorto marquez
de Santa (,ruz.
Em quanto D. Romualdo perdera nos sens no-
merosos escriotos, em que a elegancia da dieeio
disputa debalde primazia a ligao dos livros aa-
grados e as mais bem ediflcadas convicvoea d
Sr. conde de 5. Salvador apenas conhe^e. aleoi de
pastoraes que nao passarao a posterida>1e, nm.a
representarao dirigida do Maranhio ao govarao
Nao tTufUmente do veneravel metropoliu qn-
o Apostolo disse ser superior em illnstrarSo ao.-
bispos de outr'ora.
0 actual Sr. bispo de S. Paulo a quem a gazeta
episcopal chaina mais bramlo do qne os tempos
comportam, succedeu a D. Antonio Joa |uim Mello, um varao piissimo, extreniamente modest"
e grandemento versalo em sciencias ecrlesiasticas
Nao se distinguindo peh priraor da formv a pas-
toraes de D. Antonio sao ricas de erudicio do*
livros sngrados.
D. Jos6 Affonso de Moraes Torres, bispo resi-
natario do Para, vale bem o Sr. D. Antonio Ma
cedo da Costa.
0 Sr. D. Vital teve predecessores do vutlo de
D. Ji.se Joaquim de Azeredo Continho e, em tempt
muito recente, do merecimento de D. Francises
Cardoso Ay res que simples padre, e ainda mnitu
joven, foi chamado a reger uma cadeira de theo-
logia em Franca, raerecendo ao sabio abbade Ros-
mini mais de uma distincta mengao.
Taes sao, para nao levar adiaote o confronto.
os bispos que o Apostolo oua julgar soraenos dos
de hoje em illustragio.
Vejaraos agora, Sr. D. Lacerda, era que V. Exc
e os seus collegas se avantajam aos bispos dV
outr'ora, cm mews morcet, materiaes e iniellec-
t*oes,
Os meios moraes e inlellectuaes a disposieao de
um bispo sao a tribuna, o confissionario, a im
prensa.
Nos nio conhecemos outros. salvo se por meios
moraes devemos entender a influencia e o presti-
gio episcopal, a que naturalmente correspondem o
amor e o respeilo dos diocesanos.
Tem V. Exc. a influencia e o prestigio que
conde de Iraja soube exercer *
Gosa V. Exc. do amor e respeilo a que sua.-
virtudes e alt dignidade lne dao alias direito r
Segundo as proprias palavras uo Apostolo neaae
mesmo numero do dia 16, em que attribute- a V.
Exc ler concedido, contra todas as regras de di-
reito canonico, amplas faculdades jurisdiccionae*
a om bispo estranho a diocese, qual era e e o Sr.
D. Vital, eis a que esti reduzida a diocese qua J.
Exc. administra : -corte carcomida de corrupc*'
e baixeza ; corte envenenala peio atheisroo, p*la
impiedade e pelo egoisrao ; curie dominada par
uma maldita poli'ica de anlicos, magons e cneac-
politas j cdrte que se divide em *s*ravos doCeaar-
poder, do Cesar-magon e do Cesar^Miro.
Attenda, Sr. D. Lac-rda, que nio fica am *>
escravo para o Cesar-bispo !
Nesse mesmo numero do seu periodico, dixia-ae
da mocidade que, si apedreja ao Sr. U. vital,-
porque nao lem exemplos de moralidade que pofta
imitar e ni> lem educacio reiigiosa.
Depois deste doloroso quadro, Sr. bispo. \. Ktr.
nio pode pretender que tem por si o amor o
respeito de sua diocese.
Menos ainda que V. Exc. o pode pretender o Sr
D. Vital. Nao foi debalde que S. Exc. aantio a
necessidade de despertar uma certa cunoadaut.
tentando atravessar as ruas Recife paramenudo
com as vestes episcopaes. Era-lhe preciso supprtr
o verdadeiro vacuo que se fizera em torno do claet*
da diocese. m_
Nao entrevia tal vez S. Exc que nada na. qoe
suppra o amor
Era todo caso, Sr. bispo, e justo re-,onhecar qae
nenhuina superior! Jade fica aos bispos de h->|e. no
qne diz res-peito aos meios mnraes.
Dos intellectuaes e uma impru lencia *
0 que e feito dessa tribuna sagraJa. W*?
om qua Monte-Alverne queimou os olhoa, eCT
frouxo claran de hoje nJo allumii senae l4-
ninos vnltos cent que a celebndade mo tem one
VeOnde estii os S. Carlos. Sampaio Soaja CaHa*,
Ferreira Barreto, de nosso tempo -
0 conflssionario e sempre o confissionario M*--
o que 6" feito das ordens regulares do Bras
qne o confissionario e a tribuua de outra
pediam uma activa collaboracio ?
Bern ?abe no3 que nio foi V. Exc a
as portas dos c mventos. Mas, se mvoc mc
facto, & somente para provar que o epise
hoje nio tem sobre o da outras eras nealmma ra-
zao desuperioridade e quanto aos meios miens*-
[tuaes de accao.

L
\

I
\


*- -
'IBMki^ft^Peraanibuco Tenja f|ira 17 dt*Fevereir de 1-874.
A/
==r
V. Excnio nos levaria a bcm s^ M^tfl- "lEalltfciaVirV *niat *!< ^aWM$Mb
I
;.!
*
-;,-
F
palavras
Marques
lasserhos aiadafittaa vez pela sua imprensa.. "Ella
e uma WaW*-*riga do actual .regimen eprs
E' debalde^lSr.'^).1 Laeerda, qua esta sera im-
prensa se desdh1pt'#e seas excesso* pela qnalida
de dos contendores a qucm combate. No dia em
qua a imprensa dc V. EiC. desse o exemplo de
moderacao e respeito bs qtte julg* advwsarios,
nos saberiamos respeittla.
|as, deixemos esle ponte.
ara justiticar a tta those da ser o artaal epis-
ido superior em iltastraeao ao de outros tem-
r J, escreveu se peJo Ap >stolo one os bispos de
entao publkavam o&tat que a igreja fcpoit vepro-
vava ou cempunhn'm escrtptos qne dies ptvprios
condemnavam e (aziam com empenko retlrar da
trculac Cremos que a allusSo eorrtida nestas
referese ao conde de Iraja e a D Joao
di Purificacao Perdigao.
Se alguma phrase ou dontrina do conde de Ira-
ja mereceu reprovacao da igreja, eminentissiraos
escriptores, e algans dettes gesaudo a* auteridade
de um.Origenea, a torn merecido. A's severidades
da congrcga^ao do Index dIo escapou o Genie do
Chrislianismo, a apologia mais oppnrtuna que ji
0 chrisfianismo teve, o livro bue mats iufluencia
talvez exeroeu era no?so seculo -obre os costumes
de uma grande sociedade ; nio Ihes escapou lam-
bem o Ensaio sobie a indifferenca em mateiia re-
ligiosa do ahbade Lamennau, um livro que passon
a posteridade e chjo primeiro volume mereeera a
Santa Se o mais favoravel acolhknenio.
Has porque uma phrase, ou uma doutrina 8e-
4endirfa pHu conde ds Iraja, iocorreu na eensura
da congregacao do Index, ninguem reputa mentis
o veneravel bispo como um luzairo da igreja do
Brasil.
A segnnd* allujaa referese, provnvelnjfinte. a
ora breve opuseulo publievlo, ha lalvez nns 25 an-
nos* pelo finado bispo D. Joao com o>titalo : Op.vs-
TOR E A OVBMIA.
- E' cento que tendo se feito uma pequem lira-
gem de -esempiares, sao *jje rarissimeg. 0 facto,
fue n*o tetnos por aTeriguado, de ter o piedoso
ulor retirauo- o livro 4a circulapn, nao pode ser
invocadfl-senw em abono de sen *em sens. Ti-
-Mfessem-no outrosifli grao lab desenvolvido c qui-
zp-sBin Roste particular e em nwtitos outros imitar
o pio varab.-e fariam outro tante a respeito de pe-
danteseas dissertaQoos em que e acclamam per
temi-densts nngidns por Constantino.
0 pastor mi dvelha do finado D. Joao esta mui-
*o loaga de ser umJivro proprio de nosso seoulo.
Tratando um aBsumpto escabroso, cliega por ve-
ees a offender o pudor. Mas, irreprebensivel
quanto a doutrina sobre que os easnistas da igre-
ja nao teem Joao nao mereco, por esle lado ao menos, arder na
fbgueira Foi Sanchez um illutre jesuiia a quem chpgou
a oabor adirecpao do noviciado de Granada. V'eio-
lhe, entretanto, grande repatecao do traado De
matrtmenio, em que evideniemenle se inspircn o
t)iedo?o prclado brasHeiro, e no qual sio disonti-
das com a maxima gravidade, grande copia de
erndfeoas, as tiieses mais repugoante?.
I>. J-iao, fez sem duvi.Ia reiirar o sea livro, se o
fez. mais por ser eseripta na lingua vcrnacnla e
podor cahir sob os tdhns indiscretos, do que em
razaV) da doutrina que deft-ndia.
Ese bispo, sobre csja memoiia se tenta por
e&segeilo lancar uma n^doa, foi alias um sanio
prolado, piissimo que dcixou em sua ontao mu'to
vasla dio'eso a mais dnravel Fecorda^ao. 0 Bra-
sil nao teve l)ispo mais virtuoso nem mais querido
da sou rebanlw. Haroa terao sido como elle des-
pri'iulidos dos bens terrcnos.
Eis alii, entretanto, como o Apostolo tenta Jos-
fiear essa supno-ta superioridade de bispos de
b<>ie sobre bispos de hontem.
Roferindo se a missao Penedo e a solu;5o
|ue obtevp, faz de novo o Apostolo estirados
commentarios sobre o moJo pelo qual a .Vnfao
o Jornnl do Commerciu se jalgaram ha&ilitados
aannuncial-a.
tie essa soluvao, diz o Apostolo, apenas constara
em iJ>boa par um telegramma enviado de Roma
.i Paris, como pode um cavalheiro, e cavalheiro
iltastre, pmstar-ves informacoes que vo3 autori-
.-tassem a fallar de um accordo honroso e satis-
factorio ?
0 tempo se eneairegara de responder ao.lpoj-
Io/ quo no* perraUtir.i nao aceitar uma disoussao
com qae a nc ssa questao nao torn que ver. Se
o paqnete, qu foi portador do telegrarama de 29
4*dez .i"iil.ii i-ail.i da missao Penedo, as datas o dirao
opportunainente.
Em lodo o caso e tactir.a ja sedica attribuir, ao
governo, ou a sua inspirayao, asH>B o que nos
escrevemos, como o qae o Jorwat do Commercio
tsereve.
que mnmbroH habilmentc, indilferente e qae a
altrihuam ao nosso amigo monsenhor Pinto de
Campos on a outro qualqr.er cavalheiro.
Oaem nao pode responder por olla, e o governo.
Nem ea carta nos paiece lao bcm iuformada
irue, por uossa parte, vejamos nella inspira^ao do
governo. Ahi affirma-se, nor exemplo, que o bre-
ve pontificio dirigido aos bispos comeca pelas pa-
lavras : Geata tua non laudanlur, em quanto 3e
nos Jiz que esse acto, cORsagrando taes palavras
no texlo, nSo comeca por ell as.
Mas o Aptidolo eonvira que cstamos, uns e on-
tros a perder tempo com as nossas eonjeciuras.
A oppoi tuna piiblicai;ao do breve, ou do accordo,
vera reslubt-leeer a verdade alterada pelas versoes
que ahi correni, e enliio saberemos se a Santa Se
appro^ou ou desapprovou os act03 do Sr. bispo de
Otinda e quaes-rugras firmou.
Dando de mao a esse assumpto, nos parece ja
agora convenient nil deixar sem um ligeiro re
paro o que iliz o Ap'Siolo sobre o breve de 29 de
maio que, em ?eu conceito approvuu plenamente
as severidades exercidas pelo Sr. bispo da Otinda
Bontra irmandades e confrarias da cidade do lte
eife.
Approvas>e-as ou nao, pouco iraporlaria ao easo
da missao Penedo.
0 exito desta missiio seria tanto mais dilliici
digno de ser acolhido com applauso se hoavesse
tentado e obtido lornar uenhuma uma decisao re-
cente da Santa Se.
Nao a mis, ma^ ao Apostolo correria ne*te caso
o devcr de tranquilisar as eonsciencias catholica
explincando-lhes como < natural qae, do maio a
dezembro, o jnizo da Santa Se se tenlia raodificado
tao profundamente anm grave assumpto.
Mas nao foi de halde que o Sr. minisiro do im
perio declaroia ver no breve Quanvmam doloret
impliclla desapprovacao das actoado Sr. D. Vital.
Se o santo nadre por esse breve concede a aos
bispos amplas faculdades para dissolver irmanda-
des, e crear ontras, estraanou ao mesmo tempo
^ne nao se hoavesse recorriio aos meios brandos
suasorios.
Logo, a meuos que se attribua a Pio li a esto-
lida intengao de applicar em um caso dado reme-
dies ainda mais graves do qae ayaelles que de
sejaria nao ver applicados senao mediante condi
cfies, nio pode ser duvidoeo que o pensamenlo do
breve Quamquam dolores fui mui to different^ do
qne Ibe attribue o Sr. D. Vital.
Se taes eondi?oes eram de exigir, no alto juizo
de Pio IX, para o emprego opportuno dos iBter
dieios, muito mais deveriam sel-o ao tratar-ee da
plica^ao de pena mais severa qual a dissulu;ao
i irmandades.
0 Apostolo vai assim collocar-se na .mais difBei
dasnosigoes.
Deflde que se annuncia uma decisao 4o Vaticano
^m quo e.-t.is palavras Gesta lud non Inv.dantur
podem ser lidas, o dever do oraao episcopal era
sperar em respeitoso silencio qae se Uzesse ouvir
& vox do chefe da igreja.
As vas conjeeturas do orgao episcopal podem
wdueti-o a dolorosa necessulade de dizernos ama-
cha em abono de sua orthodoxia e louvavel sub
missao ao juizo da Santa Se : Erramos dc^Io-
ravelniente ; tanto e certo que em 29 de maio nao
approvou a Santa Se as severidades do Sr. D, Vi-
til, que o chefe do catrioticismo Ih'as estranha
a'um torn paternalmente severo, mandando lhe
que reponha as cousas no sea primeiro eslado.
O Apestol) ainda accreseenxariae provavelrnente
accrecentara: Nao foi debalde que o Sr. bjspo
D. Vital, ao annunciar a sua eleicao a igreja de
Olinda, rocordou seT apenos um joven inexperienle.
5 fflustre prelado pagou a ilade esse tributo ds
<|oe a dignidads episcopal nio o havia eximir.
Erron. Mas, eonvencido do ter errado, vai dar a
sna igreja e ao mando o mais edificante exemplo
de dodlidado.
Nesinia o Apostclo eates perigos que vai crean-
do, e,.r.iciocinando m8ao#, menos tambem se ex-
p
fiiz o Apostolo, que Uaspnemamos contra o
dogma*da in/allibilidade em nosso ultimo artigo.
Se alguem blasphemou, entretanto, foi o Apos-
tolo, ao kjlar-nos em Itnpossivtl moral.
E' crjm effeito uma temeridade tentar a intelli-
seneia fallivel tracar raias a iatelligencia infal-
iire!.
cjr*r.em nm eett-j numero^ o[*cacoes,.*'Bj^.
4 pariilha da numauiJafte, laes operacfles na^
\iolem ser suSmeAidas* em'sou' exereicfo as'rcgrts
qne reguraiH as do entendimeato hum.tiK*.
Sobrassenos tempo,, e mostrariamos ao Ulustre
escriptor que.era cada uma das operacdes do espiri-
to humaao, esta Tatalmente marcado o sello da falli-
bilidade. Se ha, portanto na intelligeneia infal-
livel aobre ateffa, elia nao Brecede, emquanto iu-
fallive4, peloe procesaos natnraes do espiri to.
i'.omo aitfc^imos nos a verdade ?
Pendo de parte a revela^.-ao, que nao 6 um pro
ce-sso, aas umdom extraordlnario e sobrenatnral,
nao pdde o espirito fallivel alcaocar a verdade
senito por eaie lantos meios que se chamam I
observacao, a abstraccio, a induegio, a deduccao, a
generalisio e o raciontnio. Sao os elementos na-
turaes do juizo.
Ora, uma induccao infallivel, uma generalisa^ao
iofallivel e um racioctaio iarallirel, seriam con-
tradiccfos nos tcrmos. Indux, generalisa e racio
cina o espirito f dlivel, porque rfto possne a verda-
de por iaspira?ao.
0 espirito infallivel nao tem necessidade do re-
correr a taes operacoes. Elle recebe a verdade
toda feita. 0 sen proce'sso 6 a intuicao.^
Dahi conclne-se em boa logica qae, nao sendo
identicas as opera?5es do espirito fallivel e do es-
pirito infallivel, e baldado esforen da razao impor
limites a infallibilidade, dizendo ir.e : Aqui co-
meca o impossivel moral.
Nao era um impossivel moral para o nosso es-
pirito que um ser finito, eontingente e relative^se
senlisso InvestTdo de um attribute de ser inflnlto,
necessarro e absolnto f
Mas o qne era ate bem pouco tempo nm impos-
sivel moral convertau-se n'uma estupenda reali-
dade pela dellnicao do novo dogma da infalli-
bihdade.
Mo ha, peis tmpessiveit moraes.
Consulte o Apostolo ao Sr. U. Lacerda e elk,
qne 6 sabedr destas cousas, lh'a explieara com-
pridamente.
Mas o Apostolo tomou a'nuvcm por Juno (tole-
rada a irrevwencia) e cahio dizendo que blasphe-
mamus contra o dogma %
N6s tinhamos, entretanto, sustentado o que
igreia sempre ensinou ; e e que nao ba dogmas
velrios nem dogmas-novos, que nao ha mesmo um
tempo em qae o dogma comeca, que o dogma que
e Iroje existio em todos os tempos, com a unica
differenija de que nem todo o tempo e tempo para
todas as verdades.
De defender o eontrano foi Theodoro Jouffroy
tido por impio, e impios sao todos, nao ex<;luiodo o
.lposforo, qae o contrario defendem.
Soubessc Roma que o Clama Hague clama ne
cesses, da carta de Pio IX esta sendo assim eaten-
dido e pratieado e certo nao se faria demorar
algum Gesta ttta non laudantur I
E" curioso esle Apostolol Como disse-
mos, copiando os termos do telegramma que o Sr.
barao de Penedo fOra bem succedido na sua mis-
sao em Roma, aeudio a observar-nos que, existindo
na cidade dns-sete collroas dous governos de facto,
odoQuirinal e o do Vaticano, o tal telegramma
comeca por ser bastantemente explicito.
Quando, portanto, o Apostolo nos vier repetindo
a famosa maxima: ttoma Ucuta est, licar-nos-ha
o direito de perguntar-lhe- de qual Roma cogita.
Nem sera de estranhar que o Quirinal se a pro-
prio a maxima quando a Allemanha ja crcou
estoutra : Germania locata est.
Devemos, ao terminar, uma observacao ao
orgao episcopal sobre a rectificacao que nos deu
das palavras :os escnptos do Sr. D. Ltcerdu
protestando contra as violencias do itlustre pre-
lado de Ohnda.
Diz o Apostolo que, tendose escriptoviolen-
cms ile gue e victtma,-compoi-se(iolenoiasdo
ilhtstrt prelado,
Na Ilistoria da imprensa, de M. Paul Dupont,
mais de um analogo caso se encontra era que a
transposicao e omissao de lettras e palavras tem
alterado t'iio profundamente o pensamenio do aulor
que lhe fazem dizcr o contrario do que teve em
mente.
Assim foi que, n'um tempo em one o imperador
sagrado em Paris pelo papa Pio VII, fundava gi-
ganteseo? projectos em sua allianca oora Alexan-
dre, o monitor ou Jornal dt Imperio, ao pnbllcar
um artigo em que so devcra ler esta pnrase : Ces
dent sourerains, donl I'union ne peul ctre qa'ir.-
vincible, esereven n em vez de Mnfcn, e o im-
perador da Russia len com justa indignacfto esta
phrase : Ces deux souverains, donl I'union ne
peul (tore gn'invincible. A errata do numero Im-
mediato p.irecea ao imperador uma nova injuria.
A recllticacao do Apostolo nao sera provavel-
rnente melhor acolbida pelo Sr. D. Vital.
De union podia o Monitor ter feito m. A cousa
era ex plica vel. Mas Ao-violencias de qne i vie-
ti ma a illustre prelado fazer se violencias do
illustre prelado, nao 6 causa quo rovele suiuasifi
ui'Sl'UIUtt^-------
E. pois que se trata de reetificar, bom e que
o Apostolo em seu proximo numero rectiftque
tambem as palavras com que acabou a rectificacao
de hoje.
0 Apostolo escreveu certamente: -A lout seig-
neur tout honnenr, mas o maligno compositor
das violencias, nao contenlc com o supprimir um
n, augmentou um I e um accento, e fez dizer ao
gordo redactor com todo desembaraco :A tout
seigneur lout I'ltoneur.
Ha compositores que valcm bom redactores !
_______________________(.V(iyffo)
SerSo entregnes a quem provar perteiWer-rao.
!\Mfnj. reaatSKH- Acabam do chettriiu> ar-
ni.uurB de miuicas do Sr.,A. 1. de Azevecm, i rua
ilo'tt.ir\ i da viciiria n. II, mais alguns exempla-
'rtV'd* WWi^O Arciprestede S. Paulo, qaut)
toolMMlem* cutre n6s.
Rua do Hosplclo.Moradores desta rua
podem-nos para chamar a attencao do Sr. fiscal
reipeefrro pira -o mao estado em que te aefea a
Sargeta em frente a rua do CamarSo.
AdiriinfstVa^ao do uorr>Io.-ComifMi
hontem ue>ta repartifJo a conenrso para pwvi-
mento des lugares do pwiticantes. Forara exami-
nadores os Srs. Vicente Ferreira da Porcianeula,
Dr. Joaqnhn Ferreira Ghtves, e Agnello Heracho
de Araiijo Pernarrniuco.
Osconcurrentes foram os Srs. Antoni* de Medei-
ros Mafra, Antonio Pedro Cysneiro da Costa Reis,
Candido Ceciliano Autran da Malt i Albuquerque,
Manocl Augusto da Fonceca e Silva e Jose Pereira
.Manteiro Petsoa..
Ivstatistiea.-A freguezia de rpojoca, da
cohiarca do Cabo, abrango 19,506 habitantes, ien-
do lfi,J20 livres e .1,-86 escravos, que se abrigam
em 3,296 habitacoes. A freguezia comprehends 71
engenhas, 8 proprtedades.a villa de NossaSwom
do 0', o porto de Gallinhas, o povoado Maracahipe,
as-pontas de Sernan by, Toco e Cacimbas, e o po-
voado de S. Jos6.
Cs*ad)ii. Eserevem-no3 desta cidade, em
12 do corrente :
fieaMsou se no dia 2 do corrente mte' '?el-
lao annunciado das ofTertas offerecidas em favor
da ohra da matriz. Foi uma festa qae geralmen-
te agradou a todos. Por falta de concurrentes
apenas se apurou cerca de 8603. Pareee qne o
dia nao foi o mais apropriado, porqne com a junc
cao dos dcus diassantos, muitas peSsoas sahlram
para fora e tomaram parte em ootros muitos pas-
satempos. -
Iwo tendose arrematado as joias fleouro e
prata e outros tbjectos, resolveu o Rtm. missio-
nario fazer delles novo leilao no dia *2 do corren-
te mez, as 4 horas da tarde.
Con^amos qaa desta vez havera maior cen-
caiYeneia e mais variada sera a collec^ao das of
fertas,
No caso de ser possivel, rogolhes qae de na
REVISTA DIARIA.
I>el<>ga(loR litterarios Por
porunas
da presidencia da provincia, de li do corrente :
Foram exonerados de detegados litterarios : do
2." distrk-to da Capunga, padr j Augusto Franklin
Morcira da Silva ; deS. Vicente, Manoel do Rego
(Javalcanti de Albnquerquo ; e de Cruangy, An-
tonio V'az da Silva.
Foram nomeados delegado3 liUeranos: do 2."
districtp da Capunga, bacharel Jose Vicente Pe-
reira Dutra ; de S. Vicente, Jeronymo Leopoldo de
Araujo Pereira ; de Cruaogy, Jose Francisco de
Moraes Vasconcellos ; e de Timbauba, Antonio Jo-
se1 Rruiii Junior
Colloetoria provincial.Por portaria
da pre.-ddencia da-provincia, do li do corrente,
foi nomeado eserivaoda oolld:toria provincial do
municipio de 'PaneU<,rM) respective cobrador
Francisco Antonio dos S intos.
Rctnte^racno.Em data de 14 do corren-
te, foi reintegre no cxercicio de suas ordens, pelo
livm. Sr. governador do bispado, o padre Vicente
Maria Ferrer de Albuquerque, ex-coadjuctor pro-
parocho da freguezia do N'ossa Senhora da Saiide,
do Poco da Panella.
Si)lemuidaili' das Cinzas. Ha ama-
nha esta solemnidade, pelas 7 horas da manha, na
igreja. de S. Pedro desta cidade, orando o Rvd.
Themistocles Goncalves de Andrade, e na So de
Olinda, sendo orador o Rvd. Antonio de Mello e
Albuqaarque.
Nes oonventos e igrejas malrizes ou n'aquellas
Sue estao servindo como taes,ba esse acto.seguin-
o-se depots a respectiva missa, como se acha
indicado na rubrica.
Igreja do Paraizo.- A irmandade das
Chagas, erecta nessa igreja, celcbra sermoes qua-
resmaes, nas. sextas-teiras as 6 e meia horas da
irde.
Acha-se.imcumbido dos ditos sermoes o Rvd.
Leonardo Joao Grago, capeII2o da referida irman-
dade.
l^rcja do Terfo. Nas tercas-feiras da
quaresma, as 7 horas da noite, ha sermoes nessa
igreja. F' orador o Rvd. Antoaii de Albuquerque
e Mello.
Igreja de S. Pedro. 6s sermoes qna-
resmaes nessa igreja, sao nas quintas-feiras, as 6
e meia boras da tarde.
Sermoos quaresmaes- Ha na igreja de
Nossa Senhora do Carmo, nas qUaitas-felras, e de
iNessa Sanbora da Peulia, nos sabbados; era am-
bas esas igrejas o acto e a tarde.
Diguu de luuvor. Remetteratn-nos o
seguinte:
c Illm.e presado amigo, Sr. Dr. Lobo Moscozo.
Remetto a V.S. loiOOO, imporianeiado meutra-
ba!ho,no espectaculo que teve lugar em beneficio
do aforraoseamento da praga de D. Pedro I, afim
de applicar essa pequena qoantia em benefielo da
mencionada praga Desejo a V. S., o asua EXm.a
fam ilia, todas as felicTda'des, quem com prazer se
assigna, Ua-V/S. amigo e cnado obrigado, Fran
cisco Libanio Colas.
Arrs-mataedes.Pela the.-ouraria provin-
cial Toram transfi;ridas para o dia 26 do corrente
mez, a de 200 metros de eoipedramento da es-
trada de Limoeiro,- orcada em 481*000; ado
custoio da illuminacao publica da cidade de
Goyanna; e da venda de dbjectos dados em son-
sumo pelo corpo de polfcia.
Santo Amaro das Salinas.-Pela res-
j pectiva subdelegacia fjram apprehendidos dons
1 carneiros, uma ovelha e uma cabra.
Revista Diaria deseu mui conceituado.jornal es-
ta notieia e para ella chame a atteneab do3 fieis
detotos desta freguezia
t Gracas a persevcran^a do virtuoso missiana-
rio frei Caelano, a obra tem lido um impulso es-
pantoso ; estao subindo a3 ultimas madeiras da
coberta e as torres estao chegando a seu termo.
Se os ricos fizerem um esforgo e os pobres forem
constantes, como at6 agora, estara concluida a
obra por todoo mez do abril proximo e ricara es-
ta freguezia dotada com nm dos melhores templos
ao sul da provincia. Se e um prodlgio o que esta
feito, nao ha razao ainda para descrerno podero-
su auxrlio de Nossa Senhora da Escada, que por
ceito nao delxara de santifirar os sinceros esfor-
cos de todos aquelles que sinceramente estao era-
ponhados em prol de sua igreja.
Loteria.A que se acha a venda e a 88>, a
beneficio da matriz de Sef inhlem, que corre no
dia 21.
Loteria.-A do Ri) de Janeiro, n. 4%, corre
alii, hoje (17).
I-cilao.-Hoje, (16), effectua o agente Pints o
leil.io do resto das dividas da massa falHda de
Amorim, Fragoio, Santos & C, na importaneia de
3i.l:OC8J730, couforme se ve* na columna dos
leiioes.
Casa de de'tencao.Movimento da casa
Je detencao do dia 15 de fevereiro de 1874 :
Exlstiam presos 339, existem 339.
A saber :
Nacionaes 251, raulheres 14, estrangeiros31
escravos 40, escravas 3.Total 339.
Aliraentados a custa dos cofres publicos 261.
Movimeiito da enfermaria do dia 15 de fevereiro
de 1874.
Teve baixa :
Manoel, escavo de Maria'Jose Bandeira de Mello,
op era cao.
Teve a!ta :
Francisco Sebastiao C. de Barros.
Ceniiterio publleo.-Obitnario do dia 14
de fevereiro de 1874 :
Amelia, branca, Pernambuco, 4 mezes, S. Jose ;
convulsoes.
Elvira, parda, Pernambuco, 2 annos, Boa-Vista ;
variola*.
Francelina Claudina de Souza, parda, Pernam-
buco, 24 annos, solteira, Boa-Vwta, Poco; pul-
monia.
Francisco Antonio Joao da Costa, branco, Par-
qgal, 18 annos, solteiro, Boa-Vista ; variolas.
t Francelino, branco, Pernambuco, 45 dias, S.
Jose ; convulsSes.
Cosma Damiana da Silva, parda, Pernambuco,
90 annos, viuva, Boa-Vista ; congestao cerebral.
fiuupura. mscrtsn- DreJc l'.-rnMiibuco. 30 annos,
b. Jose ; tanercutos pulmonares.
Manoel Vieira de Jesus, pardi, Pernarobuoo,
58 annos, casado, S. Josfi ; meftingo encephalico.
15
Joao, pardo, Peruambuco, 2 annos e 9 mezes,
S. Jose ; variolas.
Prancisco Antonio das Santos, parto, 53 annos,
solteiro, Boa-Vista ; anazarca
Rosa, preta, Africa, 73 annos, solteira, S. Jose ;
herysipela.
Joaquina Maria Thereza de Jesus, prela, Per-
nambuco, 60 annos, viuva, Boa-Vista; pu'monia.
Um menino cujo nomc igoora-se, parda, 12
annos, Boa-Vista ; esmagamento no craneo.
Anna Joaquina Maria do Espirito Santo, parda,
Pernambuco, 28 annos, viuva, Boa-Vista, asylo ;
cancro nterino.
Feliciana, escrava, preta, Pernambuco, 30 an-
nos, solteira, Boa-Vista ; variolas.
HttONH'A JUDICMRIJL
TRIBUNAL BA REI.AC.iO
SESSaO DE 14 DE FEVEREIRO DE 1874.
PRESIDKNCU DO EXM. SR. CONSELHF.IRO CAE
TANO SANTIAGO.
Sewetario Dr. Vtrgilio Coelho.
As 10 horas da manha, presentcs os Srs. des
embargadores Silva Guiraaraes, Loflrenco Santia
go, Reis e Silya, Almeida Albuquerque, Souza
Leao e Freitas Henriques, procurador da coroa,
faftando com causa os Sr-. desembargadores Al-
cioli e Domingues Silva, abrio-se a sessao.
JULGAMENTOS.
Recursos crimes.
Recorrente Manoel Tavares Coelho Junior, re-
corrido Jose Teixeira de Figueiredo Junior. Jaizes
os Srs. desembargadores Silva Guimaraes, Reis e
Silva e Souza Leao.Improcedente.
Recorrente o juizo de direito de Fbresta, recor-
rido Joao Goncalves Torres e ontros. Juizes os Srs.
desembargadores Lourenco Santiago, Almeida Al-
buqa-'rque e Souza Leao.-Improcedente.
R jcorrente Antonio Maria Carneiro Leio, recor-
rido o juizo do Recife. Juizes os Srs. desembar-
gadores Reis e Silva, Souza Leao e Almeida Al-
buquerque. Improcedente.
AggraTos de peticio.
Aggravante Correa & C. Jnizes os Srs. desem-
bargadores Silva Guimaraes, Reis e Silva e Souza
Leao. Deram provunento
Aggravaute o bario de Bemfica. Juizes os Srs.
desembargadores Lourenco Santiago, Reis e Silva
e Freitas Henriques.Negaram provimento.
Aggravante Bento B. Pereira de Souza. Juizes
os Srs. desembargadores Almeida Albuquerque,
Lourenjo Santiago e Souza Leao.Deram provi-
mento.
Aggravante Theodora Christiansen. Juizes oe
Srs. desembargadores Freitas Henriques, Reis e
Silva e Silva GuimarSes.Nao 6 caso de aggravo.
Habeas corpus.
Paeipnte Manoel Joaqaim do Nascimento. Rela-
tor o Sr. desembaigador Almeida Albuquerque.
Por nao haver no tribunal numero de juizes des-
empedidos ficpu adiado.
PrarogacRo de Inventario.
rnventariante D. Anna Candida de Arroda Bel-
trad. ConcedBU-se o prazo dbfi nreies.
PASSAGBNS
Do Sr. desembargador Silva Gaimaraes ao Sr.
de?embargador Reis e Silva:
AppelhgSes crimes.
Appellante o juizo, appellados Joao Marinbo da
Silva e outros; appeHante Jose" Vieira da Sllva,:
appeliado Ignacio Gomes Barbosa; appellante o
juizo, appellado Jovino Coelho da Canha; appel-
lante e juizo, appellados Pedro Alexftndrino da
Cdsta e outros; appeliantes Mareelrao 4 fj., ap-
pellados Nfieolao Fefipald & C.
Do Sr. desembargador Sjuza Leao ap Sr. des-
embargador PreitaS Henriques :
Appellajoes civeis.
Appellanle Jose Bias Guimartes, sppellado Dr.
Jn5o Ferreira de- Almeida Guimartes ; appettanta
Pedro Barroso Valente Veras, appellado Antonio
Gon;alves da Jiista.
Embargo* remettidoi.
Embargants os herdeiros de Sebastia-v'Antonio-
Paes Barrelo, embargado o viieondede suassuna.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes : I
Appella;5es crimes.
Aupellante o juizo, appeliado Brjoj&cp Antoniq
da Silva: appellante o juizo, appa^atte'.Jo>e Auto-
^BUpcanti ; appellante Bernardino Jose dos'
Anjos, appellada a jnsMca. .....
-Da-sr. desembargador Freitas Henriques ae Sr
desembargader Silva Guimaraes :
Dia de apparecer.
Appellada a irmandade da Santa Cruz, appel-
lante Jose Antonio da Cesta.
Do Sr. de*embargaior*Rais e Silva ao 8r. des-
umbargadnr Almeida Albuquerque :
Appellacoes oriraes
Appellente o promotor publica, appellado Jose
Alves Ferteira Calabarra.
Appelaeao scivel.
Appellante o juizo, appellado Jose Maria Vieira
Goncalves Gaimaraes.
Appellacoes eomroerciaes.
Appellante Manoef Zeferino de Salles, appellados
Bartholomeu & <). ; appeliantes-Rocha Leal-& C,
appellado Manoei Jose-da Silva OMveiia ; appeltan
tes Jos* Paulo Botelho 4 C., appellado Sebastiao
Olegario Lamenha Luis.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Domingues Silva.
Do jury do Pombal.Appellante o juizo, ap-
pellado Jose Romaaldo da Silva.
Appellacao civel
Da E-cada.Appeliantes Jose Dlas da Silva Ju-
nior e outros, appellado Joao Felix dos Santos.
Diligencia crime
Ao Sr. desembargador promotor da justica :
Do Limoeiro. AppeHante-Jese-Lopes de Olivei-
ra, appellada a justica.
A*signou se dia para jalgamento dos seguintes
feit03 :
AppeHacm's -crimes.
Do Cralo.Appellante Antonio Games de Cam-
pos Petico, appellada a justica.
De Penedo. Appellante o juizo, appellado An-
tonio Francisco da Silva.
DeTamboril. -Appellante Vicente Ferreira de
Paula, appellada a iustioa.
Appellacao eivel.
Da fazenda de Alagoas. AppeHante Manoal Joa-
qaim da Silva Leao, appellado bacharel Jose An-
gelo Mareiu da Silva e a fazenda.
Encerrou-se a sessao as 2 horas da tarde.
Tribunal do eomnaercLo.
AGTA DA SESSAO DE ti DE FEVEREIRO DE
1874.
PRESIDKIS'CIA DO EXM. SB. CONSELHBIRO ANSELSK-
FRANCISCO PRRETTI.
A's 10 horas da manha, presentes os Srs. de-
patados secretario Oiinlo Bastos, Lopes Mahado
& Alves Guerra e supplentes Si Leitao, tendo o
mesmo Sr. Guerra prestado o-jnramento do esW-
lo, S. Exc. o Sr. conselheiro presidente declarou
aberta a sessao
Foi lida e depois approvada a acta da sea-
sao de 9.
RXPEOIBKTE.
Distribairam-se os seguintes livros :
Diario e copiador de Joao J. U. Mendos, dito
de Severino & Irmao, dit i dc Alfredo Prisco Bar-
bosa, diario de Pocas & C.
DESPACHOE.
Requerimentos:
De Antonio Joaqnim de Vasconcellos, para cer-
tificar-selhe se elle impetrou e obteve moratoria
e em que data foi ella eoncedida. Como re-
quer.
De Antonio Feraandes, pedindo que se lhe en
tregue uma procaracao de Joaquin Pereira do
Carvalho, a qual se acha nesta tribunal e nio
produiio effeito. Sim, nao havendo iocunve-
niente.
Do Francisco de Paula Amorim, solicitando o
registro da escriptura anto nupcial qua celebroa
por occasiSodo sea casamento com D. Anna Soa-
res de Amorim Araujo.Pro:eda-se ao registro
requerido.
De Manoel Teixeira Bastos, requerenda o regis-
tro da nomeacao de seus caixeiros. Na forma pe-
dida.
De Paulo Jose Gomes, socio cornmanditario da
(irma Manoel J. Lobato i$i C, satisfazaudo o despa-
cho desta tribunal reiativamente ao ragistro do
respeetivo contrato social. -Informe a secretaria.
De Miguel Joaqaim do Rego Uarros e Bernar-
dino Alves Barbosa, trazendo a ragistro o contrato
junto que celebraram. Vista ao sr. desembarga-
dor fiscal.
De Manoel Barlamaque A, C, submetlendo a
registro o incluso contrato social.Vista ae Sr.
lesembargador tiscal.
Infarmaeao-da secretaria, cobriado a peticio de
Manoel Gomes de.Freitas, em que pede matricula
de commeicianfe.'- Feita a declaracao que se torna
ptecisa em virtude do disposto no art. 13 do re-
gulamento n. 73.8, cumpra-ae o despacho de 9 da
corrente.
I lem da uiesma, submetieuJo ao conhecimento
10 iriDUiiiil acio pori'^ipMyiAS qne Otopun r.=p-;
a (liversos trapiches e armazen- alfandegalos,
cujos administradores nao aproentaram o balanco
deque trata o art. 87 do cudigo commercial.-0
tribunal resolves que a secretaria ofBcie aos in-ii-
viduos a quem se refere a sua inforraacjio, e no
sentido nesta indicado.
Idem da mesma, soliritando autortsaQio para
ofQciar-se ao Sr. Dr. inspector da alfandega, afim
de informar quem seja o administrador do trapi-
che Vieira.0 tribunal autorisou a secretaria a
fazer o ofllcio de que trata a sua informacao.
Idem da mesma, favoravel a pretencao de Ber-
nardino da Silva Costa Campos, qne solicUa aiea-
trega do sea livro copiador.Deferido, de confer-
midade com a informacao.
COM 0 PARECBR FISCAL.
Peticees:
De Jose Lopes Aiheiro e Manoel Jose de Araujo,
registro do seu contrato Rpgistre-se, nos terraoa
do decreto n. 4,394.
De Jose Lopes Aiheiro, Manoel do Nascimento
Cesar Barlamaqae e Manoel Jose de Araujo, re
gislro do sea distrato. -Faca-se o ragistro pedido,
de confonnidade com o decreto n. 4,:i9i.
De Joao Pereira dos Santos Farofa e D. Anto
nio Casademuud, registro do incluso contrato so-
cial.F"ac>-se o registro qae os snpplieantes re-
qaerem, segundo o disposto no decreto n^ 4,394.
Nada mais haveado adespacliar, S. Bxc_ o Sr.
con3ellieiro presideote encerrou a sessao as
11 horas e 3 quartos.
"*)' p^l^rA 'Sr. TJr. ianrcwo e-di^e:
Qua se o Sr. coneao Rochael tivesse .prestado
bons servicos ao estabelecimento, elle era o pri-
meiro a pugnaf para que o seu retr'ato ornasse d
sarao do lionra do estabelecimento, para estimula
dos seas suecessores; mas, uma vez- que- o Exm.
Sr. presidente dissesse perante a assemblea, com
todo fundamento, que com a demissao do Sr.
conego Rochael, o estabeleciHWnto maito luerava,
nao so quanto a economia, como principalmente
(quanto a sna moralidade, estava na dignidade da
casa e do corpo cathedratico, que o retrato nao
licasse no estabelecimento e que fosse eniregue a
*eu dono oa a quem o reprewBtassc ; e que se a
artir.l regedoria nao tivesse na sua corta admi
nistraeio um acto que a honrasse, bastaria o da
rctiraiii do retrato do Sr. conego Rochael, do
aalao de honra do eslabeleelmento para a recom-
mendar ao apreco dos homens honestos e de pro-
bidade ; e reqaereu qae se consignasse na acta o
'que aeabava de expor, e que, portanto, votava
contra qualqner raedtda qae tivesse por flra, col-
locar na sala de honra o retrato do Sr. conego
Rochael.
Foram do mesmo gareccr os Srs: Moraes Pi-
nheiro, Guimaraes Peixoto, Soriano de Souza, Ma-
galhaes Breves, e Spinola.
Absliveram se de votar o Srs : Soares de Aze
vedo, Ferreira da Silva, e Sarmento.
Em ultimo lugar propoz o Sr. Dr. regedor ao
corpo docente que se tinha alguma medida a
apresentar, exifida pela cmveniencia da econo-
mil moralidade, ordem e ensino activo e passico
do instiluto, a expozesse para ser tomada na
devida consideracao ; ao que responderam os Srs.
professores, que nada tinham a apresenlar.
E, por nala mais haver a tratar-se, foi encerrada
a presente sessao. Eu, Celso Teituliano Fernan
des Quintella, secretario, a e3crevi.
COLLEGIO
DA
gcrido* flraras estranjefras e nacionaes :
I.oiilrc'". Sobre o bank or
LONDON, 6 LONDON AND nwNSEATIC 1ANK,
limited, e V8rias casts de 1.' cJjssC'
'Pnrl. -* Scfbre os bancjneiros POOL*
& C, MARCUARD ANDRE & C. 6 A. BLiCQCK,
VIGWtt & C.
Ilaiuhiir^ro. Sobre os Srs. joao
scat! aa.cn & nut s. '
Lisbon. -Sobre os 8r. fonsecas,
SANTOS & VIANNA, 6 SEBASTIAO JOSE DE
ABREC.
Porto. Sobre o banco cniao do porto
O Sr. JOAQUIM FINTO BA FONSECA.
Hai'ii. Sobre o banco commercial
DO PARA, e os Srs. FRANCISCO caudencio da
COSTA & FILHOS.
llnrnnkao. Sobre o Sr. jose fer-
reira DA SILVA JUNIOR.
Ccarii. Sobre os Srs. j. s. de vas-
concellos & SONS.
ICahin. Sobre os Srs. maiunhos & c.
Rio do Janeiro. Sobre o banco
INDUSTRIAL E MERCANTIL, BANCO NACIONAL e
BANQUE BRASILIENNE FRAN^AISE.
Mr!
r
!Si
O Hv. Caraeiro Iftonteiro e o
gyntaiaaiio.
0 actual regedor do gymnasio provincial, em
uma pubheacfo a pedido, inserta no Diario de
hoje, respondendo a uma noticia, qne faz parte
da Chronica da Protinciaj pareeedirigir -sea mim,
suppondo-me autor da reterida noiicia.
Devo solemnemenle declarar ao referido Sr. Dr.
regedor, que nao tenho parte directa e nem indi-
recta, nio so em dita noticia, como tambem nos
artigos do mesmo jornal, sob a epigraph* o
gymnasio em abandono.
Nada pretendo do gymnasio provincial, e quando
pretendesse, nao seria agora a ocoasiao a mais con-
veniente.
Em vista pois desta declaracao, permltta me
S. S. que nada diga eu em referenda aos objectos
em leilao. Quanto, porem, ao retrato, que me nao
pertence, e a cuja rotirada nenhuma importancia
fige, devo s6mente dizer que nlo foi elle alii col-
locado por men consentrmento e autorisacao, mas
por annuencia e consentrmento do Exm. Sr. desem-
bargador Faria Lemos, entao presidente desta
provincia, e achando-me eu ausente do estabelo
cimento.
Falle claro o Sr. Carneiro Monteiro acerca das
maselas albeias, para que flcando eu certo de que
6 a mim qae se refere, lhe possa dar rcsposta
conveniente.
Recife, 16 de fevereirode 1874.
Conego Pranoisco Rochael P. B. de Medeiros.
Gymnasio provincial
EXTRACTO DA ACTA- DA CONGREGACAO DE 13
DE FEVEREIRO DE 1874.
Estando presentes os Srs. professores Moraes
Pinheiro, Sampayo, GuimarSes, Peixoto, Soriau >
do Souza, Magalhaes Breves, Soares de Aievedo,
Spinola, Ferreira da Silva, e Sarmento, lida a
acta da ultima congregacao, o Sr. Dr. regedor de-
clarou qua, tando retlrado da sala de hon*a do es-
tabelecimento o retrato doSr ex-regedor conego
Rochael, em virlude de poaderacoes do-Sr. direc-
tor geralda instruccao publica de que nao podia
estar na sala de honra do stabeleclraentoreirato
algum sem autorisacao do peder campetente, e,
porque da secretaria nao cunstava aquella auto-
risacao, consultava ao corpo docente se devia;
solicilar do poder eompetente a collocacio do
retrato do Sr conego Rochael, no salao de honra,
tendo a'flongregaeAo em apreco o merito d>js ser-
vicos prestados pelo Sr. conego, durante a sua
regedoria.
If
20-Rua dos Goclhos--20
A abaixo assignada, licenciada pelo Exm Sr.
presidents da provincia, e pelo Illm. Sr. Dr. direc-
tor geial da "mstruccao publica, tem estabelecido
aa raa dos Coelhos, n. 20, a poucos passos da
igreja de S. Gonealo, um collegio para meninas,
sob a invocacao da Santissima Trindade.
Auxiliada por suas irmaas D. D. Landelina Jer-
sey e Olindina Jersey, ambas as quaes, era com-
mttra com a abaixo assignada, receberam igual
educacAo, durante quasi sele annos, era um dos
melhores collegios francezes da cidade do Porto,
esta por certo nabilitada para transmittir a suas
alumnas todos os conhecimentos adquiridos nesse
loago espaca de tempo.
Chamanao a attencao dos illustrados pais de fami-
ha, nacionae3 e estrangeiros, para os estatutos
abaixo, a annunciante espera merecer decidida
preferen:ia, pois o seu estabelecimento se distin-
gue, nao so porque nada pagam em separado pelo
estudo das artes de recreio, como tambem pelo das
linguas estrangeiras que, em geral, somente se
ensina a tradazir, ao passo qae no Collegio da San-
tissima TmsDABB se aprendera a fallar e escrever
correctamente ; o que se torna sem duvida de
uma van'.agem e utilidade incontestaveis.
Iavocando, cheia de confianca,3 a protecgao de
seus compatriotas, e de todos os estrangeiros illus-
trados, a annunciante e suas irmaas, no cumpri-
mento dos se.n3 deveres, esperam e premettem en-
vidar todos os esforcos, afim de provar que, entre
nds, existem pernambucanas sufflcientemante ha
bilitadas para instruir e preparar nossas innocen-
i amaveis palricias, nao so a desempenharem
no futuro o nobre e respeitavel ministerio de
mais de familia, como a se tornarem aqui, ou em
qaalqner paiz, onde se acharem, o brilhante or-
namento da mais culta e distincta soeiedade.
As a'ulas abrem-se a 26 de Janeiro.
Philomena Minervina de A. 0' Connell Jersey.
ESTATDTOS
DO
Collegio da Santissima Trindade, sob a
direc^ao de Philomena Minervina d'Al-
buquerque 0' Connell Jersey, coadjuvada
por suas irmaas D. Landelina d'Albuquer-
que 0" Connell Jersey e D. Olindina d'Al
buquerque 0' Connell Jersey.
Art. 1." 0 Collegio dirigido por Philomena Mi-
nervina d'Albuquerque 0' Connell Jersey denomi-
nate-Collegio da Santissima Trinoade.
Art. 2. As alumnas reccbem nelle Btruccaoins
Oi^iuarlo, *n..nn,loria. ruliwinsa. dfi C.ivilidade, C de
recreio a pr> ndas.
Art. 3. A iastruc^ao primaria 6 -leitura, es-
eripta, contabelidade (as quatro operac/3es) noijoes
fgramuiatica portugueza, costura cha e cro-
chet.
Art. I.* A instruccao secundaria comprehonde
lingua naeional, francez, inglez, italiano, histo-
ria, geographia e arilhmetioa.
Art. o. A instruccao religiosa e dada pelo ca-
thecismo ; as alumnas aprendem doutrina chris-
ta, e todos os deveres religiosos a cumprir para com
Deus, seus pais e parentes, e em geral com a so-
ciedade.
Art. 6." A instruccao de civilidade abrange to-
dos os aetos da rida de uma senhora, em relacao
com as pessoas de sua familia e com a socie-
dade.
Art. 7." A instrucQio de recreio onsta de-
desenbo, masica, piano e danca.
Art. 8. A instrnc^ao do prendas reune todos
os trabalhos de agulha, e toda a especie de bor-
dados, que deve saber uma senhora da melhor so-
ciedade.
II
Art. 9." 0 Collegio admitte alumnas internas,
meio pensionistas e externas.
Art. 10. A lingua que se falla no interior do
Collegio e a franccza ; e durante as aulas de inglez
e italiano so se fallam estas linguas.
Art. II. As alumnas que estudam francez, in-
glez e Italiano aprendem a fallar, escrever e tra-
dazir est -s idiomas grammaticalmente.
Art. 12. A mensalidade para as internas e de
iO^OOO, para as meio pensionistas 20*000, e para
as externas 55000, pagos adiantados por trimes-
tres que, uma vez comecados, consideram-se ven-
cidos.
Art. 13. A instruccao das alumnas externas,
remunerada segundo o artigo antocedente, e a
dos arts. 3 e a ; as internas e meio-pensiontstas
teem direito a dos arts. 3, 4, 5, 6,7 e8 ; podendo,
todavia, qualquer alumna externa frequeniar as
aulas superiores mediante a iademnisacao, que
se convencionar.
Art. li. As despezas com livres, papal, etc' sao.
da competeneia dos pais on correspondentes das
alumnas, e bem assim a materia prima de borda-
dos, e estes eseoutados sao propriedade das mes-
raas.
Art. lo. As aulas no Collegio da Santissima
Trindade trabalham duas vezes aodiade raanhi
das 9 as 12, ede tarde das 2 112 as 5 1|2.
Art. 15. 0 enxoval das internas e ao gosto de
seus pais; assim coma a roupa lavada, engomma-
da e pertences por elles serao fornecidos.
ArL 17. As pequenas indisposiopes e molestias
das internas sao tratadas no Collegio ; na graves,
porem, a directora fas avisar. aos pais on eorres-
pondentes para provideneiarom s >bre o tratamen-
to, que pode ser em suas casas, ou no Collegio.
Art. 18. Os feriados sao os das aulas pablitas ;
salvo as qalntas feiras que, no Collegio, ticam des
tinadas a instruccao de recreio.
Art. 19. Todas as materias leccicnadas no Col-
legio da Santissima Triioade sao professadas pela
directora e suas irmaas, ou outras senhoras com a
aptidao precLa, a que a directora,julgar necessa
rias.
Recife, 30 de dezembro d* 1873.
Philomena Mintrvin" de A. O'GfnntU Jersey.
ap Approv i -Directoria grd da instruccao publica
Pernambu'o, 8 de janto de 1874.
Joao Barbal'io Uchoa Cavalcante.
Q
9
AngiisloF. i1
A oasa coromerci
F. d'OliveiradC.
42, encarrega-se
para embarque de
mais negocios de c
ciaes, quer bancai'
Deconta lettras.
mio, compra cao.1
prazo, a vontade !
liveira AC,
> incaria de Augusto!
i do Commercio ns
"cucio de orderjs.
ctos e do todos o-
-ao, quer commer-
a dinheiros a pre-
saca a" vista e a
lor, sobre as se-l
C0HPAHH1A ALLIANCA
seguros maritimos e terreb-
tres estabelecida na Bahia
em 15 de Janeiro em 18 7 0.
CAPITAL 4,0OO:O00OO0.
Torna seguro de mercadorias e dinheiro
ico maritimo era navio de vela e vapor**
para dentro e fora do imperio, assim come
,ontra logo sobre predios, generos e f-
rondas.
Agente : Joaquim Jose* Goncalves Beltra'-,
-ua do Commercio n. 5, 1* andar.
SEGUROS
MARITIMOS
CONTRA 0 FOGO.
Acompanhia Indemnisadora, estabelet austa praga, toma seguros maritimos soi 't
aavios e seus carregamentos e contra logo
mi edificios, mercadorias e mobilias: r.
rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Seguro conlra-fogo
THE LIVERPOOL 4 LONDON d GIM
INSURANCE COMPANY
SAUNDERS BROTHERS d C.
11Corpo Santo11
NORTHERN.
Capital..... 20,000:000C0C
?ando de reserva. 8,000:00000
Agntes,
Mills Latham d C.
RUA DA CRUZ N. 38.
COMPANHIA
Phenix Pernambucana.
Toma riscos markimos em mercadona',
fretes, dinheiro a risco e fmalmente de qual-
quer natureza, em vapores, navios va" ela on
barcacas, a premios muito modicos.
RUA DO COMMERCIO N. Si.
PKACA DO RECIFE 16 DE FEVEREIRO
DE 1871.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE,
'^mbio sobre Londres a 90 d|v. 16 l|8 d. i- r
I50HO, sabbado.
Sardinhas-de Nantes 280 rs. por lata l|i.
a. de Vasconcellos
Presidente.
A. P. de Lemos
Secretario.
A.LFANDEGA.
TVndimento do fla I a li .
512 79UU>.
3d:7WiaiK
Barca franccza Jean Baptisle, entrada na
mesma data e consignada a Harmfende & Labille,
manifestou '
Carvao dc pedra 12.9 tonclad/as aos consipuia-
nos
.J
Escuna naeional GeorgiaMa, entrada do Kio
de Janeiro em lo do corrente e consignada a Tav
lrmaos & C, maoifestou :
Barricas vasias ?45 a Joao Licio Filho, 1000
ditas meias a ICOO quartos a ordem.
Cafe 100 saccos a Fernan Jos da Costa & C, 55
a Jose Doarte das Neves, 29 a ordem.
Farinha de trigo do Chyle iOO meias saccos a
Jose Duarle das Neves. ~-v
Pranchoes da pinbo 23 Juzias a Females da
Costa. 1'ipas vazias 38 aos consignatarios. '.
Salsa 'Jl rolos a Parecte Vianna & C.
Uiate naeional Flor do Jordan, eutrado na
mesma data e consignado a Gomes de Mattos &
Irmao, manifestou :
Algodao 26 saecas a Jose da Silva Loyo Sabri-
nho, 21 a ordem. Assucar 21 saccos a ordeca.
Milho 836 saccos a ordem e 400 ao baraV &
Bemfica.
Barca ingleza Lavinia, rntrada de >fer;a
Nova em 16 do cor rente e consignada a Saoaders
brothers A C, raanifettou :
Bacalhao 3,852 barricas aos consigoataaiaa.
Patacho inglez Lady llary, entrado d?
Londres na mesma data e consignado a Ta^
Irmao k. C, m*nifestou, '
Agua-raz, 12 oaisas a A. Caors. Arras 100
saccos a A. Francisco Corga. AmoaUas 1 volome
a Doaiiagos Alves Maiheus.
Riscouios 20 cixas a U. Jose Goncalves da Rasa
& Filbos, 14 a Domingos Alves llalueus.
Carvao-de pedra 23 toneladas a Saondres Bp
tbers & C. Canos dc chumbo 4 barricas a Sa Li
tao & Coimbra. dumbo da muni^io 100 ban it
ao barao at Hemfiea. Cimento tOO barricas ao<
consignatarios, 15 a Saundres lirothera ti a Tlionaaz de Aquino Fonceca & C
Fei ragem 4 volumes a Shaw Hawkes d C S.
Isoladores 1 gigo a via-ferrea do Recife a





