Citation
Diario de Pernambuco

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
newspaper ( marcgt )
newspaper ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
This item is presumed to be in the public domain. The University of Florida George A. Smathers Libraries respect the intellectual property rights of others and do not claim any copyright interest in this item. Users of this work have responsibility for determining copyright status prior to reusing, publishing or reproducing this item for purposes other than what is allowed by fair use or other copyright exemptions. Any reuse of this item in excess of fair use or other copyright exemptions may require permission of the copyright holder. The Smathers Libraries would like to learn more about this item and invite individuals or organizations to contact Digital Services (UFDC@uflib.ufl.edu) with any additional information they can provide.
Resource Identifier:
002044160 ( ALEPH )
AKN2060 ( NOTIS )
45907853 ( OCLC )

Full Text
pr
!
ANXO L. KIHERO 36

i
<
\
u

? v.
i
,v
L
PARi A CAPITAL E LUGARES OUDE Nl SE PAGA PORTE
Pot tres means adiauUdos................ 69000
Por seis dit6 idem..................125000
forum anno idem..................349000
Oda numero tvulso.................. JS320
SABBADO 14 D FEVEREUM* DE 1874
_________
.________ -- '- ^^am,
PARA IHVIIIOE FOR A DA PHMIIWIA.
Por tres mezes-adiantados...... .*' V
Por seis ditos idem......- -.......
Por Dove ditos idem..................
Por um anno idem.............?.. 87f00
PR0PRIEDADE DE MANOEL FIGUEIROA DE FARIA & FILH0S.
ft Sri. Gerardo Antonio AlTesd Filhos.no Pari; Goncalves d Pinto, no Maranhao; Joaqnim Jose de Oliveira 4 Filho, no Coari; Antonio de Lemos Braga, no Aracatj ; Joao Maria Jnlio Chaves, no Assd; Antonio Marques da Silva, no Satal; Jos3 Justin
Pereira d'Almeida, em Mamangnape ; Carlos Auxencio Monteiro da Franca, aa Parahyba ; Antonio Jos4 Gomel, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulcio, em Santo Antao ; Domingos Jose" da Costa Braga, emiSaxareth;
Antonio Ferrcira de Aguiar,em Goyanna; Joio Antonio Machaeo, no Pilardas Alagdas ; Aires AC, na Bahia; e Leite, Cerquinho d C. no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
Ministerio da guerra.
Pelo decreto n. 3,529 de 17 de Janeiro foi
approvado o regulamento para as escolas do exer-
-cito.
Por decreto de 31 de Janeiro :
Foi nomeade 2" cirurgiao do corpo de sailde do
exercito o doutor em medicina Pedro Ribeiro Mo-
reira.
Foi transferido para o corpo de estado-maior de
artilheria o capitao do o* batalliao da mesma ar-
ma a pe, Dionysio Evangelista de Caslro Cerquei-
ra.
De conformidade com a immediata e imperial
xesolugao de 20 de julho de 1870, tomato sobre
cnsulta do eonselho supremo militar, passou a
aagregadoa arma a qua pertenco o major graJua-
do do 16 batalhao de infameria Cypriano Jose
Bire3 Fortuna.
Na forma do 1 do art. 9 da lei n. 648 de 18
de agosto de 18o2 concedeu-so reforraa ao capitao
do 21 batalhao de infanteria Jo-e" Mendes Malhei-
cida
para
105, visto soflrer raolestia incuravel, que o torna
incapaz de continuar no servico.
Nos termosdo 3- do piano quo baixou om o
dacreto de 11 de dezembro de 1815 foram refer-
mados com o respectivo soldo por inteiro :
0 soldado do 12* batalhao de infanteria, addido
a companhia de invalidos da provincia de Santa
Catharina, Antonio Correia Feio, visto conlar mais
de 23 annos dc servico, e acharse impossibilita-
do de continuar nelle!
0 cabo de esquadra do 10 batalhao de infante-
ria, Jose Gomes de Paula, por se achar impossibi-
litado para o servico do exercito era consequencia
da ferimento recebido era comhate.
Foram nomeados : commandatite da fortaleza
do Brom, na provincia de Pernambuco, o briga-
deiro reformado Hygino Jose Coelho. Portaria da
12 de Janeiro proximo findo.
Presidente do eonselho da corapras creado pelo
art. 57 do regulamento dos arsenaes de guerra,
que^baixou como decreto n 5,ll8de 19de outubro
de e872, o brigadeiro eonselheiro Henrique de
Beaorepaire Rohan, contiauando no exercicio de
commandaote docorpa de estado maior dc 2- clas-
se. Portaria de 28 do dito mez.
Para servir na coramissao de promogoes, em-
quanto nao tiver eommissao, o capitao do Jorpo
ae e3tado maior de I' claase Antonio Alvares Pe-
reira Salgado. Portaria de 30.
Por aviso de 22 do dito mez, foi designado o
chefe de secgao da secretaria da estado dos nege-
eios da guerra, bacharel Francisco Manoel das
Chagas, para, de conformidade com o art. 13 do
regulamento approvado pelo decreto n. 4,156 de
i; de abril de 1868, substitute o eonselheiro di-
rector da mesma secreuria em seus impedinen-
U? e faltas.
Foram transferidos de uns para outros corpos
do exercito :
0 alferes Jfathia* Luiz Cesar de Mello, do 14*
para o 16 batalhao de infanteria. Partana de
2" de Janeiro ultimo.
0 alferes Joao Jose de Mattos Costa do 3 para o
8' batalhao da mesma arma, e deste para-aquelle
batalhao o alferes Jose Joaqnim Lucas. Portaria
de 29.
0 tenente Joao da Sousa Castello, 1j J* para o
6* batalhao da reforida anna. Portaria de 30.
Foi dispensado do lugar de recrutador na pro-
viacia do Minas-Geraes, o alferes do 15' batalhao
de infanteria Prancisco de Paala Xevior Felicissi-
mo, sendo nomeado por outra portaria de igual data,
para substitui lo, o alfere* uonorario do exercito
Francisco de Paula Santos. Portaria de 28.
Foram concedidas as seguintes licengas :
Ao tenente reformado do exercito Joao Carlos
do Carmo para residir na provincia do Kio Gran
do Sal. Portaria de 26 do dito mez de Janeiro
Ao alferes graduado reformado Manoel Gon<;al-
ves Queiroz de Albuquerque para residir na de
Pjraambuco. Portaria de 28.
Ao escrevente de 1* classo do arsenal de guerra
da corte Josino Correia Alves Quintanilha, por 40
das, de conformidade com o art. 31 do dito regu-
lamento de 19 de outubro de 1872. Portaria tam
bem de 28.
Em 3 do corrente foram exp-jdidos os se-
n-notes avisos ao do imperio e ao director da es-
cola central :
t Illm. e Exm. Sr. -T-rado, pela disposie.ao con-
tida no art. 261 do regulamento que baixou com
o decreto n. 5,529 de 17 de Janeiro do corrente
anno, de accordo com a autorisacao coacedida
pelo art. 3* 8 3 da lei n. 2,261 de 2i da maio de
1373, passado a escola central para o ministerio
d) imperio a quem incumbe a instruecao publica,
tenho a satisfa^^o de cemmunicar a V. Exc. que
e lisongeiro presentemente o estado deste estabe-
lectmento, quer em rela^ao ao pessoal doc-nte e
administrativo, quer em relacao ao seu material,
achando se bem montados e na raelhor ordem os
?abinetes de physica, c omica, miaeralogia, e geo-
jgia ; bern provida a bibliotheca dos melhores e
mais recentes livros relativos as diversas raatertas
que se professam naquelU escola ; achando-se nas
melhores condiroas o edificio, em cuja reparagio,
caiac:o e pintura despsndeu se, ha pouco, nao p
quena quantia.
Jfio dispondo o ministerio a cargo de V. Exc.
de am predio em que possa funccionur aiiuella
escola, podera ella continuar no actual edificio
pertencente a cste ministerio ; convindo, porem,
que neHe continuera, nos commodos que ja occa-
pam e que sao inteiraraente indapendentes, a com-
m'.ssao de melhoramentos do material do exercito
e eommando geral A\arma da artilheria
< Nao tenlo o ml terio a cargo de V Exc a
n*ce3sria eerna pa'- uer face as daspezas ordi-
nariiscora este eoi, ^ecimento, nesta data expaco
or Jem a repartiQio Rca^-paia one destaqne da
respectiva verba a quantia necessaria para taes
despezas, ate o Mm do corrente exercicio, e oppor
tunaraente stlicitarei d > ministerio da fazenda a
expedicao de ordens p ira que tal quantia seja
posta a disposigio de V. Exc. .
Deus guarde a V. Exc.-Joao Jesede Ouvetra
t Illm. e Exm. Sr.Twdo sido transfenda a
escola centra* para o ministerio do imperio, de
cnaformidada com a,disposii;ao contila no ar 263
do regulamento <|ue baixou cwn^o-Jlecrev'LJI;
5.529 de 17 de Janeiro ultimo, assim o declare a
V. Exc, para sou de conhecimento e fins conve-
nientes-
c Por e-ta occasisao me e grato palentear a V.
Exc, par i que se sirva dar conheoimento ao pes-
soal deceote, administrativo e escolar do estabe-
lecimento, que muito me penhorou a maneira dis
tincta"p,r 1ue f0 houveram no desempenho da
sous ieveres. ifonntl n fmpo ena que etiverim
sofr-a jurisdioprw do ini:ii^te-i) a in mi car^i.
a Deus gaflrJo n A'. Exc. -Joao Jote de Qtimru
Junqueir
got 29 de Janeiro expedki-se ,o aviso se-
3*ifhle a eommissao de promotes : >*
Illm. e Exm. Sr.Declare a V. Exc. para seu
conhecimento e da coramissao de promoeSes, que
9ttl Magestade o Iraperador, por sua immediata e
tapSrial resolucaode i\ do corrente, conforman-
d ?caAdo era consalta de I5"de dezembro ultimo,
relativanwnte a promocSo dos majores de infan-
teria, nouve por bem deelarar que, havendo
eessado as circamstancias extraordinarias da
saerra, devem as promocdes ser-feitas de con-
jlrmidSde com as leis vigente?, sem ae t iconta qualquer preponderant que se tenha
. daJ.j ouraute a guerra no principio de mereci-
Imtnto, proveaieute de promotes entio feitas por
actos de bravura. Deus guarde a V. ExcJoao
Jose de Oliveira Janqueira. -Sr. Visconde de Santa
Thereza.
Miuisterio da justiipa.
Per decretos de 31 do passado :
Foram reconduzidos nos lugares de presidente
das rtjlagoes do :
-S. Salvador, o eonselheiro Joao Antonio de Vas-
concellos.
S. Luiz, o tonselheiro Antonio loaquim de Al-
buquerque Mello.
Foram nomeaJos :
0 bacharel America Jose dos Santos 4 juiz
subslituto da comarca da capital da provincia [
da Bahia.
0 bacharel Joao Kerreira de- Mello Nogueira
juiz muni:ipal e de orphaos do termo de Lorena,
na provincia de s. Paulo.
0 bactiarel Faruaado Pinheiro de Souza Ta-
vares juiz municipal e de orphaos do termo da
Leopoldina, na provincia da Mines-Geraes.
Miaiterio da naarinlaa.
Por aviso 'da 23 de Janeiro foi restabele-
a divisao naval do Rio da Prata e nomeado
commandar a mesma divisao o chefe de
esquadra Barao da Laguna
Por outros de 5 do corrente foram nomea-
dos, o chefe de divisao Barao de Ivinheima, para
commandar a divisao naval do 1 district >, e o
chefe de divisao reformado Manoel Francisco da
Costa Pereira, para dirigir interinamente o hos-
pital da marinba da cdrte.
Por decretos de 31 de Janeiro foram no-
meados, 2" cirurgioes do corpc de saude da ar-
mada os D.-s. Jose de Miranda Curio e Manoei
Dantas.
Em 28 de Janeiro expedio-se circular as
presidencias das provincias, mandando expedir
ordens afim de que pelas thesourarias de fazenda
nao seja permittido aos officiaes da armada con-
signer quantia alguraa dos respectivos vencimen-
tos sem previa autorisacao da secretaria de es-
tado
DE
Sao publica dessa provincia, para qne fora i
o no dia anterior.
Ila
Governo da provincia.
\D0lT\ME.\rO 40 EXPEDIB.N'TE DO DIA 21
NOVEMBBO DE 1873.
2.' secgao.
Actos:
0 presidente da provincia, a vista do officio
do Dr. chefe de policia, n. 1898 de 17 do corrente,
resolve exonerar Joaquim Tbomaz de Barros Cam-
pello do cargo de 3 supplente do subdelegado do
l districto da freguezia da Jaboatao, por se haver
raudado para fora do districto.
0 presidente da provincia, de acordo com a
proposta do Dr. chefe de policia em officiojL 1,898
de 17 do corrente, resolve nomear o capitao Fran-
cisco de Paula de Souza Leao para o cargo de 3*
supplente do subdelegado do Is districto da fregue-
zia de Jaboatao do termo da capital-
0 presidente da provincia, a vista do offlcio
n. 1,899 de t7 de do corrente, do Dr. chefe do
policia, resolve exonarar a pedido, dos cargos de
1, 2* e 3" supolentes do subdelegado do 1* distri-
cto do termo de Ipojuca, es cidadats Francisco
Manoel de Souza Leao, Francisco de Freitas No-
gueira e Manoel da Costa Martins.
0 presidente da provincia, de conformidade
com a proposta do Dr. chefe de pciicia, em offlcio
n. 1,899 de 17 do corrente, resolve nomear para os
cargos da 1, 2* e 3" supplentes do subdelegado do
1 districto do termo de Ipojuca, os cidadaos se-
guintes na ordem de sua collocacao : Luiz Fran-
cisco Paes Barrelo, Jose Francisco de Souza Leao,
Joao Barbosa de Araujo.
Dasigno para substituir os vogaes nomeados
para o eonselho de julgamento do 2* sargento Tho-
maz de Aquino Alencastro e mais prajas, por cri-
mes de sublevarao em Buique, os capitaes Dr. Jo-
se Joaquim de Souza, Francisco de Simeira, Sa-
muel Montenegro, tenente cirurgiao Joaquim Jose
Alves de Albuquerque, alferes Jose Pereira da
tilva Guimaraes.
0 presidente da provicia, attendendo ao que
requereu o tenente coronel Jose Antonio Serapbi-
co de Assis Carvalho, commandante do batalhao
o. 55 de infant aria da guarda nacional do munici-
pio d'Agua Preta, e a vista do que informou o
commandante superior respectivo em offlcio de
29 de julho proximo passado, resolve que se dfi ao
dito tenente coronet a guia de que trata o art. 45
do dacreto 1,130 de 12 de marco de 1853 para
esta capital, para onde transfario sua residencia.
Offlcios :
Ao desembargador Vicente Ferreira Gomes.
Segundo o aviso do ministerio da justiea, de
14 do corrente mez, fji V. S. nomeado, por decreto
de 6, desembargador da relacao de Cuyaba; o que
Ihe communico para os devidos flns. Igual mu-
tatis mutandis ao juiz de direito Luiz Correia de
Queiroz Barros, nomeado para a relacao de Porto
Alegre.
Ao juiz de direito Manoel Tertuliano Thomaz
Henriqaes. Segundo o aviso do ministerio da
ju-tica, de 14 do correute, foi V. S. nemeado des-
embargador da ralac,ao de Cuyaba, por decreto de
6 deste mez, e pelo de 7, procurador da coroa, sn-
berania e fazenda nacional no mesmo tribunal, o
que Ihe communico para os devidos fins.
Ao Dr. chefe de policia. Declaro a V. S.
era resposta a seu offlcio n. 1905 de J9 do corren-
te, que a escoltadeve regressar para esta capital,
porquanto tendo seguido para Gloria de Goita 10
pracas de I" linha, devem recolher se ao destaca-
inento de policia da villa de Pao d'Alho as praeas
que tiaham seguido para aquella localidade.
Ao commandante superior de Barreiro; e
Agua Preti. Ao tenente coronel Jos6 Anlouio
Serauao de Assis Carvalho, commandante do ba-
talhao n. 3." municipio d'Agua Preta, mande V. S. dar a guia
de que trata o art. 45 'do decreto n. 1,130 de 12
de marcjo do 1853 para\esta capital, onde tam elle
flxalo a sua residencia.
4- tecqSo.
Offlcios :
Ao Exm. presidente da provincia do Mara-
nhao. Tendo sido effectivado no 2" batalhao de
infanta^ia^ao quaa-Sfraaaava aduido o tenente Jose
PlacTde Lucas Bion, rogo a V. Exc. se s irva de
providenciar no sentido de ser-me reraettida a H
de offlcio do raferido tenente, passada pelo 5* ba-
talhao da mesma arraa a que pertence.
Ao Exm. Sr. Dr. Cypriano de Almeida Se-
brao vice presidente da provinoia de Sergipe.
Accuso recebido o offlcio circular de 11 do corren-
te em que V. Exc me cemmunica haver naquelle
*.a as?umid"i a admtnislraffSi dessa province, na
:iuuil:'.;le de seu t* vice preskUjOte.
Prevale^i-me da opportunidade para sigmftc-ar
a V. Exc. os meus protestos de estima e conside-
racao.
Ao Dr. inspector da saude publica. Re-
metta V. S. com urgencia a secretaria desta pre-
sidencia e com endereco ao delegado de policia do
termo de Flores, medieamentos homeopathicos
apropriados ao tratamento da variola, afim de ser
satisfeita a requisigao do Dr. chefe de policia, con-
tida em offlcio de 19 do corrente sob n. 1908,
Ao Dr. Amer'tco Alvares Guimaraes, director
geral da instrucclo publica da provincia de Sergi-
pe. __Em offlcio circular de 18 de outubro ultimo
comraunicou'me V. S. que naquella data entrou
no ex-r?iein do lngar o> director geral dainstruc-
Agradecendo a V. S. a bene rolencia de suaa
posigdes a raeu respeito, curapre-me feiicital-o
opportunidade qne tern de desenvolver soas a:
does em proveito da instruecao publica dessa
vincia e asaegurar-lhe assim os meus send
de estima e eonsideracao, com qne me achara sA-
pre as suas ordens quer relativamente ao sen o
publico, quer ao particular de V. S.
Ao regedor do gymnast-) provincial. -*i ti
offlcio de 19 do corrente comraunicame Tme. e
o cidadao Jumj Peretti Seve, nomeado secretari e
ecconomo do gymnasio nao comparecea ainda | -
ra toraar posse do lugar, apesar de Ihe haver Vi :.
otliciado seientincando-0 da nrgencia que tea 0
servico desse estabelecimento de entrar elle < a
exercicio, do qae nao teve resposta nao oba(a e
haver sid, entregue o seu offlcio no dia 15 de
mez.
Em resposta, tenho a dizer-lhe que, attenta i
urgencia do servico publico, marque ae refer! >
Seve para entrar no exercicio do Ingar o pra >
de 8 dia.", a contar da intiraae/io, sob pena de sr
exonerado ; devendo Tmc trazer ao men conhe-
cimento o resultado, caso elle nao coinpareca.
Pede ainda Vino, no mesmo offlcio que ejla
presidencia orlene a tbesouraria provincial a en
trega a essa regedoria da importancia integral das
pensoes dos alumnos pensionistas da provincia,
cor respondent as ao ultimo quartel deste anno,
para fazer face ao desfalque eaoaado pela falta de
pagamenlos por parte dos paesde alumnos interims,
e propde que a thesonraria credite o gymnasio em
codta corrente de seu debito da 2:9794296 reis,
adiantados para compra de loU'.-a e ja amortisa-
dos, as quantias qne for cobrando judicialmente
dos paes de alumnos, cujas contas tem remtttido
aqnella reparlicao.
Nesta data ordeno a tbesouraria provincial a en-
trega das pens5es alludidas; cabendome dizer-lhe
que nao pode ter lugar o encontro da divida do
gymnasio, como propoe Vmc.
Recommendo Ihe que em um so offlcio, nao trate
de assumptos diversos, por ser cste expedients
inconveniente ao bom andamento da communica-
cao official.
Ao juiz de paz mais votado da freguezia de
Nossa Senhora de Apresenta^-ao do Limoeiro.
Em resposta ao offlcio de Vmc, de 16 do corrente,
tenho a dizer Ihe que de.-igno novamente a ter-
ceira dominga de dezembro proximo vindouro
para ter lugar a eleicao de vercadores e juizes
de paz nessa freguezia, obsKvadas as formalida
des legaes. .
Portaria :
A' camara municipal da villa do Limoeiro.
Communico a camara municipal da villa do Li
raoeiro, para seu conhecimento e devidos effuitos,
que, nao tendo sido possivel dar se coineco no dia
16 do corrente aos trabalhos da eleicao de verea
dores e juizes de paz na parochia de Ncssa Se
nnora da Apresentagao, de=sa villa, contorme de
claron-me o respectivo juiz de paz mais votado
em offlcio daquella data, acabo de designar a ter
ceira dominga de dezembro vindouro para tal fim,
obeervadas as formaiidades legaes.
5.' sccqno.
Portaria:"
Os Srs. agentes da companhia de navegacao
brasileira mandera dar transporte para a provin-
cia do Para, por conta do ministerio do imperio.
no vapor que seguir proximamente para alii, ao
bacharel Joao Franklin da Silveira Tavora, que
vai occupar o cargo de secretario da presidencia
da mesma provincia.
EXPEDIENTS DO SECRETARIO.
2.' secqao.
Offlcios:
Ao Dr. chefe de policia.De ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia, transmitto a V. S. os
titulos juntos de noraea^ao dos supplentes do sub-
delegado do 1 districto do termo de Ipojuca, de
conformidade com a proposta de V. S. em offlcio
n. 1859, de 17 do corrente.
Ao mesmo.De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provicia, communico a V. S. que nesta
data foi autorisada a thesouraria provincial a pa
gar ao subdelegado de Beberibe a quantia de que
trata seu offlcio sob n. 1906, de 19 do corrente.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda deelarar a V. S. que fleam expedi-
das as ordens convenientes no sentido de que tra-
ta o seu offlcio n. 19l>9. de 19 ao cerrente.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda deelarar a V. S. que ficam expedi-
das as convenientes ordens no sentido de que tra-
ta o seu offlcio n. 1907, de 19 do corrente.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda deelarar a V. S. que foram expedi-
das as ordens convenientes no sentido de que tra
ta o seu offlcio n. 1915, de hontem datado.
Ao juiz de direito da eomarca de Nazareth.
0 Exm. St. presidente da provincia manda ac-
cusar o recebiraento do offlcio de V. S., de 10 do
corrente, em que participa ter deixado por raoles-
tia o bacharel Pergentino Saraiva de Araujo Gal-
vao o exercicio do cargo de juiz municipal e or-
phaos do termo dessa comarca.
Ao bacharel Beojamira Pinto Nogueira.
0 Exm. Sr. presidente da provincia manda accu-
sar o recebimento do offlcio de V. S., de 18 do
corrente, em que participa nao poder voltar a co
narca do Buique a assumir o exercicio do cargo
de j iz de direito, por continuarem os seus incom-
modos de saude.
Ao commandante do corpo de policia. De
ordem de S. Exc o Sr. presidente da provincia,
transmitto a V S., para os devidos fins, a portaria
desta data, que de.-igna outros vogaes para o con
selho de julgamento do 2* sargento Thomaz de
Aquino de Alencastro e outras pracas do corpo
sob o seu commando.
4.' secQao.
Offlcio :
A' camara municipal da villa de Barreiros.
- De ordem do Exm. br. presidente da provin-
cia, remetto a camara municipal da villa de Bar-
reiros os modelos solicitados em seu offlcio de li
do corrente para a confeccao do balance e orca-
mentc que tem de ser apresentados a assemblea
legislativa provincial.
5.' seccao.
Offlcio :
Ao engenheiro cwefe da reparticao das obras
publicas De ordem 3e S. Exc. o Sr. pre.-idente
da provincia, commnnico a V. S. quo nesta data
lica a thesouraria provincial autorisada a entregar
ao thesoureiro dessa reparticao a quantia de que
trata o seu offlcio n. 412, de hoje datado.
chefe da reparlicao das obras i
engenheiro
publicas.
Capitao Luiz Francisco Teixeira. Fornega-se
Manoel Tnoraaz de Albuquerque Maranhao.
Informe o Sr. engenheiro das oOras militares.
Maria Coelho da Silva. laforme o Sr. Dr. di-
rector geral da instruecao publica.
Roza Maria da Conceicao. Encaminhe-se.
Teixeira, Chaves & 0. -Sun, raedianla a devida
indeinnisagau.
Os raesmos.Informe o Sr. engenheiro fiscal
Comuaando superior.
QUARTEL DO COMMANDO SUPERIOR DA GUARDA
NACIONAL DO MUNICIPIO DO RECIFE, 6 DE
KEVEREIRO DE 1874.
Ordem do dia n. 14-r>.
0 Illm. Sr. coronel commandante superior
manda fazer cteulo aos cor dos sob seu com-
mando, jue o Exm. Sr. commeodador presidente
da proviucia. p >r portaria da 21 de Janeiro findo,
concedeu tres raezes da licenga ao Sr. capitao da
reserva Antonio Jose Rodrigues da Souza, para
ir ao Rio de Janeiro tratar de seus nagocios
particulares, e noraeou, por actos de 3) e 31 do
mesmo mez, para o 8' batalhao de infanteria, os
offlciaes seguintes :
Estado-maior.Alferes secretario, o guarda An-
tonio Gomes Leal.
1." companhia. Alferes, o guarda Euno Eu-
topio dos Prazeres.
6/companiha-Capitao, o tenant- Herculino
da Silveira Bessoni; tenente, o alferes Joaquim
Francisco da Moraes.
8.' companhia. Alferes, o guarda Sebastilo
Mum;. Basilio Pyrrho.
E para tenente da 6' companhia do 2* bata-
lhao do servi.;o da reserva ao alferes secretario
do batalhao do mesmo servico, J >aquim Mo-
reira de Menlonga.
E que pela de 4 do corrente mandou dar a
Suia da que trata o art. 45 do dacreto n. 1,130
e 12 de marco de 1853, para o municipio de
Olinda, onde lixou sua residencia, ao capitao do
4 batalhao de infanteria, Joaquim Custodio de
Oliveira.
Acha-se de service durante esta mez o Sr. ca-
pitao ajudanle de ordens interim) Manoel da
Silva raria.
Rodolpho Joao Barata de Almeida,
Coronel chefe iuterino do estado maior.
EXTERIOR.
Correspondeucia do Diario de
Pernambuco.
BLKNOS-AYRES. 30 DE JANEIRO DB 1874.
Guerra, guerra enlre o Brosil e a Rrpublica
Aigentina eis o grito unisono, que, sahindo da
imprensa do ambas as nagoes, repercute por todos
o&juigulos dos dous continents.
Aimi, o cholera cedeu o lugar a este estrepito,
e hoje os espiritos se achara inquietos e amedron-
tados, pensande no mal emineate que ameaga esta
republic*. ,
E a causa presente, que vein se unir a outras
muitas ja exi guay, que, conformc se assegura, e protegida for-
temeute pelo governo argentino, tendo ate parte
do arraamento dos revolucionarios sahido do parque
de artilheria desta cidade !
As noticias que poraqui geralmente circolam,
dao como proximo o rompimento das nossas rela-
tes com esta republiea, e accrescentam que o
Brasil se prepara com acodaraento para a luta, da
qual, entendemos, que nao pode nem deve recuar
mais um so it.stante, porque toda a deinora nos
e extremamente prejudicial.
A imprensa de Buenos-Ayres recrudesceu nos
insullos que sempre nos atira, e causa asco e in
dignacao a leitura de certos artigos dos jornaes.
0 Nacional nestes ullimos dias tem respondido
mentirosa e fanfarronaticamente a alguns artigos
da Ncuo, do Rio de Janeiro.
Para que os leitores apreniera a linguagjm des-
commedida e insolente com que somos mimosea-
dos nos taes escriptos do Nacional, transcrevemos
sem commentanos o seguintes trecho3:
Temos na cathedral de Buenos-Ayres un3
adornos verdes e araarellos, pelos quaes nossos
queridos alliados dariam de boa vontade quiaze
navios e alguma cousa mais.
A Republiea Argentina nao necessita de seus
litteratos para veneer aos brasileiros nas lutas da
intolligenjcia, assim como sio desnecessarios seus
veteranos para derrota-los no campo da hc-nra.
Para o segundo bastam suas reservas, encommen-
dando o primeiro aos debeis estudantes.
t Ha'na Africa 'uma'tribu selvagera que se dis-
tingue pela forga herculea de seus raembros, e pela
sua refinada cobardia.
a Essa tribu se encontra em estado continuo ae
guerra com unia pequena tribu vizipha, composta
de homens de forgas debeis, tranquillos, porem
bravos ate o heroismo qnando se trata de defender
seus direitos. _.
Um dia enconlrouse um selvagem colossal
com um inimigo de constituitao fraca, e agarran-
do-o, derribou-o por terra e Ihe intimou rendigio.
0 vencido n4o se rendia. Entao, o cobarde venee-
dor o matou.
t Perguotado psrque havia commettido esse
assassinato sem necessidade, porquanto sua forca
0 garautia de todo o ataque por parte do fraco,
responieu :> temi que se levautasse. ><
a 0 Brasil, faltando cocstauiemeote a tod03 os
comproinissos de lealdada, sellados com sangue
nos campos das batalhas, e censagrados pela fe
dos tratados; esajoecendo- todos os priucipios ae
dignidade que exaltam a um povo ante a con-
3ciencia universal, crt? que chegou o momenta de
p&r-nos a faoa ao peito e arrancar-nos a promessa
de uma paz vergonhosa para os dias do futuro, em
que nos sealiriamos fortes e decididos.
Como o cobarde selvagem teme que nos lo-
vantemos !
Dous miseraveis navios de ferro, cuja chegada a
nosso porto se annuncia, quatro canh3es colloca-
dos no arido peohasco de Marlim Garcia e quinze
ou vjnjte mil arraas que entraram em nossos par-
ques, bastaram paia fazer penetrar o frto do niedo
1 no coragao dos esforcados capitaes do imperio.
DESPACHOS DA PRSSIDENCIA, DE U DE FKVKREIBO DK
187.4.
Capitao Francisco de Siqueira Cavaloante.
Dirija se o supplicante a thesouraria provincial,
a qtteui ~.j uIH-ia, naita data.
Guilhermina Basilissa de Oliveira a Silva.
Entregue-se.
Bacharel Joao Firrainu de Almeida Guimaraes.
-laforme o Sr. Dr. chefe da policia.
Joao Evangelisla da Silva.Entregue-se.
Jose Pinto da Cunha. -Passe portaria, na forma
da praxe estabelecida.
Jose Rodrigues Pereira. Eatregaa-se.
Bacharel ios6 Elysio de Carvalho Couto.^Nio
tem lugar o que requer, a vista da informacao da
thesouraria de fttenda.
Joaquim (gnacio da Fonceca. Indeferido.
Joaquim da Silva, Costa. laforme o Sr. ms
pector da thesouraria de fazenda.
Joao Hypoijto de Meira Mma.^-lnforma o
Consta-nos que o aator de taes artigos e urn e3-
ludanto de direito, secretario particular do Sr. Te-
iidor, rainistro das relacSw exterlores!
Por deereto de 25 do corrente foi nomeado o
Sr. Jose L'riburu enviado exfraordinario e minis-
tro plenipotenciario de3U republiea junto ao go-
verns da Bolivia.
0 decreto diz que o fim desta missao e por ter
no. to nm mode amigavel, a questio de limites
pendente entre este e aqnelle paiz ; mas, n6s po-
demos garanUr que o seu fim principal e tratar
da fallada allianga contra o Brasil e o Chile.
0 governo argentino continiia a recebor do
exterior grande quantitode de armamentQ e pe-
trechos bellioos.
Na seraana passada vieram pelo vajoor Rtctord
Cobden de Anvers, tres batenas, jysteraa Kupp,
de prlmeira classe, com suas correspondantes
carretas e pertencas ; pelo vapor Copernicus,
3,000 espadas para cavallarla i pelo. vapor Mada-
gascar, 2,003 carabinaa de primeira classe e
Foram dadas as ordens
todo este armamento seja
dado directamente para o parque de artilheria,
0 cholera conliuua ainda a fazer algumas
victimas nesta cidade, regulando o numero deltas
de 10 a 20 diariamente.
A somma da mortandade do terrivel mal desde
o dia 26 de dezembro passado ate hontem de
640.
Como medidas bygienicas, ha algumas disposi-
c5es da municipalidide bem ridiculas e que teem
sido muito criticadas.
A primeira, e a que prohibe a venda de fructas
e legumes nos mercados. Samelhante raedida,
que priva a uma classe numerosa da adquirir ho
nestamente os meios de suosisteocia, e sem duvida
nenhuma um ataque a liberdade de commercio e
a propriedade.
A segunda, e a que manda queimar os colchoes
e a roupa dos cnolehcos. isto importa uma des
trui.'iio inofflciosa, um prejuizo inutil, porque bas-
taria desinfecta-los pelos meios geralmente conhe-
cidos.
A terceira, e a que prohibe os espectaculos e
divertimentos publicos, para evitar ajun.amento
de gente. Na Europa e em lodas as nagoes civi-
lisadas, quando apparece uma epidemia qualquer,
se dnplicam os divertimentos, afim de que a popu-
lagao nao pense no mal, e portanto nao se ame-
dronte ; aqui, ao contrario, parece ordenar-se ao
povo que se encerre em casa dia e noite, e so
cuide na morte que se aproxima.
Finalmente uma quarta disposigao prohibe os
restaurants, cafes e outros estabelecimenlos pu-
blicos, o uso de Iampe<5es de cores nas portas, re-
servando-os unicamente para as coraraissoas de
salubridade. Tal medida, alem de ser prejudicial
para os estabelecimenlos referidos, e irrisoria e
inutil. A maior parte dos taes lampeoes de cores
indicavam cafes, onde se enccniravam nympkas
de lo'.erancia, e as commissoes de salubridade, or-
nando com elles as suas portas, teem dado lugar a
qm pro quo* bem interessantes.
Sao cousas desta terra.
No dia 1." de fevereiro devem ter lugar nesta
republiea a3 eleigoes de deputados ao congresso
nacional.
Os partidos politicos se preparam com gran-
de furor para a luta, que proraelte ser batante
sangrenta.
Nesta capital o chefe de policia pedio ao gover-
no 20,000 cartuchos embalados para serem distri-
buidos pelos soldados do corpo de vigilantes, c
conforma annunciam os jornaes, foram conceJidos
5,000, queja se entregaram.
E' de presumir que esles preparalivos bellicos
sejam para garnntir a liberdade de voto, e como
o governador de Buenos-Ayres protege a Candida
tura do Dr. Alcina, dizem "que os cartuchos emba
lados serao empregados de preferencia contra os
mitristas.
0 criminoso Miguel Cane, que na ultima mis-
siva noticiamos haver tenUdo assasslnar ao Dr.
Ezequiel Paz, foi posto em liberdade debaixo de
ttanga.
Ao passo que se sotta assim o autor de uma
tentativa de assassinato, crime que nao admitte
fianta, acha-se preso desde a semana passada o
cidadao iKspanhol Vicente Hernandez, estabeleci-
do com uma loja de alfaiate na rua Florida, por
ter sido uma das testemunhas do facto, e nao ha
ver fixado positivaraente a hora era que elle se
dera !
A Pampa tern accusado fortemeote ao juiz Bun
ge, por causa destes e de outros actos arbitrarios
praticados por elle, que demonstram protecoao e3-
candalosa ao delinquente Cane.
No dia 18 do corrente, liouve em Chivilcoy
um graade confiicto entre partidarios das candida-
turas Mitre e Alsina, d i qual resultou duas mor'.es
e alguns ferimentos.
0 governo tomou medidas para restabelecer a
ordem, e punir os criminosos.
Na cidade do Rozario foi fu-ilado, no dia 21,
o cabo Hippolito Gonzalez, coudemoado a morte
por urn eonselho de guerra.
I'ma socied .de de seuhoras, secundada por ou
tras pessoas huraanitarias, solicitaram telegraphica-
mente ao presideule da republiea o indulto deste
desgragado, mas nada coiseguiram I
Os diarios annunciam novas invasdes de ra-
dios em Narauncnra e Talquaque, que teem rou-
bado grande quantidade de cavallos.
As tropas do governo procuravam bate-los.
. Na villa de Mercedes, provincia de S. Luiz,
se desenvolveu o cholera com alguraa intensidade,
fazendo de 15 a 20 victimas por di3.
0 general Ivanowski havia alii adoecido, mas
consla qua esta livre do perigo.
Passemos a parte commercial.
As transaegoes realisadas ultimamenie ua Bolsa
se resentera de falta de actividade e movimento.
As sedulas hypothecarias e outros titulos publi-
cos soffreram baixa, os capitaes se retrahiram,
tornando-se difficeis os descontos, e as compras e
vendas sao cada dia menos importanles.
A causa de tal desanirao e attribuida : a nao
ter ainda desapparecido toulraente o cholera, aos
tomores que engendra a perigosa situagao eleitoral
que atravessa o paiz, e os rumores sinistros de
uma proxima guerra com o Brasil.
Hontem e hoje se reahsaram importantes saq.ues
sobre o estrangeiro, regulando o cambio, sobre In-
glaterra 49 e 49 1/8, Franga tls. 5 -23 a 52-5, a
Anvers fts. 52i e 5-25.
Quanto as transaegoes de assucar de Pernara
buco, nada encontramos na revista commercial que
consul tamos.
II
Do Estado Oriental tamos datas ate hontem.
__A'cerca da questaj suscitada entre a camara
dos repreientantes e o poder executive, da qual
fallamos na missiva precedeate, tamos apenas *
acrescentar, que por causa della, o Sr. Pedro Va-
rella apreseutou a sua reauncia a) cargo de pre-
sidente do senado.
No dia 12 o Sr. commendador Aguiar dAn
drade, ministro residente do Brasil, apresentou as
suas credenciaes ao presidente da republiea, pro
nunciaudo-se os discursos do estylo.
Uma guarda de honra fez as devidas continen
cias militares.
No dia 26 foi preso e recoihido ao quartel
do 3,* batalhao de cagadores o Sr. Fortunate Flo
res, tilho do fallecido geaaral Flores.
Por ora ignora-se oa motivos que determraaram
semelhante prisao. .. ,
0 porto de Montevideo foi defimtivamente fe-
chado para as procedeocias argeatiaas.
A correspondeocia passa por um procasso desin
fectante antes de ir para o correio,
Na semana passada b-mve um forte tempo
ral, que causon alguns deetrogo?, tanto no porto,
como na cidade.
Nas pracas da Constilaigao e de Cagancha e na
rua Dezoito de Julho o vent) derribou muitas ar-
vor6?- V
Alguns tectos de barracas foram arrancalos com
impetuosidade.
As quintas Im uediatas a capital soBreram consi-
deravelmente, caliiudo quasi toda a fructa da es-
tacSo que as arvoros continham.
No campo o trigo e outras plantajoes ficaranj
damnilicadas. '
Prepara se com actividade a iiha da Libertad
afim de se trasladar para alU a metade do3 presos
que se acham na fortaleza do Cerro.
HI
s necessarias para que da republiea. 0 governo se fortificava em Assmap-
desembarcado e trasla- tendo marchado o coronel Cabriza, minuiro
' da guerra, com 400 homens para encontrar 9*
rebeldes.
Hoove um iaeendio em uma cocbeira sitna
da nas tmmediagous do porto.
0 fogo em poucos momentos con-uraio tad
quanto alii existia, e destruio tambem dous quarto-
do hospital argentino ; perto dos qnaes havia al-
guma potrora, que foliziuunie nao foi atlingKla.
IV
Das rapubliias do PmUm temos noticias ate 1*
deste mez.
0 govern j do Chile declaroa interdicto o por-
to de Buenos-Ayres, por caua do oholera-raortMs.
dictando uio regulamento para o caso.
A faculdade de medicina iudicuu a necessidad-
que ha de soffrerem uma quarentena os navi-x
procedentes de portus infestados, de-i/nand > para
os barcos de vela a ilha da Joao Fernandez ou
Guaytoca, a para os vapores o estreito em Punt*
Arenas. Os porloa da Cordiiheira seriam fecnado*
se o II igell l apparecesse na provincia de S. Lair
O presidente da republiea e os seus minis
tros se estabeleceraiu em Valparaizo, emquant'
duram as ferias.
0 ministro do interior anJa visilaodo os traba-
lhos da estrada de ferro do sul.
Segundo uma estatistica ultimamente pubb-
ala, a populagio do Chile, ne dia I* de jaaeim
de 1872, ascendia a 2.003,346 hab.tantes, nao m-
tando incluidos nesta numero os patagonios, o-
araacinios e outros pequeiios povos das trooteiras
Na cidade de Valparaiso houve um grand-
incandio, uo dia 26 de dezembro. na rua do Ttiea
tro, ficando muitos e lilicios totalmente qaeimado>
As perdas sao grandes. e se avaliam em 3O0,00
patacoes, dos quaas 250,000 correm por conta 4>
seguros, sendo a Gxnpanhia Nacional a que ani-
prejuizo tem
Dizem que o incendio foi proposital, e se acbaai
presos dous empregados da alfandega para averi-
guagoes.
A praga de Valparaiso otlerece pouca aoi-
magao-em suas iransaccoes* eoroinerciaes.
No Peru, o governo concedeu permissto a
companhia telegraphica para estabelecer am cab
electrico entre Calhao e Valparaizo
Em Iquique, houve um grande .incendio, ao
qual pereceram seis pessoas.
As perdas sao consideraveis.
Na capital da Bolivia descobrio se uma con~
piragao contra o governo nacional.
Tinha-se aggravado a sadde do Sr. Boiiiviaa.
presidente da republiea, de tal maneira, que por
7 horas se pensou elle morto, era consequents de
um ataque de coragao. A' ultima hora eettva
raelhor, porem todos descontiavam de sua con.
No dia 15 se eacerrou a assemblea national
sendo represenlado o Sr. Bollivian pelo preiideat-
do eonselho de estado.
Trabalhava-se com muito enthubiasrao taut
na capital como nas provincias para as sleigoe-
municipaes, que se deviam venficar ao mez dr
dezembro.
- Das republicas da America Central nada no-
consla digno da meocio.
DIARIO DEPEHN
De Paraguay as ultintas data,s sao de H do cor-
ullimo'sys'tema ; e por outros navios 74 caix^oejl rente. ._L..-i..
S<) com armV de Aversas qoalidades. ) A revolucao segaia trium-hanto pelo interior
RECIFE, 14 DE FEVERELRO DE 1874.
Noticias do sul do imprrio.
Chegou hontem o vapor francez &nnai, tra
zendo datas do Rio da Prata 30 de Janeiro, de Mi-
nas-Geraes 3, de S. Paulo 1, do Rio de Janeiro 7
de Espirito Santo 3, da Bahia 10 e de Sergipe 8 4
corrente.
Alem do que damos sob as rubricas Parte Off
cial e Exierio; encontramos nos jornaes o qn-
segue :
REPl'BLICA DO I'ACIKICO.
Ao que diz o nosso correspondent* de Bueno*
Ay res, teraos a accrescentar o seguinte irecbo d--
uma carta de Yqui'.os, n>j Peru, em 18 de Janeiro
Esta alar mad a a populagao deste lugar, a bt-
gos com a bexiga trazida desse imperio pelo va-
por Alceste.
0 pavor sobe de ponto desde qae se sabe qa<-
em Manaos morriara por dia mais de vinte pes-
soas, victimas deste flagello. 0>commandante f?-
ral do departamento, Carreno, tem posto era pra-
lica providencias sanitarias e hygiemcas, com <
que tem conseguido irapedir o progresso da epi
demia.
t Oatro grande mal, que aqui estamos sonren
do. e a carencia de moeda- circulante, motivadi
espeeialmente peloatrazo com que os enipregado-
puWicos recebem seus vencimentos, de qae o es-
tado ja Ihes dove muitos mezes, Esle alrazo teni
produzido a carestia e escassez dos artigos de pn-
meJra necessidade, pois, faltaado o agente pnoci-
pal das traosacgdes, o dinheiro, soffre o creauo r
augmenta a desconfianga. dca fornecedores.
Pela leitura dos diarios de Lima sabemos qut
o governo peruano acha-se em embaracadissimas
condigoes fiaanceiras.
As riquezas do guau^esgotadas, o aaiz pobr"
e com o, seu credito empeuhado de um modo iade
llnido, eis aqui em resumidas palavras o eslad
actual do. Peru.
t Houve ultiaaamente eleigoes para um senadoi
ao csngresso do presente anno, que deve dar &*
departamento. As eleicJ s tiveram lugar nas qua
tro provincias. conform* o systema eleitoral desta
republics.
c As autoridades apresentaram como :andida*
official o Dr. Luiz Mesones, personageiu bem CO-
nhecido no Brasil, era cuja capital foi npresea-
tante dc. Peru' por algum tempo. Ao c.mlidat
official oppozerara as influencias do departaroent-
a candidatura de !>. Juan Areval.. Villaci*. tam
bem muito conhecido no Brasil pelo grand
credito que goza a casa ommercial que ellt-
tera no Para. D. Juan Arevalo foi eleito senadoi
pelo deparlaiseoto, apezar da directa laterveoga.
das autoridades nas eleicSes, apezar das vioteacu*
com que ^retenderam impedir-lhe o ;riunobj.
Das outras provincias eoasla-me, por infurmaptts
de pessoas filedignas, qae Arevalo obteve a maio
ria de v itos, apezar da opposigao soffrida pelos an -
sustesjavam-lhe a candidatura das antoridaa*'
politioas.
HMBUCa DO PVRAl.tAV.
Do Pampa. de Buenos-Ayres, transcMvemos o
segurate :
Moslraram-nos a copia de uma carts. es.-np
ta em Assuropgio a 17 do cofrente que da as *s-
guintes noticias sobre a re-volucio paraguaya-
0 acarapamento geral dos rcvoltosos *****"
eslabelecido em San Fernando. 0 cor^ )nd Ca"1*?
ministro da guerra em campanba esta no P
Santa Maria do Tobiimary com 300 soMadoa, r-
cado por 1,300 revoltosos, 7t-0 dos qnaes bb
commando de Escobar, c outros 600 sob o ot Itt
varola. Aqnelle veio do Pilar, e cste oe nu-
ZaiUgllounirara-se alii e hosiilisaram ^^.jy^
pede ao goveruo reforc >s Je genie e de;y .
afim de poder retirar-se para o Paraguarj.ult.uiJ
estacao do caminho de ferro.
t 0 coronel Genes incorporou-se aot revoltoso?
com 300 homens armados, qae Ihe eoaftja o o-
verno ; ce.'smaala agora uma forga 3e 400 e nrr-
vo enlrara em operac5es de combina.ao co
oobar, Serrano, Rivarola, Maria e o &*""*
ballero, que commanda o grosso do eierc,'0,,c3
total e actualmente computado em cerca _*/
Ihomcas i?n3 aad e disputes. 0 g-vjruo ipe