.
Descarregam hoje 17 de fevereiro de 1874.
Barca ingleza Witck of the Te ionmercadoi ia*
para alfandega.
Barca ingleia Seraphina macbinismo o carvao
ja despachades para o caes do Apollo.
Barca ingleza Margaret lie WUkei carvao ja le-<-
pachado para o caes do Apollo.
Brigue inglez- Janebacalhao ja detpachado para s'
o trapiche Coneeicao.
Patacho naeional A rabevaries generos para (4
trapiche. Coneoicao, para despachar.
Brigue naeional Georgiana generos nacionae4
para o trapiche da companbia. I
Brigue grego Apostolo Paulolerro pva o try
piclii' Concoicao, para de paehar.
Inipoi'luriio.
Barca ingleza Carisbrooke, entrada de
Castle era 14 do corrente e consignada
Fennely. manifestou :
Carvao de pedra 383 toneladas e 13
via lerrea do Recife ao S. Francisco.
Esteiras avariadas 248 a ordem.
Ferro-guza 30 toneladas a Cardoso y Irmao.
Locomotivas 2 em 39 volumes a via-ferrea do
Recife ao S. Francisco.
L
(


Di*&Mft*t>tH fere*fea 11 de MWMHfc**K
____________________ r1"*
F
Maeh!
QUo
thefti
oitas 9
- flidra


A. F^noeafc^.C,,* a
13 volumes a Cardoso & Irmla.,
' Umfcrf" -gnmUra Bm.
b'aitig a A. Ciors. Objgsfcs lam-
tames i ordem.
----- pome |9 cains a A. Caors. Polvora
,t8 barri's a Saunders Brothers & (Jr
Satttre 50 barris a Parents Vianua & C, SO a
Gomes de Mattes Irmaos.
Tintt 5 barris a ordem, 8 a Joao da Silva
Ramos.
Velas i caixa a Augusto F. de Ohveira. Vi-
dros 5 volumes a 1$. Duarte Campos & C, 3 a
Ferreira Monteiro & C, 1 caixa a Samuel 9.
Johnston & C.
Lugre inglez Octavia, entrado de Greenock na
mesma data e cousignado a Saunders Brothers &
C., mauifestou:
Carvao de pedra "378 toaeladas aos consigoata-
tifll
Hiate amerieaoo J.f. Auger, entrado de Phila-
delphia na mesma data e cousignado a Mattieus
Austin & C, manifestou -'
Bran 100 barricas.
Farmna de trigo 1,595 barncas.
Milho 230 saecofl.
Oleo de amendaas 10 caixas.
Pregos 50 barris aoscensiguatarios.
OBiPACflGS OR BXPORTACAO NO DIA 14 DB
FEVEREIRO DE 1874.
Para os portos do exterior.
1872 e que en Vtrttjde <*o disposto no artjgo 27 do msaraa refulamanto
SiD?e8S de D. Maria Francisca de Paula Cavalcante.
de Joaqaim Demetrio de Almeida Cavaleaato e Manoel Antonio
Cardoso.
Justiniano de Hollauda e Sonza.
Jdilal."
- tk-escpayos.deste rnunicil
yyMfio 4a *scr-ayQ&; aeste rHumcipr^yn| | so acha conf-(;
cluida a classiBcacao dos.aaapa*K qua d^era ser libertados pelojatado, na conforraidadb
2 dwre^tfaajen*0 foram preten-
,T*rtu!ia,na
Benvinda
Honorala
Delphina
Francelina

No vapor inglez Xa/a/uf, para Liverpool, ear-
jegou : ICelTer & C. 55 saccas com 41,388 kilos de
aleodio. _
No patacho inglez Rival, para o Canal, car-
regou : R. Schmmettau & C. 1,6*0 saceos-oom
130,750 kilos de assucar mascavado.
No brigue portuguez Gedral, para Lishoa,
carregou : S. Guimaraes & C 212 couros salgados'
com 2,54 4 kilos. '
Na barca portugueza tiooa Sympathia, para
0Porto, carregou: B. Oliveira & a 370 couros
sa'gados com 4,440 kilos e 74 ditos espichados com
518 ditos.
Na polaca brasileira Marinho III, para o Rio^
da Praia, carregou: A. Loyo 300 barricas com
26,749 li2 kilos de assocar branco.
Na eicuna allema Ernie, para o Rio da Pra-
ta, eapregou : Amarim Irmies &-C. 350 barricas
com 39$0i3 kilos.de assucar branco.
Para os portot do intenv.
Para o Rio Grande do Sal, na baraa portu-
fiieza Aiminda, carregou : P. Caroiro & C. 80
arricas com 5,433 kilos dc assucar branco c /O
ditas com 2,254 ditos de dito mascavado ; J.. H.
Ferreira 330 ditas com 36,521 1|2 ditos de dito
branco. __ .
Para o Rio Grande do Sul, nonavio nacional
Abilio, carregou : L. I. Silva Guimaraes 3o0 bar-
ricas com 46,699 1|2 kilos de assucar branco e
100 ditas com 12,182 l[i ditos de dito mascavado;
A. F. Balthar Sobrmho 100 ditas com 22,167 1|2
ditos de dito branco.
Para o Para, na barca portugueza Linda,
carregou : A. F. Balthar Sobrinho 313 barrica3
com 24,173 Ii2 kilosde assucar branco ; P. Vian-
na & C. 20 pipas com 9,600 litros de aguardente;
M. J- Alves 10 ditas com 4,800 ditos de dita.
Fara o Rio de Janeiro, ho patacho nacional
Maria Emilia, carregou : L. J. S Guimaraes loO
saccos com 11,230 kilos de assucar branco.
Para o Para, no patacho portuguez Maria
Jase, carregou : Amorim Irmaos & C. 500 barricas
com 39,011 kilos de assucar branco.
Bernardino
Maria
Jeronymo
Luiza e seu filbo menor
Camillo
Maria e seu filbo menor
Rufina e sen filbo menor
Boaifacia e sens filhos meoores
Geuerosa e seus tilhos meaores
Constanca e seu filho menor
Quiteria e sens filhos meaores
Maria e sua lilba menor
Joanna
Joanna e sen filho menor
Severina e sua ulna menor
Josepha e seus filhos menores
Anna e sen filbo menor
Boneiicto e sens filhos meaores
Innocencia e seu filho menor
Perpetua e seu filho menor
Benedicta e seu filho menor
Luiza e sen filho menor
Militaaa e seus filhos menores
Marcella e sua lilha menor
Simplicia e seus filhos menores
Isabel e seu filho snenor
Bomana e seus filhos meaores
Januarca e seu Who menor
Feliciadade e seu fl)he menor
Benedicta e sens filhos menores
Luiza e seua filhos menores
Antonia e seus tilhos menor--
Luzia e seu filho menor
Victoriana

CAPATAZ1A DAALFANDKGA
Kendimento do rlia 1 14.
tdwa do dia 17. .
7
No dia 1 a
VOLUMES
14.
SAHIL'OS
No dia 16
Pruneira porta .
Sagunda ports .
Terceira porta .
Quarta porta .
fiapiche Conceicao
SERVigO MABITIMO
al>arengas descarregadas no trapich*
alfandeea do dia 1 ait -
No dia 16
SaMos atracados no trap, da alfaadegs
Alvarengas........
No trapiche Cooceicao......
Pedro
Paulina
Luiz
Isabel
Ignez
Senborinha
Raymundi
Maria
Luiza
Benedicta
Barbara
Maria
Libania
Francelina
Fiorencio
Luiza
Luzia
Isabel
Thereza
Raymuada
Miquelina
Maria
Caetana
Delfina
Maria Isabel
Mathilda
Bomana
Isabel
Olbilia
Zeferina
Acurcia
Margarida
Primitiva
Josepha
Antonia
Raymunda
Maria
Amaro
Virginia
Luiz
q *07 Leopoldina
' I BeneJicto
Martha
Jose Estevao
Guilhermina
Urbano
Herculana
Fortunato
Maria
Manoel
Joanna *
Ignacio
9:6861809
4681103
10:154^914
61
334
123
1,252
2177
31
36
RECEBEDORIA DE RENDAS INTiRNASGE-
RAES DE PERNAMBUCC
Randimento do dia 1 a 14. 24:477*807
(dam do dia 16. ..... 2:802*068
27:279*875
Navios enlrados no dia 15.
Rio-Grande do None 8 dias, hiate brasileiro
F/orJ do Rio-Grande, de 42 toneladas, capitao
Miguel Jose da Costa, equipagem 6, carga as-
sucar, milho e outros generos ; a Gomes de
Mattos Irmaos.
Rio de Janeiro 19 dias, escuna brasileira Geor-
giana, de 140 toneladas, capitao Antoni) Fran
Cisco de Carvalho, equipagem 8, carga vanos
generos ; a Tasso Irmaos & C.
ObservaQao.
Nao houve sahidas.
Navios enlrados no dia 16.
Terra-Nova 30 dias, barca ingleza Lavinia, de
249 toneladas, capitao M. Kenzie, equipagem
12, carga 3855 barricas corn bacaloao ; a
Saunders Brothers & C.
Londres 60 dias, patacho inglez Lady Mary, de
167 toneladas, capitao John Muer, equipagem
8, carga polvora e outros generos; a Tasso Ir-
mao A C.
Greenock 35 dias, lugre inglez Octavia, de 225
toneladas, capitao M. Brederodes, equipagem
11, carga carvao ; a Saunders Brothers k C.
Philadelphia 36 dias, hiate americano J. P, Au-
gers, de 212 toneladas, capitao Alfredo Cook,
equipajem 7, carga farinha de trigo e outros
generos ; a Matbeus Aus;in & C.
Rio de Janeiro19 dias, patacho hespanhol Ama-
lia, de 135 toneladas, capitao Pedro I. Lopez,
equipagem 10, em lastro ; a Pereira Carneiro
&C
Navios sahidos no mesmo dia
Barcelona Sumaca hespanhola Paula, capitao
Francisco Maristanv, carga algodao.
^ew-York Patacho inglez Gem, capitao Moir,
carga assucar.
Thomaz
Maria
Manoel
Joanna
Jose
Feliciana
Joaquim
Josepha
Cesario
Joanna
Joao
Francisca
Damiao Felippe
Maria
Jose
Escolastica
Angelo
Oreneia
Hermenegildo
Constanca
Bartholomeu
Floriana
Marcolino
Luiza
Marcelino
Eduarda
Rufina
Lino
Luiza
Candido
Francisca
Antonio
Rita
Domicio
Florinda
Marcolino
Manoella
Domingos
Rom ana
Trajano
Rita Maria da Concetcaa
Elias
EDITAES.
l
r-
- De ordem do Htm. Sr. inspector 4eU the-
souraria se faz publico que peraate a Junta de
fazenda, tem de ir a praga o dia IB do mez4e
fevereiro vindouro a factura das concertos do <^s
do Forte do Mattos, avaliados em H32W70?;
pelo que sao convidados os que se-propozerem a
fazer os ditos concertos a comparecerem as 12
horas da manhi do indi-ado dia com suas propos-
usemeartas techadas e competentemente selladas,
declarando o ultimo preco por que se offerecem
faze;los; podeado desde ja examinaro respectivo
orcamento, que se acha patente nesta secretaria.
__ Sacretaria da thesouraiia de fazenda de
Pernambuco, 23 die Janeiro de 1874.
0 2 sscripturario, servindo de secretario
Carlos J. de So za Correia.
A camara municipal desta cidade manda
pubiicar os artigos de posturas, abaixo trans-
Art. 70.-Pica prohibido neste muolcipio o brin-
qoedo de eatrudo coo agna ou qualquer outra
subslancia, de qualquer maneira que se empw-
gue os infractores pagarJo a multa de 15* e
seffrerao oito dias de prisao.
Art7!.-Fica prohibida a venda do limas de
^^iafrautows alem de as penlerem, pa-
U i multa.
Ht camara municipal, 4o Recife, IV de
"Tll74T
Manoel J. do Rego e Albuquerque
Bresidente. f
'Pedro tdeiAtbuquecque Antran
Secretario.
Emilia
Joanna
Jose
Felippa
Thomaz
Luiza
Justino
Isabel
Manoel
Tertuliana
Francisco
Maria
Antonio
Maria
Manoel
Christina
Gertrudes
Benedicta
Luiza
Ignez
Manoel
Joanna
Luiza
Luciada
xPrimltwa
Jaouaria
Anfelica
Rosa
Eduvirges
Paulina
Basilia
Benedicta
Vicencia
Ambrosin.'.
Consuaca
Luiza
Maria
Luiza
Maria
Ignacia
Joanna
GnilhermiflJ
Luzia
Eduylrjes
Viceaela
Lucia
Thereza
Luiza
Luiza
Cosraa

de Lourenco
do Dr. Mnrillo Mender Vianna.
de D. Maria das Merces Mendonca Lint.
de Marcolino dos Santos Pinheiro.
de Juvino Bandeira.
do. Dr. Pedro de Albuquerque, Autran.
de Blysio Alberto Silveira.
de Manoel Joaquim do Rego e Albuquerque.
de Jose Antonio de Oliveira e Silva.
do mesmo.
de Joaquim Pacbe,co. da. Silva..
do- Dr. Antpnjb Estevafl ae Oliveira e seus irmaps.
de Di TbeodOra Francisca do Espirito-Santo.
de Jose Antonio da Costa e.Sa,
de Jose-Antonio da Costa e Silva.
de Alfredo Gardbso Pereira.
de Joao da Cruz Macedo.
de Pedro Osorio|de Cerqueira.
de Augusio Cesar de Abreu.
de Manoel Albino de Amorim.
daO. Anna Isabel de Araujo(..astro.
#e. Joao Ramos
do mesmo.
de Bellarmino Alves Arouxa.
do hwdeiros de Manoel Francisco de Carvalho Paes
drade.
de-Aetenio Pedro de Sft Barroto.
a> Low- Jqsejda Costa Amorim.
de D. Veridiana Carolina Soares.
de Jose;Vietor da Silva Pimentel.
de Fnaaoisico Pereira da Silva.
de Praacisco Antonio de Figueiredo.
4e Laiz Gaetano Bonus.
de D.JuJia Angelica Pires Ferreira.
de Angelo Baptlsta do Nascimento.
deLuiz Antonio Goncalves Penna
de D. Umbplina Roza de Lima Pinho.
de D. Maria Theodora da Penha.
de Manuel Jose Soares d'Avellar-.
de D. IsaVl Augusta Pires de Figueiredo Camargo.
de;Joe Marceline da Roza,
do mesroo- .. r, ,
de Joaquiuii Demetrio de Almeida Cavalcante.
de D. Verid,iana Carolina Soares.
do. Dr. NabPr Carneiro Bezerra Cavalcante.
de A8-
a
lereza
Rita
Anastacia
Andreza
Maria Ante
Anna
Clara
Felicia
Clara
Eufrozina
Izidora
Mequilina
Delfina
Faustina
Joanna
Felismina
Francelina
Thereza
Eefpetua
Luiza
Eduvirges
Felicidade
Francisca
Constanca
Constanca
Micliaeila
Joaquina
Antonia
Margarida
Margarida
Joanna
Maria -
Helena
Luiza
For,tunata
Joanna
Luiza
Luanda
Francelina
Silvioa
Beroara
Paual
Joanna
Sabina
Maria
Felippe
Cyriaca
Francisco
I
I
de Antonio de Pinho Borges.
de D. Catharinade I
Janqei Jose Machado.
10 Wreira dos Santos Farofa
Cflaptista'da Silva.
Jr- Equardo de Barrros Faicao de Lacerda
de Manoel Gomes Viegas.
do Dr. Beuto Jose da Costa,
de Antnqio Jose de Azevedo.
de Domingos Pinto de Freitas.
de Francisco Pacheco Soares.
de Antonio Alves de Carvalho Vera.
de Joao Mar.ins de Barros.
de D. Hermelinda Gomes de Sa.
de Jose Antonio da Costa e Silva*
de Manoel Francisco de Azevedo.
de D. Deolinda Clementina da Silveira.
de Candido Casimiro Guedes Alcoforado.
de Joio Paulo de Souza,
de D. Joaquina Candida de Oliveira Borges.
de D. Maria Emilia Sobreira de Mello.
de D. Maria Jose Lins Soriano,
de D. Candida Bosa de Oliveira Abreu.
de Dr. Francisco Augusto da Foueeca e Silva.
de Francisco Guedes de Araujo.
de D. Majia Damiaha Rodrigues Campello.
de D. Mariana Adelia de Loyola Fragoso.
de D. Francisca da Cunha Bandeira de Mello.
de Joao Cavalcante de Albuquerque. Mello.
de Joio Hermenegildo Borges Diniz.
do D. Arcelina Xavier Carneiro Rodrigues Campello.
de 1). Anna Bita Cavalcante.'
de D. Manoela Augusta de Mello Bego.
de D. Aagusta Lamonha Bahia .da Cunha e Rilhps.
de JosiiP into Ribeiro.
de Jose Rodrigues da Silvn Rocha.
de Manoel Rodrigues da Costa Magalhles.
de Maria Emilia da Cunha llallidas
de D. Maria1 Candida de Mello.
de D. Maria Amelia de Barros Lima.
de D. Arclianja Bernardina de Oliveira AJmenga.
de D, Angela Maria do Espirito Santo.
de D. Alexandrina Flora Ferreira dos Santos Silva.
de Jose Victor da Silva Pimentel.
de Antonio Lopes de Siqueira Braga.
do Dr. Balbino de Moraes Pinheiro.
do Dr. Hufino Augusto de Almeida.
de D. Antonia Luiza Barboza da Cunha.
de Joaquim Jose Silveira.
de Maria Candida da TrinJade.
do Dr. Bento Jose da Costa.
de Joaquim Antonio de Castro Nunes.
de Herdeiros de Pedro Tavares_da Costa.
do desempargador Manoel Tertuiano Thomaz Henriques.
de Antonio Camello Pessoa de Lacerda.
Sal la das ses
Beberibe, 3:400*000, uma cos* tarreajita i nu
do Gervasio Pires do valor de 5 WOO. ......
1741268 era diabeiro ; e mais ffkOTillV em d..
nheiro que recebeo agora ^Jea'.^*^^r
lamento de legitimas; deveodo dim am *
regnlado, nio por cartad anwlade, "J2*0il2""
tume deste imperio, mas sim pelas segolalm elaa-
N5o havera commanhio dos bens vtlorm com
qne cada nm dos contratantes eatra para oeij,
nem dos qne adquerirem na constancy do
monk), por qualquer titulo que seja, <*omW
ao esposo a administrarao dos bens supridaado-.
sendo os rendimentos applicados aos encarfe do
matrimonio e nunca sujeitos a qnaesquer coooopru
missos do esposo anleriores, ou posteriores ap easa-
mento
Fallecendo a esposa com prole, a esta irti
gralmeate o sea espolio. confurme a lefWacdllirTd>i
vigor ; pedeodo a esposa di^por livremenle da **f-
ca. E nie haveodo pr6le nem herdeiros necessa-
rios ascendentes, e fallecendo aquella rera testa
men to, institue seu marido herdoiro de sua terc.<
A esposa nao tera direito a mracSo do aspoKo *
esposo, haja ou nio prole, ficando d.de ja iastitai-
da herdeira desna terea.
E finalmente a esposa enntratante confesu s<-
devedora ao casal de seus pals, por adiaatimeatos
de legitimas, da quantia de W"..)!, que pro-
mette traze-la a cojlacao.
Secretaria do Iribunal do coraraercio de Per-
nambuco, 16 de fevereiro de 1874.
0 ofljcbl-raaior.
Julio' avinardet.
s5es
E pars constar delerminou a referida junta fazer pubiicar o presento edital. Salla das s
da junta de omancipacao no Pa;o da Camara Municipal po Reeife, em 7 de fevereiro de 1874.
Manoel Joaquim do Rt'go e Albuquerque.
Manoel Joaquim Silveira.
Francisco Augusto de Almeida.
i Serpa Brandao.
de D. iacquelina Carneiro de Albuquerque Lacerda.
de Odcrico Alves Rapozo da Camara.
de Antonio Bernarde Vaz de Carvalho.
de Jos6 Bibeiro de Souza Bfcito*
de Jose Joaquim Pereira de Oliveira.]
de Jose Pedro da Silva.
de D. Maria Raynrunda. Malheiro.
da oiesma.
de Joaquim Ceaajra Simi}e,s.
de AntonioTavares Lima,
de D. Delfina Tavares da Costa,
de D. Rosa Goncalves de Jesus.
de Francisco Jose Alves Guimaraes.
de D, Maria NoiberU Scbefler.
de Candido Thomaz Pereira Dutra.
de D. Antonia Raymunda dos Anjps.Moreira.
deD. Candida. Joaquina Lopes,
de D. Marinha Amalia da Silva.
da mesma.
de D. Ursula Maria de Araujo.
de D. Ambrozina Femandes de Souza.
de D. Rita Deodata de Souza Monteiro.
de herdeiros da marqueza do Recife,
de D. Thereza Ftorentina Leile. /,
de Marcolino D. Camara como tutor de Joaquun e Uelano.
de Maximino dai SHva Gusmao.
de Antonio Carneiro da Cunha.
de Bernardino Francisco Junqueira.
de Aristarcho Eduardo Carneiro da Gama.
de D. Francisca de Paula Leal Cavalcanti.
de Marcolino D. Camara como tutor de Joaquim e Caetaao.
de Manoel Joaquim do Rego o Albuquerque,
de Joao Fern3ndes Lopes,
de Valeriano Manso da Costa Reis.
de Jose Goncalves da Silva Bastos.
de Valeriano Manso da Costa Reis.
de B. Josepba>Muia da Rocha Faicao.
de Joao Baptista Telles.
de D. Anna de Souza do Espirito Santo.
--^^eriano,Jfe[^^itoS^-------- X
de Valeriano Manso da Gosta iieis.
de Iguacio Alvim da Silva.
de D. Candida Cavalcanti de Miran Varejdso,
de D. Maria das Neves Pereira de Lyra._
de herdeiros deAnna Maria da Conceicao.
de Jose Pereira dos Santos.
do Dr. Francisco Augusto da Costa
de Coriolano de Abreu.
de D. Maria Carolina Peieira de Carvalho.
de D. Idalina de Souza Mouvinho.
de D. Emilia Nobre de Almeida e Castro.
de Jose Peres da Crux.
de D. Isabel Maria Baptista de Castro.
de Jos6 de Barros Pimentel.
de Salvador Ayres de Almeida Freitas.
de Luia Fonceca de Maeedo.
de Manoel Ignacio de Avila.
de D. Maria Carolina Tavares da Silva.
de D. Francisca Maria de Figueiredo.
de Jose Cecilio Carneiro Monteiro.
de D. Joaquina Theodora Gomes Barreto,
de D. Januaria Camara Vasconcellos de Siqueira.
do Dr. Raymundo Mendes Vianna.
de D. Anna Antonia de Jesus.
do Dr. Murillo Meudes Vianna.
de D. Maria Clara da Assumpcao.
de Aristides Duarte Carneiro da Cunha Gama.
de Caetano Cyriaco da Costa Moreira.
de Elizio Alberto Silveira.
de Joao Paes de Moura.
de D. Januaria Camara Vasconcellos de Siqueira.
do Dr. Antonio Justino de Souza.
de Manoel Theotonio Freire.
de Francisco de Paula Leal Cavalcanti.
de D. Anna Zulmira de Souza Pimentel e outros;
de D. Anna Francisca Lins.
de D. Anna Samico do Rego Barros.
de Manoel Joaquim Bodrigues de Souza.
de D. Joaquina Ignez de Siqueira.
de D. Maria Margarida da Cruz Lobo.
de D. Augusta Carolina dos Beis.
de Joio Pereira dos Santos Farofa.
de Manoel Joaqnim do Rego Albuquerque.
de Vicente Ferreira da Silva Fraga.
de Fraga & Rocha.
de Guilherme Haliiday. >
de Joao Paes de Moura
de Jesuino Carneiro da Cunha.
dos herdeiros de Jose Maria da Paixao.
de D. Francisca Escolastica Josepha da Costa.
do Dr. Anteto Manoel de Medeiros Furtado.
de D. Josepha Maria da Bocha FalcSo.
dos herdeiros de Jose Maria da Paixao.
de D. Antonia Bernarda de Souza.
de Pedro Jose Fernandes.
de Antonio da Rocha Wanderley.
de Marcolino D. Camara como tutor de Joaquime Caetano.
de Henrique Guilherme Stopple.
de Antonio Jose da Silva do Brasil.
dos herdeiros de Francisco de Paula Marinho Faicao.
de Joao Fernandes dos Santos Bastos.
de D. Augusta Lamenha Bahia da Cunha e filhos.
de Jose Ignacio Xavier.
de Demeterio Uermillo Costa.
de Manoel Nunes da Fonceca.
de D. Maria das Neves Miranda Oliveira.
dos herdeiros do desembargador Francisco de Assis Pereira da
Rocha.
de Antonio Machado Pereira Vianna Junior,
de Dr. Alvaro Uchoa Cavalcante.
do mesmo.
de P. Maurer & C.
de D. Maria da Silva Campos Guimataes.
de Henrique Lasserr.
de D Candida Rosa de Carvalho Bessoni.
de Antonio Jeronymo da Silva Campello.
do Dr. Cosme de Sa Pereira.
de Manoel Joaquim de Castro Madeira.
do Dr. Jose Vicente Duarte Brani&o
de Francisco Jose Martins da Costa.
de D. Candida Rosa de Carva|ho fieaspne.
de Joaquim Jose da Silva Guimaraes.
do desembargador Jose Nicolao,Regaeita Costa,
de D. Maria Damiaoa Rodrigues' Campello.
de Mauoel Ignacio de Torres Bandeira.
de D. Maria Amelia de Oliveira.
- de D. Anna Cordeiro Goncalves Moreira.
de D. Emilia Joaqnina de Medeiros.
do Dr. Raymundo Mendes Vianna.
de D. Maria Francisca Borges Leal.
de D. Joaqsma Theodora Alves.
de inioaio Fernandes Ramos de Olifeira.
de Candido Moreira da Costs,
de Joao Fernandes dos Santos Bastos.
.de,Francisco Xavier de Miranda e MeHo. ^
de .Thomaz Soares de Almeida Sarzedas.
0 Dir. Sebasliao do Rego Barros de Laterda,
juiz de direito especial do commercio nes-
ta cidade do Recife e seu termo da capi-
tal da provincia de Pornamlouco, por
S. M. imperial e constituoleoal o Sr. D.
Pedro II, a quem Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o presento edital virem e
delte noticia tiverero, que no dia 12 de marco do
corrente- anno se ha de arrematar por venda a
quem.mais der em praca publica,deste juizo, de-
pois da respeetiva audiencia, 6 seguinic :
Urn lerreno na eUrada do Pombal com 204 pal-
mo3 de fundo c 89 de frente, todo ee- cado de pes
de pinhao, com alguns arvoredos e cacimba,
Secretaria da thasouraria provincial, 20 de ja.
neiro de 1874.
Victoriano Jose M. Palhares,
Official maior interine.
Clausulas especiaos para a arrematacao da ponte
denominada Pao Sangue sobre o rio Seri-
nhaem.
1.' A ponte denominada Pao Sangue sera exe-
cntada de conformidade com o orcamento e plan-
ta approvados pelo Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, no valor de 9:570|.
2." 0 arrematante dara principio a obra no pra-
zo de um mez e a c oncluira ao de 12 mezes.
3.* 0 pagamento sera efTectuado em 3 presta-
coes iguaes a propor^ao da tabella executada.
4.* Para tudo o mais que nao se achar especifi
Esta secretaria f,
foi admittido a metric
cidadio portuguez, da }
ciante estabelecido
do Ceara, sob a |
sua casa de comma)**) de teffc!:^, m
ragens e generos da eptiva pp|*a>s e a reulbo.
Secretaria do Iribunjlao &omme#cjfc de Peraam-
bucoi K de fevereiro de 1874.
0 ofljoial-ma
Julie Guitmi
publico que r.e-la data
lanocl G> iiios de Freil is,
"_de iJadi*, coamer-
^racaiy. imiviaria
li las, m uJeias, fer
aaior,
MriM.
ava-
liado a 15Jj o palmo. ; s'er'a"regulado"pelo"que dispSc o regulainento
Umcaixao paraoa^a,de pedra e cal, n\ altura 31 dc =u,f0 de 18S6.-0 cngenhciro chefe, Jo-
lte C 0/ i|Z ue .,m.u...: n.n; HQ Vfiailh-iac
de 5 palmos, com ki palmos de frente e 67 1|2
fundo, em mao estado, avaliado por 260i.
Uma casinha de taboa coberta de fol ia, era mao
estado, avaliada por 1061.
Uma porcao de cal e areia, avaliada aor 20SO"J0.
Cujo caixao, casinha e cal se acham no terreno
acinia mencionado; penhoradiis por exeoucao do
major Francisca Martins Raposo contra Francisco
Mai a Cortes.
E nio havendo lancador que cubra o preco da
avaliacao, a arreraataijao sera feita pelo preco da
adjudica^ao, na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimento do todos,
mandei passar o presente, que sera publicado pela
imprensa e affixado aos lugares do costume.
Recife, 12 de fevereiro de 1874.
Eu, Manuel Maria Rodngaes do Nascimento, es-
crivao o subscrevi.
Sebasliao do Rego Barros de Lacerda.
Pela thesouraria provincial se faz publico
quefpjarajr^siid^^ra^^
^ lOi) metres de empedramento na estrada do
Lirooeiro, esta orcada em 792* e aquella em
1:384*000.
Thesouraria provincial de Pernambuco, 13 de
fevereiro de 1874.
0 offlcial-maior,
M. A. Ferreira.
s6 Tiburcio Pereira de Magalhaes.
Victoriano Jose M. Palhares.
De ordem do tllm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda, se faz publico, que em virtude
de autorisacao da presidencia desta provincia,
tem da ir a praca no dia 18 do mez de fevereiro
proximo vindouro. peranle a junta da mesma
thesouraria, para 3erem arreraalados por quem
maior lanco offerecer, dez cavallos pertencentes
a companhia de cavl laria; sio por tanto convi
dados os interessadosa comparecerem na mesma
thesouraria as duas horas da tarde do indicado
dia.
Os cavallos estario no dia da arrematacao na
area do edificio em que funcciona esta repartwjao,
e desde ja podem ser vistos no respectivo quartel.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
namhuco, 29 de Janeiro de 1874.. uumuarin
u 2.* escripturano, servindo de secreuno,
Carlos Joao de Souza Correa/
Esta secretaria faz i-onsjar ajjto foram aretai-
vados os seguintes distratos de socia4at>Vs commer-
ciaes :
De Lima & Rws, de cuia firma fwMfarte Jose
Fernandes Lima e Martinho Lopes das Reis, fican-
do definitivamente ,'extincla e liqoid>d> ditaso-
De Jose de Sonza Braz e Fraacisco Jose Femaa
des Marcos, qua g> rou; nesta pratja sab a firma di-
Braz & Marcos, ficjindo de posse do e*bbelecimen-
to o ex socio Prappisco e responsa?el.pelo activo e
passivo.
De Joauuim Co^lho Netto & C, de cuja firma fa-
ziam pat'tu dito Netto o Jose de Souza Braz, fecandr
o activo e passivo a cargo do ex-st-cio Jopajijjam'
Coelho Netto.
Secretaria do tribunal do commercio de Pernam-
buco, 16 de fevereiro de 1874.
0 offlcial-maior,
' Juli'i Guimaraes.
SANTA CASA DA M1SLR1COR1 1A DO
RECIFE.
A Hlma. junta admmistrativa da santa casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
na sala de suas sessoes, no dia H de fevereiro
pelas 3 horas da tarde, tera de ser arremaudas a
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida
declarados. _...,
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE
Travessa de S. Jose.
Casa terrea n. 11.......
dera n. 5 o .. 202JW00
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Rua da Senzalb velha.
Casa terrea n. 16.......209*000
Becco das Boias.
Sobrado n. 18.......42l*0>
Rua da Cruz
Sobrado 14 (fechado).....1:000*090
Ruo do Pilar.
Casa terree n. 1100......*il*92
Idem n. 102........**>
Rua Velha.
Casa terea u. 44(fecliada( .... 45QJJ00C
Rua de S^nti Rita.
Armazem n. 34(fechado) ... 362*OV
Os pretendentes deverao apresentar no acto di
irrom^n-- onu flancas, ou comparowreii
icompanhados dos respectiNos u--.- *-.*
pagar alem da renda, o premio da quantia^ eir

Secretaria do gymnasio provincial de Pernambu
co, 5 de fevereiro de 1874.
Por esta secretaria, e de ordem do Illm. Sr. Dr.
regedor interino, se declara aos paif, tutores e
correspondentes dos alumnos internos, que nao
podem estes trazer para o institute outro enxoval
senao o que 6 estabelecido pelo regulamento em
vigor, podendo a relacao do dito enxoval ser nes-
ta secretaria procurada por quem dell a precisar.
Enxoval do alumno pensionista.
1 bonet.
1 fardeta de panno verde escuro com uistincti
vos do instituto.
1 jaqueta de panno.
6 jaquetoes de brim pardo liso.
1 caJca de casemira preta.
6 calfas de brim pardo liso.
2 ditas para o recreio.
4 colletes brancos.
2 gravalas pretas de seda.
2 dita} de qualquer panno para uso ordraano.
12 caraisas.
12 pares de meias.
12 lencos de linho para mao.
6 ceroulas de hamburgo,
6 fronhas de ito.
2 cobertas de creton.
1 cobertor de 15.
6 toalhas de rosto.
6 guardanapos.
2 pares de borzeguins de bezerro.
1 chinella de couro.
1 escova de sapato.
1 dita de dente.
1 dita de fato.
1 tesoura de unhas.
1 pente de alisar.
1 pente para tirar piolhos.
1 travesseiro.
1 meia commoda da amarelio.
2 cintur5es de couro.
OBSERVAC.AO.
! Os inleressados deverao ver no estabeleci-
mento o modfillo do bonet, da fardeta, dos distinc-
tivos e da commoda, como bem a cor do panno
para haver uniformidade.
2 Cada alumno deve ter correspondente na ca-
pital para com promptidao satisfazer as pensCes e
outra qualquer despeza de qne tiver elle neces-
sidade. ,. .
3 A pensio seri paga por tnmestre adianudo.
0 alumno que no priraeiro dia do trimestre nao
a tiver paga, sera logo remettido a seu pai, tutor
ou correspondents
4* 0 estabelecimento alem da instruccao, forne
ce ao alumno interno alimentos, medico, botica,
lavagem eengommagem de roupa, papel, penna e
tinta ,
5* Os objectos do enxoval sao propnedades do
alumno, e os retirara quando sahir, no estado em
que estiverem. As pecas deterioradas ou consu
midas pelo uso serao subslituidas pelo alumno por
outras, logp-que for reclamado pela regedoria.
Pen3ioaista-100*0t'0 por quartel.
Meio pensionista60*000 idem.
Externp 18*000 idem.
Aula de musica-12*000 idem.
Costem de cama-lQ*O0O por uma so vez na
primeira inscripcao, sendo o estabelecimento obri-
gado a;far*ece-la duranle todo o tempo em bue
estiver o alnmnoiioesuboteciffento.
0 secretario,
Ctjlso Tertuliano Fernandes Quintella.
de fazenJa, se declara'qtfe perante a junta da
mesma thesouraria tem de ir em hasta publica
para serera arrematados, por quem menos offere-
cer os concertos do caes da rua da Aurora, na
estensao de 27,5 m., orcados era 4:621*829 rs.
Os interessados sao convidados a comparecerem
as 12 horas de dia 25 do corrente, com suas pro-
postas em cartas fechadas devidamente selladas,
podendo desde ja examinarem o orcamento que
se acha na secretaria desta thesouria.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 5 de fevereiro de 1874.
0 2." escripturario, servindo de secretario,
Carlos Joao de Souza Correa.
Edital n. 129
Pela inspectors da alfandega sc faz publico que
as 11 horas da manhi do dia 19 do corrente se ha
de arrematar, livres de direitos de consumo, e
suieitas ao imposto da capatazia, as raercadonas
abaixo declarad.is, postas a consumo por editaes
ns 23 e 24, que nao foram despachadas dentro do
prazo marcado
Armaem n. 2
Marca sem numero -2 macos contendo palhe-
ta falsa, pesando 4 kilos, nos envoltorio3, avaliados
por 24*000, igaora-se a consiguacio e proceden-
cia.
Armazem n. 4.
Idem diamante 118 10 12 sem numero 1 bar-
rica vinda de Liverpool no brigue inglez Rosalie,
descarregada em 26 de dezembro de 1872 e eon-
siguada a Simpson & C, contendo ferro fundido
em obra, simples, pesando liquido 74 silos, no
valor de 16*310. t ^ r .
Alfandega de Pernambuco, 14 de fevereiro de
1874.
0 inspector
Fabio A. de C. Reis.
que for seguro o predio qua contiver estabolec
__,. raamenUi aasim como o^;' '".v "
peza e precis Uo *pii Secretaria da santa casa da raiscricordia do Ri
life, 3 de fevereiro de 1874.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza.
Banco Commercial de
Pernambuco.
0 banco paga o segundo dividendo na
razao de 8 % a0 anno ou 23400 por acgao,
relativo ao semestre Undo em 31 de dezem-
bro de 1873.
do
Edital n. 130
Pela iaspectoria da alfandega de Pernambuco
se faz publico que achando-se as mercadorias con-
tidas nos volumes, abaixo mencionados, no caso
de serera arrematadas para consumo, nos termos
do Cap. 6 do Tit. 3 do regulamento de 19 de se-
tembro de I860, os seus donos ou consignatarios
deverao despacha-las no prazo de tres dias, sob
pena de, findo elle, serem vendidas por sua conta,
sem que lhes fique compelindo allegar contra os
effeitos de=ta venda.
Trapiche Conceicao.
Marca F R & S A caixas vindas de Lisboa no
vapor inglez Cordova, em 2 de dezembro de 1873.
Alfandega de Pernambuco, 16 de fevereiro de
1874.
0 inspector
Fabio V de Carvalho Reis. __
Q lUm. Sr. inspector da ttiesouraria. provin-
cial inauda fazer publico que em cnmpnmQnto da
oifdwn do Exm- Sr. presidente da provincia de 7
,de Janeiro corren.lej perante ajonta desta thesou-
Pela thesouraria provincial 'a faz publico,
que fleam transferidas para o dia 26 do corrente
as arrematacoes seguintes :
200 metres de empedrameno na estrada de
Limoeiro, orjado em 484*.
Costeio da illuminacito publica da cidade de
Goyanna.
Objectos do corpo de policia.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 16 de fevereiro de 1874.
0 offlcial-maior
Miguel Affottio Ferreira.
OECURAGOES,
tmntii Vasu. da Misericordia
Recife.
A junta administratiza da Santa Casa da Mise
ricordia do Recife, precisando fazer os concert a
de que necessita o predio que possue o patriino-
nio dos orphaos, a rua da Cruz, hoje do Bom Je-
sus n. 12, contrata com quem se proponha a rea-
lisar ditos concertos, mediante certa renda e al
guns annos de prazo para desfructar ; devend
os que disso se quizerem encarregar, apresentar
suas propostas em cartas fechadas, devidamente
selladas, acompanhadas do respectivo orcamento
nesta secretaria at6 o dia 19 de fevereiro vin-
SecreUria da Santa Caa da Misericordia d
Recife, 17 de Janeiro de 1874.
0 escrivao,
________Pedro Rodrigues de Souza.
Armazens da companhia per -
nambucana.
Seguros contra o logo
A companhia pernambucaaa, dispondo de ex
cellentes e vastos armazens em seu predio ao for
te do Mattos, offerece-os ao commercio em gerai
para deposito de generos, garantindo a maior con
servacao das mercadorias depositadas. sanri^"
prompto, precos modicos, etc.
Tambem recolhera, mediante preyio accorio.ex-
clusivamente os generos de uma so pessoa.
Estes armazens, alem de arejados e comaoaos.
sao inteiramente novos c asphallados, MHloa de
cupim, ratos, etc., etc. ^ .
As pessoas que quizerem utilisar-se Mas ar-
mazens, pederao dirigir-se ao escriptono da com-
panhia pernarabucana, que acbarao com quem
tratar;___________________
Santa Casa da Misericordia do
Recife.
Alllma. junta administrativa desta Saatt Casa.
autorisada pela Saau Casa da Misericordia da
Bahia, leva a praca de venda, peranle st, no dia
12 do corrente, pelas 3 horas aa tarde, aatres
predios sitos a rua do Coronel Suassuna, ootr era
de HorUs, a. 34, pela quantia de 2:801* ; IL lib
pela quanUa de 3:000 ; e n. 118 pela de 3:900*.
Para qualquer informacao, podem os fWlen-
dentes dirigir-se a esta reparticao. __ .
Secretaria da Santa Casa da MisencordH do
Recife, 4 de fevereiro de 1874.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Sonza.
ratia.se,ha de awematar no iflta 33 de.abril
Yindonrcv^pjjra da_rponte deaemimioa
iXiaib vindonro, a,.fljira .datpbnte daaommWfl _rao
gue sphre o rio Seriahaanx; orcada em 9 w/U*.
Hsera apolices da divida. provueial ajuro de
pVr cento ao par.
jVs^e.-ssoas qne se.propozoretn jMg** W
'^^ISSlMfo U^h ^ n<** d'a'
a'pnblicar o pwsiettte
delo Diario de Pernambuco.
Pela recebedoria de rendas internas geraes
se faz publico que 6 no corrente mez de fevereiro
que deve ser paga, livre de multa, a taxa dos es-
cravos, relativa ao exercicio de 1873 a 1874 ; de-
pois do que se lo-ha com a nulta de 6 OiO.
Recebeaoria de Pernambuco, 5 de fevereiro de
1874.
0 adrainistrador
Manoel Carneir > de Souza Lacerda
Tribunal do commercio.
Esta secretaria, de conformidade com as ordens
do meretissirao tribunal do commercio, faz publico
que foi regietrada a escriptura de contrato ante-
nuptial celebrado entre D. Anna Soares de Amorim
Araujo e Francisco de Paula Amorim, entrand>
esta para o casal com os .seguintes valores legados
por sea tio Manoel Joao de-Amorim : 14 apolices
ida divida publica dopaloc, nominal-de nm conto
de rdis cada moa. acg5es ide boads da impor-
tancia de 13:300*000, 40 acc5es da companhia de
Segunda-feira 16 do corrente, daois da
dieacia do Exm. Sr. desembargador juia m
dos orphaos, tem de ser arrematada em
blica a venda triennal da casa terrea sita<
Moeda, freguezia de S. Fret Pedro Gooj*
45, servindo de base para a arrematacao a
tia de 600*, por quanto ja esleve arreaf"
nualmente, cuja casa pertencent aos I
filhos legiuraos de J >-6 loaqnim Pires SoM a^
= Pela administracao do3 correios
vincia se fax publico que o concurso^
Jugares de pralicantes da mesma
tera lujar ao dia 16 do corrente,
manhi, na reparti ;ao do correio.
Os candidatK p >dem inscrweri
curso ate as to horas d* manhi r~
Correio de Pernamboco, I
1874.
0__
Ajfoaso do B|o Batfta.