1


Pr"~r*

1

3ftiiio de Pernambuco Sabbado H de Fevereiro de 1874.

.. .* -
onte 700 a 890 homens> qowW^Wl^nwrWP^*
heirou se n|?S8 ci ca principal Jflpdoertilhado as trincheir;s com 11
pecas nao mOUd bpas.
t Ha multt sympathia' pela'revOlucao.
a Di?-se #i<> P/ij/mmh" ehegou a-villa do -Pi-
ter com 600 eslrangeiros, na maior parte itelia-
nos e fraocezes, que formain nra corpo ao scrvico
da revolueao. Ja tinha "S'a outra de 880, sob o
commando de ura Knliano. Armaram o Pay-
sandu'. H
0 governo ojlidesrjnceitaado e o cotnmercio
em agnnia. Muita mfseria e escasscz; lalvei Ohe-
gae a fome !
Agora aceresceutaremos1i63U.vro, conforme fen
declarado. nao ha ipuito, o Dr. Adoipho Alsina
prestou o sett apnio .i revolocao paraguay, tendo
celebrado com inn dos seas priacjpaes chefes, o
eoronel Serrano, urn pacto pelo qbal compromet-
tea-se a dar Hie uma bateria de quatro canhoe3
Krupp. n
Quanto ao mais referino nos acarU dc nos-
so correspondente de Buenos-Ayrcs.
PIOBA. PIMTA.
Acerca destas repnblicas so temos a accrescen-
lar o seguinte ao que diz nosso orrespondente de
Bnenos-Ayrcs
Relativa'ment^ ao inciflente occorfido com o va-
por argentine Cysr.c, a que sa refcrio uma carta
particular de que ultimamente transcrevemos um
trecho, constava em riucnos-Ayrcs que effectiva-
menu; fura a-mellebarca detido perlo do Pilar pe-
los dous vapores Has rcvnlurinnarios, primeiro pelo
Tebfq>tarye d'-piis pel) TrinXa e Um de Deztm-
bro, mas que em nmbqs os cases os detentores se
tjftham limitado a pergtmtar se havia corres-
pondencia p.ira o campo da Caballero, dcixando o
Cftsne seguir viagem.
MI.NAS fi FAES.
So faltava n collegin do Praia, na eleieio sena-
torial, quo nao inline mais no resullado ftnal,
ane e :
Oommendador Crnz Macfcado loir?
Dr. Laiz'Carlos 1409
Ur. A.Bretas 1128
Dr. J. Penido 957
0 Biarto de Mins,c 27 do passado, nolieia o
seguinte :
Dm nosso amigo, residente na cidade de lta-
trira, deu-nos a seguir.te noticia, dalada de 15 do
corrcnte :
t -Foi assassinadc ;io dia 12, e entcrrado atiie-
hont-.m, Francisco ilemetrio de Oliveira Barbosa
no interior de sua casa na rua da Praia, as "8 ho
ras da anile.
O sicario, introduzindo-se nos eorainodos do
negocio, disparou-lhe nas costas um tiro de gar-
rucha no moment) am que elle-com mais dons
companheiros annavam um catre em um quarto
proximo, fail'!!- -nJo Moras depots. Comoareceu aj
lugar nuiita cente, o jniz de direito, promotor,
Mkdtlegado c o 2 supplenle do jniz municipal.
Proeedcu-se ao auto de corpo do delicto e ex-
pedio "se energicas providencias no oobrtr-se-o autor do '-rime. Hontetu consopuimos
acrarrar um sujeito di^conhecido sobre queni tc-
i:ahim as Minions suspeitns, e divirs:is oalras pro-
videncias e prisoes se tern feito, e creio quo nao
:icar;i impune tso barbaro altentado.
t. PAILO.
No dia 27 comeforafli as soaaSes preparatirias
da assiinblca provincial.
Fallecera no uiesino dia o oMprepadn da
thesouraria de fazenda Jose Francisco de Cir-
vallio. -
Em Ttnbate, diz oI'tulisia, de 21, continua-
va a grassar com intensidade a variola. A cida-
t 0 Areense noticia que na serra da Boeaina
ohira um forte temporal, que caiuara grave? pre-
juizos a laviiura.
Lese no l.menrnse :
'__ So dia 1-1 do corrente, petes 1 boras danw-
nha, ardeu a estacao da cstrada de fcrro d i villa
de Quelnz, licando reduzida a einzM.
Ate o prcsenle ainda itao foi dado conhecer-
se c que dtu causa a lie lametriavel aconteci-
lll'JiltO. a
As noticias de Pindamonhangaba dizem que
alii iccrndescera a variola. Na mesina cidade, e
en parte do municipio, caliirarn grossas chuvas,
prejuizos.
Tambem no Rio Ciaro cahirarc chuvas torren-
ciaes, produzindo estragos.
Falleceram em Pindaraonhagaha : a octage-
naria i>. Mariaona Ramos de M ii >. irma do barao
de Pindamunhaneaba ; ocapitao Alexandre Mar-
condes do Amaral Macbado e DDmingos Marcon-
ies da Cunha.
E-creveram de Itabapoana :
O Rwn. vigarie da freguezia de S. Pedr de
Itabapoana, freguezia rruoteira a csta povoarao e
onde vai o povo daqui ouvir missa, comecou no
dia de Natal a ler una past ml do bispo contra a
maconaria, adubando'a coin algumas rctlixues da
pronria lavra, e tem contiouado essa Ijitura lodes
os domingis que d^z mtssa. Os soldados de Ro-
ma nao perdem tempo, e nos donuimos o so mid
da indiflerenQa... Cuidado com o fn'turo
D.J BtfUicatu commumcam ao Mnnicipio, de
l.apetininga:
Por aqoi passarara tins missionaries viodos de
ltd. Pregaram muitos dias. sendo extraordinaria
a coneujrencia do povo. As ruas, as pra^as, esta-
vam sempro cbeias 03 ouyiotes de -ftua nova.
* Confessavam at^i aKa noite. O numero das
pessoas confessadas, scguudo dies aflinnam, subio
a 4,' 00.
Em n;n J is sermoes d.m-se um facto proprio
do theatro. improprio da ig.'eja. 0 pregador fez
do altar Irihuna o colloeoa uma cortina deft-ante,
(obrindo Xossa Seahora da ioncei.ao da vista dos
espectadores, lie tal modo arranjada quo a um
fignal dado a cortina cahiraapparecendo Nossa
Senhora da t'.-ine.'irao. Comecou a pregar. Fi-
^uron o inferno com cores horrifels mostrou
que seus ouvinti-s estavam em corpo e alma nolle
sepultados.
Depois, fazendo uma tnmsicao, tendo presa na
mao a imagem do martyr do Golgotha, fez que ati-
rava ao povo dizondo :
u Pisai a imagem de Dens, vos qne pelos vosos
aetos e accoe-" vos mostrais tao desrespeiladores de
snas doulrinas e en'isos.
Uizendo mais ou me nos estas palavras fez men-
(So de atirar.
0 povo convenceu-Ee que o pregador arremes-
sava sobre elle a imagem de Nosso Scnhor Jesus-
'Ihristo, e gritou: Nao atire, nao aiire. 0
pregadcr attendeu, e fcz irma invocaci} a Xossa
Senhora da Conceicao para que apparecesse, para
alii salvar arjuelle povo das chammas do inferno. A
cortina cahio, e Nossa Senhora a'pparecca.
Arjaasi unanimidaJe dos ouvintes sahio do
temple de Daus convencidos de que o pregador
havia feito am milagre!
Nossa Senhora, ouvi maitos dizerem, minim
fle altar obedecondo n chamado do padre santo I
Ue far milagre Por iniciativa dos prcgadores foi
levantaio pelo povo um cruzeiro para attestar a
passagem delles por alii.
*ram dous t padres santos e um so pregador: o
outro era confessor somente.
Mas quern confessa tambem prega, e prega o
que quer e como quer. Na iribuna, falladdo a
um auditorio, onde pode ter algum que eqchergue,
tiles abasam, quanto mais no eoalissmnariu. A
tnisaao dos taes pregadores e bater o govdrae-e
maconaria. Seguiram, para o Bio-SJovo.
Sob o tjituio Falalidade holicia o Echo Biiua-
naletuade 31 do mea fin do :
a 0 Sr. Bent-) Antonio Vieira, fazesdeiro deste
atmicipio, aeaba deser victimade tuaa fatalidade,
* Na noite de 23 do corrente, um escravo doi
6r. eemmendador Hanoel de Aguiar Valiira, $-.
norae Jo*) Angola, voltava da cidade, basteQie ein-
fcriagado, seguoda se suppfe, eao passar jaato de
umbarranco, em frente a casa do Sr. Bento An-
tonio Vieira, cahio ao correjo que corre proximo
m> barraaeo.
Um aioleqne que passava, sentiodo movimeoto
no corrego e julgando ter una das iontrae que
cosMimam alii appareeer, corneu a prevenir seu
seafaor, que ja se aehavaacconmedado : este levan-
tou-se, armou-se de uma espiogarda, vio no corre-
fo n vulto, qua difliciiraeote podi. dislinguir, fez
logo e com pasmo e terror recoobeceu que acaba-
va de mater 0 preto, indo a carga ernpregar-se
lodB-no rosto.
Imagine se o que, sentio o Sr. Vieira 1 Consta-
bos djne o delegado pmcedeu a eorpo de delicto e
*b iatjueritn, a que o Sr Vieira vai apreseitar se
a prnio, afi-n de repondur ao respectivo pro-
cesso. ,
Mitt:
Na.madrugada do lja 18. mocreu. afetW^p no
rio Parahyha, en frente ao largo do capim, u:n
moon do 18"-.nniis> caixeiro do Sr.' loa'qaini PeVeiYa
de Miranda, que; etn coiitpanhia dc o'.ttrovfe hivfa
ido lavar na barca de baahos^ onJe, tendo entrado,
e influido por seus companheiros, leve a temeri-
dade de atirar-se ao rio sem saber nadar, do que
Ihe resultou a morte, spm qoe se the podesse
acudir 0 cadaver appareceu na manha do dia
19, a pouca distancia do lugar c depois de feito o
corpo de delicto deu-selhe scpultora a expensas
do Sr. Miranda.
Lese no Mercantil di PetropoKs:
< No dia 26 do corrente fallecea nesta cidade,
victhna de urna hemorrhagia cerebral o Sr. Kock,
antigo professor -de frego e hebraico de Sua Ma-
ges lade.
t 0 funeral do ilhsstre finado foi feito com toda
a decencia, as exjiensas dc Sua Magestade, e
acompanhado por ajgnns membros da uuiit is pessoas de di-dinccJo, entre alias o pastor
do culio evangelico alRrhao nesta cidade, Johan-
nes Vorsler, ao dar-se a sepultu-ra o coipa do fl
nalo professor, disse algnmas palavrasem referen
cia a este.
Na undectma cotrferencia que bontem (l.)
teve lugar. orou o Sr. Dr. Luix Alves Leile de
Oliveira Bello. Grande era o numero.de ouvintes,
qae mais de uma vez interromperinn o orador
para o applaudir. 0 Dr. Oliveira Hello descnvol-
tch a sua tnese : & eiptrilono sneulo'XIX.
i Reuuiram-se hontem (ii cm assembled geral
os accionistas da companhia Brastleira de navega
cao a vapor, sob a presldeoeia do Sr. barao de S.
Francisco Frlho, scrvlndo de secretaries os Sri.
eemmendador Manoei S3igado Zcnna e Joao Jose
dos RelS Junior.
Foram submettidas a conrfderacJo da assem-
blea uma proposte da direcloria e diversas de
alguns dos Srs. accionistas, as quaes foram todas
approvadas.
a A assembtea geral, tendo louwado os sertin.is
pre?tados pela directoria e pelo director gerente,
marcon-lhes as respectrvos banorarh.3.
Procedendo se a eleioao da couimissao fiscal,
obtiveram maioriade votes oj Srs. Manoel Ube-
mart Lengrubpr, Alexandre de Castro, Antonio de
Calazan* Kaythf.
Poi nomeado director gerente desta compa-
nhia o Sr. Dr. Jose de Almeida Soares de Lima
Bastos
Rclativamente ao envenenamenlo de qne ia
sendo victima o Sr. Guiiherme Angateo da Silva,
na p^armacia da rua da Quilanda n. 193, cjnfor-
me foi noticiado pela imprensa, veri'!coa o seguin-
te o l. delegado, Dr. Benevides:
0 veneno foi propinndo n'uma chicara de
cafe, e pela analyse feita no laboratory da policii,
sobre os vomitos qne t-ve o Sr. Guiiherme, one-
gouse .ao conhecimento que e3se veneno era atro-
proa.
Acha-se inliciado eaital crime Affinso Hen-
rique (pie era caixeiro da rcferida pharmacia,
que ja foi preso, em virtude do mandado do Dr.
juiz de direito do 4.* districts criminal, a requisi-
cao do mesmo dolejsado.
A raortandade da cidade do Rio de Janeiro,
durantc a quinzena de 10 a 31 de Janeiro ultimo,
foi a su-guinte, conforme o boletim do conselheiro
t'creiia'ltego, presidente da junta central de hy-
giene pnbliea :
Ctrasfs de morte. Febre amarella 12, ditas
remittentes c iritermiitentes 34, variola IS, lym-
phatites (.'rysipelas) 2, bronchiles e pneumonias
17, corrgestao pulmonar C, tnberculos pulmonares
74. lesoes organicas do coracao 22, diarrheas 13,
affeccdes do figado 9, phlegmasias cerebro-espi-
nhaes li, apoplexias e congostoes cerebraes lit,
convulsoes M, tetanos dos recemnascidos 13, te-
tanos 3, desastre 7, homicidios 2 suicidio t, mor-
ios de oascimento 21, oulras causas 104, total
101.
i Xacionalidade: nacionaes KW, cstrangeiros
123, ignoraJati.
Condi^ao : livre 336. cscrava 63.
Si'xo : masctilino 233, feminino 146.
Idaies: at6 7 annos 101, de 7 a 23 69, de 25
a 40 annos, 75, do 40 a 55 annos, 73, mais de 55
annos, 59, lgnorada i4.
n Localidade : domicilios 230, hospitaes milUa-
res 13, hospitaes civis 138.
A respeito desta estatistica o mesmo Sr. con-
selheiro fe as segnintes observacdes :.
t? Que a mortalidade geral foi menor do que
na quinzena anterior, regulando a media dia-
ria 13.
t % Que a das febres guardou a mesma pro-
porcao, dando-se, por6m, mais casos de febre
amarella.
3.a Que a variola d?cresceu sensivelmente.
4.* Que a das molcslia3 agudas cerebroespi-
nhaes'foi nm nouco mats avuitada e a das affee-
roes das vias respiratorias em maior propor>;ao.
0 calor neste periodo manteve se sompre em
graos elcvados, persistindo-entre 81 e 9 ; apenas
em dous dia3 desceu de 80 apezar de ciiover as
vezes, sendo .:m geral mais sensivcl de manha e
depois das 4 horas da tarde, em virtude da eacas-
sez das viracoes nessas occasioes.
0 maximo da pressao oscillou entre 73J e
767"".
o Os graos hygrometricos variarara de 86 ma-
ximo dado cm muitos dias, a 71, minimo dado em
um so dia.
Ilouve quatro dias de trovoada de NO, sen-
tiodo-se apenas em um dessargas mais p-oximas
e bastantes relampagos.
Chegou em sate dias, em quasi, todos aoen-
trar da noite, 17, 19, 20, 2ii, 27, 29 e 30, mar-
cando o pluvio.netro para a telalidade das chuvas
fl,l'<-"'.
0 dia de maior mortandade foi o dia 23, em
o qnal nccorreram 33 fallecimentos, e o de menor
o dia 17, em que so houve 17.
Em uma das saias do banco do Brasil. reuni^
ram se hontem (6) em asscmhlea geral, 6ob a pre
sidencia ilo Sr. visconde do Tocantius, os membros
da Associai'.io Commercial atim de proseguir-se na
discussao adiada do parecer da commissSJ de exa-
ine de contas e eleger-se a nova directoria.
Aberta a tessXo e approvada depois de breves-|
observances di>s Srs. barao de Maua e Ernesto Cy-
brio, a aeta da renniao anterior, o Sr. Dr. Thomaz
Alves, apresentou um additaraento ao parecer da
commissao, concluindo pela approraeAo das con
las e do3 actos da directoria. Em seguida foi tam
bera apresentado pelo Sr. Jordao dm requerimento
de encerramento da discussao.
Susciton-se entao uma questaa de ordem na
qual fatlarara os Srs Ortigao, J. J. Duarte, Dr.
Thomaz Alves, Cybrao e ootros. sendo alguns so-
cioi de opiniao que nao se devia tomar conheci-
mento dos requcrimentos dos Srs. Dr. Thomas Al-
ves e Jordao por se referirem a matena que ainda
nho f6ra posta em discussao c sustemando o pre-
sidente da assem blea e outros socios que parecia
oc'iosa, ou quando mnito simples forroalidade sem
alcance algum, a declaracao de que eslava cm dis-
cussao o parecer da commissao de contas por isso
qne a reohiao de hontem nao era mais, que con-
tinnacao da anteeedente em que essa discussao
ficdra interrompida-, nem havia outro assumpto a
disculir.
Retirando o Sr. Jordao o 9cu requerimento de
encerramento, proseguio a discussao do parecer
da commissao.
O Sr. Ortigao manifestou contra o alvilre to-
made pela dire-jtor.a da Associac^o Commercial,
rirmando com o architeeto Bo9isiti um contrato
para edificagao da nova praca do comtnercie sem
ter chumado concuwentes para esta obra.
0 Sr viscoride.da S. Salvador de Mattozinhos,
5=
ton um voto de louvor a directoria da A*sociacl(o
Cmnmercial pfc zelo o dedicagan de quo dera na-
merosas provas durantc sua gestao e por ter
lov'ado a cfTvilo o punsamonto 3e dotar o corno
ortifiior^trrl iro Rio de Janeiro com um mageslcS
e.l'tficloirbH.3|j6) da importancia das suis transais* eriibara.-os ao commorcio maritime, induzk) a-S.
sigoado por mais de 50 membros da Associacjio
Commercial e pedio que esse voto de louvor fosse
inserido na aeta.
i Indo proceder-se a eleioao da directoria, dissc
o Sr. bario de Maua que tendo visto em uma pxi-
blicacao do Jernal o seu nome fndicado para mem-
bro da directoria, jolgava do seu dever declarar
que, nio lhe sendo possivel aceitar t5o honroso
mandato, scria j-ordido qualquer voto quesensami-
gos Ihe dessem para tal fim.
Proeedendo-se a eleicao da directoria, obtive-
ram maioria de votos, os Srs.:
Visconde de Tocantins
c.Dr. Caetano Furquim de Almeida.
Jose Machado Coelho.
Coride de Estrella.
Jose Pereira Soares.
t John Hollocombe. .
t Guiiherme Morreswy.
Carlos Guiiherme Gross.
Carlos Hayn.
a C J. Harrah.
a A.-W. Hard.
a D. Javme Romaguera.
t I). J.'M. Frias.
Augusto Leaericy.
J^P. Martin.
Seguindo-se pela ordem da votacao, os Sts.:
Ernesto Landau.
\V. Walter.
Francisco Figueiredo.
< Barao de Maua.
Barao de S. Francisco, Filho.
Manoel Saigado Zenha.
u Carlos Valais.
t F. Sauwen.
Angelo Fiorita.
Joaquim Jose Duarte.
E. A. Pens, e ootros menos votedos.
A ajfandega rendeu de 1 a 6 do corrente
670:131*861.
Eis as ultimas noticias commerciaes:
0 mercado de cambio estevc apatbico, mas
apresentou firmeza senstVel a te-xa de 23 7|8 d,
papel bancario sobre Londres. Um dos nossos
banco', apezar de nao haver tnmadores aquella
taxa, nio savava por mais de 23 3|4 d., ao pass
que os rutros eslahelecimentos conservaram a ta
xa de 23 7r8 d.
Sobre Franca passarara-se pequenas somas a
367 rs. por franc).
Negociarimse dons lotes de soberano a...
93330 e a 95540 a dinheiro.
a As apohces geraes de 6 0|0 continuaram a
apresentar pouca actividade de 1:0325 e 1:033$ j
dinheiro.
No mercado de accoes apenas nos constou a
venda de dous lotes das do banco francez a...
60750 a dinheiro, e 535750 para 30 de abril.e
de um das da companhia de segnros Previdente, a
1253W a diaheiro
t Nada se faz em cafe. As vendas de assucar
foram pequenas, para consumo. Nao nos constou
fretamento algum.
ESPiniTO SANTO.
Le se no Kspinto Santeiise de 29 do passado :
Antes de hontem, das 8 para as 9 horas da
noite, deo-se um iriste acontecimento em uma das
principaes ruas desta capital
Eacontrando se o tenente Genezio Gomjalves
Fragacom o capiteo Joao Martins de Azambuja
Meirefles e um filho deste (gstudaute de S. Panic)
aggrediram-se violentamcnte, sahindo da luta fe-
ndos o 1. e o 2. gr'avemente, o 3." levementc.
0 delegado de pclieia. tenente Antonio Igna-
cio Rodrigues, compareceu no lugar. d conflicto e
den-lhes voz de prisao em llagrante delicto ; mas,
faltando Ihe os meios para desde logo fazer effec-
tiva a prisao, poderim o capitao Meirelles e seu
tilho recolher-se a casa da mSi do referido eapi-
lij qne ffaava proxirna, sendo o tenente Geaesio
conduzido para a b>tioa do Sr. Machado, onde re-
cebeti os primeiros soccorros medicos.
t Qhegindo, porem, a forr,a reqiiisitada, foi a
referida casa cercada, e hontem pela manha, de-
pois de preehchidas as formSlidades da let, e com
assistencia do Sr. Dr. ehefe de policia iuterind,
Fernando Alfonso de Mello, fez-se effectiva a pri-
sao e procedeu-se aos corpos de delicto.*
Oteneule Autonio Rodrigues'Pereira, ex-the-
soureiro da fazenda provincial, pronunciado como
incurso no crime de peculate, em virtude do al-
cance enContrado nos cofres que existiam sob sua
guarda, recolhense a prisao no dia 30 do mez(
Undo, por se haver findado o prazo da ftenca pro-
visoria.
B A III A.
membro da commissSo de exama de contas, deCla-
rou que assighara o parecer em discussao, enten-
dendo qde eile importava desapprovacao dos actos
da directoria, e apresealou as razoes cm que so
fun Java para nao appro var o acto da mesma direc-
toria rclafivo a edfficaeao da mesma praea.
0 Sr. Francisco ae Figueiredo, tambem mem-
bro da cdmmlseao de exadaes, disse qde coa.-orda
va eom 9 Sr. viscond8 d,e S. SaWador dc Mattoti-
nbos na iaterpretacao dada ao parecer da commis-
sao
0 Sr. bario de Maua, raiator do parecer, affir-
mou te-lo redigido e assignaJo na intencao de mi-
nifestar a cua approvacao aos actos da directoria,
nao porque julgasse que em absoluto, a deliliera-
eao tcunada quanto a edificacio da nova praea fira
a melaor possivel e inaginavel, mas porque, de-
positando a maior conflaoca nos membros da di-
SAKTA CATHABNA
W*bemos,dau da caoital aie 29 do passado.
Le-se na Regeneracao:
0 Ante h intern (27) chegou da corte o trans-
porta Uapoldim, que segum para 0 Rio Grande
0 Sto, ariin ie condnzir a iDpa que se achar
prompta para Assumpto.
BIO OB JANEIRO.
LonkM no Joittnl do Ctimmercio :
a 0 Intepr*irnte. de .VL.c.he, pnbliea 0 se-
l-emos no Jomal:
Communicam-nos quo na cidade de Santo
Amaro, no dia 30 de Janeiro, appareceu mono
com tres golpes em volta do pescoeo, um hospede
do negociairte Cardoso, 0 qual, por esse motive,
foi preso no dia 4 do corrente, juntamente com
am sou irmao que com elle estava.
Aeerescenta-se que 0 acontecimento foi re-
vestido de mnilas 0 variadas circumstancia', al-
gumas das quaes inluzem a crer que 0 infeli* foi
assassinado, e outros qne se suicidara.
t A associai.'io catholica reunio-se antes de hon-
tem (5 do corrente) em sess5o baslante eoncorri-
da, e nella decidij-se qne fossem norteados soclos
honorarios, pelos relevantissimos services presta-
dos na trihnna pirlamentar a causa da igreja ca-
tholica, os Exms Srs. senadores Candido Mendes,
conselheiro Zacharias de Goes, Firmino Rodrigues
da Silva e Figoeira de Mello, e aos Exms. deputa-
d')s Drs. Ferreira Vianna, Tarquinio, Diogo de Vas-
concellos e Leandro Bezerra.
Deliherou se mais que se celebrasso 30 mis-
sas cm dias consecutivos, em cer os e determina-
dos templos (como se tera de anounciar), com ap-
plicacJMj ao Kxm e Revm. Sr. bispo de Olinda
para que seja brevemente restituido a sua diocese.
Approvbu-se unaDimemente a redaccao de
uma menSagem aprescntada pelo associado Dr.
Ctaudimiro e?idas, para ser dirigida a sua santi-
dalePiolX.
Fiaalmente tratando de levantar um capital
para acquisieao dc uma imprensa, foi subscript:!
por desenove dos socios presentes a quantia de
3:7508000. A subScripc;5o continVia.
< Na cidade de Santo Amaro fatleceu no dia 4
do corrente 0 negociante Autonio Rodrigues do
Llfcb.
Continuam as difBculdades da nossa praca,
navendo graflde'falta de numenrio, e conservan
dose elevada a taxa do'juro.
A continuai^ao desta ense, ja mais prolongadi
do que nenhnma outra anterior, aggravada pela
deficiencia das safras, exeree perniciosa inflaen-
cia ern todas as industrias. 0
No cxer'cicio de 1871 a 1872 a receita foi or-
>;aia pela thesouraria provincial em 1866:1495,
a arreradapao foi de 2.093:5945561, bavendo por
tanto uma differen;a de 207:4455561 em favor
da arrecatefao
A despeza or?ada foi :de 2.078:5155378, ea
effectuada foi de 2.091:5325605, apresentando
uma difference de 13:0175227 para mais.
Da confrontacio da receita effectuada eom a
despeza arrecadada resulta um Saldo de.........
2:0615936.
No exereicio de 1872 a 1873 a receita foi or-
cada em 2.041:0615174, e a arrecadacao loi de
738:394*395, bavendo uma differenca de......
677:3335221, cm favor da arrecadacSo.
A despeza orcada foi de 2.240;8I0#990, e a
e,ffectuada f i de 2.718:3145664 apresentando ulna
differenca de 447:5035674 para mais.
Na receita desle exereicio, porem. es'ao com
prehenlidos dous empresiimos oontrahidos, um de
501:960/.)00per meie de apdliee, e oatro.de...'.
60:0005 provehiente de lenra.
Feita a deduccao destas rifras, a arrecadacao
haixou nesse eieilcioio a-2.'166;43452lJ3, apresen-
tando urn,deficit de 55,1:8815367. ,
o Tanto d'esse exereicio como do de 1871 a 1872
(teat am m'uilas despezas.por satlsfaser-se, segnn-.
do a d'daracao do contador da thesouraria pro
vi-ncial, no quadro quo aeaba de ser punlicado Ba
fulha official, e do qua! extrahimos estas notas >
Monte a 1.380:0005 a di iita passiva ftteteda
desta provincia, sendo :880:0005 re'sto do eOi-
SEROIPE.
Le se no Jomal do Araeafa dc 14 de Ja-
neiro : .
OestaJo pouco lisongeiro deste principal bar-
ra da provincia, tendo trazido iilliiii.nrlento "muifos
rectoria, acreditava que para tomarem aquella do- prestitno coutrahido eom BrandSo & Irmao e a so-
liberacio tinham elles tido ra?os s^fliciantes, al- eiedade do comraercio, por melo de Spolices da
guinas das quaes ja baviam sido espostas a as- inscr^pcao, de 5005 cad* uma ; -e 500:00f5 ; 'Wa'C3Sadb8 Srs. Qerjldfl Anttmio JWreS'i&Pi
seinblea. total do oulro emDrestinjo contrahido feobl dltar- lho, a raa dos Msrcadores, obde' 4fe 'i'cW* 0 dfto
tribunal, 4r*0 lf4 horas da nwrr/ttS. tertdoMiegaflo
S'Exc. o ir. pivsfderrte.dK provincia, demSWhio-sei
era se sao 0 tribunal, comes 'Birj."Srli.'ffWeAfcar-
gad.irea
H-rrirarm'ttomrngcis doeftiHb.preJWeMe.
Sebasiia.yibs^oa SiWtf rJrga, proeuradoi1 fla
coroa e soberania nacipnal;
'.!Mni>W !a;tjs;efr'!,ereira s
tV-Fiiirtefcco fla Serra Carmiro ,
Joao "aulw'MrtnlWrd de Aidride
J 0 Francisco de Afl"9 Bezerra do Menzes.
g 0 Sr. Dr. Thomaz Alv'q* respondeu a diversas
censileracies dosSr. Ortigao e viscbdde de^S.
Sa vad. r le \fattozinnos e su-tentou qua 0 ^ddijar
jipentir Jr elle apresentado era uma cooieijueacii
logica h neeeasarfa do parecer da commissao Be
exame de couUs. ,
a Depois de algumas observacSes feilas por' dji
versos socios, tot encerrada a discussao, a requeri-