mmuEZl


\jl
Diarfo de Pernambuco TerqajijBiia 17 de Fevereiro de 1874.
I
I

i

*

#
ftiHTA CASA DA MISERICORDIA DO t
RECIFE.
Venda > predlas |
A lUma. jnnta admi jistraliva cesta Santa Ca*a,
dffridamante autorisada pela presidencia, na saia
4b suas scssoes, pe:as 3 horas da larde do dia.26
do cur rente, vente ou permuta por apolices da
dfvida publica os scguintes prediot. pertencentes
aoiegado deJoaquinda Silva Lopes, deque-e
adniatstradora : Forte do Ma'tos, etade bradode 3 andares n. 17, por .">:50<*# 4 beceo do
Abrea, 3' oarte do sobrado n. i. por 2:666*666
rua 4a 'Juia, sobrado de dous andares n. 69, ,por
6000* ; rua de S. Jorge, casa lerrea n. 92, rpnr
1:100*. sobrado de urn andar n. 30, ,por 2:000a,
duo jneia-agua par S'.ttt; rua dos Guararapes,
caaaterrea n. 65, por 1: 003 ; rua d>s Acougui
nips, cosa terrea n. 26, pur 600* ; L*rgo da Cam
pAa, dita n. 3, por 400* ; rua da Suledade, dita
a 71 por 700* ; beece do Teixeira, dita n.-\
por ISO* ; largo das Cieco Pontas, terreno, por
1:000*000.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Rarife, 14 de fevereiro de 1874.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza

THiTM
SANTO i\ NT0NI6.
COIFAMU BAHIAM
UH1T\II.\
Macci, fVuedo, AraJ*
llnliiii.
E' esperado dosiportos do ?ul ale o-dia 23 do
corrente uui dos vapures desta coJipaafcia, o qnal
sahira para os poos acima no dia *eguinie ao
da sua chegada.
Recebe carga, eneotnmendas, passageiros e di-
obeiro a trete.
AGENTE
Antonio I.uk de Oliveira Azevedo,
57Rua do Bom Jesus*7
0 agente Pinto levara a leilao, de eonforme com
0 despacho do Illm. Sr. Dr. JoJa especial do com-
merdo, 0 resto das dividas da massa fallida de
Amorim, Fragoso, Santos & C, na importancia
de 311:008*730, a II boras do dia acima dito.
Em seu ewriptorio, rua do Pom Jeans n. 43.
Agente Dias
LEILAO
LEILAO
0
Rio 4e Janeiro.
Pretende seguir com brevidade o br4gue nacio
nal Isabel, por ier Para 0 resto que 'Ihe falta e escravos a frete,
trata-se com o sen consignatario Antonio Luiz de,
Oliveira Azevedo. rua do Bom Jesus n. 57.
Para.
Pretende seguir para 0 indicado porlo, com pou-
ca demora, a barca portugueza Social, por ter
porcao da wrga engajada ; c para 0 que Ihe falta,
trata-se com os consignatarios Joaquim Jose Gon-
calves Beltrao & Filho, a rna do Commercio o. 5.
Festejos carnavalescos!
GBinSIS BAILES
DE
PARA'
0 Georgiana
E' esperado do Rio de Janeiro .por estes dias
3 segue com pouca demora para 0 Para, tendo ja
parte da carga engajada : trata-se cam Tasso Ir-
tnaos A C.
Companhia Allianca Mari-
tima Portuense.
A galcra portugueza Saudade, seguira em pou
cos dias para 0 Porlo, com escala por Lisboa.
Ja ieiii contratada grande parte da carga ; e
para 0 resto, trata-se com os consignatarios e
agentes da companhia,
Jose da Silva Lcyo & Filhe,
em ?eu escriptono a rua da Companhia Pernam
bueaaa.
DA
louca, armacao, I cofre de ferro, eandierros a.^as
e mate .pertencas existentes no eslatwleciinetrto
silo a *ua do Marquez de Olinda n. 23.
HOJE
A's I I horas < a maiihft
0 agHc Dias, compelentemciit autortead.tfpQr
despactw do Exni. T. defeuihargador juu m or-
phaos, tevara a leilao uo dia e bor atiina eesig-
nado, touca e mais artigos existectes co mesom
estabelecimento, pertencentes aos bens do (atleeMo
Manoel Antonio Vieira.
Aos senhores pretendentes garaate-se a oasa por
arrendamento e podem desde ja exaaiinar o ba-
lancu e & respectiva avalia^ao, que acha-ee -em
poder do mesmo agente, a rua du Marqaaz 4e
Olinda n. 37, 1 andar.
leilao
DE
71 molkos com muito superior peise /cavaUae-eec-
cas) vjndas do Rio de Janeiro pelo ultimo va
por.
QUARTA-FEIRA 18 DQCGRREKTE.
as If lioriu
No armazem do Sr. Annes, defronte da alfandega.
0 preposto do agente Pestana, fara leilao por
conta e-ri.-co de quern pertencer, de 71 molbos
com superior.peixe (cavallas seceas) viadas polo
ultimo- vapor; os quaes serao vendidos em'tun-on
mais lets, a vontade dos compradores
6UARTA-FEIRA 18 DO CORREME
A'S 11 HORAS DA MANHa
No armazem do Sr. Annes.
LEILAO
Bahia.
NO
Terga-feira 17.
A orchestra.composla de exeellen-
tes professores, edirij^ida pelo
liabil maestro
Tlicolonio Jos6 de Souza
executara grandes uovidades no genero earnava-
lesco.
O theatro acha-se decentetnente ornado e o jar-
dim esplendidamente illuminado.
Os camarotes sao garantidos para as familias.
Oregulamento pDlicial sera rigorosamente ob'
servado.
j^recos.
Camarotes com 6 entradas 12*000
Ditus ouin "iradas iubuuu
Entca Damns mascaratlas gratis.
Pretende seguir com brevidade para o referido
porto o palacho inglez Cheviot, por ter parte de
sua carga, e para a que lhe falta trata-se com os
consignatarios Henry Forster & C, a rua do Com-
mercio n. 8.
Prineipiarao os bailes a!
horas do costume.
9 horas e
(Indarao as
Santo Antonio
Bio Grande do JSul
Para o referido porto pretende seguir com uii-
ta brevidade a barca portugueza Arminda, por
ter a maier parte de sen carregamento tratado, e
para o resto que )he falta, trata-se com os coneig-
natarios Joaquim Jose" Gnncalves Beltrao & Filho,
a rua do Commercio n. 5.
Para Lisboa.
0 luj?re portuguez Cidral, capitao Joaquim
Adriao da Silva, vai sabir com brevidade : para
carga e passageiros, trata-se com Silva Guimaraes
& C, a praca do L'orpo Santo n. 6, 2. andar, on
win w caijlioo.
DE
dous grandes fiteiros de amarello com cainilhos,
formandiuma armacao, 1 armacao, i balanca
decimal, 1 dita, garrafas de licor, ditas de vi-
nho do Porto, ditas de vinho branco, re.-mas de
papei, 8 barris (vmbo do estreito), frasqueiras
com -genebra, garrafoes c- m dita, barris com
vinagre, pipas para deposito, com torneira, 1
pequeno balcSo, pesos, medidas e outros muitos
generoB e utensilios do estabelecimento de mo-
lhados da rua da Senzala Velha n. 88.
Quarta-feira )8 de fevereiro
Rua da Senzala Velha n. 88, hoje Domjngos Jose"
Martins.
Joao da Costa Leite fara leHao, por interveni,ao
do agente Martins, d'armacsio, generos e perten-
cas do seu estabelecimento de molhados
A's 11 horas da manna do dia acima
(.EILOCe*
Leilao
Grande coinpanliia drarcalica.
Pessoal de 25 arti&tas.
( 8 DAM AS e 17 HOMENS )
ESTREA
no sabbado 28 do corrente, com o important* dra-
ma original francez:
UM NAUFRAGIO
MAS
COSTAS DA BKET.4MA
A empreza conta com um pessoal lubilitado,
inclusive o primeiro eentro dramatico Thomaz
Espiuca, que a convite do emprezario fara par-
te da companhia.
Os dramas que hSo de ser representados ne.-ta
nova epoca theatral, serao de reconhecido merito
e nomeada.
O emprezario conta que justica lhe sera feita
pelo illustrado publico desta capital a quem deve
o melhor acolhimento.
DE
bens fiortericentes ao espllio de Manoel Francisco
de Sauza.
Hoje
As 10 horas da manha
No armazem da rua do Jmperador n. 18.
Por intervencao do agente Dias, que a requeri-
mento do Dr. curador geral de ausentes e por
despacho do Exm. desembargador juiz de orphaos,
levara a leilao o segumte :
U m relogio de prata, 2 anneis de ouro, sendo
1 sem pedra, 1 cadeia fina de ouro, 1 alfinete pe-
queno com cabello, & pequenos botoes de ouro
para camisa, 2 ditos de prata pequenos para pu-
nho, 1 tranca de cabello encastoada, 1 cama de
lona, 1 pequena mesa, 1 cadeira e 1 bahu com
alguma roupa de uso.
QUARTA-FEIRA 18 DO CORRENTE
A' RUA DO VIGARIO THENOR10 N. It
ao meio dia em ponto.
0 preposto do agente Pesjana, levara pela ultima
vez a leilao o terreno cultivado, corn nma casa co-
berta de telha, cacimba com exceilente agua. com
150 palmos de frente e 500 de f undo (terreno
proprio ) todo arborisado de fructeiras novas, sito
em Agua Fria (Reberibe debaixo) na estrada das
floiadas, denominado Sitio do Ceo, servmdo de
base a oflerla feita no ultimo leilao.
Quarta-feira 18 do corrente
Na rua do Vigario Thenorio n. 11
Ao meio dia
KG
FAZENDAS
em porcao ou a retalho a vontade dos compradores
Quinta-feira 19 do* corrente
esesia-feira 20>
ComeQari is 10 boras da. manht, -en
ponto
Na loja da rua doXarao da Victoria n. S9.
0 agente Dias. competernetn lo proprietario (Tesse estabelecimento, que tem de
mudar d genero >de vegocio, levara a leilao nos
dias e horas acima mencion ados, diflferentes.'Ta-
zenda^ alii existentes, que se venderao.por bara-
tos prec/M, pelo mdtiwo acima indicado.
Cluiua--e poriaalea attenrao do publico para
ima optima oecasiao-que se oSerece, de se.prover
do bom com grande economia, e assegura-se que
nao ha alcaides, pole o estabelecimento nao conta
ainda um anno de.esistencia.
Fazeadas, a saber :
Calcas, paletots -e-ooletes de casemira de corese
pretas.
Coletes de brim branco e de cores.
Collarinbos.
Chapeos de sol para homens e senhoras.
Ceroulas
Camisas braneas e de cdr, finas.
Casemiras pretas e de cores.
Rnns de cores, finot.
Dito branco. flno.
Lencos de seda e de cores.
Ditos de cambraia bordada, para senhurae.
Meias braneas e de cores.
Tapetes.
Gurg^urSo preto e de cores.
Fustao de cores.
Organdys.
Popelinas de cdree.
Gaze de seda.
Granadine.
Cortes de vestidos de cassa.
Ditos de tarlatana.
Alpaca de listras, fina.
Raptistes com barras e listras.
Cassa preta e de cores.
Cambraia branca fina.
Cclchas de la.
Cortinados.
Chitas pretas e de cores, e percales Unas.
Cassas lisas.
Filo de linho de salpico.
Algodao de listras e azul.
1-camold dourado para parede, com tampo de
pedra.
1 relogio de bronze (alto) do melhor gosto.
3 rieos quadros chineaes fpmtora em vldro.
4 par de castlcaes.
1 paysagem, obra em pedra chineza.
I tapete pequeno e 1 esteira.
Gatinete 2.
^ magnificos guarda-roupas de jacaranda com es-
pelnos.
1 lavatoriode jacaranda com marmoie.
6 cadeiras dito.
LEILAO
em ponto.
-L.iiIL.AO
DE
moveis, longi, \idros,perfumarias,
ricascassoielasdeouroeonix.
QUARTA-FEIRA 18 DO CORRENTE
As 11 horas em ponto
I No armazem da rua do Vigario n. 11
preposto do agente Pestana fara leilao por
objectos
DE
moveis, lou^a, cristaes,uma
carroca e boi e 3 espin-
gardas.
A SARER:
Uma mobilia de jacaranda com um sofa, uma
jardineira, 2 consolos com pedra marmore, 2 ca-
deiras de bracos, e 12 de guarnigao, 2 espelhos
ovaes, dourados, 3 quadros, dnas escarraaeiras,
enfeites de mesi, tapetes de sofa e portas,e um
dito forro dasala de visita.
Uma cama franceza de jacaranda ( nova ) uma
mesinha, 2 cabides, duas ca.uas de amarello, 1
toncador e um guarda-roupa.
Uma mesa para iantar, 2 aparadores de ar-
marios, 12 cadeiras de guarnicao, uma marqueza,
uma quartinheira, 1 relogio de parede, quartinhas,
fructeiras, porta-queijos, talneres, banaejas, por-
celana para cha e jantar, copos, garrafas, compo-
teiras, calices, trem de cozinha e outros objectos
de casa de famiha.
Dous bancos para jardim, uma carroca de dua
rodas, 1 boi manso, 1 banco para carapina, 1 lot
de. ferros, ferramenta de jardim.
Um oculo de alcance, 3 espingardas de 2 canos
e 1 rewolver.
Sexta feira 20 do corrente
Aa Travessa da Cruz das Almas.
Joao Mendeboure, tendo de mudar sua residen-
1 qnadro com melriura dourada.
1 cabide para chapeos.
1 tapete e 1 esteira.
Gabinete 3.
1 bonito aparador de nogaeira clara, com pedra.
6 cadeiras pequenas dito, de abrir e lechar.
1 caixa de magno.
1 tapete e 1 esteira.
Saia de jantar.
1 mobilia complvtameote nova e de optimo golo,
toda de nogeirn, custando de
1 mesa para jantar, elastic* e de 1 so pe.
1 rico e grande aparador.
81 cadeiras de guarni.au.
1 quartinheira.
4 quadros com moldura dourada.
2 jarros de porcellana, 2 ditos e i para plantar
flores.
Qnantidade de loucae -crystaes para almoco e
jantar.
Em ima.
1 toillet de jacaranda.
6 elegantes cadeiras de mogno a Luiz XVI.
1 mesa elastica de um so p6, de nogueira, com
irises pretos.
1 lavatorio e guarnicao.
2 aparadores pequenos de mogno, com tampos de
pedra.
1 mesa com pes torneados.
2 magniGcas camas de ferro com cokhoes de mol-
la, obra completamente nova.
3 tapetes e differentes outros artigos.
0 trem partira da estacao do arco de Santo
Antenio, as 10 1/2 horas em ponto.
AVISOS DVE8S0S
- 0 Dr. Joaquim d'Aquino Fonceia, previna
aquelles individuos que, a noite e sem autorisacao
sua, tem penetrado ultima mente em seu sitio a
rua do Hosp cio n 33, saltando pelo muro e tiran-
do o que lhes nao pertence, que ja deu as provi-
dencias para que sejam bem ncebidos e tratados
de maneira a nao quererem repelir a graca ;
porquanto os considera como ladroes, e ignora ate
que ponto quererao levar sens desejos, sabendo
somente que, ha tempos, recorrendo ao mesmo
eipediente, foi bem succedido.
0 muito conhecido artista cabelleireiro Jayme i
' odera ser procurado para os misteres de sua pro- ^
etss2o, a rua Duque de Caxias n. 28, deposito cen-
tral de perfumaria nacional.
% j* Cozinheiro
Preciia se de am cozinheiro, preferindo-M escra-
vo, pan o hotel de Apipuce* : a inter no mis-
mo.
O ADTOG1DO
Alunso de Alhnquerqnc led!
, incumbe-se de promorer ccbranca* amigavet
i on jndicialmente, assim como de outros negecks
' concernentes a na profissao, nos logares proxi-
mes a liuha ferrea, e nos outros termos proximo
a esta cidade; pan cujo auxilio tern o annvm-
ciante sulic.iiadores habilitados e probos, respon-
fabilisando-se no entanto pela boa gestao e conta
do que Ihe for confiado.
i Mediante aodice bonorario acode aos chmados
para diligencias ou eonsulus fora da cidade e do
tenno e incumbe se da defexa de appellacdes ante
o irilcin H da reiacao. Pode ser procurado de
meio dia as A hora da tarde em seu escriptono
rua do Duque de Caxias n. 37.
E' barato.
Valente & Irmao avisam seaa freguezes, que
d'ora em diante serao regulados os precos dot as-
sucares pela forma seguinte : de 1.* sorte 4^200
arroba ; de 2.1 3*600 \ de 3.* 3*200 : isto so
na rua Direita n. 10. rennacao.
800 800080000
8 Advogado.
Diodoro Ulpiano Coelho Catanho, a 0
rua do uque de Caxias, outr'ora rua ^L
8
das Cruies n. 9, 1.* andar.
^a aa tt Attwuif-ii nn
FORKECEDORES DE NAVtOS
ESTABELECIMENTO DE ALFRE-
DO BARROS & FERREHIA
Neste estabelecimento encontrarao os Srs. ccm-
mandantes de navios o melhor e mais comply
sortimento de viveres, garantindo-se ao mesmo
te.npo a prempta e boa execucao no cumprimento
de suas ordens.
2 I.:rs> do Corpo Santo2
cia

dos
LEILAO
DO
resto das dividas da massa fallida de Amorim,
Fragoso, Santos & C, na importancia de......
341:0(8*730
A SABER
do Nascimento
Fei-
Pacifie Steam Navigation Companj
l.inhu quinzenal
0 PaQUETE
JOHN ELDER
Esperase da Europa, atd 22 do corrente, e
depois da demora do costume, seguira para o
sod do imperio, Rio da Prata e costasdo Paciflco,
para onde recebera passageiros, eneommendas
carga a frete.
Linha qninzenal
0 PAQUETE
Antonio Vicente
tosa
Antonio Alves Ferreira
Antonio Francisco de Souza Maga-
Ihaes Junior
Francisco de Paula Andrade
Fredcrico Miguel de Souza
Jorge Neston
Isabel Maria da Costa
Jose Alexandre Gubiam Verdum
Jose de Barros Lima
Josd.de A. Simoes do Amaral
Joao Pedro Adour & C
James Oliver
Joaquim Francisco de Hello Santos
Jose Joaquim Jorge
Luiz Jose Marques
Manoel Duarque de Macedo Lima
Manoel A. dos Passos Oliveira
Hauoel Goncalves de Oliveira
Peve, Filhos & C.
Tito Avelino de Barros
Victorino Jose de Souza Travasso
Joao Baplista Fragoso
Jose A. de Azevedo Santos
Francisco de Barros Rego
Francisco de Paula Pereira
Manoel Gonrda de Souza
Octaviano de Souza Franja
Siqueira & Pereira
Antonio Joaquim Panasco
Francisco Josd F. Gitirana
Antonia Joaquim Maduro Brandao
Antonio Francisco de Mendonfa
Pedro Paulo dos Santos
Manoel Luiz Wanderley
Manoel Pereira da Costa
Joao Paulo da Silva
Joaquim Jose Medeiros
Jose Bento Goncalves Carneiro
Pedro Jose da Costa Castello Branco
Manoel Firmino da Silva
Eduard H. Wyat
Machado & Souza
Francisco Moreira Dias
Joaquim de ilhuquerque Melio
Rego C. e Irmao
2:0005000
l:0C0i00O
Por telegramma do Rio de. Janeiro e alii e*pe-
radoo vapor desia companhia, o qual devera es
tar neste porto ate o dia 20 do corrente, o qual de-
pois da demora do costume, seguira para Li-
ve/pool, via S. Vicente e Lisboa, para onde recebe-
n passageiros, encommendaa e carga a frete
OS AGENTES
"Wilson Rowe A C.
A^RUA DO COMMERCIOU
Francisco de Barros Rego .
Joao Jose de Medeiros Cunba & C
Joaqnim Jose de ilello Junior
0 mesmo
Joaquim do Albuquerque Melio
James Olivier
Antonio Marques de Amorim
Lima & C, Martins & Se^astiio
Mesqnita & Dnlra
Viuva Amorim A Filhos
Joaquim Jose" da Silveira
Travassos Junior 4 C.
1:0004000
1:000*000
6:000*000
3:0001000
1:000*000
4:000*000
1:000*000
1:300*000
3:000*000
1:300*000
2:000*000
2:500*000
2:000*000
3:000*000
2:000*000
2:000*000
3:000*000
1:000*000
3:000*000
7:0005000
3:000*000
4:2i7*201
2:000*000
2:484*520
2:151*240
3:212*000
119*400
[100*000
770*130
281*442
2:845*920
739*000<
143*580
229*201
500*000
5i6*i98
464*000
1:300*000
2:024*980
1:149*418
1:170*003
1:000*000
250*000
5:410*126
1:134*208
897*350
1:069*170
300*000
18:204*400
62:912*000
4:584*906
4:148*070
95:461*640
3:458*330
51:198*000
0 preposto do
conta e risco de quem pertencer
abaixo mencionados :
2 lindos pianos, sendo 1 inglez e outro francez
dos melhores fabricantes que existem, 1 mesa elas-
tica com seis taboas, I dita com tres, completamen-
te novas, 1 guarda-vesudos, de cedro, 1 dito de
amarello, l dito, obra de Remiglo, 1 guarda-louca
de amarelo, 1 rico toilette de mogno com pedra, l
mezinha com pedra, para cabeceira de cama, 1
mobilia de junco com pedra, nova, 1 dita de jaca-
randa tambem nova, cadeiras avulsas, toucaaores
de mogno, cadeiras de balanco avulsas, 2 cartei-
ras, 1 balanco decimal, 2 balcdes, cadeiras de vi-
me para meninos, de bracos e de balanco, ditas
grandes, quartinheiras, cabides, diversos extractos,
quadros, espelhos, calungas, 1 rico relogio chrono-
metro de ouro e proprio para senhora, ricas casso-
letas de ouro e onix, vinho do Porto especial em
frasqueiras, vinho Xerez muito fino que sera
vendido a vista das amostras, muitos outros ob-
jectos que deixa de mencionar por se tornar enfa-
donho, os quaes se acharao paitntes a vista dos
Srs. compradores e serao vendidos por melade de
seus valores, como tem acontecido nos leiloes
passados.
Aproveitem que e ao correr do martello.
Quarta-feira 18 do corrente
No armazem da rua do Vigario n. 11
Pelo preposto do agente
PESTANA
P"* Europe IajAJfiil|o_npj: inleafincifljlfl
ftrewrfi minus'e.\i>ientes na casa de sua residencia,
Cruz das Almas.
As 10 l|2 horas em ponto partira da estacao do
arco de Santo Antonio um trem expresfo que
servira de conduccao ( gratis ) aos concurrentes
ao leilao.
Principiara as 11 horas.
Era continuacao, e no dia terca-feira 24 do cor-
rente, vendera o mesmo agente a casa e sitio, con-
forme fica annunciado.
c=
Leilao
De fazendas finas, limpas e avariadas, marroquim,
cordavao.
QUINTA-FEIRA 19 DO CORRENTE
As 10 1 \2 horas da manha
0 agente Pinho Borges, vendera em leilao neste
dia, 20_pessas de grosdenaples preto, 6 ditos de
gorgurao de seda, 36 com feicoes de seda preto,
6 duzias de cordavao e 10 duzias de marroquim
de diversas cores e outros artigos : no seu escrip-
torio a rua do Bom-Jesu n. 53, 1. andar.
DO
Grande sitio com b6a casa de moradia, a qual
tem 73 palmos de frente e 37 de fundo, chaos
proprios com cerca de 500 palmos de frente
e 2,000 de fundo, com bons arvoredos frucli-
feros, baixa de capim, cacimbas com bombas e
tanques para banho, e muitas outras accommo-
dacoes ; sendo que dita casa torna-se recom-
mendada por ser mui fresca, perto das estacoes
da Jaqueira e Tamarineira.
Ter^a-feira 24 do corrente
A's 11 horas em ponto
Por intervencao do agente Pinto em seu escrip-
torio, rua do Bom Jesus n. 43.
Os pretendentes poderao desde Ji examinar dita
casa, ou no dia 20 do corrente, por occasiao do
loilao dos moveis, louca e cristaes, ou no dia 21,
pir occasiio da entrega dos mesmos moveis.
CASA DA FORTiA.
AOS 4:000#000.
BILHETES GARANTIDOS.
a' rua Primeiro de Mar go (outr'ora rua dc
Crespo) n. 23 e casas dc costume.
0 abaixo assignado tendo vendido nos sens fe-
tlzes bilhetes, um meio n. 2,007 com 4.000*000,
um inteiron. 451 com 100*, um meio n. 3038 com
100*, e outras sortes de 40* e 20* da loteria que
se acabou de extrahir (87*), eonvida aos possui-1
dores a virem receber na conformidade do costu-!
me sem desconto algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantidos
la 5* parte das loterias a benelicio da matriz
de Serinhaem (88'), que se extrahira no sabba-
do 21 do corrente
PRECOS
Bilhete inteiro 4*000
Meio bilhete 2*000
KM PORQAODE 1009000 PARA CIMA.
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*750
_______________Manoel Martins Fiuza______
Armazem para alugar, no
caes da Alfandos*^. 5. 1
fistan1rU ^slsir^S ,?,^r^Da^m^lo.iesiltrj;!
quem o pretender pode drigir suas\iropostas a
mesa regedora da referiia irmandade. .
Manoel Francisco dos Santos comprou a!
Francisco de Paula d'AImeida Cruz a taverna sita !
a rua Imperial n. 296 : se alguem se achar pre-1
judicado, apresente-se no prazo de tres dias, con-'
tados desde a presente data, pois findo o mesmo
prazo, nao attendera a reclamacao alguma. I
Recife, 11 de fevereiro de 1874.
PENHORES
Na travessa da rua
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
Cozinheiro
ou cozinhf ira, precisa-sede um para casa de d.ia-
pessoas : trata-se na rua do Passeion. 60, da' If
horas da manha as 4 da tarde.
Feitor.
Bento Pereira da Costa
Um amigo do fallecido Bento Pereira da Costa
eonvida a todos os parentes e amigos a assistirem
a uma missa por sua alma, no convento de S.
Francisco, as 6 horas da manha do dia 17 do cor-
rente, setimo do seu fallecimento.
Lava-se e engomma-se com perfeicao c asseio-
no largo do Paraizo n. 3.
Precisase de um feitor para pequeuu jardim e
horta : trata-se na rua do Passeio n. 60.
Empregos.
Precisa-se de dous rapazes de 15 ou 16 annos
para scrvico facil : a tratar na rua do Hospioio
ig 0 advogado Francisco de Paula Penna A
X continua n.i exrroicio de sua profissao : I
jR a rua do Duque de Ca\ias n. 71. 9
0f &mm *****
No engenho Paroes da comarca de Natare;h
precisa-se de um homem para feitor de campi. e
outro para caixeiro de encaixamento e destilac' j,
paga-se bem, sendo bom, nao se repara nacionali-
dade : quem estiver nestas condicoes, dirija-se to
mesmo engenro, ou a casa de Leal & Irmao, rua
do Marquez de Olinda n. 56.
Agente Dias
ESPIijEXIilllO
ULTIMA SEMANA QUE FICA
EM
EXPOSICAO
AS
FIGURAS DE CERA
Rua da Impnratriz n. 49.
A quem ainda nflo (cm visto.
A's 11 horas
ricos moveis, louqas, crystaes,
vidros e 2 relogios de ouro
Oflinla-ftira 19 de fevereiro
as 11 h rasda manhfi
no sobrado n. 30, primeiro andar
A saber:
Um piano forte e novo, 1 mobilia de jacaranda,
contendo 12 cadeiras de guarnicao, 2 ditas de bra-
cos, 2 consolos com tampo de pedra, 1 mesa re-
donda com tampo de pedra (a LuU XIV), l dita
de faia, contendo 12 cadeiras de guarnicao, 2 ditas
de braco, 2 consolos, tampo de pedra, 1 jardinei-
ra, tampo de pedra, cama para casa], guarda-lou-
ca, guarda-vestidos, costnreira de mogno, 1 mesa
elastica, 1 importante carteira propria para banco,
ou escriptorio de grande monta, espreguicadeiras,
bancas, mesas, aparadores, cadeiras para saia de
jantar, ditas avulsas, jarros para flores, redomas,
pares de lanternas, apparelho para jantar, escar-
radeiras, garrafas de crystal, sofa, 2 relogios de
ouro, um inglez e outro suisso, e em-os muitos
artigos de goslo.
0 agente Pinho Borges, autorisado pelo Sr. A
Bezerra de Farias, que se retirou para a Europa
vendera os moveis e mais artigos acima declara-
dos. os quaes serSo transportados para o sobrado
JPdi3ado,
\
DE
magniGcos moveis, bellos quadros, jarros e qua-
dros cbinezes, com pintura sobre vidro, figuras
de bronze, louca e Vidros.
Terc,a-feira 24 do corrente
as 11 horas
No Hangrinho, rna d'Amizade, casa de residencia
do Sr. Vaz de Carvalho Junior, junto a estacao.
Um tren especial partira da estafao do arco je
Santo Antonio as 10 l]2 horas da manha e condu-
zira gratis os concurrentes.
Os agentes Dias e Pinho Borges, competenle-
mente autorisados pelo Sr. Vaz, qne pretende re-
tirar se para a Europa, levarao a leilao no dia e
hora acima designados, os moveis e mais artigos
desenptos, 03 quaes sao de optitno gosto e acham-
se em tao perfeito estado que polem-se conside-
rar completamente novos.
Garante-se 0 traspasse da casa, que se aaha em
Eerfeito estado de asseio, e assim ^ifferecese uma
oa opportunidade a qualquer pretendente que
deseje morar fora da cidade, encontrando uma
casa inteiramente preparada.
COLLOLAgAO DOS HOVEIS. .
Saia de visita.
1 magnifica mobilia de jacaranda com frizos de
madeira rosa, composta de :
2 sofas.
4 cadeiras de braco.
12 ditas de guarnicao.
2 consolos com espelhos e tampos de pedra mar-
more.
2 etagers de jacaranda com tampo de marmore
encarnado.
2 ricos" jarros chinezes, grandes, para os mesmos.
1 par de bonitas figuras de bronze.
1 porta-cartSes.
2 peanhas doundas para parede.
2 ricas jarras cbinezas.
2 bellos guadros aquarella com moldura dourada.
2 ditos ditos a fumo.
2 gravuras.
3 bonitas sanefas para cortinados.
3 pares de cortinados.
2 pares de escarradeiras de vidro.
3 tapetes pequenos.
1 esteira para forro de saia.
Gabinete l.a
1 elegante secretaria de mosaico de madeira com
tampo de pedra.
'6 cadeiras de fantasia, pequenas, co n. 13,
Quem deixara de
tricidade e 0 clown.
levar seus filhos para ver 0 zuavo mechanico que trabalha pela elec-
(
X*
> 1

'.
ODILON
CA
Premiados
RIA
DA
k IRMAO
OS
na exposicao de 1872
IMPERATRIZ
N. 82
l. ANDAR.
RLA
DA
IMPERATRIZ
N. 82L
!. ANDAR.
Acabamde reformer o seu cstabelecirnento, collocando-o nas melhores coc-
dictoes possiveis de bem servir ao publico desta lllustre capital p /k Frm.c r -.
quillo que fdr tendente & arte de cabelleireiro. Xmas- S*ras' na"
Fazem-se cabelleiras tanto para homens como para senhoras, tupete, chignon,
coques modernissimos, trancas, cachepeign, tecidos, desenhos em cabelloTquadros tu-
mulares, flores, bouquets e todo e qualquer trabalho imaginavel em cabello
0 estabelecimento acha-se provido do que ha de melbor nos mercados estran-
ge! ros, recebe directamente por todos os vapores da Europa, as suas encommendas eJgu-
nnos de modas, e por isso pode vender 20 % menos que outro qualquer, garantindo
perfeicao no trabalho, agrado, stneendade e prejo razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fora : vende-se cabellos era
orcao e a retalho e todos os utensilios pertencentes a arte de cabelleireiro.
\
CHAPEOS DA ULTIMA MODA
Chegaram lindos e bem enfeitados chapeos do mais apurado gosto, para senhora i
loja das colomnas, de Antonio Correia da Vasconcellos, a rua Primeiro de Mar-
.
L---^-^v .-a^M


Diario de Vraambuoo Terca |ixa 1J do Fewuejio de 1874,

/

1)/
If/
1

7
'}
r
i

=
Oflarece-se nma mulher part ama 4e
casa de homem solteiro, eozinba e faz todo o
fflTflco com perfeicio : A rua deS. JoSo, 35.
isullorio Hiedico-cirargico i
Gon^uUorio medico-cirargico
A. B. da Silva Maia.
Raa do Viseonde de Albuquerque n.
liuquerque
II, oulr'ora raa da matrix da Boa-Vista
n. II.
Chamados : 1 quaiqoer hora.
Consultaa: Aos pobras gratis, das I as
4 horas da tarde.
mummtmmmmmi
*# GABINETE MEDICO CTRURGICO
3 *> ffi"
3 Dr. Coasiaraclo Pontaal.
Raa do Imperador n. 81 i* andar. m
| Consaltas das 11 as 3 da tarde, chama- g
3 dos a qualquer hora, visita e da consul- JJ
Us gratis aos pobres. W-
mnimmnwmmmm
CM DA FORTIE
Rua 1. de Marco n. 23
Aos 20:000$000.
O abaixo assignado tern sempre exposto a ven-
da bilhetes da loteria do Rio, eaja extraccSo an-
nunciara pelos jornaes.
Precos.
Inteiro 24*000
Meio 12*000
Quarto 6*000
______ |Manoel Martins Fiuza.
LINHAS
bE
aETr.OZEDE.ALilO
DAO
DE
I3DAS
A*
CORES
AEULSAS
\ccessori s
TAJU
PARTE
DA
Ulachina
COZlNREIItt
Precisa se de nma perfeita coxlnbeira, nao im-
porta que scja forra ou escrava, para casa de nma
faniilia estrangeira,
paga^se bem: a tratar na
ma do Rom J SAQUKS
Carialh > i N'pgu" irs, ua rua do Apollo
k. 0, auuain subieu Banco Commercial
de Vianna e suas agendas em todas as ci-
lades e villas de Portugal, a* vista e a prazo
por todos os paquotes.
Com as falsificac,des que tem apparecido
Amaro de Barros Correia e C&ptulino Ro-
driguez do Passo vendem terreoos, regularrnente
trafados, no sen sitio de Beberibe de Baixo, ha-
vendo organisado nma planta de sen perimetro,
em que se desenba visivelmente a distinccio
e regularidade no sea projecto de arruamentos
oovos, approvado pela catnara municipal de Olin-
da. A fertilidade do terreno, a sua proximidade
da estacao do Fundao, da linha ferrea do Recife
a Beberibe, conseguintemente do rio Beberibe, e
commodidade dos precos convidam os pre tended-
tes a compra, que os poderao procnrar a Amaro
de B. Carreia, em Beberibe, a Captulino Rodrignes
do Passo, no Recife, eao engenheiro AntonioTeli-
iano Rodrigues Sette, a estrada de Juao de Bar-
ros n. 9. ____________________________
Fugio hontem, as tres horas da tarde do so-
brado da rua das Cruzes n. 41, 2.* andar, um
sabia; roga-se a quern liver apanbado, leva-lo
a casa acima, que sera gratificado.
ALUGA=SE
o 2* andar do sobrado n. S2 da rua Marquez de
Olinda : a tratar no armazem do mesmo predio.
Esta fugido o escravo Jose, cabra, idade de
15 annos, feicSes miudas, cabellos froxos, p6s
largos, veste calca e camisa branca, gosta de mu-
sica : pede se a policia a sua capture, e gratiflea-
se a quem o levar a seu senhor, a rua do Hospi-
cio n 85, on a rua do Queimado a. 83,1 andar.
ALUGA-SE
nma casa na Capunga, raa das Pernambucanas,
com coxeira e quartos fora : a tratar na rua do
Vigario Tenorio n. 31.
CoDsoItorio medico %
DO fi
Dr. Murtllo. O
RDA DA CRUZ N. 26, 2.' ANDAR. Gf
Recem-chegado da Eurepa, onde fre- \g
quentou os hospitaes de Paris e Londres, Q
node ser procurado a qualquer hora do fid
dia ou da noite para objecto de sua pro-
fissao. .....
ras, e do meio dia as duas da tarde.
Gratis aos pobres.
ESPECI ALIDADES.
Molestias de senboras, da pelle e de
crianca.
Precisa-se de uma ama para cozinbar e
comprar para casa de bomem solteiro : na rua
Direita n. 8.
DAS MACHINAS PARA COSTUFA
DE
SINGER
Porque?
o
CO
<3
ma-
Nenhuma
china Singer e legi-
tima se nao levar
g esta marca fixa no
braco da machina.
o
Paraevitarfalsi- S
A dinheiro e
fi canoes notem-se
bem todos os deta-
inee da marca.
T
o
o
i
I'rofessora pnblica.
A professora interina da 4* cadeira do sexo
masculino da freguezia de Santo Antonio abrio a
escola em data de 12 de fevereiro, e funcciona no
1* andar do sobrado n. ii da rua estreita do Ro-
sario.
Precisase alugar uma escrava para cozinhar
e comprar : a tratar na rua Primeiro de Marco n.
23, loja.______________a___________
Criada ou cpiado
Para servir a um homem de idade avancada :
quem a isto se quizer prestar, entenda-se no ar-
mazem n. 37, a rua do Marquez de Olinda.
Venda ou arrendamento
Na freguezia de Seriohaem e distante duas le-
goas da estacao de Gamelleira, do engenho Bura-
rema, com terreno de macap6, a maier pane de
varzea, de optima produc^ao, e para 3,000 paes
deassucar annualmente : quem pretender, diri-
ja-se ao capitio Jose de Castro Paes Barreto, no
engenho Matto Grosso, ou a Leal k Irmao nesta
praca._______________________________________^
N6s abaixo assigoados declaramos ao res-
peitavel corpo do commercio que compramos ao
Sr. Jose Fernandes Paquete a taverna sita ao pa-
teo da Ribeira n. 12, livre e deiembaracada de
qualgaer debito que possa apparecer : quem se
julgar com direito, apresente suas contas no prazo
de tres dias, a contar desta data. Recife, 17 de
fevereiro de 1874.
r ______________ Santos A Ferreira.
Precisa-se de um criado de 10 a 12 annos
de idade, preferindo-se escravo : na tbesouraria
das ioterias, 1* andar Ba rua do Crespo n. 6.
No dia 3 de fevereiro do corrente anno fugio
da fazenda Jaboticaba, termo de Caruarii, o escra
vo_ Benedict), idade 22 annos, com os signaes se-
guintes : cabra, cdr de laraaja, pouca barba, ca-
bellos carapinhos, am pequeno taliio no rosto, en-
lorta am pouco am pe no andar e e um pouco
gago, principalmente quando veixado. Roga-se as
autoridades e capitaes de campo queiram appre-
hender e leva lo ao lugar p6 de Serra do Mendes,
a sua senbora D. Rila Franci-!ca da Assumpcao,
ou a rua do Livraraento n. 24, ao Sr. Raphael
FraBcisco Pereira que serao recompensados.
a prazo:
A contento das Exmas. familia^
MACHINAS DE SINGER
S3o mais^baratas.
SSo de doos pospontos.
Sao simples.
SSo rapidae.
Sio duradouras.
MACHINAS DE SINGER
S8o de dous pospontos.
Abainham.
Franzem,
Pregam trances.
Marcam pregas.
Bordam de linha de sdda.
Alcolchoam.
Prftgam corddes.
T1NJHA AaWKTf.TA
EM
\
Agencia de leiloes
0 abaixo assignado declare ao respeitavel po-
blico, que, tende aberto o sen escriptorio de
agencia de leiloes k rua do Marquez de Olinda n.
64,1* andar, contmua a receber moveis, louca,
fazendas, obras de ouro e prata, predios e todos
Suantos objectos se lhe remetta para serem ven
idos, era leilao publico ou particular, a vonUde
de seus cororoitentes.- e como quer que o sen
novo estabelecimento se ache o roelhor possivel
localisado, ale-n de que offerece as melhores
proporcSes pare a boa conservacao dos objectos
que tenha de receber; o abaixo assignado com-
promette-se nao 6 a empregar toda a actividade,
zelo e pontualiiade no cumprimento de seus de
veres, como mesmo sens pagamentos serJo feiots
com a costumada promptidao, que lhe conbe-
cida.
Recife, 17 de Janeiro de 1874.
Ravmundo Reraigio de Mello Junior.
Na raa do Barao da Victoria n. 36 precisa-*
allar ao Sr. vigario Andre Curcino de Araujo Pe
eira, t negocio de sea interesse._______________
A Torre
Aluga-se para pssara festa um sitio com
excellente casa de habitacAo e banho no rio
i frenta deste s quem a pretender, pode
procurer 4 raa de Gervasio Pires n. 24.
Na raa fle Santa Thereza n. 60 se dira quem
vende 60 palmos de terreno, em Belem.________
" Precisa-se alugar uma ama pare casa de
pouca familia : na raa do Imperador n. 33.
A CASA AMERICANA
45 RUA DO IMPERADOR 45
40 Rua do Imperador 49
Ha neste estabelecimento o melhor sorlimento de pianos dos mais afamades autores,
como sao : Herz, Pleyel, Plap, etc. Offerece-se tambem uma qualidade de pianos supe-
riores, mandados expressamente construir para oste clima, o qual os amadores dos
bons pianos s6 encontrarao nesta casa.
Recobem-se pianos usados em troca.
Concertam-se e afinam-se pianos.
Tambem avisa-se aos Srs.
concertadores de pianos
que ha sempre o mais complcto sortimento de materiaes para concertar. pianos, como
s8o: cepos, folha para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, camursa, cordas,
marfim, etc., etc.
49 RCA ROIMPERAHOR 49
iiiPli iiiiiiiiii
PARA
I'recisa-se de uin criado de 14 a 16 annos,
preferindo se portuguez : a tratar nos Quatro Can-,
tos na Capanga n. 16, ou rua Duque de Caxiasl
n. 41, 2.' andar.____________________
A pessoa que perdeu um chap
no demingo 8 do corrente, em um dt
subia a tarde para Caxanga : dirija-se a rua"do
Bom Jesus n. 43.
cbapeo de Sra.
os trens que
Furto de cavallo.
Na noite de 13 para 14 do corrente furtaram da
freguezia da Eseada. dous cavallos com os sig-
naes seguintes : um poltro melado, grande com o
ferro B A R A, sende de primeira muda, no quar-
to esquerdo tem a ribeira Ca e no queixo esquerdo
uns 4 ; o oatro e nm poltro ruco, quasi branco,
com o mesmo ferro e tem no quarto esquerdo o
carirabo M. : a pessoa que os apprebender ou
delles der noticia certa a seu dono Martinbo Gar-
cia de Araujo, sera recompensada com 50*
de gratiflcacao.
Eseada 16 de fevereiro de 1874. _____________
Aluga se nma casa na rua d? S. Jo5o : a
tratar na rua Duque de Caxias n. 44.
Marcar vestidos, roupa de cama, guardanapos,lencos,
meias e todo genero de roupas
COMO TAMBEM
-Carl6cs de vislla, livros, envelopes e foda a qualidade de
papeis, clara e exaclamente cam o none compelenle da pessoa
Garanre-se dar uma chapa tfio boa como poderia conseguir-se era Landres ou Nova
ior, e affianca-se igualmente que a tinta serd iudelevel.
You can bet your bottom dollar on that
'Cada chapa com o nome da pessoa 4 acompanhada de dous fraspuinhos de tinta
incel uma direccAo sobre a maneira de empregar a chapa e uma receita Dara famr
um p
tinta, costando tu receita para fazer
Precisa-se de uma ama pare o servico ie-
terno de uma casa de familia : a rua da Soledadn
n.554.________________________________________
Aluga-se a casa n. 3 d) becco da matriz :
na thesonraria das lotenas.
Aluga-se o predio n. 20 da rua do Barao
de S. Borja, eom cemraodos para grande familia :
a tratar na rua da Pome Velua n. 73. com o Sr.
Roch* Leal._________________________________
Veroizes cspeeiaes para carrua-
^ens.
Este vernit, cuja falta aqui tanto sentem
os -Srs. fabricantes e possuidores de. carrua-
gens, acaba de chegar para seu unico depo-
sits, das seguintes qualidades.
VERMZ SUPERF1NO PAUA CA1XAS DE
CARRUAGOS.
E' um verak muito claro e duravei para
as aixas de carruagens, para todas as de-
maos, ou para a ultima somente, sobre
outros vernizes. A superficie secca em 12
horas, depois das quaes e expde ao ar por
algum tempo, o que faz endurecer, e passa-
das 15 a 18 horas p6de passar-se a caixa a
pedra pome e dar-lhe em seguida outra de-
mao. Dao-se com facilidade tres demaos
deste verniz sobre as tintas, em tres dias.
A primeira demio servindo de apparelho,
ajuda a seccar as ultimas demaos e produr
um excellente brittle
Verni* superioi* icccaiitc para
carrn ngens.
Este veraiz 6 da mesma c6r que o ante-
cedente, mas endurece e secca com mais ra-
pidez. Emprega-se com bom exito nas
obrae urgentes, e pdde misturar-se com o
anterior. A durajSo do verniz permanente
diminae na proporp&o/da mistura.
i.n-iiti o\jititxswn uLaoiiuiiu i/lit.* us
JOGOS DAS CARRUAGENS
\ao e tao claro como o verniz para as
caisas das earruagens. { Emprega-se nos jo-
gos das earruagens e tambem para as pri-
meiras demaos sobre cpres escuras. P6de
passar-se a pedra pome passadas 10 horas,
podendo dar-se em seguida outra demao.
Veruiz pre to do Japilo, superior.
Para trabalhos em preto de earruagens.
Produz o preto mais escuro e brilhante, e
p6de passar-se a pedra pomes 10 horas de-
pois. Deve dar-se duas demios sobre um
fundo preto e cobrir-se com outras duas de
verniz que se emprega nas caixas das earrua-
gens.
VERNIZ PARA COUROS, BRILHANTE E
ELASTICO.
Este verniz, contendo na sua composicSe
grande quantidade d'uma subslancia muito
semelhante ao azeite denominadopieds bceuf,
6 o unico que da" flexibilidade ao couro ve-
mo envernisado. Em geral baste uma de-
mao que deve ser applicada muito ligeira-
mente, com um pincel depois de ter limpo
o couro com agua-raz. Exposto ao sol sec-
ca em 1 ou 2 horas, e & sombra mas ao ar
secca em 4. Em tempo humido e inutil tal
trabalho, por que n3o e" possival tornar o
verniz elastico e seccante ao mesmo tempo,
Verniz para apparelho.
Depois de ter apphcado 2 ou 3 demaos
deste verniz n'um intervallo de 8 horas, de-
ve-se deixar a obra intacta por 2 ou 3 dias,
no 8m dos quaes se p6de pulir com extre
ma facilicidade. E' essencialmente neces-
sario cobrir este verniz com duas demaos do
verniz superfino para caixas de earrua-
gens.
VERNIZ SECCANTE.
Mistura-se com as tintas de apparelho, e
sobre tudo com as .tintas moidas, para que
sequem mais facilmente e para lhes dar
mais consistencia.
MOFINA
Esta encouracado !! !
.\u:i i;tillo cm pedra dara
laiitu ila air que R fur.i
ItaHCa-M mm. .-r. ifnsrw Vieira d^ il !t
Tcrivi* na cul^Ji dt- Szarrih dcnta provincia,
-v.il di- vir A rri;, |>ui|Ur Hi: (>xiu n. 36, a
uav i-|uclie nt'i-'ochi que S. S. se conipromettfn a
reaibor, pela terccira cliamada deste jornal, rm
".i:- de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
,ja>sou a fevereiro e atril de 1872,e nada cumprio,
pur este motivo k de novo chamado pare ditc
jm, pois S. S. se deve lembrar que este negocio
le mais de oito annos, e quando o Sr. tea n!ho
ichava nesta eidr.de.
Apreeieiu
E. A. DELOUCHE.
49Rua do Marquez de Olinda49
Acaba de receber um grande soriimcntc de re
logios americanos para parede e mesa, de corda
de 24 horas e de corda de 8 dias, com despertadoi
dos melhores gostos e qualidade.
Relogios de ouro patente ingliz verdadeiros,des
coberto com ponteiro grande no meio, dos mais
modernos e do melhor fabricante de L< ndres.
Grande sortimento de relogios de prata, prata
dourada, cobertos e descobertos. Ditos de prata
foliada (plaque ), orisontal e patente, de todo
preco.
Cadeias de plaque e de ouro.
Lunetos e oculos de todas as qualidades.
Verdadeiros vldros de chnstal da Rccha, para
vista can.-ada.
Vende-se tudo por preQO mais baratc <|ue em
outra qnalqner parte._____________________
eoino se \ende haralu
So o n. 20
RUA DO CRESPO
LOJA DAS 3 PORTAS
DE
GuUherme & 0
CASSA-LA
Acaba de chegar esta fazenda com bonitos pa-
dr5es, e que se vende pelo diminuto preco de 200
rs. o covado 111
METIM
Metim trancado, padroes bonitos, a 320 r3. o
covado 1! I
ORGANDY DE GORES
Cambraia organdy de cores, fazenda fina, boni-
tos padroes, pelo diminuto preco de 320 rs. o co-
vado III
LiS E3COCEZAS
Novo sortimento desta fazenda, com bonitos
padroes, que se vende a 240 rs. o covado 111
CRETONE
Cretone daros e escuros, bonitos padrSes, e fa-
zenda fina, pelo diminuto preco de 400 rs. o co-
vado 111
LAS MODERNAS
Completo sortimento de 11 de todas as qualida-
des, pelos diminutos precos de '.00 rs. o covado,
e" pechincha 11 1
Cortes de casemira di cores, a 5JC00.
Colchas estampadas e eom barra a 3*500 e
4*000.
Cobertas de chita adamascada a 3*300.
Lencoes de bramante a 2*000.
Dits de algodao a 1*400.
Toalbas alcochoadas, duzia, a o*800
Lencos de cassa com barra a 1*000 a duzia.
Ditos de cassa abanbados a 2*000 a duzia.
nitne dp pffiiian ohanhadne. m cnivinhns mn.
ueruas, duzia, a 3*300.
Cambria transparente fina a 3*000 a peca.
Chales de todas as qualidades e precos.
Bramante de algodao e Iinho a 1*600 a vara.
Dito de linho puro com 9 e 10 palmos de lar-
gure a 8*500 e 2*800 a vara.
Algodao marca T, largo, a 5*000 a peca.
Dito domestico a 3*000 a peca.
Brim com listras, irlandez, proprio para cami-
sas, a 440 rs. o covado III
Madapoloes lrancezei de todas as qualtdades de
3* a 8*590 a peca.
Cbapeos de sol de seda com 12 asteas, pelo di-
minuto preco de 8*500.
Camisas inclezas, todas forradas, fazenda de
Iinho puro, a 44*000 a duzia ; e pechincha, so se
ven do.
Popelinas de linho e seda pelo diminuto pre-o
de 800 rs. o covado; e pechincba. e dao-se amos-
tras.
S6 o n. 20 da rua do Crespo
Loja das ires portas
DE
Gruilkerme & C.
HlNTO A LOJA DA ESQU1NA
rastes.
Comnra se e vende-se trastes novos
usados no armazem da rua do Im-
perador n. 48.
Pre^ofixo ...... 3JW00
Em letra de m3o e gothice. 5^000
VIvGOI. VS AME,MCA^\S
PARA CHAVES
Sio muito commodas e possuem as seguintes vanlagens:
Servem para ajuntar as chaves, e ao mesmo tempo sendo chatas, ha
nome e moradia do dono.
Sao faceis de abrir e fechar, deixam entrar a maior chave
argola.
SSo feitas de prata allemS enSo saosujeitas a enferrujar, quebrar ou abrir ; como a"
argolas de ago, s8o muito fortes e bonitas. Cada argola americana com o nome e mora-
dia do dono, aberta na mesma, custa :
Preoo fixo
P. LAURO MAGPHEBSON
;no hotel estamtnEt
Rua do Imperador n. 32
TODOS OS DIAS UTEIS DAS 9 HORAS AO MEIO DIA.
lugar para
sem offender
ir; coo]
me e m
2.J000
Como nao e necessario dar lustro & ultirm
dem3o de verniz empregado nas caixas dt
earruagens e no dos jogos, convem daMc
n'um local separado aonde n8o haja p6.
Quando a obra urge,-" deve p6r-se a* sombr?
e ao ar livre depois de seoco, isto e, passa-
das 12 horas, lava-se e enxuga-se bem com
uma esponja humida. Quantas mais vezes
se fizer isto, mais brilhante ficara o verniz,
e mais depressa ss terminard a carruagerr
(em caso necessario tres dias depois da ulti
ma dem8o). Durante as duas ou tres pri
meiras semanas deve-se lavar a carruagen:
com agua fresca, depois de ter ser
dido.
Os frescos devem conservar-se st-mpn
hermeticamente tapados, o resto do vernb
n8o se deve deixar ficar no fresco, e p6d<
usarse pare as primeiras demaos.
Nao deve misturar-se com este verniz ne
nhum outro ingrediente, nem agaa-raz, (
de nenbum modo com o seccante. E' pr&
ciso limpar bem os vasos e os pinceis, e (
melhor e" servir um piucel para cada ver
niz.
DepositO unico para o Brasi
meu & C, PernamLuco, Rua
rio n. 34.
fugida
NOVAS PUBLICACOES MUSICAES.
.%..!. d'Azevedolln \ova n. If.
Acav'ain de publicar se, e acham-se i
venda as seguintes inusicas :
PIANO St)'.
Danse espaniiola, por Ascher 2*000
Arabella, mazirka, por 6. Wer-
theirner 1T500
Valsa do Fausto, por Crojut 1^000
Somio de uma virgem, ji< >r Alber-
tflzzi 1^000
Anna la Prie, cavatina 1JW0O
AoClair de la Lore, por Bussmcyer l?50O
Fstrella DO NORTM,Poika brHhante 1CO0O
Sai'dacXo ao Baiiia |
Cricket, por Seixas, offerecida aos
chrickets club pernambucano e
bahiano 1J000
PURO E CANTO.
Desespero, muito liudo romance
por 1. Smoltz 2000
Non m'amava, romance pr.r Guercia NMt
Tambem re..'b.-u da Luropa grande son
menide musina para piano, piano e
antoudos, mothodos, etc (tc.
Convida-se
aos seobores cscriptoros, littt ra'os, chefes de re-
particoes e. commerciaute* a visitarem a
E.NCADERXACAO BRASII.EIRA_
a rua Duque de Caxias n. iy, onde verao que e
este o estabelecimento que dispfie dos melhores
meios e processes para bem servi los na arte de
encadernar, e o unico que
POSSl'E A MELHOR
machina para paubr papel, riscaf livros, mappa*,
manifestos, folbas de ctiiprogados, despachos. tac-
turas, contas cerrcnte? e de venda ; cujo traLai^i
sera regulado pela seguinte tabeila de precos :
Papa pcfjiieno em caixii.has.
Para pautar 1 caixa 1*0^ 0.
Idem 4 ditas a 500 rs. cada nma.
Idem 10 diiaj a 400 rs.
Idem 20 ditas a 300 rs.
Idem 30 ditas a 250 rs.
Idem 100 ditas a S00 rs.
Idem 201 ditas a 150 rs.
Mais de 200 ditas a 100 rs.
Papel em tamanho fiume. contas e despachos.
Por pautar 1 resma 1*500.
Idem 10 a 1*200 cada uma.
Idem 20 a 1*
Mem 50 a 800 rs.-
Idem 100 fi COO rs.
Idem 200 a 40o rs. i
Mais de 200 a 320 r.
Outros trabalhos a uforme o axste.
A differenca em prpco do papel liso para 0
r?!' uusso mercad0' ni!o superior a320
rs. em resma, sendo per isso vaniojoao aos SrV
A IMPORTADORES DE PAPEL
r^.DJ,a/em vir papel ,iso Para aq ser paotado
, GARANTE-SE
L^SSfl 2 mpeza d0 traf'a'l'o, entregando-se
SLIuSf! de re--ma com a n,esma Perli.-io I
igualdade que se liver recebido na
EN -ADERN'ACAO IlRASILEIRA
________^1-Rua Duque de Caxias 21.
Ao carnaval
Na rua estreita do Rosan'j n. 35, sobrado de
um anda-, tem vestuarios para o carnaval, de
todo gosto ; sendo dominos de seda e de velludo
vestuari s de seda a phantasia, vende-se e aluga-
se por muito barato preco. Preparam-se lindo*
bouquets de cravos, rosas e todas as 11 res na-
turaes e artificial, s^ndo a eneommenda ftita 2
prupri^s para noivos e bailes.
dias antes sic
Au?entouse da casa de seu senh/r, no dia 26
do corrente a escrava Felicia com os signaes M
guintes : cor parda clara, cabellos csmprido?, ate
os hombros, rosto redondo, falta de um dente
quasi na frente, corpo reforcado, maca do rosto
bastante saliente, foi acompanhada por um ho-
mem. pra;a de cavallaria de nome Vasconcellos,
foram vistos no dia 27 do corrente, em Santo An-
tao : quem a levar 'a Camboa do Carmo n. 3,
sera gratificado generosamente.
- Precisa-se de uma ama para casa de familia
de tres pessoas : a tratar na rua das Flores n 5
ESCRAVO FUGIDO.
Desappareceu ao amanhecor do dia 4 do cor-
rente, do engenho Serigi, comarca de Goyanna, o
escravo de nome Jose Borges, mestre de assucar,
tendo os signaes seguintes : cabra, idade 30 an-
nos, pouco mais ou menos, boa figura, um tanto
grosso e espadaudo, sendo o signal mais visivel
uma gomma na junta do p6 esquerdo : roga-se a
todas as autoridades e capitaes de campo queiram
apprehender dito escravo e leva-lo ao referido en-
genho, ou nesta praca a Oliveira Filhos & C, lar-
go do Corpo Santo n. 19, que serao generosamen-
te recompensados.
N"a rua do Imperador
n.28
precisa-se fallar aos seguintes senhorea :
Domingos Martins de Barros Monteiro.
Emigdio Marques de Santiago (Dr.)
Joao Vaz de Oliveira.
Jos6 Alves Machado Guimaraes.
Jose Francisco Lopes Lima (Vazareth).
Manoel Pereira Brandao.
Manoel dos Passos Miranda.
Theotonio de Barros e Silva.
Fran:isco Pinto Pessoa (Dr.)
Francisco de Paula Borges.
Francisco Antonio Pontual Janior
I, Bartholo
do Rosa
Casa de campo
A'a*f a excellente casa da travessa de Pay-
sandd n. d, proximo ai hospital portugnez, com
commedos para grande familia ; para tratar, na
I rua do Amorim n j andar.
Menina
Precisa-se de uma menina escrava ou forra, de
8 ou 9 annos, para cuidar de um menino : a tra-
tar no sitio da Torre, rua da Torre n. 4
igreja.
perto da
Alu
CHAMADO.
Os Srs Jovino Fernandes da Cruz e Joaquim Cie
mente de Lemos Duarte, sao chamados a rua do
Uronel Suassuna n. 282, a negocio de particular
interesse.
>,###$#
^InstrnccH1) primariae se- #
cuiidaria.
I
a

0 professor ThdhriKiugUsto da Silva
Villar participa aos pais de'vens alum-
nos e a todos aqucll s que qursercm
confiar-lhe a educagao de seus fill
que transferio sua residencia para i
rua do So:ego n. 68, orde contintia a
exercer o seu magisterio. Desde ja
agradt-ce em extremo a bonJade coin
que o honram os pais de seus alumnos,
e garante esmerar-se no cumprimento
de seus doveres.
mmmmm
selecta e de umbigo
(Enxertadas)
Sapotizeiros
sapoteiros de 11 palmos (em vasos) e de todo*
precos mais commodos que daa-
as seguintes outras plantas de
os tamanhos e
tes; assim como
fructa e de ornato :
Abacati.
Acacia.
Ariticum a pe.
Canella.
Casuarina.
Carolina do principe.
Condeca.
Coracao da India.
Figueira.
Flamboyant.
Fructa-pao.
Inga do Para.
Jambo.
Jasmim laranja.
L&ranja da China.
Dita do ceo.
E outras plantas :
ura n. 20.
Laranja cravo.
Dita de doce do Para
Dita branca.
Dita tangerina.
Lima da Persia.
Diu de umbigo.
Limao francez.
Dito doce, enxerlado.
Oiticoro.
Palmeira imperial.
Parreiras.
Pinheiras.
Romeiras.
Rozeiras.
Rozeda.
Ubaia.
na Capuoga a rua da Ven-
ga-se
0 1 andar a rua da Imperalriz n
cafe Imperatriz
C : a tratar no
B- Na rua do Sebo, hoje Barao de S. Boria n.
mod611 Um b'e Uma carro?a' Pr Preco com-
cT FTViu e 800* a juro., dando se uma
casa de hypotheca : quem qui:er fazer este ne-
gocio, dirija-se 4 rua de Santo Amaro n. t, que se
dira quem quer.
c
CHAMADO
Roga-se ao Sr. Joao de Arroda Camara o obse-
quio de chegar a rui do Cabuga n. 3 A (Colar de
Ouro) aflm de tratar da negocios de seu internet,
para receber uma carta vinda do sertio.
Precisa se de uma ama que lenba bastante
reite e nao tenha filhos : a tratar na raa Direita
Inumero 8.
Aluga se a loja da esqulna a raa da impe-
ratriz a. |: a tratar no cafe imperatriz.
}