mento dj Sr. Jordao e approvadd o baraber (la
cootmisiao com 0 additamento do Sr. Dr THomaz
Alves
o Em seguida e Sr barao de Mes jnita apresen-
total do outro emprestimo contrahido com diver-
sos ettabe'eclmedtos e um pArtlcolar, tm apolices
de fOWD5, tfaS.'iriscfip;ao .
As do 1 emprestimo tem feswte obrtaroiiio
na razilotfe u Q& anabafmente, 'e as'lifo t* serfio
re'ini'Jas twaddd 0 gbvWlo -'afaint rij'etfricref, e
peto.precd ^tia ifvereifl 80 me'rriadd.
Fal?eceti na v.lla lie CarrnaVldrras 0 Dr. An>gds-
io aeSampaio Vlarrna
d Palteceti 6 bacha.el Joio liuiz 5osres"!iWi--:
t
0 cambl'o regu'ava
quartos d.
Exc 0 Sr. vice presidente da presidente a nomear
uma commissao de pessoas competentes para es-
lu-ter 0 piano dos melhoramentos reclamado3.
c'Fazen parte desta commis'So os senhores en-
genheiros* Rodrigues Vieira Dantas.primeiro teneb:
te Augusta Cesar e 0 capitao do vapor de reboca-
gem Sanfo Antonio, Mauqel dos Santos Billet.
t A commissao tera de apresentar um relatorio
circumstanciado de sen trabalho, acompanhando 0
de uma planta da barra com inlicajao da di-
reccao e extensao dos baixios e fuados de suas
aguas, servindo de nivel a baixa mar das maio-
res mares.
Le-se no Jornal do Aracaju, de 31 de Ja-
neiro :
0 patacho arlemao Tliotis, capitao Joseph
Kramer, consignado a casa de A. Scharamm e C,
naufragou hontem nos baixios da barra do sul
desta cidade. 0 navio encalbou, quando deman-
dava a barra no dia 28 do corrente, e 0 Sr. capi
lao do porto Cunha Moreira seguio logo para 0
lugar do sinistro no vapor reboque Sanw Autonio.
Empregou pur mais de 50 horas lodos es esfor-
cos para salva-lo, porem tendo 0 havio perdido as
amarras e anerto agua, foram considerados .n-
frnctiferds o* trabalhos, que, bem dirigidos, da--
vam esperancas de safa-lo na preamar de hon-
tem. _
Nao ha a lamentar perdas de vila, quer da
tf ipolaclo, quer da gente que trahalhou para pres-
tar os soccorros. >
!\'olieii&M dos Estados-1 fiiidos,
AmnzoniaM e Part*.
Tambem araanheceu hontem em nosso portn 0
vapor americano Metrimmk, tiazendo datas : do
New-York. 22 e do Amazonas 27 de Janeiro, e do
Para 6 do corrente.
h Nada adiantam as noticias dos Estados-Unidot
as que recebemos por via de Lisboa.
AMAZ^AS.
A presidencia da provincia, por actos de 16,
ere u na villa de Silves foro civil e conselho de
jurados e dividio 0 novo termo em tres districts
especiaes, conforme 0 disposto no art. 6. 4 do
decreto de 22 de novembro de 1873, pela seguin-
.te ordem :
0 I.' comprehendera a freguezia de Silves ate
a fos do Athuman, exclusive, furo de Camassary
e lago do Arrosal, inclusive ;
O 2. a foz do Athuman, inclusive, Canella ate
a barreira denorainada Paira, inclusive ; e
0 3* partindo da foz do Athuman comprehen-
dera a povoacao de Sant'Anna do Atrmmon e do
Jatauii, ate as cachoeiras daqnelle rio.
No ilia 37 segniram de Manaos para 0 Madeira,
no vapor Jamiry, o Sr. John W. Steele, lagente
da empreza americana Dorsey and Cadwell, que
ticou com 0 eonfraito para a constniecao da via-
ferrea do Madeira e Mnrftdre,' e os empregados da
mesma empreza W. S. Moen, 1.* engenheiro, A.
G. Dawis, ajudaute do engenheiro, e M. Cartel,
interprete, alem de dez operarios braiileii-ui
eontratados aqui no Para.
- De 20 a 27 de Janeiro chegaram ao porto de
Manaos os vaporcs :
Amazonas ( de Moreira & Irmao) em 22, vindo
do Purds ; Betem, em 24, do Para ; Inca, em 25.
do Loreto.
Sahirum :
M idctra, em 20, para 0 Para, Guajard, tambem
em 20, para Teffe; Bclem, em 27 para 0 Para,
Jamary tambem em 27. para Santo Antonio do
Madeira.
PARA
Em 6 do corrente escrjve nosso correspon-
dente da capit 1 :
Por aqui contiuuamos no mais profondo so-
eego. e sem maiores factos dignos do in-ncao, a
nao ser os ncgocios pcliticos que actuam sob os
espiritos partidarios.
t 0 Dr. Guiiherme Francisco Cruz, vice presi-
dente da provincia, apos um interregno de 15 dias,
passou a administrate ao Dr. Pedro Vicente de
Azevedo no dia 17 do prjeedente mez, como Ihe
noticiei.
0 Dr. Cruz que comeijou o seu governo por
dous actos, que mais ou menos mereeeram algn-
ma syrapaihia, terminon com uma roda viva de
deraissocs e reformas inacreditaveis, 0 que tem
levantado grande coleuma na imprensa da oppo-
sicao, pois alguns dos demeltidos, entre elles 0
inspector da thesodro provincial e o director, do
instltuto dos educandos artifices, cujo estabele-
cimento tem cerca de doUs annos as existencia,
sao membros do partido conservador dessideates.
t E:n virtude destes actos, os nomeados para
os resocctivos cargos, sio pessoas de Sltuacao do-
minante, e com especialidade, adeptos do conego
Manoe.l Jose de Siqueira Mendes, cognominado
chef* unico do partido conservador d > Para 1
A instruccao publica que tantos cuidado?
rnereceu desolicitose illustrados a-lminisfa lores
deste provincia, entre elle-, sobre tudo, do Dr.
Pjrtella, levou 0 ultimo golpe no seu desmorona-
memo, porquanto am menos de 15 dia? elaboroo-
se organisou-se c publicou-se um no to regulamen-
to, adaptado as vistas, que se tinha em menle.
- c Emfim muitas ontras cousas poder-.lhe-hia di-
zer acerca da administrayao dos quinze dias, co-
mo aqui se chama ; mas essas particularidades e
peripecias, sendo antes de interesse individual,
pouco iuteressain ao pablico em sabe lo.
Tem continnado na tela jornalistica a questao
do habeas-corpus concedida a favor do sineiro
da matriz da Vigia, Jose de Castro Fanacho.
Dep.)is de grande reluctaneia da parte do
commandante do 3' batalhao de artilharia coronal
Moraes Rego, em salisfazer os mandad is da jus-
lica para apresentagao do dito Fanacho, que no
quartel respectivo se achava eom pra^a, e da mais
que se deti na audiehcia em casa do juiz de di-
reito da 2.1 vara Dr. Maia Vasconcellos, terminou 0
caso com 0 conflicto de jurisdiecao entre 0 com-
mando das armas e aqnelle juft. *
Entretanto este magistrado manteve inalte
ravel a stta junsdiccao, sendo posto em liberdado
0 referido Fanacho e recolhidos a prisao c man-
dados processar, por crime de resistencia 0 coro-
nel Moraes Rego, um official e mais praeas do
3.* de artirbaria.
Q commandante recorreu a imprensa, fazen-
do uma expo>i<;ao do seu procedimento, visto obe-
cer a ordens suberiore?, que como militar, devia
rigoWsarnente ob'serVar,
Nao acb'o esta questao muito liquida de par-
te a parte, pois e necessario coUvir, se 0 magis-
trado, por seu lado manteve a dignidade da sua
posicao, 0 militar mameve-se na piiiita das ofdens
recebiflas, uma vc-z que estas partiram do seu
superior.
Emflra, 0 coronet Moraes Reg^o, sagiindo me
informam, esta pronunciado pelo juizo de direito
da 2." vara desta capital, que reformou 0 despa-
clio de nao prdnuncia proferida ha dias pelo juizo
municipal.
A presidencia, na resposta que deu ao com-
mandante das armas sobre 0 esta do do conflict.*,
sustentou as prerogativas da inagistratura e 0 acto
do juiz de direito, recommendando a mais fiet
observancia a lei.
Hadiaasah 0 a luz 0 primeiro numero do novo
jornal diario denominado Conslituicao, orgao ex-
clusive do partido conservador, )u adles da situa-
cao dominante, e vai continuandd na senda jorna-
listica, por emquahto, com commedime.nto da lin-
guagem, 0 que nao e muito usual por aqui nas lu-
tas da imprensa entre os partidos. Dsus qucira
que este seja o'seu caminuo, e que se distancie
sempre das personalidadesem que tanto abundatn
os artigos que se escrevem quando se procuram
combater as ideas e os inleresses doa adversa-
ries.
, .< Como se achava aununciado, teve emfim lu
gar a installagao do tribunal da retec^o deste dis-
tncto, no dia 3 do corrente, na cnnlormidade das
flisposicjSes' )egaes que iastituid eradilTerentespro-
vincias do imperio mais esta alcada, sendo bafctan-
te copgorridp. 0 acto, nao so pela novidade delle,
cbrrroporquea ptesidencra *t fJrovmcia qniz pres-
tar a solemnidade o conveaicnte respeito e acata-
merjto, ordenan'do que esse dia fosse feria'do para
ayfepai'tiroes pUbticas.
a Addiciono aqui a descripcao do occorrido, as-
sim como o competente discurso do presidente do
tribunal.
Tlrrrlsrm-forViR.-fo Trsjerfto, a dirclra do Exm. Sr.
presKlente do- tribunal 0 Exm. e Rvrn. Sr. Bispo
diocqsauo, e a esquerda. o Exm. Sr. presidente da
provincia.
Aberta a'sessao, p'restaram juramenlo'do bem
servrrem os carcos de desmbargadore's os Exms.
Srs. Drs. Joao. Caetano Lisboa e Francisco de Assis
Bezerra de Menezes. Depois leu 0 Exc. Sr. presi-
dente do tribunal uma eloquentissima alloencao
com relarlo a solemnidade que se celebrava, e an-
tes de suspender asessao, agradeceu 0 concurs) de
autoridades e povo que tanto contribuira pnra a
pompa daquell e.acto, congralulando-se com a po-
pulacao das provincias do Para e Amazonas pela
creacjio do tribunal.
t Scgnio-M um Te. Deum na cathedral, a cuja
porta eslava postada uma guarda de hocra do corpo
de policia paraense. Nrf flra do Te Deum deu 0
forte do Castello uma salva de 21 tiros dc arti-
lharia.
1 Do commercio pouco' ha a especificar; com-
tudo 0 anno qne Inicia augura-se animador, pois
0 que mais influio sobre a diminuicao das rendas
publicas foi 0 de 1872, nio so por differentes caa-
sas que sobrevieram a salubridade publica, a agri
cultura, etc., mas tambem pelos receios com que
se apresentavam os partidos na luta eleitoral que
leve lugar nesse auno.
E-tes factos estao passados e a provincia vol-
ve a sua antiga quieta^ao, e por conseguinte ao
alargamento das transaccoes commerciaes e desen-
volvimento de novas indnstrias.
* Para provar que a sitnacSo vai sendo prospe-
rs, excepto no que diz respeito a iraportacao, que
e antes um bem do que um mal, visto como em an-
nos anteriores aquella foi maior do que as forcas
do consumo, aqui apresento alguns dados estatis-
ticos, extrahidos das principaes reparticSes arreca-
daloras d^sta capital.
Alfandeg.a.
semestre)
)
)
)
5,100:4585137
4.993:2915951
4,323:3875947
1,836:3975069
Consulado provincial.
1,233:9035140
1,179:5935643
1,300:5135079
1870-1871 (2
1871 1872 (2
1872 -1873 (i
1873 -1874 (1
1871
1872
1S73
Gamara municipal.
1871 167:6745573
1872 131:8563333
1873 194:5675809
" E' verdade que 0 toes de Janeiro do corrente
anno, rendeu menos do que o anno passado em
todas a' cstacoes publicas; isto, porem, nada por
emquanto demonstra em desl'avor dos anspicios do
novo anno, que vai correndo.
Els aqui 0 rendimonto do pre-redente mes de
Janeiro a quo alludo.
o Alfandega
Em ignal periodo de 1S73
Recebedoria provincial
Em igual periodo de 1873
t S*nta Casa dc Miserieordi 1
Em ijnalpenodo de 1873
1 Ver o peso
Em igual periodo de 187 J
Por cm quanto, como digo, nao
345:8165-97
442:064596:1
80:310.4646
120:1795322
48)5 '20
361*200
4:58850)4
6:60752112
ha que receiar
dos bons anspicios em que vai progredindo sta
provincia e sobre tudo porque ha paz e scguran-
ea, alem da necessaria coniianca quo todos tem
no governo que presentemente dirige cs destinos
do paiz.
t Poder-lhe hia ainda transmittir algumas ou-
tras noticias em referencia ao* aetos do novo pre-
sidente ; mas deixarei csie assumpto para me-
Ihor occasiao e para formar mais seguro juizo de
sna administraeao ; entrslant) annuneio lhe que
entre as nomeaeoes feitas. tem rr.erecido 0 assen-
timento publico,'a do Dr. Jose Henrique Cordeiro
de 1 astro para promoter publico e a de Domin-
gos Soares Ferreira Penna para official adjunto ao
gabinetc da presidencia.
t 0 bispo D. Antonio de Macedo Costa ja punli-
cou a sua respo-ta a demincia dada pelo ministrd
procurador da coroa ao supremo tribunal de jus-
lica ; S. Exc Rvma., entre onlros fundamenlos,
averba esle tribunal de incompetents, para julgalo
sobre questoes 0 negoeios puramente espirituaes ;
alem di.to 0 bispo tem feito na cathedral diffe-
rentes conferencias sobre 0 mesmo assumpto, e
seguado consta este reaervada a ultima para de-
pois dC amanha ( dnmiogo 1, em que 0 pastor
deve despedir-se de suas ovelhas, visto como S.
Exc. pretende em breve seguir para a cone, ou
ex sponle ou ex of.
A novidade mais notavel que para a eOrte
transmitte 0 vapor de hoje ao partido liberal e 0
fallecimento do Dr. Joa 1 Maria do Moraes, que
teve lugar hontem as 6 hcras da tarde, depois de
tonga ehfermidade.
a 0 Dr. Moraes, que deixou de existir, era 0
vulto mite proeminehte d03 liberaes desta provin-
cia, pelos dotes do espirito e pela sens^tez do
a 111 mo.
O partido que hoje toma I ito senlido par tao
illustro correligionarlo, deve resignar-se a perda
de seu prestimoso ehefe, c que 0 dirigio com cui-
dado por muitos annos aos melhorcs dias de sua
prospcridade.
0 Dr. MoVaes ara natural do Para, e entre
muitos cargos elevados que ojoupou na vida pu-
blica, esteve por varias vezes na cadeira da pre-
sidencia, vindo a falleeer na idado de 73 annos
e deixando apenas dons Bthos, um varao do mes-
mo nome, actual jurz substitute de orphSos nesta
capital e uma filha ja casada.
c Os jornaes de todas as cores pohtiens prestam
a memoria do finado as devidas homenagens e
convidam hoje os seus correligionarios para 0 sa
himento, que deve ter lugar as cineo boras da
tarde.
t Fallcceu tambem ha dias 0 tenente Miguel
Maniz Tavares, natural dessa provincia.
t Neste porto aeaba m de se ehcontrar os dous
vapores norte-americano Ontario Merrimach;
este com <*estino ao sul de imperio e aqaelle para
New-York ; e aeaba tambem de chegar do Ma-
ranhao 0 respectivo Vapor costeiro.
No porto acb'am-se ancorados os seguintes
navios :
c Amalia, de Cardiff.
Unido, do Porto
Ligeiro, de l.isboa-
Lino, dc Liverpool.
Amentle Nanengo, de Liverpool.
t i\qui flndo ; ate 0 proximo paquete, e apenas
aCcre3ceuto que no Merrimavck regrcssa a ciirte 0
senador Arabrosio Leltao da Cnnha .
0 Dr. Jcraquim Correia de Oliveira Andrade jniz
substituto da protedoria de capellss e residues
nesta cidade de San'.o Antonio do Racife e
seu termo, por S M. Imperial CoostrtaciouaJ
0 Senhor D. Pedro segundo a qoetn Deus guar-
de, etc.
Fa^o saber aos que 0 presente cdital'vtrem e
delle noticia tiverem que no dia dezenove do cor-
rente, depois de finda a respectiva audieticia deste
juizo tem de ser arrematado por renda a quem
mais vantagens olferecer,o armazem numero cinco
do caes da atfaudega do bairo do R;rfe, perten
cente a irmandade do Senhor Bom Jesus das
Portas, da igreja da Madre de Deas, o qUai vai a
praca a reqaerimento do inquilino do diw arma-
zem Antonio da Silva Azevedo.
E para que cheque ao conhe:irnento de todos.
raandei passar 0 presente eaital que sera puMieado
pela iihprensa e afBxado nos logares do edstume
Dado e passado nesta cidadade do Recife de
Pemambnco, aos doze de fevoreiro de Wi.
Eu, Domingos Nuttes Perreira, escrrr*); e es-
erevi.
Recife 12 de fevereiro de 1874.-0 eScrivao,
Nnnes Ferrbira. /
Joaquim Corrtia de Oiiveira ArHrnde.
Nome, Gincordia, S. Gregorio e Amaragi de ani-
"maes.
Termo lie :mell*r. I' t |K.rtaria
da presidencia da provfncia.de It do correnie. f"-
rain nomeados supplentes do jniz municipal do
termo de GamelleiraDr. Francisco Manoel Waa-
derley Lins, Manoel Gomes de Barros a Silva, t.
Dr. Jose Kujienio da Silva Ramos.
ilutoriflade pollvial. Por nortaria da
presidencia da provincia, foi nomeado Antonio Al-
ves Cavalcante, sobdetega Jo do districto de Taqua-
retinga, do termo do Linineiio.
Casa tie ileteaftiii Por p.trUrte do
Dr. ehefe de policia, foram exonerados de guardas
da casa de delMttio Francelino J-ise dos Saul is e
Antonio Luiz de Almeida, e foram m.ineados para
os sub-stitair Luiz Moreira de Carvalli a Adalbert)
Francisco das Chagas.
Seerciaria da |iresidcu-ia. Por
portana da pn diencia da provincia, de 13 do c >r-
rente, foi rcmovido do lugar de pcrleiro desta re-
partic'io para o de :! escriptorario da secreUria
da thesouraria provincial Silvino Autonio H).
drigues.
Tliesurai'ia proviavlal. Por por-
laria da mesma data foi removido 0 3 escriptu-
rario d.i seci etaria desta reparlicae para 0 lugar*
de porteiro da secrelaria 'da pre!>idencia da pro-
vincia, Antonio Francisco das Neves. ,
Proloiisramentofla estraila tie for-
ro lie S. Francisi'O.Maceio, 7 de fevereiro
de 1874. I!lm. Exm. Sr. -Tenho 0 prazcrdecom-
municar a V*. Exc, que no dia 24 do mes passado,
eonelui os trdialhos da expl;raca<) para prolong-
m^ntu da eslrada de ferro do Recife ao S. Francis-
co, ale a Villa da Boa-Vi-ti, ponto terminal dekr-
minado pelo governo. ulliuiamente.
0 pessoal aeha-se recolhido r. esta cidade, onde
pretendo eontiuuar com 0 scrvijo da planla- e
orcanient'. P.>r esia occasiio, cuinpro um dever
agradeceiido a V. Exc a valiosa coa ijuvacao que
mo dispen-ou n a |U.il devn em grande parte 0
horn resultado do trabalho. Reitero a V. Exc. e
meiis protestos da mais distincta c ui-i:leracio *
a nisade. Deu< guarde a V. Exc. Illin. Exm. Sr.
commendador Henrique Pereira de Lucena, dig-
nissimo presidente da provincia dc Pe:nainl*co.
J M. da Silva Coutinho, engenheiro em ehefe.
carnatiil. Ei-lo que no- bate a port* ;
e bom e lembrarmns, que 0 uso d'apua nesse di-
vertimento, alem de prhibid; por deliberacao da
mnnicipalidade, esta condemn ado pela civilisa^ao ;
qua a mascara e permittido 0 hum irismo ijae
alcgra e faz rir, emquanto que Ihe c velada a ca-
raclcrisacao olfensivamente allusiva, 0 ndiciili
insultuoso ou indecente, quer se Irate de pessoas
quer de factos que relbclam aquella* menos airu-
samentc. 0 contrari 1 seria admittir um absurd),
a iiresponsoliiliilidade do disfarce.
A imprensa da provincia, levantou-;e unani.e 1
este anno, contra a pretendida restauraeao d)
barbaro Cistumede entru-lar a agua; e-pera---
quo a polieia uantenln em plena execucao, as
posturas municipa's. tendentes a refreiar <>~ atu-
so-. qne os pruximos ires dias de verfigetn popu-
lar occasionam.
Dinlieirit. Os vaporcs ilemnvik. ftmnat -
Cornripe, tmuxeram para:
Constantino Jose Ferreira Pinto
A. S. 0. Angelo
P. II. Maury
Miguel Jose Alves
Tasso & IrmSos
Burlamaque. AriOjO iv C
Anuda \ Irmao
Carvalho & Nogueira
Pereira Carneiro & C
0 vapor M'm'mak
para a do Rio do Janeiro,
Captura importante. A
Sr. Dr. ehefe do policia, secundada
30:000501.')
2:5005400
2:0005Oil
2:0085000
1:.-.OOJflOi
717500
.'OOJOOO
2..8.0 m.
29,630
levon de nossa prava
160:000 jOOO.
actividade do
pelo telo do
REVISTA DIARIA.
-It, i >i\lt:i 2.V-elre9'
Comarca da Fseaila. Por portsria da
presidencia da provincia de 12 do cavrmta, foi
dividido 0 termo de Gamelleira, da comarca da
Escada, em tres dUtrietos esfeciac9, em ea*i tm
dos qoaes tera prefereiicia no exereicio o respe
etivo suprdenW do Juiz mnnicipail :
0 comprehendera a villa e wdos nrwrrehos
do extincto eogenho Gamelleira, inclusive as pro
Sriedades Portable e Viracaa, e os engenbos Bom
necesso, ArrTmmM, 8. Joao, Antas, Gaxoeira
Grande, Aurora, Brejo, Assumpciio, Gocula,-^Ubei-
rao, Rmto ann>ttio, Duus Braelos, Lobo, Gastor,
iVioas, S. fioMntar*, Smta Dozia,- Iforice JHegre;
Atn^rikgi il'Agua, S. MaiHens e Cmtndt
0 8 iTi-trii*i coiaprehenlera 0 povoado lie S.
Jivtf d* Extrrtns. os enCMMca Lapw, Bwjary,
Raiftha d.s'AftJ*, Winas Novas, Orientil, Barra
NdV, f>*xeira, Cananga, Bsh D^spaetw, loin
DeSlino, e todas as proprtedades cfua f/cirt-m entre
o rftfVriflns eni/euhos.
0 3.4 disineto comprehendera as propriedades
Baas Barras e Capoeiras, e o* enpeahos fiaxoeira-
Llsa? Pacas, Alegre, Flor do Dia. taxias, Progres-
so, begred", Dilon, Serrinh;:, Aijoas-Claras. Bom
Sr. subdelegalo de S nto Antonio, dtve-se a cap
tura de Caetano Francisco de Oliveira, african
livre e coztohciro a casa da rua do Imperador n.
45, que em dias d.i semana proxirna passada a-
sassinou Mathias Gomes da Annunciacao, na dis-
tricto de ifOgad-*.
Como que seguro da iinpunidade de seu crime.
andafacste assatsino, livre e folgadamente, quan-
do a policia, rasteaodo 0 destino do matador di->-
conhecido de Mathias Gomes, este se Ihe deparou
encontra 0 e prende 0, foi uma surpresa a M
nao resistio a consciencia perlurbada do culpad
Era elle mesmo.
Pailridao. Ha no trapiche Conceicao, n j
angulo junto a ponte Sue de Setembro, nm mon-
tao de cebolas poJres, que exhala um mao cbeir)
insupporlavel.
Pois sera impossivel dar-lhe destino, e lirar 01
transeuntes da pante e 0* vizinhos do trapiche 1
tao nauseabundo cheiro ?
Creinos que nao ; e esp. ramos que a salubri -
dade publica, nao continue a ser offtii lida por sj-
melhante descuido, pois que deseuj-jo deve ser 1
eonservacao alii de nm tal fdeo de infeccao.
Kscnla primaria. A pro'essora pnbliea,
nomeada para reger interidaraentc a 4"cadeii4
do sexo masculine, da freguezia d-. Santo Aolo
nio, D Maria Cindida de Figueiredo, abrio a su-i
aula, na rua estreila do Rosario n. 24, !. andar.
Curreio dc Feriiambuci>. Pelo 101-
nisterio da agricultura, cm 14 de Janeiro, decla-
mu se a presidencia da provincia de IVrnambue.i
nao convira cumpra dos 21 predios, na capital, no
local comprehendido entre as runs do Bom Jesus
Alvares Cabral, Commercio e Tnome de Souza.
para a construccao de um edificio destinado a<
reparticocs do correio e do lelegrapho, devendo-*^
antes alugar ou comprar um com as proporcoe-:
exigidas.
Cabo submariuo. Pelo mesmo minis-
terio, em 15 de Janeiro, ivmmunicou-se a pre-i-
dencia do Maranhao que 0 representante da Wes-
tern and Brasilian Telegraph Company Umite!
declarou haver ja levado ao conhecim nto da com-
panhia em Londres a recommendaca 1, para quo,
quanto antes, seja estabelecida a linha telegraph!-
ea especial entre o Para e essa capital.
Tribunal da relaeao da carte Va
sessao d 6 do corrente f ram novaraenle dhtri-
buidas as revistas civeis, de Pernambuco, n. I>2
ao Sr. Almeida, e 143 ao Sr. Lisboa.
Questao rciitjjiosa.Lomos na JVofdo,
jorual da cdrle, do dia 5 do correnie :
Assegurou o Apostolo, folha que declara to
dos 03 dias viver sob os auspicios do Sr. bispo D.
Pedro de Laccrda, 0 seguinte -
t A carta official que se diz remeltida pelo
Exm. cardeal Antonelli ao illustre Sr. D. frei Vital
Maria Concalves de Oliveira, ainda nao chegou ao
sen destino. 0
Podemos assegurar ao publico quso Apotloio
ou esta mal informado, ou falla a verdade,
' S Exc. o Sr. Internnncio aposlohco conferee
ciou com 0 governo antes de entregar a referida
carla, e communicou ha maitos dias qne ja a
tinha deixado em maos do Sr. D. Vital.
A declaracao do Diario Official e, pois, vei -
dadeira, e 0 Apostolo, suppomos nos, nao prett-n
dera persuadir ao3 seus leitores que S. Exc. 0 Sr.
Intemuncki seja capaz dc faltar a verdade.
It a hi a.K este vapor, da companhia brasi-
leira de navegacao, que faz a segunda viagem do
corrente mez. Deve partir do Rio de Janeiro
amauha.
Estudantes bra Veiros -Lenos n.)
jornal .4arora Brasileira, New York :
a Mais um brasileira pn &rrn*li.Vek) ncs*c
ultimo vapor do flrasil o r. Alberto Pereira de
Campos Vergueiro, natnral da provincia de S.
Paulo, com destino ao curso de engeoharia
civil desta universidade.
Vniversid'ide de cornelli. Em 28 do passado
terminaram com feliz exito para cs nossos patn
cios, os exanies das materias estudadas duraate o
termo flndo, e registrararase no 2* trimestre E.
F. Paeheee Jordao, L. de Souza Barros, C Paes
de Barros, Benlo de A. Prado, P. de A. Vieira
Bueno, Hr. J. 11. T de Aquino, T. de A. Castro
A. de Qneiroz Telles, neto, e J. C A. Lima. Em
8 do corrente tiveram higar os exames prepara' -
rios e matricularam-se D. Correia de Moraes, J.
Dias de Aguiar, J. Viegas Muniz, e J. L, Moateir >
da Silveira.B
f Acadtmia de Ithaca.^Fez exame do i. leraw
Joe de Almeida Prado e ngistoru-se no 2.* Ma
iriculon-se em 8 do corrente Augusta Gaear 0>
Vasconcellos. u
Porto do Rio de Janeiro -Sabiraui
para Pernambuco : a 1 do corrente, barca portu-
gueza Jwen Adelaide ; a 6, brigue inglez Otitrriv*
e barca dila lira.
Loteria do Hit* de Jwneira Eis a
resumo da lista da 4* loteria ( 494 I em benelkio
da tnnandadeMde Jfessa Sanhora da BataU)* extra -
'iiida- a-6-d< corre*4e :
..................... iOlOK
7..................... lot
. 4408..................... 4:'
N. 30SO...................... it
Si. 23*0 e45.6-|-.000* a rada um.
Ns. 7V2, 1407. 3t e 4748 80u a cada uu
S4s. 1M6, 1 68. 1047. 19W. 687, 3JM. Jm,
0i, Vl a OMi -H005 a ra la u,n
.Vs. 140. 91 ti |;6 JM7, j|34,
WlO, 3053, 21J8, 3366 :t\: 6. 3312, iM, *4,
^


/
-'
I


*
ilft) 9k FetnaimxidO Sn^wio 14 fotiMwueko de fttti
-1
Bes-
==
5003
Mil
N3.
807,
1851,
*S74, 2675,
180
823,
H.I
I#V 25B,. tC96, JLii
2824, 4861, 287C 29i)4, 30JJ,,
3063,' 3081. 3170, 3319, 3232, 3233, 3273, 368jl
3772, 3880, 3981, 4137, 4236, 4?34r.4*Ri, ^iflS,
4626, 4631, 4903, 5D37, 5290, 5338, ;54, 3710?
5801 e 580J404 a cada am.
Loteria da Bahia. Resaoio da lists da
4" loioria em beneflcio do asylo de mendicidade,
e extrahida a 6 do corrente :
N. 771------................. 3:00M00')
g-*}...................... .3004000
N. 1150...................... *00J000
N3. 2104, 3215 e 3274-100* a cada am. '
Ns. 1973, 3196, 236, 802, 2678 e 2ii9 -40* a
cada urn.
Ns. 867, 8495, 38), 1874, 304, 740, 1406, 2749,
1023? 2732-20* a cada urn.
lei
po, Ma-
Jacba-
)'' Andre
. Sahidos para o sul no vapor americano Her-.
tkn.ch :
luiz Cawx-a de Avelar, Jose de Albuquerque,
'RranClclin Tavora e 2 eriados, A. J. da Silva Ju-
ilior, A. Aives Matheus.
(3 vapor americano nao trouxe passageiros do
norte.
Ns. 2265. 664, 2173, 1873, 2100, 3031, 242,
1660, 3118, 3079, 2483, 2713, 3173, 1692, 469,
- 2286, 3332, 2040, 434 e 911-10* a cada um.
Supremo tribunal de justica.
Na sessao de 4 do cdrrento, concluidas as exposi
eoes, o 3r. presidente dec arou oue ia proceder ao
ssrteio dos3 jnizes que teem de couhecer do pro-
cesso contra o desembargador Ponies Visgueiro.
Feito o sorlrio, forani designados juizes es Srs.
I coB3elheiros barib de Montserrat. EsteSr. decla-
rcu-se impedido, ;porque sou sobrinho Dr. Fran-
klin Doria e um dos advogados do reo; o Sr. con-
selheiro Francisco Maria de Freitas Albuquerque,
o Sr. conselheiro Figueira de llello e o Sr. codSe-
lhciro Veiga.
Occupaido os rnspeetivos assentos, Ss. Exes.
ouviram o relatorio circumstanciado feito pelo Sr.
juiz relator, qae durou qaasi duas bora*, e Undo
o relatorio, reliraram-se a sala parlicular, onde
confereneiaram a sos com o Exm. relator, e finda
a confereucia voltaram a sala publica, e alii o Sr.
presidenle recolheo publieamente os votos de cada
am dos juizes da pronnncia.
Estos nnanimemente votaram pela pronuncia do
reo no art. 19! do codigo criminal, em vista das
circumstaocias especiaes do dilicto, da confissaa do
reo, e de tedas as pecas do processo.
Gazeta juridlca. Acaba de chegar o n.
57 deste importante jornal, contendo :
Jurisdiccuo civil: Nunciacao de obra nova.
Alimento a filha casaria. Opposicao de 3 em
venda de casa. Competencia de jurisdiccao. In-
subsistencia de arreslo. Abolicao de afravessa-
donro. Successao do lillio pelo pai binubo.
Jurisdiccao commercial : ObrigacaO de paga-
niento.
Jurisdiccao criminal: habeas-corpns.
Jurisprudencia portugueza.
Jurisprudrncia (rancezn.
ConselJio supreme militar. Na
sessao de 4 do corrente, sob a presidencia do Sr.
duque de Caxias, aeharam-se presentes os Srs.
conselhciros de guerra Bittenconrt, visconde de
Tarn ndare, barao de Itapagipe, De Lamare, vis-
conde dc Santa Thereza, barues da Gavea e de
Angra, conselheiro vogal Beaurepaire e desem-
bargadores Camara e Lisboa. Foram jnlgados os
processos dos seguintes : tenente Antonio Jose
Pereira Junior, a.feres Guilherrae da Silva Para-
nhos, dito Ageo Avelino da Costa Paiva, cadete
Joaqnim Rozendo de Bastos, soldados Theodore
Joaquim da Rosa, Rrasilino Rufino Gomes, Jose da
Ron do Espirito Santo, Joaquim Pereira, Manoel
Venancio, Manoel Luiz Goncalves, Jose Raymundo
da Silva, Francisco So.ires de Oliveira, Helmiro
Jose da Rosa, Felix de Menezes Coutinho, Theodoro
# Joaquim de Lemos, Pedro Maria Soares, Damasio
' Joaquim dos Passos, Jose Lopes Quintino.
Processo do bispo de Pernambu-
e. No dia 6 do corrente foi apresentado ao
snpremo tribunal de justica, pelo promotor da
justica, o libello deste processo. Os autos foram
conclusos ao juiz relator.
I.nn^evidaile. No dia 10 do corrente foi
sepultada no cemiterio publico Catharina Maria
Seve, branca, natnral de Pernambuco, moradora
na freguezia de S. Fr. Pedro Connives do Recife,
que tinha 100 annos de idade.
Vapor Rivadavia.Foi este o vapor
francez, que passou ha poucos dias a vista de ter-
ra, na direicao do sul do imperio. E' francez,
pertence a companhia do Havre, e tocou na Bahia
a 8 do corrente a tarde.
Canhoneira russa.-Tocou na Bahia, em
viagem para Montevideo, a canhoneira russa Hay-
rfomac, commftndante Pirvaff, procedente de Lis-
boa por Cabo-Verde.
Viec-eommissario da terra santa.
Chegou, e reside no hospicio de Jerusalem, na
uiovincia da Bahia, o Rvd. padre Luiz Zacagni,
vice commissario da terra santa, que vem succe-
der corao superior dessa vice-commissaria ao
Revd. Fr. Antonio do Lago-negro, faltecido nesla
capital em junho do anno pa^sado.
Parto monstruoso. -Le-se no Lorenense
de 18 do passado : Consta-nos qne a preta Hila-
ria, escrava do Sr. Joaquim Jose Moreira Lima,
deu a luz, no dia 13 do corrente (dia de S. Hila-
rio), tres criancas, tendo as duas primeiras formas
Immanas e a terceira a de um leitao.
Compra l eneouracados- Diz a Re-
publica an uliiina data, que circulava no Rio de
Janeiro o boa to dc haver o b.r.Io de Penedo com-
prado, por ordem d> governo imperial, osencoura-
cados que se estavam con^truindo em Londre3
por ordem do governo argentiuo
Mocdas estrangpeiras nos Kstailos
Unldos. Ach.tmos nas folhas de New-York,
que nos trouxe o liiate americano Victor, que hon-
tera fandeou em nosso porto, a seguinte noticia
que traduzimos por ser de immediate interesse
para o nosso commereio.
l.de Janeiro 01113 circular fixandi o valor das
moedas estrangefras em moeda americana, de eon-
formidade com o acto de 3 de mar?) de 1873.
0 effeito principal desta raedida visa as importa-
nces, em qne o direito ad-valorem e calculaclo so
bre o valor das mercadorias no lugar da compra.
0 valor actual Jas moedas eslrangeiras continuara
ate J.'de Janeiro, e depois desta data, nova ava-
liacao applicar-se-ha at6 as merca lorias agora em
entreposto. Mas se estas mercadorias sao recehi-
das contra pagamentos de dircitos, antes desta data
sera a tax i calculada sobre o valor presente.
A circular Qxara o valor das moedas de rauitos
paizes mais alto que o precedentemente; mais era
algous casos como para os mil reis de Portugal, a
diminuigao sera muito sensivel. 0 valor da libra
esterlina ingleza sera elevado de *4 84 a *4 86 63,
e a dos francos francezes, suijso3 e belgas, de 18
08 cents a 19 03 cents, com augmento Identieo
sobre o drachma grego e a peseta hespanhola.
A lyra italiaoa, avaliada precedentemente a 16
para a peca de praia e a 18 06 para a de ouro,
sera calculada para o futuro a 19 03, em quaDIo
que os mil reis portugaezes, avaliados antes a *1
12 nao valerao mais que *l 08 47. Calcula-se qae
as mercado'ias agora em entreposto em New-
York, se nao forem retiradas antes do !. de Ja-
neiro, augmentarao as rendas da alfandega, segun
d i a nova avaliacio das moedas estraftfeiras, em
*500,000 pelo menos. Na realidade sera um aug-
mento de taxa sem mudanca de tarifa, pelo pro-
cesso de elevar, n.1o a taxa do direito, mas o valor
da mercadoria a iaxar.
Loteria.A que se acha a venda d a 88', a
benefieio da matriz de Sef inhaem, que corre no
dia 21.
Loteria do Etio. An. 496 corre na
terra feira, 17 do corrente.
Casa> de detencao.Movimento da casa
de detencao do dia 12 de fevereiro de 1874 :
Existiara presos 333, entraram 6, sabio 1,
existem 338
A saber :
Naeionaes 248, mnlheres 12, estrangeiros 34
oscravos 42, escravas 2.Total 338.
Alimentados a custa dos cofres poblicos 253.
Movimento da enfermariado dia 12 de fevereiro
de 1874.
Tiveram baixa :
Antotlo Snares dos Santos, ulceras.
Jos6 Ignacio Pereira Lima, luxacao.
Tiveram alta :
Drancisco Antonio Goncalves.
Fioniso Ba/bosa da Sdva.
Passageiros.Chegadosdos portos do sal
no vapor francez Donnai:
Jaeintho Jose de Andrade, Francisco de Paula
Carneiro Uchoa, Antonio Pepotio, Angelo Raphael
Rogerio e 1 filho, Guisepe 7.imbuarta, Dominico
Bruno, Geovaui Slefano, Maria il. 'Mazzaio, Ra-
phael Bruno e 1 filho.
Sahidos no mesmo vapor para a Europa :
Padre Jo4o B. Fialho de Varges, Jose Soriano
de Souza Filho, A. Jos6 Rodrigues, Isidro Gir6 v
Faroat-8 sua seaftora, Lourenco L. de Bastos, Ale
xandre Richard, Antonio da Silva Pereira, Severo
Pantaleao, Cysneiro Nicola, Miguel A. Calabria,
Rao Gwvani, NoVeHino AogeJo Pierrine Mausueti
e IzaMla Amere.
Chegados de Mamanguape no vapor nacional
Oorutt&i-
PadfaJortLuiaGarneifo, f*Ato P. Brito, VicenW
Nicolao, Braz Vital a t compnheiro, Francisco
fBftOMCAJUIIIC..li.
Tribunal do couiiuerol.
ACTA DA SES3AO DE 9 DE FEVEREIRO DE
1874.
PRBSIDENC1A 00 KXM. SR. CONSKLHBlHO ANSKLUO
CIIANC1SCO PBHETTI.
A's 10 boras da manhS, presentes bs Srs. de-
putados secretario Oliuto Bastos, e supplentes Sa
Leitao e Pedro Gascao, faltando com participacJo
o Sr. deputalo Lopes Mahado, S. Exc. o Sr.
conselheiro presidenle declarou aberta a sessao
Foi lida e depois approvada a acta da les-
saa precedente, com a declaracJo de que os Srs.
Sa Leitao e Pedro Cascao nao compareceram por
incommodados a ses.-io de 5.
EXPEDIENTS.
Olllcio do conservador do commereio de Maceio,
remettendo a'rebcao dos livros rubricados na-
quella conserVatoria e sellados na alfandega da-
quella cidade durante o mez de jaueiro ultimo.
Para o archivo.
Offlcio do presidente da relajao do Geara, com a
data de 3 do corrente, coramunicando que na-
quelle dia foi installada a mesma refaciio.-Intei
rado o tribunal, mandou quo se accusasse o rece-
bimento.
Ofucio do Sr. desembargador fi.-caL commnni-
cando entrar nesta data no gozo da licenga que
Ihe foi concedida pelo Exm. Sr. presidente da pro-
viocia. 0 tribunal inteirado, deliberou que se
prooedesse segun lo a praxe seguida nos ioipedi-
mentos do desembargador fiscal.
OIRcio do secretario do tribunal do commereio
da capital do imperio, remettendo a relajao dos
commerciantes matriculados naquelle tribunal
no mez de dezembro ultimo,Para o archivo
Offlcio do presidente e secretario da junta dos
corretores, remettendo o boletirn das cotacoes offl-
ciaes da semana de 3 a 7 do corrente.Remet'-
teu-se para o archivo.
Offlcb do deputado supplente Pedro Cascao,
com a data de 5 do corrente, communicando que
por molestia deixou de comparecer a tessao de 3,
motivo pelo qual deixa de comparecer a sessao de
5.0 tribunal flcou entendido.
Foram a rubrica os seguintes livros :
Diarie e copiador de Theodoro Christiansen, dito
de Costa Cunha 4 C, dito de Pinheiro e Chaves,
diario d Jose Victorino de Rezende & C, em li-
quidacao.
DBSPACHOS.
Reqaerimentos :
De Antonio Martins 4 C, trazando para regis-
trar-se a nomearao junta de sens caixeiros.
Corao pedem.
De D. Marcionilla Rita do Rego Correia, para
que se registre a nomeacao de sea caixeiro Luiz
Pereira dos Santos Lima, e se de baixa em a no-
meacao de Manoel Xavier de Barros Campello e
Joio Jose Gongalves Plexe. Na forma reque-
rila.
De Bernardino da Silva Costa Campos, pedindo
que se ihe entreguera sem os termos o seu livro
copiador, que havia siJo submettido a transferee
cia.-Diga a secretaria.
De Jose Lopes Alheiro e Manoel Jose de Araujo,
socios da firma Alheiro & Araujo, solicitando o
registro do seu contrato.Vista ao Sr. desembar-
gador fiscal.
De Adolpho Marques dos Santos e Antonio Ma-
chado dos Santos, apresentando a registro o seu
distralo social. \ista ao Sr. desembargador
fiscal.
De Jose Lopes Alheiro, Manoel do Nascimento
Cesar Burlamaque e Manoel Jose de Araujo, sub
mettendo a registro o distrato da firma Burlama-
que Araujo & C. Vista ao Sr. desembargador
fiscal.
De Tito Itocha A; C. e Jose Marcal, requerendo
que se registre o contrato junto, que celebraram.
- Cumpndo e disposto no art. 2 n. 7 do decreto
n. 4,505, voltem.
De Joao Pereira dos Santos Farcfa e D. Antonio
Casademont, para proceder-se ao registro do con-
trato social annexo. Vista ao Sr. desembargador
fiscal.
De Tito Rocha & C. e Francisco Fernabdes Ro
sas, sujeitando a registro o contrato social incluso.
-Satisfeita a exigencia do art. 2. n. 8 do decreto
n. 4,505, veltem os supplicantes, querendo.
Informacao da secretaria sobre a peticao de
Angelo Baptbta do Nascimento, que pretende ser
substituido na administracao do seu trapiche por
Mariano Pereira Cabral.-Deferido, de conformi-
dade com a informacao da secretaria.
Idem da mesma, apresentando o distrato de
Lima & Rcis para ordenarse asuaemenda.
Procede a 'nformacao da secretaria.
Idem da mesma, pan manSar-so regularisar
o contrato de Almeida Carvalho & CProcede a
informacao da secretaria.
COM 0 PARECER FISCAL.
Peticoes:
De Josd de Souza F>raz e Francisco Jose Fernan-
des Marcos, registro do seu distrato.Registre-se,
nos termos do decreto n. 4,394.
De Joaquim Coelho Netto e Jose de Souza Braz,
regi3tro do seu distrato. Seja registrado o dis-
trato junto, segundo o disposto no decreto n.
4,394
De Manoel Gomes de Freitas, eidadao portu-
guez, de 30 annos de idade, pedindo matricula de
coramerciante. -Como requer.
Nada mais havendo a lespachar, S. Exc. o Sr.
conselheiro presidente encerrou a sessao ao
meio dia.
. ptemtett* "li-tawnr -eomo osenneBcii a
Wi-Mar A>Nrt *.regdro vm*
aj-*prefnwda por dfversos lwmH9 Bespewa^Sls
*ic4dade, que foram eonsultaflcw fbi-e a bo-
ntttMo fara aqtielto lagar.
' H'WBem os provtneianos <|u se* homans
assim procederam por serom pundonorosos I Que
lol I -
NSo vdern, acaso, 03 provinciands que detur-
pando o move! da recusa por parte daquelles se-
nhores, Ihes fazera oma accusacao que todos elles
ropellem por sua dignldade I t
Na verdade a reensa do cargo de regedor >.do
gymnasio provincial, feita poralguns cavalheiros,
que estaudo no easo de occupal o, foram para isso
consnllados, foi originada nao do movel, a que a
attribue a Provincia, e sim das desvantagens que
a aquelles me-mos senhores traria a aceitacao do
cargo em qaeslao.
E' sabido que muitas pessoas, qae estao no caso
do occupar o cargo de regedor do gymnasio, de
nenhum modq se querem pre3tar a oxercelo, em
attencao, nos a natureza do encargo e outros a
inferiorijadfl de vantagens que vao aoforir relati-
vamente as que anferem de soas habituaes occu
pacoes.
Tal e e tern sido o molivo da recusa, podendo
ser ainda outros, mas nunca a obrigacao de pres-
tar contas, como afflrma a Provincia. Pelo con-,
trario essa obrigacio de prestar contas deve ser, e
e nao node deiicar de ser sempre bem recebida
pelos nomens honestos e eonscienciosos, que nao
tem em vista locupletar-se com dinheiros que nao
Ihes pert/encera.
Essa obrigacao de prestar contas, eslamos.eer-
tbs, fana arripiar carreira a alguem que no cafgo
de regedor procurasse fraudar os interesses do
estabelecimento, fazendo t'rapacas, mas nunca a
um homem pundonoroso e probo, que zelando a
sua reputacao, quer sempre ver conhecidos os seus
actos e rosguardaJa a sua reputacao dos assaltos
dos roubadores da bonra.
Cora a prestajao de contas serao evitados os en-
sejos, que sempre com gana estao a espreitar e
procuraros caluraniadores, que, infelizmente abun-
chrm.
A Provincia acha-se domihada pela idea fixa
de fazer'oppos^ao a todo o transe ao fttastre ad-
ministrador, que tao bem gere aotualmente os ne-
gocios pnblicos, e em sua exaltacSo reputa bons
todos os meios.
0 segundo capltulo de accusacao a respeito do
gymnasio consiste na accumulacao que so da na
pessoa do regedor do cargo de professor. E' a
isso que chama a Provincia em seu santo furor]
um escandalo Mas. como a primeira, 6 essa
accusapao em nada procedente.
De 'acto, alem de que nao ha consideraCAo al-
guma que jus tiff joe a incompatibilidadf Cntre
aquelles dous cargos, isto 6, o de regedor e o de
professor, succede que 6 esse um facto rodeado
de precedentes, que nunca sofferam o menor ata
quo de quem quer que seja. Enlre os preceden- j
tiWHbr*sobre o'rVo *) flaurfrb a^ d|* ao pu.
0. db Vasconcetios
''-ftMMM.
A. -P. de lAkfl^ '
3tere.no-
ALFANT3KOA,
^ndiawnto do dia 1 a 12 .
dn 'do dii 13 ....
429:471*324
35:7l3/5'i.'
465:184/865
Descarregam boje 14 de fevereiro de 18Z4.
Barca mgleza-* Witck of tha Teign mercadorias
. para alfandega.
uarca ingleza-Seraphinamercadorias para al-
. fandega.
Brigue lnglez Cheviot varios generos para o
trapiebe Conceicao, para despacbar.
Vapor nacional Cururipe varios generos na-
cionaes para o trapiche Travasso.
Brigue inglez Jane bacalhao ja deipachado para
o trapiche Conceigiio.
Barca ingleza Margnrelhe W/ffreicarvao ja des-
pachado para o caes do Apollo.
I in port ue So.
Brigoa ingltz Jane, entrado de Terra Nova em
12 do corrente e consignado a Johnston Pater 6i
C, naanifestou :
Bacalhao 3,407 barricas aos consignatarios.
Vapor; americano ilerrimack, entrado 4e New-
York em 13 do corrente e consignado a H. Forster
Carga de New-York.
Jornaes 2 volumes a De.Lailhacar it C.
Carga de S. Tbomaz.
Charutos 1 caixa a P. M. Maury.
Carga de Belera.
Clupuos da Chile 1 fardo a Ferreira & Matheus.
Mercadorias diversas 1 caixa a Beltrao & Filho.
Vapor nacional Coruripe, entrado na mesma da-
ta de Mamanguape e consignado a companhia
jpemambueana de navegacao costeirapor vapor,
manifestou :
Couros seccos 325.
Farinha de iwuflioca 15 saccoSe 7 barricas.
Milho 7 saccos. Miudezas 2 carxas a ordem.
Polaca grega Apistolo Paulo, entrada de Baenos-
Ayres em 12 do corrente e'consignada a Rabe
Schmetteau & C, manifestou :
Feno 410 fardos a Pereira Carneiro & C.
P.1ISTIUO CO.liSEaiADOR
RECIFE. 15 DE FEBEIRO DE 1874.
0 GYMNASIO PROVINCIAL EM ABANDOXO.
Til e a cpigraphc sobre a qual a Provincia de
hontem occupou-se desse estabelecimento de ins-
truccao provincial, so com o fun de mais uraa vez
atacar o illustrado adrinistrador da provincia, o
Exm. Sr. Dr. Henrique Pereira de Lucena.
Incin-aveis sao os proviiictanos na sua tarefa
de amegquinhar tudo o que 6 grande, de vitupe-
rar o que 6 digno de louvores e de tisnar as mais
bellas reputaroes de homem publico.
Inspirados pela paixaj partidaria, pelo odio Des-
soal, so podera chegar a um pessimo dm mal
dixer de todo que mes desagrada.
E e nisso que se revela bem caractensada a op-
posijao syslematica, que tomaram por habito fa-
zer a todos os governos^que nai sio constituidas
pelo3 seus, maxima ao do Exm. Sr. Dr. Lucena,
cujo grande crime 6 ter com a sna energia sal-
vadora sufTocado as aspirates agitadoras dessos
mesmos it^is, que felicitam a S. M. o Impera-
dor por tele-. **nmas e o desacatam quasi diaria-
3 oi!.^iinao
mente nas co^rnnas de seu jornal.
Mas digam os provincianos o seu carainho de
desacertos e de incoherencias, certos de que a es-
trada da verdade ha de achar muito quem a tri-
Ihe entre esses adversarios, que sao todos os dias
in'ultados e accommettidos com sanha.
Desfacamos as improcedentes e desarrazoadas
accusacSes, que, sob a capa de zelo pelo bem pu
blico, foram hontem dados a estampa pela Pro-
vincia.
DeixemoS de pane esses rasgos de ridiculo, que
com relacao a matricula de cavallos e outros pon-
tos tem sido por man de uma vez jogados e res-
pundidos.
Entremos em raateria, limitandonos a poacas
palavras.
Sao tres os pontos de accusacao, que fazem o
obiecto do artigo a que respondents, escripto com
referenda ao gymnasio.
0 primeiro ponto e expofto pela Provincia nos
seguintes termos :
a 0 Sr. Lucena, porem, pensand i d-i modo di-
verso, ao passo que exalta a raca cavallar, rebai
xa o gymnasio provincial, sujeitando o sen rege-
dor a prestar contas de tres em tres mezes na
thesouraria, de dinheiros que nao arrecada nom
conserva em. seu poder.
De facto, uraa semelhante accusacao e de uma
improcedencia, pode se dizer, intuitiva.
Ora, onde foram deseuhrir ns provincianos que
a obrigacSo de prestar contas i nposta ao regedor
do gymn nio prmincial imp.iti desconeiderar e3e
cargo t I Por que racimiui s, por que logica
chegarain a capacitar se .; joo aquella obiiga-
fio, d* lusiar a 'i 'i earn do rej^d ir nao seja
occupadi iHir i-id .d i a mais alta gerarc ia e
mais Bour xentimentos ?
feso e um verdadciro jeliri' ..
No ei.',:;.;r.: as provine in Ja ju-!!.. nxfer-
tes de que fallamos, basta referir o do padre Joa-
quim Raphael, que accummulou no gymnasio pro-
vincial o cargo de regedor effectivo e o de pro-
lessor de latini.
Accrcsce ao que fica dito que em alguns regu-
lamentds de bem or^anisados estabeleciraeatos de
instruccao, encontrase expressa disposicao, deter-
minando que o respeitivo director (ou cousa quo
o Valha) possa exercer conjunclaraente o cargo de
professor, uma vez que tenha para isso as precisas
habilitaeoe3.
Nao limitou-se a Provincia a censurar a accu-
mula?ao dos dous cargos na pessoa do actual re-
gedor ; foi mais adianle, dizendo que essa accu-
mulacao se da com prejuizo do servico publico e
da educacao da mocidade.
Aquelle, a quem por esse modo tio injustamen-
te se offende, sem produzir uma so prova sequer,
sabera dai aos seus aggressores a merecida res-
posta. No entretanto "desde ja por nossa parte
prott-stamos contra uraa semelhante injustica pra-
licada contra um empregado intelligente e dili-
gente, que n:io devia ser suspeito aos accusa-
dores.
Um* accusacao grave nunca 6 feita por quem
sabc avaliar o que 6 a honra e a reputacao, sem
qae seja demonstrada por meio de provas. Outra
norma de proceder so 6 propria de espiritos leves
e inconsiderados.
0 terceiro e ultimo ponto do libello accusatorio
provmciano, a que offerecemos contranedade,
versa sobre a longa interinidade do cargo de
regedor, com que ja vai o gymnasio provincial,
fmproeedencia ainda na accusacao.
0 Exm. Sr. Dr. Lucena que tao sobejas pro-
vas tem dado de seus desejos de engrandeci-
mento para.esta terra, sob todos os pontos de vista,
que tantu se tem esfcrjilo para faze-la progredir,
o que vai conseguindo, de nenhum modo pode ser
cen=urado por nao ter dado ainda um regedor ef
fectivo ao gymnasio provincial.
Cerumente cabivel seria a censura, se o provi
dente administrador por negligencia ou falta de ini-
ciativa livesse al6 hoje deixado de prover effect i-
vamente aquelle lngar; mas uma vez que isso
nao se da, improcedente e a censura.
Fiquem os provincianos ssbendo, se e que ja nao
sabera perfeitamente, que ao Exm. Sr. Dr Lucena
tem sobraiu desejo* de dar regedor effectivo ao
mais ijiportante estabelecimento de instruccao
provincial, e que nSo fez ainda pela impossibilida-
de de enconUar pessoa idmea disposta a aceitar
a nomeacao effectiva.
Tem feito S. Exc. tod is as diligeacias ao seu al-
cance para que de ha muito tivesse cessado a in-
terinidade, que lie e hoje acremente censurada ;
mas tudo de balde.
Jaconsultcu a differentes pessoas no caso de oc-
cupar o cargo do regedor e detodas ella3 tcve res-
posta negativa. Ahi estao entre essas pessoas os
Srs. Dr. Collaco, Dr. Silvino Cavalcante, Dr. Antonio
Herculano de Suiiza Bandeira, etc.
Depois disso ja dihgenciou contratar na Europa
(Allemanha) um homem com as devidas habili-
tacoes-.para fazel-o occupar no caracter deeffeclivi-
da'de s lugar de regedor; mas essa tcntativa mal -
logron-se em vista da3 onerosissimas condiQSes,
que foram propostas por parte dos babilitados.
Esbarran lo-se com o ad tmpossibilia nemo te-
netur, o Exm. Sr. Dr. Lucena ve-sc forcado aeon-
servar no gymnasio um regedor interino, que s6
em att ncao a administracao se {acha prestando
com sacrificio os seus servicos ao estabelecimento,
e que muito seria para desejar os quizesse prestar
na qualidade de effectivo.
Indiquem os provincianos uma pessoa com os
precisos requisites para exercer o cargo de rege-
dor e que esteja disposta a aceitar a nomeacao,
seja qual. for a Mtt'cor politica, que wraoopra-
zer de ver n.tf'i interinidade do cargo de re-
gedor, com quHanto tem soffrido o seu /.cto pelo
bem publico. Damos-lhes nossa palavra.
Aprenda pois, a Provincia a manter se na altu-
ra da opposicao digna de um partido sdrio, de pre-
ferencia a declamar e a fallar de oitiva sobre os ac-
tos da adrainistracto, com o fim dc dar expansSo
a odios inconfessaveis.
ESPACHOS DE EXPOKTXCAO NO DIA 12 DE
FEVEREIRO DE 1874.
Para os portos do exterior.
No vapor inglez Laland, para Liverpool, car-
regou : P. Brothers & C. 2,000 saccos com 150,080
kilo8.de asmcar mascavado.
Na sum;ica hespanholi Paula, para Barcel-
ona, carregou : Amorim Irmaos & C. 105 couros
espiehados com 735 kilos, 12 taboas de louro, e
60 saccas com 4,454 ditos de aigodao.
No navio francez S. Ijyuis, para o Havre,
carregou: Keller & C. 144 saccas com
kilus de aigodao.
- No brigue portuguez Cedral, para Lisboa,
carregou: S. Guunaraes & C. 143 saccos com
5,000 kilos de goraraa.
Enxacal.do qitunnq pepwnisla.
i bonet.
1 fardeta de pinno verdd e3cnro com distincti
vos do instituto. r -
1 iaqueta de pannO.
6 jaquetoes de brim pardo liso.-
1 calca de casemira preta.
6 calcas de brim pardo H30.
2 ditas para o recreio.
4 coCetes brancos
2 i~'valM pretas de seda.
2 ditai'de' 'iwlquer panno pajra u ordinano.
12 camisas.
12 pares de meia?.
12 lencos de linho para mad.
6 ceroulas de hambuigo,
6 fronhas de lito.
2 cobertas de creton.
1 cobertor do la.
6 toalhas de rosto.
6 guardanapos.
2 pares de rorzeguins de bezerro.
1 chinella de cour*.
1 escova de sapato.
1 dita de dente.
1 dita de fato.
1 tesoura de unhas.
1 pente de alisar.
1 pente para tirar piolios.
1 travesseiro.
1 meia commoda de amarello.
2 cinturoes do couro.
OBSERVACAO.
1* Os interessados deverao ver'no estabeleci-
mento o modollo do bonet, da fardeta, dos distinc-
tivos e da commoda, como bem a c6r do panno
para haver oniformidade.
2* Cada afumno deve ter correspondente na ca-
pital para com promptidao satisfazer as pensdes e
outra qualquer despeza de que tiver elle neces-
sidade.
3* A pensio seri paga por trimestre adiantado.
0 alumno que no primeiro dia do trimestre nao
a liver paga, sera logo remettido a seu pai, tutor
ou correspondente.
4* 0 estabelecimento alem da instruccao, forne
ce ao alumno interno alimentos, medico, botica.
lavagem eengommagem de roupa, papel, penna e
tinta
5* Os objectos do enxoval sao propriedades do
alomno, e os retirara quando sahir, no estado era
que estiverem. As pecas deterioradas ou consu
midas pelo uso serao substituidas pelo alumno por
oulras, logo que for rcclamado pela regedoria.
PENSOES.
Pensionista100*0'0 por quartel.
Meio pensinnista60*000 idem.
Externo -18*000 idem.
Aula de musica12*000 idem.
Costeio de cama -10*000 por uma so vez na
primeira inscripcao, sendo o estabelecimento obri-
gado a fornece la durante todo o tempo em bue
estiver o alumno no estabelecia onto.
0 secretario.
Celso Tertnliano Fernandes Quintella.
aa ?ala de suas .sassoes, no dia 12 (to feMjrrfr
pelas 3 horaa da tarde, tem de ser arremaudas
quem ikiais vantagens offerecer, pelo tempo de am
a tres annos, as rendas dos predios em seguida
leolarado^
ESTABBLECIVKNTUS DE CARIDADE
Trave.sa t!'' >. Jose.
Casatcrrean. 11.......JOiJOOft
Jem n. 5..........202*000
PATRIMONIO IWS ORPHAOS.
Rua da SenraUt velha.
Casa terrea n. 16. .
B'ecco da3 Boias.
sobrado n. 18......
Knau.!:r0'
y>brado 14 (fccliado) ....
Ruo do Pil. i
Casa lerree n. J100......
Idem n. ro2........14M60"
Rua Velha.
Casa terea u. 44(fechada( .... 450j>0o)
Rua de s,m, Rita.
Armazem n. 34(fechado) ... 362*000
Os pretendenUts deverao apreMniar no acto (U
irrematncao as suas flancas, uu aimparecown*
icompaniijid.-s dos respectivos liadores, devend
pagar alem da renda, o premio da quantia em
que forseguro-o predio qu emtiver stabeteci
aton'rrcommerHal, asim comA o scrvi.-.. da Bm
p"za e prccos dos apjaretbos
Secretaria da&acia .- --, da inMfjcfirdia do IW-
:ife, 3 de fevereiro de 1874.
0 eacrivao
Pedro Riidrigues de Sdmsm,
iOMOOO
421*^i
i.00O#97
ni*ftn
9
0 lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
. ciai manda fazer publico que em enmprimento da
10,706 jrdem do Exm. Sr. presidente da provincia. de 7
de Janeiro corrente, perante a junta desta thesou-
raria se ha de arrematar no dia 23 de abril pro-
ximo vindouro, a obra da ponte denorainada Pao
Sangue sobre o rio Serinhaem. orcada em 9:570*,
Na barca portugueza Nova Sympathia, para pagos em apolices da divida provincial a juro de
o Porto, carregou: B. Oliveira &G 374 couros
salgados com 6,888 kilos.
Para os portos do interior.
Para o Para, na barca portugueza Linda,
carregou : P. M. Maury 130 barrica3 com 9,012
1(2 kilos de assucar branco ; P. Vianna & C. 5
pipas com 2,400 litros de aguardeute ; J. G. de
Bastos 20 ditas com 9,600 ditos de dita.
Para Granja, no vapor brasileiro Pirapama,
carregou : J. G. do Bastos 5 barricas com 300
kilos de assucar refinado e 10 ditas com 773 l|2
ditos de dito branco : para o Acaracii, Carpintei-
ro Filho & Scbrinho 38 ditas. com 2,541 ditos de
dito : para Granja, F A. da Costa 1 dita com 119
If2 ditos de dito : para o Ceara, J. F. dos Santos
Bastos 10 ditis com 606 ditos de dito refinado ;
J. J. da Rosa 20 ditas com 1,381 ditos de dito bran-
co ; Costa & C. 70 ditas com 4,5-U ditos de dito
refinado e 35 ditas com 2,623 ditos de dito branco.
Para o Aracaty, no hiate nacional Graciosi,
carregou: A. Quintal &C.-7 barricas com 661
kilos de assucar relinado.
Para o Natal, na barcaca Ftor do Jardim,
Carregou : A. Quintal & C. 6 barricas com 360
kilos de assucar refinado.
. Para o Natal, na barcaca Riachuel". carre-
gou : A. Quintal & C. 6 barricas com 4& *iios de
assucar branco : para Mossoro, F. P. da Costa 40
barris com 5,400 litros de mel.
Para Mossoro, no hiate nacional A. dos An-
jos, carregou : L. i. da Costa Amorim 4 C 1
barril com 96 litros de aguardeute e 11 barricas
com 1,150 kilos de assucar branco.
CAPATA2A DA ALFA N KG A
Rdiidimento do rtta 1
idea do dia 13
12.
7:957*852
402i752
8:360*604
No dial a 12
VOLUMES SAHIDOS
No dia 13
'nraeira porta .
?egunda porta .
"orceira porta .
juarta porta .
lapiche Conceicao
SERVICO MARITIMO
vi\arengas descarregadas no trapich*
alfandega d) dia i a 12 .
No dia 13
\'a\ios atracados no trap, da allanduga
Alvareugas ........
No trapiche Conceicdo .....
16,329
97
443
147
195
17 411
30
n
R3CEBEDORIA DE RENDAS iNTi RNAS GE-
RAES DE PERNAMBU'-Y
'.endimento do dia 1 a 12. 21:021*508
eni aouia 13 ...... 1:307*636
22:329*144
7 por cento ao par.
As pessoas que so propozerem a esta arreraata-
Cio coraparecani na sala das sessoes da mesma
thesouraria no dia indicado aciina, pelo meio dia,
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou pnblicar o presente
elo Diario de Pernambuco.
Secretaria da tltfssouraria provincial, 20 de Ja-
neiro de 1874.
Victoriano Josi M. Palhares,
Official maior interino.
Clausulas esneciacs para a arremalacao da poute
denominada Pao Sangue sobre o rio Seri-
nhaem.
1." A ponte denominada Pao Sangue sera exe-
cutada de conformidade com o orcaraento e plan-
la approvados pelo Exm. Sr. presiiente da pro-
vincia, no valor de 9:570*.
2N' 0 arrematante dara pnncipio a obra no pra-
zo de um mez e a concluira no de 12 mezes.
3." 0 pagamento.sera effectuado em 3 presta
coes iguaes a proporcao da tabella executada.
4.* Para tucU >mais que nao se achar especili-
cado sera reguladojiclo que dispoe o regulamenlo
de 31 dejulHO de 1866 0 engenheiro chefe, Jo-
s6Tiburcio Pereira de Magalhaes.
Victoriano Jose M. Palhares.
Do ordem do illra. Sr. inspector da thesou-
raria de fazsnda, se faz pnblico, qae em virtude
de autorisacao da presidencia desta provincia.
tem de ir a praca no dia.J8 do mez de fevereiro
proximo vindouro.- perante a junta da mesma
thesouraria, para serem arrematados por quem
maior hnco offerecer, dez cavallos pertencentes
a companhia de cavallaria; sao por tanto convi
dados os interessados a comparecerem na mesma
thesouraria as duas horas da tarde do indicado
dia.
Os cavallos estarao no dia da arrematacao na
area do edilieio em que funcciona esta reparticao,
e desde ja podera ser vistos no respectivo quartel.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
narahuco, 29 de Janeiro de 1874.
0 2.' escripturario, servindo de secretario,
____________Carlos Jo5o de Souza Correa
De ordem do lllm. Sr. Inspector da t :esouraria
dc fazenJa, se declara que perante a junta da
raesraa thesouraria tem de ir em hasta publica
para serem arrematados, por quem menos offere-
cer os concertos do caes da rua da Aurora, na
estensao de 27,3 in., orcados em 4:621*829 rs.
Os interessados sao convidado3 a comparecerem
as 12 horas de dia 25 do corrente, com suas pro-
postas em cartas fechadas devidamente selladas,
podendo desde ja exarainarera o orcamento que
se acha na secretaria desta thesouria.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per
nambuco, 5 de fevereiro de 1874.
0 2. escripturario, servindo de secretario,
Carlos Joao de Souza Correa.
CONSULADO PROVINGlAi
lendimento do dia I a 12. .
Idem do dia 13.....
68:614*737
3:165*209
71:779*946
*U!
IS
O SCIW3 COIUIUUIM
nos adverte e ensina que quango o craneo proJuz
s6mente cabellos ralos e imperfeitos, requer e exi-
ge uma applicacao que vigore e nao relaxe. Este
requisito acha-se admiravelmente reunido no to-
nico oriental, cujos ingredientes sio por condirao
e natureza forlalecenles e vigorantes, e como todos
elles sao escrupulosamente escolhidos do reino ve-
getal, nao podem, como essas preparacoes compos-
as de mineraes, fazer damno algum a construccao
do cabello, nem tao pouco a saude.nera envenenar
a cutis. Muitas deltas ba que pretendem possuir
certas propriedades obscureceotes, e sao preiudi-
ciaes a saiide, e mui frequentemente o resoltado
do seu uso torna-se bastante perigoso e ate fatal.
H
PRAgA DO RECIFE 13 DE FEVEREIRO
DE 1874.
AS 3 1/2 HOBAS DA TARDE.
<>t*ic3es oGBoiaes.
Algodao-de Mossoro 8*000 por 15 kilos', hontem.
Aigodao da Parahyba t sorte 8*200 por 15
kilos postoa bordo a frete de 3(4 e S OiO,
iMiontem.
Algodio de MaoekJ sorte 8*800 pot 45 kilos
posto a bordo a frete de 7i8 e 3 OiO,
hontem.
Aigodaode Maeeio mediano 8*J00 por 15 kilos
posto a bordo a frete die 7i8 e 5 OiO,
hontem. '
Aigodao-do Rio Grande do Norte' 8*000 por 18
kiles posto a bordo a frete de 34 e 5 OrO,
htnte>'i.
Assucar- Canal U300 por 15 kilos,hontem.
CauibiO sor.,-,. ignores a 90 dtV. 25 718 e 26
. d. r>"r mm, hontem.
Oambio -* s mio. h 'ntem.
Navios enlrados no dia 13.
New-York por S. Thomaz e Para22 dias, sendo
do ultimo porto 6, vapor americano Merrimack.
de 2,000 toneladas, coraraandante W. Wier,
equipagem 87, carga differentes generos ; a Hen-
ry Forster & C.
Rio de Janeiro e Bahia 6 dias, vapor francez
Donnai, de 1,624 toneladas, commandante Bu-
tler, equipagem 105, carga varios generos; a
Haresmendy & Labiile.
Mamanguape-12 horas, vapor nacional Coruripe,
de 222 toneladas, commandante Antonio Dias
dos Santos, equipagem 16, carga varios generos;
a companhia pernambucana.
Buenoi-Ayres 44 dias, escuna allema Ernet, de
96 toneladas, capltao Fock, equipagem 5, em
lastro; a Amorim Irraao 4 C.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio da Praia Brigue hollandez Ceres, capitao II.
W. Donker, carga assucar e outros generos.
Liverpool Barca ingleza Mennie Oray, capitao
Alexander M. Anloy, carga assucar.
Portos do sul-Vapor americano Merrintack, com-
mjandjante W. wier, carga parte da que trouxe
dos portos do norte.
Bordeaux e portos intormedjos Vapor francei
Donnai, commandante Butler, carga a mesma
.quo trouxe dos portos do sul.
EBfTAES.
Secretaria do gynnaiio provincial de Peroabu
co, .5 de fevereir* de 18J4.
Por esta secretaria, e de ordem do lllm. Sr. Dr.
regedor interino, se declara aos pai?, tutorea e '
eorrespoudentes dps alumnos internos, qua nio
podem estos traier para o instituto ootro enxoval
senao o que e eslabelecido pelo rgularnenw m
vigor, podendo a relacao do dito exoval-s*r nes-
ta secretaria procurada por quem della iirecisar.
De ordem do Htm. Sr. inspector desta the-
3ouraria se faz publico que pcrauto a junta de
fazenda, tem de ir a praca no dia 18 do mez de
fevereiro vindouro a faclura dos concertos do caes
do Forte do Mattos, avaliados em 15:328*705;
pelo que sao convidados os qne se propozerem a
fazer os ditos concertos a comparecerem as 12
horas da manna do indi*ado dii com suas propos-
tas em cartas fechadas e competentemente selladas,
declarando o ultimo preco por que se onerecem
faze-los ; podendo desde ja examinaro respectivo
orcamento, que se acha patente nesta secretaria.
Secretaria da thesouraiia dc fazenda de
Pernambuco, 23 de Janeiro de 1874.
0 2 escripturario, servindo de secretario
_____________Carlos J. de Sooza Correia.
A camara municipal desta cidade manda
publicar os artigos de posturas, abaixo trans-
criptos :
Art. 70.Fica prohibido ne3te municipio o brin-
qaedo de entrudo com agua ou qualquer outra
substancia, de qualquer maneira que se e rap ro-
gue _os infractores pagario a multa de 15* e
seffrerao oito dias de prisao.
Art. 71.Fica prohibida a venda de limas de
cheiro : os infractores alem de as perderem, pa-
garao 4* de multa.
Paco da camara municipal do Recife, 17 de
Janeiro de 1874.
Manoel J. do Rego e Albuquerque
Presidente.
Pedro de Albuquerque Autran
___________________Secretario.___________
Seccio 2.' Secretaria da presidencia de
Pernambuco, em 13 de fevereiro de 1874.
EDITAL.
Por esta secretaria se faz publico, que por por-
taria de 22 de novembro do anno proximo passa-
do foi nomeado Porfiro Alves da Silva para pro-
visoriamente exercer a serventia dos otllcios de
tabelliao e escrivao de orphaos e mais annexos do
termo de Ipojuca.
0 secretario
Joae Diniz Ribeiro da Cunha.
Banco Commercial k
Pernambuco.
0 banco paga o spgundo (liviJendo na
razao do 8 / ao anno ou -2-^*00 por acr^o,
relativo ao seinestre findo em 31 de dezem-
bro de 1873.
Santu Casn ila .11 Pericardia Am
Hccifc.
A junta adminislratiza da Santa Ca-a da Miv
ricordia do Recife, precisando fazer os concertos
de que necessita o predio que possue o patrimo-
nio dos orphaos, a rua da Cruz, hoje do Bom Je-
sus n. 12, cuntrata com quem se pmponha a rea
lisar diios concertos, mediante certa renda e al
guns annos de prazo para desfruclar ; devendo
os que disso se quizercm encarregar, apre^entar
suas propostas cm cartas fechadas, devidamente
selladas, acompanhadas do respectivo orcaaMoto
nesta secretaria ate o dia 19 d; fevereiro vin-
douro.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia d*
Recife, 17 de Janeiro de 1874.
0 escrivao,
______________Pedro Rmlrigues de Soon.
Armazens da companhia per -
nambucana.
ftegtirow coutra o foco
A companhia pernambucana, disponoo de ex-
cellentes e vastos armazens em seu predio ao for
te do Mattos, offerece-os ao commereio em geral
para deposito de generis, garantindo a maior con-
servacao das mere idorias depo>itadas, serviC'
prompto, precis modicus, etc.
Tambem recolhera, mediante prcvio accordo,ex-
clusivamente os generos de uma so pessoa.
Estes armarens, ileiu de arejados e commodos.
sao inteiranitnte novus e aspbaltados, isentos d-
cupim, rates, etc., etc.
As pessoas que quizerem ulilisar-se destes ar-
mazens, pederao dirigir-se ao escriptono da com-
panhia pernambucana, que acharao com quern
tratar.
Sjiila Casa tit IVlisericoniia do
Hecife.
A Illma. junta admini.-trativa desta Saala Casa.
autorisada pela Santa Cisa da Misericordia da
Bahia, leva a praia de venda, peraM* si, u dia
12 do corrente, pelas 3 horas a. tarde, os ire-
predios silos a rua do Coronel Sua-snua. oatr'ar i
de Hortas, n. 34, pela quantia de 2:80 ; b. 11'
pela quantia de 3.000 ; e n. 118 pela de 3:200*.
Para qualquer informacao. podem os pre', n-
dentes dirigir-sea esta reparticc->.
Secretaria da Santa Casa da Mi.-cricordia d
Recife, 4 de fevereiro de 1874.
0 aacrivia
Pedro Rodrigurs d.' Souza.
Segunda-feira 16 do corrente, depuis da au-
diencia do Exm. Sr. de-embargador juiz de direit
dos orphaos, tem de ser arreraatada em hasta pu-
blic;i a venda triennal da casa terrea sita a rua d i
Moeda. froguezii de S. Fiei Pedru GonealH a
45, servindo de base pan t arrenv.la.no a quan-
tia de 600*, por quanta ja esteve arrendada an-
nualraente, cuja casa e peitenceiite aos menorer
filho* legitimosdc !?{ Joaquim Pires oares.
= Pela alministrai;a" dos eorrekw de-ta pro-
vincia se faz publico que o concurso para dou-
iugares de praticanles da mesma i itmini lir^qfa
tera lusiar no dia 16 do corrente, as 11 fcoras da
manha, na repartici) do correio.
Os candidatos podem inacrevcr-se para o co-
curso ale as 10 horas d* manhi daquelle dia.
Correio de Pernambuco, 12 de fevereiro de
1874.
0 aJmiuistralor
Affcnso do Re:) Barros.
Administr ".a i dos correi"s de
Pernambuco, 14 tie f ^cr iro
de 874.
Malas pelos vapores Mandaku a Pirapama da
companhia pernambucana
A corresp.?ndencia que tem dc ser expedi.l.t
hoje (14) pelos vapores aciraa raenci oiados par*
os port >s do sul ate o Arai aid, e para os do norf
ate a Granja, sera reeebida pela maneira
guinte :
Magos de jornaes, imprcssos de qualquer natu
reza, e cartas a registrar, ate 2 horas, -art*.- or-
dinarias ate 3 horas, e esjas ate 3 1]2, bagan-
do porte dupio.
0 administrador
Alfonso do Rego Karros.
T181T1I
SANTO ANTONIO.
OECURACOES.
~ Pela r8cebedoria de rendas internas geraes
se faz publico que 6 no corrente mez de fevereiro
que deve ser paga, livro de multa, a taxa dos os-
cravos, relativa ao exercicio de 1873 a 1874; de-
pois do.que se-lo-ha corn a multa de 6 0|0.
Reeebedoria de Pernambuco, S de fevereiro de
1874,
0 administrador
Manoel Carneiro fle SouzaLacrda
Sa^TA CASA i)A MISERICOUDIA
RFXIFE.
A Mau. junta administrativa da santa
Misericordia do Recife, manda (Mer puW .. i
Feslejoscdmnalescos!
PIBi'FS IAEB