*

6

Oiutfftfe ffcnltimfe ^ fctrgaiiftiifeirt dc B^^eii^itf4> ife7*.
V
)
A 9:000
Botinas para homem
Aeabam do ehegar' grsndes facturas bem sor-
lidas de botinas da bezerro, de cordavao, de pelli-
ca, de duraque com biqueira, de bezerro com bo
ifies. e com ilhozes a 9*000 (a escolh r) por ter
Tinlo grande quantidade por coata e ordem dos
fabricantes : ao armazem do vapor francez, a rua
do Baiao da Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Mascaras
Coegaram grandes facturas de mascaras de
aassa, de arame e de setim, para serem vendidas
por eonta e ordem dos fabricantes, o mais barato
possivel, em grandes. e pequanas porcoes : ao ar-
maxem do vapor francez, a'raa do Barao da Vic-
em (outr'ora Noa) n. 7.
Calfado
i if
fraoeez.
.Anada.
Na rua do BMu danVktoria n 36, precisae
fallar ao Sr. 1 tenente Jose Maria Pestaflt, a ue-
gacio de sea inleresse.
Precisa-se de
dues annas para
casa de pouca fa-
milia, sendo uma
para cozinhar e outra para engommar, pre-
ferindo-se escravas, paga-se bem, se agradar:
a tratar na travessa do Vigario Xbenorio n.
1, escriptorio, das 9 as 4 da tarde._______
Precisa-se de uma ama que saiba comprar
e cozinhar : na rua larga do Rosario n. 21, lqja
de calcado.
Ama de leite.
Precisa-se de uma sem fllho, que seja de
boa conaucta: a rua do Viscoade de Goyanb*
n. 1J9.
Para homem.
BOTINAS de beserro, cordavao, peHica, lustre t
de duraque com biqueira, dos melhore*
. fahrioantes.
6APAT0ES de bezerro, de cordavao e de case
Wia.
SAPATOS de lustre com saJtu.
SAPATOES atamancados com sola de pao, pro-
prios para banhos, jitios e jaruins.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca
francezes e portuguezes.
Para venisons.
80TINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, braneos.
pretos e de cdres differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca.
Para meninas.
SOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para meninos.
BOTINaS de bezerro, lustre e de cordavao.
ABOTUS'ADOS e sapatdes de bezerro, de diversas
qualidades.
SAPATOS do tranca francezes e portuguezes.
Botas de montaria.
Lotas a Napoleao e a Guilherme, perneiras
eias perneiras para homen*, e meias perneira?
para meninos.
No armazem do vapor franeez, a rua do Barai
g- Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de guerniydes,
sofas, jardineiras, mezas, conversadeiras e costu-
reiras, tudo isto muito bom por serem fortes t
-, e cs mais proprios moveis para saletas e ga
binetes do recreios.
No armazem do vapor francez, a rua do Barar
da Victoria n. 7, outr'ora Nova.
PIANOS.
Acabam de chpgar muito bons pianos fortes e
de elegantes modeloa, dos mais notaveis e bem
eonhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff A C.: no
vapor francez. a rua do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumarias.
Finos extraclos,'banhas, oleos, 'opiata e p6s den-
AMA
de Goyanna n. 129.
Precisa-se de uma.para do-
zinhar para ca-a de pouca
familia : a rua do Visconde
A TTIfl Precisa-se de uma ao* para cozinhar
-a-11*"1 e comprar : aa rua de Pedro Affoqsorl
n. 3 (outr'ora da Praia).
Precisa-se de uma ama que saiba'
cozinhar e comprar, ou coziuhar e
engommar, para poucas pessoas : na
rua do Hospicio a. 50.
I
AMA
Ama
Prectea se de uma ama de leite : na
rua Direita n 26, 1 andar.
Precisa-se de uma ama' que saiba engommar:
a tratar na rua do Crespo n. 25.
AMA Precisa-se de uma cozinheira : na rua
AiaA do Queimado n. 92, loja.
smmmmmmm
AD70&AD0
AIRES GAMA
RUA
DO DUQUE DE CAXIAS
m.
Primeiro andar.
m
Fumo hontem, a noite o escravo Anton
mtflato, de 12 annos de idade, corpo fornido, ca-
bellos ruivos e corridos', feicSes e pes regulares,
provavejmente procilrara a Palmeira dos Indios,
donde vmt o atmo passado : quem o trouxer a
e*e arigenlti Mragpndros!Jni8t gratfflwtdo.
Taper*, 9 4e fevereiro ide 4874.
nt*T
v~i r~-----!-------~^~
Barbejro
S/Precisa-SB'de atri official de bartjeiro e .que en
mda de cabertefrelro : no r* andar da eaaa n.
B, | flia^Pqjftre Be Caxjas_______
Precisa-se de uma ama para
cozinhar em casa de pouca fa-
_ milia : na rua de Pedro Affonso,
outr'ora da Praia n. 3.
AMA
Precisa-se de1 uma ama pa-
ra comprar e coziuhar para
casa de dus pessoas : a tra-
tar na travessa de S. Pedro n. 8.
AMA
Ama de leite
PrecWa-se de uma ama de leite sem nlho : a
tratar na rua Primeiro de Marco p. 19 (antiga do
Crespo)_________________________________
- Precisa-se de uma ama que saiba cozinhar;
para casa de homem solteiro : a tratar na rua do
Barao da Victoria n. 60.
Mtotes garaafcidos
ftua (te'BardQ da Victoria (outr'ora Nova
n. 63,. e. casa ...do, costume.
Q.abaUo asstenadoacaba.de vender nos sans
oauito fellies bUhetes a sorte ae 4:000* em am
meio bilhele de n. 9g07, e ita meio de n. 3195
com a sorte ile:200>flDO, alem de outras soites
menores de 40^000 e 20*000 da loteria que se
acabou de extrahir (87* y, convida aos possuidores
a vfrem receber, que promptamente serai pagos.
0 mesmo abafito assignado convida ao respeits
hb\ pnWico para vir ao sou estabelecimento com
prat os muito feliiea bilhetes.que nao deixarae de
tirar qualquer j.-reraio, como prova pelos mesmc s
aonuncios.
Acham-se a venda os muito fehres bilhetes ga
aatidos J
mairiz
do corrente ajoz.
Promos
Inteiro 4*000
]Ma 8*000
De fOO^OOO para oima.
Inteiro 3*300
Mek) 1*730
Recife, 1ft de: fevereiro de 1874.
JoSo Jaaqurm da Costa Leite.
tWAIWJt
Antonio Jose Rodrigues deSenza, em sen es-
criptorio a rua do Crespo n. 6, compra, por bons
precos, escravos das diversas cdres, sexos a
dades.
Na rua da 1'enha n. 2 lavase e engomma-se
com presteza roupa de he mem e senltora : quem
pretender, dirija-se a mesma casa.
Aluga-se barato umas mei-agnas novas, na
travessa das Barreiras {becco do Aquino) : a tra-
tar na rua do Cotovello n. 23.
LOJA
Aluga-se a loja do sobrado n. 9 da rua da Au/
rora : a tratar na rua do Hospicio n. 26, taverna,
ou na rua da fmperatriz n. 10, taverna.
Veste se anjospara procissao, com as-1
seio, perfeigao, e commodo prego ; tambem
cose se vesttdos para casamentos, bailes e
passeio. a ultima tnoda, e aViam-se en-
commendas de costaras para fora da cidade,
bem como vestidos, assim como para bap-
tisados, e bordados a ouro o linlio, etc.,
trifice, agua de flor de laranja, agua de toilete. I tudo com perfeicao e commodo preco. Na
\:-i3gos tl*?
...''ma, florida, lavande, pos de arrez, sabonetes,
t-meticos, muitos artigos delicados em perfuma-
ris para nresentes om Trascos de extractos, cai-
smhss sortidas e rarrafas de dillereutes tama-
d'agua de cologne, tudo de primeira quali-
da le (!> bum eonhecidos fabricantes Piver e Cou-
iray.
No r.nnazem do vapor francez, a rua do Barai
tta Vieto i?, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
ilaflercntes goNtuw e
|ihii is 1 -f-ittm.
..; 'jII^js dourados para saias e gablnetes.
uequos para senhoras e pira meninas.
Luvas do Jouvin.de Bo deEscoeiii edo camurca
l.aixinbas de costura orcada on. rousica.
Albun.s e ,1'iadruix > p^-.a retratrf.
Caixmnas com Vidro de au^mentar retratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
Correalcs de plaque muito bonitas para relo
i'.eos sn;-*ac:".o ? boi5es de punhos de pla
Boi^inhas o colres do sed3, de velludo e de cou-
linho de '-ores.
Novw objeetoe de phantazia para cima demes?
t loiitite.
Pmcioez de cores, de prata dourado, de ago
de tartamga.
Ocutos de aco fino e de todas as guarnicSes.
Beugalas de luxo, canna, com castoes de mar
ii.
Bengalias diversas em grande sortimento par*
omeus e meninos.
Ghicoi:uhos de balcia e de muitas qualidade>
liversaa.
Esporas de tarracha para -saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charntos e cigarros
Pentes de tartaruga para desernbaracar e par
tarba.
Ditos do marlim muito finos, para limpar ca-
Escovas para roupa, cabellos, unhas e para den
i.
Carteirinhas de medreperola para dinheiro.
Gravatas brancas e de seda preta para h<
i menir os.
Canij ainhas de mola para ch^mar crian53.
Jogos da gloria, de dama, de bagateUfts, de do-
ino e ontros muitos dirTereni&y'joguinhos alle
ies e francezes. ^y
Malas, boli.as e^j%~fos de viagera de mar e ca
cninhos de \ Ar.
"em, '.voln para
-iterQos de vimes para embalar crianQas.
Cesttnhas de vimes para bra?o de meninas.
CaTinhos de quatro rodas, para passeios de
riaacas.
Veuezianas transparentes para portas e janellas
Reverberos transparentes para candieiros dt
jaz.
Estereoscopos e dsmoramas com escolhida.1
-.istas.
Lanterna's magicas com ricas vistas de cores em
ridrus.
Vidros avulsos para <-.osmorama.
Globos de papel de cores para illuminacSes de
festas.
Baloes aereostaticos de papel de seda mui facil
de subir.
Mach.nas de varios systemas para cafe.
Espanadores de palha e de pennas.
Tesoiuinhas e cadivetes linos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lanteiias.
Tinteiros de louca branca, modelo bonifo e bom.
Tiras de molduras" douradas e pretas para
ijoadros.
Quadros ja promptos com paysagens e phanta-
:ia.
Estampas avulsas de santos, paysagens e phan-
tazias.
Objectos de magicas para divertimentos em fa-
iiilia.
Realejos pequenos de veio com lindas pecas.
Realejos narmonicos ou accordions de todos os
amanlios, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias diffleeis de mencionar-se. No armazem do
rapor fran ez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
\ov> n. 7.
Medidas de 40 a 100 metros,pes e palmos para
oedir lerrenos.
Hr;:'.(luedos para meninos
A maior variedade que se pode desejar de to-
iosps tirinq; edos faba'cadas em differentes partes
da ttnropa, para enlratcaimento das crian^as, tudo
a preps mais reaumidbs que e" possivel : no ar-
uiTt do vapor francez, rua do Barao da Victo-
qu>i ora rua Nova n. 7.
(leslinbas para cuslma
GrSnde sortimento; de bonitos modelos cliegados
rua do Bario da
rua d s Cruzes n. 2C,se dira quem.
Ci^ Grande reuniao!
Para todos
Republicanos e monarcbistas.
Democratas e aristocratas.
Federados e confederados,
Communalistas e communistas.
Tathnlipne volhno m navoc
Todos devem ir
Reunidos ou niio reunidos
Fazer emquanto antes
Suas encommendas
Dos saborosos filhos
Tao preconisados!
' LIQUIDiMMO DI FA!
~~~~ &F HA -*
Rua da lmperatriz n. 60
BAZAR RNEHSAL
Rua do Barao da Victoria n. 22.
DE
Carneiro VfauDa.
A' este grande estabelecimento tem che-
gado urn bom sortimento de machinas para
costura, de todos os autores mais acredita-
dos ultimamentena Europa, cujas machinas
sao garantidas por um anno, e tendo urn
. perfeito artista para enstnar asmesmas, em
a da 5- pane da leteria. a beneflcio da qualquer parte desta cidade, como bem as-
de'Serinhaem, qne se extrahira ao dia 2f im oopcetta-las polo ,tompo tambera d'um
; anno sem despendio algum
Uma pessoa que se retira para fora da pro-
viacia, venjle uma mobilia de faia a.Lutz XV,
em perfeito estado tu
Hortas n. 86, s jbrado.
quasi- nova: na rua de
0 abaixo aasigoado declare para scieneia-dos
herdeiros de sen Hnado pai o commendador Tho
maz de Aquino Fonseca, que absolutamenle nada
dete ao fasaf do mesmo finado, como consta dos
autos respectivos, e documentos que tem em seu
poder : em bora trvosse o ioventariante dos bens
deixados pelo me.-rao Cnado, declarado maligoa-
mente ser elle devedor de uma, ridicula quantia :
b qae tudo, provara em jnlzo competente, e
quando para isso for chamado. Recife, 13 de fe
vereiro de 1874.
i ________Patio de Aqujiitr yonsgca.
Precisa-se de dm caixe|ro que de^iadof*~a
sua-conducta, para tomtr cofita por balanco de
uma taverna em Glinda, nos fiuatro Cantos ; tam-
PMO

Yende jfazendas para liquidar, por baratissimo pre^ caaac
abaixo se ve:
fiereira da Silva 4 Guimaraes tendo em ser um grande depozito de fazejodas
tem refplvido fazer uma liquidacdo das mesmas com grande abatimento nos prec<>
com o unioo fim de spurar dinheirn, para o que convidam nio so os sous numerosoi
fregueaes, como o reapeitavel publico, a vir surtir-se de muitts fazendas, bots e btritai
no sou estabelecimento denominado ol'avao a rua da lmperatriz n. 60
GillBRAIAS A 49, 4&50Q, 5, 6 7. '
0 Pavao vende um magniGco sortimento
Ais mats Gnas cambraias brancas transpa-
rentes, tendo 10 jardas cada peca, pelo ba-
rato pre^o de 49, 45J500,5?>, 69, tendo tam-
'bem das mais Gnas que custumam vir ao
raercado, assim como um grande sortimento
de ditas tapadas e victorias que vende de 49
ate 8, seri'ip fazcnJa quevatie rauilo mais
dinbeiro. "> ^
>
COMSALPICOS M CQRESA 59.
4) Pvao recebeu um elegante sortimento
de cambraias brancas com bonitos salpiqui-
nbos miudinbos de cores, tendo 10 jardas
cada corte de vestido e vende pelo barato
precp.de 59, por ser pecbincba, ditas com
salpicos todo branco sendo fazenda Gnissima
a 79500 e ditas a 59000.
se p5e duvida em/dar-lhe sociedade, se
ait
bem nio -v>x>v >.<.. v
nirar com algum dlnhetro^ a tocalidade e" a me-
Ihordaquelle lugar : a ir'afar no Recife, rua da
hLapa.-hoje Tuyty n. 13/prcBeay______________
Aluga-se
uma sala na rua Duqiie deCaxias a. 61, propria
para advogado ou cartprio : a tratar. na.loja.
0 Sr. Henrique JCavier Saraiva de Araujo
'Hello'tem uma cam vinda do Rio de Janeiro, ao
Oaes 2*de NoVcmbro n. Si6.
do comprador.
'["Neste estabelecimento tambom ha perten^as
para as mesmas machinas e se suppre qual-
quer peca que seja necessario. Estas ma-
chinas trabalham com toda a perfeigao de
um e daua pospontos, franze e' borda toda
qualquer costura por fina que si%ja, seus
precos sao da seguinte qualidade : ivira tra-
balhar a mio de 809000, 409000', V59000
e 509000, para trabalbar. com o po sao de
809000, 909000, 1009000, H09000,
1209000, 1309000, 1509000, 2009000 e
2509000, emquanto aos autores n5o ha al-
teracfio de precos, e os.compradores podcrao
visitar este^itapeiejimfnfo, que muito der
verao gostar pela vajiedade de objectos que
ha semprs parayjafider, como sejam: cadei-
ras para viagepj, malas para viagem, cadei-
ras para lajis, ditas de balanco, ditas para
crianga kftas), ditas para escolas, costutei-
ras riqtissimas, para senhora, despensaveis
pa*a' criangas, dc todas as qualidades, camas
de ferro para hom6m e criangas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelhos de metal para cha\ fa-
quciros com cabo de metal e de marfim,
ditos avulsos, colberes de metal Gno, condiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
arame, tampas para cobnr pratos, esteiras
para forrar salas, lavatorios completos, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mui-
tos artigos que muito devem agradar a todos
que visitarem este grande estabelecimento
que se acha aberto desde as 6 horas da ma-
nna ate as 9 horas da noute a
Rua do Barao da Victoria n.
Ppftrfsft-SA
alugar para servico muito- le?e, dous negros ido
sos. ou dous moleques: a tratar na rua do Hcs
picio n. 26. ',
Tferreno.
Fabricados a capricho
Dos pasteleiros
So e somente
Na confeitaria do Campos
'M. Imper a do r -9t 41.
100$000degratifieacao
Engenho Santos Mendes
Fugio no dia 20 de dezembro, do engenho San
tos Hendes, comarca de Nazareth, freguezia de
Tracunhaem, a escrava Maria, cnoula, 50 annos
de idade, pouco mais ou meuos, baixa, grossa, cor
Sreta, rosto alquebrado, pes seccos e e.-panades,
edos curtos, cabellos braneos, canellas finas^tem
dous signaes cabelludos no queixo, e e bem ladi-
na. A pessoa que entregar esta escrava, 6u ao seu
iono, que e 0 senhor do engenho aaima, Lauren-
tino Gomes da Cunba Pereira/Be'rt'rao, ou no Re-
cife, largo do Corpo .SaflfW n. 19, andar, sera
ecompensada u>m a quantia de 1001.
Retalhase a vontide dos compraderes um ter
reno na Torre, 30 4a?sos da linha dos bonds e
perto da machamboi)ba. Este terreno csta collo
cado entre duas ertridas que van ter a beira do
rio : a tratar aa Torfe com 0 Sr. A'ssis Pinto, na
rua do Arantcs, e njb Recife rua Formosa n. 37.
^rgolu^fas de marflm para as criancas morde-
i) %)ln para os dentes.
*" armazfl/ do vapor .trapeez, n
ia, ou.r'ora riia.^pi(a,u. 7.
1'recisa se al
na ra.
r uma escrava que saiba
an. 7,loja.
^Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria n. 36, precisa-se
allar aos Srs. Pedro do Rego Chaves Pelxoto e
ose Paes da Silva, a negocio de particular inte-
esse.
Na rua do Jwiario da Boa-Vista n. 24 ven
de-se um coranendio e quatro expositores ou ma-
terias do 1 afino, por 30/000.
COMPRAS.
22.
0 INEXTNGUIVEL
PERFUME
VESTIDOS A USO DA CORTE 129
0 Pavao vende um bonito sortimento de
cortes de vestidos a uso dia corte, trazendo
cada c6rte todos os enfeites necessarios como
sejam: babadinhos, entre-meios, rendas,
requefifes, e vende pelo barato pre^o de 429
cada um, assim como, duos a 2 de julho
com todos os enfeites a 109, cortes de cars-
braias brancas abertas, com listras e lavores
a 69, ditos Gnissimos a 89, ditos de cam-
braia branca com listras de cores, para aca-
bar 39500, e pechincha.
CORTES BORDADOS A 209 E 359.
0 Pavao veude ricos cortes de cambraias
brancas delicadamente bordados, pelo ba-
rato prego de 209 e 359.
CASSAS FRANCEZAS
a 300 rs, 0 covado
0 PavSo recebeu um grande sortimento
do cassas francezas com delicados padroes e
cores Gxas, que vende pelo barato preco de
300 rs, 0 coyado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 640 rs. a vara G-
nissimo 616 branco liso e de salpicos, e tarla-
tanas de todas as cores.
B OR NO US A 129.
0 Pavao vende am bonito sortimento dos
mais modernos bornous combonitas listras e
vende pelo barato prego de 129 cada um,
assim como.am- elegante sortimento dos mais
bonitos chales de merino e com listras de seda.
francez muito Goo a 39000, arenas
1, V4 metro para um leocel.
CHALES BARATOS
a 29,29500, 49.
0 Pavao vende chales a emitacio de me-
rin6 a 29, ditos de merino lisos de todas at
cores a 29500, ditos de meri 116 estempados
muito finos a 49, tditos finissimos com lis-
tras de seda a 69500, ditos muito fiuos d
crapom a 109 e 129.
\lffxlAo enfestado a 19 e U*9*
0 Pavao vende algodao eufestado com 8
palmos delargura, proprio para lengoa
SSSdQ do mais encorpado que tem vindo
mercado*lsso a 19 a vara etran^adoa.....
19280. v.
ATOALHADO AM9600, 29, M-
O PavSo vende etoalhaaVltrancado corn I
palmos de largura a 19200 e 19600, it.
adamascado a 29, dito de liBhft adamasej
doa89eW. >^^
SEDA FARA YESTIDOS
a 19600 e 29-
jO Pavao vende um bonito sortimento dt
sedas com Hstriiihas proprias para vesti
dps de meninas ede senhora a 19600 0 co-
vado, ditas lavradinhas a 29, os padroes si
muito bonitos e vende-se por este prego par*
acabar.
Botina* a 5JOOO
0 PavSo tem um completo, sertimento d
botinas muito bem enfeitadas para senhora:
e vende pelo barato preco de 59, artigo qu
em outra qualquer partecusta ij e 79.
LENCOS BRANCOS
a 29000.
0 Pavao vende lencos braneos abainka
dos, tanto para homens como para senhoras
a 29 e 2950O a duzia, ditos de esguiio
cambraia de linho tambem abainhados 1
39500, 49, 59, d tos francezes escuros, pan
rape* a 49, a duzia.
CAMISAS PARA HOMEM.
0 Pavao vende ricas camisas com peit.
de linho bordadas, proprias para noivo
10|5 e 129 cada uma, ditas de linho sen se
ram bordadas a 49, 49500 e 59, ditas aos
peito de algodao muito Gnas a 29, 29500
39, ditas deehita flna miudinha a 29, 29500
e 39, assim eomo grande sortimento de ce
roulas francesas Unto de linho como de al
godao de 19600 auS 39, grande sortiment.
de meias crur-s inglezas de 49 ale 89000 j
duzia.
A celebre
/Enchameis.
A companhia da estrada de ferra de Olinda,
compra mais 50 encbameis de 30 palmos de com-
primento e 5 polegadas de grossura, para parte
da linha telegraphica : a tratar no escriptorio da
eempanhia.
0 gerente,
Laurentino Josi de Miranda.
V^NBAl
Yende-se 26 bois de carroca, muito bons, e
i grandes carros para conduzir peso de 6 a 8 to-
neladas, e esterco quo pode dar do 120 a 150 car-
rocas : a tratar na ponte da Torre, de domingo ate
segunda-feira a tarde de cada semana.
Constaodo aos abaixo assignado achar-se nes-
ta pract 0 Sr. Hanoel Fernandes de Carvalho, ren-
deiro dos engenhos Barra e Preguica, em Ma-
manguape, provincia da Parahyba, veem rogar ao
mesmo 0 obztquio de vir entender-se com os
abaixo assignados immediatamente sobre negocio
tendente aos referidos engenhos. Rua do Amorim
37, escriptorio.
________________Tasso Irmaos A C.______
ALUGA-SE
uma excellente casa construida de novo, sila na
entrada dos Affliclos, tem commodos para grande
familia, itio muito bem plantado, jardim e banhei-
ro : a tratar na rua Primeiro de Marco n. 2, livra-
ria economica.__ ,.m.^^^
{ cnrnaval,
Braulio Ricardo Coelho
Rua de Santa Tbereza nmuero 83
Nesta casa encontrarao os infiuentes do carna-
val um grande sortimento de vestuarios, cabellei-
ras e barbas a escolher, pelo baratissimo preco de
U a 3J cada barba, 8*, 133, 25* e 3d* cad'a ca-
belleira : a ellas, antes que se acabem.
Escravo fugiilo.
Continda fugido 0 escravo Sebastiao, crioub,
fulo, altura regular, corpo refor$ado, falla. ul
Sonco descancada; foi aqui vendido em 15
ezembro pel> Sr Jose Francisco I'ontes de Ajte
vedo, tendo side escravo de Sr. Alexandre .Ribci-'
ro' de Sobral, todos da freguezia de S.,CaetaBO da
Raposa ; esta matriculado no munjcipio de Carua-
ru, e foi ha poucos djae yisto em S Uento : ro-
ga-se a Udas as autorida^Qe e capitaes de campo
a captuxa de dito escravo, e traze lo a. rua do li->
vramento n 38, armazem
osameute recom^en-ados.
Toalhas com 4 1^2 palmos de
compridoa 500 rs.
Isto er grande pechincha, e o preco de uma vara
de algodao, sao alejchoadas, e e fazenda muito
boa; aproveiiem que dislo nap ha sempre : na
rua da lmperatriz n. 56, loja da Rosa Branca, de
Azevedo A C
Saliza,
i
0 Sr. Franci
wra rua
ranci-co Aaostinho -JMadeira, e rogadoqe
do Duque de Caxias n. w A-
Ao n. 9
No Progresso do pateo do Carmo vende-se man
teiga ingleza muito boa a 1J; assjm como conti-
nda a ter bom sortimento para qualquer chefe de
familia fazer sua despensa, que encontrara precos
mais commodos do que em outra parte.
Las com olhos.
A rosa branca recebeu umas lindas ISs com
olhos, mas nao ve, e estqu certo que nenhuma
senhora quererla um vestido que tivesse olhos
a fazenda 6 superior, larga e moderna, e custa
700 rs. o covado : venham ver ou mandem bus
car as amostras com penhor na rua da Impera
tri* n. 56, loja de Azeyedo & C.
^f Aguardente de canna extra-fina, em caixas
de duzia : na rua do Eucantamento n 5.
Vende-se 12 pipas em barris com muito bom
jnel, prpmpto a ombarque : no caes do Ramos
' ''I, i'
200
rs..
agua
DE
19IRRAV it I.AXMAV
Uma pura distillagao das mais raras fli-
rts dos tropicos. Contem, para assim ui-
zer, quasi o oddr odorifero das (lores do
tropico da America, c sua fragancia 6 quas
iiioxhausta ainda mesmo por continuada
o/aporacao e diffusao. N'este respeito 6
i icomparavel a qualquer outro perfume
qne ha de venda para :
UESMAIOS, ATAQUES NERVOSOS, DOR
DE CABECA, DEBILIDADE E
HYSTERICOS.
& um certo e ligeiro allivio. Com o bom
.>n, tem conscrvado sua influeucia para
cima de vinte e cinco annos sobre todos os
[perfumes, nas Indias Occidentaes, Cuba,
ldexico, America Central, e do Sul e n6s
com toda a confianca o recommendamos
como um artigo, pelo seu aroma muito de-
licado, riqueza de odor e permanencia, nao
pode ser igualado. Tambem faz remover
da pelle:
ASPEREZAS, EMPOLAS,
QUEIMADURAS DO SOL,
SARDAS E BORBULUAS.
Sendo reduzida com agua, se torna uma
excellente mistura para banhar a pelle,
dando um aroseado e cor clara a complei-
cao nublada, sendo applicada depois d<
barbear, evita a irrita^ao que geralmente
occorre, assim como tambem garganteando-
se, o cheiro do cigarro desapparece, e me-
lhora a condigao dos dentes c gengivas.
Como ha muitas imitac,oes, as quaes nao
possuem nenhumas d'estas propriedades,
deve-se tomar cuidado e contar s6mente o
o famoso perfume o cosmetico do sul da
America, cham
AGIA FLORIDA
DE
MURRAY tt 1,A\11A\.
So acha & venda em todos odrogu
iporf umari as da moda.
Para acabar!
Ricos chap6os para senhora : so na rua Duqne
de Gaxias n. 60 A loja da esquina.
Wilson Rowe & L. vendem no seu armazem
, a rua de Commercio n. 11 :
0 veriadefro panno de algodao azul amencano.
Excellente flo de vela.
Cognac de 1* qualidade
Vinbo de Bordeaux.
Carvao de Peara de. todas as qualidades
A' rua do Crespo n. 90
Loja das 3 portas
lAzinhas
i Qhegpu ela faieodo, com padroes inteiramente cas, esquina da rua de S. Joao, com boa casa de
que Bera.fbrta ^ovos, a que se vende pelo diminuto nteco de 100 tivend? e.bastanle1* commodos para familia : quem
0 covado : Isto nor ter j^ande quantidade.
srx "
**
NA,
olta
esi-o N. 80
Vaadese uma taverna na rua das Carro-
pretende-la dirija se a mesma.
Ceroulas francezas de linho e algodao, para todos os precos e qualidades, assia
como grande sortimento de,meias crass, camisas, colerinhos, que tudo se vecde BOJ
precos muitorazoaveis.___________,----------
Iffili
ANTONIO jpt5S DE AZEVEDO.
Rua Nova n. 11.
PIANOS.
Querendo definitivamente liquidar este negocio, vende todos os que tem, novos
asados, pelo preco do custo de factura.
Tambem acaba de receber o seguinte:
OLEADOS inglezes para assoalho de salas, de muitos lindos desenhos de 11 a S3 palino-
de largura e 100 de comprido, podendo forrar-se uma sala por grande qu--
seja com oleado inteiro.
MAGNIF1COS espelhos ovaes para ornamentos de salas.
4.NNEIS electricos para curar dores.de cabeca. nevralgias e nervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
GRAMPOS para segurar roupa estendida nas cordas, a 200 rs. a duzia.
TALAGARQA e papel picado para bordar com la ou seda.
VERDADEIRA agua de colonia em garrafas empalhadas.
E muitos outros artigos, e por barato preco.
FUMO DO PARA
0 verdadeiro fumo de Rorba, em chicote, picado, desfiado e crespo, assim
como cigarros do mesmo fumo ; na fabrica a vapor, antiga rua dos Quarteis n. 91.
Na dita fabrica, os Srs. fu mantes encontrarao os seguintes e bem eonhecidos
fumos manufacturados na mesma casa,
Flor do Rrasil
Novo Caporal
Bes Rird'seye, (Olho de Passaro. )
Vende-se a retalho, e em grande quantidade se faz grande abatimento.
Vende-se a taverna da rua do Visconde de
Albuquerque n. 68, ou por balanco ou avulso,
propria para principiante por ter poucos fundos
e afreguezada para a terra : a tratar na mesma.
que se dira o motivopor que se vende.
Rua do Brum n. 76
Vende-se zinco pnro de superior qualidade,
qualu
iudo 11.
mos de comprido e 4 de largo, por pnfs mate
proprio para cobertas de casas, mediodo 11 pal
Maiilillias pretas.
A Nova Esperanca, a rua Dnque de Caxias n.
63, recebeu mantilbas^pretas, modernas, e esta se
vendendo por precos razoaveis.
Yende-se os seguintes
predios.
Duas casas terreas a rua Vinte Quatro de Maio,
outr'ora dos Ossos, ns^X^V-
t'ma dita na rua d^Rdre Flofiano n. 35.
Uma dita na ruamTFogo n. 22
Uma.dita.no beccPwa Bomba n. 5.
Uma dita na rua do Padre Lobato n. 8.
Duas ditas no becco do oaes da Gadeia nova
n. 35.
Um sobrado na rua do livrameoto n. 37.
A tratar no pateo do Carmo n. 1, taverna.
em eonta.
Jaboatao
; ^Hxexme &;C.; |unto, a lqja ^SS^^_^^A^&
Santa Gatbarina, no Impro-
vise e na Claudia
da esquina
Vepde-se farinha nova e excellante, a bordo dos
Jdha com grandeMjolntaljpaBa o rio : a tratar m r rua do Coronel Suassuna n. 286. Amorim Irmaos dc C -
Asunicas verdadeiras
Bichas hamburguezas qne vem a estemercado:
ua rug Marqmei de ulinda n. SI__________
Farinha de mandiooa.
Vende-se farinha nova de mandioca de
Catharina a bordo do brigue portuguez Improcoo'.
a tratar com o capitao, ou com Amorim Iraaiat
^ C. rua do Bom Jesus n. 3.
Luva de pellfca
Amaral. Nabuco A C. vendea Iuvm de pdtea
de cores com toque de mOfo a 1 k dfWO e If
par : no Baiar Victoria, rua do Barao da VWto-
ria n. S.
Lindas las escoGezas.
De varios padreei, e mteiramente modwiaa, a
na rua Primeiro de |
foia das columnas, I
160 rs o covado a rua Primeiro de larcc
' n. 13, foia das Columnas, m km-
Va^cmcaHoa.
antiga do Cres
tonio Correia,
Bazar Yicaluria.
Este esubetetimeana- atite dnnaber
to sortimento de cintos de couro prelo eon Ival-
la e correata-de BMUl,pabot fatlakain*e 1-
nho e gravataa wauahw, Wto^M m*m m
rua do Barao da Victoria n. i._________"
Vende-so uma casa terra, iU jantdt
Marqaez do arrifrnm.-a >aha ma i
dador MaooeTAltes Gwrra, ou com o
Frederico Chaves.
i
\
r



1

!
I
<
ii
Z
Diarifel^ ftjrnttoi^uoa -*. T*r ______
UNICOS AGENTES
Rna do Barao da Victoria n. 28
&s maia simples, as maiabaratas e as meihores do mundo!
Na eiposicio de Park, em 1867, (oi concedido a
Elias Howe Junior,, a. medalha de ouro e a condecora-
?*o da Legiao de Honra, por serem as machinas mais per:
feitas d* auado.
Rua da Tmperatftz n. 72
BE

Litiflp tfcreira Metres'6 tina ties
Declara aos seusfreguezes que tern resolvi.'o fazer uma gcaade Uquida^ao, ate o
fim do corrcntc anno.
A SABER :
CAMBRAIAS BRANCAS A 30QQ. | Ditos de palha* a 5$, 3000 e 4*000.
Vende-se pecas de carobraia branca, tapa- Ditos de massa,.a 4$O0O.
A: medalha detrnto, corrferida i
Estados-Ujiidos por ser o inventor
tura.
1 E. iiowe JHnior, nos
da machina de cos-
A medalha de ouro na exposi^ao de Londres acreditaju
estas machinas.
A
Gabe-nos o dever de acaunoiar que cornpanhia das machinas de Hove de Rova-
?crk, estabelecen nesta eidade 6 ma do Barao da Victoria n. 28, nm deposito e agencia
-art!, para em Perwtmbwo? o mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
*r* A Howe. Estas machinas sao justamente apreciadas pela perfeicSe de seu trabalho,
f*egando nma agallia mais curta .com- a raesma qualidade deliuhaque qualqucr outra,