Diarfo de Pemambuoo Sabbado 14 de Fevewiro de 1874'
Sabbado 14
Domingo 15.
Segunda-feira 16.
Ter^a-feira 17.
A orchestra compost* de exee__en-
tes professores, e (lithil maestro
Theotonio Jose de Souza
xecutara grandes novidades no genero caroava-
tesco.
Otheatro acha-se aecontcnente ornado jar-
dim esplendidamente illuminado.
Os earoarotes sao garantidos para as famfUas.
Oregularoento policial sera rigorosaraeme ob;
Aervado.
Precos.
Camarotes cam entradas
Ottos com 5 entradas
Kntrada geral
121000
184000
24000
llamas mascaraiias gratis.
Prineipiarao os bailee as 9 horas e flndario a*
lioras do costume.
IHEaTRO
NA
ENCRUZILHADA.
Noje
Drama pastoril
Orracao no mar.
Principiara as 9 i\t.
i depois do espectaculo para o Havera
cite.
AMANHA ,
lilTllA REPRESENTACiG
DO
Drama pastoril.
Beneficio da
Finatisara com tres scenas comicas-
A beneficiado espera a proteccao dos sens apo-
logistas e de todos .que sabem apreciar as belle-
zas do drama e desde ja agradece.
Principiara as 9 1|2 horas
Havera trem depois do espectaculo.
Santo Antonio
Grande conipauhiii dramalica.
Pessoal de 25 artietas.
( DAMAS e 17 HOMENS )
ESTRE.4
no sabbado 26 do corrente, com o importante dra-
ma original francez:
UM NAIEFRAGIO
COST VS U 6RET4NH4
A empreza conta com um pessoal hobilitado,
inclusive o primeiro eentro dramalico Thomaz
Espiuca, que a convite do emprezario fara par-
te da companhia.
Os drau.as que Itao de ser representados ne-ta
nova epoca theatral, serao de reconbecido merito
e nomeada.
O emprezario conta que justiea Ihe sera feita
pelo illustrado publico desta capita! a quem deve
o melhor acolhimeuto.
AVISOS MARITMMS.
Rio de Janeiro.
Pxeteode seguir com brevidade o brigue nacio-
nal Isabel, por ter dous tercos da carga engajada.
Para o retto que lhe falta e escravos a frete,
trata-se com o seu coosigoatario Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo. ruado Bom Jesus n. 57.
facifte Steam toigalfen teipanj
JUiuha quinzeual
0 PAQUETE
JOHN ELDER
Espera-se da Europa, ate 22 do corrente, e
depois da demora do costume, seguira para o
^uf do imperio, Rio da Praia e costasdo Pacifico,
para onde racebera passageiros, eneommendas
e caga a freie.
Linha quinzenal
0 PAQL'ETE
Par telegramma do Rio de Janeiro alii espe-
rado o vapor 4esia companhia, o qual devera es-
tar neste porto ate o dia 20 do eoreente, o qual de-
pots da demora do costume, seguira para Li-
verpool, via S. Vicente e Lisboa, para ante recebe-
ra passageiros, encommendas e carga a frete.
OS AGENTES
Wilson Rowe A C.
14RUA DO C0MMERC10li
PARA'
0
E' esperado do-Dio de Janeiro por estes dias'
e sepue com pouaa demora para o Para, tendo ja
pane da carga eagajada : trata-se cam Tassotlr-
maos & C._________________________________
CompanfeSa Allianqa Maii-
tima Portuense.
A galera portegueza Sandade, seguira em ;pau-
cos dias para o Porto, com psi-ala por Listen.
Ja tern contratada grnde parte da carga.; e
para o resto. trata so cum os coti.signatarios e
agentes da etxnpanhia,
Josiila Silva L- ya & Filho,
em seu escriptorio a rua da Companhia Peiuam-
bucana._______________________________
COMPATiHIA PERNAMRLCANA
BE
.\ave5eao oostelra a vapor.
-RAHYBA,NATAL, MACAO, MOSSORO', ARACX-
TT, CRARi, MANDAHU ACARACU* E CJUtUA.
0 vapor Pircpama,
commandante Silva,
seguira para os por-
tos acima no dia 14
do corrente, is 5
boras da tarde.
Becebe caeca ate odia 12 do corrente,encom-
mendas ate o dia 23, passageiros e dinheiro a fre-
te ate as 2 horas da tarde do dia da sahida :
sscriptorio no Forte no Hattos n. 12.
COMPAflMA PERNAMBUCANA
DE
iHavegaeSo casielra a vapor.
RIO FOKMOSO E TAMANDARE.
0 vapor Parakyba, com-
mandante Pedro, segui-
ra para os portos acima
no dia 15 do corrente.
as 9 horas da noite.
Recebe carga, encom
aheiro
o. 12.
mendas, passageiros* di-
a frete : escriptorio no Forte do Matto.-
PARA
PORTO
Seguira em poucos dias a barca portugueza
Nova Sympathia por ja estar com a maior parte
de seu carregamento engajado, e para o resto que
lhe falta, asim como para passageiros, aos quaes
offerees o navio os melhores comraodos, trata-se
com Balthar Oliveira & 0, a rua do Vjgario n. 1,
1* andar.
Bahia.
Pretende seguir com brevidade para o referido
porto o patacho inglez Cheviot, por ter parte de
sua carga, e para a consignatarios Henry Forster A C a rua do Com-
mercio n. 8.
Rio Grande do 8ul
Para o referido porto pretende.seguir com mut-
ta brevidade a barca portugueza Arminda, por
ter a maior parte de seu carregamento tratado, e
para o resto que lhe falta, trata-se com os consig-
natarios Joaquim Jose- Gncalves Belirao & Filho,
a rua do Commercio n. 5.
Para Lisboa.
0 "lucre portuguez Cidral, capitao Joaquim
Adriao da Silva, vai sahir com brevidade : para
earga e passageiros, trata-se com Silva Guimaraes
& G.,ij)raca do ( orpo Santo n 6, 2. andar, ou
com o capitao.
LEILOES
Agente Dias.
DE
sabao.,\inbo e latas com saiame
SEliUNDA-FQRA 16 DO CORRENTE
as I horas da manha
,No armazem do Sr. Annes, defronte da al-
bodega'.
O agente Dias ievara a leilao, por conta e risco
de quem pertencer, 200 caixas com sabao, 10 bar-
ris com viaho e .280 latas com salame (mortadella),
ao correr do martello.
Leilao
DE
bens pertencentes ao espllio de Manoel Francisco
de Souza.
TERCA-FF.IRA i7 DO CORRENTE
* As 10 horas da manha
Ao armazem4a rua do lmperadorn. 18.
Por intervencao do agente Dias, que a requeri-
mento do Dr. curador geral de ausenles e por
despacho do Exm. desembargador juizde orphaos,
Ievara a leilao o seguinte :
Umrelogiodeprata, 2 anoeis de ouro, sendo
& sem pedra, 1 cadeia lina d ouro, 1 alfinete pe-
qaeno com cabello, 4 peqiienos botoes de ouro
para camisa, 2 ditos de prata pequenos para pu
iili", 1 tranra de cabello encastoada, 1 cama de
lona, 1 pequena mesa, 1 cadeira e 1 babu com
alguma roupa de uso.
Agente Dias
!ILA0
DA
louca, arajaiSo, 1 eofre de ferro, candieiros a gaz
e mais pertenras existente3 no eslabelecim'ento
sito a rua do 'Marquez de Olinda n. 25
Tcr^a^feira 19 do corrente
A's 11 horas ca manfaa
0 agente Diae, cornpelentementj autorisado por
despacho do Exm. Sr. desembargador juiz de or-
phaos, Ievara a leilao no dia e hora acima desig-
nado, lonca e mais artigos existentes no mesmo
estabelocjmento, pertencentes aos bens do faliecido
Manoel Antonio Vieira.
Aos senbores pretendentes garante-se a casa por
arrendamento e podem. desde ja cxaminar o ba-
knteo e a respecliva avaliaeao, que achase em
p.nl.tr do mesmo age_te, a rua do Marquez de
Olinda n. 37, 1 andar.
LEILAO
COliPAMHA MUM
LIIITADA
Hacoio, Pcnedo, Arucaji'i
e Bahia.
E' esperado dos portos do snl ale o dia 23 do
correnle um dos vapore* desta companhia, o qnal
sabira para os portos acima no dia seguinte ao
da ana cbegada.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete.
AGENTE
Antonio I.uiz de Oliveira Azevedo
S7Ruado Bom Jesus-57
DO
resto das divjdas da massa fallida de Amorim,
Frageso, Santos & C, na imporjan^ia de......
341:008*730
A SABER:
Antonio Vicente do Nascimento Fei-
tosa 2:000,5000
Antonio Alves Ferreira l;O00/000
Aaionio Francisco de Souza Maga-
Ihaes Junior 1:000*000
Francisco deTaula Andrade 1:000*000
Frederico Miguel de Souza 6:000*000
Jorge Nrsion 3:000*000
Isabel Maria da Costa 1:000*000
Jose Alexandre Gubiam Verdum 4.000*000
Jose .de Barros Lima 1.000*000
Jose de A.imoes do Amaral 1:500*000
Joao Pedro Adonr di C 5:000*000
Jamas Oliver 1:500*000
Joaquim Francisco de Mello Santos 2:000*000
Jose Joaquim Jorge, 2:500*000
I.uiz Jose Marques 2:000*000
Manoel Buarqua de Macecfc J-lma 3:000*000
Manoel A. dos Passos Oliveira 2:000*000
Manoel Goncalves de Oliveira 2:000*000
Seve, Filhos 4 5:000*000
I Tito-Avelino de Barros |:000*000
^ifltorino Jose At Sonta Travasso 5:000*000
Joao Baptista Fragose 7:00O|O00
Jose A. do Azevedo Santos o-.000*000
Francisco _e Barros Rogo 4:247*201
Francisco de Paula Pereira _:0i0*000
Manoel Gouvea de Souza S:m*5_0
Octaviano de Soaza Franca '3:161*240
Siqueira & Pereira 3412*000
Antonio Joaquim Panasco 119*400
Francisco JoseF. Gilirana l?IOO*000
Antonio Joaquim Maduro Brandae 770*130
Antonio Francico de Mendonca 281*542
Pedro Paulo dos Santos '2:845*920
Manoel Luiz Wanderky 739i(KX>
Manoel Pereirada Costa. 14.1*580
Joao Paulo da *Wa__j_ 2i9**l
Joaquim Jose Med^^H ji'OiOOO
Joso Benin ("nmcalvA Cametro -'iMifli'.'R
Pedro Jose dx Co-la Caslello Branu; 4041000
Manoel FirmKw da Silva. I:300*0(M)
Ednard H. Wyat 2:n24i980
Machadu A Suiiza 1:U9*4IH
Franciseu Moreiia Dias 1:I7";0()i
Joaqnim do Mbuagerque Mello 1:000*000
Rego 4 C. e Irmao 250*000
Francisco deBarros Rego 5:410*120
Joao Jose de Medeiros Cunha.&'C 1:134*208
Joaquim Jose de Mello Jinior 897*350
0 mesmo 1 069*170
Joaquim de Alboquer fue Mello 300*000
James Olivier 18:204*400
Antonio Marques de Amorim 62:912*000'
Lima & C, Martins & Sebastian 4:584*906
Mesquita.<_._taitra 4:148*070
Viuva Amorlffl & Filhos 95:46l*6tO
Joaquim fbee da Silveira 3:458*330
Travassos Junior AC. 51:198*000
TERCA-FEIRA 17 DO CORRENTE
i A's 11 horas
0 agente Pinto Ievara a leilao, de conforme com
o despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio, 'Q resto das dividas da massa fallida de
Amorim, Fragoso, Santos & G., na importancia
de 341:008*730, as 11 boras do dia acima dito.
Em seu escriptorio, rua do Bom Jesus n. 43.
0 Dr. Joaquim d'AqohM Foncoca, previne
aqo/lles inaviduos que, a noite e sem autorisacio
sua, tern peetra_o nltlmamente em sea siiio a
rua do Ilo-p cio n. 33, saltaodo pelo muro e tiran-
do o que laes nto pertence, que ja deu as provi-
dooclas pan que sejam hem recebidot e tmtados
de manetra a. nCio qutmrem repetir a gra^a ;
porquanto os considera como ladroes, e ignora ale
que poiuo qnererao levar seus" desejos, sabendo
somente que, ha tempos, recorrendo ao mesmo
expviiente, foi bem succedido. ______
~Z- 0 muito conhecido artista cabelleireiro fayme
' od.'ra ser procurado ^ara os raisteres desua pro-
o.ssio, a ma Duque de Caxias n. 28, deposrto oea
tfal de perfumaria 'nacional.__________________
im 8A mm.
AOS 4:000#000.
BiLKETES GARANTIDOS.
t* rua Primeiro de Marpo (outr'ora.rua Crespo) n. 23 e cosas do costume.
0 abaixo assignado tendo vendido nos seus fe-
llzes brlhetes, um meio n. 2,007 com 4:000*000,
um inlerro n. 451 com 100*, um meio n. 3038 com
100*, e outras sortes de 40* e 20* da loteria quo
se acabou de extrahir (87*), convida aos possui-
dores a virera receber na conformidade do costu-
me sem desconto algom.
Aoham-se a venda os felizes bilhetes garantido>
la 5' parte das lotenas a beneficio da matriz
de Serinhaem (8J), que se extrabira bo sabba-
do 21 do corrente
PRECOS
Bilhete inteiro 4*000
Meio bilhete 2*000
IN FORQAO DE 1009000 PARA Cl__.
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*750
Manoel Martins Fiuza
LEILAO
BE
FAZEISDAS
em porcao ou a retalho a vontade dos compradores
t^uinta-feira 19 do corren'e
e sexla-feira JO *
Comecsr.. is 10 boras da manha, em
ponto
Na loja da rua do Barao da Victoria n. 59.
O agente Dias, compeieniemente autorisado pe-
lo proprietario d'esse eslabelecimento, que tarn de
mudar d* genero de negocio, Ievara a leilao nos
dias e horas acima mencionados, dilTerentes fa-
zendas alii existentes, que se venderao por bara-
tos precos, pelo motivo acima indicado.i
Chama-se porianto a aitenfao do publico para
UTia optima cccasiao que se oiTerece, de se prover
do bom com grande economia, e assegurase que
nao ha alcaides, pois o estabelecimento nao conta
amda nm anno de existencia.
Fazendas, a saber :
Caleas, paletots e coletes de casemira de cores e
pretas.
Coletes de brim branco e de cores.
Collarmhos.
Chapeos de sol para homens e senhoras.
Ceroulas
Camisas brancas e de cdr, Tinas.
Casemiras pretas e de cores.
Bnnj de cores, finos.
Dito branco, fino.
Lengos de seda e de cores.
Ditos de cambraia bordada, para senhoras.
Meias brancas e de cores.
Tapetes.
Gurgjirao preto e de cores.
Fusiao de cSres.
Organdys.
Popelinas de cdres.
Gaze de seda.
Granadine.
Cortes de vestidos de cassa.
Ditos de tarlatana.
Alpaca de listras, Una.
Baptistes com barras e listras.
Cassa preta e de cdres.
Cambraia branea Una.
Ccichas de la.
Coriinados.
Chitas pretas e de cores, e percales finas.
Cassas lisas.
Filo de linbo de salpico.
Algodao de listras e aznl.
Armazem para alugar, no
caes da Alfandega n. 5.
Estando a concluir-so o arrendamento deste ar-
mazem, que perlence a irmandade do Bom Jesus,
quem o pretender pode drigir suas propostas a
mesa regedora da referida irmandade.
Precisa-se de uma ama para coniprar, cozi-
nhar e engommar para uma pessoa : a rua do
Torres n. 16, primeiro andar.
Minoel Francisco dos Santos comprou a
Francisco de Paula d'Almeida Cruz a taverna sita
a rua Imperial n. 296 : se alguem se achar pre-
judicado, apresente se no prazo de Ires dias, eon-
tados desde a presente data, pens Undo o mesmo
prazo, nao attendera a reclamacao alguma.
Recife, 11 de fevereiro de 1874.
Manoel Antonio Vieira
Os til nos do finado Manoel Antonio Vieira man-
dam cetebrar uma missa no dia 14 do corrente,
pelas 7 horas da manha, na igreja da Madre de
Deos, 1* anniversario de seu falleciraento; e para
esse acto de religiao convidam seus amigos e pa
rentes.
LEILAO
DE
moveis, louca, cristaes, uma
carroqa e boi e 3 espin-
gardas.
A SABER:
Uma mobilia de jacaranda com um sofa, uma
jardineira, 2 consolos com pedra marmore, 2 ca-
deiras de bracos, e 12 de guarnigao, 2 espelhos
ovaes, dourados, 3 quadros, duas escarradeiras,
enfeites de mesi, tapetes de sofa e portas, e um
dito forro da sala de visita.
Uma cama franceza de jacaranda ( nova ) uma
mesinha, 2 cabides, duas caAias de amarello, 1
toncador e um guarda roupa.
Uma mesa para jantar, 2 aparadores de ar-
marios, 12 cadeiras de guarnicao, uma marqueza,
uma quartinheira, I relogio de parede, quartinhas,
fructeiras, porta-queijos,- talheres, bandejas, por-
celana para cha e jantar, copos, garrafas, compo-
teiras, calices, irem de cozinha e outros objectos
de casa de familia.
Dous bancos para jardim, uma carroca de dua
rodas, 1 boi n:anso, 1 banco para carapina, 1 lot
de ferros, fen-amenta de jardim.
Um oculo de alcance, 3 espingardas de 2 canos
e 1 rewolver.
sexta- feira 20 do corrente
\;i Travessa da Cruz das Almas.
Joao Mendeboure, tendo de mudar sua resjden-
cia para Europa,- f.ira leilao por intervencao do
agente Pinto, dos moveis e mais objectos acima
mencionados existentes na casa de sua residencia,
Cruz das Almas.
As 10 1|2 horas em ponto partira da estaeao do
arco'de Santo Antonio um trem express que
scrvira de condnccao ( gratis) aos concurrentes
ao leilao.
Principiarii as 11 horas.
Em coDiiniiai;ao, e no dia terca-feira 24 do cor-
rente, vendera o mesmo agente a casa e sitio, con-
forme fie a Annunciado.
_>
DO
Grande sitio com boa casa de moradia, a qual
tcm 73 palmos de I'rente e 37 de fund'o, chaos
proprios com cerea de 500 palmos de frente
e 2/000 de fundo, eom bons arvoredo's fructi-
feroe, baixa de capim, cacimbas com bombas e
tanques para banho, e muilas outras accommo-
dates ; sendo que dita casa torna-se Tecom-
mendada por ser mui fresca, perto das esUgoes
da Jaqueira e Tamarineira.
Ter^a-feira 24 do corrente
A's 11 horas em ponto
Por intervencao do agente Pinto em seu escrip-
torio, rua do Bom Jesus n. 43.
Os pretendentes poderao desde ja examinar dita
casa, on no dia 20 do corrente, por occasiao do
loilao dos moveis, louga e cristaes, on no dia 21,
p;r occasiao da entrega dot mesmos moveis.
AVISOS DVERSOS
E' barato.
Valento A Irmao avisam sens freguezes, que
d'ora em diante serao regulados os precos dos as-
sucares pela forma seguinte : de 1.* sorie 4*200
arrobn ; de %.' 3*600 ; de 3.* 3*100 : isto so
na rua Djreita n. iO, refinacao.
TesembargaaorFr
0 desembargaaorFrancisco Domin
gues da Silva, tendo recebido agora
a infausta noticia do fallecimento de
seu prezado filho Dr. Francisco
Domingues da Silva Junior, quan
do voliava de sua comarca para a
capital do Maranhao, pede encare-
cidamente a seus parentes e amigos que compa-
re cam no sabbado proximo no conrenio de S.
Francisco pelas 8 horas da manha, para ouvirem
algumas mi>sas por alma de seu infeliz filho ;
pelo que elernamente grato ficara. __
_-. *** --~~~J&***WC***:%&
Themoteo Pinto Leal
Sabino Jose de Almeida, por si e em norae dos
fllhosenetosdo finado Themoteo Pinto Leal, agra-
dece cordialmente a todas as pessoas que se dig-
naram assistir aos ultiraos suffragies feitos ao
mesmo finado ; e de novo lhes roga o caridoso
obsequio de ouvir m a missa do setimo dia, que
por alma do faliecido tern de ser resada na segun-
da feira 16 do corrente, as 7 horas da manha, na
igrej nutriz de N. S. da Graf a.
CRIADO
Precisa-se de de um criado de 16 a 20 annos,
que d<5 fiador de sua conducta : no largo da ma-
triz de Santo Antonio, n. 2, 1. andar.
# Advogado.
j Diodoro Ulpiano Coelho Catanho,
Q rua do uqne de Caxias, oulr'ora rua _k
2? das Cruzes n. 9, 1.* andar. 9
AVISO
0 abaixo assignado, autorisado pelo Sr. Joao
Maria Cordeiro Lima, convida a todos os devedo-
res do mesmo a \ irem saldar suas contas no
prazo de 30 dias, a contar da data deste, a rua
do Imperador n. 48, armazem, com o mesmo
abaixo assignado, sob pena de passado este tem-
po, se proceder a cobranca judicialmente.
Becife, 12 de fevereiro de 1874.
Jose de Medeiros Corrda.
- Desappareceu no dia 10 do correute, as 3
biras da tarde, o pardinho de 9 anncs de idade,
de nome Manoel, com os signaes seguintes : ca-
bellos caraplnhos e avermelhados, um signal de
panno branco na face esquerda, e corpolenlo. Foi
vestido de camisa de chits com listras encarna-
das: quem d'elle der noticia ou o encontrar, le-
ve-o, por obsequ'O, a-policia ou a sua mai, na rua
dos Guararapes n. 5S, loja.
Para prevenir duvidas, o abaixo assignado
der.lara que os escravos Maria, Martha e Manoe)
que e-iao incluidos na lista dos preferidos pela
commissao de emancipacao para alforriar-se, nao
lhe pertencem, e sim aos seus tuteiados menores
Joaquim Luiz Ferreira, e Caetano Luiz Fereira,
filhos do finado Joaquim Luiz Ferreira, e prova-
velmente so por equivoco na confeccao das listas
apresenladas, foram dados como de suas pro-
priedade.
Mareolino D. Camara.
ESTABELECIMENTO DE ALFRE-
DO BARROS & FERRETRA
Neste estabelecimento encontrarao os Srs. com-
mandantes de navios o melhor e mais completo
sortimenlo de viveres, garantindo se ao mesmo
tenpo a prempta e be> execugao no cumprimento
de suas ordens.
SLargo do Corpo Santo2
PENHORES
Na travessa da rua
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
ULTIMA SEMANA QUE PICA
EM
EXPOSIQAO
FIGURAS DE CERA
Rua da Impnratriz n. 49.
A quem aimla nflo tern vfoto.
0 primeiro homem e a primeira mulher do cjud-
0 nascimento de Nosso Senhor, composto de 9 do, representado depois do parto do primeiro n-
figuras ; obra prima d'arte. Ino Cairn
Quem deixari de levar sens filhos para ver o zuavo mechanico que trabalha pela etet*
Iricidale e o clown.
PUND1CA0 DO BOWMAN
RUA DO BRUM N. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS tenbores de engenho e octros agricnliores, e emprgadoret de 81
oioismo o favor de uma visita a seu estahelecioi&Qtu, para verem o bovo orlime_it
omplet) qae a hi tem; sendo tado superior em qoalidade e fortidao; o que com a in
MCylo pessoal pode-se veriflcar.
ESPECIAL ATTENCAO AO NUMERO E LuGAR DE SUA FONDIClO
/
7apo
res e rodas d'agaa
maobos cooveoientea para as diversa*
irenmatancias doa aenborea proprietarios e para descarocar alguaao.
MTOftTldftB dfi PflTlTia de.lodo8 0I tamanhos, as'jnelboret qoe aqoi
RodaS deiltadaS P"anir_aei;.g0avapor.
faixas de ferro fundido, batido e de cobre.
llambiques e fnndos de &lambiqaes.
WftpTliniamna fa'"' man'iioci e algodao.l Podendo todoa
u.__ir__,___.__>_jj,UB e para ferrar mad6ira. ^8er movidoa a roao
Rnmhaq (por agoa vtPr'
#w****,c*CT J patenle, garantidas........ looanimaes.
Todas as maehinas i^*i--i--*
Faz qualquer concerto de m,chifli8mo' aPre iwi___i6o.
PoriflaS de fsrro um as melbore< e ffi*'' "J"a;js existentes no Dior-
r^TIPHTIimflTlilaa iticumbe-ie de maodar vir qaalqaer machinismo \on-
at_-,uuiuxiJ.Qixua.B. ude dos C|jentes iembr>t'-1'-lbe8 a vaoiagem de faxerem
on comprai por intermedio de pessoa enteodida, e qoe em qaalqaer necessidade p6d
hei prestar auxilio.
imdos americanos e mslruajBDlu afico1"-
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUNDICAO DE FERRO
8
4' rua do Barao do Triumpho (ma do Brain) ns. 100 a 104
CARDOSO 4 IRMAO
RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e maehinas para en
jenhos, as mais modernas e melhor obra que tem vindo ao merc-do.
VapOreS de forca de 4, 6, 8 e 10 cavallos.
UaiQeiraS de sobresalente para vapores.
MOenQaS lntCiraS e meias moesdas, obra como .iunca aqai veio.
laiXaS iUndiaaS e batidas, dos melhores fabricates.
EvOaaS d aglia COm cubaje de erro, fortes e bem acahadas.
RodaS dentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
Relogios e apitos para vapores.
DOmbaS de ferro, de repucho.
AraQOS de diversas qualidades.
Formas para assucar grandes 8 pquMs.
ConCCrtOS concertam com prompUdao qualquer obrn mi machin;, para o qne tetai
sua fabrica bem montada, com' grande e bora pessoal.
EnCOmmendaS m&n&am yir Pr encommenda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondent com uma respeitavel casa de Londret
i com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
litas maehinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDIQAO DE CAHDOSO d IRMAO.
j.
/
ODILON DUARTE k IRMAO
CiBELLEIRESROS
Premiados na exposi^ao de 1872
RUA
DA
l.MPERATRIZ
jN'. 82
I." ANDAR.
RUA
DA
IMPERATR1Z
N. 82
1. ANDAR.
Acabam de reformer o seu estabelecimento, collocando-o nas melhores con-
dicgoes possiveis de bem servir ae publico desta illustre capital, e a's Exmas. Sras. n'a-
quillo que fdr tendente d arte de cabelleireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para homens como para senhoras, titpete, chignon,
coques modernissimos, tran^as, cachepeign, tecidos, desenhos em cabellos, quadros tu-
mulares, (lores, bouquets e todo e qualquer trabalho imaginavel em cabello.
0 estabelecimento achase provido do que ha de melhor nos mercados eslran-
geiros, recebe direct?mente portod<;s os vapores da Europa, as suas encommendas e figu-
rinos de modes, e por isso pode vender _0 % menos que outro qualquer, garantindo
perfeigflo no trabalho, agrado, sinceridade e preco razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fora ; vende-se cabellos em
porcao e a retalho e todos os utensilios pertencentes a arte do cabelleireiro.
CHAPEOS DA ULTIMA MODA
Chegaram lindos e bem enfeitados chapeos do mais apurado gosto, para senhora : a
loja ds columnhs, de Antonio Correia da Vasconcellos, & rua Primeiro de Mar-
go n. 13.
jffi 0 advogado Francisco de Paula Penna ijj
55 continna no exercicio de sua profissao : 25
ft a rua do Duque de Caxias n. 71. 0
*mmm* mm 00*00
>o engenbo Parses da comarca de Na areth
precisa-se de um homem para feitor de campo, e
ontro para caixeiro de encaixamento e destilacSo,
paca-se bem, sendo bom, nao se repara nacionali-
dade : quem estiver nestas condi(5es, dirija-sa ao
mesroo engenho, ou a casa de Leal 4 Irmao, rua
do Marquez de Olinda n. 56.
' Alu.'M-se a casa n. 46 a ma de S. Miguel,
com 2 salas, -Iquartos, cacimba e quintal: a tra-
tar na rua [esjreita do Rosario ij, 17, andar. .
AVISO
As audiencias do Exra. Sr. desembargadcr iuu
de- orphans, foram transferidas para as segunda>-
feiras ao meio dia.
Cozinheiro
Preciia se de um cozinheiro, preferindo-ie escra-
vo, para o hotel de Apipuce* : a tralar no m*s-
rao.
Precisa-se de um criado de 10 a IS i
de idade, preferindo^se escniTo : na tbesourar*
das loterias, l* andar na rua do Crespo n. ?
t



I
''"'*
a,
-

3iario de Pernambuco Sabbado 1$ de Fevereiro de 1874.
J
Offerece-se onii mulber para ami de
cast de homem solteiro, eozinha e'faz todo o
servic/) oom perfeicio : & rua de S. JoJo, 33.
Consallorio medico-cirarcico &
de y.
A. B. da Silva Maia. '&
Rua do Visconde de Albuquerque n. S\
II, outr'ora ma da malrii da Boa-Vista
n. II.
Chamados : a quaiquer bora.
Consultas: Aos pobres gratia, das a as
boras da tarde.
Dr. Gonstenelo Pontaal. &.
Rua do Imperador n. 81 andar. *
ConsDllas das 11 as 3 da tarde, chama- **j
dos a qualqner bora, visita e da consul- 2*
Us gratis aos pobres. fr
*fffffffffffffffffffffiffff
.CASA DA FORTH
Rua l.'de Marqo n. 23
Aos 20:000$000.
O abaixc assignado tem sempre exposto a ven-
ds bilhetes da loteria do Rio, cuja extraccSo an-
nunciara pelos joroaes.
Precos.
Inteiro 24*000
Meio 12*000
Quarto 6*000
^_________ |Manoel Martins Fiuza.
ESCRIPTORIO
COMMERCIAL.
199, Rua da Praia, 2.
USBOX
Luiz Felippe Leite 4 Irmdo
Executam por commissao quaesquer ordens das
provincias do reine, ilhas e provincias ultrama-
rinas, bem como do Brasil e outros paizes estran-
geiros.
Recebem a consignacao generos nacionaes, co-
loniaes, hespanhoes, francezes, inglezes, allemaes
e do Brasil, ou mcsrao de outros paizes, para se-
rem vendidos no reino ou fora delle.
Executam ordens para compra e venda de fun-
Jos publico*, nacionaes e estrangeiros. Tratara
da cobran;a dos respectivos dividend js.
Promoveui no mesmo escriptorio, inventarios,
liquidacSes, causas civeis e commerciaes, appel-
lajdes erecurso de re vista.
Tem os melhores advogados na capital.
Para os negocios de natureza especial, como
Kansas forenses, administraclo de bens, etc., que-
rendo-se, pode proceder accordo previo conforme
a natureza do negock).
Solicitam-se dispensas matrimoniaes e quaes-
quer outros breves apostolicos concedidos em Roi
ma ou pela Nunciatura em Lisbda, annullacao
de ordens, e quaesquer outras dependencias aos
iribunaes da Santa 9e.
Tratam da arrecadacSo de herancas e adminis-
iracao de bens no continente do reino.
Obtem documentos de qualqner diocese, distric-
to administrativo, conselho, ou freguezia do reino,
ilbas e provincias nltramarinas.
Fa'.em adiantamentoa sobre coasignaijoes de
roaesquer generos que tenham prompta sahida
nos mercados inglezes ou allemaes. Tambem com-
pram aquelles que se offerecerem em condkdei
vantajosas.
Fazem transacSes por consignacao ou compra,
wbre minerios, taes como de cobre, ctautnbo,
phosphatos, ou outros quaesquer, Se convierem as
jondifdes de qualidade e precos. i
Dao-se boas refereneias em Lisfcoa e no Porto.
Esta ca-a tem correspondencias]serias em tedos
m pontos do reino, em Paris, Ingraterra e Ham-
burgo, na Africa portugueza, em(Macao (China*
reino de Siao, ilhas dos Azores te Cabo-Verde,
e aceita as propostas que do impfcrio do Brasil
the forem feitas por correspondeneia effectiva ou
eventual.
Na modicidade de suas commissftes, na exacu-
dao de suas contas e no credito longamante esta-
beleeido faz consistir toda a gar/antia de bom aco-
Ihlmento. I
Tem correspondentes em Seyilha e outras pra-
;as de Hespanna. |
N. B.As commissoes sao reguladas pela praxe
stag praca________^__________
Amaro de Barros Ccrreia e Captulino Ro-
driguej do Passo vendem terrenos, regularmente
tracados, no sen sitio de Beberibe de Baixo, ha-
vendo organisado uma planta de sen perimetro,
em que se desenha visivelnnente a distinccao
e regularidade no seu projecto de arruamentos
novoe, approvado pela camara municipal de Olio-
da. A fertilidade do terreno, a sna proximidade
da estacao do Fundao, da linha" terrea do Recife
a Beberibe, conseguintemente do rio Beberibe, e
commodidade dos precos convidanV os pretenden-
tes a compra, que os poderao proAirar a Amaro
de B. Carreia, em Beberibe, a Captulino Rodrignes
do Passo, no Recife, e ao engenheir* Antonio Feli-
iano Rodrignes Sette, a estrada de) Joao de Bar-
ros n. 9.
LWHASy
he.
RKTrtOZEDEALGO-
DAO
DE
TODAS
As
COKES
A&ULSAS
Accessories
PAR*
QUAL
PARTE
DA
Naehina
1UTIU
Com as falsificardes que tem apparecido
DAS MACHINAS PARA C0STURA
DE
SINGER
Porque?
o
GO
ma-
Nenhuma
china Singer 6 legi-
tima se nao levar
g esta marca fixa no
bra^o da machina.