Pfh. introduc$ao 'dos mv* aperfeicoados- apparelhos, estamos actualmente habilitados a
iftfrecerweJame pubKco as meihores machinas do mundo.
As vantaaens destas macMnas sao as seguiiUes:
rriaeira.O publieo. sab* qae ellassao duradouras, para isto prota incontestarel, a
"rCT.'ntUacML da nonca torum a{MW* '* auo.
Seganda.Ho*:'.am 0 material preciso para reparar qualqaer desarranjo.
TaMcira.Ha neUas menor fricjao entre as diversas pecas, e menos rapido estrago
*jue nes outras.
Qaarta.rrFonaam o ponto como.se forafeito a mSo.
(frunta.---Permitte que se examine o irabalho de ambos os fios, o que se nao consegu
.asioctcas.
Sexta.Fazem ponto miudo em casenrira atraveseando o fio de am i outro iado,
logo em segnidv sp*n jnodi&eajr-ae a tansfio da linha, cocenv a fazenda mais
da e transparente, a 3$, 3$00, 4J5006 e
s^eoo.
LAS1WHASA200RS.
Vende-se llsinbas para vestidos, a2t)0,
320 e 500 rs. o covacio.
ALPACAS A 640 US.
Vendo-se alpacas.de cores comlistrasa 640
e 800 rs. o covado.
GRA5ADI3EA 800 RS.
Vende-se granadine preta com listras de
cOres, para vestidos, a 800 rs. o co-
vado..
^ POUPELINA JAPONFZA A 1&800.
Vende-se uma fazenda nova com lislas,
com o nome dt: poupelina japoneza, propria
para vestidos de senhoras, a l$S0O. o co-
vado. Todas estas fazendas sao vendidas no'
Bazar Nacional a rua da Imper utiz n. 72.!
COTlTrJS DEC1SSA A 255 0,
Vende-se, cortes de cassa para vestidos,
com lOtovados, a 28500.
PERFTtoARlAS El* ttQUlDAQAO.
Vende-se sabonetes.de diveisos tamanhos,
a 120,. 200 e 240 e 320 rsv, todo bom.
Frasco de bariha, a 160,320 e 40 0 rs.
Frasoos com aguade colonia, a 240 e 320
rs* cada *im. E outfos muitos extractos que
se vonde niuito barato para liquidar.
TpALBAS A 800'RS.
Vende-se toalhas felpudas, a 800 rs. cada
uma. Lencos brancos, a 2*000 a duzia, e
3JJ009- abainhados,. fazenda que vende-se
por 5*000.
6 RA VAT AS PREIAS A 500 RS.
Vende se gravatas pretas, ,a 500 rs. Man-
tasde cores a 200 rs.
Chapeos para bapfisados de meninos, a
3*000.
BENGAUS E CHICOTES A 800 RS.
Vende-se bengalas e chicotes, a 800 rs.
cada uma, para liquidar.
CH1TAS LARG&S A 240 Rs.
m
Setima.'O compressfl?- & levaotado com a maior facilidade, quando se tem de mudar
a.^pilhaao comegar now costoraw
ditavs.Muttas companhias de machinas de costura, tem tido epocas de grandeaa e
*e*deneia. Machinas;ootrlora populares, sao hoje quasi descoohecidas, outras soffreram
iBiancas radicaesparapodBrem substituir : entretanto a cornpanhia das machines de Howte
*cptando a opiniao de Elias Howe, naeslre em artes mechanicas, tem oonstanteraente
tpnentado o seu fabrico, e hoje nao attendea procura, postoque faca O'O inaehmaB
Cada- maehina acompanha livretos com instrnc^oes em portnguei.
cor, proprios para vestidos,
JLRMAKB9I
DE
fazendas finas
Rua Primeiro de Marco n. 7 A
DE
Cordeiro Simoes & C
E' esla uma das casas que boje pode com pri-
:;>azia ofTerecer aos sens freguezes um varjadissi-
mo soriimento de fazendas finas para grande toi-
lette, e bom assim para uso ordinario de todas as
classe?, e por precos vantajosos, das quaes faz um
peoueno resumo.
Mandam fazendas as casas dos pretendentes,
para o que tem pessoal necessario, e dao amostras
nediante penhor.
Cortes de seda de lindas cores.
Grosdenaples de todas as cores.
Sergurao branco, lizo, de listras, preto, etc.
Setim Macao, preto e de cores.
Grosdenaples preto.
Velludo preto.
Granadine de seda, preta e^de cores.
Popelinas de lindos padroes.
Fild de seda, branco e preto.
Ricas basquinas de seda.
Casatos de merind de cures, 15, etc.
Manias toraatleiras.
Cortes com cambraia branca com lindos borda-
dos.
Ricas capellas e mantis para noivas.
Riquissimo soriimento de las com listras de
^eda.
Cambraias de cores.
Bitas marlpozas, brancas, lizas e bordadas.
Nanzuqucs de lindos padroes.
Baptistas, padroea deucadss.
Percalinas de quadros, pretos e brancos, listras,
flc, etc.
f Mas de linho de
com barra e listras.
RicoB cortes de vestido de linho, com infehes da
mesma c6r, uliima moda.
Dilosjde cambraia de cores.
Fustao de lindas cdres.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas para senhoras, de linho eal-
godao._
Sortrmento ae.luvas da verdadeira fabrica de
JoQvin, para honfens e seaheras.
Vestuarios para meninos.
8itos para baptizado. .
lapeos para dito. x-,
Toaihas e gnardanapos adamascados de lioto de
c0r,'pan asa. 1
Colcbas de li.
Cortinados bordados.
Grande soriimento de camisas de linho
bordadas, para hcrmens.
Meias de cores para homens, meninos e meni-
oat.
Ditas escocezas.
Completo sortimento de chapeos de sol para ho-
mens e senhoras.
Merin6' tte'eAMs para vestidos.
Dito preto, teanfado e dito- de veifio.
Atoawadfl de linho e algodSo para toalhas.
Atoalhado pardo.
Damatep de 11.
Bi*deHnho,t)racio 4b cdree^e-ppeto.
8e6m de Indas cores com listras.
Cbaks.-de merino de- cores e pretos.
flitos de ca'semira.
Dltos*dB:seda preta e de cdres.
Ditos de louquim.
tnisude chita para lumens,
las de flanella.
_reulas de lfntio e algodap.
Pannos de crochet para Sofa, cadeiras e consoi
Ufacoe bordados e de labjrirjtho.
Cptcnas de crochet.
TrarlaTana'de todas as cfires.
Ricos cortes de vestidos de ;tarlatana bordados
para cortes.
fopartilboe iisos, bordados.
?onlard de seda, liddas cores.
Meias de seda para senhoras e meninas.
R'.cas ftchas de seda e II para senhoras.
Ricft soflrmeato de leques de madreperolas e
OSMG
Damasco n seda.
Ricos ehapeos e chapelinas para senhoras, ulti-
ma moda.
Casemira preta e de cores.
o, lizaa *
Chitas, madapolao, panno fino preto e azul, col-
larinhos, punbos de linho e algodao, gravatas, la-
vas de fio de Escossia, rapet.es de todos os tama-
nhqs, bolsas de viagem, peitos bordados para ho-
meHs, lencos de linho branco e de cores, toalhas,
guardaaapos, etc.. etc._____________________
VENHAM VER
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias n. 63,
apressa-se em convidar a seus freguezes, com os-
peeialidade aobello sexo a virem apreciar os se-
guintes artigos expostos a venda e todos por precos
commodos, como sejara:
FINAS BONECAS mansas e choronas.
BONITAS E ENGRAQADAS vislas para sterios-
copios.
COMMODAS LATAS para guardar clia.
ELEGANTES BOLSAS para senhoras e meninas.
BONITOS VASO'S com Qna banha e cheirosos
extractos, trazendo cada frasco um nome, uma ini-
cial ou um distico.
.FINAS MEIAS Dfi SEDA, Mindo entre elias cor
de carne.
Para quern gostar.
A' Nova Esperauca a rua Duque de Caxias n.
63, acaba de receber tentos e caixas para o jogo de
VoUaretle.
Para quciii Si'iTre das pernas.
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias n.
63, acaba de receber as procuradas meias de bor-
racha para quern soffre das pernas.
FLORES ARTIFICIAES
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias n.
63; acaba de receber um Undo e completo sorti-
mento de Sores artificiaes das meihores que tern
viade ao mercado.
A elias antes que se acabem.
Costumes para crian^a,
A Nova Esperanca, a rua Duqne de Caxias fl.
63, acaba de receber bonitos costumes para criaaca
e esta se vendendo por precis razoaveis.
t
Vende-se chitasfrancezas, largas, de cdres;
has, a 240, 300, 320 e 360 rs. o co-0
vado.
CASSAS DE CORES A 260RS.
Vende-se cassas francezas finas de cores,,
a 260, 320 e 400 rs. o covado.
SA1AS A 25000.
Vende-se saias brancas com barras de cd-
res, a2SS000.
CHITAS PARA COBERTA A 280 RS.
Vende-se chitas para cobertas, a 280 e
360 rs. o covado.
MEIAS PARA HOMEXS A G5J000 A DtiZIA-
Vende-se meias cruas verdadeiras, para
homens, a 65000 a duzia, a qual val
spooo.
CHAEES DELAA800RS.
Vende-se chales de. la, a 800 rs. cada
um.
CHLTAS F15.AS A 400 RS.
Vende-6e chitas fins de eampo largo, fa-
zenda muito boa, a 400 rs. o covado.
CHALES DE MERINO' A.20OOO.
Venderse^chak-s de merind estampftdos, a
3, 0$, 45000 x 55000.
Ditos do listras a 55000 e.6,5000.
BRIMS EM CORTES A 15500.
Vende-se cortes de brim de cOres e.pafdo,
a jfc5SOP,.para bq,uiilar.
COBEHTAS DE CHITA A 15600-
Veoie-.se cobertas de ohita, a 15600 e
25000.
fiWM PARDO E uE CORES A 400 RS.
Vende-se brim pardo e de cores, para rou-
pa de homens e meninos, a 400 rs. p c.ova-
do, para liquidar.
COl.XAS DE CORES A 2*000.
Yende-se.colsas de cores para cama, a 28,
e 45000.
TRANSPARE.NTES PARA CADEIRAS A
15500.
Vende-se transpartntes para cadeiras,,a'
15500, paraliquidar.
BONETS A 500 RS.
Vende-se bonets de seda para homens, a
500 rs.
CHAPEOS A 25500.
Vende-se chapeos de castor para rroninos
e homens, a 25500 e 35000.
j GKAfl DE LTQLTDACAO DE ROL'PA FEITA
Vcnde-sc ceroulas de algodao, a 15000.
Ditas-de linho, a 15600 e 25000.
Camisas de chitas finas, a 15600.
Ditas de peito de cores, a 25000,
Ditas brancas finas, a 25000, 35000 e
45000.
Calcasde brim pardo e de cores, a 25000
e 25500.
Ditas de casemira de cores e preta, a 5j5,
65, 75C00 e 8?000.
Palitdtsde alpacas de cores, a 25500.
Ditos pretos, a 35000 e 35500.
Ditos de casemira de cores, a 45 e
G5000.
Ditos ditos pretos, a 55000, 65500
85000.
Colletes de casemira de cores, a 25, 35 e
45000.
Camisas de flanella, de cores, a 250OO e
25500.
ALGODAO A 4500O.
. Vende-se pecas de algodao, a 45, 55 e
65000.
CASEMIRA DE COR A 25500.
Vende-se casemira do ceres, a ^oOO o
oovado.
MADAPOLAO A 35000.
Vende-se ue^as. de mad8polio enfestado,
a85000.
Dito inglez, 45500, 55, 65 e 75000 a
peca.
BOTINAS A 4560i0.
Vende-se botinas para senhora eraeninos,
45500, 55 e 65000. ,
Ditas de euliar, a 29000.
Sapntos dts tapete, a 15;00.
Ditos de tranga, a 15S00 e 25000.
BRAMAJSTE A, 15600,
\'wde-*e brwaamtepoWi i.0..pAlmos
lnrgura, para. Ie.nc6es, a 15600. e 25500
metro. E outras muitas fazendas propria
do mercado, quose, vende sem reserva, de
preco, para liquidar ate 0 fim d> Jcorrente
aono, porissp conyemaos.comprado^es.sor-
tirom-se de fazendas bara^as, para a presen-
te fosta.queesta na porta, druada Imperatriz
a. 72. Jazir Jiacipual.
If
A' ru^ do Cabala 11. 1 A.
Os proprletarios da Predilecla, no intuito dt
consetvar 0 Ikmi concelW rjtie tGeto mereCldql'ac
espeftavel gublico, oMninguindo oeeu eslaMledi
inento dos mais que negociam no rtestn* genero,
veern scieatiiicar aos seus bons tregnezes que. pre-
vehira'm aos seus correspondentes nas diversas par
eas d*Enropa para Ihes enviarem por todos ospa
qnetes ob objeetot de luxo e bom go*to, que se-
jam mais bem aceilos pelas sociedades elegante?
daquellcs paiies, visto aproximar se,o tempo de
fesla, em que 0 bello sexo desta linda \^neia
mais ostenta a riqueza de suas toillettes': e co
mo Ja recebessem pela paquete francez dlverso
srligos da ultima moda, veem patentear algun?
d'entre elles que se tornam mais recommendaveis.
esperando do respeitavel publico a costumada
concdrrencia.
Aderecos de tartaruga os mais lindos qne teem
vindo ao mercado.
. Albuns com ricas. capas de madreperola e de
velludo, sendo diversos tamanhos e baratos pre-
Cos.
Aderecos completes de borracaa pr^^prios para
lo to, tarn bem se vendem meios aderecos muito bo-
nitos.
Botges do setim preto e de cores para ornato de
vestidos de senhora ; tambem tem para collete
paktot
Bolsas {>ara scyhoras, existe um bello sortimen-
to de seda, de palha, de chagrim. etc., etc^ por
barato preco.
Bonecas de todos os tamanhos, tanto de louca
eomo de c^ra, de berracha e de massa ; chaina-
mos a aiten^ao das Exmas. Sras. para este artigo,
pois as vezes tornam-se as criancas um pouco im-
pertinentes por falia de um obieclo que as en-
tretenham.
Camisas de lirjho lisas e com peitos bordados
para homem, vendem-se por preco commodo.
Ceroulas de linho e de algodao, de diversos pre-
cos.
Calxlnhas com mnsica, 0 que ha de mais Undo,
com disticos nas turns e proprios parapresen-
tes.
Coique3 os mais modernos e de diversos forma
tos.
Chapeos para senhrra. fiecebcram um soriimento
da ultima moda, tanto para senhora, como -para
meninas.
Capellas simples e com veo para noivas.
Oalcas bordadas para meninas.
Entremeios estampados e bordados, de lindoi
desenhos.
Escovas eloctricas para dentes, tem a proprie
dade de evitar a carie dos dentes.
Frahjas de seda pretas e de cores, exi.-te um
grande soriimento de divercas larguras e barato
.preco.
Fitas de sarja, de gorgnrao, de setim e de chi-
malote, de divcrsa larguras e bonitas cores.
Pachas de gorgurao muito lindas.
- Flores avt-ilioiaes. A Predilecta priraa em con-
seryar. sempre um bello e grande sortimento des-
tas flores, nao so para enfeite dos c^bellos, come
tambern para ornato de vestido de noivas.
Gal6e* de-algonao, de la e de seda, brancos, pre
tos e de diversas: cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Lagos de cambraia e de seda de diversas cores
para senhora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
noiva.
Livros para ouvir missa, com capas de madre
perola, marfim, 6s-o e velludo, tudo que ha de
Bom.
Pentes- de ortaruga e> marfim para ahsar os ca-
bilos ; teem tambem paraib'rar caspas.
Port bouquet. Um bello sortimento de madre-
perola, marfim, 6sso e dourados por barato preco.
Penumarias. Neste artigo esta a Predilecta bem
Eronda, nao so em extractos, como em oleos f
anha dos mlhores odores, dos mais afamados
fabricantes, Loubin. Piver, Sociedade Hygienica,
Coudray, Gosnel e Rimel ; sao indispensaveis para
a testa.
Saias- bordadas para senhora, por commode
j*aco.
Sapatinhos de la e de setim bordados ,para bap-
tisados.
Tapetes. Recebeu a Predilecta um bonito sorti-
mento de diversos tamanhos, tanto para sofa co-
mo para entrada de saias.
Vestimenta3 para, baplisado 0 que hade melhor
gosto e os mais modernos, recebeu a Predilecta
vende por barato preco, para Hear ao alcance
qualquer, bolsa.
Rua do Cabuga n. 1
A N iva Esperanca, a rua Duque de Caxias n.
63, recebeu um pequeuo soriimento de aoneis e
pulseiras electricas, proprias-para quem soiTre dos
nervos.
Para o
LiquidaQaode dominos.
Na'loja do Pbvbo vende-se uma grande
poreS) de dominds por precos muito bara-
tos, por e desejar aoabar. Tendo de me-
tim a 3500(), ditos de lazinha de 55000 a
65000, ditos de velbotina a 75000 e 80000;
pede-se drzer que este era o preco porque se
alugavam. E' pechineba.
T
Amaral, Nabnco &. C. vendem lantijoulas de
dh;ersos formates, prateadas e dotlradas, cabeltei-
raiecabeltos trancos, eaca9 deioefa e de seda, brancas e de cores, camisas de meia
lisiradas o brancas, capacetes de massa, vollas de
peroias falsas. brinces proprios para Chicard,
fraBjas" prateadas de muitas larguras, etc., etc., e
completo sortimento'de mascaras : no Baiar Vic-
tor:. ru do Barao da Victoria n. i.
Mascaras
Amaral, Nabnco & C. vendem mascaras de pa-
pelao, brancas e preta?. para homens, mulheres e
meninos, de setim, de arame, de cera para homem,
mocas e velhos, typo inteiramente engracado : no
Bazar Victoria, rna do Barao da Victoria n. 2.
Vende-se uma carroca e nm boi, eslando
este bastante descancada; no armazem do sal, da
rna da Conceicao, da Bea-Vista: a tratar com
Francisco Meira. <
J
Tem sida ajH'i'siMriyda ao |Mk
Durante o espac^)
DE
4 0 A K N 0 &
SAX,S\P\1UUL,UA
DE
J. 0. C, Ooyle.
Tem para ve r c" :
Cognac de Hennessy, superior e verdadelro
Vraho Xeres das meihores qualidades.
Bitters de Angostura.
Whisky.
Cha preto em lattas de 10 iibras.
Todas as preparacoes chimicas do Dr. Ayer
armazem da rua do Coromercio n 38.
33
Constructor e alinador de pianos
Rua do Imperador33
e atamadas casas Pleyel & Herz, eantigo director das, ofltei-
aberto sua casa de
Ex-afmador das antigas
nas da casa Alphonse. Bloiidel.
Tem a honra de declarar ao respeitavel publico desta eidade, que tem
concertos e ansacoes de pianos, qualquer que seja o eslado do instrumento.
A mesma casa acaba de receber nm grande sortimenio de pianos dos mejhores fabricantes
de Paris, como Erard Pleyel, Henri Herz e A Iphonse Blondel) todos os pianos sShldos da casa
Dhibaul sao garantidos.
Cornpra-.se e receiie-se emtroea os pianos usados.
{lrande pecluacbd a W rs u
covado.
C&ssa la, padroes aovos, e de mais igosto. que
n vindo ao mercado, so na rua do Queimado
43, loja de Guerra & Fernandes, pelo 'diminu-
preco de 200 rs. o covado I
Chegoem freguezes que se acaba
Farinha de araTUta
Vende-se superior farinha de araruta, tanto em
joreoes eomo aretalho, por preco que adpiira,
isto sua qualidade ; depositos nos seguintes In-*
Eres: ruadoVigario n. 26, rua do, Amorim n.
, e travesea da rua das Gruze- u. i, a 300 ra. a
: ibra a retalbo.
Gom-
Taaio
Chapeos de sol para seijhoras
a4|()00!!
A Rosa Branca acaba de receber chapeos de spl
de seda para senhoras on meninas, com lindos ca-
bos brancos e superior seda, e vende a \i ; nao
julguem que por ser barato syo qrdinarios, porque
sao.chapeos qoe,senipr< se venderam a 7| e 9f;
aproveiUjm a pechmena : na rua da Imperatriz
ii. 56,' loja de Aieve'do & C.
lias avarjadas.
A lipsa Branca acaba de comprar em le.Jao uma
porgao de las avariadas, o defeito e pequeuo, e
vende pelo bar-tissimo preco de 240 rs. o covado,
6 grande pechinoha, aprveitem : na rua d.Im-
peratriz n.,.'.(;, ioja,dR(OS||Bfanca, de Azevedo
,Cqmpanb>a,._________
uma casa na vilta de Qarreiros, m;rna do
*ercio, por pitqo modicc : a'tmterwm
'rmaos 4 C
Os wda$iw&
Vinhos de Boitrgogne
das ipapcfts
Chambertin
Pommard
Virits
"Vohaay
Beanne
Monthelie
Dito Bordeaux em quartollas,
Yende-se p#r barato jwe^o
PiBA LlQl^M^iO DE CONTAS
n'a
Baa Large do Rosarlo 34.
"Rotica.
Menino, olha.
I-envo a sois viuteus
E' muito teio limpar o nariz na manga da ja
Sueta, como muitos costumam fazer, tendo lcn^os
e cassa Gnos com barrihha a 120 rs. cada um :
na loja da Rosa Branca, rua da Imperatriz n. 36,
de Azevedo & C.
ORASDE
MUM
Km
Grosdenaple preto
Sendo lisos e de cordae, e o mais largo que
vem ab mercado, e one se vende pelos diminutos
precos de 2*100, 2&0O, 3*200 e 3*500.
S()' NA RUA DO CHESPO N. 20, LOJA DAS
TRES PORTAS DE
Guilherme & C.
Junto a loja da esqulna
Gorgurao preto para vesti-
dos, de 6#-por 3#50G.
A Rosa Branca coniprqu em leilao alguraaspe-
cas desta superior fazenda, e esta veniwndo por
metado do seu valor, k largo, quean preciear apro-
veite : na rua da Iuiperaltiz a. i)6, loja de Azeve-
do 4 C
eslfangeiro.
Paris n'Amerlca, d-^a'Pu-
qu.e de primeiro andar, acaba de receber um completo
sortimento de calcados.estrangeiros para'Dofcenve
sennortj vindo entfe elles'uni'liBdo sertimento de
elegantes cbiqiutoi, sapaiiohos e,,be>fs.fpaia
can?as,. que tuda vendapor pregos razoaveis. ?a
Grande pechincha.
10-RuadoCrespo10
BAPTISTAS de lindas cdres molhadas de agua
de.chuva a 280 reis o covado.
BAPTISTAS de listas e palmas perfeRas a 400
e 500 reis o covado.
.GROSDENAPLE preto superior com uma jarda
de largura a 3* o covado.
GIIOSDE.VAPLE preto muito bom a 1*800, 2*
e 3i o_covado.
VESTUARIOS de fustao, cambraia, e la para
meninas a 4|, 6*e 75 b -covado.
as.
Amaral Nabnco k C. vendem,bandejas de me-
tal e.charaa de anTjarentesjnodelos e tamanhos
no Bazar victoria, rua do Barao *
da Victorian. 2.
IMfW
I
Paris n%mnmr&-im-P-
quede-Gaxifts h. 59
primeiro andar, acaba.de-receber 'bottaas de-alta
'plafltasia, propriae para oa ohUtoao* trajos d
carnaval : a qunwidade e pe^uena, a e.llas,anles
que se acabem. '
Alpaca preta
com flores do cores., padroes os mais moderno*
no mercado, a 500 reis o covado. So 6 pflcbin-
cha ; dao-se amostras : na ra do Queirhadon.
43^ defronte da praciqha AA todopendeacla
Pacheoo & Azevedo teuj para vender
piooa de araruta, qualidade especial, em seu
mazem, na rua d Duque de Caxias n. 29.
Ndo ha mais cabellos
brancos.
THmfflMtM JAPBNEZA. ,
86 e noicaapprovada pelas academiaa de
sciencias, reconhecida superior a toda qne.
tem appareeildo tte iioje. Deposito princi-
pal i'-rfta da Cadeia do ^Recife, hoje Mar-
rraefdeOlinda, m 51, 4. ahdar, e em.
tods as boticas e ,casas de -oabfllUi-
reiro
'u'lrun
MOWlllA-lifiDi
PARA 0
CARNAV
Odilon Duarte & Irmao
Rua da Imperatriz n. 82
Tdm promptos, a dispcsiclo dos amantes do Car-
naval, 1,500 barbas a escolher, pelo baratissimo
reco de 3* cada uma, e grande numero de ca-
elleiras de todas as formas e cores, a 8*, 10#,
12* e 15* cada uma.
.
RBISTOL
GURA OS C4SOS MAIS DKSESI'ERADOft
A SAFSAPARRILHA DF. BRISTOL pr
fica a massa do sangue, expelle para fin
todas as materias e fezes viciosas a impara*,
regula todas as secrecies, ii vitalidad*
energia a todos os orgaos o dd forca e -
gor ao systema afnn de poder me.lhir res-
tir a todos os ataques da enfennida.Ie. E'
pois este um remedio constitutional. *U+
uuiica distroe aiim do poder curar ; pora>
constantcmente assiste a wImiuju. 1'ortantr
em todas as doencas conslituciomies eemi-
das as molestias locaes dependente duiit t%-
lado vicioso e imperfeilo do systema ttnt#-
ral, achar-se-lia que a Salsaparrilha
Bristol e um remedio seguro e eUicassau-
mo, possuindo inostimaveis e ii.conto.stv*i*
vrtudes.
As curns milagrosas de
ISscrefulas,
Ulcer iis,
l'liasN ant]j;iM,
ENFE&MIDADES SVI-HlLl'i/CAS
ERYSIPELAS,
RHEIMATISMO,
-M-VRAl.tilAS,
ESCORBLTO,
ETC., ETC., ETC.,
que tem grangeado c dado o alto NMM I
Salsaparrilha dc Bristol
por todas as paries do uni verso, sao ti -
meats denlti ;i
LX1C.V LIX.ITIMA E OfclGUfAL
Salsaparrilha de Brit/tot
NA PHARMACIA CENTRAL
CAHNAVAL-
Vende se liml s doininAs dc s'lpcrlir <;*'.Ii,:.
para o carnaval : na rua .1 Duqne de Caai -
53.
Lindo ciihriz.
Vonle-ss nor preen barato am rleo rhafurii
de marmare orcprio parj jarfim, o qoal m .
armado na officina de mat more d i sr. !..
rua do Iinperador para quem ,. i
tratar na rua do Crespo, loja : P.: jacl
arco de Santo Antonio.
Las de quadros
Vovi A Roia Branca vende lindas las de qn h
pura-la e gosins. muito cbiaucs, din-.'it an
com penhor e manda se levar em casa ; MM
tem a occasiao : na rua da Imperatrii n. 58.
O Extracto (Jomposto ae
ALSAPARRILHA
Do Dr. Ayer
0 PURIFICADOR DO SANGUE
Para curar estas moU$tiat qiu provem dt vicin -, ,
purena do Sangue,' da Eicrofuhi.
MOLESTIAS CUTANEAS. CALLOS. MANCHAS.
IRRUPCdES, ETC.
Rheumatismo e Gotta, Dores e
Affeccoea dos Osaos, Mai dos Ol-
hoe, DeblUdad* ou fraqueza ?eral,
Dyspepala, Incommodo do Flgado, i
Uma falta yeral de saude e uma'
dlsposicao facU ao soffrimento, km /altar -
vario$ outros incomwvutoi, alguvu ptquenot, rmtr- $a
s8o ot reroltados e constqaendas qne nuiu Urd oa n.
ccdo occorrem.
AS MOLESTIAS de qae padaoo o ttxo femmiv ,ff.
bem, quail iempre Bio devidaa i menu cansa.
O unlco tratamento eflloaz a auks
raanelra segura de readquirlr a node e
d r^tabelacer o aorpo, mellal' a
emprego fiul o conrtante de nm ir-
flcador Altemnle como a
SALSAPARRILHA AYER.
A aciencla tnedica aprosenta MM
dio ao povp ooaio o uu-lh o bm.
eegvro que eUa conliocc pan *o
desejado.
Alem da mix da Salsaparrilha ella I compotla dot ppaa-
cipats tubstanciat neiiciuaet qy* atxptriencia (. ia dim *
trade >trtm at melhtrts que fomect a nature:* .
arte tem detcoberto para mrtiriar do tongue dot huuttm '.
ttsot viciot, 4 corrupt?>tt *K too a germeu de tauta moltttt.
Logo qne a Salsaparkilba Aveb baja peuado r
&ytema, comecaenUq a obra de restabeleclmeuto.
Kio ( n'uin momento nam em um dia
que a zDolestia desappareee.
Puuco a pouco, degrao aobre degrao,
o sangne vas readqulrindo eua pureza, o
mal yao cedendo e a saude, o rigor a
robuatai, apparecom I
Medicos dealt* reputacio coacordam
DO valor e utOidade d'qste inmtimarel remedio.
Todos os dlaa apparecem novas provaj da saas rlrtaaea,
Todos ce.dlas augmepla o consumo.
O vp todo, intelliaente e obserrador xt n'elle um roe.c
fidedlgno de Bvrar-M das saas prindpaea doeneM e 4e
reetaurar sua saude e por consegulnte tornar mais iip
tut) ejisteocta 4 aiaii duradoura a sua Tida.
f um Espec\Aoo contra grande parf tV ettat <
cAronic**, Uturaslimo, tioUfta ,ulwwM,aV
5M fio cautadas pela Infecfao rcnerea, ou anliga a ha
dada.
*9Q MUMGUB B & VlB*tl
A maior parte das
carooicaa, e meamo daa or^aadr
qae aoflra o po-ro, m r-'
n'um eatadn docntio tjB|M
do sangue.
Logo quo est ali.'
nio estiver pu ,n. .- -^
acbar earregado com a infeccio da yplillu (MkflHa*
annoe passados), a molestla ha de apparaoer aab u.-...
outra forma e apreeeotando diflerente* sr
rBEI'AJbUK) w
r. J. C AYER & O*- Ix>wU, Ma*s,
Satadoa Ualdoa,
VhitnUM* rrKM ** '

i
y~i


8
tarto de Pernambuco Terqa feira 17 de Tevereiro de 1*874:
1
i
i
<
JDRISPRDDEWCIA.
Relatorlo
A RESPEITO DO NEGOCtO DO MARECHAL BAZAINE
EX-COMMANDANTE EM CIIEFE DO EXERCITO
DO RHENO.
AUDIENCIA DE 7 DK NOVEMBRO
(Continuagdo)
Desto modo, pareoe que a praga podia re-
sistir par rauito tempo ; o arsenal eslava
bera provido, assim como os fortes tinham
alguns umas oitenta pegas, e po liam repel-
lir o inimigo, da mesma m.-meira que as
inatravessaveis licihas dos prussisnos eram
pequenos fossos, oao fa'tindo do maneira
nenhuma Tiveres.
E' este o resumo do debati das ultmas
horas desta scssao do conselho de guerra.
A sessSo encerrou-se, como de costume, 4s
cinco horas, ficando adiada para segunda-
feira 10 ao meio dia.
O coronet Salencon, conmandanto de
engenheiros da praga de Metz, fez uiim ex?
posigao dos trabalhos executados desde 15 de
agosto ate ao 1 de setembro proximamente.
e depois desde o 1 de setembro ate" ao fi n
de outubro, para cotpletar o armimento
dos fortes e dos roparos. Declarou que
desde o 1 de setembro, a cidade estava em
estado de resistir a um assalto.
A testemunha eiiumerou os diffenmtns
preparativos a que se tinha dedicado a en-
genharia para a destruigdo das pontes do
Metz. Quanto ds pontes do Novdant; e do
Pont-a Mousson, nada se tinha feito.
Mr. Lachaud, fez a leitura do paragra-
ph seguinte de um relatorio do general
Coflraieres: 0 system* de defeza estd
incompleto ; existem brcchas do cem me-
tres pouco mais ou menos. o sMnellnutes
obras nSo podem ser defendi las senao por
tropas regulares be:n coramanladas.
A testemunha interrogada, declarou quo
n3o publicava completamento daqoella
opinido. E' verdade que o systems
era incompleto ; mas as forgas do quo dis-
punha o goveruador de Metz eram suffi-
cientes.
Os commandantes dos forte* vdo ser suc-
cessivamente ouvidos. Nos depoimentos en-
contraram-se sufficientes indicates para es-
tabelecer qual foi a uatureza dos trabalhos
executados no decurso do mez de agosto, e
qual era a situagdo da praga no momento
em que o general Coflinieres affirmava na
confereucia de Grimont que ell* estava in-
capaz de oppdr ao inimigo uma resistencia
se o exercito a abaudonasse.
Presidente.Chamai o coronel Merlin.
O coronel 6 introduzido na sala, e de-
poe nestes termos :
Tomei o commando do forte de Quen-
leu em 10 de agosto ; nao estava em com-
pleto estado de defeza, e estava ainda obstrui-
do pelas carruagens das e:npreitein,s. As
quatro faces, e a escarpa e a contra escar-
pa estavam terminadas, ma; restava fochar
asbrechase levantar a muralha, assim co-
mo abrir os fossos.
0 armament') estava co npleto no forte,
mas nao podia ser posto rtt praga desde lo-
go. A 28 de agosto, porem, tinhamosc.d-
locado oitenta e oito pegas. Tinhamos dez
mil trabalhadores, e a obra avangava rapi-
damente. No fin de agosto to Jos os tr ba-
lhos estavam quasi ternaioados. Comtudo
trabalhamos atii ao fim de setembro, o mes-
mo ate d vespera da capitulagao ; mas dos-
de o mez de setembro o forto estava em
estado de defeza, e podia supportar um ata-
que.
P.0 inimigo fez
tra o forte 1
R.Nenhuma tentativa seria.
Mr, Lachaud.0 coronel Merlin, em
um documento oflicial, nao representou
aquella praga ao general Coflinieres como
nao se achando em estado de defeza ?
R#_Pedi, como era Jo meu dever, tudo
quanto podia obter para assegurar a defeza
do forto. Nao estavamos installados de ma-
neira a occorrer a uma surpreza de noite,
mas n5o temiamos um ataque a viva forga
com dia claro.
0 commandante Ducnene, que tomou,
a Ode agosto, o commando do forte de
Plappeville, declarou quo o sou effectivo
em artilheria nao estava na altura do ser-
vice senao no fim do sitio. 0 forte estava
em construcQao quando .|elle chegou : os
parapeitos nao tinham a convenienteespes-
sura, e os pai6es dapolvora, que
vain sobre estacaria, nao tinham sido co-iera marcha com a perspective de dar muitas
bertos com dous metros de terra, segundo! munha fez conhecer ao conselho que o ar-
as prescripgoos, podendo dahi resultar gra-Jsenal tinha d disposiglo dos corpos, carros
ves perigos no caso da ataque. Foi neces- sempre carregados de projectis. Trocavam-
sario remediar tanto quanto lot possirel se carros vazios que entravara por carros
aquelles inconvenientes. Traba1hou-se ate* choios; quando havia tempo carregavam-
o dia 1 de setembro. A 3 de setembro o se do novo os carros que entravara.
marechal Bazaine visitou o forte, e poz d A testemunha explicou-se sobre a raanei-
disposigdo do seu commandante mil traba- ra porque tinham sido muuiciados os di-
lhadores, de maneira que no Gin do sitio o versos corpos no fim de 'cada batalha.
forte podia considerar-se como em estado A testemunha nao se lerabra se teriam
de defeza chegado ao fim de agosto as munig&es das
P.Havieis dito que era espocialraente o pegas de 4 e de 12, nem da chegada dos
pessoal que vos faltava. Se esso pessoal cartuchos para os diversos model.vs e u>-
v)s faltavo, pensais que, se esse pessoal ti- pingardas ; todavia o provimento era im-
vesse sido corapleto, terieis polila sustentar portante. Todos os corpos poderam muni-
um ataque? ciar-se ; porque nun",a houve penuria de
R. Nuftca se me apresentou essa ques- projectis para as pagas de 4. 0 inventario
tdo, porque sempre teuho pensado que uao entregue aos prussianos quando teve lugar a