Paraevitarfalsi^
fi cacoes notem-se
bem todososdeta-
lhes da marca.
o
da
1
a
O Sr. ioao Paulo de Carvalho rogado a vir
a rua do Marquez de Olinda n. 53, h negocio que
osenhor nao ignora._____________}__________
Fugio hontem, as tres horas d
brado da ma das Cruze; n. 41, 2!
sabii ; roga-se a qnem tiver apan
a ca?a acima, que sera gratificado.
iitai
i
utad
tarde do so-
andar, um
ado, leva-lo
Estrada de ferro de ^)linda.
Pede-se ao Sr. gerente desla conjpanhia que
conserve o borario da eompan'jia conoo esta, isto
e, todas as meia horas, tanto pela manlha como a
tarde. I
Muitos assfanemtex.
Attenc
O Sr. Francisco Agoslinho Ma
vir a rua do Duque de Caxias
ALUG,
o
reira, e
60 A.
rogadoqe
A dinheiro e a prazo!
A contento das Exmas. familias
MACHINAS DE SINGER
S&o mais baratas.
S3o de doos pospontos.
S3o simples.
S3o rapidaf.
Saoduradouras.
MACHINAS DE SINGER
S8o de dous pospontos.
Abainham.
Franzcm
Pregam trances.
Marcam pregas.
Bordam de linha de sdda.
Alcolchoam.
Pregam cordfies.
UNICA AGE NO I A
EM
I
A CASA AMERICANA
45 RUA DO IMPERADOR 45
49 Rua do Imperador 49
Ha neste estabelecimento o melhor sortimento de pianos dos mais afamades autores,
como s3o : Herz, Pleyel, Plap, etc. Offerece-se tambem uma qualidade de pianos supe-
riores, mandados expressamente construir para este clima, o qual os amadore6 dos
bons pianos s6 encontrarao nesta casa.
Recebem-se pianos usados em troca.
Concertam-se e ^finam-se pianos.
Tambem avisa-se aos Srs.
concertadores de pianos
que ha sempre o mais completo sortimento de materiaes para concertar pianos, como
s5o: cepos, folha para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, camursa, cordas,
mariim, etc., etc.
49 RUA DO OIPERAOOR 49
o 2* andar do sobrado n.
Olinda : a tratar no armazel
*da rua Marquez de
do mesmo predio.
Esta fugido o escravo Jos6, cabra, idade de
IS annos, feicoes miudas, cabellos frdxos, pes
largos, veste calca e eamisa branca, gosta de mu-
sica : pede se a policia a sua captura, e graliflca-
se a qnem o levar a scu senhor, a rua do Hospi-
'io a 85, ou a rua do Queimado n. 83,1 andar.
ALUGA-SE
uma casa na Capnnga, rua das Pernambucana;,
com coxeira e quartos fora : a tratar na rua do
Vigario Tenorio n. 31.___________________
Vende-se arcbotes em qualqner quantidade,
proprios dp carnaval : na rua Direita n. 99.
Consullorio medico
DO
Dr. Marlllo.
RUA DA CRUZ N. 86, S. ANDAR.
Recem-cbegado da Enrepa, onde fre-
quentou os bospitaes de Paris e Londres,
node ser procnrado a qualqner bora do
dia ou da noite para objecto de sua pro-
fissao.
Consnltas das 6 horas da manhi as 8 ho-
ras, a do meio dia as duas da tarde.
Gratis aos pobres.
ESPECIALfDADES.
rji Moiestias de senhoras, da pelle e de
Q crianca.
Casa no Monieiro.
Aluga-se a de n. 65 junto ao sobrado, com quin-
tal e sabida para o banho : a tratar na ma do
mperador p. 57, i* andar.
PARA
Marcar vestidos, roupa de cama, guardanapos, lcn^os,
meias e todo genero de roupas
COMO IAUBEM
Cartdes dcvisila, iivros, envelopes e toda a qualidade de
papeis, clara e exaclamenlc com o nome compelente da pessoa
Garanre-se dar umacbapa tao boa como poderia conseguir-se em Land res ou Nova
Yor, e afllanga-se igualmente que a tinta sera* iudelevel.
You can bet your bottom dollar on that
Cada chapa com o nome da pessoa >' acompanhada de dous fraspuinbos de tinta,
um pincel uma direcijao sobre a maneira de empregar a cbapa e uma receita para fazer
tinta. costando tudo
Pre^ofixo.....3$000
Em letra de m3o e gothice. 5^000
\UG01,\S \MMCAN\S
PARA CHAVES
Sao muito commodas e possuera as seguintes vantagens :
Servem para ajuntar as chaves, e'ap mesmo tempo sendo chatas, ha lugar para o
nome e moradia do dono.
Sao faceis de abrir e fecbar, deixam entrar a maior chave sera offender a
argola.
So feitas de prata allema e nao s3o sujeitas a enferrujar, quebrar ou abrir ; como a
irgolas de ago, so rouito fortes e bonitas. Cada argola amerioana com o nome e mora
dia do dono, aberta namesma, custa :
Preco fixo 2,J000
P. LAURO MAGPHEBSON
NO HOTEL ESTAMINfiT
Rua do Imperador n. 32
TODOS OS DIAS UTEIS DAS 9 HORAS AO MEIO DIA.
COZINHEIRA
Procisa-se de uma perfeita cozinheira, nao im-
porta que se]a ferra ou escrava, para casa de uma
faniilia eslrangeira, paga-se bem: a tratar na
rua do Rom Jesns n. oS, casa de Kfl'pr A- C.
SAQUES
Carvalho & Nogueira, na rua do Apollo
ii. 20, accam subre o Buuco Commercial
de Vianna e suas agencias em todas as ci-
dades e villas de Portugal, t vista e a prazo
por todos os paquetes._________________
Agencia de leiloes
O abaixo assignado declara ao respeitavel pu-
blics, que, tendo abcrto o seu escriptorio de
agenda de leilBes i rua do Marquez de Olinda n.
6i, i andar, continua a receber moveis, louca,
farendas, obras de ouro e prata, predios- e todos
quantos objectos se lhe remetta para serem ven-
didos, em leilao publico ou particular, a vontade
de seus comroitentes: e como quer que o seu
novo estabelecimento se ache o melhor possivel
localisado, alem de que oflerece as melhores
proporcoes para a boa conservacio dos objectos
que tenha de receber; o abaixo assignado com-
promette-se nio so a empregar toda a actividade,
zelo e pontualiiade no cumprimento de seus de-
veres, como mesmo seus pagamentos scrio feiots
com a costumada promptidao, que lhe 6 eonbe-
cida.
Recife, 17 de Janeiro de 1874.
______Raymundo Remigio de Mello Junior.
Na rua do Rario da Victoria n. 36 precisa-si
allar ao Sr. vigario Andre Curcino de Araujo Pe-
eira, t negocio de seu interesse.
A' Torre
Alaga-se para pssara festa um sitio com
excellente casa de habitacao e banho no rio
A frenta destn t quern, a pretender, pode
procurar i rua de Gervasio Pires q. 24.
Na rua de Santa There** n. 60 se dira quern
vende 60 patonos de terreno, em RcMm.
O ADTOOADO
AfTonso de Albuquerque
incun*e-se de promover cobrancas amigavel
ou ju^Kiabnenta, -assim como tie outros eegecios
concernentes 4 sua profissao, nos lugares proxi-
mos a linba ferrea, e nos oatros termos proximos
a esta cidade ; para cujo auxilio tem o annun-
ciau'te solicitadores habilitados e probes, respon-
sabiiisando-se no entanto peta boa gestao e conta
do que lhe for-confiado.
"Mediante medico honorario a code aos chmados
para diligeocias ou consuttas fora da cidade e do
termo e incumbe-se da -defeza de appellagoes ante
o tribunal da retacao. Pode ser procurado de
meio dia as 3 horas da tarde em seu escriptorio
a rua do1 Duque de Cnias n. 37.
Precisa-so aiugar uma ama para casa de
ponca familia : na rua do Imperador n. 33.
Preoisa-se de uma ama. para o .eervico ie-
terno d uma casa de familia : a rua da Soledadn
n.t54.__________________________________
Alr^a-se a *sa n. 3 dj teoco da matriz :
na thesouraria das lotenas.
Aluga-se o predio n. 40 da rua do Barao
de S. Borja, com commodos para grande familia:
a tratar na rua tk Ponte Veiba n. 7B, com o Sr.
Rocha-Leal.
CASA DO OURO
Am 4:OOe^OOO
Bilhotes garantidos
/ua n. 63, e casa do costume.
O abaixo assignado acaba de vender nos seus
muito felizes bnhetes a sorte de 4:000| em um
meio bilhete de n. 2007, e um meio de n. 2195
com a sorte de tOOjOOO, alcm de outras sortes
menores de 40*000 e 20*000 da loteria que se
acabou de exlrahir (87*;; convida aos possuidores
a virem receber, qae promptamente serai pagos.
O ir.esmo abaixo assignado convida ao respeita-
vel publico para vir ao seu estabelecimento com
prar s muito feiizes bilbetee,que nao deixario de
tirar aiialquer premio,.como prova pelos mesmes
annuHcios.
Acham-se a venda os muito felizes bMhetes ga-
'antidos da 5* pane da loteria a benefleio da
matriz.de Serinhaem, que -se extrahira no dia 21
do corrente mez.
Inteiro 4*000
Meio 2*000
De IOO, OOO para eima.
Inteiro 3*300
Meio 14750
Recife, 13 de fevereiro de 4874.
'Jodo Joaquim da Costa Leite.
MOFINA
Esta encoura^ado!! J
\(Ci;i mule em pcilra ilnra
r.li< (!:t ;: qur a ftira.
l'."f?-io aii liliu. Sr. Itruacio \'ieira de tt:il
"rl-5 na cidade Uc Nazareth desta proviacia.
.....- fa ,.jr j r3 i^,.,,,. ,],. caxias n. 36, a C0-
!";.r a;u-ii- negocio quo S. S. se comprometleu a
reaiisar, pela terccira chamada deste jomal, en
fins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
^assou a fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
* por este motivo e de novo chamado para dito
9m, pois S. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito annos, e quando o Sr. seu nlho m
tcbava nesta eidade.
E. A. DELOUCHE.
49-Ruado Marquez de Olinda49
Acaba de receber um grande sortimento de re
logios americanos para parede e mesa, de corda
de 24 horas e de corda de 8 dias, com despertadoi
dos melhores gostos e qualidade.
Relogios de ouro patente inglez verdadeiro?, des-
coberto com ponteiro grande no meio, dos mais
modernos e do melhor fabricanle de L> ndres.
Grande sortimento de relogios de prata, prata
dunrada, cobertos e de^cobertos. Ditos de prata
foliada (plaque ), orisontal e patente, de todo
preco.
Cadeias de plaque e de ouro.
Lunetos e oculos de todas as qualidades.
Verdadeiros vidros de cbristal da Rccha, para
vista cansada.
Vende-se tudo por preco mais baratc que cm
outra qnalquer parte. _________________
Uma pessoa
vtneia, vende uma mobilia
em perfeito estado ou quasi
Hortas n. 86, sjbrado.
que se retira para fora da pro-
a Luiz XV,
de faia
nova:
na rua de
Aluga-ae barato umas mei-aguas novas, na
travessa das Rarreiras (beeco do Aquino) : a tra-
tar na rua do Cotovello a. 25.
Gasa de campo
Aluga-se a excellente casa da travessa de Pay-
sandd n. 3, proximo ao hospital portuguez, com
commodos para grande familia : para tratar, na
rua do Amorim n 36, 1 andar.
Lava-se e engemma-se com perfeicio e asseio:
no largo do Paraizo j. 3._______
O Sr. Antonio Mendes de .-oaza Machado
tem uma carta. vinda de Lisboa, no escriptorio de
Oliveira Filhos & C, praca do Corpo Santo n. 19,
1* andar.
Preciea-se de 500* a juros, dando-se uma
casa de hypotheca : ijueiu quiter fazer este ne-
facio, dirija-se a roa de Santo Amaro n. 2, que se
ira quern quer.
Ainda esta para alugar-se o 1* e 3* andares
com sotao, na rua da Penha n. 3 : a tratar na rua
Duque de Caxias n. 44.
Precisa se alugar uma esorwra para cozinhar
e comprar : a tratar na raa Pr.uneiro de Marco n.
23, loja._____________________^_________
Tem sido ajireseiiimia M phlico
Durante o espa^o
DE
4 0 ANNOS.
DE
RBIST0L
CURA. OS CASOS MAIS DESESPERADOS
A SAFSAPARR1LHA DE BRISTOL puri
fica a massa do sangue, expelle para fdrt
todas as materias e fezes vkiosas e impuras,
regula todas as secrecies, d& vitalidade e
energia a todos os orgSos e da" forca e vi-
gor ao systema afim de poder melhor resis-
tir a todos os ataques da enferraidade. E'
pois este um remedio constitutional. File
Dunca distroe afim de poder curar ; pore're
constantemente assiste a natureza.. Portantc
em todas as doencas constitucionaes e em to-
d&s as moiestias lotaes dependente. d'um es-
C,ido vicioso e imperfiito do systema em ge-
ral, iNbar-se^ba que a Salsaparrilha di
Bristol 6 um remedio seguro e efficassissi-
mo, possuindrf inestifT-aveis e incontestaveis
v rtudes.
As curas milagrosas de
.'scrofulas,
Uleeraa,
Ajireekm eomo se vende karalo
So o n. 20
RUA DO CRE3P0
LOJA DAS 3 FOBTAS
DE
Guilherme & C
CASSA-LA
Acaba de chegar esta fazenda com bonitos pa-
drues, e que se vende pelo diminuto preco de 200
rs. o covado I I 1
METIM
Metim trancado, padroes bonitos, a 320 rs. o
covadol 1 !
ORGANDY DE CORES
Cambraia organdy de cores, fazenda fina, boni-
tos padroes, pelo diminuto preco de 320 rs. o co-
vado'H I
LAS ESCOCEZAS
Novo sortimento desta fazenda, com bonitos
padroes, que se vende a 240 rs. o covado I!!
CRETONE
Cretone claros e escuros, bonitos padroes, e fa-
zenda fina, pelo diminuto preco de 400 rs. o co-
vado 111
LAS MODERNAS
Completo sortimento de la de lodas as qualida-
des, pelos diminutos precos de 400 rs. o covado,
e pechincha 11 1
Cortes de casemira da cores, a 5*' 00.
Colchas estampadas e com barra a 3*500 e
4*000.
Cobertas de chila adamascada a 3*500.
Lencoes de bramante a 2*000.
Dites de algodao a 1*400.
Toalnas alcochoadas, duzia, a 5*800
Lencos de cassa com barra a 1*000 a duzia.
Ditos de cassa abanhados a 2*000 a duzia.
Oitos de esguiao abanhados, em caixinhas mo-
dernas, duzia, a 3*500.
Cambria transparente fina a 3*000 a peca.
Chales de todas as qualidades e precos.
Bramante de algodao e linho a 1*600 a vara.
Dito de linho puro com 9 e 10 palmos de lar-
gura a 2*500 e 2*800 a vara.
Algodao marca T, largo, a 5*000 a peca.
Dito domestico a 3*000 a peca.
Brim com listras, irlandez, proprio para cami-
sas, a 440 rs. o covado III
Madapoloes Iraneezea de todas as qualidades de
5* a 8*500 a peca.
Cbapeos de sol de seda com 12 asteas, pelo di-
minuto preco de 8*500.
Camisas inglezas, todas forradas, fazenda de
lioho pnro, a 41*000 a duzia ; e pechincha, so se
vendo.
Popelinas de linho e seda pelo diminuto preco
de 800 rs. o covado; e pechincba, e dlo-se amo's-
tras.
S6 o n. 20 da rua do Crespo
Loja das tres port as
DE
Guilherme & C.
iunto a loja da esquixa
Escrava fugida
Au?entouse da casa de seu senh r, no dia 26
do eorrente a escrava Felicia com os signaes se-
guintes : cor parda clara, cabellos compridos ate
os hombros, rosto redondo, falta de um dente
quasi ua frente, corpo reforcado, ma<;a do rosta
bastante saliente, fu^ acompanhada por um ho-
mem. pra;a de cavallaria de nome Vasconcellos,
foram vistos no dia 27 do corrente, em Santo An
tao : quem a levar "a Camboa do Carmo n. 3,
sera gratificado generosamente.
2*000
War-
1?500
15000
irooo
l^OOO
15500
iPoIkai rilhante 1S000
EM PUBUCACOES MlfSICAES.
A. J. d AicvcdolEuit \o n it. 11.
Acabam de publicar se, e acham-se i
venda as seguintes musica* :
PIANO SO".
Danse espanuola, por Asther
Arabella, mazcrka, por 6.
tlieimer
Valsa do Fausto, por Crojwi
So.nho de uma vtiiGEM, por Alber-
tazzi
A.nna la Prie, cavalina
AoClair if. la Lam, por BowMfW
kstrklla do north i
SaodajqAo ao Bahia (
Cricket, por Scixas, otTer<*cida aos
ebrickets club pernambucano o
babiano 15000
PIANO -ECA MO.
Desespero, muito limlo romance
por I. Smoltz 25O00
Non m'amava, romance por Guercia 15000
Tambem recsbw da Luropa grande son
menide musica para piano, piano e
antoudos, melbudos, ete. etc^___________
Convida-se
aos senh> res escriptores, littcratos, chefes de re
particSes e commerciante-i a visitarem a
ENCADERNACAO BRASILEIRA
a rua Duqne de Caxias n. 21, onde verao aue 6
es-te o estabelecimento que dispoe dos me! ho res
meios e processor para bem servi-los na arte de
encadernar, e o uni^o que
POSSDE A MELHOR
machina para pautar papel, riscar Iivros, mappas,
manifestos, folhas de empregados, despachos, fac-
uiras, contas cerrentes e de venda ; cujo trabaltro
sera regulado pela sr-guinte tabella de precos :
Papel pequeco em caixinhas.
Para pautar 1 caixa 1*0 0.
Idem 4 ditas a 500 rs. cada uma.
Idem 10 dita? a 400 rs.
Idem 20 ditas a 300 rs.
Idem 50 ditas a 250 rs.
Idem 100 ditas a 200 rs.
Idem 200 ditas a 150 rs.
Mais de 200 dilas a 100 rs.
Papel cm tamanho fiume coctas e despacbos.
Por pautar I resma 1*500.
Idem 10 a 1*200 cada uma.
Idem 20 a ii.
Idem 50 a 800 rs.
Idem 100 a 600 rs.
Idem 200 a 4w rs,
Mais de 200 a 320 r.
Outros trabalhos cuifornie o ajusie.
A differenca em preyo do papel liso para c
pautado,no nosso mereado, e muito superior a3ij
rs. em resma, sendo nor isso vantoioso aos Srs
IIIPOBTADORES DE PAPEL
mandarem vir o papel liso para aqni ser pauUd\
podendo assim venderem mais barato, sanband i
mais diuheiro, para o qoe
GARANTE-SE
a Dondade e limpeza do irabalho, eniregando-s
volumes de resma com a mesma perfeicao i
igualdade que se tiver recebido na
EN ADERNACAO BRASILEIRA
z'-Rua Duque de Caxias-21.
Ao carnaval.
Na rua eslreila do Rosario n. 35, sobrado de
um anda-, tem vesluarios para o carnaval d*
lo.io gosto ; sen(j0 (|0ininos <\B se(ja e de veiIudo
vestuan s de seda a phantasia, vende-se c aluga-
se por muito barato preco. Preparam-se lindo*
bouquets de eravos, rosas e todas as fl.Tes na-
turaes e arliticiacs, s nd a enrommenda feita 2
dias antes sao proprios para noivos e billon.
1
AMADO.
Os srs Jovino Fernandes da Cruz e Joaquim Cle
menie de Lemos Duarte, sao chamados a rua dc
Coroiiel Suassuna n. 28i, a negocio de particular
interesse.
Frecisa-se de uma ama para casa de familia
de tres pessoas : a tratar na rua das Flores n 5
ESCRAVO FUlilDO.
Desappareceu ao amanbecer do dia 4 do cor-
rente, do engenho Serigi, comarca de Gnvanna, o
escravo de nome Jose Borges, mestre de'assucar,
tendo os signaes seguintes : cabra, idade 30 an-
nos, pouco mais ou inenos, boa figura, um tanto
grosso e espadaudo, sendo o signal mais visivel
uma gomma na junta do pe esquerdo : roga-se a
todas as autoridades e capitaes de campo queiram
apprebender dito escravo e leva-lo ao referido en-
genho, ou nesta praca a Oliveira Filhos & C, lar-
go do Corpo Santo n. 19, que serao generosamen-
te recompensados.
Aluga-se o andar com sotao do sobrado
da rua estreita do Rosario n. 29 : a tratar na loja
do mesmo si brado, ou na rua Duque de Caxias n.
29, arreazem de moveis.
Naj-ua do Imperador
n. 28
precisa-se fallar aos seguintes senhores :
Domingos Martins de Barros Monteiro.
Emigdio Marques de Santiago (Or.)
Joao Vaz de Oliveira.
Jose Alves Machado Guimaraes.
Jose Francisco Lopes Lima (Vazareth).
Manoel Pereira Brandao.
Manoel dos Passos Miranda.
Theotonio de Barros e Silva.
Fran:isco Pinto Pessoa (Dr.)
Francisco de Paula Borges.
Francisco Antonio Pootual Junior
Inslrnecje priaaria e
eaadaria.
sc-
i
0
0 professor Thome' Augusto da Silva
V'illar parlicipa aos p?i< de seus alum-
nos e a todos aquelles que quizerrm
confiar-lhe a educa^ao de seus Mhos,
que transfei io sna residencia para a
rua do Socego n. ti8, onde continua a
exercer o seu magisterio. Desde ja
agradece em extreme a bonJade c> m
que o honram os pais do seus aluninos,
e garante esmurar-se no cumprimento
de seus deve res.
selecta e de umbigo
(Enxerladas)
Sapotizeiros
sapoteh-os de 11 palmos (em vasos) e de todus
pregos mais commodos que dan-
as seguintes outras plantas de
Menina
Precisa-se de uma menina escrava ou forra, de
8 ou 9 annos, para cuidar de um raeoine : a tra
tar no sitio da X
igreja.
torre, rua da Torre n. 4, perto da
os tamanhos e
tes; assim como
fructa e de ornato :
Abacati.
Acacia.
Ariticum a pe.
Canella.
Casuarina.
Cdrolina do principe.
Condeca.
Cora^ao da India.
Figueira.
Flamboyant.
Fructa-pao.
Inga do Para.
Jain bo.
Jasmim laranja.
.Laranja da
Dita do ceo.
Laranja da China.
ML
hit
Aluga-se
0 andar a rua da Imperalriz n
cafe Imperatnz.
a tratar no
) Na rua do Seho, hoje Barao de S. Borja n.
8, vende-se um boi e uma carroca. por preco com
raooo.
Laranja cravo.
Dita de doce do Para.
Dita branca.
Dita tangerina.
Lima da Persia.
Dita de umbigo.
Limao francez.
Dito doce, enxertado.
Oiticoro.
Palmeira imperial.
Parreiru.
Pinheiras.
Romeiras.
Rozeiras.
Rozeda.
Ubaia.
E outras plantas : na Capunga a rua da Ven-
ura n. 20.
nmHiiii
Roga-se ao Sr. Joao de Arruda Camara o obse-
quio de chegar a raa do Cabuga n. 3 A (Colar de
Ouro) afim de tratar da negocios de seu iniowmo,
para receber uma garta vinda do sertio.
Precisa se de uma ama que f>h bastante
reite e nio tenha filhos: a tratar na rua Direita
Inumero 8.
Impe-



Alu
' Titrii n.
i esqu
cafe
a tratar no cafe imperatra.
f WOTIIMID


6




M&b sfe frtawnttiw -H Ssbtjatio 14 de rjfamfeo de UH
A 9:000
Botinas para homem
Acab&m do chegar grander factaras bem sot-
Hiivis de botinas da bezerro, de cordavao, de pelh-
e, de duraque com biqueira, de bezerro com bj-
toes. e com ilhozes a 9*000 (a eserlb/r) por ter
vindo grande quautidade por coata e ordem do*
fabricates : ao armazem do vapor francez, a rua
"do Baiao da Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Mascai
'as
l^iegaram grandes facturas de macaras de
massa, de arame e de setim, para serem vendidas
por conta e ordem dos fabricates, o mai9 barato
possivel, em grandes. e pequenas porcoes : ao ar-
mazem do vapotfllraneei, a roa do Barao da Vic-
orh (outr'ora Nova) n.' 7.
Calcado
Par a liomt-m.
iOTlNAS de bezerro, cordavao, petiica, lustre t
de duraque com biqueira, dos melhores
fabricantes.
SAPATOES de be:erro, de cordavao e de case
mira.
SaPATOS de lustre com salto.
SAPATOES alamancados com sola de nao, pro-
prios para banhos, sitios e jardins.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca
francezes e portuguezes.
Para seubora.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPATINHOS do phantasia com salto, braneos,
.pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca.
Para nieninas.
BOTINAS pretas, brancas e de cures differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para meninos.
BOTINAS de bezerro, lustre e de cordavao.
ABOTINADOS e sapat5es de bezerro, de diversa>
qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e portuguezes.
Botas de montaria.
! otas a Napoleao e a Guilhenne, perneiras
moias perneiras para homen-, e meias perneira>
para meuinos.
No armazem do vapor franco?, a rua do Barai
g* Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de guerniooes,
^sofas.jardiueiras, mezas, conversadeiras e costu-
Meiras, tudo isto muito bom por serem fortes e
fvos, e is mais proprios moveis para saletas ega
inetes de recreios.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7, outr'ora Nova.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes t
<;e elegantes niodelos, dos mais notaveis e bem
C'jnhecidos fabricates ; como sejam : Alphonse
Bldoncl, Henry Hers e Pleyel Wolff & C..- nc
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Pcrfumarias.
para
Finos extractos, banhas, oleos, opiata e pos den-
trifiee, agua de flor de laranja, agua de toilete.
uivina, florida, lavande, pos de arroz, sabonetesj
cosmeticos, muitos artigos delicados em perfuma-
ra para Dresenles om frascos de extractos, cai-
.- sortidas e arrafas de differentes tama-
d'ms d'agoa de cologne, tudo de primeira quali-
d ie dos bora conhecidos fabricantes Piver e Cou-
iy.
armazem do vapor francez, a rua do Barai
' i'to-i?, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
%rtggo dc :liffercu(cH gustos c
phasstnzias.
:iiios dourados para gala* e gabinetes.
Luquos para senhorase pa*a moninas.
I.;:vas de Jouvin,de fin de Kseecte e de camurca
ijaixinha* de costura orcada c m: musica.
Album ; (air:..-, .. j,.. J retrat.'.-.
Cauinnas com vidrc- dt augnmtar ictratos.
Diversas ohras de ouro bora de lei .sarantido.
Correntes de plaqu6 muito bonita.* para relo
fies.
-.'Vi e&s Bolsinbas b eolres de seda, de velludo e de cou-
rfaho de cores.
Novos objectoa de phantazia para cima de mes*
e toilette.
Pincinez de cores, de prata dourado, de aco
do tartaruga.
Oi'ulos do aco fino e do todas as guaruicoes.
tengaJas de luxo, canna, com castoes de mar
fm.
dengalias diversas em grande sortimento
homens e menfnos.
Chieotinhoi de baleia e de muitas qualidade;
aversas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Pouteiras de espuma para charutos e cigarros
Pentes de tartaruga para desmibaracar e par
barba.
Ditos de marfira muito finos, para limpar ca-
bcca.
Escovas para roupa, cabellos, unhas e para den-
ies.
Cartoirinhas de medreperola para dinreiro.
Gravatas brancas e de seda preta para homen?
e meninos.
Camnainhas de mola para ch.mar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do-
mind e outros muitos differentes joguinhos alle-
uiaes e francezes.
Malas, boli as e saccos de viagem de mar e ca
minhos de ferro.
Argolinhas de marfim para as criancas morde-
rera, bom para os dentes.
Bercos de vimes para embalar criancas.
Cestmhas de vimes para braro de meninas.
Carrinhos de qualro rodas,' para passeios de
LTiangas.
venezianas transparentes para portas e janella*
Reverberos transparentes pafa candieiros de
jjaz.
Estereoscopos e cisvnoramas com escolhidas
vistas.
Lauteruas magicas cm ricas vistas de cores em
Vidros avulsos para flosmorama.
Globos de papel de cAres para illuminates de
festas.
Baloes aereostaticos de papel de seda mui facil
de subir.
Machinas de varios systemas para caf6.
Espanadores dc palha e de pennas.
j Tesourinhas e canivetes finos.
Tapeles com vidrilhos para mangas e lanteiias.
Tinteiros de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pratas para
juadros.
Quadros ja promptos com paysagens e phanta-
fctampas avulsas de saatos, paysagens e phan-
^bjectos de magicas para divertimentos em fa
aiilia.
Realejos pequenos de veio com lindas pepas.
Realejo9 barmonicos ou accordions de todos os
araanhos, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias difflceis de mencionar-se. No armazem dr.
vapor francez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
ArtGada.
. ,Na r.aa do Bara da Vi tallar ao Sr. l> tenecte Jos6 Maria Pestana, ane-
gacio de seu interesse.
Precisa-se de
duas amas para
casa de pouca fa-
roilia, sendo uma
para cozinhar e outra para engommar, pre-
feriudo-se escra vas, paga-se bent, se agradar:
a tratar oa travessa do vigario Thenorio n.
1, escriptorio, das 9 as 4 da tarde.
Precisa se de nma ama que saiba comprar
e cozinhar : na rua larga do Rosario n. zi, loia
de caljado.
Ama de \&t
Na rua do Hogplcio- n. 49, predsa se de uma
ama de leite, livre ou escrava, pfefere-se sem
filhos.
Ama de leite.
Precisa-se de nma sem Blho,
boa con3ucta: a rua do Visconde
n. 129.
que seja de
de Goyanna
AMA
de Goyanna n. 129.
Precisa-se de uma para co
zinhar para ca>a de pouca
familia : a rua do Visconde
Precisa so de ama ama para cozinhar
rua da Iraperatriz n. 16, 2 andar.
na
Ama
Precisa-se de nma ama para cozinhar
e comprar : na rna de Pedro ^Affbnio
n. 3 (outr'ora da Praia).
Precisa-se de uma ama que saiba
cozinhar e comprar, ou cozinhar e
engommar, pafa poueas pessdas: na
rua do Hospicio n. 80.
AMA
Ama
Precisa-se de uma ama de leite
rua Direila n 26, 1 andar.
na
Precisa-se do nma ama que saiba eugormnar:
a tratar na rua do Crespo n. 23
AMA
Precisa-se de uma cozinheira : na rna
do Queimado n. 92, loja.
All i Precisa-se de -uma ama para
ly'l \ cozinhar em casa de pouca fa-
l'JL iX milia :. na rua de Pedro Affooso,
outr'ora da Praia n. 3.
Antonio Jose Rodrigues de Senza, em seu es-
criptorio a rua do Crespo n. 6, compra, por bons
prepos, e5cra7os das diversas c6res, sexos e
dades.
Na rua da Penha n. 2 lava-se e engomma-se
com presteza'ronpa de homem e senhora : quem
pretender, dirija-se a mesma casa.
LOJA
Alugase a loja do sobrado n. 9 da rua da Au-
rora : a tratar na rua do Hospicio n. 26, taverna
on na rua da Imperatriz n. 10, taverna.
Veste-se anjospara procissao, com as-
seio, perfeigao, e commoJo prego ; tambem
cose so vestidos para casamentos, bailes e
passeio. d ultima moda, c aviam-se en-
commendasiiH costuras para fora da cidade,
bem como vestidos, assim como para bap-
tisados, e bordados a ouro e lioba, etc.,
tudo com perfeigao e cormnodo preco. Na
rua d s Cruzcs n. 26, se dirt quem.
Ctbierro
Quem preoisjr-de urn valx^fro de IS a !i annos,
dos ultimos chegadas, poJe dlrigir-se a rua Impe-
rial n. 202.
Precisa-se de wna ama
comprar .para casa de hemem
Direita n. 8.
cozinhar
na rn
Frecisa-se
de urn cr \ dara jodo o s-.rvifo: a tratar no
hotel de Bordeaux.

AD70&ADQ
VIrES GAM*
RUA DO 'DUQtE DE GAX1AS
H. .
Prfttleiro fldaf.
Ch|)j*l(krw i^oHwnica
Sa Direita n. 43*
Neste estabelecimfenW recebeise'iT|ua1que'r W-
commBhaa de* chapos-_propi-ids p'a'ra mascarados,
garatrtiridd-e aI'perP^o- dtf trafalho e por tyre-
cos razoaveis.
Fu|io hoqtejp, a npite o escr^vo: Antonio,
nrahto,-de it ooe9-de fdade, eerpo fernide, ca-
bellos rnivos e corridos.^feigSes'e pes regulares,
provavelmente tffocurara a Pal^eira dos Indios,
donde veio o anno passado : quem o trouxer a
este engenho sera generosamenle gratilicado.
Tapera, 9 de fevereiro de 1874.
Aviso. )f
W Mo el 1st a frneza. #
jtt Clementine Daura participa ao publieo A
X qae achando-se estabelecida a rua da 2,
W Ihfperairie n.'K, faz coiddras de pas- W.
fseios, bailes, casamentos e baptisados, >|
'im a maihr iJromiptKlfio e precos bara- '
tiisimos, iado as propnas casas satisfa- \
XL zer as pessoas^ue a honraren com aaas n
2 encommendas.
'Barbeifo
Preeisa-se de um official do barbeiro e quen
tends de cabelleireiro : no 1 andar da casa n.
36, a ma Duqne de Caxias
Preeiaa-se de um caixeiro que de fiador a
sua oonducta, para tossar conta .par balanco de
uma taverna em TMinda, nos Quatro Cables ; am-
bem nso strpSednvtda-em dar-fhe sociedade, se
entrar com aigum dinheiro; a localidade e a me-
iher daquelle lugar : a tratar no-Reeife, rua 4a
Lapa, Hoje Tutty n. 12, pnftsa.
Grande reuniao!
Para todos
ItepuDlicanos e monarchistas.
Democrntas e aristocratas.
Fcderados e conferlerados,
Communalistas e communistas.
C.atholicos velhos ou ncvos.
Todos devem i r
ileunidos ou nao reunidos
Fazer emqnanto antes
Suas encommendas
Dos saborosos filhos
^ Tao preconisados!
Fabricados a caprichq
Dos pasteleiros
S6 e somente
Na confeitaria do Campos
94, Iniperador 94.
IS.
A oompanbia da estrada de ferro de Olinda,
compra mais aO'eachamels'de 30 pdlmos de com-
primento e 5 polega&s ue grossara.para parte
da linha telegraphica : a tratar no escriptorio da
ccmpanhia.
0 gerente,
Laurentino Jose de Miranda.
rm&L
100^000 de gratificacao
Ktigenho Sautos Meudes
Fugio no dia 20 de deznmbro, do engenho San-
tos Mendes, comarca de Nazareth, freguezia de
Tracunhaem, a escrava Maria, crioula, 30 annos
de idade, pouco mais ou meuos, baixa, grossa, o6r
preta, rosto alquebrado, pes seccos e espanados,
dedos curtos, cabe-llu braneos, canellas finas, tem
dous signaes cabelludos no queixo, e e" bem ladi-
na. A pessoa que entregar osta escrava ou ao seu
lono, que e o senlmr do engenhn aciraa, Lauren-
tino Gomes da Cunha Pereira Belirao, ou no Re-
cife, largo do Corpo Santo n. 19, 1 andar, sera
ecompensada com a qnantia de 1001.
GRANDE
iiij
que
Grosdenaple preto
Sendo lisos e de ccrdlo, e o mais largo
vem ao mercado, e qne se vende pelos diminu'tos
precos de 28500, 2*0O, 3j!S00 e 35500
SO' NA RUA DO CRESPO N. 20, LOJA DAS
TRES PORTAS DE
Guilherme & G.
Junto a loja da eaiqnlna
Grande pechirxcha.
10Rua do Crespo10
BAPTISTASde firidas c6res molhadas de agua
de chuva a 280 r6is o Cdvado.
BAPtlST.S de listas e palmas perfeilas a 400
e 500 re"is o covado
GROSDENAPLE preto superior torn uma jarda
de largura a 3i o covado.
GROSDENAPLE preto muito bom & 1*800, 2*
e 32 o covado.
VESTUAftlOS fle fu?tao, cambraia, e la para
meninas a 4*, 6? e 7& o covado.