ha via a lemer u;n ataque ; se o inimigo ti- capitulagao, accusa uma parcellaimportan-
vesse vindo fazer um movimento d viva ,ot Ate ao dia da capitulagao, navia no
forca contra a praca, te-lo hia dirigido eisonal quatro baterias de pe^as de quatro,
sobre o forte Quenlen. Plappeville nao ti- rodas carregadas.
nha a temer senfio o bombardeamento, que 0 Sr. Portinann, guarda de artilheria,
estava em estado do supportar desde o 1 tinha a escripturacjio da praQa de Metz ; foi
de setembro. elle quem estabeleceu o estado das muni-
0 coronel Proichc, tomou o commando cbes no 1/ de julho, e que depois regrtou
do forte Je Saint Julien a 10 do agnsto. 0 as entradas e as sahidas.
forte n3o estava em estado do defeza ; esta- NSo se lembra das parcellas exactas, mas
va armaJo com 2" peoas na bateria que sabe que o provimento das pe?as em bateria
lava para a cidade, e era ao la Jo do cam- era consileravel.
p quo era necessario attender. Os traba- j Presidente,Chamai o coronel de Gi-
Ihos do iustallac&o executaram-se, e desde
o mez de setembro o forto podia resistir a
rels.-
P. Para esclarecer a situitjSo
tal como
um ataque de viva forga. S6 restava pre- era no principio, vou dirigir-vos algumis
munir-se contra as surprezas do noite. A perguntas. E' util que o conselho seja es-
13, accresceutou o coronel Protche, recebi clarecido a respeito dessa situac,3o, afim do
um peda^o do papel cortado de um cader- que saiba a quem devo podirconta sobre as
node notas em queo commandante da pra- inquietagOes que se experimentarain no
i;a tinha escripto Igu nas palavras, annun-, principio a respeito de raunigoes. Tonho
ciando me quo havia armisticio das 3 is S.ama nota com data do li de agosto que
horas. Aijuelle bocade de papol tinha sido fixa o numero dos tiros de peca disponiveis
trazido por um camponez, e entregue a um na praca de Metz em 819 para as pegas do
solJado. Esta maneira de corre.ponJencia a q em i.VSO para as pegas de I. Como
pareceu-me suspeita, e julguei ser um des- tsu;ede quo mais tardo se estabeleceram si-
pacho falso. Proouradas informag3es, a uc.gdes mais elevadas ?
ordem era for nal e ollicial. 0 armisticio I R.Pela palavra disponivel, n5o se desi-
prolongou se mesrno ate ao dia seguinte : gna senSo os projectis que podem ser im-
restava-mo, pela minha parte, 400 mortos mediamente empregados, e nao os quo es-
alguma
tentativa con-
se acha-
enterrar.
De 24 a 25 d'agosto, recebi no forte
duas cartas do generl Manteuffel, que trans-
mitti ao general commandante da praga.
Recebi na volta duas C3rtas, que tive a rais-
s3o de fazor levar aos postos avar.gados. A
29 d'agosto, a guarnigio do forte estava
complcta, e eu tinha 68 bocas de fogo em
bateria. Desde entao, podiamos soffrer um
ataque a" viva ;orga. O armamento com-
pletava-se todos os lias, e no momento em
quo o forte se renleu, tinhamos 05 bocas
de fogo, e dez dias do viveres. (.1 testemu-
nha commoveu-se, a sua voz enfraqueceu, e
tomou-se tremula.) No dia em que o forte
se entregou, havia ainda quatro ou cinco
dias de viveres. Fix distribuir esses vi-
veres d gente. 0 forte prestou um
bom apoio ao movimento operado a 31 de
agosto, e, seja-me permittido dizer, as li-
nhas iuimigas, que se dizia invenciveis, po-
Jeriam, cre'u eu, ser atravessadas. Nao ti-
nhamos na n ssa frente nenhum trabalho
seriamente executado ; foi apenas a 26 de
setembro que o inimigo trabalhou para se
estabelecer na frente do forte, em Chieulles.
Havia portanto trincheiras ; vi-as eu, e nao
o posso negar, mas nada se emprehendeu
contra o forte.
O comm indante Lecoispellier, que cora-
nundava o forte de S. Quintino, declarou
que desle o comegodo sitio, comquantoas
obras nao estivessera completas, aquelle forto
estava em estado de resistir a um ataque. A
15 d'agosto, sujspendeu um movimento do
inimigo, o qdat nuadb tentou mais nada
contra elle, e se contentou em levantar ao
alcance de eanhao um reducto, que nao che-
gou raesmo a ser armado. S. Quintino
possuia 6 pegas de 24, que alcangavam a
6,500 metros. No decurso de setembro, o
fogo daquellas pegas era dirigido sobra Ars,
occupala pelo inimigo. O marechal Ba-
zaine fez prevenir o commandante de que
tinha recebido aviso que o tiro dirigido con-
tra a gare chegava as ambulancias, e fe-lo
cessar.
O accusado Bazaine negou quo tivesse
d*do ordem nestes termos. Convidei, disse
elle, o commandante a modificar o seu tiro,
nao Ihe prohibi que atirasse.
Aqui a audiencia foi suspensa por espago
de vinte minutos.
0 Sr. Blandin, guarda de artilheria.
A's perguntas que se Ihe fizeram, a teste-
F0LHETIM.
L7CSECU BOB&IA
mrus be mm
POR
D. Mm no el Fernandez y Gonzalez
tao em preparagSo ; nao so tendo interrom-
pido o fabrico a situagaj modilicava-se con-
tinuamente.
P.Perguntava eu se essa situag5o mal
comprehendida nSo tinha podido contribuir
para fazor suscitar as inquietagdes que o
general Soleille manifestou ao marechal Ba-
zaine, depois da batalha de Gravelotte, ese
se n5o podia considerar como ponto de par
tjda da nota, era presenga da qual foi redi-
gido o estado da situagSo, e que foi dirigido
ao imperador. E' muito para surprehender
que o arsenal de Metz tivesse podido distri-
buir nos dnus dias seguintes 40,000 obuzes
carregados. Podeis explicar esta contrali-
gio?
R.Nao, senhor presidente.
P.Nao tendes a dar ao conselho escla-
recimentos a este respeito. Passareraos a
diante. Tivestes depois de 18 de agosto
ouvido dizer qne o general Soleille tinha
tido tengao de abandonar o municiraento
de dous parques, o do 3." e o do 5.
corpo ?
R.N3o posso dizer senao uma cousa ;
e que aquelles dous parques estavam mu-
niciados.
P.Effectivamente, mas nSo e menoslver-
dade que o general Soleille tinha comegado
por manifestar inquietagoes. A rapidez com
que os differentes services se reconstituiram
tranquillisou-o, e 6 assim que se explica a
conQanga que elle manifestou a 22. A que
attribuis vos as comraunicag5es levaidas pelo
general Soleille em sentido absolutaraente
contrario & conferencia de Grimont, no
dia 26 ?
r.Toda a minha attengao estava, na-
quella epoea, voltada para a necesssdade de
fornecer o que fosse possivel no momento.
Creio que o general Soleille n3o duvidava
da possibilidade de se municiar de novo o
exercito nas condigdes em que se achava a
22, mas que a 26, quando se previa um
grande numero de corabates, julgava dever
mostrar inquietagao, que era, quanto a
mira, justificada. Se o exercito se pozesse
batalhas, nao podia levar senao as suas mu-
nigdes.
A testemunha esqueceu-se de que o ge-
neral Soleille dizia no castello de Grimont
que nao existiam munigoes senao para uma
batalha,e que elle proprio escrevia quasi na
mesma e"poca : Depois deste ultimoe su-
premo esforgo, os recursos do arsenal <
Metz achavam se completamente exhaus-
tos.
A testemunha pedio para communicar
uma cart i do general Soleille era que Ihe
annunciava ter podido para elle ao marechal
Bazaine a cruz de com mend ador em recom-
pensa dos servigos que tinha prestado ao
exercito, asseguraudo-lhe o seu lovo nuui-
ciaraento.
Presidente.Em virwde do meu poder
discricionario, .ordeno a leitura Uos depoi-
mentos dos commandant s dos parques do
artilheria dos corpos do exercito, por isso
que aquelles officijes n3o forara citados para
comparecorem perante o conselho...
Fez se a leitura desses depoimontos feitos
no summario pelo coronel Brady.
O Sr. Moisy, guarda do artilheria, for-
neceu depois indicagOas a respeito dos no-
vos municiatnentos do parque do 2. corpo.
Aquelle parque estava inteiramente recons-
tituido depois de Forbach,. depois, na noito
de 18 para 19, os carros 8inda carregados
foram eonduzidos para o arsenal, e no dia
seguiulo o general Soleille annunciou que
c parque estava dissolvido. Foi reconsti-
tuilo jelaseguula vez em 21 de agosto.
Est.; depoimento foi conlirmado polos do
muitos outros guar las de que so fez igual-
mente leitura.
A sessao foi suspensa as quatro h ras e
um quarto, adiada para o dia seguinte ao
meio dia.
AJDIENC1A DE It DE NOVEMBT.O.
Presirtente,Chamai o capitao Joyous.
A testemunha, chefo de um parque do ar-
tilheria, foi charaada para dar esclarecimen-
tos a respeito dos seus provimentos do mu-
nigoes. Os pormenoros que o Sr. Joyeux
referio a este respeito nSo fazera mais do
quo oonfirmar os que ja tinham sido dados
na ultima audiencia pelos guardas de ar-
tilheria e pelos chefes do material do arse-
nal.
A inquerigao das testemunha*-, sobre este
ponto, soria, exposta aqui, muito raonotoua.
Fez-so a leitura, por forma, de diversos-
depoimentos, que n3o sao mais do que a ro-
potigao dos factos enunciados verbalmente
na barra pelas precedentes testemunhas.
Os depoimentos lidos foram do guarda Par-
ti, do coronel Luxel, do commandante
Voisin, do coronel Lestondon, e do guarda
Lacombe.
Em suraraa, e para resumir todos estes
depoimontos, o esorcito estava abundanto-
mente provido do cartuchos e do tiros de
eanhao Je 4, havia falta de tiros do canhlo
de 12, n5o existia sempre a melhor ordem
na boa divisao dessas munigoes, e os chefes
quo deviam ter confianga, aquelles mesmos
que melhor deviam estar informados. como
por exemplo, o general Soleille, eram preei-
saraente arjuelles que se deixavam arrastar
pela desanimagao, e nao occultavam os
seus receios a respeito da eventualidado de
ver faltar munigOes ao exercito.
Quando a capitula^ao foi ossignada fize-
ram-se inventarios, e foram entregues aos-
prussianos, os quaes accusara parcellas im-
portantes.
Presidente.Chamai o guarda Polard.
A's precedentes informagOes accrescentou
a testemunha o seguinte pormenor que Ihe
era pessoal; o parque de artilheria do 6.*
eorpo estava completamente municiado de
novo a 22 de agosto.
Fez-se a leitura dos depoimentos da guar-
da de artilheria Cleves, do 4 corpo, o do
capitao Grimard, commandante de uma ba-
teria do 6 corpo.
As testemunhas coDflrmarara este ultimo
pormenor ; os seus eorpos estavam muni-
ciados de novo no dia 22 de agosto, e des-
de entao as caixas n3o c5eixaram de estar
cheias.
Presidente. Chamai o guarda Vignohal
P.Havieis conduzido a Plappeville um
comboio de artilheria. Este comboio tines,
sido pedido na noite de 16 para 7 ?
R.Fui prevenido na manha de 17 pelo
coronel de Girels. Partimos ao meio dia
pouco mais ou menos, e chegamos a plani-
cie de Plappeville is quatro horas.
P.A distribuigao teve lugar no dia se-
guinte. O comboio esteve pois sem que se
Ihe tocasse na planicie, durante vinte
quatro horas.
R.Sim, senhor presidente,
O capitao Aufreyee.Foi encarregado
de conduzir um comboio de munigoes para
o 1 corpo de Sarrebourg Este comboio
foi tirado da reserva geral j4 reunida em
Metz ; compunha-se de caixas brancas, que
continham uma quantidade de projectis
ocos, cuja quantidade nao poderei calcular
de uma maneira exacta, mais 30 ou 40
caixas.
P.Quererei saber sa ease eraprestimo ti-
rado da reserva geral tinha reiuzido con-
sideravolmeute essa reserva ?
R.Tinha certamenle produzido um va-
cuo seusivel.
P. Diminuio um tergo, ou raetade?
R.Nao poderei dizer exactaraente. O
comboio que eu conduzi ao primeiro corpo
continha ainda 4,000 tiros de pega.
Fez-se a leitura da parte do depoimento
do general Soleille, que tratava das qeestOos
comprohendidas na presente serie.
O general Soleille nega que jdmais tenha
dado ordem para se dissolverem os par-
ques do 2 e 9 corpos. e por cousequencia
que tenha tido de reconsiderar semelhanto
resolugao.
As determinagoes era virtude das quaes
os commandantes daquelles corpos tinham
levado as suas caixas para o arsenal de
Metz, nao eram, disse elle, mais do que me-
didas de reorganisagao.
O capitao Barre.O exercito entrou em
campauha, com uma provisao em deposito
de 178,000 tiros de eanhao, e seis milhoes
ile cartuchos. Os combates de 14 16 e 18 di-
minuiramconsideravelmenteaquollas provi-
soes. O consume das munigfies excedeu o
consumo medio. Todavia, a 19 de agosto,
existia ainda um provimento de 79,000 ti-
ros de canbao de 4, 14,000 tiros de 12, e
3 milhoes de cartucbos.
O commandante Sers.N3o sei senao
uma cousa : e" que o general SolerUe, cujo
esta-k) de doeuga era j (nuito grave naquel-
la cpoca, nada descutdou do que podia
contribuir para assegurar as provisoes do
exercito e da praga.
P.Parecia-me que do vosso actual de-
poimento resultava quo o exercita, para se
prover7 tinha nocessidade de rocorrer a's
munigoes da pra^a ?
H.CHectivamente, estou eonvencido que
esse pedido era era especial pelo que res-
peita i polvora.
P.Nao Ouvistes (Jizer que o general
Soleille deu ordem para licenciar uma par-
te do 2 corpo ?
R.Nao sei se se deram ordens n'esse
sentido, mas posso afiirmar que nunca se
procedeu ao licenciamento.
O coronel Vasse-Saint-Ouen. Os pro-
vimentos do exercito-eram independentes dos
da praga de Metz. Ignoro se fizeram pe-
didos a estes ultimo* para so municiar o
exercito.
P.Podeis dizer em que proporgoes o
grande parque da reserva contribuio para o-
municiameuto do exercito depois-da batalha
de roozenviile/?
R.0 parquo achava-so entao reduzido
a pouca/cousa. e nao representava mais do
que a oitava part-) dogrando parque que
se tinha querido constituir para assegurar o
servigo das munigoes ao exercitodo Rheno.
O comboio que foi conduzido a 17 para a
planicio do Plapdville, n3o continha mais do
que 5,200 ou 5,300 tiros de eanhao, sendo
4,700, i u.4,800 de 4, e o resto do 12.
Aquella* muniv6os ficaram na planicie ate
18, as tres horas. sera que podessem ser en-
tregues. Distribuiram-n'as aos corpos que
fizeram pedidos.
A testemunha nao> sabe nada a jnux^tq^
da desorganisagao do parqijj do ^Fcorpcr,]
depois de 18 de agosto, nem dcercav da
organisagao, a 22.
Presidente, dirigindo-so ao commandan-
te Farcy.0 conselho deseja saber de v6s,
o que se fez em Metz durante o bloqueio
para a fabricagao de projectis ?
O Sr. Farcy.Os meios de fabricagao
do quo dispunharaoserara kisuflkientes, e eu
mandei charaar um. fundidor, o Sr. Blavet,
que aceitou com promptidao o prego quo
se Ihe propoz. Todavia decorrerara uns
quinze dias, e o nosso fornecedor nao con-
seguio entregar os primeiros centosde pro-
jectis.
P.Nao vos dirigistes a muitos funJido-

QUARTA PARTE
LUDOVICO ARIOSTO
I
M QUE 0 AUTOR SE OCCUPA PURAMENTE DA
H1STORIA.
(Continuagao do n. 37.)
Quando cessou todo o ruido no castello,
Cesar levantou-se, atou os leng6es uns aos
outoos, desencaixou do seu lugar o varao do
ierro que havia cortado, liraando-o assidua-
inente tres noites seguidas, e deixou-se es-
corregar pela janella.
Um quarto de hora depois, a cavallo.
alentando de novo os seus projectos de am-
bigao, corria para Navarra, entre o duquc
. de'Benavento e Michelotto.
Quatro noites depois, ji em completa
v iratiga, depois de ter saudado, seu cu-
uiiado o rei da Navarra franceza, punha-se
s ciminho para a Italia com alguns homens
e algum dinheiro que Ihe dera Joao do
AlbreL '
o papa recebeu-o com immensa alegna.
A obra de Cesar, isto 4, a occupagao da
Uonrnania, desmoronara-se durante a sua
prisao. Os vigarios da igreja, isto e, os
seus fiordeiros, tinham levantado a cabega
amearadora, eo< Orsini, os Urbinos, os Ma-
latests, os Gaetano, faziam sentir a sua tm-
modcra la pressao e as suas exigencies in-
supportaveis i santa se".
Cesar contemporisou
cessiUva ser forto para obrar com energia.
Para*ser forto necessitava de thesouros,
e deitou os olhos para os de monsenhor
Gaetano.
Como dissemosjd, era necessario que o
cardeal morresse para que os Borgias po-
dessem herdar, e mata-lo nio era cousa
facil, em virtude das grandes precaugdes
de qtrt se rodeiava.
Cesar, a quem tardava a todo o momento
|oentrar de novo em acgao de um modo
energico e decisivo, influio com o papa para
que este convidasse o cardeal Gaetano a um
banquete na Villa Borgia. 0 cardeal sentio
o golpp, dcu-se por morto, e levando quan-
to pddc, fugio, mas tao secretaraente que
Cesar nao soube cousa alguma.
A' hora combinada, Alexandre VI e Cesar
Borgia sahiram do Vaticano e encaminha
ram-se para a Villa Borgia.
Fazia calor, e a meio do caminho, Ale-
xandre VI ja fatigado porque estava velho e
enfermo, parou para descangar e pedio um
refresco.
Cesar enviara com antecipagSo um dos
seus pagens, com um3 garrafa preparada
por elle mesrao, recommendando que a po-
zessemde parte, porque a quella garrafa era
para o papa.
Foi isto causa de que, enganando-se os
criados, servissera d'aquella garrafa o re-
fresco para o PP* e Para Cesar Br8'a.-
Pouco tempo depois de terem bebido,
Alexandre VI e Cesar sentiram-se tao grave-
mente indispostos, que foi necessario leva-
los para o Vaticano.
Alexandre, jd velho e fraco, raorreu n'a-
quella mesm* noite.
Cesar, ou fosse por um privilegio da
sua forte organisagao, ou porque tivesse be-
bido menos, ou porque finalmente se tiyrsse
prevenido com um contra-veneno, resistio,
salvou-se, flcando todavia, um pouco pros-
trado.
Entao, tedas as vingangas que elle araon-
toara sobre a sua .cabeca, particularraente
a dos Orsini, se desencadearam contra elle,
res
Cesar restabeleceu-se completamente, e,
querendo o rei D. Jo5o castigar o seu con-
destavel, o conde do Lerin, que se havia
rebellado.marchou sobre Vianna onde estava
D. -Luiz de Beamante, filho do condestave.l
com pouca forga.
Cesar ia com o rei e levava este um pe-
queno exercito de cento e cincoenta langas,
duzentos ginetes e cinco mil penes.
Com esta forga marchou sobre Vianna a
11 de raargode 1507.
6 condestavel, aproveitando1 uma noite
muito tempestuosa, correu de Mendavia era
soccorro de Vanna, com duzentoshomens
de armas e seiscentos infantes que deixou
ii'ura. barranco, cobertos pela desigualdade
do t rreno.
0 condestavel, com os duzentos homens
do armas, aproveitou a noite e a temnesta-
de, e podeentrar na villa ; porem, qundo
pela manha sahio d'ella, foi sentido, e o rei
mandou a Cesar que o seguisse e o pren-
desse.
Cesar armou-se mal e d pressa, e sahio
em segoimento do condestavel com sessenta
langas, e, apos elle, em ma" ordem, ia o rei
de Navarra.
Cesar, impellido pela sua natural bravu-
ra adiantou-se imprudentemente ao reie d
sua gente, e, proximo jd do barranco, onde
como dissemos jd, o conde de Lerin tinha
escondido os seiscentos infantes.
Cesar foi atacado raesperadamente, e der-
ribado do cavallo por um bote de langa, pe-
lejou bizarramente a p<& durante algunt tem-
po com uma langa de dous ferros, ate" que
fatigado, dominado pelo numero, cahio co-
berto de feridas.
R.N3o, tratamos com um so.
O Sr. Champigneulles, pintor em vidro,
residente em Metz.Tenho o sentimento de
expdr ao conselho que o commandante da
praga de Metz deixou penetrar na praga to-
dos os estrangeiros que alii se quizeram ro-
fugiar. Era essa uma situagao perigosa,
que, segundo creio, se poderia ter evitado.
Nunca ouvi dizer que se tivesse conslituido
em Metz um conselho de defeza, tambem
se nio tomaram precaugaes para aseegurar
uma sabia distribuic^o de viveres. a"jn-
te os ulti nos dias de agosto, OS soldados
acampados no Ban-Saint-Martin deitavam a
sua bolacha i rua, e iam comprar pio d ci-
dade.
Pelo meado de outubro, encontrei am
general meu amigo, que me disse :* aca-
bara de se distribuir ds tropas os Ires ulti-
mos dias de viveres, Satisfiz-mo em di-
zer-lhe, que tinha visto, com os meus pro-
prios olhos, onze carros com setenta e sete
toneladas de toucinho entrar na vespera no
forte de S. Quintino. Alera disso, liz notar
ao meu interlocutor, que, u6s burguezes,
possuiaraos abundantes provisoes, e que po-
diamos estabelecer os nossos viveres em
comraura. Nao e permittido dizer que o
exercito jd nao tinha senao tres dias de vi-
veres, quando se nao tinha feito nenhuma
requisigao para assegurar os recursos de
quo a populacdo poleria dispdr.
Nos oltiraos dias, disse-rae o mesmo ge-
neral : a Vosso tilhu nao vos inforraou
deste facto; os soldados estio reduzidos a
aliraen arera-se de frioha com agua.
Sim, respond! eu, e amanha virds dizer-
me que morreram soldados defome. E
ellertivamente, no dra seguinte, o general
disse-me que tres homens tinham raorrido
de debiUJade. Indignei-me, e repeti mais
de urna* vez o quo tinha' visto atguns dias
antes ; oiize carros que se dirigiraiy para o
forta Plappeville.
QnanJa- se assignou a oapitulagao, dou-
se aos soldados a liberJadu de se dirigirem
aos fortes para dividirem eutre si *> provi-
soes. 0 general quo me tihua prevenido,
veio ter comigo-e disso-mo :
Tinheis raaao, o forte de Plappeville
estava cqeio de viveres, de tnl maneira que
eu nao pudo occultar a minha comoeao;
vieram-rae as lagriraas aos olhos, e tive
quem apoiar eoutra uma muralha para
n3o cahir.
Thihaeu pois-dito a verdado, e tinha fi-
cado rauito alera da verdade exacta. lade-
pendentemente das setenta e sete toneladas
de toucinho, havia saccos de arroz, de cafe,
de assucar. de aveia, etc. Os-soldados ven-
derara, cada um dalles, por 160 francos,
as provisoes aos caraponezos.
Para minha casa trouxerara dous sacoos
de aveia que os meus cavallo* coraeram, e
assucar que madame Champigneulles fez
conluzir para as ambulancias.
0 cafe era em quantidade tao ^bundaote
que os soldados que o levaram* nao usaram
senao daquolle cafe eraquanto durou o seu
captiveiro na Allcmanha. E' uotorio qe .
durante dous raezes, os prussiauos vende-
rara enormes quantidades de bolacha ; veo-
diara-n'as por lutes de cinco a sets mil
francos-..
Desde os primeiros dias do sitio, pelo
dia 20 io mez de agosto, pediram-me para
reproduzir era oarta photographica as caatas
do estado-maior ; mas foi so no fun de se-
tembro quo este projecto foi posto em exe-
cugao. X. 26 de agosto quizeraos saber
porque era que o movimento tinha sido-in-
terrorapido sem qua se tivesse dado urn. ti-
ro. Responderam-nos que aao havia pro-
jectis senao para uma batalha, e qoe-es-
tjudo rado o tempo, se nao tinha quend
, .ocraprometter estes ultimos-recursos.
*" Preoccupado com esta situagao, foi pro-
curar o general de Morkeu afim de Ihe-pro
por o concurso do um dos meus araigos, o
engenheiro Girard, que se ollerecia- para
fundir projectis. 0 general recebea. muito
bem a minha psoposta, mas pedio para a
communicar aos seus supjriores.
Accrescentou porem, que jd sa tinham
encommendado 100,000- projectis ao Sr.
Blavet. 0 Sr. Girard, a quem eu referi
estas palavras, respoodeu-me: 0 Sr.
Blavet e Lscapaz de fundir projectis dc
guerra. Nao receberaos nenlaomia respos-
ta. Entdo Jicidi-me a escrevor, a 6 de se-
tembro, porque cora^reheodia que se ndo
queria fazer nada e que : e preoccupavam
tao pouco das munigoes como se tinham
preoccupado dos viveres, quando se tinhi
probibido a entrada na cidade aos homen
do carapo, que alii queriam levar as SiOi
colheitas.
estava fraco e ne-
,i:A i Entretanto os homens de armas de Cesar
efoinecessana a pro'eccio de Julio tola J levado o terror ao rei de
Rov6re, qaesub.ra ao. throno pont.ficio_e hamm.tug acampamento
toraara.o nome de Julio II, para que n3o "aT"r;'*g vl.nn, v ^
succurabisse d ira encarnigada dos seus ini- ^fB*J^ abandonado e na, >par
mi?os' ,. j i i a e .u._ nnft sem oconbecerem, o hiviam duspojado
Por ultimo desalentado, enfermo, aban- jy^i^ Sa eamisn. entre outro, caJave-
donado do todos, at<5 mesrao do sua esposa,. "^ mwuuMj harl.nc0
menos do seu Gel Michelotto, abandonou a res. *ienlrada do ^"J>-
'Pamplona, primeiro bispado queteve.no
_ diocese de
atrevendo a pedtr
LUJoloide Albret recebeu-o como se recebe] raesmo dia, e aproximadamente na mesma
'bora em que tomara possed'elle, isto i, em
um hospede aborrecido.
dia do S. Gregorio.
A' noite, alguns cavalleiros avangarara
para o sitio onde estava o cadaver do Cesar.
Os cavalleiros apeiararase, accenderam
uma tocha, e um d'elles exammou minu-
ciosamente todos os cadaveres.
De repente soltou uma blasphemia hor-
rivel.
Aquelle homem era Michelotto, que afinal
reconhecera o seu senhor, coberto de feri-
das, entre os cadaveres.
Em seguida tirou a capa roxa que o co-
bria, envolveu n'ella o corpo de Cesar e
levou-o pan o acampamento do rei de
Navarra.
Assim acabou o terrivel Cesar Borgia, o
homem que, por ventura, comraotteu mais
crimes sobre a terra, aquelle que todos te-
miam, que Machiavelo adrairava e que com
menos ambigao e menos ferocidado, teria
chegado a ura grande destino.
Cahira em consequencia da vinganga de
Lucrecia, que empregara contra elle, de
um modo machiavelico, toda a sua influen-
cia.
Lucrecia nao podera perdoar-lhe o assas-
sinio de Affonso de Aragao, e os Borgias,
mais ferozes do que os lobos.devoravam-se
uns aos outros.
Cora a morte de Alexandre VI e de Ce-
sar, Lucrecia sentio-se emancipada, livre,
senhora de si mesma e de Affonso de E'ste,
seu quarto marido, a quem dominava pela
terrivei paiado que Ihe havia inspirado.
Certo era que deixara de ser rainha de
Roma, duqueza de Spoletto e de Sermo-
netta ; pordra era de facto a rainha de Fer-
rara e fazia pesar a sua influencia em todos
os negocios. de Italia, do sombrio castello
ducal em que fallamos jd.
A Italia estava devorada pela guerra.
Julio II era ura papa demasiado guerrei-
ro, e via com mdos olhos era Italia os hes-
panh6es, que tanto haviam favorecido o pa-
pa Ali.xau re VI.
Francez do coragdi), via-se obrigado a
transigir com os hesp^nhoes; cujo poder te-
mia, porem contra os quaes conspirava sur-
damente.
0 gran-capitSo, depois da brilhante cam-
panha del Garellano, terminada com a to-
mada de Gaeta, apoderara-se completamen-
Continuarse-ha
te do reino de Napoles.
N'aquelle rio afogara-se pouco tempo an-
tes Pedro de Medicis, cujas pretengoes ao
ducado de Florenga herdou seu irmdo Ju-
liao.
Veneza estava pelos hospanh6es, e fazia a
guerra, n3o s6 aos francezes, como tambem
aos florentinos e aos duques de Ferrara e
Milao, a quem ser via em pessoa, com ho-
mens, cavallos e artilheria, o rei Luiz XII.
Isabel, a catholica, morrera em 1504 ;
tinham surgido desavengas entre D. Fernan-
do, o catholico, e seu genro, marido de sua
filha a rainha D. Joanna, o archiduque de
Austria, a que charaavam Filippe, o For-
moso.
Haviara-se suscitado duvidas sobre se o
reino de Napoles pertencia exclusivamente d
corda de Castella ou d de Aragao, ou se
devia ser repartida entre as duas cordas, co-
mo allegava D. Fernando, o catholico, se
fizera relativamente ao reino de Granada.
Nao se avinha tao pouco D. Fernando
com o energico cirdeal Cisneros, e andava
com elle em discussoes sebre se por failed
mento ou incapacidade de MM filha a rainha
D. Joanna, devia succeder-lhe no reino o
principe D. Carlos, que nascera em Flan-
dres, e alii se creava, ou o infante D. Fer-
nando, nacido em Uespanha e alii creado
sob os cuidados de seus av6s.
A' tal ponto chegaram estas desavengas,
que Fernando, o catholico, irritado, canga-
do da luta, offendido de que Ihe oppozes-
sem taes difficuldades, cortou pelo sdo, e
com a intengdo decidida de obter um prin-
cipe que herdasse os seus reinos, casou com
Germane de Foix, priraa do rei de Navarra.
Ale'm d'isso, estava cioso e desconfiado do
gran-capitao, e, ale'm de Ihe ndo enviar
abastecimeutos, nem homens, ue.u dinhei-
ro, dando ouvidos aos iniraigos de Gonzalo,
sobretudo a Pompeo Colonna, a quem irri-
tava que Gonzalo favorecesse os Orsini, ful-
minou contra o gran-capitao graves qieixas,
e aquellis fam>sas contas quo ficaram em
proverbio,concluindo porchama-lod Hespv
aha, ordem a quo o gran-capitao nao obe-
deceu logo, nem podia obedecer, servindo
lealmente o rei.
Em tal estdo estavam as cousas em Italia.
Veneza, pelos heapanhoes; Florenga, Fer-
rara, Modena e Milao, pelos francezes; Ro-
ma, natural, hespanhola na appareocia,
franceza no coragdo.
Os Orsini e os Colonna, e a raaior part
dos vigarios da igreja, que com a queda
dos Borgias haviam recuporado o seu po-
der, pertenciam an bando hespanhol, em
quanto que o duque de Urbinoe alguns ou-
tros de menos importancia, a Luiz XII. *i
Affonso de E'ste, que succedera em
1505 no ducado de Ferrara, a seu pai Her
cules I, era um dos mais acerrimqs parti
darios do rei de Franca.
Estava sempre em campanba,- e fornece-
ra-se de um tao formidavel trem de artirhe-
ria. que, pelo e*pirito de d/estruigao que
aquillo representava, Ihe chanavam o diabo.
Nao sabemos, porem, qual era o diabo,
se Affonso -de" E'ste ou Lucrecia Borgia.
A Mrdade era que nunca os duques de
Ferrara se haviam mostrado taoguerrea-
dores.
0 espirito dos Borgias vtvia ainda eooer-
rado no casteilo de Ferrara.
II
EN QUE SE A PRESENT A UM NOVO E PRINCIPAL
PERSONAGEM.
No anno de 1510 foi viver para o palacio
ducal de Ferrara, o cardeal Hypolitode E's-
te, nnao do duque, desavindo com o papa,
e receioso de perraanecer em Roma ao al-
cance da mdo do tremendo Julio II.
Com Hypolito fora am de sens famihare*.
o mais intirao, o mais estimado dos qu
compunham a sua cdrte, e cujo nome, em
consequencia dos seus versos, era jl illus-
tre em Italia.
Esse familiar, que possuia toda a con-
fianga do belliceso e inqueto cardeal de
E'ste, contava trinta e seis annos.
Era de physionomia expressiva, e dos
olhos brilhava-lhe, ora a profundidade do
pensamento, ora o fogo da inspiragio, ore
o desalento da desgraga.
Porque, esse gentil homem, que gozava
de to.l > o favordo cardeal, e cujo nome se
tornara celebre, era pobre, e sem haver
casado, tinha a seu cargo uma gnado Ca-
milla composta de quatro irmaos e cinco ir-
raas, para os quaes nio chegava oeaeasso
patrimonio paterno (Contimuar-M kuj
"TiTf.DDD'ARIO,-rtUA DUQUB DE CAXlaST

\

<

I
r
i