uouiDAfjAfj m vmms
NA
Rua da Imperatriz n. 60
BAZAR IIKAL
Roa do Barao da Victoria n. 22.
be
eHdefezendaspara liquidar,por baratisslmoprecdooaic
abaixo se ve:
u?jreirra da SiIva GuiYn3f8es Wn^ em Mr um grande depozito de faiendaa
tem reSoWoW fazer uma liquidac^o das mesmns com grande abatimento nos precos
com o unico fim de apurar dinheiro, para o que convidam aho sd os sens numerosoi
freguezesj eenio o respeitavel publieo, a vir surtir-se de muitis ferenons, boas e barat*
no seu. eslafreteefmento denominado oPavaoa rua da Imperafriz n '60
&HHIRAIAS A 4, 4JJ500, 59, 9 79- ] francez muito'Brio a 39000," apenas precis*
O Patfo tendo um magnlfico sortimento V* metro_ para jam Jeopol.
ehr9;ftiBis'rInas cambraias brancas transpa-
rentes, tendo 10 jardas cada pe$a, pelo ba-
rato prep de 49, 49500,59, 69, tendo tam-
bem das mais finas que custumam vir ao
mercado, assim como um grande sortimento
de ditas tapadas e victorias qUe Vende de 49
ate 89, sendo fazeada que tallc muko mais
dinheiro.
COM SALPICOS DE CORES A 59.
0 Pav5o recebeu um elegante sortimento
de cambraias brancas com bonitos salpiqui-
ntaos miudinhos de cores, tendo 10 jardas
Usrneiro Vianna.
A' este grande estabelecimento tem che-
gado nm bom sortimento de machinas para
costura, de todos os autores mais acredita-
dos ultimarnente na Europa, cujas machinas > ca<*a corte ^e veslido e vende pelo barato
sao garantidas por um anno, e tendo um ; PreC. ^e 5* Por ser pechincha, ditas com
perfeito artista para ensinar as mesmas, em! ^Jp*1306 tQdo branco sendo fazenda finissima
qualquer parte desta cidade, como bem as- a *'*500 e ditas a 59000.
sim codcel-U-las pelo tempo tambem d'um
anno sem despendio algum do comprador.
Neste estabelecimento tambem ha pertengas
para as mesmas machinas e se suppre qual-
tjuer pe^a qffe seja necessario. Estas ma-
chinas trabalham com toda a perfeicao de
rfm e dous pospontos, franze e borda toda
qualquer costura por 'fir:: que Si'ja, sous
precos s5o da seguinte qualidade :
VESTIDOS A USO DA CORTE 129
0 Pav5o vende um bonito sortimento de
cortes de vestidos a uso da corte, trazendo
cada c6rte todos os enfeites necessaries como
sejam : babadinhos, entre-meios, rendas,
requefifes, e vende pelo barato prep de 129
cada um, assim como, dims a 2 de julho
j com todos os enfeites a 169, cortes de cam-
balhar a mao de 309000, 409O0L ,59000 hr^S ,b"ncas .ab?rtas' c"? ltras e lavores
e-509000, para trabalhar com o pe" sao de ? *?' hdlt0S S* a f* dltos de cam"
809000, 909000, 1009000, ilOSOfio P^'afjanca com hstras de cores, para aca-
110^000,
120^000, 1309000, 1509000, 2009000 e
2509000, emquanto aos autores t,ao ha al-
tera^fio de precos, e os compradores poderio
visitar este estatolecimerito, que'rauitb de-
verao gostar pela variedade de' objecto:: que
ha sempr-i para vender, como sejam : cadei-
ras para vmgem, malas para viagem, cadei-
ras para sates, ditas de batanp, ditas para
crianga (altes), ditas pare escolas, costurei-
ras riquissimas, para senhora, despensaveis
para criancas, de todas as qualidades, catnas
de ferro para hom6m e criancas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelhos de metal para chd, fa-
queiros com cabo de metal e de marfim,
ditos avulsos, colheres de metal fino, eondiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
arame, tampas -para -cobrir pratos, esteiras
para forrar sates.'htvatorios completos, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mui-
tos artigos que muito devem agradar a todos
que visitarem este grande estabelecimento
qae se acha aberto desde as 6 boras da ma-
nha ate* as 9 horas da noute a*
Rua do Barao da Victoria n.
_________22,
0 INEXTLMGUIVEL
PERFUME
I 33.. fmh?f#. bar 39500, e" pechincha.
CORTES BORDADOS A 209 E 359.
0 Pavao vende ricos cortes de cambraias
brancas delicadamente bordados, pelo ba-
rato prep de 209 e 359.
CASSAS FRANCEZAS
a S00 rs, o covado
0 Pavao recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padroes e
cores fixas, que vende pelo barato prep de
300 rs, o covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 640 rs. a vara fi-
nissimo fil6 branco liso e de salpicos, e tarla-
tanas de todas as cores.
BORNOBS A 129.
0 PavSo vende um bonito sortimento doS
0
rin6
CHALES BARATOS
a 29,29500, 49.
tehde cbales a enritacio de me-
Garanhuns.
Na
allar
ose" Paes
3e.
rua do Rarao da Victoria n. 36, precisa-s
aos Srs. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
daSilva, a negocio de particular inte-
AiiENtAO
Constando aos abaixo asslgnado acharse nes-
ta prac% o Sr. Manoel Fernandes de Carvalho,ren-
deiro dos engenhos Rarra e Preguica, em Ma-
manguape, provincia da Parahvba, veem rogar ao
mesmo o obzequio de vir entender-se com os
abaixo assignados immediatamente sobre negocio
lendente aos referidos engenho?. Rna do Amorim
37, escriptorio.
Tasso Irmaos & C.
ALUGA-S
uma exc llente casa construids dc novo, sita na
entrada dos AfTlictos, tem commodos para grande
farm ha, sitio muito bem plantado. jardim e banhei-
ro : a tratar na rua Primeiro de Harco n. 2, livra-
ria economiea.
Ao carnaval,-
Braulio Ricardo Coelho
Run de Santa Thereza numero *3
Nesta caaa encontrarao os influentes do carna-
val um grande sortimento de vestuarios. cabellei-
ras e barbas a escolher, pelo baratissimo preco de
ti a 31 cada barba, 81, Wt, 85 e 30* cad'a ca-
belleira : a ellas, antes qne se acabem.
AOS
MASCARAS
Paris n'Amerioa, 4 ruaDu-
que de Caxias n. 59
primeiro andar, acaba de receber um completo
sortimento de calQados estrangeiros para homem e
senhora, vindo entre elles um lindo sortimento de
elegantes chiquitos, sapatinhos e botinas para
criancas, que tudo vende por precos razoaveis.
CALGADO
eslrangeiro.
Paris n'America, a rua Du-
que de Caxias n. 59
primeiro andar, acaba de receber botinas de alta
phantasia, proprias sara os chlstosos trajos a>
camaval: a qnantidade 6 peqaena, a ellas antes
que se acabem.
Pacheco 4 Azevtdo lem para vender
piooa de araruta, qtmKdide espeeTkl, em seu
mazem. na rua d Dnque de Caxias d. J9.
Pavo
a 29, ditos de merin6 lisos de todas at
cores-a 29500, ditos-de merinoestaaapodos,
muito finos a 49, ^dltos finissimos com lis
tras de seda a 69500, ditos muito fiuos d#
crepom a 109 e 129.
Al^odAo enfcMtado a 1JJ e l9t90
0 Pavdo vende algodao eufestado com I
palmos de largura, proprio para lenp
sendo do mais encorpado que tem vindo m
mercado, liso a 19 a vara e trancadoa.....
19280.
ATOALHADO A *9600, 29, 59.
0 Pavao vende atoalhado trani^ado com
palmos de latgirra a 19200 e 19600, dite>
adamascado a 29, dito de litiho adamssca
do a 39 e 59-
SEDA PARA VESTIDOS
a 19000 e 89.
"'0 Pavlo vende-am bonito sortimento di
sedas com listrinhas proprias para vesti
dos do meninas ede seuhora a 19600 o co-
vado, ditas lavradinh'as a 29, os padrtes ain
muito bonitos e vende-se por este prep pan
acabar.
Botinas a 5 5000
0 Pavao tem um completo certimento
botinas muito bem enfeitadas para senhorai
e vende pelo barato prep de 59, artigo qn
em outra qualquer parte custa 9 e 79.
LENCOS BRANCOS
a 29000.
0 PavSo vende 'lcn;os braneos abainha
dos, tanto parahomens como para senhorai
a 29 e 29500 a duzia, ditos de esguiio
cambraia de linho tambem absmhados
39500, 49, 59, d tos francezes escuros, par>
rape a 69, a duzia.
CAMISAS PAR4 HOMEM.
0 PavSo vende ricas camisas com peit:
de linho bordadas, proprias pira notvo
105e 129 cada uma, ditas de linhostn se-
rem bori-das a 49, 44*500 e 59, ditas cor
peitode algodao muito finas a 29, 29500
39, ditas decbita fina miudinba a 29,29500
. e 39, assim como grande sortimento de <*
mats modernos bornous com bonitos listrase rouhrs francezas tanto de linho como deal
vende pelo barato pre$o de 129 cada um, ^odio de 19600 ate" 39, grnde sortiraent.
assim como um elegante sortimento dos mais! de-mehs cru s inglezas de 49 ate 89000 >
bonitos chales demerind e com listras de seda.; duzia
Ceroulas francezas de linho e algodao, para todos os preps e qualidades, assio'
como grande sortimento de meias cru?s, camisas, colennhos, que tudo sc vende pa
precos muito razoaveis. .
! AZEVEDO.
n. 11.
ta
ar-
Escravo fugido.
Medidas de 40 a 100 metros,p6s e palmo3
aiodir terrenos.
para
108 para nieninos
A maior variedade que se pode desejar de to-
dos os brinquedos fabricados em differentes paries
da Europa, para entreteattoento da* criancas', mdo
a precos mais resnmido* qae 6 possivel : n ar-
mazem do vapor franee*, rna do Rjiiho da Victo-
na, outr ora rua Nova n. 1.
teslinhas para ; ^liira
sorUBieato de b, u
..am.30wperfiran.--z, ,^0U1
,ttrra roa fWva, n. 7.
Continda fugido 0 escravo Sebastiao, crioulo,
fulo, altura regular, corpo reforcado, faHa nm
1 "him descanjada ; foi aqui vendido em t5 de
dezerol ro pelo Sr Jose Francisco ''ontes de Aze-
vilii, t^nd.) sido escra 0 do Sr. Alexandre Rlbei-
n>- d.- Sobnl, trdo? da frepuezia He S. Caetano da
naposa ; esta matriculado no munidpie de Caraa-
ru, e foi ha poucos dias visto eiu S Benlo : re-
ga-se a t d .?. as autorida^es e cupitaes de campo
a eaptura do dito escravo, e (Caw lo a rua do Li-
vramento u 38, armazem Batua, que erao gene-
osameote recorapen-ados.
Vende-se 2 bois de carroca, ninito bons, e
grandes carros para condnzir peso de 6 a 8 to-
neladas, e esterco qae p6de dar de 120 a 160 car-
roe;as : a tratar na ponte da Torre, de domingo ate"
segunda-feira a tarde de cada semana.
Lindo chfariz.
Vende-se por preco barato um rico chafariz
de marmere jiroprio para jardim, 0 qual se acha
aranado na offlcina de marmore do Sr. Lima, a
rua do Impend or para quem 0 nuizer ver : a
tratar na rua do Crespo, loja d 1 Passo junto
arco de Santo Antonio.
ao
-- Precisa se alugar uma escrava nue-aiha
?'jiiahar: na rua Nova n. 7, loja.
0 aba herdeiro? Ie seu finado pai 0 commendador Tho
inaz de Aquino Fonseea, que absdlntaminte nada
deve ao cal do mesmo finado, oemo con9ta dos
auto-. repeetiv poder; 1 -iidmra fiv^sse 0 mvenia^ n!a dos bens
1 ;o- i>-|.i me-inofinad-.i, d. 11. r.iJa malifaa-
niriiie .-e> file devedor dc uma cula quanlta :
0 que tu provara em jui. "impetentf, -
q .ando para isso for chamado. 11 cifi-, 13 de'fe
vereiro d.- I
1> -ie de At]' "onseca.
agoa
DE
ni'KaiAv ft 1. \-\na*.
Uma pura distillagao das mais raras 1L-
r<^ dos tropicos. Gdntem, para assim ui-
zer, quasi 0 oddr odorifero das (lores do
tropico da America, e sua fragancia 6 quas
inexhausta ainda mesmo por continuada
cveporacao e diffusao. N'este respeito 4
1 icomparavel a qualquer outro perfume
qne ha de vend a para :
UESMAIOS, ATAQUES NERVOSOS, DOB
DE CABECA, DEBILIDADE E
HYSTERICOS.
E um certo e ligeiro allivio. Com 0 bom
Ml, tem conservado sua influencia para
cima de vinte e cinco annos sobre todos os
^rfumes, nas Indias Occidentaes, Cuba,
Jlexico, America Central, e do Sul e n6s
com toda a confianp 0 recommendamos
pmo um artigo, pelo seu aroma muito de-
licado, riqueza de odor e permanencia, nao
pode ser igualado. Tambem faz remover
da pelle:
ASPEREZAS, EMFOLAS,
0UE1MADURA8 DO SOL,
SARDAS E BORBULUAS.
Sendo reduzida com agua, se torna uma
excellente mistura para banhar a pelle,
dando um aroseado e cdr clara a complei-
glo nublada, sendo applicada depois d^
barbear, evita a irritagao que geralmente
occorre, assim como tambem garganteandc-
se, 0 cheiro do cigarro desapparece, e me-
lhora a condi$te dos dentes e gengivas.
Como ha muitas imitapes, as quaes n8o
possuem nenhumas d'estas propriodades,
deve-se tomar cuidado e contar s6mente 0
0 famoso perfume 0 cosmetico do sul da
America, cham
ASIA FLORIDA
DE
Ml IIR A V ft 1.1 AM AM.
Svj acha & venda- em todos odrogu
porf umari as da moda.
Iff!
ANTONIO JOSS D
Rua Nova
PIANOS.
Querendo defimtivamente liquidar este negocio, vende todos
asados, pelopret;o do custo de factura.
Tambem acaba de receber o seguinte:
OLEADOS inglezes para assoalho de salas, de muitos liudo? dese los de 11 a 33 palmos
de largura e 100 de comprido, podendo forrar se ui a sala por grande qne
seja com oleado inteiro.
MAGNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos de salas.
ANNEIS electricos para curar dores de cabega. nevralgias e nervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
liRAMPOS para segurar roupa estendida nas cordas, a 200 rs. a duzia.
TALAGARQA e papel picado para bordar com la ou seda.
VERDADE1RA agua de colonia em garrafas empalhadas.
muitos outros attigos, e por barato preco.
os que tem, novos
FUMO DO PARA
0 verdadeiro fumo de Borba, em chicote, picado,
como cigarros do mesmo fumo ; na fabrica a v3por, antiga
desfiado e crespo,
rua des Quarteis n.
encontrarao os segumtes e bem" conhecidos
Na dita fabrica, os Srs. fumantes
fumos manufacturados na mesma casa,
Flor do Brasil
Novo Caporal
Bes Bird'seye, ( Olho de Passaro. )
Vende-se a retalho, e em grande quantidade se faz grande abatimento.
assim
SI.
Vende-se a taverna da rna do Visconde de
Albuquerque n. 68, ou por balanco ou avulso,
pronna para principiante por ter poucos fundos
e atreguezada para a terra : a tratar na mesma.
que se dira 0 motivo por qne se vende.
Rua do
iftui

Para aeabar!
Ricos chapeos para senhora : s6 na
de Gaxias n. 60 A loja da esquina.
rua Duqne
Wilson Howe ox C. vendem no sen armazem
i rua de Commercio n. 11
Vende se um boi manso e uma carrooa : na
rna do Visconde de Goyanna n. ill, outr'ora Mon-
dego. _______
Querem fazenda barata.
Veaham on tnandem a osa Branca qne esta, -
vendendo muiio barato todas as tazendas 0 roupa I Wr feita : na rua da Imperatriz p. 56.
Menino, ofba.
t,Mieo a sets vinteus
E' muito foio limpar 0 nariz na manga da ja-
Jueta, como muitos costnmam fazer, tendo leacos
e casa fiaui ami barrinha a 120 rs. cada um,:
na loja da Ron Branca, raa da Imperatriz n. 56,
de Azevedo C.
ExCeflente Ho de \el.
Cognac de 1' qualidade
Vinho de Bordeaux.
CarvlQ de Pedra de todas as qualidadea
jimilillias pretas.
A Nova Esperanrja, a rua Duque de Caxias n.
63, recebeu mantiihas'pretas, modernas, e esta se
vendendo por prejos razoaveis.
Vende-se os seguintes
predios.
Duas casas terreas a rua Vinte Quatro de Maio,
outr'ora dos Ossos, ns. 2 e 4.
Uma dita ua rua do Padre Floriano n. 35.
Uma dita' na rua do Fogo n. 22
Uma dita no becco da Bomba n. 5.
Uma dita na rua do Padre Lobato n. 8.
Duas ditas no becco do caes da Cadeia nova
n. 35.
Um sobrado na rua do Livramento n. 37.
A tratar no pateo do Carrao n. 1, taverna.
m n. 76
Vende-se zineo puro de superior qualidade
proprio para cobertas de -casas, medindo 11 pal-
mos de comprido e 4 de i*rgo, por prees mniu
em conta.
Vende se uma taverna na rua das Carro
c$9, esquina da rua de S. Joao, com boa casa de
tivenda e bastanleo commodos para familia : quem
pretende-la dirija se a mesma. .
Asunicas verdadeiras
Bichr.s hairiburguezas qne Vem a este mercado:
na rnr Marqnet de olinla n. 51
Alerta principiantes.
01 hem qne vende se'a cocheira sita a nm das
Flores n. 24 : a tratar na rua Direita n. 50.
Farinha de mandioca.
Vende-se farinha nova de mandioca de Sanu
Catharlna a bordo do brigne portuguez Improvise
a tratar com 0 capitao, ou coi Amorim Irmioa
& C. rua do Bom Jesus n. 3. }
Vende-se uma casa tenf, aiU na rua do
Marquez do Ilerval n. 93: a traV com 0 commn-
dador Manuel Alves Guerra, ol 00m osolicitador
Frederico Chaves.
Jaboatao
Vende-se uma casa na ovoacebdg Jaboatao,
com 3 quartos, 2 aalas, copiar, 1 gabinata eeai-
nha, com grande quintal para 0 no : a tratar na
.oua do Coroael Suassuna n. 286.

Cambraia bordatia a
a peqa.
So na rua do Queimado n. 43.
Pecas de cambraia bordada eotn flores miudas,
' propria para vestido, pelo ditiiauto preco de 3fi e
14* a pec,a. So e pechincha.
--------------
Santa Catbarjn pn Tmpro-
viso e 11 l Claudia
Vende-S" i. ;,,ha nova t<'<:eeiieiite, a bordo dos
referidos n vioif:
'Amorim httltm
- 'in 0 capitae, oi
Luva de pellica
Amaral, Nabnco & C vendem lavas de >r_
de cores com toque de mob a *|, 1^560 e2f 0
par : no Bazar Victoria, rua de Barao da Victo-
ria IL2.__________________
Ao n. 9
No Progiess" > pateo do Carmo VeWJe-seiua-
tei a ingleza nui' )>oa a Li; aasHn oomo ciati
niia a ter icm s rUmento para qaalquer ohele ie
fazer sua .!, pensa, qw MtcentrMTireew
m iinaodM ;ue era outra part*.

/
/
'


J
iMatfo de-feMtobiftb &ibbado 14 ^A^Mfo de l'^f4.
/
It *

>
.
DE
ffl
is
IJ
MB MSTONTOS
SOARES LEITE, IRMAOS
UNIGOS AGENTES
A'
Rua do Bario da Victoria n. 28
t>
.
is mais simples, as n*ais baratas e as melhores do mundo!
Ha exposicio de Paris, em 186T, foi concedidp a
Elias Howe Janior, a medalha de ouro e a condecora-
5X0 da LegiRo de Honra, por serem as machinas mais per.
feitasd* "iuado.
A medalha de ouro, confer id a ;
Estados-Unidos por ser o inventor
, E. Howe Jonior, nos
da maebina de cos-
tara.
Rua Primeira de Margo n. 7'A
DE
Cordeiro Sim6es E' e3la uma das casas que boje podecom pri-
mazia offerecer aos seus -freguezes uiu vamlisst-
mo sortimento de Tazendas tiDas. para grande toi-
lette, e bem assim para use- ordinario da lodas as
classes, e por precos vantajosos, das qnaes fax um
pequeno resume
Mandara faiendas as ca?as das pretendeotes,
para o que lein pessoal Decessario, e dSo afnostras
mediante penhor.
Cortes de seda do lindas cotes.
Gro.-denaples do todas as cores.
Gorgurao branco, lizo. de. listras, nrejo, W-
Selim Macao, preto e de cores.
Grosdenaples preto.
Velludo preto.
Granadine de seda, preta e^dc cores.
Popelinas de lindos padroes.
Filo do seda, branco e preto.
Ricas basqumas de seda.
Casacos de merino de cores, la, etc.
Manias brasileiras.
Coites com cam bra ia branca com lindos borda-
dos.
Ricas capeilas e mantas para noivas.
Riquissimo sortimento de las com listras de
seda.
Cambraias de cores.
lizas 0 bordadas.
M
A Nova' Esperaritfa, a' f na Duqne de Caxias rt'te,
aprewsa-sa em-cowtfidar-aaeWfreguezes. comes-
pecialidade ao bello sexo a virem apreciar os se-
guides artigos expostos a veiula e todos ponprecos
conknoaos, cnrnd sejam :
PWA9 BOflECAS martsas e -chorotias.
B0KITAS"E EN8HACAOAS vistas para sterios-
Alpaca preta
com flores de cores, padroes os mais moderao*
A medalha
estas machinas.
Dilas raaripozas, brancas",
Nauzuques de lindos padroes.
do onro na exposicao de Londres acreditam Rapiiaas, padroes deiicados.
r v Perralmas de quadras pretos e braneos, listras,
908000
etc., etc.
Brins de linho de c6r, proprios para veslides,
1 com barra e listras.
I Ricos. cortes de vesiido de linho, com infeites da
mesina cor, ultima moda.
Cabe-nos ode verdeannunci*' que a companhia das machinas de Howe de Nova-, l)i.tosdecambraia,de cores.
<*, ertabeleceu nosta cidade i rua do Birlo da Victoria n. 28 urn deposito e agenda JJjJfjSBBjSrSBllfc
sral, para em Pernambuw? o mais provinces se venderem as aiamaaas machinas oe cos-. Camjsas bordadas para nnitmnnj de linho e al-
r r^egando uma agulha mais curta com a mesma quakdadedelinhaqueqnakmer outra,
i >ela introduccao dos mav1 aperfeicoados apparelhos, estamos actualmente habilitados a
tferecer a< examc publico as melhores machinas do mundo.
As vmtagms destas machinas sao as seguintes:
frimeira.O publico sabeqiw ellassao duradouras, para isto prova incontestavel, a
rumstancia de nunca terem apn>"^*o no mercado machinas d Howe era segun-
U mio.
Segunda.^Oir^a o material preciso para reparar qnalquor desarranjo.
Tercoira.Ha nellas menor frtccao entre as diversas pec,as, e menos rapido estrago
a'faenes oatras.
Quarta.Foritiam o ponto como se fdra feito a mao.
(Jointa.Permitte que se examine o trabalho de ambos os fios, o qne se nSo consegn
*jOEtras. .
Sexta.Fazem ponto mitido em casemira, atravessando o fio de am i outro laao,
em seguid* spjb modificar-se a tensao da linha, coxem a faxenda mais
A* rttado Cabufsa n. 1 A.
Os proprietaries da Predilecta, no mliiito de
coaeerVar o *om conceito que teem merec^o d>
respeitavel publico, di.~tinguin.do o seu esUiheleci-
mento dos mais que negociam no mesmo genero,
! teem scientlficar aos seus bons freguezes que pra-
veniram aos seus eorrespondentes nas diversas par-
i eas d'Earopa para Ihes enviarem por todos os pa
COMMODaS LA'TAS para guardar cha. quotes os objectoi de luxo e bom gosto, qne-se-
ELEGANTES BOLSAS para senhoras e menlnas. "Jam mais bem aceitos pelas, sociedades elegantes
BO,MTOS VASOS com fina banba e cheirosos daquelles paizes, visto aproximar se o tempo dt
exiracto8,uazen4oedaifraco um naaja, um* ini- .festa, em quo o bello sexo desta linda veneza
cial ou urn distico. mais ostcnia a riqueza de suas toilleites ; e co
FINAS MEIA9 D SEDA, vindo entre ellas cor mo ja recebessem pela paquete francez diverse
de came. | artigos da ultima moda, veem patentear algup
d'eotre elles que se tornam mais recommendaveis,
e.-perandu do respeitavel publico a costumada
concurrencia.
Aderecos de tartaruga os mais lindos que teen;
k' Nova Ejperanca a rua Duque de Gaxias n.! vindo ao mercado. '...[,..:._ .
63,aeabde r&Mrttah* e caixas para e jogode I Albuns com r.cas **"** enrdpe
Voitarette. i vaJludo, sendo diversos tamanhos e baratos pre-
cos.
Aderecos completos de borracha prcpnos para
loto, tambem se vendem meios aderecos muito bo-
BotSes de setim preto e de cores para otpato de
vestidos de se&hora; tambem lem.para collete
palitot.
Bolsas para senhoras, existe um bello sortimen-
to de seda, de palha, de chagrin), etc., etc, poi
barato pre?o.
, Bonecas de todus os tamanhos, tanto de louca
; como de cera, de borracha e de massa ; chama- I
mos a attencSo das Exmas. Sra9. para este artigo. ]
pois as vezes tornam-se as criancas um pouco im-
pertinentes por falia de um obiecto que a3 en
tretenham.
Camisas de linho lisas e com peitos bordado?
para homem, vendem-se por preco commodo.
Ceronlat de linho e de algodac, de diversos pre-
cos. __
Gaixinhas com musica, o que ha de mais lindo.
com disticos nas tampas e proprios para presen
Para quern goslar.
t*araunem sdfl're das pernas. i
A Nova Espejransa, a rua Duque de Caxias n.
63, acalja de receber as procuradas meias de bor-
racha para quern suQre'das pernas.
FLORES ARTIFIIAES
A Ndva BsperariQa, a rua Duque de Caxias n.
63, acaba de receber um lindo e complcto sorti-
mento de Rores artiliciaes das melhores que tern
vindo ao mercado.
A ellas antes qii8.se acahem.
OoBtumes para crianqa.
A Nova Esperanca. 6. rua Duque de Caxias n.
63, aeaha de receber honitos costumes para criaoca
e esta se vendendo por precos razoayeis
no mercado, a 60% reTs o eovado. So e pecbin-
cha ; dao-se amostras : na rua do QuekiMrio a_.
43, defronte da pracinha da indcpendn'ia.
Bandejas.
Amaral Nabaeo 4 C vendem bandejas de na-
tal e cbarao de differentes modclos a tamanhr.s :
no Bazar victoria, ma do BarSn da Victoria n. t.
i\aoha maiscabellos
braneos.
TINTURARIA JAPQNEZA.
So e unica approvada pelas acachmjas de
sciencias, reconhecida superior a toda qoe
tem apparecido ate hoje. Deposito princi-
pal a rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
quei de Olinda, n. 51, lc andar, e m
todas as bwticas e casas de c;')|Uh
reiro.
Sortimento de luvas da verdadeira fabiica de
Jouvin, para homeus e senhoras.
Vestuarios para meninus.
Ditos para baptizado.-
Ghapeos para dito.
Toalhas e guardanapos adamascados de linho de
cor, para mesa.
Colchas de IS.
logo
Setima.0 compressor & levantado com a maior facilidade, qnando se tem de mudar
a agulha ao coraecar nova costura
Oitava. Muitas companhias de machinas de costura, tem tido epocas de grandexa e, gf^jj
^eadencia. Machinas outr'ora populares, sao hoje quasi desconhecidas, outras soffreran
d Howe
Gortinadns bordados.
Grande sortimento de camisas de iinho, lizas e
bordadas, para hemens.
Meias de cores para homens, meninos e meni-.
nas.
Ditas escoceza?.
Compli-fc' sortimento de chapeos de sol para ho-
mens e senhoras.
Merino de cores para vestidos.
Dito preto, trancado e dito de verao.
Atoalhado de linho e algodao para toalhas.
Atoalhado pa>_do.
Da mas co de la.
Brins de linho, branco de cores e preto.
Setim de lindas cores com listras.
Chales de merino de cores e pretos.
ca*emira.
Ditos de seda pi eta c de cores,
iadancas radicaes parapoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe pitos de touquim.
*optando a opiniao de Elias Howe, mestre era artes mechanioas, tem constantemente
tgmentado oseu fabrico, e hoje nao attende a procura, posto que faca 600 machinas,
r iii.
Cada machina acompanha livretos com instruccSes em portuguex
A 90^000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS
A'
do Barao da Victoria n. 28.
firande pechlneha a 200 rs o
eoYfldo.
C&U& la, padroes novos, e de raais gosto qne
I vindo ao mercado, so na rua do Queimado
43, loja de Gnerra & Fernandea, pelo diminu-
preco de 200 rs. o covado I
'Jiegaem freguezes que se acaba___________
Farinlia de ararata
Vende-se superior farinha de araruta, tanto em
porcoes como a retalho, por pre^o que admira,
vrsto saa qualtdade ; deposilos nos seguintes lu-
gres: rua do Vigario n. 26, ma do Amorim n.
, e travessa da rua das Cruzes n. i, a 500 rs. a
libra a retalho.
VENDE-SE
uma. casa na villa de Barreiros, na rua do Gom-
ercio, por preco modico: a tratar com Tasao
.'rmaos AC
Os verdadeiros
Vinhos de Bourgogue
das marcas
Chambertin
Porrrmard
Virits
Volnay
Beanne
Monthelie
Dito Bordeaux em quartollas.
Vende-se por barato preco
PARA LIQUIDACAO E CONTAS
m
Boa Larga do Rosario 34.
Rotica.
Camisas de chita para homens.
Ditas de ilanclla.
Cereu-las de linho e algodao.
Pannos de crochet para sota, cadeiras e c-5qso-
los.
Len;os bordados e de labjrintho.
tlolchas de crochet.
Tarlatana de todas as cores.
Ricos cortes de vestidos de tarlatana berdados
para cortes.
Espartilhos lisos, bordados.
Fiutard de seda, llfldas cOres.
Meias de seda para senhoras e meninas.
* Ricas faehas de seda e la para senhoras.
Rro sortimento de leques de madreperotes e
osso.
Danaseo de seda.
Ricos chapeos e shapelinas para sertioras, ulti-
i ma moda.
! Chit^ajiiapolao, panno fino preto c azui, Iariuli4s, punbos de linlio e algodao> gravaUs, ln-
! vaa 3e Go do Escossia, tapetes de todos os tama-
: nhos, bilsas de \-iagem, peitos bordados para ho-
; men?, lencw do linho branco e de cores, toalhas,
; guardauapos, etc., etc.
A Niva Esperanga, a rua Duque de Caxias n.
6H, raceboa Orh pequeno sortimento de anneis e ^
puteeircs.elecii'icas, proprhspara qoem soffre dos tes
uervos. | Goques os mais modernos e de diversos forma
____________:------------------------------ tos.
- Cbapeos para senhora. Rccebcram um sortimentc
I'ljl'ij li fiti'DHYHl Ida ultima moda, tanto para senhora, como pars
^ j CapelTas simples e com veo para noivas.
LiaUldaeaOCleaOItllllOS. CalQas bordadas para meninas.
I 3^ I Enlremeios estampados e bordados, de lindo*
Na loja do Pavao vende-se uma grande desenhos.
porca > de domin6s por precos muito bara-, Escovas electricas para dentes, tem a proprie-
los Dor se d*seiar *cabar. Tendo de me- dade de evitar a carie dos dentes.
I- .?-*!& Ait'd lA7inha de iOOfi Franjas de seda pretas e de cores, exute um
tm a 33000, ditos; de 5^na grande sortimento de divercas larguras e barato
63JOOO, ditos de velbotma a 7*000 e 80000;
pede-se dizer que cste era o preco porque se Fitas de sarja, de gorgurao, de setim e de cha-
alueavam. E" pechtneha. malote de diversas larguras e bonitas cores.
-------------------------Pachas de-gorgurao muito hndaa.
Flores artiliciaes. A Predilecta priraa em con-
servar sempre um bello e grande sortimento des-
tas floies, nao so para enfeite dos cbellos, come
tambem para ornato de vestido de noivas.
Galoes dealgodao, de 14 e de seda, braneos,pre
Carnaval
Amaral, ^abuco & C. vendem laolijonlas de
diversos formaios, prateadas e dewradas, cabellei-^ Wg de diversas, cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Lacos de cambraia e de seda do diversas core*
ra* decabellos braucos, ca'cas de meiade algodao
e de seda, brancas ^e de cores, camisas de meia (
listradas e brancas, capacetes de massa, voltas de. _,_ senbora.
perolas falsa?, brincos proprios para Cbicard, jr Ljgag de seda ,je cores e brancas bordadas para
franjas prateadas de muitas larguras, etc., etc., e | noiva
compicto sortimento de mascaras: no Bazar Vic- yvros para ouvir missa, com capas de madre
tori*, rua- do: Barao da Victoria n. 2. perola, marliii), Os-o e velludo, tudo qne ha dt
bom.
Pentes de tartaruga e.marfim para alisar os ca-
bejios ; teem tarpbem para tirar caspas.
Port bouquet. Um bello sor^nento de madre-
perola, mariim, 6sso e dou.^os por barato preco
Perfamarias. Noste artigo esta a Predilecta bert
provida, nao so em extractos, como em oleos *
banhas dos melhores odores, dos mais afamados
fabricantes, Loubin, Piver, Sociedade Hygiemca.
Coudray, Gosnel e Rimel ; sao indispensaveis pars
CliapCOS de SOl para SeilhoraS a f|2 bordadas para senhora, por comraodt
a 4pwHM PrSapatinhos de la e de setim bordados .para bap
\ Rosa Rranca acaba de receber chapeos de sol tisados.
deleda para senhoras ou ieninas, com lindos ca- i Tapetes. Recebeu a PredUecta um bon.to sort.-
bos braneos e superior seda, e vend* a M ; nao | menlo de diversos tamanhos, tanto para sofa co-
julguem que-por ser barato fao,ordiRari', porqne ,mo para entrada de salas.
saa?chapeos que sempre se vend-ram a 7* e 8f; Vestimentas para, bapt.sadoo que lia, dc, melho
aproyite a. pachipciia ; na rua da Imperatriz, gosto e os mais modernos, recebeu
n. 56, loja de Atevedo & C. i vende por bartto prejo,
Las avariadas. l^-r^
Mascaras
Amoral..-Sabaco 4 C. vendem mascaras de pa-
pelao, IJrancas e prelas. para homens, mulhere3 e
n.eninoSjde setim,de arame, de eera para homem,
mocas. e velhos, typa intramete engracado: no
Bazar Victoria, rua do Baiao da Victoria n. 2.
a Predilecta
para hear ao alcance
A Rosa Branca aeaba de comprar em leillo uma
por^ao de las avariadas, o dejeito 6 pequeno, e
Rua do Cabuga n. 1
Camisas de chita francezas
de 4$ a 2$500.
A rosa Lranca'te.m um resto de camisas de ere-j
tone e chita de diversos, numcros que vende,
para acabar a 2*800 ; quem conheee a fazenia
I sabe qoe e muito barato, aproveitem a ocasiao :
a rua da ImpQratrit n. S6.
jOorgurao preto para vesti-
dos, de-Wpor 3^500.
A Rosa Branca comprou em leilao algumaspe-
i cas desta superior fazenda. e esta vendendo por
| inetado do seu valor, e largo, quem precisar a pro
veodo pelobarjiissiroo preco de-240 n. oeovado,
e grande. pechinrtia, ap'oveitem :aa rua da Ira
) i peratrii n. 56, loja.d.Rosa Branca, de Azevedo,
I & Companhia.
J. 0. c.
n
II.
Vende se Undns domiaos de superior qualidade
para o carnaval : na rua do Duque dc Caxias n.
33.___________________________________, |
Lindas las escocezak

Tem para ve i i
Cognac de Hennessy, superior e veruadolr-..
Vinho Xeres das melhores qualidades.
Bitters de Angostura.
WJlulrf.
Cha preto em lattas de (0 libras.
Todas as preparac^es chimicas do Dr. Aye:
araazem da rna do CotDmercio n 38.
Bazar \id*ria.
Este estabelecimento acaba de receber comple
De varios padroes, e iBteJramentemodenias, a to sortimento de cintos de couro preto com fivel-
360 rs o eovaio : na roa Primeii-o- de Mwoo la e corrente de metal, punhos e gollmhas de I
"IS : i% toKaXa^HTte A^ amiga do C=a & lftaShSS..d. Ah- >ho e gravatas escocezas, tudo para senhora :
na
do i C.
tunio Correia de Vaaconcellos.
rua do Barao da Victoria n. 2.
PARA O
CAUNAYAL
Odilon Duarte & Ii-mao
Rua da Imperatrsx n. 82
T^m promptos, a dispesicao oos air;.:->sdo c. '-
naval, 1,300 barbas a escolher, p-:o baratissiir
prero de 'A& cada uma, e grande Buuwn de c..
belleiras de todas as formas e cores, a it, 10/
Kti e 15^ cada uma. ________
Vende-se
um pequeno bilhar de jacarauda em perMla
lado : quem o pn-iender. dirja-se a rua do Cw
po, loja da fazendas n 10._________^___^
Las de quadros
\ovi!a!e c a 3SO n. !!!
A Ro>a Branca vende lindas Bs dc qnadros,
pura 14 c gostos muito chioues, tfo-aa amj
com penbor e maiida-se levar em east ; apro-.- -
tem a occasiao : na rua da linperitri7 n. 56.
Vende-se uma carroca i;n boi. es'..
este bastjinto deseaa^kdJ; no armazein do sal.
nui i':,i iU.nceirao, da Boa-Vista: a tratar Cu i
Franci'co Meira.____________________
Vigor do Cabello
Dr. Ayer.
Para a renovacao do ca-
bello, restituicSo de sua cor
e vitalidade primitiva e nat-
ural.
O Vigor do Cabf.llo e* uma preparar-So M
mesmo tempo agradavel, saudavel pfficaK jar*
conservar o cabello. Por meio do seu uso >
cabello ruco, grisalho, e enfraquecido, dentr d-
pouco tempo revolve a cor que lhe c na-tui J i
primitiva, e adquire o brilno e a frescuns it
cabello da juventude; o cabello ralo se torn*
denso e a calvicie muitas vezes, i>osto quo nau
cm todos os casos e neutralizada.
Nao ha nada que pode reformar o cabello
depois dos folliculos eatarem destruidoe, o ---
glandes cansadas e idas, mais se ainda restaiera
algums podem ser salvadas e utilizadas pela
applicacSo do Vigor. Libre de essas substandM
deleterias qne tornam muitas preparacoes d eac
genero tam uocivas e destructivas ao <*abello^ o
Vigor sdmente lhe e beneficial. Em vex de
sujax o cabello e o fazer pegajoso, o conuurfa
limpo e forte, embeUirando o, impedindo a qucd*
e o tornar-se ruco, e por consequinte previne a
calvicie. *
Para uso da toilette nio ha nada mais a d>8<-
jar; n5o contendo oleo nem tintura, nio pode
manchar mesmo o mais alvo lenco de cambmii;
perdura no cabello, lhe da um lustre luxuricso,
e um perfume muito agradavel.
Para reformar a cor da barba, e necessarw
mais tempo de que com o cabello, porem se pode
appressar o effeito, envolvendo a barba de w.i.d
com um len50 molhado no Vigor.
PBtPABADO FOB
Dr. J. C. AYER & CA, Lowell, HUM.,
Estados T7nidoa,
Clmnicot Iracticoi t Analytic**
VKNDK SB POR____^_
I.
87
a
4>
DOS PREMIOS DA U PARTE DAS LOTBR1AS CO.NCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. 946, A BaHEFICIO DA HIHABBaMS DE NOSSASENHORA DA SOLEDABE DA 1GREJA DOaiVBAMEMTO, mRAHlDA KM U|_E H.\.EHKIRO M. J874
N&. PREMS. NS. PREMS.
5
26
30
33
38
44
46
SO
72
'74
81
82
85
80
92
93
m
9
18
32
88
41
43
46
57
58
33
M
9*
209
13
26
30
37
38
55
68
nn
,a
78
40
10
4*
t04
281
87
97
312
17
22
42
45
47
48 ,
5*i
a
81
82
86
407
8
14
29
- m
31
45
NS. PREMS.NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS.
H
I .
!*
|
44
37
48
51
58
85
a' 4
500
5
'19
23
27
50
m
sA
63
78
6D2
1005
4
631
32
39
46
48
50
51
53
61
67
78
85
86
88
99
702
4
8.
9
10
ft
44
46
62
8
74
79
83
88
96
I 800
10
'i9
23
24
41
45
46
50
H

851
60
61
65
67
P
9
87
94
95
916
17
24
26
29
32
41
51
52
58
59
62
63
71
72
81
83
,.85
-i*011
_ T6
21
25
28
43
49
52
80
- 91
40
4#
m
4*
H
*
W
M
IO
1099
1101
10
11
19
35
37
41
47
50
53
54
58
62
64
83
84
8
99
1200
5
12
V
22
30
37
45
50
58
62
65
^6
82
91
93
99
1301
6
7
1308
38
40
46

PREMS. NS. PREMS.
4*
*# 52
u 56
62
65
: 71
72
' 82
83
86
m 91
i$ 92
93
. 1402
12
JM '23
__ 24
mm. 28
>*+ 37
-J 42
Jh. '43
. U 44
_ 50
-M 58
' '64
-* I'l
__ 73
'90
_ 1501
10
4*
1O0
2745
50
59
64
69
74
78
94
97
2804
13
14
18
52
61
67
68
82
84
87
94
12946
20
21
23
NS. PREMS NS. PREMS.
45
4$j
6,4
id
24
m 32
4d 60
66
: U8
70
-4- 73
79
85
92
93
3000
Ml
19
tm
4ft
3020
23
25
27
28
33
37
38
46
66
94
95
98
3104
6
7
26
36
39
42
44
50
57
7
78
83
84
85
89
95
I/O
3217
21
27
29
37
47
'60
m
4*
ioof>
4*
*03

tm
m
3252
58
65
69
76
78
84
90
91
96
3301
5
13
15
16
18
39
40
42
66
68
86
91
95
96
3403
12
16
21
28
34
S7
39
41
44
46
49
52
45
NS. PREMS. NS. PRE? S.
3463
66
IS
3516
17
18
20
23
37
40
45
48
52
66
73
79
86
89
91
93
95
Ito 96
40|36OO
li4 7
61 24
46 25
29
31
41
42
53
M
83
87
9u
95
3701
2
45
3705
7
!0
Iz
10
28
M
65
97
3821
31
33
34
3fi
44
45
47
49
53
70
76
77
83
3911
15
39
54
M
58-
6N
69
76
88
89
90
92
- 96
- 4000
'.J
*05
41
m
45
--





8
Diario de Pernambueo Sabbado 14 de Fevereiro de 1874
VARIEDADE


toque Barcia.
0 terceiro docuraento dos uhimamente
pubicados e assignados por D. Roque Bar-
cia, diz assira : -
MANIFESTO k' NAg\0.
Nasti para dizer verdades, e nio posso
ser patrocinador de mentiras.
Este manifesto ndo 6 uma conflssSo ar-
rancada ao espanto, sendo um grito da mi-
nha consciencia: consciencia ndo per-
*^ turbada, mas angustiada profundamente.
Sou um cobarde que tem o dever de dar
ligoes aos mais valorosos.
Se eu fosse capaz de estremecer ante um
perigo, nio diria o que vou dizer. E tenho
fiz publico que era federal, ndo renunciei ao
direito do merecer a estima de todas as pes-
soas honradas.
Ignoro se merego a immensa gloria dos
naartyres; jurei pordra nao ser victima de
alheios erros.
Basta de tormentos! Basta de violen-
ciasl
Devo d Hespanba uma satisfagdo comple-
ta : tfio completa e sofomne, como foi ter-
rivel a provagao.
Um partido se lcvantou sob a fe da mi-
nha palavra, e eu devo dirigir-lhe a minha
voz nestes supremos instantes.
Nio so aclara aqui uma questSo politiea,
sendo um ponto de dignidade, e eu dou li-
cence para que me queimem, nao para que
me infamem.
Morramos todos, se tal e" a nossa estrella ;
mas salve-se ao menos a magestads dos prin-
cipios, salve-se ao menos o presiigio da re-
volugao, salve-se ao menos a historia.
I
Ha muito tempo, muitos annos, que me
opponho is insurreigdes populares, porque
conceituava que todo o feito do forga ha via
de fer uma derrota para o povo.
Esta conducta, valeu-me mil censur8S
amargas por parle dos homens 'hamados
de acg3o, ainda que a experiencia, docil
sempre A sabia moral do tempo, conQrmou
exactamente todos os meus vaticinios.
A minha repugnancia aos levantamentos
da multiddo, tem sua explicagdo ; e esta
explicacSo e o resurao de todas as idades,
espirito da historia da humanidade, essen-
cia de todas as geracoes.
Nos systemas theocraticos ha o prestigio
das tradigdes theologicas.
Nos systemas de realismo, ha o prestigio
de heranga.
Nos systemas de conquista, ha o presti-
gio do guerreiro.
Nas aristocracias feudaes, ha o prestigio
do senhor.
Nos partidos medios, ha o prestigio da
instrucgio e da riquaza.
Nas democracias, ndo cabe outro presti-
f gio mais de que o da razao, o dos senti-
mentos, o dos costumes
0 democrata n3o pode allegar outros titu-
los senao a educagao e a virtude, o talento
e a probidade, o amor e a fe.
E eu era d'opinido que nao ha em n6s
bastante fd e amor, bastante probidade e
talento, para reformar uma sociedade des-
feita, que vale quasi tanto como dar ser a
um novo mundo-
Esta era a minha opiniao, isto era o que
eu acreditava, o que sempre acreditei, o
que opino e acredito hoje ; mas veio a abdi-
cacio do antigo duque d'Aosta, veio com
ella a proclamagdo obrigada da republica ;
veio o voto inconsciente da assembled, de-
clarando que a republica federal era a nossa
forma do governo ; animaram:me Andalu-
zia, Catalunha, Aragio," Valencia, Murcia,
e adulado pelas circumstancias, pelas pro-
vincias e pelo meu desejo, que e a lisonja
mais temivel, fundei um periodico, cujoexi-
to nao teve exemplo em Hespanha, com o
unico Qm de ensaiar a federagao.
A invencivel cidade de Cartagena foi a es-
colhida para servir de baluarte da republi-
ca cantonal.
De feito, levantaram-se quasi unanime-
mente, como tocadas por uma faisca elec-
trica, Murcia, Cartagena, Sevilha C*diz, Ma-
laga, Granada, Salamanca, Valencia, Cas-
tellon.
Quern poieri duvidar d'um movimento
tao vigoroso 1 Quem podia temer que o fe-
LUCBBCIA B08&U
' MEMQRIAS OE SATANAZ
POR
D. Ilanoel Feraandez v Gouzalez
TERCEIRA PARTE.
0 DUQUE VALENTINO.
Ill
QUEM MAL USA, MAL ACABA.
(Coutinuagao do n. 36. )
Que succede 1 disse Cornelia assusta-
da, julgando que Pedro saspeitara alguma
. Oousa, e que era essa a razio do seu ar
SOmbrio.
Vejo me obrigado a deixar Sesena, e
isso contraria-me, respondeu Pedro.
E porque deixas Sesena, meu queri-
do ? proseguio Cornelia jd tranquilla. Des-
p-oja-te* por ventu'a, do teu governo o
duque de Valentino ?
Cesar Borgia estd-me muito obrigado,
jerque existe entre n6s um segredo grave ;
nSo, ndo e isso ; estou seguro no governo
-i-: Sesena, mas como sou mais obrigado a
I.- recia do que a Cesar, e aquella vai a
Ferrara, vou eu tambem a Ferrara.
Yaquelle momento Pedro sentio qne
o ?"guravam pelos bragos, que o prendiam
,' cadeira, e o amordagavam.
In momento depois, nao podia nem fal-
lar, nom mover-sei
Michelotto e os quatro esbirros tinhara
sahi do de detraz do leito, aproximando-se
~Uvly !ro, em silencio, e prendendo o n'um
flbrir e fechar de olhos.
.-Ah exclamou Michelotto mostrando-
6% afedro ; posso finalmenle provar-lhe a
djstancia que vai de Michelotto para si ;
foi um golpe de mestre que provavelmente
lhe causard inveja. Coroelia, vai com estas
homens, e elles que tragam o maior dos
teus cofres. Wfe
Cornelia sahio com os esbirros. .
EntSo Minhelotto tirou um frasco da ar*
gjbeira, destapQu uma garrafa, e despejou
n'ella o que ella contioha. Entretanto,
Pedro debatia-se quanto podia, na cadeira.
NoUios injectavam-se-Ihe d^ sangue, in-
jfRraTMMMwMracto ?
Ah t no desenvolver do movimento obrou
a seiva da iJ^a, essesangue da alma, por-
que a idea existia ; faltava porem a suffl-
ciencia para dirigir e crear, porque nSo ha-
via homens.
Arreia o Vigilante a baudeira do oosso
paiz e levanta uma bandeira vermelha. As
ordenangas maritimas dizem que navio
que arreia uma bandeira e ica outra, e na-
vio pirata eistoexplica que a fragata
Frederico Carlos apresasse o nosso fa-
por.
0 prussiano fez o que devia fazer, cin-
gindo-se a" lei escripta ; o vapor Vigilante
foi boa presa dentro do direito positivo.
Do us navios cantonaes borabardeiam de-
pois a minha amada cidade de Almeria ;
.io-nbardeiain uma praga aberta, uma cida-
de fran:a, infringindo o tratado de Paris
celebrado em 1856, assignado pela Krar.ga,
Inglaterra, Allemanha, Italia* e Portu-
gal.
Isto explica que dous navios destas na-
g6es apresassem as nossas fragatas Almansa
e Victoria em nome do direito internacio-
nal, tambem em nome d'um direito ante-
rior, que se chama o sagrado direito das
gentes.
Nds os cantonaes estavamos f6ra da hu-
manidade, isto 6, estavamos f6ra da grand*
oivilisagio.
Di-lo-hei mais gracfiamente, porque 6 ne-
cessario que a Hespanha me entenda : n6s
os cantonaes erainos uns barbaros, que pre-
tendiara diffundir a cuhura, ou uns ho-
mens cultos que tentavam fundar uma bar-
barie.
Quaodo me inteirei de que a Almeria ti-
nha sido bombarbeada, gelou se-me o san-
gue, e concebi a idea de partir para Oran,
porque vi claramente o que vinha, o que
effectivamente veio, porque tinha que
vir.
0 bombardeamecto de Almeria, como o
de Alicante, foi a sepultura da republica fe-
deral ; a fedtraglo esta" enterrada dt-
baixo das ruinas que os nossos projectis fi-
zeram.
Quando. vi depois que choviam sobre
Cartagena cem mil granada>, disse para mim
no meio daquelle ruido formidavel: Al-
meria sauda-nos.
A democrrcia converteu-se em absolutis-
mo, e teve que morrer ademocracia, como
se o despotismo se tizesse democrata, mor-
reria o despotismo.
Se o selyagem se converte em homem,
acaba o selvageai. Se o homem se conver-
te em selvagem, acaba o homem.
Republicanos federaes de toda a Hespa-
nha, ougam-me : temos a id&i, falta-nos
porem o facto ; temos o espirito, mas falta-
nos a materia ; temos o anjo, mas falta-nos
quem o conduza.
Eu pergunto a todos os iotransigentes de
sa intengao; tem o nosso partido autorida-
de, poder e sciencia para levar a cabo a re-
form'a do velho estado, da velha igreja, da
velba curia e do velho nobre ?
Tem aut ridade, poder e sciencia para
governar uma nag53 de dezesete milhdes
d'almas, unico povo da terra onde o abso-
lutismo esta" ferindo uma bataiha que dura
mezes, que dura annos, que Deus sabe o
que durara" ?
Eu, intransigente, digo que nao ; eu, in-
transigetite, eu absoluto, o nego ; eu, in-
transigente, conf.-sso a minha impotencia ;
eu, intransigente, reconhego a nossa nulli-
dade.
Porque motivo succumbio a invencivel
cidade de Cartagena? Por causa da nossa
inepcia.
Porque succumbio Cadiz ? Por causa da
nossa inepcia.
Porque succumbio Malaga ? Por causa
da nossa inepcia.
Porque succumbio tambem Valencia?
Por causa da nossa inepcia.
E e que nos empenhamos em levantar
um palacio de pedra com um baralho de
cartas: e que nos empenhamos em que a
republica, nascida hontem, tem que ser uma
mu.lher firmaiia, uma rnSi trabalhadeira,
com o necessario caudal de experien-
cia para governar a sua casa e os seus fi-
lhos.
Emquanto discorremos d&te modo, sere-
mos victimas de umi innocencia, porque in-
nocencia e a illusio.
chavam-lhe as veias da fronte, e, atravez
da mordaga, soltava uns rugidos surdos.
Que queres, governador de Sesena ?
disse Michelotto ta pando a garrafa e guar-
dando na algibeira o frasco vazio. Como
encheste de tristeza os habitantes da villa, e
6 necessario que se alegrem para que feste-
jem a tua adorada duquezede Spoletto, quan-
do passar poraqai, meuamo, nioencontrou
um meio melhor de Megrar os pais, os ir-
m3os, os parentes e os amigos d'aquelles a
quemjustigaste, senSo cortando-te a cabe-
ga ; e como ndo podia confiar isto de ti,
que eras o seu brago direito, confiou-m'o a
mim, qne sou o seu" brago esquerdo. Sua
excellencia vai ficar raaneta, mas nSo im-
porta ; com o seu brago esquerdo tem con-
seguido tudo quanto tem querido fazer, e
assim continuard no future
N'aquelle momento entrou Cornolia, tra-
zendo atraz de si os esbirros carregados
con uma pesada area de carvalho entalha-
do, com bragadeiras de ferro cruzilado.
Cornelia abrio-a e comegou a tirar a rou-
pa de que estava cheio.
Depois de tirar o necessario para que
n'ella coubesse Pedro de Na poles, Miche-
lotto disse:
Basta ; assira ficara" mais commoda-
rnente ; ndo podemos perder tempo, porque
resta ainda muito que fazer.
Michelotto e os quatro esbirros, depois
de terem alado Pedro de Na poles de pes e
maos, para o que iam convenientemente
munidos de cordas, soltaram-n'o da cadeira
raetteram-n'o no cofre e fecharam este.
Olbem que morre suffocado, disse
Cornelia.
Melhor, replicou Michelotto, mais fa-
cilmeute faremos o que nos resta fazer;
levem essa area para a ante-camara e espe-
rem alii.
Os esbirros sahirano com a area.
Agora ceiemos, minha bella, disse
Michelotto, e brindemos pela tua prospera
fortuna.
E encheu uma taga de prata com o vhiho
da garrafa em que havia misturado o liquiV
do contido no frasco que tirara da algibeira.
Em seguida apresentou a taga a Cornelia.
Sim, disse a-juella quo estava mui
pallida, teuho seJe, uma sede ardente... e'
a falta de habito... ounca fiz isto ; mas
que importa ? Nfto degollou elle centena-
res de victimas?
A creanca chegari a ser donzeHa ; esta
donaella chegara'.a ser mulher ; esta mu-
lher chegara" a ser esposa ; "esta esposa ene-
gard a ser m9i; e quando for mil tera* o
bastante amor, a bastante 'A, o bastante
cuidade, o bastante talento para governar
sua familia.
Mas n5o busquemos impossiveis; em-
quanto n3o sahir da meninice, e futura mai
serd uma creanga. e uma ere nga hSo pdJo
fazer mais do que brincar com boaQ-
ca,
Ponhamos de frente a questio, porqiil
! estes qua Iros nio admittem meias liotas;
ha uma massa trabalhadora, "cheia de vigor,
jesperanga do mundo, manancial perenno
, de honradez e de genio ; ha um povo sot'-
frido,'loal, fervorosd, valente, magnanimo i
i mas ao lado doiie povo virgem, desse povo
heroico, agitam-se muitos perJidos, muitos
mercadejadores, muitos trudes, muitos Pes-
cadores em aguas turvas.
E nio ha que dar voltas, povo generoso ;
com mercadejadores, com trudes, e eom
esses pordidos nao cabe no possivel governar
as sociedades humanas.
Queres saber porque ? vou dizer-t'o.
Para que um systema possa estabelecer-
se e crear as suas forrnas, e indispe savel
que represente os interesses mais poderosos
de um seculo e de um povo.
E que interesses podem representar certOs
levantamentos? Que povo ou que seculo
bao de dirigir ?
Procedendo do modo como se procedeu
(nio o devo calar) esphacela-se uma nagao,
nao se faz uma revolug&o.
Nio quero dizer que fui enganado, por-
que nada mais longe do meu proposito do
que aggravar a sorte de uinguem ; mas se
nao posso dizer que fui enganado triste-
mente, tenho que exclamar com profundo
pezar: Nao e esta confusao a humanida-
de que tenho procurado toda a minha vi la ;
n8o e este labyrintho o bem e a gloria que
eu anhelo para a minha patria ; nao e esta
a honra que pretendo legar a meu fi-
Iho.
Quanto tenho opprimido o meu cora-
gao I
Quanto tenho atormentado a minha cons-
ciencia !
Quantas araarguras teem crivado o meu
espirito neste grande e glorioso povo I Quan-
tas e quantas vezes tenho estado doente de
dor I Quantas vezes tenho querido fallar
Quantas vezes tive de eramudecer, sem dei-
xar de gemer t QuSo inimigo fui de mim
mesmo I
SacriQcio tremendo; mas sera" o ul-
timo !
Sacrificio enorme; mas n8o so repe-
tiril
Quebro os lacos que me ligam e dou re-
dea solta ao meu despeilo.
II
Ninguem desconhece que o homem vive
como o Oceano ; agitando-se.
Toda a gente sabe que nio se formam as
grandes nagoes sem grandes mudangas,
como nio pdde haver grandes oblagoos sem
grandes sacrificios.
Nao sem cataclysmos cahio a barbarie
feudal.
Nao sem cataclysmos cahio a theocra-
cia.
NSo sem cataclysmos veio & terra a mo-
narchia absoluta.
Nao sem cataclysmos expulsamos a mo-
narchia miita.
N8o sem cataclysmos vird a seu tempo a
federagao democratic.
Este feto converter-se-ha em creatura ;
estas molleculas formarao a molle ; desta
crysalda sahira a mariposa quando chegar a
hora divina da creagao ; mas digo e susten-
to que, por hoje, a Hespanha cantonal nao
tem homens, nem representa os necessarios
interesses para fundar uma ordem de cousas
possivel, uma situagao aceitavel.
- E jd que a federagao ndo tem meios (eu
o vi) para dirigir os negocios publicos, decla-
ro e juro ndo levantar-me contra nenhum
governo constituido, ndo sendo o governo
da inquisigao.
Ainda que me indultassem, ndo aceitaria
o indulto : ir-me-hei para o estrangeiro mal
que convalescer e possa evadir'-me, se a
vida me alcangar ; exige-o a minha honra :
as ruinas porem de Cartagena mostraram-
me uma verdade, e eu dovodize-lo ao povo,
E bebeu com ancia o vinho contido na
taga.
Metade d'isso basta para matar um
touro, disse Michelotto.
Que dizes ? perguntou languidamente
Cornelia apresentando de novo a taga a Mi-
chelotto. Torna a enche-la... tenho sede
ainda, quero embriagar-me... isto ator-
menta-me.
Quiz eu dizer, replicon Michelotto
sorrindo e enchendo de novo a taga com o
vinho preparado, que a-metade dos crimes
que esse miseravel commetteu, bastaria [ura
que elle ndo alcangasse e misericordia de
Dcus.
Cornelia esgotou a segunda taga.
Porem, apenas acabara de beber, cahio
re londamente no chdo.
Muito bem, disse Michelotto, esta
tambem ndo fallard.
E pegando n'outra garrafa encheu um
copo que bebej com prazer.
Depois incliuou-s.e sobre Cornelia, e ti-
rou-lne da algibeira a chave da porta da
rua.
E' pena, disse elle contemplando-a,
era tao formosa I Mas que fazer ?
Os negocios de estado obrigam a cousas
mais crueis ainda*
Em seguida pegou n'uma vela, sahio para
a ante-camara, mandou aos esbirros que
carregassem com a area, desceu silen-
ciosamente a escada, tirou do aposento on-
de estavam escondidos os outros seis esbir-
ros, e sahiram todos d'aquella casa, fe-
chanlo a porta, e levando a area para a
praga.
N'aquelles tempos as villas e cidades de
t'urisdigdo tinhara sempre levantado o pati-
iulo que era.de pedra.
Subia-se para elle por tres ou quatro de-
grdos, ate d altura de um homem.
Na entrada havia um mastro que servia
de eixo a uma rod*, horisontal, onde eram
collocados os sentenciados a agoutes.
Quando havia que enforcar alguem, a
forca armava-se junto do mastro.Quando era
necessario decapitar alguem, no mesmo ap-
Jiarelho armava-se uma cousa muito seme-
bante d guilhotina.
0 carcere era situado na praga, e, junto
d'elte, a casa do verdugo.
Michelotto dirigio-se para ella com a area,
e bateu d porta com forga. No transito ndo
havia m encontradr^nma nntca pessoa, nem
}& que 3 sagrada toda a ide'a escripta com
sangue sobre as ruinas de um povo que-
rido.
Sim, republicanos federaes t Quando
um partido d nullo para governar, coramet-
te um attentado, levantando-se contra quern
goverua.
Ill
0 pacto de Torlosa, que declarou fecha-
dooperiododa propaganda, ndo soubo o
que fez.
0 pacto de Tortosa ndo teve razdo.
0 pacto de Tortosa causou um grande
prejuizo. .
Ha que propagar verdades, creogas e
virtudes.
Ha que enriquecer as intelligencias, as
esperangas, os caracteres, os sentiment is e
os costumes publicos.
Ha que instruir.
Ha que moralisar.
Hi que regenerar o que degradaram
quatorze seculos de tormentos, de uavalhas
e forcas.
Hj que semear ideas para coiner ho-
mens.
Ha que semear homens para colher po-
vos.
Ha que semear povos para colher huma-
nidades.
Esta doutirna ndo agradard a muitos ;
mas agrade ou ndo agrade, eu devo expo-la
e exponho-a.
Temos qus creardemocracia, repiblica,
federagao, como creamos a monaretiia mii-
ta, a monarchia absoluta, a theocracia e o
feudalismo.
Temos que crear liberdaie, como croa-
raos escravatura.
Temos que crear a civilisagao, como
creamos a barbaria.
Agrade ou nao agrade, pese ou ndo peso,
ha que fazer o novo paiz como fizemos o
velho
Se nao adoptarmos esta conducta, se nio
seguimos este conselho, nao alcangaremos
outra cousa que destruir, escandalisar e pe
recer.
Toda a Hespanha devo sabe do : saiba-o.
Em quanto nos empenharmos em gover-
nor sem govemantei, a republica federal
serd umaesperanga que deve guardar-se no
santuario da cinsciencia, rodeada das su-
blimes aureolas do-martyrio.
Liberaes de todas as cores, vamos contra
o absolutismo que que calcinou os ossos
dos nossos pais. ,
0 mais vird quando "dave vir : o relogio
do tempo nao marcou a hora. Dous n3o o
quer ainda, e sempre ha de ser o que Deus
quizer.
14 de Janeiro de 1874.
lloque Barcia.
0 ultimo escripto de Barcia e um pro-
testo, cuja insergao, supplica d imprensa
como caso de honra :
A propo-ito da junta do Cartagena fal-
la-se de uma repartigdo de fundos e de ge-
neros.
Nada sei, nada vi, nada presenciei, nem
o teria consentido tdo pouco.
Durante os snis mezes que estive u'esh
cidade, nem despreguoi os labios em mate-
ria de petigoes, nem outros, curaprindo um
dever de cortezia, mo perguntaram qual
era a sorte de minha mulher e de meu fi-
lho.
Arrancaram-me do seio de minha desola-
da familia, dos meus trabalhos, dos meus
costumes, para me deixarem sem tranquil-
lidade, sem recursos e sem sai^ >
Ndo toquei n'um centimo, nem n um Go.
Ouve isto o povo hespanhol ? Nem um fio,
nem um centimo.
Se ha quem seja capaz de me contradi-
zer, que o faga : ninguem o fard.
Supplico aos meus collegas da imprensa a
insergdo d'estas linhas, como caso de honra.
18 de Janeiro de 1874.
Roque Barcia.
JDRISPRUDERGIA.
Relatorio
A RESPE1T0 DO NEGOCIO DO MARECHAL BAZAINE
EX-C0MMANDANTE EM CHEFE DO EXERCITO
DO RHENO.
AUDIENCIA DE 3 DC NOVEMBRO
(Continuacao)
0 Sr. Marchal. -A 24 de agost0 de
T^-
isso era possivel, tal era o terror que Pedro
de Napoles infundira nos habitantes de Se-
sena, que depois do toque de silencio, nin-
guem se atrevia a'sahir para a rua, com
medo de ser encontrado e justicado por esse
unico delicto.
Michelotto tinha a certeza de ndo ser
visto.
Depois das tres pancadas dadas com for-
ga na porta da casa do algoz, abrio se uma
janella e uma voz aspera perguntou o que
qucriam.
Abra a porta ao senhor de Sesena,
duque Valentino e de la Roumania.
A esta intiraagdo que Michelotto pronun-
ciou com voz rouquenha para que algum
vizinho nao ouvisse as suas palavras, abr'o-
se immediatamente a porta, e appareceu um
homem com uma lnz na mSo.
Sabe ler ? perguntou Michelotto ao
algoz.
Sei, responden aquelle.
Conhece-me ?
Sim, vi-o muitas vezes, quando estava
aqui o poderoso duque de Valentino ; o se-
nhor e D. Michelotto.
Visto isso, deixe entrar estes dous ra-
pazes com esta area.
0 algoz acabou de abrir a porta.
Michelotto e os dez esbirros com a area
entraram.
Feche a porta e leia a ordem que lhe
entreguei.
0 algoz leu e disse com espanto :
Mandam-me que execute Ramiro de
Oreo, governador de Sesena. Estou prom-
pio para obedecer.
D6-me essa ordem.
0 algoz entregou a ordem a Michelotto,
o qual disse :
E' preciso que se faga justiga imme-
diatamente.
A esta hora, ndo executei nunca ne-
nhum condemnado.
Melhor; deve agradar-lhe a novi-
dade.
0 patibulo levard pelo menos uma
hora a aquar ; vou chamar os meus aju-
antes que moram longe.
Ah elles ndo habitam aqui ?
Ndo senhor ; aqui vivo eu s6.
Ndo tem familia ?
Ndo senhor ; nio quero ter filhos para
que se ndo envergonhem de mim.
E onde esta" o patibulo T
18Tv, perraanecondo no quaTtel-general
Ban-Saint -Martin, fui encarregado pelo ge-
neral Jarras de levar a Verdun tres cartas,
uma dirigida ao imperador, e as outras
duas a raadame Baz.ine e a madame Jarras.
A 26 consegui passar as linhas pru$sianas, e
a 27 entreguei os meus despachos em Ver-
dun nas mdos do general Guerin. Este,
pela s.ua part-?, encarregou-me de um des-
pacho cifrado, da mais alta importancia, me
.disse elle, e a 30 entreguei-o ao m.rechal
Bazaine, o qual disse, depois de o ter feito
tradazir: Eis aqui noticias que valem
para mim mais do que um corpo de exer-
cito coxpleto.
Est3 teste nunh3, que e operario em uma
povoagdo proxima de. Metz, exprime-se
com emphase pittoresca, mas ao mesmo
tempo com notavel precisdo. Citouos nu-
meros de tolosos regimentos allemies que
encontroi, o lugar occupado por todos os
corpos dc exercito, e a sua composigdo.
Concluio o seu dopoimento, e deu indica-
gOessobrea maneira porque foram queima-
dos os viveres a 27 de agosto, era Grave-
lotte, e sobre a iuutilidade que havia de
os quei nar?
Presidents.Pelicito d testemunha pela
coragem de que deu prova na sua raissdo,
e agradego-lhe por ter, sem ser a isso forga-
do, empreheo lido uma longa viagem para
apresentar aqui o seu interessante teste-
munho.
Felicito-o tambem pela clareza com que
lepoz. Se as sua; palavras sdo ingenuas,
nem por isso deixam de ter valor em con-
sequencia da sua precisao, e seria para de-
sejar que rnuitos outros que se jexprimem
com mais arte, apresentassem nas suas de-
claragdes tanta exnetidio e sinceridade.
A testemunha saudou o conselho, e reti-
rou-se no meio de murmurios lisongeiros
do auditorio.
Muitas testemunhas se succedem na
barra.
0 Sr. Benoit, filho do maire de Verdun,
encarregado a 27, pelo quartel-general do
raarechal de Mac-Mahon, de levar um des-
pacho ao marecbol B&zaine, entregou esse
despacho ao commandante de Longway, a
30, pelas sete boras da tarde.
0 Sr, Guepralte alcangou ir a Metz para
se dirigir ao Trianon, sem ser obrigado a
isso
Fez-se a lcitura do depoimento de uma
testemunha ausente, o Sr. Jeandelin, que a
23 de agosto se diri^io a Metz, e deolarou
que as estradas estavam livres.
Aqui a sessfio foi suspensa ; eram 3 hor s
e recomegou ds 3 e 25 mioutos, proseguin-
do o depoimento das testemunhas.
0 Sr. Carre, habitante das immediagoes
de Metz, declarou ter entrado na praga du-
rante o bloqueio.
0 presidente agradeceu d testemunha,
por haver sahido de Metz para vir a Tria-
non sem ser obrigada a isso.
0 Sr, Brun [ Nicolau ), de Saint Marco-
nel, on tao amanuense de um notario e.
actualmente mar echo I ties taigos de artilhe-
ru, dirigio-se de Rozerieulles a Metz a 30
de agosto, para ver uma pessoa ^o seu co-
nhecimento, e regressou a Saint Marcel no
da 1 de setembro.
Presidente. As testemunhas da terceira
cathegoria que ainda ndo foram ouvidas,
hao de ser interrogadas quando o Sr. Ulm
puder comparecer perante o conselho.
Chamai o capitao Joly.
0 Sr. Joly. Estava em Mezieres ; na
noite de 19 para 20 de agosto chegou um
despacho ordenando que se procurasse on-
de estava o exercito do Rueno. Fui man-
dado em missao para esse fim. Em Mont-
meily, encontrei o commandanto Magnau,
o qual me aconselhou que me dirigisse a
Longoyon ; alii puzeram-me em communi-
cagao com um operario carpinteiro que co-
nhecia, o paiz, e que eu mandei para o re-
conhecer. Voltei a Montmedy quando o
maire de Longoyon recebeu um despacho,
annunciando-lhe que um guarda geral ti-
nha visitado o campo de bataiha de Saint-
Privat; entrti em communicagao com esse
guarda geral, o qual me assegurou que se
tivesse querido, teria podido chegar a Metz.
Nao obtive nenhumas noticias do emissario
que eu mandei.
0 bardo Larrey.Tive a honra de ser
medico em chefe do eiercito do Rbeno.
Estava no campo de Chalons quando o fan-
Esses madeiros que ve ahi, d direita,
sao a forca...
Os nossos esbirros irao levando isso
para a praga.
Os meus ajudantes faziam isso mais
depressa e melhor.
Os seus ajudantes estdo aqui ; vamos,
depressa, acabemos com isto.
Em menos de um quarto de hora as pe
gas do patibulo foram leradas para o ta-
blado, e moia hora depois estava o patibu-
lo armado.
Se algum viziuho sentir o motira do
martello do algoz armando o patibulo, pro-
vavelmente esconde a cabega debaixo da
roupa da cama com temor.
Aquelle ruido era deraas'ado terrivel ;
signincava que no dia seguinte ia ser iinmo -
Ida uma nova victima.
' Agora voltemos a sua casa, disse Mi-
chelotto ao algoz, e apodere-se d'aque'le
que ha de ser justigado.
0 algoz olhou para elle com grande es-
panto.
Os esbirros abriram a area, mas encon-
traram apenas um cadaver.
Pedro de Napoles succurabira asphyxiado
por falta de ar, morrera do mesmo modo
que seu irmao.
Um quarto de hora depois, o troncode
Pedr j de Nopoles, estava deitado de brucos
sobre um banco, e por entre os madeiros
via se apparecer a cabec, que tinha uma
expressdo terrivel.
Conheceu-se, com tudo, Bamiro de Oreo,
pelos cabellos encrespados, e, cousa singu-
lar I ndo empallidecera ; conservava a cdr
rubicunda do rosto
Quando os habitantes de Sesena sahiram
de suas casas, ao rumper do dia, viram
aquelle espectaculo horrendo, que ndo se
atreviam a julgar verdadeiro, tal era o odio
que tinham ao seu governador.
Notou-se que a casa do algoz estava aber-
ta, e que aquelle tinha desapparecido.
Na lareira via-se ainda um grande mon
tio de cinzas, mas nio se encontrou nem a
area, nem as roupas que elle coutinha.
P uco dep >is de amanhecer, os sinos
omegarara a tocar a fogo.
0 incendio envolvia a casa de Cornelia.
As criadas poderam salvar-se com gran-
de custo, ms acredita se que Cornelia e
Marcos tinham perecido.
Com tu lo, no cnlulho encontrouse tdo
perador me pdio para acompanhar o com-
mandante Magnan.
A testemunha reproduzio a narragio i&
feita pelo commandante Entrou em mais
longos detalhes, quando fallando da sua re
sidencia em Sedan, descreveu o bombar-
deamento que aquella praga soffron. < Os
obuzes cahiam com profusio. Depois
de muitas idas e voltas a testemunha diri-
gio-se a Paris, onde permanecen durante o
sitio.
Abbade Mitairk.Nomeado capellioem
chefe do exercito do Rheno, acompanhoo o
commandante Magnan, em companhia do
bario Larrey. A testemunha fez terceira
edigoo da narragdo apresentada pelo com-
mandante Mignan.
0 Sr. Paul Odeut antigo pref.ito de
Metz, declarou que muitas vezes tinha pro-
curado fazer chegar despachos ja a Thi.n
villejda Verdun, mas que os seus emiasa-
rios nunca tinham conseguido passw.
0 Sr. Darmis, antigo primeiro presiden-
te do tribunal de Metz.A minha situagao
em Metz permittio que eu communicasse
com o marechal Bazaine. Recordo-me
muito bem da minha primeira visita. Ia
preveni-lo de que do alto do palacio de jus-
tiga tinha visto um corpo de cavallaria ini-
miga desenvolvor-se em um caminho <|ue
udo estava tragado na carta do estado -maior.
Queria fazer-lhesaber tambem, que naambu
lancia do palacio se tinha extrahido do corpo
de um granadeiro da guarda um bala explosi-
ve. Nao se trtou de communicagoes com
o exterior uessa entre vista, mas na segunda,
que foi na data, creiu eu, de 1 a 3 de se-
tembro, o raarechal, a uma perguuta que
eu fiz, disse-me que empregava todos os
seus esforgos para dar noticias suas ao impe-
rador, e para as receber delle. Accrescen-
tou que o imperador ndo devia estar longe,
e que estava a ponto de so reunir. 0 im-
perador, segundo elle julgava, estava nos
Ardennes.
P.Essa conversagdo teve lugar, dizei*
v6s, a 1 ou 2 de setembro ?
R.Ndo posso precisar bem, mas afiir-
mo que foi pouco tempo depois da bataiha
de Cervigny.
A testemunha foi autorisada a conservar
se na sala da audiencia.
A testemunha que se seguio a esta, o
geral de brigada Saint-Sauveur, nio teve
nenhuma resposta a dar is perguntas quo
se lbe flzeram.
0 bardo Gorgon, depoz em segui la.Es-
tava encerrado em Metz, na minha qualidade
de proprietario de nuraerosas ofOiinas nas
immddiagoes; contava receber emissarios
que mo informassera. Mas ndo recebi nun-
ca nada, a ndo ser urna vez, no dia 30,
por um individuo chamado Marchal. Ten-
tei sahir de Metz, e com isso so senti gran-
des desgostos e corri grandes perigosj Vol-
tei pois.
Tratando se do depoimento do Sr. Beau-
ce, o advogado Mr. Lachaud declarou que
desjava ouvir aquella testemunha n'outrj
serie. A testemunha retirou-se portanto da
barra,
0 Sr. de la Guilluxumie.Esta testemu-
nha, medico militar, vio o marechal rece-
ber emissarios, e pedir-lhes que esperassem
por ter de levar de pachos que tinham de sa-
hir de Metz.
Ainda outra testemunha, o Sr. Rigaul,
confirmou este ultimo depeimento.
0 presidente fez em seguida proceder au
chamamento das testemuhas que podiara
deixar definitivaraente o Trianon.
A audiencia levantou-se is I boras e
raeia, sendo adiada para sexta-feira 7, i
uma hora da tarde.
AUDIENCIA DE 7 DE NOVEMBRO.
A sessdo comegou a uma hora e dez rai-
nutos. Muitas testemunhas que ainda nio
tinhara respondido quando foram chama-
dps, declarara que estdo presentes.
Depois o Sr. Lallemant, procurador da
republicajem Sarreguemines, e convidadope-
lo presidente, sob a fe do juramento, que
jd tinha prestado, a renovar de uma ma-
neira mais circumstanciada a narragao que
jd tinha feito perante o conselho da missio
que lhe foi confiada em 27 de agosto, pelo
coronel Turnier.
; Continuar-se-ha.)
somente o cadaver carbonisado de Cornelia
o de Marcos ndo appareceu em parte algu-
ma.
Tudo aquillo era um mysterio espantosu
que dava largo campo d imaginagio, para
as supposigoos mais descabelladas.
Houve quem se aventurasse a dizer que
tudo aquilto fdra feito pel > diabo, por'per-
missao de Deus, para castijara sanguinari.x
ferocidade de Ramiro de Oreo.
Pela tarde revellou se um outro mysterio,
quando as autoridades secunlarias da villa
se atreveram a mandar tirar do patibulo
justigado.
Quando um dos ajudantes do algoz lhe
pegou nos cabellos, ficaram-lhe estes nas
mdos, deixando ver outros louros eriga-
dos.
Respeitande-se aquella sentenga myste-
riosa, que ninguem conhecia, e que pareci,.
partir de Deus, o otnaver foi enterrado r.
ceraiterio dos justigados.
Quando, dous diak depois, Lucrecia
Alfonso de E'ste, passaram por Sesena.
acompanhados de Cesar Borgia, a cujo lado
ia o inseparavel Micheloto, e de uma cdrte
deslumbrante, toda a povoagao de Sesena
sahio a recebe-los ao caminho, applaudin-
do-o e victoriando.
Eu bem sabia que haviara de alegrar-
se, disse Cesar Borgia a Michelotto.
Quando lhe disseram o que havia succe-
dido, e que ndo existia vestigio algum d'a-
quelle attentado, respondeu :
Pois bem, senhores, dar-lhes-hemos
outro governador mais humano.
A villa de Sesena, que dera tantas de-
raonstragoes de alegria, receiando que Ce-
sar Borgia praticasse alguma atrocidade em
virtude do attentado contra o seu governa-
dor, alegrou se muito mais ao saber que
nada tinha a temer, e que d'alli por diante
seria tratada com mais humanidade e jus-
tiga.
(Coniinuar-se-ha.1


TVP.DO DIARIO.-RUA DUQUE DE CAXU:,

MOIIMM